Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17444


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
)



<


-f
ANNO T NUM'EEO 32
g^p ,___._ i^
PARA A CAPITAL E LUGARES OTVRE X.%0 SE PACA PORTE
Por tres mezee adan tactos............... 6)5000
Por seis ditos dem................ 12)JO00
Por cm anno idem................ 23)5000
Cada numero avulso, do mesmo da......... 0100

B8BAB0 9 BE FEVEREIRO DE 1889
PARA Di:\THO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados........*...... 130600
Por nove ditos idem.............' 20J000
Por um anno dem...........!....*. 270000
Cada numero avulso, de dias anteriorel ..._..... (5100

DIARIO DE PERNAMBUGO
Trcpriedade de Manoel 3%guem, de Jara Jitycs

TELEGRAMMAS
:::-:;: : mu un:
BERLIM, 7 de Fevereiro.
" Acaba de fallecer o Cardeal Monsenhor
Mocisjas Ledochowski.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
8 de Fevereiro, de 1889.

IlSTRCCiO POPULAR
AS GRANDES INVEHES
ANTIGS K MODERNAS
AS
Sciencias, industrias e artes
POR
. L,iC'2 FS 4* 53 2 JE 31
~v~
O papel
(ContinuacaoJ
FABMCig.VO DO PAPBL l MO
Depois da pasta bem bronqueada lava-se em
urna tina cbea d'agua para tirar-lbe o cbloro que
tivesse fleado junto; em seguida passa para urna
pia chamada refinadora, que apenas difiere da
desfiadora, que descrevemos, em ter cylindro
mais facas ou dentes e em mover-se com mais
velocidade dentro do liquido.
Reducco da pasta a folhas. Varaos explicar
agora a operacao complicada e rpida que con-
verte adusta em papel continuo, mediante a
machina de fabricar papel, inventada como di-
semos, por Luiz Robcrt, de Essone.
Reduzida a pasta, pelos meios expostos, a um
estado de completo branqueamento, passa-se por
meio de urna bomba para um deposito pouco
profundo ; depois, cm virtude da aeco do ma-
chinismo motor, passa por urna especie de pe-
neira que se acha em communicaco com urna
ve.'dadeira machina pneumtica. Por effeito da
aspiracao do arexistente debaixo da peneira que
SBStem a faina de pasta qoasi liquida, esta secca
rpidamente e adquire urna consistencia algum
tanto solida, de forma que se pode ir envolven-
do sucoessivamente em una serie de cylindros
metlicos occos, que se aquecem interiormente
por meio do vapor. A passagem successiva
palas rollos quentes faz com que a pasta va sec-
cando e endurecendo pouco a pouco,, ate que
ti na I isa por adquirir a consistencia de urna folna
de papel, anda que um tanto hmida. Fabrica-
se assim urna folna de papel continuo que se
corta em seguida com urna thesoura.que tambem
funeciona mectianicanenie, em folhas do tania-
nho que se deseja, collocam-se estas, urna a urna
entre laminas de zinco e subraettem-se acedo
da prensa para se lhe tirar toda a humanidade.
Finalmente, as foliiasseccam-seao ar e ficam
proraplas para serem entregues ao consamo.
O papel que se chuma de mao, obtem-se at
formar a pasta, da mesma forma que o papel
continuo ; porm em vez de se fabricar urna
folha continua para cortal-a cm seguida em bo-
cados, preparam-se estes mao, folna por folha.
Fcilmente se observa que este trabalho muito
mais moroso ha de acarretar maiores despesas.
Depois de feita a pasta pelos procesaos cima
descriptos, para convertef-a em papel deita-se
em urna tina e all segundo a qaantidade d'agua
que se lhe juntar determina-se o corpo mais ou
menos grosso da folha.
Um operario chamado abridor tem na miio um
quadro ou forma, composto de um marco ou bas-
tidor de madeira, coberto de fios de cobre, cujos
signaes se veem quando se colloca urna folha de
papel assim preparado atravez da luz. Estes
sao sustentados de espaco a espaco por outros
mais grossos, collocados transversalmente. O
nome do fabricante que se le na folha do papel
feito por meio de outros fios de cobra. Final-
mente para determinar a altura, largura e gros-
sura da folha, conforme o estado mais ou menos
liquido da pasta, applica-se sobre a forma outro
quadro mobil chamado frasqueta.
0 abridor mergulba a forma aberta com a fras-
queta na pasta, conservando-a horisontalmente ;
retira-a depois na mesma posicio, imprimindo-
lhe ento diflerentes movimentos rpidos e de
bataneo am de juntar os filamentos da pasta e
distribuil-os com iguualdade. E' indispensavel
ter grande pratica para executar esta operacio
de urna forma conveniente. Um operario pode
preparar diariamente quatro mil e oitoceatas
folhas
O abridor deixa a firma sobre um inclinado e
retira a frasqueta. Outro operario toma esta
forma, escorre-a um pouco e volta-a em seguida
sobre um pedaco de panno. A folha de papel
desprende-se ento da forma e coberta com
outro pedaco de panno sobre o qual se colloca
em seguida outra folha.
(iracas a esta troca successiva de urna forma
cheia e outra vasia entre os dous operarios, as
folhas accumulam-se entre os padacos de panno
sobrepostos, e quando ha um numero sufficiente
d'ellas, leva-se ludo a urna prensa para espremer
a agua. Separam-se em seguida as folhas, dei-
\am-se seccar, collam-se, se o papel se destina
a escripia, em dissoluco de gelatina, impren-
sam-se outra vez para que a colla penetre bem
cm todas as partes do papel, poem-se de noro a
seccar, e por ultimo as folhas distribuem-s em
naos e em seguida em resmas.
(Contina)
viflgem Europa, o
PARTE OFFICIAL
Governo da provincia
R KL ATO IIIO com que o llim. %r, desembargador Joaquina Jos
de OUvelra Andrade entregos a sidadnlstraeao da
provincia o Hiu. Sr. Dr. i nnoce nelo Marques de
ArauJo iies a S de Janeiro de 1889.
(Conclusa" o)
INSTRUCCO PUBLICA
Para os lugares de delegados luteranos dos districtos que se achara vagos no-
meei os seguintes cidadao s :
Jos Ignacio da Silva, para o districto de Capoeiras e Lage Grande.
Ignacio Gomes Lyra, para o de Espirito-Santo em Tacarat.
Bacharel Affonso Olindense Ribeiro de Souza, para o de Santo Antonio do
Eecife.
Tenentft-coronel Geminiano do Reg Maciel, para o de Brejo da Madre de
Deus.
Conced a gratificaeao de mrito de que tracta o art. 125 do regulamente de
18 de Janeiro ultimo, aos professores de Timbaba, Cabo, Caruar> e Escada, Bene-
dicto Marques Vieira, Francisco Guedes de Oliveira, Felisbino Constancio de Ae-
vedo e Joaquim Pedro da Rocha Pereira, e a de bons servicos, a que se refere o
art. 126 do citado regulamento, aos de S. Frei Pedro Gonjalves do Recife, S. Jos
d'esta cidade e de Ipojuca, L'laudiana Nativa do O' Santos, Benjamn Constant da
Cunha Salles e Bellarinino Guedes Alcoforado por terem satisfeito os requisitos
legaes.
De accordo com o art. 235 do mesmo regulamento supprimi a cadeira mixta
de Campo Grande, na freguezia da Graca, vaga pelo fallecimento da respectiva pro-
fessora, Eugenia Mara Vieira de Mello.
Nos termos do art. 43 e tendo em vista as informac3es da Inspectora Geral
de Instrucao publica e da Cmara Municipal do Recife, creei urna cadeira mixta no
povoado Areias, da freguezia de Nossa Seuhora da Paz de Afogados, visto ser de
utilidade a existencia de' urna escola n'aquella localidade. D'epte meu acto nao re-
sulta augmento de despeza, visto ter sido supprimida a referida cadeira de Campo
Grande.
Remov, por accesso, conforme requereu, a professora de Tigipi, Anna
Francelna do Reg Barros, para a cadeira de Areias e determine que n'aquella ti-
vesse exercicios a professora Julia Ayres de Almeida Freitaa, que tinha sido remo-
vada para a cadeira de Marayal e d'esta para a de Tigipi a professora Taciana
Alexandrina Monteiro Lopes cando assim sem effeito a remocao da referida Julia
Ayres para a cadeira de Marayal.
Por conveniencia do servco publico remov da cadeira de Agua Preta para a
do Cumbe em Beberibe a profressora Antonia Clementina de Souza Ribeiro e d'esta
para a do Peres, que passou a ser mixta, em consequencia da jubilacao do respec-
tivo professor Francisco Manoel Bezerra de Vaseoncellos, a professora Idalina Alice
de Albuquerque, e bem assim a de Gamelleira de Buique, Joanna Lins de Albu-
querque, para a cadeira de ensino mixto de Mucambo.
Jubilei, a pedido, nos termos do art. 177 n. 1 e 3 do Reg. de 18 de Janeiro
ultimo, o professor da 1.a cadeira da freguezia de SS. Sacramento da Boa-Vista,
Simplicio da Cruz Ribeiro, com a pensao correspondente aos vencimentos de que
tratam os art. 180 4. e 181 combinado com o 139 do citado regulamento. Remo-
vi, por accesso, para esta cadeira o professor de Pao d'Alho Joaquim Elias de
Albuquerque Reg Barros e para a de Pao d'Alho o professor de Rosarinho, Deocle-
ciauo Ferreira dos Santos, ficando esta cadeira supprimida, em virtude do quadro
ltimamente approvado.
Autorisei a permuta-requerida pelos professores Francisco Marques da Trn-
dade e Affonso Monteiro Pessa, devendo este ter exarcicio na cadeira de Bem-te-vi,
e aquelle na de Surubim.
Attendendo ao que requereu-me o alumno-mestre titulado pela^Escola Normal,
Joao Cordeiro Fonseca.de Medeiros, determine que fosse posta em concurso a ca-
deira de 2.a entrancia da cidade de Pesqueira, vaga pelo fallecimento do respectivo
professor, Rufino Epiphanio Rodrigues dos Santos.
Determine que fossem annunciadas as vagas das cadeiras de Agua-Preta,
Marayal e Gamelleira, afim de serem contrastadas, e recommendei o contracto das
de Queiraadas de Ourcury, Salgueiro, Granito, Belm de Granito e Brejo dos
Padres, e-endo u 1." com Mara Petroina da Silva Falclo, a 2.' com Antonia da
Assumpcao Pires, a 3.a com Guilhermina da Silva Padilha, a 4.a com Leopoldina
Feliciana do Naacimento e a 5.a com Mara Amalia Forjaz de Lacerda.
GYMNASIO PERNAMBCANO
A 11 de Setembro conced tres mezes de licenca, com metade da gratificacSo
ious monitores d'esse estabelecimento Theophilo Xavier Cayalcante de Albu-
i que e SebastSo Cavalcante Lacerda de Almeida.
A 20 do moz findo determine que fosse rescindido o contracto d'este, con-
quereu-me, e designei, para substituil-o, o cidadao Afi'onso Artbur de Oli-
i do mesmo mez jubilei com os vencimentos a que. tiver direito, o pro-
essor da cadeira de'ensino primario, Francisco da Silva Miranda, visto contar mais
de 25 annos de servco no magisterio publico, sendo removido por acce*so, nos ter-
mos do art. Io da le n. 1.754 de 1883, o professor de Santo Amaro das Salinas
Manoel Roberto de Carvalho Gn i maraes.
. CORPO CONSULAR
O Sr. Mihelm Gildenister, encarregado do eonsulado Dinamarca n'esta' pro-
vincia, de volta de sua viagem a Europa, reassumio 0 respectivo exerejeio em 2o de
utubro ultimo. J^hu_ _jV
Reassumio na mesma data a exateicio, de volta de'
cnsul do Imperio Allemao, Sr. Pedro Borstelmann.
De volta da Europa, para onde seguio a 27 de Abril, reassumio ho exercicio
em 4 de Outubro o Sr. H. Niemyer, cnsul dos Pases Baixos.
Em ofticio de 12 de Novembro participou-me o Sr. D. Juan Buson, vice-
consulo da Hespanha, que, ausentando-se temporariamente da pronincia, com auto-
risacao do governo de seu paz, deixaria encarregado da gerencia do mesmo vice-
consulado o Sr. Francisco Affonso Monteiro.
mmGRACAO E COLONIgAgO
Em 18 de Dezembro submetti deliberacSo do Exm. Sr. ministro da agricul-
tura copia do officio de 17 em que o inspector especial de trras e colon isacSo nesta
provincia pedia providencias ao sentido de prepararein-se accommodagSes para colo-
nos, por lhe constar segundo carta do Sr. William le Tait, agente da Royal Mail,
haver o governo imperial contractado com este a introcucc3o de cem mil colonos para
o norte do imperio, desde a Baha at o Para.
Pende de decisSo do mesmo governo a proposta de acqusiao da propriedade
Jaqueira, prxima desta cidade pela quantia de 23:654i$636, segundo avaliacao do
engenheiro Gregorio Fhaumaturgo de Azevedo, para servir de hospedara aos immi-
grantes.
Pende igualmente de decisao do mesmo ministerio, com o meu officio de 19
de Novembro, a proposta feita pelo dito inspector para contractar com G. Laporte
& C. a impressSo de vinte mil exemplares da carta corographica desta provincia pela
quantia de 4:400)5000, os quaes tem de ser annexados noticia descriptiva da pro-
incia de Pernambuco.
Por telegramma do mesmo ministerio de 19 de Dezembro fo autorisada a
compra do engenho Suassuna, em Santo Amaro de Jaboatao, pela quantia de 70:0005,
sendo indemnisado o rendeiro do mesmo engenho da quantia de 12:OO0(J000 pela sa-
fra fundada, ficando obrigado a fazer entrega das trras desde j, e das obras, ape-
nas colher a safra deste anno.'
Por aviso de 26 de Setembro me fo communicado haver sido autorisado o
bacharel Henrique Marques de Hollanda Cavalcante, a introduzir de accordo com as
disposicoes em vigor, em seu engenho Mameluco, no municipio da Escada, dez fami-
lias de agricultores europeus.
SECRETARIA DA PRESIDENCIA
A 9 de Outubro conced ao Io olticial da 3a scelo bacharel Joao Candido Go-
mes da Silva dous mezes de licenca, com ordenado, para tratar de sua saude; e tres,
a 13 de Novembro, ao 3o official d Ia scelo, Jos Raymundo Ferreira de Araujo
Saldanha; tendo nomeado, para substituil-o interinamente, o bacharel Vctor Emma-
manuel de Camargo, que exonerei. a pedido, em ll de Dezembro findo.
Por portara de 4 do referido mez de Dezembro, aposentei, a pedido, o chefe
da 3a seceio Jos Odilon Annes Jaoome Pires, por contar mais de vinte e cinco an-
nos de servco e achar-sc physicamente impossioilitado de continuar no servco. A
esse cargo promov o Io official bacharel Jlo Candido Gomes da Silva, que foi subs-
tituido pelo 2 da mesmo scelo Telemaco Cavalcante de Mello. Para este lugar re-
mov o i da scelo do archivo Manoel Machado da Suva Santiago, promovendo ao
lugar de 2o o 3o official Francisco Augusio Pereira da Costa, que foi substituido,
15 do mesmo mez, por Adolpho Bessoni de Almeida.
Por esta occasilo -me agradavel declarar que o servco dessa repartilo foi
sempre feito com zelo e intelligencia esclarecida e pratica notaveis. Ao secretario
interino bacharel Manoel Joaquim Silveira faco justga louvando-o palo modo por que
soube dirigir os trabalhos da secretaria.
CONCLUSO
Sao estas as informacSes que teaho a honra de ministrar a V. Exc. a quem
desejoque consiga, com-suas luzes e pratica do serVico publico os beneficios possi-
siveis para esta nobre provincia.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm. Sr. Dr. Innocencio Marques de Arau-
jo Ges, presidente da provincia.
O desembargador,
Jos Joaqm de Oijveiba Andrade.
zia de S. Jos, Christovao Jos dos San-
tos, por disturbios,,
A' ordem do de Belm, Cypriano de
Souza Viegas, Manoel Honorato Ferreira
e Galdino Lino do Espirito-Santo, como
vagabundos.
Pelo subdelegado do 2 districto da fre-
guaa da Boa-Vista, fbrant remetidos a
esta repartirlo, f2 tacas de pontas, 6 ca-
ivetes, 2 compassos e 2 avalhas, toma-
das a desordeiros.
O delegado do termo da Escada, com-
munica que no dia 2 do corrente, foi en-
contrado morto dentro do acude do enge-
nho Sibir Grande, daquelle termo, urna
crianca recentemente nascida.
Das diligencias procedidas a respeito
verificou-se ser autora do crime Mara
Colleta da Conceicao, mli da mesma crian-
ca, a qual declarou haver assim procedido
para oceultar a sua deshonra.
Abrio-se e competente inquerito contra
a criminosa que foi presa.
O cidadao Francisco da Motta Ribeiro,
communca ter assumido o exercicio do
cargo de delegado do termo de Bom Jar-
dim. na qualidade de 1 supplente.
Deus guarde a V. Exc.Illm, e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Ges, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de polica interino, Daro
Cavalcante do Reg Albuquerque. '
;--------------"*-------------------
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA "7 DE FEVEREIRO
DE 1889
Jos Firmino Ribeiro.Ao Sr. Dr. contador
para os devidos fins.
Henriquela de Moura Pereira.Informe o Sr.
Dr. administrador da Recebedoria Provincial.
Augusto Gomes da Silva Sim.'licando cer-
tido.
Officio do consistorio da Veneravel Irmaudade
das Almas da freguezia de S. Frei Pedro Gon-
calves do Recife.Ao Sr. thesoureiro para seu
conhecimento e fins devidos.
Gaspar de Menezes Drummond.Haja vista o
Dr. procurador fiscal.
Officio n'. 210 da directora geral das obras pu-
blicas.-Informe o Sr. Dr. contador para os de-
vidos fins.
tatente do carro em que veio em soccorrailr
mditosa crianga.
Todos os passageiros do bond revoltaraa>se
contra o inslito procedimento desse empregata,
e tal vez lhe houvessem manifestado por ato
modo, a sua indignaro, se elle nao se erafioe
immediatamente.
Alfredo foi conduzido residencia &e ks
r8?ilB8fia^e 1>e^ro H>- ondt' medjearas-afti.
w Wt. an. Baro da Batta Bacellar, Antwir-
Marcal, raes de Carvalho, Santa Rosa, Saca:
Castro e Pernambuco Jnior. v
E' gravissimo o seu estado, porquanto fseast
fracturados a perna e o quadril direito, nrnn.
impossivel a amputagao.
Rendeu a Alfandega em Janeiro 822:462SH*
No decurso do anno de 1888 prximo pasaste
attingio a cifra de XI.881:4774341 o valor afls!
dos primeiros gneros da Amazonia exprtate
para a Europa Estados Unidos e sul do mpme,
sendo de 39,174:013^35 o valor dos embrcate
em-nosso porto, e 4.708:4631906 dos queotent
em o de Manos e passaram em transito por su
Srovincia segundo os dados estatisticos qwpa-
emos colher qos livros de registro da praca io
commercio.
PORTO DI BEI.EM

DIARIO DE P
BDCO
BXPBMENTE DO DU 30 DE JANEIRO DE 1889
Actos :
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o professor Francisco da Silva Miranda,
e tendo em vista a mformacao n. 37 de 26 do
corrente mez do inspector geral da instruccao
publica, determina que seja computada na jubi-
lacao do peticionario, que teve lugar a 29 de De-
zembro findo, a gratiricago de mrito, visto ter
provado os requisitos a que allude o art. 139 do
regulamento de 18 de Janeiro do anno pas-
sailo.
O presidente da provincia, attendendo ao
3ue requereu o director do presidio de Fernando
e Noronhi. Joaquim Agripino Furtado de Men-
donca resolve conceder-lhe noventa dias de licen-
ca, com os vencimentos a que tiver direito, 'para
tratar de sua sade, devendo o peticionario en-
trar no gso da referida licenca no prasede um
mez.
O presidente da provincia, attendendo ao
3ue requereu Joao Pinheiro Catle, enfermeiro
a Casa de Detencao, resolve, de conformidade
com o disposto no art. 59 da lei n. 683 de 5 de
Maio de 1866, restabelecido pelo art. Io da de
n. 1,522 de 11 de Abril de 1881, conceder ao pe-
ticionario a gratificacSo da terca parte dos res-
pectivos vencimentos. visto contar mais de trinta
annos de exercicio segundo a informago do ins-
pector do Thesouro Provincial em officio n. 48 de
ii do corrente mez, devendo ser-lhe abonada a
mesma gratificaco nos termos da lei n. 1,682
de 21 de Junho de 1882.
Officlo:
Ao director do Arsenal de Guerra.Mande
V. S. receber no quartel do 2. batalbo de in-
famara e transportar para bordo do vapor que
tem de seguir para o presidio de Fernando de
Noronha, dous caixes contendo fardamento para
as pracas daquelle batalbo all destacadas.
Ao inspector do Thesouro Provincial.
Manae Vmc. pagar, nos termos de sua informa-
do n. 47 de 28 do corrente, companhia da es-
trada de ferro do Recife ao Limoeiro a quantia de
14800, proveniente de passagens concedidas du-
rante o mez de Novembro do anno passado, nos
carros d'aquella estrada ao capitao do Corpo de
Polica, Joao Francisco Hcmeterio Portella e ao
alferes do mesmo corpo Deocleciano Peixto d&\
Alencar, constantes das duas portaras juntas
por copia. Declaro a Vmc. que nesta data sao
submettidos deliberacao da Assembla Legisla-
tiva Provincial.os papis referentes ao pagamento
do restante da despeza, de que trata a sua citada
intormacao.
A comu andante do Corpo de Polica.Re-
forc com dez pracas o destacamento de Barrei-
ro8.Ct.mmunicou-se a Dr. chefe de polica.
Portaras:
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana de
navegacAo a vapor faca transportar a provincia
do Rio Grande do Norte, por conta do Ministerio
da Marinha, o capit.io-tenente Leoncio Rosa, sua
mulher e doos filhos menores, onde o mesmo
official vai exercer o em prego de capitao do
porto.
-O*, gerente da Companhia pernambu-
cana faga transportar ao presidio de Fernando
de Noronha, dous caixOes contendo fardamento
para as pracas do 2 batalho de infamarla all
destacadas. Cornmiinicou-se ao bngadeiro
commandante das armas.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Officios :
Ao Io secretario da Assembla Legislativa
Provincial De ordem do Exm Sr. Dresidente
da provincia remeti a V. S. para o tim de ser
opportuuameate submettido, deliberacSo da
Assembla Legislativa Provincial o officio do ras
pector do Thesouro Provincial n. 47 de 28 do
corrente, acompanhado de outros papis, refe-
rentes ao pagamento da quantia de 274190 devi-
da companhia da estrada de ferro do Recife
ao Limoeiro pelas passagens concedidas durante
o mez de Novembro do auno passado, a pracas
do Corpo de Polica e a Jos Martins da < unha
Devo declarar a V. S. que n'esta data autorisou-
se o Thesouro Provincial a pagar a quantia de
14800, relativa as passagens dos officiaes do
mesmo corpo.
Ao mesmo. O Exm- Sr. presidente da
provincia manda remetter a V. S.. afim de qne se
digne de submetter apreciaco dessa Assembla
o balanco da receita e despeza do exercicio de
1887 a 1888, e o orcamento para o de 1889 a 1890
da Cmara Municipal de Cabrob.
Ao inspector do Thesouro Provincial. S
Exc. o Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. S., para os iras convenientes, que
n'esta data, indefero a petico do Dr. Jos An-
tonio de Pinho Borges, sobre a qual informou
essa inspectora em officio n. 45 de 28 do cor-
rente.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da
Srovincia manda communica'r a V. S. para os
ns convenientes e em resposta ao seu officio n.
48 de 28 do corrente mez que no reqnerimento
do enfermeiro da asa de Detencao Joao Pinheiro
Catle proferio hoje o despacho seguinte :
< Deferido em vista da informacao. Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Ao director do presidio de Fernando de
Noronha. S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia manda communicar a V. S.. para os fins con-
venientes, que no seu requerimento de 17 do
corrente mez pedindo noventa dias de licenca
para tratar de sua saude e passagens para esta
capital para si e um criado proferio hoje o des-
pacho seguinte :
Deferido concedidas tambem as passagens
por conta das gratuitas a qne o governo em di-
reito. Mandou-se dar as respectivas pas-
sagens.
--------------"Tsmwgar---------------
DESPACHOS DA PRE8IDENCIA DO DIA 7 DE
FEVEREIRO DE 1889
Bartholomeu Eugenio Muniz W'anderley.
Boncedo.
Io Tenente Jonathas de Mello Barreto.Infor-
me o Sr. inspector da Tbesouraria de Fazenda.
Joo Hermenegildo Bcrges uinizDeferido
de accordo com as informaces.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
de Fevereiro de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
buco, 8
Repartieo da Folela
2.* scelo.N. 138--Secretaria da Po-
icia de Pernambuco, 8 de Fevereiro de
1889. Illm. e Exm. Sr. Participo a
V. Ecc. que foram hontem recomidos
Casa de Detengao os seguintes individuos :
A' minha ordem, Joaquim Pereira da
Silva Bentevi, como desordeiro.
A' o dem do subdelegado da freguezia
do Recife, Antonio da Silva PavSo, por
offensas moral publica.
A' ordem do da freguezia de Santo Anto-
nio, Jos Nogueira da Silva, Antonio Jos
Francisco, Juvino Netto de Mendonja,
Francisco tal, Joao Jos de Azevedo,
Francisco Antonio Duarte. e Augusto Mar-
ques, por disturbios.
A' ordem do do 4o diatricto da fregue-
RECIFE, S DE FEVEREIRO DE 1889
itfutlelas do norte do imperio
O paquete americano Allumca, entrado hon-
tem do norte, trouxe as seguintes notieias :
Para
Datas at 2 de Fevereiro :
As ultimas noticias receladas de Soure dizem
que teem sido raras e passageiras as chuvas nos
centros da Una, pelo que os criadores de gado
nao estavam anda tranquillos e continuavam a
soffrer premisos.
O celebre *Victorio de Paula e seus compa-
nheiros na destri ico da fazenda S. Christovao
nao foram pronunciados pelo juiz municipal sup-
plente em exercicio.
Dizia-se que o despacho de nao pronuncia
foi enviado da capital em urna lancha expresaa,
que chegou all na noite de 22 do co: rente, pois
ae tendo o dito juiz recebido os autos nesse
ia. logo no dia 23 pela manh entregou-os des-
pachados.
Lemos na Provineia do Para de 29 de Ja-
neiro :
Ao entrar na casa de sua residencia, ra
do Rosario, ante-hontem as 11 horas da manh,
foi o Sr. Cirne Lima, membro da redaccao d'O
Commercio do Para, aggredido pelo official de
descarga da Alfandega, Antonio Jos Ferreira
Jnior.
Defendendo-se e reagindo contra o seu ag-
gressor, este pdz-se em fuga precipitadamente.
O Sr. Cirne Lima, (endo ficado ferido na
mao direita e no rosto, requereu corpo de delic-
io, dando queixa perante o subdelegado de San-
t'Anna
Ferreira Jnior ficou tambem ferido no rosto
e na cabeca.
L-se ua mesma folha de 30 :
Em a tarde de ante-hontem, por occasio do
temporal que desabou sobre a cidade, naufragou
prximo bocea do rio Carnapij urna peque-
a igarit, que vela demandava o nosso porto.
A pequea embarcacio vinha tripolada por
dous lavradores de nomes Augusto AI ves d'Oli-
veira e Benevenuto de tal, moradores naquelle
rio, og quaes consegrando desalagar a canoa,
nao poderam comtudo evitar a perda de alguns
gneros que traziam para vender.
Hontem, no Vero-peso, narravam os ho-
mens a infelicidade de que foram victimas, e
se nao fossem mos generosas que os caadju-
varam, nada teriam comprado para seu alimen-
to.
A 30 de Janeiro comecaram as sessoes pre-
paratorias da Assembla Provincial, que aDrio-se
com as solemnidades do estyllo no da 2 do cor-
rente.
Embarcara para o Maranhao no paquete
AUtanai o Dr. Dodsworth, a cujo proposito disse
a citada folha:
Resumimos aqui o servco do Sr. Dr. Dois-
worlh, desde 19 at 28 do mez findo*. periodo em
que esteve desempenhando a sua commissao
nesta capital.
Realisou 5 vaccinacoes publicas, vaccinando
e revaccinando a 74 pessoas.
Fez a inoculaco em 7 animaes, dos quaes 2
foram entregues inspectora de hygiene em
perfeitas condicoes para a pratica e successivas
culturas da vaccina.
> Distribuio 135 tubos com polpa animal,
acorapanhaaos de folhetos explicativos a todos
os membros da inspectora de hygiene, assim
como a grande numero de mdicos.
Dos individuos inoculados nos primeiros
dias de vaccinaco, 17 voltarara a secretaria da
junta de hygiene, sendo 11 com excellentes pus-
tulas e 6 de resultado negativo.
> Estes ltimos erara menores de 12 annos e
apresentavam cicatrizes de oda vaccinaco ante-
rior.
Lemos na Provincia do Para do 1 de Fe-
vereiro :
As 10 e 1(2 horas da manh de hontem, sa-
ino do Atheneu Paraense, do qual alumno o
menino Alfredo Moreira de Souza Cabra!, de 13
annos de idade, filho do Sr. Dr. Joaquim Victo-
rino de Souza Cabral.
.. Subindo a ra do Rosario, ao chegar a es-
quina da travessa Prime.iro de Marco -vio passar
em urna carruagem o seu pai e deteve-se para,
saud.il-o. Nesse momento, o bond n. 20, chapa
, da Companhia Urbana, que era guiado pelo
boleeiro Joao Francelino e que vinha, de Naza-
reth a todo galope utropellou o, sem que o bru-
tal cocheiro tentasse ao.menos soffrear os mua-
rs.
Precipite, o Sr. Dr. Cabral saltou immedia-
Generos*
Borracha fina
Dita entrefina
Ditasernamby
Cacao
Pelles de veado
Couros verdes
Grade
Guaran
Salsa
Oleo de copahyba
PiassaDa
Cumar
Couros salgados
Urac
Puxury
Assucar
Castanha
Marfini vegetal
Chapeos do Chile
Couros seceos
Quantidade
7,813.309 kilos)
Valoroffeat
1,134.514
3.940.788
7,209.450
63.773
871.326
48.790
14.842
4.227
8.388
28.085
6.662
1.338
8.519
229
1.384
125.809
hect:
170 kilos
47:885 -
21.697
\ 24,610: IUPB
3.103:7 IOS
91:09112.
86:819/2
' 66:275*
36:42?ti
12:7031936
8:8934
4:2U'7J
2:53UWW
2:40&40O
2:72fi tm
15517
27ISW
841:397*87
51M08
106:1684
57:792S>
Diversos artigos nacionaes e estran-
geiro 137;49
PORTO DE MANOS
Quantidade Valor

1,276.941 kilos
161.051 .
667.071
329.636 .
121.457 .
101.387 .
2.219 .
2.166 >
161 -
84
39.696 hects.
Ir
210-U5JH5
148 722
1:21SJ3
11:37117
3:32MH1
2:3M0HB
rom
w.nm
84:095
Gneros
Borracha fina
Dita entrefina
Dita sernamby
Cacao
Piassaba
Couros verdes
Pelles de veado
Oleo de copahyba
Cumar
Couros seceos
('astanhas
Maranhao
Datas at 3 de Fevereiro ;
Apenas encontramos no Paiz de 30 a
local :
Hontem por volta de 11 horas do dia na-
garefe Crspim de Moraes desfechou dous finas
de revolver em sua mulher Vernica Francaca
de Moraes, moradora ra do Passeio.
Accudindo em soccorro da victima a mtiter
Canuta sua ta, Chrspiano dirigio-se contri, efiai
e deu-lne no peito urna punhalada que atesnor-
sou o coracao, produzindo a morte em
minutos.
Em seguida o feroz assassino, que
apenas 19 annos de idode. tentou contra a pn-
pria existencia cravando urna faca na regia* fie^
cordial.
Desgostos particulares de familia t idas
conselhos da mulher Canuta sua esposa, toes
sao, disse Chrispiano, os motivos que o levjcaa
a praticar os crimes cima referidos.
O corpo de delicto, feito pelos Drs. Hesrae
Pereira e Claudio Serra, julgou graves o la-
mentos perpetrados em Vernica.
Esta se acha em tralamento no hesplt 4a
Misericordia.
Chrispiano foi recolhido a cadeia.
Piauy
Datas at 19 de Janeiro.
Lemos no Telepkone dessa data :
Nos dias 13 e 14 do corrente aportarais as-
a cidade os vapores Therezinensc e Paranefm.
procedentes da Parnahyba, rebocando os cacK
dos dous novos vapores e duas barcas da camftr
nliia de navegacao desta provincia.
Conduzidos estes barcos de Liverpool, nade
foram feitos as acreditadas ofiicinas dos Srs.
Cochran & C. pelo vapor Cumbrian, iiiiiiiIi
mente desmontados, foram recebidos na jarra,
da Tutoya pelos dignos gerente da compaakia.
fiscal da mesma e dire'rtor da fumlicao, e iaBs
transportados para a Parnahyba, onde foram
montados os cascos sobre a agua, e condudne
em seguida para esta cidade.
Todo o trabalho de recebimento e matta-
gem, sem duvida da maior importancia sobre-
modo afanoso, foi dirigido pelo intelligente e n-
fatigavel director da fundico, Sr. Richard tar-
ce, e executado pelo pessoal da fundigao k
all se achava.
Os vapores sao, como j dissemos, peririt-
mente adaptados navegacao do rio Parnafcta-
No sao, porm, movidos a hlice, como p"er
gano alarmamos quando tempos tratamo del
les, mas de roda popa.
Este systema, que foi pela primeira vea n-
pregado para a navegacao do rio Congo, na fri-
ca, dando o mais satisfactorio resultado, n
certeza, o que melhor se adapta a nossa natcn-
cao.
Para nos fra de duvida que com a
sicSo dos novos vapores, est resolvido o
blema da navegacao do alto Parnahyba e
elle o do desenvolvimento e progresso d
importante zona.
A' companhia de navegacao deve a pwKc
mais este grande servico.
Enthusiastas de todo melhoramento e poo-
gresso desta terca, cujos mteresses tomaros A
peito advogar, nao regateamos os nossos emat-
mios a esta importante empreza.
Os novos vapores se denominarlo Amarare
e Santo Estevo e as barcas Boa Esperaos* e
Canavieira. -
Estiveram nesta idade os engenheiroc -
colo Lecocq, Luiz d'Oliveira e Fernando tfttfc-
veira, que, por conta propria, vieram fazer to-
dos preliminares da projectada estrada de km
de S. Jos das Cajazeiras a Caxias.
Hontem deram elles, comeco a esses esjafa^
partindo de S. Jos com direccao aquella e-
dade.
Somos informados que nutrem ees pa*B*
esperancas de podjr ser levado a effeito taeso-
portante melhoramento, pelo resultado tod*ae>-
gativo que dizem offerecer a projectada estmikv
idea i-ran demente suggerida e sustentada watt
capital por meia duzu de e^pintos refradaiioi
a todo raoviinento progressivo e de, um pe-
mismo que entristece e que revolta.
Acreditamos porm, me os filustres nheiros, houiens pratico exonliecedores daasfc-
teria, nao levarao era conta essas opinit-
mais dellas recentes em banalidades
pouco os interesses que por !*a
apr chocados com o, eaoM
irada, para julgarem coaTa
sua conveniencia e atidMnl

;^r
<,
. "-
I
1 IHW1 1



,<::..
i
2
**
Sobre a s**1
Tornam-se cada dia mais precanas_a*.C0O/,
dicOes desta inflii provincia.
A secca, a fome e a peete a perseguem des-
;piedadamerite.
De todos os raunicipfsAvaa noticias que no
ohegam -o la mais a^jajbxssa desolagao, por
'tflito da s*rca que de.vasia toda a ereago. an-
aiquitando a mesmo em muitos lugares, da fo'
meque rTagolla o povo da pesto, o sarampo, que
v-ai dizimu'ndo a populaca.,.
i de i.ritapMwn --lMfetf*
interior por uro prec*kv;llimgra
kpparercn para ocnMM<|.:,>Kc-']Mipi'IIMll>>i-
i-m 15. nstes poiHH- dMsjaaiil'-**!>. <**sslros
tOO ',< at i rirnatiMH1"""1 '" ""r**"11
demonstraremos, ucqbmmiIihum movimejstlas
ite| i, mtfUhiw Hiiie de airan* entargipe e,
mpaassa Mi.eii|fMMtiiisuiitHL'itaJtui'alivlil
^tim Jttasasian- Iti lili.-ifi. M). Pu
:a,ia*|Hii, Potto-lteal. Rio Bouttaj ettacuhy*, uia.e
^staa>.rrasrioi.8aiil iaSSRuMfi' n**
lUgo
A F.pocha da
osse assumpto:
1 A secca contina a-^(KPlir-n*,MBOU0=
oe pontos da provincia as uoticias que temos sao
asustadoras. ,_, .
Carta de Humildes pinta-nos tristemente o
madro horroroso de que por all se passa.
Em Peraeuraca, segundo nos informara cau-
sa estragos em grande escala. Dous fazendei-
ros tos perd* para tnair se treaaril abata
ie gajo, l^to serve para avuiar-se o mais.
. Escrev.-m-nos de Pedro II e a lugusre bis--
roriaj- a mustua, A desgrasa geral.
Enj OeUa os prejuizos s*to iocalce laxis e
almjwto na pesie, c geta de viveres para ali-
eentacs do povp. ,
Valenca esti nos ltimos apuro da peuu-
\ foc, o Se**- Vieira 4a Silva tem teiegra-
yhadpjao.^.v.'roo.pifttaudo o estado A provm-
ae^iicitaudo providencias; espera solugao,
e prompiamente acudir osroclaaios desespera-
dos dj jjiuh pppulagao inteira.
doctos:*..-s safsiint estes ueauus: fiapaiaia
reJernBAJ. M. va,-*. Caetaiio, yiwiniados, Co-.
aasSasderaoj doiwr-
perangosas provincias de Sergipe e Parahyba do
INTEEIOR
Exp+simm de Manear e vinbos
'Jornal do Commercio da corte)
IV
ENGINU0S CF.XTRAK!-
a ej^xwigo especial dos engenho* centraes
ost ajfssefflHiaaa pelas tres salas destinadas ao
assucar. e nella se podem verificar os verdadei-
ros prgressoa que esta industria tem realisado
ao ufeuw d encamo.
Lutand i com as eircumstancias desfavoraveis
Jos njerrads internes e externos, tendo de ser
vir-stt-de materia prima escassa e defeituosa, sen-
ndo_.Q,o seu, custeio as progresivas exigencias
dos fcruiwI hadares, em verdadeiros mercados
abertaa no estrangeiro, ensatando successivos
taechjajjsinps e prqpessos para empn reinar com
os productos similares de outros paizes sem cr-
dito sjspecial.rpem bancos que o auxtliem, sem
ntreaaiitos qu Ihes adiantem dinheiro as sa-
fras, abrigados a vender scbs productos por me-
' ios |iia -tergo do seu valor- real, os engenhos
ntr^ teem prolongado lima existencia sem-
pre fifteada,. alias em proveito manifest dos
plant^dore';-. sem com tudoat boje estarem ao
torigfcnliw vicissitudes.
Ainjjjf agen, na ultima safra de 18881880
tiveraju d* sacrificara 160 e!80ris o kilogram-
ma, pro iuetos que actualmente se vendem de
JOO a|S<>. com tendencia njarfesta a alta. Isto
I, pot^fi'la de capital supplementar garantido,
para leja :i tomento de meios de custeio, sujeita-
ram-se receber valor inferior ao custo real dos.
roduetjs.
Al&jj. destas difTiculdades financeiras, mal at-
tendidas ou nao previstas na fundaco dos cn-
^enbos, tiveram elles que tutor com a falta de
pessoa* superior e inferior habiltalo ao uso dos
oechanismos e dos processes scientilicos. Esta
difficujdade, devida nossa educacao mal dirigi-
da e teda abstracta, sem applkaces protissio-
Baes. -jih9 se faz sentir smente na lavoura de
cannaf ioas tambero no uso dos engenhos de
gnerr% marinlia. nos das fabricas e vias-ferreas,
nos sepiws telegraphicos eoutros que dependeai
de orjpoiuco rigorosa e scientifica. Temos as
os es instrumentos, mas delles nos servimos
mal ou o= estragamos.
Em geral, os nossos projissionaes nacionaes e
estrangiiiros nao teem idea do raethodo rigoroso,
da applicaco estricta, da economa indispensa-
rel de ojie preciso usar para que as empresas
industmes surtam effeito ou obtenham resulta-
dos, r
Conteiitam-se com o.pouco ovm ou.tmmos, com
preoichiuicnto das foruialidades apparontes
que detmi djreitp aos vencimentos, e assitn ar
rainam ,i si e aos cominettinentos em que to-
mam naru,'. .....
PelizTiKiite, este periodo de tirocinio coraeca
a desajyiarecer nos .engenjios contraes. J sa-
bem o valor de certas receitas apregoadas e uia
cbinisnio- inculcados, j se dasenganaram dos
productos para vista e nao para o lucro, j sabem
o limit que podem. ter os contractos de materia
primado p<^ssoal maneja soffrivelmente os meios
mechafticos e os proqessos mais vantajosos estao
em ehsaios delinitivos..
Afora surge, porm, urna das mil e uroa.es-
travagauriis com que os discutidores e polticos
costuinaii entre nos inutilisar os sacrificios fei-
tos eiu favor dos progressos econmicos. Em
tez de alentar os fctabelecimentos j existentes,
5rovei!:u- as suas experiencias e recursos crea-
os dar-lhes as forcas de crditos necessarios
para realisar os processos maw vantajosos ou
fazer tace aos parsita* da produccao, equili-
brando as exigencias do cpnsumocom as da pro-
ducao. parece que por timidez de uns e opposi-
co s\4inatica de outros, se preere dar arrhas
a novas-eoncessoes. isto a novas experiencias,
que traro novos sacrificios, deixando-se na re-
taguarda o solo alastrad* de ruinas que se po-
diam f vitar com u;u pouco mais de prudencia
Parece l* que os estabetecimentos em que se li-
aeram -si^uidamnte as experiencias da diffuso
e j estavarp preparados com algm estbreo para
coasegH' *> pleno xito, vo *er abandonados a
nm dosealabro-.filhos dos praprio* sacrificios,
feitos rbem doprogreasoindustrial e da creaeao
de planadores.
EntretaBto, da actual exposieo de assucar e
das averiguacoes anteriores da cmnaussaa veri-
icadora- da diffuso, resultara helos to eriden-
tes e claros que nao sao maise lavis as irre-
iexoes.
A ini'enoridude de nossas cuMeras, da mutena
sacchanma obtida, dos productos de ex porta^rvo.
dos rio actuaes de credito e defesa, clamam
eloqueineinente que se a reforma iniciada petos
engen.V'- entraos nao se sustentar, a cultura da
canna nina industria morta, oomo j forera en-
tre nos as do trigo, ail, cita, algodo. carnes
reparadas, etc., por igual desidia da direccio
Se a ilo algodio reviveu e floresce, deve-o ao
apoio que recebeu das manufeoturas nacionaes,
ue alian *o bem combatidas e sitiadas. A de
vinhos -uneaga nSo chegar ao nascedouro, por
igual motivo. E' fra de duvida que s os en-
genhos oentrae* existentes poderao dilatar as
oulturasem condicOes favoraveis, separar o fa-
brico planto, obter p>ia diffuso e outros
aieios maior parto da substancia saccharina,
e por ni i:j do credito forcar os intermediarios
do cnsiioio a dividir as varitagens e preparar
pr-ductos mais adequados ao commi-rcio nter
nacional. ,
Ef urna lucta pela \Tda, l lucta immincnte,
de rooiix-nto. flue Minconsequencias adminisn
arativas podem traduzr na ruina de aOO.OO tra-
balh la maior part das provincias. O
aeutro da Udustria ommercio de assucar e o
digno ministro interino da agricultura presta-
ram o bpmservigo naco I linear pela ac-
tual exp>'icao oaaaearatira > maior luz e evi
den' que-ii'ies
O enMtuamento b io pode sustentar-
se dian' jiemorias lechnicai
rindos < iro.. S a e#posicao do
niuMtrmque confiain da iniciativa de nossos tn-
diwtriaus. Comparada, u-tas. apostaM s.qI-
tfecWes estrangriras,- rconbece-se -q\ie a udbs-
tria brazileira nao tica inferior aos melhores pro-
ducto; e c*ba inferioridade apaas uo pre-f
parados da renasao, qve nao &o da competen-
cia actualuos agricultores eusinas.
Entre os producios que mais ctiamarara a at
tencao dos visitantes aotan-mos os das segnintes
fabricas : engenho central de Lorena, em S Pau-
Iuj iOw^ranco j Jycanija,,,.4'm Minas j. Santa
Poju-
Iram uns velhos alegres,7 sadios, com asas
baui^a* frajicameute_ proeoiineiites, as quaes.
com a invejavel liberdade de um frade, e cria se
oslenlavuHi-eob a ulvura de comprdos coMmi
deitrespassccapiudiosauente engommado. .
Fazia.^}Bto Vel-os em conversa sorver una,
pitada.
Com o dedo indicador da mao direita coraprP
miam a venta sinistra, emquanto entulhavam a
iJjgguerda smui ^f>yigaHlhndB.l.anlr
fSerniina__
baixaaaiMNM adiadastauxaNaa H -.
do rosMigs<1nT>aac;MwdstaBienasidBSH .
limpnn *r aedos e owtmm depoiaM
Ha.U}ue, iirrconssrdBhcoaa.os deast da- da pltrdsM iriinia'd'ui
ira- as quairo faaaawdorflMo leats, toamvaaw) foto ireduzio
(ni- nieio, e assasaBW smoiii steendo.

tiai .ao M*ao ewawsy
Mwdemoy'doiwar^Je-^eat^ct^sar.-^a.^^e^^stB'WP^ntCTioeutOT^
-nans i.mvinpias df Serinne e Parahvba do Onde eslava eu
me-
Norte* as amostras da companhia de engenhos
centraes dessas provincias, que parecem ter at-
tingido aos typos de assucar mais convenientes
aos grandes mercados de Europa e Estados Uni-
dos- Uu^eja.jtncane. o sol.,6 a awj*, da
canea os-favorecen), ou oorqne ha all njaiaj'ex-
periei das exigencias dos eonsuasideres es-
trangeiro, a colJecco desses eugenhos, as pri-
meira: e terceira saU*^ cliamu a attencio dos
fiitrndidos Notaremos as amostras do z jacto
tvpo O^merra. Io jactoerystaes braucos gran
des, I" jacta crfstaesjnwdos, urna das memo-
res da exposico, e 3" jacto mascaviuq. Se-
gundo relatpno de 1887, a. companhie tem o
capital de 1,300:0 K)i, jwrk do qual e zado, e levanlou um etnprestijK) del 032.000
llorius em Anuiterdia
A companhia contraton em Sergipe, para, o en
genho Riachuelo, o forn'cimento de 42,250.00)
kilogramroas de canna, e na da Parahylia do
NontevS.OOO.'O 6. O pr.co da materia prima e
de 34 niori tojiobtra; oniqnauto o assucar,brutoi> Possuiam *astr> reperteno de ancdotas, cao*
gaaho"
atrav>
M L
Na-
soca-
lrae> i
Min
ral. a >
wasu
tariu'
i esperanga de poder
(neil ponte, aguda como o fio de
ro.
tes di-tiaaua* exp^sicio de as-
e leprwni.. us engenho
Migs 'IoRj o. S. Paulo,
be*. Ualita. Sergipe e Parahyba
is enarenhes per-
iiriado (U'j .'" Janeiro, e, em ge-
imvincia.- os qiK'
preneptar documentos d-1
Deeiaciihos .deaaior vulto lia
verda-
oto-
pfn
valer U a arroba, e de 95, quando a cotacao su-
bir B i )00.
O engenho central de Lorena, de S. Paulo,
uotavel nao s pela delicadeza de seus produc-
tos, que.nos dizcm ser obhdos coai acido sul-
pUuros, icomo^os esforgos ructifeos que lem
empregado para fornecer directamente o consu-
mo da capital. O assuear branco crystalisado
de 1 acto, o palverisailo eom excdlente gra-
nuiaeo, e o mascavinlio do 3 jacto, de urna cor
loura, bem secco e solt, mereceram geraes elo-
gios. Sustentando estes typos, reduzmdo o cus-
teio relativo, pelo augmento da materia prima
e instindo no fornecicimento directo, parece-
nos que o xito desta fabrica seguro Segun-
do o rotatorio do anno de 1887, a fabrica rece-
beu 6.679.062 kilogrammas de canna e abricou
8.641 saceos de 60 kilogrammas de assucar e
lt pipas de agurdente. Consta que em 1888
as suas operacoes dilataram-se, recebendo maior
somuiade materia prima.
O Engenho Central de Braeuhy mereceu a
atteuco geral dos visitante porgue exJjibia pela
priineira vez os productos da diffuso e sabia-se
quanto importava o seu xito e susientaco s
liopulages agrcola do liltoraLsul da provincia
do.Kio. e 3." jacto assemelham-se muito aos das provin-
cias do norte, e so de excedente cor e gosto,
proprios para a exportado e relinaco. Dizem-
nos que o processo do preparo de defecqcAo
pela carbonatac'io, o que e outro melhorameoto.
A companhia parti de um ponto diflicil, em
1886, como era apenas um fornecimento de canna
de l,08!t,2i kilogrammas, mas tem envidado sa-
crilicios para multiplicar as plantagOes, obtendo,
as experiencias do fabrico, auspiciosas porcen-
tagens de materia sacharina Se vencer as dlfi
culdades, como esperamos, poder converter-se
em engenho modelo de diffuso, poupando ao
Estado largos dispendios em tentativas iden
ticas.
Nesta longa campanha de reforma oceupa sa-
liente lugar o engenho central Quissam. que
tez os maiores sacrificios para aperfeicoar os
processos e sustentar a lavoura de canna do
norte da provincia. As amostrad que apresen
mu de orjBtam graades e audos .o de producas
de e 3." jactos sao de boa qualidade e fcil
venda.
0 movimenlo deste engenho um dos mais
avuliados, jiois em 18871888 raoeu 36.083.820
kilogrammas de canna e extrado 3,531,5i0 Jilo-
grammas de assucar e 1,818 pipas de agurdente
no valor de 554:643*940. E de sentir que as
pequeas porcentagens obtidas na extraeco da
uiateria sacharina tanto limitem os saldos da em-
preza, mas de esperar que os novos processos
de cultivo e extracyao remedeiem esta diflicul
dade.
Um engenho que nos parece de futuro o de
Porto Real, que apresentou o melhor alcool da
xposigo e excellentes amostras de asfucar re-
gular de consauo.
Segundo o ultimo relatorio de 1887, o seu fa-
brico proporcional a materia prima com moen-
das de coinpressao, foi de 6,539, de assucar. e
2,969 de alcool, que da'umaporcentagem em re-
laco canoa excedente a 9 1/2. Dizem- nos que
as suas ananas contm mais de 18 0 de materia
saccharina. O seu alcool vende-se entre 220* e
2104 a pipa. Entregue a urna gerencia illas-
irada e enrgica que obten? crdito para o cus
leio e nao sacricou os productos no mercado,
se conseguir reduzir o preco da tonelada de
canna fornecida, que de IW, de esperar que
venca a crise actual.
Nao nos resta espaco para apreciar os excellen-
tes e acreditados assucares de tres jactos do En-
genhiCupim, as bellas qualidades, bem confec-
cionaras e granuladas dos engenhos Sapucaia e
de G. Ferreira dos Santos, as magnilicas amostras
do engenho RioNeyro, os productos fortes, ricos,
aproiiriados relinaco da usina Rio Branco, as
boas crystallisagoe e as agurdenles de l# or-
dem das usinas da Baha,os tres jactos de ex-
cellente assucar. os torrOes e pes, o alcool e
agurdenles da Pureza,os bellos crystaes De-
morara, grossos e miudos. e assucar pulverisado,
o encllente mascavo escuro, o alcool e agur-
denles do eugenho do Rio Bonito, etc., etc.
Heste leuero de productos, os principaes en-
genhos centraes rivaliaain com as melhores
amostras das Indias Occidentaes e Orientaes,
que iTto na coUecco ingleza.
O itosso juizo a emittir sobre os documentos
apreseiHados pida actual exposico approxima-se
das oncluses offerecidas pela commissao.de
diffuso, e que esto assignadas-pelos prolissio-
nies de maior competencia. A nosso ver, as
causas que eutorpecein o desenvolviaeuto da in-
Ldustria sacebarioa. sao :
1." Cultura iroperfeitu e, portanto, alto prego
da materia saccharina.
2. Falta d urna ou mais Miagues agronmi-
cas, que iuiciera meluores cultivos e processos.
3. Urgencia de um ou mais banco qua adian-
tem ao productor, sob fruto pendente ou depo-
sito de productos, os meios de custeio e inanu
lencao at que os preco do mercado equiparem
o valor real do genero.
4. Necessidaue de asscciaco dos mteressa-
dos para fundaco de grandes relioacoos que fa-
briquero productos aperCeicoados de exportaco.
. Falta de tratados e convencCes que nos
franqueiem sem oous 8*SSJ! os grandes merca-
dos de consumo.
6." Ma faliricaco e falla d/'. pessoal technieo.
7. Aciuiliamenio da industria nacional de fa-
brico e limitado eo.i-u no interior.
8." Impostes de exportaco externa e inter
provinciaes em algumas provincias, assirosomo
imposto internos sobre a materia alcoolica, que
sio um contrasenso na situago precaria e ago-
ninantr da cultura de canna.
9." l-npossibilidade de co icorrer nos mercados
estrangeiros pela coiupetevsa de assucares sub-
ionadus na .uortauao, e pela impropri'f-
dade de nossos produJlos para o consume di-
recto estrangeiro.
Se a actual expo-ica.i occagioiiar a mudanca
ntajao aministrativa e actuar para me-
didas promptas 'a prestado rele-
, :ao.
Diario dfe PifltiambucoStJbbail% 9 de Fevereiro 'de;l'4ll9
crPscTara e se desenvolvan! em'calcas de alcapoi ^tiyanneiii .a mais attranenteurna repulso
Raraaieiitu un varioloso oscapava s horren-
diaonwcalpiSHs -as' deformaiu o rosto ensfeaytia
iva aontlhor ietelligent.-, adorador do bello!
ftutoevepos pungentes soffrimentos moraes e
plwnnus. rgueu'se um dia e correu ao wpelho
qu^dnspadseav mostrou-lhe glacialmente e do-
toiun sselsinBrphose porque ella acabavadepas-
sm.-
Anda convalescente, desmaiou, cahindo sobre
' tapeia^hHaa boudoir, on
te asMsWHBBjsnelho, mil v
linas asanfcitssde ratdtUhosMle SMXdleza ..
Ena^egiiBaadDbraeain-aaejBilatenmEaB^jnetM (ditas luzia-nissla urna espe|ii, a tBlio
Aquello vinha lhes em auxilio da memoria.
E os tabaquistas eontinuavam :
Pois como ia-lhe dizendo..
E proseguiam na historia, sempre mais ou
nrif ii,'err^,inriH;* '*"m p'1^'4'"'
Havia tabaquistas famigerados, que traziara
stmpre em urna aas mosa Boceta e na outm 0
lenco do uado em forma deocnlo.
Este eheiravam a rap a seis passos de dis-
tancia.
Distinguiam-sc pelo desenvolvimento dos oa-
itios, que podia;n "ser equiparados a urna -cha-
min'entuliiada.de picuman-.
As vezes esnvxa^entea conversar com.elles
e va o pingo do rap vir pouco a pouco deseen-
do pelo MICO,
Que afflir-cau.
Tinliaro sempre o pcito da camisa manchado.
Roiam geralmeule as muas.
E fallavam fanhoso.
Os labaquistas-eram grandes pirhencos.
Mna
Era o sen nTace com o Dr Alfreilo, demora-
do em consequencia de negocios imprevistos que
tinham-n'o retardado na corte at aquella data
Oh I simplicidade d'uma mulher vaidosa, cujo
oriulho um destino inexoravel esmagava! Crr
quai mais picante.
Quando contavam uro caso que tnvtia a wh-
tura de cahir no gosto, abriam mraediatamente
a bocela, e offereciam rap a roda que o ap-
plaadia.
O otrerecimeuto de rap tinha urna, fonnalwa-
de>especial, que consista em dar duas pauca-
das com a mo direita na boceta, antes de abril-a.
E urna vez aberta. dizia-se ao individuo que
se quera obsequiar:
Nao gasta ?
Havia sujeitinhos que nao compravam rap ; o
que nao lhes impedia entretanto de tomarem in-
nmeras pitadas por dia, do mesmo modo que ha
hoje indita gente boa charuto.
Estes, antes de aceitarem o offereciraento, de-
viam responder pergunta :
Nao, senhor. filo.
As posses e haveres. como se dizia ento, dos
tabaquista, podiam ser, pouco mais ou menos,
calculados pelas bocetas que traziam.
Huvia bocetas de tartaruga, chapeadas de ou-
ro. com o mouogramma do proprietario.
Havia a boceta de prata lavrada; e a de ouro,
3ne era, em geral o nrosente que se costomava
ar ao tomadjr de capi no da de seu anaiver-
sario natalicio.
Os que linhain poneos recursos traztom ornas
bocetas imitando xaro, com vistosas pinturas
na lampa. .
Estas bocetas eram tarobem usadas por sujei-
tos ricos, que gostaam de guardar o dinheiro ou
de cmpresial-o a joros rendosos mediante boas
e solidas garaniias. E quando por acaso offere-
ciam a pifada a alguem, costuraavam dizer, co-
mo que justiliciuido-se:
Sao as melhores bocetas que confiero para
conservar o rap. .
Os tabaquisias costumav.im reumr-sena loja
do Torres, ra da Quitanda.
Era alli, onde se vendiam os celebres lencos
de seda, que tinliara quasi as dimensOes de urna
toidha de rosto e que j vo desapparecendo do
mercado, pela pouca extraeco que Ibes do.
Os conversadores, uo numorodos quaes ,sc medios, negociantes, retirados, conegos dr. ca-
nela imperial, um monsenhor, empregado i pu-
'bliV-os aposentados, titulares, desembargac'ores,
consellieiros de Estado, troeavam-se entre si pi-
tadas iiomek das conversas, ora serias, emque
a uolitica era autopsiada como a memoria de um
Ptolomeu. ora galhofeiras, rechciadas de ditos e
trocad ilhos ao sabor do tempo.
Onde esto esees nelhos alegres a sadios 1
Que lira levaran f
Franca Jnior.
AHIEMDES
KchttM fluMiteaeA
onde*
Que lili
Foram
todas w
ciedade
i pou1
i n noc
o to original.
ido. "orao
acivilisa-

u-
n.\ estrella
Vaidosa a Dulce, teo vaidosa que acreditave
ser urna perfeicfio de belleza femmina
Oh! seinada ie faltava possuia urna carnagao
esplendida ao lado da mais apurada esthetica f..
Assim Dulce via-se um milho de vezes ao
espellio durante o dia; sorrindo sempre, unnto
contente de si mesma, completamente inebriada
pela sua vaidade. ..
Entretanto, era ainda soltetra, contando ja 22
annosidade, que ella oceultava com o maior
segrodo. ....
Sem coohecer ainda as delicias do casamento
a Dulce !.. -
Era a nica nuvem plmbea que toldava o
ceu feliz de sua doce existencia.
Mas Dulce dizia que detestava o casamento,
absolutamente nao se senta disposta a assumir
a direcco d'uma casa, a cercar-se de mangas
que Jbe Jiidassem agarradas s saias, apoquen-
tando-a cora os seus gritos iirfantis, pcdmdo-lhe
doces em alto choro-...
Corria-Uie tao placida a vida risonha e des-
preoecupada que passava ao lado de seus pas,
refazendo-se no leito at alto dia das fadi-
gas das soires, onde ellajostent-va as suas sedas
c briUiantes, fazendo aquelle momosinho com
que Uvera a phantasia de photographar-se, um
arzinho de princeza que todo desdenha, que de
nenham modo se senta disposta a casar.
Livre, sem obrigaco de zelar sobre cousa al-
guma senta at apata., de enfiar urna agulha!
Que trabalhio para ella.! Era urna censa que
nunca havia de fazer. .
Dulce adoruva a sua vida de moca golteira, mas
os csthericos que urna vez por outradho appare-
eiam,.os beijos ardentes e demorados que impri-
ma nos labios das criangas^lesenvolvidas, como
que sugando alli um doce mel, como faz o coli-
br as suas flores dilectas, deraonstravam clara-
meniu o quanto havia de tafeo as suas pa-
lavras.
Dulce era vaidosa !
E at all solteira, nao poda tolerar os ditos-
mordazes das outras senlwras que, por detesta-
rem-lbe o pedantismo, esforcavam-soporfern'-a,
sempre que era-Ibes possivol *
tis porque ella empenhava-se em fazcf crer
aquillo que nao senta.
#**
Por final, Dulce encootrou mando.
la casar cora o Dr. Alfredo, um joven bacha-
rel, j bem eneaminhado as altas posigoes
-sociae .
Seu noivo era depUtado geral e possuia talen-
to para ir muito alm.
() ultimo paquete trouxera carta ao pai em que
elle annunciava o seu prximo regresso e mos-
trava-se desejoso de realisar logo o seu enlace
eotn a lillm.
Dulce acorara os seus preparativos de noiva,
mais vaidosa que ipincal
Mi I ella tinha!-e demorado, andar vagarosa-
mente, mas, aflnal casava-se e o fazia muito
disiinctamentc, nao ia ser seu mando ah qual-
quer mcrceeiro abastado, um guarda-livro, ou
um simples funecionario de algumas repartiges
do Estado, eomm> sucediera amuitas d'aquellas
nue atiravam-lhe os seus ferinos motejes.
' Qrjo imriiensidade d<^ olflaresinvejosos haviam
dl-a. nuando ella, altiva, elegante, seduc-
i cEBScease da sua sumptuosa carruagem e
e pelo braco do pai. arrestando triuniphante.
mente a cauda do seu vestido.de noiva. subindo#
lentamente a nave da matriz, com o seu cortejo
da mais distiocta aristocracia at o altar resplan-
descA-nte do lases, flores, sedas edouradns. onde
tinha de receber-lhe, a mfio taufli digno
representante da nago t *
Dulce engolpbava se en meditages desta na-
bem compativ soa conh- ida
vaidade, fazendo-a estrcnwer-a cala passo a
alegra que Ihe iaa'alma.
Dulce adoecem gravemente.
O medico dadarailia. dois das depois decla-
rou que aUaieet
Variolosa a po
la n'aquella
nesta t '
feigoado como boje
a depois, o pae eaeJattc
ande ciia-lruplu^linaa: i
acabrunliadosa laisaaia-.
desvonssaida Dulce nowe!)idsisu;is*as
y.i
orindense.
t TniiiTlmeii Ante-li>nwin a norte lalle-
o-aau de limphatie'teiinoae Jos Aves*ev.irn,'
aapitalista e proBaJaturiib:islada'des 'Tinha o tinailo4tniH4le iilads-, Bfg.tenou-
f tooronel relbrroada. da aaard-i'aaoiona*, Sr^aJMK Antonio ltomiego^^Pioto,' juiz de di-
A',sua familiaawaanenlatiios'iBOssasleandotea-*- tfoteun>^.r.~4WiictrfT-presiilente dotribunal e
re, sequioso d'uma pasta minAerial, de milbus,
de pompas pabcianns, quando seu desventurado
pai acaba va de descer t) ultimo degro do thro-
noque o seu dinheiro lhe ergueea e onde o ido -
latrara a mesma, so as (tortas !...
Sem mesmo a desgragada Dulce possuia mais
aquella belleza que, reunida ao brilhante dol
perdido, toma va-a um bello partido I.........
Ufaste boje urna pobre costureira de roupas
por Iwixo preco e seu pai -o riquissirao ban-
quflaro Leandro -dorme murtas vezeff ao relen4
to. coberto unioamontepelos- seusandrajos, as
portas das igrejas!
Louco o desventurado !
M estrella!
Recife - Spenrer UM.
m~*m

Companhia Pernaaabueaaa
ACTA DA SKSSAO ORDINARIA DA-ASBMBLBA 0AL DOS
ACCIONISTAS l>i COMPAA'HIA PEBUAMBUCANA DB
NAVSUAgAO C08TEIRA POR VAPOR, AOS .25
JAMURO DE 1889
Pifxidewi'i do K.rm. Sr. conuheJro Jos Bernardo
Gairo Akoforado
Ao meio dia achando-se presentes os Srs. ac"
destetas AugustoCaors. Augnsto Labilh?, Anto-
nio Fernandes Rilieiro, Antonio Jos Ferreira
Monteico Arihur B. Dallus, Baro de'asa Forte,
Clau lio Dnbeux, Henrique Forstor & C. Izidoro
Bastos dcOliveira, couseliieiro Jo- Berna-do
Galvao Alcoforado, Jos i lementim Henrique da
Silva, loi Nicolao Tolwrtinodn Carvalho, Joao
Soun & C, ioo Jos Rodrigwes Meado, Joo ds
Oliveira Leite e Souza, Joao Holines, John H.
Boxwe'l, Julio & IrmSo, Manoel Joo de Araonim,
II. almont Brothers A ., Saunders Brothers-ft
ClSebastio Lopes.Guimaries. Th.Comber, V*il-
liara May Wlsou, Son iC, Liated represen-
tando o capital de 667:9004000, o Sr. presidente
declara aberta a sesso.
E" approvada, sera debate, a acta da antece
denta. depois de dispensada a leititra. a requenr
ment do Sr. Joaquim da Silva Carvalho, procu-
rador do Sr. accionista Joo de Oliveira Ueite e
Souza. visto j ter sido publicada pela imprensa.
O Sr, Manoel Joo de Amorim. presidente do
conselho de diroccao obtendo a palavra fez lar-
gas coiisideragoes acerca do astado da compa-
nhia fundando-se em dados estatisticos, declarou
que tinha satisfagao em afSrmar que, durante
tres annos esete mezes. conseguio o mesmo con-
selho de par com a receita e economas realisa-
uasJamortisar aquanna de 266:642*914, mandou
consteuir um vapor do porte de 440 toneladas
mais ou menos, o qual ia se acha em servico, e
prel.ndendo corresponder confianca que
lhe
ro depositada, senta nao ter comnetencia para
por aaj aegiij outras ordens de ineitidas que lhe
parecem oecesaarias e urgentes, como por exem-
plo, solver o resto dos compromlssos da com-
panhia, augmentar o seu material.
BnM essas medidas; disse. que pareca ao
conselho ser de maior alcance um emprestimo
na importancia de 880:000000, posto que reco-
nheca, que a quadra n5o a mais^favoravel em
consequencia da alta das laxas as pragas do
imperio; mas que como estado actual do cambio
esta circumstancia certamente desaparece.
E manifestando assim as suas idcias, conclue
declarando que para deliberar sobre ese assump-
to convocou a presente reunio de assemblea geral
e espcra,icontiadmente que os dignos Srs accw-
nistas'oltomaro na cousiderago que lhe merecer.
O Sr. Tolentino de Carvalho disse que. depois
da bem fundada exposigo fei.a pelo honrado
Sr. presidente do conselho dedireegao, a assem-
blea naodeve ter duvida em aceitar urna pro-
posta no sentfdoaie ser autorisado o mesmo con-
selho a realisar o seu empentan que um verda-
deiro testemunho do quanto se interessa pela
prosperidade da companhia; e assim apresen-
tava a seguinte : .....,
. E' autorisado o conselho de direccao a ef-
fectuar qualquer operago de credito para o hm
de, resgataado os dbitos existentes, e confor-
me as exigencias do servigo publico e nteres
ses da companhia,- augmentar e inelhorar o ma-
terial desta, podendo para isso dar, em hypo-
^heca e penhor todos os predios e vapores qne
a ella pertencem. .
Subraettida essa proposta discusso, o sr.
Joaquim da Silva Carvalho, procurador do Sr.
Juo de Oliveira Leite e Souza observa que ten-
do o conselho de direcgo limitado a importan-
cia do emprestimo a quantia de 800:000* pare-
ca conveniente que a proposta se refensse a es-
sa quantia.
O Sr. Tolentino de Carvalho diz que nao lixou
a quantia por inspirar-lhe o conselho a maior
conanga, mas que nao tem duvida em acceitar
qualquer emenda nesse sentido.
Vera mesa, lida e approvada, sem debate,
depois de approvada a proposta, a seguinte
emenda, assignada pelo Sr. Joaquim da Silva
Carvalho: ..
A' proposta do Dr. Tolentino de Carvalho ac-
crescentc-sea quantia de 800:000*000.
Ero seguida o Sr. Manoel Joto de Amonm.
obtendo a palavra, declara que tendo o conse-
lho de direccao prorogado por tres annos e nos
mesroos termos, o contracto celebrado com o Sr.
Clemente Lima, para gerir os negocios da com-
panhia. dava conta desse acto assemblea ge-
ral, submettendo-o sua approvagao, de confor-
raidade com o art. 9 dos estatutos. -
E' approvado unnimemente.
'E nada mais havendo a tratasse o Sr. presi-
dente encerra os trabalhos s 2 horas da tarde.
Eu, Jos Nicolao Tolentino de J>rvalho, secre-
tario, a escrevi.
m
traordinario
horas da madrugada de
aiMsaiU o.sanl pialin da atardo-Car"
morando-se na do varadouro mais de 10 mi-
nutos,
Esse trm destinado a transportar os muitos
convidados das duas grandes partidas que em
Oiinda realizara-se hoje.
Baile en* llnAu Hoje ter lugar no
edificio da Cmara Municipal de Oiinda. antiaa
academia, um grande baile dado por alguns dis-
iii iiran-itiUnQtos cavalheiros.
eapn !> de esperar qn sejubn-iante coneowido n
vllta do grande noBBi-r.Hde csowtes nm se m-
que o abrHsmiara-a lite ^do helio sex
KEYISTA DIARIA
Autrla da presidencia da provincia de 7 e proposta do
Dr. chefe de polica de ti do crrante, foram no-
meados i ......
Subdelegado do distncto de i anee do termo
de Itamb o actual Io supplente Vicente de Paula
Rodrigues d'AsaumpgiO, em substituico do ma-
.jor Ludovico Francisco avalcante que mudou-se
do districto. .
1 supplente do mesmo subnelegaao. que ticou
vago, o cidado Joaquim Vieira de Magalbes
. BepulaSon aeran*No paquete ameri-
cano AUuuua embarca hoje para o Rio de Ja-
neiro o deputado geral pelo.5^ districto d'esta
provincia Dr. Pedro da Cunta Beltro.
Agradecendo a visita que S. Esc se dignou
fazer-nos. desejanjos-lhe prospera viagem.
- No mesrao vapor veio hontem do Para e
segu hoje para a corte o Dr. Jos Mara Leito
daCunha. representante d'essa provincia na As-
semblea Coral. ;
Compriihentamol-o e desejamos-lne teln via-
gem.
Coaaptanliia
Presidente honorario-JJr.SegiaaaandoGon-
Ctirves.
Vce-presidente honorario -Major Gregorio
Tliaumaturgo -de Azevedo.
. Presidente effectivo Dr. Joo Paulo da Silva
Britto.
- Viee-presidente fVeclivo -Dr. Manoel F. Si
A n tunes
lu secretario-Dr. Joo A. de Freitas.
2- secretario-^fir. Jes.- Ti-ixeira-ele Sa.
oiartor Dr. Joao*H.-Cajean Almendra.
Thssuweii-o Dr. 'Jofio^]uz.
- Foi designado o din !> do correnle. s 11
horas do dia, em .asa do Df.AI. V. 8 Antuijes,
para tur-lugar a posn da direetorn eleitae tra-
tar-se de negocios conceinnntes aos interesses
da sociedad.
THlMB! do Jvr> M WKttkte A's
Iwras da wanh, achando-se- presentes os

h
Ferpe-Carril -Por ter de
r para o Rio d Janeiro, oude.se demorar
i lempo, o honrado geret npa-
s Alberto de M ileri-
ute, a coular de hoje, na ser. r. te-
joSarapaio.
Ti Mam IirhaaoadeOliada-A
-sa companhia resol veu fazer uro t
cas.
O enterro fez-se hontem tarde no cemiterio
de Santo Amaro, depois das oragoes da igreja,
que foram celebradas na matriz de Santo Anto-
nio, fazendo as honras militares o 14" batalho
de infantaria.
rewa- a-Twa -'Araarth reatisa-se, na'
powiico da Varzea. a testa de Nossa Senhora
do Livramento, constando de raissa solemne s
11 horaB do dia e ladainha as 7 e i& horas da
noite.
0 utrio da igreja estar embandeirado, sendo
illumiaado noite; e tarde alli tocarao as ban-
das de musten das Sociedades 13 de Maio e 17
de JiiIIh. a sern largados diverreos aerstatos.
Depoin da ladainha ser queimado um fogo de
artilicio.
I.iwrom para ediirnra O Sr. F. P.
Boulltreau, successor de G. Lasarte \- C, esta-
nelecido com ttiraria epapelaria ra do Impe-
rador, obsoqotim-nos hontem com a romessa de
um cxmaplaride cadauro dos livros seguintes,
quo acabou de receber do Rio de Janeiro :
Nova Grammalica alloma. >- theoriea e pra
tica, por Emilio Otto, adaptada ao programma
do ensino no imperio por Adolpho Nenmann.
Diccionario Grammatical cometido em re-
sumo as materias que se referem ao estado his-
trico comparativo da lingua portugneza, com-
pilado por Joo Ribeiro.
Catechismo da Doutrna Christ por mon-
senhor C. Contnrier, protonotario apostlico.
- Aritnmetica da infancia por monsenhor
C. Gonturier.
'. Geographia-atlas contendo oito mappas,
um ligeiro esbogo chronologico da Historia do
Brasil e algomas uocesdccosmographia por
monsenhor Conturier.
Agradecemos.
Club dea CerriauelroaEsta sociedade
reune-s amanh, s A horas do dia, era sna
sede, para tratar das si timas deliberages sobre
a sua testa nos tres dias do prximo carnaval,
assim como do itinerario a percorrer.
r. Toklaa BarretaEm auxilio via-
gem d'este iltstre mostr d| direito, na Escada.
os Srs. Antenio Castro. Aqutnno Porto e Fran-
cisco Pintieir promoveram nm beneficio no
circo equestre qiie l est trabalhando.
Desojamos ptimo resultado.
O Eva*, r. Ur. Podro Corroa Lo-
mos no Diuro da Parahyba de 3 do corrate :
Chegou antc-honlein a esta capital o Exm.
ir. Dr. Pedro Francisco Correia de Oliveira,
illnstre presidente desta provincia, de volta de
sua viugem .io Recife.
S. Exc. parti d'aquella capital aompa-
nhado do Exm Sr. Dr. Aran jo Goes. presidente
de Peniainbuco, em trera da via-ferrea de Li-
moeiru. Chegaudo a cidade de Timbaba S. Exc.
recebeu as mais significativas demonstrag-- de
alta estima, sendo-lhe offerecido um Unquete
onde levantaram-se briudes que muito eualte-
cera a pessoa de S. Exc.
All nao foram esquecidos aquellos paral-
banos que tin acompanhado S. ia. na sensata
direcgo que tem dado aos negocios pblicos
desta provincia.
" Em Timbaba S. Exc. encontrou o Exm.
Dr. Novata Carvalho, digno chefe de polica, Dr
Augusto Galvo, delegado de polica, Dr. Jos Lo-
pes, eirurgiSo da exercito e outras pessoas gra-
das desta capital os quaes anciosos foram abra-
car S. Exc. Dr. Pedro Correia, e, acempaohal o
no resto da viagm.
Na villa de Uabayanaa o Sr. teneate Nilo
Jos de Carvalho, abastado e honrada p(pprie-
tario ollereceu m esplendido sarao S. Exc. o
Sr. Dr. Pedro Correia, sendo esta manifestagao
mais una prota das numerosa* adlwsdes-osyra-
patliias de que mu justamente gosa S.- Exc.
. Esta festa termraou pela raanli do dia tres,
partindo S. Exc. acompanhado dos amigos qne o
cercavm pora a villa do Pilar. .
A's 8 horas da manh* do mesmo da seguio
da estago central da via-ferrea Conde D'Eu um
irera especial conduzrado crescido numero de
pessoas gradas da capital contando-se S. Exc. o
Sr. Baro do Abiahy, Dr. Justa Araujo, enge-
nheiro fiscal-da Conde d'Eu, major Francisco
Pinto Pessoa, comroandante da forga policial,
representantes da impronsa, por parte desta fo-
Iha o Dr. Frankln Rabello, por parte do Monitor
o Dr. Paulo de Lacerda, e Jornal da Parahybi o
Sr. Francisco Ferreira da Silva Machado, Dr.
Joo Maximiano de Figueiredo, juiz municipal
Dr. Antonio. Carvalho, tenente-epronel Luiz da
Silva Baptista, comroandante superior interino
da guarda nacional, commandante da compa-
nhia de linbn major Joo Dommgues Ramos, Dr.
Joo Ctaudino de OHveirs Cruz, engenheiro mi-
litar e raaitas outras pessoas collocadas.
A excellente banda musical do Corno de
Polica executou durante a viagem escomidas
pegas- .,
Chegados villa do Pilar s. Exc. veio en-
central-os em meio do caminho da estaco, onde
recebeu muitos abragos; e havia em todos os
semblantes o sigual de satisfagao e alegra peta
volta d'aquelle que tem sabido com toda energa
imprimir urna marcha futurosa provincia, que
em boa hora lhe foi confiada.
Depois de um profuso lunch offerecido pelo
Exm Sr. commendador Joaquim Pi Napoleo,
legitima influencia do partido conservador do lu-
gar, ao Exm. Dr. Pedro Correia e mais amigos
msenles dirigio-sea comitiva^ pra a estago
da viarferrea d'onde as 5, horas da larde parti
para este cidade o trem conduzmdo o brilhante
squito.
A's 7 horas da noite ehegeu a estago cen-
tral este expresso, segurado S. Exc. brilhante-
mente acompanaado at o quartel de liuha, cuja
fachada achava-se Iluminada e o pateo emban-
deirado e com illuminacao 4 giorno, subindo aos
ares ama prolongada girndola de fguetes.
S. Exc. demorou-se um pouco e recebeu vi-
vas expanses de jubilo que lhe preparou b guar-
nico. .
D'ahi continuou o trajete at o palacio aa
presidencia, onde S. Exc. o Sr. Baro de Abiahy
[. vico-presidente, mandara preparar lauta mesa,
na qual tomaram parte as pessoas nue acompa-
nharam a S. Ex o Sr. Dr. Pedro F. Correia d 0-
liveira.
Lia-seno semblante de iodos a matt usa sa-
tisfagao, e conteutamento. .
Levantaram-se diversos brindes, a S. Exc,
ao conselheiro Joo Alfredo, ao partido conser-
vador e a outros cavalheiros distinctos, tudo na
melhor ordem. e guardadas as devidas .conve-
niencias, retirando-6e todos s dez horas da
noite. .
Se ha manifestagao que deve enener ae pra-
zer, c de orgulho aquelle a quem dirigida, 3em
duvida que est neste caso, por muitos motivos
a de que foi alvo o Exm. Sr. Dr Pedro F-Cor-
reia d'Oliveira, porque foi ella c mais solemne
desmentido que se podia dar aos poucos e au-
dases desgostosos que dje fazem opposico. *
InfanticidioDentro do acnde do engenho
Sibir Grande, do termo da Escada, foi encon-
trada morta, no dia 2 do corrente, urna enanca
recenteinenle nascida.
Das diligencias procedidas a respeito venh-
cou-se ser autora do crale a me da mesma
enanca. Mara Carlota da onceigao. que decla-
rou ter assim procedido para occqltar sua des-
honra. .
Contra a criminosa, que foi pr^sa. abri se o
competente inquerito policial.
Mociedade Uaie PiaaayeaaeCom-
nunicam-nos :
Grande numero de piauhyenses reuniram-se
na dia'2 do correati *lo Dr. Manoel Fer-
nandos S "Antones. fundaram uma sociedade
denominada Unio >iaityense, cujo fim e promo-
ior todo os meios a seu alcance o progresa
oa provincia do Piauhy. defender pela imprema
nteresses'e auxiliar os compr

Joo Joaquim de Frenas Henriques, 1." promotor
publico fia comarca e escrivo privativo do jury,
capito Florencio Rodrigues de Miranda Franco,
pnncipiou a sesso.
Verificadas as sedulas e feita a chamada com-
pweeeran 36 jnses de factov
Compareceu para ser. julgada a re Mara Fran-
cisca da Annunciago, mas nao tendo compare-
cido as testemtmhis da accusago. foi ailiado o
julgamcuto a requerimento do Dr. Materno de
Carvalho.
Foi suhmottido julgamento o no Candido
Bezerra da Silva, pronunciado por despacho do
Dr. juiz de direito do 2 districto uo art. 201 do
Cdigo Criinin il por ter no dia 9 de Noveinbro
do anuo paseado, s 10 horas da roanh, ia es-
tago da ra do Sol, freguezta de Santo Antonio,
ferido levemente a Joo da Silva Gomes, chefe
do trafego da estrada de ferro do Recife a Ca-
xang.
Fnoccionaram no conselho de sentenca cs-ae-
guintes juizes de fado :
Joo Chinaco dos Santos Bernardes.
Antonio Adolpho Borges Leal.
Trajaao "hpmde arvalh Mendonca.
Manoel t^oellio Cintra Ramallio.
Manoel Maria do "Arauj.
Jos R. de"AN*!W e" Lfina.
Thomaa de Aqnino Medeiros,
Jos Franc8CO de Paula Raidos.
Manoel Gomes da Suva.
Miguel Antonio da Costa e Silva.
Anioaio Jos Duarte.
Antonio Caetano de Oliveira Coragera.
Interrogado o reo, respondeu que era natural
do Cear, de i9 aunos de idade, casado, empre-
gado na estrada de ferro do Recife a axang e
que sabia ler e escrever.
Que lora multado pelo chefe do trafego Joo
Gomes na qnantic de 2 alm da multa de 20J
que anteriormente lhe havia imposto e, nao sa-
lisfeilo, o dito Joto Gomes depois de maltratal-0
com palawas injuriosas puchos de uma pistola
e investio contra elle respndeme que por sua
vez tirou da bolsa de um companheiro uma pe-
quea faca e ento and.iram agarrados pelo chao
nao sabeudo mesmo elle respndeme como foi
ferido o seu aggressor.
Concluido o interrogatorio e feita a leitura do
processo, o Dr. promotor desenvolveu a aecusa-
go e pedio a conderanaco do reo no grao me-
dio doart. 201.
Deduzio a defeza do reo o Dr. Celso Tertu ia-
no Fernandes Quintella, que negando a autora
ilo ddicto pedio a absolvigao do seu con|ti-
tuinte.
lo houve replica.
O jurv negou por unanimidade de votos a au-
tora do'crme. pelo que foi o reo absolvido c
condemnada a municipalidade as custas.
Terminou o julgamento s 3 horas da tarde.
Deve ser julgado hoje o reo Joo Antonio Frun*
cisco de Lima conhecido por MusS.
Servtco militarEsto desisnados hoje
para superior do dia o Sr. capito Manoel, An-
selmo, e para ronda menor o Sr. alferes aju-
dante do 14 batalho de infantaria.
A guarnico da cidade dada hoje pelo 14
batalho de infantaria.
As guardas da Tftesouraria e Palacio s5o
comraandadas hoje pelos Srs. alferes Antonio
Valerio dos .Santos Neves e Francisco Jeronymo
Lopes Pereira.
Na eufermaria militar existem em
ment 50 pracas dos corpos da guarnicSo.
, Funccionou hontem sob a presidencia do
Sr. coronel Frederico Christiano Buys, o conse-
lhd" de gderra a que est sujeito o soldado da
companhia de cavallaria Hermenegildo Gomes
Peruira.
Para a fortaleza de Itamarac seguio ante-
hontem ttma commisso composta dos Srs. ma-
jor Gregorio Tliaumaturgo de Azevedo e Io te-
nente Jonathas de Mello Barrete, alim de exami-
nar o material bellico l existente a levantar a
planta d'essa praga de guerra. ,
Foi iuspeccionado de saude e julgado pre-
cisar de mais um mez de licenca por soffrer de
dvspcpsia e amydalete o Sr. alteres do o' regi-
ment de cavallaria addido companhia da
mesma arma d'esta provincia Alfredo Pretxtalo
Maciel da Silva.
Directora dan obra* de eonaerva-
c&o don Porto de Pernambuco-Reci-
fe, 7 de Fevereiro de 1889.
Boletim meteorolgico
1 sa
r
.

l
;-
i
trata-
Horas Its i s S g (j -> Sptt Barmetro a 0 Tenso do vapor - ---- a -a 1 '
E-- ' ce
6 m. 26"-3 761-68 20,48 78
9 27-l 763-19 19,70 73
12 28"-6 763-16 20,08 67
3 t. 28-0 761-30 20,21 71
6 27-2 762-24 19,22 7!
Temperatura mxima29,00.
Dita mnima 26",00.
Evaporago em 24 horasao sol: 6-2; som-
bra : 2-,9.
Chuva nulla.
Direcgo do vento : SE, ESE e E alternadas
de meia noite s 11 horise 30 minutos dama
nh; ESE al 2 horas e 20 minutos da tarde ; SE
at 7 horas; ESE e E alternados at 10 horas e
40 minutos ; t-E a'meia noite.
Velocidade media do vento: i- 93 por se-
gundo.
Neliu los i dade media: 0,74
Boletim do porto
2 x i-0 -g B 2 Dia Horas ,936 da manila 3-59 da tarde 9-49 426 da maoha Altura
P M. B M P. M. B M 7 de Fevereiro a 8 de Fevereiro 1-.90 o-;92 l-,85 0-95
NorialHaver
amanh a se-
Rconio
guinte:
Do Monte-Pio Typographico Pernambucano. s
10 horas da inantut, na sede social ra do Co-
ronel Suassuna n. 41, 2 andar, em sesso ordi-,
oaria.
i.eilaEffectuar-se-liao os segnintes :
Hoje:'
Pelo agente. Silveira,as 11 horas ra do Im-
perador n. 4-5, de predios.
Segunda-feira:
Pelo agente Slveira, s 11 ho.rag, ma do Im-
perador n. V-:, de predios.
Miisaa raaebreMSero celebradas:
Hoje:
A's 7 horas, na matriz da Bdu-Visla, pela al-
ma de D. Joanna de Jess Souza; as 8 horas, na .
mesma igreja, pela alma de Hermenegildo Mar-
celino de Miranda.
Segunda-feiru
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, pela alma
de D. Mana Pniloraena Moreira Bastos; s 8 ho-
ras, no convento de S. Francisco, pela alma de
Jos Joaquim Vicha Villas : s 8 horas na ma
da Boa-Vista, pela alma do Dr. Pedro
le Mello : as y horas, na matriz da
pela alna de D. JoannaRosa.Perej/a Guim<
FaaaaaelroaSahidos para o norte n
por brasileiro Maranhao :
Josenh B. Srowdeu. sua senhora f i
D. R. BenUs, padre Jos Maria. Luiz i
nuari
I

i



' \
4-



I
Diario : Benwmbucof-AAbiri* 9v-deiVJWerin*. de 18S9



dos Sanios, exrpcacas- Anlonio F. Cavalcante e
Raymundo de-Souza Lima e sua senhora, D. Ce-
CinsTavaras de Mello, Jos terreira Lina, Cus-
todio Leal, Arthur Gordilno. cadete Miguel Ar-
obanjo l'of gi de Figueiredo e Jolio P. Neraei.
Cregados do norte no vapor americato
AUianca :
Arthur A. Suift, Mr. Arlhur Suift, Titeo. G.
Sallewue, Mine. T. G. Saliewae, Luiza Mara Ai-
ree Julio Alves, Edwirgea Alies, Maria e Auna
(criadas).
('.llegados do sul no vapor brasileiro Ja-
gmrilte:
Dionisio Talles de Menezes, Martinho de F.
Brrelo, Jeroiiymo E. Vieira, Joao Peoiu. Munoel
Joaqun Oas, Eduardo Loriad, Augusto Sieupira,
5 pracas de polica 3 presos e os nufragos Ro-
berto Ornen, Thomaz Manir, Daniel Dnoven, Pi-
ter C. Balsa ni e Richard Hampten
O^'M* clrsnrgtcaFoi praticada no
hospital Pedro II no dia 8 do correle, a se-
guiste !
Pelo Dr. Malaquias :
Osceotoraa e posthotomia indicada, a pri-
oaeira por elephaaliasis do escroto e a segunda
parapliimosis no mesrno individuo.
Ihh de U<-lrnrii-Morimento dos pre-
os da Cusa de DetencQo do dia 7 de Fevereiro
de 1889.
Existala 131 ; enlrarara 13; sahirara 16; exs-
tem 448.
A saber :
NacHMiaes 393 mulheres 14 ; estrangeiros 21.
Tota 428.
Arracoados 384.
Bous 363.
Lonco 1.
Doentes 4.Total 384
Movimen to da enfermara
leve baixa :
Jos Jeronymo dos Santos.
Teve alta:
Joaquim Francisco de Oiiveira.
Fbram hontem visitados os presos deste esta-
belecimento por 271 pessoas, sendo : homens
126 e mulheros 156.
Hottpital Pedro II O moviraento deste
estabeleciment de darilade, no dia 6 do Fe-
neiro, foi o seguate;
Entraraia 44
Sahirain 3
Falleceram 1
Existem 586
Fonuu visitadas as respectivas enfermaras
pelos Drs.:
Moscoso s 8 1|4, Cysneiro s 9 3[4. Barros So
brinho s 8, Malaqu!'*uis 10, Estevo Cavalcante
s 8 1|4. Simes Barbosa s 10 horas.
Nao compareceram os Drs.:
Poutual.
Berardo.
O cirurgio dentista Xuma Pompilio s 8 Ii4
boras.
O pharniaceutico entrou s 81|4 da manh e
sal:o s 4 da tarde.
0 ajudante do pharmaceutico entrou s 7 1|4
da manh e sabio s 4 horas da tarde.
Lotera do tram-Pr-A Ia parte da
iij' lotera, dessa provincia, cujo premio grande
W:0t)i000, -era extrahida, segunda-feira, 11
de Fevereiro.
(emiii'iia Publico Obituario do dia 8
de Fevereiro de 1889.
Susana. Pernainbuco, 5 mezes, Boa-Vista : en-
lern colite.
Jos Manoel Ferreira Ramos, Paraliyba, 61 au-
nos. casado. Recife ; paralysia.
Manoel. Pernambuco. 10 annos, Reciie: bron
chite.
Pedro, Italia, 14 annos. Boa-Vista : febre ama-
relln. .
Judith, Pernambuco. 2 mezes, S. Jos; bron
chite."
Maria Jos.4, Pernambuco, bi annos. sol letra.
Boa-Vista : lesfro mitrnl.
Aristi les, S. Paulo, 45 annos. solteira Boa-
Vista :' alVecco pulmonar.
inepta Das das Heves. Pernambuco. i. an-
nos. Braca; tubrculos pulmonares.
Manoel, Pernambuco. 8 annos, S. Jos ; con-
vulses.

Um pouco de tudo
Eis a esiatistiea da borracha das provincias do
Para e Am.zonas. exportada nos 12 ltimos an-
SM. isto de 1877 a 1888:
Os adraramos m frente aos annos
mencionados representam xilograraraas.
Annos Para
1877 7.346.538
1878 7.760.091
1879 7.7 0447
1880 8.197.058
i 881 8.634.539
1884 9.644.055
1883 9.649-900
-f884 9.980.887
188.5 11.736.730
1886 U431.56
UJ87 1 143.930
i888 li.S86.744
abaixo
Amazonas
li. ittl
25a.. >i8
484-647
347.684
307.301
430.664
655-903
985-794
1.464-840
1.574.757
I.961.844
2.124.379
Total
n; o'.4.2*:
10.415-801
*
Do conimendador Joseph Mawson, superin-
tendente da estrada de ferro Ceutral da Bahia,
acaba de recebe* o Museu Nacional valiosa col-
lecco de fosseis provenientes da visinhanca da
estaco de Pitonga, da a-terrea da Bahia ao S.
Francisco.
Por muitos annos superintendente desta tilti-
mi linha, O Sr. J. Mawson dedicou-se desde 1876,
as horas vagas da sua laboriosa prolisso, a
iuvestigaces da fauna cretcea da Babia, remet-
iendo ao Musen Nacional os resultados das pes-
. quizas a que se entrega otn o ardor que Ihe per-
mute o lempo.
Continuando os estudos comecados por mem-
bros da extimia coiiimis.-o geolgica, aug-
mentou de modo nolavel o valor das collec-
coes, eoto feitas. de peixea e reptis fosseis que
em grande copia sao adiados as cercanas da
capital da Bahia.
Teve depois a feliz idea de examinar com sa-
gaz uiuuciosidade ttxlos os cortes da estrada e
do seu ramal de Timb, lograndoassim ampliar
consideravelmenie os conhecimentos aoquindos
acerca da rea daquella iuteressanle formai o
e descobrir numerosas localidadas fossill'eras
que tenam escapado a pesquizas menos pacien-
tes e perseverantes.
Na monographia do Dr. C. A. White acera
dos fosseis cretceos do Brasil. recenteineule
dada a estampa nos Archivo du Museu nacional
achamos um capitulo delicado aos molluscos da
agua doce.
Tal capitulo 6 em grande parte devido s in-
vestigacoes do Sr. J. Mawson a quem o autor de-
dicou a especie Anodonta Mavtoni como teste-
munho de alto apreco pela colloboracao'deste in-
cansavel pesquisados para os progressos da pa-
leontologa do Brasil.
A collecco agora remettida pelo Sr. J. Maw-
son, alm de exemptares bem conservados de
especies j conhecidas, outros contm que pare-
cem de especies oras.
O Sr. Mawson nao somentc investigador
uta.
Elte recommenda-se anda s nossas sympa-
tbias pela cooperacao com que de longa data e
espontneamente tem concorrido para fazer
a\Tiltar o cabedal scientinco do nosso Museu Na-
cional.
**#
A populaco do Paraguay p de 230,774 pes-
soas ; sendo 441,878 paraguayos, 4,898 argenti-
nos, 825 italianos, 5*0 brasileiros. 476 tedescoa e
o resto^lediuerentes nacionalidades.
O sepso feito em 1857 dar um resultado de
Borreram dorante a guerra cerca de um mt-
lho de pessoas.
Urna das causas do decrescer da populaco
siete em que sobre 119 mulheres ha 100 ho-
__a desproporro se explica pela ultima guer-
ra,, onde ojjeaeral Lopes manteve debaixo das
arma 70,000.
imurro das pessoas que sabem 1er, em toda
a repablica sobe a 32,41/ paraguajoj e 3.846
estrangeiros, que equivale a 26 / sobre os na-
cioaaes *iultbs e a 60 / sobre os estrangei-
ros.
Lpez, pela sua ousadia, extermiDOU o Para-
pagou'Coma propria vida, porque nun-
caiie passou pela mente esta mxima de Me-
gon ti commetta a tiur ehi teme i
Os mendigos panneose* quasi todos vitem
na na 8ntt Marganda; casas de as. 7, 9 e
11 esto in le ramete oceupadas por el les : nos
arrabaWes u eacaitram maoeaoces de vinho,
que de noite os ten como fliwatrli jara.
Pela manh toda urna legio de estropeados,
cxos, doentes hngidps, outros arrestados era
carros, cago*, se eepalha sobre o interior de
Pars para recolhet a colheila diaria. .
Esta das mais fructferas. Um mendigo or-
dinario nao ganha xieoos de dz franco,par dia,
e as roublard alcaiu;am aos poucos a somata de
45 francos por dia.
Qaasi todos sc verdadeiros aleijados ; ha,
nio obstante, falsos cxos e cegoe que vem ;
porem intima a ir i oria delles.
Urna vea na ustrscla .publica, o mendigo dej-
en volve todos os escarne imaginaveis para exci-
tar a pintado dos tiunseunles.
baa iu.aginacio 6 fecunda e surprelienae aos
agentes de pohcia, que por seu oflicio nao sao
gente que se deixe fcilmente surprehender.
Um deties nos contara que tinta notado no
Boulevard S. Miguel urna mulher cega, que nao
con'ente com a cegueira para inspirar sentimen-
tos caritativos, tinhi invntalo urna especie de
tic que chama va a attenc&o do transente :. um
dia teve a curiosidade de saber se esse t c era
natural: seguioa at ujn armazem de vinhos
e all veriHcou que era artificial.
Certos mendigos *: fazem acompanhar por me-
ninos de tenra idade.
Ordinariamente estes pequeos nao lhes per-
teneci, sao alogados por seus verdadeiros paes.
pesia sorte parecem sempre carregadas de urna
pequea familia, saliendo por experiencia que a
vista de meninos desgranados commove o cora-
cao das mulheres.
Outros exageram as suas cnfeifcidaoe natu-
raes e tomam posturas e gestos deploraveis.
Quando nos balrros ricos, a.Magdalena, os
Campos Elyseos, por exemplo, um agente quer
conduzir um mendigo ao commissanado/ for-
ma-se mmediatamtnte um tumulto.
Ao chegarem inspeceo de polica, corridos
se Iheencontram sommas'que nao baixam nunca
de cem francos, cli-igando at quinhentos ou
mais, sem prejaizo das economas que podem ter
em sua casa, porque ha mendigos econmicos e
avaros.
Procedendo-se a pesquizas em casa de um
mendigo a polica encontrou em-um armario dez
caixas repletas de dintairo.
Pela noite todos tomam a ra de Santa Mar-
garlda, aonde chegm pela volta das uore ho-
ras, c vao immeliatamente aas armazens de vi-
nho de que temos f liado.
Nao se deve crer que fazem a pobre ceia do
obreiro. Longo disto, entregara-se a opparas
comesainas e Os melhores vinhos nao sao de-
masiados caros pare, elles.
O aspecto dos tres armazens de rinhos da ra
de Santa Margarida dos mais curiosos. E' um
espectculo original ver todos esses enfermos e
deformados rircm as gargalhadas, contando os
incidentes de sua jornada, pondo em ridiculo a
cari'lade das burgueses.
Em o n. 7 da ra Santa Margarida havia antes
um billir em que os habitu da noite eram os
perna-quebrados da manh.
Assignalemos tamaem entre os mendigos da
vida publcaos individuos que oscercam, duen-
do que ha algunsdias que nocomem.
Das tres patarras mgicas escripias ua'ban-
detra da revoluco que mais poz em todo cerebro
de homem e em cada coraco de mulher um no-
vo e formidarel fermento, foi a igualdade. Dez-
oito secutes antes. Christo tinha proclamado de
Golgotha a igualdade : mas era urna igualdade
turnio metapnisica. a igualdade perante a morle
e a vida eterna. E nessa vida, posto que os ho-
mens julgassem a outra mais curia porem mais
prxima, mais palpavele mais segura,.era-a que
interessava vivamente os pobres hlhos de Ado,
a terrestre, porquanto proclamada por u:n Ho
mem Deus, esta igualdade era um paradoxo, e a
civilisacao a cada conquisla augmentara as des-
igualdades humanas tornando-as mais amargas
e mais pungentes.
Qunnto nv.is um pDvo selvagem e ignorante
menores s.io as desigualdades : tanto mais ei-
vilisado e douto, mais ellas crescem
Mas eis que o 89 prqflamou a igualdade tam-
bera na vida terrena, e a qui? diante da le es-
cripta e d Ici que se falla quotidianamente as
ras e as casas. Comecou-se a demonstrar que
o pescoco de um re se rortava com o incsmo
ferro c a mesma facilidade com que se separa o
do ultimo assassirio, e no .-onlio da igualdade se
checou at a diudir o pao e o vinho. o cobre, a
prala c oouro em ipuaes pro|iorcOes. Lina for-
iiiidavel e inexbor^M tieira passou sobre todas
as cabecas, sobre todos os espnliacos e sobre
todos os ventres da humana familia.
Nao houve mais autoridade heriditaria e incon-
lestada por todos, nao houve mais um paslor
mudo, dcil e paciente que pastoreic e jejue se-
gvndo'o sentido do pastor e o ladrar dos caes ;
todo cidado se julgou livre e igual a todos os
lilnos da mulher. Quem uo sab,-. earregue com
a culpa, e quem nao sabe arriscarse queixe-se
de si ; a^ociedade fiascendo poz as nios de
cada homem um bastao mgico, que pode fuzel-o
luilliouano, legislador, cordeiro, ci di' guarda
OU pastor, conforme os seus gostos e a sua capa-
cidade.
s ovelhas sabem do aprisco, e cada urna pula
alem grande diploma da igualdade procura fazer no-
vas e maiores desigualdades Cadaovefta tor-
nase lobo para outra, e correal, mordem-se e
arraiuam-M reciprocamente. Antnl.: atante,
quem tem tempo nao espere lempo. Querer po
der. Excelsior, excelsior f!
Ao debate dos cerebros o dos ervos se substi-
luio a lucia das unhas e dos denles ; o cerebro
e os ervos trabalham, suam para preparar este
novo trabjiiho, que deve dar aos imuu a cara
ie.sigimldiulr que to-Jos procuram de[5ois de ter
esefipto na bandera de um povo. as mo.'das
de urna nacao, nos monumentos de marmore f>
as folhas du papel dos jornaes a palavra m-
gica.
A Uberdade e a ijimldade teem dosificada o
centro de gravnlade da familia humana, esten-
dendo e alargando cada dia os ilireitos do cida-
d.io e os deven-s do homem civilisado. O livro
e a prima leem de governar a lodos, e devem
ser Mstiumentos de toios. A instiuoio obri
gatera pfle o sigillo e faz a apollieose do pensa-
iuento sobre todas as lonjas humanas : e upezar
da liberdade dada a todos e da pertinacia e 1:1-
corrigivel desigualdade dos cerebros humanns.
ninguem est livre .le ser ignorante.
Livres sao lodos : aia.s nenbum est livre de
uo saber ler. nenhiim est livre de nao ler -
vros em casa e de recusar o (ructo da aore fio
bem u do mal. Prouietheu foi atado ao roebedo
e devorado pelo abutre por ter querido saber.
Adn foi expellido do Paraso terrestre, porque
quiz comer do fructo prohibido. Boje ser pu
nido quem recusar o mesmo fructo, se nao sou-
ber roubar tambera um raio de sol. Sao todos
livres, sim -, mas sal)io6 todos ; sao todos iguaes,
sim ; mas na biblioteca, e na assembla. A
liberdade universal tem destruido a liberdade
individual, sobretodo a de recusar o alphabeto
e o tinteiro ; o trabalho do cerebro e o dos er-
vos.
A ignorancia era um mal; anda hoje o e o
ser sempre ; mas a presea de tornar todos sa-
bios tem ceifado mi itas cabecas de horneas fe-
lizes, que nao podiam dobrar-se de repente a
um inslito trabalho.
Nao vai alem de duas geraces o tempo em
que rauitas mulhere- da alta aristocracia escre-
viam apenas o sea i orne e pouco mais distante
anda os principes c soberanos nao sabiara ler.
Hoje o homem analphabeto orna machina
que manchae deshonra urna naco.
N'outro tempo os esenptores nao eram senio
genios singulares e rarissimos ; boje quem nao
autor de um esbo'osinho, de ama comedia, de
um artigo de jornal qnalquer que- seja. nao
um homem cultivado um idiota.
^
CHR0IIC1JDICIARIA
Trikuanl da Rdei
SBSSAO 0RD1NAFJA EM 8 DE FEVEBEI-
BO DE 1889
MUSIDBMCIA DO EXM. 8B. COHSELHtIRO
Ql'INTIHO DE IUBAKOA
Secretario, Dr. Virgilio Corito.
As horas do cajrtonie presentes os Srs des-
mbargadores em niunero egal foi aberta a
sesso depois de (la e approvada a acta da aa-
tUJrnte.
Distribuidos c fajisados os feitos der.in'.-se
eepuntes
JBLOi-MITtTOS >|
fteeureos eritnes
Do BecifaRacorreate juizo, neoowiJoMa-
uoeJ JaaquuB-Je oiiveira Costa. Relator, o Sr.
deaembargadov^ttasque L>ma^tl#aou.Sft pri
vimento. unanimemetrte.
lie lajaaeiraaBecorrente o juizo, recorrido
Manoel Ferreira. Lima. Relatar o Sr. desem-
bargador Toscano Barrete. Negou-sc provi-
mento, unnimemente.
Aggravoa de petico
Do Becifegitravante Alfredo Bautista de
Si, aggravados Seixas Irmo. Relator o Sr.
desembaegador Pires Ferreira. Adjuntos os Srs.
desembargadores Sirva Reg e Delfino Cavalcan-
te. Deu-se Drovmenlo. unauimemente.
Do Recife-Aggravnntcs Pereira Penna C...
aggravados Carlos de Anuda & C. Relator o Sr,
desembargador xtenleiro de Andrade. Adjun-
tos os Srs. desembargadores Mouteiro de An-
drade e Silva Bego.Deu-se provimento, uaa-
nimemeute.
Denuncias
Do promotor publico da comarca de Porto
Calvo contra o respectivo juiz de direito Joao
Baptista Guimares Cirne. Relator o Sr. d..s-
embargador Toscano Barrete. Adjuntos os Srs.
desembargadores Dellino CavalcanteeAlves.Rl-(
beiro.Nao se tomou conhecimento da denuncia'
unnimemente, pela incompetencia do promotor.
De D. Pbiladelpha Emdiana do Campos con-
tra o juiz de direite da comarca de Villa Bella
bacharel Francisco Jos Metra Sobrrnho. Rela-
tor o Sr. desembargador Dellino Cavalcante.
Adjuntos os Srs. desembargadores Pires Fer-
reira e Tavares de Vasconcelios. Julgou-se im-
procedente a denuncia, unnimemente.
Appellaces crimes
De S. Bento Appllante Laurindo Joae de
Franca, appellada a justica Relator o 8r:'des
embargador Buarque Lima. Conlirmou-ac a
sentenca. unnimemente.
Da Victoria-Appllante Francisco Alexandre
de Souza, appeHada a justica. Relator o Sr.
desembareador Dellino CaTalcante. Contlrmou-
se a sentenca, unnimemente.
De Bom ConselhoAppllante o jaizo, ap-
Kellados Anselmo Francisco de Mallos c outro.
elator o Sr. desembargador Toscano Barrete.
Mandou-se a novo jury, unnimemente.
DeGaranhuns-Anpollante Placido Jos dos
Sales, appellada a justica. Relator o Sr. des-
embargador Toscano Barrete. Confirraou-se a
sentenca, unnimemente.
De SouzaAppellantes Albino Guarda da Sil-
va e o promotor publico, appellada a justica.
Relator o JSr. desembargador Tavares de Vas-
concellos.Julgou-se millo todo o processo,
contra os votos dos Srs. desembargadores Buar-
que Lima e Toscano Barreto e mandou se ins-
taurar novo.
Da ImperatrizAppellaate o juizo, appellado
Manoel Pedro da Silva. Belator o Sr. desem
bargador Monteiro de Aadrade.-Em diligencia.
De Assembla Appllante o juizo, appellado
Manoel da Silva Barreto Falco. Belator o Sr.
deseinbargadorTavares.de Vasconcellos. -Man-
dou-se a novo jury, unnimemente.
Appellaco civel
Do RecifeAppllante o juzq dos feitos da
fazenda, appellados Bernet C. Relator o Sr.
desembargador Toscano Barreto. Bevisores os
Srs. desembargadores Pires Ferreira e Monteiro
de Andrade. Forain desprezados os embargos,
unnimemente.
PASSAGENS
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade :
Appellaco crime
Do Allinho -Appllante Antonio! Joaquim Be-
zerra de Moraes, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
AppellacOes crimes
De Floresta Appllante o juizo, app-llados
Juvenal Gomes de Novaes e outros.
Do CollegioAppellunte Joto Bispo do Li-
vramento, appellada a justica.
O Sr. desemliargadv.r Pires Gonealves como
procumdor dacor e promotor da justica, deu
carecer nos seguintes feitos :
AppellacOes crimes
Da Escada Appllante o juizo, appellado
Bazilio. ex-escnivo.
Da Escada appllante o promotor publico,
appellado Floriano Jos dos Sanios.
Appella< io cirel
De Olinda Appllante Dr. Manoel Antonio
dos Passos e Silva, appellada a Baroneza deTa-
caruna.
Do Sr. dembargador Alves Ribeiro ao Sr. des-
embargador Tacares de Vasconcellos:
Appellaces crimes
Do Brejo Appllante o promotor publico,
appellado Antonio Feliciano de Mello.
De IguarassAppllante Herculnno Pereira
Das, appellada a justica.
DI8TRlBCIf}OES
Recursos crimes
Ao Sr. desembargador Buarque Lima :
De Caruar Recrreme juizo, recorrido
Antonio Hento do Oiiveira.
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
Do Inga-Becorrente o juizo. recorrido Anto-
nio Machado.
AoSr. desembargador Delfino Cavalcante ;
i*o RecifeRecrreme o juizo, recorrido o
bacharel Arthur de i-arros Falco de Lacerda.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do BonitoRecorrenle o juizo, recorrido Joo
Flix Monteiro.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
De Areia-Recrreme o juizo, recorrida Jose-
pha Maria do Espirito Santo.
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
De porto Calvo-Recorrenle o juizo, recorrido
Jos Antonio da Silva.
Ao Sr. desembargado!- Tavares de Vascon-
cellos :
De IguarassRecorrenle o juizo, recorrido
Amonio Lourengo Carueiro.
Ao Sr. desembargador Oiiveira Andrade :
De CamaragbeRecorrente o juizo, recorrido
Firmo Ribeiro dos Santos Cedro.
Ao Sr. desembargador Silva Reg :
De Alagoa Grande-Recqrrente o juizo, re-
corrido Thome Soares da Silva.
Agjrraws de pet-xo
Ao Sr. desembargador Pires Goncaives :
Do Recife -A'.'gi'availe Vctor Nessen, aggra-
vado o juizo.
AoSr. desembargador Alves Ribeiro :
Do RecifeAggra van te i amillo Gouveia de
Andrade. aggravado Antonio Joaquim Vinhas
Mata.
Ao r. desembargado:' Tavares de Vascon-
cellos :
Do RecifeAggrarantes Dr. Lopea da Costa,
curador fiscal, Antonio Ferreira de Car val ho 6
outro, aggravado o juizo.
Appeltages civeis
Ao Sr. desembargador Pires Goncaives :
Do Recife -Appllante Manoel Joaquim da Ro-
cha, aggravado Virginio Horacio de Freitas.
a o Sr. desembargador Monteiro de Andrade i
Do Recife -Appellantes Jos Antonio Pinto e
outro, apellado Eduardo Alexandre Borle.
Encerru-se a sesso 1 hora e 30 minutos
da Urde.
molestias de aenlwaras e/d criancas, com
pratica nos hospitates de 'Paria* e da Vienna
*Awtriay;dY consulta de 1 s 9 horas da
tarde ana sna residencia. rns do BairSo-da
Victoria- n. 59, 1.. andar. Chamados a
quslqaeat hora. %
'Aalvgadag
O' backarel Witruvio Pinto Bndeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.- andar.
O Dr. H. Met mudou o sea escripto-
torio de advocacia. para- a ra do Impera
dor n. 46, 1- andar, sala da frente.
Oceullsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaos e clnica de Pars e Lori
dree, aV-coBanltaetodes ce das da* 9
horas dao meio-dia. "Consultorio e resi-
encia ra LargB do'Rosario n. 20.
errar!a a Tapar
Serrara a vapor e officina de carapha
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabeie-
eimento, o primeiro da provincia deste
genero, compra e vende madeiras de todas
as anualidades, sen-a madeiras de cunta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por preeos sem dom-
petenciaPernambuco.
Drogara
Faria Sbrioho & C, droguista por ata-
cado, ra do Marques de Orinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva di C, deposi-
tarios da todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
das noIdaide*
lime. Koblet de volta de sua viagem
previne as' Exmas. familias e as suas fre-
gue*as que trouse tudo o que diz respeito
a mocwe novidades. Ra do-Imperador
n. 44.
HippDdDiiaoidoXiiamp
frOftoide
Para os tres graa*e9ff8plendidos bailes de
raascanM'qoe st'hai reaMar-ao*aHaB de. Marco prximo vkidauro, aoha-*a-abertaina
assignalura para os tres dias com passede ida
e volta no trem, pela. bagatelfa de 4*; as pes-
soas que qiietram assignar podem* diri-JW-seaD
abaixo assignado ou nos lugares abaixo -mencio-
na dos.
Ruado Itangel n. 58.
RuaLarga do Rosario n. 8.
Ra do Cabng tt! 2 D.
Praga da Independencia a. i >.
Duque de axtas n. 39.
Eucaderuac&o de J. M. de Miranda.
llavera trem de meia em meia hora ou mais se
forem precisos, a condueco ser facii e sat$-
fatoria.
H tambem um grande sortimento de roupas
de todas as epochas e por todos os preeos.
A assignatura fechn-se no dia 16 do corrente.
Recife, 8 de Fevereiro de 1889.
Universal nas*sj(*|enges, tanto como in-
fallivel nos#eus eflettos, o Extracto de Avelei-
raMgica doDr; (?.' C Bristol,o qUalf entfwga-
to tfocr externa. coso, jam r*aedi<)vmfaeb*m#mmmm*o
para o allivio iinmeditee guntes males :
Externos Machocadlas, -CCntusoes.
cortaduras^ lerklns; tomotrs-ulderas,viaWaaab>
ras, mordidetas, insolado pi*onctdo^au-
pgoes,- desloouee,.fratMMs,eserK^esflbKa-
das de iasectos, paoaricio,' mal da-gacganta,-do9
olhos e onvidos, dor da dente e decanega;
Internes -t4iemorrhagia3, pulmonar^ vngmai e
nasal, lumbago, aff^^o^oWBovn*iMs,
vomites a sangue varieosis, r.pwttot, mallos
rins, 'estreilamcnto e retenco da urina, tenor-
rha, diarrhea, meastruacopenesarcoasttp)i^o,
coqueluche, ustnma'ecatarrho o*-toda at'pecie.
E'.alallivel asombroso effltMB'en>ttos e eife-
cialmente efficaz em casos de almorreiaa e
rheumatismo. ,
Aoha-se"vendaem todas^s boticas e lojas-de
perfumaras.
PDBLICAQOES i PEDIDO
IHDICQOES TEIS
Medieos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu eacripto-
rio abexto ra Duque de Casias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua rssidencia roa da Santa Cruz
n. 10. Especialidades molestias de se-
nhoras e criancas. Telephone n. 326.
Dr. Joaquim Lourtiro medico e partei-
ro, consutorto A na do Cab*Hg u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Bafretto Sttmpaio d consultas de
meio-dia .as 3 horas no 1.' andar da casa
a ra do Bario da Victoria, n. 51. Resi-
denoic ra Sete de Seteaabro n. 54, en
trad'A peta ra da Saudade n. 25.
)r. Centro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co
mo aconselhada. Consulta, das 11 s
3 da tarde en sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cru) n. 23, 1.
andar.
' Dr. Joao Baylo, especialista em partos.
Ao-Exm. Sr. governador do
bispado ,
Constando que alguem em Olinda desoja tra-
tar de conseguir licenca do governador do bis-
pado para fazer a procissSo dos tercos quares-
inaes, previne-se ao Exm. eRevm. Sr. governa-
dor do bispado, que tal licenca est expressa-
mente prouibida pelo preclaro e virtuoso nispo
desta diocese, desde 188, pelo reprovado proce-
dimento do encarregado da procisso para cora
o clrigo que acompanhava a procisso em lu-
gar do Revd. parodio ; sendo desacatado publi-
camente no paco da Ribeira, por nao consentir
as fiugidas quedas do Senhor; isto expressa-
mente prohibido pelo virtuoso prelado: e nao
satisfeito com este escndalo, recolhendo-se a
procisso no Carmo, nao querendo o clrigo
acompanhar a procisso para a igreja do Rosa-
rio, porque o tempo ameacava chuva e a pro-
cissu tinha sabido do convento de S. Francisco,
havia algumas imagens ricamente vestidas e
perlencentes ordem terceira, entendeu de, por
motivo, recolher-se nlli e nao na igreja do Ro-
sario, d'onde teria de voltar para a ordem as
imagens : mas, o que se faz sem a menor pie-
dade e devoco, faz-se mais por espirito deno-
vidade. eis que o tal encarregado manda se-
guir a procisso para o Rosario, tendo de se Td
colher a procisso as carreiras. pela chava qu
cahia, e sera a presenca do clrigo desobedeci-
do !!
Constando tudo ao Exm. Sr. bispo, esle pro-
hibi expressamente a tai procisso, asseguran-
do nao dar mais licenca, e nao obstante constar
isto, no seguate anno reqnereram. foi negada
a licenca sem mais etiqueta.
A resoluco nao poda ser mais acertada, por-
que infelizmente boje se abusa de tudo !...
Propnamcnte nao ha piedade, devoco, nem
respeito 1 nao se sabe o espirito com que se
fazem hoje os actos religiosos ?.. e o que
mais admira que os proprios encarregados
sao os primeiros a desrespeitar! Em tempo to
sanio, to proprio de profunda meditacao.
quando mais se offende ao Deus Redemptor e
tres vezes santo !! 1
Sao estas as humildes consideracoes que faz
um catholico espectador ao Exm. Sr. governa-
dor do bispado, para que nao aconteca que, nao
sabendo talvez o que lia a respeito aos tergos e
circumstancias occorridas, nesse em boa f
conceder a licenca.
Concluindo, peco desculpa a S. Exc. Revma. e
ao Deus das Misericordias direi: Parce domtne,
parce popido tu.
26 Janeiro de 1889.
*rs. redactores. doJBtario de Pmwambme.Na
noticia que Vv\ Si. deram na Revista Diaria de
hoje com refeTeactraaromeco de incendio, que
houve na roa Nora de Santa futa-,'ha mexactido,
pprquanto o coraeco do- incendio' tve logar no
tildado que existe nos fundos da casa n. 27, que
nao me pertence, e nao n. 31, como dizem, e
nem' l existiam cavacos.
Vicente hlves-acltad*:
'/Programma
Capitao F. A. S. B.
Este sonher a perto de cinco annos to-
mou um pobre, que nao foi mais do que
agente, a quantia de 300(5000, devendo
ser para um fim sagrado. Depois d'isto
foi tomado e pagando, e o pobre embebi-
do n'isso; e demais fazia-se religioso, indo
todos os dias casa da victina.
Um dia procurou um pretexto c disse :
t nSo posso mais pagar; e demais' j pa-
guei : se quizer, cite-me.
O pobre sem recurso esteve por muito
tempo sem saber o que fovesse ; dirigio-se
um distincto advogdo, mandou-o citar;
eis que apparecem na sala das audiencias
diversos companheiros'pedindo ma espe-
ra ; o que nao consoguiram.
Mais tarde, porm, foram clles fallar
com um outro distincto advogdo, quem
o pobre nao tinha outro remedio senio ce-
der ; ficou esperando e nesta espera veio
a ameaca arma poderosa contra os fra-
cos= ; mas nao foi este o motivo e sim a
vinganca qne se tira dos -innocentes.
Comtudo ato a victima sofrrer tudo;
mas far publico breve o nome extenso
deste homem que se diz religioso. A cau-
sa corre pelo cartorio do tenente Felicis-
sime.
da trmt da Asocieo dMt Kmpre-
K*do* in ( Minrrrlo ilr Prium-
bur, v*>rnrl* de A's 3 horas da tarde, de domingo. 10 deste
mez, nos vastos salces do Gabinete Porluguez
de Leitura, estn lo presentes os Exms. Srs. pre-
sidente da provincia, general coiumandane das
armas, diversas autoridades, -commisses de
varias sociedatk's e convidados, ser aberta a
sesso Htteraria pelo Sr. presidente d directo-
ra.
N'essa occasio tocar a raasica do corpo de
polica, que all se achara em grande uniforme,
os hvaraos nacional e portnguez.
Offerecida a palavra ao orador da A3socaco,
far o histrico d'ella.
Seguir-se-hao na tribuna'os fulastres oradores
das commissoes presentes, offerecendo-se a pa-
lavra a cada um d'elles, na -ordem em que se
acharem inscriptos no livro d honra, qie, para
esse Ihn, estar era poder da commisso res-
pectiva.
Esgptado o numero dos oradores inscriptos,
ser offerecida a palavra a quem qaeira d'ella
se utilsar.
A'proporeo que os oradores forem descendq
da tribuna, ser executada pela banda musical
una peca de seu extenso'repertorio.
A Bichada do Gabinete conservar-se-ha com-
pletamente illuminada, e a entrada c saines
sumptuosamente ornados.
A sede da Associaco tambem estar illumi
nada as noites de sabbado e domingo
Tendo Ss. Excs. os Srsrpresidente da provin-
cia e general commaudante das armas, promet-
tiilo honrar a sesso com suas presencas, sO
ter comego a sesso depois que Ss. Excs. tive
rein dado entrada nos saldes. .
a' porta da entrada arhar-se-ha postada urna
commissao para receber Ss. Excs., as Exmas.
senhoras, comraissdes e convidados.
A' todos os Srs. associados pennittida a en-
trada, independente de convite e sao em gvral
convidados
Todos os conviles feitos para a sesso de 20
de Janeiro prximo passado, tem inteira acei-
taco.
Secretaria da direetoria da Associaco dos
Empregados no Comraercio de Peraanibuco, 7
de Fevereiro de 1U89.
Augusto .da Silm.
I' secretario.
#WTOm
Jurisprudencia
A consulta que sob esta epigraphe sahio no
Diario de boje, e que do mea Ilustrado collega
Dr. Estevo so tem a firma, claudicou vergonho-
smente.
Se nao conhecessemos a questio e fossemos
consultado sobre ella, segundo o enunciado, sub-
screviriamos os outos pareceres publicados.
Tire o tastre competidor de minha consti-
tuinte s consulta dos autos com imeira fidelda-
de e submetta o parecer a aquelles e de todos os
advogados do foro e ver o reverso da meda-
lha.
Recife, 8 de Fevereiro.
Materno te Carwitto.
Calavera con peluca, assim chama Que-
vedo de um modo cruel a mulher aem ca-
bellos. Com effeito nada mais fsio, nada
mais triste do que ver urna mulher privada
deste adorno precioso. Felizmente nada
rnaie fecil do que prevenir e corrnr esse
defeito, fazendo-se uso do famoso Oleo de
Kananga do Japio, da casa Rigaud d C,
que conserva s tonifica o cabello, torna-o
briBUrte,. SaJ-o creacer, e- daVlbe um per-
fume suave e voluptuoso.
Agrailecimnto
0 abaixo assignado, penhorado pelo modo bri-
lhant cora que o Sr. Dr. Laurindo e Moraes Pi-
nheiro acudi ao seu appello feito ultimamecte
em publico, vem agradecer, do alto da imprensa,
a sua geuerosidade.
Agradece igualmente aos Srs. Dr. Silyino Ca-
valcante e commendador Francisco Jaeintho de
Sampaio o auxilie valioso que Ihe teem prestado.
Mrissiiim Barboui de Souza.
--------------^-------------
Programma 4a feala de \aa
Wemkora de l^ivramcnlo bu
povoaco da Varzea.
ao alvorecer do dia 10 do correte, urna salva
de 21 tiros, acompanhada de grande numero de
girndolas de logeles, annunciar aos fiis que
e diegado o dia da festa da Excelsa Senhora do
Livramento.
A festa principiar s 11 horas, tocando an-
tes e depois a philarmouica 17 de Julbo, e da
sociedade musical 13 de Maio i eapuguenei a
?ual a convite do um dos socios morador nesta
reguezia, dignou-se abrilha:itar a festividade-
Ao terminar a esta subiro a ar diversos
aerstatos acompanhados de urna salva real e
muilas girndolas.
A' tarde as phiiarmoncas locarn no adro da
igreja as mais importantes pecas, de seus reper;
tonos, que estar todo embanderado e garbo-
samente adornado.
, .As 4 1,2 horas da tarde terao comeco|os di ver-
tmenlos populares e entre elles apresentar-se-
ha ao publico o conhecido dansanno Joaquim
Pendahyba, o qual veio especialmente do Cabo
para tornar mais divertida a tarde deste dia,
com suas mmicas, sortos, dansa de corda 4.
As o 1/2 horas ser arreada a bandera.
A's 6 horas subir um aeros alo de forma in-
teiramente nova, acompanhado de urna salva e
diversas girndolas.
A' noite o adro da capella estar cxplendidl-
mente Iluminado a giorno.
A's 7 1,2 ser cantada urna ladainha, e ao ter-
minar subiro alguns aerstatos e finalmente
ser queimado um"lindo( fogo artificial.
Dr. J. Correa Bittencourl
No vapor esperado depois d'amanha do
norte segu para a capital do Cear o hbil
oculista, Dr. Corroa Bittencourt.
O illustre clnico, infelizmente, ni pre-
tende voltar a esta provincia, onde ac*
ba de firmar a reptatelo do distincto oph-
talmologista, como o pro va a grande- qaan-
tidade de operacSes aqu praticadas, com
excellentes resultados.
E' tamentavel que o Ilustrado especia-
lista retire-se t^ extemporneamente, dei-
xando a muitos na expectativa de recorrer
a sua consumada pericia na difficil materia
de sua especialidade.
A sua ausencia anda mais lamentada
pela pobreza, que sempre encontrn no
Dr. Bittencourt o apostlo desinteressado
da scienca, que leva a philantrophi at
manter s suas expensas os pobres sabmet-
tidos aos seus cuidados.
Ao sympathico medico desejamos urna
excellente viagem.
(Do Pote do MaranhSo.)
------+------
Ciica Mtow-m$a
DO
Dr. Ferreira
OCDIJ8TAf
Pratioo no* prindpaeaKospitaes de Paria
e Londres.
Consultas todos os dias (excepto domin-
gos) das 9 horas ao meio dia.
Pratica embalsamamentos.
Consultorio e residencia ra Larga do Ko- compras- ordena
.um.-a.iiO
Telephone n. 233
?viso ao publico
Emquanto durar a Exposico Uaivrsalade
1889, os nossoe leito.es que se acharem-*
e |que desejarem receber qaawajwrtataatamr da
trra, podero ler os nmeros mais recentes do
nosso jornal no escriptotio dos nossos csrres
P)ndentes, os Srs. Amde Prince & C, 3$, ra
afayette, esv Pars.
I Os nossos pitricios podero receber asna cor-
respondencia, peridicos, etc. etc., em casa dos
Srs. Amde Prince & C.
Outroskn, oe mesmo* Srs: Amt frtnUTawC..
negociantes-commissarios poem a saaSUai de

I
Formula de Angeliao'. ^
dos Santos Andrade
Appromdo pela Inspectorio Geral de-Hjf-
gene Publica do Rio de Janeiro'. emr.BO
de Julho cte'1887.
Este depurativo e de grande eficacia un? mo-
lestias syphiliticas e impureza do sangue '.assim -
como era todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente '.nuitas pessoas ac-
conimettida'da-terrivet molestia berloeri.
nfODO.-DE. USAR
Os adultos tomaro quitro comeres das 'de
sopa pela manh e quatro noite. As enancas
de 1 a 5 annos tomaro urna colher pela niann
e outra noite, e os de 5 a 11 annos tomaran
duas comeres pela manh e duas a noite. De-
vero tomar banhos fro ou momo pela manh e
noile. esguardo regular.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva A C, ra do Mrquez de
Olinda n. 23 e pharmacia Oriental Toa nW-
ta do Rosario t. 3.
O autor deste preparado poqe ser procnrso
na ra do Baro da Victoria n. 37, oude sei en-
contrado para dar toda e qualquer expcacao
que for precisa.
- -N: 43- 1
Ulm. Sr. Angelino Jos dos Santos.Andrade.
Amigo e senhorTendo minha senliora sofWdo
por espaco de 30 annos mais ou menos, da ter-
rivel molestia erizipella. da qual ha 2 auno a
e^ta'parle, accommettia a miado a ponto dre- '
pctir-lhe duas vezes ao dia, e tendo esentaMo
todos os recursos mdicos sera delles obten o
menor lenitivo aos seus soffrimentos a 6 mezes
mais ou menos ; um amigo me aconselliou o sea
Elixir purilicador do sangue, sem V- fui com-
prar urna garrafa, e applquei, a qual operon
urna maravilha, porque at a data presente nao
appareceu mais o mal.
Destas podcs lnhas que s contm a venta-
da, far o uzu que Ihe aprouver. '
Recife; 2-darco de 1888!
Jos Pereira de Alcntara Bcandaot
N. 44
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos AndradeS
Recife, 20 de Margo.de 1883.
Amigo Sr. Faltara ao mea dever, .se*por
meio desta deixasse de manifestar-Ihe tiuartto
acho prodigioso o Elixii depurativo do santae,
por Vmc. preparado, pois soffrendo eu, ba mais.
de 2 annos de dores por todo corpo, e conf es-
pecialidade no peito, assim como de urna dite-
ra sv|iliililii-a na arganla. e tendo eu ja-pasl-
do a f. aos medicamentos que coaecotvameh-
te me receitavam os mdicos, quando fui acon-
selhado por um amigo para que fiaesse aso do
sen Elixir'Depurativo, o qne nz uso de tres gar-
rafas. Hoje, (gracas a Deus) e ao fsen medio
acho-me completamente restabelecido.
Poder Vmc. fazeruso desra "minha mantsta-
co, o que Ihe aprouver por ser com subflfcf'es- ,
tima e consjderacSo. ^
De Vmc. amigo, venerador, criado multo-oin-
gado.
Manoel Tavare3 da Costa.
. sjatasu*''<:^>B N.4S-
Illni. Sr. Angelino Jos dos-Santos Andrade.
Sendo accommettido ha 2 annos mais ou menos
de urna iniammacSo na orelha esquerda que
progredindo em demasB, causoa-me1 cajas re-
cejos : uzei a couselho de um amigo, do seu
Elixir purificador do sangue ; e de faci, urna s
garrafa, foi quanto bastou para sentir-mp perfei-
tamente bom ; nao obstante anda repito urna
outra garrafa, do qu> altas nao precisa va ; e a
evidencia rapidez e pontualidade na cura,, nao
se fez esperar.
Faca o uzo qne Ihe aprouver destacarla.
De V. S. atiento e obrigado.
Recife, 18 de Janeiro de 1888.
Pedro Alexandrino Machado.
(Estavam selladas e reconheoidas as firmas.)
(Continua).
-------------- -----.
Lngar.s provas!
Quardo mesmo nao tivessemos o traba-
lho de vir trazer ao conhecimento.- blico a noticia das muitissimas curas ope-
radas pelo Peitoral de Cambar, 'Sanan.
Soares, bastava que os proprios bene-ftci&-
dos por to poderoso remedio se encarre-
gassem de Ihe divulgar as virtudes.
A voz do povo a voz de Deus, por
esta razo nada mais do que elle preciso
para constituir a gloria de om preparado.
O-.attestpd que se vae 16r mais urna
prova do que levamos dito.
Eil-o:
f Attesto que se miaas filfaas, Iso-
lina, de 8 anuos de idade, e Sil vina, de
5,sorrriam ha mais de tres annos, hor-
rivelmente de asthma, que lhes vinha per
accessos amiudados e tao fortes, que eu
julguei em muitos d'elles, ter-se^appsasi-
mado o termo fatal de suas pobres exis-
tencias. Depois, porm, que usaram o
Peitoral de Cambar, preparacSo de Sr.
Jos Alvares de Souza Soares, miigua-
to do auno prximo passado, s Silvana
foi atacada ha quinan dias, de um asuro
acceaso, "que cedeu promptamente ao-aBt-
mo peitoral.
Tute o que digo verdade e o juro,
se preciso for.
c Pelotas, 10 de 'Margo de 187^.t=t?Mi-
guel Antonio dos Santos. (Pelotas.)
Este importante medicamento vndanse
em .casa dos agentes Francisco JL^da
Silva-aVC, ra Marques de Olinda n. 38,
que o vendem a 25500 o frasco.

jar ter
medio.
dma8info



de Pemaflbco--^8i*bWo 9 de Fevereiro de I8&9
WriBbmtfom operante de oplhal-
MMfjHI
ODr. Cterr* det BpHabcottft praticou
Jt te corrate duas importantissijna ope-
jpfSes de catarata complicada na Santa
de Misericordia.
mais importante fqi praticada no Sr.
atho de Lima Chavea que estar
Jetamente ogo do olEo direito' de
catarata secundaria complicada de
B9sima8 adherencias (occlusSo to-
tal da pupilla). O Dr. Bittencourt prati-
mi uma ericapslotomia ou iritomia, a
s melindrosa de todas as operacBes de
sofistica.
O resultado foi excellente. O doente
perfeitamente logo depois da opera-
3:

t -
I
A outra foi praticada no olho esquerdo
Sr. Raymundo Procopio de Faria, que
bn inteiramente cgo deste olho ha
anexe anuos (catarata senil)..
Auxiliaram estas operacSes os Srs. Drs.
Jbanthn Pedrosa, Moreira de Magalhles
* Hachado de Aguiar.
(Do Jornal do Amazonas.)
s>
daa oneracio Importante
Foi operada hontem, pel Dr. Correa
Jstteocourt, nesta capital, a Exma. Sra.
L. Adelia Bentes de Mora. negociante
Jeta praca.
A paciente esteva quasi cega ha tres
de um grande tumor que occupavaj
a totajidade da cornea, produzindo
xas grande defbrmacSo do olho.
O Dr. Correa Bittencourt fez a ablaco
istamor, conseguindo o mais brilhante
resoltado.
A paciente nao smente roadquirio a
ata incontinenti, conhecendo perfeita-
muite todps que a cercavam, como ainda
J um effeito esthetico excellente e nao
.jeatio a menor dor.
(D'.4 Provincia do Para.)
C ura importante
te Exm. Sr. Dr. Carlos Bellenrouri
O abaixo assignado soffrendo de um
(itamento da urethra ha mais de seis
foi operado pelo Sr. Dr. Betten-
pela electrolyse, sem dr, e, gracas
i ana habilidade e manejos delicados,
aeguip ficar bom e radicalmente cura-
da em pouces dias, andando sempre a
Sratar de seus negocios, pois que o Sr.
Dr. Bettencourt opera sem levar o doente
i cama.
Pede desculpa ao Sr. Dr. Bettencourt
rom esta sua publicacao offende a sua
adestia.
Goncalo leceira Guimares.
blfegi* de S. Minri
Ra do Vise* Mi de Camaragl-
le *3
Aoe respeitaveiu paes de familias parti-
f cipa a directora dente novo estabelecimen-
to de instruccao para o sexo feminino,
ucaabrir as aulas no da 14 de Janeiro
1889.
A mesma promette aos paes que Ihe
eonfiarem suas nlhas esforcar-se por Ibes
dar uma educacSo primorosa, solida, reli-
giosa e domestica. ,
A tratar, do 1 de Janeiro no proprio
estabelecimento, das 2 da tarde as 7 da
noite.
A directora,
Emilia A. de Mendonca
Curso primario e prepara-
torio
Ra Larga dio,Rosario n. i*
Io andar
Estarlo abortas as aulas deste curso no
dia 8 do cerrente mei.
O director,
Camerino Sobritiho.

*
Leonor Porto
Larca do Rooitrlu n. 9a
2 andar
Contina a executar os mais dif"
ficis figurinos recebidos de Lon-
dres, Pars, Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicao de costuras,
em brevidxde, modicidade em pre-
cos e fino gosto.

Medico operador parleiro
H
1 I ua Cantado Roarlo l I
(Por cima do Annel de Ouro) J
Onde tera consonarlo e real- '
denri i podendo ser encontrado e i
recebendo chamados a qualquer hora /
do dia e da noite. '
Especialidades: Partos, febres, moles- 1
tas de senboras e dos pulmes, syphilis /
em sural, cura rpida e completa e ope- '
racGes de estreitamentos e mais soffri- /
mentes da uretra.
Acode de prompto a chamados para '
fra de qualquer distancia. i
Tclephoar n. 334
Oculista
Dr. J. Correia de Bittencourt, oculista
residente na corte, ex-chefe de clnica
ophthalmologiea dos Drs. Wecher e Pa-
nas em Pars e do professor Hirschberg
em Berlim, jando regraaado de sua ex-
curs&o as provincias do norte, demora-se
alguns mezes nesta capital no exercicio de
sua especialidade.
Consistorio e residencia, ra do BarSo
da Victoria n. 23 l8 andar. Entrada pela
Camboa do Carmo.
Consultas das 12 s 3 da tarde. Gratis
aos pobres.
Oculista
Dr. Barrete Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia as 3 horas da tarde, no
1 andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34.\Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
1
EDITIS
pretoria pretal das erras e eo-
lonlsacaa de Pernambuco. em
de Janeiro de ISA*.
Faa publico para conhecimento dos interessa-
dos, o edital abaixo transcripto, pelo qual se v
achar-sc esta inspectoria autorisada a receberos
pedidos para introdueco de inmigrantes n'esta
provincia.
Inspectora geral das trras e eolonisaijo :
0 inspector geral faz publico para couheci-
mento dos interessados, que d'ora em diantc de-
vem ser dirigidos a esta inspectora geral ou s
inspectoras especiaes as provincias os pedidos
de immigrantes para o servico da lavoura, os
quaes compete-Ihe satisfazer 'proporco que fo-
rem chegando os immigrantes, conforme as pro-
videncias tomadas por S. Exc. o Sr. ministro da
agricultura.
Em seus pedidos devem os Srs. proprietarios
declarar, alm do numero, a nacionalidade dos
immigrantes que preferem, as vantagens que
Ibes ofTerecem, a denominar. 3o e o nome da lo-
caiidade mais prxima para onde devem ser en-
viados.
F. de B. Accioli de Vasconcellos.
I

I
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
aado pela Unrersidade de Maryland nos
Estadoe-Unidos, tem aberto o seu consul-
ten, na ra Barao do Victoria 19, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, partei.ro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras c creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 as 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPBONE N. 226
MEDICO HOMEPATA
Dr. Ballliazar da Silveraj
Especialidadefebres, molestias
das crianzas, dos orgaos respirato- \
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Institution Frar.caise de
Demoiselles
RA BARAO DE S. BORJA N. 50
As aulas deste collegio acham-se aber-
Bacharel Antonio Wilru-
vio Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1 andar
V
39
Frederico Chaves Jnior
Homoepatha
RA BABO DA VICTORIA 39
Primeiro andar
Vias urinarias, molestias do tero,
opera9oes elctricas
::,. cablos 2snas:::a:
ESPECIALISTA
com pralica de pabii r Londres
Estretamentcs da urethra curados ra-
dicalmente pela electrolyse, sem dr
hydrocdes sem iniecc (cura radical)
feridas e ulceras enronicas. com garan
ta de cura rpida ; pedras da nexiga
fistulas e licintin-hoidas ; syptilis, go-
norrhas, pelo metliodo das mstillacOes;
molestias da garganta e do peito pelas
athmosphcras medicamentosas. Con-
sultas e operar&os das 12 s 3 horas
da tarde.
RA DO MARQL'EZ DE OUNDA N. 34
2". ANDAR
Besideucfa na Torre

ical); |
aran >(
ixiga. ) l
tas desde o dia 7
de Janeiro de 1889.
A directora,
G. Adour.
COMERCIO

Revista do Mercado
ReCIFE, 8 DK KEVEREIBO DE 1889.
O mercado de cambio esteve pouco animado.
H Bolsa foram negociadas 10 lettras hipothe-
;ahas eom o descont de i /
rbi vendido um pequeo lote de algodio.
CisMkM
Os bancos conservaram ainda taxa de 27 1/2,^
nTsmio pouco dinbeiro.
ape) particular foi passado em pequea esea-
b a 27 ll/l0i pedindo a maior parte dos sacca-
*ms27 5/8.
O atovimento foi pequeo.
Se Rio saccaram os bancos taxa de hontem,
2JI/2.
fapel particular foi offerecido a 27 o 8, exi-
smoo bancos 27 11 16
r
T
TABELLAS AFFIXADA8
TTTTf
-o
3-
3
a-
a
a.
E.
3"
3,
s
a?
5
m
3
c
7
I

J-
I i
- 8
TA55ES OFHClAEg DA JUMTA DOE COB-
RETOBES
Ilecife. QeFecetv-o de 1889
as hypothecanas com juro3,a 96r000
uma.
o de Jant com 3,8
ato, hontem.
Dito Le descon-
t, ion;
Cambio sobre Santos, 30 d/v. com 7/8 0 0 de
descont, hontem.
Dito sobre dito, AO d\. com 13/4 0/0 de descon-
t, hontem.
Cambio sobre Para, 15 d/v. com 1/2 0,0 de des-
cont, hontem.
Cambio sobre Manos, 15 d/v. com 5 8 0/0 de
descont, hontem.
Na Bolsa Venderam-se
40 letras hypothecarias.
O presidente,
Candido G. > Icoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
, llcodo
Foi cotado o de 1* sorte do sertao a 61300 por
15 kilo.
Mercado firme.
A exportacao, feita pela alfaudega neste niez
at o da 6 subi a 80.194 kilos, sendo 40.764
para o exterior e 39.430 para o interior.
As entradas verificadas at a data de lioje, so-
bem a 3.081 saccas, sendo por:
Barcacas.....
tVapores......
Animaes.....
Via-ferrea de Caruani.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea deLimoei.-o
Somma-
Asquear
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
L'undo a Associagao Commercial Agrcola, foram
Dr. Manoel do \ascimeoto Ha-
chado Porlella Jiiuior
Escritorio ra do Imperador n. 65
Io. ANDAR
Couros
CoU-se a 385 res, nominal os salgados.
Agurdenle
Ultimas vendas, 83WJ0, por pipa
tros.
de 480 li-
3* seccSo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 7 de Janeiro de 1889.
Faco publico, de orden, do Exm. Sr.
Dr. presidente da provincia, que se acha
aberta a concurrencia para o emprestimo
externo de 8,600:000)S (oito mil e seis
centos contos de ris), autorisado pela lei
provmcial n. 1,927 de 15 de Novembro
nudo, com o praso de quarenta e cinco
dias, a contar da data da primeira publi-
cacao do presente, para o recebimento
das respectivas propostas, que serao apre-
sentadas nesta secretaria, em cartas fecha-
das.
Estas serao abertas pelo mesmo Exm
Sr. s 12 horas do dia, em que expirar o
praso fixado, com os proponentes presentes
Nos termos da referida lei, o emprestimo
sera de quantia que produsa a predi ta impor-
tancia de 8,60O:OO0i5 (oito mil e sescen-
tos contos de ris) liquida, a ser applicada
ao resgate da divida da provincia, funda-
da em apolices de juros annuaes de 7 j0
(sete por cento), com excepcSo daqucllas
que tenham sido emittidas por empresti-
mos a companhias ou a particulares, como
auxilio agrcola ou industrial, bem como
para liquidara) dos excrcicios de 1886 a
1887 e 1887 a 1888.
A taxa da emissao nao ser inferior a
92 (noventa- e dous). livre de" commissao
e o juro nao exceder de 5 "| (cinco por
cento) alm da quota de amortisaco, que
nao ser superior a 1 i, (um por cento),
sendo esta e aquello sansfeitos seraestral-
mente.
O secretario interino, Manoel Joaquim
Silveira.
E para isto mandei passar o presente edital.
Dado e passado n'esta'villa de Afogados aos 22
de Janeirojde 1889.
Eu Miguel de Queirou Amaral, escrivSo o subs-
crevi.Pedro Jorge de iouza.
Eu official dejustica e porterro d'este audito-
rio abeixo nomeado certifico que affixei hoje na
EDrta da igreja matriz d'esta villa de S. Jos do
gypto, lugar do costume de se aixar editaes, e
mais publico o edital datado de 22 de Janeiro
corrente assignado pelo Dr. Pedro Jorge de Sou-
za, juiz municipal e de orphios d'este termo, pelo
qual p6e em concurso o 2. labellionato e oflicios
annexos d'este mesmo termo de S. Jos do Egyp-
to e por ser verdade dou f, e passo a preseute
certidao.
S.Jos do Egypto, 28 de Janeiro de 1889.O
official de justicae porteiro do auditorio, Agosti-
nlio Alj'es Fe i tosa.
(l'P^a)
2. Secco.Secretaria da Presidencia de Per-
nambuco, em 8 de Fevereiio de 1889.
Dcordem do Exm. Sr. presidenta da provincia,
e de conformidade com o art. 157 do regolatncn-
lo annexo ao decreto n. 9420 de 28 de Abril de
1885, faco publico o edital abaixo transcripto
pondo em concurso, rom o prazo de 30 dias, os
oflicios do 2." laln'llio e annexos do termo de
S. Jos do Egypto.
O secretario interino,
Manoel Jou'/uim Sileeira
O Dr. Pedro Jorge de Souza, juz maiiicip;il e
ile oiplios, dos termos reunidos, Afjgados e S.
Jos do Egypto, d'esta comarca de Iiigazeini, da
provincia de Pernambuco, por S. Alteza a Prin-
ceza Imperial Regente, a quem Deus guarde,
etc.
Faco .-aber ao que o presente edita 1 virem ou
d'clle noticia tivereui, que estaabertd o concurso
duranle 30 dias, a contar de 28 d'este niez (Ja
neiro) a 26 de Fcvereiro prximo para quem pre-
tender o provimeuto e annexos do termo de S. Jos do Egypto.
Assim, pois. quem pretender apresente-.se no
nrazo instruindo se uos termos do art. 14 $ 1." do
decreto n. 810 do decreto n. 817 de 30 de Agosto
de 1851, de accordo com o art. 3 do decreto n.
4.668 de 5 de Janeiro de 1871. legulaineuto a que
se refere o decreto n. 9.420 de 28 de Abril de
1483, e mais leis cucernentes ao provimento.
0 vapor nacionalMuran ho, levou o pipas e
205.5 para Manaos ; 100,5 para o Para.
Pelo patacho nacional Rival, foram rc-
mettidas 20 pipas para Pelotas.
Aleool
Ultimas vendas, 1501000 por pipa
tros.
de 480 li-
3.081 Saccas
os seguiutes :
Brancos .
Someno .
Mascavado purgado
bruto.
letame .
Colonia Isabel:
Brancb !
. .
3-
Someno
Mascavado
Usina Pinto:
Branco
2 .
Someno .
Mascavado .
2^200 a 2*800
U700 a 1*800
1*300 a 1*400
1*100 a 1*200
4900 a 14000
2*800
2*600
2*000
14800
14400
24400
24300
1*700
14340
Foram remetidas, por intermedio do patacho
nacional Rival, 5 pipas e 2/5 para Pelotas.
Mcl
Cota-se nominal, a 504000 por pipi de 480 li-
tros.
Pauta da alfandega
sayDA "> i i 9 M fkykrkro de 1889
Vide o Diario de i de Fevereiro
Aavlos a carga
Barca portugueza Novo Silencio, para o Porto.
Barca americana Olive*, para Liverpool.
Patacho inglez Peggie, para Mente video.
.\avIos descarga
.Barca norueguense Frida, carvSo.
Barca norueguense Frkyof, carvo.
Barca americana /. F. Rottman, carvio.
Barca inglesa Sobrina, farello.
Barca portuguez-'i Tentadora, kerosene.
Barca norueguense Celer, carvio.
Barca sueca Anguila, carvif.
Brgue sueco Pepita, carvo.
Brigue norueguense Bertka, carvo.
Escuna ngleza Emulalor. bacal bao.
Lugar nacional Marinho VII, carvo.
Lugar norueguense ForsHa, farello.
Lugar inglez Muy Cory, bacalhao.
Lugar inglez Stetla, bacalbio.
Vapor inglez Chiliau, carvo.-
A exportacao, feita pela alfandega oeste mez at
o da 6, attingio a 1 724.215 kilos, sendo 920.267
jara o exterior e 803948 para o iuterior.
Aa entradas verificadas at a data de hoje so-
tem a 31.132 saccas, sondo por:
Itarcacas
Vapores.....
Animaes.....
Via-ferrea de Caruani.
Via-ferrea de S. Fraticis.o.
Via-ferrea do Limoei po,
Somma.
17.552 Saceos
2836
3.042 .
4-920 .
2 782
31.132 Saceos
0 patacho aacisna! .Rival, levou para Pelo-
tas, 1325 saccas, 950 barricas, 50,2 e 30/4 com
assucar branco, 7o barricas com dito masca-
vado.
Pelo vapor nacional -Maranhlo. > foram re-
nettidos 40 sa^ isBUcar br:;'ico para o
>ar; 150 bay
aarricas com ditc
lceos WO/2 barrica Tom assucar bran-
co para Manos.
Vapor americano AHianca, pairado de Xew-
York e escala em 8 do corrente e consignado a
Henry Forster & C, manifestou :
Amostra? 6 volumes ;i diversos. .Vgua-raz 23
caixas a Francisco Manuel da Silva 4 C.
Breu 25 barricas aos meamos. Biscoutos 10
caixes a Gomes de Mattos IrmSos. Banha 150
barrs a Domingos Cruz & ., 150 a Paiva Va-
lente & ('.., 90 a Araujo Castro & C. 50 a Joa-
quim Ferreira de arvalho A C, 50 a Joaquim
Duartc SimOes 4 C, 25 a Lopes de Magalnaes
A C, 50 a Silva Marques A C, 50 a Fernandos
da Costa & C, 100 a Femandes A Irmaos.
Candieiros 41 volumes a Ferreira Guimares
i C. Chamins 34 volumes aos mesmos.
Drogas 10 volumes a Francisco Manoel da
Oleo 2 caixas a Francisco Manoel da Silva & C.
10 a Faria .'obrinho & C.
Pas de ferro 40 feixes ordem, 2 "aos consi-
gnatarios 30 a Gomes de Mattos Ir.ios, 12 ao
w Hallidav A C.
Parafinau caixas ordem.
. Perfumaria 25 caixas a JVunes Fonseca & C.
Relogios a volumes a A. Laberly, 16 a Artliur
& Desiderio. 4 a Gomes de Mattos Irinos, 2 a
Ferreira Guimarcs v C.
Sabo 10 volumes a Gomes de Mattos Ir-
maos.
Tecidos diversos 10 volumes a Rodrigues Li-
ma C, 3 a Goncalves Ci'iiha A C, 1 a G. de
Mattos Irinos, 5 a Luiz Antonio Sequeira.
Tinta 8 volumes a Joao Walfredo de Mc-
deiros.
Toucinho 20 barris a Goncalves Rosa Fer-
nandes, 20 a araujo Castro & <., 5 a Lopes de
Magalhes C, 10 a Esnaty Radrigues A C,
20 a Fernandes da Costa A C.
Vidros 2 volumes a Deodato Torres C, 1 a
11 C Borstel, 7 a Gomes de Mattos Irmaos.
Lugreinglez Stela, entrado de Terra-Nova em
igual dala e consignado a Blackburn Xeedliam
a, C, manifestou:
Bacalhao 2,718 barricas e 960 meius ditas aos
consignatarios.
Companhia dos trilhos urba-
nos do Recifb O inda e
Beberibe.
PARTIDAS Eli OLINDA
Realisando-se no sabbado, 9 do corrente,
duas grandes partidas em Olinda para as quaes
se acha convidada a lite da sociedade recifense,
resolveu o gerente da companhia, em attenco
aos cavalbeiros que as proinovem fazer um
trem extraordinario s 2 12 horas, da madruga-
da, a partir da estaco do -Carmo, partindo do
Varadouro dez minutos depois. As passagens
neste trem serao as dos trens ordinarios.
Escriptorio do gerente, 8 de Fevereiro de
1889.
0 gerente,
Antonio P. Simoes
Estrada,de ferro do Recife a
Caxang
Festa na Varzea
No domingo 10 do corrente ha ver a tarde os
seguintes trens at a Varzea e vice-versa :'
Ida1.18, 3.10, 4.18^4.35, 5.18, 6.28, 8.0 e
9.45.
Volta2.30, 4.5, 5.10,6.15, 7.0, 8.30. 9.0 e
9,33.
O trem de 4 35 expresso do Entroncamento
a Caxang e dalli a Vinca, e sf-ndo extraordi-
nario n terio valor nelle os bilbetes de assig-
naturas.
At segunda ordem fica sem elleito os trens
que costumavam ir nos dias de corridas no Prado
Pernambucano at Zumby, e os que de l vol-
ta va ni.
Recife 8 de Fcvereiro de 1889.
II. Fletclier,
gerente interino.
Igecebedoria de Rendas In-
ternas Geraes
Imposlo de iiiEusirias proflNN6S
O administrador da Recebedoria de Rendas
Internas Geraes, faz publico que fioda-se no dia
28 do corrente mz o pagamento livre de multa
do imposto de industrias e prolisses relativo ao
1." semestre do exercicio corrente de 1889, de-
pois do que ser cobrado com a mulla de dez
sor cento.
Recebedoria, 5 de Fevereiro de 1889.
Alexandre Je S. Pereira do Carino.
Prazo de 30 dias
Accewfto
De ordem do Sr. Dr. inspector geral da ns-
Irucro publica, faco saber a quem interessar
possa e se julgar com direito a accesso, que se
adiando vaga desde o dia 28 de Janeiro lindo a
cadeira de 2.a entraucia do sexo masculino da
freguezia do Poco da PaHella, licallies marcado
o niazo de 30 das, para na forma dos artigos
164 e 106 do regulamento vigente, apresentarem
nesta repartico os seus requermentos.
Secretaria da instrueco publica de Pernam-
buco, 5 de Fevereiro de 1889. O secretario,
Pe5;"tIl0 *L d'' Aj^tW Gal vio.
Derby Club de Pernambuco
^endo provavcl que as aeces ns. 47 e 48 te-
nham sido entregues a algum dos seuhores ac-
cionistas em lugar das que Ihes compete, peco
a quem as ti ver que ven.'ia tracal-as nesta secre
tarta. Recife, 5 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
J. de Oliveira Castro.
consignado a
entrado de Terra-
Blackburn
Silva A
Sobrinho
<:., 2
a Rouquayrol Freres, 17 a Faria
.14 a A M. Veras A r.
fcFer.-ageii t volumes a Cardoso 4 Inno.
Fariuha de trigo 500 barricas aos consigoa-
Gtasatl b&rricas a Jos Joaquim Alves A C.
Kerosene 50 caixas a Viaana Castro A Q., 20
a Prente Vianna A C.
Mercaduras diversas 6 volumes a H. Lund-
& C, 1 aos consignatarios. 3 a Joao Wal-
fredo de Mederos, 8 a Ferreira Guimarar-s 4 .
69 caixas a Joaqaim Duarte. .moes
:?nte 4 C. M<
arques 4
Lima 4 C, 40 a Esnaty Rodr
cas 80 caixas a Prente Vianna
Patacho inglez May Cory,
Nova em igual data e cons'
Needbam 4 C, manifestou :
Bacalhao 2,285 barricas e 775 meias aos con-
signatarios .
Exportacao
BBCR, 7 DI PKTEKBIBO DE 181-9
Para o extenor
Na barca americana Olice, earregaram :
Para Estados-Unidos, A. Casco 4 C. 63 saceos
com 4,725 kilos de assucar mascavado.
>'a barca portugueza Aoto Silencio, carre-
gou :
Para o Porto, H. Oliveira 5 barrieas com 120
kilos de col, 1 barrica com 25 kilos de farinha
de mandioca e 1 caixa eom 25 cocos seceos.
rara o interior
No vapor francez Villa de Pernambuco, ear-
regaram :
Kara cantos, Amorm Irmaos A C. 1,000 saceos
com 60,000 kilos de assuear branco e, 1,000 ditos
com 60,000 ditos de dito mascavado ; A. V de
Barro 900 saceos com 30.000 kilos de assncar
mascavado.
Para Rio de Janeiro, E. Barbosa 300 saceos
com 18,000 kilos de assucar branco e 200 ditos
com 12.000 ditos de dito mascavado. .
Para Bahia, J. Fon relies 40 saceos com 2.00Q
kilos de cera de carnauba.
No vapor americano Mianca carrega
ram :
Para S. Paulo, H. Borges A C. 400 saceos com
24,000 kilos de assucar mascavado e 15 pipas
com 7,200 litros de agurdente ; F. S. Macedo
Sobrinho 100 saceos com 6,t00 kilos de assucar
raneo e 400 jitos com 24 000 ditos de dito mas-
cavado.
Para Sautos. Amorim Irmaos A C. 500 saceos
com 30,000 kilos de assucar branco, 500 ditos
com 30,000 ditos de dito mascavado, 15 pipas e
100 barris com 16,80:) litros de agurdente ; H.
Burle A ('. 600 saceos com 36,000 kilos de assu-
car branco e 900 ditos com 54,000 ditos de dito
mascavado.
Para Rio de JaDeiro, F. A. de Azevedo 300
saceos com 18,000 kilos de assncar branco e 200
ditos cora 12.0ii0 ditos de dito mascavado -, P-
Pinto C. 30 pipas com 14,400 litros de aguar
dente : H. Burle 4 C. 400 saccas com 35,537
kilos de algbdao ; F. M 25 pipas com
12,000-litros de aguarde:.
= No pataeho nacional Andul
ram:
SJPara Bahia. Amorm Irmaos 4 C. 2,300 volu
mes com 2"3,709 I 2 kilos de assucar branco e
100 barricas com 12,104 ditos de dito mascava-
do : H.'Burle C. 500 barricas com 58,505 kilos
de assucar branco.
Hinhelro
RECEBIDO
Pelo vapor nacional Jacuhypc, do norte
para:
Gomes de Mattos Irmaos 9.202*870
Luiz Antonio Siqueira 1.7775280
Paiva A Valente 1.4475000
Cunha A limaos A C. 1.0384140
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional MranhSo, para:
Natal 500*000
Cear 8.1874180
Para 86.4004000
Re i) di m en tos pblicos
Pela inspectora desta Alfandega, se faz pu-
blico, que. s 11 horas do da 11 do corrente
mez serao arrematadas em praca a porta desta
repartico, as seguiutes mercadorias :
Armazem n. 1
Sem niarc- e sem numero. Um pacote, amos-
tra* de retalhos de fazenrtas sem valor, vindo
de Hamburgo no vapor allemo Buenos Ayres.
em 20 de Marco de 1888.
Armazem u, 2
Marca AP*C e IIPAC embaixo-N. 7208 A.
Una caixa conten lo 65 kilos de jarros de vidro
n. 1, de cores, vindo de Liverpool no vapor in-
glez Mariner em 7 de Marco de 1888, ordem.
A mesma marcaN. 7208 B. Uma caixa cern-
iendo 30 kilos de candieiros de vidro n. 1, de
cores, dem, idem, dem,
A mesma marcaN\ 7208 C Uma caixa con-
lendo 20 kilos de globos de vidro n. 2, dourado,
e 7 globos de vidro n. 2, dem, dem, dem.
A mesma marcaN. 7208 I). Urna caixa con-
tendo 13 kilos de obras de cobre e suas liga-
simples nao classificadas, 9K) grammas de tor-
cidas para canilieiro, de alyodo, dem, idem,
dem.
A mesma marcaN. /208 E. Uma caixa, con-
tendo 3 kilos e 200 grammas de cobre e suas
ligas obras nao classificadas, simples, idem,
idem.
Armazem n. 3
Marca FAC\. 1. Uma caixa contehdo amos-
tras de retalhos de fazendas, vindas de New York
no vapor americano Advance, em 17 de Maree
de 1888 a Vianna Castra A C.
Armazem n. 5
Marca CCdaC Moreira sem numero. Um pacote
de amostras viudo de Liverpool no vapor ingles
Thnle, entrado em 13 de Maio de 1888, a C7C-
da Costa Moreira.
Marca diamante 16664 no centro -N. 86/103-
Um pacote pesando dous e meio kitos de cober-
tores de tecido Je liiiho eutranrado, idem, dem,
idem:
Armazem n. 6
Marca MCA eQTera embaixo- N. 6890. Urna
caixa contendo 109 kilos de pastas de papis
simples, 3 kilos de obreias de massa, 109 kilos
de papel mata borro, 7 kilos de lacre para es-
criptorio nao especificado, vindo de Hamburgo
no navio francez S. Xicolas em 12 de Marco de
1888, a Manoel Carduzo Ayres
Annazeni u 8
Marca AMVAC e M em baixoN 2. Uma cai-
xa contendo 45 kilos de man, vinda de Genova,
no navio italiano inmaculada ConceirSo em 9 de
Abril de 1886, a Martiniatio Veras A'C.
Marca A M V C. e M em baixo----X. 4. Uma
caixa contendo 100 kilos de man, idem, idem,
idem.
Marca IISP4 CNs. 21. 22, 23, tres caixas,
contendo 137 kilos de man, idem, dem, idem.
A mesma marca X. 21. Urna caixa, contendo
1 kilo de capsulas medicinaes, 15 kilos de pro-
ductos pharmaceuticos, 12 kilos de xaropc me-
dicinal em vidros at 500 grammas, peso liquido
6 kilos, idem, idem, idem.
A mesma marcaN. 25. Urna caixa, contendo
5 kilos de perfumaras, 100 grammas de quinino
uaoespecilicado, idem, idem, idem.
Marca HSPsC.e M^em baixo -X. 27. Uma
sacca, contendo i iO kilos de folhas medicinaes
nao especilicadas, idem, idem, idem.
Marca HSPeSVCCem baixoN. 22. Uma
barrica 180 kilos de carbonato de soda, vinda de
Southarap'on no vapor ingle La Plata, em 14 de
Abril de 1888 or em.
Marca Hermes Xs. 27, 34 36, tres grades,
i eso bruto 558 kilos, taxa de 35 por cento. que-'
Ira de 5 por cento, liquido legal 345 kilos de
garrafas de vidro ordinario branco, sem rllia e
sem bocea esmerilhada, vinda de Hamburgo no
vapor allemo Uruguay, em 16 de Abril de
1888.
Marca L T A-N. 23/34. Quarenta e duas cai-
xas contendo vnho do Porto coinmuin. medindo
em garrafas 344 litros, vindas de Liverpool no
vapor inylez Eiliclor, me 17 de Abril de 1888,
consignadas a L. F. A. da Silva.
3. secco da Alfandega de Pernambuco, 8 de
Fevereiro de 1889.
O ebefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
S. R. C
So< i.- Soire trimestral em 24 de Fevereiro
Reunida familiar
Scientilieo aos senhores socios que podem dar.
suas notas de convites para este soire, nesta
se retara ou ao 1 secretario.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer1
cial, 6 de Fevereiro de 1889. ,
O 1 secretario
Ernesto Guimares.
Rendiiuentos dos da.; 1 a 6 do cr-
vente
: 2704500
Renda geral
Do dia 1 a 7
dem de 8
MEZ DK FRVERCIK3
Alfandega
194:15849%
39:6504564
Renda provincial :
Do dia 1 a 7
dem de 8
24:2624254
3:9665573
233:8095520
28:2285827
4 Somma total 262:0384347
Segunda secco da Alfaadegii, 8 de Fevereiro
de 1889.
O thesoureiroFlerencio Domingues.
0 chefe da secgJo -Cicero B. de MeUo.
Recebedoria CSeral
Do dia 1 a 7 10:1654975
dem de 8 1:4754040
11:6415013
Recebedoria provincial
Dodiala7 2:137*691
dem de 8 2344142
2:3714833
Recife Dralnage
Do dia 1 a 7 2:5164817
dem de 8 1:013*088
3:5294903
Mercado Municipal de 8. os
O movimento deste mercado no dia 7 de Fe-
fereiro foi o seguinte :
Entraram :
23 bois pesando 3,818 kilos.
617 kilos de peixe a 20 ris 125340
36 cargas de farinha a-200 ris 74200
5 ditas de froctas diversas a 300
ris 14*80
11 tabolenos a 200 ris 25200
16 suinos a 200 ris 34200
18 matulos com legumes a 200 ris 3460O
Foram oceupados :
2< 1/2 columnas a 600 ris 13*900
1 escriptorio a 300 ris 300
26 compartimentos de farinha a 500
ris 134000
23 ditos de comidas a 500 ris 115500
90 ditos de legumes a 400-ris 365000
19 ditos de sumos a 700 1:4300
9 ditos de fressufas a C00 r ia 55400
!hosa24 5000
Poi arrecadado liquido at hoje 1:4914940
Precos de dia:
Carne verde i'.e 320 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 800 reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
uriulia de 400 a 480 reis a cuia.
Milho de 320 a 400 reis idem.
f^So de 900 a 1420j idem.
Ratadouro publico
Neste estabelecimento foram abatidas para o
consumo de hoje 67 rezes pertenecntes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MKZ DE FEVERED20
Europa...... Ville de Pernambuco 9
>ul........... Ville de Cear..... 10
Europa....... Potos............. 10
*ul........... Cometa........... H
Norte......... Para............. 13
Europa....... Argentina......... 14
Europa....... Neta............. 15
Sul........... Elbe.............. 17
ful........... lagoas........... 17
Norte......... J/i Sul........... Pernambuco....... 27
2214440
Vapores a sabir
MEZ DE FEVKKEIRO
Santos e esc AUianca........... 9 as 10 h.
Santos e esc Ville de Pernambuco 10 as 4 h.
Valparaso ... Potos......... 10 as 11 h.
Havre e esc.. Ville de Cear...... 11 as 4 h.
Aracaj e esc. Jacuhype........... 11 as 5 h.
Fernando .. laguaribe........ 12 as 12 h.
Sul.......... Para.............. 13 as 5 h.
*antose esc.. Argentina......... 15 as 4 h.
^outhampton. EHbe ............. 17 as 4 h.
Norte.........ilagoas........... 18 as 5 h.
Sul.......... Manos........... 23 as % h.
Norte........ Pernambuco....... 28 as oh.
Movimento do porto
Navios entrados no dia 8
New York e escala 22 das, >por americano
AUianca, de 2,203 toneladas, commandante J.
R. Beere, equipagem 65, carga varios gene-
ros ; a Henry Fjrster A C.
Terra-Nova -39 dias, lugar inglez SteUa, de 221
toneladas, capitao Robert X sbet, equipagem
9, carga bacalhao; a Blackburn, Xeedhann
4 C.
CarduT19 dias, vapor inglez Chutan, comman-
dante Johu V. Cruths, equipagem 25, carga
carvo de pedia; a *iison Sons 4 C.
Londres pelo Rio Grande do Norte 139 dias,
es.-uiia argentina Romana\ de 220 toneladas,
capitao Henry Jeiikin, equipagem 7, carga va-
rios gneros; ordem.
Terra Nova 39 das, lugar inglez May Cory.
de 163 toneladas, capitao Joseph Gross, equi-
. pagera 7, carga bacalhao : a Blackburn, Xee-
dann 4 0.
Rio Grande do Norte 4 dias, vapor nacional
Amadeu, de id toneladas, commandante Ma-
noel Joaquim da Costa Jnior, equipagem 42,
em lastro ; a Livramento 4
Aracaj e escala-3 dias, vapor nacional Jan
ribe, de 429 toneladas, commandante Alfredo
Monteiro, eqiipagcm 30, carga varios gene-
a Companhia Prna
Aracaj c escala> Wos-
ahu, de 222 tone!;
M.
Nao hoave
*
?I

i...



?*
m- . ma an i i
ferio de PernambucoSabbado 9 de Fevereiro de 1889

: *
Recebedoria Provincial
O Kk das imrtrucces de 27 lie Jullio de 18?(3,
socjacOed que Desta ciade ti ra
eenca legal se i-ncarregarem da distribut-
ado imposto de rcpa"tic.ao constante da ta-
i unnexa a Iei n. 1884 ; sendo esse trabalho
'wmttido a esta repartirlo no prazo improroga-
vat de 30 dias uteis, contados da data do pre-
arale ; findo o qual sem a respectiva aprsenla-
fosc proceder nos tennos do art. 27 das refe-
nirr iustrucces.
iatabedoria Previn.;ial de Pernambuco. 6 de
ttercira de 188!.
Francisco Amyntlias de Carvalho Mour.i.
Companhia do fia^aoeteci-
dos de Pernambuco
Pbr deliberarlo da directora sao convidados
jb sentares associados desta companhia a se
joanrcm no sulao do edificio da Associaco
Taw-----*;"' Bcneficcnte, a i hora da larde, no
db 7 do prximo raez de Marco, para approva-
ana as contas do anno findo em 31 de Dezembro
*188S, e nomearem acommisso fiscal do cor-
earte anno.
Bwfe, 7 de Fevereiro de 1883.
Jos JoSo de Amorim,
secretario.
Tliesouraria de Fazenda
Be ordein do Illra. Sr. inspector a para conhe-
naento dos interessadss, taco publico que de
asien o thesouro n. 10 de 21 de Janeiro, re-
oferoentc findo, concedeu o iecessario credi-
a fard pagamento dos seguintes credores de
4mdas de exercicios lindos :
wfcirosAC. 846*170
Saapauhia Pernambucana 644800
Vina Azevedo A C 48*000
temiMi) Alvos da Silva Santos 1.62318*
Mordi de Macedo & C. 40*000
ftaeasto Cesar, ex-2 sargento da
fonpanhia de Cavallaria 133*300
uaoet de Souza Brando, ex-praca
Airaercito 7*7<*
Aancisco Antonio de Brito, dem 78*500
anogos Joa Ferreira 1:06a*60
asetato Francisco Santiago *>100
Asiento de Souza Oliveira 42*550
r. Antonio Domingos Pinto 79*664
las Brancisco do Reg Barros 39*840
Bob Machado'otelbo 39*840
Jbs Duro Goncalves Orem 26*560
Jaapum Tavares Arcoverrte 264560
Vkoataz Antonio Ramos Zany 248*386
Br Loi Alfonso de Oliveira* Jardim 125*00
JhcjahoLeopoldino da Silva 54*161
Secretaria da Thesouraria de Fazenda de Per-
-Buibocu, 6 de Fevereiro de 1889,
O secretario,
Dr. Antonio Jos de Sanl'Anna.
1. praca
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co, que, as U hcaa do dia 13 do corrente mez
serao arrematadas em praca porta desta repar-
ttcao as seguinK8 mercadorias :
Armazem n. 7
Marca CPN. 10,132. Urna caixa, contendo
8 lulos de fonhig de desfblhar, 1 kilo de carta-
zes, annuncios, ambos de mais de-duaa cores,
vinda de Bordean no vapor francez Siger. en-
trado em 4 de Ja eiro do correle auno aban-
donada aos direiios por Charles Pluyn A C.
dem
Marca Apollo>'. 6. Urna caixa contendo 47
kilos de cigarros em bom estado e 6 kilos de ci-
garros a variados.
A mesma marcX. 8. Urna caixa, 1,730 cha-
rutoa Turados.
A mesma marca l'm livro em branco
A mesma masca Meio kilo conhecimenio e
facturas lithografi iada de wat so cor viudos do
Rio Grande do Norte no cter nacional aguan/,
era 24 de Dezembro d 18K abandonados aos
direitos pela viuva de Antoniu Pereira da Cu-
nha.
3." secco da Alfandega de Pernambuco, 8 de
Fevereiro de 1881.
O chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Travs do Viaira a. 46.
Francisco Mendes
oinbal n. 7 Jos Dezesett
Jos
4.
Companhia Alagoana de
FiacSo e Tecidos
onviilamos aos senhores subscriptores desta
companhia pan, n accordo com os arts. 9 e 10
dos tistalutos, B*e" ( (lia 12 de Fevereiro prximo
futuro realisarem sun terr.eira entrada na razio
de 10 por cento do valor de suas acres no Ban-
co internacional em ternambuco. Macei, 12
de Janeiro de 1889.
Os directores,
Js Teixeira Machado.
, Jos Januaro P. de Carvalho.
Propicio Hedroso Barreto.
Prazo de 30 dias
De ordein do Sr. Dr. inspector geral da ns-
trueco publica, fago saber as professoras remo-
vidas, por portara de 29 do corrente, Prescilla
Senhonnha Mendes de Albuquerque, da cadeira
mixta de Capoeiras, para a do sexo feminino da
villa do Bonito, e Marianna Tt'ixeira da Costa
Coelho, da mixta de Camutanga para a de Mo-
cosinho, que lhes tica marcado o prazo de 30
dias para assumin m o exercicio de suas novas
cadeiras.
Secretaria da instrueco publica de Penam-
buco, 31 de Janeiro de 18S9.O secreterio,
Pergentino S. de Araujo Galvao.
'.'apitlo Antonio Lima n.
Jos Ramos de Oliveira
Estrada de Luiz do Reg n. 16.
Jos Ignacio do Val & C.
Travessa do Norte' n. 3. Jovi-
niano Joaquim Alves
Dita do Maduro sem numero.
Joao Carlos Ferreira
Imperatriz n. 76. Mara Isabel
de Carvalho A C.
Socego n. 33. Manoel Ferreira
Braga
Santa Cruz n. 1 A. Manoe de
Carvalho
( apitlo Antonio Lima n.* 52.
Manoel Antonio Macedo
Dita n. 72. Mauoel Joaquim de
Souza Matta
535088
530088
1220774
38*160
560880
273302
113,5940
85*320
40*953
18*316
136*512
Recebedoria Provincial
O administrador da Becebedoria Provincial
tm campamento da ordein do lllni Sr. Dr. ios-
prrtor do Thesouro, constante da portara sob
a.108 de 28 do corrente, faz publico para co-
fefineiilo dos respectivos contribuntes que,
acordo com a relasoabaixo, dar-se-haprin-
390 nesta reparligo. no espaco de 30 dias uteis,
alados de 4 de Fevereiro prximo a cobranca.
4w de multa, das annuidades e mais servidos
da Ifccife Drainage Corapany, relativa ao 2' se-
nastre do exercicio lindo de 1888.
eeebedora Pi ovincial de Pernambuco, 30 de
adro de 18-9.
Francisco Amyntlias de Carvalho Moura.
telai-o a que se refere o edital supra
Freguezia do Recife
Moas :Mrquez de Olinda, Bom Jess. Alva-
* Cabral, Commercio, Bispo Sardinha, Torres,
Ihna de Souza, D. Mara de Souza. Vigario Te-
aario, Barreto de Menezes, Mariz e Barros, Bur-
fat, Amorim. Moeda, Tuyuly, Companhia Per-
aaeibacana, Madre de Deus, Domingos Jos Mar-
a*, Mscate. RestauracSo, D. Mara Cesar, Vis-
ndt de lUparca, Pbarol. Areal, S. Jorge, Vi-
ta* ce Oliveira, Guararapes e Baro do Trium-
rracas :.4ssembla, Giaco e Pedro I.
^avessas :Vigario Madre de Deus, Cam-
ycMo. Honnnos Jos Martins. Corpo Santo, An-
te Porto, Bom Jess, Apollo, Areal, Para a
iKaikao, Occidente, Guararapes e Praca Pe-
to !
largos Alfandega. Corpo Santo e Asscra-
atk.
aVccos: -Abreu, Noronha, Largo, Pindoba.
tapado t: Paschoal.
Cas : Companhia, Bru e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
teas .Imperador, Primeiro de Marco, Duque
jttCanias, Cabug, Baro da Victoria, Trinchei-
las, Larangeiras, Larga do Bosario, Estreita do
.UBI 11 ni. Francisco Jacintho, Joo do Reg. Ilha
vCarvalhu, Conselheiro Piretti, Nelto de Men-
dkau. Major Agostinho Bezerra, Vinte e Oito de
Sckabro, Santo Amaro, Hedro Ivo, Mathias de
rtanui 1 ipii, Paz, Paulino Cmara, Fogo, Livra,
acato, Penha, Visconde de Iuhauma, Pedro Af-
teaa, Nova da Praia, Marcilio Dias, Henrique
Mak Lomas Valentinas, Coronel Suassuna, San-
BBroereza, Vinte e Quatro de Maio, Palma, Mar-
Sdo Herval, Cadeia Nova e Bario de Villa
Largos Paraso, Carmo, Penha, S. Pedro e
traceii.
Tiavessas : -Queimado, Cruzes, Mrquez do
Secfe. Bella, Calabouyo, Matriz, Flores, Carmo,
iba, Livramento, Arsenal, 1" e 2* da Praia,
Sareereiro, S. Pedro, Viraco, Lobato, Falcao,
Janbo e Concordia.
BVccus :Bella, Calabouco, Matriz, 1, 2 e 3o
a Camba. FalcSo, 1* e 2 da Cadeia Nova.
Raga :Pedro II.
8aes :Vinte e Dous de Novembro.
gaipo :Princeza.
Fregu'zia de S. Jos
Aeu .-Marcilio l'ias. Lomas Valentinas. Co-
eoel Suassuna, S. Joao, Felippe Camarao, Mar-
^aez do Herval, Vinte e Quatro de Mato, Dias
tardoso, Passo da Patria, Padre Nobrega, Victo-
a, Cadeia Nova, Vidal de Negreiros, Frei Hen-
ajw, Dique, Assumpcao, Domingas Theotonio,
aire Floriano, Christovo Cotombo, Jardim,
farte. Antonio Henrique, Nogueira, Santa Ceci-
tta, Sania Rita, Padre Muniz, Praia de Santa Hi-
ja, S. Jos, Pescadores, Praia do Forte, Ypiran-
.Imperial e Luiz de Mendonca.
" Tmessas:Martyrios, Ramos, Pocinho, Cal-
fcmro. Gaz, Matriz, Porte Prata, Serij:ado, Co-
pales, Nova de Santa Rita, Praia do Forte, S.
Jat, Peixoto e Lima. ,
leccos : Palma. Caldeireiro, Gaz, Assump-
aa, Nova .de Santa Rita e Matriz.
Largo: Borle e Mercado.
Freguezia da Boa-Vista
Btoas .-Imperatriz, Conceico, Visconde de
f%loias; Tambt, Visconde de Albuquerque. Au-
iaia, Capibaribe, Ponte Velha, Conde da Bo
f3ta,RiachuelIo, Unio, Saudade, Sete de Se-
stbro, Visconde de Camaragibe, Carnario, Ro-
sano, Gervasio Pires, Dr. Villas-Boas, Socego.
Sjfiaeipc, SanU Gruz, S. Goncalo, Coellios, Hos-
aaal Pedro II, General Sean, Coronel Lamenha,
eaaselheiro Aguiar, Leao Coroado. Barao de >.
tarja, Mues Machado, Visconde de Goyanna e
MtraecSo
frVTmessas-:Gervasio Pires, Atallio, Coelhos,
Barreira8, Veras, Quiabo, Joao Francisco, Man-
aeira, Campia e Palacio do Bispo.
Largo Campia.
Bateos S. Goncalo e Coelhos.
Prafias : -Londe d'Eu e Santa Cruz.
rr#lou;aaaeu< da estrada de
ierro de Pernambne* estra-
da e ferro do Reelfe a Ca-
ruori
np 0. ,lu. Sr director faz-c publico
a ro sabbado; e no domingo. 10 do corren-
special de nassageires. partin-
loite, ele Tigipio
1 ^,,3 cidade.
rada de
de fer-
0 procurador dos feitos interino da fe-
zenda provincial, tendo recebido do The-
souro a relacSo abaixo transcripta dos
devedores do imposto de 30[0 sobre esta-
belechnentos das freguezias da Boa-Vista
e Graca, que deixarara de pagar no tem-
po competente, declara aos meamos deve-
dores que lhes tica marcado o prazo de
30 dias, a contar da publ i cacito do presen-
te edital, para dentro delle pagarem a im-
portancia de aeu dbitos na Recebedoria
Provincial com guia da seccSo do conten-
cioso, certos de que. findo aquelle prazo,
se proceder a cobranca judicialmente.
Recite, 4 de Fevereiro de 1889.
O procurador dos feitos interino,
Jos Francisco (L Qes Cavalcante.
Kelacao dos devedores do imposto de
30 sobre estabelecimentos das fregue-
zias da Boa-Vista e Graca, inclusive o 3o
semestre que deixaram de pagar no tempo
competente.
Ra da Imperatr.'z n. 40. Alhei-
roAC
Dita n. "42. Alheiro Oliveira
&C
Dita n. 48. Antonio Furtado
Ribeiro Bastos
Dito n. 58. Abilio Silva & C.
Conde d'Eu n. 2. Antonio Jos
Martins d C.
Dita n. 9. Antonio Jos Soares
Dita n. 19. Antonio ^Laria Mar-
ques Ferreira
Conceicio n. 6. Andr Affonso
dFilho
Ribeira n. 2. Anglica Fernan-
des Bastos
Pombol n. 16. Antonio Muniz
de Azevedo Furtado
Visconde de Goyana n. 60.
Antonio Gomes Braga
Dita n. 45. Antonio Rodrigues
da Costa
Estrada de Luiz do Reg n. 40
C. Antonio Lopes da Silva
Campos
Imperatriz n. 58. Braz & D.
Dita n. 84 A. Bemvenuto Ca-
valcante de Mello
Dita n. 9. Bernardo Augusto
Soares Leite
Dita n. 77. Bastos & Ramos
Largo de Santo Amaro n. 6 B.
Bento Jos Berreira
Imperatriz n. 19. Couto & C.
Largo dos Coelhos n. 7. Clau-
dino Henrique da Silva
Travessa do Maduro n. 1. 'ase-
miro Mariano Cavalcante
Imperatriz n. 6. Domingos Lau-
ria& C.
Dita n. 49. Emiliano Cyriaco
Costa Cavalcante
Dita n. 4. Francisco Hilario de
Oliveira & C
Visconde de Albuquerque 11.
140. Francisco 1 'osta & C.
UniSo n, 2. Francisco Ribeiro
Guimaries & C.
Hospital Pedro n n. 3. Fran-
cisco Pedro de Alcntara
Soledade n. 4. Francisco M. da
Silva Machado
Imperatriz n. 69 e 71. Henri-
que Jansen
Pateo da SanU Cruz n. 16.
Henrique Luiz Ferreira & C.
Io Becco da Travessa do Prin-
cipe n. 2. Heleodoro Caval-
cante d C.
Imperatriz n. 74. Joaquim Fran-
cisco das Chagas Silva
Dita n. 82. Jos Mara de Le-
mos Duarte
Dita n. 84. Joo Floriano de
Atmeida Guerra
Dita n. 3, Jacintho Pacheco
Pontes
Visconde de Albuquerque n.
104. JoSo Emigdio Ferreira
Lima
Hospicio n. 59. Jos Luiz Sal-
Gervasio Pires n. 53. Jos Gon-
calves Martins & C.
Santa Cruz n. 5 A. Jos Mara
Campos Barbosa
Ribeira n. 3. Jos da Silva Boa
Vista
Largo dos Coelhos n. 3. Jo3o
Martins de Alneida
Leao Coroado n. 2. Jos Morei-
Nymphas de Oli-
veira Bi
129,5024
2265800
68^688
1425200
575240
685256
485081
925080
915080
855320
225896
455792
1535468
325054
285620
765120
595240
165027
915080
405953
345120
955400
575240
795632
855320
1365512
1135760
1535468
2275520
1035521
345128
795632
915152
225896
535424
2275520
455360
455792
195080
lr35760
65868
685256
Largo de Santo Amaro n. 6 A.
Maria Umbelina de Jess 405953
Imperatriz n. 55. Oliveira A C. 385160
1 apitSo Antonio Lima n. 68.
Oliveira & Alipio 415212
Imperatriz n. 32. Pereira & C 2045468
Dila n. 58. O msmo 905720
Sdcego n. 62. Pedro Manoel da
Trindade 405068
Largos dos Coelhos n. 27. Pr-
xedes Ferreira Cavalcante 405953
1 Becco do Ponibal n. 1. Pe-
reira & Pinto 285620
Imperatriz 11. 49. Rocha d Fer-
raat 1135400
Estrada Velha de Santo Amaro
n. 9. Rosa Maria de Lima 345128
Rozario n. 53. Santos d Silva 195080
Estrada de Luiz do Reg n. no.
D. Silva Campos d C. 1135760
Imperatriz n. 39. Viuva Virgo-
lino d C. 915080
Dita n. 55. Viuva Britto d Mel-
lo 755600
Socego n..l A. Virginio Anto-
nio de Lima 955318
Estrada de Luiz do Reg n. 19.
Vasconc-lloB d Filhos 455576
Graca
Tamarineira n. 9. Antonio Fe-
lisardo de Amorim 115340
Estrada de Belm n. 3. Bento
Jos de Miranda 405953
Estrada Velha de Beberibe n. 2
A. Bernardino Jacintho 405953
Hora n. 8. Costa Soares d C. 1095209
Pernambucanas n. 46 A. Do-
mingos Jos da Silva 685256
Paysaud n. 4. JoSo Mares
Ferreira Leal 225886
Creoulas n. 12. B. Jos Rodri-
gues Cabral 65678
Dita n. 37. Joaquim Antonio
Pereira Bastos 775668
Dita n. 39 A. Jos Rodrigues
BeirSo 715668
Joaquim Nabuco n. 20. O mes-
mo 715668
A filie tos n. 22. Joaquim da Sil-
va Pereira 815907
Estrada de Belm n. 14. Jos
Martins Alves 115448
Dita n. 10 A. Jos Joaquim dos
Santos Jnior 605256
Estrada Nova de Beberibe n. 3
A. Jos dos Santos fereira 275302
Joaquim Nabuco n. 36. A. Jo-
s Callado de Hollanda Reg 225896
Travessa do Rozarinho n. 5.
Luiz de Franca do Rosario 115448
Nunes Machado n. 2 D. Manoel
Custodio Loureiro 535088
Ponte Velha n! 46. Parada d
C. 685256
SeccSo do Contencioso do Thesouro
Provincial, Io de Fevereiro de 1879.
O Io oficial,
Manoel do Nasdmento Silva Bas to
Secretaria da Instruccao Pu-
blica, 26 de Janeiro de
1889.
Paco saber a quem interessar possa, de ordem
do N. Dr. inspector geral da instruccao publica,
que podem ser procuradas nesta reparticao as
cadernetas da Caixa Econmica Escolar da 3'
eadeira do sexo masculino da freguezia de San-
to Antonio, recolhidas pelo ex-professor Fran-
cisco da Silva Miranda, constantes da relacao
infra.
Relacao das cadernetas da Caixa Econmica Es-
colar da 3a cadeira do sexo masculino da fre-
guezia de Santo Antonio, aiada nao reclama-
das.
1879 N. 2.021 Joao Gomes Pe-
reira da Silva, folhas 38
N. 3.774 Manoel Pedro
Alexaadriiio de Lima,
dita 68
1880 N 2.011 Joao Baptista
Lopes de Castro, dita 48
N. 1.011 Alfredo Preco-
pio Lopes de Castro, dita
1881 B. 2.084 Theotonio Agri-
pino dos Santos, dita 10
N. 3-516 Gustavo de Sou-
za Lopes, dita 17
N. 3.517 Joo de Souza
Lopes, dita 18
N. 3.510 Martiniano Joa-
quim de Mello, dita 21
N. 3.808 JooSilverioda
Costa Oliveira, dita 30
N. 4.638 Manoel Soares
Monteiro, dita 45
N. 4.640 Lupicinio Fer-
nando da Silva, dita 47
1882 N. 5021 Victorino Duar-
te Pereira Lima, dita 8
N. 2.388 CapituJino Tho-
m Baptista, dita 16
N. 4.641 Manoel Candido
Ferreira da Silva, dita 19
N. 4.647 Al exandrino
Tavares, dita 20
N. 5.029 Arthur Ferreira
Soares, dita 34
N. 5.311 Baymundo Al-
ves de Souza, dita 42
1883 N. 5.312 Luir, de Franja
Soares (ou Souza.) dita
31
N. 6.183 Alvaro^e Oli-
veira Colas, dita W!
N. 4-642 Joo dos Santos
Pereira Braga, dita 57
1884 N. 6.371 Joaquim de Sou-
za Pinto, dia 12
N. 5.6i6 Manoel Silverio
de Miranda, dita 20
N. 7.145 Amaro Joo de
Alencar. dita 37
N. 8.196 Bosa de Lima
dos Passos Barbosa! dita
42
1883 N. 5.618 Carlos Henrique
Soares. dita U
N. 5.975 Alfonso Dantas
Teixeira, dita 36
Fractdes
1W00
100 14000
3*000
3*000
160 10*008
600 5*000
600 5*000
520 10*000
16*000
400 2*<00
100 1*000
5*000
17*000
11*000
7*000
1*000
3*000
11*000
840 2*000
309 1*000
140
500
740
560
630
500
4*000
4*000
6*000
400 1*000
800
700
3*000
4*000
8*700
Becife, 21 de Janeiro de 1889.
Fran
Os pretendentes d
mente habilitad'
Pergmtmo Sarn rao.
PRADO FERNAM1W
Frog^amma da 21a corrida
QUE SE REALIZARA'
Domiogo 10 de Fevereiro de 889
*om<>N
Idadea
Pello
>alurali dea
Pesos I Cor da vestlaaenta
Proprietarloa
i
Io pareo CoawolacAop turma850 metrosAnimacs da provincia que ainda nao tenham ganho. Premios : 200* ao 1, 50*
ao 2o e 20* ao 3o
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
K
15
ljPatife.........
2 Tupa .........
Ida...........
Breas........
Gui........
Coquelicot-----
Palito..*.......
Orion ........
Jonkopings....
Vlete ex-Ra-
tao.........
Ecla..........
Mero ......
fanola........
Fanfar........
Lindness......
5 annos.
9
3
I
6 .
3
5 .
4 .
3 .
5
4
3
7
5
4
Castanho.
fedrez ..
Rodado .
"lazo .
Pedrez ..
Russo .
Castanho.
Pedrez...
Alazo...
Castanho......
Pedre .......
Rodado ......
Rusilho ......
Rodado .......
Baio..........
Pernambuco
56 kilos
56
55
52
56
56
56
54
52 .
56
54
52
56
56
54
Azul e branco.............
Illanco eencarnado.......
Encarnado e branco........
Preto, encarnado e ouro. ..
Verde....................
Verde e rosa.............
Amarello e verde.........
Azul e ouro...............
Azul e encarnado..........
Violeta e ouro............
Encarnado, preto e branco.
Cor de rosa e azul.........
Azul e grenat.............
Azul e branco............
Coudelaria 1 de Janeiro.
J. M.
R. P.
Coudelaria Desgraca.*
C. A.
Coudelaria Esperanca.
Coudelaria Ohndense.
M. A.
JA.
B. D. C. P.
G.
Henrique G. L. Guimares.
J. C.
R.C.
M. A.
1
2
3
4
5
3-
2o pareo1 de Julito 1,100 metrosAnimaes de menos de mei sangue Premios : 300* ao Io. 60* ao 2o e 30* ao 3o
Branco e verde........,
Aymor
Cometa
Alpha ..
Recife
Favorita
5 annos.
5
6
3
5
Castanho
Alazo...
Castanho
Zaina
Rio de Janeiro
S. Paulo......
Rio de Janeiro.
54 kilos.
54
52
56
52
Branco e encarnado........
Verde e amarello..........
Violeta e ouro.............
A. M.
i oudelaria Brazileira.
Coudelaria 2 de Fevereiro.
S. P.
Maia 4 Chrysostomo.
pareo. ,Deray Club de Pcmamburo. 1,000metros.Animaes da provincia que nao tenham ganho premio este anno
nesta ou maior distancia. Premios : 2505 ao 1., 60* ao 2. e 25* ao 3.
Patife........
Rei deOuros..
General ......
Lucifer.......
Good-morning.
Ecla.........
Cabrion......
8 Mylord.......
9 Oseau......
iODublin........
U Pirrfca.......
12lBlizzard......
o annos.
6
5
5
o
4
o
6 .
5
4
5 .
6
Castanho
Rusilho -
Rodado .
Pedrez
Koveiro ..
Baio......
Russo
Cardao...
Castanho -
Pernambuco.
56 kilos.i Azul e branco
56
36
56
56
54
56
56
56
54
56
56
Grenat e azul
Encarnado e preto .......
Branco e encarnado.....
Encarnado e branco.....
Violeta e ouro...........
Branco e encarnado......,
Azul e ouro.......i......
Ouro.................
Azul, encarnado e preto
Encarnado e branco
Coudelaria Io de Junho.
Coudelaria Olindense.
J. D. C. B.
A. .
Condelana Integridade.
G.
J. M.
,. F. do R. Leal.
Coudelaria 1 de Janeiro.
Henrique G.
F.F.
M. M.

4o pareoConsolara*2' turma850 metros -Animaes da provincia ainda que nao tenham ganho. Premios : 200* ao Io, 50*
ao 2 e 20* ao 3
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
Ginge......
Arreda _-----
Vassalo -----
Fldalgo, ex Ca-
boclo.....
Marat.......
Caim........a
Bismarck ...
Bonaparte, ex-
Vagahundo. -
Etna..........
Guaracy......
Ormond.....
Aracahy.....
5 annos
4
:
5
4
5
8
;
B
Castanho
Rodado.
Russo .
Rodado
Castanho.....
Russo.......
Alazo........
Russo.......
Pernambuco
56 kilos.
54
54
52 -
36 <
56
54
56
56
54
56
56
Azul e branco.
Encarnado
Branco e azul -
Amarello e azul
Xadrex............
Branco e encarnado.
Violeta e ouro.............
Branco e encarnado........

Azul e ouro..............
Amarello e encarnado......
Coudelaria Garguella.
Argemiro A. d'Albuquerque.
Coudelaria Unio.
Coudelaria Capibaribe.
Coudelaria Demcrata.
A. P. V.
F.
N. S.
F. A.
F. B.
B. P. S,
L. B. F.
5." Pareo.Prado Pernambuca.no.1,700 metros.Animaes de qualquer paiz. Premios : 600* ao 1., 125* ao 2.a
Apollo........I 4 annos.
Africana......I 5
Ernani.......I 5
Alazo........
Zaino.......
Bio da Prata.....I32.kilos.
54
Inglaterra. .....154
Branco e encarnado.
Encarnado e branco.
Bosa e preto.......
Coudelaria 2 de Fevereiro.
i oudelaria Riachuello.
PC.
6. Pareo.eareaa.1,200 melros.Animaes da provincia. Premios : 250* ao 1., 60* ao 2." e 25* ao 3.
Serid....
Monitor
3 Templar..
Fiorete
Mouro.....
5 annos.Castanho
Russo
Rodado ..
Castanho.
Alazo .
Pernambuco
54 kilos.
54
38 .
54
56
Azul e branco.........
Encarnado e branco...
Preto eouro..........
Encarnado e branco..,
Violeta e ouro.........
Coudelaria Pyranga.
Coudelaria Pernambucana.
J. M.
C. D. M.
A.E.
Gallia ...
i;iuira....
Olga. ...
Africana.
Vanda...
7> Pareo.eelfe. 1,200 metros. Eguas at puro sangue.
Alaz.........Inglaterra
Premios : 350* ao 1., 70* ao 2., e 35* ao 3."
5 annos
4
4
5
5
Castanha
Zaina. ...
S. Paulo------
Rio da Prata.
61 kilos.
59
52
61
61
Ouro e branco.............
Azul, branco e encarnado...
Branco e encarnado........
Ericarnado e branco'.......
Verde e amarello..........
Coudelaria Emulaco.
P. J.
Coudelaria 2 de Fevereiro.
Coudelaria Riachuello
A. F.
Pareo.Aliar*.800 metros.l'equiras da provincia at 1 metro e 30 centmetros, de altura. Premios : 150* ao l>. 35* ao
2. e 15* ao 3.
1
Parsita
2 Pilheria.
3
4
o
6
7
8
9
10
II
l
13
Capeta........
Borracha.....,
Beware.......
Teiu.oso......
Cassula......*
Meduza......
Sudan......
Borboleta...
Petit Ruy Blas.
Sombrinna
Bijou ........
i
I
i
B
'i
I
I
5
5
2
3
4
annos.
Russo........
Castanho cachi-
to .........
Castanho......
Pedrez .......
Russo........
Alazo........
Castanho... .
Rusilho......
Mellado doura-
dilho.......
Uazo........
Russo.......
Castanho......
Pernambuco
54 kilos
k
50
56 -
54
52
52
56
36
50 .
52
g .
54
Amarello
Grenat e azul..............
Manijo..................
Verde e amarello..........
Preto, encarnado e branco..
Encarnado e branco.......
Branco ..........<.......
Azul e ouro..............
Azul e amarello...........
Azule branco......
Ouro............
Verde e amarello...
Grenat eouro.......
J. B.
Rodolpho S. A.
F. M.
J. M. A.
F. M.
C. I. M.
Francisco L. de Freitas.
Jaymes Davis.
C.A.
M. B.
Coudelaria 1 de Janeiro.
F. B.
Coudelaria,Modelo.
(#) Montado por amador. tv
OBSERVARES
Os animaes inscriptos para o primeiro pareo devem achar-se no enailhamento s 10 horas da manhS.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento urna hora antes da determi-
nada para o pareo em que tem de correr. ,
Os forfaits serSo recebidos at sabbado, 9 do corrente, s 3 horas, da tarde em que ser encerrado
o expediente da secretaria para esta corrida.
O animal inscripto em mais de um pareo que deixar de correr no primeiro, nao correr no segundo.
A directora tendo em vista grandes despezas que tem sido obrigada a fazer para bem satisfazer o publico,
resolveu nSo distribuir o numero de convites como de costume. Para tornar menos dispendioso, aos seus frequenta-
dores o divertimento tem adoptado o seguinte :
Cartdes com direito archibancada e ensilhamento
Cartees para um cavalheiro e quatro senhoras .
Archibancada ........
Geral.......
3000
50000
2,5000
10000
HORARIO
1.
2.
3.
4.
5.
."
7.
8.o
Encerramento da venda de poules Corridas
pareo.11. 50'....... 12fc.
12.30....... 12.40
1.10..... 1.20
1.50....... 2 0
2.30....... 2.40
3.10. 3.20
O0U. 4-
4.30........ 4.40
Convido aos Srs. proprietarios de animaes inscriptos no 8. pareo para
a corrida a realisar no pnoximo domingo 10 do corrente, a comparecerem no
sabbado 9 as 8 horas damanha no Prado Pernambucano com os referidos ani-
maes afim de se proceder o exame para verificar se os mesmOs animaes tem a
altura exigida no programma.
Recife, 6 de Fevereiro de 1889. III
O SECRBTARIO,
Francisco de Souza Res
. Recebedoria Provincial
Relacao das differencas para mais en-
centradas no valor locativo dos predios ur-
banos da^freguezia de San t Antonio, que
estilo sujeitos ao imposto d decima, rela-
tivo ao exercicio de. 1889, pelo lacador
Joaquim Tran' Lenios Duarte. *
Ra de Paulino Cmara
"N. 4. Maria da Gloria Adelai-
de de Souza 3930000
N. 6. Manoel Jos Bastos
Mello 5730000
N. 16. Jos Elias de Oliveira
i. O mesmo
N. 26. Maria Isabel de Jess
Moraes
N. 44. Graciliano Octavio da
Cruz Martins
N. 29. Anna Isabel <
L. de Mello
v. 33. Manoel J
2970000
l^A<"h"l
t





j

BUdA
dio
^fe do Carino
*0Q0
..til-
N. 13. J^||
martes
N. 23. Ordem 3a 4o Carmo
N. 35. Hanriqjjaia. francisca
Ramos
Largo do Carmo *
N. 13. 'Antonio Doartc de
Figueiredo
Travessa do Carmo
N. 2. Aidonio Jjpajfuim de
Souza ftbeiro
N. 6. Jetoiurmo .regado de
Castro Gruimaraes
N. 8. Luiz Ferreira de Al-
meaia
N. 3. Aqjtyw,^.ftHWrFer-
freira
N. 11-. Anna Augusta G-. da
Concejo
N. lo. Joaquim Bernardino
da Costa Pires
Ra do Fogo
N. 26. Antonio de Paiva Fer-
reira
N. 42. Margarida Rosa Leite
N. 11. Manoel Fernandos
Mscarenhas
N. 35. Beatriz Rodrigues de
Souza e outros
Travessa do Livramento
N. 18. ^ria Joaquina Pi-
nheiro
N. 28. Custodio Adriano da
Costa
, Ra, do Livramento
N. 10. Os menores Mara, Isa-
bel e JoSo, filhos de Anto-
nio Jos Eancs Braga
t. "36. AntonioHenrique Ro-
drigues
N. 21. Jos Domingues Maia
Ra da Penha
N. 19. Dr. Francisco Leo-
poldo Marjnho de Souza
N. 23. Joscphina Alves Gui-
uiar3.es e outros
N. 29. Manoel Jos de Bas-
tos Mello
Ra do Visconde de Inhauma
N. 8. Antonio $uue Ferrei-
' ra Coimbra e outro
N. 24. Victorino Jos de
Souza
N. 2Q. Antonio Jos Gon-
calves de Azevedo
N. 30. Ordem 3a de S. Fran-
cisco
N. 54.
Alvcs
N. 21.
seca
N. 29.
Cruz
N. 31 A." O mesmo
Ordem 3 de S. Fran-
iiW
Victorino Domingos
Maia
Manoel Nunee daFon-
Antoni Nnunes da
600^000
195*000
357*000
37WOi
2970000
333*006
240*000
144*000
510*000
237*000
333*000
462*000
519*000
240*000
1.000*000
852*000
1:512*000
1:302*000
1:227*000
819*U(>0
na
720*000
780*000
453*000
453*000
700*000
400*000
374*000
273*000
583*000
V37
cisco
N. 69. Luiz Ferreira de Al-
meida 81SP0WW
N. 73. Joaqun Pires da Silva 1:150*000
Ra de Pedro Affonso
N. 40. Antonio Goncalvcs de'
Azevedo 273*000
N. 49. Manoel -Marones de
f Amorim 1:320*000
Ia Travessa da Praia
N. 1. Joa Gomes Leal 357*0O0;
N. 9. O mesmo 393*000
Ra Nova da Praia
N. 4. Vctor Neesen 1:000*000
N. 26. Hcrdoiros de Manoel
Jos Pacheco de Mello 633*000
Ra de Marcilio Dias
N. 4. Jos Jorge Pinto 1:079*000
N. 26. Jos Pertira de Aze-
vedo
N. 32. Albino Jos dos San-
tos
N. 60. iniiiindade do Santis-
sinio Sacramento de Santo
Antonio
N. 9. VenturaPerciraPenna
N. 23. Manoel Fernandes
Masca renhas
N. 49. Jos. Pereira Amaros
Largo de S. Pedro
N. 24. Irmandade de S. Pe-
dro
N. 5. Jos Paulo Botelho
Ra de Henrique Dias
N. 35. Dr. Joaquim Candido
Marinbo de Souza
N. 39. Tcardo Luiz da Cu-
nha
Travessa da Vira^ao
N. 4. Colombo Latino Vieira
N. 10. Jos; Joaquim .Gon-
^alvea Bastos
Lomas Valentinas
N. 16v Ooriolano de Abreu
N. 34. Ordem 3 de S.Fran-
cisco
N. 3. ftniliwPereira de Abreu
N. 5. J0S0 Doraingue 'la
Silva Pinto
N. !. Antonio Pereira de
Carvalho
Ra do Coronel Suassuna
N. 16. Ira Maxiniiliana Pe-
reira de Moraes
N. 36. Francisco Antonio de
Magalhaes Bastss
N'. 46. Rita Mara da fton-
'cXo
,N. 48. Dr. Antonip Joaquim
u.e Maraes e "Silva
V. BO. Js de Assumpffe
Oliveira
N. 84. Dr. Francisco d<- A--
Oliveim Maciel
N 9 Dr. Cosme, de Si Pe-
reira
N. :jT; Francisco do. S Lei-
546*000
1:500*000
i#Jb6*000
1.4671000
1:054*000
2134000
333*000
438*000
273*000
273*000
144*000
165*000
237*000
240*000
273*000
240*i.i00
273*000
1
879*000
240*000
333*000
705*000
Travesea c.a
Jof$Izic
Joa4>toi36g d
43TfQOO
373*000
240*000
240KKX)
N7l5. Jlo Carneiro Leit&o
N/K7 Jos ,^ak> Botelho
IfccIS. O mesmo
N. 41. JosCordeiro dos San- *
tos 453*000
Ra d*. Palma
N. 10. Hermenegildo de Fa-
ria Teixeira 273*000
N. 26. Jos Eaola Botelho 273*000
J. 9. Jos de Alfseid* Ruel-
lo e outros 285*000
N. 17. Jeronymo Francisco
-XttKeira 489*000
N. 31 a 35. Jo-iQuim-:^oto
Alves 660*000
N. 57. francisca Antonio-Al-
ves Mascarenhas 417*000
Ra do Mrquez do Herval
t. 2. Jos Caetano de Car-
9Vvalho 192*000
N. 4. Victorino Domingues
Alves Maia, 1:100*000
N. 24. 42. Domingos das Ne-
ves Teixeira Basto 261*000
N. 59. Maria Soares de Amo-
rim 900*000
N. 63. Manoel Marques de
Amorim 900*000
N. 11. Joao Pedro Martina
Ribeiro 4404QOO
N. 73. Francisco Quedes de
Araujo 1.-074*000
N. 77. Joao Chrisjiani 333*000
N. 89. Albino Jos da Cruz 247*000
N. 195.-TWdoroB!f*erradQ6
Santos- 407*000
Largo da Praceta
N. 3. Jos Caetano de Carva-
400*000
400*000
london i Brailiiu Jlunk
Umted
Ra do Ccmnemo n 92
Saces po todo* ,ta do mesma banco, em Portugal, aend*.
'i Lbda,,r dos,ppcuta n. 75. N
.Rwto. ru do. InglMw
CaWaftova
evnJddrCMU
Vi|a
218KKX)
309*000
213*000
Jho
HUID
N. 13. Fernandes & Primo
Becco da Qda> Nova
N. 7- Antonio d Silva jinior 144*000"
N. 21. Jos darNeves Pdtosa 153*000
2o Becco da Cadeia Nova
N. 20. Vicente de Paula Oli-
veira Villas Boas 120*000
Ra de S. Francisco
S. 42. Ordem 3* de S. Fran-
cisco 397*000
ConsBeiro Peretti
N. 13. Thereza Maria de Je-
ss .240*000
Travessa da ra Bella
N. 4. Jos Joao de Amorim 393*000
N. T. Antonio Martina de Car-
. valho 144*000
Netto de Mendonca
N. 3. Franciaco Jos Leite 168*000
Mojor Agostinho Bezerra
N. 23. Domingos Jos da Sil-
va Nogueira 249*000
N. 29. Carlos Antonio de
Araujo 249*000
Ra do Calabouco
N. 8. Antonio Duarte Carnei-
ro Vianna 189*000
Ra do Barao de Villa Bella
N. 1. Jeronymo Carneiro de
Albuquerque Maranhao 291*000
Largo do Carmo
N. 26. Ordem 3a do Carmo 1:200*000
N. 21. A mesma 243*000
Ia Seccao da Rece be do ria Provincial,
21 de Janeiro de 1889.
O chefe.,
Jefferson Mirabeau de Azevedo Soares.
DBRflY CLUB
a
.
P
ERNAMBCO
PROJECTO DE IlfSCRIP^a
Da 6.a corrida
Que se-effectuar^adia 17 do corre nte
1- ^IkI^S ClONSOLACO 8t>0 metros. Animaes da provincia que an-
da nfio, tenham ganho no Derby. Premios 200*000 ao primeiro,
.50*000 ao segundo e 20*000 ao terceiro.
t. 1%^9PRADO PERSAMBUCANO 900 Metros. Animaes de menos
de meio sangue. Premios: 300*000 ao primeiro, 75*000 ao segim-
do. e 304OOO ao terceiro.
S. 1%%^%'- 1>ERBY CLUB DE PENAMBCO 1 .O Metros. Animaes
de qualaner paiz. Premios : 500*000 ao primeiro, 125*000 ao :ee-
guodp e 50*000 ao terceiro.
*' ^lh%%PROVINCIA DE PERNAMBUCO- I.SOO Metros. Animaes
da.provincia que nao tenham ganho n'esta ou maior distancia no Derby.
Premios : 250*000 ao primeiro, 60*000 ao segundo e 25*000 ao
terceiro.
*. TOMA*- HPPODROMO DO CAMPO GRANDE1.1 OO Metros. Ca-
' rallos nacionaes at meio sangue. Premios: 350*000 ao primeiro,
80*000 ao segundo e 35*000 ao terceiro.
,\%ft% CONCORDIA 1.lOO metros. Eguas at puro sangue Pre-
mios,: 40WO00 a primeira. 100*000 a segunda e 40*000 a terceira.
9." HW%% PROSI'ERIDADE 8SO Metros. Animaes da provineia que
ajnda nao tenham ganho premios no Derby, em maior distancia. Premios :
2.P000Q & premeiro 50* ao segundo e 20*000 ao terceiro.
Observares
S. sarao aceitas para cada pareo as quinze propostas que primeiro forem
abertas.
A' Directora, reserva-se o direito de alterar a organisacSo dos prpgrammas
e collocacSo.dvs pareos se assim lhe convier.
Nenhum pareo se realisar sem que se inscrevam tres, animaes de proprieta-
rios differentes.
SEGUROS
cj'fiur.aio
Tin Lirap & Loim k
HTSUHAMC3 ;3MPAJT?
Blacklwrn, Vrtkw i (,
Roa ui) U)mmnr.yo r..
SEGKOS
MAKITIXOS COMBA tm
l ompanb.i i'hcuix Per-
nambucana
RUADO COMMEKGO N. 16, i* ANDAR
"
MARTIMOS
Companhia Brasileira de
Navega^ao Vapor
PORTOS. DO NORTE
O vapor Alagoas
Commandante Joao Maria Pessoa

E' esperado, dos portos do sol at o
dia 17 de Fevereiro e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte at Mano-. ,
As encommendas sao recebidas qu agencia
at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens c valo-
res trata-se com os
_
PORTOS DO SUL
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
K' esperado dos portos do norte at
o dia 13 le Ferereiro e depois da de-
_ ora indispensavel seguir para os
portos do sul
Recebe tambera carga para Santos. Santa Ca-
tharina, Pelotas, Porto Alegre e Rio Grande do
Sul. frete mdico
As encommendas s serio recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens. encommendas e valo-
res-trata-se com os AGENTES.
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
COSPANUA PEWAHBICANA
DE
\'avfgae costelra por vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Jagnaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 12 de Janeiro as 11 ho-
ras da manhS. Recebe carga at o
dia 11.
Pasagcns at 10 horas do di da sahida.
ESCRD7T0RI0
Ao Caes da Compankia Pernanibncana
n. 12
Pacific > Sfceam Navigation
Company
STRAITaOF^fAOEUiAN UNE
O paquete Potos
Espera-se da Europa at o dja
16 do corrente e seguita depois
da demora do costume para Val-
paraso por
Bahia. Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di
nheiro a frete : trata-sc com os
AGENTES
Wilson, Sons k C, Liaiited
14BA 00 COMMERCIO14
LEILOES
\ ^\\W Sil veira
Leilo
DE 1REDIOS
Wabbado 9 do corrate
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 45
0 agente Silveira por mandado e com assis-
tencia do Era. Sr. Dr. juiz de orphos e auzen-
tes e a requerimento do Dr. curador geral de
auzentcs levar a leilo o sobrado de 1 anda-
res sito ra Lomas Valentinas n. 66, espolio
deManael Antonio Pereira.
Os Srs. preteudeutes podetn examinar.
Agente Silveira
Leilo
De ama {rte do sabrado ra da Imperalri/.
n. 80
lesunda-feira 11 do eorrente
A's 11 horas
\u aimairn A na do Irapi-railor
n. M|B
0 agente Silveira por mandado c com assis-
ten.-ia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphaos
requerimento de Duarte Amonio de Miranda,
levar a leilo a parte do sobrado cima refe-
rido.
1AIS DE 10:000 CllAS
10ST2 SO aSSlATISKO
DORES DE DENTES
E
PilKPAKADU NICAMENTE
POE CALA8AN8 & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos, inchaoSes, dores aciaticas, neural-
gias, dormencia, etc., empregando-se em
fomentacoes sobre os lugares affectades.
Cura o beri-beri, as paralysias e as d8res
de dente.-.
Todos os frascos levam direcetes para
uso d'este medicamento admiravel.
Preco lfi200. Descont de urna duaia
em diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n. 23
?gente Silveira
Leilo
De predio
SEGUSDAFEIRA, 11 DO CORRENTE
A's 11 h*ras
No armazem ra do Imperador n. 45
O agente Silveira por mandado e com assis-
teecia do Exm. Sr. Dr. jniz de direito de orphaos
a requerimento do inventariante de Manoel Jos
Monteiro da Franca, levara a leilo a casa ter-
rea ra dos Pescadores n. 24, tendo porta e
janella de frente, 2 salas, 2 quartos, cosinha ex-
terna, pequeo quintal, tendo um soto com urna
sala, i quarto e janella na frente, medindo de
largura a metros e de comprimento 12 metros e
5 centmetros.
Os Srs. pretendentes podern desde j exa-
minar.
Le i la
ANCUA
PEBN.
'de
Kavegaco eosteira por
PORTOS DO SUL
L'CANA
na secretan^
A inscrjipcJLo incerrar-se-ha segunda-fe ira, 11 do corrente s 6 horas da tarde,
etaria dr I^erby Club praca de Saldanha Marinho n- 2, 2." andar.
O GERENTE,
HENRIQUE M'HITKI,

48t,S 9J' iy*M>
iuita Thereza
N. CK Vi-cnto Jos da Silva
*. U.o.':'.. Pedro ila
Club ^arjqsi Gomas
Pruira rama
Da parte concertaute do sarao de 19 de
Fevereiro de 1889
1. Marco Spada. la orchestra
do Club Anber.
2*. Jone, pbaoU>i para lauta
pelo Sr. Gerv^sm de Cwtro Petrella.
3a Balata do Guaranv, ca^io pelo
Exma. Sfa.1. CeTrciria Rolim C. Gomes.
i* Jerusalem, phantasla pan vio-
lin pelo Sr Dr. P&ul.no de
Mello Meyerbeer.
5'Delirio d-l avrt. Ro iwnza,
pela Exma. ira. D. Cvlicina
Rolin
fi Gama Ladra, mvertnn pela
banda do 1^..
Guido Papini
Rosini.
pelo
Companljia re Seguros
HORTHERN
de Londres r % he r (leea
Posifao financeira(Dezrui.r'i de 1S85)
Capital subscripto i. 3.000,000
Fondos seommbdM 3.134,34S
Reeelta annual :
Kt premios coutr fogo 577,33('
De premios sohr* vi.is* ly 1,000
D juro H2.O0'
O AOSNTi
Jok II. Samuel.
Vapor
Macefo, Peiedo e Araeaju'
O vapor Jaeuhjpe
Commandante Esteves
Segu no dia i i do corrente s
5 horas da tarde. Recebe car-
ia at o dia 9.
Encommendas, passagens e dinheiro fete,
at s 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRHTORIO
Ao Cas* da Companhia Pernetmbucana
n. 12
RoyaLMail Steam Packet
Companhia
O vapor Neva
Commandante O. M. Hiyks
Os acompanh: nenu- .1 wano sao feitos
pelo distincto rr.stro Cio^iiaj Ciro.
Principiara s 8 horas
Bond para KagtatoM t F-J.-nandes Vieira.
SEGHC
Ru al lsflMtf Hijwnv de
<\%PI2 KL. .OUO.IMH
l'';dro
i Braga
N. 19. Emilio l'c^eira de
i O mesmo
N. ijoe Manoel Jos de las-
tos XsjUo
XvaKtssK do Lobat...
N. lo. Antojiio Tf.ixeira.de
a-ias
Ra 24 de Mau
N- i '. Vi uva de Jos Sin-
i.mwo
300*000
is'J
i9yW0f>

13
R. D" ."-NA A C
u -W -i. i (Kiud
cowito
CHt
r**<*
13
>>e2ruros. co itra
EST! 18:
Edificios tufroid'/ry.at
Tmixax bmxas .
Prompto. papamnnt.il d* prig.izn
CAPITAL
<
L2-I40O0
4oo-^ i
Antonio Climaco
reira "Temporal
Mo-
LNOEMNS ADORA
e'l tMX9
IARITI3 sffttEp
BOJit>eiec'.<.i ir na I .<*."
OAPIfAL >,tm$0Q
^lr,< de to'timhr* d^.t*M
AaMioios..... iMMim
DOCOMMlKCIO N
--------------------------------1--------------i--------:i-----------------*i----------------
lonpanhia *J<* to&m
Espera-se da Europa at o dia 16 de
evereiro, seguindo depois da demo-
ra do costnme para
Baha. Ro de f uneiro. tlonle
?ideo e Buenos-Ayres
Para passagens, fretesc encommendas trata-
se eom os AGENTES.
O vapor Elbe
Commandante Armstrong
E' esperado do sul no dia 17 de Fe-
vereire seguindo depois da demora
'necessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, Southampton e
Antuerpia
Reucoao de passagens
Ida Ida e volt a
s'Lisboa 1> classe 20 30
A' Southampton i- classe l t 42
* amaretes reservados paro os passa^eiros de
Peraaubuco.
Emquanto vigorar a quaicntenu imposta na
Repblica Argentina, aos nnio> procedentes do
Brasil, os vapores desta companqia nao aceitam
pgMgeirOg lurn carja para uei)o.--Ayci:s.
Para passagens, fc-etec. i-acommendas, trata-se
comof
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Rom JesuN. 3 '
ao
De movis, lou^a, vidros, candieirosgaz,
bancos de jardim, objectos de electro-
pate, bancadas, classes e objectos para
collegios.
A' SAREH:
ma seraphina franceza, 1 mobilia de Jacaran-
da cora 1 sof, 2 conslos, 2 cadeiras de bragos
e 12 de guarnic.'o, castigaos e mangas. 2 figuras,
2 quadros cora paysagens, 2 lustres gaz com
tapetes.
2 camas de ferro. 1 guarda-vestido. 1 uarda-
roupa, 1 lavatorio, 1 tufet, 6 cadeiras de junco, 1
cama franceza.
1 mesa elstica, 1 guarda-louca, 2 apparado-
res, 12 cadeiras de guarnico. 1 relogio de pare-
de, louca e vidros, 1 bandeiia oval, cestas de
electro-plate. salvas e bandehas.
12 bancos de classe, mesinnas para collegios,
12 camas de ferro, 2 bancos com ps de ferro e
bancos de jardim.
Te rea-f el ra. 11 do eorrente
Agente Pinto
Na casa da ra Princesa Isabel n. 12
O leil2o comecar as 10 1(2 horas
O mesmo agente tem para vender um grande
telhoiro coberto de tenas de zinco, um dito co-
berto de telhas de barro, com asgoalho sobre
Irilhos de ferro, um tanque grande de ferro de-
posito para agua, e uina esteira para forro de sala
grande.
P^^
*
P^ LERY
Vende-s era todi a djtU
Costureira e modista
franceza
Madame Fanny Silva tem o seu atelier de mo-
das e costuras ra Rai.io da Victoria n. 15, i*
andar, e confecciona todo e qualquer toilette,
com apurado gosto e elegancia, para casameo-
tos, bailes, visitas, passeios, etc., faz larabem
manteletes e capas sobre medida. Continua a
ter um lindo sortimento de novidadep de Pars,
vestidos de seda, feitos, e em cortes de seda,
gaze, velludo, broch e crpe de chine, foulards,
surahs, sedas e ottoraanas pretas. Escolhido
sortiraento em vidrilhos. pretos, chapeos, capo-
tas e visitas ; luto em 24 horas. Telepbone n.
93. Ra Baro da Victoria n. 15, 1 andar.

vi
' ^'-'
Precisa-se de urna
numero 137.
Cosinheira
cosinheira:
IK>
ra Ye
........."^~
Cozinheiro
a tratar na ma

Precisa-se de um cosinheiro
do faysand n. 19.
Engommad eir
Na ra da Saudade n. 27, porto, precisa-se
de urna engommadeira que durma em casa.
Amas
Na ra do Vigario n. 25, 2- andar, precisa-te
de urna cosinheira e de urna ama secca para
crianca.
Pastelaria a venda
Ketirando-se para o Rio de Janeiro Argemiro
Pedro da Silva, proprietario da pastelaria ra
da lmperatriz n. oi-A, vende seu acreditado es-
tabelecimento. Tem tantos assignantes a Pas-
telaria 4 rgemiro, que garentem urna receita su-
perior a 300* mensaes. 0 proprietario ser en-
contrado na mesma todos os dias para tratar de
tal negocio.
Caixeiro
Pr^cisa-se de um caixeiro, daudo algum co-
nheeimento sobre sua conducta : no pateo s>
Tergo n. 40.
Previne-se ao Illm. Sr. Hypolito, consenoor
do engenbo Penedo de Baixo. que o engeubo
est quasi abandonado, e que grande numero de
moradores do mesmo e dos engenhos visinhos
esto rcabando com as matas, fazendo grandes
derrabas para carvSo e madeira e ao Exm. Sr.
juiz de orphSos compete pedir providencias.
Um herdeiro orphSo.
Criado
Precisa-se
n. 119.

de um criado : na ra da Aurora
I
AVISOS DIVERSOS
Aluga se casas a 8000 no becco dos Coe-
lbos, junto de S. Goncao; a tratar na ra da
lmperatriz n. 56.
- Aluga-se o pavimento terreo do^sobrador
46 ra da Roda, estando o mesmo caiado. pin-
tado e todo ladrilhado de novo, contendo 1 sala,
2 quartos e cosinha ; a tratar na ra do Cabus
n. 16. loja.
C [ARGEL RS'REUNS
Franrvia
Companhia
DE
\avega;o
Linha qninzenal entre
Pernainbuco, Babia,
Santos.
O
a vapor
o Havre. Lisboa,
Kio de Janeiro e
44 Ra c L >a-Bcrcip44
AGE; TE
Migrurl Jase Aive> .
M. J-saa< tlea>>,
(i.UKQS >lA&TUAb i. TEBttK^i
Jiaste* uibm %egt,to e uaiu c-jnppaohi iku,
pragp que conced oi Srg. egur.iu ^ isecna^^H
Mfaateq da ftmmo mu ib twr o <)oe
Mata en favor dos Monden,
Mujor
ijle do( ear
Commandat'.' L^.'uey
Espera-se do.- pono.- do ^ui n
dia 13 no oaamte. seimlndo
depois da indispensavel demora
paiu o Ure tocando em
Lisboa.
i:n(rara no porto
fonduz medico a bord >, de Brcha rpida
tflerece exceUentw oamodos ebptnooas-
| *tdio.
n poder di; mitc-
: m3".
Re. mcommenda e passageiro.-
para os qiit-; tem exceljentes acco/nmoda
,:-a carga, passagens. entw)imenda i- di-
ihtieiro a frete : trata-.-".' ,wio AGENTE.
igiste Labille
A DO COMBEfCIO 9
Aluga-se urna boa sala para escriptorio,
na piuca do Corpo Santo : a tratar no escripto-
no de Julio 4 Irmao.
- Precisa-se de urna ama'paracbsihr; na
praca da ^ssembla armaiemn. !.
Vndese urna mciiina de torca de 10 c-
vallo? : a tratar na ra nova de Santa Rita nu-
mero 71.
Os abaixo assignados declaram ao corpo coui
mercial. que venderam ao. Sr. Francisco Genuino
Gorreia o estabelecimento de refinuha silo a ra
larga do Rosario n. i, que gyra sob a Arma de
Antonio Alves Ferreira ; declaram mais, que
dito estabelecimento se acna hvre e desembara-
cado de todo e qualquer onus, tanto commer-
cial como de imp)stos fazenda : quem se ju!-
gar credor aprsente suas contas no prazo de
tres dias, a contar desta data. Recite. 7 do Fe
vereiro de 1889.
___________ Gomes A Ferreira
abaixi. assignado,dedfcra lopuutko'e
ao commercio, que. comprou ao r. (uberine
Gomes Pinto o estabelecimento de retina'la sito
ra larga do Rosario n. 3. que gjrava sob ;i
firma de Antuuio Aires Ferreira. eiii \irtudei'o
qu- avisa ao respeta\ el publico e ao commer-
cio ;>. ra, no caso,de que a!guem se jii^u<- quiu
direito a oppr-se dita transa.cco. o fai a mi
prazo de tres d.as, a ceatat desta data, Recil'e,
7 de Fevereiro de 1889.
____Francisco iM-uuino Correia.
Apolice provincial
Jvendo se dest neaminhado do poder do
ab.i:.\o assignado uuii apolice proviju-ial de u.
27:' da i. serie, do valor de 301 e junte de 7
OC. icrtencente ao menor Mario, Libo do Sr.
Dr. Audr <*avalcante de Ibuquerque, az-se
publico o fecto. para lins convenieti1, -. Recife,
7 de Fevereiro de 1889.
Joaauim Daarte Uuupos.
Maria Pbilomena Non-ira BaMoi
2- anniversario
Joaquim Olinto Bastos, seus tilhos. mai, ir-
mos e sobrinhos, Jos Joaquim Moreira, sna
eoHsorte e filhos, pedem aos seus paH-ates c
amigos para assistirem as missas que tnandam
celenrar segunda-feira 11 do eorrente, s ho-
ras da manhS, na matriz da Boa-Vista, pelo eter-
no repouso d'alma de sua idolatrada e carinhosa
esposa, infii, filha, irm e tia. Maria Ihilomena
Moreira Bastos, 2- anniversario do seu infausto
passamento ; e desde j se-confessam ag::ide-
cidos.
t
Jos- Joaquim wieira, Villa*
1- anniversario
Manoel Gome6 Manhonca e Rosa de Mello Ma-
nbonca convidam seus amigos e collegas a as-
sistirem a urna missa que pelo repouso "eterno
d'alma de seu amigo e colfega mandam rezar
no convento de S. Francisco, segunda-fei.'a.lt
do corrente, s 8 horas da manh, I auoiver-
sario do seu passamento.____________
tm^smmmmsmmmsmmms^maswm
Ta\
rema
Veade-se urna (averna na estrada do Peres, a
primeira ao saltar na estar&o ae Tigipi. a qaal
se acha bem
a primeira do lugar, o al.'te( d;. casu e buraiis-
simo e com murada inBftraiJviite, co nom *i
to : ulormuer.*-? na ra de Sania TApOUU ii. 30,
(averna. ) motivo da vend se d orador.
IIii-iii.n Miranda
Jos .Xicacio da Silva, esua ttiullicr Maria : on-
eiana da Sijiia: mandam direr urna missa por
ajuia de si amigo c padrinlio, Hermcne^iid
Marcelino de,Miranda, no dia 9 do corren le. >
ior...s dajiianlii^namatriz da Roa Vista.
KT A fTo u o
0s Drs. Fernando Affonso de Mello, Oca*k*
Alfonso i? Mello e Jos Ladislao Pereira da --il
va, 1>D. Anua (Myiupi.-. Esnienia de Mello c An-
ua Viet'.'iina de Mello, e Jos Fernandes eieira.
da Suva Subriubo. irmaos. cunliados e sobrinbc
do finado Dr. Pedro ADbnso >ie Mello vm dc-
lundo d'alma agradecer aquellos que se i gua-
ran assistir nu s as a^cuiws Irste, letaudo-c
tambem sua ultima morada. Peden e:les ainds
caridosamente que queiram assislir as "missas
que mandam dizep por sua alma na matriz da
Boa-Vista, s 8 horas da.manhii do din 11 de
corrente, stimo de seu passamento.
a 0 u
Dr. Henrique ArTo de Miran-
da Leal
A viuva, mai e mais. prenles do Dr. Henrique
Aflonso de Miranda Leal, sob dolorosa impres-
sao de sea tasanuiento, convidam as pessoa
sua anuzade parentesco para assisl
missas quepo;-..ui alma mandam reza;
ju do convento u- S. Franciseo, us 8 bora?^ da
Oiuiba de lerca-feii-j 12 do cn-reute, agsid''
do i iodos que aeomiKinharai os *ta*s
ultima morada, e aasisiiram o seo
Juizo de paz da ireijuezm de
Santo Antonio
MMe temporari.-.iiieie rio\ei.:cit> Jocar-
'diiieato j.. en* jf...
0 ifipi:&G Man
sua m
m matriz d:
IMMMMMMHnM
I lu U I

j
i


p
i
1
i

)

r
)
-:*[
Diario de PernambucoSabbad 9 de Fevereiro de 1S&&
1 -' -JJJ'f mm
tas
NAO riftCAES TEMIDO!
TOMAI O PEITORAL DE CAMBAR
qur a Miro r miedlo elleu
para as lealla* tto laryagey nrnnhloa r |Hiln.r* !
Com o uso deste poderoso medicamento debenam-se as toases as mais imperti-
aeBtes e rebeldes e tambem desapparecem as oppress3es, dores do peito e alteracSes
la voz; cessam as expectoracSes sanguinolentas e Os escarroB de sangoe; em ponco
teMpo desenvolve-se o appetlte, as forjas perdidas reppareceni, e em urna palavra,
oe enfermos sentem urna mudanca muito notavel e por assim dizer, reanimrnoste e
escapam de urna morte certa.
Examinoi que amnrea da fabrica e a firma do autor J. -ovares de S. SoKrefl
st acbem nos rtulos que circulam a roiha e gargalo de cada frased, coWO garantia
contra as militas falsificacSes e imitacSes que por toda a parte apparecem.
Agenten nenia provincia
FRANCISCO MANOEL DA SILVA & C.
Ra Mrquez-de Olinda n. 23
Precos: 2)5500 rs. o frasco, 130000 meia duzia e 24&000 a uzia.
SAUDE PARA
ii
TODOS.
fa
mi i i
PILULAS HOLLOWAY
t
As Nulas purifleb o Sangue, eorrlgem todas as desor.dem' de Estomago s
dos Intestinos.
Fortalece a saude das cstnstfftigaes delicadas, e s6o d'um valortacrtfeljjara todas s enferrnijae*
peculiares ao sexo a>minii te todas aa edades. Para os meninos assim nnw tambem para as
petacas de idade ayancada a son efiieacia e incontestavt 1.
Estas iiirrlirinasi"- preparadas simule so Estabelecimento do Profesaos IloLunraV,
7$, jTBW OXFORD 8TBKIT (antes 983, Oxford Straat), LOlfDM,
E veadcHse em toda SS pharmacia* do universo.
OW 05 coraps adates -as coavidados respetosamente a examinar ot rotlos de cada cuca Pote se m\o lete S I
direcoao, 533, Oxford Stre-s, sae raUificaoaes.

I.
lias
PBECO SEM COMPETENCIA
A' rua Praneiro de faite b. 20

Junto
Atoalnado bordad a 10200 o metro.
Alpacas indianas a 320 rs. o covado.
Ditas mescladas a 600 rs. o covado.
Ditas lavradas a 500 rs. o covado.
Batistas finas a 140, 200 e 240 rs. o dito.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o dito.
Balias pretas a 260 e cobertas a .500 rs,
a duzia.
Bicos de urna s cor a 2*5 a peca.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Brins de cores para crianca a 260 rs. o
covado.
BiCos matisados a 2)5500 e 30 a peca.
Cumbraias bordadas a 40 a pega.
Cachemiras de quadros a 260 o covado.
Cortes de seda parar-colete a 50000.
Ditos de linn em cartao a 70000.
Gauchas de damasco a 60000 urna.
Cretones de alsace a 360 rs. o covado.
Cambra i a arrendada a 460 rs. o dte.
Cachemira da India a 220 rs. o dito.
Chales adamascados a 20500 um. .
Cortinados bordados a 60000 o par.
Colchas de cores a 20 e 20500 urna.
Cortes de casinetas a 10500 um.
Chambres a 40500, 50 e 60000 um.
Cortes de setineta a 60000 um.
Cambraia Victoria a 20900 a peca.
Camisas allemSes a 360000 a duzia.
Cachemira de duaS larguras a 800 rs. o
covado.
Cretones claros a 280 e 320 rs. o dito.
Colchas de fustau a 3)5500 urna.
Camisas de meia a 10000 urna.
Ceroulus de bramante a 150 a duzia.
Esguio pardo a 360 e 400 rs. o covado.
Eapartilhos couraca a 50000 um.
Bntremeios bordados a 700, 800 e 900.
Completo sortimento de casimira e brins, collarinhos,
008,2 bolsas, fichs, lencos, leques e muitos antros artigo*.
AMARAL &
o covado.
rs. o dito.
do Louvrr
Fichs de malha a 20000 um.
Fustao Branco a 360 e 400 rs.
Dito de cor para roupa a 800
Guarnicao de crochet com matizes.
Gazas de cores a 500 rs. o covado.
Guarda-po para homens a 60000.
Grinalda para noiva a 80000.
Guarda p para senhoras a 80000.
Lencos com barra a 20000 a duzia.
Leque a grS-duqueza a 20000 um.
Longos brancos a 10200 e 20000 a duzia.
L ivas de seda a 20 e 2o500 o par.
Linhos de quadros a 80 rs. o covado.
Las escoBsezas a 100 rs. o dito.
Linn de cores a 500 rs. o dito.
Merino do c6res, duas larguras, a 800 rs.
o dito.
Meias com pintas, jiara senhoras, a 800 rs.
Madapolao americano a 6000 a peca.
Meias para homens a 30600 a duzia.
Extracto Porte-Veine a 10400.
Popelina branca, de seda, a 800 rs. o co-
vado.
Paltota de seda palha a .70500.
Ditos de alpaca preta a 40500.
Pumo da costa adamascado.
Pacotes de p de arroz a 500 rs.
Percales fias a 000 e 220 rs. o covado.
Roupas para banhos salgados.
Regatas 'de cores a 10000 urna.
Sahidas de baile a 20000 urna.
Suspensorios americanos.
Siirgelim de oroo a 900 rs. o covado.
Setim de c6res a 800 e 900 rs o dito.
Dito do JapSo a 240' rs. o dito.
Toalhas para rosto a 30600 a duzia.
Ditas para banho a 10400 urna.
Rcebedores directos dos mercados da Eurqpa
liquidara os sesftiintes artigos com descont1 di 14
vendas em grosso
Bramantes de algodio superiores, a 800 Ti o metro, 4 larguras,
dem de puro linho fazenda de 20200 para acabar a 10500, metro.
Atoalhado alvo, ditas larguras, a 700 rt., 10100 e 10200 o dito.
Algodao alvo, nacional, para lcnoes a 50500 a pega.
Madapolao americano, a 30600, 40000 e 60000, com 24 jardas.
Maripozas de cores a 220 rt. o covado.
Chitas claras e escuras, cores firmes, a 200 rs. o dito.
Batistes idem a 120 rs. o dito.
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 rs. o dito,
dem de quadros modernos a 280 e 300 rs. o dito.
Fichs do ronda chics a 10000.
Colcha* tranczas-d core fe 20000 e 40000/ tuna.
Lences de bramante a 10800, para cama de casal.
Casimiras d cYes*para*'rutpti de crianca a 10000 e 10800, diagonal, duas
larguras.
Camisas inglesas e francezas a 260000 e 300000 a duzia.
Tapetes aveludados, grandes, a 140000 um.
Cortinados'ricamente bordados a 50500'e 60000-
Pannos de cores para mesa a 10100 e 10300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 30000 d dito.
Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
Veludilhos de cores e pretos a 900 rs. o dito.
Rendas austracas para vestidos a 500 e 560 re. o dito.
Setins de todas as eres a 900 rs. o dite.
Setinetas lavradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 re. o dito. '
Meias cruas inglezas para homem a 20500 e 30000 a duzia.
Cernidas bordadas, de bramante, a 120000 e 160000 a dito ,
Cortes de casemiras para calca a 40000 e 6000?.
dem de meia casemra a -20000.
Toalhas grandes para rosto a 40000 a duzia.
dem felpudas para banho a 120000 a dita.
E muitos artigos que serio lembrados com apresenca de nossos leitores.
59Roa Duque de Caxias59
LO JA DE
PEREIRA HAfiALHAES
ka Pilulas Catharticas
Do Dr. Ayer.
A experiencia do tenipn, nppTirntlo as flala do
Dr. Ayer, tera la* lo appcovjln com os reitiitiKtoi
o>t:.loBcon, Moeanms. 1U mais de cuarenta ftnno
qi ';.'!as rMlulan obtiveram urna popularidaJonni-
^ <-if al, que nenbuma outra medeolna purgativa toro
|iot!ldo rivallBar.
.4* PlLULAB 1X> TVR. Aver, pnrgam ooanpletiv
nitfate o TeOtre cora uavldatic, e estimulaui e or*
frote i _
era ttfto o cas de
RHMATISlVIO
Impurezas de, angue; BnpeJtesV' licitafi
fulas,' lceru, StSSls
e toda ffeccab de ntureza
eruptiva ou venrea
-"A-
V1!
tlllc'aai os o:
d)2

CAPSULAS
ll ATHEY- CA YLUS
Preparadas peld DOTOR CLIN Premio "Montyon
s Capsulas Mathey-Cayins ewn Envolucro delgao de Gluten nao JatigSo nunca
estomago e bSo recommendadas pelos Profossores das Fuculdades de Medectna e
6 Mdicos dos Hospitaes de Paris, Londres e Ne-Ycrk, para a cura rpida dos :
Corrimentcs antigos ou recentes, a Gonorrhea, a Blennorrhagla, a Cystite
du Collo, o Catarrho e as Molestia da Bexigas e dos orgos genito urinario.
1131 Urna txplicilo dttalhada acomptnht cada Frasco.
As Pillas do Dr. Ayer
"ram- inilirtetSo firipefllrrn-nto. a Titam raqttas
-.ri:i.< i; a iiiludo fatac, cufurinidaJes, motivadas
iir aq utllas deaorl /ara ns doflrjfa* Jo Estomago. Fiaado Ens,~
'- STiiiptoma! So a fcii.*eri!it<)atii-s A Pi-lle,
\ici..r (; IVso oo RutonuMio, NanK, Malea,
I '.i!v ,!c Cbea, Balito Ftido, Febfe BUlsa
< ->lica. Dores do estomajd costas e espaduas,
I nvhafoes Hydroplcas, etc. liada- as allivia
"II. M^aranya c promptldao como as Pilfla do
Avkh; hs quacs sAo de grande utilidade Da
.. .itivo dan Hemorrlioidas.
t -Mi. remedio domestico nao teto egual.
rP.EPiRADAS PELO
&t J. X3. AYER e CA.,
Tjowell, Mass., E. U. A.
.i' Tenda'nas pri ncipaee pharmaclas e drogaras.
TelegTamma
Vejam e admirem
si
ditbiisto'
0 Remedio Se Familia jwr exi
w
Alug-se
a casa da roa Coronel Suassuna n. ISO; a tratar
na ra Marcilio Dias n. 106.. ,
*. i -*/ -,>J
Ama
Precisa-se de urna ama para o sewico domes-
tico de casa de familia; a tratar no escriptorio
deste Diario.
Precisa-se de urna
ra Fedro Affbnso n.
Ama
ara casa de familia
na
Ama
Exigir as Verdaderas Capsulas Mathey-Caylus de CLIN & Cie, de PARS,
que se tchao em tasa dos Droguistas e Pharmaceuticos.
punhos, leos, toni-
c.
THES0R0 DAS MSS VERD-A^DEIR-OS
COLLARES ROTER
Wm
Electro-Magnticos
'Coliares aaeeymos 4e deacao" coatra as
CONWI.SOES
I FiEl riClLITU 1 DEKTlflS SIS CBEIITIS
"Os COLLARES R0TSR,conli&ridos ha ms '
[de 25 annos, sao os uniro- que preservo
I realmente as enancas das CON VU LSES
'ajudando ao mesmo lempo denlifo.
Para evitar aa FaislticacoM as laaitaeoM. exija-Si que cade
.._ caixtnha tenka a marea da fabrica i m-rra -r,i e o vtriadetro itome
PfiTlUEHCIAdu CBtlNf AS ROTER, PharmaooaUco, 225,ruaSatliit Martin,em PARS
rUNDISSO CERAL
ALLAN PATERSON & C
N. 44Ra do BrumN. 44
JNTOABSTACAODOSBONDS
Tem para vender, por presos mdicos, as segaintes ferragens :
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
Crivacos de diversos tamanbos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem. .
Bancos de ferro com serra circular.
Oradeamento para janm. ,
Va randas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos.
Portas de fornalha.
Vapores de forca de 3, 5, e 6 cavallos.
Moendas de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Rodas d'agua, systema Leandro.
Encarregam-se de concertos, e assentamento de macainismo e executam qual
qnor'trabalho com perfeifio e presteaa.
Arm Siidp de Chloral Pollct -*
Sirdp
E e aatananta por excelencia croe supprlm
o mniio tranqnlllo aatural nr-
N1SVRALG1AH GOTTA
TSICA CEBES
natsrlr m rima'
Drt-A casa FREBE, 19, ra Jacob, PAIUX
r
oaaos da
EHEVMA
CALLOS nos FES
58-Rua Duque de Caxias-58
GRANDE LIQUIDArlO
h
Principia na segunda-feira, de todos os artigos que
ficaram de saldo do balaneo do anuo prximo passado,
vendendo-se por metade do seu valor.
Grande quantidde de retalhos e algodaosinho,
madapolao, chitas, seda, setim, etc., etc.
56 e 58Ra Duque de Caxias56 e 58


anana.
s
CONSTPALES o MOLESTIAS do PEITO
'M*raBRIJtNT!
PARS, Pharmacit BBIAffT, 150. ni fT?Wf; PAltr
Ixaanvmaaiairr con omtrto*inmsr>\Mir>ilxm>,+t m **
la sWIsSM mass savia contra ot TMOmxm. nQya;>a. atharioa. etc.
awrTinraaai isstsaia>%* aiish -Dere-erentn- tlBrocharcioore
|ooaV aaaicTialara Mq UalvaU Jo wraetor:
fOlTS BU TODAS AS VRLNCIPAS PHA KM A C!*J
aaa.a I i nnnnannnnnnnnwa
JSSPSS^^fPw?
Resfriamento, gosse, IXAROPE de HYPOPHOSPHITO de CAL
de GRIMALT A C,a
ApproT*do pe* Junta de HjgJne do Rio de Jtiniro
Fazendo-se uso deste Xarope, calmao-se os accessos de toase,!
I desapparecem os suores nocturnos, goza-se de um somno re-
parador, desperta-se o appete, e o doente, augmentando suas forcas,
apresenta o aspecto de quem gosa boa sade. Os mdicos recommen-
do que se tome ao mesmo tempo as Pastilhas peitoraes de
sueco de alface e agua de louro cerejo de GRIMALT e C,
[ que constituem os dois calmantes mais inoffnsivos da materia medica.
Oe ft-aacos oatasw, que eontm esta Xarope. **o de ama bella cor de roe
e lerto a marea de fabrica, e uello o a Arana da enesa Basa
Btniiu aa Paris, 8, Ra Vivienne, e ns iriioinM FatfnitiM Drofiriti.
Preei=a-sc de urna ama Dar cosiohar : a tra-
SltorMions.
n I CURA INFALLIV31.
__ni mes d* no espume 4e a usa cate
coricid:
ora : irnos
aTtrmm/ime
Cosinheira
ra
|.
Carolos de alg-odo
Compra-se carocos de ai^odSo easainados, en
- armazens. ra do Baro !o Trium
10.1S e 14; ao preco de :JS0 n-is ao; ''
-
><^<>&(XQ^^
Pao centeio
Mille k Bisef. a%isam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, lem este **-
toroso pao ; ra larga do Rosario u; 4.
Criado
na da Saudade ri. 27, porto, ppeoisa-se
inn criado.



Architectura
1}0-
S o 55 roa Duque de Caxias pode
vender pelos procos que abaixo mencio-
namos.
Amor da China, novidade. em padroes, a
200 rs. o covado.
FustSes brances a 360 e 500 r. o co-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs. o
covado. E' barato!
Casados e capas para senhoras, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de seda, padroes lindos e precos
razoaveis. .
Madapolao com 1 metro de largura a
6;) a peca.
Zefiros a 80, 170, 200, 240 e 400 rs.
o covado.
Ditos bordados a 800 rs. o covado.
Tecidos arrendados a 400 e 500 rs. o
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados d crochet, eousa chic e
preco barato.
Cambraia Victoria a 2)5800 a peca.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as corea a 200 rs. o
co-vado.
Guardanapos bons a 1(5800 a duzia.
Las modernas a 240, 280 e 320 rs. o
covado.
Rendas hespanhols a 2(5- o metro.
Luvas de sSda a 2j5" 3)5 6 par.
Espartilhos couraca 4j5, 5)5 e 6$ um.
Merinos preto e de c6reV;"ama varie-
dade immensa em precos e qualjdades.
Setins de toda'as ctrres-a 800" fs. o co-
vado.
To^h'as felpudas, grande redcelo em
pre5s em vista da grande quantidde.
Enxovaee parabaptisados o que ha de
mais moderno e por pouco preco, 10(5000.
Colchas de crochet muito chic.
Camisas inglezas com e sem collarinho.
Atoalhado para mesa a Ir) c 15800,
muito fino;.
Collarinhos c punhos de linho e algodSo
e por preco barato.
Babados e entremeios, grande sorti-
mento.
Madapolao pelle de ovo por 6$ a peca.
Esguiao pardo e chumbado a 400 rs. o
covado.
Urna grando variedade em lencos.
Gravatas e meias para homens.
Cretones para coberta o que ha de mais
barato e bom.
Mantilhas de renda a 50 urna1.
Leques de setim muito chic.
Linn bordado com quadros a 800 rs. o
covado, muito bonito.
Chitas escuras e claras a 240, 280 e
320 rs. o covado.
Cretones trancados, finos, a 320 rs. o
covado, para acabar.
Casemiras de cores e pretas um grande
sortimento em qualidades e precos.
Casinetas, o que hade mais bonito, a
400 e 500 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por precos
razoaveis.
Crinoline preta e branca a 1)5600 o me-
tro.
Brins pardos a 320, 400 e 500 rs. o
covado.
Cortes de vestido de cachemira com vi-
drilho o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordados.
E' barato. ,
Cambraia branca, bordada, o que ha de
mais gosto e por preco razoavel a 8(500(7 a
peca.
Dita com salpicos a 4)5 e 5(5000 a peca.
Colchas argentinas a 6(5500 urna.
Ditas de 2,5, ty, 40 e 50000.
Bramantes de algodao e linho de todos
os precos.
Grande sortimento em fichs de cores
e pretos.
Grinaldas para uoivas.
Luvas e leques para n*ivas.
Bicos de cores muito chic.
, Alm do queacabamos de annnnciar
temos urna quantidde de artigos que so
vendo-se, se acredita, pelo que pedem que
comparecam.
Dao-se amostras sem penhor.
55 RA DUQUE DE CANIAS 55
FERWMIES E \ZEYED0 AC,
Precisa-se de urna ama boa cosinheira e
seja matriculada ; na ra da Aurora n. 67,
dar terreo.
i
Ama
Precisa-se te urna ama que saiba enommaf
para homem : a tratar na ra Mrquez de Olin-
da n. 41, armazem.
Ama
Na ra velha de Santa Rita n. 89, precisa-se
de urna ama para comprar, cosinhar e fazr os
demais servfcc
milia.
igos de urna casa pequea fa
Amas
Precisa-se de duas amas
Victoria n. 35.
na ra Baro da
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro que tenha pratica
de motilados, de 14 a 16 annos de idade, e qac
di fiador su conducta ; no largo do Pilar nu-
mero Si.
Typogaphia e Litho^raphia
FABRICA DE LIVROSDE ESCRIPTU
RACO
Prendada naa exposlo5es de
188? e 1985
Manoel J. de IVIiranda
Eacadernaco e especialidades em
Tintas.
39-Rua Duque de Ca
Teiephonen. 19
Amas
Na ra da Conquista n. 21, precisa-se de urna
cosinheira e de outra para servico interno.
~~ PBOlCiSIMls~
Do Dr. Carlos Bettencddrt
APPBOVADOS PELA JUNTA CENTRAL DE
HYGIENE DA COETE
Salsaparrilha e Caroba
GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
Elixir anti-rheumatico, anti-syphilitico. empre-
tado em todas as molestias de pelle, erysipela.
arthros ou impingens, beriberi^ anthrazes qu"
carbnculos, cancros venreos, feridas cance-
rosas, ulceras, gouorrhas chronicas, boubas.
bubOes, escrfulas e todas as doengas que de-
pendem da impureza do sangue. .
Este remedio superior a todos os outros do'
3eu genero, o que est prorado pela preferencia
e acceitaco que lhe d o publico.
Umvidro :J#0ta
Elixir de Jurubeba, Quina e
Pegapinto
TNICO febrfugo e desobstrente *
Empregado na debilidade geral, doencas do
estomago, convalescencas depois do parto, febres
palustres, molestias do ligado e baco, falta de
apetite, anemia, (Alorse, cores palfidas on fl!l
de sangue, doencas nervosas.
E'um rec#nstituinte de energa, aromaticd'e'
agradavel ao paladar.'
Um vidro 3*f0*0
Xarope de Jaramacan cOm-
posto
GRANDE PEITORAL
Tratamento curativo de fodas as molestias 4o
peito e da garganta, delluxos, tosses simples e
convulsa, coqueluche, constipac6es,a8thma, bren-
chite, catarreo chronico e tysica puhnonar e nT
larynge.
E' o primeiro pitoral que se conhece at haje
na medicina.
m vidro 2*500 f
A' venda na ra Barao da Victoria n. 51
Pharmacia Pinbo
:------.......
Caixeiro
Precisase de um menino; na roa daJFloren-
tina n. 34.
Professora de piano
Urna senhora habilitada, nao s pelo seu es-
tado, como tambem pela pratica, offerece-se
ensinar piano por pregos mdicos, quer em ca-
sas particulares quer em collegios, pedendo ser
procurada para o exercicio de sua profsso na
ra do Jasmim n. 39.

Aviso
Jos Cordeiro dos Santos tem a honra de par-
ticipar a seus amigos e freguezes que moon a
sua loja de fazendas da casa n. 85 roa Duque
de Caxias para a casa n. 89 da mesma rea
VJ
RELOJOARIA
A antiga e bem acreditada officiha de rlojoei-
ro, sita rea Primeiro de Marco n. 4, acaba de
ser transferida para a roa Larca do Mana
rio ii. is.
0 seu proprletario, teadoum completo e. moito
bom sortimento de vlametos tendentes .SaU
arte e com nma longa pratica da mesma, cfetct-
se ao publico em geral para encarregar-se *?*
todos concertos de relogios, caixas de msica,
etc., etc.
Espera continuar a merecer a confianca ae
seus freguezes e assegura-lhes que ser seir-prc
solicito no cumprimenlo de suas oraens.
42Ra Larga do Rosario 42
Gustavo Vollichard
^ara oDerby
Carlos Sinden receben grande ser*
to de gravatas e camisas de cores p-
para os amadores do Prado e est vod
do por prejos sem competencia. '
Recebeu tambem collarinhos e pw
de boTacha de formatos novos.
48boa babIo d i victoeia
Bom negocio
BVende se tren cavallos bons e por prr.;<
modos, por terem sido tomados
quera pretender dirija-se fu Vid
146. cocheira.
'eitor
f' DhiMiuaL
mwvv

I
i




io de PernamibuGo--Sabb ^ergreifo de
U PTlGMOr Jd&fftttOLl J&ll&S u6 AlDuout
ft-go Banos, ra su Cbnceicio n. 17, ensina,
ner on nao, peas casas, as seguiutes materias,
epoiB das 3 horas da tarde : portuguex, latim,
anthmetica, geograpnia, historia e geometra.
Professora
Urna senhora competentemente habilitada,
propoe-se a leccionar em coilegios t casas par-
ticulares as seguintes materias : portuguez,
/ranees, msica e piano : a tratar na ra Vis-
conde de Albuquerque u, 20.
Urgente
Preelsa-se de perfeltas costu-
relras: na ra do Baro da
Victorias. 15. I." andar, atelier
de madame Faany.
AVISO
Alnga-tie a cala da ra do Paysand n. com
boas commodos, gaz, agua e jardim ; as chaves
e a tratar na ra do Bispo n. o.
Cosinheira*
Precisa se de urna ama que cosinhe bem ; o
terceiro andar do predio n. 42 da ru* Duque de
Caxias, por cima da typograpbia do Diario.
Celebres Remedios Le Hoy
rauxt r n pfNM lint et tm saoor
AS VERAtlRMS
PILULAS LE RO
PopuUmtm FRANCA, ni HESPANHA, na AMERICA,
x no BRAZIL onde to
tutoritadt pa/a Juntt de H/gitni
raucos ................ l/i :iwicoi
Xasas Plala* dio toda a f-ieilidade dr a* trntor so, por
pre^o barato, e desc curar em ponco tempo.Ellas cxpulm
rpidamente os humores, bilis, humores riacosos rieladoa
que conjerram as molestias; alias purificam o atufo
e impedem as reemhidas.
- Impre.'am-it .
contra a Fritto ele retitre, t nlhartho,
< JHsatamntixnio, falta d>
apprtitr. Tm moren, flcrrtis.tr bren,
Molestiantlo ftuailo,Mmuiyrm
ttorbHKam, lerinethidea,
Menmpatttn, etc.
.E PRECISO RECUSAR
t iiavr (rila sh sis ti t i Main*) ai
Ph" Oottla
hir.aiui.UUj- *
^doaW;
DI TODAS AS I'HARM ACI AS
FABRICA
DE VIDROS
193 Una d Aurora 193
Expo venda em grosso
e a retalho os productos de
seu fabrico: sendo
Copos com e sem pe, ditos
com aza para cerveja, cau-
ces, globos, chamins, frascos
para botica etc. etc.
. Precos sem competencia
VENDAS
Vende-se cal nova de Lisboa na ra Pe-
dro Alfonso as. 39 e 41.___________________
Livros de medicina
Vende-6e alguns livros de medicina i servi-
dos ; na ra da Rangel, armazem n. 48.
Doce secco de caj su-
perior
Tem para vender em latas de 2 e 4 libras, por
preco commodo ; na na do Bom Jesns n. 35,
armazem.
Vende-se
o hotel do Beberibe com todos seus pertenees :
a tratar no mesmo_________
Vinho de pasto
0 que ha de melhor, vende-se pelo mdico
preco de 3J5*nOO o barril de quinto e 9*000 o
garrfao de tres caadas, voltando o garrafao
7*300 (precos lquidos) : ra do Amorim nu-
mero 60.
FOLHETIE
POR
JULIO MAM
TEREIRA PARTE
HONRA POR HONRA
(Continua^So do n. 31)
IX
A casa dos Montmayeur urna casa
maldita, disse elle com voz arquejante,
parando quasi a cada palavra. Maldita,
tres vezes maldita O irmSo vai aecusar
seu irmao! JoSo, demasiadamente tar-
de, eu te disse... Offereci-te, ha pouco
un me i de salvacSo. NSo quizeste apro-
Teitar-te d He. Embruteceste-te com o teu
crime. Os remoraos nSo te attingem. Se-
rs punido. Eu, Jorge de Montmayeur,
teu y-mao, aecuso-tc de ter assassinado
Bourreille. Conheci o projecto daase cri-
me. Fz tudo quaato de mim dependa
para dissuadir-te de tal cousa. N2o o con-
segu. Vi-te na occasio em que sahias
para commetter o tata crime, na noite em
que, para Iludir os que podessein aceusar-
te, convidaste par vir fabrica sabios
teus amigos. Vi-te na oecaso em que
voltava.j com as mos manchadas de san-
gue, porque anda tinhas as mSos o san-
ge de B-Jurreille. E nem sequer tentas-
tar-me esse aseassinato. Confes-
Lmbras-te tambem cqm que cy-
utaste a prisSo de Do "
Moraines tem boa m
igualmen
RBVOLCAO W 48*
A* ni Duque de Caxias n. 48
Nesta laja dea ominada A' RevolucSo,
tendo sempre nm grande e variado depo-
sito de fazeadas, resol ven-se vendel-aspor
menos 30 .i do que era outra qualquer
casa. "Como sejam :
Toalhas felpuda e acolchoadas, brancas
e de cores, tamanho regular a 120, 200,
500, urna.
Merinos de quadroj, lindos padrees
200, 240 e 280 o covado.
Seda Alcaciana fazenda de fantasa),
240 o covado.
Cachemiras de quadroa com combina-
5S0 a 320 o covaclo.
Mimosa cambraia das mocas para cami-
sas a 3^200 a peca.
Lindos, cortes pira vestidos em cartaoi
com todos os av'.amentos a 75 95 105 e
145 um.
Saias bordadas para senhora (recebidas
ltimamente de Inris) a35000 urna.
(.retoes inglezes, francezes eallemSes
a 240, 280 e 320 o covado.
Zefiros de quailros, muito largos a 160
200 e 240 o covado.
Lindas colchas com palmas de cores
para novos a 105(00 urna.
Chitas claras e iscurat, muitos padrSes
a 200 e 240 o covado.
Batistas com pumas e pintas, cores fi-
xas a 120 o covado.
Redes francezas a 55 e 65000 urna. *
Fechs de 1S, rauito grandes, todas as
cores de 25000 por 15500.
Camisas francezas de lirtho (pechinca) de
60 a duzia por 485.
Merinos finos com dua.-i larguras, todas
as cores de 800 a 500 o covado.
dem dem dem dem preto a 800 e
15000 o covado.
Cortes de fqstSc branco e de efires para
colete de 45 por 25000 um.
MadapolSes finos a 45, 55 e 65000 a
peca.
Atoalhado de linho, lindo desenho a
15700 o metro.
Cortes de caseinira para calca, finos e
modernos a 45, 55. 65 e 75000 um.
dem idem dem dem oostumes moder-
nos a 205000.
Cambraia de salpicos muito fina com
10 jardas a 45000 a peca.
E mu tas outras azendas que so com a
presenca das Ezmas familias, poderSo ser
vereficadas, como sejam: mantilhas brasi-
lheiras, leques transparentes, bicos de co-
res, ntremelos, bordados, leos, extratos,
luvas etc.
48 DUQUE DE CAXIAS 48
Vinho de Pasto em barris
de quinto
De especial qualidae e a prego baratissimo ;
vende-se no trapiche da Companhia, largo do
Corpo Santo n. 19.
8SOOO a duzia
OLEO AMERICANO
O Balis econmico hyglcnico e
perfumado oleo para o
C .A. B 36 3L X, O
VENDEM
GOME DE ATTOS IR rl iOS
2I>-na Mrquez d^ Alinda -2o
Vestidos proprios para
bailes e fazendas para os
mesmos, aigrettes, plumas,
flores, fitas, leques, luvas,
meias e filos com salpicos
de todas as coree.
44Roa do Imperador, l. andar
Mataste Bourreille. AccuBO-te deste as-
sassinato... Roubaste-o... E os cincoenta
mil francos encontrados no poro provm
desse roubo... Tinhas razio anda ha
pouco quando olhavas para mim com os
olhos carrejados de odio c do desejo de
vingar-te. .Fui eu quem disse tudo. Es-
tes dous crimes nao sao os nicos de que
te aecusam. Quizeste envenenar Claudi-
na. Luciana vio-te. Eu vi-te !...
Montmayeur soltou um grito de raiva.
Vi-te, repito... Claudina conhecia o
teu crime. Queras impedil-a de fallar.
Quanto a mim nao me temas. NSo passo
de pobre doente de que ninguera z ca-
so... Accuso-te d*sscs crimes, eu, teu ir-
mlo !
Calou-s extenu;ulo.
Dentro em pouco, no entanto, proseguio
em voz meio baixa, mas lenta, a voz de
um moribundo :
NSo poderia recomejar... repetir
esta accuBacSo ser me-hia impossivel....
Sinto esgotdas as forgas.. Todas as mi-
nhaspalavras tbram recolhiias com cuida-
do, nlo verdade ? O escrivSo nao omit-
tio cousa alguma ?
NSo.
EntSo poBeo morrer... porque pago
com a vida esta accusacSo. Sintd-o. Che-
guei ao termo da miuh peregrinagSo...
Meu Dus, como (stou mal!...
Deixou-se cahir n'uma poltrona.
Perder os sentidos.
Luciapa e a propria Claudina, apezar
da sua fraqfeza, p-ccipitaram-se para soc-
correl-o.
Jorge! Jorge! chamava Claudina
banhada em prantc.
Todos estavam com os olhos fixos no
doente.
" ttenayeur julgou que poda aprovei-
tej a ocoasiSo para tentar evadir-se. NSo
tinha armas, porm era forte e agi.
De um salto foi janella e abrio-a.
Mais um segundo, ejtaria fra.
Barato
S na loja das Estrell
36-Ml.\ DUQUE DE XI.V
Telephoue n. to
0 proprietario deste mui acreditado estabeleci-
mento previne a todas as Exmas. familias
e freguezes em geral, que asjjnuitas pe-
chincliasquecostuma iazer,naosaomais
divididas com a sua ex-casa das IJSTRAS
AZUES; portanto, quem quizer comprar por
menos que em outra qualquer parte dirja-
se LOA DAS ESTRELLAS, onde encon-
trara um 'completo e variadissimo sorti
ment de fazendas que se vendem por pre-
gos que nao lhe podem fazer competencia
como passamos a demonstrar, a saber :
Atoalhado para mesa, de 15800 a 15000.
Dito de c6res a 15 e 15300.
Bramante de quatro larguras a 660 e
759 rs. o metro e de linho com 10 pal-
mos de largura a 15600.
Brim de cores para ronpa de crianess a
280 e 320 rs.
Colchas de crochet de 105 pon 55000.
Cortinados bordados a 55 e 65000.
Cortes de cambraia, bordados, brancos
e de cores a 45 e 45500.
Cortes de vestidos, em cartSo, a 75000.
Crotones, cores claras e escuras, a 160,
200 e 240 rs. o covado.
Cambraia branca, transparente ou Vic-
toria, a 25800 a peca.
Camisas inglezas para homens a 285000
a duzia.
Collarinhos, punhos e aberturas de cel-
luloid, um completo, por 25500.
Capas de vidrilhos e tecidos arrendados
a 105, 155 e 205000.
Casacos Jersey a 25500, 3$, 45 e 55.
Damass de seda com lindas cores cla-
ras a 15200.
Esteiras brancas e de cores para forro
de sala a 15100 a jarda.
EsguSo de linho, pardo, a 240 e 320 rs.
Enxovaes para baptisado a 55600.
Espartilhos couraca a 35 e 35500.
Fichus a 500, 15 e 15200.
FustSo branco a 240 rs.
Grinaldas com finissimos veos de Blond
a 75000.
GuarnicSes de crochet para sof, a 55500.
Gorgorito preto de seda a 15800.
Guardanapos de linho de 35500 por 25
a duzia.
Leques de fantasa a 400 rs.
Lencos para meninos, a 320 rs. a duzia.
Luvas de seda para senhoras a 15000,
15500, 25 e 25500.
Las e cachemiras de quadros a 160 rs.
MadapolSo pelle de ovo, muito fino, a
65000 e americano, com um metro de lar-
guro, de pre^o de 125 por 75000.
Dito de 85 por 55000.
Merino preto com duas larguras a 560
e 700 rs.
Dito de todas as cores a 500 rs.
Ditos de quadros, lindissimas cores a
240 rs.
Rendas hespanholas a 15600, 15800,
25500 e35000.
Setim Maco, preto e decores a 750 e
800 rs.
Dito de quadros, ultima novidade, a 15.
Sargelim de todas as cores de 160 a
200 rs.
Toalhas alcochoados e felpudas a 25500
e 35000 a duzia.
Ditas para banho a 800 e 15200.
Tecidos arrendados, ultima novidade, a
200 e 240 rs.
Zefiros de todas as cores a 80 rs.
A8sim como muitas fazendas que seria
enfadonho mencionar, e que vendemos por
menos 20 i0 do que enf^ualquer outra
parte.
Vende-se
o deposito de caf, assucar refinado e farinha
de milho, da ra. das Trincheiras n. 16, bem
afreguezado e proprio para outros gneros. Ao
pretendente se dir o motivo da venda.
Vinho puro de Pasto
Em barris de quinto ; vendem Carlos Rabello
4 C, ra do Vigario n. 31, 1- andar.
Vende-se
a armago e utensilios da taverua sita ra da
Santa Cruz n. &: a tratar na roa do Rosario da
Boa-Vista n. 53, fabrica de cigarros. A casa tem
commodos e agua encanada.
Mas Barato
I ALojadasLisras Azues
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Telephoue n 911
M) proprietario desta conhecida casa previne as
Exmas. familias e todos os seus fre-
guezes, que as pechinchas que costuma
dar,-nao sao nem nuica foram divididas
de outra casa como alguem annuncia
para engaar, vendendo fazendas ordi-
narias por boas, castume que a Loja
da i.ttrwN Azuom nao tem.
As fazendas vendidas nesta casa sao de boa qua-
lidade, e nao levam | medida escassa;
aceita-se a fazenda vendida se, por
quaiquer motivo n5o fr de muito agra-
do da pessoa para quem for comprada.
D-se descont a quem comprar de 20
para cima.
ESPECIALIDADES
Hrim de lis tras azues pecas com
20 varas a 65000.
MadapolSo com um metro de largu-
ra a 65800 a peca.
Cortea de vestidos bordados em
cartSo a 105000.
Velludllho bordado a contas a 15600
o covado.
Cachemiras pretas, de quadros e
arrendadas a 25 e 25500.
Tecidos fantazia arrendado proprio
para baile e theatro a 400 500 rs.
Cortes ^e cachemira com guarnieres
bordadas, lindas cores, a 205 e 255000.
Sellan Maco de todas as c6re* a 750,
e 800 rs. /
UUOU bordado, tecido de urna s cor,
qualquer que se deseje, a 200jrs.
Zefiros lisos e bordados, tecido fino,
novidade a 500 rs.
Uls de quadrinhos a 200, 240 e 36C
o covado.
aLlnhos lisos a 60 e de quadrinhos
00 rs.
Guardanapos melhor qualidade a
15800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores a 15.
Oleados para mesa redonda ou qua-
drada a 45000.
Cortinados de crochet, com snelas,
ultiftja novidade, para janellas e portas.
Crochet para cortinados a 900 rs. o
metro.
Colchas de fustSo, brancas e de eco-
res, a 25000.
Chitas finas precales a 200 e 240 rs.
Chitas escuras a 160, 240 e 280 rs.
BatlstCS de cores seguras a 120 rs.
A'auzuc de lindas cores a 280 rs.
Brlnt pardo esguiSo a 240, 280 e320.
Casinetas de cores escuras para rou-
pa de homem ou menino a 400 e 500 rs.
Mantilhas de renda hespanhola, pre-
ta, de seda a 85000.
. Capas e visitas, de cachemira, de ren-
da, com lindos enfeites e com vibrilhos a
205, 255 e 305000.
Leques de pennao e transparentes,
ultima novidade, todo prejo.
aLuvas de seda, lizas, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de qualquer cor a 25.
Espartilhos inglezes a 45500 e 55,
tem desde o n. 40 at 80 de grossura.
Mico branco creme e de todas as
cores desde 700 rs. at 25500 a peca.
Rraidas hespanhubis, de seda e de
algodSo, preta, branca-e de qualquer cor.
Manados e entremeios bordados ta-
pados e transparentes por todo preco.
CSrampos e pentinhos fantazia para
cabello a 400 e 500 rs.
Baldas para vestidos a 260 rs. a
duzia.
Reloglos despertadores com fi-
guras em mo vi ment a 85 e 95000.
Aspas de ac para vestidos a 120 rs.
o metro.
Sargelim francez fino, diagonal, a
200 rs. de qualquer cor.
Crinolina de cordSo preta, branca*,
chumbo e c6r de caf a 400 rs. o metro.
Redes americanas para menino
ormir a 35500 e para homem a 65000 e
75000.
E muitas fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas na loja das
LISTRAS AZUES de
E era talvez para elle a
impuiidade.
Po
alerta.
libecdade, a
achava-se
T
o*, sem ten-
ma> teria for-
^Bo corpo
o as persas as
do miseravel, afim de paralysar-lhe os es-
forcos...
Montmayeur agarrou-o pela garganta, e
os seus dedos apertaram o pobre diabo
como urna tenaz.
Pagars pelos outros !
Precipitaram-se em soccorro do agente.
Fo com grande custo que o desvencilha-
ram.
Elle estava j suffocado.
Quando recuperou a respirarlo, alli-
viado i
Irra! disse elle, pensei que passava
desta para 1 melhor... Que terquez !...
Mas permita... isso nao se representar
mais.
E antes que Montmayeur podesse des-
confiar do que elle ia fazer, vo-se alge-
mado.
O criminoso quiz defender-se e torceu
os punhos.
Courlande apertou a chapa de ferro.
Montmayeur soltou um grito de dr.
O que bom toca a todos, meu ca-
ro senhor, disse o agente. A Eil-o agora
contrafeito. Eu nSo estava vontade an-
da ha pouco.
Jorge de Montmayeur continuara sem
sentidos.
Quando voltou a si, olhon com olhos
temos para todos que o rodeavam.
Naquelles olhos j velados pelas som-
bras da morte era difficil ver qual a emo-
9S0 que por elles passava.
Jorge repetio Claudina... Reco-
nhece-me ?
Reconheco-a Claudina, e amo-a.
O moribundo voltou-se para o juiz.
A8sim, perguntou elle,com singular
insistencia, todas as minhas palavras fo-
ram bem recolhidas pela justica.
Todas, senhor, esteja tranquillo.
Nnhuma formalidade foi esqueci
da?
S falta a sua assignatura no depoi-
mento.
Eila necessaria ?
NSo.
Mas quera, apezar de todo,
nar... porm .etttou tSo fraco, que nao
se terei vida para fazel-o.
Approxiniaram urna mesa da sus
trona. Collocaram-lhe urna penna moiha-
da entre oa dedoa. Elle apoiou
Novidades
Receberam modas de Pars
AZEVEDO, IRMAO & O.
16 Ra do B. da Victoria 16 (J
(Antiga Nova)
Lindas capas de surh, cachemira, me-
rino e renda o que ha de mais novo. Renda
comprimento de saia a 15000 e 15500.
Sargelim fino todas as cores 200 o co-
vado.
Baleias com forro a 240 a duzia.
dem com forro a 400 a duzia.
Bramante de linho com 10 palmos a
15500.
D to de algoclao com 4 larguras a 800.
Cortinados bordados a 55000 e 65000.
Ditos de crochet finos a 85000 e 105000
Estracto Rita Sangal a 25000.
Fichus de 13 e seda 15000, 15500.^
Capellas com veo bordado a 65000 e
75OOO.
MadapolSo gtobo a 75000.
Dito camiseiro a 75000.
Tapetes grandes para sof a 135000.
Espartilhos couraca a 45000 e 55000.
Brins de linho cdies fixes a 600.
Panos de crochet para cadeiras a 800.
Ditos de crochet para sof a 25000 e
35000.
Guardanapos de linho a 2r>500 a duzia.
Merinos de cores a 400 o covado.
Zefires largos a 160 e 200.
Setim maco a 800 e 900.
Toalhas para banho a 15000 e 15500.
MadapolSo com um metro de largura
a 65500.
Cachemira arrendada e de quadros
15500.
Crochet para cortinados a 700.
Toalhas felpudas a 35000 a duzia.
Camisas finas para homem a 335000.
Colxas de crochet com flores a 55000 e
95000.
Lindas velbutinasde quadros lisos ecom
listas proprias para veo.
Nanzuc finos a 240 covado.
Ditas finas a 200, covado.
Cretones finos a 400 o covado.
Caixas proprias para presente.
Palitos de palha seda cores a 95000.
Pao verde para buhar.
Leques de pennas.
Ditos transparentes.
Crinoline preta a 300.
GuarnicSes pretas e de cores.
Camisas de flanella de cores.
Seda crua de quadros a 800.
Crep inglez.
Meias brancas de seda a 45000.
Cachemiras de quadros a 280.
FustSo branco a360 o covado.
EsguiSo fino a 15500 a vara.
Casemiras para roupa.
Roupa feita por medida.
TELEPHONE200
O desengao Ir Ter
Jos Augusto Dias
Os dedos tremiam-lhe vio-
bre o papel,
lentamente.
l'areceu fazer um enorme esforco sobre
si mesmo.
Toda a sua vida empregou-se nesse es-
forz,
AssignouJorge de Montmayeur
com todas as letras.
A penna cahio-lhe da mSo.
Recostou-se na poltrona, a cabeca cahio-
lhe sobre o poito, e elle ficou immovel,
como que aniquilado pelo que acabava de
fazer.
Jorge, disse Claudina, volte a si!...
Ninguem poder exprobral-o pelo que_
fez... A sua consciencia, o seu dever, as-
sim o ordenavam... Amo-o e amal-o-hei
sempre. Jorge, olhe para mim, escute-
me... "
O corpo de Jorge cania cada vez mais;
os bracos cobservavam-se pendentes; os
olhos estavam tornos e sem brilho; os la-
bios entreabertos e completamente bran-
cos, de um branco acinzentado.
Claudina, que estava de joelhas ao p
delle, levantbu-se assustada.
Ao mesmo tempo Luciana encostava a
mSo testa do mancebo.
Ella estava gelada; o rosto achava-se
fri; as mos tambem fras, e se Luciana
nao ti vase amparado o corpo, elle cahira
da poltrona.
Jorge estava morto \...
Como havia dito, pagara com a vida a
sua accusacSo. Como havia desejado urna
noite, quando, com o cano de um revol-
ver, encostado fonte, quera por termo
existencia, nao morrera sem tornar-se til
a alguem.
A vida tinha sido pesada ao pobre mo-
jo. Nunca conhecera senSo o sorTrimento
e o desanimo.
. Para elle, verdaderamente, morrer era
a felicidad, e morr#a com o grito de
amor de Claudina repercutindo-lhe nos
ouvidos, descendo-lhe at ao fundo da al-
ma e acompanhando-o na eternidade I....
Claudina e Luciana ajoelharam-se para
orar. Choravam. Ambas tinham sido co-
e um raio de sol na vida do pobre
Haviam assignalado com a
19a o nico momento de felici
e tocara em partilha.
Aquelle triste desenlace nao poda
Famds baratas
Loja do Triumpho
Ra Duque de Caxias n. 4
Las fins com froco, a 320 rs. o covado
Ditas de quadros, bonitas a 300 rs.
Merinos lisos, 2 larguras a 560 rs.
Ditos la\ rados, 2 larguras a 700 rs.
Zafiros largos de quadros a 240 rs.
Drtos largos de quadros Anos a 280 rs.
Ditos bordados finos a 700 rs.
Etamine arrendada a 440 rs.
Dita de listas abertas a 400 rs.
Setins de tistrinhas a 660 rs.
Ditos da China 1 fantazia 1 a 240 rs.
Saias bordadas finas a 3000
Camisas bordadas finas para senhora a OOO
Cambraia branca bordada, a 44500 a pega.
Dita bordada de cor a 5t500 apega. '
Chitas escuras muito boas, a 200 rs. o covado
AlgodSo largo ( 10 metros), a 24500 a pega.
Dito dito de 20 jardas a 4*000
Toalhas acolchoadas grandes, a 44500 a duzia.
Redes inglezas grandes a 54000.
Guardanapos de linho, a 14800 a duzia.
Camisas de linho sem punhos e sem colarinho
a 34000.
Bramante de algodo 4 larguras, a 700rs. a vara.
Tapetes grandes para sof a 144000
Cortes de seda para collete a 44000,
Cortes de casimira ingleza a 44500
E outras muitas fazendas que se vendem mui-
to baratas 'para liquidar.
A' ra Duque de Caxias n. 49
Bastos tlbC.
zcr esquecer ao Sr. de Moraines o motivo
por que all se achava.
Montmayeur, vamos conduzil-o a Ver-
sailles, disse elle.
J0S0 nao replicn. Estava aterrado.
Aquellas accusac3es fulminantes, apoiadas
em provas, contra as quaes debatera-se
em vSo; o abandono em que se achava ;
a sua prisSo; a impotencia em que estava
de defenderse e de usar da sua forja para
matar e para morrer; a morte de seu ir-
mSo, que talvez lhe tivesse vibrado alguma
fibra do corajSo, porque esse irmSo evo-
cava-lhe a familia, as recordares da in-
fancia, tSo suaves e tSo enteroecedoras;
tudo juntava-se para destruir a sua exis-
tencia e aniquilar a sua energa; mas so-
bre tudo isso o pensamento de Luciana,
perdida para elle. Sabia certamen te que
era odiado, objecto de despiezo e de ter-
ror. Mas isso por ventura impedia-o de
amar ? Isso, ao contrario, nSo fkzia redo-
brar o seu amor, estimulando-o com todas
as impossibihdades em que estava de vel-o
retribuido? Sim, o miseravel, naquella
hora suprema e decisiva da sua vida, es-
quecia as aecusagoes, os seus crimes, a
morte de Jorge, para nSo pensar mais se-
nSo em Luciana.
A moBstruosidade dos seus crimes ha-
via-o afasta^o da humanidade; o seu amor
por Luciana approximava-o della. E o des-
espero do amor perdido, do amor impossi-
vel, foi tSo vivo, naquelle momento, que
os seus olhos molharam-se. Elle nao era
mais que um homem entSo, e o arrepen-
dimento, essa flor que nSo vive senSo re-
gada pelas lagrimas, o arrependimento
germinava na sua alma, distendendo-lhe os
ervos.
Ouvio? disse o juiz.
Sim, senhor, respondeu elle resigna-
do. Conduzam-me.
Urna ultima pergunta. 1.
Estou prompto a responder.
Diante do corpo de seu pobre irmao,
que morreu por causa de seu crime, mos-
tre-nos o seu arrependimento, confessando.
NSo satisfarei este pedido sent se
elle me for feito por outra pessoa que nSo
senhor...
quem ?
Luciana.
ni m cus
Ra Duque-de Caxias n. IOS
Vende-se bordados de cambraia 'jraafji
de 2 ly2 e 4 metros e urna chave de has-
gura a 500, 600, 800 e 15, muito fino, qualquer largura a 15400, e de fw^So, fe
700 a 15800 a peca.
Enxovaes para baptisados a 85, &)&
12^000.
Lindos enfeites para penteadoe PUL
200, 300 e 500 rs. um.
Lindos granpos para segurar chapos.
Renda hespanhola a 25500 o covaA.
Pulseiras americanas para 35, 45, SA
65 e 85000 o par. ,
Guarnieres americanas a 35000.
Lindos espartilhos a 45, 55 e 65008.
Porta dedaes de vidro, objecto para pre-
sente a I5OOO.
Broches de fantasa de 500 a 15008.
dem americanos de 25 a 35000.
Lengos de seda de 500 rs. a 15500.
Lublaque a 200 rs. o par.
GuarnicSes de crochet, sendo m jtze*
sof e 4 para cadeiras por 6$000.
Finas capellas de pellica, panno e o3c^
com finos veos.
Flores artificiaes a 15000 o rama.
Anneis americanos a 25000.
Plisss de 400 a 15000 o metro. .
Luvas de seda arrendadas e bordaAas
a 25 25500 o par.
Bicos brancos de linho e de cores a 9tfL
25500 e 35000 a peca.
Contas de cor para enfeitar vestidas
700 rs., e pretas a 600 rs. o massq.
Missangas de todas as cores.
Lindos leques brancos para noiva.
Collarinhos e punhos de borracha-
Colchas de" crochet para casamento ama
85000.
Talheres para crianga a 800 rs.
Luvas de pellica a 25500 rs. o par.
Linhas de cores para crochet a "2(5008 m
cor de creme a 15500.
Luidos leques de papel de 500 eco
15000.
Espelhos com fina moldura, com doos anV
mos de eomprimento, a 45000 e can oa
a 500 re.
Finos binculos.
Agulhas para bordados a ouro e ssan-
*** ,
Lindas franjas douradas para facha, da
seda preta e de cores, sem e com vk-
lhos.
TimSosinhos enfeitados de bieo e
Grande sortimento de fitas mod
13 deMaio, Imperial Regente, a Miriu
o e a JoSo Alfredo.
Lindas fitas para facha a 25, 25508 o
35500 o metro.
Carteras de chagrn para algibeira.
Finas gravaras plastroes e regatas a IA.
15200, 15500 e 25000.
Lindos porta-ps de arroz.
Grande sortimento de jarros para enfi-
tarconsolos e sanctuaros.
Completo sortimento de perfumaras-
Finos sabonetes de todos os fabrieaates-
Grande sortimento de alfinetes doctraic
para enfeitar o penteiado e tambem gao-
pos muito lindos.
N. B-D-se amostras de bicos e MaV
dados. 1
t
I
m
Vinho de Collares especial c
da Madeira
Em decimos e caixa de duzia, tem para
der Joaquira da silva Carneiro. largo do
Santo n. 13, i andar.
Cimento Portland
Vendem Soares de Amaral Irmos, i 1
Madre de Deus rf. 22.
Boyal
WliSEf
Blend marca YIAM
Este excellente Whisky Escoces |
ferivel ao cognac ou aguardeate de a
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca
cujo nome e emblema sSo registrados
tolO Brazil.
BROWNS & C, ageules.
Levantou-se, enxugou os olhos e ol
para o Sr. de Moraines, esperando
elle se pronunciasse.
Consinto, disse o juiz.
EntSo, Luciana:
- JoSo, confesse! disse ella simpfee-
mente.
Ordena-o ?
Pejo-lhe.
E' ao seu pedido que atteudo. Gttt-
fesso ter assassinado Bourreilje e h*vp-
lhe roubado cincoenta mil francos. C#s-
fesso ter tentado envenenar Claudina caaa
arsnico.
Finalmente murmurou Coorlaae
com um suspiro de satisfacSo e um olkar
de triumpho.
Era o primeiro negocio seu que lograos
bom xito. O Caipora va realizado osesi
sqnho.
O Sr. de Moraines parti. Courlaada
e o agente mantinham-se ao lado de MaaA-
mayeur.
Este, antes de sahir, olhou para Lm-
ciana.
Mas a moca havia tornado a ajeelhar-*B
junto do corpo de Jorge. NSo o vie.
Montmayeur abaixou a cabeca e atsat-
panhou Courlande.
X
O processo de Montmayeur nSo fst oc
demorada instraccSo.
Kn retanto os acntecimentos da Ombv
muna e do segundo cerco de Pariz vieaajjc
retardal-o por algumas semanas.
Doriat tinha sido mandado novaasaar
para Versailles quando as prisSes
ram receber presos civis.
Deviaera ajeivoltar ao jury e
julgado ao lado de Montmayeur, o
deiro culpado.
Mara Doriat nSo pudera tornar a
Escrevera-lhe diversas vezes, mas em a
nhuma das suas cartas ousara fallar-lbeAs
seuB filhos.
(Continuar-te-haj
Typ.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZNEGB0YV_VHE0BE INGEST_TIME 2014-05-22T21:50:46Z PACKAGE AA00011611_17444
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES