Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17383


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ARNO LXV- NUMERO 196
-FE3A 9 DE AGOSTO m

***
m

s
DIARIO
NAMBUG
Propriedade de Manoel Figueira de Faria efe Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA ^ORTE
Por tres meses adiantadot. f .
Por seis ditos dem......
Por um auno dem. .....
Oada numero avulso, do mesmo dia.
6*000
124000
23(000
4100

Os Srs. Amede Prince & C.
de Paris, sao os nossos ageni.es ex-
clusivos de annuncios e publica-
joes na Francae In^Iatfra.
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por seis meses adantados. 13>55O0
Por nove ditos idem. 204000
Por um anuo idem...... 264000
Oada numero avulso, de das anteriores. #100
i
INSTRUCCiO POPULAR
ASASITABUIBASSSOSASTBOS
POB
JOS M-OSMEH-O JFSJESSTatf
CAPITULO XXV
O ijpit matris dos fir-iel de -
I. rru no mundo moral A escala
4a vidaCosa* se deseavolve a le
de seleecao no aado tay*iro-
ffetnoafso os >iuri'is
(Continuaclo)
IV
Para que servem ao bomem as glndulas ma-
maria f Que utilidade podem prestar Ihe se
liie sao abaolotameote iooteis ? A que tlm sa-
tisfaz prove o de uos orgaos, que, alm de serem
improprios do seu sexo, oo desempeuham como
os msculos do movimento na oreiha, a misso
que aelles depende, para a qual foram forma
dos?
A Naturezadizera os que sentem o prnrido e
teem a insensatez de censurar as suas obras-
procede as cegas e sem discernimento em muitos
casos.
Porque indica ella, ou, para melbor dizer,
.esbica alguns orgos, deixando os por concluir,
, e pur conseguiute inapazes de desempeohar as
fuoccOes que Ibes sao propnaa ?
Se a NatureZd tracou urna norma as suas
ireag.?, e d'eila nao pode, ou i.o sabe, alias
lar se, pondo de parte tudo quanto seja intil e
supeifluo, 6 urna forra cega, sem criterio, e que
obra inconscientemente em todas as cousas.
Este dilemma falso na sua concloso.
Recapitulemos rpidamente o que deixamos
cscnpio, e reconhecer se na desde logo a inexa
i Uuo da argumentado.
A Natureza est suje ta a leis geraes, das quaes
nao p le prescindir uas suas creages. NVsle
caso novena para ella urna excepeo, que nao
pode prevalecer cm absoluto, porque nada, sob
este ponto de vista, deve maufestar-se em con
iradicgo com as leis geraes que presidem a toda
(reacio.
3.' o bornen ostenta hoje glndulas mamarias,
que oenbum servico Ine preslam, porque estes
urgaoB se acbam esculpidos, pur assim dizer, no
(Vpo matriz da especie humana.
Quem sabe se em eras reinlas, quando o bomem
appareceu mTerra, elle s-i servio d'esses orgos,
do mesmo modo que fez uo dos msculos da
crelha ?
Ser isto impossivel ? N'io, por muito extra-
ordinario que o faci nos pareja. 0 sabio Hum
aoldt refere o smgularissirao caso de ter cunne-
rido u'u boineui que dea de mamar ao lilho por
espago de alguns mezes.
A Forca creadora distrinue a3 necessidades se-
gundo as circumsiancias e roodiQOes em que vi
em 01 s-^res que Ihe esiao subordinados. J que
mais incomorebeuaivel s^ja aos nossos oltios, o
que mai- estraono pirega ao nosso juizo, nao e
mo'.ivo para que a Natur. sa detenba um s n
stante a sua marcha secular airavez dos lempos.
A materia e par el a uiu corpa inerte e dctil,
ora u.ue tftoctua. a ?eu .alante, toda a especie de
experiencias e creages.
Temas dado casos de 0oi3, que tem vivido
muio lempo com o cerenro petrificado, como se
tem venheado depois de morios.
Tem se observado em algumas cranos re-
rem naacid s que, acezar de virem ao mundo
sera cerebro e at sem medulla espinal, viverem
inte e mais dias.
O hornera mesmo, ameslrado pela Natureza,
tem praticadu singulares experiencias tem tira
rio o cereb'O a urna tartaruga, e esie reptil tem
viviuo pelo espado de seis mezes : tem extrahido
a ouiro nao s o cerebro, como tambem toda
;i cabes, e tcin-o'o visto viver. ae modo, vinie
e t, es Jias.
Nesles ltimos tempo?, muias provas, dt na-
tureza idntica, tem realisndoos sabios em ani
mses diversos.
Bastante lonhecidos sao 'ambera os maravilbo
hiJ? resultados artificialmente obtido- pela scien-
.:ia agrcola : llores, que anqu rem a forma e
pcrluiue de jutras flores ; (rucias, que to.nam o
abo: e o aspecto de out.as, e que, se sao de
exiguas piup.oce-, se Ihe. fazadaurir um vo
lume extraordinario ; productos inspido e ve-
nenos sao pelo homem convertidos em saos e
aTauaveis ao paladar ; trras ridas, esteris na
apiiarencu, tornam se, scientilicamente bene-
ficiadas, jardins de flores e pomares de arvores
fructferas : regios, que eram apenas babitaveis
pelas su-s tundicSes climatolgicas, em extremo
inegulares ou Desabrida.-, moditicam a sua tem-
peratura, se scientilii umeule se combir.am os
desmontes e arroteameuto oas ierras com a for-
raaca. de nuvos bosques, saneameoto dos que
cai, e a mais couvenieate uislnbuig&o da-
aguas fluviaes; terreos pantanosos e insalubres
conven* m-se, por meio do desseccamento e da
rallara, em ferazes e saudaveis.
A atmosphertt, bem como a Terradiz um
sabio e.-criptor francez-acba-se submeltida ao
cultivo do bomem.
D tn nao com tamanha extendi, nem tao brilbaute
xi'o, como no das plantas, obieem se os mais
sorprendentes resultados.
O Tuzamento e aperfeigoamento das ragas de
animaes domsticos; a realisaco das mais ousa-
das operejes cirurgcas, desde a simples extrac
rao de um deate ca lado, al a traosfuso do san
ene de um homem, sao, para as veas de ouiro,
enfermo, e a restaurajao de um nariz ou de urna
relba mutilada, om a epiderme do paciente
provam a evidencia o nosso asserto.
Qae podereoos nos acrescentar aos innmeros
:acos e pormenores que temos indicado em re-
f'^50 da tnese supra mencionada ?
Ba^ia, pois, o exposto para assentar, nao hypo
tbelic?mfnu>, mas como Indubitavel axioma, em
ue a especie human*, que ba de substituir a
me beta impera em o nosso pequeo mundo, re
restira um car. cter de belleza physica superior,
sob todos os pontos de vista, a do homem, e em
me este facto nao ser senao a consequencia ne
ressarta do successivo deseovolviu ento das leis
aaturaes, porque a Forja creadora delermincu
desde o principio de tod s as consas a maneira de
ser de cada urna dellas ; e nem estas podem
desviar se da linba que previamente Inss fora
trajada, nem aquella contradizer se a si propria,
derogando as leis que regulsm todos os seos
actos.
(Cooata).
riRTE ornciAL
toverno do IMado de Pernansbueo
2.a sr-ccio. Palacio 11 Governo do Estado de Pernambuco,
em 21 de Akos.o de 1890.
U desembargador Bario de Lucena, goveraador do Estado de
Pernambuco:
Visto o d'creto n. 5i57, de 6 de Novembro de 1873, art. 10
que declara extioctas, quando vacaren), s serventas vitalicias do
oflicio de esenvao privativo das causas commerciaes em segunda
instancia ;
E considerando que, deca'ada vaga a mencionada serventa
na Reiajao do Recife de eqmdade, em elacao aos ouiros ser-
ven manos do referido Tribunal, maater a extmecao declarada no
ciado decreto, com reserva, porem do cilicio dos protestos de
letras, que, o contrario do q e deiermioou o decreto n. 5,857, de
20 de Fevereiro de 1874, art. 3.' convm separar, constilumdo offi
ci duunoto, conforme dispGe o decreto n. 135 d, 1' de Janeiro
de 1890, para a Capital Federal;
Usando das aitnbuijoes que Ihe confrem os decretos ns. 7
de 20 c 23 de Novembro de 1889, resulve publicar o seguate:
Decreto n 2
Crea oofficio privativo de protesto.- de letras na capital d'este
Est do
Art. 1. Fica creado o lugar de officlal de protestos de letras
de cambio, trra e mais ttulos que o exigem na capital d'este
Estado
Att. 2. O escrivo de appellaces commerciaes, cujo offi.no
est extincto, e exercia taes funeces, entregara os respectivos
livros por inventario ao official e que trata o artigo antecedente.
Art. 3 Ficam revogadas as dispo>ic6es em contrario.
0 secretario do governo faja publicar o presente decreto, es-
pedindo as communicajOes e jrdens necessari^s.
Bats DB LlCKXA.
EXPEDIENTE DO DU 15 EE AGOSTO DE 1893
Ofiicio :
Ao Dr. chefe de polica.Declaro vos, em
resposta ao vosso oficio de l i do correte mez
que ao subdelegado do 1* districto de Jaooa ao,
cumpre, quanto antes, fazer retirar da cidade a
uoente accommettida de varila; deveodo ala
gar urna Casa e contractar urna enf-rmeira que
se incumba do tratamento com a graiiticajao de
15 a 2u000, e a alimentajo da mesma doran-
te o periodo da molestia.
Quanto ao medicamentos precisos, deve o mes
mu subdelegado entender se com o collector ge-
ral para fornecel os, apresentando-me opporlu
mente a onia de todas as despezas anm de
providenciarse sobre o respectivo pagamento
llemetteu-se copia ao inspector da Tbesouraria
de Fazenda.
As mesmo.Providenciae para que, com a
possivel brevidade, sejam desembarcados de
bordo do transporte ladtira e recolhidos Casa
de Detenjo, os trese sentenciados, de que traa
a relajao aqu junta por copia, as quaes deve
rao ver remetimos com a devida seguraoja pa a
o presidio de Fernando de Noronha no di i 19
do corrate, conforme autorisou o Ministeriu dos
Negocios da iastija por Aviso dirigido ao 6o
remador do Estado do Maranbao em 29 de Maio
ultimo.
Nesta data espejo as ordens necessarias para
que os referidos sentenciados sigam o seo des-
uno.
Fizeram se as necessarias communicajoes, ex
pediodo-se ordem ao gerente da Compaobia Per-
nambucaua quanto ao transporte.
Ao insuector da Tbesouraria de Fazenda
Commnnico vos que em 15 ao correte o juizes
de direuo e substitutos da comarca de Jaooatao
reassumiram o exercicio de seas cargos.
Ao mesmoComa intormaco junta porco
pia de boutem da ada, sod n. 112,do director da*
obras militare?, remeti vos para os devidos
Qns a inclusa nota do gaz consumido nos estabe
leciraentos militares deste Estado, durante o mez
Je Julho fiado.
Ao mesmo Tendo o inspector do Thesou
ro do Estado declarado em olicio n 585 de 22
ae Juliio lindo jue da quantia de 1.0804000, im
portaocia da conta apresentada pe Companbia
Peroambucana de Nave^ajo cosleira, provemen
te de passagensde seus vapores, concedidas por
ordem do governo do E.-tad-j, deve ser excluida
a de 6^8*000, resolUute de passageus dadas a
sentenciados, visto dever al despeza correr pe
los cofres geraes, convi m que sobre este ponto
prestis as necessarias informarles.
Ao Conejo Luiz Jos de Oliveira Diniz.
Agradecendo as expressdes que me dingem os
cidadaos residentes em Nossa Senhora do O' de
luojuca, constante do abaixo assigoado datado
de t do corrente, pego-vos que recebis e Ibes
transmittaes os meus protestos de estima e con-
siderajao.
Ao inspector geral da Instrucgo Publica.
Recommeudo vos que me prestis iformag6e3
subre o assumpto do incluso Memorial de Igna
co Franc seo de Bj.ros Leite.
Ao Inspector especial de terra3 e colooisa-
jao.Era resposta aos vossos oficios de 28 e
30 de Julho ul'imo, declaro vos que approvo o
alvitre de baveraes fetoen rar no elTectivo ex-
ercicio em 25 daquelle mez o ineu-co dos esta
beiecimenioa coloniaes a vosso cargo Dr. Mauoel
olementino de Barros Carneiro de ac-cordo com
a ultima com a uliima parte do aviso do M nis-
terio da Agricultura sob n. I de 11 de Janeiro
deste anno, visto terem tid.. ingre.-so em tas es
latelecimenios varios emigraiues e haver careci-
do ue tratamento med co a familia do colono
Francisco Floro do Barros Araujo eslabelecido
no ncleo Suassuna.
Convem ainda declarar vos que o mencionado
medico est obrigado a prestar seus servigos uo
s aos emigrante* esirangeiros, seno umbem
aos colonos nacionaes a quem tenbam sido dis
tribu ns lotes de trras e a todos os emprega
dos desde o director al o mais inferior em cate
goria.ikimmunicou se ao inspector da Tnesou-
raria de Fazenda.
Portara:
O Sr. gerente da Compaohia Pernambuca-
na. mande dar f.assagem ue > al a Babia na
segunda viagem deste mez, a Vicente Elias Al-
vei. por conta Uas gratuitas a que o governo tem
direito.
EM RECTTFICA^O AO DESPACHO DO DIA 26
PUBLICADO NO JORNAL DE 27 DO COR
RENTE.
Rodrigo Carvalho &C. -O fornecimento
para o farda ment dos corpos de polica e
guarda civica acba se contractado at o
dia 15 de Marco de 1891. O novo cen-
trado ser feito por concurrencia publica
c >m o praso de 9J dias para a apresen-
tcSo depropostts, deveodo ser aquella
aborta em 15 da Desembro prximo.
Passe portara, revngando as disposi^oes
que deierminam que o alludido forneci-
mento seja feito por arrematacao perante
o Thesouro Provinciol e mandando qae o
respectivo contracto seja comprehendido
na excepcSo do art. 173 do regulamento
de 2 de Julho de 1890.
DE8PACH08 DO DU 27 DE AGOSTO
DE 1890
Antonio Flix do as cimento.Informe
o Dr. jais de direito da oomarca de Ta-
oarati.
Companhia Pernambueana. Solicitoa-
se nesta nata o necesaario crdito.
A mesma.=Idem. >.
A mesma.dem.
A mesma dem.
Daniel Marques GaimarSes*Prove ter
sempre residido na casa para a qual pede
iseocao do pagamento de dcima, e que
esta a uaica de sua propriedade.
Bacharel Felisbino de Mendonca Vas-
concellos. Bemettido ao Dr. juis de di-
reito da comarca de Barreiros para m
0-mar.
Id ina Vieira 'Ferro. Informe o Dr.
jais de direito da comarca de Bom Con-
selho.
Bacharel Jos Mauricio Borges.Jus-
tifico, sem que o peticionario tenha, entre-
tanto, direito a ordenaao correspondeate
aos dias das taitas de exercicio.
Jos da Hora Beda Aguarde a oppor-
tunidade.
Bacharel Jos Novaes de Souza Car-
valho.Encaminhe-se, pagando o interes-
sado o porte na repartilo do^ Correios.
Bachure Jos de astro S Barreto.
Eocaminhe-se, pag ndo o interessado o
porte na reparticao dos Correios.
Manoel Martios Lourenjo. Informe o
delegado da inspectora geral das trras
e coluc;a*v* 'ector do ncleo colonial Suassuna.
Ma oel Lopes Machado Ramos.Infor-
me o engenheiro fiscal da Companhia Re-
cite Drainage
Dr. Miguel Cursino Villa Nova. En-
caminhe se, devendo ser pago na reparti-
8o dos Correios o competente porte.
Manoel Francisco de Novaes Informe
o Dr. juiz de direito do 2. districto cri-
minal da comarca desta capitd.
Bacharel Thomas Caldas Lins. Justi
tico, sem que o peticionario tenha, entre
Unto, direito ao ordenado correspondente
aos dias das faltas de exercicio.
Z charlas Correia do Espirito Santo
Ju ior. Informe o inspector geral da
in8trucco publica
Secretaria do Estado
28 de Agosto de 1890.
de Pernambuco,
O porteiro,
H. M. da Silva.
Repartlvo da Polica
2.* seccSo.N. 194Secretara de Po-
lica do Estado de Pernambuco, 28 de
Agosto de 189U.
CidadSo governador.Participo-vos que
foram hoitem rec lhidos '"asa de De-
tencao os individuos de nomes Lan Si-
m5o de Freitas, Pedro Joaquim de Jess,
Manoel Benedico Bernardina Vieira de
Souza, Antonia Jeronyma Maria da Con
ceigao. Luiza Mara da Conceijao, Maria
Sevarina da Conceijao, Joaquim da liilva.
Ely*io de tal. Manoel Honorio, Justmiano
Cosme da Silva, Innocencio Nazario Ouer
rilho, Manoel Jos da Paz, Joo Baptista
Alves, Raymundo Alves Feitosa, Therez*
Maria de Jess e Joao Lopes Machado.
Pe'o delegado do termo de Oravat
foi remettido ao juizo competente os in-
queritos a que procedeu coutra Jos Ri-
beiro Pessoa, Francisco Alves dos Santos,
Jos Henrique iomes da Rocha e Antonio
lementi.ro, os doas primeiros porcrime
de morte e os dous ltimos por crime de
furto de cavall03.
Communicou-me o 'facial externo
desta secretaria que hontem s 6 horas
da tarde fallecen a borlo do vapor francez
Vitte de San Nicols, o individuo de no-
mo Jos Ferreira das Neves, victima de
ama lesSo cardiaca, como ficou provado
pelo exame medico feito pelo Dr. Fernan-
des de Barros, ajndante do inspector da
sade do porto.
Reassumio o exercicio do cargo de
delegado do 2." districto d'esta capital, o
Dr. Francisco Xavier Quedes Pereira.
Sade e irat rnidadeAo cidadSo des
embargador Barao ae Lucena, muito digno
governador do Estado de Pernambuco. -
O chefe de policio, Antonio de Oinda
Almeida CavalcanU.
Tlieaeiiro do Gsitado de
Pernambuco
DESPAiJHOS DO DI* 2. DB AGOSTO DE
189U
Jenuino Augusto Peixoto, Taomaz de
Aq uno Medeiros, B.lbi a F. da R >sa
Leal, Jlo N. de Barros, e Serviiiano
Corra Mala, padre Po do3 Sautos, padre
Manoel Oomea de Britto e padre Manoel
Clodio Ferreira. Registre-se e facam se
as^levidas notas.
Luiz R C'iva & C, Digna de Santn
Rosa, Sabatino O. Gomes Penna, Luiz
Alves Feitosa, Francbco C. Queiroz, Fe
lippe de S Cavalcarrfe de Albuquerque,
Jo.quim E. Paes Baibosa. Informe a
Contad orla.
Manoel Clementino Correa de Mello.
Ao Contencioso
Joao Jos R. de Moraes, CUtid no Ir-
mos, Felicidade A. Barbosa, Jos H. Go-
mes Vieira, Antonio Santiago Paos de
Mello, Manoel U. Correa de Mello.Ilaja
vista o Dr. procurador fiscal.
Inspectora eral da Instruceio
Poibliea do Estado de Peraaoa-
buco.
DESPACHOS DO DIA 27 DE AOOSTO DB
1890
Jos Franc seo Florencio de Souza.
Uumpra se e registre-se.
EXTERIOR
? revoluco argentina
{Correspondencia para o Jornal do Com-
mercio do Rio)
BUENOS AYBES, 30 de Ja'ho
(Cootinaaco)
O primeiro corpo de iofanuria, que ebegou ao
quartel do Retiro foi o 2 batalhao, vindo bavia
poneos dias de Z trate, para onde fra mandado
para evitar imminentes desorden em Entre
Ros, e qae esuiva ororisonameiite alojado na
Alfandega, em frente do palacio do governo.
Compuuna se sement de 200 pravas e 12 ou 15
efli i-ies, comm udado- pelo coronel Rodolpbo
KjHkenstein e pelo major Rendon.
Veto depois um meio baialh&o de bombeiros
ao mando do comroaadaoie Calaza, que foi dado
por morto, tanto pelos boletios governistas,
como p'ios da l'uiSo Cvica, e que felizmente
sahio illeso, npezar dos perigos que correu e dai
numerosas perdas que soffreu o corpo
Estava aquartelado no palacio da polica, na
ra Moreno, onde deixou o resto do balalbao,
que devia guardar esta repartic&o e oceupar
mais larde o theatre Ourubia, em frente de um
gmpo te cvicos entrincheirados en ama casa
viiinia/to jornal El Corri EspanoL* era.com-
sj pelo Sr. Manaoo de lu diestra, muito
conheeftlp as rodas alegres. .,
Os borJrlfeiros foram segoidos pelo 4" batalbo,
ao qual, como ja dissemos, falla va ama compa-
nhia que, estando de guarda na Casa Rosada, ti-
nba seguido s 4 da manh para a pra(a Leval
le, risa de se juntar aos revoltosos. Esta ctr
cums'ancia, conbecida do general Levalle, fazia
recelar muito da tidelid de deste b .t i ha ). e no
pnmeiio momento Ueu s^ ordem pelo lelepboue
ao chefe ieneote-coron-1 Jore R-yesque manti-
veste com tolo cui lado >s h.uens e i ffinaes no
qua'tel. e mais tarde mandou IhSo ao coronel Palacios, que o levou comsig
nao su muito reCeio. Sera lalvez por isso que
se den a este corpo um posto to pe igoso, que
no aizer de multas testewuohas Bebo reduz^do a
urna quaria parte. Emtim. a- 7 e 1/2 mais ni
menos, ebegou um batalhao de i.000 a 1,200 vi
gilaoles, commandaao pelo ebefe de polica co
ronel Capdevilla, que no dizer dos jornaes offi
ciac-, tirina o cosime de gala e montava o ma
gnifico cavallo preto to coobecido dos baba
ques de Buenos-Ayres. Servia de segundo che-
fe o coronel Schmid'. e cada cemmissanado for-
mava uma-companbia com o respectivo commis-
sario e principal frtnte
Emquanto o governo juntava os seus defen30
res, os cvicos s ordens de varios officiaes de
linba, lam tomando diversos pontos estratgicos
nos arredores da prafa, entre outros o palacio
Mir, a casa na esquina das rnas da Liberdade e
Viamonle, a escola nunicipal situada entre a
prapa e. as ras de Tucuman e Viamoute. e a in
tendencia municip'l na e-quina da-< ruis Cerril
lo e < orrientes. Tod'-s estes movimentos deram
lugar a vanas eecaramugas contra grupos de
vigilantes mandados como exploradores Em
urna dellas o comm ssano Nivarro recebeu urna
bala qu Ibe rompan a espinua. Levaram o ao
quartel do Retiro e chamou-se um medico. 0
primeiro que appareceu foi um irmo do infeliz
deputado nacional. Por um istaote Navarro vol
tou a si, e depois de ter recommendado ao irmo
sua esposa, morrea gritando:
Viva o presidente da Repblica. >
Tres companbias de policiaes das secfioes 11"
25' e 26. ao mando dos respectivos commissa-
rioB Srs. Ramn 'osa, Julin Gayjso e Pedro
Rojas, i'umprindo a ordem do chefe, d.ngiam-se
ein qatro tramwa'js para a praca San Martin e
igiora"do oode se acbavam os revoltosos, pene-
tra' am na ru i Cimentes.
Os civeos que j iccupavam a parte desta
ra desde i de Aries at aoboulevard de Callao,
deix.iram-nos passar e na altura da ra do Pa
rana romp-rara f->go de todos 03 lados, fenndo
gravemente o ouiiuissa-io Gayoso e matando 21
viail mes. Algn* com o commissarlJ Rojas e
o Hkiai Pompeyo Coliiast, poderam fugir o re
fogiar se no hotel d i polica. Os demais, isto ,
a maior parle eotregaram se com o com
missa-io So3a prisio eiros e foram lavados para
o interior do parque de ariilhana. Cbega
dos l, varios vgilautes levados sem duvida por
este amor de baial'u, que desgragadamente para
a prospenda le da repblica, parece innato no
argentino, arraricaram os gaiOes e botes das
fardas < p'iiin io remioglons rizeram fogo coutra
os eoinpauheiios e as tropas do governo.
Reunidas todas estas tropas em frente ao quar-
tel do Rcliro, em presenca do presidente da re-
pblica, o general L*valle pronunciou urna bre-
ve e eloquente ailocuc4o e montando a cavallo
lomou a fente da columna, tendo ao lado on-
ce presidente aa repblica Dr. Carlos Pettegrini,
Atrs vinha uj numeroso estado-maior, dirig
lo pdte- geueral Suspisichc, commaudante da
i'ua'ii'clo da captol.
0 6." regiment de cavallaria, que se achava
quasi lotalmente dasraoaUdo, flcoa encarregado
da guarda do presidente, oue, como veremos,
permanecen no quartel do Retiro at as II horas
da maabS. .......
A tropas formaram na ordem seguiote: a. ,
4.e 6." buialhOes de inlantana, companhia de
bombeiros, urna companhia de vgibntes ao
mando do commandante Schmidt e os caufies
de Palermo, com alguns 80 soldados da Escola
Militar.
0 reno dos vIgiliutw foroioo outra columna
ao mando do coronel
uia em dfrecco
de Capuevilla, e qoc se
pra^a do general Levalle
pela ra Arles" A primaira coluarna dobrando
por San a F, eotrou na ra de Cerrito, dobran-
o de novo em direccao ao sal. Marciavam to-
dos a trote com baadeiras desfraldadas ao some-
ie msica, ocenpando os olh' 'aes os postos de
Antes de entrar na roa do Cerrito, a columna
parou um instante pan deixar passar o reg
Jieoto 11.* de cavallaria, que cnegava de Mado-
ualo ao mando do cero el Leyria e a quem o
general Levalle ordeuou quj fo.-se a todo o gato
p> occuuar a praca da Liberdade. antes que os
insurgentes chegassem l. Esta ordem foi cum-
iTnli sem noviddde. Ao chegar a praei o 2.
iiatalhSb foi receidoipor unta descarga cerrada,
que fer o gravemente qaatro soldados e o obri-
ou a estenderse em hnhas de aiiradores, div
nudo se mais tarde em duas compaobias, que
foram oceupar, urna a esquiaa da praca com a
ra do Paraguay a leste, e a outra a esquina
desta mesoia ra com a de Talcabuano, oode se
fez de parte a parte um fogo terrivel. Nao ha
nesta roa ama parede qae nao tenha sido marca
da pe s balas ou pela mtralba.
O 4. batalhao, que segua, o 2., soffrea ainda
mais do qae este para poder penetrar na praca.
Recebido pos, fogos de pelotOs que partiam da
esquina das ras de Cerrito e do Viamoote, e por
liroieio feito das janeilas e soleas das casas, per
deu em alguns minutos vinte hmeos, Indo de
pois entrincbeirar-se as casas da roa do Para-
guay, entre as roas do Cerrito e Liberdade de
onde mandou ama companhia esquina, que
ve.o responder ao fogo mortfero qae fnziam du-
zentos cvicos desde o pal, cete Mir, situado ao
norte da praca do general Levalle, na esquina
da ra da Lioerdad.
Estes cvicos, commandados pelo major Sal
dios e pelos guardas-Marmha Henrique Gircia.
que foi mono por ama oala no coraco, e D
Lories, reprter de La Nacin supportaram os
principaes ataques do inimigo repeilindo-os vio
tonosamente.
A fachada que olha para a praca da L'.berdad
est em misero estado ; nem urna columna, nem
urna veneilana, aem ama estatua, nem urna cor-
nija flcoa intacta Nao existe mais am vi uro
nem as janellas, nem no elegante zimboho, e
as balaustradas da sota esio-reduzidas a peda
eos. Sem exagerarao nenhuma a perede parece
urna escumadeira.
0 6. batalhao e os cadt les de Palermo, mais
feiizes. poderam tomar posse de varias casas
sem pe der mais de t es ou quatro sida us e
um alumno. Os ltimos formaram se na esquina
das ras de Cord>va e Arles donde tize-am
fogo soore a intendencia e sobre o centro da
p a;a do general Levalle. obrigando acuelles
que a oceupavam a refugiarem se no parque
e as casas.
Foi no momento em que penetra va na praca
da Liberdade f ente da columna, que o cavallo
do general Levalle recebeu u. a bala na espa
dua, rodan .o sobre a calcada com o cavalleiro.
Os soldados oararam, julgaudo o chefe morto,
mas este vleme, calmo levantou se raptd raen
te e continuou a dar a p as suas orden), indo
depois estabelece.' o quartel general na casa do
Sr. Amadeo, no lado orieotal da praca.
O bataiho policial deixou a praga Sao-Martin
pela ra de Charcas, sendo rec bido na altura
da de Arles e Suipacha por um violento e cer-
teiro tiTOteo.- que ez cahir o commissano Sefli
midt matando Ihe o cavilo, ferio dous offi-iaes
e matou varios vigilantes, levando a ilesordem
s fileiras
Formada novamente a columna, tonou a fren-
te o coronel Cipdevilla, que qoiz pela raa Arles
eval a roa do General Leval e Recebido por
um fogo de peloto, vio se na necessidadede
recua mandando oceupar as casas das esqui-
nas das ras Paraguay, Cordova e Viamoote-
Divida >0 em du s fraeges o resto dos seus po-
liciaes, o chefe de polica voltoo com urna pela
ra do Paraguay at a praca da L b rdai para
fazer juicco com as tropas do general L'-v lie.
Estava fazendo a este chefe a narrago do que
me acontecer, quaaio ama das mil balas que
cruzavam a praca, o derribou do cavallo, que
brando Ihe o joelho d reito. Levante do do cam
no de batalna, foi conduzido casa de um Sr
Benitez. na ra da Charcas No primeiro mo '
meato os mdicos julgaram inevitavel a ampu-
tajo da perna e no domingo correu a noticia
da morte m valente coronel.
Fehzmen e era falsa, e o Sr. Capdevilla adia-
se fra de perigo e em perfeita integridade phy
sica.
No dia seguinte, (arde, foi comeada para
substituil o interinamente o deputado Arias, ex
:oronel do exercito, velho e estimado caudiiln,
que tomou parte em muitas guerras civis.
A outra companhia de vigilantes, commanda-
da po- um official de linda, o major Toscano,
aobrou ppla ra de Viamonte em direcgo
praca do General Levalle. A entrada estava fe-
coada por duas compasbias do 9/ batalbo de
iufanlaria, apoudas por oas pegas de arliiru-
ria. A primeira fileira linba um joelho ao chai,
as duas unirs estavam em posigo de fazer
fogo ; otras a linha estava o coronel Espina.
Ao ver Jbegar em ordem e a ma cha ordinaria e
a companhia de vigilantes, Espiua julgoa t(ue
vinham juntar se a elle.
E-tt comnosco? interrogou o coronel ao
ii a|or. Jamis responden este enrgicamente
e duasdeccargeB de fogo atavessaram o ar se
guidas de urna fuzlaria medonha, que causou
estragos em arabos os lados. Os vigilantes abri-
ram a fileiras, procurando todos os ngulos das
ponas, ,iara se abrigarem e fazerem fog<; po
rm foram abrigados a recuar, deix.nao a ra
cheia de morios e feridos.
O coronel Leyria quiz entao teniar penetrar
na praca inuniga c m urna caiga de cavallaria.
laucaudo dous esquadres do 11 regimeuto a
seu mando, um contra as tropas qae guardavam
a ra Viamonte, e outra contra a batera que
guarneca a ra de Liberdad. Mas o canno e as
metralhadoras se juutavarn aos fogos de pelo
toes e os valeotes cacadores se viram obngalos
a recuar, deixando as ras cheias de cavallos e
de soldados morios e feridos. O leitor compre
heoder fcilmente o estrago que fazia a arti
ibiria em rus, qie tero quando multo de 15 a
18 metros de largura, na s b la de car Uo
.esmontou na ra da Ltnerdai 14 cavalleiros,
euire os quaes o tcneate Carlos Guido, que ro
lo i d baixo do cavallo, sendo depoi- levantado
sem sentidos e gravemente machucado.
Descrevo apenas os principaes incidentes do
ataque. 0 t idas as jaoellas, de todas as soleas
que rodeiam as 1u >s pracas, do parque cin-
co mil espingardas vomitavam sera cessar urna
chuva de ferro, desde as nove horas oa manh
at o meio-dia mais ou meos. as auas carga-
de cavallaria os cvicos, alm de muitos homeus
e soldados, perdeiam o chefe da batera na ra
da Liberdad. capilo Roldan, sendo poucos mi
utos depois ferido o sea camarada de mesnu
gradnaco e tambem do i" regiment de aciilha
na Sr. Fernandez que. ao grito d-^Viva a liber-
dade cedeu o commando ao termine Rebeau.
Nesta hora poiia se dizer que a revoloco triura
phara : rep llira todos os ataques que Ihe tinhara
sido feitos e nio perder aenhnma das suas po
sicOes. i
As ras iam se gaarnecendo "le barricadas for-
madas de caixoes, de saceos cneos de trra, de
carros e tambem dos c val los morios no pnmei
ro combate as esquinas das roas Uruguay e
Corrientes havia am minie formado de tram
w iys e de ama mmeasa juula da ferro, que ser-
-'
vira outi "ora aos lees do domador do circo
Chiarini e que fora tirada do Polyth>ama.
Desde as primeiras descargas honve como
sempre muitas victimas da coriosidadc e entre
ellas muitos estrangeiros, italianos pela maior
parte, sobreludo na esquina de Tucuman e Sui-
8acba, onde permanecer urna multidSo cerra-
a, apesar dos sigaaes, que se Ihe faziam do al-
to do parque de aruln:j.
A Patria Italiana avalia os curiosos morios e
feridos no primeiro dia em toO; faltam os da-
dos para verificarse este algarismo, que jaleo
entretanto um pouco exagerado.
O fogo, om fogo tremendo, qoe fazia estreme-
cer as casits a quinbeotos metros de distancia,
acalmou se am pouco at as 2 12 boras, reco-
mecaado eatao mais terrivel. Nesta hora o g< -
verno recebe: a como reforco um batalbo de a '-
lilnaria, vindo da Martin Garca debaixo das o <
dens do tenente-coronel Sarmiento e um bat ,-
Ibo de intentara, o 8*. Este ultimo tinha fica' o
em seu quartel situado no bairro de Barracas,
sem receber ordem nenhuma do governo. A'sTS
1/2 recebera ama intimaco do chefe do gover-
no provisorio Dr. Alem, ordenando-lbe que vies-
se ao parque de artilharia por se s orden-
da revoloco. Como bomem prudente, o tnsa-
te coroael Belaand achou sem duvida que, para
obedecer, precisa va de ragfhor ioformajio e es-
perava novas ordeos.
a's 11 horas appareceu o coronel Scrates
Anaya, que ordenou, de parte do geoeral Le '
le, que o batalbo oseguisse. Requisitandu tia-
ra carros, dirigise com elle ao arsenal de gUBr-
ra, na roa de Pozos, donde levou 100,000 cartu-
chos de espingardas remiogton, das quaes u5c
se lembraram os directores da jauta revolucio-
naria, que nada fizeram para sublevar o bairro
da Boca, onde contavam, entretanto, numerosos
partidarios.
Carrejados todos os cartuchos e mais algamas
munices para os cinco caoboes que o governo
mandara tirar da batera da Boca, o comblo
escollado pelo batalbo dirigi se pelas roas En-
tre Ros, Ro-Bamba e Charcos at a praca da
Liberdad. oode ebegou depois de ter deixado no
camiabo um morto e cinco feridos.
Reforjada assim a sua diviso, o general Le-
valle resolveu tentar um novo ataque geral e no-
vamente recomecoa terrivel a luta patrielda.
Os cvicos, porm, atiraram com o sangue fro
e a certeza de velhos soldados ; a artilharia dos
insurgentes, dirigida pelo major Day e pelo co-
ronel Campos, destrua fileiras de' soldados e
desmontava tres canhOes do governo. O palace-
te Mir, sobre a totea do qual se armara ama
pega de campanba, domioava a maior parte das
posicOes do exercito legal e s a sombra da noi-
te veio fazer'cessar a carnificina, sem que os re-
volucionarios tivessem perdido ama s posigo,
nem recuado urna s linba.
Na ra Talcabuano, na esquina da ra Para-
guay, os mortos do lado dos vigilantes e dos
soiuados eram tantos, disse-me urna testemnnha
ocular, estrangeiro inteiramente alheio s ques-
tOes polticas d'aqui, que serviam de barricada
aos vivos.
Foi neste combate, s S boras da tarde, qoe
morrea o coronel Julio Campos, irmo mais ve-
lho do commandante ch fe da insurreigo.
M ostra va aos seus artilheiros, na batera da roa
do Talcabuano, a pontana a fazer para desalojar
urna emboscada goveraista, que muito os incom-
esodava. quando cabio para traz sem pronunciar
urna palavra.
Recebera urna bala na garganta. Transporta-
ram o para o interior do parque, porm, antes
de l chegar, j estava morto.
Deixaremos por um momento est borrive!
campo de carnificina, onde de vezem qoando om
tiroteio de alguns minutos, o figo solad) de ama
s. niinella, oalto de outra, o gemido de am
ferido, ou o bramido de um misero cavallo, per-
lurbavam o silencio de nm magnifico luir; urna
uoite para os namorados, dizia urna senhora cho-
rando ao pensar em tanta miseria, para ver o
que se passra no resto aa cidade durante este
temeo dia de 26 de Julho.
Das 7 s 9 horas da manh, a cidade guardara
o seu aspecto habitual. Horteles, criadores,
leileiros guarneciam os mercados ; as casas de
negocios abnam as portas; carros e carrocas co
megavam a rodar. Porm, desde que soaram os
pnmeiros tiros, tudo se fecbou, e o movimeuto
cessou em menos de um quario de hora, mesmo
nos bairros mais afastados do ibeatro da batalha.
as ras onde nao se vio mais nenhum vigilante
andavam alguns raros passeiantes com o ar de
quem recebeu a noticia de urna desgrana pessoal.
as portas dos cafs, as dos botis, meio fe-
chadas, grupos comtnentavam os acontecimentos
ou espera vam b letins dos jornaes, que nao appa-
reciam, porqu i desde 1 hora da tarde a policia
de seguranca havia lechad j todas as imprensas.
Circulava o boato de que o presidente tinha
fgido.
A verdade era esta : S. Exc. permanecer no
quartel do Retiro guardado pelo 6." de cavalla-
ria al s 10 Ir ras da manh. A esta bora son-
be se que o almirante Cordeiro, qae fora lomar
o commando da esquadra, estava prisioneiro e
que a canhoneira Maipu sabira arvorando baa-
deira de guerra, depois de ter deixado no caes
da Drsena-Sul o commandante Barilari grave-
mente ferido. Tinha ido cruzar no canal inte-
rior defronte da casa do presidente e do quartel
do Retiro, evidentemente com intengoes pouco
pacificas; os revolucionarios tinbam resistido
ao primeiro ataque das torgas do governo, e se a
cidade se levantarse em massa, o presidente,
qoe preciso reconhecer, est muito pouco po-
pular em Buenos Ay.-us, poda de um instante
para outro ser feito prisioneiro e ento pouca ou
neDbuma esperanga baveria de soffocar a UniSo
Oivica com as forgas das provincias.
E-'tabelecido este ponto em conselho de minis-
tros, decidi se que o](>r. Jurez seguira para
Campana, pequeo porto sobre o Paran.
Embarcou na estaco do Retiro, s 11 horas
mais ou meno3, seguido do ministro do interior
Dr. Z.'.valu, da justiga Dr. Astigueta e do exte-
rior Dr. Saenz Pena; do director dos correios e
lelegraphos Dr. Rimon Carcano, dos deputados
Vrela Ortiz e E- ardo o dos aju l.ant**s de ordem coronel Quirns
e majores Vtllarnel, Godoy, Loredo e Nick, e dt
urna escolta de 16 cagadores.
ministro da fazenda, Dr. Garca, nao polo
acompanhar 03 collegas porque cahira em poder
da Uaiao Civica. E s 8 horas da m*nh. para o Retiro, quando na
ra Florida foi deUdo pelo Sr. Mendia, secreta-
rio da redargo ioml Diario, que Ihe deu ordem
ra priso 0 m-n'talVp tirou o revolver e qaz re-
sistir, porm, roMeado por diversos cvicos, foi
desarmado, e ffiflrado primeramente em am
qunrto do hotel'do Weldor e de l foi levado ao
oarque de.artilbaria. onue j ae acbavam uns 58
prisioaeiros.
' Chegado em Campana, o presidente maodoH
para o .Rosarn o ministro Saenz Pena, a quem
nutneara commandaute chefe das tropas do ints-
rio>. f tive occaio de dizer que este diplomis
servio ni guerra do Pacifico e tem o tupio dt
neral peruviano. Acompanharam o em qua-
idade de secretarios os deputados Vrela, Orus
e E-pinosa. Um fio telegrapbico, partindo da
praca da Liberdad, dava de bora em hora ro Dr.
Jurez Celman a noticia do que se passava na
cidade, entregue ao vice-presidente Dr. Pellegri-
ni, ao lenle general Roca o ao general Levalle!.
Pouco depois da sabida do presidente, a Jfatps
comegou o bombardeio do quartel do Retiro, ana
foi abandonado pelo 6 regiment, que veio rt-


\1
-.-"
'M


Diario de Pernambuco-Sxta-feira 29 de Agosto de 1890
i
t

.
forcar as tropas da praca da Liberdad. Para nao
complicar esta narracao, ja de si mu to embro
Ihada, contarei 4 liarte o que se retare remita
da esquadra e as operaaes de guerra que effe-
ctoou.
QIESTES SMUB
Qaestd es de dlreito coestacional
IV
DuracSo do mandato e das sessoes
A'cer a desse enunciado nao possivel
estabelecer regr invariavel, aa circums-
tancias peculiarej do Estado dictarlo a
le que deve ser ercripta.
Os publicistas demcratas ponsao que
* carta durac&o do mandato legislativo, e
portanto a maior frequencia das eleic3es,
necessaria e i&dispensavel, porque nao
ha outro meio de tomar eficaz a respon-
sabilidade dos representantes p ra com o
povo.
Esse coaceito, porm, posto que verda
deiro, nao resol va a questSo. Por fre
quencia entenderemos, nm, dous, tres ou
quatro ano os ?
Em rnn Estado extenso, de populacao
dissiminada; em sua ger.eralidade occupa
do na agricultura, vivendo do trabalbo
diario, privada de meios facis de tran-
sporte, as el;-icues annuaes nao podem
convir. A perda de tempo, as despesas
de viagem, e excitacSo das paixoes, inse-
paravel de periodos eleitoraes, por (brea
Uo de contrariar os iateresaes dos eieito-
rea.
Essas e outras considerares, que nao
seria difficil aiduzir, motivam a diverai-
ade de tempo, admittida nos differentes
pases para o appello ao poder eleitoral.
Na Italia salvo o caso de dissolucjlo e
de eleicoes singulares, os rapreseut ntes
sao eleitos por cinco annos ; na Inglater-
ra por sete, posto que nunca cheguem ao
termo do mandato ; em Franca por
sabido, o Cougresao Federal, faz daas
sessSes, chamadas, langa e emrta.
A primeira comeca na 1.* segunda feira
de Deamobre e vai ao 1." anuo at Jalma,
e s vaaaa at Agesto, pacha em qaa o
calor tona a estada em Washington into-
leravel.
A seasio do 2.' asno esmecando sempre
na 1 segunda-feira de Deaembro acaba
infalivelmente a 4 de Margo, termo :egal
do mandato representativo.
A vida parlamentar, pois, da casa dos
fers entregas a parte dealmea ae
Sanfaanea, seedo a oetra ao. H
fesaaisai de
gu rema-
dor da bispado para dirtrimaLa meiuvae asees- JsTaoaat Tanjo Ferreira.
Sita
O
sica.
se a fasto losarse duas baadas de mu-
represen tanteb dura no 1. anno/ oito a
nove mezes e no 2.a, tres, tempo suffi
cente para a expedicio dop negocios pro-
unicos
de
que
(!
on
seis ;
na Blgica e na Hollanda por quatro ; na
teosas, na Allemanha, Hungra e Suissa
por tres.
Nos Estades Unidos do Norte, o man-
dado dura dous anuos, e nos Estados par-
ticulares geralmmte um anno: em ne-
nham excede a dous aDnos.
Alii a pequea duracSo do mandato
axioma poltico fundamental. Os escri
ptores do Federalista a. 53 dio como cor-
rente queUlhere annual elections end
tyranny begina.
Mas um sabi escriptor americano judi-
ciosanwnte observa que < tao falso di
aer de modo absoluto que aonde acabam
as eleicoes annuaes, comees a tyrannia,
como affirmar que o povo s licito quan
do escollie os seus representantes, e fiea
escravo emquinto duram as fucceSes da
qnelles.
Pelas indicares apontadas .se v que a
duraco do mandato oscila entre um e so
te annos.
Esses extremos parecem igualmente vi-
ciosos.
EieicJSes annuaes trazem o Estado em
continua agitncao, com grande prejuizo do
pavo, e turnam os deputados muito escra
fisados aos eleitores; elet,-o";s septanaes,
distanctam muito os representantes di lis-
calisacao do eleitorado, e nio ac aspa
nham a oiudanca da opiniao publica, es
seneialmente mudavel.
O Sr. Ame resume a siio^pisa "so-
bre a materia na aeguinte proposicSo
the term of election must be eo long
that thc representative may underatand
the interesU of the people, and yet so
limited that his fidelity may be secu-
* red by a dependence upon their appro-
bation.
Essa opiniao deixa nos sempre no vago
Para dar tambem o meu parecer e de
modo mais preciso, digo que o te upo de
dous annos, que o Acto Addicional
priamente federaes,
gresso se occupa.
as aasemblas dos Estados o tempo
das sessSes variavel entre quarenta dias,
como oa Georgia, e ceato e cincuenta dias
como em New-York.
Prevalecendo nos Estado Unidos o prin-
cipio que all publie toorek ought to ba
paid for na FederacSo, assim como nos
Estados os membros das cmaras sao re-
tribuidos, em una por quaatias annuaes
nxas, em outros por diarias. Mas para
obstar a prolongacao das seseo ;s, em al-
guna Estados se vai diminuindo diaria-
mente o subsidio, depois do tempo fxado
para as sessSes, em outros se suspende de
todo desde que termina o prazo legal das
sassSes.
Nosso Acto Addicional dispunba (Art.
7.') que cada sesea.) durara, dous mezes.
Este tempo me parece suficiente. Ve-
remos, porem, o que a respeito faz a digna
Commissao Constituinte.
Bias
INDUSTRIAS AttlLS
provincia! parec-
as C3U-
e mais
sarvicos
luuntci-
dava a cada legistura
me sufHcieute.
E' verdade que se justiticavatn
tinuas prorogagoes por um, dous
mezes allegando se que os trabalhos legis
tivos tinham crescido muito depois de
1934, e que portanto o tempo de dous
annos tornar *-se insuficiente para eneetar
e terminar trabalbo importante. A opi-
niao publica, porm, pensava de outro
modo, e explica va aquellas prorogacSes,
liando as desidia e carencia de pa
triotlsaio dos deputados, que disperdio/i-
vam o tempo com repetidas filcas de
quorum e eom deputados de quesloes es
ranhas missio de disputas provincial.
Dado, porem, que com effeito os ser-
vicos dos ltimos '.-nipos fossem em mai ,r
copia, do que erara ao tempo da promul
gaco do Acto Addicional, hoje os dous
annos devem bastar, porque naturalmente
os municipios serao declarados tnaiores,
portanto capases de administrar os seos
negocios, e assim sendo, diminuirSo os
encargos da tutora das velhas assemblas
provinciaes.
Os representantes do novo Estado cir
cumscrevero as suas funocoe" administra
tivas e polticas s necessidades do todo,
oando assim a mor parte dos
locaes a cargo das aasemblas
paes.
Ao ponto da doracao do maedato Ie-
gislative so prende o do renovamento do
meamo mandato ; mas como esta questAo
e mais pertinente formacio de um se-
nado, a deixarei por ora em silencio.
Nos paiaes cujas cmaras tm nm man
dato mais longo, tem se procurado coa
ciliar essa daiacXo com a maior f.equencia
da vida eleitoral.
Em Franca a assembla, creada pela
onatituicio dictatorial, renovava-se por
um terco, e sob a Bestauracio por um
quinto : anda hoje a Cmara Bvara Be
renovapor terco biennalmente, a Saxonia
5>r terco tre analmente, na Belga e na
ollandesa, nes quaes o mandato data
quatro annos, o renovamento se faz por
metade de dous annos.
uppos que o mandato da nossa ei
mar de debutados dure dona r.nnos, como
parece dever ser, coaseqoente que o seu
renovamento se ja integral.
A duracao das sessSes das differentes
assnmUi'ai tambem muito variavel nos
differeatea paimes.
Para alo sabir da America, me limita-
re ao pas americano, que na ac'.ualidade
deve aer amase saodek, sao para ser c o
piado servilmente, mas para ser prudente-
mente im todo aecommodaticiamente com
as nossas peculiares condjSes.
Nos Estados Unidos do Nortot como
A respeito da industria assocareira dirigi o
Sr. Dr. Luiz Caslilho a eeguinte carta ao itins
Irado redactor da Gazeta de utidas, cuja leiiura
interessa aos nossos agricultores que ee appli-
cam a cultura da canoa e fabrico de assucar.
Presado Sr. Dr. Ferreira de Araujo Ein vos-
sa folia de 13 iisestes me a linezi de puolicar a
euccincla noticia, que \o offereci, do resultado
da dilfaso applicada caaoa de assucar na usi-
na Du juerry, na Guadeloupe, em toda a safra do
corrate auno
Isto prova o vosso patrioco interesse pelo
que diz respeito mais nnp irtante industria do
nosso paiz, e por isso ouso vir de novo impor-
iunar-vos, offereceodo novo cootmgente de pro
vas para destruir as hesitacOes Jaqueles que
nao teodo acompantiadj as expenncias para
convencerem-se de otsu, ,-ao desvudoi do cami-
nho da verdade por iuformatOes insensatas.
Ja nao c s a prova da usina Daquerry; agora
a usina Pointe Siiuj, na Uartimba, que orue-
ce os dados.
Tem a palavra o Courrer de Guadelupe, de 15
de Marco do correte anno :
Dilfiso na M-irtiu.ca. Ja sabemos que em
Pointe Simn, as experiencias que se fasem da
diffuso, o trabalno mecnico se execata perfe.la-
mente : corta-canoas-, elevador, batera de dillu
sao, tndo funccioDa tao bem q auto se pode de
8ejar. Sabemos tambem que se cjueima o baga-
>;o (cassettes) depois de urna dupla presso.
0 Propagateur coatirma estas noruncoes e
nos fo-nece al.uns dados :
Nohimois du.iJo alguma, diz elle, no
potito de vista rajoufac;urero ; o p-oble.ai est
resolvido e victoriosamente.
A can na se corta e.iiffunde e o b.-gac:> quei-
ma em exc* lenles coadicOes.
Para 'sem apreciar os dados seguinless o nosso
confrade faz observar que preciso levar em
c otiu que a usiua Puiate Simo o aao dispOe de
ama supercie de aqueciireut> em relacao com
0 novo trabalbo que deve fornecer e que, aleo
disso, a de que dispoe nao pode fornecer o ma
x>mo do seu i-ITeito utU por i.ao haver tirdgem
sufcieute.
!;' nccejsario umbeiy lemurar que 33 canoas
eoipregadas sao de muito ma qualidade.
Bis os resultados:
XEJIOA.S DE 10 DE FJVEBK1B0 A 10 DE
MAB9 >
1' Esliacrao
Caldo diffuso "(^ de cannas 129
Resallados das analyses :
Deusidade do caldo normal
Saccbarose "i caldo normal
";, de canoas
l. do callo difTjso
Saccbarose |j de camas
. do caldo di-
8.42*129
=--------=10.87
ioe
Saccharose perdida \t Je canoas 0,47
Caldo normal e=trundo
100*10.80
=-------=79,16
13.73
[. de cannas, kilogs. =79.16* 1066-8i 38
Extraccao 84,38
2' rendimeuto
Reudimeato en assucar do 1* jacto
(ultima semana) 7,32
ftendiioeaio provavel en 2 c 3
jacios 1,83
Rendimento total 9.12
3 combuslwel
Catvo consumido | de canoas 71,50
O director da usina calcula que com um
superficie de aqueciiueato sulli :ieiiic reduzir a
cinco kl. a despeza de carvo per 100 k!. de
cannas.
Para terminar urna nica consideraco ;
Dos canoas pobres de assucar, de Po.nle Si-
mn, conten lo apeuas 11,34, exlrabio-se pela
dilTuso 9 12, ao pisso que com canoas de 14 a
1S *|( aquiexlrabe se apeus 6 a 7|0. havendo
exemplos muilo raros de extraccao 8 a 8 !|2 cm
1 oa 2 fabricas.
Ua comparac&o dos processos resulla o se-
guale:
lian P ate Simo
Assucar [0 as canias 11,34
Assucar exirabiJo por d.Quso 9,12
litros
1066
13,7J
11 u
8,42
11,34
fuso io k. de cannas
litros
Perdas no mel, etc.
Brasil
Assucar ( uas canuas
Assucar txirabido por mocadas
Perdas co mel, ele,
Luxz
DE CSTILHO.
2,22
13.00
7,00
8,60
REVISTA DIARIA
Aci* ufUciaus Por acto de 27 do cor-
rente do governalor do Es.ado fui elevado a
cuco o numero de intendentes do municipio de
i'auellas e nomeados para os dous novos lugares
os cidadaos Manoel de Medeiras lavares e Espi-
ndio Guil lerme d'. Azeveio.
Por acto da m^sma data, sob proposta do
Dr. cliec dejolicia, ogovernador do Estado exo-
ncrou os cidadaos Antonio Corrcia Maia e L ao
Macbado Das dos lugares de subdelegado e i
suppicute do districlo do Peres e uomeou para
suhsiilu'.l os os cidadaos Silverio Jlo Nepouo-
eeno liarlos e Ernesto Jos de Moraes, n> ordena
em que te collocados.
BMaur ae prendas -.No pruxim'o da 7
de SeiemDro executar-se ba no largo do Arsenal
de Guerra um bazor de prendas, cojo producto
sera applicud; e.u fivur de viuvas uecessitadas
e do hospital de Sao i'gueda.
Para tornar eu~dcliva tao louvavel ideo, a com
musito executiva acaba de parceilar o trabalbo
de acqulsicao de donalitoi para o bazar, for-
mando por fregneuas eub-commis.-Oes trina?,
qae terso de incumbir se d'aqaeile agcuciameu
, que sem dnvida ser proficuo, ltenlos o fina
e es sesumentcs generosos da popuiacao u'esia
capital.
Sai pubitcsc io propria ua commissao exacu-
tiva sao essas commissoes nominalmen'e decla-
radas.
A festa da referida noite dedicada ao Exm.
Bario de Lacena, a qaem do prodacto do leilao
Plst Pomos obsequiados pelo
digno Sr. administrador dos Carrales co o n.
8 d'asse aoletim, carflsepoasatoaactos do mez
de JuUse indo.
Agradecemos a oferta.
easaa-em Uontem foi presente ao Exm.
governador Barao de Lucena urna m^nsagem do
Club Republicano Federalista da Graca. f
Foi portadora d'essa mensagem ama commis-
sao do mesmo club, composia dos Srs. Carlos
Porto Carreiro, Hercataao U. doi Santos e Auto
nie A. de Souza Lobo.
Ken ico militarE' boje supeiior do dia-j
o cidado capito Leoncio, e faz a ronda de vi-
sita ocidadao alferes Campos.
O 2- batalbao dar a guarnico da cidade, e
guarda de Palacio ser prestada pela batera.
Club Martin JniorEm sua sede faz
boje sesso ordinaria esse Club Republicano.
Jalao dos calamento Por ofDc o de
20 do correte foi declarado pelo governador do
Estado ao Br. juiz de direito dos casamentos,
que-a sua jurisdiccJ comprebende todo o mu
nicipio d'esta capital, os limites da cobranca da
dcima urbana.
Vaecinaro aa* cacoiaa Antebontem
o Dr. director do Instituto Vaccinieo Municipal,
a cu iu pan hado do Dr. inspector geral da Iastrcc
cao Publica visitou as escolas do sexo feminino
de Apipucos e afonteiro ; e abl vacciaou para
mais de 90 aiumnas.
Casamento civilEn audiencia do julio
dos casam. ntos foram hontem apregoados aj se-
guiles proclamas :
SegundoDe Jos de Araujo Baibosa com D.
Mana de Mello e Silva, moradores na leiros.
demDa Celso Mstbeus i-Vrreir, morador
em Afogados, com U. Mara Possidooia de Bar
ros e S;lva, moradora em Gamelleira, sol
teiros.
demDe Jos Torres Leite com D. Maria Her-
mina Castello Branco, moradores em S. Jos, sol
teiroJ.
demDe Joo Alves Bezerra, solieiro, com
D. Emilia de Albuqaerque Perora, vinva, mora-
dores n'esta cidade.
demDe Francisco Cavalcanle de Araujo,
solteiro, com D. Julia Francisca de Araujo, vm-
va, moradores n'esta cidade.
Primero Simplicia no de Ajumo Pessos
com D. Josepna Maria da Conciicao. moradores
em S. Jos, solteiros.
demDa os AfaTM Munz Frazo, mora-
dor na Boa-Vtsla, com D Leonor Correia Ltma'
moradora n'esta cidade, uuvos.
Paquete Braail-Teudo tocado botem
uo Rio Grande do Norte, deve. ebegar hoji Pa-
rabyba e amaubS a Pernambuco o paquete nacio-
nal braza.
Aanaiialno evadidoDe Maragngj, no
visinbo Ealado de Alagdas, dizem que, no da
21 do corrate, evadir se da respectiva caieia
o criminoso lemorte, pronunciado no ariigo 192
do cdigo crimiaal Aotonio Gunza, preto, de 40
a 50 annos de idade, com .deleito uas pernas, e
cicatrizes as coilas.
Esse mise-aval, em Jalbo prximo lindo, as
sassioou, asphiuantio a com um lenco!, quan lo
tetitava forcal-a para'ti os libidinosos, a urna in-
feliz seobora casada, que reaistira-lbe aos per
ve-sos intentos.
Ci-se em Maragogy, onde o crirne produzio a
mais cruel impressao.'que o miseravel Antonio
Gunza acba se refugiado no territorio da comar-
ca de Gamelleira ou ao da de Barreiros, ao Es-
tddo de Pernambuco.
a' polica deesas comarcas c das visiatias
compre prendel o.
Ifaarasau' Escreveram-nos em 28 do
correte :
< Celebrou se hontem nesta vi,la a missa aa
uuncia la, por auna do 5" annista de direito Li
dislo Beserri do Amara!.
Ao acto religioso, alm da familia do infe-
liz moco, compareceram muias pessoos, que I be
eram affeicoadas.
Fiadas as ceremoa'as do estylo, usou do
palavra o prole sor publico Alberto Augusto de
Mora es Pradines, que, em parases multo senti-
das, salientou as excellentes qualid nes do mor
to, dirigindo palavras de conforto e de animac&o
a familia deste e principalmente a sea veneran
do pai, o comaeodador Joo Francisco, do Ama-
ral. a
Club Ki'uuaiic*nu de Velen No
saboado ultimo reuato-se em sesso esse Club,
sob a p-esidencia.do Sr. J. da II kIii Lima.
Aberta a sesso, depois -de- approvada a acta
de 2 de Agosto, foi lldo o excediente que cons-
i ja de olli :ios dos Drs. Martins Jnior e Joa j de
OUveira, agradeceado o titulo de socio boaora-
rio. de estatutos dos clubs republicanos da Mag-
dateoa.de Santo \xaro das Salinas, Federalista
da Grao i, 15 de Novembro, Fre Clueca e Mar
tius Jnior, offereeidos pelas respectivas direc
tonas, c de participacoes dos socios Dr. Jos
Diiz. A F. da Costa Pinto e Dr. Arlbur Orlan-
do, uo sentido de nao poderem comparecer i
sesso.
Depois de resolvido que fosse suspenso, tx vi
do artigo 8 dos esiatuU, o socio Albino Silva;
que o ibesoureiro F. Mauricio de Abreu fosse
substituido pelo conselieiro Ediburgo Ros e
que este fosse subsliluido no conselho pelo so-
cio M. Joa juim Alves dos Santos, informa o pre
.-.dente que na reuniao do partido republicano,
convocada pelos Drs. Albino Miira e Ambrosio
adiado, o Club se fez representar oelos socios
Mreos Silva. Ediburgo Ros e J. Rocn Lima,
fallando este em uome do referido club, com de-
claracao de que a associaco eslava de perfeilo
accordo com o ebefe poltico, que reconbeci ,
Dr Jos Izidoro Marlins Juuior.
ocipdade HtailomatieaEm sesso or-
dinaria fuuccionou hontem essa tociedade, na
qual dissertou o Dr. Oiinllio Vctor sobre a Ibese
Qual a posico do Urazil perante as uacOe ci-
vil isadas ?
Teve tambem lugar o jary histrico do perso
negra Cromwell, do qual fot Alhayde Mar-
lins e promotor, e Antonio Vicente o advogado,
tomando igualmente parle na discussao o Sr.
Castello-Branco.
Em conclusiomarcou se para orlem do diada
prxima sesso a discu-sao da tnese 0 que mo
tivoo a revolucao francesa pelo socio Abilio
Vctor ; o jury histrico de Maria Antoniella,
por J.s Caruoso, sendo commettida a aecusaco
a Joaquina Sampaio e a defeza ao acadmico OJi
Ion Rioeiro.
(ou(riu luMtruotivo PrrnamUu
canoEm sesso de assembla geral fanecio-
nou hontem essa sociedade, tomando conheci-
meato do relalorio do presidente, resolveado so-
bre quesloes de seo particular interesse, e nome-
ando urna commissao para representar a socie-
dade na inslallacao do Club Luterano 7 de Se-
tembro.
En seguida, aberta anscripeo para un con-
curso luterano, que ter lugar na quinta feira
prxima,inscre verara-se desde logo quatro socios;
assim como proceden do se a eleico para o car-
go vago de t. secretario, foi para o mesmo cargo
eleilo o Sr. Antonio Lellis Jnior.
Inalltnlo Vaccneo Municipal-Pelos
Drs. directores e seu substitulo auxiliar vacci-
naram se hontem nesse instituto 10 individuos.
No mesmo insumi foram distribuidos 40 tu-
bos de ly.npbj vacciniea anaimal.
r. uermiiiu AlveaCommanicam nos:
Ene distincto engeaheiro foi hontem alvo de
ma modesta e aigniticaliva manifestaco por
parte de seus companheiros de trabalbo, ni ex-
ploraco da estrada de ferro de Tamander.
R unidos s 7 horas da tarde em sua casa, e
por indreaclo dos manifestantes, e em breve
altocucio o Dr. Ma .otl Feio fez entrega de um
aanel de engenheifo e dedica.oria gravada em
om cartao do prata.
O D.-. Uermillo Alves agradeceu a esponta-
ueidade da lembranca de seus companheiros de
tabaiho.
Casa de DetencuoMovtmenlo dos pre-
sos da Casa de Detenco do Reclfe, Estado de
Pernambuco, era 27 de Agosto de 1890.
Exi8tiam 464, entra'am 17, sahiram 10, ens-
iem47i.
A eancr:
Sacionaes 437, aulheres 10, etraageiros 17.
-Total 464
irracoado: 401
Boas 388
Doentes 9.
Loncos 2.
Loucas 2.
-Total 401.
Movmenlo da enfermarla
asssm baixa:
JeteMenorio de Campa*.
afaaaa Tbeodoro dos Sanios,
fbustina Maria da Coneeico.
ttaacam alta :
Fnllaps Nery dos Rea.
Manoalhomaz de Aqaino.
Manuel guaci de Lias.
Maneel Goa^ilves da Silva.
auuuona um um
C Ao doa Borioi de PernantancoReci
ls, 27 de Agosto de 1890.
Boletun meteorolgico
60 annos, solteiro,
27
18
Temperatura mximai7,.o.
Dita mnima23',00.
Evaporaco em 24 horas : sombra3-,2.
Chuva-3-,4.
Direcco do vento : S de tneia noite at 1 hora
e 2o minutos ; ESE at 5 horas da manh ; SE
at meia noite.
Velocdade media do vento4,"12 por st-
guedo.
Nebalosidade media0."54.
Bolem do porto
Hortencio, Peruambnco,
Santa Aguada, varalas.
Maria Olindlna das Flores, Pernambuco,
annos. viuva, SanU gueda, varilas.
Pedro Beilarmioo da Silva, Pernambuco,
annos, solleira, Santa gueda, vario as.
Eustaquio, Pernambuco, 5 annos. SanU gue-
da, varilas.
Manuel Joaquim da Conceigo, Pernambuco,
30 annos, solteiro. Boa Vista, varilas.
Maria, Pernambuco, 5 annos, S. los, vari-
las.
Maria, Pernambuco, 3 annos, Boa-Vista,
rilas.
Um felo, Pernambuco, 3. Jos.
va-
M POUCO DE TUPO
O problema da instrnccao de todos
que chamara a attencao do Estado aquello
que maior cui 'ado lhe tem de merecer.
Nao ha nada mais complexo, melindro-
so, e mais importante para um paiz.
f Saraeie o Estado a instruccSo, dizia
Emilio Girardin, e a nagao colher moral,
riquezas o liberdade. >
E, por seo, bem nota ve 1 esta verda-
de pronunciada por um grande pbilosopho
allemSo :
* Por detraz da educacSo se occulra o
mysterio do aperfecoamento e da felici
dade huxana. i
sl Das
B. M. P. M B. M. P. M. 27 de Agosto m B 28 de Agosto
803 da manh
2 -28 da tarde
8-48
245 da maulla
0-.52
2" 27
0-57
2-,43
Intendencia afuuiclpai do Becire -
Rendimecto do dia 27 de Agosto : 947*607
Saldo do dia anterior 30:815/1451
31:763*058
Em poder do procurador
No Sanco Sul Americano
7:763*058
24:000*006
31:763*058
PanaageiroM Sahidos pira o norteo va-
p or nacin 1 Maranho :
Capitao Jos Joaquim do Reg Barros, Dr. Ma-
noel Marques Mouie.o de Andrade, Joaquim
Monteiro Vital, sua seobora e sua mi, Antonio
da Co3ta Lima, Jacintho Pedro de Mello, Fran-
cisca Dativa dos Reis News. J. aqu na Maria da
Annunciaco e 1 menor, Joo Panayotti, Jos de
Moura, luac Amaral, Antonio ida Costa Chaves,
ioo Alves do Valle, Daro de Barros Wanderley,
Abraho Spalg, sua seabora e 5 albos, Fierre
Benamel e Jeau Pierre Amilhat, Libanio de Bar-
ros.
Chegados da Europa no vapor francs Villr
de S. Nicols :
Arlbur Rodrigues Duane Lisboa, Maria Mar
ques Coimbra e 1 Ulbo e Luiza Marques Coira-
bra.
Chegados do sal no vapor inglez Cowea :
L. Roubolbam e Olto Bukler.
tjeiie -EITectuar-se-oo os seguntes :
Hoje :
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, ra Con-
de da Boa-Vi.-ta n. 163, de piano e movis.
Pelo agente Brito, s 11 horas, ra do Impe-
rador n. 47, de predios, piaao e movis.
Pelo agente Gusmo, as 11 horas ra Mar-
quaz de OlinJa n. 48, de 77 canastros de albos
Peo agente Pinto, s 11 horas, ra do Bom
Jess n. 45, de mobiitas, espclhos e cadeiras
avulsiS.
Pelo agente Barlamaqul, s 11 horas, ra
Duque de Caxias n. 28, de armaco e gene -os.
Ainanbi :
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra do
Imperador a. 39, de duas casas terreas.
Pelo agente Gusmo, s II horas, ra do
Cabug n. 16, deawvels, vidros, loucas, etc.,
etc.
sainaa* fnebre*Sero celebradas :
Hoje :'
A's 7 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma do teneote U.-cicino Augusto Villas-Boas.
Amanhi :
A's 7 e 1/2 horas, na igreja da Torre, pela al-
ma de D. Francisca de Paula Ferreira dos Sao
los; s 7 horas, na matriz de Santo Antonio,
pela alma de D. Maria Feiippa Monteiro da Fran-
ca ; as 7 horas, na matriz da Varzea, pela alma
de Jos Manoel da Cruz.
Hospital de Santa gueda-O mov-
menlo deste cstabelecimenlo (para vuriolosos)
no dia 27 do correte, foi o aeguinte :
Existiam 360
Entraram E>
Falleceram 1
Existein 365
Io*|.itai Pedro llO moviraento deste
estabelecimeoto de caridade, do dia 26 de Agos-
to foi o seguiute t
Entraram 9
Sahiram 5
Existem 486
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelos Drs. :
Moscuso s 8 1,2
Cysnelro s 9.
Ferreira Velloso s 9 3|i.
Berardo s 11.
Malaquias s 9 t|4.
Estevo Cavalcanle s 8112.
Simes Barbosa s 10 1|2.
O paarmaceulico eutrou as 9 Ii turas da ma
nb e sabio s 4 da tarde.
O 1' ajudaote do paarmaceulico entronas 8 !|4
da manh e sjbio s 3 1|2 da (arde.
O 2* dito entrn s 7 i|4da manh e sabio s
6 da tardJ.
LuierU do Estado de Peraambuco
-A 17 serie da i* loteria desle Estado, ser ex
trahida impreterivelmente ni dia 2 de Selembro
(terca feira), i hora da larde, no consistorio da
igreja de Nossa Senhora da Rosario, de Santo
Antonio.
Jboseria, do Enfado da Gram-Par
A 2* serie da 42* lotera cuje premio gran-
de de 60:000*000 ser extrabida amanh 30 de
Agosto (sabbado).
JLoteria do Muranb&o A 2a serie
da 3* loteria deste Estado, cujo premio rande
de 300:000000, ser extrabida no dia 10 de
Selembro Coarta feira).
cemiterio publicoObituario do dia 27
de Agosto de 1890 .
Amando, Pernambuco, 6 annos, Boa Vista, fe
bre typhica.
Mana, Pernambuco, 6 annos, Santo Antonio,
febre.
Maria Amalia de Lima, Pernambuco, 21 annos,
soltcira, Boa Vista, varilas.
Aune Maria da Coaceico, Pernambuco, 60
annos, solleira, Santo Antonio, varilas con-
fluentes.
Anoa Maria da Coneeico, Parabybs, 50 au-
n w^olteira, S. Jos, vanlas.
Autonio Ju tino do Monte,Pernambuco, 18 au
nos, solteiro, Santo Antonio, varilas cooflaen
tes.
Maria Carolina da Coneeico, Pernambuco, 24
annos, soltcira, S. Jos, tubrculos pulmona-
res.
Caetano Jos A'.ves, Pernambuco, 48 annos,
S. Jos, gas tro eoterite chrontca.
Joo Baptista de Parva, Alagoas, 15 anuos,
solteiro Boa Vista, varilas confluentes.
Carlota Olympia de Brito Micedo, Pernambu-
co, 42 annos, viuva, S. Jas, paraiysia.
Guilherminji, ^rnamboco, 4 annos, S. Jos,
varilas confluentes.
Jos, Pernambuco, 2 annos, Boa Vista, convul-
soes.
Joauaa, Pernambuco, 4 annos. Boa-Vista, va-
rilas.
Jos, Pernambuco, 10 mezes, Bou-Vista, bron-
cbite.
Martiniano, Pernambuco, 8 anoos, S. Jos, va-
rilas confluentes. '
Mara, Pernambuco, 22 mezes, Recife, vari-
las.
Liurentioo Manoel dos Sanios Peraambuco,
19 annos, solteiro, Santa Agela, varilas.
Maxlmiano Manoel dos Santos, Pernambuco,
23 annos, solteiro, Santa gueda, varilas.
Reprehendern um sabio por ter dado
esmola a um homem de mos costumes.
Dou a esmola sua desgraya, res-
pondeu elle, e nao sua pessoa.

Faga-mu tomar um susto.
Para que ?
Estou com soluco8 e se tonar um
susto, heo logo livre.
Eu vira lhe pedir o favor de me em-
prestar 200)5, de que preciso muito !
J passou, obrigado !
Entre compadres:
Compadre, agora estou vendo,
Cheio de pasmo e de magoa,
Que voc bebe cerveja
Como se bibesse agua.
Qua', compadre, qual! voc
Est zombando de mim !
Voc bum sabo que eu
No bebo tantt agua assim !

A familia de Rotschild comproa na In-
glaterra o fumoso relogio histrico fabri
cado por Luia XVI.
Es3e relogio, que os propietarios de
Milton Hall, no Nbrthmptonshire, se ti-
nham transraittido de geracSo em geracao,
foi adjudicado aos Rotschild.
A pndula histrica, que tem 14 ps de
altara, foi offerecido outr'ura como pre
sent do nupcias a condessa Fitzwilliam.

Em sua retirada p-ra Cadix o Sr. Pe-
ral foi com o Sr. Mercader ao palacio
real curaprimentar a rainha regente.
A rainha felicitou o (Ilustre inventor,
prodigalisando-lhe grandes elogios pelo
seu valor, constancia e pericia.
Peral cingia a espada que a rainha re
gento lhe offereceu. E' magnifica. Medc
prozimamento um metro de comprimento.
Na parte superior da folha tem a seguinte
interipeo n'uma das faces: c Artillera.
-Fabrica de Toledo1890.
No reverso o escudo de Hespanha.
Por todo o comprimento da folha, em
ambas as faces, primorosamente cnaela
dos. v se urna antiga caravells, o deus
Neptuno sentao n'um carro puxado por
tritoes e algumas outras figuras mytholo-
gC88.
A dedicatoria, rodeando a folha, diz:
A rainha regente a O. Isaac Peral 7
de Juaho de 1890. As letras eao re-
cortadas, bruidas e com alguna deaenhos
caprichosos.
Peral projecta pedir dou m-zes de II-
cenca para eacrever durante este te po
urna memoria scientifica acerca do subma-
rino, relatando todas as peripecias desde
a coliocco da quilha at hoje.
seu escriptorio de advogado ra do
Imperador a. 14, 1." andar.
OecalJata
Dr. Ferrra. com pratica nos prinoi
jaes hospitaes e clnica de Pars e Lon-
dres, consultas todos oa dias das 9
aoradao meio-dia. Conanltorio e reai*
iencia a raa Larga do Rosario a. 30.
Dr. Barrito Sumjiaio, oceulsta, d con-
inltas de 1 s 4 horas no 1." andar da
casa rua Barao da Victoria n. di. Resi-
dencia a rua 7 de Setembro n. 34, entra-
da pela rua da Saudade n. 25.
Drogara
Faria Sobrinho & jado, rua do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da SvadbC, deposi-
:aros de todas as especiaudada? >hanna-
jeuticas, tintas., drogas, producto chimi-
s e medicamentos homeopatio rua do
Mrquez de Olinda n. ''.
Cka pii-otu aupcrler qmlMsde
O melhof cha que tem vindo ao merca-
do vende se a 3$000 a libra no Bazar da
BSa-Vista rua da Imperatriz n. 88. Al
fredo Lopes & C.
A Voirc Dame de Parla
Previne se as Exmas. familias que cke-
garsm j mu i tos artigos de apurado goato
escollados por Madame Koblet, actualmen-
te em Paria. Exposicao diaria. Rua de
Cabug n. 1 A.

IHDIClyOES TEIS
Medicas
O Dr. Lobo Moscoso d consulta em
sua caa rua da Gloria n. 39, das 10
horas da manha 1 da tardo. Achando-
se fra do servico publico eflorece se para
acudir a qualquer chamado com prompti-
dao para fora da cidade. Especialidade :
operaedes, partos e molestias de senhoras
e de meninos.
Dr. Matheus Vaz, medico. Consulto
rio: rua do Imperador n 42, 1. andar.
Consultas das 12 s 2 horas da tarde.
Residencia, rua do Pires o. 27. Encar-
rega-se do trata ment das molestias de
olhos.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio roa Nova n. 32, onde pode ser en
contrado do meio dia s 2 horas e fbra
destas horas rua do Barao de S. Borjc
n 22. Espe iialidadesmolestia de crian-
9 senhoras e parto. Telephone n. 326
di casa de residencia.
Dr. S Pereira, rua da imperatriz n. 8
d onaultas medico-cirurgicaa todos os dias
das 8 ae meio dia, menos nos domingos
das santificados.
Dr. Freitas Quimares, medico, tem
se? consultorio na rua Duque de Caxias
n. 57, 1. andar; d consultas nos dias uteis
das 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
ueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho-
oe n. 292.
Dr. Joaquim Lowtiru medico e parteo
o, oonaultorlo rua do Cabug a. 14.
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencie
io Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador,
Pratioa a lavagem do tero quando e co
me e aoonselhada. Consultas das 11 s
i da tarde em sua raidenoia rua 4o
3om Jess (antigt da Cruz n. 23, 1.'
indar. Telephone a. 380
tr. Joao Pauloespecialista em par
os, molestias de senhoras e de oriancaa,
com pratica nos kospitaes de Pars e de
Vienna d'Austria, d consultas de 1 s 3
hora da tarde, raa do Bario da Victo
ria n. 60, l. andar, reside na eBtrads
dos Afflictos n. 30, junto esuffto do Es
pinheiro. Chamados a qaaiauer hora. Te
lephone n 467, na residencia.
Advegados
O baeharel Joaquim Ihxago da Fonttoa
'
PUBLICARES A PEB1H
A o eleitorado do Estado de
Pernambuco
Os cidadaos eleitores abaixo assignados reco".
conhecendo:
Que as ideas expendidas no manifest do dis-
tinelo pernaubucjioDr. Joaquim Aurelio Na-
buco de Araujo, dirigido aos seus comprovineia-
nos, nao sao infeosas Repblicaexistinds
apenas por parte d'aquelle iliustre cidado des-
accordo quauto a oppor.uoidade e forma por sus
ella foi feta ;
Que, maniendo aioda o mesmo cidado a baa-
deira da frm federativa por que tanto '.rafea-
li ou dorante o velbo rgimen, continua por
esse facto a faser js aos voios de todos os que
sempre almejaram por urna verdadeira discri-
minaco entie os interessts das antipas provin-
cias e os do Estado, considerado o problema
nao s por sua face poltica, mas anda e priooi-
plmente pela econmica e flnanceira ;
Que o procedimen'.o do referido cidado
urna solida garanta de que o mandato que loe
lr conliado, sera cumprido com a mxima fide-
lidade c escrpulos;
Que, mesmo em face das declaracOes do iuoi-
cano manifest o iliustre pernambucano nao se
acba incompalivel para exercer o mandato i
povo, desde que este nao lbe solicitado, mas
espontneamente conferido ,
Que na epocba presente lodos os eleitores pa-
triotas devem piestar o sen conctrso para a sr-
ganizacao da patria, far.euo recabir a sua esse-
Iba sobre cidadaos de illusiraco reconhcida e
de mrito provado;
Resolvem apresentar o cidadau D.\ Joaquim
Aurelio Nabu:o de Araujocomo candidato
deputaco por esle Estado no prximo Congres-
so, ceos de que semelhanle candidatura ser
apoiada por todos os cidadaos amantes da patria
e que saibam antepr.os interesses desta as suj-
gesles egosticas e quic criminosas de agropa-
menios polilicos.
Recife, 18 de Agosto de 180.
Augusto Goncalves da Silva.
Jos Coi lago Dias.
Manoel Lopes Vieira
Pedro Joaquim Augusto Ribeiro.
Mizati Augusto de Almeida.
Benvenuto Cavalcanli de Mello.
Jos Francisco Bitteocourt.
Fra ncisco Rodrigues dos Santos.
Joao B:rnardo do Espirito Santo.
Francisco Janu v o Nevcs da Silva.
Herculano Martiniano do Nascimento.
Jos Bento Ribeiro de Vasconcellos.
Jos Miranda Ccrreia Lima.
Joaquim Raphacl de Souza Goozaga.
Pedro Pereira Lemos.
Hennque Moura.
En..s Acilles de Castro.
Francisco Fabiao do Moute.
Leoncio Olympio Cbaves dos autos.
Joaq jim Antonio de Castro Nunes.
Domingos Soriano de Oliveira Souza.
Manoel Lucas Das.
Antonio Ricardo Cavalcanli.
Aoizio de Carvalbo.
Miguel Antonio do Valle.
Joao Quintilbo de Puntes Braga.
Jos Francisco da Costa.
Luiz Piulo Ribfiro.
Manoel silvestre do Nascio,ento.
Augusto Jos Marlins.
Paulino Miranda Carvalbo Varejao.
Joao Cesar de Lima.
Jos Antonio do Monte.
Pedro Baptista de Barros Pinto.
JoE Epipbanio dos Santos.
JoSo de Araujo Cesar.
Alfonso Teliano da Silva Oliveira.
Manoel da Cucha Su danba.
Ernestino dos Santos Barros.
Agostinbo Jos dos Santo-.
Amaro David os Santos.
Joo Baptista do Monle.
Joo Baptista da Silva.
Porfirio Marques de Menezes.
Manoel Joaquim Peri-ira.
Antonio Cassemiro da Trndade.
Antonio Macario de Meira.
Adolpbo Apolonio Vieira de Mallos.
Jos Joaquim de Freitas Tavares.
Joo Antonio de Miranda.
Pedro Cabal da Silva.
Silvino Gomes P^rto.
Marcono Jos Joaquim Correia.
Jos Pergentino d'Azevedo Villarou'a.
Silvino Pereira do Loreoa.
Alexandre Jos da Silva abral.
Alfredo Jo Garca.
Joao Auaslacio de Miranda.
Joo Baptista da Silva Marques.
Polydoro Burlamaqui P. Teixeira.
Manoel Arthnr de Barros Cavalcanli.
Bernardina Ferreira de Azevede.
Francisco da Cosa Ramos.
Joaquim Orle M. R b.;iru.
Ange'o Pi Juveocio da Silva Santiago.
Vicente Claudiso Alves.
Jos Antonio de Freitas.
Jo? Aniceto dos Reis.
Bento Guedes de Araujo.
Augusto Daarte Vieira.
Samuel Monteiro Palva.
Jos Am.ncio o'Oliveira Guimar?s.
Manoel do Nascimento Almeida.
Beliarmino Juvencio de Soasa.
Joaquim Taciaoo da Rocha Barros.
Jo.- Joaquim dos Santos Silva.
Arceoio Marques de Mello.
Jos da Fonseca Silva Belmonte.
Antonio Luiz da Silva Guimares.
Jco Marianno Ribeiro Selle.
Eustaquio Manuel da Vera-Cruz.
Hennque Severiuo de Souza.
Joaquim Goncalves de Oliveira.
Euiigdio Bcmvenuio d'Azevedo Piulo.
Jos Bezerra da Silva.
Boaventura Oclaviano da3 Chagas.
Carlos Carreiro da Silva.
Jos Gouzaga da Silva.
Joao Nicacio Pereira Caldas.
Joao Alves Sobral.
Caetano Jos Alves de Moraes Pires.
Francisco de Barros Lima.
Luiz de Franca Palilha.
Jos Pereira de Ge3.
Jos do Patrocinio Carino Ribeiro.
Albino de Jess Bandeira Eleitor.
Samuel Tiburcio d'Oliveira.
Luiz Antonio Fernandesda Costa.
Tneodomiro de Azevedo.
Maneel Antonio Franco.
Alberto Thomaz d'Aquino.
Bellarmino Jacintbo Pereira.
-





i hr*-


Diario de Pernamhiico--Sexta-feira 29 de Agosto de !8i
o

Serapaim P- do Aojos Santos.
Clementino Franciaeo da Silva.
Manoel Francisco da Silva.
Joto de Bitteocoort Andrade.
Jos Baptista Rodrigues de Almeida.
Irineo Placido de Fre tas
Antonio Castor Dutrle Vieira.
JoSo Antonio de Paas.
Joaquira branles Pinheiro
Franklin de Lima.
Joao i'otutantiDo Goncalves da Silva.
Damio Marques da Silva Costa.
Fernando de Castro.
Felippe Nery GoimarSes.
Francisco Loiz do Carmo Ribeiro.
Antonio do Bomfim Ferreira.
Sabiniaoo da Silva Santos.
Joao Alves da Cunta Villa Bella.
Augusto Villa-Bella.
Antonio Franco Correia Lios.
Benemrito Jos da Costa.
Francisco T. de Sonsa.
A chapa catbolica .
Porcosj dos comprir um dever. Uai grito
de alarma devenios fazer erhoar do logar do
noaso obscuro posto Das muralbas'do Israel___
De-oos, doe-nos do intimo d'alma a reper-
cnssao d'esse alarma, o estrondear desse grito,
a nos humilde soldado dessa phalaoge no recamo
dessa trincheira, nos arraiaes dos dominios < e
Deus. Nao o inimigo qoe se approxima como
adversario, mas o inimigo qoe vero como'amigo,
seraelhauca d'aqaelle que se encaminhoo ou
tr'ora ao Sa vador para na face depor loe um
oselo. E' o caso.
Contestamos a vantagem de ser suffragado no
prximo pleito o nome illostre, se bem qoe tus
peilo, do Sr. Dr. Albino Meira de Vastoocellos.
Nao vai n'isso m vontade ooasa ao illustre
candidato e nem desprestigio respeitavel dir
clona do partido calbolico, oeste Estado, que o
apresentoo, nao.
E' mdubitavel que, no presente momento poli
tico de nossa patria, qaando iostituiedes respei-
tiveis perecem, nao tinto pela hostilidad* dos
inimigos da igreja como pela desidia ou condes-
cendencia dos qoe as devem sustentar, se apre
seotem candidaturas dobias por versatilidade de
principios e quebrantabilidade de f.
Poisqae l.-noram os ilustres sigmtarios da
circular do directorio do partido catbolico que ao
illustre candidato apresentado fallecen) esses
requisitos de ligidez catbolica qoe o devem tor-
nar sympathico ao eleitorado do paiz ?
Ignoram p jr ventura os illoitres dirigentes da
poltica catbolica oeste Estado que esse candi
dato, descoDbecendo, no corto periodo de soa
admioistracao transada, esses moldes moralisa-
dores, que a igreja imprime e ordeoa aos seos
crente?, deixoo se ir por esse mundo infinito de
recriminarles, de desamor e desharmoma, ac-
centuando um goveroo pessoal odiento e procla-
min lo orna administrado de vindictas ioiantis?
Desconbecem, acaso, essas ideas ambiguas,
essa f verstil, consignadas em documento po
blico, opinando que o casamento civil careca
apenas de ons retoqoes, deixando formalmeDte
antever a vantag-m e proficuidade do mesmo,
que em these c vedado pela igreja ?
Ignoram, finalmente, o clero, o parochiado
deste Estado, todos os Bes catholicos ,qoe fui esse
illustre mestre qoem, como governador, dirigi
Ibes urna circular ordenando Ibes qoe pregassem
aos seus par bianos a oecessidade e liciedade
do concubinato legal contra as soggestes dos
fanticos ?
Nao eremos que aos interesses religiosos do
Brazil seja necessaria a acquisico de candidatos
taes para o lim de outorparem se Ibes os uoosos
mais vitaes interesses. E nem se diga que ao
illustre candidato recommendado era licito, nesse
particular, renegar suas crencas, alheiar-se de
priccipios catholKos, que Ihe deviam estar na
consciencia, para cumprir as ordens do governo
ou do ministro que Ib'as dera, nao I
Seriamos nesse caso en) levado a profligar
ss eos mamen tos do Apostlo e a derruir o pro-
cedimento correcto do ilustre Dr. Gomes de
Mallos essa cabeca equilibrada e esse carcter
de broaze demilliodo-se do encargo de con
fliDca. do qral revislira-lhe o goverao, por nao
identicaco de crencas religiosas cora elle.
E icaremos, sim, todos os revezes quo prepa
ram dos os senhores do governo com essa passi
Tidade eloqoente dos mariyres ou com MN acti
vidade estupenda dos hroes da religiao. mas,
nao sejaaos d aquel'es que, por criminosa desi
dia oo oqualilicavel boa f. trabalbam por urna
idea, vi.-anrl) o nico intuito o eu oo acari-
ciando desejos inconfessaveis de qoem quer que
seja.
Jaup.
qnem o Sr. Joo Baptista e ootros de soa familia
sao inimigo*.
A cida le em peso qoem pode dizer qual o
comportamento do alferes Borgea Leal.
O Sr. Joio Baptista nao cootoo como se den a
mor te, pela qual responden ao jury, e nem disse
o nome deseo cmplice, qoe esta va ausente. Nao
disse que receben do digno Dr. jnis de direito,
ne dia 7 do correle, chamando o, para fazer
lhe ver as repetidas qoeixas de espancameato,
como a de Joaquira Salvador e ootro, e sobre a
riao illegal que soffriara Joio de Dona, Jos
avares e ootros.
Queria o Sr. Jjao Baptista, em Pombos, a Joao
de Dona e outros para terem a mesma sorte de
Jos Tavares o qoe nao coaseguio por haver no
dia S oo 6 o 2* sappleoto do delegado em ejer-
cicio ordenado ao carcereiro a nao ida delies ?
Disse que Joao de Dooa tem a mim como pro-
tector.
Ouca o Sr. Joao Baptista : cooheco Joao de
Dona, como o Sr. coohece Joao Gob e Antonio
TenoD, que fazem parte de orna polica como
inspectores de qoarteirao ; nunca possui um ca-
va lio desde 1857, que aqoi moro ; nao posso pro
teger oioguem; e nunca eu nem pessoa de mi-
aba familia transigimos com a poltica adversa
para oceupar cargos policiaes.
Nao go honra e dignidade; von cnidar em minbas obri-
gacOes, e peco ao Sr. Baptista qoe me diga qoan
do corre a rifa da soa casa, da qual tenbo om
bilhete.
3Victoria, 27 de Agosto de 1893.
Bellarmino Bulcao Filho.
t
proprio estaheleciment; A muito que oto
vendo a casas retalhadoraa a por isso h
sisto para que os senhores compradores
notem o que deixo dito.
Recife, 16 de agosto de 1890.
Paulino de Oliveira Afaia.
Aviso
Os Srs. eleitires que conerdarom com
a apresentaoSo do Sr. Joaquim Nabuco
como candidato ao O ngresso, queiram
fazer as suas decIarocSes ou pela imprensa
ou por escrito ra do Rangel n. 18, casa
de Jos Colaco Das.
f
L ma Miaste depon* aofcre tanta
lo le KiixtlIroadUilma iobrlnh,
Mara Annunrudt de Aran.) o Ca
nna no Irlfi-almo da le iru falle
rmenlo, pelo bartoarel Anaerlco
IVrnunde Triso de Lourelro
Linda flor, entre a folhagem,
Ao sopro da branda aragsm,
Se aprazia a baloucar. .
Eis, surgiDdo, agro tofo,
Pira a celeste manso,
Veio, a llorinha, boscar...
La foi ter, a flor querida,
Eatre os aojos, melhor vida I

Ao eiilailiH Dr. cli I"; de polica
Virguoo da Silva Falco, estabelecido no
kiosque n. 9 do largo do Arsenal de Guerra,
teodo sido roobado, oa noite de 27 para 28 do
correte, oa quantia de 35*500, pelo larapio Bal-
bino de tal, de cor parda estatura regular, ebeio
do corpa, cabello cachado e pooca barba, fal-
laodo gago e trajando chapeo de palha ; pede
ao Sr Dr. chele de polica providencias coolra o
dito larapio, que consta se retirara para Goyan
na, levando o roubo e nm relogio de prata, do
valor de 20*, de mostrado- preto, tendo no cen-
tro da lampa um circulo gravado com palmas.
Quem der dicagOes certas sobre o larapio e
o qoe elle furtou, ser gratificado.
Gratido e mrito!!
Minba gratidSo ao mrito do distincto
medico desta cidade Dr. Coelho Leite
faz me com que eu escreva do alto da
imprensa estas linhas, rendendo lhe por
este modo o preito de minha reconhecida
eterna gratidSo !
A gratidSo um sentimento com que
nao se especula, e nem se inventa, pois
um sentimento nobre cios grandes enracoes!
Pois bem. Foi a este fecundo medico de
grandes recursos scientiricos, que lhe con
fiei o importsntissimo tratamento varilo-o
da minha esposa e no decurso quasi de
dous mezes, deu provas de sua incontes
tavei pericia, porque foi elle talhado para
desempenbar o sublime lugar de Ricor e
Qilbert, salvando-a de varilas confluentes
quando todos da familia, inclusive o autor
destas linhas, contavamos completamente
perdida Tanto agio, tanto interesse to-
mou para slvala, eil a salva, e elle
tnumphante, porque vencen !
A posteridade ba de lhe dar o prisma
de graude homem por ser grande me
dico !
Rjecife, 28 de Agosto de 1890.
Antonio Francisco da Cruz.
Voltando, o tufo veloz,
Com soa ronquen ha voz,
Bu-cava nos consolar...
Pois ao ver o nosso praoto,
Conheceu, de cbofre, o quanto
Nos tioba vindo magoar !...
Muito ercbora a flor querida
Fosse, no cea, acolbida 1...
At a tmida aragem
J nem sopra entre a folhagem,
Nao vendo a flor b-Juujar...
Bem como o flragil arbusto,
Do proprio tullo, tem susto...
Ternera que as ven ha boscar,
Conhecem, que a flor qoerida
Ja nao mais d'esta vida!...
Nos apenas, soa imagen).
Vemox, por entre a folhagem,
Ondea vimos baloucar...
Da dOr, essa arvorennha.
Como a flor, ja se definha..
Vai penden lo... vai marchar!. .
Como imita a flor querida.
Nos fosendo r, despedida f...
S esta saudade ingente,
A dr, qoe no-sa alma sent,
Nao poderao se linar...
Suspiros, nossa alma exhala...
O coraco nos estala
De pena, e dor, e pesar !....
Pois vemos, que a flor qoerida,
J nao mais desia vida !....
Consolemo nos em fira,
Que esta vida mesmo assim :
E' om constante penar...
Creamos que a linda flor,
Fetal vida leve horror....
Deus qnlz, do mondo, a livrar I...
L foi ter, a flor querida,
Entre os aojos, melhor vida I ...
A. F. Trtgo de Loureiro.
Ao publico
do correte,
por Joo Ba
ninguem o
Lendo o Jornal do Refe de 23
depart com om artigo assignado
plisia dos Santos, qoe pelo nome
perca. .
Em resposta a esse arante!, digo qoe foi o
mi8siista para o Diario de Pemambuco e todos
os factos narrados sao verdadeiros.
No tpico em que declarei factos que a
decencia manda calar provoco ao Sr. Jo8o
Baptista para qoe, pjdindo ao Dr. chefe de poli-
ca a qoem foram remettidos os autos de per-
guntas a Eugenia de tal e Bita de tal, molber de
Joao de Dooa e viuva de Jos de tal; publique
os, sob pena, de eu devolver-lbe os iosoltos que
me atirou. ,. .
Diz o Sr. Baptista que a polica estava a mim
confiada; o delegado, andando diversas noites
em ronda, o acompanhei como seo esenvao.
Derramon todi bilis contra o alferes Borges
Leal, por dous motivos :
# n|o consentir qoe o Sr. Baptista continuas*
se a e8pancar os cidados mermes; baver
nroposto para sopplente de subdelegado de
Pombos, ao cidadao Joao de Arroda Cabral, que
faz parte da imprtante familia Alvares, e
de
Bazar de prendas
em 7av0b das vivas necessitadas e do
Hospital de Sant'Agdeda, na tabde
ENOITE DO DIA 7 DK SbTEMBEO NO LARGO
do Arsenal de Gcerra.
A commissao encarregada de promover um
bazar de prendas em beneficio das viuvas ne-
cesitadas e do Hospital de Sanl'gueda, delibe-
rou nomear commissoes parcaes para ajudar na
acquisicao de objeclos para compor o referido
bazar, recahiodo as noraeai,es nos seguintes
senhores:
Conmissio do Recife
Tenente Jcs Pedro dos Santos Neves.
Alberto Das Fernandes.
Affonso de Oliveira.
Commissao de Santo Antonio
Os Srs. :
Thomaz Ferreira de Carvalho.
Alfredo Ferreira Pinto.
Manoel Collpgo Das.
Commissao de S. Jos
Os Srs.:
Capito Heorique Jos de Magalhaes.
Juvencio Cezar.
Tenente Bellarmino Augnsto de Athayde.
Commissao da Boa-Vista
Os Srs.:
Alfredo Lopes.
Victorino Archias do Reg Faria3.
Capito Gelazio de Araujo.
Commissao encarregada da distriboico dos
bilbetes
As Exraas. Sras.
Mile. Mara Annunciada de Lucena.
MJIe. Igoez Serrano.
Mlle. Vetoria Castillo Teixeira.
A commissao central espera que as pessoas
Domeadas se dignem acteitar esta incumbencia,
attendendo ao tim a que appllcado o producto
do mesmo bazar.
Os objecios obtidos pelas respectivas corarais-
sOes parciaes devero ser remettidos para a casa
de reeideDCia do cidadao inspector do Arsenal
de Guerra, a o dia 5 de.Setembro, onde fuoccio-
oara todos os das das 6 da tarde s 8 horas da
noite.
A entrega das prendas correspondentes aos
nmeros dos bilbetes pafsados, sera effectuada
oa tarde e noite do dia 7 de Setembro, no largo
do Arsenal de Guerra.
A festa d'aque:la ooite ser dedicada ao ci-
dadao desembargador Heorique Pereira de Lu-
cena governador do Estado.e a qoem ser entre-
gue a importancia desiioada ao Hospital de Sao-
t'Agueda, licando a cargo do Bevm. governador
do Bispado a distriboico das samlas pelas
viuvas necessitadas.
Tocaro duas bandas de msica.
Recife, 28 de Agosto de 1890.
Francisco J. Pinto.
Jos Ildefooso Barbosa de Miraoda.
Feli8berto Fioza de Oliveira.
Adolpho Conba.
lo publico
Tendo eu sciencia de que algumas pes-
soas aproveitam as garrafas vasias com
etiquetas de vinhos de minha caaa, para
venderem outros vinhos a titulo do at#aW
Palhete e mom Collares que rece
bo directamente e bem assim entras qua
lidades, chamo a attencSo do publico e es-
pecialmente dos apreciadores de meus vi-
nhos, para que nlo se deixem illudir e
aviso os de que s devem considerar como
verdadeiros os que compraren! em meu
Luiza de Araujo e Silva Cunha, penho-
rada do intimo d'alma, para com todas as
pessoas, que dignaram-se de acompanhar
no dia 29 do mez paseado, o enterro de
sua estremecida filha Mara Annunciada
de Araujo Cunha, nSo obstante o terror,
que ordinariamente inspira a horrivel mo-
lestia, de que fora, esta victima, agrade-
ce-Ibes cordialmente esse mesmo acto de
humanidade e religiao ;. assim como, de
novo as convida para assistirem as missas,
qne por alma da mesma finada, pretende
mandar celebrar na igreja de Nossa Se-
nhora da Penha, s 8 horas da manhS do
dia 29 do corrente, trigessimo do fallec
ment de sua finada filha ; testemunbando-
lhes desde j o seu reconhecimento por
mais este acto de caridade.
Outro sim, agradece com igual reco-
nhecimento, a todas as suas desveladas
amigas, que a acompanharam em sua jus-
ta dor, com especialidade, a sua intima
amiga y Sra. D. Maria Elvira de Souza,
que tilem d'isto, assistira a enferma at o
seu ultimo suspiro; e bem assim, ao dis
tincto medico o Dr. Barros Carneiro, lou-
va e agradece a incansavel solicitude, que
manifestava durante o respectivo curativo.
Agradece, emfim, a todas as mais pes-
soas, que de bom grado, e com assiduida-
de, lhe prestaran) seus bons servicos, em
So aflictiva, quSo laboriosa conjunctura.
Prado Pernambuco
De ac sordo com o que preceitua o art.
10 9 e 11 dos estatutos, sao convida-
dos os Srs. accionistas para urna reuniSo
de assembla geral ordinaria, que dever
ter lugar no dia 29 do corrente, na sede
da sociedade, a ra do Imperador n. 83,
Io andar, s 12 horas o dia, afim de se-
r m apresen tad os o relatorio, con tas e pa
reeer fiscal do anno social rindo em 30 de
Junho prximo passado; e bem as&iiu ele-
ger-se a nova directora e commissao fis-
cal, presidente e secretario da assembla
geral.
Recife, 14 de Agosto de 1890,
t O secretario,
Franldin Se ve.
Arthur de Mello
T-*ndo recebido noticia degraveincommodode
saude de nm de seos Irmaos residentes na cap
tal do Estado da Babia, para allTsegue no pa
quele Potos, nao tendo lempo de despedirse
das pessoas de sua amisade. nem tambera
daqaelles cora qoem tem relacOes coramerciaes
pelo que pede desculpa, scieotiticaodo porm a
estes qoe no estabelecimento de taaos, sito nos
arrecifes, encontraro com quem entender-se.
O abaixo assignado, immeaiamente penbora-
do pelos desvelos e pericia empregados pelo n
lustrado Dr. Antonio Cavalcaote Pina oo trata
meoto de grave molestia e sna raulher, ?em
pela imprensa agradecer os seus relevantes ser
vicos qoe foram coreados do mais Miz resol
lado.
Pao d'Alho, 24 de Agosto de 1890.
Alfredo Jansen Goncaives Ferreira.
Oculista
Dr. Barreta Sampaio, oculista,
ex-ohefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no 1*
andar da casa n. 51 a ra do
BarSo da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
Dr. Silva Leal
CLNICA MEDICO CIRRQICA
Consultorio e residencia rna do Livramentc
6 1 andar. Consultas das ti s 3 horas da
da tarde Chamados a qualquer hora, por escripto
mSes, que a sciencia tem encontrado, a
experincia comprovado, e o testemunho
humano perfeitemente aprovado. A ana
composicSo inteiramente vegetal, e per
feitamenteinoffensivo, conservndose inal-
teradamente em todos os paizes, adap-
tando se admiravelmente todas as ida-
des, temperamentos e constituicSes. Suas
curas rcaravilhosas sao completas nao dei-
xando nada desejar-se. E' de summa
utilidade em todos os casos extremes ; po
rm vale mais usal-o o lego desde o co-
meco de qualquer urna molestia.
'Jomo garanta contra as falsificaron,
observe se bem qne os nomes de Lanman
& Kemp, venham estampadas em letras
transparentes no papel do livrinho que
serve de envoltorio a cada garrafa.
Acha-se venda em todas as boticas
e drogaras. 452
0 verdadeiro e mais aifflgoElixir d
cabecil le negro e da formula do phar-
maceutico Heraes de Souza Pereira, e
para aran ta dos coueomidores traz ella \
em seus rotues e envolueros o retrato de
autor.
Vndese a varejo em todas as phar-
macias e em atacado na pharmacia Fer-
reira, praca de Maciel Pinheiro, n. 19,
(antiga do Conde d'Eu, e na drogara de
Francisco Manoel da Silva & C, ruk de
Marque de Olinda, n. 23. ,
Dentes
m$
Medico
DB. TAVABES DE MELLO
%
formado pela Facoldade do Bio de Janeiro,
tendo-se dedicado com especialidade
therapeotica moderna das molestias de
pelle e sypbilis, oa polyclinica geral, a
cargo do Dr. Silva Araojo, onde servio
como seu ajudante ; d consultas de 12 s
3 horas no largo do Corpo Santo n. 15, Ia
andar, e recebe chamados a qualquer bora
f& em sua residencia, largo da Paz n. 4t,f
Jf^Afogados. s^
Aos agricultores
O juiz de direito JoSo Baptista Oitirana
Costa, tendo contrahido diversos empres-
timos com o Banco do Brazil para agri-
cultores deste Estado, da Parahyba e Rio
Grande do Norte, contina a encarregar-
se desse trabalho, adiantando as despezas
necessarias, mediante mdica retribuicSo.
Pode ser procurado nesta cidade, ra
do BarSo de S. Borja (antiga do Sebo)
n. 48.
Recife, 3 de Julho de 1890.
Ensino de prime i ras lettras, por-
tuguez, francez e inglez; pelas
residencias dos alumnos, dentro
da cidade e em seus arrabaldes
a tratar na roa do Imperador n.
75, 2. andar.
Ter nina a horrivel dor de dentes usando
o excellente preparado de Manoel Cardoso
Jnior.
As cartas que lhe tem sido dirigidas
pelos jornaes de nniorcirculacSo, attestam
a eficacia.
Depsitos:
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da
Silva & O, ra do Mrquez de Olinda
n. 23.
Pharmacia Martins, ra Duque de
Caxias n. 8.
Pharmacia Oriental, ra Estreita do
Rosario n. 3.
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do
BarSo da Vetoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Lepe
ratriz n. 49,
Leonor Porto
Roa

1!
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON," for
mado pela Universidade de Maryland no:
Estados-Unidos, tem aborto o seu cnsul
torio, na ra BarSo do Victoria 18, Io s
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
an
Dr. Alfredo Gaspar
medico'
Operador, parteiro trata com especiali-
iade de molestias de senhoras o creanas
Consultorio e residencia ra da impe
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manhS.
Chamados (por escripto) qualquer ho'-a
TELKPH0N3 N. 226
Tendo hoje extra-
via io-se urna letra de
dosso acceite e da
quantia de 2:00^000,
sem estar sacada, e
seu vtncimento para
9 de Dezembro (*) do
anno
i
sobre
pro-
SUd
corrente
testamos
validade.
Recife, 27 de A gosto
de 1890.
Albino Silya& C:
Por engao sabio bootem 11 de Dezembro.
(*)
Vaccina animal
0 Instituto Yaccioico Municipal foneciona em
orna das salas do pavimeoto terreo da casa da
Intendencia lodos os das das 10 horas da ma
nh ao meio dia, sendo feitas as vaccinacOes com
vaccina animal, e em das previamente annun
ciados ella ser tirada directamente do animal
para as pessoas. Convido aos mooicipes a qoe
all comparegam para serem vaccinados, nico
meio seguro de premunirem se cootra a peste
da varila.
De conformidade com o art. 4" da postura qu?
tornou obrigatoria neste municipio a vaccinaeSo,
os vaccinados devem apreseotar se no Instituto
entre o 6 e o 8 dia depois da vaccinaco para
o fina de serem verificadas as vaccinas e dado o
attestado do resultado deltas, na falla incorrtm
na multa de 3*000.
Dr. Manoel Bastos de Ohvetra.
Director do Instituto Vaccinieo Municipal.
Dr. Coelho Leite
participa a seus clientes e amigos que mndou
sua residencia para a ra Bario da Victoria n.
'1. < andar, e contina a dar consultas de 1 s
6 as da tarde, no seu consultorio, ra Duque
de Caxias n. 57.
Dr. Bastos de Oliveira
Medico operador e parteiro, tem o seu
consultorio ra do Mrquez de Olinda
n. 1, Io andar, onde pode ser procurado
todos os das uteis, das 12 s 3 horas da
tarde.
Chamados a qualquer hora em sua re
sidencia, ra do Hospicio n. 46.
Telephone n. 365
Lde com atten^o
Sr. Redactor.Durante dez anuos vivi
sempre acabrunhado por tenaz enfermi-
dade pulmonar, que nos ltimos tempos
tornou se agudissima, privando me at do
allivio que o somno proporciona.
J estava desanimado de restabelecer
me, pois que tinba ensaiado innmeras
clasBes de medicamentos, Bem colher re
sultado satisfactorio.
Em hora feliz, porem, li em seu con-
ceituado jornal as virtudes qua eram attri-
buidas ao Peitoral de Cambar, do Sr.
Jos Alvares de Souza Soares, de Pelo-
tas, e deliberei experimental-o, confesso
que sem a menor esperanca, tal era o de-
sanimo de que me achava possuido.
Desde que principiei a usar esse ben-
fico medicamento, experimentei melhoras
sensiveis : os escaos sanguneos desappa
receram e a dolorosa tosse que nao me
deixava um s momento de allivio, prin
cipalmente noite, foi cedendo gradual-
mente, de forma que hoje, aps ter to-
mado crea de 15 frascos do alludido
peitoral, ^fejo-me completamente curado
de urna enfermidade que tinha resistido a
dez snnos de nSo interrompido trata-
mento !
Rogo-lhe, pois a publicacSo destas li-
nhas para, em forma de attestado, mais
robustecer o merecido crdito de que gosn
esse excellente medicamento.
De V. S. attento amigo obrigado.
Vasco Jos Pereira d'Avia.
(Extr. 'O Povo, de Santa Victoria do
Palmar, Rio Orando do Sul.)
O Terdadelro remedio em sen
verdadeiro tempo
Jamis se dever fazer pouco caso da
tosse e das constipacoes, e nem tSo pouco,
esperar at que os pulpSes, inflammados e
ulterados, nSo deixem mais esperanca al-
guma. Logo ao primeiro e mais leve
symptoma, acuda se immediatamante e
lance se mSo do mais delicioso e melhor
remedio pulmonar conbecido. O Peitoral
de Anacahuita, por sem duvida aJguma
o remedio mais poderoso e efficaa p*ra
combater as affecc3es da garganta e pul
Larga do Rosarlo i
mero
SEGUNDO ANDAR
i j Continua a executar os mais difficeis
< >H^urino8 recebidos de Londres, Pariz,< ,
() Lisboa e Rio de Janeiro. ()
Prima em perfeicSo de costaras, em:, j
em brevidade, modicidade em precos e; ]
fino gosto. (j
G&BEQn DE NEGRO
Elixir sedativo e anti-rheumatico, formula
do pharmaceutico Hermes de Souza
Pereira.
SEM MEBCDRIO
Approvado pela Inspectora Geral de
Ht/giene
Este poderoso medicamento j bem co
nhecido ha mais de 10 annos e cujos ma
ravilhosos effeitcs tem sido at 'estados por
muitos mdicos e numerosos doentes, cura
radicalmente os bheuma iismos, ertsi
PELAS, SYPHILIS ESCRFULAS--e todas as
molestias que teem por origen) a impuresa
do sangue.
COMMERCIO
Retrospeeto commerelal do mez
de Julho de 18
(Conclosao)
Agurdente
O mercado desie artigo esteve regular.
Entraram :
Em Julho de 1890 380 pipas
de 1889 115
Mais em 1890
405
Vndense a pipa de 93*000 100*000, sendo
03 precos medios
Em
Julho de 1890
de 1889
96*500
107*500
Menos era 1890
Feram exportados :
Julho de 1890-Ext.
Interior
11*000
litros
777.971
Julho de 1889
Mais em 189)
Total
777.974
299.456
478.518
Aos respectivos precos medios, foi este o valor
exportado :
Julno de 1890 156:397*550
de 1889 67:236*520
AS YICTIJIAS HAS FKBftKS
0 Elixir ansi-fetoril Cardos*, appnv
vado em 21 de Marco deste aoDO pela Inspectora
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vem hoje
apresentar-se bumanidade soffredora do mui-
do inieiro, como laboa de-talvacao qne ao infe-
liz naufrag lhe enviada por mao cmnipotenttt
O Elixir all-rvtoril Cardoo, appll-
cado em muitissimos caeos de febres, tem, cono
eor milsgre, levantado do leito da dor a comple-
op moribundos.
Este remedio, composlo somente de vegetaes
e ioteirameote iooffensivo, aioda mesmo oa mais
mimosa e tenra crianca.
As senhoras, no estado de paridas, oo no pe-
i odo de incommodos natoraes, podem usa! o
sm receio algnm.
Depsitos
Droiaria dos Srs. Francisco Manoel da Sil
de C, ra Mrquez de Olindi n. 23.
Pharmacia Martins, roa Duque de Caxias
n. 88.
Pharmacia Oriental, rna Estreita do Rosario
n. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do BarSo da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Imperatriz
a 49.
Para qualquer explicacao podem drrigir-se ao
autor Manoel Cardoso Jnior, ma Estreita do
Rosario n. 17.
Atiesados
Santificamos ao respeitavel publico qne alera
dos altestados a qne damos poblicidade hoje,
foram carados 379 variolosos.
Pedimos aos incrdulos para irem examinar
os tratados pelo Elixir anti febril.
Dos innmeros attestados que temos, damos
em segnida principio a sua publicado j e isto
bastar para que sejam coohecidas as virtudes
do Elixir anti febril Cardoso.
N. 66 3T*:
Sr. Manoel Cardoso Jnior.-Tendo a mas
viva 6ati8fac.ao em communicar lhe que .-o ad
miraveis os resultados que tenbo clcai.c; ;o com
a applicago de seu elixir anti-febril.
Foi em minba tilhinha, que havia sido atacada
de violenta febre, que primeiro appliqoei o seo
remedio, e ao fim de dous dias com prazer a vi
livre d'esse incommodo.
Passados alguns das, tendo sido procurado
para dar o seu remedio para doos casos de va-
rilas, mandei que fossem observadas as instroc-
ces que de Vmc. j hivia receido sobre o mo-
do de usal o, e hoje as doas crealuras livres de
todo o perigo, me pedem para agradecer o bene-
ficio qoe Vmc. Ibes nrestou com a maravilhosa
descoberta do seu elixir. Eis o que lhe nosso di-
zer at este momento.
Minha contlanca no seo rerredi) perdorar, e
eu tenbo prazer em darlhe tambem este teste-
munho de meu reconhecimento.
Pode Vmc. fazer o uso que detejar d'estas li-
nhas, com que sobscrevo-me
De Vmc. amigo criado e obrigado
Eustaquio Carminondes.
Arrail, 4-8-90.
N.67
Illm. Sr. Manoel Cardoso.
Entraram :
Julho de 1890
.. de 1889
Menos em 90
63
1.3180
685
Regularam as vendas por kilo :
Dos espichados 420 ris
D03 seceos salgados de 360 400
Dos verdes de 220 240
Sendo es precos medios :
Espichados Seceos
Julho de 90
. de 89
Dille- (mais
rencas (menos
420
390
30
380 0
362,5
Verdee
230
210
17,5 20
Mais em 90
89:161*030
Alcool
Esteve tambem em condicOes regalares o mer-
cado deste artigo.
Entraram :
Em Julho de 1890 45 pipas
de 1889 35
Mais em 90
Veodeu se a pipa de 185*000 188*000 seodo
os precos medios :
Julho de 1890
de 1889
Menos em 90
Foram exportados
Julho de 90-Ext.
Int.
Total
186*500
215*000
28*500
Julho de 1889
Mais em 90
Aos precos medios respectivos,
valores exportados :
Julho de 1890
. de 1889
litros
42.240
42.240
11.616
30.624
foram estes os
16:412*000
5:366*400
Foram exportados : Julho de 90 Exterior : Empichados Seceos Verdes 5529 kilog 60.012 59.703
Total Julho de 89 125244 48.136
Mais em 90 77.108
=====
Aos precos medios respectivos, valores exportados : Julho de 90-Espichados Secos Verdes forsm estes os 2:322*180 22:804*580 13:731*690
Total Julho de 89 38:858*430 16:469*530
Mais em 90
2i:388*880
A demais exportaco feitapela Alfandega con-
stou do seguinte :
Borracha Ext.
CapilInt.
Carojos de algodoExt.
Int.
Total
Cera de carnaubaExt.
Iot.
4372 kilos.
80 litros
2.681.733 kilos
300
2.682.033
Mais em 90
11:045*600
Ski
inteira
O mercado deste artigo conservou-se
mente nullo.
Regularam os precos da pipa de 50*000
55*000 -, sendo os precos medios :
Julho de 1890 52*500
de 1889 50*000
Mais em 90
Foram exportados :
Julho de 189().-Ext.
Int.
2*500
litros
de 1889
Menos em 1890
Total
50.940
50.940
Aos precos medios, foram 'ates os valorea
exportados :
Julho de 1890 nn*
. de 1889 5:330*000
Menos em 90
5:330*000
Ceiros
O mercado destes argos manteve-se sonrivel-
mente.
Total
Cocos (fructas)Ext.
Int.
Total
Coorinhos e pellesExt.
DocesExt.
Int.
Total
Drogas e medicamentos-Int.
Farinha de mandiocaExt.
Int.
Total
Ferro velhoExt.
Fio d'algodoInt.
FructasExt.
GenebraIot.
GraixaInt.
Milho-Int
Ouro veiho Ext.
Oleo vegetalInt.
OssosExt.
Pao BrazilExt.
PoTatajuba-Ext.
Peonas d'aves-Iot.
Prata velhaExt.
Queijo do 8ertoInt.
RapIot.
Sebo-Int.
TraposExt.
Vasaouras-Exl.
1.335
650
1.985
1^000
56.000
62.000
144.864
50 kilos
650
700
43 vols.
200
3.724
3.924
60 tons.
152 saceos
60 vols.
3 528 litros.
2 365 kilos.
5 250
9.777 oitavai.
440 kilos.
50.000
20.000
11.245
50
56603 Oit.
560 kilos.
1.J41
2.100 kilos.
7.500 kiloe.
100
O valor de toda exportaco, calculado pelos-
respectivos precos medios, foi este :
Assucar
Algodo
Agurdente
Alcool
Couros
771:697*430
127:934*420
156:397*550.
16:4l2*OfO
38:858*43*
i

3

'
"T


1
<3


*.
: i


Pernamhnc4>--Sexta-feira 29 de Agosto de 1890
Recife, i de Agosto de 890.
Diante do prodigio que enconlre do medica
ento de V. 5., que lem sido distribuido por en-
I os eoffredores de fcbres e varilas, o qaal io
mmente foi me preciso para applicicio no tra
{ment de um mea sobrinbo que adoeceu da ter
livel epidemia, e que teria succombido caso nao
Scontrasse um aaigo que me fez ver que obte-
i prompta cura do mal que desenvolva se com
esidade, se lizesse aso do alludido medio
ento, nao trcpidei estao de procurar o referido
medicamento, que veio lirar-me da grande afile
alo em que me achara, por Ir, zer immediata
mente sensivel melbora no mal que mitigava a
Eassos gigantescos a ssde de mea eslimado so
rinbo, que depois do aso exclusivo do medica-
mento de V. S. pode ticar de todo carado e sem
serigo no periodo de 8 dias.
Assim, pois, cabe me o de ver de manifertar a
aociadade os meas sentimentos de congratularlo
com ella, por contar em sea seio um espirito
licido e investigador como o de V. S., que
cada da da a e:la mais um raelhoramento com
as industrias do honrado e laborioso trabalho de
Y. S.
Como iulgoe este documento ser til i socie
dade e a V. S., faculto lhe o direito de fazer
i'elle o uso que convier a V. S.
De V. S. venerador atiento e obrigido
Galdino Emiliano de Jess.
(Residencia ra do Pilar n. 8, Pernambuco).
N. 68
Recife, 16 de Agosto de 1890.
Amigo cidadao Manoel Cardoso Jo iio-
Mais urna vtz augmenta-se a prova da efficacia
do poderoso elixir por vos preparad j, ao qual
deDominaesAnti febril.
Accommettido de ama forte febre am filhinho
meu, de idade de 10 annos, no trepidei appli
car lhe, conforme o preceitoado em vosso rece!
tuario, doses uc vosso salutar elixir, o bcaetico
resaltado nao se fez esperar; ao m da terceira
dose, e ao 2 da, j se apresenlavam varilas de
carcter benigno e em mui pequea quantidade
contioaei com a mesma medicarlo, e ao fim de
quitize dias achava se mea lbinbo completa-
sent restabelecido.
E' esta a expressao da verdade.
Concedo vos, cidadao. que facaes d'esla o uso
que vos approuver.
Dispoode do amigo gratissimo
Flix Jooquim Ferreira de Cartalho.
Ra da Penban. 17.
N.69
Bebenbe, 28 de Julho de 1890.
Cidadao Manoel Cantoso Jnior.
E com a maior satisfago que vos transmiti
os meos sinceros agradecimeotos pelo benfico
reful'ado que de voseo preparado. Elixir anti-fe
Dril Lardoso, obiive em urna febre intermitiente,
qr. : rante 18 dias minou me a ande ; quan Jo
j desanimado fui por am dos vossos empreados,
o Sr. Jos Francisco, instado para fazer uso do
Elixir Cardoso, so qual hoje ( chamo maravi
lhe-" Elixir Cardoso. para nao o chamar mila
Hra^, tal foi o effeito, que aps daas doses ex
enmentei, facendo desapparecer a febre e vol-
lando-me as forjas .: o appetite, acbando-me no
fim do 8 dias completamente restabe'ecido.
Portanto, nao cessarei de indicar oElixir an
-febril Lardoso a todo aquelle-tiue como eo,
for victima do taj terr.vel molestia.
Sem mais motivos son como sempre veoera Jor
e obrigado.
Francisco Antonio liaibosa.
N.~70
Sr Manoel Cardoso Juuior.
T'jnrio cabido doentes dous lilliinbos meas
Antonio Francisco Lopes, de idade de 7 annos,
e Joaona Kosalina da Conceicao, de 4 annos,
com urna grande febre, que os facultativos
disseram que era febre tvpbo, e desengaados
por elles, pois nao obedecen aos ?eos recei'u i-
os. Contando a um amigo o estado de meus li
Ibinhos elle me aconse!bou o seu Elixir anii febril
e promptificou se a manda! o ver; ao applicaras
Kimeiras doses fiquei surpri hendido com as rae
oras de meus liibinhos, e no lim de tres das
Borracha
C*pil
Carocos de algodao
Cera de carnauba
Cocos
Courinhos e pelles
Doces
Drogas o medicamentos
Farinha de mandioca
Ferro vtlho
Fio de algodao
Fructas
Genebra
Grana
Milbo
Oleo vegetal
Ouro velho
Ossos
Pao Brazil
Pao Tatajuba
Peanas d'aves
Prata velba
ftueijo do serlao
Rap
Sebo
Trapos
Vassouras
Total approximr,J j
Em Julho de 1889
Menos em 1870
5 100550
32 5COO
48:2764540
7604S0-I
4:9 05- 00
130:3775600
70000
860*000
17:6585000
600400)1
3:040<>O
4804000
1:4114200
8675130
ill250
2204000
3'J: 1084000
1.0003000
2.0004000
1:1244500
I50000
15.980490I
6724000
1:14U000
7004000
1504000
50*000
1.389:141*110
l.r57:7844825
468 643*715
UiroUTAC-t
Como fazem prova a rubrica Dtreitos de im
foitaqao. na renda aduaneira, e os al^ansoios
que se vu ler, a importaco de Julho prximo
bndo foi muito inferior de igual mez do auno
passado.
A elevac&o das laxas adu;neiras pela cobran
Si doa 20 /> em ou o foi a causa determinativa
esse fiicto, po que obrigou os importadores
restringirm .-u :s enecmuiendas, j;V porque, no
intuito de evitar o pag; ment desse novo onus,
amitos forcaram a mao, retirando da alfandega
em moho, mercaduras que. sem aquelle vex-i-
oe, t seriam retiradas em Julho.
lato mesrao se pode cora certa se^uranca a a-
liar pelos seguintes algarismos :

Em gneros alimenticios, bebidas alcoolicaf
e fermentadas, accepipes e condimentos entra-
ran) :
AmeixasG caixas.
Amendoas -1 volume.
Arroz 1:051 saceos, vendendo-sc os i kilo*
de 1*900 24600.
Azeile de oliveira t barril e 440 caixas.
Vendeo-se o galo de 248 0 3500.
Bacalho 7.150 barricas. Vende i ?c a bar-
rica de 124000 174500
Banha de porco 880 barris, veii'deodo-sc o
kilo dr 839 850 res.
Batatas2 27u caixas, vendendo-c de 3;OOo
14*000.
Biscoulos 44 caixas.
Caf3:616 saceos, veudeudo-sc os 13 kilos
de 84O0 a 15*000.
Carne de conserva17 volume?.
Ceblas 1:030 caixas, vendendo se de 84G00
a 124000
Cerveja- 903 caixas. Vcndea-s* a duzia de
garrafas ou botijas de 6*000 II-,1000.
Cevada 20 volumea.
Cb-128 volumes, vcndcndo-sc de 2^500
500 o kilo.
Champagne12 volumes.
Chocolate1 volume.
Cidra-230 volomes.
Cocos-4:000.
Cognac09 calas.
Oominhes-23 saceos. Yenacu-se pov 13 ki-
iM de 12*000 a 13* 00.
Conservas-101 caixas.
Cravo da India-5 saceos. Vendeu-se os 13
kilos de 2* a 2*200.
Ervilbas-5 volumes.
Fannha de mandioca 2.378 saceos >en
4ea-e de 4*300 a 4*700 cada saeco.
Farinha de trigo 21 675 e 1/2 barricas, vea
eodo-se : a de Trieste C Hungra de 14* a 28 5;
e americana d* 7* a 184000.
Feiao -354 saceos, vendendo-se cada nm de
24000 a 16*000,
Fructas1S volumes.
Oeoebra 17 caixas. veodctido-M por duii
4e frascos de 4* a 134000.
Gomma de mandioca50 volnmes, vendend
eforf kilos de 44500 a 5*500.
Grlo de bico-2 volumes.
1/fumcs -158 volumas.
estavam compltamete restabelecidoi, gracas
ao seo maravilboso Elixir.
Deta pode Vmc fazer o uso que Ibe convier.
Sou com toda a estima obrieado.
A rogo de Joao Antonio Lopes
Jos Pedroso de Carvalho.
Ba do Bjm Jesns n 27, 3." andar.
(As Armas eslavam reconbecidas)
Tosse asthniatica
De JaguarSo foi enviado ao descobrdor
do Peitoral de Cambar o seguinte attes-
tado :
Eu abftixo assignado, znajor reforma-
do do exercito, atiesto que soffrendo de
ama tosse asthmatica, de muitos annos,
acho-me hoje restabelecido com o uso do
Peitoral de Cambar, do Sr. J. Alvares
de Souza Suares, de Prlotas.
Fernando Jote da Gam a Lobo.
(Afirm a eat reconhecida )
Postura
O Cmselho da Intendencia Municipal da Re
cife, usand das ; ttribuicOes que lhe conferio o
artigo 3 7" da portara do givernador dVste
Estado, resol ve 3 emsessSo de 14 do correte ap-
provar delinilivamente a seguinte :
Art. 1. a vaccioaco obrigaioda no Muoici
pi do Recife ella deve ser pralicada as crian
cas oo prazo de seis mezes contados do nasci-
mente.
Em tempo de epidemia este prazo Mear limi-
tado a tres mezes. -*"
Todas as pessoas de idade superior, que nao
poderem mostraros signaes de boa vaccina an-
terior oa de varila serao obrigadas vaccina
jao.
Art. 2* Poroccasio do registro dos nasci-
mentos sero tirados de am livro especial de ta-
lo fornecido pela Intendencia so3 escrives de
paz com as indieccOes precisas, dous beletins,
um para ser entregue sos dech rantes e o outro
remeUido logo ao instituto vac.inico,como aviso
para a vaccinaco.
Art. 3. Nos prazos designados no art. 1* as
criancas devem ser apresenladas no instituto
vaccinieo oa remettido attestado medico de sua
vaccioaco oa de terem sull. ido varilas; na falta
de comparecimeoto c da remessa de attestado,
que sera punida com a multa de 10 i. o medico
do instituto vaccinieo ir ao domicilio da enanca
para vaccinal a e cm caso de recusa oa impeci-
Iho por parte dos responsaveis pela crianza, elles
ficarao sujeilos 2* multa--de 10*. que podera
ser convertida em prisao por tres dias e a criaa
(a ser vaccinada por anloridade do instituto.
Art. 4 Todo o individuo vaccioado ter de
apresentar-se ao medico do instituto entre o6'e
o 8 dia depois da vacdnaeo para nao incomr
na malta de 5*.
A ex'-arcSo da vaccina voluntaria.
Art. 5. Nj Io dos alludid.s boletins, o jnediCD
do initituto ou culrj de eontlanea particulir, que
vaccinar, ter de escrever a data e o resultado da
1> vaccinaco e das subequenle?, que forem ne
cessarias, e de confirmidade com < ssas declara
ces en passado o certificado no 2 bolelim
pelo medico do instituto. Aquelle bolelim (cara
em poder da parle e este com o certificado sena
revolvido ao cartorio de escrives da freguezia
d i registro dos nascimentos, prra ser archivado,
lazcndo s antes a precisa indicaco no v> rso do
lalo do livro de que < lie foi lirado, n e-ere ve n-
dose margem do registro do nascimenio da
enanca a n >ta sejointc :
Vaccinada em dala Ce...
Art. 6. O Io boletim da vaccioaco, que fica
em poder da tarte deve ser exhibido sempre que
Lcite eondensado5 volumes.
Licores97 caixas.
Linguas50 volume*.
Maizena 260 caixas.
ManteigaI 581 barra c 387 caixas. Vcn-
deu-se por kilo: da franceza cm barril, de 1*700
a 1*765; e de diversas cm lal.-w, a 1*831 a
2S490.
Maesas alimentares 8 caixas, vendendo se
de 64500 a 7*200.
Massa de tomate 5 caixas.
Milho1.929 saceos. Vcndeu-se o kilo de 70
a 100 ris.
Mostarda 2 volumes.
Nozes l volume.
I*assas-2
104000.
Pimentada India- 10
kilo de 1*100 a 1*200.
I'resuulos33 caixas.
ProvisOes- 26 caixas
Quejos 534 caixas,
volumes Venden, se a caixa a
volumes. vendendo-seo
3 linas c 10 volumes.
Vendern se os llmennos de 300 a 3*00.
Sal-65.260 litros. Vendeu se por 100 litros
do nacional de 600 a 700 ris.
Sji(>icOes1 volume.
Salames1 volume.
Sardinbas 34 caixas, vendende-sc a lata de
1/4 de 310 a 340 ris.
Tapioca frO volumes. Vendeu se por 15
kilos de 4*200 a 55000
Toucinho 280 banis. Vendeu-rc por 15 kilos
de 10*500 a 12*000.
Vinagre-2 pipas e 46 barris Vendeu-sc a
pipa : do de Lisboa de 144 a 160* o do na-
cional de 504 a 804000.
Vinho 78 pipas, 378 barris e 346 caixas.
Vendeu-sc a pipa : do ele Lisboa de 220* a
2404 ; do da Figueira de 2303 a 2504 : c do
nacional de 100.5 a 120*000.
Xaique437 840 k los e2.797 fardos. Vcu-
deu-se por 15 kilos : do do llio da Prata, de
4*000 a 6*200: e do nacional de 3*000 a i*5u0
Wcroiouth 30 caixas.
WiskcY100 caixas.
- Entraran) mais pek Alfandega 03 seguin-
tes rticos:
iua-raz6 volumes
Alcatrao70 volumes.
Alfazema -4 volumes. vendendo se por 15 ki
los d.- (4100 a 74000.
r Hala 3 fardos.
Alpiste 213 volumes, vendendo-sc por 15
kilos de 35800 a 4*500.
Aha'ade 40 barricas.
AZ'iie de pe.Xf19 volurces.
Barricas c barris vasios- 384.
IJariilba130 tambores.
Borracha52 volumes. Vendeu se por 15 ki
los de 15* a 20*100.
Bitu -670 barricas. Venden se cada urna de
9* a 12* 00.
Cabos 65 volumes.
Cal345 ba ricas-
Calcados -42 volumes.
Carocos de ukrodao -27 volumes. Vcndeu-
se por 15 kilos d/2.0a 280 ri.
Canapalo30 vo!u-.nes. Vendeu se por 15
Kilos a 2*000.
Carvo de pedia -3 621 toneladas. Veudcu-
sca tonelada de 16* a 203000.
Ceras diversas -35 volumes. Vecdeu se por
15 kilos da de carnauba Je 4*100 a 7300).
Chapos 38 volumes.
Charetos8 caixOes.
Chumbo -de msica-i 25 barricas ; em lencoba
31 vo:uuicS; em calMMM 28 barricas
Cimeulo 933 barricas, vendando -se cada
urna de 7*000 a 8*000.
Cobre -38 voIuuk-s.
Curdas -3 volume
Courinlios c pellos 421 volumes c 6.000 avul-
sos, vende ido-se o a'iito de 50* a 138*000.
Courosde boi-OiO.
Drogas emedi amentos318 volumes.
Dynainito -lOvohnaes. ^
Enxofre-20 voiumcs.
Eslanho -16 \olumes
Esleirs -13 volumes
Estopa18 volumes.
Fareilo ICO saceos, vendenda-se de 14400
a 2*000.
FerroEm ac: 73 uuhetei.
Em aacon-s : 20.
Em arcos : 641 feixcs.
Em barras : 1 72 J c mais 303 (mes.
Em lonci.tes: 3 Mricas.
Em r-uxudas : 8B barricas.
Em feragens diversas: 523 volume*.
Em fog&es, fogareiros e chapas para elles:
441 volumts e pecas.
for exigido pelo insumi tacciuico, pe inspe
ctoria de hygien" oo por ootros eocarregados de
vacemacao.
Art. 7." No caso le perda d'esse boletim a cer
tido que for passada a vuia do outro boletim
archivado, Gustara para o escrivo.
Art. 8. A apreseinaco do boletim de vacci-
naco ou de aiier-iat medico de tero meuiuo
signaes de boa vaccina tu ne vanlas indis
pensavel para a admisso as escolasequtesqoer
eatabelecimentos dd enslno primario.
Os meninos engenalos, que nao etiverem vac-
cinados, tel o-bao lognos pncueirosdias da en
Irada na roda, antes de eo treges s amas.
Art. 9.' Os iufractores do iiposio n'este ar
tigo soffreao a rauna de 10* e os seus nomes
serao pub icados n> j irnal d lu eodeqcu. c<>:ui>
advertencia para que si-j-t reparada a laJJa, que
se verificar. .
Art. 10. A revacemaco igualmente obnga
toria desde a idade de 10 muos.
Art. 11. Os boleliuti di- vaccinaco com a nota
de revaccioaco d--puis dj lade d signada o
artigo antecedente, os a>ie-*ia.ios m-duos -le re
vaccinaco e de vacemacao rceme, ou de ter o
individuo signaes recouhecidos de varilas, se
rao documentos imprescindiveis nVstemuni'ipio
para a entrada uas e-colas priuiariaa, serunda-
rias e superior, as officinas e abncas, no exer
cito, Da marrana ena oolxia, as reoariices pu
blicus e para o exercito de qoaesqner act<>s da
vida civil, para os quaes se exija cerlko de
idade.
Art. 12 0 medico do instituto e os mdicos,
que tirer m ao seu cargo estabelecime iio, pa
blicos e particulares, os direcu.res e Bscaes d'es-
ses estabeleclmentos sempre que venlicarem
qualqaer falla de observancia do disposto no ;ir-
tigo antecedente devem reparal a com a prompla
vaccinac&o ou revaccioacau.
Art. 13. Os me icos dos hospitaes e casas de
caridade e o da Casa de Delnco, vaccinaro os
soccorridos e detentos; os mdicos da polica
prestaro este servico em relaco aos mendigos
e outras pessoas abandona as, que orem eocou
iradas sem estarem vaccinalas cu terem signaes
de varila.
Art. 14. Em tempo de e. idemia, como o pre
sent, a vacoinaco e revaccinajo dever ser
pralicada tambera nos domicilios obrigatoria
mente, em todos que nao tiverem signaes de vac
cinagao rcenle, oo de varila.
Esse servico ser desde j e uo prazo mximo
de 8 dias, orgaoisado e ioiciada pelos mdicos
encarregados d'el.e pela Intendencia qual re-
mettero urna relacio semanal das vaccinacftea,'
que lizerem.
Os mdicos encarregados do servico poderau
8ujeitar prisSo por tres das os individuos que
recusarera injustiticadaaiente a vaccina.
Art. 13 Ser creado um instillo vaccinieo
municipal, para manter em estaao de revivifica
cao continuada a vaccina tul ara, de modo
que em aias determnanos ella possa ser pa.-sada
do animal s pessoas, foroecendo-se a restanta
gatuitamente aos mdicos que qoizercm vacci-
nar e aos individuos certos, que reclainarem essa
vaccina.
Paco da Intendencia Municipal do Recife, em
14 de Agosto de 1890.
Antonio de Souza Pinto, presidente.Fran-
cisco do Reg Barres de Lacerda.Fran iscn
Faustino de Brillo.Joao Walfredo de Medeiror
Mancel da Trindade Piretti. Joao Javencio Fer
reir de Aguiar.
O secretario,
Joaqun Jote Ferreira di Rocha.
K<- Uiinirlpal
Art. Io Fica creada o Iostimto Vaccinieo Mu
nicipal de accordo com o ait 15 da postura, que
estabeleceu a vaccinaca) obrigaioiia ; elle ter
como principal encargo :
1* A reprodeceo continuada de vaccina de
eoltura, regenerando a sobre vitellas escolhidas
ou outros animaes reconliecidos aptos e reno
vandoa sempre que for po-sivel pela culiura do
cow pox ou horse pox primiiivos.
2 A creaco de vacciniferos humanos escolhi
dos, destinados s vacetnaces pariicu'ares w a
casos especiaos as vaccinajoes publicas.
426 vo-
Venieu-se a lula de
Ven leu se o gigo da
Em Tollias : 800 e mais 46 feixes.
Em ollias de Flandrcs : 281 cunhetes.
Era pas: 90 leixes.
Em pregos : 28 volumes.
Em laxas: 7.
Em trilhos : 1 296.
Em machinas e apparellios diversos :
luracs e pecas.
Fio de algodao e lir.ho 157 volumes.
Fumo201 volumes. Vendeu-sc por 15 kilos de
13* a 264000.
Garrafas, frascos, botijas e garrafcs 32
volumes e mais 630 a\uUos.
Graixa397 c 1/2 pipas, 815 barris, 2 caixaa e
2.937 kilos. Vendcu-sc por 13 kilos a 3*500.
Jangadas e candis4.
Joias5 volumes.
Kerosene-473 caixas.
3*400 a 3*450.
Lichas-124 caixOcs.
Lona 6 fardo*.
Louca192 volumes.
ingleza ordinaria de 804 a 120*003.
a Madeiras1 052 pranct.oes, 6 travs, 22 ta
boas, 111 eochamis, 48 pedacos diversos e fc3
arrobas de laUjuba.
Marmores c podras 141 volume?, 848 lagese
300 pedras de amollar.
Mercadorias diversas-1 436 volumes.
Movis 59 volumes.
Ocre-54 volumes.
leos diversos -286 volumes.
Papel -118 caixas e 935 fardos Vendeu-se a
resma do de embrulbo de 570 a 1*300.
Perfumaras87 volumes
Posphoros316 caixes. Vendeu'-se a gro3a
de caixinhas de 2*00;) a 23550.
Pianos10 volumes.
Piassava-100 volumes.
Pipas vasias1-19/.
Plvora 35 volumes. vendendo-sc a barrica
de 19* a 20*000.
Potassa70 barris.
Sabo150 volumes.
Sebo 103 barris. Veudcuse os 13 kilos de
4* a ,o.".
Sementcs425 volumes.
Sola1 volume.
Tamancos17 fardos.
Tecidos diversos1 ISO volumes c mais i.310
fardos dos da algodao do pas.
Tijolos 20 caixas para laceas.
Tintas103 volumes.
Tvpos 2 volume?.
Tullas 742 volumes Vendeu se
das cslrangeiras, de 500 a 8C0 icis ;
cionacs, a 252 ris ,
Vid 05-74 volume?.
Vimcs -22 volumes em obras.
Zinco1 volume.
Revista do Mercado
RsCIFH, 23 UK AGOSTO DB 18S0.
Hjuvc moviraonto no mercado coiiitando vendas de al^uns leles de tlgodo.
o pacote
c das na
Bolsa
;orA';i>B8 officiae.3 oa junta dos cor.-
RETOBES
Recife. 28 Xo nouve cotaco.
O Drcaldentc,
Antonio Leona -do Rodrigues.
O Lecretari o
Eduardo Dubenx.

Cambio
PBAfA DO KECirE
Os bancos aoriram a 21 7 8, mostrando di;-
posios a cascara 22.
Mais tarde lirmou-fceo merca Jo, luvindo ne
goeio em papel bancario repassado a 22 :i I
l'BAA DO BIO DK JAKEIBO
Abri o mercado o 22 bancario, elTerccendo
algons saccarcm a 22 1 8
Pap^l paiticnlar fe i cscasso a 22 3/16.
4lodo
Foi colado o de i* orle do serto^a 8200 por
13 kilos, fe' lisndo o mercado mais frcu'.o cun
off.Th de 8*100.
Aexriortacio fcila pela alfandega rute mezal-5
o dia 26 conetou de 336.847 kilos, eendo 13 265
oara o exterior tf 3.552 para o interior.
Art. 2" lucumoe laino-ui ao Instituto :
| 1' fazer sesees publicas de vaccinafo em
dus certos de cada -emana n urna das salas do
pavimento terreo da caxa da 1 aea leucia.
Sempre que 16. pos-ivel a va cia srr lirada
lirectauente do amml para as pessoas.
2* Vaccinar iiu domicilio as enancas cajos
iids.-.mentos, leudo sido registrados, nao forem
aures-(i a as no praso le^jl, para serem varc
nadbs no Iusiiiu'o, ii^oj remein m attestado toe
dito ie boa vaccina d'e lasou de baverem soffri
do varilas ou de oblio.
J 3o Praticir as vaccinaces e revaccioacoes
conectivas as escolas, collegios, fabricas, cor
15 la e nos estabeleciraenios publicus e particu-
lares, que nao uverem mdicos, mas, quanuo os
leu 1 m limitar se ha a verificar o resultado das
vddiu.coes, que elles lizerem
Ao Iu'iuuto dever ser remeiud po lo los 0.-
iiiedics um lisia ou nota mensal das vaccina-
i;0-k que p'aiicarera.
4o Proceder vaccinacSo e revacc naci de
UmIu. os individuos que nao poderem, em tempo
iie epidemia, provar d vaccina recente oa sig
uae. d'- varilas.
5 FdZ r a escnpturaco e a estatistica do
ser ico das vaccinacbes ou rev ccioiicoes, com a
dt ca aco de qa*ui as tiver praucado.
A estilstica ser publicada seguida das apre
ci-coes que sua materia comporte.
% 6 Certificar u resoltado das vaccinaces a
que proceder oa d'aquellas de que tiver receido
Uestado me Jico.
A 1 certmao ser graiuia e a 2 que for pe
dida pela parte custai 1*000.
An. 3o O pessoal do Instia o se compe ^d
um medico director e de ouiro seu subalitato e
auxilur e de dous empregados subalternos lira
tos dos guardas mumcioaes.
O me ico director poder oropor al o ame
io de ires medidos, para adjuntos do substi-
tuto.
Art. 4 Ao medico director incumbe a direc
cao e deferapeuho do servico especial do In-
-inuio, cultivan 10 a vaccina. vacunando, certiti
cando o rebultado, organisanio e fazendo publi-
car as eslalisticas e impondo multas estatuidas
na postura de vacclnago obrigatoria.
Art. 5 O medico suostitaio lera de substituir
0 medico director em suas fallas e de auxilial o
no serviQ 1,
Art. 6o Os mdicos adjuotos farSo o servico
medico, que Ihes fr designado, quando cha
rnades pelo director.
Art. 7 Os cropr^gad>s aubalti'cos de que
irta o art. 3o, um servir de ajuda >te, encarre
gando se do material do Instituto e o outro far
todo o servico de escnpiuracao, Gcaodo a sua
guarda o archivo.
Art. 8 O mlico director ser nomeado pela
1 iiendeiici.i e ter o ordenado de 1:800*000 an-
nuaes, o substituto auxiliar ser o medico mu-
nicipal de clnica oa Casa de Delenco e ter a
gratilicacao de 600*000 e os dous empregados
com as obrigacOes declaradas no artigo ant ce-
dente coauuuaro a perceber os seus vencimen-
los de guardas mumeipaes, m<.s, licando isento-
d'esse servico c s ordeos do medico director do
Inst'tuio e de seu sabstltoto.
Os mdicos adjuntos p-tos servicos auxiliares
qje prestarein, ter&o direito de prefereuci 1 a
ureeiicher qualquer das vagas de director e
-ubsiiluto.
Art. 9." Ao perneo das sessOss de vaccioaco
serio admittidos os mdicos, que de accordo
com o medico director quizeretu aproveilar a
vaccina animal para va^ciuur teus clientes ou
crear vacciuifero*
Art. 10. O instituto lera a sua sede cm urna
das >a'as do pavimento terreo da casa da inten-
dencia.
Art. 11. Ser publica la urna tabella dos dias
das sessOes regulares Se vaccinaco no instillo,
aonunciando sa pelo- jornaes as scssOes extraer
dn a -as fiu do iuMiiu'o.
A>t. 12 O foroeciinento por venda 00 alual
dos ammaes vaxioiferos poder ser contraclado
por espago de tres oa de seis mezes.
Art. 13. O es.abulo dos aaiuiaes vacciniferos
cocu espaco apropriado a urna sala para servgo
Ja vac iuaciio delles, poder ser :oiis,ruido pas
proximidades do estabulo existente no Iiospial
\^ eniraoas veriric-idas at a data de hoje so
iem a 5.8i7 sacos, sendo por
arcacas 357 8accas
ipores 2 (M3
oiraaes 1 072
m-ferrea de Garuara. 152
ia-ferrea de S. F:ancisro 86
a-terrea do Limoeiro 2087 .
.10 mina 5817 3 cr.is
Atsucar
-o pretos pagos ao agricultor, por 15 tilos, e
ndoa Asocico Commercial Agricoia, fora u
seguintes:
i-anco 3*200 a 3/8 8
iomeno?. 2*700 a 2*8oo
4iscavado purgado 1*601 a 1*700
j-utos 1*2-30 1 1*4%
ttam ... *9J0 a l*lJu
A exportaco feita pela alfandega neslc mez al
0 dia 26, constoo de 2 218.331 kilos, sendo 36.617
:iarao exterior e 2.141.714 para o iolenor.
as entradas verificadas al a data le neje so
iem a 7.835 sacro i, sendo por :
tarcacas.
''apores
1 nmaes ...'..
'ia-Terrea de Caruar.
/ia-frrea de S. Francisco,
'ia-ferrea de Limoeiro
4 778 Saceos
...
23i
VJ6
2340 .
75
Sjmma.
7.835 Sarros
Couros
uouros salgados 365 ris, e os verdes a 24>
eis
Agurdente
Cota-se a 100*000, oor pipa de 480 litros.
AlcOOl
Cota-se a 208i0O0por pipa de 480 litros.
Uel *
Cota-ae a 55 J000 por pipa de 480 litros.
Pauta da Alfandesn
3i.: bb 25 a 30 ob ait sto de ISOO
vide o Diario de 24 de Agostp
"Vivios a descarga
Carca nacional Mara Angelina, xarque.
Barca noroegense Letiathan, car>o.
baca iugleza Selma, carvfto
liarca norueguense Gid, carvSo.
Uarca .ngleta Gloamin, carvo.
Barca americana Crdenas, sal.
Barca norueguense t.oronac carvo.
Bngue allemo Edtlh Mari, carvo.
Brigue inglez Endytnion, carvilo.
L^ar inglez Flora, bacalbo.
Lugar nacinnal Layo, xarque.
Lugar tueco Cari, xirque.
Patacho norueguense Rabbi. xarque
"alacho sueco Siri, xarque.
Patacho bollandez Afiene. xarque.
Patacho noruezuense Henrik Werjeland, xarque.
Paiacbodinamarquez Rohl, varios gneros.
Patacho nacional Rival, xarrjne.
Exportado
asura. 27 Da agosto db 1890
rara o exterior
No vapor allemo Valara;zo, para Hom-
bureo, carreeon :
ItossbacS Brothers. 3,083 couros s c s ala
dos com 36,996 kilos.
o vapor americano Finalice pora New
Voik, carrecou
V. Necsen, 2,100 coaro3 seceos espichados
com 13,040 kilos.
aro o interior
Nj vapor au-triaco Oriam, pira Itio de h
neiro. carresaram :
M. A. Senna & C, 200 saceos com 12 000 kilos
de assuca: mascavado.
-No vapor nacional Maranhdo, para o Pari,
curregou :
A. Monbard, 40 barric. s com 2 625 kilos de
assucar branco.
Para Mar oh ao, carregoo :
J. M. Dias, 2 caixas com 10 yS kilos de rap.
S) vapor ingles Cometa, para Porto Ale-
e: o. carreraram:
F. M. de Moar?, 10 pipas com 4.6;0 litros re
auarden'e.
Pedro II, pagando se 2<>*u00 mensaes. pelo sus-
tento e traiamento dos animaes.
Art: 14 O mat'-r:al do mstiiuto consta da lista
annexa
Art. 15. Sero instituidos pelos intendentes e
por ootros tantos cuunicipes, que qmzerem je-
zoito premios cada um de 50* iH), como recom-
iiensa a qni-m apreseutar ca ia animal com pus
lulas reconocidas e aprnveilaveis de cuw pox
ou horse pox primitivos.
8e o aprescnianie recn ar o premio o seu no-
me sen Inscripto entre os dos piemiadores.
\rt. 16. A 1 tendea-ia dar as instruccoes,
que forem precisas pa a execnc&o desia pos-
tara.
Sa a do conseibo i*a Imend^nc a Mun.c, a1 do
Recife, 21 de A -lo de 1890 -Autouio de, Sou
i% Pinto pre-ikiit; Fiaii-co Fau-tiao de
Br no. Joo Waliredo efe M-ieiros, Mauoel da
finda ie Pereiu. J-o J..v.-n 10 Ferreira de
Agnia
O secreiario,
Jo.iiUim J F'-rre a da Rocha.
O cidadSo Dr. Joaqaioa '-'ordeiro t.'oolho
Cintra, juiz de direito da comarca da
V;ccori Estada de P- rnambuco, etc.
Faz saber aos que o presente edital de
venda a arrema a<,o* s virem, que no dia
19 de Setcmbro as 10 horas da manhS,
na porta da sila dus audieucia deste miz ,
tera de ser arrematado a quum maior lan
ce offerecer o eugenho Sao Manoel, sito
nesta comarca, no lugar Lagoa Oo nprida,
com casa de purg pedra e cal, machinas, e caldeiraa, moen-
das, taXas e mais uteneilios, terrenos que
Ibe perene-m e possam pertencer por
10:OOUd, cuj < engenho vai a praca a re-
querimento de Audrade Lopes & C. e
Justo Teixeira & ., oa execuyao que
movem a Manoel Joaquira 8im3es.
E para que chegue a noticia ao conbe-
cimento de todos, mandei este passar que
ser arrisado no lugar do costume e pu-
blica lo pela imprensa.
Victor.a, 26 de Agosto de 1890.
Eu, Bellarmino dos Santos Balco Fi-
Iho, escrivSo interi o o escrivi.
Esta va umi estampilla de 200 ris col-
lada e inutilisada.Joaqaim Cordeiro Oo-
Iho Cintra.
(Conforme)O escrivSo interino, Bd
larmino dot Santos Bulcao Filho.
O Dr. Antonio Domingia Pinto, juiz dos
feitos da fa:cnda r!este Estado, etc.
Faz saber aos q'ie o presente edital
v.irem, e deste noticia tiverom, que em
v1 rtude do art. 1. do decreto c. 3322 de
l4 de Julho de 1887, tica marcado o
prazo de -0 d-.ts, a cuntir de hoje, pan
o concurso do afisifi de escrivjo da Fa-
zenda deste Estado, creado por forca de
decreto do Exmo. 3r. goveraador de data
de 20 do corrente.
ts pretendentes serventa vitalicia ao
roesrno offioiu devem apreseutar se devi-
Jamente hab itados dentro do referid >
prazo, e ni forma do decreto do 28 de
Abnl de 1885; e p*ra qu9 chegie ao
con' ecimeiu> de tolos mandoa pissar o
presente que ser affixido no lugnr do
uostume e pub!cal o pela raprcni*.
Cidiide do BeO>tVi 6 de Agosto de
190.Eu Joao Vicente de Torres Bn-
deira, cscrivao, o escrevi.
Antonio Donvngos Pinto
O Dr. Joaqaim Correia d'Oveira Andra-
de, juiz de orphSus da comarca do Be-
cife do Estado de Pernamonco, em vir-
tude oa lei, etc.
Fapo saber aos q e o presente edital virem on
d'elle noticia tiverem, que d>-pois dos preces do
esiylo e tres das ae praca, ir a praca no da 16
de Setembro, depois da audiencia d'esle juizo, na
respectiva sala, os beos que se segoem. pouho-
rados na execufo que movem a viova e herdei-
ros d- Antonio Casimiro de Gouvea contra Ha-
thias Lipes da Costa Maia,. saoer:
Urna as terrea n. 46 'ua do Visconde de
AiDujueique, cora ou-<- jmieiias e urna poita de
trente, mu parapeito e agu encanada, corredor
independeme, dua> sala-* stij quinos, cosinha
exierua, grande lelh"iro co fes quartos quin-
tal gran le murado e arDori-ado, caiiinba e dois
grand tanq-i av.il ad.i >or t.OOOOOO Uma
casa terrea n 54 a ua Ot G-rv isio P.res, oceu-
pada por ama venda, c-.ni U< po'tas de frente,
tres quartos^ cosinha txie.ua, quintal murado,
h'I.i encaad i, rOto ex ero), avaliaoa por
6:000*u0o. Uma ca-a le rea n 12 no becco do
Qu'.iDo, freciu-zia da Boa Vi-la, com duas portas
ie frente, duas salas, dois quarto-, cosinha ex-
terna, qomt I murado com cacimba meieira, ava-
uda por 1:300*000.
E assim sero unos bens arrematados por quem
maior lance offerecer, servindo de oa^e os pregos
das avaliacocii.
Dado e passado n'esie cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 27 de Agosto de 1891.
Su, Manuel do Nascimeoo Ponies, escrivo. o
snbscrevi.
Recife. 27 de Agosto de 1890.
O e crvo Mano t do Natc ment Pontes.
DECLhACOES
TIIG1THU
SANTO ,IN 1110
BENEFICTO DO ACTOR
AUGUSTO PERES
DOMINGO, 31 DE AGOSTO]
Primeiraeuit raa representico do drama fran-
rez em 3 actos e 1 quadro de costuraes mi itare?,
inii:ulaoo
OS U01S SRCEME!!
UEN'OMINACO D )S ACTOS
1. actoA seoteoea dos dois sagenlos* J|
2." ditoA desped 1u.
3 ditoO ey-i'-tinu.
4. dito0 fusilamento.
Aviso
O beoeficiado espera merecer do respeitavcl
| publico d'esle Estado a costomada proteceo, qi e
sempre lhe dispensa. Agradece igualmente a 0
amadores e collpga a l.oi voulade com que fe
prestaram a trabalbar.
As 81f hvreu.
Thesouraria* de Fa-
zenda
Dj ordem do cilado Dr. inspector, fago pu-
nheo que o Thesouro Nacioa I. pela ordem ds
di-e ; i o r i a de contabilidade de 13 d corrate,
sob n. 1983 babilitoa esu Thesouraria a pagar
aos sesiuiiites crelores de dividas de exercicios
lindos :
l)r Tiourtin Barno3a Nogneira.
D. M na Infante Feroandes de Moraes.
Thesouraria de Faznula do Estado de Per-
nambuco, 27 de Agosto de 1890.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Joi deSant'Anna
A un-ni Inuaos c <..., 1,03) barricas com
88,677 kilos de assucar branco e 610 vo!u:nes
cora 48,310 di'os de dito mascavado.
P. Carm-irc 4 C 20 barricas- com 25,010
kilos de assucar branco e 53 ditas com 5,410
los de dito na.-c i va Jo.
Para Rio Ga i le do Sal, carresaram :
P. Carneiro & C, 1,300 barricas com 12*310
kilos de assucar branco c S09 ditas co a 19.902
ditos d-' dito ma;cavalo.
F. M. de M jura, 10 pioa; com 4,GjO litros de
cguardenle.
Pa-a Rio de Janeiro, cjrr.'gou :
F. M de Uoara, 93 barris con 8.8)3 litros de
niel-
Para Pelotis, curregou :
F. M. de Moui'j, 25 pipas com 11.623 litros de
agurdente.
No hiate D. Julia, para Mossor, carrega-
rara :
E. C. Beilro & IrruSo, 16 bar icas com 742
kilos de assucar relina io e 10 ditas com 881
ditos de dito branco.
J. i. da Silva Campos, 5 barricas com 303 kilos
de assucar reQnado e 5 duas com 380 diios de
diip branco, lo ditas com O ditos de dito mas-
cavado.
No biate Gerlqaitf. para o Natal, carrega
rara :
Xtvier de Simas 4 Irmo, 12 taboas de ama
rjllo e 12 ditas de louro.
inj barca ga Feliz Sociedad/, para Maman-
guape, carregou :
A. da Silva Carvalho, 10 saceos com 230 ki.os
de fio de algo l >.
Headitucatos piiblicos
iat DI AG)StO
Alfandega
Renda aera! :
Do Oa 1 a 27 37:59U93C
dem de s8 40:36io8i
Renda do Estado de Pernambuco
Do dia 1 a 27 97 237*482
dem do 28 5.732295
612 6561880
Ulaheiro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Muanho, para:
Piranyba 10.00000':-
Nalal 62 67l00f
Para 7.80)4000
laoTliuenlo do porto
Oosermcco
NSo hauva entradis noin sabidas.
H.Tado Huaiclpal de S.
O movimenio deste mercado no dia 27 d
lo foi o seguinte :
Entruram :
44 bois pesando 5,840 kilos.
554 kilos de peixe a 20 ris
II i,'i cargas com farinha a 200 rs.
24 ditas de fructas diversas a 300 rs.
32 1/2 columnas a 600 rs.
87 taboleiros a 200 rs.
7 suinos a 200 rs.
i escriptorio a 300 rs.
63 compartimentos com farinha a 500
28 ditos de comidas a 500 rs.
93 ditos de legomes e fazenaas a
400 rs.
13 ditos de suinos a 700 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
15 ditos de camaroes a 200 rs.
44 tainos a 2
Jos
eAgos-
HObO
2*300
720
19*500
I7|i03
IJ400
300
21500
14*000
37*200
91100
3/400
3*000
884000
Rendimenlo de 1 a 26 docorrente
2484380
0.4041640
6.6331020
102.98947771
Somma total 715:6461337 {
Seanda sef^o da Alfandega de Pernambuco, i
28 de Agosto de 1890
inesoare.troFlorencio Domiogues.
f chpfe da m-rcoD. J. da Forjseca.
Pregos do dia:
Carne verde de 200 a 480 i is o kilo.
Suinos de 560 a 640 ris idem.
Carneiro de 640 a 800 idem.
Farinha de 300 a 600 ris a cuia,
Milho ie 36) a 440 ris idem.
Feiio le 601 a 700 idem.
Vapores a entrar
MEZ DE AGOSTO
Europa....... Trenl.............
Liverpool..... Edictor...........
Norte........ Brazil............
Europa....... Campias..........
29
30
30
31
do Banco
. 20.000:0 M $000
Capitel realizado M:09j0l
Desconla letras de cambio c da IcrTa, conlas asigoadas o cultos ttulos
de divida.
Ilocebc dinheiro a joros cm coat corrente ou p>r letras a pciza fixo.
Acuanta dinheiro sobre canco de ltalos c morcadoilas, apolices geracs
e provineiacs, letras livpoiliecarias, accOes do. bancos e comjianliias c ?.!'-re credt"
los em conla corrente com garanta dos mcsoios cIL-ilos.
Saca por todos os vapores sobre os seus foanquclros
e correspondentes
Londres.........The City Bank LHnitei.
ParJs c as mais importantes prajas dej
Franja .......
Bruieilas
Madrid........
Herlim........
HasilMirgo.......
Franekfert %!H.....
Sfnttgard...... Stabl & Fedarer
Dresdeu Dresdner Bank.
Munich.........Bayrische Verinsbank.
Lisboa..........)
Porto c diversas bealidades de l'ortu > Banco de Portugal.
gal, Ibas dos Acores e Madeira. j
Faz todas as demafs operatpes bancarias
38Rua do Commercio 38
Crdidit Lyonnais.
F. W. Kraase & C. .
Joh Berenber, Gossler & C.
DeutscUe Effectcn & Wecbsel B. uk.
>
:
-
4^







\

--

1

Diario de PernamhucoSexta- -feira 29 de Agosto de 1890
1111II
.. mmt
A REALSAR-SE NO
Da31 de Agosto de 1890
DO
CAMPO GRANDE
'ara a
PK0JECT0 m N8CRBP(!A0
1.a corrida a realisar-se no dia 7
Setemhrn de 1H0
de
>OI
9
B
4
Pellos

Kainra- e
lld. z
t\
Cor da vesfi-
metita
Propriefnrlo
i. PareoCoDuoiarau1000 metrosAnimaes de Pernanhuco que nao teohara ginho
no Dertiy eni 1KW. Premios : 200* ao 1, 40* ao 2 e 205 ao 3o.
Lucifer......
D-Dique. .
Cyclone
G-rf.ui .....
Good -mor-
ning.......
Florete.....
Breas.....
coy.......

Rodado .....IPern......
Castanho....!
K...U1I0....... .
Zaino........!
Rodado......!
Gastanho ..-i
Alazao......
Baio........ *
55
53
35
55
53
55
55
53
Azul e branco.......
V-r le f nuro......
Encarnado c amarcllo.
Verde e rosa........
Grenat c rosa........
Encarnado e branco.
Preto ene. e ouro-----
Encarnado c verde...
Antonio Uchda.
Manoel O Lima.
Alfredo S. BarDosa.
Goud. Aurora.
Coadclaria Mondego.
Krancisco Freir,
. Anna R de A.
L. F. L. Albuqucrqoe.
2. PareoPrado da Ewam-ia-i.300 metrosAnimaes nacionaes at meio sanen?, que
nao lenham anho no D:rby Gestes ltimos dom mez?s. Premios : 230*030 ao 1"
lOJJUM) ao 2o, 23S0O0 ao 3.
, lIGranada.....1
2 Torpedo.....
3lAila.......
I P. rapa......
Castanho
t'ordilho...
S. Paulo.
35
V;
Azul, branco c encar..
m a
Azul br. e fich.cnc
Com. Fraternidade.
Goud. Cruseiro.
Goudclaria Venturosa.
3." Pareo Aalmara 1000 metrosAnimaes de Pernambuco qje nao teniam ganho
em distancia superior 900 metros nos prados do Recite. Premios 200000 ao i,
405000 i o 2 e i0*000 ao 3.
Hercules.....
D.o.........
Despota.....
Pbariseu-----
Plutao.......
Talispher
Rod.iio......Pern.
Rosilho.....
Rodado.....
Gastanho. .
Modado.....
55
55
B3
55
55
Verde e mcarr.aJo ,
Verde e rosa.......
Branco e boncl verm.
Preto ene. e ouro...
Pre;o, br. c encimado
Ouro e verde........
Jjs Caetano Pinto,
loudelaria Auron.
II J. Permann.
liento B da F. Filho
Coud. Nerundio.
Jos N. da Silva.
.4. Pareo -Ealado de Pernambuco
AO I.
Pindaro.....
Moeraa......i
Corga 2o.....'.
Aruroary.....!
Faceira......
Alazao...
Zamo...
Rodadi
Alazao...
Rodado.
, 403000 ao 2."
Pera ..... 55
53
53
n
1003 metroAnimes pungas. Premios : 500,i
e 20*000 ao 3\
A., branc. e facli. ene.
"reto e escarate.
Grenat.............
Violeta e ouro.......
Azul e encamado.....
Coud. Venturosa.
I. F. de Albuqucrque.
Joao B. dos Santo i.
F. Siqueira & Bastos.
Goud. S. Jorge.
3. parcoProspcrldade -1.000 metros Animaos de Pernambuco que nao teoham ganbo
no Dvibv em distancia superior a 800 metros. Premios: 200*000 ao i, 40* ao 2o
c 20*000 ao 3."
Collector
Gtrfaut -. .
U 'Spota.....
Hercules:..-
Talispher. ..
Russo...
Zaino...
Rodado
Toru..... 53
55
53
55
55
Preto e encarnado....:M. J. G. de Miranda.
Verde c rosa........Coudekiria Aurora.
Branco e bonet verm. H. J. Permann.
Verde e encarando.. Jos G. Pinto.
Ouro e verde........Jos X. da Silva.
t'< Pareolnlerna-iunal -14-0 metrosAnimaes de qualqucr paiz.
8000U ao 20 e 4OC00 ao 3."
Pr?mios : 4005000
t. PAREO ANIMADO 1.000, metros. Animaes de Pernambuco que ain
da nao ganha-am premios no Hippodromo do Campo Gran'e. PBE
-inos: 201WXX) ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao
terceiro
9." PARRO VELO JIDADE 1.000 metros. Cavallos de Pernambuco que
nSo tenbam ganho em distancia superior a #0J metros nos prados do
Recife- podendo entrar eguus deste Estado. PREMIOS: 200)5000 ao
primeiro, 405000 ao segundo c 205000 ao terceiro.
S. PAREO 7 DE SETEMBRO1.100 metros. Animaes pungas, podendo
entrar animaes de Pernambuco premios : 2005000 ao primeiro,
405000 ao segundo e 205000 ao terceiro.>
1. I IRISO DERBY CLUB1.200 metros. Animaes nacionaes at meio san
gue. premios : 2501000 ao primeiro, 1005000 ao segundo e 255000
ao terceiro.
&." PAREO -HIPPODROMO DO CAM O GRANDE1.200 metros. Animaes
de qualquer paus. premi s : 400500J no primeiro, 1005000 ao se-
gundo e 405OOO ao terceiro. *ff
PAREO PRALO PERNAMBUCANO 1.100 metro. Animaes de Per
nambuco que nao tenbam ganho n'esta diefpkncia e-r Agosto de
1890, no Hippodromo do Campo Grande, premios : 2U0L00 ao
primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao terceiro.
Io PARE VICTORIA1.000 metros. Animaes de Pernambuco que nao
tenhain ganho cm distancia superior a 800 metros no Hippodromo
do Campo Grande, premios : 2005000 ao primeiro, 405000 ao se-
gundo e 205OOO ao terceiro.
8." PAREO ESPERANCA 1 000 metros. Animaes de Pernambuco que nao
tenbam ganho premios em 1*49 ) no Hippodromo do Campo Grande.
premios : 2005000 ao primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao
terceiro.
Observares
Qualquer pareo s se rcalisar inscrevendo se pelo menos quatro animaes de
tres proprietarios differentcs.
A inscripcao eucerrar-se-ha terca feira, 2 de Setembro, as 6 horas da tarde,
no eacnptorio ao Hippodromo do Campo Grande, ra do Imperador n. 55, 1.
andar.
Recife, 28 de Agosto de 1890.
O SECRETARIO,
Augusto de Maraes Mesquita Pimenlel.
ra Larga do Rosario 30, e finxlmente na
parte iuferior a palawaPernambuco.
Recife, 10 de Juiho da 190. -Joaquim
Bernardo dos Res. S. 0. Com o sello de
200 ris.
Certifico que foi apresentada na secre-
taria da junta com 1 eroial do Recif as 2
horas da tarde do dia 10 de Juiho de
1890.
Escrevi e assigno.Em f de verdad*.
O secretario Julio AugustJ da Cunha
Guimarfles
Certifico qne foi registrada sob o n. 266
em virtude do despacho da Meretiss ma
Junta Cominero I, em sessao de hoje.
Pagou ltiOO de um* parecer fiscal.
Escrevi e as signo n finta secretaria d .Ion
ta ('ommercial do Recife, aos 51 de Juiho
de 189 Em f de verdade. O secreta-
rio Julio Augusto da Cunha Guimares.
Est sallada com o sello da Junta Com-
mercial do Recife, e tem 65 pilhas.
i ljm
arWsa
MARiTiAS
Arsenal de Guerra 'a(* es(luercwi quartos, no interior, co-
n zinha lora, quintal murado e cacimba,
O conselho de compras deste Arsenal recebe .. r propostas co dia 30 do correnle, s 11 horas vahado em 2:0005, para pagamento do
da manha, para o forneciinento dos rticos se- que deve a mesma fazenda Miguel
cenlimetros de
Apollo.......
Doodon ....
EUpid.......
ladiitor....
Vesncr ..
Alazao..
Zaina..
Zaino
Alazao..
R. da Prata
Inglaterra-
56 Violeta e ouro.......
49 Escarate c ouro ...
56 Eocarrir do e reme.
54 Preto e encarnado .
54 .Ouro e branco......
Dr. J. de S C. de A.
Coud. Allianca.
A. Marques.
Coudclaria Temeraria
Coud. Emulaco.
PareoEmular
1.000 metrosAnimaes de Pernambuco e ruisas que, como taes
rao tenliam iWio premios nos pradoi do riecife. Premios : 200^000 ao Io, 404000
ao 2' e 20- OD ao 3.
Delegado ...
Corga i."....
Miui-iiy.....
Piramon ....
Djerid.......
iCastanuo.
Itodado ..
iPcrn
Castanho

< Alazao.......
55
55
57
o7
5B
Grenat..............
Preto e escarate.......
Ouro e preto........
Amarcllo e branco....
Azul c encarnado
Joaquim M. Maris.
Joao B. Santos.
F. H. do Valle.
Coud. Bella Vista.
Jos E. Barros Cosa.
8.' Pareo -K*perlen<-iA -I 000 metrosAnimaes de Pernambuco, que nao lenbam ga-
nbo oreuiio nos prados do Recife e eguas de Pernambuco. Premios : 2004000
ao K 40*000 uo 2* e Oi ao 3.
Ally Slopper.1
Monarchista.
Rio da Prata
Mirante...
Ida......
6 Nacional
Rodado......iPern.
Russo pedrez
Kooado. ..
Castanho......
Rodad-i.....
Rodado......!
55
55
55
55
53
55
Rosa c preto.......
Encrnalo, pr. e curo
Verde e branco.......
Encarnado c ouro ..
Azul e encarnado-----
Rosa e Lranco.....
H. I. Permann.
Coud. Arrala;.
E. Figueircdo.
Coud. Mouriscaoa.
i'.ou .elaria S. Jorge.
Fredenco R. Sjares.
puiotes
Algjdozinbo com 82
largura
Amiagem, me ros
loles grandes, de metal amarello
Duos requerios, idem dem
Ditos pretos, grandes, de osso, para
blusas
Ditos ditos, pequeos, de osso. idem
Ditos pequeos, brancos, de osso
B; un banco trancado, mt-lros
Brim escuro, trancado, metros
Bonets para inferiores do estado-menor
Baelilha branca, metros
Clcheles pretos. pares
Cord2o de la encarnada, metros
Espheras para divisas
Borlas de la e-carlate para gorros
Hollanda para forro metros
Lencos de cnita
Panno escarate francez, metros
Sargelim de cor, metros
Panno para capotes de inferiores,
tros
Ganga encarnada, metros
Pralos fondos e rasos, de louca
Chicar. e pires du louca, casaos
Bandejas de folba para farinha
Urnas de folba para caf, com torneiras
Bule de louca
Moringos ou buhas de barro.
Machadioha encabada
Facas grandes para cosinba
Terrinas de ferro agatlia
Oleados espessos de 5,~ cada um
Observares
Os animaes inscriptos para o 1" pareo devem achar-se no cnsilhamento e
9 1|2 horas da manhS
Os futf-U s sfrSo recibidos at sabbado 30 do corrate, a 3 horas da
tarde.
O expediente para esta corrida encerrar-sc-ha sabbado, 30 do correntc, as 3
horas da tarde.
Os cinvites nao darao ingreso nos portoes principaes, onde o cavalheirc
portador d > convits pagar a quattia de mil r:s.
Secretaria do Dorbv Club, em 23 de Agosto do 1890
O SECRETARIO,
Manoel Medeiros.
Restaurado o. 25
Dita n. 27
Atuoriin andar n. 23
Arsenal de Mirlaba
lasrrfp^o para concurso
De ordem do cada "pitao tenente Diu pandar n. 3
_..,-,.., 1 j o : Dita arrnazcm n. 04
Fredenco Guilhenne de houza berrano, Vlg8rJ0 Tenorio Io andar n. 25
inspector deste Arsenal, fac,o publico que oia 2" andar n. 25
em observancia no disposto em avia > do Dita leja 11. 27
Ministeri.. da Marinha-n. 1,089 de 19 de i Domingos Jo6 Marlins, terrea n. 16
... ', Da n. 118
Agosto do corrate anno. aclia se aucrti D|a j, anjar r, 132
n'esta repaiticSo durante o improrogavel; una 2* andar n. 132
prazo de 15 dias. a contsr da data; Companlna Pernambucana loja n. 30
deste edital, a inscripcao dos candidatos ; Burgos, jrrea n. 21
ao concurso para provimento effeeli* dos BeCf0 ^o'^breu 2o and ir n. 2
cargos de dous amanuenses da secretaria j auador da Detcnco n. 4
desta inspccc;ao c de cscrevontes das di- '
rectoras de machinas o conkt uccoes na-
vaes deste Arsenal de Marinha, de accor-
do com o dispoto no art. 64 do regula
ment que baixou com o decreto n. 5,622
de 2 de Maio de 1874.
As materias exigidas para o concurso
i a000
loiOOO
I5JOO0
15*000
30*000
2s#oeo
20*00:1
15*000
20*n0')
16*666
15*000
15*000
15*000
14*000
iJOOO
5000
6*000
serSo as meaciouadus nos % 1.", 2., 3."
e 5. do art. 30 e no art. 31 do decreto
n. 4,174 de 6 de Maio de 1808, que silo
as seguintcs :
1." Leitura, analycc grnmmatical es-
ripta de trechos em portugus.
5 2." Orthographia.
I 3." V ^ranceza.
5. Exercicio de coroposiya-) e estylo
de actos ofHciaes.
Art. 31. Aritbmetica at a theoria
daa proporcSca inclusive.
InspeccSo do Arsenal de Marinlu do
Batado de Pernambuco, 27 de Agosto de
1899.
O secretirio,
' Antonio da 8ilvi AzeveJo.
Club Republicano Fr.
Caneca
Hoje haver srssao fnebre, em coramemora
Cao do stimo da do passamento do consock
Dr, B*jfiaria de Moraes. a reuoio lera lugar
na ra do Hospicio, sede, do Club Parochial da
Boa-Vis'a, e coraegara as 6 1/2 horas da tarde.
braselo me I hora men-
t do porto
No escriptorio da empresa de Obras Publicas
no Brasil, a ra do Coinmerci n. 13, recebe se
al o dia 31 dt correnle, propjstas para o for-
necimento de pedras para alvenaria e cantara.
Recife, 50 de Agosto de 1MK).
A. Braz da Cunha,
Hejicscnun'e da empresa.
Ma awereiartM ttm tai* cmmc 114
Mtiearila alugan c BUinl^a
Ras :
Seto de Setf mb-o n 23
*n;o
Alfandogddc Pernambuca
Industrias c proBf ses
0 iup'-'Cor declara que ale o dia 30 do cor-
renle rnez cobrarse ha nesla renarltcao, a bocea
do cofie, o imposto devido por indu^rits e uro
ti.-es. relalividiiciite ao femesfe do exerci
co de 1890; sitdc que, Offa data un diant-,
o mesmo iu posto eera cobrado com a respectiva
multa de 10 0 0.
AHaudega do Eslado de Pernambuco, 87 de
Agosto de 1890.
B*rao de Sorna L?ao.

ae-
drigues Esteves.
1000 predio n. 12 ao largo do Remedio,
i 180 75 medindo 4 metros e SO centmetros de
80 0 largura, e 9 metros e 80 centmetros de
8100 coinpriment, com porta e janella de fren-
2000 te' 8a"asi 2 quartos e mais 1 quarto
22000 fra> q"intal cm abert avallado em
I2650 1505000 para pagamento do que deve a
21 50 mesma fazenda Joanna Felicia da Costa
50*| outr'ora Joaquim da Costa Tavares.
i;,4 As rendas annuaes dos predios na. 14
2145 c 15 na Estrada do Acudo tendo cada um
23276 porta e janella de frente, 2 sallas, 1
*9 quarto, cosinba interm e quintal em
aberto avahada em 48*000 a renda de
cada urna para pagamento do que deve
150 fe mesma fazenda Manoel Francisco de
*l Carvalho.
2^ O predio n. 6 E na travessa do Mar-
222 quea- (Poco) medindo 4 metros e 86 cen-
200 tintura de largura, e 8 metros e 73 cen-
10^ timetros de compnmento, c;-m porta e
s jnella de frente, 2 sallas, 2 quartos, co
i sinha interna e quintal em aberto ava-
lo liado em 200*000 para pagamento do
que deve a mesma fazenda Antonio Bar-
IQ reto de Sact'Anna.
6 O predio n. 25 as Barreiras 1 Varsea)
70
3940
3580
. de taipa, medindo 6 metros e 70 centi-
Previne se que as propostas devem ser emdu- melr08 de largura e 7 metros e 45 cen-
plcala e assignadas pelos propnos proponenles, .. ____.____,___*.
que de verao comparecer ou lazer-se represen- timetros de compnmento. com 1 portee
jar competentemente na occasiSo da sesso e 2 janellas de frente, 2 sa'las, 2 quartos
ter mmto em visia as disposicOes do regula- cosinba f.-a e quintal em aberto avaha-
do em H 0*000 para prgamento do que
deve a mesma fazenda Tito Francisco do
Mello.
A renda annul do predio n. lia ra
Estrcii do Rosario, sobrado de 2 anda-
: res, tendo o 1 andar 3 portas de frente
cora varanda de ferro, 2 sallas 1 gabi-
- netc e cosinba lora, o 2. andar 2 sallas,
3 quartos c 03nha fra; c o pavimento
terreo 2 portas de frente e sera reparti-
mento em vigor, devendo as referidas propos
>as fazerem a declaracao de sujeitarem se
multa de 5 "(j no caso de se recusarem a as-
signar o contracto, e bem as^im as de que tra-
tam os arts, 87 e. 88 do uic-nio regnlamento.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernam-
buco, 23 de Agosto de 1890
Goncalo Ai'ico Lima,
Amanuense.
Usi a Joao Alfredo
f zonda
O adminisradorjs couvidara os senhores ac-
cionistas a leunircm-se no dia 30 do correnle, ment avahada era 30J*0J para
noescriplorioa ra do commercion 6 segundo ment do que deve a mesuii
andar, para nreslacao de conlas. lUcife, lide Candido Alberto Sodr da Motta.
Agosto de 1890. _________________ Recife, 14 de Agosto de 1890-
Juizo dos feitos ^a Fa- 8olicita c^?J*nd"'
ze
da
KHcrltdo cintra
No dia 29 do corrente mez, e depois
da audiencia do Sr. Dr. juiz substituto
da Fazenda, se ha de arrematar o se-
guinte :
A 1 enda aonual do predio n. 59 a ra
do Barlo do Triumpho, com 1 porta e 2
janellas de frente, 2 sallas, 3 purtos, so
tao interno, quintal murado u oacimba,
avaliada era 330*, e para pagamento do
que deve a Fazenda Provincial Eduardo
Rodrigues Duartc.
A mei'agup. de pedra e cal n. 3, no
becco Tapado, medindo 3 metros e 30
centmetros de largura, e 7 metros o 55
centmetros de comprimento, com porta e
jenella de frente, 1 salla, 2 quartinhos e
corredor avaliada em 200*, para paga
ment do que deve a rnesm 1 Fazenda Jo-
s Joaquim da Silva Guimaiites.
A renda annual do predio n. 4, a ra
do Socego, com porte e janelJa de frente,
2 sallas, 2 quartos, cozinha fra, quintal
murado e cacimba meeira, avaliada em
120*, para -pagamento do que deve a
mesma Fazenda Luiz Morcira da Silva.
O predio n. 79, na estrada do Giqui
Jboatfto, medindo 10 metros c 45 centi
metros de largura, e 12 metros e 10 cen-
tmetros de comprimento, tendo 5 janellas
de frente, portao ao lado, 2 Sil!a9, 2 qiar
tes, gabinete, cozinha interna, sotilo com
1 salla e 2 quartos. 1 puchada para co
cheira, e grande sitio todo murado com
muitas fructeiras, avahado em 2:G X)*,
paga pagamento do que deve a mesma
Fazenda Maria da Concuiclo Figueiredo.
O predio n. 76 a ra Oireita de Affo-
gados, medindo 5 metros e 50 centme-
tros de largura, o 16 metros e 90 centi-
raentros de comprimento,- com 1 po-ta e
.1
N. 206
Com o presente emblema distinguem
Joaquim Bernardo dos Keis & C, a marca
de cigarros de sua msnufacturacao, a qual
se denomina Matutinos o da forma
scuiote :
Um quadrilatero em papel amarello
claro, gravado cora tinta carminada e que
se divide na sua terca parte ao lado di
reito por um traco perpendicular que
forma deste mesma parte um qui.rlriIongj,
onde si; v no centro do m8ruo e no meio
de bordados duas mcdalhas mostrando o
verso e rever >, collocadas, urna na parte
superior tendo no centro do versi o em-
blema das artes representado por um
compassj, esquadro 1' regoa circulados pela
inscripcaoExpnsic' do Lyjo de Artes
e Officios, c no reverso entre dois ramos
a date 1886, sendo a outra em tudo igual
e collocada na parte infer-or tendo no re-
verso a date 1888 tendo com tinta car-
minada.
Dentro do quadrilatero na parte supe
rior tera com lettras maiusculas em tinta
carminad* o letreiroBazar Pernambuca-
no e logo abaixo gravado co;n tinta
azul urna -Aguiacom as azas abertas
como quj voando, cora urna lite presa no
bico, na qual se 16 Emblema Registrado,
tendo seguros n s garras dois ramos de
fumo, finando um para a direifa e outro
para a esquerda.
Mais abaixo tem urna faxa transparente
tendo em lettras maiusculaa e com trata
carminada a palavra Mattikos. e ainda
abaixo escripto cora lett as minsculas e
tinta da mesma efir paradas rom os melhorea fumos ; e ainda
com lettras maiusculas a lirraa commercial
2 janellas de f.ente, 2 calla?, 1 quarto ao Joaquim Bernardo dos Rew &
l, 30
ompanhia Bahiana de JNa
vegacao a Vapor
tfacei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
O vapor Sergipe
Csmmandante Rebollo
E' esperado dos nonos acim..
at o dia 2 de Seiembro regres
sando para os mesuras depois d.
demora do costme.
Para carga, passagens, encommendas e dinhei-
n a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
Royal Maii Steam Packe
Company
O vapor Trent
QAs. Espera-se da Europa alo o dia 2" a
bm BlAgosto, segurado depois da deino
^^a^a^r-j indispensavel para
sahia, Rio de Janeiro, Santos,
Montevideo e Buenos-Ayre*
Para carga, passagens, e ncommendas e vale-
tes trate-se com os AGENTES
ts ericommndif terna fteeoMa :,l<
da t r is do dia da sahid, no irapicbe Bar
no largo d>> Corpo Santo a. 11.
Pai im.mi..... -vie -iH-ommeada* *ita
se com os AGENTES.
PUKTOS DO SUL
O vapor iVlanos
Commandante o lu tenente Guilhenne
Waddington
E' (sp-raou dos portOH do. Bttl
au- da 6 de Setembro
rolado dei'Oi: da demora it
pensavvi 11 im i)-portos do flDr-
dir Ma*..,
b eoi*iio-u< '"ao 1 bin ui 1 bt
d t rde do da da s-hida, no trapicha Bdbosa-
no lar 0 do Corpo Saiit. u. It.
ara carga, ^noouiiih-'iOHn. iiassatfwn* vlle-
traia-se coa o.-
AGENTES
Fereira Canieiro & C.
>>=Biua ao y)mmerciob
! andar
1111 '
LEILOES
O vapor Tamar
Sexta feira 29 haver leilo de raove 6 em
Jaboato rasa em que morou o fallecido Antonio
Crrela de Vascoucello<
SfcU feira 29, djve ter lugar o leilo de
movis, louca, vidros. qu.^dros e eso h da
casa em que residi o falle-ido A. Corr*-i* de
Vasconcellos. em Jib. a'iio, pira onde partir s
9 oras, um tren .
E" esperado do sul no dia 1 de Se
tembro segurado depois da demora
aecessara para
Lisboa, Vigo e Santhampton
ReduccSo de passagens
Ida Ida votu
v Lisboa 1* classe 4 20 a 30
V Southampton 1'classe a 28 a 42
Camarotes reservados pa a os p issageiros d-
Jernambuco.
Parapassagenr, fretes. encommendas. trata-si
:0H 08
AGENTES
A morim Irmo8 & C
N.3Ra do Bon JessN:i.
Companhie de Messagerie?
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Lecointre
E' esperado dos portas do
sul no dia 2 de Sr tembro
segundc depois dademo
ra de cosiume para bor
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
cla3ses que ha lugares reservados para esta
.1 enca, qne podem tomar em qualquer tempe
Pax-se batimento de 15 OjO em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagaren! 4passagensinteiras.
Por excepcao, os criados de familias que to-
maran bilhetes de proa, gozam tambem deste
a jatimento.
Os vales postaes s se dao at o dia 30 de Agos-
ta pagos decentado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
oh^iro a frete : trata-se com o AGENTE.
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
Agente Pestaa
Leifo
de plano e movis, pertcacen
ao espolio de Domingos Tel-
xelra Basto.
Sexta feira, 29 do corrnte
A's 11 horas em ponto
No predio sito ra do Conde da Sol-
Viste n. 163, unto estacao do Cara i-
nho Novo.
O agente Pestaa vender por mandado e as-
sistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orphos-:
Um excellente piano Pleycl. urna cadeira para
o mesmo, urna ruobilia de j-icaranda, tres espe-
dios grandes, seis quadros pintura lina, os
uparadore-. dois guarda comidas, urna excellei-
te mesa elstica, tres sofs americanos, viole ca-
deras de dito, urna cama de Jacaranda, urna dita
pe dau carga, urna dita de amarello. dois mar-
quezes, marqneza, urna moDilia tingiudo bara-
b, urna dita de Jacaranda, materiaes e muito'i
outros objectos que sero vendidos
Ao correr do martello
A's 10 1(2 horas partir do Arco um trflm
que dar pas.-agem aos Srs. concor-
ren es
Agente Brito
Leilo
de predios, um piano (quasi novo) de Hen
ry lerz e movis
Urna mobilia de janeo, 1 cama franceza, majr-
quezoes, rrmmnda guarda vestido, toilette a
outios mullos objectoc
Em seguida vender o agente cima 2 meias-
aguas a ra do S ceg ns. 7173, 1 ca a ierre
ra iiiip-rit u. :i"8, rlvres e d^sembaracadai.
Ra da Imperatr z n 17, 2.a andar
Saxta-felra, 3.* do correte
A'a 11 horas
Leil
o
P.akia, Rio de
E' esperado da Europa no
dia 3 de o SeU-mbro segui-
r depois da demora hc-
cessana para
Janeiro, Buenos-Ayres *
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros do todas a?
elasses que ha lugares reservados para esta
agsncia, que podem tomar em quatquer temno.
revrae-se aos Srs. recebedores de mercado-
rias que s se attender a reclamacOes por fal-
ta i, nos volumes, que forem recoahecidas na
0 casio da descarga, as3im como de verao deo-
tr j de 48 horas a contar do dia da descarga da;
a varengas, fazerem qualquer reclamagao con-
sernentes a volumes que porventura tenham se-
?uido para os portas do sul, alim de poder-se
Jar a tempo as providencias necessanas.
Emtem paquetes nao fllamtnado
1 im elctrica.
Para carga, passagens. encommendas c di
a eiro a frete: trata-se com o
AGENTE
AugCxSteLabille
9 Ra do Commercm &
coap.isiiit
PEBVanBCCAHA
DE
avegaco costeira por vapor
Tanianilar c Rio Formoso
11 vapor Una
Commandante Monteiro
Segu no dia 30 de Agosto s 8
'horas da manca. Recebe carga at o
'dia 20. ,.
PassagvLS at s3 horas da tarde do da 29.
ESCRIPT0R10
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12 _____________
Lloyd Brasiieiro
PORTOS DO NORTE
O vapor Brazil
Commandante o eapitSo de fragata Pedro
Hyppolyto Dnarte
E' esperado dos portas do nor-
tean o dia 30 le Agosto e de-
pois da demora indispensavel
gira, para o? portas do sal,
. carga a bardear no Rio de Janeiro :
para Samos, Camona. Igoape, Paracagu, Anto-
-oraa, S. Francifco, Itaahy, Santa ColbariDa, Rio
Grande, Pelotas c Porto Alegre-
De movis, loucas, vidros, espelhos, qua-
dros, batv-o 5 dejarfim, muitos outroa
taovdf- 1 mai* objectos
Em Ja boa tao
Ccclondo:
De I mobilia de junco preto,'3 cadeiras den-
tai,co, Ijaodineira psp Ihos quadros e lanter-
naa, 1 mesa nar- jogo. 1 cosiureira, 1 taucador,
2 mesiiihas, 4 cabidea, 2 espreguicadeiras, 1 mar-
quesao c tpeles, 1 mesa elstica, 1 guarda-
taca. 1 guarda-comida. 1 quarlinheira, 16 ca-
de-iras ch junco, 1 relogio de prele, louca para
cha e jantar, vidros e outros artigos, bandejas, 1
molnho, flanlres, 1 rftlo de rame, mesis de
ferro, bancos de jardim e muitos outros moveia.
Sexia-feira, 29 do correnle
Agente Pinto
Em JaboatSo
Na propriedade do fallecido Antonio Correia de
Vasconcellos
A's 9 boras em ponto partir da esta cao nm
trem para Jaboato. ^_^__
Leilo
receDeuuo
De movis, espelho, quadros, louca, vidros
e trem de cozinha
Sabbado, 30 do corrate
A's 11 horas
No 4- andar do sobrado ra do Cabag
n. 16
Coostando :
De 1 mobilia de amarello, completa, 1 espelho-
oval, 4 quadros a oleo, 4 elageres, 1 candieiro
para kerosene, 4 jarros para (lores, 2 escarra-
deiras, 2 tapetes, 1 caixa de msica, S pannos
de crochet, 1 espaoalor de peonas, 1 cama fran-
ceza, 1 cpula, 1 rico cortinado com laco, 1 toi-
lette. 1 caimle de pared 2 garrafas para extra-
cto, i tapete, 2 e;carradeiras, 1 marquezo, 1 la-
vatorio com jarro e bacia, 2 cabides de parede,
meia commoda, 1 lanierna com molla, 1 mesa
com gaveta, 1 cama de lona, 2 cpulas. 1 mesa
elstica com 3 laboas, 2 aparadores, 1 guarda-
comida, C cadeiras. 1 panno para mesa, 1 ma-
china le costura de 2 posponto >, com mesa, 1
relogio born regulador, 2 cabides, loucas para
alnic> e jantar, garrafas para viobo, compotei-
ras, uandejas, talneres. colheres, copos, clices,
jarras para aguas, bacas, trem de cozinha e mui-
tos outros objectos do uso domestico.
0 agente Gusmo, autorisado por urna familia
que retira-se para a Bahia, far leilo dos obje-
ctos cima mencionados existentes no referido
sobrado.______________ ____________
Agente Stepple
Importante 3* leilo
De predios bem localizados e que servem para
um grande armazcm ou fabrica de qualquer
natureza, sitas a ra Baro do Triumpho, or-
tr'ora ra do Brum.
Segunda feira, 1 de Setembro
A's 11 horas em poni
N'3 armazem ra do Imperador n. 39
O agente cima, por mandado e assistenca do
Exm. Sr. Dr. juiz de direilo da comarc de Olln-
da, a requerimeiilo de Josepln Theoto iia das Na-
ves, Rornao Jos das Noves e Cypriana Luzia da
Ntves, viuva e lilhos do flr.ado Thomas Jos das
Naves, levara a leilSo :
Urna casa terrea n. 0 roa Ilaro do Triumpflo
inclusive um terreno o 'na do nrre, fechado
Kia frente com um muro alta.
Urna dita dita na mesma s a stb oM
Dua* meias aguas na i oa do ccideafrBa mes
ma freguezia.
m grande armazem na mesma ra.
Um terreno D rnesma ra todo fechado, tei'-
do portas e Sos de janellas, contendo ama es-
tribara para gado.
Tres meias aguas ra dos Guararapes, todas
estas esas na freguezia de S. Frei Pedro Gon-
alves do Recife, cojos predios retalham-se a
vontade dos licuantes.
Os Srs. preteadenles desde j poderto ir
exainioar os referidos pred.os.

'

!
i
: i

t
!




*V
P"PPP
^*"HWWP!


I
t
!
I
A

.i
Uario
3. e ultimo leilo
De urna terrea n. 10 eom sotl ra
Duque de Caxias, em solo fereiro
Sabbado, 30 de Agosto
A* 11 toras
No nnasem i ra do Imperador n. 39
0 ageote Stepple, por mandado e aasistencia
do Eso. Sr. Dr. juiz de direito de orpbaos, a re-
aoenmento do tutor de cea irmao Vulpiaoo de
Aquioo Fooaeca, levara a leilo a casa terrea
acuna com 3 portas e 1 janella, 2 salas, i quar-
toe, cosinna externa pequea, quintal murado, so
to com sala e 1 quarto.
Oa Srs. \ retendentes desde ja podero ir exa
minar a dita casa. ____________________
Leilo
Agente Stepple
De duas casas terreas, sendo urna em solo forei
ro e outra em solo proprio
Sabbado 30 do correarte
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 39
0 agente cima por mandado e asistencia do
Exm. Sr. Dr. juix de direito da provedoria de
capeilas e residuos, levar a leilo a casa terrea
n. 41 ra dos Pescadores em solo foreiro, por-
ta, janella de frente, duas salas, 3 quartos, cosi-
nna fra, quintal murado e cacimba propria.
Urna meia agua n. 14. a travs da Fundic&o
em solo proprio, porta e janella de frente e urna
no olUU), 1 sala e 1 quarto ; a requerimento do
inventariaote dos bens delxados pelo finado Cle-
mente Goncalves Netto.
6s Srs. pretendentes desde j podero ir ex-
aminar as referidas casas.
AVISOS DIVERSOS
Alugam se casas calada e pintadas bou a
nos fuds de S. Goncalo, a U ; tratar na na da
mpemtrz n. 76.____________
quem o liver
de Llvramento
Compra se um guiodajte
aoder dirigir se ao escriptorio
4 Gompanb a. .....____________.
1Tenente Antonio Jos de Sousa e Silva
Este senhor tem urna carta no escriptorio
deste Diario, e ignorando se a sua residencia,
pede se a quem souber, o favor de dar informa-
les. ^^______________________
O Sr. Jos Francisco da Costa Ferreira, pra-
ticante do Correio, recebeu diversas notas do
Thesouro para entregar a i ua dcni, e ainda ha
tres dias recebeu do Cabo dinheiro, nem sequer
dlgnou-se apparecer na ra d- Palma, sabendo
que ha urna ordem contra o senhor.
O Sr. MMHCl T. Ito rame Saidanba appa-
reca no pateo do Terco, padaria, para dizer que
negocio fez o senhor, como agente daquella tran-
saccio, ou se diz que nao se importa ; mas acho
feio que este negocio saia ^pz.____________
90Rua I. deMarc,
Pin sentaras
Etamines rendados.
VoUb de 18.
Cachemiras de lista.
Cretones voiles.
Zephyr dequairo.
LI Amazonas.
Foulard de algodSo.
Zephyr de ramagem.
Setim do Japao.
Linn de ramagem.
Setim de corea.
Voiles de algodSo.
Cortes de zephyr (bordados).
Cortee de cambraia (bordados)
Cortes de setineta (duas cflres).
E muitos outros artigos.
Em compras maiores ter direito a um
exemplar de msica a escolha.
AMARAL & G
AIS DE 10:000 GURAS
tihtub* nnriHA
mti so snsmTis^c
DORES DE DENTES
PREPARADO NICAMENTE
POK CALA8ANS & C.NA BABIA
Medicamento heroico contra os rheuma
tismos, inchacSes, dores sciaticaa, nevra.1-
eias, dormencia, etc., empregando-se em
fomentares sobre os lugares affectados,
Cura o beri-beri, a8 paralysias e as dores
de dentes.
Todos os frascos levam direcc^es paia
Ibo d'este medicamento admiravel.
Preco 10200. Descont de urna
em diante. ____
DEPOSITO NO RECD7E
Francisco Manocl da Silva & C.
Mrquez de Olinda n. 23
dara
ra
Relojoaria Bavid
Ra do Gabug n. 14
Este novo estabelecimento de relojoaria
acaba de receber um grande sortimento de
relogios de ouro, praU e nikel, da impor-
tante fabrica americanoWalthan Masa, ver
dadeira especialidade em perfeiclo e re-
gulamento infallivel, e se vendem por presos
mdicos. Assimcomo relogios de pande e
de cima de mesa, com despertador o que
ha de mais elegante.
Convidam se as pessoas que quizerem
um relogio de confianca a virem a este
estabelecimento que capricha em vender
relogios dos melhores fabricantes, com o
fm de bem servir oa seus amigos e fre-
guezes.
Ra doCabug n. 14
Tnico de Cams can
(Restaurador vegetal dos cabellos)
Dentre tedas as preparacOes congneres que
detidamente propalara seus effeicos, nao surgi
ainda urna que alcancasse o xito do Camacan,
qne pela sua composicao assaz poderosa e sua-
ve, tem a propriedade exclusiva de curar e pre
servar os cabellos de todos os males da calvice
que possam sobrevir-lhe. Composto somente
por Jos Gomes de Amorim (uccessor de Mar
tins & Bas os) e premiado na exposicao de Paria
de 1889, o Camacan foi snbmetlido a tongas ex
perienctas, as quaes deram maravilhosos resul
lados : venda em todas as lojas de perfuma
ras e no deposito geral da fabrica ra da Au-
rora n. 163.____________
Cavallo, bois, carro ca e
carro
No gasmetro, em Olinda, vende se um bom
cavallo, baixeiro, rusao, arreiado ; dous bois de
carrees ou carro ; urna carroca c um carro j
usados, teodo um cambo para om ou dous
bois ; a tratar no mesmo gasmetro com o ad-
ministrador.
Candida Machado de Cainelro
Adolpbo Pereira Carneiro, s.us tilhos, sogra e
cuobado mandam celebrar ralssas por alma de
ana presada esposa, mai, flba e irma, Candida
Machado de Carneiro, no dia i- de Setembro,
1- anmversario do fallecimento, na matriz da
Boa-Vista, as 8 horas da manba ; para assistir
a esse acto, convidam seus prenles e amigos,
e a todos protestam cna gratidao
t
Pedro Ferreira dos Santos, Antcnio Ferreira
da Loz, Terluliana Amelia Ferreira da Luz
Francisca Amalia Ferreira da Luz, Maria Amelia
Ferreira da Luz, Erico Ferreira da Luz, Deocle-
ciano Ferreira dos Santos e sua mulner, Maria
Francisca Bezerra Cavalcantr. e Albos (ausentes),
Christovao de Barros Gomes Porio, Anna Gomes
Porto, Maria Petronilla Porto, Marta Luiza Porto,
Samuel Porto, Pe 1ro Porlo, Jos Porto e mais
netos, convidam a todos os prenles e amigos
para assisllrem a missa que mandam celebrar
na igreja do povoado da Torre, por ala a de sua
estremecida esposa, mai, av e sogra, Francisca
le Paula Ferreira dos Santos, pelas 7 1/2 horas
da manba do dia 30 do correte, stimo do seu
passamento, confessando se a todos eternamente
gratos por este arto de religio e caidade.
As almas cariciosas
1
lavad eir
Engommadeira e
Precisa se de urna ama para lavar e engom-
mar : ra ra da Victoria n. i, defronte da esta-
co de Cmara. ______________
mais
, as novi-
as caixai
20Ra 1. de Marco20
PARA PRESENTES
Acaba de receber o que ha de
lindo em caixas de perfumaras
dades mais recentes de Pars,
alo todas forradas de setim.
E' um rico presente qne je pode offe-
recer a qualquer pessSa, sem risco de ha-
ver cousas mais bonitas.
PREC0S RESUMIDOS
Amaral efe G.
Maria Candida Wanderley Autran, viuva do
empregado publico Candido Autran da Malta Al-
boqnerqne, moradora na travessa da Piedade n.
5, Undo em sua companbia tres mocas solteiras,
de quem nico arrimo, achando se gravemente
doenle dos olhos, sem enchergar mais, vem im-
plorar das almas caridosas um soccorro pelo
amor de Deus, para poder manter se. _______
Casa
Aluga se urna casa cmAfogados, entrada para
a estrada dos Remedios n. 72, prego mnilo bara
to, com 5 quartos, i salas, josinba fra, grande
quintal murado, cariaba, jardim na frente, etc.,
a chave est na loja de fazendas dos Srs. Cam-
pos 4 David ; a tratar com elles ou na ra larga
do Rosario n. 14.
Criado
Precisa se de qm criado
ra da Palma n. 109.
para comprar ; na
Aviso para Ipojuca
Convida-se um cer-
to negociante de Ipo-
Aluga-
se
a loja do obrado a ra de Mariz e Barros n. 2,
propna na'a eatabelecimento de raolbados, por
ter armaco com todos os seus pertences, e tem
ao lado urna excellente casa de banhos aonexa
mesm?, e sobre ludo recommenda se a boa lo
calidade : quem a pretender dirija-se ra da
Compar bia Pernambucana n. 10.
juca
dias
SUPERIOR
3$000 a libra em lata
Importadores
ALFREDO LOPES & G
8 H Roa da Imperatrlz 8 8
PERNAMBCO
__' sem falta
Urna governante oflerece-se para casa de qual-
quer pessoa da capital ou fra della ; quem pre-
cisar dirija-se A ra do Principe n. 43.______
Attenco
Os abaixo asBignados declarara que nesta
data dissolveram amiga ve! mente a socie-
dtde que tinham nos estabelecimentos
sitos na da Guia ns. 62 e na do Co-
ronel Joaquim Cavalcante n., em Olinda,
e qne giravam sob a firma de Silva &
Carvalho, o primeiro fica de posse do
estabelecimento da rn_ da Guia e respon-
savel pelo passivo da dita firma e o
segundo fica com o estabelecimento da
roa do Coronel Joaquim Cavalcante, paia
pagamento do capital com qno entrn para
a sociedade.
Recife, 26 de Agosto de 1890.
Manoel Jos da Silva
Jos Loelho de Carvalho Dias.
Ra ]. de Marco n.
E8PECIALIDADE EM
Extractos.
leos
Tnicos.
Sabonetes.
Pasta para dentes.
Vasos para p de arrox.
Agua de cologne.
Agua Florida.
Regatas de cores.
Suspensorios.
ticos de cores.
Luvaa de seda.
P de arroz. *
Botoadoras americanas.
Lencos de seda.
Espartilhos.
Fitas de cores.
Baleias.
Empermiavois.
Fichas prateados.
Amaral & C.
20
a vir por
satisfazer o
compromisso na
vessa da Madre
Deus n. 5, sob pena de
ver o seu nome estam-
pado nes^e jornal.
estes
seu
tra-
de
Attenco
9
Os proprietarios do antigo e acreditado arma
zem do Lima, site ra Rarao da Vi :toria n. 3.
uiicipam ao respeitavel publico e aos seu?
istinctos freguezes, que trinsferiram tempora-
riamente sen armazem para a mesma ra n. 9,
contiDuando da mesma forma a receberem suas
ordens para Ibes servir com o costumado e ha
bitual desempenbo.
Jos Fernandes Lima k C,
Rua Bario da Victoria a. 9
Telephone323
Comarca do Bom Conselho
Vende se urna parte do sitio denominado 8er
ra Grande, havido pelo inventario do finado Pe
dro Cavalcante de Albuqnerque, no valor de
650* ; a tratar na rua da Florentina n. 20, Nova
Hamburgo._______________
Cera
Vende-se na-rua do Cabug n. 1, segundo a
qualidade, de 1/000 a 14500 a libra, e sendo de
arroba para cima faz se na de _. o descont de
30 0/0 e na de 1.' de 20 0/0. Pedimos, portante,
a todas as pessoas que precisaren: deste genero
a virem verificar a qualidade, pois dessa forma
que podero avaliar qual 6 a melhor. No mesmo
estabelecimento tem um completo sortimento de
fazendas que se vendem por precos sem compt
tencla, para liquidar.
Vaccina
do instituto de vaccina animal de Pars ; vende
se na blica franceza Rouqoayrol freres, rea
do Bom" Jess n 21.
Ao pubJ'co
Os abaixo assignados dectaram que compra-
ram ao Sr. Pedro de Souza 01ieira o estabeleci-
mento de mercearia silo rua Conde da Boa
Vista n. 143 A, livre e desembaracado de todo e
qualquer onus. Recife, 25 de Agosto de 1890.
Joaquim da Rocha & C.
Elixir M. Morato
PROPAGADO POR D. CARLOS
De poisde 6 annos de atroz soffrimento
de rheumatismo, estando verdaderamente
descorecoado, sarei completamente usando
o=Elixir M. Morato==que declaro ser o
melhor e nico anti rheumatico at hoje
S. Paulo, 2 de Novembro de 1889,
\ Cetario Rodrigues Alvim.
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro para a padaria Vic-
toria roa Imperial n. 208 ; a tratar na rua Pe-
dro AffooEon. 12.
Cofre
Vende se um importante cofre.prova de fogo;
a tratar na roa de Imperatrix n. 11.
Alugnel barato
Visconde de Goyanna n. 159.
Rua do Bom Jess n. 47, 2. andar
Rua de Lombas Valentina n. 4
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Rua Aguazinbas em Beberibe n. 7
Rua I tapa rica n. 43 1.a andar.
Travessa do (armo. Ir a n. 10.
Largo do Mercado n- 17, loja.
Rua do Calabouco o. 4, dem.
A ratar rua de C mercio n. 5.1- ands
cartono de Silva Guimaraes C.
Lopes & Araujo
Para engenhos
Continuam a ter em seu estabelecimento gran-
de deposito das mer:ailorias abaixo declaradas,
onde os Illms. senhores de engenbos poderSo
se supprir Para a nova safra, a precos sem com.
pe tencla.
Cal nova de Lisboa.
Dita de Jaguanbe.
Oleo de mocot.
Azeite de coco.
Dito de peixe.
Dito de carrapato.
Pixe em tatas.
Graxa em bexigas.
Gaxta de linho.
Potassa da Russia.
Rua do Livramecto n. 38
i j Tympha vacciniea pura i I
( (VENDE SE NA PHARMACIA HOMEOPA-{ j
THICA DO I )
( ( lR. SABINO {}
( 43 RUA BARO DA VICTORIA 43 {)
^^_xrrrr-r^r^r:rzx_rs
Cautelas do Monte de Soc
corro
Compra-se CantelaB do Monte de Soc
corro de qnalquer joia, brilhantes e relo-
gios, paga-Be bem na rua do Cabng n
n. 14.Loja de relojoeiro._____________
Muita attenco
No becco dos Ferreiros n. 6, pregueia-se ba-
bados e recorta se de todas as larguras.
D. Virginia Amalia Accloly
Maria Adelaide de Fipueiredo e Maria Gsrmel-
la de Figueiredo, feridos do mais profundo sen-
timento pelo fallecimento de sua sempre chora-
da e idolatrada amiga Virginia Amalia Accioly,
convidam a seus parentes e pessoas de sua ami-
zade, bem como os da fallecida, para assistirem
as missas que por sua alma mandam rezar na
matriz \ Boa Vista, as 7 horas da manbS do
dia de segunda feira i de Setembro. Confessam-
se gratos por este acto de religio e caridade.
Alaga-se
a ON terrea da rua do T al eireiro n. 90, calada
e pintada ae novo ; a tratar na rua larga do Ro-
sario n. 30, Bazar Pernambncano.___________
Seminario de Olinda
Previne se a todos aquelles que se acbam em
debito, pela estada de seus filbos no Seminario,
que procurem saldal o qu3nto antes, se nao qui-
zerem ser ajuizados. a cidade do Recife po_
dem entenderse com o Dr. Jos Diniz. rua 15
de Nov-mbio (antiga Imperador) n. 55, piimeiro
andar, e em 01 nda com o Reilor.___________
Ao commercio
Luiz Goncalves da Silva 4 Pinto avisam ao
corno commercial que mudaram seu escriptorio
para a rua da Cruz n. 1, primeiro andar_____
Criado
Precisase na rua da Guia n. 5, 1 andar, de
um criado para servicos domeslicos, que seja
natricolado. __________
Obras de vimes
Recebemos oeste ultimo vapor grande e com
nieto sortimento, como sejam :
Cestas para compras, tamauhos diversos.
Ralaios para roupa engommada.
Balaios para roupa suja.
Costureiro.
Acafates.
Bonitos bercos e lindas cadeiras.
POQAS MENDES C.
Rua estreita do Rosario n. 9
Junio a igreja
WBISIf
Boyal Blend marca YlAIHi
Este excellente Whisky Escoce, pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores ara*
sena de molhados.
Pede Roy al Blend marca Y lado
cojo nome e emblema sSo registrados par
todo Brasil.
BROWNS & C, agentes.
Attendite et vi-
dete!
Jos Samuel Botelho avisa ao respeitavel pu
blico que ajada contina a fabricar bouquets
para casamentes ou outros quaesquer actos,
assira como porta bouquets de papel e seda : a
tratar na soa residencia, roa da oncenao n. 3,
ena rua da Cadeia do Reaife n. 43, loja de sel-
le! ro-
REMEDIO DO DR. AYER
CONTRA
AS SEZBES o maleitas.
O Remedio do Dr. Ayer, descobertt
vegetal qne nao conten a quina nem o
arsnico, nem to pouco ontro ingrediente
nocivo, um remedio infallivel e prompto
para toda a qualidade de febres intermit-
ientes on maleitas. Seus effeltos sao per-
manentes e certos e nenhum mal abso-
lutamente pode advir do sen emprego.
Da mesma forma torna-se o melhor
remedio possivel para todas aquellas
doencas qne provera dos effeitos dos
miasmas, que se desenvolvem no logare
pantanosos e infectados, e qne geralmente
caracterisao-se pelas affeccSes do
ligado e do baco.
O Kemedio de Ayer curar sempre,
mesmo nos casos peiores, toda a vez qne
fr empregado convenientemente e se-
gundo as direcces.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
IiOWelL Mass.. Est.-Unido_.
RHEUMATISMO
Impurezas do Saugne, Erupgoes, Escr-
fulas, Ulceras, SipMiis
e toda affecefio de natnreza
eruptiva ou venrea
SALSAPABBILfll
DE BEISTOL
A Remedio do Familia por excellsacia I
Ama
Precisa se de urna ama de boa conducta e que
durma em casa, para cosinhar e lavar, para casa
de pouca familia ; a tratar no pateo da Santa
Crus n. 18.
Amas
t
D Maria Pellppa Montelro da
Franca
Terceiro anniversario
Copiao Manocl Jos Montelro da
Franca e Candida de Urna Mon-
telro da Franca
Segundo anniversario
Joao Bento kfonteiro da Franca e sua familia
mandam rezar missas na matriz de Santo Anto-
nio, s 7 horas da manba do dia 30 do correte,
pelas almas de sua prezada mai, irma e cu-
nhada. Para este acto de religio e caridade,
convidam os parentes e amigos, e desde j se
confessam gratos.________________________
Anna Cardoaade Flgnelredo
Antonio Fernandes de Figueiredo Paiva, Fran-
cellina Ferreira dos Santos Paiva, tendo recebi-
do a infausta noticia do fallecimento de sua ex-
tremosa m&i e sogra, Anna Cardoso de Figuei-
redo, era Portugal, convidam aos esa parentes
e pessoas de sua amizade para assistirem a mis-
sa que por sua alma mandam rezar na matriz
da Boa-Vista, terca feira de Setembro, as 7
horas da maoha ; a todas as pessoas se confes
am agradecidos por esse acto de rel'giao.
t
-
Deocleciano Ferreira dos Santos, sua mulher
e fllhos, feridos do mais profundo sentimento
pelo fallecimento de sua prezada mai Francisca
de Paula Ferreira dos Santos, convicam os seos
prente; e amigos para assistirem a missa que
por sua alma mandam rezar na matriz do Divino
Espirito Santo de Pao d'Alho, segunda feira 1."
de Setembro, stimo dia do seu passamento ; e
desde j se con'essam agradecidos por este acto
de caridade._________________
m
Tenente l "rele no A aguato
villasboai*
ElizaLeopoldina Vuiasboas agradece do 'ntimo
d'alma a todos aquelles que acompanbaram os
restos morlat3 de seu muito prezado esposo, e
de novo os convida para assistirem as missas
que pelo seu eterno repouso, manda celebrar na
matriz de Santo Antonio, s 7 horas da manha
do dia 29 do corrente, stimo do seu passamen
to, pelo que desde j se confessa summamente
grata por ease acto de relifiao.
t
Jos Manoel da Crus
Therefa V. da Cruz, seus rilhos e cunhado
convidam a seus parentes e pessoas de sua ami-
zade, para assistirem a missa de stima a do
fallecimento de seu marido, pai e cunhado, Jos
Manoel da Cruz, s 7 borss da manh de 30 do
corrente, na matriz da Varzea, pelo qne se con-
fessam eternamente ralos.___________
t
Arluur Elysio do ^antimonio
Wanderley
Salvio Gonzaga, Pedro da Luz e Paulino Freir
convidam a todos os parentes e amigos para
assistirem a missa do trigsimo dia do seu pas
smenlo, que mandam rezar na matriz de S
Jos, as 8 horas da mana do dia 30 do cor-
rente.________________
Curso primario
Para o sexo masca lino
49 -Boa da Gloria -
Rapbael de Azevedo, com looga pratica de 11
annos de ensinc, tem aberto um curso especial
de instruccSo primaria para meninos, espera
por isso merecer a confianca e protecefio do i!
lustrado publico e de todos 03 seus compatrio
tas nernambucanos, e em particular dos pas ou
tutores das crianjas que desejam o real aprovei-
lamento de seus rilhos ou tutelados.
Dedicando o maxiu:o cuidado para dar-Ihe o
necessario defenvovimento, espera dar a seus
alumnos, a par da mais sa educacio moral e
pbjti'a, urna educacSo intelleclual baseada nos
principios geraes da verdadeira peJagogia, es
forjando-se por satisfazer completamente a to-
das as exigencias da educacao moderna em sua
mais latj accepeo.
Admitie alumnos internos, meiopensionistas
e externos, mediante mensalidades razoaveis.
49-RUA DA GLORIA-49
Copeiro
Precisase de um menino para o servico de
copeiro ; a tratar na casa n. 5 da estrada de
Fernandes Vi-Ira. _______________
V ende m -se
duas caas em terreno proprio, Jivres e desem-
baracadas, com bastantes commodos para fami
lia sendo urna no lugar Mattinba e a oulra na
travessa do Portel1, nos AfUictos, perto da esta
cao ; a tratar na padaria do Sr Bento, no En-
ocamento.
A Florida
Acaba de receber pelo ultimo vapor i
que de maior novidade tem a populosa t
grande cidade de Paria, os mais importan
tea artefactos da ultima moda.
Papel bordado com muita fantasa, proprio
para cartas.
Cromos de seda e de oleographis.
Caixas de msica com manivella para 1
20 e 3V50CO.
Caixas de msica, com corda, fechadas
com 1 a 3 arias para 7, 8, 9, 10 e
12(J, proprias para presentes.
Ricos enxovaes para baptisado a 7)5, 8A,
9,5, 10(5 e 125000.
dem muito finos psi_ 16)5 a 20)5 um.
TimSosinhos com sombra com fitas e bicot
de cambraia transparente a 3)5 e 3)5500.
Um grande sortimento de porta-tranc
para 500, 1,5 e 1,5500.
Grampos dourados e com perolas a 200 e
500 rs. um.
dem de celuloide e dourados a 200 e
300 rs. um.
Estojo para desenho de talagarca a 3,5000
Bandeiras de la dos Estados-Unidos do
Brasil a 1*600, 3,5000 e 40000, confor
me o tamanho.
Grande sortimento de bolsas de pellica e
de chagrn para 2, 3, 4 e 50000, para
senhora e meninas.
Carteiras cem estojo a 3, 4 e 50000 t
10500 e 20000.
Grande sortimento de bicos de 'algodSo e
de seda, brancos e de cores.
Livros de sortes a 300 rs.
Albuns de pellucia e de chagrn, gosu
moderno, imitando um leque.
dem para cromos, poesas e mosteas.
Espadinhas para crianca.
Boleas de coaro para cobranca.
Navalhas de Roger Amao americanas ele
ctricas e de 2 laminas, e afiadores com
a msssa propria para afilar.
Ramos de flores para baile e casamento
de 10500 a 40000 um.
O Cabelleira engenheiro invento a 500
res.
GalSes e bordados de cores.
Bordados de cambraia de 600 a 10500 a
peca.
Sabonetes para tirar nodoas de casemiras,
sedas, las e outras fazendas finas de
800 ris.
Oculos e pince-nez finos, dourados, bu-
falo e nickel.
Tinteiros para viajantes.
Espartilhos para 4, 5, 6 e 70000.
Collarinhos e punhos de borracha.
Caetas de vidro a 500 ris.
Boleas para menino de eschola a 20COO.
Sabonetes para banho com desinfectaste
a 400 ris.
Pulseiras americanas para 3, 4, 5, 6, 7 e
80000.
Anneis e brincos com pedra imitando bri
Ihante.
RUA DUQUE DE CAXIAS N. 103
Romances francezes
A 500 rs. o volurne, ven-
de-sem no escriptorio deste
Diario.
Fo centeio
Mello & Bisel tendo recebid nova remessa dt
farinha centeio, avisa aos seus freguezes qut
continuam a fabricar este delicioso pao centeic
'.odas as tercas e sextas-feiras ; na rua arga d<
Rosario u. 40. _______________
Calcados
Sapatos de feltro para quem soffre de dor
aencia e frialdade nos ps. d'onde causam di-
versas molestias, pois es to se acabando ; pre-
go muito baratos a 500 rs. o par, tanto para
bomem como para senhoras e criancas.
LOJAA" RUA DA IMPERATRIZ N^80_
Libras esterlinas
Vendem-se na rua do Com-
mercio n. 26, 1. andar.
Vende se barato
Farello, sacros com 48 kilos,
Kilbo novo, coia, rs.
Dito velho a 280 rs e
Largo do Mercado n. 12
Precisa se de urna ama para cosinhar, e urna
outra para o servico demestico de cao de fami-
lia, que sejam matriculadas e de meia idade, e
qne durmam em casa dos patrOes ; na roa Priu-
ceza Isabel n. 13, entrada pela rua da Sau-
dade. _________________^^
Ama
Precisa-se com urgencia de urna ama de leite:
na rua Direita n. 10, 1 andar.
Ama para meninos
Precisase de urna, de bons cestumes, para
tomar conta de dous meninos ; a tratar na roa
do Cabug n. 14, de meio dia at 2 horas.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar ; a tra-
tar na rua Duque de Coxias n. 63, que entenda
da arte.
I 800
320
240
Cosinheiro
Precisa-se de um cosinheiro ; na rua de Pay
mduo.19.________________________;
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barra!
Os proprietarios do Armazem Central, a ru;
do CabOg n. 1 i, avisam aos seus distrete* fre
guezes e ao respeitavel publico qne receberan
nova remessa ueste especial vinho, o qual et
recommenda por ser puro da uva, e a se reta
Iba em seu armazem.
Joaquim Christovao & C.
Telephone 447
Superiores queijos do serta
Vende se em grosso e a retalho ; na praca do
Conde d'Eu n. 8. ___. ____ w_
Ama
Precisase de urna ama que saiba cosinhar
bem e que durma em casa dos patrOes ; a tratar
na rua da Uniao n.5.____________*________
Ama de leite
Precisa-se de urna ama que tenha bom leite t
s eja sadia ; na rua do Co'ovello n. 46.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinbar e com-
prar, e de um menino de 12 annos para manda-
dos ; na rua de Pedro Affonso n. 16.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar; na rua
da Palma n. 109.
Barraca Coronel Tei-
xeira Jnior
Hoje, grandes premios.
Reservado para familias
Largo do Arsenal de Gruerra
B.UUSINA&C.
Una H.nrqiiez de Olinda n. 18
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada cer-
veja Phcenix de Dortmund
e do chocolate Ph. Suchard
de Neuchatel.
Agencia da grande fabri-
ca de charutos Dannemann
& C, S. Flix (Baha).
Os productos d'estas ulti-
mas duas fabricas foram pre-
miados com a medalha de
Ouro na Exposigao Univer-
sal de Pariz, em 1889.
Injeccao
Se nao morri desesperado, s-.ffrend
muito tempo urna molestia chronica quo
ninguem poda curar; foi por encontrar o
santo remedioInjeccao M Moratoque
instar, taneamente poz termo ao meu hor-
rivel soffrirnento.
Taubat.
Aagusto Cintra Magalhd.
Agentes depositarios em Pernambuuco
Francisco M. da Silva fe C., rua Marqco,
de Olinda n. 23. __________
INo^sobrado n. f I da
rua Mrquez do Her-
val, precisa-se de urna
boa cozinheira.
^intureiro
Precisa-se de om bom tintureiro para diver-
sas cores ; a tratar na rua da Cruz n. 42.
Cosinieiro ou cosi-
nheira
Precisa-se para casa de familia, em Beberibe;
a tartra no pateo do Terco n. 63, padaria.
Superior vinho de Al-
cobaya
0 acreditado e autigo armazem do Lim par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinht, escolhido propriaiuente pelo chefe desta
casa, tornndose recommendauo por ser puro
de boa qualidade. _______
Jos Fernandes Lima 4 C. rua Barao da Vic-
toria n. 9
Telephone 313
Ao commercio e ao publico
O abaixo ass gnado, proprietario da fabric*
a vapor de leos vegetaes rua da Aurora n-
163, avisa aos seus freguezes e ao respeitavel
publico em geral, qne do 1 de Setembro em
dian'e, todas as garrafas de oleo de lamparina,
sahidas de seu estabelecimento Industrial, serSo
cintadas no rotulo com ama etiqueta da marca
registrada pela junta coamercial desla praca.
Recife, 28 de Agosto de 1890.
Jos Gomes de Araorm.

I
F
-












-
K-
T -,.*


**v
I
'
.-)
i

Diario de Pernambuco-Sexta-fira 29 de Agosto de 890
CHEGAKAM
Os mosquitoiros americanos
Com Armadlo e carritel conforme a estampa
Precos : l2$ooo7 l4$ooo e I6#ooo de cores
Fazenndas baratas
Chitas claras finas, a 200 e 240 rs.
Cseas de palminhas de cores a 120 rs. e
cortea com 9 metros a 10600.
Linhcs ce quadrinhos a LOO re.
Zefiros largos a 200 re.
Voiles phantasia a 200 e 240 rs.
Cretones francezes' a 320 rs.
Lans de quadrinhos a 100 e 200 re.
Miudezas
Vende-se uiais barato
Bicos e rendas, brancas e de todas as co-
rea a 20000 a pee*.
Bab:dos bordados a 500 re. a pea.
ntreme i os bordados desde 500 re. a peca
com 3 metros.
Luvas de seda brancas, pretas e todas as
cores de 2, 3 e 4 botSes, a 2^000.
Madapolao americano, 20 varas a 6:000. Luvas de pelica branca a 20000.
Morim lavado a 30500 a peca com 10, Capellas com veos de blonde de seda des-
varas, de 60000.
MadapolSo, com 1 metro de largo, 20 va- Meias rreedadas brancas para aenbora a
ras 60000. Ore
Algodaoainho moito bom a 40000, 40500 Meias crua3 d cores lisas e brancas com
e 60000. palmas a todo preco.
Bramante com 4 larguras a 700, 800 e Fichus prateados pequeos a 503 rs., e
10000 o me ro. I grandes 10000.
Bramante de linho, 10 palmos de largura,: Lencos brancos abainhado a 10JOO, 10600
a 10600. i 200^0 a duaia.
Ataalhade bridado, 8 palmos de largo, a Lencos de cores a 10300 a duzia.
1^300. j Baleias a 200 rs. a duzia.
Panno da Costa para toalba de mesa a Arcos a 100 rs. o metro.
10000 e 10200 o covado. J Fitas, pbantasia e obamalotadas desde
Cortinados de crochet para portas e ja- j 400 re. o metro, todas as cores e pretas,
nellas a 70000 o par. tem larguras 5, 9, 12.
Cortinados bordados para cama ou janella j Majos com 12 pegas de fita branca ehi-
a 60000 o par. neza a 320 rs.
Cortinados de cores, novidade, a 10600 o Extractos finos americanos desde 10000.
metro. Sabonetes finos para pannos e sardas a
Guardanapos finos a 10800 e 20000. 800 rs.
Oleado para meza grande ou pequea a Thesouras finas com mola que dobra a
10500.
405OO cada quadro.
Brim pardo a 280 rs. o covado.
Brim de cores a 240 rs. para meninos.
Camisas para senhora a 30500.
Casacos ou penteadores a 20500.
Collarinbos de linbo e algodao a 50000 a
dutia.
Tampos de fronhas grandes e pequeas a
10500 o par.
Babados com 4 1/2 metros de tamanho a
10200 a peca.
Redes para dormir a 30300.
Lapiseiros de ouro fino a 10500.
Petes phantasia para cabello por 400 rs.
Pegadores de tranca.
Flores para cabellos, chapeos e vestidos a
10000, 10500 ramo.
Crochets para cadeiras e sof guarnido
a 70000
Toalhas felpuldas a 40000, 50000 e 60000
a duzia ; para banho a 10500.
' Tarlatana branca, verde, azul, rosa e en
carnada a 700 rs.
Bolea "de tapetes grandes a 40000 e Fil de linho liso, salpico, palmas borda-
40500. | das.
Camisas brancas finas para meninos a (Leques psra meninos a 500 rs. e finos a
300000 a duzia. j 30000.
Camisa de meia desde 900 re. | Leques de gazes a 10, 10500 e 20000,
Camisas de flanella de cores desde 10800. (Espartamos a 40000, 50000 e 60010, to-
Coletes de flaaolla brincos con manga e dos os tamanhos.
sem ella. | Meias cruas e de efires para meninos a
Lencos francezes de labyrintho a 10 00 e 30000.
com bordado a 500 re. j Lg;s, phantasia a 10000 o par.
Guarda -p' americano de todos os tama- Saigelim de todas as coras a 200.
nhos a 40000. Crinolina branca, pret>, eSr de chumbo e
Collarinbos, pcitos e punhos de celluilaid,
muit) til aos viajantes; prego mais ba
rato.
E muitoj artigos que se offerecem ao
oomprador por qualqucr prego
de caf a 400 rs
Cambraia de forro, preta e branca a 200
ris e com duas larguras a 400 re.
Magos de coritas de c3res. qualqaer que
se deseje a 500 rs.
Loja das Listras Azues f
61-RA DUQUE DE CAXIAS-61
ao i
LUemcizdo pela Inspectora ge-ral de Hygiene do Imperio do Bmil
jt^k* (Codeins, Tol, etc.) hmm Ll. LJ
A tecSo s% Atm* *> MjOUW cerejn, que tazem d X ARO PC da ,'J ZED
{ f ita Kad), peitoral mais enrgico em todo os cuoi de :
eaouarrs, tomss. rxfiu.ucento8, pneumonas, coooiu.uctBus,
I CATABROS, mSOMMIAS 1EHAZEB, DORES ABDOMINALES, ate. A
LOTERA
DO
ESTADO DE PERNAMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa i Misericordia 4 Rttifo
XNTEGRAES
A 17.a parte da 1." lotera dtiste Estado ser
< xtrahida impreterivelm^nte ter^a-ieira 2
de Set< mbro.
Todos o3 pedidos de bilhetis desta lotera
deyem ser dirigidos thesouraria ru* arga
do Rosarion. 9 1. andar,
PELOS CONTRACTANTE
Bernardino Lopes Alheiro.
GRAGEAS
fsrr, IMmanst
FSfftssrtWaa,r
FORTN
INJECCAO
Hf$amUn
.
FORTN, forio a* fmeirm (1810) qo BAifUnmm aos DujUsm. Cmrmn moleatlaa
fattfsr tmtMsmmam saala
A INjnOQKo FORTN imws*mm+r***mme*ame* ao** mmn
tammmumm lasiiiini / stbait n. s tmxs\ a o.
IRACEMA
DE WDEZAS
Inauguragao segunda feira l. de Setembro
2A Ra do Cabug 2 B
DE
R2/^
K\
TNICO
ANALPTICO
RECONSTITUINTE
O Tnico
mat* onergico que dtvem
em pregar os Convalescentts,
as pessoas idsas,
as Uulheres, as Criancas dbis
o as Pessas
frttoas de Constituico.
O ViNHO DE vial e a Associi.o feliz dos Medicamentos mais activos, para combater a Anemia, I
a Clilorose, a Tsica, a Dyspepsla, as Gastralgias ou Gastritas, a Diarrha atnica, a Idade critica, a
Frouxidao eeral, as longas Convalescenclas. etc. Em urna palavra, todos quelles estados de Lan-
Sildez, de Emmagrecimento, de Esgoiameuto nervoso, aos quaes os temperamentos de boje esto
talmente preiilspostos. Cir* /.yon, flmrt lepnlUe o Pernambuco t FRAN" M. DA SILVA 1 C" i ti Mu u PktrMclu e Drtfariu.

COM QUINA
SUMO DE CARNE
PHOSPHATOdeCALJ
Co*npott9
eom Substancias necessirial
e /dispensareis na
formaco e no desenvoiflmento
da Carne
muscular e dos S/sfemaV
nervosos e ossosos.
PERFUMARA
PARIZ
Segredo a& Juventude
LAFERRIRE
PARIZ
Segredo da Juventude
AGUA LAFERRIRE 1 OLEO LAFERRIRE
Para o Tuucador. ^fl Para o$ Cabellos.
POS LAFERRIRE V \W ESSENCI AS DIV ERSAS
l'ara o Mosto. ^^1 \W^^ Para o Lenco.
PRODUCTOS HYGIENICQ8 patra consonar a Belleza o Rosto to Corpo.
Ppo''nrn '-i. PniJlww PR N K "> silva c C*.
Peitoral de Cambar
Remedio soberano para as molestias dos orgaos i espiratorios,
approvado pela Exma. Junta de Hygiene Publica, autorisado pelo go-
verno central, premiado com duas medalhas de ouro e rodeado do
muitos e valiosos attestados mdicos que garantem a sua eficacia.
O Peitoral de Cambar c preparado em Pelotas, em larga esca-
la, pelo seu descobridor, o Sr. J. A. de Souza Soares, no oonhecido
estabe'.ecimento Agrcola Industrial do Parque Pelotese, expresamente
creado para esse efFeito.
E' urna preparaejio perfeita, de corpo volumosn, transparente e
de um gosto agradabilissimo ao paladar.
O raelhor atteitado hoje da superioridado doste precioso med
camento est no seu consumo grande e progressivo por toda a Ame-
rica do Sul.
Acha se venda ns3 principaes pbarmacias e drogaras desta
capital, aos precos do 20500 o frasco, 130000 meia dnzia e 24)5000 a
duela
SSo unios agentes e depositarlos no Estado de Pernambuco '.
FRANCISCO MANOEL BA SELVA & 0.
23-RUA MRQUEZ DE OLINDA23
i Myrtol do Dr Linarix
Laureado pela Faculdadc de Medicina de P&rim.
O Myztol Linarix apresenta-se sobre a forma de Glbulos empregador com
o iiaior successo contra as
AFFECQES CHRONICA8 DO PEITO
Deluxos, Bronchites, Catarro, Asma, com oppresso e Palpitacoes.
Os GLBULOS de MYRTOL LINARIX tamao-se na dose de 6 por da :
t pela manha, 2 ao meio da, 2 noute.
Toda as pessoas que tomao os VERDADEIRCS GLBULOS DO
D* LINARIX sao unnimes em reconhecer que respirao mais fcilmente.
Exjase os Verdadeiros Glbulos Linarix de Clin A O, de Pariz
que se encontrOo as drogaras e nos pharmacias.
c Mor ose.A mmid Datarro pulmonar, BroneiU ehronica,
JPtkarro ta Boxiga, Phtisica, Tosse tonoalsa, Dyspeosta, PalMag.
Piraos sbminans, Cmarros antlgos e complicados, ei
3o->3WTd nenaln. 1 ero VftJtn. o a* prto-iirao Pta'acta'-'
FUNDIGAO ERAL
aUANPATSRSONSC
44-.RL4 SARAO DO TRIliPH-44
^fachinas a vapor.
Moen 'as.
Rodas (Tagua.
Taixa? fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados
VEBD&DEIRuS GRAOS utSAUOC ^ DTRANCK
k* LICENclyLDOS "Pin. A n!PECTRAOBRAL^SWTOrcWB DO IMPSHIO M'BKAZZ.
aporicntis, rtwiiaahlc, ri*r . ;onla a Faltu la auyeUte, a Obstruccao, a Enzaqueca, as vrUsemS,
l ac ConfcstSM. etc. Dose ordinaria > 4, sis groes.
12 Desconfiar a* lalilflcaces. Exigir o rotulo junto Imprimido>em francez
(f e eom letras uj 4 wa, sendo A c.n, A., lufa J FlinUBlM
*" ada nma letra de mu cor differente e wl""' ",*~
mm co m m
TnSkBC MAXOR
250:000#000
LOTEKI1 DO GRAO PARA'
Promio maior 120:000$000
Lotera do Grao Para
Pr$mio maior 60:000$000
Extractar alternadamente todos os sab-
bados. Bilhetes venda as casas do eos-
turne.
i
kBDALHA DE HyHT
0 OLEO CHEVRIER
4 4InacUdo pelo Alcatrao,
Inico c btltsm/co, 0 Qu mullo
augment ia proprledtdu do (
0 OLEO de FIGADO
OE MCALtO FERRUGINaSO
I f nica prtptracto que permita
administrar o Ferro tam pro-
dullr Pristo d Volre, nem
iDcommodo.
DIPLOMA DE HONRA
BRANCO.LOIRO
EFERRUGINOSOfe
^EVRIEB^^S*
BINSITO geril FUS
ll,rMioFiii'-Iontnartrt,21
f %'io di Homrt.--yl t w
3f/ Oritm I"*"
''fe
BSCB1TADO POB TODAS AS
Oslstoi&aOss Xsftlew
DA rRAN(A E DA EUROPA
molestias "do peito.
'affecfoes escrofulosas
chlqrosis,
anemia, debilidad;:,
tsica pulmonar,
BflONCHITES, RACHITISMO
Vinho de Coca
LICEN'CIADOS PBLA INSPECTORrA DE HTGIF.NE DO IMPERIO DO BRAZU
i '
PECHINCHAS!
Casemiras pretas, diagonal, duas largaras, a 1(J400 o covado!
dem de cores, inglesas, idera, a 1^800 o dito
Chevicte superior, preto e azul, a 2#400 o dito.
Minns pretos, pura la, a 800 lfJOOO, 15200 e 1)5500 o dito.
Pannos de cores para mesa a 12 .0 e 1)J600 o dito.
Toalhas adamascadas para dita (nacionaes) urna 55000.
dem de labyrintho, ricas, a 305000.
dem grandes para ros'o a 25600 a duzia.
dem felpudas para banho a 15200 a dita.
Lencos brancos aban hados a 15200 a dita.
Meias inglezas, cruas. a 25500 e 35000 a dita.
Ceroulas bordadas de bramante a 125'-00 a dita.
Camisas de flanella de coree a 185000 a dita.
Cneles de bramante, grandes a 15800.
Cobertas de ganga, dous pannos, a 25500 e 25800.
dem de crochets para noivas a 6*5000.
Cortinado, em peca, a 8-i000 (22 metros)!
Madapolao snperior a precos sem competencia.
AlgodSo trancado, duas larguras, a 151C0 o metro,
dem adamascado, largo, para toalha, a 44') rs. o dito.
Bramante de algodao, quatro larguras, a 700 rs. o dito.
dem de puro linho, dez palmos, a 15600 o dito.
GuarnicSes de crocheis a G50O0 e 85CO0.
Fich/is e mantilhas prateadas a 15000 e 25000.
Chales de casemira de corea a 25000.
Flanelaa de cores para camisas a 300 rs. o covado.
Percales finas a 240 e 280 rs. o dito.
Guardanapos adamascados a 15800 a duzia,
Meias-casemiras para criancas a 500 rs. o covado.
Curtes de fusto para colete a 800 rs.
dem de casemira ingleza para caiga a 25800.
dem de brim pardo e de cores a 15000.
Brim branc fino, n. 6, a 15800 a va ja.
dem de c5res garantidas a 15000 o metro.
Costumos de finas casemiras a 155000,.
Pannos finos, c^eviotes, caaemias, brins pretos fixos, mirins para luto e mui-
tos artigos a precos resumidos.
As Yendas cm grosso eem e descont de 1 4 70
59Ra Duque de Caxias59

"i juciiiiwnirn
LIQUIDO IMPERWEAYEL
Bmprvga-sc HIZJIICSCO I .1, c seu nperbo lustro conserva-K; pnr urna semana em lodos oj
tempug, sobre o emtS, o? aneiiri e to-Ac* onnipo.ibrea'us do couroprcto. A lama t:r..-->%
IsTUmto c o lustro loros s a:-pir-c*.r de si-mecio. M&u deteriora o eouro e nfto nsncha 'i-
Tssiidos. Nublan roouulactariny O, L1*, G' Satron Hill Lond^n, Inglaterra
________________ "V"en.ci-s em tocia a. parto. ____
ODONTINE
SABA.0 DENTiFMCIO
DO
MMsjW sssm^w'm '*WaWTms^k9am%\WsSWmkwMwsWss
A melhor prepara cao hygieiiica para clarear e conservar
Approvada pela junta de hygiene do Rio de Janeiro, com a marca registrad
ra todos os Estados-Unidos do Brasil.
YMBE-SK AS SKGINTKS GASAS:
Maia Sobrinho & C.
Castro Medeiros A C.
Duarte C.
Pedro Antunes & C.
Jlo Becerra d C.
Netto Campos ft 0.
Manoel Joaquim Ribeiro & C.
Maia e Silva C.
Barbosa A Santos.
Barros & C.
Numa Pompilio.
Nunes Fonseca & 0.
Manoel Vieira Neves.
Mapoel Cardobo Jnior.
Manoel Collacp & C.
Papoula & Bastos.
Ribeiro & Almeida.
Antoaio D. de lima & C.
Sabino Pinho & Q.
JoSo Ramos.
Deposito por atacado
THEO. JUST
Larg-o do Corpo Santo
***#*
IAPSUL
lie
ucvmst un luttot-ti a
* awm4s a ansa.
SNDALO CITRIN
MOLESTIAS SBOBBT
; U f# arfiwsfoi Cim*vm vn(t*rm*mem)*\rr.iimmwt,mntii**mt) faite
fni cotnrtrtM ptn i<) fawnuau dcmtn Im ak*
UVAS*. BOM* e : m UVCHrOOLT- StrAMM, IHHH SWStMM, em
>At PWmCIFAM PUBMACi*!.
ATKINSON
PERFUMARA INGLEZA'
Excede toda, w outru pelo aea
erfime exqnhlto.
Afamada
ASUde COLONU de AmifiON
em riral pelo tea perfume e so coacen-
Maca. fcceje iodos oa producto sia-
larea Touiildo sob o mesoio nome.
AGJU FLORIDA de AKUSOH
delicado perfume panm lenco "M'IM"
de ama escolo cxqulslte.
btantri.ft ,m ciu o, Mi os />-
ertnfet f bn:ir.iei
-. _.' E. ATKIN80H
2*. Od Bond Street, Londra
MMim rte FbrlG 1,'bu hnnc* "
obre imi Lyrt de 0ro
tai nda a uulljaW
Farelo superior
no largo do Mercado ; 1*800 n. it.
-*-*v

de Foj
MMm-CHL0R0SE
O FBBRO
99$
I
BRAVAIS
Experimentado peles pjjmeims medicoi do
"Bt imirodialainonle na Kcoaonila sem ao
, sstnoiot. Si-sb ao aigae i ioa tr.
utoindo-o e dandn-Ibe o vteor o^ieuario.
Dejeit/r-ie das /mtlaede e Falti/teacSts. _
I^lWte-iiViP2ri.*QA4a,RueM-Lail ]
B Eil T^I'AS AS PBJB3UC1AS
.


Vente s a lave r na hite a ru.i ta Palma n
1; a i at.ir na Besara
Venile-se
ra boa ma hia oe :u n rar. um repaitimento
niarpll>i p>ri pgiipi.ino e uto innjrianir
OfT pova de f.igi, p (). fui iij fligg inesuu-
rw as i ittrias ; a t'ii r oa ra Mjrquet di-
jo la n i, primeiro andar.
Verde se a bim loralis da e acredtala iner
ana ua ma d<> Daniel n. 73 prxima ao mer-
cuito ; "!: i-e na n.a de Hortas.n 15.
E'
liquida
nr
para
V>-ndf se uina vacra c urna linda garrota,
nh.-> pur* rafa lourna : a tratar na roa do
Pi'<-t-o 31. defronie da amiga c.iixa d'agua.


1
I


i
-i
I
i
i
m. GAKLl'S BETTEXCOURT .
' SUM mi.LT a lili
GKANIJK DEPURATIVO 1)0 SANGK
El'xir aot-ineumtico, anti syphilitico e empreado em todaa as molestias de
pille, crys pe a, darthroa ou empigens, beri-beri, anthrazes ou carbuncul b, cancros
venreos, fendas canc ro as, ulceras, gonorrhes el romean, bonbas, bubSss, escrfu-
las e tortas as doeocas que dependem d* impureza do sangue.
Este remedio sunermr a todos os mi tros do seu gnnero, o que est provado
pela preferencia e a ceitac&o que Ihe d o publico.
Um frasco 3#QO(), urna duzia 3<>#000.
ToM O FKBKl^Uu OEMJBSTKUENTE
En'pregado i a debili.iade geral, d- eny.-.b do eetomgo, convalescencaa depois
do parto. fe brea palustres, m< leatias d<> fig~d<> e buco, falta do appetite, anemia, chlo-
rose, cr^s uallidxs ou falta de san^ne e ifoencaa nervosas.
E' um r o g'itmnte de energa, aromtico e agradavel ao paladar.
L mi Irasco .'}$, urna duzia 30S0U0
iweccao dKTTkncourt
AHTI-BLSHOBBBA6I0A
Gura radical em seis dias
Era pregadh con, ptio> resoltado o< s cornoientos agudos ou chronicos da
arethra ou vagina liucorhea ou fl&res brancas. Este medicamento de ama g ande
eficacia,
m frasco 140(0, urna duzia I5#000.
VEN'HO TNICO _
forn 'acto-pho-phato de cal e ferro, coca, cascas de laranjas amargas e quina.
melhor reni"d!o que se tem formulado pela ombinacao destes heroicos
medicamentos. F.i p egadu no tratamento das molestias do 'peito, do estomago, ane
mas, ui'-nstr ac5e iiffic-is, debilidaue geral, cores pailidas e todas as vezes que se
^uer fortificar o organismo c dar desenvolvmento ao systema osseo e muscular
Oonvm as peanoas u enhoras que criam para tornar o leite mais nutritivo e robus
tdeer as criancas E te remedio superior a todos ob tnicos estrangeiros que se
annniiciam por ahi.
Um frasco 3#000. urna duzia 30#000
Xarop8 de jaramacar composto
(tkiMDE PLURAL
r>tamer>ro curativo de todas as molestias do peito e da garganta, defluxo,
lot! i .pea e cnviilsas, coqueluche, eojjstiuayoes,. asthma, bronchite, catarrho
,?h orico e tsica pula.'ooar e do larynge.
V.' o pr meiro ueitoral que se conheoe t hoja na medicina.
Un frasco 24500, nina duzia 24$000
CARQBIN
a o&xrai pa^JHi&naa zz saitse ,.
O erourego da AROKINA deve direr 8<- a comtater as seguiotes moleslias:
U diversas foimas d a Hoeo^as chronicas, "s deae ganado, aoffrimentos do tero,
affe "i h cancerosas, her ieri, escrfulas, tumores brancos, ulceras chronicas, ffec-
oSt-i- venreas rebeldes, paralyxias, molestias do corac%<>, da garganta, rheumatismo
chr-nico e gottuso, molestias de pplle, assi n ionio todas as enfermidades derivadas
da impureza do sangue.
m frasco 3j8000, urna duzia 30#000
nicos exportadores
C0MPANH1A M PROCU0TO8 MEDICNAB8
31-hUA 00 8 0UHIYK8-31
RIO III- JtMIIt
V alas eiu grosso e a re a h- em Pernambuco
Francisco Manoel da Silva &
Lourecco, romance histrico por F.
Tavora. 1 vol. ene.
O Cavaloeiros do Amor, romance em
4 Tola. enea.
Eihos de liorna, pelo padre Guilher
mi- Dhs, 4 vol ene.
D ccnaiano Bio>;raphico. por P. A. P.
Coala, 1 gros.-o volume ene.
Vooi- loaros, versos por M. Barrete, i
vol ene.
Plores Plortuanles, versos. I vol. ene
Vooi e quedas, versos. I vol ene.
Guimares, poema, l vol. eoc.
"3#00C
M4NNI
4k|000
3*000
Sons aue passam. versos por Tb. Ri
beiro, f vol. ene "J/OlH'
- Iberio Piuieutel, Cania-es, versos, i -*4
vol. enr -9*000
Julio de Custilho -Livrana Classica,
Estudos Diograpbicos e luteranos,
3 vols. enes., finos 15*000
Castrioto Luzitano, historia entre o
Brasil e a Hotlanda, 1 vol. ene.
nao 5J(KH>
Bibliotheca do Povo, 19 vola. enes. 95*000
Morie de D. Joo. romance, 1 vol.
ene. 30O0
Ontos 1e t^dro Ivo, romance, 1 voh
ene. 3*000
0 abaodonado por Julio Terne, 1 voL
DC 9*000
Processo Lerouge. romance hist-
rico, 1 vol. ene. 34"Oi.
Gabriel Malagrida romance, 1 vol.
ene. 3*000
Neto do Acoitaao, romance histrico,
1 vol. ene. 3*000
Viagern do dorso de urna haleia, 1
vol. ene. 3*000
Cbiquinbo, Encyciopedia da Infancia,
por G. Bruno. 1 vol. ene. 3*000
Caricaturas em pruza. por Luiz An-
drade, 1 vol. ene 3*000
0 Pastor p a ovelba, obn. rara e es-
KOiada pelo finado biepo D. Joao, i
v. ene 19*000
0 birajara, lenda. 1 vol. ene. 3*000
Arnaldo Gama Um motim ba cem an-
uos 1 vol. ene, obra rara 5*00o
0 Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene. 9*0t>0
P. de KockJoo, 9 vol. ene. 4*000
As mil e urna mnlheres, 4 vols. enes. 6*000
A caca de um baronato.l vol. ene. 1*100
Arraldo GamaO tilbo do Baldai, 1
vol. ene. 4*000
Os berdeiros de Caramurn, romance
histrico, 9 vols. ene., finos 6*UX)
A igreja e o Estado, por Ganganelli,
4 vols. ene. 10*000
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 9 vols. enes, tinos, com grava-
ras 12*006
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro S*000
Castello de Grasville, romance raro,
9 vol, ene. 3*000
Leonor, D'Ambolse, 1 vol, ene. l*00
As obras de Julio Verne, 49 vols,
enes. 30*000
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene. 3*000
Typos de cara dura, 1 vol, broch. 1*000
As viagens de Guliver, obra crtica
ejocoza (rara,) 1 vol. broch. 3*000
Voz-s da historia pelo Padre Gui-
lberme Dias. 1 vol, broch. 2*500
0 matadouro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o I, vol so. 1*500
Ponson do Terrail A beranca myste-
rioza o 9*>. vol so ene. 2*000
Carta sobre a Compaobia de Jezus
1 vul, broch. 2*000
Mlscelania Religiosa por Pinto de Cam-
pas (obra rara) 1 v. broc. 3*000
Ao cidadao Anicete, versos do Cigano
ao Dr Cbinez (raro) 1 v. broc 1*500
Oraco fnebre do bispo D. Vital. 1 v.
bfoc. 2*000
Propaganda religiosa Consto e Papa em
prosa e verss 1 v. broc. (raro) 2*000
Deseseis de Maio, puemeto, 1 v. broc
(raro). 1*800
Factos da Historia de Pernambuco,
I vol ene. 2*000
Bibliotbeca do povo, 31 caderninbos
broc. 4*000
Um misterio de familia, por F. Tavora,
1 vol. broc. 2*500
Um casamento no arrabalde, 1 vol.
broc me8m' autor. 2*300
No es riptorio desta foiba se dir qoem vende
estas obras fazendo se abalimento vantajoso a
quem comprar todas._____________________
A os maranhenses
Farinba d'agna; rendeai Guimaraes 4 Valeote
tiCr po Saato6

Barracas e merceeiros
Vinbo fino do Porto a 6*000 a duzia ; vende
se no armazem da ra da Madre le Deus nu
mero 16.
Agua niaraviliiosa
Com a applicacSo desta agua, quem soffrer de
r'SDnhas, pannos, sardas e vermelbidSo^do ros
co tirara perfeitameo'.e corado, reconheceodo-a
1 desse modo. con*o nico especifico pfficaz. Alm
desses effeilOB, tem ella a propriedade de, lor
nando a cutis limpa, dar lhe a cor natural. A
cada vidro que cusa 1*000. acompanba a respe
ctiva indicaeo do uso.
nico depoto
Drogara de Faria Sobnnbo & C, ra
Mrquez de Ohnda n. 41
FOLHETIH
aaia misds
POH

PULO D'AKiREMOlT
TERCEIKa parte
A filha adoptiva
|Oootio..acJo do a. 194
V
DOUS LABES
Sahira com o rosto banhado de lagrimas
hd que a moca se emocionasse diante de
to profundo desgosto, sem que por m io
^LBina palavra ou de um gesto procu
Ae attenual o ou acalmado.
lgoez e.stava entregue sua toilette, so
gua toilette.
Conserjera aqaeile vestido claro, que
lbe'asenta va tao bem '(
4esitou, pungida mais pela resoluclo
a questao do que pelas lagrimas da
3Ueza d'Argelles.
repente urna ro.
E' isto, disae ella^-ffirmam que eu
^rresistivel com u mea coatame de bo
Depressa, contmuou, dirigmdo se
tena, toa criadinha particular, trace
vestido de eaaa, de aeda encarnada.
lia hora depois tinha efectivamente
I
culi d um exquisito costume meio bohe-
ii) io, me io bespanhol^todo vermelbo, com
fr^nias de ouro, no qual a sua peregrina
e .-ir. ,'uUi belleza sobresahia captivante e
UTeaiativeL
Den u cah.r negligentemente sobre as
costa os i-dmir..v i8 cabellos castanhoa,
todos ati.-lit.cios. Bemelhantcs a fios de seda
perfumados, e que formavam-lhe longa
juba ondulante, cobrindo lhe os hombros
bdoraveie, einqua' "o que na frente cahiam-
lbe pea testa .t os olhos lmpidos e bel
los. aos quaes pr jectavam urna sombra
mulo -u ve encantadora.
Um largo diadema de moedas de ouro
ornava lhe a cabeca expressiva.
(uando entrou no salSo do pavimento
teir-o, os dous rapazes j l estavam a
coi ver.-ar com a marquesa. ,
l'e repente o reposteiro de, seda er
gueu-se e oe dous amigos, Mauricio talvez
uia'8 ainda do que d'Asterac, abafaram um
grito de a iinir. yo.
iaclii !... disse Luiz rindo, nunca
te vi to bella; que tee tu ?
tilla corou ligeiramente, o que a tornou
mil vez>8 mais bonita.
Estou contente, mea primo, respon-
deu simplesmeute a rapariga com urna vos
que Mauricio nSo tinha ainda ouvido, e
que era de faeto a vox de Diana quando
moca e quando perturbava os corasSes
com a mais insignificante das suas pala-
vras.
Contente pela visita de Luiz, nao
verdade ? perguntou a marqueza encanta-
da por ver Ignez, novrnoste calma e gra-
ciosa. E' bonito da tua parte isso, minha
filha, e offereje ihe o teu braco para ir al-
moyar: porque j vieram annunciar que o
al moco estava na mea.
Ignez, porm, nao o entenda aasim.
Approximou se de Mauricio e apoiou a
maos' Ua na na farda do mancebo.
i.'onduzme, disse ella, o duque de
Cndale* levar miaba mli.
E emqoanto Diana, rindo dease capri-
cho, passava primeiro que os outros para
a sala de jantar, a menina d'Argelles, por
-spaco de um segundo, szinha com Val-
lauris, envolveu-o n'um olhar tao doce, tao
acariciador, tao quente ao mesmo tempo,
que o rapaz singularmente perturbado sob
os etHiivios de ouro daquellas extraordina-
rias pupilas, sentio se accommettido de
urna angustia que nunca havia sentido.
Ao galgarem os poucos passos que os
separavam da mesa de almoyo, coberta de
prataria e oe crvstaes, ella apoiou-se com
todo o seu peso sobre Mauricio, como se
lhe faltassem sbitamente as torgas.
Mas isso fot mais rpido do que pensa-
mento.
Chegando luz radiante da mesa, Ignez
tornara ao que tinha Bdo em frente
igr*"j* : fra, altiva e indecifravel.
Comeu com as pontai dos dedos, mal
intervindo na conversaco, e nSo ergueu
ma.s para Vallaors o olhar que o havia
perturbado, e que elle procurava agora,
nao pensando em outra cousa, pergun-
tando a si proprio se nao teria soahado.
O tempo, muito bonito i ela manhS, mu-
dara Hubitamente comeyando a ehover.
Cahia urna enxurrada abundante e com
pacta, que inundava as ru-.s.
Quera leval os s corridas, diss-
Diana, mas parece-me impossivel sabir
com este tempo.
Impossivel efectivamente, respoadeu
Luiz contrariado ; que fszer ?
Gosta da msica, Sr. Valiaurs ? per-
guntou a marqueza d'Argelles.
Um pouco, responden modestamente
o mancebo.
Elle muito forte, affirmou d'Aste
rao.
EntSo, venha mostrar-nos isto. gnea
tem bonita voz, e se ella consentir em
fazer se ouvir, o senhor ver que esse jul
gamento nao ama illusao maternal da
minha parte. Cantas, minha filha ?
gnea olhou para Mauricio.
O mancebo, forca de vontade, havia
S le KeVf3lu0o
4Ra uque de Caifas48
O propretario deste tabelecimento conti
nuaodo a liquida! o, est vendendo por
menos 50 / tanto fazenda de lei como
de moda.A SABER :
Modas
Cortes de etamine de 144000 por 8*5000.
Surah de linho muito largo a 320 ra. o co
vado.
Voile de 12 matisado, ultima m da, a
HO rs. o covado.
Dito de algodo a 200 rs. o covado.
Etanunea de corea a 28.;, 300 e 320 rs.
o covado.
Merinos lavrado- a 500 rs. o covado.
ephiros de corea a 120 e 16C rs. o co-
vado.
Las de c6r*s a 200 e 240 rs. covado.
Cachemira de quadros com lstras de seda
a 100.) o oovado.
Cortes de metim para vestidos a 6(K
um.
Dito brancos bordadob a 124000. 14*000
e lodOOO um.
Luvaa de seda a H, lO e fiQ O o par
Cortes oe cachemir* bordados a 25 C pas ricamente bordadas a vidrilho por
Cortinados de crochet a 10)1000 o par.
Le
Madapolao americano com 24 jardas a
5)5000 a peca
Bramante de linho a 2)5000 o metro
Kannos de crochet para oadeiras a 50)
>s. um.
Sargelim de todas as odres a 200 ra. o
o Ct vado.
Cortes de casimira para caiga a 4600)
um.
Colchas de cores a 2L00, 3)5000, 45000 e
5)5000 urna.
Toilettes para baptisados a 6*000 um.
Fichs de retros, todas as coi es a 1(5000
um. /
Cortes de cambraia branca de quadros a
1)5600 um.
Cortnados bordados a 6)5000 e 7#000 o
par.
Atoalhado de linho com defeito s 2)5400 o
metro.
Camisas finas de meias a 14000 ama
Cobertas forradas para casal a 250<
urna.
Batistas de cores a 120 e 160 o covado.
Toalhas para enanca a 100 ra. urna
Ceroulas francesas, a 1)5000 orna.
Atoalhado de algodSo a 1*200 o metro.
Algodao trancado para toalha a ltX u
metro.
Bramante de algodao com 4 larguras a
800 e 1*000
Lencos de algodao a 1*200 e 2000 a
duzia.
Ditos de esquiSo a 2*500 e 3*000 a duzia
Collarinhos e punhos de esqua o, preces
sem competencia.
Cretonas escures e claros a 200 e 240 r
o covado.
Brm pardo trancado a 240 rs. o covado
Panno da Costa para mesa a 1*200,
1*400 e 1*600 o c vado.
Camisas de linho para homem a 2*000,
3*000 e 4)5000 urna
Vestidos de Gersey para creanca a 6*000
um.
Costumes de cachemira para homem a
14*000 9 15*000 um
Cortes de fus tao para collete a 600 rs. um.
iuardanapos c m franja a 2*Oc0 a duzia
Es part Ihos couraca a 4*000 um.
CJran.dinas pbantasia a 360 o Covado.
E muitas outras fazendas que so com
a v sta, assim como em sua omeina de al-
faiate aprompta-se em 24 horaB qualquer
costume, garaotindo-se toda perfeicao em
trabalho e prego resumido
So na Revolu^o
HENRIQUE DA SILVA MOKEIRA
Homtis
boticas.
Vende se em todas as casas de drogas,
SabSo msr. vilhoso para limpatmj
taes de todas as qualidades, mar-
mores, mafleiras, trens de cosinha,
soalhos, paredes, pinturas, etc., etc.
Sabao ndiepensavel em casa de
familia; poupa ten po e trabalho.
SAPOLl
Nao se usa. para lavar a roupa.
perfumaras, ferragens, armasens e
** ^LRY
Venue-ie em toda i sf
Oleo fcilva
0 verdadeiro restaurador do cabello, experi-
mentndole o seu benfico resu'tado dentro de
30 dias de uso successivo. As suas virtudes
sao: evitar a qoeda do cabello, promover o seo
creseimento e destruir as caspas, a par de um
perfum agradavel.
Vendem:
Fabrica Camacan. ra Larga do Rosario n. SO.
A Florida (miudezas) ra Duque de Caxias
n. 103.
0 Novo Mando (miudezas) roa BarSo da Vi-
ctoria-n. 24.
Proco1$000
dominado a perturbacao que a menina de
Argelles lhe fazia experimentar.
E le igualmente tornera se fro e na
apparencia mdifferente, cono se o facto
de se achar all, naquelle meio novo para
elle, antes o aborrecesse do que o distra
hisse.
A' pergunta de Diana, nao se altero).
Oh minha tia, dizia ao mesmo tem-
po Luiz, a senhora sabe perfeitamente que
Ignez urna caprichosa ; se lbe pedirem
que cante, ella se calar.
Que tens tu que te metter onde nao
s chamado, rstrucou a rapariga muito
baixj, mas com ?im lampejo mu no olhar
Mauricio achava-se ja no piano.
Era effectivamente msico por natureza
e tinha se aperfeicoado ainda mais com sua
irma Henriqueta, que possuia, quer para
o piano, quer para o canto, talento de pri-
meira ordem.
Elle toeju e as horas passaram-se.
Agora, disse Luiz, canta ; nunca te ou-
vi, mas estou certo de qne a tua voz
encantadora.
E, como Diana insistase, comprehen-
dendo que a recusa seria de mo gosto,
Mauricio acceden.
Oantou urna dessas lindas cancSes pro-
venyaes que os pescadores dingem noite
as estrellas quando no mar tranquillo vao
bvantar as linhas.
N3o tinha pretenjao alguma.
Vallauris havia-a ensinado aos filhoB co-
mo a sabia, entoando-a, e Henriqueta ti-
nha a passado para o papel.
Mas era agradavel, linda, com longas
notas melodiosas, de urna docura e de urna
melancola adoraveis.
Nao oonheco nada mais bonito do que
esses cantos antigos das nossas velhas pro
vincias, disse Diana Impressioni.ua, se Ig-
nez quizesse cantar urna canyo de amor
hespauhoiaj que ouvimos urna noite as
montanhas, em nosso castello, a senhor
vera que os nossos Pvreneus tm tambem
a sua poeaia e o sen onaho caracteristica.
DEPOSITO GERAL W M CASA DE
HENRY FORSTR dk C.
Os Barateiros! !
E' s neste estabelecimento que pde-
se encontrar fazendas finas de goatos lin-
disBimos or pregos razuaveia, como se
jam :
Voiles de 15, padrSes inteiramunte no
vos, merinos ide,m, id-m, cnch-mi-as la-
vradas, o que pode haver de mais lindo
em gustos.
i ambraias da China, dem catitas, idem
com salpicos c lisas, Victoria e i ra apa
lentes, grande sor ti ment de crotones
(padrSes de voile) de gostos attrahentes-
repe da China, ioteira novdade.
Etamines de cores, lisos e rendados.
FustSes b"ancos. Linons cem barra, o
que ba de m s neo pa a vestidos, chitas
dem, idem e muitos outros teqidos a pban-
tasia.
Las de quadros a 200 n.
Merinos idem, az- nda de 800 rs., por
240.
Voiles de 3 e algodao a 240 ra. o co
vado
Znpnyros de cores a 320 ra. o covado.
Merinos de urna argura a 280 rs. o co-
vado,
Baptsta republicana a 200 ra. o co-
vado
MadapolSo americano a 5*000 a peca.
Variado sortimento de setinetas e cro-
tones, para chambres.
Grande e variado sortimento de chitas
claras, de cores e escuras. dem chama-
lot. padrSes exquisitos. dem voiles, gos-
tos inteiramente novos. Casacos de Jer-
sey para aenhoras, vestuarios idem, par*
enancas. Toalhas felpudas para rosto e
banho, brancas e de cores. Grande ser
timento de aventaos, idem, idem de ba
beiros, pa-a enancas.
Para hojeas
Grande sortimento de camisas de fia
nella, nho e algodao.
dem de collarinhos de linho e cellu-
loide de cachemiras pretas e de cores, en
tre elias destacam-se as de 7)5000 o corte,
para costumes.
Alm das mercadorias que cima dicta-
mos, temos um esplendido sortimeoto de
cestas de palha e chagrn e muitos ou-
iros arugos que seria entadonho mencio-
nar.
E' so nos barateiros!!
A' RA Io DE MARCO N. 1
Bernardino Campos & C.
E VGENHO
Vende-ge o engenho Id-
hamau na comarca de Igua-
rassii, perto da cidade, todo
recortado de trilhos de trans-
porte de canna para a usi-
na Timb.
Quem pretender, dirija-se
a ra Barao da Victoria .
i 8 1. andar, ou a usina
Timb.
Ovo prate
Compra-se, como tamben
moedas, ra-do Cabug
n. 9., loja de Au . Ignez, muito paluda, voltou a cabeea,
contrariada.
M8 apostaram entio nao me deixar
tranquilla ? disse ella a meia vos.
Luiz insisti.
Foi tudo baldado.
Mauricio, por polides, approximou-se :
Minha senhora, disse-lhe elle tentan-
do mostrar se olmo, ao passo que o cora
cao batia-lhe com torca, nSo quer dar-me
o p.-azer de ouvir a cancSo de amor das
suas montanhas?
Diana esperava urna recasa mais secea
ainda do que as out as, e preparava-se j
para pronunciar algumas palavras de dea
culpa, quando teve que deter se, muito
sorpreza :
Ignez estafa j de p, dizendo "
Com muito gosto, mas debaixo d*
ama coadiQo.
Qual ?
Que o senhor me acompanhe.
Com grande prazer. D me o tom.
Ella indicou lh'o, e poz-se a cantar.
A voz era spera, mordente, um pouco
metallica, porm barmonisava-se tao bem
com a exquisita canyao de contrabandista
que lbe cahia dos labios, que Mauricio,
mais que nunca, ficou perturbado a ponto
de perder a razao.
Toma sentido, eu quero amar te...
dizia ella n'um estrbilho que voltava len-
to, surdo, abafado, aps o mais singular
canto de amor que se pode imaginar.
Que tal acha isto ? perguntou Dia-
na enthus asmada.
A msica muito original, respondeu
Mauricio, faz lembrar a famosa habanera
da Carmen, que por fim de oontas nlo
mais effectivamente do que urna canefio
hespanhola muito popular.
E minha prima recitou-a to bem
qusnto Oalli Man canta o sen afamado :
O amor filas da Bohemia
Livros uteis
O convento desmascarado de Editho O. Garman, ex freir do con-
vento de Santa Isabel, en> Nova Jersey.
Diz ella : nao fco declaracSo alguma que se
posa i ful.ir duu nomes, dalas e factos desa-
ti nd< assim toda e qualquer contradircao. 0
mu fim esclarecer o cainoliros romanos cuos,
illudidos e supcrsi'fiosiH dos erro.- da religt.to,
da disciplina e u flm-ncia perniciosa da vida
conventual, e bem assim di penar a atteDcfto
dos pas que lei.ham blbas entre as educadas
das esi olas do* conventos, onde sao corrompi-
das e fbstadas da verdade pelas mirlas e
astucias d. s je-uilas e das irmas da caridade! 1
volume de cerca Je OO paginas |#000
O padre a mulher e o coi,fes8ionaro pelo
ex-padro Chimquy, le-se no mesmo
livro :
isao ba acto de loucura, nem falla de sesso
enmmum comparavel com a licenca-que um ma-
rido d sua esposa para ir confessar se a um
sacerdote, 1 volume de 188 paginas14000.
O que a missa, perguntas e respostas pelo
padre Gnherme P aa, 1 volume de 94 pagi-
nas400 r.-.
S Pedro nuoca foi papa, por Salomo, 1 volu-
me de 36 paginas2 0 rs.
A' venda as seguintes < asas : Livrara, Fran-
ceza, ra de Marco n. 9 e Livrara Quintas.
- i
~J"

+ *


Vinho Maduro
Pelo ultimo vapor recebemos urna importante
remefsa do delicioso vlnbo maduro, aoalysadc
pela junta de hjfiene daiapital Federal.
O VINHO MADURO, puro da uva, o mefhor
que tem viodo ao mercado, s neste estaheiec:-
mento se enconga-
SEMENTES NOVAS de flores e heralicas co
todas as qualidades.
AZEITE puro de oliveira em latinbas de meic
laum litro.
Em bebidas finas, como sejam : champagne
cidra, vinhos Bordeaux, Porto, Douro, Cbatnber-
tim, coreB de diversas' qualidades, nao lemjs
rival.
Queijos de todas as qualidades e o apreciad'
/equeiiao em latas.
Emhm. completo sortimeoto de gneros d
primeira qoalidade para uaa boa despensa e c
precos sem cou petencia
Ra estrena do Rosario numero 9
Pocas Mendes & (.
Teleplione*a*
Vndese
Kerozene.
Dito inexplosivel (luz a-
maote).
Phosphoros.
Breu.
Vuelas <*e stearina.
Alcatrao da Suecia.
Cimento em 1[2 barricas e
inteiras.
Soda caustica com 70 graos.
Sebo e graxa do R o Graude
do Sul, em pipas e bar-
ricas.
Na i na do Enean tomento o. 9 e
Caes do Apollo n. 17
insisti Luiz, que queria ser agradavel
mai e d ha.
Mauricio nSo respondeu, mas as suas
sobrancelhas franziram se ligeiramente.
Lutava com todas as suas forcas contra
aquello sentimento novo que o invada,
qne o dominava, contra a chamma ardente
que lhe corra as veas e subia lhe ao
cerebro.
Sea o amor aquillo ?
O amor que lhe cerrava a garganta e
fasia-lhe experimentar aquella indizivel
angustia, aquella seosacao quasi dolorosa?
Mas ento elle nSo o queria, e com a
firme vontade que herdara da mai, havia
de repelil o a todo transe.
Deixa de ser assim selvagem, insisti
Luiz d'Asterac, e conteasa menina d'Ar-
gelles que ella artista at as pontaa dos
dedos.
Acuado no seu mutismo, Mauricio pro-
curava urna phrase amavel, quando de s-
bito Ignez interveio:
Cale-se, disse ella. O senhor na
sabe mentir. A minha voz desagrada*
lhe.
Nao, repLcou immediatamente Val-
lauris, longe disso.
A moca sorrio ; elle tinha usado de cer-
ta vivacidade involuntaria na sua replica.
EntSo, redarguio ella, seja franco :
que deleito me achou T
A senhora nao se exercita, disse Mau-
ricio, dissimulando assim o seu pensamen-
to ; a sua vos nao tem nem flexibilidade,
nem homogeneidade, e pena, na ver-
dade.
Ah !... E' pena para quem ?
tile corou, perturbado pela chamma que
havia jorrado dos olhos verdes da rapa
rga.
Para aquellos que a escutam, res-
ponden elle com a voz um pouco trmula.
Entao, tomarei licSes.
(Cmtima.)
Tys. Disto, Ro "ique .de Gaxuu n. U
4
-*
i
\

i
'
'
(-
i
9. 1
" -


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5WCQDRYJ_HXMKPE INGEST_TIME 2014-05-21T23:42:46Z PACKAGE AA00011611_17383
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES