Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17402


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXV NUMSBO.*?-
A CAPITAL E LUGARES 0\DE NAO SE PACA PORTE
Por tres mezes adiantados............... 600
Por .seis ditos idem........ ,.....
Por um armo idem................ 230OOC
Cada numero avulso, do mesmo dia. ....... 0100
MA-KEIM 2 DE JANEIRO DE 1889
PARA DENTRO E PORA OA PROVINCIA
Por seis mezea adiantados.............. ^>
Por nove ditos idem............... 200000
Por nm anno idem................. 270000
Cada numero avulso, de das anteriores ..... #100
DIARIO DE PERNAMBCO
Troprieade de Manoel dHxjueirva de diaria Silfos

-
-

TELEGRAMAS
saavig: :m:::iLi so biasio
RIO.DE JANEIRO, lUe Janeiro, s
7 hra's da noite (Recebido s 6 horas da
manliX de 20)
Foi nomeado juiz municipal e de or-
phJtos do tormo de Santa Victoria do Pal-
mar, no Rio Oran de do Sul, o hachare 1
Manoel d Senna Costa Feitosa.
RIO DE JANEIRO, 21 de Janeiro,
s 3 horas e 55 minutos da tarde.
Foram noineados juizes municipaes e de
orphSo3 :
Do termo de S. Vicente Ferrer, na pro-
vincia do Maranh&o, o bacharel Raymun-
do Honorio da Silva ;
Do termo de Canguaretama, na provin-
cia do R Grande do Norte, o bacharel
Jos Alexandre de Ainorim Garcia.
Foi agraciado com o titulo de Bajao
de Iporanga, o depntad geral por S.
Paulo, Geraldo Ribeiro de Souza Re-
zende.
Sob proposta do ajudante general
do excrcito, 'ser submettido conselho
de investigacao e de guerra o coronel Ma-
dureira, pelo facto de ter desrespeitado o
mesmo ajudante-general em artigo publi-
cado no Paiz de 14 do corrente:
Seguiram para o norte no paque-
te nacional, que hontem parti, o presi-
dente nomeado para a provincia do Ama-
zonas e o desembargador Domingos Alves
Ribeiro. a
----------------------------------

:-:::: ja s:;:: savas
PARS, 19 de Janeiro.
Dirigindo-sc aos operarios do departa*
ment do.Sena o general Boulanger pu-
bcou una otrta-manifest na qual decla-
ra repellir a dictadura.

LONDRES, 21 de Janeiro.

Telegrammas da Australia annunciam
que na liba de Samoa as tropas de desem-
barque dos navios de guerra allemaes ar-
rancaram abandeira norte-americana, pren-
deram alguns subditos norte-americanos e
um dos navios da esquadra alleina dispa-
rou tiros de peca contra um navio inglez.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
21 de Janeiro, de 1889.
insTRncgio popular
AS I.RMIES INICIES
ANTGAS B MODERNAS
KAS
Sciencias. industrias e artes
POR

i
A iniprfimn
(Continuacao)
0 primeiro prelo mechanico foi inventado em
790porum machanista inglez, chamado Ni-
diolson.
Compe-sc a machina d'uma roda posta cm
iiiovimcnto pelo vapor. Urna correia transmute
o inovimcnro roJa. Esta engrena com a gran-
de roda dentada que est por cima, e esta com
a (fue tem prxima (l). A estas uas rodas,
com todos os cylindros a que esto presas, pois
imprimido um movimento de rotaco' urna
mesa muito plana e direita, em que se collocam
as formas, isto, as paginas competentemente
impostas, recebe da roda um movimaito horison-
tal de vaivem. Quando a margem da folha de
pa vel brinco, impellida pelo operario que a enL
costa a tres cylindros rotatorios, os qmfes a
leuim para cima do cylindro.vem passar sobre
. mesa, encontra a borda d'uma forma prepara-
ba com tinta, a qual caminha no mesmo senti-
ble inaneira que, por este contacto e pela
sao. vai o papel totalmente impresso.
"las aindano na seno um lado dafolhkiiu-
-so. Bis como se foz a impres3o do outro.
(guando a folha est impreca d'um lado, tjte,
uiantido por algumas titas, enrolase na s>
docvrnlro, com o lado em branco poi
lo em branco enrola-se depois na sope
d'um rolo, e o lado impresso tica porta
fora. Em fira este lado impresso enrota-se tan.
bem a um outro rolo, e o lado em branco tica
por Vira para receber a impresso de urna s< -
!a forma cujo movimento de vai-vem depea-
la rotago do cylindro.
1 m engenhosc jogo de fitas manlem, como ja
inos, a folha depapel enrolada nos cylin-
dro-, e fal-a passar de um para outro. Em tlm
propria machina queda tinta as formas por
* eio de um systema especial de rolos.
uilla duas machinas que se chamam de reacco
porque tiran d'uma vez dous ejemplares. A
forma s se ditlerenca da outra machina em esta
iiar repetida simtricamente. No cofre ha
duas formas e dous marginadores, em vez d'om,
apresentam para cada urna dellas urna folha, o
que nroduz una ttraeem dooble.
Ha machinas d'impressito que ramat seis mil
exemplares por hora ; taes sao as modernas ma-
chinas de Marinoni as quaes se podem imprimir
os peridicos poltico e os noticiosos de grande
tiragem. Para obt;r este resultado fazem-se
dous, quatro e alguraas vezes ate oito moldes ou
clichs, isto reprotluzse, gcralmente por meio
da steriotypia, dua.s, quatro ou seis vezes a
niesma forma. Estes elicks reproduzem-se com
immensa rapidez, podendo ohter-se mela hora
depois de composta a forma. Adoptam-se com
facilidade a uus cylindros, verifleando-se em
seguida a impressao simultanea de todos elles
sobre outras tantas J'olhas de papel,
Depois de feita a firagem, isto o numero de
folhas necessarias, segundo os exemplares de
que constar a obra, levantam-se as fimas do co
fre, lava-se a composigSo. desaperlam-se, e vol-
ta para as mos dos compositores que dtstribuem
as letras e mais matt rial nos caixotms respecti-
vos. Durante os ltimos seculos a impreusa era
a arte de fazer livros com estampas, formosos
caracteres e sem erratas.
A importancia d'um livro n3o estava tanto no
assumpto de que tratava, como na parte artstica
do mesmo: se estava l>em impresso, nao se. exi-
ga mais nada.
' Desta forma publioaram-se urna grande qan-
tidade do obras sob;-e alchimia, magia, artes de
encantamentos, chronicas escandalosas etc. Iloje
ea^dia o flm da impresa inteiramente dis-
tincto, occcfpando um lugar secundario debaixo
do ponto de vista artstico. A imprensa hpje
um ineio de accio rpido e econmico para trans-
mittir o pensamento c attender as diversas ne-
cessidades sociaes.
Contiuua).
Jos Cordoso Jnior e o Barao de Tapu-
jos.
Fa exonerado, a pedido, do cargo
de presidente desta provincia o bacharel
Francisco de Paula Prestes Pimentel.
Por despacho de % do corrente mes fo-
ram agraciados com os seguintes graos
da ordem da Rosa :
Gra-Crnz: Faye e Dr. Brown Se-
quard, membros da Instituto de Frenc^.
Dignitarios : Bellet, vice-consul do
Brasil em Nico; Francois Chambolle, di-
rector das Messagerie Maittimes ; e gene-
ral de brigada O' Brugre, ckefe da casa
militar do presidente da Repblica Fran-
(i) Quando a machina no movida a vapor,
vai unida a roda dentada, e formando corpo com
ella, urna outra grande roda chamada volante,
^ue movem a braco um ou dous operarios por
meio d'uma manivella.
Ministerio do imperio
Foi elevado a visconde com grandeza e
Barao de Arinos.
Fez-se merce do titulo de conselho
ao Barao de Guahy, ministro da marinha,
e ao Dr. Francisco de Assis Rosa e Silva,
ministro da justica.
Por despacho de 2 do corrente raez
foram agraciados com os seguintes graos
da ordem da Rosa :
Gra-Cruz.A. Bazile, prefeito de Mi-
13o.
Dignatarios. Cesar Catu, d Mil&o;
Luigi Palmieri, professor em aples Ca-
polline, reitor di Universidade de Bolo-
nha ; Edelsheim, Holzlg Hohlen Hal-
bach, Conde Andlaw e Barao de Gem-
tftingen, residentes em Badn.
Goamendadoros.Dr. Antonio Santo-
gotino e professor Verga, residentes em
Millo ; Caetano Negri, syndico de MilSo ;
professores Gioseu Carducce, residente
em Bolonha ; e Paulo Montegasse residente
em Floren?z Ernesto Naclerio, vicecn-
sul do Brasil em aples ; J. V. Debbnn-
n, cnsul geral do Brazil no Egvpto ; Mr-
quez Cario Ginori, director aos museus
reaes da Italia; Barao do Farincourt, go-
vernador de Monaco ; Conde Codrouchi,
re-sidente em Bolonia ; Grosny, prefeito
da Saboia; Leopoldo Bejio, vice-consul
do Brasil em Veneza ; Dr. Bruno, profes-
sor, em Turim ; Conde A. de Guberna-
tis, residente em Florenca; e Baldnino,
residente em Genova.
Officiaes:J. Cavallueci, vice-director
do instituto real da Bellas-Artes da Ita>
lia; Felice Franceline, presidente da aca-
demia real das Bellas-Artes da Italia;
Rudolph Von den Tann, secretario da le-
gacio da Baviera junto ao rei de Italia ;
Carlos Mazzoni, vice-consul do Brasil cm
Millo; e
Gustavo Saige, residente em
Monaco.
Cavalleiros:Guiseppe Noghera. resi-
dente na Italia; Dr. Georgetti Angelo,
inspector da seguranca publico, na Italia ;
Frederioo Frascani, director de Correio,
na Italia; Augusto Sasse, Augusto Go-
retti e B. Piecioli, residentes em ap-
les.
Por decreto de 12 do eorrente mez :
Fez se merc : do titulo de Bario de
Lavras a Joao Alves de Gouveia, e do ti-
tulo de conselho ao Dr. Josa Eduardo
Freir de Carvalho, deputado geral.
Foram agraciados :
Com a commenda da ordem de Nosso
Senhor Jess Christo, o padre Jos Paes
de Azevedo Mello.
Com a commenda da ordem da Rosa,
Jo3o Jos de Amorim e P. Christophen-
sen, subdito dinamarquez, residente em
Buenes-Ayres.
Com o grao de official da mesma or-
dem : Joao Feliciano Das da Costa, Can-
dido Matheus de Faria PardaT.-e Manoel
Valente Lisboa.
Com o grao de cavalleiro da mesma
ordem : Joao Bdptista de Mello' c o subdi-
to italiano Cesar Eboli.
Foi transferido do 3o para o Io lugar de
vico-presidente da provincia do Paran, o
Barao de Serr Azul, e nomeados para o 2o
lugar, o Dr. Jos Pereira dos Santos An-
drade, e para o 3o o brigadeiro Manoel
Ferreira Ribas.
Foram transferidos para o 2, 3o e 4o
lugaros de vice-presidentes da provincia
do Amazonas, o padre Raymundo Aman-
do de Miranda*, o capitao Thomaz Luiz
Sympson e o tenente-coronel Joaquim
Ferris Gomes que oceupavam o 3o, 4
e 5o lugares, e nameado para este ultimo
o padre Jos Henrique Flix da Cruz Da-
cia-
Foram nomeados 1 e 2o vice-presiden-
tes da provincia do Para, o senador Anto-
nio Joaquim Gomes do Amara! e o bacha-
rel Joio Polycarpo dos Santos Campos,
sendo exonerdos o conselheiro Francisco
ceza.
Com mandadores :Henry, preteito dos
Arpes Martimos! P. Leroy Beaulieu-
membro do Instituto de Franca, t Bisho-
pshein, residente em Nice.
Officiaes :Ernesto Michel; Conde de
Chazelles ; e E. Gambart, residente em
Nice ; Dr. Vidal, residente em Aix-les-
Bains ; tenente-coronel Komprosbs ; com-
inandante Chamsn, e commahdante Foul-
za, da casa militar do presidente da Re-
publica Franccza.
Cavalheiros :H. Marcy, residente dm
Nice ; o Dr. S. Mallassez, do coflegio d
Franca.
.Foi agraciado com a gra-cruz da or-
dem de Christo o arcebispo de Ottranto
Fr. Gabriel da Barra de aples, major
honorario do excrcito, que durante a guer-
ra do Paraguay prestou relevantes servi-
Os ao Brasil, acompanhandp O'exercito
brasileiro. _
*.-
Rioisterio da 4uJl?a
Foi nomeado juiz municipal e de or-
phaos do termo do Catle do Rocha, na
provincia da Parahyba, o Bacharel Diogo
Carlos de Almeida Albuquerque.
Foi nomeado juiz substituto da capi-
tal de Goyaz o bacharel Julio Cezar de
Moraes Carneiro.
Continuam a servir como juizes substi-
tutos dos respectivos juizes de direito, os
juizes munipaes dos seguintes termos de-
clarados comarcas ospeciaes :
Da comarca de Limoeiro, em Pernam-
buco, o bacharel Eduardo Correia da
Silva.
Da de Palmares, da mesma provincia,
o bacharel JTroncisco dajCjosta Maia Fimo.
Da de Vlela, no RJo de Janeiro, o
bacharel Manoel Ramos Moncorvo.
Da de Mag na mesma provincia o ba-
charel Antonio Geraldo Teixeira.
Dado Rio Claro, em 8. Paulo, o ba-
charel 'Delfino Carlos Bernardino da Silva.
Da de Sorocaba, na mesma provincia,
o bacharel Thomaz Eurico Gomes.
-Da de Lorena, na mesma provincia, o
bacharel Vicente de Moraes Mello Jnior.
Da Parahybuna, em Minas-Geraes, o
bacharel Adeodato de Andrade Botelho.
Rlaisterlo da Guerra
Por deereto de 12 do corrente, foram
transferidos para a 21 classe do exercito,
de conformidade com a immediata e im-
perial resolucao de 1 de Abril de 1871,
tomada sobre consulta do Conselho Supre1
mo Militar, o 2 cirurgiao do corpo de
saudc, Dr. Antonio Jos Pinheiro Tupi-
nambo e o tenente do 19 batalhSo de in-
fantaria Polycarpo Lopes da Fonseea, fi-
cando aggregados ao corpo e arma a que
pertencem, visto terem sido julgados in-
capazes do servido do mesmo exercito,
em nspeecao de saude a que foram snb-
mettidos.
Ministerio da Justiea
Por decretos de 12 deste mez foram refor-
mados : ,
O Io tenente da armada Gaspar Pinto
Fres de Azevedo no mesmo posto e com
o respectivo sold na forma do alvar de
15 de Dezembro de 1790, visto contar
mais de 25 annos de servigo e soflrer de
molestias que o impossibilitam de nelle
continuar.
O mestre de 2* classe do corpo de ofi-
ciaos marinheiros da armada Jos Thomaz
Maria da Silva com o sold que ora per-
cebe, e na 1' classe nos termos da 2* hy-
pothese do alvar de 16 de Dezembro ae
1790. visto contar mais de 30 annos de
servic^) e ter sido julgado incapaz de nelle
continuar.
Ci ve rao da Pro vi u ti a
DESPACHOS DA PRKSH>ENCIA DO DIA 19 D-
JANEIRO DE 1889
Antonio Carlos Ferreira da Silva.In-
forme o Sr. regedor do Gymnasio Per-
nambucano.
O mesmo.Concedo.
Antonio Elias de Souza.Prove o pa
rentesco.
nna Rabello.Satisfaja as exigencias
legacs.
Cesar"^anumii d> Nascimento:Con-
cedo.
Fielden Brothers.Deferido cora, officio
de hoje aoThespuro Provincial.
O mesmo.dem.
Joanna Carolina de Araujo Figueiredo.
Indeferido.
Maria Emilia de Figueiredo Casanova.
Nao ha vendo vaga, nao ha que defe-
rir.
Manoel Joaquim de Avellar.Indefe-
rido.
Theophilo Xavier Cavalcante de Albu-
querque.Informe o juiz municipal do
tormo de Palmares
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 21 de Janeiro de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
LE N. 1,934
O Desenibargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente da provincia de Pernambuco :
Faco saber a todos os seas habitantes que a'Asserabla Legis-
lativa Provincial decretou e cu sanecionei a resolucao seguinte .
Art. 1." Fica o presidente da provincia autorisado a abrir o
crdito supplementar necessario s verbas dos %% 1 e k do art.
f d re n. 1884 at a conclusao da 1* sessSo ordinaria da actual
legislatura c a elevar com as sommas seguintes os $ 2. 5o, 7o,
i" e 6!i" c!u mesmo artgo da suppracitada le.
2. 1:588/000
5. 3:rj5*171
7.' 7:919.181
62." 1:043*700
6S. 37:077*062
Art. 2 Ficam revogadas as disposices em contrario.
Maudo, poilanto, a todas as autoridades a quem o conheci-
menfo e execucSo da presente resolucao Dertencer, que a cum-
pram c facam enmprir tao inteiramentejcwno nella se contem.
<0 secretario interino da presidencia desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr. .
Palacio da presidencia de Pernambuco em 22 de Desembro
do 1888, '7o da independencia do imperio.
%, K Joaql'iM Jos d'Olivewa Andrade.
Sellada e publicada a presenU; resoluefto n'esta secretaria da
pi-esidencia de IHjrnambuco. aos 22 de Dezembro de 1888.
0 secretario interino,
Manoel Joaquim Silteira,

j LKI N. 1951
0 Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente da provincia de Pernambuco :
.Faco saber a todos os seus habitan tes^ que a Assembla Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanecione a resolusao seguinte:
Art. Io Pica Bupprimido o lugar de censor de Gymnasio Per-
nambucano e creados mais dous lugares de monitores, immedia-
tos do regedor, sob as vistas e direccSo deste, no que diz respei-
to ao servigo interno, polica e disciplina db estabelemento,
continuando os actuaes a incumbir-se da vigilancia dos alumnos
em todos os seus movimentos,
Ji.* Os lugares de monitores. serao prvidos pelo regedor,
inte contracto, devendo a provisao recaiiir em pessoas de
sua Inteira confianca, e que tenham reconhecida moralidade^e
criterio.
| 2 Recebero todos do Thesooro' Provincial os mesmos ven-
cimentos marcados na. tabella, sob n 2, anseja ao regulament
de 12 de Margo de 1888. _,
| 3." Quando impedidos por qualquer motivo ou licenciados
pe regedor at dous mezes, terao direito 4 metade da gratilica-
go, Ccaudo a outra metade para aquelles que os substiturem.
,| 4." No regulament de 18 de Janeiro do corrente anno, ti-
tulcj-Vlll capitulo XVIU art. 260, supprimam-s as palavras -
fuucionando a noite. ,
% b" No regulament do Gymnasio Peroambucano de 12 de
Marco do corrento auno, capitulo 11,-seccao 111 art. 30 3" sup-
priraim-se as palavrasos da aula primaria nada pagarao.
No capitulo 3o art. 39 3o accrescente-sc-^eftieole para 01.
alumnos internos.
Art. 2o Revogam-se as disposiges-em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conheci-
mento e execugao da presente resolugao pertencer, que a cum-
pram e fagam cumprir to inteiramente como n'ella se contem.
O secretario interino da presidencia d'esta provincia a faga
imprimir, publicar e correr. -__ ,
f lacio da presidencia de Pernambuco cm 26 de .TeiembM
l,"67 da independencia e do imperio.
S Joaquim Jos tfOCivbira ASdram:.
_ -j^ellada P p.iblieada o presento rosoluc&o nosta srcretaria da
presidencia de Pernambuco, aos 26 de Dezembro pe 1888.
O secretario interino.
Manoel Joaquim Silveir.
LE! N. 1,956
0 Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente da provincia do Pernambuco.
Fago saber a todos os 6cus habitantes que a Assembla Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolugao se-
(Tilinte '.
Art l" 0 regulament expedido em 19 de Jullio de 1887, para
arrecadago do imposto de dizimo, ser approvado com as se-
guintes alteragoes :
0 art. Io fica substituido pelo seguinte :
0 imposto de dizimo sobre o gado vaceum, cavallar e muar
sera deduzido annualmente da apanha ou producgSo total de cada
especie, na razao de urna por dez crias, sem condiegao de sexos,
ou em numerario, escolha do fazendeiro, servindode base o va-
lor que o gado estiver gozando no municipio, e respeitando-se o
actual contracto.
0 art. 2o ser concebido nos seguintes termos :
A obrigacao ao dizjmo restricta ao gado vaceum, cavallar
ou muar, collado nos campos de criaco, licaudo isento de seme-
lhante obrigagao o produzido nos campos de agricultura.
Ao art. 7o, depois das palavras sua revelia accres-
cente-se sendo avisado o fazendeiro para sua sciencia e recla-
magOes eliminando se o mais que nelle se acha.
Ao art. 10 accrescente se entre as palavras < art. 8 c re-
correr a palavra 7 < Bcando assim arts. 7o e 8
recorrer. ...
Ao art. 13, depois da palavra vaqueiro se diga se
n'isto convierem. 0 mais como est.
Ficam eliminados os arts. 13, 14 e 18.
Ao a|t. 17 | l depois da palavra Outubro accres-
cente-se e Novembro.
Art. 2 Ficam revogadas as disposiges em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conhcci-
mento e execugao da presente resolugao pertencer, que a cum
pram e fagam cumprir to inteiramente como n'ella se contem.
O secretario interino da Presidencia desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 26 de Dezembro de
1888, 67 da independencia c do imperio.
L. S. Joaquim Jos D'OuvBnu Andrade.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria da
Presidencia (!e Pernambuco, aos 26 de Dezembro de 1888.
0 secretario interino,
Manoel Joaquim Silreira.
LE N. 1,957
0 Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes que a Assembla Le-
gislativa Provincial, decretou c eu sanecionei a resolucao se-
guinte : ....
Art. Io Fica o presidente da provincia autonsado a conceder
ao chefe da secretaria da presidencia, bacharel Henrique Alfonso
de Miranda Leal dous annos de licenga, com ordenado, podendo
sozal-a fra desta provincia.
Art 2o Sao revogadas as disposigOes em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conheci-
mento e execucSo da presente resolucao pertencer, que a cum-
pram e fagam cumprir tao inteiramente como n'ella se contem.
O secretario interino da Presidencia desta prouincia a faga
imprimir, publicar c correr. !.'.''-! .
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 29 de Dezembro de
1888, 67 da independencia e do imperio.
L. S. Joaquim Jos d'Oliveira Andbade.
Sellada e publicada a presente resolugao n'esta secretaria da
presidencia de Pernambuco. aos 29 de Dezembro de 1888.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveir.
tB N. 1,958
O Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente, da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes que a Assembla Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolugao se-
guinte : ...
Art. !< Fica creada urna cadaira mixta de ensmp primario no
povoado do Cachorro, do termo d Brejo da Madre de Deus.
Art. *> Ficam revogadas as disposiges em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conneci-
raento e execugao da presente resolugao pertencer, que a cum-
pram e facarc. cumprir to inteiramente como n ella se contem.
0 secretario Interino da Presidencia desta provincia a faga
imprimir, publicar correr. ,
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 31 de Dezembro de
1888, 67 da independencia e do imperio.
L. s. Joaqcm Jos d'Oliveira Andrade
Sellada e publicada a presente resolugao n'esta secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos 31 de Dezembro de 1888;
0 secretario ntenno,
Manoel Joaquim fi/i-eira.
LE N. 1,959
0 Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todes os seus habitantes que a Assembla Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolugSo se-
guinte :
Art. 1 Fica creada urna cadeira mixta de instruego prima-
ria no povoado de Camossim, 3 districto da comarca de Bezerros.
Art. Ficam revogadas as disposices em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conheci-
menlo e execugao da presente resolugSo pertencer. que a cum-
pram e fagam cumprir tfo inteiramente como n'ella se contem.
0 secretario interiuo da Presidencia desta provincia a faga
imprimir publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 31 de Dezembro de
1888, 67* da independencia e do imperio.
L. S. Joaquim Jos d'Oliveira Aidrade.
Sellada e pnblicada a presente resolugao n'esta secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos 31 de Dezembro de 1888.
LE N. 1,960
O Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente da provincia de Perdambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes que a Assembla Le
gislativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolugao se-
guate
Art. I* Fica creada urna cadeira mixta no povoado Cajueiru
de Goyanna.
Art 2o Revogam-se as disposiges em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridade, a quem o conheci-
mento e execugao da presente resolugao pertencer, que a enm-
pram e fagam eumprir to inteiramente como n'ella se contem.
O secretario imerino da Presidencia desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
('alacio da Presidencia de Pernambuco, 31 de Dezembro de
1888, 67- da independencia e do imperio.
L. S. Joaquim Jos d'Oliveira Andrade.
Sellada c publicada a presente resolugao nesta secretaria da
Presidencia de Pernambuco. aos 31 de Dezembro de 1888.
O secretario interino,
Manoel Joaqum Silveir.
LE N. 1,961
O Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade. presi-
dente da provincia" de Pernambuco
Fago saber a todos os seos habitantes que a Assembla Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolugao se-
guinte : ,
Art. 1 Fica o presidente da provincia autonsado a conceder
tres "mezes de licenga, com ordenado, ao bacharel Alexandre Ber- *
nardino dos Res e Silva, empregado na Recebedoria Provincial
Art. 2. Ficam revogadas as disposiges em contrario.
Mando, portanto a lodas as autoridades a quem o conheci-
mento e execugao da presente resolugao pertencer, que a cum-
pram c fagam cumprir tao inteiramente como n'ella se contem.
O secretario interino da Presidencia desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco. 31 de Dezembro d?
1888, 67- da independencia e do imperio.
L. S. Joaquim Jos d'Oliteira Andrade.
Sellada e publicada a presente resolugao nesta secretaria da
Presidencia de Pernambuco aus 31 de Dezembro de 1888.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveir.




*-
LE N. 1,962
d'Oliveira Andrade,
presi-
0 Desembargador Joaquim Jos
dente da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes que a Assembla Le
gislativa Provincial decretou c cu sanecionei a resolugao se-
{ruinte : ,
Art. I.1 A Cmara Municipal do Recife autonsada a conce-
der licenga com ordenado ao chele da Repartigo de AferigOe.-
Joo Duarte Carneiro da.Cunha Gama, ao fiscal da frcguezia de
Santo Antonio, Jos Augusto do Reg, ao guarda municipal An-
tonio Leopoldo da SilvaGumares e ao amanuense do cemiterio
de Santo Amaro, AntODio Lins Caldas.
Art. 2 Sao revogadas as disposiges em contrario
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conheci-
mento e execugao da presente resolucao perrencer, que a cum-
pram e fagam cumprir to inteiramente como n'ella se contem.
O tutano iulerino da Presidencia desta provincia a fag>
imprimir, publicar e correr.
Palacio dM Presidencia de Pernambuco, 31 de Dezembro cL-
18*8, 67 d* independencia e do imperio.
L. S. Joaquim Jos d'Oliveira Andrade.
Sellada e publicada a presente resolugao nesta secretaria
Presidencia, aos 31 de Dezembro de 1888.




':

da
.* |
Y
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveir.
LE N. 1 963



O Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes que a .Assembla Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolugao se-
guinte : ...,.
Art. 1." Fica creada una cadeira mixta de nstrucgo prima-
ria no povoado do Mocosinho da freguezia de Timbauba.
Art. 2." Ficam revogadas as disposiges em contrario.
Mando, portanto a todas as autoridades, a quem o conheci-
raento e execugao da Dresente resolucao pertencer, que acumpram
e fagam cumprir to inteiramente como n'ella se contem.
0 secretario interino da Presidencia d'esta provincia aJag;*
imprimir, publicar e correr.
Palacio da Presidencia de rernanibuco, 31 de Dezembro de
1888, 67' da independencia e do imperio.
L. S- Joaquim Jos d'Olitkuu Andrade.
Sellada e publicada a presente resolugao n'esta secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos 31 de Deze-mbro do 1888.
0 secretario interino,
Manoel Joaqpim Silveir.
-

Le
se-
LEI N. 1,9*4
O Desembargador Joaquim Jos d'Oliveira Andrade, presi-
dente da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos 03 seus habitantes que a Assembla
gislativa Provincial decretou e eu eanccionei a resolugao
guinte : ,
Art. 1.a 0 presidente da provincia autonsado a conceder
um anno. de licenga com ordenado a Jos Torres Campos de Me-
deiros, empregado na Recebedoria Provincial, e Theophilo Xavier
Cava'canti, monitor do Gymnasio Provincial.
Art. 2. Ficam revogadas as disposiges em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conhcci
ment e execugao da presente resolugSo pertencer, que a cum-
pram c fagam cumprir to inteiramente como nella se contera.
O secretario interino da Presidencia desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 3*de Dezembro de
1888, 67- da independencia e do imperio.
L. S. Joaquim Jos d'Oliveira Andrade.
Sellada e publicada a presente resolugao nesta secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos 31 de Dezembro de 1888-
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveir.
m~
LE N. 1,96o
d'Olive Andrade, prcsi-
sembla
Le-
e-
0 Desembargador Joaquim Jos
deute da provincia de Pernambuco.
Fago saber a iodos os seus habitantes que a Assembk-a
gislattoj Pronncil, decretou e eu sanecionei a resolugao
guinte : v
Art. 1.' Fica o presidente da provincia autorisado a npmear
independenle de concurso para qualquer cadeira desta caPibu os
professores particulares provisionados pela InstrucfiSo Publica,
que tenham sido approvados em 4 preparatorios, peto/. menOi.
prestados em qualquer estabelecimento de instruegao' secundan.,
do iflalerio e que hajam exercido o magisterio nesta cidade por
mais de 10 annos.
Art. 2. Ficam revogadas as disposiges em co.itrano.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem ocontieci-
ment e execugao da presente resolugao pertencer, que a cumpram
e fagam cumprir to inteiramente como n'ella se conwm.
0 secretario interino da Presidencia d'esta provincia a iaga
imprimir, publicar e correr. ..
Palacio da Presidencia de Pernambuco, em 31 de Dezembro a.
1888. 67* da independencia e do imperio.
L. S. Joaquim Jos d Oliveira Andrade-
Sellada e publicada a presente resolugao n'esta secretaria aa
Presidencia de Pernambuco, aos 31 de Dezembro de 1888.
0 secretario interino,
Manoel Joaquim Silveir.


*
Diario e ltetmambuco---TerQkira 22 de
o e J*ti9>

KXPBnWKTirDO OTA 3 DE JA**nW' OE IBW
0 presidente da provincia resorte exooe
rar, a pedido, Leopoldo-Bassoni de Oliveira An
dratle, do cargo de ovneit de gabinete do pre-
sidencia da proviucia<-*8Bmnnicou.se ao TUe-
souro.
Officios : .; ". .
Aos presidentes das provincias.- Tenho a
honra de comniuaicar a V. Exc. que nesta data
prestei juramento peeaiHa.a Um^i do Recite e tomei pjiiljill. ilirggyplMid!
desta provincia ciidriirfl '
trege pe'0 Exm "nbs*lor JJoaftta
de Oliveira And rada.
Aprsenlo a V. HutanaMlprotestos MK
e consideracSo.
Aos consules.vjfliimBMcaaB Sr. non:
........que nesta*iu tatai pase iw*a
de presidente destaopooviHto
nomeado por carta ajpaciaiisie
lindo.
Aprsente ao Sr. cnsul os protestos de miuna
perfeita estima e distincta eonsideraco.
I a o cooaelheiro presidente do Tribunal da
Relaco do Recite. -Sirva-se V. Exc. de infor-
mar me se effectivamente subi para esse Tn-
hun-il ifplliMJ" in'^TP"*^ ua.seuleagado .ni;,
rv do termo dcPloreta, em virtude da qnafro?
Antonio Flix do Monte condemnado a pena de
pals perpetuas em 30 de Mate de HB.
Ao inspector da Thesourana de Fazenda. -
Commnoieo a V.'.rpara os tins convenientes que
o juiz de direito-da eotmrra de-tagazeira hacha -
rei Levino Vieira de Macedo Lima, reassumio
no dia lOdc Bezembro Ando otxercieio de seu
cargo.
Na mesma date o juu nwnicipal e de orpbo?
do termo da mesma denominajo hachare! Pe-
dro Jorge de Sonsa reassumio tambem o de-seo
cargo.
Aomesmo.Cemmumeo a v. S. pura ob
lins convenientes aun o juiz de direito da comar-
ca de *om Censelno bacharel Francisco de Gas-
tro Rebello, deixou no dia 24 de Dezembro fin-
do, por motivo de motestia o exercicio do seu
cargoreassuiuintto-OTio dia'28.
Durante o eu impedimento foi substituido pe-'
lo respectivo juiz municipal hachare! Miguel dos
Anjos'Barros. '
Ao mesmo Communico a V. 8. para os
fins convenientes que o ju raumerpai e de or-
pbosdo terorode- Sr-Bento, baeharel Jos'Mau-
ricio Borges xeassumio o exercicio de seu cargo
no di* 29-ne Dezembro nodo.
Ao mesmo.Gommunico a V. S. para os
fins convenieetes, qae -o promotor publieo da
comarca de Bom Jardim bacharel Bercilio Lu-
percio de Souza no 1* dia do crreme mez en-
trou no gozo da licenca que ltimamente obteve
para tratar de sua saude*
At mesmo.Transmitto a V. S. para ob
fins convenientes, copia do Officio e 10 de De
rembro Ando, em que o adjunto Jos Arnald
de Castro Peitoza participa ter assnmido no dia
5 d'aquelle mez o exercicio do cargo de promo-
tor publico da comarca de Ourieury.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Flores.
- Em cumpnmento ao aviso do Ministerio dos
Negocios da Justica de 22 de BaaeHibro pulsa-
do, junto por copia, pravideume Vmc. para que
seja apresentada na secretaria desta pieridenaa
a certidio do preeeaso do 'reo Benedicto Ha
Leite, que interno* recurso de grasa da pena
de 7 annos de priso simples imposta em 15 de
Dezembro de 1886, em virtude de dscisodo
jurv do termo de Flores. .
De courarndade cora oe avisos do reiendo
ministerio datados de Mde Junho de 1865 o 22
de Outnbro de 4886, soh jis. 2A7 e 63, amen
cionada certido deve ser acompanhada do in-
formacao do juiz daeondemnacae ou d'aquelle
que o.-tnrer substituido no cargo.
Circulares : .
Aos cheles das reparliyes e mais func-
cionarios pblicos e as cmaras munioipaes.
Para os fins convenientes coraraurheo u V. que
prestt juramento c tomei posse baje do cargo
de presidente data provincia para o qual rail
nomeado por carta imperial de 1S de Dezembro
do anno prximo fiado.
Portara :
O Sr. agente da Companhia Urazeica. de
Navegaco. faga transportar a corte, por conta do
ministerio da guerra os soldados Jos Joaqun*
da Motta e Horacio Ribeiro da Silva Brabuna.
que deswnbarcaram *i esta provincia a 26 de 1) -
zembre lindo em viagem para aquella corte, se
gundo declara o brigadeiro commaudante dasar-
mas em oflicio n. 11 de boje datadoCoauraau-
on-se a general commandante das armas.
EXTEDUEXTE BO DB. SECRETAfilO
Oflicios : ""
Ao inspector da Thesourana de Fazenda.
S. Exc. o Sr. desembargador presidente daj
provincia, mandamevolver devidamente as^igna-
dos. osdous titulo* de aomeacapprovisoria, de
Christovao de Barros Mego paca ofiaa de Oes-
carga da ahandega e de Alfredo de Assis barri-
do para platicante d'essa thesourana, que acoai-i
panharam o ofiicio de V. Exc. de hontem datado
sob n. I.
Ao i." secretario da Assembia Legislativa
Provincial.S. Exc. o Sr. desembargador presi-
den^ da prorincia. manda communicar a V. S.
que nesta data remetteu ao Thesouro Provincial
para os devidos lins.oseu oIRcto de 31 de De-
zemhro findo, n. 117, ao qual vwram airamos a
relac&o nominal dos Srs. deputados que compare-
ceram as sessOes d'essa assembia e o ponto dos
empregados da respectiva secretaria, tudo com
relaco ao mesmo mez.
Ao mesmoDe ordem do Exm. Sr. des-
embargador presidenta da pwvincra. transmtto
a V. S. o officio, por copia, n. 5, de hontem da-
tado, em qne o Dr. chele de polica presta as n-
formaeoes pedidas por V. k. enlosen oflicion.
91, de' de Dezembro findo.
Ao secretario da junta de nygiene publica.
De ordem do Exm. Sr. desembargador presi-
dente da provincia, communieo a Y. S. para os
fins convenientes e em sotoeao de seas officios
U8. I93MOT de 27 de Novembro e 21 de De-
zembro do anno passado que n'esta data foi an-
torisado o inspector da Thesouraria de Fazenda
a mandar fornecer mediante arrenratacao, os me
dicamenlos e artigos deqnetrataa relaco aqu
junta sob n. 1, devendo a dos contractantes de n.
2 ser remettida para o presidio de Fernando de
Noronha pela pnarmacia da enfennaria mliitar.
Hanoel Flix da Silva, por enme
famo *i# MMi, pr 4rtw.
Communica o delegado do termo de
Gwanhnn, que -na noite de 14 do eor-
*ente na povoacjto Brejo da Santa Cruz
'acuelle termo, capturou -os .individuos
de nomos Francisco Dutm e Pdro jDutra,
all pronunciados as penas do art._lS
W^rim
_ .o ta
.doa, co
inaardo aride joadigo.
tcmJb .lUioratMi.iW^ na
.coHb e iiaalB-tiindfe -fez taM
t .emJJfredb J\rates Terreirai
^ subdelegado lio 2? HiatrictoaaTBrJa-"
Vista, tomn conhecimento do facto, fez
Sroceder a competente vistoria pelos mes
icos da polica, que consideraram leves-
os ferimentos.
-* ii'ajBito nos 'teunun^rat
lei.
;^lo subdelegado de Blm, foram re-
mettidoB a eta reparticao 11 fa*as de
pontaa, 1 osnpnsso, 1 espnto de ferro,
tomados a individuos desordeiros.
Dena guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marque de Arauja
Gdea, muito digno presidente da provin
oia.O enere do polica,
Figtmra de Sboia.
jb^KWM UHtuJIi li Minli 11 em honra.ao seu Alsim se explica que todos os elementes of
dwfpaale germnico foram iiH^ntestavehncnJBi *l^ft'jpP^,'_ ? bom onmo Jrad^JWjaA
briihantes, mas feltou-lhes a aanecao ruidosa d? tS^SSS^' S^^tt^s
awlhoplwiwn popular. Parece que o viajante** ftormaamopque agora se prostram ante o as-'
raaeati am taato.oaquanto dessa falta,.sore- rro 0*0 cp esta na altura.
tudoi*endoue1emno imperio quo visitera. *jw*Mtelade todos estes poderes-^me a fata-
aoeras e ardentes alhesoes. Notou-se, ??.?,."_?" .??. ? Pre?u
exemplo, que emquanto Francisco
Antonio Firmo
ro roviaclal
M99P-WH08 O DIA 19 DE JANEIRO
DE 1889
Joao Luix de Pbula, Jos Franciaco do
Carmo e 13 oficios do Dr. procurador do
feitos, sendo 3 de 7 do crtente, 8ide 9
e 2 de 18.- informe 1 o Sr. Dr. adminis-
r ndar 4lBeloria Provincial.
Administrador da Casa de Datenga.
Pague se.
Juaqnim Onofre Rodrigues.Indefcri-'
do, viato.nio estar desoecupada a casa de
qne ae "trata.
Pedido de expediente da procuradoria
,'doa feiloa. Forneica-se.
Dr. Pedro Qaudiano de Eatis e Silva,
Jlo PirAeiro Cfol, Dr. os Antonio
de Pinho Borges, Jos Nogueira de Sou-
xa, Fwmeiseo Pereira de Barros oflicio
do Dr. procurador dos 'feitos de 7 do oor-
rente.Haja vista o Sr. Dr- procurador
fiscal.
Companliia Santa Thereaa, centea da
j^particao daa obras publicas e Officio do
Dr. procurador dos feitos de 9 do corrn-
te.Srforme o Sr. Dr.: contador.
Superintendente da estrada deufBrro do^
Becife ao lmoeiro. Volte ao Sr. Dr.
contador. V
Officio do collector de Itamb.Ao i
Dr. contador para mandar fbraecer.
Pliilome.no Baymundo Nunes de Lima.
Ao Sa-. Dr. contador para faear as devi-
das notas da portara de 1 i cenca.
----------- ?
Heecfecdorla ProvlDfi.il
despachos do dia 19 de janedio
de 1889
Commendador Antonio Valentfm da
Silva Barroca, Manoel dos Santos Gomes,
Joaquim Duarte Sim38 &" C, Antonio
Rodrignes de Soza & C, Getnlio Rnuos
dos Santos, Manoel Joaquim de Mello
Rege, Carlos Jalo de Souza Crrela.-r-
Informe a l'seecfe.
Silva & Costa.-^A' IIa aec$ao fra o
devidos fins.
21
Antonia Mara de Jess Vieira, Ma-
noel Joaquim da Cruz, Manoel Francisco
do Haacimento, Manoel Joaqnim da Crnz
* C. -Informe a Ia seccSo.
stas dHtordajiw, *km
DIARIO DE PERHAIBCO
Reparticao da Felicia
2.a seccao.N. .. Secretaria da Po-
lica de Pernambuco, 21 de Janeiro de
1889. Ulna, e Exm.. Sr. Participo a
V. Exc. que foram recomidos Casa
de Detenc,ao os seguintes individuos:
No di* 19:
A ordem do Dr. delegado do 2. dia-
tricto da capital, Manoel Severino, por uso
de arman defeza.
A' ordem do subdelegado da freguezia
do Recife, Francisco de Paula Peixoto,
por disturbios, a disposicSo do Dr. dele-
gado do 1. diatricto da capital; Eduardo
Estamb e Soliom Nebsson, por distur-
bios.
A' ordem do da freguezia de Santo
Antonio, G-al.-bno Jos dos Santos e Joanna
Eugenia da Conceicio, por disturbios e
offensas amoral publica.
A' ordem do do 1." d-Aricto da fregue-
sia de S. Jos, Joto de Lima, Leopoldina
Mara da Conceicio e Jesuino Alves Cor-
reia da Silva, por disturbios.
A' ordem do do 2." districto da fregue-
zia da Boa Vista, Manoel Rozendo Valerio
e Jesuino de tal, por dirturbios.
A' ordem do da Torre, Joo Gomes da
Silva, como desordeiro.
No dia 20:
A' minha ordem, Francisco da Costa
Mariz, e Antonie de Monra, como alienado
at que tenha conveniente destino.
A' ordem do Dr. delegado do 2. dis-
tricto da capital, Affonso Olympio Lopes
Lima, por embriaguez.
A ordem de subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, Jos Domingues da
Silva, por uso da armas defeza.
Manoel dos Reia Sant Auna, Clemen-
te de Macedo, por embriagues e distur-
RECIFE, 22 DE JANEIRO DE 1889
Rclrospecto poltico ato mm
de inhh
POLTICA GERAL
Seguramente a corte ingleza nao tem hoje, e
j nao tinha ao tempo do relaterio de qne falla-
mos, os mesmos enthasiasao que n'outras epo-
chas manifestara pela Allomanha Patenteou-o
na fria recepeo que all tove o general Winter-
feld. quanto foi annunciar officiaunente a rainha
Victoria o advento do neto da respeitavel sobe-
rana ; patenteou-o tal vez anda na vehemente
cootrariedade que llore! 1 Mackenzie oppoz ao
iibeUo violentissinio dos seus confrades alle-
nraes.
Mas ponha cada um o caso em si, e diga se as
velhas e ardentes svmpathias da sogra de Fre-
derico 111 podiam sobre vi ver, alm do mais, ao
desgaste-com que a altivez triumphante do chan-
celler de ferro a fez voltar de Berln, aps o
aborto das tontativas empnegadas em favor do
ex-priocipe da Bulgaria. Atinal de contas, esse
resfriamento de affectos presentemente reci-
procu entre as dua.s cortas. 'Guilhcrme II, ao
contrario de seu pal, nao mostra gostar em ex-
tremo da parentela britannica.
Nao impedio, comtudo, esse facto que o go-
verno da Inglaterra e o do grande imperio con-
tinental ao entandessera amistosamente acerca
de urna acr,ao commum na costa oriental da
frica. D'aqui resulta urna lieco proveitosa, a
saber; que o papel social da monarchia nao
lio importante em nossos dias, que obrigne os
differentes poros ocerdentaas a sacrincarem os
seus interesses e aspiraces s harmonas ou
desintelligencias domesticas das respectivas co-
sa reinantes.
,A masma liecao se colhe anda da viagem do
imperador da Allemanha a corte de Francisco
Jos. Antes de entrar em Vienna, Guilberme
II passou em Stuttgard e Munich, onde, em op-
posico ao que se poderia prever, foi o mon ar-
cha essencialmente prussiano alvo constante das
mais vivas aedamaeOes. Na capital da Austria
a sua reeepco foi purameute official. O pan-
germanismo e panslavismo, em lucta perpetua
em todos os angdbs do imperio austro-hnga-
ro, obrigaram o actual representante da casa de
Habiburgo a prohibir qnaesquer manifestaces
por parte da popnlacSo viennense, com receio
de que urovocassam susceptibilidades de raca,
urna exploeo insssiveniente e escandalosa de
todos os antagonismos que se agitam'no seio da
monarchia. A medida foi prudente, porque era
toda a posaivel sinceridade da mutua afteteao
qne os dous imperantes porventura se dediqoem,
seria capaz de prevenir ou sequer amenizar os
effeitos dessas rivalidades profundas.
A rpida passagem do imperador allema i pela
Dinamarca, devia tei-o deixado convencido de
o poros esqnecem mais difBcilmente do qne os
reis, as injusticas e extorsoes de que ata *.c-
timas.
tedasHBB siaSBBte maHteres,-*-fo saiici
ilhei'iHHifjifcBraMc a Wter assaidedle
caiaradanis-asarstu ausassaao,-. sem
OSttu brteseenm.amaie sni'taHo qaaliicalSO
pfsHngeim.
O elogio jnutuo ttemasM assfcmsBate sssm
penanalo ate -tisssslsiBdavMfttaaaia^as*)
houve, porm, anda quem lhe descobrisse o
mesmo vicio entre os gosos de mesa bem servi-
da e aos rcflexos levemente dourados .de, ana
taca espumante de champagne. Exactamente'
nessa bebida, tao Unamente espirituosa como o
pau-qnBa-rrrrenaau, e-rflto n'onrro motivo edi-
ta poltica, se deve procurar a causado esque-
cimento do joven, monarcha no tucn Uva .estylis-
tica do6 toasts. S. Magastade germnica repu-
dia em absoluto o uso desse licor geuni na mente
fraaeez, e o fomecedorda casa d'Austrra, igno-
rante dos profundos segredos do patriotismo
prussiano, nao o mandara excluir domtnu. Com-
mentou-se. porm, ontro incidente da visita im-
perial, a que seria leviandada attribuir a mesma
ftil origem. Na grande recepoo do paco o im-
rmdor Guherme manifestou preferencias que
desgostarain a muites dos que assistiram ce
remonia e della tiveram circumstanciada noli-
oa : em quanto se moatrou de urna affabilidade
cnrmhosa para com o conde Kalnoky, Tisza, mi-
nistro da llungria, e o conde. Audrassy, signata-
rio do tratado de 1879, o soberano iHemfio inos-
troua mais completa indiBerenea pelo conde
Taaffe, presidente-do conseiho cislelthaneo. A
impressao producida por essa differenes de at-
tencdeaaugmeBteu consideravelmiite, quando
se vio-a ultimo desses estadistas atravessar in-
clume a grossa chuva de condecoracOes que o
magnnimo viajante fizeracahir, sob a forma de
aginas decores, por toda a superficie
do imperio austro-hngaro.
Com raaao ou sem ello, houve quemjrisse nos
tactos que recordamos certa nter veneno inde vi-
da da Allemanha ues negocios internos do os-
udo sen vishiho, a desapprovacao positiva da
potitica Bdependente do conde Taaffe; poltica
Hle. por forea das cirrumsUncas, ha maotido
a'preponderancia do elemento galicio, tcheco.
ate* do ule italiano sobre o elemento'pura-
mente trermauico da monarchia.
Se Gailherme II teve, por acaso, aborrecimos
tes m sianua, a sua viagem Italia, salvo cer-
tasinaRifestacoes impertinentes, devia tel-o am-
I pamente jndemnisado de todos os contra:teni-
pos"anteriores. O governo do Quirinal espenwa-o
com urna impaciencia, se nao superior, igual ao
ni i-nos o dosejo qne devia ter o papa de que se
nao realtsasse a promettida visfta.
Quando a Europa indaga va cariosamente dos
motivos que podiam ter levado o Sr. Crisp pola
segunda vez ao retiro de Friedrischrube, disse-
se com insistencia que a causa nica dessa ao-
va pert^rinaco fora o vive receio de que o im-
perador supprimisse urna parte do seo itinera-
rio em prejuizo da patriado Garibaldi e de Hltt-
zitn.
Nao se descreyera as galas de que se vestio a
cidade eterna para ser agradavel ao sen podero-
so hospede- Como narra o coTrespondaate -te
urna folha parisiense, o estado italiano e a mu-
ncipalidade romana esforcarara-se por tornar a
recep54o de Guilherme II alguma cousa pareci-
da com o m!e en scene de urna attrahcnte pega
mgica. Pizeram^se gastos incriveis em papois
dourados, em panno piatado, em bastidores va-
riadamente coloridos. Wouve cortejos, banque-
tes e pandas. A respeito da que se realieouem
Centocelle, disse umjornalista romano, hyper-
bolico at ao delirio, que ella ha va constituido
um dos niaiores espectculos militares deste se-
cute. Isto, que d a medida do qne pode o en-
ihusiasmo em almas sinceramente ingenuas,
provocou aa seguales reflexoes :
Sem fallar das sombras'de Napoteao e de
Wellington, ajuetn este vetdadere destampa-
torio devta ter provocado benvolos sortisos,
havia no proprio squito do imperador allemo
dfficiaes que Uaham assistido i grande guerra, e
que por isa mesmo nfto podan deixar de di-
vertir-8e com tao ostranhaexageracSo. At o ad-
dido militar da Austria-Hungra poderia recor-
dar aos italianos que outras empresas militares
houve incontestavelmente de maror valor hist-
rico que a revista de \ Contocelle a jornada de
Custoua, por exemplo 1
Nao licou nisso a expressio orgnlhosa do pa-
triotismo italiano.
Um jornal official de primeira plana Rtfor
m*, nao dnvidou atirar ao9 qoatro venlM da
trra esta proposicao singularissima:
Gailherme II veio demoostrar-oos com a sna
presenta que o mundo camtnha, e qne nessa
marcha triumphal a Italia e a Allemanha ocefl-
pam a mesma linha na vanguarda. *
Felizmente para a Italia, o deslumbrataento
produzido pela por tanto tempo ambicionada vi-
sita, nao era Uto geral como se poderia suppor
primeira vista. Urna folha radical de aples
disse sensatamente que a civUidade nao exiga
semelhante effusao de reconhecimento por um
acto de cortezia com que os soberanos da Saecia
e Dinamarca e mesmo vassaUas como o ret de
Wurtemberg e o principe regente da Baviera,
haviam sido distiaguidos muito antes do re
Humberto.
(Contmm*).
> iiiiixiwtcousas poz em suas
K~" B'designa aos governadores, ministros e de-
putados de provincia, assim como aos senadores
o de)iUnaaala naco re^riassao riaste
ciaf para ntwmmn s
o poder pai|prexiaMt>o
iteuBrlusivo d'euesr
m
O Sr Klingcr foi nomeado chefe politico de
Baqna ramb.
Buenos-Ayi es, 13 de Janeiro
Consta que a presidente da repblicascreveu
urna carta ao Dr. Carlos Peltegrjni,. actualmente
presidente interino, em que declarava ser neces-
saria a integracao' do Sr. Bengas no lugar d
goven.adoF da -provincia de Mendoza.
Fundou-se aqu um club de velocipedistas.
Chegou o Sr. E van Bruyssel, ministro daBel-
q pea, nesta Repostes.
A enchente do* ras Guayley e Guayclu &z
se receiar inundaoies desastrosas.
La Nacin nsle itaWiniwi' que houve vio-
condicOes, a- rfcigssfli uaassirosj lacao de territoito-armiliiio
Montevideo. 4Me Janeiro
O Sr. Flores fet
""2E uQic iuc "'i'* a^"e#i
vionaMMwse suppnme>a.aileNftdaaMfcilM
convertasBi lettra morlMG|gMHio Hdpoosjkiolica
portanttt#efsum verdadeirsNtyrnalllo. Organisou-
' SolwBSses tristes auspsss..jwaaleisspasiiiostkk' 125 inilhOe*de fi
principasnpaino de 18%;iMi I ll lo spasi ,
urna unWHItacao favoravl, porque os males nao
s5o eternos, como nao o so os poderes fundados
na perversao dos principios da jnsticate dodi-
retto.
Accrescenta, entretanto, o diario portenho que
a situacSo econmica do paiz prospera, se bem
nnancas do Estado nao deixa de-sei-satisactoria,
seBenr qne poderia ser mais prospera se nao se
Uzessem tantos gastos extraordinarios e super-
finos.
A cidade de San Juan e os departamentos cir-
cumsviainhos estovara seffrendo eoorues pre-
juizos por cansa da tremenda inundacao do nio
prximo.
No dia 1 do eorrente mez prinelpou a'reger a
aova organisaco dada a mihia activada rep-
blica, que deve constar de 100.000 homen divi-
didos em tres corpos de exereito com seis divi-
sOes-e 12 bridadas.
fiietava marcado o dia 7 para a Miiuguraeao da
l.vseccio da grande obra do porto de 'Buenos-
do :inspect*r ^esalde
com o capital
\ocias do Pacifico. Hi* da
Prali e al do laaocri
Os vapores Buenos -Ayres e La Phuf entrado*
do sul ante-hontem e hontem, trouxeram as se-
guintes noticias:
MHriMatt
Na crte foram puolicadoa estes telegrammas :
Valpmrtao, 10 de Janeiro.
O parlamento da Solivia votou a concessao de
ama medalba de ouro para ser conferida ao pre-
sidente da Repblica, Aniceto Arce, como salva-
sor das insUncOes do paiz.
Valparaso. 12 de Janeiro.
O presidente da repblica hostilisa o contracto
Grace.
Rio da Prau
Datas de Buenos-Ayres ata 5 e de Montevideo
at 6 de Janeiro, e tefegraphicas at 14.
Na sua Revista geral diz La Nacin, da
capital argentina, que a poltica actual se carac-
terisa melhor cada dia. Nao a perversaoom-
pleta do rgimen institucional o seu nico signal,
se n*o a submissao incondicional, a obediencia
cega impo.a ao povo, aos demais po'leres publi
eos e aos govemos de Estado que pela lei funda-
mental exerceu faculdades at certo ponto auto-
nmicas.
O presidente da republicana actualidade nao
so o grande eleitor, ou raelhor dito, o nico,
senio tambem o esclusivo distribuidor da jus-
tica e ilispeosador de honras, empregos e for
tona.
O presidente faB o que quer; seja legal ou
iiiegal, bom ou mo : sua vontader lei que se
cumpre.
J Tlleteu o general Martin CaBiza,.flue conlava
74-annos de ida*e.
O'pait, dia La Nation, peTde n'lle ummli-
tar distincto pelos servicos.um cidadao estimado
por suas virtudes cvicas, e sua familia e seus
amigos un hornear digno-de ser querido elem-
9toi Colonia, chegaram a Molrtevido, ao da 2 do cor-
rente, o coronel Tlanos, ojuiz fettra mental Dr Villagran^ e presos, o alteres Luiz Ne
ves, o major Clodomiro Snchez, o ex-l. Official
de polhca Paunero e oe tenentes Ventura Rios e
Runo Poroda, os quaes foram reeolhidos pe-
nitenciaria (lisposico do juiz Dr. Platero, alira
de serem processados pelo assassinato referido
aa noticia "anterior.
Nolicin o citado diario La Naden que no do
mingo, 3 de Dezembro, tta capital do Paraguay
deu-se um alten tado contra o exercicio do direito
aleltoral.
O partido liberal, disse a folha portenha, que
represonta no Paragsay a opposicao ordew de
cousas existente n'oquelle paiz, connorreu em
numero de 2.000 cidadaos ao acto de iasCripgao
do registro eleiteral.
<> elemento governista, em numero irffinita-
inenie inferior, traten de perturbar o acto, pro-
i n o vendo desorden!.
Com effeifo, dons tiros de revolver foram o
signal do rebate.
Os soldados leporlcts, atnaados por forcas
de m\aliarla, asmados eorn ttmtngton Winches-
ter, atacaran aos liberaos, matando a dous e fe-
rndo a 36.
A polica ffectuou grande numero de prises
entre os liberaes, um dos quaes era o presideite
lo club democrtico.
Depois d'estas violencias, a commissfto direc-
tora do centra democrtico auooselhou abstenco
aos nzaes ou liberaes, seus correligionarios.
No dia 6 estalou em Mendonza urna revo-
lucao. encabezada, segundo constava, pelo co-
rooel Ortega, que era auxiliado pelo ir hato
lilao de linha.
O movfmente reviilidonario triumphou eom-
pletamente, sendo presos o goverfldor Benegas
e'seus ministros.
Os que asssrliaram a casa do governo, arrom-
barara a porta da ra a tiros de bala, morreado
nessa occasiao tres soldados que a guardavam
Vio ue aahla anda se tinha havdo outras vi-
climas. .T
Koi fa.nlenle tomada pelos revokosss a re-
particao da polica, por nao ter muguen oppos-
to resistencia aos invasores.
iDr*tersas oemimSsWr, tftte andavam percot-
rendo os ib-parlamentos, ja haviam substituido
as autoridades de Lujan, Guaknallen, dan Mar-
tin, Chacabaco, Junin e Rivadavia.
O vice -pTcsfiferfte da repblica Dr. Pellegrini,
que est n ofercleie interino da presidencia,
commissioneu, pata syndicar do facto, o secador
Derqui, o qual parti em trem expresso par
Mendonza, ficiinao sua aisposico as tercas de
liaha d'aqtteHa provincia e as de San Juan-
Telegraroma da ultima hora dira nne enega
fra posto em llfeerdade.
Ficou delinitivamente resolvido que em 1890
se far em Buenos-Ay res Uiaa grande xposigo
italiana,, a qual prometteu eu apoio o governo
itahano.
Deseneadeou-se sobre Buenos-Ayres e seus ar-1
redores, aa noite de O, um eyelne que causn
muites estragos as povoacoes prximas.
Mitos predios desabarara e saltaram dos tri-
Ihbs-visrios vagons.
Asoothettas licaram perdidas.
corte teram publicados estes telegram-
mas :
Bmnos-Af/res, 10 de Janeiro.
O relaterio do Dr. Suzini demonstra que o ca-
dver do raarinheiro norte-americano que falle-
cer na Bocea do Riachuelo apresentava symp-
toaias extrisre8 de chotera mas que o exame
bactereologico nSo revelou a existencia de mi-
crobios.
As autoridades sanitarias impuzeram aos na-
vios procedentes do Rio de-Janeiro a quarentena
de dez dias, faiendo desinfectacao na ilha das
Florea-
O plano da nova torpedeira Jarrte foi sub-
mettido a junta da mariuha atim de dar sea pa-
recer.
O presidente da repblica mandn proceder a
inquerit afim de se verificar se houve vtelacao
de territorio argentino na Terra de Fogo, pelos
mitieiros chilenos.
Homecidio, 10 de Janeiro.
Mamifestaram-se e grve os estivadores.
m cyclone causou grandes estragos na regd
de'Dorazuo.
tuenos-Ayret, i i de Janeiro.
foram presos em MefldOTza o coronel e major
do ir atamao.
O Sf. Torres foi nomeado coronel d'aquelle
batalnao.
Chegou alli o batalhao de engenheiros da
guarnfcao de San Juan.
Consta que o sentiOr Derqui val reintegrar o
Sr.' Benegas no lugar de governador d'aquella
provincia.
Os catholicos d'aqui pretendem offerecer ne-
dalhas de onrosrjg-ovnudreS que se manifesta-
ren contra o casamento civil.
Partera para o Rio de Janeiro os inspectores
mdicos Martin e Carbn i.
Bste porto foi considerado infeccionado.
t Diario a El Globo d8o noticia de quareula
casos diarios de febre amarella no Rio de Ja-
neiro.
Est provado que o luarinbeiro norte-america-
no falletera de eholera-morbus.
Montevideo, 11 de Janeiro.
O Sr. Julio Zapute foi nemesdo consol em Man-
ches ter.
Ja terminou a parede dos estivadores ptt- ter
a respectiva companhia satisfeito a exigencia
feita bor elles.
O or. Escayola, chefe politico de Tacaremb,
demittio, como cumplices de assassinato, os ir-
mos do Sr. Rolando Credo.
O Dr. Astigueta foi nomeado director do labo-
ratorio bateorologico.
Entroa hoje o paquete nacional Rio Negro com
o ebefe e coramissao de engenharia militar de
Matto Grosso, estando buns de saude.
11 de Janeiro.
Os Srs. Azevedo e Pena organisaram urna com-
panhia frigorfica para a importacao de carnes
do Brazil, devendo seguir amanha, em viagem
de expenencia, o paquete Gamillo.
Um trem descarrilhou perto de Mendonza, li-
mitando-se as consequncias a estragos mate-
riaee e eontuses leves.
O general Suspisiche foi nomeado chefe da
guarnicSo desta capital.
Montevideo, 12 de Janeiro
O Sr. Jerez^chefe politico de Salta, nega que
hovesse 9do violado o territorio argentino.
V Buenos-Ayres, m uranewo
A exposicao do Rosario cncerrar-se-ha no dia
15 da eorrente.
O tribunal de appellaco confirinou a senten-
ca condemnando morte o padre Rodrguez.
Este appellou para a corte suprema.
O presidente da repblica orduiou ao gover-
fTfadord1'Santa F que tome providencias para
evitar aigma Perofla.
Montevideo, i i de Janeiro
O conselheiro Andrade Figneira faz companhia
a sua senhora, que se aeha no lazareto fazertdo
quarentena.
Os habitantes de Mercedes pedsm garantas
ara suas vides, bem como a demissio do Sr.
Gaterza, ehefe politico da' provincia.
Consta que o presidente da repblica reCeia
3ue serevoite o esquadrao de que comman-
ante aquHle ebefe.
Corre o boato de crise ministerial.
. Bsteve muito animada a-corrida-de tedros que
se reahsou hontem; o primeiro espada Lagarti-
Fjo obteve nm soceesso.
Marlo-Uro>.D
Datas-nt23 de Dezembro :
Ghegawm a Cuyaba os padres Geraldo Luiz
Teissahdrer, Theophilo Bento e Jos Frartceschi,
todos da ordem de S. Vieente de Paulo, aos
quaes-o'Sr. hispo diocesano conttou a dircccSO'e
o erlWo do seminario episcopal, o primeiro co-
mo spWfof- ereitor eos uRtmos comovlce-rei-
tores.
Appareceu na capital urna fblha ttitulada Ga-
Seta.
FaHeceram : na capital, o'tennte Mathins Jo-
s de Souza Ribeiro; em S. Luiz de Cacres, D
Mara Jos de Jess, mi do coronel Luiz Bene-
dicto rtreira Leite, e em Corumh Joo Baptista
de Sans, escrevente to'patro-nir do Arsenal
de Marinha.
Escrevetan, em'21, de Cuyb, ao Jornal AV
Commerco da cOHe:
Cuyab, 21-de DezembroO paquete entra-
do atite-hontem tarde, sendo portador do Dia-
rio Oficial di! 19'de Otubro, no qulfoi publi-
cada a exoneracao solicitada pelo Sr. coronel F.
R. de Mello' Rogo do cargo de presidente desta
nrovincia, nao trouxe, todava, nenhunia commu-
nicacao official a tal reaprtto, nem se qoer, ao
"que me consto, nenhuma oarta do ministro do.
imperio ou de qualquer dos seos collegas para o
mesmo presidente en ex-presidente. Aocresce
tpie, sendo o Sr. Mello Rego'eommnndante dus>
acraas, n3o foi exonerado de tal commando, nem
disto houve noticia pelo Diario Ofkud.
Asseguram-me qne^ vista destas circums-
tancas, estadS or.*i muito enfraqueoida, prepafcv*seF- pMranxar a
presidencia e tambem o commando das armas,
sujeitando-ae previamente inspecuao, como lhe
OKigia a disciplina militar, quando hontem, ao
meio dia, lhe foi entregue a segu nte intimaco
da Cmara Municipal que para esse litn se reu-
ni extraordinariamente aps seis mezes :
" Paco da Cmara Municipal de Cuyab, em
sesSo extraordinaria de 20 de Dezembro de
1888.
Illm. e Exm. Sr.A Cmara Municipal des-
ta capital cumpre o seu dever commuuicaodo a
V. Exc. que por decreto de 16 de Ontubro pr-
ximo passado foi concedida a V. Exc. a fcxone-
rgao que pedio do cargo de presidente desta
brovincia, como consta do Diario Offkiat de l>
fio mesmo mez que, junto, a Cmara tem a hon-
ra de apresentar a V. Exc para os devidos effei-
tos.
Deus guarde a V. Excfilm, e Bxm. Sr. co-
rone Dr. Francisco Raphael de Mello Reg, es-
presidente da provincia O presidente, Antonio
A. Ramiro de Carcatho.O vice-presidente, An-
tonio Anasteteio Monteito de Mendonea.Celestino
1 Correia da Costa FUho.Francisco de Smiza Ne-
ves. -Satomao Alces Coma. JoSo Jos de Si-
queira.
A intimaco era formal e o Sr. Mello Reg
iulgon de" bom conseibo, antes de qoalqner den-
beroo, otwir o parecer doute do presidente da
Relaco, o qual opinou qne a puhlicaco ao Ma-
ra Official desacompaahada de qualquer coni-
municacfiO, se habilita va o Sr. Mefio Reg a dei-
sar a admfmstraco, nao o inhibia de conservar-
se netfe, aguardando a conraninicacao ou a che-
de adoptar etana das eaferuarlas do hospital
para o tratamente dos presos e condemnados
que curaarem senteucas ua cadeia da capital,
e que quando adoeccm sio tratados em urna en-
fermanalque nao tem condicOes hygienicas, como
fora para desojar.
Peante o jnizo de direito criminal do mu-
nicipio de Marianna foi dada queixa par D. Iza-
bel Maria da Conceico Faria, viuva do tabel-
Uao da cidade do BsoiBrasco, es-< Augusto de
lana, ah barbaraaente assassnado na noite de
31 de Dezembro prximo passado, contra Joo
Ferrara -Velloso, oammandantednescolta emais
scte-'fts$as de pofisia quentiraram sobre o povo
e contra o delegada de .plida :Jos de Castro
Qacrroz A.' sunatente Jofio Panlo Mosquera
VaMaH^atwio Wnsate -Pwreira, .Antonio Do-
miofpros'Otves (essiivaojicttsetoria), Philo-
mmp Lonnento Coiasbfa (ssarotogado do correio),
aniiB ^M^MMle mrvatfao, escrivo do
juire paz, TuizTIanoel Ramos, supplente do
juiz municipal, Caetano Donato Correia, collector
Srovincial, Antonio Gaspar Ladeira, procurador
a cmara municipal, Justiniano Moren-a Ramos,
collector das rendas geraes, Antonio de Padua
Coelho Jnior, sapateiro e Olympio Donato Cor-
-reia, suhdfttegado deTollcfa.
Sao advogados da viuva quarellante os Drs.
Joo Bawden, Joo Pinheiro Candi Ue Brito,
Xavier Canrpello, Donato Duarte, Benjamim
a roeira e os Srs. major Firmino, capito Ray-
mundo Nonato, alfares Couto e Augusto Lcbet.
At o dia 31 de Dezembro prximo Ando era
disthttida.a orresposasnei ~n corte s 7
horas da manh, seudo as malas do correio
transportadas em costas de animaes durante a
noite, da eslaco de.Coagonhas para a cidade;
entretanto desde o Io do eorrente, passanda'o
serrico a ser feito pelo trem do ramal da estra-
da de ferro de Ouro-Preto, que parte da meocio-
nada estago de Congonha, s distribuida ao
tieio dia, de sortc qne e impoBsivel dar-Uie res-
posta pelo mesmo correio, cujas malas se fechara
1 horada larde.
Todos esses e muitos outros inconvenientes da
que com razao se queixa o commerefo e m ge-
ral a populaco, podiam ser removidos com a
abertura do ramal aos trens expressos que vm
da corte para Itabira do Campo o que passam pela
estaeo do entroncamento do 'raroa s 6 horas
da tarde, apezar das injustitteaveis demoras as
OstaOes de Lfayette e Congonhas. Que o ra-
inal est perfeitamente consolidado, prova o
facto de se o haver dado urna s interrupc5o
do trafego provisorio que est sendo feito, ha
mais de um anno.
Peco pois (e julgo ser o orgo de toda a popu-
laco desta cidade) ao governo qne se digne pro-
videnciar sobre a inauguracSo do servico de via-
gem diana da corte para Onro-Preto como
TOirter.
O presiden e da provincia dirigi ao Sr.
nainistro da justica,[o soguinle telegramma em
Vi :
A 7 do eorrente, o subdelegado de Arapon-
ga, termo da Vajosa, ioformou por telegramma
ao chafe de polica qne pessoas do povo" Oppu-
nham-se a execuco do Registro Civil e haviam
disparado dous tiros contra o escrivao, que por
elles nao foi altngido.
Sendo tarde, s no dia seguate cedo respon-
'3eu o chefe de polica nos seguales termos: -
Faco seguir um official e tres pravas, prtra
mafftr a tranquillidade, prudencia e energa; ,
abra inqnerito.
Ordenei ao capito Dias Coelho, em Muria-
h, ponto mais prximo, que seguisse inconti-
nente c logo que{chegasse nformasse.
Recebi comraunicaco de haver seguido
no-primeiro trem do dia segulnte. nove do cor-
rente.
Ao delegado da Vigosa recoramendou que
fosse a Araponga alim de providenciar, ordenan-
do que levasse comsigo pracas do destacamento,
deixando a cadeia guarnecida por paisanos que
autorisou a engajar.
No da II o delegado cornmunicou terem se-
guido 15 pracas armadas.
Respondeu o chefe de polica que o official e
pracas ja deveriam estar em Araponga e recom-
mendou de novo que seguisse o official Dias Coe-
lho que at agora nao requisitou medida alguma
extraordinaria.
O Jornal do Commercio da corte
Sada do sucoessor nomeado, que o aqu espera-
o nos pnmeiros dias de Janeiro,
a O Sr. Mello Reg resolven-se ento, a con-
servar-so na administraco e no Commando das
armas, do qual nio constava ter sido exonerado,
e aguardar a communicaco ou o seu successor.
Dizera que por iste vo interpor denuncia
contra o Sr. Meno Regoperante o Supremo tri-
bunal de Justica. Quanto a mim (OB ooatos de
cidiro. o Sr. Mello Reg proceden como devia
e de modo consoante ao direito e & pratica. O
cargo de presidente da provincia muito eleva-
do, e de muito grande responsahilidade, para
que aqnelle, que o exerce, possa ser coagido a
uepol-o antes de qualquer communicaco official
directa.
MinMi-bcrut-a
Datasat 12 e telegraphicas at 14 de Janeiro :
Apezar das dilficudades cora que tem luctado
a cominisso Domeada para promover a remessa
de productos desta provincia para a exposigo
universal com que a Repblica Franceza vai ce-
lebrar o cetenario da queda da Bastilha, ser
bem representada a provincia de Minas e nfto
fara figura de somenos|mportancia uo grande cer-
tamen industrial
A cortttrtsao flcou de facto redn'zida a tres
membroB) o -coflmietdadot Gorcef x e os Drs. JoaO
Vctor e Costa Sema, director e professores da
Escola deMiuas, quexom a maior energa eteaa-
cidade tm trabalhado, j tendo conseguido cn-
W commsso central 34 grandes volumes
con tendo grande ero amostras d pro-
ductos da industria dente'provincia e urna nota-
vcl e completa colleccio de amostras mneraes,
ue mostrara a prodigalidade cora que a natu-
via. dotott de riquezas o soto dest parte do
pafe.
A seccao dos minerios e formacoes aurferas
tnteressantissima e tal vez seja a me-lhor do mundo
segundo a opinio dos entendidos ? por eonter
amostras de todas as fbtniacOcs de mineriOs co-
nhcidos, sendo algumas de grande' belleza e
outras de valor inestimavel e que dao todas per-
feita ideia das iaxidas de onde foram extra-
hidas.
Foi tambem enviada collerco completa de
amostras de minerios de ferro das memores
qualidades, mangauez,sulphato debaryta,amyan-
tlio, pedra ollar, occas de differentes cores, e
muitos outros mineraes de superior qualidade.
Anda nao chegou a capital a coueaoprin-
cipal de productos' do norte da provincia, qne
est exposta na. cidade da iamaalina e que,
segando informara, de grande riqueza, princi-
palmente em briihantes e obras de ouro -
J foram enviadas amostras de vinhos minci-
ros de diversas procedencias, cha de excelente
qualidade fabricad na capital, tosidos de la
e algo lo de diversas fabricas e muites outros
gneros de produeco provincial.
Foi celebrado entre a presidencia da pr
vincia e a directora da estrada de ferro do
Oeste o contracto para prolongamcato do suas
linlias at o alto de S. Francisco, com ramaes
para Itapecerica e Pilanguy e a navegaoo a
vapor dos Rios Grande c das Mortes em urna
extensto de cerca de 400 kilmetros, conceden-
do-lhe a provincia a garanta do juros sobre a
quautia de 3.800:000*1 em que estao oreadas as
respectivas obras. m
Bsta concluido o novo edificio destinado a
Santa Gasa de Miseric dia, e pede-se afnnar
que tem hoje a capital o raelhor e mais vasto
hospital da provincia. Construido ao lado do
antigo quartel do corpo policial e uniformLada
com a oeste a respectiva fachada, formara ambos
Hioje um vasto predio perfeitamente afejade e
com todas as condicOes nygienieaa.
A presidencia da provincia prestara relevan-,
te servQO se entrasse em accordo com a prove-
doria da Santa Casa de Misericordia no sentido
'

r
V
outro telegramnfa :
publicou este
Oaro-r&to,'** d Jadrro.
O presidente da provincia contractou cora o Dr.
Taz Pinto a fundaco de cinco escolas de agri-
cultura pratica as zonas de Ouro-Preto. Matta*.
Sol-Norte triangulo mineiro.
O capital ser de mil e quinhntos cantos, ao
juro de 6 "/o.
Cada escola ter 30 alumnos gratuitos e lijo
com a contrHiico de 150 a 20&, conforme a
idade.
O Dr. Vaz Pinto garante OTesultado de tao im-
portante empreza que tem merecido geral ap-
provaco.
H. Paulo
Datas at 14 de Janeiro :
lnstallou se a Assembia Provincial. O presi-
dente da provincia, Dr. Pedro Vicente, leu um
importanhssiitto relaterio.
Fez-se a eleico da mesa, que Jdeu o seguinte
resultado : presidente conselheiro Duarte de
Azevedo; vice-presidente, Dr. DelHno Cintra:
1." secretario, Dr Rubio e Dr. Jos Vicente O
Dr. Juvenal Parada, eleito 2. secretario pedio es-
eusa.
O promotor publico da capital deu denun-
cia contra Joao Antones dos Santos, Antonio
Henrique Knto, Manoel Dias Anastacio e Candido
Maranno Gal vo Bueno, oomo introductores na
cirourago de notas falsas de 2005000
Os quatro primeiros /a se achara presos ua
cadeia da capital e o ultimo foi solt, em virtude
da ordem de haheas-coivus que a se favor con-
ceden o Tribunal da Refagao.
Por occasiao de urna tempestarte canto i
rajo na Cate d Ufe gregario do Gafrfel da
Sinra Leme, ntr bairrt da Sera, rannicipio de
ArOas.
0 raio entrn peta cozinhaj onde se echaam
a mulher no gsregado e dous flBos; o* de%ei*
annos e outro de dous, estando este ultimo ao
eolio da mi.
A fateci elctrica rachou nm pifa uf pferob,
furou urna peneira e sahio pelo baldrame.
A mulher ficou sera "sentidos, com aa costas e
cabellos queimados; o menino mms vefho licou
m pouco queimado do lado esquerdo e o meni-
no mais novo nada soffreu.
Em Campias cabio no dia ff um forte
agtaceiro, que transformou as ras daquella ci-
dade em um verdadeiro lago.
A chuva que durou mais de urna hora, foi acom-
panhada de faiscas elctricas.
No'dia 11 do eorrente, s 6 hora3 da tarde
de bairro de Atibaia, HMmcpio de Campias
Sr. Cesar Maria de Castro que alli estabelecido
com arraazem de seceos e molhados, foi ferido
com nm tiro que contra elle disparou Joo Cae-
Sio, desordeiro muito coahecido d'aquelle
\

/

I
bairfo.
O estado do offendido gravisskno, segundo
informara.
Recebehdo aviso do crime, o Sr. delegado de
polica fez seguir ante-hontem mesmo seis pra-
cas, sob o cottitaando de um inferior, para o
referido bairro, alira de ser preso o autor do
crime.
Em Pirasstoiunga, o portnguez Antonio de
ta* hothem de 70 annos de idade, suicidou-se
emoi-cando-se no fundo de um quinfa! pertencen-
te ao Sr. Ricardo Francisco Pereira.
Ignorase a causa que levou o infeliz a tao de-
sesperada resolu'co
Faltecram no dia 7 duas erianeas qu^e na
estaicao do Lome, eslavam sendo tratadas por
cinco jpretos curandeiros. Por haver descon-
fiancas de qne essas eriangas fossem victimas
dos remedios, os seus cadveres foram transpor-
tados para Pirassununga mandando o delegado
de polica proceder respectiva autopsia pelos
Srs. Dr. PIza e Benigno.
Foi publicado na corte esle telegramma
S. Pauto, 14 de Jaoeiro.
Chegon o conselheiro Duarte de Azevedo que
teve orilhantissima recepeo.
Na c3tao estavam o presidente, chefe de po
licia, diversas autoridades, pessoas gradas e
muito povo.
A' chegada do trem houve vivas, foguetes e
mnsica.
O deputado provincial Eugenio Leonel proferto
um bello discurso de saudade
Mais de sessenla carros acompanharam o co -
Selheiro Duarte at sua residencia. Ah fot
cebido com eOthusiasticas acclamacies. 0 iar-
dim esteve Iluminado a giomo.
Houve copo d'agua e foram proferidos elo-
quentes discursos pelos Srs. conselheiro Duarte
Dr. Pedro Vicente, Dr. Almeida Nogueira des-
' I
I


Diario PmambucoTefQ-ftFa< SAide; Jaoeim de-1669

esl
i
i
-
I

-
eiibargndor chefe de polica, Wenceslao de
Qaairoz, Dr. Robtto corone* Rodovalae e ou-
{r09- j o.
0 conselheiro Duarte responden a todos os
blindes que Ihe foram dirigidos. Fez um brinde
iraprensa representada peto Diario tknant e
Comi Paulistano. Estero etetirtmo Fot
muito saudado Dr. Cardeso de Mello Junr,
que fez um bello discurso.
Houve enthusiasticas saudacoes aos conselhei-
ros Prado e Rodrigo e o rainistetio.
Na Asamblea Provincial nao heuveeessfto por
falta ilc numero. -#-
3 M4o de Jan"ro
Datas at 16 de- Janeiro :
Feram approvados os coutractos celebrados
nela oresideucia de Pernambuco para proroga-
co elo prazo de um anuo, da locadio dos pre-
ios onde se acbam o escriptorio da commisso
encarregada-do melboramento do porto do Re-
cife e as officinas de carpintaria e calatatana a
servico da mesma counnisao.
Xemos no Jorm do Commerciode 13 :
. Reunise hontem no paco da cidade, sob a
presidencia de Sua Magestode o Imperador, o
conselho de estado pleno; compareceram os
Srs. conselheiros Conde dEu, Mrquez de Para-
nasu Viscondes de Ouro-Preto, de Vieira da
Suva de S. Luiz do-*rrantio e de Beaurepaire
Robac, Siuinb, Dan* Crrela.
. a materia eV>coMelUuopiaou pete eonce*.-
so de um crdito extraordinario pedido peto
Ministerio ue Estrangeiros, para a commisso
exploradora dos terrenos letigiosos com a Rep-
blica Argentina.
Prestaram juranieuto os conselheiros lti-
mamente nomeadoa, depuUdo Manoel Antonio
Duarte > Azevedo e o senador Visconde de Ca-
vbante. __._".'
As dentis noticias constam da carta do
nosso correspondente, publicada na rubrica /
tortor.
Espirito-Manto
Datas at 11 de Janeiro :
No dia 1 prestou juramento e assumio o ejer-
cicio do cargo de chele de polica, o Dr. Antonio
Pinto de Mendonca.
atol*
Datas at 18 de Janeiro:
Unios no Diario de Noticias de 15:
. Em data de 7 do corrente o Sr engenheiro
vmaraale reraetteu ao Sr. coqseibeiro presi-
dente da provincia o relatorio sobre o exame a
aue procedeu era alguns rios da provincia, bem
.-orno a planta do porto da cidade de Cachoeira.
0 relatorio do Sr. Amarante trata com van-
tagem da importante cominisso de que fora in-
cumbido pela presidencia da provincia.
Por falta de espigo nao o publicamos na in-
tegra, mas escolhemos urna das partes que mais
devein iuteressar ao publico e que a se-
^Orcamento-X&o tendo sido ppssivel derao-
raano-jws mais tempo no exame dos nos, ape-
nas podemos confeccionar o orcamento provavel
do melliorainento de cada um delles, trabalho
este que devera ser corngido posteriormente com
estados mais .letalhados e completos.
. Os rios examinados sao todos sujeitos a n-
tluencia de mares e correal com pequeo de-
rive e fraca velocidade. Seus laeraoramentos
ofto exiairito em geral, outras obras a nao ser a
Iragagem para aprofuudar o lcitoe rectificar o
canal o baiisamento c alargamento d este, a eli-
tuinaco das curva ou voltas bruscas que dilti
cuitara a navegaco, rasgando outro canal em li-
nlia recta com a largura de 30 metros a ravz
do* terrenos baixos e suas margens cobertas
de mangue e a tapagem dos capaes ou bracos
nao navvgaveis por mero de fachinas ou estacada
cora aterro. ..
. Nos desenhos oa esboces apresentados ea-
to iodicados os planos das obras necessanas
,iara o melboramento de cada um d ellea.
. Estas obras podero ser executodas era dous
innos, importando o orcamento proyavel d na quntiatotal de 446:6(10*000 inclusive o me-
lhoramento do no Traripe, a saber
Estes autoridades partiram da Cachoeira para
S. Thiago no domingo, levando em sua compa-
nhia doas mdicos, mas encontrando no ro o
pannml da fabriea ame vraba acotopanhasde o
carpo voltaram com eiles para Cachoaira O Sr.
Turner, acompanbado pelo Sr. Florence, amiga
do Sr. Daly, parti da Babia no domingo s 40
horas da ranh, mas tocando no cannho na po-
voaco de S. Franciico. soube que o amigos do
Sr. Daly ja estovara em viagem pora Cachoeira,
acompanhando o corpo, e por isto seauio direc-
tamente para Cachoeira, chegando alli s 7 l/
horas da noite.
Depois da ebegada do corpo em Cachoeira e
cumplidas as formalidades precisas, foi este
acompanbado ao cemiterio por numeroso con-
curso de pessoas, e itando entre ellas todo os iur
gtezes e allemaee all residentes e mnitas pes-
soas de alta posicao da Cachoeira, entre as quaes
uotavam-se o Sr. Di. Pedro Vicente Yianna. pro-
motor publico, o Sr. commerKador Silva Pinto
e o Sr. Manoel Joaquim de Souza e Silva, sendo,
o enterro feito na segunda-feira s 8 horas da
mantia, quando linalmente conseguio-se abrir a
sepultura.
O finado
No Rio Sergipe do Conde
Subahc
< Traripe
Paraguass
Jaguaripe
Eventuaes 1" '/<,
3:000*000
lt 6o:000i000
109.000*000
110.000*000
406:000*000
40:000*000
uu.. Sr. Tilomas Daly gosava da estima
geral dos seus amigos e todos que o conhece-
ram, e seus empregados, dependentes e colleaas
aempre prestaram-lhe todo o respeito por causa
da manen-a atteuciosa com que sentare tratou-os.
Os servicos prestados pelo Sr. Daly em bene
Hcio da companhia sao mais valiosos do que foi
prestado por outro qualquer empregado, tendo
elle tomado parte importante na installacao dos
raachinismos. Elle tambera prestou servicos
importantes na sui do imperio, se nao um dos
principaes engenheiros incumbidos da installa-
cao da fabrica do Rio Branco, na provincia de
Minas. 9
Em prol da justica e da bumanidade e impos-
sivel tributar louvor sufficiente ao Sr. capito
Vespasiano. capturando o criminoso, e, por esta
forma, prestando ainda mais um servico valioso
aos muitos actos de bondade e coadjavacfio que
tem dispensado a toda gente relacionada com a
fabrica de S. Tbiago.
sobre liquidaco c pagamento das dividas dx>
0*waf le r iweniUi elUfreili lmmi. n^
o tituto de ContaaUiii puotica,-oceupou-se do
assumpto, fazewle*a>re9peito consideracOes quat
nos pareoeram de todo o ponte, aito-enteriosas
a aceitoveisi-
Tudoqunnto, de louge ou de perla, concoirer
para a verdade orcamentana, para tornar elfec
ti\-a a nsealisaeo das desperas pubcas pel
EarlamcBto, o que oonstitue-uaia de saas attri-
ojoes ute caractersticas, um $raadefeeso
mugues nwtsOBrawensucas, c um pia*n'pwiau m icpuunwuM i au u uMocguuwou
qae se d para tornar, em nosso pa, o.systewa. acontecimento, nao reconheceu o prepno.Pai'B a
Umnni ,.mn ocnl^tiHi,1 n roi\iiIlii(o \ Hit* acftrto (lj nrnvifimniaB trenada* acia itfiiifi;i *
Somna total 446:600*000
. xcluindo o melboramento de rio Traripe,
isia importancia redux-se a 371:100*000 .
Sob o titulo Assussmato, escreveu o lorn;i
Owrendo ao conhecimento do Sr. Dr. chefe
le Pnete, no sabbado ultimo, ter sido mortal-
nente fcndo na freguezia do Iguapc o subdito
SSet J Dalv, gerente da fabrica central all si-
ada, S. S telegraphou immediatamente aos
Sra Dr promotor publico e delegado de polica
dk radioeira ordenando-lhes seguiein sera
neida de terapo para o lugar do acontecimento.
ifim de tomarera conhecimento do crime, pro-
cedendo em seguida segundo o que premtua
a f Reeebido o telegrama, o delegado.da Ca-
choeira pedio ao Sr. Dr. chefe qae a nata de
Jaragofipe ^ esn-rar ho^o vapor da ca -
pira d vendo ir n'etla altran pracas (to des-
tacamento pslicial de Maragogipe.
. Estavam sendo dadas todas aa providencias,
conforme esse pedido, quando ***
teleraphou novameute declaraudo ao Sr. Dr.
hefe de polica ter resolvido. seguir para. 0
Iguape era urna canoa, presrindindo portanto d
" a! A mesma autoridade commrfnicou ao sen
chefe que o gerente da fabrica central havia
sido 'effectivamente assassinado, tendo sido o
cadver remettido para Cachoeira, onde cnegara
O 'assassino foi capturado, tendo sido reque-
ridas cinco testemunhas presenciaes.
No dia 17 pubhcou a mesa folha :
Ainda sobre o aasassinato do syenturado
.rente do engenho central do .Iguape, o Sr. Tiio-
owiDalTquo gosava de estima entre os seus
oatriios e diversos amigos, nos enviou teste-
munha presencial do tacto os apoatamentos que
,im e"iuda pdblicamo ,
. No"abbado li do corrente, estando urna
turma de trabalhadores carregar.de> saceos de
assucar dentro da fabrica central de> Thiago
do^Iguape, Ura delles, chamado Sabino da An-
nuncwcoi persisti em nao trabalhar, nao obs-
tante ter o gerente da fabrica, Sr. Thomas Daly,
re"ormnendado a elle diversas vezes a .seguir
co'm otrabalho, tendo. porm Sabino continuado
a insistir em nao .trabalhar. foi pelo Utesrao Sr.
DaWde2J'de ser demittido, pedio Sabino a
sua tonta, no que foi logo satiste'to. Tendo,
norm, elle continuado sem retirar-se da fabnca,
o Sr Dalv perguntou-lhe porque fleava, e si a
conta nao eataua exacta, respondendo Sabino que
aira.
Afastou-sc entio o Sr Daly, de Sabino e cs-
tava em frente das caldeiras, dingtn lo o tra-
balho, quando Sabino traisoeirameme aegurou-o
elo braco esquerdo e cravou-lhe urna Tacada no
eAraco 'e mais tres em outras partes do corpo.
A morie foi quasi instaranea. porque sendo
e'le levado para casa, qu^ era perto, reconbe-
ceu-se, na chegada alli. que a vida esteva ex-
U \vste intervallo, o assassino escapou-se cor-
reffoVSSo *, engenho CruZ. pela estrada
de ferro da companhia, sendo perseguirtei pelos
U-abalhadores da fabrica, quando appareceuo
C orrospoBdencla m Diarlo le
Peroaaibaco
RIO DE JANEIRO cobte, 15 de Ja-
neiro de 1889
Summario:Estago calmosa.Calmara poli-
tica e administrativa.-ExcureOes e
villegiaturas. Ministros ad i*trim.
Conselho de Estado.Contabilidade
publica.Raocos de emissao.Escola
de viticultura em S. lauto.Porto de
Pernambuco.O contracto de carnes
verdes. OpiniSo do Jornal do Com-
mtreio -Pote- imprensa.Attitude do
>aiz.Ioquerito policial sobre os con-
flictos do dia .Exoneragao do 1.
promotor.
Continuamos a sentir ainda os terriveis elTei-
tos de urna temperatura abrazadora. Tem feito
oestes ltimos dias, iuinterrompidaniente, um
calor rasuportavel, asphixiante.
Como consequencia natural tivemos a visita
de um hospede de fea catadura -a febre ama
relia, que peridicamente faz a sua invaso nesta
cidade no tempo do verao.
Por ora nao tem sido muito consideravel o nu-
mero de suas victimas, embora o obtuario j
tenh i registrado diversos casos e outros venham
atlenuados por classiucactes medicas menos as-
sustadoras. .'
O vero este armo val sendo terrivel e anda
mais senaivel se tornam os seus resultados por
que o do anno passado foi relativamente be-
nigno, muito suporlavel e a salubridade publica
pouca aiteraco soffrcu, conforme attestam as es-
tatisdeas. ....
Se no mundo ph3ico esta a eicao dominante,
o mesmo acontece no mundo poltico.
Poneos fados importantes temos a registrar,
porque poneos foram aqueiles que deixaram ira-
prossao no espirito publico ou que pela sua im-
portancia merecam ser mencionados.
Se a falta de assumpto nao fosse um lugar
commum j muito oxolorado pelos chronistas de
toda a especie, quando se vn>m em apuros, seria
agora occasio de compor mais um, varteco
sobre este velho thema. __
Nao o faremes, procurando respigar por entre
a aridez dos ultimes dias alguma noticia ou ai-
Mum facto, que por sua natureza ppssam uterea-
sar aos letores do decano da irajirensa, no norte
Mu as regio poliiicas urna certa calmaria.
Encerradas as cmaras, as ferias parlamentares
produzem necessar ament esta airainuicfio de
i, 11 V'l]U(lt'
O oropno minieterio, o orgfto mais activo da
vida poltica em nosso pate, parece querer seguir
neste ponto a corrente geral e fazer como toda a
^Ghegou tambera para aqueiles que o compoem
a poca das excursoes e vUgiatura.
OiUustre presidente do oonselho subi para
fetroaolis onde tea a sua resdspaa de ve/o;
o hOTrado Sr. ministro da agricultura, um dos
mais laboriosos membros do gabinete 10 de
Marco, entrn no goso de umalteenca e esta a
e*te/hra era Sorocaba, na provincia de S. Paulo.
~Por sua vez os Srs. ministros 4a guetra e do
imoerio seguirara bontem a bordo do Aquidaban,
n^ra visitaf o lazareto da Ilha Grande e a velha
cidade de Angra dos Reis.
Aorooosito destii ida do conselbeiro Tliomaz
Coelho a Angra dos Reis diz-se e alguns jornaes
tom divulgado, que S. Exc. pretende reformara
Fscnli Militar da corte, usando da autonsacao
lhe foi conferida peio poder legislativo, e
do Cmm/rto, defeaderam os actos do govemo,
ensarilhou as armase est agota daoino menos
exaltado e com intuitos 'mate nasifleea.
.aiiaao e com aHUuOS >mu8 oeaincea. ao exprcssuujL-uie p a lAuupauuia reruaauu-
Realmente a oppoaicaque e Paiz. teuteu me- cana d* Naregacao Goeteinu cute' digne direc-
mrcontra o Babuwsono.tiohao minimoifunda.
ment e era insompatlveL cora a sua posicao de.
jornal neutro e nao Miado a neohura dea parti-
dos militantes. Que culpa pedera ser lancada a
coate do govemo, peto Jatta de mete duzia.de
Irealeesados inteoteren deafeHear ao redactor
chefe d'aquelle jornal
nioes republicanas? Ais
cansa de suas opi-
no dia segante ao
parlamentar urna esplendida realidade. Ofa
na velha Inglaterra foi urna conquista sobre o
poder real, entre nos urna consagraefio oeuitit
tucioual, urna conquista da lei, que carece ape-
nas ser praticamente executada, deduaiudo-se dos
principios nella eslabelecidos todos os seus na-
turaes corollarios.
Foi tambem publicado nestes ltimos dias o
dec. a 101*4 de 5 de Janeiro de 18B9, regulando-
a execuco do dec a 3403 de 14 de Novembro
de 1888 sobre.os bancos de emissao.
Este regulamento para execucSo da lei relativa
aos bancos de raussao, est perfeitamente de
aceordo como punsamento legislativo, tira delle
todas as suas consequencias, desenvolvendo ai*
teriosauente as ideas comidas na lei e providen-
ciando de modo a tornal-as praticaveis. Feliz-
mente com este acto do poder exoeutivo nfle dea o qe por vezes tem acontecido com outros
da mesma natureza.
Nao ha no regulameulo recentemente publica-
do, nenhuma rmovaco jurdica, nelle nao se
creou dirctonovo, contrario ao intento do legis-
lador, neo se procuren legislar, iavadindo a
esphera de attribuioes do poder legislativo. Con-
formando se com o pensamento legal, o regula-
mento limitou-se ao desempenho de seu papel.
A tei estabeteceu as formulas geraes, as theaes
jurdicas ; o regulamento tirou dellas as conse-
quencias, entrou uo dominjo variavel das appli-
cagoes. Isto tanto mais digno de ser louvado
qnanto sao em nosso paiz bem conhecidas as
tendencias invasores do poder executivode go-
verno. como se diz vulgarmente que todo pre-
tende avassalar revestiudo-se de omnmodas fa-
culdades e cerceando por todos os modos as en-
tras manifestacOes do organismo poltico do Es-
tado.
Esta tendencia geral e commum aos govemos
de ambos os partidos constituciouaes. Nao
um de feito partidario, um vicio orgnico, um
resultado da centralisaco.
O governo, no patritico e elevado intuito de
diffundir o ensino technico, est resolvido a fun-
dar na provincia de S. Paulo urna escola de vi-
ticultura. Para te fim encarregou ao distinc-
to enlogo Sr. Joseph Watzel de organisar o r
pectivo projecto, considerando a questao era to-
dos os seus aspectos. Eseoma de terrenos ade-
quados, levantamento de plantas e planos do
edificio principal e de todos os seus accessorios.
orcamento de obras, acquisicOes, apparelbos e
instrumentos necessarios, todo isto fin incumbi-
do de fazer oSr. J Watzel. que ter-como au-
xiliar ao engenheuo F. Das lardoso. Todos
estes exames e indagatoes devem ser concluides
at Julbo prximo, de modo que a este tempo
possa o governo estar habilitado a autorisar as
construccOes e fazer as encommendas que forem
necessanas.
Para desenpenho Je sua mis&o o Sr. Joseph
Watzel devera llxar sua residencia em S. Paulo
estudando a qucs'ao nao so quonto a enoregia,
ou fabricaco dos vinbos, como pela viticultura.
Setao bella tentativa forrea Usada ficar a lio -
rescente provincia de S. Paute dotada de dous
estabelecimentosile primeira ordem c que mui-
to concorrero para o seu futuro econmicoa
escola de viticultura e a estocao agronmica de
Campias, que j comee* a produzr bous re-
sultados.
Na epocha em que uoa adiamos, depoia de
termos feito pacificamente a evolucSo do traba
Ibo, nenhnma necessidade mais palpitante nem
vem satisfazer necessilade econmica mais im-
periosa do que o eStabelecimeoto do eusiuo te-
clmico. Com o trabalho livre incompalivel a
retina e para dcstruil-a. con todos os seus moa
effeitos, e preciso espatliar por todas as carnadas
os principios scieotiiicoa ciuo conjuncto forma o
ensino techuico em suas tres grandes divisOes -
industrial, agrcola e commercial. Esta deve
ser urna das principaes preoccupacOcs dos nos-
sos estadistas e homens pblicos e Colgamos em
reconliecer que o honrado Sr. Antonio Prado,
compenetrado das innmeras vantagens de tees
UiM&rcocs, mostra-se resolvido a unpulsionar,
pelos meiw. ^ s,.a alcaace, o desenvolvuneuto
do ensino techmciS ^^innal. Neniunuj'^to
seria mais digua de .p5on rnTCWiva, a
deahum elle ngeria ate brilaaitement a seu
E' necessario, porm, systhematisar todas as
crticoes que se pretenerfrem fazer. sujeitat-as a
um plano, de modo que, consultando-se as ne*-
ceasidades locaes, todas as zonas do paiz, o nor-
te como o sal, sejam dotados de institutos" tech-
nicos E* um assumpto este que offerece varto -^
campe a actividade inteUigeirta de ura estadista
zeloso pelo futuro do seu pas.
Oxal pode8semos um da dizer da futura es-
cola de viticultura de S. Panlo, o mesmo que da
real escola de viticultura de Geisenheim disse
acert das providencias tomadas pela polica ?
Os larnentaveis acontecimentos do dia 30, con-
tinuara a ser objeeto de um inqtKrito policial,
oo qml tem sido chamados a eproa.princi-
paes ebefe8 da propaganda republicana, tt-ide-
puzeram os Srg. Lopes Trovao, Silva terdiin.
Barate Rifceiro e Saaipaio Frrea: Este ultimo
que exercia o carg de l* promotor publico da
orle acaJta de ser exonerado. moco muito
hbil, honesto*; -s.se tomou incompalivel com
o cargo que exercia petesreuas opimoea franca
mente republicanas.
Este acto do goveniefoi bem recebido. at po-
los propras adversarios, porqae estaO todos de
aceordo em' jalgar insustentavel a posicao de um
orgao do miateterio publico, fanecionario de eorr-
lianca do governo, que ao mesmo tempo pro-
pagandista exaltado, que comparece a meetuigs e
conferencias e faz causa commum com aqueiles
que pretenden) destruir profmainstitoigao, que
elle obligado a defender em virtude dos deve-
res do aeu cargo. Nao sabemos mesmo como tal
anomala foi por tanto tempo tolerada. Em qual-
quer outro paiz, mesmo entre aqueiles que sao
apontados como de mxima liberdade, o facto
de certo nao se dara.
Urna instituicao que nao se defende urna ins-
tituicao morta e emquanto a monarchia tiver de
seu fado a opinio publica, a materia do paiz,
ella representa a soberana nacional e tem o de-
ver de oier reepeiter os seus direitos. Resta aos
republicanos usar dos meios legaes e mostrar qne
do seu lado est a vontade nacional Em quanto
[>orm isto nao acontecer, o governo tem o de-
ver de fazer reepeiter as instituicoes, sem com-
presslo nem violencias excusadas, mas dando
apenas rigoroso cumprimento a lei.
, v*r Una iDe Aberdeeu, na Eacoseia,
acaba de chegar esse magnifleo^apor,. construi-
do expressaarente para a Companhia Pernambu
que
nneim mase paratoria
nm iltostre eiigefilieteo-egOiWRio, qae ew wp ^hn'o*.
'__. .__ ~* m ~* r* nn M* i i i J I 1 111 I t\il '1 1
REVISTA DIARIA
AcIom oMriaro Por acto da presidencia
da provincia de 9 do corrente mez foi demittido
a bem do servico publico Francisco de Paula
Mendes do cargo de alferes connnandante da 1
cstacao da guarda cvica; e nomendoaara substi-
tnil-o o sargento Antonio Luiz de Sorra Oaval
cante.
Por actas da mesma presidencia de 10 do
corrente mea :
Foi declarado ao Dr. secretario da presidencia
que niio deve incluir na colleere das lers pro
vinciaes, os z'decretosjrablicados pelo vice-pre-
8identeda Asseorblea Provincial, "por quanto fe i
suspensa a execuco de ambos.
Foi declarado que o alferes nwieado paro a
3 companhia do 63 batelh da guarda nacio-
nal de Oliuda cbaraa-se Vicente Fernandes da
Costa Luna e nao Vfcent PeYrelra da Costa
Lima.
Foi nomeado Andrelino de Souza Martins, para
o lugar de 3- supptente do iuiz municipal e de
orphaos do termo de Villa Bella, passando o
actual 3 tenente Galdino Goncalves de Lima para
o lugar de 2o na forma da lei.
Foi aomeado sob proposta do administrador
dos Correios, Paulino Baptiata de Siqueira para
o lugar vago de agente do crrete da villa de
S. Jos doEgygto. "
'* Por actos da referid presidencia de 11 do
corrente mez :
Foi aberto um crdito de 5:958*017 sendo
5:560*918 a verba irsenaea e 397*999 a verba
Hospitaes do Ministerio da Mannha, alim de
occorrer ao pagamento das fothas dos operarios
e pessoal empregado na enfermara do Araenal
de 'Mariana. .,
ti nomeado Jos^Francisco Pereira da Suva,
para exercer ipterioamente o logar de continuo
daReparticao das Obras Publicas, at que se
aprsente o funecidhario ultimameme nomeado.
Por ol'.icio da mesma dato mundou-se o The>
souro Provincial pagar a Nicas da Silva Guar
mtf, aa quantias de 701*050 e 1:084*800 a que
teindireto pelos reparos do pontulho da lh
de Luiz do Reg e ponte de Tapacur e Maues:
* Por actos da dita presidencia de 18 do cor-
S&Wio\ nomeado: Bia* Cavateante de
AS&V&"hSfH"a i'om 4epHr da 1
companhia do rjaTalfi>/ "- -fcmrfu da ranr-
da nacional de Panellas em substtUT5t.u a? n.
noel fos de Souza, qne uto ttroff patente.
laiorldndr policial-4'oi portara da
nresdeaite da provincia de 19 e proposta do Dr.
chefe de'wiflete de (7 do corrente foi nomea-
do Antonio Rodrigues Lima>Filho, subdelegado
de Mandacaia do termo do Brejo*,
t5o de^oaoBordeiro de Souza,
fot exonerado. _
E\poico Provincial Encerrou-se
ante-hontem noite arexposlcao provincial, pre-
toria da Universal de Pariz do crreme
loria procura. melharar toa o malerial exis
tente.
E' um navio de ac com todos os melhoramen-
tos conhecidos ; tem a cobarta corrida e todo3
ee-confortosneceseario para 40 passageiros' de
r c 60 de proa.
E' de triple expansin, e assim navega consu-
mindo 5 tonelaaas .de. carvo por da, e com
marcha constatlte "do Iff mtlhas ingleaas por
hora.
Teoi.ctessede primeira ordemr.poHoALomIs
deu-a de 100 X.
Fdi-aiu seus constructores- os afamados enge-
ngeiros A. ffdr'&X., conhecidos pela fama que
,- aoquiriram'nos ii.tvioe vehwes que construiram
Ferros: Este ultimo ]ra rondusir l da China Londres.
. 0 mesmo vapor tbi contractado pela firraa de
W Blakburnde Liverpool i
S6 assim jiodcr a companhia prestar con
mais ntilidadee vantagens. seus beos servicos ia
linhas do norte e. sul. e temar a sua navegaco
mais assidua e importante nos partos commcr-
ciaes qne ha meitos anuos l'requeuta.
Fntuidade dr ivirelto Trminou bon-
tem ofjfocfflsedo concurso- para provimento da
cadeira de piiilosophia do cuno preparatorio
annexo Facumado.
Foram concurrentes os. hachareis Virginio
Marques Carneiro LeSo, Laurndo Carneiro Leao,
CIovis Bevilaqua e Olinto Vctor.
A commisso julgadoracompoz-se do director
interino da Faculdade. conselbeiro Silveira de
Souza, dos Drs. Jos Hygino e Albino Meira. co-
mo examinadores, do Dr. Barros Gnimaraes por
parte do presidente -4a provincia e do Dr. Cirne
por liarte da directora.
O concurso comecou no dia 17, pela pro va s-
crpta, contmuou no dia 18 com. a prova oral
e hontem veriffcou-se ojulgamento das provas.
em vista das quaes a rommisso i de parecer
qae os candidatos fossem dassieados do modo
seguinte :
Em 1 lugar e em igualdade de condicoes os
barbareis CTovls Bevuaqua e Virginio Marques
Carneiro Lee-, em lugar o bacharel Ohnto
Vctor e eny.3 o bacharel Laurindo Aristateles
Carneiro Leo:
Iloje s 11 horas da manija deve. reunirse a
congregagao dos lentes para encerramento dos
trabalhs academices do anno lindo.
B<-viat* uiHatrsietaRecebemos o n.
531 desta revista fluminense, serapre digna de
epceco quer pelas gravuras que contem, quer
pelos artigos que publica.
Si4ea opnmintoloajcaaCom este ti-
tulo, o. Sr. Dr. R Tarques acabada ioeetar em
Pelotas a publicaco de uns foiolhetos, em que
t conte da sua clnica ophtalmologka.
0 primero, agora recebido d'all, e que agra-
decemos, abre com a exposieSo de um l^'o
t rae lamento pn ipli y ltiro e curativo da Opatel
mia Lymphatira pela cirurgia conservadora e
conclue pelo registro e obserracoes doaicasos
tratados pelo autor.
E'trabalho que pdu rnteressar aos especia-
listas.
Femando de \oronfckf Do presidio di:
Fernando de Norenha regrassoa, entrando, aute-
hontera no porto do Recite,' o vapor Jaguaribe
da Gompanfiia Pernambacana, o qoal rrouxe no-
ticias qae alcanram a 17 do corrente.
O presidio cqptrauava era paz. O estado sa-
nitario era bora.
Persista, porm a-secca. Ha longos mezas
Aua-alli nao tem vahdo um-? golla diATir-1' o
que tem damnificado multo as [avoras.
Hervlro alUtarrEstao designados hoje
para superior Io'OIb o Sr.'capitfio S Barrete e
aa monoroSr. alteros ajudaute do IV
, r^Ve*^iaooTe^ logo querube, do
urage que tinha soffrido seu amigo Sr. Daly,
metteu as esporas no cavallo e seguio o assas-
siao, consegrando captural-o, nao obstante mna
forte resistencia, at que vieram os trabalha-
dores da fabrica, que prenderam e levaram-o
cara S Thiago, aonde foi elle posto sob guarda.
Sendo inmediatamente avisado do funesto
acontecimento o gerente da fabrica do Rio Fun-
do t'ez-se acompaohar de seus compatriotas, e
partiram immediataraente para o Iguape, e de-
oois de viajarem a noite inteira, chegaram a
sT Thiago s 7 horas da manha do domingo.
A i elles esperaraip o Sr. Turner at s 2 horas
di tarde, e nSo tendo ate esta hora este, chegado,
ri onositaram o corpo em urna canoa junto com
o assassino e seguinim [ara Cachoeira, che-
aando all s 6 t i horas da tarde.
A noticia do acontecimento chegoa
ruu ao Sr. Tur-
, i u Baha s 8 horas da noite da sabbado, o
aual ero seguida fez communicaco do facto ao
Si Sr. presidente da pro>incia e ao Sr Dr.
chefe de polica, que incontinente exnedio tele-
Sammas ao promotor publico e ao Telegado da
Soeira para darem os panos necessanos
para prender o criminoso e
para S. Thiago.
msferir a sede d'aquelle estabelecimento de
educaco militar puro aquella cidade.
Dizem que os velhos conventos do Carrao e de
S Bento que alli existem, convenientemente res-
taurados, prestam-se queUe ra.
Esta providencia, que tem merecidp a appro-
vaco de rariaa autoridades superiores dei exer-
cito parece vantajosal sobretodo consider.da
nelo lado da ordem e disciplina que deve remar
en urna insiituicod'aquella natureza
Nao eremos porm que baja nada definitiva-
mente assentado sabr o assumpto.
Continuara interinamente na pasta da agricul-
tura, durante a ausencia do Sr. Antonio Prado, o
Sr. conselheiro Rodrigo Silva e na pasta da ma-
rinha o Sr. conselheiro Thoraaz Coeiho.
O Sr. Raro de (iuahy aqu esperado, da pro-
vincia da Babia, oadesc, acha no da 15 ou 86.
No da 12 reunio-se ao meio da no paco da ci-
dade o conselho de estado, em sessao plena, sob
a presidencia de S. M. o Imperador.
Compareceram os Srs. conselheiros de estado,
Sua Alteza o Sr. Conde d'Eu e os srs Mrquez
de Paranagu, viscondes de Sinimb, de Vieira
da Silva, de Ouro Preto, de S. Loiz do Maranhao
e de Beaurepair3 Rohan e Corroa, e todos os
m O moUvo da convocaco foi um pedido de cr-
dito extraordinario de 130:000* e qdO deve ser
applicado s despezas com a commisso de li-
mites no territorio das Missoes.
Noticiando a reunio do conselho de estado
dlS.S00 Sr.^conselheiro Rodrigo Silva, ministro
dos negocios estrangeiros, fundamentou eapre-
sentou urna proposta de crdito extraordinario
de 130:00-*000 para novqa estados no ternto-1
rio intermedio do Brazircom a Repblica Ar-
aenUua, linha do Iguass e Paran.
g Tendo as commissoes brazileirae argentina de
estados do territorio do Pepery-Guazu e Chapee^
Santo Antonio e Chopira, dado por concluidos os
seus trabalhs, entender o govemo imperial dis-
nentavel a verba do orcamento que cpnsignaya
quantia para esss servico, e a verba foi suppn-
S no orcamento em vigor. Occorreram, po-
rer! duVidas quanto ao territorio intermedio -
e o Imperio do Brazil e a Repblica Argentina
concordaram era fazcl-o eatedar pelas commis-
SiQWtrabalharam naquellas regioes.
- Dessenovo aceordo proveio a necessidade do
crdito extraordinario ^de 130:000* para occor-
K[ A So de tres conselheiros de estado,
todo os membros presentes sessaoi votaram
pda concesso uo crdito, que por estes das ser
deNete "sessao prestaram juramento os conse-
lheiros de estado1, extraordinarios, ltimamente
n0Entre009 ltimos actos administrativos recen-
temente praticadospelo governo merece ser meii-
, BWOT-^- cionado o decreto expedido pela Ministerio a
natiiar urna (orea Faenda. regulando o modo de contar o anno
Innanceir e estabelecendo certas providensias
visitnos principaes institutos agrcolas da Al
lemanha.
O gabinete 10 de Marco acaba de prestar 4
essa provincia um assigoalado servico contrac;
laudo as obras do melhoramen'.o do porto do
Recife. Era esta urna necessidade geralmente
sentida e proclamada e depois de tantos estudo
e tentativas era tempo de entrar-se no dominio
dos factos, realisando-se urna proraessa taatas
vezes feitas e ate agora nao realisada. Quando
e trata de melhorar os portos do Rio Ornnde e
de Santos, nlo havia de certo raiSo para demo-
rar o melhoramento do porto do Recite. Tra-
tava-sc de urna necessidade publica do mesmo
I modo urgente e inadiavel. Nao se compreheode
mesmo como por tanto tempo estove a provincia
de Pernambuco privada deste grande beneflio,
Emporio commercial de primeira ordem, cidade
de grande futuro e com muitos elementos de
progresso e desenvolvimento, o Recite precisa
va de melhorar as condieoes do seu porte do
modo a facilitar-lhe o accesso toda sorte do
embarcacoes. Com tal melhoramento lucrarao
o commerek), a industria, as rendas publicas e
particulares. Deve pois considerar-se o acto do
governo, autorisando a construeco das obra?
neceasarias ao porto do Recife, como um strvi-
co de mxima relevancia; .....
O Jornal do Commercio. em artigo edictonal,
do dia 12. oceupou-se do contracto de carnes
verdes do Recife, que. segundo consta por tele-
gramraa, foi mandado vigorar pelo ce presi-
dente da Assembla Provincial, nao obstante ter
o ex-presidente da provincia recusado publicar
o decreto que approvava o referido contracto.
Collocando-se ao lado da livre concurrencia
verdade econmica geralmente admittidao au-
torisado orgo da opmio brazileira, nao duvidou
fazer judiciosas observagoes no sentido de mos-
trar os graves prejuiaos que inevitavelrnente de-
correin do rgimen do monopoliopiincipalmen-
te tratndose de supprimento de genero de pri-
meira necessidade.
A argumentaco do contemporneo nos pare-
ceu sensata, criteriosa e no mais perfeito aceor-
do com as doutrinas pregadas pelos melhores
economistas do nosso terapo.
Segundo claramente se infere dos termos effl
que se acha coocebidoo acto do presidente que
recusou publicar o decreto da Assembla Pro-
A's 8 i/2 horas reunidos no salao nobre do
Palacete do Lyceu de Artes e Officios o Exm- Sr.
presidenteda provincia, as commissoes da expo-
sicio e da weiedade dos Artistas Mchameos e
Liberaes, e algumas pessoas gradas, o Exm. Sft
visconde da Sifva Loyo, presidente da commassao,
em breves palavras agradeceu o concurso que
prestaram as autoridades e a popnlacao da pro-
vincia pera o xito da exposico, e declarou esta
.encerrada. Orou ainda o Sr. Dr. Ferrer.
A banda marcial tocou o hymno nacional, que
foi ouvido de p e respetosamente por toda a so-
ciedade alli reunida, *m avultado numero, en
chende completamente o grande salo.
Em seguida, a conjraissao offereceu ao Exm
Sr. presidente da provincia um calix de cham-
pagne, sendo trocados n'essa occasio diversos
brindes de felioitacOes e comprimentos.
A exposico, nos 8 dias que estove franquead
ae publico, foi muito visitada, podendo-se calcu-
lar em mais de 25.000 pessoas as que foram
ver e admirar os bellos eaperimens da nossa in-
dustria agrcola, fabril e manufactureira all reu-
dos ,
Sobretodo, no ultimo-dia, 20 do corrente, a af-
Ouenoia de visitantes foi enorme. Quase se nao
podia percorrer os salOes, tal era a aglomeraco
de gente, incessantcmente renovada.
Depoisida iiteaguwso, toram recetados muitos
e variados'objectos, que augmentaram copiosa-
mente exposico, concorrendo para que o con-
juncto dos productos naturaes e artefactos ndus-
triaes all reunidos apresentasse ura bel o as-
pecto e fossem mais uteis os resultados colindo*
do certamen. ._____
Nao diremos que a exposico pernamnucana
ir sobre-sahir nomagestoso palacio da Exposi
cao Universal de Parte; nem mesmo entre as das
demais provincias do Imperio; mas temos a
convieco de qae Pernambuco nao tara tambem
.;.,><, fi<,,r:i nTnniiPlla hatalha oacifica do traba-
vmcial, o contracto da Cmara Municipal a con-
sagracao ofticial de um monopolio, embora disir-
cado. 'Nuda nos parece mais perigoso, principal-
nuble tratando-se de um elemento essencial, de
urna das bases da alimentago publica.
Somos, em regra, adversarios decedidos de to
da a intervengo do Estado em certa ordem de
inleresses econmicos. O contracto municipal,
ferindode frente urna das leis naturaes da eco-
noma poltica -a lei da concurrencia-instituio
um privilegio, que, parecendo approveitar aos
consumidores, pode preiudcar aos seus interes-
ses eotregando-os ao arbitrio dos inonopolisado-
res, por espaco de seis annos.
Neste lapso de tempo podem variar as comli-
c.>s do mercado e entretanto a raercadoria Boa
serapre sujeita a taxa oflicial eslabelecida pelo
contracto. Isto parece irregular.
Pensando deste modo vimos com prazer a nos-
sa opi'iio sustentada por autoridade de tanto
valor como o Jornal Jo Commercio. ^H
O Paiz. que, a proposito dos disturbios do da
30 de Dezembro, se tinha manifestado em oppo-
siio ao actual gabinete, parece ter ltimamente
modificado a attitude beHicosa que havia assn
mido. Depois de um pequeo tiroteio. eem al
guns escriptores quenoedictonaeg do Jornal
conviccao ue uuc rciuamu-^v -- ,r-z-
triste figura naquella batalha pacifica do traba
Ihointelligpntee livre. .
A nossa exposi{liao menos no concernente a
industria agrcola e abas dependentes, ha-de all
dizer o que valemos como productores dos cha-
mados geoeros coloniaes, e nao nos deixarade
todo mal collocados em relaco algumas artes
industraes
Sob a injluencia desta- lisongeira esperanca,
que parece-n* assentar em fundamento serio,
comprimentamos a aommissao diretora da expo-
sico pernambacana, rafconhecendo os valiosos
esforcos por ella empregados para '.irar-se cora
hombridade da diffkil ihisaao qne de tao boa
vontade desempenhou, rtBrm
Kmpres-adi la Alfandega-0 Exm
Sr. conselheiro JoSo Alfredo Corre de Ohveira
respondeu nos seguiutee termos carta que lhe
foi dirigida acompanhando o mimo aue os era-
pregados la altendega desta cidade lhe offere-
CTm0 de Janeko, 24 de Outabro de 1888-
lllms. srs De posse da honrosissima carta de
Vs. Ss de 13 do corrente e da P^01ren:
da, que, em nome dos empreipdos da alfandega
dessa cidade, tiveram a bondade de remetie-
ra-, peco a Vs. Ss que acceitem, e se *****
transmittir aos domis companheiros a expre,
sao sincera do meu profundo reconhecimento
pela alta prova de considefagae e apreco que
acauam de dar me. _
Com toda a consideroco subscrevo-me De
Vs. Ss. atiento e obrigadissimo criado.-teoo
Alfredo Correia de Wit>etrat Illms. 8.Dtten-
fredo Barata de Almeida, Julio Sylvio de I
latalho de infautaru.
A gnarntfflo da cidade dada'hoje pelo
IV- batalho d infantaria, com o uniforme n. S.
A guarda da Tbesouraria commandeda
bote pelo Sr. tenente Manoel Mauricio hopos
Lima.
Existem em tratamento na enfermara mi-
litar 48 pracas dos corpos da guarnico.
Funccionou hontem o coaselbo de guerra do
soldado do 14.* batalho Joo Matbias Nogneira
do Nascimento sob a presidencia do Sr. major
Luiz Antonio Ferrar, concitando hoje os seus tro-
balbos.
O Basa. Sr. general conceden transferen-
cia para o 2. batalho de infantaria ao acedado
sera corpo designado Antonio de Souza Rege,
que se chava addido ao 14. da mesma arma.
Fjrara entregues a companhia de cavalla-
ria as certidOes de assentamentos dos soldados
Pedro Sebastio de Soma e Antonio Heliodoro
dos Santos Pasaos, rubricados por S. Exc.
r"r'" pedidos aos coros da guarnieSo
eompanhia de^ca*.^.;. ~-oias ce soccorri-
meto, ua; pninj nue jera de seguir uo iwuu>i.u
paquete nacional n?ra o sumo fi^-.w..
(onrortoPara fazerem parte da commi>-
aio perantc a qual se vo produzir as provas do
coaouraonwa preenchimeoto da cadeira do sexo
huo de Pe8queira. foram nomeados pelo
.. preradeu? daproTiacja os SfS. Drs. Cicero
Peregrino da Silva e AsreWe .Mbuquerquc Ga-
ma. O acto comecar no dia 24 do corrente s 12
horas, no salo da reparticao da instrucgo pu-
iiliCl. Mmmmmmm**m\mmmm^Bz**MmWmWB***1'*^
Caaalrao fam Hlar -Esta sociedade man-
da hoje resar umamfcsaaalo repouso eterno de
seu consocio Samuel Haflfday, na igreja da Santa
Cruz, 4 horas da manba, stimo dia de sea
falleclmento. '
FerlmentoeCerca de 11 horas do da 20
do corrente, na ra Visconde do Rio Branco,
Jos Martins de Souza fez tres ferimentosem Al-
fredo Arantes Ferreira da. Silva, evadindo-se
depois. ,
A autoridade policial competente abri nqueri-
respeto. ,
EnrrnriiaaeBlo 1 -Lemos no Jornal do
Commercio da corte, oe 12 do correte :
Hontem, s 10 horas da raauhft, perante o
Dr. Salvador Monte, chefe de polica da provin-
cia do Rio, veriflcou-se o exame medico-legal
dos medicamentos que foram ministrados s me
ores Orminda e Mara, fllhas de Libono Ao-
tun&s
Foram peritos e* D. Paula Cesar, MartinB
Teixeira, Francisco Tavarea e Ferreira da Silva,
aos quaes foram propostos os seguintes que-
aitoS :
1. As formulas constantes doa rtulos que
se encontrara nos dous vidros que se apresen-
tados a exame, podiam determinar a morte de
enancas de 40dias? 2. As formulas radicadas
nos rtulos correspondem s substancias que de
faeto existem no conteudo dos respectivos vi-
dros ? 3-* As quamttades das formulas avia-
das esto intactas em cada vidro, ou ha faltas ?
no caso de falta de quanto esta? 4." As qaan-
tidades que faltara em cada vidro podnun de-
terminar a morte decriancas de quarenta das?
Responderam : Ao pnmeiro-No. Ao segundo
Sun o exame physico das substancias coat-
das nos dous vidros parecen indicar aos peritos
oue elles correspondala s formulas constantes
dos respectivos rtulos, os quaes concordam per-
feitamente cora as receitas que, assignadas pelo
Dr. David, foram registradas nos das 2 o de
Janeiro corrente, na pharmacia Drummond. AO
terceiro Sirana liquido coudo no vidro cujo
rotulo tem o n. 34,042 e em cuja composico en*
trou a tintura de opio composto (elixir parego-
rico) encontraram urna falta de 20 grammas ; e
no outro vidro que tem o n. 34,738 de registro
encontraram urna falta de 25 grammas. Ao quar-
to prejudicado pelas respostas dadas ao pri-
me.1 Antes desse exame foi interrogado o Dr.
\ffonso Vianna, que conQrmou seus attestados
anteriores, declarando que mandara guardar os
vidros da medicaco receitada pelo seu collega
Dr David, porque tal vez tivesse de voltar a essa
medicaco, caso o estado tas criancas o per-
mittisse mais tarde. Este facultativo declarou
que os medicamentos ingeridos pelas duas enan-
cas, antes de sua assistencia, nao podiam ter
produzido o supposto envenenaraento. Os vi-
dros foram de novo lacrados e sobre o seu con-
teudo o Dr. chefe de polica requisitou exame
chiraico na faculdade de medicina, por ter sido
aquella hora feito to smente quantitativa.
E' digno de louvor o zlo dos facultativos,
que promptainentt acudiram ao appello do digno
t activo magistrado, aQm de desfazer a celeuma
levantada em redor de um faci, que parece
nada ter tido de extraordinario.
A'8 diligencias erTectuadas assistio, a convi-
do modo porqae os diversos expositores tero
deremetteros seus prodoctos para aaecco
brazileira da Exposico Universav reunio-se o
syndicato franco-brazileiro, e, po propoBta do
Sr. Sant'Anna Nerv. adoptou aa duas. seguintes
resolucOes:
1. O syndicato de Pariz eacarregarse de
expr no pavlio brazleiro, tent quanto per-
mit ir a capacidad; desse ediBbio, todos os pro-
ductos, objectos e amostras qne lhe forera en-
viados directamente, anda mesmoi sem passa
rem pelo Rio de Janeiro, quer#or particulares.
quer por commissoes provinciaes e demais cor-
poracoes. .
2.* E.->cs productos, objectos. e amoattas se-
ro enviados ao Campo de Mttemor.contare sob
a responsabilidade dos interessaiaey e, fiada a
exposico, ser o devolvidos narr majnpi con-
dices,' salvo querendo os: nteresadaa dar-lhes
outro destino. Os productos, objaatos.e. amos-
tras que, por falta de espagp, nao puderem fi-
gurar na Pavilho Braziieir ou. imj aaaeos.
icaro armazenados pon conta e sob* a respon-
sabilidad? dos intiTi'ssados at sua.ulteriorde
cis3o-
Tema-se excusado accresceotar que as col -
leccOes enviadas pela commisso. central do Rio
de Janeiro, que ha muito entrou. era relacoes
cora o syndicato de Pariz, j tem espaco reser-
vado, assim como as de Minas Geraes, .etc.
E' fcil de comprehender qne o syadcato
nao pode materialrueate tomar o. oompromisso
de expr todo quanto lhe for enviado, por teso
que at hoj"ignora a quantidade desaesproduc
tos, objectos e amostras. -
Voita Si-nhora da, t oarcieeV de
poiing-R -Proceileu-se no domingo ulhmo a
eleico da mesa regedora desta devocp para o
anno compromissai de 1889 a 1890 qneificou
assim constituida :
Presidente-Ignacio.Alves Monteiro Jnior.
Vicepresidente -Jos Macara dos Prazeres.
Secretario Jos de Arimathea Costa Pontea.
Tliesoureiro-Capito. Firmino do Bago fiar-
ros.
Io procurador Antonia dos Santos Mazombo
2o dito Joo de Paula New.
Definidores :1" Leoncio Pereira de Souea, 2*
capito Antonio Pedro Cavalcante de Albnajfcr-
que, 3 alferes Pedro. Jovino da Sra, 4* Jos
Maciel da Rocha, 5 Francisco Primo da Costa, 6"
Joo Miranda da. Silva Fragoso Jnior, T Ma
noel Gonpilves da Silva, 8o Francisco de-.iroUan-
da Cavalcante, 9, Antonio de Pontea. Morgador,
i Manoel de Iiollanda Cavalcante. IIo Zeferno
Rodrigues da Silva Valle, 12 Joaquim Claudio
Pereira.
Nfoa marra de cigarra* A Fabrica
Veeza sita nos nmeros 2,4 e 6 do Amo da
Conceico, e pertencente aos- Srs. Santos 4l.,
nos obsequien com alguns macos de cigarros de
urna aova marca, intitulada idemnitacao ou. Re
publica.
Sao de bomfumo de (Joyaz., esees cigarros, e
bem preparados Do fura ac fcil e agradu-
vel.
Agradecendoo mimo, recoramenamos a nova
marca de cigarros aos apreciadores dessege-
nero,
FalU-cinaenta Em Itarab, para onde ti-
nha ido a procura dealhvio aos.seus aoffrinwn-
tos. flleeeu na madrugada, de 10 do. corrente,
victima de gastrte, o negociante desta ciando
Antonio Luiz Rodrigues de Almeida.
Traba o finado 39 annos de idade. e era natu-
ral desta provincia, onde serapre viveu, geral-
mente estimado pelo seu carcter e probidade.
Deixou vi uva e 10 fimos.
Nossos pezames sua familia.
Outro Ante-hontem a noite falleceu d pa-
decimentos intestinaes D, Umbelina Mara Au-
nes de Souza, viura, do antlgo descachante da
alfandegn Jo0 Antonio Vieira de Souza e mi
cto^Sr. Antonio Annes Vieira de Souza, negocian-
te desta praca.
A finaa. que contava 74 annes de idade,' era
urna senhora virtuosa e de um coracSo caritati
to, sendo muito estimada pelas peeBoas. de.-saa
familia.
O enterro teve lugar hontem a tarde, sahndo
o corpo da casa onde resida a fUeciita, acom-
panbado por grande numero de parentee e ami-
gos.
Nossos sinceros pezames a sua temilia, espe-
cialmente ao seu digno filho s genro. ......
I i rector*a dea obra dto cooaerra
cao dos Parto de rernambeteaRec:
fe, 20 de Janeiro de 1889.
Temperatura mxima -.29,30.
Dito tnWam -,. in_e ,
Evaporatao em 24 horasao sol: W-p', a sdai-
brai."'O. m i i -------------
Chiivanulla. ,
Direcco do veoto : SS.draBte todo o da.
Velocidade media do wnto: 3- 74 por se-
gundo.
Ntbulosidade media: f>,32
Bdletim do porto
a5
lll
M.
M.
M-
M.
Dia
20 de Janeiro

21 de Janeiro
Horas
0 38 da tarde
6-S2-
120 da manhl
713
Altara
0*35
f,52
,48
2-,42
-Effectuar-se-ho os seguintes:

-.
c.


(
i
adu a attitude beHicosa ^ havia assn ueuo "^d; Albaquerque Mara-
Depois de ura.pedOT^ttrote,ro al; da.^1 ^*aZit0deM^QdaM
te do Dr. chefe de polica, o Dr. Ges e Vascon-
cellos, promotor publico.
Bseesieio antveraal del"arla Era
data de 21 de Dezembro passa-'o, escreveu o
correspondente de Pariz o Jornal do Commercio :
a Tendo-se suscitado algumas duvidas acerca,
Letiaea
Hoje:
Pelo agente Burlamaqui, s 11 horas, a ra
do Hospicio n. 51 outros-objectos.
Amanha. : .
Pelo agente Burlamaqui, as 11 horas, a ra
do Imperador n. 4, de uro pred.
Pelo agente Pinto, s 10. \\i hpraa, ruado
Baro doTriumpho n. 75, da fabnca de vinagre
e licores ahi existentes.
Pelo agente Silveira, ns U horas, ra do
Imperador n. 45, depredios.
Pelo agente Gusmo, s H horas, ada<
Larangeiras n. 2, da armaco e gneros ata exis-
Mlssas ranearenSero celebradas:
Tattiras, na igrejada Santa Cruz, pela nl-
ma de Samuel Halliday; s-6 i;*hpra, na igre-
ja do Corpo Santo, pela alma de ^ Uiam Hart-
maur.; s 8 horas, na matriz da.Boa-\iste pela
alma de Firmino Theotonio da Cmara Santiago
Amanh : .
A's 8 horas, na matriz Ja Boa-Vista, pela al-
ma de Jorge Clemente de Borba Cavalcante ;
s 7 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma de D. Guilhermina Amalia Pessoa.Bezer-
ra s 4 horas, na igreja de Nossa Senhora do
Ter'co pela alma deWnoel de Bontes Gomes
Paiaa:eiros-Chegados de Femando de
Noronha no vapor nacional Jaguaribe :
Jos Alves, Henrique Monteiro, cadete Antonia
Ramos Chaves, 4 pragas, 3 sentenciados, ma-
nieres c 3 filhos, Romo Igreja e sua seonora,
Manoel Theotonio e sua senhora.
Chegado do sul no vapor allemao Buenos
Ayres :
Wilhelra Rumers. iimrnH-
hegado da Europa no vapor allemao flara-
burgio :
$3%*Tno vapor hurta La Pteta :
Dr. Joto Ribeiro de Brito, Dr. galthasar Car-
neiro Germano Carneiro, Dr. Vicente AUe>
sSco'rro? Richard Greening, Dr. Antonio Eme-
remdano China, Vonelle Albert e Juvuuano
Goncalves dos Santos.
__"Sahidos para a Europa no mesmo vapm- :
Marroquino%. Anatray, Joo Jo. Mendes, Jo-
s Goncalves da Rocha, Antonio G. de OtaTara
Silva. Antonio Joaquim Ramoa e Silva, sua se-
nhora, 1 fllho e 1 criada, Luiz Fernandes, A. E.
Andersen^Bird ^^^
sos da Ci.sa de Detengo do da de Janeiro
deEx8tiam 436 ; entraram 9; sahiram 4; exis-
tan 441. ,


<, .


A saber:
Nacionaes 400 ; mulheres 18; estrangeiros 23
Total 441.
Arracoados 381.
Boas 354.
Loncos 1.
Loacas 2.
Doentes .Total 381.
Moviraento da enfermara
Tiveram alta :
Martiniano Ferrcira Malbeiro.
Bemardino Alves de Oliveira.
JoSo Agostinho de Salles.
Jos Prancisco da Silva.
Joao Antouio Francisco de Lima.
Manoel Luii de Franca.
Caetano Luiz da Silva.
Teve balsa :
Justinlano Flix de Jess,
foram hontem visitados os presos deste esta-
belecmento por 300 pessoas. sendo: homens,
140 e mulheres 160.
Hospital Pedro II O ino vi ment deste
esUbelecimento da daridade, no dia 18 do cor-
rente, foi o seguinte;
Entraram 20
Sahiram 13
Faileceram 2
Existem 577
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelo* firs. :
Hoscoso is'8 lr2, Cysneiro as 9, Barros Sobri-
nbo as 7 1{4, Berardo as 11, Malaquias as 9 1|2,
Pontoal as 9 IjS.Estevo Cav aleante s 10 ho-
ras.
O Dr. Simes Barbosa nao comparecen
Ocirurgio dentista Numa Pompilio nao com-
parecen.
O pharmaceutico entumas 8lp? da manha e
sabio s 4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s 7 1|4
da manh e sanio s 4 horas da tarde.
Lotera do 6ra-Pri-A 3' parte da
25* lotera, dessa provincia, cujo premio grande
611:000*000, ser extrahida, quinta-feira, 24 do
corrente.
Cern terio Pnkllc-Obituario do dia 19
de Janeiro de 1889 :
Taffane Marianna, Italia, 63 annos, casada, Re-
cite; marasmo;
Urna creanca, Pernambuco, Boa-Vista; as
phyxia.
Alberto, Pernambuco, 4 lj2 annos, Boa-Vista;
escrfulas.
Paulo, Pernambuco, 2 das, S. Jos ; tetauo.
Elvira Dornellas, Pernambuco, 11 annos, Gra-
ca; epilepsia,
Bilidia Damasia, Pernambuco, 10 annos, Boa-
Vista ; nephrite.
Manoel Jos dos Santos, Pernambuco, 60 an-
nos, viuvo, Boa-Vista; febre perniciosa.
Manoela Maria da onceic&O, Pernambuco, 30
annos, solteira. Boa-Vista; febre araarella.
Laurentino da Rocha Guedes, Pernambuco, 36
aonos, solteiro, Boa-Vista : cachexia.
Jos Francisco do Nascimento, Pernambuco,
42 annos, viuvo, Boa-Vista; broachite.
Jos, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos ; convul-
*oes.
20
Antouio Ricardo de C Delgado, Pernambuco,
19 annos, solteiro, Boa-Vista; febre perniciosa.
Um feto, Pernambuco, Boa-Vista.
Jo vi na, Pernambuco, 4 das, S. Jos; convul-
sOes.
Alexandrlna Francisca da ConeeicAo, Pernam-
buco, 22 annos, solteira, Boa- Vista ; tubrcu-
los pulmonares.
Jos, Pernambuco, 101 annos, solteiro, Graca ;
velhke.
dilata, e converte-se n'um n, sobre cujas
firoeminncias S3 desenvolve urna vesicu-
a azulada, qus a pstula maligna, a
qual em poseo tempo se rompe, sendo
substituida por urna crostasinha preta, en-
xuta, de grande hl ordinariamente de urna
lentilha, cercada de urna aureola roxa, na
qual se observan muitas vezes aqui e alli
pequeas vesculas. Ao redor todo o teci-
do se apresenta endurecido.
Este constitu o ponto de partida da
infecco geral, quando nao consegue-se
deatruil-o completamente. A infeccJto ge-
ral se manifesta com engrandecimento e
maior roxidao da pstula, dores de regiao
onde ella permanece, inrlammacao dos va-
sos lrayphaticos por onde ella faz o seu
curso. O individuo sent no principio peso
de cabeca, ampios e symptomas febris;
nais tarde o pulso se torna muito accele-
rado, o doente cabe em prostraclo e em
breve vem a morte. Resultante do consu-
mo de carnes carbunculosas, na urna forma
especial de anteas, localizada primeira-
mente no apparelho digestivo. Os doentes
nesses caaos apresentam symptomas sume-
lbantes aos do ty pho abdominal, ou de urna
intoxicacao; e morrem em pouco tempo.
Nem sempre fcil reconhecer esta forma
de antraz.
Para prevenir a propagacao do antraz
nos animaes e transmiss&o destes ao ho-
tnem, sao severas as leis de quasi todos os
Estados. Os cadveres de animaes carbun-
culosos deveni ser inteii ament queimados,
juntamente com a pelle e o mais. O con-
sumo de carnes carbunculosas e de leite
provenientes de animaes, ainda que s-
mente suspeitados de carbunculosos, deve
ser severamente prohibido. No praticar o
corte dos animaes mortos do carbnculo,
se deverao usar "todas as precancBes pos-
siveis.
Para impedir a nfeccio geral por deter-
minado ponto lesado da pelle, e no qual
entrou o veneno antrazico, cumpre fazer
prompta e enrgica cauterisaco com causti-
co, ou melhor ainda com o therino caute-
rio.
Se a formacio da crosta tiver j appa-
recido, se dever logo destruir por meio
do fogo rubro, ou afastal-a mediante ama
accefacSo.
Estes meios sao efficazes quando sao
applicadas em tempo; e antes que a mni-
ma porcSo de veneno tenha passado ao
sangue; o qu determina a neeessidade
de recorrer sem a menor demora ao medico.
Se a doenca intereasar todo o organis-
mo e o envenenamento estiver completa-
mente feito, a therapeutica>torna-se eneffi-
caz.
General, bem dirigido por Jos Mendos, collocon-
ue na vanguarda, ganhando a corrida em 68".
-Ecla foi bora 2* e Caim 3o.
Nao corren Caiupiaciro.
Pouk du General em l; 33* ; em 2", 18*700.
Poule de Ecla em 2, 15*960.
Movimento eral, 6:3*8*000.

11 POICO DE TUMI
O carbnculo animal, tambem chamado
Sustula maligna ou antraz, urna doenca
e infeccao, que se desenvolve smente
aps a introdcelo no organismo de um
germen especifico denominado bculo do
carbnculo, o qual existe constantemente
no sangue de animaes carbunculosos, e
de ordinario lethal, sobretudo quando
tempo a cirurgia nao vem com os sena po-
tentes meios debellal-o, como comprovam
os casos de morte succedidos no Loca,
diatricto da Varzea, em consequencia de
terem as victimas comido a carne de urna
vacca morta infectada do carbnculo, e
nao serem logo socorridas.
Esta molestia se observa maia frequen-
temente nos individuos que estSe em con-
tinao contacto com animaes, ou nos empre-
e'- em trabalbof l>tos com rcoiduu
prevenientes ue mes animaes, como v-ul
as pelles, criuas, I2s etc.. **- ,
O primeiro avmr*-411* do carbnculo
nm 1-Jv.i, ou urna dr pungente no ponto
da infeccao, sobre o qual nao tarda a ap-
recer urna mancha roxa, pequea, ten-
no centro um ponto preto, que logo se
SPORT
ild i
COMERCIO
Revista do Mercado
Recife, 21 de Janebo de 1889.
Houvp algum movimento no mercado de cam-
bios-
Na Bolsa foram negociados 25 tituloe da di-
vida publica geial do valor de 1.000* cada um,
com o descont de 7 % e 97 lettras hypotheca-
rias com o descont de 4 1/2 /.-
Foi vendido um lote de algodo do srtao.
Prado l'prnambucano
Realisou-se anlehootem a 20* corrida annuu-
i'iada pela directora.
A concurrencia, a principio pequea, tornou-se
depois de 2 horas da tarde regular.
^Nos sete pareos, cujas corridas se realizaram.
foram arrecadados na casa das apostas 52.065*.
O divertimento corren em boa ordem.
Eis o resaltado das corridas :

Io pareo -Consolacao (! turma).-850 metros.
Animaes da provincia que ainda nao tivessem
ganho. Premios : 2)*, 50* e 20*000.
Bepois de muitas sabidas falsas, foi dado o si-
gna! definitivo, era boas condicoes, sendo a pona
oceupada por Boma ve, que a eonservou at a
entrada da recta de chegada. Ahi os animaes
dividiram-se em dous grupos, indo no da frente
Mylord, montado por Pedro Alexandrino, que
conseguio chegar ao tenedor em 66".
Marat foi 2o e Boma ve 3o.
p-* ue Marat em 2, 117*300.
Movimento geral, 8:880*000.
2 pareo.Coiisolfiro (V turma).50 metros.
Animaes da provincia que ainda nao tivessem
ganho.-Premios : 200*, 50* e 20*00&
Dado o signal definitivo, depois de algumas
Sabidas falsas, Ecla tomou a ponta, que eonser-
vou at a entrada da recta de chegada, quando

Bol
sa
Cambio
Os nancos mantiveram no balcao a laxa de 27
1/2 d., saccando reservadamente a 27 9/16, adian-
do, porm, poneos tomadores.
Em papel particular effectuaram-se pequeas
transaccoes a 27 11/16, exigindo os bancos, ao
fechar do dia, 27 3/4.
GOTA<&K8 OFFICIAE8 DA JMTA DOE COK-
KECTOBE8
Rtcife, 21 d Janeiro de 1889
Apolioes geraes de 5 0/0, valor de 1:000*000 a
930* cada urna.
Letras hypothecarias com juros, a 96*500 cada
urna.
Na Bol6a Venderatn-se f
o apohees geraes.
97 Jetra9 hypothecar.
O presidente,
Candido G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubcux
Alodo
Foi cotado a 6*200 o de sorte do serto.
A exportacao, feita pela alfandega neste mez
M o na 18, subi a 2.056.284 kilos, sendo-----
2.ft33.782 para o exterior e 22.802 para o inte-
rior.
3" pareo. -Centro Telegraphieo. -1 0 metros.
Animaes nacionaes at meio sangue que nao
tivessem ganlio nesta distancia.Premios : 300*,
75* e 30*000.
Ao grito do digno $tarter, Domo, montado por
Manoel Virgilio e que havia sido designado para
ganhar a corrida, colloeou-se logo na vanguarda,
seguido de Corcovado, Incgnito, Ipojuca e do
formidavel bacmarte Saltarello, chegando ao
vendedor um 111".
No distanciado, Incgnito coilocou-se no lugar
Sue Iba havia sido designado, o 2, possando
orcovaJo para o 3".
PouU de Douro em i, 14*800; em 2o, 11*100.
Poile de Incgnito em 2, 9*300.
Movimento geni; 7:070*000.
4 pareo. AniuMCao. 1 000 metros.Ani-
maes da provincia. Premios i 200*, 50*, e 20*.
Arreada a bandeira Foguete pulou na ponta,
que foi 100 metros depois oceupada por Florete.
O importante animal fez bonita carreira at a en-
trada da recta de chegada, onde Monitor, monta-
do por Alfredo Froitas. pasgou para frente, che-
gando ao vencedor em 76".
Florete foi 2 e Pirroca 3:
Nao correram Atheu e Tupy.
Poule de Monitor em 1, 8*70); em 2*, 5d800.
Pouk de Florete em 2", 6*200.
Movimento geral, 7:88O*"O0.

5* pareoFerro-CairU-rl-400 metros Ani-
maes nacionaes at meio sungue.Premios :
3.^0*000. 80*000 e 35*000.
O publico, ou antes os inexperientes, iam sendo
victimas neste parco. Escolneram para favorito
a Ruy-Blas, que enibora nao fosse o animal infe-
rior do lote, todava, eslava condemnado a ser-
vir de bagageiro.
O animal designado para vencer, en o resoeita-
vel Iluminarte conhecido pelo nome de Incgnito;
mas. os ilustres foram to desasados, atiraram-se
com ta.itu fc-aaa, ultima hora, ao cheques, que
a trdinta ro roso" des^rJTJtlrnt
Ora, os nvstres quando compram aitones- na
ceiia-, elfes haViam se enekiio de cheques do b /-
camarU Incgnito : logo, era lucognito o animal
que devia vencer.
Foi a concluso que os inexperietdes lirara-
ram.. apparecendo ento protestos e at amea-
cas de reproduccSo das sceuas lamentaveis de
que ha oito das foi tlieatro o Hippndruino, sepor-
venlura o Incgnito deixasse de ser incgnito c
ganhasse a corrida.
Felizmente, facto algum desagradavel se deu ;
8 favorito dos inexperientes, o festejado Ruy-
las gauhou a corrida .em 101", chegando Olga
em 2o lugar e Incgnito justamente no que Ine
competa, no 3o; islo tenceu ua vica-versa.
E dessa forma tiveram os mestres o dissabor
de rodar.
loule de Ruy-Mas, 12*900, tendo sido o mo-
vimente geral de 6:9404000.
6o pareoPrado'Pernatnbucano -1.600 metros.
Animaes de qualquer paiz. -Premios : 500*,
123*000 e 56*000.
Ao signal de partida, Vesper, montada por Pe-
dro de Souza, tomou a ponta, que eonservou al
cerca de 600 metros, quando batida por Jose-
phus e passa para a reclaguarda.
Na recta opposta s archibancadas, Vesper
frca o galope e consqgue retomar a ponta, que
nao mais perdeu, ganhando a corrida em 112".
Josephus foi 2" e Africana 3.
Pou&de Vesper em Io, 13*900; em 2, 5*100.
Pouk de Joseplms em 2o, 5*000.
Movimeute gi'ial, 11:013*000.
7" pareo Imprenta Pernambucaml .200 rae-
tros.Animaes da provincia.Premios: 230*,
60*000 e 25*000. t .
Dado o signal, em boas conlieOes, ro a ponta
oceupada por Mouro, aue a eonservou at 600
metros, quando Templar, bem dirigido por Pe-
dro de Souza, se col loca na vanguarda, chegan-
do ao vencedor em 92".
Monitor foi 2* e Mouro 3*.
Pouk de Templar em 1", 17*100; em f,
10*200.
Poule de Monitor em 2, 16*900

O oitavo pareo, que era de desapo, nao se
reaZOU. a.ucs
Haviam sido vendidas 130 JJ0"k*pmas' ahi o
f^'"3^^'^1*3' r-bio' an-
[.'4
INDICARES UTEIS
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o sea escripto-
rio aberto ra Duque de Caxias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e destahora em (lian-
te em sua rssidencia ra da Santa Cruz
n. 10. Especialidades molestias de se-
nhoras e crianens. Telephone n. 326.
O Dr. Alvares Quimar&et, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do coracao,
pulmSes, ligado, estomago e intestinos, e
tambem s convulsoes e outras molestias
das criancas. Reside praca Conde d'Eu,
n. 28, 1." andar, e tem consultorio ra
do Bom-Jesos, n. 45, onde diariamente d
consultas do meio-dia s 3 lloras da tarde,
aceitando chamado em qualquer desses lu-
gares. Telephone n. 381.
Dr. Joaquim Loureiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabngn. 14,1.
andar, de 12 s 2 da tarde; residencia no
Monteiro.
Dr. Barreto Sampaio d consaltas de
meio-dia s 3 horas no 1. andar da casa
a ra do Bario da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e como
e aconselhada. Consultas das 11 s 3 da
tarde em sua residencia ra do Bom
Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1. andar.
Dr. Joo Paulo, especialista em partos,
molestias de senhoros e de criancas, com
pratica nos hospitaes de Paris e de Vienna
d'Austria, d consultas de 1 s 3 horas da
tarde em sua residencia ra do Barilo da
Victoria n. 59, 1. andar. Chamados a
qualquer hora.
Advogados
O bacharel WUruvo Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1." andar.
O Dr. H. Milet mudou o seu escriptorio
de advocada, para a ra do Imperador n.
30, 1. andar, esqnerda.
Oeculista
Dr. Ferreira, com pratica nos principaes
hospitaes e clnicas de Paris e Londres,
da consultas todos os das das 9 horas ao
meio-dia. Consultorio e residencia a na
Larga do Rosario n. 20.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officinas de carabina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribc n. 23. Este grande estabeleci-
mento, o primeiro da provincia neste ge-
nero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeira de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por prejos sem com-
petenciaPernambuco.
Drogara
Furia Sobrinho cado, ra do Mrquez de Olinda zi. 41.
Drogara
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Hiln<< o novldadr*
Mme Koblet de volta de sua viagein
previne as Exinas. familias e as suas fre-
guezas que trouxe tudo o que diz respeilo
a modas e navidades. Ra do Imperador
n. 44.
reiro, na qual procura o articulista de-
primir o Dr. Francisco Jos Meira Sobri-
nho em sea carcter de juz municipal e
orphabs daquelle termo, assacando-lhe ao
mesmo tempo calumnias e injurias de todo
genero.
O Sr. Loureiro, levado pelo espirito de
vinganca e desejo de molestar ao digno
juiz, e cevar assim seu odjo originado de
interesses contrariados, revela a sua sem
razio e injustica no modo acrimonioso e
insultuoso com que escreve, at mesmo
quando procura apreciar o veredictum de
um tribunal superior, proferido em favor
da victima do seu despeito.
Conhcceinos de perto o Dr. Meira So-
brinho, que juiz antigo e provecto na pro
pria phrase do articulista, e inacreditavel
que com taes requisitos e com um passa-
do asss honroso, tenha elle no termo do
Triumpho praticado os actos constantes
do alludido escripto.
O Dr. Meira Sobrinho foi, cora effeito,
pronunciado, mas scmelhantc facto alera
de nio poder desabonal-o, porque os mais
honestos e Ilustrados juizes tem sido vic-
timas de calumnias, essa pronuncia desap-
pareceu completamente pelo accordao do
tribunal superior e o Dr. Meira se acha no
exercicio pleno e pacifico de suas funecSes,
a contento dos homens honestos e notaveis
do termo do Triumpho.
Em todo caso, os factos articulados pelo
Sr. Loureiro, nenhum valor podem ter
di ante do referido accordao, que s por si
serve de formal contcstacSo aos assertos
levianamente formulados pelo articulista.
is'uaso &w> Miaentc deafaaer a iutpres-
ssto de sagrativa! que aqucdle escripto pos- rc|ro
sa preduzir fazeado oonhecer ao publico
e ao Exm. Sr. consclhciro ministro da jus-
tioa que o Dr. Mein* Soc siut
integridad e probidado, incapaz de
praticar o que lbe attribuido pelo Sr.
Loureiro, cujo nico objectivo embaraai-
a recondugao daquelle digno juiz que con-
ta j cinco quatrieniiios excrcidos com
imparcialidade e decidido amor a justica.
A Vcrdade,
Corte, 7 de Novembro de 1888.
(Transcripto do Jornal do Commercio da
corte).
Antonio Gomes de Oliveira e Silva, se-
gurado para Europa no vapor La Plata, e
nao tendo podido se despedir pessoalmen-
te de todas as pessoas da sua amisade, o
faz pelo presente.
Outro 8m, avisa quelles com quera
tem transaccSes, que deixa encarregado
para tratar seus negocios o seu socio An-
tonio Fernandes Silva.
Lyc Triadeljhico
34 RA DO HOSPICIO-54
A directora d'este estabelecimento deeducago
communica aos paes de suas aluranas que as au-
las comecaram a funecionar desde o da 13 do
andante.
Continua a receber alumnas internas, semi-in-
ternas e externas, garantindo que empregar os
mesmos esforcos pelo aproveilamento e bem es-
tar de suas alumnas.
Recie, 20 de Janeiro de 1889.
A directora,
Francisca Teixeira de Mello.
Garanhuns
Consta nos que o Exm. Sr. Dr. Joaquim Cor-
dero Coellio Cintra, integro juiz de dreiro d'es-
sa comarca, mandou proseguir ex-ofllcio a fal
leticia do negociante Basilio Rodrigues de Fre-
las, que havia sido requerida por seus credores.
A ser verdica a noticia, fazcnios votos para
que o honrado e dstucio juiz prosiga na aeco
que encetou, para que ella sirva de exempfo a
certosnegociantes do centro que, muitas vezess
tendo arriscado ao jogo capiacs que nao Ibes
pertencem, buscam, quasi sempre acoaselhado.
por pessoas mal intencionadas, illaquear a boa
f d'aquc'les que Ibes conilanira suas mercado-
ras.
Honra, pois. ao juiz que s procura fazer jus
tica.
Bandeira e novenas de \osa
Nenhora da Sande do Poco
da Panella
No dia 23 do corrente, s 7 lj2 horas
da noite, ter lugar o hasteamento da ban-
deira da Excelsa Senhora da Saude com
todo o brilhantismo devido a mesma vir-
gera, cujo sahimento ser da igreja, sendo
o estandarte sagrado acompanliado por se-
nhoras e meninas, estando o pateo previa-
mente embandeirado et Iluminado finali-
sando o acto com um pequeo, porein ela-
borado fogo artificial do celebre artista
pyrothenico Tito Francisco de Mello.
Do dia 24 do corrente ao Io de Feve-
terSo lugar as novenas, findas as
quaes serio entoados cnticos sagrados
em honra da Virgem da Saude, cujos ver-
sos cantados pela Exma. Sra. D. Fian-
cisca Carolina Carao Lins em obsequio a
commissao, acompanhados a piano, e coro
por lindas e prestimosas mocinhas.
Em todos os actos tocar a banda mili-
tar do 2o batalhfio de nfantaria.
Todas as noites ha ver fogo artificial
pelo mesmo artista Tito.
O programma da testa opportunamente
ser publicado.

'Ih'f.. *"* *.. ^w- .w^-------------,.----------------
de tempo cerca de 1.400 metros, quanuo cs-
gotou se, ton.ando-se. d'essa forma desigual a
luda entre elles.
E foi bom, porque felmneule, apettr de ter
rubulo, o foguete nD estourou.
A i'oudelaria Al tunca vend'-u pof 3:000*0 0,
ao Sr. Baro i!e AranBa, o importante animal
Duc.
Deve ter seguido hontem para a Tazcnda de
criaco.
Via-ferrca de S. Francisio-
Via-ferrea do Limoeiro
Sonima.
69.264
27.168
187.932 Saceos
Ao i:vni. Sv. conselhelro Minis-
tro da fusii-a e ao publico
O Paiz de 3 do corrente publicou em
sua m-.ccao livre urna correspondencia com
o titulo cima, datada do termo de Tri-
umpho da provincia de Pernambuco, em
3 de Outubro prximo findo, c firmada
pelo Sr. Jeronyrao Theotonio da Silva Lou-
O vapor inglez Explorer," levou para lirar]
pool, 7.440 saceos cora assucar mascavado.
Pela barca norueguense Reform, foram
reraettidos 658 barricas, 100,'2, 100,4 e 888 sac-
eos com assucar branco para o Rio Grande do
Sal.
C'onros
Ultimas vendas dos salgados seceos 390 ris.
Agurdente
Cota-se nominal a 70*000 por pipa
litros.
de 480
No Rio cotaram de munh
e i ultima bora 27 5/8.
a 27 9/16 bancario
T
i
TABELLAS AFFIXADAS
m
c.

a.
rt
j.
a.
3?
T
s
o

o
I
As entradas verificadas at a data de boje so
uem a 17.091 saccas, sanio por :
Barcacas.....
Vapores.....
Animaes..... 5.80a
Via-ferrea de Caruar. 475
Via-ferrea de S. Francisco. 541
Via-ferrea de Limoeiro 7.855
1.395 Saccas
1017
Sotnma.
17.091 Saccas
Aleool
Man tem-se a cota cao nominal de 125*000 por
pipa de 480 litros.
Mel
Cota-se a 50*000, nominal
litros.
por pipa de 480
Pelo vapor inglez Explorer, foram remettidos
330 fardos e 1.099 saceos para Liverpool.
Assucar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a Associago Commercial Agrcola, foram
os seguintes:
Brancos..... 2*100 a 2*600
Someno..... 1*700 a 1*800
1*300
a 1*240
a 1*000
Mascavado purgado
bruto.
Rtame .
1*140
*900
Colonia Isabel:
Branco !
2- .
. 3" .
Someno .
Mascavado .
Usina Pinto:
Branco 1*
2
Someno .
Mascavado
ItfOO
2*300
2*000
1*800
1*400
2*400
2*300
I *7O0
1*310
A exportac&o, feita pela alfandega, neste mez
at o da 18, attingio a 10.541.921 kilos, sendo
6.719.662 para o exterior e 3.822.259 para o
Dterior.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bem a 187.932 saccas, sendo por :
Barcacas. .... 71.703 Saceos
Vapores .
Animan .
Via-ferrea de Caruar.
8.758
11.037
Pauta da alfandega
EiUNA "? 21 a 26 ng jamuro oa 1859
Vide o Otario de 20 de Janeiro
.Xavio* carga
Barca norueguense Eliezer, para Rio da Prata.
Brigue portuguez Cakida, para Lisboa e Porto.
Brigue portuguez Ajrnando, para o Porto.
Lugar americano Arthur.C. Wade, para Estados-
Unidos.
Patacho inglez Peggk, para Mentevido
Xavlos k descarga
Barca portugueza frica, carvao.
Barca ingleza Betrees bacalhe.
Barca portugueza Xovo Sikucio, varios gneros.
Barca norueguene Frida, carvao.
Barca norueguense Frilkyof, carvao.
Barea noruaguense Professor. madeira e bren.
Barea ingleza Helen Izbel, bacalho
Barca americana /. P. Rottman, carvao.
Brigue dinamarquez Catharina, varios gneros.
Brijnie sueco Pepita, arvo.
Brigue norueguense Bertlta, carvao.
Lugar inglez Nelly, bacalho.
Lugar americano H, & i. Blendemiman, farinha
de trigo.
Lugar ingles Fforeuce, bacalho.
Patacho ueco Amor, varios gneros.
Imporacao
Vapor ingles Actor, entrado de Liverpool e
Lisboa em 18 do corrente e consignado a Samuel
L. Johnston, manilestou :
Larga de Lisboa
Aljios >0 canastros a Paiva Valenle A C.
A vea 20 saceos a Augusto Figueiredo & C.
Azete 34 ca xas a Paiva Valente &C.,32a
Domingos Alves Matheus.
Ceblas 23 caixas a Guimares & Valente, 20
a Goncalves Rosa & Fernandes, 20 a Paiva Va-
lente 4 C, 10 a Jos Joaquim Alves A C, 10 a
Esnaty Rodrigues & C, 130 a Ferreira Rodrigues
& C.
Figos 1 caixa a Domingos J. Antunes Guima-
taes & C.
Massas de 'ornate 7 caixas a Silva Guimares
& C, 3/) a}. da Silva Pereira Lisboa.
Mortalhas de palha de milito 1 caixa a Joaquim
da Silva Carneiro..
Meias 1 pacote a >. A. Combra.
Toalhas 1 pacote a Julio P. da Silva.
Vinho 10 pipas e 20 barris a Antonio Maria da
Silva, 10 e 25 a Domingos Cruz A C, 100 a Au-
gusto Labille, 5 a Joaquim da Silva Carneiro, 10
a Marqnes & C, la Domingos Jos Antunes
Guimares, 5 or.lem, 11 a Joaquim da Silva
Salgueiral, i a F. Teixeira de Carvalho.
Barca ingleza Hebe, entrada de Tem Xova em
19 do corrente e consignada a Blackburu Nee-
dham & C, manifestou i
Bacalho 2615 barricas u 1770 meias ditas aos
consignatarios.
Barca ingleza Helen, entrada de Terra Nva,
em igual data e consignada a Blckbam Neednam
& C, manifestou :
Bacalho 615 barricas e 2770 meias ditas aos
consignatarios.
Vapor austraco Szechinyi, entrado de Fiume
c escala em igual data e consignado a J. Pater
&C, manifestou :
Farinha de trigo 900 barricas a Lopes limaos
A C, 1300 a Machado Lopes A C, 1100 ordem.
Papel 203 fardos a T. Just, 11 caixas a A. D
Carneiro Vianna, 6 a ordem.
Barca portugueza Tentadora, entrada de New-
York em 21 do corrente e consignada a Fonseca
lrmos A C. manifestou :
Kerosene 14700 caixas ordem.
Vapor inglez Tliaks, entrado de. Montevideo e
escala em 20 do corrente e consignado a Black-
burn Needham C.. manifestou :
Xarque 2122 fardos a Maia & Rezende, 2344 a
Amorim Irtnaos & C. 1423 a Pereira Carneiro
AC
Barca americana J. F. Balhmann, entrada de
CarditT em 20 do crrente e consignada or-
dem, manilestou :
Carvao de pedra 827 toneladas ordem.
Joaquina Donilha da Silva Coelho, feli
X'cita a sua presada amiga a Exma. Sra-
( ] D. Maria do Carmo de Barros Carneiro-
V pelo seu anniversario natalicio, e faz ar-
O denles votos para que tenha um luturo
Obrilhante.
Recife, 22 de Janeiro do 1889.
QOOOOOOOOi
Despedida
Theodomiro Thmaz Cavaloante Pessoa,
tendo se retirado da comarca de Buiqnc,
sera que lhe fosse poSsivel despedir-se
pessoalmente dos amigos daquella comar-
ca pela presteza de sua viagem, vem do
alto da mpi ensa agradecer as maneiras
delicadas e attenciosas que immerecida-
mente lhe dispensaram aquellos amigos, e
oflferece nesta cidade, on em qualquer par-
te que a sorte o colloque, os seus limita-
dos prestimos.
Recife, 21 de Janeiro de 1889.
Todas as pesSoas que recorrer quini-
na para eombater enxaquecas, nevralgias,
cansaco, febres, rhcumathismos, gota, aco-
lliein com cnthusiasmo as novas Capsulas
de Quinina de Pelletier, o autor d'este
admiravel dcscobrnento. Ellas suppri-
mem o amargor da quinina, sao dez vezes
mais aceis engolir que as obrcias medi-
camentosas/ e o nome de Pelletier, im-
presso em cada capsia, garante a pureza
do producto.
Para Rio da Prata, C. M. da Silva 25 barricas
com 2.825 kilos de assucar branco.
Para o interioi
No patacho alie/nao '. G. Fichte, earrega-
ram :
Para Uruguavana, B. Oliveira A C. 4,000 sac-
eos com 300,030 kilos de assucar branco.
No vapor allamo Hamburgo, carregaram :
Para Santos, P. Carneiro A C. 2,0 0 saceos
com 120,(i00 kilos de assucar mascavado e 1,000
ditos com 60,000 ditos de dito branco.
o lugar portuguez Temerario, carrega-
ram :
Para Rio Grande do Sul, Amorim 'rmos A
C. 1,875 voluntes com 163,628 kilos de assucar
branco e 230 ditos com 20,700 ditos de dilo mas-
cavado.
No lugar nacional Guarany, carregaram :
Para Porto-Alegre, Amorim lrmos A C. 1,715
volumes com 135,775 kilos de assuc ir branco e
555 ditos cora 31,921 1-2 ditos de dito masca-
vado.
No hiate naeional Victoria, carregaram:
Para Mossor, H. Castro Guimares 3" barricas
com 213 kilos de assucar branco e 3 ditas com
192 ditos de dito retinado.
Para Maco, F. da Costa A C 1 barricca com
70 kilos de assucar branco.
o hiate nacional F. Jardim, carregaram :
Para Maco, B. Torreo Jnior 1 barricaa cora
120 kilos de assucar branco e 5 garrafOes com
75 litros de genebra ; J. Cordeiro 18 volumes
com 186 litros de genebra.
No cter Gerqmtij, ccarregou :
l'ara Macahyba, J. Pinto Lapa 40 volumes cora
300 litros de genebra.
a barcaea Divina Procidencia, carregou :
Para S. Miguel J. Cordeiro 2 garrafOes oom
30 htroa de genebra.
Oculista
Dr. J. Correia de Bittencourt, oculista
residente na corte, ex-chefe de clinica
ophthalmologica dos Drs. Wecher e Pa-
nas em Paris e do professor Hirschberg
em Ber'im, tendo regressado de sua ex-
cursao s provincias do norte, deinora-se
alguns mozes nesta capital no exercicio de
sua especialidade.
Consistorio e residencia ra do Baro
da Victoria n. 23 1 andar. Entrada pela
Camboa do Carmo.
Consultas das 12 as 3 da tarde. Gratis
aos pobres.
Aula publica
Avisa-se a quera interessar possa que a
Ia cadeira masculina da Boa-Vista funecio-
na hoje na ra da Conceiao, n. 27.
--------------- ------------
Curso preparatorio
Esmeraldino 0. T. Bandeira leccona em col
legios e casas particulares, as malcras seguin"
les : portuguez. francez e inglez (pratica e theo-
ricamente), arithmetica o geograpliia.
Pode ser procurado ra do Imperador u. 38,
2. andar.

para
Matadouro publico
Neste estabelecimento foram abatidas
consumo de hoje 72 rezes.
Sendo : 31 prtencentes a Olivoira Castro
C., e 21 prtencentes a diversos marchantes.
Vapores a entrar
HEZ DE JANEIlO
Norte......... Alagos...........
Sul........... M'ihos...........
Eui op i...... Ville de S. Nicolao..
Sul........... Finance...........
Vapores a sahlr
HEZ DE JANEIRO
Santos e esc Hamburg.......... 22 as
Hamburgo. .. Bueno-Agres....... 22 as
24
27
27
31
'
12 h.
12 h.
Rendlmentos pblicos
MEZ DI JANEIRO
Alfandega y
Renda geral:
Do dia 2 a 19 633:15U426
dem de 21 31:314*468
Exporaeo
anciFB, 19 d jabbbo de 1859
Para o exterior
No vapor inglez la Plata, carregou .
Para i ondres, Ccmpanhia f>ugar Factora 1
caixa com 50 kilos de de assucar branco.
No lugar americano Arthur, carregaram :
Para New-York. F. Cascao A Filho 2,00) sac-
eos com 150,000 kilos de assucar mascavado.
No patacho americana Daesy carregaram :
Para New-York, J. S. Lo yo & Filho 520 saceos
com 39,o00 kilos de assucar mascavado ; Julio
* Inn&o 800 saceos com 60,000 kilos de assucar
mascavado ; A. Casco A C. 500 saecas com
37,500 kilos de assucar mascavado ; M. J. da
Rocha. 240 saceos com 18,000 kilos de assucar
mascavado.
No vapor allemo D. Ayres, carregaram :
Para Lisboa, P. i arneiro A C. 900 couros sal-
gados com 10,800 kilos ; J. J. Moreira 15 barri-
cas cora 732 kilos de assucar branco.
Para Hamburgo, Borstelman & C. 200 fardos
com 37,25 kilos de algodo.
a barca portugueza Cacilda, carregaram :
Para o Porto, J. S. Loyo A Filho 500 saceos
com 37,500 kilos de assucar branco e 1,500 ditos
com 112,500 ditos de dito mascavado.
- Na barca norueguense Eliezer, tarregon:
Renda provincial :
Do dia 2 a 19
dem de 21
100:6274645
7:818*330
Somma total
664:466*394
108:446117o
772:912*569
Segunda sixcd da Alfandega, 21 ne Janeiro
de 1889.
O thesoureiroHerencio Domingues.
0 chefe da seccaa Cicere B. de Mello.
Recebedoria Geral
Do dia 2 a 19 18:977*338
dem de 21 1:333*467
20:510*825
Recebedoria provincial
Do dia 2 a 19 81:420*994
dem de 21 2:658*817
Recife D rain age
Do dia 2 a 19 4:968*393
dem de 21 1;050*3'.
84:079*881
6:018*938
Movimento do porto
Navios entrados no dia 20
Santos e escala -10 das, vapor allemo Buenos
Ayres, de 1589 toneladas, coramandanle K Lo-
wel, equipaem 50, carga varios gneros; a
Borstelman A C.
Falmowth e escala23 das, vapor brazileiro
Una, de 268 toneladas, coramandanle Serapliim
da Silva, equipagem 19, em lastro ; a Compa-
nhia Pernambucana.
Buenos-Ayres c escala10 dias, vapor inglez
Tkates, de 965 toneladas, commandante J. Da-
vics, equipagem 30, carga varios gneros; a
Blackburn Needham A C,
Cardiff42 dias, barca americana John F. Rut-
tman, de 605 toneladas, capito C. J. Xask
equipagem 10, carga carvao de pedra ; or-
dem.
Fernando de Noronha e Roccas60 horas, vapor
nacional Jaguaribe, de 429 toneladas, comman-
dante Alfredo Monteiro, equipagem 30, era las-
tro ; a Companhia Pernambucana.
Hamb'irgo e escala -19 dias, vapor alleino Ham-
burgo de 1284 tonelada?, commandante E.
Joegermann, kequipagem 37, carga varios g-
neros ; a Borstelmann A C.
Sahido no mesmo dia
PortoBrigue portuguez Armando, capito Joo
E. Soares, carga varios gneros.
Navios entrados no dia 21
Buenos-Ayres e escala13 dias, vapor inglez La
Plata, de 2049 toneladas, commandante A H
Dyk equipagem 102, carga varios gneros; a'
Amorim Irraaos A C.
New-York37 dias, barca portugueza Tentadora,
de 380 toneladas, capito Francisco dos San-
tos Le, equipagem 11, carga kerozene; a Fon-
seca lrmos A C.
Babia14 das, patacho hollandez Broedertroto,
de 183 toneladas, capito B. 11. Kiappen. equi-
pagem 7, era lastro ; a Robilliard A C.
Porto Natal-38 dias, brigue inglez Blanclie. de
273 toneladas, capito Evan Owens, equipa-
gem 8, em lastro; a Johi.ston Pater A C
San Nicols (Mo da trata)15 dias, vapor in-
glez DUsberg, de 967 toneladas commandante
J. B Brak, equipagem 26, carga carne gelada;
o-dera.
Ceart dias, lugar inglez Winifred, de 192
toneladas capito H. Jones, equipagem 7. em
lastro; a H Lundgren A C. -
Navios sonidos no mesmo dia
Soulliampton e escataVapor inglez La Plata,
commandante H. Dyke, carga varios gneros.
West IndiesLugar americano H. J. Bkmmann,
capito J. R. Cavileer, em lastro.
>1



I I
BUrk* de Prbantbuo---Terca-flra 22 de Janeiro de 1489
5
ONZEDE AGOSTO
DIRl-CTOR.
Bacliarol Manoel Sebaslio de Anuyo Pedros
95Ra Visconde de Albuquerque95
^ Telephone n. 302
O director eommunica aos pas de seus alumnos que do dia 14 eu diantc
estarSo abertas todas as aulas deste collegio.
Empentadlo eui fazer todo o possivel para o maior aproveitamento de seus
alumnos, convida aos interessados a visitarem o seu estabelecimento para conhecer
de vista os nielhornnicntos que acaba de realisar no inesmo.
Tomando ein toda consideracao a necessidade que temos de desenvolver o
casino primario, acaba de construir um grande salao independente de todo o
que
movi-
cons-
mento do collegio c nicamente destinado aos alumnos do curso primario,
titue hoje a nica aula a cargo do director auxiliado por um adjunto.
A sala em que funecionava a aula primaria foi destinada a preeucbcr urna
importante fhnccSo, servindo fle banca de estudo para os externos nos invervallos da*
aulas. i
Destc modo proporciona o collegio aos alumnos externos, sem augmento de
contribuicSo, a maior se nao a nica vantgem dos meio-pensionistas que nilo
admitte'. __u^-___M_
IV. os
Agua Florida de Murray e Luaniaii
Sao e rtifCcultoso distinguirse a senhora (Je l
delicado o retinado fiosto, pia qualklaue do-
perfumes de que geralmcnte usa.
Tanto as senhoras da moda como as senhoritas
da America (entra!e do Sul, dao urna indispu-
tavel preferencia i Agua de Florida de Murray e
Lanmaii. em lugar de qualquer um ouiro perfu-
me para o lenco : c leem-se aferrado ao mesiuo
para mais de SO anrros esta parte, a cusa do
inteiro o completo abandono do extracto de Lu-
bin, assim como de muitos oulros perfumes e es-
encas europeas, mais ou menos agradaveis,
mas em nenhum caso tao aromticos e de pro-
priedades to suaveis e refrigerantes.
As nossas proprias beldades, sao hoje as pri-
meiras a justificar aajuixada sentenca passada
pelo publico da America do Sul, em favor desta
riquissima essencia floral, a qual vegeta e se pro-
paga pelo mundo inteiro altiva e sem rival, ad-
Como garanta contra as falsiticacoes obsrve-
se bem que os nomes de Laninan 4 Kemp ve-
nham estampados cffl letras transparentes no
papel do vidrinho qu%serve de envoltorio cada
garrafa.
Acha-sc venda" em todas as bricas e tojas de
perfumaras
Cura importante
.% F.\ui. Sr. Dr. Cario* ll O abaixo asaignado sofrrendo de um
estreitaniento da urethra ha mais de seis
annos, foi operado pelo Sr. Dr. Betten-
court pela electrolyse, sem dor, e, gracas
sua habilidade e manejos delicados,
conseguio ficar bom e radicalmente cura-
do em poacos dias, andando sempre a
tratar de aetu negocio, pois que o Sr.
Dr. Bettencourt opera sera levar o doente
cama.
Pede desculpa ao Sr. Dr. Bettencourt,
se com esta sua pubUcacSo offende a sua
modestia.
Gonclo Teixeira Guimar&e.
Advogado
O bacharel Jaronymo Materno Pereira de Car-
valbo mudou seu escriptorio do n. 55 para o n.
85 a ra Duque de Caxias entrada pelo becco d
Congregacao.
Hippodromo do Campo
Grande
O abaixo assignado declara a bella ra-
pasiada, amante da folia e do bom gosto,
?ue tem oontractado o Hippodromo do
lampo Grande para dar tres (3)
bailes de ma-caras nos dias 3
Man;o prximo, dias de carnaval, sendo o
edificio Iluminado a luz elctrica, alm de
urna illuminacSo a giorno.
Outrosim, o edificio achar-se-ha deco-
rado ricamente, prometiendo mais que dia-
tribuir um premio em cada dia de baile,
sob um sorteio, que se far no mesmo lu-
gar e hora designada.
Aceitam-se assignaturas para os trea
dias, com passe de da e volta no trem,
pela quantia de 4i>000.
Aguardamos o programma para ver o
que ha de bello e bom.
Manoel G. "lanhonca.
Elixir depura-
tivovegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Sanios Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Jrdho de 187.
Este depurativo de grande efficacia as mo-
lestias syptalitieaa e i atea reta ao sangue; aasim
como em todas as molestias das senioras.
Tem curado radicalmente limitas pessoas ac-
eomniettidas da terrivel molesti berineri.
MODO DE USAR
Os adultos tomarte quutro colheres das de
sopa pela manh e qnatro noite. Ai criancas
de i a 5 annos tomaran urna eolher pela manh
e outra noite, e os de 5 a i i annos tomarte
duas colheres pela manh e duas noite. De-
verSo tomar banlios fro ou momo pela manh e
noite. ttesguardo regular.
Eacontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva & C, ra Mrquez de
Olinda n. 23 e pharmacia Oriental ra Estili-
ta do Rosario n. 3.
O autor deste preparado pode ser procurado
na ra do Harto da Victoria n. 37, oude aera en-
contrado para dar toda e qualqucr explicaco
que for precisa.
NUMERO 30
Declaro que tendo feito uso do medicamento
que se denominaAngelinoe que preparado
pelo Sr. Angelino dos Santos Andrade, tirei del-
le os mclhores resultados. Sonra de graves
incommodos de estomago, com resfriamento pe
riodico das extremidades e foi-me bastante to-
mar duas garrafas do referido medicamento para
ficar completamente restabelccido d'aquelle in-
commcHlo. Eis o que devo asseverar por amor
verdade e gratidao para com o mesmo Sr. An-
drade.
Recife, 2 de Dezcmbro de 1886.
Manoel Joaquim Pereira.
Instillo Plilomatico
83 Visconde d'Albuquerque &3
As aulas fcs* aetaWhMrtraOito' de Sistrcao
ejtaro abertas do dia 7 do corrente em diante
Or f D director,
OU*to Vctor.
Vias urinarias, molestias do tero,
operaedes elctricas
n. caslos sinsrcDtrnT i
ESPECIALISTA
com pratica de pabii b lonches
Estreitainentcs da uretra curados ra-
dicalmente pela electrolyse, som dor ;
hyd rceles sem injecefu* (cura radical);
feridas c ulceras clirouicas. com garan
lia de cura rpida ; pedras da bexiga,
lstalas o 1*lUufrhotaas; sy/pVilis, m-
norrbas, pelo nx-thodo das uistillaces;
molestias da garganta e do peito pelas
atbmospheras medicamentosas. Con-
sultas e operncOos das 12 as 3 horas,
ra do
MARQUEfcDE OLINDA N. 34, 2 ANDAR
Beatdencla na Torre

i filnira neleo-einirgica
0CXJU8TA
Praico nos principaes hospitaes de Pariz
e Londres.
. Consultas todos os dias (excepto domin-
gos) das 9 boras ao meio>dia.
- I Emtioa embalaflttfiooat^.'I! > '
Consultorio e rcr-d'--.:':. r.-.-.i. Larga d' Bo-
-'- ~> ^
elephyJe n. W
Bacliarel .iiitoiii Witru- )j
vio Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador
HIPPODROMO
S
(Na provincia da Baha)




/"

n. 7!, Io andar

Colleino da \ossi Senhora da

Collegio de S. Miguel
Ra de Visconde de Camaragl-
he u. &3
Aos respeitaveis paes de familias parti-
cipa a directora deste novo estabelecimen-
to de instruccSo para o sexo feminino,
nue abrir as aulas no dia 14 de Janeiro
de 1889.
A mesma promette aos paes que lhe
confiarem suas tilhas esforcar-se por lhes
dar urna educacao primorosa, solida, reli-
giosa e domestica.
A tratar, do Io de Janeiro no proprio
estabelecimento, das 2 da tarde as 7 da
noite.
A directora,
- Emilia A. de Mendonca
Curso primario e preparato-
rio
Ra Larga do Rosario n. I*, "an-
do Rosario
dar
Estao abertas as aulas deste curso desde o dia 8
do corrente mez.
O director.
Camerino Sobrinho,
NUMERO 31
Pernambuco, 2 de Janeiro de 1883. Illui. Sr.
Angelino Jos dos Santos Aodrade.Tendo sof-
frdo borrvelmente por espaco de 6 annos de
rheumatismo agudo e diversos incommodos mo-
tivados por agglomeraco de syphilis e espe
cialmcnte pela impureza do sangue, pois que,
dcpois de ter esgotado os recursos da sciencia
medica, por quasi a totalidade dos facultativos
desta cidade, sem resoltado algum e vendme
quasi completamente inutilizado resolv a con-
grandes selhos de alguns amigos fazer uso do Elixir >
< -: 3 por V. S. preparado e quando acabei o uso da
" segunda garrafa ja haviam desapparecid as m-
cbages e dores (-ruciantes, que anteriormente
soffria, e sentindo tao portentoso a 11 i vio, resolv
continuar o uso do mesmo Elixir at que
complelei seis garrafas que deram um resulta-
do completo, boje levanto-me gracas a Deus por
baver tao importante medicamento nico que me
poderia collocar, como me acho presentemente,
gozando a mais perfeita saude, robustez e ex-
cel lentes disposicOes em todos os sentidos da
vida plivsica.
Pode V. S. fazer o uso que lhe convier d'esta
minha carta, e mais agradecido serei, querendo
V. S. dar conhecimento da importante cura em
inini obrada pelo seu prodigioso Elixir
aquelles infelizes que como eu existem entre-
gues ao soffrmento, tendo como nico recurso
o referido medicamento por V. S. preparado, e
por tudo quanto expuz juro pelo qu ha de mais
santo ser a pura verdade.
Sou com a maior estima De V. S. amigo,
criado obrgadissimo
Ramiro Antonio da Costa.
NUMERO 32
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Tendo sotfrido mais de um anno de dartros na
perna direita e todo este tempo tratei-me com
tres mdicos e dous pharmaceuticos, Drs. Alce-
biades Vellozo, Ernesto Tavares e Villas Roas,
pharmareutlcos Rittencourt e Joaquim Ribeiro,
todos cinco h.ibaiisados prossionaes, porm
com tal iufelicidadc que uenhum destes me pode
ao menos melhorar do terrivel mal que solivia.
n'este estado e como que desengaado de ficar
restabelecido, deliberei tomar o seo Elixir
depurativo que no lim da segunda garrafa
senli melhora, tomei a terceira a melhora conti-
nuou, tomei quarta c quinta considerei-me bom,
tomei mais tres garrafas (ao todo 8 garrafas)
findas as quacs achei me restabelecido de tudo,
gozando perfeita saude.
Garanto-lbe, sob minha palavra que, o que
venho de dizer-lhc a pura verdade.
Fago votos para que o amigo continu a ter
resultados iguaes ao meu e pode fazer o uso
que lhe convier desta carta.
De V. S. amigo atiento e obrigado
Raymundo Lino dos Santos Gouveia.
Recife, l*de Junho de 1882.
-*?
Institntion Francaise de
Demoiselles
RA BARAO DE S. B0RJA N. 50
* As aulas deste collegio acham-se aber-
tas desde o dia 7 de Janeiro de 1889.
A directora,
G. Adour,
Collegio Amor Divino
Ra da Imperairix n. 32
As aulas deste estabelecimento dedicado a
instruccao das criancas do sexo masculino abrir-
A directora,
Olympia Afra de Mendonca.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e crean cas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manh3.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
NUMERO 33
lllm. Sr. Angelino Jos dos Santos Audrade -
Estando eu sourendo ha um anno pouco mais
ou menos de urna erupcao de pelle u tendo to-
mado alguns medicamentos sem resultado al-
gum, a conseibo de um amigo meu lancei mao
do seu santo e maravilhoso Elixir e com
duas garrafas liquei completamente restabeleci-
do e para ser urna cura radical resolv conti-
nuar com este maravilhoso Elixir podendo
fazer uso que melhor lhe approuver.
Recife, 26 de Junho de 1882.
Tlionia/. Fernandos da Cunha Jnior:
Estavam todas selldus e reconhecidas as fir-
mas.
( ontinua).
MEDICO HOMEPATA
Ballliazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos orgSos respirato-
rios c das senhoras.
Prestase a qualquer chamado para
ora da capital.
AVI
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do Bario da Victoria n. 43,
onde se indicar txut residencia.
Ra da Aurora a. 39
As aulas deste collegio se abrirlo a 7
de Janeiro e sao de : primeiras lettras,
portngiiez, francez;, inglez,goographia, mu-
sica, piano, desenbo, bordados de varias
especies, flores, etc.
A directora,
Augusta Carneiro.
Collegio Parthenon
S Ra do Hospicio 3
O director deste collegio declara aos
pais de seus alumnos .e ao publico em ge-
ral que as aulas comecaro a funecionar
a 7 do corrente mez.
Recife, 3 de Janeiro de 1989.
O director,
Ovidio Alvet Manaya.
Transcripto do Jornal Offi-
cial de 11 de Setembro de
looo.
Inspectora <;cral de Hygicnc
Em virtude do que dispe o art. 66 do
regidamento que baixou com o decreto n.
9,554 de 3 de Feverefrd de 1886, a Ins-
pectora Geral de Hygiene faz publico pelo
praso de oito dias, que o cidadao Alfredo
de Barros lhe dirigi a seguinte petico
com documentos que satisfezem as exigen-
cias do art. 65 do citado regulamento :
Alfredo de Barros residente na villa de
Floresta da provincia de Pernambuco,
vem de conformidade com o art. 65 do de-
creto n. 9,554 de 3 de Fevereiro de
1886, requerer a V. Exc. que lhe conceda
llcenca para abrir urna pharmacia na mes-
ma villa, apresentando como prova de
suas habilitares os documentos juntos. -
Nestes termos. P. deferimento. E. R.
M.Floresta, 17 de Abril de 1888. -
Alfredo de Barros. Sobre urna estampi-
lla da duaentoa rete. t i
E declaro que se nesse prazo nenhum
pharmaceutieo formado lhe oommuuicar
ou a inspectora de Hygiene da provincia
de Pernambuco a resol ucSo de estabelecer
pharmacia na citada localidade, conceder
ao pratico a licenca requerida.
Inspectora Geral "de Hygiene, 6 de
Setembro de 1888.
Dr. Pedro Affonso de Carvalho,
Secretario.
--------------4a--------------
Collegio Meira
Ra da Imperatriz n. 63
Este collegio de instruccao primaria e
secundaria, cujas aulas se reabrirlo no
dia 7 de Janeiro corrente, offerece aos
pais de familias que o quizerem honrar,
confando-lhe seus flhos, todas as garan-
tas de moralidade, aproveitamento e bom
tratamento para os mesmos seus filhos.
O resultado dos exames obtido, pelos
alumnos deste eollegio, ser opportuna-
mente publicado, e em vista delle se ter
urna prova do interesse tomado pelo abai-
xo assignado pela applicacao dos seus
alumnos.
Recife, 3 de Janeiro de 1889.
O director,
Aicencio Minervino Meira de Vaiconcellos.
Oculista
Dr. Barre to Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
1 andar da casa n. 51 ra do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Escola particular de inslruccuo
primaria para o sexo masculino
Ra do Cotovello o. 34
O professor abaixo assignado, participa aos
seus amigos, c ao respeitavcl publico, que abri
a sua escola ra do Cotovello n. 34, onde edu-
ca e instrue i infancia pelo mais aperfeicoado
systema do Imperial Lyco do Rio de Janeiro.
Cirurgio JDentista
DR. ROBERT P. RAWJJNSON, for-
mado pela llnivorsidade' de Maryland nos
Estados-Unidos, tem nberto o seu consul-
torio, na, ra Io de Margo n. 20, Io andar.
Consultos das 10 ns 4 horas da tarde.
Alumno interno
Meio pensionistas
Primeiras lettras
Msica e piano
Por cada um preparatorio
Ra do Cotovello
n.
30J000 mensaes
154000
8*000
4*000
3*000
34
Imperial Sociedadc ilu* Arlalao He
lianiroo UlKrae
De ordeni do Illm. Sr. director, e por nSo so
ter reunido numero legal no dia 40 do crrante,
convid'a todos ts senbores- socios cffeclivos a
se reumVem na sede social st!flfe!ra 85, s 6
horas da tarde, para proceder-se a eleicao dos
funccionario3 para o corrente anno, de vendo as
socios estarem as condicOes prescriptas no art.
51 dos ofiataiGi. A presrote cixivocaco se
elTectuarf como imUero que comparecer.
Secretaria da Imperial Suciedaae dos Artistas
Mechan icos e l.iheraes. 81 de JaneirO 1889.
Fraucigco da Costa Hamos,
1- secretario.
(>om|auhia ferro-carril de
Pernambuco
DIVIDESDO
Do dia 81 do corrente em diante pagase no
escriptorio central desta companhia. no Rio de
Janeiro, o 13. dividendo de 4*00 por aco,
correspondente ao primeiro semestre do exerci-
cio de 1888-1889. i
Carlos Alberto de Menees.
Gerente.
Imperial sociedade dos Ar-
tistas Mechaoicos eLi-
beraes
Canulrurro dai oIBrina*
De ordem do Illm. fr. director e segundo a
resoluciio tomada em sesso da assembla geral
de 4 de Xovembro prximo passado, faco publi-
co que na secretaria desta sociedade, recebem se
propostas em cartas fechadas'at 31 do corrente,
para execuco das obras das ofGcinas que esta
sociedade tem de fazer para o ensino pratico.
Na secretaria, das 9 horas da manha s 6 da
tarde, encontrarSo os proponentes a planta e
rcamento para serem examinados, servindo de
haie o orcaioento existente.
Asconflfcoes"para a Trematacao e exerncao
da obra sao as mesmas consignadas a respeito
no regulamento vigente das obras publicas pro-
vineiaes, que ser tamban patente aos mesmos
concurrentes.
Recife, 16 de Janeiro de 1889.
0 1 secretario,
Francisco da Costa Ramos.
Mministrapi dos CofBE
de Pernambuco, 15 de Ja-
neiro de 1889
Por esta administracao, e em cumprimento a
circular da directora geral dos Correios n. 108
de 15 de Dezcmbro lindo, se faz publico para
conhecimento dos interessados, o ediial daquella
directora, abaixo transcripto.
O administrador,
Affonso do Reg Barros.
Dirccioria geral dos Crrelo*
De ordem do ExnirsrVdirector geral, e em
observancia ao disposto no art. 9." do regula-
mento de 36 de Marco de 1888, faz-se publico'
que, do dia 1. de Abril do anno prximo futuro
em diante, nao poderao mais ser otiUsadas as
seguintes formula* de franqua :
Bilhetes postaes simples de 20 as.
'' du^os de JO re.'
simples de 50 re.
duplos de 50 rs.
Cartas-bilhete de SO rs. I
' d 160 rs.
Estas formulas, quando encontradas as cai-
xas postaes depois de expirado aquelle prazo,
sero consideradas nullas e como tal tratadas.
Diviso Central da Directora Geral dos Cor-
reios, em 12 de Dezembro de 1888.
O subdirector,
Jos Francisco Soares.
Hospital Portugws
4$ Bon$fic$ncia
Sao convidados todos os
Srs socios para a assembla
geral que de ver ter lugar
na sede do mesmo Hospital
no domingo 27 do corrente,
s 11 horas da manha, afim
de assistirem a leitura dore-
latorio do anno findo e a pos-
se da nova junta administra-
tiva.

n
ni
Na corrida que
*k Fevereiro
oto'kb'nscr
PAR, O PAREO
se realisar no
de 1889
!M|
de
9.000 metros. Animaes de qualquer paiz. Premios: 2:000fli000 ao priineiro,
800i500f>-ao segundo, 400^000 ao terceiro, 200;?000 ao quarto.
nscripso 200|1000
A insci-ipcao encerrai-se ha na secretaria do Hippodromo S. Salvador, ra
da Alfimdega n. 58Baliia no dia -1 de Fevereiro.
.___..........1.......______....................... -..-....._._............_____
Julio Soares de Azevedo.
Inglez e franeez
Cursos das 7 s 8 horas da manha e das
s 6 da tarde: ra da Aurora n. 37,
0 andar.
Leonor Porto
Ra Larga
n. 26
do osario
2o andar
Contina a executar os mais dif-
fices ngurinos recebidos de Lon-
dres, Pars, Lisboa e Rio de Janeiro.
Pierna em perfeicao de costuras,
em brevida.de, modicidade em pre-
cos e fino gosto.
Recife, 19 de Janeiro de
1889.
Francisco R. P. Guimaraes,
Provedor.
Santa Casa da Misericordia
do Recife
Por esta secretaria sao chamadas as amas
que criara os expostos a virem receber as men-
sahdades vencidas, relativas ao semestre de Ju-
Iho a Dezembro do anno prximo Ando, no sa-
ISo do respectivo estabelecimento, pelas 8 horas
da manh do dia 28 do corrente.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 21 de Janeiro de 1889.O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Juizo de paz da porachia de
S. Salvador de Olinda
Este juizo d suas audiencias as tercas e
sextas-feiras s 4 horas da tarde, e para despa-
char>r-$ti#ieB, -tua do .-Topara n. til, em lodos
os das uteis.
Gymnasio Pernambucano
Em 1* de Janeiro de 18Sf>
Pela secretaria do Gymnasio Ternambucano
se declara aos Srs. j>aes de familia, e a quem
mais interefisar possa, que a abertura solemne
do cursoscientifico e litterario ter tagarno dia
4 de Fevereiro prximo vindouro, e desde j se
acba aberta a inscripcAo da matricula para
aqueta qae pratenderem estudar as seguintes
disciplinas: '
srL
Dita franceza.
Dita ingleza.
Dita allem-e italiana.
Geographia antiga e moderna.
Historia sagrada antiga e moderna. -
Geometra e trigonometra.
Arithmetica e algebra.
l'hilosophia.
Rhetorica e potica.
Historia e cborograpbia do Brasil.
Sciencias naturaes
0 corpo docente do instituto composto de 19
professores, oceupando-se cada um delles J-
mente com a materia ensinada em sua respecti-
va cadeira.
Serio admitlidos no Gyainasio alumnos inter-
nos, meie pensionistas e externos.
Os pensionistas residirao no instituto, tendo
direitu de estudar a serie de disciplinas de que
se compoe o estadio scientifleo e litterario do
Gymnasio, de conformidade com o programma
estabelecido ; a ser alimentados sadia e abun-
eantemente e a ser tratados era suas pequeas
nfermidades. O instituto fornecer ainda me-
dico, medicamentos, cama mesa, cadefra, luz,
corte de cabello, guardanapo, lavatorio, banho
msica.
Os meiorpeosionistas se apresenlaro no es-
tabelfclmelo nos dias lectivos, s horas em
que as aulas se a>rirera. e desde ento at se-
rem encerradas I tarde ; sao equiparados aos
pensionistas, quanto aos estudos. alimentario e
e recreio.
Os alumnos externos soteem direito s lines
e explicaces dos respectivos professores.
A pensaO annual de 300; 000 que pagam os
alumnos internos do Gymnasio, se cobrar pelo
anno lectivo somento, dividida em prestacoes de
iOOitOOO cada urna; comecando a primeira em
Fevereiro, a segunda em Malo e a terceira em
Agosto e terminar no fim de Novembro.
Para os alumnos de instruccao primaria que
devem se adiar no estabe'ecnento no dia 16 de
Janeiro, a primeira prestacao ser antecipada
sem augmento de pensao.
A pensSo annual dos meio-pensobtes. ser
de 180*000 em tres prestacoes de 60*000 cada
urna, effectuada a coDranca do mesmo modo que
para os internos.
Os alumnos internos de qualquer cathegoria
pagaro na entrada e por urna so vez, urna joia
de 20*000 ; dous irmaos 30*000, sendo 13*000
por cada um e nao haver mais augmento de
joia crescendo o numero destes.
0 instituto Bucaaegar-se-ha da Javagem Ja
roupa dos alumnos internos que u5o tiyerem
quem o faga por fra. e isto mediante 13**300
em cada prestacao. Este pagamento se far de
modo idntico ao da pensao e (iijunctamente
com elle, dando direito aos concertos das pecas
arruinadas do enxoval. *
As despezas com livros e mais objectos indis-
pensaveis para a escripturaco, correm por con-
ta dos alumnos internos ; devendo seus paes ou
quem os representar deixat quantia suiBctente
para' esse fornecimento.
Os externos so teem diraito s liyes e expli-
caces das materias eusinadas no curso, quaes-
3uer que ellas sejam, pagando apenas no acto
a matricula a taxa iguala que pagam os alum-
nos no collegio das artes.
Alm das aulas mencionadas, ha mais urna de
escripturaco mercantil creada de conformidade
com o regulamento de 12 de Marco do anno
lindo.
0 secretario,
Celso Tertuliano F. Quintella
De ordem do Sr. Dr. inspector geral da In-
struccSo Publica, faco saber aos interessados,
que no dia 24 do corrente, s 12 horas, nesta
repartico, ter eomeco o concurso annunciado
para provimento da cadeira de instruego pri-
mara do sexo masculino da cidade de Pes-
queira.
Secretaria da InstruccSo Publica de Pernam-
buco, 17 de Janeiro de 1889.
O secretario,
Pergentino Saraita de Araujo GalvSo,
Administracao dos Correios
de Pernambuco
Por esta administrago se faz publico que no
dia l* de Fevereiro prximo futuro comecaro
a vigorar s novas taxas de franqua da-corres-
ponuencta, fixadas no regulamento de 26 de
Marco de 1888.
Estas taxas sSo as seguintes :
Cartas.-100 ris por 15 grammas ou IraecSo
desse peso, qualquer que seja a distanojfcqBe
tenham de percorrer por mar ou por trra, ir.
Cartas-bilhete.80 ris, cada urna.
Bilhetes-postaes- 40 ris os simples e trris
os com respoeta paga ;
Manuscriptos.-30 ris por 50 granamos ou
fracgSo de oO grammas;
Impressos.20 ris por 30 grammas ou frac-
Co desse peso;
Amostras.100 ris por 50 grammas ou frc-
co de 50 grammas; '.
Encommendas.100 ris por 56 grammas ou
fraeco, sendo obrigatorio o registro.
Os actuaes bilhetes postaes de 20 ris e as
cartas-bilhete de 50 ris podero ser utilisados
at ao dia 31 de Marco, desde que, por meio de
sellos adhesivos, sejam completadas as tasas
respectivas.
Os actuaes hilhetes postaes de 50 ris e as
cartas-bilhete de 100 ris podem ser trocadas
no Correio pelas rorrespeadentes formulas no-
vas, restitumdo-sc em sellos a differenca,
Outro-sim, que na mesma data, entrar em vi-
gor o art. 18 do rcirulament, que assim dis-
pe:
Art. 18. Os jornaes e outros peridicos im-
pressos no Brazil que, cm maco ou scco, com
enderezo a cada estacao postal', forem expedidos
pelos respectivos editores, conhecidos como tae9,
ou pessoas por elles devidamente autorisadas,
para que sejam entregues a agentes seus ou di-
rectamente aos assignantes, pagaro previamen-
te, em sellos, que, para esse fim, serSo especial-
mente emittidos, 10 ris por 100 grammas ou
fraeces de 100 grammas. Quando a distribui-
CSo tiver de fzer-se pelo Coireio, cada sacco on
maco ser acompanhado por urna lista de assi-
gnantes .
Xa execueo d*este artigo observar-se-io as
seguintes disposices:
Nenhum maco ou sacco ser recebido sem que
esteja amarrado ou cintado, de modo a nSo dis-
simular a natureza do conteudo.
Os saceos ou macos devem ter endereco. exte-
rior, radicando com clareza o destino, pudendo
tambem cada jornal incluso ter o seu endreep
especial;
Os saceos, macos ou jornaes avlsos, fraa-
Sueados com sellos ordinarios, serio considera-
os impressos e taxados*na razo de 20 ris por
50 grammas ou fracoao d'esse peso;
Nao serao expedidos os sceos ou macis cuja
taxa nao esteja integralmente paga.
Recife, 21 de, Janeiro de 1889.
' Affom do Reg Barros.
CAPITAL

Em acetes de
Estando tomado

8,OOO;OOO0OOO
2O(WO0
4,000:0000000
Arsenal de Guerra
De ordem do Illm. Sr. tenente-coronel direc-
tor, distribue-se costuras nos dias 21, 22 e 23
do corrente mez, com as coslureiras possuido-
ras das guias de ns. 391 a 415.
Secco de costuras do > rsenal de Guerra de
Pernambuco, 20 de Janeiro de 1889.
Flix Antonio de Alcntara,
Alferes adjunto.
Confraria de Nossa Senhora
do Livramento
De ordem do irmSo juiz, convido aos carissi-
nios irmaos a comparecerem em nosso consisto-
rio no dia 23 do corrente, s 6 horas da tarde,
alim de proceder-se a eleico para o completo
da mesa regedora, de accordo com o art. 12 do
nosso compromisso.
. Secretaria da confiara de N. S. do Livramen-
to, 19 d Janeiro de 1889.
0 secretario,
Gaspar Antonio dos Reis.
Companhia Pernambiieana de Na-
vegado Costeira por Vapor
ASSEMBLA GERAL EXTBAORDINARL*
Convindo resolver-se sobre o modo de melho-
rar e augmentar o material da companhia, con-
voca a direccSo todos os Srs. accionistas para
nma reunio de Assembla Geral, que ter lugar
uo dia 25 do corrente. s 12 horas, na sede da
mesma companhia, e bem assim para tomar co-
nhecimento do acto de que trata o art. 9o dos res-
pectivos estatutos. -
Recife, 9 de Janeiro de 5889.
Manoel Joao de Antorm,
1%. Comber
Arthw B. Dallas.
Praso de 8 dias
De ordem do Exm. 8r. Dr. inspector
da Alfandega, e de conformidade com o
disposto nos arta. 646 e 647 da consolida-
cao das leis das Alfandegas, sio citados,
pelo presente edital, os interessados no
bote e peca de lona apprehendidos na ncu-
te de 9 do corrente, a apresentarem sua
defesa, testemnnhas e documentos dentro
de 15 dias, a contar da tenninacao lo
praso do presente edital.
Terceira seccSo da Alfandega de Per-
nambuco 16 de Janeiro de 1889.
O chefe,
'Domingo Joaquim da Fomeca.
Este estabelecimento destinado a auxiliar e
desenvolver o crdito industrial e collectivo
desta provincia; suas operacesabrangerao to-
dos os ramos da actividade commcrcial e indus-
trial que offerecercm solida garanta.

A directora eompor-se-ha dos sennores
Luiz Antonio de Siqueira.
Jos Adolpho de Olivtira Lima.
Antonio remandes Ribeiro. .
Manoel Joo de Amorim.
Thomaz Comber
os quaes com o Exm. Sr. Visconde de Figuei-
red sao os incorporadores.
As entradas s^ro de 5 / no acto da subs-
cripeo ; 5 \<, quando fr annunciada a assig-
oatura dos estatutos.
As subsecuentes entradas nao podero ser
maiores de 15 |. com o intcrvallo nunca menos
de 60 dias.
A subscripeo est aberta para todas as pes-
soas que desejarem tomar parte nesta impor-
tante ms'ituicSo, no escriptorio dos Srs. Amo-
rim IrmSos & C.,ou no Banco Interraci->::i!, a
contar do dia 7 de Janeiro inclusive.
Recebedoria Provincial
0 administrador da Recebedoria Provincial faz*
publico para conhecimento dos interessados, que
o praso do art. 7o do regulamento de 7 de Outu-
bro de 1883 relativo concesso do abate de 30
0,0 de que tracta o art. 4o da lei n. 1860. termi-
nar improrogavelmente no ultimo de Marco
prximo, pelo facto de coincidir o anno financei-
ro com o civil, ex-vi do art. 4o da lei n. 188*.
Recebedoria Provincial de Pernambuco, i!) de
Janeiro de 1889.
Francisco Amynthas de Carvalho Moura.
SANTA CASA
CASAS PARA .MA'GAH
Ra da Moeda n. 49, armazem
dem do Vigario Tenorio n. 27, loja
dem idem n. 22, 3. andar
dem idem n. 25, i andar
dem do Bispo Sardinha n. 3, 1. e 2.
andares e sot
dem do Bom Jess n. 13, 3." andar
[den do Mrquez de Olinda, sobrado
2W000
240*000
'805000
3604000 .
400*000
2005000
2:131*000
dem do Bom Jess n. 13, 1." andar I 24OS0O0
Becco das Boias n. 14, loja 1." e 2.* an-
dares 4805000
Pateo do Paraizo n. 29. 2." andar 240*000
Ra da Saudade n. 5 4804000
Ra de S. Goncalo n. 24 300-SO00
"'.5






J ida-i PeEmambuco--Teeqavteira 29' de Anfeira (te 1M9


&-
eiro Vianna importan-
menos que psgqu mo
281 de Fevereiro dV
A. D
del
Augusto de Figueiredo 4 C.
idem idem 701, de Agosto
dem
Amancio GoncalveBCoimbraidem
idem 748, de Janeiro idem
Alonso Taborda idem idem 431,
de Maio idem.
Antonio Rl da Costa idem idem
2073, de Julho idem
Antonio Pereira da Cunha idem
idem 2283, de Setembro idem
Antonio Jos Coiiubra Guima-
raes idem idem 296, de Jrushn
idem
Araujo Castro & C. idem idem
1097, de Abril idem
Bruno da Silva Carvalbo A C.
idem idem 94761 de Agosto
idem
Cramer Fray iC. idem idem
617, de Fevereiro
Costa H. Medeiros idem idem
2520, de Marco idem
Couto Santos & C. idem idem
1486, de, Julho idem
Domingos Ferreira da Silva d C.
idem idem 20, de Abril idem
- Oe mesmos idem idem 1272, de
Maio idem
O mesmos idem idem 856, de
Outubro idem
. G. Beltrao d C. idem idem
2220, de Julho idem
Ferreira Barbosa & C. idem idem
20. de Fevereiro idem
Oa meemos idem idem: 3088, de
Junho idem
Ferreira Monteiro & C. idem
idem 889, de Fevereiro idem
Gomes de Mattos Inafioe idem
idem 1825, de Outubto idem
Joa Gomes Ganches idem idem
2205, de Fevereiro idem
J. Ramos idem idem 1659, de
Novembro de 1887
John H. Boxwell idem idem 501,
de Janeiro 1888
Joaquim Felippe Aguiar idem
idem 208, de Janeiro idem
O. mesmo idem idem 19S6, idem
Joa dos Santos Oveira idem
idem 2046, de Junho idem
Jos da Silva Loyo Filho idem
idem 1377, de Abril idem
Os" mesmos idem idem 2342, de
Junho idem
Miguel Jos Alves idem idem
1589, de Outubro idem
Maaoel Tavars idem idem 930,
de Outubro idem
Miranda & Souza idem idem
722, de Junho idem
Machado & Pereira idem idem
597, de Maio idem
Machado Lopes d C, idcm'idm
1027, de Junho idem
Maia d Rezende idem idem 2755,
de Jtmho idem
Pereira Carneiro & C. idem idm
42, de Fevereiro idem
Oa mesmos idem idm 1223, de
Fevereiro idem
Os mesmos idem idem 1294,
Fevereiro pdem
Oa meamos idem idem 2773
Fevereiro idem
b mesmos idem idem 1846
Abnldem
0b mesmos idem idem 1222,
Abnl idem
Os mesmos idem idem 287, de
Abril idem
Paiva Valente & C. idem idem
1784, de Agosto
Os mesmos idem'iaem 2278, de
Junho idem
Res d Oouceir ide idem 449,
de Fevereiro idem
Rodrigo "Carvalho idem idem
2497, de Novembro de 1887
Ramos Geppert & C. idem dem
" 1427, de Fevereiro de 1888"
Soares do Amaral d Irmao idem
idem 2107, de Junho idem
Os mesmos idem idem 1119, de
Maio idem
Souza Bastos Amorim
idem idem 2949, de
idem
Sveira & C. idem idem
de Junho idem
Theo. Just idem idem
de Setembro idem.
W. Halliday d C. idem
1527, de Outubro ifleni
Secglo do Contencioso,
fe 18*.
Ol. oficial,
Manoel do Nateimento Suva Basto*.
SEGUKOS
iJUtllMOS *mk W6C
Compauh::* "benix Per-
Banibacana
Ht'AnoruMMEf.rjo n. 26, i* Asn p nhia fr ajeros
AGESTE
Miguel Jos A-lves
.v moa ata nom je\a-v
EGMKIO MARTIMOS E TEHHEtiTRE;*
itee j'f'moe seguros ( tnica companhi-. nn*t
prsca qae concede ao* Srs. jegnradea iaempvau ce
.agamento de premio ero cadv aethao ann?, c qv.
equivale ao descont sanual de cerca de 15 poi
ecnto en favor doi Mraradoi.
de
da
de
de
d C.
Junho
2324,
1929,
idem
1#626
1*060
6,5520
10175
45543
1(9532
1*200
10*600
4 1*200
214*045
20*140
1*220
1*973
1*259
1*038
27*823
9*614
25*567
6*718
5*583
14*310
i*eoo
1*772
6*066
21*200
3*1801
6*360
2*681
3*055
120T2
1*812
l*6t30
I3t*80O
291*500
53*000
53|&8b
318*000
56*180
1*865
i*207
2*120
4*579
1*000
2*120
1*060
1*060
1*000
10*939
2*849
14
2*120
de Janeiro
UndoiL l Imitii Bank
Ra do Cominera n. 82
Sacopor todos ot aparea aobrv%'.-r
Portugal, sstiri,
tpailiataa n. 75. N<
O procurador doa teitos interino da
zenda prefineiai- tcado reesbia do
aouro a felaejk) afcaixo transcdpts dos db-
vedores do inrpbfiftr de 3 7o (61ro) TO
exercicio de 1888, isto differenca en-
.eonfrada Aos despacho d'AUbndega,.de-f
ciar* aoajmeswosTevajdores e lhes fie }?&*ZrcZ
marad^o pro de 3 dias,- .contara ?J?'!?t*S%
atida pubioacSo do presentredital, paa r orto' *** d*
den* d'ettes pagar a importancia de
seus dbitos can*- guia da a c ovio d- ooa-
tencioso, certos de que finao aqulle prazo
ae proceder a cobranca judicialmente.
Recife, 15 de Janeiro de 1889.
O procurador dos feitos interino,
Jote Francisco de Oe Cavalcante.
Imposto de giro
RelacSo do devedores proveniente da diffe-
renca I encontrada ; ne4 detpacko d'Al\
randega ahaixo transcribo, no extfcicio
'de 1888.
MKSUS ADORA
MARTIMOS E TERRESTRES
E-tabelerIda rn 189
CAPITAL l,000:000
8IKISTR8 PA008
Atril ale DeseMbra ala f
MJHtoos..... l,H0:0ftM0(<)
Trrres_.. SIMMtOftK
44Roa do Oomnwcio44
Ciaiiliia
9
DB
Seguros contra Fog-o
BST: 1803
Edificio a mereadona
7hwi< ba*xa*
trompto pagamento de prtjuito
CAPITAL
WLn. 1 ,00O:O>O*aMI
wT m
S. 5RUANDO COMMERCION. 5
.........i, .. .
A
fteval losirance CempaDY de
Liverpool
(iPITAL *.M0:OOfJ
AGENTES
R DE DRSIN'A d C.
13 ^ Roa Maraae de OUad 1?
-^--------------------------------------------
Compaa bt Seguros
301THA OT
rTORTHERN
ale Londres e Aberdeea
Pos cao financeira (Dezembro de 1885 j
Capital subscripto 3.008,000
Fundoa accnmuladoa 3.134,348
Reeelta wwl:
"a premios contra, foge 577,380
D" premio sobre virta 191,000'
De juro 32,000
o aojnnm,
John B. Bmtmeil,
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se ios Sm importadoras de carga pelos
vapores destn liulia, queiramapresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das al varengas
qualquer reciamacSo concernente a volumen que
porventura- leluun seguido para os portos do
sol aflm de se poder dar a tempo as provi-
dcacias necessarias.
Espirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por evtravios.
Para carga, passagens, cncoouneodas e di-
riheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
Augysle Labille
RUADO COMMERCIO 9____
United States and Brazil
M. S. S. C. J.
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
su I at o dia 31 de Janei-
ro o qual depois dandamo-
ra necessana seguir
para o
WaranhSo. Para, Barbados. H.
Thonaaz e Mew-York
Para carga, passagens, c-ncoaunendas e di-
obeiro a frete : trata-se com os
O vapor Allianca
E' esperado dos portos do
norte at o dia 7 ele Feve-
reiro o qual depois da de-
mora necessana seguir
para a.
Baha. Rio de Janeiro e mantos
Para carga, passagens, encwmendas e dit
nheiro a frete : tratare1 etn os AGENTES.
Henrj Forster &.C.
8Ra dohConvmeror-'8i
1'andar ,
Mossor Jfkeo
Segu com brevidade para os partos cima 0
hiate nacional Victoria; para o resto da carga,
trata secn o meatit bordo, caes'de Loyo, ou
ra da Lapa n. |4. ___
Para o Rio de J aneiro
Segu com brevidade a barca portugueza No*
ro SOmci. asa. casga trata .se eos, os consi-
gnatarios Bakar, Oveira fc C, na roa do Viga
rio n. 1,1* andar.
SEGUROS
Tli ras Lfflo & 6!5
iKtstafCics
LU*J'X}.:.^Y
Roa ao riNaViaVSjo r.-
>s
IIOS
Companhia Brasil eir de
N&VMJfo Vapor
PORTO DO NORTE
0 vapor Sano
Comnmdatte e 1' tenante Guilhenne
Wfid*rton
E'esperado'dos porto? do stl at o
ttirde" JSHlelro e seguindo depois
da demora indispeosaver parar
petoe 'dd*norte at Manos.
As encommend4j sap recetadas n agencia
at I hora da tarde do da'da sabida.
Para carga, epcommendas, pS8ag?ns e va!i>-
res trata-se taf os __^
AdESTES
FOTOSboSUL
O vapor Alagoas
Commandante Joao Maria Pessoa
-2^
E' espendT) des portos do norte at
o da M de Janeiro e depois da de-
mara indispensavel segwr para os
portos do sul-
Recebe tambera carga para Santos, Santa Ca-
tbarina, Pelotas, Porto Attgre e Rio Grande do
Sol, frete mdico
AS encommenda% so serao recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passatjatre, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES
Pereira Oarneiro & C.
6=Rua' do Commercio=*fi
1 andar
Paciftc' Sttfem Narigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Cotopaxr
Espera-se do ?ul at o dia
28 do corrente e seguir.
pois da demora do rostu-
me para Liverpool por
Lisboa. Bordean* e IM raoulh
Para carga, passageiros, encommendas e di-
nheiro a frete : trati-se com os
AGENTES
Wilso, Sons L Limited
14RA LX) COMMERCIO14
costrA-vaii* rRawasuni
DB
.\as-ejuaeao oostelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parhyba, Natal, Maco, Motsot, Araca-
ty*t Cear
O vapor S. Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia i4 do corrente s 5
horas da tarde. Recebe carga at o
dia 23.
Encommendas, |EsaKens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Pernambucana
n. 12
cffi/wefiuas reuns
p Ha Fraartia
DE
XYregftei a vapor
Linfaa quinaenai entre o Havre, Lisboa,
Pernamboco, ffimia, Ro de Janeiree
Santos.
O VAPOR
VilledeSan Nicols
Commandaute Henry
E' esperado da Europa at o dia 27
do corrente, seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
L
m
LEILOES
Quarta-feira 23 dwe ter lugar o leilSo da
fabrica de vinagres e licor da na do Brum ni
7.1 em ura ou mais lotee
Agente Burlamaqui
Leilao
Ter^a-felra d ewrreajte
A's 11 horas
A' ra do Hospicio tu 81 C, residencia do
Rr. Antonio'de Sampaio Pire Ferreira
di: bovs \ovow iovew
: 0 agente cima,por'ednta'e erdm do Ot. An-
tonio de gwppajo Pires Ferreira, <|ue retirase
para a Batii, vender os bons e novos movis
existentes na casa actaa,' mobilias boyas, toi
letes, lavatorios com tampo de pedra, guarda-ves
tidos, guarda-loara, aparadores, mesa elstica,
cadoiras de juncor toscas, vidros. tapetes, appa
remo de metal too, facas, garios e mullos ontros
artigos de gesto qe estarfio a vista dos 8rs.
licitantes, em frente do portao vender duas ex-
celentes vaca* deleite ed'cavallinho Pequira
com selta endlera elock muitobom para correr
nos prados.
Leilo
boas ovis, loicas e vidros
Ai correr do martello
Constando de urna bonita mobilia imitando
Jacaranda e com tampo de.pedra, 1 dita da junco
tambe cenveoaaios de pedra, i espelbo oval,
1 cama imitando Jacaranda. 1 commoda de jaca-
randa, 1 dita de amarello, Icabide de columna,
2 lanternaay i cfoadfos, 1 lavatorio de amaiello. 1
marqseaae e Vwiroc (mes.
rmo- mwwefautfoa de*tusen, 1 guarda-lou-
i,a, 2 apparadores de columna. 6 cadeiras de ama-
rello, 44 ditas de junco, i teilett 1 mesa redon-
da, 1 sof de amarello, louca de jantar, dita de
almoco, copos, garrafas, calicee, talberes, 2 ea-
preguicadeiras, 1 trem de cosinba e outros ami-
tos movis que serao vendidos ao correr do mar-
tello.
Qulaa-fr*ra. 94 do correarte
A' 11 hora
No sobrado 36 da ra daa Trinchen as
0 agente Marti us far leilo por ordem de urna
familia que se retirou desta provincia dos movis
e mais objectos existentes em Jilo sobrado.
Em tempo aiuga-se tambeui o predio sendo que
tem Da solea 1 sala, 2 quartos, e no andar, 2 sa-
la*; 2 quartos, cosinha e 1 terraco envidracado,
e rralnguel multo barato. ^^
Leilo
Das casas terrees da ra do Conde da
Boa Vista ns. 68 e 70 edificadas em chaos
proprioa servindo de base as offertas de
3:80O)$(XX)j)or urna e 3:850iJ000 por on-
tra, rende 5(X))J000 annuaes cada urna.
Quinta-fra 24 do corrente
A's 11 horas j
0 agente I'into levar novamente a leilao as
casas cima mencionadas novas e altas, servin-
do de base as offertas obtidas no ultimo leilo
s 11 horas do dia anima indicado, no armazcm
da ra do Mrquez de Alinda n. al .
KM G6N1I! Vender o mesms- agente, o^obsado de um
andar da ra TMha n. 8rconrjane1lne oito.

l^eto
De boas movis, 1 lustre de gaz com>8 bicce,
espelhos ovaes, quadros flnissimos, porcelanas .o
gue ha de mais fmoe delicado pafa ahno$o e
jantar, faqueiro de electro-plate completo, finos
christaes e muito outros enjectos de casa de fa-
milia.
Quinla-relra. 94 do corrente
A'k01j2kvmf
No 1. andan do. sobrado-da roa da empe-
ratriz t. 6
Por Interveneo do agente
i
(rnsmao
Leoio
Da acmaoso, baknca, peses, medidas e ge-
neres da taverna da ras. da Santa Cruz
n, 2.
eila-felra. 4 do eorrene
A'* 11 liorae
0 agente Gnsmo, autorisedo far leilao da ta-
verna cima, em um ou mais lotes a voutade dos
compradores.
A casa tem agna encanada, e garante-se ao
comprador da armaco.
Em coorinuacto ser vendido' barris com vi-
nho de pasto de Lisboa e diversos movis. _
Agente Pinto
0 da cocbra do caes de Capbaribe annun-
oiado por intervencSo do agente Pinto fica trns-
rido pira outro da que ser novamente annun-
Ciado.
AVISOS DIVERSOS
De madasoloes avarisdoa contido ero uma.qai*
xa descarregada de bordo de vapor inglez Mer
chant com a varia d'agua do mar.
Terja-foray24d* corrtnt
tm si horis
gfeto Pinto
Marqeir de OtindA n*. 52
-t-'AIqgs'se casas a 8#000 no becco dos Coe-
Ihofl, junto de S. Goncallo ; a tratar na ra da
Imperatriz n. 86. ^__________________
, Aluga-se" o 1- e 3 andares a ra estreita
do Rosario n. 32, e o 1 andar e soto rna do
Fogo n. 38 : a tratar na ra da Imperatriz n.
16, 1- andar.__ ... _..__________
Aluga-8e o sWd'sbrado n. 31 ra de
Marcilio wae, eotti bens commodos para fami-
lia ; a tratar no armaesn do mesmo sobrado.___
"^~A'ga-ieyi*'anlf"arta e S. Jorge n.
120, com ags daiadb epintado de novo ; na
mesina ra n. 131, taverna. ___
"tI*"por"SsiM afga-sd "aTsota n. 6 'travess
da Prala do Pet; to# 4 qnarto, 2 salas, eosi^
nha, qnarto de engommado ; a tratar na ra
larga do Rosario n. 16. .___........,.___.__.....__
nprecTsa-ae de urna ama para cosinhnr : na
ra do Livramnto n. 9. ,.,. ...
perfeicSo roupa de senhora e
dunba eto casa dos datrocs
Matriz dn Boa'Vista n. 9.
Leilo
Da grande fabrica de viiagre e licores da-'
ra do Barao de Triumpho n. 75
Constando de:
Vinagres, vtahos, lieoree, genebras, xaropes,
cognacs, toneoB, papel,' rolhas, rtulos, pipas,
barris, garrafas e botijas.
Unr alambique, tlteirus: dornssj bombas, cane-
xos torneiraafaa'afoe^, partea e maitos outros
Em urb ou mais lotes vontade dos compra-
dores.
Q*rra-felra t do eorreMnle
, A' 10 1$2 hora
6 agente Pinto tegalraente atorisido levar
a leSo os vinho?. vinagres, licores, alambique,e
maspertenceB da fabrica cama do Brum n. 78,
em muitos e differentes totes a vontade dos com-
pradores.
Principiarais 10 h\^2 horas
Agente Burlamaqui
LEILAO
Quarta-feira, 23 do corrente
A's 11 horas
So arntira rudolnperaOur
n. 4
De urna famosa casa terrea a ra de Santo
Amaro n. 33
0 agente acima-legalmete'autorisado vender
em leilo urna casa terrea, com tres portas de
frente, portao, janella e porta no oito. a ra de
Santo Amaro n. 32, esquina, freguezia de Santo
Antonio, rende mensalmente 38/.
3/ leo
De G casi nha ra 24 de Maio antiga
dofc- sos ns. 30 e 32
Qaarta-feira 83 da rorreato
A 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 45
0|ageate Silveira por mandado e com assis
tencia do Sxm. Sr. Dr. juiz de direito de orphos,
ajrequerimento dn inventariare de Sebastio
Jos Gomes Peana, levar a leilo as referidas
casinhas.
Leilo
Da arma c2o e gneros da taverna da ra
das Larangeiras n. 2
Qttarla-felra. 3 do eorrene
A's 11 horas
0 agente usmo, atttorisado pelos Srs. Vas-
coneelos Albuquerque, far leilo da taverna
ticima para pagamento dos seus credores, cuja
venda ser feita em um ou mais lotes, a vontade
dos Srs comptadores.
Em seguida ser vendido um lindo cavsUo
pampa andador.
-+ Precisa-se de urna ama que engomme com
meninas', e que
a- tratar na'roa
' "osabaixoassignadositendo dissorvido em
31 de Desembro de 1888 a sociedad que- man-
tiuham-debaixo da firma social de Silva & San-
tiago no estabelecimeto de molhados sito ra
doXofonel Suas3nna n. 1, declarara a respeit-
vel publico e especialmente ao corno d com-
mercio queo ei-secio Jos Xavier Kstolano San-
tiago retira-seda sociedad pago e satisfeito de
seu capital e lucros, fleando pertenoendo ao ex-
socio Jos Luiz da silva todo o activo e a exchi-
iiVa-resprjrrsabtrrdaaVde toneTj passrvoTh so-
ciedrde.""
Recife, 18 de Jatiro de Ii8l.
Jos Luiz da Suva.
, _Jds XiMei- Btolati Santiago.
Ppitoral de (iamtar
M
Jos AnviE os Soza1 8sAftEs
De Petota
Approvado pela Braa. Junta Central
de r%gieHe rSAIica, autorisado pelo Qro-
verno Imperial e premiado cen'ditas me-
dlhasde ouro de l.aeh*sse;
0"rfiifOBi D Cambaba cura perfeita-
mente a bronchite aguda ou ehronica :
O PlAY'OIrAL Dfe cxikff ctira asthma
por mais antiga que seja;
O' PEITOKAL de cambba= cura de urna
forma admiravel qualquer rouqurdlo ou
perda de voz;
O fbitoral de cambaka cura ineontes-
tavelmente o tysica pulmonar;
O peitoKal de cambar cura as toss*
simples, as defluxSes tao fcil e rpidamen-
te que ao proprio doente causa admira-
9&o.
Este importante medicamento vende-se
a 20500 o frasco, 130000 1/2 duzia e
245000 a duzia, era casa dos agentes e
depositarios geraes.
. Francisco Manocl da Silva di C.
23 Ra Mrquez de Olinda 23
O'haruteiro
f recisa-se de oflicial charuteiro ; na ra Lo-
mas Valentinas, antiga Aguas Verdes n. 46.
Lh PiMas Oatharticas.
Trt> Dr. jar.
A experlw.ca (to tcirpo, applleado as Pilla* ilo
Dr, Ayer, t-":i In *j*o cora os ullado*
obtido cor.. ..- :..< .n. :i.i :naide qnarwita ua.ot
qn aptas Pillas obtlTeramoroa rterpriXinetti'
v.Tftal, 5u.' ncolnia4sauia iiurftva -mt
pxlido rlrlisr.
A PlLll^S DO DR. A', r.::, purjaia i-oinpl.;-. i-
ments o rentre com suaviunde, e estfmulam o I -. -
. M orttaosAIgMSTO sssjsmllattro.
As Pilula rlbr Dr. Ayer
snram InJirStVi tinimUmentn, a erltam mufr.ii
crin a tu'.- '.o fat.i.-., C!.tdraildad -. motlnilai
por aqaiilV- ojosvlaM,
i'arnr u- oei>va^ lo Ksroinjo, F^do e R!n?.
cujot sjnnptomas sao as Kn'ermldadrs da Prlle,
Awlor p Paso do Ks'omairo, Nauaaa, Mnl.-a.
.orr. dd Uisbef a, Hlito Ftido, Pebre Itiliosa
- Clica, Dores do estomago costa* e espaduas,
Inctei^wea II.Tilroi>!-.ii, et.. PJlda as allivia
com seKiirenv'a'e proiaptido como aa Pilulas ve
Di:. Ayrk; ns qiiaea sao de grande utilidad oa
cu-afivn das Hi-n.orrlioldas.
'.: .ui reioedio d^u--a uio too- egnai.
PSEPARAIlA PELO
Dl\. J. C. AYER e CAm
I.owell, Mass., E. XJ. A.
-^ r-ia
Cosinheira e criado
Precisase de urna eosinheira e de um criado ;
na ra Barao da Victoria n. 54.1 andar.
y.
'i
I.
Trataraenlo radical em 6 das
DA
BLBNORKTIAGAS AGUDAS
______ or
CHROI1ICAS
(Ylgo puaoAgo)
HOrii.N mj a m i.ii i ii
E da leucorrha ou fi&re brancas
Pllnlas llesin* -Balaaaaleaa
E,
Injee ?o Anti-Blenoirha^ica
PREPARADOS POR CALASAKS & C.
PRODUCTOS APPHOVADOS PELA
INSPECTORA geral ds iiygiene
Urna serie de brilhanOes e iuaumacaa ex-
periencias, cnroada.s sempre de bom xito
durante dez annos, assignala a estes dous
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gen* prescriptas, o primeiro lugar entre os
medicamentos estudados e preconisados
para urar estas terriveis molestias.
As pilulas s2o supportadas pelo estoma-
go o mais delicado, poia qne ellas nao im-
pedem nem diffieultam as fonccSes deate
orgSo.
A injeocSo anti-blenorrhagica nao ab-
solutamente irritante e por isso nao tem o
inconVeniente das actualmente empregadaa
e nSo produz estreitamentos.
Nao publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agradecimentos que te-
mos recebido para nao offender aos nossos
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mui-
to conhecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular excellente preservativo contra as
molestias secretas.
Modifica e faz desapparecer o mo cheiro
das regrss.
Preparados por Calasans & C. Phar-
macia Imperial, Baha.
" DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva &. C, ra
Mrquez de Olinda n. 23.
Clemente de Sorba uval
sssassa
Mara da ConceicSo de Borba Cavalcante, An-
na Cavalcante de Borba Moreira, Olympia Jorge
de Borba Cavalcante, Joaquim da Costa Moreira,
Tertuliano Delgado de Borba Cavalcante, Anto-
nio Joaquim Cavalcante de Aibnquerque, Franco
Cavalcante de Albuquerque. vinva. Iilho?. gen-
ro, irmao e ennnados do finado Jorge Clemente
de Borba Cavalcante, agradecem a.- pessoas'sue
&e dignaram acompanhar os restos mortaes do
mesmo at o cemiteno e pede a todos os paren
tes e amigos a candado de assistircm as missas
que peta alma do ',mesmo mandam celebrar na
matriz da Boa-Vista, quarta feira 23 do corren
te, as 8 horas da mannft, stimo dta de seu fal
leeimento, pelo que se coafessam eternamente
agradecidos. _____
M.S.
0 enigma ser urna ordem do Thesouro
urna corrente grossa.urnas caucoesurna or-
dem de um respeitavel anciaoredo isto se de-
dicar* em tempoo tempo j bastante, anno
e meio.
V inho Maduro
Pocas Mendes C, sito a casa n. 91 ru
treita do Rosario, contigua a igreja, acahatn
receber urna grande remessa do acreditado e
minina
e i
Peitoral de C ambara
Atiesto que b Peitoral de Cambar do
Sr. Jos Alvares de Souza Soares, prepa-
rado de urna arvore aromtica denomina-
daCAMBARA'que vegeta na serra
desta provincia; um excellentc balsmi-
co expectorante, como tal o techo em-
pregado sempre com bom resultado as
aifecfSes pulmonares. O referido verj
dade e o juro sob a f do meu grao.
Dr. Vicente Cypriqno da Maia:
(Pelota*). _________ -
Sg s pror!
Quardo mesmo nao tivessemots o traba-
lho de vir trazer ao conheeimento do pu-
blico a noticia das muitissimas curas ope-
radas pelo Peitoral de Cambar, de Souza
Soares, bastara que os proprios beneficia-
dos por tilo poderoso remedio se encarre-
gasseiu de Ihe divulgar as virtudes.
A voz do novo aYdzdeDns, por
esta razio nada mais do que elle preciso
para constituir a gloria de um preparado.
O attestado que se vae lr mais Urna
prova do que levamos dito.
E-o :
c Attesto que se minhas filhas, Iso-
lina, de 8 annos de idade, e SHvina, de
5,soVriam ha mais de tres aMbs, hr-
rivelmente de asthma, que IHs vihha por
aecessos amiudados e rao fortes, que eu
julguei em muitos d'elles, ter-9e approxi-
mado o termo fetal de suas pobres exis-
tencias. Depois, porm, que usaram o
Peitoral de Cambar, preparaco do Sr.
Jos Alvares de Souza Soares, em Agos-
to do anno prximo passado, s Silvina
foi atacada ha quinze dias, de um novo
accesso, que ceden proraptamente ao mes-
mo peitoral.
Tato o que digo verdade e o juro,
se preciso f8r.
Pelotas, 10 de Marco de 1879.Mi-
gad Antonio do Santos. (Pelotas.)
Este importante medicamento vende-se
em casa dos agentes Francisco M. da
Silva & C, ra Mrquez de Olinda n. 2',
que o vendera a 20500 o frasco.
Murray l Lanman.
0 MAIS EXQUESITO
I.' ';
Perfumes do Toucador.
Perfuma o Corp o
Vivifica a Mente
NO BANHO.
Supeiiuc a Agua de Coi-
nia pela delicadeza de seu
aroma e a durallHarfc de
seu perfume
HO LESJO.

t
.uilbcrminu Amalia Pe**ou
Becerra
Luiz Gomes Hez erra, seus ti I h os. genros e no
ras agradecem a todas as pessoas que se digna-
ram acompanhar o cadver de sua idolatrada
esposa, mi e sogra, Guilhermina Amalia Pessoa
ieievra, at a sua altima morada, e mBrto-es-
pecialnienle a veneravel irmandade do SS. Sa-
cramento da matriz de Santo Antonio, j pelo
sen comparecimento e j pelo auxilio que lhes
prestou em tao acerba occasio ; e de novo as
convidam para assistirem a missa que se ba de
celebrar na matriz de Santo Antonio, s 7 horas
do dia 33 do corrente, stimo de seu enterra-
rnento, confessendo-se eternamente roconbe
cidos.
t
Firntiao
Theolonio la tmi
Saaliaajo
Emilia Wanderlej da Cmara, seus filhos
genros agradecem intimamente a todas as pes
soas que se dignaram'de assistir o enterramento
de seu muito prezado e nunca esquecido mari-
do, pai e sogro, Pirmino Theolonio da Cmara
Santiago ; e convidam as mesmas pessoas para
que se dignem de assistir as missas, quepelo
repouso eterno do finado mandam celebrar na
igreja do P050 da Panella e na matriz da Bos-
Vista, s 8 horas da manh de 22 do corrente:
stimo dia de seu passamenlo ; agradeeendo
desde j as que comparecerem a esse arto de
caridne.
I"
Carlas Pereira de Barao Filliu
Carlos P. de Burgos, sua mulher e filhos ten
do de mandar celebrar urna missa d trigesio
dia em tencSo d'alma de sen presado fllho e ir-
mlo Carlos Pereira de Burgos Filho, fallecido
em Palmares, convidam seus parentes e amigos
a assistirem a este acto de reljgie e caridade.
que tera lugar na igreja de Nssa Senhora do
Te;o, as 7 noras-da manha, de terca-reir'f2 do
corrente. Desde ja antecipam seus tgrorleci-
memos. m[ rifT|||
t
Peiioa
(inHbermina Amalia
Bfzerra
Jos Leonardo Grege, sua mulher b filhos', ten-
do de mandar celebrar urna missa na matriz de
Santo Antonio, s 7 horas da man lia do dia 2-!
do corrente, Stimo do enfrrameuto de sua sem-
pre lembrada sogra, mi e av, Guilhermimi
Amalia Pessoa Bezerra, convidam as pessoas de
sua amieade para assistirem a este acto de ca-
ridade. cotfelsando^se Snfpre agradecidos.
.
Maaoel
t
Ble
de Voates
1- anniversario
Jos dos Santos Moreira e Antonio Goncalves
dos Santos, gratos memoria de seu nunca es-
quecido primo e amigo, Manoel de rnHes Go-
mes, mandam dizer urna missa por alma do
mesmo tinado, quarta-feira 23 do eorrene-, i
anniversario de seu passamento, na igreja de N
f*. do Terco, pelas 4 horas da marih convi-
dam aos parentes e amigos para assrsth*m- a
esse acto de caridad* e religifro, cnfeBsar/do-se
desde.i eternamnte.gratbs. ___ ..
f
A viuva e mais familia do fallecido Samuel
Halliday. convidam aos seus parentes e amigos
pura assistirem as missas que pelo eterno repon-
so de sua alma mandam rezar na igreja da San-
ta Cruz, pelas 8 horaV da manh do dia 22 do
corrente, pelo que desde j se confessam gra
tas.
t
Alugp-se
urna sala grande, clara e fresca, de um i- '-n-
dar ra Mrquez de Olinda, para escriptorio
de commissoes ou para algum medico.
Metadede um armaem na mesma rus. pro
prio para deposito d gneros, fzendas ou mes-
mo para eser ptorio.
Um terreno grande com baixa de capim, ar-
voredos quartos para uoradia, cocheira e es-
tribara para cvanos, bois ou vaccas.
Os pretendentes podero obter qualquer in-
formago no armaaem da bola amarella, caes
22 de Novembro n. 36.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinliar c en-
gomraar : no largo do Paraizo n. iK.
Ama
especial rialio Maduro, nico que sena a 1
confeioao, isportade neate inercasa|be
vende no referido estabelecimeto.
Precisa se de urna ama para
irar, para urna s pessoa ; a
'garifa
cosinhar e com-
tratar na ra do
andar.
se Pieeisa-sc de una
numero 137.
Recife) n. 19, 2
Co&inheira
isnmslra; ns la Velhs
iIIiani HarIma 11 n
Virginia WUliam Hartiann e seus filiios'con-
vidan aos seus parentes e amigos para assisti-
rem as missas que por alma de seu prezado es-
oso e pai, William Hartmann, mandam cele-
rar no dia 24 do corrente, oa igreja do Corno
Santo, s 6 1,2 horas da manhi, stimo djade
seu fallecimento, pero que se eofessam eterna-
mente agradecidos. _______
.
t
Inorara da.Wilva
Deodato da Silva e sua esposa Saria da Con-
ceicSo da Silva, agradecem do. intimo d'alna 3
todos os seus parentes e amigos qu se digna-
ram acompanhar at o cemiteno publico da Boa
Viagem o cadver de sua prezada mi e sogra,
Ingraa da Silva ; e de ndvo'as couvidam|para
assistirem as missas que mancm rezar na igre-
ja da Boa Viagem e em S. Goncalo, na qutnta-
feira 24 do coi-rente, s 8 horas da manh? sti-
mo dia de seu passamento, e desde j se con-
fessam eternamente gratos. _,M^i^M_
B
Cap i
todrigue
Snluniu CoU
de Almeida
D. Candida Maria Ribeiro de Almeida e ;
familia convidam aos prente* e amigos de seu
(nado marido capitao Antonio Luiz Rodri;
de Almeida, para assistirem as missas do stimo
da de seu passamento, que lerSo lugar na quin-
ta-feira 24 do corrente, as 8 horas du manhi
ordem terceira de Francisco desta cidade.
I
v
1
b


-H
. r-
Ditrio de Pmambueo-Ter^a-fea 22 de Janeiro de 186>
-
I
's
7
K
k
ff
-
IMPORTANTE
21-RUAIM) CRESPO-21
OUVSIRA CAMPOS & a a^ r^w i.
yemente um sortiteiito de artigosnovos de altanovintade,res fazer un grande rerfuc^aoBe^pre^sd^s artigo abaixo menriona-
dos, para os (fuaes chamam a atiendo das swis Exma fregiizas.
WW5 SEM COMPEOTCt
V tm Primeiro k Hanp a. 2#
Uniros para Vestido padrees modernos 460 rs. o covado.
Cretones francew, cdres claras, a 260 rs. o 'dito.
Merinos de o6*e*, tttCk 'H*&m, W rsj o dito.
Ditos de -cafe*, kvradoa, de 29000 a 1,0000 o dito.
Lis de crts, desenhos de cachemira, de 900 a 600 re. o dito.
Merino de quadros de 820 rs. o dito.
Fus* braneo de 400 e 500 re. o-#to.
Mursolina branca para casacos a 500 re. o dito .
Zej>hir de cor, listas e quadros 600 -re. o dito.
Dito arrendado) liado* gestes, a 600 re. o dfto.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Ebrrtrnes rendados, de creB, de 800 a 500 re. o dito.
Flor de Italia em quadrinhos, a 500 re. de 900 re.
Mursolinas de cor, de listas, a 400 re. o dito.
Cortes de cambraia bordado trtfmlparwrte e tapado, d 15?i000
e 2O)JOO0 por 9^000 e 12#00 ca rife.
Iiin&o, padrSes em quadroB, a 440 re. o covado.
Nanewkes padrees mimos*, de 286 re. o dito.
Percales miadinfca se pumos fiaos, a 200 re. o dito.
Merino prete fino, de 2*000 a ldKXX) o covado.
Setim Maco de todas cores, a 900 re. o dito.
Brim fino pardo para 'vestido, a 400 re. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 2WO00 a peca.
Mantas hespanholas, de seda, pretas a 3)5000 nma.
Espartfflios, o qu< ha de mtW, de 40000, 50000, 60000
70000 un.
FithuVdTor arreaddos, de 10000 ub.
Capinhas hespanhoias de cor a 20000 urna.
Ficnfls de sefla, milito lindos, a 30000 um.
Sargelim diagonal, todas as cores, a 240 re. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 30000 e 40000 um.
Lavas de seda, todos os taannos,, de 20000 a 30000 o par.
Lenees de ltn'o do orto, a 40000 um.
Ditos grandes para cama francesa, a 60000 nm.
Coletas de tfSr, de 20000 a 50000 urna.
Fichs, sortfmento completo, de 20000 a-60000 um.
Lencos de linbo com barrinna a 20900 urna duzia.
Camisas frncezas, de 240000 e 360000 a datia.
Meias crias para bomem, de 40000, 50000 e 60000 a dniia.
Ditas brancas cras e de cores para senhora.
Ditas brancas cras e de cores para crianca.
Chambres de cretone, de 50000 e 60000 um.
Cortes de case&ira de cor, de 80000 a 60OK) um.
Cortes de rusti para collete, de 10000, 10500 e 20000 um.
Camisas inglzas de flanella, 12 pura, a 50000 urna.
lm de outros artigba que deixamos de mencionar.
21-RoadoCrespa -21
NAO SE DAO AMOSTRAS
PERE1RA
Recebedores directos dos mercados da Europa
1 i qudam os seguintes artgos eom descont de 14 [o na6i
vendas em gfosso





Bramantes de algodio superiores, a 800 re. o metro, 4 larguras,
dem de puro Ird fafcenda de 20200 para acabar a 10500, metro.
Atoalhado ako, duas larguras, a 700 re., 10100 e 10200 o dito.
Algodio alvo, nacional, para lenees a 50500 a pee.
Madapollo americano, a 30600, 40000 e 60000, com 24 jardas.
Mariposas de cores a 220 rs. o covado.
Chitas dars 'e escuras, Afees firmes, a 200 re. o dito.
Batistes idem a 120 re. o dito.
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 re. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 re. o dito,
dem de quadros modernos a 280 e 300 re. o dito.
Fichs de renda chics a 10000.
Colchas frncezas de cores a 20000 e 40000, nma.
Lenees de bramante a 10800, para cama de casal.
Casimiras de odres para roupa de crianca a 10000 e 10800, diagonal, duas
largaras.
Camisas inglzas e frncezas a 260000 e 300000 a duzia.
Tapetes avelndados, grandes, a 140000 um.
Cortinados ricamente bordados a 50500 e 60000-
Pannos de cores para mesa a 10100 e 10300 o covado.
Cheviot prtto e azul, a 30000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 re. o dito.
Veludilhos de cores e pretos a 900 re. o dito.
Rendas austracas para vestidos a 500 e 560 re. o dito.
Setins de todas as eres a 900 re. o dite.
Setinetas Jarradas 200 e 240 re. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Mets croas inglesas para homem a 20500 e 30000 a duzia.
Ceroulas bordadas, de bramante, a 120000 e I6J000 a dito.
Cortes de case mi ras para calca a 40000 e "60000.
dem de meia casemira a 20000.
foalhas grandes para rosto a 40001 a duzia.
dem felpudas par banho a 120000 a dita.
E muitos artigos que serio lembrados com apresenca de nossos leftores.
59-^Rua Duque de Cadas59
LO JA DE
Miiie A Bisel, avisam ao r^speitavel publico
-que todas as tercas e sextas-firas, tem este sa-
Doroso'pao ; ra larga do Rosario n. 40.
PEREIRA
Purgativo Julien
CONFEITC VEGETAL, LAXATIVO E REFRIGRAME
oontra PltfAe DE VENTRK
APPROVADO MKA "TOTA CENTRAL DE HYGIEI PUBLICA Dft BRASIL
fcaxe purgat'TO exelmittamente vegetal se uj restila Son a fi. rra Je vun confeilo saTa-
avel, ftiepur^a c< uavidade em onWior inconimodo. V admirare', contra aaaffaopdat
e mnmuyo e do gaio, aicter'lei.i, bilis, pituita, nauseas r ga:es. O seu effeito rpido
benfico na mxaqurca, quando a cubera est pese ia, n 'ja.m amorfa, Hngma t,
falla o appttit e a comida repugna, as buhafoei de venfre causada? por infimmmtf
intestinal, pola nio nita os orgaos abdominaes. Emlii;., as mt-U*tia depeiU, *sart e
mnvltto 4a infancia. O Purgativo Jslifcn resolveu o difRcil problema de purgar as
reaneas que ni aoceitam purgativo argun, poit o pedem come s focse uau paMilha
de chocolate sahna de confeitaria.
Deposito em Paris 8. r.na 71vieBE:, bj \ Incipaef Inamsciai 9 Drogaras.
FERRO GIRARD
Appro vado pala
Apprevadc pe* Jonot Central
de MedJotna de Parla.
4e Eygtene pablle A
BreaU
Carolos de algodao
Comprase carocas de algodio etraacceos, en
treges nos armaxens, ra do Barao do Trmm-
pho ns. 10, 12 e ii ; ao proco de 380 ris por 18
Kilos.
Profe88ora
Urna senhora competentemente habilrtaaa^pro-
p&e-sea reocienar em coDogios eieosas^arocu
lares as seguintes materias: PorWguez, Fran
oes, Msica e Piano ; a tratar na ra Visconde
de Albuquerque n. SO
Vinho de Collares especial e
da Madefra
Em decimos e caixu de duzia, tem para lea-
der Joaquim da eilva Carneiro. largo do Corpo
Santo n. 13, i- andar._____________^
b prelo siperior
Carlos Sinden avisa s-etis atfgos e fre-
gnezes em geral que receben pelo ultimo
vapor cha pfeto novo e superior que ven-
de por precos mais resumidos em vista
da continua$So d cambio fVoravol.
Convem que exnerimentem.
'48 RUADO BAraO DA VICTORIA 48
Pao centeio
Architectua
Andr Rorapcke prepara, guarnecidos de to-
das as cores, garantindo a conservacio das mes-
mas, tanto para o exterior como interior de edi-.
flcios ; os preridtes poderSo deixar ss or-1
dens n mercearia a roa da Imperatrii n. S.
CaoteH'as do lale de Steetm
Compra-se cautefraa rio HoBte fle-Soccorro de
qualquer joia, brilhantes e rlogJs; paga-se
bem na Praca da Independencia a. 23, toja de
felojoeiro.
i
iiP0IT0 f5
. Mir.RBL fvwk
MJOtt, fir.i'1 *ICK Cinm
nt*tnl*cc; .
a. av i-r. a stxvae a
fiklor o rotulo
mm tfi L0W$r
MM*
Atoalhado bordado a WfOO o metro.
Alpacas indianas a 830 rs. o covado.
Ditas mescladas a 600 rs. o covado.
Ditas lavradas a 500 rs. o covado.
Batistas finas a 140, 200 e 940-rs. o dito.
Brim pardo a 280 e 820 rs. o dito.
Blelas pretas a 260 e cobertas a 500 rs,
a duzia.
Bicos de nma s cor a <2& a peca.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Brins de efies para crianca a 260 rs. o
covado.
Bicos matisados a 2(5600 e 30 a pee.
Cumbraias bordadas a 44 a poca.
Cachemiras de quadros a 260 o covado.
Cortes de seda para coleto a5060.
Ditos de linn em cartZo a 7,5000.
Colchas de damasco a 60000 urna.
Crotones de alsaoe a 360 rs. o covado.
Cambraia arrendada a 460 rs. o dito.
Cachemira da India a 220 rs. o dito.
Chales adamascados a 20500 um.
Cortinados bordados a 60000 o par.
Colchas de c8res a 20 e 20500 urna.
Cortes de casinetas a 10500 nm.
Chambres a 40500, &J c 60000 um.
Cortes de setineta a 60000 um;
Cambraia Victoria a 20900 a peca.
Camisas allemSes a 360000 a duzia.
Cachemira de duas larguras a 800 rs. o
covado.
detones claros a 280 e 320 rs. o dito.
Colchas de fustSo a 30500 urna.
Camisas de meia a 10000 urna.
Ceroulas de bramante a 150 a duzia.
Esguilo pardo a 360 e 400 rs. o covado.
Espartilhos coraca a 50000 um.
Entremeios bordados a 700, 800 o 900.
Completo sortimento de casemira e brins, eollarinlos,
eos, bolsas, fichs, lencos, leques e muitos outros artigos.
o covado.
rs. o dito.
Fiches de malba20000 um.
FnstSo Braneo a 360 e 400 rs.
Dito 'de Cor para roupa a 800
Guarn cao de crochet com matizes.
Gazes de cores a 500 rs. o covado.
Guarda-p para homens a 60000.
Grinalda para noiva a 80000.
Guarda po para senhoras a 80000.
Lencos com barra a 20000 a duzia.
Loque a gHWhiqueza a 20000 um.
Iencoa brttocoa 10200 e 80000 a duzia.
Luvas de seda a 20 e 20500 o par.
Linhos de quadros a 80 rs. o covado.
Las escxrssezas a 100 rs. o dito.
Linn de HMri 600 rs. o dfto.
Merino do cores, duas larguras, a 800 rs.
o'aito.
Meias com pintas, -para senhoras, a 800 rs.
Madapollo americano a 65000 a peca.
Meias para horneas a -30600 a duzia.
Extracto Porte-Vetee a 10400.
Popelina branca, de seda, a 800 rs. o co-
vado.
Paletots de seda palha a 70500.
Ditos de alpaca yrta a 40500.
Panno da coste adamascado.
Pacotes de p d-arroz a 500 rs.
Percales fi as a 200 e 220 rs. o
Roupas para banhos salgados.
Regatas -de cdfea a 10000 urna.
Sabidas de baile a 20000 urna.
Suspensorios americanos.
Sargelim de corsea 200 rs. o covado.
Setim de c5res 800 e 900 rs o dito.
Dito do JapEo a 240 n. o dito.
Toalhas para rosto a 30600 a duzia.
Ditas para banho a 10400 Vnm.
covado.
punhos, leos, toni-
AMARAL & C.
**
h
.................m.........
.......
AS PEROLAS
T3B
Coziixheira
Precisa se de urna boa cozinheira que duna
em casa dos patroes, para casa de pequea h-
milla, na roa do Conde da Boa-Vista n. 14 T",
portio de ferro.
Alaga-se barato
Roa do Rosarlo n. 39.
Ra do Calabotico n. 4 Io sndar.
Baixa Verde n. C. (Capunga).
Ba Visconde de Itapanca n. 43, armazera.
A ra do do Calaboco n. 41oja.
Largodo Corpo Santo n. 13 f-andar.
Ra Santo Amaro 14 1 andar.
Ra Vidal de Nejereiros n. 4o.
Trata-se na rus4 3o Cmrocrck) n. 5, i. andar,
eBcriptorio de Silva Guiroares & C.
Aluga-se
as casas n. 50 ra Vidal de Negreiros n. 150 i
roa f'oronel Suassuna, e um sobradinbo em Afc-
gados, com bastantes arvores .frUchferis, a
oecco do Quiabo n. 64 : a tratar ha ra Harcibo
^g.^;^: ...............^
Precisare de urna boa en-
gommadira, na roa Duque
de Caxias n. 4 2, por cima da
tj^ographia do Diario.*
(TaoSaaca
Precisa-se de urna ama .
Santo Amaro n. 6, 1 andar.
a tratar na roa de
Ama
Precisa-se de urna ama para casa'dc pequen
familia ; na roa de PEysanau n.J9.
Ama
Precisa-se de urna amr para comprar e eosi-
nhar para casa de pouca familia : a ra de Pe-
nhan. 21, 2o andar. ____
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba lavar e en-,
[ommar, para casa de pequea familia ; na roa
lo Uvramento a
Quinin&ao D* Clertan
Approb~tc 3i AcidVi'm ?c Uidicim rft Pariz
Ontenx -iez centiyrnmmea (dote gracw) de Quinina pora
\ *HirpCT'mi 8ti(jrp 3 Firma :
-i-a a-XJtttt&A: ->-
Cata L MERE, tt, ra Jacob, PARH
mmm........ .......m 1
S
PEROLAS PEPSINA PORA DYALISAD
de CHAP0TEATTT, Pharmaceutico.
Pk e Ser Caupcwaut o primeiro chimico que conseguio preparar e fornecer ao
dioo e ao doentea, em peroiasredondas, urna pepsina pura, nao contendo,nem
eiMs.nom auucar de leite, nem gtlatina.E' Cinco vezas mais activa que a pepsina que
figura na ultima edicto da Pbarmaoopeefrancesa o digere 100 veaes su pezode carne.
Sea aocao da mafor efflcacla; duas parolas tov.4as depois da comida bastao
para tewireeef e activar a digestao, e fai ai desapparecer no fim de um qoarto de
hora as enxacraeoaa, aa dree de oaaeca, os hocejos e a somnolencia, que
lo a ooeaequenctt de om m digestao.
PARI9, 8, Rne Vlvienne. t em toda s Cngal^isJ^ ^^He^,
NEAU
lEmprogado oom
ara os Cavallos
mior lito mi VundOart^M rae de SS. HH. o fcnpora'.lor do .1i-..al. o Ral da <
Btetoa, o H d Paizes-Baixos e o Re da SazonU.
SuppresJLa-do gtyro
E DA QUEDA 1*0 PELLO
9* e9fe'pretlds<79ej* o nico que
-' substltuoo*utl<-e e.cura.radlcalmonle
\ em poucoa dl s toanqtaetr
1 i Trao^e" c Ihohea ae a* perna,
S MpaniTlo. Bobn-cenu, #r4|ta'e mo-
.gdtritamento das pernos dosX>otrcis. etc., sem
V ocoslonar nenliuma Mxma, nem queda do peao
. ,*) mesmo durante o tratameato. _
VSSici
35 4moi de (gxtto
se:m. rival
Os resuXai'osrertracfrdbh'arios que tem'
Bblidu as .-diversto^fflfejaJ
esotro, os fj.ttemiuB -awroncnixi.
aaotaattee a eartantt Ophtal-I
mim, etc.. rao dio logar .--'eorieurrinela.
A cura fat-se com q rntorn 3 minut, sem\
buj- esem cortar, net raspee- petto.
F.ua St-Honor, 275,1 a ti li u Phinuciu.
ALLAN PATER!
K. 44Ra d BrumNi 44
*.
JUNTO A ESTACAD DOS BOMS
,Tem para vender, por presos "modioos, as seguintes ferrigens :
Tacaas fundidas, batidas e caldeadas.
Crivacos de diversos tamanhos. I
Bodas de espora, idem, idem.
Bitas angulares, idem, idem.
Bancos de ferro com ierra circular.
Gradeamento para jardim. jf '
Varadas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos.
Portas de fomalha.
Vapores deforma'de 3, 5, e G ca. altos.
Moendao de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Bodas d'agua, systma Leandro.
ncarregam-se de con?crtos, e assentmento de maohnismo e execntam qual
^uer trabalho com perfeicjh) e -presteza.
andar.
Ama
Na roa Formosa n. 8, precisa-se de urna boa
cosinheira e engommadeira, e que durma era
sasa. _._#.
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinLar para casa
de familia ; a tratar na ra dos Guararapes n. 81.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinfaar, para
casa de familia de tres pessos ; na roa Vena
numero 69.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar, para
casa de familia ; na ra Duque de Caxias n. 94,
lo}a:___ ____________________
Ama
Precisa-se de urna ama para engommar em
casa de pouca familia ; a tratar na roa Duque
de Caxias n. 48, loia.
Precisase de urna ama para cosinhar na ras
a Madre de Deus n. 5, andar. ____
A -^a
PreciBa se de urna auia para cosinhar e com-
prar : na ra Nova .*0, loja.
Ama
Precisa-se de urna cosinheira pa
ouca familia; o a estrada de Jofio de
l, ou roa do Vigario n. 4.
. '*---------------------'*-
casa at
rros n
Ama
Na ra Mrquez do nerval n. 61, sobrado,
precisa-se de urna ama que eosinhe.
Amas
Precisa-se dedus amas pasa casa de pque^
natauiia.^BBo urna para oosinaa e outros
servicos domsticos, e de outra para lavar e en-
gommar : aa roa do Imperador n. 40. ______
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro
oom pratica de molbados e
conducta : a tratar na roa
n. "87, prefere-se brasileiro.
de 10 4 12 anuos,
que d fiador a sus
Conde da Boa-vista
OP0SITI0H JT UHir 1878
liilU i'Or^Crii.CaTilT
lb rtm-HMim ntcoupentt
OLEO de QUINA
E.COUDRAY f
ESKlbUatllTt t LPRAf mt4 A FHM0WU D0CAMU
RecommendaiiM e^le producto,,
MBWlerado pebs celebridades media,
pelos seos principios de quina,
mais poderoso regenerador ;ne narMt*
I
Itiglez
O ProCseeer Hnrd encarreaado do Pelatorio Academia demonstro-. que
fmcilrnente acceito -pelo orntes, bem tolerado peio estomago, restaura as
torcas e cura a ahloro-anemia; fue o que distingue itortieularviente este
noto salde ferro, que nao eausa prisao de ventre m qual cmbete, t stove**-
do-te a dase, obtm-se dejeoebes numerosas. *
O PERRO GIRARD cora rfH,i odree pallidae, oaimbrae de estomage.
empobreoimanio do aangae; fttraaoa oa temperaraentoe Iraoo.. excita o
>. petiU, regralarlaa m regj-M e oomb*t* a eeU/rilld ad
Depoett i em Parla, 8, raa Vlvtonne i se /raarui
Em virtude de ter sido muito procurado e nao
podido satisfazer aos pedidos de todos, mandei
cbamar um cllega da Inglaterra (Mr. Dickl que
j se acba no caso de receber discpulos de in-
gles pratico.
J. Fanstone, roa do Progresso n. t.
Mr J. Panstohb, tendo de modificar a lista de
seus discpulos para o novo anno, pede as
Exmas. familias e senhores que tm-o bonrdo
no passado que communiquem-lbe os seus dese-
jos para que elle nao falte na attencio derida
aos llms. Srs. seus discpulos.
Os Srs. doutores desta praca que tennam co-
nhecimenft de inglez e que queiram se aperfei-
coar na platica, dirijam-se a J. Fanstone, n. 2
roa do Progresso, ou na casa Evanglica n. 4,
roa estrita do Rosario.
|_ TamMm para maior commodidade das pes-
'Hjpregadas no commercio tenho resolvido
abrir um curso nocturno de inglez pratico, o
qilal funccionara no 1 andar da casa n. 4, raa
aado Rosario.
Mr, eorg-e b. llal, tunco professor ame-
ricauo da lingua inglesa, pode ser procurado
ibb/dos raa Conde da Boa'Vista n.
sobrado defronte da estagao da -oluladc.
88,
Censor
Um moco titulado pj;la Escola Normal e esui-
dantede direitp, offerece-se para ser censor em
qualquer coltemo dest cidade,, mediante ali-
mentacao e qualquer pnsSo : quem quizer uti
lisar-se de seus servicos, pode dirlgir-se ao es-
criptorio deste Diario em cartas fechadas sob as
inieiaes S. 0.___________________
AVISO
A abaixo assignada previne ao publico e ao
commercio desta cidade, que nao facam traasac-
co de especie alguna com a parte do sobrado
n. 11 sito a roa estrita do Rosario, pertencente
a Manoel Sodr da Cunha Motta, e nem outro
qualquer negocio, sob pena de ser nulla toda
transaccao feita pelo dito senhor. Recife, 11
de Janeiro de 1889.
.. Laurinda Martina Rio.____
Para oDerby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen
to de grava tas e camisas de cores proprias
para os amadores do Prado e est venden-
do por precos sem competencia.
Beceoeu tamb'em collarinhos e punhos
de borracha de formatos novos.
48BOA BASlO DAVKTOBU 48
Typogaphi e Lithographia
FABBICA DE L1TBQS DE ESCBIPTU-
BACAO
PreBilatla aa ekMafdes de
llele&
Manoel J. de Miranda
EHcadrrigo e especialidades em cartoes de
visitas.
SWtaa Dutfate de Caxias39
Telephonen. 194.
Precisa-se
de urna criada : a tratar ra Mathias de Albu-
qaorqUe (outr'ora roa das Flores) n. H.
Mercearia Equidade
Ra de Borlas n. IS
Grande variedade de vinhos engarrafados, por
commodo preco, e superior qualicfade, recebiaos
directamente, como sejam vrnno de I^sto. Col-
lares, Figueira, Verde, Palhete, Moscatel, |lalva-
sia e outro sem igual, especial para senhoras
Vndese superior carne secca de porco, vinda
do sertao, vinho fino do Porto a retalho.
Precisa-se de nma criada
>ara o servido de urna fami-
ia, a tratar na ra da Sble-
dade n. 82.
Artvbos Recommenoados
PERFUMARA DE lACTEINA
laulili nh< Witrlitta tttku.
i (JOTAS CONCENTRADAS para o Ule*.
AGUA DIVINA dita agua de Stude.
E#EI ITI60S ACHAM-U NA FAMK
; pars 13, rtt d'Enjkiei, 13 pars j
I *}it* CabeOereires da Asnmmim. j '. <'H
iiiiiiiimiiiiMimmil
Professora
Urna senbora competentemente habilitada, con
platica de 11 annos de prpfissao, apreseuiando
diversos attestados de bom metnodo e comporta-
ment, offerece-se para leccionar em casas par-
ticulan-. na cidade ou em seus arrabaMes as se-
guintes materias : Portuguez, Franca, Italiano.
ueographia, Piano, trabalhos de agulh, etc.;
tratar a roa Visconde de Goyanna n. 69 ou era
casa do-Regulaaor da Mannha-raa largada
Rosario n. 9. -----
Cndo
Precisa-se de um criado ; na ra de Paysandu
numero 19.
FABRICA
DE VIDROS
193 Ra d'Aurora 193
Expoe venda em ^f* sso
e a retalho os produce; de
seu fabrico: sendo
Copos com esem pe, ditfis
com aza para cerveja, cli-
ces, globos, chami nsgaseos
para botica etc. etc.
Precos sem competencia



11







1
triada
Precisa se de urna pessob^par
IftiUv de urna casa de peque familia
ua ra 1 de Marco d. 17, i andar.
vico w-
a tratar
Professor
eng|nho S. Mtuioel, estaco .Qlfcd. prcci-
sa'-se ifc-um que saina -be ni drt ua va do Bom Jess n. l>, 1" andar, ou no refe-
rido engcnho : prefere-se casado e de boa con-
(lth
Caixeiro
-, de uin com algiuua pratica
na entrada do In-pital Fortugucz.
de ta-
Pechmcha
A uaa-se urna boa lija cora mailo boa arma-
ra, nova, ra Duque de Caxjps n. 87 : a tra-
tar unto. | f /
(Continua a fazermilagree !!
Juli: Augusto da Silva Neves, primero pratico
barra de Pernambuco.
H f ito que soffrendo de rheumatismo gotoso
.ais de quatro annos, toraei a liberdade de
la/.: uso do elixir ducafc-ea d negro, formula
du ; Sauta Rasa, e coas tresjjarrafinlias deste
nan; meilto, /!qu< i conniotaBefl restabeleci-
do, : que afnTfflo e juro -
i c .e,19,de Janeiro de 1889.
i Mi AngvmdaffUrt M**a.
Attcndite
ivr
I; Samuel Botelho avisa ao respcjtayel pn-
blicc que ainda continua a fabricar bouquets do
mate atoniad gosio, para casamento ou dhtro
ijualqoer acto, assim como rapciias mortuarias
de perpetua; a tratar na ra Nova n. 20. loja do
miudezas, ou na ra da Cadeia do Recife n. 43,
toja Je selleiro.
Criada
Na ra da niao n.. 21, precisa se de ama
criada para cuidar do das enancas, de 5 e 3
annos de idade e que saiba engommar, prefere-se
llosa.______
DCOELH
Novo estabeiocirnento de fa-
zendas finas e modas
6-Ra da Iinperatrz56
Receban directamente da* Europa o que ba de
n:ais notidade em tecidos de fantazia e fino gos
10. Completo sortimento em fazendas de todas
as classes e pregos sem competencia.
Telephone 489
Caixeiro
Prccisa-se de un caixeiro que teua pratica
de negocio de molhados: a tratar no caes do
Hamos n. 28, arraazem.

20*000
Alnga-?e a casa n. 16-C ra do Riacbuello,
n?. Boa Vista : a de *. 16-D Junto, por 184000 :
as chaves acham-se no n. NfB. e trata-se na ra
da Guia n. 62.
VENDAS
Vndese urna taverna na ra Visconde de
Govamia u, 62. bem afregezada, com aguae
gaz encanados, e commodo para familia, vnde-
se pelo motivo do dono achar-se doente e querer
retirarse para Europa i tem pretender dirija-
sej tratar na mesma. _____________
Vndese um estabeiecimento de molhados
com proMTcOes pargrande negocio ; na praca
Coim, d'Eu n.18. / f_
Vende-sc o anga r--,jmi afreguezado es-
tablecimento de calcados^iacionaes da ra do
f.ivramciito i). 11. o qual se Torna recommenda-
do pela boa local idade euy que est ; a tratar
no mesmo. | _____
Cimento Portland
\ cuaem Soare de Ama ral Irmaos, ra da
Mad: ile l'cus u. l _______
Vinho de pasto
O que ha de melbor vende-se pelo mdico
prer de 33*000 o barril fao de :! caadas voltano o garrafio 7I30O
fpn^os lquidos) : ra do Amorim n. 6.
.1 II_________________L-. J

FOLHETIM
___ [f
1 3IB3

f

POB



miO MARI

;
ARTE
HONRA POR HONRA


(Continuadlo
IV
VES PISA CSSB
Ra Duque de Cajta-s n. 103
Vende-se bordados de cambraia tapada
de 2 1|2 e 4 metros e urna chave de lar-
gura a 500, 600, 800 e 10, muito fino, d*
ualquer largura a 1*400, e de fustlo, de
00 a 16800 a pe.;a.
Enxovaes para baptisadoa a 8(5, 104
120000.
Lindos enfeite para penteados a 100,
200, 3OO.e5O0r. um.
Lindos granpos para segurar ohapoa.
Renda bespanhola a 2#500*o covado.
Pulseiras americanas para 30, 40, 50,
60 e 80000 o par.
Guarnieres americanas a 30000.
Lindos espartilhos a 40, 50 e 60000.
Porta dedaes de vidro, objecto para pre-
sente a 10000.
Broches d fantasa ere 500 a 10000.
Idm americanos de 20 a 30000.
Lencos de seda de 500 rs. a 10500.
Lublaque a 200 rs. o par.
GruarnicSes de crochet, sendo um par
sof e 4 para cadeiras por 6$000.
Finas tapellas de pellica, panno e coi,
com finos veos. '
Flores artificiaos a 10000 o ramo.
Anneis americanos a 20000.
Plisss de 400 a 10000 o metro.
Luvas de seda arrendadas e bordado*
a 20 20500 o par.
Bicos brancos de linho e de cores a 20,
20500 e 30000 a peca.
Contas de cor para enfeitar vestidos a
700 rs.; e pretas a 600 rs. o masso.
Missangas de talas as cores.
Liados leques blancos para noiva.
Collarinhos e punhos de borracha.
Colchas de crochet para casamento urna
80000.
Talheres para crianza a 800 rs.
Luvas de pellica a 20500 rs. p par.
Linhas de cores para crochet a 20000 e
cor de renle a\105OO.
Lindos laques de papt^Je 500 rs* a,
10000.
Espelhos com fina moldura, eom dous pal-
mos de coroprimenjt.^aifl)ffl,e, fara.dura
a 500 rs.
Finos binculos.
^aino de rPemambucoTer^a-fera 22 de Janeiro < 1889

,.._

AguHias para bordados a ouro e missan-
gas. '
Liidae franjas douradas para facha, de
seda preta e de cores, sem e com vaVi-
lllO.
Timosinhos enfeitados de bico e renda.
Grande sortimento de fitas modernas a
13 deMaiq,. Iaipeftal Regente, a Nabu
Qt> e a Jrio Alfredo.
Lindas fitas para facba a~20, 305Of>e
3*500 o metro. w.....,n..->- *m too rs.
r'arteiras de chagrn para algibeira.
Finas grava tas plastroese regatas a 10,
102OOj 10500 e 20000. >'
Lindos porta-ps de arroz.
Grande sortimento de jarros para enfei-
tar consolos e sanctuarios.
Completo sortimento de perfumaras.
Finos sabonetes de todos os fabricantes.
Grande sortimento do alfinetes douradoa
para enfeitar o penteiado e tambem gran-
pos muito lindos.
N. B.D-se amostras de bicos e bor-
dados.
WHISKY
Roval Blend marca \1AD0

Este xcellente Whisky Escocez pre-
fervel ao cognac oa agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retamo nos melhores arma-
zeas de molhados.
Pede Roy al Blead marca Vlade,
cujo nome e'emblema sao registrados para
todo Brazil.
BBOWNS & C, agentes. |

sigo... a carta de Luciana desanimou-a
talvez...
Mas ouvio um ruido de passos no pa-
teo.
Foi erguer cautelosamente as cortinas
da janella. ^jm a^aai aitm
Era ClauJkia.
Ella subi directamente aoa ajoiftntos
irma. LA
Barato
S na loja das Estrellas
56 Rl'4 DEOCE DE CAXIAS -56
Telephone n. lo
proprietario d"8te mu i acreditado estabeleci-
mento previne a_todas as Exinas. familias
e frefniezes em gcral, que as muitas pe-
cbinchasque eoatama fazer, nao sao mais
divididas com a sua ex-casa das LISTRAS
AZUES; portanto, quemquizer comprar por
menos que em outra qualquer parle dinia-
se 1X)IA DAS ESTRELLAS, onde encon-
trar um completo e variadissimo sorti-
mento de fazendas que se vendem por pre-
gos que nao Ihe podera fazer competencia
como passamos a demonstrar, a saber :
Atoalhado para mesa, de 10800 a 10000.
Dito de cores a 10 e 10300.
Bramante de quatro larguras a 660 e
759 rs. o metro e de linho com 10 pal-
mos de largura a 10600.
Brim de cores para ronpa de criancas a
280 e 320 rs.
Colchas de crochet de 100 por 50000.
Cortinados bordados a 50 e 60000.
Cortes de cambraia, bordados, brancos
de cores a 40 e 40500.
Cortes de vestidos, em cartao, a 70000.
Cretones, cores claras e escuras, a 160,
200 e 240 rs. o covado.
Cambraia branca, transparente ou Vic-
toria, a 20800 a peca.
Camisas inglesas para homens a 280000
a duzia.
Collarinhos, punhos e aberturas de cel-
luloid, um completo, por 20500.
Capas de .ridrilhos e tecidos arrendados
a 100, 150 e 200000.
Casacos Jersey a 20500, 30, 40 e 50.
Damass de seda com lindas cores cla-
ras a 10200.
Esteiras brancas e de cores para forro
de sala a 10100'a jarda.
EsguiSo de linho, pardo, a 240 e 320 rs.
Enxovaes para baptisado a 50600.
Espartilhos conraca a 30 e 30500.
Ffchua a 500, 10 e 10200.
Juapao branca;' 240 rs.
?radas-
a 70000.
GuarnicSes de crochet para sofi, a 50500.
Qwgorio preto de Ba a 10800.
Guardanapos de linho de 30500 por 20
a dnzia.
Leques de fantasa a 400 rs.
Lencos para meninos, a 320 rs. a dnzia.
Luvas de seda para senhoras a 10000,
10500, 20 e 20500.
Las e cachemiras de quadros a 16d rs.
Madapolao pelle de ovo, muito fijo, a
60000 e americano, com um metro deilar-
guro, de pre^o de 120 por 75000.
"Dito de 80 por 50000.
Merino preto' com duas largura a
IS
Grande liquidac,*
10 Boa do Ha rao da Victoria 10
AZEVEDO IRMA i L
^era^Q vender mais barato lar^di-
seusgrandai|leposito, 'jMf
uc cores, comprimento
assim
de
sata
"'
A'
Atojadas Lislras Azues
\ UQW DE-CAXI.
Telephone n J i
sbri dest eonheCitla ca
aBim- familias e toiof
RA. )Q"SE ETcAXlIt N. WNSs3 W%3fis
0 propri^raj desj conhe|ida djisa nfefjne i
os* api
Telegramma familiar
Veiam e admirem
is "com fnissiraob veos de Blond
560
Dito de todas as cores a 500 rs.
Di :os de quadros, liudisaimas co
240 rs.
Rendaa hespanholas. a 10600, 15800,
20500 e 30000. ] GRdWJ. i
Setim Maco, preto e de cores a 750 te
800 rs. n^Aw Jj,
Dito de quadros, ultima novidade. a l|i.
Sargehm de todas as cores de 100 a
200 rs.
Toalhas alcochoados e
e 30000 a duzia.
Ditas para banho a 800
ss a
-r _
Tecidos arrendados,, ultima
>vidade, a
200 e 240 rs.
Zefiros de todas as cores a 80'rs.
Assim como muitas fazendas.que seria
enfadonho mencionar, e que vendemos por
menos 20 j0 do que em qualquer outra
Par^'.....................
Kcn
a 10000 e 10500.
SargeUm de todas as cljes a
covado. i >
Baleias com forro a 400*,srva duzia.
dem sem forro a 240 rs. a dita.
^Bcamante da linho, com 10 palmos, a
10400 e 10500.
, Extracto Bita Sangal a 20200.
Fichs de 18 e seda a 10 e 10500.
Capeles xiom.vo bordado a 60000 e
Merinos de cures a 400 rs.
Zefiros, largos, a 160 e 200 rs.
Cretones com ferraduras a 240 rs.
Madapolao (o verdadeiro Boa-VistaV a
60000, com 20 varas.
Toalhas para banho a 10 e 10500.
Colchas de crochet, finas, a 50000.
dem com flores a 80000.
Toalhas felpudas para rosto a 30000 a
duzia. ;
Bramante trancado, 4 larguras, a 800 e
10000.
MadapolSo com 1 metro de largura a
70000.
Madapolao Globo a 70000.
Dito camisero legitimo a 70000
FustSo branco'a 360 e 400 rs.
Setim branco e de todas as cures a 800
e 900 rs.
Tapetes grandes para 6of, a 130000.
Espartilhos couraca a 40 e 40500.
Cortes de cambraia com carocinhos a
40000.
Brins de linho de cores fixas a 600 rs.
Crinoline branca e preta a 400
metro.
rs. o

Rico 8ortment de leques d penna de
80000 e 100000.
Guardanapos de linho a 20 2joOO.
Panno de crochet para cadeiras a 800
W jbPV s
Ditos grandes para aofit a 20500.
Cambraia Victoria e transparente a
30000.
Merino preto, fino, a 800 e 10000
Camisas francezas, finas, a 330000 a
duzia.
240
rs. o co-
as co-



Pinho resina
Cimento
Paral! el ipipedes.
Vendem Fonseca JLrmos & '
C.
unpossi-
iCiuia o
do n. 16)
E sentia-se todo perturbado diante da-
quel'.e amor.
- Ser possivel-"? Nao era um lce?
Ejfca notou que Montmavcur no era
ano de costume.
Ihe a reflexo :
O
que
Amo-o,'tenho vergonha de mim pro-
pria, mas amo-o.
E' impossivel, Luciana,
vdj repito-te!... E' urna
que ests dizendo !...
Ah tu nao amas, uo vsai*e* o que
i amor. A tua afilelo por Jorge c mui-
cahna e nanea agitvte i> cora^. Era
por ventura amor o qe eu >eBtia outr ora
Antes fce entrar pareo no 1 i miar, como por Gauthier V Nao, una amiste fra-
se fos%3 retida por umj ukiraa hesitajSo.
Moaftmayeur ouve ft rspifacflo da mo-
ca, agitada,'ruidosa, ou jorque ivese
a garganta contrahida pela emocSo. ,
Depois ella bateu duas leves pancadas*.
Do seu quarto, Luoiana disse :. r
E's tu, Claudina ?
- Sou.
Com o ouvido collado porta condemna-
da, Montmayeur ouve tudo perfeitamente.
Luciana foi abrir.
Acompanhemos Claudina e abandone-
mos Montmayeur, que n2o perder cousa
al guma da scena que vai passar-se.
Quando Claudina entrou, pallida, tre-
terfal. EgiMianto jae ^gora!... Ah!
pipes ze\-rie tudaja, te e^iliqiei t
minha'xarta-Spdes e^dTobiar-m Jtudo.
Nao passo de urna Mfltme. Mas o que
queres? Amo-o. Nao'posso raciocinar com
ornen amor. Sou arrebatada por urna
corrente contra a qual quiz em vao resis-
tir. Julgas acaso que en tambem,nao
sinta horror de mim mesma? Julgas que
tambem nlto tenho perguntado a mim pro-
pria por que amo aquel le monstro?... Nao
pode ser senao porque elle mame tam-
bem apaixonadamente. O amor, um amor
Ah sim, sinto hor-
Ciaudina, a nao sou digna de-que fal-
r- Est preoecupado. Joo ?.
tem?... ",
El! j respondeu que estava inquieto com
o estado de sade do innao.
Ao fallar, olhava-a, perscrutanio-a at
ao fundo dos olhos.
. Ella estava tilo calma! Poderia ser ver-
dado tudo aquillo ? Aquella crianga pode-
ria amar um assassino? Seriam possiveis
amores monstruosos?... Amor duas
vftflws-saerr^jro, visto que Luciana era fi-
Ina adoptiva de Doriat e Doriat pagava o
crime delle Montmayeur!
TTm laco. .. murmurava elle... es-
t ni eertd de que me araiam um lao....
nas mos ficaram frementes de co
e as suas narinas dilat&vam-sc.
Ah cle8gra9ado6 daquellesque brin-
earera commigol
Espreitou os passos de Luciana depois
afmooo.
A 11105a errou a principio durante al-
a tempo em .-cdor da fabrica: chegou
a tomar o caminho de Bernadettes, mas
voltou logo atrs.
I', recia muito agitada.
Entrn em casa e subi ao seu quarto.
Montmayeur tinha-se encerrado no auti-
sua mji, e all, com o cora-
|lptaate, esperava.
ia parte da tarde passou-se assim.
Claudina nlo vem, disse pile ciin-
mua, Luciana foi vivamente ao seu en-
contr.
Nao Ihe disse cousa alguina; limitou-se
a collocar o dedo indicador na bocea e a
olhar na direccio da porta condemnada,
por detrs da qual Montmayeur podia ou-
vir, mas nao ver.
E ambas, com a m>o no coracao para
conter Ihe emocS' tumultuosa, conserva-
vam-se silenciosas.
De repente Luciana traca a lapis algu-
mas palavragf sobre urna folha de papal
ao al-
em branco estendida sobre a mesa
canee da sua mSp.
Estendeu a folha a Claudina, que
Toma cautela. Montmayeur escta-
nos. Courlande tinha razSo. Elle diese-4e
sem duvida que Jo!tO leu a ra carta e a
minha?....
Claudina fez um signal affirmativo.
Depois, de repente, com a voz pertur-
bada, nao pela eraoco do que dizia, masj
pela singularidade da situacAo em que am
bas se aehavam :
Assim, Luciana, esta carta mesmo
tua '...
Fallava alto, I^Nnodo a ser bem ou-
vida.
j;. -s^i
Amas Montmayeur ?
J: nao t'o' disse ?
Mas entretanto nao o creio... Como
queres tu que acredite? Tinhas horror
delle quando vieste para aqui... Era a
vinganca que conduzia-e a esta casa...
Era a eaperanga do castigo... E hoje, Lu-
ciann, anas o assassino de men pai, o ho-
mem por cuja cansa Doriat vai morrer...
Nanzuc de cores finas
vado.
Capas de cachemira preta.
Renda hospanhola a 10000 e 10500.
Cretone com duas larguras a 400 rs.
Batistes finas a 140 rs.
LS de quadros a 280 rs.
Cortinados bordados a 50500.
Ditos de crochet a 100000.
Camisas de fianella com collarinhos
sem elles.
Palitots de palha de seda, todas
"". a, *;
Fazendas de phantasia e abertas.
Cachemiras eom listras e qu.*.dros
500 i.
Co.vtcs de casimira a 40000.
Etaminc preto.
Cortes de cambraia aberta a 50000
peca.
Corte bordados brancos e de edres.
Seda palha croa com flores a 800 rs.
N. B.As fazendas compradas na nos-
sa casa nao sendo do gosto do' freguez, se
trocam por outras de mais gosto.
Telephone n. 200


assim, contagioso!
ror,
les commigo. Vai, deixa-me, abandona
me ao meu destino... Sou maldita, visto
que o meu destino acompanhar eese ho-
mem... a minha vida ser ligada delle...
Sorprend e partilharei os seus remoraos...
E, se preciso for, protcgel-o-hei contra os
perigos que puderem amea?ar-lhe a liber-
dade ou a vida!...
Luciana! Luciana s tu que eu
estou ouvindo?!
Sou eu. Nao insistas. Isso afflige-
ae profundamente. Nao se deve brincar
cora o fogo. A mariposa queiina nelle as
suas azas. Eu brinquei com o amor. Amo.
Est acabado. Nao serei a primeira mu-
lher que tenha amado um criminoso, ape-
zar dos seas crimes. O amY existo, ca-
hora desppareca a estima. ?'. EntSo tam-
bem nao tem havido homens que tm ado-
rado mulhres indignas, deshonradas, in-
fames ?... Pensei que podesse morrer.. .*
seria fugir de mim propria. Morrcrei tal-
vez. .. Mais tarde !... Hoje sinto-rae co-
varde !
Minha pobre irma minha pobre ir-
ma !
Nao sou mais tua irma. N5o passo
de urna creatura sem f, sem coracao e
sem alma, que a vida leva nao sei para on-
de e que nao encontrar mais repouso se-
nao na morte. Esquece-me... est aca-
bado ... nao sou mais digna sequer de um
dos teus pensamentos. Adeus, Claudi-
na!... adeus, deixa-me!
Montmayeur continuava a escutar. Nes-
se instante Claudina e. Luciana calaram-
se. Por mais que J0S0 applicasse o ou-
vido, nSo ouvia mais nada. O que elle
nlo poda onvir eram os apertos de mos
ajezes, que as pccfcracl^s qpc coituma
1 "*flnr, nao sao nem nunca forain di\1aidas"
de outra casa como alguem annuncia
ra engaar, vendendo EuendaV ardi-
'r boas, rastum que a l<*jn
^iHtwutt Airn^e nao tem. .:
s fazendas *e*ddts nest Ba* s.ode boaajua-
Idade, e nao levammedida escassa;
aceitase a faaeoda. veedida se,. por
rquer motivo no fr.de muito agra-
do pessoa para quem for comprada,
pa-sc descont a quem comprar de 20
para cSm.
ESPECIALIDADES
Hrlai de Mstras aznespeca com
20 varas a 60000.
.Hadapolio com um metro de largu
ra a 60800 a peca.
Cortes de vestidos bordados em
cartSo a 100000.
Velludilho bordado a contas a 10600
o covado.
64ps
e 240 rs.
e 280 rs.
a 120 rs.

_i
Cimento
Vendem Fonseca Irmos, no largo da Alfan-
dega. __________________^____^_
das duas irraas, cujos dedos cerravam-se ;
eram os seus bejjos apaixonados, que des-
mentiam cabalmente as anas palavras. :
Luciana murmurava muito baixo ao
ouvido de Claudina :
At esta comedia parece-me umpec-
cado... Tenho medo que Deus me puna
por ella...
Promettemos a <^oorlonde obedecer-
me. i\\i\s
; nssim preciso !
Doas ltimos beiis, mais apaixonados
ainda, e sepraran-se.
Claadina iecSou a porta ao sahir.
Montmayeur ouvio-a descer a escada.
Ella tava fra. Afastava-se.
Lucjana ficou s.
O dia ia cahindo, mas ainda nSo era
noite.
Ella encostou a testa escaldada aosjvi-
dros da janella c poz-se a olhar vagamen-
te para o campo, dando aos ervos o tem-
po de distenderem-se ; a todo o seu sangue
que fervia, o tempo de recuperar o seu
curso normal; sua emocao o tempo de
acnlmar-se.
De repente estremece e solta um grito.
Urna niao acaba de apoiar-se-lhe ao
hombro.
E se olla cstremeceu nao foi porque o
aperto. fosse brutah pois a mSo encostara-
se suavemente e Luciana apenas sentio o
rojar dos dedos mas porque adivinhara
que quem estava alli era Montmayeur.
E era elle effectivavente, pallido e per-
turbado.
"Voc", J0S0, q que quer de mim ?
A noite estava um pouco mais escura,
mas naquella obscuridade os olhos de Mon-
mayeur estavam brilhantes como os de urna
fra.
Nao respondeu cousa alguma; o seu bra-
co cingio a cintura da moca. Attrahio-a
a si bruscamente e oa seus labios vidos e
crueis procuraram aquella bocea pura, cuja
frescura escaldava-o. Ella deitou a ca-
beca para tras, com um grande grito de
espanto, porque via-se peSda. mas os la-
bios do monstro acompanhavam por toda
a parte os seus, e Montmayeur murmura-
va-lhe ao ouvido palavras inflammadas :
Ouvi tudo... disse elle.
eu estava alli, perto de ti !...
tu me amas, como tu me amas, vim. que
me amas, apezar do meu crime !.. .
E apertava-a de modo a suffocal-;
terror paralysava a forja de Luciana. Ter-
dadeiramente ella pareca abandonar-se.
Quizera defender-se. Nao podia. Ni& es-
perava esse brusco ataque.
E elle fallava-lhe em phrases entreco-
tadas. Pintava-lhe o amor insensato, que
concebeu por ella... Era a confissao do

Cachemiras pretas, de quadros e
azuladas a 20 e 20500.
Teeldos fantazia arrendado a 400
500 rs.
Cortes de cachemira com guarnicoes
bordadas, lindas cores, a 200 e 250000.
ftetina Maco de todas as cores a 750,
e 800 rs.
Linn bordado, tecido do urna s cor,
qualquer que se deseje, a 200,rs.
Zefiros lisos e bordados, tecido fino,
novidade a 500 rs.
Las de quadrinhos a 200, 240 e 360
o covado.
Unhos lisos a 60 e de quadrinhos a
100 rs.
Guardanapos melhor qualidade a
10800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores a 1-5.
Oleados para mesa refonda ou quaj
diada a 40O(/>.
Cortinados de crochet, com sanefas,
ultima novidade, para janellas e portas.
Crochet para cortinados a 900 rs. o
merfo;
Colchas de rustan, brancas e de co-
res, a 20000.
Chitas finas precales a 200
Chitas escuras a 160, 240
Batistes de cores seguras
Xanzue de lindas cores a 280 rs.
Brim pardo esguiSo a 240, 280 e320.
Casinetas de cores escuras para rou-
pa de homem ou menino a 400 e 500 rs.
Maaatilhas de renda hespanhola, pre-
ta, de seda a 80000.
Capas e visitas, de cachemira, de ren-
da, com lindos enfeites e com vibrilhos a
200, 250 e 300000.
Leques de pennao e transparentes,
ultima novidade, todo prejo.
Luvas de seda, lizas, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de qualquer cor a 20.
Espartilhos ingleze* a 4-5500 a 50,
tem desde o n. 40 at 80 de gEossarfl.
Bleo branco reme e de todas as
cores desde 700 rs. at 20500 a peca.
Rendas hespanholas, de seda e de
algodao, pretaj branca e de qualquer cor.
Babados e cntreme03 bordados ta-
pados e transparentes por todo preco i
Hrampos e pentinhos fantazia para
cabello a 400 e 500 rs.
Baleias para vestidos a 260 rs. a
duzia.
Reloglos despertadores com fi-
guras em movimento a 80 e 90000.
E muitas fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas na loja das
LISTRAS AZUES de
Jos Augusto Dias
jam e
*& -Ra Buque de Casias55
Pedimos ao respeitavel publico atfenc3,para
-iiibaaiiecto
, _4 cavado, yanjle sortimento.
Capas pafa se*hora, o que ha de mais mo-
derno e barato.
' Btparillios de couraca a 5i e C>i
Fuslfles bratipos e de cores a 36' e iOOlres o
covado.
Lsinlias de quadros e listas de 40, 280, 320,
4OOe>30O|is o covado.
oROnic lortimento em fiebus.
CortJ c linn bordados para vestidos, com
lodos os enfeites a 1 i/000.
Colchas brancas e da cores a 2JMW0
Luvas de seda fina a 2000.
(orle* de cacliemire com vidrilhos o que ba
4e mais novo.
Cambraia com tpicos de ffr, nodade em
gosto e baralo.
Grande sortimento em punhos e collarinhos
para' homem.
Bramantes de algodao c linho e por pregos sem
I coniptfcncia. *{
Cretones para vestidos, um sortimento espen -
dido em padrocs e prcco's.
Cambraia branca com aalpicos a 4*000.
Brins de corej para roupas a 320 ris.
Atoalhados de diversos gostos e barato.
Madapolao para familia, muito largo e por um
prego rasoarel a 600') a peci.
Merinos de cores a 500 ris o covado.
Completo sortimento de sargelins a 2*000 o
covado.
Benda hespanhola a 2S e metro.
Setins de todas as cores a 800 e l o covado.
Tecidos arrendados de diversas cores a 400
ris.
Vanedade immensa em toalhas felpudas, bran-
cas e de cores.
Cortinados de crochet e bordados por preco;
sem competencia.
Baptislas de cores a i20 ris o covado.
Cambraia Victoria e transparente a 3* a pega.
Completo sortimento era casemiras de cores e
pretas para roupas.
Crinolinas branca e preta a 400 ris o metro
Benda oriental, novidade, 300 ris o covado.
Camisas b-ancas com collarinhos para homem.
cousa chic a 2O00.
Tapetes, grande sortimento e barato.
Amor da China, fazenda de fantazia de listran
e quadros a 200 ris o covado.
Cortes de ineias casemira a 2, ura.
Linn bordado tic quadros, o que ha de mais
floro a 80fl ris o covado.
, Alm d&que acabamos de annunciar tem urna
ariedailodalnarcadorias que s vendo-se.
Do-sc amostras sem penhor.
55 -.RA DUQUE DE, CAXIA 55
miseravel, mas nao a confisslo submissa,
ao contrario, a confissao triumphante.
Ella ama-o... Elle amado a despeito
do seu crime
E Luciana, cousa inerte nos seus bra-
508, Luciana, aterrada, louca, sent avigo-
rar-se o aperto dos bragos que a cingem,
os beijos tornaram-se mais ardentes, mais
vidos, quasi convulsivos.
Ah como eu te amo !... Todos
amam, fica sabendo. os criminosos como
os outros... e todos s2o amados, pelo
menos urna vez. Queras a minha perda,
e eis-te ligada minha vida... E' o amor.
Nao me deixars mais... Ensinar-te-he
a esqueccr... Acabars por desculpar o
ue fiz... Ah! como te amo !... Sabes
,e tudo... Sabes tudo... Ah ao menos
nao quero que te arrependas algum dia c
que o remorso te afaste de mim. Quero
que me pertengas como eu te pertengo e
que sejas minha, minha para sempre, minha
cousa, minha propriedade, minha amante,
minha mulher... Pois nao sou teu escla-
vo, e nSo podes ordenar tudo ? S ininha,
Luciana, entrega-te a mim, visto. que me.
amas !...
E a sua vida, o seu poder, estavam, p-
de-sf dzer, merc do monstro. .Ella tito
enrgica e tio vig^os, nao tinh forgaa
para. defenderjffSX^tk V
Sola no ert.into um grifo de angus-
tia.. tentando vagamente desvencilhai-
se, com ambas as m3os crispadas em torno
dos pulsos de Montmayeur...
Respcite-me, Jo&o, respeite-rae.
-? Eu te amo... tu me amas tambem,
eonheces o segredo... preciso que me
pertengas... preciso...
E arrasta-a, carrega-a quasi nos bracos
robustos, quando de repente apparece urna
soaabra no fundo do quarto.
E lima voz oppressa pela indignagao,
mais fraca e trmula apezar de tudo :
Entilo, Joo... O que isto ?
Montmayeur deiza Luciana e precipita-
se sobre o individuo que acaba de surgir
e que ivo ouro eno Jorge.
Vai-te embora, vai-te embora diz
elle com voz surda. *Tf
NSo, has de pastar sobres o mea car-
po antes de attingir esta enanca.
Pois bem, teja! ruge o desgragado.
E d um passo para JrgS> mas detem-
se. Um resto de raz2o luz Ihe no cerebro
desvairado.
Jorge encostara-se pa^de, e espera a
morte, a morte vibrada pela mao de seu
ir mo.
Mas Montmayeur foge de repente, co-
mo que aeaommettido de loucura, com am-
bas as mSos na testa.
E Jrge, meigamente, a Lu<
Eu bem Ihe tinha dito.. in
FER V1MIES DE .VZEVEDO & _C.
Bom terreno
Vende-se um terreno de 180 palmos de frente
e 150 de fondo na ra do Conselheiro Portalla.
nos Aflictos ; o terreno est cercado e temal-
guns arvoredos novos plantados : quem pretal
der dirija-se ao esenptorio deste Diario, fue
achar quem indique o vendedor.
ATKINSON
PERFUMARA HICLEZA
alamidi hs mais s arr secuto; exceda todii
tBOOtnipelearnpf-tnc-e 'Jv.'idu a rxquxiilo.
t;;rz Msdalhas d~ Doro
PARIZ 137, CALCUTTA 1884
p--U -trn-tini^-rc:'. ocia d^. a qtuhdftde.
Parfumei mo-jvi-^os de A:kiaion
FA5RJEA fit CrMBn>iOM
den^oepecnHir perfnii** i^^utes rendo tiao
rtistralos s podem leroliti^ os por inteitenlio
deseasInfeotore^ou A^"ntedestes.
AGUA DE COLONI* D ATXIN3QS
en riTilpeloeape:futiic^a'-i>ncejtr^o.
Excede wd&s os pi.liict. ? snailires Temndo
sob o mesm> rtrnue
AOVA FLORIDA DE ATK1VS0N
ielirido perfame par o I-juco distillado de
orna escolbi eTqnnits..
IrMn-a m Ci i!s lKn m N?Bint eFibricaitil
J. I. ATKINSOI
24, Od Bond Street. Londres.
Mare de.Fbrics- CJtD "Son branca "
- sobre mu I.yfa. de Ouro.
Vaccas de leite
Vende-sc dnas vaccas de leite
Tamarineira, sitio defronte do .Jzylo
ados.
tratar na
de Alie-
Vende-se ou aluga-se
um sitio com casa, na frente todo murado, com
diversos ps de frueteiras, duas cacimbas com
excellente agua e banieiro, ra de "S. Miguel
n. 84 (Afosados) : a tratar no mesmo ou ra
Marclio Das n. 106.
Montmayur
dita...
urna casa maldita... mal-
No dia seguinte Montmayeur ach&v
no seu gabinete.
Estava com o rosto muito vctnielho; a
febre queimava-lhe o sangne.
Passara a-noite a reflectir.
Abri a janella e respirou o ar fri. Os
canhSes rugiam incessantemente desde al-
guns dias.
Os allemaes, sempre bem informados
por ura audaeio3o e cynico systema de es-
pionagem, sabiam que a guarnigSo de Pa-
riz preparara urna sortida desesperada na
direccSo de Versailles.
Devia ser essa a ultima partida jogada
pela grande cidde.
Montmayeur ficou por muito tempo
apoiado ao parapeito da janela.
Em que mcditava elle ?
Quem pdesse ver-lhe os olhos, ficaria
sorprendido, assustado at, tSo implacavel
crueldade bavia nelles estampada. "
Ella ha de morrer, murmurou elle...
fo^so que eHa mom !
Em que pensava elle ? De quem falla-
va, quando profera esta araeaca '
Era de Luciana V De Claudina ?
As duas irmSs conheeiam o seu crime.
Urna das duas pexjencer-llie-hia qualquer
dia, e amava-o.
Era. Luciana.
Nada havia a temer della, por
queucia.
Ella tornar-se-hia sua- amante, se nSo
fosse sua mulher, e a sua vida seria com-
muiii, e o crime seria tambem quasi com-
mum.
Mas a outra ? Mas Claudina ?
Como impedil-a de fallar ? J o tinba
feito de certo. Cemprehendia-o agora.
Eis porque sem duvida havia sido conce-
dido o inexplicavel adiamento da execu-
yao de Doriat.
Mas aiuda havia de fallar. NSo esque-
ceria.muiea. Accusal-o-faia publicamente
talvez, ou a justiya, nao se preoecupando
com a ausencia de provas, prendel-o-hia, e
lie leria entSo de pasar pelo escndalo
do jury:
A guerra havia transformado tudo aquillo.
Terminada a guerra, a justija havia de
querer deacobrir o fio daquelle myaterio.
Eis o que elle nao quera. Eis o que
elle no podia esperar.
Luciana, na confidencia do segredo, nfio
fallara mais d'alli por diante.
Era preciso desde lpgo impedir Clau
dina de fallar.
(CoTtinwtr-te-ha)
Typ. do Diario ruaBjae de Caxias n. 41.
'-vi


I
^
-
'
J


.
.
"taj
l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1FD9X11T_A5L1G4 INGEST_TIME 2014-05-22T21:47:31Z PACKAGE AA00011611_17402
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES