Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17395


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i i

PARA A CAPITAL K LIGARES C\DE S.iO SE PACA PORTE
Por tres meaea aiKantados...............
PoraMJPr................ IW*>
Por na anno idem............... 23|00u
Cada numero avulso, do mesmo dia. ........ 0100
-'V-A \f
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados..............
Por nove ditos idem...............
Porum anno idem.................
Cada numero avulso, de dias anteriores..........
130500
20*000
270000
0100
DIARIO DE PERNAMBUCO
Trcprdade de Mancd Svgueiroa de tfaria tfpcs
TELEGRAHHAS
SSS7I5C PAMIWLASl SO BIABIO
PARAHYBA, 12 de Janeiro, s 10 ho-
ras da manha.
S. Exc. o Sr. presidente d'esta provin-
cia, Dr. Pedro Francisco Correia d'Olivei-
ra, embarcar no paquete nacional Mara-
ado, aqui esperado na segunda-feira pr-
xima, afim de acompanhar at Pernambuco
sua Exma. familia.
x A demora de S. Exc. nessa provincia
ser de poneos dias.
sfisrcc: sa a&estgia satas
NOVA-YORK, 11 de Janeiro.
Un cyclone acaba de causar grandes
estragos na regiao do Centro-Oeste dos
Estados-Unidos.
As perdas sao consideraves. Ha um
grande numero de victimas.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
13, de Janeiro de 1889.
PARTE OFFICIAL
Lovorno da Provincia
EXPBDIENTK DO DIA 19 DB DEZEMBRO DE 1888
Actos :
O presidente da provincia em execucSo da
le n. 2395 de 10 de Setembro de 1873 resol ve
Domear Adolpho Thiago de Farias para o posto
de capililo da 1* compaihia do 2" batalhao de
infantaria do servico activo da guarda nacional
da comarca do Recife, em substituicao do capi-
lao Antonio Machado Pereira Vianna Jnior que
foi reformado no mesmo posto.Communicou-
se ao commandante superior respectivo.
O presidente da provincia resolve promo-
ver ao posto de tenente da 2 companhia do cor-
po de policia o alferes da 1* Deocleciano Peixoto
de Alencar.("ommunicou-se ao commandante
do corpo e ao inspector do Thesouro.
O presidente da provincia resolve nomear
Ildefonso Carneiro da Cunha Albuquerqne para
o posto de alferes da 1 companhia do norpo de
policia.Communicou-se ao commanilante do
corpo e ao nomeado.
O presidente ea provincia, attendendo ao
que requereu o tenente da 2' companhia do cor-
po de policia Joaquim Servulo Vieira da Paz ;
Tendo em considerado que o peticionario con-
la mais de 23 annos de servico, segundo a certi-
do de exercicio que exhibi ;
Teodo em consiaeragao que n3o pode por in-
capacidade physica continuar a exercer as res-
petivas funrgOe?, conforme foi verificado pela
i ns peceo de sade a que se submetteu ;
Tendo em eonsideragio que vista do que dis-
ro art. 23 do regulamento de 8 de Xovembro
1873 e as leis provinciaes n. 82 de 4 de Maio
de 1840 e ns. 1114 de 17 de Junho de 1873, tem
o peticionario direito reforma :
Resolve reformal-o no referido posto com a
pensfio a que tiver direito, de accordo com a le-
zislago atada Communicou-sc ao comman-
dante do corpo e ao inspector do Thesouro.
O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o juiz municipal e de orphaos do
termo de Tacarat, bacharel JoSo Paes Barreto
Lin3. resolve conder-lhc dous mezes de licenca,
com o? vencimentos a que tiver direitOj para
tratar de sua saude, devendo o peticionario en-
trar no poso da referida licenca no prazo de 40
dia?.
Officios :
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Fago constar a V. S. para os fins convenientes
que. segundo consta de officio do brigadeiro
commandante das armas de hontem datado sob
n 3707, fallcceu ne3ta cidade no dia 17 do cor-
reute o major reformado do exercito Francisco
Genuino SimOes.
- Ao mesmo.Communico a V. S. para os
tins convenientes que o juiz municipal e de r-
phios Jf 'ermo de Caruar bacharel Antonio
Pedro daSrlva Marques em 12 do corrente mez
deixou i exercicio de seu cargo por ter sido no-
meado juiz de direito da comarca do Brejo nesta
provinca. ".
Ao mesmoProvidencie V. S. para que ao
rabo do esquadra, invalido do corpo de mpe-
riaes marinheiros JoSo Martina-da Silva, a quem
' foi concedida liccnfca para residir nesta provn-
cia, se abone por Tessa Thesouraria o sold e a
importancia das ralroes que llie eompetem con-
forme determinou o Ministerio da Marinha em
a vi-o de o do corrente, n. 2232.
__Ao director geral das obras publicas.For-
U'-ca Vmc. ao administrador da Casa de Deten-
gan o material que tem sido retirado' da obra do
raio do norte daquelle estabelecimento e o mais
que for necessano para a feitura de urna lavan-
'letra sem que dependa isso de augmento-ou
despeza esfecial Communicou-se ao Dr. chefe
de polica,
loriaras:
Tendo o governo resolvido que se coustrua
uuvo edificio para a Faculdade de Direito do Re-
cife no terreno limitado pelas ras Izabel, ma-
chuelo, Hospicio e Sete de Setembro, lembro
Cmara Municipal do Recite a conveniencia de
nlo ser feilo coutracto algum de arrendnmento
herido terreno, afim de evitar difliculdades
sportiva desapropriago a que se est proce-
deudo fegundo determinou o Exm. Sr. ministro
e secretario, dentado dos negocios do imperio
om aviso n. 3473 de 6 de Novembro lindo.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
ii* mande conceder passagem de r at Macei,
ao Sr. Vnote l.andim, por coota das gratuitas
a que o governo tem direito, na segunda viagem
deste mez.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco faca transportar em
carro de 2- cluss'-. da estagao das Cinco Ponas
a de Una, por conta do Ministerio da Guerra, a
Braca do exercito Jos Vicente Ferreira, que
tenno i.lo excuso do servico a 16 de Novembro
un I i na provincia do l'.io Grande do Norte se
io termo ue Aguas Bellas.Communi-
-e ao general.
EXPEDIENTE DO DR. SBC.RETtftlO.
olricios :
Ao brigadeiro commandante d
Sr. presidente da provincia manda acru-
o rei-ebimento dooflicio de V. Exr. de hon-
tem datado, sob n. 3707, de cujo assumplo fica
mteirado.
Ao Io secretario da Assemble Legislativa
ProvincialDe orderado Exm. Sr. desembarga-
dnte da provincia devolvo a V S. um
mplar da resolugo enviada com o seu officio
n. 97 de 14 do corrmte que deixou de ser sanc-
cionada : cabendo-ine declarar que foi publicada
sob n. 1953 a que approva as posturas da Cma-
ra Municipal do Recife. relativamente nume-
rago dos predios e designaco das pracas. ras
e travessas desta cidade.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia
do Recife.De ordem do Exm. Sr. desembarga-
dor presidente da provincia transmuto a V. Exc.
10 exeraplares impressos do regulamento do Re-
gistro (ivil, pedidoi m seu officio, a que res-
pondo, n. 17/de 17 do corrente mez.
Ao juiz de diieito de Itamb.De ordem
de S. Exc. o Sr. desemgargador presidente da
provincia transmitto a V. S. para os fins conve-
nientes e em solugo do seu officio de 6 do cor-
rete, copia de que o commandante do corpo de
policia dirigi ao mesmo Bxm. Sr em 15 do ci-
tado mez, declarando o motivo por que nao pode
ser satisfeita a sua requisico
Ao superinteB lente da estrada de ferro do
Recife ao S. Francisco. Exm. Sr. presidente
da provincia manda declarar a V. S., em refe-
rencia ao seu officic de 22 de Xovembro ultimo,
que nao ha vendo crdito na lei do orcamento vi-
gente para o pagamento de 1*350, de que trata
0 dito officio, concomente a.transportes effec-
tuados nessa estrada de ferro, convm aguardar
a decretaco do jpe-mo crdito pela assembla
legislativa provineil.
EXPEDIENTE DO DI i 20 DE DEZEMBRO DE 1888
Actos;
O presidente da provincia resolve, de con-
formidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
cia, em officio n. 1,321, de hontem datado, exo-
nerar, a pedido, Elias da Cruz Ribeiro, do cargo
de Io supplente do subdelegado do Io districto
da freguezia da Boa Vista, desta capital.Com-
municou-se ao Dr. chefe de policia.
O presidente da provincia attendendo ao
que requereu o 3" escripturario da recebedoria
provincial, Jos Torres Campos de Medeiros, e
tendo em vista o attestado medico exhibido e
as informaces prestadas pelo Thesouro Provin-
cial em officio n. 589, de 18 do corrente, resol-
ve conceder ao petidonario dous mezes de licen-
ca com ordenado na forma da lei para tratar de
sua saude onde Ihe convier.
O presidente da provincia attendendo ao
que requereram os rirofessores Affonso Monteiro
Pessoa e Francisco Marques da Trindade, este
da cadeira de ensino primario de Bem-te-vi e
aquel le da de Surubi m, e tendo em vista a in-
formagaon. 302, de 18 do corrente mez, do ins-
pector geral da instraccao publica, resolve, de
accordo com o artigo 172 do regulamento de 18
de Janeiro, ultimo, permittir que os peticionarios
permutem as cadeira s em que actualmente leccio-
nam. Communicou-se ao inspector geral da
instrucco publica
O presidente da provincia attendendo ao
que requereu o professor Francisco Manocl Be-
zerra de Vasconcellos, e tendo em vista os do-
cumentos exhibidos, determina que seja com-
putada na sua jubilaco que teve lugar a 3 do
corrente mez, a gratiticac5o de mrito, nos ter-
mos dos rticos 139 e 181 do regulamento de 18
de Janeiro ultimo.
O presidente da provincia determina qne
aya rescindido, umfoi me requereu o contracto
enectuado com Sebastiao Cavalcante Lacerda de
Almeida, para exercer o cargo de monitor do
Gvmnasio Pernambucano, e designa Affonso Ar-
thur de Oliveira para servir as mesmas condi-
coes o referido cargo. Remetteu-se copia ao re-
gedor do Gymnasio Pernambucano.
Officios:
Ao cnsul de PortugalRogo ao Sr. cn-
sul de Sua Magestadt Fidelissima que me preste
as informaces necessarias sobre o facto de que
trata o officio aqui junto do Dr. chefe de polica
desta provincia, de 18 do corrente mez, de te-
rem varios subditos le sua naco desembarcado
ltimamente no porto desta capital deixando de
apresentar seus pas'saportes.
Renov ao mesmo Sr. cnsul os meus protes-
tos de elevada estima e distincta consideracao.
Ao brigadeiro commandante das armas.
Designo de accordo com a iudicacSo de V. Exc,
feita em offieio de hontem, sob n 3,718, o coro-
nel Joo Evangelista Nery da Fonseca para pre-
sidir a commissao que na forma do aviso-circu-
lar do ministerio da guerra tem de dar em con-
sumo os diversos artigos constantes do incluso
termo de exame, que devolveu, pertencentes a
enfermara militar, devendo a referida commis-
so funecionar na mesma enfermara no da 26
do corrente, s 11 horas da manha.
Xa mesma data dt signou-se o ajudaate inte-
rino do arsenal de guerra e expedio-se ordem ao
inspector da Thesouraria de Fazenda para de-
signar um empregaclo afim de fazarem parte da
conunissao. ,
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Communico a V. 8., para os fins convenien-
tes, que o juiz de direito da comarca do Brejo,
bacharel Luiz da Sva Gusmao. em 10 do cor-
rente mez deixou o exercicio de seu cargo, por
ter sido removido, por decreto de 24 do mez
findo para a comarca do Baixo Mearim na pro-
vincia do Maranho. .
N'aquella mesma dala assumio o exercicio do
cargo de juiz de direito interino o juiz munici-
pal bacharel Eutrop.o Goncalves de Albuquer-
qne Silva.
Ao commandante superior da guarda na
cional da comarca do Recife.Haja V. S. ds
dar cumplimento ao despacho desta presidencia
de 6 do corrente. exarado no requerimento do
Anthino Alfredo de Carvalho.
Ao Dr. Gervasio Rodrigues Campello.Cons-
tando do officio que. dirigi-me hontem o geren
te da empresa de illuminaco a gaz nao ter \
S- comparecido assiduamente as conferencias
que devem ter lugar como arbitro da mesma
empresa, afim de cencluir-se o trabalho da ava-
liaco das respectivas obras, dirijo-me a V. S.
solicitando o seu efficaz auxilio naqueile sentido,
para xito conveniente em questo de to gran-
de interesse para a provincia. .
\o inspector do Thesouro Provincial-De-
claro a Vmc para es devidos fins e em re.-pos-
ta ao seu officio n. 586, de 14 do corrente, que
apnrovo as arrematagOes do servico da iumina-
co de Oaruar. reativo ao exercicio prximo
vindouro de 1889 a razo de 98 ris por lampeao
*obrc a base de 10) ris e do foruecimento da
alimentacao e dietas aos presos pobres da Lasa
de Detenco. concernente ao trimetre de Jaoei-
ro a Margo do alludido anno, pela diana de 4*i
Quanto arrematago feiU pelos pliarmaceu-
licos Bartholomeu i C., sucessorca. do forneci-
mento de medicamentos c utensis necessarios
enfermara daque.la casa, durante o.mencio-
nado exercicio, com abale de o % sobre os pre-
cos do respectivo formulario, tenho a dizer:me
ue approvo se os ditos pharmaceutiros quizc-
rem fazer o dito fornecimento com o abate de
6 V. igual ao anno anterior.
\o director gual das Obras Publicas-A
vi-ta do nuc Vmc expoz no officio de 1/ do
corrente. sob n. W, approvo a arreina'ago
feita porHtnrique Florentino da Silva Sam
para encarregar-se dos reparos precisos na pon-
IC do norto da Madcira, mediante o abate te
1 /. no orgamento de 300*000, e autonso-o a
mandar por de novo em praga osda ponte de
Dnas Barras, oreados em5:o76120 Loinmu
nicou-se ao inspecter do Thesouro Provine al
Portaras: ~. ...__. ..
O Sr superintendente da estrada do ferro do
Recife a S. Francisco faga transportar em carro
de 2* classe daEstigaodas Cinco Ponas para
a do Cabo por coola do Ministerio da Guerra a
urna escolta compusta de um cabo e dua pra-
gas que para alli segu afim de conduzir a esta
capital, o soldado do 14" batalhao de infantaria
Luiz Fernandes de Oliveira, que se acha-au-
do respectivo quartel e recolhido a cadeia da-
quclla cidade, providenciando outro-sim, no sen-
tido de. tertm passagem d'alli para estn Hdade
a referida escolta e desertor. RespomleurA ao
brigadeiro commandante dos armas.
EXPolENTB do D. SlCRErARiO
Ao Dr. Jos Mara de Albuquerqne Mello Io
secretario da* Assembla Legislativa Provincial.
S. Exc. o Sr. desembargador presidente da
provincia manda declarar a V- S. que as infor-
maces pedidas em seu officio de 18 do corrente
mez, n. 141 refere-se a negocio- da competen-
cia do poder judiciario, aoqualest j submet-
tido.
EXPEDIENTE DO DIA 21 DI DBZEUB&O DE 1889
Actos:
O presidente da provincia considerando que
a resolugSo'de 11 do corrente mez, peta qual de-
cretou a Assembla Provincial, independente de
sancgSo, as aposentadorias dos seus empregados
Francisco Pacifico do Amaral, Arcelino de Hol
landa Chacn e Pedro Bezerra Cavalcante Maciel,
nao pode ser dada a execugo 1* porque, com-
quanto seja da competencia das Assemblas Pro-
vinciaes legislar sobre aposentadorias dos seus
empregados, certo que devem ellas limitar-se a
e8iabefecer as regras. segundo as qaes as apo-
sentadorias podero ser concedidas, n5o inter-
n indo na designaco das pessoas a quem se ba-
jara de dar; por isso que o direito de jubilar e
aposentar pertcnce exclusivamente aoexecut vo,
de accordo com as leis previamente votadas;
doutrina constantemente sustentada em diver-
sas resoluces do.Governo Imperial, como se v
a folha 60 da obraAs assemblas provinciaes,
pelo conselheiro Octaviano ; 2o porque esse di-
reito nio'duriva do seu regiment, que nao po-
da ir alm dos limites tracados no Io do art-
11 do Acto Ad di cional; 3o porque taes resolu-
goes, decretando aposentadorias, em todo caso,
dependem de sanego, como evidentemente se
conclue do disposto no art. 13 do referido acto,
que em sua 2 parte sO dispensa-a na parte re-
lativa receita, despeza e empregados munici-
ries, quanto a" creagSo e supprcsso : aviso de
de Novembro de 1839; Visconde de Uruguay-
Estados Pratcos sobre administrago das pro-
vincias, 2 vol. fols. 67 etc. Alm detudo a pro-
pria assembla provincial j rcconlieceu essa
doctrina e a competencia da administrago na
lei n. 245, de 9 de Junno de 1849, por forga da
qual e de outras disposiges, tem sido pela pre-
sidencia aposentados empregados da secretaria
da mesma assembla ;
Manda que se repute suspenda essa resolu-
go e ordena ao Sr. inspector do Thesouro que
nao abra assento nem permuta pagamento aos
referidos empregados como aposentados, at que
seja resolvido pelo Governo Imperial, a cujo co-
nhecimento ser logo submettido semelhante as-
surapto. D-se a Assembla Provincial conheci-
mento da presente portara, remeltendo-se copia.
Communicou-sc ao Thesouro.
O presidente da provincia resolve de con-
formidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
cia em officio n. 1.324 de honleni datado. tnn.
rar a peaido, Joaquim Francisco Cavalcante
Galvo do cargo de 1* supplente do subdelegado
do districto de Nova Cruz do termo de I guara s-
s e nomear para substituil o o tenente Alfredo
Floripe8 Teixeira do Amaral.
Officios:
Ao presidente de Minas-Geraes.Pelo offi-
cio a que respondo, de 7 do corrente mez, n. 441
lico sciente de haver V. Exc. prestado juramen-
to e tomado posse do cargo de presidente dessa
provincia, para o qual foi nomeado por carta
imperial de 24 de Xovembro Ando.
Apresonto a' V. Exc. meus proteslos de estima
e considerago.
Ao presidente da provincia do Paran
Recebi e agradego, os exemplare3 de relatorios
e leis enviadas por V. Exc. com officio, a que
respondo, de 5 do corrente mez.
Ao conselheiro presidente do Tribunal da
Relago do RecifeTransmitto a V. Exc afim
de que sirva-se dar o conveniente andamento e
opportuna devolugao a carta rogatoria expedida
as justigas desta provincia pelo juiz de direito
da 3* vara da comarca do Porto, a requerimento
de D. Amelia Ernestina de Souza, para citago
do3 herdeiros, testamenteiros e legatarios do fi-
nado Jos Rodrigues de Araujo Porto.
Ao general commandante das armas.Re-
metto a V. Exc. para os fins convenientes, a in-
clusa guia dos artigos fornecidos pelo Laborato-
rio Chimico, Pharmaceutico Militar desta pro-
vincia, em conliuuago do aviso de 23 de Outu-
bro ultimo.
Ao inspector da Thesouraria da Fazenda
Para os fins convenientes declaro a V. S. que o
Exm. Sr ministro da guerra, segundo consta de
telegrarama de hontem, concedeu ao major Es-
tevao Jos Ferraz 3 mezes de licenga para tratar
de sua saude. Communicou-se ao general.
Ao mesmoPara cumplimento do aviso do
Ministerio da Agricultura, Commercio e Obras
Publicas, sob n. 5 de 13 do corrente, sirva-3eiV.
S. de informar sobre a pretengo da cmara mu-
nicipal de Agua-Preta, constante do'incluso re-
querimento, que me devolver, dirigido ao go-
verno imperial.
Ao Dr. chefe de policiaConvm que V.
S. providencie para que o carcereiro da cadeia
de Limociro informe acerca da conducta do sen
tenciado Joaquim Antonio de Mello, que alli se
acha cumpnndo a pena de 4 annos de priso
com trabalho e multa de 20 / do valor rouba-
do a qual llie foi imposta em 23 de Setembro de
1886, em virtude de deciso do jury do termo de
Taquaretinga.
Ao inspector do Arsenal de Marinha Em
cumplimento ao aviso circular do Ministerio da
Marinha de 7 do corrente sob n.- 65, sirva-se V
S. de enviar a secretaria desta presidencia, com
destino a de estado d'aquelle ministerio, at o
da 30 de Janeiro prximo vindouro as informa-
ges e pegas ofliciaes subsidiarias ao relatorio
que pelo mesmo ministerio tem de ser apresen-
tado em Maio de 1889 Assembla Geral Legis-
lativa.
Igual ao commandante da escola de apren
dizes marinheiros.
Ao director do Arsenal de Guerra.-De
conformidade com o aviso do-Ministerio da Guer-
ra de 7 do corrente, mande V. S. fornecer, no
prximo futuro exercicio, ao deposito de artigos
bellicos da provinci? da Parahyba o fardamento
constante da inclusa nota orgnisada em 29 de
Xovembro ultimo na rcparligo do quartel-mes-
tre-general Communicou-se a Thesouraria de
Fazenda.
Ao fiscal da Companhia Recife Drainage
De accordo com a informago de Vmc, de 19
do corrente, attendi hoje ao pedido do provedor
da Santa Casa de Misericordia excluindo da col-
loeag5o de no vos apparelho (Tessa companhia
os predios pertencentes mesma Santa Casa de
ns. 23 a 61 e 63, ra Mrquez de Olinda, e 57
A ra Duque de Caxias : menos quanto ao pre-
dio n. 57 ra Marquei de Olinda pelos motivos
expostos por Vmc. a quem Daba guarde.Com-
municou-se ao Thesouro e ao provedor da Santa
Casa de Misericordia.
'o inspector do Thesouro Provincial.De
accordo com a informago do fiscal da Compa-
nhia Recife Drainage em officio de 18 do cor-
rente defer hoje o requerimento do Dr. Manoel
Clementioo Carneiro da Cunta oxcluindo a col-
locacao de mais um apparelho da Companhia
Recife Drainage, alm dos ilous ja* existentes
no predio n. 55, que devem permanecer, ra
da Aurora e iaaeferi as de Francisco Caval-
cante de Albuquarque e Jos Jeronymo da Silva
Communicou-se ao fiscal da companhia.
Ao inspector geral da,In3trucgio Publica.
Recommendo a Vmc que faga annunciar as
vagas das cadeiras de Agna-Preta e Muiuyal, afim
di: que sejam contractadas.
Ao administrador dos CorreiosDeclaro a
Vmc, em resposta ao seu officio de 18 do cor-
rente mez, que os livros de registro civil devem
ser apresentados ao juiz de paz em exercicio da
freguezia da Varzea, a queitt ffcAta data expaco
as convenientes ordens n se ludo de seren en-
tregues a substituto^el*fcao'rd'aque.llejuizo.
visteo ffincciouario effectivo achar-se grave-
mente enferm, segundo consta.Communicou-
sc ao juM-de paz respectivo.
AojBr. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso.
RecomSaendo a V. S. que se dirija Colonia
Isabel afim de medicar a um empregado d'aquelle
estabelecimento que se acha gravemente doente.
Ao presidente do Banco Industrial e Mer-
cantil do Rio de Janeiro.Remetto a V. S. o in-
cluso recibo da quantia de 16:7374740 tomada
a favor d'esse Banco ao London & Brasilian Bank
Limited d'esta cidade sobre suacaixa filial n'essa
provincia, para satisfazer 03 juros do semestre
de Julho a Dezembro corrente, das apoces da
divida d'esta provincia ah emittidas por inter-
veng3o d'esse Banco, sendo 16:6954000 de juros
propriamente, conforme a demonstrago junta,
apresentada pelo Thesouro Provincial em officio
de hoie, sob n. 592, e 41*740 da commisso de 1/4
% pelo servigo do pagamento dos mesmos juros,
nos termos do respectivo contracto.Communi-
cou-se ao Thesouro Provincial.
Circular:
Aos juizes de direito presidentes das juntas
de alistamento militar das comarcas da provin-
cia.Sirva-se V de enviar-me, com urgencia,
o resultado dos trabalhos do alistamento militar,
procedido ltimamente n'essa comarca, afim de
satisfazer a exigencia do aviso-circular do Mi-
nisterio da Guerra de 29 de Xovembro" prximo
passado.
Portaras:
Declaro a Cmara Municipal do Recife. em
solugSo ao seu officio de 19 do corrate, sob n.
119, que de ve proceder de accordo com o aviso
do Ministerio ia Agricultura, Commercio e Obras
i'ublicas, de 6 d'este mez, annexo poi copia ao
raeu officio de 17, quanto ao modo porque a ad-
ministrago da fabrica central de Tima faz o
langa'mento de residuos e aguas servidas no rio
Capibaribe.
EXPEDIENTE DO DB. SECRETARIO
Officios :
-- Ao Io secretario da Assembla Legislativa
Provincial.De ordem do Exm. Sr. desembar-
gador presidente da provincia envo a V. S. a
informago em original solicitada em officio de
19 de Xovembro ultimo, sob n. 77, prestada
pela Cmara Municipal do Recife, em officio a.
122 de 19 do correte sobre o requerimeoto que
devolvo do cidado Joo Ramos.
Ao mesmo.O Exm. Sr. desembargador
presidente da provincia manda Iransmittir a V.
S., em resposta ao seu officio u. 94, de 11 do
corrente me?, copia da Dortaria d> hoje. suspw-
ueiiuu a rcsolugao d'cssa AssemMM, pela qual
foram aposentados trez empregados da sua se-
cretaria, at que o governo imperial, a quem sub-
mette o assumpto, resolva a respeito.
Ao inspecior da Thesouraria de. Fazenda.
De ordem do Exm. Sr. desembargador presi-
dente da provincia remetto a V. 6>. a inclusa
Ordem do Ministerio da Guerra de 4 do corrate
relativa a distribuigo de crditos para as des-
ezas do alludido ministerio no exercicio de
889.
Ao inspector geral da InstrucgSo Publica.
De ordem do Exm. Sr. desembargador presi-
dente da provincia recommendo a V. S. que nao
faga contracto da cadeira de Salgueiro e de ou-
tras que existam vagas sem resolugo do mesmo
Exm. Sr.
Ao 2o supplente do juiz municipal de Ta-
3uaretinga.O Exm. Sr. desembargador presi-
ente da provincia manda declarar a V. S. que
a consulta feita em seu officio de 24 de Xovem-
bro findo, fica resolvida com o que cxpOe o in-
spector da Thesouraria de Fazenda em officio n.
625 de 19 do mesmo mez junto por copia.
Ao gerente da Companhia Pernambucana
S. Exc. o Sr. desembargador presidente da
Erovincia ficou inteirado pelo officio de V. S. de
oje de serem expedidos por essa companhia o
vapor Jacuhype a 24 do corrate, s a horas,
para os porios do sul at a Baha em primeira
viagem do contracto n'este mez, e Jaguaribe a
26, mesma hora, para 03 portos do Rio For-
moso e Tamandar.
eKSPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 11 D5
JANEIRO DE 1889
Auto; o Mathias Pereira da Costa.
Concedo tres mezes de licenca, com orde-
nado, a contar de 11 de Dezembro findo.
Barao de Arariba.Informe o Sr. en-
genheiro fiscal dos engenhos centraes do
1" districto.
Francisco Manoel Fernandes. Nesta
data expego ordem ao agente da Compa-
nhia Brasileira de NavegagSo a Vapor,
afim de serem dadas as passagens reque-
ridas.
Justino Joaquim das Chagas. Informe
o Sr. inspector do Arsenal de Marinha.
Tenente Leobaldo Augusto de Morae3.
Deferido, vista da informayao do ins-
pector da Thesouraria de Fazenda.
Nicas da Silva Gusm3o.Expga-se
ordem para o pagamento.
Nicas da Silva Gusmao. Expega-se
ordem para o pagamento.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco. 12 de Janeiro de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
Repartido da PoUela
2.* seccSo.N. ...Secretaria da Po-
licia de Pernambuco, 12 de Janeiro de
1889. Illm. e Exm. Sr. Participo a
V. Exc. que foram hontem recomidos
Casa de etenglo os seguintes indivi-
duos :
A minha ordem, Mara Lauriad Cavalcante de
Albu juerque, como alienada at que tenha con-
veniente destino.
A' ordem do Dr. delegado do l." districto da
capital, Manoel Ferreira do Xascimento e Jos
Bernardo da Silva, por disturbios.
A' ordem do do 2- districto, Pautaleo Jos de
Souza, por disturbios.
A' ordem do subdelegado do i.' districto da
freguezia de S. Jos, Manoel Francisco por dis-
turbios e Pedro Calcidio Ferreira da Silva, por
cnbriaguez c disturbios.
Participou-rae o subdelegado do 1." districto
de Afogados, que ante-hontem, s 11 horas da
manha, na ra da EsRtgao d'aquelle distr.cto
travaram-sc de'.razOes os desordeiros Alfredo
Gomes dos Santos, conhecido por M-mrongo e
Euzebio Ribeiro da Silva, resultando d'ellas,
sahir Alfredo, ferido coin urna tacada na regio
abdominal.
O offendido foi vistorindo pelo Dr. Gama Lobo,
c em seguida recolhido ao Hospital Pedro II afim
de ser medicado.
O offensor evadio-se.
Protedeu-se a respeito nos termos da le.
Ainda ante-hontem, s 12 horas do dia, em
teras do engenho Bom Jess, no lugar Ypi-
raWf, do mesmo districto, Carlos Moreira Res,
lilho' do proprietario do referido engenho, tra-
voH-se dfgrazdes com o seu primo Jos Joaquim
Moreira Ris. disparando sobre este um tiro de
revolver qnelizineiito |Ui> attingio.
Cfiegantro na o?ca1u]l(SWnulher de cor preta
de uome Mara Francisca da Conceigo, em auxi-
lio do aggredido, recebeu um tiro desfeichado
por Carlos Moreira Res, sahindo ferida no ante-
Drago direito.
Mara Francisca da Conceigo foi vistoriada
pelo Dr. Jos de Miranda Curio.
Abrio-3e o competente iuquerito.
O delegado do termo de Agua Preta, commu-
nica que pelas 7 horas da manh de 31 de De-
zembro ultimo, no lugar Barra de Lama, Reliar-
mino Alves da Silva, suicidou-se com um tiro de
pistola.
O subdelegado do districto tomou conheci-
mento do facto, e procedeu a respeito nos termos
da le.
O alferes Tiburtino Jos de Oliveira communi-
cou-me ter no dia 7 do corrente, assumido o
exercicio do cargo de delegado do termo de Be-
zerros, na qualidade de 1." supplente.
A mesma autoridade participou-me que no dia
6 do corrente, pelas 7 oras da noite, no lugar
Gamelleira d'aquelle termo, o individuo de nome
Henriaue Baptista, assassinou com 11 facadas a
Joaquim de Araujo, evadindo-se em seguida.
Sobre o facto abriu-se o competeate inquerito
que j teve o destino legal.
Com referencia ao que j foi publicado no
Jornal do Recife de 5 do corrente, de baixo da
epigraphe Aos Exms. presideate e chefe de
polica sobre exisrirem em poder do delegado
de Iguarass alguns libertos contra a vontade
dos mesmos, offerego a apreciago de V- Exc.
a informago por copia junta ministrada por
aquelle delegado em data de 9 deste mez.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Gcs Jnior, muito digno presidente da
provincia.-^ chefe de policia interino,
Francisco Domingues Ribeiro Vianna.
Copia.Delegada de policia do termo de Igua-
rass em 7 de Janeiro de 1889.Illm. Sr.Em
resposta ao officio que V. S. me dirigi exi-
ginao que informasse acerca da materia de um
artigo que coutra mim publicou no Jornal do
Recife de 5 do corrente mez, o pedreiro Eleute-
rio da Rocha Wanderley, tenho a dizer o se-
guate :
E' inexacto que existam em meu poder liber-
tos contra gosto delles, os poucos que se acham
em minha companhia nao soffrem o menor con-
strangmento em sua liberdade.
Alguns dos engenuos menores, que ainda
permanecem sob minha prolecgao, sao trtalos,
como sempre os tratei, com o zelo de um bom
luiur, c bciu eomprehcnae v. o-, criei, nao posso deixar de interessar-me pela
sua sortc, sendo que alguma vez os contrario
em seps puciis desejos, porque quero e devo
encaminual-os para o bera.
Alguns dos engenuos e libertos de menor ida-
de que depois da lei de 13 de Maio ficaram em
miolia compauhia, tem sido seduzidos pelos fal-
sos abolicioaistas, que j uo podendo especula-
lar com os servico's dos escravos alheios, porque
escravos j nao exislem querem e esto especu-
lando com os servigos dos libertos e ingenuos,
que alliciam para deixar a companhia dos seas
naturaes tutores e protectores.
O articulista Eleuterio que tiolia entrado em
minha fazenda, por ter nella trabalhado como
pedreiro aproveitou-se de tal circumstancia pa-
ra seduzir duas libertas j adultas, que levou
para essa cidade, onde telvez estejam fazendo
parte de algum lupanar.
Logo que me constou que Eleuterio abusara
por modo to vil de minha confianga, prohib a
entrada delle em minha fazenda e providenciei
para qua os meus fmulos nao continuassem a
ter relages com elle, que, recelando alguma
vngangade minha parte e sendo mal acouselha-
do, publicou o artigo a que respondo e que
inteiramente inexacto.
Xunea reduzi pessoa. livre a scravido e nun-
ca me serv do cargo, que exergo, para perse-
guir a pessoa alguma, e o que posso e devo
asseverar a V. S. sem receio de que provem o
coutrario.
Deus Guarde a V. S.Illm. Sr. Dr. Francisco
Domingues Ribeiro Vianna, muito digno chefe
de polica da provincia. O delegado de policia.
Francisco Joaquim Cavalcante Galrao.
Secretaria de policia de Pernambuco, 12 de
Janeiro de 1889. (Conforme). Pelo secretario
Francisco Geraldo da Silva Barroso.
The.soairo Provincial
DESPACHOS DO DIA 10 DE JANED20 DE 1889
Contas do director da BibliothcaJProvincial
Pague-se. *
Manoel Cyriaco dos Santos. Simplicio da Cruz
Ribeiro.Haja vista o Dr. procurador fiscal.
Jos Gongalvcs Ferreira''e Silva, padre Ma-
noel Gongalves Soares de AmorimInforme a
secgo do Contencioso.
Francisco Rodrigues de Souza., Paulino de Oli-
veira Maia. e Mara Alves Rodrigues da Costa
Informe o Sr. Dr. administrador da Recebedoria
Provincial.
. Bacharel Joaquim Jos Ferreira da Rocha
Volte ao Sr. Dr. administrador da Recebedoria
Provincial para explicar as suas informaces em
vista das do chefe da 4' secgao da secretaria do
Thesouro. ,'
Commendador Antonio O. Valentn da silva
Barroca, tenente-coronel commandante Francis-
co de Araujo Lima, Trajano Dias Gomes dos
Santos, collectoria provincial do municipio de
Gamelleira, flscalisago da companhia Recife
Drainage, Recife Drainage Company Limited.
Informe o Sr. Dr. contador.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 9 DE JANEIRO DE 1889
Valentina Maria da Conceigo, Joaqui-
na, Izidoro DaDtas Oliveira, Isac Esnaty,
Eduardo Laym e Anna Lniza Laym. In-
forme a 1* seccao
10 -
Hermogenes Vieira (XRalcsnte de Mu-
raes.Informe a Ia secjSo.
Bento Mendos Saboia. Junte conheci-
mento de qititacita de impostos.
11
Antonio Fernandes Lima, Carolino Pin-
to de MagalhSes, Maria Carolina da Silva,
Antonio Jos Ferreira Monteiro, Jos An-
tonio Ferreira, Jos Dias da Silva Guima-
rtes e bacharel Aristarco Xavier Lopes.
Informe a 1* Beccao. *
Joe Antonio Pinto Deferido,
r laclo ao exercicio rindo, em vi t,i d\
informac3es.
Laureutino Pires de Carvalho. Ea
vista dos arts. 48 e 49 das instrncgSes A
27 de Julho de 1883 que nlo foram ob-
servado^", o supplicante nao pode ser at-
tendido.
D. Anna M. de M. Reg.Deferido,
com relajeo ao 2o semestre do exercicio
tindo em vista das informaces.
' Manoel Pereira Pavao.Api* ewnhe-
cimentp'de qutacao do imposto.
12
JoSo Joaquim da Costa Leite, Art'iur
Carneiro de Almeida e Jos Francisco de
Carvalho.Informe a l1 seccao.
Inspectora Geral la lastraeca
Publica
DESPACHOS DO DIA 9 DE JANEIRO
DE. 1889
Marianna da Silva Jesua, professora pu-
blica de Catuama. Encaminhc-se.
Francisca de Salles Trevas. Certifi-
que de que o constar.
Domingas Paulina Arres, professora da
Pedra Molle. Encaminhc-se.
Jos Gongalves dos Santos e Luiz Eus-
taquio da Conceigo Pessoa. Encami
nhe-sc.
- 10
Philomeno Raymundo Nanes de Lima,
professor de Alagoinhas. Encaminhe-se.
11 -
Julia Ayres de Almeida Freitas, profeta
sora de Tigpi. Justifico.
Francisca Ludovina Ribeiro Bacellar,
professora de Sant'Anna. Eneaminhe-se.
DIARIO DE PEB1A1B0C0
RECIFE, 13 DE JANEffiOde 1889
llmpresllmo exterior
Ao passo que o Jornal do Recife, entende que
melhor leramos feito, nao escrevendo o artigo
publicado em nossa edig&o de 11, muito ao con-
trario, e especialmente depois da replica do eoo-
temporneo., estamos satisfeitissimos por havel-e
escripto.
Nossas observages nao foram combatidas.
nossas conte3tages ficaram de p.
A' parte as arlequinadas com que fomos mimo-
seados, e o offerecimento de lucros feitos ao OOMS
balcao sebento, de que vfDUECbeiado um Rrania
poi^rtrnnho do arllo d* W<* fjorm uis cn.ca|m-
mos, e coasas de que n5o queremos tratar, ape-
nas, quanto a esse mesmo paragrapho. nos limi-
tamos a obervar que a tirada a respeito da palavra
retelaces teria lodo o cabimento, si esta oto ti-
vesse tambem a sigmficeco dedenuncia.
Ha urna cousa que de veras uo entendemos, e
o nao ter o orgo liberal entendido as observa-
ges que fizemos a proposito de um prorincialisnu
que attribuio ao Exm. Sr. Dr. Araujo Goes.
O presidente da provincia era prorincialisU
por nao querer para Pernambuco um emprestinw
em melhores condiges que o da Baha.
N'o perdendo tempo em combater suspeita
to gratuita, dissemos, mais ou menos, que,
s provincialismo bouve no procedimento do pre-
sidente da provincia, era um prottncialismo lou-
vavel, porque S. Exc. procurava por seos artos
honrar sua provincia natal; e que si, morid
pelo mesmo intuito realisasse um emprestia
ao par, mesmo assim, com a regra de julgar do
orgo liberal, era prorincialista anda, no ato
sentido em que foi o termo empregado
Enlcnderam ?
Quanto questo de estar feito ou nao ajaste
de unitivo a respeito do emprestimo o orgo li-
beral nada adianlou; manteve-se no mesmo ter-
reno, sem destruir as contestages peremptora*
que ofTerecemos. Acastella-se apenas em aai
testemunho. quando, por nossa parte, nos refe-
rimos a outro do maior valor, e quando o trecha
de urna pega official por nos j exhibida corta a
questo. sem replica possivel.
Xo foi menos feliz o orgo liberal na pretea-
go de combater a sobrecarga que recahiria so-
bre a provincia, si fosse aceita a exigencia da
commisso pelo pagamento da amortisaco e toa
juros, autorisando a lei apenas o juro de S /-
A asseveraco de que a le nio excluio a i
niisso contraria aos termos precisos da
ma lei; basta lel-a : e, si o accrescimo de sacri-
ficio nao como juro, em todo o caso ua
onus para a provincia, do qual a lei nao cogito*.
Si na Baha nao foi isso um einbaraco para a
ajuste alli realisado que, saba o orgo libe-
ral, na lei que autorisou o emprestimo n'aamIU
provincia nao se fez. como aqui. restrh-coea
quanto commisso.
Quanto aos termos da procurago exhibida
pelo Exm. Sr. Visconde de F igueiredo, feliz-
mente, o orgo liberal declara nao terd'ella co-
nhecimento. e nao poder, portauto, contestar,
que asseveramos e repetimos: isto e, que e39B
procurago nao da va poderes para nm emprea-
timo definitivo.
E tanto assim que o Ilustre banquein qua
protendeu aqui ajustar o emprestimo, ajustwe
da Baha ad referenduot.
Coucluiada, dectarami i vemM awti-
; ara pfflilhar das a.prehenses do contenv
poraneo relativamente conenrrencia pre*,-rida
pelo presidente da provine
INTERIOR
Reglair* dril
{Jurnal do Commercio da coi
Estando em execugo em todo o in[x
t do c j-rente, como foi fixado pekt da^^H
da^z da-taprabio do auno paiwtoQfa-
-trocivil, que tem o
Margo do mesa ani
prestar serrigo lemhrando as seguuUe ais;



I
(Cea do r
cia resulla a pena de multa.
DispOeo art. 57. O Dascimento ser commu-
nicado pelo pai: em sua falla ou impi-dini
de ambos, pelo parete mais prximo, sendo
maior e achando-se presente : na sua falto a
impedimento, pelo facultativo ou parteira que
que tenha assistido ao.parto, e por pessoa Idnea
da cas em que occorrer, se sonrevier fra aa
residencia da mi.
Esta comniunicajio.feita daataayietrea das,
assignando o coinnwmcaete- teatfB-
nbas o respectivo assento no otrtono vao de paz do l ou uaaco districto -prts.rS e
53.)
O art. 69. Deutro.de asedias da cekbragiode
um casamento do territorio do imperio os sapo-
sos, por si ou por seus procusadores especiaes,
sao oDrigados, qacr sejain nacionaes. quer es-
trangeiros, a fazer lavrar o aseeato respectivo no
cartorio do escrute de paz do 1" ou nico dis-
tricto da parochia de sua residencia, avista da
certido ou declaracao do celebrante, seja qual
f6ra sua communho rsligiosa, revogada nesta
i! te a disposicao do art. 19 do decreto n. 3,069
le 17 de Abril de 1863.
E o art. 76. Sao obrigados a fuer a commu-
JK9MlQ.de bito:
' 1 O ebefe de familia, a respeito de sua mu-
Uier, filhos. hospedes, aggregados e criados ;
-> 2 A viuva a respeito de seu mando e tt
cada urna das pessoas indicadas no numero an-
tecedente ; #
3' Ofilho. a respeito do pai ou da mi, oir-
nao, a respeito do irmo e das mais pessoas de
vasa, indicadas no n. 1 : o prente mais proxi-
no, sendo maior e adiando-se presente ;
4' O administrador, director ou gerente de
qualquer estabelecimento, a respailo das pessoas
que alli fallecerein. quer o estabelecimento per-
lenca a alguma associaco ou corporaeao civil ou
religiosa, quer seja puramente particular ;
5" Na falta das pessoas comprenhidas nos
nmeros antecedentes, aquella quetiver assistido
aos ltimos momentos do finado, o. parodio
ou sacerdote que Ihe ti"er ministrado os soe-
corros espirituaes, ou o visinho que fallecimento
bou ver noticia ;
6 A autoridade policial, a respeito das pes-
oas encontradas monas.
Do assento de bito, que com o escrivao de
paz assigna o communicante, extrahida a cer-
tidao, sem a qual neahuti enterrametno se far
.(art. 71). ..
Completando a transcripcao que bontem Boce-
amos, de algumas disposigoes sobre o registro
civil, cuja divulgago nos parece til, passaraos
hoje a transcrever as disposigoes do mesmo re-
.guhmcnto attinentes ao que faz objecto dos as-
senlamentos, a saber :
Art. 58. 0 assento do nascimento devera con-
ter:
1 O dia, inez, auno e lugar do nascimento, e
a hora certa ou approximada, sendo possivel de-
terminal-a ;
2 O sexo no recem-nascido;
3o O facto de ser gemeo, quando assim tenha
acontecido;
4o A declarago de ser legitimo, Ulegitimo ou
exposto ;
8" O nome e sobrenomes que forem ou hou-
verem de ser postos crianga.
6o A declarago de que nasceu mora, ou mor-
rtu no acto ou logo depois do parto ;
7" A orem de filiar o de outree iraos do
raesmo nome, que existam ou tenham exisfido ;
8' Os nomes, sobrenomes e appeldos dos
pais ; a naturalidade, condigo e proflssao des-
tes ; a paroebia ou lugar oade casaran) e o do-
micilio ou residencia actual ;
9o Os nomes, obrenomes e appeldos de seus
avs paternos e ma1 eraos ;
10. Os nomes, sobrenomes, appeldos, domi-
cilio ou residencia actual do padrinno, da mado-
nna e de duas testemunhas, pelo menos, assim
como a proflssao destas e a daquelle, se o re-
cem-nascido j for baptisado.
Art. 70. O assento de casamento devera conter
n eeessariamente:
1 O dia. mez o auno em que fr lavrado :
l. O dia, mez e anao, e tam' em a hora ao me-
aos approximadainente, em <4ne o casamento se
orJrirtr i
3." Indicago da igreja, capella ou outro lugar
tan que se celebrou; e da provisto de licenga,
se o casamento for de catholicos e tiver se effec-
tuado fra da igreja matriz.
4." Os nomes, sobrenomes, appellidos, filiaco
idade. estado, naturalidade. profissao e residen-
cia dos esposos; _^^
5. O nome do parodio que assistio ao casa-
mento ou do eclesistico que o substituto; e
aeste caso, indicago de licenga do respectivo
parodio; ese os coujuges forem acathoficos. o
nome di paasoa competente perante a qual cele-
brou-se o casamento ;x
Derlaraco de dispensa de parentesco ou
C3LINIC V MEDICA
6.*
de
impedimento cannico, assim como
ou de algumas das denunciac/ies cano-
outro
tolas
nicas;
7." DeclaracSo do consentimento dos superio-
res legtimos, que o podem dar;
i. Declarago do numero, nomes e idade dos
filhos, (unidos antes do casamento e que ficarem
por elle legitimados;
.- Declarago do rgimen matrimonial: se o
casamento foi feito seguido o costume do Im-
perio, ou se houve escripturas ante-nupdaes;
e ueste caso, a sua data, o logar em que foram
tarradas, o tabellio que as lavrou, e a substan-
cia dellas quanto ao rgimen dos bens.
10. Se algum ou ambos os -conjuges se casa-
ran por procurago, os nomes, idade, e domi-
cilio ou residencia actual do procurador ou dos
procuradores.
11. Os nomes, idade, profissOes e domicilio
oc residencia aetuoi de duas das testemunha*
ate assisram ao casamento, e que devem as-
-ipnar e assento pessoalmente ou por bastante
procurador.
Se algum ou ambos os conjuges forem \iu-
vos, devero mencionar-se os nomes das pes-
soas com quem foram casados, e o tempo e lu-
gar em que estas faltecerain; assim como na hy-
psthese da menoridade de um ou de ambos os
conjuges. o assento far mengo do cousenti-
meito dos pais tutores ou curadores, e da na-
tuivza' ilo documento que o prova, e tambem o
alvar de li enea do juiz de orphos, nos casos
em que preciso, nao sendo necessario o con-
sectimento por escripto dos pais, estando elles
presentes e assignando o assento. (Art. 71 as
suis 2 e 3' partes.)
Arf. 77. O assento de bito dever conter:
'." O dia e, se for possivel, a hora mez e anno
do fallecim nlo;
2. O logar leste, com indicago da parochiae
districto a que pertencer o morto;
3." O nome, sobrenome, appellido. sexo, ida-
de. estado, prOBBSee, naturalidade e domicilio ou
residencia;
'i." Se era casado, o nome do conjuge sobre-
vhente : se era viuyo, o nome do conjuge pre-
defunto.
,i A di-i-laraco de que era lilho legitimo ou
natural, ou de pais incgnitos, ou ex posto :
(i. Os nornes, sobrenomes. appeldos, profis-
-scs, naturalidades e residencia dos pais;
So fall ceu com "u sem testamento;
8. Se deixar filhos legtimos ou naturaes re-
conhecidos, quantos e ou seus Domes e idade;
\). Se a mor. foi natural ou violenta, ea cau-
ta conheciila:
10. O logar em que se vai sepultar, ou foi se-
pultado (arls. Ti c 7."j e. sendo em jazigo fra do
cemiterio publico, a licenga da autoridade com-
petente.
, 0 art. 74 eBtabelecend que nenjium enterra-
niiito se far sem certid do eswfvu de paz
d tli-tricto em que se tiver dadoo fallecimento,
vraao o assentamento de bito em
-fado do medico ou ciruivi;.o, etc.,
Jeterwina em paragTapho nico que se o bito
-foi' de i-rianca uncida depois da instailaio do
rivto uno dar aquella certi-
Ifcar se o falleddo foi ou nao ins-
piro dos nascisnentos; e, no caso
de o nlo ter sido, far previamente esta ins-
crpvo nos termos do art. 5. E o art. 75 pre-
vi sobre a hypotbese da impossibilidade de ser
-encontrado o olficial do registro dentro de 24
"horas depois do fallecimento, ou tratar-se de
.molestia contagiosa, assim como fra das po-
veagoee ou lugares que distem mais de tuna
.-levita-do cartorio do escrivio de pax do respec-
lvodietrieto.
Ba creolina e de mas vao agen
can flrurgia
PELO SK. DB. TH. PECKOLT JUNIOS
(Da UiiSo
A obtengo da cicatrisacao rpida e fcil das
usaprnfii un siiipiailiia, adescobertade um meio
aateiente a essefim, que desterrano a suppura-
i^oido sequilo das operagoes, terminasse com a
vnriedade de compl .agos que a etie se seguem,
tal tem sido o problema grandioso que lem oc
eupado o espirito lus lirurgiOes de iodos os
[janes e de todas as poi
A creolina parece preencher esse desidertum:
ao menos assim o ai redil.
A creolina un producto olitido da distilla-
cto secca do meihor ^arvo de pedra iqgiez.
E' um liquido escuro, oleoso, de cheiro de al-
catrto, asscmelhando-se ao acido phenico cr,
pela cor, do qual todava se disngue primei-
ra vista, nio s pela solubil idade, como pela f-
cil mistura com a agua em qualquer quantidade;
assim, se se deixa cahir n'um tubo de reaego
urna gotta de creolina, v-se-a mover rpidamen-
te ao contacto d'agua, inisturando-se logo, sem
mesmo vasculejar-sc, formando-se um liquido
da cor de leite, mais ou menos intensa, confor-
me as quantidades d'agua e creolina embrega-
das i cor essa que passa do caf com leite, de-
pois de algn s das ue repouso.
No a XI do Archiv fur wmmschafticke und
prvktueke ThierheUbsunde, Berm 1887, o prefes-
sor Frotaner, tratando deste novo antisptico,
considera-p um anliparasitario por exccllencia,
principalmenle contra os epizoarios, e desinfe-
ctante de vantagens superiores aos j conheci-
dos, taes como o acido phenico e sublimado, aos
quaes elle anda o prefere, pelo facto de ser in-
nocuo aos organismos superiores.
< es e cavados podem tmala pura, interna-
mente, na dse de 50 grammas, sem que sua
sade seja prejudicada.
O Dr. E. v. Esmarch, assistente do instituto
de hygene de Berm. procurando estudar a ac-
go da creolina sobre alguns micro-organismos
paiogenos solados, experimentou-a sobre os
dotypno, cholera, carbnculo e no staphyllococ
cus pyogenes aureus ; estabeledendo um quadro
comparativo de suas experiencias com as feitas
anteriormente por Koch (MUh. a. d. K. Gesun-
dhetsami, Bd I S. 234.) com o acido phenico.
concluio ser ella, seno superior a esta substan-
cia, ao menos igual em effeitos. fCentralblatt
fur Bukteriologie und Parasenkunde, Bd II lo
und II).
Admittida que seja esta iguatdade, eu acredi-
to, todava, de Brande vantagem a sua preferen-
da ao acido phenico ; porque, apezar de ser o
iruneiro a lecoohecer os resultados brilhantes
ornecidos pelo curativo de Lister, devo decla-
rar, nao obstante, que este methodo de curativo
aprsenla alguns inconvenientes locaes ou ge-
raes, dependentes da acgo irritante e toxica
deste agente antisptico ; assim, [ocalmente, elle
pode produzir erythemas e eczemas, principal-
mente em pessoas de pelle delicada ou em al-
gumas partes do corpo em que a pelle mais
lina, o que nunca se observa com a creolina ; e,
se bem que o erythema e o eczema nao consti-
tuain ordinariamente coniplicaces graves da fe-
rina, todava, nao deixam de ser desagradaveis
ao doente.
Innmeros casos de envenenamento tem se
observado pelo acido phenico, nao se podendo
j diaer o mesmo da creolina, que considerada
innocua.
Com a creolina pdese trabalbar durante mui-
to tempo, sem que os dedos se tornem insensi-
veis, o que n&o se 11 com o acido phenico.
Estas duas propriedadej, pois da creolina, is-
to a Ma innocuida !c e acgo destruidora dos
micro-organismos pathogenos, principalmente
sobre os do pus, levam a augurar-se-lhe grande
importancia na cirurgia actual.
O Dr. Max. Kortum (Bertiner Klinischen Wo-
rhenschrffl. 1887 n. 46) reputa-a um hemosttico
por excedencia; e devido a esta propriedade
![ue nos temos sempre conseguido a reuniSo das
cridas por primeira intenso, pois constitue ella
um dos memores meios para sustar o corrimen-
to sanguneo proveniente da diviso dos capil-
la res, sendo sabido que o sangue interposto em
grande quantidade entre os labios de urna fcri
te sangue acta como um verdadeiro corpo es-
tranho, trazendo portanto como consequencia a
irntago da ferida, irntagSo que seguida de
suppuracto.
Em doentes operados, assim como em ulce-
ras, tenho sempre empregado a solugio de creo-
lina embebida em algodo, que mantenho no lu-
gar com algumas voltas de atadura igualmente
embebidas na mesma solugo ; reformo este cu-
rativo na manda seguinte, encontrando-o con-
stantemente t5o limpo, que por diversas vezes
tenho chamado a attengSo dos internos daen-
fermaria n. 24 sobre este fado, que veio traaer
mais urna propriedade importante para a creoli-
na-a diminuigao das secreegoes-propriedade
esta, a que se pode accrescentar outra nao me-
nos inferior que a de activar as granulagoes.
Assim, tenho visto as secreeges primitivas re-
dundas ao minino, cessarem de ser ftidas,
quando o sao ; as feridas limparem e se cobri-
rem de botoes carnosos da mais bella apparen-
da. as cavidades se cDcherem, as partes mortifi-
cadas nao se decomporem e a cicatrisago fazer
progressos rpidos.
%-iw i nn uiil un.' /VI
gura, ovaes-oblongns ou lanceoladas, seseis, um
i recurvadas na base, agugadas
a iberias de pellos speros, de cor ver-
i'inelhadas e pontilhadas.
As flores sao reunidas em captulos heniisplie-
ricoa. termiuaes, grande, com o involucro de 12
20 fololos approxunados, desiguaes, sesseis, in-
teiros, ciliados, terminados por urna pequea pon-
a agucada, cobertos de pellos cor de f. rru^em.
Este vegetal distingue-se de outros desta fa-
mliia por ser.muito empregado comouiedica-
mento, -ao paeao que aawtues servem propria-
mente como aumento.
Como bem o diz a sua denonnaco vulgar,
seu emprewo,iBlicinal nmnplo.
A parte da liauta mus -eapregada sao as rai-
quer em infuso fraca, quer em tintura,
principalnieute contraes cohans.'afolta deappe-
tite, a debilidade geral, as-dian-has, as febres
mtermitteBtes, a mordedura de robras, etc., etc.
As vafees que serviram pancaosso estado chi-
mico eram reniformes. de-$t"5 cent de erreum
ferencia sobre 12-15 cent, de comprimento, ru-
gosas, de cor parda-escura, na face externa, e
amarellada, na interna, de sabor amargo-acre,
picante e sem aroma; emitte em sua circunfe-
rencia um grande numero de pequeas radicel-
las finas de 5-10 centmetros de comprimento.
Em 1.000 grammas das raizes frescas encon-
tramos
Grammas
Humidade 736.000
Acido gromphrenico crystallisado 1.640
Grnmphina 0,460
Principio amargo 1.020
Saponina 0.861
Rezina molle 0.240
Acido resinoso 1,120
Rezina de cor amarellada 0.640
Substancia corcea 0,210
Materia extractiva', assucar, cidos or-
gnicos, etc. % 68,360
Substancias gommosas,.albuminosas,
dextrina, etc. 15.889
Cinzas 4.800
Cellulose, perdas, etc. 168,790
O acido orgnico a que denominamos gom-
phrrnico obtido por precipilago da solugo
aquosa do extracto ethereopulo acetato de chum-
bo liquido, separando se o precipitado, decom-
pondo-o pelo gaz acido sulphydrico, evaporan-
do-se a solugto depois de senta de chumbo, e
separando se os crystaes formados, que sao pu-
rificados por diversas solugoes n'agua e crystal-
lisagoes.
O produdo a que denominamos gomphrina
um gfycoside soluvel no alcool de 98 / insolu-
vel iragua, no chloroformio e noether ; de cor
branca-araarelladada, crystaliino ; tratado pelo
acido 8ulphurico concentrado, dissolve-se com a
colorago amarella, passando ao violceo, ao ro-
seo, e, finalmente, ao pardacento; pelo azotico,
adquire a colorago amarella.
O principio amargo soluvel n'agua, no alcool
de 3o c. e no alcool amylico ; insoluvel no chlo-
roformio e na benzina : seu sabor e muitissimo
amargo, acre e picante.
O addo rezinoso de cor amarella, soluvel no
ether, no alcool de 98 /, no chloroformio e no
benzol; dotado de sabor picante e de um aro-
ma sui generii.
Nos individuos operados, anos o curativo com
a creolina, a inflamraaco e nulla, sem rubor,
nem injeccSo, nem tumefaegao.
as operages que tenho praticado ltimamen-
te, quer na clnica civil, quer na do hospital de
Misericordia na enfermara n. 34, a cargo do pro-
fessor Dr. Caetano de Almeida, do qual sou ad-
junto effectivo, taes romo, cnlotomia, desarticu-
lagoes de phalanges, artelhos, fstulas vagino-pe-
riiieaes, recto-vagmaes, exiirpagoes de tumores
de todas as naturezas, etc., etc., tenho collado
resultados mais que satisfactorios, empregando
a.= soliiees de 2 0/0 e 1,2 % de ereolina.
A solugo de 2% serve para desinfeceo das
mos e da parte qu se vai operar (para impeza
6 tambem recommendavel o sabao de creolina,
que 6 considerado, segundo experiencias de Es-
march, superior ao sabo de sublimado) e para
collocar os instrumentos, que em nuda sotrem,
como nao sfie acontecer com o sublimado e mes-,
mo com o acido phenico.
A solucto de l/2./o serve para lavar as feri-
das, e humedecer os curativos e para o proprio
curativo.
Nos cancros venreos tenho tambem emprega-
do tpicamente a solugo de 1,2 / com resultado.
as blenorrhagias e otorrbas teobo sido igual-
mente bem succedo no empregoda creolina:
eomego a empregal-u na dose de um deciirram
ma liara 100 grammas d'agua c vou elevando-a
at o decign minas.
Urna solugo de creolina, por mais forte que
seja, nunca acta custicamente; s vezes Sttc-
cede, quando muito forte, determinar um ligeiro
ardor, urencia, o que, porem, passa em poucos
minutos.
Km gynecologia emprega-se em geral urna so-
lugo de 1/ ", (urna cotner de coa para um li-
tro d'aeua) para lavagensda vagina, assim como
tambem para lavagem doutcro e vagina depois
do parto, pratica esta, segundo refere Max Kor-
tum no Cent'itlbl. f. Gynac, de muitautidade.
mormente nos casos em que houver ruptura do
perineo, porquanto a solugo de creo)mu, pela
sua acgo hemosttica, facilita a sutura e a con-
serva limpa, q que em .eral nao acontece com o
enipregode otras substancias.
Alem destas solnges costuma-se tambem em-
pregar urna pomada de creolina assim com-
posta :
Creolina l-2grami
Geroto 100
Para applieayes tpicas, as casos de ulcera-
goes.
Considrameos sobre a pnula
deaomiuadapara ludo
PE/' SB. FUAKMACEUTICO GUSTAVO PECKOLT
D-se este lun: '-toes das provincias
de Minas e S. Paulo, a urna planta da familia
das amarantliaccas, a gomphrenn ofliciMlii (Mari.)
gomphreuti arbui'tteens (Liun.), braguntia vandelli
(Som c SchuU taml>em conhecida por berva-
moura do serto, perpetua do matto, rau do pa-
dre Salerma. etc.
0 seu caule, qpe aitinge geralmente de 4-9
pollegadas de comprknento, rylindrieo, de cor
arermeUiada, rom 4 p; res de folnas oppostas, de r
omformago variavel, sendo as mais prximas [no fabrico, o gasto do cornausvel, se for possi-
da raz menores, orbiculares, e as outras-de 2-31 vel, e sendo todas as analyses feitas segundo os
pollegadas de comprimento sobra i 1/T-t- de lar- melhodos mais modernos.
uarila nacionalPor acto da presiden-
cia da provincia de hontem datado, foi mlineado
capito da companhia do 26 batalho de in-
famara da guarda nacional da comarca de Ha-
nellas Rraz Cavalcante de Albuquerque Lins, em
substituigao de Manoel Joo de Souza, que dei-
xou de solicitar a respectiva patente no prazo
legal.
imoridadr policial Por portara da
presidencia de 11 e proposta do Dr. cnefe de po
ficia de 10 do corrente foi nomeado :
Sulidelegado do Io districto de Nossa Senhora
do O' do termo de Goyanna o alferes do corpo
de polica Manoel Ferreira da Silva, em substi-
tuigao de Luiz Gomes Correia de Oliveira, que
foi exonerado.
Arto ornciae*Por actos da presidencia
da provincia de 26 de Dezembro Ando :
Foi exonerado a pedido o bacharel Jos Joa-
quim Alves de Albuquerque, do cargo de 2o sup-
pleUle o (leltjj""!" Ju 1" Uokot< dado .-.pii-1
e nomeado para substitud-o o actual 3' supplen-
te, capito Augusto Cesar Cousaeiro de Mallos.
Foram concedidos 60 dias de cenca ao juiz
de direito de Taquaretinga bacharel Daro Ca-
valcante do Reg Albuquerque.
Foi nomeado, sob proposta do inspector do
Thesouro Provincial, Dinamenco de Oliveira Gui-
inartos, para o cargo de escrivao da collectoria
de Paneuas; ficando assim exonerado Capituno
Pereira da Costa que nao tirou tilulo.
Por acto da mesma presidencia de 27 de
Dezembro lindo :
Foram concedidos 30 dias de licenga ao pro-
motor publico da comarca de Bom-Iardm ba-
charel Hervesio Lupercio de Souza.
FarulilaoV de Direito Amanh. llave-
ra urna mesa examinadora de algebra s 10 ho-
ras da manli; e mais s 11 horas as mesas se -
guintes : de francez, lam, rhetorica, bistoriage-
ral, e corographia e historia do Brasil, nica-
mente para os estudantes que por motivo justi-
ficado deixaram de fazet-os no tempo compe-
teote.
FcMiividadc rliaio*aTer lugar ho-
ie na capella de Nossa Senhora da Conceigo, em
putinga, da estrada nova do Caxang. a festa
da respectva Padroeira, que constar de missa
solemne s 11 horas da madi e ladainha noi-
te officiando o Rvra. vigario da freguezia, sendo
a orchestra dirigida pelo Sr. professor Lydio de
Oliveira.
Ao lindar a ladainha ser queimado um pe-
queo, porm bem preparado fogo de arti-
Jicio.
O largo da capella se achara embandeirado e
Iluminado a giorno e tarde tocar urna banda
de msica.
Festa da Monte Realizar-se-ha boje em
Olinda a tradicional festa do Monte, na sua ca-
pella, com a pompa brilhantisrao do costu-
me.
Para conduzir os romeiros desta capital, have-
r, segundo o annuncio que em outro lugar pu-
bcamos, trens da estrada de ferro at alta
noite.
Manto Amaro dan Malina Terca-fei-
ra, l'i do corrente, dia do Glorioso Santo Amaro,
manda a irmandade, erecta em sua capella das
Salinas, celebrar urna missa s 8 horas da ma-
ulla em louvor de seu padroeiro, adiando, por
eircumstancias imprevistas, para Fevereiropr-
ximo a sua .tradicional festa.
iinlro militar Esto designados boje
para superior do dia o Sr. capito Pedro Velho,
e para ronda menor o Sr. alferes Joo Pi da
Fonseca, e para amanh o Sr. capito S Bar-
reno, e ronda menor o Sr. tenente Maciel da
Silva.
A guarnigo da cidade dada hoje pelo 2
batalho de infamara e amanh pelo 11 da
mesma arma.
Commandar hoje a guarda da Thesoura-
ria o Sr. alferes Carlos Augusto de Almeida Soa-
res e amanh o Sr alferes Pedro Nolasco de
Souza.
Existcm emtratamento na enfermara mili-
tar 37 pracas dos corpos da guarnigo.
S. Exc. o Sr. general commandante das ar-
mas indeferioo requerimento do soldado do 14
batalho de iufantaria Joaquim Justino Ferieira.
Vai ser inspeccionado de saude no dia 14
do corrente o cometeiro do 14 batalho de in-
hntaria Jos Joaquim de Souza.
Hoje das 5 horas da tarde at s 7, tocar no
jardiin do Campo das Princezas a banda de mu-
sica do 2 batalluo de iufantaria.
A difu*A*> em Guadalupe ~Ao enge-
nheiio Luiz de ("asiillio dirigi o Ministerio da
AgrienItu a, a 2 do corrente, o aviso ee^uinte :
>e proceder na ilha de Guadalupe a
experiencias sobre dinerentes p le Ca-
bneacao de assucar de canoa, dever Vme. para
all seguir, cando incumbido de proceder aos
estudo> do novo processo do tratamenio do saldo
nos difusores, e de outros, fszendo as analyses
das variedades da canoa de assucar all culti-
vadas, das ulliadas esgutadas do caldo dos di-
fusores, da alcalraidade do mesmo caldo, dos
xaropea e sua alealinidade, da massa cosida,
dos assucares de primeiro c segundo jacto, se
fr (ossivel, e do rael: verificando a porcenta-
gem do assucar turbinado e quantidade do mel
per volume, determinando as perdas do assucar
Finalmente, verificar tudo quanto possa iu-
teresaar industria assucareira, inclusive o
temo de cultura da canna de assucar.
Deus guarde a Vmc Antonio Prado.
mmigraco Ao cnsul geral do Imperio
em Pariz dirigi o Ministerio da Agricultura, a
do corrente, o aviso seguinte :
Recebi os officios ns. 1 e 2 que V. S. me diri-
gi em data de 12 de Abril e de Setembro do
auno prximo passado, tpansmittindo propostas
para a introduego de immigrantes no Imperio e
tundacao do Estado.
Nao julgando conveniente a aceitaco das pro-
postas que foram aproseniadas a V. S., em res-
pasta aos mencionados ollicios e paraaeu conhe
cimento, declaro a V. S. que os favores conce-
didos pelo governo imperad aos estrangeiros
que desejareui emigrar para o Brazil eonsietem
no tramporte gratuito desde o porto de embar-
que at-mlugar a que se destinarem no-Imperio,
no agasaHio c alimentado durante oito dias em
estabelecimenlos especialmente montados para
esse fim.
Estes favores,'todava, nao se referan sento
aos immigrantes que. constituindo familia, se
destinarem aos trabalhos agrcolas, nao sendo
applicaveis aos que tiverem em vista a explora-
gao de qualquer oulra industria.
Alm disso, deve V. S. assegurar aos immi-
grantes que, apenas aqui chegados poderao sem
o mnimo embarace, e como mais conveniente
Ibes parecer, empregar-se ou como trabajadores
assalanados, ou como empreiteiros dos diversos
servigos das lazendas ou ainda como pequeos
proprietarios em ncleos coloniaes fundados pelo
Estado ou por part miares. -Os immigrantes que
preferirem esta ultima forma de colloeago, re-
cebero mais nos ncleos em que se cstabele-
cerem agasalho provisorio at que possam con-
struir suas hahitagOes, concedeado-se-lhes ao
mesmo tempo trabalho as obras que forem ne-
cessarias fundago da colonia, de modo que
com o respectivo salario obtenham recursos para
satisfazer suas necessidades emquanto nao pu-
deram fazer as primeiras colheitas.
Convm, portanto, que tenham publicidade
nesse paz os favores cima mencionados, afim
de que os immigrantes nao sejam iudidos, nao
s quanto natureza de taes auxilios, como
anda quanto liberdade do trabalho que Ihes
garantida pelas leis do Imperio.
Heleva ainda communicar a V. S. que o go-
uerno imperial, no intuito de dar o maior incre-
mento possivel corrente immigratoria para o
Imperio, celebrou contractos para introduego
de avultado numero de immigrantes, estipulando
que nenbuma remunerago poderao os respec-
tivos contractantes receber dos immigrantes, os
quaes nao poderao do mesmo modo recusar o
transporte solicitado desde que sejam agricul-
tores e constituam familia.
Escusa declarar que o governo imperial muito
confia no zelo e patriotismo de V. S., para ficar
certo de que scro observadas as instrueges
constantes do presente aviso'.
Deus guarde a V. S.Antonio Prado.
Ponico commercial de vroducto
do Brasil Aos cnsules geraes do Brazil ex-
pedio o Ministerio da Agricultura o seguinte
aviso-circular am dala de o do corrente :
Illm. Sr.O governo imperial, no empenho
ein que se acha de estimular e desenvolver a
produego o industria nacionaes, precisa que
V. S. Ihe preste com urgencia informaces sobre
a posicao commercial dos gneros brazileiros
nos differentes mercados desse paz, bem a.s-i n
sobre a quantidade e valor dos diversos pro-
ductos exportados para o Brazil, e os de pro-
duego nacional ah importadas nos dous lti-
mos annos, mencionado, finalmente, a concur-
rencia que soffrem dos similares de outras pro-
cedencias e os meios que Ihe parecerem mais
proprios para melhorar-llies as condiges e aug-
mentar a procura.
Deus guarde a V. S. Antonio Prado.
Outr'ora eram reunidos e publicados em livro,
na forma do decrefu n. 4,258 de 30 de Setembro
de 1868, os relatnos e informages dos agentes
diplomacos e consulares do imperio, mandando
o referido decreto que a taes documentos fossem
addicionados os dados estatisticos colgidos
pelos mesmos funcionarios. Gracas a esta ini-
ciativa do ento ministro dos negocios estran-
geiros, o Visconde do Bio Branco, de memoria
t'o saudosa, varios tomos foram dados es-
tampa com pontualidade que caracteriza os ser-
*lyuo Un < Mip..t. mo -r,.i i_i,u il do Cetado M(ll>
tarde supprimida a pequea verba destinada a
esta publicago teve esta que cessar, estancn-
dole por este modo preciosa fontc de indicagoes
utilissinias para todas as classes, nomeadamente
a do commercio.
A restaurago desta boa pratica ser muito
conveniente, at para que de taes pubcages se
torne prente o zelo dos nossos agentes nem
sempre julgados com justiga em razo do carc-
ter ordinariamente reservado das suas commu-
nicages. Nao ha em todo o globo paiz culto
que nao faga publicar, anno por anno, os rela-
torio3 dos seus agentes diplomticos e consu-
lares. Nao ba motivo plausivel para que a este
respeito constituamos excepgSo.
Igreja da anta Cruz Nesta igreja lla-
vera na terca-feira, lo do corrente, exposigo do
milagroso Santo Amaro, das 6 horas da tarde s
9 da noite, prolongaudo-sc a referida exposigo
at o dia 24, como de costume nesta igreja.
Durante essas noutes de exposigo sero en-
toados pelos devotos canucos sagrados em acgo
de gragas ao glorioso santo.
vacada -A's 11 horas damanh de quinta-
feira na ra da Estacao do 1 districto da fre-
guezia de Afogados, travaram-se de razos os
desordeiros Alfredo Gomes dos Santos, conheci-
do por Mourongo, e Euzebio Bibeiro da Silva,
resultando debas sahir Alfredo ferido com urna
lacada na regiio abdominal, evadindo-se o cri-
minoso.
O offendido foi remettido pela respectiva au-
toridade policial para o hospital Pedro II; afim
de ser medicado.
Suicidio Pelas 7 horas da noite de 31 do
mez passado, no lugar Barra da Lama do termo
de Agua-Preta, Bellarmino Alves da Silva suici-
dou-se com um uro de pistola. '
A respectiva autoridade policial tomou conhe-
cimento do facto, como Ihe cumpria.
Tiras e ferimento Na quinta feira, ao
meio dia, .em trras doengenho Bom Jess, no
lugar Ypiranga do Io districto de Afogados,
Carlos Moreira Bes. filho do proprietario do re-
ferido engenho, travou-se de ranea com seu pri-
mo Jos Joaquim Moreira Reis, disparando-lbe
um tiro de revolver, que o nlo o ferio.
negando nesssa occasiao Maria francisca da
Conceigo em auxilio C.o aggredido, recebeu um
tiro desfechado pelo mesmo Carlos, ferindo-a
no ante-brago direito.
Abrio-se o inquerilo-
looaoiinaio No dia 6 do correnje, pelas
7 horas da noite, no lugar Gamelleira do termo
de Bezerros, Henrique Baptista assassinou cora
onze Cacadas a Joaquim de Araujo, evadindo-se
em seguida.
Abno-se o inquerito.
Precisa eorreccao-J lemos mais de urna
vez nos manifestado contra o abuso que val se
introduzindo, de certas pessoas procurarem ex-
perimentar animaes as ras e estradas desta
cidade e seus suburbios, e agora temos um ca-
so que poderia ter sido fatal ao padeute.
Eil-0 :
Hontem cerca das 6 horas da tarde partihdo
um pareo de animaes da ra das Pernambuca-
nas ao Entroncamento, na Capunga, foi o ne-
gociante da ra Duque de Casias, o Sr. Ma-
noel Nuiies da Fonseca, atropeUado e derribado
por um dos animaes, que faziu a carreira, o
3ual era montado por Augusto Botelho de An-
rade, cando oSr. Nunes da Fonseca bastante
maltratado.
Convm que sejam taes corridas prohibidas e
3ue os seus autores tenham urna correegao afim
e que --Cenas taes se nao reproduzam.
nntilnto HciicUceiiie dos Ofllclacs
da duaVda nacionalReunio-se no dia 9
es-a sociedade em sesso ordinaria e depois de
lida a acta da sesso de 12 de Dezembro, foi
sem debate approvada.
O expediente constou de dous officios, sendo :
Um do Monte Pi Popular Pernanibucano, em
resposta a um do Instituto ; e outro da Socieda-
de dos Empregados do Commercio, convidando
o Instituto para assistir ao seu 3 anniversario
no dia 20 do corrente s 5 horas da tarde. Para
esse lim, oomeou o Sr. presidente aos Srs. alfe-
res Ges Cavalcante, tenente Ileliodoro e tenente
Hermillo Coutinbo.
Foram tambem propostosos Srs. capites Joao
Seiino dos Santos Beserra, Francisco de Albu-
querque Lias, e Joo Augusto de Mello, indo a
proposta commisso de ayodicaacu.
Achando e o Sr. capito Jos Vicen-
te Ferreira da Silva Jnior, prestou juramento.e
tomou assento.
Achando-se presente o lilho do consocio capi-
to Jos Francisco Perara da Silva (fallecido!
fez entrega ao Instituto, de urna espada e barn-
tina de seu fallecido pai, para a sala d'armas.
Nessa occasiao o Sr. presidente fez sentir casa
o fallecimento dos consocios capito" Jos Fran-
cisco Pereira da Silva e tenente BeDto da Souza
Mira.
A pedido do 1* secretario, foi laucado na ada
um voto de profundo pesar e levantou-se a
sesso, ficando adiada para o dia 17.
CadverUe um viveiro de peixes sito na
estrada dos Bemedios, distrieto pocial de.Af-
fogados, e conhecido como viveiro da viuva do
Carneiro, foi hontem retirado o cadver de um
individuo de cor preta, representando ter mais
de 80 annos.
Conduzido para a igreja do Rosario de Affo
gados, deve ter sido hontem tarde vistoriado.
Ignora-se o nome do individuo, e suppe-se
ter elle morridoasphyxiado por submerso.
PasNeiataA propesito da publicago do
projecto approvando o contracto municipal das
carnes verdes, pelo vice-presidente da as-
sembla provincial, houve hontem urna passeia-
la, que, orguuisada na ra do Imperador, e le-
vando msica frente a atacando foguetes, per-
correu diversas ras.
Depois de percorrer diversas ras, a passeiata
dirigio-se ao palacio presidencial, e, ahi, una
commisso composta dos Srs. Dr. Altino Correia
de Araujo, Menna da Costa, escrivao Olavo e Vi-
cente Silva, dirigio-se ao Exm. Sr. presidente da
provincia, para, em nome do povo, reclamar ius-
lica na questo das carnes verdes, solicitando a
manutengo do contracto feito pela Cmara Mu
nicipal.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, respon-
deu que, sem apreciar a questo do contracto
em si mesmo.o que mais de perto interessa
ao povo,nao podia deixar de tornar em cousi-
deraco a questo jurdica, urna vez que a Cma-
ra Municipal do Recife arrogou-se o direito de
resolver o conflicto suscitado entre a administra-
gao e o presidente da Assembla Provincial.
S. Exc. concluio dizendo que, tratando-se de
questo de direito, a' resolvera de accordo con
este e com as suas convieges, e sem quebra da
solidariedade administrativa.
A passeiata dissolveu-se em boa ordem no
Campo das Princezas.
C aruar -Escreveram-nos de Caruar em
31 de Dezembro prximo lindo :
De volta dos trabalhos da Assembla Pro-
vincial, chegou a esta cidade na mauh do da
21 do corrente, o honrado deputado por este
10 districto, o Illm. Sr. Manoel Rodrigues Por-
to, onde sempre "procedeu com criterio que Ihe
6 reconhecido.
Logo que foi annuqciada a sua cBehada,
grande numero de amigos polticos foram a seu
encontr a urna legua de distancia da cidade, e
precedidos de urna banda de msica e foguetes
o acompanharam at casa de sua residencia,
oude foram erguidos diversos vivas ao Gabine-
te 10 de Margo, ao partido conservador, ao Exm.
Sr. Dr. Rosa e Silva, minora da Assembla Pro-
vincial e ao eleitorado do 10" districto.
A' noite foi ainda offerecido ao Illm. Sr. Ro
drigues Porto um esplendido baile no salo do
Club Luterano Caruaruense, que se achava ele-
gantemente decorado e ao qual concorreu cres-
c'dissimo numero de cavalheiros e senhoras da
nossa meihor sociedade, terminando o mesmo
baile s 4 horas da manila.
Examen primarlos No da 9 de De-
zembro lindo, na escola publica do sexo feme-
nino do povoado do Rio Doce, pertenecnte pa-
rochia de S. Salvador do curato da s de On
da. peanle a commisso examinadora, compos-
ta do delegado litterario, Dr. Bernardmo de Sen-
na Dias, do examinador capito Manoel Jos de
Castro Vilallc e da respectiva professora da ca-
deira E. Maria Januana da Conccico Guima-
res, procedeu-seao exame das alumnas habdi-
tadas, sendo o resultado o seguinte :
Io gro-Luiza Maria do Espirito Santo, mui-
to adiantada.
2 grao Maria da Penha de Abreu, Eudoxia
Mara Pereira e Juventina Bogaciana Marques,
muito amantadas.
Aps o exame foi pela professora, que reve-
lou-se em suas discipulas urna instruida prece-
ptora, offerecido mil profn-zn /<* > ouimisso
examinadora, s examinandas e convidados.
Directora das obras de eonserva-
cao dos Porto de PernanabcoReci-
fe. 11 de Janeiro de 1889.
Boletim meteorolgico
Horas 1-3 S S 5* Baromdro a 0 Tenso do vapor o
H B
6 m. 25-9 760-J8I 18,13 73
9 27-3 761-76! 18,43 66
12 29-4 761-32 18,31 60
3 t. . 28--7 739-87 17,34 59
6 28" 2 70-H' 18.76 67
Temperatura mxima30,00.
Dita mnima 23*,S0.
Evaporago em 24 horasao sol: t0-,4; som-
bra : -,1.
Chuvanulla.
irecgo do vento: SE de meia noite at 2 ho-
ras e 33 minutos da tarde; SSE at 3 horas ; SE
at meia noite.
Vclocidade media do vento: 3". 28 por se-
gundo.
Nebulosidade media: 0,34.
Boletim do porto
2 x
l'i
-
O B
Dia
11 de Janeiro
*
12 de Janeiro
Horas
1 0 da tarde
6-38 .
1 -13 da manh
7-47 .
Altura
2,02
0-97
2,00
0-,8a
Entraram
Sahiram ^
Falleceram 3
Existem 348
Foram visitadas as respectivas enfermaras
pelos Drs.:
Moscosos 8 1|2, Cvsneiro s 10 1|2, Barros
Sobrinho s 7, Berardo s 11, Halatpaas s 9,
Estevo Cavalcante s 9112 horas.
Nao compareceram os Drs.:
Mmes Baroosa.
Pontual.
O cirurgio dentista Numa Pompio s 8 Irf
horas.
O pbarmaceulico entrn s 81r2 da manh e
sahio s 4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrn s 7 i|f
da manh c sahio s 4 horas da larde.
Lotera lo lirass-Par -A 2' parte da
24* lotera, dessa provincia, cujo premio grande
Lrl:0fli*i000, ser extrahida, quarta-feira, 1C do
corrente.
Cemiterio PublicoObituario do dia t
ile Janeiro de 1889.
Maria, Pernambuco, 6 annos; impauHSa'tt
agudo.
Hermenegildo Marcelino de Miranda, Peraam-
buco, 73 annos, solteiro ; amolecimento cere-
bral.
Pedro, Pernambuco, 14 annos, solteiro; hel-
mitiasis.
Maria Jos Francisca de Jess, Bio Grande do
Norte, 25 annos, solteira: febre typbica.
Maria, Pernambuco, 6 dias; espasmo.
UmaCiianga, Pernambuco, 6 das; asptnxia.
- 11 -
Manoel Ignacio de Sant'Anna. Pernambuco 80
annos, solteiro, Boa-Vista; diarrha.
Joaquina Thereza da Cunha, Pernambuco, M
annos, casada, Boa-Vista: tubrculos raeanMe-
ricos.
Joo, Pernambuco, 18 mezes, tirara : cooval-
ses.
Manoel, Pernambuco, 13 annos, solteiro, San-
to Antonio; paralysia.
Maria Isabel da Conceigo, Pernambuco, 3t
annos, solteira, Boa-Vista; insulidencia artica
Thomazja, Pernambuco, 2 annos, Redfc;
eclampsia.
Um feto, Ternambuco, S. Jos.
11 POUCODE TUDO
De conformidade com a recente aoton-
sagao legislativa foi elevado a 30 o nume-
ro dos batalhocs do exercito.

O governo imperial nao consentio qne a
IIIma. cmara municipal da corte creaase
um serviro de estatistica geral do muni-
cipio neutro, pela razo de qne, tratndo-
se de um servico permanente, depende da
approvacao da nssembla geral.

Na provincia do Rio de Janeiro princi-
piou a vigorar no dia Io de Janeiro cor-
rente, a nova taxa de 1* em estampaae
adhesivas a requerimento e ontros papis
que transitarem as repartiedes prorin-
ciaes.
Essa.s cst".111 piIbas estao sendo fabrica-
das na Imprensa Nacional, que ji entrn
para a thesouraria provincial com 3,000
dellas. Sao de forma retangular e impres-
sas em tinta azul, tendo no centro urna es-
trella com as armas imperiaes e nos extre-
mos superior e inferior a designacio da
taxa e da provincia onde cobrada.
O Sr. bispo da diocese de S. Panlo
obteve licenca para ir ao Cear.
Durante a sua ausencia, ser substitui-
do pelo Revd. vigario geral daquelle bis-
pado.

L-se no Paiz da corte:
A bordo do paquete Rio Negro, ckegoa
ante-hontem de Santa Catharina o 2* t-
ente da armada Manoel de Souza Gomes,
qne ha 28 annos sd achava extraviado no
serto da provincia de Matto-Orosao.
Quando este official se spre*enton ba
te ni pos ao presidente daquella provincia,
alguem, communicando-nos essa ocenrren-
cia, nos informou que elle nada tinba de
homem civilisado, sahindo-lhe da garganta
sons guturaes.
Foi, portanto, grande a nossa snrpreaa
quando hontem deparamos com nm verda-
deiro cavalheiro, correcto no trajar e na
linguagem.
Fazendo-lhe as nossas excusas, apres-
sou-se em declarar nos qne era muito na-
tural ter o nosso informante sido exagera-
do na sua descripclo feita, louvando-se
assim no que a seu respeito corra em Co-
rumb.
Os poucos momentos em qne estivemoe
juntos, bastaram-nos para modificar
pletamente a opinio que formamos
o modo de vida adoptado pelo 2' tenente
Souza Gomes durante os longos annos que
permaneceu entre os selvagena.
A permanencia daquelle official no meia
das florestas foi altamente aproveitaral,
pois contribuio muito para a civih'satjloie
grande numero de silvcolas.
. O official de marinha, que <.
vista e nao conhecida atirara
motas paragens, empregou n'-
scu tempo, ensinando a 1er 5
impra-
^ taora-
-' -oate
esorerer oa
LeliOcs -Effectuar-se-ho os segundes :
Amanh.:
Pelo agente Pinto, s 11 horas, na ra do Mr-
quez de Olinda n. 32, de madapolo avahado.
Terca feira :
Pelo agente Gusmo. s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 48, de o fardos com saceos e
gneros de estiva.
Mlssas fnebresSero celebradas :
AmanbS :
A's 7 horas, nacapeda do Corago Eucaristico
de Jess, pela alma de D. Maria Jos de Jess
Peretti; s 7 horas, na igreja do Pilar, pela alma
do 1 ortico Manoel da Silva Neves.
Terca-feira:
' A's 7 horas, na igreja da Soledade, pela alma
de Hermenegildo Marcelino de Miranda.
Passageiros Sabidos para o norte no va-
por americano Adrance:
Beman Glanella e capito J. Lewis e sua se-
nhora.
Operacaes cirurglcas Foram pratica-
das no hospital Pedro H, no dia 12 do corrente,
as seguintes:
Pido Dr. Malaquias:
Urethrotomia interna e externa indicada por
estreitaaaento iufranqueavel da porcfio cavernosa
da urethra, e fstulas da base do penis.
elo Dr. Berardo:
Extracgo de estilhago de espoleta da cmara
anterior do olho direito.
Pupilla artilicial indicada por mancha da cor-
nea.
Casa de OetencoMoviraento dos pre-
sos da Casa de Deteng'o do dia 11 de Janeiro
de 889.
Existiam 438 ; entraram \ sahiram 6 ; exis-
tem 439.
A saber: -
Nacionaes 402 ; mulheres 16 ; estrangeiros 20.
Total 439.
Arragoados38o.
Bons 362.
Louca 1. ,
Doentes 21 Total 383.
Movimento da enfermara
Tivebaixa :
Manoel Luiz de Franga.
Teve alta:
Serafim. Amaro dos Anjos.
Hospital Pedro oO movimento deste
estabelecimento de caridade no da 10 do cor
rente tai o atguinte :
lancou
milha-
inefiea e
official,
slencnr\
filhos daquelles que Ihe deram pospita-
dade.
O Sr. tenente Souza Gomes
a sement em terreno safkro :
res de individuos, qne, sem a
providencial intervenco daquell
estavam condemnados 9 urna
toda vegetativa e abjecta, gozam de todas
as vantagens dos povos civilisados, virea-
do intimamente com os habitantes de Ca-
ramba e outros povoados da provincia da
Matto-Grosso, onde commcrciam.
O Sr. tenente Souza Gomes recebes
hontem, na contadoria de marinha. os sean
venei mentos a contar do dia em qne aa
apresentou ao presidente de Matto-Gros-so.
Accrescenta-pe, nlo sabemos se
bom fundamento, que, urna vez justificada
o seu extravio, a esse official ser contad*
o tempo em que esteve ausente.
O ministerio do
que representou
imperio, attendendo a*
o Sr. .inspector geral
de hygiene, relativamente nrrrssiili
de urgente de methodisar e estabele-
cer as instrueges fundamentaes da
serv50 hjgienico, que se refere a polica
sanitaria dos alimentos e bebidas fabrica-
das no paiz e importadas, resolveu Bo-
rnear urna commisso, compoata do aaaa-
mo inspector como presidente, do conse-
Iheiro Nuno de Andrade e dos Drs. Lana
Agapito da Veiga, Jos Diaria Teixeini a
Antonio Jos Rodrigues Torre Oetto,
como membros, para elaborar um projec-
to de regulamento, enja bases corrospoo-
dam s seguintes indicaciea :
1.a Definir precisa e fonaalmaate o
que se deve entender por misil
2.a Referir a falsificaclo a
aubstaneias alimentares e bebidas, a
tituir um servigo de inspeccio qa
se applique exclusivamente;
I

t
tsda


Ljifin


J*
'

'
Diario de Pernambueo---Domingo 13 de
^^nu
188
3
ticar os met!
de peer uisas a empregar para? reconhecer
i sar as falsificarse;
analmente, apresentar um projec-
to de le i, que trate particularmente das
substancias alimentares e bebida, e redi-
gido de modo a precisar exactamente a
naturcza e a gravidade dos delictos dando
s autoridades administrativas e sanitarias
poderes e m iccSo necessarios para
a repressao das falsificacoes, e estabele-
cendo urna saneclo penal suficiente para
que a repressao seja efficaz.
#
A sociedadc dos artistas austracos,
presidida pelo celebre pintor Munckaksy,
recusou-se a concorrer seceSo de' bellas
artes da exposicao universal de Pars,
como represalia dos pintores francezes
nSo haverem concorrido exposico jubi-
lar organisada em Vienna, na ultima pri-
mavera .
#
No dia 17 do corrente deve sahir de
Southanipton, com destino ao nosso porto,
o novo transatlntico Atrato, da compa-
nhia Royal Mail
O Atrato de 5.300 toneladas e a sua
machina da forra de 6.000 cavallos vapor.
Segundo informacoes da empreza, o novo
paquete possuc excellentes. luxosas c con-
fbrtaveis accommodacoes.
*
Nos tribunaes do Douai foi julgado ha
pouco o famoso malfeitor Contesenue, que
tem urna historia parecida com o enredo
de um romance sensacionista.
Filho de pescadores, nasceu em Meudon
em 1840. Aos 11 annos deu entrada
n'uma casa de correccSo, compromettido
n'um roubo de peixe. Alistando-se mais
tarde como soldado, fez as campanhas da
Africa e da China, onde se distingui pela
sua valenta e coragem. Fez igualmente
a eaniprnha de 1870, mais depois do cerco
de Pars, recusou combater a Communa,
o que lhe valen um degredo de seis me-
zes para a ilha de Re. Posto em hber-
dade. vaio depois vivcr para Sant-Diniz,
onde negociava em pesca e em relojoa-
ria. Cumprio urna sentenea pelo crime
de roubo e mais tarde appareccu em Lu-
neville testa de urna quadrilha de sal-
teadores, que commetteu muitos roubos
sendo alguns d'elles importantissimos.
Rcfugiou-se na America, onde negociou
em joia; e em papis de crdito e depois
appareceu na Blgica, onde foi preso.
Trazi-.i eorasigo, em valores, 200 cdntos
de ris.
Foi condemnado a dez annos de galo;-
e mandado para a Nova Caledonia. Con-
'seguio evadir-se e appareceu em S. Fran-
cisco, onde se
de viveros,
dor; deram-lhe urna espingarda, plvora
e chumbo, e o nosso homem tomou a se-
rio as suas novas funceoes, vivendo no
meio das florestas vida perigosa e raovi-
mentada, a vida dos matteiros america-
nos. Quiz arranjar nova identidade, rou-
bou a um individuo todos os papis necos-
Barios para esse effeto e fez-se naturalisar
cidadao americano.
Tudo corra bem a Contesennc, mas
urna carta que receben de urna das suas
amantes fez com que voltasse Franca,
apparecendo em amar.
Prest, mais tarde e julgado pelo tribu-
nal de Mona, foi condemnado a vinte annos
de trabdhos pblicos.
Conseguio* porm evadir-se do proprio
gabinete do juiz de instruccao partind.. as
algemas que o manietavam.
Depois appareceu nos departamentos de
Douai e Valenciennes onde novos roubos
pratico i auxiliado por alguns dignos com-
panliciios. Afinal tornou a ser preso em
Aniche. .
" Neto ultimo julgamento a attitude de
Contesenne foi singularsima. As per-
guntas do presidente respondeu com espi-
rito e dlrigiu continuos sorrisos aos membros
da iraprensa e ao publico
Antes da defesa levantou-se; recordou o
sen comportamento em 1870 e exclamou
n'um toin feroz que, se nao tivesse sido con-
<} inado injustamente na sua infancia, nao
ia aquella hora no banco dos reos.
) tribunal condemnou-o a gales per-
petuas.
' *
J que o nome de Boulanger, quer pelo
rl rorcio e pretendido golpe de Estado,
r, finalmente pelos ossos do grande
metteu com um negociante
que o contractou como eaca-
etc., apreseotam a nonominia sanguinaria,
como una varedade real la loucura.
Os indviiduo que padecem estas affec-
c3es, gosam de toda su?, razio; podem
ser muito intelligentes ; ir.capazes de com-
metter o mais simples delicio, quando porm
a nevror.e vesnica as invade, se convertem
em veruadeiras bostas ferozes e matam,
nSo tahio por matar, qnam:o por tingir suas
maos de sangue, arrancar os orgios do
corpo e cheirar o vapor 'orrivel que des-
pede ta:nanha carneceria.
E' a loucura do cadver quente a que
se apodera desses desditoitoe; os exemplos
de seres to atrozes, so felizmente muito
raros ; porm existem e joderiam citar-se
alguns. Entre os menos, horrorosos que
podemos mencionar se acha o segninte
consignado por Mausdley na Ba obra Le
tkrime e' la Folie.
Trata -se de um sacerdote de vida-exem-
plar e aprasivel, habitante de urna cida-
de de Alton (Hampshire). Em urna for-
mosa manhS, passeava pelas immediaco'es
da pcvoaco, em occasiSo em que uns me
[nios se recreavam com s Approximou-se delles, e comafagos conse
guio que um rapazinho de nove annos o
acompanhasse a um bosque viainho de l-
pulos; e, repartindo algnm dinheiro fez com
que os outros meninos se aflstaasem.
Alguzs instantes depois, o sacerdote re-
gressou tranquillamente a povoacSo ; no
caminho e ao passar por um arroo, lavou
as ehsanguentadas mSos. Depois, ao che-
gar casa, entrou no gabinete ecomecou a
trabalhir. O rapasinho nao appareceu:
bu8caram-n'o no bosque de lpulos, e alli o
aeharam com o corpo feito em muitos pe-
dacos. As suspeitas mais vehementes re-
cahiram no sacerdote : oj tribunaes fize-
ram pesquizas e aeharam no pulpito o dia-
rio em que nota va os feitos de sua vida:
na ultima folha se lia : Matei um meni-
no : estova bom e quente .
O miseravel tinha agido por impulso
superior sua vontade. Sua conducta
anterior e posterior ao facto, nada teve de
anormal. Foi condemnado a morrer na for-
ca. A monomana que o devorava era
hereditaria: um prente prximo de seu
pai, soffreu a monomana suicida; seu
mesmo pai tinha soffrido um ataque de
mana aguda ; tanibem o dasgracado sa-
cerdote tinha tido impetos de suicidio.
E como existem taes formas de loucura,
de dse jar sera que o monstro de White-
chapel se achasse comprohendido entre os
monomaniacos sanguinarios. Pode asae-
gurar-so que Londres, a vista dos assassi-
natos j praticados em os annos de 1827
e 1828 pelos dous miseraveis Burke c
Har, podece os estragos de um caso pa-
thologco. porque se o -criminoso d'agora
uin homem de sciencia, um medico,
como te diz, nao passa todava de um
criminoso alienado.
reacia socia D. Emilia ou a pessoa de sua con-
fianca. Archive-se, depois de atisfeito o pare-
cer fiscal.
De William Wier Hay, parase registrar a pro-
cura', ao que lhe passara a companhia North Bra-
zilianSugar Factories, Limited, para como pro
curador represental-a nesta provincia e no im-
perio. Registre-se.
De Eugenio 8amico, snecessor de Ed. Krau-
raer C, dem, quaato a marca que adoptou
Sara a banha para cabello denominadaMan-
arme de seu commercio, ra Marcilio Das
n. 65. -Adiada.
De Maia Rezende, idem, quanto a nomeacao
de seus caixeiros.Seia registrada.
De Neves Cruz, idem.-Deferida.
De Antonio Ignacio do Reg Medeiros, dem.
dem.
De Manoel Joaquim de MeRo Reg, idem.
Registre-se.
De Lisboa Esteres i C. dem.dem.
De arlos de Arruda 4C, dem. dem.
De Manoel Bento Pinheiro, idem. Como re-
quer.
De Benta Gomes de Pinbo, idem. -Seja regis-
trada.
De Femandes 4 Primo, idem.Como pedem.
De Dias Silva A C, idem e baixa do ex-cai-
xeiro Jos Antonio de Lacerda Machado.dem,
pago o sello da baixa.
De Beltro Herdeiros 4 C., idem, nomeago de
seus caixeiros.Seja registrada. (0 Sr. depu-
tado Beltrao Jnior nJo tomou parte.)
Nada mais havendo a tratar encerrou-se a ses-
so s ii l[2 horas da manha.
INDICACOES DTEIS
CHRONICA JDICIARIA
ossos do
Baudin, morto tambem heroicamente por
2b trancos, est dando que fazer a tanta
gente, permittam esta noticia:
A 14 de Julho de 1886, pela manhX,
qunndo o sol glorioso de messidor illumi-
nava apenas Pariz, multiforme e multico-
lor, o mundo ignorava anda esse novo
pretendente. Mas en revenant de la revue,
no potnerio, cavalgando soberbamente no
seu cavallo preto, pelo qual tinha desem-
bolsado 14,000 francos, foi visto, dere-
pentc, saudade enthusiasticamente, elle e
o seu cavallo pela multidSo hypnotisada.
Depois, no dia seguiute, sem que elle
podesse ou soubefse .produzir outros ttu-
los, outras benemerencias e outros moti-
Tos ao reconhecimento do povo de Pariz
e da naci franceza. Boulanger. por cau-
za do cavallo, da vista hjpnotisadwa, veio
a ser o hroe da popuacSo, o centro de
todos os descontentes, a espernnea dos
revoltosos, o sigual de batalh dos ambi-
ciosos, o terror do governo, o deputado
aclawadissimo, e em fim o pretendente
reconhecido pelas honras supremas.
A historia otferece contrastes singula-
res. Ha 18 seculoa do distancia ella nos
mostra: em Roma nm imperador que faz
ura cnsul do sen cavallo. e em Pariz um
cavallo que faz do seu dono, um impera-
dor curioso.
Tambem o Sr. Blowitz as suas corres-
fondencias parizienses ao Times falla do
ypnotismo e do famoso ckeval noir pay
14,000 francos-
Parece-noe estar a ouvr a bella actriz,
uma. ingenua^.) aquella pela qual a boa e
modesta Sra. Cipriana Boulanger, pro-
curou divorciar-se, parece-nos ouvil-
sun-ar suavente ao onvido do general:
__Pelos bellos olhos de teu cavallo
dasme um beijo ?
C^ue extranheza!
i\. amante do bellicoso pretendente
thr loo de Franca urna ingenua 7
Porque nfto a Naci....
12 que Deus Ote conserve a vista!
fuata Commewial da cldade do
Reelfe
ACTA DA SESSO DE 10 DE JANEIRO
DE 188i
PBBSIDENa\ DO IL'-M. SR. DBPL'TADO JOAQUM
OLINTO PASTOS
Secretario Dr. Julio (umaraes
As 10 horas da manh, coi tinuando o impedi-
mento do Sr. commeudador presidente, estanto
presentes os Srs. deputados annMaaor Lopes
Ma liado, BeltroJniorc Hermino de Figueiredo,
o Sr. Oliuto Bastos declarou aberta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da auterior e ez-se
a leitura do seguate :
KXPBDIBNTB
Officio de 3 do corrente, do Exm. Sr. Dr. In-
nocencio Marques de Araujo Ges Jnior com-
municando que a 3 do presente mez prestou ju-
ramento e astmiio a presidencia desta provin-
cia.Accuse-se a recepcao a arcliive-e.
Officio de 2 do corrente, dos corretores Can-
dido C. G. Alcoforado e Eduardo ubeux, parti-
cipando que nessa data entraran! em exercicio
como presidente e secretario da junta dos cor-
retores desta praca que ten de servir no cor-
rente anno.dem.
dem de 9 do corrente, do film. Sr. inspector
da Tliesourarta de Fazenda desta provincia, pa-
ra que de accordo com o art. 48 do decreto n.
9,870 de 22 de Fevereiro de; 1888 se providencie
que o agente de leiloes Augusto Cesar^ Stepplc
pague o imposto de industria e proissSo relati-
vo ao exercicio de 1886 a 1887, como o declarou
o Dr. procurador fiscal em seu officio de 4 do
corrente. A junta depois de ouvir o parecer do
Dr. fiscal ordenou que se respondesse remet-
tendo-se a co^ia do termo ce juramento do qual
se v que o indicado agente enjrou em exerci-
cio a 5 de Novembro de 1886, fim do Io semes-
tre do predito exercicio, e copia do conhecimen-
to do 2 semestre do dito exercicio do qual se
v que o mesmo agente pa;;ou 157*500 Rece-
bedoria em 30 de Abril de 1887.
dem de 5 do corrente, da junta dos corre lo-
res desta praca, remettendj o boletim das cota-
coes officiaes de2 a5 do pre?ente mez -Para o
archivo. .
Diarios ofiicfaes de ns. 357 a 3a.Archi-
vem-se.
Dislribuiram-se a rubnci os seguintes nvros :
Diaio de Cramer Frey ti C.
Copiadores de R. Druzina 5t C. e de Cardozo
* Irnio.
DESPACHOS
Dos arniazens alfandegdos ns. 18, 20 e 22 da
Companhia Pernambucana de navegacao costei-
ra.Archive-se.
pet cObs "
De Jos da Silva Rodrigues, Jos Adolpho de
oliveira Lima'e Goncalo Alfredo Al ves Pereira,
para'me se archive o distracto da firma Rodri-
gues Lima &. C, pelo que tica o ex-socio Jos
Adolpho do Oliveira Lima, que d'ora o ni diante
passa a assignar-se Jos .idolpho Rodriu oes i i
Medicas
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio aberto ra Duque de Caxias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua rssidencia ra da Santa Cruz
n. 10. Especialidades molestias de se-
nhoras e criancas. Telephone n. 326.
O Dr. Alvares Guimaraes, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do coraco,
pulmoes, ligado, estomago e intestinos, e
tambem s convulsoes e outras molestias
das criancas. Reside praca Conde d'Eu,
n. 28, 1. andar, e tem consultorio ra
do Bom-Jesus, n. 45, onde diariamente d
consultas do meio-dia s 3 horas da tarde,
aceitando chamado em qualquer desses lu-
gares. Telephone n- 381.
Dr. Joaquim Loura.ro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabugn. 14,1.
andar, de 12 s 2 da tarde ; residencia no
Monteiro.
Dr. Brrelo Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1. andar da casa
a ra do BarSo da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Setc de Setembro n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Catiro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e como
aconselhada. Consultas das 11 s 3 da
tarde em sua residencia ra do Bom
Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1." andar.
O. Dr. Costa Gfomes, de volta de sua via-
gem ao Rio da Prata, contina em seu con-
sultorio e residencia na ra do Mrquez de
Olinda n. 34, 1. andar. Chamados a
qualquer hora. Consultas de 12 horas s
3 da tarde.
Dr. Joao Paulo, especialista em partos,
molestias do senhoros e de criancas, com
pratica nos hosptaes de Pars e de Vienna
d'Austria, d consultas de 1 s 3 horas da
tarde em sua residencia ru do Barao da
Victoria n. 59, 1. andar. Chamados a
qualquer hora.
Adfogados
O bachard Witruuio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.' andar.
O Dr. H. Met mudou o seu escrip torio
de advocada, para a ra do Imperador n.
30, 1. andar, esquerda.
OccuIIsta
Dr. Ferrara, com pratica nos principaes
hosptaes e clnicas de Pars e Londres,
d consultas todos os das das 9 horas ao
meio-dia. Consultorio e residencia a ra
Larga do Rosario n. 20.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e oficinas de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibarbe n. 23. Este grande estabeleci-
mento, o primeiro da provincia neste ge-
nero, compra e vende madeiras de todas
as qualidade8, serra madeira de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem com-
petencia Pernambueo.
Drogara
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
raturas altas e demoradas na historia das epide-
mias peculiares aos climas quemes, e muito me-
nos mal estabelecidoj os principios propbytacti-
cos de grande numero de molestias da zona in-
tertropical.
At em pleno Egypto, na cidade do Cairo, se
fizeram demolicoes de antigos bairros de ras
estreitas e tutuosas, que alias eram frescas e
agradayeis, segundo testemunhos irrecusavcis
para erigir.essas largas ras espacosas que sen-
do proprlas e opportunas nos climas fros, jamis
como tal se mostram nos climas quentes, onde a
accao dos raios directos do sol se torna mais for-
te, quer sobre os individuos, quer sobre o solo
Entre nos segundo observou Thorpe em 1866,
empregando os processos photometricos de Ros-
cos, a accSo da luz solar no mez de Abril dez a
trinta vezes mais forte do que em Inglaterra;
sendo que demonstran as experiencias de Berin-
ger de 1876 a 1877 que entre a nossa temperatu-
ra tomada ao mesmo tempo a sombra e directa-
mente ao sol ha uma differenca que sobe de 0,8
a 2,3 ou 1,5 em termo medio.
Porque, pois, despresar na confeccao do traca-
do das cidades a velha regra de Andr Palladlo,
lha da pratica e da observacao, e que se resume
na consideracao que acabo de fazer sobre a lar-
gura das ras, e accrescenta a nocao relativa as
alturas dos quarleiroes ? 1
Essa averbacao constante e estudada, de sorte
que haja sempre durante as horas de sol um lado
plenamente sombreado; a abertura de saguos
3ue interrompam os predios de estenso fundo
ispostos sempre de forma que o sol tambem se
alterne entre as duas faces; eis n'este sentido a
vantage de que em mu i tas das nossas ras j
gosamos e que o nico melhoramento que pe-
der em outros ser introduzido-.
Pois ti""i simples disposicao, permittindoojogo
de duas temperaturas diversas, proporcionar
sempre o arejamento, a agitacSo do ar que
muito prigoso alias qando a ventilaco
dada, pela accao directa dos ventos canalisado*
rsa iora !... i
Outro certamente, o papel dos ventos. Vilru-
vio mesmo jmvra ao estabelecer a sua regra
emprica. Dizia elle que ac ras das cidades n8o
devero ser oppostas a direccao dos ventos rei-
nantes.
Esses ventos que entre nos s3o hmidos, e por
conseguinte dignos de ser evitados directamente,
devero nos bairros novos varrer para longe por
sobre os predios as impuresas elevadas na
atmosphera pela accao da ventilaco estabeleci-
da exclusivamente pelo jgo das temperaturas.
E de. uma tal ventilaco dever igualmente
tancar mo a arte de construir as nossas abfa-
dai e incommodas habitages, que por via de
regra nao passara de verdadeiras obras primas
de inepcia e ignorancia como eram em 1840, se-
gundo a opinio de um Ilustre escriptor os mo-
dernos domicilios parisienses.
Terminarei no artigo seguinte.
Gar>Dc>3eGr.xa
ONZE DE AGOSTO
DliillCTOll
Hachare. Manoel Scbastio de Araujo Pedresa
95Ra Visconde de Albuquerque95
Telephone n. 302
O director communica aos pais de seus alumnos que do dia 14 em diante
estarlo abertas todas as aulas deste collegio.
Empenhado em fazer todo o possivel para o niaior aproveitamento de sew
alumnos, convida aos interessados a visitarem o seu estabelecimento para conbecer
de vista os melhoramentos que acaba de realisar no mesmo.
Tomando em toda consideracao a necessidade que temos de desenvolver o
ensino primario, acaba de construir um grande salao independente de todo o mon-
mento do collegio e nicamente destinado aos alumnos do curso primario, que
titue hoje a nica aula a cargo do director auxiliado por um adjunto.
A sala em que funecionava a aula primaria foi destinada a preenchex
importante funcao,, servindo de banca de estudo para os externos nos invervallo das
aulas.
De6te modo proporciona o collegio aos alumuos externos, sem augmento da
eontribuicSo, a maor se n3o a nica vantagem dos meio-pensionistas que nio
admitte.
PQQOi
Caruar
Em 5 de Janeiro de 1889.
Ao chegar hoje a esta,cdade a noticia
de que o honrado presidente desta pro-
vincia, desembargador Joaquim Jos de
Oliveira Andrade negou sancjlo a escan-
dalosa prorogacSo do contracto de carnes
verdes, grande numero de criadores e
pessoas do povo sem distinccSo de polti-
ca, precedidos de uma banda de msica
marcial, foram ao encontr de diversos
marchantes que vinham da fera da Vic-
toria, trazendo tilo grata noticia, e assim
transitando algumas ras desta cidade, pa-
raram em frente a casa do deputado pro-
vincial Rodrigues Porto, onde foram er-
guidos estrepitosos vivas ao honrado presi-
dente da provincia e a todos aquelles que
pugnaram em prol da classe dos criadores
desta provincia, e de suas irmSs do norte.
*A' noite houve passeata com msica e
foguetes, descrevendo-ee no semblante de
todos, sem carcter poltico, grande con-
tentamente .
Consta que os conservadores preparam,
no dia 8 do corrente, urna grande passeia-
ta em re. osjo de ter sido nomeado para
os conselhos da cora, pasta da justia, o
Exm. Sr. Dr. Francisco de Assis Kosa e
Silva, distincto deputado por este distrcto
eleitoral
lo *r.
de
PUBLICAfjOES i PEDIDO
ao

Todo os alteawtaa ama distBofa
Europa, Lumbroeo, Trekt,
do
%, de posse do activo e obrigado pelo passivo
da entnela sociedade.Seja archivado.
De Jos Adolpho Rodrigues Lima, Affonso de
Azevedo Maia, Francisco .os Goucalves deSou-
za Antonio Ricardo Malheus Ferreira, solidarios
e Jo:da Silva Rodrigues commanditarro, dem
quanto'ao contracto de scciedade em nome col-
fectivo eem comisandita que^elebraram sob a
tirm Rodrigues I.ima s (;. com o capital de
4O0:00O, sendo o fundo em commandita de
100:0000* para o commercio de faiendas em
grosso nesta praca, rus do Mrquez-de Olinda
ns. 37 e 39. -Archive-se.
De Antonio de Oliveira Maia, tendo cumpndo
o despacho de 20 de Deiemhro prximo pa
do, pede o recolhimento da carta de registro do
patiicho Oicor, vendido na praca do Rio de Ja-
neiro e que se d baixa no respectivo Pernio de
resiwnsabilidade.Como requer.
Do mesmo, declarando e provando que ven
deu na praca de S. Salvador a escuna Af/
nar-tque se facuin as ojmpeteutes annolat"
baixa no termo de responsabilidade, oo apr-
ontando a carta de regislro porque o capKSo
aosetitou-se para lugar incerto sem lazer-lli
tre^a da dita carta. Fsicam-se as competentes
anotaces na forma da le.
De Eduardo Dubeux, para que se entregue o
docamanto que existe n> arcmvo desta secreta-
ria pertencente ao seu ex-ador Antonio Fer-
iundes Ribeiro, amue poder este receber do
Tbesouro Provincial as ipolices abt caaapnaaa.
- Gomo requer, nos tei mos do parecer fiscal.
De D. Emilia Moreirs Lopea, para que se ar-
chive o eonbncto de scciedade em OMamanaita
que- calebrara com um commanditario sob a fir-
maLopes C, -oom o capitel e fundo em com-
n: aadua de 20:00Mb jara o commercio da ra-
aiOM Kigos para Asunte, Mapettad g-
Verisslino Barbosa
Ittia
Peco ao cr. Verissimo Barbosa de Suza, con-
structor do navio movido pela pressao do ar,
que seja benvolo para com aquellas suas victi-
mas que nao mais quizeram contribuir para a
mysteriosa invenco de risonho futuro, inuemni-
sando-as das quantias que deram por conta de
suasjoias..... Isto feito. pode ento S. S. en-
toar de fronte altiva o melhor dos seus tangos.
Recife, 12 de Janeiro de 1889.
Manoel Porfiio de Araujo.
'?
Agradecimento
0 Dr. Constancio Pontual e sua mulher, inti-
mamente penhorados e reconhecidos, agradecem
cordealmente a todas as pessoas que se digna-
ram de dispensar-lhes provas de sincera ami-
sade nos transes angustiosos que ainda os aca-
brunham, pela irreparavel e sentidissima perda
de sua estremecida lilhinha, a innocente Maria
Emilia.
Igualmente agradecem a todos flue acompa-
nharam os restos mortaes de sua tuba ao cemi-
terio publico, protestando-Ihes immoredoura gra-
tido.
Recife, 12 de Janeiro de 1889.
que oferece uma sociedade artstica aos Srs. assigoantes
do Diario de Pernambueo
DE
DUAS BELLAS OLKOGRAPHIAS
O CHRISTO DE VELAZQUEZ
Estas preciosissimas oleographias medem 88 cen metros de alto por 61 de largo, este
uma copia exacta dos originaes, das obras dos grandes pintores hespanhes Velazquez e Murillo
nao se tendo esta sociedade poupado gastos nem sacrificios para apresentar duas copias dignat
d'aquellas grandes celebridades artsticas.
Nem mais urna palavra diremos em seu elogio, pois que o publico j soube julgar do m-
rito destes quadros cujos magnficos PENDANTS temos exposto na livraria F. P. Boulitreau. na
ra do Imperador n. 46.
Apezar da importancia destas obras, izemos orna combnaco em obsequio M M. as-
signantes deste Diario para que possam obler ao preco reduzidissimo de 4#SOO cada urna, l
seja uma quarta parte, apnrtximadamente, do seu valor, sendo indispensavel para sua acqui-icao
a apresentagSo do cupn junto, que se deve cortar e levar se, at ao dia 21 Enero, en la dita li-
vraria F. P. Boulitreau, 46Imperador.
CXPOX
Apresentar-se em la
livraria F. P. Bouli-
treau, successor de G.
Laport & C, ra do
Imperador n. 46.
Diario de Pernambueo
VALIDO ATE' 21 ENERO PXMO.
Valido para... exempl. O CUrinto
o ... A Virg*m
Apresentar-se em U
livraria F. P. Bouli-
treau. successor de G.
Laport di C, roa do
Imperador n. 46.
CORTE-SE ESTE CUPN
NotaA oleographia sem apresentaco deste cupn vale 15*000.
Outra Previne-se aos >rs. assignantes que,_passado o" dia 21 Enero uo terao direrto a
nenhuma reclamagao, por ser este prazo improrogavel.
A nova cidade do Recife
v
Uma outra mal inspirada idea mtntissimo vul-
garisada que sao sempre acertadas as mas
novas cujo solo seja espacoso e extenso e cujos
quarteirOes sejam formados por predios de pou-
cos pavimentos.
E quando aos apologistas de scmelhantes tra-
cadoa se objecla ser isto improprio para um cli-
ma como o nosso ; pois por tal forma so 3e con-
seguira o desaproveitamento das eondigoes fe-
cundas das quaes se pode sempre lanear mofa-
n n.lo valer os agentes naturaes no arejamento e
saneamenio urbano. Edes respondem que para
o arejamento temos a ventilaco natural. E para
obter sombra teremos as arvores plantadas n'es-
sas largas avenidas, com as quaes andam a so-
ndar.
No entanto os hygienstas quando assentam os
principios geraes a que se devem adiar sujeitas
as habitares o iiue dizem apenas que ellas de-
vem ter ar e ter luz para seren frescas e nao
surera hmidas. E nnnea nenhum delles se
lembrou de aconselhar a uma populacao activa
como refrigerio e conforto a sombra das ar-
vores, que so quando plantadas o sao para
sanear o sub-solo nos casos em que um bom
systema de calcamento e de esgotos lhe possa
aiudar o effeito ...
Michel Levy, contrariando una opinio de
Fonssagrives, assentou a base dessa errada illa-
gao que para logo foi tirada pelos menos com-
petentes discpulos seus.
Quera Fonssagrives que as ras rectas e ton-
gas jamiis seriam bem ventiladas. E disia Mi-
chel Levy que sob o ponto de vista hygienico
seriam vantajosas e agradaveis a vista, a aeco
da luz e a circulaco, as ras assim tracadas e
abertas : sendo apenas que essencialissimo seria
3uc as entrecortassem pracase fossemos pontos
e convergencia das suas differente? dire
unidos igualmente por praca s
0 illutre nymemsta, porem. nada mais fez do
que exigir um plano theorico com os dados que
Ine forneoia o seu estudo sobre os climas trios e
os climas temperados da Europa. E, pelo tacto,
de nao ter ella feito a resalva em saos escriptos
que tantos hygienistas modernos em identidade
Programuta da festa da Virgen
Kxcelsa Menhora do Monte en
sua Ernida en Olinda 13 de
Janeiro de 18.81
Domingo ao romper d'aurora uma salva
de 21 tiros e diversas, girndolas de fogo
annuncarao aos habitantes da velha cidade
de Olinda que chegado o dia da excelsa
Senhora do Monte, que todos os seus devo-
tos devem comparecer sua ermida.
As 11 horas do mesmo dia haver missa
cantada, e sermSo pelo muito digno pre-
gador Fr. Augusto da Immaculada Con-
ceicito Alves.
orchestra confiada ao maestro capi-
tSo Fortunato Jos Sampaio desempenhar
bem como do costume a sua missao.
Durante a tarde tocar no campo mu-
sica marcial de rapazes, e subirlo diversos
balSes feitos a capricho.
As 7 horas danoftto descera do mastro
a bandeira para Traa ermida, e em acto
continuado entrar a ladainha, e finda esta
haver um fogo de artificio feito a capri-
cho.
Esta fc.ta tradicional na provincia de
Pernambueo, e nunca deve ser esquecida
pelos seus devotos romeiros e davemos
ter na lembranca os nossos antepassados
que neste dia o commercio feixav bous
estabelecimentos, e todos iSo render ho-
menagem Virgem Senhora do M.onte ;
por tanto romeiros ides render g'.acas a
Excelsa Senhora do Monte.
Os encarregadoB.
Luiz Pere de Fsxia.
Fortunato Jos de Sampaio.
Em virtude do que dispoe o art. 66 do regula-
mentoque baixou com o decreto n. 9334 de 3 de
Fevereiro de 1886, a Inspectora Geral de Hy-
giene faz publico, pelo prazo de oito dias, que o
cidado Alfredo Jansen Gongalves Ferreira, lhe
dirigiu a seguinte petigo com documentos que
satisfazem as exigencias do art. 65 do citado re-
gulamento.
Alfredo Jansen Goncalves Ferreira, achando-
se habilitado para bem exercer as funcefies de
pharmaceutico na cidade e municipio do Espin-
to Santo, comarca de Pau d'Alho, provincia de
Pernambueo, visto como nao ha na referida ci-
dade pharmacia alguma dirigida por pharmaceu-
ticos formados pelas nossas Faculdades e provar
o snpplicante com os documentos juntos, o que
determina o art. 63 e paragraphos do regula-
mento que baixou com o decreto n. 9.554 de 6 de
Fevereiro de 1886.
Assim o suppcante, confiado najustica que
sempre preside aos actos dessa Inspectora e na
de sua causa, espera e pede a V. Exc. defen-
mento. E. R. Mee. Pau d'Alho, 29 de Julho de
1887. Alfredo Jansen Gongalves Ferreira.Sobre
duas estampilhas de 201 ris cada uma.
E declara que, si nesse prazo nenhum pharma-
ceutico lte commuuicar ou Inspectora de Hy-
iene da provincia de Pernambueo a resoluco
e estabelecer pharmacia na citada localidade,
conceder ao pratico a licenca requerida.
Insbectoria Geral de Hygiene, 9 de Agosto de
1888. Dr. Pedro Affonso ae Carvalho, secretario.
--------------+~-------------
X. 15
lana Florida de Murray e Lanman
Esta aquella excellente e original agua de
cheiro para o toucador, que to altamente tem
sido exnibida c exhortada por todos os jornaes
pblicos da America do Sul, e da qual se tem
vendido tantas imitag6es neste paiz.
Entendemos que foi para guardar o publico
contra seraelhantes imposiges, que os proprie-
tarios do artigo genuino, depois de o haverem
introduzido ha mais de 20 annos, as repblicas
hespanholas, Cuba e Braz ; comegaram nao s-
mente a manufactural-o para este mercado, como
tambem para os mais j cima mencionados.
Este excellente e impagavcl artigo j comecou
a ser popular, e de esperar que aqai em breve
venha a supplantar c leve a palma, como j o fez
na America do Sul, a todos os perfumes, e essen-
cias mais custosas que nos costuma vir da Eu-
Ella igual cm todos os respeitos> quando nao
superior aos mais finos extractos que nos vem
do cstrangeiro.
Como garanta contra as falsihcagOes obsrve-
se bem que os nomes de Lanman de Kemp Te-
nham estampados em letras transparentes no
papel do vidnnho que serve de envoltorio cada
^Acha-se venda em todas as boticas e tojas de
perfumaras.
Pergnnfa
Oual p remedio mais efficaz e aconselha-
do para a tosse ? O Peitoral de Camba-
r que se vende em casa de Francisco
Manoel da Silva 4 O, ra do Marques
de Olinda n. 23.
Leilo de carros e ca-
vallos
Manoel Jos Martins. tendo lido nos jornaes
desta cidade o annuncio de leilo dos carros,
cavallos e mais periengas da corheira do caes
do apibaribe, previne a quem interessarpossa,
que taes bens nao podem er vendidos porque
nao pertencem somente pessoa que mandn
fazer semelhante annuncio, pois que o abaixo
assignado co-proprietario da mesma cochiera-
Recife, 12 de Janeiro de 1889.
Manoel Jos_Martins.
Deve ler-se
O abaixo assignado, cidadao oriental,
morador no Monte Bonito, 2 distrcto de
Pelotas (Rio-Grande do Sul), attesta que
sofrendo de uma tosse perigosa, foi radi-
almente curado, em poucos dias, com o
popular medicamento Peitoral de Camba-
r, preparado do Sr. J. Alvares de Soma
Soares desta cidade.
Joaquim Thomaz Affonso.
?-------------
Transcripto do Jornal Ofi-
cial de 11 de Setembro de
1888. .
O ESQUELETO
Lenda Phantaslica de Olinda
UM VOLCHE DE 200 PAGINAS
Ultima produccSo do
Dr. Carneiro Vilella
Vende-se as prineipaes livrarias d|eata
cidade e no pateo do Serco n. 4 esoripto-
rio da Lantemv Mgica.
Escola particular de instruccao
primaria para o sexo masculino
Ra do coi o vello n. 34
0 professor abaixo assignado, participa aos
seus amigos, e ao respeitavel publico, que abno
a sua escola & ra do CotoveUo n, 34, onde edu-
ca e instrue i infancia pelo mais aperfeicoado
svstema do Imperial Lyco Jo Rio de Janeiro.
Sno interno 3OW0Omensaes
Meio pensionistas 1500
Primeiras lettras J*0U
Msica e piano 4*w
Por cada um preparatorio J*ouu
Ra do CotoveUo n. 34
Julio Soares de Azetedo.
Inspectora Cieral de
Em virtude do que dispute o art. 66 do
regulamento que baixou com o decreto n.
9,554 de 3 de Fevereiro de 1886, a Ins-
pectora Geral de Hygiene faz publico pelo
praso de oito dias, que o cidadSo Alfredo
de Barros lhe dirigi a seguinte petico
com documentos que satisfazem as exigea-
cias do art. 65 do citado regulamento:
Alfredo de Barros residente na villa de
Floresta da provincia de Pernambueo,
vem de conformidade com o art. 65 do de-
creto n. 9,554 de 3 de Fevereiro de
1886, requerer a V. Exc. que lhe conceda
llcenja para abrir urna pharmacia na me-
ma viUa, apresentando como prova de
suas habilitares os documentos juntos.
Nestes termos. P. deferimento. E. B.
M.Floresta, 17 de Abril de 1888. -
Alfredo de Barros. Sobre uma estampi-
lha de duzentos ris.
E declaro que se nesse prazo nenhum
I pharmaceutico formado lhe communicax
ou a inspectora de Hygiene da provincia
de Pernambueo a resoluco de estabelecer
pharmacia na citada localidade, conceder
ao pratico a licenca requerida.
Inspectora Geral de Hygiene, 6 de
Setembro de 1888.
Dr. Pedro Affonso de CanalMc,
Secretario.
Aula particular mixta
Rita Neves, participa ao publico em geral e
em particular, aos pais da suas alumnas que a
sua aula acha-se aberta daode o dia 7 do corrente.
Recebe alumnas internas. As mensalidades
alumnas internas.
3e candil boje laxeai, nem pos isa sera me- j 85o pagas amantadas, p^to preco naiaraxoaTel.
aoi verJadeiruaacc* pattpgwdca du tempe-1 maia erarn. *

f-

Hachare! Antonio Witrt-
\io Pinto Bandeira
Wde ser procurado roa do finpeHdor
n. 71, 1 andar
si
Advogado
0 bacliarel Jaronymo Materno Pereira de Car-
valho mudou seu escriptorio do n. 55 para o n.
85 a ra Duque de Caxias, entrada pelo beceo a
Congregacao.
Peitoral de < aatfcar
Attesto que o -Peitoral de Cambar-
Sr. Jos Alvares de Souza Soarea, ,pt rado de uuifi-arvore aromtica dwoariaa
daCAMBAR A' que vegeta na serra-
desta provincia, um excellente tmlnaai (
co expectorante, e como tal o taaVrMH
pregado sempre com bom reeuhavlW?
affeccSes pulmonares. O referas*"i; TtJ-
dade e o jure sob & do me***
Dr. FwBe Cypriam da JW.
(Pelotas^


Diario de PernambucQr-Domingo 13 de Janeiro de 1889
Muito popular tornou-se entre os rapa-
ses o Sndalo de Midy por curar, em 48
aoras, as obteccSca que outr'ora exigiam
jomanas de tratamento com copahyba.
O nome de Midy, impresso em cada ca-
Sula, garante a pureza e efficacia do sanB
lo.
.EleijSo dos juizes e juizas e maia empre-
gados da festa de Nossa Senhora do O'
de Maranguape, que tem de celebrar-se
no da 18 de Dezembro de 1889.
Juizes
O Ejm. Sr. Dr. Felippe Figueira de
Faria.
Major Joaquim de S Cavalcante de
albuquerque.
Tenente-coronel Henrique Guipson.
Major, Manoel Luciano de Mello.
Juizas
A' Exuia. esposa do Illm. Sr. coronel
Jos Joaquim Atunes.
D. Alexandriua esposa do Illm. Sr. Je-
ronyino Alves de Albuquerque.
D. Francisca Ananias da Conceic&o, es-
poza do Illm. Sr. Custodio dos Anjos Souto.
D. Anna Clementina de Souza Barros,
espoza do Illm. Sr. profeasor Elenterio
.Roberto do Espirito-Santo.
EscrivSos
Os Illms. Srs. professor Manoel Flix do
lase i ment.
Tenente Anizio Manoel do Nascimento.
Manoel Jos de Albuquerque.
Martinbo Ferreira Diae.
Escrivfies
As Exilias. Sras. D. Helena Barreiro Ran-
gel, esposa do Illm. Sr. Jolo Flix de
Albuquerque.
A Exma. Sra. D. Joanna Bandeira de
Mello, esposa do Illm. Sr. Maneol Fer-
reira Dias.
A' esposa do Illm. Sr. capit&o Laurindo
de Sena Leite.
Mordomos
Os Illms. Srs.:
Antonio JoSo de Barros.
JoSo Sotero do Espirito-Santo.
Miguel Vicente Ramos.
Jos Vicente Ferreira.
Jos Antonio Pereira.
Silvano Ferreira Colaco.
Francisco Querino de Oliveira.
Jos da Costa Merelles.
Mordomas
As Exmas. Sras. :
D. Maria Izidora de Souza, esposa
Illm. Sr. Luiz de Franca Quedes.
D. Maria, esposa do Blm. Sr. Manoel
Moura de Carvalho.
D. Izabel, esposa do Illm. Srs. Luiz
Moreira de Carvalho.
D. Maria, esposa do Illm. Sr. Pedro
Guedes da Cruz.
D. Joanna, esposa do Illm. Sr. Pedro
Avelino de Souza. .
D. Maria, esposa do IUm. Sr. Manoel
Ribeiro da Paixlo.
D. Felismina da Natividade Saldanha.
D. Vicencia, esposa do Illm. Sr. Manoel
da Fonseca de Albuquerque.
Procuradores
Pedro Ivo Redevivo Cavalcante.
Manoel Joaquim dos Santos Christo.
Miguel Vicente Nunes Ramos.
do
Cara c de bou paladar
Nae ha remedio que rena mais vanta-
gens para os doentes do peito, do que o
Pei toral de Cambar : cura e de bom
paladar.
COMMERCIO
TELEGRAMMAS
Servico da Agencia Havas
LIVERPOOL, 11 de Janeiro.
ASSUCAR:Muftlentado.
de PcriiainlMK it n. 9 veade-se
19,9 por qaintal.
ALGODO:-----Calmo.
FAIR de PcianmbiKO vende-te
d. por libra.
Venda* do dio SiOOO fardo.
NEW-YORK, 11 de Janeiro.
Agora que tanto se falla de medicamen-
tos com base de s 3va .de pinheiro, justo
lembrar-se que se devo o seu descobri-
mento ao Sr. Lagasse que, ha trinta an-
uos, extrahe com engenhosos apparolhos
a seiva fresca dos pinheiros martimos das
chamecas de Boidos. Esta seiva con-
vertida em xaropt e pasta (Xarope e pas-
ta de seiva de pinheiro de Lagassc) po
plar contra os res (riamentos, tosses, bron-
chites, irritaco'es co peito, etc., muito
superior ao alcatrSo, que nao passa de um
producto de deconiposicJto do pinheiro ma-
rtimo.
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Ir spectorio Geral de Hy-
giene Pubca do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 18&7.
Este depurativo ce grande elfieacia as mo-
lestias syphiliticas e impureza, do sangue ;-assim
(orno em todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicJmente muitas pessoas ac-
commettidas da terrivel molesti beriberi.
MODO DE USAR
Os adultos tomarao qu'.tio colheres das de
sopa pela manha e qiiatro noite. As enancas
de i a 5 annos tomarao urna colher pela manh
e outra noite, e os de 8 a 11 annos tomarao
duas colheres pela manha e duas noite. De-
verao tomar banhos fri ou momo pela manh e
noite. Resguardo regular.
Encontra-se & venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva 4 C, ra Mrquez de
Olinda n. 23 e pharmacia Oriental ra Estrei-
ta do Rosario n. 3.
0 autor deste preparado pode ser procurado
na ra do Barao da victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qualquer explicacao
que for precisa.
N. 26
Attesto que soffrendo o meu'criado Paulino de
escrophulas, e nao tendo conseguido melhora
alguma com o tratamento qne lhe derain algn?
niedicos durante muito? mezes por lembranca de
um amigo comecou elle a usar do Elixir Depu-
rativo e Restaurador. Havendo tomado 6 garra-
fus appareceu a melhora e com mais quatro licou
restabelecido.
E por ser verdad; passo o presente c me
assigno.
Estava sellado com urna estampilha de 200
ris e inutilisada da inaneira segrate: Recife,
22 de Dezembro de 16.Conselheiro Alexan-
dre Bernardino dos Res c Silva.
Declaro em tempo ; o autor do Elixir o Sr.
Angelio Jos dos Santos Andrade.
N. 27
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Recife, 18 de Janeiro de 1883.
Nao posso furtar-me ao dever de patcntear
V. S. minha gratido pela cura de minha, Maria
Francisca de Vasconcellos Santos, com o seu pro-
digioso preparado /.n'r Depurativo e Restaura-
dor.
Soffrendo ella, como disse V. S. de suspen-
co de menstruaco, ha quatro anuos, c de um
cortejo de males constquontes de t3o perigosa
enfermidade, como dispepsia, carocos, manchas,
fy?tios, etc., etc.; e aggravando-semais semelhan-
te situacao com as innmeras beberagens que tq-
mou durante essc'tao longo perodo, recorr,
aconselhado por muitas pessoas, ao remedio de
sua confeceo, cujos resultados excederam mi-
nha espectativa, pois apenas com urna garrafa
aeha-se ella completamente curada.
Testemunhando V S. minha eterna gratido
pelo grande beneficio que acaba de prestarme,
ponho me a disposico de V S. de quem son
criado, venerador, obrigadissirao Floriano Gomes
dos Santos.
N. 28
Attesto que. soffrendo por algum tempo de al-
guns tumores e recorrendo a diversos medica-
mentos, sern delles tirar resultado, fui aconse-
lhado por um amigo a usar do Elixir Restaurador
do Sangue do Sr Angelino Jos dos Santos An-
drade, o qual em menos de urna garrafa produ-
zio um cffeito prodigioso, dando em resultado
meurestabelecimenlo : t un licor da gosto agra-
davel e forticador para todas as molestias de-
vidas impureza do sangue. liedle, i de Marco
de 1883. -Antonio Jos Rodrigues de Souza Filho.
N. B. Pode o Sr. Andrade sen ir-se do raen
uttestadoc fazer o uso que lhe convier.
N. 29
Pernarabuco, 12 de Marco de 1883.
Illm. Sr. Angelino.Eu abaixo assignado pela
presente declaro que achando-me sonrendo de
una Iritis no olho uireito que me poz ceg e uo
tendo tirado nenhum resultado com os (tedeos a
quem submetti o curativo do meu olho ; drigi-
me. a conselho de lm amigo, a rua-Nova e ahi
comprei urna garrafa do Elixir por Vmc. pvcpa
rado e tive o prazerde ver que ao lindar a dita
garrafa achava-mc quasi bom ; no emtauto com-
prei a segunda e boje que a tenho concluida,
acho-me completamente restabelecido.
O prazer que sinto ao verme assim restabele-
cido em viute e poneos dias de urna terrivel mo-
lestia, que lia quatro mczes;tanto me fez soffrer.
tal quequerendo por meio de patarras dar ao
seu poderosisimo Elixir, verdadeiro restaurador
do sangue, o valor que elle merece nao o posso
conseguir: e apenas digo que aquellos que sof-
frerem molestia idntica experimntenlo.
Concluiudo assigno-me grato e asss reconhe-
cido-
De Vmc. criado c obligado.- Augusto de Cas-
tro.
Estavam todos sellados e reconhecidas as Tie-
rnas.
("ontiuua.)
---------------sgg-s*s=---------------
G. LAPORTE
RaIa de Marcon. 2li "i andar
AGENTE DA
C00?EHATIVA millll
B REPRESENTANTE
Das mais afamadas fabricas
francezas
Recebe encommendas de qualquer arti-
condicSes vantajosas.
g"
Lanterna Mgica
A redarcSo deste iuteressante peridico livre
e humorstico mudou-se da ra do Rangel n. 16
para o Pateo do Terco n. 4, onde est estabele-
cida a acreditada oflicina iitbogranhica do Sr.
Antonio Carlos Borromeu, na qual passa a ser
impresso aquelle peridico.
ASSUCAR :Apnlbiro.
* /.-- Polariwace 4 3 4 c.
fera.
pr II-
Agencia Havas, filial
12 de Janeiro de 1889.
em Pernambuco,
Revista do Mercado
Recife, 12 de Janeiro de 1889.
Pouco movimento.
V.o mercado de cambios constou pequenss
traiisacges.
Foi vendido um lote de couros.
taxa de 27 3,8, continiiaram a offerecer reserva-
damente a 27 1,2, sem acharem tomadores.
O papel particular esteve escasso a 27 38,
exigindo os bancos, ao fechar do dia, 27 11,16.
No Rio os bancos oflerecerain 27 3 8, sem
acharem tomadores.
O mercado esteve muito firme.
TABELLAS
_ I
AFFIXADA8
S1 3
- (6 2.
o
a
o
3
9
2
S5
I
-t
9
t

5*
1:
8

14

Bol
sa
Ce TACES OFFICIAES DA JCMTA DOE COR
RECTORES
Recife, 12 ds Janeiro de J889
Cambio sobre Londres", 90 d,v. 27 1/2 d. por
14, do banco.
O presidente,
Candido :. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux.

Ce
|
E
II Vias urinarias, molestias do tero, II
j \ operacoes elctricas / \
BU. CARLOS BSIIBCOWT
\ 1 ESPECIALISTA J /
| | com pratica de pabiz e loxdres i |
) ) Estreitamentcs da uretra curados ra- /
i ) dicalmente pela eleclrolyse, sem dr; )
j | bydroceles sem injecet (cura radical); (
\ feridas e ulceras chronicas. com garan \
I ) lia de cura rpida; pedras da bexiga, ( !
I I fstulas e hemorrhoidas; syplis, go- j '
' / norrhas, pelo methodo cas nstillages; { /
I ) molestias da garganta e do peito pelas ( I
\ athmospheras medicamentosas, i.on- / \
' f sullas e operacoos das 12 s 3 horas, ) (
S, ra do i i
1 MARQl'EZDE OLINDA N.34,21 ANDAR ()
1 RcNidcucia ua Torre | 1
Cirurg'io Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSO, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Io do Marco n. 20, Ia andar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Dr. Eduardo Silvera
De volta de sua viagem Corte, contina
no exercicio de sua profissao
Consultoriorna do Imperador
n. 49
Residenciara da Aurora n. 47
Telephone n. 266
Oculista
Dr. Barrcto Sampaio, medico,
oculista,' ox-cliefe de ciinica_ do
Dr. de Wccker, d consultas de
ineio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Collegio Meira
Rua da mperatriz n. 63
Este collegio de instmecao primaria c
secundaria, cujas aulas se reabrirlo no
dia 7 de Janeiro corrente, offerece aos
pais de familias que o quizerem honrar,
coniiando-lhe seus filhos, todas as garan-
tas de moralidade, aproveitamento e bom
tratamento para os mesmos seus filhos.
O resultado dos exames obtido, pelos
alumnos deste eollcgio, ser opportuna-
mente publicado, e em vista delle se ter
urna prova do interesse tomado pelo abai-
xo assignado pela npplicaeJo dos seus
alumno*.
RecKe, 3 de Janeiro de 1889.
O director,
bcena'o Minervlno Meira de Vasconcellos.
Curso primario e preparato-
rio
i. 19. 1 an
Ba Larga do Ron rio
dar
Esto abertas as aulas deste curso desde o dia 8
do corrente mez.
0 director.
Camerino Sobrinho,

fc'
({ Fredcfico Chaves Jnior
l

v
I
HO>(E0PATHA
oO-'-Hiui do Burile da Pictoria^-Ss)
Someno .
Mr. s cavado .
L%ina Pinto:
Branco 1*
. 2
Someno .
Mascavado .
rOO
2000
15800
1^300
2M00
-2:m
1700
1*340
2 S
L


i

X



S
i i
Pauta da alfandega
SIMARA rat 14 A 19 DE J.V.1EIRO Di 18S9
Assucar refinada (kilo) '. .
asfucar branco (kilo) .
Assucar mascavado (kilo) .
Alcxtl (litro)......
Arrez cdn casca (kilo) .
lo (kilo)......
Agurdente.......
ha (kile).....
os seceos salgados (kile) ,
ras seccas espichados (kilo) .
es verdes (kilo) ....
ilo)......
Cafi bom kilo).....
*o (kilo) ....
,'ica (litroj......
uba ikilo) .....
ros e algodo (kdo) .
fe de pnlra de CarditT ton.)
Farifiha de mandioca (litro) .
Folhas de jahorandy (kilo/
bra (litro) ,
Mt-i (litro).......

U0)
Os bancos,,
imarello (duna;
CaaM
maniendo ainda
180
149
80
250
50
347
110
800
360
420
214
400
380
330
80
260
16
16*000
O
300
200
70
60
100-5000
Ais o do
.Nao constou vendas.
A exportacao, feitapla alfandega neste n
o da 10, subi a 1.409.331 kilos, ;
at
I 393.982 para o exterior e 13.349
or.
sendo
para o inte-
As entradas verificadas at a data de hoje 30-
bem.a 7.866 saccas, sendo por :
Barcacas..... 1.165 Saccas
Vapores .....
Animaes..... 3.012 *
Via-ferrea de Caruaru. 27 i
Via-frrea de S. Francisco 179
Via frrea deLimociro 3-236
A exportaco, feita pela alfandega, neste mez
at o da 10, attingio a 6-363-326 kilos, sendo
4.370.107 para o exterior e 1.793419 12 para o
interior.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bem a 80.214 saccas, sendo por :
Barcacas..... 30.039 Saceos
Vapores..... ......
Ananaes..... 5.646
Via-ferrea de Caruai. 6.582
Via-ferrea de S. Francisco. 26.001
Via-ferrea do Limoeiro 11.946
Somma. 80.214 Saceos
Pelo vapor francez Ville de Santos, foram
rcmettidos, por diversos, 100 saceos cora assucar
branco para o Rio de Janeiro e 1.200 saceos com
assucar branco c 2.800 ditos com dito mascavado
para Santos.
0 vapor francez Architect levou de di-
versos, para Liverpool, 16.227 saceos com assu-
car mascavado.
Pelo vapor inglez Estrella foram remeti-
dos, por diversos, 000 saceos, 330 barricas, 23,3
e -> 4 com assucar branco para Pelotas, 1.090
saceos c 315 barricas com assucar branco e 710
saceos e 283 barricas com dito mascavado para
Porto Alegre.
O vapor americano Advanee, levou 1.193/2
barricas e 885 4 com assucar branco para o
Para.
Couros
Os salgados foram vendidos a 390 ruis.
O vapor americano Advance, levou 284 fardos
de courinlios para New-York.
Agurdente
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros nomi-
nal.
O vapor francez Ville de Santos, levou 80
pipas para o Rio de Janeiro.
Pelo vapor americano Advance foram re-
mettidos 86 3 para o Para.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com espcciali-
dade de molestias de senhoras e creanecs.
Consultorio c residencia ui da mpe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manlia.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPIIOSE 5. 226
Leonor Porto
Rua I.itrcii do Rogarlo n. 26
2o andar
Contina a executar os mais dif-
ficeis flgurinos recebidos de Lon-
dres, Paris, Lisboa c Rio de Janeiro.
Prima em perfcicJto de costuras,
em brcvidade, modicidade em pre-
os e fino gosto.
Instituto PitiioHiaco
33 Vlsconde d'.&EbuqneivjHC 33
As aulas deste estabelecimento de instrueco
eitaro abertas do dia 7 do correle em diante
O director,
OVi-to Vctor.
Barca ingleza BeHrees bacalhe.
Barca portugueza Abro Sileucio, varios gneros.
Barca norueguense Frida, carvo.
Barca norueguense Frilkyof, can o.
Barea Qoruagnense Professor, madeira c bren.
Briguc dinamarquez Catharnta, varios gneros.
Brigue sueco Pepsla, carvo.
Lugar americano H, & !. Blendernlman, farinha
de trigo.
Lugar portuguez Temerario, varios gneros.
Lugar inglez Fforence, bacalhao:
Patacho sueco Amor, varios gneros.
Iniiortaeao
Barca norueguense Fr.th of, entrada de Car-
diir, em 11 do corrente e consignada ordem,
manifeslou :
Carvao de pedra 615 toneladas a Livramento
fcC
Paluelio nacional Rieal, entrado de Porto-Ale-
gre, na mesma data c consignado a A norim r-
raaos v C, manifeslou :
Farinha de mandioca 4,000 sacos aDS consi-
natarios.
Lugar ingle/. Floencj, entrado de Terra-Aova
ora l e consignado a J. Pater i C, manifes-
lou :
Bacalhao 3.000 barricas c 1.030 meras ditas
ordem.
Lugar sueco Aaior, entrado de Pelotas, na mes-
ma data e consignado ordem, manifestou :
Bagres seceos 4,300.
Graxa 100 pipas.
Ditas em bexigas i.* 00 kilos.
Pipas vasias 50.
Sebo 40 borricas i ordem.
Clnica medico-cinirgiea
DO
Dr. Ferreira
OCULISTA
Pratico nos principaes hospitaes de Pariz
e Londres.
Consultas todos os dias (excepto domin-
gos) das 9 horas ao meio dia.
Pratica erabalsamamentos.
Consultorio e residencia rua Larga do Ro-
sario n. 20
Telephone n. 233
MEDICO HOMEPATA
Dr. Baithazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
fora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos akarinaciado Dr. Sabino,
rua do Bjr.to da* Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Instituto 19 de Abril
Rna do Hosg>icio n. O
As aulas deste estabelecimento de educaco e
de instrurcSo primaria e secundaria, acliam-se
abertas desde o dia 7 do correte.
Bccife, 9 de Janeiro de 1889.
O director,
Bacharel Luiz Porto Carreiro.
------------------~i--------------------
Festa de Nossa Senhora do
Monte
No, dia 13 de Janeiro prximo, pretende o
Dom bbade do Mosteiro de Bcnto de Olinda
celebrar a festa de Nossa Senhora do Monte em
sua ermida c-desde j poderao os devotos se en-
tender com os encarregados da mesma festa qne
sao os capites Fortunato de Sampaio e Luiz
Pereira de Parias.
Olinda, 28 de Dezembro de 1888.
Fre Jos de Santa Julia Botellto,
Dom Abbadc.
. _^-\^>*3***; --
Collegio de
Nossa Senhora
Penha
da
Rna da Aurora n. 33
As aulas deste collegio se abrirao a 7
de Janeiro e so de : primeiras lettras,
portuguez, francez, inglez,geographa, mu-
sica, piano, desenho, bordados de varias
especies, flores, etc.
A directora,
Augusta Cmaro,
aos
Collegio Partlienon
3 Rua do Hospief o 3
O director deslc coilegio declara
pais de seus alumnos e ao publico cin ge-
ral qne as aulas comecarao a funcelonnr
a 7 do corrente mez.
Recife, 3 de Janeiro do 1989.
O director,
Ovidio Alces Manaya.
-n :-r --.!35>---------------
Ilg-1
ez e
francez
Cursos das 7 s 8 horas da manlia* e das
5 s 6 da tarde: rua da Aurora n. 37,
2. andar.
-----------------------
Collegio Amor Divino
BA DA IJIPERATRIZ N. 32
As auias deste estabelecimento, dedicado
instrueco das creaucas do sexo masculino abrir-
se-hio na dia 7 do corrente.
A directora,
Olympia .fia deMendonra,
-----------**
Aula mixta particular
Francisca Mqrtiniana Luzia Carneiro, alunw>
:r.istr,t titulada pela Propagara de Istruev.-
Publica, scientifica aos pais de familia e espe-
cialmente aos de seus alumnos nue sua aula
CcntilUian a fuiccionar no dia 14 do corrente
na de S. Gongalo n. 22.
Recife, 7 de Janeiro de 1689.
Collegio de Sania Luzia
Do dia li em diante contina a fuiccionar, es-
forrando se a sua directora, para bem corres-
ponder as esperangas dos paes ou tutores dos
alumnos que llie forera confiados, por meio de
urna educagao scientifica, moral e religiosa. Es-
pera pois dos mesmos benvola protecijo.
Collegio de S. Miguel
Rua do Vlsconde de C'amaragi-
he n. 5
Aos respeitaveis paes de familias part-
cipa a directora deste novo estabelecimen-
to de instruccjlo para o sexo feminino,
que abrir as aulas no dia 14 de Janeiro
de 1889. ,
A mesma promette aos paos que Hie
confiaren! suas filhas esforcar-se por Ibes
dar urna educaeo primorost, solida, reli-
giosa e domestica.
A tratar, do Io de Janeiro no proprio
estabelecimento, das 2 da tarde s 7 da
noite.
A directora,
Emilia A. de Mendonca
DECLARAC0ES
Quarta pra^a
Pela iuspectoria desta Alfandega so faz pu-
blico, que as 11 horas do dia lo do crente mez
sero arrematadas em praca porta do trapiche
alfandegado. largo da Assembla, as seguales
mercaduras :
Mana ?G&C o pipas. 20 barris de 3.". 10 ditos
de dcimo, coutendo vinlio secco commnm. ca-
pacidade 4.385 litros, vindos de Lisboa no vapor
Antlior, entrado em 25 de Junho de 1887, mani-
festados com a marca S&F e contramarca LL,
consignados a Ferreira Guimare? i C.
3.a sccco da Alfanega d>- Pemambaco, 12
de Janeiro de 1889-0 cliefe,
Domingos Joaquim da l'oiiseca.
Irmandade de Santo Amaro
das Salinas
De ordem do iimio juiz, convido a todos os
nossos carissimos irmaos a comprecerem em
nosso consistorio no domingo 13 do corrente,
peias 9 1/2 horas da manb, afim de em numero
legal, procedermos a eleicao dos novos funecio-
narios que teem de reger esta irmandade duran-
te o anno compromissal de 1889 1890.
Secretaria da irmandade do Glorioso Santo
Amaro das Salinas, 9 de Janeiro de 1889.
O cscrivao,
Heleodoro Jos da Silva
- No vapor americano jUwmi, earrega-
rara :
Para Para, P. S Macodo Sobrinho 210 barricas
com 14.19 i kilos de assucar branco ; E. C. Bel-
trao & IrmSo 100 barricas cora 6,071 kilos de
assucar branco : Jos de S, G8 barricas com
4.227 kilos de assucar branco : F. CaacSo & Fi-
lho 86 barris cora 8,256 litros de agurdente.
No hiate nacional Joo Valle, carregaram:
Para Ceara, A. Pessoa 100 saceos com C,000
kilos de milho.
Para Parnahyba, E. C. Beltro & Irmao 50
barricas com 2,821 kilos de assucar refinado.
Para Camossim, F. M. Duarte de Azevedo 10
barricas com L843 kilos de assucar mascavado.
lluhelro
EECEBIDO
Pelo vapor americano Advance", do suL
para:
Banco Internacional 87.000OiM)
English Bank 70.0005000
EXPEDIDO
Pelo mesmo vapor para :
Para
2.0005000
Rend meatos pblicos
MEZ DE JaN.-.ho
Alfandega
Benda geral
Do dia 2 a 11
dem de 12
376:231*489
60:177677
10 ditos de fressuras a 10 Uilhosa23 i dito a ti A Oliveira Castro & C.: 5 tainos a 1/ Rendimento do da 1 a 10 do rente 600 rL-cor- 6J0Q0 2OM00 IWOO
209562O"
Somma.
7.866 Saccas
de
officialmcnte a
O vapor francez Ville de Santos, levou
diversos 200 saccas par.i o Bio de Janeiro.
Pelo vapor inglez -Architect, foram re-
me! tidas por diversos 4.238 saccas para Liver-
pool.
Assucar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
iundo'a Associaco Gomrnercial.Agrcola, foram
os segrales:
Brancos..... 2000 a 2*400
SonK-no..... 14600 a 1*700
ado pttrgdo 1*300
ruto 1*J00 a 1*300
Rtame..... *900 a l*0i>i
Colonia Isabel
BraiCo I
2*100
Alcool
Colase nominal a 125*000 por pipa de 480 li-
tros,
Pelo vapor inglez Estrella, foram remettidas
6 pipas para Pelotas.
Mel
CoUt-s; nominal a 50*000 por pipa de 480 li-
tros.
Aavios carga
Barca norueguense Pnncessen, para Estados-Uni-
dos.
Barca araericiua Mohican, para New-York.
Barca nc rugense Mispalc, para Cear.
Brigue portuguez Calcula, para Lisboa e Porto.
Brigue portugue.s Armando, para o Porto.
Lugar americano Walter Scamell, para New-
York.
Lugar nacienal Tii,nc, para Uruguayanna.
Lagar americano Ari'hur C. Wade, para Estados-
Dnid
Patacho i.iyl'-?. Peggie, .oara Mentevidto.
Patacho norueguense Vi-toria, para Montevideo.
Vapor inglez mxkxtect, {ra Liverpool.
Vavlos a descarga
Barca portugueza frica, caitSo.
Exportaco
BEC1FE, 11 DE JABB0 DE I S 9
Para o exterior
No vapor americano Momee, carrega-
ram :
Para New-Ycrk, P. Carne ro & C. 7,442 pe&es
de cabra.
Na barca americana Daesif, carn gou :
Para New-York, M. J. da Bocha 95 saceos com
7,125 kilos de assucar mascavado.
Na barca norueguense Princessen, carr ga-
ram :
Para New-York, Julio & Irmo 2,000 saceos
com 150,000 kilo* de Msucar mascavado.
o brigue portuguez Armando, carrega-
ram :
Para o Porto, S. B. Amorim & C. 500 saccas
com 33,996 kilos de algodo.
Para o interior
No lugar norueguense Victoria, carrega-
ram :
Para L'ruguayana, J. S. Loyo & Filho 1,000
barricas com 99,498 kilos de assucar branco.
Na escuna norueguense Reform, carregou :
Para Bio Grande do ul, A, (uimaraes 70)
barricas com 64,108 kilos de assucar branco.
No vapor francez Ville de Santos, carre-
gou :
'ara Bio de Janeiro, A. H. Costa 20 caixas
com 40 duzias de elixir medicinal.
No vapor americano Finante, carregaram :
Para -Santos, Amorim Irmos & C. 1,040 saceos
com 62,400 kilos de asquear branco e 660 itos
com 39,600 ditos de dito mascavado.
Para Bio de Janeiro, morim Irmaos & C. 30
pipas com 14,4' 0 litros de agurdente e 400 soc-
eos com 24,000 tilos de assucar branco J. Bor-
ges 2 0 saceos com 12 000 kilos de assucar bran-
co e 1,000 ditos com 60,000 ditos de dito ma.-.-
cavado ; Burle & C. 250 saceos com 15,000 kilos
de assucar branco e 350 ditos com 21,000 ditos
de dito mascavado; F. A. de Azevedo 750 saceos
com 45,000-kilos de assucar branco e 500 ditos
com 30,000 ditos de dito mascavado ; J. di
142 saceos com 8 520 kilos de assucar branco e
358 ditos com 21,480 ditos de dito mascavado.
Para Babia, F. M. Duarte de Azevedo 31 sac-
coi com 1,976 kilos de carnauba.
436:409^166
Benda provincial :
ro dia 2 a 11
dem de 12
60:276*268
67:693115
Somma total 504;102J281
Segunda seccaa da Alfandega, 12 nc Janeiro
de 1889.
0 thesoureiro -F lerendo Domi ngues.
0 chefe da seecaa-Cicero B de V.eBo.
Reccbcdorja Geral
Do dia 2 a 11
dem de 12
10:1214433
2:208*885
12:3305320
Reccbedorla provincial
Do dia 2 a 11 75:142*289
dem de 12 214*327 .
75:356*610
Recife Drainage
Do dia 2 a 11 2:009*398
dem de 12 156*202
3:165*606
Mercado Municipal de *>. Jos
O movimento deste mercado no dia 11 de Ja-
neiro foi o seguinte :
Entraram :
181/2 bois pesando 3,693 kilos sendo de Ob-
ra Castro 4 C, 9 e 9 1.2 de parti-
culares :
1201 kilos de peixe a 20 ris 24*020
ti cargas de farinha a 300 ris 5*400
8 ditas de fructas diversas a 300
ris 2400
7 taboleiros a 200 ris I UQO
I i suinos a 200 ris 2*800
10 matulos com legumos a 200 ris 2S0c0
Foram oceupados:
27 columnas a 600 ris 10*200
1 escriptorio a 300 ris 300
26 compartimentos de farinha a .'JO)
ris
25 ditos de comidas a 500 ria
90 ditos de legumes a 400 ris
18 ditos de simios a 700 ris
13*000
12*500
36*000
12*600
Poi arrecadado liquido at boje 2:1711680
Precos de dia:
Carne verde de 240 a 480 res o kilo.
Carneiro de 720 a 800 reis dem.
Suinos de 560 a 640 reis dem.
1 arinha de 400 a 560 reis a cuia.
Milho de 320 a 400 reis dem,
leijo de 800 a l $20 J dem.
Hatadouro publico
Neste estabelecimento foram alattin para o
consumo de hoje 90 rezes.
Sendo : 65 pertencentes a Olivoira Castro &
C. e 35 pertencentes a diversos mar'liantes.
Vapores a enlrar
MEZ DE JANEIRO
8ul............t/ta.............. 13
Europa...... Sorata............ 13
Norte......... Maranliao......... 14,
Europa....... Ville de Cear...... 16
Sul........... Para............. 17
Europa....... Elbe.............. 18
Europa....... llambnrg.......... 19
Sul........... Buenos-Agres...... 19
Sul........... La Plata.......... 30
Norte..........\lagoas........... 34
Sul........... Mandos........... 27
Movimento do porto
X-ioios entrados no dia 12
Pelotas -32-dias, patacho sueco Amor, de 131 to-
neladas, capitao P. C. Brandtma onupag^m
8, carga varios gneros ; ordem.
Savannah (America -39 dias. lugar norueguen-
se Professor Nordeiukjotd. de *">:( toneladas,
eapito Chr. M. Aase, equipapem 9, carga ma-
deira de pinho e breu: a I ii- p Irmo*
&C.
Hamburgo -35 dias, brigue dinamarquez Ca tri-
ne, de 225 toneladas, eapito H. Paussen, eqai-
pagem8, carga varios gneros : aRamosOep.
pert & C.
CarditT33 dis, briguc sueco Pepita, de 347 to-
neladas, capit&o T. N. Johansson, equip^gai
8, carga carvao de pedra ; ordem.
Santos33 dias, lugar, noraegoeuse lfaab*
373 toneladas, capit&o Petcr Gundersem. entri-
pa geni 9, em lastro; a H Lundgren & C
Santos24 dias, barca norueguense Ibes, de 'w6
toneladas, eapito A. N. Christensen. equipa-
ni 11, em lastro; a H. Lundgren C.
Buenos-Ayres30 dias. patacho americano Settie
de 447 tonelada?, canttao J. B. La vry. -qrjnu-
gciu 10, em astro ; a ordem.
Torra-Nora 27 dia<, lugar inglez Fhrrw-
313 toneladas, caoito Samuel F
geni 9. carga bacalhao; a Johnston i-ater i
Sonidos no mesmo dia
lia Vapor americano Aden.
commandantc D. E. Griffitlis, earga varios
eros.
Montevideo Lugar nacional 1
tonio Nunes de Campos, carga asquear.
Montevideo Patacho allemao Siargaretka, c.
to B. Patbuens, carga
Cear c escalaVapor nacional Pirapa.
mandante Francisco Baymundo de CarvaMn,
carga varios gneros.
Fernando de Noronha Vpoi
commandante Alfredo Monieirr, earga
rios gneros.
BabiaLugar inglez Florence. capitao Sa::
Lacey, carga bacalhao.
f
I
i^kJ


wri<>
IJUCO---AJOD
ti ^_
1R'<
V
S
ITO
S. R. J.
aetcdnde Merrealiva Jiixcutiide
1889
ios cpara solem-
fundacSo da banda
reatsar- ibbado um
qual ainda n
nDtas de invites ncsla srcretaria A" p
-eri permitlida a entrada
pagar antecedente-
ctiva qiml pai a obtel-o.
Previne-se que absoluiaincnte n~o se*admiten)
idos.
Secretaria da f-'ocieda le Recreativa Juvcntudc,
7 de Janeiro de 1-
A. Munteii'o.
1 secretario.
-eccSo.Secretaria da i residencia
do Pernambuco, em 7 de Janeiro de 1889.
Fajo publico, de ordem do Exm. Sr.
Dr. presidente da provincia, que se acha
alerta a concurrencia para o cinprestimo
externo de 8,600:000$ (oito inii e seis-
centos contos de ris), autorisado pela lei
provincial n. 1,927 de 15 de Novcmbro
udo, com o praso de quarenta e cinco
das, a contar da data da primeira publi-
cacao do presente, para o recebiiuento
das respectivas propostas, que serao apre-
seatadas nesta secretaria, em cartas fecha-
das.
Estas scriio abertas pelo mesura Exm
Sr. s 12 horas do dia, em que expirar o
praso fixado, com os proponentes presen-
tes. \
Nos tern^os da referida lei, o emprestimo
sera de quantia que produsa a predita impor-
tancia de 8,600:0000 (oito mil e seiscen-
tos contos de ris) liquida, a ser applicada
ao resgate da divida da provincia, funda-
da em apolices de juros annuaea de 7 j0
(sote por cento), com excepcSo daquellas
que tenham sido emittidas por empresti-
mos a companhias ou a particulares, como
auxilio agrcola ou industrial, bem como
para liquidacS dos exereicios de 1886 a
1887 e 1887 a 1888.
A taxa da emissao nao ser inferior a
92 (noventa e dous) livre de commissao
e o juro nao exceder de 5 ri0 (cinco por
cento) alm da quota de amortisaco, que
nao ser superior a 1 r0 (um por cento),
t
sendo esta e aquelle safisfeitos. seinestral-
mente.
O secretario interino, Manoel Joaquim
Siivtira.
Escola normal
Matriculas
Por ordem do Dr. director e de confor-
niidade com as disposicScs dos artigos 26
a 30 do regulamento de 27 de Dezembro
de 1887, faz-se pubiieo a quem interesar
possa, que as matriculas deste eurso esta-
r* abertas desde o dia 15 do corrente
ate 3 do mez seguinte.
O requerimento para matricula no l.-
anno dever ser instruido com os docu-
ratntos seguintes :
!. certidao de i dado maior de 17 an-
uos para os alumnos do sexo masculino e
de 15 para os do feminino.
2.- Folha corrida ou certidao de nao ter
soffrido condemna^ao por algum dos cri-
mes que motivam a perda da cadeira do
professor publico.
3.- Attestado de moralidade passado pelo
Earocho ou autoridade quer policial quer
iterara do districto, era que residir o
matriculando.
4." Attestado medico de nao soffrer mo-
lestia contagiosa nem ter defeito physico
que prive de bem exercer o magisterio
!).
Certificado ou titulo de
graos de ensino
approvacSo
pri-
em exarac dos tres
inario.
Os peticionarios que nao poderem ex-
hibir titulo legal de exame do 3.- grao da
instrucoao primaria deverSo inscrever-se
para os exames de.adraissao, que cometa-
rilo no dia 28 do corrente de conform ida-
de com o art. 27 do citado regulamento.
Para as matriculas do 2.-, 3.* ou 4.-
anno, basta instruir as peticJes com os
certificos de approvacao em todas as ca-
de ras. do anno anterior.
Secretaria da Escola Normal 7 de Ja-
neiro de 1889.
O secretario,
A. A. Gama.
Devocao de S. das Mercs
em S. Jos de Riba-mar
De ordem do nosso irmao presidente, convido
a todos os nossos irmos afim de reunidos em
mesa geral segunda feira 14 do cerrentei pelas
5 horas da tarde, procedermos a eleico dos
cargos que se acham vagos.
Consistorio da DcvocSo, 11 de Janeiro de 1889.
O sacretario,
Jos A. Q. de Olivcira.
Companhia Pernarabncana de Na-
vegado Costeira por Vapor
ASSEMBLA GERAL EXTRAORDLNARIA
Convindo resolver-se sobre o modo de meliio-
ar e augmentar o material da companhia, con-
ven a directo todos os Srs. accionistas para
nma rcuniao de Assembla Geral, que ter lugar
uo dia 25 do corrente, s 12 horas, na sede da
Tiesma companhia, e bem assim para tomar co-
ohecimento do acto de que trata o art. 9o dos res-
pectivos estatutos.
Recife, 9 de Janeiro de 1889.
Manoel Joao de Amorim,
TIl Comber,
Arfar li. Dallas.____________
Gabinete Portug-uez
de Leitura
De ordem do Exm. Sr. Visconde da Silva
boyo, presidente da commissao directora, con-
vido todos os senhores socios a reunirem-se em
aisembla eeral ordinaria, nos sales do Gabi-
icte, domingo 20 do corrente, pelas 11 horas da
aianh, afim de apreciar o relatorio da actual
gerencia, e eleger nova administracSo.
e accordo com o preceituado no art. 40 dos
-tatulos, a assembla se constituir com qual-
quer numero de senhores socios presentes, e as
suas resolugoes produziro efleitos legaes.
Recife, 2 de Janeiro de 1889.
Dr. Jos de lbuqncrque,
Secretario.
Coumlio prrnamburana para re
prenentarao da provinria na Ei-
poxiro de 1*H
A pedido dp muitos expositores foi transferi-
11 a abertura da Expsito previa para 13 do
,-orrente, a meio dia. Recife, 4 de Janeiro de
im
Visconde da Silva Loyo,
P; sso.
Hippodromo do Campo Grande
toria do Hippodromo do Campo Grande,
intuito de facilitar a concurrencia pan
-olvi-n fazer urna redueto nos
ore, Ibeta*. pela forma
10 (Miilhtnepto3.
illeiro rom
Frogramma da 11.a corrida
t QUE SE REALIZAR
Domingo 13 de Janeir
%
JUIZES E CHEGADAHenrique.Schuti.*, Dr. Manoel Florentino de Albuquerquc Montenegro e commendador
Manoel da Silva Maia.
JUIZES DE PARTIDADr. Luiz Antonio Cavalcantc e Dr. Ansberto Passos.
JMIZES DE RAAJoaquim de Mello Reg, Rodolpho Silveira, Adolpho Mendes Torres e Henrique da C. Carvalho.
JUIZES DE ARCHIBANCADACapit&o Epiphanio de F. Mello, Joao de Olivcira Leite e Souza e Dr. Manoel do
Nascimento Pontea.
JUIZ DE DISTANCIADOCapit5o Alfredo Rodrigues dos Anjos.
JUIZ DE PESAGEMProfeaaor Francisco da Silva Fragoso.________________' ________ ______
No
Idade*
Pelln
-NiUuruIida-
de
Pesos
C'dr da -(iineiMa
ProprlelarioM
Io PareoEHalo
M tiirmni806 metros.Animaes da provincia que ainda nao tenham ganho premios.
v ao 1, 30*000 ao 2 e 20W00 ao 3
Premios : 200*000
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
Roval.........
Ecfa..........
Jac..........
Caligula.......
Galgo.........
Rigoleto.......
General......*
Traviata......*
Nazareth......
Tijuca........
Jonkopings....
Fanfar.........
Ba-Ida (ex-
Albatroz
Pirapama
Siroco ...
Violao...
4 annos.
4
4
4
3
4
4
6
4
4 -
3
5
Russo-pedrez.
Pedrez.......
Baio
Alazao-
Rodado
Rosilho
Russo..
Douradilho-
Alazao.....
Rodado
Alazao.
Castanhc
Cardao ..
Castauho.
Pernambuco.
33 kilos.
53
53
53
50
53
53
53
53
53 '
50
55
55
55
50
55
Azul c branco..........
Violeta e ouro.........
Rosa e azul............
Amarello.............
Ouro e azul...........
Branco................
Encarnado e preto.....
Azul e branco..........
Encarnado e branco......
Azul listrado..........
Encarnado e branco.....
Grenat e azul...........
Grenat..............
Encarnado e amarello.
Verde e amarello......
Antonio Marlins Pereira.
J.
P.
F. L.
Sevola.
Coudelaria Esperanca.
j. d. e. b.
F. S.
S. I. M.
F. Siqueira & Bastos.
JA.
R. C.
JoSo Pinto da Costa Souto-
Maior.
J. G. F.
A.S.
F.A.
1. Pareo -Ennaio
(2.' turma)-800 metrosAnimaes da provincia que ainda nao tenham ganho premios. Premios:
1", 50*000 ao 2.- c 20*000 ao 3."
2004000 ao
9
10
11
12
3
i
,1o
'16
Cabrito........
Soberano......
Ismar (ex-Ma-
rengo.......
Campineiro...
Cacador......
Horisonte.....
Mylord.......*
Aquidaban...
Bornave ......
Bruto (ex-Rcta-
me)
Jaguaro......
Bilonlra .;....
Patife........*
Borburema
Guerreiro.....
Marat.........
4 annos.
3
3 .
3
3
5
4
5
4
4
5
2
4
5 *
5
i
Russo..
Cardao
Pedrez.......
Castanho claro
Rodado '.
Alazao.......
Baio.........
Cardao ......
Castanho......
Baio.
Castanho.
Rodado .......
Alazao cachito
Rodado .......
Pernambuco.
53 kilos.
50 .
30
50 .
30
55 -
53
55
33 *
53
55
45
53
53
55
83
Grenat e branco
Verde e ouro ......
Encamado e branco.
Grenat e preto........-.
Encarnado e azul......
Azul e ouro..........
Grenat................
Encarnado e branco ..
Preto e grenat..
Azul e amarello.
Encarnado.....
Rosa e branco......
Grenat.............
Encarnado e branco.
F.A.
F. F.
A. E. S.
W.R.
Desiderio B. S.
J R C
. F. da R. Leal.
Souza Fradique.
S. M.
A.T.
Coudelaria Isabel,
R. G, L.
J Cavalcante.
A. S.
A M
Coudelaria Demcrata.
2o Pareo Progre1.200 metros.Animaes da provincia. Premios : 259*000 ao 1. 00*000 ao 2o e 23*000 ao 3o
Mouro (ex-Ma-
risco........
Monitor.......
Good-morning.
Templar......
6 annos..
i "
5
5
Alazao..
Russo.
Rodado
Pernambuco.
34 kilos.
55
58
54
Encarnado..............
Encarnado e branco-----
Azul e grenat............
Grenat e ouro............
J. Andrade.
Coudelaria Pernambucana.
Coudelaria Integridade.
J. M.
3 PareoHippodromo do Campo Crande -1.400 metros.Animaes de qualquer paiz. Premios: 500*000 ao Io, 125*000
ao 2o e 50*000 ao 3
Derby........
Apollo........
Price.........
Vesper........
2 annos.
3
2
3
Alazio
Zaino........
Alazao ..
Inglaterra..
Rio da Prata ...
Inglaterra......
50 kilos.
51
30
51
Escarate e azul...........
Asul e ouro...............
Ouro e branco............
G.E.
Coudelaria 2 de Fevereiro.
A. M.
Dr. L. de M.
4" Pareo -Deilreu -900 metros.Animaes da provincia Premios : 200*000 ao Io, 30*000 ao 2 e 20*000 ao 3o
k
5
6
7
X
9
10
Monitor.......
Etna.........
Alastor (ex-Gla-
diador .....*
Caim.........
Cndor........
Cacique.......
Dublra........
Templar .....
Incilatus.......
Macaren......
4 annos..
4
Russo........Pernambuco.....
Castanho ------
Baio..........
Russo Pedrez..
Baio.........
Alazao.......
Cardao........
Rodado........
Alazao........
Rosilho........
53 kilos.
53
53
53
55
53
50
55 -
53
53
Encarnado e branco........
Encarnado e bonet azul
Azul e grenat.............
Encarnado e preto.........
Encarnado e branco........
Grenat....................
fardo azul e branco........
Grenat e ouro.............
Ouro e branco.............
Coudelaria Pernambucana.
I. Oliveira.
A Coimbra.
A. F. C.
Coudelaria Integridade.
F. L.
H. Gibson.
J. M.
Coudelaria 1." de Junho.
A. S.
o. Pareo erfcy-Clo* -1300 metros -Animaes nacionaes at meio sangue. Premios : 350* ao 1., 80* 2." e 35* ao 3.
Ruy-Blas...... 6 annos.. 3 3 4
Incgnito (ei-Chapec Corcovado
Alazao..
Castanho.
Ve.rmelho
Castanho.
S.Paulo.
Paran..........
Rio de Janeiro.-.
58 kilos. Rosa e Preto
46
56
33
Azul e branco.....
Encarnado e preto
Arthur Silva.
Coudelaria 2 de Fevereiro.
J. Waldenchock. v
Coudelaria Paysand.
6 Pareo-Veloeldade -830 metrosAnimaes de menos de meio sangue, que nao sejam da provincia.. Premios : 300* ao 1.",
75* ao 2." e 30* ao 3.
Sirius.........
Favorita.....
Recife.......
Galalha......
Aymor--------
3 annos..
5
4
5
6
Alazao......
Zaina......
Caatauho
Rosilha......
Castanho ..
S. Paulo....... 50 kilos.
* 56
Rio de Janeiro 33 .
Rio Grande do Sul 54
Rio de Janeiro 33
Violeta e ouro.............
Verde e amarello.........
Escarate e ouro..........
Preto e grenat.
| Coudelaria 2 de Fevereiro.
Maia e Chrysostimo.
S. P.
Coudelaria Allianca.
S. M.
7. PareoCommereo 800 metros -Eguas da provincia. Premios : 150* a i.', 3o* a 2/ e a 3.' 15*
Fantina........
Stella..........
Coruja........
tontanha..
3 annos..
4
3
4
Castanha
Zaina ..
Carda ...
Castanha
Pernambuco.
50 kilos.
53 .
50
l53
Azul e branco.............
Azul e grenat.............
Branco, azul e encarnado....
Branco....................
M A
Coudelaria Integridade.
H. Gibson.
S. C.
(*)
Mootado por amador.
observacO.es
Pede-se aos Srs. proprietarios o obsequio de terem seus animaes s 10 horas da manha no ensilhamento,
visto como impreterivelmente ser cumprido o horario.
Os animaes inscriptos para o 1." pareo devem achar-se no ensilhamento s 10 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento 1 hora antes da determinada
para o pareo em que tm de correr.
Os iockeys que nao estiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nSo poderao correr, cumprindo-lhes
apresentar as respectivas caderneas na occasiao da pesagem.
Os forfaiti serao recebidos na forma do af^o 62 do Cdigo de Corridas.
A Directora do Hippodromo do Campo Grande, no intuito de facilitar a concurencia para o dia 13 do
corrente resolveu fazer urna reduegao nos precos dos bilhetes, pela forma seguinte : urna archibancada com entrada no
ensilhamento 3000, um bilhete de archibancada para cavalheiro com quatro para senhora 5<&000.
De ordem da Directora previno aos senhores accionistas que venderam suas acg3es que hajam de recolher
os bhetes de accionistas que se achavam em poder, sob pena de serern elles recolhidos no port&o.
Outrcsim, serio tomados todos os bilhetes intransferiveis que por ventura foreni aprentados por pessoas dif-
erentes d'aquellas a quem foram concedidos.
HORARIO
Kncerramento da venda dat poules
l.o pareo 11 horas e 20 ras.
1.
2.a
i;
12
12
1
2
e 40 ms.
e 20
9
Corridas
11 h. c30 ms.
12 , e 10 >
12 e 50
1 e 30
2 e 10 F
2 >
3 ,
4 e 10 t
'.ife 11 de Janeiro de
SMft
Ferrara Jacobina.
Para a 20.a corrida que deve'_ realisar-se
Domingo 20 do corrente
1/ PAREO Coasolaf 5o 850 metros. Animaes da provincia que anda rito
tenham ganho premios. Prendo* : 200)J000 ao primeiro, oOtfOOO ao se-
gundo e 200000 ao terteiro.
2. PAREO Centro Telegraphieo 1.500 metros. Animaes nacin* de
meio sangue que nao tenham ganho premio n'esta distancia. Premio:
300(5000 ao primeiro, 75.0000 ao segundo e 30|J000 ao terceiro.
3. PAREOAnfmafo1.000 metros. Animaes da provincia. Preimo$: 200#
ao primeiro, 500000 ao segundo e 20)5000 ao terceiro.
4. PAREOFerro Carril1.400 metros. Animaes nacionaes at meio sangoe.
Premios: 3500000 ao primeirOj 800000 ao segundo e 360000 o
terceiro.
5. PAREOPrado Pernambucano1.600 metros* Animaes de qualquer
paiz. Premios: 5000000 ao .primeiro, 1250000 ao segando c 500000
ao terceiro.
6." PAREO Inprensa Pernambueaaa1.200 metros. Animaes da pro-rin-
cia. Premios: 2500000 ao primeiro, 600000 ao segundo e 250000 ae
terceiro.
7." PAREOi..0 de lulfao1.200 metros. Animaes de menos de meio sangue.
Premios : 3000000 ao primeiro, 750000 ao segundo e 300000 ao terceiro.
Observares
Nenhum pareo se realisar sein que se inscrevam animaes de tres proprieta-
rios differentes.
_ Para o 1." pareo s serSo acceitas s 16 primeiras propostas abertas.
A inscrip2o encerrar-se-ha na secretaria do Prado ^s 6 horas da Urde do da
15 do corrente.
Recife, 10 de Janeiro de 1889.
O secretario.
Francisco de Souza Res.
HIPPQDHOMO
S.SALVADOR
(Na provincia da
V..-.
PROJECTOBE INSCRIPCAO
PARA O PAREO
niisi m nii i p&
Na corrida que se realisar no dia 10 de
Fevereiro de 1889
S.OOO metros. Animaes de qualquer paiz. Premios: 2:0000000 o primeiro,
8000000 ao segundo, 4000000 ao terceiro, 2000000 ao quarto.
Inscripto 200^000
A inscripglo encerrar-se ha na secretaria do Hippodromo S. Salvador, raa
da Alfandega n. 58Babia, no dia 4 de Fevereiro.


Companhia de trilhos
urbanos do Recife a
Olinda e Beberibe
Domingo f 3 do corrente
Estando annunciado para domingo a
festa do Monte e ao mesmo tempo corri-
das no Hippodromo do Campo Grande,
vigorar nesse dia a presente tabella :
Trens ordinarios
ManhaDas 5(4 s 101 [2 e aomeio dia.
Tarde-Das 2 1[2 s 9 Ij2 da noite.
Trens extraordinarios
ManhaDo Recife ao Hippodromo s
10, 11 e 11 1|2 horas.
TardeDo Recife ao Varadouro e do
Varadouro ao Recife, s 3, 4, 5, 6, 7 e
8 horas.
Do Recife ao Hippodromo s 12 1t2, 1,
1 Ii2, 2, e do Hippodromo ao Recife s
12 3i4, 1^4, 13t4, 21j4, 51t4, 6 lj4,
7 Ii4.
Do Recife a Olinda Beberibe e vice-
versa, percorrer toda linha um trem fa-
zendo paradas em todas as estacSes s
10 1 [2 da noite.
Attencao
Ostrens ordinarios de 2 lj2 s 8 1[2 da
tarde entre Olinda e Recife, chegarSo ap-
ate a estacSo do Varadouro.
Os trens extraordinaaios entre o Recife
e o Hippodromo, pela manhS, serlo expres-
sos na ida, de Jo2o de Barros em diante e
na volta, at o Recife.
A' tarde serao expressos at o Recife
na vinda, e at o Hippodromo na da.
Os trens extraordinarios do Varadouro
ao Recife e do Recife ao Varadouro se-
rSo expressos at o Hippodromo s 3,
4 e 5 horas, e at a Encrurzilhada s 6,
e 8 horas, sendo entilo o servio do Hip-
podromo, s 5 Ii4, 6 1(4 e 7 Ij4; feito por
um trem especial.
Os trens ordinarios tocarlo em todas as
estacSes do costme, parando em Belm
em frente da nova estacSo.
O gerente da companhia se esforcar
para conseguir que este horario aeja perfei-
tamente cumprido. Pede por isto aos Srs.
passageiros do Hippodromo que/ munidos
desta tabella, tomem o trem com a devida
tresteza, pois a partida nao poder abso-
utamente ser demorada.
A grande afluencia de romeiros que,
cada anno vito ao Monte, poder em todo
caso introduzir alterasSo, por forca maior;
se isso, porem, se der,' fica certo o geren-
te que sel-o-ha com plena desculpa dos
mesmos passageiros.
Escriptorio do gerente, 10 d% Janeiro
ie 18
A. Pereira Sin.'
Companhia dos Trilhos Ur-
banos do Recife a Olinda
e Beberibe.
Dividendo
Paga-se o 28 dividendo da companhia,
em den escriptorio da roa da Aurora, de
segunda-feira 14 do corrente at sabbado
19, das 10 horas do dia ao meio da.
O dividendo de 8 "j,, como nos semes-
tres anteriores. Igualmente se pagaria o*
juros das acfoes preferenciaes e das ae-
53es obligatorias, qne deverao ser apre-
sentadas.
Depois do dia 19 serio taes pagamentos
feitos as tercas-feiras e sbbadoe que fo-
rera das uteis, e as mesmas horas.
Escriptorio do gerente 10 de Jaaero
de 1889.
Antonio Pereira Sneles.
Em virtude do que dispoe o art. 66 i
regulamento que baixou com o decreto n.
9,554 de 3 de Fevereiro da 1886, a *s-
pectoria geral de hygiene fas pabtieo,
pelo prazo de 8 dias, que o cidadae Cris-
po Correia Crespo, Ihe dirigi a ssgsate
peticao com documentos qne satsfciei a
exigencias do art. 65 do citado regola-
ment :
Crispo Correia Crespo, cidadao
leiro, residente na cidade de Santo .
tinho do Cabo, provincia de Pernambaco,
provando com os documentos qne jwrts
offerece a V. Exc. achar-so habilitada
para gerir pharmacia, de cujo servico |
longa pratica, e como nesta cidade so i
te urna dirigida por pratico, e a Uhna.
cmara deste municipio julga de aeeasar-
dade a abertura de mais um esubekci-
inento dest'e genero,-por esta razio e da
conformidade com o regulamunto qne bai-
xou com o decreto n. 9554 de 3 de i
vereiro de 1886, vem respeit
querer a V. Exc. digne-se
supplicante a respectiva licenca para,
accordo com o citado regulamento
dirigir nesta cidade, nma pharmaria.l
Assim pede a V.'Exc deferimento. -
R. M.- -Cidade do Cabo, 7 de Deaem!
de 1888.Crispo Correia Cresj.
bre urna estampilha de200rs.
E declara que, se nesse praso
pharmaceutico formado lhe
ou a inspectoria de hygiene d*
de Pernambuco a resoluto Ai
pharmacia na citada local i
ao pratico a licen;a requei
Inspectora Geral <1
Janeiro i


de PrnambucoDomingo
Janeiro de 1889
De -orden* do Illm. Sr. Dr. inspector-
lace publico que no dia 14 do corrente ir
ie nr prsca, conforme resolveu o
Em. 81. Dr. presidente do provincia o
arrondamento da saleta que serve de bo-
teqoim r.o theatro Santa Isabel, servindo
de baBe oaluguel annual de 6O10OOO-
Secretaria doThesouro Provincial 10 de
Janeiro de 1889.
O oficial, Lindolpho Campello.
Carretas de
de Jaelro
Adaiilstraco dos
Peritaaabnco. *
delS9f.
Relacao d* correspondencia registrada (sena va-
lor) que existe n'esta reparticao, por nao te-
rem sido encontrado seus destinatarios.
Antonio Teixeira Carvalho Lisboa.
Antonio Jaciutho haves.
Antonio Jos de Araujo.
Antonio do Reg Borges.
Arthur Fenelon.
Camilla Correia de Andrade.
Corti Elda.
Carlota 1 ordeiro Cruz.
Domingos Ribeiro.
Emiirulse*.
Flix Monteiro de Castro, (i)
Feliciano Cezar Duarte Ribeiro.
Frd. lie de ni 11 ni.
Jos Femira.
Jos Carlos Mayrink Pires Nabuco.
Jos Bernardino Ferreira.
Jos Joaquim Lopes da Silva.
Jos Luiz de Castro Accioly.
Padre Joo Serapio.
Joo Ferreira Leite. *
Julio Lustosa do Amaral Nogueira
JoannaMaria da Trindade.
Dr. Lenidas e S. (2)
Luiz raciliano de Souzb.
Dr. Leal.
Manoel Ferreira da Silva.
Nicolao Maria Prente. (3)
Paul Rocdel.
Pedro Paulo Lasolvia.
Pereira Faria C.
Simplicio Pereira da Paixao.
Victona Augusta Falquet.
Antn w Dubeux, 2 omcial.
Compaobia Santa Thereza
Agua em OUada
Segundo o | 6 do artigo 9 do Regula
atento da companhia, o pagamento da im
portancia da penna d'agua fornecida em
cada mez, se far na primeira quizena do
mez seguinte, e na falta de pagamento po
der a companhia tnterromper o suppri-
mento d'agua.
A gerencia lar cumprir restrictamente
este artigo, nao admittindo excepcSo.
Escriptorio da companhia, 5 de Outu-
bro de 1888.
A. Pereira Simftet.
"lisio ONMIGO
Rojal Iiisunince Company de
LiYcrpool
CAP i AL, .000:000
AGBNTO8
R. DE DRSINA A C.
13-Ra Mrqu-z de Olinda 13
London k Brasilian Bank
37
500
747
liOi
1571
51
542
753
1112
1576
Banco de Crdito Real de
Pernambuco
No sorteio a que se procedeu neste Banco em
data de bontem (26) para o resgatede 311 letras
hypothecarias das que existen* em circulacao (1
2 e 3* series) designou a sorte as dos nmeros
seguintef, as quaes serao pagas pelo Banco, a
contar do primeiro dia utu do mez de Janeiro
prximo futuro, e, quer sejam ou nao apresenta
lias, nao vencerao mais juros depois de 31 do
corrente.
Estas letras serio pagas ao portador pelo seu
valor nominal de 1004, cada una, bem como os
juros, e com os premios as aJwiixo mencionadas.
Tambem serto pagos a coatar do dia 2 de Ja-
neiro pmximo futuro, os juros das letras emitti
das nos annos de 1886,1887 e 1 semestre deste
anno.
Recife, 27 de Dezembro de 1888.
O gerente,
Joao Femanaes Lopes.
i serie
Nmeros
158 163 21 342 398
662 670 673 691 714
828 838 860 911 1052
1182 1218 1336 1495 1559
1700 1770 1805 1938 1940
2172 2188; 2224 2312 2338
2423 250i 'ol 2523 2568
2751 2777 2780 2826 2902
3062 3<>98l 3100 3115 3143
3164 3HX. 3218 3259 3334
3o93 362.'. 3655 3659 3768
3908 3938?. 8961 4065 4082
4178 4216 4335 4369 4381
4510 4554 4566 4605 4662
4814 4836 4847 4927 4979
5071 5131 5182 5226 5237
5449 5467 5472 5525 5628
5696 5704 57/0 5727 5737
5916 5918 5957 6036 6117
6365 6387 6413 6419 6493
6734 6768 6921 6982 6989
7082 713S! 7168 7181 7199
7326 7341 7447 7552 7616
7984 8027 8034 8036 8067
8140 8167 8172 8257 8333
8384
2' serie
Nmeros
8556 8951 9018 9208 93*0 9419 9508
9579 9602 9709 9740 9807 9838 lOflOo
10061 10254 10713 10926 10989 H034 11:105
12368 12720 12764 12926
13755 14"82 14125 14259
14820 14916 14930 14932
13180 i5268 15411 15578
15743 15779 16"94 16181
16517 16325 16539 16560
63
650
821
1151
1687
2017 2141 2157
2378 2183 2392
2376 2725 2746
2934 2999 3023
3150 3151 3162
3389 3556 3591
3827 3834 3884
4092 4153 4172
4432 4481 4490
4683 4754 4813
5032 5036 5069
5312 5335 5372
5655 5661 5664
5782 5793 5815
6179 6254 6352
6508 6510 L653
7000 7007 7022
7201 7237 7305
7850 7883 7980
8095 8124 8136
8341- 8353 8370
Ra do Commercio n. 32
Saco por todos os vaporea sobre as ei
u do- mesan) baaoo em Portugal, mboV
em Lisboa, ra dos Onpeilistas n. 75. N
Porto, ra dos Ingleses-
SEGUROS'
MAKIT1U0S (MTRA FOGC
Comjianh. i hron Ier-
nambueana
RDADOCO.MMEKCIO N. 26, 1 AND.AB
Companhia de Seguros
ieliae it JpijJi
AQKNTE
Miguel Jos Alves
IV. t< !<-< 9
- SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Neates oltimoi segaros a nica oompaobim nesu
raes que concede aos Srs. segurados iaempcfto d<
pagamento de piemio em cadn stimo anno, o qoi
equivale ao descont santal de cerca de 15 po;
eento eu favor dos segaradoa.
ntMBMlSADORA"
martimos e terrh stres
Bstabeleelda ml8ft
CAPITAL 1,000:000^
8INISTROS PAGOS
At SI de Itezrmhrm m ti* i
MrltitticKS.....- U.0:0to$0o
Terir^es..... 3.6:00000
4.4 Ra do Co'imercio44
11412 11823 11881
13017 13192 13462
142*0 14416 14766
14956 15046 15063
13597 Ki6e> 15724
16346 16426 16485
1^674 lti868 16943
3* serie
Numeres
17273 17829 18276 18347
19272 19407 19432
2"370 20404 20434
20843 20871 21098
2024 22045 22223
23212 23253
Destas foram premiadas as seguintes :
1' serie
Nmeros
16978 17194
18573 18716 19163
19623 19763 20334
20557 -0559 20645
21231 21686 *1697
22589 23101 23188
18543
19502
20436
2U9
22563
5036 coma
4754 com
2511 com
3961 com
5472 com
5661 com
5710 com
6982 com
1618: com
16560 com
2 serie
Nmeros
100*000
30"Hi
164006
1040 ti
IOJ000
104000
105000
104000
50*000
10-000
Banco do Brasil
Paga-se o 70- dividendo a razo de 8*000 por
accao, a ruado Commercio n. 6, 1- andar, es-
criptorio de Pereira Carneiro C._____
Sociedade Liberal Uniao
Beneficente
De ordem do Sr. presidente sao convidados os
senbores socios quites para reunio de nova as-
semblfa eral, pela quinta vez, para empossa-
mento da nova administraco, domingo 13 do
corrente ; se porm, no caso de nao comparecer
o presidente eleilo, far-se-ha nova eleicao para
presidente, empossado em acto continuo, segun-
do accordo da assemMa de 6 de Janeiro. Outro-
sim no caso de nao comparecer numero legal
para assembla, o presidente far seguir os tur-
nos competentes. -
Secretaria da Sociedade Liberal Uniao Bene-
ficente, 10 de Janeiro de 1889.
Manoel da Costa Fialho,
1 secretario.
Imperial sociedade dos Ar-
tistas Mchameos eLi-
beraes
De ordem do Illm. Sr. director, convido a to-
dos os senhores socio* effectivos, honorarios e
bemfeitores a se reunirem na sede social do
mingo 13 do corrente, as 10 horas da inanha,
para assistirem a abertura solemne da exposicao
previa exposicao universal de Pan.
Recife, 10 de Janeiro de 1889.
O 1 secretario,
Francisco da Costa Ramos.
MARTIMOS
CHARGEURS REUNS
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
/ (nmpnihiii Francesa
DE
Marega^o
Linha quinzenal entre
Pernambuco, Bahia,
Santos.
O VAPOR
Ville doCear
Commandante Lainey
E' esperado da Europa at o dia 16
do corrente. seguindo depois da in-
dispensavel damora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores destn linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamacao concernente a volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
sul alim de se poderem dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido pjazo a companhia nao se
respansabilsa por evtravior.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete ; trata-se com o
AGENTE
Aaguste Labille
9-RMA DO COMMERCIO
COMPANHIA PEBY4NBIt4\t
DE
Mavegafie costeJra por Vapor
PORTOS DO SUL
Meei, Penedo e Araciji
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no dia 16 do corrente s
5 horas da tarde. Recebe car-
a at o dia 15.
>7 Tfc? k
Encommendas, passagens c dinheiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Pernrnibucana
n. 12
Mossor e Maco
Segu com brevidade para os portos cima o
hiate nacional Victoria; para o resto da carga,
trata-se com o mestre bordo, caes do Loyo, ou
ra da Moeda n. 14:
LEILOES
Tcrca-feira, 15, deve ter lugar o leilao de
bons carros, cavallos e pertences da cachoeira
do caes de Capibaribe, em um ou muitos lotes,
vontadedos compradores.
Leilao
CAPITAL
Em accSes de
Estando tomado
8,OOO;000d000
200^000
4,000:000!4O00
Este estabelecimento destinado a auxiliar c
desenvolver e crdito industrial e collectivo
desta provincia; suas operaces abrangero to-
dos os ramos da aetividade commercial e indus-
trial que offerecerem solida garanta.
A directoria compor-se-ha dos senhores
Luiz Antonio de Siqueira.
Jos Adolpoo de Oliveira Lima.
Antonio remandes Ribeiro.
Manoel Joiode Amorim.
Thomaz Comber
os quaes com o Exm. Sr. Visconde de Figuei-
redo sao os incorporadores.
As cntraas-s.rao daR / no acto da sul<--
cripcao ; 5 "i, quando lor unnunciada a assig-
natura dos estatutos.
As subsequente3- entradf^ nao podero ser
maiores de 15 |0 com o intervallo nunca menos
de 60 dias.
_' i
A subscripeo est aberta para todas as p'es-
soasquelesejarem tomar parte ncsla impor-
tante ins ituicao, no escriptorio do> Srt. Amo-
rim Irmaos 4 C, ou no Brinco Internacional, a
contar do dia 7 de Janeiro inclusive.


SEGUROS
roGO
&
0 MlflJNl k
KSHAHul
Blackl?", i"\etei's C,
Ra co i omn^eT'Mo r>. o
uU
nM3
'-..-., I
topil
Segnros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercadonai
Taixa batxat
Prompto pagamento de prejuitot
CAPITAL
R. i i o wa m m
N. i)RA DO COMMERCION. 5
Cninpan^ia ift Seguros
IIOBTHSBH
de Londres e Ahcrdeea
Posno fioanceira fl)ezembro de 1885)
3.000,000

Captol subscripto
Fuodoa accumulados
RecelCa aaaaal:
Ptpremio contra fogo
te premiot sobe vidas
Da jurof
O AURTa,
/ota BowmU.
3.134,348
577,330
191,000
.32,000
Administraigao dos Correios
de Pernambuco
Por esta administracao e em cumplimento a
circular da Directora Geral dos Correios. n. 106,
de 20 ile Dezembro rindo, e faz publico para
conhecimento dos interessaios o edita! da mes-
ma directoria abaixo transcripto.
Correio de Pernambuco, de Janeiro de 1889.
O administrador,
Affonto do Reg Barro*.
Directora U-ral don Crrelo*
Editat
De ordem do Exra. Sr. director geral, e em
curaprimento do disposto no art. 8o do regula-
mento de 6 de Marco findo, faz-se publico que,
no dia 1 de Fevereiro de 1889, vo ser postas em
circulacao as seguintes formulas de iranquia :
Sobre cartas selladas
0 sello fuco representado por urna moldura
formada por duas ellipses concntricas, tendo no
plano da menor a efhgie de >ua Magestade o Im-
perador em relevo branco; no da maior, tambem
em relevo b raneo, as palavras Brasil -no alto,
e o valor expresso em ris por extenso na parte
inferior, e finalmente as i xtremidades do eixo
menor dous pequeos polyaonos com o dito valor
indicado por algarismos.
O fundo da moldura na- de I*x> rh ( verde,
as de 200 ris preto, e vermellio tas de 300
ris.
Cartasbihele
O s.'llo (ixo do valor de 80 ris, unpresso no
ngulo superior i direita ,representado por um
rcitiifiguloformado de ai.. :sOoe vermeltaos, ten-
do em urna ellipse wntra! a efligie de Sua Ma-
gestade o Imperador, encimada pela palavra
Brasil em tettras brancas, e tendo em baixo as
palavras oitenta ris e sotre estas, em senti"
obliquo, o numero 80 de cada lado.
A' direita do sello v-se urna lita com as pa-
lavrasCartas-billiete,tendo no alto urna serie
de 20 estrellas brancas em fundo vermelho, e
em fjaixo o distico: Neste lado s se escreve o en-
derece:. No ngulo inferior direita l-se a pa-
lavra Brm em lettras ve-melhas.
Bilhetes postaes
O fcilo lixo do valor ile 40 ris. O desenho
igual ao da carta bilhete com a differenca ase
as de ser azul, e ter na f ta direita d sello
as palavras Btlkftr postal, em vez d';j'|uellos
outras.
Cintas estuDipilhaua-
0 sello fixo estampada e desenhado como os
das sobre-cartas, com a differenca apenas na in-
dicacao dos valores. E' roxo o fundo do sello
das de 20 ris, azul des de 40 ris e cor de ha
vana das de 60 ris.
Sellos para jornaes
Estes sellos gao maiores que os ordinarios, de
mrma rectangular e cor de taranja.
NDaltotem, em leltras brancas, a palavra
Correio e em baixo a Brai. Em fita diagonal
l-at de baixo para cims a palavra jomam, ten-
do de cada la* d valor em algarisa e a paa-
vTarrf. _
Divisao central da Dirictona Geral dos utr-
relos em 18 de Deiembio de 1888.0 sub-di-
rector, Jos Franmco tom.
Royal Mail Steam Packet
Companhia
O vapor Elbe
Commandante Armstrong
Espera-se da Europa
epois
at o dia 18 de
da demora
Janeiro, segu.ndo d(
do costnme para
Bahia. Rio de Janeiro, Moue-
rido e Buenos-Ayres
Para passagens, fretese encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor La Plata
Commandante A. H. Dyke
E' esperado do sul no da 20 de Ja:
neiro e seguindo depois da demora
necessaria para
S. Vicentej
Lisboa, Southampfon
tuerpia
An-
ReduccHo de passagens
Ida Ida e voUa
Ai Lisboa 1 claSse 20 30
A* Southampton 1* classe 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagen8,,fretes, encommendas, trata-se
dom os
AGENTES
Amoriip. Irmos & C.
N. 3Rui do Bom JessN. 3
Companhia Brasileira de
NavegacSo a Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do sul at o
dia 17 de Janeiro e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas na agencia
at 1 hora da tarde do dia chi-sahida.
Para carga, enconunendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
De madapoles avallados, parte de dous fardos
descarregados de bordo do vapor inglez De-
lambre, com avaria d'agua do mar.
ftegunda-felra 14 do eorrente
A's 11 horas
Agente Pinto
No armazem da ra Mrquez de Olinds
n. 52
Em conliniiiinio
"idilio
de movis, 1 cofre, 1 armaco e fiteiros
Leilao
de 8 fardos com cortes de saceos de estopa de
boa qualidade, 300 latas com manteiga ingleza,
caixas com agua de Seltz, ditas com ceneja al-
lem, latas com leite puro, mobilias, pianos, co-
fres, espelhos ovaes, jarros, candieiro, pecas de
esguio, las, merinos, casinetas e muitas ou-
tras mercadorias.
Terca-feira, 15 de corrente
A's -11 horas
No armazem ra Mrquez de Olinda
n. 48
Por i ni ervciifo do agente
Gusmo
LEILAO
Agente Brito
De boas movis, espelhos. etc.
0 agente cima, autorisado por urna familia
que mudou de residencia, far leilao do se-
fiinte : 1 mobilia de junco, 1 dita de Jacaranda,
dita de pao carga, 1 espelho oval, 1 toillet, 1
cama franceza. marquezes, commodas, 1 meza
elstica. 1 guarda-Iouca, 2 apparadores, 1 sof e
12 cadeiras deamarello, 12 cadeiras americanas,
6 cadeiras de junco, lavatorio e cabide de co-
lumna, l berco, louga para janlar e almoco, co-
pos, facas, comeres, bandeijas, candieiros para
Kerosene, jarra, trens de cosinha e outros ob-
jectos, ludo
Ao correr do naartello
QUARTA-FEIRA 16 DE JANEIRO
A's 10 l/2.hora3
Roa Formosa n. 3i, Io andar
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se o r andar ra do Coronel
Suassuna n. 278, com comraodos para grande
familia, agua c gaz, esgoto e drainage : a tratar
na ra do 'mperador n. 53, amazem Prealle, oa
no Chora-meninos, sitio junto a capella. Names-
ma casa vende-se terrenos no vweiro do Muniz.
Pede-se ao Sr. M. T, A. S. que venha ac-'
br com o seu negocio, negocio serio, isto ha
um anno e tanto, sem que se publicar todo este
enygma.
Vende-se o atigo e bem afreguezado es-
tabelecimento de calcados nacionaes da ra do
Livramento n. if, o qual se torna recommenda-
do pela boa localidade em que est a Iratar
no mesmo.
Quem tiver uma commoda usada para ven-
der, mande recado ra Vidal de Neg reros
numero 147.
t
de
Hermenegildo Marcelino
Miranda
Catharina Leopoldina de Miranda Lima, Odo-
rico Augusto Lumachy, desembargador Joaquim
Tavares da Costa Miranda, sua mulher D. Jose-
pha de Miranda Tavares e seus tilhos (ausentes)
agradecem a todos que acompanharam os restos
mortaes de seu prezado primo, Hermenegildo
Marcelino de Miranda ; e de novo convidam a
todos os amigos do tinado, para assistirem as
missas que sero celebradas na igreja da Sole-
dade terga fuira la do corrente, s 7 horas da
manfla, stimo dia de seu fallpcimento.
t
1.* prallco Manoel da Silva
Seve
Trigsimo dia
' A associaco dos praticos da barra e porto da
cidade do Recife manda rezar uma missa no dia
14 do corrente. s 7 horas da manha, na igreja
do Pilar, por alma do 1- pratico Manoel da Silva
Neves, trigsimo dia de seu passamento, c para
cujo Hm convida a mesma associaco aqs paren-
tes e amigos do mesmo tinado para assistirem a
dita missa..
t
D. Maria fos de lesas Piretti
S5o convidadas todas as associadas da pia
uniao das Filhas de Maria e bem assim os p-
renles e pessoas da amisade da tinada D. Maria
Jos de Jess l'irctte, para assistirem a missa
que por sua alma ser celebrada na segunda-
feira, 14 do corrente, s 7 horas da manhS, na
capella do orplianato do coraco euchartstico de
Jess, ra do Hospicio n. 55.________________
0 COELHO
Novo estabelecimento de fa-
zendas finas e modas
oli-Hii da Imperatriz56
Recebem directamente da Europa o que ha de
mais novidade em tecidos.de fantazia e fino gos-
to. Completo sortimento em fazendas de todas
as classes e precos sem competencia.
Telephone 489
Urgencia!! Z
Segunda chamada
Na ra Duque de Caxias n. 87 ha
diversas cartas para serem entregues pes-
soalmente aos Srs. abaixo.
Luiz Jos da Silva Cajazeira (Olinda).
Francisco Pacifico do Amaral.
Joo Jos de Araujo.
JoSo Rodrigues Damaceno.
Custodio Gomes Ferreira (Rio Formoso).
Jos Fernandes Ramos.
D. Olindina Mariz.
Manoel Antonio Xavier de Brito.
Augusto Cmara.
Aos quinto annistas
Convida-se os quinto annistas de direito de
nossa Faculdade a se reunirem na easa n. 2 do
cac3 do Apollo, segunda-feira 14 do corrente.
. luga se casas a 8W00 no becco dos Coe-
lhos, junto de S. Gongallo; a tratar na ra da
Imperatriz n. 56. -
Precisa-se de um criado de 12 a 14 annos,
para casa de familia; tratar ra do Bunio da
victoria n. 39. loja.
Fabrica Tabira
Pereira Penna & C. participam ao respeitavel
corpo commi^rcial desta praca, quo desde o dia
5 do corrente deixou de ser vendedor dos cigar-
ros de sua csaa o Sr. Manoel Vicente dos Santos
Taveira. ficando sem effeito qualquer transaco
que o mesmo tenha feito e possa fazer.
Estudante fgido
No dia 2 do vigente fugio da Repblica n. 26,
ra do Pires, o estudante que no mes paaMdo
deixou de ser calouro. Arthur Coelbo : quea o
eneontrar queira deixal-o na mesma Repblica,
que ter 80 rs. de gratificagSo. ___^^^
Cha preto seperior
Carlos Sinden avisa seus amigos e fre-
gnezes em geral que receben pelo ulthno
vapor cha preto novo e superior que Ten-
de por prejos mais resumidos em Trta
da continua^So do cambio lavoravel.
Convem que exp^rimentem.
48 RUADO BARAO DA VICTOBIA 48
Aluga-se barato
Ra do Rosario n. 39.
Visconde de Goyanna ns. 163 e 159.
Baixa Verde n. 1 C. (Capunga).
Ba Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
A ra do do Caiaboco n. 4 loja.
Largo do Corpo Santo n. 13 r andar.
Ra Sanio Amaro 14 1* andar.
Ra Viaal de Negreiros n. 45.
Tratase na ra do Commercio n. 5, !. andar.
escriptorio de Silva Guimares & C.
Aluga-se
o 2. andar da casa ra da Aurora n. 81 fjnnio
estago da estrada de ferro de Olinda). coa
grandes commodos para familia a tratar no es-
criptorio de Sebastiao de Barros Barreto, i taa
do Bom Jess n. 16, 1. andar.
Aluga-se
a casa terrea da ra da Conquista n. 9. roo
bons commodos e agua canalisada ; a tratar no
Caminho Novo padaria.
Ama
Prccisa-se de nma cosinbeira : na ra Done
de Caxias n. 44, loja de fazendas.
Ama
Precisa-se de uma amr para comprar e coa
nhar para casa de pouca familia :
nha n. 21, 2 andar.
7
raa Pe-
Ama
Na ra Formosa n. 8, precisa-sc de urna boa
cosinheira e engommadeira, e que durma em
sasa.
Ama
Precisa-se de uma ama para cozinhar para
de familia ; a tratar na ra dos Guararapes n. f*.
Ama
Precisa-se de uma ama para engomnur em
casa de pouca familia ; a tratar na roa Duque
de Caxias n. 48, loja.
Ama
i
Precisa-se de uma ama de meia idade para
cosinha e mais serviro. para uma s pessoa :
na ra da Conceico n. 38.
Ama
Precisa-s e de uma ama para cosinbar para
easa de familia : iratar na ra dos Guararapes
n. 88.
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinlur;
Vidal de Negreiros n. 147.
na
Ani
Precisa-se de uma ama para todo servido,
para casa de pequea familia : na ra Direita
n. 93, 2 andar.
Precisa se de uma ama ;
Sonto Amaro n. 6, 1 andar.
a tratar na ra d
Amas
Na ra da Palma n. 40, precisa-se
amas, uma para cosinha e outra para
tar uma crianca.
de doK
a mamen
Amas
i'recisa-se de um criado para sitio ; a tra-
tar na estacSo da Jaqueira.
Vende-se um terreno dentro da campia
da Casa Forte, com 24 palmos de frente e 208 de
fundo : quem pretender dirija-se ao pateo do
Terco n. 76 : a tratar com a proprietaria, que
faz todo negocio.
AVISO
Ausentou-se no dia 9 do corrente, de casa de
seu pai, um menino por nome Antonio, idade de
oko annos, tem uma belide no olho esquerdo,
sahio em companhia de sua mi, na oecasio
em que o pai nao eslava em casa ; pede-se as
autoridades policiaes para o apprehender e levar
em casa de seu pai, no Brejo Beberibe.
Florencio Ribeiro >antos.
Precisa-se de duas amas pasa casa de pcqo
na familia, sendo uma para cosinba e outros
servicos domsticos, e de outra para ljvar e en-
goramar : na ra do Imperador n. 49.
Amas
Precisa-se de duas amas, para casa de peque-
a familia, senda uma para cosinha e oatror
servicos domsticos, e de outra para la\ar e eo-
gommar ; na ra do Imperador n. 40.
Amas
Na ra Formosa n. 8, precis-se de trae
boa cosinheira e engommadeira. que duran em
casa.
O
PORTOS DO SUL
Maranho
vapor
Commandante o eapitSo de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do norte at
o dia 14 de Janeiro e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul
Recebe tambem carga para Santos, Santa Ca-
tharina, Pelotas, Porto Alegre e Rio Grande do
Sul, frete mdico
As encommendas s serao recebidas na agen-
cia ai'l horada tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
Pereira Carneiro & C.
6'=Ru do Commercio==6
1 andar
Pacific Steam Navigation
Comp;ui\
STRAITSOFMAGF.LLAN UNE
Paquete Sorata
Espera-seda Europa at odia
14 di) eorrente p seguir depois
da demora do eoslume para Val-
ui'aiso por
e Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
WilsoD, Sons & ., Limited
14 RA DO COMMERCIO 14
IMPORTANTE
REDUCCO DE PRECOS
21-RUA 1)0 CRESPO-21
OLVERA CAMPOS & V, . y emente um sortimento de artigosn ovos de alta novidade, resolveram
fazer uma grande reduc^onos precos dos artigps abaixo menciona-
dos, para-os quaes chamam a attencao das suasExmas. fregnezas.
Para o Rio de Janeiro
Segu com brevidade a barca portuguea No-
vo Sendo. Para carga Irata se com os consi-
gnatarios Baltar, Oliveira C, na roa do Viga-
rio n. !,! andar.
Linhos para vestido padrBes modernos a 160 rs. o covado.
Crotones francezes, cores claras, a 260 rs. o dito.
Merinos de cores, duas larguras, a 500 rs. o dito.
Ditos de cores, lavrados, de 2|>000 a 14000 o dito.
LSs de cores, desenhos*de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fustfto branco de 400 e 500 rs. o dito.
Mursolina branca para casacos a 500 rs. dito
Zephir de cor. listas e quadrot a 500 rs. o dito.
Ditos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Etamiiies arrendados, de cores, de 800 i 500 rs. o dito.
Flor de Italia em quadrinhos, a 500 rs. de 900 rs.
Mursonas de cor, de listas, a 400 rs. o dito.
Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de 154000
e 200000 por 90000 e 120000 cada um.
Linao, padr5e8 em. quadros, a 440 vs. o tovado.
Nanzukes padrees mimosws, de 280 rs. o dito.
Percales miudinha se pannos finos, a 200 rs. o dito.
Merino preto fino, de 20000 a 10000 o corado.
Setim Maco de todas cores, a 900 rs. o dito.
Brim fino pardo para vestido, a 400 re. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 30000 a peca
Mantas hespanholas, de seda, pretas a 30000 uma.
Espartilhos, o que ha de melhor, de 4A00O, 50000, 0000
70000 um.
Fichs de cor arrendados, de 10000 um.
Capinhas hespanholas de efir a 20000 urna.
Fichs de seda, muito lindos, a 30000 um.
Sargelim diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 30000 e 40*100 nn.
Luvas de seda, todos os tamanhos, de 20000 a 30000 o pmr.
Lences de linho do Borto, a 40000 um.
Ditos grandes para cama franceza, a 60000 um.
Colchas de cor, de 20000 a 50000 urna.
Fichs, sortimento completo, de 20000 a 60000 um.
Len50s de lfnho com barrinha a 20000 urna duxia.
Camisas francezas, de 240000 e 360000 a duzia.
Meias craa para homem, de 40000, 50000 e tyjfK*' a dv/.ist.
Ditas brancas cras e de cores para senhora.
Ditas brancas cras e de cores para crianca.
Chambres de cretone, de 54000 c.60000 um.
Cortes de caseinira de cor, de 80000 a 60000 um.
Cortes de fustao para cllete, de 10000, 10500 e 20000 um-
Camisas inglezas de flanella, 12 pm, a 60000 uma.
Alm de outros artigos qu deixamos de mencionar.
21Ra do Crespo--21
If AO SE DAO AJUOSTBAS


COM
lUKlCll
PALUDAS
A VERDADE BMLHA
Por mais que facam 03 criticos graciosos, cuja t&refa rezunae-se simplesmente
a destruir aquillo que nlo sabem nem podem construir, Bm certos casos impotente
'maledicencia d'esses demolidores perversos.
O sen trabalho, longe de prejudicar, mais nm incentivo para que a verdade
brilhe radiante, offuscando-os com a inteosidade da sna luz.
De todas as classes sociaes, desde o opulento at o proletario, desde o maior
talento ate intelligencia menos culta, todos, porfa, eacarregam se de vir dar um
solemne desmentido a essas criticas graciosas.
O documento que se vae ler um attestado que falla mais alto do que tudo
qaanto podamos asseverar.
Eil-o:
Illm. Sr. Jos Alvares de Soasa Soares..Devo urna resposta a seu favor.
gal-o-hei em pencas palavras, mesmo porque verdade nao amister coloridas ima-
ens, para impor-se soberana, escudada as nianifest.co'cs da opiniao universal.
Emanacao da consciencia, d'esse fro intimo de cada individuo, onde se azyla, ella
surge pura e inmaculada.
< A sua preparacao Pcitoral de Cambarn um poderoso remedio contra as
enfermidades do peito.
< Attesto-o pelos resaltados que tenho colhido em pessoas de minlta casa,
esse pequeo scenario, onde, como pai de familia, posto com eerteza reconhecer
qnaes os medicamentos uteis e proveitonos.
Minhas filhas usaram por algum tempo do Pcitoral de Cambar, de sua
invencSo, e ficaram complentamente curadas de urna toase pertinaz e perigosa.
Faca destas linhas o uao que quizer.Sempre as suas ordens encontrar
Joaquim NapoleSo Epaminondas de Amida. (Ex-director de collegio, em Pelotas, e
hoje advogado em Bag, Rio Grande do Sol.)
AeeoMtIkM$com oisfNMMftMU adoentadaa predlspoataaao mpobrsciafat do Mar. TonuZ
aa* ue olio _t9hm gwttu 4 ot* ntoieho, Vuuxtaai imitaen. fbdgb a firma B. S&WAXS,
---------------------la,
PEREIRA a MAGALHAES
as
SSo
Mrquez de
ates deste preparado os Srs. Francisco Manoel da Silva & C.
linda n. 23, que o vendem a 20000 o frasco.
ra

Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Laureado da Faouldade de Uodieina da Paria. Premio Uont/on
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromareto de Camphora empreg&o-se
as Molestias, as de Cerebro e cintra as affaccoes seguimee:
Aathma, Insomnia, Palpitacoes do Coraco, Epilepsia, Hallnclnacfio,
Tonteiras, Hemicrania, Aecedes das viao urinarias et para calmar toda
especie de excilac&o.
MB Urna explicado datalhada acompanha uda frateo.
Exigir aa Verdadeiras Capela* ao Bromareto de Camphora de CLIN G'S
de PARS, que ae encontro em cata dot Droguistas el Phartr.aeeuticot.
rUNDIBAO GBRAL
ALIAN PATERSON & C.
N. 44Ra aVBrumN. 44
JUNTO A ESTACAO DOS BONDS
Tem para vender, por precos mdicos, as seguintes ferragens :
Tacnas fundidas, batidas e caldeadas.
Crivacos de diversos tamanhos.
Bodas de espora, idem, dem.
Ditas angulares, idem, idem.
Bancos de ferro com serra circular.
Gradeamento para jardim.
Varandas de ierro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos.
Portas de fornalha.
Vapores de fbrea de 3, 5, e 6 cavallos.
Moenda de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Bodas d'agua, systema Leandro.
Encarregam-se de concertos, e assentamento de machinismo e executam qual-
quer trabalho com perfeicSo e presteza.
(Aviso aos ffieguezes
Os PRODUCTOS da
perfumara ora l.
SO?, ra de St-Honor, FAFtTS
t ORIIA-OIL, ESS.ORIZA, ORIZA-LACT, (REME-ORIZA
ORIZA-VELOUTH, ORIZA-TONICA, GRIZALINE, SAIO-ORIZA
DEVEM 0 SEU GRANDE XITO BBM COMO 0 FAVOR 00 PUBLICO :
1 Ao cuidado perfeito com qua esto sendo fabricados;
2* A' sua qua,;dade inalteravel e suavidade do seu perfume.
ais, como se faz cmtiafaqces oestes productos oriza
com intuito de v/ver ass/n a c.'sta da fama de un goxam,
pomos de sobreaviso os fregueses no fim que se nao
deixem engaar.
Oc VEKOADEIROS PRODUCIOS se wdem em todas as tus cazis de Perfumarla t Dronrii.
MANDA.-SK OS PABIS O CATALOGO ILLUSTRADO FRANCC OS POBTS
Recebedores directos dos mercados da Europa
liquidam os seguintes artigos com descont de 14 [o
vendas em grosso
Bramantes de aJgodSo superiores, a 800 rs. o metro, 4 larguras,
dem de puro linho fazenda de 20200 para acabar a 10500, metro.
Atoalhado alvo, duas larguras, a 700 rs., 10100 e 10200 o dito.
Algodao alvo, nacional, para lences a 50500 a peca.
-Madapolao americano, a 30600, 40000 e 60000, com 24 jardas.
Mariposas de cores a 220 rs. o covado.
Chitas claras e escuras, c6res firmes, a 200 rs. o dito.
Batistas idem a 120 rs. o dito.
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 rs. o dito,
dem de quros modernos a 280 e 300 rs. o dito.
Fichs de renda chics a 10000.
Colchas francezas de cSresa 20000 e 40000, urna.
Lences de bramante a 10800, para cama de casal.
Casimiras de edres para roupa de crianca a 10000 e 10800, diagonal, duas
larguras.
Camisas inglezas e francezas a 260000 e 300000 a duzia.
Tapetes aveludados, grandes, a 140000 um.
Cortinados ricamente bordados a 50500 e 60000-
Pannos de cores para mesa a 10*00 e 10300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 30000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
Veludilhos de cores e pretos a 900 rs. dito.
Bendas austracas para vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Setins de todas as cores a 900 rs. o dite.
Setinetas lavradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias cruas inglezas para homem a 20500 e 30^00 a duzia.
Ceroolas bordadas, de bramante, a 120000 e 160000 a dito.
Cortes de casemiras para calca a 40000 e 60000.
dem de meia casemira a 20000.
Toalhas grandes para rosto a 40000 a duzia.
dem felpudas para banho a 120000 a dita.
muitos artigos que serSo lembrados com apresenca de nossos leitores.
59Ra Duque de Caxias59
LOJA DE
PEREIRA MAGALHAES
0 Remedio do Dr. Ayer
COSTRA SEZES.
E' um tonteo forte puramente vegeta!, e,
pelo conlicchnento practico dos seas effei-
tos, G.utANTroo como remedio certo para
fls febres malignas. Estas desordena de-
vem a sua orlgem a um veneno miasmtico
que penetra no sangue pelos pulmoes, altera
lo e motiva as diferentes classes de
eonhccloaa por Terciarias e
Quatrenarias, Internas, de Fro,
Malignas, Intermittentes, temit-
tente", Biliosas, e Typhoide.
O l!i -n-.Dio no Dn. Ayer neatrallsa o
veneno miasmtico e cxpele-o do systcmo.
Nao conten quinina nem ingrediente a-
giim mineral; seguro e inofensivo, e
taM se se usa segunda os direccoes.
I'KICrARADO PEJ.O
DR. J. C. AYER e CA.,
ILowell, Mass., E, A.
A' venda as princlpaes pbormaciaa e
dragarlas.
Inglez
Em virtude de ter sido muito procurado e nao
podido satisfazer aos pedidos de todos, mandei
MOLESTIAS no COR AC
kCfHki Ta Ciruai LIBlDI.tHM4asM SirSIIlBAIBiCOBAaO.PALFITACeESiixITDMPlSIlfli
Depositarlo* em
<.rsrts.NtiS,Pl
WWLAM-
aa mhVA
da
Criada
Na ra da Umo u. 27, precisa se de urna
criada para cuidar de duas criancas, de S e 3
annos de idade e que saiba eogommar, preftre-se
idosa.
Sitio
SANTA CASA DE MEERIC0RDIA
Aluga-se por 354000 meusaes um bom sitio
bastante arborsado, com excelleBte casa de mo-
rada, em bom estado de conservacao, no apra-
sivel arrabalde Parnameirim, junto a estacao.
Caixeiro
Precisase de nm menino de 12 14 annos,
com pratica de molhados ; na ra dos Guarara-
pes n. 49-A.
Caixeiro
Pulseira perdida
Gratificase bem pessoa que tendo acbado
urna pulseira de cabello com atacador de oni
fbr leval-a ra da Alegra n. 13.
Professora
Urna senhora competentemente habilitada, pro-
poe-se a leccionar em collegios e casas particu-
lares as seguintes materias : Portuguez, Pran-
cez, Msica e Piano ; a tratar nu ra Visconde
de Albuquerque n. 20.
PA S T A
Precisa-se de um caixeiro de 12 i 14 annos, e
que tenha alguma pratica de molhados ; a tratar
na ra de S. Jorge n. 89.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de molhados e que d fiador sua conduela ; a
tratar na ra de Santo Amaro n. 6, (averna.
Pao centeio
Mille & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas- feiras, tem este sa-
boroso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
AFuUMicIKui
[cartoes elenntiMt-
laos de 8 taeotahaa}
6 nm hoto e Tn&ra-
vilhso preparado
proporcionando om
baako dieiM
hnieaiw, e orna
netUeato ayma
MACK
nioo (ftbriMBte-IaTWtor: H.
Esta Puta Kaok
goza do fama nnl-
versal, afonaoaa
niTiaa a rntl, ,
como nrrweaaia,
opera todo jaaato
Htulu at boje.
Vende se em todat
as pharm&ciaa, dro-
garta e perfnmarias.
ICK, TJha D.
iv.potiuiioe em Ptrnimouco : Hala SarUlfcC".
FERRO GIRARD
?pprovado pla Aocdarnia da Mad?cina da Paria,
?pprovado pela Jnnota Central da Hygieno publioa do
Brasil.
O Profesaor Hrard nearregsda do Pelatorio Academia demonstrou < que
faetmente acceito -ttlot doente, bem tolerado peto estomago, restaura as
for$as escura a etUoro-nemia; que e que distingue particutarmeme este
novo sal de ferro, que nao causa p-ts&o de venir a lual combte, elevn-
dose a dse, obtm-u dciecebes rti'merosas.
O PERRO GIRARD cura anamla. ooras paluda, o.lmbraa da tomago,
braoimento do sangna; (oroa o tamparfjntntoa trmcoa, xoita o
ata, r^rnlarlca as ngr%m oomlMto a sUrlimd:
Dapoait* > m Parte, 8, roa Viviana* m yteisia toaarue i Pam*ai
5*
es
?
Tvpogaphia e Lilbo^raphia
FABRICA DE LIVRpSDE ESCRIPTU-
RAgAO
Premiada as exposfces de
llel&
Manoel J. de Miranda
Encadernacao e especialidades em cartoes de
visitas.
59Ra Duque de Caxias-39
Telephonen. 194.
Precisa-se de um criado
numero 19.
Criado
na ra de Paysandu
Cautellas do Monte de Soccorro
Compra-se cautellas do Monte de Soccorro de
qualquer Joia, brilhantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independencia n. 23, loja de
relojoeiro.___ __________________
Collegio Americano
Abrem se as auua segunda-feira, 14 do cor-
rente.
Professora
Urna senhora competentemente habilitada, com
ntica de 11 annos de profissSo, apresentande
iversos attestados de bom meiliodo e comporta-
ment, ofterece-se para leccionar em casas par-
ticurar'S, na cidade ou em seus arrabaldes as se-
guintes materias : Portuguez, Francez, Italiano.
Geograpliia, riano, trabalhos de agulha, etc.; a
tratar a ra Visconde de Goyanna n. 69 ou em
casa do -Regulador da Mannlia-rua largado
Rosario n. 9. __________
Criado
Precisa-se de um rapaz at 13 annos : a tratar
na Travessa do orpo Santo n 27.
Mereearia Equidade
Ra de Ilortas n. 1S
Grande Tariedade de \-inhos engarrafados,?por
cornmodo preco, e superior qualidade, receb
directamente, como sejam : vinho de Pasto. Col-
lares, Pigueira, Verde, 1 tel, Malva-
sia c outro ^em igual, especial para senhoras.
Vndese superior carne s. cea de porco, vinda
do sertao, vinl fino do Porto a retalho.
AVISO
A abaixo assignada previne ao publico e ao
coimnercio desta cidade, que nao facam tralsac-
alguma com a parte do sobrado
n. 11 sito ra estruita do Rosario, pertencente
a Manoel Sodr da Cunha Motta, e nem outro
qu ilfpier negocio, sob pena de ser nnlla toda
rauaeeao nila pelo dito sennor. Recite, 11
de Janeiro de NB.
Laurinda Martas Rio.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 10 12 annos,
com pratica de molhados e que d fiador a sua
conducta : a tratar na ra Conde da Boa-Vista
n. 87, prefere-se brasileiro _____________
Carolos de algodao
Compra-se carocos de algodao ensaccados, en-
tregues nos armazens, na do Barao do Trium-
pho ns. 10, 12 e 14 ; ao preco de 380 ris por 18
Tratamento Reconstituir!te
ELIXIR X>DGHAMF
COM EXTRACTO
de Figado de Bacalhu
Qiiiuti e Cacu
---
Cada fratco d'atta
ELIXIR contam c
principio dapurativoi
tonicoa da um litro da olao <
da figado da bacalhu
um litro do vinho da Quina, i
Tam sobra o olao da
fijado da baolhku a van-
tagam da accalerar aa
funocaa do attomago
om lugmr da aa perturbar,
a da daapertr o appetite.
-----
Este Medicamento, de sabor e gsto
muito agrada veis, obteve o mclhor suc-
cesso em Franca para combater :
ANEMIA, CHLORSB,
AFPECQES dos BRONCHIOS
e PULMES,
c a FRAQUEZA das CRIANZAS
....>.
Depsito geral em PARS :
DUOHAMP, 16, ra Peltou
Em Pemambuco :
a mco M. a SI UVA m C*.__
chamar um coega da Inglaterra (Mr. Dick) que
j se acha no caso de receber discpulos ai
glez pratico.
j4 se acha no caso de receber discpulos ae
/. Fanstone, ra do Progresso n. 2.
j. tanaone, ra do l'rogresso n. 2.
, J. Fan8tob, tendo de modificar a lista de
seus discpulos para o novo anno, pede as
Exmas. familias e senhores que tm-o honrado
no passado que communiquem-Uie os seus dese-
jos para que elle nao falte na attenclo devida
aos Illm8. Srs. seus discpulos.
Os Srs. doutores desta praea que tenbam co-
nhecimento de inglez e que queiram se aperfei-
coar na pratica, drijam-se a J. fanstone, n. 2
ra do Progresso, ou na casa Evanglica n. 4,
ra e8treita do Rosario.
Tambem para maior commodrdade das pes-
soas empregadas no commercio enho resolvido
abrir um curso nocturno de inglez pratico. o
qual funccionar no i andar da casa n. 4, ra
estreifa do Rosario.
M, (Jfobgb k. Nbd, nico professor america-
no da lingua inglesa, pode ser procurado nos
sabbados ra Conde da Boa-Vista n. 28, sobra-
do defronte da estacao da t-oledade.
Precisa-se de urna ama que cosinhe bem, para
casa de familia ; a tratar na ra Duque de Ca-
xias n. 93.
Cozinheira
Precisa se de urna bda cosinkeiratque durma
em casa dos patrdes, para casa de pequea fa-
milia, na ra do Conde
porUo de ferro.
da Boa-Vistan. 24 F.,
Para oDerby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen
to de grava tas e camisas de eres proprias
nos amadores do Prado e-wt venceu-
m or precos sem competencia.
Recebeu tambem collarinios e punhos
de borracha de formatos nevos.
48BA BABAO DA VTCTOBU 48
Vinho de Collares especial e
da Madeira
Em decimos e caixa de duzia, tem para ven-
der Joaquim da -ilva Carneiro. largo do Corpo
Santo n. 13, 1- andar.
EZEIO
Adminitrtso : PAHIZ, I, toulertrd Hoatmartri.
GRANDE-GRILLE. A(Tec?es lymphaliris, Doen-
^sdasvi:*S(l2estTas,0b Obtlfacfdvi fucenes, Coocrere c .l<*uio4as da bie.
HOPITAL. AffiK{5e9 dai ias iti.-91 iras,lacnmmo-
dos do estomago. Oigesto d.fficil, Inti.petflsca.
Gastralgia. Dy.-pepsia.
CLESTINS. Affer(5c> dos rins, da beiica. Arelas,
ConrreoSes das nannas.Gola, Diatmks, AibtiroiDara.
H/.UTERIVE. Aiccr*esdu< rins, da baiiia. Areias
CoDcrecoes das oorioas.Gota, Dialwle^, Albumiaaria.
. ekja-se o me da FUSTE u capsula
Em Ptrnambuco, aa Agaa* das ToaM de Vicby.
cima ooaaaaaaa, aeblo-ae caaaa de
[ SULWR EOBCHLW.^.rafin C/nz;- At
Ao
commereio
Ao conimercio
Joaquim A lves & C. passaram o seu estabele-
cimento de molhados sito ra Mrquez do rler-
val n. 73 aos Srs. Silva Azevedo & C.. livre de
toda a resp^nsabilidade relativa ao raesmo e da
Arma antee
Reeife, i i de Janeiro de 1889. ________
FABHIEA
DEVIDROS
193 Ra d Aurora 193
Expoe venda em grosso
e a retalho os productos de
seu fabrico: sendo
Copos com esem p, ditos
com aza para cerveja, cli-
ces, globos, chamins, frascos
para botica etc. etc.
Prejos sem competencia
Os abaixo assignados participam ao corpo
commercial que compraram aos Srs. Joaquim ^1
ves & C. o estabeleciments de molhailos sito
ra Mrquez do Hervai n. 73, livredesembara-
cado de todo e qualquer onus que possa appa-
recer. Recife, 11 de Janeiro de 1889.
Silva Azevedo & C.
MAIS DE 10:000 CURAS
. coste so snsnuTiaio
DORES DE DENTES
E
PREPARADO NICAMENTE
POK CALASANS & C.XA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos, inehac3es, dores aciaticas, nevral-
gias, dormencia, etc., em prega do-se em
fomentacoes sobre os lugares afifectados.
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
de dentes.
Todos os frascos levam direccSes para
uao d'este medicamento admiravel.
Preco 152O. Descont de urna duzia
em diante.
DEPOSITO NO RECIKa,
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Marques de Olinda o. 93
DOEN$A9
-DO
ESTOMAGO
DO
FIGADO.
PIIIUS DE BBISTfll
PBAlEJiTE YEGETAES '
silo o melhor Purgante e o Remedio
mai< efiBcaz contra os ditos males.
Reguiarzam a DJjjMtio
PURIFICAM A BILIS
e curam radicalmente
A DISPEPSIA.
FAZENDAS BARATAS
2TO T. 20
(JUNTO AO LOUVRE)
Zephirea de quadros, a 80 rs., o corado.
Las escocezas, a 100rs., o dito.
Cambraia bordada, a 45000, a peca.
Sargelim diagonal, a 200 rs., o corado.
Baptistas finas, a 160 rs., o dito.
Percales claras, a 200 rs., o dito.
Setineta do JapSo, 240 rs., o dito.
Brim de cores a 320 rs., o dito.
Cachemiras de quadros, a 260 rs., o dito
FustSo branco, a 360 e 400 rs., o dito.
Brim pardo, a 280 rs., o dito.
Meias para senhora, a 44500, a duna.
Baleias para vestido, a 280 rs., a duna.
Lencos brancos, a 13200 a duzia.
CfeUarinhos de linho, a 30500, a dita.
Canga para cobertas, a 260 rs., o codado.
Sabonetes de glycerine, a 200 rs., um.
Regatas de cores, a 10200, urna.
Ceroulas de bramante, a 10200, ama.
Colchas de cores, a 20000, urna.
Cortes de Linn, a 70000, om
Cortes de seda para collete.
Leqaes transparentes, a 20500, um.
Sahidas de baile, a 20000, urna.
Tapetes para sof, a 130000, um.
Espartilhos americanos a 50000, um.
Camisas inglezas, a 360000, a duzia.
Las de quadros, a 300 rs., o corado.
Agua Florida, a 10000, a garrafa.
EsguiSo pardo, a 360 e 400 rs., o crala.
Cortinados bordados, a 60000, o par.
Luvas de seda, a 20000 e 20500, o par.
Guarn c3es de crochet, a 70000, ama-
Bramante de algodao, a 800 rs., o mata*.
Merinos de c6res, a 800 rs., o corado.
Madapolao americano, a 60000, a pega.
Toalhas para banho, a 10500. ama.
Cambraia arrendada, a 400 n.t o corado.
Lencos de barras, a 20000, a dorna.
Alpacas indianas, a 320 rs., o corada.
Cortes de setinetas, a 60000, om.
Setins de cores, a 800 e 900 o corada.
Colchas de damasco, a 70000, nma.
Panno da Costa, a 10000 e 10200, e m-
vado.
Cachemira de duas larguras, a 800 ra., a
dito.
Chambres, a 40500 e 50000, um.
Paletots de seda palha a 70500, om.
Renda heepanhola, a 30500, o metro.
Gazes de cores, a 500 rs., o corado.
Pecas de esgui&o de algodio, a 30500.
Fusto de cor, a 800 rs., o corado.
Cobertas de ganga, a 30000 ama.
Brim pardo, a 900 rs., o corado.
Linho de quadros, a 200 e 240 rs., o m-
vado.
Paletots de alpaca, a 40000 om.
Cambraia Victoria, a 20900, a peca-
Cortes de casimira para costamos.
Lona para cama.
Algodao de duas largaras.
Gruarda-ps para homem, a 50000 e 60OO.
Ditos para senhoras, a 80000 e 100000.
Popelina Dranca de seda, a 800 e 11009,
o corado.
Linn de cores, a 500 as., o corado.
Oleo Oriza, a 900 rs.
ntremelos e bordados.
Sabonete de alcatrSo, a 500 rs.
Toalhas para rosto, a 80600, a duzia.
Bicos de urna s cor, a 20000, a peca.
Bicos matisados, a 20500 e 30000, a pea*.
Pacotesde pos de arroz, a 500 rs.
Setim branco, a 800 rs., o corado.
Leques de setim branco, a 60000.
Tnico oriental, a 900 rs.
Suspensorios americanos, a 20500.
Cretones finos, a 320 rs., o corado.
Fechs grandes, a 30000 e 30500, um..
Metins de listas, a 390 rs., o corado.
Brim de linho (cor) a 800 rs., o dito.
Costumes para banhos salgados.
Boleas para o mesmo fim.
3NT.A.
Ra 1. de Marco n. 20
CASA DE
AMARAL & C
Fabrica Tabyra
Pereira Penna & '., participam ao respei-
tavel corpo commercial desta praca qae sio of
nicos recebedores de suascootas eoromerciaes
e em suas faltas o Sr. Francisco Walfredo SSIra
como tem procuraco dada p>r dos.
Recife, II de Janeiro de 1889.
Pereirii
f^3 Attendite
Jos Samuel Botelho avisa ao respeitavel po-
blico que anda continua a fabrir.ir bouquets f>
mais afamado j-osto para casamento oo ootro
qualquer acto, assim orno ra|x-Uaa moeVMiM
de perpetua ; a tratar na ra Nova n. *. luja d
miudezas ou na ruada Ca lea do Re
laja de selleiro.
Ao eomnereio e PeraMtae*
Declaro que nunca receb rtmkri
altiuma do Ciato, para ei
com outro nomee nao cota o aba
que s ronhec- no Craio o >eu em.
Ico, 4 de Dezemi.ro de 1*88.
Jos Guedes da 9iia l
Registro
Compra-se nm registro n. & : na
de Caxias n. 56, loja.
Cosinheira ectiac
Precisa-se ; na roa Vellia a. 137, sa
do menino ou rapaz.






W-


---JL/onungo lo de Janeiro e iooy
RANDE ESTABELECIMENTO
r-j-ir-s
PIANOS E MSICA
PUNfiADO E VI 1851
43-MJA DOS OlMVES-43
J. BBVILACQUA
Psiticipa ees ?ea ruu-nroses fregu'zea do interior que tem tempre do sea eStabilecimeLt) o maior 0 in&is es
orUi&dcto ^jJEoa des oc-lhcrcs tutores.
dos piB03 do ____ "
SS.dbrW.SidMS (primeiro fabricante da Allemanha)
Couitruidoi com chapa inteira de metal, proprla para o nesso
Cor ti as cruzadas, grande son rldsde, perfelco. duraeao e solidez
PLETEI- HC03, &V', B2E2, BOISSELOT S 3TS3S
JS, O. C lair-g'.E o procos corr<*ntes eerSo reme.tirios gratuitamente a quero oa pedir.
GRANDE OFFICINA PARA CONCERTAR PIANOS
&
gjKae
ditas
USCA
D tdes is editores 'Europa psra pitno, esnto, instrumentes, orobestra e banda militar.
pecas de msica, almanach e catalogo de pec'-s eacolbidhs
com maicr brevidade, desde que renham acorrpanbadae
m.\ItTlRA UaiCJJb-Bi?o albura ont-ndo sete
Quem nos remetter 520 rs. enviaremos a MINIATURA.
As encommendts que nos forem dirigiias bciSo despachadas
de s?u valor.
N. B. Oa abatimentos serSo pr. pog oes Ice so valer das encomiendas.
Grande officina para gravar e imprimir msica
As pesBOia qnefquizcrem mandar editar bu s compusicScs devem remetter-nes os manns ritos para soiem oforniadus d*a
deapesa.
J. BEVILACQTJA
45-RUA DOS OURIVES-43
Rio de Janeiro
Aviso
Aos Exms. Srs. paes de fa-
milias
O professor titulado Joao Feixeira Bastos, con-
tinua a leccionar nao so em casa de sua residen-
cia, como em casas particulares as materias, que
conitituem a instrueco primaria das 3 s 6
horas 4a tarde.
Curso especial : portuguez. francez, geogra-
phia e historia das 4 s 6 da tarde.
Aula nocturna das 7 s 9 da noite.
Mensalidade achantada feita no acto da matri-
cula.
N. 7 ARa do CaldcrciroN. 7 A

Ama
Precisase de urna ama para csa-dc pequea
familia ; na roa de Peysanau n 19.
- Yende-se um oval lo de sella, de baixo a
1 ntio. vindo ha pouco do serto, e urna burra
para todo servico ; a tratar na Nova Descoberta,
cocheira de Manoel Jcaquim, ou no Paco da Pa-
tria n. 5.
VENDAS
Vende-se urna mesa com duas gavetas,
torneada, uns livros de reza, romances e esta-
dos, tambem vende-se um tnico para segurar,
nascer o cabello, c evitar dor de caneca ; na roa
Mrquez do Henal, loja n. 23, se dir quem
vende. Assim como urna senhora habilitada se
ofterece para ensinar em casas particulares,
Portuguez, Francez, Italiano e trabalhos de
flores.
Vende-se um estabelecimento de moldados
com proporces para grande negocio ; na praja
Conde d Eu n. 18.
Vende-se urna jarte no engenbo Destrro,
fieguezia de Iguarass, faz-se todo negocio, e a
renda de muitos anaos ; a tratar na ra da San-
ta Cruz n. 8.
Terreno barato
Vende-se barato, ota permuta-se por urna casa
na freguezia da Boa Vista ou da Graca, de va-
lor correspondente, um grande terreno na roa
Imperial, defronte da casa n. 30 (centro), com
335 palmos de frente e fundo para a estrada de
ferro de S. PrancisiX), cujos limites atravessa;
proprio para edificacS o e com capacidade para
bons viveiros.
No Caf Ruy, roa do Barao da Victoria n. 56,
se indicar as preleidentes a pessoa com quem
se trata. ____________
Vaccas de leite
Vende-se duas vaccas de leite : a tratar na
Taraarineira, sitio defrontc do /zylo de Alie-
ados.
Vende-se a bem localisada taverna da roa
Visconde de Goyanna n. 62 : a tratar na mesma.
FOLHETIM
A siitoisaDa
Taverna
0 BAZAR DO RECIFE
Esta bem conbecida lpja de miudezas e
artigos" de modas recebeu da Europa bo-
nito, sortimento de artigos para a festa,
saber:
Bonecas vestidas moda de Pars.
Diversos brinquedos para enancas,
Lindos leques de phantasia.
Costureiras com msica.
Caixinhas de setim com perfumes.
Elegantes estjos para toilette.
Primorosos cartees de felicitacSes.
Porta-relogios para toilette.
Caixinhas para joias.
Estjos para escripturacao de senboras.
Perfumaras dos melhores fabricantes.
Um variado sortimento de miudezas.
O BAZAR DO RECIFE
11BA DO MRQUEZ DE OLINDA 11
Domingos H. Martina
Vende-se
urna parle da propriedade Caraba Torta, na
comarca de Nazereth; os senhores pretendentes
podem dirigir-se roa Bario da Victoria n. 38,
ende acharaa com quem tratar.
Vende-se a taverna sita ra da Santa Cruz
n. 36. pelo dono precisar de retirar-se para fra
a tratar de sua sande ; a tratar na mesma.
POR
JULIO MAM
TERCGIRAPARTE
HONRA POR HONRA
(Co'ntinuacSo do n. 9)
n
Gourlande estendeu o frasco, corando.
Seria o fri agudo que o fazia assim co-
rar ?
Serte, a einocao ?
O juiz de instrueco dessarrolhou o fras-
co, encostu o gargalo non labios e beben
um bom trago.
Depois do que tomou a arrolhal-o.
lao m a sua agurdente, Sr.
Courlandc, disse elle sorrindo ; ha muito
tempo que nfio bebia igual...
Se o Sr. juiz de instrueco quizesse
azer-me um favor...
Qual ?
Um grande, mnito grande favor.
Emfim, diga o que ...
O Sr. juiz aceitara o frasco com o
reato da agurdente...
Oh nilo recuso, nao. Obrigado,
Sr. Courlandc.
Sr. juiz me perdoar a liberdade?...
0 soldado estendeu a mao ao antigo
sargento de infantera e com voz calorosa:
Agradeeo-lhe, fico-lhe grato pelo seu
aervieo...
E inclinou-se sobre a sua carne e exa-
minou-a com ar enternecido.
1 urlonde tosgio, e com hei
Se o Sr. juiz qn
toldado dar-lhe
nde liqida^ao
l jfepKo la Victoria IO
AZETIHIBIA6 & C.
Resolveram vender mais barato para di-
minuir o sen grande deposito, para assim
poder .dar balan50.
A saber :
Rendas de cret-, coniprimcnto de sai a
a IjSOOO'c lSOO.
Sargelim de todas as cores a 200 rs. o
covado. .
Baleias com forro a 400 rs. a duzia.
dem sem forro a 240 rs. a dita.
Bramante de linho, com 10 palmos, a
1*400 e U500.
Extracto Rita Sangal a 20200.
Ficha de 1S e seda a 10 e 10500.
Capellas com veo bordado a 60000 e
70000.
Merinos de cores a 400 rs.
Zefiros, largos,* 160 e 200 rs.
Cretones com Cerraduras a 240 rs.
Madapolao (o verdadeiro Boa-Vista) a
60000, com 20 varas.
Toalhas para banho a 10 e 10500.
Colchas de crochet, finas, a 50000.
dem com flores a 80000.
Toalhas, felpudas para rosto a 30000 a
duzia.
Bramante trancado, 4 larguras, a 800 e
10000.
Madapolao com 1 metro de largura a
70000.'
MadapolSo Globo a 70000.
Dito camisero legitimo a 70000
FtistXo branco a 360..e 400 rs.
Setim branco e de todas as cores a 800
e 900 rs.
Tapetes grandes para sof, a 130000.
Espartilhos couraca a 40 e 40500.
Cortes de cambraia com carocinhos a
40000.
Brins de linho de cores fixas a 600 rs.
Crinoline branca e preta a 400 rs. o
metro.
Rico sortimento de leques de penna de
80000 e 100000.
Guardanapos de linho a 20 e 20500.
Panno de crochet para cadeiras a 800
reis.
Ditos grandes para sof a 20500.
Cambraia Victoria e transparente a
30000.
Merino preto, fino, a 800 e 10000
Camisas francezas, finas, a 330000 a
duzia.
Nanzuc de cores finas a 240 rs. o co-
vado .
Capas de cachemira preta.
Renda hespanhola a 10000 e 10500.
Cretone com duas larguras a 400 rs.
Batistes finas a 140 rs.
L2 de quadros a 280 rs.
Cortinados bordados a 50500.
Ditos de crochet a 100000.
Camisas de flanella com collarinlios e
sem elles.
Palitots de palha de seda, todas as co-
res.
Luvas de seda*
Faz-eadas de phantasia e abertas.
Cachemiras, eom listras e quadros a
500 rs. .
Cortes de casimira a 40000.
Etamine preto.
Cortes de cambraia aberta a 50000 a
peja.
Cortes bordados brancos e de cores.
Seda palha crua com flores a 800 rs.
N. B.As fazendas compradas na nos-
sa casa nao sendo do gosto do freguez, se
trocam por outras de mais gosto.
Telephone n. 200
Barato
S na loja das Estrellas
56-MA DUQUE DE CAMAS-56
Telephone n. 9IO
O proprietario deste mui acreditado estabeleci-
mento prefine a lodas as Exma^femflias
c fregueze em geral, que as mwtas pe-
chinchas que- costuma azer, nao sao mais
divididas com a sua ex-casa das LISTRAS
AZUES; prlanto, quem quizer comprar por
menos que em outra qualquer pnrte-.dinj-
LOJA DAS ESTRELLAS, decncorf-
ucV
trar um completo e triudissimo sorti-
mento de fazenda? que se vendem por pre-
cos que nao Ihe podem^zer competencia
como passamos a demonstrad, a saber :
Atoalhado para mesa, de 10800 a 0OOO.
Dito de cores a 10 e 10300.
Bramante de quatro larguras a 660 e
7&9 rs. o metro e de linho com 10 pal-
mos de largura a 10600.
Brim de cores para ronpa de crianzas a
280 e 320 rs.
Colchas de crochet de 100 por 50000.
Cortinados bordados a 50 e 60000. .
Cortes de cambraia, bordados, brancos
e de cores a 40 e 40500. *'
Cortes de vestidos, em cartao, a 70000.
160,
Vende-se
urna casa terrea no bairro da Boa Vista, em bom
local; a tratar no Pateo do Carmo n. 3. botica.
itaao :
permittir a
um c
De certo que permit.
Sr. jmz est deixando arder ma-
ni por ba> da s carne, e esta
ficar assim com gosto de furaaca... Ora,
o Sr. juiz tem bastantes brazas para aca-
bar de cozel-a.
Ah ah! o senhor foi cozinheiro;
Sr. Courlande ?
NSo... mas todos os cacadores...
o sSo... um pouc 1...
O soldado seguio o conselho do agente.
Depois do que, alegremente :
Diga-me, Sr. Courlande, o seahor
veio procurar-me aqui.!. nao foi, suppo-
nho, para ensinar-mc a assar carne.. -
Oh! nSo, Sr. juiz, trata-se do ho-
mem cajo nome pronnnciei ha pouco...
Doriat ?
Justamente.
Interessa-lhe a situacao desse con-
demnado, que ha seis mezes espera a
morte ?
Muito, Sr. juiz, e eu farejo naquillo
um mysterio. O nico fim da minhavia-
gem esclarecel-o. Contei com o Sr. de
Moraines...
O soldado nao respondeu.
Courlande proseguio :
Sei que V. S. tomou parte activa na
devassa, visto que foi na sua circumscrip-
cilo que o crime se commetteu. Suppo-
nho que a sua devassa nao terminou no
dia em que os seus autos foram entregues
cmara de accusaeao ; no dia seguinte
qulle em que Doriat devia expiar o as-
sassinato de Bourreille, o tribunal de Pa-
riz devia ter-lhe escripto, enviando-lhe in-
strucjSes, encarregando-o de nova devas-
sa... Para obter-ee semelhante adiamen-
to, seriam necessarias quasi provas da in-
noceencia de Doriat. .. E' no interease
delle que eu fallo, Sr. juiz ; espero que
V. S. ter confian9.1 bastante para pr-me
ao tacto do que se passou...
O juiz soldado reflectio alguns minu-
tos. Esquecia-se da carne : foi Courlan-;
de ouein chamou-o ao senrimento da rea-
lidaoe!
O fogo apaga-e, Sr. de Moraines,
tome cautela.
E elle proprio atcou-o, emquanto o juiz
fallava em voz baixa, ouvida smente por
Courlande :
Fui com effeilo encarregado de urna
devassa supplementar no dia em que de-
via realisar-se a execucao de Doriat. w
Adivinhei-o... o Sr. juiz ha de re-
conhecer isso... tenho um faro de cao de
o'Ca.
Para fazel-o comprehendor cm que
consisti essa segunda devassa, sou obli-
gado a contar-lhe como Doriat eseapou tao
milagrosamente guilhotina.
Sou todo ouvidos, Sr. juiz.
Moraines fez a narracao dos aconteci-
itoB que contamos na iiossa primeira
porte.
Disse-lhe como Claudina e Luciana fo-
ram implorar o auxilio e a protecco do
Sr. Landais,-o defensor de Doriat e so-
brinho do procurador geral de Pariz; co-
mo todos tres tinham ido procurar o Sr.
de la Vonde em primeiro lugar, depois o
ministro da justica ; a sua singular entre-
vista na Opera com este, que alguns dias
mais tarde, na tribuna franceza, devia acei-
tar, tao levianaraente, a guerra desastro-
sa ; contou o primeiro adiamento de tresj
dias concedido a Doriot, j vestido e promp-
to, o pobre homem, para a guilhotina ;
o depoimento das duas orphas, a visita ao
quarto do crime, onde o Sr. de Moraines
esperava encontrar a inscrpcSo sanguino-
lenta e onde nao vira senao a parede com-
pletamente branca ; o desespero das mo-
cas ; finalmente, o seu relatorio, em vir-
tude do qual o adiamento de tres dias fra
dilatado por seis mezes.
Repetio tambem as singulares palavras
de Luciana ;
< A polica poderosa, mas conheco
urna cousa mais poderosa do que a poli-
ca. .. e amor...
Muito bem! tem imagina^ao a rapa-
riga, murmurou Courlande ; agrada-me !...
O juiz terminara :
Alguns dias depois da remessa do
meu relatorio, foi declarada a guerra. Par-
t. Nao sei, portante, o que se passou de-
pois, e c a primeira vez, desde Julho, que
ou$o fallar deste negocio.
Ousarei perguntar ao Sr. juiz qual
a sua opiniSo ?
NSo tenho razao algunia para occul-
tar-lh'a.
E aps um curto silencio :
Estou convencido de que Montmayeur
d culpado.
E eu partilho a sua conviccSo, Sr.
-de Moraines. Desgracadfmente, nSo vale
de nada sabel-o culpado. .. Preferira o
mais simples dos indicios, sem nome de
autor. Aqui temos o nome do autor ; nao
temos indicios...
Isso cousa que Ihe compete, Sr.
Corlande.
Quer ter a bondade, Sr. de Morai-
nes, de escrever-me um bilhete que me
acredite para com Luciana e Claudina ?
Com grande prazer, se bem que afi-
nal de contas nSo sei em que o senhor
lhes posea ser til...
O Sr. de Moraines acha entao que
Doriat est irremediavelmente perdido ?
Infelizmente!
Poie n5o perca toda a esperanza, Sr.
de Moraines. Empregarei neste negocio
tudo quanto tenho de coragem, de dedi-
coslo 11 de intelligencia. Nao um'ne-
gocio'ordinario, um crime vulgar,sinto-o...
Cimento
Vendem Fonseca Irraos, no largo da Alfan-
dega.
Cretones, cores claras e escuras, a
200 e 240 rs. o covado.
Cambraia branca, transparente ou Vic-
toria, a 20800 a peca.
Camisas inglezas para homens a 280000
a duzia.
Collarinhos, punhos e aberturas de cel-
luloid, um completo, por 20500.
Capas de vidrilhos e tecidos arrendados
a 100, 150 200000.
Casacos Jersey a 20500, 30, 40"e 50.
Damass de seda com lindas cores cla-
ras a 10200.
Esteiras brancas e de cores para forro
de sala a 10100 a arda.
Esguiao de linho,-pardo, a240e 320 rs.
Enxovaes para baptisado a 50600.
Espartilhos couraa a 30 e 30500.
? Fichus a 500, 10 e 10200.
Fustao branco a 240 rs.
Grinaldas com finissimos veos de Blond
la 70000.
Guarnieres de crochet para sof, a 50500.
Gorgorito preto de seda a 10800.
Guardanapos de linho de 30500 por 20
a duzia.
Leques de fantasa a 400 rs.
Lencos para meninos, a 320 rs. a duia.
Luvas de seda para senhoras a 10000,
155OO;?0 e 20500.
Las e cachemiras de quadros a 160 rs.
Madapolao pelle de ovo, muito fincv a
60000 e americano, com um metro de lar^
guro, de preco de 120 por 70000.
Dito de 80 por 50000..
Merino preto com duas larguras a 560
e f 00 rs. V*
Dito' de todas as cores a 500 rs.
Ditos de quadros, lindissimas cores a
240 rs.
Rendas hespanholas a 10600, 10800,
20500 e 30000.
Setim Maco, preto e de cores a 750 e
800 rs.
Dito de quadros, ultima novidade, a 10.
Sargelim de todas as cores de 160 a
200 rs.
Toalhas alcochoados e felpudas a 20500
e 30000 a duzia.
Ditas para banho a 800 e 10200.
Tecidos arrendados, ultima novidade, a
200 e 240 rs.
Zefiros de todas as cores a 80 rs.
Assim como muitas fazendas que sera
enfadonho mencionar, e que vendemos por
menos 20 j0 do que em qualquer outra
parte.
Vapor para engento
Vende se urna machina a vapor de forca de 4
cavallos e em perfeito estado ; a tratar na roa do
Apollo n. 30, 1 andar, das 11 horas s 3 da
tarde.
en-
ao
hao de ser necessarios meios romanes-
cos ... pois bem, sou um homem de iina-
ginacao, os meios romanescos, sao-me fa-
miliares, sao o meu fraco... cont com-
raigo... Mas o Sr. juiz nSo repara que a
sua carne est rosada... e os homens
desconfiara disso, porque esto se reunin-
do...
Moraines tirou a carne do fogo, collo-
cou-a delicadamente n'uma vasilha e logo
depois :
Vou escrever a carta que me pede.
Tracou algumas linhas a lapis n'uma fo-
11 ia arrancada da sua carteira, assignou-as
e estendeu-aa ao agente.
Aqui est, Sr. Courlande.
Obrigado, Sr. juiz. Agora s me
resta desejar-lhc coragem...
Coragem cousa que nao falta ao
exercito do Loire...
Nao, o que falta a felicidade!...
Adeus. Depois da guerra, v prd"-
curar-me em Versailles, se eu nao nior-
rer... Contar-me-ha o que fez...
Courlande foi dormir nessa noite em
Vendme, onde, afinal, foi-lhe difficil
contrar pousada.
No dia seguinte parti, confiando
acaso o cuidado de protegel-o.
Basta! dizia elle comsigo... Os ca-
naradas chamam-mo Caipora. E' pre-
ciso que a m sorte desapppareca final-
mente ...
De Vendme a Versailles foi muitas ve-
zes preso como espiSo pelos allemaes.
Foi, porm, solt todas as vezes de
pois das explicacoes que dava, depois so-
bretodo da exhibicSo da sua carta e do
passe que Ihe haviam dado as autoridades
inimigas.
Chegou finalmente a Versailles.
Ahi fez reformar a sna licenca de cir-
cular por toda a parte, afini de poder an-
dar livremente, sem constrangimento, as
linhas de invasores.
A principio oppuzcram mnitas difficul-
dads, mas acabarara por conceder-lhe o
que ee pedia.
Dirigjo-se entao a .Carches.
Era alli que elle devia estabelecer o seu
quartel-general, visto que era alli que
se linha commettido o assassinato, visto
que era alli que resida o assassino.
Oonseguio alojar-se com muita difficul-
dade, n'um quarto. quasi fechado de urna
> que tinha apenas tres paredes de p.
O resto, salvo um quarto calcinado, ti-
nha sido destruido por um incendio. O
incendio parara por si mesmo, respeitan-
do, por um singular capricho, urna espe-
cie de gabinete de sota, onde haviam ca-
bido detrictos, brazas, calica, pela abertu-
ra da escada.
7SS PASA CUB
Ra Duque de Caxiasn. 103
Vcnde-se bordados de cambraia tapada
de 2 1 [2 e 4 metros e ama chave de lar-
gura a 500, 600, 800 e 1, muito fino, da
qualquer largura a 10400, e de fustio, de
700a 10800 a peca.
Enxovaes para baptisados atf^^^^B
oo.
Lindos enfites para ponteaste* a 100,
200, 300e5|0rs. nm.
Lindos granpos para segurar chapeos.
Renda hespanhola a 20500 o corado. '
Pulseiras americanas para 30, 40, 5#>
60 e 80000 o par.
Guarnieses americanas a 30000.
Lindos cspartilltos a 40, 50 e 60000.
' Porta dedacs dte^idro, objecto para pre-
sente a 10000. !
Broches de fantasa' de S00 a 10000.
dem americanos de 20 a 30000.
Lencos de sdtfU'500 rs.-a 10500.
Lublaquc a 200 re. o par.
Guarnicoes de crochet, aeado um para
sof e 4 para cadeiras por 6f000.
Finas capellas d pellica, panno e cor,
com finos veos.
Flores artificiaos a 10000 o ramo.
Anneis americanos a 20000.
Plisss de 400 a 10000 o metro.
Luvas de seda arrendadas e bordadas
a 20 20500 o par.
Bicos brancos de linho e de cores a 3,
20500 e 30000 a peca,
Contas de cor para enfeitar vestido* a
700 rs., c pretas a 600 rs. o masso.
Missangas de todas as cores.
Lindos leques brancos para noira.
Collarinhos e punhos de borracha.
Colchas de crochet para casamenta osa
80000.
'fallieres para crianca a 800 rs.
Luvas de pellica a 20500 rs. par.
Linhas de cores para crochet a 20000 e
cor de creme a 10500.
Lindos leques de papel de 500 rs. a
10000.
Foi nesse gabinete que elle se installou.
Comprou palha, fez urna cama, tapn as
aberturas, tornou, emfim, o seu retiro o
menos desabrigado possirel.
Na guerra, como na guerra... dizia
elle. Por que eu havia de estar bem ac-
commodado, se os soldados francezes dor-
mem ao relente ? Alm disso, nos outros
cacadores, estamos habituados s intem-
peries. *
Hornera providente antes de tudo, e nao
querendo ser incommodado as suas vol-
tas pela curiosidade dos prossianos, tinha
ido mostrar o seu passe ao general com-
mandante-dos postes de Garches, Buzen-
val e la Malmaison.
Haviam sido expedidas ordens para que
o deixassem andar livremente por toda a
parte.
Os habitantes que ficaram em Gar-
ches, depois do cerco, nao estavam acos-
tumados a ver, alm dos soldados, caras
novas.
Logo que appareceu, Courlande excitou,
portanto, a attencao geral.
Como andava de um lado para o outro
sem que *os prussianos se incommodassem
com elle, tomaram-no a principio por urna
creatura delles.
Alguns aldeSes mais curiosos procura-
vam travar conversajao com elle, mas o
agente c'onservou-so mudo.
Quando apertaram-n'o, elle respondeu
evasivamente.
Entretanto Courlande tinha o mais puro
sotaque dos filhos dos arredores de Pariz;
nao podia ser um allemao. O que seria
entSo? algum desertor francez passado
para as fileiras inimigas ?. Oh!...
Courlande apercebeu-se logo do en-
gao.
Nao fez mais do que rir se...
Tanto melhor. Deixar-me-hao mais
tranquillo.
E nao se importou mais com isso.
Pispunha de dinheiro. Encontrava vi-
s e fazia ello proprio a sua cozinha,
no interior da easa incendiada, emquanto
por cima da sua cabesa, por cima dos bu-
racos do telhado, rolavam pesadas nuvens,
das qnaes escapavam-se de quando em
quando trombas de neves.
Acampamento de cacador murrau-
rava elle... Supponhatnos que a caca
do urso branco no polo norte... Dar-se-
ha caso que estara melhor do que neste
pardieiro ? Nao. Entao por que hei de
eu queixar-me ?
Nao se quoixava. Alimentava-o a es-
peronea:
NSo tinha encontrado difficuldade em
saber onde morara Mara Doriat e em que
Espelhos com fina moldara, com doas pal-
mos de comprimento, a 40000 e cara dan
a 500 re.
Finos binculo*.
Agulhas para bordados ouro e saan-
gas.
Lindas franjas douradas para facha, de
seda preta e de cores, sem e con rdri-
lhos.
Timaosinhos enfeitados de bico c renda-
Grande sortimento de fitas modernas a
13 de Maio, Imperial Regente, a Nabe-
eo e a Jo2o Alfredo.
Lindas fitas para facha a 20, 20500 c
30500 o metro.
Carteiras de chagrn para algibeira.
Finas gravatas plastroes e regatas a 10,
10200, 10500 e 20000.
Lindos porta-ps de arroz.
Grande sortimento de jarros para enfia-
tar consolos e sanctuarics.
Completo sortimento de perfamsriat.
Finos sabonetes de todos os fabricantes.
Grande,sortimento de alfinetes doerades
para enfeitar o penteiado e tambem gran-
pos muito lindos.
N. B.D-se amostras de bicos e
dados.
*
de
WBISKT
Boyal Blend marea YIAN
Este excellente Whisky Escoce
ferivel ao cognac on agurdente
para fortificar o corno.
Vende-se a retalho nos melhor
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
proibic
lado do valle fcava a fabrica de
tos chimicos de Montmayenr.
Tivera o cuidado de nio
ma95es sobre quera quer'que
o drama da morte dos dons irmloo Doriat
era tao recente, que anda se fallara aelle
O agente ouvio contal-5? Os Doriat ti-
nham sido enterrados na mesma cora da
cemiterio. Elle l foi nm dia, espere*
e nao tardou a ver chegarperto do tniiste
e ajoelhar-se urna mulher mais alquebrada
pelo desgosto do que pete idade, e que
poz-se a solucar orsUo.
E' Mara Doria^ a moHwr de cm
demnado! disse alte comsigo.
Acorapanhon-a pata saber onde mt>-
rava. ,: .
No da seguinte e as subseqnentes rol-
tou ao cemiterio.
Esperara urna outra visite nio se en-
gaara.
Chegaram Luciana e Claudina.
As duas irmas! disse elle consi-
go... E para saber qual "das duas Im-
ciana... qual das duas tnaudina, bsta-
me lembrar-me da descripCao que deOa-
fez-me o Sr. de Moraines. Esta evi-
dentemente Luciana... Como esta pli-
da... Como parece fatigada... Est dosn-
te, com certeza... ou acaba de estas*...
Foi passeiar tambem as risinhaneas da
fabrica.
Um dia encontrou-se com um rapaz, al-
to, cabellos pretos, olhos negros, ar aspe
ro, radiante de intelligencia,* a, apexar ais
so, lendo-se-lhe no todo um qner qaj
falso e de cruel.
Este o tal Montmayeur.
Era elle efleotiramente.
Nao prestou attencao a Courlande, que
passou junto dellc desapercebido.
O personagera nio me agra^^^BsV
sas cousas, disse comsigo o agenH' Alm
disso, parece-rae que hei de teraflk trnaa-
lhao, porque elle nao tem o ar comino-
do...
No dia seguinte, tarde, sem ser ruto,
aproveitando-se da circumstancia
haver ninguera na ra, foi bated
da casa de Mara Doriat.
Foi um soldado prnssiano qnsq
porta.
O que deseja, meu senhor? M
tou elle no seu deaagradavol sotaqne.
Desejo fallar Sra. Dcriat.
Ah suba ao seu quarto.. .
E indicon-lhe a escada.
Courlande subi.
( CoHttH"
I
'I

Typ. do Diario raaDs


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3AIGS2BW_NDLG58 INGEST_TIME 2014-05-22T00:24:44Z PACKAGE AA00011611_17395
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES