Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17445


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*VMi^BI^MiH^BBB"*M
ANNO
TJMERO 33


PARA A CAPITAL E LCGiRG 0\DE Vi SE PACA PORTE
Por tres mezes adiantados............... 60000
Por seis ditos idem............... 12 Por um anno idem................ 23)J000
Cada numero avulso, do mesmo dia......... #100
DOMENW O DE FEVEREftO DE 1889
PARA DE YTR E PORA DA PROVIA t IA

Por seis mezes adiantados .' ,..........." '
Por i^ove ditos idem................
Por um anno idem. .............
Cada numero avulso, de das anteriores.......... .
130500
205000
270000
0100
DIARIO DE PERNAMBUCO
Tropriedade de Manoel 3%gueiroa de S'aria # 'Fitys

i
M
;
Os Si s. Amede Prin-
ce & de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
epubcacoes na Fran-
qae Inglaterra.

TELEGRAMMAS
(!"
V
22::::: panculas so hamo
PARAHYBA, 8 de Fevereiro, s 8 ho-
ras e 20 minutos da noite. (Recebido s
'101/2 horas).
O Exin Sr. presidente desta provincia,
Dr. Pedro Francisco Correia d'Oliveira,
parti hontem em trem expresso ate o Pi-
lar, sendo acompanhado de muitos ami-
gos.
D'alli seguio S. Exc. cavallo para o
Interior, devendo visitar Inga, Campia
Grande, Alaga Nova, Areias e Bananei-
ras, de onde regressar por Guarabira.



35:::;::: sescia sata:
m


i
1fi
i
PARS, 8 de Fevereiro.
A taxa do Banco de Franca foi fixada
a 3V
VIENNA, 8 de Fevereiro.
S. M. o Imperador Francisco Jos agra-
decendo ao povo austro-hngaro as provas
de sentimentos que Ihe foram dirigidas por
occasiSo da morte d<\ principe Rodolpbo,
declarou que continuar os seus reforcos
para o bem geral e para o mantimento da
paz na Europa.
VIENNA, 8 de Fevereiro, tarde.
Hoje soube-se que o principe Rodolpho
escreveu antes de.mor er duas cartas, urna
dirigida a S. M. o Imperador, seu pai, e a
outra sua esposa a princeza Stephania,
pedindo perdao de seu suicidio.
WASHINGTON, 8 de Fevereiro.
O Senado acaba de adoptar o projecto
concernente a constituicao da Companhia
do Canal de Nicaragua.
ROMA, 9 de Fevereiro.
Acaba de realisar-sc aqui urna importan-
te manifestacSo dos operarios sem traba-
lho.
Muitos discursos foram pronunciados
pelos organisadores da manifestacao.
Deram-se alguns disturbios em seguida
mas as autoridades conseguiram abafal-os.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
9 de Fevereiro, de 1889.
PARTE OFFICIAL
(.ovcrn) da Provincia
EXPEDINTELO DA 31 i JANBIRO DE 1889
Actos: -
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o Dr. chefe de polica Antonio Fir-
mo Figueira Saboia resol ve conceder-lbe 3 me-
zes de iicenga com os vencimentos a que tiver
direito para tratar de sua saude, de vendo o peti-
cionario entrar no goso da mesma Iicenga no
praso de 15 das.
0 presidente da provfncia de conformidade
cora o dispos'o no art. 1 g 6 da le n. *>33 de
20 de Setembrode 1871, resolve designar o juiz
de direito bacbarel Dario Cavalcante do Reg e
Albuquerque para exercer o < argo de rhefe de
policia durante o impedimento do funecionario
efleciivo. Communicou-se ao nomeado e a The-
souraria de Fazenda.
O presidente da provincia de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de policia em oflicio
n. 107, de hontem datado, resolve nomear para
o lugar vago de delegado do termo de Olinda o
Coronel Jos Joaquim Antones.
0 presidente da provincia resolve, de con-
formidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
cia em oflicio n. 109 de hontem datado, exone-
rar, a pedido, Liberato Prisco Ribeiro do lugar
de : supplente de subdelegado da fraguezia da
S do termo de Olinda ; e nomear para substi-
toil-o o tenente Francisco Jos da Silva.
> O presidente da provincia de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de policia em ofieio
n. 1<8. de hontem datado resolve exonerar Mi-
nervii de Miranda da Rocha Pitta do logar de.
! supplente do subdelegado da freguezia da S,
do termo de Olinda visto ter sido Romeado of-
firtal da guarda nacional.
O presidente da provincia de conformidade
com a propota do Dr. chefe de policia em oflicio
n. lot de hontem datado resolve nomear o capi-
'vino de Miranda da Rocha Pitta para o
t supplente do subdelegado da fregua-
> de Olinda.
provincia, tendo em vista o
ireado Arsenal de Mari-
^Sfteadaan odiaos de
12 e 29 do corrente, ns. 10 e 58. resolve, de ac-
cordo com o decreto n. 28-4 do Io de Fevereiro
de 1862, abrir um crdito da importancia de
372680 a verba Munijo de bocea do Ministe-
rio da Marinba. exercicio de 1888. alim de ter lu
gar o pagamento de despezas feitas com fructas
e condimentos para os oentes da enfermara de
marinha no mez de Dezembro prximo passado.
Remetteu-se copia ao inspector da Thesouraria
de Fazenda e communicou-se ao inspector do
Arsenal de Marinha,
Oflicios :
Ao Exm. Sr. marcchal de campo, Visconde
de Maracaj quartel mestrejgeneral.Transmuto
a V. Exc. o incluso quadro do consumo de gaz
nos estabelecimentos militares desta provincia
relativo aos mezes de Outubro a Dezembro, que
pelo engenheiro encarregado das obras militares
me foi apresentado com officio de 28 to corrente
sob 11.281.
Ao inspector do Arsenal de Marinha Reco-
Iha-seV. S. corte conforme determma o Exm
Sr. ministro da marinha em telegramraa de 27
do corrente. Nesta data expeco as necessarias
ordens para o seu transporte aquelle destino.
Mandou-se dar transporte na Companhia Brazi-
leira.
Ao Dr. chefe de policia.Accuso o recebi-
mento do oflicio de hontem datado, em que V. S.
communica-me haver deixado o exercicio de seu
cargo por motivo de molestia. Nesta dada de;
signei para substituil-o interinamente o juiz de
direito baeharel Dario Cavalcante do Reg Albu-
querque.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Cnmmunico a V. S. paraos fins convenientes que
o juiz municipal e de orphos do termo do Boni-
to, baeharel Sebastio Ildefonso do Reg Barros
reassumio o exercicio de seu cargo no dia 24
deste mez.
Ao mesmo.-Devolvendo a V. S. o pedido
de gneros alimenticios e outros artigos neces-
sarios ao supprimento do almoxarifado do presi-
dio de Fernando de Noranha no mez de Feverei-
ro prximo, recommendo-lhe que satisfaca-o de
accordo com a informaeo prestada no seu oflicio
de 28 do corrente sob n. 56. E estando verifica-
do que no segundo semestre do anno Ando nao
foi attendida s requesico, agora reiterada, de
1262 mantas de la, para sentenciados, convm
3ue V. -. chame o contractante do fornecimento
esse artigo, Rodrigo Carvalho da Cunha, a ef-
fectual-o pelo prero ajustado de 1531, provi-
denciando para que dora em diante nao seja
fornecido a cada sentenciado mais que urna das
citadas mantas por anno.
Ao procurador fiscal da Thesouraria de Fa-
zendaRecommendo a Vmc. era resposta ao seu
oflicio de 29 do corrente mez, que me remetta
urna nota da despeza feita e por fazer-se, com a
acquisicao dos terrenos em que tem de ser con-
struido o edificio para a Faculdade de Direito
desta cidade,.afim de ser enviada ao Exm. Sr.
ministro e secretario de estado dos negocios do
imperio.
Ao tenente-coronel Joaquim Cavalcante de
Albuquerque. Haja Vmc. de prestar dentro- do
praso de 10 das a raformato exigidapor esta
presidencia 4fc despacho de Sfae Ifovembro
ultimo, proferido no oflicio de 21 do mesmo met
do coronel commandante superior da guarda na-
cional da comarca de Pao d Alho.
Ao juiz de paz, presidente da junta de alis-
tanu-nto militar da parochia do Senhor Bom Je-
ss dos Remedios de Afogados de Ingazeira.
Constando de oflicio do juiz de direito, presi-
dente da junta revisora do alistamento militar
da comarca de Ingazeira de 17 do corrente ter
deixado de ser frito n'essa parochia o alista-
mento, concernente ao anno de 1888, recommen-
do a Vmc, que sem perda de tempo, designe
novo dia para a reuniao da respectiva junta e
d comego aos respectivos trabamos, alim de ser
cumprido o art. 8o do regulamento annexo ao
decreto n. 5881 de 27 de Fevereiro de 1875
Communicon-se ao juiz de direito.
Igual ao da parochia de S. Jos do Egypte-
Portaras :
A' vista do que representou-me a Cmara
Municipal do Recite, em oflicio n. 6, de 18 do
corrente mez, e da informaeo prestada a res-
peito, a 26, pelo Revm. governador do bispado.
declaro mesma Cmara, para seu eonheci-
imeoto, que nesta data submetti a questao a con-
siderago do governo imperial anm de resol-
vel-a.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Kecife a S. Francisco mande dar transporte
da estago de Cinco Pontas at a de Gamelleira,
com direito bagagera, a onze pragas do corpo
de policia que vao destacar em Brreiros, cor-
rendo essa despeza por conta da provincia.
da
DI
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO
FEVREIBO DE 1889
Baro de Itapissuma e outros.Informe com
urgencia o Sr. engenheiro fiscal do districto
de engenhos centraes.
Brigadeiro Francisco Joaquim Percira Lobo
Forneca-se.
Francisco da Silva Miranda.Informe o Sr.
inspector da Instrucco Publica
Coronel Joao Evangelista Nery da Fonseca
Remettido ao Sr. inspector da Thesouraria de
Fazenda para certificar.
O mesmo. -Forneca-se.
Joanna Prxedes de Albuquerque.Sim, quan-
to aos documentos, mediante recibo.
Joaquim Manoel de Oliveira e Silva.-Informe
o Sr. inspector geral da Instrucco Publica.
Luiz Antonio de Siqueira. -Deferido de accor-
do com a informaeo do engenheiro da Compa
nhia Recife Drainage.
Pedro Ratis de Inojosa Varejao Indeferido,
ficando entendido que o supplicante nao podia
t?r aberto escola nocturna sem licenca minha,
secundo o disposto no art. 46 % nico do Regu-
lanvnto vigente.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, V de Fevereiro de 1889.
'-*.
O porteiro,
F. Chacn.
Repartido da Polica
2.* seecSo.N. 1'34Secretaria da Po-
cia de Pemambucio, 9 de Fevereiro de
1889. Illm. e ExnV Sr. Participo a
V. Exc. que foram hontem. recolhidos
Casa de DetencSo os stteuintes individuos :
A' minha ordem, Ignacio-Pereira Nuns, vindo
do termo de Jatobcomo eruginoso de morte no
de Aguas Bellas, Florencio GoiPes de S e Jos
Antonio Alves conhecido por Jos<\Gango, vindos
do de Floresta como sentenciado3,\^;>"amra da
tonceicao Oliveira, vinda do da Vicfpria como
alienada at ter destino, Fraocisco Javier de
Souza, remettido pelo subdelegado do'districto
do Peres, como vagabundo e Pantaleaot. de tal,
por disturbios. \
A' ordem do da freguezia do Recife, ManoeJ
Fancisco dos Sanios, por disturbios.
A' ordem do da f eguezia de Santo Armonio.
Leonardo Francisco dos Santos, por distiV010/
A' ordem' do do 1. districto da fregueziai (
S Jos. Elemerio Hen ique Jos da (kista,
disturbios a minha di.-posico, Joaquim Lo
dos Santos, Joviiio He arique Jos Riheiro,
crime de furto, Antonio Manoel,de Oliveira
noel Francisco da Silva, Manoel Pedro
Santos, Joseplia Mana da Conceicap, Gui
Maria da CoBceigao, por embriaguez e d
e Maria Joaquina da Luz, por disturbios.
A' ordem do do 2. districto, Francisca Maria
da Conoeicao, por disturbios.
0 delegado do termo de Pesqueira cotumu-
nica, que. no dia '5 do mez passado capturou
os individuos seguintes :
Jos Celeiino da Costa, processado por crime
de furto, Marcolino de tal, pelo de espanca-
mento, e Jos Tiburtino de Souza, criminoso de
morte no termo de Brreiros.
A mesma autoridade participou-me que na
noite de 30 d'aquelle mez, o individuo d nome
Joaquim Basilio, ferio com duas lacadas, a Joa-
quim Bernardino de Farias evadindo-se em se-
guida.
O offendido foi vistoriado pelo Dr. Manoel de
Vasconcellos, que declarou leve os ferimentos.
Acerca do facto, abrio-se o competente in-
querito, que j teve o destino legal.
Em face das aecusaces que ha levantado
certa parte da imprenta opposicionista nesta
cidade contra o Dr. delegado do 1." districto da
capital, a proposito do casamento da menor El-
vira, cumpre-me informar, a V. Exc. que, proce-
dendo s mais completas indagages, venfiquei
que nenhuma parte teve o referido delegado em
semelhante acto, que todo correu sob a direcgio
do digno Dr. juiz de orphos.
olicitei com interesse desse juizo, e ainda
nao me chegaram s mos, as diligencias proce-
didas pelo mesmo delegado, as quaes por urna
falsa orientaco foram enviadas pelo meu ante-
cessor a aquelle integro magistrado.
Com referencia ao assumpto de que se oceupa
a Provincia de 6 d'este mez, debaixo da epi-
grapheMais um escndalopasso s mos de
V. Exc. nos annexos juntos a explicaco dos
fados conforme se passaram elles e com o que
ficam destruidas completamente as recrimina-
ges injustas feitas ao referido delegado.
Communica o subdelegado da freguezia de
Santo Antonio, que foi encontrado hoje pela
manha, sobre urna carros, no caes 22 de No-
vembro, o cadver de urna crianga.
O subdelegado respectivo tomando conheci-
mento do facto, fez proceder a competente vis-
toria pelo Dr. Gama Lobo, que declarou ter a
mesma crianga 7 mezes de idade e sido a morte
natural.
Procedeu-se a respeito nos termos da lei.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Ges, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de policia interino, Dario
Cavalcante do Reg Albuquerque.
Delegacia de Policia do districtda capital, o
8 de Fevereiro de 1889. Illm. Sr.-Accuso a re-
cepgo do oflicio de V. S., sob n. 642, de 6 do
fluente, no qual chamando % minha attengo
para o que vera publicado na Provincia da mes-
ma data, sob a epigrapheMais um escndalo
me recommeoda que, ouvindo o respectivo sub-
delegado, informe a respeito da materia de tal
publicago.
Era resposta cumpre me apenas apresentar a
inclusa informago em original, prestada pelo
subdelegado de Santo Ajypnio, com o qual sa-JJ
tisfaco o modo mais ccjfcieto a exige'ncia%on~P
tida em o citado officio de V. S. a quera Deus "
guarde.Illm. Sr. Dr. Dario Cavalcante do Reg
Albuquerque, M. D. chefe de policia interino He
Pernambuco. Anesio Augusto de Carrnlho Serra-
no, delegado do 1. districto.
Copia. Subdelegacia da freguezia de Santo
Antonio, 7 de Fevereiro de 1889.-Illm. Sr.Sa-
tisfazeodo a exigencia que V. S. me fez verbal-
mente para que eu informe sobre o facto de que
se oceupa A Provincia de hontem sob epigra-
pheMais um escndalo, tenho a dizer : Que
effectivamente foi-me apresentada no dia 22 do
mez lindo, por Domingos Joaquim Fernandes
Braga, o menor Joaquim Francisco de Araujo,
que fura preso pelo caixeiro do mesmo Fernan-
des Bragada occasio de furtar do seu estele -
cimento duas latas com manteiga. N'essa occa-
siito fiz varias perguntas ao menor e ao referido
Fernandes Braga, sem que houvesse as reduzido
a termo ou auto, para fazel-o depois, urna vez
3ue o conductor do preso nao tinha vindo com
uas testemunhas, que podessem attestar o facto
rara assignarem o termo, conforme dispoe o art.
32 do Cdigo do Processo.
Entend, entretanto que devia remetter o me-
nor para a Casa de Detenco, fazendo acompa
nbal-o da parte de que fr preso em flagrante
por crime de furto.
Mais tarde, porm, procurei [legalisar a priso
lavrando o termo de flagrancia, o que nao pode
eflectuar-se porque nao mais appareceu-me o
conductor do preso nem as testemunhas.
Vendo que nao era licito manter a prisao do
menor, desde que tratando-se de crime particu-
lar, faltava o requisito legal, o termo de flagran-
cia, para abrir o respectivo inquerito e conser-
val-o preso, mandei pol-o^m liberdade n dia 4
deste mez.
Esta a verdade do facto, a proposito do qual
julgo dispensavel responder as insinuagoes que
faz A Provincia, nao smente com relago a mi-
nha individualidade. como especialmente a V. S.
3ue nenhuma parte teve no meu modo de proce-
er sobre a questao de que se trata.
Deus guarde a V. S Illm. Sr. Dr. Anesio Augus-
tode Carvalho Serrano, M. D. delegado do !. dis-
tricto da capital. O subdelegado. Antonio Luiz
de Serra Cavalcante.
Secretaria de Policia de Pernambuco, 9 de Fe -
vereiro de 1889. Conforme.-O secretario, Joa-
quim Francisco de Arroda.
-------------_.--------------
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 8 DE FEVKKEIKO
DE 1889
Francisco da Silva Miranda, Lydio Alerano
Bandeira de Mello. -Informe a Contadoria.
Antonio Luiz Baptista Ao Contencioso.
Francisco Furtado de Mendonga.A' secgo
do ontencioso para declarar se existe debito
cora relago casa n. 19, querahi, quer em
juizo.
Joaquina viara da Conceigo.Indeferido,
porquanto, em vista do disposto no i nico, art.
146 do regulamento de 2 de Julho de 1879, nao
sao admittidas replicas aos despachos da junta.
Souza Miranda 4 i;. Entregese pela porta.
Guilhermina Maria da ConceicSo Padilha.A'
Coutadora para juntar copia das informaedes.
---------------aaeog---------------
Rccebedoria Provincial
DB8PACH08 DO DU. 8 DE FEVEREIRO
DE 1889
Pinto Ferreira da Silva e Manoel Cruz C. -
Informe a 1 seccao.
Manoel Ferreira da *Cruz V C. A' 1 secgo
para os devidos fins.
Ar.hur Besson de Assis Campse outro.De-
ferido e;ii vista itas informagOes.
Algo iez Ca.ral Je C. Satisfaga a exigencia da
1 seccao.
9
Silva & Alvaro Rodrigues Saraiva & C, Maria
Clofa Vieira la Silveira. Info.'me a 1* secgo.
Amar i Emiliano da Costa Soares e Francisco
Barbosa Joaauim Francisco de Albuquerque Santiago,
Manoel Ferreira, M.iria da Cruz Amorim, Baliha-
zar Aiitonio dos Reis, Manoel Bezerra dos Santos.
DCferido em vista das inforinages
'" < Francisco do Carmo, Valentina Maria 4a
Inspectora Geral da Instruceo
Publica
despacos do dia 8 de fevereiro
de 1889
Auna Senhorinha Monteiro Pessoa, professora
publicaiSun.
Guilhermiaa Mara da Conceigo Padilha, pro-
fessora contractada. Como requer.
'lexandria de Albuquerque Araujo, profes-
sora publica.Encarainne-se.
ngao, Maria ugusla Pereira Magalbw,[.-
Mana de Jess Vieira.-Em vista das remedame, traba resolvido
RECIFE, DE FEVEREIRO DE 1889
Noticias do Ro da Prata e
Api do Imperio
O vapor Coma, entrado hontem do sul, trou-
xe as seguintes noticias :
VA a Prata
Na corte loram publicados estes telegram-
in.i- :
Bueno$:Ayre, 30 de Janeiro (retardado):
No moinho Alberti deu-se urna exploso em
consecuencia da qual morreram duas pessoas.
No Rosario o respectivo juiz ordenou ao che-
fe de policia que puzesse em liberbade os italia-
nos que se achavam presos illegalmente. Esta
ultima autoridade recusou-se acumprira ordem
e segundo consta aquelles italianos foram de
novo maltratados.
Na reunio annual do Banco Nacional foram
eleitos directores os Srs. Oswald, Rocha e Basa-
vilbaso, tendo sido approvado o relatorio.
O embarque do presidente Dr. Jurez Celman,
para Montevideo, est marcado para o dia 12 do
prximo mez de Fevereiro.
31 de Janeiro.
O governo de Santa F poz em liberdade os
italianos que haviam sido recrutados.
Bateram-sa em duello a sabr os jornalistas
Barbieri e rbini, ficando ambos feridos.
Montevideo, 30 de Janeiro (retardado)
O Banco Nacional hesita em fazer o empresti-
mo de dous milhes de pesos Sociedade de
Crdito Nacional.
Falli o conhecido negociante Arostegui.
Os negocios na Bolsa esto paral ysados.
Esto neste porto a corveta Nithe'rohg e o cru-
zador Primeiro de Marco.
Todos bona a bordo.
31 de Janeiro
O Sr. Ricardo Tajes pedio demisso do cargo
de director dos corrers.
Os padeiros augmentaram o prego do pao.
. Paulo
Foram tambem publicados na corte estes tele-
grammas :
S. Paut, 31 de Janeiro
Esteve concorridissimo o enterro do Mrquez
de Itu. O acompanhamento foi de 90 carros.
Achavam-se presentes pessoas da mais distincta
sociedade paulista, notando-se entre ellas o Sr.
ministro da agricultura e o presidente da pro-
.vincia. Sobre caixo foram collocadas 17 co-
0 ferejro Jleou, depositado na capella do
ferio e sei inhumado inanhfi.s II horas.
Aggravaram-se os padecimentos do eminente
poeta Thcophto Das.
A commisso permanente republicana, embo-
letim, pede ao seu eleitorado do 4 districto pa-
ra votar no candidato liberal, afirn de enfraque-
cer o governo
Inaugurou-se hoje" aqui, com grande solem-
nidade, o hotel Oeste, que foi augmentado e re-
formado.
O caf Java comegou a ser Iluminado luz
elctrica.
31 de Janeiro
Falleceu hoje o tabellio capito Carlos Ange-
lo de Abreu.
Em Villa Marianna falleceu hoje o juiz de di-
reito da capital Abilio de Castro.
'A assembla provincial por proposta do Dr
Almeida Nogueira levantou a sesso em signal
de pezar pela morte do Mrquez do It. O de-
putado Albuquerque pedio que se consignasse
ua acta um voto de pezar. A mesa nomeou urna
commisso composta dos Srs. Almeida Noguei-
ra, Albuquerque e Campos Salles para acompa -
nhar o enterro.
Kio de Janeiro
Datas at 1 de Fevereiro
0 commendador Totta, director gerente da
Companhia Nacional deNavegago a Vapor, re-
cebeu de Montevideo o seguinte telegramma:
Acabo de receber telegrammas de Assump-
go, avisando que as tropas seguiram no dia 25
para Corumba sem novidade. 0 paquete nacio-
nal Rio Pardo ir al la. 0 rio tem 11 ps cima
do Apa.S.
NSo foram agraciados os reos :
Joaquim Jos da Silva e Vicente Jos da Silva,
condemnados pena de 4 annos e 8 mezes de
priso simples e multa de 26 % "lo valor furtado,
em conformidade das decisOes do jury do term
de Correntes, na provincia de Pernambuco, por
crime de furto de animaes.
Lucas pena de 8 annos de gal, em conformidade das
decisOes do jury da capital da mesma provincia,
por crime de roubo.
Lemos no Jornal do Comtnercio do dia 1
Hontem, s 3 horas da tarde, pouco mais ou
menos, foi perpetrado um crime no Io andar do
predio da ra da Alfandega n. 3, onde tem sua
sede a Companhia de Servigos Martimos.
Sobre mais esta scena de sangue tivemos as
seguintes inforraages:
Julio Cesar Pedrosa, brazileiro, ainda mogo,
era empregado como machinista a bordo de um
dos vapores da companhia, o S. Luiz.
A sua conducta nao era boa e sobre elle ha-
v:ini constantes queixas Ha dous ou tres dias
Pedrosa, apresentou-se no escriptorio e dirigin-
do-se ao Dr. Luiz Gomes Pereira mostrou-lhe o
hombro direito, queixando-se de que estava sof-
frendo. de rheumatismo e pedindo urna licenca
de dous ou tres dias para se tratar.
0 Dr. Luiz Gomes concedeu-lh'a dando as or-
dens necessarias para que o machinista do va-
por Stella fosse substituil-o provisoriamente.
Como, porm, continuassem as queixas contra
elle, o Dr. Luiz Gomes Pereira, descontente,
achou opporUma occasio paradcspedil-o e tra-
tou d arranjar um novo machinista para sub-
stituil-o, o que fcilmente fez, porquanto j an-
teriormente tinha tratado um outro.
Hontem, pela raanha, Pedrosa, tdrminada a li
cenca, dirigio-se para bordo io S. Luiz e quan-
do a tomar conta do seu posto *oube com gran-
de espanto que o seu lugar estava preenchido.
Voltou para trra e dirigio-se Companhia de
Servigos Martimos, no andar do predio da
ra da jAlfandega n. 3, afirn de entender-se com
o gerente da mesma, o Dr. LuizGomes Pereira,
que nao estava.
Ao subir ao Io andar encontrou-se com Joo de
Azevedo Pires uyab. empregado no 2 andar,
ao qual perguntouseo Dr. Luiz Gomes ainda nao
tinha chegado.
'uyab respondeu-lhe negativamente, e Pe-
drosa, cogando a cabeca, disse :
Preciso muito fallar com o rtoutor.muito,'
muito.
A's 10 horas da manl voltou ao escriptorio
da companhia e dirigindo-se ao Dr. Luiz Gomes
pexguntou-lhe o que signilicava aquillo, como
e seu lugar estava preencMflo.
j, Luiz Gomes fez-lhe ver que por motivos
indpenaVntes de sua vontade, mas justos e ir-
" dispensar os seus
Pedrosa, mostrando-se indignado com seme-
lhante resolugo, disse-lhe:
0 senhor mandou outro para o meu lugar,
pois eu lhe assegnro que nao ha de ficar mui-
to tempo, e que hoje mesmo eu o arranjo.
Sahio precipitadamente do escriptorio e foi de
novo para bordo.
O que se passou por I nao sabemos ; o certo
. porm. que s 11 horas da manha Pedrosa
apresentou-se de novo no escriptorio todo mo-
Ihado dizendo que. tendo ido a bordo buscar
suas ferramentas, tinha sido alli aggredido por
varias pessoas, que o atiraram ao mar, e vinha
pedir os seus salarios, deduzida a parte que lhe
navia sido adiantada.
O Dr. Luiz Gomes respondeu-lhe que nao fa-
zia o pagamento alli; que. como elle sabia, era
o mestre do vapor quem pagava tripolago e
que por consecuinte, fosse para bordo, porquan-
to ia dars ordens necessarias para que fajsse
pago.
Pedrosa retirou-se, dizendo que iria a bordo.
0 que se passou depois com elle nao sabe-
mos : ignoramos os passos que deu, mas pelo
seguimento das circumstancias vemos que Pe-
drosa concebeu um plano de vinganga na pes-
soa do Dr. Luiz Gomes Pereira, que era seu pro-
tector e que do seu bolsinho particular lhe ha-
via emprestado dinheiro.
Foi casa Laport e comprou um revolver que
carregou com seis capsulas, entrou em varias
tavernas e embriagou-se, de modo porm a nao
perder o tino.
O alcool servio para exaltal o no sentimento
de vinganga que pareca ter concebido.
A's 3 horas da tarde, pouco mais ou menos,
apresentou-se ainda una vez no escriptorio da
companhia e dirigindo-se a um empregado do
estabelecimento disse-lhe que quena fallar com
o Dr. Luiz Gomes Pereira.
O empregado respondeu-lhe que o Dr. Luiz
Gomes estava muito oceupado e nao podia at-
tendel-o.
Em vista desta resposta Pedrosa sentou-se era
um banco fra do balco e esperou alguns
utos.
mi-
Diante da attitude de Pedrosa um empregado
da companhia lembrou que era melhor ir at ao
caes chamar um marinheiro, para conduzir Pe-
drosa at a sua residencia.
Ncssa o'casio oDr. Luiz Gomes Pereira, ten-
do necessidade de levar uns livros sala da
frente, sahio do sen escriptorio, situado nos
fundos, e quando voltava, Pedrosa abri a porta
do balco. e entrou.
Vendo que Pedrosa dirigia-se para o escripto-
rio o Dr. Luiz Gomes interceptou-lhe a passagem
e disse-lhe:
3 0 que que voc deseja mais t pois ] nao foi
despedido e pago ?
Pedrosa, por um movimento brusco, tirou do
bolso um revolver e apontando-o para o Dr.
Luiz Gomes Pereira. disse : *
O que eu quero agora isto.
la descarregar a arma, craaudo por um movi-
mento rpido, o Dr. Luiz Gomes Pereira seguro
no cano do revolver e desviou a pontana, que
lhe ia cflrteira ao peito:..
A arfl disparou indo a,ba alojarse na pa-
rede fronteira porta de entrada, perto do ap-
parelho telephomco.
Travou-se entre os dous urna lucta renhida :
Pedrosa pareca disposto a continuar na sua cri-
minosa larefa.
N'essa occasio o Sr. Manoel Gomes de Oli-
veira Jnior guarda livros do estabelecimento e
sobrinho do Dr. Luiz Gomes Pereira, vendo a
lucta travada entre o tio e Pedrosa, levantou-se
bruscamente da sua meza de trabalho e depois
de apostrophar Pedrosa, langou mo de um mo-
ringue, procurando arremessal-o sobre elle;
n'essa occasio o criminoso, que tinha sempre a
arma segura na mo, disparou novo tiro, cuja
bala foi alojarse na coxa direita de Manoel Go-
mes de Oliveira Jnior.
Em vista da lucta que continuava e da con-
fuso que reinava entre os empregados do esta-
belecimento, comegaram a trlar 09 apitos. O
Sr. Cuyab, empregado ne 2 andar do predio,
acudi ao lugar e atracou-se tambem com Pe-
dresa.
N'essa occasio comparecen o inspector de
quarteiro da freguezia da Candelaria, Joo Bap-
tista Cervetti, que estava na ra Primeiro de
Margo e acudi aos apitos ; momentos depois
entrou o cabo de polica Fontoura, o qual, ou-
vindo os gritos de-mata o assassino,penetren
no 1 andar do predio, onde encontrou Pedrosa
ainda em lucta com varias pessoas, s quaes au-
xiliou para desrmalo.
Desarmado, foi elle a muito custo carregado.
no meio de grande assuada o de gritos de amea
ga do povo que o acompanhava, at a guarda da
Caixa da Amortizago, sendo d'ahi, com o au-
xilio de outras pragas, conduzido at a 5* estago
policial.
Pedrosa foi recolhido ao xadrez com as roupas
todas rasgadas.
O Dr. Luiz Gomes Pereira tambem ficou ferido
em um dedo da mao direita, com a qual segurou
o cano da arma.
Para soccorrer o Sr. Manoel Gomes de Oli-
veira Jnior foram chamados os Drs. Catta Preta
e Azevedo Macedo, os quaes em vo trabalharam
para extrahir a bala da coxa, nao lhes sendo
sso possivel.
No lugar onJe se deu o facto compareceu s
3 1/2 horas da tarde, o Dr. Bousquet, delegado
de semana, acompanhado do escrivo Moreno e
do teuente Octaviano.
Tambem compareceu grande numero de pes-
soas, capitalistas e commerciantes, interessados
pelo estado de Manoel Gomes de Oliveira Jnior,
que um mogo muito estimado, e que, depois das
vas tentativas dos mdicos para a extraego
da bala, foi recolhido casa de sua residencia
na ra Baro de Petropolis n. 4 A.
O revolver apptiendido foi conduzido para
a 5 estago policnt, onde o Dr. Bousquet, 2 de-
legado, lavrou contra Pealrosa o auto de priso
em fi.iffraiiie delicio.
Em poder de Pedrosa foram encontradas duas
caixinhas contendo cada urna 25 capsulas de re-
volver.
Antes de proceder se a interrogatorio das tes;
temunbas, Pedrosa tentou suicidar-se no xadrez',
querenao estrangular-se com pedagos de roupa,
no que foi obstado por pragas que alli se acha-
vam de guarda.
Foi necessario mettel-o em camisola de forga;
durante o interrogatorio, affrouxando a camisola,
Pedrosa luctou de novo com as pracas, sendo
necessario amarrar-lhe os braco?.
Durante o interrogatorio Pedrosa conservou
diversas altitudes; ora pareca calmo e abatido,
como que arrepentido e exclamava: Tenho mi-
nha mulher na cama e um fUh, quem olhar para
elle; meu ilhinho i o que mis estremeco. Ou-
tras veze< licava por tal forma exaltado que pa
recia louco: voltaiido-se para o Dr. Luiz Gomes
Pereir.*, disse lhe urna vez : Hoie mesmo ininha
mulher ir pedir lhe 2Q1O00 para o meu enterro;
tmthv bastante coragem para suicidar-me; n]uma
outra occasio disse ap mesmo doutor: Bis ah
o que o senhor preparou-me; nem ao menos um
abraco poderei dar em minha mulher que est de
comn.
Occasics haviacm que mostrava grande pros-
trago e aleixava-se cahir.
Falln s vez'-s de modo que ninguem descou-
fiava que tinha diante de si um homem doudu ;
outras vezes porm pareca que a rl1"
xava; l> igava com as pragas, dizia
absolvido. porque n'esfc paz ha jorm
rectos; protestava contra sua priso,
rava e pareca arrancar os cabellos quando s
(embrava de sua mulher.
0 seu depoimento foi com difncuidade to-
mado.
No acto de perguntar-lhe a autoridade se era
casado, Pedrosa teve ou fingi ter um grande
aecesso, que terminou por urna enorme prostra-
co; sendo-lhe n'essa occasio tirada a camisola
de forga, sentou-se meza perto do delegado e
contou todo o facto; quando chegou narrago
do crime uegou formalmente o que se passara,
dizendo que era incapaz de attentar contra a
vida do Dr. Luiz Gomes Pereira, que era seu
protector.
Depois do interrogatorio foi de novo mettido
em camisola de forga.
INTERIOR
Conferencia sobre assucar
{Jornal do Commercio, da corte de 25 de
Janeiro)
A's 8 1/2 horas da noite, na sala da congrega-
gao da Escola Polytechnica, reunido um notavel
concurso de pessoas gradas, e em presenga do
r. conselheiro Rodrigo Silva, ministro interino
da agricultura, a directora do Centro de Indus-
tria e Commercio de Assucar abri a sesso,
proferindo o respectivo presidente commendador
Angelo Eloy da Cmara um discurso allusivo ao
estado da industria saccharina e mencionando o
apoio que ella tem recebido do Sr. conselheiro
Rodrigo Silva. Em seguida o Sr. Dr. F. M.
Draenert realisou a sua co.iferencia nos seguin-
tes termos:
Sr. ministro, illustre auditorio !
Agradecendo a V. Exc, Sr. ministro e a
este illustre auditorio a distincta honra de terem
comparecido para de mim ouvirem algumas pa-
lavras sobre o estado actual da industria assu-
careira brazileira, cumpre-me realgar primeiro
e sobretudo um facto, a saber, que o actual mo-
vimento de reanimago desta industria foi de-
vido ao auxilio official e eficaz, prestado com
a inaior solicitudepor S. Exc. o Sr. ministro da
agricultura, aos esforgos enrgicos do Centro
de Industria e Commercio do assucar, o qual
nesta esplendida Exposico de Assucar e Vi-
nhos Nacionaes provou mais urna vez quanto
merece a gratido da industria nacional. Ten-
tamens desta ordem, comparando-se os nossos
productos em nossa propna casa com os simi-
lares estrangeiros, nicamente nos podem ins-
truir sobre o caminho a seguir para fazer pro-
gredir a -nossa industria. Sao esforgos.srios,
que nao visam a vangloria de exposigOes inter-
nocionaes.
Este movimento progressista da industria as-
sucareira nacional foi inaugurado em 1887 por
S. Exc. o Sr. ministro do agricultura, em virtude
da petigo do mesmo Centro de Industria e Com
mcrcio de Assucar, para nomear urna commisso
de investigago do processo da diffuso appli-
cada canoa de assucar e de mais outros pro-
cessos aproptuios e recommendaveis para a
nossa industria, distinguindo-me S. Exc. cora a
nomeago para membr desta commisso, (pelo
que ainda hoje confesso a minha gratido).
O resultado destes estudos foi dado luz no
relatorio da commisso dirigido ao ministro
da agricultura e nao obstante este trabalho ter
sido mui favoravelmente criticado pela imprensa
estrangeira da especialidade, tendo merecido
at a traduego para a lingua allem, continuara
os incrdulos a duvidar da vantagem extraordi-
naria que nos offerece a diffuso no fabrico do
assucar da canna, vantagem, *qu nicamente
nos habilitar a fazer florescer esta industria.
E' a eterna historia de S. Thoraaz 1
Cumpriraos o nosso dever e para que nao di-
gam ter faltado a elle por omisso, pedimos ve-
nia a V. Exc. e a este illustre auditorio para
mencionaar trabalhos idnticos feitos nos Esta-
dos-Unidos e j publicados resumidamente na
Revista de Engenharia .
Os estudos olnciaes feitos pelos chimicos da
secretaria da agricultura dos Estados-Unidos e
sob a direceo do illustre Dr. Wiley, partiiular-
mente os ultimes no engenho Magnolia come-
gados aos 3 de Dezembro de 1887 e concluidos a
18 de Janeiro de 1888, demonstraran com toda
evidencia que o processo de diffuso o melhor
e o mais econmico para extrahir o assucar da
canna de assucar Esta a concluso do Dr.
Wiley, idntica aquella da commisso brazileira I
O caldo das canoas de assucar submettidos
diffuso no engenho Magnolia continha, termo
medio, 13 (12,99) por cento de saccharose e o
resultado medio das cinco experiencias foi o
rendimento de 10.2 V de assucar bruto, isto ,
7,6 / do primeiro jacto com 96,3 a 98,9 % de
assucar purissimo e 2,6 % de assucar dos 2. e
3." jados.
A extraego pela diffuso foi, termo medio, de
93 partes, perdendo-se apenas 7 partes as fa-
inadas de 100 partes de assucar (saccharose)
as cannas, a mesma extraego (93,3 %) conse-
guida pela commisso brazileira no engenho
central de Bracuhy, eiiquanto nos engenhos com
as melhores raoendas e na melhor hypothese
apenas conseguera extrahir 79 partes, ficando no
bagago 21 partes de 100 partes de assucar as
cannas, perdendo-se, pois, mais que a quinta
parte de todo o assucar obtido com muito tra-
balho pelo cultivo desta gramnea.
A commisso brazileiri obteve pela segunda
experiencia em racuhy 14,7 % de massa cosida,
isto 12 por cuto de assucar puro calculado
sobre o peso das cannas. Eis o verdadeiro re-
sultado j conseguido pela diffuso no Hrazil de
cannas que en de as-
sucar I Este resultado nao foi inferior ao alcan-
cado nos Estados-Unidos
Que as operages subsequentes do fabrico
em Bracuhy smente se conseguio obter 9.25 /
de assucar chiiiiicamenie puro, isto quasi
10 .9.95 % de assucar bruto (com 93 de pola-
risaco), de modo algum pode ser levado on-
ta da dilfuso. Estas operages subsequentes,
que tem a culpa, ainda earece.ni de cuidadosos
estudos, visndose o tim, como me parece, de
simplifcalos; pelo menos nos Estados-Unidos,
no quarto ensaio em Magnolia, empregando se s-
mente, na defecago, o quantidade de cal necessa-
ria completa neutralisaco do caldo, obtiveram o
melhor resultado, isto, 8.27 de assucar de
primeira qualidade com 98.9 % de polarisago,
2.29 /. do de segunda e 0.9 /. do de terceira
qualidade, em somma 11.46 '. de assucar de to-
jas as qualidades do caldo de cannas com 14.6
% de assucar.
A hnpiificacao dos processos jabais, que ha al-
guns anuos j.i preoecupou a minha attengo, o
arartde eside~ tum do fabrico do assucar da
canna.
Foi para esiu lar semelhante siraplifteago que
sat vai ensaiar aun Guadelufe, qoe S. Exc. o Sr.
ministra da agricultura, nomeuu mui acertada-
mente um co nmissario, Ser possivel suppri-
mir inicuamente :io fabrico do assucar da can-
oa de assucar todo o pr >cesso de defecago ?
Anda un problema a resolver.
Que pode ser sapresso o ale liltrayo, tornou-
se muito provavel pelas experiencias respadivas
nos Estados-Unidos. E que n'aquelle paiz que-
rem continuaros estudos respectivos, confirma
a ultima carta (de 3l d> Agosto de 1888 com
shonrou o r. U<\ G. L. Spen er, disi:
la secretaria da agricultura: Es-
rabalho da safra pa
" omia de despezas com ap-


a.




k




Diario J ibucoDomtr 10 dh Fevereiro ti

>ra, ficando 3uupT<'33as~a d. >O0Oa il.OUOton
le jur
do fabrico
. e.
sta enorme i
sem dem
or^anisaco e es-
. de gapa
iiamenio no lucro
miit prohajjkfl
iraattitfe rTnt::.!,alx'^p),.:.;i
juro-
'':aataiitrawim|iak-acdes
resulta da roaionsjWBPzwPcahi daaaanade
assucar mn i-oiiipanaiBO rtwquclle
ha, que regula osc!!aud.afun!**
do raido da '-anua .drs2i*S. mhic4aiws
dos da i-omraissacsfcwB'.ilf'ira metta provincia do
RO le Janeiro.
ct'u a impor refinado da Eu-
Em o anuo de 1882 uinda era de 7.600 tone
ladas. era 1884 d. mais de ti 0 exportarlo pan esta Repblica; na- no
! -cera aponenmaisque
l."00 toneladas e boje na exportamos mais assu-
tgMmm para.itoi'nos-Ayrcs. Fui u pr.-juizo preferid
ika-aaaau (lMatcaaiMii-de eso* para o nos
iMMwrciarawn aottdlanpaki.
Pawce aaiwe ser di&cii la reabrir aquieto.
[uoMMlo. aman con 3 dndteteaido e da Ite-
iImh Chibo para o acaso unaieic.
ar. Ai utras delta prooedencia. expas-
tas u*= satas istnbas nos idicam os meios a
etafnaganpasa ate Bm
\ ftc'piabiica Aa-puli/.... um 1K7, iijirtu
A economa do .mrimOM^rtUe fmci^.jgn^Eamgmim -"^ !*>'' assucar re-
menle Sos aeradores dwopor,- DO.
: o 9870 ib 2
i-', i. ios dos coi!;nbaitM"'!'M
a mi. ;""'
forma i o pagamento, ser a divida
ante elevada multa.
:|ui/. Tcm rnrtar a maior ofeis ira-
lera de pngrr em lempo e .-em mulla

conductores'do vapor e dos mais appareihos da
fbrica com o tim de impedir, o mais que for
possivel. o prejuizo pela irradiago calrica e
dos trplice ou quadruplo effeitos.
O Dr. Wilev caleulou o consumo total de car-
vo iiii pedra por 100 kilos de canuas, a jabee,
com os mefiores appir-'llw econmicamente
natalfcvlos. em kilos 13.02 rnm o duplo n'Teito.
l;!.; com o trplice effeito, '40,88 com ofna-
nuplo'efl'eito.
Ou por outra : para fabricar l.i'00 kilos di
swar, na razo de 40 % do peso di..- caimas,
ro necessarios : 1,802 kilos com o duplo ef-
feita. ISV-i ditos com o trplice effeito. 1.088 di-
KM^tiin o quadmplo effeito, isto 6. com 4 kilo
Jnoarvo se faz 1 kilo de resacar.
,-Su H"V'-s'. naturalmente, ser o carvo de boa
lo* tagua por kilo de carvo, havendo no ge-
rador a pp-ssiio do costume.
Resulla, pois. que nao smente da dill'usao
HUf. d'ueiide o gasto do combustivel, maU prin-
apalwnte dos geradores do vapor e dos vapo-
BBdores, i' claro que a dilTuso. como a com-
*npn"ifi ifii'"'-""' sUMUtUt pode toe uxito, e^tttto-
micnm-nte rallando, empregando se os mellio-
res appareihos e s processos mus econmicos.
Ao passo que pora, mover a moenda se carece
darfbrea de 60 e mais cavallos. na mesma fabri-
ca se far a extraccao da 'iw'm qunntidade de
<*ancas por diffusao. empregando somanta urna
machina a vapor de 12 cavallos. e o vapor unte
deste modo se economtsa ser mais que sufli-
aente.para vaporisar 30 a 40 de ajiua juu-
tadwuti caldo normal nos diffusores.
?4fio*paraconvencer innandade de S. Tho
ma'masim somentc para corroboraros esul-
tadw* dos nossos cstudss fritos e publicados du-
TiiHe o^ uliimos 10 annos passaios. que vamos
atar-a onmio de atguus prolissionaes compe-
teMes.
0 Dr: WUey concorda completamente com a
MBBnssao.brazileira. dizendo :
.Procnrar iutroduzir a dill'uso comappare-
ftos velhos e gastos, geradores defeituosos e ta-
tos abertos, seiia simpleemente desastroso. S-
' mente pode ter xito quaudo a mxima habilita-
ci- teahnica, asociada a melhor liscalisaco
schmtUka,. dirigir todas as operacei da a-
iwifa' .
o JPaiece-me, conclue o mesmo Dr. Wiley, que
a intraducgo"gradual da diffusao com os ma-
ehinismos aperfeicoados, produzir extraordina-
ria^inadanca' na industria assueareira do Sul
do* Estados 1'uidos), traM'ndo suceesso e pros-
penrtade, onde ha. annos. reinou urna 1 uta dura
pela.ida. O resultado final, espera-o skicera-
aienic, ser chamar cultura extensas reas de
lernis ricas para o cultivo da canna e elevar
produecSo da Luiziania a 300,000 toneladas de
isaosar .
IsUi-diz o Dr. Wileyde urna regiao, que se-
ment produz cannas'com 13 "/' de assucar,
iermo medio. Que diremos nos com cannas, que
segundo as regies mais ou menos favorecidas,
| fcmecem V>, 46 e 47 j. de. a ssucar, termo
cio ?
Et-aosso cultivo ila canna muitoatrazado m
XHiparacij como dos Estados-Unidos.
Xa 'Autralia, para onde a diffusao tambera j
foi ikitroduzida, obteve-se magnificos resulta-
4oifu'
u !; A. ilami ton. chioiico da Colonial Su-
jatrRrmingC. em Sidnej, disse que o direc-
torsdaabrica de Uudgen. fweedtiftiyer, Nova-
GaHos amai'toiielatlas de assucar pulo prut-esso.il;. thffu-
lao, /asta a luetade d'aqueltn quanUadu de
caimas utr'ora neoessarL comoautigo sjstema
e MO*iias.
O 8r. 4]uiuiiu ilo^. nquissiuiu propritario de
jfc-Bi'raras.e\periiieiilun em 4js87 a dtffuso em
OflM.duA^tus fabricas.
Bc^HS'de alguuias inodilicaces nos apparc
Ihodrticou to satisfeito com este processo, que
naailott substituir as moeadas as suas fabricas
por.ili<;ij.batfi;is d#djffusao.
AL'iiw tn'chos LxJraJiidos de duas cartas do
flog-'' a um amio corroborara a nossa demons-
traa, que acabamos de submetter ao es'Jare-
ridjuir.odesti' disuado auditorio
OSr. Hogg-osci-evi':
Mf: Gamett (o director da ua fabrica >on-
PafaiU:fliriaa,que 90 [ de todo o assucar as
cannas existe actualmente na massacosida
, Convencido que a vaporisaco. barata e um
prebleB-a vital em combinaco com a diSjjsao,
asWkilei um novo quadruplo effeito de Rillien e
ion*oovo vacuos,.pertkularmenU; .construidos
pata, o cosimeato econmico e reformei os tubos
ro-*ductores do vapor. Agora Mr. Gamett me
tsmm niv gasta cerca de 14 crot (isto e, t-219
iilR) de carvo de podra por -tonelada (1.016
xiloiO de assiKJJ- falM-ioado, porem que o con-
sunuio do caubustivel dirainue da por dia, e
u pudia oUuhirtornar-se afmal inferior a urna
toneada de carvo por urna toaelada de assu-
0 mesmo Mr. Carnet diz que pea diffusao
cassonada. E' a mesma qualidade que tambera
preferem as repblicas do Chile e Lruguay.
Seria muo dilcil de levantar verda lenas
retinaras n< s portos l>rasili:iras que exportara
assucar para disputar Europa os mercados das
repblicas, visiius 1
Seria tambera um grande beneficio para os
08MT .'ngonhos eeutraes, os quaes. achando
para os seus asNU<;ares brutos compradores- na-
cionacs, talvez encontiaiiam. segundo as con-
jimtturas, maior rtatagom em produzir assocar
bruto em vez de assucar quasi refinado, o tpK
auffmpntQria o rendhnento.
Estes e alguns outros problemas de interesse
vital pan os industriaes e commerciante- nerao
resolvidos, como rauitos outros ja foram
auspicio* de S. Exc o Sr Ministro da Aflietil-
Inra pela energa e aevldale da Ilustrada di-
rec^aodo Centro da 'rrdus'ria eCommereio do
Assucar.
Tenlio concluid.'
l i Mi mi Mu- RlMlll Ittpii*?
^.l-m/nMiftfm, rcMata qe ae iaMpmetejB
pan/, e <\4e>lniiiA l'(*gal e uo Dntzii. :'Jra*
nd *eaoras c l>* artigos de #r*ica.
Knctilm mmrmm i Hwmtem jtelas') liMgda
i& fat.flMada. -pelo evm. vipprio da|p|U-
siade SaaAtoni. a inissa vuikaala SFpiriio
danto "Mi hrn -"-n do j^aHr-imo ^aomnwi -
, -sjk-'i liva iu.i'., *|ue as n-oCnnerus^das ulas
pi'aUciiMa-Ef-cola naaMam ,sldwMr
enr-mtmfe^e erein -M aberto
anuo lecflvo.
Durante o acto liouve canucos sagrados, en-
loados com hanniminm pelas alumnas do J. 8
4.' annos, sob a direceSo da profesora pespec-
\:-d.
Au*iujard voltano ediliciu da escola, di- iUu -o.no- (iimImiw ef.anais i si"
tribairam os" mesmo professores ao? alumnos, idade.
VAAIEPASES
se bim 20 "i mais de assucar das cannas do
fuatpor qualquer outro processo que expel-
leaioM. t
' Os corta cannas trabalhaai muito uem* Torga
ateiioia ao neccsaria para fazer descer as
canoas as camas e-cada machina em mr.vimen-
to aorta 200 a 300 toneladas de caimas por
fia..
A>i uihaJas exhaustat; sao expresas i>or
mowiijs.t unmcdiaiaiaeiite depois intcoduidas
naa f.iroalhas, lOd Une!-las dolastalha las bas-
an ara'alimentar um erador com 85!) pos
Sadra.ios.de superficie de aqueeiraento durante
bo; .
Mr.fiariiettalTirma.de novo haver nctual-
jBetne na massa cosida 90 !j de todo o assucar
da ana, o resto, 10 [. se perde no f.brico
,3|., enas talba las. 7 [..
Parece-me. pois, que metf amigo tein razao,
eacrevendo: o industrial brasileiro. qoeainda
loiefrecommenda a fioasi"-vac"io das raneadas,
absohitamente nada comprheude da diffusao ou
do nreconceilo nao quer coraprehender. '
Em lodo caso havemos de precaver-nos contra
a-imitagn servil dos processos fcibris emprega-
iosm Europa.
Jfemi'difliiso.a aoiamifiao brasleira desco-
brio.qiit car.ee eitiprejiar temperaturas pouco
lores a 10 >' ios diffusores, descoberta de-
ridamjwue apreciada na AUemanlia, onde para
betenabas applicam temperaturas muito rafe-
ovd' 4-mencionada.
Par* realrar be.m as vantagens :>raticas da
ftUro peia corapar..-ao com os resulladoe ob-
tido-.por com para nao offen-ler suscep-
.des, e e^colhesse alguma fabrica naci
al. chibo exampl.) pn-liro lr o que j pu-
feliqnei a respeito na Hnuiad Eagmkarm de 14
'de lneiro do rente, pag \
(Bovmento de reiaiuiaco da industria
-a, d'.ilii em dous ou res annos, lera
lo notavel da produc-
* Versos alguem
O BOM AMIGO PBDEO A. MAIA E SILVA
j-ianca loura, adorada,
Oelcste, branca viso,
Por ti minh'alma alimenta
Da paixSo a dor cruenta
Que me espinha o coraco.
Rranoo lyrio dos vallados,
* Sublime,"terna menina,
ijnando em inim fallas alguem
Sao bymnos que ouco alm
De inspirago matutina.
Innocente como as flores,
De Maio formoso liz,
Sublime rival d'aurora
2*8 mais linda que Eleonora,
Mais pura que Beatriz.
As larangeiras cheirosas
Nao lem o brando aromar
De tua tranca brilbunte
Que lanca o seio offegante
Em teu ingenuo scismar.
E'*i dnB perolas de'Ophir
A per'la dp mais valor!
Das flores entre a abundancia
Respiras l mais fragancia,
Tens mais mimos, mais frescor !
E's iio vate as santas crencas.
, Esperanca, vida, amor, .
A mais saudosa harmona
Que ao luar preludia
A Jvra do teu cantor I
Desde o cedro soberano
Ao humilde e verde til.
Desde o canto do roceiro
Ao sorriao feitreeiro
Da sertaneja gentil;
Todo se corva ao teu gesto !
' Tndo te rende oblacAo!
Teu labio, santa, que falla
A dr profunda me cala
Has dobras do coraco
D.
Souucl
D'une.beautquel'on dctaille
Cbucun sa guise s'prend,
Decequ'il vot. decouvre ou prend
Au bal, le bras ou bicu la taille ;
l'n meurtd amour seravitaille
En voyant votre pied charmant.
Et le plus fanfarorrse rend
A votre ceil qtn rit et bataille.
Tous vous aimentaonr b- non ton,
La grjee, Feeprit: en fait on
Des vooalises sur ce-theme?
Helas! moi je vous aime aussi
Et pour la raison que voici :
Parceque .. parceque je taime !
Btm. (1. J. d'Herptnt.
assu
M-u
ibaervar algum
'iile. que
:-
-
jUICO
e consum-
ie um
..-, que
^^Hfey^mov. acria mu
ara o
CompanhU do Ca -llontein. rennirani-
se no palacio da presidencia os arbitros da pro
vincia e da Companbia do Ca/. e accordaram na
escollia do Sr. engeuheii-o Dr. Gregorio Tliauna
turgo de Azevedo para desempatador na questo
de "avaliat-o do material da referida Compa-
nbia.
Ksta aasina obviada a pendencia que pareca
haver proposito d'aquella questo-, que agora
sur' defmlivainente resolvida.
Hanunienlo coaimeiniiriiliio, em
nimia-Da coinmisso do monumento com-
numoiativo da le de 13 de Maio, em Olinda,
recebemos una photographia do projeoo desse
munumimt, de que muitas vezes nos temos oc
cupado.
Agradecemos o raimo.
Maro ritrnataiemo-U Club interna-
cional do Recifa resolveu fazer, no dia 2 de
Marco um sarao dansante, ao qual de vera com
parecer os convidados phantasiados c de mas-
caras.
A festa promette ser esplendida, e para ella
tem sido expedido muitos convites.
.tsMH'iaro do EmpresudON do
Comnaercio Hoje, pelas 5 horas da larde,
nos sal6e3 do Gabinete Portuhuez de Leiiura.
lera lugar a festa luterana com que a .VssociaeJo
'; npregados do CoinmerciOJfe Pernambncs,
ora o 3. annive rsario de sua creaco.
O edificio estar decorado, e noite ser illu
minado, bem como a sede da sociedade.
Durante a festa tocar a banda de msica do
carpo de polica.
Tribunal do Jury do Hecife Deixou
de haver julgamenlo hotitem n'este tribunalpor
t li .'.'ren comparecido 24 juizes de facto.
l'a 11 horas da manhl, presentes o Dr. Anlo-
nio Domingos Pinto, juiz de. direito. presidente
do jury4>r. Jo ".o Joaquiu; de Fre tas HenriqueSj 1."
promotor publico, e Florencio Koilrignes de Miranda Franco, vei
as cediihis e o numero dos jurados que
ompareceram, foram multados em SOjosquc
a e levantarla t sesso, ficando adiada
para amanli s 40 horas.
Experiencias -Pelo pessoal dacompauhia
.le bombivros do Recifc iiram hontem feilas
muitas experiencias em quasi todos os hydran-
.i irocbia de S. Fre Pedro Bohcalves d
. qual, pela Companhia do Bebenbc
i a alta preasSo nos respectivos enea-
.
Itad
i is, aitiiigiiulo os jorro
i do, mais dos situad
xi nidados.
Em todo o bairro est solta u alta presso, re-
iielhoramento levado a effeito pela Com
Beberibe e qu. > m aprovei
tado Dla eompanbia de bombeiros nasocca-

dasirtilaa- prsticasos gremios que -BieriKtram
acuelles que mais sedMaguiram iliirante o an-
uo p;s,-ado.
Foi uaia fusta intereasante e digna desermen-
. la.
*'<*ta da Varwa-Em conscquenckda
festa religiosa que huje celebrad na Varzea. a
.-va do Caxang expedir os supina I:
tarde :
I l'i: : boro e 18 minutos, 'l lis. e li'
s. IS Da.. i hs. e 35 ms.. B lis e 18 :us ti hs.
.) ms., 8 hs., e '.' li--. e 4."i ma.
Vnlta : 2 horas e :0 minutos. bs. > : ms..
', lis. e 10 ras. 6 hs. e i* ms.. 7 iis.^B h. e ty
ms.. 9 las., o 9 lis. e 33 ms.
Fer memos-Na noite doc'j de Jane.-i,
ultimo e no termo de Pesque'a. o iu li*i I i de
iiQHiu Joaqua Baldo ftaw tum dM tacadiu a
Joaquim Bernardino de Farias. evajndo-S'' i
a perpelraco do crinie.
Pela vistoria oue se procedeu no Offeudid i fo-
ram declarados leves os ferinenlos.
Ks;io pre**" O delegado do referido ier-
mo de Pesqueint e;.:nuiiriicou ao Dr. chefe de
policia que foram culturados e se achara reco-
Ihidos a respecti acadeia os segnintes imfivi-
duos : Jos Celerino da Costa, processa.lo por
crime de furto : Marcelino de tal, pelo de' cs-
pancaraento. e Jos TUiurtino de Souza. crimi-
noso de morte no termo de Barreiros.
: Cfb'C'o*naarrrial Hea,se>--.Vbamla
musical desse club pretende ir em passeio no
prximo domingo 7 do cmate at a povoa-
yfio de Apipucos, sahindo daqui no treui de 3
DDrat e-43 minutos e no seu ragreSSO sallar na
eataeatrdna OfHcinas viudo a p at a sna sede.
PaMHO-aiital-Com destino a Yarzea
e a convite de um asociado segu hoje no trem
di. .2tfm. da manba a sociedade musical 13
de Maio (capuu^'uense) a qual tocar antes Bde-
pois da festa solemne que.alli llavera.
: M vermeNUrranHieNrre -llavera ho-
je tard no l.-jda matriz da Varzea o co
uhecido divurtimcnto denominado Danca de
corda o qual ser executado pelo daiicarino
Joaquim i induhyba
lianttnraa Vaajrira Drstribuio-se bnntum
o n. 247 deste perio lico livre e humoristico.
fiarn fainiliar rei'iiauilco Al-
Srans mocos da rea do Bom Jess resclveiaui
lar no segundo dia do carnaval um sarao car-
navalesco para abrilhantar os festejos da mes-
ma ra. A director.a licou organisada da raa-
neira seguate :
Presidente -Antonio Augusto de H. Cos.;.
Secretario -Arthnr Verswense P. da Silva.
Thesoureiro-JooB. Pereira da Silva.
Procurador Antonio de Albuquerque Mello,
.Dire/tores Pedro de Souza .Menezes e Eduar-
do Ignacio de Souza.
Chapeo de wol aehado- Ura nosso as-
smante fez nos depositario de um chapeo de
sol que encontrou na igreja da Varzea, depois
un concluida a novena, para que -o entreguemos,
a.pessoaque nos-doro signul do mesmo. Assim
porsquem o tivr perdido poder apparecer. no
nosso escriptorio.
.Club cnrniHiilcmo Bella urm-.i
Reune-sc boje, as.40 horas do dia. era sua sede
ruadoNogueira n. 6; af'un de deliberar sobre
aastrmptos carnavalescos tumbem o itine-
rario nos tres dias do carnaval.
s.'iii Dar superior do dia o Sr. capito Jorge Morei-
ra, e. para ronda menor o Sr.- tenente Leobaldo
de Maraes, e para amauh o 8r. &ipitao Emes-
ia P-heco, e de ronda menor o>Sr. alferes- Ma-
nool Feliciano.
- A guarnico da cidade e dada boje pe!o 2o
bat;.lh;'io de infantaria e maanha pelo 14* da
mesma arma.
- A guarda da Ihesouraria e palacio eom-
raindada hoje pelos Srs. tenente Justino topes
Car.lim e alferes Manoel Quintino dos Santos, e
no dia II pelos Srs.- tenente SebistioGongalves
da Costa e alferes Vicente Ferreira Lima.
- Blisten] era tratamento na enfermara mi-
litar 5piaras da guarnico.
- Vai ser designada pelo commando do 2"
liatalho de rafa-ntarinuma escolta composta de
um cabo d" es. uidra e duas pracas para ir a
cidade de-Palmaivs conduzir o desertor do mes-
mu baralb&o Migmd Alves de Macedo, que foi
n'aquella cidade capiurado.
Apreeniou: o solda.o do eorpo de alumnos da escola mili-
tar da corte Alfredo Drummond. por ter linalisa-
do a licenca de 3 mezes que blese do Miiusli-
rio da Guerra para tratarde sua sade nesta pro-
vincia, ounal licou dispensado do servico at
eudiirca.-'pura aquella provincia no vapor es-
piauo do norte.
ilnterewte da itnmigraeaoLemos no
Joiua doComntercio da corte.
A imprtame circular que abai:;o publicamos,
dirigida p. lo ministro interino da agricultnra
aos cnsules brasileiros valioso doemnento da
solicilude com que o illustrado e zelosominis-
tro considera o problema da immigragfio.
Eis-a circular:
Ministerio dos Negocios da agricultura Com-
mercni e Obras PnblcasGabinete.-Rio, 24 dtv
Janeiro de 1989.
Em nddiaiuento circular de 4 do corrente,
lula pelo digno ministro a qnera, porn-
pi>ri:ij-.-l') temporario, substituo, dando a V. S.
noticias dos contratos celebrados para introduc-
[e arnUado numero de imraigrantes euro-
peos e recoinraiwdund .que trvessem a niiiior
publi idade os favores-aulles concedidos, alira
de evitar que o pensamenlo do governo f sse
deeligurado e o servico da propaganda conver-
tido em especulacfto prejudicial aos crdito- do
paiz, organisei as seguint.-s intruccoes para que
V. S. exeren a fiscalisa-fio que deve ter seme-
lhante servico, e a competencia que Ihe foi dada
nos referidos contratos, devendo em um e outro
spoilar as leis.
Eaibora a imposigo das multas, e portanto o
Ufgameato da uifracefio dos contratos seja acto
oistrativo, delegado ao inspector geraldas
trras e colonisago, com recurso'para este mi-
nisterio, o governo petos seus agentes no exte-
rior, pode prevenir taes> infracces, principal-
tratando se de clausulas que rlevem tr
ipin :e e,pi-;e:"]o. ou inteiro cumprimenlo,
non portos de embarque.
Punir faltas depois deicotrsideradas invmedia-
,eis, multando os infractoivs e repatriando o
i ene -'fio fr robusto, moralisado e
tralbador, ou tiver rindo sob a influencia de lat-
s, nao >' recurso minlclftota para
nt:M'> que laes fado- ddspertam
. (culos que p>8Sam advir irr.raigraco
lana.
A
n11 evitar as
i, e a i u-
er habilitar o gO'
vero., al
:-iiiorio f itndo qu r-
1 -te-
as publi-
41 mmigraa
- feitos por este mi
. es deB lembro do aun ,
proporco de 8
ui*.
n
[uejulcjareni n
|o pela de-
aaiPa^ma 1111
:na\iinn, p.idi Pelo ajBi'' < I horas, ra Visconde
-aunas a jen i-*awni ik
vJmu ;, naaoiitiliados de suas famili Toga-fea :
le immi Pinto, s. II horas, .rua Prioceza
I Madlaada roporco. Isabel h, i. de movis, lonca o vi
' aior numero de inmigrantes' -de que o Bom Jess n. 13, de movofc-, tongas e vidros.
ite rom- Pelo agente .Gusmo. &a >1 horas., a roa Mar-
tuda aos referidos constile,. quez de Olinda u 18, de .l-n du/.ia- de
Sero preferidos as n a tinarios e geni
tes ciwwudui no)- pareiii*|>Mp*tabeli-i^teeu|i Sliwaiaf r iaa|i(rii 'rr '''r
Bcaari. Esto pi-i'fei'.'m:i*.-.*irt-rt^(K1j.%4fc.<. a8 \:u.-inli,"iv
liriias que c governo foaaecer, ou -., ;>do ih) I \ s boras.ttauj^ da IJ
uaaatgrante directamente -_.1._,; ":i ">llit|"i 'I ; bo-
^Ketij ni 'onye .na de
^iu por nterin -dio do:
o le cartas
nos.
Os qaaB.'.em e;;i l.e
e dwiiiii
li-'c

IU:Utl
J.-.a piin: \icira Wcilo ua matriz
li s 7 l*w,. >, tu :a;URia daaV>a-V
bom sujeUae clausula .quc .. -d na deBvJa.!Haosa Pwvi.'a ttMimai
-'"'O. le rea-re ira :
vio ttpiijiTni A's 8 horas. a#aaoawiio c
ll-S
As familia 1 seo
modo f
1", marido e
ou sem alies;
2o, viuvo on viuva com lhos ou "toadas :
:)", avou av co.n seu leseen .ios.
Os conjures que v-rem s deve: o ser vali-
raullic." cj.,1 (illi
Os immigrantes devwo vii ncHWliado,
coororm! o destino que verer, iks um lisia au-
tlieuticada pelos cnsules dn porto de emiwrque,
da qual consten : o rlomn, idade. naturalidad.
profisso, estado e roligiao de coda mroigrante.
Oconhecimeiilo de lodos e.- es requisitos deve
ser facilitado pelos contratantes Jii seus agen
tes. mas os cnsules tm o dieeito, oomo j licou
dito a respeito da profisso, de fiscalisar a ver-
die dessas informagoes. <
Qnanto profisso. qualquer fn iimria
o pensamento do governo, que 9 -i-, i: u:-iii'-i-
nt'1 lavoura, e ura canstrangiraento
linerdade que tem o iiiiigranle, '-jii todo o
culadio deste paiz, de esoolber livrura
Irabalbo 0.1 industria, segundo su* iaidiaagito e
aptid".
A experiencia O&erace grande ligo dos pre-
juiz-as qu- resultaui quaud, o innnigraate, lil
ta:ido-se dajuga de falsas deca r assu-
mindo a sua 411 dependencia natr.ra recusa -
a se'' localisado, lorquirsn iigente, mais tarde
vagubuudo e iesorerdfe :nuii,i> vezo- revolta-
se contra aquelle sob cujos auspicios veto para
o Brasil.
Qnanto idade', desde que ella regula o paga
ment das passat'eus, ha nocessidade de cxanie
para evitar e.xa^eraccs porque.su o pregada pas-
sngem-est lixel 1 p ia os adultos, variaquanto
aos menores de l a ti aunse de 8 a .'l, sendo que
os desla idade para baixo sao transporta los gra-
tuitamente. Quanto con;K>sigo da familia, ro-
bustez e inoralidade das pessoas que della fe-
iem parte, 6 preciso estar vigilante para que
nao venliam. invlidos em grande numero, ou
que a ella nao perl uco ; para que nao veuham
iadigente- on individuos que lenham cura|irido
pena por deudos graves.
As familias que nao tivarem pelo menos
duas pessoas iuteirameute validas e aptas para
otrakiHiD-iio-sero aceitas neo* lero paatt-
porte.
As listas authenticadas pelos cnsules sero
entregues no porlo do-desembarque.ao agente
do governo encarregado de receber os immi-
grentaa.
O transporte de inmigrantes dos portos de
embarque para qualquer ponto do Imperio ef
fectuar se-ha em vapores de 1.- classe, com
aecora/nodacoes e ccodiffiea hygienicas indis-
pensaveis, aitendcndo-sc ao lempo da viagem.
ao numero, sexo e Uade dos knmnjrantes.
Quaudo nao houvur -accommodacis e abrigo
para os immigrantes, quando Mr reeonhecda-
mente insulliciente a supercie coocedida a cada
um para leito e collocago dos objectos neces-
sarios a seu uso a bordo, os coas ules nao daro
passaporte aos que excederera o numero que
razoavelraente.puder ser transportado.
iQnando forem contrariados pelo coraraandan
tu dq.vapor e nao houver tempo de recorrer
aatoridado competente, da porto do embarque, os
consoles darao conheciraento ao- governo du oc-
currencia para que este ministerio providencie
dentro dos portos do Imperio como julgar con-
veniente.
alma du Dr. Honriquc Alfonso de Miranda Lea
as 7 horas, na matriz da Boa-Vista, peta alma I
\>. Joanua lio-a Pereira Gnimaraes.
. Paftftagcii'.M -'"llegados do su! 00
mgiea 6" met;
,'iniceta da s\a B asa, Manoel Francisco'I4u-
nes.'mi'B>aaiHj,os <; carvej Barata, luna 6o-
c.ilvv; JJaraU e 1 .nojior.
- Snii-lis para o sul no vapor u: nunca no
.VH: 1 r :
Dr. Carlos Alberto de M faenes, sua senhora e
4 oaRbada, \ lilhos e 1 criada. Mauoei l-Vniandes
Ferrei-.-a. ir. I', da C. Hr >. Dr. i. G. de A.
l.ini J. CaateUe B. da Cruz, 14. I!. Burle, J. .
Rodriguen, A. J..Al-.es di Poaseca e .1. Uves i\
aueiras.
at^Jllicn W9Jriaelia li je as Seg : i-
tes:
Da l'.ii'io Piauliveiise, s il hora
su 1 C redor do tiapo 11. 8.
I)iMouie--h. Typ larapbica Phi na nbucano. j;
10 lluras da iianli. na seder-oeial na
noQfll RaUMHtwa n. 11, i andar, em as--
geral.
M?f*rdo>ri.i:i54. <3>i-;v.- e.ti dON :*:r(o t: ap b. 8 de Fevereiro de 188!
Botetl meteoroloc."
valle do- Jaguaribo, desde. Lavras a^^^H
caty. O prime do cisto dfl
l.iiiKliXX^ e este do de \fy3:
Cambio prr.
O n'M-i-v-atoii.i do (uixad ser.- ,-i
iwira obra do .seu genero n America do
.Sul. Mervindo a um tempo para impedir
c- miadae^es que obsam a cul-.ura do
' 1 nte o so-
' 'i : 1;ribatir para brmar no mes-
iu" ''i'leii-anientc
fertilidade'. Todas
unir que
te obra tor de ser imitada em
nMMrrpsttsiri -.rio s do BraaU, des qtte a
oM'i 3uwvi;r paodozido os
WWn iialwaes rr.snitados. A rrigacan ar-
tificia! podo constituir-se grande forca
posta ao servico da agricultura nacional,
utilisando e forilisando multas regios ago-
ra desaproveitadas pela frequencia das
iatimiUye*. F*or irnos com o mais
viv interesse para os trabalhos c^ne vio
aer de novo mic -ul >s no (tiixad. D'alli
pode partir fecundo ostiiuuio para empre-
sas ansIogSts.
'Ll^.1- r:. 33
ii'jras pa, Barmetro a 0' Teuso do vapor te 3
6 111. 2fi-3 764-72 19,20 74
29-3 7t2"2ti 19,77 63
ft 29-6 702-32 21,13 07
3 t. 29"-2 760-HD 20,92 09
6 28" .'i 700-9i 24,04 7 i
feaipe'atura mxima30',00.
DiU aiinima 28>,25.
-:.va|)orugciem 24horas a sok 7-*.-*; som-
ora: 3",1.
Chuva nulla.
Dii-i'iicio do vello: SE de-iuei* noite s 10
bpKii e 50 mulatos da larde ; SE e B3E alterna-
dos a'.aieia noite.
Veloeida te media lo vento: 2-.80 por se-
qamdo.
X bitlosidaiie ue.ia 1 0 01.
Boletim do porto
3 3
ISa
P M.
B M
P. M.
B M
Dia
8 de Fevereiro
9 de Fevereiro
Horas
1026 da manir
4 l.2dn tarde
14 3
o-i-3i da manila
Altura
1-.83
n-,98
1-.77
4-00
-rTriTirmn un i
Caa deOeteocoMovimento aos pre-
sosida Gusa do ttetenco do d dt-1889.
a: exis-
t* i adunirla. mrom-:
flu do mi-
doria Gerala tasa
de industrias 'e proflssOes, litre de' elaraeo do immigrante chele de fami
niuwl
A alH^tnuioa, dove scc sadia, exuuiinaado os
Ousuleaia* piv^visOej deb na para conlieberom
s siwFuffictenles. A ritco de cada immigran-
te adulto isor pelo manos, a que compete a nra
marinheirode bordo 1I01 navio que o-transportar;
a dos menores serma-proaorcao da idade.
As expedigOes maiores de cera individnos de-
vem ser acoiupanhadas por nm facultativo. Os
vapores devem ser.ptwidos de ambulancia me-
dica o-cirurgica.
Nos porlos,eiii que os vapores arribarem, se-
ro os conyiKiudantes obligados a sustentar os
inmigrantes, quer a bordo, quer era berra, quan-
do por qualquer motivo nao se possaai conser-
var embarcados, licando anda obligados no
caso de demora, a fazel^os seguir para o porto do
destino era outros vapores,as condices exigi-
das,para o primen-o-embarque.
Osoonsules^exaiuifiaro se estas providencias
e obrigaces foram atindalas no contracto
feito peto introductor de. imraigrantes com a
companhia a que pertencero vapor que os trans-
portar.
os ifi,jin_rauie- devem ser acompanbados de
suasbagagaus.
Considera-se bagagem para isengo de di-
reitos, segundo o regulacaento. das Alfandegas
da Imperio, os bahhs,. malas e- saceos de viagem
pe! 'iiecnte- aos iraraigrantes e necessarios para
o uso pessoal c diario durante a viagem : os ins-
trumentos de agriculiura ou de qualquer arte
na'..-.mica e mais objectos-do uso dos immigran-
tes, sendo necessarios para o exercicio de sua
prolisso ou industria, -comtauto que nao exce-
dam as quautidades uidispensaveis para seu uso
e de suas familias. Os contratantes ou seus
agentes no porto de embarque passaro recibo
das bagayeus que Ibes forem entregues, faaendo
.onstar numero devolumes em lisia que deve
ser authenlicada pelos cOhsules.
ijuaudo os volumes de bagagens constantes
dussa. lista nao forem entregues aos immigrantes
no porto do desembarque por extravio, quer a
bordo, quer no'porto da procedencia, hairer
indeinnisacQ 'pelo iwitractautc, e quando este
so recuse a induimisaco ser feita por ardem
do governo um ,-mez depois da chegada das re-
damantes, e lirada das muUasna forma dos con-
tractos.
Os contractantcs ou seus agentes apresenta-
ro aos cnsules declaraco por escripto, firma-
da pelos dictes de familia, da qual conste que
estes nao pagaram quantia -alguma por oonta de
sua passagem ou sob qualquer pretexto. Ve-
rificada a verdade de semelhantes declaraces,
os cqpsuled authenearfio faee- Netas.*-que de-
vem ser pelosjgnsmus coDtract.ntes apresenta-
das a este ministerio no acto do pagamento a qu
tiverem direito.
Os cnsules devem dar eonhecimento a este
ministerio do dia da partida dos vapores para
qualquer ponto do imperio e do numero de im-
migrantes, discriminando as idades e dando logo
noticia de qualquer irregularidade, que nao te-
nham conseguido prevenir.
Os cnsules examinaro escrupulosamente as
condiges do salubridade do porto da proceden-
cia do vapor-quando tiverem de visar a carta de
sande.
Quaudo os immigrantes vierem de lugares
em que estiver grasando qualquer-epidemia, os
cnsules nao Ihes daro passaporte, nem permit-
tiro o seu embarque, seno depois de decorrido
o tempo sufhViente para a necessaria desmfec-
(o as pessoas e bagagens, por <-onta dos con-
tractantes e dirigida por ura facultativo, no caso
da autoridade sanitaria nao tomar a si este ser-
I
Os conlrac.lanles sao obligados a repatriar
sua us'a, alojando-os e su t i;nd-os at que
'p.itnaco, os immigrantes que in-
fera da- condices estahelecidas nos
.
ouiquariM o exame do facto e applicago
haia lu.^ar depois
conveniente a
1 $ovrno far
inte a ama
0 mverno confia ia -a-tividade c patriotis-
mo de V. S- ; .nas.
qu"
-.
U| guar'iie fV. S.Rodig Augunto da S-
; ....
liea Kffectuar-ge nuintes:
Aman hS
Pelo
pecador n. 43, de predi. -
Existinm 428 ; entraram 18*sahiram
leu 441.
A saber:
Nacionaes 402 jiraulheres 18 ; estrangeiros 21.
-t-ToUl 441.
> A-rrai-oadoo 378.
Boris"3oSc
itoucol.
i Dovtites ii.^Total 378.
Moviinentoiduieufermaria
1 Tiveram baixa:
Jos Mansiidio do Nasoimenlo.
JoaquiH.Francisco de Oliveira.
Bernardo Vieira da Silva,
Manoel Dellino dos Santos.
Teve alU:
Antonio Pedro da Silva.
lloMBital Pedro II -O movimento deste
estabelecimento de daridade, no dia 7 do Fe,-
neiro, foi o seguinte ;
Eotraram f9
Sabiram 13
Falleceram 2
Existem 390
Foram visitadas as raspe*:! vas enfermaras
pelos Drs. :
Moscoso s 8 lii, Cysnoiro s 40, Barros So
brinhos 7, Maiaquias s 9 4|2, Berardo s
10 1 |i. I'outual s 8 3|4 horas.
Nao compareceram os Drs.:
* Simes Bardosa.
Estovan Cavalcante.
O oirurgio dentista 9urna Pompilio nao com-
parecen.
0pharmaceutico entrou s 8 i|4 da manh e
ahio s 4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s 7 1|4
da uranha e sahio s 4 horas aatarde.
laXiria d tram-Para A 4- parte da
26" lotera, dessa provincia, cujo premio grande
00:000*000, era extrahida, segunda-feira, 41
de Fevereiro.
Cemiterio Publico Obituario do dia 8
de Fevereiro de 18S9.
Miguel de Castro Otiveira, Pernambueo, 78
asnos, casado. Boa-Vista ; hernia estrangular.
I.uiz, Pernambueo, 40 dias, Poco ; clica.
eatriz. Pernambueo, 9mezes, Becife : con-
.volsoes.
Coronel Henrique Jos -Alves- Ferreira. Per-
nambueo, 08 annos, casado, Poco ; e.jsipela.
Joanna, Pernambueo, 2 annos, S. Jos; atrepsia.
Manoel, Pernambnco, o raezes, Boa-Vista;
ati'epsia.
Joo, Pernambueo, 5 raozes, Boa-Vista ;
eqlampsia.
Fm feto, Pernambnco, S. Jos; nriabilidade.
Antonia icaria de Mello, Pernambueo, 50 an-
nos, solteira, Boa-Vista; cachexia.
FranceKno Jos de lama, t'rrnambuco, 25 an-
nos, solteiro. Boa-Vista; endocardite.
Leodosia Francisca da Coneeifao, Penjambu
co, solteira, Boa-Vista : tubrculos pulmonares.
Mara Francisca do Espirito-Santo, 25 annos.
s.)lteir?, (rafa; anemia.
Um pouco de tudo <
Por conta do crdito de 50O-JOOO5, des-
tino pela le vigente do ordamentn i. con-
trueyao de acudes na prQfnncia du Ccar,
foi abeito na Thesouraria de Faacnda de
Fortaleza o de 300:000n para ser applica-
do s obras do grandel reservatorio de
Ojuixad, segundo o grojacte organisado
pelo eDgeuheiro J. J. Rvy.
O reservatorio de^Quixad poder en-
cher-se cdtapletamenTC durante a estacao
chuvosa de um annto regular, tendo capa-
cidude para represar 140,000,000 de me-
tros cu'icos t agua que serao sufficientes
para irrigar, durante seccas prolongadas,
2,000 hectrea de trra alluvial, quas im-
permeavel^ e inteiramente plajia. Her for-
mada poy'nma barragerc da altara vk
1 [2 matrfoB c por duas outras de menores
dunensoles, teudo a hacia central a
de 621 nctares. O custo total foi oreado
em 90a!000)J ao cambio par. .
rlytamb.em do engenheire J. J. Rvy
dou^oiiros projeotos de grandes reserva-
toriis no l ear ; um em Itaeoloiny cnu
eapajcidade para cerca de 193 milh3"es de
jjBjaJM-os cabicos de agua e outro -em La-
Ifede maiores propor93e, podendo ser-
bundancia irrigac3> de todo o
*' -i
-Y 22 do Jan ro proxiin 1 un I 3'
horaa da Urde, foi observado do tiscrpto
rio da commissni) geolgica c geographico,-
n:i aji.'al ; S. Paulo, um phenomeno
re [ : ro assim desci*pto ;
u Oross;i nuyeiu da espacie dos cumu-
!! feo. A bei-
ja superior, alva', respjaajiecente5ereerta-
i i o Formas arredondadas, attingia al-"
tura de 7.>".
* Por catMi -deata nuvetn e em altura
muito superior Ii-.via urna iiua carnada de
cirrus, parcialmente coberta pela referida
iiuvem.
Nestes cirrus e exacta ment na beia dos
cumulus, produzia-se o phenomeno que
consista em nm jogo de cores exii-aordi-
nariameute vanado.
1 or alguns momentas, logo no oome-
50, appareceu urna poryao de arcos-iris
superposto que pouco a pouco se confun-,
di
1 rain,
matiz, s imaginaveis.
misturando suas cores c formando
Minutos depois, ou-
fcra nuvem cumulus vcio interromper o
phenomenp, mas para torual-o,mais tarde,
anda mais esplendido.
1 Comeyou s 2 horas o 52 minutos e
tciiuinou s ; horas e 10 minutos, tendo
portanto, ama duracao de 18 minutos.
Qccupava urna extensab horizontal de cer-
oa de 20", desde L. at 22 S.
t O pheuomeuo difiere dos arcos-iris
vulgares em

que as cores nao guardavgm
*!'
entre si a t--si<;ao normal. A" cxiieac^.o
a mesma que para os arcos-iris, mas
com a dille ronca de rains solares, havia
tambe ir. reflexao pela cainada dos cir-
rus.
Paul Metrice o A. Vacquerie^ testa-
racnteiros de Victo, Hugo, tratam de ob-
ter no centro do palacio das bellas artes,
da exposi$ao Universal de Pariz, compar-
timento especial para exposieao das obras,
completas do grande poeta.
***
Por 100,000.roblos adquiri o czar duas"
grandes telas de Jorge Becker, pintor;
franecz,, ha muitos annos residente na
Russia. Hepresentam as telas as ceremo-
nias .da coroagao e da sagra$ao do czar.
Agraeiado com diversas ordens honorfi-
cas da Russia recebeu agora Becker o
grao de eavalleiro da Legiao de Honra
como teatemunho do apreco pelos seus
quadros moscovitas.
**
Um operario de uuia officina d'Argen-
tcuil, chamado Fournier, acaba de inventar
urna engenhosa boia de salvacao, que poz
em exposieao na sala do Palacio da Indus-
tria, em Pariz. E' um bonnet que pesa de
50 a 80 grammas.
Urna pessoa banha-se ; perde o p e des-
apparece debaixo da agua, '.'orno acudir
ao afogado ? Onde est elle ? Os barcos
procuram-n'o, arpoam no e, emquanto se
anda em busca do lugar ndc est o des-
granado, este morre.
Com o bomi'.t em questo nao ha estes
riscos. Quando um nadador desapparece,
um apparelho minsculo collocado na ca-
bera dcsenrola-se e flucta sobre agua, re-
velando o lugar exacto da submersao.
Era '"halons-sur-Marne (Franja) o as-
sumpto- de todas as conversajSes era ulti-
m^inente o seguinte testamento de um
guarda rural da eommuna de X..., Eu,
abaixo assignado, guarda da coninuma de
X..., lego a cada una dos pessoas que acom-
pau-harem o meu euterro, um litro de vinho
aos homens, meio litro s mulheres, e ao
padre tres, mediante a seguintes condi-
gnos :
Ia, na occasiao m que levantai'em o
corpo o padre cantar a primeirn estro-
phe da Marselheza e todas as pessoa?
presentes ferlto e6ro ; 2a, nhrgueni ajoe-
lhar junto do meu eaixao : 2"y ehegando
ao cemiterio, vulgarmente chamado-Cam-
po da Igualdade, beberao todos um gole ;
tfes de se^retirarem, acabaran de
r a a Marselheza : 5a Hnahuante '
rao todos o resto da pinga, dizendo :
O guarda rural C. .. n5o se arreceiou da
morte, porque foi sempre homem de bem.
Segundo tica conbinado, meu amigo
P... guarda particular, o encarregado
de executar as minhas ultimas disposi-
53es.
Coicillo~Nao sao de rigor as lagrimas,
nem mesmo as de crocodillo !!! C... Guar-
da rural original, mas bom rapaz.

is os poemas picos portugueses, c mu
as datas das primeiras edicoes :
lf>72 O Lueiadas, Luiz de CamSes.
1564Segundo cerco de Diu, Jeronvmo
Corte Real.
1594 Naufragio de SepultedaJero-
nymo Corte Real.
1588 Elegiada, Luiz Pereira Brandi
1607Liisltania Transformad^, Fer-,
ni> Alvaro de Oriente. .
1610O vndestable, Francisco
gues Lo>:
1611 Affomo Afiieano, Va-
l (ueve
I6,ni Odysiuia, Gabriel Pe
tro.
1640 Antonio Souza M
1641 Lusitaniu
Soa.
167~'Des S Iva Mascarenbas.
ide S M


.

i
'
1 i




.V,

dellt

&
T


n
+
'*
t
* I



V
I
de Reypatnbuc'O^--Doaungig.-10 de-Fe^efeim de 1889
has.
Hit'
4 O C/rii '
.1,
Francisco Xa
-tinho de
O Pina .nlcpemee, dos Alpes Marti-
mo toCCas do Rheno, apresenta-nos
que :vttin nho de uuia nz, de um govo de gallinha,
oda maiores dimeosoes. Estados re-
centes de VuiUeaun, versando sobre ex-
crescencias de todas as dadee, determina-
ron; serein ella* o resultado de un baccil-
to. E' eonelgsXo anloga aquella a que
chegou entre nos o Dr. E. Gokii, dotar-
minando como form'aco'es de ncmatoides
as nodosdades achadas as raiao&do eafeei-
ro enfermo da provincia do Rio de Janeiro.
*
#
Dr. Keysset achou na bibliotheca cora-
munal da Colonia o fragmento de um livro
de que nao existe mitro exemplar. Sao
s de um livro de Lftos. cscri-
pto .i! I' en latiin : De vera et falsa
magia, o qual tinlia o escopo de comhater
Mpmcessos do tatucas. Oi adversarios
do cannico Loos consegniram fazel-o pro
hibir e destruir o manuscripto ; delle tica-
rain doze paginas, e tamben) ostas foram
qqeimadas pelo verdugo na praca publica.
Mas delle se salvou- urna copia, que
ach/ida hoje pelo Dr. Keysser.
effeitos que p odem trazei saude as aguas
de seltz, as quaes durante a fabrica/,ao,
se dissolveu sob a aocSo do acido carbni-
co, saes meta!lieos.
He je um medico americano Herold,
conta ter curado nvitos casos de intoxica-
rlo devida ao chumbo, que dissolvia-se
na agua rica do acido carbnico e em
contacto com as guarnicoes metallicas dos
siphoes. Fizeram-sc analyses de ensaio e
se achou que. nos siphoes o chumbo pode
dissolver-se em grande quantidade o'agua,
formando primeiro um carbonato insoluvel,
que depois torna-se soluvel e se introduz
no organismo.
#*#
O Mrquez da Yogue coaainunicou
Academia das InscripcSes de Pars, o re-
sultado das exeavacoes executadas ulti-
mamente pelo padre Delatoe no antigo
territorio cartaginez, e sobretudo no colli-
na de Birsa e na neeropole de G-ainart.
AeHara-se urna serie de sepulturas que
datam dos primeiros tempos da Cartlago
pnica; Os cadveres estao estendidos
sobre leitos fnebres acompanhados de ar-
mas, joias, vasos, etc. As exeavacoes
executadas na neeropole de G-ainart pro-
varam que ella data da poca romana, e
que era destinada colonia hebraica.
***
Annuncia-se que o Dr. Tanner. torna-
do celebre pelo seu jejum de quarenta
dias, do qual tanto chasquearan! os outros
jejuaJorm uuti* recentes, o oubiuetc-r a
urna aova experiencia. Taer ti estar,
ter estudado o phonermeno da hybetnsaeSo
de algunas especien do animcMs^ e da
qual ha pouoo se eoupoe a Nnover Antilo-
ga do Roma*.
Aps taoe atado*, Tan er ero poder
fazor coacun enria raaarootasc olla se
metiera n'un atad* e se far entevr;:
jie desenterrar apata de um determimido
numero de dias. Ueste modo Taunr, se
nao deixar ahi a j)elle, far cum a sna ex-
periencia concurrencia aos fmjueiros.
***
A proposito-.do. jejuadoraa, seja lctn-
brado um jejum de trinta dias, ao qual
se submetteu ltimamente um certo Ale-
xandre Jaques era Edimburgo. Esto in-
dividuo, que a dura prova soffrida *e tor-
nea magro e dbil, afHanea possuir um
segredo para manter a vida, segredo qno
elle prop3c-se a vender por meio railhao.
mas que segundo parece nao attrahio ain-
da nenhum comprador.
Como se v, o Sueci ira discpulos.

Os edictores Mae mi lian A C. comeca-
ram a imprimir urna nova obra sobre o
Darvinismo, do Dr. Alfredo R- Walace.
O fim desta estabelecer sobre mais so-
lidas bases a theor da seleceao natural.
Occupa-se alm d'isso das varias th-orias
supplementares, quesahiram tafia da pu-
blicacSo da Ga ediccSo da Origem dan Es-
pecie.
E' sabido que para distribuir a forc
Ja setem fe.to mea?* dos perniciosos de modo ^ des fl n
dustnas possam aproveital-a se preeonisa.a
dous systemas diversos. Un destes con-
siste em comprimir o ar nos apparelhos
de distribuicao, e em fazer mover as ma-
chinas por meio o ar comprimido,- com
o outro systema, pelo contrario, o ar nos
apparelhos rarefeito, e o movimentn das
machinas produzido pela pressao atuios-
pherica externa. Sobre os dous systemas
o engenheiro Mezzena publicou na Indus-
tria de MilSo um estudo em que expe os
consideracSes pelos quaes, ao passo que
o systema do ar rarefeito parece discre-
tamente til quando se trata smente de
pequeas forcas distribuidas pequeas
distancias, o do ar comprimido se mostra
ptimo para a distribuicao de grandes for-
cas consideraveis distancias. a
COMUNICADOS
COMHERCIO
TKLSICRAMMA*
Servico da Agencia Havas
LIVERPOOL, 8 de Fevereiro.
ASSUCAR :-uioBlado.
O !' Pernaaikneo n. **n ISO por | i nial.
ALGODAO:------uieaitailo.
O FMI1 r- Peraamburo wniU'-ne-
1 i; ii. por libra.
Vendan lo lia ittOOO fardo*.
NEW-YORK, 8 de Fevereiro.
ASSUCAU -Calmo.
H ,oPoInrlaarSo 11 por li-
bra.
Agencia, Havas filial am Pernamnbco,
9 de Fevereiro de 1880.
Retrospeeto nine re i do mez
de faneiro de t88t
^ O balando cominercial do mez que vem de
findar, comparaito com o de igual mez do anuo
de 1888, nao foi Balotar.
Alm de tereu sv'o enos vultnosa as per-
mutas realisadas eotra osta provincia e as de-
mais do Imperio, bem como a internacional,
pois que menores do que ein Janeiro do anno
nndo foram a expoitaco e a importaran em Ja-
neiro do corrente, releva ponderar que todos os
demais factores do movimento mercantil aprc
senlam resultados deprimente-.
Com effeito, todas as BStaces publicas arre-
cadaram menor renda, attingindo 96:8654)S9t
a dSerenca da ai recadacao : o movimento de
entra las e sabidas de numerario mostra um dc-
cre. itnento de 1 90:i59S27 um saque? para
for.; do Imperio foi notavel a dillVrenca para
mais, denunciando esse tacto a necessidade de
saldar as con tas do commercio com cambiaes
por nao ter podido a exporf^W cubrir a impor-
tago ; os saques para dentro do Imperio foram
por limitadas sommas, facto quej sobreleva o re-
traliimento das transaccoes; os descontos de
-Iettras na praca enectuaram se pregos mais
elevados e foram restrictos; o mercado de ttu-
los, pblicos e privados, esteve frouxo; e at
o movimento do porto apresenta sensivel reduc-
jao em relaco ao de Janeiro de 1888.
Mo resta, pois, a menor dnrida de que o mez
de Janeiro (indo nao foi salutar para q commer-
cio : e os seguintes dados estatisticos' compro-
vam este nsserto. sem carencia de outros com-
mentarios:
As estaces publicas arrecadaram :
Alfandega
Janeiro e'A 889 990:8974789
de 1888 1.1)23:693*289
Caruar
A columna do Jornal do tectfe que se reveste
do titulo de Partido Liberal publicou hontcm una
supposta correspondencia de Caruarfi, m que o
seu auctor, pondo em relevo o seu odio invete-
rado ao conselheiro Francisco de Assis Rosa e
Silva, atacou virulentamente o digno ministro da
Justlca, mimoseando-o com algum doestos. inju-
nando-o, calumniardo-o, e attribuindo-lhe in-
tuitos que S. Exc i unca teve e fins de que S.
Exc. Jamis cogitou.
35
I V
M a- w a s
x 5 x x =
2 2. = "r. r
552^
2 ~ a iic:
|- % s*
2. ?HC
|-
=
O
^
ce
ir;
|-
5
I -
!0
se
i*- -s
*.
-i ap
S
<

2S
S I
-j i


w
--i en i*, x -'
a. toe. t*.
=-. 5
-. CS
li -x.
?5
I
9
be ^j
*j *- ^^
*- 1. Vn O.
S i; -i c: *
I
T: I
Foi este o movimeoto de dinheiro sob a re.
pousabilidade da? corapanhias de Vi.pon -
Entrado
Janeiro de 1889
- de 1888
Menos em 1889
Janeiro de 1889
. de 188H
Mi'nos em 1889
SaJiiio
89S:4;03743
2.158:3'.2l20
1.262.9377
61:087H36
1.320: :m 5286
639:2l7i8;>
fazojdo inquorindii qn
ao 10." istricto pelo honrado ministro,uos 8 un -
|ue, j na Assembla ProrinciOj-jia no Pur
lamento. S. Esc. tetn representado o raosmodi^-
tricto : c chivou iuaginosk cohcusode que
nenhnin sorvifo prestoo 8. Exc. irao obstante o
que disse e o que proiaeUeu quando pela prinieira
rea te aMteaaM ao eleitorado-
E' esse o eixo- em torno do qoal o ai-licuhU
faz girar as soas relli'xes, lilbas do odio e do
-rto; esse o fim capital do artiff>. qxw \vc-
mps responder, e que nao ser difcil destruir ein
todos os mal alinhavados nindameDto.
Com effeito, para os que acompaiiham o- n
cios pblicos, ainda que de louge, csabeinquaii-
to esCbrco necessario ao deputado para tew
vingar as suas ideias. para vl-as reaii.-nrkwjn'
nao irninediaramente, ao menos algum teurp' de-
pois, nao podeai passar desaperceliidos Oa tula
vantes servicos prestado? ao 10." diMrioi i desta
prorajeio pelo honrado actual niniataj da jirti-
ca, quer quandoo ecupava um assenlo na V--< :u-
bla Provincia!, quer'depois n ('.amara los De-
putad's.
Como iuc:ibro da AsaamUa Pito tecla] > coo-
selludro Rosa* Silva foi semprc SDCt.....u l'i'--
nar pelos mellioramentos geraes da provinci:1. e
em particularpe!.isdolO.,,ilistriri". Anstrucco
publica, sempre lhe mereceu disvellos tomo ele-
mento que da grandeza dos patos. A segurau-
ca individual e do propriedade nunca deixou de
tel-o seu lado, quebrando langas pela effectivi
dade diis garantas. As linangas da provincia sein-
prt Ilu- .suscitaram as attences, e Q'esse parti-
cular o Ilustre deputado fez inauditos esforcos
pelo bem dos contribuiotns. procurando harmo
nisal-os com o iuteresse do fisco provincial. Em-
fim. respeito de todas as questes levadas ao
tapete das discusses na Assembta Provincial, o
deputado do 10." districto jamis deixou de ma-
nifestar suas opinies, sempre mostrando-se um
espirito liberal e culto, urna intelligencia bri-
lliante, tendo perfeita intuifo das cousas, e re-
velando-.se capaz dos mais levantados comme-
timentos pela felecidade dos povos.
Aind devem repercutir aos ouvidos dos elei-
tores do 10." districto os heroicos esforcos que.
na A~sefliblca Provincial, deseavolveu o illustre
deputado contra o contracto de fornecimento ife
carnes verdes populaco'do Recife, quando ha
cerca de quatro annos, em 1885, foi alii debatido
o assumpto. *
Coraprehendendo o imminente risco que corra
a industria pastoril da provincia diante do mo-
nopolio que se pretenda crear e que ameacara de
morte aquella industria, tito desenvolvida no 10.
districto, o illustre deputado poz a sua palavra ao
servico da boa causa, e fez quanto era humana-
mente possivel para que nao vingasse a ideia do
contracto.
Na imprensa Sj Exc. tambem combateu com
vantagem inquestionada coutra essa ideia. Foi
vencido, verdade. n'essa dolorosa campanha,
em que foram sacrificados os interesses dos ser-
tanejos. Mas no xiorreram as reflexOes entao
feitaspor S. Fxc.: ficaram como boa sementerra
em terreno frtil, smente espera que as con-
dices lelluricas do meio se modilicassem ; e ago-
ra vingaram, oresceram, e fructillcaram.
- nmi aaaaaaa
com os seguintes pret-
Esta quantia representa lucro pelas difTerencas
de cambio.
? **
Para as prafas do imperio que entretem rela-
ces inercantis com a de Pernambuco foi peque-
o o movimento de saques.
Foram elles elTectuado:
mios medios :
Janeiro
Rio Grande do Sul
S. Paulo
Rio de Janeiro
Baliiu
Cear
MaranhAo
l'ar
1889
238
1 1/2
1888
t 1/2
11/2
11/16
1 5'8
1 1 i
5a extale mais eofltrncto de eames verdes. As
tentativa fcitas para diltalo, quie para perpe-
^jajVo, abortara. O ertanejasN provmeiapo-
dBl^rosegBir tr^ua,uilloe fia explomgto'dailn-
dulrta pastoril. Mas bao de reconherer, b le
certo recomeaes,que para esse resultado eon-
tribuiopoderosamente o ligno deputado do 18*
districto. cuja pabura vibrank> c eloquenut ai a
ctewa le 1883. ferio de morte oanuopr-
earnes verdes.
as alo guando outros servicia nao lioiivc-s.'
prestado o Dr. Rosa e Silva ao districto que o
eteffcu deputado provincial, ess s o Hevaria a
liosic.'io ile benemrito, dando-loe'direito BJBti-
il o sertaneja.
Mas nao foi s esse o resultado do trabaiao flo
llioni Aosu e Silva na assamblra promn-
cial. As c^ndicoes da iostratco publica local
inelhoiraui, nafas aos seus-caitJados odelii-eu-
cias: os cidadios sentiram-se inellior garant-
no- em suas pessoas e. bens, por forca de seus
disvelos junto administraco ecomo fiscal des
la; e a reduocSo feita no ipostos provincia' v,
em grande parte devida ao zelo do illustre di-
putado, que sobretodo pugnon pela exlin, eo Jo
imposto sobre o assucar, a prova iiiponcnssa
4a -uadedkaco aos teresseskxaes.
Segoioia essas booroaas tradieces. o rease*
Iheiro Rosa e Silva deu no parlamento as main-
m proras do seu amor ao 10 districto e pro-
vincia que llie foi brego. Foi elle o principal
pugnador da extinecao do imposto de exporta-
go sobre o assucar, facto positivo e real ;
os fins de 1887. Foi elle o mais esforgado pa-
ladino da isempgode impostos para es machi-
nas ,. apparelhos destinados lavoura e as o-
dustrias. Foi elle, finalmente, quem mais e me-
llmr si: i}r(:ou pelo proloncamuulo da l'erro-
via da Victoria at a florescente cidade de Ca-
ruar, idea j trudueida em lei, e prestes rea-
lisar-se.
E nao sero esses melhoramentos reaes .ser-
vigos prestados provincia de Pernambuco e es-
pecialmente ao 10* districto, que confero ao
eniisellieiro Rosa e Silva o mandato de seu re-
presentante no parlamento ?
01 espiritos independen tes, os homens sensa-
tos de todos os partidos sem duvida o contessa-
rao. Fique e.mboi'u ao SDpposto correspondente
de Cmaro pana a columna liberal do *iva.t-.Ji)
Iterife a triste gloria de negar taes servigos; el-
les nem por isso drsappareeerSo, e hSo de ser
devidamente pesados ejnlgados pelo nobre elei-
torado do 10 districto.
V. pur.L siinplesmeiile l'aiso que. "ai algum
tempo. o conselheiro Ro3a>e6iha'termu dito ojo
os liberan eram uta ladrUn porque f qverianr ror
bar-do modo m-.is escandaloso n propriedade es-
crava que elleconselheiro Rosa e Silva-se pro
punha garan'ir. porqnanto negro s nnseeu pata
servir a bronco.
Quem conhece o conselheiro Rosa e Silva,
quem sabe da severidade des seus hbitos e
costumes, quem tem sciencia da moderagao de
sua linguagcm, quer na tribuna, quer na im-
prensa, pode avalinr perfeitameute que S.Exc.
incapaa de servirse daquelle modo de dizer,
porque uao traduz o seu modo de pensar.
Espirito culto e liberal, como j dissemoss r
conselkeiro Rosa e Silva nao poda dizer, nao
disse de facto, que se propunha manter urna
"aaaaaaaaaaaaaaajajajajBma^aMBBaaMMMBa,
Regularam as vendas por 15 kilos para expor-
tagao :
Branco 3" superior
. 31 boa
3* regalan
4* sorte
Somemos
Mascavado purgado bom
regular
propriedade. crnidcurarla "pela lopiaio
S. Exc. quande-^tela *eBpriminrse apresentoo
s uraadoi0^di!ricio,ji; pnniro de resolver t> -probana senIK a'qmil-
4e ternpoasopinioes am/tuiestar mal iMini-
das respeito. Mas. s K\c. nio externou
soliitameme. o pensameAqi Ine^aMribuidu
pelo iraaginoso correspondente de Caruar.
O seu voto, portanto, em pro da extinegao do
elemento senil nao-revela nenhuma incoheren-
cia. Fordictado pela consciencii do d'ever de,
como brasileiro, expurgar a patria de urna man-
cha qne o torrrava saspeita ae paizesrtrilisados
e embaraara o sea progresso moral e mate-
rial.
Votando pela extinecao do elemento servil, o
lonselheiro Rosae Silva ainda prestou relevante
suruco |*oviuda de IV.ruauiUuco e aa aaz
inteiro; e o eleitorado' lo 10" districto lia de fa-
zer-ltwa justifaKlwiav receBeci'nd'> os nobres
intuitos do seu digno representante.
0 censelbeiro Rosa e Silva, inteligente eil-
lu*trade.e8ergk>e.actT0, dedicodo'e dnim*-
pecto. -'umpei-nanTbocano-distincto', que lem
bem merecido da sua trra, cujo aervigo tem
posto sempre sua paolavra e sua penna( sna
vontade sua siencia. seu prestigio e seas ta-
lentos. ,
Elle merece ser reeJeito; e ha de sel-o, des-
peito dos odios qne lhe votamos seus. adversa
rio?, invejosos dos seus mentes.
Recife, 9 de Fevereiro de 188.

nio menosprozada.
os das.
Confen*o He. I*, llatewifi deCarvalbo .>
ei-ro por elle' commettido no pleit.
questaa, quando rliz que, e nao coabe-
i. quosta*. e foaae consultado obre
ella,-segando k mi ennmriaht -sabsc
ria os pai-ceci-tt dos iHtfstrados collegas,
signntario* da consulta publica;. Pxia'-du-
vichi!
SauwuJy.
PUBLICACOES A PEDIDO
Foram exportados:
Janeiro de 1889 Exterior
Interior
Total
Janeiro de 1888
Menos em 1889
Menos em 1889
Menos era 1889
32:795*560
Janeiro de 1889
de 18R8
Menos em ttfe
Janeiro ie 18W
deiMH
Recebedoria 6eral
Correio
31:5801637
42:700*589
_------------
11:1191932
10:9T!*0<0
12:693393
A expedico em Janeiro lindo foi para :
Rio de Janeiro 36:3401160
Baha 2233950
Alagas 147:500rt00
Fernando 6:703,77ii
Parahyba 66:h2f)500
Rio Grande do Norte lOO.W
Cear 8:746*350
Maranhao 2:151*000
Parae Amazonas 312:100*000
O balango das entradas e sahidas em Janeiro
lindo mostra um saldo que ficou na provincia de
214:363*307.
#
Foram saccadas ipara o exterior :
Sobre Londres :
Janeiro de 89- 550:000 de 2615/16 27 o 8 d.
de 88 350:000 de 23 3/8 24 7/8 d.
Mais em 89 meOO
Sobre Parts :
Janeiro de 89 fr 260:000 de 344 351 ris
de 88 fr. 196.000 de 382 i 406
Mais em 69 fr. 64:CO>
Sobre Hamburgo :
Janeiro de S9-reif cli. 70:000 de 427 436 ris.
de 88 35:000 de 473 503 .
Mais em 99
35:000
Sobre Portugal : t
Janeiro de 89~ris "orles 50:890* de 93 106 -/..
Mecos em 1889
'"Rienda Prottdtd
Janeiro de
a de tBBB
Heno em f889
-se. pou,
1:782*391
247:4*8*555
WB^lOfWJ
_51.M8)07
Codas as estaces irretati.
icoriitio tta*o\
l ea detalhe as di! -
uijbaf arrecadadas .p-
de 88-
Mais em 89
26:OOi*deli3l770/..
24:000*
Os Valores saccados. calculados pelas taxas
medias do camoio, foram os seguintes :
Janeiro de 1889 5:163:225*000
, de 1888 3:622:654*000
Os descontos de letras regularam de 9 10 ",,.
contra de 8 12 /. em Janeiro- de 1888.
%
Em titules pblicos ou privados foi este o mo-
vimento da bolsa.
Apolirn geran de S /. :Venderam-se 37 de
liOiMUOOn a 9:to000 ou com o descont de 7 ','..
Em Janeiro de 1888 tinham sido vendidas 20
9SO.-000 ou com o descont de 5 %.
Isttras Itypotbecarios -Venderam-se 674, com
juros, de 95* 96*30 '. ou com o descont de 5
i 3 1/2 "/o : e 162 sem juros, 9250o ou com o
descont de 7 e 1/2 .. Em Janeiro de 1888 ti-
nham sido vendidas 1:246 sen. juros de 93*
93*500 ou com o descont de 7 6 e 1/2 /<>
Ttulos de diversas empresas V%nderaih-se-: da
de Beberibe, de agu, no Recife, 83 160* ou
cjm o premio de 60 '. quando em Janeiro de
1888 tinham sido vendidas 341 155*000 ou com
o premio de 53 .
Da Pernambucana, de navegago costeira por
vapor, 10 de **U. 50*, e 54 de 1001, 25*
cada u i; i. isto como descont de 75%. Em
Janeiro de 1888 n&o houve transaegao desses t-
tulos.
*%
O movimento do porto foi este :
Entraram do exterior
30 vapores lotando 46:837 toneladas.
32 navios 11:268
Entraram dos porto do imperio
i'i vapores lotando 26:127 toneladas.
29 navios ti:"8i .
Dando para total das entradas
flo embarcacoes, lotando 90:816 toneladas.
E tendo sido o total em Janeiro de 1888, de :
i2einbarcaces, lotando 91:433 toneladas.
Ye-.-e ijue entraram ajenos 27 embarcages lo-
tando menos 617 toneladas.
Sakham para o exterior
31 vapores
39 navios
Sahiram para os portos d* imperio
30 vapores
21 navios
Dando para o total das sahidas
121 embarcages.
E tendo sido esse total em Janeiro de 1888, de
139, v-se que ani Janeiro prximo (Indo sahi-
ram menos 18 embarcages
*** Mais em 1889
de 24800 a 2*900
de 2*600 a 2*700
de 2*400 a 2*500
de 2*300 a 2*400
de 2*100 a 2*200
de 1*800 a 1*900
de 1*700 a 1*800
americano de 1*250 a 1*300
Bruto regular de 1*150 a 1*200
fto-Canal'- de *950 a 1*000
O prego medio por 15 kilos foi:
Em Janeiro de 1889 J*948
de 1888 2*089
Menos em 1889
Jurisprudencia
Sob a epigraphe supra. acabo de 1er um
pequeo artigo publicado no Diario' de
hoje peto Sr. Dr. Materno de arvallio e
a proposito da publicacfio da consulta que
fiz aos ilustrados collegas d'este- foro,
quando o Superior Tribunal da- Relacao de-
cidiu, contra direito e autos, appellaeXo
interposta por meus constituintcs Luiz de
Paula Lopes e sua mulher, na acoao que
litigan contra D. Clara Argemira de
Castro Reg, de quem1 S. S. patrono:
e, cumpre-me dizer, a leitura de tal ar-
tigo causar-me-bia simples e verdadeiro
nojo, por ver a facidade coi que.dito
Dr. emprega jduaaeeinjuriosas e cabrmnia-
sas y:ontra mim dirigidas, se nao fosse
conhecido o veso que tem elle Dr. de offen-
der os seus collegas, afim de melhor col-
loear>8t
At hoje nao claadiquei, nao claudica,
sem. claudicare! no exercicio de qualquer
profissao que tenha; iliustrado ou nao,
procuro defender os-direitosde neusoBsi-
tituintes com toda franqueza e lealdade
possiveis, e sem malsinar alheias reputa-
5es razo porque, fico asss ontrariado,
ou antes indignado, quando as decisoes
de nossos tribunaes reeonheo dar-se na
especie falta de observancia da le, que
devia ser sempre acatada e respeitada, e
Akool
Tambem esteve animado p mercado de9te ge-
nero, devido s mesmas causas.-
Entraram :
Em Janeiro de 89 53 pipas
de 88 48-
Mais em 89

7
*41
10.491.182 kilos
8.473.588
18.964.770
26.965048
8-000-278
0 valor exportado, calculado pelos pregos me-
dios respectivos, foi :
Em Janeiro de 1889 2.462:891 U60
de 1888 3.755:3124340
1.292:420*880
Regularam os precos ponl|>ipa de 125*000 %
145*000.
As medias dos pregos comparados foram;
Em Janeiro de 89
de 88
Mais em 89
Foram exportados :
Janeiro de 89-Int.
de 88
Mais em 89
135*000
M*50t

%g*5'J<'
47.712 litros
22.170 '
25.542 '
0 valor dessa exportagao, calculada pelos prei-
gos medios respectivosj fot':
Em Janeiro de 89 13:419*00J
de 88 4:272*370
Mais em 89
9:146*430
->/'*(
A verdade timas*'; e esta ha presidi-
do a todos os -rnetis 'actos.
Quando .presente! a'refenida-consublk a
meus Ilustrados' collega*,'tiveram eatles os
autos respectivos e planta da obra-embar-
gad para por si verinearom a veracidflde
de minhas aaeergoes e dareaa as raspos-
tsjicoin franqueza e lealdade*; isendoique
alajnns dispensaram-sc de mai^ lexame dos
autos, por conhecerem a minha nornja^de
acgSo, s posta em duvida peJo Sr.'.l>r.
ilaterno, e julgarem-uie incapaz dairiul-
tar-lhcs a verdade enunciada: quemnaMm
, e sempre foi tido, nao claudica vergonho-
samente. ,
Para prova, disto, nrovoaa o. Sur* Dr.
Materno de Carvalrm a qne de purfrTeida-
de ao theor de sua .petiyaa para o embar-
go em questo, ao do auto de. embargo
feito, ao da sua peticaa posterior pediado
ractificacao de tal embargo, em Jugacrde
reetificacae, e aos das petioes de coacilia-
53es realizadas para, o inicio da aceSo (de
sua constitninte: ai o tizer, o que dufrido,
ficarSo toduiR conhecendo qual o .reverso
da medalhaie de quanto capazo Sr-Dr.
Materno; pois a verdade, justiga-e leal-
dade estilo de niinha parte, c nao daqiarte
delle, que at hoje ha i sabido engasar
partes ejulgadorce.
Eis a resposta que entend duver daxa
publicagSo dehontem. .
- Recife, 9 de Fevereiru de-1880 .
Duarte EstevauK
-----WiWfc.,...---------1-----------
Iiivcik-fo sublime
0 seculo XIX definitivamente o secut das
grandes descobertas. .
A iiiiellifrencia humanatemsido reafmenteHe
unia-aiibeninoiai creadoralextraowinacia' e-ca-
paz de eocber-iios do mais fervoroso .dos*n-
tliusiasmos.
As sriencias, as artes, a industria, ludo ali-
nal. offerece-flos-umu prova larga^ rrrefutavel,
da veraciilade- E, o que mais e par-i inocular ns maiur
somma de satisfago, essa febre dos gigantescos
commettimentos, esse delirio santo e proffltte-
dor por todas as mamfestages do genio artsti-
co e creador, nao um privilegio da vejha e or-
gullm"iuafnt nao; e41adaaiamr*ealueiona
profundamente as amadas da sociedade brasi-
eira.eUeacha-seem emllirao .fecunda,*, bon na
nossa inteReetualidade, com o que mostraros
perfeilanieiite que au simios una repQao in-
tenobrecida, como talvez maliciosameate sobaja
dito, em frente do as sombroso desenvolviuiento
progressivo dalimnanidade.
Despertados pela noticiado maravilboaoin-
vento do Spi.VwissbmBarbosa de .Souia dirigi-
mo-aos casa'de sua res dencia atim de peasoal-
.nente examinarmos o producto desuasco'aita-
ges de homcm laborioso e i utelligente eternos
o jirazer ile declarar aos nossos "leilores.que-a
unpre-ssao que de l.i trouxemos fot a mais agra-
da vel posei*l:
Voltamos com o espirito saturado dfsaa.ate-

Carrapato -Ext.
Cascos de tartarugaErt.
Cera de carnauba-Ext..
Int.
25"188>
10
1X.14B-
7.967.-
Cobre velho
Cocol-Ext.
Int.
Total I
E
23 116-ni
a.ot-...
2.0.
H2-.-500fiK

Algodo
Nao obstante a baixa dos pregos, o mercado
d'este genero esteve algum tanto animado :
Entraram :
Em Janeiro de 1889 32.493 lardos
de 1888 29.421 .
___
Mais em 1888 3.072
Regularam as vendas por 15 kilos :
Do de 1' quididad* de 6*05* a 62fl0
Do mediano de 5*050 a- 5200
Do da 2- qualidade de 4*050 a 4*300
0 prego medio comparado foi este :
Janeiro de 1889 5*123
. de 1888 5*450
Menos em 1889 *32>
Foram exportados : /
Janeiro de 1889-Exterior 2.231-019/ kilos
Interior 112.192 -
Total 2.343.211 .
Janeiro de 1888 # 1.302.224 .
Mais em 1889 840.987
Calculado Dlos pregos medios respectivos, 6
valor dessa exportagao foi:
Janeiro de 1889 800:596* 750
de 1888 543:808*017
O mercado deste genero esteve regular.
Efiectuaram-se as vendas por pipa 50*000.
Tendo sido a media dos precos em Janeiro de
88 de 42*500.
Vc-se que houve urna difierenga de 7*5 0 em
favor do prego do mea (indo.
Foram exportados :
Em Janeiro de 1889.-Ext. 16U litros
Int. 53.700 .
Total
Em Janeiro de 1888
53.860
1.880
51.980
Mais em 1889
Calculado pelos pregos medios respectivos, foi
o valor exportado :
Em Janeiro de 89 5:610*000
de 88 166*1x0
Mais em 89
5:443*820
Maisem 1889
1:540:771*000
Se, porem, ferem calculados os valores sac-
anos em Janeiro findo pelas taxas medias de
1888, ser este o oonflTHrto :
Janeiro de 1889 5:709:840*000
Janeiro de 1888 3:622:534*000
Mais em 1889
208J^**<*
IXPOBTAgAO
O mercado de exportagao, no decurso do mez
de Janeiro fmdo, estete long* de emparelliar
com o que foi em Janeiro de 1888.
Nao obstante a maior exportagao de algodo,
agurdenle, alcoo!, mel e conros, ro tal a influ-
encia que exerceu o menor acervo de assucar
exportado em Janeiro findo. que olom do mer
cado exportador sotfreu deprimente reaccaoJ
alias nfluenciadapelos baixos precos do assncan
e do algodo.
Para jsso concorreu em ba parte a alca dd
cambio, mas tambem teve influencia decisiva d
stock dos dous principaes gneros coloniaes no
mercados consumidores.
Em agurdente, alcool e mel se a exportagao
foi maior, e os pregos muito' memores do que enl
Janeiro de 1888, releva ponderar que nisso nSd
houve repercussao do cambio, e que esta exporJ
tago fez-separa os portos do haperio
Os demais artigos pequea influencia exerce-
ram no computo geral da exportagao; e por1
isso esta apresenta resultado inferior ao de J-
neiro de 1888.
Revelam-no ? seftthrtes algdtismos:
*
Assucar
0 mercado d'este-genero'esteve frouxo.
Entraram:
Janeiro de 188 305.807 saceos1
de 1888 433.472
Agurdente
0 mercado esteve mnito animado, gragas aos
[bns pregos e procura do genero
Entraram :
Em Janeiro de 1888 650 pipas
de 1889 743 .
254:788*733

Ctama
Em consequencia da baixa dos pregos esteve
frouxo o mercado destes artigos.
Entraram :
Em Janeiro de 89 4.795
de 88 4.712
Total
Courinhos e pelles-Ext.
.Doce t%t.
Int. i
Total
Drogas e meduaraentos-i-JnT.
Farinha de mandioca Fxt.
Int.
i
Total
FeijaoInt.
Fio d'algodo Int.
Finetas Int.
GenebraInt.
GraxaInt.
Milho-Int.
Pao Rrazil Ext.
Ouro velhoExt.
Prata vemaExt.
Rap-Int.
Sal Int.
TraposExt.
ili.oOo
44 ttilos
942 >
986.nn
' 207 vola>;L
1- ..
23.126 *
23.'nr.i*
182 iSfltOos
70 r.,
3.700
4.013. Ut tos
500,kil*
164:780.-. -
SOO...
166.6 Kt.
361.5
1.3103 kilos
100.000)4itrO3
8.320 kilfc
O valor de toda a exportagao feita- pet Aflato
dega, e calculado pelos precos medios doft't ge
eros, foi o segrate :
Mais em 89
83
Regularam as vendas por kilo :
Dos espichados 520 ria
Dos secos de 385 390'
Dos verdes (nominal) de 205 225 -
Em media :
Menos ein 1889
93
Regularam as vendas por pipa de 68* a 80*.
O prego medio foi pois :
Em Janeiro de 1889 74*000
> de 1888 56*000
Mais em 1889
- Foram exportados :
Janeiro de 1889Exterior
Interior
Total
Janeiro de 1888
Mais em 1889
18*000
12.590
847.904.
860.494
622 416
238.078
litros
O valor exportado, calculado pelos precos me*
dios respectivos, foi :
Em Janeiro de 89 132:659*060
de 88 72:615*200
tn**/ era 1889
WK5"
em.89
Janeiro de 89
. de 88
Menos em 89
Espichados
520
580
60
Seceos
387,5
475,0
87,5
Foram exportados :
Janeiro de 1889-Exterior
Espichados
Secos
Verdes
213
240
2 527 kilos
59.076
Assucar
Algodo
Aguar dente
Afcool
Mol
Gouros espichados
Couros seceos
Abacaxis
Rorracha
Caf
Carrogos de algodo
Carrapato
Cascos da tartaruga- ,
Cera de carnauba
Cobre velho
Cocos
Courinhos e pelles
"Doce
Droga3 e medicamentos
Farinha de mandioca
Feijo
Fio de algodo
Fructas
Genebra
Grasa
Milho
Ouro velho
Pao Rrazil
Prata velha
Rap
Sal
Trapos
Total aproximado
Em Janeiro de 88
Menoslem 1889
.46B8!M*HU
800t396X730
132:6S*MO
13?419f0O
3:6IOg80
2f;8tli
2:464|
28Wj
23:144X450
C!H7120
50*00
6:3!8M0
1:000*000
9:960*000
85:9
Janeiro de 88
Mais em 89
Total
61603
49928
11.675
4:11
55:atoM0
1:28010
14:0tMf36
7911375
1:310*500
608X000
146*400
3.tj56:104*803
44bV*0MH
7M:7MX096
0 valor dessa exportacao, calculado pelos res-
pectivos pregos, foi :
Janeiro 89-Espichados 1:314*040
Secos 22:891*930
Total
Janeiro de 88
Mais em 89
24-2OM990
21:496*06
2:709*930
60:043*860
A demais exportagao feita pela Alfandega
a seguinte :
Abacaxis-Bit.
BorrachaExt.
CafeExt.
Carrogos de algedio-Ext.
Int.
foi
112
2.844 kilos
5066 .
922 778 *
3.000 .
Total
925.78'-
IJIPOBTACAO
Sem alcanear a posigao a que chtgon tmt Ja-
neiro em 18 o mercado de importacl estire
todava anisado em' Janeiro findo.
No geral as entradas foram boas, e os pregas
das vendas mdicos, gragas ao cambio niefcor.
A renda da Alfandega. na rubrica Importkcao
d para os dous mezes comparados :
Janeiro de 1889 Pek08M49
de 1888 924:8
Menos era; 1889
24'79**4W
Entrramos segarnte genero* alimoatteios,
bebida alcoolicas e fermentadas o condmen
tos :
Ahos709vianastr8s, vendeno-se HOSbi
a maunga.
Azeite de oliveira-1 barril e 200 cana, aen-
dendo-seo gaiae de 2*889 XI9SO,
Arroz -LO) saceos, veaeado-se 4*t 2*106
-24300 os 48 kilos.
Aletonas-^l volume.
8619e IftIttrrica 1 oaiiw, ou

.
y



>
V

Diario de FrnambucoDomingo 10 de Fevereiro
la dwe e consoladora que adquire todo aquel
le que, te -arterias r in-
cessant; do angue do patriotismo^ fconsegueem-
polgar a certeza de que a sua patria em breve
apresentar ao mundo coito e eivilisado mais
um attestado vivo, radiscurvel, da pujanra' de
sua capacidade e de seu nierecimenta
O distincto inventor brasileiro nao um ho-
rnera de vastos conhecimeutos scientificos'e lit
teranos; quanto, porm, ao que diz respeiio
quillo que necessariamente obrigou o a passar
moitas noites velando, n'uma cjntemplaco in-
definida de quem procura no azul descobrir al-
gn cousa de deialmente descommunal, elle
mostrase de urna habilitadlo inexcedivel.
Calcule-se btm que fez de sua vida urna de-
dicacao heroica ao magnifico descobrimento.
Depois de um trato delicadissimo.
Jlostrou-nos e explicou-nos com todas as mi-'
nucas posaiveis todas as pecas do seu navio que
se ha de por em movimento pela simples pres-
so do ar, deftando-nos mergulhados n um oca-
no insondavel de admirac&o e de conjecturas...
Limita nd>noj hoje a estas palavras que tem
por fim nico dar aos nossos leitores a nota da
mpressao que em nos deixou a descoberta do
Sr. Virissimo de Souza, reservamo-nos para, em
outro artigo dar urna noticia mais completa e
circunstanciada.
- ATTENQJAO
LASIA1 tllir, NewYii
Proprietarios e nicos fabri-
cantttiis celebres prepa-
disse :
jpa-
inuito
Gapit&o F. A. S. B.
Este sonher a perto de cinco annos to-
mou um pobre, que no foi mais do que
gente, a quantia de 300^000, devendo
ser para um fim sagrado. Depois d'isto
foi tomado e pagando, e o pobre embebi-
#do n'isso; e demais fazia-se religioso, indo
todos os das casa da victina.
Um dia procurou um pretexto e
nao posso mais pagar; e demais
guei; se quizer, cite-me.
O pobre sem recurso esteve por
tempe sem saber o que fizesse ; dirigio-se
a um distincto advogado, mandou-o citar;
eis que apparecem na sala das audiencias
diversos companheiros pedindo urna espe-
ra; o que nao ctmseguiram.
Mais tarde, porm, foram elles fallar
com um outro distincto advogado, quem
o pobre nao tinha outro remedio senao ce-
der ; ficou esperando e nesta espera veio
a ameaca arma poderosa contra os fra-
908= ; mas nao foi este o motivo e siin a
vinganca que se tira dos innocentes.
Comtud# isto a victima som-er tudo;
mas far publico breve o nome extenso
deste homeni que se diz religioso. A cau-
sa corre pelo cartorio do tenente Felicis-
sime.
--------------O-------------
Aviso ao publico
Emquanto durar a Exposico Universal de
1889, os nossos leitores que se acharan em Paria
e Jque desejarem receber quaesquer noticias da
trra, podero 1er os nmeros mais recentes do
nosso jornal no escriptorio dos nossos corres-
Cjndentes, os Srs. Ainde Prince & C, 36 ra
afayette, em Paris.
Os nossos patricios podero receber a sua cor-
respondencia, peridicos, etc. etc., em casa dos
Srs. Amede Prince & C.
Outrosim, os mesmos Srs. Amede Prince 4 C,
negociantes-commissarios poem a sua casa de
compras s ordens de qualquer pessoa que dese-
jar ter urnas inforraaces. ou utilisar seu inter-
medio
menos 9.337 barricas, 421 caixas e 11.984 tinas
do que em Janeiro de 1888.
Vendeu-se de 16*5"0 17*500.
Bagres seceos4.500 e mais 18 volumes.
Banha de porco 770 barris ou menos 405 bar-
ra e 10 caixas do que em Janeiro de 1888. Ven-
deu-se de 915 937 ris o kilo.
Batatas -2.160 caixas e 300 gigos, ou mais
885 arxas e menos 30 gigos de que em Janeiro
ae 1888. Vendeu-se de 3*200 4*000 cada*
ca xa.
Biscoutos 16 caixas.
Bit ter40 caixas.
Caf-3.565 suecos ou mais 108 do que em Ja-
neiro de 1888. vendendo-se de 7* 10*000.
Canella-15 volumes.
Carnes em conserva 3 volumes.
Ceblas772 caixas ou mais 217 do que era
Janeiro de 1888. Venderam-se as caixas de 114
12*"00
Cero-ja 672 caixas e 375 barricas, regulando
as vendas por duzia de garrafas em botijas de
64 9*000.
Cevada 47 barricas
Cevadinha-30 garrafas.
Ch4-106 volumes, vendendo-se de 3* 6* o
kilo.
champagne47 volumes.
Chocolate1 volurae.
Cidra 547 volumes.
C6cos-.700.
Cognac1 caixa.
Cominbos -12 saceos, vendendo-se de 10* a
11* os 15 kilos. *
Conservas65 caixas.
Cravo 2*300 o kilo.
Ervilhas-15 volumes.
Farinha de mandioca4 028 saccas, vendendo-
se de 2*800 a 4*600.
Farinha de trigo-18 019 barricas, ou mais
11 417 barricas e menos 680 saceos do que em
Janeiro de 1888; vemlendo-se a americana de
7* a 18*, e a de Trieste e Hungra de 18* a
20*000.
Feijao-1.138 saceos ou mais 1018 do gue
em Janeiro de 1888; vendendo-se de 9* a 16*
Figos 3 volumes.
FoThas de louro-2 volumes.
Fructas-70 volumes.
Genebra123 caixas.
Gomma de mandioca25 volumes, vendendo-
se de 4*800 a 5* os 15 kilos.
Herva doce 10 volumes.
Legumes 11 volumes.
Licores 1 caixa
Maizena 1 014 caixas. '
Manteiga-1 722 e 1/2 barris e92 caixas, ou
mais 47 e 11 barris e menos 2 caixas do que em
Janeiro de 1888. Vendeu-se cada kilo : da fran-
ceza em barril, de 1*329 a 1*351, e de diversas
em latas, de 1*962 a 2*200.
Massas alimentares -250 caixas ou menos 2oJ
do que em Janeiro de 1888. Vendeu-se de 7* a
' 7*500.
Massade tomate-39 caixas.
Milho325 saceos.
Hortadellas -1 caixa.
Nozes1 volume.
Passas30 volumes, vendendo-se de 7* a 10*
por caixa."
Peixe de conserva-187 volumes.
Pimenta da India95 volumes, vendendo-se
de 1*150 a 1*200 o kilo.
Presuntos6 volumes.
Provisoes52 volumes .
Queijos697 caixas e 1 tana, ou mais 4 cai-
xas e menos 8 volumes do que em Janeiro de
1888.- Venderam-se os flamengos de 2*MW a d*.
Sag 35 volumes.
8a?-2S5 360 litios e 430 alqueires, ou mais
147 120 litros e meuos 1 470 alqueires do que
em Janeiro de 1888. Vendeu-se os 100 litros do
nacional de 500 a 700 ris.
Salpicoesl volume.
Sardinnas210 barris. '
Toucmbo-375 barris e caixa, ou mais 57
barris e 1 caixa do que em Janeiro dt 1888. Yen-
deu-se d. 11*500 a 13* os 15 kilos.
Vinagre -3 barris. ou menos 18 do que em Ja-
neiro de 1888. Vendeu-se por pipa o estran-
geiro de 133* a 140*, e o nacional de 50* a 80*.
Vinho503 pipas, 1 632 barris e 628 caifas,
ou mais 337 pipas e 1 246 barris e menos 2.549
caixas co que em Janeiro de 1888. Vendeu-se
por pipa : < oa ci 200* a 2153 ; o da
Pigueira de 2104 215* ; o nacional de 100* a
120*000
Xarnc 26 "'. ais -448 do qu<
i) por 15 k
racoes:
Salsapnrrillia de Bristol
Ptalas Vegetaes assucaradas de Bristol
Extracto e l'gueuto de Aveleira Mgica de
Bristol
Emulso de Oleo de Figado de Bacalbo da
Noruega,
com 0$ Hupopliospit tos de < al, Soda e Potassa
Oleo puro de Fijado de Bacalho, marca
LAMAN KEMP
Peitoral ale Anarahuia
Do original e legitimo perfume
Agua Florida tle Murray tt I.un 1111111
e da exquisita preparacao
Ton ir u Oriental para o tabello
Tendo registrado suas marcas industriaes e re
solvido a fazer prevalecer seus direitos ante a
lei, chamara a altiocSo dos FALSIFICADORES,
IMITADORES, e de lodo* oa qne vea-
deas imliui *<. de auavs prepara
roe* para os ?egiintes paragraphos da nova
lei sobre marcas industriaes.
O Decreto Imperial, n. 3346, de 14 de Outubro
de 1887, estabelece d seguinte :
Art. 14.Ser pur ido com as penas <1e priso
d um a seis mezes e multa em favor do Estado,
de 500* a 3:000*, amelle que:
l.-Reproduzir 04 todo ou em parte, por qual-
3uer meio, marca di? industria ou de coinniercio
evidamente registrada e publicada, sein autori-
sacao do respectivo dono ou seu legitimo repre-
sentante ;
3.Vender ou expuzer venda objectos re-
vestidos de marca all'.eia ou falsificada no todo ou
em parte -,
4.#Imitar marca de industria ou de commer-
cio de modo que poMa Iludir o comprador ;
P. i.Para que se d imitagao..........
nao necessario que a semelhanca da marca
seia completa, bastando, sejam quaes forem as
differencas, a possibilidade de erro ou con-
fuso...................................*
P. 2.*Renutar-se-ha existente a usurpaco
de nome ou firma ccmmercial. quer a reproduc-
co seja integral, quer com accrescentamen-
tos, omissOes ou alteracOes, comtanto que baja
a mesma possibilidade de erro ouoconruso do
comprador.
Art. 15.Ser puu .do com as penas de multa
de 100* 500* em favor do Estado o que:
3.Usar de niarca de industria ou de com-
mercio que contiver indicaco de localida.de
ou estabelecimento que nao seja o da prove-
niencia da mercadoria ou producto, quer a esta
indicaran esteja junto um nome supposto ou
alheio, quer nao;
Art. 18.A reincidencia ser punida com o
dobro das penas estabelecidas
Art. 19.4s referidas penas nao isentam os
delinquentes da satisfaco do daino causado,
que os prejudicados podero pedir por acco
competente.
_ Consagravo seIenIQ J nao so o publico, j nao sao ape-
nas os mdicos, mas tanibem os archivos
scientificos, os dep3sitarios mdicos, que
veem exalcar as virtudes do Peitoral de
Cambar, de Souza Soares.
Sem mais commentarios, abrimos espa-
90, hoje a duas consagrares scientififlas
que por certo, h;".(i de merecer do publico
o maior conceito ]>ela sua procedencia in-
suspeita.
Eil-as ;
Entraram mais os seguintes artigos :
Agua-raz38 volumes.
Alcatro60 barris.
* Ifafa -375 fardos.
Alpiste 40 volumes.
Alvaiade -11 barritas.
Azeite de pal na-13 volumes.
Barricas e barris va.sios-3413 e mais 425 vo-
lumes desmanchados.
Barrilha35 tatntWes.
Barro prova de fogo -50 volumes.
Borracha31 volumes.
Breu 2.381 barricas.
Cabos36 volumes.
Cal150 barricas.
Calcado-38 caixoes.
Garrapato 185 volumes.
Carvao de pcdra-5 113 toneladas.
Ceras diversas223 volumes.
Chapeos-61 volumes.
Charutos13 caixoes.
Chumbo -de munico 203 volumes, e ein can
nos 6 barricas.
Cimento 4 042 barricas.
Cobre em sulphato-8 volumes.
Courinhos e pelles 334 volumes.
Couros de boi 4 795.
Drogas e medicamentos-669 volumes.
Estanho-6 volumes
Esleirs 154 volumes.
Estopa149 volu nes.
Farello12 033 saceos,
Fenno18 fardos
Ferro -Em ac, 60 cunhetes.
Em arcos, 968 feixes.
Em barras, 5 207 e 340 feixes.
Em canos;616 e mais 29 volumes.
Em correntes, 5 barricas.
Em enxudas, 234 barricas.
Em ferragens diversas, 1.184 volumes.
Em foges, fogareiros e chapas para elles, 717
volumes e pecas.
Em folhas, 104.
Em folhas de Flandres, 115 cunhetes.
Galvanisado, 240 volumes.
Em ps, 92 feixes.
Em pregos. 494 volumes.
Em rodas, 2 pare i.
Em trilhos, ^68.
Era machinas e apparelhos diversos, 570 volu-
mes.
Fio206 volumes.
Fumo308 volumes.
Garrafas, farrafoes, etc. 1 136 volumes e
1.001 avulsos. ^
Graixa100 pipas, 3 barris, 3 caixas c 4 000
kilos em bexigas.
Jangadas, canoas, etc.10.
KeroscBe27600 caixas e 4 barris.
L barriguda46 volumes.
Linhas82 caixoes.
Lona 1 fardo.
Louca460 volumes.
Madeiras8 prancnOes, 149 travs, 112 taboas,
260 enxameis, 400 ateos, 4 700 toro! de mangue,
1 434 pedacus diversos e 39 333 ps.
Marmores e pedras 61 volumes e mais 300
pedras de amollar.
Merradorias diversos1-107 volumes.
Movis16 volume.
Oleo 99volumef.
Papel-35 caixas e 4 636 pacotes e fardos.
Peonas de aves 1 caixa
PerfumarasIOS volumes
Phosphoros516 caixoes.
Pianos10 volumes. .
Piassava2ll vo-omes.
Piche5 barris.
Pipas vasias781
Plvora 1 100 barris.
Saceos vasios1 firdo.
Salitre 40 barras.
Sebo-365 barris.
Sola 662 meios e 2 volumes.
Tecidos diversos -I 126 volumes e mais 1 177
fardos de algodSo do paiz.
Tijolos12.704.
Tintas-300 volunes.
Trapos2 fardo.
Vellas-110 volumes.
Vidros182 volumes.
Zarcao 8volume.
Zinco- 2 volumes e mais 8 caixas com tomas
e 15 barrigas pom pregos.
Revista do Mercado
... Sera nos reerirmoe ao Cambar-
tinga, Lantana veosana ao cha de pe-
destre, Lantona pseudotha, St. H1., de
reconhecidos effeits na medicina cfioies
tica, apontaremos Cambar verdadeiio,
Vernonia polyantges. Len, o qual por
sua aejao qualidados demulcentes e
balsmicas daquellas outr.as, rene a de
ser ao meaino tcinpo expectorante deven-
do por isso ser aproveitado no tvatamento
das bronchites, e nomcadamente trpida.............................
t Bem avisado andou o Sr. J. A. de
Souza Soares, Pelotas, preparando, com
essa especie, o seu Peitoral de < ambara,
que tive occasio de examinar ecom
pleno conheciraentoaconselho o seu uso
com a maior confianca.
(Do Formulario Internacional do Dr.
Pires de Almeida)
... O PEITORAL DE CAMBARA;
apresenta um bell*f aspecto, possue cheiro
e sabor agrada vais, qualidades que, s
por si, j sao de grande- valor.
a Quanto s suas propriedades thera-
peuticas, dizem os ttestados mdicos qne
o acompanham que silo preciosas as atfe-
ccoes broncho-pulmonare, pela sua accao
emoliente, balsmica c expectorante, qua-
lidades sem questao apreciaveis as
ccSes catarrhaea, o que Justifica a nomea-
da adquirida pelo preparado, cujo hist-
rico acabamos de fazer..........
Como planta nossa que o cambar
tem direito a oceupar a attencSo dos que
se dedicam no estudo da flora brasilcira
e como no preparados do Sr1, Jos Alves
de Souza Soares encontram-se reunidas
excellenteB qualidades officinaes e organo-
lpticas, alm de valiosos atteetados medi.
eos, julgamol-o digno de nossa confianca
e merecedor da attenco dos nossos Ilus-
trados collegas aos quaes cominunicare-
mos posteriormente os resultados das ob-
servacSes pessoaes que sobre elle fizer-
mos. '
(Da Uniao Medica do Rio de Janeire).
OS AGENTES
Francisco Hinoel da %i\\.\ il C.
Pernambucu
Ra Mrquez de Olinda n. 23.
Programma
da renta da Aaaoclarao dow Eapre-
gados ao Comnerrio de i"-rnum-
Uik o. ulemniaatlva do 3* anni-
verMarto de Nua Inwlallaco.
A's 5 horas da tarde, de domingo, 10 d'este
mez, nos vastos salOes do GabinHe Portuguez
de Leitura. estando presentes os Exms. Srs. pre-
sidente da provincia, general commandanre das
armas, diversas autoridades, cominissoes de
varias sociedades e convidados, ser aberta a
sesso iitteraria pelo Sr. presidente da directo-
ra. .
N'essa occasiao tocar a msica do corpo de
polica, que alli se achara em grande unilorme,
os hymnos nacional e portuguez.
Offerecida a palavra ao orada- da Associaco,
far o histrico d'ella.
Seguir-se-ho na tribuna oslillustres oradores
das eQoWBUtOea presentes, offerecendo-se a pa-
lavra a cada un d'ees, na ordem em que se
acharen] inscriptos no livro de honra, que, para
esse fim eotar em poder Ja commissao res-
pectiva.
Esgotado o numero dos oradores inscriptos,
ser offerecida a palavra a quem queira u'ella
se utilisar.
A proporejio que ps oradores forem descendo
da tribuna, ser executada pela banda musical
urna peca de seu 'extenso repertorio.
.A lachada do Gabinete conservar-se-ha com-
pletamente Iluminada, e a entrada e sales
sumptuosamente ornados.
A sede da Assooiaco tambera estar illumi
nada ras noites de sachado* domingo
Tendo Ss. Excs. 6s Srs. presidente da provin-
cia e general cominandaute das armas, proiuet-
tido Iwnrar a sesso com suas presencas. so
U.r comeco a sesso depois que Ss. Excs. tive
rem dado entrada nos sales.
a' porta da entrada achar-se-ha postada una
commissao para receber Ss. Excs., as Exilias,
senhoras, commissOes e conviilados.
A' todos os Srs. associados permittida a en-
trada, independente de convite e sao em geral
convidados
Todos os conviles feitos para a sesso de 20
de Janeiro prximo passado, tem inteira acei-
taco.
Secretaria da directora da Associaco dos
EmnreaMlos no Commercio de PernamDuco, 7
de Fevefciro de 1889.
Augusto da Silva,
i' secretario.
*-'rs. redactores do Diario de Pernainbuco.Na
noticia que Vv. Ss. deram na Revista Diaria de
hoje com referencia ao comeco de incendio, que
liouve n ra Nova de Santa Rita, ha inexactiduo.
iffe- i porquanto 0 comeco do incendio teve lugar no
trillado que existe nos fundos da cisa n. 27, que
uo me pertence, e nao n. 31, como dizem. e
ncn l existiam cavacos.
Vicente Alves Machino.
Bolsa
JTAg0ES OFFICIAES DA JUNTA D08 COR-
RETONES
Recife, 9 de Fevereiro de J889
Cambio sobre Babia, 60 d/v. com 1 3/4 0 0 de
descont,
i^mbio sobre Londres, 90 d,v. 27 1/2 d. por U,
do banco
O presidente,
Candido G. Icoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
c iinluo
O movimento foi diminuto, sendo a taxa 27
1/2 bancario e 27 11 10 particular.
O mercado fechou linne.
No Rio nao houve altenigJo, continuando as
cotacoes, como honteui, a 27 1/2 bancario e 27
11/16 particular.
I
TABELLAS
AFFIXADA8
-O
3.
=
rs
f

i

t
1
a a
i S

2
I E
30
i: X
1
3


S
3

1.
5 S8

i
s

i-i



00
s
8 S
I I
8

Cota-se o de 1'
kilos.
Alcodio
sorte do serto a 6300 por lo
A exportacao, feita pela alfandega neste mez
at o da 7 subi a 115.731 kilos, sendo 40.764
para o exterior e 74.967 para o interior.
As entradas verificadas at a data de hoje, so-
bem a 50.280 saccas, sendo por:
Barcacas.
Vapores .....
Ananaes.....
Via-ferrea de Careara.
Via-ferreade S. Francisco.
Via-ferrea deLimoeiro
Somma.
490 Saccas
162
2.322
604 .
419 .
2.328 .
6.323 Saccas

Assuear
Os prerotj paros ao agricultor, por i' kilos, se-
uudarf Associago Commercial Agrcola, foram
os seguintes:
Brancos..... 2M00 a 3000
Someno..... 1*800 a U900
Mascavado purgado 1*300 a 1*400
bruto. 1*100 a 1*160
Rtame H00 a l*00f
RgCTEE,
fev:reiro di
,oa9i nullo
etrartua transare;.):s no mt

Programma da festa de \ossa
Weuhora do Livramciito na
poToaco da Varxea.
Ao alvorecer do dia 10 do correte, urna salva
de 21 tiros, acompunhada de grande numero de
girndolas' de logeles, an(ranciar aos fiis que
chegado o dia da festa da Exadsa Senhora do
Livrainento.
A festa principiar s 11 horas, tocando an-
tes e depois a pliilarmonica 17 de Julho, e da
sociedade musical 13 de Maio (capugueuse) a
qual a convite do um dos socios morador nesta
freguezia, dignou-se abrilhantar a festividade.
o terminar a festa subirfto ao ar diversos
aerstatos acompanhados de urna salva real e
muitas girndolas.
A' trele as phiiarmonicas tocarlo no adro da
igreja as mais importantes pecas de sens reper-
torios, que estar todo embandeirado e garbo-
samente adornado.
AS 4 1,1 horas da tardetero comcro|os diver-
timentos populares e entre elles apreseotar-se-
ha ao publico o conhecidodaQsarino Joaquim
Pendahyba, o qual veio especialmente do Cabo
para tornar mais divetida a tarde deste dia,
cora suas mmicas, sortes. datisa de corda &.
A's 3 1/2 horas ser arreada a bapdeira.
as 6 horas subin'i um aeros ato de forma in-
teiramente nova, acompanbado de urna salva e
diversas girndolas.
A' noite o adro da capella estar explendida-
mente Iluminado a giorno.
A's 7 1/2 ser cantada urna ladainha, e ao ter-
minar subiro alguns aerstatos e finalmente
ser queimado u;u lindo fogo artificial.
Porque me siulo cu t;lo ntlse-
ravcl?
TSo fraco e to lnguido ? Qual ser a
causa de tal azia e dores de estomago, de
tal acrimonia e de tal sabor desagradavel
na bocea? Porque ser que algumas ve-
zes sinto um appeti^e devorador e depois
um dissabor tai por tocias, as com
Porque que o mu animo 6 tao freqente-
mente irritavel, desesperado, melanclico
e abatido ? Porque que s vezes nos per-
suadimos de. algum perigo imaginario e
nos amedrenta qualquer rumor inexpera-
do, tornando-nos agitados como se urna
grande calaminade estivesse imminente?
O que signficara estas desgradaveis nio-
lancolicas dores de cabera; estas palpita-
res violentas do coracSo, este oVesacego
febril, estes suores nocturnos ; este inquie-
to e imaginativo somno que nao nos d re-
pouso refrigerante, mas apenas lamenta-
53es c palavras inarticuladas e os horrores
do pesadelo ? A resposta : Estes sao
apenas os symptomas da indigestao ou
dyspepsia, o comeco e prognostico de quasi
todas as doen^as humanas. Indigestao a
fraqueza ou falta de poder dos fluidos di-
gestivos do estomago para converter o
alimento em substancia saudavcl para o
proprio alimento do corpo. E' causada a
maior parte das vezes pela irregularida-
de de dieta ou alimento improprio, falta
de exercicio saudavel e ar livre puro.
Pode ser derivada por affliccXo mental, o
choque de alguma grande calamidade.
Tambera pode ser, e umitas vezes a,-
gravada e intensificada, se nSo c origina-
da por fraqueza consequen te de applica-
ran mental intensa, demasiado trabalho
Iphysico, apoquentaees domesticas, ancie-
dade em negocios, ou difcldades tiuan-
eeiras. Se o estomago pudesso conservar-
se sempre em ordem, nao seria a morte
jamis um assumpto de terrivel aneiedade
tanto para os novos como para os adultos,
mas sim seria contemplada como visita de
um amigo que se esperava ao findar urna
idade feliz e pacifica. Oomtudo, o primei-
ro invasor hostil no dominio da saudc
felicidade a indigestao.
Ha por ventura algum alivio, algum re-
medio, alguma cura 'i E' esto a pergunta
que faz o infeliz padecente de dyspepsia.
O que se requer urna medicina que re-
nove completamente o estomago, entra/
alias, figado e rins, e qe preste assisten-
cia pronipta e efficaz acs orgaos digesti-
vos, e que restitua aos systemas nervoso
e muscular a sua energia original.
Tal medicina felizmente pode obter-se.
Nunca na historiare descoberta* medicas,
cono o evidencia a prova de urna duzia
de annos, so encontreu remedio contra in-
digestao tao rpido, tao seguro e tao sur-
prehendente nos seus resultado. como o
xarope curativo da MSi Seigel, poretu hoje
ura reuiedio raodello para aquella afflic-
5o quasi que universal em todos ou pai-
civI5ado8 da Europa, Asi, frica e Ame-
rica. Pblicos te8temunhos e cartas parti-
culares de officiaes do exercito, banquei-
ros, negociantes, cajiitaes de navio* me-
chanicos, lavradore e sua mulheres e ti-
lhas, todos confirmam os seus poderes cu-
rativos.
Acha-se venda em todas as boticas,
lojas de medicina em toda a parte do mun-
do e em casa dos proprietarios A. J. Whi-
sina Pinto:
Branco 1*
a*
Someno .
Mascavado .
2*400
2 300
M700
140
A exportacao, feita pela alfandega neste nvz at
odia 7, attiiitfio a 2.417.232 kilos, seiido 924.9112
para o exterior e 1.492.260 1,2 para o iuterior.
As entradas verificadas at a data de hoje
bem a 30.280 saccas. sendo por :
so-
Barcacas
Vapores......
Amases.....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limociro
Somma.
21.314 Saceos
arria
&C.
Depositarios na provincia d
co por atacado: Francisco M,
C. na provincia de Pernambuco.
Vendedores a retalho, na cidade
Pernambuco,. Bartholomeu & C, J.
Levy & C., A, M. Veras & C, Rouquay-
rol Freres, Faria Sobrinho & C. e T. S.
Silva: em Palmares, A. C de Aguiar; &
em S. Joao da*Igreja Nova, J. A. da Cos-
ta e Silva.
de
C.
Agradecimento
O abaixo assiguado, penhorado pelo modo bri-
lhaiite cora que o Sr. Dr. Laurindo de Moraes Pi-
nheiro acudi ao seu appello feito ltimamente
em publico, vem agradecer, do alto da imprensa,
a sua generosidade.
Agradece igualmente aos Srs. Dr. Silvino Ca-
valcante e commendador Francisco Jacintho de
Sampaio o auxilio valioso que llie teem prestado.
Virissimo Barbosa de Souza.
3.38'>
3.531
?7.616
4439
32.280 Saceos
Coiiro*
Cota-se a 383 ris, nominal os salgados.
Agurdente
Ultimas vendas, 83*000, por pipa de 48 1 li-
tros.
Aleool
Ultimas vendas, 150*000 por pipa de 480 li-
tros.
, Mel
Cota-se nominal, a 30*000 por pipi de 480 li-
tros.
de maudfoea
vendidos cerca de
3.000
Farinha
Antehontem forara
saccas a 4*600.
Deposito reduzido; os possuidores pedem
3*000.
Paula da alfandega
SEMANA 1 11 A lt)DE FBVBREIR UE 1889
Assucar refinado (kilo) ,
ssucar branco (kilo) .
ssucar mascavado (kilo) .
Aleool (litro)......
Arroz cora casca (kilo) .
Algodo (kilo) ......
Aguardeute.......
Borracha (tilo).....
Couros seceos salgados (kilo) .
Couros seceos espichados (kilo) .
Couros verdes (kilo) .,. .
Cacao (kilo) .
Caf bom (kilo) .....
Caf restolho (kilo) ....
achaca (litro)......
Carnauba kilo).....
I arceos de algodSo (kilo) .
Carvo de pedra de Cardi* (ton.)
Farinha de mandioca (litro) .
Folhas de ial>orandv (kilo/ .
Genebra (litro).....
Mel (litro)......_
Milho (kilo......
Pao Brasil (kilo) .
Taboados de amarello duzia)
2 0
166
80
280
30
va
140
800
334
410
192
400
330
330
80
260
16
16*000
40
300
200
70
60
.13
100*000
, A'avio a earga
Barca portugueza Xovo Silencio, para o Porto.
Barca americana Olive, para Liverpool.
Patacho ingles Ptggie, para Mentevido.
Aavios desearga
Barca norueguense Frida, carvio.^
Barca norueguense Frilhyof, carvo.
Barca americana J. F. Rottman, carvio.
Barca ingleza Sabrma, farello.
Barca portugueza Tentadora, kerosene.
Barca norueguense Ccler, carvao.
Barca sueca Augusta, carvr.
Brigue sueco Pepita, carvo.
Brijue norueguense Berilio, carvo.
Escuna ingleza Emullo,: bacalho.
Lugar nacional Marinlio VII, Carvo.
Lugar norueguense ranina, farello.
Lugar inglez May Cory, bacalho.
Lagar inglez Stetla, bacalho.
Vapor inglez Chiliim, carvao.
importaeo
Vapor inglez Chutan, entrado de Cardiff em 8
do corrate e consignado a Wilson Sons & C,
uianifi-
Carvao de pedra 2,30" toneladas aos CQnaig-
:hia reraamhucapa, man
Compa-
Igodo em rama B saccas. Arroz de casca
181 saceos.
Couros seceos salgados 110.
Pelles de cabra 13 atados.
Sola 174 meios urtera.
Vapor nacional Mandah, entrado de Aracaj
e escala em igual data e consignado a Compa-
nliia Pernainbi eana, iiiaiifeslou.
Panno de algodo 4 fardos a diversos. ,

Eiportaeao
RKC.IKB 8 DE rfcVEHElBO DE 1889
Para o exterior
No vapor inglez Porhienue, carregaram :
Para Liverpool, J. PaterasC. 2,160 saccas com
147 499 kilos de algodo.
So vapor francez Ville de Cear, carregou :
ara o Havre, A. Labille M saccas com 3,887
kilos de algodo.
Na barca americana Olive, carregaram :
Para N'ew-York, J. S. Loro 4 Filho i .044 saceos
cora 78.3UO kilos de assucar mascavado; F. Cas-
co & Filho 1,000 saceos 'cora 73,000 kilos de
assucar mascavado.
Na barca portugueza Novo Silencio, carre-
garam :
Para o Porto, Maia 4 Rezende 206 couros sal-
gados com 2,472 kilos ; H. Oliveira 3 barrieas
com 103 kilos de assucar branco e 1 dita com
100 ditos de dito mascavado.
rara interior
No vapor francez VUIk de Pernambuco, car-
regou :
Para dantos, A. Labille 300 saecos cora 18,000
kilos de assucar branco e 1,700 ditos com 102,000
ditos de dito mascavado.
No vapor americano Allianea carrega-
ram :
Para Santos, P. Carneiro 4 C. 1,230 saceos
com "5,000 kilos de assucar branco.
Para Rio de Janeiro, P. Carneiro 4 C. 230
saceos com 13,000 kilos de assucar branco ; A.
Cesar da Silva 20 pipas com 9,600 litros de
agurdente ; B. Oliveira 4 C. 30 pipas com
14,400 litros de agurdente.
No hiate nacional Deus te Salce, carre-
garam :
Para Aracaty, P. Pinto 4 C. 28 barris com
1,920 litros deinel; H. Oliveira 40 saceos com
1,800 kilos de milho; J. L- dos Reis Ferreira 700
saceos com farinha de mandioca ; F. Mascare-
nhas 1,000 saceos com farinha de mandioca ;
Fernandes & Irmo 10 saceos com 600 kilos de
milho.
No hiate nacional D. Antonia, carrega
ram:
Para Macio, M. Amoriin 1,400 saceos
farinha de mandioca ; Fernandes 4 Irmo
saceos com farinha de mandioca.
Hippodromo do Campo
Grande
Para os tres grandes e esplendidos bailes de
mascaras que se bao de realisar nos dias :, 4 e 3
de Marco prximo vindouro, acha-'se aberta urna
a'ssignatura para os tres dias com passe de ida
e volta no trem, pela bagatella de 45 : aspes
soas que queiran assignar podem dirigir-se ao
abaixo assigoado ou nos lugares abaiso mencio-
nados.
Roa do Rangel n. 38.
Ra Larga do Rosario n. 8.
Ra do Cabug n. 2 D.
Praca da Independencia n. 20.
Duque de axias n. 39.
Encadernacfio de J. M. de Miranda.
Havera trem de raeia em raeia hora ou raars se
forera precisos, a condueco ser fcil e satis-
fatoria.
H-i larabem um grande sortimento de rsupaa
de todas as epochas e por lodos os pregos.
A assignatura fecha-se no dia 16 do correte.
Heclfe, 8 de Fevereiro de 1889.
Manhoncn.
EDITAES
O Dr. Thoraaz Garcez Paranhos Monte-
negro, commendador da imperial orden'
da Rosa, juiz de direito da vara especial-
do commercio da cidade do Recife e seu
termo, por Sua Magestade Imperial, a
quera 'Deas guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem oa
delle noticia t;verem, que por parle de Francis-
co Carneiro Rodrigues ampetlo foi dirigida a
este juizo a petico do theor seguinte :
Illin. Sr. Dr juiz substituto do commercio.
Francisco Carneiro Rudrigues Campello cre-
dor de Antonio Netto Carneiro LeSo e Braz 01a-
vo Carneiro Leo, pela importancia de 3:74^*460,
alm de juros, que est declarada .:a lettra jun-
ta, aceita pelos dous referidos devedores a Joo
i'arneiro LeSo, o qual transferio dita letra ae
snpplicante era pagamento de debito seu.
E como este titulo fosse aceito em 8 de Feve-
niro de 1883, estando portantoa prescreverpr-
ximamente, quer o supplicante interroraper a
prescripeo, e para isso requer a V. S. que se
diine mandar favrar o competente termo de in-
terrupeo, peda qual o supplicante protesta, in-
timando-se o inesmo termo aos supplicados por
meio de editaes, visto que se ai nam elles em
lugar ncerto e nao sabido. O supplicante jus-
Mcrradu Municipal de *i. Jun
O movimento deste mercado no dia 8 de Fe-
fereiro foi o seguinte:
Entraram :
16 bois pesando 2,043 kilos.
921 kilos de peixe a 20 ris 181424
4o cargas de farinha a 200 ris 8*000
6 ditas de fructas diversas a 300
ris 1*800
12 taboleiros a 200 ris 24400
10 sunos a 200 ris 2*000
17 matulos com legumes a 200 ris 3*400
Foram oceupados:
26 1/2 columnas a 600 ris 15*900
1 escriptorio a 300 ris 300
26 compartimentos de farinha a 300
ris 13*000
23 ditos de comidas a 300 ris 12*500
88 ditos de legumes a 400 ria 35*200
19 ditos de sumos a 700 ris 13*300
9 ditos de fressuras a 600 ris 5*400
:ti tallins a2 68*000
Rendimentos dos das 1 a 7 do cor-
rente
199*620
1:491*940
1:691*560
cora
100
Rendimentos publieos
HEZ DE FEVERUBO
Renda geral:
Do dia 1 a 8
dem de 9
Alfandega
233:809*320
63:2*2*076
Renda provincial
Do dia 1 a 8
dem de 9
28:228*827
6:452*074
297:031*396
34:681*401
Fernando
Sult.........
-antos e esc.
Southampton.
Norte........
Sul..........
Norte........
Somma total 331:712*997
Segunda seceo da Alfandega, 9 de Fevereiro
de 1889.
SthesoureiroFleijeneio Domingues.
chefe da seccioCicero B. de Mello.
Recebedoria
Do dia 1 a 8 11641*015
dem de 9 727*098
eral
12:368*113
Recebedoria provincial
Dodiala8 2:371*833
dem de 9 355*734
________l_
-2:77:67
Recife Drainage
Do dia 1 a 8
.03*972
Foi arrecadado liquido at hoje
Preces de dia:
Carne verde de 400 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 800 reis dem.
Suinos de 560 a 640 reis dem.
Farinha de 400 a 480 reis a cuia.
Milho de 320 a 400 reis dem.
r>;:So de 900 a 1*20 j dem.
- Matadouro publico
Neste estabelecimento foi ara abatidas para o
consumo de hoje 81 rezes pertenceates a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE KEVKHUIKO
Europa...... VUle de Pernambuco 10
8nl........... Ville de Cear..... 10
Europa....... Potos*............. 10
Norte......... Para.............. 13 '
Europa....... Argentina.......v 14
Europa....... Neva............. 15 -
Sul........... Elbe.............. 17
8ul........... logos.:......... 17
Norte......... Mandos........... 24
Sul........... Pernambuco....... 27
Vapores a sabir
HEZ DE FEVEREIRO
Valparaso ... Potos............. 10 as
Havre e esc.. Ville de Cear...... 11 as
Aracaj e esc. Jacuhype.......... 11 as
Santos e esc Ville de Pernambuco 11 as
Jaguaribe......... 12 as
Para.............13 as
Argentina......... 15 as
Elbe.............. 17 as
Alagos........:.. 18 as
Manos............23 as
Pernambuco....... 28 as
11 h.
4h.
5 h.
4 h.
12 h.
5h.
4 b.
4 h.
5h.
5h.
5fi.
novmento do porto
2favio$ entrados no di'aJ9
Terra Nova 44 das, lugar inglez Pride of The
Chame!, de 175 toneladas, capito George Pi-
per, equipagem 7, carga bacalho; a Johnston
Pelotas e escala19 dias, vapor inglez Cometa,
de 718 toneladas, commandante D. W. Jones,
equipagem 28, carga varios gneros; a Perei-
ra Carneiro C.
Buenos-Ayres e Montevideo 21 dias, vapor in-
glez Wexford, de 1,354 toneladas, esmman-
aante John Ormistow, equipagem 29," carga
varios gneros; a Browas & C.
Naviai sahidos no mesmo dia
Santos e escala -Vapor americano Allianea, com-
mandante James R. Beers; carga varios gene-
ros.
Buenos-AvresEscuna argentina Ramona, eapi-
to Henry Jenkin ; carga varios gener
Barbados Barca norueguen> to
s. L. Johnston ; em lastro.
Barbados''arca ingleza i
Jehu T Olff'
V-,
I
k
k

<
-
i I


I
'f
1
i
%

i
I
7
v
*
de PernambucoDojango 10 de Fevereiro de 1889
mammm
'o ali hora que V. S. d*-
luer tambera i V. S. que feita a de-
Bacao. seja-lhe entregue a letra junta,
o~m plente copia uo* nulos,
naos podo aeferknento. Js. R- Mo"'.
iro de 18*JO advogado,
I. Martins Jnior.
(Sellada lejialraente): na qual foi proferido d
despacho do theor seguinte:
Como requer. O escrivo desijrne dia. Roci
fe, 3'i de Janeiro do I88U. Jos l'ornambuco.
Depois do que, sendo a inestna petico distri-
buida ao esenvan do prifficiro ollicio, este fez la-
vraro termo de protesto do tlieor seguinte:
Aos 30 do Janeiro de 188>, nesta cidade do
Recifo, ciii iihmi cartorio. comparerou o suppti-
cante por seu advogado Dr. Jos Izidoro Martins
Jnior, que ante iiiim e as lesteiuuullag infra as-
signadas, disse reduzta a termo de protesto para
interruprio do prescripcSo o rontodo de sua
petico retro que tica fazeudo parte integrante
do presente, a fin de ser intimado aos supplica
dos pare' os dovidos elTeitos.
E de como assim o disse o protcstou lavro es
te termo, era que asigna cora as testemunhas
depois de litio.
Eu, Manool Iones de Carvallio Chaves, escrc-
vente juramentado, escrevi.
E eu. Jos Frankhn de Alencar Lima, escri-
vao, o liz lavrar e subacrevo. Jos Izidoro Mar-
tins Jnior, l'althazar Josj} dos Reis Filho, Vi-
cente Goncalves de Lima.
Segundo contiuha dito termo de protesto, ten-
do o supplicante produzulo a justificac&o retom-
mendada pela lei, o rc3iclivo escrivo me foz
os aotos conclusos, nos quaes proferi a senteiua
do theor seguinte:
Vistos. Jul^'o procedente a justicacSo. Ex-
pecan se os editaes pedidos com o prazo de <
dias. Custas ex-causa. Recite. 7 de Fevereiro
(le 1889. Tilomas Garcez Prannos Montenegro.
Segundo coatinha dita luinha sentenca, em
virtude da qual o respectivo escrivao fez passar
o presente edital, por cujo theor chamo, cito e
nei por intimado os justificados Antonio Netto
Garneiro Leoe Bru lavo Carneiro Leao, para
que no prazo de 30 dias, contados da data da
publicacio deste, comparecam ante este juizo
atim de allegarem o que for a bem de seus di-
reitos.
E para que chegue ao "conhecimento de todos
se passou o presente, que ser publicado pela
inpreosa, e outro de igual theor afixado no lu-
gar do costume. Dado e passado nesta cidade
do Ret fe de Peruambuco, aos 7 dias.de Feverei-
ro do anuo de Josso Senhor Jess Christo de
1889.
Eu, Jos Franklin de Alencar Lima. subscrevo.
Thomaz Garrez Paranlios Montenegro.
Presidencia
* seccSo.Secretaria da
de Pernambuco, em 7 de Janeiro de 1889.
Faco publico, de orden do Exm. Sr.
Dr. presidente da provincia, que se acha
aberta a concurrencia para o emprestimo
externo de 8,600:000^ (oito mil e seis-
centos contos de ris), autorisado pela iei
provincial n. 1,927 de 15 de Novembro
findo, com o praso de quarenta e cinco
dias, a contar da data da primeira publi-
cac&o do presente, para o recebimento
das respectivas propostas, que serao apre-
sentadfis nesta secretaria, em cartas fecha-
das.
Estas serao abertas pelo mesmo Exm
Sr s 12 horas do dia, em que expirar o
praso tixado, com os proponentes presentes
Nos termos da referida lei, o emprestimo
3era de quantia que produsa a predita impor-
tancia de 8,60:OOOi5 (oito mil e seiscen-
tos contos de ris) liquida, a ser applicada
ao resgate da divida da provincia, funda-
da em apolices de juros animaos de 7 0i
(sete por cento), com excepcSo daquellas
que tenhain sido emittidas por enipresti-
mos a companhias ou a particulares, como
auxilio agrcola ou industrial, bem como
para liquidacao dos exercicios de 1886 a
1887 e 1887 a 1888.
A taxa da einisslo nao ser inferior a
92 (noventa e dous) livre de commissao
e o juro nao exceder de 5 "j0 (cinco por
cento) alm da qota de amortisacao, que
alo ser superior a 1 i (um por1 cento), i
sendo esta e aquelle sansfeitos semestral-
mente.
O secretario,interino, Manad Joaquim
Sveira.
i*. Seccao.Secretaria da Presidencia de Per-
uambuco, em 8 de Fevereiro de 1889.
De orderu do Exm. Sr. presidente da provincia,
de conformidade com o art. 157 do regulamen-
to annexo ao decreto n. 9420 de 28 do Abril de
1685, faco publico o edital abaixo transcripto
pondo era concurso, com o prazo do. 30 dias, os
officios do 2." tabelliao e annexos do termo de
S. Jos do Egypto.
0 secretario interino,
Manoel Joaquim Sveira
O Dr. Pedro Jorge de Souza, juiz municipal e
de orphaos, dos termos reunidos, Afogados e S.
. Jos do Egypto, d esta comarca de Ingazeira, da
provincia de Pernanibuco, por S. Alteza a Prin-
ceza Imperial Regente, a quem Deus guarde,
etc.
Faco saber aos que o presente edital virem ou
d'clle noticia tiverem, que est aborto o concurso
durante 30 dias. a contar de 28 d'este mez (Ja-
neiro) a 26 de Fevereiro prximo para quem pre-
tender o proviinento dos officios do 2. tabelliao
e annexos do termo de S. Jos do Egypto.
Assim, pois quem pretender apresente-se no
Srazo instraindo se nos termos do art. 14 l." do
ecreto n. 810 do decreto n. 817 de 30 de Agosto
-de 18f>, de accordo com o art. 3 do decreto n.
4.68 de 5 de Janeiro de 1871. regulamento a que
se refere o decreto n. 9.420 de 28 de Abril de
1885, e mais leis coocernentes ao provimento.
E para isto mandei passar o presente edital.
Dado e passado n'esta villa de Afogados aos 22
de Janeirojde 1889.
Eu Miguel de Queiroz Aniaral, escrivo o subs-
crevi.Pedro Jorge de Souza.
Eu official de justica e porteiro d'este audito-
rio abaixo nomeado certifico que aflixei hoje na
porta da gruja matriz d'esta viHa de S. Jos do
gypto, lugar do costume de se aftixar editaes, e
mais publico o edital datado de 22 de Janeiro
correntswssignado pelo Dr. Pedro Jorje de Sou-
za, juiz municipal e de orphaos d'este termo, pelo
qual poe em concurso o i.' tabellionato e officios
annexos d'este mesmo termo de S. Jos do Egyp
to e por ser verdade dou f, e passo a presente
eertidao.
S. Jos do Egypto, 28 de Janeiro de 1889.0
official de ustiyae porteiro do auditorio, Agosti-
nno Alvos Fcitosa.
nliecimento dos rjepectivos > tes
de accordo com a rolajao abaixo, dar-se;ha prin-
cipio nesta repart "So, no espaco de 30 dias uteis,
contados de 4 de Fevereiro prximo a cobtanca,
livre de multa, das animidades e mais servicos
da Recile Drajnag.; Company, relativa ao 2 se-
mestre do exercicio findo de 1888.
Recebedoria Provincial de Ternambuco, 30 de
Janeiro de 18-9.
Francisco Amynthas de Carvallio Moura.
Helaran a que se refere o edital mpra
Pregosla do Recife
Ras :Mrquez de Olinda, Rom Jess. Alva-
res CabraL Goinm-m-co, Rispo Sardinha, Torres,
Thom do Souza. H. Maria do Souza, Vigario Te-
norio, Brrelo de Menezes, Mariz e Barros, Bur-
gos, Amorim, Moc la, Tuyuy, Couipanhia Per-
nambucaiia, Madre de Deus, Domingos Jos Mar-
tins. Mscate. Rostaurago, D. Maria Cesar, Vis-
cOnde de Itaparic; Pliarol, Areal. S. Jorge, Vi-
tal ue Oliveira, Guararapos e Barao do Trium-
pho.
Pracas : Assembla. (iliaco e Pedro I.
Travessas :Vigario Madre de Dous, Cam-
pello, Domingos Jos Martins. Corpo Santo, An-
tigo Porto, Bom Jess, Apollo, Anal, l'ara a
Fundicao, Occidente, Guararapos e Praga Pe-
dro I.
Largos :Alfandega, Corpo Santo e Assem-
bla.
Rceos: Abren, Noronha, Largo, Pindoba.
Tapado e Paschoaf.
Caos: (^impaiiiua, Brumo Apollo. .
Frogiiozia de Santo Antonio
Ras :Imperador, Primeiro di Margo, Duque
de Caxias, Cahug. RurQo da Victoria, Triiu-hei-
ras, Larangeiras, Larga do Rosario, Estroita do
Rosario, Francisco Jaciutbo, JuAo lo Rogo, liba
do Carvalho, ConsolMoiro Pirrlti, Nelto de Mon-
donga, Major Agostiiibo Bezerra, Vinle o Oito del
SeoniUro. Santo Amaro, Pedro Ivo, Mathias d
Albuquerque, P.iz, Paulino Cmara. Fogo, Livra-
mento, Ponlia. Viscondc de Inhaama, Pedro Af-
fonso. Nova da Praia, Marcilto Dias, Henrique
Dias, Lomas Valentinas, Coronel Suassuna, San-
ta Tnereza, Vinte e Quatro de Maio, Palma, Mar-
Suez do Herval, Cadeia Nova e Barao de Villa
ella
Largos:Paraso, Carmo, Penha, S. Pedro e
Hraceta.
Travessas :Queirnado, Cruzes, Mrquez do
Recife, Bella, CaTabougo, Matriz, Flores, Carmo,
Bomba, Livramento, Arsenal, 1* e 2* da Praia,
Carcereiro, S. Pedro, ViracSo, Lobato, FalcSo,
Pocinho e Concordia.
Boccos :Bella, Calabouco, Matriz, 1, i e 3
da Gamboa. FalcSo, Io e 2o da Cadeia Nova.
, Praga :Pedro II.
Caes :Vinte e Dous de Novembro.
Campo :Princeza.
Fregueraa de S. Jos
Ras :-Marrillo lias. Lomas Valentinas. Co-
ronel Suassuna, S. Joo, Felippe CamarSo, Mr-
quez do Herval, Vinte e Quatro de Maio, Dias
ardoso, Passo da Patria, Padre Nobrega, Victo-
ria, Cadeia Nova, Vidal de Negreiros, Frei Hen-
rique, Dique, Assumpgao, Domingos Theotonio,
Padre Floriano, Christovo Colombo, Jardim,
Forte, Antonio Henrique, Nogueira, Santa Ceci-
lia, Santa Rita, Padre Muniz, Praia de Sania Ri-
la, S. Jos, Pescadores, Praia do Forte, Ypiran-
ga. Imperial e Luiz de Mondonga.
Travisas : Marlyrios, Ramos, Pocinho, Cal-
deireiro, Gaz, Matriz, Forte, Prata, Serigado, Co-
piares Nova de Santa Rita, Praia do Forte, S.
Jos, Peixoto e Lima.
Beccos : Palma, Caldeireiro, Gaz, Assump-
eSo, Nova de Santa Rita e Matriz.
Largos : Forte e Mercado.
Freguezia da Boa-Vista
Ras :Imperatriz, Conceigo, Visconde de
Pelotas, Tambi, Viscondc de Albuquerque. Au-
rora, Capibaribo, Ponte Velha, Conde da Hoa-
Vista, Riachuello, Uniao, Sauuade, Sete de Se-
tembro. Visconde de Camaragibe, Carnario, Ro-
sario, Gervasio Pires, Dr. Villas-Boas. Socego,
Principe, Santa Cruz, S. Gongalo, Coelhos. Hos-
pital Pedro II, General Sera, Coronel Lamen ha.
i.onselheiro A guiar, Leo Coroado, Barao de-.
Borja, Mues Machado, Visconde de Goyanna e
Attraccdo
Travessas :Gervasio Pires, Atalho, Coelhos,
Barreiras, Veras, Quiabo, Joo Francisco, Man-
gueira, Campia e Palacio do Hispo.
Largo : Campia.
Beccos :S. Goncalo e Coelhos.
Pracas : -'"onde d'Eu e Santa Cruz.
Gompanhia Alagoana de
Fiacao e Tecidos
on vid amos aos senhoros subscriptores desta
[companhia para, de accordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, at o dia 12 de Fevereiro prximo
futuro realisarem sua terceira entrada na rarSo
de 10 por cento do valor de suas aeces no Ban-
co nternacional em Pernambuco. Macei, 12
de Janeiro de 1889.
Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. de Carvalho. '
Propicio Pedroso Barreto.
Prazo de 30 dias
De ordom do Sr. Dr. inspector gcral da ns-
tvucgo publica, fago sabor as professoras remo-
vidas, por portara do 21) do correntc, Prcscilla
Scnhonnlia Mondos de albuquerque, da cadeira
mixta do CajiwirM, para a do sexo feminino da
villa do Bonito, o Mariauna Teixeira da Costa
Coelho, da mixta de Camutanga para a de Mo-
cosinho, que Ihes tica marcado o prazo de 30
dias para assumirem o exercicio de suas novas
cadeiras.
Secretaria ita kislruccfio publica I Penara-
buco, 31 do Janeiro de "1889.-0 soorelnrio,
I ergenlino S. de Araujo Calvan
Derby Club de Pernambuco
temi provavcl que as aeges ns. 47 e 48 te-
nham sido enti-oguos a algum dos senhores ac-
cionistas em lugar das que Ihes compete, pego
a quem as liver que venha trocal-as nesta secre
taria. Recife, 5 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
J de Oliveira Castro.
Prado Pcrnamhueano
Fago publico que no 8' pareo da corrida a re-
alisar-se hoje, por nao estarem de accordo com
o programma, o que foi verificado pela commis-
sao para este lira nomeada, s serao admittidos
os animaes Pilheria, Capeta, Borracha, Catada,
Petit Ruy-Blas e Sombrinka.
O cavallo Sudan nao pode correr por nao ter
comparecido ao exame annunciado.
Outrosim, para evitar duvidas, declaro em
tempo que a egoa Van a inscripta para o 7o
Eareo, a egoa Pancy.O secretario, Souza
eit.
Prolngame ni o da etrada de
ferro de Pernambaeo e estra-
da de ferro do Recife a Ca-
ruor
De ordem do Illm. Sr. director faz-se publico
que no sabbado, 9, e uo domingo, 10 do corren-
te, havera irem especial de passageiros. partin-
do de Jaboato s 11 horas da noite, de Tigipi
as 11 e 28' com destino a esta cidade.
Secretaria do prolongomento da estrada de
ferro de Palmares a Garanhuns e estrada de ier-
ro do Recife a Caruan, 7 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
A. G. de Gutmao Lobo.
Prazo de 30 dias
MW
De ordem do Sr. Dr. inspector geral da ins-
truego publica, fago saber a quem interessar
possa e se julgar com direito a accesso, que se
adiando vaga desde o dia 28 de Janeiro (indo a
cadeira de 2.* entrancia do sexo masculino da
freguezia do Poco da Panella, fica-Ines marcado
o prazo de 30 das, para na forma dos artigos
164 e 166 do regulamento vigente, apresentarem
nesta repartigao os seus requerimentos.
Secretaria da instrueco publica de Pernam-
buco, 5 de Fevereiro de 1889. O secretario,
Pergentino S. de Araujo GaivSo.
lanpectori oNpeeiai da (erras e co-
loBioaro de Pernambuco, em *
dr Jan.-iro de I *.
Faz publico para conheciraento dos interessa-
dos, o edital abaixo transcripto, pelo qual se v
achar-se esta inspectora autorisada a receber os
pedidos para introduegao de immigrantes n'esta
provincia.
Inspectora geral das trras e colonisacao :
O inspector geral faz publico para conheci-
mento dos interessadoi, que d'ora em diante de-
vem ser dirigidos a esta inspectora geral ous
*3pectoriar especiaos as provincias os pedidos
de imraigrantes para o servico da lavoura, os
quaes compete-lhe satisfazer proporgao que fo-
rem chegando os imniiprantes. ronforme as pro-
videncias tomadas por S. Exc. o Sr. ministro da
agricultura.
Em seus pedidos devem os Srs. proprietario*
declarar, arn do numero, a iiacionalidade dos
immigrantes que preferem. as vantagens que
Ihes linagio o o nome da lo-
calidade m i: prxima para onde dovem ser en-
viado-
F. de B. ,1-cioiide Vasconcellos.
DECLARARES
Provincial
Estrada de ferro do Recife
Caxang
Festa na Varzea
No domingo 10 do corrente havera a tarde os
seguintes trens at a Varzea e vice-versa :
Ida1.18, 3.10, 4.18, 4.35, 5.18, 6.28, 8.0 e
9.45.
Volta-2.30, 4.5, 5 10,6.15, 7.0, 8.30. 9.0 e
9,33.
0 trem de 4 35 expresso do Entroncamento
a Caxang e dalli a Varzea, e sendo extraordi-
nario nao torio valor aelle os bilhetes de assig-
naturas.
At segunda ordem fica Fem effeito os trens
uc costumavam ir nos dias de corridas no Prado
ernambncano at Zumby, e os que de la vol-
tavam.
Recife, 8 de Fevereiro de 1889.
H. Fletcher,
gerente interino.
Recebedoria Provincial
0 administrador da Recebedoria Provincial, na
forma das instruccOes de 27 de Julho de 1883,
convida as associagoes que nesta cidade tem
existencia legal se encarregarem da distribui-
dlo do imposto de repartigao constante da ta-
bella annexa a lei n. 1884 ; sendo esse trabalno
remottido a esta repart igtlo no prazo improroga-
vel de 30 dias uteis, contados da data do pre-
sente ; findo o qual sera a respectiva apresenta-
go se proceder nos termos do art. 27 das refe-
ridas instruegoes.
Recebedoria Provincial de Pernambuco, 6 de
Fevereiro de 1889.
Francisco Amynihas de Carvalho Moura.
Empreza da estrada de ferro
de Ribeirao ao Bonito
Neinbiea geral
De ordem da directora sao convocados os se-
nhores accionistas a comparecerem em assem-
bla geral ordinaria no dia 28 do corrente mez,
a 1 hora da Urde, no escr ptoro desta empreza.
n. 73 praca de Pedro 2., atim de darem cum-
plimento ao que preceita o art. 27 dos esta-
tutos.
Recite, 8 de Fevereiro de 1889.
Jos Bellarmino Pcreira de Mello,
Director, secretario.
s.rtx
Sodidade Recreativa Juventude
Sarao carnavalesco un 2 de Margo
Desde j recebem-se notas de convites nesta
secretaria.
Somonte at ao meio dia de 2 de Margo acei-
tam-se assignaturas dos senhores socios ira lista
dos que quizcrem assistir ao#aro.
Os ingressos dos subscriptores do sarao serao
distribuidos por pessoa competente para receber
a importancia da quota respectiva.
Secretaria da Hociedade Recreativa Juventude,
10 de Fevereiro de 1889.0 1 secretario.
A. Monte iro.
Intima^o de sentenc.a
Pelo presente faz-se saber ao professor publi-
co Luiz Eustaquio da Conceigo Pessoa que. no
processo que lhe foi instaurado em virtude de
representago de diversos moradores de Capoei-
ras, foi pelo Exm. Sr. presidente da provincia,
em data de 7 do correntc, coi/irmada a senten-
Sa do conselho litterario que condemnon a pena
os art?. combinados 192 2 e!74 do Reg. de
18 de Janeiro do anno passado ; do que se deve
dar por intimado.
Secretaria da Instrucgo Publica de Pernam -
buco, 9 de Fevereiro de 1889.
0 secretario,
Pergentino Saraiva de Araujo Golean
Thesouraria do Correio de
Pernambuco, 1. de Feve-
reiro de 1889
Carta* rom valor
No prazo de 30 dias serao devolvidas s suas
procedencias as cartas abaixo mencionadas, cu-
jos destinatarios nao as tem procurado.
Augusto Leonardo Salgado Guarita (2).
Carlos Alvares Pereira da C. TOrgo.
Edmundo Casco.
Francisco de Assis Cavalcante.
Joanna Francisca de Seabra.
Simphoroso de Lara Fernandes.
O the80ureiro,
Manoel Martins Pires.
StfCO BIIEBMCIO&L
DO
Capital
JO J-V. ^cV, Z> X Xj
0,000:000^
Itlom r< alisado lt.OOO:000#
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 40, sacca, vista ou
a prazo, contar os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
L0ND0N.. (Banco I n te r nac o a al
< do Brasil,
( London office.
( London A C ounty
( Banking Company L.u
PARS......(BanqaedeParIsi:de
Pays-J^as
Deutsche Bank.
* Bank d'Anvers.
Banca Genrale e suas
agencias.
Banco Hypotecario de
Espaa e suas agen-
cias.
Bx^BBD para
Gompanhia de fiagaoe teci-
dos de Pernambuco
por deliberago da directora sao convidados
os senhores associadon desta companliia a se
reunirem no salao do editicio da A-sociaco
il Benoficenie, a 1 hora da tarde
mo mez de Margo, para approva-
mbro
fiscal do cqr-


Je!88a.
Joio o
Hamburgo..
Berlim.......
Bremen.....
Fr an k fur t
sur Main...
Antuerpia..
Roma........
Genova......
aples.....
Milito e mais
340 cida-
desde Ita-
lia...........
Madrid......
Barcelona..
Cdiz........
Malaga......
Tarragona.
Valen ca e
ou tras ci-
da des d a
Hes pa nha
e ilhas Ca-
narias ......
Lisboa....
Porto e mais
cidades de
Portugal e
ilhas.......
Buenos Ay-
re9 ........,
Mon tevido
NovaYork. G. Amsink &> C.
Compra saques sobre* qualquer praga do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em eonta corrente de
movimento com juros na razao de 2 /0 *
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente^ nliam M. Wuiber.
Banco de Portugal e
6uas agencias.
The London & River
Plata, Limited.
i
PUADO rRNlMMNI
Progf aznzna da 21a corrida
QUE SE REALIZARA'
o 10 de Fevereiro de 1889
e
1
Xome*
ida#e.
Pellout
\aluralida-
l'eoo i Cdr da leilimenla
Proprielarlos
1" parco -ConMolarao-
1" turma850 metrosAnimaes da provincia que ainda nao tenham ganho. Premios : 200/ ao 1* 50#
, ao 2o e 20* ao 3o
3
4
S
6
7
8
9
10
II
l
ci
H
15
1 Patife......*.:.
2,Tup.........
Ida...........
Breas........
Gui........
Coquelicot___
Palito.........
Orion.........
Jonkoping8----
Vlete ex-Ra-
to.........
Ecla..........
ero ......*
Janota........
Fanfar........
Lindness......
5 annos.
8
a
3
6 .
5
5
4
3
5
4
3
7
5 .
4
Castanho......
edrez .......
Rodado.....
lazao........
Pedrez .......
Russo.......
Castanho......
Pedrez........
Alazo........
Castanho.
Pedrez ..
Rodado .
Rusilho .
Rodado ..
Raio.....
Pernambuco.
36 kilos
56 .
55
52
56
56 .
56
54 .
52 .
56
54
52
56 -
56 .
54
Azul e brinco.............
Ilranco e encarnado.......
Encarnado e branco........
Preto, encarnado e ouro
Verde....................
Verde e rosa.............
Amarello e verde.........
Azul e ouro..............
Azul e encarnado..........
Violeta e ouro
Encarnado, preto e branco. Henrique G. L. Guimaraes.
Cor de rosa e azul.........>C.
Azul e grenat
Azul e branco..
Coudelaria 1 de Janeiro.
J. M.
R. P.
Coudelaria Desgraca.
C. A.
Coudelaria Esperanca.
Coudelaria Olmdense.
M. A.
J. A.
B. D. C. P.
G.
R.C.
M. A.
2o pareoi Ue Julho 1,100 melrosAnimaes de mcno3 de meio
Aymor
Cometa.
Alpha ..
Recife
Favorita
o annos.
5 .
6
5
5
Castanho
Alazo. -.
a
Castanho
Zaina....
Rio de Janeiro
S. Paulo......

Rio de Janeiro.
54 kilos.
34
52
56
52
sangue Premios : 300/ ao Io. 604 ao 2o e 30/ ao 3*
Branco e verde............
Branco e encarnado........
Verde e amarello..........
Violeta e ouro.............
A. M.
oudelaria Brazileira.
Coudelaria 2 de Fevereiro.
S. P.
Maia 4 Chrvsostomo.
3 pareo. .Derfey Club de Pernantbuco. 1,000 metros.Animaes da provincia que nao tenham ganho premio este anno
nesta ou maior distancia. Premios : 250/ ao 1., 60/ ao 2. e 25/ ao 3."
10
11
12
Patife........
Rei deOuros..
General ......
'i Lucifer.......
5|Good-morning.
6Ecla.........
7.Cabrion......
8|Mylord.......
9 Oiseau......
Dublin
Pirraca .......
Blizzard......
o annos.
6 .
5
5
5
4 -
5
6
5
4
5 -
6
Castanho
Rusilho .
Rodado .

Pedrez ..
Foveiro .
Baio.....
Russo ...
Cardo ..
Castanho
56 kilos.
a 56
a 56
56
56
54
56
56
56
* 54 -
56
56 .
Azul c branco.............
Grenat e azul............
Encarnado e preto.........
Branco e encarnado.......
Encarnado e branco......
Violeta e ouro............
Branco e encarnado.......
Azul e ouro.. ............
Ouro..................
Azul, encarnado e preto ...
Encarnado e branco.......
Coudelaria 1 de Junho.
Coudelaria Olindense.
J. D. C. B.
A. U.
Condelana Integridade.
G.
J. M.
. F. do R. Leal.
Coudelaria 1 de Janeiro.
Henrique G.
F. F.
M. M.

4 pareoConsolara2" turma830 metros -Animaes da provincia ainda que nao tenham ganho.
ao 2o e 20/ ao 3
Premios: 200/ ao Io,50/'
1
2
3
I
I
6
7
8
9
10
11
12
Ginge........
Arreda.......
Vassalo ......
Fidalgo, ex Ca-
boclo.......
Marat.........
Caim........
Bismarck.....
Bonaparte, ex-
Vagabundo.
Etna.........
Guaracy......
Ormond.....
Aracahy.....
5 annos
4
3
B
B
I
B
B
i
:;
5
Castanho
Rodado.
Russo .
Rodado
Castanho
Russo ...
Alazo...
Russo...
Pernambuco
56 kilos.
54
34
52
36
56
54
56
56
54
56
56
Azul e branco.
Encarnado___
Branco e azul .
Amarello e azul
Xadrez............
Branco e encarnado.
Violeta e ouro.............
Branco e encarnado.......
Azul e ouro............. .
Amarello e encarnado......
Coudelaria Garguella.
Argemiro A. dAlbuquerque.
Coudelaria Uniao.
Coudelaria Capibaribe.
Coudelaria Demcrata.
A. F. C.
F.
N. S.
F. A.
F. R.
B. P. S,
L. B. F.

5." Pareo.Prado Pernambucano.1,700 metros.Animaes de qualquer paiz. Premios : 600/ ao 1., 125/ ao 2.
Rio da Prata..
Apollo.,......I 4 annos.
Africana___".. I 5
Ernani.......I 5
Alazo-
Zaino ..
52 .kilos.
54
54
Serid
Monitor...
Templar..
Florete ...
Mouro
Inglaterra.-.
6. Pareo.Deare.1,200 metros.Animaes da provincia. Premios
Pernambuco
Branco e encarnado........
Encarnado e branco........
Rosa ebpreto..............
Coudelaria 2 de Fevereiro.
i oudelaria Riachuello.
P. C.
250/ ao I. 60/ ao 2." e 25/ ao 3.
annos.
Castanho-
Russo ..
Rodado .
Castanho.
Alazo. .
154 kilos.
34 .
3
54
56
Azul e branco...*.......
Encarnado e branco.......
Preto t> ouro.............
Encarnado e branco......
Violeta e ouro............
Coudelaria Pyranga.
Coudelaria Pernambucana.
J. M.
C. D. M.
A. E.
7. Pareo.l
Gallia........ 5 annos
Cintra......... 4
Olga......... 4 -
Africana...... 5
Vanda...... 5
ir. 1,200 metros. Eguas at puro sangue.
Inglaterra..:
Premios : 350/ ao 1., 70/ ao 2., e 35/ ao 3.
Alaz.
Castanha
Zaina...
S. Paulo.......
Rio da Prata
61 kilos.iOuro e branco.............
59 1 Azul, branco e encarnado ...
52 Branco e encarnado........
61 Encarnado e branco......
61 IVerde e amarello..........
Coudelaria Emulaco.
P. J.
Coudelaria 2 de Pevereiro.
Coudelaria Riachuello
A. F.

8 Pareo.Aaiuaaco.800 metros.Pequiras da provincia at 1 metro e 30 centmetros de altura. Premios : 150/ ao 1", 35/ ao
I
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
Parsita ..
Pilheria.
Capeta...
Borracha-
Beware. .
Tein-oso.
Cassula..
Meduza...
Sudan..
Borbotea.
Petit Ruy Blas.
Sombrinna ....
Bijou ........
!
4 annos.
4
2
5
4
3
3
5
5
2
3
4
4
Russo......
Castanho cachi-
to .......
Castanho
Pedrez--------
Russo......
Alazo......
Castanho...
Rusilho......
Mellado doura-
dilho.......
vlazao........
Russo.......
Castanho......
i.
Pernambuco
t
e 15/ ao 3.
.. .54 kilos
54
50
56
54
52
52
;>ti
BQ
50
52
54
SI
Amarello
Grenat e azul.............
Manijo...................
Verde e amarello..........
Preto, encarnado e branco..
Encarnado e branco......
Branco...................
Azul e ouro.............
Azul e amareUo...........
Azule branco..............
Ouro....................
Verde e amarello...........
Grenat e ouro..............
J. B.
Rodolpho S. A.
F. M.
J. M. A.
F. M.
C. I.M.
Francisco L. de Freitas. .
Jaymes Davis.
C.A.
M. B.
Coudelaria 1 de Janeiro.
F..B.
Coudelaria Modelo.


(*) Montado por amador.
T
OBSERVARES
Os animaes inscriptos para o primeiro pareo devem achar-se no ensilbamento a 10 horas da manb!.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilbamento urna hora antes da determi-
nada para o pareo em que tem de correr.
^ Os forfaitt aerao recebidos at sabbado, 9 do corrente, s 3 horas, da tarde em que ser encerrado
o expediente da secretaria para esta corrida.
O animal inscripto em mais de um pareo que deixar de correr no primeiro, nao correr no segundo.
A directora tendo em vista grandes despezas que tem sido obrigada a fazer para bem satisfazer o publico,
resolveu nao distribuir o numero de convites como de costume. Para tornar menos dispendioso, aos seus frecuenta-
dores o divertimento tem adoptado o seguinte :
I
Cartoes com direito archibancada e ensilhamento
CartSes para um cavalheiro e quatro senhoras .
Archibancada -.......
Geral. :.......
HORARIO
Encerramento da venda de poules
1." pareo.11.50'
2/
3.e
4.
5."
6.
7.
8,o
12.30
1.10.
1.50.
2.30.
3.10.
3.50.
4.30.
3d000
5,5000
20000
1*000
Corridas
12"
12.40
1.20
2 0
2.40
3.20
4.
4.40

Convido aos Srs. proprietarios de animaes inscriptos no 8. pareo para
a corrida a realisar no prximo domingo 10 do corrente, a comparecerem no
sabbado 9 as 8 horas da manha no Prado Pernambucano com os referidos ani-
maes afim de se proceder o exame para verificar se os mesmos animaes tem a
altura exigida no programma.
Recife, 6 de Fevereiro de 1889.
O SECRETARIO,
Francisco de Smtzfi Reis.
0 procurador os feitos interino da fa-
zenda provinojA tendo. recebido do The-
souro a relaffo abaixo transcripta dos
deyedores do imposto de bombeiro no ex-
ercicio de 1886 a 1887 (3o semestre) das
freguezias do Recife, Santo Antonio, Boa-
Vista e S. Jos, que deixaram de pagar
no tempo competente, declara aos mesmos
devedores que Ihes fica marcado o prazo de
30 dias, a contar da publicacSo do presen-
te edital, para dentro delle pagarem a im-
portancia de aeus dbitos *na Recebedoria
Provincial com guia da sefccSo do conten-
cioso, certos de que, findo aqueile prazo,
e proceder a cobnmea judicialmente.
Recite, 1 de Fevereiro de 1889.
O procurador dos feitos interino,
Jos Francisco d. Ges Cavalcanit.
RelacSo dos contribumtes que dei^qpam
do pagar o imposto de bojpbeiro no ex-
ercicio de 1886 a
Ra Mrquez de 01-
A. "




I


I
6

Dita n. T
Ditan. .
io de PeruaHbaco-D^iniMa^lO de< KcvertirQ < ISH9
. -i "--' Hj _____ .... i i
AffonsO Oliveira
QIO'J
35180
35180
3>1>">
35180
3*180
3*180
3*180
3*180
Dita n.
Bom Je.-.is n. 4". Antonio Mi-
guel da Cruz Braga
Dita n. 49. Antn Das Mar-
tina irjiUm
iiuorcio n. 14. Aftonso Gon-
dut
Dita n. 3. Adanison Howie& C.
Dita n. i'. Augusto Labille
Torres n 4 Antonio Garaense
Dita n. 2fi. "Antonio Campos da
39 ; -i\
mo SarKirfka n. 11. Azevedo
Braga & Vigario Tenorio n. 1". Alberto
Rodrigues Barros
Ditan. 1. Afosa Bakar i
Dita n 15. Antonio Luiz de
AlbuquWque
Ditan. 19. Alfredo Best Tug-
mann
Mariz u Barros- n. 10. Antonio
do Reg Borges
Caes da Companbian. 24. Arce-
lino Lima & <'.
Travessa da Madre de Deus n.
18. Augusto de Figuciredn
&C.
Dita n. 5. Araujo Castro & C.
Dita n. 23. Antonio Jos Soarca
C.
Amarim u. k20. Antonio Pq|p
Lapa & Irmao
Dita n. 13. Augusto Paulino de
Figueiredo
Dita n. 37. Augusto Pinto de
Lemos
Moeda n. 9. Antonio Pinto La-
pa & Irmlo
Domingos Jos Martins n. 114.
Albino Silva &' C.
Dita n. 138. Antonio Duarte
C. Vianna 3*180
Dita 144. Alfonso de Oliveira 3*1 So
33. Au-
IPC!
VKc*i*
AnL,
Dita n. bTrTT'niesmo
Bario do Triumpho n
gnalo*F Hofifntarin
Dita n>33A. Antonio Jos Pi-
nho
Dita n. 39. Alberto Pires Fer-
reira de Olivara
Travessa da Madre de Deus n.
1G. Antonio Jos Soares
Moeda n. 41. Antonia Branco
Larg* da AltuHefa- n. 2: Arrto-
oiti'Ahe* Jcdr.o
Madre de Deus n 1. Antonio
Jos Soares & C.
*"'"> Mrquez de Ofi n. 50, Braga
Uoine ; (>
Bom Jess n. 32.-BeKcao & Ir-
mao
Commercio n. 34. Banco de
Crdito Reral Hypothecario
Dita a. 40. BarSe- de Petrolina
Largo do Corpo Santo n. 17.
Baltcr & Oliveira
Vigario Tenorio n. 1. Baltar
Oliveira & C.
TravessaHa Madre de Deus n. 2.
Ballarmino Alves
Restauracao n. 64. O mesmo
D. Mara Cesar n. 43. Bernet
& C.
Dita u. 9. Britto & Araujo
Bario, do Trinmpho:I 4. Bas-
to <9 C.
Bom Jess n. 13. Costa Perei-
ra 4 (*. 0
Tbom pe Souza n. 10. Chaves
AC.
Corpo Santn. 2. Candido Al-
coforado,
Vigario Tenorio n. 7. Caetano
Cyriaco da Gesta Mweira
12,>7Jo
3*r80
3*180
3->l*o
6*369
3*180
3*180
3*180
3*180
3rH80
3*180
3*180
3*180
3*180
* 3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*189
3*180
12*720
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*180
3*ll0
(Contina)
DBRBV CLUB
DE

a*

n. 82
Jpsobr" i>s
'ir Pttftug I, -.-n
1 ,..ii:........ i
4
pelliataa
: ** i
[.b.. r'. -
'iftcp ru- ** i- a
i'OITSA :d
Tse furwj i Llura k Gi
tftxri **m-.f. t,
Campanera frf ^rguroa
ITOBTHBBH
de Londres e Afoerdce 2
Po-i?ao SnaDceirafDezembrc Cfcpi'.'l subscripto
Ft&aiQjg aecui.nulaoa
ici*a aoniial:
"'- pr- tuios contra fogo
D>? premios sobra vidas
Df juro:
O AGESTV
John t. Boxwell
,IIU. I
3.000,000
3.134,34*
577,330
iui.uou
82,000
MARTIMOS
PERNAMBUCO
PROJECTO DE INSCRIP^O
L
Da 6. corrida
Que se effeetuar no dia 17 do correjite
1 tv%M-CONSOLACO 8 jnejlro*. Animaea^.provincia que ain-
da p&> tenhain ganho no Derby. Premios CWOO b pritaetro,
50*000 ao segundo' e 20*000 ao terceire:
1%^SPKADO PERNMBUCANO-0# WQtrmil Animaes de menos
de meio sangue. Premios: 300*000 o primir*,-. 75*000 ao segun-
do e 30*000 ao terceiro. _.,, .
. ^\%1,6 DERBY CLUB DE PENAMBCO 1 . Metros. Animaes
de qnalquer pw. Premios: 500*000 ao prkBefty 125*000 ao se-
gundo e 50*000 ao tetceifo.
4. -ltl^^PROVINOU, DE PERAMBUCO ^>j0 ]mett^ Animaes
da provincia qne-nao tenham ganho n'esta ta maiqr:'distancia no Derby.
Premios: 250*000 ao primeiro, 60*000 ao segundo e 25*000 ao
erceSr; ^
MI* HD7PODROMO DO CAMPO GRANDE-^-t.llrt Aielros. Ca-
vallos nacinaea ate meio sangue. Prenaios:. 350*000. ao primeiro,
80*000 ao segundo e 35*000 ao terceiro.
WMA CONCORDIAhtI.400 MtrtS. Eguaa at puro sangue Pre-
mios 400*000 a trimeira, 100*000 a aegtmda' e -40*000 a terceira.
"SVM.% PROSPERIDADE metro. \ Anin^ea da provineia que
anda nao tenham anho promiop no De'rbyflm ma*1 distancia. Premios :
. 200*000 aoprem%o 50* ao segundo e 20*p00-ad terceiro.
Observa^oes
S serSo aceitas para cada pareo as quiuze propostae, que primeiro forera
abertas. .
A' Directora, reserva-se o direito de alterar a organisagao dos programmas
e collocacSo dos pareos se assim lhe convier.
ienhum pareo se realisar sem que se inscrevam.^reB animaes de propieta-
rios differentes.
A inscripcSo incerrar-se-ha segunda-feira,, 11 do correnje p 6 horas da tarde,
a de Saldanha^atinlo/i. % V ?^fl>,
Companhia Brasileira de
Navegagao Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Alagoas
Commandante Jlo Maris Pssoa
E' esperado dos portos do sul at o
dia 1, deFevereiro e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas n agencia
at 1 hora da tarde do dia da sahda.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
PORTOS DO SUL
O vapor Para
Commandante Antonio Ferfeir.' da Silva
E' esperado dos portos do norte at
o dia 13 de Fevereiro e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
Recebe tambem carga para Santos, Santa Ca-
tharina, Pelotas, Porto Alegre e Rio Grande do
Sul, frete mdico
As encommendas s serao recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os aGEXTES.
Pefeka Caraeiro &C.
6=Rua do Commercio^i6
1 andar
DE
.\ave^aeo eosteira por Vapor
Prrf Fernando k \onm ti a
O vapor Jaguaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 12 de Janeiro s 11 ho-
J'MsdamanhS: Recebe carga ateo
dia 11.
Pn?*apftis at s 10 horas do di da sahida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pemambucana
n.12
&
na secretaria do Derby Club praca
Auber.
Petrella.
G. Gomes.
Meyerbeer.
CJ^ib Carlos Gomes
Programma
Da parte concertante do sarao de 19 de
Fevereiro de 1889
|.i Marco Spada, pela orchestra
o Club
* Jone, phnntasia pan ilaula
pelo Sr. Gervasio de Castro
:{ Bnlata do Guarany, canto pelo
E\ma Sra. D. Celicina Rolim
% Jtrusnlem, pbantasia para vio-
lino pelo Sr. Dr. I*anlioo de
Mello
lirio del cuvre. Komanza.
.i Exilia. Sra. D. Celicina
lofin Guido Papini
6 Gama Ladra, ouvertura pela *
banda do Club Rosini.
meatos piano sao feitos pelo
pelo rifeSmeto maestro CosIb Ciro.
Princi|)i;ir s 8 horas
1- para M galena c Pernandes Vieira.
AOENTS
Wga Jiw \hrrs

I ? i/t n yt' '<
US
at iiiu wurd' a. ,
m

it ai Irusu^nie} Umpanj de
TlPITiL t.000:000
*ment>
R. )fc ftMlKA <* C
13 Ru* *w*4i "*- |W 13
MARTIMA [ TB*<' STR-B8
EMtafeeirclilo i hha
CAPITAL 1,000:0001
-IM-.. H \t ii f nfftkhrm t ICS4
M iHhmi..... I.IW:0WS0fi
rrestfi..... ri4:O0il&OM

Vos
11
aoal.ucatSM
FDADO^MjtfRa N. M, ir AiWifc
>
ai-itrnn.%
vu
Prtmpfo fagaimtnto H* prejuieo*
144to :oo#4*JMr
itmrrz
# .';
^UA DO COMMEitCU. b
CHARG&RS RENJ
Companhia Francesa
DE
^avegaeo a vapor
Linha quinaenal entre o Havre;' Lisboa,
Pternanbuco, Ba,- Rio te Janeiro e
Santos.
O vapor
Viile do Cear
Commandante Lainey
Espera-se dos portos do sul no
dia 13 do corrente seguindo
ilc|iois 'da indispensavel demora
para o iltw -tocando i-m
L.i*>boa.
Un' rsn-a no porto
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece excellentes commodos c o>timo pas-
sadio.
As passagens podero ser Jomadas de ante-
mao.
Recebe carga, encommendas c passagciro
para os quaes tem excellentes accommodaces.
Para carga, passagens, encommeodas e di-
nlieiro a frete : trata-se com o AGENTE.
Aoguste Labille
9- RA DO COMMERCIO-9
LEILOES
Terca-feira, 12 deve ter lugar o leilo de
movis, louca. vidros. candieiros a gaz. bancadas
e objectos de collegio existente na casa
de Santa fsabH n. l.
da ruai
Roya^ 1 Mail Steam Pcket
Companhia
O vapor Neva
Commandante 6. M. Hi<'ks
Espera-se da Europa tt- o dia 16 de
Fevereiro, seguindo depoB a demo-
ra do costnme para
Babia. Jilo de .Janeiro. Monte-
video e Uncnos-Ayres
Para pirasagens frele c encommentls trata-
se com os AGENTES.
O
Elb
vapor
Commandante Armstrong
E' esperado do sul no dia (? de Fe-
vereiro e seguinlJ dpoiS'Sa demora
'necessaria para
S. Vicente", Lisboa, VTgo, Soutbampton e
Antuerpia
Reducido de passagens
Ida Ida e coUa
k Lisboa,l'classe iO 30
A' Seuthampton 1- ctasee 3 42
Camarotes'rtservados para os passageiros de
Pernambaco. ,
Emavanto Yi^orar a quarentena imposta na
B^ub^,Argentina,ac*navjp8 procedwtesdo
Bras, os vapores degta companqia 'tiao aceilam
pasa|jeiros nem carga para Buenos-Ayres.
Para passagens, fretes, ebcemmendas, trata-se
cornos
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
(OHPtMIll l'lltVlHBM\>
DE.
Xavegaeo eosleira por Vapor
PORTOS DO SUL
Mamo. Peoedo, Aracaju' e Baha
O vapor Jacuhype
Commandante Esteves
Segu no dia 11 do corrente s
tt horas da tarde. Recebe car-
at o dia 9.
* i k
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pemambucana
71. 12
Pacific Steam NavigatioD
Companv
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Potosi
Espera-se da Europa at o diu
10 do corrente y seguir depois
demora do costume para Val-
raiso por
Babia, Rio de Janeiro ^dlonteviflo
Para carga, paisageiros, enonimendas e di-
nheiro a frete :, trata-ge com os
AGEiTE.S
14-RUA DO 0OllM^teiO^-4
Asente Silveira
Leilo
De urna parte do sabradn' ra da Imperatriz
n. 80
Seganda-frlra 11 do correte
A's 11 horas
Ko armazom & ra ii. -15
0 agente Silveira por mandado e com assis-
tenria do Exra. Sr. Dr. jujz de ireito de orphaos
requerimento de Duarte Antonio de Jlranda,
levar a leilo a parte do sobrado noiiia refe-
rido.
Agente Silveira
Leilo
De predio
SEGUNDA FEIRA, 11 DO CORRENTE
A's 11 Loras
No armazem raa do Imperador n. 45
0 agente Silveira por mandado e com assis-
teecia do Exm. Sr. Dr. juiz de requerimento do invenrariante de Manoel Jos
Monteiro da Franca, levar* a leilo a casa ter-
rea ra dos Pescadores n. 4, tendo porta e
jauella de frente, 2 salas, 2 quartos, cosinha ex-
terna, pequeo quintal, tendo um soto com urna
sala, 1 quarto e junella na frente, medindo de
largura 3 metros e de comprimento 12 metros e
5 centmetros. .
Os Srs. pretendentes podem desde j exa-
minar.
Leilo
A gente Brito
De moVeis, TBrncfbka*, extrncto^, lonjas.
copos, bebidas e outros artigos
Segunda-felra. 11 do eorreate
A's 10 1/2 horas
Ra do Rangel n. 48
Agente Britto
L^ao
De movis, lot^a vrars, candieiros gaz,
bancos de jardiiu, objectos de electro-
pate, bancadas, classes e objactos para
collegio^.
A" SABE' :
Urna seraphiDa franceza, 1 mubilia de Jacaran-
da com I sof, 2 conslos, 2 cadeiras de bracos
e 12 de guarnico, eajticac> e ningae,- 2 fisuras,
2 quadros com paysagens, 2 lustres a gaz com
tapetes.
i cama do ferros guarda-vestido. 1 fuarda-
ronpa, I lavatorio, i tufet, Cndeiras de Jmico, 1
cama franceza.
i mesa lasHcav 1 guarda-loqca, 2 apparade-
res, 12 cadeiras de gndrii?ao, 1 relogio de pare-
de, louca e vidros. 1 baudeija oval, cestas de
electro-plate, salvas e bandenas.
12 bancos de classe. mesirinas para coHegios,
12 camas de ferro; % bancos de jardi.
Terea-feir 19 do corrente
Agente Pkttd*
.Afa casa da ra Princez tsabet n. '12
O leil& .cpiiujcari as 10 lj2 horas
O mesujo N3gti*t?aqBi pw vndrijim grande
tellieii'i> iMberio d^ieltias de zinco, um ufp co-
berto de tellias de'barro, com assoalho Sobre
trunos de ferr, um ranque grande de ferro de,-
poaito poi agua,* una epeira para forrWe sala
grande.
Leilo
De 100 duzias de chamines anglicas de 'i a
10 JiB^Jas, 2(1 canarios d* imj.enp e nWto JSoa,
diversas mantas 4e touciuho ingle/, queijos in-
glezes, presuntos de hambre, cognac, vinhos li-
nos :do Porto, Bortan'x, lirore, champagne,
lindas raobilias novas lejunao de diversos mo-
delos, camas, inarqueze^, oommodas, santuario,
guu-dkr vesii.do*,.gu^da-Jauta>, -.pianos.. mews.
Cadeiral de junco cora bainnc, spriguicadeira
de dito, cadeiras de braco de dito,;lougas, vidros,
fazendas, miudezas e 1 rico lustre de cristal com
8 bicos-
Terea-feira 1* de Fevereiro
A's 11 horas
No armazem ra Mrquez de Olindu
n. 48
Em continuaQao '
Urna linda garrota taurina*
POR INTERVENCiO DO .IGENTE
'Gnsmao
Leilo
Aa II boraa
No 2" andar do fe no 1JJ la
, Bom Jess
O ag#rite Maftia'ifar' leiir.o dos movis e mus
objectos existentes no referido sobrado, os qunes
se achart milito bem conservados e sera
didas sem resea de proco:
r i i
mm
AVISOS DIVERSOS
Aluga .-> rsisas a .SJtKHrrto Dcco do3
Iho?. jnnir* de s. Goncullo; a tratar (wrusdsi
Irn|wrati1/.*n. ")ii.
aluga-se o pavimeuit. ieiipeo4o siraao n.
46 ra da Roda, estando o nmatto raiauo, pin- .
lado e todo ladiMllido de novo, cou'endo 1 sala.
2 quartos e cosinha : a tratar na ra do Gabago
n. 16, loja.
vostumnr*e n *ta
rauceza
.'li-laic" '"inny Suva 'em o seu ateaHj^H
do e costuras 'rua Barao da Victoria n. JS. !
receftoa lodo c qu::
com apnrado _
tos. bailes, visita-;. pi.-.-t-ios. etc., i. f. faJBbeiH
maiiieleti-s e capas sobre meuida. ConfWSi a
ter um Jimio sortiuiento de novidades de Paris^
Io- ile seda, feitos. e em corle.* de seda,'
velfml.1, broche e cri'pp de chine, tbulards.
suraiis. <<:- i ottomunas putas. Escolliiilo
sormenim-iii mmIIios prelos. chapeos, capo-,
la.- visii.i- ;.,.,, ,n *i horas. T.-!epboafl
ua Ilaiv i-;i Victoria n. ih. i andar.
- Aluga se a grande casa de solea ra I)
Vital n 32, esinnna da doPrlbcipe. junto a i-s-
tacSo do Pires perto da liidia de bobds. co.'i!
ptimas accommodaces para collcrto : a tratar
no estabelecim- uto mi Sr. Julio, contiguo a es-
taco.
Kii^onmadeira
Aluga-^e. urna boa sala para escriptorio,
na praca do Coriio Santo ; a tratar no escripto-
rio de Julio & Irmfio.
- Precisase de orna ama para cosinhar: lia
praca da ^ssembla armazem n. 15.
Vndese urna m. .china de (brea de 10 ca
vallos : a tratar na ra nova de Santa Rita nu-
mero 71.
AVISO
Aluga-se u rasa da ra do Paysaiaiu n. o, cpi
bons commodos, aa% agua e iardim : aa ehaw
e a tratar na ra doJBlspo n. 6.
Yelocklade
A rifa, cuio maior premio, o cavallo veluci-
dade, por falta de recebimeuto. correr infalli-
velmente enm a ultima lotera de 60:000*000 d*
Para que e extraiiir no mee de Marco.
Jos dos Santos Teixeira
tendo por sua livre ventade deixado de ser em-
pregado da camisaria americana do Sr. Alvaro
Jos Pereira, resolven abrir o cstabelccirrfenio
denominadb o Conquistador, sob a firma de Jos
Teixeira & C, ra Visconde de Inhauma ti.
24, antiga do Rangel, onde os scus amigos e an-
tigos freguezes encontrarao um completo sorti-
mento de fazendas a retaho. camisas, roupas
feitas e artigue de modas, e offetece portanto
alli 9 seus serricos.
Na roa da Saudade a. 27, portq, precisa-s
:. ongoimnadeir.: que durma em casa.
aixeiro
Piv/;.-a-.-e(ie um caixe.iro, dando alcurneo-
n!i! lieut'. .-obre aua conducta no pateo do
Terco n. 40.
YlIO e XAROPE de QUINA e FERRO
U IRIBAULT C-, Ph- de Pri
pprondM pel Jatt rf Hjtiem do Mo-de-Janein
Gracas 8 suas propriedades tnicas e repa-
radoras, estes preparados produzem os me-
lbores resultados quando empreados contra
anemia, a otoroae, a leaoorrha, as deaor-
daaa da menatruBf9o, as oalmbraa do esto-
mago, consecutivas a essas enfermldades; o
lymphatlamo e outras molestias provenientes
da pobreaa do aangna. Excitando o appctile.
estimulando o organismo, e recoas ti tu, ndo os
ossos e o sangue, o vinHo o XABOPE de
QOINA. o FEKBO da GRIBf AOLT e C-, estn-
elvem rpidamente a- creancaa debis e as
mocas paludas e anmicas, corlo os ligeiroe
acceuot le febre, tupprimem o suor das alH
e os suores nocturnos. Sio da maioT efBcacia
ou tiarrUas reteldsi. faciiio a marcha daa
eonoaleteencat articen e sus tenido os vclhot.
Bato Vlho o oate Xarope alo prepa-
rados com s aaaoo da exceUente qmlna
que aerra para a fabrlcacao da celebre
QBia bb nuRaa,
JCJat PARS, 8, RA V1V1ENNX.
Alusfa-se
a casa terrea da ra' da Palma n. 29, com gran-
de quintal arborisado. com a^aa e ga encana-
dos ; a tratar na rna DuU de Caxias n. 47.
Pelorarf (fe Cambar
Jos
DE
O S
Velha
de Santa
De predi
Urna casa terrea n. 62 a ra
Rita.
Urna casa terrea n. 12o ra Imperial,
("m sob ado de :! an lares, n, 13, a ra Nova
de Santa Bita.
Uma casa ten vu n. 7. ra de Lomas Valen-
tinas.
Um sobrado de um andar e soto. ra do
Amparo, em Olinda
T idos serao vendidos pela maior offerta.
Quarta-feira, 3 de Fevereiro
A's 11 horas
iia do Ranxel n. IS
Alvabes de Souza Soares
De Pelotas
Approvado pela Exma. Junta Central
de Hygiene Publica, autonsado polo Gt>
verno Imperial e premiado com duas me-
dalhas de ouro de J.a classe.
O PEITOBAL DE cambar cura perfeita-
mente a bronchite aguda ou chronica ;
O peitokal de cambaba cura a asthma
por mais antiga que seja;
O PEiTORAIi DE cambaba cura de uma
forma admiravel qrudqurr rouquidSv ou
perda de voz ;
O PEITOBAL. de CAMBABA cura ineontea-
tavelment6 o tysica pulmepar ;
O PE1TOBAI. DE CAMBABA -CUra as tOSStn
simples, as defluxSes tan fcil e rapidamen
te que ao proprio doeate1 causa admira-
cSo.
Este imprtente medicamento vende-Se
a 205UO o frasco, 13*X)0 1/2 duzia e>
24)5000 a duzia, em
depositarios geraes.
Francisco Manoel da Silva & C.
23 Ra Mrquez de Olinda 23
Precisase de urna ama para cosinhar ; a tra-
tar na ra do Livramento if. 1.
oosmheiru
Pre. i-,i : a Hmi ijue fosibI-.o bem ; no
lerceiro andar do pri dio a. 'i~2 da ra Duque i'.axiii.-. por cimti da typograpbia do .' irio.j
Typopplija e UlK^ia
FABRICA i'FJLrVlOSD': K RIPTU-
RACA< I
tWi,ef8l*a
MhopI J.de Miranda i
Euc^dernticao e especialidades em carto>de
visitas.
3mR#1' l>3(p!ft de ams-4l
TeU'pboMe D. 19 \:
f
r<-M<-i3l<-i-.!r:':'I lciii'j;,iiv H
Alve* Ferreira
AN-\ai'd!-::i: Miria Raposo Ferreira, Galdiao
AJtOir'! \'.\. Ferreira e Arma Eduarcia Alve
Ferr.,-,- Miotom cwdiahnente o toitS Os pa
rentes e amigos que se digu.-tram acompantaai
ao cemita rio publico os restos moraos de seu
presado marido irmo. Henriquc Jos Alves
Ferreira. e anda peder Ihes o obsequio de as
sistirem as msai qne mnndam celebn r porsira
alma na matriz de Santo Antonio e na igrreja.tlo
casa dos agentes
Professora
Cma fcfnhor.i ccmpetentvmente habilitada, toa.
Sraica de U anuos de profissao, apreseiiiantR
versos attestados de bom meyjodo e comporta
ment, otl'erece-se para leccenar epi casas par
tictares, ua cidade ou em ens arrabaldes ai se
guines materias : Portuguez, Francez, Italiano
Gcographia, Pianb, irabaleos- de agulha.. etc-c h
tratar a ra Viscondp de Goyaana n. 69 ou en
casa do LReglaflbr da Manrtha ra larga dc
Rosario o. 9.
Monteiro. quarta teira'l.'i do corrente. strhflfa?
da niaiibii: pelo que protestam seu reconheci-
amamammmami
iri'enhr.
I
Mi-iak a^iiiloint-ua Morcira BuMo
2- nr.niversario
Joaquto Olinto Bastos, seu* fillios. m&i, ir
mos e sohrinhos, Jos Joaquim Mureifj^ -a,
consorte e tilhos. pedem aos seus jaranas e
amigos pura assifirem as missas que mandam
celebrar segunda-feira 11 do corrente. s 8 ho
ras-ra munuf. na matrirda Boa- Vista, pelo eter-
no rept uso d'altna de sua idolatrada e carinaosa
esposa, mi, tillia. inca c lia. Mara PhiloBM
Moreira BasOs. 2- anniversario <*a seu inlWsto
passalnento : i: desde j se confeasam agnid#
O.dOii.. __;____________CV
tmmMBmmmmmmoBrmmmmmmam
Joaquina Ferreira Sjiiuos
Antonio F. de a Ibuquerque Santos e seus 8
Ihos (ausentes). 1). Coiistauim de l' ndoea
Ferreira e seus'lilho*. o Dr. .' Ferreira. . Silva, JfcStori A-Ferreira da Silva, ConV!>ntw
Ferreiru d Silva, J anua Ferreir dhaiv-e e rui-
Ihecme Chi'.nre convidaiu a seu: .;:reute?"uiB4-
gos para assistirem'as missas que no dia ."( d.
corrente imradaai rezar na matriz de Panto..^n
tonio, as 7 1.2 bi'ias ua'manlra. per uhuu du so*
ihada
esposa,, mal.
i:mf<
lOWfiaW
Cha preto superior
Cario Siadi\vin gnezs em geral que recebeu pelo ultim-
vapor cb preto novo ,e superior que ven-
de por precos mais resumidos 'm vista
da continnaci do cambio favoravel.
Convem que experimenten!.
48 RA D BARAO DA VICTORIA 4
SesolTrps porque peirs
USA E t'iNVEXCER-TE-HAS
CUK KA O I
Leilo
De movis, louca e vidros
Constando de'uma mobilia de junco com con-
solos de pedia. 1 espelbo oval i pMM de jar-
ros. 1 dito de lanternas. t car.diiiros para ke-
ro>ene, i cama franceza. 1 suarda vestido da
amarello, 1 lavatorio com espelho. 1 cabide de
columna. 1 ine.-a elstica de i taboa:-, i apani-
ilores. 1 marqueaa, l cadeiras de junco. 1 con-
sol avnlso, 1 quartinheira, 1 meia commodn,
louca de jantar, dita do almoco, copos., clices,
garrafas, compoteiras^l.mesa de pinhu e ostros
niltos moris que serao vendidos.,
A* (trer o mtrtrllm
Quinta-feira 12 do corrente
SEM DIETA
DAS
Molestias de prllr
SYPHILTCAS
Daxtl^roB, acnas^ ujet^ras autica&j iiu-
pingen-. bobas, gornina-*. cancros, yh-
tismo e morph'
Com os prodigi"s
XAROPE E B LIENTO
DE
Hydrocotil*- Calas;
Applica9io fucilUso sem perig->Et-
fetos promptos. diet razuavel.
Contra fados nao ha argumentos
Estes remedies s3o
do mundo. Enviaje *r-Mtuifcn crreio. direcc'es para a ea medi-
camenios admiryieis.
Preeo do ungneut" W200 o frai
Prec.. do xarope 3|000> a jrrate.
Preparados por GaUv/-.i> i Piir-
micia Imperial^ Babia-
Deposito ao R-.-el
Francisco HBoel da.Sihe & <
Dr. Henriqir ArroiM <'.v Ui a-
ila l.eal
Os empregad'S da secretaria do gov-erno cft'i-
la provincia"conv irtani-n fami: ea.-nio> r
Henrique Auiis de M .na Leal ,:.:
reni a'inissa qw cui s-uflrag iS cern
amig ? coUCga mamlam rezar tercateira'lTdo
corrente mez, s.8 horas da mnh, no-corrvfetV(r>
t
Jos doaqini i^ia '* lia*
r annivriailio 4
Manoel Gomes Maubonca e Rt-^a de Mello Ma>
nlionca convidan eus amiios e ce llegas a a#-
sistirem a uma. misan que pelo ie|.iu-o etenx
d'aloN rft seo amigo f colie^ ruaud;'iu ivuti
uo coi.vi'o Je S Francisco, sovuiida-feira H;
do -orivnie. > 8 orasile maufc, aotiver
s.rivL'i ieu.-

/' de V
".ToSio a<- Mol
- de Mello, O
da
l>r,
Fi
L;;<.
va. DD. Anua D!v;:ipi ["sTiienia : > l!o An
aa Y,.,1 51 '!. 3
'.a Silva -
do l.-nado Dr. Pedro \ fundo Palma agradecer
Mtir nfio as agon-
tanibem a sna ulio- ..
iiu-- i lan latn tzer io" -
H -\ -.. s 8 u ras d
B>iafi4a)e Aftiins tu-
da I<*a|
A '.,
M;.:.od:i Leal. so:.
u\ .
ja do invw 8 hor
a 11
%
Mm
t



*?
E

MMMM
Pe*aambucoDoi
>-tt*-de 1889
P7
CP 0 melhosr Aliusnto
I1 ateo.
J-ABIB, e, A.
UejuitM c
;l VJOTORIA,S,
: cadwM Fhanuciu..
ii:
Acaba de
passado por una tran
HERMES DESOUZA PEREIRA & C.
5"J333SS0FES
reabrir-se esta importante pharmacia *ita ra do-Marquez de OJmda n. 27, depois de ter
^ansformaeao completa. Est em condie/>es de satis fazer todo e qualquerpedido, nao so concer-
ne te manipulacao do receituario, como a venda de preparados nacionaes e estrangeiro*. dos cjuaes a casa se acha
'rigorosamente sortida.
Esta casa sendo por demais conhecida pela sua seriedade. os seus piopitetarios esperan*do distincto corpo
medito e da populajao emigeai, a conlinuacao da proteec,ao que sempre lhes dispensara^, para o que ernpenham
a recaubecida IcaJdadtr com que costumam tratar os negocios de sua profissao.
.EX3SSBJMC3SS 303K ASCtXJ&J^ 0P3S^.3eX3R,^ & G. SUCCESSORES
*$ x %3 5 S Sy & T& &2 5 8\a
&a
PHEO^SEM COMPETENCIA
A' ra Prfaneiro de Marco n. 20
Junto
Ai. aiiK.in bordado.a 120J o metro.
Alpacas indianas a 320 rs. o covado.
Ditas meseladas a 600 rs. o covado.
Ditas lavradas a 500 rs. o covado.
Batistas unas a 140, 200 e 240 rs. o dito.
Bmu pardo a 280 e 320 rs. o dito.
Baleias pretas a 260 e cobertas a 500 rs,
a duzia.
Bicus de urna s cor a 2;> a peca.
Bramante truncado a 800 re. o metro.
Brins de cores para enanca a 260 re. o
fr -ovado.
Bicos matis;idos a 2^500 e 3 a peca.
(umbralas bordadas a 4) a peca-
Cachemiras de quadroa a 260 o covado.
Cortes de seda para eolete aDjOOO.
Ditos de linn em carao a 7000.
Colchas de damasco a-6(5000 urna.
Crotones de alsace a 360 re. o covado.
Cambraia arrendada a 460 rs. o dito.
Cachemira da India a 220 rs. o dito.
Chales adamascados a 2^500 um.
Cortinados bordados a"-6iJ000 o par.
Cok-lias de cores a 2fr e 20500 urna.
^Cortes d casinetas a 1^500 um.
Chaiubrt s a 4$y00, 5* e 6S000 um.
-Cortes de sotineta a 6^000 um.
Caubraia Victoria a <20900 a peca.
Camisas-id!miles a 36JOO0 a duzia.
Cachemira de duas larguras a 800 rs. o
covado.
Crotones claros a 280 e 320 rs. o dito.
Cohibas deustao a 300 urna.
Camisas de mcia a 15U00 urna.
Ceroolas de bramante a,15j) a.duzia.
Es^ifsWjfcjdo a 360 400- rs. o- covado.
Espartilhos c Btremeio8-bordados a 700, 800 e 900.
Completo BuwUMJBto de caaemira e brins.
oos
e
V; Vana,-ch*i&,-iei9M,k!)uos mu i tos outros artigos.
le Lauvrr
TFichs de malha a 20000 um.
! FnstSo Branco a 360 e 400 rs. o covado.
j Dito de cor para ronpa a 800 rs. o dito.
(narnicao de crochet com matizes.
Gasea de cores a 500 rs. o covado.
(iuarda-pri para homens a 60000.
Grinalda para noiva a 80000.
Guarda p para senhoras a 80000.
Lencos com barra a 2(5000 a duzia.
Leque a gra-duqicza a 20000 um.
Lencos brancos a 10200 e 2(5000 a duzia.
Luvas de seda a 2<5 e 2*500 o par.
Linhos de quadros a 80 rs. o covado.
Las escossezas a 100 re. o dito.
Linn de ores a 500 rs. o dito.
Merino do cores, duas larguras, a 800 rs.
o dito.
Meias com pintas, para senhoras, a 800 rs.
MadapTtlo americano a 6000 a peca.
Meias para homens a 30600 a duzia.
Extracto Porte-Veine a 14400.
Popelina branca, de seda, a 800 rs. o co-
vado.
Paletots de seda palha a 7(5500.
Ditos de alpaca preta a 4)5500.
Panno da aosaa adamascado.
Pacotes de pa de arroz a>00 re.
IVrcalea tinaaia 2"00 c 220 re. o covado.
1 oupas par banbos salgados.
Regatas de cores a 1(5000 uipa.
Sabidas de baile n< 20000 sua.
Suspensorios americanos.
Sargelim d corea a- 00 rs. o covado.
Setim de ores-Ji 800 900 re v do.
Dito do Japao a 240 re. o dito.
Tdalhas para rosto a 3(5600 a-duzia.
Ditas para banho a 1(5400 urna.
collarinhos, puabosy oles, toa-
PEREIKA or MAGALHAES
Recebedores directos dos mercados da Europa
liquidara osseguintes artigos com descont d? 14 \
vendas
as
em
<;ro
MMAL & c
Vinho. Xarop e Dusart
A0 LACTO-PHOSPHATO DE CAL
Appr o vados pela Junta d' Hygiene do Rio-ce-Janeiro.

O Laeto-Photphato de cal, que entra na composieao de VINMO e do XAROPE
da DU8ART, o medicamento mais poderoso que se conhece hoje para restaurar
as (oreas de certos dowitos.
Consolida e endireita o ossos das creancas Rachiticas, torna activos e vigorosos
os Adolescentes molles e lymphaticos e os que se achao fatigados em consequeneia
de rpido crescimento. Facilita a cicatrisaco das cavernas do pulmSo nos Tsicos.
Sendo administrado as mulheres duranle a gravidez ellas atravessao todo o periodo
da gestaco sem a menor fediga, sem nauseas, sem vmitos, e dao a luz a oreancas
fortes e vigorosas.
0 Lacto-Phosphato de cal administrado s ama* e s maes que crio os fllhos,
torna o leite mais rico, mais nutritivo, e preserva as ereancas da diarrha e de outras
molestias, que se declarao durante o cres*;imento. A dentico opra-se sem fatigar a
creanca, sem que apparecao convulsOes.
O VINHO e o XAROPE de Lacto-Phosphato de cal de DUSART desperto o
appetite e levantSo as forras dos convalescentes e devem ser empregados em todos
os cases em que o corpo humano se achar fatigado ou exhaurido de ffreas.
Deposito em Pariz, 8, ra Vivienne
lam
w^i
"
wm~wm -
IW^M
3 GERAL
MA,m vMmwm & c
N. 44Ra do BrumN. 44
W JUNTO A ESTACO DOS BONDS
Tem para vender, por prejos mdicos, as segnintes ferragens :
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
Crivacos de diversos temanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas,angulares, idem, idem.
Bancos de ferro com serra circular,
cadeamento para iardim.
Viandas de ferro "batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos. /
ortas de fornalha.
Sj^Hmpores de forca de 3, 5, e 6 cavallos.
Iboendas de 10 a 40 poegadas de panadura. /
Modas d'agua, systema Leandro.
Incarregam-se de concert, e aseentamento de machinismo e executai
^nea1^3'^" com perfeir-ao e p:?steza. i '
Bramantes de algodao superiores, a 800 rs. o metro, 4 largura,
dem de puro linho fazenda de 2)5200 para acabar a 1(5500, metro.
Atoalhado alvo, duas larguras, a 700 rs., 1)5100 e 1(5200 o dito.
Algodao alvo, nacional, para lenjes a 5(5500 a peca.
Madapolao americano, a 30600, 4(5000 e 6,5000, com 24 jardas.
Maripozas de cores a 220 re. o covado.
Chitas claras e escuras, edres firmes, a 200 rs. o dito.


10800, diagonal, duas
Batistes idem a 120 re. o dito.
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 ra. o dito.
dem de quadros modernos a 280 e 300 ra. o dito.
Ficbsde renda chics a 1|}000.
Colcha* iranoezas de exes a 2(5000 e 4(5000.uraa.
Lences de bramante a 1(5800, para cama de casal.
Casimiras de cores para roupa de enanca a 1(5000
larguras
Camisas inglesas e francezas a 26(5000 e 30(5000 a duzia.
Tapetes aveludades, grandes, a 14(5000 um.
Cortinados ricamente bordados a 5(5500 e 6(5000-
Panno8 de cares para mesa a 1(5100 e 1)5300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 3(5000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
Veludilhos de cores e pretos a 900 re. o dito.
Rendas austracas para vestidos a 500 e 560 re. o dito.
Setins de todas as ores a 900 rs. o dite.
Setinetas -lavradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240, re. o dito.
Meias ornas inglesas para homem a 2(5500 e 3(5000 a duzia.
Ceroulas bordadas, de. bramante, a 12(5000 e 16VJO0O a dito
Cortea de casero i ras para caica a 4(5000 e 6(5000.
dem de meia casemira a 2(5000.
Toalhas grandes pant rosto a 4(5000 a duzia.
dem felpudas para,' banho a 12(5000 a dita.
E maitos artigos que serlp lembrados com a presenca de nossos leitores.
59Ra Duque de Caxias59
LOJA DE
PEREIRA A HA6ALHAES
f!*W. BENEDICTINOS
da ABBADIA de SOLAC (Girando)
DOM MAGUELONKB, Prior

2 Mmiulhutt de Ouro: Bruxellts--f880 Londres 1984
AS MAJS ELEVADAS HECOMPENSAS
ML
srrvEj tas o
N A\NO
'(
Pelo Prior
plerre BOUB8ADD
'i :.


O uo quotdUbOi '1<> Elixir Dentiiricio
ces RR. PP. Benedictinos, mm dose de
alpmii;: pottae coui agua, prevom o cura a carie
dos u^ut ; gn^iva jertoi:..iiite sadias.
PrtaViino m vnrdadciro servido, aiaiput-l
londi-i nos dosob leiturus eeto antigo e utilia-'
; .....', u melhor curativo e o nico
reservativo coutra as Afeccoes den-
irias. ;>
Agente geral, SEGUIN BORDEAUX
Acht-te em toda u bou Perfuma A; Phtrmaclt 9 Drogaras.
DOENCASsETOiM
EtlXI
I
DIGESTES
di rficis .
Cyspepsla
Perda
de Appeta
TNICO -MlCSTJvJ oom \
^^^lOO BM TODOS- OS hi;sita.es Mt dadhaw de Ouro 0 di'o^'-u. ,
PAKIS HEZ. S*. rum La ni.ir*. m titea* a e>*eai3
GASTRALGIA
ANEMIA
Ve mitos
Diarrha
I M I
:gari
.Oeflvvcc
II?,
58-Ra Duque de Caxias-58
GfiANOE LIUDA i(
Prineipia na segunda-feira. de todos os artigos que
ficaram de saldo do balanco do anuo prximo passado.
vendendo-se poj" metade do sen valor.
Grande quantidade de retalhos. de algodaosinho,
madapolao.chitas, seda, setinfc,etc., etc.
56 e 5&~Rua Duque de Caxias56 e 58 .



\m\
TVT T
...
lietit A
SAXA UQU1DA MlPtRMAi
- .'..jo X.S
n: emaaa,
> Pr rnai-______,


1
O QLEO PWO
-DE-
MADadeBACAlH

0 PET0E AL eb CEBE JA
Do Dr. Ayer.
tuta e E, :i].ri:u':ente di
Utidt pftr prln i -, nj :
r se jironipt;-
-:.'- alent. '< -
c pwgrcwo ioiM um o eiuorji fafcu.
: ;ient",?
.**> '**4tltitt i* Ju
. -..i'.: \-1.. critu*fafl devem Ser
O Peitoral de Ceteja 2o Dr. Ayer
(tti jsa pnra oiiw em caso de neceseidade. A
de um sdia, pK'' em mnlw ca?-9 aecure-
'-i* auffhs ^MuiM. l'"r,jw.j-> uve Motora
}.Tiier V-mp^HtcioM, rvj-.iiinenl.nii- medio*
' t-ieaVia 9frlti< to -ine '-ulenva*'
; .':i!.'.' "ii3o qilBene*Tv.--slta mnri.o.-' instante,
rC!n<4U> niaife c*rtos activo em seuelieito, ees'*
. njnHi^ '' w*di JuTft*a .-ilg^una o P>.hk
pREi'ABADO r;;LO
DE. J- C. AYER e CA
Lowell, 3;:>., E. A.
*." /anda tuts ;>rine!paca phanuaciafi ri>Qariw
M
?-..
-DE-
LAMAH & EEMP
produz cubitos anlogos a os da
Emulsao com Hypophosphtes
dos mesKo! senhores, no caso do
ser preferido o traetamento nesta
orina pa* o curativo dos incom-
raodos
do Peito, a Garganta e os Paliases.
Aluga-se
a casa da ra Coronel Suassuna n. 130; a iratar
aa ra Marcilio Dias n. 106.
Ama
Precisa-se de urna ama para o servigo domer
tico de i-asa oe familia; a tratar no escriptorio
deste

Ama
Vej
Telegramma
iam e aduiirem!
S o 55 ra Duque de Caxias pode
vender pelos precos que. abaixo mencio-
namos.
Amor da China, novidade em padroes, a
200 rs. o covado.
FustSes brancos a 360 e 500 rs. o co-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs. o
covado. E' barato!
Cascos e capas para senhoras, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de ada, padroes liados e preoos
razoaveis.
Madapolao com 1 metro de largura a
65 a peca.
Zefiros a 80, 170, 200, 240 e 400 rs.
o covado.
Ditos bordados a 800 rs. o- covado.
Tecidos arrendados a 400 e 500 rs. o
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados de crochet,, ousa chic e
preco barato.
Cambraia Victoria a 2)5800 a peca.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. o
co-vado.
Guardanapos bons a 10800 a duzia.
Las modernas a 240, 280 e 320 rs. 0
covado.
Rendas hespanholas a 2o o metro.
Luvas de seda a 25 e 3)5 o par.
Espartilhos couraca a 4, 5$ e 6$ um.
Merinos pretos e de cores, urna varie-
dade immensa em precos e qaalidades.
Setins de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Toalhas felpudas, grande reduccao em
precos em vista da grande quantidade.
Enxovaes parabaptisados o que ha de
mais moderno e por pouco preo, 105000.
Colchas de crochet muito chic.
Camisas mglezas com e sem collarinho.
Atoalhado para mesa a 1$ e 1<5800,
muito fino.
ColLifitthos c.punho> de liuho e algafto
e por preco barato.
Babados e entremeios, grande sorti-
mento.
Madapolao pelle de ovo por 65 a peca.
Esguiao pardo e chumbado a 400 rs. o
covado.
Urna grando variedade em lencos.
Gravatas e meias para homens.
Cretones para coberta o que ha de mais
barato e bom.
Mantilhas de renda a 55 urna.
Leques de setim muito chic.
Linn bordado com quadros a 800 rs. o
covado, muito bonito.
Chitas escuras e claras a 240, 280 e
320 rs. o covado.
Cretones trancados, finos, a 320 rs. o
covado, para acabar.
Casemiras de cores e pretas um grande
sortimento em qualidades e precos.
Casinetas, o que ha de mais bonito, a
400 e 500 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por precos
razoaveis.
Crinpjine preta e. branca a 15600 o me-
tro.
Brins. pardos a 320, 400 e 500 rs. o
covado.
Cortes, de vestido de cachemira com vi-
drilho o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordados.
E' barato.
Cambraia branca, bordada, o que ha de
mais gosto e por preco razoavel a 85000 a
.peca.
Dita com salpicos a 45 e 55000 a peca.
Colchas argentinas a 65500 urna.
Ditas de 2, 35, 45 55000
Bramantes de algodao e linho de.todos
os presos.
Grande sortimento om fichs de corea
e pretos.
Grmaldas para uoivas.
Luvas e leques para noivas.
Bicos de cures muito chic.
Alm do que acabamos de annunciar,
temos urna quantidade de artigos que s
vendo-se, se acredita, pelo que pedem que
comparecam.
Dao se amostras sem penhor.
Setinetas lisas de todas as corea a 400
rs. o covado. Sao muito largas.
Bqnpa feita o por* roedi
55-RIJA DUQUE DE (AXIAt>*;>
FBXAiMSDEAZREBOiC,
. Precisase de urna ama boa cosinheira eoue
seja matriculada : na ra da Aurora n. 67, "an-
dar terreo.
Ama
Precisa-se tle urna ama djue saiba en^ommar
para homem : a iratar na ra Mrquez dg Olin-
da a. 41, aruiazom.
Ama
Xa roa velha de Santa Rita u. 89, precisase
de uina alna para comprar, co.-inhar e fazer 06
demais serviros de urna casa de pequea h
milia.
Amas
Na roa do Vigario n. 2o, 2- andar, precisase
de urna eosinheira e de urna ama secca para
crianga.
PRODUCTOS ESPEC1AES
Do Dr. Carlos Betteaconrtf
APPBOVADOS PELA JCNTA CENTRAL DE
HYGIENE DA CORTE
Salsaparrilha e Caroba
GRANDE DEPURATP70 DO SANGUE
Elixir anti-rheumatico, anti-syphilico,cmpie-
gado em todas as molestias de pelle, erysipela..
darthros ou impiogens, berberi, anthrazesr.pu
carbnculos, cancros venreos, ferldas cance-
rosas, ulceras, gonorrhas chronicas, boubas,
bubes, escrfulas e todas as doencas que de-
pendem da impureza 4o sangue.
Este remedio superior a todos os outros do
seu genero, o que est provado pela preferencia
e acccitacao que Ihe d o publico.
Um vkiro 3*000
Elixir de Jurubeba, Quina e
Pegapiuto
TNICO FEBRFUGO E DESOBSTRLENTE
Empregado na debilklade geral, doeDcas.^do
estomago^ convalescencas depws do parto, febles
palustres, molestias do ligado e bac, falta de
apete, anemia, cblorose, edres paludas ou falta
de saague, doencas nervosas.
E' um reeonstituinte de energa, aromtico e
agradavcl ao paladar
Un vidro
Xarope de Jaramacaru comr-
posto
GRANDE PEITORAL
Tratamento curativo de todas as molestias^!
peito e da garganta, defluxos, tosses simpidg e
convulsa, coqueluche. consh'pac8es, asthma. D'Bn-
chite, catarrno chrouico e tjrsiaq, pulmonar e d*
larynge.
E" o primeiro peitoral que se conhece at heje
na medicina.
Umvidro 2300
A' venda na ra Barao st Victoria n. 51
Ptarmacia Piulio
Professora de piano.
Urna senhora habilitada, nao s pelo seu es-
tudo, como tambem pelapratica, offerecc-se a
ensinar piano por presos mudico3, quer em ca-
sas particulares quer em collegios, podendo ser
procurada para o exercicio de sua profissao na !
ra do Jasmim n. 39.
Aviso
Jos Cordeiro dos Santos tem a honra de par-
ticipar a seus amigos e freguezeg que rr.udou a
sua toja da fazendas da casa n. 83 a ra Duque
de Caxias para a casa n. 89 da mesma ra.
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro que tenba pratica
d> ciliados, de 14 u 10 a'inos 'de idade. < que
idor a sua conducta ; qfclargq do Pikj
21. '
RELOJOARIA
A antga e bem acreditada ofticina dercla,
ro, sita ra Primeiro de Marco n. 4,
ser transferida para a ra i^arga i*
rio n. -**.
0 seu proprletario, tendoum completo t Wtiwf
bom sortimento de aviamentos tendentes sm
arte e com urna tonga pratica d mesma, oerefc-
se ao publico em geral para encarregaf-aerfc
todos concertos de relogios, caixas de aHjpiei.
etc., etc.
Espera continuar a merecer a confiaB^a e
seus freguezes e assegura-lhes que sera sspprt
solicito no cumprimento de suas oeens. T
42Ra Larga do Rosario 42
Gustavo Vollichard
Para oDerbj
Carlos Sinden recebeu grande sort
to de gravafas e camisas de cresprtprias
para os amadores do Prado e est
do por prefos sem competencia.
Recebeu tambem collarinho
'" borracha le formatf.s novos.
48- A BARAO DA.V1CTQRIA
Peit
.Viuda pi em feitor
conta de um sitio :. a t.ular ra Pf
numere^ 58.
Architecftii
Andri Rompcke prepar,
- cores, garantindo a
lauto para o <
-
Criado
Pa
Na ra da Saudade n. 27, porteo
de um criado.


I






rio de PerhamlmcO"-Domingo 10 de Fevreir% dfe
GRANDE ESTABELEC
:.jl>c^
PIANOS E MSICA
FUNDADO-E vi 1851
43-RUA DOS OURIVES-43
J. B5VILACQUA
Participa o8 i>ea8 ruroero's fngu zea do int aortimento de pianos dos melbores autores.
doa pianos de
Mi.Cfcr'^i'MftilCWI (primeira fabricante da Allemanba)
ConttruiC.ob com cbapa inteir* de metal, propria para o nasso clima
Corda* razadas, grande soo ridade, perfelco. duraco e solidez
risis:- atiosiso, Brau, snz, boisseiot s qtbos
Bf. B. Catlogos e precos torrentes serio rewettidos gratoitameot- a quero oa pedir.
GRAMDE OFFICJNA PARAaOONCERTAR PIANOS
SIGA
Ensino particular
0 profe*8or Joaquim Elias de Albuquerque
Reg Barios, ra da Conceigao n. 27, ensina,
3uer ou nSo, pelas casas, as segantes materias,
epois das 3 horas da tarde : portuguez, latim,
arithmetica, geographia, historia e geometra.
W
HB9
Bom
negocio
Vende se tres eavallos bons e por precos com-
raodos, por terem sido tomados em dividas :
quem pretender dirija-se ra Vidal de Negrei-
ros n. 146. cochcira.
VENDAS
Vende-se cal nova de Lisboa
dro Alfonso ns. 39 e 41.
Livros de medicina
Vende-se alguns livro de medicina
dos ; na ra da Rangel, armazem n.
na ra Pe-
servi-
Vinho de pasto
0 que ha de melbor, vende-se pelo mdico
preco de 35*'00 o barril de quinto e 9*000 o
ganafao de tres caadas, voltando o garrafao
7*500 (precos lquidos) : ra do Amorim nu-
mero 60.
Vinho puro de Pasto
Em Larris de quinto ; vendem Carlos Rabello
& C, ra do Vigario n. 31, 1- andar.
Vende-se
&
D todos os editorps d'Europa para piano, eanto, instruirlo tos, orcbastra. bnHa militar.
MEMIATl.'llA IJ9ICAE.Ri o Ibum .ont-n.'o seta prcas de musida, almanacb e caUlogo de pajas eaoolbidas
Qunn nos nroetter 520 ra. enviarero s MISI/VTURAf.
As eneommendes que nos afem dirigidas serSo despachadas com maiur breviAde, desde qus venham acompanbad>8
de sea. valor.
N. B. Os abatimeDtos serio propogcionados ao valor das encommendas.
Grande officina para gravar e imprimir msica
As pessoas que quizerem mandar editar bu>s JomposcSea devcm remelter-nos os manuscritos para serem informadas da
despea
^m
J. BEVILACQUA
43-RUA DOS OURIVES-43
Rio de Janeiro
A17TSO I Carocas de algodo
wSts Wr Sw ^"^ Compra-se carocos de algodao ensaccados, en
Previne-se ao llkn. Sr. Hypolito, consenhor treges nos armazens, ra do BarSo do Trium-
do engenho Penedo de Baixo, que o engenho
est quasi abandonado, e que grande numero de
moradores do mesmo e dos engenhos visinhos
estao acabando com as matas, fazendo grandes
derrabas para carvo e madeira, e ao Exm. Sr.
\mz de rpnSos compete pedir providencias.
Umnerdeiro orphao.
Ome/or de nutricio
m
iho ns. 10, 12 e 14 ; ao preco de 380 reis pot 17
ilos.
mprgidi com a
Odontalina
MU uiTinit, niuoEiM cusa u mgc
m ?ABIS: talia, 24. na d'Eugnen
Vinho Maduro
Pftcas Mendes 4 C, com grande estabeleei-
menlo de seceos e molhados, sito casa n. 9
roa est:eita do Rosario, contiguo aigreia, aca-
bam de receber urna grande remessa ao acre-
ditado e especial vinho Maduro, o nico que- sem
e mnima confeccSo importado neste mercado,
so se vende no referido estabelecimenta
FOLHETIM
sisamM
POR
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira; na ra Velha
numero 137.
Cozinheiro
Precisa-se de un cosinheiro
do i aysand n. 19.
a tratar na ra
JULIO MARI
TERCGIRA PARTE
BONRA POR HONRA
ContinusjSo do n. 32)
m* ix
Doriat ignorava a morte delles. O po-
fcre homem nao sabia tambem que a sua
casa havia ardido. Sabia smente que ia
responder ao jury pela segunda vez, que
S sua innocencia seria ostensivamente re-
oonliecida, que seria publicamente procla-
aaada, ao mesmo tempo que o nomc do
assassino de Bourreifle entregue exe-
cracSo.
Quando elle receben esta nova, disse :
NSo contava mais com isso! Vou ser
muito feliz!
E eis porque Maria Doriat nao ousava
annunciar-lhe a cruel morte de seos fi-
lies ; tinha medo de perturbar a felicida-
de tao completa de seu marido.
Montmayeur -comparecen resignado ao
jmy.
NSo procurou descnlpar-se, nem negar.
Confessou tudo, claramente, como o ti-
aha feito na presenca do Sr. de Morai-
aes.
N-T quiz implorar a inaulgencia dos ju-
rados.
Jogara urna partida, perder; era bom
jogador, e estava resignado a pagar iom
a vida a sua ma fortuna.
Conaervou-se calme durante todem os
debates.
Recouheccu a enormidade dos seus cri
mes disse que sperava o castigo.
Doriat foi abselvido e acclamado su:
ash^a do tribunal.
Montmayeur foi condemnado i. morte.
Esperara por' isso disse elle
aavogado- e-ojfco.
Porque nao quizera" tomar advogado, sa-
ausa de antemao perdida
Recusou appellar da sentenca.
Recusou igualmente assignar peti^ao de
graca
Esperou a morte com mdifferenca.
No dia em que seu marido foi julgado
pela segunda vea, Maria Doriat dirigio-se
a Ver8aille8.
Havia soffrido muito durante mais de
um anno as vergonha-i la condemnacSo;
queria ter tambem a sur. parte no trium-
pho da innocencia.
Quando o presidente disse: < Miguel
Doriat, o senhor est livre, foi Maria
quem o pobre Martyr encontrou primeiro.
Estavam l muitos amigos que quizeram
assistir rehabilitacao; mas elle se oceu-
pava somonte com sua mulher, sabendo
quanto ella havia soffrido. Nao procura va
senao o seu rosto adorado na multidao que
se agglomerava diantc delle, sabida do
Palacio da Justica.
E quando aviatou-o .
Maria! disse elle, minba boa e que-
rida Maria!
Cahiram nos bracos um do outro, cho-
rando.
Depois Doriat, aiastande-se um pouco
de sua mulher:
Como ests mudada, minha pobre
Maria... Como envelhecestc!... Os teus
cabellos cram prctos... Estao agora com-
pletamente brancos... S os olhos de teu
marido poderiam reconhecer-te...
E olhando em torno de si:
Por que meus flhoe nao estao aqui ?
Maria tremeu. Nao tinha coragem de
dizer a honivel verdade. IUudio a per-
gunta c respondou :
Tu tambem ests mudado, meu po-
bre Miguel...
E fallo a em oittza cousa, nervosa, as-
sustada com a dr de seu marido quando
llu seubesse da verdade.
Foram a pe at Garches.
Foi a principio dos seus negocios que
elle fallou; depois referio-sc guerra.
Foi preciso que Maria contasse minuciosa-
mente tudo quaato sabia sobre o cerco de
Pariz : as batalhas longe de Garches, os
combatee nos arredores da aldeia, o Bour-
gt, Champigny, o bombardeamento, Bu-
zenval.
A aldeia soffrcu muito? perguntou
tallando do Garches? Durante a ba-
talha de Buzefav.il deviam ter chegado l
os obuzes ?...
E' verdade, a aldeia foi quasi des-
truida respondou Maria.
Ah exclaaou o homem, empallide-
cendo de repentj. E sem duvida ha ca-
sas do amigos qlte nlc existem mais ?
la, sim.
Nuitas ?
Caotellas do Monte de Soccorro
Compra-se cautellas do Monte de Soccorro de
qualquer joia, brilbantes e relogios; paga-se
bem na Praga da Independencia n. 22, loja de
relojoeiro.
T
itr-

ESrfe!IUftJi!f ^

tu !
:
M
i- i: va)
LJY3 ;
Professora
senhora competentemente habilitada,
propoe-se a leccionar em collegios e casas par-
ticulares as seguintes materias : portuguez,
francez, msica e piano : a tratar na na Vis-
conde de Albuquerque n, 20.
Urna
Quasi todas.
Que desgraca !t..
Subia-lhe aos labios urna pergunta. Nao
ousava fazel-a e olhava para sua mulher.
esperando que ella fallasse.
Maria nao se apressava.
Elle resignou-se e disse :
A nossa nao soffreu nada, nao ver-
dade ?
Soffreu. Os obuzes attingiram-na,
como s outras.
Ah! E os estragos foram grandes ?
A nossa casa nao foi mais poupada
do que as dos nossos amigos... Ella nao
existe mais.
Doriat soltou um suspiro e ficou por
muito tempo silencioso.
Depois, tremendo e armando-se de co-
ragem :
Ae menos a nossa desgraca nao 6
completa... A casa de Pascal e Henri-
que...
Destruida como a nossa... pelos obu-
zes allemaes.
Ah os bandidos os bandidos! dis-
se elle cerrando os punhos e empallide-
cendo de colera... Espero que ainda che-
gue o dia da nossa desforra... Onde mo-
ras tu, minha pobre Maria, depois dessa
catastrophe ?
Maria contou-lhe que havia pedido hos-
pitalidade a urna amiga mais feliz do que
ella e caja casa tinha sido respeitada pelo
incendio. .
E Pascal e Henrique? Moram com-
tigo ?... O que fizeram elles durante a
guerra?... exquisito que nao me fal-
les nelles.
O que queres que te diga ?
Oh eis ahi urna pergunta bem sin-
gular. Dize-me primeiro como vio elles.
E' o mais urgente. Depois dir-me-has em
que combates tomaram parte, porque sup-
ponho que elles nao se conservaram de
bracos cruzados. NSo foram feridos, sem
duvida ?... Ou, se foram feridos, foi cousa
ligeira, e esto j curados, nao verda-
de ?... Com certeza me terias dito. Ima-
gino que ests a reservar-me urna sor-
preza! Vejo isto em teu rosto.
Elles tinham postos, hein? Talvez des-
sema um delles a medalha militar? Tal-
vez mais ? Responde... Falla, deves sa-
ber que cu ficaria orgulhoso se tivesse um
dos meus filhos condecorado com a cruz
da Legiio de Honra.
A pobre mulher estava num verdadeiro
supplicio.
Como explicar ao pobre condemnado o
medonho vacuo quaftia encontrar em tor-
__ J_ o
a arinaflaVfpteDsios da taverua sita ra da
Santa Crui h. 3 : a tratar na ra do Rosario da
Boh-Vista n. 53, fabrica de cigarros. A casa (em
commodos e agua encanada.
Fazendas baratas
Loja do Triumpho
lina Duque de Caxlas n. 49
Lis flns com froco, a 320 rs. o covado
Ditos de quadros, bonitas a 300 rs.
Merinos lisos, 2 Jarguras a 560 rs.
Ditos lavrados, 2 larguras a 700 rs.
Zetiros largos de quadros a 240 rs.
Ditos largos de quadros finos a 280 rs.
Ditos bordados unos a 700 rs.
Etamine arrendada a 440 rs.
Dita de listos abertas a 400 rs.
Setins de listrinhas a 660 rs.
Ditos da China fantoziaj a 240 rs.
Saias bordadas linas a 3*000
Camisas bordadas finas para senhora a 4*000
Cambraia branca bordada, a 4*500 a pega.
Dita bordada de cor a 5*500 a peca.
Chitas escuras muito boas, a 200 rs. o covado
Algodao largo ( '0 metros), a 2*500 a peca.
Dilo dito de 20 jardas a 4*000
Toalhas acolchoadas grandes, a 4*500 a duzia.
Redes inglezas grandes a 5*000.
Guardanapos delinho, a 1*800 a duzia.
Camisas de linho sem punhos e sem colarinho
a 3*000.
Bramante de algodo 4 larguras, a 700 rs. a vara.
Tapetes grandes para sof a 14*000
Cortes de seda para collete a 4*000,
Cortes de casimira ingleza a 4*500
E outras muitos fazendas que se vendem mui-
to baratas para liquidar.
A' ra Duque de Cavia* n. 49
Bastos efe G.
REVLCAO DO 48
A' ra Duque de Cavia* a. 4
Nesta loja denominada A' RevlucSo,
tendo sempre um grande e variado depo-
sito de fazeadas, resolveu-se vendel-aspor
menos 300j0 do que em outra qualquer
casa. Como sejam :
Toalhas felpudas e acolchoadas, brancas
e de cores, tamanho regular a 120, 20i>,
500, urna.
Merinos de quadros, lindos padroes
200, 240 e 280 o covado.
Seda Aljaciana (fazenda de fantasa),
240 o covado.
Cachemiras de quadros com combina-
3o a 320 o covado.
Mimosa cambraia das mojas para cami-
sas a 3)5200 a pe$a.
Lindos cortes para vestidos em cartao
com todos os aviamentos a 7)5 9)5 10)5 e
14# um.
Saias bordadas para senhora (recebidas
ltimamente de \ aris) a 3)5000 urna.
(.retoes inglezes, francezes e allemSes
a 240, 280 e 320 o covado.
Zefiros de quadros, muito largos a 160
200 e 240 o covado.
Lindas colchas com palmas de cores
para noivos a 105000 urna.
Chitas claras e escura?, muitos padries
a 2 Batistas oom palmas a piaftas, cores ii-
fcas a 120 o covado. '
Redes francezas a 5)5 e 6)5000 urna.
Fechs de 12, muito grandes, todas a*i
cores de 2*000 por 1|5500.
Camisas francezas de linho (pechinca) -te
60 a duzia por 48i5.
Merinas finos com duas larguras, todas
as cores de 800 a 500 o covado.
dem idem idem idem preto a 800 e
1)5000 o covado.
Cortes de fustao branco e de cores para
colete de 45 por 2f5000 um.
MadapolSes finos a 4)5, 5* e 6)5000 a
peca. '
Atoalhado de linho, lindo desenho a
1*700 o metro.
Cortes de casemira para calca, finos e
modernos a 4*, 5<, 6* e 7)5000 um.
dem idem idem idem costumes moder-
nos a 20)5000.
Cambraia de salpicos muito fina com
10 jardas a 4(5000 a peca-
E muitas outras fazendas que s com a
presenca das Exmas familias, poderao ser
vereficadas, como sejam: mantilhas brasi-
lheiras, leques transparentes, bicos de co-
res, entremeios, bordados, leos, extratos,
IllVAS fito
48 DUQUE DE CAXIAS 48
Pastelaria venda
Retirando-se para o Rio de Janeiro Argemiro
Pedro da Silva, proprietorio da pastelaria ra
da Imperatriz n. 54-A, vende seu acreditado es-
tabelecimenta. Tem tontos assignantes a Pas-
telaria Argemiro, que garentem urna receito su-
perior a 300* mensaes. O proprietorio ser en-
contrado na mesma todos os das para tratar de
tal negocio. _* .^aw
Vinho de Collares especial e
da Madeira
Em decimos e caixa de duzia, tem para ven-
der Joaquim da -uva Carneiro. largo do Corpo
Santo n. 13, 1 andar.
Taverna
Vende-se urna taverna na estrada do Peres, a
primeira ao saltar na estocao de Tigipi, a qual
se acna bem sortida e bem afreguezada por se-
a primeira do lugar, o alugue! da casa baratis-
simo e com morada independente, com bom si-
tio ; informaces na ra de Santo Thereza n. 30,
taverna motivo da venda se dir ao com-
prador.

no de si ?
Mas elle continuando o seu
pasamento,
nao suspeitando sequer a desgraja que
ella ia revelar:
E Luciana ? A nossa Luciana ? Clau-
dina? E o Sr. Landais que tao bem de
fendeu-me ? Lembro-me da ultima vez
que os vi. Foi na prisao de S. Pedro.
Conduziam-me para a guilhotina. Quando
pens nisso, sinto calafrios... Era tem-
po. Dez minutos mais, e eu nao estara
conversando comtigo, Maria. Quefim le-
vou Claudina ? Onde est a nossa Lucia-
na ? E Gauthier ? Emfim toda essa gen-
te... Avia-te. Tenho pressa de saber de
tudo. Lembra-te que tenho estadoimor-
to ha muito tempo para todos voces...
Quanto Claudina, ouviste fallar
nella durante o processo. Escapou de
orrer para salvar-te. Quanto Lucia-
na, viste-a no processo, e teria vindocom-
nosco, se nao fosse obrigada a ir para jun-
to da irmS, ainda doente, porque ella re-
cahio depois da morte de Jorge.
Sim, sei de tudo isso... Mas o que
ignoro a sua vida durante o cerco mal-
dito. E' urna lacuna que existe no meu
espirito, um vacuo que preciso que tu
preenchas. Vomos, falla. Antes de tu-
do, se bem que eu ame muito Luciana,
fala-me de Pascal e Henrique, por escala
de affecto... Comeca por um ou por ou-
tro, indifferente... Olha, vou ajudar-te.
Corneja por Henrique.
Chegara o momento. Era forcoso dizer
tudo.
Ainda ha pouco, Miguel, nao disses-
te que teus filhos deviam ter oceupado o
seu posto as fileiras dos combatentes ?
--De certo! era o seu dever de fran-
cezes. i
Poisbein, Henrique combateu.
Aiada bem !
Mas, meu pobre amigo, visto que de-
sejavas que teu filho corresse os perigos
da guerra, era preciso resignar-te, se Hen-
rique ...
Fosse ferido ?... Ah! meu Deus...
Invalido talvez? Foram obrigados a cor-
tar-lbe um braco ?... urna perna ? os
dous bracos?... as duas pernas?...
Maria calava-se.
Nlo dizes nada ?... Nao foi isso ?...
Nao ouso mais... Mara, minha querida
mulher, responde-me... Henrique ?...
Morreu!
Ah!
O pobre pai pronunciou simplesmente
este raonosyllabo, mas um soluco subio-
lhe garganta.
Deram alguns passos.
E Pascal ? perguntou Doriat em voz
surda.
Pascal combateu igualmente. Nao
adivinhas ? Eu nao poda pensar em re-
Vinho de Pasto em barris
de quinto
De especial qualidade e a prego baratissimo ;
:nde-se no '
Corpo Santo
vende-se no trapiche da Corapanhia, largo do
n. 19.
"I
Vestidos proprios para
bailes e fazendas para os
mesmos, aigrettes, plumas,
flores, fitas, leques, luvas,
meias e filos com salpicos
de todas as cores.
Va MOR
44-Rna do Imperador, \. andar
Cimento Portland
Vendem Soares de Amara I Irmos, ra da
Madre de Deus n. 22.
tel-03, emquan-o os outros batiam-se em
defeza da patria. E ainda mesmo qur. eu
o quizesse, Pascal n> respeitaria a mi-
nha vontade. Elle parti no mesmo dia
que Henrique.
. Est prisioneiro, talvez?
NSo.
O que feito delle ?
Precisas de coragem, meu amigo, de
muita coragem... A guerra urna cousa
abominavel, e os que nos governam nao
deviam nunca declaral-a seno para de-
fender a honra da patria ou para respon-
der a um ataque injusto. Coragem, meu
pobre Miguel, precisas da muita cora-
gem
sua mulher com
Doriat olhava para
olhos torrificados.
O que dizes tu ? o que dizes ? Pas-
cal ?... Pascal?... Elle tambem?
Como Henrique.
Morto !,
Doriat deixou-se cahir boira do cami-
nho que seguiam, ao longo de um fosso.
Poz a cabeca entre as maos, e, durante
muito tempo, levou a scismar. Maria nSo
ousou distrahir a sua tristeza, Nada, na-
quelle momento, podia consolar o pobre
homem. Nao liavia consolacao humana
possivel!
Maria conservava-se de p junto delle,
chorava silenciosamente.
Ouvio-'o murmurar:
Nao justo NSo, nSo justo Fui
homem de[bem durante toda a minha vida e
nunca fiz cousa alguma para merecer tan-
tas desgrasas!...
Quando Doriat levantou-se, tinha enve-
lhecido.
Tudo quanto tinha supportado havia
mais de um anno, a accasaeSo, a vergo-
nha, a infamia da condemnacSo, a solidSo
espera do cadafalso, a terrivel noite que
escapara de ser a ultima da sua vida, o
solamente na sua clula, tudo isso tinha
sido esquecido, tudo isso nao se compara-
va medonha catastrophe que encontrava
sua volta. ,
Sim, levantou-se envelhecido, com as
costas curvadas, a fronte enrugada, ten-
do perdido para sempre a alegra do seu
olhar.
Continuaram na sua marcha para Gar-
ches.
Elle quiz passar pela frente d sua casa,
e ficou all longos inKts"a contemplar as
ruinas. Depois, ofnesmo defronte daca-
Keeebcrau
AZEVEDO, IRMAO &
16 Ra do B. da Victoria
(Antiga Nova).
Lindas, capas de surah, cachem
ri e renda o que ha de mais nov
comprimento de saia a 15000 e 1
Sargelim fino todas as cores a
vado.
Baleias com forro a 240 a duzia.
dem com forro a 400 a duzia.
Bramante de linho com 10 pal:
1*500.
D to de algodao com 4 larguras a
Cortinados bordados a 5^000 e
Ditos de crochet finos 8*000 e 1
Estracto Rita Sangal a 2)5000.
Fichus de 12 e seda 1*000, 1*500.
Capellas com veo bordado a 6*00|
7*000.
MadapolSo globo a 7*000.
Dito camiseiro a 7*000.
Tapetes grandes para sof a 13*000.
Espartilhos couraca a 4-5000 e 5*0dfer
Brins de linho cies fixes a 600.
Panos de crochet para cadeiras a 800.
Ditos de crochet para sof a 2*000 e
3*000.
Guardanapos de linho a 2*500 a duzia.
Merinos de cores a 400 o covado.
Zefires largos a 160 fe 200.
Setim maco a 800 e 900.
Toalhas para banho a 1*000 e 1*500.
MadapolSo com um metro de largura
a 6*500.
Cachemira arrendada e de quadros
1*500.
Crochet para cortinados a 700.
Toalhas felpudas a 3*000 a duzia.
Camisas finas para homem a 33*000.
Colxas de crochet com flores a"
9*000.
Lindas velbutinas de quadros lisos e com
listas proprias para veo.
Nanzuc finos a 240 covado.
Ditas finas a 200, covado.
Cretones finos a 400 o covado.
Caixas proprias para presente.
Palitos de palha seda cores a 9*000.
Hano verde para bilhar.
Leques de pennas.
Ditos transparentes.
Crinoline preta a 300.
Guarn55es pretas e de cores.
Camisas de flanella de cores.
Seda crua de quadros a 800.
Crep inglez.
Meas brancas de seda a 4*000.
< achemiras de quadros a 280.
FustSo branco a360 o covado.
EsguiSo fino a 1*500 a vara.
Casemiras para roupa.
Roupa feita por medida.
TELEPHONE200
O desengao ir ver
Doce secco de caj su-
perior
Tem para vender em latas de 2 e 4 libras,|
prego commodo ; na ra do Bom Jess nfl
armazem.

\ +
Vende-se
.. m
o hotel do Beberibe com lodo? seus pertenees :
a tratar do mesmo

sa de seus filhos.
Maria contava-lhe'
canrinho, um cal
Henrique tinham mi
lagrimas. ardentes.
em caminhoe que
iolcomo Pascal e
ido. Doriat verta
pranto alliviava-o.
8SOOO a duzia
OLEO AMERMNO
O mais econmico, hyglenlco e
perfumado oleo para o
VENDEM
<.otii:n DE .11 ATTOft IIIn tos
25-rua Mrquez deOlioda-23
XI
Em fins de Junho, quasi um anno de-
pois do assassinato de Bourreille, que
Montmayeur foi executado.
A execucSo effectuou-se no mesmo lu-
gar em que Doriat escapara de pagar com
ajvida um crime que nSo tinha commet-
tido.
NSo teve fraquezas.
Foi o pensamento de Luciana que po-
voou-lhe o cerebro at a ultima hora.
Foi em Luciana que elle pensou quando
cahia o cutello. Os gendarmes contara
depois que tinham ouyido o condemnado
pronunciar um nome distinctamente, quan-
do, com maos e ps amarrados, esperava
o castigo supremo.
Esse nome era o de Luciana!
E na hora em que elle expirava, Lucia-
na, em Garches, ora va de joelhos J
m8eravel.
Gauthier nSo cumprira a sua p a larra.
Havia dito a Montmayeur:
t No dia em que subires ao cada-
falso, l estare i para applaudir as tuas an
gustias. >
Estava sufficientemente vingado.S
Foi clemente.
XII
Gauthier, no correr do anno que seguio-
ae guerra, casou-se com Luciana.
NSo quiz mandar reconstruir a herdade
incendiada.
Comprou urna propriedade no. Baixa-

iC
sua
mulher.
da de
paiz se
Berri e ahi installou-se com
Mas nSo quiz separar a
Doriat, do mesmo modo que
parar Luciana de Claudina.
Esta foi morar com sua irrna.,
Fiel lembranca de, Jorge, el
dava o seu luto.
Quanto a Doriat e a Maria
cumbidos dos cuidados que exjgia
taenso jardim florido que rodeava^
E o amigo Courlande ?
seu sonho estava realisado,
tinha bosques cerrados, e um
atravessava a sua propriedade.
Courlande foi encarregado da. guarda
da caja, com direito de cacar e pescar.
E' l que elle vive ainda, nos arrdo
res de Chatre : l que vivero ainda t
os nossos personagens, felizes tanto qu
se pode ser quando a vida Sfltf|
tSo crueis recordacoes.
FIM.
i Duque de Caxi
T
111 '"" a]


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ5T1YLBR_R3PKD7 INGEST_TIME 2014-05-22T22:57:17Z PACKAGE AA00011611_17445
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES