Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17390


This item is only available as the following downloads:


Full Text
PARA A CAPITAL 13 LVC.4REN OADE AAO SE PACSA PORTE
.......... 000
.......... 120000
.......... 23a
......... 100
Por tres mezes adiantados.
Por seis ditos idem.....
Por uta anno idem.....
Cada numero avulso, do mesmo dia.
' VJC* X.O
389
PARA m:\TRO 12 PORA Di PROVIACIA
Por seis mezes adiantados .
Por nove ditos idem- .....
Por ura anno idem.......
numero avulso, de dias anteriores
130500
200000
270000
0100
DIARIO DE PERNAMBUGO
. TV
Trcpriedade de 3\1kincd Svgueirca de tyaria S'il^cs
Os Srs. Amede Prin-
ce & ft, de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de nnuncios
e publicares na Fran-
ca e Inglaterra.

TELEGRAMMAS
sss::;: fasticlab so siasiq
RIO DE JANEIRO,
11 Loras da manli.
6 de Janeiro, s
O conaelheiro Rosa e Silva apresentou-
se hontem ;i Sua Magestade o imperador,
no carcter de ministro da justica.
O conselheiro Rodrigo Silva, minis-
tro dos negocios estrangeiros, fica incum-
bido da pasta da Agricultura durante o
impedimento do conselheiro Antonio Pra-
do, que vae" S. Paulo com licenca.
Poi agraciado com o titulo do Vis-
conde de Vieira da [Silva, com grandeza,
o consjlheiro Luiz Antonio Vieira da
Sirva.
Foram exonerados:
O Dr. Joao Baptista de Sampaio Ferraz,
do cargo de 1. promotor publicoj da
corte.
O Dr. Jfpjuim Mara dos Anjos Es-
posel, do rgo de secretario do Tribunal
da RelacSo da corte.
Foi nomeado 1. eBcripturario da
Alfandega da Parahyba, Aprigio Min dello
Foi expedido o regulamento. para exe-
cu^io do decreto legislativo a.3.403 de
24 de Novembro lindo, sobre bancos de
e mi salo.
Foi declarado avulso o juiz de di-
reito da comarca de Santa Cruz de Co-
rumb, em Matto-G-rosso, Bacharel Jos
Joaquim Ramos Ferreira.
Foi, seu pedido^xonerado do car-
go de juiz municipal e de orphaos do ter-
mo da capital do Amazonas, o bacharel
Josc Tararea da Cunha Mello Sobrinho.
Foram nomeadoa:
Juiz de direito da comarca de Santa
Cruz de Corumba, em Matto-G-rosso, o
bacharel Antonio Goncalves de Almeida;
Juiz municipal e de orphaos do termo
de Manos, no Amazonas, o bacharel Jos
Anselmo de Figueiredo Santiago.
Juiz municipal e de orphSos do termo
de Itajub, em Minas-Geraes, o bacharel
Antonio Monteiro Freir ;
Secretario do Tribunal da RelacSo da
Fortaleza, Cear, o bacharel Pedro Come9
da Frota.
Foi aposentado o official da Secretaria
do Supremo Tribunal de Justica, Pedro de
Oveira Colho.
Foi reorganisado o corpo de polica
dacSrte, havendo muitas promocSes entre
os respectivos officiaes.
__Foi nomeada urna commissSo de agen-
tes especiaes de immigracao, na Itelia.
Na Secretaria do Ministerio da Jus-
tica, deram-se aposentadorias de diversos
empregado8, sendo outros promovidos, e
nomeados novos empregados.
. Para a Secretaria do Ministerio da
Agricultura foram nomeados tres novos
amanuenses.
RIO DE JANFJRO, 7 de Janeiro,
s 5 horas e 25 minutos da tarde.
Na Secretaria do Ministerio da Justica,
deu-aa o seguintc movimento :
Foi aposentado o director de secefto ba-
charel Luiz Francisoo da Fontoura Lima;
Foram promovidos:
A' director de seccao, o bacharel Bene-
dicto Antonio Bueno, official de gabinete
do ministro;
A' 1. official, o 2. Alfredo Fernandes
da Silva;
A' 2. official, o amanuense Augusto
Henrique de Almida.
:ss:::: : liuva savas
PARS, 7 de Janeiro.
Os republicanos adoptaram para a elei-
cSo legislativa que deve ter lugar no dia
27 do corrente a candidatura de Mr. Jac-
ques, presidente do conselho geral do
Sena.
Agencia Havas, filial
7 de Janeiro de 1889.
em Pernambco,
PARTE OFFICIAL
tiinlterio do Imperio
Foi elevado a Visconde o Barao da Cu-
nha Bueno.
Foi agraciado com a commenda da
Ordem da Rosa, Luiz Carlos Wanderley.
NATAL, 7 de
minutos da tarde.
Janeiro, 1 hora e 30
Hoje, reunido 11 deputados liberaes no
Paco da Assembla Provincial, officiaram
ao Exm. Sr. presidente da provincia con-
vidando-o para ir 1er a sua Falla, visto ser
o dia marcado para a reuniSo extraordina-j h e deste para aquellos
lia, assim pretendendo installar sessao sem
numero legal.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia
em vista de semelhante procedimento, of-
ciou communicsdo ter adiado a reuniRo
extraordinaria para o dia 10 de Margo vn-
douro.
Esse acto da administracSo foi bem re-
cocido pela opinio.
art. 9 da lei n. 648 do 18 de Agna&de
1852, ao tcnentewiggregado annJ5ije
cavallaria Joaquim Francisco Cadena^
visto ter sido julgado incapaz do bi rt'< >
do exereito em inspecefto de saudu-- a'que
foi submettido, ir ao cabo de esquadra -do
8o batalhfto de infantaria Joao Sabino eos
Res, de accordo com o decreto de It
Dezembro de l%\&, visto contar mais
30 annos de servido o achar-se incapa
neSe continuar.
- Ooncedeu-se transferencia para a
arma de cavallaria, 110., termos do art
da lei n. 1,143 de 11 de Setombro e
1861, ao 2' tenente do 1* regiment de
artilharia a cavallo Julio Riheiro Baltar e
ao alferes do 13o batalSo de inlantaria A
Borges do Couto.
_-------------.*----------------
rlioistcrlo la Mariuha
Foi nomeado Moyss Henrique Spjrcr
para exereer o lugar" de official de 3* ems-
se do corpo de fazenda da armada,, de
conformidade con, o regulamento annex<>
ao decreto n. 4,173 ,dji 6 de Maio de
dmdo Vctor Macil, Paulo de 0H-
veira Baru-u, Ricardo Barbosa foram co-
meados offi^Sg? de Ha classe do corpo |e-
ferido. Mtif'-i.
Ministerio de Estrangeiro*
Foi restabelecida a antiga categora J
legayao brasileira no Chile, sendo noi
do ministro residente o actual encarre
do dos negocios junto do governo dej
Repblica, Dr. Pedro Correia de Arauj
Ministerio da Fazenda
Foi demittido Joaquim Pereira de Ma-
cado Couto do lugar de thesoureir da the-
souraria de fazenda do Rio-Grande do
Sqj.
Ministerio da Agricultura
Foi exonerado J080 Severiano Ribeiro
do lugar de gaarda-livros da estrada de
ferro de Baturit, sendo nomeado
sabstituil-o Francisco Coelho da Fonseca
Jnior.
Ministerio da lustlea
Foram declaradas comarcas especiaes :
no Para as de Iguap-Mirim e Negra ; em
Minas, a de Parahybuna; em S. Paulo,
as de Guratinguet e Lorena e no Rio-
Grande do Sul, a de Rio Pardo.
Foram nomeados: o bacharel Do-
mingos Pacheco d'Avila para o lugar de
juiz de direito da comarca de Corumba,
na provincia ee Matto-Grosso, ficando sem
sem effeito a anterior nomeacao para a de
Miranda, na mesma provincia; o bacharel
Adolpho de Siqueira Cavalcante para a
comarca de Lavras, de 1" entrancia, no
Cear, e o bacharel Joaquim Monteiro Di-
niz para a comarca da Formosa, de 1* en-
trancia, em Goyaz.
Foi exonerado, a pedido, o bacharel
Jos Anselmo de Figueiredo Santiago do
lugar de juiz municipal e de orphlos do
termo de Barcellos, na provincia do Ama-
zonas.
Foi nomeado juiz municipal e de or-
phaos para o termo de S. Sebastiao, na
provincia de S. Paulo, o actual promotor
publico bacharel Jos Baptista de Lima.
Passaram a servir de juizes substitu-
tos os antigos juizes municipaes da pro-
vincia do Cear, comarca de Baturit, ba-
charel Pedro Thomaz de Queiroz Ferrei-
ra; na de Pacatuba, o bacharel Abel de
Souza Garca e na de Mecejana o bacha-
rel Jos Bomsuccesso da Silva Cmara;
da da Baha na de Abrantes, o bacharel
Francisco Vicente BulcSo Vianna; do do
Rio de Janeiro na de Iguass o bacharel
Rodrigo Octavio Langard de Menezes;
na de Rezende, o bacharel Guido Sanriva
Nogueira; da de S. Paulo na de Jacare-
hy bacharel Jos Pereira da Silva Barros
e da de Minas, na de Barcelona, o bacha-
charel J0S0 Gereira da Silva Constantino.
Foram nomeados para a provincia do
Rio de Janeiro : na comarca de Cantagal-
lo, o bacharel Modetos Alves Pereira de
Mello, na de Barra-Mansa o bacharel Jos
de Andrade Guimaraes, na de Vassouras,
otbacharel Jos de Queiroz Carneiro Ma-
toso e na de Campos o bacharel Jos Pe-
reira da Graca Aranha. f
Foram removidos, a pedido : o juiz
de direito Jos Jooquim Ramos Ferreira,
da comarca de Santa Cruz de Corumba
para a de Miranda, ambas de 1* entran-
cia, na provincia de Matto Grosso; o ba-
bacharel Antonio Elisio de Hollanda Ca-
valcante, de juiz municipal e de orphSos
dos termos de Lavras e Vargem Alegre,
no Cear, para o de Sant'Anna de Acara-
o bacharel Gil-
berto Ribeiro de Saboia; e o bacharel Oe-
tavio Affonso de "Mello, do termo de S.
Sebastiao para, o de Ubatuba na provincia
de S Paulo.
O juiz de direito Jo^o Antunes Wan-
derley, da comarca da Formosa, em
Goyaz, de I* entrancia, para a de Barrei-
ros de 2\ em Pernambuco.
ovrrio da Provincia
EXPEDIENTE DO DIA 12 DK DEZEMBBO DE 1888
Actos :
0 presidente da provincia em execugao
lei n. ,395 de 10 de Setembro de 1873, resol
nomear Austricliano Beterra de Albuquer
para o posto de capitao da 6* compunbia do
batalhao de infantaria da guarda nacional
comarcas de Taquaretinga, Bom Jarditn e
moeiro, em substituieao do capitao Antoi
lympio Lobo Bacalho que obteve guia de
sagetn para Nazareth.Gommunicou-8e ao
mandante superior.
O presidente da provincia, tendo em
aproposta rontida no oflicio do inspector
Tnesouro de 10 do corrente, n. 576, resolve r*6
mear o cidadSo Joao Galdino Cardal de Azcvejo
para exereer o cargo que se acho vago, de esi
vo da coltectoria provincial do municipio
Garanhuns.-- Communicou-'se ao inspector
Thesouro Provincial. M
sideate da proviucia, tendo jm. <'m
"fo pelo brigadeiro eOmmandante das
armas e pelo inspector da Thesouraria de Fa
zenda em ofcios de 4 e 10 do corrente, ns.
3,604 e 607, resolve, de conformidade com o de-
creto n. ,884 de 1 de Fevereiro de 1862, abrir
um crdito da importancia de 52*500, verba
do 8 13 -Inatrucco miliar do ministerio da
guerra, exercicio vigente, afim dftoccorrer ao
pagamento das foi has das escolas regimentaes do
14* batalhao de infantaria e da companhia de
cavallaria, concementes ao mez de Novembro
lindo. Remetteu-se copia ao inspector dstbe-
souraria de Fazenda.
0 presidente da provincia, tendo cul'tiBtao
exposto pelo director do Arsenal de Guarn e
pelo inspector da Thesouraria de, Faze
officio de 6 e 11 do corrente, ns. 233 e *W ra-'
solve, de accordo com o decreto n 2,884 *de 1 de
Fevereiro de 1862, abrir um crdito da impor-
tancia de 458*000 verba Corpos especiaes
do ministerio da guerra, exercicio vigente, afim
de^occorrer ao pagamento dos vencimentos dos
officiaes militares do alludido Arsenal corres
pondente ao mez de Novembro prximo passa-
cto. Remetteu-se copia ao inspector da The-
souraria de Fazenda e conununicou-se ao director
do Arsenal de Guerra.
Officios :
Ao Dr. chefe depoucia. Declaro a V. S.
em soluco de seu orncio n. 1.257 de 1 do cor-
rente me, que, de conformidade com a nforma-
jao do inspector do Thesouro Provincial de 10
tambera deste mez, sob n. 579, approvei o con-
tracto de locac&o da casa, pertencente a Mariii
Joaquina da Trindae para servir de quartel e
radeia nopo^oado d Lourenco da Matta, pelo
aluguel de 8*000 mensaes, devendo, porem,
V. S. fazer constar proprietaria, que o aluguel
pagamento das folhas das escolas regimentis
do 14" batalhao de infantaria e da companhia
de cavallaria. attinentes ao mez ltimamente
flndo; deixando, porem, de faiel-o quanto s
consignacOes da msica d'esse batalhao por nao
achar-se prevista no decreto n. 2884 do 1 de
Fevereiro de 1861.
Ao mesmo. O Exin. Sr. desembargador
presidente da provincia manda declarar a V. Exc.
para os devidos fins, que n'esta data deferio o re-
querimento sobre que versa a informayao d'esse
comtnando de 6 do corrente sob n. 3617, e em
que o soldado Luiz Augusto Bjense pede ser
transportada a corte sua mai Mana Francisca de
Almeida
Ao mesmo De ordem do Exm. Sr. desem-
bargador presidente da provincia, delaro a V.
S. para seu conhecimento que ao ministerio da
guerra n'esta data subniettido o assurapto do of
(icio de V. Exc. de 13 de Novembro lindo, sob n.
3473, relativo reconstrncfio da linha de tiro ao
alvo para os excrcicios da forja da guarnico
d'esia provincia.
AoDr. chefe de polcia.-O Exm. Sr. des-
embargador presidente da provincia manda de-
clarar a V. S. que fica inteirado do assumpto de
seu oflicio n. 1286 de 7 do corrente mez.
Exc. Sr. desembargador presidente da provincia,
manda aecusar o recebimento do oflicio de V. S.
de hontem datado sob n. 92, de cujo assumpto
(ico inteirado.
Ao gerente da Companhia Pernambucana
de Navegado.O Exm. Sr. desembargador pre-
sidente da provincia manda aecusar o recebi-
mento do oflicio de 10 do corrente em que V. S.
ariicipa que essa companhia, expedir no da
5, ao meio dia, o vapor Jaguaribe para o presi-
dio de Fernando de Noronha. Fizeram-se as ne-
cessarias communicagOes.
Ao engenheiro fiscal do 1." distrlcto de en-
genhoe centraes. De ordem do Exm. Sr. desem-
bargador presidente da provincia communico a
V. S. que foi indeferido o requenraento do re-
presentante da Toe North Brazilian Sugar Facto-
ries, Limited, a que se refere a sua nformaco de
7 de Novembro ultimo. .
Mmtotis mutanaM ao inspector de hygiene com
refprppcjii i sua informando de 7 do corrente.
------------------ DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 5 D
JANEIRO DE 1889
Abaixo assignado de moradores do po-
voado Cedro.Informe o Sr. inspector
geral da InstruccSo Publica.
Albino Bernandes & O.Sim.
Andr e Albuquerque Mello.Informe
o Sr. inspector geral da Instrucclo Pu-
blica.
Fielden Brothers.Informe o Sr. ins-
pector do Thesouro Provincial.
O mesmo. Informe o Sr. inspector da
Thesooraria de Fazenda.
Bacarel Ebuncisco de Castro Rabello.
-Ao Sr. inspector da Thesouraria de Fa-
zenda para os fins convenientes.
Felinto do Reg Barros PessSa.Infor-
me o Sr. commandante superior da guar-
da nacional da comarca de Olinda.
Gentil Correia de GusmSo.Dou pro-
vimento ao recurso para considerar o re-
pagamento, con-
currente desobrigado do
tra o que reclama.
Irmandade do Santissimo Sacramento
da freguezia de S. Frei Pedro Goncalves.
Informe o Sr. inspector da Thesouraria
eml de Fazenda.
Bacharel Jos Anastacio da Silva Gui-
marSes.Entegre-se mediante recibo.
Joaquim Alves & C.Sim com as
cjSes do estylo.
Lourenco Justiniano Patriarcha de Mes-
slas. Informe o Sr. Dr. chefe de polica.
Theophilo Benedicto de Vasconcellos. I
Como requer.
Reis & Santos.Sim, com as restric-
c5es do estylo.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 7 de Janeiro de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
Abrio-se o respectivo inquerito.
Ante-hontem, s 5 horas da tarde, na ra da
Amisade, do distncto da '"apunga, o individuo
de nome Manoel de tal, conhecido por Catavento,
ferio em sua propria casa ao subdito portuguez
Manoel Antonio dos Santos, e\adindo-se logo
aps o crime.
0 subdelegado tomou conhecimento do facto
e abri o competente-inquerito.
O Dr. delegado do Io districto da capital, cora-
munica que hontem, depois de 9 horas da noite,
foi chamado por Jos Julio de Souza Martina, te-
nenteda companhia de borabeiros, afim de tomar
conhecimento do envenenamento de Eduardo Ro-
drigues Leite, caixeiro de Manoel da Silva Fu-
rias, estabelecido piaga da Concordia.
Aquella autondade interrogou a Eduardo, que
declarou haver ingerido urna porgo de verde
Pariz, comprado em urna pharmacia ra da
Imperatriz, e que o fizera por desgostos de fami-
lia. Medicado em tempo, acha-sc Eduardo livre
do perigo.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Ges Jnior, inuito digno presidente da
provincia. chefe de polica interino,
Francisco Dotningues Ribeiro Vianna.
nfl
Thesouro Provinelal
DESPACHOS DO DIA 4 DE JANEIRO
DE 1889
Inspector geral da instrueco publica.Ao Sr.
Dr. pagador para os devidos fins.
Collectoria provine13' do nranicipio da cidade
da Escada. Volt^para ser assignado.
Joao Pinheiro CItol- HaJa V18ta Sr-Dr- Pm
curador fiscal. .
Padre Dr. Manoel Goncalves Soares de Arao-
rim, Gymnasio Pernambucano, director das
Obras Publicas, Joao Joaquim da Costa Leite,
Francisco Pacifico do Amaral. Informe o Sr.
Dr. contador. 0 _
Companhia do Beberibe.-Informe r Dr-
contador para mandar escripturar.
Antouio Luiz Baptista. Certifique-se.
Mara Alves Rodrigues da costa.-Junte o
uhecimento da decima do ultimo semestre.
co-
DIARIO DE PERNAIBUCO
8/
lfcia
cessar logo que f^, con Veniente por qualqu
motivo, o que lhe?r conununicado.--C
municou-se ao inspector m Thesouro Pro
cial.
Ao director geral de Obras Publica;
provando o orcamento do valor de i:
annexo ao officio de Vmc, n. 236, de
datado, para os reparos das pontes da na do
Rio na cidade de Goyanna, da Varzea de'Qrwah
e do ultimo pontilhao de Pao Amarello m
trada do Norte, autoriso-o a por em praca.1 IIK3
obres.Communicou-se ao inspector 1 t3fc- eida. por
souro Provincial.
Ao fiscal da Companhia Recife bruin
Declaro a Vmc. para sua direccao quj
qywimento de Jos Francisco da Costa,
trata sua informacao de 13 de Novemb
profer hoje o seguate despacho:
-Deferido. Mando que sem outro .pana*^
ment sejam mantidos no predio n. 3gp>*rua
Larga do Rosario, trez apparelhos draiaa
dos quaes continuar o supplicante a pag
nuidades, collocando a Companhia Re^H
nage cusa do proprietario um novo a0)a^
Iho em substituicSo dos dous estraviados
Outrosim deferi igualmente o requerimf"
Antonio Joaquim Vmhas Maia de que
mesma informacao de i3 de Novembro re*
se a um os trez apparelhos existentes no
n. 35, sito mesma ra. Communicaa-s
spector do Thesouro Provincial.
Ao bacharel Manoel Tobas do Reg Aibu
querque, presidente do conselho de revista da
guarda nacional do municipio de Taquaretihgn
Transmuto a Vmc, em resposta ao seu oflicio
de 15 de Novembro findo, a rhclusa copia da in
formacao de 3 do corrente prestada pelo com-
mandante superior da guarda nacional das co-
marcas de Taquaretinga, Bom Jardim e Limoei-
ro, acerca do assumpto de seu citado oflicio, at-
tinente reunido do conselho de revista da
qualiftcacao da guarda nacional d'esse muni-
cipio.
i ortaria:
O Sr. agente da Companhia Brasileira d
Navegacao a Vapor mande dar transporte corte,
por eouta do Ministerio da Guerra a Mara Fran-
cisca de Almeida, mae do soldado Luiz. Augusto
Bavense, de que trata a portara de ,0 cor
RepartleSo da Polica
seccao.N. ...Secretaria de Po-
de Pernambuco, 7 de Janeiro de
1889. Illm. e Exm. Sr. Participo a
V. Exc. que foram recolhidos Casa de
DetencSo os seguintes individuos :
-No dia 5;
A' ordem do Dr. delegado do 2> districto da
capital. Francisco de Assis MjBteiro, por distur
bios e uso da armas defesa, Wn Thomaz de Al-
izabel da Concei
tiaoo de Souza
Theophilo
A' ordem do
MiaJaterlo da Guerra
Concede u-e raformas : de conformida-
de .com o disposto na Ia parte do | 1 do
rente.
KXFKDIINTC DO DR. SKCaBTJBi
"Officios:
Ao brigadeiro commandante J
O Exm. Sr. desembargador presidente
vincia manda commanicar a- VE
posta ao seu officio, n. 36#4,
que n'esta data abri o -.redil
o de armas defesa.
Bfe, Manoel Francisco "dos fflratos, por distur-
bios.
A' ordem do da freguezia de Santo Antonio,
Joao Francisco de Almeida, Emygdio Jos Fer-
reira Lima, Manoel Pedro de Oliveira, Manoel
Antonio Ribeiro e Luiz Francisco dos Santos, por
embriaguez e disturbios
A' ordem do do Io districto da freguezia de
FS. Jos, Philomena Mara de Meira, Sydronia
Mara de tal, Manoel Salus-
da Silva Santos e Beni-
osta," por disturbios
districto da freguezia da
BtJM'ista, Cvpriauo de Souza Viesas, Jos Fran-
cisco dOB Santos, Mara Josepha da ConceicSo.
Philomena Mara da AnnunciagSo e Adelaide
Vtaria da Conceicao, por disturbios e offensas
moral nubca..
A ordem do ddApipucos, Manoel Antonio
Correiakpor crime d rapto e defloramento.
o* dTa 6:
A'minha ordem, Joaquim Antonio de Lima,
pronunciado no termo de Gravat. Lourentina
Pereira Sobral o i-rancisco Babosa de Oliveira
viudos da provincia de Alagoas. este pronuncia-
do no termo do Brejo e aquelle criminoso em
Papacaca. M
0 subdelegado do districto de S. Pedro Mar-
tvr de Olinda, communica ter no dia 4 do
corrente capturado o individuo de nome Luiz de
Franca Soares criminoso de morte no termo do
Cabo
Participou me o subdelegado do distncto de
Macacos, que no dia 5 dest mez. pelas 5 horas
da tarde, no lugar Bomba, Ooquelle districto. o
individuo Manoel Gomes feffo gravemente com
tres tacadas a Lourenco Paes Barreto, logrando
evadir-se em seguida .
O respectivo subdelegad, tomando conheci-
mento da facto, fez proeeder competente vis-
tona pelo Dr. Joaquim Loureiro, e em seguit
mandou coaduzir o offeodido para o hospital Pe-
dro 11. afin
RECIFE, 8 DE JANEIRO DE 1889
A adalnlstraeSo jue flndou
Com este titulo o orgao liberal, em sua edic-
5o de sabbado, emittio juizo a respeito da ad-
ministracao do Exm. Sr desembargador Olivei-
ra Andrade.
Escusado dizel-a : o honrado administrador,
sujeito sentenca de um tal juiz, pagou caro o
peccado mofento de militar as fileiras conser-
vadoras.
Indigesto amontoador de ritages descabidas,
o destribuidor de mereeientos nenhum encon-
trou no desembargador Oliveira Andrade; e
com a pretenciosidade fofa, que vai ja fican-
do proverbial, e com esse desdem caricato
dos julgadores pedantescos, que pensam ter alto
merecnento ou exageram o pouco que tm, ati-
rou publicidade urna sentenca em que o julga-
do percorre longa escala, desde a incapacidade
que se lhe attribue at ao papel de instrumento
que se lhe empresta. #
E s aguilhoado pela consciencia j revoltada
centra tuna longa serie de speras aggressoes,
e arrestando a penna, como quem gagueja lin-
guagem a que nao est habituado, confessa
sabe Deu9 com que sacrificio! que o desembar-
gador Oliveira Andrade nao perseguio os adttrsa.
nos nem manchou sita honestidade prssoal.
Nao tivesse procedido assim o orgo liberal,
e nem a coherencia em aggredir e deprimir o
adversario saberia manter.
Quizessemos nos fazer o inventario dos juizos
emittidos por elle, e poderiamos citar aprecia-
cOes ridiculas, forca de seren sujeitas e con-
trarias opinio geral, a respeito de individua-
lidades de mereciraento reconhecido e procla-
mado, e panegyncos endeosando vulgaridades.
Fossemos nos [caricaturista, e poderiamos pin-
tal-o atarefado com o improbo trabalho de aluir
com as unhas solidos, pedestaes de elevadas es
tatures, e de fabricar ps de barro para dolos
vulgares e pygmeus.
J entortou a bocea no uso do cachimbo, e n&o
seria o desembargador Oliveira Andrade to ex-
cepcionalmente feliz que o obrigasse a ser justo
urna ve*.
Entretanto o honrado ex-administrador logrou
durante muito tempo, depois das primeiras ag-
gressoes, que cahiram, rarearam e quasi desap
pareceram completamente, nao servir de mote s
invectivas habituaes. Urna de duas : ou a admi-
nislrac&o nSo dava motivos e pretextos para es-
tas, ou o silencio visava algum interesse, nSo
passava de especulaco; no primeiro caso,
manifesta a incoherencia que provm da lingua-
gem de boje ; no segundo, tal linguagem filha
do despeito e da contrariedade de quero* perdeu
urna partida de empenho.
NSo admira, pois, que o desembargador Oli-
veira Andrade, que tem to bem firmada repu-
tao de carcter serio e severo, de temperamen-
to enrgico ede sobranceira independencia, seja
hoje julgado um mero instrumento possivel as
mos de um amigo que sabe fazer-ihe inteira
justica. *
Nao admira que se o d hoje como abandona-
do pelos amigos da assembla provincial, croan-
do nos trabalhos desta, j publicados, est o
mais solemne protesto contra tal inverdade, tan
to mais censuravel quanto se refere a* factos pas-
sados anda hontem.
Nao admira que hoje se phantasieui contra es-
se honrado administrador desconsiderages do
governo geral. apaohando-se boatos e aprecian-
do-se factos sem o necessario criterio, quinto aos
primeiros, e sem conhecimento das convenien-
cias e circumstancias, quanto aos segundos.
Nao admira que, para accusal-o, se assevere
que nao se fez exactamente aquillo que se fez,
como se d com a aecusajo relativa Immigra-
co, asseverando-se que s se cuidou da compra
de teweaos a alto prefo, quando precisamente
pela altur c;os nao foram anda compra-
lias os tei mando sobre semelhante ser-
vico manteve o desembargad...
cora o governo geral activa rorrespfea mi i i
Em taes condicoes, e quando til., -ridv
de aecusar, no admira tambera que v
beral tivesse esrniecido m dos melhore, Um
dos mais relevantes serviros prestado* pHa ad-
mnistrago que lindou :a i lergisa b^rreira
oITcrecida aos demandos da Asse:nblea PTovb-
cial, s nvases que ella prelendeu r^arfear e i
desorganisago que ella quiz operar em diverso
servicos provinriaes.
Quizesseo orgo liberal, julgando a admiats-
traco que indou, render preitos vrd >. i .>(
dessa conlissQo relativa uiAderac'.u e frxieati-
dade, arram ada violenUmenle pela ncceii iirttt
de apparentar imparcialidade, devia tamben
acrescentar que o desembargador Oliveira An-
drade, com louvavel actvidade. procuruu por si
mesmo estudar os differentes servido sqienos
sua esclarecida direccio ; preparou com inlerw-
se urna solugo para o magno problema da ia-
migrago; obteve meios para acudir as argen-
cas e diflculdades provenientes do estado pre-
cario de nossas (nangas : amparga os cofres pro-
vinciaes da sobrecarga de aposemacoVs llegal-
inenlc concedidas pela AsscmMea Provincial;
evitou a desorganisago do corpo de poiieia, a
respeito do qual a mesma Assembla se arrogo
a competencia da adniinistrago da provincia ;
nao consenlio que se fizesse da Instrueco Pu-
blica urna arca de No. destinada a acrominodar
em seu bojournaallavio de arranjos particula-
res ; e poz-se enrgicamente, ao lado do interes-
se publico, de frente contra os interesse* parti-
culares, os contractos lesivos e os monopolios.
Nada d'isso; porque o orgab liberal nao co-
nhece a justica, quando julga o adversario; e
assim procede, porque comeca por de-coubecer
a mxima favorita de Scrates, aquellas celebre*
Bilavras que se viam gravadas no templo da
elphos.
A" cima, porem, do julgamemo suspeitodo oc-
gao liberal, est a opinio sensata da provincia.
4-cjiesta nada deve receiar a-adninistrac/o qae
fimfelrrv^
-----------" g@OCgT------------
Xotlelas do ndM, Rao 4a
Prata e f*m do
Os paquetes inglez Trent e nacJastaf Pernam-
buco, ambos entrados do sul. trooaeram aa se>
guintes noticias:
Pririro
O diario La poca, da cidada de Santiago, re-
ferindo-se ao anniversario natalicio de sSa Ma-
gestade o Imperador do Brazil. publiron a te-
guinte justa apreciacao que com praser traa-
screvemos:
Domingo ultimo, dia do 6> anniv*raario na-
talicio de Sua Magestade o St.D. Pedro II, impe-
rador do Brazil, o representante do imperio, Sr
Werneck de Aguiar, foi felicitado por grande
numero de pessoas de sua amizade.
Julgamos cumprir un dever inirininio tm
a essas demonstrares de estima e de profanda
sympathia para com o chefe de urna naroami-
ga.
Attingio D. Pedro II a idade de 03 aaaos, e
Sara regosijo de seus concidados e safltffcjli
os seus admiradores regressou ao Braxu apai
completamente restablecido da enfermSade
que se lhe aggravou na Europa e tanto fet te-
mer por sua vida.
(.llegando ao seu paiz receben as man ar-
dentes manifestages da parte do pavo brazil
ro, que ama e respeita o imperador
pai.
Talento, illustraco, prudencia e
distinguem o ebefe da nagao bnzileira; por Wo
o seu nome passar posteridade como o de an
dos soberanos mais sabiosje mais populares jae
tem regido os destinos de um paiz.
Fazemos votos para a provincia o conserve
por longos annos para bem do seo' poro e hon-
ra da America.
i* a nata
Foram publicados na corte estes telegram-
mas :
Buenos-Ayres, 28 de Dezembro.
Telegrammas recebidos de Aburarfiio noti-
ciam que terminaram as desordens
pelas actuaes eleicOes. Continua a
dos eleitores.
O presidente da repblica conferencie* boje
com os Srs. Pellegrini, general Roca e o miafi-
terio. ignorase o fim dessa conferencia.
A junta sanitaria decidi que os navios proce-
dentes do Rio de Janeiro tenham dous das de
observago, drpois deserem desinfectados aqu
ou em Montevideo, e se levarem o medico argen-
tino a bordo, fazendo a desinfecco, ficaro fien-
tos de quarentenas.
Buenos-Ayres, 29 de Dezembro.
0 presidente partir para Crdoba a 4 de Ja-
neiro prximo : por se achar antele o viee-jJre-
sidente, Dr. t-ellegrini, a presidencia ser inte-
rinamente oceupada pelo Dr. Zeballos. presiden-
te da cmara.
Aniiunciatse que para o anno haver >"n gran-
de augmentnos impostos municipaes bem como
as tarifas da alfandega.
O conselho deliberante tratou com o Sr. Mau-
lan Norbert a construcgSo de um grande lago
em Palermo.
Decretou-se aqu e em Montevideo ama qua-
rentena de dous dias para todos os navios* pro-
cedentes do Brazil.
O Dr. Jurez Celman teve hoje urna longa con-
ferencia com os ministros.
Buenos-Ayrev 29 de Dezembro.
0 geueralLajalle ins.iste em nSo querer en-
tregar prisao o capit'o Latorre, que inlerveio
na dos omciaes envolvidos na morte de nrn vi-
gilante.
O Sr. Capdville, chefe de polica, continua a
insistir para que aquellos officiaes sejam tan-
bem entregues prisSo.
O presidente da repblica teve hoje urna larga
conferencia com o ministerio, e. segundo consta,
o assumpto dessa conferencia foi o dos ltimos
acontecimentos entra o Paraguay e a Solivia.
0 general Dnalo Alvarez foi nomeado inspec-
tor da milicia.
Montevideo, 29 de Dezembro.
Appareccram divergencias g^**?"^ <*
membros do governo. por causa da denuda do
chefe de polica da Colonia c tambera por as-
sumptos de politica externa.
Montevideo. 29 de Dezembro.
O chefe poltico de Colonia foi destituido; 0
commissano de polica, o pruneiro official de
polica e varias outras pessoas acensadas lt :om-
Dlicidade nos assassinatos forera presas.
um castigo exemplar para os culpados.
O Sr. de Arellano, antigo muust
panha, foi recebido em audiencia i
te da repblica e apresentou-lhe a
chamam patria
Em seguida recebeu o presiden!
nistro da Hespanha.
Os discursos oue eutose
.grande cordial idade.

Si
#
trocaram


9.
Diario de IVraambuco---Terca-feira 8 de Janeiro de J8<88
je
m

*#--
e Hbu
nuam as inundaces as provincias umi-
trophes dos Andes.
29 de Dezembro _
Vai-se proceder na forma da le contra o orn-
cial maior de Colonia, por tex pedido a urna fra-
gata norteamericana que desembarcasse as suas
tropas para manter a ordem da cldade. _
OSr Leanos foi nomeado cbefe poltico in-
terino de Cok>'i .....
lou dd^vaaat .9- yg?-^
Sara o estabeleetoento l ama faaoa aoci-
os, bem como o projK 1 8t*> de"""o
destinada a desenvolver colsmisaele) na *n-
teira do B razil
Declarou-se a vanok eai PaysaneT; teaee-se
guc a epidemia, se esteno* coa o calor que tem
As acCes da Compantaa Racional baixaram
hoie a 86 Irl,
B"ftuu- Ayres, Ms Dezembro.
O Dr. Herdier, que se acha no Rio ae Janeiro,
-sao, foi nomeado cnsul ahi.
leira Constitucin teve ordem de
partir para o Paraguay.
A- torrentes continuam a causar estragos em
, San Juan. As agua dos rios Paran e Ibicuy
tambem eroseem consideravelmonto, cansaaao
fraudes estrago* e sendo grande o uumero ae
gado morto. _,,
o foi fundado um novo Club de Es-
grima ., 1!
Houve aqni urna reumao de italianos para
protestar contra a tripliee allianca.
*. Paulo
Datas at 31 de Dezembro. .
Etn Santos, depois de haver feito no da
MAde color, aseendeodo a temperatura a if
Centgrados, desabou na quarta-feira um grande
aguacefro, que durou cerca de duas horas, che-
rando a agua, era algnmas ras ao batente das
portas. .
A Compaiiliia Mogyana resoiveu alterar, a
par i' do da i* de Janeiro prximo em diantc. o
borariu dos seus treos no ramal frreo do Rio
Pardo. ...
Da mosma .lata em diante sera suppnmida no
mesno ramal a eslagodo Rio Doce e a de Villa
Costina ser transferida do kilmetro 22, onde e
actualmente, para o kilmetro 19.
Ha das, no lugar l'alhar, em Iguape, indo
alguna moradores do sitio para o semco da roja
e seguiado- aps estes urna crianca de 7 pora 8
annos. foi osU accoiniuettida por urna onca.
Quando doram pela faltado menino, procuran-
do-o encontraram penas no caminho a cabeca e
parte de um braco da infeliz eranga.
Do Diario Mercantil extrahunos a seguinte
. Na uoite de i* para 23 do corrente, s iO ho;
ras a poneos passo-: da cadeia de Batates, foi
disparado por algum inimigo oceulto um tiro
contra Antonio Bonifacio da Costa, em occasiao
a que este passava de urna sala para o corre-
dor da casa em que reside
Antonio Bonifacio foi ferido uas costas pelo pro-
lectil que foi ainda ferir tambem no interior da
casa jaia inoca e uma criancinba que a priineira
linlia nos bracos.
Umae outra inmediatamente falieeeram e An-
tonio Bonifacio est em perU.o de vida.
Diz-se em Batata- que estes enmes teem re-
Jacao com o laclo de naver Antonio Bonifacio,
em ilaio o corrente anuo, matado sua mulber e
Jos Bernardino do Carmo, declarando que os
sorpreadVra em flagrante delicto de adulterio.
Submettido ao jury. Antonio Bonifacio foi ab-
SOlvidO.
Em Piraciceba, a 23 pela manha, um menor
de luuie Alfredo, de 14 mezes apenas, tilbo do
Sr Cesar Bertoldt, ausentndose dacompanlua
de sua mai, para o quintal da casa, ebegou a uma
pequona poca d"agua alli existente. provavol-
meuie brincando nesselugar, perdeu o equilibrio
e cabio, fleaodo com o rosto ramcrgido na agua
[ue, aJMear de nouca. fni bastante para que o
JaMbr" 3hl Sfcrecesae afoaado.
Notando .sua- talla, maulo a alicU mai ka
procurnl-o. aDi o enconlroii j sera vid.
a 1T, no bairro do Jundiacanga. era Soro-
caba. iucendiou -se um pequeo rancho de sapo.
que eai ierras do Sr. Joo Carlos Vieira Barbosa
construir Antonio Nicolao de Sampaio.
Ao vir As 9 boras para almogar encontrou Sam-
pwo un espectculo desolador: sobre os restos
de um meto chalo consumido pelo incendio do
rancho jaita o cadver totaimenie carbonis ido de
uma criaii.inlii. soa lillia, a qual perecer as
chamlas. ,
Sarapaio perdeu no incendio rudo que possma,
acha-- ramudo a roupa do corpo.
Mina-C rae
Foi publicado na corto este elegramma:
Diimarntina. 31 de Dezembro.
Km nova reuniao aqu realisada, comparece-
ram, a convite do commercio, mais de 300 pes-
9oas entre commerciantos e operarios sujeitos a
CotribuicOes, alim de accordar-se no mellior
ci proceder, daote do pesado augmento do
imposto de industrias e prooases.
Foi orador por parte do commercio o advogado
Dr Concia Rabello, que esclaroceu o iwnlo prin-
cipal *t^*xato!o imiiosto de 22 de Fevereiro de
1888
ftiaolveu-sc rqireaciiur novamenk-ao poder
competeale, cuno preceituao mesmo regulamen-
-to, p alindo.looaiticaijo do imposto.
Coniaarcianies e operarws do municipio om
numero superior a mil adhereni deliberacao.
O comawrcio appetla igualmente para o pa-
triotismo da nprensa, que nunca se negou a de-
fender a coma do Jireito e da jusliya.
M le Janelra
DdU.s at 1 ue iamiro. "'
Um gar Lom-
pan>/ foi [erfara.to pelo Ministerio da Agncultura
que das con tas somestraes da supramencionada
comnanbia dever continuara gosar a porcenla-
em qito deveria constituir o deposito destinado
os eitiprestiiirts de que trata o art. 4* do regu-
lamento de 25 de Dozembro de 1 81, nao sendo.
entretanto, appca*el qualquer inulta e nao po-
dendo. portan >|>rovadn a que nnimpor-
tancia de t'OOM, foi imposta a 3 de Setembro
pelo .bredito fiscal.
fbre o conflicto bavido -no da JO e qui-
nos foi comuiunicado por telegramma. assira des-
cor; .,mm*rcw de 31 de Dezem-
;i 1 1 2 hora da tarde, bouve, na ra
P

uma l
do '
ou me
lymnasticfl Portugnex, um lamentavel
algumas pessoas (icaram mais
cont;
que
,pro\
'mente teridas.
e acontece tan taes caso
- infonnacOes que temos, pelo
i affirmarde que lado parti a
trinada. O que sabemos, en-
uto, que, em frente do edilicio da Socieda-
(le Gvmnasticu, onde o Dr. >ilva
Jardim azia uma conferencia, foi travada, a 1 1/2
hora da -Ir. renliida luta entre pessoas, que
inferencia, o numeroso grupo de
"radhiduos que estavam na ra. Pedras, garra-
fa 'elhas, uarallelipipcdos, cadenas, tudo ser-
proertil de par a parte, e numerosos
for1 pidos de tiros de revolver, que 80
ouvir i e o conflicto.
.. Compnfeceu no lugar o tenente Franca, com-
ma id nte da i" estaco. acorapanhado de algu-
as. Sendo, porm. fcsuOiciente o nu-
mero lestas para restabelecer a ordem, foi requi-
i do qiiirtel de polica um forca de caval-
laria e outra de- infantaria, as quaes em numero
de 7o i-ic;.- poderam por termo lula, fazendo
debandarr) referido grupo.
major Vallado, do corpo mditar de
polica, Dr. Pin de Sonza. subdelegado, Lobo e
Marques, inspectores de quarteiro, eonsegiram
fazer com que se retirassem 09 curiosos, que em
grande numero encliiam as ras as proximida-
des da praca da Constituico.
O'gniP0 reunio-'e novamente na ra do
Theatro e encaminhou-se para a do Ouvidor,
onde foi outra vez dispersado.
Dorante a luta forom presos Francisco Ser-
pa, Euzebio Jos de Mattoso, Elias Antonio dos
Anjos Biblia, Evaristo Jos Alves, Joaqoim Jos
Mana. Allierto Joaquim da Costa. Anacleto Al-
Tes de Freitas. Gregorio Antonio da Silva, Boa-
ventora da Silva e Joaquim Lager
Foraru estas as pessoas mais ou menos fon-
das, que foram goccorridaa na pbarmaria do Sr.
Frederico da Costa ; Joo Idoro da Costa com
om ferimefito de bala na regiao frontal; Fran-
cisco Fernapdes Goncalves com um ferimento na
tnesma rflflao, feito com instrumento contn-
deme ; Pedro Justo de Araojo, forillo do mesmo
modo a cabera ; Alfredo Das e Augasto Duar-
tr de Oliveira com ferimento de bala, aquette na
ste no vetre ; yleeale Ma
Antonio com am grave ferimento ao per-
ito e ostro na face, amboe feitos com
(Las-
querda ; o menor Firroino da 1
om ferimento na ti com instrumento
cortante ; Joaquim de Oliveira Soares com uma
navalharia ne mao direita Francisco Antonio
Ramalbo e Alexandro Cntonio da Bocha com fe
rimentos na cabera ; um cadete e dous paisa-
na*, que nao quuerai declarar scu nomos, tam-
bom fenflo na eal.c cena ius>wnito conMa-
dente ; um mmvidM, qne tambem se negon a
diaer smnomt, com ana groada ferimento no
nariz Ibtte com instrumento iwUnrte
Foram todos medicada* peros Srs. Drs. o-
Mbb e Brito e Jos Antonio Pereiw da Silva, au-
xiliado peloB Drs Costa Ferraz, Pires de Al-
maida, Araujo Pilho, Soeiro Goarany e Antonio
Joa da Castro. x
. As bolas foramextnli'.ilas. com excepcaodn
de Augusto Doarre de Oliveira. o qual foi remet-
tido para o hospital da Santa Cruz.
Na 1* estacao se apresentaram mais tarde
feridos com uma bala na testa Vicente Jos dos
Santos e com uma bala no queixo Fernando
Jos de Maria, os quaes foram medicados na dita
pharmacia, e, depois de extrahidas as balas, re-
tira ram-se para suas residencias.
A" Santa Casa d Misoricordia foram roco-
Ihidos : "
. Jos Antonio dos Santos, ivsidente na ra
1I0 -cnador Pompeu n. 2(J0, com um ferimeuto
grave de bala no pulra&o ; Vicente Manoel An-
tonio, residente na ra da Prainha n. 156, com
um ferimento no rosto feito com instrumento
contundente ; Alfredo Dias, morador na ra de
Joao aetano n, 54. com nm ferimento na coxa
feito com bala, a qual foi extrahida e Samuel
W.tllaco de tal, com um fiTmento de bala na
Tcgio frontal, tambem ex'rahula.
\' hora em que escrevemos, Augusto Duar-
te de Oliveira, residente na ra de Santa Luza
n 4, e aoqual j nos referimos.'estava agonisan-
do na enfermara 13 da Santa Casa.
Da forca policial (Icaram feridos : no braco
esquerdo rom uma bala Francisco Pinto de Sou-
za. e Manoel Ignacio de Sonza com um contnso
na perna direita. Aquelle foi recolhido ao hos-
pital do corpo. .
Sabemos que outras pessoas ficaram fondas,
sendo recomidas s suas casas.
Pouco depois do conflicto, o Sr. Dr. Valla-
dares, 3' delegado, acompanhado do Sr. Possolo.
supplente de subdelegado e de diversos agentes
compareceu com a liaudeira da polica para la -
zer intimaco ao povo caso fosse necessano.
A's 5 horas da tarde um grupo atacou a 1
esta$o mas foi repellido. Pouco depois os pre-
sos que-all so aehavam fmm removidos para a
casa de detenc/o.
Desde o escurecer at s 10 horas da uoite
andaram grupos percorrendo a ra do Ouvidor,
ura dos quaes dirigi invectivas e tentn aggre -
dir o escriptorio de uma folha diaria, de nossa
visinhanca.
Nao nos consta que houfesse nenhum outro
conflicto.
A Gazeta de Noticias, por seu lado, escre-
veu no mesmo da 31 :
A' 1 hora da tarde de hontom real sava o
Sr. Silva Jardim a sua coofereneia no salo da
Sociedade Gymuastica Francesa, na travessa da
Barrena, quando se deu um conflicto, cujas con-
sequencias foram gravsimas.
N'otava-se desde o comego da conferencia
que muilos individuos, estacionados em grnpos,
uaquella travessa, e principalmente no largo do
Roco, fallavam animadamente contra os repu-
blicaaps, manitestanio 1 liostis.
1. em quando sahiam do saSOOTtbr-Be
realisava a ooalrrencm itidSduis qne \mam
repetir aos tet,TDpos~ptirascs inteiras do dis-
curso do Sr. Dr. Silva Jardim, ptarases que eram
vivamente commentadas.
I^uibrou-se alguem de/iiaer que nao se de-
vlapermittir uma conferencia republreana cm
club estrangeiro. Essa opinio foi acceita pelos
diversos grupos, e d'atai a poucos instantes era
essa phrasc repetida por todos-
o Um individuo que fazia parte de um dos
grupos dirigi.-se apressadamente para o salo
da conferencia, e momentos depois era hasteada
na frente do edificio a bandeira franceza.
< Foi aquillo como uma senha paro a e.xpto-
racfto de pdios concentrados. Aos gritos de
-viva a monarebia uniram-se todos os grupos
e dirigiram-se para a frente o edilte, ncando
a travessa da Barreira completamente tomada
pelo povo.
Travou-se euto medonbo conflicto. A por-
to principal do edificio foi fechada, e das janeK
las do sobrado atiravam sobre os que estavam
na roa. garrafas, telhas, mesas, codeiras e tiro6
de revolver.
Da ra correspondala com tiros de revol-
ver e parallelipinedos, ao mesmo tempo que
tentavam arrombar i porta.
N'esBe critico momento appareceram os Srs.
major Va^ado, do corpo de pohcia, e tenente
Franca, commandante da 1. estacio policial.
Ambos, liando prova de uma coragem e de um
sangue-frio admiraveis, foram colocar-se em
frente porta ameacada, impc-Jindo assim que
fosse ella arrombada. Depois de postar alii qua-
tro pracas de cavallaria, para evitar a invaso
3U4J pareca imminente, o Sr. major Vallado pe-
io do quartel de polica mais algumas pracas
de cavallaria, vindo pouco depois o tenente Lo-
pes com vinte pracas.
1. O Sr. major Vallado distribuyo essa forca
por diversos pontos da ra e do largo do Roci,
e, tendo dispersado o povo, mandou medicar os
feridos em uma pharmacia prxima.
No salo da sociedade. onde conseguio po-
n-trar, o Sr. major Vallado foi receido com
alegra pelos republicanos, que lbe agradeceram
o que hava feito, e pediram que Ibes garantase
i existencia.
Declarou o distincto ofBcial que podiara sa-
hir, porquanto j havia desapparecido o pengo.
pedindo apenas que nao se retirassem em gru-
Ouvindo o prudente consclho do Sr. major
Vallado, dirigio-se o Sr. Dr. Lopes Trovae aos
su-us correligionarios, e reiterou o pedido, a que
acquiesceram todos, retirando-se em boa ordem.
Deram-Se alguns conflictos em diversas ras,
tendo sido totlos suflucados pelos Srs. capi'o
Lyno, major Vallado e lenles Franca e Lo-
pes.
Na ra do Espirito Santo um grupo de mais
de vinte individuos, armados de bengalas c Ca-
cles, espancou um pobre velho inoffensivo. fa-
zendo-lhe dous profundos feriinentos na cabega,
produzidos por cacetadas e pedradas.
Naoccasio em que passava ptla tra\
da Barreira, foi um moco bem trajado, e que
pareca completamente alheio ao conflicto, cer-
cado por muitos individuos que d'elle exigiam o
grito de viva a monarchia 1 Como o moco nao
obedecesse a esta intimaco, dous individuos do
grupo levantoram as bengalas que traziam. e
eram-lhe algumas cacetadas, fazendo me di-
versos fenmentos na cabeca e no corpo.
A frente do edificio ende fuucctona a Socie-
dadeGymnastica Franceza ficou marca.la patas
pedras que atiraram ; os globos da entrada do
edificio ficaram em estilhacos, tendo cahido so-
bre ura d'elles uma cadeira arremessada do so-
brado.
Todos os movis do salo onde se realisava
a confarencia ficaram inutilisados : cadearaa,
mesas, bancos, buhares, tacos, globos e e
llios, inclusive um de grandes dimenses, que
eslava estrada.
Muto depois do conflicto appareceu o Sr.
Dr. Valladares, 3 delegado interino, era coui-
panhia de seus escrives e de agentes da polica,
trazendo um dos escrives a bandeira com que a
polica ntima o povo para dispersar-se. Foi
e*ta a parte cmica do acontecimento. A ban
deira provocava lilaridade por toda a parte por
oude passava, hasteada por um escrivo.
Tendo o conflicto durado mais de uma hora,
tornou-se digna de reparo a ausencia das auto-
ridades pohciaes. devendo-se, portanto, nica-
mente aos Srs. major Vallado, capitao Lyrio,
tenentes Franca e Lopes, as providencias toma-
das e que foram de ordem a evitar que o con
dicto tomasse proporges ainda mais assusta-
doras.
Entre as pessoas que aesistiram conferen-
cia do Dr. SIto Jardim, estavam os Srs. Drs.
Barata Ribeiro, Teixeira de Souza, Miguel Per-
nambuco, AntSo Vasconcellos e Sampaio Ferraz.
Foram estas as pessoas feridas :
Joao Isidoro dos Santos, ue no conflicto re-
cetes om tiro, Ocando ferito na (esta.
Fernandes Goncalves, ferido tambem na
testa, por uma cacetaii
Urna praca de polica n. 2. da V.* compa-
nfiia.
acetada.
^lfredo Dias, que recebeu um tiro, indo a
bala alojar se na perna esquerda.
Augusto Eduardo de Oliveira, que foi I
no ventre por uma bala. Foi recomido ao
pital da Misericordia, e grave o seu estado.
. Francisco Antonio Rtimalho, ferido na ca-
bega por urna navama.
Vicente Manoel Antonio, ferido no rosto por
espada. Foi recolhido. m hospital tU Miseri-
cordia.
Evaristo da Souaa Hezaanta, ferido na cabeca
e na perna, par pedrada e aawdliadn.
- Jos doe Santos, ferido na perna por uma
hala.
- Alejandro Antonio da feocha, Firmino da
Costa Saaatm. menor, a Joaquim do Oliveira loa-
res, fondos, os dous primeiroe-na caneca e o ul-
tima no mio direita.
. Um cadete e un naiznaat ajua nao qaamrum
declarar seus nemes, feridos- m testa.
O cabo de polica Francisco Pinto de Souza,
le ido na perna por uma bala, que nao pode ser
extrahida pelos mdicos do corpo policial.
Um estudante de medicina, rio-granden.se,
fundo n'um p por uma bala e na cabega por uma
pedrada. Eslava dentro do salo da conferencia
quando foi ferido.
Firmino da Costa Godiuho, de 14 annos de
idade, empregado no commercio. la passando
x' a praca da Conslituico, quando foi ferido na
cabeca por uma cutilada que Ihe deu uma praga
de cavallaria.
1 Sr. major Vallado ficou tambem fonda
na mo esquerda.
O Sr. Faria. leiloeiro, que eslava no jardim
ds gr^ja presbyteriana, na travessa da Barreira.
e que alli procurava com outras pessoas fugir
do conDicio, foi aggredido por um grupo, e re-
cebeu uma punhalada no braco direito e diver-
sas contusoes pelo corpo, pruduzidas psr cace-
tadas.
Foi por alguns amigos transportado para a
ordem de S. Francisca de Paulo, sendo em se-
guida recolhido sua residencia ra do Se-
nador Pomiieu, n. 124. O seu esta lo i grato
Constando ao Sr. alferes alumno Laur<
veriano Miller que eslava um collega seu ferido
no recinto da conferencia, dirigu.-e a guarda
do (hesouro e pediu 4 pracas ao respectivo com-
mandante. As chegar ao referido salo encon-
trn o Sr. alferes Lauro um moco ferido, que Ihe
declaren nao ser militar e que recusou-se a dar
o nome.
A' vista d'sso, voltaram as pragas para o
thesouro. Sabemos, porm, que csse moco fe-
rido alferes-alumno, e consta-nos ser lilho do
Sr. Plaisant. subdelegado do Io districtode Santa
Anna.
c Foi esse moco ferido por uma bala de re-
volver que penetrou na dobra do cotovello, sa-
hindo do lado opposto. Alem desses estavam
no salo da conferencia mais dous individuos
feridos. que foram medicados, bem como o pri-
meiro, pelos Srs. Drs. Teixeira de Souza e Ba-
rata Ribeiro.
Os feridos, recolhidos pela polica, foram
medicadps na pharmacia Frederico da Costa
pelos >rs. Drs. Moraes e Brito, Jos Antonio Pe-
reira da Silva, Costa Ferraz, Pires de Almeida.
Araujo Filho, S^'ro Guarany e Antonio Jo3 de
Castro.
Foram presos :
Franco de Menezes Serpa, Euzebio Jos de
Mattoso, Elias Antonio dos Anjos Biblia, Evaris-
to Jos Alves, Joaquim Jos Maria, Alberto Joa-
quim da osta, Anacleto Alves ;: -F-.-:!r.s. 0:-e
gorio Antonio da Silva, oaventura Pereira da
Suva c iaeques Lager.
Todos estes individuos foram recolhido- a
casa de Detencjlo, por ordem do Sr. Dr. rio ile
Souza, subdelegado do districto do Sacra-
mento.
Durante a tarde e parteada noitc anda vara
diversos grupos em correras pelas ras, prin-
cipalmente pela do Ouvidor, dando vivas mo-
narchia c morras i. repblica,
Na ra de Gongalves Dias quz um grupo in-
vadir, uma casa, para espancar um individuo
qae, mgindo, entrara alli.
- O Sr. capito Lyrio conseguiu fazer recuar
esse grupo, salvando o infeliz que era perse-
guido.
Na ra do Ouvidor foram arreroessadas al-
gumas ped as contra o escriptorio de um jornal,
sendo disparados do dentro dous ou tres tiros,
conservando-se os grupos na" citada ra, at s
s 9 horas da uoite, ora em ue comjtareceu o
sr. capo Lyrio que conseguiu dispersar essos
grupos.
. Escusado dizer que taes actos s5o alta-
mente censuraveis o nio significam seno uma
iutolerancia que nao se coaduna com o rgimen
da fiberdade em que vivemos.
O Sr. desembargador chefe de polica este-
ve na na do Ouvidor s 9 horas da uoite.
Tanto essa ra, como algumas outras foram
rriladas por pracas de cavallaria at alta hora
noile. ......
O Sr. desembargador chefe de polica dir>
gu o seguinte officio ao Sr. ministro da Justina,
relatando o facto :
Tendo chegado ao meu couhecaeuto, hoje,
I hora da tarde, haver-se travado um conflicto
entre pessoas que se aehavam na ra e outras
3oe estavam reunidas no edificio da Sociedade
e Gymnastica Franceza, provideociei mandan-
do para o lugar o Dr. 3o delegado de polica e
a precisa forga para o restabelecimento^Bl or-
dem ; informaram-ine nao a o subdelegado do
lugar, que a elle acudir, como aquelle delega-
do que tal conflicto se dera por motivo de uma
con lerenda que no sobredito edificio se effectua-
ra e cujos assistentes haviam recebido a tiros
de revolver a multido que para aUi concorrena
e que assim recebida, reagiu com pedras e ou-
tros projeclis.
Conforme as communicages que do referi-
do delegado recebi, deram-se varios ferimentos,
cujo numero nao possivel precisar, porque al-
guns dos feridos recolheram-se s suas casas,
tendo sido remettidos para o hospital de Mise-
ricordia quatro, ao respectivo quartel um cano
do corpo militar de pohcia, e um a esta repar-
gao.
Mandci proceder a immediato corpo de de-
licto nos oueudidos, dos quaes um tem o feri-
mento orovavelmente mortal, outro o tem de
carcter grave, tres mais o aprsentelo de car-
cter leve, todos por arma de rogo, e o sexto o
tem tambem le%, produzido por instrumento
contundente.
Infrmame o mesmo Dr. 3o delegado que
ao chegar ao lugar do conflicto, j elle Unta
cessado, e qne penetrando no alludido -edificio
ahi eneontrou em. desorden! e estragados vares
movis, e vestipbs de terem-se.iretirado pelos
fundos, as pesaoas que n'elle se haviam reu-
nido. Jk.
Ordeuei que sobre o caso essa mesmu auto-
ridade abrisse rigoroso inquerito, para a neces-
saria punico de quem fr achado em culpa.
A forca do corpo militar de polica, ao lu-
gar enviada, e que alli esteve sob a direceo do
capitao Manoel Moreira Lyrio, portou-se com
louvavcl prudencia e moderaco.
Participando a V. Exc. esta occurrencia.do
vo acrestentar que logo aps o conflicto, licou
restabelecida a tranquillidajfe publica em toda a
Hontem depois de tmr-K da ra do Ou-
vidor. o Sr. desembargador cnefe de polica con-
Fereaciou com o Sr. capito Lyrio, entregando-
Ule o policiaraeiilo das ras principalmente a do
Ouvidor ; indo depois para a secretaria de poli-
ca, mandou chamar o Sr. Dr. Po di-Souza, sub-
delegado do 1 districto do Sacramento e orde-
nou-The que soltasse os presos que eatavam
sua o- lera na casa de Detengap e que haviam
sido deudos por occaslo do conflictoj|
Espirito auto
Data.3 al 2 de Janeiro.
Nada de iuteresse reerem as folhas desta pro-
vincia,
ce todo o inuii

ma activi
tante desta provincia, conh
is servigos que
-sse e lealdade.
s pare pofs, deve fazer em
um excellente governt. Tem por
do de homem honrado, o seu ta-
lento e a sua alta comprelienso do que a sci*
enca que dirige os povos, essa poltica tantas
vezes abandalhada por mo* sentidoivs
Aeompanlia S l.'xc. a soadigiMt e virtaaae
esposa, urna das mais ditiincias iiprmiiiiaaaii
do uosso hijh Ufe.
Ao embarque do sip. Dr. Gea, O q*i nio
leve 0 menor cunti oflicial, compaiaosa grande
numero de amigos, representando tedas as clas-
ses e totlos os cred is pubtiaes, o jBehonro-
sissimo para S. Exc.
Fazendo votos pela sua feteciliada, liaaaja-
mos-lhe prospera v agem e qae volte da trra
onde a Liberdade tem ai-deiites apostlos cora
mais uma pagina brilliaiit para a sua vida de
homem politioo
Em 28 do referido uiez foi inaugurado o
HippodromoS. Salvador, primeiro prado fuu la-
do na provitrcia.
Lemos ua Gaztta da Baha de 30 :
O Sr. Dr. Amarante, digo chele da comtnia-
so de melhorameiilo do rio S. Francisco, acaba
de regressar capitel dajavoita da excurso s
cidades de Santo Amaro, Cachoeiea ,e Nazareth,
aonde, como noticiamos, foi em cjmmissao da
presidencia da provincia cstudar os meios de
melhorar os nos que do accesso aos porlos
d'aquellas cidades.
O digno prolissional realisou importantes
estudos nos ros Sabah, Traripe, Paraguass e
Jaguaripe, e hontem apreseatou a S. Exc. o Sr
conselheiro Machado Portella esses estudos, 11-
caudo de aprsentar brevemente o seu relalorio
com o .plano dos melhoramenjos necessarios
n'aquelles rios.
" O trabalbo foi mais demorado do qae cat
culava o Sr. Dr Amarante, por ler exigido
grandes sondagens, que consumiram mais de l-'J
dias.
S. Exc. louvou-o pelo zelo e promptido
com que se houve no desempenho d,i importan-
te commisso e aguarda o relalorio para lev vr
tudo ao conhecmento do governo imperial e
solicitar-Mie os meios precisas para a execugo
de to vuulujosos melhoramentos.
Haremos opportunaraente minuciosas iofor-
mages dos resultados dos estudos do Sr. Dr.
Amarante .
Sob o titulo Indios, publicou o Jornal de
Noticiai de 31 :
No palacio da presidencia da provincia apre-
se ilaram-se hoje quatro indios da Mistaoda Ro-
della, tres horneas e uma mulher, que teja pedir
ao governo providencias para o esuda irregular
do dito lugar.
A Mis-do di Rodella um aldeiaunn. 1 de
indios, descendentes dos ramos etlinicos abori-
gnes das margens do S. Francisco, onde demo-
ra a urnas dezescis leguas cima dos Cunaos
yeitos, tendo mais de trezenlas almas que o
poYOitm.
Tcndo-se suicidado, ha quasi um anuo, o di-
rector Jos Soares, que nao loi substituido, teem
desapparecido a traiiquiliklade e a ordem uo
pacato aldeiamento.
E' raro o da em que se nao perpetra algum
alternado contra a prapriedade e a vida dos al- \-\
deia os.
Em um dos dias de Novembro ultimo Joo
Bonifacio assa^in 1 com um tiro Be garrucha a
Jos Mancinho, irraao de Seraphim dos Santos,
um dos quatro que chegaram, o qual traz as
ronpas tintas do sangue do assassinado como
corpo de delicio.
Os quatro indios chegaram hontem noite,
tendo andado por trra, cuminos invios, toda a
distancia da m rgem do S. Francisco at aqu,
em desesseis dias.
Apenar de milito maltratados das asperezas
desta Tonga viagem, nao deixa de causar bda
impresso a vista desses representantes de uma
raga que se extingue e da qual ainda manifes-
tara os caracteristieos physionomcos mais ac-
centuado3: estatura athfetica. pelle vermelha.
cabello muto sedoso, muito negro, a barba rara,
etc.
''omp todos seus irmn trazem reos e fle-
chas iguaes s que vemos nos niuseus de histo-
ria nataral e antropologia, adornadas com pea-
nas de araras e nutran nvea .
a Lemos no iario de delicias do t do cor-
rente :
No lugardenomtdad Areia G/ossa, comar-
ca de Nazareth, na madrugado de 25 do passado,
aps a missa do Natal, foi issassinado o la vi-a-
dor Antonio Mendes, vulgo Antonio Pitanga.
O aseassino eeperou eua victima e vibrou-
II10 o golpe sobre o pulmo esquerdo, affectan-
de tal modo este orgo, qae a morte foi i 1 Hun-
dala.
O cadver foi conduzido para a villa de San-
to Antonio de Jess, onde procedeu-se a corpo
de delicto, sendo depois inhumado.
O criminoso evadio-se, mas a autoridade
local prosegue as diligencias para a sua cap-
tura*
Rendcram em Dezerabro:
Alandega : renda geral 1.148:772*839: ren-
da provincial 163:8654061.
. Recebedoria provincial 137;4-t 1*686.
Alago
Datas.at 5 de Janeiro.
Nada re fe ruin as folhas que merece meuco.

futuro, uma reeordago
fjDatas ata 4 de Janeiro.
Referindo-se ao embarque do Dr. Araujo Ges
Junioi, escreveu o Jornal de Noticias de 31 de
Dezembro:
Sigui boje para Pernambuco, alim de as-
sumir a respectiva presidencia, o nosso distin-
cto amigo Sr. Dr. lnnoceocio Ges Jnior.
* Sum movel partidario, sein os exaggeroa que
~ produz, affir-
a amisade e a admira
mamos que o -r. Dr.
pathias da patri
cujo nome figurd
gaos timas.
Sesee
Bidente
puros
gar onde o
jos s gym-
Pernainbuco,
entre os de
BK i,
roe o novo pre-
dos gomes mais
l para elle to-
na patria
?^
INTERIOR
CorrespiMialeBMla do Diarlo de
Prrnambiice
RIO DE JANEIROcorte, 31 de De-
zembro de 1888
SuMMABio.O fim do anno.Vista d'olbos re-
trospectiva^) auno da abolico.
Optimismo e pessimismo. Muito ca-
lor. Fataes conseqnencias. Os l-
timos dias.Fastas escolares. Dou-
toramento em'medicinaA primei
ra medica braslleira. Bacnarela
ment em lettras Exposigo esco-
lar.Gabinete por;uguez de leitura.
Arrasamento das escuras. Em-
barque das tropas. A expedicio mi-
litar de Matto Grosso.Recomposi-
efe ministerial.-Graves confliclos.
A propaganda republicana.
Termina hoje o anno de 1888 E' sem duvida
uma hora solemne aquella era que acaba um
anno e couiega outro. Parece qne o passado e
o futuro tocam-se nesse momento. Ao coaside-
rar"esta grande ideia abstracta que se chama o
tempo, tendo delle apenas uma noco subjacti-
vn,p bomem sente-se pequeo, como que perdi-
do no meio desta successo nterinina de mo-
mentos que se desdobram sempre os mesmos,
inalleraveis sempre e que entretente tantas e to
iicontradas sensaQdes nos fazem experimentar.
D'ahi esta necessiiiade que todos experimenta-
mos, povos e individuos, quer na vida collectiva
quw na vida pessoal, de registrar certas dates,
fazer certas paradas oeste longa jornada, que os
hornens contara por annos e as nages per se-
culos.
K'enio que se inventariam os acontecimen-
tqapassados, e, coaio o najante do alto da col-
l3n; contempla-se o caminho percorndo e o que
falta percorrer. (om um ohar retrospectivo
procura-se conhecer a obra destes dias passa
dos, uurante os quaes, inultas vezrs, a rpida
successo dos acontecimentos, como o p da es
trada, nio deixava ver caramente as cousas, es-
tudar os factos e suas naturaes consequencias.
E' agradavel recordar as peripecias da via-
gem, retemperando as Xorgas para proseguil-a e
ao mesmo lempo tristeregistrar as quedas, 03\
desastres, os desfallecimentos. Era todas as
phases da vida humana o passado se aprsente
aos olhos do observador com maior fixidez e vi-
sbilidade. Os fados apparecem como realmente
sao : lionas in illeraveis- sobre paginas imrao-
veis. As aeges humanas se apresentem reves-
tidas do seu verdadeiro valor moral, sem veo ou
atlenuaco, sem a suavidade do colorido ou a l-
luso da perspectiva. O realismo histrico
mesoraveL
O desconhecido exerce sobre o nosso espirito
UBia attraeco irresistivel e por isso, meditando
sobre o passado. tengamos ao mesmo tempo um
olbar prescrutedor sobre o faturo, procurando
devaasar os seus arcanos, interrogando aociosa-
mente o que serio estes dias que se vao seguir
a escala dos tempo.
Sao estes os pensamentos qne nesta hora nos
>je linda nos apparece com todo
le alegras e dores, de progressos
lurante as horas fugitivas do seu
pererso'quelites" eperartgas estoladas,
aesfeitas pola torrente impetuo-
sa do tempo, quantos dramas sublimes de virtu-
de, decoragem e abnegago, de devotamentos e
sacrificios, era que foram nrotogonistos os des-
conhecidos do mundo, os obscuros da multido.
estes que formam o grande anonyraatodo aovo ?
Era noj acojitecimentos parece
que se precipitara com incrivel rapidez e como
que participajdo da celeridade fulminante oa
scentelha electr.
Cada anno caracterisado por factos que fa-
zem esquecer os do anuo antecedente. Vamos
em breve conmemorar' o centenario da grande
revulugao social e poltica que abalou violenta-
mente a Franca e cujos efTeitoe se Qieram seulir
em lodo mundo civilisado e neste lapso de tem-
po quanlas nuidangas, quanlas transforuiares,
que imraenso trabalho de renovagSo se tem ope-
rado em todos os paizes modernos sob todas as
relagues, sob todos os a.-pecios, em poltica, em
r ligio, em sciencia, em lettras e arles, no
commercio e na industria ?
O anuo que ora vai immergir-se na voragem
do terapo que julganiento merece t Nos estrei-
tos limite- de nossa missdo, nao nos incumbe
juigal-o se Dio sob o ponto Je viste restricto da
vidabrasileira. Outros mais competentes eslu-
dario os acontecimentos que nelle se deram.
tendo era vista o movimento geral da civili-
saco.
Collocados no uosso pouto de vistanao sodios
nem optimistas nem pessiraistas, nem faremos
uma apotheose, nem levantaremos um patbulo.
Ha uma lgica social que rege os houieiis e as
sociedades e por entre as transformagoes que se
operara no meio dos povos transpareie o enca-
deamento natural dos factos. a evolugo dos
acontecimentos, quer de ordem poltica e econo-
"Sica, quer de rdem artstica e liUeraria.
Acontece com a vida dos povos o mesmo que
a vida dos individuos. Os fados que a tecem
nao sao isoladoppor mais que jnirecam. Cada
um figura por sua vez comoelleito e como causa,
como producto e como facto. Este principio
encerra toda a philosophia da historia.
A' luz destes principiouiao podemos deixar de
considerar o anno que hoie termina como una
epocha para o nosso paiz.
ko o anno da aboligo. Isto quer dizer que
operou-se em nossa vida social a mais profunda
transformago da quantos tem registrado a nossa
historia. depo% que nos constituimos migo hvre
face do inundo.
Tivesse o anno de l888BOinente que allegar em
seu favor este memoravel acontecimento, I
elle o nico bem do seu acervo e poderia elle
afrontar desiemidamcnte o jolzo da postend ide
no severo tribunal da historia.
A aboligo do elemento escravo. a inauguradlo
do trabalho Hvre veio modificar profundamente
o nosso viver, pode mesmo ter trazido corto des
trogos. acairelado alguns desastres pessoaes, mas
considerado o facto socialmente, elle nao pode
dajaar de ser cousiderado um passo seguro e
#htajado que temos para o futuro engrana 1
ment.
A tranefonnacao operou-se no momento oppor-
Jo, o paiz eslava preparado para a refo.-raa e s
tatarios c apreridentee no viam que
aquella soluco.iinpunba-snaiii-lia,.menos da.
B\'Uacto o trilieo. feiaa liben igo do ventre.
eslavam estancadas as duas funestas origen- do
mal que uos aJlligia ; \ jladas a uouucipago dos
sexageiiarios^a lninago da pena deagoutes e
as outras medidas favoraveis abolico. restova
apenas decretal-a ou para uzar da pitras,- egal
tclan u. Foi o que zeiam os legisladores
de 1868 forteinonte secunitados pela opinio ma-
nifestada por todos os seus orgos 03 mais com-
petentes -de todas as rtnsses e de todas as ca-
raadai aociaes.
iluando mesmo o anno de 1888 tivesse somonte
isto em seu favor elle- deveria merecer um lugar
distincto nao s na historia nacional, com
historia da civilisagao universal
Nao foi porem s por este fado que se tornoa
saliente o anno lindo ; muitos outros de nossa
vida poltica c econmica o flzeram noteyel. *
ne paren nao iucumbe dbel-o cumprdainen-
te
Mesmo porque o calor de que temos sido vic-
timas nestes ltimos dias, na* permitte largas
ploracee. O calor que temos cxpenmeniado
e qae lera sido ltimamente o peuia predilecto
dos chroaistas nao de corto favoravel ao ma-
nejo da ponna, ao contrario predispoe macti-
vidade -physica e intellectual.
A nefasto influencia do calor38 a. sombra
tem registrado o thcrmoraclrodeve talvez ser
attribmda diseusso irritante que temos nestes
ltimos dias observado entre varios jorualistes,
e priiiiapalinente entre os Srs. Ariur Azevedo
(Eloy o Hroe) do Diario de Noticias e Luiz de
\ndrade. da Recula Ilustrada.
As cousas nao teem andado boas e as desconi-
Ksturaa, os doestos, os improperios fuzam de
lo a lado, de modo duscommunal. Desalo
para duello,aggresso pessoal aparto dasredac-
gOes, discussoes nos cafs e mtaurants, nada tem
faltado para apimentar o escndalo. Convenha-
mos, porm, tudo isto triste, lamentevel. Toda
actividade, gaste intilmente, poderia ser profi-
cuamente aproveiteda.
Com o vero, com o calor eoiocidem em nosso
paiz as festes escolares. B' raaoavel, justo e
principalmente hvgienico. Todo o trabalho. todo
o esforgo intellectual em semelbante epocha sena
penozissimo. E' pois tempo de ferias, sempre
precedidas por festes alegres, animadas e cheias
de ncanto. O que valem urnas ferias, sabem
todos que j paBsaram por aquella quadra feliz da
existencia, cheia de sonaos e illuses e que se
chaina infancia e juventude.
Entre asfestas da instruccSo, celebradas nestes
nltimos dias, sobresahe pela sua importancia o
doutoramento em medicina effectuado no dia 26.
Ne3se dia no soto nobre do Extrnalo do Im-
rial Collegio da Pedro II, na augusta presenga de
S M. o Imperador, perante a congregago da Fa-
culdade de Medicina, com assistencia de vanas
pessoas gradas, realisou-se com a costumada
solcmudade a collaco do grao de doutor em me-
dicina aos alumnos que no anno de 1888 conclui-
rn! o curso medico.
Ao terminar a ceremonia foram recitados dous
discursos um por parte dos doutorandos pelo Dr.
Manoel Dominguc3 Gongalves Pedreira, orador
eleito pelos seus collegas e outro pelo sabio pre-
fessor Dr. Domingos Freir na qualidade de,
paranympho. ,. ,- .
ntreos novos laureados, discpulos medicado
de < os, coute-se a Exm. Sr. D. Ermelinda Lopes
de Vasconcellos, natural do Rio Grande do Sul e
que a primeira seuhora brasileira que formase
em mediana pela^aculdade da corte. A Ilustre
senhora foi approvada com dislinogo na deeza
de these, grao este que obteve em todos os annos
e respectivas clnicas.
Outra festa titterara menos importante, mas
nao menos digna de mengo, foi a que se realisou
no dia 2. N'esse dia e tambem 110 salo nobre
do extrnalo do collegio de Pedro II, effcctuou-se
o acto solemne da collago do grao de bacharel
em lettras aos alumnos do collegio, intrnalo e
extrnate, que terminaram este anno o 7." e ul-
timo anno do respectivo curso.
A ceremonia da investidura do grao fealisou-so
com a solemnidade do estylo na presenga de S.
M. o Imperador. Pronunciou o discurso olhcial o
iliustrado professor Dr. Jos Maria Velho da Silva,
que foi comprimoutado pela numerosa assis-
tencia. ,
Ainda outra f -sta do ensinoteve forca bastante
para oceupar a attengo publica era um dos ult-
nos dias do anno. No dia 26, em presenga de Ss.
AA os Srs. conde e condessa d'Eu maugurou-se
a Exposico Escolar, que annualmente promo-
vida peta Associago Mantenedora do museu es-
colar nadonal. ,
A exposigo d'este anno, que nao interior a
do anno passado e aprsenla mesmo certo nro-
resso, foi organisada pela commisso presidida
pelo Ilustrado Dr. J. C. de Alambary Luz. O xito
d'estes certamens pedaggicos nao pode ser [
em duvida por aquelles que aeompanhan
questes que entendem com a grande causa da
instruego popular. A exposigo, que foi inslal-
lada no edificio da imprensa nacional, oBerecc
bello e agradavel aspecto. Oceupou quatro salas
em que esto distribuidos objectos e productos
expostos por 17 escolas publicas primarais, ees-
colas municipaes e 4 collegios particulares.
Antes de passar outro assumpto nao deixare
tambem a fallar da solemnidade da inaugura-
E") do nov predio do Gabinete Paftognez de
itura. Foi'asplendida a festa realia **o da
13 pela Jjtmemerito aasociagao Pj^BBM..1|}e
manten ma das meliwre* kOTewwBPnrwa
cidade. Festa da ioi Uigencia, nada Ihe falten,
tupo concorreupara tornal a magnifica. Tratava-
inaugurago oflicial do magestoso edificio,
em estylo manoelmo, expressamente construido
para aquelle fin. Era a realisago de uma tenta-
tiva feila por occaso de festejar-se o centenario
de Luiz de CamOes o grande pico luzitano. P-
de-se aflirmar que o edificio construido um dos
maiores padres de gloria levantados em trra
brasileira pela grande colonia portugueza:
Fallec -m-me ot conhecimontoe especiaes para
lazer a descripgao technica do grande edificio,
yeedaieira joia architectonica. Nao ser, porm,
isto razo para deixar de aqui consignar a oprima
impresso era que meu espirito produzio a ooser-
vagSo d'aquelle monumento. Estiveram preaen-
8. MM. Impariaese grande foi o concurso de
pessoas da nossa mais selecta sociedade que cora-
parec.crau.
I'rofenramcloquentes diseursos os Srs. J. C.
Rwnalho Orfigao, iliustrado commerciante dnos-
la pr,n; 1 e irmo do festejado escriptor portugnez
o o Dr. Joaquim Nabuco. ASM. o imperador
foi oiTerecido um diploma, bello trabafio em
pergaminho, illuminado pelo notavel gravador
L. Heck, e que contm estes dizeres :
Para gloria desta associaeo e em liomeua-
gem da mais reverente e respeitosa venerago foi
Sua Magostado o Senhor D. Pedro II, Imperador
do Brazil, nomeado presidente honorario do Ga-
biuele Portuguez do Leitura do Rio de Janeiro.
Do que, para conslar, se lavrou o presente
diploma, aos 15 dias do mez de Dezembro de
1888. -Presidente, J. C. Ramalho Orligo. Vke-
lente, Manoel Jos da Fonseca. Secretario,
Joaquim Jos Cerqueira.Thesoureiro, Altino de
Freitas ; astro;.
Da luz para as novas nodifficil a transigi,
mesmo em virtude da eterna le itos contrastes.
Depois ter fallada de ama bibliotheca vou re-
fenr-me a uma pristo.
O Sr. ministro da justiga, de accordo com a sua
pulit ai do amm, talvez ura pouco senlimeotal de-
inai para o caso, mandou arrazar as celebres
esotra* que existan! na Casa de Detongo da
corle. J ti vemos occasio de referirmo-nos a
estas prisGes de isolamento e castigo, no tempo
em que ellas tanto deram qae fallar de si. Excu-
sado ser repetir. Importa apenas saber qu- oSr.
ministro por aviso de 22, expedido ou Sr. desem-
bargador chele do policia, ordenan o arrazamen-
to de taes prisGes e que era lugar d'ellas se le-
vantassem officioas. Efectivamente a destruigo
leve lugar no dia 25. segundo communicago of-
licial do director da U-teogo. Jno existem,
portanto, as escaras, que liverain a sua raeiahora
de celebridade.
No dia 27 embarcou cora destino provincia do
Matto G isso o primeiro contingente das torcas
}ue devora guarnecer a frouU-ira d'essa provincia,
e accordo com as deliberages ltimamente to-
madas pelo governo imperial.
Todos os joruaes 'erara uraa longa minuciosa
noticia de tedas as oceurrencias do embarque
das tropas. Por al uns dias foi es'.e o assumpto
geral de todas as conversas o alvo de todas as
preoecupagOes. As torgas seguiram sobocom-
maido do Sr. mareglial Dedoro da Fonseca.
Os paquetes nacionaes Rio ardo ti Rio de Janei-
ro conduzir im a seu destino a expedico mili-
tar. Na corte, alm do chefej do estado-maior.
do auditor de guerra, dos medicase do capellao,
embarearam o 1 e 7- baialhes. O CluB \1ili-
l-,r l'ez-se representar na despedida por uma
coinmiso coinp ista dos Srs. 1 tenente 'arma-
da Gansea l'alha, major Valladun-s e capito
Serzedello. Reinou no acto do eniburque a me-
lhor ordem e a mais invejavcl disciplina, nao ob-
stante a enorme aggloincrago de povo.
Referindo-se expedico militar, escreveu a
Gazeta de Noticias do dia 2, o seguate:
toaste que no plano seguido pelo governo
no mo vi memo de {prcas para a provincia de Mat-
to-Grosso est comprehendida a idea de ligar
corte essa importante parle do imperio, por meio
de uma estrada de ferro, de cujos estudos ser
incumbida a coiuraisso de engenheiros multa-
res, fazendo parte das forcea qae para alli se-
guem.
J'aracc qne a escoma do r. r. Sonza Bandei-
jra para presidente daquella provincia j foi um
firincipio de realisago desse pensamento, con-
iaiido-se aos seus provados talentos e putriotis-
1110 o cstudo daquella importante zona.
' Parecemos ter bons fundamentos a assevera-
go contida nestes informages. A nomcacao de
uma commisso de eagenheiros militares a cuja
frente se acha o coronel Cunha Maltes, parece
confirmar aquelle consta.
Ser ura grande beneficio feito aquellas longi-
quas regios, cujas immensas riquezas jazem
inexploradas.
Tanto a. Gazeta de Notiaas, como a Tribuna Li-
beral, tem annuncado uma prxima recoraposi-
go ministerial. Temos motivos para affirmar
que ella se effectuar nos primeiros dias de Ja-
neiro. E' mesmo possivel que antes de l che-
gar esta carta, j o telegrapno tcnba dado o no-
rae dos novos ministros. Qualquer que seja. a
1 nudanga de pessoal em nada altera a polica do
gabinete. F/ apenas uma questo de vida inti
ma, de pesau., mas nao ideas ou de principios.
O programma e os intuitos do ministeno penna-
necem os mesmos. O fim da recomposigo pa-
rece ser da cmara temporaria maior numera de
representantes, daudo ao mesmo tempo satisfa-
gan a outros interesses. O gabinete contina
sempre solidario, sustentado pela confianga da
corda pela opinio pub ica e pela imprensa.
Aqu teamos de por o ponto final se infeliz-
mente nao tosemos obligados a registrar as
tristes e lamentaveis scenas que hontem deram-
se nesta corte, por occasio de uma conferen-
cia republicana feia pelo propagandista Dr. Silva
Jardim, no edificio da Sociedade Franceza de
Gvrana6tica. Todos os jornaes de boje narram
o astimavel conflicto detalhadamente. Sao di-
gnas de f as narrativas do Paiz, da Gazeta e do
Jornal do Commercio. Apenas a Tribuna Lite-
ral, obedecendo antes de tudo aoseu espirito de
opposigo, procurou carregar ura pouco mais ai
cores do quadro. Pedimos emprestado ao Jor-
nal do Commercio a noticia, de que resultaran
fenmentos, derramamento de sangue, desorden
e sobresaltos, que por algnmas horas i.-npediraa
o socego publico, a paz e a tranquillidade das
familias.
Hontem, 112 hora da tarde, houve, na rea
do Club Gymnastico Portuguez, um lamentevel
conflicto em que algumas pessoas ficaram mais
ou meaos gravemente feridas.
Como sempre acontece em taes casos, sao con-
tradictorias as iuformaces que temos, pelo qne
nao podemos aflirmar d que lado parti a pro-
vocacao mao armada. O que sabemos, entre-
tanto, .que, era frente do edificio da Sociedade
Franceza de Gymnastica, onde o Dr. Silva Jar-
dim fazia uraa conferencia, foi travada, 1 1,2
hora da tarde, renliida luta entre pessoas, que
assisiiaui conferencia, e numeroso grupo de
individes que estavam na ra. Pedras, garra-
fas, telhas, parallelipipedos, cadeiras, tudo servio
de projoctil de parte a parte, e numerosos foram
os estampidos de tiros de_ revolver, qne se'oovi-
ram durante o conflicto.
Compareceu uo lugar o tenente Franca, com-
ma dante da i' eslago, acompanhado de algu-
mas pracas. Sendo, porm, insuffidente o Ho-
mero dstas para restabelecer a ordem, foi re-
quisitada do quartel de policia uma forca de ca-
vallaria e outra de infantaria, as quaes em nume-
ro de 70 pracas poderam por termo luta, fazen-
do debandar o referido grupo.
Os Srs major Vallado, do corpo militar de
Solida, Dr. Pi de Souza, subdelegado, Lobo e
arques, inspectores d quarteiro, iMircjui
ram fazer com que se relirassem os curiosos
que era grande numeroenchiam as mas as pro-
ximidades da praca da Constituigao.
O grupo reunio-se nova 'lente, na ra do Thea-
tro o eucaminhou-se para a do Ouvidor, onde
foi outra vez dispersado.
Durante a lula foram presos Francisco serpa,
Euzebio los de Mattoso, Elias Antonio dos Ao-
jos Biblia, Evaristo Jos Alves, Joaquim Jos
Mara, Alberto Joaquim da Costa, Anacleto Alves
de Freitas, Gregorio Antonio da >ilva e Joaqoim
Lager.
Fotam estas as pessoas mais ou menos feri-
das, que foram soccorridas na pharmacia do Sr.
Frederico da Costa; Joo Izidoro da Coste com
um ferimento de bala na regio frontal; Fran-
cisco Fernandes Goncalves cora um,feneuto na
mesma regio, feito com instrumento contun-
dente : Pedro Justo de Araujo ferido do mesmo
modo n cabega; Alfredo Das e Augusto Otar-
te de Oliveira com ferimentos de bala, aqn
na perna esquerda e este no ventre; Vicente I
noel Antonio com um grave ferimento no sa|
cilio direito e outro na fece, ambos ft
instrumealjt contundente ; Evaris
zende, com nm ferimento na cabeca <
valuada na cdxa direita, o menor Jos don Ser. -
i
r-

r
/.


J^flUI IV
PemambucoTer^a-feira 8 de Janeiro de 1889
1.1
o direita; Francisco Antonio Ra-
rad
vallr*.'
meatos ua cabeca; um cadete e dous paizanos,
une nSo quizeram declarar seus nomes, tambem
(eridos na cabera cora instrumento contundente ;
e um indi\i nome, com um grande ferimento no nariz
rom instrumento cortante.
Poram todos medicados pelos Srs. firs. Moraes
c lito e Jos Antonio Pereira da Silva, auxilia-
dos pelo' Drs. (osla Ferraz, Pires de Aln
ArajJ Filho, Soeiro Guarany e Antonio Jos de
As balas foram extrahidas, com excepcao da
de Augusto Duarte de Oliveira, o qual fui remet-
tid para o hospital da Santa Casa.
Na !. estaco se apresentaram mais tarde le-
ridos cora urna bala na testa Vicente Jos dos
Santos e com urna bala no queixo Fernando Jos
de Mara, os quaes foram medicado* na dita
nhawnacia. e. deuois de extrahidas as balas, re-
pharmacia, e, depois
"ranun-se para bubs
A' Santa Casa de Misericordia
tiraram-se para suas residencis.
- ^~~ foram recollu-
Jos Antonio dos Santos, residente na ra do
senador ffompOJi. 260, oom um fenniento gra-
ve de bala no pulmao Vicente Manoel Antonio,
residente na ra da Praiuha n. 156, com um fe-
rimento no rosto feito com instrumento contun-
dente; Alfredo las, morador na ra de Joao
Caetano n 34, com um ferimento na cxa feito
com bala, a qual foi extrahida, a Samuel Walia-
ce de tal. com um ferimento de bala na regio
frontal, tambem extrahida.
A' hora em que escrevemos, Augusto uarte
de eliveira, residente na ra de Santa Luzan. 4,
e ao qual j nos referimos, estava agonisando na
enfermara 13* da Santa Casa
Da forca policial ficaram feridos : no braco es-
ouerdo com urna bala Francisco Pinto de Souza,
e Manoel Ignacio de Souza com urna contusao na
perna dirmta. Aquelle foi recolhido ao hospital
Sabemos que outras pessoas ficaram feridas,
sendo recolhidas s suas casas
Pouco depois do conflicto, o Sr. Dr. Vallada-
res 3 delegado, acompanhado do Sr. Possolo,
suptente de subdelegado e de diversos agen-
tes compareceu com a bandeira da polica para
fazer mtimaco ao povo caso fosse necessano.
ga 6 horas da tarde um grupo atacou a 1" es-
tacao mas foi repellido. Pouco depois os presos,
que all se acharara, foram removidos para a
Casa de DetencSo. ,
Desde o escurecer at as 10 horas da noite
andaram arupos percorrendo a ra do Ouvidor.
um des ornea dirigi invectivas e tentou aggre-
dir o escriptorio de urna folha diana, de nossa
^"nonos consta que houvesse nenhum outro
As'mtWmacoes officiaes constam deumpfficio
do chefc de polica e outro do 3" delegado em
"para toctos de tal natureza nao deve haver se-
no palavras de reprvacao.
Bem sabemos que em todos os paizes o exal-
tinento das paixes partidarias tem prodiuido
factos semeUmtes e na propna Inglaterra lti-
mamente se tem presenciado estes acontecimen-
tos Isto porm de nenhum modo pode justilica
o que bontem se passou nesta culta capital, em
cajo seio uariftm to grandes interesses ndus-
triaes e canmerciaes que so ,jod-m medrar a
sombre da paz. da ordem e da tranquillidade pu-
O^overno tem lomado as providencias reque-
ridas pelo caso e tudo faz per que as scenas de
hontem nao se reproduziro .Ja hoje a cidade
apresentava um aspecto perfeitamente' pacifico.
Os nossos foros de povo civilisado estao em-
pentados nesta questfio e nao devemos bara-
teal-os.
Nac em pa aguardando-se
a futura f< ante Amaro, padroero
torra, que espera-so ser, neste auno,
de grande esplendor.
Knglih Baak f Rio de Jaueiro
(Uavlted)
Capital do Banco em 50,000
"accoes de 20 cada urna 1.000,000
Capital realisado...... 500,(100
Fundo de reserva...... 110,000
BALANDO DA CAIXA FILIAL EM PEBKAXBUCO,
KM 31 DE DBZEMBRO DE 1888
. AeHvo
Letras descontadas........ 413:433*310
Emprestimos e contas cauciona-
das................ 866:331*670
l.eltras a receber......... 549:3SOiO
Garantas e valores depositados. 578:861*100
Mobilia.etc, do banco...... :707280
Diversas contas.......... 430:454*780
Caixa............ ... 843:550*880
3^384:879*630
Possivo
Contas crlenles
simples.....273:107*540
Depsitos a prazo
fixo com aviso e
porlettras. .1791:373*460 2,061:481*000
Lettras apagar.......... 117*590
Ttulos em cuco e deposito. 578:861*100
Diversas contas.......... 741:419*940
3.384:879*630
S. E. & O.
Pernambco, 7 de Janeiro de 1889.
Henry K. Gregory, mauager.
/. A', Eddoues, accounlan
Banco Internacional
do Brasil
Capital do Blhco Rs. 20=000:000^000
dem realisado 12:000:000*000
Fundo de reserva 350:000,4000
Bataneo
DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBCO. EM 31
DE DEZEMBHO DE 1888
Activo
tetras descontadas 343.811*480
Contas correles caucionadas 1 626 388*100
Caixas,, Matriz e Filiar* 271.394*030
Diversas agencias 652.615JJ50
Valores depositados 603.2291530
Diversas contas 123.159*o30
Letras receber 426.966*770
Caixa :
Em monda corrente
529.382*950
Rs. 4.577.347*960
Passivo
Depsitos:
Contas correntes de
movimento .....'. ) i. 135.615^860
Ditas ditas com
aviso...........i
Lelras a premio... J
CIDADE DE TAQUAltKTlSOA, un
31 de Dezembro de 1888. .
Principiarei a presente coinprhnentando
osredactores desse Diario, desejancro'-
lhesboas festas e inicio feliz do auno novo g
bem assim. nos nossos leitores. ..
Com o encerramento dos trabalhos es-
colares, no corrente anno, nesta comarca,
tiverm lugar exames primarios as se-
guintes escolas.
Do olho d'agua da Onca, na cadeira mix-
ta, regida pela professora Maria Antonia
da Costil, foram examinados, no di 4 do
corrente dous alumnos do 1.- grao, cujos
nomes nSo podemos obter, que foram con-
siderados adiantodas:
Em Vertentes. na cadeira,, regida polo
professor JoSo Sesmo dos Santos Bezerra,
foram examinados, no dia 5, as materias
do.2.- grao, Joaquim Severo Barboza de
Souza e as do bV grao, Manoel Barboza
Diniz e Joao Chnspiniano Barboza Diniz,
sendo aquelle considerado adiantado e es-
tes approvado plenamente.
Na cadeira regida, pela professora Eplii-
genia Maria de Almeida Gomes, fbram
examinados, as materias do primeiro
grao, Pautilla Correia de Araujo e Maria
Vctor de Menezes que foram considera-
das adiantados as do 2.- grao, Maria
Amelia de Almeida Gomes, muito adian-
tada, Quintilla Correia de Araujo, adian-
tada e Brgida Maria da Conceso, pouco
adan tada, "
Em Taquaretinga, na cadeira regida pelo
professor Luiz Carlos de Carvalho Paes
de Andrade, foram examinados em 10 do
corrente as materias do 1/ grao, Jos
Trajano Barboza de Souza e Manoel Fer-
rera Barboza e as do 3.- grao, Jos Pe-
reira dos Santos, sendo aquclles conside-
rados adiantados e este approvado plena-
mente ; e, finalmente,
No Gravat, cadeira mixta regida pela
professora Feliciana Gomes Pereira |dc
Lyra, foi examinado, em 11 do corrente,
as materias do 1 grao Francisco Xavier
da Silva que foi considerado adiantado.
Em 7 do corrente deu principio aos
seus trabalbos c conselho de revisa da
guarda nacional do municipio sendo con-
siderados qualificados 1,179, quando ter-
minado o servico do conselho.
Em 14. a junta da revi silo da qualifiea-
cSo militar encerrou os seus trabalhos,
sendo apurados 155 cidadaoS aptos para
todo o servico.
Em 17, tere lugar a reuniSo da 4a ses-
ga! do jury deste termo, sendo apresen-
tados trea* pi ra que .rain ulgados como diante
se v : .
Bm 17, Jo3o Severino do Nascimento
pronunciado no art, 257 do cod. crirt, teve
poreurador, Florencio JosRoboam, foion-
denuutdo no mnimo da pena; Jos Gra-
ciano de Lima pronunciarlo no art. 264 &
1.- do referido cod. teVti por aHvogado
Pedro Pereira de Araujo Lima, foi absol-
vido unnimemente.
m 18. Manoel Eduardo Barboza pro-
nnnciiid.. n art. l'M eorabinad. com
do mehmo cod,, teve por advogado o te-
ninte-coronel Jovino Limeira Dino, foi
bsoVvido unnimemente.
Em 19 teve lugar a verisaV dos jurados
uue h3o de funecionar no anno prximo
vndeuro sendo apurados 206cidadH<>H.
Em 13 tev* lugar a festa de Santa La-
que foi fefta euifl muite pompo
iemnidade.
Diversas garantas
.Diversas agencias
Caxas. Matriz e Filiaes
DiverAiseonlas
400.729*060
1.076.861*150
---------------2.613.206*070
603.229*630
69.760*120
373.459*060
917.693*080
Rs. 4:577.3i7960
- S. E. i U.
Pernambco. 7 de Janeiro de 1889.
(Assignado) V ilAMu,
gerente.
A. A. Santo*).
pelo guurda-iiwv-.
Coaaelko MaterarlPor acto da pre-
sidencia da provincia, de hontem datado, foram
nomeados para exercer o cargo de membros do
Consellio Lilterario, no corrente anno, os hacha-
reis Eiequiel Kranco de S, Jos l'iniz Barrcto,
i. u^^eo iinmiiiira ry>Bt!i Jii\ Osorio de
Nada de hnva: & tbermometro subi
de fi'a 84*-*(jiwdna, eo a calor in
Joo BaptisUi Regueira Costa, Jos
Ccrqueira e Ayres de Albuquerque Gama.
tmiiila nacional -i or acto da mesma
data foram nomeados para o 11 batalho da re-
serva da guarda nacional do municipio de
blinda:
Teaente da 2*.compaidiia. Manoel da Pxao
Ramos: ^
Alferes da b' companhia, tirmino Jos Oue-
des de Lacerda.
Aatoridailc policial -Por portara da nre
dencia da provincia de Se proposla do-Dr. cne-
fe de polica de 4 do crrente, fm nomeado para
o lugar de delegado do termo de Afogados de
Inga/iira. o capito do corpo de polica Lucio
de Siqueira Campos, em substitnigo do alferes
Jos Terencio de Barros Araujo, que foi exone-
rado. ....
Llcenea Por acto da presidencia da pro-
vincia de 13 de Dezembro findo foram concedi-
dos 3 mezes de liconca ao escrevente das ollici-
nas de construcgOes navaes do Arsenal de Mari-
nha, Jos da Matta Cardim e ao promotor publico
de ingazeira, bacharcl Manoel Joaquim Ma-
chado.
Crdito Foi aberro na mesma data, um cr-
dito na importancia de 260*989 a verba do g 15
. Hosptaes do Ministerio da Marinha r ahm de
ser paga a folha do pessoal da enfermara de ma-
rinha.
KmprcMimo pro*la*al Na compe-
tente seceo deste Diurio vai publicado um edi-
tal da Secretaria da Presidencia chamando pro-
nostas, com o praso de 45 das contados de hoje
para um emprestno de 8.600:000*, nos termos
da lei n. 1,927 de 15 de Novembro prximo
No mesmo edital v8o estatuidas as clausulas
da concurrencia. .
Imna*to-Expira hoje o praso para paga-
mento sm multa, do 2 semestre do exercicio
de 1888 de decima urbana e corporagoes de m&O
morta.
De amanha por diante esses impostos serao ar-
recadados na Recebedoria Provincial com a mulla
Vlscoade de Kl*ueircdo-No paquete
lama seguio ante-hontem para a Europa o Emii.
Sr. Visconde de Figuein-do.
S. Exc. foi acompanhado at o caes do em-
barque por muitos amigos.
Agradecendo-lhe as despedidas que nos diri-
gi, desejamos a S. Exc. prospera viagem.
Banco de Pernambco--Km icUiuao,
ha dias celebrada pelo Exm Sr. Visconde de
Firueiredo, foi resolvida a creaco de um banco,
do qual sao incorporadores aquelle capitalista e
os Srs Luiz Antonio de Siqueira, Jos Adolpno
de Oliveira Lima, Antonio Fernandes Ribeiro.
Manoel Joo de Amorim e Thomaz Comer.
O banco lera o nome de Banco de Pernambco
e o capital ser de 8 mil coalas de rus. d.vidido
em acc&es de 200*000 cada urna, destinando se
0 mesmo banco a auxiliar e desenvolver o cr-
dito industrial e collectivo e abrangendo suas
operages todos os ramos da actividade commer-
"Vlade do capital do banco, m 4 mil contos
de ris. foi subscripto pelo Exm. Sr. \ isconde
(leparaUouCTameUdc do capital foi hontem aberta
1 respectiva subscripgao no escnpiorio dos Srs.
\morto Irmos A C, sendo subscriptos. ......
700:000*000. a.iQ
No acto da subsenpeao paga orna "nU-ada
de 5 "/o do valor das accOes tomadns. e. quando
for aoaraiciada a asignatura doe estatutos do
tmuco, fer-tte-ha nova entrada de 5 %
A demais entradas serao fetas po3tenor-
. mente e na razao de 46 '. po xmmo. ew
.r>HKoaIPca menores de 60 das.
ido banco, que tem de aobstituir a fi-
provincia de Saco IMMintonal, <
a ao comraercio e in-
uctam com difBculdades
paia a obteoclo de numerario para o sen desen-
^^oento, e certameote merecer todo acolhi-
mento do publico.
AiocImc&o Conunercial enefleen-
eEsta Ilustre corporaco telegrapoou nos &e-
guintes termos ao Exm. Sr. conselheiro Francll
co de Assis Rosa e ilva, digno ministro da Jus-
tina, obtendo de S. Exc. a resposta que vai em
semilla:
Ao Exm. Sr. ministro da justija.
Corre.
" A directora da Associago CommercialBene-
fleente de Pernambco regosija-se com a acerta-
da esoollia de V. Exc, e enva tambem seus sin-
ceros parabens.
Recife, h de Janeiro de 1889.Bardo de Cata
Forte, presideulc Antonio Soares da Silva, se-
cretario.
Rio de Janeiro, 6 de Janeiro de 1889.
Associacjio Commercial Beneficente.
Recife.
Agradecendo cordealmenie as felicitacces
que me dirigi a Associaco Commercial Bene-
fleente, procurarei corresponder honrosa con
flanea.
Rota e Silva, ministro da justica.
Estradait de ferro de Palmare a
4.araiiliuns e do Recite a t ai-uai-
o paquete nacional Pernambco chegou da Babia,
e hontem assumio o exerCicio do cargo de en-
genheiro chefe das estradas de ferro de Patina-
res a Garanhuns c do Recife a Caruar, o Sr i
Dr. Luiz da Rocha Dias, ltimamente nomeado
para esse honroso posto.
O novo engenheiro chefe gosa de conceituoso
nome entre os seus collegas, e desesperar que
nao desmereca no exercicio do cargo que agora
assundo.
O seu digno antecessor, o Sr. Dr. Antonio
de Sainpaio Pires Ferreira deu de si as memores
provas. quer no concernente tcchnographia,
quer principalmente no referente economa.
Intelligente e honesto, o Dr. Pires Perreira foi
um bom jidminisirador das duas linhas ferreos
do Estado nesta provincia, c soube fazer-se res-
peitar e estimar pelos seus collegas e por todo
pessoal das linhas, sem o menor prejuizo para
o servico publico.
E' com este cabedal que o Sr. Dr. Pires Fer-
reira vaiassumira direcc&odas estradas de ferro
do Estado na Babia, cargo com que foi distin-
guido pelo governo imperial.
AwMoeiarao Commercial Agrcola
Correspondendo gentileza d'essa benemrita
associacSo, que o feucitou pela sua ascengao aos
conselhos da corda, o Exm. Sr. conselheiro
Francisco de Assis Rosa e Silva, digno ministro
da justica, respohdeu nos seguintes termos ao
telegrama que Ihe foi dirigido:
flo de Janeiro, 6 de Janeiro s i 1 horas e 55
minutos da manha.
A' Associaco Commercial Agricokij Recife
Agradecendo cordialmente as feliritaces
que me dirigi a directora d'essa illustre asso-
ciaco, procurarei corresponder sua conlianca.
Rota e Silva, ministro da justica.
Cmara Municipal do Recife Na
forma da lei, reunio-se hontem a Cmara Munici-
pal do Recife em sesso especial, para o flm de
eleger os presidente e vice-presidente, que de-
vemdirigil-a no corrente anno.
Foram reeleitos : presidente o Sr. Corbeniauo
de Aquino i-onseca; vice-presidente, o Sr. te-
nenle coronel Francisco Faustino de Brito.
Tribunal do dnry do RecifeReuni-
dos hontem ao meio dia no pago da Cmara Mu-
nicipal os Srs. Dr. Antonio omingos Pinto, juu
de direito do 5' districto criminal Dr. Joo Joa-
quim de Freitas Henriques, i* promotor publi-
co, coronel Corbiniano de Aquino Fonseca, pre-
sidente da Cmara e capiUto Horencio Rodrigues
de MiranJa Franco, escrivo privativo do jurj,
procedeu-se ao sorteio dos 48 jurados que teem
de servir na 1* sessao ordinaria deste Tribunal,
convocada para o dia 4 de Fevereiro.
Foram sorteados os seguintes jurados :
Recife
Gabriel Marques Rodrigues da Silva.
Sanio Antonio
Teneitc-coronel Joao Francisco da Cunta '
Joao Ferreira Loureiro.
Dr. Manoel Francisco de Barros Reg.
Dr. Ulvsses Machado Pereira Vianna.
Antonio Francisco da Costa.
Mauoe! Guates da Silva.
Jos Fernandos de Mello
Antonio Correia dos Santos.
S.Jos
Agostinho Jo: dos Santos.
Pedro de Barros FalcSo.
JoSo Candido Comes da Silva.
Francisco Canuto da Boa-Viagem.
Capitio Josv Ignacio Ribeiro Houw.
Jos.' Francisco dos Sanios Miranda.
Manuel Joaquim Oliveira de Almeida.
Luiz Eloy de Miranda Durao.
Boa-Vista
llenrique de S Leitao.
Dr I! Klolpho de Paula Lopes.
Miguel Antonio d Costa e Silva.
Dr. Joao Honorio B. de Menezes.
Thomaz Rozendo de Almeida
T homaz de Aquino Medeiros.
Antonio da Silva Castro
Jos Elias de Oliveira.
Joaquim Francisco de Medeiros.
Manoel Vicente da Silva Rios.
Antonio Luiz Teixeira Elias.
sua propria casa o subdito portuguez Manoel
Antonio dos Santos, evadindn-se em seguida.
competente subdelegado abri tnquerito a
respeito.
Tentativa de inieldio-Ante-hontem
noite, tentou suicidarse, ingerindo urna dose de
verde Pars, Eduardo Rodrigues Leile, caixeiro
de Manoel da Silva Parias, estabelecido praca
da Concordia.
Interrogado pelo Dr. delegado do Io districto.
declarou Leite que comprara o verde Pars em
urna pharmacia da ra da Imneratriz, e que o
ingerir, tentando contra seus dias, pordesgos
tos de familia.
Medicado a tempo, Leite est fora de perigo-
obran publican Hoje, ao meio-dia, na
Reparticao de Obras Publicas Provinciaes, rece-
bem-se propostas, em cartas fechadas, para exe-
cuco dos reparos das pontes da ra do Rio, na
cidade de Goyanna, da Varzea de Uruab e do
ultimo pontilto de Pao Amarello na estrada do
Norte, todos oreados em 1:481*660: e bem as-
sim para os reparos da ponte sobre o rio Ama-
ragy, na prsprtedade Duas Barras, oreados em
5:576*120.
TheNeno Sr. Dr. Carlos Bastos Dantas, re-
centemeute formado pela Escola de Medicina da
Baha, obsequiou-nos com um exeraplar impres-
so das theses que apresentou e deffedeu pe-
rantea congregago 'aquella escola, mereeendo
ser approvado com distieco.
A uissertaco, que est muito bem escripta,
versa sobre as Indtcaqoet e contra-indtruipea da
talha e Uthotrkia.
O Sr. Dr. Bastos Dantas pernambucano.
Agradecemos-lhe a fineza que praticou, mimo-
seando-nos com um exemplar do seu trabalho.
Asttoeiaeao doa Empreado* do
Commerrio de PernambcoEssa as-
sociaco commemora. no dia 20 do corrente mez,
o 3o anniversario de sua creaco, fazendo cele-
brar na sede do Gabinete Portuguez de Leitura,
pelas 5 horas da tarde, urna sesso Iitteraria.
para a qual teem sido expedidos muitos con-
vites.
ociedade MI (erara I le Maio-
Celebrou no dia 6 do corrente esta associaco
nina sesso magna commemorativa da posse da
nova directora, sob a presidencia do Sr. Salva-
dor Ribeiro de Albuquerque.
Occuparam a tribuna grande numero de ora-
dores.
O acto esteve brilhante nao s pelo grande
numero de familias que enchia o vasto salo,
como tambera pela ornamentago, no que a di-
rectora nao poupou es forros.
Recreativa Juveniude-Esta socieda-
de, para solemnisar o 2o anniversario da crea-
co da sua banda de msica, faz um sarao dan-
sante na noite de 12 do corrente, nos seus sa-
ines, no largo de S. Pedro.
Faiiecimento Fallecen ante-hontera, no
povoado da Torre, o tenente da guarda nacional
Bento de Souza Mira, antigo ofhcial de descarga
da Alfandega d'esta provincia.
Traba o tinado 44 annos de idade, e foi sem-
pre bom empregado.
Seja-Uie a trra leve.
Concert em Olinda -Ante-hontem rea-
lisou-se, no pateo do Carmo, em Olinda, o an-
nunciado concert ao ar livre, tocando a banda
de msica do V batalho de infantaria variadas
pecas de seu repertorio.
O largo do Carmo esteve replecto de especta-
dores, entre os quaes muitas seuhoras. sendo
bello o panorama que apresentava.
A Locomotiva -Esta folha, que se publi-
ca na pabia, no seu n. de 27 de Dezembro pr-
ximo lindo deu na primeira pagina o retrato do
Exm. Sr. Viseonde de Figueird, acompanhan-
do-o de alguns tragos biographicos.
Examea primarios- Na sala da escola
publica de ensiuo primario do sexo masculino
da povoaco de Peora Tapada, regida pelo pro-
fessor Feippe Bciiicio (Jornia de Figueiredo, fo-
ram no dia 2 do corrente mez examinados as
materias do Io e 2 graos, cinco alumnos habili-
tados pelo respectivo professor.
Compoz-se a commisso examinadora do de-
legado litterario interino, tenente Jos Rufino de
Miranda, do examinador Severiano de Siqueira
Borbosa e do professor da cadeira.
epois do julgamento das pravas escripias e
oraes os examinandos foram assim classificados :
1." grao Jos Barbosa da Silva, adiantado.
2." graoJos de Amorim Lima, adiantado;
Augusto de Amorim Lima, idem; Manoel de
Souza Luceua, idem, e Jos 1 edro de Lucena,
idem.
No dia 8, depois de ouvirem missa todos os
alumnos, o professor os reuni em sua escola, e
cm presenga de muitas senhoras e cavalliciros,
o delegado litterario distribuio com tai1
nirtacte os certiflcaoos pelos alumnos que hzeram
examc e em aegaida premiou os que mereceram
'U bom comportamento.
ni rectora da* obras de conserva-
5ao dos Portn de PernambeoReci-
e, 5 de Janeiro de 1889.
Boletim meteorolgico
Sabidos para a Europa no mesmo vapor:
llenrique Fernandes da Costa e sua senhora.
Antonio Doiniogues de Sonsa, Viseonde de Fi-
gueird, Paolaes George, Madoel Correia. An-
tonio Vieira e Joo Furtado.
Casa de etenjaoMovimento dos pre-
sos da Casa de Detengan do dia 6 de Janeiro
de 1889.
Existiam 422 ; entraram 8; existem 430.
A saber:
Nacionaes 394 ; mulheres 17 : estrangeiros 19.
Total 430.
Arragoados 378.
Bons 357.
Doentes 21.
Movimento da enfermara.
Tiverara alta:
Marianno Amancio Ferreira
Pedro Flix Antonio.
Jos Francisco da Silya.
Roberto Al ves de Souza.
Teve baixa:
Guilhermede tal.
Foram hontem visitados os presos deste esta-
belcciineato por 212 pessoas. sendo: hoaiens
96 e mulheres 117.
Hospital Pedro II0 movimento deste
estabelecimento de caridade no da 4 do cor-
rente foi o seguinte :
Entraram 15
Sahiram 3
Falleceram 8
Existem 471
Foram visitadas as respectivas enfermaras
pelos Drs.:
Moscoso s 8 Ij2, Cvsneiro s 9 1| Barros So-
brinbo s 7 li4, Malaquias s9 l[i Pontual s 9
1|2, Estevo Cvalcante s 9 Ij4 horas.
Nao compareceram os Dra.:
Berardo.
simQes Barbosa.
0 cirurgio dentista Numa Pompilio nao com-
parecen.
0 pharmaceutico entrou s 81{2 da manh e
sabio as 4 da tarde.
0 ajudante do pharmaceutico entrou s 7 1|2
da manh c sanio s 4.
Lotera do ram-ParftA 3* parte da
25" lotera, dessa provincia, cujo premio grande
60:000*000, ser extrahida, qnarta-feira, 9 do
corrente.
t emiterlo PnblleoObituario do dia 5
de Janeiro de 1889 :
01 indina d Rocha Souza Lobo, PernambU'o.
24 annos, softeh-a. Santo Antonio; epilepsia.
Augusto Pontes do Amaral, Portugal, 29 an-
nos, solteiro, Boa-Vista; lesaodo corago.
Innocencio Paes de Mendonca, Pernambco,
72 annos, casado, S. Jos; apoplexia.
Luiza Francisca de Paula Cvalcante de Albu-
querque Lacerda, Pernambco, 90 annos, viuva,
Boa-vista: velnice.
Grinaura, Pernrmbuco. 14 mezes, Recife; den-
tigio. .
Pedro, Pernambnco, H mezes. S, Jos: denti-
go.
Maria Albina da Conceigo, I'ernambuco, 43
annos, solteira, S. Jos ; tubrculos pulmona-
res.
Maria, Pernambco, 3 dis, S. Jos ; convul-
soes.
Joaquim nlonio Luiz de Franga, Pernamb-
co, 20 dias. Santo Antomo ; gastro enterite.
6
Manoel Vieira,Pernambco, 9 annos, S. Jos:
meningitc.
Joao Pedro de Alcntara, Pernambco, loan-
nos, S. Jos: tubrculos pulmonares.
Manoel, Pernambco, Boa-Vista; asphyxia.
Antonio Jos dos Santos, Pernambco, 26 an-
nos, rasado, Boa-Vista ; tubrculos pulmona-
res
Paula Dona de S. Pedro, Pernambco. 96 an-
nos, solteira. Boa-Vista: senilidade.
11 POICO'DE TUDO
Franklin Jos Andrade Pogy.
Jos de Barros Accioly de Vasconcellos.
Dr. Jos Salazar da Veiga Pessoa.
Jos Paulino da Silva.
Rodolpho Ribeiio de ("arvalho.
Jos Francisco de Paula Ramos.
Mari anno de Figueirfla Faria.
Alonso Jorge de Mello.
Antonio Fernandes Albuquerque.
Major BMtoFiancisco Autunes.
Graga
Pedro Pedresa Velloso aa Silvcira.
Jte Duarte das Neves Jnior.
Joo Carnciro Ferreira Bacallar.
Antonio Caetano de Oliveira Coragem.
Afogados
Pedro Gongalves Torres.
Manoel Caetano Cvalcante Albuquerque
Pogo
Jovino Bandeira.
Thomaz Jos de Gusmao.
Joo Cesario de Mello.
Varzea
Francisco de Abreu Macedo.
He vista niustrada-Deste excellente se-
manario, que publicado ua corte pelo Sr. An-
elo Arostrani, recebemos hontem o n. 520.
Faiiecimento -Finou-se no domingo s 3
horas da tarde, aps oito annos de soffrimento, D.
Adeiaiile Theodoliuda de Britto Mesquita, idola-
trada esposa do Itlin. Sr. tenente Antonio Bo-
telho Pinto de Mesquita. _
.-A finada era lilha do Dr. Francisco Xavier Pe-
reira de i ritto c contava 63 annos de idade.
a o enterro, que teve lugar no dia seguinte s
11 horas da manha, concorreu grande numero
de amigos c parentes.
Nossos jiezames a sua Exma familia.
ervico militar Istao ilisignados hoje
ira superior do dia o Sr. capito Manoel s nsel-
mo e para ronda menor o r. tenente Maciel da
E' dada pelo 14 btalho de infantaria, ho-
ie, a enarnigo da cidade.J I
Commanda hoje a guarda da Thesourana o
Sr tenente Jos Bezerra de Menezes S.
Existem em iratamento na enfermara mi-
litar 36 pragas dos corpos da guarnigo.
Foram hontem nomeados os Srs.: capito
Francisco Antonio de S Harrelto, Dr. Virgilio
Tavares e Oliveira, tenente Leobaldo Augustc
de "Moraes. alfen's l'rcicino Augusto Villas-Boas
para no dia 9 do corrente examinarem na phar-
macia mililar um caixo contendo medica-
mentos. ..
Fucciona hoje no quartel general o conselho
de guerra do soldado do 14' batalho demfanta-
riaManoel Joao Ferreira do Nascimento do qual
idcnten Sr. coronel Nery da Fonseca.
Conforme requereu vai ter baixa do servi-
co do exorcito o Io sargento Francisco Laurenti-
o Pereira de Carvalho, do 1" batalho de rafan-
Ferimento grave No lugar Bomba do
districto policial de Macacos, e no dia 5-do cor-
rente, pelas 5 horas da tarde, Manoel Gomes reno
gravemente com 'res tacadas a Lourenco Paes
Barreto, logrando evadirse depois do crime.|
llnoe
Qi i ; o
Horas 10 = Sa Barmetro a Ul\ - Tenso do vapor Humidad
6 ni. 25-6 761-28, 18,58
9 28o-8 763-00 19,59 66
12 29-i 761-50, 19,09 64
3 t. 28-9! 759-77 19,59 66
6 27"-7 759-99 18,92 68
Temperamra mxima29,75
Dita mnima -io\<0.
Evaporago em 24 horasao sol; 8-5: som-
bra : 3-,9.
Chuva0,-2. .
DirecgSo do vento : SE de meia noite at 2 horas
e 15 minutos; SfE at 2 horas e 55 minutos ; SE
at 3 horas c 50 minutos; E e ESE vanaveis at
5 horas da manh ; SE at meia noite.
Velocidade media do vento : 3-40 por se-
gundo.
Nebulosidade media: 0,43
~a
2.2
s-s
5'" jg
g a a
oc
Boletim do porto
M.
M.
M.
Dia
5 de Janeiro

6 de Janeiro
Horas
0-42 da tarde
7-35
1-50 da manha
Altura
0-,59
2,47
0-40
-Effectuar-se-hio os seguintes :
LeUfe
Pelo agente Pinto, s 11 horas, na raa do Mar-
nuez de Olinda n. 52, de movis, louga, vidros,
1 vacca tourina, 2 botes e seus pertences.
Pelo agente Martins, s 11 horas, ra do
imperador n. 16, de um predio _-
Pelo aeeute Gusmo, s 11 horas, ra do
Mrquez de Olinda n. 48, de 3 cavallos para
Pelo afrente Gusmo, s 11 horas, ra Mar-
quez de OUnda n. 48, de caixas com latas de
mpelo agente Britto. as 10 l/2.horas, no becco
do Sarapatel a. 2. de movis, miudezas e mais
objectos.
Amanha :
Pelo agente Martins, s 11 boras; ra Estreita
do Rosano n. 11, de movis -propnos para hotel.
Missas fnebres Sero celebradas :
A"s 7hora< na capeUa de Apipucos, pela al-
ma de D. Julia Amelia Lius Sonano.
Passagelros-Chegados do sul no vapOr
brasilciro Pernambco:
Ricardo de Menezes, 1 filho e 1 criado, JoB
P ira Botelho. Joo Pedro, Antonio Pedro, Jos
i idro, engenheiro Jos Antonio Rodrigues Vian-
na, Dr. Luz.da Rocha Das, engenheiro Lucio
do Amaral, Octaviauo Serrat, ^u da Rocha Das
e sua senliora, I). Angelina Rocha Das, D. Ira-
bel, Maria, Emilia, Ernestina, Carlos da Rocha
Dias, Jos Pelrat. Luiz Americo Ro'ha Das e 2
criados. Luiz Angelote Flonano Gomes Joao
Pereira dos Reis, Rize Jules Manoel Alves Fer-
nandes, Miguel Wenceslao, JoSo Baptista de Wo-
ronha, huilherme Grambar, Domingo Fertoaa,
A proposito do ultimo carrasco escreve-
ram ao Jornal do Commercio da corte, de
Ouro Preto :
Sob esta epigraphe publicou urna fo-
lha da 'capital do imperio a noticia do fai-
iecimento, na cadeia desta capital, em 9
de Julbo de 1883, do carrasco Januario,
que exercera o seu despresivel emprego
desde 1835 at aquella data, e annunciou
a exposiotte de urna pbotographia tirada
logo depois do seu faiiecimento.
No dia e>*^ 3r. r. Lacerda,
digno director do Museu Nacional, em car-
ta publicada na mesma folha, prometteu,
em beneficio da sciencia, empregar mcios
para obter os crneos do carrasco Janua-
rio e de um seu collega de officio, o ne-
gro Fortunato, tambem ha alguns annos
fallecido na mesma cadeia, iniciando com
esses dous specimen3 urna colleccao de
crneos de criminosos, que ainda n&o pos-
suimos.
Desejando auxiliar o distincto director
era suas investigag3es anthropologicas, co-
mecaremos rectificando estas noticias me-
nos exaetas, que attribuimos a informa-
(,'oes incompletas.
N3o houve na cadeia desta capital ou-
tro carrasco alm de Fortunato, que nas-
ceu em Lavras, era filho de Engracia e
Jeronymo, escravos de Antonio Carlos
Garca, e falleceu na enfermara da mes-
ma cadeia a 9 de Julho de 1883.
Parece, pois, que houve engao de no-
me, c que Januario e Fortunanto s8o o
mesmo individuo.
Fortunato era de c6r preta, tinha os ca-
bellos carapinhados, olhos pretos e vivos,
semblante risonho, sessenta>e duas pollega-
das de altura, um aleijSo na m5o esquer-
da, e duas grandes cicatrizes, urna no es-
tomago e outra as costas.
Foi recolhido cadeia em 7 de Julho
de 1833, por ter, mezes antes, assassma-
I do sua mulher Anna Custodia de Jess,
julgado e comdemnado a gales perpetuas
35 annos depois, em 13 de Novembro de
1868-
Nao consta o julgamento da appellaco
ex-officio interposta das decisoes do jury
para a relacao da corte, cujo districto
tisse aquelle desgracado exeeuter seus
proprios pas.
Um dos sentenciados morte, qn de-
via ser executado por Fortunato, no da
anterior ao designado para a execuclo,
tentou matal-o, atirando-ihe profundo e
extenso golpe de navalba ao estomago
nem assim escapou-lhe s garras ; Fortu-
nato curou-se e enforcou o seu offeasor,
cuja execueXo fora adiada.
< NIo foi este o nico attentado coatoa
a sua existencia ; diz-se tambem que ou-
tro sentenciado, que devia ser enforcado
por elle, fez-lhe um grande ferimento m
costas ; o infeliz, porem, que j paresis
desligado da especie humana, c<*ntin uou *
exercer a profissao.
i Conta-se que em certa oocaao, ver-
tando de urna viagem a run doa termos s
norte da provincia, onde tinha ido exer-
cer o ofBcio, deixou embriagados, os vi-
zinba cidade ,de Mariana, os soldados, qne
o conduziam. e veio s recolher-se i ca-
deia desta capital.
Fortunato tinha 25 unnos de idade
quando foi preso, falleceu com 75 e lei
sepultado no cemterio das Dores, da frs-
grezia de Antonio Dias. Esteve, pois, aa
cadeia 50 annos.
Pouco antes de fallecer tirou-se-Hie.
no leito da enfermara, a pbotographia.
que n2o sabemos se a mesraa expoeta
abi.
< NSo sendo marcadas as sepulturas as
cemterio das Dores, dilficil saber a que
conten os restos morrees do carrasco ; se
houver, porem, quem a indique, o Dr.
Lacerda ter o primeiro crneo d- ?**
projectxda collecc/So.
O monte Maliache, do Mxico, offerece
particularidade notavel que foi conterapla-
da na raithologia trascalteca. Visto de
algumas posicSes, o enme da montanha
representa urna mulher deitada sobre mm
tmulo e coberta at metade do empo por
urna mortalba. A cabeca repensada sobre
almotadas, apresenta o aspecto de um ros-
to cadavrico, o ventre desenha-se debsi-
xo da mortalha que o envolve e pes
oceupam posicSo natural.
A illuso tanto raais perfeita ouarnto
mais o espectador se approxirn-i de Sea
Martin de Lezmalncan.
O Jidtruiediario do incettigadore e eunth
soe aponta, no sen ultimo fascculo, ex-
centricidades de algaas escriptores ik^bo-
do de escrever. Daremos algumas.
Paul de Saint-Vctor adquiri em Fri-
burgo um tinteiro de madeira preta, do
qual jamis se separava. Pensara oe
nlo acbaria idea no fundo de outro tintei-
ro, e quando viajava, hlo prescinda de
levar coinsgo aquelle aecessorio do esa
genio.
Mignet nao podia escrever senXo sobre
papel azul e transmittia igual mana a
Thiers. Tambem Duina tinha a supers-
tiyao do sen papel, s escrevendo em tiras
de 40 centmetros de comprimento. Tr-
nha-as sempre na algibera para poder
trabalhar onde quer que estivesse e ae-
ra em que lhe occorresee a inspirseje oa
o desojo de escrever.
Vietorien Sardou escreve em papel ami-
to grosso e um tanto rugoso, especialmen-
te fabricado para uso do fecundo oserfa-
tor, que no pode servir-se de outro.
Jacob, o bibliopbo, escrevia com letras
tao miudas que cada luha de ai>el de
cana conmina -*crrexni rrnfiL* eraai
tao approximadas urnas das outras que em
r>equeno espego laneava extenso artig.
De Buenos-AjTes escreveram rovarta
franceza La Naturv : A BepaWiea Ar-
gentina conta nos mappas tre? milhjes de
cavallos de origem rabe, pois foram im-
portados da Andaluzia, e sio notorias as
suas especiaes condgoes de belleza, de
for^a e de resistencia. O exercito firaa-
comegou a utilisal-os.
cez
grandes estancias sao incomparaveis os
vios destes animaes. Apontam-ee caval-
los que, montados pelos nossos gjiuchoe,
tem ebegado a caminhar 290 kilmetros
por da de 24 horas.
Para tirar a pva esta resistencia
effectuou-se em Ayacncho m pareo e
que os cavallos deviam caminhar a paseo,
trote ou galopo durante 10- horas. Da
e tre os dos concurrentes coube o prenrie
a Baudrix, dono do cavallo Recluta, qoe
venceu em 10 horas 143 lj2 kilometroa.
Segundo o professor Georges Forbe,
estavam em servio nos- Estados-Unidos,
em Fevereiro deste anno, nio menea de
300,000 lampadas elctricas de arao, afi-
mentadas por estagSes centraes e.......
2,250,000 lampadas encaadescentes. Des-
de entao tem augmentado comderaTti-
maite o numero de lampadas, contando-as
hoje quatro ou cinco fabricas capases de
produzir, eada urna 10,000 lampadas por
dia. O consumo actual de mnitos m-
lhSes de lampadas por anno.
.
Por intermedio do astrnomo .
acaba a academia das sciencia* de



*
:t
-
Custodio
Pedro Fon1
Dias Per:
lana, Geo
Cas e % p
Che
George
Irasie
de Mendonca, Andr Lopes,
,n Lopes Ferreira. Adriano
Fomes, Brnz Prepa-
iii-o Correia, I pra-
ingtez T*-el:
Greger, Artbn
comprehenda o territorio desta provincia.,
Fortunato exerceu o officio de algoz du- urna commun.cacao na qual
rante 40 annos, a partir de 1835; infez-
mente s ha noticia de algumas execusSes
que fez em diversos termos desta provin-
cia, sendo a primeira em 1840, na cidade
de Itabira, e a ultima em 1858, na Dia-
mantina.
Neste periodo de 18 annos (1840 a
1858) deu se a morte na forca a 41 sen-
tenciados, incluindo-se neste numero tres
mulheres
A referida folha explica do seguinte
modo como Fortunato se tornou carrasco :
Fora condemnado morte e conjunc-
tamente com elles foram condemnados os
autores dos seus dias; nao havia em Mi-
nas um executor para a sentenca que pas-
sara em julgado; e Januario requereu ao
governo ser prvido no officio de carras-
co, coramutando-se em prisao perpetua a
pena de morte a que estava condemnado.
* Deferido o pedido, realizada a trans-
accao immoral, entrou Januario em exer-
cicio, e as primeiraa execucSes que fee,
as primerras pessoas que matou, foram
sen pai e sua rali.
Viv, corto, esta tradiccSo, m ,s o
tacto nv> passa de puro avroato-, pois nao
OMteto que iTortanato fosut eondt-mna-
do d merte, nem sa podo crer qse twu-
\-csse um governo, u joia tio perverso
nier combate a tendencia recente qoe
induzido a confundir os meteoritos
estrellas cadentes. Diz o autor qi
tratar-se de duas formas de p
idntico, os enxames ou churas de
las deveriam aer acompanhados pela qa-
da de podras ou de ferros meteoricos.
Os fcetos nao mostram coincidencia das
dous phenomenos. Em 1886 cabiram nsais
de mu podras meteoricas em Knyaamra ;
em 1803 cerca de 3,000 em Aigle ; esa
1860 mais de 100,000 em Pultask;
1882 enorme quantidade em Moca
todas -estas quedas tao numerosas,
gmente nenhuma occorreu por &
de chuvas de estrellas cadentes, mm tadaa
realizam-se em pocas diversas d** nseaa
de Agosto e Novembro,. que *> as qaa-
dras mais ricas em fragmentoaomwtanaa
A queda de Hnyahinya verrio
Iunho ; a de Aigle a 26 de sttril; a da
Pultusk a 30 de Janeiro e a de Mots a 9
de Fevereiro.
Da
alo

tanto oorae o arofrio Fortunato, qac
tsaaasie immoral aolicitacao e pe"*- anamofmi
SPORT
Derbjr Ctuh e
Realusou-se antehontem a
Acoacurrenciawui
ii pontes, entretanto.


mb
u c
J trl
V1'
ii II u
ixc
J$nei
I
H
*i -
r '.-

i era
com o re-
abaixo:
#
Primeiro pareo Cemsotacoo (! turnia) 800
tetrosAaimaes da provincia que ainda nao
reswm ganhone riaPremios: 204.
rada uve.
Ao signal de partida Ecla tomou a ponta
lo-a prximo ao vencedor a Liudness, mon-
tado por Pedro de Figueiredo e que logrou ga-
libar a corrida em i
Ecla foi 2o e Breas 3-
Poule de Limlne em 1, 40*600; em *,.......
16*600.
Poule de Ecla em 2o. 14*700.
Movimento geral, 5.305*000.
*
Segundo pareoPrado Pernambucano1.000
metros -Auimaes de menos de meio sanguc
Premios : 300,5 e 75*.
Ao grito do starter, Recife, montado por Ma-
Doel Virgilio, puxou a corrida, seguido de Favo-
rita e Mirndola e da mesma forma chegaram ao
poste do vencedor. ganhando Recife a corrida em
Favorita eontcntou-se. pois, com o 2* lugar,
destinando a bagagem ao seu companheiro de
Coudelaria. o Mirndola.
Poule >i llecife, 19*700, tendo sido o mou-
mento geral de 4.730*000.
/ *
Tereci.-o pareoProvincia de Pernambuco
1S00 metrosAuimaes da provinciaPremios :
230*. 60 i e entrada livre.
Foi o pareo em que a Coudelaria lntegrulade
estreou no tribofe. Proprietaria dos dous melho-
res animaes, Good-mornig e Cndor, decidi en-
tretanto que este ultimo, embora inferior, devia
ganhar a corrida e assim aconleeeu.
Arreada a bandeira, Foguete oceupou a pona,
cedendo-a immediatamente a Cndor.
Good-inoraiog, por cautella, foi obngado a
sabir em ultimo lugar; ainda assim, que de tor-
turas na leve o pobre animal de passar para u^o
se eoliowii La vanguarda !
Foi tan horror 1
O interesante animal, correndo seinpre preso,
so teve. em toda corrida um momento de liber-
dade ; e foi (piando lucitatus, que nSo havia en-
trado no tritofe. emparelhou a Cndor.
Deu iso na entrada da recta de chegada.
Good-monine' forcou entao o galope, collocou-se
entre Cndor e Incilatus e fazeudo este desgar-
rar, empurrou para a frente aquello, que afinal
ehegou ao vencedor em 97".
E assim u riniuou a irritante comedia !
Good-moring foi classiticado em 2o lugar e
IncHatu- en 9*.
Nao corren Pimpao.
Poule de Coudor, 75500, tendo sido o mov:
ment geral de 6.5555000.

4." pareo. Inte nacional. 1,800 metros.
Animaes de qualquer paiiPremios: 5004,
125* e entrada livre,
Reproduziu-sc neste pareo a mesma comedia
do anterior.
Africana, que j se achava um pouco desacredi-
tada, pelas constantes derrotas que ltimamente
tem soffrido, foi designada para ganbar a cor-
rida. .
A decadente egua collocou-se na vanguarda
logo na sabida e assim ebegou ao vencedor em
ar.
Ruy Blaz alcancou o 2o lugar, correndo sem-
pre preo e Mastin o 3*.
A famoia Condessa nao se apresentou.
Ponte de Africana, 7*700, tendo sido omovi-
mento geral de 5:3855000.
5 pareo. Prospcridade.SBQ metrosAni-
maes da provincia Premios : 200*, 50*, c en-
trada livre. .
Florete, montado por Joo Lucifer, puxou a
arrida, conservando-se naponto atea distancia
de 200 metros, quando batido por Monitor.
Va entrada da recta de chegada Florete empare-
Iha a Monitor e reloma a ponto, ganhando a cor-
rida em 63 1,2".
Monitor foi bom i." e Lucifer 3o.
Poule de Florete em 1., 17*800; em 2.,
XJ700
Poule de Monitor em 2., 7*700.
Movimento geral, 7:050*000.
commercm
Revista do Mercado
Recife, 7 de Janeiro de 1889.
Pouco movimento na praca, constando apenas
de transaetOes em cambios.
Af
Favorita, que 100 ni te cedel-a
a Corcovado.
erva. por a Favori-
ta, ofTereceu lucia a ( orcovado e cliegou a eolio
se na vanguarda, mautendo-se nessa posi-
efio at cerca de 400 metros, quando Corcovado
Pareceu entto a todos que Corcovado, que llu-
via sido o favorito do publico, nao perderia
mais a carreira
Mas assim nao acontecen- Chapec, ehris-
mado com o noine de Incgnito e bem dirigido
por Francisco Monteiro, quando menos se espe-
rava passa um por um toaos os competidores e
chega ao vencedor em 70".
Corcovado foi 2. e e Minerva 3o.
Nao correu Maestro.
Poute de Incgnito, 59*400, tendo sido o mo-
vimento geral de 3:960*00.
7." pareo.Prado da Estancia.1,450 metros
Animaes da provincia. Premios : 300*, 75*,
e entrada livre,
ado o signal, em boas condicoes, Sirid pu-
xou a corrida, seguido por Pegaso, Atheu e Moni-
tor Cerca de 200 metros depois Atheu oceupa a
pona e nessa posicSo se conserva at prximo
a recta de chegada, quando Monitor, bem corri-
do de alcance por Alfredo Freitas, colloca-se na
vanguarda e ganha a corrida em 115".
Atheu foi 2." e Serid 3.
Poule de Monitor, 14*200, tendo sido movi-
mento geral de 3:930*000.

8 pareo,Consolar&o.- (2* turma)-800 me-
tros. Annimaes da provincia que nao tivessem
ganho nesta distancia. Premios: 200*, 50* e
entrada livre.
Bornave sabio na vanguarda, sendo 403 me-
tros depois batido por Etna, montado por Ma-
noel Archanjo, que ehegou ao vencedor em 61".
Bornave foi 2 e Bilontra 3o.
Nao correu Jpiter.
Poute de Etna em Io, 23*400: em 2, 13*40".
Poule de Bornave em 2, 21*600.
Movimento geral. 3:980*000.
INDICARES UTE1S
Medico
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto
rio aberto i na Duque de Casias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua residencia ra da Santa Cruz
n. 10. Especialidades molestias de se-
nhoras e eriancas. Telephone n. 326.
O Dr. Alvares GuimarSes, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do coracao,
pulinoes, ligado, estomago e intestinos, e
tambera as convulsoes e outras molestias
das criancas. Reside praca Conde d'Eu,
n. 28, 1.* andar, e tem consultorio ra
do Bom-Jesus, n. 45, onde diariamente d
consultas do meio-dia s 3 horas da tarde,
aceitando chamado em qualquer desses lu-
gares. Telephone n. 381.
Dr. Joaquim Lourciro medico e partei-
ro, consultorio ra doCabugn. 14, 1."
andar, de 12 s 2 da tarde ; residencia no
Monteiro.
Dr. Brrelo Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1. andar da casa
a ra do Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e como
aconselhada. Consultas das 11 s 3 da
tarde em sua residencia ra do Bom
Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1. andar.
O Dr. Costa Gomes, de voltade suavia-
gem ao Rio da Prata, continua em seu con-
. Chain, i
qualquer hon
3 da tarde.
Dr. Joao Pa oeiallsta em partos,
molestias de senhoros e de crianas, com
pratica nos hospitaes de Paris e de Viennn
d'Austria, d.-.t consultas de 1 s 3 hora
tardo em su. do Bftrao da
Victoria n. 51), 1 Chaina
qualquer hora.
Advocados
O Dr. H. Met mudou o seu escriptorio
de advocada, para a ra do Imperador n.
30, 1. andar, esquerda.
O backarel Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado roa do Imperador
n. 71, 1.a andar.
Occullsta
Dr. Ferreira, com pratica nos principaes
hospitaes e clnicas de Paris e Londres,
d consultas todos os dias das 9 horas ao
meio-dia. Consultorio e residencia a ra
Larga do Rosario n. 20.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officinas de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabelec:-
mento, o primeiro da provincia neste ge-
nero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeira de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos som com-
petencia Pernambuco.
Drogara
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos china-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Drogara
Faria Sobrinho & r\, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
PUBLICARES i PEDIDO
Bol
sa
DOE COE-
do
COTA9OE8 OFFICIAE8 DA JMTA
RECTORES
Recife, 7 di Janeiro de J889
Cambio sobre Pari, vista 351 rs. o franco,
banco satinado.
O presidente,
Candido G. Icoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
CamMo
Os bancos inantiverara ainda no balco a ta-
sa de 27 1,4 d., mas teriam saccado a 27 o 16
se apparecessem offertai de dinheiro.
Em papel particular os saccadores pediram
27 1/2, recusando os bancos tomar abaixo de
27 9/16.
No Bio o mercado manteve-se sem alleraco.
TABELLA AFFIXADA8
9
Asauear
Oh precos pagos 20 agricultor, por ix iutn, ge-
gundo a AssociacSo Commercial Agrcola, foram
os serrantes:
Brancos..... 2*000 a SW400
Someno..... 1*600 a 1*700
Masca vado purgado 1*300
tanto. l*2O0al*3O0
Rtame..... *900 a l*O00
A nova rldade do Recife
IV
AccumulacSo constante dos detritus or-
gnicos no slo das cidades, a devastagao
continua da vegetago que o poderia sa-
near, estabelece o que os hygienistas cha-
mam infeccao urbana ; fonte de elementos
poderosos e modificadores da coustituicao
medica de cada localidade, e cujo grao
sempre dado pelo do desenvolvimento da
populajao c da antiguidade do local habi-
tado.
Impressionado por essa causa que fatal-
mente determina a marcha das edificares
n'um certo sentido, muitas vezes impre-
vista, um eagenheiro francez, M. Autier,
j teve a idea de propor que se fizesse o
arejamento das ras e domicilios das cida-
des por um servico de distribuig&o de ar
puro das florestas, por urna canalisaeSo
que o transportesse da mesma forma que
transportado por exemplo, a agua pota-
vel e o gaz eorrente. Lssa idea, porm,
dever h (je ser para nos tao fantstica,
como seria na idade media, a de abasteci-
mento de luz pelos systemas hoje usados
ou a do vo da palavra atravez das distan-
cias.
Colonia Isabel
Branco 1*
2
- 3-
rtonieno .
Mascavado .
Usina Pinto:
Branco 1"
2'
Someno -
Mascavado .
2*400
2*00
2*000
1*800
1*300
2*400
2*300
14700
1-340
* >
a; -":
S I -
W"
3.
f
(I

X
P
3
t S 2
2.172
2.776
5.509
3.792
5

s >
i
m
s
i


i- -^

s 6
a

i
-5-
5
~ q-.

se :
05

82
a
i
5
g
Agodao
anas cota-se
^^Bttfio.
^ S S
a 6*050, nomi-

it a data de hoje so-
/0r :
144 Saccas
I
"'.
2.070 Saccas
Aexportaco, feita pela alfandega, neste mez
at o da 4, atungio a 3-372.940 kilos, sendo
2.857.443 para o exterior e 515-495 para o inte-
rior.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bem a 19.260 saccas, sendo por :
Baaras..... 5.011 Saceos
Vapores.....
Animaes.....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco-
Via-ferrea do LimoehS)
Somma. 19.260 Saceos
Couros
Cota-se a 390 ris, nominal.
Aguardeate
Mantcm-se a cotacao de 70* por pipa de 480
litros.
Aleool
Cota-se a 125*000 por pipa de 480 litros.
Mel
lea alterac&o no preco de 50* por pipa de
480 litros.
Paula da alfandega
SEVA.M I'* 7 i 12 DE J.V.NE1B0 DE 18?9
Vide o Diario de 6 de Janeiro de 1889
Yavio* earga l
Barca norueguense Ariadne, para Eetadas-0ni-
dos.
Barca norueguense Princessen, para Estados-Uni-
dos.
Brigue portuguez Calada, para Lisboa c Porto.
Brigue portuguez Armando, para o Porto.
Lugar americano Walter Scamell, para New-
York.
Lugar iuglez VerrP, para New-York.
Patacho inglcz Peggie, para Mentevido,
i'atacho norueguense Victoria, para Montevideo.
Vapor inglez Bellenden, para Liverpool.
Vapor inglez Architect, para Liverpool.
Vapor inglez Pa'tnas, para Liverpool.
A'avios descarga
Barca )x>rtugueza frica, car\
Barca yieza BeUrees bacallie.
1 1 ortugueza .Voro Siieurio, vhrios gneros,
ios gneros. _
Lugar nacieaal Tigre, xai
Lea 1110 //, & > Blendemman, fariuha
de trigo.
Lugar portuguez Temeraria, vario:
inportaeo
Pa1, les Tagut, entrado dos porios da
Europii em 4 tfo eorrente, e consignado a Amo
rim In
Amostras 25 \0lu11.
.ionio Se-
caiNaAii Wilson
4 gigas a A La-
irm Salvignal.
C. licit 1 cai-
Uitos e feltro 1
Chapeos 1 caixto ordem.
Cartas para jogos 1 caixa ordem.
rcirogia i* rairas a Comuanllia do Beben-
be, 2 ordem.
Hercadorias diversas 1 caixa a Oliveira Basto
fc C, 1 a Joaquim 1 marte -Simoes C, 1 a H.
W. S. Bird, l a W. Hood, 1 h Jo.io \V. de Medei-
ros, 1 a E. S. Comber, 1 a J VSwift, 1 a J. Begby,
1 a B. I'eltou, 6 a London Brazilian Bank.
Oleo 1 bail ordem.
Objectos para escriptorio 2
Sons C.
'imciiia 15 saceos ordem.
Pregos 44 barncas ordem.
! ap.d 1 fardo a ordem.
Queiios 5 caixas ordem.
Tecidos diversos 6 caixas a Goncalves Cunha
*C, i a D. K. Wild C, 27 ordem, 73 Luiz
Antonio Sequeira, 19 a Narciso Maia t(".,3a
Olinto Jardim O C., 2 a Bernet C, 6 a Macha-
do Pereira, 6 a Joaquim Goncalves 4 C.
Tintas 1 barrica ordem.
Paquete francez Niger, entrado dos portos da
Europa em 4 do eorrente, e consignado a Au-
gusto Labille, manifestou:
Amostras 3 voluntes a diversos.
Annuncios 1 caixa a \. >luyn 4 C.
linter 25 caixas aos mesinos.
Chapas para litographia l caixa a Ferreira
Boilrigues C. Cbampanha
guen. Confeitos 1 caixa a
Crystaes 1 caixa a J. Krause
xa" ao Diario de Pernambuco.
caixa ao Jornal do llecife.
Joiasl caixa a Beis .v Coceiro.
Legues I caixa at3. Wachsinann. Licoiv; l
caixa a Ramos A C. Livros I caixa a Doga
taix.
Mercadorias 1 caixa a Antonio D. Lima V C,
2 a C. Wachsmann.
Obras prateadas 1 caixa a Amorim Irmaos
C.
Papel I caixa aos mesmos, 1 a Costa Lima %
C, 1 a Francisco Manoel da Silva .m C. Dito de
en.bruIho 50 fardos a J. F. de Almeida, 5 a Sou
za Basto, Araoriu C.
Queijos 200caixas a Pai\a Valente C, 200 a
C.Pluyn 4 C, 2 ordem.
Saptos 1 caixo ordem.
Vinho 3 barns a J. Krmise < C, 6 e 1 caixa
ordem, 8 caixas a H. B. Gregory.
Vapor inglez Paraense, entrado de New-York
e escala em 5 do corrate, e consiguado a J. Pa-
ter C, manifestou:
Bauha I0.i barns a S. Basto, Amor m 4 C, 100
a 1 ereira Carnciro C, 50 a Saares do AuaraJ
Irmaos (;., 30 a Soares Fernandes.
Bren 40 barricas a Joao F. da Costa.
Fannha de trigo 6,565 barricas a ordem.
Kerosene 12,500 caixas ordem.
Machinas 4 caixas ordem. Dita para desea
rocar algodo 10 caixas aos herdeiros Bowmann.
Mercadorias diversas 6 voluntes a R. de Drusma
4C.
Toucinho 20 barris a S. Basto, Amorim i C.
a Soares Fernandes, 70 a Ferreira Rodriguse
&C.
>he:
e pela aceao dos ares que em
phep enfram eomo agentes ph
A evaporacilo carrega irremeddavelmen-
te de vapor d'agua o ar atmospherico. A
inriltrai;" nstituir 110 sub-solo o cha-
mado hncpl tagua. E onde o calor im-
pera sobem de ponto as influencia* delete-
rias desses dous phenomenos.
O ar quente e hmido perigosissimo
para a vida. E quanto mais directamente
battem os raios solares na superficie do
terreno, c mais difficil o escoamento
das aguas infiltradas inaior a oscillaco
do nivel dessa carnada liquida subterr-
nea, de cuja variaclo notaveis hygienistas
fazem depender a etiologia e a lethalidade
de certo numero de molestias, peculiares
ao nosso clima.
Por outro lado, a escolha, arbitraria e
quasi sempre m dos materiaes de cns-
truejuo, a dispos5lo desarasoada dos com-
partimentos dos domicilios onde sao eiles
empregados, aggravam o viciamento que
a nossa respiragao e transpirado tra-
zem ao ar confinado, e determinara a ne-
cessidade imprescindivel da renovacao
constante desse ar, que pelas causas apon-
tadas j de fura, nos chega impuro, e jhe-
garia forzosamente lethal, senao tivesse-
mos para nos proteger as condijoes espe-
ciaos a que anteriormento j me referi.
Pois quando nJlo se queira adinittir essa
especie de respiracjto do sub-slo indica-
da pelas interessantes experiencias de M.
Renk; fogosamente se aceitar a idea de
que as aguas que se infiltran deslocara os
gazes e O ar subterrneo a medida que
lhs tomam o espaco oceupado, restituin-
do-os a atmosphera, como igualmente pela
evaporacilo s3o restituidos os que o liqui-
do dissolve.
D'ahi a neeessidade imprescindivel de
cuidannos primeiro que tudo dos nossos
esgotos, roconstituindo-os onde estao elles
defeituosos, e estendendo-os por essas zo-
nas novas da velha cdade onde se sent
a humidade do slo, humidade que nao
peculiar a nossa disposiySo c formaeao
geolgica, c que appareco exclusivamente
porque sao csses locaes o escoadouro natu-
ral das zonas vizinhas.D'ahi a grande
exigencia de immediatamente se melhorar
o systema de construcao de nossos domici-
lios, dos quaes aquelles que so hmidos
igualmente o seriara, guardadas as normas
actuaos, ainda no caso em que se pizessc
em execuy.to entre nos um desses tuto pre-
coniaados planos ideaes, que se constitucm
por va de regra o pensamente constante
dos nossos reformadores espontneos...
Montevideo e Buenos-Ayrcs, cidades
dinariamente citadas entre nos como
dlos de ludias cidartts, nao escaparara a
essa infeccao, e neiu pelo menos ahi se
esnseguio minorar-lhe o effeito ; ella alias
deveiia ser rauito mais demorada e em
muito menor escala ahi, visto tratar se de
um clima onde a aejao do sol nao tem
u na forca, o visto tere:n as ras do
seu plano imposto por hi,sendo largas e
expostas a vantagem de estarem em per-
feita harmona com os principios propaga-
dos, f a fin de nao queremos ir alui), desde
a poca do Kenascimento na Italia, e re-
Carga da O.'.i
Bagagem 65 volum s a L. da Bocha Dias.
. CJftfutos 1 Ciii.vo a Joaquim B. dos Res.
ChaS>s 5 caixoes a diversos.
Tumo em rollia 63 fardos a S. Esnaly Bank.
Fio de algodo 80 saceos a Gomes de Mallos Ir-
maos. eijp 361 saceos a Bailar Oliveira 4 C.
fauno de algodo 10 fardos a Agostinho Santos
4C, 10 a Joaquim Goncal.es 4 ., 32 a Albino
Amorim 4 C, 60 a Amorim Cardoso C. 23,d
Moura Bordes v I".
Piano 1 caixo a Domii'go.sCniz C,
Hi:ite nacional Victori, entrado J'Macto em
5 consignado a C. Antonio da .-raujo; mani-
festou : ." _.,
Coinos seceos salgados 142 a Joao Pues de Oli-
veira.
Sal (2720 litros a ordem.
Vapor inglez Estrella, entrado i!03 portos do
sul em 7 do audantc e eoosiguado a Pereira Car-
neiro v '. ; manifestou:
Xanme 1286 Tardos a Pereira Cameiro *. C,
1108 a Amorim Irmaos ., UjO a Joaquim da
Silva Carneiro, 777 a Maia it Rez-nde, 738 aBai-
tar Oliveira C.
or-
mo-
n^t-iliil 0 C1IO1C i i ii -. Ui' 1 1... .ni, 1 .-lia
entrada tnnmphal em e as epide-
mias que rcinaran at 1871, desimando a
popula<;"ut. abriram por fim os olhos dos
sul-americanose..
Os constructores das duas cidades ty-
picas, exclusivamente enlcvados c entu-
siasmados pelas linhas do seu desenho geo-
mtrico, chegaram a se esquecer que as
cidades devem ter galeras de esgotos e
canalisagoes ou aqueductos como j os ro-
manos o haviara dictado ao mundo inteiro.
Os esgotos em Montevideo e Bcenos-
Ayres se faziam pela inelina^ao natural
dos terrenos. O abastecimento d'agua
era feito por cisternas abertas nesso mes-
mo solo onde, como lembrou Radou, erara
lancados... os residuos dos cortumes e
dos enormes saladeros*
Proseguirei.
----------------SOO0g>----------------
Para *. Exea, os lllns rs.
presidente da prorJaela^e ins-
peetor geral da Instrueeo pu-
blica
Os abaixo assignados moradores em
Tacaratu', sabendo que o tabelliSo publi-
desta comarca Manoel Francisco Botclho
trabalha somentc por conveniencia propria,
para que deixe o exercicio desta caaeira
o professor Delmiro Sergio de Farias,
que tanto se tem esforcado pelo bom
adiantamento de seus discpulos, revelan-
do-se assim um bom educador da mocida-
de, agradando geralmente a todos, nao s
pelos seus dotes intellectuaes, como por
sua conducta irreprehensivel, vem do alto
da imprensa protestar anticipadamente con-
tra qualquer reinocSo ou outro qualquer
acto que por ventura gpgsa prejudicar ao
inesino professor.
Tacaratu', 19 de Dezembro de 1888.
Antonio Joaquim do Nascimeuto, aleitor*
Jos Hcrculano do Nascimeuto.
Francisco Rufiniano Cavalcante, eleitor.
Vicente Ferreira do Espirito Santo, escri-
v2o de paz.
Antonio Joaquim Cavalcante.
Manoel Honorato" de Araujo.
Jlo Honorio de Arujo, eleitor.
Benjamn Francisco Sonto, eleitor.
Pedro Baptista de Queiroz.
los Francisco Gomes Lima, negociante.
Thoin^'Syiufronio da Silva.
Por Candido Jos Braz, Francisco Jos
Cavalcante
Francisco Xavier de S, eleitor.
I'or Pedro Zeferino dos Santos (agricultor)
Jos Paulino da Silva.
Alfredo Marques de Oliveira, eleitor.
Por meu pai Joao Correia de Jess (agri-
cultor) Cassiano Correia de Jess.
Jos Luireneo da Silva, eleitftr.
Jos Ignacio da Costa Filho, eleitor.
Antonio Correia Vianna.
David da Silva Costa, eleitor.
Porfirio Jos dos Santos,
Jos Goncalves Correia Duque, eleitor.
(E?tava sellado e reconhecido.)
Inglez e francez
Cursos ibis 7 s 8 horas da inanhS e das
5 s I da tarde : ra da Aurora n. 37,
2." andar.
Para Cear, B. Oliveira a C. 100 saceos com
6,000 kilos de niilb-.
No hiale nacional Detts te Gwtrde, carre-
gou :
Para Cear, J. Pinto Lapa 50 barris com i,800
litros de niel.
Na barcaca Espadarle, carregou :
Para l'araliyba, J. Pinto .apa 33 caixas e 15
garrames eo. 4ii litros de genebra.
Na barcaca Nazinka, carregou :
Para Mamanguape, K. J. Gomes Jnior 2 bar-
ricas com ')') kilos de assacar refinado.
Dioheiro
REC'KBIlJO
Pelo vapor inglez Trent, do sul, pora:
Banco luMrnacinal 70.000000
Pel^vajior nacional "Pernambuco, de sul,
rara : ,^
Domingos de Sobza Ribeiro .OOOaOOO
Beruardino Lopes Alheiro l.OOOOOO
Reudimentos piiblieos
ME! DR taha*'
Alfandega
Registro civil
E' digno de estranheza qne oe liabitan*
tes- desta capital n3o se tenhem compene-
trado das vantagens que podem resaltar
com os registros dos nascimentos e caoc-
mentos de seus interessados^ ama ve* qne
em nenhuma das freguezias deste munCT-
pio at hoje se tem effeetnado um s '
tes registros desde o dia 1 do eorrente,
em que fra posta em execa$Jo a le do
registro civil.
Convm, portante, acantelar direitoe
futuros de suecessao dando cumprinwBto
as exigencias bem intencionadas da mes-
ma lei.
Vapor nacional Pernambuco, entrado dos por-
tos do sul em 6 do eorrente e consignado a Pe-
reira Carneiro A C.: manifestou :
Carga dollio de Janeiro
Alfafa 5 fardos a Penna & C.
Caf 61 saceos a Joaquim Ferreira de Carra-
Iho A C, 44 a G. de Mattos Irmaos, 35 a* Joaquim
Duarte Simes 4 C. 30 a Soares* Fernandes. 5
a Paulo Jos Alves'& C. Calcados i caix
Albino Cruz <5c C. i a Ferreira Barbosa & C.
Chapeos i caixes a diversos.
Fumo 12 \olumes,i Jisi' -ntonio dos Santos
Foges de ferro a pertences I f voluracs a Fer-
reia Guimaraes A C Ferragcos 13 volumes a
Beis A San 1
Massas alimentici as a Araujo Castro
A C. Mercadorias diversas 36 voJumes aos con-
signatarios.
Papel fardos aos coasMMtarios. Panno de
algodo 10 fardos a 1 Ro-
les Lim 4 30 a
00 a
rim Irmos A (
Ksporlaco
Ben'. 5 ob'ja* Bino of. 19
Para o exterior
No vapof allemo Paranagu, carregaram :
Para llaaihurgo, Polilman A C. 400 couros
salgados com 4,800 kilos ; Vctor Neeseo 375
couros salgados com 4,500 kilos : Bernet A C. i
barrica com 03 kilos de assuear branco.
No vapor inglez Palma*, carr garam :
.Par Liverpool, P. Carneiro A C. 1,000 saccas
com 71,058 kilos de algo'd'm.
No vapor inglez Archled, eaircgiv.m :
Para Liverpool. J. H. Boxwed 500 saccas com
33,964 kilos de algodo; A. Lahille 443 saecnis
com :-f ,0;J9 kilos de algodo ; 1. Nei y da F
ca iit) saceos com 15,75 kilos de assuear mas-
cavado.
No lugar iuglez Men Ut, carregaram :
Para New-York, J. Loyo A Filho 1.400 sac-
eos com 103,000 kilos de assacar mascavalo.
No lugar americano Arthkr C. Wade, car-
regaram :
Para Estados-Unidos, F, Caseao A Filho 3,200
saeflo com 375,000 kilos de assuear mascavado.
Para o nterm-
No lugar nacional Tigre, carregaram :
Para l'ruguayana, B. Oliveira A C. 100 barri-
cas com 118,560 kilos de assacar branca
No vapor nacional Arlindo, carregaram :
Para Bi> de Janeiro, J. vi. Loyo A Fillis 113
s%ccos com 6,780 kilos de assuear mascavado e
877 'ritos som52,620 ditos de dito branco : A. A.
II. osto 15 caixas com 30duzias de frascos de
elexir rabeca de negro.
No vapor francez Ville de Santos, carrega-
ram :
Para Rio de Janeiro, rosta A Fernandes 27,000
cocos, fructa.
No vapor nacional I'crnambvco. carrega-
ram :
Para Manaos, Silva Res A C. 35 bain
2,190 kilos de assacar branco, 3 pipas e 115 bar-
ris com 2,970 litros de agurdente : P. Pinto A
C. 80 barris com 7,680 litros de agurdenle :
Amorim irmaos A C. 40 barris com 3,840 litros
de agurdente ; M. F. Martins .'"i volumes rom
3 27? kilos de assuear branco.
\':u-.\ Par, M. Borges A ','. 2 0 barricas com
12 705 kilo de assuear branco ; morira Irm\09
& i;. 200 barricas com 19,364 kilos de assuear
branco, 8 ipas com 2,400 litros de aleool e 23
5 com 12 000 ditos de aguntente ; F. deMo-
: pipas com 4 800 litros de agurdente.
Para Maranho, B. Oliveira A C. 1 pipa com
480 litros de agurdente.
Na barcaja Correio de Mado ain :
Para Mossor, B. Lima A C, 56 saceos com
3 000 kilos de carocos de algodo : P. AI vea A
C. 30 barricas com 1,959 kilos de assuear reli-
Para Maco, P. A Ivs A C. 17 volumes eom
PMSUCarn M.nrricasconi
428 Uti
-
Benda geral :
Do dia 2 a 5
dem de 7
160:66766
68:732^811
228:^9ii577
Renda provincial :
Do dia 2 a >
dem de 7
28:358*689
6:705i 679
35:0644368
Somma total 264:063*945
Seguida seceSd da .Alfandega, 7 ue Jancire de
1889.
0 thesoureiro -Merend Domingues.
O chefe da seccao Ckere B. de Mello.
Rcrebedoria Geral
Do dia 2 a 5 3:145*853
dem de 7 2:193*291
3:341#144
Recebedorla provinelal
Do dia 2 a S 27:591*283
dem de 7 18:902*826
Carnes verdes
Para t raiiquilidade da po-
pulado desta cidade preve-
nimos a todos de que uaole-
nliam receio de comprar car-
ne por mais de 480 ris O
kilogramma, porquanto
j tomamos todas as medi-
das para que isso nao succe-
daf e iissim temos combina-
do com varios marchante* e
tambem com a digna socie-
dade dos Talhadores, a quaJ
por unanimidadede \ otos to-
mou o compromisso solemne
de nao cortar rez alguma por
pre^o superior a aqueBe, seja
de quem quer que fr.
Essa defiberacao que, hon-
ra a digna associac,ao, omais
seguro penlior que garante
os direilos ciuteressesdopo-
vo d esta cidade, que tanto
se procurava allegar em fa-
vor do contracto.
Recife. 17 de Janeiro de
1889.
Fiuza Lima C.
A causa freqnente de muitas enfermi-
dades nos paizes calidos a prisao de Ten-
tre, pois accumulando-se as materias fe-
caes no intestino, produs-se innammaejo,
proviudo dispepsias, gastralgias, gastrites
congestoes, pituita, desordens biliarias,
nauseas, gases, e enfermidades dapelle. O
derivativo indicado um purgante, que
nao irrite os orgaos abdominaes, tal como
a fruta Julias, eonfeito vegetal, de accio
suave e refrigerante, que as ranlas e
os senboras tomam com prazer; elle por-
ga lentamente, sem accasionar molestia al-
guma.
Precos de dia :
Carne verde de 440 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 800 reis idem.
Sumos de 360 a 640 reis idem.
? arinlia de 320 a 560 reis a-caa.
Milho le 320 a 400 reis idem.
reijodcaOa 14000 idem.
Halad miro puMiro
Neste cslabclccimcuto foram abatidas para consumo le boje 91 tem.
Sendo .- 69 n-rteneentes a Olivoira Ca*tre A
\. e 22 peeneenles a diversos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE JANEIRO
Europa....... Ville de Santos-----
Norte......... Fin nce..........
Sul...........
Sul...........
Europa.....'
Norte.........
Europa......
sul...........
Europa.......
Sul...........
Norte..
Sul........... Manos
Mrance...........
Ville de Muraukm.
Sorata ............
Maranho .........
Ville de Cear......
Para.............
Elbe..............
La Plata..........
Alagos...........
46:494*111
Vapores a sabir
MEZ DE JANEIRO
Sul.......... Vale de Santos..... 9 as
Fernando- Jaguaribe......... 8 as
Norte.........idtance.......... II as
Sul.......... Finance ......... 11 as
Havre e esc Vle de Maranho.. 12 as
Cear e esc... lunpama ,........ 12 as
Valparaso StwtMa........... 13 as
Sul.......... Maranho......... 14 as
-antos e CSC. Ville dd Cear..... 17 as
Norte........ Para............. 18 as
Buenos-Ayres. La Plata.......... 20 as
Sul......... lagoas........... 24 as
Norte........ Vanaos........... 28 as
s
tO
10
11
a

16
i:
i*
90
Si
V
11 b.
rJ>
5 b.
i b.
9 b.
St.
llb.
5 b.
so.
5 b.
II B.
5 b.
5 b.
Do dia 2 a 5
dem de 7
Recife Drainage
7674'.99
896*442
1:663 991
Mercado Municipal de W. O movimento deste mercado nos dias 5 e ti de
Janeiro foi o seguinte :
Entraran! :
531'2bois pesando 9,950 kilos sendo de Oli-
ra Castro C, 35 e 18 12 de parlicula-
, res :
647 kilos de peixe a 20
66 cargas de farinha a 200 ris
6 ditas de fructas diversas a 300
ris
18 tabolciro3 a 500 ris
45 subios a 200 ris
29 matulos com legumes a 200 ris
Foram oceupados:
."i columnas u 600 ris
i escriptorio a ;K) ris
i.npartimentos de farinha a
ris
48 ditos de comidas a SOOria
173 ditos de legumes a 400 ris
36 ditos de suinos a TOO
I ditos de fressuras a 600 re-
20 Udhos a 24 .
2 dito a II
A Oliveira Castro A C. :
108 talhos a 1
BOJ
121940
135200
15800
35600
95000
95800
325400
200
235000
695200
254200
123QOO
405000
25000
1085000
Hovimento do Porto
Navios entrados no dia 6
Buenos -Ures e escala-12 dias. vapor ingles
Trent, de 1,698 toneladas, com mandan le W.
Chapman, equipagem 103, carga >arios gene-
ro- : a Amorim Irmaos C
Bio de Janeiro c escala 7 dias. vapor brazero
Psrnvmbuco, de 1.999 toneladas, coinmandante
Francisco Antonio dAlmcida, equipasen 00,
earga ( aeros: a Pereira Carnero
.&C.
Navios sahidos no mermo dia
Southampton e escalaVapor inglez Trent, eos'
mandante W. Cbaprnan; carga varios ge
ros.
Porto -Vapor brauleiro AHimo,
coinmandante Jos Francisco de Oliveira: car-
ga varios gneros.
Navios entrados no dia 7
Porto Alegre c escala, II diasVapor iofjez
Estrella, de 225 l 'oramandanle Da-
i Jones, eq -;''. carga vanos gneros;
a Pt '
Porto e Figoeira 34 di, i-ortugoea 3>-
mer 'berto de
Fu irios gneros;
a Amor i Irmaos A C
t;
VIS, i
*c.
Baha '
ala -i braatt
o; a Livranws:o
i
Rendimcnto do dia 1
de
i do
3825741

l


Diai
aambueo---Tera-fera 8 de Janeiro de 1889
Illms. Srs. rodadores do Diaria *
Peraambco
Con.

fundamento
ludo jornal, relatnaa un desafll \no!io.

Vv. S. tornera publica i'sta
decan
Re'i e Janeiro de li~

------ -fc. ------------
Atteiicrio
Chamamos a atten primcira auto-
ridaclc da provincia -do llm. Sr. Dr. juiz
dedireito do 3.- district criminal para o
abaso que se est dando com o proc
contra Francisco Ribeiro. Jazis.
Este cr'min iso eio dins do mi'z de De-
zembro de 1887, por un* motivo todo fri-
volo, ferio gravemente a'Laurcntino Aiuan-
cio de Carvalho, com urna navalha, ape-
nas por ter este infeliz bebido um vinteni
de agurdente e sahido sem pagar!
O ferimento foi extraordinario, e o obri-
gou a guardar um leito do hospital Pedrc
fl dorante mais de tres mezes ; e ainda
ji3o 'pode trabalhar por nao poder fazer
cerfos movhneutoK, pois a navalhada co-
mecou do fio do rombo at as nadigas. O
Sr. Dr. Gana Loto p'de informar a na-
tureza de tal fcrimoitol
Entretanto o processo est parado; nao
Foi aquerida nina s testemunlia e o reo
continua solt, como se tal erime nunca
tivosse comraettido.
Recife, 7 de Janeiro de 1889.
Um prente do offendido
Collegio nove de Janeiro
S*fe a dirooco dobaeharel Ber-
nardo los da ama Ums
Ra do Desembargador Surte Machado
n. 92 A
O director deste estabelecimento de ins-
trcco primaria e secundaria offerece aos
Srs. paes urna casa ein que ha ver-
dadeiro interesse na educacao de seus fi-
lhos.
As aulas couiecarSo no dia 9 do corren-
te, acbarido-se a frente da aula primaria
o director secundado por muito bons au-
xiliares.
Do curso secundario que comprehende
as seguintes materias portuguez, francez,
inglez, allemo, lalim, rethorica, geogra-
phiaj historia, mathematicas, philosophia e
sciencias physicas e naturaessao profes
sores os hachareis Ayres de Albuquerque
Gama, Tertuliano Feitosa, Augusto La-
menha, Feliciano de Reg e Bernardo Lins,
o I.* tenente Sidney Schieflere o Dr. Cu-
uha Menezes.
O servico interno entregue a censores
c o domestico iamiliado director.
O collegio ainda proporciona conforme
ajuste separado, o ensino de piano e canto.
O director,
Bernardo Joe da Gama Lint.
Illif :W 1
que offerece urna sociedade artstica tosSrs. assignantes
do e Diario de Pernambuco
DE
DUAS BELLAS OLEOCRAPHIAS
O CHRISTO DE VELAZQUEZ
Estas preciosissimas oleographias mc/lem 88 centmetros de alto por 61 de largo, e sao
una copia exacta dos originaes, das obras dos grandes motores hespanhes Yelozqaez e Murillo,
nao se tendo esta sociedade poupado a gastos nem SBcricios para apresentar duas copias dignas
d'aquellas; grandes celebridades artistcaa
Nem mais una palavra diremos en seu elogio, pois que o publico j soube julgar do m-
rito destes quadros cujos magnficos PENluMS temos e\posto na Umrla T. 1'. Boulitreau, na
ra lo Imperador n. 46.
Anezar da importancia deslas obras, lizeinos urna combinacao em obsequio aos Srs. as-
signantes deste Diario para que possam obter ao preco rediiiidiaskno de 4*SO cada urna, ou
seja urna quarta parte, apprc\imadamente, do bou valor, sendo indispensavel para sua acquisicao
a apresentacao do cupn junto. -|ue .se dere corlar e lavar se. al ao dia 21 Enero, en la dita li-
vraria F. P. Boulitreau, 46Imperador.
ClPO\
Apr re .'TU la
livrari i ".
treau. -.- i
Lapor' II ma do
Iraperaaoi n. i.
Diario de Pernambuco
VALIDO ATE'ITeNEKO PXJIO.
Valido pura.
c.vraipl. O iliiisiu
A Yirsem
Apresenlar-se em la
Uvraria F. P. Bouli-
treau, successor de G.
Laport & C, ra do
Imperador n. 46.
CRTESE ESTE CUPN
SotaA oleograpina sem apresentacao deste cupn vale 154000
OutraPrevme-se aos Srs. assignantes que, passado o dia 21 Enero nao terao dircito a
nenhuma reclamac5o, por ser este prazo impromgavcl.
i virtnde do que dispoe o art. 66 do regula
ment que baixou com o decreto n. 9584 de 3 de
Fcvereiro de 1880, a Inspectora Geral de Hy-
gicne faz publico, pelo prazo de oilo dias? que o
cidado Alfredo Jansen Gongalves Ferreira, lhe
diriga a segrate petico com documentos que
satisftuem as exigencias do art. 65 do citado re-
gulamento.
Alfredo Jansen Goncalves Ferreira, achando-
se habilitado para bem exercer as funccOes de
pbarmaceutico na cidade e municipio do Espiri-
to Santo, comarca de Pau d'Alho, provincia de
Pernambuco, visto como nao ha na referida ci-
dade pharmacia alguma dirigida por pharmaccu-
ticos formados pelas nossas Faculdades e provar
o snpplicante com os documentos junto?, o que
determina o art. 05 e paragraphos da regula-
mentoque baixou com o decreto n. 9.534 de 6de
l'Vvereiro de 1886.
Assiin o supplicante, confiado najustica que
sempre preside aos actos dessa Inspectora e na
de sua causa, espera c pede a V. Exc. deferi-
mento. E. H. Mee. Pau d'Alho, 29 de Julho de
1887. Alfredo Jansen Goncalves Ferreira.Sobre
duas estampilhas de 20:)res cada una.
E declara que, si nesse prazo nenlium pharma-
ceutico lhe communicar ou & Inspectora de Hy-
giene da provincia de Pernambuco, a resolucao
de eetabelecer pharmacia na citada localidade,
conceder ao pratco a licenca requerida.
Inspectora Geral de Hvgiene, 9 de Agosto de
1888.Dr. Pedio Alfonso de Carvalho, secretario.
Ba Bario de S. Borja u. SO
As aulas deste collegio abrir-se-h3o no
^ de Janeiro de 1889.
Cal
Freir de Andrade & O 178 ra dos
Capellistas, Lisboa, vendem cal em pedia
superior qualidade, preco 180 reis fortes
cada 15 kilos, postos a bordo com vasilha.
N. 19*
Agu Floriiln de Marrar e I.Hnman
Alm da sua avanlajada superioridade como
um pirfuine sobre as mais valiosas composicoes
estrangeiras; esta deliciosa quo deleitavel es-
senda floral, forma urna agradavcl lavagem para
os dentes e gengivas servindo de conservativo
para os memos,e como applicaco suave e mo-
dificante para a pelledo rosto depois desehaver
feto a barba, diluida em agua.
Um lenco molhado com algumas gotas da mes-
ma e apj)licado a testas e fontes, promptamente
dissipa e faz desapparecer as dores de caceca as
mais violentas; e as senhoras que presam sobre
ludo urna coinpleicSo clara e transparente, acolb
pandada de urna pelle macia e avelludada. acha-
rara que ella extremamente til, em remover
ebulicoes, espiuhas, sardas, sapinhos, maculas.
assim como todas as maiserup?Oes oxternas e
descoloridos que militara contra a pureza, tran-
sparencia e flexibilidade da pelle.
Como garanta contra as falsiGcacoes obsrve-
se bem que os nomes de Lanman A Kemp ve-
nham estampados em letras transparentes no
papel do vidrinho que serve de envoltorio cada
garrafa.
Acha-se venda em todas as boticas e lojas de
perfumaras
Collegio Amor Divino
BA DA IMPERATBIZ N. 32
As aulas deste estabelecimento, dedicado
instruccao das creancas do sexo masculino abrr-
se-h'io no dia 7 do corrente.
A directora,
Olympia Afra de Mendonca,
Collegio de >ossa Senhora da
Paz
No dia 8 do corrente, reabrir- sc-ho as aulas
deste collegio, ra do Barao da Victoria n. 46,
Recife, 2 de Janeiro de 1889.
A directora.
Mana da Paz e Freitas.
Collegio de \ossa Senhora
Penha
Una da Aurora n. 39
As aulas deste collegio se abrirfio a 7
de Janeiro e sSo de : primeiras lettras,
portuguez, francez, inglez,geographia, m-
sica, piano, desenlio, bordados de varias
especies, flores, etc.
A directora,
Augusta Carneiro.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Ballbazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Prestase a qualquer chamado para
fora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
A ra do Barao da Victoria n. 43
onde se indicar sua residencia.
II
Institution fran^aise de
Demoiselle
dia
COllegio de Santa Lucia
PARA SEXO FEMZNINO
Este estabelecimento de educacao e instruccao
primaria e secundaria abrir suas aulas no da 7
de Janeiro do corrente anno, esperando continuar
a merecer dos paes de suas alumnas e do publi-
co era geral a confianca que at hoje lhe tem sido
dispensada.
Contina a cuidar da educacao de meninas e
meninos, recebe internas que sao tratadas com
carinho, asseio e desvelo, meio-pensionistas e
externas, bera como meninos de tenra idade.
para o que dispoe de um corpo docente habili-
tado.
Outro sira, scientifica que no mesmo estabele-
cimento enstnam-se as seguintes materias : Pri-
meiras lettras, portuguez, francez (escrever e
fallar), geographia, historia, arithmetica, dese-
nlio, msica, piano, trabalhos de agulha de todas
as especies. Bordados a matiz, froco, ouro, mis-
sanga e brancos, flores de panno, pennas, cabel-
los e pajiel, cestas de pedra-hume de todas as
qualidades.
Recebe-se tambera como internas e meio-pen-
Jos*^ de Souza Cordeiro SimOes, participa ao sionista.- mocas de II anuos de idade para cima,
respeitavel publico e especialmante aos pas de!nSo sO para diversas aulas do collegio, como
seus alumnos que as aulas do seu curso abrir- para os trabalhos de agulha.
As mt-nsalidades sao pagas adiantadas, pelo
preco mais razoavel.
Ra luirme de Caxias, antiga do Queimado
n. 70, 2." andar.
A directora,
Amia do Reg Bar reto de Almeida.
Aula particular
Anna Theodora Simoes participa ao publico
em geral c em particular aos pais de suas alum-
nas que a sua aula abrir-se-fia no dia 7 d cor-
rente.
Instituto Philomatico
33 Viseoade d'Albuquerque 33
As aulas deste estabelecimento de instruccao
estaro abertas do dia 7 do corrente em diante
0 director,
Olinto Vctor.
Curso primario e secundario
Collegio de S. Miguel
Ra do Vlseoude de Caataragl-
be ii. &
Aos respeitavis paes de familias parti-
cipa a directora deste novo estabelecimen-
to de instruccao para o sexo feminino,
que abrir as aulas no dia 14 de Janeiro
de 1889.
A mesma promette aos paes que lhe
confiarem suas tlhas esfrcar-se por lhes
dar urna educacao primorosa, solida, reli-
giosa e domestica.
A tratar, do 1 de Janeiro no proprio
estabelecimento, das 2 da tarde as 7 da
noite.
A directora,
Emilia A. de Mendonca
Obras publicas
De ordem do Tllm. Sr. engenbei-'> di-
rector geral e em vista da autorisajao de
S. Exc. o Sr. de8embargador presidente
da provincia de 12 do corrente, faco pu-
blico que no dia 8 de Janeiro prximo
vindouro, ao moio dia, nesta directora, re-
cebe-se propostas em cartas fechadas, com-
petentemente selladas, para a execiigao
dos reparos das pontos da ra do Rio, na
cidade de Guyanna, da varzea de Urua-
bc e do ultimo pontilhito de Pao Amarello,
na estrada do norte, oreados em..............
1:481*360.
O ornamento e mais condicSes do con-
tracto acham-se nesta secretaria para sc-
rem examinados pelos Srs. pretendentes.
Para concorrer praca cima deverao
os licitantes depositar no Thesouro Pro-
vincial a quantia equivalente a 5 i, do
valor do oveamento.
Secretaria da Directora Geral das Obras
Publicas, em 15 de Dezembro de 1888.
O engenheiro secretario,
Luiz Antonio Cavalcante de Albuquerque.
De ordera do m. Sr. Dr. inspecior, faco
publico que no dia 10 do corrente ir de novo
praca, conforme as ordens da presidencia de 17
e 19 de Dezembro ultimo, o fornecimento de
3,000 metros de algodao raesclado nacional para
vestuario dos presos pobres da Casa de Deten-
cao .
Secretaria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco, em 5 de Janeiro de 1889.0 oflicial,
Lindolpho Campello.
se-ho no dia 7 do corrente.
Curso primario e preparato-
rios
Ba Larga do Mona rio n. II. Io -
Estarao abertas as aulas deste curso no dia 8
do corrente mez.
O director,
Camerino Sobrinko.
Um perfume raro, que por si s de-
monstra a elegancia e o bom gosto da pes-
soa que o emprega, o complemeuto in-
dispensavel de um rico roncador. Nao bas-
tara as sedas, as rendas e as joias de va
lor, preciso que nelle se acbe tambem o
perfume da moda. Este o Extracto de
Kananga do JagSo da casa Rigaud & C,
bem conbecido das senhoras elegantes, como
o mais suave, o nico que permitte sup-
portar sem fadiga os bailes, os theatros e
outras cunioes.
Festa de Nossa Senhora do
Monte
No da 13 de Janeiro prximo, pretende o
Dora Abbade do Mosteiro de Bento de Olinda
celebrar a testa de Nossa Senhora do Monte era
sua ermida e desde j podero os devotos se en-
tender co^i o? encarregado da mesma festa que
sao o capites Fortunato de Sampaio e Luiz
Pereira de Parias.
Cunda, t> de Dezembro de !888.
Fre Jos de Santa Julia Botelho,
Dora Abbade.
O ESQUELETO
Leuda l'liaiitaslica de Olinda
Vii VOIiOCE DE 200 PAGINAS
Ultima producc.So do
Dr. Carneiro Vilella^
Vende-se as prneipaes livrarias d'esta
cidade e no pateo do Seryo n. 4 escripto-
rio da Lantento Mgica.
Collegio de Santa Luzia
Do dia li em diante contina a funecionar, es-
forzando se "a sua directora, para bem corres-
ponder as esperanzas dos paes ou tutores dos
alumnos que lhe forera con liados, por meio de
urna educacao scientiGca, moral e religiosa. Es-
pera pois dos meamos benvola proteecao.
Collegio Parthenon
3 Rna do Hospicio 3
O director deste collegio declara aos
pais de seus alumnos e ao publico em ge-
ral que as aulas comecarSo a funecionar
a 7 do corrente mez.
Recife, 3 de Janeiro de 1989.
O director,
Ovidio Alve Manaya.
Advocado
Ao
-couiiuerci
A directora da Sociedade Unio Commercial
Heneicente dos Mercieiros. a quem esto confia-
dos os poderes para tratar dos interesses do3
associado-, e bera assim do commercio a
retalbo, era geni; surprchendida pelo despacho
de 5; Exc. o Sr es-presideote da provincia de 2
do c elo mal concede que se eslabele-
cam fazendas, miudezas. calcados,
rere, rens e molhados, nos compartimentos do
'ablico de S. lose\ sem que fiquem su-
jeitos aos imp-Jstos geraes e provinciaes, e de
cujo favor importa e colloca a desigualdade de
commercio.
Convida a lodos os Srs. negociantes de re-
tallio !cr classe a comparecerem ra
i. 3. 1." andar, sexta-feira 11
II horas da maub. afim de re-
wr meio de aateporem perante
prejudicadoi.
terna Mgica
fsle int< peridico livre
ndou-se da ra do Raogel n. 16
:abele-
a Rlh<%raphica do Sr.
a ser
do
I
O baeharel Jaronymo Materno Pereira de Car-
valho mudou seu escriptorio do n. 53 para o n.
85 a ra Duque de Caxias entrada pelo becco d
CongregacSo.
Escola particular de instruccao
primaria para o sexo masculino
Rna do Coiovollo n. 34
O professor abaixo assignado, participa aos
seus amigos, e ao respeitavel publico, que abri
a sua escola ra do Cotovello n. 34, onde edu-
ca e instrue infancia pelo mais aperfeicoado
svstcma do Imperial Lyco do Rio de Janeiro.
Alumno interno 30*000 mensaes
Meio pensionistas 151000
Primeiras lettras 2SO0O
Msica e piano iOOO
Por iada um preparatorio 3*000
Ra do Cotovello n. 3i
Julio Soaret de Azevedo.
Baeharel Antonio Witru- jj
vio Pinto Bandeira
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia rna da impe-
ratrizn 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manhS.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
Dr. Eduardo Silveira
De volta de sua viagem Corte, contina
no exercicio de sua profssSo
Consultorio na do Imperador
n. 43
Residenciara da Aurora n. 47
Telephone n. 266
-^^Si
Leonor Porto
Him
11. *
l
Pod ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1" andar
grapnica (
luul pa&sa
I
Collegio Meira
Ra da Imperatriz u. 63
Este collegio de instruccao primaria e
secundaria, cujas aulas se reabrirao no
dia 7 de Janeiro corrente, offerece aos
pais de familias que o quizercm honrar,
confiando-lhe sene filhos, todas as garan-
tas de moralidade, aproveitamento e bom
tratumento para os mesmos seus filhos.
O resultado dos exaraes obtido, pelos
alumnos deste eollegio, ser opportuna-
mente publicado, e em vista delle se ter
umaprova do interesse tomado pelo abai-
xo assignado pela applicac&o dos seus
alumnos.
Kec !'- Janeiro do 1889.
O director,
,i*'nfM Www'm Mwwiiiii iniiiiiif'iM
Larn do Rnoorio
2o andar
Contina a executar os mais dif-
ficeis figurinos recebidos de Lon-
dres, Paris, Lisboa e Rio d Janeiro.
Prima em perfeicao de costuras,
em brevidade, modicidade em pre-
cos e fino gosto.
G. [APORTE
Rna l de Marco n. 2o-Ia andar
AGENTE DA
:::?s?.at:7 suvsbsal
E REPRESENTANTE
Das mala afamadas fabricas
franeezas
Recebe encommendas de qualquer arti-
go ; condis3es vantajosas.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Cinir^io Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pula Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Io ^|v^fefifi|*|30j Io andar.
^Consultas das 10^Vt"Mntf'& tarde.
Professor
O professor J. B. Feln contina a leccionar
em sua casa, em casas de familia e em collegio,
Francez Latim, Arithmetica, Algebra Geemetria
e Trigonometra ; ra Velha n. 46, 1 andar.
*
*

I!
Viaa urinarias, molestias do tero,
operagSes elctricas
H. CAHLC5 2ITTMC0UST
ESPECIALISTA
com pratica de pabiz k lomdrbs
Estreitamentcs da uretra curados ra-
dicalmente pela clectrolyse, sem dr
hydroceles sem iniecca* (cura radical)
ferdas e ulceras ehromeas, com garan-
ta de cura rpida: pedras da bexiga,
fstulas e hemorrhoidas : syjpbilis, go-
norrhas, pelo methodo das instillaces;
molestias da garganta e do peito pelas
athmospheras medicamentosas. Con-
sultas e operacoos das 12 s 3 horas,
ra do
MARQL'EZ DE OLLNDA N. 34, t ANDAR
atewidencia na Torre
I!
Secretaria da Veneravel Ordem
Terceira do Seraphieo Padre
s. Francisco no Recife, em 19
de Dezembro de 1888.
O Revd. Sr. sacerdote, que quizer con-
tractar a celebracao das missas, as ma-
drugadas dos domingos e dias santificados
' na igreja de Nossa Senhora do Rosario de
Santo Antonio, desta cidade, dirija-se a
tractar com o irmao ministro, ra Du-
que de Caxias n. 94, loja, ou na secreta-
ria, todos es dias uteis, at 1 hora da
tarde.
Jos Clementino Henrique da Silva,
Ex-ministro secretario.
Companhia Santa thereza
Agua en OUnda
Segundo o 6 do artigo 9 do Regula
ment da companhia, o pagamento da im
portancia da penna d'agua fornecida em
cada mez, se far na primeira quizena do
mez seguinte, e na falta de pagamento po
der a companhia tnterromper o suppri-
mento d'agua.
A gerencia far cumprir restrictamente
este artigo, nao admittindo excepcao.
Escriptorio da companhia, 5 de Outu-
bro de 1888.
A. Pereira Simtte.
ci.Se
de Pernambuco, e
Faco publii i do Er.
Dr. presidente da provincia, que so acha
aborta a concurrencia para o emprea^^H
externo de 8,600:000:) (oito mil e sea
centos contoa de ris), antorndo pela
provincial n. 1,927 de 15 de Novembro
findo, com o praso de qnarenta e ciaea
dias, a contar da data da primeira pobE-
cajao do preseute, para o recebimesfa
das respectivas propostas, que serio pre-
sentadas nesta secretaria, em cartas fecha-
das.
Estas serao abertas pelo mesmo Cana.
Sr. s 12 horas do dia, em que expirar o
praso fixado, com os proponente presen-
tes.
Nos termos da referida le, o empreafthaa
ser de quantia que produsa a prel>a impor-
tancia de 8,60O:00OiJ (oito mil c eiscen-
tos contos de ris) liquida, a ser applicada
ao resgate da divida da provincia, fonda-
da em apolices de juroe annuaes de 7 ^
(sete por cento), com excepcio daquella
que tenham sido emittidas por iiipret-
mos a companhias ou a particulares, como
auxilio agrcola ou industrial, bem como
para liquidacao dos exercicioe de HS6 *
1887 e 1887 a 1888.
A taxa da emissao nao ser inferior a
92 (noventa e dous) livre de commiaaao
e o juro nao exceder de 5 'j0 (cinco por
cento) alm da quota de amortisacao, que
nao ser superior a 1 r, (um por cento),
sendo esta e aquelle saiisfeitos semestral-
mente.
O secretario interino, Manod Joaqnim
Silveira.
Obras publicas
De ordem do Dlm. Sr. engenheiro di-
rector geral e em virdude da autorisacao
de S. Exc. o desembargador presidente da
provincia, de 12 do corrente, faco publico
que no dia 8 de Janeiro vindouro, n'esta
directora, recebe-se propostas em cartas
fechadas competentemente selladas, para a
execuco dos reparos (de que necessita a
ponte sobre o rio Amaragy, na proprieda-
de Duas Barras, oreados em 5:576^1120.
O orcamento e mais eondicSes do con-
tracto se acham n'esta secretaria a dispo-
sicSo dos Srs. pretendimte.
Para licitar na pi aea cima deverao 08
proponeatee depositar no Thesouro Pro-
vincial quantia equivalente a 5 /0 do va-
lor do respectivo orjamento.
Secretaria da directora geral das Obras
Publicas de Pernambuco, em 24 de De-
zembre de 1888.
Macei, 10 de Dezembro de 1888.
O engenheiro secretario,
Luiz Antonio C. de Albuquerque.
Dr. Pires de Almeida
Do Formulario Internacional deste acre-
ditadissimo medico, residente no Rio de
Janeiro, extrahimos os seguintes tpicos a
favor do Peitoral de Cambar :
... Sem nos referirmos ao Cambar-
tinga, Lantana Vettosiana, ao Cha de pe-
destre, Lantana pseudotha, St. Hil., de
reconhecidos effoitos na medicina domes-
tica, apontaremos o Cambar verdadeiro,
Vernonia polyanthei. Linn., o qualpor
sua aceito s qualidades emolientes e
balsmicas daquellas outras, rene a de
ser ao mesmo tempo expectorante deven-
do por isso ser aproveitado no tratamento
das bronchites, e nomeadamente da tsica
trpida...
f Bem avisado andn o Sr. J. A. de
Souza oare8, de Pelotas, preparando com
essa especie o seu Peitoral de Cambar,
que tive occasiao de examinar ecom ple-
no conhecimentoaconselho o seu uso com
a maior confianca.
I:
li
Frederieo Chaves Jnior \ \
HOMCEOPATfLV
}39>**Rua do Barao da Vitoria*3>
| / PB1MEIRO ANDAR
Clnica medico-cirurgica
DO
Dr. Ferreira
OCULISTA
I!
Recife Drainage
A companhia faz publico, para conhecimento
dos interessados. que collocou no mez de Dezem-
bro prximo passado, os apparelhos abaixo de-
clarados :
Recife
Ra de S. Jorge n. 13, apparelho n. 8,063, loja.
Ra do Rom Jess n. 59, apparelho a. 8,064,
segundo andar.
Mrquez de Olinda n. 46, apparelho n. 8,063,
primeiro andar.
Santo Antonio
Ra Duque de Caxias n. 66, apparelho n.
8,718, loja.
Roa-Vista
Ra da Aurora n. 59, apparelho n. 10,986, pa-
vimento terreo.
dem n. 37, apparelho n. 10,987,1- andar.
dem dem, apparelho n. 10,988, 2- andar,
dem idem, apparelho n. 10,989, sotao.
Recife, a de Janeiro de 1889.
J. F. Mackintosh,
Gerente. __
Gabinete Portug-uez
de Leitura
De ordem do Exm. Sr. Visconde da Silva
Loyo, presidente da commissao directora, con-
vido todos os senhores socios a reunirem-se em
assembla geral ordinaria, nos saloes do Gabi-
nete, domingo 13 do corrente, pelas 11 horas da
mann, afim de apreciar a relatorio da actual
gerencia, e eleger nova administraco.
De accordo com o preceituado no art. 40 dos
estatuios, a assembla se constituir com qual
quer numero de senhores socios presentes, e as
suas resolucOes produziro effeitos legaes.
Recife, de Janeiro de 1889.
Dr. Jos de lbuquerque,
Secretario.
Hippodromo do Cam-
po Grande
O thesoureiro desta sociedade declara aos se-
nhores que se propozerem empregar-se na casa
Banco de Crdito Real de
Pernambuco
No sorteio a que se proceden neste Raneo em
data de hontcm (26) para o resgate de 311 letras
hypotht carias das qne existem em circolaco (I*,
2* e 3' series) designou a sorte as dos nmeros
seguintes, as quaes serio pagas pelo Banco, a
contar do primeiro dia til do mes de latas
Sroxirao futuro, e, quer sejam ou nao apreses*-
as, nao vencerao mais juros depois de 31 do
corrente.
Estas letras serao pagas ao portador pelo sea
valor nominal de 1004, cada urna, bem como os
juros, e com os premios as abaixo mencionadas.
Tambera serao pagos a contar do dia de Ja-
neiro prximo futuro, os juros das letras emitti-
das nos anuos de 1886, 1887 e Io semestre deste
anno.
Recife, 27 de Dezembro de 1888.
O gerente,
Joao Femandet Lapes.
1 tee
Someros
37 52 63 158 163 240 342 396
00 542 650 662 670 673 694 714
747 753 821 828 838 860 911 1052
1102 1112 1151 1182 1218 1336 1495 158
1571 576 687 1700 1770 1805 1938 1910
2017 2141 2157 2172 2188 2224 2312 2338
2378 2383 2392 2i23 2506 2511 25S3 2988
2576 2725 2746 2751 2777 2780 2826 2902
2934 2999 3023 3062 3<98 3100 3115 3143
3150 3151 3162 3164 3206 3218 3259 3334
3389 3556 3591 3593 3625 3655 3659 37
3827 3834 3884 3908 3938 3961 4065 40
4092 4153 4172 4178 4216 4335 4369 4381
4432 4481 4490 4510 4554 4566 4605 4M2
4683 4754 4813 4814 4836 4847 4927 4979
5032 5036 5069 5071 5131 5182 52 5S37
5312 5335 5372 5449 5467 5*72 5525 562
5655 5661 5664 5696 5704 57/0 5727 5737
5782 5793 5815 5916 5918 5957 6036 6117
6179 6254 6352 6365 6387 6413 6419 6493
6508 6510 6653 6734 6768 6921 692 6989
7000 7007 7022 7082 7132 7168 7181 7199
7201 7237 7305 7326 7344 7447 7582 7616
1850 7883 7980 7984 8027 8034 8036 8087
8095 8124 8136 8140 8167 8172 8257 8333
8341 8353 8370 8384
2 trie
Nmeros
8556 8931 9018 9208 9380 9419 9808
9740 9807 9838 16888
10926 40989 11034 11388
12368 12720 12784 IS8S8
13755 14082 14123 1433*
14820 14916 14930 14*33
15180 15288 15411 15578
15743 15779 16094 19&1
16517 16525 16339 Hm
9579 9602 9709
10061 10254 10713
11412 11823 11881
13017 13192 13462
14280 14416 14766
14956 15046 15063
15597 15690 15724
16346 16426 16485
16674 16868 16943
3 serie
Nmeros
16978 17194 17273 17829 18376 18347
18573 18716 19163
19623 19763 20334
20857 0559 20645
21231 21686 21697
22589 23101 23188
19272 19407 19433
20370 20404 20434
2082.3 20871 21098
22024 23045 33235
23212 23253
Destas forana premiadas as seguintes:
1* sen
Nmeros
18843
19803
30436
31189
23563
5036 com
4754 com
2511 com
3961 com
5472 com
5661 com
5710 com
6982 com
1618. com
16560 com
2 serie
Nmeros
1003000
304000
104000
104000
10400*
104000
104000
104800
504000
10*000
CAPITAL
Era acjoes de
Estando tomado
8,OOO#0O4OO0
2004000
4,O0Ctf)OO0OO
n__i- i ,. a i das apostas, que desta data em diante, de ac-
Pratico nos prneipaes hospitaes de Pariz | ^^ isv0il0 no 4 do art. 12 ci cdigo
e Londres.
Consultas todos os dias (excepto domin-
gos) das 9 horas ao meio dia.
Pratica cmbalsamamentos.
Consultorio c residencia ra Larga do Ro-
sario n. 20
Telephone n. 233
DECLARARES
tispos
de corridas, so admitte empregados que prestem
em dinheiro a fianga arbitrada pela directora.
Recife, 7 de Janeiro de 1889.
Luiz de P. Lopes.
S. R* J.
ConimisMtto pernambnraaa para re
piTki'iiiurio da provincia na Ex-
posiio le ISSO
A pedido'de muitos expositores foi transferi-
da a abertura da Exposiei pura 13 do
corrate, ao meio
1889.
Moriedade Recreativa duventude
Sarao em 12 de Janeiro de 1889
Por iniciativa de alguns socios e para solem-
nisaroi- anniversano da fundacao da banda
musical, realisar-se-ha no prximo sabbado um
sarao dancante, para o qual ainda recehem-se
notas de convites nesta secretaria A' pet
alguma ser permitlida a entrada sem ingresso,
devendo os senhore= socios pagar antecedente-
mente a respectiva quota para poderem obtel-o.
Previne-se que absolutamente n3o se admitem
aggregados.
Secretaria da -'ociedade Recreativa Juven!'
7 de Janeiro de 1889.
A
Este estabelecimento destinado a auxiliar 6
desenvolver o crdito industrial e coUectiro
desta provincia; suas operagoes abrangerio re-
dos os ramos da actividade commercial e indus-
trial que offerecerem solida garanta.
A directora compor-se-ba dos senhores
Luiz Antonio de Siqoeira.
Jos Adolpbo de Oliveira Lim :.
Antonio remandes Ribeiro.
Manoel JoSo de Amorim.
Thmaz Comber
os quaes com o Exm. Sr. Visconde de Furaei-
redo sao os incorporadores.
A B entradas scro de 5 '/. no acto da sebs-
cripcao ; 5 i0 quando' fr annunciada a assig-
natura dos estatutos.
As subsecuentes entradas nao podero sur
raaiores de 15 "j. com o intcrvallo nunca me.
de 60 dias.
A subscripto est aberta fiara todas as p
soas que desejarem tomar parte n'esta impor-
tante ins'ituicQo, no escriptorio dos Srs. Amo-
rim Irmaos & C, ou no Banco Internacional
contar do dia 7 de Janeiro inclusive.
SANTA CASA
CASAS PARA AtltiAM
Ra da Moeda n. 49, anna
dem do Vigario Tenorio n. 27, loja
dem idem n. 22. 3.' andar
dem idem n. 25,1." andar
dem do Bispo Sardinha n. 3, l." e
andares e sotao
dem do Bom Jess n. 13, 3 andar
Idem do Mrquez de Olinda, sobrado
n. 44
dem do Bom Jess n. 13. I." andar.
das Boias n. 14, loj
24
240
180-,
38J883*



de PernambucoTere,a-feira 8 de Janeiro de 1889



HIPPODROMO
DO
CAMPO GRANDE
PBOJECTO DE INSCMPCAO
CORRIDA
un a 11;_____
Que dever ter lugar no di a 13 de Janeiro de 1889
f ,"> pareoENSAIO800 metros. Anhnaes da provincia que anda nao tenham
ganho premios, premios : primeiro 200(5000, segundo 50)5000 e tercei-
ro 200000.
t pareo__PROORESSO 1-200 metros. Aniraaes da provincia pbekios:
primeiro 25O|*O00, segundo 60*000 e terceiro 256000.
8.reoHIPPODROMO DO CAMPO GRANDE1.400 metros. Animaes de
qualquer paiz. premios : primeiro 5000000, segundo 1250000 e ter-
ceiro 500000.
4.0 pareoDESTREZA900 metros. Animaes da provincia, premios : pri-
meiro 2000000, segundo 500000 e terceiro 200000.
5,0 pareoDERBY CLUB1.300 metros. Animaes nacionaes at meio sanguen
premios : primeiro 3500000, segundo 800000 e terceiro 350000.
pareoVELOCIDADE850 metros. Animaes nacionaes de menos de meio
sangue que nao sejam da provincia, premios: primeiro 3000000, se-
v gundo 750000 e terceiro 300000.
f. pareoCOMMERCIO800 metros. Eguas da provincia, premios : primeiro
1500000, segundo 350000 e terceiro 150000.
ObservaQoes
Nenhum pareo se realisar sem serem inscriptos pelo menos tres animaes de
proprietarios differentes.
A inscripcao encerrar-se-hfc no dia 8 do corrente s 6 horas da tarde na se-
cretaria do Hippodromo. ,
O cdigo de corridas prescreve o modo da inscripcao.
Recife, 4 de Janeiro de 1889.
O SECRETARIO,
Ferreira Jacobina.
Thesouraria de Fazenda
Medicamento* e arilg** para Fer-
nando
De ordem do Illm. Sr. inspector, faco publico
que no dia 17 do corrate 6era arrematado pe-
rante a junta d'esta Thesouraria que se reunir
s H horas da manfia. o fornecimento dos me-
dicamentos e, artigos abaixo mencionados, para
a enfermara do Presidio de Fernando de Noro-
uha.
Murta em p. 500 grammas.
Licopodio, 1,000 idem.
Pipi, 1,000 idem.
Funis de rautehut sortidos, 6.
Papel para embrulho. 90,000 grammas.
Rolhas sortidas, 10,000.
Oleo de Cajeput, 2,000 grammas.
Oleo de Olivera, 10,000 idem.
Oleo de amendoas doces, 19,000 dem.
Oleo de ricino, 12.0 o idem.
Alcool a 36., 35 litros.
Alcool a .\ 15 idem.
Pontas de veaJo, calcinadas, 2,000 grammas
Em 7 de Janeiro de 1889.
0 secretario.
Dr. Antonio Jote de Sant'nna.
; Prado Pernambucano
Em virtude do que foi deliberado em reaniao
tos directores do Prado Fernamltucano, Hippo-
dromo do Campo Grande e Derby Club de Per-
nambuoo, convido aos senhores proprietarios de
animaes anda nao matriculados no Stud Book
Pernamcucano, a virem azel-o nesta secretaria,
visto que segundo icou estabelecido nenhum
animal ser acceito para correr nos tres prados
sem a respectiva matricula no referido Stud
Book.
Francisco de Souza Res,
Secretario.
conbecnento dos interessados o edital da mes-
ma directoria abaixo transcripto.
Correie de Pernambuco, 3 de Janeiro de 1889.
0 administrador,
Affonso do Reg Barros.
nireolora Cora I do* Crrelo*
Edital
De ordem do Exm. 9r. director geral, e em
cumplimento do disposto no urt. 6" do regula-
mento de 26 de Marco ndo, faz-se publico que,
no dia 1 de Fevereiro de 1889, vio ser postas em
ciroulacao as seguintes formulas de iranquia:
Sobre cartas selladas
O sallo fixo representado por urna moldura
formada por duas ellipses concntricas, tendo no
plano da menor a effigie de Ma Magestade o Im-
perador em relevo branco; no da maior^ambem
f^no >alto.
lecbedoria de reodas internas
geraes de Pernambuco
O administrador da Recebedoria avisa as pes-
cas abaixo declaradas, que ate o fira do cor-
rente mez devem vir a esta reparticao solicitar
uas patentes, ttulos, coodecoracoes. 1 cencas,
etc., e depois d'esse prazo sero devolvidos aos
Ministerios, que os expediram.
Recebedona, 5 de Janeiro de 1889.
Alexandre de Souza Pereira do Carmo.
Retacio das pessoas a que se'refere o edital
cima:
Ministerio do Imperio
Bisno de lindaConde de Sanio gestiono.
Jos Fiuza de Oliven.Lieeoca.
Antonio da Rocha de Hoilanda Cavakante.Ha-
rto de Gvndahy.
de Ex.
Joao Dourado da Cunba AzevedoOfficial da
Rosa.
Padre JoSo da Costa Bezerra de CarvalhoCom-
mendador da ordem de Christo.
Jos Abilio de BarrosOficial da Rosa.
Joo Bernardo de Magalhae3f ommendador d#
ordem da Rosa,
Manoel Camello P^ssoa CavalcanteCommendai
dor da ordem da Rosa.
Doutor Francisco de Paula SallesCavalheiro de
Christo.
Tenente-coronel Ernesto-Machano Freir Pereira
da Silva~CavaIbeiro de Cbristo.
Br. Esequiei Franco de SiCavalheiro da Rosa.
Manoel Honorato de Barros Cavalheiro da Rosa.
Conselheiro Joao Sirveira de SouiaCavalheiro
de Christo.
Dr. Jos Austregesilo Rodrigues LimaCava-
lheiro da Rosa.
Dr. Tnomaz Garcez Paranhos MotenegroCom-
meadador.
Dr. Joaquim Tavares de Mello Barreto ava-
Iheiro da Rosa.
Miguel Antonio da Silva-Cavalheiro da Rosa.
Tencnte Joo Al ves de Biqueir* Velho Ceva-
Ibeiro da Rosa.
Jos da Rocha de Siqueira CavulcanteCoya-
Iheiro da Rosa.
Joo Francisco do AmaralCommendador da
Rosa.
Jos Ferreira BaltarOfficial da Rosa.
Alfredo Carlos AlcoforadoLieeoca.
Manoel Gomes den) i osa.
Padre Reuovate Pereira TejoCommendador da
ordem de Christo.
Fructuoso Dias Alves da Silvafouimendudor
da ordem da Rosa.
Manoei Clemeote da Costa Santos1 avalheiroda
Rosa.
Ministerio 4a Pnnenda
1). Mara Ferreira da PazMeK. -odo.
Ministerio da 4iuerra
Vicente FTr*irn rte LimaPatente de alferes.
Padre Jos Estoves Vianna Cancllao-tenenie.
Dr. Arttiur Grato Alves Carnauba Cirurgiao te-
nerrte.
I'adre Jos de Souza e OliveiraCapellso-te-
nente.
Manoel Belroiro da Siha Patente de alfen-.
Jofto Pedro de Souza-Patente de alferes.
Ernesto Alves Pacheco Patenta de capitio.
Antonio da Silva Castro -Patente de alferes.
Manoel Guimares -Patente de tenente.
'tases e Sataa Ponce -Vaiente de al-
es.
ideiro F.oriano PetxotoPatente re briga-
deao.
Reoabtdoria Geral de Peroaubuco, 4
188.
.ate,
Joaquim Domicio Leopoldina ferr"
Acknwwtra^o dos Correio
de Pernambuco
em relevo branco, as palavras Br
e o valor expresso em reis por extfeuso na iarte
inferior, e finalmente as extremidades do eixo
menor dous pegenos polygonos com o dito valor
indicado por afgarismos.
O fondo da moldura as de 100 res verde,
as de 200 ris preto, e vermelho as de 300
ris'.
Cariasbuhte
O sello fixo do valor de 80 ris, impresso no
ngulo superior a direita e representado por um,
rectangulo formado de arabescos vermehos, ten-
'Jj'do em urna eftipse central a efigie de Sua Ma-
gestade o imperador, encimada pela palavra
Brasil em lettras brancas, e tendo em baixo as
palavras oitenta ris e sobre estas, em sentido
obliquo, o numero 80 de cada lado.
A' direita do sello v-se urna fita com as pa-
lavraCartas-biihete, tendo no alto urna serie
de 20 estrellas brancas em fundo vermelho, e
J/em baixo o distico: Neste lado s se escreve o en-
derece. No ngulo inferior direita l-se a pa-
tevra Brasil em lettras vcrmelhas.
Bilbetcs postaos
0 sello fixo do valor de 40 ris. O desenlio
igaal ao da carta-bilhete, com a difl'erenca ape-
oas de ser azul, e ter na lita direita d sello
os palavras Bhete postal, em vez d*aquellas
oatras.
Cintas estampilhailas
O sello fixo estampado e desenliado como os
das sobre-cartas, com a difl'erenca apenas na in-
dicacao dos valores. E' roxo o fundo do sello
das de 20 ris, azul das de 40 ris e cor de ha-
rana das de 60 ris.
Sellos para jomaos
Estes sellos sao maiores que os ordinarios, de
fna rectangular e cor de laranja.
N alto tom, em lettras brancas, a palavra
-Qerreio e em baixo a Brasil. Em lita diagonal
.iaW de baiio ipam cima a palavra jomes, ten-
do de cada lado o valor em algarismo c a pala-
vra ris.
DvisJk) otntral da Directoria Geral dos Cor-
reios tm 18 de Dezembro de 1888.O sub-di-
recter, Jos Francisco Soares.
SEGUROS
MARITI10S GMTI4 FMC
roatpaBta). i baK Per-
aboeana
RUADOCOMMERCIO N. 26, ANDAR
mm mm foso
al'Insoratic? lompaiy de
Livfrpool
CAPITAL t.OOO:OOM
AGENTE6
R DE DBOSINA d C
lit-Rak MroB^z tk Qliad* 13
Lendon k Brasilwn Bank
Limited
liua doVommercio n. 32
Saces por todos os vapores sobre as cu-
sas do mesrcn banco em Portugal, ssndc
m LisbH, ruu dos (--.pellistas n. 75. No
Porto, rnt 'ios IogUnes*
Tie LiBpl & Lo & Globo
Blackbarn, Mm i,
Ra vo ( 00)HWP r. B
BHS
MARTIMOS
Companhia Brasileira de
Navega^ao a Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Comraandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portes do sul at o
dia 17 de Janeiro e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portes do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas na agencia
at i hora da tarde do da da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
PORTOS DO SUL
O vapor Maranho
Commandante o eapitSo de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portes do norte at
o dia 1 i de Janeiro e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portes do sul.
Recebe tambem carga para Santos, Santa Ca-
marina, Pelotas. Porto Alegre e Rio Grande do
Sul, frete mdico
As encommendas s serao recebidas na agen-
cia al i hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
B trata-se com os AGENTES.
Pereira Carneiro & C.
6==Rua do Commercio~G
1 andar
res
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
Sentiros cfoiitm
BrTf IMg
Edijicio* e inurcadanat
For
O
tnWH
Prompto fmyama. //rejuito
CAPITAL,
H. I(i.OOO:000Ottt
M. 5KA D(.' COSIMEliCIO-N 6
Companfjta ^e Seguros
uuv .ru, jtUisu.
de Lu ifrie %,"rdren
t'o-i'-o 'tiritiiicoit-i f'ezemi'ro de 1885)
pit-1 siib-, iiit'. S.000,000
F.ind-- "rnfedos ' : 134,34
Woln|* vinni! :
'""t pr e fitr tbgo 1,390
na M1r vi->- 191,000
!>* jnro 32,000
0 AGENTE.
t Jdkn i. foatodl
lomjwnhia 4e Seguros
fiMIUit it'fcirti,
Mgmmt
-MiffBrl *s bbm
Po asta Mninistra^*)'
lar da Wrectoria Geral dos
le MwWtembro fiado, se fa
itoa,
. 1%. ^ut ain>na *+*. 1
n3is*-t TkwBiftmi
a 8rt wjnid. c i* wiMMoto do pmkf >"sfctt#c sMo qt>*
waie.Ku aeaooim.jmmi d wea ttoiSm
Mato en Uhc de* t*.*V
CHARGEURS REUNS
< onipnnhin Frauresa
DE
\av<'sa<-o
Linha quinzenal entre
Pernambuco, Babia,
Santos.
O VAPOR
Ville de Maranho
Commandante Brant
Espora-se dos portos do sul no
dia 11 do corrente, seguindo
depois da indispensavel demora
para o Havre tocando em
liinfeoa.
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e ofTereee exeeltentea oommodos. -optinto pas-
sadio.
As passagens poderao ser tomadas de ante-
mao.
Offerecendo-se mais aos viajantes para Paris
bilhetes de caminho de ferro do Havre a Paris.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem exceilentes accommodaces.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se o AGENTE.
O VAPOR
Ville doCear
Commandante Lainey
K'esperado da Europa at o dia 16
do corrente. segmndo depois da in-
dispensavel damora para a
Babia. Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 das a contar do da descarga das al varen gas
qualquer rerlamacao concernente a volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
sul afim de se poderem dar a tempo as provi-
dencias necesearias.
Expirado o referido pjazo a companhia nao se
respansabilsa por evtravior.
Para carga, passagens, encommendas e di-
iilteiro a frete : trata-se com o
AGENTE
e Labille
RMA DO COMMERCIO 9
i
toar%>hia
KH\
DE
costelra
IJCASfA
Vavga^o costefra por vapor
Para Fernando de Noronha
E ROCCAS
O vapor Ja^uaribe
Commandante Monteirc
8 de Janeiro slS ho-
carga at o
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMACfELLAN LINE
Paquete Sorata
Esperase da Europa at o dia
13 do corrente e seguir depois
jda demora do costume para Val-
'paraiso por
., Rio ae Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
nheiro a frete trata-se com os
AGENTES
Wilsim. Sons C, Limited
14 RA DO COMMERCIO 14
Bahia,
United States and Brazil
M. S. S. C. J.
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
norte at o dia 10 de Ja-
neiro o qual depois da de-
mora necessana seguir
para a
Baha; Rio e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os AGENTES.
Ovapor Advanee
E' esperado dos portos do
sul at o dia 10 de Janei-
ro o qual depois da demo-
ra necessana seguir
para o
Para, Barbados, S. Thnmaz e
Mew-Vork
Para carga, passagens. encommendas e di-
aheiro a Irete : tratase com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Sua do Commvrcio8
1' andar
Leilo
De movis, louca, vidros, um cofre prova
de fogo, urna carteira, urna armacao,
um balcao e fiteiro-
Terca-feira, 8 de corrente
A's 11 horas
?gente Pinto
No armazem da ra Mrquez de Olinda
n. 52
Leilo
hotel
Aracaty
Segu com brevidade para o porto cima o
hiate Neptuno, recebe carga ; a tratar na ra da
Madre de Deus n. 8.
Cear
Segu com toda brevidade para o porto cima
o hiate Deus te Guarde, recebe carga ; a tratar
na ra da Madre de Deus n. 8, ou no caes do
Lovo, a bordo, com o roestre.
LEILOES
Terca-feira. 8, deve ter lugar, s 10 1/2 horas.
o leilo de movis, vaccas, boi e cavallo, no ar-
mazem da ra do Mrquez de Olinda n. 52.
Ao meio dia, na guardomoria d'Alfandega,
leilo de 2 boles e ses pertences, salvados de
urna galera, incendiada no alio ruar. __
Leilo
Hoje. tena-elra, 8 do correle
No becco do Sarapotel n. 2
O agente Brito
far leilo de movis, miudezas e mais objectos
de casa de familia.
A's loi| horas
Leilo
De 6 caixas de 48 latas de meio kilo de man-
iMtti, 8 ditas de 2i ditas de 1 kilo, caixas
com vinho do lYirto, ditas com agua de Sellz,
ditas com leite puro.
Hoje 8 do crvente
*m ll hora*
No armazem ra Mrquez de'Olinda n. 48
POR DTERVENCAO DO AGENTE
GurJino
egue no dia
rasdamanh.
dia 8.
Recebe
Passagens at s 10 horas do di da sahida,
ESCRDPTORIO
Ao Baes da Companhia Pernambucarha
n. 12
COMPANHIA PEH:VAMBi;CAXA
DE
eoKcira por vapor
NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mostoso, Araca-
ty e Cear
Xavegaeo
PORTOS DO
O vapor Pirapama
c
fe
Commaudante Carvalho
Segu ao da 12 do corrente aa 5
horas da tarde. Recebe cana at o
.dia 11.
Encommendas, pas> diuheiros afrete,
at as 3 horas da tarde o dia d.i partida.
ESCRITORIO
Ao Cae da Companhia I', rutimbucana
Porto
Imi
Leilo
De 2 botes e seus pertences,
salvados da galera ingleza
c Stephen D. Hartn .
Terea-feira. W do corrate
Ao meio-dia
Na guafdamoria da alfandega Joseph LCris ca-
li to da galera ingleza Stephen D. Hartn', incen-
diada no alto mar na eua ultima viagem de Cal-
cuta para New-York, far leilo com autorisa-
S5o do Sr. cnsul de S. SI. Britnica, com licenca
o Sr! Dr. inspector da alfandega por irJfervengao
do agente Pinto e por conta risco de quemper
tencer dos 2 botes e seus pertences salvados da
referida barca e axislentes na guardamotia da al-
fandega onde serio vendidos ao meio-dia de ter-
ca-feira 8 do correute.
Be movis, proprios pira
Constando de urna vitrina grande para porta,
1 mostrador de seis faces, 1 grande mesa de
amarello com pedra marmore, 2 ditas menores
tambem com pedra. 6 quadros, 2 lomas para me-
sas, 42 cadeiras de iunco, 12 ditas americanas,
6 ditas de amarello, 1 sof de faia, 2 cadeiras de
bracos, 1 guarda comidas, 1 carteira, 1 grande
geladeira, 2 lavatorios de ferro, 8 temas de zin-
co, 1 mesa grande para cozinha, i pratileira, 2
empanadas de madeira para porta, quartinhas,
frascos, garrafas para vinho, diversas lougas, 2
marquezes, 1 cpula para cama, 1 toilett e 1
mcia commoda.
Dous lustres a gaz, sendo um de 4 bicos, 2
arandellas de porcellana, 1 brago de ferro para
gaz e 1 registro.
QUARTA-FEIRA 9 DE JANEffiO
A's 11 horas
A' ra Estrella do Rosario n. 11, ondefoi
o hotel Braganqa
Pelo agente Martins
V
A
?gente Burlamaqui
Leilo
iiiarta-feira 9 do correte
A's 11 boras
A' ra do Hospicio n. 51 C, residencia do
Dr. Antonia de Sampaio Pires Ferreira
DE BOX I-: \OtOS tMMIIS
0 agente cima, por conta e ordem do Dr. An-
tonio de Sampaio Pires Ferreira, que retirase
para a Baha, vender os bons e novos movis
existentes na casa cima, mobilias novas, toi-
letes, lavatorios com tampo de pedra, guarda-ves-
tidos, guarda-louca, aparadores, mesa elstica,
cadeiras de junco, loucas, vidros, tapetes, appa
relho de metal tino, facas, garfas e miiitos outros
artigos de gosto que estarSo a vista dos Srs.
licitanle?, em frente do porto vender duas ex-
ceilentes vacas de leite.
AVISOS DIVERSOS
Aluga se casas a 8W00 no becco dos Coe-
Ihos, junto de S. Goncallo; a tratar na ra da
Imperatriz n. 56.
Precisa-se de um menino para praticar cm
taverna. preferindo-se do mato; no becco das
Carvalhas n. 1.
I'recisa-se augar urna ama, para coziniar
para pequea familia, na ra de Marcilio Dias
n. 131, 1.andar. ___
Precisase de urna ama que cozinhe e cn-
eomme, em casa de liomem solteiro ra da
uio n. 54.
I'recisa-se de um criado de 12 a 14 annos,
para casa de familia; tratar ra do Barao da
Victoria n. 39, toja.
abaixo assignado declara ao qublico e
com cspocialidade ao commercio. que desde a
da 31 de Dezembro prximo passado, deixou
de ser seu empregado o Sr. Francisco Tavares
da Silva. Recife, 4 de Janeiro de 1889.
Antonio Cardoso da Silva.
- Pede-se ao Sr. Francisco Raposo Falco,
3.* oflicial do Correio, tenha .a bondade de man-
dar entregar os movis que estSo cm sen poder
desde 1882, sem o que se publicar os documen-
tos que passon.
Professora
Una BVnnora" compelentemenle habilitada, pro-
pOetse a leccionar em coliegios e casas particu-
lares as seguintes materias: Portuguez, Fran-
cez, Msica e Piano ; a tratar na ra Visconde
de Alliuquerque n. 20.
Ama
Preciss de urna ama de. idade para casa de
pouca /amilia, para cosinhar : na ra Duque de
Caxiasn;5, 2 andar.
Ama
Na ra Foruiosa n.
\ precisa-se de uma^oa
cosinheira, e engommadcira. e que durma em
sasa.
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar para casa
de familia ; a tratar na ra dos Guararapes n. 88.
......'................... ....."*
Amas
Precisase de duas amas, urna perita cosinhei-
ra e outra para engommar e ensahoar roupa,
para casa de familia a tratar na ra Baro da
Vctoria n. 46, toja.
Leilo
De urna vacca tounna, urna dita da trra,
um cavailo de sella e um silhilo
Terea-felra. S do corrate
A's 11 horas
ente Pinto
Em frente ao armazem da ra Mrquez
de Olinda n. 52
Ag
3/ leilo definitivo
Da grande casa terrea com fronte de azulejo da
ra Vidal de Negreiros u. 33 mitigo pateo do
Terco, com todas as bemfeitorias inclusive os
lustres de gaz.
Espolio de Jos Antonio Pereira da Silva
Terea-feira. 8 do corrente
A'a 11 hora
N armitirn A ra do Imperador
n. 1
O agente Martins levara a leilo. por autorisa-
go do Exm. Sr. Dr. jais dos (Vitos da fazenda,
em sua presencaj a requerimento da inventaran-
te dos bens do finado Jos Antonio Pereira da
Silva, a casa terrea cima, com frente de azule-
jo, tendo i salas, 6 quartos, cosinha fra, 1 sale-
ta, cacimba e quintal, no fundo do qual existe
urna meia-agua com frente para a ra do Forte,
com 1 porta e 2 janellas, sem repartimento, sen-
do que a casa tem gaz e a sala da frente la-
drillada a mosaico e tem 1 porta e .! janellas.
Os pretendentes podem desde ja examinar a
referid casa, e o agente tiara qualquer infor-
maco.
Aula mixta particular
II
VENDE
Mojadas ListrasAHfcs
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Telephoae 911
D descont a quem comprar de 2OJO0O
para cima e troca a fazenda rendida m
por qualquer motivo nao for de maito
agrado para quem for comprada e veade
pelos seguintes procos:
Mirlos infestados, de todas as corea
a 460 rs.
Cortea de vestidos com figarias
em carto a 6NJ800
C'aeheniras de qoadroa, padrSs* a
crs novas a 300 rs.
Lis de quadrinhos a 160, 200 e 240.
Xeflros de quadros a 100 rs. e ma9
largos a 160, 180 e 200 ra.
Batiste de cores seguras a 190 rs.
Chitas escaras e claras a 160 e200r.
Percales miudinhas claras, corea i-
xas e finas a 200 c 240 rs.
EsguUto pardo para vestidos e ras-
pas de meninos a 240, 300 e 360 ra.
Caabralas brancas a 2^800 a pe^a.
Cortes de cambraia branca bordada a
4(5000 e 4(5400.
Tecldos arrreodados fazenda de
urna s cor, rosa, azul, reme e grenat a
400 e 500 rs.
ttedas lavradas cor de creme, rosa,
branca, e azul co a 1(5300.
BetlM Maco de todas e^r^ a 750,
800 e 900 rs.
C'rioolioa branca, chumbo, prett e
er de caf a 400 rs.
Baldas a 240 rs. a ilnzia e cobertat
a 440 rs.
ASOS de aqo para vestidos a 100 rt.
o metro.
Bico braoeo para enfeitea de resti-
dos a 700, 10200, I*00 e 2000a peca.
Reodas hespanholas, de seda 00 al-
go-13o de todas as cores.
Reodas e teieos para enfeitea, lisos
ou matizados a 10800, 2)5000 c 2-5600.
Sargellar francez de todas as corea
a 160, 200 e 220 rs.
Cortinadas bordados e de croeket,
vende-se por qualquer preco deaejado.
Colchas de fustao de tod.is as core a
20000, 4t5000 e 60000.
Bramante com 4 larguras para lea-
ses a 800 e 10000.
Toalhas a 2)40o, 30e40O>X>adozia.
duardaaapos melhor qnalidade a
10800 e 20000 a duzia.
Atoalhado infestado com lindo* de-
sechos a 10000.
Oleados para mesa redunda oa de
untar a 40000 cada panno.
Panno da Costa francez para toa-
lhas de mesa a li5000
Nadapolo marcado Littrna Amm,
tecidos americanos, sem gomma a 50000,
6000 e com um metro de largura a 60500
e 70500 a peca.
Algodo largo, para lencea a 40800
a peca e mais estreitoe a 30000, 30500 e
40000.
Eoehovaes conpletos para beptsado
a 50000, 90000, 120000 e 150000.
Cirlnaldas e veos de biood, uhina
moda, a 80000, 100000 e 150000.
Colchas de damasc com borlas ds
seda, urna s cor a 285O00.
Crochets para sof, cadena e cama.,
vende-se por todo o preco.
airas de seda, de cores ou pretas,
lizas, bordadas, ou arrendadas a 10500,
20000 e 20500.
Lavas fio de cscossja, prt tn.-. e de ca-
res- a 500, 800 e 10000.
I,eoeos broncos finos a 10500, 10600
e 20000 a duzia.
Inceos de seda multo grandes, core-
nuii lindas a 10500.
Espartilhos de conniva a 30500,
40000 e 5*5000.
E muita.s fazendas baratas que se d
por qualquer proco para liquidar.
ADVERTENCIA AOS XOSSOS ntEGCEZCS
Previnimos que as fazendas annunca-
das sao de boa qualidade e nio alo divi-
didas de outra casa como algnem aaaaa-
cia para engaar, vendendo fazendas er-
dinarias por boas, costme este, que esta
casa nao tem; as Exnias. familias que de-
sejarem comprar suas fazendas mais bara-
tas devem dirigir-sa primeiro u
LOJA DAS LISTSAS AZUES
Francisca Martiniana Luzia Carneipo, alumna-
mestra titulada pefci Propagora de Instruccao
Publica, scientiOca aos pais de familia e espe-
cialmente aos de seus alumnos que sua aula
continuar a funecionar no dia 14 do corrente
ra de H. Goncalon. 22.
Recite, 7 de Janeiro de 1889.
Governess
A Germn Lady (di|rtflme) seeks an Engage-
ment a Resideut or Daily Uoverness.
Fluent Germn. French and Knclish. I>iano,
High testimoniis.
Address, miss H. ra Visconde de Camaragibe
(ancient do Hospicio) n. 53.
Precisa-se de urna
ama de conducta af-
fian^ada para todo o
servido, ra Baro da
Victoria n. 15, l. an-
dar.
Unio Medica

Leilo
*isiHa
e p'ara Os portas atntia :i l>,nca portugm
silencio,rerrfrcaisn a tratareomBal
Tirio a. I, I* andar.
teira a
e 1 im]ortante cavailo iliMioiiiiiiadoPetropo-
lis, muitobomde sella.
Um dito idem denominado Fatsca. muito cor-
redor.
Um dito idem deuomiuado Timb, muito coi-
redor.
i crr-#etrsk do eorrtf
A's 11 hora
No nTmnwm rf W ihtrqnez de CMtoda
n. 48
Por ifiMtsMtetMgea*
'1^22^
tiK-lnitK- Tlieodoliudn deOrilo
eosjotto
lo Se Kesquita, Maria Cor-
(leirode Mesquita Lima. Tlieodolina Amelia de
Briio Mesquita, Elvira Etelvina de Hesquifi Bri-
lo, \ vier da 8 r. Caetano
Xavier Percha de Brito, Antonio Agripino Xa-
vier de Brito (ausente), coronel Gandido Xavier
Pereira de. Brito (ausente), ArSlinda Brtojle S
Peve-H (ausente), Marta Carolina te BritojCar-
Nidlio, esposo, tilhas, genro, irmios. tiosesobri-
nhos de Adelaide Theodolinda de Brilo Mesqui-
ta, apTadttcem *) ihiimo d"alma aos percutes e
amigos que acQmpantiaran a Runa < morada o
corpuda soa ilnoaa esposa, aii-, wgra v ir-
ma,'e convidam i(Uk-n as ussati Biw^riin'tuMte
quelpor alma d'a mesma-Oxem celebrar na igrera r
do Carpo Sw. S*trtW #a mah de safcba-
ao il do corrente, stimo dia de seu lu niiisWHI
t, txpressando-MB >dsM J m Metb ts-
ecimeuto porsase a/'to de religiio e cari-
D'este archivo internacional de scieneiaa
medicas, publicado no Rio de Janeiro, sob
a direc9ao do Dr. Vicira de Mello, extra-
himos os seguintes tpicos a favor do Pe-
toral de Cambar:
Est nestu caso o preparado co
nhecido com a denomina^ao de Peitoralde
Cambar?
Tudo leva-nos a crer qne skn. A appro-
vacSo da douta Junta .ntral de hjgieae,
de cuja probidade a ningnrm licito da-
vidar; a consequente ant>>nsa,3o do ast-
so governo, para qne seja entregue ao coa-
sumo publico; os attestaos de diatiaetoa
climcos que tem reputaca a zelar; as
propriedades theraphtiesispropria plan-
ta, em summa, sao dados positivos em soa
?avor........
O Peitoral de Cambar apreaenta asa
be!!" aspecto, possue cheiro e sabor agra-
daveis, qualidades que, so por si, ji sao
de grande valor.
Quaato s suaspropii icter terapaiti-
cas dizem os attestados mdicos aae sao
preciosas as affeccoes broncbo-panstoa-
res, pela sua-acelo emoliente, haltamUa s
expectorante, qualidades seas qacstie apre-
ciaveis osa ahoeaa catbaribaes, o que
justifica a nomeada adquirida pelo prepa-
rado, cujo histrico acabamos de fnr^r
Como planta aoasaqac o Cambar test
direito a oceupar a ttl(.>< dos que ae
dedicam ao estado da dora brasileira; a
como no preparado do Sr. Jos Alvares
de Souza Soares encontam-se reoBas
exeelirnti's qualidades medicinaos e-orga-
oleticts. alm de valiosos attwtadus me-
dicos, jiiignniol-u digjso da nessa coofianca
c merecedor da atteniu dos nossos llcs-
trado coUegae aos quacs communicaremos
ob resnltaoos das observa-
V posaes *m Obrfe *4te
iHiiuttUU lili I lili ItMM
Ama
Prwna se de ama para an*
*fa : a tratar na ra do Inrfas^^^H

I


Diario de PemambucoTer^a-feira 8 de Janeiro de 1889
f*:' \
ca a
A


frat
med eznprego
Oo Urro, tupportmo ana oaa-
UfOtlffu.' WTTAS C01Cc KTRADAS
*raa
FERBO
LAVIS
n.*Miiufcii*M
, saan oooatipa^JkK JtM
<* una. aa r-'
*U eommaaio chaira
lHita(M,MBMriBtl
a auaji/tiar liquido MU
ao4> aar iumo. l
HlWft'l !?
M, l'fctoraM, i.i,iuni-
*M d ra*> parta dmm *>
aftea a>r*iU.a* aaaa a maiar afloacia pala
. raawlar do PK-MO
ratitite aa iiiag.,
coloraba qttr aenlm
jeia mal rafia.
UMCROSAS IMtTaOOM
Exigir firma
. BXeA.-trA.ZaS
Imprimida Teraelha
BajMiU U a* parla aa tV.
APPROVAtJO
da Junta t* Hygiene
dt Bio le Janeiro
Recompensa de 16,4fOO francos ao Ijoroche
e/to.
ihouho,
da Junta <* Hygiene
di filo da Janeiro
UaUlhuoOUllO,
to.
BLIXIB
Aperiente Tor*ico Febrfugo, este producto de
um sabor agradavel superior aos vinhos de quin^aina
contra as Affeices do Estomago, Febres antigs, etc.
viisroso
O mesmo Ferruginoso muito recommendado contra
a Decdoracao do Sangue, Chloro-aneaa, as Conse-
quen cias do Parto, etc. pars, ao a aa, orouat puarmaciao*
MA NOTICIA AGRADAVEL
PARA OS DOENTES DO PEITO
Vndese, n esta capital,na drogara dos Srs.
ft
O mi>ia v>ctomt
III Ma9WH DI 8L.IM1A m. II
speifioo oentr.* toase, rouqrda da voz, irritaba*) ou iriflamajac.ao
da
ohroi: es ai roa ue zangue, dor a fraqa-sa do peito
reapir, t n*a.
tsica pulmonar, asthuia, oao luche o toda*
laringe, broncbte aguda ou
a* eofcrmid&doa dai via
TORAL DE (AMBARA
DESCOBERTA E PREPARACAO DE
Jos Alvares de Souza Soares
Fundador e pn prietario do grane estaBBLECIM:'NTO
p: ra ,%%%- $9 fflMtt%>ra ^% %** '
AHB1CO-IND08TBUL do PARQUE PELOTEN8E. exprf.eaau>enti-
*
ufado
aa cidnde de Pelota (Rio Grande do Sal).
O Peltoral de Jambar, approvado pola Exm*. Junta Central da Hygiene Publica do Rio de Janeiro, aatonaadt>
Dr dr reto Imperial -le 30 de Junbo de 1884, premiad cono duaa medalhaa de ouro d>; 1. d.-.ea p la A^denji* Nacional d
jury -i-, Espo-ioaa Br.oicra-Allerna de 1881, cata reconhecido como ama JeacoberU d magua importancia para p
humarii:a(e soffreciora.
Est* precioso medicamento de effaitos admiraveia: alhvis proajptamentJ as Co ea dolorosas, taruand-u-.
bran.a cteap*>itosatf'B al eural-e ; ...
Fa diminuir at deasppnraceratn os aCCCSSOS aibmattco* ra..:'* ternvea ;
Cowbat energioamente a tUIca pulaaouar, oa escarroa de tangne, saim oomo s broaehlte, a coque
NMbc. renqarfdo, deBatie, etc., de ui>a forma rpida e radical. ... .-,
O doenta, o a uso do Peit&ral d Cambar, not.-i logo o apparecimonto do appeti'e a das lofjao perdilss.
Eas imputante medicacneeto, que tanto ae tem celebrisadj por aua grande effios,\a a uonsamo progressiFO em todo n
Imperio 4 preparado em am gtu>\m < ?speci.l barios, qua tem sHo ropstidamonte elogiada p-iU iaprensa e aefea se rodeado dr,e
inais importau-.es aiastadoa do sHwbI meloi e de innmera peseoas caradas de gravissim-a enfer.x.idades, coa. M 8 de
folbeto qn acompaoba cada frasco. i .
V^-d-endoso n'sta ci'Jade um medicamento de tal importancia, cumplimos um deser de bumanxade, indicando o aos
doentca do oeito e vi^a respiratoria, n& cortesa de Ihes aconselbarmos o mais seguro meio de r^Ddquirirera a ssdo perdida.
3P3FUSQaS
2S600 o fraseo, 131000 112 duzia e 2U 0 a duzia.
Mais lina DescoberU!
E" prodigioso
O maravilhoso sabo russo, em poucos
annos tem firmado o seu crdito, por toda
parte onde apparece confirma os seus pro-
digiosos effeitos. Alm de muitas outras
molestias, serve com seguranca para as
seguintes : reumatismo, dores de cabeca e
ouvido, inflaiuacoes de olhos, contusSes,
queimadura, ulceras, mordeduras de in-
sectos venenosos, empigens, dartros ery-
sipela; para o toucador de inteira neces-
8dade, para amaciar a pelle, fazer barba,
tirar caspas, e para o banho.
Nao ha igual
A venda naconbecida casa de porfuma-
rias e modas.
Pedro Antunea. fc C 3
RUADUQUE DE CAXIAS
Pao centeio
Mille & Bisel, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas c sextas-feiras, tem este sa-
borosQ pao ; ra larga do Rosario n. 40.
Typogaphia e Lilhographa
FABRICA DE LIVROS DE ESCRIPTU-
RAgO
Premiada as exposlees de
18 el85
Manoel J. de Miranda
Encadernaguo e especialidades em cartees de
visitas.
3M.ua Duque de Caxias-39
Telephonen. 194.
Criado
Precisa-se de um criado ; na ra de Paysandu
numero 19.
Camellas do Monte de Soecorro
Compra-se cautellas do Monte de Soecorro de
qualquer joia, brilbantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independencia n. M, loja de
relojoeiro.____________________,
Cozinheira
Precisa se de urna boa cozinheira que durma
em casa dos patres, para casa de pequea fa-
milia, na ra do Conde da Ba-Vista n. 24 F.,
porto de terro-
1/
FUNDIGAO fiBRAL
ALLAN PATERSON & C
N. 44Ra do BrumN. 44
JNT0AB8TACA0D0SB0ND8 .
Tem para vender, por precoa mdicos, as seguintes ferragens :
Tacbas fundidae, batidas e caldeadas.
Crivacos de diversos tamaitos.
Rodas de espora, idem, idom.
Ditas angulares, idem, idem.
Bancos de ferro com seu circular.
Gradeamento para jardim.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos.
Portas de fornalba.
Vapores de for^a de 3, 5, e 6 cavalloo.
Mocadas de 10 a 40 pollegada de panadura.
Rodas d'aeua, syBtema Leandro. ,. .
Enc4rregwa-se de concertos, e assentamento de maefamamo e exeeutam quftl
ner trabalbo com perfeiso e preste*.
TNICO FEBRFUGO REGENERADOR
VINHQ^oJOHANNO
DO
IGuTR
Quina, Coca, Extracto de Carne e Hypophosphito
unenfl*- no? rs^o Tie necessltSo tnicos para raaeaatttnlr e
PERE1RA ft MAGALHAES
Recebedores directos dos mercados da Europa
liquidam os seguintes artigos com descont de 14 \ as
vendas cm grosso
Bramantes de algodao superiores, a 800 rs. o metro, 4 larguras.
dem de puro tnbo fazenda de 2)5200 para acabar a 15500, metro.
Atoalbado alvo, duas larguras, a 700 rs., 10100 e 10200 o dito.
Algodao alvo, nacional, para lences a 50500 a pe^a.
Madapolao americano, a 30600, 40000 c 60000, com 24 jardas.
Maripozas de edres a220rs. o covado.
Chitas clasas e escaras, c6res firmes, a 200 rs. o dito.
Batistes idem a 12 rs. o dito. /
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 rs. o dito.
dem de quadros modernos a 280 e 300 rs. o dito. .......
TehTisde renda chics at^OOO.' ""** *
Colchas francezas de edres a 20000 c 40000, urna.
Lences de bramante a 10800, para cama de casal.
Casimiras de cores para roupa de crianja a 10000 e 10800, diagonal, duas
Camisas inglezas e franoezas a 260000 e 300000 a duzia.
Tapetes avelndados, grandes, a 140000 um.
Cortinados ricamente bordados a 50500 e 60000-
Pannoa de coreSjpara mesa a 10100 e 10300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 30000 o dito.
Brins pardos e de coreo a 280 rs. o dito.
. V.emdilli08 de cores e pretos a 900 rs. o dito.
Rendas austracas para vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Setins de todas as cores a 900 rs. o dite.
Setinetas lavradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias croas inglezas para homem a 20500 e 30nOO a duzia.
' Caroulas bordadas, de bramante, a 120000 e 160000 a dito.
Cortes de caaemiras para caiga a 40000 e 60000.
dem de meia casemira a 20000. .
Toalhas grandes para rosto a 40000 a duzia.
dem felpuda para banho a 120000 a dita.
E muitos artigos que serSo lembrados com apresenca de nossosleitoreg.
59Ra Duque de Caxias59
LOJA DE
PEREIRA & HA6ALHAES
ooqpusmo arramalo por moleaMW. exeesaoc naureaa do "^.^^^f^St
ABMoormea. Ronerl, Tin*- ranco, que lano amunao a aaude das muinaiee,
?abreaa de Baagve, Frq,a geral, pelillltotei etc.
SCTTTtBr, Dospdita, rJORON GUYOr
%&* Alcatro Guyot w
Pharmeujeutico, Q, ruftJaoob,
f OUD-tON OUYOT trr para pre-
MaV afoa de alcatrEo a man aaradarel.
O OOUDaON OUYOT ten. sido eipa-
tlitado oom grande uxito un Uoapitaai
yraaaa e HeejKnaa un aofermidadea do
PULMES e GRfiANTA
meATABRHOSda BEXI8A
DISPEPSIA
OOOUCJION OU1TOT aaaattaa ra
(ra em lerapoi a aptoaadra
iahyfiai
Aa OAFSUlJaO OYOT radraa ala
trio de Noruega puro. A doeet alo da duas
ajoatro capimlaa no momento da* rtaeleBra.
aOAPSUL.A ouvot ni
aa na antemidadea aegiuntei :
TOSSAS TENAZES
TSICAS. BROMCHITAS, ASTHMA
RESFRIAMIENTOS
OAFOULA0 OUYOT alo knrarat
a araU rana aMB l|iiarai em preto a firma.:
._.-- aa* ...ni.u aaana niuunn T-^, -^I ._ ... Kanh
ADMINI3TRA-;AO :
r-ARIZ, 8, Bonlcvard Montmartre, PAR'.Z {
PASTlLHAS DIGESTIVAS fabricadas em
Vloliy com os Sae$eslruhlot&ai Pontts. Sao |
de cosi agradavtl c a sjia accao c certa con-
tra 1 a ta o as Dige*$6*s iirflceis-
8AES DE VICHV PARA BANHOS. Um rolo para um banho, para a-, pessoas que nao podem Ir a Vtahy.
Para evitar as inttactos exigir em todo os productos a
MARCA DA OO&tt*. DE VIOHY
Perrtambuco. o frouetot acias tcae-M casi i s^LZER KOICMUN,
35. na di Cnii; Ato. LABILLE,
rararaVflararaVaramarara*aBrarai
>oopoopoooqQQqQ<
ELIXIR ANTINERVOSO POLYBROMRADO
da BAUDRY, Ph&rm&ceutioo de i* Ouae.
Bote Elixir, que conten em ana oamposic&o os bromuretos de potsalo, de sodio
e de ammenia, perfeitamente combinauos, de um sabor agradavel e oempre
tomado """ prazer, mesmo petas pessas, que tenhao um esOomago delicMO.
Numerosas experiencias vierao oonrasar a aua immensa eficacia. contr a
Inaomnla, aa Enxaquecaa, a Agita^ao duraste n noite, e as Paipltapoea,
calmando immediaumente a excitabilidade nervosa. Administra-se tambem com
grande vantagem nao oonvulsdes daa creancas e as aonhoraa flue^offrem de
eapasmee, deomaios e attaque da ervos. Emprcgade oervfcmwtemrarte,
este Elixir e um auxiliar poderoso da medicina contra o hysterisa*, a apaepel
e a danaa de Sfio Guido. A doso de 2 at 4 & lheres por da, pela manha e A tarde.
Zpc0tto : Km PA.RIS, S, Raa VrrJanna, a na principaba Pbaraiasiaa,
Aluga-e por 35*000 mensaee am bom sitio
' arborisajS^^^^lfcte casa demo-
ii'tVMn I^^^^HMraervaclo, Be apra-
aaiir Paraameiria, j-aWatatafOo.
0 cartorio do re
Antonio ra do
Registro civil
Uro da paroctaa de Santo
iperador n,ML* andar.
CortalraWrai aAnt.
0 Eemedio 3o Br. Aye^
tse ">es.
tai. e,
> rtso seu* ofl'ei-
certo para
:.:-.. Es) illa de-
-111,'ltCO
-. ,'iltir
reuwsclaaaea.de
Tc-roiaras e
oas. de Fro,
-terraifcteiitee, Remit-
pvs, e Typhoide.
i i o T)r. .Vykh nentraH
loo do .'-y
Inim : ..i .
-/o, e
i eSea
nierAKAno i-
DR. J. C. AYER BJ CA..
5,owell, Mass., B. LT. A.
A' venda naa principacs piprmsciaa ,
droijariai.
CABELLO.
Augmenta, A*oiir.osea
E PAZ CBESCES O CABELLO
uini asaombroaa rapidez.
Ao commercio
Conrad Wachemann (antiga casa Otto
Bohres) partecipa que mudou seu arma-
zem de miudeza* e ferragens para a ra
Bispo Sardinha n. 1, em frente A do* Viga-
rio Tenorio.
-------------
Arraial
Aluga-se urna casa em um dos melhores luga-
res, travesa do Moura o. 2 ; a tratar na ra
do Imperador n. 44. ____
Para oDerby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen-
to de gravatas e camisas de cores proprias
para os amadores do Prado e est venden-
do por precos sem competencia.
Recebeu tambem collarinhos e punhos
de borracha de fonuati noToa.
48BDA BABAO DA YICTOBIA 48
preto superior
Carlos Sinden avisa seus amigos e re-
gnezea em geral que recebeu pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por precos mais resumidos em vista
da eontinua^ao do cambio favoravel.
Convem que experimentem.
48 RA DO BARO DA VICTORIA 48
Precisa-se
de urna ama para
n. 52, 2- andar.
ensommar ; na roa da Roda
Urgencia!!!
Segunda chantada
Na ra Duque de Caxias n. 87 ha
diversas carta para serem .entregues pes-
soalmente aos Srs. abaixo.
Luiz Jos da Silva Cajazeira (Olinda).
Francisco Pacifico do Amaral.
Joo Jos de Araujo.
JoSo Rodrigues Damaceno.
Custodio Gomes Ferreira (Rio-Formoso).
Jos Fernandes Ramos.
D. Olindina Mariz.
Manoel Antonio Xavier de Brito.
Augusto Cmara.
Cosinheira eetiado
Precisa-se ; na ra Velha u. 137, sendo o ciia-
do menino ou rapaz.
0 COELHO
Novo estabelecimento de fa-
zendas finas e modas
56~-Rua da ImoeratrizS6
FAZEMIAS BARATAS
NO N. 20
(JUNTO AO LOUVRE)
Zephires de quadros, a 80 rs., o covado.
Las escocezas, a 100 ra., o dito.
Cambraia bordada, a 4<>000, a pee.
Sargelim diagonal, a 200 rs., o covado.
Baplistas finas, a 160 rs., o dito.
Percales claras, a 200 rs., o dito.
Setineta do Japao, 240 rs., o dito.
Brim de cores a 320 rs., o dito.
Cachemiras de quadros, a 260 rs., e dite
Fustao branco, a 360 e 400 rs., o dito. -
Brim pardo, a 280 rs., o dito.
Meias para senhora, a 4(5500, a duzia.
Baleias para vestido, a 280 rs., a duzia.
Lencos brancos, a 1)5200 a duzia.
Collarinhos de linho, a 3#d00, a dita.
Canga para cobertas, a 260 rs., o codade.
Sabonetes de glycerine, a 200 rs., um.
Regatas de c6res, a 1)5200, una.
Ceroulas de bramante, a 1)5200, urna.
Colchas de cires, a 2*000, urna.
Cortes de Linn, a 74000, um
Cortes de seda para collete.
Leqaes transparentes, a 2)5500, um.
Sahidas de baile, a 2)5000, urna.
Tapetes para so, a 13)5000, um.
Espartilhos americanos a 5(5000, um.
Camisas inglesas,.a 364000, a duzia.
Las de quadros, a 300 rs., o covado.
Agua Florida, a 14000, a garrafa.
Esguillo pardo, a 360 e 400rs., o corado.
Cortinados bordados, a 64000, o par.
Luvas de seda, a 24000 e 24500, o per.
GuarnicSes de crochet, a 74000, urna.
Bramante do aJgedSo, a 800 rs., o metro.
Merinos de efresf a 800 rs., o covado.
Madapolao mericano, a 64600, a peca.
Toalhas para banho, a 1490T urna.
Cambraia arrendada, a 400 rs., o covade
Lencas de barras,, a 24000, a duzia.
Alpacas indianas, a 320 rs., o covado.
Cortes de setinetas, a 64000, um.
Setins de c9res, a 800 o 900 o covade.
Colchas de damasco, a 74000, urna.
Panno da Costa, a 14000 e 14200, e ao-
vado.
Cachemira de duas larguras, a 800 re.,
dito.
Chambres, a 44500 e 54000, um.
Paletots de seda palha a 74500, um.
Renda hespahola, a 34500, o metro.
Gazes de cSfes, a 500 rs., o covado.
Pecas de esguio de algodlo, a 34500.
Fustao de c6r, a 800 rs., o covado.
Cobertas de ganga; a 34#0O urna.
Brim pardo, a 300 rs., o covado.
Liuho de quadros, a 200 e 240 rs., o ca-
vado.
Paletots de alpaca, a 44000 um.
Cambraia Victoria, a 24900, a peca.
Cortes de casimira para costamos.
Lona para cama.
Algodao de duas larguras.
Guarda-pos para homem, a 54000 e 64000.
Ditos para senhoras, a 84000 e 104000.
Popelina branca de seda, a 800 e 14000,
o covado.
Linn de cores, a 500 as., o covado.
Oteo Oriza, a 900 re.
ntremelos e bordados.
Sabonete de alcatrlo, a 660 ra.
Toalhas para rosto, a 34500, a duzia.
Bicos de urna so cor, a 24000, a peca.
Bicos matisados, a 24500 e 34000, a peca
Pacotesde pos de arroz, a 500 re.
Setim branco, a 800 rs., o covado.
Leques de setim branco, a 64000.
Tnico oriental, a 900 rs.
Suspensorios americanos, s 24500.
Cretones finos, a 320 rs., o covado.
Fechs grandes, a 34000 e 34500, um.
Metins de listas, a 390 rs., o covado.
Brim de linho (cor) a 800 rs-, o dito.
Costumes par banhos salgados.
Boleas par o mesmo fim.
Ra 1. de Margo n. 20
CASA DE
AMARAL & C.

Recebem directamente da Europa o que ha de
mais novidade em tecidos de fantazia e fino gos-
to. Completo sortimento em faeendas de todas
as classes e precos sem competencia.
Telephone 489
Professora
Urna senhora competentemente habilitada, com
pratica de 1! annos de profissao, apresentando
diversos altes lados-de oom methodo e comporta-
ment, offerece-se para leccionar em casas par-
ticulares, nacidade ou em seus arrabaldes as se-
guintes materias : Portugutz, Prancez, Italiano.
Geognphia, Piano, trabamos de agulLa, etc.; a
tratar a roa Visconde de Goyanna n. 69 ou em
easo doRegulador da Mannhroa larga do
Rosario a. 9.
Offerece-se
um menino portugu' nducta afteafada,
com pequea praca, pa caixeiro de anmufem
de molhados: quem pretaader dirjja-se a rea
larga do Rosmtio n. 34.

Dr. Perelra de raomaa
Apezar de j se achar o Peitoral t
Cambar approvado em todo o Imperio
por grande numero de attestados anuara
fieos, resolvemos tambem registrar e e-
lioso parecer deste Ilustre e distincto v
cultativo, com residencia na cidade do Ba-
nana!, em S. Paulo, onde goa d mais
alta reputacSo.
Eil-o:
Eu abaixo assignado, doutor ea me-
dicina pela Faouldade do Rio de Janeiro,
ex-proto8sor adjunto da clinica de molos
tias de creancas da mesroa Faculdade, eK.
Attesto e juro, sob a fi de meu grao,
que tenho empregado em minba clauca,
sempre com muito bom resultado nao mo-
lestias dos orgSos respiratorios, Ptittrral
de Combar, do Sr. J. Alvares de S. Soa-
res. O xarope Peitoral d Omtbar teas
propriedade de ser um mejdkaaaojl
sabor agradavel, e bem ?olatao pelas
criancas, em cujas molestia. -anda
eficacia.
Dr.,Jote Joaqum Punir


PernambucoTerca f 8 de Janeiro ele 1889
na
Caixeiro
idaeao
que tenli
na ra di
Crneos de alenda o
(-egi
pho n- I
kilo-
Criada
Na mu lo n
criadj para cuidar
annos li
liosa.
lo
de una
k 5 c 3
i d-re-se
^lOES, BB0KC
Peito e d Garganta
Oonn ?.\3TA PEITOHAL O O
XABOPE 3RENIEH.de PABJG,
E>3SUem urna efflcacla luiijpel verificada pelo:
embros da Academia a de Francr.
contando opio era lo poico saes de opio tac :
como tforph.nia ou O. producios ir:'
nistro-se cora oplmo osito c segurancr. l
crianzas soITrendo de Toase ou Vonuvlr.siiC*
Opojios nts Phtrmtelit o '.'.unii i/iei.*o.
Aluga-se
o 2.' andar da casa ra da Aurora n. 81 (junio
a estagao da estrada de ferro de Olinda), com
grandes comraodos para familia ; a tratar no es-
rriptorio de SebaslBo de Barros Barrete, ra
do Boro Jess n. 16, 1." andar.
luga-se barato
Ra do Rosario n. 39.
Visconde de Goyanna ns. 163 e 139.
Baixa Verde n. 1 C. (Capuugai.
Ba Viscondc de Itaparica n. 43, armazeui.
A ra do do Calaboco n. 4 loja.
Largo do Corpo Santo n. 13 2-anclar.
Ra Santo Amaro 14 Io andar.
Ra Vidal de Nogreiros n. 45.
Tratase na ra do Commercio n. o, 1.* audar,
escriptorio de Silva Guimaraes de G.
de
Pars e Landre*
A Pasta Mack ?em candes elegantsimos
ci S taboinlias) am novoe maravilliA.-. pre-
.irr.i'.o proporcionando umbaulio dell'lon i
rgieales, enmaexcelleateaa-iiadetuuriiior,
Esta Pasta Mack goza de fama universal,
eTi.r an.w'i e snavisa a eatis, e, como rrtr-
canr. sopera todo qnjwto se confine at ho;e.
Vonde se em todas as pharmacias, droga-
ras, e as priacipa? ppuoiu'iriaa do rauudo.
Ubico fabric-Invent.: H. HA-'K, lm >/Dj
D< poltaxioa em Perajnbuco : :' i SinabSailX
ASDE10:000 CIRAS
ucbie b: nnEiuLTZsuco
DORES DE DENTES
E
PEEI'AKADO CHICAMENTE
POR CALA8ANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuraa-
tismos, inchagoes, dores aciaticas, nevral-
gias, dorraencia, etc., empregando-se em
fonientacoea sobre os lugares affectados.
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
'de dentes.
Todos os frascos levam direcgJes para
uso d'este medicamento admiravel.
Prego 1*200. Descont de urna duzia
em diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel.da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n. 23
F0LHETI1
POR
JULIO MARY
ftGfil \DA PARTE
CONBKMNADA

\V
Ama
de urna a .
na ruu_N

/
Ama
urna ama para cosinia
familia : na ra do Lald
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar e en-
iommar ; na ra da Imperairiz n. 44, primeiro
andar.
a
Ama
. (ContinuagSo do n. 3)
' i'
Mas ama tanto um como a outro. Pas-
cal j o havia dito. Nunca mostrou pre-
ferencias.
Entregar um para salvar o outro, seria
possivel ?
Salval-os ambos, sim.
E atira-se aos j)s dos officiaes.
Seuhor, seja clemente... sSo meus
filhos ambos, senhor, bem o sabe.. elles
ito disseram. .. Nos somos ebeios de bon-
dade e de indulgencia para com os pnsio-
neiros, NSo os fuzilamos. Se elles estilo
doentes, tratamos delles. Por que nSo fa-
zem pelos francezes o que os francezes fa-
xem pelos senhores ? Por que nSo se hSo
de mostrar tao humanos quanto nos o so-
mos ?."..' Em vez de fazerem-se des ul-
culpar, por que fazem-se odiados ? Meus
filhos sito soldados e batem-se contra alle-
mSes, do mesmo modo que os filhos das
ailemSes sSo soldados e batem-se contra
os francezes. Por que querem mandar fu-
zilar aquelle dos dous que foi sorprendido
a cumprir o 8eu dever de combatente ?
Com que direito ? Com o direito da guer-
ra? NSo verdade. A guerra nao exclue
a htunanidade... A guerra a barbaria
emquanto se combate.. E' a clemencia e
a piedade, no intervallo das batalhas. ..
Supplico-lhes, reflictam... Soumai. Urna
mSi sagrada.
A senhora inili, concordo; ha tam-
bem milis alternas-----Nos todos temos
ralis.. Porm ellas nada tm que ver
... Qual dos seus fimos designa ?
E eu posso por ventura designar om
para que se fnzile o outro ? Esto doudos.
com certeza E, demais, por que me
Precisa-se de una ana pata c isa de pequea
familia ; na ra de Pcysanau n 19.
Ama
Precisa-se de urna amr para comprar e cosi-
nhar para casa de pouca familia : a ra da Pe-
nha n 21, Sr> andar.
Amas
Precisa-se na ra da Unio n. 13, do urna ama
Sara cosinha e deoutra para o servigo interno
e casa de familia.
Ama de leite e ama
secca
No Espinhoiro, ra de S. Elias n. 10, precisa-
se de urna ama de leite e urna para cuidar de
crianga; pagase bem.
VENDAS
Vcnde-se urna fabrica de farinha de milho,
ponto muito bom e bem afreguezada, e de pouco
capital : a tratar na mestna, ra do Rangel n.
71, perto do mercado, confronte a botica.
Vende-sc um estabelecimento de molhados
com proporges para grande negocio ; na praga
Conde d Eu n. 18.
Vende-se urna parte no engenlio Destrro,
freguezia de Iguarass, faz-se lodo negocio, e a
renda de muitos annos ; a tratar na ra da San-
ta Cruz n. 8._______ __
Vende-se os seguintes livros
A Biblia Sagrada, 2 volumes, encadernago
rica, com finas estampas, e pouco uso.
. 0 Genio do Christianismo por Mr. de Chateau-
briand, volumes, com tinas estampas, e quasi
novos.
0 Martyr de Golgotha, 3 volumes edigfio da
Bibliotheca do Gura dAldeia, novos, em bro-
chura.
Flos 8antorum, 2 volumes novos, ou o Santua-
rio Doulrinal, que comprehende as vidas e obras
dos principaes santos raartyres e santas ; a tra-
tar na ra Direita n. 82, 1 andar.
Vapor para engenho
Vende se urna machina a vapor de forga de 4
cvanos e em perfeito estado ; a tratar na ra do
Apollo n. 30, 1 andar, das 11 horas as 3 da
tarde.
oooooeooooeoooooog
Contr
PALPITARES SOFFOCACOES
PEHTITRBAQOES ftl CiRGLAClO
lirEllITTEICUS ASTHMA
todos os mcoinmodos cootldermaM como
preludio da
OUSTUt DO OOHAOAO
Os lH|ll llsJiiiri oamprtl Oo
Granulos intimosiaes
g&Mm&m*
Ralatorlt fmn>*tiv*t < A--i>femia re AIi"Hc*na
t parlB.
Dnoslo ai: f* t?", f, rv cot-Bfra. rRB
la Hniimbo : rAN" SI >)a SILVA 4 O.
iOOOOOOOOOOCOCO^
Piano
1 Riutclu llitro da Victoria 10
smm \o c.
issim
to de Bftia
. r- (i
cov&tl
Baleias com forro a 400 rs. a duzia.
Idom sem fon-o a 240 rs. a dita.
Bramante de nho, com 10 palmos, a
1540)e 1$500.
Extracto Rita Sangal a 2*200.
Fichus de lfi e seda a lj e l.$500.
Capellas com veo bordado a 6|J000 e
7*000.
Merinos de cores a 400 rs.
Zcfiros, largos^ a 160 e 200 rs.
detones com ferraduras a 240 rs.
M.idapolSo (o verdadeiro Boa-Vista) a
6,4000, com 20 varas.
Toalhas para banho alie 10500.
Ccdchas de crochet, finas, a 5(5000.
dem com flores a 8*000.
Toalhas felpudas para rosto a 3)5000 a
duziii.
Bramante trancado, 4 larguras., a 800 e
1*000.
MadapolJto com 1 metro de largura a
7*000.
MadapolSo Globo a 7*000.
Dito camisero legitimo a 7*000
FustSo branco a 360 e 400 rs.
Setim branco e de todas as cores a 800
e 9(0 rs.
Tapetes grandes para sof, a 13*000.
Espartilhos couraca a 4* e 4*500.
Cortes de cambraia com carocinhos a
4*000.
Brin8 de nho de cores fixas a 600 rs.
Crinoline branca e preta a 400 rs. o
metro.
Rico sortimento de leques de penna de
8*000 e 10*000.
Guardananos de nho a 2* e 2*500.
Panno de crochet para cadeiras a 800
reis.
Ditos grandes para sof a 2*500.
Cambraia Victoria e transparente a
3r?000.
Merino preto, fino, a 800 e 1*000.
Camisas francezas, finas, a 33*000 a
duzia.
Nanzuc de cores finas a 240 rs. o co-
vado.
Capas de cachemira preta.
Renda hespanhola a 1*000 e 1*500.
Cretone com duas larguras a 400 rs.
Batistes finas a 140 rs.
LS de quadros a 280 rs.
Cortinados bordados a 5*500.
Ditos de crochet a 10*000.
Camisas de fianella com collarinhos e
sem elles.
Palitots de palha de seda, todas as co-
res.
Luvas de sda-
Fazendas de phantasia e abertas.
Cachemiras eom stras e quadros a
500 rs.
Cortes de casimira a 4*000.
Etamine preto.
Cortes de cambraia aberta a 5*000 a
peca.
Cortes bordados brancos e de cores.
Seda palha croa com flores a 800 rs.
N. B.As fazendas compradas na nos-
sa casa nSo sendo do gosto do freguez, se
trocam por outras de mais gosto.
Telephone n. 200
Vende-se um piano nglez, perfeito, de duas
cordas, proprio para principiante, por 200* ; a
ver e tratar na ra do Lamarao n. 4. prximo a
l'ovoaglo do Monteiro, na freguesia (lo Poco da
Panella.
mmtmmmmwmmmmmammmmmmmmtmmmmm
peiguntam isto?... Entao compete-me &
mim, urna mulhor, urna mSi, dar-lhes taes
eselarecimentes ?...
Falle... ou do contrario...
O que farSo se eu nao fallar ?
Um s que est condemnado...
E entao ?
O seu silencio condemnar ambos !
Oh! miseraveis! miseraveis. NIo
hfio de ousar No, nao ousarSo Deus
fulminal-os-hia antes que aomelhante cri-
me fosse consummado...
Deus est com os allemaes e nao
com os francezes!
Dirijo-me ao seu coracio. .. O se-
uhor um homem, um official, e mais
instruido de certo do que estes soldados.
NSo pode ser o seu uniforme que faca a
su a barbaria... O senhor tem urna mSi...
Tem filhos, talvez. .. Reflicta, pois...
Responda, senhora... Responda...
N&O por culpa nossa que fazemos a
guerra... Foram voces, francezes, que a
quizeram!
Ah! a desculpa delles! E por
culpa minha, pergunto-Lb.es, que se batem,
que se matam, que se trucidam? Neste
momento nao ha mais guerra... Ha sim-
plesmente urna mulher diante de homens...
urna mulher que se dirige ao seu coracZo
de homem... NSo a soldados que im-
ploro ... E' o seu rei que lhes manda se-
ren crueis ? Selvagens Selvagens !
A pobre senhora perda a cabeca ; a
loucura invadia-lhe o cerebro...
Dos dous officiaes, umnSo havia fallado
anda.
Accendera um charuto e fumava tran-
qui llmente.
Tira com o dedo minimo a cinza do
charuto; depois, com voz lenta, accen-
tuando a phrase com prazer, diz, desig-
nando Pascal e Henrique :
Merecem ser fuzilados...
Maria estremece violentamente, como
se recebessse urna chicotada na carne
na.
Fica um momento silenciosa, com as
mSos na testa, os^olhos desvairados, ten-
tando reunir os pensamentos.
De repente volta-se para os dous offi-
ciaes, que conversavam em voz baixa com
Frantz Schuller.
Dirige-se ao que acabara de falar, e
que contirua a umar fleupinaticamente
muito apertado n^seu uniforme :
Ojiando a ti^ diz ella com. voz ren-
corosa, escuta o que te vou dizer. NSo
percas urna nica syllaba... E, no dia da
punicSo, racorda-te das minhas pala-
vrae.
Falla, mufcer.
NSo has de voltar Aliemaoha.
Vende-se
urna casa terrea no bairro da Boa Vista, em bom
local; a tratar no Pateo do Carmo n. 3, botica.
^Ali! ah adivinha...
E nlo sers morto no campo de ba-
talha. Has de morrer doente, na ambu-
lancia ... vergonhosamente... como os tra-
eos ...
Um pouco de pallidez apaga o ardor das
faces do official.
EUe leva mSo ao revolver.
O outro segura-o, dizendo em allemSo:
Deixa-a fallar, ella est douda!
E Maria Doriat dirigio-se ao outro offi-
cial :
Tu, tambem, escuta... Tambem nSo
has de voltar Allemanha... porm, mais
feliz do que o teu amigo, morreras no
campo de batalha...
Obligado, mulher...
E a Frantz Schuller:
Tu tambem... has de morrer... com
urna baba no cora8o.
Frantz Schuller tenta sorrir. Mas o
sorriso perde-se-lhe na grossa barba ruiva.
Acaba de pensar, de sbito, que, se
aquella mulher dizia a verdade, se aquella
mSi nSo menta, elle nSo abracarla mais
sua boa mulher Catharina, nem o gordu-
cho Fritz, nem o louro Wilhelm, nem a
pequea Annita, que elle v sempre, quan-
do lembra-se della, pendurada ao seio de
BuamSi!
E elle um homem simples... ere!
Cr e tem medo !...
E Maria Doriat, fremente, inspirada,
com a m&o estendida;
JLembrem-se bem disto Lembrem-
86 .
O oficial que fumava # interveio nesse
monMUto :
Vamos, maluca, se nlo quer dizer
cousa algitma, retire-se. Nfto precisamos
aqui das.."sua.~ malditas prophecias!
Lembrem-se! repete Maria com um
movimento trgico.
Um soldado quer empurral-a pela hom-
bro.
"Ella defende-sc.
Sio, nSo, nSo sahirei daqui... Se
ra matar meus filhos, hito de ina-
tal-l -na minha presenja... Veremos se
r'ncoragem para tanto... HSo de ma-
na minha presenca, covardes, mise-
... e' eu* os abenoarei e amaldi-
roaiei os seus assassinos !
Nos apenas queremos um... Desig-
ne- A senhora mesmo.
E isso cousa que eu possa fazer?
Sei l o que os senhores perguntam !..
E (i a-mim que compete por ventura pres-
tar infonnafBes das quaes depende a vida
de um dos meus filhos ?!
EntSo, diz o official, nSo ha duvida,
lerSo ambos.
Terreno barato
to, ou permula-se por umn rasa
na D i Boa-Vista ou da Graga, de va-
lor correspondente, um grande terreno na ra
Imperial, defronte da rasa n. 320 (centro), com
335 palmos de frente c fundo para a estrada de
ferro de S. h-amisen, cujos limites atravessa;
proprio para edifieagao e com capacidade para
bons nveiros.
No Caf Ruy. a na do Har,, da Victoria B. 56,
se indicis ios pretendentes a pessoa rom quein
ila.
0 BAZAR DO RECIFE
bem conhecida loja de miudezn-; e
artigos de modas recebeu da Europa bo-
nito sortimento de artigos para n festa,
saber:
Bonecas vestidas moda de Pars.
Diversos brinquedos para criancas,
Lindos leques de phantasia.
Costureiras com msica.
Caixinbas de setim com perfumes.
Elegantes estjos para toilette.
Primorosos cartSes de felicitagSes.
Porta-relogios para toilette.
Caixinhas para joias.
Estjos para escriptura^So de senhoras.
Perfumaras dos melhores fabricantes.
Um variado sortimento de miudezas.
O BAZAR DO RECD7E
11BA DO MRQUEZ DE OLINDA11
Domingos n. Martina
Bomusm
P CLiERV Venda-so r, te> wrU
21
RA DO CRESPO
Oliveira Campos & C.
Cortes de vestido em cartSo com muita
fazenda todos enfeitados a tiras bordadas,
cachemira, jour, zephiro, ninon e cam-
braia branca de 8*000 a 35*000, um.
Romeira8, peerinas, voltas e peitinhos,
de vidrilho8, ultima novidade, de 6*000 a
12*000 urna, sSo lindas.
Zephiros de cores padroes alta novida-
de a 500 rs.
Merinos de cores todos em quadro a
320 rs. o covado.
Cortinados bordados de crochet para
cama.
Colchas de seda para noivos.
Veos e capellas o que ha de mais novi-
dade.
Capas pretas, merinn, cachemira e gor-
gorito, todas ricamente enfeitadas.
Espartilhos para senhora, de 4*000 a
6*000 um.
FustSo branco, de 400 e 500 rs. o co-
vado.
Musselina branca para casaco de senho-
ra a 500 rs. o covado.
Manteletas de c6r, arrendados, a 1* um.
Merinos Usos, todas as cores, de 13 pura,
a 500 e 800 rs. o covado.
EsguiSo de linho pardo para vestido,
muito largo, a 400 rs. o covado.
Batistes de cores a 160 rs'. o covado.
Zephiros de cores, padroes mimosos, a
200 rs. o covado.
Metas enras, brancas e de cores para
senhoras e criancas.
Ditas para homem.
Colarmhos, punhos e camisas para ho-
mem.
Atoalbado lavrado, linho e algodSo, pre-
oo barato.
Sortimento completo de diversos tecidos
que liquidamos sem reserva de prego.
OLIVEDiA CAMPOS & C.
Vende-se
urna armago e utensilios da mesma, propria
para pouco capital, na ra Augusta n. 217 ; a
tratar na mesma.
Ah! nSo possivel... covardes !
covardes !
Os senhores nao sao soldados. SSo car-
rascos ; nSo, nSo mereciam ser vencedo-
res... Dia vira em que a Franja tra-
tar os seus filhos como os senhores tra-
trarain os della.
Henrique, mou caro Henrique, diz
Pascal, emenda a tua sublime mentira...
nSo tens o direito de morrer por mim...
Olha para nossa mSi... amigo... tem pie*
dade do seu desespero... Suppco-te...
Deixa-me morrer s...
Pascal, porque esta obstinacSo em
querer morrer ?... quando sou eu que
elles procuram e perseguiam ?...
Pascal dirige-se entilo a Maria Doriat :
Minha mSi, tu sabes da verdade...
tu... tu sabes que Henrique nSo podia
acompanhar-me, visto que estava aqui,
visto que passou a noite perto de ti....
minha mSi, impede este devotamento in-
til... urna vez que smente um de nos ter
que morrer, reclama Henrique...
A pobre senhora est tao desvairada,
que as palavras de Pascal mal chegam-lhe
aos ouvidos.
Sim... diz ellacontinuando a pas-
sar as mSos pela testasim, ouco bem,
ougo bem... Henrique, Pascal... Pascal,
Henrique. Grande Deus!
O que fazer ? Designarla Pascal ? Dira
quelles soldados implacaveis, sem cora-
5 lo e sem piedade :
Olhem, aquelle... que devem ma-
tar ... a carne da minha carne, o sangue
do meu sangue, o meu filho mais velho...
Tomem.... amarrem-o.... tapem-lhe os
olhos e a caminho...
Podia por ventura dizer isso ?
NSo era condemnar seu filho ?
Sera urna cousa monstruosa.
Amava tanto a- ambos!
E calava-se...
Marche! disse o official a Frantz
Schuller.
O sargento obedece. >
Alguns soldados empuwam Pascal e
Henrique.
Supplico-te, Henrique... E' urna
loucura heroica, mas nSo deixa de ser
urna loucura... Por piedade, por nossa
mSi, desgracado...
Sou eu quem os senhores procuram,
diz Henrique aos prussiafi
E designando Pascal :
Poupem este !
Conduzem-os.
Maria Doriat fica firme, immovol, como
que petrificada, os bracos cahidos, a cabe-
ca pendida sobre o peito, lamentavoi,
dadeiramente digna de piedade
Barato
S na loja das Estrellas
56--1BA DUQUE DE CAXIAS-56
Telephone u. 910
O proprielario deste mu acreditado estabelcci-
menlo previne a tedas as Exmas. familias
e fregueses em geral, que as militas pe-
chincliasque costuma fazer, nao sao mais
divididas con a sua ex LlSfRAS
AZUES; portanto, quem quizer comprar por
menos que un nutra qualquer parte dirja-
se LOJA DAS ESTRELLAS, onde encon-
trar um completo e variadsimo sorti-
mento de fazendas que se renden) por pre-
sos que nao !he podein fazer competencia
como passamos a demonstrar, a saber :
Atoalhado para mesa, de 1*800 a 1*000.
Dito de cores a 1* e 1*300.
Bramante de quatro larguras a 660 e
759 rs. o metro e de linho com 10 pal-
mos de largura a 1*600.
Briin de cores para ronpa de criangas a
280 e 320 rs.
Colchas de crochet de 10* por 5*000.
Cortinados bordados a 5* e 6*000.
Cortes de cambraia, bordados, brancos
e de cores a 4* e 4*500.
Cortes de vestidos, em cartSo, a 7*000.
Cretones, cores claras e escuras, a 160,
200 e 240 rs. o covado.
Cambraia branca, transparente ou Vic-
toria, a 2*800 apega.
Camisas inglezas para homens a 28?5O0O
a duzia.
Collarinhos, punhos e aberturas de cel-
luloid, um completo, por 2*500.
Capas de vidrilhos e tecidos arrendados
a 10*, 15* c 20*000.
Casacos Jersey a 2*500, 3*, 4* e 5*.
DamasB de seda com ndas cores cla-
ras a 1*200.
Esteiras brancas e de cores para forro
de sala a 1*100 a jarda.
EsguiSo de nho, pardo, a240e 320 rs.
Enxovaes para baptisado a 5*600.
Espartilhos couraa a 3* e 3*500.
Fichus a 500, 1* e 1*200.
FustSo branco a 240 rs.
Grinaldas com finissimos veos de Blond
a 7*000.
GuarnigBes de crochet para sof, a 5*500.
GorgorSo preto de seda a 1*800.
Guardanapos de linho de 3*500 por 2*
a duzia.
Leques de fantasa a 400 rs.
Lengos para meninos, a 320 rs. a duzia.
Luvas de seda para senhoras a 1*000,
1*500, 2* e 2*500.
LSs e cachemiras de quadros a 160 rs.
MadapolSo pee de ovo, muito fino, a
6*000 e americano, com um metro de lar-
guro, de proco de 12* por 7*000.
Dito de 8* por 5*000.
Merino preto com duas larguras a 560
e 700rs.
Dito de todas as cores a 500 rs.
Ditos de quadros, ndissimas cores a
240 rs.
Rendas hespanholas a 1*600, 1*800,
2*500 e3*000.
Setim Maco, preto e de cores a 750 e
800 rs.
Dito de quadros, ultima novidade, a 1*.
Sargelim de todas as cores de 160 a
200 rs.
Toalhas alcochoados e felpudas a 2*500
e 3*000 a duzia.
Ditas para banho a 800 e 1*200.
Tecidos arrendados, ultima novidade, a
200 e 240 rs.
Zefiros de todas as cores a 80 rs.
A8sim como muitas fazendas que seria
enfadonho mencionar, e que vendemos por
menos 20 [0 do que em qualquer outra
parte.
Armar o
Vende-se urna armago envidragada e dous
teiros para amostras, um candieiro e registro de
gaz ; a tratar na praga da Independencia nume-
ro 35.
tss :m csss
Ra Duque de Caxias n. 103
Vende-se bordados de cambraia tapada
de 2 12 c 4 metros e umn ch lar-
Sra a 5 Hno, de
qualquer largura a 1*4<)0," e de rusti, de
<00a 1*800 pega.
Enxovaes para 'os a 8*. 10*
12*000.
Lindos enfeites para ponteado s 100,
200, 300 e 500 rs. um.
Lindos granpos para segurar chapeos.
Renda hespanhola a 2*500 o covado.
Pulseiras americanas para 3*, 4*. 5#,
6* e 8*000 o par.
Guarncoes americanas a 3*000.
Lindos espartilhos a 4*, 5* e 6*000.
Porta dedaes de vidro, objecto para pre-
sente a 1*000.
Broches de fantasa de 500 a 1*000.
dem americanos de 2* a 3*000.
Lengos de seda de 500 rs. a 1 *500.
Lublaque a 200 rs. o par.
GuarnigSes de crochet, sendo u:n pan
sof e 4 para cadeiras por 6$000.
Finas capellas de pellica, panno e er,
com finos veos.
Flores artificiaes a 1*000 o ramo.
Annes americanos n 2*000.
Plsses de 400 a 1*000 o metro.
Luvas de seda arrendadas e bordado*
a 2* 2*500 o par.
Bicos brancos de nho e de cores a 2*,
2*500 e 3*000 a peca.
Contas de cor para enfeitar vestidos a
700 rs., e pretas a 600 rs. o masso.
Mssangas de todas as cores.
Lindos leques brancos para noiva.
CoUarinhos e punhos de borracha.
Colchas de crochet para casamento nina
8*000.
Talheres para ciianga a 800 rs.
Luvas de peluca a 2*500 rs. o par.
Linhas de cores para crochet a 2*000 e
cor do creme a 1*500.
Lindos leques de papel de 500 rs. a
1*000.
Espelhos com fina moldura, com doos pal-
mos de compriment'i, a 4*000 e cara dura
a 500 rs.
Finos binculos.
Agulhas para bordados a ouro e missaa-
gas.
Lindas franjas domadas para facha, de
seda preta e de cores, sem e com vidri-
lhos.
TimSosinhos enfeitados de bico erenda.
Grande sortimento de fitas modernas a
13 deMaio, Imperial Regente, a Naba-
to e a JoSo Alfredo.
Lindas fitas para facha a 2*, 2*500 e
3*500 o metro.
Carteiras de chagrn para algibeira.
Finas gravatas plastrones e regatas a 1*.
1*200, 1*500 e 2*000.
Lindos porta-ps de arroz.
Grande sortimento de jarros para enfei-
tar consolos e sanctuaros.
Completo sortimento de perfumaras.
Finos sabonetes de todos os fabricantes.
Grande sortimento de alfinetes donradog
para enfeitar o penteiado e tambem gran-
pos muito lindos.
N. B. D-se amostras de bicos e bor-
dados.
WIISIT ~
Royal Blond marea YI.4N
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retamo nos melhores
zens de molhados.
Pede Ro al Blenei marca H
cujo nome e emblema slo registrados pan
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.

Pascal e Henrique tinham desappareci-
do. Ella nSo os havia visto...
Passam-se alguns minutos.
De repente ella lembra-se !... Percorre
o olhr em torno de si... Est s... Sol-
a um grito aterrador...
Meus filhos meus filhos Mas elles
levaram meus filhos!
Surgir o dia durante essa tragedia.
Ella sahe.
Pessoas que a vm exclamara:
Ah pobre mulher! pobre mulher!
Maria pergunta-lhe com voz surda:
Onde estSo elles? Onde estSo os
malvados ?
L Elles levaram-nos para os lados
da fabrica Montmaycur. ..
Mara corre com todas as suas breas.
Pascal vai morrer... que ao menos
eu salve Henrique !
Atravessa a aldeia... nSo enxerga a es-
colta, que tem sobre ella alguns minutos
de avango.
Para e escuta.
Ouve-se perfeitameute o passo cadencia-
dos soldados na estrada coberta de nev.
Toda a aldeia queda-se diante do lugu-
gre drama.
Vou alcancal-os! diz ella.
E apressa mais a carreira.
NSo est mais na aldeia.
Segu o caminho que, passando pela fren-
te da igreja, dirige-se ao cemiterio, atra-
vez os campos, que entao ns, devastados
pela passagem das tropas, de cavailara e
de artilhoria, e outr'ora plantados de v-
nhas, de arvores fructferas, ou semeados
de trigo.
No fundo do vaUe est a fbrica.
NSo ouve mais o passo dos soldados.
Chegaram sem duvida, porm eUa tam-
bem est vista da fabrica.
NSo tem mais folego... apressa anda
o passo.
Urna pontada fere-lhe os pulmSes : o
ar demasiadamente vivo da manhS que en-
che-lhe bruscamente o peito...
Ella nSo presta attencSo a isso.
E' a vida de seus filhos que se decide
pouco alm.. .
A vida delles! A vida della...
Diante da fbrica ella v apenas alguns
soldados que conversam, fumando.
Nenhum grupo sinistro, e os prisioneiros
acham-se invisiveis.
Ao menos, repete ella, he de salvar
um delles...
Emfim, exclama ella com um riso
nervoso, anda nSo tarde .' Meu pobre
Pascal, meu pobre Pascal. TSo forte,
to trabalhador, tSo meigo Ao menos me
restar Henr
Chega ao canto da fabri
:
Ouve urna medonba detonagio, qae
vulsiona-lhe o coragao.
Solta um grande grito, e,
d anda alguns pasaos.
Desta vez nao pode ver.
Dous homens acham-se estendidos nata-
do muro que cerca o jardim dos MoaC-
mayeur,
m pelotao de prussianos abaixa ae es-
pingardas anda fumegantes e descaasa 1
ao nombro.
Urna voz de commando...
Voltam-se 09 soldados nos calcaahareq
como automatos. .3
Ella precipita-se sobre elles cota asa
[grito de fra qual arrebatam-se oe S-
lhos.
Ah malditos malditos!
Um sargento, Frantz Schulles, approxi-
ma-se dos dous cornos.
Acabar de matal-os, se elles anda de-
rem signaes de vida. -ej|
Mas intil essa precugao sinistra. El-
les estSo bem mortos.
Schuller afasta-se.
Mara Doriat est junto de sera filhos.
Levanta a cabega de Henrique, que tem
um pouco de sangue nos labios.
Levanta a cabega de Pascal, calosa e ri-
sonha.
Maria nSo chora. Jfi
Mas nesse momento est am pouco
da... Elles haviam, cahido bem perto
do outro... Ella levanta os s
corpos... Senta-se no chao... CeOoea
sobre os joelhos as cabecas lvidas dot
dous cadveres... Olha pas alisa...
Meus queridos! meus queridos!
mam durmam!...
E acalenta-os ternamente,
do eram pequeos e eUa quera
cel-os.
Acarica-lhes a testa, os cabellos; per-
corre vagamente os olhos em torno de ^,
por tudo quanto a rodis, mas sem reeo-
nhecer cousa alguma...
De repente tocam-lhe no hombro :
Minha boa senhora, preciso ae se
retire daqui...
E' um sargento prussiano.
SchuUer.
Maria volta a si.
Ergue a cabeca... com oe
zes.
que me expuU^_
rique ao
1
'
'
E" Franta
olhos fero-
Por
nSo quer
nao me per*
tos?!
E' preci
Jal...
Porque
deBes? Pea
Typ.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2Z88T632_B2LE4A INGEST_TIME 2014-05-22T00:40:53Z PACKAGE AA00011611_17390
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES