Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17400


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LX
X1
O 15
PIRA A CAPITAL IS WCIARES OXIDE Vi *E PAGA PORTE
Por tres meses adiantados............... 60000
Por seis ditos idem................
Por um anuo idem................ 230000
Cada numero avulso, do mesmo dia. 0100

\BBAD0 19 BE JANEIRO DE 1889
PARA DF\TRO E PORA DA PROT1WCIA
Por seis mezes adiandos.............. 13fJ500
Por aove ditos idem................ 200000
Porum annoidem................. 27000
CjA numero avulso, de das anteriores ......... 0100
DIARIO DE PERNAMBUCO
Troprkdtk de Mancel ^igueirca de Varice # ffilfos

w
TELEGRAMHAS
i

n .
i. "
s2S7i:: : LWtiL sms
ROMA, 17 de Janeiro.
Os operarios tcccloes de Lecco (Lorabar-
diui fizeram parde (grve).
VIEKHA, 18 de Janeiro.
Esto reinando n'este momento grandes
desordena na Bulgaria.
LONDRES, 18 de Janeiro.
A noticia relativa ao encontr de Stan
ley cOm Emim-Bey, no Lago Alberto, adia-
se officialmente desmentida.
BERLIM, 18 de Janeiro.
Acaba de. dar a sua demissao o ministro
da justica do gabinete prussianb.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
18 de Janeiro, de 1889.
IHSIRDCqiO POPDLAR
AS CUBES IWEMjOES
ANTIGS B MODERNAS
AS
Sciencias, industrias e artes
POR
I
* A Imprema
(Continuacao)
A familia dos celebres typographos conhecidos
pelo nome de Aldo florescia entre 1488 e 1580.
O ehcfe desta familia. Aldo Manucio Snior, fun-
dou em Vencza ama imprensa que tinba por ob-
jecto especial reproduzir as obras primas da an-
tiguidade. Aldo Manurio foi um dos principaes
tvfographos; as sussedigoes leem aautorida
de dos manuscriptos. A divisa da sua imprensa
um golphinho entrelagado a urna ancora. Paulo
Manucio e Aldo Manutio Jnior, fillio de Paulo,
coDtiuuaram'a gloria de seu pai. fortn prote-
gidos pelos papas e compozeram muitas obras de
erudicSo.
Os Elzevirs, typqgraphos liollandezes, flores-
ciam nos eculos XVI e XVftf* E' a Boaventura
Elzevir, typographo em Leyde (16181652), e
Abraham," seu irmo e socio, que se devem as
obras primas typographicas que llustraram seus
nomes e se disnguirim pela elegancia e nitidez
de typo.
Em Franca os Didot contribuiram muito para
o progresso da imprensa. Francisco Ambrosio
Didot, fallecido em 180A, fundi admiraveis mo-
delos de typo, e publlcou edictos mnito notaveis.
Seu filho. rirmiao Didot, contiuuou a gloria da
sua casa.
Mencionemos tambera Baskerville, celebre ty-
pograpbo inglez, fallecido em;l775. que foi quera
(Ic^cnnou. gravou c fundi o typo de que se ser-
via.
Agora vamos tragar um bosquejo das machinas
e diversos processos de impresso.
A impresso com typos movis executa-se por
meio de letras soladas, que se reunem de modo
que forme* successivraente palavras, linhas e
paginas.
A materia de que formado o typo urna liga
de 80 partes de chumbo com 20 de antimonio.
A addigo deste ultimo metal ao chumbo d-lhe
toda a dureza neesssaria para resistir a accSo da
prensa.
Fazem-se os tvpos derramando a liga a fun-
dida em um molde que tem a forma de um
pequeo canal alongado. No fundo deste canal
deve estar enllocada urna matriz que reproduz
fielmente a letra aborta em relevo pelo gravador
de tvpos, o qual exeeutou em ac o typo primi-
tivo.' Com um s daquelles typos de ac, forma-
do pelo gravador, tia-se um grande numero de
matrizes, e estas matrizes enllocadas no fundo
do molde podem tambem dar*o fundidor um mui
grande numero de letras ou typos.
O typo preparado pelo fundidor compoe se de
duas partes: Io a letra em relevo ; 2o urna baste
na forma de parallelipipedo no topo da qual se
Oxa aquella letra, e que permute raanuscal-a f-
cilmente durante o trabalho da composigO.
Os typos fornecidos pelos fundidores sao en-
tregues" aos compositores, que ds collocam por
ordem as caixa*. que sao como tal>oleiros divi-
didos em muitos compartimentos.
#
(Continua).

PARTE OFFICIAL
Governo da provincia

K


1 .


MSLATORIO com que o i:\rn. %r. deaembargador loqnim Jos
m- de Oliveira Andraie entregos! a admlnlslraeao da
provincia ao i:\in. Wr. Dr. nnoeenelo Marques de
Araujo Cides a 3 de Janeiro de iss.
(Cont i n v. ctl o)
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, resolve:
Art. 1." FicarUo supprimidos os dous cartorios do civel que primeiro vagarem
na comarca do Ricife.
Art. 2." Ficam revogadas as disposicocs em contrario.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 30 de Novembro
Baruo de Catar, rice-presidente. Jos Mara de Albuquerque Mello, se-
cretario.Dr. JocLo Augusto do Reg Barros, 2. secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
Neg sanecao porque, nesta cidade nao podem ser suficientes dous nicos
cartorios para os trabamos do juizo do civel. Cresce constantemente a sua popula-
cao e d'esse facto deve resultar augmento de riqueza e de trabalho forense.
A suppresso nenhum beneficio trar ao publico ; pofc certo que quanto
menor for o numero de operarios ou funecionarios de certa quahdade, mais
exigentes se tornarao elle* e menos ter aqnelie onde escoltar. O proventos d esses
officiaes ministraran! sempre meios de subsistencia aos sementuarios, e nem um car-
torio ficar, de certo seu concurrentes, verificada a vaga ; o que nao parece conve-
n-ente 6 que vivam alguna ponco mais a larga, com prejuizo do interesse publico.
Palacio da, presidencia de Pernambuco, em 1. de Dezembro de 1888.
Joaquv.n Jos d Oliveira Andrade.
A AssemblalLegislativa Provincial de Pernambuco, resolve :
Art. 1." E' considerado extincto o officio de 2. tabelliab e esenvao do civel
e crime da comarca da Olinda, vago pelo fallecimento do serventuario que o exercia,
passando a ser officio privativo do actual V tabelliab sobrevivente.
Art. 2. Ficam revogadas s* disposcoes em contrario.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 23 de ISovembro
i -t QQQ
Barao de Calar, vice-presidente.Jos Marta de Albnquerque Mello, 1. se-
cretario.Di-. Joao Augusto do Reg Barros, 2. secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
A presente re 0IU5S0 seria inexequivel, mesmo concedida
se refere a um facto nao existente, dando como vago o officio de 2
vao do civel da comarca de Oinda, pelo falleeimento do respe;tivo(
Existem na referida comarca dous tabelliaes e escrivSes, noi
de S' de Janeiro de 1834, e por forca da lei provincial n. 1.431 de 27- Maio de 18(9.
Tere este execueao menos de um anno depois de sua promulgac^, em conse-
Mtneia da ortc do seventuario a que de certo se refere a presente resolucab e que
occiu.ava ali um terceiro cartorio. A citada lei n. 1.431 nao foi revogada e produzo
todos os seus effeitoslogo que se realisou o caso previsto : os dous actuaes serventuanos
eham-se. portanto mui regular e legtimamente na posse e exercicios dos oficio a que
se referenTessa lei e o citado decreto de 1.834; nao se pode, pois, d.zer ho)e vago
esse mesmo cffieio, para o fim de considerar extincto em resultado d isso.
O caso' de morte daquelle 3. serventuario foi provisto exactamente para que
passassem os seus oficios aos dous companbeiros, que os receberam em execueao da
kfa'lada lei de 27 de Maio; nao existe, por conseguinte a pretendida vaga.
J em 1834 se reconhecia a inconveniencia de um lugar nico de tabelhSo em
um termo qu;dquer, e nem urna raza de ordem publica justifica procedimento diverso
i relacao a cidade de Olinda.
Alm de tudo, a deliberada suppressao ferc principio constitucional, visto se-
vitalicios taes oficios e s poderem ser suprimidos por morte dos serventuanos
respeffivos como tem sido explicado c sustentado por frequentes resolujSes-do lio-
verno Imperial, entre as quaes as de 12 de Maio de 18(2 e 29 de Setembro de
l>77. -
Neg, pois, saneyab e mando se devolva esta resolucao.
*? Palacio da presidencia de Pernambuco, em 3 de Dezembro de 188*.
Joaquim Jos de Oliveira Andrade.
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, resolve :
Art. 1." Fica desannexado do cartorio do registro geral de hypothccas da
comarca do Rccife, e Bupprimido o tabellionato que lhe foi annexado pelo art. o. da
lei n. 1.660 de 10 de Junho de 1882, sendo o respectivo archivo distribuido com os
outros tabelliaes.
Art. 2. Ficar tambem supprimido o tabellionato que em seguida vagar na
mesina comarca.
Art. 3. Ficam revogadas as disposiceves em contrario. '
Paco da Assebla Legislativa Provincial de Pernambuco, 20 de Novembro
de 1888. -
Barao dr Itapissuma, presidente.Jos Mara de All>uquerqxte Mello, l. se-
cretario.Dr. Joao Augusto do Reg Barrot.
a sanecab, porque
tabelliab e escri-
kerventuario.
rmos do Decreto
Volte Assembla Lerfslativa Prorincial.
No decreto de 30 de Janeiro de 1834 se rsebnheceii a necessidade da exis-
tenoia de dous tabelliSes onde quer qe fosse Creado'; f&ro civil; prescripSo regula-
dora geralraente mantida antes e depois da lei n 261 ,de 3 Dozembro de 1841, ainda
nos termos de populacab diminuta. Desde muitos sanos existem n'esta cidade qua-
tro tabelliSes, sem que se cogitasse da reducfSo de taes officiosj dos quaes sempre
auferiram aquelles suficientes mcios de rida.
Hoje que a populacho da comarca se acba rfsrada talvez ao dobro da que
existia ao tempo da creacab desses cartorios e que manifest o seu constante cres-
cimento em numero e riqueza, nSo vejo como justificar a suppressSo de dous d'esses
oficios, .que, em tempo muito prximo de certo, ficarSo reduzidos a metade do que
foi at esta data reputado necessario ; nao obstante o"muito respeito devido a alta
sabedoria da patritica Assembla Provincial. A suppressSo de um d'esses oficios
decretada desde logo, erabora esteja ainda vivo o serventuario, que conta, segundo
parece, mis de setenta annos e tinha sido prorido por titulo ritalicio. Um dos ta-
belliSes existentes, como de publica notoriedade, quasi nSo trattalha j ; de modo
qqe, se rier a morrer dos tres restantes outro que nao este, ficar de facto um tabel-
So nico na comarca.
Ora, si a suppressSo nSo poda atacar a vitaliciedade d'esses cargos, si nenhu-
ma lei deve ser estaDelecida sem utilidade publica nem a sua disposicSo pode te*
effeito retroactivo, nos termos do art. 179 | 2. e 3. da ConstituicSo Poltica, e
como se vC sustentado cm frequentes resolujSes do Gorerno Imperial, inclusire a de
n. 8 de 12 de Janeiro de 1872; claro que, alm de inconvenientes tambem
inconstitucional a presente resolucSe, que deixo de sanecionar.
Palacio da presidencia de Pernambuco*7 de Dezembro de 1888.
Joaquim Jos d'Oliveira Andrade.
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, restire :
*Art. 1. Fica o presidente da provincia autorisado a computar no titulo de
aposentadoria do Dr. Jos Joaquim de Souza a gatififiasSo de que :racta o art. 5
(ultima parte) da lei n. 683 de 5 de Maio de 186o e a conceder assegaintes aposen-
tadorias :
1- A do ex-collector de Pao d'Alho, Jesuino Domingues Carneiro, com os
vencimentos que percebia na poca em que, foi exonerad'. proporcionaes ao tempo de
serv50, que entSo contava ;
2. A do major Jos Geraldo de Lima com o sold de capitSo do corpo de
polica e a de Jos Theotonio Perera ,de Carvalho com os vencimentos do mesmo
posto, correspondentes ao tempo em que servio no dito corpo.
3." As de Genuino Augusto /Theotonio Pcixoto, ex-amanuense, Antonio Pe-
reira Bastos, ex'-guarda da Casa de DetencSo e Ignacio Pedro das Neves, ex-empre-
gado da Cmara Municipal do Recife, com os vencimentos a que tiverem dreito;
4." A de Pedro Jorge da Silva Ramos, contando-se o tempo de exercicio dos
empregos puDlicos que houver exercido;
5. A de Jos de Azcvedo e Souza ex-apontador da Repartigao das Obras
Publicas contano-se-lhe o tempo em que exerceu dito lugar e outros empregos;
6." A de Joaqnim de Gouvea Cordeiro, amanuense da contadoria da Cmara
Municipal do Recife, com todo 0 ordenado que percebe, ficando extincto o referido
lugar de conformidade com o art. 26 da lei n. 1862;
f." A do capitSo Manoel Joaquim de Castro Madeira, ex-cornmandante geral
da guarda cvica, contando-se-lhc como tempo de effectivo exercicio o decorrido
desde a demissSo do referido funecionario em 1868 at a sua TeintegracSo em 1878,
toraando-se-lhe assim extensivo o favor concedido pela lei n. 1,635 de 25 de Maio
de 1882, a Carlos Jos de Siqueira.
rt. 2." Ser contado ao ex-engenheiro de districto da RepartiySo das Obras
Publicas, Henriquc Augusto Mlet, para obtengSo de sua aposentadoria autorisada
pelo art. 41 da lei provincial de n. 1.860 de 11 de Agosto do 1885, o tempo que
servio em dita Reprtioab antes de naturalisar-se cdadSo brasileiro, assim como
aquelle durante o qual funecionou na Thesouraria de Fazenda, depois do naturalisado,
na quahdade de agrimensor encarregado de domarcacffes e medceles de terrenos de
marinha.
Art. 3. Rerogam-se as disposifSes em contrario.
Paco da Assembla Legislativa Prorinciul de Ternamfcucj^ 5 de Uorembre
1888. ,lf -^
Bardo de Itapissuma, presidente.Jos Mara d Albnquerque Mello, 1. secre-
tario.Dr. Joo Augusto do Reg Barios, 2." secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
Pela presente resolugSo autorisado o presidente da provincia a conceder
aposentadoria a diversos cidadSos, como a melhorar a que foi anteriormente conce-
dida ao Dr. Jos Joaquim de Souza.
D'aquelles apenas un exerce ainda o cargo que autorisa o reconhecimento
desse direito, tendo sido os outros exonerados com sobeja antecedencia.
Taes coneessSes acarretar2o provincia despeza annua talvez superior vinte
contos, qnando a penuria dos seus cofres reclama a incessante economa.
Alm disso essas doze concessSes feitas a pesadas certas, fra das condgSes
proscriptas para tantos outros e com detorminaySo previa da somma de servicos de
diversas uaturezas, computaveis ou nSo, nos termos das leis e regulamentos anteriores,
me parecem contrarias a boa justiga e poderSo autorisar innmeras" recIamagSes e
concessoes iguaes.
E^pois, sem que importe isto a mnima desconsideragSo ao acto da Ilustrada
Assembla, neg sanccSo a esta resolugSo.
Palacio da presidencia de Pernambuco, 13 de Dezembro de 1888.
Joaquim Jos d'Oliveira Andrade.
A assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, resolve:
Art. 1. Fica s professora Guilhermina Francisca de Araujo Lins, Fran-
cisca Luduvina Ribeiro Bacellar, Leoncia de Lunna Freir, Francisca Guedes de
Oliveira, Maris Paulina Alves dos Santos e Maria Clara de Mello Figueira e aos
professores Torquato Laurentino Ferreira de Mello, Manoel Marinho Cavalcantc de
Albuquerque, Manoel Figueira de Menezes e Aureliano Augusto de Vasconcellos
concedida a gratificacSo annual de 200i>000, de que trata o art. 115 do Regulamen-
to de 6 de Fevereiro de 1885, devendo ser-lhes paga nos termos do art. 117 do mes-
mo regulamento e abonada ao professor Torquato Laurentino Ferreira de Mello, a
de bons servicos, que continnar a ser-lhe abonada quando fr jubilado.
Art. 2. Fica a mesmif gratificagSo concedida tambem a todos* os professores
e professoras publicas que tenham completado 15 annos de efFectiro exercicio no ma-
gisterio, nos termos dos arts. 115 c 117* do supracitado regulamento, urna rez que
prorem o efFectiro exerciciojlurante aquelle tempo e nSo tenham sofFrido as penas
do art. 169 1 e 2 do referido regulamento.
Art. 3> Fica concedida a gratificacSo de que trata o art. 43 da lei n. 18G0
de 11 de Agosto de 1885 viuva e filhos do professor de instruccao primaria JoSo
Jos Rodrigues, fallecido antes da suppresso da cadeira que oceupava.
Art. 4. Ficam revogadas as disposigBes em contrario.
Pago da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 4 de Dezembro de
1888
Barao de Itapissuma, presidente.Jos Maria de Albuquerque Mello, V se-
cretario.Dr. J0U0 Augusto do Reg Barros, 2o secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
A presente resolugao concede a gratificag3o de 200000, de que trata o art.
115 do regulamento do 6 de Fevereiro do 1885, hoje revogsdo, a diversos e deter-
minados professores, e bem assim a quantos tiverem completado 15 annos de effec-
tivo exercicio no magisterio, urna vez provado este e nem urna applicagSo das penas
do art. 169 po mesmo regulamento.
Disp5e ainda que ao protessor Torquato Laurentino Ferreira de Mello se abo-
nar a gratificagSo de bons servgos, que continuar a ser abonada, quando for jubi-
lado. .
Inradindo de modo tSo imperioso as attribuig3es do poder administrativo, a
quem compete conceder as gratificagfies estatuidas as leis- c regulamentos, nullifaca
dita resolugSo as regras e preceitos reguladores de taes actos, dispensando-os em be-
neficio de individuos certs como o professor Laurentino e outros indicados, alm de
sujeitar a provincia a grande augmento de despezas. ,
A gratificagSo addiconal deque cogitou o fallado %rt. 115 deixou de
ser concedida a muitos professores pelo fundamento de haver aquelle regulamento
exorbitado, creando urna gratificagSo substitutiva da de mrito, apezar do disposto
na lei n. 1810 de 27 de Juaao de 1884 ; questSo essa que foi resolvida pelo regu-
lamento de 18 de Janeiro do corrento anno, autorisado pelo art. .9' 2J da le n.
1884 de 30 de Abril do anno passado.
Neg, pois, sanccSo a esta resolugSo, que reputo inconstitucional, e para a
qual pego a muito Ilustre Assemba Legislativa Provincial toda a sua attengSo.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 13 de Dezembre de 1888.Joaquvn
Jos de Olvoeira Andrade.
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, resolve '
Art. 1. A forga policial para o exercicio de 1889, ter o effectivo de 1,1*>
pragas, 180 das quaes serBo destinadas ao policiamento da comarca do Recife.
Art. 2.' Toda ella ficar sob a inspeogao de um fiscal, qae ter a graduagao
de major, auxiliado por um secretario e um quartel-mestre com a graduagSo de al-
teres .
Art. 3.' Ser dividida em 44 secgSes, commandadas cada urna por um alferes.
Art. 4." As secgSes de que falla o artigo adtecedente constarSo de 24 pra
gas, excepto as da capital que se comporSo de 30.
Art. 5. PermanecerSo nesta capital 6 secgoes e urna em todas as comarcas
do interior, encarregada como aquellas, do policiamentfl local e dos termos annexos,
devendo alternar urnas com as outras de 6 em 6 mezes, quando muito, e seus res-
pectivos commandantcs.
Art 6. O fiscal perceber de vencimentos 2:600*000, sendo 1:8000000 de
ordenado e 800(J000 de gratificagSo; o secretario e o quartel-mestre 1:000^000 de
ordenado e 380^000 de gratificagSo; os alferes commandantes das eegoes 700/5000
de ordenado e 300,-$000 de gratificagSo, percebendo os da comarca da capital mais a
gratificagSo addicional de 2000000. As pragas vencerSo a mesma^diaria, que actual-
mente percebem, de 1#140, tendo as das 6 secgSes da capital 60 rs. de gr&tificagae
addicional.
Ar*. 7. Fica extincta a guarda cvica local.
Art^ H. O presidente da provincia far no regulamento vigente as alterag3e
necessarias para boa execucSo da presente lei.
Art. 9. No caso de perturbagSo na ordem publica em qualquer das comar-
cas do interior, o presidente da provincia poder fazer convergir para o ponto per-
turbado a forga das outras comarcas, que julgar conveniente.
Art. 10. Ficam revogadas as disposigSes em contrario.
Pago da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 4 de Desembro de
1889.
Barao de Itapissuma, presidente. 3s Maria aV Albuqaerrue Mello, Io secre-
tario.Dr. Joclo Augusto do Reg Barros, 2o secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
Pelo 2 do art. 11 do Acto Addicional foi autorisada s Assemblas Provin-
ciaes a facuklade de fixar sobre nfonnagoes do presidente da provincia a forga poli
cial, mui diversamente, porni, se estatu na presente conclusSo sem apoio em qual-
quer outra disposigSo do poder legislativo geral.
Em manifest desaccordo com o juizo enunciado na falla que apresentei no
dia 15 de Setembro ultimo e com os precedentes justificados pela melhor experien-
cia, deliberou a Assembla Provincial nSo s dar especialissima organisagb a forga
policial como regular-lhe acgSo, dividindo-a e localisando-a.
Se s ao presideato da provincia compete o direito de dispor c mover a forga
creada para o fim de garantie a tranquillidadc publica, a ordem, a seguranga indivi
dual e de propriedade, como expresso no art. 5 da lei geral de 3 de Outubro de
1834 ; se a organisagSo, distribuigSo, delineamento das attribuig5es della sSo actos de
pura administragSo (Aviso n. 199 de 10 de Maio de 1860) evidentissima a incons
titucionalidade da presente resolugSo.
A fla. 5 do relatorio com que o tinado desembargador Francisco de Assis Oli-
veira Maciel passou a administrado desta provincia ao desembargador Adelino An-
tonio de Luna Freir aos 15 de Fevereiro de 1877, se vm expostos os valiosos mo-
tivos que autorisaram differente prbeedimento e deram origeui a lei provincial n.
1,235 do 1" d Julho do antecedente anno.
Devolvo-a, portanto, certo de que a Ilustrada Assembla Provincial, inspiran-
do-se no seu reconhecido patriotismo se dignar emendal-a ou sudsttul-a.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 14 de Dezembro de 1888.Joaqun
Jos de Oliveira Andrade.
(Continuar-se-ha)
bombeiros, com relacao do incendio na tarde de
25, declaro-lhes. para que se sirvam de fazer
constar ao dito commandante, que esta presiden-
cia, considera digno de louvor o seu proced-
ment e de seus coramandados especialmente
daquelles que estao mencionado^ Sa dita parti
pacao.
JQiuiz de direito presidente da junta it
alistaraento militar da comarca do Recife.la
teirado do que expe V. S. em officio de hoje.
recommendo-lhe que na forma do art. 44 do re
gulamento annexo do decreto n. 5.881 de 27 dt
revereiro de 1875, envi a esta presidencia a>
relagOes de que trata o artigo 43 do citado regu
lamento.
Ao Dr. juiz de direito do 2. districto cri-
minal da comarca do Recife.-Recommendo a
V. S. que providedeie nao s no intuito de serea.
remettidos.'com a mxima brevidade, ao director
do presidio de Fernando de Noronha as guias
dos 182 sentenciados, de que trata a relacao no
minal aqu junta, qne all se acliam sem consta
a pena imposta a cada um d'elles, mas tmbeos
no interesse de nao ser remettido para aquelle
estabelecimento condemnado algum, sem qut
previamente fique liquidada a pena de multa S
que esteja obrigado, visto que na forma explica- .
da pelo aviso de 24 de Dezembro de 1879, o re
obrigado a prisao e multa nao pode ser detid*
por Falta de pagamento d'csta emquanto nao f3c
liquidada.
Ao director do Arsenal de Guerra.-De con-
formidade com o que solicita a presidencia da
provincia do Cear em officio u. fcl33 de 31
d"cste mez, autoriso V. S., a vista da sa infor-
maco de hoiitem. datada, sob n. 264, a mandar
fornecer ao deposito dejartigos bellicos d'aqueH
provincia 200 velas de composigao, para q ser-
vico das salvas da Fortaleza de Nossa Senhora >1.
Assumpcao.
Ao commandante superior da guarda na-
cional da comarca do Cabo.Cumpre que V. S-
declare as actuaes residencias dos ofueiaes cons-
tantes de seu officio n. 199 de 11 do corrente.
Ao commandante superior das comarcas Tacarat e Floresta. -Fico inteirado pelo offide
de 13 do corrente de haver V. S. reassumido nx
mesma data o respectivo exercicip.
Ao inspector do Thesouro Provincial. Aa-
toriso Vine, conforme solicitou no officio de 14
do corrente, sob 11. 585, e informou no de 22, a
S99, a mandar fazer no edificio que funecion*
esse thesouro, pela* mxima despeza de 6004 qae
correr pela verba-Reparos e conservagaoie
obras, a remoco dos apparelhos e mictorlo?
existentes no-dito edificio, encarregando d'ess*
servico a Companhia Recife Drainage, que pra-
ceder nos termos do primeiro d'aquelles officiot-
Fizeram se as necessarias communicaces.
Ao mesmo.A' vista do que requeren o ba-
charel Joo Zeferino. Pires de Lva, contractamit
da construego e explorago do engenho cuntr;
de typo maior no municipio de Palmares, aut
risoVmc. a mandar entregar-lhe a 1." prestag'
do auxilio em apolices no valor de 100:000* i
que tratam as clausulas 8.* e 9.a da portara 20 de Janeiro do crreme anno ; a 2." prestaco.
iorm, s lhe ser concedida depois de poslosM
ligar destinado a fabrica todos os materiaes 1
que se refere a citada clausula 9.' das quaes fi-
ram parte integrantes as pegas reconhecidas n*-
cessarias.
Ao mesmo Remeti a Vine os pape?
juntos, alim de que informe sobre a cuducida-
de do contracto de um engenho central eui .Mi
ribca, teudo em vista o mesmo contracta
Ao mesmaAttendendo ao que me requp-
reu o capito Manoel Bezerrados Santos Juntor
residente em Bezerros? autoriso Vmc. nos ter-
mos do despacho desta presidencia datado
hoje. a effectuar a compra do predio n. 19 ira
do Commerciod'aquella cidade. paraserv*r
cadeia publica, pela quantia de 5:0004 o*
gando-se o proprietario a fazer no praso
mezes as modilicacOes necessarias ao mi
que tem de prestar-se orgades em 1:500*
pagu a metade do valor da compra quando
cluidas ditas modiicaces e recebidas pe^
partigo de Obras Publicas.
Nao coBcluidas. porm, ou nao sendo
executadas as condigOes do contracto e o
ment respectivos seno feitas ou concluidas*
aquella reparticio por conta da quantia teA
tenesse Thesouro.Remetteu-9e copia ao^/
tor geral de Obras Publicas.
Ao procurador fiscal da Thesourarlaj
zenda. Recommendo a Vmc em res|
seu officio de 11 do corrente mez, que
EXPEDIENTE DO DIA 29 DE DZZEMBBO DE 1888
Actos:
O presidente da provincia, cumprindo pro-
videnciar de prompto sobre a arrecadago das
rendas provinciaes, e havendo quasi certeza de
que nao ser promulgada a lei do orgamento
para o prximo exercicio financeiro,[at o ultimo
do corrente mez, resolve mandaj: que continu
a vigorar a lei n- 84 de 30 do Abril de 1887,
do orcametrto em execueao, at que 9e eectu
a promulgacSo do mesmo orgamento prximo
futuro : dando disto conhecimento Assembla
Legislativa Provincial e ao Thesouro Provincial,
a quem se remet ter copia da presente porta-
ra para os lins convenientes. Remetteu-se cO-
pia ao | secretario da Assembla e ao inspector
do Thesouro Provincial.
O presidenf? da provincia, em execugao da
lein. 2895 de 10 de Setembro de 1873. resolve
nomear Jeronymo Leito da Costa Machado J-
nior para o posto de tenente da 2* companhia do
68 batalho de iutantaria da guarda nacional da
comarca de Iguarass. Communicou-se ao-com-
mandante superior.
O presidente da provincia, tendo cm vista
os fundamentos allegados pelos inspectores da
Alfandega e do Thesouro Provincial em officio
de 2 de Outubro e 9 de Novembro prximos
passados c pelos quaes nao deve prevalecer o
julgado da Junta do mesmo Thesouro, em que,
vencido o voto do inspector (art. 9o do Reg. de
2 de Jalho de 1879) foi dado provimento ao re-
curso interposto pelo Visconde de Itaqui do
Norte, do despacho da inspectora da Alfandega,
que indefefio a petigo do mesmo Visconde no
sentido de ser facultado o deposito de fumos
trazidos pelos vapores da Companhia Brazileira
de Navegago em armazens alfandegados, resol-
ve de accordo com o inspector do Thesouro Pro-
vincial, reformar o dito julgado para que seja
mantido o mencionado despacho da Alfandega
Manda qne se remetta copia desta portara ao
Thesouro Provincial para produzir os devidos
effeitos,- Remetteu-se copia ao inspector do The-
souro Provincial. .
O presidente da provincia, tendo verificado
dos officios ns. 575 e 304 de 7 e 24 do corrente
mez, do Thesouro Provincial e inspector geral
da Instruccao Publica que o professor da ca-
deira de ensino primario do Gymnasio Pevnam-
bucano, Francisco da Silva Miranda tem teupo
suficiente para jubilarn, resolve jubilal-o cora
os vencimentos a que tiver direito. -Fizeram-se
as necessarias communicage?.
O presidente da provincia resolve nomear
o alferes do 2" batalho de infantera Manoel Be
lerophonte de Lima para o cargo de delegado do
termo de Ouricury.
O presidente da provincia resolve nomear
o engenneiro Luiz Marques de.Allmquerque Ma-
ralo para exercer o cargo de fisqsl-do gover-
no no engenho central do municipio de Palma-
res, percebendo a gratilicacojannual ne 2:000i,
nos termos da clausula 11' da portara de 20 de
Janeiro do corrente anno.
Officios : *
Ao presidente da provincia das Alagas.
Rogo a V. Exc. se digne providenciar para que
sejarn transportados por conta d'esta provincia,
da cidade de l'enedo at o porto de Piranhas, o
alferes do 2o batalho de nfantaria, hoje nomea-
do delegado de polica da termo de Ouricnry,
Manoel Belerophronte de Lima vinte e sete pra-
gas, de iinha, o promotor publico nomeado para
a comarca da mesma denominagSo bacharel Joo
Ferreira Domingues Carneiro e um soldado do
corpo de polica que o acompanba.
Ao nrigadeiro commandante das armas.
Constando de informago que a esta Presidencia
Erestou o commandante da Companhia de Bom-
eiros por intermedio da respectiva commisso
os valiosos servigos prestados no incendio de 25
do corrente por utn contingente do 2 batalho
de infamara, commaodado pelo alferes Antonio
Valerrdos Santos Neves, sirva-se V. Exc de
fazer const ao dito alferes que forara dignos
de louvor os seus servicos e proceder n'aquella
occasio.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
ettoav S. os inclusos papis que me fo-
enviadosjMla.Secretaria de Estado dos Ne-
Socios da Guerra, e sao relativos ao almoxanfe
o presidio de Fernando de Noronha, Antonio
Francisco Pereira itirana, adra de que essa
Thesouraria informe a respeito
A' commisso fiscal da Compnahia de Bom-
beiros do Recife.-De posse do officio de hou-
tem, com o qual Vs. Ss. enviaram a repartigao
que me dirigi o commandante da companhia de
>if
*
M
L
1



^
-.."'

4
"
2
Diario de PembucoSabbad 19 de Janeiro de J*89
-

d erompto andamento ao processo da desapro riaie rashca, servinjple portaW
pnafiodos terreno do largo do Hospicio.**ttor*J^*f^^ ,,_-
tenT de 3cr const-uido o novo edificio para a Este eenferme rom o ^rhjnaldon .
fllto-
Palmares era supra.O escrivao, Ortino Tei-
aeim de-Barros.-
KPKBIKNTB DO DU 31 J>l UZBNBR0 OS 1888
teto*'- .. :
0 presidente do provincia, usando da te-
culdade que Ihe conferet art. 8 i*" de
12 de Agosto de 1834, convoca extraordinaria-
:onan* cxettflMnelle ante, #v lo diag, ^MgnMfo -L^^lva
(Matarafrea^ra^as leieemeios
deMmme iser voiadae durante aaessao
i 2t de Heveatn-o
Faculdade de Direito, tomando .por base os va
lores constantes da relacap annexa ao sen pre-
ditO ofllClO. n.'.ui;.
Ao inspector geral lastrucco Public?
-Informe Vmc com nrmou, si Ina Nogueira
daGuuha Leite i foi professora contratada no
caso afirmativo, se servio regularraeme^ejHno-
tivo porque nao
Ao fiscal da compalia pife
Attendendo ao que r^patreBflH|inIMo
cante de Albuquerque gayay a caai
113 da ra do Mrquez da Heaed e de a
com a informagao de ^fracdey doco
aatoriso a suppresso Je uaMosiBBpa
dessa companhia colloaaie na ditaeasa,
lada porm a irresponsAfitf ajejpaia*
tiva annuidade do prosa anaao sanan**-
ante. Communicou-se -a *hes cial.
Ao commandante do corpo de polica.
Faca retirar da villa de Boa-Vista todas as pra-
cas que all se acham destacadas, substuin-
do-as por outras de qualquer destacamento do
erto, e ao iwuver fora ilisjinnivei no aliar-
te! deste rapital. -Bemetteu-se copia ao Br. ene-
re de palie.
Ao mesmoRebaixe o cabo de esquadra
Se ver ano Nunes da Silva, remo vendo-o logo do
destacamento de logaeeira.
Outoseim, proridoaeie para que o capitao tu--
ci de Siqueira Campos v commandar dito des-
tacamento, tendo sob sua inspeceo todos os ou-
tros da comarca.
Ao mesmoDeclaro a Vmc. queflea sem
effeitoa despacho de 87 do crrante palo qual
conced dous mezes de licenca para tratar de
sua saudo ao alferes Joao Benlo da Silva Valen-,
ca o qual devera incontinente recolher-se ao*
corpo. 1* ...
iAo juiz de paz presidente da jontt de as-
tamento militar da paroebia de Santo Antonio do
Cabo de Santo Agostioho.Constando de.oficios
de 10 e 4\ do corrente do juiz de direito presi-
denteda jauta revisora =ao atistamento militar'
da comarca do Cabo, haver a mesma junta
adiado os respectivos trabalhos por nao ter*
junta deesa paroebia jemettido o resultado do
alistamcnto relativo ao corrente anno, haja Vmc.
de informar o motivo que deu lugar semelhante
omisso, determinaado-lhe que. no caso de ao
ter sido anda ahi curapriaoo preceito da k\,
designe sem perda de tempo novo dia para a
reuniio da junta dessa parochia e d<* corneco
aos seus trabalhos, certo de que pelo ao cum-
primearto da le Ihe serio impostas as potas
resentes no regulamento de 27 de Fevereiro de
875. Communiccm^se ao Dr. uiz da dirato
presidente da junta revisora do atistamento mi-
litar.
Igual ao juiz de paz de S. Miguel de Ipo-
Ao juiz de paz presidente da junta de ahs-
tamento militar da parochia de Sossa Senhora
Jo Rosario de Cruansrv.Constando de offlcio do
presidente da Cmara" Municipal do municipio
de Croangv, de 23 d'este mez, ja 1er sido auto-
risado o .fornecimento dos arligos necessarios
para o expediente da junta do astamento mi
litar dessa parochia. compre que Vmc. procu-
rando obter os alludidos artigos, designe, sem
perda de' tempo, novo dia para a reunio da
junta e de corneco aos respectivos trabalhos, certo
de que p^lo nao cumplimento do preceito legal
Ihe serao impostas as penas previstas no rega-
laraenie de 27 de Fevereiro de 1873.
Assim respondo o seu oficio de 18 de Novem-
bro prximo findo.
Portaras: .
O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana de 'Havegacao mande dar passagem de re
at Penado, ao vapor que segoe para 06 portos
dosul a 31 do cerrante, ao nacnarel Joao Fer
reir Domingues Carneiro, por conta das gra-
tuitas a que o governo tem direito.
O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana de Navegacao faca transportar por conta
da provincia, d'esta capital at a cidade de Pe-
oedo no dia j1 do corrente, o alferes do 2 ba
talho de infantaria hoje nomeado para o cargo
de delegado de polica do termo de Ouricury,
Manoel Belerophonte de Lima e vinte e sete pra-
cas de liwha -e ama do corpo de .noticia.
Espedio-se ordem ao cngenheiro-chefc da
estrada de ferro de Paulo Aooneo para faner
transportar, por conta d'esta provincia, do porto
de Piranhas at a viila de Jatab, o referido al-
feres e 47 pracas linha, igualmente o promo-
tor publico nomeado para a comarca de Quh
cury e om soldado do corpo de polica municoa-se ao brigadeiro commandante das ar
mas eaoDr. juiz de direito da comarca.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife #o Limoeiro mande dar transporte em
carro de 2* classe da estaco do Brum do Li-.
moeiro, por conta do Ministerio da Guerra, ao ex-
soldado Christpvao do Reg Barros que tendo sido
xcuso do servreo do exercito a 20 de Outubro
veio de S. Paulo para a corte e depois para esta
provincia com destino aquella locafidadev Res-
pondeu-se ao brigadeiro commandante das ar-
mas.
EXf BBIESTE DO DR. S0BETARI0
OfftClOi .. .. _
Ao inspector do Thesouro Provincial.S.
Exc. o $r. oesembargador presidente da pro-
vincia manda declarar a V. 5. que a requisico
do administrador da Casa de Detencao de ipie
trata o seu offlcio n. 600. de 22 do corrente mez,
poder ser satisfeita se fr augmentado crdito
na lei do orcamento do futuro exercick), em
caso contrario ser satisfeito nicamente o for-
necimento i ordenado.Communicou-se ao Dr-
chefe de polica.
Ao director geral de Obras Publicas.-K)
Exm. Sr. desedtoargador presidente da provin-
cia proferio seguinte despacho no requeri-
mento de Adolpho Firmo de Oveira, ao qual se
refere a informaco de V. S. de 17 do corrente,
soh n. 3&\'.
.^ndeferido. (T contracto fot 1* e 2* vez con-
siderado rescindido; pelo que nSo tem razao o
supplicanie como ticou demonstrado na porta-
ra de 11 de Maio ultimo.
Edital:
De ordem do Exm. Sr. desembargador pre-
sidente da provincia faco publico, para as de-
vidos oneitos, o edital abaixo transcripto, viudo-
do termo de Palmares,O secretario interino,
ManoeiJoaqitim Silvetra.
O cidado Jos Miguel deLyra, J supplente do
juiz municipal d'este termo de Plmales de
. Pernambuco ern exerekio pleno< etc. i
Faz saber aos que o presente edital virem ou'
d'elte noticia tiverera que em virtude da porta-
ra e oficio de S. Exc. o Sr. desembargador pre-
sidente da provincia, datados de 4 do corrente,
cha-se em concurso com o prazo de 30 das,
miados d'esta dala, os oficios de justica do
lliao do publico, judicial e notas, escrivSo
crime e uxecafioes civeis d'este termo por
ipedido successor o respectivo serventuario
to Berenguer de Almeida Alcoforado gue
iderado inhbil, pela junta medica pro-I
na inspeceo de saudc a que foi sub-'
jdo.
m, pois, os pretendentes a successao d--;
rao no referido prdzo de 36 das apresentar
a peticao devidameate instruida de conformi-',
de com o regulamento a que se refere .o de-,
eto n. 9420 de 38 de Abril de i885. E par*
iie chegue ao conhecimeoto de todos, mandou
uiz passar o presente que ser afixado na
orta do edificio que serve de camai a municipal,
gar do costume. onde tem lugar a audiencias
lo juizo e reuniOes publicas d'esta oidade e *er
Ib de Palmares, regueiia de iNossa aenhoradi
xmcekao dos Mratts.
^Dade e passado flesta cidade d.i Palmares aoe
\dias do oaez de Deaembro de 1888.
u. Ursino Teiieira de Barros, escrivao, o es
-vi.Jote Migtel de Lyra.
\i\i conforme ao original e dav f.
Ximares, 28 de Dezembro de 88.-0 eacri-
ysano Tmw ie Barros.
" ">teo assignado oficial de justica e porteiro
jiiio dos audilaiioa d'este termo de Pal-
7S,ete.
luco (inehoje afixai na porta da sala das,
ludas do juizo e aulordades, lugar do ca-,
reae aSxareditaes, o edital dado a pas-
nLenta cidade aesigoado pelo cidado los
3 Lyra. ,| .aopJeoe do juiz municipal
'icio pleno a'asle termo, pondo em cou-
uficesaao a oficios de 8 tahetlio,
o crime e execuces civeis d'este ter-
dou a minao fe e pasao a presente
.mares,
28 e Deaembro de 1 M -O offi-
de
sem-
Bemawta draviio
, liada boje,BMMtt3ue copia a
_ ii pHtinate da provincia, rcatfcre flpaoro-
Oalha de ter execacio no Tntoro exwcicio
88, .le a. gKXMfe i de Jimhoe MK, que _
s mwiV o prajadto ie obro-a aw i A^reaaawlo
sumpto votou a Assemma Legislativa Provin-
cial ; dando-se deste acto inhecimento a mesma
Assemblea, Dr. chefe de policU. Thesouro Pro-
vincial e commandante da corpo de polica, a
quem se remetter apiada presen te portara
da Silva, de^ue trata a 1(flMtfto deie com- esqndrao de cavallaria da guarda nacional da
comarca de Bom Conseiho, Miguel AlveaCaval-
aate, luivuiaao mesmo posto por* dacreto
de 13 da-Dbibro ultimo e bem assim a do te-
r M#iil coaimandante do 6i bataftio da
wm-.ABi8 Bellas, Victorino JosdaRo
cha e forua reformado no posto de coronel por
decreto de JO do mesmo mez e anno.
m
mando de jrdo correte, sob 5. 372.
kn secretario da provincia do Rio Grande
do.Sul.Pelo oficio, a que respondo, de 8 do
i.wn1 ma lino cente -de haver V. S. pres-
tado waameato e tomado posse do cargo de se-
cretario dessa provincia. 1
.Aprsenlo a V. S. njau protesto* de estima e
consideracao. fe,
Ao Dr. chefe de to.Expeca V. S.cora
toda urgencia ordens.Jf telegramma, toeberi-
*a subdjPQl! diafcdateda paw*>Wt
e flossa Sfldioai dapnhi de fiaarileiraafua
entrfpte saMKri\i4o avde faz At
_ de ve facMarama:
*o nspctarida TbesoaaamdkUiazend
Gauaaaiico a V, S.. para es ftnsaaaweanile
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 17 D?
JANEIRO DE 3MB
Abao asa|gnados, veasUoraa de ta-
..niaae aaiezas no M1 ilaL S. Je-
fregttl aagatewdvi, o*a ^..j^,,,,,, Cmara Mnnitsaaa doJaa-
e.
Antonio
atmneei bojeo Ixicharclftammo Correi
dio para o cargo femn
ico
film Ja
aaaakiasC
do que expoe V. S. em oficio n. 266 de 29 do
correle, autoriso a mandar admittir na com-
panhia de aprendiies artfices desse Arsenal,
tncmdo houver vaga o menor Manoel,Who de
._ Jos Tbeodoro Cavalcante.-Restitua o requeri-
os tevidos ,nn8. Remetteram-se as co ( jnento e maia pupeis jujc acompanharam o citado 1
OnCIO. "
O presideule da nroviucia, tendo em visla. Ao inspector di
o 'resultado do conc
torda Thesouraria
838 de t do correte, resolve nomear proviso ----- _
rente de conformuladi! com o diaposloao quadro dos empregados da secretona da mesma
3?do"art Io do decreto n. iO de 2v5e Dezem- issenibla afirn de ter vigor depojsde eoosig-
brodel870, Christovao de Barros Reg, para o nada a verba no orcamento futuro, sinao fr-auto-
lugar de oficial de descarga da Alfandega e Al- risado abertura do crdito especial; uto em re
freno aajissis Garrido para o de praticantc da.....oamof ip nfo* p maz da
-se.
ConfraiiaflE Nossa Seahoca .k'So!
da frerusa
Manoel dos Santos Gomes. Informe o
Sr. Dr. adsnioistrador 6a Steoeboaoria
Provincial.
Trajano Osias Gomes dos Santos.
Haja vista o Sr. Dr.- procurador fiscal.
Reeebedoria l*rovInelab
DESPACHOS DO DIA 17 DE JANEIRO
HE669
leltrao, Herdeiros & C, Diaa Silva t
|A:C., S. Pinho AC, Dr. J0S0 Sabino de
lana Pinho, JoaolTeBreira de Mello, Ma-
1 do Barros Gorreia, Onfem 3* de S.
ncisco e Joaquina Delfiaa.de Mello.;
Informe a 1* saajpk).
fiermogenes TRaira da Boa-Tiete Brquaiaa ss. Satisfaca *-aBrencia da 1*
mesma Thesooraria.--GoHunaioou-se a Thesou-
raria deFazenda.
__O presidente da provincia resolve exenerar
Adolpho Targino Accioli do iogar de 3* esenptu
rario iBterino do Thesouro Provincial.Commu-
nicou-se ao Thesouro Provincial.
O presidente da provincia resolva nomear
Candido Affonso Silveira para servir interina-
mente o lagar de 8 escripturario do Tliesouro
Provincial. -Gommunicau-se ao Theseuro Pro-
vincial.
O presidente da provincia resolve uomear
Adolpho Targino Accioli para o lugar de conti-
nuo *i Reparticao das Obr-8 Publicas, vago pelo
fallecimento de Joa Francisco Pereira oa
Silva
O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Simplicio da Cruz Ribeiro, profes-
sor da i cadetra de ensino primario da fregue-
zia do Santiseimo Sacramento da Boa-Vista, e
lendo era visU as informaooes os. 305 e 610 de
26 e 28 do corrente mez do inspector geral da
instnlcco publica e do Thesouro Provincial,
resolve, nos termos do art. 177 ns. 1 e 3 do re-
giilameoto de 18 de Janeiro ultimo, jubilar o pe-
ticionario com a peuso correspondente aos ven-
cimentos de que tratara os arts 180 $ i e 181
combinado com o art. 139 do citado regulamento,
visto ser maior de 60 annos c haver provado com
os documentos quejuntou contar mais de 23 an-
nos de exercieio etfectivo no magisterio publico,
estar oa mais de o no goso da grahlicago de
bons senigos anteriormente de antiguidade e,
ter continuado a ser distincto, revelando dedi-
cac*9 nao commum paraoaaagisterio
O presidente da provincia resolve nomear
por accesso o professor Jnaauim Elias de Albu-
querque Reg Barros da eadeira de ensino pri-
mario de Pao d'Alho para a 1 da freguezia do
Santissimo Saeramento da Boa-Vista
O presideote da provincia resolve remover,
per accesso, o professor Deocleciano Ferreira
Santos da eadeira de ensino primario de Rosa.-
rinho para a do sexo masculino de Pao d'Alho
vaga pelo accesso do respectivo funcaoaano
Joaqium Elias de Albuuuerque Reg Barros para
a eadeira da freguezia do .-antissimo Sacramen-
to da B6a Vista. Communicou-se ao inspector
da instruccSo publica. ,
O presidente da provincia resolve, de con-
formidade com o art. 1* da lei n. 1754 de 18*3
romover, por accesso, o professor Manoel Rober-
to de Carvalho Guimares da eadeira de Santo
Amaro das Salinas para a de ensino primario do
Gymnasio Pernambucano, visto nao existir neste
estabelecimento monitor titulado pela Escola
Normal, nos termos do art. 262 do regulamento
ile 18 de Janeiro ultimo.
O presidente da provincia resolve remover,
por acoesso, a proessora Ihereza Perlina de
Jess e SUva, da eadeira de ensiao primario do
Bonito para a Ia do sexo mascoUno de Santo
Amaro das Salinas. Communicou-se ao inspec-
tor da iustrucc&o publica.
O presidente da provincia, attendendo ao
que reqaereu I*abel Francisca de -Quintal, pro-
fessora de ensino primario do Arraiai, e tendo
em vista os documentos exhibidos, resolve con-
ceder peticionaria a gratificaco de mrito de
que traa o art. 125 do regulamento de 18 de Ja-
neiro ultimo, visto cootar mais de 15 annos de
efTectivo exercieio ao magisterio publico.
O presidente da provincia, de conformida-
de com a propost do Dr. ebefe de polica em
oficio n. 1358 de 29 do corrente mez, resolve
nomear para o lugar vago Ae Io aupplente do
delegado do termo de Boa-Vista Jos Coelho da
Sirva e para o de 2* e 3 supplente do.mesmo
delegado o caprtto Pastor Manoel Rodrigues Coe-
lho e Jos Martins Rodrigues Coelho, em sbsti-
taicio de Manoel Marques dos Santos e Cypria-
no Jos e Brito que ticam exonerados, a pe-
dida
0 presidente da provincia, de conformida-
de com a propost do.Dr. chefe de ponda em
oficio n 1359 de 29 do corrente -mez, resolve
nomear para o lugar vago de subdelegado do 1
districto do termo da Boa Vista, Antonio Coelho
de Aquino.
Oatro sim, resolve exonerar, a pedido. Ma
laco ao augmento de ordenados e aos lugares
aovamente ereados.
Ao Dr. juiz de direito do 2.* districto da.
comarca do jRecifaTransmuto a V. S. para a
devida execucae copia do decreto de iS do cor-,
rente mez, pelo qual foi commutada a 20 annos
de prisao com trabalbo a pena de prisfio perpe-
tua, imposta a Brnarda Mara de Seana por sen-
tenja. de 18 de Maio de 1872, do jury do termo de
Senonaem. __ .
Ao provedorda Sant* Casa da Misencordia
do Recife.Paco constar a V. S., para os de vidas
effeitos, que approvo os orcameotos de reoatta e
despeza para o exercieio de 1889, enviados por
essa provedoria com o oficio a que respondo,
n. d78 de 18 do corrate mez
!*o inspector geral da Instrucco Publica.
Deferiodo boje o requerimento de Mara Amalia
Forjas de Lacerda, sobre o qual versa a infor-
maco de Vmc, o. 306 de 28 do corrente mez,
autoriso-o a prover, por contracto, a peticionaria
na eadeira mixta do Brejo dos Padres.
Portaras:
Declaro a Cmara Municipal do Recife que
no recurso interposto por vanos mercadores da
que trata seu oficio n. 114 de 12 do corrente
mez, profer hoje, o seguate despacho:
Attendendo a que os reeorrentes ocupa
varios compartimentos do mercado de S. Jos, de
accordo com o art. 8." da lei n. 1355, de 6 de
Marco de 1879, pagando as txas dianas mar-
cada pela lei n. 1393, de de Maio do mesmo
anno, e t vista dos atlestados exhibios, dou
provimento ao presente recurso, afirn de que
continen) a exercer all sua pequeua mercan-
ca- ,.
O Sr. gerente da Gompanim Pornambu-
cana faca transportar a provincia do Rio Grande
do Norte, por cant do Ministerio da Guerra o
raajor addido ao 2. batalho de infamara lk>-
hnono Clemente Mart.ns que vai alli presidir o
conselho de investigaco a que tem de ser
submettido o capitao Felippe Bezerra Gavalcante
e o tenente Francisco de Paula Cavalcante, e
bem assim os capites addidos Francisco Jos da
Silva e Damio da Costa Leito este ao 14." ba-
tlho de infantaria e aquelledo 2 da mesma
arma, os quaes foram foram nomeados para ser-
virem de vogaes no referido conselho ficando sem
efleito a portara de 17 de Novembro prximo
luido.Expediram-se as necessarias ordens.
O Sr. gerente da Companhia fernaiibu-
cona faca transportar na primeira ooportunidade
provincia do Cear, por cont do Ministerio da
Guerra, vun caixao mediado 90 decimitros cubi-,
eos, contendo urna bandeira imperial destinada
ao 11." batalho de infantaria all estacionado.1
Coraaiunicou-se ao Arsenal de Guerra.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-,
na, aca transportar par contada provigciavdep-
t capital al a cidade de Penedo, as mulbeies
do 2' sargento Nicanor Guedes de Mello e aos-
pecada SimOes de Lima cujas pracas seguem
para aquella cidade com destino a Ouricury.
Mutotis mutandis ao engenheiro chefe da
da estrada de ferro Paulo Affonso mandando
transportar de Piranhas a Jatob as mestnas
pracas. ,
O Sr. superintendente da estrada de trro
do Recife ao S. Francisco, d passagemeom di-
reito a bagagem, por cont da provincia e em
carro de 1- classe, flde una at a estacio das
Cinco Pontas ao Io cadete furriel do 2' batalho
de infantaria Miguel Goncalvcs dos Prazeres Fi-(
Iho, que foi depr como testcinuoha no niesmo
processo crime no termo de Garanhuns.Offi-
cjau-se ao encarregado da estaco de Palmares
mandando transportar da ultima estaco ate a
dessa cidade e respondeu-se ao general.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco, faca transportar por
cont da provincia, eom direito a bagagem da
estaco de Una a de Chico Pontas o .ermunoso,!
Lindolpho Derby e a respectiva escolt.
Oatro aun, resolve exonerar a peoiac> n- de 0uricu^ e declarar-Jhe queja deu as ne-
noel Ro irigues da Suva. Francisco Antonio Fer-. "" "u. videncias
^^J^SSS^At^m Provincial.
; O Exm. Sr. desembargador presidente da pro-
reir Gomes e Jos Coelho de Aquino dos cargos
de 1", 2o e 3 auppleates do mesmo subdelegado ;
e nomear para substituil-os Manoel Feraandes
de FreiUs, Clemeotiao flereira Brando e Her-
mino Jos Ribeiro.
O presideote da provincia neeorve, de con-i
formidade coma proposta do Br. chefe de polica'
ij em aflicio a. W60 de 29 do-corre nteaexoaerar,
pedido, Jos Florencio e Caldas, Manoel Caldas
4a Silva Prente e Antonio Maturino Mandes,dos
cargos de subdelegado, 2 e 3o supplentes do
districto de Carahybas do termo de Boa-Visto ;
e uomear para substituilros Martiniano Antonio
da Concei^ao, Antonio Maturino dos Santos ei
Gjrillo Antonio de Oliveira na ordem em que se;
acham col locados.
Outro sim, .rasorve aomear, para o lugar vago
de supplente do mesmo subdelegado, Jos
Antonio da Silva.
~ 0 presdente da provincia resol ve nomear o
bachare Firmiao Corris de Mello para o cargo
de p omotor publico da comarca de Villa-Bella.
Pneram-se as communicacoes neceasanas.
Oficios :
Ae presidente -da provincia do Espirito
SaotoReeebi eagradeca os exemplares im-:
pressos da coHeccao das leis dessa provmcia
promulgadas no eorrente anno, enviadas para^
V. Exc. com oficio, a que respondo, de ki do
corrente mez.
Ao presidente da provincia das Alagoas.
Rogo a V. S. se digne providenciar para que se-
jam transportados, por ooaia dasta provincia, da
cidade de Penedo at o porto de Piranhas as om-
itieres do 2. argento Nicanor Guadas de MelloJ
e anapeeadas Simoes e Luna cajas pracas se-
guem com aeetiuo a Ouricury.
Ao general commandante das armas.De-i
Cerindo o requernenlo de Mara Magdalena da
Silva com man do de 27 4o corrate- sob n. 37>7, nesta
dat 1 ex peco as necessarias ordens ao director do
presidio de Fernando de Notonba para fazer re-
gresear d'alli para esta capital,.na 1.a opportu-
nidade, afirn de ser recomido fortaleza do
Brum o sentencindo militar Joto Antonio Mendes.
O que Caco oonstar a V. Exc. para seu conhe-
cimeato a fins.conveoieates.Officiou-se ao di-
rector do presidio e mandoa-se dar passagem
na Companhia Penumbecaua.
Ao mesmo.Beaende aqu chegario dia
2 de Janeiro vindouro o Exm Dr. Innocencio
Maraues de Araujo Goes Jnior presidente no-
meado para ala provincia sirva-se V. xc. de
expedir seas ordeas para que 110 mesmo dia as
7 horas da manhi se ade postada Agente do
Arseaal de Marinba urna guarda de aonra am
de a 8. Exc. fazer ae continencias por occasio
de seu desembarque, providenciando outrosim,
para que a fortaleza do Brim d a salva do estylo
quando o vapor qae condiii S. Exc. demandar a
barra.
Ao mesatto^-^irva-t! V, Exc. de informar-
me se seguio para a corte t> recenta Cyrillo Vieira
ao Ministerio da Fazenda.
Capitao DamiSo da Costa Leitao.In-
eferido, de acoordo com a jcforaMlo da
Thesouraria de Fazenda.
Francisco Pinto de Mngnlt)3^Enea- la da infftrmacflff a da escriptura annexa,
EXMMtXTE DO SB. StCaBTAaiO
Offlcio8 :
Ao Dr. chefe de polica. S. Ex o Sr.
desembargador presidente daprovincia manda
aecusar o receDimento do oficio deJH do cor-
rente mez, n. 1,334, em que V. Exc. communica
os factos que ltimamente occorreram na villa^
vincia, manda commumear a V. S. em respost
ao seu oficio n. 416, em date, do carrente aiez^
que. nio devendo os trabalhos desea Assemblea
ir ajm do dia de hoje viste 4o aviso de 29
de Novembro de 1837, deixa de prorogar por'
mais tempo a presente seseao da mesma As-
semblea.
Ao mesmo--O Exm. Sr. desembargador
presidenle daprovincia, manda devolver a V,
8. um exemplar do original da resoluco envia-
da opm oficio n. 106, de 21 do corrente mez, a
qual deixea de ser salicctonada pelo razo <
posta na mesma resoluco.
Ao mesmo- -De ordem do Exm. Sr. des-
embargador presidente da proTacia, derolvo a
V. 8. um exemplar da resoluco dessa Assem-
blea enviada com o seu oficio n. 105, de 21 do
corrente mez, por deiaar de ser, sanecionada.
Ao nesmo. Em additonjento ao meu of-
flcio deste data, devolvo a V. S. um exemplar
do original das resolooes dessa Assemblea en-
viadas com oficio n. 106, de 21 do corrente, as
quaes deixaram de ser sanecionadas pelos mo-,
nvos expostos na mesma resoluco.
Ao mesmo. De ordem do Exm. Sr. des-
embargador presidente da provincia, devolvo um
exemplar da resolucJo enviada com o eu oficio
n. 113, de 27 do corrente, sanecionada sob n.
1,963 e 14 das gue deixaram de ael-o pelos mo-
tivos exDOStos Das mesmas resolucOes.
Ao mesmo.-De ordem da. Exm. Sr. des-
embargador presidente da provincia, devolvo
a V. S. um exemplar de cada urna das resolu-
cOes enviadas com o seu oficio n. 112, de 26 do
corrente, sanecionadas sob n. 1,957, 1,960 a
l,9i2, e das que deixaram de sel-o pelee moti-
vos expostos as mesmas reaolucoes e declarar-
Jhe que foi publicado sob n. 1,962 o decreto des-
sa Assemblea aiitorisando a Cmara Municipal
do Recite a conceder licenca com ordenado a 4'
de seus empregades.
Ao juiz municipal de Barreiros. De or-
dem do Exm. Sr. desembargador presideote da
provincia, coramunico a V. S. para fazer a no-,
tilicaco nos termos indicados nos arts 2o e 3"
do decreto n. 8,266, de t8 defhtabro de 1881,
rque por decreto de 16 do correte foi removido,
o juiz de direito Manoel Caldas Brrelo la co-
marca de Barreiros para a de Palmares, ambas
nesta provincia, sendo-lhe marcado o prazo de
3 mezes para aseunir o exercieio de suasunc-
coes.
A uommisso decentes da estrada de ferro
do* Recife ao Limoeiro. S. Exc. o Sr. desembar-
gador presidente da provincia, deu-boje o con-
veniente destino aos documentos que vieram
annexos ao oficio deV. S. de 23 do expirante.
EDITAL
Por esta secretaria se fa publico a. quem in-
teressar possa que se cha peste repartico am
de ser entregoe depois de pago os devidos di-,
reitos a patate de mejor eemawnqaate de 5
nriohe-te, devendo ser pago o respectivo
porte na -repartidlo dos correis.
Francisco da Silva Miranda.Sim, me-
diante recibo.
Gaspar de Menezes Drummond. Ap-
provado.
O mesmo.Sim.
Gregorio Targino Accioly.Indelerido,
por ter sido extincto o lugar que exercia o
supplicante, pela lei n. 1,955 de 26 de
Dezembro passado.
Guilhermina Mara da Conceigao Padi-
lha.Deferido, vista da informaco do
inspector geral da iastrucoao publica.
Gerente da Recife Drainage Companhia
Limited.Informe o Sr. inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Tdalino Isidio da Costa Tieira.Como
retraer.
Joaqun Firmo de Oliveira.Deferido.
Seja admittido o peticionario a assignar o
termo de arrematado urna vez que nada
consta em aeu desabono, e nao ae prova
que tivesse incorrido em multas, faltando
a repartilo das Obras Publicas competen-
cia para condemnar a idoneidade dos con-
correntes, alias provada pelos contractos,
com relaoaoao peticionario, anteriormente
fcitos.
Jo3o Baptista dos Santoa.Indeferido.
O advogado dos presos pobres Jerony-
mo Materno Pereira de Carvalho.Re-
queira a autoridade local competente.
O mesmo.dem.
O mesmo.dem.
O mesmo.Informe o 6r. Dr. chefe de
polica.
O mesmo.Informe o Dr. juiz de di-
eito da comarca de Qoyanna.
Jos Hermillo Cavalcante Lins e Anto-
nio Santiago Pereira Costa Jnior.In-
forme o Sr. engenheiro fiscal do Io distri-
cto de engenhos centraos.
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
Deferido com officio de hoje a Thesoura-
ria de Fazenda.
Maia e Silva 4 C.Eneaminhe-se, de-
vendo ser pago o respectivo porte na re-
particSo dos correios.
Manoel Antonio da Silva.Requeira
Thesooraria de Fazenda, apresentando-
lhe o titulo de divida passado pela compa-
nhia de mfantaria das Alagoas, am de
ser relacionada a mesma divida, visto
achar se definitivamente encerrado o exer-^
cicio, a qua elle pertencia.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 18 de Janeiro de 1869.
O porteiro,
F. Chacn.
Hcpartlf&o da Polica
2.* secejo.N. 70 Secretaria da Po
licia de Pernambuco, 18 de Janeiro de
1889. Im. e Exm. Sr. Participo a
V. Exc. que foram hontem recolhidos
Casa de DeteneSo os seguintee indivi-
duos :
A' minha ordem, Jos Santiago, Manuel
Pereira da Silva, Manoel 'Amaro, por dis-
turbios, e Salviano Marques da Costa,
vindo do termo de Cabrobo como senten-
ciado e desertor do 9." batalho de infan-
taria.
A' ordem do.Dr. delegado do 1. dis-
, trjeto da capital, Mara Lucia de Britto,
por embriaguez e disturbios; Jos Gui-
lherme de Sant'Anna, Luiza Mara da
Conceicfto, Jeaquim Lopes dos Santos,
Maximiano Pereira da Cunha, e Joe Ma-'
ran o do Nasciiuento, por embriaguez e
offensas moral publica.
A ordem do subdelegado da freguezia
do Recite, Venencia Mara da ConceijSo,
cemo alienada minha dispoaicao at que
tenha conveniente destino.
A' ordem do da freguezia de Santo An-
tonio, Valeriano Rapbael dos Res e Au-
gusto Florentino doe Santo, por embria-'
gaez o disturbios.
O delegado do termo,de Jaboeiao, oora-r
munica ter no dia 15 do corrento, feto re-
mesaa.ao Dr. juiz de .direito da comarca
do inquerito policial procedido contra Emi-
lia Mria de Lima, autora do fer i ment gra-
ve, uratieado na pessa de Francisca Ma-
ra dos Santos.
O delegado do termo de Palmares, par-
tieipou-me que, no dia 13 do corrente em1
trras do engenbo Monte Caseros d'aquelle
tormo, o individuo de nome Jacintho Go-
mes da Silva, ferio ^gravemente com ama
lacada ao seu irm&o Florencio Gomes da
Silva, logrando evadir-se logo ape o
-rime.
O delegado tomn conhecimento do fac-
to, abri o competente inquerito e deligen-
cia a captura do criminoso.
Hontem preatou juramento c assumio o
exercieio do cargo de subdelegado da fre-
grezia de Santo Antonio, .0 alferes Anto-
nio Lua de Sena Cavalcante.
A requisico .do Dr. juiz Municipal do;
termo do Limoeiro, foram capturados os,
individuos Jos Baltbazar, pronunciada no
Art. 193, combinado com o 34 do cdigo
criminal Henrique Cardoso, no 205, e Ma-
noel Bernardo, no 198 do referido cdigo,,
todos criminosos n'aquellc tormo.
Deus guarde a V. Exc.IUm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Gees, muito digno presidente da provin.
ca.O chefe de polica, Antonio Firmo
Figueira lie Saboia.
Thesouro Provincial
despachos do dia 17 de janeuio
de 1889
Antonio Pinto Morera, commendador
Antonio Valentim da Silva Barroca.In-
forme o Sr. .Dr. contador.
. Manoel dos Santoe Gomes.Informe o
Sr. Dr. contador.
V
seccao
Manoel Pereira Paivao. A'
para oa fins convenientes.
- 18
Joao Goncalves da Fonseca. Em vis-
0 peticionario mao pode ser attendido.
Franeisao Ribeiro Pinto Guimares e
Domingos Jos Antones GuimarSes. In-
forme a 1" seccao.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 19 DE JANEffiODE 1889
Hetrospecto poltico do anno
de 188S
POLTICA GERAL .
Dissemos que o t. de Bismarck venceu as re-
sistencias que'se oppunham sua enrgica von-
tade aa q testo do casamento do Battenberg.
Nao teve, porm, o arrogante estadista a mesma
felicidade n'um caso serio de poltica internao
da demisso do seu alter ego i'uttkamer, ministro
do interior, decidido partidario das candidaturas
oficiaos e, se a fama verdadeira, consumma-
do mestre na arte de pautar as manifestcOes do
suffragio nacional pelos designios e interesses
governativos.
Nesse acto, dictado por um animo austero e
cheio de independencia, patenteara o imperador
Frederico um sincero amor pelas praticas^legaes
do parlamentarismo, um intimo respeito pelos
direitos da naco. Taes sentmentos nao eram
absolutamente indgenas. Urna Prussa verda-
deiramente parlameaterisada, se aoaso existir
algum dia, ficar constituindo a oitava maravi-
lla do mundo: & influencia da esposa e as re-1
lages que manteve com a corte da Gra-Bret-
nbaaUribuiamos cateodidos as inclinacoes libe-
raes do desventurado monarcha. Mas a origem
peregrina de samclliantes tendencias devia ter
sido, se aos nao engaamos, urna razo de mais
para que o fado da exoneracao assumisse em
Berln as proporcoes de um escndalo Pois
que! -diriam com toda a sua alma teutnica os
amigos do cbancellerassim se despede um mi-
nistro que tinha a honra de merecer ajeonfianca
do maior homem do reino e do imperio En-
tao nao baste que Mackenzie seja preferido a
toda a sciencia allem,^tao vasta e to profunda,
-e anda necessario que o herdeiro directo de
GuilUerme 1 importe das margeos do Tamisa os
procesos do governo nacional! At o princi-
pe imperial estremeca de santo horror patri-
tico.
Acreditou-se, por um momento, que a Prussia
e a Allemanha perderiam dessa vez o arbitro dos
.seus destinos e a Europa o eterno alvo de suas
cogitecCes. Os que mostravam tees receios, es-
uueciam-se provavelmente das theorias biemar-
ckinas acerca da extenso da autoridade real.
A corea prussiana, tem-n'o ditommtes vezes o
cbanceller, nunca esteve adstriete mxima
subtil de Tliiers: reina e governa ao mesmo
tempo.
Pode acontecerenema va elle no seu dis-
curso de Janeiro de 1882que un ministro pro-
fesse, em tal ou qual assumpto, opinio contra-,
ra do monarcha. >'esse caso dar-se-ha ora
dos cempromissos de que a vida constitucional
se compoe, se o rei, em vfz de demittil-o, pre-
ferir fazer-lhe as concessoes que entender. Sup-j
ponharaos, porm, que 11 ao possa o ministro ob-
ter a approvacao para certo acto ou escripto
que Ihe pareca conveniente nesta hypothese
tem de pergunter a si mesmo se deve fazer
questao de gabinete, ou se mais til para o
paiz submetter-se vontade soberana, que .
afina!, a que deve prevalecer. *
A coherencia com essa doutrina constitucio-
nal, obrigava moralmente o afamado estadista
a tragar em silencio, e com apparente resigna-
cSo^ nao dizemos a affronte, mas o despeno que
a deliberacao real Ihe devia ter causado. 0
principio da solidariedade ministerial, observa-
do n'ootroe paizes, nem ad usum DcipMni poda
ser admittido pelo mais temivel e intransigente
inimigo que o parlamentarismo tem Boje no oc-
cidente.
Alm disso, sabia o cbanceller, e melhor do
que ninguem, que nao seria em extremo longa
a epopa dos seus desgostos por esse lado. Em-
quanto os mdicos allemaes e inglezes, sem a
mnima attenco pelos proprios padecimentos'
que constitulam o objecto de suas sabias ds-
cusaOes, msietiam cruelmente na divergencia
dos respectivos diagnsticos acerca da molestia
do imperante, o heroico enfermo va com espi-
rito resignado e tranquillo approximar-se a bo-
ra derradeira.
Essa hora soou, emfiaa, no dia 15 de Junho.
0 reinado a que ella punna termo tora curto.de
mais para imprimir qualquer direccad nova na
existencia do poyo surgir quasi que d'entre as sombras do sepul-
ebro. Alguem lembrou a respeito desse passa-
mento, ba mnito esperado, mas, anda assim
commovente, estas palavras de Goethe : .Orneu
campo o lempo. E con cima: E* muito
honroso para a memoria de Frederico III que
ae possa dizer que s o tempo Ihe faltou para'
realizar as grandes cousas que tinha em mente.*
Guilherraell nao pedia ser suspeito do gosto
paterno pelo exercieio regular das direitos con-r
stitucionaes. Neste ponto todos viam nelle a'
representecao fiel do av e o fructo das ligeos
do chanceller. fi se este se interessa hoje vi-
vamente pela paz europea, o que melhor havia
a desejar era que Telemaco seguiese risca os
conselhos de Mentor em todos os casos e inci-
dentes da poltica internacional da Allemanha.
Certos precedentes do que cnegou um dia, pelo
que se afiraa, a associar-se ao movimenlo anti-
semita de Berlim, deixavam nascer graves preoc-
cupacOes por esse lado.
As proclamacoes do novo imperador abranda-
ram todos 'os receios. Apezar da especie de
mvsticissimo soldadesco* com que fallou ao
exercito, prometteu ao seu povo que seria um
principe justo, brando, defensor da paz e res-
peitedordo direito
O discurso que, dias depois, pronunciou no
Beichateg, foi anda mais significativo e expli-
ito, no tocante pohtica externa do imperio.
Dir-se-ia que o principe de Bismarck tanto mais
se esmerara na redaeco dessa peca, quanto
mais geral era a opinio de que o successor de
Frederico tinha propenso Jrresiativel para as
aventuras guerreiras. Segundo o discurso,a enor-
me forca militar da Allemanha jamis seria em-
pregada em qualquer guerra oflbnsiva. o mo-
narcha seria um esforzado e consciencioso man-
tenedor da paz europea, porque e sua gente nao
inha ueeeasidade de maiores glorias e conquis-
tas. Vetar pela paz e restabelecl-a' onde quer
ue fosse perturbada, eis o grande papel que
destnava ao seu exercito.
Enseguida, referio-ae Guhermeila diver-
Jaas aaeSe; oecwentacs. Fallou da Austria com
"rdialidade. A alhanca defensiva
Jos dews imperios um legado "histrico, urna
base do equilibrio europeu, um elemento de di-
reito internacional .. Os autro-hungaros quei-
xam-se a miudo dos insignificantes beneficios
que de tal allianga lhes proveem. Mas, por is-
so niesmo, maior devia ser o cuidado do sobe-
rano allemo em coaveneel-os do contrario na-
quelle momenlo solemne.
Era outro o segredo das relacoes germano-
italianas, daV a entender o monarcha: funda-
vam-se na semelbanca de esforcos empregados
em pro da unidade nacional e as necessidades
da situaco poltica da Europa, que a Allemanha
quer tornar inteiramente pacifica. Se a Italia,
observou um jornaliste, procurou a convivencia
dos grandes para entregar-se a commettimentos
rendosos, o chancellar desenganava-a pelahc-
ca do seu principe.
Em relago Bussia, a falla do throno#era a
expresso dos ardenles desejos que tem o Sr.
de Bismarck de ver reatadas as suas antigs
retecoes cora o governo do czar. O enfraque-
cimento dcssa3 relacGes, a quasi hostilidade
mais de urna vez manifest na imprensa dos
dous paizes, sao com certeza a sombra negra da
diplomacia da Allemanha. Era, pois, necessa-
rio, no comeen.do novo reinado, invocar amisa-
des pessoaes, affectos recprocos entre 03 repre-
sentantes de um c outro imperio ; era tambem
preciso afirmar que a liga da paz nao foi urna
invencao destinada a prejudicar os mocovitas,
a fazel-os desconfiar das boas intencoes ger-
mnicas a seu respeito. Tudo isso se fez no
commentado discurso. A questo, porm, era
saber se a Biissla, levada pela amenidade de
tantas phrases lisongeiras, chegaria a conven-
cer-se de que o estado de cousas da pennsula
dos Balkans o mais consoante satisfago de
suas eternas aspirages no oriente.
Guilherrae II teve occasio de apreciar direc-
tamente o effeito que suas palavras haviam pro-
ducido no animo do czar. Depois das msujfes-
taces no lar domestico, quiz o Joven iaioera-
dor levar a boa nova dos seus intentos pacficos
a diversas cortes cstrangeiras. Coniecou a pe-
regrinago pela Russia. A familia imperial mos-
covita receheu-o de bracos abertos, com as maio-
res expansoes de jubilo ; durante urna semana
deu-lhe o espectculo das mais variadas festas.
Politicamente, nao ae sabe ao certo se viagem
aproveitou ao que a fez, mas ha razdes para
acreditar que nao, desde que a skuaco diplo-
mtica da Europa se conservou essencialmente
a mesma que antes era.
Propalou-se todava que o illustre viajante sa-
hira de Peterhof com urna idea grandemente hu-
manitaria e extraordinariamente luminosa: que
ia darse em breve enrgica mauifeslacao em
favor do desarmamento geral ou parcial dojeon-
-nnente europeu. A noticia era em extremo
consoladora, mas to inverosmil, quanto nao ha-
via muito as delegaces neutro-hungaras ti-
nham recqnhecido a necessidade de um augmen-
to das forjas militares do imperio dualista. Se
Xas uaces procuravam com afinco elevar e
ro de seus soldados, como entre todas as
mais fortes e militarisadas iriam combinar-se
para o tal desarmamento? E' a innocente
chimera dos congressos da pazdizia um chro-
nista sceptico, amenos que nao seja jan novo
modo de dispor as cousas para a guerra. *
Depois de visitar Stokbolmo ^ Copenhague re-
gressou o imperador a Berlim, parando em se-
guida com destino a Friedrichsruhe. Os fran-
cezes, que se vingam em phrases espirituosas
do mal que jos allemaes lhes fizeram pelas ar-
mas, disseram, em viste da solicitude dessa vi-
site, que .0 monarcha fra levar ao principe de
Bismarck o relatorio do que vira e aprender no
estrangeiro.
O certo que os encontros de soberanos e mi-
nistros se repetem ha muito, e com excessiva
frequeocia na Europa, sem nenhum resultado
pratico apreciavel.
Antes de realisar totalmente o seu itinerario,
teve Guilaerme II de auxiliar o irritado cbancel-
ler nos esforcos que empregou, para diminuir o
escndalo produzido pelo publicacSo de frag-
menfos do Diario intimo de Frederico 1.11. A
pubcagao foi interdicte, e perseguido oque di-
rectamente a promover. Jfas neo. fieou niss
so o desabafo do intransigente estadista.
O principe do-Bismarck ftilmmou o Diario e o
seu devulgador com terriveis aecusacoes. Fel-o
n'om relatorio ou refutecSo que dirigi a sea
amo, e que o Monitor 4o Imperio ioserio as
suas columnas. -Esse relatorio, embora escriplo
com imao de mestre, lancava sobre a memoria
do imperador defuuto urna injuria de tal ordem
que mal se comprehende eomo os sentrmentos
flaes do actual monarcha Ihe nao negaram sanc-
eao. fiao tremeu a ao do chanceller quando
deoterou n'esse escripto que em Veraalcs, du-
rante a guerra de 4870, nao tinha 'permisso
para fallar com o kronprinz em negocios tati-
mos da poltica allema,.por mo que o r tenia
as mditcripiSet juepeeriam ter ammettidas tm
a erte de f*4toerra, -anda entSo cheia de sympa-
Ihias peta Franga.
Ueste trecho havia, a tem do mais, clamorosa
ingratidao para com a rainha Victoria, ardente
germanophila 'aquella epochi tristemente ce-
lebre Leim-se as memorias que essa respei-
tavel senhora se lembrou de publicar em vida
sob o titulo de Novas fallas arrancadas ao Otario
de minha tteisteneia, etc: veja-se ahi a n ejftjsao"
piedosa eom que a soberana logrou ouvh" ne
dia subseqnente ao da deelaracao da grande
guerra, certo padre protestante proclamar do
pulpito os vicios dos francete e as virtudes dos
allemaes.
.(Contmiut).






*
]



-
l 1
Y
i
I
(
\ o lela da Europa-
Bis o complemento das trazidas ante-hontem
pelo paquete Ebe.
Ha dias que o departamento das Boceas do
Bhodano e circumvisinhos sao assolados por
tempestades medonbas.
Na cidade chove torrencialmente ; as ultimas
24 horas o pluvimetro marcou 72 milmetros da
chuva. O Bhodano engrossou rpidamente, re-
ceiando-se algumas cheias e temendo-se catas-
trophes em varios pontos. Se o lempo assmi
continuar, os caminaos tornar-se-hao imprati-
caveis.
,1



*

f
'
. .,^ .-

-*
Mario de PerainWo-- O. rioDuraoai e o taeus afluenles nthitam
foca do laito. ,
Em Arles ha dias que a chava cae tamben
copiosamente, aeompanhada de frequeatet e
enormes trovoes e faiscas, urna das quae* inceo-
dioa alguna! caas. O canal inundou urna parte
do bairro Teaaplier.
Os agricuitoreti estao miuto inquietos pelo re-
sultado das suas colheitas.
m Mende, Marselha, Arles, Toulou e Cler-
mond-Perrand tein continuado a chover copiosa-
mente nos ltimos dias, sahindo os rios don seus
leitos e inundando campos e povoados.
Estas inundagOes teem occasionado descarri-
Iharaentos, arraneado postes telegrapnicos e sub
mergido casas.
Em Tivoli, povoacao prxima de Mende, urna
familia que nao quiz abandonar a sua residencia
flcou interemente isolado por effetto da agua
que Ihe transformou a habitacio n'uma ilba,
tomando impossivel qualquer soccorro.
A linha frrea que coudui de Tarrascon a
Cette abaten n'uma extensao de trinta metros.
Em Arles, as ras estSo completamente inun-
dadas ; foram submergidas duas casas. Nesta
cidade, a chuva torrencial aeompanhada de
violenta trovoada.
Em Toulon, o populoso bairro do matadouro
foi invadido pela agua, que sobe a um metro de
altura, tornando iohabitaveis as casas terreas.
As scu.enteiras em Clermont-Ferrand esto
K'rodas. Nos arrabaldes de Issoire,a cheia do
ier excede j a dois metros. Esto debaixo
d'agua todos os vinhedos plantados em terrenos
Na Corsega as chuyas torrenciaes destes dias
obstruiram o caminho de ferro.
Em Santa Regina desabaram alguus predios
fleando varios moradores soterrados as ruinas.
A V de Janeiro haveria em Paris urna eleijao
legislativa. Essa oleicao tem agitado os part -
dos potiticos e absorvia violentamente a attenco
publica.
Comprehende-se : o Sr. Boulanger apreBenta
a sua candidatura na capital da repblica
Havia grande interesse em saber se elle tena
ou nao concurrente. .
Os republicanos aiuda nao haviam encontra-
do um candidato, e os mouarcbistas ao principio
estavam indecisos sobre o que deviam fazer : se
rotar no general ou nao, havendo algn* que
sonharam apresentar um candidato absolutamen-
te seu. no departamento do Sena, o mais avan-
cado de toda a Franca.
O problema v-se bem, que nao era tac de
resolver, e causara serios embaraces aos homens
polticos da grande capital franceza.
A questao era to complicada para os repu-
blicanos como para os monarchistas.
Houvc tambem quem se lembrasse de apresen-
Ur urna candidatura militar ; mas essa idea nao
vineou porque o general Fevrier, que fora ndi-
gitado, dectarou lerminantemente que nao acei-
tara candidatura alguma.
O recurso da ultima hora parece ser o Sr. An-
toiae, ex-deputado de Metz ao parlamento alle-
mao.'aflm de terem urna candidatura patritica,
Bem cor poltica determinada, e oppor candi-
datura tao pouco definida d'aquelle a quem cha-
mara o syndico dos descontentes
E-te ultimo projecto cahio tambem porque,
nao sendo o Sr. Antoine cidadofrancez, c por
consecuinte inelcgifel.
Seo4ancarem mo de Augusto Vacquene,
que tem urna grande notoriedae em Pars, mis
so naquella cidade propriamente dita, porque os
arredores nao svmpathisara com elle, ou nao o
conheeem, a derrota dos republicanos governa-
mentaes poder ter se como certa
As circumstancias pareciam favorecer os par-
tidos hostis repblica, e todava, cousa curiosa
na direita nao se hesitara menos do que na es-
querda. ... ,
A questao resume-se em tomar partido a favor
ou contra o general Boulanger.
Se os monarchistas se abstiverem, dizia o
Soleil. o Sr. Boulanger ser batido mas se o
apoiarem, o cx-commandante do 13 corpo do
exercito triumphar.
Assim o eiftenderam tambem o propno gene-
ral e o Sr. de Rochefort: e o concurso dos rac-
cionarios -Uies iudispensavel; mas esse con
curso trara ao futuro deputado por Pars graves
compromissos com os elementos catholicos.
O imaaVlh" de iniaistros que se realizou a
3 de Janeiro oceupou-s* especialmente da elei-
cao por Paris.
Tm sido empregades os mximos esforcos no
sentido de apresentar immediatamente o gene-
ral Boulanger. Sabe se, porm, que o sr. FIo-
Iuet protestou contra qualquer noticia em que
se envolvido o seu nome. .
A junta central monarchista de Pars decidi
nao apresentar candidato algum eteico sup-
nlementar do Sena a 27 de Janeiro. .....
O convite ante-bulangista do nonp (stnclo
nrociaraou a candidatura do Sr. Hovelacque, ex-
presidente do conselho municipal de Pars, con-
tra a de Boulanger. 1.. .
Trata-* d,erganisar candidaturas muinplas,
afim de obstar a que o general obtenha maioria
absoluta no primeiro escrutinio.
Nos ultmos dias espalharam-se noticias de se
acharem exhaustos os cofres boulanjtistas ; mas
a ultima hora corra que tinha chegado de In-
glaterra um emissario portador de recursos
abundantes para a campanha eleitorat. .
O general Boulanger, no manifest que diri-
gi aos eleitores do Sena, alarma o seu republi-
canismo e protesta contra os projectos de dicta-
dura que Ihe attribuem os parlamentares, cuja
incapacidade, baixas intrigas
cussOes reduzem a Franca
Upendio, o conclue assim :
Eu quero, como a Franca quer tambem,
urna repblica composte de outra coisa que nao
seia ambicio.
Que podemos nos esperar de gente, que
conftssando terse engaado durante quinze an-
nos, ousa pedir-vos novamente confiaua. T
A Franca tem hoje sede de justica de rectido,
de desinteresse. Tentar eomvoaco arrancaba ao
esbanjamento. que a exhaurc, s competieres
que a aviltam, para mim servd-a ainaa. vos
a impediris de vir a ser urna presa para al-
guns.
Viva a Franca !
Viva a repblica!
O rainiltro do cemraercio tnormou o conse-
lho de ministros de que, em consequencia de
ter fallecido o ultimo sobrevrvente da tontina
Lafcme, fundada em 1701, e em virtude do anto
constitutivo desta tontina o Estado vem a herdar
nm milhao e duzentos mil francos de renda, e
um milhao de francos em especies.
Bel fie*
Sob o titulo de La }eune fiUe acaba de fundar
un revista litVerana, destinada s enancas, a
rainha dos Belgas.
A revista distribuida gratuitamente, em es-
pecial s enancas pobres da Blgica e da Franga.
Collaboram : Carmen Sylva, a illustrada rai-
l da Romana: a princeza Clementina da Bel-
Mme. do Witt-Guizot, Mme. Georgas Reg-
le a propria fundadoura, sob o pseudnimo
_je. Rujer.
Digno de 3er imittado.
Inglaterra
O Standard do da 2 conunenla n'um tom sce-
ptico as affirmaeoes paciacaa do Sr. Tisza e do
nci Humberto, e pergunta se a Atlemanna os
rectificar.
Os iarnaes de Londres publicaram um carU
de Sir Roberto Morier datada de 19 deDezembro
ultimo ao conde Hefbert de Bismarck, protes-
tando niuito enerricamente contra as calumnias
da Gazeta d>- Crfonia, Sir. R. Morier tendo sabido
nue o conde Herbert contara j este verao em
Londres semilliante historia, escreveu logo ao
cx-marechal Bazaine, o qual Ihe respondeu no
dia 8 de Agosto, desmentindo formalmente os
foctos que fie cram altrmidos, e quauficando-
os de fbula ordinaria.
Eoto Sir R. Morier remetteu a carta de Ba-
jiae ao coude Herbert. pedindo-lhe para fa-
zer desmentir a calumnia na fazeta da AUema-
%ka do Nort*. a .. nnn
O conde Herbert i\ipondeu-lhe que o con-
tendo e o tom da caria de Sir Roberto nao Ihe
permittia dar feguimeuto ao seu extraordinario
pedido c sabir do/ limites que a sua posico of-
fipial Ihe tracava para cora a imprensa allem.
Sir Roberto Morier respondeu ento que, vis-
to o conde Herbert de Bismarck nao querer
desassocia^-se da monstruosa calumnia, so Ihe
rtava entregar a pnblicidade a corresponden-
cia.
Como a Caseta de Cotona considerada orgio
oficioso do principe de Bismarck, o Dely Tele-
araph acha extraordinaria a resposta do conde
jierbert, e dticlara que toda a Inglaterra ac-
tualmente indultada na pessoa do seu embaixa-
doremS. Petersburgo.
e fastidiosas dis-
a um estado de vi-
O Urna lastia profandamaata asta polmi-
ca, e diz que as mane iras da Alfemanha fazem
lembrar ao de Napoteto I quando espesinhava a
Prussia depois de Fnedland; o principe de Bis-
marck nao devia esquecer que a Inglaterra nfte
aliada que possa des|)rezar-se.
O Standard declara pe as affirmaeoes de sir
Roberto Morier sao absolutamente sufficteotes
para a Inglaterra.
Houve grandes tumultos entre os camponezes
de Falcarragle, condado de Donegal, na Ir-
landa.
A agitaco, que enorme em todo o territorio,
foi motvada pelos decetos que despendem os
rendeiros e que os prejiidicam muito.
Os amotinadores destruiram as pontes em va-
rios sitios para que a poiieia nlo pedesse atra-
vessar os nos, e para que trvesem mais tempo
de preparar-se para a ctefeta.
Reeeiam-se novos tumultos e.'muitas desgracas,
porque a agitaco creste de momento e o nume-
ro dos sublevados augmenta extraordinaria-
mente.
Produz-se na India ingleza um movimento
enja importancia nao passa dcsapercebida aos
homens de Estado inglezes.
Os indgenas d'essa grande colonia britannica
parecem acordar para a vida, poltica e querer
reclamar urna parte no governo do seu terri-
torio.
Ha um ou dois anuos que elegem regularmen-
te delegados que se reitnem em congresso e em
especie de parlamento indgena transmute s
autoridades inglezas as aspiraces da populaco
e os seus desejos sobre todas as questftes impor-
tantes de interesse immediato.
O Sr. Gladstone anoitnciou que vai visitar o
Santo Padre, mas que s. visita nao tem carcter
poli tico.
Suppoe-se que tratar da questao da Irlanda.
O deputado parnellisti Edward Harrington foi
condemnado a seis mezes de priso e trabalhos
forcados, por ter assistitlo a um meeting organi-
sado pela Liga Nacional n'um districto sujeito a
Crmes act e haver alli pronunciado um dis-
curso.
Outro deputado irlands, Mr. Finucane, acaba
de ser condemnado a quiltro meses de priso com
trabalhos forcados.
Finalmente, um terceiro, Mr. Sheehan. foi de-
clarado reo de conspiricao contra a seguranca
do Estado, mas tendo c medico das prisoes de-
clarado que a detenco poria em risco a vida do
acensado, foi conservado em liberdade, proviso-
riamente.
tllraianha
Dizem de Hamburgo que a vista do processo
Geffeken nao comecara mtes de Abril, em razao
da grande quantidade de procesaos que ha a
ver.
Frederico UI. essencialmente tolerante em ma-
teria religiosa, absteve-se sempre chamar a pre-
gar em sua presenca o pastor Stcccker, um dos
mais fervorosos propagandistas das doutrinas
anti-semiticas.
Dizem agora os jornaes de Berlim que o tal
Stcecker foi convidado a presidir festrvidade
do Natal na corte, a qi.e assistio o Imperador
Guilherme II com toda s ja familia e squito.
Em Berlim commentou-se muito este acto.
E' gravissimo o estado da princeza Amelia
viuva do principe Adalberto da Baviera.
K Gazeta de Colonia, continuando a sua cam-
panba contra sir Roberto Morier, publicou extrac-
tos de um relatorio do capitao de Deines, antigo
addido militar da legacao allema em Madnd,
o qual afirma que o ex-marechal Bazaine Ihe
dissera ter sabido por um telegramma expedido
de Londres por sir Roberto Morier a primeira no-
ticia da passagem do Mossella pelos allcmes.
A Gazeta do Norte da AUrmanha, aproveitando
a occasiSo do dia de anco bom, publicou um ar-
tigo muito pacifico.
es noticias rtcebidas noite de Friederichs-
rulie sao mais tranquil lisadoras, mas o Conde
Herberto de Bismarck, i. Iho do chancheller e mi-
nistro dos negocios cstiangeiros, ainda nao re-
gressou a Berlim.
Circulavam no dia 4 de Janeiro em Berlim boa-
tos graves sobre o estado de saide do principe
de Bismarck.
Em consequencia de taes boatos, haviam-se
recebido no palacio do chanceller em Friederi-
chsruhe mais de 5,000 telegrammas, pedindo no-
ticias.
O que se sabe de positivo que o medico as-
sistente prohibi ao erfermo, por emquanto, a
ida capital
O comit central das sociedades allemas da
Cruz Vermelha, com sede em Berlim, abri um
concurso internacional para a construeco e or-
ganisacao de um lazareto porttil destinado a um
Ttn numero de feridos ou doentes, removendo-
por este meio as difhculdades que se tem de-
menstrado existir em campanba, de eslabelerer
n'algnmas localidades, ]>or falta absoluta de ele-
mentos proprios, ambulancias que estejam em
boas conmoes de hyt.iene e de abastecimento
de todo quanto se toms. preciso para o bom cu-
rativo dos enfermos.
O concurso patrociradarpela Imperatriz Au-
gusta, que estabeleceu dezesete premios em di-
nheiro e medalhas para os concurrentes que me-
lhor resolvam a questao geral ou algum dos pon-
tos em que ella e snbdividida.
O prazo- para a remessa das descripces, de-
senhos e modelos de objectos utilisaveis nos la-
zaretos de campanba de 15 a 25 de Maio pr-
ximo
aswta
regresoanda em grande numero Bulgaria, e
acolliendo-se leaunente s instituicOea' existen-
tes.
errla
O re da Servia dau um verdadeiro gotee de
estado, mandando prender muitos deputado ra-
dicaes, que se iucfinavam para a rainha Natha-
lia e para os tterosaes russos. Depois disto
r'eunio a assemhta, e foi approvado o projecto
de constituicao do rei MUo por 494 votos contra
74, todos os radicaes. Receiava-se a alteracSo
na ordem publica.
O rei Mimn eacerrou a 3 de Janeiro a grande
skupchtina com um discurso pondo em relevo as
liberdades novas consagradas pela nova consti-
tuigo e agradecendo maiona o espirito de
cordura e patriotismo de que deu provas, c ter-
minou declarando que reinar d'aqui cm diante
como soberano parlamentar.
Este discurso foi muito appIaudMo. O rei Mi-
ln depois a Constituicao, e em seguida foi le-
vantada a sessio.
O correspondente do Standard, em Vienna af-
firma que se deu urna completa mudanca na po-
ltica rnssa em Belgrado; agora a propria Rus-
sia quem trabalha para trazer a accordo os radi-
caes e o rei Hilan, o que explica o bom xito
alcancado pelo rei na < skapchaa com a re-
forma da constituicao: a Russia querendo evitar
todo e qualquer lithgio eventual com a Austria,
est re3ohrida por agora a deixar os estados bal-
knicos entregues a si mesmos, e portante dcste
lado nada ameaca a paz.
B|7*tO
Communicam de Suackin que o inimigo se
desembaracou de quasi todas as suas mnlneres,
entregando-as guarda e vigilancia urna pe-
quena parte das suas forjas -
Julga-se que esta medida obedece ao proposito
de livral-as do rigor d'um combate, pois pare-
ce que querem tentar urna accao contra a
praca.
O iimigo faz frequentemente fogo de espin
garda dos bosques mais prximos dos fortes.
Um piquete de cavallaria egypcia fez alguns
prisioneiros ao praticar um reconhecimento nos
arredores.
Cetebraram-se grandes festas por causa das
victorias alcanzadas sobre os rebeldes,
O major Gordoo, que est em Suakin, foi pro*
curado por um desertor de Soldo, fque Iba, pro-
metteu restitu-lhe papis e objectos de vestua-
rio e armamento, que tinliam prtencido ao fal-
lecido general Gordon, to do major, e que est
encerrados nos arredores de Berver.
O major Gordon deu parte d'isto ao general
Grenfell, commandante em chefe das tropas an-
glo-eg\pcias em Suakin
Os ltimos acontecimentos de Suakim confir-
mam todas as previses feitas sobre a poltica de
lord Salisbury.
Os ingloses resolverara decididamente conten
tar-se com a sua fcil victoriajsobre a vanguar-
da das torvas de Osman Digma. Um dos seus
regimentos j sabio do campo da lucta; os outros
rao seguil-o embreve preso, deixando novamente
a guarnivo da praca face dos soldanazes re-
voltados -
E' certo que 4 roda de Suakim ficar urna nova
cinira de fortificacoes, para proteger a praca
contra os assaltos do inimigo, mas de pouco
servir essa precauco.
De um outro ponto de frica chega urna noti
ca cuja confirmaco ser muito para desejar.
M'uauga, o terrivel rei de Uganda, que impedia
at aqu aos europeus e a Erniu caminho da costa
oriental e da Europa, pareee que foi destronado,
e seu irmo, muito melbor disposto do que elle
para com os braucos, apoderou-se do poder-
Esta noticia parece confirmar e explicar o ulti-
mo despacho oficial recebido pelo estado de
Congo a respeito de Itanley.
N'esse despacho canfirma-se que Emiu paella
esperara Stamley das margens do lago Victoria,
o que equivale a dizer que o antigo lugarte-
neute de Gorden conseguir transpor os obsta-
culos presentado? at ento por Ounyoro e
Vganda, o que explicara o desthronamento do
re M'Ouauga, que talvez^e desse a muitos mezes
nao obstante ser so agora conhecido.
Como quer que seja, se o facto se der, facili-
tar enormemente o acceseo do interior da frica
as potencias europeas, e eepecialmente expe-
dicao Wissman.
Zanzbar
Um despacho de Zanzbar para o 7Yi>ks afirma
que a sitoacao dos allemes em Bayamoys e Dar-
es-Salam vai sendo de da para da mais peri-
gosa.
EwtadAM-l nido*
Foi apresentado do congresso Cem Washington
um projecto de le que tem por nm elevar a seis
annos a duraco dca> poderesjpresidenciaes espe-
cificando porem que nenhum antigo presidento
rcelegivef.
Requeren nevo corno de- denotar na Paliaei r a
de Gafanhunl, e voltanao, o procuraor do -pre-
tenso oftensor, requereu exame de sanidade pela
segunda vez,-considerando os peritos, como da
vez pjKneira-o Hvd. offeuddo sSo e salvo.
a queixa auto-
ivo preeesso,
o Vieira de Cas-
, jrtuguex, e con
araMefiz e indi tosa
At agora nafoi apres
ridade competente, e
quanto A exames, ser
tro, maflegrado parlaa ..
demnado por ter assassinai
esposa I
Para se lser vesperas solemnes e mise can-
tada em honra da Excelsa Mai de Deus, que ha.
mais de 30 annos se venera na capclla de Canho-
tinho, foi de nrister o povo daquella fregnezia.
capitanea*) pelos negociantes Luir Ribero-
Gaerra, Vicente Cavbante e Hairique Jos dea
Santos, o qual se encarregou de armar a matriz,
obrigar o Rvd. padre Assis a fuuccionar uestes
actos, porque consultado o orculo do espiritis-
mo, a resposta foi negativa,afirmando; que a
prensa* wda do Rvd. vtgarie corria. perigo no
meio do festejos..... Outros, porm, uizem,
que essa negaco do vigario tinha origem no es-
pancameoto que soffreu.
Entendenos que os deveres de qualquer sa-
cerdote e especialmente de um parodio, para
com a igreja, nao devem ser immiscuidos coa
quesunculas particulares, por que a religio
que professamos, pura e santa como nSo aere
estar de envolta com estas miserias humanas,
que vulgarmente se d o nome de odios e inal-
querencas.
Contina a comarca accphala, sem juiz de di-
reito e sem promotor publico, os quaes foram
gozar das festas e dos folgares desta capital; e
este termo nem se quer tem adjunto de promo-
tor publico, porque o cidado Manoel de Medeb-
ros lavares, o qual oceupava com honradez esse
cargo, pedio e obteve sua exoneracSo desde o
mez de Ootubro do auno paseado I
O fazendeiros, cujos gados nao podem ser
guardados em gavetas, se achaui preparados para
impedir o furto com as armas na mao, principal-
mente rendo que, os que tm obrigacd restri-
cta de defender e proteger a propriedade do ci'
dado, sao os primeiroa a laucar mo da mesnia
contra as suas vontades.
Con jluindo esta, que j vai longa, clamem Vv.
Ss. peranle o Exm. Sr. r. inspector da instruc-
CSo publica para mandar fomecer movpfB para
todas as aulas publicas do municipio, orna taha
por dentis seasivel et una vergpuai ver
como se administra a instruecSo publica no mu*
ncipio.
IHTERIOR
Reunio-se em S. Petersburgo, sob a presiden-
cia do czar, um conseltio de governo para resol-
ver sobre as reformas apresentadas pelo conde
de Tolstoi, ministro do interior. O consejho,
por indicaco do imperador, rejeitou os projec-
tos por seremem extremo reacionarios e auto-
ritarios.
Resulta do processo instaurado que o desastre
ltimamente succedido na Russia ao comboio
imperial nSo foi casual, e tere por origem urna
conspiraco nihilista, destinada a produzir a
morte do czar e da sui familia.
Trabalha-se, com pribabilidades de bom xi-
to, para a reconsiacsc do czar com o ex-princi-
pe da Bulgaria. Alexandre de Battemberg.
A recontillacilo pode produzir resultados po-
sitivos de transformacilo as cousas do Oriente.
A marinba rnssa dide-se cm duas grandes
frotas : a do Bltico e a do Mar Negro.
A primeira comp6e-3e de oiio couracados, do-
ze cruzeiros, 15 corvetas de recente construeco,
da? quaes a ultima a Rinda, urna verdadeira
obra-prima em ac, de 2:950 toneladas; cento e
doze torpedeiros de varias classee, e quatro ba-
teras couracadas. Esta esquadra aeompanha-
da por urna flotilha de canhoneiras e avisos,
sem contar um eerto numero de velhos barcos.
E esta frota pode dividir-se em tres esquadras
e foi assim dividida que eUfc^j por diversas ve-
zcs manobrou no Balt.co.
Aetualmente apoia-se sobre os portas de Hel-
singfors, Reval, Swealrorgj Dunamund e Crons-
tadt, protegendo este ultimo muito vantajosa-
mente a S. Petersbnrg).
A frota do Mar Negro tem tres magnihcos cou-
racados de 10:150 toneladas cada um ; duas ba-
teras couracadas, mais de trinta torpedeiros de
diversas classes, urna fotha voluntaria, creada
em 1877, e doze cruzeiros, dos quaes alguns ser-
van de transportes jntre Odessa e Wladinos-
tock.
Sebastopol fez importantes trabalhos e Odessa
e Nicolajene sao o centro de grandes oficinas
de construccoes nava* e de guerra.
A Russia tende cadn vez mais a fazer construir
em armazens nacionaes ou seus dependentes
todos os artigos de mirinha de guejra.j
Asstrme proporcOes consideraveis a idea de
fundar o reino da Palestina, destinando-o aos
israelistas dispersos peios diversos pontos do
mundo:
Para tal fim trabalbam diaersas associacoes na
Russia, na Allemanba e na Roumania.
Ernesto Renn, consultado por um jornal fran-
cs, considera tal projecto urna chimera. Dado
que os judeus, que tem assimilado costomes dos
diversos paizes onde residem, chegassem a ad-
mittir a idea da unidade e da formagaci da patria,
iiavia a combater dous elementos poderosos; a
Turqua e os catholiCDS.
Ser preciso um ferie exercito. Nio se ve n-
tidamente o paiz a quem os thesouros da raca
semita poderiara comprado.
BlaatriM
Ascorrespondenciis deSophia annunciam que
se est operando al movimento notaye de con-
centracao de todos os partidos em volta do thro-
no do principe Fernando.
Os conservadores que at agora haviam forma-
mado constantemente o ncleo russofilo, decla-
raran! solemnemente que apoiarSo o governo em
todas as grandes qiestoes nacionaes. .
Os emigrados bogaros que estavam reiugia-
dos no meio dia da Russia e da Roumania estao
Correspondencia do Diario de
Pernaoabaeo
VILLA DE S. BENTO13 de Janeiro
de 1889
Vamos atravessando urna estac&o mais que
calmosa.
As aguas desapparecem com rapidez excessi-
va e a mortandade do gado vaceum j principiou,
e se nao chover copiosamente at o fim do cer-
rente mez, estaremos perdidos, e soffreremos o
duplo do que soffremos em 187778.
Os viveras subiram de preco, e j principia a
immigracao para as mattas, e a pobreza j vai
sentindo os horrores da fome.
NSo temos aguas vivas, e seryindo-nos de
acudes, a agua destes, contendo muitas materias
vegetaes em putrefaejao, revolvida pelof por-
ros, cuja criaco espantosa neste municipio,
vai produzinilo pleunses e febres malignas.
Todavafestejou-se o martyr S. Sebasfio com
vesperas solemnes e missa cantada, nos dias 7
e 8 do correute mez, queimando-se grande quan-
tidade de fosos do ar o de vista e subindo aos
ares alguns baldes.
Prognosticam-se grandes catastrophes em um
futuro n5o mui remoto, porque esta villa, mono-
tona como sempre foi, jamis presenciou tantos
e to variados divertimentos, como presentemen-
te; e ainda mais, est definitivamente assentada
a restauraco do Club Lilterario, para o dia 3 de
Fevereiro, e a inauguracao definitiva do bippo-
dromo da Bella-Vista para o da 13 do mesmo
mez. Ha de ser urna resta esplendida a inaugu-
racSo do hippodromo, cuja descripeo exacta
farei opportunamente.
A noite de hontem foi urna agradavel sorpre-
za para os San Dentistas.
A companhia dramtica dirigida pelo artista
Affonso de Oliveira, fez a sua estra, represen-
tando a opereta La Mascolte, a scena comica.A
cera do Santmimo e a linda comedia Sinos de Cor-
nevtlle.
Foi a vez primeira que se ouvio nesta villa a
msica do tbeatro lyrico e as tres produeces
cima refendas foram bem executadas; e nao
ser falta sensivel de urna orchestra adequada,
os espectadores se julgarian transportados nes-
se noite, ao jiosso Santa Isabel, to bem desem-
penharam os seus papis os artistas da compa-
nhia que nos proprcionou urna noite to diver-
tida. .
Nao se limitou somente ao3 festejos do pa-
droeiro e do martyr S. Sebastio a energa e.
bonhomia do nosso digno parocho J. Jos do Es-
pirito-Santo.
Incansavel era promover o embellesamento da
matriz, que to dignamente administra, vai con-
cluir, pde-s i dizerque quasi a sua custaa
torre do lado occidental, j estando em bom an-
damento a guarnicao da cpula da mesma, dan-
do rauita graca a nscripcoBom Jess dos Af
flictosem lettras garrafaes, que mandou fazer
na mesma cpula da torre, a qual depois de
promp'a ser urna das raelhora3 da provincia,
depois da capital.
Contrario a todo este proceder, vai eumprin-
do o seu mandato o vigario de Canhotinho, pa-
dre bacharel Bezcrra de Menezes, cuja questao
de espancament ainda nao se apagou, e vai mi-
nando a paciencia dos canhotenses, como esses
fogos que costnraam apparecer em terrenos
onde existe o carvo mineral os quaes abrasados
no interior: parecem extinctos na superficie I
Ajusfando por 50*000 a missa do da de Reis
Sara ser celebrada na povoaco do Po-ferro
aquella freguezia. foi obrigado pelo espiritismo,
a cujas leis obedece bigodear os po-ferren-
ses, os quaes despeitados, aggrediram o Rvd.
bacharel com palavras e epithetos injuriosos,
forcando o vigario a caminhar de Canbotinho
para Po-ferro, depois de haver o mesmo cele-
brado a missa na sede da matriz, quasi que tor-
eado pelo povo.
REVISTA DIARIA
-Por actos de 2
Avton 1 preaiatenef;
do correte mez :
Foi aberto um crdito as seguintes verbas do
menta do Ministeno da Guerra
3.* InstruecSo militar
1!.* Hospitaes e enfermaras
M Corpos eepeciaes
14" l^-flompanhias militares
1121500
250*000
3:240*361
10:393*907
ttOHM
Foi nomeada urna comraissao composta dos
engenheiros Manoel Martins Fiuza, Joaquim Gre-
gorio Tliaumaturgo de Azevedo e Antonio do Re-
g Netta, para dar parecer sobre a planta de
um engenho central, corrtractado por Gaspar de
Menezes Drnmmond, na municipio de Seri-
nhem.
Foi nomeada urna commissio composta da
BarSo de SerinhSem, bacharel Antonio Venancio
Cavalcaute de Albuquerque e o coronel Fruc-
tuoso Dias da Sirva, para dar parecer sobre o
contracto do mesmo engenho.
Foi dispensado o tenente-coronel Francisca
Faustino de BritOj de membro da commissao in-
cumbida da acquisicao do terreno para o pas-
seio publico.
Foi permittido a Gaspar de Menezes Drnm-
mond, centractante de um engenho central em
Serinbem, terminar o mesmo engenho em Se-
tembro do correte anno, sem que por isso fi-
que sujeito a qualquer multa.
Foram concedidos 2 mezes de liceoca ao 5*
J'uiz substituto do Recito bacharel Lmdolplio
lisbello Correia de Araujo.
Foi nomeado Heraclio Gitirana, para provi-
soriamente exercer o cargo de fle de almoxan
fe do presidio de Fernando em substituieSo da
Manoel Francisco dos Santas, que pedio exene-
recta.
Foi removida a professora Amelia Rosa do
Brazil da cadeira de Flores para a cadena mixta
de Camosskn em Bezerros.
Por acto de 3 do corrente, foi dispensado a
padido Leopeldo Besaoni de Oliveira Andrade,
do cargo de oficial de gabinete.
MeIb>raaieBitoa paualle**Cousta-nos
que se acha definitivamente ajustado um accordo
entre a administraco e os possuidores dos ter-
renos de marinha, sitos ao largo do Hospicio,
quanto ao valor da desapropnacao, ordenada
pelo governo imperial, para ser alli contrado o
novo edificio para a Faculdade de Direita.
Resta smente lavrar-se as esenpturas e em
breve ter comeco a construeco projectada.
Tambem nos consta que S. Exc, o Dr. presi-
dente da provincia, trata de. mandar abrir com-
municaco entre aa ras do Imperador e a de
Pedro Alfonso, fazendo demolir parte dos edifi-
cios onde se acham a Faculdade de Direita, a
Thesouraria de Kazenda e o Arsenal de Guerra.
Para esse fim j a rcpartico de Obras Publi-
cas recebeujordem para organisar a planta e res-
pectivo orcamento.
Prestar o honrado Sr. presidente da provin-
cia um relevante servico a esta cidade, se con-
seguir realisar to importantes melhoramentos.
A SeaamamSe em geral sao dignas de
apreco as consideratoes que o Jornal do Com-
mercio da corte costuma externar nos seus arti-
gos edictoriaes, sempre dictados por elevado cri-
terio e patriticos intuitos, em especial merecem
attenco as chronicas que esse jornal publica sob
o tituloA Semana.
Da chronica que sob tal rubriea pnbfieou elle
7 do correte, riamos serio lidos com nteres
se os seguintes trechos, era que sao apreciados
os acontecimentos dos fins do anno passado,
originados de urna infeliz conferencia republi-
cana, e a modincacao mnristerial aperada no
inicio do corrente anno.
Eis esses trechos:
< Comegou a semana quando caba na noite do
passado o anno dei888. Os ltimos das dessean-
no foram tristes para a populaos desta capital,
que, envergonbada. vio as suas ras principaes
grupos tumultuosos vagando infrenes,e conflictos
sanguinolentos a custo reprimidos pelos agen-
tes de seguranca publica.
Preferimos nSo demorar a vista sobre estes
lastimosos acoBtecimentoa, deixando-os na som-
bra em que cahiram. Nao cumprinmoB, porm,
nosso dever, se ainda urna vez nao tentassemos
prevenir os homens-bem intencionados contra a
deploravel confusSo qoe se procura manter en-
tre o direito sagrado da liberdede de pensamento
de palavra, e o abuso desse direito.
Est to profundamente enraizado no car-
cter brazileiro o sentimento da independencia
que fcilmente nos deixamos arrestar pelas sug-
gestes de falsos sacerdotes da liberdade, ora
movidos por torpes ioteresses, ora incitados por
despeitos e odios violentos. NSo ha nacSo no
mundo cinlisado em que, mais livrcmente de que
no Brazil, se manifest o pensamento, quer na nn-
prensa, quer nos comicios populares. Esta ver-
dade evidente, est na consciencia de todos os
nossos concidadSos ; mas infelizmente, muitas
vezes abafada pelas queixas mantidas dos inte-
resses au das paixoes, que no altar da liberdade
poem a figura descomposta da licenca e para es-
ta reclaraam culto e sacrificios.
Vemos tambem a indisciplina e o desrespei-
to crescendo sempre, affrouxando os lacos so
ciaes; a autoridade vacillante e a desidia dos ci-
dados comprazendo-se na galhofa estril e ol-
vidando seus interesses e seus direitos.
E' iniispensavel promover a reaceSo do es-
pirito publico, pela seriedade e elevaco da lin-
guagem empregada por aquelles que se dirigem
ao poro com o Fouvavel intuito de doutnual-o ou
convence!o. Na ausencia do parlamento, espe-
cialmente, podem prestar bons servicos causa
publica a unprensa e as reunies populares, es-
tudaudo. explicando os actos da administraco,
mas se a discuaso e a analyse devera ser fran-
cas e livres, a deliberacJo nao pode partir da
praca publica, porque o povo dolegou este poder
aos seus representantes constitticionaes. A li-
berdade do pensamento um direito cujo exer-
cicio a autoridade tem a obrigacio de garantir
na maior plcnitude, mas a lei, que a razSo e a
vontade nacional, deve ser venerada e autori-
dade cumpre do mesmo modo e com a mesma
energa mantel-a respeitada e venerada como a
demonstrar a falsidade da doutrina
Mas a nacao brazileira qniz a-quer as insti-
UucOes vigentes que Ihe tem dada por tranquilli-
dade e progresso ; nao ha urna razao, um motiva,
um pretexto sequer que possa ser aceito pelo ani-
mo calmo, esclarecido e justa como argumento
contra a bondade, a conveniencia e adaplaco
nossa ndole a. s nossas uecesdades das uisti
tuiges sabias que possuimos. O chefe do Es-
tado, quem quer que elle seja, nunca pode fazer
mal, por todos os seus actos tem respousave
rea saata que mi profana nao poda, tocar sni
perigo. de sar fulminada.
Falle-tranquillo e livre o propagandista de
doutritas- falsas ou errneas, nraa pcoeure infhnr
dir a eonviccSb smente no espirito daqoetle
que quizerem oovil-o, e nao pretenda em nome
da liberdade coarctar a que tenho de n3o Iba dar
attenco; falle tranquillo e livre ; a luz da ven
dade espaacar faciimeate as trevas embora ha- ,
bilmente accumuladas, e a eloquencia dos factos S na^l^.ao doniQ) w,do c*!reBer *-
loutriDa. SiS^-S^ Caxang em. wagn espeml no
prescrifflasimarcadas na indkacpD! que em um
impresso fazem o? fabricantes.
mloRBmMOB.0 ir. Jte Ramos que ras tojas
des Sre. Pedro Antunea e Iiaarte &.G. luLpara
.vender esse creme-
Agradecemos o mimo.
IPmmmvSm- maia>frsil A soraedade ranstal
Tren de Maio (Capungaenae) d* o seu'primeiro
trem de 3.10 e voltando d'alfi no trem de 7V35,
at o Entroncamento, onde se. aperar* para se-
guir para sua sedao Largo da Graca.
Servico militar -Esto designados, baje
para superior do dia o Sr. capit&a Jorge Moreira
epara ronda menor o Sr. alferes loo Po da
Fonseca.
A guarnicao da cidade dada boje: petoft >
batalho do infantaria com o uniforme ik. 5.
A guarda da Thesouraria commaadaa
hoje pelo Sr. tenente Justino Lepes Cardan.
Em tratameuto na enfermaria exstem 46
perantc a nacatr.
"JLto grandeza dessaresjxmaabiJidadeque praca do corpos da guaraifiSoc
ptanva a elev'a5ao d0 ca^ de nuai8tro d<( Funccionrao di21 doT corrente o eonsetto
I de guerra a que responde o acidado do 14. ba-
talho de infantaria JoSo Mathias Nogneira do
IVessa posico elevada, os inirrisfroj devem
estar sempre cercados de prestigio, de respeito
^ de autoridade. Por isto nunca pode deixar de
inspirar interesse ao povo a substituirlo ou iuo
diticacao de um ministerio.
Reatisou-se aa semana linda a rccomposicSo
ministerial, que bavia alguna dias se annunci-
ra. netiraram-se os Srs. Costa Pereira do mi-
nisterio do imperio, Vieira da Silva do da mari-
nha ; passou para o ministerio do imperio o Sr.
conselheiro Ferreira Vianna, que diriga o ne-
gocios da Justica e foram nomeados ministros
os Srs. deputado* Rosa e Silva para a jusilla e
Bario de Guaby para a marinha.
Razoes poderosas dterminaram certamente
esta recomposicSo ; emquanto ellas nao se tr-"
nam publicas, licita suppor qne o 8r.' ex-mi-
nistro da marinha, espirita elevado e culto, de-
dicado ao estado e moditaco, verificou em si
pouca disposicao para a vida activa e pratica e
o labor incessante da administracSo.
Quanto ao Sr ex ministro do imperio, que
j fon ministro e activiasimo. pode-se presumir
que divergi da. maioria dos sena collegas na
modo de considerar algumas questees importan-
tes.
A-variada illustracio do actual ministro do
imperio o hbilitam para chefe de qualquer das
repanioSes do ministerio e pois a sua transferen-
cia explica-se tal vez pela maior aptidio do novo
ministro da justica para o exercieio desse cargo
deque daqdile que vagara pefa retirada do w.
conselheiro Costa Pereira.
Os Srs. Rosa e Silva e Baro de Guau y rev-
laram no carpo legislativo estudos e habilltaeoes
e entram para o ministerio rodeados de sympa-
thias.
i Medico oculista Chegou ante-hontem
a esta cidade o Sr. Dr. J. Correia de Bitlen-
co urt, medico oculista, que anda em excursa
pelo norte do imperio.
O Sr. Dr. Bittencourt tem o seuescriptoria
na Corte e couta demorar*se nesta erovinaa de
6 a 8 mezes.
Cumprimentando-o, agradecemos-lhe a visita
que nos fez.
rerimeartoMAo Dr. chefe de polica com-
municou o delegado de Palmares que em 13 do
corrente, em trras do engenho Monte-Caseros.
Jacintho Gomes da Silva ferio gravemente com
urna facada a seu proprio irmao Florencio Go-
mes da Silva, conseguindo evadirse apos o
crime.
Diligenciara a autoridade a captura do delin-
quen te.
Snbdeiegado de Manto Antonio
Ante-Bontem prestou juramento e assumio o
exercicio do cargo de subdelegado da freguezia
de Santo Antonio o alferes Antonia Luiz de Serra
Cavalcaute
fianlnete Purtacuex de E.eitara E"
amanh, s 11 horas do dia, que devem ren-
nir-se em assembla geral os socios do Gabinete
Portuguez de Lei tura para a duplo fim de tama-
rem conhecimento do relalorio da administracSo
finda, e degerem a nova directora.
ConpaaUla Peraambncaaa aNa-
v < arara oA' 23 do corrente ao meio da, reu-
nir-se-fiao em assembla geral os accionistas da
r.nmpah'a Pernambucana de Navegacao Cos-
llna
i Vai
teira' Vapor, para tratarem do augmento enne-
lhora do material da mesma companhia.
Elefteatd -Amanh, pelas 11 horas do dia,
se rennif em assembla gerat, a Derofao de
Nossa Senhora da Conceico em Ipotrnga da
Estrada Nova de Caxang, para eieger a mesa que
no anuo compromissal de 1889 a 1M0 tern de
administral-a.
viaro terrea do IanporioLemos no
Jornal do Comtnercio, da corte :
NSo possuimos al agora de fonte official ou-
tra estatislica da viaco frrea do imperio alm.
d'aqnclla que se refere data de 31 de Dezem-
bro de 1887. Os dados geraes d'esta ultima esta-
tistica official patentearam acbar-se ento consti-
tuida do modo seguinte a nossa rede da viaco
frrea :
kilmetros
Emtrafego...................... 8 486
Em construeco.......... 1397
Com estudos approvados..... 3.57
Total............ 13 480
oumais 817 kilmetros em trafego alm d'a-
quellesque havia registrado a estatistica refe-
rente a 1889.
< Os 13.480 kilmetros, cima indicado, sub-
dividiam do modo seguinte:
o 09 e
- 2 1 v s
e M l o 3
Rede do Estado 2.013
com garanta de juro
do governo geral..... 2
583
a provincial. 95
comearan-tias de ju-
ros ou sub-
venco ki-
lomtrica. .
dos gover-"
nos prorin-
ciaea.....'1.532
> sem garanta de juro

ou subven-
cokilome-

urbana e
suburbana. H
2.364 4.6*4
191
Si
150
2.7V7
245
486
767 2.805
462" 298 2.917
8
92
Totaes.. 8.48 1.397 3597^ 13.480
E' impossivel determinar com seguranca
qual foi, em 1888, o desenvolvimento da rede da
viago frrea, mas ao andaremos muito a/astados
da verdade, estimando que a totalidade da rede
em trafego orear agora por 9,200 kilmetros.
i mprenaaRecebemos e agradecemos o
n. 213 do Le Brtil, jornal que se publica em:
Paris.
Faculdade de BireitoRene-se hoje a
congregaco dos lentes para encerramento dos
trabalhos acadmicos do.-anno fiado, que pro-
longaram-se at o corrente mez.
Hoje ter lugar o julgamento dos candida-
tos ao concursa para provimento da cadeira de
philosophia do curso preparatorio.
As provas terminarara nontem pela arguico
reciproca dos candidatos, tendo o Dr. Laurindo
R. Carneiro Leo argido ao Dr. Virginio M.
Carneiro Leo, este ao Dr. Olintho Vctor, que
por sua vez*arguio ao Dr. Clovis Bevilaqua e
este ao primeiro.
Xonwel-Assim se denomina um delicado
creme para os dentes, que nos enviou o Sr.JoSp
Rajno3, representante n esta cidade dos fabri-
cantes d'esse producto cm New-York, os Srs.
Johnson & Johnson. ,
Este novo preparado excedente para hrapar
e conservar os dentes e nio contera acido, nem
outras sHbstancias nocivas, ordinariamente em-
preadas em quasi todos os dentrifieios.
E* a nica past, que sempre se conserva
branda, urna vez que para nsal-a se tenha a cui-
dado de servtr-se da esptula de motel, que
acompanha cada frasquinho, e observando-se as \'iw
Horas
g" 2
zl-
m6
Barmetro a
0-
Ten3ao
do vapor
t
6m. 2S-6 759-83 19,04 76
9 26-5 760-68 18,57' 71
12 26"-0 760-59 20,79; 82
3 t. 27"-9 759-61 28,21 71
6 26"- 9__ 759^63 19,38 ^3
Temperatura mxima28,50.
Dita niinima--28o,00.
Evaporaco em 24 horasao sol: 6,3; som-
bra : 3-,2.
Chuva2,-0.
Direcco do vento : SE de mea noite s 4 ho-
ras e 30 minutos da manh; SSE at 7 hora e
45 minutas ; SE at mea noite.
Veloeidaae media da renta: 1*90 por se-
gundo.
Nebulosidade media: 0,71
___________Boletira do porto
Si

Da
.18
de Janeiro
de Janeiro
Horas
Altura
40*43 da manh
- 4 da-tarde
1128
336-da manh
Nasamento, sob a presidencia do Sr. major Luiz
Antonio Ferraz.
Verificaram praca no dia.17 do cortente)2
paisanos, que foram incluidos como voluntarios
no 2. batalho de infantaria.
A junte militar de sads em inspecco que
procedeu no msico do 14." batalho de infanta-
ria Balduino Correia do Naseimeato..foi de pa-
recer achar-se elle soffrendo de broncbUe chn}-
nica, e por isso julgado incapaz do servico do
exercito.
' Nos requerimentos dos soldados do/2.9 e
14* batalhoes de infantaria.Aristides Bandearae
Antonio Florentino Leite, pedindo a primeiro, .o
uso do distinctivo de soldado particular, e o se-
gundo o de cadete de 2. claese, dett-S. Em.-a
despachos seguintes : ao primeira concedo par3
mezes, e aa segando.prave com documeuto o di-
reito de ser reconhecido.
0 Exm. Sr. presidente da provincia, em
vista da informacSo de S. Ese. aSr. geneal
commandante das armas, concedeu ao 2.* cadete
2. sargento do 1. batalho de infantaria addido
ao 14.* da mesma arma Frederico Rubim, 2 me-
zes de licenca em prorogacSo a que se achara
n'esfa provincia para tratamento d sua saide.
Eanela Remetteram-nos hontem 3J080
para dividir com canco viuvas pobres.
Assim os dividimos:
A Hermelinda Sette, ra do Vsconde
de Albuquerque fiOQO
A Joanna Pires, ra de Santa Rila
n. 13 W000
A Alexandrina Maria da Conceico,
ra das Trincheiras n. 48 i 1000
A Jronyaia Maria do Espirito Santo-,
roa Duque de Caxias >#080
A Silveria Rufina de Jess, ra da De-
tenco n. 11 1000
Directora da obras de conserva
cao do* rPorto* de PernanaimeeReci-
Ce, 17 de Janeiro de 1880.
________Bolerim meteorolgico__________

-A





LeUie-Effectuar-se-h o seguinte :
Hoje: -
Pefo agente GusmSo, s 11 horas, ra Mai-
ques de Onna o. 48, de madapoto, chites e
muitas outras fazendas.
Mlasaa tanebreoSero celebradas:
Hoje:
A's 7 1/2 horas, no. coavento de S. Francisco,
pela alma de D. rsula Senhorinha Pessoa Mon-
eiro ; s 7 horas, no convento da Gloria, pela
alma de.A.itonio Jos Lopes Sette ; s 8 horas,
na matriz de Santo Antonio, pela alma de JoSo
Cnrysostomo de Albuquerque Filbo.
Segunda-feira:
A's 8 horas, na matriz do Corpo Sanio, pela
afina de D. Tbereza Emilia de Souza Leal.
Operacoesj c irur gicas Foram pratica -
das no hospital Pedro H, no dia 18 do corrente,
as seguintes:
Pelo Dr. Malaquias :
Oscheotomia do escroto e penis reclamada por
elephantiasis do escroto e penis complicada de
fstula.
Hidrocele pela pungi e injeceo iodada.
Casa de DetencoMovimento dos pre-
sos da Casa de Detenco de da 17 de Janeiro
d 1889.
Existiam 444 ; entrama 13 ; sahiram 6; exis-
ten 401.
Nacionaes 409 ; mumeres 20; estrangeira. 22.
Total 451.
Arracoadae 9M.
Bons 356.
Loucas 3.
Doaatee i.Total 384.
Movimento da enfermaria.
Teve alta:
Girilhernu; de tal.
Tiveram baixa:
Antonio Damio Clemente,
Libanio J. Schom.
Foram hontem visitados os presos deste esta-
belecmento por 176 pessoas. sendo: homens,
55- e mulheres 118.
Howpitai Pedro n O movimento deste
estabelecnento da daridade, na dia 15 do cor-
rente, foi o seguinte.;
Eutraram 20
Sahiram 5
Falleceram 1
Existem 565
Foram visitadas as respectivas enfermaras
pelos Drs.:
Moscoso s 8 Ii4, Cysneiro s 10, BarrosSobri-
nho s 7 1|2. Malaquias s 9 i (2, Pontual 9
1(4, Estevo Cavalcante s 10; Simoes Barbosa
s 8 1)2 horas.
0 Dr. Berardo nojconipareeeu.
O cirurgio dentista Nnma Pompilio s 8 1|2
horas.
O pbarmaceutico entrou s 81|2 da manh e
saino s 4 da tarde.
0 ajndante dopharmaceuco entrou s 7 i|4
da manh e sabio s 11 lf2 horas da tarde.
Lotera do tiram-Par-A 4a parte da
25 lotera, dessa provincia, cujo premio grande
60:000*000, ser extrahida, sabbado, "
corrente. -'.
Cenaiterlo PublicoObituario do da 1/
de Janoirp de 1889 :
Gabriel Jos Portella Bastos, Portugal, 06 an-
nos, casado, S. Jos; asthma mucosa.
Guilherraina Amalia Bizerra, Pernambuco;
annos, casada, S. Jos; Jesao do coraco.
Vicencia enta do Espirita Santo, Perna
co 30 annos, casada, Boa-Vista; tuhercuJajse.
Francelina Maria do Sacramento, Pcrnambu
40 annos, casada, Boa-Vista; tuberculosa
Candida Maria do Nascimento, Pernam
40 annos, solteira, coa-Vista; tubercutose.
Arma Maria do Rosario, Pernambuco,. 43 aa
solteira, S. Jos; enterite.
ma enanca do sexo masculino, Per
2 das, Boa-Vista; ttano dos receuraasc
Jorge Clemente de Borba Cavalcante,
buco, 70 annos, casado, Varzea; tysica da la-
-


~ -
1 wfum i


4
Diario de Pernambueo-Sabbado 19 de Janeiro de 1989

i
III POICO DE TUBO
Fundada em 1885 a prophyllaxia da
raiva, fo a 6 de Jnlho de 1886 que Pav
teurf aps numerosas experiencias sobre
animaes, teve a coragem scientifica de,
pela primeira vea, inocular o virus rabioo
em organismo humano. Esta audaciosa
applicacSo foi feita a Joseph Mcister, moco
de 15 annos, que havia sido cruelmente
mordido por um cao enraivado. Joseph
Meister foi salvo.
At o fim de Junho ultimo foram trata-
dos pelo Instituto Pasteur, de Pars, 5,384
pessoas mordidas por animaos hydropho-
bos ou suBpeitos de hydfophobia.
A porcentagem da mortadade dos ino-
eulados (comprehendedo os que succubi-
ram no dia immediato ao do comeco do
tratamento) foi de 1,34 em 1886, de 1,12
em 1887 e de 0,77 em 1888.
Deduznido das taboas da mortadade
(segundo Grrancher) as pessoas que suc-
cumbiram raiva nos quinze dia immedia-
tos ao do tratamento, porque a vaccinacSo,
para ser efficaz, deve achar-se acabada
antes que a incnbacao do virus do co te-
nha comecado nos centros nervosos, a taxa
da mesma motalidade descera a 0,93,
0,67 e 0,55.
Alm do de Paris contam-se hoje 18
institutos anti-rabicos pelo systema Pas-
teur, a saber : sete na Rsssia ; cinc na
Italia, um em Vienna, um em Barcelona,
um em Bucharest, um em Havana, um
no Rio de Janeiro c outro em Buenos-Ay-
res. Acham-se alm disto em organisacao
um em Chicago e outro em Malta. Excep-
tuados dous directores destes estabeleci-
mentos, todos os outros praticaram no la-
boratorio de Pasteur.
A subscripcao para o Instituto Pasteur
elevou-se a 2.686,680 francos, tendo sido
1.563,786 a totalidad^ do custo do edifi-
cio que acaba de ser inaugurado em Paris.
Os restantes 1.622,794 francos constituirlo
dotacao do estabelecimento.
Aos professores Grancher c'Duclaux, e
ao Dr. Chantemerre, auxiliares de Pas-
teur, foram concedidos, aos dous primeiros
grao de official e ao ltimo o de cava-
lheiro da LegiSo de Honra,
Na iianh de 25 de Novembro o papa
promulgou dous decretos proclamando san-
tos os veneraveis Gabriel Parboyre, sa-
cerdote da congregacSo da missao de S.
Vicente de Paula, apostlo da China, e
Pedro Lu* Mara Chanol, da congrega-
flo des Maristas, apostlo da Oceania.
Plata, a comps hia vai ooBstruir-oufros do
niesmo typo. Qtando os tres vapores ci-
ma mencionados entrarem em ervico na
carreira do Brasil e do Plata, o Congo, o
Niger, o Equateur]e o Orenoqne passarlo
para a carreira Quemo conta e diz urna folha norte
americana :
Miss Bellewol, esposa do riquissimo
banbueiro, batec-se ha dias em duello com
Miss Rawell, esposa igualmente do ban-
queiro muito aci-editado da nosaa praca
(Neir-York.) As condic5es do combate
eram na verdad"' curiosissimas. NSo foi
necessario nem Sorete, nem sabr, nem
pistola.
< As combaientes sahiram de manh
Para o anuo de 1889 a companhia de
Messageries Maritimes ter quatro parti-
das por mez de Brdeos para o Brasil e o
Rio da Prata; a 5 e 20 para o Brasil e o
Prata, como at aqni, e a 10 e 28 um
cargo-boat para o Rio da Prata.
O magnifico paquete Le Brsil nao co-
mecar a carreira senao em Maio. Tem
acromniodacoos para 127 passageiros de
1* classe r, 110 de 2* claase-e 717 de
3* proa, ao todo 954 passageiros. Este
novo paquete de 5,685 toneladas com
machinas de 5,100 ca val los e velocidad e
de 16 milhas.
Alm dos paquetes Portugal, Brsd e
COMERCIO
Revista do Mercado
Rectke, 18 de Jaheibo de 1889.
0 mercado ds'cainbio manteve-se na mesma
posico de hontem, sendo pequeo o movimento.
a Bolsa foram negociadas 74 iellras hypo-
Ihecarias com o descont de 4 1,2"'..
Bolsa
COTAyOES OFF1CIAE8 DA JL'MTA DOE COR-
RECTOBES .
Recife, 18 ds Janeiro de J889
Letras hypothecarias com juros, a 95A500 cada
urna.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 27 1/2 d. por
14, do banco, hontem e hoje.
sos, sem testem jnhas e foram bater-se ao
socco n'um jartLm afastado do centro da
cidade. Como a arma nao fosse bastante
resistente, pois ao fim de alguns pastes as
inSos das duas (adversarias j estavam fe-
ridas, terminaram o duello a dentada, es-
tipulando-se que, aquella que conseguisse
arrancar o nariz outra, hcaria vencedo-
ra, mas pagara vencida a somma de
vinte contos de ris por indemnisacSo.
Era um senhor nariz

O Imparcial, de Madrid, publica o se-
Eiinte telegramiaa que Ihe foi enviado de
ondres pelo sea correspondente :
f Londres, 26, s 8 horas da manhS.
As margens do Mississipi foram hontem
theatro de unu das catastropb.es mais
horriveis que reristra a historia da nave-
gacao.
O vapor John Anua dirigia-se carrega-
do de algodao e com cerca "de 100 passa-
geiros Nova Orleans, quando, inflam-
mando-se a carga, pegou o fogo rpida-
mente e todo o navio.
O piloto nao perdendo o sangue fri,
apezar da rapidez com que o incendio re
bentou de todos os lados, dirigi a proa
do barco para um banco de areia que fica-
va prximo, afim de que o vapor enea
lhasse e podes; em salvar-se as pessoas
que iam a bordo.
Mas a machino estava j envolvida em
chammas e nao cedia aos esforcoa e dire-
ccao que o piloto queria irapnmir-lhe, e o
navio, em vez de ir varar na areia, ape-
nas recuou e comecou a fluctuar rio abai-
xo, merc da corrente.
Os marinheiros precipitaram-se sobre as
lanchas para as lancar agua. Todas
ellas estavam, porm, quasi consumidas
pelo- fbgo.
Foram espantosas, verdadeiramente hor-
riveis, as scenas que se passaram a bordo.
Muitos passageiros, asphixiados pelo fu-
mo e pelo calor, caiam sobre o soatho do
tombadilho, ond>5 em poneos minutos fica-
vam carbonisados.
Outros, enlouquecidos pelas dores das
queimaduras, at ravam-se, agua e afo-
gavam-se, porque o rio tcm,naquellc ponto
algumas leguas de largura.
Houve ulgumas pessoas, quasi todas da
tripolacao do John Anua, que consegui-
rn! nadar de urna das margena.
Entre essas eotavam o capit&o e o pilo-
to. Mas as scenas que tinha presenciado,
os perigos de que acabavam de escapar,
fizeram-lhes urna mpressao tao profunda
que os doas comecaram a delirar e d'ahi
a poucas horas morreram ^ doidos furiosos.
Sobe a 85 o numero dos mortos. > '
* .%
Dizem de Fhijinca :
c N'um doMBtimos dias, depois de
meio-dia, urna carruagem conduzia ao ce-
miterio de San Miniato, no monte Cruz,
a condessa Izabella, e Mr. Borcherini, ca-
pitao de artilheria auxiliar.
A condesBa Izabella viuva de um fal-
lecido negociante Costa.
Pediram ao guarda do cemiterio a chave
do jazigo da familia Costa, e para all se
dirigiram.
Momentos depois, o guarda ouvio .duas
dotonaedes de revolver, e. correndo em
direacao ao jazigo, encontrou, primelro
estendida no chao e com o corpo crivado
de punhaladas, a condessa Izabella.
A certa distancia estava estendido o seu
companheiro. Havia disparado dous tiros
na garganta
Revistado, eneontrou-se-lhe urna carta
dirigida ao questor de Florenca, a quem
annunciava a sua morte e a resolucao de
morrer com. a viuva,
O capitao contava 50 anuos, e ultima-
mente nava signaes evidentes de aliena-
cao mental.
Consta que propozera casamento con-
dessa, mas que esta recusara formalmente.
A condessa Izabella costumava visitar
o jazigo, onde estava depositado o caixao
que encerrava o cadver de seu marida,
de 1888, 67." da independencia e do
Joaqun Jos d'Oliveira Andrade.
Dezembro
mpe
L. S.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
Seeretana da Presidencia de Pernainbuco, aos 12
de Dezembro de 1888.
0 secretario interino.
Manoel Joatum Sveira.
Louvado seja Deus
acre
todas as semanas
capitao se offereceu para
intuito de a assassinar.
di ta-
se,
que
acompanhar no
PUBLICAQOES 1 PEDIDO
Barcacas.....
Vapores .
Ananaes.....
Via-ferrea de Caruar.
Via-frrea de S. Francisco.
Via-ferrea de Limoeiro
Souima.
1.315 Saccas
1017
3.
S :
3.83
llt Saccas
Xa Bolsa
63 letras hypothecar.
9 ditas.
Venderam-se
4aaear
Os pregos pagos lo agricultor, por 15 kilos, se-
gundo a Associacao Commercial Agrcola, foram
os seguintes :
Brancos..... ilOO a H600
Someno..... 1*700 a 1*800
Os agricultores de caf c cacao, podem desde
j se utisarcm dos .favores concedidos pela lei
provincial n. 1,931, com tanto que preenenam os
quetitos da mesma lei- tendo plumado em suas
trras seis mil pea de caf ou cacao, em estado
de fructitcarem, sendo o premio para o cacao de
500*000 c para o caf 1:000*000, segundo a lei
abaixo transcripta.
Lei n. 4,951
O desembargador Joaquim Jos de Olivuira
Andrade, presidente da provincia de Pernam-
buco:
Faco saber a todos os seus babitaiites que a
Assembla Lrgislativa Provincial defRtou e eu
sanecionei a resolucao segmute :
Art. 1." Ficam em vigor os arts. 1, 3, o c 7 da
lei n. 1,459 de 9 de Juulio de 1879, com as se-
guintes alteracOes:
jl.'A quantia de 30:000*000 destinada ac-
quisicao d sementes de cacao, fumo, trigo, ende
caf, Tica elevada a 60:000*000 emquanto for ia-
dispensavel para o planto e desenvolviaiento das
referidas culturas.
| S Serao concedidos os premios de que trata
o art. 3. da dita le a cada cultor de cate ou ca-
cao que provar ter seis mil ps de caf ou de ca-
cao em estado de dar fructos.
| 3." Os pretenden les ao premio almdaprova
ex.gida pelo nico do citado art. 3. produzlro
peraule o juiz de direito depoimentos'jurados de
tres agricultores visinhos.
Art. i." Ficam revogadas as disposices (m
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem
o couheciuiento e execucao da presente resolu-
cao pertencer que a cuinuram e facam camprir
tao inteiramente como u'ella se conten.
O secretario interino da presidencia desta pro-
vincia a faca imprimir, publicar c correr
Palacio da Presidencia de Peruarabuco, 1J de
Continuando a cpigraphe cima diremos ; So o
nosso diocesano o Exm. Revm. Sr. D. Jos, nos
tem privado do pasto espiritual. Nao succedia
assim com o Sr. D. Vital e outros, que nao no-
meavam para o nosso Rio Formozo sacerdotes
3ue viessem to gmenle receber emolumentos
e baptisados, casamentes e bitos, isto a seu bel
prazr, como faz o Santo Padre Bandeira. At
Seior j fez t Deixou a matriz sera o Santissimo
acramento, durante um mez, como testemu-
nha o illustre e digno vigario de Serinhaem. que
sendo convidado para encommendar o cadver
de D. Mara do Livi-amento, a qual morreu sem
os ltimos specorros espirituaes, a falta de um
padre (tendo-os pedido); admirou-se de tao in-
toleravel abuso. Outro qualquer que venha re-
ger esta freguezia, nao proceder como o actual,
porque suppomos nao haver na diocese de Per-
nambuco outro de igual quilate; anda mesmo
procuraudo-se ao meio da com urna caidcia
acesa.
E para melbor provarmos o que narramos,
lembramos a V. Exc. Revina. que 6 iinpossivel
todos os babitantes sercm nidos, so o caridoso
eni-arregaao ser bom A vista do exposto o pa-
cilico povo rioformozensc implora a V. Exc.
Revma. se digne mandarnos um vigario promp-
lo para administrar todos os sacramentos e bem
assim que celebre o santo sacrificio da missa;
porque somos christos c rendemos bomenagem
a santa religi&o do Crucificado. Esperanio que
V. Exc. nao consentir exclamarmos com' Fene-
lon :
0 rochen escarpes c'est vous que je me plains ;
otrje n'ais que votu d qui je putsse me plaindre!
Le Peuplc.
<*r----------------g^eSM^St----------------
Empreza Minerva
Serra das Russas
Deparando na QazetUha do Jornal do
Recife, de 13 do corrente, com um com-
municado, em que sou acensado acremen-
te, sem duvida por algum desafecto poli-
tico, e detractor da vida alheia, venho do
alto da imprensa, protestar contra tal dif-
famacao, que este enibustoiro procura ati-
rar-mc, e desafio para que arranque a mas-
cara do anonymo, e apresentc-se de fronte
erguida, chamando a si a responsabilidadc,
para entao pdennos discutir; e se assim
nao o fizer, passar por vil atassalhador
da reputacao alheia.
Russinha, 10 de Janeiro de 18S.
O subdelegado,
Manoel Leite do Nascimento Barbosa.
ra-
De ordem qa directora convido pela
segunda vez os Srs. ex-socios desta em-
preza virem receber na sede da mesma
as quantia* de que sao credores; e apro-
veito a occasio para declarar que j fo-
ram indeiunisado, desde Agosto de 1887
at 17 de Janeiro do corrente anno, os se-
guintes Srs.: Genuino A. da Silva 3$,
Joaquim (Jomes P. do Espirito Santo
174500, Antonio Flix da Silva 12,5, Ma-
noel Baptista Rodrigues *>, Jos Correia
de Mello 9, JoSo Bastos dos Santos 3$,
Alexandre da Costa e Contantino Assis
24/5, Guarino de Souza Peixe 4)5, Ignacio
Troiam*?*3f5, (que devolveu a quantia)
Bazilio Jos da Hora 55, JoSo Jos S.
Sobrinho 13)5500, Gabriel A. de Azevedo
5i5, Jos Correia de Queiroz 55, Jos
Anastacio da Silva Cardoso 75, JoSo
Francisco de Lima 55, Joito Evangelista
Penedo 55, Joao Alves Cavalcante 95500,
Benicio Manoel da Hora M. 50, Manoel
Porfirio de Araujo (*) 275, Miguel Fran-
cisc dos Anjos 135 e Manoel Guedes Man-
gerona 125500.
O secretario,
So'idonio Leite.
Hippodromo do Campo
Grande
O abaixo assignado declara a bella
pasiada, amante da folia e do bom gosto,
que tem contractado o Hippodroino do
Campo Grande para dar tres (3) grandes
bailes de mancaras nos dias 315 de
Marco prximo, dias de carnaval, sendo o
edificio Iluminado a luz elctrica, alm de
urna illuminaeao a giorno.
Outrosim, o edificio acbar-se-ha deco-
rado ricamente, prometiendo mais que dis-
tribuir um premio em cada- dia de baile,
sob um sorteio, que se far no mesmo lu-^
gar e hora designada.
Aceitam-se assignaturas para os tres
dias, com passe de ida e volta no treni,
pela quantia de 45000.
Aguardamos o progranima para ver o
que ha de bello e bom.
Manoel G. Ma/jonc.
Mascavado purgado
nruto.
Rtame .
11140
#900
U300
11140
UUO
Colonia Isabel:
Branco i* .

- 3- .
Someno .
Mascavado .
O presidente,
Candido O. G. Alcofoiado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
M
A taxa official continua a ser 27 1 i bancario,
constando algumas transaccoes a 27 9/16 para
'iinheiro prompto.
Em papel particular houve negocio a 27 11/16.
No Rio n2o houve alteracao as taxas.
TABELLAS AFFIXADA8
Usina Pinto:
Branco 1*
2 .
Someno .
Mascavado .
24300
2*000
1*800
1*400
26W
2*300
1*700
1*340
n
?
> -a
O 2.
5
i=. 3 2.
a.
I
3"
s
-
3
o-
c
11

!
Aexportacao, feita pela aifandega, neetc mez
at o da 16. attingio a 9.830.557 kilos, sendo
6.311.707 para o exterior e 3.338.850 para o
interior-
As entradas verileadas at a data de boje so-
bem a 159.589 saetas, sendo por:
i
Barcacas
Vapores.....
Animaes.....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Frlncisco.
Via-ferrea do Limo airo
Somma.
38.875 Saceos
8.002
9.772
61.160
21.750
139.559 Saceos
O vapor inglez -.Uba tevou- 200 barricas com
assucar branco pan Buenos-Ayes.
Coaros
Manteve-se a cotacSo de 390 ris para os sal-
gados.
Algodao
N*o coii:;tou vendas ; o mercado, porm, fe-
V exporlagao, feita pela alfandega neste mez
J o da 16, sabio a 1.887.338 kilos, sendo
1.989 para o exterior e 15.349 para o inte-
JOT.
As entradas verificadas at a data de oje bo-
iem a 11.952 saccas, sendo por:
Agurdenle
Cota-se oominal a 70*000 por pipa de
litros.
ileool
Ultimas vendas, 125*000 por pipa de. 480 li-
tros.
Me"l
Foi coUdo a 50*X> pbr pipa de 480 litros no-
minal.
Pauta da alfandega
semana o 14 19 di JAmno db 1889
Vide o Diario de 12 de Janeiro
"Navios earga
Barca norueguense Pnncessen, para Estados-Uni-
dos.
Barca norueguense Eliez* r, para Rio da Prata.
Ilrigue portuguez Caicida, para Lisboa e Porto.
Brigue portuguez Armando, para o Porto.
Lugar americano Arhur C. Wade, para Estados-
Unidos.
Patacho inglez Peggie., para Mentevido.
Vapor inglez Explore-, para Liverpool.
.\avlos descarga
Barca portugueza frica, carvo.
Barca hgleza Beltrees bacallie.
Barca portugueza .Voto Sileucio, varios generen.
Barca norueguense Frida, cama
Barca norueguense Frhyof, carvo.
Barea noruaguense Professor, madeira e breu.
Brigue dinaraarquez .Catharina, varios gneros.
Brigue sueco Pepsta, carvo.
Lugar inglez Nelly, bacaiho.
Lugar americano H, i i, Blenderniman, farinba
de trigo.
Lugar inglez Fforencf, bacaiho.
Patacho sueco Amor, varios gneros.
Importaco
Vapor fi-ancez VUle de Cear, entrado
do Havre e Lisboa, cm 16 do corrente e
consignado a Augusto Labille, manifestou :
Carga do Havre
Amostras 4 vohunes a diversos. Agua
mineral 20 caixas a Hulzer Kauffinann
& C. Azeite 15 caixas a Goucalves Rosa
& Fernandos.
Batatas 350 meias caixas aos niesinos,
100 ordem, 40 a J. B. de Carvalho, 50
a Silva Marques & C, 50 a Jos Joaquim
Alves & C, 200 ao consignatario, 25 e 50
gigos a Soares & Fcrnandes.
Couros 1 caixao a C. Wachsmann.
Calcados 1 caixao a Manoel de Barros
Cavalcante, 3 a Thomaz de Carvalho & C,
1 a Manoel Joaquim Ribciro & C, 1 a
Nunes Fonseca & C, 1 ordem. Cho-
colate 1 caixa i ordem. Capsula de es-
tanho 1 caixa Martins Viegas d C. Cha-
peos 1 caixao a R. Dias 4 C, la A.
Jos Maia A C, 1 t Francisco Petrocelli
4 IrmSo. Conservas 8 caixas a Ramos
4 C. Crystaes 1 caixa a Deodato Tor-
res. Cachimbos 1 caixa a Jos T. Car-
reiro, 1 a Azevedo 4 C, 1 a Jos A. dos
Santos.
Drogas 1 caixa a G. Laporte & C, 26
a Francisco Manoel da Silva & C, 1 a
Martins Viega d C, 3 a Maia & Suya, 4
a G. Martins 4 C, 6 a Rouquayrol Frores.
Ferragens 1 caixa a Pereira Caraeiro
4 C, 3 a W. Haihday & C, 1 a Ferreira
GuimarSes 4 C. Fumo 2 caixas a Jos
Antonio dos Santos.
Instrumentos de msica c papel 1 eaixa
a Ramiro M. da Costa & C.
Leques e roupa branca 1 caixa a Ma-
noel da Cunha Lobo. Louca 2 caixas a
J. Bender. Linha 1 caixa a G. de Mat-
tos Irmos. Livros 1 caixao a G. Laporte
4 C. Lixa 1 caixa a Ferreira Guima-
raes & C.
(*) O Sr. Porfirio apresen tou-se crece-
beu o seu diuheiro no mesmo dia (15) cm
que sabio na Provincia o primeiro artigo
convidando os Srs. ex-socios.
sr, toi
Agua Florida de Hurray e I-anotan
As senhoras que desejam e gostain de girarem
e movercm-sc em urna atmosplicra radiante de
frescura e fragrancia, devero sempre usar desta
rica e mimosa agua nos seus toucadores.
Urnas poucas de gotas deitadas no banho, ou
n'um copo d'agua no caso que se deseje dar urna
lavagem odorfera aos denles, achar-se-ha ser
eminentemente refrigerante e suminamente sau-
davel, e para a boa conservaco dos denles nao
ha cousa mellior; a mesma usada n'um lino len-
co de cambraia pela occasio de urna visita ou
ao r-se a um baile, a delicada e deeitavel fra-
grancia que se dinunde do lenco, atlrahir a si
mais atlenco, do "que o raro bordado, de que o
mesmo composto.
Aquellas pessoas sujeilas a vertigens e dores
violentas da cabeca, quando prsenles em gran
des assemblas, acharo um prompto allivio
no uso da Agua de Florida; a mesma faz des-
apparecercomo por encanto toda a oppresso do
espirito, restiluindo ao mesn gerante suavidade, alliviando as ideas, dando ao
espirito urna bnlbaute elaslicidade e mente
novo allivio e vigor.
Como garanta contra as falsilicaces obsrve-
se bem que os nomes le Lanman & Kemp ve-
uham estampados em letras transparentes no
papel do vidrinho que serve de envoltorio a cada
garrafa.
Acha-sc & venda em todas as boticas e lojas de
perfumaras.
(onrraria de H. m if Ajrouia erec-
ta ue convento do t armo de
neeire.
BENCO DO SEXHOH'BOM JESS DOS PASSOS
A confraria de S. os d'Agonia, erecta no
convento doCamio, tendo de proceder a beniiao
do Senhor Bom Jess dos Pasaos da capella de
seu padrociro, no domingo, 20 do corrente, s
o horas da tarde, convida a todos os paranym-
phos abaixo inscriptos e a todos os irmaos em
geral a assistircm a este acto o qual terminar
cora urna ladainha solemne com scrniSo sendo
o orador sagrado o commendador padre Manoel
Moreira da Gama que to bondosamente se of-
ferece a quem a irmandade ser semprc grata.
Paran vmphos
Julio da Costa e Silva.
ommendador Manoel Goncalves Agr.
Major Jos Elias de Oliveira.
Capitao Rodolpho Olvmpio Guedes de Laeera.
Manoel Ferreira.
Jos Simplicio de S Estoves.
Enaminondas Mariano de Souza Gouveia.
Flix Nicas Muniz.
Ricardo Jos Gomes da Luz.
Joao Evangelista Machado.
Jos Soares Neves.
Dr. Jos de Miranda Curio
Revd. Francisco de Assis Miranda Curio.
Manoel Soares de Figueiredo.
Antonio Jos Mendes.
Salustiano Francisco Martins.
Tenente-coronel Francisco Faustino de Prito.
Manoel Joaquim Baptista.
Capito Jos da Silva Neves.
Capitao Vicente Ferreira de Sant'Anna.
Joaquim Bernardo dos Reis.
Manoel Garca Pardal.
A confraria de S. Jos d'Agonia oede a lodos
os paran vmphos e mais irmos o especial favor
de abrilhantarcm este acto cora suas prtsencas.
Consistorio da confraria de S. Jos d'Agonia
eitcta no convento do Caraio, 18 de Janeiro de
1889. #
Jos Mauricio de Alentar.
Secretario.
Aos 5 i.nnislas
Convidase aos 5o annistas de nossa Fa-
culdade de Direito a se reunirem na casa
o. 2 da ra do Apollo, segunda-feira 21
do corrente.
----------------sSS"-----:---------
A pepsina soberana em todas as mo-
lestias dasvias digestivas, gastralgias, gas-
trites, azia, gases, pituitas^ etc; mas o
publico ignora tomar, sob o nome de pepsi-
na, urna mistura de sueco gstrico e de
amido, cuja accao fraquissima. As Pero-
las de pepsina dialysada de Chapoteant
sao as nicas que encerram pepsina pura,
cinco vezes mais activa que a pepsina com
amido da Pharmacopa.
a Carvalho & C, 20 a Paiva Valente & C.
Roupa uzada 1 caixa a Rodrigues Lima
&C.
Tintas 6 volumeaa Faria Sobrinho &C,
4 a Maia e Silva & C. Tecidos diveisos
1 volume a Bernet & C, 1 a Paul Jul-
lien, 1 a Ferreira & O, 6 a Luiz Antonio
Sequeira, 2 ordem, 2a Goncalves Cunha
& C 1 a Agostinho Santos & C, 2 a D.
P. Wild & O. Ditos e loques 1 caixa aos
Herdeiros de A. C. de Vasconcellos.
Vermouth 20 caixas a Goncalves Rosa
& Fernandos. Vinho 2 barris a Pereira
Ferreira & C, 20 caixas a Francisco Ma-
noel da Silva & Oj, 50 ordem. Vellas 1
caixa a Goncalves Rosa & Fe mandes. Vi-
dros 1 caixa a Francisco Lauria 4 C, 4
a W. Halliday & C.
Carga de Lisboa o >%
Azeite 60 caixas a Souza Basto Amo-
rim 4 C. Alpiste 10 saceos a Araujo Cas-
tro & C.
Ceblas 50 caixas a Silva Guiraaracs
& C. 15 a Araujo Castro & C.
Figos 2 caixas a Pocas Mendes & C.
Sardinhas 50 barricas a Joaquim da
Silva Carneiro, 50 a Aranjo Castro & C.
Vinho 2 barris a T. Just, 40 a Pocas
Mendes & C.
Gollegio Amor Divino
Ra da Impera i i-I, n. 39
As aulas deste estalK'lecimento dedicado
instruejao das criaacas do sexo masculino abrir-
se-ho no dia 7 do corrente.
A directora,
Olympia Afra de Mendoncu.
1%9
Eiportafo
BECIFB, 17 DE JA RII0 DE
Para o exterior
' No vapor inglez Explorer, carregaram :
Para Liverpool, Vctor Necsen 35 fardos com
8,3iO kilos de trapos e 13 ditos co>n 2,628 diros
de residuos de algodo ; J. Pater & C. 1,015
.sacras com 75,395 kilos de algodao.
No vapor allemo li. Ayrs arregaram :
l'ara Hamburgo. Borstelman 4 C. 210 fardos
com 39,191 kilos de algodo.
No patacho americana Daesy, carregaram :
Para New-York, Julio 4 Irmo 1,800 saceos
com 135,000 kilos de assucar mascavado.
Na barca porti^ueza Caciiila, carregaram :
Para o Porto, S. B. Amorini A C. 150 saccas
com 10,882 kilos de algodo.
No vapor inglez Elbe, carregaram :
Para Rio da Prata, Amorim Innos & C.
barricas com2i,5)i kilos do assucar branco.
Para Montevideo, A. de Oliveira Maia ,0OJ
cocos, fructa.
Collegio de S. Miguel
Hita do Viseonde de Camaragi-
be u. 53
Aos respeitaveis paes de familias parti-
cipa a directora deste novo estabelecimen-
to de instruegao para o sexo feminino,
3ue abrir as aulas no dia 14 de Janeiro
e 1889.
A mesma promette aos paes que Ihe
confiarem suas filhas. esforcar-se por lhes
dar urna educacao primorosa, solida, reli-
giosa e domestica.
A tratar, do Io de Janeiro no proprio
estabelecimento, das 2 da ta'rde as 7 da
noite.
A directora,
Emilia A. de Mendonqa
m
Manteiga 20 barris e 35 meios ditos a
) Joaquim Duartc SimSes & C, 110 e 165
ordem, 80 "e 80 a Souza Basto Amorim
& C, 30 e 40 a Paiva Valente 4 C, 30
e 50 a Ferreira Rodrigues & C, 15 e 25
a Joaquim Ferreira de Carvalho & C, 6
e 8 a Paulo Jos Alves, 15 e 20 a Do-
mingos Ferreira da Silva 4 C., 20 e 40 a
Fernandes 4 Irmaos, 50 e 50 a Fonseca
& Irmaos, 10 caixas ao consignatario, 6
a Paiva Valente & C. Mercadorias di-
versas 1 caixa a E. Goncalves Cascao, 1
a Francisco Gurgel & Irmaos, 4 a Gomes
de Mattos Irmos, 2 a Jos Antonio Motta
GuimarSes, 5 a R. de Druzina & C. 2 a
A. D. Carneiro Vianna, 1 a Duarte & C.
4 ordem, 2 a Nunes Fonseca 4 C. la
Prente Vianna & C, 2 a GuimarSes Car-
doso & C, 4 a GuimarSes IrmSos & ('.,
1 a Netto Campos & C, 1 a Salazar & C.
4 a Maia e Silva & C, 7 a Manoel Joa-
quim Ribeiro & C, 1 a Manoel Collaco
& C, 1 a Francisco Lauria & C., 1 a J.
Pinto de Lemos.
Objectos para chapos de sol 1 eaixa a
Francisco Xavier Ferreira.
Perfumara 2 caixas a Nunes Fonseca
& C, la G. de Mattos IrmSos, 1 a Ma-
noel Collago & C. Pregos 2 caixas a G.
de Mattos IrmSos. Pelles 1 caixa a J. A.
de Souza. Papel 1 caixa a J. B. dos Reis
& C, 1 a Jos Antonio dos Santos, 1 a
Ramiro M. da Costa & C.
Queijos 100 caixas a C. Pluyn & C 3
Lugre inglez Nelly, entrado de Terra Nova em
17 do correnle e consignado a Blackburn Nee-
dliuin & C, manifestou ;
Bacaliao 2,69i barricas e 996 meias ditas aos
consignatarios.
Vapor nacional Jacuhipe, entrado da Babia e
escala em igual data e consignado a Companhia
Pernambucana, manifestou:
Algodo em rama -673 saccas a Pereira Car-
neiro A C.
Barricas vasias 105 a Joaquim da Silva Car-
neiro.
Couros seceos salgados 248 a Domingos Al-
ves Matbeus, 220 a Ramos Geppcrt & C, 15
ordem.
Farinba 13 barricas, 12 saceos e 3 caixas or-
dem.
La barriguda 46 saceos a Ramos Geppert & C.
Pelles de cabra i alados aos mesmos, 15 a
a .* be Slein A C.
Hiate nacional Aurora 2", entrado de Maco
em igual data e consignado a Carlos Antonio de
Araujo, manifestou:
Sai 430 alqueires ordem.
Pura o tnter'or
No vapor fraocea Vdle de Cear, carrega-
ram :
Para Santos, P. Carneiro A C. 1,000 saceos
com 60,000 kilos de assucar branco; P. Alves A
C. 10 barris com 960 litros de agurdente e 8
pipas com 3,840 dilos de alcool.
Para Baha, M. Moraes 103 saccas com 7,153
kilos de algodJo.
No vapor argentino Alba, carregaram :
Para Rio de Janeiro. H. Borges C. 25 pipas
com 12,000 litros de alcool e 48 : ilas com 23,040
ditos de agurdente.
No vapor inglez Elbe, carregaram :
Para Rio de Janeiro, Amorim Irmos & C. 1
caixa com 12 kilos de doce.
No vapor nacional Para, carregaram :
Fara Manos, J. S. da Cosa e Silva 3 barris
com 288 litros de agurdente ; P. Pinto & i.'. 40
barris com 3,840 litros de agurdente; A. Maria
da Silva 10 barris com 960 litros de agurdente ;
P. Ferreira A C. 10 barris com 960 litros de
agurdente ; J. F. de Albuquerque 3 pipas com
1,440 litros de agurdente ; Amorim Irmaos &
C. 70 barris com 6,720 litros de agurdente e 60
barricas com 3,683 kilos de assucar branco.
Para Para, II. Fernandes 100 barricas com
5,600 kilos de assucar branco ; E. C. Beltrao A
Irmo 100 barricas com 7,558 kilos de assucar
branco. ; J. S. da Costa Moreira 25 barricas com
2,129 kilos de assucar branco; Amorim Irmos
& C. 30 pipas cora"R,400 litros de agurdente ;
J. S. da costa e Silva 10 barris com 96) litros d
agurdente : P. Alves A C. 90 volumes com
4^700 kilos de assucar refinado.
Para Cear, J. M. Dias 19 caixas com 258 kilos
de rap.
Mercado Municipal de 8. Jone
O movimento desle mercado no dia 17 de Ja-
neiro foi o segrate:
Entraram :
21 bois pesando 3,887 kilos sendo
ra Castro & C, 13 e 8 de
lares :" -
328 kilos de peixe a 20 ris
30 cargas de farinba a M0 ris
8 ditas de fructas diversas a 300
ris
9 taboleiros a 200 ris
12 suinos a 200 ris
16 matulos com legumes a 200 ris
Foram oceupados :
27 columnas a 600 ris
1 cscriplorio a 300 ris
26 compartimentos de farinha a 500
ris
22 ditos de comidas a 500 ris
88 ditos de legumes a 400 ris
18 ditos de suinos a 700 ris
10 ditos de fressuras a 600 ris
8 tainos a 21
1 dito a 14
A Oliveira Castro A C.:
54 talhos a 1
de Ol-particu-
6I5S 6000
24400 14800 24400 34200 *
164200
300
134090 114000 354200 124600 64000 164000 14000 *>
Rendimento do da 1 a it do cor-
rente
544000
1874660
3:4544720
Paquete inglez Elbe, entrado de Southainpton
e escala em igual data e consignado a Amorim
Irmos A C, manifestou :
Agua mineral 13 barricas ordem.
Amostras 26 volumes a diversos.
Catlogos 1 caixa ao engenheiro da Cmara
Municipal.
Drogas 1 volume a W. Hood.
Ferragens 4 volumes Companhia de Bebe-
ribe.
Graxa o barricas ordem.
Mercadorias 1 volume a Francisco Lauria A C.
Maehinas S volumes ordem.
Machinismos 3 volumes a Manoel dos Santos
Villaca.
Objectos para escriptorio 7 volumes aoEn-
glish Bank.
Rendlnieutos publico*
MEZ DB UNeibo
Alfandega
Renda geral:
Do dia 2 a 17 575:5524708
dem de 18 40:4824875
Foi arrecadado liquido at hoje 3:3424380
Pregos de dia :
Carne verde de 400 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 800 reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
f arinha de 400 a 560 reis a cuia.
Milho de 320 a 400 reis idem.
Feijo de 800 a 1420) idem.
Matadonro publico
Neste estabelecimetto foram abatidas para o
consumo de hoje 68 rezes.
Sendo : 51 pertencentes a Olivoira Castro &
C., e 17 pertencentes a diversos marchantes.
Vapores a enrai-
HEZ DE JANEIRO
Europa....... Hamburg.......... jg
Sul"........... Buenos-Agres...... 19
Sul........... Lo Plata.......... 20
Norte......... Alagos...........( 24
Sul........... Manos
Europa...... filie de S.
Sul........... Finance ..
27
27
31
Renda provincial :
6W:t354383
Do dia 2 17
dem de 18
87:5624670
7:0504370
Somma total
94:6134540
Vapores a sahir
MEZ DE JASETBO
Norte........ Para.............
Buenos-Ayres. La Plata..........
i-antos e esc.. Hamburg___.......
Hamburgo. Bueno-Agres....... 20 as
Sul.......... 'logos........... 24
18 as S h.
20 as U n.
2' as 5 h.
5h.
5h.
5 b.
710^6484823
18 ne Janeiro
Pregos de zmeo 15 barricas a Francisco Bote-
lho de Andrade
Queijos 24 caixas a J. E. de Carvalho.
Roupa 1 caixa a J. H. Boxwell. 1 a H. Douglas,
1 a Wilson Sons A C.
Sabonetes 1 caixa a Pereira de Azevedo A C.
Soberanos 1 caixa a Manoel dos Santos VU-
laca.
Tecidos diversos 25 volumes ordem, 2 ao
London Bank, 1 a A. Santos A C, 5 a N. Maia
A C, 78 a Luiz Antonio Sequeira, 5 a Joaquim
Goncalves A C, 2 a A. Maia A C, 6 a L. Maia A
C, 3 a Manoel Dias da Silva Guimares.
Vidros 4 volumes a Sulzer Kauffmaua A C,
Segnnda seccaa a Alfandega,
O thesoureiroFlerencio Domingues.
O chefe da secea Cicere B. de Mello.
RecebedorJa Cieral
Do dia 2 a 17 14:9474934
dem de 18 1:3274314
Norte........ Mandos........... 28 as
HoTiuicnto do porto
Navios entrados no dia 18
Trieste e escala21 dias, vapor austraco
Me-
16:2734448
Recebedoria provincial
Do dia 2 a 17 80:3564291
dem de 18 9404257
81:2964348
Recite Dralaage
Do dia 2 a 17 4:5164248
dem de*18 2714225
4:7874473
dnza, de 1775 toneladas, commandante Anelo
Maluza, equipagem 70, carga varios genprn. -
a Henry Forster A C. -neros,
Maco-10 dias, hiate nacional Den* te Salce rt
70 toneladas, mestre Antonio JoraedoNiwH
ment, equipagem 5, carga sol; aBaitholo-
meu Lourenco. uuw
Liverpool e escala19 dias, vapor inglez 4^.
de .1034 toneladas, commandante Darid JoSs*
ffioKu Carga Va"S Sener0S'; a Sao"W
Navios sahidos no mesmo dia
Manos o escalaVapor brazileiro Para, com-
mandante Antonio Ferreira da Silva, earaa
vanos eneros.
LiverpoolVapor inglez Mytene, commandante
II. Atkins, carga varios gneros.
New-YorkBarca norueguense Princessen, capi-
tao T. Anderscn, carga assucar.
BarbadosPatacho americano M'ttir capitSo i
B. Lowry, em lastro.
AndinasBarca franceza Lo" :?
F. Huet, em lastro.
I

[



I
l '
D -
Diario de PriHuiibuco^-Sabbado 19 de Japeiro de 1889
5
A V6R0A0B BIULIIA
Por mais que facam os- crticos graciosos, cu} tarefii? reiune-se simpjeamente
a destruir aquillo que nao sabem nem podeui construir, em cortos casos impotente
a maledicencia d'sss demolidores perversos.
O 8eu trabalho, longe de prejudicar, mais um incentivo para que a verdade
brilhe radiante, bffusoando-os cora a intensidade da sua luz.
De todas as clasees sociaee, desde o opulento at o proletario, desde o mador
talento ate intelligencia ir.enos culta, todos, porfa, encfirregam se de vir dar um
solemne desmentido a essas criticas graciosas.
O documento que se vae 1er um nttestado que falia mais alto do que tudo
auanto podamos asseverar.
Eil-o :
t Ilim. Sr. Jos Alvares de Souza Soares.Devo urna resposta a seu favor'
gal-o-bei em poucas palavras, mesmo porque verdade nao mister coloridas ima"
ens, para impor-se soberana, escudada as manifestacjjo da opinio universal-
EmanacSo da consciencia, d'esse foro intimo de cada individuo, onde se azyla, ella
surge pura e im maculada.
t A sua preparaeao Pcitoral de Cambar um poderoso remedio contra as
enferndades do peito.
c Attesto-o pelos resultados que tenlio colbdo em pessoas de minlia casa,
es8e pequeo scenario, onde, como pai de familia, posso com certeza reconhecer
quaes os medicamentos uteis e proveitosos.
Minhas filbas usaram por algum tempo do Peitora' de Cambar, de sua
nvencSo, e ticaram coraplentamente curadas do urna tosse pertinaz e perigosa.
t Faca destas linbas o uso que quizer. Sempre as suas ordens encontrar
Joaquim NapoUSo Epamiitondas de Arruda. ; Ex-dircctor de collegio, em Pelotas, e
boje advogado em Bag, Rio Grande do Sul.)
Festa de S. Severino Martyr
Elias Baptista da Silva Ramos e Candido do
Barros Wanderley tendo aberto'WB restaunanfc
e hospedara em um grande barraco no enge-
nho Ramos d'esta freguezia de Pao d'Albo, em
frente plataforma da estrada de Ierro do Li-
moeiro, onde pram os trens ordinarios durante
as novenas e resta do milagroso martyr S. Seve-
rino ; e achando-se em conipanhia de "suas fami-
lias, oflerecew ptima hospedagera s Exmas.
familias, qu<> quizerem honrar, comparecendo
ao seu pro'' -.10 estabelecimento.
Garantem commodos para familias, asseio e
muito respeito c ordem, assiui como declara ter
um pe8S0aI ptimo para o hem desenjpcnlio da
importante e apreciavel arte culinaria, promet-
iendo preparar, com asseio e promptidao, e a
contento dos seus honrados frecuezes : almoco,
jantares, ceias, lonclis, etc., fornecendo bons
viabos, licores, cerveja e gutriis umitas bebidas,
que se oncontrarfio erpisniS venda; tudo por
pteos bem rasoaveis.
Espera, pois, que durante as novenas e festa,
do milagroso Santo Martyr, as Exmas. familias
do deixaro de, ao desembarcarem do trem, vi-
sitar log o referido estabelecimento onda en-
contrario, ao tnujsporein odimiar da porta prin-
cipal, muito respeito. agrado e sinceridade.
l'o d'AIho, 11 de Janeiro de 1889.
Elias Baptista da Silva Ramos.
Candido de Barros Wanderley.
* Sao agentes deste preparado os Srs. Francisco Manocl da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n. 23, que o vendem a 2)5500 o frasco.
Instituto Phileinaeo
33 Vlseoude d'Alfeuqncrqiie 33
As aulas deste estabelecimento de nstrucco
estarSo abertas do dia 7 do corrente em diante
0 director,
Olinto Vctor.
Curso primario e preparato-
rio
un Larga
a. 1*. 1" aa-
do tiowario
dar
Esto abertas as aulas deste curso desde o dia 8
4o corrente mez.
O director,
Camerino Sobrinho,
II
Vias urinarias, molestias do tero,
operacoes elctricas
BB. CABLQS 8IRIIC0U&T
ESPECIALISTA
com pratica de parii Londres
Estreitamentcs da uretra curados ra-
dicalmente pela electrolyse, sem dor;
*ydroceles sem iuiecc* (cura radical);
feridas e ulceras ebronicas. com garan
tia de cura rpida; pedras da bexiga,
fistolas e hemorrhoidas ; syphijis, go-
norrhas, pelo methodo das mstillacOes;
molestias da garganta e do peito pelas
athmospheras medicamentosas. Con-
sultas e operacoos das 12 s 3 horas,
ra do
MRQUEZ DE OLINDA N. 34, 2 ANDAR
Rt'witlenria na Torre
Cirurgio Dentista
DR.'ROBERT P. RAWLDsSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aborto o seu consul-
torio, na ra Io de Marco n. 20, Io andar.
Consultas das 10 s 4 boras da tarde.
Transcripto do Jornal Offi-
cial de 11 de Setembro de
1888.
Inspectora Cieral de Higiene
Em virtude do que diapoe o art. 66 do
regulamento que baixou com o decreto n.
9,554 de 3 de Fevereiro de 1886, a Ini-
pectoria Geral de Hygiene fas publico pelo
praso de oito dias, que o cidadBo Alfredo
de Barros Ibe dirigi a seguinte peticao
com documentos que satisfazem as exigen-
cias do art. 05 do citado regulamento :
Alfredo de Barros residente na villa de
Floresta da provincia de Pernambuco,
vem de conformidade com o art. 66 do de-
creto n. 9,554 de 3 de Fevereiro de
1886, requerer a V. Exc. que Ibe conceda
llcenca para abrir urna pkarmacia na mes-
ma villa, apresentando como prova de
suas habilitajdes os documentos juntos.
Nestes termos. P. deferimento. E. R.
M.-Foresta, 17 de Abr de 1888.-
Alfredo de Barros. Sobre urna cstampi-
lha de duzentos ris.
E declara que se nesse prazo nenhum
pharmaceutico formado lhe communicar
ou a inspectora de Hygiene da provincia
de Pernambuco a resol uc&o de estabelecer
pbarmacia na citada localidade, conceder
ao pratico a licenca requerida.
Inspectora Geral de Hvgiene, 6 de
Setembro de 1888.
Dr. Pedro Affonso de Carvalho,
Secretario.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com e*peciali-
dade ilc molestias d senhorns e creancas.
Consultorio c residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manbS.
Chamados (por escrpto) qualquer hora.
TELEPHOSE N. 226
EDITAES
Collegio de \ossa Seohora da
Peoha
Ra da Aurora n. 3 J
As aulas deste collegio se abr rao a 7
de Janeiro e sao de : primeiras lettras,
portuguez, francez, inglez,geograpbia, mu-
sica, piano, desenbo, bordados de varias
especies, flores, etc.
A directora,
Augusta Carneiro.
G. LAPORTE
Im 1* de lar^o i. 2S1* andar
AGENTE DA
CQOrSXVATIVA UWSfiSAl
E REPRESENTANTE
Das mais afamadas fabricas
fraatcezaa
Recebe encommendas de qualquer arti-
go ; condicBes vantajosas.
.------------a. -----------
Curso preparatorio
Esmeraldino 0. T. Bandeira lecciona em col-
iegios e casas particulares, as materias seguin-
tes : portuguez. francez e inglez (pratica e theo
ricamente),arithmetica e geographia.
Pode ser procurado a ra do Imperador n. 38,
1 andar.
Escola particular de instruceo
primaria para o sexo maseilno
Ra de fot o ve I lo n. 34
0 professor abaixo assignado, participa aos
seus amigos, e ao respeitavel publico, que abri
a sua escola ra do Cotovello n. 34, onde edu-
ca e instrue a infancia pelo mais aperfeicoado
systema do Imperial Lyco do Rio de Janeiro.
Alumno interno
Meio pensionistas
Primeiras lettras
Msica e piano
Por cada um preparatorio
Ra do Cotovello
30*000 mensaes
loiOOO
2*000
4*000
3*000
n. 34
Julio Soares de Azevedo.
Hachare! Antonio Wilni-
vio Pinto
O
Collegio Parthenon
3 Roa do Hospicio 3
director deste collegio declara aos
pas de seus alumnos e ao pblico em ge-
ral que as aulas comecarao a funecionar
a 7 do corrente mez.
Recife, 3 de Janeiro de 1989.
O director,
Ovidio Alvet Manaya.
Inglez e francez
Cursos das 7 s 8 horas da manbl e das
5 s 6 da tarde: ra da Autora n. 37,
2.' andar.
Festa de Nossa Senhorada
Escada
O abaixo assignado roga aos seus dignos
parochianos a fineza de enviarem as es-
molas que destinam para a festa da pa-
droeira ao IUm. Sr. Dr. Aquilino Gomes
Porto m cujo poder serao depositadas
at que se preencha a somma indispensa-
vel para fazer fece s despezas da mesma
Festa cujo programma ser opportunamen-
te publicado por esta Diario, poupaado as-
sim o grande trabalho que pezar sobre a
commissao se por ventura for obrigada a
percorrer a freguezia em busca deseas
mesmas esmolas. ilanifesta-lhes desde j
:imcero agradecimento.
CHdade da Escada, 14 de Janeiro de
1889.
Vgaiio Francisco Raymundo da Cunha
Pedrosa.
Pode ser procurado i ra do Imperador
n. 71, 1 andar
letra
Ra da Imperatriz n. 63
Este collegio de instruccao primaria e
secundaria, cujas aulas se reabrirao no
da 7 de Janeiro corrente, offerece aos
pas de familias que o quizerem honrar,
confiando-lhe seus filhos, todas as garan-
tas de moralidade, aproveitamento e bom
tratamento para os mesmos seus filhos.
O resultado doa exames obtido, pelos
alumnos deste eollegio, ser opportuna-
mente publicado, e em vista delle se ter
urna prova do interesse tomado pelo abai-
xo assignado pela applicacSo dos seus
alumnos.
Recife, 3 de Janeiro de 1889.
O director,
Ascencio Minervino Meira de Vasconceoi.
Oculista
Dr. Barre t > Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Weckur, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
BarSo da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Setc de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Clnica medico-cirnrgica
DO
Dr. Ferrelra
OCCLI8TA
Pratico nos principaes hoepitaes de Pariz
e Londres.
Consultas todos os dias (excepto domin-
gos) das 9 horas ao meio dia.
Pratica embalsamamentos.
Consultorio e residencia ra Larga do Ro-
sario n. 20
Telephonc n. 233
0 Dr. Jos Pedro de Ameida Pernambuco juiz
substituto na jurisdico plena da vara especial
do commercio da cidade do Recife e seu termo
capital da provincia de Pernambuco, em vir-
tuda da le, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem ou
delle noticia tiverem que por parte de Paira
Vlente & C. me foi dirigida a petigao do tlieor
seguinte :
IUm. Sr. Dr. juiz substituto parcial do com-
mercio. Paiva Valente &.C. tendo recebido em
cessao que lhe fez Antonio Guedcs Valente, urna
lettra de trra do valor de 2:670*000, acceitapeio
Dr. Thomaz Cocino de Gusmae e vencida em 19
de Janeiro de 1884, querem interromper a pres-
cripsao da dita lettra e para isso vm requerer
a v. S. se digne mandar tomar por termo e
protesto dos supplicanles atim de intimado ao
acceitante Dr. Thomaz Coelho de Gnsmao. ficar
interrompida a prescripcao da fallada lettra:
sendo os sunplicantes admittidos a justificaren!
a ausencia do supplicado, para reatisar-se a ci-
tuijo por editos na forma da lei.
Pedem a V. 8. deferimento. Esperam receber
mcrc. Recife 17 de Janeiro de 1889.-0 solici-
tador. Tranquilino Castello Braneo.
Sellada com urna estampilha da taxa de 200
ris legalmente inutilisada : na qual profer o
despacho do theor seguinte :
Distribuida.Como requer. Recife, 17 de Ja-
neiro de 1889.Jos Pernambuco.
Em virtude d'este meu dspacho o respectivo
distribuidor a quem foi a mesma peticao presente
a distribuio ao escrivao do primeiro ollicio que
fez lavrar^o termo de protesto do theor se-
guinte :
Aos 17 dias do mez de Janeiro de 1889, nesta
cidade do Recife, em meu cartorio, comparece-
rn! os supplicanles por seu bastante procurador
o solicitador Tranquillino dos Santos Castello
Braoco, que ante mim e as testemunbas infra
assignadas disse reduzia a termo de protesto
para interrupeo de prescripcao o conteod de
sua peticao retro que (lea fazendo parte inte-
grante do prsenle atim de ser intimada ao sup-
plicado para os devidos efieitos. E de como
assim o disse e protestou lavro este termo em
que assigna com as testemunhas, depois de I ido.
Lu Manuel Lopes de Carvalho Chaves, escrevente
juramentado, escrevi.
Eu Jos Franklin de Alencar Lima, escrivao o
fiz lavrar e subscrevo Tranquilino dos Santos
Castello BrancoBaltazar Jos dos Reis Filho.
Tilo Pinto.
Segundo continha dito termo de protesto aqu
fielmente transcripto c tudo os supplicantes
produzido a justificado recommendada pela lei,
raandei que os autosjsubissem a conclusao do Dr.
juiz de uireito substituto reciproco que n'elles
proferio a sentenca do tbeor seguinte.
Hei por justificado o deduzido na peticSo de
fl- 2. Passe-sc a carta de editos, com o praso
de 30 dias, para intimacuo ao justificado do pro-
testo defl. iv. para interrupeo da prescripcao
do titulo a fl. 3. Custaslex-cawa. Recife, 18 de
Janeiro de 1889 Anto.iio Domingos Pinto.
Segundo continha dita sentenca em virtude da
qual o respectivo escrivao fez passar o presente
edital por cujo Iheor chamo, cito e hei por inti-
mado o justificado Dr. Thomaz Coelho de Gusmao
para que no praso de 30 dias contados da data
da publicacao deste, compareca ante este juiz a
atim de allegar o que fr a bem de seus di-
sertos. .
E para que chegue ao conhecimento de todos
o presente ser publicado pela imprensa e outro
de igual theor allixado no lugar do eos turne-
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 18
dias de Janeiro ao mino de Nosso Senbor Jess
Christode 1889.
QEu Jos Franklin de Alencar Lima, gubscrevi.
Jos Pedro de Almeida Pernambuco.
DECLARARES
Gabinete Portuguez
de Leitura
De ordem do Exm. Sr. Visconde da Silva
Loyo, presidente da commissao directora, con-
vido todos os senhores socios a reunirem-se em
assembla geral ordinaria, nos saldes do Gabi-
nete, domingo 20 do corrente, pelas 11 horas da
manh, afim de apreciar o relatorio da actual
gerencia, e eleger nova administraco.
De accordo com o preceituado no art. 40 dos
estatutos, a assembla se constituir com qual-
quer numero de senhores socios presentes, e as
suas resoluc.es produziro effeitos legaes.
Recife, 2 de Janeiro de 1889.
Dr. Jos de Albugucrque,
Secretario.
Leonor Porto

Adyogado
O bacuarcl Jaronyrno Materno Tereira de Car-
valho mi >criptorio do n. 55 para o n.
88 a ra Duqi rada pelo becco d
Ra
n.

Larca do Rowario
2o andar
Continua a executar os mais dif-
ficeis figurinofi recebidos de Lon-
dres, Paris, Lif boa e Rio de Janeiro.
Prima em pcrfeic&o de costuras,
em brevidtade, modicidade em pre-
sos e fino gosfo.
Administraco dos Correios
de Pernambuco, 15 de Ja-
neiro de 1889
- Por esta administraco, e m cumprimento a
circular da directora geral dos Correios n. 102
de 15 de Dezembro lindo, se faz publico para
conhecimento dos interessados, o edital daquella
directora, abaixo transcripto.
O administrador,
Affonso do Reg Barros.
Directora geral dea Corretea
Edital
De ordem do Exm. Sr. director geral, e em
observancia ao disposto no art. 9. do regula-
mento de 26 de Margo de 1888, faz-se publico
que, do dia 1. de Abril do anno prximo futuro
em diante, nao. podero mais ser utilisadas as
seguintes formulas de franqua :
Bilhetes postaes simples de 20 as.
' duplos de 20 rs.
simples de 50 rs.
duplos de 50 rs.
Cartas-bilhete de 50 rs.
de 100 rs.
Estas formulas, quando encontradas as cai-
xas postaes depois de expirado aquello prazo,
sero consideradas nullas e como tal tratadas.
Diviso Central da Directora Geral dos Cor-
reios, em 12 de Dezembro de 1888.
O subdirector.
Jos Francisco Soares.
PRADO PERNAMBUCANO
Frog.?amma da 20' corrida
QUE SE REALIZARA'
Domingo 20 de Janeiro de \ 889
:i
>ome Idadew Pello*
natural ida-
de*
Pomo* I cor da vrolimcnlH
Proprielarlo*
1 parao Conolaeo--l* turma-850 metrosAoimaes da provincia que nao tenham ganho. Premios : 200 ao l4, 504 ao
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
Krupp........
Thaouka ......
Pagito........
Floresta ......
Etna.........
Marat.........
Aracahy ex-Ca-
brito .......
Janota........
Mvlord......*
Lindness......
Rigoleto......
Borburema ...
l Turco
Gec
Barnave
Cacique
Patife..
Incita tus
6 annos
4
4
4
5 i
6 .
5
7
6
4
4
5 <
4
4
4 -
4 o
5
5
Rodado.
Alazo...
Castanho-
*
Rodado -
Russo ..
Rusilho
Baio....
Rodado
Cardo .......
Rodado ......
Caslanho.....
Alazao dourado
Castanho.....
Alazo........
Pernambuco
e 20 ao 3
56 kilos.
54
54
54
56
54
56 .
56 .
56
54
54
56
54
54
54
54
56
Encarnado e branco .
Violeta, grenat e ouro..
Grenat e rosa.........
Encarnado e bonet azul
Azul e amarello.......
Amarello e encarnado. .
Azul e rosa.............
Azul e ouro.............
Aznl e branco..........
Branco e ouro...........
Rosa e branco...........
Encarnado..............
Azul, branco c encarnado
Encarnado e branco .....
Grenat.................
Branco e grenat........
Ouro e brinco..........,
F. G. S.
Coudelaria 1 de Janeiro.
J. C.
Coudelaria Bemica.
I. OJiveira.
Coudelana Demcrata.
L B. F,
JE.
a. F. do R. Leal.
Coudelaria Vencedora.
Coudelaria Esperanca.
Augusto Silva.
Alvaro de Oliveira.
M. J C. M.
S. BF.
F. L.
Cal.
Coudelaria 1 de Junbo.
2o pareo Con*olac*o2* turma850 metros -Animaes da provincia, [que nao tenham ganho. -Premios: 200* ao Io, 50/ao
e 2Wao3"
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
lo
16
17
18
Boceado .....
Bilontra......
Palito.........
Ecla..........
Ismar........
Fanfar .......
Royal.........
Siroco........
Ormond.....
Tupiniquim ...
Rolo .........
Caira........
Bolaxinha.....
General ......
Andorinha .. .
Nao se espante
Arreda......
Campineiro ...
4 annos.
3
5
4
3
5 '
4
3
5 -
4
5
5
3 -
5
3
5
4 *
6
Rodado
Baio........
Castanho...
Pedrez......
Rodado
Cardo .....
Alazo .......
Bodado ......
Baio.........
Russo pedrez.
Russo......
Busilho .....
Rodado .....
Castanho.....
Castanho ama-
rello .......
Pernambuco
54 kilos.
52
56
54
52 .
56
54
52
56- .
54
56
56
52
56 -
52
56
54 -
56
Branco e encarnado...
Violeta e ouro.
Encarnado e branco
Azul e grenat........
Branco e azul........
Encarnado e amarello.
Azul e branco........
Grenat e azul.........
Verde ..............
Aml e ouro..........
Branco e azull........
Encarnado epreto
Azul e branco........
Azul o amarello......
Azul e branco........
Encarnado e branco..
M. G. S.
A. E. G. L.
Coudelaria 0 linden se.
J.
A.E. S.
R. C.
:r- ni
F. M. M.
Coudelaria 7 de Setembro.
C. R.
A. F. C.
M. G. M.
J. D.; C. B,
Antonio F d'Albuquerque.
D.P.
A. A. A.
.. W. R.
3* pareoCenlre Tele trapaleo1,500 metrosCavallos nacionaes at meio sangue que nao tenham ganho premio nesta dis-
tancia. Premios : 300# ao Io. 75/ ao 2 e 305 ao 3o
1
2
3
4
K
7
8
9
10
Saltarelli...... 13 [annos.
Incgnito..... 6 .
Corcovado 5 4 >
6
Zaino.....
Vermelho
Alazo....
Castanho .
Alazo....
Paran.........
S. Paulo........
Rio deJJaneiro...
54 kilos.
54
54 .
52
54
Grenat e amarello.........
Azul e branco.............
Branco e ouro...-.........
Encarnado e preto.........
Preto e grenat............
J. W.
J. W.
Coudelaria Emulacao.
Coudelaria Pavsand.
F. P
Oiseau......
Alastor ex-Gla-
diador......
Sultio 2. .....
Tupy.........
Monitor........
Pirraca.......
Cndor......
Florete.......
Foguete......
Atbeu........
4. Pareo.AmI
5 annos.
1,000 metros.Animaes da provincia. Premios : 2001 ao i., 50/ ao 2. e 20/ ao 3."
7
6
7
5
I
6
I
0
3
Russo
Baio..
Russo ...
Castanho.
Baio.....
Castanho.

Pernambuco
56 kilos.
56
56 -
65
56
56
64
60 .
56 .
56 .
Azul listrado.
Verde ...................
Ouro e branco.............
Rosa- ..................
Encarnado e branco.......
Grenat ..................
Azul e grenat.............
Encarnado, branco e preto .
Encarnado e azul.........
Azule ouro..............
Coudelaria 1 de Janeiro.
A. Coimbra.
Coudelana Emulacao.
F. C. Rezende.
Coudelaria Pernambucana.
F. L.
Condelana Integridade.
C. D. M.
Coudelaria Pyrotechnica.
A. F. C.
5.* Pareo.Ferr Carril. 1,400 metros. Animaes nacionaes at meio sangue. Premios : 350/ ao i., 80/ ao 2., e 35/ ao 3.#
Saltarelli
Incgnito.
RuvBlas.
Olga. ...
13 annos
6
7
4
Zaino. ...
Vermelho
Alazo
Castanho.
Paran .
S. Paulo
54 kilos.
54
S-:
Grenat e amarello..........
Azul e branco.............
Preto e rosa..............
Branco e encarnado........
J.W.

Arthur S.
Coudelaria 2 de Fevereiro.
6. Pareo.
.1,600metros.Animaes de qualquer paiz. Premios : 500/ ao i., 125/ ao 2." e 50/ ao 3.o
Gallia.......
Vesper.......
Castiglioni. ..
Josepnus......
Africana.....
5 annos
4
8
6
5
Alazo.
Zaino-.
Castanho-
Zaina....
52kilos |
53
56
54
54
Ouro e branco
Azul, branco e encarnado .-
Escarate e azul...........
Rosa e preto..............
Coudelaria Emulacao.
. Inglaterra.......

. Franca.........
. Rio daPrata....
7. Pareo.lamaawaaa leraaal>ueBa.-l,200metros.Animaes da provincia. Premios : 250/ ao I., 60/ ao 2. e 25/ ao 3.
. Pernambuco.
Coudelaria Cruzeiro.
M. G.
Coudelaria Riaehuello.
Etna.........
Mouitor.......
Arumary........
Good-morning.
Mouro........
6 Rolo.
Templar
5 annos
5
S
5
7 .
5 .
S
Castanho.....
Russo.......
Alazo ......
Rodado .....
Alazo.......
Baio.........
Rodado......
54 kilos
54
54
54 >
m i
64
56
Encarnado e bonet azul___
Encarnado e branco.......
Azul listrado..............
Encarnado e branco........
Encarnado................
Verde.................... Jos Cysneiro Costa Reis.
J. M.
8 Pareo.
Azul e encarnado..........
.1,000 metrosAnimaes da provincia.
J. Oliveira.
' oudelaria Pernambucana.
N.D.
Coudelaria Integridade.
J. Andrade.
Incitatus.......i 5 anuos
Pery !...... 6. -
Foguete ......I 3
Alazo........I Pernambuco.
Russo........I
Castanho......I
Ouro e branco......
Azul e ouro.......
Encarnado e azul...
Coudelaria 1 de Junho.
Francisco Flix Gonjalves.
Coudelaria Pyrotechnica.
(*) Montado por amador.
OBSERVARES
Os animaes inscriptos para o primeiro pareo devem achar-se no ensilbamento s 10 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento urna bora antes da determi-
nada para o pareo em que tem de correr.
Os forfaits serio recebidos at sabbado, 19 do corrente, as 3 boras da tarde em que ser encerrada
o expediente da secretaria para esta corrida.
O animal inscripto em mais de um pareo que deixar de correr no primeiro, nSo correr no segundo.
A directora tendo em vista grandes despezas que tem sido obrigada a fazer para bem satisfazer o publico,
resolveu nao distribuir o numere de convites como de costume. Para tornar menos dispendioso, aos seus frequenta-
dores o divertimeuto tem adoptado o seguinte :
Cartees com direito a archibancada e ensilhamento-
Cartees para um cavalheiro e quatro senhoras.
Arcnibancada.
Geral........
3/000
5/000
2/000
1/000
confiada.
Pensa a directora satisfazer ao publie oque tanto a tem auxiliado no bom desempenho da tarefa que Ibe foi
. HORARIO
Recife,
Encerramento da venda de ponles Corridas
1." pareo.- -11".50'...... 12*
2. 12.40
3." 1.10. . 1.20
4.
5. 2.30. 2.40
6.
7. 3.50. . 4.
8.o
16 de Janeiro de 1889. --

O SECRETARIO,
Francisco de Souza Reis,
m



Diario de Penambuco--Sabbo 19 de Janeiro de S99
Great Western of Brazil Railwaj Companj
AVISO
a festa
No dia JO doaamto,oattafeHO-ria, tabella, havera os trensde curaao par
de S. Sereri, oa* se wm em !* no engenho Ramos, em Pao dAlto:
abaix*5ciirado* dfto dtraftp *o*ta
Estacoes
Mnhj|
Recife. .
Encruzilhada .
Arraial
Macacos .
Camaragibe. .
8. LourenjO' .
Tiuma
Santa Rita .
Engenho Ramos
Timbaba '.
Pureza .
Allianca. ."
Barauca-- .
LagoaScca. .
Maaareth
Tfacun haem. .
Carpina .
Pao d'Alho .
Engenho Ramos
Limoeiro.
Campo Grande .
Laca do Carro.
Carpina .
Peo d'Alho .
Engenho Ramos
(part.)
(cheg.)
(part.)
(cheg.)
(part.)
(cheg,l
8.00
8.09
8.18
8.35
848
908
I 10
9.44
10.00
7.10
7.43
8.10
8-^
9.22
938
10 04

10.38
903
9.24
9.
1004
1035
Tarde
1.00
1.09
1 18
1.35
1.4S
i.08
t.M
2 44
3.00
1.500
1.500 Santa Rita.
400
100
900
^0 Macacos
500
300
Estacoes
Engenho Ramo (part.)
Tiuma
S. Lourenco
Camaragibe
Arraial
Encruiflhada
Recife. .
(cheg.)
2.4*0 Engenho Ramos (part.)
2.100 Pao d'Alho
1.800 Carpina.
1.700 Tracunhem
1.500 Nasareth >
1.100 LagoaSecca
800 Barauha >
600 Allianca
300 Pureza ...
Timbaoba (cheg.)
1.400|Engenho Ramos (part.)
1.100 Pao d'Alho. .
800 arpia.
600 Lagoa do Carro
300 Campo Grande.
Limoeiro. (cheg.
VOLTA
Tarde
Noite
5 80
6.10
6.30
6.45
7.00
7.14
7.30
7.39
7.46
9- 25
935
1006
10.21
10.35
11.06
11.24
11 45
1210
12.30
9.25
935
1006
1021
10.38
10.57
Jason Rigby,
Superintendente.
OBRBY CLUB
PERNAMBUCO
PROJECO DE INSCRIPTO
EST&AITA BE FEBEO DO RECIPE
8. FRANCISCO-
AVISO
A
FESTA DO CABO
Domingo 20 do corrente
Alaa #M trens ordinarios de passagelrog kaTera o seguate
ren especlal entre as estar des das Clac* Postas e Cabo.
TREM ESPECIAL
Volta (nolte)
Ida (tarde)
Cinco-Pontos (partida) ... 12
Afogados" ... 12.10
Boa-Viagem ... 12.20
Prazeres ... 12.30
TJha ... 12.50
Cabo (chegada) ... 1
Cabo, 16 de Janeiro de-1889.
Cabo (partida)
Ilha >
Prazeres >
Boa-Viagem >
Afogados >
Cinco-Pontos (chegada)
10.30
10.45
11.05
11.15
11.30
11.40
Vells Hood,
Superintendente.
.
Para a 4. corrida
-
One devtr ter tagar
Domingo, 27 de Janeiro, aniVersario
RBSTAEACAO DE PEMAMBCO
GRANDE PREMIO
da
Administra^ao dos Corxeios
de Pernambuco
Por esta administragao e em cumprimento a
circular da Directora Geral dos Correios, n. 106,
de 20 de Dezembro findo, se faz publico para
conhecimento dos interessados o edital da mes-
ma directora abaixo transcripto.
Correio de Pernambuco, 3 de Janeiro de 1889.
O administrador,
Affonso do Reg B*rros.
Directora Ci-ral don Crrelo*
Edal
De ordem do Exm. Sr. director geral, e em
cumprimento do disposto no art. 8o do regula-
mento de 26 de Margo findo, faz-se publico que,
no dia 1 de Fevereiro de 1889,vio ser postas em
circulacSo as seguiutes formulas de Branquia:
Sobre^cartas selladas
0 sello fixo representado- por urna moldura
formada por duas ellipses eoncentricaeftendo no
plano da menor a efligie de Sua Hagestade o Im-
perador em relevo branco; no da maior, tambem
em relevo branco, as patarras-JJrastfno alto,
e o valor espresso em ris por extenso na parte
inferior, e finalmente as extremidades do eixo
menor dous pequeos polygonos com o dito valor
indicado por aigariamos.'
O fundo da moldura as de 100 ris verde,
as de 200 ris preto, e vermelho as de 300
ris.
Cartasbilhete
O sello fixo do valor de 80 ris, impresso no
ngulo superior direita ^representado por um
rectngulo formado de areseos vermelhos, ten-
do em urna ellipse central a effigie de Sua Ma-
festade o Imperador, encimada pela palavra
ras em lettras brancas, e tendo em baixo as
palavras oitenta ris e sobre estas, em sentido
obliquo, o numero 80 de cada lado.
A' direita do sello vi?-se urna fita com as pa-
lavrasCartas-bilbete,tendo no alto ama serie
de 20 estrellas brancas em fundo vermelho, e
em baixo o distico: Neste lado s se escreve o en-
dereco. No ngulo inferior direita le-se a pa-
lavra Brasil em lettras vermelhas.
Hilbetes postaos
O sello fixo do valor de 40 res. O.desenho
igual ao da carta-bilhete, com a differenca ape-
nas de ser azul, e ter na fita direita do sello
as palavra Bhete postad, em ves d'aquellas
outras.
Cintas estampilhadas
O sello fixo estampado e desenliado como os
das so e-cartas, com a differenca apenas na in-
dicaaao dos valores. B' roxo o fundo; do sello
das de 20ris, azul das de 40 Tis e cor de ha-
vana das de 60 ris.
Sellos para jornaes
Estes rniifain ate maiores qna ns ordinarios, de
forma rectangular e cor de laranja.
No alto tem, em lettras brancas, a. palavra
Correio e em baixo a Brasil. Em fita diagonal
l-se de baixo para cima a palavra jornaes, ten-
do de cada lado o valor em algarismo e a pala-
vra ris.
Divisao central da Directora Geral dos Cor-
reios em IB de Dezembro de. 1888.O sub-di-
rector, Jos Franciso Stares.
Associa^o dos Empregados
no Commercio de Per-
nambuco.
Communico a todos oa Sis. ocios que esta di-
rectora, tendo recebido a noticia do fallecimen-
to de seo nraito digno e prestlxoso aniega o;3r.
Samuel Halliday, reunio>-8e hoje em sesso ex-
traordinaria e resolveu por unaninridade, alm
de um voto de profundo pesar, inserido na aeta-
associar-se a jas dor da familia do Ilustre col-
lega, tomando luto rigoroso por sete das e que
a celebraco da sessao litteraria em solemmsa-
S&o ao 3* anniversario desta assoclaeSo, marca-
a para o prximo domingo, 30 deste mer, ffeas-
se adiada.
Por todo o tempo do loto ficara suspenso o ex-
diente. '-
8eeretaria da chreetoria, 18 d Janeiro de
188.
Augusto da Suva,
l" secretario.
Animaes da Provincia
8
o 9Vtjkfc CONSOLADO SO Metros. Animaes da provincia que an-
da nao tenham gaaho. Premios QQ0QQO ao pmoiro, 500000 ao se-
gundo e 20fi000 ao terceiro.
o TtYijfj COMPAHHIA FERRO CARRIL !. Melros. Animaes de
menos de meio sangue. Premios : 300)5000 ao primeiro, 764000 ao se-
gnndo e 30*000 ao terceiro.
fWk.% INTERNACIONAL i .O Metros. Animaes de qualqner
paiz. Premios 500iJO0O ao primeiro, 125tJ000 ao segundo e 50^000
ao terceiro.
f\%te GRANDE PREMIO RESTARA9AO DE PERNAMBUCO
1.A09 Metras. Animaes da provincia. Premios: 500*000 ao
primeiro, 15O|J0OO ao aegumio.- 80^000 ao terceiro e 50|J00Q ao quarte..
0 *Vlkfc&TRILHOS URBANOS DO RECD7E A CAXANGA1.4&0 Me-
tros. Cavallos nacionaes at meio sangne que aida nao tenham ga-
nho n'esta distancia no Prado da Estancia. Preaos 350iJ000 ao pri-
me SOtSOOO ao segundo e 354000 ao terceiro.
1%W!.% PROVINCIA DE PERNAMBUCO 1.000 Metros. Animaes
da provincia. Premios : 26ifO00 ao primeiro^ 60||000 ao segundo e
25*000 ao terceiro.
0 %%>6 IMPENSA PERNAMBUCANA i.900 Metros. Anima** at
meio sangue. Premios: 300*000 ao primeiro, 75*000 ao segando e
30*000 ao terceiro.
0 %WbB---INDUSTRIA PASTORIL Metros. Animaes da provincia
at segunda muda feita. Premios : 200*000 ao primeiro, 50*000 ao
segundo e 20*000 ao terceiro.
Observacoes
Nenhum pareo se realisar sem que se ktscream tRs aniniaes de prpretrios
ifferentes.
O pareo do Grande Premie Restaurarlo de PeraaMbneo nao
realisar sem que se inscrevam cinco animaes de proprietario* differentes.
SerSo somonte aceitas para cada pareo as doze propostas que Jprimeiro
rem abertas.
A inscripcSo incerrar-se-ba segunda-feira 21 do corrente, as 6 horas da tarde
a secretaria do Derby Club, a pracade Saldanha Marinho n. 2., 1.a andar.
Recife, 17 de Janeiro de 1889.
O GERENTE,
III \lt H(l Wt'HfTIJl..
Prazo de 60 das
De ordem do Sr. Dr. inspector geral da ins-
truccao publica, o em virtade da decisao da
presidencia da provincia de 31 de Dezembro ul-
timo, foco saber a professora contractada para a
cadeira mixta du Brejo dos Paites, Mara Ama-
lia Foriaz de Lacerda. que llie flea marcado o
prazo de 60 dias para ussunilr o exercicio da
referida cadeira.
SecroUra da ins-ucco publica de Pernam-
buco, 17 de Janeiro de 1889.0 secretario,
Pergentino S. de Araujo Galvao.
Segunda pra^a
Pela inspectora desta Alfandega se faz pu-
blico, que as 11 horas do dia 21 do corrente mez
ser arrematada em praca a porta do trapiche
alfandegado, largo aa Assembla, a seguinte
mercadoria :
Marca aRP, 20 pipas, contendo vtnho secco
commum, capacidade 9,480 litros, vindas de
Lisboa no vapor allemao Uruguay, entrado em
15 de Abril de 1888.
3.* secgSo da Alfandega de Pernambuco, 18
de Janeiro de 1889 O chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca
Pela inspectora desta Alandega, se faz
ico, que, nao tendo sido aceitas as segundas
apostas que foram apreseatadas para forneci-
Jento de gneros precisos guarda-mora, du-
.Fante aexercicio de 1889, em virtude dos exces-
fsivos preces n'ellas mencionados, pelo presente
novamente posto em concurrencia esse forneci-
Qento, devendo os pretendertes apresentar suas
opoatas em cartas fechadas ateo dia 22 do cor-
ite mez.
Secco da Alfandega de PCmambuco, 16
Janeiro de 1889.
O chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca. *
perlal Socledade don ArlUtatt Me-
rhanioo e l.Merae
ELEIfAO
H conformidade com o art. 30 dos estatutos,
urdan do lllrn. Sr. director, convido a todos
Mips que cativerem no goso de seus direiios
Buecerem na sede social domingo 20 do
Mjb, as 10horas da manila, aflu de fazer-
/iao dos funecioaarios para o correte
^Secretarla da Imperial Sociedade dos Artistas
Mechanicos e Lilieraes, 15 de Janeiro de 1889.
Francisco da Costa Ramos,
i- secretario.
Prazo de 30 dias
De ordem do Sr. Dr. inspector geral da ins-
truego publica, faco sater aos professores p-
blicos Joaquim Elias de Albuquerque do Reg
Barros, removido da cadeira de fo d'Alho para
a primeira da Boa-Vista ; Deocleciano Ferreira
dos Santos, da cadeira do Rosarinbo para a de
Pao d'Alho ; Thereza Porfiria de Jess, da de
Bonito para a primeira do sexo masculino de
Santo Amaro das Salinas ; Amelia Rosa do Bra-
sil, da de Flores para a mixta de Camossim. que
Ibes tica marcado o prazo de 30 dias, a contar
desta data, para assumirem o exercicio de suas
novas cadeiras.
Secretaria da instruegao publica de Pernam-
buco, 17 de Janeiro de 1889.O secretario,
f ergentino "8. de Araujo Galvo.
"~ De ordem do Sr. )r. inspector geral da In-
struccao Publica, faco saber aos interessados,
que no dia 24 do corrente, as 12 horas, nesta
reparticao, tera coineco o concurso annunciado
para provimento da cadeira de instruegao pri-
maria do sexo masculino da cidade de Pes-
queira.
Secretaria da Instruido Publica de Pernam-
buco, 17 de Janeiro d; 1889.
() secretario,
-
^ Pergentino Saraiva de Araujo Galvao,
Escola normal
qalrirula*
Por ordem do Dri director e de confor-
midade com as disposicSes dos artigos 26
a 30 do regulamento de 27 de Dezembro
de 1887, faa-ee pubiieo a quem interesar
possa, que as matriculas deste eurso esta-
rSo a bertas desde o dia 15 do corrente
at 3 do mez seguinte.
O requerimento para matricula no 1.'
auno dever ser instruido com os docu-
mentos seguinte :
1.- certidao de idade maior de 17 an*
nos para os alumnos do sexo masculino e
de 15 para os do feminino.
2.* Polha corrida oa certidao de nao ter
sorido condemnacao por algum dos cri-
mes que motivam a perda da cadeira do
professor publico.
3.1 Attestado de moralidade passado pelo
parocho ouautoridade quer policial quer
Literaria do districto, em que residir o
matriculando.
4.* Attestado medico de nao soffrer mo-
lestia contagiosa nem ter defeito physico
que prive de bem exercer o magisterio.
5.- Certificado ou titulo de approvacSo
em exame dos tres graos de ensino pri-
mario.
Os peticionarios que nao poderem ex-
hibir titulo legal de exame do 3.- grao da
instruegao primaria deverao inscrever-se
para os exames de admissSo, que coraega-
rSo no dia 28 do corrente de conformida-
de com o art. 27 do citado regulamento,
Para as matriculas do 2.*, 3.- ou 4.-
anno, basta instruir as petigdes com os
certificos de approvacSo em todas as ca-
deiras do anno anterior.
Secretaria da Escala Normal 7 de Ja-
neiro de 1889.
O secretario, A. A, Chima.
Imperial sociedade dos Ar-
tistas JJfechanicos eLi-
beraes
Contlrar^o das o III ria a
De ordem do Dlm. Sr. director e segundo a
resoluco tomada em sesso da assembla geral
de 4 de Novembro prximo passado, fago publi-
co que na secretaria desta sociedade, recebem-se
propostas em cartas fechadas at 31 do corrente,
para execuco das obras das officinas que esta
sociedade tem de fazer para o ensino pratico.
Na secretaria, das 9 horas da manha as 6 da
tarde, encontrarlo os proponentes a planta e
o rea ment para serem examinados, ser rindo de
base o orgamento existente.
As conaigoes para a arrematagab e execuco
da obra sao as mesmas consignadas a respeito
no regulamento vigente das obras publicas pro-
vineies, que ser tambem patente aos mesmos
concurrentes.
Recife, *6 de Janeiro de 1889.
O l" secretario,
Francisco da Costa Ramos.
Companhia Brasileira de
Navegaijao Vapor
poetos do mm
O vapor Manos
Commandante o 1 tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos partos do sul at o
dia 27 de Janeiro e seguindo depois
da demora indispensavel para os
porto? do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas na agencia
at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
rea trata-se com os
AGENTES
il^y
POBTOS DO SUL
O vapor Alagoas
j^
E' esperado dos portos do norte
o dia 24 de Janeiro e
Commandante Joao Mara Pessoa
at
depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
Recebe tambem carga para Santos, Santa Ca-
tharina, Pelotas, Porto Alegre e Rio Grande do
Sul, frete mdico
As encommendas so serio recebidas na agen-
cia at*l hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
lo andar
United States and Brazil
M. S. S. C. J.
O vapor Finance
Para carga,
nheiro a frete
E' esperado dos portos do
sul at o dia 31 de Janei-
ro o qua depois da demo-
ra necessana seguir
para o
, Par, Barbados. 0.
as e Mew-Yerk
passagens, encommendas e di-
trata-se com os
AGENTES
O vapor Allianca
E' esperado dos portos do
norte at o dia 7 de Feve-
reiro o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha. Rio de .Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os AGENTES.
Henry Forster & C.
8iflta do Commercio8
V andar
CHAKGEURS REUNS
l'ranceza
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
,
MARTIMOS
COHPAXHI1 pi:r\auica\a
DE
\avegaeio eoalelra por Vapor
Viagem directa ae Cear
O rapor Jacuhype
Commandante Esteres
Segu no dia 21 do corrente as
4 horas da tarde. Recebe car-
at o dia ...
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
at s 2 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Cae* da Companhia Pernambwana
.12
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN UNE
O paquete Cotopaxi
Esperarse do sul at. o dia
28 do corrente e seguir,
depois da demora do costu-
umj para Uverpooi por
Lisboa, Bordeanx e Hymont h
Para carga, passageiros, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com os
A3INTES
Wilson, Sons & L United
14RHA'DO COMMROIO14
Royal Mail Steam Packet
Companhia
O vapor La Plata
A. H. Dyke
S. Vicente,
Commandante
E' esperado do sol no da 20 de Ja-
neiro e seguindo depois da demora
ecessaria para
Lisboa, Southampton e An-
tuerpia
Reducc&o de psustufena
Ida Ida e volta
Ai Lisboa 1 classe 20 l 30
A' Southampton Ia classe 28 42
Camarotes reservados para os pa8sageiros"de
Pernambuco.
Para passagens, fretes, encommendas, trata-se
dom os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
COJUMXHI*
UCAWA
DE
VaTesaeo costclra por vapor
PORTOS DO NORTE
Pwahyba, Natal, Macv, Mostoso, Araca-
ty e Cear
O vapor S. Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 24 do corrente s 5
horas da tarde. Recebe carga at o
dia 28.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Com panilla
DE
XavegaeSo
Linha quinzenal entre
Pernambuco, Babia,
Santos.
O VAPOR
VilledeSan Nicols
Commandaute Henry
1T esperado da Europa "at o dia 27
do corrente, seguindo depois da in-
" ipensavel demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 das a contar do da descarga dasalvarengas
qualqner reclamagao concernente a volumes que
porvenmra tenham seguido para os portos do
sul afim de se poder dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por evtravios.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
Auguste LabUle
9 RTJA DO COMMERCIO 9
Mossor e Maco
Segu com brevidade para os portos cima o
mate nacional Victoria; para o resto da carga,
trata-se com o mestre bordo, caes do Loyo, ou
ra da Lapa a 14.
Para o Rio de Janeiro
Segu com brevidade a barca portugueza No-
vo Saencio. Para carga trata se com os consi-
gnatarios Balrar. Oliveira C, na ra de Viga-
ro n. 1,1 andar.
LEILOES
Agente Pinto
O da cocheira do caes de Capibaribe annun-
ciado por intervenco do agente Pinto flea trans'-
rido para outro da que ser novamente annun-
ciado.
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se o andar ra do Coronel
Suassuna n. 278; com commodos para grande
familia, agua e gaz, esgoto e drainage : a tratar
na ra do imperador n. 35, amazem Prealle, os
no Chora-meninos, sitio junto a capella. Na mes-
ai a casa vende-se terrenos no riveiro do Muniz.
Alga se casas a W000 no becco dos Coe-
Ibos, junto de S. Gonjallo; a-tratar na ra da
Emperatriz n. 56. _
S5 iuga-se o 1 e 3 andares a ra estreia
r> Rosario n. 32, eol' andar e soto ra do
Fogo n. 35 : a tratar na ra da Imperatriz n.
16, 1 andar.
Aluga-se o soto do-sobrado n. 31 ra de
Marcilio Dias, com bons commodos para fami-
lia; a tratar no armazem do mesmosobrado.
Aluga-se o i andar ra de S. Jorge n.
120, com agua, caiado e pintado de novo ; na
mesma ru n. 131, taverna.
Precisa-se,de urna ama para cosinhar
ra do Livramento n. 9.
na
Precisa-se de urna ama
SerfeicSo roupa de senhora e
urma em casa dos patrOes
Matriz da Roa-Vista n.^.
rengomme com
meninas, e que
a tratar na ra
Pede-se ao Sr. M. T. A. S. que venha aca-
bar com o seu negocio, negocio serio, isto ha
um anno e tanto, sem que se publicar todo este
enygma.
g Na ra Rarlo do Triumpho n. 35, taverna,
est urna pessoa, vinda ha ouco de Portugal,
cidade de Lamege, deseja fallar com o Sr. Jay-
me Celestino Peixoto a pedido de sua propria
mi.
Ama
I'recisa-se de urna ama que saiba lavar e en-
rommar, para casa de pequea familia ; na ra
lo Livramento n 24, t- andar.
Censor
Um moco titulado pela Escola Normal e esp-
dante de direilo, offerece-se para ser censor em
qualqner collegio desta cidade, mediante
mentago e qualquer pensio : quem quizer
lisar-se de seus serviros, pode dirigir-se
criptorio deste -Diario em. cartas fechadas i
inieiaes S. G.
Traaten radical em I dias
DAS,;
BLENORRHAGAS AGUDAS
OIT
GHROlfIGAS
(VULGO P U R G A g A O)
do noni;w OU DA MIXIIR
E da leucorrka ou flores brancas
1'Jlula Resino Balsanlea
E
Injecc&o Aiti-Blenorriiagica
PREPARADOS POR. CALASANS & C.
PRODUCTOS APFBOVADOS PELA
IHSPECTOEIA GERAL DE UYGIENE
Urna serie de brilhantese innmeras ex-
eriencias, coroadas sempre de bom xito
urante dez anuos, assignala a estes dous
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens prescriptas, o primeiro lugar entre os
medicamentos estimados e preconisados
para curar estas terrifeis molestias.
As pilulas sao snpportadas pelo estoma-
go o mais delicado, pois que ellas nao im-
pedem nem difficultam as funccSes deste
orgSo.
A injec5ao anti-blenorrhagica nao ab-
solutamente irritante e por isso nao tem o
inconveniente das actualmente empregadas
e nao produz estreitamentos.
Nao publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agradecimentos qne te-
mos recebido para nao offender aos nqssos
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mui-
to e orinecidas e altamente c o Uceadas.
Empregada como u^igo de toilet parti-
cular excellente preservativo contra as
molestias secretas.
Modifica e faz desapparecer o mo cheiro
das regras.
Preparados or Calasans & "C, Phar-
macia Imperial, Babia.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C, ra
Mrquez de Olinda n. 23.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de'12 a 14 annos,
qu% tenha alguma pratica de momados; a tratar
na ra de S. Jorge n. 89.
Costareira e modista franeeza
Madame Farary Silva, tem o sea atelier
de modas e costuras a ra do Baro da
Victoria n. 15, 1. andar, e confecciona
toda e qualquer toilette, com apurado ges-
to e elegancia, para casamentes, bailes, vi-
sitas, (passeios, etc., faz tambem mantele-
tes e capas sobre medidas.
Contina a ter um lindo sortimento de
novidades de Pars, vestidos de seda Jei-
tos, e em cortes, de seda, gaze, velludo
broch e crpe de chine, foulards, surabs,
sedas e ottomanas pretas.
Escolhido sortimento em vidrilnos pre-
06.
Chapeos, capotas e visitas
Luto em 94 horas
Telephono n. 93
RA BAKAO DA VICTORIA N. 15, 1..ANDAR

- Pinho resina
Cimento
Parallelpipedes.
Vendem Fonseca Irmabs A C.
Cimento Portland
Vendem Soares de Amara! Irmaos, ra da
Madre de Deus n. 2t.



Vende-se ou aluga-se
um sitio com casa, na frente lodo murado, com
diversos ps de fructeiras, duas cacimbas com
excellente agua e bantieiro, ra de S. Miguel
n. 84 (Afogados) : a tratar no mesmo ona'rua
Marcilio Das n. 106.
Pao eenteio
Mille te Biset, avisara ao respeitavel publico,
que todas as tercas e =exlas-feiras, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
i "

Iranio
i.j
seaburiiUta Pesttoa
Monteiro
Jos Mouteiro Pessoa, sua nmlher e filhos, e
irmaos (ausentes), immensamente sentidos com
o inesperado fallecimento de sua presadissima e
estremecida mai, sogra e av, D. rsula .''enho-
rinha Pessoa Mouteiro. em S. Goncalo de Una, a
12 do correte, couvidam aos seus. prenles e
amigos para assistrem a missa o stimo- dia,
que ser resada na igreja de S. Francisuo desta
cidade, as 7 1/1 horas da manha de sabbado 19
do corrate. Antecipam por lo caridoso obse-
quio o seu eterno reconhecimento.
t
Comea
Hauori de PoBfe
1- anoiversaria
Jos dos Santos Moreira e Antonio Goocalves
dos Santos, gratos memoria de seu nunca es-
quecido primo e amigo, Manoel de Fontes Go-
mes, mandam dizer urna missa por alma do
mesmo finado, quarta-feira 23 do crreme, t-
anniversario de seu passamento, na igreja deN.
8. do Terco, pelas 4 horas da manha ; convi-
dam aos parantes e amigos para assistirom a
esse acto de caridade e religio, confessando-se
desde j eternamente gratos.______
t
A viuva'e mais familia do fallecido Samuel
Halliday. convidam aos seus parentes e amigos
para assistrem as anssas que pelo eterno repou-
so de sua alma mandam rezar na igreja da San-
ta Cruz, pelas 8 horas da manha do dia 22 do
corrente, pelo que desde j se confessam gra-
tas.
t
V illiam lia rima n ii
Virginia William Hartmann e seus flUios con-
vidam aos seus parentes e amigos para assist-
rem as raissas que por alma de seu prezado es-
poso e pai, William Hartmann, mandam cele-
brar no dia 22 do corrente, na igreja do Corpo
Santo, s 6 1/2 horas da manha, stimo dia de
seu fallecimenlo, pelo que se eonfessam eterna-
mente agradecidos.
tere Emilia le Sou
Jos Jeronymo de Carvalhc e Domicio Jeroay-
mo de Carvalho agradecem a todos os amigos
que acompanbaran sua ultima morada a sua
esposa e ma:, Thereza Emilia de Souza Leal, e
convidara de. novo aos mesmos e mais aos seus
parentes para assistrem a missa do stimo dia,
Sue tera lugar na matriz de S. Pedro Martjr de
linda. As 8 horas do dia-21 do corrente.
AntopJo los Inopes el te
Olympia GuiHiermina Selto Lopes conrida aos
parentes e amigos de seu fallecido e nico filho
tonio Jos Lopes Sette, para assistrem a ifna
a que manda rezar por alma do mesmo no
valo da Gloria, peta manha do dia 18 do
'" anniversario de seu fallecimento.


'
j



I -
[
L



Diario de PeraambucoSj&ado 19 de Janeiro de 869
PMCO SE&COMPETEVQA
rua Priaeiro te Mir^e i. 2(1
jauf de Ls>c
*
Atoaftado bordado a W200 o metto.
Alpacas indianas a 320 rs. o covado.
DiUs mescladas a 600 rs. o covado.
Ditas lamidas a 600 rs. o covado.
Batistas finas a 140, 200 e 240 re. o dito.
Brim pardo a 280 o 380 rs. o dito.
Baleias pretas a 260 e cobertas a DUU rs,
a duzia.
Bicos de urna so cor a U pe?*-
-^ Bramante transado a 800 rs. o metro.
% -B/ins de c8res para crianca a 5WU rs. *
v>vado. .
Bos matisados a 20500 e 3* a peca.
Ctraias bordadas a 40 P?Sa-
CV-hetniras de quadros a 265L^covado-
Coite de seda para colete ?*J?J~-
Dito de linn era cartao a vijGUU.
Colcha de damasco a 6 CretcPM de alsace a 860 rs. o covado.
Camhraia arrendada a 460 rs- o dito.
Cac$mira da India a 220 n. o dito.
ChaJts adamascados a 20-jO ni.
Cortinados bordados a 600Oo par. .
.s de edres a 2 e 2t5jOO orna,
do casinetas a 1*3?-
res a 40500, 50 e 6*000 mn.
. desetinetaa6000mn.
;raia Victoria a 20900 a peca,
jas allemes a 36*000 a duaa.
mira de dnas largura a 800 rs. o
do.
Crotones- -laros a 280 e 320 rs. o dito.
Colenas de ru**o a 30500 urna.
Camisas de meia 10000 ama.
Esguiao pardo a 360* 400 rs. o eovado.
Espartilhos couraca a'60vC3 -
Entremeios bordados a 700;tf00 e 900.
I

T
I
y
jFichas de malha a 20000 un.
FtistSo Branoo a 360 e -400 n. o covado.
Dito de c6r pan roupa a 800 re. o dito.
Giiarniclo de croch'st eom utase.
Gasea de cores a 500 rs. o covado.
Guarda-pe* para homens a 6)9000.
Grinalda para noiva a 80000.
Guarda p para senlioras a 80000.
Lencos con barra a 20000 a dona.
Loque a grt-duqueza a 20000 um.
Lcngo brancos a 1^200 e 20000 a duzia.
Luyas de seda a 20 e 2*500 o par.
Linhos de quadros a 80 rs. o aovado.
Las escosaezas a 100 rs. o dito.
Linn de cores a 500 rs. o dito.
Merino do cores, duna larguras, a 800 rs.
o dito.
Meias com pintas, pira senboras, a SOOrs.-j
Madapolao americano a 6*000 a pees.
Meias para borneas 3*600 a duzia.
Extracto Porte-Veiao a 10400.
Popelina branca, de seda, a 800 rs. o co-
vado.
Paletots de seda palia a 70500.
Ditos de alpaca preta a 40500.
Panno da costa adamascado.
Pacotes de p de arroz a 500 r.
Percales fij as a 200 e 220 rs. o covado.
Roupas para banhos tialgados.
Regatas de cores a 1*1000 urna.
Sahidas de baile a 20000 urna.
Susp cosorios americanos.
Sargelim de cores a 200 rs. o covado.
Setim de cores a 800 e 900 n o dito.
Dito do Jap&o a 240 re. o dito.
To albas para rosto a 30600 a duda.
Ditas para banbo a 10400
' FIGADO de BACALH
0 Remedio do Dr. Aye*
t'UMTBA SEZKS.
K' uia tnico forte paramente vegetal, e,
pelo conhocimento practico dos seu efel-
tos, Gah_j*tido como remedio certa para
os febres maligna.1. Estas desordena de-
vem a ana ortgeiu a um veneno miasmtico
que penetra no sangue pelos pulmoea, altera
o ligado e motiva as dlflcreutes classes de
febres conitecidas por Terciarias e
Quatrenarias, Internas, de Fri,
Malignas, Intermittentae, Bemit-
tentes, Biliosas, e Typhoide.
O U.mmmo do Un. Avr ueutralie o
vi ner.o laiasmatlco e expele-o do systeiui.
Va contem quinina ncm ii^rodiente al-
pmn mineral; seguro e inofensivo, e
nunca tulla ee se asa segundo os direcces.
PREPAIiAPO PELO
DR. J. C. AYER e CA.,
liowell, Mass., E. U. A.
A' venda as principaes pharmacias a
diog-riae.
Cernirlas de bramante a tbfi a .tuza.
Completo sortimento de casemira e brins, ooUarjnbos, punios, leos, torn-
eos, bolsas, fichs, lencos, loquee e muitos outros artigos.
AMARAL & C.
Carolos de algodo
Compra-se carotas de algodio easaccados, en-
tregues nos armazens, ra do Barao do Trium-
pho os. 10,12 e 14; ao proco de 330 ris por 18
Professora
Urna senhora competentemente habilitada, pro-
poe-se a lecconar em collegios e casas particu-
lares as seguintes materias : Portugnez, Fran-
cez, Msica e Piano; a tratar na ra Visconde
de Albuquerque u. SO.
O OLEO PURO
-DE-
-DE-
LANMAN & KEKP
produz efieitos anlogos a os da
xiiKHS80 mn lijfpopkospHcs
dos meamos senhores, no caso de
ser preferido o traotamento nesta
forma para o curativo dos incom-
modos
do Peite, a Garganta e os
Criada
Na roa da Umio n. ti, precisa se a* orna
criada para cuidar de duas citaacas, de 5 e 3
annos de idade equesBihaenprinr, prefis
OC0ELH0"
-
Novo estabelecimento de fa-
endas finas e modas
56--Ra da Imperalriz--S6
Becebem directamente da Europa o que ha de
mais novidade em tecidos de fantazia e tino gos-
to. Completo sortimento em fazendas de todas
as classes e precos sem competencia.
Telephone 489
Vinho de Collares especial e
da Madeira
Em decimos e caixa de duzia, tem para ven-
der Joaquim da r-ilva Carneiro. largo do Corpo
Santn.^3, i- andar.
JI^ Attendite
Jos Samuel Botelho avisa ao respeitavel pu-
blico que ainda continua a fabricar oouquets do
mais afamado gosto, para casamento ou outro
qualquer acto, aaaim como capellas mortuarias
de perpetua ; a tratar na ra Nova n. 20, loja de
niiudezas, ou na ra da Cadeia do Recife n. 43,
loja de selleiro.
-1 >" -
Architectura
andr Romncke prepara, guarnecidos de to-
das as cores, garantindo a conservagao das mes-
mas, tanto para o exterior como interior de edi-
ficios ; os pretondentes poderto deixar suas or-
deas na mercearia ra da Imperatriz n. t.
PERE1RA ft MAGALHAES
Recebedores directos dos mercados da Europa
liqudam os seguintes artigos com descont de 14 \ as
vendas em grosso
Bramantes de algodio superiores, a 800 rs. o metro, 4 larguras.
dem de puro linbo fazenda de 20200 para acabar a 10600, metro.
Atoalbado alvo, duas larguras, a 700 rs., 10100 e 10200 o dito.
Algodao alvo, nacional, para ences a 50500 a peca.
Madapolao americano, a 30600, 40000 e 60000, com 24 jardas.
Maripozas de cores a 220rs. o covado.
Chitas claras e escuras, coras firmes, a 200 rs. o dito.
Batistes idema 120 rs. o dito.
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 n. o dito.
dem de quadros modernos a 280 e 300 rs. o dito.
Fichs de renda chics a 10000.
Colchas f rancezas de cores a 20000 e 49000, runa.
Lences de bramante a 10800, para cama de casal.
Casimiras de cores para roupa de crianca a 10000 e 1(5800, diagonal, duas
larguras.
Camisas inglezas e francesas a 260000 e 300000 doria.
Tapetes aveludados, grandes, a 140000 um.
Cortinados ricamente bordados a 60500 e 60000-
Pannos de cores para mesa a 10100 e 10300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 30000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
Veludilhos de c6res e pretos a 900 rs. o dito.
Rendas austracas para vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Setins de todas as eres a 900 rs. o dito.
Setmetas tarradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias cruas inglezas para homem 8 20500 e 30000 a duzia.
Ceronks bordadas, de bramante, a 120000 e 160000 a dito.
Cortes de easemiras para calca a 40000 e 60000.
dem de meia casemira a 20000.
Toalbas grandes para rosto a 40000 a duzia.
dem felpudas para banho a 120000 a dita.
E muitos artigos que serio lejnbrados cosn a preseaca de nossos leitores.
59tilia Duque de Caxias^59
LOJA
FUNDIGJ.0 GERAL
ALLAN PATERSON & C.
N. 44Ra do BrumN. 44
JNTOAB8TA!OI)08BOffl)8 '
Tem para vender, por precos mdicos, aa seguintes ferragens :
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
Crivacos de diversos tamanbos.
Rodas de espora, idem, dem.
Ditas angulares, idem, idem.
Bancos de ferro com serra circular.
Oradeamento para jardim.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos.
Portas de fornalha.
Vapores de forca de 3, 5, e 6 cavallos. r
Moeadas de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Rodas d'agua, syBtema Leandro.
Encarregam-se de concertos, e asaentamento de machiniamo e executam qual-
quer trabalho com perfeicao e presteza.
Para o Derby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen
to de grava tas o camisas de cores propriae
para os amadores do Prado e est venden-
do por precos sem .competencia.
Recebeu tambem collarinhos e punhos
de borracha de formatos novos.
48BA BARAO DA VICTORIA 48
(gescoberta gnteressantissima
< PRTVILBQIADA >
PERFUMES ORIZA SOLIDIFICADOS
APRESENTADOS DEBAII DA FORMA DE LAPiS (12 dMCSOS tfieiTW)
Basta csfr4gar levemente #s objectos para perfumal-os
(a Cutis, Roupa, Papel para Cartas, te.)
L. LEGrRAlTD, Fomecedor da Corte d Bussia
207, RA SAtNT-HONOR, PAW8
Vad8-te em todas principaes Perfumaras, Pharmacias s Drogaras do mundo.
MAKDA-SS DE V.iRI* O CATLOOO ILI.LSTyDO PRAKCO DE POETE
-------------------------------------------1-----------|-------r~.tgkwm
FABRICA
DE VIDROS
US Ra d*Aurora 193
Expoe venda em grosso
e a retalho os productos de
seu fabrico: sendo
Copos com e sem pe, ditos
com aza para cerveja, cali-
ees, globos, chamins, frascos
para botica etc. etc.
Precos sem competencia
Escola nocturna
Os profesfor8 Julio Soares de Aaevsiio eTho-
msz pataleante da Silveira Lins, dedaram ao
rsndtavel ptBco aae acasavse afcertos os
tranalnos de aua escola particular de instroecao
primaria (nocturna), ra do Cotovello n 14,
a qaal funecionadas 6 as 9 horas. Os mesnris
e8tabeleceram o mdico preco de 2 para os que
poderem pagar, leccionando gratuitamente aos
pobres.
Typopphia e Lilhograpfcia"
FABRICA DE LIYRQS D&ESCSffT-
RACAO
Premiada na exposlces de
188 e 188
Manoel J. de Miranda
Bacademacio e espeoialidades em eartoes de
visitas.
39-Roa Duque le Caxias39
Telefonen. 194.
Mercearia Equidade
Riia de Hortas n. 1S
Grande variedade de vinhos engarrafados,"por
commodo siego, e superior qualidade, recabidos
directamente, como sejam: vinho de Pasto, Col-
lares, Fjgueira, Verde, Palbete, Moscatel, Malya-
sia e outro sem igual, especial para senhoras-
Vndese superior carne secca- de porco, vinoa
do sertao, vinho finojdo Porto a retalho.

Precisarse
de urna criada : a tratar ra Mathias de Albu-
querque (outr'ora ra das Flores) n. 21.
Professora
Urna senhora competentemente habilitada, com
Sratica de 11 annos de profissao, apresentaado
versos attestados de bom methodo e comporta-
ment, offerece-se para leccionar em casas par-
ticulares, na eidade ou em seus arrabaldes as se-
guintes materias : Portugnez, Francs, Italiano.
Geographia, Piano, trabamos de agulha, etc.; a
tratar a ra Visconde de Goyanna n. 69 ou em
casa doRegulador da Mannhara larga do
Rosario n. 9.
Ing4ez
Em virtude de ter sido muito procurado e nao
podido satisfazer aos pedidos'de todos, mandei
chamar um collega da Inglaterra (Mr. Dick) que
j se acha no caso de receber discpulos de n-
glez pratico.
/. Fanstone, ra do Progresso n. 9.
Mb. J. Fanstobb, tendo de modificar a lista de
seus discpulos para o novo anoe, pede as
Exmas. familias e senhores que tm-o honrado
no passado que communiquem-lbe os seus dese-
jos para qae elle nao falte na attencSo devida
aos Illms. Srs. seus discpulos.
Os Srs. doutotes desla praca que tenham-eo-
nhecimento de mglez eque^queiraa seaperfei-
goar na pratica, dirijam-se a i. Fanstone, n. S
ra to Progresso, on na casa Evanglica n. 4,
raa estreita do Rosario.
Tambem pira maior commodidade das pes
soas empregada8 no comnaercio tcnbo resolvldw
abrir mu lu so nuuturuu de iuglez pratico,
qual funccionar no 1 andar da casa n. 4, na
estreita do Rosario.
Mr, teorge b. >!md. nico professor ame-
ricano da lingua ingleza, pode ser procurado
nos sabbados ra Conde da Boa-Vista n. 28,
sobrado defronte da estaeSo da Holedade.
^>lVERemp4^J
A* MAfElFBMAHIi
JJO JAPO
SABIO. ESSENGIA. AGUA-BE TOILETTE. PO DE ARROZ. OLEO.
PEREIRA A HAfiALHAJES
0
HHHja-
!25
Peptonas Ppsicas
CHAPOTBAUT
utioo d 1*
wnnr MJk /tote fBjfit* f *H)-*k-Juein>. J*rfadr i wm
A fmwumm producto as dictas da carne axtrahlda a* astoaaco do oarosiro s iraoafSrauda m a iitamto sotavsi, >;
n**, W tara todos os poNas^s iiimmi far r-
jjJMimiaH iiiir"-1. aas vas tsr s todos ospaHos-ao afgaatssao far Mis Aa
treuli cao vsooss, aneato as dosntas sbi fatigar-lkss o titoio.
-^^Td^pIrt2n.i c^-^sl *c: -TaiSo^;"!^^; c
U- por causa a. a. dieftes, r^*??^0-^ ^^LX
asartt
Asa pai
ItM m an^ ohiorss; m> cmm da paito, aa A^asntarla
pai!.' m^taaTTas Mea* *{*- a U***t. Etts Vtabo aBaMBU at
a^r^alo^)iM)rlaoA^oa,a^ ***** do lajt^daapt-
artaodorBa-oaMis rtoo forHAosas wUm woU provfliniali as

&
. da Psptona da -------
sala s sm clvateres, tasa o podar As aliaiMitar durenu
grasas, como os tsicos, qae nao psalo tolenr alimento abroa, SS
Nsoftas*dabnga,dos rins s As BMdoUasaaaiBal.
as PEPTOMA K CMAPOTEAUT
___-nt i sasalls ospsMat fawwmst'
ssia, s. Rao TrstauM nm prtosty
MOLESTIAS oo CORACAO
AisViAsiiTKas-Caratuu liBIQI. tasutaiMisMMsik*cvIim
|HrEIII9AlJBfcC08Aao.PALriTACESiUTBllF18Iill
l.m
.nib.pi
Depostanos
f Molestias Nervosas
1 Capsulas do Doutor Clin
Laureado da Faculdade da Uadiciiu th-ttrit. Premio Montjm
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bronmroto de Camphora empregao-se
as Moleatias, as de Cerebro e contra as afleccftes segaiaiss:
Asthma, Insomnia, Palpitaode do CoracAo, EpilepaU, Hallucnacao,
Tontairas, Hemicrania, Asccoea das vias urinarias et para calmar toda
espaois de oxcitaofto.
i Um ats//oasso dettlhada awmtaaha uda Frase*.
Exigir tu Verdadairas Oapsalaa as Bromureto dt Camphora da CLIN C'S
. da PARS, qu ancontroo em cosa do Drogmaias et PharmactmtitM. ^
MORRHUOL de CHAPOTEAUT
O Morrhaol contem todos os principios aae entrao as oomposieso do oleo de
Agado ds icalhao, excepto a materia gordurosa. 0 oleo, como ssbsm iodos,
deeagradaval oslo aso chairo s seu sabor, multss vesos rejeitado pela estomago e
provoca a diarrha. O Morrhuol polo oontrario bem aoceito polos dosates, e
actualmente, nos bospitaes e em todos os eatabelecimentos ds caridad*, ena clnica
civil, os mdicos felicitto-se por ter enooatrsdo no Morrhnol um sjedioamento,
que daaparta o appetUe, sesaa osas a tosas s oa aora* aootarnoa, reatue
aos tisioa as odres perdidas, augmenta-Ibes as Torcas, melborando oonsidora-
velmente o seu estado. O Morrhnol, que as creancas tomao sem s menor difflcul-
dade, modifica prompUmeute a ana constuiclo, quando 'Sllas sao debela e
lymphaticaa e aujeHas a reafriamentos.
O Morrhnol, que um preducto sm tudo differeote dos chamados extracto
de figado ds bacalho, encontra-se sncerrado sm capsulas redondas, cada asas
das quaes representa 26 vesos asa peso de oleo escaro, que os medios
reconhscem aer o mala rico de principios activos.
PARS, 8, Roe Vlvlenne, Cha preto superior
Carlos Sinden avisa seus amigos ere-
gnezes em geral .que receben pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por preoos mais resumidos em vista
da continuacSo do cambio favoravel.
Convem que experimenten!.
48 RUADO BARAO DA VICTORIA 48
ELIXIR X>0CHAMP
Tratamento flecorntituinte
de
COM EXTRACTO
Fiejtxdo eie Iiavalhu
Quina e Caeu
.----.--
Cada fruco att
ELIXIR oonm
principios depurativos
*enico do fijado do bocalKiu o
um litro do vinho do Quina. <
Tom obro o oleo do
*(do.daooiMua..
tgm do aeoojaror ao
Aihofto do ootomafo
om lujar do aa por turbar,
o do dooportar o appoflto.
Este Medicamento, de sabor e gsto
muito agradaveis, obteve o raelher sac-
oeeso esa Franca para cosobater :
ANEMIA, CHLORSE,
AFFECCOES dos BRONCHIOS
e PULMES,
e a FRAQUEZA das CR1ANCAS
Dapoeito floral em PAJrUS :
CT7 0BAKP, 10, ra 4# Poitea
Em Ptrnambtw .
PP'N M. da SILY

rtaAis.ee m, da SIL YA A Q*,. JS
Cautellas 4o Monte de Saecorro
Comara-se cauosuas do Monte de Soccorro de
qualquer joia, brilbautes e relogios paga-se
bem na Praca da Independencia n.z, loja de
relojoeiro.
Gat^l
ta
Perdeu-se hontem 16) n'uraa das ruai desta
eidade, urna cacolta de ouuo de lei, tendo n'uma
face a corea brasileira e n'ostra as rnieiaes C.
F. T. J : quem a acbar e quizer restituir, diri-
ja-se ra do Rangea-n. 57, que ser gratifi-
cado. _
| Precisa-se de urna criada
para o servico de urna fami-
lia, a tratar na na da Sole-
dade n. 82
AVISO
A abaixo assignada previne ao publico e ao
commercio desta eidade, que nao facam traasac-
cao de especie alguma com a parte do sobrado
n. 11 sito ra estreita do Rosario, pertencente
a Manoel Sodr da Cunha Motta, e nem outro
qualquer negocio, sob pena de ser nulla toda
transaeco feita pelo dito senhor. Recife, 11
de Janeiro de 1889.
Lauhnda Martina Rio.
Cosinheira ectiado
Preciaa-ee ; na raa Velha u. 137, sendo o cris-
do menino ou rapas.
- ,----.,, ,.
Aviso
Aos Exms. Srs. paes de fa-
milias
0 professor titulado Joo Feixeira Bastes, con-
tinua a leccionar nao so em casa de sua residen-
cia, como em casas particulares as materias, que
constituem a instruccao primaria das 3 s 4
horas da tarde.
Curso especial: portuguez, francez, geogra-
phia e historia das 4 as 6 da tarde.
Aula nocturna das 7 s 9 da noite.
Mensalidade achantada feita no acto da matri-
cula.
N. 7 ARuadoCaldereiroN. 7 A

Criado
i
Precisa-se de um criado
numero 19.
na ra de Paysandu
i
Aluga->se barato
Rna do Rosario n. 39.
Ra do Calabouco n. 4 1* andar.
Baixa Verde n. 1 C. (Capunga).
Ba Visconde de I tapanca n. 43, armazem.
A ra do do Calaboco n. 4 loja.
Largo do Corpo Santo n. 13 z- andar.
Ra Santo Amaro 14 1 andar.
Ra Vinal de Negreiros n. 45.
Trata-se na ra do Commercio n. 5,1.* andar,
escriptorio de Silva Guimaraes & C.

Aluga-se

o 2.* andar da casa ra da Aurora n. 81 (junto
estadio da estrada de ferro de Olinda), coa
grandes commodos para familia ; a tratar-no es-
criptorio de Sebastwo de Barros Barreto, roa
do Bom Jess n. 16,1. andar.
Aluga-
se
as casas n. 89 ra Vidal de Negreiros n. 130 4
roa oronel Suassuna. e um sobradinho em Alo-
cados, com bastantes arvores fructferas, ns
becco do <}uiabo n. -64; a tratar na ra 'Marclf
Bas n. 106.
AMA
Precisa-se de urna boa ea-
gommadeira, na ra Duque
de Caxias o. 42, por cima da
typographia do Diario.
).
SaaSlsSsS
Precisa-se de urna ama ; a tratar na rna de
Santo Amaro n. 6, 1 andar.
----------------___.....-----------------' "' .........M.p.......^.......i wm
Ama
Precisa-se de urna mas para eoainhar, para
casa de pouca familia ; na ra do Livramento n.
tt. 2 andar.
Ama
Pracisa-se de urna ama para casa de familia
na raa BeUa n. 43, casa de azulejo. ^^^

Ama
Precisa-se de urna ama para casa de pequea
familia ; na roa de Peysanau n. 19. _
Ama
Precisa-se de urna arar para comprar e eosi-
nhar para casa de pouca familia : a ra da Pe-
nhan. jM.Jf aodar.
Ama
Na raa Formse o. 8, precisa-se de na boa
cosinheira e engommadeira, e que durma em
aasa.
2S
t
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar para casa
de familia; a tratar na roa dos Guararapes n. 88.
Ama
Precisaae se urna ama para eoainhar,
casa de familia de tres pessoas ; .aa ras
numero 69._________________________
Ama
Precisa-se de urna ama para coinbar, .
casa de familia ; na ra Duque de Casias n.
loja.
Precisa-se de nma ama para engommar etn
casa de psuca familia ; a tratar na na Doqfe
de Caxias n. 48, loja.
Vti
Precisa-se de ama ama para cosmbar ; na rna
da Madre de Deus n. 5, S- andar.
Ama
Precisa-se de urna ama para eosinhar e com-
prar : na raa Nova n. SO, loja. _________
Ama
Precisa-se de urna cosinbera para casa de
pouca familia ; na estrada de Joo de Barros .
ti, ou ra do Vigario n. 4.
Ama
Precisa-se de urna ama para eosinhar, par
casa de familia a tratar na ra dos Guararapes
numero 88.
Ama
Na ra Marques do Herval n. 61, sobrase, i
precisa-se de urna ama que cosmhe.
Amas
Precisa-se de duas amas pasa casa de peque
na familia, sendo urna para cosinha e ootroi
servicos domsticos, e de outra para lavar e en
gommar : na ra do Imperador n. 40.
V
LJ
i "


8

X
Dfarfo de PernambttcoSbbadq I> de Janeiro de 1889
I

Cem caixasc llegadas pelo
filie do Cear
Sahem hoje da alfandega estes preferidos queijos
ue d'esta vez chegaram sem nenhum defeito: podera veri-
lear os Srs. mercieiros as casas de
Domingos Cruz & C.
Fernandes da Costa.& C.
Joaquina Duarte Sinies &'C.
Costa Lima & C, e
Charles Pluym.
zoes pegas com
Ao commercio
Os abaixo asignados declaram que nesta da'r
dissolveram amigavelmcnte a sociedadc que ti-
nham no estabclecraiento de molhados sito
travessa Duque de Caxias n. 9, que gvravf
sob a firma de-Antonio Marques C, sanindo
o socio Marques pago e sulisfeito de seu capi-
tal e lucros, ficando responearel pelo activo e
passivc da extincla firma a socia D. Mara Eu-
genia Correia. Deeta data em diante o dito esta-
Delecimento gyrara sob a firma de viuva de Ber-
nardo Jos Correia & C.
Recife, 16 de Janeiro de 1889.
Antonio Leite Uarqtu$.
Mara Eugenia Correia.
Cozinheira
Precisa se de urna boa cozinheira que durma
em casa dos patres, para casa de pequea fa-
milia, na ra co Coode
portao de ferro.
Caixeiro
da Boa-Vista n. 4 F.,
Precisase de un caixeiro que teulia pratica
de negocio de molhados ; Tratar no caes do
Ramos n. 28, armazem.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 10 12 annos,
com pratica de molhados e que d fiador sua
conducta : a tratar na ra (onde da Boa-Vista
n. 87, prefere-se brasileiro-
VENDAS
Vende-se um estabelecimento de molhados
com proporces para grande negocio ; na praca
Conde d'Eu n. 18.
Vende-se o antigo e bem afreguezado es-
tabelecimento de calgados nacionaes da ra do
Livramento n. U, o qual se torna recommenda-
do pela boa localidade em que est ; a tratar
no mesmo. ___
Vende-se urna 'averna no bairro da Boa
Vista ; a tratar na ra da Iraperatriz n. o^____
Terreno barato
Vende-se barato, ou permuta-se por urna
a freguezia da Boa-Vista ou da Graca, de
Telegramna familiar
Vejam e admirem
na
casa
le va-
lor correspondente, um grande terreno na ra
Imperial, defronte da casa n. 320 (centro), com
33o.palmos d frente e fundo para a estrada de
ferro de S. Francisco, cujos Omites atravessa;
proprio para edificago e com capacidade para
bons viveiros.
No Caf Ruy, ra do Barao da Victoria n. 56,
se indicar aos prelendente* a pessoa com quem
ge trata.
Taverna
Vende-se urna taverna com pouco capital, pro-
pria para principiante, tem commodos para fa-
milia ; a tratar na ra da Couceigao n. 11, 3-
andar.
55 -Ra Duque de Casias55
Pedimos o respeitav el publico attengaopara
os pregos reduzidos dos segujntes obiectos:
Zefiros de 80, 160, 200, 240, 400 e 800 ris o
covado. grande sorlimento.
Capas para onhora, o qae ha de mais mo-
derno e barato. .
Espartilhos de couraca a 44, 5f e 600 um.
FustOes brancos e de cores a 360 e 400 ris o
covado.
Lasinhas de quadros e stas de 240, 280, 320,
j 400 e 500 ris o covado.
Grande sortimento em fichus.
Cortes de linn bordados para vestidos, com
todos os enfeites a 144000.
Colchas brancas e d cores a 2000.
Luvas de seda fina a 2*000.
Cortes de cachemire com \idrilhos o que ha
de mais novo.
Cambraia com salpicos de cor, novidade em
gosto e ba~ato.
Grande sortimento em pnnhos e collarinhos
para homem.
Bramantes de algodao e linho e por pregos sem
competencia.
Cretones para vestidos, um sorlimento esplen-
dido em padroes c precos.
Cambraia branca com salpicos a 4000.
Brins de cores para roupas a 320 ris.
Atoalhados de diversos gostos e barato.
Madapolao para familia, muito largo c por um
preco rasoavel a 6400) a peca.
Merinos de cures a 500 ris o covado.
Completo sortimento de sargelins a 24000 o
covado.
Renda hespanhola a 2* c metro.
Setins de todas as cores a 800 e II o covado.
Tecidos arrendados de diversas cores a 400
jis.
Vanedade immensa era toalhas felpudas, bran-
cas e de cdre3.
Cortinados de crochet c bordados por presos
sera competencia.
Baptistas de cores a 120 ris o covado.
Cambraia Victoria c transparente a 34 a pega.
Completo sortimento em casemiras de cores e
pretas para roupas. *
Crinolinas branca e preta a 400 ris o metro.
Renda oriental, novidade, 500 ris o covado.
Camisas brancas com collarinhos para homem,
cousa chic a 2*000.
Tapetes, grande sortimento e barato.
Amor da China, fazenda de fantazia de iistras
e quadros a 200 ris o covado.
Cortes de meias casemira a 24, um.
Linn bordado de quadros, o que haade mais
novo a 800 ris o covado.
Alm do que acabamos de annulciar tem urna
variedade de mercadorias que so vendo-se.
Do-se amostras sem penhor.
55-RA DUQUE DE CAXIAS 55
Bom terreno
Vende-se um terreno de 180 palmos de frente
e 150 de fundo na ra do Cooselheiro Portolla,
nos Afllictos : o terreno est cercado e tem a-
guns arvoredos novo6 plantados : quem preten-
der dirija-se ao esenptorio deste Diario, que
achara quem indique o vendedor.
FOLHETIH
& SUBID
POR

JULIO MARI

TEIKEIRA PARTE
HONRA POft HONRA
(Continuagllo do n. 14)
III
Jorge, preciso que viva, jH-eeiso,
eu quero... E prohibo-lhe de fallar na mor-
te em minia presenga, se nao quer que
eu chore...
Sini, a senhora tSo boa quanto
melga, quanto bella !... Ai de mira co-
mo quizera forjar o seu coracSo a amar-
me, se eu eativesse bem disposto, se avi-
^ da se annunciasse longa para mim!... Con-
JlL cedeu a sua compaixo ao doente, ao mo-
ribundo ... Elle n3o podia exigir mais do
que isso...
Nao smentc piedade pe eu sinto
por si, Jorge.
Claudina estava paluda e profundamen-
te perturbada.
Amizade, tambera, nao verdade?...
Nao tomei-a por confidente de tudo quanto
eu havia sonhado, de tudo quanto havia
soffrido ?. Mostrei-lhe todo o meu ser,
at ao fundo do coracSo... Quera forjar
assim a sua affcieSo...
. J disse, Jorge, redarguio ella tre-
\ meado, que n3o era b a piedad que vo-
e me inspirou... masum sentmento mais
."Jctio...
9 Mais temo Claudina.. .
Elle levancou-sc tremende. Pegou as
/ mos da moja, apertou as, bciiou-as fc-
rbrihnonte. Ella abaixou os. olhos.. As
*uas faces achavam-se agora tingidaa de
j Vermclho muito vivo... ^
f Claudina, acabe, acabe, gupp]
jjF Mas reoahio na cadeira, aniquilad
hausto.
Nio, Claudina, nao, sio diga mais
>.da. cale-s!
Alojadas Listras Azues
A'j RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Telephone n. Sil
O proprietario desta conlbcida casa previne as
Exmas. familias e todos os aras fre-
guezes, que as pechinchas que costunia
dar, nao sao nem nunca forara divididas
de outra casa como ulguem* annuncia
para engaar, yendendo fazendas ordi-
narias por boas, castume que a IiOjn
da* L.iru. Amo* nao tem.
s fazendas vendidas nesta casa sao de boaqua-
lidade, e nao levam medida escassa ;
aceitase a fazenda vendida se, por
quaiquer motivo nao fr de muito agra-
do da pessoa para quem for comprad a.
Da-se descont a quem comprar de 201
para cima.
ESPECIALIDADES
tli lu d< listras
20 varas a 60000.
Hadapolo com um metro de largu-
ra a 60800 a peca.
Cortes de vestidos bordados em
cartao a 100000.
Velllidllho bordado a contas a 10600
o covado.'
Cachemiras pretas, de
r azuladas a 20 e 20500.
Tecidos fantazia arrendado a 400
500 rs.
Cortes de cachemira com guarnijBcs
bordadas, lindas cores, a 200 e 250000.
Setlm Maco de todas as cores a 750,
e 800 rs.
Unon bordado, tecido de urna s cor,
quaiquer que se deseje, a 200^rs.
Zeflros lisos e bordados, tecido fino,
novidade a 500 rs.
Lis de quadrinhos a 200, 240 e 360
o covado.
Julios
100 rs.
Ciuardaaapos melhor
10800 a duzia.
Atoalhado-branco c de cores a 10.
Oleados para mesa redonda
drada a 40000.
Cortinados de crochet, com sanefas,
ultima novidade, para janellas e portas.
Crochel par cortinados a 900 rs. o
metro.
Colchas de fus tilo,- brancas e de ec-
qua^ros
a 200,
lisos a 60 e de quadrinhos a
qualidade a
a
ou qua-
res, a2f5000.
FERY4NDESDEAZEVED0R
Vaccas de leite
Vende-se duas vaccas de leite : a tratar na
Tamarineira, sitio defronte do > zylo de Alie-
ados.
Taverna4
Vende-se a (averna sita ra da Santa Cruz
n. 5, em razo do dono tur de retirar-se. A casa
tem commodos e agua encanada, e vende-se
muito barato
E encostou a mjlo descarnada no cora-
cao para comprimir-lhe as pulsares tu-
multuosas. Suffocava. Os olhos fecha-
ram-se-lhe. Claudina aseustou-se. Cha-
mou-o:
-tf^go-! Jorg.U i*i*w a a*
Elle murmurou com voz fraca :
Seria demasiada felicidade. Me ma-
teria...
E ficaram aseiin limito tempo, a olia-
rem-se niutuamento.
Esfavam ambos com os olhos chelos de
lagrimas.
De repente alie, disae :
Nao, falle, Claudina, falle-----Fi
mal em interrorapel-a... Morrer de felici-
dade, nao a mais bella, a mais inveja-
vel das mortes?... Claudina, falle, falle .
Voc adivinhou, Jorge... Que ne-
cesBidade ha que eu diga ?
- Nao, nao, quero ouvir...
* Amo-o, Jorge...
Meu Deas! ella disse-o... Ouvi per-
feitamente.. Claudina, diga mais urna
vea.
Arno-o, Jorge, ha muito tempo... t
Claudina, Claudina, obrigado... obri-
gado... Morrerei feliz.
Elle empallideceu. O seu rosto esteva
to lvido, que dir-se-hia que acabava de
extngnir-se-lhe de repente a vida, e que
Claudina nao tinha mais ao p de si se-
n2o um cadver. Estava com os olhos fe-
chados a bocea cntreaberte, a cabeca recli-
nada as costas da poltrona... Nao ..se
mexia maie. ..
Ella paesou a mao por aquella testa em-
pallideoida pela molestia.
Estava completamente molhada de suor
fri.
Jorge ee'-ava desmaiado. Era una fe-
lic-idade demasiado grande para a sua fra-
queza.
Nao pode eupportal-a".
Ella desvolon-se pelo moco, tratou-o,
rcstituio-lhe 03 sentido* Elle abri os
olhos. Claudina roja-lhe entilo os cabel-
los co3i um Ikjo e esquiva-se, deixan-
do-c
Elle recorda-se do que se passou. Vol-
ta a cabeca, olha para todos os lados, pro-
cura-a.
Claudina! Claudina !.. .
Porm ella tir.ha fgido. Ent-j elle
murmura :
EQa ama-mu! como a vida seria
feliz!... ella, ama-me, mas de que me
sarve essa ventura ?... querida crianca !
querida enanca! Ah! se a minha morte
podc^sr ao menos Eer-lhe til!...
IV
as decorreram sem incidentes
Chitas finas precalcs a 200 e 240 rs.
Chitas escuras a 160, 240 o 280 rs.
Batlstes de cores seguras a 120 rs.
\:inziif de lindas cores a 280 rs.
Brlm pardo esguiao a 240, 280 e820.
Casinetas de cores escuras para rou-
pa de homem ou menino a 400 e 500 rs.
Hantilhas de renda hespanhola, pre-
ta, de seda a 80000.
Capas c visitas, de cachemira, de ren-
da, com lindos enfeites e com vibrilhos a
200, 250 e 300000.
Leques de pennao c transparentes,
ultima novidade, todo prejo.
Luvas de seda, liza*, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de quaiquer cor a 20.
Espartilhos inglezes a 40500 e 50,
tem desde o n. 40 at 80" de grossura.
Itlco branco reme e de todas as
cores desde 700 rs. at 20500 a peca.
Rendas hespanholas, de seda e de
algodao, preta, branca e do quaiquer cor.
Bailados e ntremelos bordados ta-
pados e transparentes por todo preco^
t-rampos e pentinhos fantazia para
cabello a 400 e $00 rs.'
Baldas para vestidos a 260 rs. a
duzia.
Reloglos despertadores com fi-
guras em movimento a 80 e 90000.
E muitos fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas na loja
LISTRAS AZUES de
Jos Augusto I )ias
que nos interessem, mas isso nao passava
de um momento de folga, e as situac^es
iam sneceder-se rpidamente, mal dcixan-
do aos BOMOB personagens o tempo de se
reconlucwem e de se encontrarem.
Digamos todava que durante esses quin-
ze dias Luciana, cedendo s solicitacoes
de Montmayeur, havia consentido em vol-
tar para a fabrica.
No espirito dos aldeoes que a conhe-
ciain. ella nao podia baixar, visto que para
elloo a sua reputacao estava perdida.
Qtuinto a Mara Doriat, sabia de tudo,
e d'alli por diante nao podia mais admirar-
se de nada. Nao tinha mais cousa lgu
ma que perdoar a Luciana, e coiitentava-
se em orar por .ella, afim de que lograse
bom xito na estranha e audaciosa tentati-
va que havia emprehehdidd!
S Jorge havia querido oppor-se volt
da moca.
J0S0 nSo o havia escufado. Luciana ha-
via-o mbaracado pela precisSo das suas
respostaa. E ficara.
Ora, Claudina nio tinha reapparecido
na fabrica depois que Luciana para l ven-
tera.
Jorge inquietara-se com isso, pergutta-
ra a Lucan qual a razo dessa ausencia.
Esta respondeu vagamente que julgava
a irma incommodada.
Jorge dirigira-se a Bernadettes. E ah
vira Claudina rsonha e bem disposta.*.^> \
Mas a moca tambera nao quizera expli-
car-se.
E Jorge voltara para a fabrica mais
doente, mais do que nos outros das com
rece de urna catastrophe em futuro mais
prximos
Disse a JoSo :
.. Claudina e Luciana n3o se amam
mais. O teu amor separou-as.
Que me importa, urna vez que Lu-
ciana me ama ?.. .
Toma sentido.
O que tenho a temer V
Ameaca-te urna desgraca.
Qual ?
Ignoro-o. Temo-a, o mais nada.
Se conhecesses esse perigo, me ad-
vertiras delle ?
Jorge nao respondeu logo. Joao fite-
va-lhe um olhar ardente.
Insisti :
Vamos, responde, salvar-me-hia, a
mim, teu irmao ?
E Jorge, em voz baixa.e trmula :
Sim, s meu irmao... parece-me que
te salvara...
E accrescentou para si, torcendo as
mos:
Eu seria bstente covarde para tan-
to! Salvar-te-bJsTaMW isso aprestara de
certo o meu fim...
Grande liqidacjo
10 Ba do Barao la Victoria 1
AZEVEDO IRMAO k C.
Resolveran*vender mais barato para di-
minuir o seu grnde deposito, para assim
poder dar balanco.
A saber :
Rendas de c6res, comprimento de saia
a 10000 o 10500.
Sargelim de todas as cores a 200 rs. o
covado. #
Baleias com forro a 400 rs. a duzia.
dem sem forro a 240 rs. a dita.
Bramante de linho, com 10 palmos, a
10400 e 10500.
Extracto Rite Sangal a 20200.
Fichs de 15 e seda a 10 e 10500.
Capellas cora veo bordado a 60000 e
70000.
. Merinos de cores a 400 rs.
Zefiros, largos, a 160 e 200 rs.
Cretones com ferraduras a 240 rs.
Madapolao (o verdadeiro Boa-Vista) a
60000, com 20 varas.
Toalhas para banho a 10 e 10500.
Colchas de crochet, finas, a 50000.
dem com flores a 80000.
Toalhas felpudas para rosto a 30000 a
duzia.
Bramante trancado, 4 larguras, a 800 e
10000.
Madapolao com 1 metro de largura a
70000.
Madapolao Globo a 70000.
Dito camisero legitimo a 70000
FustSo branco a 360 e 400 rs.
Setim branco e de todas as cores a 800
e 900 rs.
Tapetes grandes para sof, a 130000.
Espartilhos couraca a 40 e 40500.
Cortes de cambraia com carocinhos-a
40000.
Brins de linho de cores fixas a 600 rs.
Crinolinc branca e preta a 400 rs. o
saetro.
Rico sortimento de leques de penna de
80000 e 100000.
Gnardanapos de linho a 20 e 20500.
Panno de crochet p>a cadeiras a 800
reis. jf-
Ditos grandes para sof a 20500.
Cambraia Victoria c transparente a
30000.
Merino preto, fino, a 800 e 10000
Camisas francezas,. finas, a 330000 a
duzia.
Nanzuc de cores finas a 240 rs. o co-
vado.
Capas de cachemira preta.
Renda hespanhola a 10000
Cretone com duas larguras
Batistcs finas a 140 rs.
L3 de quadros a 280 rs.
Cortinados bordados a 50500.
Ditos de crochet a 100000.
Caraibas de flanella com collarinhos
sem elles.
Palitots de palha de sdc, todas as co-
res.
Luvas de seda-
Fazendas de phantesia e abertas.
Cachemiras com listras e quadros a
500 rs.
Cortes de casimira a 40000.
Etemine preto.
Cprtes de cambraia aborta a 50000 a
peca.
Cortes bordados brancos e de cores.
Seda palha crua com flores a 800 rs.
N. B.As fazendas compradas na nos-
sa casa nao sendo do goste do freguez, se
trocara por outras de mais gosto.
Telephone n. 200
rs.
c 10500.
a 400 rs.
Cimento
Vendem Fonseca Irmos, no largo da Alfan-
dega.
Entretanto as palavras de Jorge haviam
produzido alguma impressSo no espirito
de Montmayeur, porque este perguntou no
correr do da a Luciana:
Por que Claudina nSo vem mais aqui ?
A moja respondeu como tinha respondi-
do a Jorge:
Ella est doente.
N3o. Para que mentir ? Se do con-
trario.
Luciana abaixou a cabeca.
Claudina pretenda afastar-me de vo-
c, disse elle.
Por que razio !
Ignoro.
Lile nao insisti, mu a attitudc da mo-
ca inspirava-lhe nquietacao. Ella pareca
preoecuppada.
NSo tem desgastos ?'
Mfo Contina ^'mar-ine 'i
Contino.
A guerra nSo pode durar'muito tem-
po njais... Os allemaes pretendemdeve
tel-06 uuvido dizer, como euque Pariz
nao tem mais vveres. speram ura ss-
for90 supremo da guarnifSo. Se ess&,5re-
fbreo fortepellido, Pariz capitular. E' o
fim da guerra. Entao^ Luciana, casar-
nos-hemos, nSo assim?
Casr-nos-homos, sim, Joao.
Amo-a mais do que nunca, disse elle
apaixonadam ente.
E depoz-lhe um bejo na testa, muito
peo dos olhos. Ella nao se defenda
mais. Supportou o beijo do monstro som
dar demonstraeoes de horror. Apenas as
faces empalhdecerain-lhe um pouco.
No correr da tarde desse da, um ho-
mem desconhecido dos Montmayeur apre-
sentou-se na fabrica.
Estava vestido como um operario car-.
Eiinteiro. Paleto de velludo castanho, cl-
ete e larga calca do mesmo tecido, rafa-
dos pelo longo uso. Um' barrete pelludo
cobria-lhe a cabega at s orelhas protegi-
das desse modo contra a briza gelada.
Um enorme cache-nez de la castanha ro-
deava-lhe* o pescoco e envolvia-lhe o rosto
at o nariz. S este recebia as caricias
de urna geada intensa, que tingia-o de
vermelho e fazia-o gottejar como urna
fon te.
Esse homem to bem prevenido contra
o fro, nao era outro senao Courlande, e
o nosso amigo mostrava muito stoicismo
no seu sotSo aberto a todos os ventos,
para que fosse possivel crer que s o re-
ceio do fro o obrigava a vestir-se daquelle
modo.
O barrete de pelle e o cache-nez devam
antes sorvir para protegel-o contra quai-
quer curiosidade demasiadamente indis-
creta.


[
1
Barato
S na loja das Estrellas
38-MA DIPE DE C4XIAS-S6
Telephone n. Slo
O proprietario deste mui acreditado estabeleci-
mento previne a todas as Esmas. familias
c freguezes em geral, que as muitas pe-
chinchasque costuma tazer, naosaomais
divididas com a sua ex-casa das LISTRAS
AZUES; portanto, quemazer^oiiiprar por
menos que em outra quilDuerparte dirja-
se LOJA DAS ESTRELLAS, onde encon-
trai npleto e variadissimo sorli-
mento de fczenda.i que se vendem por pro-
cos que nSo lhe podem fazer competencia
como passamos a demonstrar, a saber :
Atoalhado para mesa,, de 10800/a 10000.
Dito de cores a 10 e 10300.
Bramante de quatro larguras a 660 e
759 rs. o metro e de linho com 10 pal-
mos de largura a 10600.
Briin de cres para ronpa de criancas a
280e320rs.
Colchas de crochet de 100 por 50000.
Cortinados bordados a 50 e 60000.
Cortes de cambraia, bordados, brancos
e de cores a 40 e 40500.
Cortes de vestidos, em cartao, a 70000.
Cretones, cores claras e escuras, a 160,
200 e 240 rs. o covado.
Cambraia branca, transparente ou Vic-
toria, a 20800 a peca.
Camisas inglezas para homens a 280000
a duzia.
Collarinhos, punhos e aberturas de cel-
luloid, um completo, por 20500.
Capas de vidrilhos e tecidos arrendados
a 100, 150 e 200000.
Casacos Jersey a 20500, 30, 40 e 50.
Damass de seda com lindas cores cla-
ras a 10200.
Esteiras brancas e de cores para, forro
de sala a 10100 a arda.
Esguiao de linho, pardo, a240e 320 rs.
Enxovaes para baptisado a 50600.
Espartilhos couraca a 30 c 30500.
Fichus a 500, 10'e 102OOw-
Fustao branco a 240 rs. *
Grinaldas com finissimos veos de Blond
a 70000.
Guarn5Ses de crochet para sof, a 50500.
Gorgorito preto.de seda, a 10800.
Guardanapos Je linho de 30500 por 25?
a duzia.1"
Leques de fantasa a 400 rs.
Lencos para meninos, a 320 rs. a duzia.
Luvas ce seda para senhoras a 10000,
105OO20 e 20500.
Ls.- cachemiras de quadros a 160 rs.
Madapolao pelle de ovo, muito fino, a
60000 e americano, com um metro de lar-
guro', de pre5o do 120 por 70000.
Dito de 80 por 50000.
Merino preto coin duas larguras a 560
e 700 ri.
Dito de todas as cores a 500 rs.
Ditos de quadros, lindissimas cores a
240 rs."
Rendas hespanholes a 10600, 10800,
20500 e30000.
Setim Maco, preto e de cores a 750 c
800 rs.
Dito de quadros, ultima novidade, a 10.
SargiBim de todas as cores de 160 a
200 rs.
Toalhas alcochoados e felpudas a 20500
e 30000 a duzia*
Ditas para banho a 800 e 10200.
Tecidos arrendados, ultima novidade, a
200 e 240 rs.
Zefiros de todas as cores a 80 rs.
Assim como muitas fazendas que seria
enfadonho mencionar, e que vendemos por
menos 20 j0 do que em quaiquer outra
parte.
vbA
ves tmim
Ra Duque de Uaxiasn. 103
Vende-se bordados de cambraia tapada
de 2 12 e 4 metros e urna chave de lar-
gura a 500,600, 800 e ty amito fino, de
quaiquer largura a 10400, e de fustao. d
700 a 10800 a peca.
Enxovaes para baptisados a 80, 105
120000.
Lindos enfeites para penteados a 100,
200, 300 eSOO.rs. um.
Lindos granpos para segurar chapeos.
Renda hespanhola a 20500 o covado.
Pulseiras americanas para 30, 40, 50.
60 e80OOO o par.
Guarnieres americanas a 30000.
Lindos espartilhos a 40, 50 e 60000.
Porta dedaes de vidro, objecto para pi
sent a 10000.
Broches de fantasa de 500 a 10000.
dem americanos de 20 a 30000.
Lencos de seda de 500 rs. a 10500.
Lubaque a 200 rs. o par.
Guarnieres de crochet, sendo um p
sofe 4 para cadeiras por 6$000.
Finas capellas de pellica, panno e
com finos veos.
Flores artificiaes a 10000 o ramo.
Anneis americanos a 20000.
Plisss de 400 a 10000 o metro.
Luvas de seda arrendadas e bor<
a 20 20500 o par.
Bicos brancos de linho e de cores
20500 e 30000 a peca.
Contas de cSr para enfeitarj(*7estidos a
700 rs., e pretas a 600 rs.. masso.
Missangas de todas '> cores.
Lindos lequesi*"ncos para noiva.
Collarinhos^rpunhos de borracha.
Colchas d#crochet para casamento um
80000. '
Talheres para crianca a 800 rs.
Luvas de pellica a 20500 rs. o par.
Linhas de cores para crochet a 20000 e
cor de reme a 10500. ^
Lindos leques de papel de 500 rs. a
10000.
Espelhos com fina moldura, com dous pal-
mos de comprimento, a 40000 e cara dura
a 500 rs.
Finos binculos.
Agulhas para bordados a ouro e missan-
gas.
Lindas franjas douradas para facha, de
seda preta e de cores, sem e com vidri-
lhos.
Timaosinhos enfeitedos de bico e'renda.
. Grande sortimento de fitas modernas a
13 de Maio, Imperial Regente, a Nabu-
co e a Jo2o Alfredo.
Lindas fitas para facha a 20, 2pH30 e
30500 o metro.
Carteiras de chagrn para algibeira.
Finas gravaras plastroes e regatas a 10,
10200, 10500 e 20000.
Lindos porta-ps de arroz.
Grande sortimento de jarros para enfe-
tar consolos e sanctuarios.
Completo sortimento de perfumaras.
Finos sabonetas de todos os fabricantes.
Grande sortimento de alfinetes dourados
para enfeitar o pentciado e tambem gran-
pos muito lindos.
N. B.D-se amostras de bicos e bor-
dados.
"...............|p- *

n
Refinago
Vende-se urna importante renaco, situada
em urna das melhores ras da freguezia de San-
to Antonio : a tratar na ra do Rosario da Boa-
Vista n. 43.
Atravessou o pateo da fabrica sem en-
contrar ninguem, excepjao todava dos
altrales, que mastigavam a sua refeiclo e
nao prestaram attengao sua pessoa.
Mas nao era aos prussianos que elle sem
duvida procurava, porque dirigio-sc direc-
tamente casa de morada, bateu porta
da entrada, e. como niiiguem respondesse,
entrn.
Atravessou dous ou tres aposentos con-
tiguos, chamando.
E' o deserto, murmurou elle.
la at voltar, afim do informar-se com
os soldados, quando onvo um ruido de
passos. Abrio-se urna porta e appareceu
um homem de elevada estatura, que poz-
se a olhar para elle com sorpreza.
O que desoja, senhor ? A quem
procura ?
Desculpe, senhor. disse o agente de
polica, se entrei assim sem gritar : agua
vai 1 E afinal nao deixei de gritar, bat
bastante. Nao appareceu ninguem. E'
talvez ao Sr. de Montmayeur que tenho a
honra de fallar... m ^-
E'.
Disculpe!" Nlf o conheco. Nao sou
da trra.
* Quem entilo ?
Os pruftfiapos requisitaram-me ha
dous mezes' "para conduzir um lote de
bestas a Versailles. O meu cavallo mor-
reo esfalfado ; as mnhas bestas nao me
foram pagas, o"-meu carro estaa Piussia.
E a mim guardam-me vista, ou quasi
vista; em todo o caso, protestei que nao
voltaria ao Marno sem o meu dinhero.
Estou espera que me paguem.
E o que tenho eu com isso.?
Com a breca! nao grande cousa.
Mas o senhor perguntou-mo quem en era.
Sou obrigado a dizor-lhe, nao verddc?
Varaos ao aseumpto, meu bravo.
Seo um auxilio que solicita, bateu era
m porta.. seu pobre .
E' sabido que jiao ha vintem na fa-
brica, disse Courlande rindo... E eu nao
estou pedindo esmola.
Montmayeur empallideceu de .colera.
Vamos ao assumpto, repito!
v L vou. O senhor tem em sua casa
urna moga chamada Luciana, nao ver-
dade ? a filha adoptiva da Sra, Doriat,
mulher do condemnado morte ?
Montmayeur applicou o ouvido.
Sim. Essa moca mora aqui. E de-
pois i
Depois ? DeBejava, assim como queut
diz, fallar-lhe.
E o que tem o senhor que dizer-
lhe ?... Da parte de quem vem ?.
Venho da parte da irma dell.
nao tenho nada de particular que dizer-

/

:

i
~
Royal Biend marca VI IDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema s3o registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
lhe. E' urna carta que trago para cutre-
gar-lhe.
Urna carta ?
Sim, de Claudina.
De-m'a. Vou levar-lh'a.
Permitta-me... pediram-mc que eu-
tregasse-a pessoalmente.
Montmayeur encolheu os hombros.
Nao tem confianca em mim ?
Oh 1 l por isso nao !
Entilo ?
E' porque tenho que levar a resposta
moga de Bernadettes... Ella est a espe-
ra... parece-me que a cousa urgente...
Scnte-se e espere... Vou entregar
a carta e D. Luciana trar a resposta.
Ah entSo n2o ha a menor duvida.
Estendeu um enveloppe fechado, sen-
tou-se, tirn o cachimbo do bolso e per-
guntou :
Pde-se tirar urna fumaga ? Nao in-
commodar ninguem ?
Fume.
Montmayeur sahio, subi ao primera
andar dirigio-se ao quarto de Luciana.
No corredor parou e considerou a carta
que tinha na mao Ideas singulares atra-
vessaram-lhc o espirito. Por que Olau-
diua escrevia a sua irma, en vez de i
risital-a, como fazia utr'ora tao frequen-
temonte? ,Qual sorja a causa daquea
desintelligencia ? Que" motivo to poderoso -"
teria diminuid o affecto que as duas ir-
ais dedicavam-se mutuamente? Por que
parecia-lhe que o papel "que tinha entre
os dedos continua cousas graves, 4vcz
um segredo de vida ou de morte ?
Era mesmo a letra de Claudina. Elle
eonhecia-a. Nao podia duvidar.
Por que ento semelhante inquietado ?
E virando em todos os sentidos o en-
veloppe, descobrio de repente que elle es-
tava mal fechado e ceda num ponto, ou
porque a gomma fnsse de m qualkladi #
ou porque tivesse sido insuJBelentcmente
molnda.
Montmayeur soltou um riso eynico. Pea-
sava :
NSo recuei diante do um crme, e
liavia de hesitar diante do escrpulo de
abrir este enveloppe ?... Ora essa ?
Entrou rio seu gabinete e fechou a p
ta...
Estava ti) absorto que nSo vira Cour-
lande, que em vez de fumar tranquila-
mente em baixo, subir a metade da
cada, e ali agachado, com a cabeca ao
vel dos degros, espreitava Montmav
com os olhos brilhantes de alegra.
(CoHinuar-ie-haj
1



Tvp. do Diario ra Duque de Caxias n. 4S.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYUIHKKNM_VJIBS2 INGEST_TIME 2014-05-22T00:57:50Z PACKAGE AA00011611_17400
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES