Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17382


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Propriedade de Mar o el Figj ftra de Fara *o Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTL
1
Por tres meses adan tadoa. .
Por seis ditos dem. .
Por um unno dem.......
"ada nurnuro avnluo, do mestno dia.
B#X)0
12(KXJ0
230000
Os Srs. Ametf^
de Pars, sao d
elusivos de znui
ijoes na Frnc^
Vi rice & C.
pubiiea-
^fcrra.
TELEGRAMAS
-'
Ssav;o ?i;s:u so suaft
RIO 0E JANEIRO, 27 de Agosto, s 4
horas da tarde.
Pelo Diario Official o gobern declar>u
hoje falsa a noticia dada por um periodic
de no existir no Hiesouro Nacional o de-
posito em oaro dos bancos de emissSo.
Esse deposito, accrescenta a nota offi
ca!, est intacto; e no T esouro existe
anda, quantia superior a 1:400:000)1 em
curo, producto da arrecalagao dos 20|0
em ouro dos direitos de importagao.
Foi nomeado tbesoureiro da estrada
de ferr de Paulo Alfonso, no Estado de
Alagas, Luiz Jos de M traes.
^ HARTE tfTIf.UI
Estado de
> iio goveroo do E |
ru i ib buco
ado de Peinamboco,

-
s

ttflVIGQ SA A&SffCIA Um
MADRID, 2G de Agosto.
0 ministro do interior D. J. de Silvela
r.eaba de partir para visitar os doentes do
cholera em Toledo e distrliuir soccorros
em nome da Rainha regente e do go
vemo.
BUDA-PESITL 26 de Agosto.
O cbolera-morbus appareceu em Tokay.
ROMA, 27 de Agosto.
0 gi.verno italiano deu orden para fe-
ch.ir todos os clubs irredentistas, na Italia.
BERLIM, 27 de Agosto.
Desordena serias produzram se aqui
kontenr.
OSr. Bebel, chefe do partido soeialista,
no Reichstag, pronuncaidi um discurso
n'ama reuaiao publica, refaton a auc isa
cSo feita contra os membros do partido
socialista, no Reichstag.
A polica disperso 03 manifestantes e
effectuou i>3 i pnsoes,
Houve um grande numero de feridos.
Agencia Hava,s, dual em Pernamb-0^,
27 de Agosto de 190.
IHSTRDCClO POPULAR
ASASITA2ILISAS&S0SASIB0S
POS
CAPITULO XXV
O lypo malrii do ere tei do e
1 ccu Bu mundo mural -% i'cla
da vlda-Comu e deeoolwea le
de Helecco no mundo h leu -
p&enomenos un Satoresa.
(Continuagao)
I
Sera animal, on venial, ou ambas as cousas
s ;nuiuiiojmiit-, o papa mosca, pequeo arbus
to. que o deoressa sent um insecto p-oti-ado
:a corola de alguma de suas flores, o aprisiona
iogo entre as suas plalas, que fecha soore elle.
e qu-s nao torna a abrir a;e que o inirusu ah
morra ? .
Ser este elT^lo produzido pela irntabilidade
da planta,ou pela aegao instintiva de om animal,
dictada pelo sentiuielo e cora um tim delibera-
ba ? Inclinamo-os a ultima nypoihese.
Demais a existencia du seres intermedios nos
j reinus da Naluruza, cousa suficientemente
provada, para que possa pr-se em dnvi<:a.
Ha. nois, seres plantas, assim como ha seres
draa; ha peixes, que vara e viveui na tetra e
ODro as arvoA-s: uo m-smo mod >ha aves, que
radam e oabiiam mais na agua do qae na trra
..xi.-.em qudrupfle o rept-s terrestres, que pas
sam a in-iior paite da sua vida entre as liquida-
andas dos nos, e moaatros aquaticos, que sahetn
o trra a por os seusovos. e, freqnentemeote. a
espanejar-se ao sol.
Em cousa alauroa que tenha vida existe urna
laculd.de. um instinclo. urna forma qualjuer
queseja.qoe fique bolada, encerrada em si mes
roa, s< m I; go algum que a ligue as que Ihe sao
rrais aflins.
A Namreza estimula as especies que lem de
desapparecer esses instinctos e orgos, que or
malenle nellas exietem, e de cujo desenvolv
ment resultar um notavel progresso na oidem
phy .ica dus seres ; do mesmo modo entorpece e
alropua aquellas visceras, msculos e movimen
tos. que sao inuteis em mas avangadoa o.ga
nisuios. .. ,
Desde longa data se tem dito sempre que sO o
hocem, d'enire todos os seres, nuha as orelhas
immoveis. Desta opiniao foram Aristteles
Plinio ; e oinguem podera dizer de que
oen*arao os modernos sobre este assuutpto.
Entretanto, nao oceultar^mos que as orelhas,
or mai. que se diga o contrario, Hzeram-se para
se mover como o prova a circumsuncia de ter
mos os msculos que as movera e de ter bando
aiKuos horaens que possuiam esta faculdade. Ct
ta i -se no tempos do romanos Cinna de Marcials.
e sacrificador Eustachio e o oralor Moreto. No
se-ulo passado. odoutor Crassot mova as orelhan
como e quando Ihe aprazia, sem Ibes tocar.
AfWura se nos qoe o hjmem prehistonro de
ra nossuir squelle dom, nosso entender, para a maior agodfzi do uvido
nesses tempos e.u que ludo conspirava coatra a
existencia da nossa esperi-. Mas, quando esta
comecou a perder os seo* indinrtos sel^ucos,
e a viver em socedade com as suas congneres;
quando se toruou Buperior pela sua inteligencia
uos elementos da destruicao que a rodeavam ;
quan o iodos oa animaes recouheceram a soa
soberana, e comecaram a receal-a, o ouvtdo
deixon de ser para o homem uu.a arma defeosi
va ; ofto era ja necessaro para se prevenir con
ira as c ladas dos seos inimigos, e, ao perder
pirte da soa activldade aqaelle orgo, pela pa-
jjIv?; cao dos seos mo?culo!. ficou immovfI.
- *^ (Coajaia).
utrera do
S lectAo.t'.ilac
em 7 de Axosio de 1890.
O desemoargidor Barao de Lucena govmador ae Pernam-
buco, considerando que 6 de interesa do Estaio que o forneci-
ment de fardamenio do '^orpo de Pulira seja antes feito por
contracto, mediante con-nrrencia publica, do que p>r simples
arrematrcao perante o Tncscuro :
Decida :
Art. 1. Fra revogado o art. 70 do regulampnto do Corpo
Policial de Pernamou-o de 28 le Novembro da 1873. oa parte em
que declara qu- o fornecimeuto para o fardameiito das pracas do
mesmo Corpo ser feito por arremat- cao perante o Toesouro do
Estado ; bem como as demais dis josicOes que se referem ao pro-
CeSso da arremat cao.
Art. 2 o O couiracto para aquelle fornecimemo ti a compre-
hminlo na excencao do art. 173 do .egoiamemo do T esouro de
2 Je Julho de 1879. e sera celebrado pelo governo do Edalo, me
oante propostas, discutidas e informadas peas reparticoes com-
peleutes.
Arl. 3 Ficam sem effeito a- disposicoes em O secretario doGjvernj fac publicar o presente decreto,
expedindo as coinmuoica(;6es e ordens necessarias.
Babao di Licena.
PARA DENTR8 E FORA DO ESTADO
Por aeia mezea adiantadoa. 13500
Por nove ditos dem. 204000
Por um anno dem. iittOOO
Hada ninnnra aviilHo. d dia* antnnra 4100
DnU|.
Mutuas m-'tandi*
de Patawres quamo a p-jss-jsgem para O ira
nhan?. "
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Re fre ao S Francisco, d" pas-agem por con
ta -lo E-dado, com direii.. a bjgagej da estacao
de Cinco Pomas a de Dua, ao s .Idilo do co-p,
!:: I\l'i '1 -
Cous'-lho e pro>iaer.c:e quan ao
da iuuin-.'r de um trmao do mesmo
de poli aa J tao Tn-otunin de
";Jm
meo 10 vos a stncta observancia das ordens con*
siautes do telegiamma, em seguida transcripto
que reoebi do cidado ministro e secretario de
estado dos negicios do interior:
Recommendo-vosatteoco procedrncias non-
tos hespanhoes Europa. Todos navios d vem
dirigir se directamente lazareto Ilha G an'ie.
Ao provedor da Santa Casa de Misencor-
dia A' vista do que exp ndes em o*i<:io n 56
de 12 do correte, antoriso vos a nao mandar
. des d-spachar as resellas que nao contiverenj as
viudo de presidente, corona G uuaiaoo_lo B^ i leciar^c, lyccmm.Mdaia*, 8 do Niliwi,.
Maclel Antonio Mjnoho dos Santos, cagtaoMa aoi mdicos incumbidos do traiameno:it< va
nolosos nesta cidaie, conforme solicitaste? em
EXPEDIENTE DO DIA 14 DE AGOSTO DE 1890
Actos:
O desembargador Baro de Luccna, governa-
dor do Estado, resolve considerar sem efTeito a
portara de 12 do crreme na parte re ti va
noxeacao dos mjinbro< pira o conseiho de In-
tendencia Municipal do Brejo, o qu I cara com
posto dos seguintes c;djdaos : teneute coronel
K. dopiano Florencio de Cirvalho iJalumby ser-
e
modo
noel Rodrigues Franca, lente Se^as io Floro
lo R o. Kemeiieu se copia intendencia e fi
zeram-se as uecessarias ct mmunicacOcs.
O desembargador Baro de Lacena, gover
nador do Estado resolv- nomjar o Dr. Luiz le
Castro Goncalves para exercer o cargo de mem-
oro da Intendencia Muuicip d de Jaboatao.Fi
zerm-se as necessanas communlcaQOes.
O desembargador Ba-ao da Lu;ena, gover-
nador do Estado, resolve elevar a cinco o nume
ro de membros da Iotendencia Municipal de S.
Lourenco da Malla
O desembargador Barao deLucena, gover
nador do Estado, resolve aomear os cidadSos Dr.
Josc Solano Cameiro da C-jnlia, coron-l L turen
co de S e Albuquerque e teoeote coronel Justino
Epaimoondas da Assumpcao Neves, ara exer-
cerem os cargos de membros da Intendencia
Municipal de S. Lou eiiCo da Malta. Fzeram se
.s uecessarias coiumunic,-:ces.
O desembargador Barfto de Lucena, gover
nador do E dauo resolve elevar a cinco o numero
de membros da Intendencia Municipal de Gitne!-
leira
O desembargador Baro de Lucena. gover
nador do Estado, em vista da por.aria desta data,
resolve nomear os cidadaos Dr. Jos Eugenio da
Silva barros e Jjao Manuel Wanderley para os
c..rg04 de membros da Intendencia Municipal de
Gamelieira.
O desembargador Baro de Lucena, gover-
oador io Estado, resolve designar o D-. Jos
Eugenio da Silva Barros para servi o lugar de
presidente da Iotendencia Municipal de Gimel
leira, em substituico do cidado Fructuoso Das
Al ves da Silva, uue passara a fdncciouar na qua
lidade de memoro da mesma intendencia.Fi-
zeram-se as aecessanas com nunicac-s.
O desembargador Baro deLiceua, gover-
oador do Estado, resolve elevar a cinco o numero
de membros da lolend ncia Municipal de Agua-
Prea
O desembargador Baro de Lucena. gover-
oador do E-tado, resolve no near os cidadaos
tenente-coronel Laureutlno Barros Lius, Anteo
genes Affouso Ferreira e Mw Correa *ccioly
los para exercerem os cargos de membros da
Iotendencia Municipal le Agoa Preta.
O desembargaJor Bario de Lucena gov^r-
nador do Estado, resolve designar o Dr Frao
cisco Corneiio da Fon*eca Lima para servir o
lugar de presidente da Inteu lencia Municipal de
Agua Pre.a, em substituicio do Dr. Bernardo
Jos da Cmara, que lica exonerado a pedido do
cargo de membro da m sma intendencia.Fize
ram se as necessanas coraiounica(;Oes.
O desembargador Harode Lacena, gover
nador d Edado, re-olve exonerar o cidado te
neute coreuel Jj3o Ferreira de Moraes do lugar
de membro da Iotendencia Municipal de Aid
nho, par ser incompativel o referido lugar com o
de jujz municipal suplente que o mesmo cida-
oo exarca.
O desembargador Baro deLucena, gover
nador do E-tado, resolve nomear o teme co
onel Brasiliano de Barros Crrela para servir.
na qualidade de presdeme, o lugar de membro
da Iuteodencia Municipal do Aliiuno. 'izeram-
se as oecess ras cummuniCrcOes.
O des -mDargador Bario de Lucena, gover
nador de Estado, alten len 10 ao que requereu
Germana Mana Baudel, professora da cadeira de
ensioo primario de Jabojto, tendo em vista a
informaco n. 436 do inspector geral da instruc-
co puolica eoatttstado medico exhibido, resol
ve c mceder a peticionaria, a contar de 22 de
Julho findo tres mezes de licenca com ordenado
para trata.- de sua saude oode Ihe coovier.
O desembargador Baro de Luceea, gover-
nador de Estado, resolve exooerar.a pedido do
cargo de p omoto- oublico da comarca do Brejo
o baih.rel Ricardo Pereira de Paria.
O deeemoargador Baro de Lucena. gover
nador du Euado, re>olve nomear para o cargo
de promotor publico da comarca do Brejo o
cbarel Joao Capistrano de S tu muuicou se ao juiz de direuo da comarca.
lesi-wbargador Baro de Lu-eaa, gover
nador do E>udo. teodo em viva aiufornaco
do inspector da Tnesouranade Fazenta. de hon
tem dauda. o. 567 resolve. te accodo com o
decreto o. 2 884 do 1 de Fevere o d-186i
abrir om crdito da importancia total ded:dou#
sendo: 860* verba do 15 pracas de pre
e 2:5004 -t do j 18 etapas do ministerio da
guerra, ex-rcuio correte, afira de occorrer
de-pezas que. devem ser eff-ctuidas p 10 almo
xanfado do presidio de Fernando de Norooaa,
com as pracas da respectiva gia nigao no mez
de Selemoro vialouro Remeiieu se copia ao
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Ollicios: ,
ao Dr. chefe de polica. -D claro vos qu-^
lica sem efTeiio a ordeaa que vos traosraittt em
li do i-orrenie. relanvameate ao preenchimento
de vagas na guarda ctfica, menos na parte em
que se refere s pracas montadas.
ao inspector da Thisouraria de Fazenda.
A' vista do que solicita o ptvedor da Santa Ca
ja de Misericordia, no oui:io jonto por copia,
de 6 do correte, n. 4J, auto.-iso-vosa mandar
des despachar livre de pagamento de direito na
Alfani ga, os gneros coustaot 8 do citado ofu
io de-tinados aos esUbel-ciffieotos a cargo
daduella corporacao, a-s^oando o m- srao pro
vedor lertno de responsabiltdade pelo pagamen-
to de taes direitos. caso o ministerio da faienda
nao cooceda a alludida isenco. -Communtcou
se ao provedor da Santa Casa.
Ao mesmoCommuoico vos que o bacha-
rel Francisco da CosU Mata deixou em o da cor
te o exercicio do cargo de juiz municipal e de
orphaos do termo de Palmares, por haver termi-
nado sen quatnenmo.
Ao injpictor da aa-le do porto.- Recom
a
Jom
t-ffl ;to ob o. 49.
Declaro vos, para vosso conhecimeoto, que os
facultativos en -.arrogados desse servico sao os
Drs. Francia o de Paula Soares, na fretuezia de
Sbnto Antonio; Manoel Cleaentmo de Barros
Caraetro, na de S. Jos; Joo Carlos Baltnazar
da Silveira, na de Afogados e povoado Tigipi ;
Antonio Joaquim de Barros Sjbriobo, na da oa-
Vtsta; e Joo Ribeiro de Bnto, no Io distncto da
de Nossa Senhora da Sa le. do Pogo da Panella.
Ao Dr. Francisco de Paula Soares.A' vista
do que me represeotou o provedor da Santa Ca-
sa de Misericordia do R -cife em ofRcio n. 56 de
12 do crrente me?, recommendo-vos de novo
que as receltas enviadas para a pharmacia do
hospital Pedro II devem conter as deciaracO*s
constantes das ordens que vos transmitti a 8 do
mesmo mez.
Nesta dala antoriso o referido provedor a nao
mandar despacnar as que nao estiverem as
coodices cima determinadas.
Lual aos Drs. Manoel Clementino de Barros
Cameiro Joo Carlos Bdinazar da Silveira, Ao
tomo Joaquim de Barros Sobrioho e Joo Ribei-
ro de Brico.
Ao inspector do Arsenal de Marinba. Nes-
ta data reinetu deliber .gao do ministerio da
marinba o assu npto do vosso officio n. 96. de
17 de Julho ultimo, acercada falla de verba para
a demoligo dos predios em ruina no recinto
desse Arsenal.
Ao inspector do Thesouro do Estado.A'
vista da ioformaco, junta por copia, prestada
pela Intendencia Muotcipal da villa le lgoiras-
s em 1 de Julho ultimo, mandai escripturar no
quoiro da divida passiva afim de ser oppoituna-
mente paga a quaotia corre poodente ao servigo
da illuminago publica daquella villa, cerrespon-
dme aos mezes de Setrmbro, Outubro e Dezem-
bru ie 1888, a que tem direito o respectivo con-
Mtante Manoel Cl-mentino Correia de Mello.
Ai mesmo.Recomaiendovos que mandis
pasjar ao superintendente da estrada de ferro do
Reata ao S. Francisco a quantia de 4*640, prove-
niente de passageQs concedidas por coma do Es
>ado. a D Mana Amelia de Qaeiroz e a um ca
vaibeiro, correndo a despeza pela verba Even
toaes. para o que fica aberto o necessario cr-
dito.Communicou se ao superintendente.
Ao juiz de direito da comarca de Caruar.
- Solicitando o cnsul da repblica fraoceza en
officio de 12 do correte, tuformajo acerca do
subdito de sua nago Bartbelemy Pgat que Ihe
parece, exerce ou exerceo a profissi de ptaar-
meceuti:o nessa comarca, recommendo-vos que
m^ prestis os esclarecimeotos que poderdes
outer a seraelhnote respeito.Respondeu se ao
eocarregado do consulado da repblica fran-
ceza.
Ao Dr. Jos Paulino Cavalcante de Albu
querque. juiz de direito interino da comarca de
Pan-ll.is'.Respondo ao offio de 11 do correte
mez declarando-vos que do cidado ministro e
secretarlo de estado dos negocios do interio' so
licieiar-messa de lympba vacciniea, e logi que
rlia en gue salisfare o vosso pedido enviando al
guos tubos aos cidadaos indicados no predito
officio.
Poriarias :
Tendo nesla da'a determinado que a The-
sou-aria de Fazeoda faca remetter para Ga'a
obuas, a ser entregue na esta;So do prolonga
m.-nto, o padro de pesos e medubs do systema
uetrico decimal, destinado ao municipio de Con
ceico de Correles, recommeodo a intendencia
muuicipal respectiva que providencie sobre a
aequisigo do mesmo padro daodo me oppor-
tunaraeiiie eenta de es'a' em posse eile.
O referido pa Iro pesa 382 kilos e est acoa
dicciouado em cinco calx&ss. Expedlram-se as
necessanas i.rdens.
O cidado gerente da Compmhia Pernam-
buca.ia pr videncie para que sejam postas a dis
posico do bicbarel Fiaicisco Mart oiano de
O iveira. nomeado promotor publico da comarca
le Leopoldina, tres pas-^a ate o (iorto de Penedo em 2* viagem do crreme
mez ; sendo duas po'- co ia das do decreto o.
10 288 de 16 de Maio de 1889 e urna pelo do
coutracto deste Es a lo.
) Sr. gerente la '.ompanhia Peroambaca
na d paisageiu dj r al Penedo ai Dr Jos
Maru de Araujo e a seu cuuba io Joaqu m Vi-
raes, por coma d s gratuitas a que o governo
tem direito na segunda viagem deste mez para
os ponos do sal.
dem de prda para a Bama a Mirtiniaio
Go 1 .y por conta das gratuitas a que o governo
tem uireito na viagem deste mez.
I lem providencia pa a qua o vapor Jaboa
too que se destina ao presidio de Ferna do de
Norouba faga escala pelas Roccas, afim de con-
duzir ma inmeutos e comousuval pa-a o pnaol
a li existente correndo a de.^peza com o aceres
cimo da vi,g:o po- conta do ministerio da ooa
nuha. Uo n numcou se ao ca.iito do pjrto e a
Toesooraria de Fazeoda.
O Sr. superintend-uto da estrad do ferro
do Recifea Linoeiro d passagem. por conta do
Esiado, ao teneote de polica Joaiuim Brasilio
Pirrho. que regressa para Naz>retn de cujo des
taca uenio commanlante.
ide n ide n com direito a bagagem, da es-
lago do Bruia a d quella cidaie 4 seis pracas
de polica que deaiacam para Bnm Jardim
I lem dem da estaco do Bruu a de Tim
babi, a duis pragas de polica que regreesam
para o destacamento de Itamb.
O Sr. sopenoteodente da estrada de ferro
do Recife ao S. Pranciaco, d pas-agem por con
ta do F.sia lo, da eslaco do Cinco Poatas a de
para S
nana porta
soldado.
Mutatit mut-mdie ao encarrega lo da eslago
de Palmar-* pa a uar passagem ate Garanhuns.
EXPDIENTE DO DR. SECRETARIO
Ofti 'ios :
Ao commaudante das armas.O desem-
bargador Baro de Luceoa, govprnador do Esta
oo manda declarar em resposta ao vosso oficio
de 9 lo correte, sob n. 1.161 que, a v.sla da
loforraicto junta por copia de hontem dtala,
sob u. 326 do direct >r do Arsenal de Guerra,
submetiei a deliberado do ministerio da guer
ra o -ssompto do citado officio relativo ao forn-
wm-'iito di um livro para o receitoario diario da
Enfermara Militar deste Estado.
Ao juiz de direito da omarca de Gara
nhuns.O desembargado. Baro de Lucena, go-
vernador do Estado, manda communicar vos
que, tendo solicitado do cidado ministro e se-
cretario de estado dos negocios do interior pro
videncias no sentido de Ihe ser eoviado lympba
vacciniea. < .'eltT-vos-h, logo que ebegue. a
qu?. lic.iajj en < '.Tici de 10 do corrente mez
Ao coroiriuDCjile do corpo de polica.O
desemoarwador Baro de Lucena, goveroador do
Estado recommenda vos que reraetta"s com ur
enca qm majtpa demonsiralivo da dis'.ribuig)
>rc i fob vosso coramando.
raiMtfoblico da comarca de Garaei-
dasemba'gdor Baro de Lucena, go
do E-'.ad, inteira io do assumpto do
11 do correte, recommenda vos que
para esta repartico a certido de vosso
exercico.
Ao presidente da Intendencia Monicip 1 de
Palmares.- De ordem do deseuba-uad.ir Baro
de Lucena goveroador do Estado remetto vos
quatro livros conteodo ttulos para eleitores'
conforme solicitastes em officio de hontem.
Uurneiro. Mandes da Silva,
BRfta#fi*%ff*: ta*.
de e trat-raidadeAo cidadZo oea
embargador Baro de laucena, muitc diga.
governador do Estado de Pernambuco.
O ch^fe de policio, Antonio de Olinda
A;;i'ri Ca aleante.
DESPACHOS DO DIA 28 DE AGOSTO
DB 1890
Antonio Rodrigues de Lima.-Inform o Dr.
juiz de direito da comarca do Cabo.
Alfredo Francisco de Souza, Miguel Ardunja
Bezerra de Meoezes e outrosInforma a Inten-
dencia Municipal do Reife.
Danta- Faiias de Mello. ^Informe o inspector
do Tiisouro, teodo em vista a informago jun
ta da Intendencia Municipal de Bezerros.
Fielden Brothers.Ioforme o inspector da Toe
souraria de Fazenda
Francisco Floro de BafffOB Araujo.Informe o
director do ncleo colonial Suassuna.
Francisco Antonio Brayner de Souza Rangel-
Informe a Intendencia Municipal de Pao d'A
lho.
Joo Pereira do Nascimento. Nesta data se
mandn pagar o aiuguei correspondente aos me
-s de Jmeiro a Mi'rg.o do corrente anno, na ra
zao de 10* por me, recommeodando se ao Dr.
hefa de polica providencias no sentido dse
conlractar sob approvago deste governo. urna
outra casa mais comino la e de aluguel oferior
J iao X mer ..orrea d: Albuqorque.Infor
me o dire:tor do ncleo colonial Suassuna.
Joaquina Laura l'essoa.Encaminhe-se.
Jos Bezerra de Oliveir. -Aguarde o peticio-
nario opportunidade.
Miguel Ferreira Velloso.Encam nhe-se. pa-
gando o peticionario o porte na repanico dos
Correios.
Manoel Ignacio Pereira Ao Dr. juiz de direi
ti do 2* distncto criminal para a'.teuder.
Paula Mina de J^susAo juiz dos casamentos
do dislricto do Cabo, oara tornar na considera
gao que merecer, enviando depois estes docu
memos ao juiz dos casamentos de Ipojuca para
o mesmo tim.
Pedro Rotioo Ferreira.Si m.
Rodrigo Carvalho 4 CInforme o inspector
da Tnesourana de Fazenda.
Ome8mo.O fornec.mento para o fardamen-
to do corpo de polica acha se cootractado at o
dia 15 de Margo de 1891. O novo contacto ser
feito por concurrencia publica, com o prazo de
9J das para a apresentag o de propostas, deven-
do ser aquell i aberta em lo de D zetnDro pro
xirao. Passe portara revogando as disposigOes
que determinaram que o alludido fornecimento
seja feito por arreraaiagao perante o Tbesouro
Proincial,;e mandando que o respectivo contra
cto seja comprebendido na excepgao do art.
173 do reguiamento de 2 de Julho de 1890.
Abaixo assigoados, moradores na villa de
QuipapInforme o inspector geral da lustro
cgo Publica.
Secretaria do Estado de Pernambuco,
27 de Agosto de 1890.
O porteiro,
H. M. da Silva.
Repartir da Polica
2.* scelo.N. 193 Secretaria de Po-
lica do Estado de Pernambuco, 27 de
Ago8to de 189..
Cidado governador.Participo-vos que
foram ho tem rec lindos 'Jasa de Da-
'eng8o os individuos de romes Antonio Ca
zumba, Rodrigo Jacintho Tnenorio, Anto-
nio Lturengo tunes, Vicente Ferreira
Lima, Jos Joaquim de Araujo, Jos Fran
cisco da Slva e Eduard Tavares de Me! o
Pelo subdelegado do 2." tistrOto da
Bo< Vista foi remetudo ao juizo compe
tente o nqu-rito policial aqi procedeu
contra Manoel Joaquim da Andrade Vas-
concd los, coohecido por Sacriatao, Urba-
no Jta de Mello e Fr.ucisco ianddo
Bezerra, conbeoido por Picaba, como in
cursos naa penas do art 257 do codgo
criminal.
Pelo subdelegado da freguezia do
Recife foi tambe a remeteido ao juizo
competente o inq lerito a que procedeu
contra Pedro Francisco dos Santos Fei-
to*, onbecido por Pe 1ro Casaca e outros,
ptr baverem subtrahido a quantia de
400100) p*rteuc.-nte ao pharmaoeutico
Joaquim de Freitaa Le5o do Amaral.
O Dr. aubdelegado da freguezia de
Santo Anbini maidou recotber Caaa
de Detenga o o individuo de nome Jos
Francisco Soares, pronunciado no art. 193
combinado com o 34 do cdigo criminal.
Eatraram em exercico as eeguintea
autoridade policiaes :
Bodro Secundino Barbosr, da Silva, de-
legado do termo da Vi -.toria.
Recebcdorla do Estado de
Pernambuco
DB8PACHOS Do U1A 27 UK AGOSTO DB
1890
Manoel dos Santos Araujo, Clara Lucy
Thon, Antonio Caetano de Carvalho e
outros, Quitea Bezerra de Vasconcellos
e Adolpho & C. Informe a 1.a secgSo.
Santa Casa de Misericordia. A' l.3
secgao jara cumprir o despacho do cidado
Dr. inspector do Tnesou o.
A revolueSo cm Buenos Ayres
(Correspondencia para o Jornal do Commerao
do Rio.
Bub.nos-Aybes, O de Jalho
A reunio dos conjurados civis e militares
lioha sido marcada para a praga do general Le
valle, as qualro horas da madrugada d j sabbado,
28 do passado.
-.A convo acao fez se correr com esta phrase :
>'Aaaub baptisa se a c-tanga. A crianga
para uns era a liberdade, para ouiro-< o Dr. Ju-
rez Cetmau que se tratava de sequestrar para o
obrigar a renunciar presidencia. O segredo
foi to bem gu nado que, ap-'.-ar e bem orgamsada polio a, o governo s c>nbc
ceu a conspirago, quando j os Conjurados
e'ain senbores do parque de ar libara. Na cida
de nada se saspeitava.
Estive a noite no inealro Variets assistindn
primeira represd'tagao da opera cmica Paul e
Virgmie, que acabou um p meo depois da meia
noite, e de l dirui-me a redaego de La Nacin
para dan alguns aptniamenios ao ra.u amigo
Bartbolito Mitre y V-dia.
Ene intre o rodeado de a'guos dos que mais
ardeutemente pelejaram Bsta7am todos cal
me-, al'gres e conversamos amigavelmen'e a<
I e meia bora da manb, sem que urna palavra
sequer me tizesse suspeitar do terrivel drama
que preparav m.
Ninguem ficou mais espantado do que eu
quando, as 9 oras da manila fui despertado
pelo ruido do caoho e da faz) aria que soavam
atroadores e mortferos por urna bella manh de
primavera.
O primeiros chefes eslavam reunidos em um
salo do primeiro andar do restaurare Geo>'!e
Mercer, na ra Florida, onde correu o champagne
ao feliz xito da revolugo. De l vol'aram ao
local da Unio Cvica, sito ni mesma ra, a
poucos passos de distancia d'onde, om pouco
aoies das 4 horas da manb, seeuiram com uns
cincoenta panida ios armados nicamente de
revlvers. pela ra ao General Levalle at a praga
do mesmo o me, onde foram, un depois Jo
ouiry, media ite urna pdavra de seoha, introdu
znlos noe aposentos do primeiro andar d 1 par-
que, oceupados p-lo general Viejooueoo At
s 5 oras da m.nlii, foran eot ando alguns
duzentos civico Neste momento ch->gou o 5.s
batalao de infatuada, que deixara s i e meia
o seu quartel da ra m Ascienaya, oude estive-
ra preso o general Campos, que ja hivia sabido
para seguir frente da columna principal dos
revoltosos que o Dr. del Valle levava de Pa
lermo.
Vinha ao maodo do teneote coronel Jos lia-
ra Ruiz. com o seguodo commaodante Flix
Bravo e toda a offi ia i iad- ; seguir pela ra do
L valle precedido por um teuenle e quatro ba-
tedores, que iam preodendo to los os vigilantes
que encontravam no caminbo. O bataiho co-i
stava de 250 pragas, ocluiodo o piquete de 25
nomens, que guardava o parque uo mando do
capito MaZaiio. E-te offiial, que nao conhecia
a coospiragao, recusou ueixar penetrar o bala
Ihio e foi mono a tiros de r> volver, sendo a
primeira das multas victimas desta sangreati
revol a.
Estando o bataiho senhor o parque, os
conjurados puzeram o dis inctivo da Uuiao Cvi-
ca, urna fita verde, amarella e branra e, d- r
volver em ponho, desceram para o paleo, onde
obrigaram os guardas dos armazeos, italianos
pela maior parte e que dormiam soce^adamente,
3 levantar se e abrir os depsitos.
Tiveram tal susto, que ueonum d'ellea tentn
qualquer resistencia, alias intil. Alguns cbora
vam. pedindo que nao Ihes fosse feito oenbum
mal, e assim se fez. Immediatamente dispuse
ram se uo pateo 10.000 reminetons com a cora
ptente bama la. a patrona e 90 cartuchos, que
foram distribuidos aos cvicos que ebegaram e
que ao r*iar da aurora ao eram em umero in
tenor a 2.000. Mais tarde este numero eievon se
at 5 000, pelo menos, e ha quem assegure que
nao menos de 1C000 p ssoas tomaram parte no
movimeoto insurreccional, cousa multo, diftlcil,
ae nao impossivel, de verificar, porque nos das
27 28 e 49 os cvicos foram se estendendo al as
ras Victoria, ao sul, e Juoin, ao oaste, forma do
oas casas mais elevadas emboscadas de ati-a lo
res, que iam fuzilanio sem pi-dade todo quanw
passavaao dcince, policiaes e soldados isoladus
ou em piquetes, e, dsgragadamenie, mais de
nina vez imprudentes e pacficos transente-.
Urna ordem de alta, nao cumpriqa imuoediata-
mente era -em ramencordia seguida de um tiro.
Emqoanio isto s- passava 00 interior do par
que, efiegava 4 praga o piquete da guarda no
palacio do governo. vulgarmente chamado Casa
rosada, com posto de 28 pragas do i* bataiho de
lufantaria ao mando de um 2 teoente e do ca-
pitn Uernard) Calandra. 0 resto do bataiho
permaneceu el ao goveroo e m ns tarde com o
seu coronel foi juntar se diviso do geoeral
LevaHe.
Eniretant > vichara de Palerms as priocipaes
forgas da revolugo. com postas dos balalhOes 9
e 10" de infamara, do de engenbeiro3, do Io re
gimeiiio de artilhana e de urna parte dos cadete*
io collegio militar, formando um total de 1.100
nomeus, mais ou meos, com 13 pegas de co n-
panbia. .... n
0 p'tmeiro que se expoz em caminho fot o 9"
bataiho aquarieliado e u Maliona lo na escola de
uro. Sabio de l as 3 1/2 la manb ao mando
do ebefe ledente coronel Jts Garca acompa
nnado do major Mom e de toda a ufficiali lade, e
s quatro, veio formar em frente do quartel do
Io regiment de animara, na avenida 8armi;oio.
o Longscbamp dos Porteobm*. N'elle j se acha-
vam o Dr. Anstabulo del Va te e o coronel i-'
gueia com os seus ajudautj.s de ordens o Io te
nenie Jorge Senoraoa e i- lente Jos U ibu'.
O coronel, como i disse, estava preso no quar-
tel do Ritiro por ser aecusado de complicidade
oa conprac do general Campos. Ple obter
roupa de paisano, que pdz sobre a farda, e assim
illudir a gurda do 6* regiment oe cavallaria,
om dos mais delicados ao presidente Juares.
O regimmto de artilharia formn s ordens
dos capiaes Gonaalez e Fernandez qua daicoo
liando do sea cbffe major Liiroga, tinhim no
embriagado, .da-id-.-lbe depois uu: .u..-- tico.
miliar, nituaHa em n'mie^HraiijRiCaT ce"
iebre dictador Rosas, dirigidos pelos l-,;i *
Marco- H-rmeio e AnioDio Lpez, sabiram siten-
co-amenie do dormitorio, armaram se e, atro-
pellaodo valentemeote a gu^r a formada por sol -
dados, correram a janlar se a columna, que j
se diriga para a pr<>ga Levalle p la Avenida Al-
veaz. Quaoto acs seos companheiros, poderam
ser contidos peloj cheles connel Luzunagaeca-
pito .Martins He oandez. auxiliados pela guarda
e soldados do 11* reg meuto iie cavallari
A este proposito circulam duas verses sinis-
tras. que dou com toda a reserva porque nao
pude verificar a autheot cidade.
0ns dizem e sao os mais numerosos que oito
alumnos foram fuzilados.tutros que. ecu anloa
obedecer, tizeram fogo sobre um pe u de ca val-
lara que os carregou, matand- 10 d entre edea.
. D'i.-to nada consta ua reiago uflicial dirigida
pelo coronel Luzuriag'a ao general Li. He, eui
que so encontr quatro feridos.
Eu frente da peuiteociana a columna augmen-
t ju se com urna companbia de engentieiros ac
mando de um capito. que deixara a guarda da
cadea para tomar parte oa revolugo. Abriam a
mareba qualro batedore a cavallo. atraz dos
quaes viobam urna compaohiade infamara, oraa
Oatena de anubada, os cadetes cora o coronel
Figuera, uo meio as uuu-as balerias, a compa-
nbia de engeuheiros e o resto do batalno 9j de
ofaniaria. Ao chegar dame do edificio das
aguas correntes encontrn urna ronda de polica
composta ie um offi'- ai e de qidtro v>gilaotea
que foram desrmanos e aprisionados.
Ao ebegar praga da R c lea,o general Cam-
pos, que esperava com o ii> oataiho de inlau-
taria ao mando dos capites I) --idi-no Rosas e
Racedo, tomuu o mando da c lumna con a qual
cuegoa a praga general Levalle, as 6 Doras da
raauoa.
Esperavam nos os chefes dos cvicos rodeados
de mullos officiaes, entre os quaes o coronel Es-
pina qu toinou o coramando da infinta i 1,
coronel Morales e o* majures D ij e Salo as
m sicas tocaram o bymuo nacional, ossol aos
aureseoUraia as armas, 00 meio de estrgn isos
vivas mao Cvica, ao geueral campos, g Dr.
Alm, Oogo e de mjrras ao goveroo e ao Dr-
Jurez Ceiuiau. Seguio-se a proclamago do _'j-
verno provisoeio, compo?io do< Drs L M. Al a .
A del Valle, M De mana, M. Gozen 1, Juan los
Romero e Luco V. Lpez, e as tropas tomaran!
posigSo na praga fechando todas as entrad =
com urna batera do quatro pecas, apoiada por
u.ua cora.Mtiina de ioiantar a. U- cvicos toma-
ram posigao no parque e oas mas e casas
adjacentes. 0^ curiosos j ebegavam em grande
numero a multo- julgavatn a principio que se
tratava de exercicios militares da guarnigo,
sendo desengaados pelos decretos e pela pro-
clamago que os cvicos disiribuiara em folbas
solas, mais tarde todas ou quasi to las confisca-
das e rasgadas pela polica, e que fui public.de
neta tulla era telegramnia no da 28 do mex pas-
sado.
A proclamago foi seguida dos segrales de-
cretos :
Buenos rea, 26 de Julbo de 1890
Ail lu Mtbilisa-EC a guarda nacional.
Art. 2.* Sero formados dous batalbes com
os cidadaos, que se dcn.m actualmente no par-
que de ariiibana, o Io sob o coraraaudo do
majoc Joajuim Montana e o 2 sob o do cidadc
Padro Campos.
Art. Sao noina les segn los chefes. do pri-
meiro bataiho o maior Domiogo Rehucioa, do
Sdgundo o capito Nicolao Mcaen lez.
O capiio Menendez perieuce a armada nacio-
nal e fez parte da primeira e >a segunda exposi-
goes no territorio das Misses. Triste, a-uito
triste o resultado das guerras civis I Este va
len e e baoil explorador linba diaote de si uo
campo KOVeruista os seus ex collejas e amigos
eorouei Gaime lia e teneute co.onel Georges
Rbodde, que dirigiara os trabalbos de triuchei-
ras e de sapa que elle tambem por sua parte or
gaaisou do lado dos iosu>geutes.
Juti o de reto firmado por Alm. G tyeoa e Ro-
mero datado do mesmo da, ora -uva chefe de
polica da capital o cidadj Hippoiyio Irigoyen,
um desconhecido para o povo, e cujo principal
merecimolo parece ser o seu parentesco com o
.jr. Bcrnaido de Ingoyen, ex candidato presi-
dencia contra o r. Juirez Ceiman, e que geza
anda de bastante influencia, leudo se alistado
na Uuio Cvica, que o eleeera membro da junta
di rectora.
0 cnefe do soveroo provisorio, Dr. Alen, di-
dgio ao mesmo lempo ao coronel Alberto de
Cipdevilla a carta segrate :
Buenos Ayres, 2 de Julho de 1890.
Ao Sr. chefe das torga- de polica da capital.
A revolugo t-inmpbante acaba de constituir
um governo provisorio, & frente do qual est c
abaixo assigoado.
O vleme general Mraoel Campos commanda
o exerctlo revoluciooano Ooeiecem s ordeus
uo governo revolucionario a totalida le dos cor-
pos da guarnigo, os vasos da anrada nacional
e milhares de ci >ados que correal a tomar ar-
mas no parque de artilhana, que esi no poder
t revolugo.
Toda a art linaria obedece igualmente ao go
veruo revolucionario.
Em nome d. patria, pego a V. S. sna adheso
a este grandioso raoviuieuto de regenerago na-
cional que repercutir em toda a pa te da rep-
blica oide os bons patriotas esperavam o signai
da unio.
Se uo prazo de daas horas nao se receber res-
posta ou sua ineorporacao ao i-xercito revoluco-
uario. este proceder coutra a8 forgas sob o
commando de-V. S como conira urna forga ini-
miba da uago.
Deus guarne-.. etc.
No dizer do jornal La Argentina diario do Dr.
Carcano e portaoto quasi fliciai, o chefe ue" po-
lica recebeu esta inlimago, quando j forma*
o regiment de vigilames, que honra lh- fja
CicUa, se baterara como valentes, como velhos
soldados, que sao quasi todos e constituirn,
pelo menos no primeiro dia, o grosso do exer
exercito eovernista. 0 seu numero chegoa a
peno de 3 000, e quasi 10 ios esta vam no com-
bate com commissanos e oflbiaes sua freute.
O chefe de polica respoo ;eu ve.-balmente c >m a
palavra de Waterloo. immortalis-ida por Vi.ior
Hugo. 0 que uo eos diz La Argentina, quem
fot o cvico bastarte audaz para levar seraelbao-
le cari 1 ao coronel, que nunca pas-ou por ter
umita paciencia nem demadada bondade.
Esta ioiim-.go do Dr. Alina e urna declaragr>
do coronul Figuera provam, que os revoluc o-
oar.os projectavam um ataque contra o edificio
da polica oa ra Moreno e que nao levaram a
cabo provavelmente por nao quererem diminuir
o effiiCtiv,que tinham no parque e na prag
do General Levolle, onde ignoro porque motivo
caram em urna inaego que os perdeu. Con
effeito.se tivessem ODrado com rapidez podiara
sequestrar nao t o presidente da repuDlica, mas.
anda o geoeral Rcca, o Dr. Peliegrm e o gene-
ral Ljv:.lle que dormiam socegadameote, quaodo
j os cvicos e o5 bataiho de infantaria eslavam
anbores do parque .
A primeira noticia do levantamento foi levada
ao preaidente da repblica pelo commissario de-
polica da primeira aecgao Justo V. Hernandea,
um conbecido ooaso.
O pal d'este senhor o vice director da cade*
corrcxcional, ende ea'ava de guarda um piquete
de sollados do bataMo de angenbeiros manea





:-.-;
1

I"-;'




Diario de Pernambuco-Qninta-feira 28 de Agosto de 1890



m.
do de um offi-ial. Contra todos os haftitos, as 1
boras da maon do dia M, este mantea formar
a tropa e sem esperar quea a aubantaiese. dea
ordem de marcha para o traartel
meato inslito desperloa o Sr. Her
que estraahou tal retira**. Nao
amigo, lhe disse o oficial; necessilo retirar-me
cedo esta noute ; devo asaisttr a um cot04ato
prompto me aubslituirao, o miaba aicia alo
prejudicari a ninguem. Datis bv sahida a
guirda, o Sr. H'rnradez resalveo- comnuaicar
o Tacto a sea flllio. qae mora va na roa do Brazil.
Visto a seriedade da aoticia, este julgou pro
deate inveslig.r e dirigio-se para a casa Rosada
oa praca Victoria. Acbou vatia ; como j disse,
a compaahia de guarda sabira de la as 4 boras
da maoba paia ir ao parque No mesmo mo-
mento o comraissario ouvio alguas tiros; eram
os que derribavam o cap tio commandaate do
piquete no parque. a primeira victima da re
volucio. Certo de que aleuma cousa se trama
va, Hernndez tomou um carro na praca e cor
reu ao palacete do presidente na ra Vinti e
Cinco de Maio entre as de Levalle e Tucuman.
Esle dormia profaudnuuotey assiui tona o sw
irmio D Marcos, governador de Cordova che
gado bavia uns treajlias.
O Dr. Jaare^BMP*** acreditar na possi
bilidada de urna reholla, porm no mesmo ios
tante se recebia no primeiro commissarado,
que tica ao lado da morada do presidente a no-
ticia do levantamento traasmtttida pelo coronel
Capdevilla, avisando que o general Levalle com
orna parte das tropas liis marcdava para intrin
cieirar-se provisoriamente no quartel do R tiro,
na praca de Sin Martin. Convencido o presi-
dente, com o irrao e o commissaro Hernndez
para l parti no carro, que levara este ultimo,
apenas escoltado por alguas gendarmes a ca-
vadlo e nao pelo regiment dos bombeiros e por
um corpo de tropas, como erradamente se diz.
Eram mais ou menos 5 1/2 da maana.
O presidente encontrou l o ministro da guer
ra general Nicolao Levalle com os majores Ma-
lario, Villa, Yiaez e Olivero, seus ajadaotes de
ordens. O ministro tivera conbecimento do mo-
v:meoto do seguinte modo : O tenente coronel
Herculano Oliver, de servico aa repartico do
detalbe do estado maior na ra do Juncal, ou-
viudo os tiros que deram os offi'iaes do 5 ba-
taJhio para obngar a guarda a dar-Ibes entrada,
imraediatameate suspeitou do que se estava pas-
saodo e pelo telepbone avisou o commandaate
Mitarrn que dormia em casa do ministro, na
avenida da Repblica, e despertou o inmediata-
mente. Pelo mesmo modo o Sr. Oliver prevena
o general Suspisicho, commandaate da guarn
cao, e o ajudante-general Donato Alva.ez, ge-
neral Scrates Anaya e coronel Usandivaras.
Reunidos ao quartel com o ministro da guerra,
man faram officiaes cbamar os diversos bata
IhG .< e rugimentos, e o ministro p-evemo ira
mediatameote. para qualquer eveotualidade, os
governadorea de Buenos Ayres, Saota F, Entre-
Ros e Cordova. Para esta ultima provincia par
tio em trem especial, s 10 boras da manh, o
Sr. Marcos Jurez. Coreu ni tarde e boato de
que os cvicos o tiobam aprisionado em Bel-
grano, porm nada d'isto acontecen e elle cbe
god a Cordova s 11 ores da manb do do
mingo. 27, e deu principio mobilisaco da
guarda nacional com tal vigor e rapidez, que al
os carreiros que trabalbavam oa estaco tiveram
des-iguir para um qoar'el de oode s sabiram
para embarcar para Buenos Ayres. Coobego
este detalbe por carta de urna pessoa muito se-
ria, que se acbaodo nos armazens da estrada de
ferro pode presencial o e leve que recolher o
carro de um d'estes desgajados voluntarios.
Por outro lado o tenente-corooel Cabot cora
mandante do 6" regiment de cavallaria, acaba-
va de ser avisado pelo major Diaz, ciiefe do ser
vico da guarnicio nes'.e dia e que estava no
quartel do 10 batalhio, quando ese pegn em
armas a couvite do general Campos. Os conju
ralo- commetterara a imprudencia de deixar li-
vre o commandante Diaz e seu ajudante de or-
dens, capito Gimnez, os quaes se refugiaram
no quartel do Retiro, viziuno do dcimo. Por
ordem do gen 'ral Levalle, Diaz segua para Pa-
lermo para buscar os cadetes qne &>m alguns
sollados da baada de msica do Io de artilbana
formaram ura batalhao, que s ordens do com-
mandante Lazuriaga se dirigi para o Retiro,
com duas pecas de campanha e nma metralha-
dora, que se eocontravam no collegio militar
para a iQ3trncco dos alumnos.
O general Roca foi avisado do (junio se pas-
sava por um amigo e depois por um moldado,
qne raandaram do Retiro. Que tropas tem o
Hoverno ?* pergonton ao amigo. Smeaterdois.
katalhes de infamara, responden este mal in-
formado Bem, disse o general, com esta cal-
ma que nunca o abandona, ha urna base. E a
B', :i.u;ti tranquillo, da sua casa da ra San
irlin foi ate o primeiro commissarado, onde
reuni os 60 vigilantes, que o occuoavam e com
elles segua para o quartel,onde o esperava o pre
sidente. Deixando ao ministro da guerra a di-
r fio do ataque, encarregou se de organi.-ar os
reforcos, e ha quem assegure que o verdadeiro
vencedor da iasurrcico foi elle. Punco depois
chegaram os ministros, varios senadores e de
pu a los entre os quaes os Srs. Tonbio Mendoza,
Vidal e Wela Orliz, o Dr Carcano, director d03
telegrapbos, os ajudaots de campo do presiden
te, o almirante Daniel de Solier, o almirante Cor-
deiro e muitos officiaes. O vice presinenie da
repblica, Dr. Carlos Pellegrin-, apresentou se
a cavallo com um ofnal de ordens.
As prime ras precaoges lomadas pelo gene-
ral Levalle foram fuz 'r guardar por baledores
do 6 e por pequeos grupos de- vigilante as en
Iradas das numerosas ras qne d&o accesso
praca San Martin e collocar sentinellas e alirado
res na so.ea do quartel.
R-Minidos os ministros, emquanto ebegavara as
tropas foram reJigidos o decreto e proclamacio
segrales, que foram impressos oas machinas
do Sud-Americi. e lancados era profaso ao
publico, com ttulos poucs de harmona com a
g.-avidade das c rcumstaocias e que destoara da
calma e raoderacio que convra aos goveroos
fortes.
O presidente da repblica ao povo da capi
Ul.
Os eteroos inimgos da paz da repblica ac
bam de produzir um novo escndalo, sublevan-
do dous batalhOes no exercira em guamic&o na
capital.
O resto do exercito permanece fiel ao dever e
encontr me no meio delle acorapannado de
meas ministros e do vice-presidente da repu
Mica.
O povo nio 'oma parle nesia criminosa aven
tura de uns poucos de insensa'os que serio em
breve subjugados pelos poderosos elementos que
o goverao tem a sua disposicio na capital e em
toda a repblica.
Conciiadios, a palavra de vosso prime'ro ma
gistrado faz se ouvlr nestes momento* solemnes,
sem odio e sem rancores, inspirada no sentimen
to do dever e do patriotismo, para exhortar-voa a
rodear vosso presidente e sustentar as au'or: la-
des constituidas.
Disto depende a sal vaco da repblica amea
fa la por ura raot.ra de quartel que nao pode en
aaattar :o no coraco dos bon3 argeutraos.
Miguel Jurez Imn..
Seguia-se o decreto proc amando o estado de
itio, precedido da seguinte ponderago :
Por haver rebeutado nesta capital um mo-
vimento revolucionario com o proposito de der-
ribar as autoridades constituidas, o presidente
tu repblica decreta:
Art. i" Declara se o estado de sitio em todo o
territorio da repblica.
Arj. Mobilisar se-ha a guarda nacional das
provincias de Buenos Ayres, Santa Fe, Entre-
Bios e ordo va. .
Firmaram no o presidente e todos os miis
tros.
SCIE.WI W E LfTT8AS
A educM&o babeada sa>bre a evo-
lacio orgaalea Individual e
sobre as eoadlfe soelaes___
*ELO SE. A. CODBTT, PBOFE88OB DA FA-
CCLDADE DB MEDICINA DE MoHTPELLIEB
Tradueqo de A. Hyg. de Miranda
Jnior
(ContinuacSo)
Si se qcizesse tragar um Ensato sobre a mar-
sha que te dte seguir na utruqo de urna cria
fo, desde os seus comeos, propinamos o seguinte
por parecer-nos o mais lgico :
Ltcoes de cousas, estudo de tudo o que nos cerca
qne nos diz respeito, com as propriedades da
materia; a phytica, a chimica e a historia na-
tur oes ; a geograpkia, esteodida aa estudo do at-
**>, i ootmotrmpkta, estnutura o hornear; o
atado das hnmtm moimm, tai o cerne, da
aaateo.
Todo 1 aauwarto. tna miara, tudo 6 ver-
dade.
Nada de obras de iiaagmaeSa. nem de falsas
scieocias qae se encoalram nos poetas e que di
tanto trabalbo aeaqueaer mais Urda quando de-
ve se subsiitow o erro peta verdade. Depois deve
seguirse o estado da kumanidode, da histoni dos
diversos pavos, mais tarde o das malbematicas e
das abstraegoes facilitado pera estudo concreto
das grandezas e da sua medida, da geohrapbia
e da astronoma de pura observado, qne prece-
dern!.
E ntim o estudo das humanidades, das obras de
maginacao, os estados das hnguaa antigs e dos
poetas, ao mesmo lempo qne o do mecanismo das
Unguas, das grammaticas comparadas, da philoso-
poia e particularmeaU da pbilosophia irs lingia
gem de que uz-se eolio conbecimento de causa.
Eis a ordem lgica que parece-nos dever se-
guir se cm seraelnante materia.
A pomanea de obtervifi e da assailacio, a I
cunosidade a a facilidade em provocar a valla das.
rap.essOes ou a memoria: taes sao as faculdadea j
qae s&oem particular postas em jogo pela pri-
meira parte deste campo de eosino.
A seguad 1 parte particularmente reservada
imiQimcuo, ao mesito lempo qae razio e ao
discernitnento como para moderar os desvos.
A ordem pela qual deve se successivamente
fazer appello a cada urna destas foculdades a
proprla ordem de sua appangio e desenvolvl-
mento na evolucio orgnica. Nao se sabe da va
que a propria natureza nos tragou.
Sabemos qae aecessario desenvolver essas
ideas, que preciso mostrar tufo quaato pde-
se aprender assim" successivamente, e tio bem
que se nao o esqoece mais, aquillo qae aprende-
mos porque subordinase sempre um estudo a fu
zer a um estudo j feto (que o uso ao quai se
o suamette, logo que se o po sne impede de se
esquecer. 1
Em vez de nada poder rcter de tudo quanto se
aprenden simultneamente, sem oenbuma cor-
relacao lgica, nesses programmas nnversi a-
ros t&o carregados esoorecarrebados de liges,
a ponto de Dio deixar lagar alguno, disponivel.e
e que s resta procurar qnal a lico que se pode
exprimir, teremos de conceber ama aova do in
toito de intercalal-a e de aj natal-o ao dfto pro-
grmala.
Mis devenios dizel-o anda urna vei que esta
marcha a da propria evolucio, das differentes
parles do cerebro e das diversas ("acuidades da
iutelligencia.
A medida que esta evolucio cerebral tornar-
se mais conhecida, toraar-se ba certamente a
base sobre a qual se firmarao nossos metho Jos
de ensioo.
Someote ella nos poder fornecer urna marcha
segura para os es tu tos o para a ordem a seguir
as materias destes estudos: 1* observaedes
concretas, licoes de cousas; 2 simultneamente
licoes de patavras, coraplrcajes progresaivas
de.-sds licoes, a principio en urna s iiugua. de-
pois em duas; 3" unido das Ucbes de cousus s
licofs de pilavraa e ormazenogem do maior ou
mero possivel desses conbeeimentos, tanto em
cousas oa em pbeaoraeaos, como em expressOes
oa em palavras
Ligamos muita importancia a esta araazena
gem, condicao de que seja bem etfectuada,
isto que ao primeiro chamado da lembranga,
quer por meio de recUacoes, qaer por neio de
exposicio a memoria poaha immediatamentn
nossa disposicio o osjecto ou a expresso pro-
caradas.
S assim nao acontecer, necessario esforcar-
se em dar desenvolvimiento pelo exercicio, pela
Irequencia da volta das vioracoes da cellula ner-
vosa, centro da percepcio. Pole se desenvolver
esta memoria qae deve fazer-nos lembrar as pa-
lavras faxendo recitar bellos modelos de litera-
tura em qualquer lngua ; quaato s cousas de
ve se fizer narrar ou esurever o) poenomeno3
observados, de modo a poder ter a certeza de
qu: esses pbenomeoos sao apreseatados pela
lembranga, como tambem as palavras qoaodo -e
le o senso intimo, em todos os seus detalbes
quaesquer que sejam o numero e as qualida
des ; 4 depois da olservaeio concreta, depois
do estado das palavras e do exercicio da memo
ra das cousas e das palavras, segue-se o exer
cicio di discernimento, isto e, o estado compa-
rativo 3dos objectos traiidos da o te da conscien
cia pea memoria, e em seguida a concluso ou
a absliaccio, que nio mais do que o discern-
ment resultante desta compa.-aco.
jtjuer se applique este metbodo a todos os es
tudos, ao ensioo primario geral ou somente ao
ensioo primario de ama parte do programma ;
quer se o applique ao eosino secundario, a iodo
ens.no secundario ou someote a ama parte de
programma deste ensino. tal como o estulo das
linguas oa mesmo o estado de ama s lingua,
ou ao estudo das mathem? ticas, da physica, da
clumica, da historia natural, da geograptua. da
historia, etc.; sempre a mesma cousa.
Infeliz nene no ensioo qne at boje era dado
s geraces que nos precederam tudo era feto
em opposico lgica. Ensinou-se ao disc-
pulo todas as obras de imaginacao (e as obras
reputadas Iliterarias nao sao mais do que isto)
em lugar de se eosiuar primeiramente o que
devia mais ioteressal-o Refenmo nos aqu
a aquelles que lhe ensinam o que seja elle
propno, o que seja a trra sobre a qual elle
est, o mundo que o cerca, emlira o universo e
a materia de qne elle formado, como todos os
oulros, s propriedades desta materia, o calor, a
luz, a pooderabilidade, a electricidade. Temos
em vista tambem as obras que lhe ensinam a
conbecer o que seja o propno homem ateos li-
mites dos nossos coohecimentos, os meios pelos
quaes elle pode entrar em relaces com os seus
semelhanles, primeramente os mais prximos,
os mais recentes e os contemporneos, depois os
mais distantes, os mais aotigos que dos fazera
co.ibecer a historia, a philosopbia e as obras de
imagioacio, pelas quaes um ensioo deve lindar
em vez de comecir.
At boje tudo tem sido iilogico 00 no-so en-
sino. O mesmo vicio, cuja existencia procuramos
demonstrar ao eyelo do c rajunto dos estudos,
existe tambem no que diz respeito ao estudo de
cada cousa > at mesmo no de cada lingua em
particular.
E' assim que emprega se um grande cuidado
em ensraar primeiramente ao discpulo a parte
abstracta e inintelligivel de ama Imgaa
matica) antes de easinar a oarte concreta, usual
e til. Invcrta-se o methoao e por experiencia
podemos garantir qae em um periodo dez \-ua
menor obtem se resultados dez vezes superiores.
E muito simples seguir no ensioo das linguas
a marcha da natureza, aquella que se segu ao
estudo da propria lingua materna: principiar
fallando as palavras simples, monosyl'abicas;
simplicidade as ideas igual que se emprega
as palavras ; complicaco gradual augmentan-
do poaco a pouco semelhnte a aquella pela
qual pasa a changa no seio da familia para
oDter o conbecimeoto da sua propria lingua sem
ter nisto gran le trabalbo.
O di-cipu'.o nada tem a perder seguindo este
raetho lo na escola. Obremos da mesma maneira
para as cou-as.
Haver nada mais ariio e mais desagradavel
do qae o estudo das matberaticas para os dis-
cpulos que nao teem go-to ou vocaclo por esti
sciencia ?
A propria aritbmetica, si s escrevemos alga
risrnos, por pouco que as operares se aln
guem em nmeros de muitos algarisraos, torna
se tio iotjleravel como qualquer outra. En vez
de comecar por alinhar esses algarismos, por
addicionar ou multiplicar esses nmeros, sub-
trahil os ou dividil-os, convem levar os discpu-
los para ura terreno, medir os seus limites,
depois os cootornos. depois a saperfl.de, a altura
dos edificio o cabo das constraeces ou das
montabas, as divies e accidttntes do terreno,
os cursos d'asua qu o atravessam, etc.
Hio ba proDleuja, par mais complicada qne
seja, que esses diseipulos nioemprebendam com
prazer quando vollam do passeio, depois de te
rem elles proprios medido o solo e recolbido
porlanto os diversos dados dasso problema.
Deve-se principiar sempre pelo concreto, pela
impresso das cousas colbi las pelo orgSo das
8ensaces especiaes ou pelos orgaos dos senti-
dos. EnISo o espirito opera sobr-1 elementos
cuja imagem tem sempre presente ; nao smente
o objecto existe, como tambem o ira permanece
o mesmo, e o discpulo interessa-se por di".
D.'sde que se ti ver reito i.ascer o interesse do
resultado e que se tiver reunido a esta aquelle
que provoca o conhecimeulo do objecto. tem se
conseguido excitar a attencSo do discpulo. A
partir de entilo elle far suas operaces com um
cidado anque nao faltar perfeicio.
Erte slmplas esttoco do algaat eonataMa dus euu cmara
reformas qae o ciwheeioaiit d* evatatf caga ^d|-job a
0ScS,*Ui,rt em*i9' meC mt9 WnSoes, a
Entiasaaia laais de usa pbiiatopbo cjiOaiaBoiJ &80 meaibros,
poOoase ; A
I
esto 8
de ridiculo, coma e isto
impedir que elle seja a exprselo da.varOMe.
Lancar o ridiculo sobre os partidarias tekMOtu
cao orgnica naa quer-auer combata-ers, a aia
da meaos vencel-cw pela logiea.
A evolucio urna lei de desenvolvimanta in
contestavel e nao urna questo de sentimento
em demonstracio : um facto e basta obser-
val-o para descobril-o.
Como dizem alguns gaialos, ella em nada
prejudica a apparicio de urna especie superior
aossa e aquelles qae tem estsdado as suas
manifestaces" tem ouvido apresentar ontras
muitas hypotheses aemelbaates.
Mas essas lea nma vez bem comprebendidas
obrigam a introduzir no3 aotigos metajaM de
ensino moditicacoes uteis e indispeasa^^E
Entretanto nio podemos coraprebenwF que
urna vez convencidos dessas vantagens se per-
de repreaeotantes com 330
Inglaterra com cerca de
sua cmara de lords tem
e a dos comniuns> 970.
A Juanea, com nma pnaaahi.la de 38
sista por mais tempe em descon*eeer-o valor e para un povo acreditar qae, augmentando
a nao se sentir a urgencia que ha era seguir1
urna certa marcha no modo de adminisfat/ao
milbOay tem nm senado com 300 membros
e nnaa cmara de deputadaa com 584
Na apiniSo dos anaarrolaaos, alargar
muito aa aaaemblas legialativn, correr
o risco de introduzir nell&s, homens sem
capacidade e aptos para todas as manobras
indecentes.
O Federal'tt, excellente commentario
da Cnstitaiv'So Federal, diz :
Quanto maior for o numero dos mam
broa de nm cmara deliberativa, mais
diminuir o numero daquelles que effecti
vamente a dirigem, porque a paixSo per-
tubar mais a razao. E' erro grosaeiro
diseinulo o alimento inteliectual, marcha qne
deve estar de accordo com a que segu 00 seo,
des nvolvimento o orgio destinado a colher ou
a elaborar este alimento.
Qnerendo-se persistir em lazer o contrario do
qae dizemos, absolutamente o mesmo que se
se quizesse abrigar o estomago e o intestino do
recemoascido a digerir carne em lugar de lene
e legumes seceos em lugar de sopa de pao.
Atada nio terminamos com a evolucio orga
nica como base dos methodos de ensino.
Refenmo nos evolucio orgaoica individual e
nio i evolucio orgnica eral ; a razio disto
qne existe na evolucio dio homem.au do cerebro
do bomem um elemento que determina a rdem
a seguir no ensino.
Com effeito deve se accrescentar ordem de
successao das faculdades qae se manifestara em
todos os individuos, a predominancia de urna
faculdaJe em tal ou qual individuo, Uto a dif-
fereoca das aptidoes, que um elemento nio
menos importante de determinacio das Datarla
a ensinar e do metaodo a seguir ueste ensino.
Jamis se chegara a poder mudar as aptides :
vejamos pois o meio de conhecel as. de distin-
guidas e determinal-aa.
O segredo da educacao para os borneas, como
para os aoimaes e plantas consiste em diminuir
as ms quaiidades e desenvolver as boas oelo
exercicio.
Dahi resulta o poder de -etirar de cada um
delles o qne podem dar de melbor.
Quanio se ensina a criaocas, deve-se seguir
nio s as leis da evolucio, i.-to na ordem das
materias do ensino, a ordem do deseovolvimea
to das faculdades qae depeadem da evolucio
dos orgos que se acbam em relacio com essas
faculdades e com essas materias, a saber: pri
meiramente a observaco, a indagacao. o
a memoria, depois o eiscernimento, etc.?
tambem existe um principio importante a 1
car ao ensino e este consiste em conbecer
cedo as aptides de cada discpulo e de esfor
car-se em deseavolvet as, snppoado-se eateadi
do que ellas sejam favoraveis.
Seria tio intil procurar urna aptidio ausente
como querer fazer urna pereira dar pecegos e
um damasqueiro dar magas.
la'elizmeote isto nao conbecido e menos
anda utilisado I
E' disso que resulta aa grandes escolas, como
as escolas normaes, centrae3, ele apezar dos
mraeoios servidos que prestara, apres ntarem
muitas vezes inconvenientes serios.
Todos os discpulos sio sujeitos ao mesmo
molde, e entretanto delle s sabem dssigualda-
des palpitantes I
Quando se est bem compenetrado desta des-
igualdade niaguem pode deixar de afiagir-se
pela iguuraucia em que se acbam aquelles que
deviarn ser os meos atacados.
Lembramo-nos de um dia ter fallado, noga
bnete de um ministro com seu secretario inti-
mo, a respeito dessas diflerencas de aptidio e
de sua importancia, ao mesnjo tempo qne da dif-
li raid de que ha em condece -as:
Eu s conbeco, responden elle, duas espe
cie3 de aptides : a de trabalhir ou a de nada
fazer.
Na verdade nada mais falso, e Hquei pro-
fundamente triste por nio ter podido provocar
urna outra resposta.
O mesmo dase com os nossos legisladores,
deputados que nao acbam nada melhor em ma-
teria de ensioo do qae con3ervir o que est fet-
to ; desolador!
Isto provm sem duvida alguraa de nio estar-
mos pr.'parado para estas qaestes.
Apresentanlo asjaqui, alimentamos ae3peran-
ca de qie um dia el as terSo sua utilidade.
(Contina).
O goverao nSo cogita, absolutamente, na
bypothese de espacar o praso marcado para a
eleicio do congresso e sai consequente reu-
aiio.
As eleices devem-se verificar a 15 de Setem-
bro e o congreaso deve comecar as soas func-
ces a 15 de Nsvembro.
Aa coramuoicaces, para os estados, da ulti
ma alteragao feita no- regulamento eieiloral, no
sentido de serem eficazmente riscaliados pelos
cidadios eleitores os tra balboa das mesas eleito
raes, foram feitas telegrapbicamente aos gover-
nadores dos estados pelo ministro do interior, e
chegaro a tempo ao sea destino >
L se no ornal do Commercw de 21 :
Consta que foi nomeado,director da Facul
dade de Direito do Recife, o Sr. Dr. Ernesto de
Aquino Ponseca.
Foram transferidos : da cadeira de direito
natural para a de pratica do procaso da Facul-
dade de Direito do Recife, o lente cathedralico
Dr. Antonio Uoelbo Rodrigues e desta para
aquella uadeira, o Dr. Albino Gongalves Meirade
Vasconcellos.
Consta que boje ser assignado o decreto
muito o numero dos seus representantes, que nomeia o "general de divisio Jos de Almeida
fortificar aa barreiras contra a naaaiveis' Barrete coaimandanta-superior da guarda na
'__::"_:._ ciooal da capital federal.
usurpacSes de urna minora; a experien-
cia prova que esse modo de pensar d um
resultado negativo. O aspecto exterior do
governo poder ser mais democrtico,
mas o espirito que o anima, torna-se
mais olygarchico. O msohaniamo em sua
totalidade parece augmentado, ms as
molas que o movem, slo em menor nu-
mero e mais secretas.
Posto que a precedente observaco do
eperiptor americano seja verdadeira, toda-
va nao se deve ligorosamente concluir
que o valor das assemblas, esteja sempre
na razara inversa do numero dos repre
sentes.
Se assim foase, devera se admittir que
a cmara federal dos representantes dos
Estados Unidos, contendo apenas 330 mem-
bros, isto ponera mais ou menos metade
da cmara dos coramuns na Inglaterra,
seria duplamente mais sabia e circumapecta
do que esta.
Mas o qie se sabe e o que Tocqueville,
desde muito vulgarisou, que ali a boute of
repreaentative n2o brilha em nenbum
d'aouelles predicados.
Na deficiencia de urna base fixa, e to-
mando a licito dos americanos do Norte
nao devemos pois constituir assemblas
numerosas.
Para dar miaba opinio sobre este pon-
to, direi que b^sta que a cmara dos de
patados deate Estado, tenha de 35 a 40
membros, e o senado da 15 a 20.
Bios.
OlESTOES SOCHES
Questftes de direito constitucional
ni
Proporcionalidade da represe ntacSo
Que numero de representantes dever
ter o nosso Estado? Q.uestao difficil de
responder com fundamento, porque nem
temos estatistica, nem podemos adoptar
urna b se fixa para a representacao.
Quantos habitantes tem este Estado ?
Quanto3 tomaremos para um represen
tante ?
Tudo nesse ponto ser arbitrario.
O recenseamento de 1872 Java nos
841,539. Com o augmento annual de
2 /0 teremos hoje 1,200,000? Quem
sabe?
Por outro lado, que razio tomaremos
para um representante ?
Na Blgica, a razio de 1 por 40,000;
na Hollanda, 1 por 45,030; na Franja,
1 por 60,0K) Nos outros paizes a base
tambem variavel.
Desse modo, quer se tome por base o
eleitorado, quer a populacSo em geral, a
representacao muito variavel.
Ninguem saba, que base tomou o go-
verao provisorio, dando 17 deputados, a
este Estado, na represeatacSo nacional.
Puro arbitrio; designou 17, como poda
ter designado 20.
Falbindo, pois, a base da representa-
cao, forcoso recorrer ao principio da
conveniencia pratica.
Neate caso, cabe perguntar se me-
lhor urna representacao grande ou pe-
qnena ?
Os constituintcs dos Estados-Unidos do
Norte, tomaram por base 3 ,000 nabi-
tantes para uoi representante, o que deu,
65 deputados no primeiro congresso de
1789.
Crescendo, porm, mui rpidamente a
populacSo, como succede sempre nos pai-
zes para onde grande a corrente de im-
migrantes, os estadistas americanos fo-
ram successivamente-augmentando a base,
e por tino recorrern?, ao arbitrio numeral-
Se tivessem observado a base constitucio-
nal de 30,003 habitantes, a representacao
dos JisUdis*Unidos elerar-aav-'^ta boje a
orea de 3,OQl>,000 i pr 1 fiasi!
De todoa es peMenai pofttton, o menos
susceptivel de exacta selucjle, e determi-
nar o effectivo parlamentar, que deve ter
um estado.
Os americanos do norte sao contrarios
s assemblas numerosas.
Os membros das duas casas do congres
so americano, considerados sob o ponto de
vista da popuLco, muito menor db que
em outros Estados da Europa.
Assim, ao passo qne os Estados-U idoa,
com urna populacSo de 61 milhSes desha-
bitantes, tem nm senado com 84 membros,
REVISTA DIARIA
Acto* offlciaes -Por acto dd 23 do cor-
rete do goveroador do Estado foi nomeado o
Dr. Jos Nicolao T. lentioo de Carvalho para ex
ercer o cargo de membro da Intendencia Muni-
cipal do Recife.
Por acto de 15 do mesmo gove-nador :
Conceden se ao Dr. Joaqaim de Cerqaeira Lei-
te inspector de Hygtene, aeesenta das de licen-
ca com ordenado para tra'ar de sua saude.
Foi nomeado o cidadio Manoel Domiagues da
Silva Maia peraexercer o lagar de membro da
Iotendencia Municipal de Canbotinbo, em sub-
>tituicio de Domingos de Oliveira Cavalcanie
que foi nomeado seguudo supplente de juiz mu-
nicipal.
Por acto de 26 do mesmo governador :
Foi exonerado a pedido, o capito Antonio Pe-
reira de Moraes do cargo de Intendente do mu-
nicipio de logaseira.
Foi nomeado o cidadio Vlanosl Thora de O-
veira intendente do raomcipio da Escada, em
sub3tituic9o de Manoel- Antonio Das que foi ex-
onerado por exercer o lugar de delegado de po-
lica d'aqnella localidade.
Por actos de 27 do corrente, do mesmo go-
veroador, aob propoata do Dr. chefe de polica,
foram exonerados o alferes do corpo de polica
Manoel do Nascimento Rorges Leal do cargo de
l" supplente do delegado do termo da Victoria e
Antonio Francisco de Mello do de subdelegado
do 6o distnclo do mesmo termo e ncmeados pa-
ra aubatituil os na ordem em que vio col locados
o cipilao Manoel Joaquina da Silva Cavalcanie e
o alferes Francisco Tavares de Lima.
obre eleiceeAo governador do Estado
foi expedido o seguinte aviso :
r seccio. N. 3,536. Ministerio do Interior.
Rio de Janeiro, 12 de Agosto de 1890. Circular
Teodo o governo resolvtdo qae sejam dispensa
dos de comparecer is respectivas reparliges e
estabelecimeotos no dia designado para a elei-
gio do Congresso Nacional os funecionarios p-
blicos e operarios das oficinas do Estado que
bouverem dj exercer o direito do voto, assim vos
communico, para 08 tios convenientes.
Saude e fraternidade. -Josi Cesario de Farta
Alvtm, Sr. governador do Estado dePernam-
buco .
Seri-lco postal entre carear e Al
ilnho-o governador do Estado foi expedido
este aviso :
N. 861. Micisterio dos Negocios da Instru
ceo Publica, Correios e Telexraphos. Capi al
Federal, 12 de Agosto de 1890.
Sr. governador do Estado de Pernambuco
Communico vos para vosaa iotelligencia e ftns
convenientes, que, por aviso desta data, autori
sei o director geral dos Correios, a faier esta-
belecer a commnnicacio postal entre a cidade
de Caruar-e a villa do Alticbo deste Estado, co-
mo fui reclamada pelo ju z de direito da respe-
ctiva comarca, em officio de 6 de Setembro de
1889 e devidameote proposta pelo governo des-
se mesmo Estado em officios de 21 do mesmo
mez el de Maio ultimo.
Saude e frateraidade.Benjamn Constant .
Sal de Brasil Tivemos bontem folbas
da capital Federal al 21 do corrente e n'ellas
encontramos o s< gointe
Estado de S. PauloEscreveram ao Jornal do
Commercto. do Rio de Janeiro :
Deviam termiaar bontem definitivamente as
sessoes do corpo episcopal, reunido no semina*
no da diocese.
> Os bispos syntbetisam nesta sBsso final
todas as materias tratadas e ques'&es discutidas
nos das precedentes. Depois de liscalisadas as
sessoes, dir gir-se-bao os prelados i capella do
seminario, onde ser cantado um Te-Deum so
lemne. Brevemente, e muito provavelmeote no
dia 2< deste mez, serio sagrados nesla capital
o bispo coadjutor da Babia, monsennor Saotos
Pereira, e o hispe coadjutor de Marianna, Mgr.
Silverio. Deve vir o internuncio de Sua Santi
dade para esta ceremonia.
O conseltio da Intendencia da capital, em
seasao extraordinaria, resolveu hontem con'.ra-
ctar com os Srs. Andrade, Costa & C. represen-
tantes de uno syndicato de capitalistas desta
praca do Rio de Janeiro, um emprestirao da
quantia de mil e quiabentos contos de res, ao
typo de 90 po cento, de juros de 7 por cento,
reegatavel em cinco annoa.
Em vista das circumstancias actuies do
mercado, que no parmittiara transaccio mais
vantajosa a Intendencia, recusaudo emprestimo
de somma mais avuliada como Ibe foi offereci-
do pelos meamos proponentes, limitou se aob
Ur os recursos indiafosaveia e urgentes para
fazer lase a03 encargos da divida fluctuante, le
gad03 oa maior parte pelas administracoes an-
l*riores.
Foi apprebendida pelo Dr. Cfemenlino de
Castro, presidente da intendencia, nma nota de
50*000 falsa, qu' o italiano Jacob Marcos levou
aquella reparticio para fazer pagamentos de
impostos E' esta a segunda nota falsa do va-
lor de 50*000 apprebendida pelo presidente da
inten lencia.
Em Campias, no salao Victoria, bouve do-
mingo ultimo urna reumio de operarios, atira
de tratarem de interesse da classe.
Djliberonae empregar todos os esforcos
pa-a a anuo da mesma classe e prosperidade
da nssociacio.Liga Operara.
Capital Federal L-ae no Diario Oftcial, de
SI:
capita
Foi declarada sem effeito a nomeaco de
Jos de S Peixoto para o cargo de tbesoureiro
da alfandeg? de Macei, estado das Alagoas,
sendo nomeado Manoel Martins de Miranda.
Ble de Prata- O citado Jornal do Com
mercto pab'icou estes telegrammas :
Buenos Agres, 20 de Agosto.
O ministro da fazeada, Dr. Vicente Lpez,
apresentou bontem ao senado o seu plano Unan-
ceiro.
Conata este de sete projectos.
O primeiro auto-isa a em:sso gradual de 60
railhoes de pesos, em papel. Viole e cinco mi
lh6es se.io entregues ao Banco Nacional, outros
2i milhOes serio ^entregues ao Banco Hypothe
cario, e os 10 milboss restantes i muntcipali
dale.
O Banco Uypothecario fari emprestimos a
jaro de 7 | com amortisacio rte 3 /c ecommis
sftodel^fo. O Banco Nicional restituiri tri-
uiensalmenle 20 |, em valorea, que serio quei
madds.
O 2 projecto autorisa o governo a vender os
fundos pblicos, tyoo 4 1(2, que representam a
emissio do Banco Nacional, convertendo os em
divida externa.
0 3o autorisa o governo a contrahir um em-
prestimo de 20 milhes de pesos, que serio
depositados eso Londres, para pagamento da
divida.
O 4 estatu a creagao de urna caixa de. amor
tisagJ, di igida por ciaco administradores.
O 5o autorisa a creaco de urna coramissio
liscal da divida municipal.
O 6 autorisa a emissio de bonds do thesouro
garantidos por ap .dices da divida interna.
O 7 annu.la a lei da emissio de 100 milbOes
de bonds, baseada na liypoiheca de estradas
com .'aramia nao principiadas.
20 de Agosto (3 h, e 50 m. da tarde )
Con.-ta que a questio militar terminar em fa
vor dos officiae3 qne tomaram parte na insur-
reicio, os quaes serio reintegrados; o mioiste
no uao soflreri modificage?.
O Sr. Marcos Ceiman renunciou o sea cargo
de governador da provincia de Cordova.
Ha grande agilaco poltica em Mendoza ; o
governo dissolveu a aasembla da provincia, que
pedio a iotervencio da cmara dos deputados
geraes.
Montevideo, 20 de Agosto.
Hou.e aqui grande temporal.
Foram Borneados os coronis : Bernoza, com
mandante da escola militar; Escaras, chefe do
batalhao de artilbeiros; Garca, commandante
ds 4" de cacadores ; Martnez, commandante do
batalhio de artilharia ligeira.
Prado PernambacanoBasa socieda
de sportiva rene se amasbi em sessio ordina
ra de assenbteo geral de accionistas, para to
mar conbecimento do relatorio da directora,
das contas do thesoureiro e do respectivo pare
cer fia-al com relacio ao anuo social lindo em
30 de Juoho ultimo.
Na mesma sessio ter lugar a eleiclo da nova
directora, da commtssio fiscal, do presidente e
secretario da assembla geral.
ViiecinntNo obritcnlorln Tendo O
conseih > de intendencia municipal deste muni-
cipio declarado obrigatoria a vaccinaco, e neste
8entido prescripto regras em postara de 14 do
corrente mez publicada neste Diario na seccio
proprio, chamamos attetiQio do publico para
a meama postura, aflm de tomir se conhecimen-
to do que oella disposto, e assim acobertar-se
pela respectiva observancia) da sanecio penal.
Molre artiatleaEssa grande festa mu-
sical promovida pelo Sr. Elias Pompilio tem lu-
gar boje, no sali do Club Internacional do Re-
cife, s 8 boras da noite, nella tomando parte
as discipulas do mesmo Sr. Pompilio, Exmas.
Srs. D. Oliodina Leal e D. Mara Alves, as in-
signes amadoras Exmas. Sras. D. Julieta e D.
Hersilia Fres de Oliveira, os distinctos amado
res Dr. Paulino de Mello e Gervasio de Castro,
e finalmente oa eximios profess ores de msica
Euclide.- Fonseca, Amaro de Barros, Marcelino
Cleto, Joio Alves, Ferraz e Comoletti.
O concert consta de duas. partes, cujo pro-
gramma o seguinte:
1 parte
Io ALLEGRO CL\SSIG0. Piano, slo por H.
Ravina.
2o SERENATA. Daetto para violinos, por R.
Godarde.
3* BALLET.Transcripco para dous pianos a
8 maoa, or E. Fonseca.
4# APPARIZIONE. Romance para barylono,
por G. 1 alloni.
5^ SGI1ERZOPiano a 4 mos, por Meodelson.
6* QUARTETTO.Flauta, violino, violoncello e
piano, por Michelis.
* parte
Io ADA.Transcripco para dous pianos a 8
mos, por H. D'Aubel.
2o L'ILLUSION.VariacOes para flauta, por A.
Re chert.
3" LA JOTA ARAGONESA. Dona pianos, por
S. siens.
4 DOLORES. Violino, violoncello, flauta e
piano, por S. Acesnof.
5o RO DE LAHORE Airoso para barytono,
por Massene:.
64 MARCH* HEROICA.-Dona pianos, por S.
Saens.
lnrfnNtrta e proflM prximo 30 do corrente encerrase o praso do
pagamento voluntario do 2o semestre desse im-
posto geral, cobrado na Alfandega
instituto ArcheologlcoFaz boje ses
sio esse Instituto s horas do costume.
Medie Piiarmareutica Pernam
bucana Rene se boje em sesso ordinaria
essa associacao na sua sede i ra do Bario da
Victoria n 45, andar.
Obraa de aeeumptos rellaieaos -A s
Livrarias Quintas e Franceza. i ra t de Mar-
co, acabara de chegar e nellas acbam se i ven
da differentes obras de polmica religiosa sob
ttulos0 Convento Desmascarado, 0 que a
raissa, O padre, a mulher e o conlissiooario, e
S. Pedro nanea foi papa.
Tarifa dan AlfandegaeOs trabalhos
preliminarea da orgaoisacio da nova tarifa, se-
gundo joroaes do Rio noticiara, j foram con-
cluidos, tendo sido impresso esse projecto e del
le distribuidos exemplares Assoclacao Com
mercial e ao frmiro Industrial, aura dessa3 cor-
poricOes faz^rem reaie-ssa aos imeressados para
seu estudo e reclami-cOs1*^
Dever no principio de Setembro prximo
reunir-se a comraisso. presidida pelo Sr. mi
oistro da fazrada Dr. Ruy Barbosa e compo3ta
dos Srs. inspector da Alfandega Antonio Joa-
quira de Souza Botafogo e seu ajudan'.e Alexan
dre Affonso da Rocha Sattamini, atim de estu
dar a3 reclamac0e3 e atindelas no que for con
veniente, sendo isto terminado, definitiva-
meaie promulgada a tarifa por decreto do go
verno ; espera se que ltenla a importancia do
assumpto, o mesmo decreto possa er expedido
at o dia 15 do referido mez de Setembro.
ocledade Pbllooaatlea Em sessio
ordinaria fnneciona essa associaco boje, ia 10
boraa do dia, em sua sede.
drnalo Iliterario de CabeNo dia
7 de Setembro prximo festeja esse Gremio o 6o
anniversario de sua fundacio.
Neate proposito far urna sessio litteraria s
7 horas da noite do referido dia, em sua sede
ra Jo Djoue de Caxias n. II, d'aquella ci
dade.
Agradecemos o ob:equio do convite que nos
mandou a digna directora.
inaudito Vaccinieo nnlclpalFo-
ram bontem vacclnados nesse Instituto 30 pea-
aoa3, executando esse servico os Sn. Drs. di-
rector e seu substituto auxiliar.
Igualmente fez se distnbuijio ue 5 tubos de
lympba vacciniea animal.
Hoye, das 10 boraa ao meio dia, em urna das
salas do pavimento terreo da intendencia Muni-
cipal, o Dr. Bastoa de Oliveira, director do mes-
mo Instituto, pralicar vaccinacio animal co'.hi-
da di reclame ate de um vitello para aa pessoas
qne se apresentarem.
Una lembranca Na qnadra que itra-
vessamos, em que reina urna borrivel epidemia,
como a varila, tudo se deve evitar e prevenir
para que ella nao se manteaba e tome desenvol-
vimento.
Assim, nio ser ora de proposito lembrar ou
pedir s irmandades e aos Revma. vigarios, qne
nio permittam em snasigrejas depsitos de ca-
dveres de pessoas que tenham suecumbido a
molestias contagiosos, cojo iocooveniente por
obvio nio precisa de ser encarecido.
E' urna lembranca, pois, que nio deixar de
ser aequiese da por certo.
Tacclna publica Foram bontem vacci-
nadas 10 pessoas na Inspectora de Hygieae,
praticando esse servico o Sr. Dr. inspector.
Triduo Na igreja matriz do S Fr. Pedro
Goncalvea do Recife, oomcea boje, is 7 horas da
noite, o triduo votivo ao gloriosi martyr do
cbri8taniamo S. Sebastiio, sendo o acto celebra-
Wo com a devida decencia e religiosidade,
fireaalo doa Profeaaorea Prlntb-
rloaHoje, ao meio dia, rene se esta socieda-
de em sessao ordinaria.
servico militarE' boje superior do dia
o cidadio caDitio Magalhies e faz a ronda de
visita o cidadio alferes Serpa Palo.
O 14 bala bao dar a guarnico da cidade.
Paiiu. te Brasil Segundo telegramma
recebido pela agencia do Lloyd Nacional neste
Estado, o paqaete Brazil dessa companhia deixoa
hontem o porto da Fortaleza, em sua viagem de
regresso do Norte.
Se o dito paquete alcancar hoje o porto da
Natal,,tocar amanni no da Parabyba, e a 30 da
corrate no de Pernambuco.
Horte grandeA casa do Sr. Joio Joaquina
da Costa Leiie, dest cidade. venden o bilhete n.
8.022 da i1 serie da 3a lotera do Estado do Ma-
ranho, premiado com a sorte de 300.000#000.
Vapor Tamar-Consta por telegramma sa-
bir este vapor amanbi ao meio dia do Rio de Ja-
neiro.
Intendencia Municipal do Beetfe
Rendimeato do dia 26 de Agosto : 1:794*502
Saldo do dia anterior
Despenden se no dia 26
En poder do procurador
No Banco Sal Americano
31:220*949
33:015*451
2:200*00*
30:815*451
6:815*451
24:000*00*
30:815*451
rectora ta obra* de couem
cao dos portea de PernambucoRed
le, 26 de Agosto de 1890.
Holetim meteorolgico
Ir! |
tf01H3 1*1 Barmetro a 0* Tenaio do vapor 9 "O a B s
6 m. 19,4 761-33 14,4. 8S
9 25,6 763-15 17,20 st
12 27,2 762*41. 18.74 7*
3 t. 26,4 761-28 18,73 n
6 23,6 761-56 i 18,42 76
_ 1 -
Temperatura mxima8/00.
Dita mnimai'J .00.
Evaporacio em 24 horas: ~ sombra3",5.
Chava3" ,4.
Direccio do vento : SE de meia noite at 11
horas e 45 minutos da manh ; SSE at 9 boras
da tarae; SE at meia noite.
Velocidade media do vento2,-10 por se-
cundo.
Nebulosidade media0."36.
Boletim do porto
i-I
4-3!
s
M.
M
M.
M. 27
Dias
horas
26 de Agosto
de Agosto.
1-49 da tarde
8-01
2-03 da manh
Altura
2>,*8
0-.7I
2-,3*
liPilSe -EUectttai-se-hio os seguiules :
Hoje:
Pelo Barlamaqni. s 11 boraa, i ma Duque de
Caxias n. 22, de armac&o e gneros.
Pelo agente Pinto, as 11 boras, i ra Boa*.
Jess o. 45, de movis, loucis, carrioho para
griaoga, etc. etc.
Amanhi:
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, i ra Con-
de da Boa-Vista n. 163, de piano e movis.
Pelo agente Brito, is 11 hora8, i roa do Impe-
rador n. 47, de predios, piano e movis.
Pelo agente Guarni, is 11 horas ra Mr-
quez de Olinda n. 48, de 77 canaatras de albos*
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ma do Boa
Jess n. 45, de mobilias, espelhos e cadeiras
avuUas.
Pelo agente Burlamaqui, s 11 horas, roa
Duqne de Caxias n. 28, de armaco e gneros.
tiiana* fnebre*Serio celebradas :
Hoje :
A's 7 horas, na matriz do Peres, pela olma de
Oroncio de Mello Wanderley.
Amanha :
_^A's 7 horas, na matriz de 3 mo Antonio, pela
alma do tenente Urcicino Augusto Villas-Boa*
Catan de DetencaoM)vim<>iito_dos pre-
sos da Casa de Detencio do Recife, atado d
Pernambuco, em 26 de Agosto de I89<>.
Existiam 451, entraram 7, sahiram 2, e.vis-
tem456. _
A saber:
Nacionaea 423 mulheres 11, estrangeiroa 17.
-Total 451
Arracoados 407
Bons390
Doentes 10.
Uracos 4.
Lmeas 3.
-Total 407.
Mpvimenio aa enfermaria
Teve alta-
Antonio Raymnndo do Nascimento.
Foram visitados os presos des-e estabeleoi
ment por 174 pessoas, sendo 65 homens e i**
mulberes.
Hoapltal de Santa gueda O mvi-
mento deste estabelecimento (para variolosos)
no dia 26 do corrente, foi o seguinte :
Homens Mulheres
198
8
Existiam
Entraram
Falleceram
Existem 20
lio* .ital Pedro IIO
153
7
1 2
I 158
movimento
rotaf
1
IS
8
36*
deste
caridade, do dia 25 de Agos-
17
4
2
482
enfermaras
estabelectmenlo de
lo foi o seguinte :
Entraram
Sahiram
Falleceram
Existem
Foram visitadas as respectivas
pelos Dr3. :
Moscoso a 8 1(2
Cyanetro s 11.
Ferreira Velloso a 10.
Berardo s 11 1|4.
Malaquias s 9 i|4.
Puntual s 9.
Estevo Cavalcanie 3 91(2.
Simqes Barbosa s 9 Id.
O rurgiio dentista Numa Pompilio s 8 S|fc
boras.
0 pharmaceutico entrou s 9 1[4 horas da ma
nbi e sabio e 2 1|2 da tarde.
O 1*ajudante do pharmaceutico entronas 7 id
da manbi e sohio s 6 da tarde.
O 2* dito entrou s 7 da manhi e sabio aa
6 da tard-'.
liOiri do Botado de Pernambuco
A 17* serie da 1* lotera deste Estado, ser ex-
trahida impreterivelmente no dia 2 de Setenar
(terca feira), i 1 hora da larde, no consistorio da
igreja de No3sa Senhora da Rosario, de Santa
Antonio.
i


, 1
V *

i
\
:
I
1

-:j
.'-




^^a^gsjajjsp
L.t-ri* d Mtruk-Por telegram
mi recebido pela Casa do Ouro, sabe se que foi
este o ruult .do da i' serie da 3* lotera do Es-
tado do Maranhao, eitrahidaem 27 de Aposto de
1890:
sooioooAooo
5619 50:000*000
9180 11:500*000
1466 5:000*000
1772 5:000*000
Foram premiados com 2:500*000 os seguales
nmeros:
1398 226i 2978 4040 4648 8697
Estao premiados com 1:500*000 os seguales
nmeros:
1222 3168 3678 4417 5152 6394
7681 7741 8675 9880
APPBOXIMACOES
8021 2:500*000
8023 2:500*000
5618 1500*000
5620 1:500*000
9179 750*000
9181 750*000
Esto prema os com 750*000 os seguales
nmeros :
8021 8023 8024 8'25 8026 8027
8028 8029 8030
Esto premiados cora 500*000 os seguintes
nmeros:
5611 5612 5613 5614 5615 5616
5617 5618 5620
Esto premalos com 250*000 os seguintes
nmeros:
9171 9172 9173 9174 9175 9176
9177 9178 9179
Todos os nmeros terminados em 22 esto
premiados com 250*, excepto o da sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 19 eslo pre
miados com 250*, excepto o da sorte immediata.
Todos os nmeros terminados em 2 esli pre
miados com 125*, excepto js terminados em 22.
Todos os nmeros terminados em 9 esto pre
miados com 125*. excepto os terminados era 19.
A seguinte lotera corre no da 10 de Setembro.
Lotera do Estado do tram-Par
A 2" serie da 42* lotera cojo premio gran-
de de 60:000*000 ser extramda no da 30 de
Agosto (sabbado).
Lotera do Maranhao A 2' Ferie
da 3* lotera deste Estado, cujo premio rande
de 300:000*000, ser extrabiJa do da 10 de
Setembro fquarta feira).
Cemiterio publicoObituario do dio 26
de Agosto de 1890 i
Joanna, Pernambuco, lo annos, solteira, Boa
Vista; varilas.
Sebastio Ferreira da Rocha, Pernambuco, 32
annos, casado, S. Jos; varilas confluentes.
Manoel Justino do Nascimento, Alagoas, 22 an-
nos, solteiro, Boa-Vista ; varilas.
Jos Antonio dos Santos, P rnambuco, 24 an
nos, solteiro, Boa-Vista ; varilas.
Manoel, Pernambuco, 4 annos, Santo Antonio ;
varilas.
Jos, Pernambuco, 9 mezes. Boa Vista ; vario
las.
Octavio, Pernambuco, 3 annos, S. Jos van-
las.
Jos, Pernambuco, 2 annos. Boa Vista ; vano-
las
Hypolito Francisco dos Res, Pernambuco, oo
annos. solteiro, Boa-Vista ; nepbrite intestinal.
Antonio Genuino Carneiro, Pernambuco, 22 ao
nos, solteiro, Graca ; leso cardiaca.
Maria Francisca daConceico, Pernambuco, 40
annos, solteira, Graca ; varilas.
Joo Francisco Xavier, Pernambuco, 30 annos,
casado. Santa gueda ; varilas.
Mana Joaquina da Conceico, Pernambuco, 23
annos, solteira, Santa gueda ; varilas.
Jos Joaquira da Silva, Pernambuco, 23 annos,
solteiro, Santa gueda ; varilas.
Jos, Pernambuco. 4 annos. S. Jos ; vanlas.
Manoel, Pernambuco, 1 mezes, S. Jos ; va
rilas.
Maria. Pernambuco, 3 mezes, Graca enttrite.
Diario de Pemamhuco--Qainto-Jeira 28 de Agosto de 1890
COMMDNICADOS
Pro Patria
O Jornal do Recife publieju baulera era sua
columna edictonal ura manifest sob a epigra-
pbe Aos Monos amigos firmado pjr diversos
conspicuos membros do anligo partido liberal,
acooselhanlo aos que outr'ora tinnam a orienta-
co desse partido a completa absteucao no pleito
eleitoral de 15 de Setembro prximo.
Para justificar essa perniciosa ati ude que,
em boa e s consciencia, homens polticos nao
tem o aireito Ue assumir e menos o de aconse-
lhar aos seus amigos, 03. lustres sigullanos do
manifest se dizem apoiados em duas ordens de
consideracOes : urnas geraes, resultantes da
situaco p ..litlca que o paiz atravessa ; e oulras
peculiares ao Estado de Pernambuco.
Taes consideraces, porem, carecem de solidez,
sao frageis como delgadas laminas de caruncbosa
madeira, que cedem a menor presso, deafazen-
do-se em poeira impalpavel, que o vento leva e
nenlium vestigio deixara de si.
Com efleilo ; era ihese a absteLCo, em assum-
pto poltico, e mxime era relaco eleicoes,
mais do que um erro, ebega ser um crirae de
leso patriotismo. Quem se abstem, queda se ; e
quem se queda, diz um dos velbos conceitos
que resumem a sabedona dos povos, ou retro
grada ou aniquila se. Retrogradaco ou ani
quilamenlo, a poltica da abstenco nao urna
poltica.
Se a lula pela existencia a suprema le da
vida ; se a poltica visa, em sua mais elevada
concepcao, o bom governo dos povos, o seu aper-
feicoaraento progressivo, o que implica forjada-
mente urna das mais bellas e nobres lulas huma
as, por que tem por flns, por intuitos o soer-
guiraento das naces ao mais alto piocaro da
civilisaco nao se concebe, nao se explica, e
menos se justificar a abstenfio poltica, qual-
quer que seja a situaco das cousas patrias,
quaesquer que sejam as condices dos bomens e
as circumstancias occurrenles n'um oado mo
ment histrico.
Os signatarios do manifest acham dilli.il a
actual situaco poltica do paiz ? pensara que
m a orienlaco do goveruo Provisorio ,? enten
dem que os governanles tem commeltido erros ?
creem que o actual governo co Estado de Per-
nambuco segu falsa trilha ? Se esse o seu
- modo de ver, e nem outro pensamento iraduz o
manifest, o seu dever patritico, o que Ihes deve
dictar a consciencia de bemens livres, ci de
certo a abstenco que importa retrogradaco
ou aniquilamealo isto lalla de patriotismo,
ausencia completa do senso praiico politico.
O que este senso, o que esse patriotismo
aconselbam exactamente o inverso : urna
intervengan franca, direcla e efficax na lula poli-
tica, de modo procurar soerguel-a ao nivel em
que se acha a situaco, de forma mtlborar as
condices dessa situaco, modificando a orien-
laco governamental, corrigindo os erros dos
governanles, enveredando o governo de Per
nambuco pela verdadeira trilha.
Nobre e elevada essa poltica ; e demais a
nica compativel com cavalbeiros que te pre
i >.m sim, mas que sotopoem os interesses da
patria cima de suas pessoas, e sobre tudo cima
de suas queixas, dos .seus ressentimenlos, dos
seus odios.
Nem se perjuadam jj illuslres signatarios do
progrmala de abstenco que os tiraos e habitan-
tes deste Estado, emballados por esse canuco
anti-patnotiso, aceitera em exame maduro, sem
detlda reflexo, as razes de ordem em que se
poia o petn.ci o conselho.
Razes de ordem eral I Quaes foram as
articuladas'? Tts decorreotes do decreto n. 511
de 23 de Junbo ultimo, alus melborado, quanto
garaatias de nicasaoao totoral, pelo decreto
o. 633 de 15 do correte. Prefenam os'signa
unos do manifest a lei de 9 de Janeiro e o seu
regulamento. Irrisoria preferencia f
Aquellos mesaos que foram os iniciadores e
priacipaes responsaveis por essa lei, aqnelles
qoe pela primeira vez a pozeram em pratica,
incumbiram se de desmoraeal a ab ntio ; e,
na ultima campanha eleitoral. (ransposeram
todas aa barreiras. aniquilaram todos os redo
ctos e entrarara na praca do parlamento, cora as
oandeiras desfraldadas, lendo por trophos os
destrocos da referida lei.
Urna cmara unnime de Laets, isto de can-
didatos impostes por todos os meios, sem ex-
clnso dos menos lcitos e dos mais condemna-
veis, tal foi o fructo da le de 9 de Janeiro de
1881, desea vettal que agora invocam os signa-
tarios do progrmala de abstenco I
Essa lei eis a verdade dera ludo quanto
poda dar : eslava desmoralisada ao ultimo pon-
to. Seria oepto o Governo Provisorio se a dei-
xasse subsistir; e nem devia elle cogitar, tra-
tando de reorginisar o processo eleiloral, dos
velbos moldes em que lora ella vasada.
Demais, se, como diz o anligo proloquio, para
os grandes males torca empregar os grandes
remedios; estando corrompido at a medula
o systema eleitoral do rgimen decahido, era
indispeusavel um cauterio enrgico, e o minis-
'rou o decreto de 23 de Junbo do correte auno,
creando novas formas, to cercadas de garan-
tas quanlo permittiam as actuaes circumstan -
cas, em que predomina o provisorio.
Dizem os signatarios do programma de abs-
tenco que nleiramentc nnlla a tiscalisaco
estaoelecida peto decreto n, 633 de 15 do cor-
rente, tiscalisaco que alias se faz effectiva
pelos juizes de paz e seus supplentes.
Entretanto, sao elles proprius que appellam
para a lei de 9 de Janeiro, e esta" lei dava pre-
ponderancia as eleicoes aos juizes de paz e
seus supplentes I
"Se esies funccionarios eram urna garanta para
a liberdade eleitoral no rgimen o'aquella lei,
como agora deixam de l o no do decreto de
23 de Juuho combinado com o de 15 ie Agosto ?
E' urna contradieco manifesta dos signata
ros do progr.mma da abstenco, mas nao a
nica, nem a mais notavel. Outra, por ventura
m.'is cruel para o amor proprio dos signatarios
do manifest, est na sua actual atlitude em re-
laco que liveram al 20 de Julbo.
Quando j era conbe:ido do paiz inteiro o de
creto de 23 de Junbo,aotj-se bemsem as ga-
rantas que sobrevieram com o decreto de 15 de
Agosto, os signatarios do manifest enlraram
em accordo, em nome dos amigos, com outios
grupos polticos, aura de constituirem um parti-
do novo, cujo primeiro acto sena a organisaco
de urna chapa eleitoral, que devia ser pleiteada
a 15 de Setembro.
Ento, aquelles signatarios e seus amigos, nao
peosavam como hoje se externara. O decreto n.
511 de 23 de Junbo era infla boa lei, e elles se
apresentavam as urnas com ella abracados, por
ella amparados. Hoje, que inquestionavelmente
o decreto n. 633 de lo do corrate, cercou das
garantas da tiscalisaco o pleito eleitoral,
aquelle decreto mo, e este ultimo uullo I
Cruel contradieco, repetimos e lano mais
digna de nota quanto raanifestou se depois que
se evidenciou lerem abonado asoegociacOes po-
lticas para o projectaio accordo.
Concluimos, porianto, em boa lgica, que nao
leem valor moral, nem politico, as razes de
orden eral adduzidas paia justificar a absten
cao.
Seio, porm, mais procedentes as razes de
ordem peculiar Pernambaco? Quaes foram
as allegagoes ? A poltica de odios e de vio
gan;as do actual governador ; o ter elle chama-
do si a o ganisaco di chapa, formando-a por
inspiracio propria e sem attender aos elementos
polticos do Estado.
Nem urna, nem outra dessas razes procede.
E' falsa a iinputaco de poltica de odios e vin-
gaucas. Ao invz disso, o honrado Bario de
Lucena veio governar Pernambuco imbuido do
mais nobre e geueroso dos pensamentos : fazer
poltica larga, de apaziguamento, de paz, de
congrassaraento, visando a coutolidtcio da
graude obra de '5 de Novembro de 1889 e o
soerguimento da patria edesta trra de Pernara
ouco.
E o seu governo assim tem feto ; e os seus
actos o eviuenciam. Republicanos, velhos ou no-
vos: antios liberaes, amigos conservadores, to-
dos os matizes da opinio, todas as crespas,
todos os espirito: vidos de contribuirem p ra o
cimentamento das novas instituijOes, todos teem
sido acolbidos, lodos acarinbados, todos con tem
pa Jos as posicoes officiaes, sem odios, sem re-
sentimentos, sem preconceiios.
O que mais preciso para demonstrar a pu-
reza de inlences, o alevantado espirito de um
gove roo que s pede inspiraces aos senlimenlos
de patriotismo ?
E' falsa tambem a outra ailegaco de ler o
governador chamado a si a organisaco da cha-
pa, formaudoa por inspiracao propria e eeu,
atlender aos elementos polticos do Estado. A
chapa, em que, certo, collaborou o honrado
Baro de Lucena, foi organiata di harmona
entre os diversos mat zes da opinio pernambu
cana. N'ella liguram republicanos histricos e
neo republicanos, sendo estes antigos liberaes e
anligos conservadores.
Se entre taes elemejlos nao figura o vulgar-
mente chamado leonino, de certo culpa nao cabe
por sso o honrado governador. S. Exc a
verdade fez esforcos para que esse elemento
tivesse entrada na chapa. Foram, porm, bal-
dados seus es fu reos em face a relulancia op
posta por parte dos amigos dos signatarios do
manifest de abstengo. O honrado governa-
dor, tanto tinba esquecido velhas querellas e
antigos precooceitos, que chey.oo a declarar que
aceitara o nome de um d'aquelles signatarios e
o de outro membro distincto do mesmo grupo,
nao obstante os ataques violentos que outr'ora
(befizeram eles em sua honra.
Nao, nao procedem tambem as razespecu-
liares a Pernambucoallegadas em prdaab
stenco. A lula eleitoral ha-de correr calma,
livre e digna. Nem a berdade ser atacada,
nem a vida do cidado correr o menor risco
O passado de 10 mezes da Repblica responde
pelo futuro.
umpra cada um o seu dever levando as urnas
a expresso de seus senlimenlos polticos, cer-
ras todos de t,ue essa expresso ser respeilada,
e a verdade triumphar.
Pro patria- a divisa do Governo Provisorio.
Pro patriadeve ser o lemma do pleito de 15
de Sete.i.bro.
BEAC0NSF18LD.
SPORT
Derby Club de Peraaaibaeo
Teve bontem lugar a ioscripeo para a 13* cor
rida do Prado da Estancia, a qnal deve realisar-
se no dia 31 do presente mez.
Foi este o seu resultado :
1* pareoConsolaco.
Lucifer. Despique, Cyclone, Gerfant, Good
Morning, Florete. Breas, Sedy.
1 pareoP. da Estancia.
Odalisca, Torpedo, Atiila.
3* pareo Animaco.
Hercules, Diu, Desposta, Pbariseu, Pluto, Ta
lispher.
4 pareaEstado de Pernambaco.
Piadaro, Mema, Corga, Arumary, Faceira.
5" pareoProsperidade.
Collector, Gerfaut. Despota, Hercules, Talis
pher.
6' pareoInternacional.
Apollo, Dondon, Rpido, Gladiator, Vesper.
7o pareoEmulago.
Delegado, Corga 2, Maurity P.ramon. Djerid.
8a pareoExi>eriencia.
Ally-Stopper. Monarcbista, Rio da Prata, Mi
rante, Ida, Nacional.
INDICACOES TEIS
Mdicos
O Dr. Lobo Mostoso d consulta em
sua casa ra da Gloria n. 39, das 10
horas da manha 1 da tarde. Achando-
se fora do servico publico offerece se para
acudir a qualquer chamado com prompti-
dao para fora da cidade. Especialidade :
operacSes, partos e molestias de senhoras
e de meninos.
Dr. Matkeus Vea, medico. Consulto-
rio: ra do Imperador n 42, 1. andar.
Consultas das 12 s 2 horas da tarde.
Residencia, ra do Pires n. 27. Encar-
rega-se do trata ment das molestias de
olbos.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu eacripto-
rio i ra Nova n 32, onde pode ser en
contrado do meio dia as 2 horas e fon.
deatas horas ra do BarSo de S. Borji
n 22. Espe vialidadesmolestia de crian
9 t senhoras e parto. Teiephone n. 326
d> casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n.
d onsultas medico-cirurgicas todos os disi-
das 8 ao meio dia, menos nos domingos <
das santificados.
Dr. Freitas OuimarSes, medico, tem
se consultorio na ra Duque de '.'axias
n. 57, i."andar; d consultas nos das uteis
das 11 1 hora da tarde e reside no Ca
ueiro n. 4, onde attende a chamaaos ero
qualquer hora do dia e da noite. Telepho
ne n. 292.
Dr. Joaquim Low eir medico e parte
o, consultorio ra do Gabug u. 14
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
o Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador,
ortica a lavagem do tero quando e co
aic aconselhada. Consultas das 11 e
\ da tarde em sua risidencia ra d >
tJom Jess (antiga da Cruz n. 23, 1.'
indar. Teiephone n. 389
Lr. Joao Pauloespecialista em par
os, molestias de senhoras e de enancas.
com pratica nos hospitass de Paria e de
Vienna d'Austria, d consultas de 1 a 3
horau da tarde, ra do Barao da Victo
ria n. 60, l. andar, e reside na estrada
dos Aflictos n. 30, junto esiacao do Es
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te
lephone n 467, na residencia.
Advogatfo
O baeharel Joaquim Ihiago da Fonseco
:em seu escriptorio de advogado ra de
imperador n. 14, 1. andar.
Oceullata
Dr. Ferreira. com pratica nos prmci
.aeB hospitaes e clnica de Paria e Lon
"dres, consultas todos os das das f
aorasdao meio-dia. Consultorio e resi
Icncia ra Larga do Rosario o. 20-
Dr. Brrelo jampaio, oceulista, d con-
jultas de 1 s 4 horas uj 1. andar dt
jasa ra Baro da Victoria n. 51. Resi
lencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra
a pela ra da Saudade n. 25.
Drogara
Faria Sobrinho dt C, droguista por ata-
jado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C.. deposi
.arios de todas as especialidadm 'harmu
jeuticas, tintas, drogas, producto chimi
3as e medicamentos homepatas: ra dt
Vlarquez de Oiinda n. 23.
tli perola uperior qualidade
O melhor cha que tem vindo ao merca
do vende se a 30000 a libra no Bazar da
Boa-Visto ra da Imperatriz n. 88, Al
fredo Lopes d C.
A Notre llame de Par.
Previne se as Exmas. familias que che-
gara m j muitos artigos de apurado gosto
escolhidos por Madame Koblet, actualmen-
te em Pars. ExposifSo diaria. Ra do
Cabug n. 1 A.
PUBLICARES A PEDIDO
A o eleitorado do Estado de
Pernambuco
Os cidados eleitores abaixo assignados reco-
coohecendo:
Que a3 ideas expendidas no manifest do dis
tincto pernambucanoDr. Joaquim Aurelio Xa-
buco de Araujo, dirigido aos seus comprovincia
nos, nao sao intensas Repblica existiedo
apenas por parte d'aquelle ilustre cidado des
accordo quanto opporlunidade e forma por que
ella foi feta ;
Que, mantendo aiuda o mesmo cidado a ban-
deira da forma federativa por que tanto traba-
Inou durante o velbo rgimen, contina por
esse fado a fazer js aos votos de todos os que
sempre almejaram |or urna verdadeira discrl-
minago entre os interesses das antigs provin-
cias e os do Estado, considerado o problema
nao s por sua face poltica, mas ainda e princi
plmenle pela econmica e financeira ;
Que o procedimento do referido cidado
urna solida garanta de que o mandato que lne
lr confiado, ser cumprdo com a mxima Ude
lidade e escrpulos:
Que, mesmo em face das declaracoes do indi-
cado manifest o illustre pernambucano nao se
acba incompativel para exercer o mandato do
povo, desde que este nao lbe solicitado, mas
espontneamente conferido
Que na epocha presente todos os eleitores pa-
triotas devem prestar o seu concurso para a or-
ganizaco da patria, fazeudo recabir a sua esco
iha sobre cidados de illusiraco reconheciua e
de mrito provado;
Resolvem apresentar o cidado Dr. Joaquim
Aurelio Nabuco de Araujocomo candidato
depuiaco por este Estado no prximo Congres-
so, ceos de que semelbanle candidatura ser
apoiada por todos os cidados amantes da patria
e que saibam antepr.os interesses desta s sug
gesles egosticas e quic crimiuosas de agrupa-
meotos poltico?.
Recife, 15 de Agosto de 1890.
Augusto Goncalves da Silva.
Jas Ollaco Mas.
Manoel Lopes Vieira
Pedro Joaquim Augusto Ribeiro.
Joaquim loooc-ncio Gonea.
Manoel Joaquim de Miranda.
JoaoMoura.
Candido Herraes Ferreira.
Ramiro Antonio da Cosa.
Augusto da Silva.
Francisco Ferreira d'Aonuociaco.
Matbias Tavares de Almeida.
Braulino P. de Miranda.
Pedro Ribeiro Pessoa de Laccrda.
Antonio de Amorim Jnior.
Rufino Schutel.
Joo L-opoldo do Reg Villar.
Antonio Marques de Amorim.
Autbur Augusto d'Almeida.
Alfredo Ideburque Carneiro Leal.
Chh^o Fon seca.
Jojfiim Alves da Fonseca.
An|po Joaquim Ferreira.
Ao*aio Leonardo Rodrigues.
Paulino Annes Jaconie.
Manoel Jos Tavares.
4orge do RegoMaptista.
Sebastiio G. de Arruda. ;----
Tbeodoro Rotilio Xavier Ramos.
Jouno Los.
Alfredo Ferreira Pinto.
Samuel Ferreira Pinto.
Joo Ferreira Tavares.
Seradoi Ferreira Pinto.
Adolpno Cesar da Silva.
Manoel Teixeira Bastos.
Jos de Alcntara Velbo Brrelo.
Regino Ferreira de Carvalbo.
A. A. Barbosa Primo,
Dr, Anto o Joaquim de Barros Sobrioho.
Joo Carlos Borges Leal.
Manoel Licio Marques.
Joo L. de Oliveira.
Manoel Bento Alves da Silva.
Jos Ribeiro Pes.-a.
Henriques Joaquim Pereira.
Guarioo de Souza'Peixe.
Alfredo F. de Barros.
Carlos Gerson de Amorim.
Caetano da <:osta Moreira.
Joo Coelho d'Almeida.
Manoel Coelho de Miranda.
Odn Germano de Aguiar Montarroyos.
Alfredo Humero de Carvalbo.
Thomaz Ferreira de Carvalbo.
Alvaro de Gouveia Diniz.
Luiz da Costa Pereira Dantas.
Jos C. M. Ferreira.
Antonio Carlos Xavier da Silva.
Gastn Pereira Reg.
Joaquim Quirino de S. Mello.
Flor ano Marlins d'Albuquerque.
Arislheo Pinheiro de Meodonca.
Candido Viriato de Medeiros.
J aquim Flix dos Saato?.
i'.an F.'oriano Francisco dos Santos.
Alfredo d'Albuquerque Mello.
Gnilherme Ferreira Pinto.
Claudino Henriques da Silva.
Julio Americo de Caldas Brando.
Ildefonso Nabuco de Figueiredo Mello.
Augusto Botelho de Andrade.
Nahum Jovino da Fonseca.
Antonio J. Fonseca Jnior
Adolpho Moobard.
Joaquim G- Azevedo Sonsa.
Joaquim R- de Almeida.
Manoel Henriques Carneiro de Almeida.
Joaquim Bonifacio de Farias.
Francisco Jos da Silva Guimares.
Joao Bonifacio Moreira de Farias.
Thomaz da Cunha Beltro.
Antonio 0 de Almeida Lopes,
foftn Fiancisco Maia.
Jacundiano Thomaz Borges da Fonseca.
Jos dos Santos da Costa Moreira.
Izidoro Ramos de Oliveira.
Joo Jos de Scuza.
Lu Igero Ai Silva Luna Freir.
Jos Maria Bltencourl.
Joo ia Cunha Beltro.
Manoel da Cunha Beltro.
Alfredo Moreira.
Roberto Jos Pereira.
Manoel Francisco Marques.
Jos F. Cardoso Ayres.
Eduardo Layme.
F. Leal.
Jos Luiz Innocencio Poggi Jnior.
Geroncio da S. Salles.
M .noel POggi-
Joaquim li. Ribeiro de Brito.
Joo R. Monteiro de Rio.
Hermenegildo Joaquim d'Oiiveira Brando.
Horacio Marques de Oliveira.
Domingos Manoel Martios.
Jovino Constancio Monteiro da Franca.
Francisco Joaqnim de Barro3 Jnior.
Cimillo de Andrade.
Silvino Jos de Barros.
Tito Livio Soares.
Genasio de Souza Pereira de Brito.
Jos V. de Siqneira Ferraz.
Adrio Rozendo Santiago.
Jos Candido Alfonso Moreira.
Miuervino Silveira da Silva.
Sebastio Antonio Carneiro de Almeida.
Jos dos Sanios Souza.
Manoel Ferreira Barbosa.
Joaquim Machado Lima.
Joo Pedro de Alcntara.
Mantel Bento da Cruz e Silva.
Prudencio Pessoa da Veiga.
Joo Beato Cruz.
Severino Bandeira de Barro3.
Manoel Ferreira Mendes de Azevedo.
Lioanio Francisco Maria de Oliveira.
Antonio Augusto Oliveira
Secundino Floro dos Santos Bezerra.
Joo Nianno Marques.
Hermenegildo Alves de Assis.
Francisco das Chagas Silveira.
Marrano Jo6 Goncalves da Fonte.
Antonio Joaquim de Albuquerque Mello.
Victoriano de Arago Ebla.
Jos Adauto da Costa.
Jo:- Manoel da Rosa.
Alberio Teixeira Bastos,
Jos Joaquim de Saot'Anna.
Joaquim Anselmo Pereira.
Joaquim Francisco de Paula Barros.
Francisco Polycarpo Amancio Martina.
Manoel do Espirito Santo.
Aureliano Bastos.
Adolpbo Cunha.
Joo Joaquim Rocha Farias.
Manoel Caetano de Andrade Falco.
Julio Augusto Torres.
Marcellino Bento Jos de Souza.
Manoel Joaquim Campello.
Joo Tavares de Araujo Lima,
loaquim F. de Sant'Anna.
Tiburcio Adelino de Oliveira.
D odato Goncalves Torres.
Jos Pereira de Farias.
Antonio Alves Vilella.
Manoel Joaquim da Silva.
Antonio da Cruz Ribeiro.
Tunbio Archaojo de Lima Ferreira Barros
Candido Jos Tavares de Souza.
Dacio Jos de Luna Freir.
Jos Theotonio Pereira de Carvalho.
Paulino da Silveira Pinto.
Manoel Augusto Carneiro da Cunba.
Eduardo C. Rodrigues Sette.
Victoriano Tobias e Mello.
Antonio Francisco de Jess.
Miguel Archanjo de Souza Santos.
Antonio da Silva Girio.
Augusto Leovigildo Cerro,
is V. de Carvalho. n ,
(Continua).
Jo
'Ah o povo em detrio prorrompeu ni
ruidosas aceUmocoea, sendo neasa occa-
ilo atacadas algumas gyrandolas de fo
guates.
Formado um grande cortejo, seguio
este at a residencia do primeiro secre-
tario Abilio Cmara, que, depois de pe-
quena demora, cffereceii aos recem-che-
gados um modesto jantar, no qual foram
erguidos brindes ao barSo de Lucena,
Dr. Jos Mariaono e deste ao cidado
Abilio Cmara e sua familia e mais outros
que nSo nos recordamos.
Fiada essa refeico, aeguiram todos
em direccao ao novo theatro construido
nessa local idade, e cujo edificio se acha va
vistosamente adornado com bandeiras,
nammulas, folhagens, etc.
A's 5 horas da tarde, convocada a
seceo ex raordinaria do Club, e que foi
presidida pelo Dr. Jos Marianno e por
elle aberta com eloquentee palavras, teve
comec-o, conforme estova annunciada, a
conferencia poltica promovida pelo mes
mo Club.
Ociupou a tribuna o conferenciador,
capitao Gracindo Lobo, que fallou du-
rante 40 minutos, e se desenvolveo bri-
lhantemente em favor da chapa eleitoral
do governo, sendo em todo o seu discur-
so muito applaudido.
Cerca de 5.0 pessoas assis ti ram a esse
acto, inclusive muitaa senhoras.
Uaaram tambem da palavra oa Drs.
Jos Marianno, Phaelante e Ribeiro da
Silva, sendo este em subitituicao ao en-
genheiro Luiz Goncalves, que, por en
cmodos de sade, nao poude oceupar a
tribuna.
Todos os orado es, sobretudo o Dr.
Jos Marianno, foram bem applaudidos.
A'a 6 1|2 horas, e a convite do cida-
do Abilio Cmara, seguiram todos os
circunstantes, precedidos das senhoras,
at a estocSo de Tigipi, para acompa-
nharem -aquelle Dr. e sua illustre comi-
tiva, e em cujo trajecto ergueram-se es-
trepitosos vivas ao generalissimo Deodo
ro, baro de Lucena, Dr. Jos Marianno,
ao exercito e armada, as redacoes do
Diario, da Provincia e do Estado, a C-
mara Municipal de Jaboato e as autori
dades policiaca da localidade.
Ao chegar o cortejo na eatacao falla-
ram ainda o capitao Lobo, Drs. Jos
Marianno, Phaelante e Ribeiro.
Findos esses improvisos, que loram
bem acolhidos pela multido, seguio o
trem para o Recife, conduzindo toda a
comitiva que d'alli tinha vindo, e que foi
derantemente victoriada at os ltimos
momeDtos de sua partida.
Honra e gloria ao Club 2 de Feverei-
ro, o iniciador mais destemido da fede-
racao republicana d'este Estado, e nico
que promoveu conferencia poltica nesta
nova phase de governo.
Hosannas seus esforcos.
Club Republicano Federa-
lista 2 de Fevereiro
Mais urna aureola de gloria cingio se
ante-hontem aoB triumphos j deaputodos
pela pleiade de patriotas que conatitue o
Club que nos serve de epigraphe.
A chegada do trem, em Tigipi, a 2
horas e 20 minutos da tarde, de 24 do
oorrente, grande numero de seue ass
ciados, e omitas outras pessoa*, tendo a
sua frente o major Prxedes Guaiulo,
foram recebidoa os Drs. Jos Marianno,
PhaeLnte e mais outros oidadSos, que
asiam parte dessa comitiva.
O Dr. Milanez de Loyolla
De passagem para o Estado d Rio
Grande do Norte vai este distincto e il
lustre amigo no intuito de regressar para
o Estado do Espirito Santo, onde exerce
o lugar de 1. escripturario da Alfandega.
Amigos fazem votos pelo seu feliz re-
gresso e que continu a ser melhcr appro
veitado pelo patritico goveimo provisorio.
Recife, 27 de Agosto de 18?0.
# # #
Realidade
Amo te muito, oh! perola d'Oriente,
Como amo a rosa, n'um jardim ridente,
Desbot&da da cor!
A tua imagem, asss resplandescer.te,
Brilha, muito mais que o sol luzente,
Da manhS no albor !
En aprecio os teua olhos luminosos,
Os teus labios corados, setinosos
Como ptalas de rosa !
i precio te no todo, oh! rosa do deserto !
E quizera de ti viver bem perto,
Oh! perola mimosa!
En quizera gozar tuas caricias,
E tambem gozar teus beijos e as delicias,
Que nrscem do amor!
Eu quizera viver sempre a teu lado,
Contemplando o teu rosto enamorado
D'um joven trovador!
Mas, oh! virgem, nao posso isso gozar,
Nao posso ao menos junto ati chegar.
E' no todo impossivel!
Eu te amo de veras e ineu amor forte;
NSo se acaba nem mesmo co'a norte,
E' inextinguivel I
J. T. N. V.
Pao d'Alho, 17 de Maio de 1883.
COM A ANEMIA, o aangue enfraquece,
as faces desmaiam, e os ervos ricam irri-
toveis ; para .reanimar as forjes e restituir
ao sangue sua riquissima edr, o vinho
tnico nutritivo de Peptona Defresne pro-
duz resultados maravilhosos.
Parata
Hon^m, pelas, 8 horas da noite den
luz a urna menina a Exma. Sra. D Maria
da ConceicSo Ferreira Girio, esposa do
Sr. commendador Antonio da Silva Girio.
Parabens aos pais da recemnascida.
* *
. Os focos das febres
Em quasi todas as localidades, por pou-
co que baja pantanos ou aguas estagnadas,
os germes das febres existera em perma-
nencia. Em todos os climas quentes, ou na
estocSo de calor em todos os paizes, estes
mcs genios pullulam com dupla intensida-
de. No curso de quasi todas as febres, os
mdicos receitom a quisa. NSo conhece-
mos preparacSo de quina, to pura e ao
mesmo tempo to commoda de Be tomar,
como sejam aa perolas ie sulfato, de chlo
rhydrato, de bromhydrato, de valerianato
de quinina do Dr. Clerton, approvadas pela
Academia de Medicina de Paria.
("onvindo mais especialmente aos tem-
peramentos nervosos, o bromhydrato e
valewoato de quinina. N
Naa convalescencias das febres e com
preservativo, o preparado que mais OTi-
vm, o mais eficaz e o que mais recom-
meodado o vinho de quinio de A- La-
barraque, appravado tambem pela Acade-
mia de Medecina de Paria.
Tendo hoje extra-
via lo-se urna letra de
nosso acceite e da
quantia.de M0'j|ti009
sem estar sacada, e
seu vincimento para
11 de Dezeinbro do
pro-
SUd
anno
i
corrente
testan) os sobre
tal idade.
Recife, 27 de A gosto
de 1890.
Albino Silva & C:
Adriano Ramiro de Albuquer-
que
Maria Basto de Albuquerque e eeus
filhos convidam aos seus parentes e pea-
so-s de sua amisade para aspiotirem aa
enterramento de seu presado :. ao e
pai, hoje s 10 hor^s do dia, na capella
do Cemiterio.
Carros ra do Imperador n. 77.
Recife, 28 de Agosto de 1890.
Vaccina animal
0 Instituto Vaccnico Municipal junccioDa eas
urna das salas do pavimento terreo da casa da
Intendencia lodos os dias das 10 horas da ma-
nha ao meio da, sendo feitas as vaccinaces cor
accina animal, e em dias previamenie annnn-
ciados ella ser tirada directamente do animal
para as pessoas. Convido aos municipes a que
all comparecam para serem vaccinados, nica
meio seguro de premunirem se contra a peste
da varila.
De conformidade com o art. 4o da postura que
tornou obriRatoria neste municipio a vaccinagSo,
os vaccinados devem apresentar se no Instituto
entre o 6 e o 8o dia depois da vaccinacao para
o fim de serem verificadas as vaccinas e dado o
attestado do resultado deltas, na falla incornns
na multa de 50O0.
Dr Manoel Bastos de Oliveira.
Director do Instituto Vaccnico Maniciptl.
Aithur de Mello
Tendo recebido noticia degraveincommodode
saude de ura de seus limaos residentes na capi-
tal do Estado da Bahia, para all segu no pa-
quete Potos nSo tendo tempo de despedir se
das pessoas de sua omisade, nem tambem
daquelles com quem tem relaces commerciaes,
pelo qoe pede desculpa, scieniilicando porm a
estes que no estabelecimenlo de banbos, sito nos
arrecifes, enconlrarfio com quem entender-se.
0 abaixo assignado, inmensamente penhora-
do pelos desvelos e pericia tmpregados pelo il-
lustado Dr. Antonio Cavalcaiite Pina no trata-
menlo de grave molestia de sua mulher, vena
pela imprensa agradecer os seus relevantes ser-
vicos que foram coroados do mais feliz resul-
tado.
Pao d'Alho, 24 de Agosto de 18S0.
Alfredo Jansen Goncalves Ferreira.
Tendo eu eciencia de que algumas pes-
soas aproveitam as garrafas vasias com
etiquetas de vinhos de minha caaa, para
venderem outros vinhos a titnlo do BflM
Palhete e Bom Collares que rece-
bo directamente e bem assim outras qua-
hdades, chamo a attenco do publico e es-
pecialmente dos apreciadores de meus vi-
nhos, para que nSo se deixem Iludir e
aviso os de que s devem considerar con
verdadeiros os que comprarem em meu
proprio estebelecimento ; a muito que na*
vendo a casas retalhadoras e por isso in-
sisto para que os senhores compradores
notem o que deixo dito.
Recife, 16 de agOBto de 1890.
Paulino de Oliveira A'aia.
Dr. Bastos de Oliveira
Medico operador e parteiro, teiu o sea
consultorio ra do Mrquez de Olinda
n. 1, Io andar, onde pode ser procurad
todos os dks uteis, das 12 s 3 horas da
tarde.
Chamados a qualquer hora em sua re-
sidencia, ra do Hospicio n. 46.
Teiephone n. 365.
Barra Maosa
O Peitoral de Cambar, importante pre-
parado Illm. Sr. J. A. de Souza Soares,
de Pelotas, possue propriedades balsmi-
cas pronunciadas, e exerce influencia be-
nfica em todas as affeecoes catarrhaes,
principalmente naa do appareiho respira-
torio e genito-urinario.
As affecBea catharraes do laiynge, do-
bronchios da bexiga, quando primitivas,
cedem promptomente ao ubo reiterado d
Peitoral de Cambara.
As secrecSes muco-purulentos, aympto-
m ati cas da tuberculoso pulmonar, modi-
ficam se vantajosamen;e, tornando mais
desembaracado o campo da hematoae pul-
monar.
E', portento, o Peitoral de Cambar,
um heroico meio preventivo e um auxiliar
no tratamento da tysica pulmonar',' t2o-
requente no Rrazil. a
Dr. Urias da A. Silveira,
(A firma est reconhecida.)
-1,

it:
J
: '


|
i
\
%
I


^^


-
fc I
tf
<
Prado Pernambuco
De aosordo com o que preceitua o srt.
10 S$ 9 11 dos estatutos, sao convida-
dos os Srs. accionistas para ama reuna
de atsembla gral ordinaria, que dever
ter lugar no di a 29 do corren te, na sede
da tociedade, a ra do Imp-rador n 83,
1 andar, s I i horas lo dia, afim de se-
ren apraseatados o rotatorio, con tas e pa
reser fiscal do nono social fiado em 30 de
Junh prozimo passado; e bem asbim el
ger se a nova directora e commissao fis-
cal, presidente e secretario da assembi
ge ral.
Recife, 14 de Agosto de 1890,
O ferretarjo,
Franklin Seve.
Aos agricultores
O jaia de direito JoSo Baptista Gitirana
Costa, t-ndo contrabido divers timos com o Banco do Brasil para agri
cultores deste Estado, da Parahyba e Rio
Grande do Norte, contina a eocarregai-
5e desee traba ho adiantando as despezas
necessarias, mediante mdica retribuicao.
Pode ser procurado ne=ta cidade, ra
do Bario de S. Borja (antiga do Sebo)
D. 48.
Recife, 3 de Julhode 1890.
Para deputados a Consti-
tuinte
1 Dr. Annibal Facfto.
2 Deoembargador Manoel Clementino
Carneiro da Cunha.
3 Dr. F- lippe de Figueima Faria.
4 Dr. Jos Maria Ramos Gurjao.
5 Dr. Joao Juvenci Ferreira de
A guiar.
6 Barao de Caiar.
7 Dr. Jlo Francisco Teixeira.
8 Dr. Ambrosio Machado da Cunha
Cavalcanti.
9 anselheiro Joaquina Correia de A
raujo
10 Dr. Jos Mariamo Carneiro da Cu
nha.
11 Alfredo Falcao.
12 Dr. Gaspar de Drummocd.
13 Dr. Joaquina Jos de Almeida Per-
nambucc.
14 Dr Manoel Gomes de Mattos.
15 Dr. Joaquina Tavares de Mello Bar
retto.
16 Dr. Joao Augusto do Reg Barros.
17 Dr. Arminio Coriolano Tavares dos
Santos.
1*8 VICTIMAS DAS FEBKKS
O Elixir nli-rebrll Cirdoto, appro
vado em 31 e Margo dente un Do pela Inspector ia
Jeral de Hygiene do Rio de Janeiro, veui ioj
presentarle humauidade soDredor do mun
do inieiro. como laboa de saivaco que ao infe
lis naufrago Itie enviada por mo omnipotente!
O Elixir ail febril Cardoio, app
;ado em mnitissimos rapos de febrea, tem, corno
oor mil-'Bre. levantado do lel'o du dor a comple-
sp moribundos.
COMERCIO
Hetrosoeeto commerclal do mez
de lulho de isi
O movimeoto mercantil do mez prximo lin
do de Julho, como era de sappr e foi por nos
previsto, descrecen coosideravelmeote, qaer era
relaco ao de Junbo ant< or, quer comparado
com o de Julho do anno passado.
A eipoitucao, nesle ultimo caso, foi i o fe rio r
cm valor na importan ia de 468:6434715. A
mportaco igualmente decresceu mmenso,
como o atiesta o producto da laxa adoaneiru
respectiva que aprsenla urna difTerenca para
Dfnoj de 208:056 f 37o. E os demais factores
do movimeoto tiveram todos decesso.
E' assim que as repartices de arrecadaco,
renderam menos; o movimento de numerario
posto que maior do que em Jullio de 1889, dei-
xoc dficit na praca ; houve reiracco nos sa-
de letras forana n ais onerosas ; forana negocia
dos em maior numero os ttulos pblicos e de
empresa, sigoal de necessidade urgente de di
ubeiro ; e o movimento do porto foi inferior ao
de Julbo do anno passado.
-Os seguinles algarismos comprovam esses as-
serlos :

As segulntes estacos publicas arrecadaram :
Alfandega e Recebedorta Geral
Ei-te remedio, com posto smente de vegetaea
e inteiramente inoffensivo, anda mesmo na mai-
mimosa e tenra enanca.
As senboras. no estado de paridas, ou no pe
i odo de incooamodos naturaes, podem osai o
sio receio algum.
Depsitos
Drogara d & C, i ra Mrquez de Olind o. 23.
Pharmacia Martins, ra Duque de Caras
o 88.
Parnaacia Oriental, a ra Eslreita do Rosaric
n. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Barao da
Victoria n. 14,
Pharmacia Imperatriz, ra da Imperatriz
n. 49.
Para qualquer explicacao podem dirigirse ao
tutor Manuel Cardoso Jnior, ra Eslreita do
Kosario n. 17.
Ati estado
Si i'-ntilicamos ao respeitavel publico que alm
dos alterados a que damos puolicidade hoje,
turara rutados 379 variolosos.
Pedimos aos incrdulos para irena examinar
os tratados pelo Elixir anti febril.
Dos innmero atiesiados que temos, damos
ua segni a principio a sua poblicaco ; e isto
bastara para que sejam conbecidas as virtudes
do Elxir anti febril Cardoso.
N.66 ">
Sr. Manoel Cardoso Jnior. -Tendo a mais
viva sal sfat.o em communicar Ihe que sao ad
miraveis oa resultados que t< nbo alcaocado com
a applicacao de sen elixir aoti-febril
Fui em uainba tilhioba, que havia sido atacada
de violenta febre, que primelro appliquei o seu
remedio, e ao fim de dous das com prazer a vi
livre d'esse p.omraodo.
Passados alguns das ieodo sido procurado
para dar o seu remedio para dona casos de va
olas, man le que lossem observadas as nstruc-
1V8 que de Vra | bivia rccebido sobre o mo-
do de usal o. e boje as duas creaiuras livres de
todo o perigo, me ped*-m para agradecer o bene
ficio que Vine. Ibes presin coua a maraviibosa
descocerla do seu elixir. Eis o que Ibeposso di-
zer al este momento.
Mioba cootianca no sea remedia perdurar, e
eu tenbo prazer em dar ihe tambem este teste-
munbo de raen reconbecimento.
Pode Vmc. fazer o uso que desejar a'estas li
uhas, com que subscrevo-me
De Vmc. ammo criado e obrigado
Eustaquio Carminondes.
Arrail, 4-8-90.
N 67
Mm. Sr. Maooel Cardoso.
Recife, de Agosto de 1890.
Diante do prodigio que eucontrei no medie
ment de V. S., que lem sido distribuido por en-
tre os soffredores de febres e varilas, o qual m-
f lizmente foi me preciso para applicacao no tra
(amento de una meu sobnnhoque adoeceu da ter
rivel epidemia, e que teria succumDido caso nao
cncontrasse um amigo que me fez ver que obla-
ra piorapta car? do mal que desenvolva se com
miei.sidade, se Hzesse U;0 do alludido medica
meulo, nao trepide! ntao de procurar o referido
naedicameolo. que veio tirar-me da grande effl c-
cao em que me arhava, por ir- zer iromedidta
mente sensivel melbora oo mal que naitigava a
p.if sos gigantescos a anude de meu estimado so-
brinbo, que depois do aso exclusivo do medica-
menio de V. S. pode licar de todo curado e seua
perigo no peno io de 8 das.
Assim, pois, cabe me o dever de maniferlar
sociedaue os meus seotimentos de congralul.iCo
com ella, por contar em seu seto utn espirit
lucido e investigador como o de V. S.. que
cada da di a e la mas um melhoramento com
as industrias do honrado c laborioso trabalba de
V.S.
Como julgue este documento ser un soco
lade e a V. S., faculto Ihe o direito de fazer
d'elle o uso que convier a V. S.
De V. S venerador atiento e obrigado
Galdino Emiliano de Jess.
(Residencia ra do Pilar n 8 Pernambuco).
K. 68
Recife, 16 de Agosto de 1890.
Sob a respotisabilidade das rompanhias Ce
vapores que servem o porto do ReciTe fai este o
movimento de numerario :
Entrado:
Diario de Peraamhnp.o--Qmiiia-feira 28 de Agosto de 1890
Amigo cidad&o Manuel ardoso Ju Mais urna vt-z augmentarse a prova da eCB. acia
do poderoso elixir por vos preparada, ao qual
denominaesAuli febril.
Accouameltido de uuaa forte febre um Bibiano
meu, de idade de 10 anuos, nao trepide! ppii
car Ihe, conforme o prereituado em vosso recei
tuario, doses ue vo^^o saiuui elixir, o ueueti> o
resultado i>ao se fez e perar; ao flm da temiura
dose, e ao 2'' dia. ja se apre.-eoiavaiu vnola* de
carcter benigno e em mu pequea quantidade ;
ccntinuef com a mesma medicaco, e ao flm de
quioze dias acbava *e meu lilhiuho completa-
mente restabelecido.
E* esu a exprersio da verdade.
Concedo vo-, cidado. que facaes d'esta o uso
que vosapprou^er. *
Disponde d amiiio eraiisci no
Flix Jo'iqann Ferreira de tai
Ra da Penba u <7.
N 69
Bebenbe, 28 de Julho de 1890.
Cidado Ma.iot-I Car.iu.--o Juoi
E' com amiiur >-atislaca qots'Vos traus .mAi
os meus sinceros agradeciiueutos pelo benfico
re-uliado que de voB-0 preparado, Ext aun-ie
oril CardOao, omive em urna febre iniermu ente,
que durante 18 aias miuou me a saudei; quan o
ja desanimado fui por um o Sr. Jos Francisco, instado p->ra fdz'er u.-o do
Elixir Cardoso, .o qual hoje hamo mu .m
Ihoso Elixir Cantoso. p groso, tal foi o effeito, que aps du >s do^e.- ex
penmentei, fateodo desopparecer a febre e vol
tando-me as forcas o appttile, achanito-ine no
fim de 8 dias ooiupletaueoie restibe eci>io.
Porlanto, nao cassare de indicar oElixir au
ti febril > ardoso a iodo aquellejbue como eu
for victima du laj lerr vel molestia.
Sem mais motivos toacomoseinpre veoeraior
e obrigado.
Francisco Antonio Barbosa.
N. 70
Sr Manoel Cardoso Juuiur.
Ten i* o cabido doenies dous lilhinhos meus
Antonio Fraocltco Lapes, de idade de 7 annos,
Joanna Hosalina da Conceic>a, de 4 annos,
com nma grande febre, que os facultativos
disseram que era febre tyuho, e desengaados
nor elles, pois nao obedeceu ao seus recei'ua-
rios. Contando a um amigo o estado de meus li
Ihinhos elle me aconse.bou o euElixir ami-febrii
e promptiflcou-se a mandal o ver; ao appliear as
primeiras doses liquei surprehendido co.u as me
Inoras de meus filhinbos, e no fia de tres das
estavam completamente restahelecldo^, gracas
ao ?eu miraviihoso Elixir.
Dsiapode Vmc fazer o uso que Ihe convier.
Sou com toda a eslima obrutado.
A rogo de Joo Antonio Lopes
Jos Vedroso de Carvalho.
Ra do Boro Jess n 27, 3." andar.
(As firmas estavam reconheciaas )
ED1TAES
Postura
O Ci nselho da Intendencia Municipal do Re
cife, usaud i das ilribuif,e.s que Ihe conferio o
artigo 3 7o da portara do g >verna1or d'-ste
Estido, resolvea imsessao de 14 lo correte ap
nrovar detinilivameote a seguiute :
An. 1." a vaccinacao obr amo i.i no Munici
pi do Recife ella deve ser praii ada as crian
cas no prazo de seis mezes contados do nasci-
mento.
Em tempo de epidemia este prazo licar limi-
tado a tres mezes.
Todas as pessoas de idade superior, que nao
poderem mostraros sigoaes de boa vacciua an
lerior ou de var.ola serio obrigadas a vaccina
ao.
\rt. 2* Por occasio do registro dos nasci
mentos sero tirados de um livro erpecial le ta
lio fornecido pela Intendeucia aoa esenvaes de
paz com as indiC(Oes p.e;iaaa, dous btletins,
um para ser entregue .o< declarantes e o outro
reme'tido logo ao instituto vacjinico, como aviso
para a vacamico.
Att. 3." Nj>prazos -lesuuadoi lio arl. 1 as
i-naocas devem ser apreseatadas no instituto
vaccinieo ou reuaeiiido aiiestado medico de sua
vacemaoau ou de lerem satTrido variolai-; na falta
de oomparecimenlo e da rt-messa que sera punida com a molla de 10/, o medico
o instituto vaccnico ira ao domicilio da manca
para vacciual a e em caso de recusa ou i:upe :i
lh-> por pane don responsaveis pela crunca, elle*
licarao sujeitos a 2* multa de 10J. que pod ra
ser convertida em prUao por tres aias e a ciian
^a aera vacciudda por autoridade do iastituto.
An. 4 Todo o individuo v,iccinado lera de
.i| reseu'ar ^e ao medico d i-Muto entre o 6' e
u 8 da depois da vaccinacao para Dio iacorrtr
na m^lla p" 54.
i ex aceito da vaccina voluntaria.
An 5. Ni Io dos allud d s o<>leiias,o medica
oo n-llt -lo ou i'Ulr de conlianca parncul r, que
v* ciuar. lera de esc.ever a dala r o n-sullado da
! vaccina^ao e das sub-equenier, quefurem ne
cessana e de conllruiidud com i s- res ^ela pa-sado o ceriitliado no 2o boieiim
*eio medico do insiituio. Aqueile boleuui ficara
*m poder da pane e est- com o ceriidcado sera
evolvido ao cariorio de escnveS da frnguezia
lo reKisiro dos nahcitnentos, prra ser archivado,
fazendo s aoies a pieci-a iniicaco no v. rso "O
lalo do hvro de que elle foi lirado, e escreven
du-se a ma'gem do regisiro do nascimenio d..
enanca a n 4a se ulule :
Vaccinada em data de...
Arl. 6." 0 lboleiim da vaccioagao, que tica
em poder da arte deve ser exhibido semprc que
for exigido pelo iiisuluto vaeciu co, pe in.-pe
doria de hygian oo por ootros encarregadoa de
vaocinacao.
An. 7. Na c; so de perda d'esse bolelim a cer
tula a que tor pas-ad-i a vista do ouiro boleiim
a.chivado, cuslara M para O esenvo.
An. 8." a apresemaco do boielnn de vacci
iiago ou de atiesta J medico de ler o menino
si-uaes de boa vaccina ou -e varilas indi*
pen.-avel para a admissao as escolas e quesq ie>
estabelecimenios de ensiuo priiuan.
O meninos engeitalos, que uo eeliverem vac-
ciDados, sel o nao lognos priiueirosdias da en
Irada na nula, antes de entregues as amas.
Art. 9. Os infractores do di^posio n'eiie ar
ligo sottVeao a mulla de I0 e os seus raomes
serao pubicados no jornal di Intendencia como
advertencia para que seja reparada a lalta, que
se verificar.
Art. 10. A revaccinaco igualmente obriga
loria desde a idade de 1 annos.
Art. II. Os boletins de vaccinacao com a nota
de revaccinaco depois da idade d signada no
artigo anteceJenle, os atistanos mdicos de re-
vaccinaco e de vaccin individuo sigoaes reconnecidos de varilas, se
rao docummtos imprescradiveisu'esie municipio
para a entrada as e-colas primaria*, secunda-
rias e superior, Das oflicinas e abncas. no exer
cito, na manulia e na polxia, as renariic0e3 pu
blicas e para o exercito de quaesquer actos da
vida civil, para os quaes se exija cerlidao de
idade.
Art. 12 O medico do instituto e os mdicos,
que ti ver m ao seu cargo tstabelecimeito- pu
blicos e particulares, os direc ores e liscaes d'es
?es estabelecimentos sempre que verificar m
qualqaer falla de observancia do disposto no ar-
tigo antecedente devem reparal-a com a prompta
vaccinacSo ou revaccinaco.
Ait. 13. Os me icos dos hospilaes e casas de
caridace e o da Casa de Delnco, vaceioarao os
soccurridos e detenios ; os mdicos da polica
prestarSo este servico em relacSo aos mendigos
e nutras pescas ananlona as, que orem encon-
tradas sem esiarem vaccina las cu terem signaes
do varila.
Arl. 11. Em lempo de e.idemia, como o pre
sent, a vtCcmacao e revaccinaco devera ser
praiicada tambem nos domicilios oDrigaloria
mente, em lodos que nao tiverem signaes de vac
Cinac&o rcenle, ou de vanla.
Esse servico ser desde, ja e uo prazo mximo
'le 8 dias, orgainsado c iniciada pelos medidos
en arregados d'elie pela Intendencia qual re-
metiente urna relacao semanal das vaccinu<;Ous,
que lizerem.
Os mdicos eocarregados do servico podeio
sujeitar a pnso por tres das os individuos que
recusaren) injustificadamente a vaccina.
Arl 15 Sera creado um instillo vaccinieo
Julho tle
de
1890
1889
Julho de
de
1890
1889
477:757*436
7U7:778*249
Mais cm 1890
Julho
de 1890
de 1889
Saludo :
1:197:204*270
390:381*430
806:80*840
1:292:6024000
312:976*459
979-.6o*5il
Mais em 1890
A expedicSo foi para :
Rio de Janeiro
Sergipe
Alagas
Fernando
Parahyba
Rio Grande do Norte
Ceaia
Maranho
Para
O balango entre as entradas
Julho prximo lindo d urna difTerenca, de......
95.399*730 contra a praca.
Foram saccadas para o exterior :
Sobre Londres:
Julho de 1890 400:000 de 22 1/4 23 3,4 d.
. de 1889 t 180.000 de 26 3/4 26 7/8 d.
1:003:200400!'
2:69i*600
27:778* 00
2:4v8*XX)
3:000*000
16-000*010
12:1051000
6:2004000
219:200*00*
e sabidas em
Menos era 1890
Julho de 1890
de 1889
Mais em 1890
230:020*813
Correio Geral
18:2224814
15:006*249
3:216*595
Renda do Estado de Pernambuco
Julho de 1890 217:939*940
. de 1889 22g:32O<069
Menos em 1890
10:380*129
O seguiute quadro da renda comparada da al-
landega mostra as diflere.icas bavidas pro oa
contra as diversas verbas em Julbo prximo fia-
do, cumprindo observar que, na renda de Julbo
do anpo pi.-sado. uo se acba compatada a da
xlincta Recebedona:
Mais em 1890 220.000
Sobre Parts:
Julbo de 1890 Ir. 300:000 de 405 a.429
de 1889 fr. 290:100 de 355 356
rcis.
Mais em 1890 fr. 10:000
Sobre Hamburgo:
Julbo de 1890 reich. 50:000 ce 500
de 1889 40.000 de 437
10:000
530 ris.
a 440
Mais em 1890
S"bre Portugal :
Jutiho de 18W rs. fort. 40:000* de 127 144 7
de 1889 38:000* de 98 99 %
Mais cm 1890
2:000*
X X X <* 3
lllfl
a. -so-a
O D
Os valores saccados calculados pelas respecii
vas taxas medias foram :
Em Julho de 189a 4:419:0504000
. de 1889 1:807:2303000
Mais em 1890
2:611:820*000
Se, porem, forem laes valores calculados pelaj
taxas medias de Ju'ho de 1889, ler-se-ba :
Km Julho de 1890 3:788:150500)
. de 1889 1:807:2303000
Mais em 1890
1:980.9203010
A difTerenca entre os valores saccdos em Ju
Ibo prximo lindo, segundo as laxas medias
deese mez e do sen homologo de 1889, dUeren
ca na importancia de 630:900*000, reprezenla
prejuizo para o commercio.

Os saques para as pracas do paiz que entre
tem relaces mercantis com a do Recife, saques
alias em numero limitado, effec'.aaram-se aos
seguinles premios :
Julho de 1880
Rio Grande do Sul 21/4
S. Paulo 5/8
Rio de Janeiro 3 8
Rabia -----
Ceara ------
aranhao
Part -----
1889
1 1/2
7/8
3/8
1 34
Acedes de companhias de S'guros Venderam-se
10 da Ampliitriie. do valor de 0..'S ao par
Acedes de bancos Venderm se 315 do Bat
n de Pernambuco, valor realizado de 40*000, a
47*000 ou com o agio de 17 e 1,2 /
Letras hypothecarias Venderam-se 511, do
valor de 1003000, com juros, de 101*500 a
I0*. ou com agio de 1 e 1,2 4 2 Vo
Acides de tartas empiezasYenderam se 16 da
Companhia do Beberibe, valor de 100* a 105*
ou com o agio de 5 % ; 265 debentures da Com
panhia Pernamhucana de Navegaran i Vapor,
de valor de 200*, ao par ; c 50 do Dirby ]lub,
do valor de 100*, ao par.

0 movimento do porto foi este :
Entraram do exterior
22 vapores, lotando 40:988 toneladas.
12 navios > 4:402 >
Entraram dos portas do interior
17 vapores, lotando 23:579 toneladas.
5 navios 1:138
Dando para total das entradas
56 embarcacOes, lotando 69:7*7 toneladas.
E tendo sido o total das entradas em Julhode
1889, de:
80 embarcacOes, lotando 73:106 toneladas ;
V-se quQ entnram menos 24 embarcaces, lo-
tando menos 3:359 toneladas.
Sahiram para o exterior
16 vapores
10 navios
Sahiram para o interior
28 vapores
9 navios
Dando para o total das saludas
63 embarcacOes.
E. tendo sido o total em Julho de 1889, de : 72
embarcaces,
Vt-se que sabi'am medios 9 embarcace?.
"
BXPOBTACO
Se era Julbo prximo hado as curadas de as
sucar foram maiores do que as de igual mez do
anno passado, em contraposico a exportayao
deste roducto foi inferior e o respectivo prreo
ce ho baixou.
Em relaco ao dgoco, nao so forana menores
as entradas mas tambem consideravelmente di
miou o a exportacSo e o seu valor, despullo da
ble i dos precos
De agurdente e aicool as entradas e a expo>
gao foram mais elevadas, mas os precos baixa
rain em relaco a Jolbo ne 18S9.
Da mel nao se f-z exportaco em Ju'ho proxi
mu (indo, e a exportaco dj couros e os respe
clivos precos foram melhorcs do que no referido
mez de Jut.lo de 1889.
Eqtrelaoto, o faci que o incremento obser
vado nos valores exportados do assucar, agur-
denle, aicool e c ur03 nao dea para cobrir o
dficit determinado pela queda na exportaco do
algodo, r.ena coocorreram para soerguer o valor
exportado oulros productos que, caibora de so
menos importancia, figurara co accervo da ex
poit-.cao.
Desse duplo fado provera a differenc pan
meos, na sonma de 468:611*715, no valor total
da exportaco de Julbo prximo lindo compa'a
da com a de Julho de 1889.
Eh os algarimas da uporlaco :

Assucar
O mercado deste producto este e frouxo..
Entraram :
Em Julho de 1890 12.714
> de 1889 .060
Em Julbo de 1890 Ext.
Interior
Total
Em Jaiba di; 1889
7J8.525
3.201.387
kilos
3.939.912
3.961.778 .
ti.884
Menos cm 1890
Calculado pelos precos medios, foi este o valor
exportado :
E n Julho de 189* 771:7075*30
de 1889 912:5*13420
Menos em 1893
140:7314990
Conservou se
docto.
Entraram :
Era Jjlho de 1890
de 1889
Menos em 1890
*
Algodo
apalhico o mercado deste
municipal, para manier em estao dd revivifica
C&U continuada a vaccina de iulura.de m do
que em oas determinados ella possa ser pa sada
do animal as pes-oas forueo-ndo se a re.-iaii'.
g atuilamenie aos mdicos que quizerem vacci-
nar e aoa individuos cerlos, que recldmarem es.-a
vaccina.
Pag da Intend n n Municipal do Recife, em
14 de Agosto le 1890.
Antonio -le S iuza Pinto, presidente. Fran
cisco do Reo Brr- s d* Lacerda.Fruo isco
P.iustino de Bnliu.J>au W'ifredo de Medeiros.
Mancel da Tindade Pirelli. Ju&o Ju venci Per
reir de Aguiar.
O secreiariu,
Jooqu m Jos Ferreira d Rocha.
Belm otu d<* liiHttut Vucriuiro
Municipal
Art. Io Fica creada o Insti*a'o Vaccinieo Mu
nicipal de accotdo com o a>t 15 da postura, que
rslabele.eu a vaecinacaj obrgaiiii; elle lera
cuino principal enea go :
1 A reprodi cedo cootinuada de vaccina de
cultura, regenerando a sobre viiellas escolbidas
ou ouUos ammaes reconnecidos aptos e rao
vaudo-a sempr^ que for po-a cow pox ou horse pos primitivos.
2o A ere-fio de vaccaniferos Humanos escolbi
dos. destinados as vacc.inaces particulares e a
casos especies oas vaccioajOes puulicas.
Art. 2o ln um .i; taiub-m ao ln-t>iuio :
eaz t sesgues punlicas de vaccin. {o em
di.is cer tos de c...i emana i m una das salas do
pavimento terreo di casa da I iten kuioU.
Serapre que fr) pos ivel a va> cia ser tirada
directamente do animal para as pessoas.
2 Vaccinar no domicilio as en,ingas cuj>-
nas'imentos, tendo ^ido registrados, nao foiem
apresen a as no praso leal, para serera vacc-
nadas no Insiitum, nem remetti o .allesiado me-
dico oe bi vaccioa d'e lasou de haverem suffii
do varilas ou deobiio.
3* Praiicir as vacoinacOes e revaccinace,
cuiieciivas aas esc>las, colli'gios, fibncas, cor-
neos e nos estabelecimenios punlicns e particu-
lares, que nao tiverem medicas, mas, quan lo os
tenii-m limitar se ha a verificar o esuliado das
vaciinacOes, que elles lizerem
Ao Iu-Ututo dever Ser retnettida po' lodos Os
mdicos um lisia ou nota mensal das vaccioa-
c0e8 que praticarera.
4o Proceder vacemacao e re vacc naci de
lodo* os individuos que nao pod rem, em lempo
de epidemia, provar boa vaccina recente ou sig-
naes de varilas.
5o Faz-r a escnpturago e a estalistica do
ser 150 das vaccinaces ou iv-v cciaagOes, com a
di-cla.acio de quem as tiver praiicado. -
A estattstica ser publicada seguida das apre-
ciaces que sua materia comporte.
6 Cer lili car resultado das vaccinac6e3 a
que proceder ou d'aquellas de que tiver recebido
..tiestado mlico. '
A 1* ceriiao ser gratuita e a 2* que :or pe-
dida pela parte cusa; 1*000
An. 3" O pessoal do lu.-tuu-o se conapoe de
um medico director e de ouiro seu substituto e
auxilur e de dous emprcgadoi subalternos tra-
los dos guardas niunicipaes.
0 me-co director poder propnr at o ame
10 de tres mdicos, para adjuntos do sabsti-
tuto.
Art. 4" Ao medico director incumbe .1 direc-
cao e desempenDo da servico especial do In-
stitulo, cultivan io a vaccina, vac-inando, certifi-
cando o resultado, orgaaisaudo e fazendo publi-
car as estalisticas e inapondo multas estatuidas
na postura de vaccioagao obngatoria.
Art. 5o O medico suosiitum tera de substituir
o medico director tm -mas faltas e de auxilial o
no 8ervig,'.
Art 6o Os mdicos adjuntos farSo o servico
medico, que llies for designado, quaudo cha
mades pelo director.
Ait. 7" O* cmpr-gadis subalta-aos de que
tr.tt o art. 3", um servir de ajudana, encarre-
gando se do material do Instituto e o ouiro far
todo o servico de cscripturago, ficando a sea
guarda o archivo.
Art. 8 O medico director ser nomeado pea
Intendencia e lera o o. llenado de 1:8003000 an-
ouaes, o substituto auxiliar ser o medico mu-
nicipal de clnica oa Casa de Detenco e ter a
gratificacao de 600*000 <* os dous empregados
arcacas
pores .
nimaes.
la-ferrca de Caruar.
a-ferrea de S. Francisco.
a-ferrea do Limoeiro
2>7 Saccas
03 t
1.0--C
138
78
1.598
somraa.
TAJEU.AS
f
5.180 S ct.ir
A-FIXAPAS
3991 raidos
8.003 -
4012
Regularam as vendas por 15 kilos :
Do de Ia qualidade
Do mediano
Do de 2* qualidade .
Os precos medios foram
Julbo de 1890
de 1889
de 83000
de 7000
de 63000
Mais cm 1890
Foram exportados :
Em Julhode 1890 -Ext.
Interior
Total
Em Julho de 1889
Menos cm 1890
Clculado Dlos preeos
lor exportado:
Em Julho de 1890
de 1889
Menos em 1890
cora as obrigaco.-8 de iar as no artigo ant- CC-
dente eoninuaiiu a peicber os seus vencimen-
1. s de suardas uiuoicipaes. mws, Meando isentos
dVsse se vic/.i e as urd'-na <>o medico director do
In.-i 'Utu e ue. seu -subSiHuti .
Os iuedi(;.s aijunto- p ios servicos auxiliares
qu- presiarem, le 4o direito de preferencia a
pieeneti-r qiilquer das vagas de director e
-ub-iiiu'o.
Art. 9 Ao servico das 8esp6>*s de vaccioagao
sero adm nidos os mdicos, que de accordo
com medio dinctor qa'zerem aprnveitar a
ca-cuia anima' para va jciuar ^eus clientes ou
rear vaccmlfero-.
Art 10. O nistitaio ter a soa sede em urna
das -aas d > pavimento te 'reo da i a-a Ja luten-
>e icm
Art. 11. Ser pu-il'ca la nina tabella d<>s dias
da- SessOes regulare- V r<:\UH(;&" no l"8'ilu'.0,
annuuc.iaiMlo se pe o j"rnaes as sc-se exlraor-
'ii a d* f a do in-uiu o
Al. 12 0 fornecimenio por venda oo aloguel
doj animaes va ciniferos poder ser coolra -tado
por espago de ires ou de seis va- zes
Al. 13 O es abulo dos ani.uaes vacciniferos
com espago apropnado a um i sala para servgo
ta vacciuagao delles, poder sw instruido as
oroxuni'iades do estabulo existente no-Hospial
Pedro II, pagando se 2' *' 00 mensaes pelo sus-
tento B tra'U lenlo dos a ilASm,
Art. 14 O material d<> insiuuio coosla da lisia
annexa
Art. 15. Sero instituidos pelos intendentes c
por outros iamos inu'iu;i|>en, q.,e quizerem ue-
zoito premios cada utu de. 5u*u00. como recom-
pensa a quem apresenur ca a aoimal com pus-
lo'as reconheeid-8 e aproveitaveis de "cow pox
ou horse pox primitivos
Se o apresenuiite recu ar o premio o seu no-
rae ser Inscripto entre os dos p emiadores.
\rt. 16. A i tendeo-ia dar U nstnicgoes,
qnefor-ra precisas pa a exe uco deslapos-
lua.
Saa do conselho ca InteodeBCia Mun'cital do
Be. Ue 21 de A -lo de 1890 -Antonio de Son-
-a finio pre-idente ; Fian isco Kaustino de
Br no. Joo Wabredo de Medeiros. Manuel da
Tnndaie Peretii, Joo J i venci Ferreira de !
Aguiar
O secreiario,
Joajuim Jas Ferreira da Rocha.
0 cidado Dr. Joaquina <'!ordeiro Ooelho
f'intra, juiz de direito da comarca da
Victoria Estado de P- rnambuco, etc.
Fz saber aos que o presente edital de
ve.nda a arrema-ac3;s virem, que no dia
19 de Setqmbro a< 10 horas da manha, ^
na porta da s .U das audiencia deste iuizo,
tem de ser arrematado a quem maior lan-
ce offerecer o eugenho SSo Manoel, sito
nesta c >marca, no logar Lagoa Oo nprida,
cora cas8 de purg r, todo edificado de
pedra e ca!, machinas, e caldeiras, moer-
das, taxas e mais nte-icihos, terrenos que
Ihe per'encim e possam pertencer per
10:000(5, cujo engenho vai a praga a rr
queriiuento de Audrade Lopes & C. e
Justo Te-ixeira & '., na execuco que
movem a Manoel Joaquim Sinioes.
E para que chegue a noticia ao conhe-
cimento de todos, mandei este passar que
ser httxad > no lugar do costume e pu-
blcalo pela impreusa.
Victor.a, 26 do Agosto de 1890.
Eu, Beitarmino dos Santo*. Bulcao Fi-
Iho, escrivo i n ter i o o escrivi.
Eslava um* estanaoilha de 200 ris col-
lada e inutilisada.Joaquim (Jordeiro Coe-
Iho Cintra.
(Conforme).O escrivo interino, Bel-
lamino dos Santos Bulcao FUho.
Brigue nglez End Lugar inglez Flora, bacalho.
Lugar nacional Logo, xarque.
Lugar tu^co Cari x-rque.
Patacho uorueguense Rabbi, xarque
faiacno sueco Siii, xarque.
Patacho bollandez Aftene. xarque.
Patacho uurueauense Hennk Wergeland, xarque.
Patacho dinamarquez fjhi. varios gneros.
Patacho nacional Rual, xjr.jne.
Kixuoriaco
&
J iOO
" 102.217 kilos
238.190
3J0407
I.404.332 .
1.063.925
medios, foi esleo va-
127 934*120
561.757-5200
433:8233080
(Coiinwa).
evsta do Mercado
RxClKK, 27 DB AGOSTO DE 1880.
Foi pequeo o movimenlo, constando de irans
accOes no mercado de cambios.
X s EP
te 0. ~
" Mi 1 K ^ >
. IO oc -si <- 2
m- 5
| ae * . 00 a
. * ^ c^ 4J ?
O w I* it
&MBJW
>i- viven' paros ao agricultor, por 15 fellos, se-
ondoa Asf-ocaco Commercial Agrcola, foram
isse:uiuier:
Jranco .....
Somenos. ...
vlascavado ptrgado .
3ratos.....
Hetame.....
3*200 a 348"8
2*700 a 2*S00
1*600 a 1*700
1*200 a 1*400
*900 a 1*100
A exporlago fea pela alfandega nesle mez ate
o dia 25, constou de 2 072.351 kilos, sendo 36.617
oarao e&lerior e 2.035.734 para o inlenor.
Bol
sa
Mais cm 189J
6.655
Os descontos de letlras regularam :
Em Jolbo de 90 de 10 12 /.
Bti Julho de 89 9 %
#
Em ltalos pblicos e de mprezas honve na
3olsa o segrate movimeoto :
Apolicesfederacs-Venderam-se: 14 de 1:000*.
de 960* 980* : 1 de 600* por 676*; 2 de 400*
384* e 4 de 200* 196*. ou com descontos
que variarsm de 2 4*/*-
Apolkes-do Sitado de Pernambuco Venderam-
se i7 de 1:000*000, ao par.
Acedes de ferro-vkuVenderam sa 41 dos Tri
lbo. U baos de Olmda, do valor de 200*, ao
par.
Irte-
Reguram os precos por 15 k'los para ex;
cao :
Branco 3* superior
3a boa
3* regular
4* sorte
Somenos
Mascavado purgado bom
regular
americano
Bruto regular
' orara estes os procos m'-djos :
Em Julho de 1890 2*938
de 1889 3*455
de 4*100 a 4*400
du 3*900 a 4*200
de 3*600 a 4*000
de 3*300 a 3*700
oc 3*100 a 3*100
de 2*200 a 2*300
de 2*00) a 2*200
de 1*800 a 1*900
de 1*100 a 1*500
Menos em 1890
Foram exportados 1
*517
opa^Obs officiaes da jdkta dos cor-
RETOBES
Recife. 27 ae Agosto de 1890
Nao nouve cotaco.
O oresideote,
Antonio Leona -do Rodrigues.
Pelo secretario.
Augusto P. de Lemos
Cambio
PRA^A DO BECIFE
l louve movimento considerave 0le a *2 bao-
cario, sendo os proprios bancos tomau\;.re3 a es-
ta ta\a.
Foi passado tambem algum papel baacrlo a
21 7,8.
PBAgA DO BJO DE JANHIBO
A laxa nominal bancaria foi 22 dando, porm,
o nacional 22 1/4 pela manha ao mercado somen
te, retirando mais tarde para a laxa nominal de
22 d.
Igodao
Nio constou vandas.
Aexnortaco feila pela alfandega oeste mez at?
0 dia 25 constou de 201.534 kilos, sendo 43 265
para o exterior e 161.269 para o ioterior.
As entradas verificadas at a data de hoje so
oem a 5.184 saccas, sendo por :
as entradas verificadas ale a data de hoje
wm a 7.675 sacio), sendo por :
so-
larcacas.
Zapores ....
vQmae8. ...
/ia-ferrea de taruana.
. ia-lerrea de S. Francisco.
i*-ferrea de Limoeiro
Somnia.
4 778 Saceos
ios
4"J6
2.218
75
7.675 Sacros
aseara. 26 Da agosto di 1890
tara o exterior
Nio honve exoorlacSo.
fara o interior
No vapor naaonal aranhao, para o Para,
carrecaram:
P. Al ves A C, 2o barricis com 1,874 kilos de
assucar branco.
a. C. da Silva, 40 barricas com 2,708 kilos de
assucar brauco.
J. T. Pinheiro, 1 caixo co u 15 kilos de doce
E. C. Beltro, 60 barricas cora 1,859 kilos da
assucar refinado. 40 di as com 1,643 dos de dito
brauco e 248 raeios de sola.
C F. Martins, 100 barricas com 8,700 kilos da
assucar branco.
Araorim Irmos < C, 20 pipas e 50 barris
cora li/iuO litros de agurdente e 100 barricas
com 7.019 kilos de assucar branco.
Para Manos, carregaram :
P. Pinto C 1 pipa e 65 barris com 6,72)
litro3 de agurdente.
No vapor austraco Orion: para Rio de Ja-
neiro, carregaram :
H. Burle 6 C, 1,743 saccas com 132,313 kilos
du algodo.
Para Sanio?, carregaram :
M. Borges & C, 922 saceos com 55,320 kilos
de assucar branco e 708 ditos cora 42,480 ditos
de dito mascavado.
1N0 vapor francez Ville de S. Nicols, para
Santos, carregaram :
P. Alves 4 C, 19 pipas com 9,120 litros dj
aicool, 466 saceos com 27,960 kilos de assucar
branco e 134 ditos com 8,0i0 ditos de dito mas-
cavado.
rio vapor Una, para Maco, carregou :
J. A. A. Couto Vianna, 20 saceos com l,iO0
kilos de sementes de carnauba.
Itcudiuientos pblicos
mz oa AGOSto
Alfandega
540.396*012
31:895*954
Renda eeral
Do da 1 a 26
dem de 27
Renda do Estado de Pernambuco
572:291*916
Oo dia 1 a 26
dem de 27
Couros
Coaros salgadas 365 ris, e os verdes a 249
i
igihrdente
'Jota se a 100*000, oor pipa de 480 litros.
Aicool
:ola-se a 2083000 por pipa Je 480 litros.
Mel
_!!? s 55*000 por Dioa de 480 litros
Pauta da tlfaudeg*
SBMAIU bfc ij a 30 DI AGOSTO DB 1890
V lite o Diario de 24 de Agosto
> avos 1 descarga
Barca nacional Maria Anodina; xarque.
Barca noruegense Leviathan, ca-rvo.
Batea iugleza Sehna, carvao
Barca noruegaensa Gid, carvao.
Barca .ngleza Gloamin, carvao.
Barca americana Crdenas, sal.
Barca noraegaense < oronae, carvao.
Brigue allemo Edilh Mary, carvao.
90:316*221
6:911*261
5otama tgtal
97.257*^82
669:549*478
Segunda sce ud Aifabdega de PernaabUC<"
27 de Agosto de 1890:
O tnesoureiroFlorencio Oomingues.
O che-fe da seceoD. J. da Fonseca.
Reccbedorla do Estado de
Pernambuco
18:734*247
131*011
Oo dia I a 26
dem de 27
18:866*^88
Recife Dralnage
Oo dia 1 a 26 23:725*079
dem de 27 1:334*968
26:606*047
Movimento do uorto
Navios entrados no ata 27
Havre e escala -19 dias, vapor fraacea
tVille de San Nicols, de 1,555 tone-


-',
.

^p;

i
-4
1



_____
_^_^_^_^~
^HHHIHHii^lHHHi HSawi
Diario de Peraamhueo--Qiiinia*-ieira 28 de Agosto de 1890

/

i
a



v
O Dr. Antonio Doming.o Pint-i, juiz dos onde vfi no centro do m-suio e no ra^io
feitos da fasenda deste Estado, etc. de bordados duat medalhas mostrando o
V Faz saber aos quo o presente ediul verso r revers collocados, urna na prte
virem, e deste noticia tiverem, quj em iup-rior tt-ndo no centro do vers> o em
virtude do art. 1. do decreto n. 'd''2'2 de hiero das artes representado por um
14 de Julho de 1887, tica marcado o compass >, cquadro e regoa circulado- peln
prazo de O das, a contar de boje, par* in* i co r-Xpisica do Ly o de Artes
O concurso do officio de escribo da Fa e Offic-a, e no reverso entre dois ramos
enda deste Estado, creado por torca de a data 1886, se id 1 a outra em tudo ig.ial
decreto do Exuio. Sr. gorernador de data e co'Iocada na parte nfemr tendo no re
de 20 do corrente. verso a data 1888 tendo com tinta car-
Os pretendentes serventa vitalicia ao minada,
mesmo officiv deveiu apreeaiar se devi- I Dentro do qiadnlatero na parte supe
damente hab it-dos dentro do r-fe-idi rior prazo, e na forma do decreto do 28 de carminad o letreiroBasar Pernambuc*
Abril de 1885; e para que cheg ie ao no e logo abaixo gravado com tinta
Con'ecimento de to ios uiandou presar o azul urna Agina,cnm as asas abertas
presente que se' affixado no lugar do como qm vnaudo, com urna fi'a presa no
costume > publica o pela iraprens* bic, na qual se lEmblema Registrado,
Cidade do Kecife, _6 de Agosto de tend > seguros n s garran doi* ramos de
1890.Eu Joao Vicente do Torres Ban- fumo, finando um para a direita e outro
deira, escrivao, o sera vi.
Antonio Domingos Pinto
BECLAMGOES
Salo do Clab Inter-
nacional do Recife
Programiua da soire artstica promovida
por ELIAS PMr'ILI com o valioso
concurro de distinctos art stas e ama-
dores.
Quita-feira, 28 de Agosto
de 1890
i. parte
CLASSICO. Piano
H. Ravina.
B. God.rd.
E. Foose< a
G. Palloni.
Meodelson
Micbelis.
H.D'Aubel
l.o ALLEGRO
solo
_. SERENATA.-Duelto para vio-
lios
>. i ALLET. Tran>cripco para
dois pianos a 8 mos
4. APPARIZ10NE.-Romance para
barylono
o." Sl.HEBZO. -Piano a 4 mos
t. QUARTliTTOFlauta, vio'.ino,
violonceilo e puno
4. parle
I.* ADA. TruusCiipcao para dois
pianos i 8 mos
i. L'ILLUSION. VariacOes para
ll-lUld m
i." LA JOTA ARAGONESA.-Djj
pianos
\." DOLORES.Violioo, violoncel-
lo, flauta P p ano S. Acesoof
o. RO DE LaHORE. Arioso para
bayiono Massenet
t. MAR HA HEROICADois pia
no- S.Saens
Tomam pane nesla soire musical as Exmas.
DD. Oiindiua Leal e Ma>ia -Uves discipulas de
Elias Pimpido, is distinctas amadoras Exmas.
DD. Giulietia e Hercilia Fres de Oliveira, os
eximios professores Amaro Barrello. Euchdes
Fonseca. M. Cete, G. Comoleii>, Joo Alves, Fer
raz e es inu-lligentes amadores Dr. Paulino de
Mello e Gervasio de Castro.
Principiar as 8 horas.
N. D.Acabar a lempo dos S. convidados
Slcaocarem bunds para todas as linlias.
para a esquerda.
Mam abaixo tem urna faxa transparente
tendo em loteras muiusculas c com tinta
carminada a palavra MATUTINOS, c anda
abaixo eacripto com lett as minsculas <
tinta da mrsnia cor estes cigarros sao pre
parados i om os melhores f unios ; e ai ma
com lettras maiusciilas a lirma conmercial
Joaqnim Bernardo dos R-is & >., 3 )
ra Larga do Rosirio 30, e finalmente o*
parte inferior a palavra Pernambuco.
RecifY 10 de Julho de 1890. joaqnim
Bernardo dos Reis & C. Com o sello de
200 ris.
Certifico que fui apresentada na secre
taria da junta com i crcial do Recife, 3 2
h ras da tarde do dia 10 de Julho de
1890.
Escrevi e assigno.Em f de verdade.
O secretario Julio Augusto da Cunba
Quimares-
Certifico qne foi registrada sob o n. 266
em virtude do despacho da Meretiss :;a
Junta Commercul, em sessito de hoje.
Pagou IdOOO de um parecer fiscal.
Escrevi e assigno nesta secretaria da Jun
ta Commercial do Rscife, aos 31 de Julho
de 189 J. Em f de verdade. O secreta-
rio Julio Augusto da Cunha Guimaracs.
A Reichert' Est selladaWm o sello da Junta Com-
j niercial do Re fe, e tem 6-5300 de estam
s-SaeM pilhas. _^_____
N. 266
Com o presente emblema distinguen)
Joaquina Bernardo dos Kcis & C, a marca
de cigarros de Ma manufacturado, a qual
se denomina Matutinos e da forma
seguints:
Un quadrilatero em papel amarello
claro, gravado com tinta carminada e que
ge divido na sua terca parte ao lado di
reito por um traco perpendicular que
forma desta mesraa parte um quadnlongo,
"
ladas, c immaudaute Esnol, equipagem
37, carga varios genero3 ; a Augusto
Labi.Ie.
Porto Alegre e escala2S dias, vapor ia-
gl-a Jometa, de 718 toneladas, com
mandante David M. Jones, equipagdin
30, carga varios gneros ; a Pereira
Carneiro & C
Rio Grande do Su!26 dia-, escuna na j
cional Pelotas, de 12J toneladas, ca-1
pitao Francisco Rodrigues, equipagem j
8, carga xarque ; a Costa Medeiros.
Liverpool53 dias, barca norueguense i
P. S Nunch, de 418 toneladas, ca-
pullo J. O. Risor, equipagem 10, carga
carvao de pedra; ordem.
Jaoio sahido no mesmo dia
Mano3 e escalaVapor nacional < Mam
nhao, com manan te Carlos Antoi.io
Gomes, carga varios gneros.
Alto mar Vapor inglea Noserman,
commandante Gil, carga fios telegra
phicos.
?lfandega
Edita! n. 75
Quinta praca
Pela inspectora desta Alfandega se faz pubh
co que s i i horas do dia 30 do correute mez,
serlo arrematadas porta desta reparlico, as
m- rvailonas abaixo declaradas :
1 caixa e (res harrias, marca letreiro ns. i/4,
vin-las de Ni w Vork no vapor americano Allian-
fa. entrado cm 27 de Novembro de 1889, con
tendo objecios chimicos nao classili^dos. aban
donados aos direiios por Antonio do Carmo al-
mo da.
2. seceo da Alfandega de Pernambuco, 27 de
Agosiode 1891). O chefe deseeso
Cicero D. de Mello. _____
Alfandegade PernambucD
Industrias e profifsoes
0 inf pec'or declara que at o dia 30 do cor
rente mez cobrar-se ba nesta reparticao, bocea
do cofre, o imposto devido por iodusinas e pro
fi-soes. relativamente ao 2. semestre do exerc
c;o ie 1890; sendc que, dessa data em diante,
o mesmo iu posto ser cobrado com a respectiva
multa de l 0/0.
Alfandega do Estado de Pernambuco, 27 de
Agosto le 1890.
lid rao de Souza Leo.
Buenos-Ajres. Trent............ 2J as 2b.
Sul.........Brazil............ 30 as 5 h
Mercado Municipal de S. Jos
O lovmento deste mercado no dia 26 de Agos-
to foi o seguinte :
Entraram :
39 bois pesando 5,291 kilos.
615 kilos de peixe a 20 ris 12*300
i I i cargas com farinha a 200 rs. 900
tt ditas de fructas diversas a 300 rs 6JI6U0
32 columnas a 600 rs. 19*200
75 taboieiros a 200 rs. 1M000
5 sumos a 200 rs. 1*000
i escriptorio a 300 rs. 30"
64 compartimentos com fariuha a 500 32*000
29 ditos de comida? a 500 rs.
91 ditos de legumes e fazendas a
400 rs.
13 ditos de sumos a 700 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
12 ditos de camares a 200 rs
46 tainos a U
Rendimento de 1 a 25 docoirenie
Vapores a entrar
MEZ DE AGOSTO
Europa....... Trent ...........
Liverpool..... Ed'Ctor..........
Norte........ Brazil..........
Europa....... Cumpinas.........
UJ500
37*600
9*l0o
5*4')0
2*400
92*000
248*300
6.1564340
6.404*640
29
30
30
31
Vapores a sahlr
MEZ DE AGOSTO
(tantos e ese.. Ville de S. Nicolao.. 28 as 3 h
; Precos do da:
Carne verde de 200 a 480 ris o kilo.
Suinos de 560 a 640 ris idem
Carneiro de 640 a 800 idem.
le arinlia de 560 a 580 ris a caia.
Miiho le 360 a 440 ris idem
Feiio de 600 a 700 id.-m
Capital t!o Banco .... 20.000:0IMSOO
Capital realizado .... Desconla letras de cambio e da Ierra, cotilas assigoadas e outros ttulos
de divida.
Recebe dinlieiro a juros em conla corrente ou por letras a prazo fixo.
Adianla dinheiro sobre cancho de Ttulos e mercadorias, apolices geracs
provinciaes, letras hypolhecarias, ac^cs de bancos e companhias e abre cred
tos em conta corrente com garanta dos mesmos elTeito?.
Haca por todos os vapores sobre os seu ba aquel ros
e correspondentes
-Londres.........The City Bank Limited.
Pars c as mais importantes pracas de i
Fr5*.........S Crdidit Lyonnais.
Bmiellas........( .
Madrid.........'
Berlim......... F. V,' Krause & C.
amhn>crn........ Joh lierenber, Gossler & C.
Franekfort W M ...... Deutsche Effecten & Wecbsel Bank.
Slnllgard........ gtahl A Fedarer
Dresden......... Dresdner Baok.
Munich......... Bayrische Vereinsbank.
Lisboa. ) .
Porto c diversa bealidades de Portu > Banco de Portugal-
gal, i Ib as dos Acore* e Madeira. ) a
Faz todas as demais operaedes bancarias
38Ra do Commercio38
Thcsouraria de Fa-
zenda
Dj ordein do ci.ladao Dr. baspe tor, fago im'
bliuo que o The>ouro tfCiHial, pela ordeui d
di eiiona d* oinabiiM.iiie 'i* 13 d cori'-nte,
S' o n. 1983 bab 'tou es.a Tliesi uraria a pagar
uos seRUnites redores ii^ dividas ue exercicios
udos :
Or Titunio B;roo3;i Nogueira.
D M na lnfddt F^r"n-ifs te oraes.
Tfit.-ounina de Fuzei ia do Estado de Pt
nambuco, 7 de Austo ie 1890.
O herreiarioda junta.
Or. Anlun'o Joi i- Sant'Anna
Irmandade
DO
S -nlior Bnu Jf us das Dores ea
S. Gou^ lo
Declaro que por enean > d. ixei de mencionar
o nomi do tr.esourewo pleito, o Sr. Antonii M
riann da SiNa. para que nao julfruem haver
previ ocio de uiiiij parte, foco a presente de
clar^rao.
Consistorio da irmandade do Senhor Boro Je
sus das Dores, em S Goucalo, 17 de Agosto de
1890. OscereUne,
Mata Manoel bus.
"AVISO
Pelo |i e.-tiiie e l".-z publlew a lodoe cjnt* fuoc-
cii'Oaia para vaccinaj o revaccin-icao. em to-
dos o dias alna das 10 lios n nielo dia, no
pavnuciHo terrO do Pago Muoicipal o itistnuto
vac nco soh a d.reccij do Dr. Mu noel Basto
de Oveirs.
Chima e tambera a attencao dos ioteressido
para o art. 4' da K3U8CMM po^tura, puDJi. ala
na Proo neta, a qual diz gu lodo o individuo
vac inado ter de apreewar i e o medie > do
instituto enne o 6- e o 8 dia depois da vacci
nagao. 3ara dj irn-.o~rer oa multa de 3*000,
*eodo p.(!ii vola Plana a exlracgio.
Secretaria da intendencia Municipal do Hecife,
25 de Agoste de 1890.
O secretario,
Joaqnim Jos Perreira da Rocha.
Usi a Joao Alfredo
Os administradores coavidam os penbores ac-
cionislas a leunirem-se no dia iO do corrente,
no escriptorio a ra do commercio n 6. segundo
andar, para iirestagSo de conlas. Rrcife, li de
Ago.-lo de 1890. _______
" AVISO .
A b; rea americana Crdenas, cbeguna neste
porto no da 15 do corrente. com cerca de 530
toneladas d- sal, [recisa iici-carrcga' para poder
concertar. Para descarregar, armazenar e reen-
oarcar a dita carga recebem-se cfTertas fechadas
leste consulado at 22 do corrente ao raeio da.
Edwin Steven8,
Cnsul dos Estados-Unidos.
Obras do melhoramen
to do porto
No escriptorio da empresa de Obras Publicas
no Braril, ra do Commercio o. 13, recebe se
at o dia 31 di correle, propjstas para o for-
necimento de pedras para alvenanae cantaria.
Recife, 20 de Agosto de 1-90.
A. Braz da CuiiIh.
Reiresentame da empresa.
Monte de Soccorro uePer-
Dambuco
Sao convidados 03 possuidores das cautelas dos
nmeros abaixo. a virem res^atal as al o dia 8
de Ayusto prximo avisando se Ih-f de que
lindo e-le prazo sero levadas a leilo publico :
17.642
17.770
(8 594
18 610
18 615
18.627
18 628
18 713
18.734
18.797
18 819
18.864
18 903
18 988
19 050
19 195
19 197
19.233
19 249
19.255
19 259
19 26'
19.263
19.267
19.268
19.269
19.276
19.293
19 970
19 974
19 983
19 988
19. i-93
20 0U6
i6 013
20.019
20.025
19 842
19 294
19.293
19 301
19 302
19 3i0
19 317
19 322
19.325
19.328
19.329
19.335
19 338
19 343
19 3ii
19 346
19.347
19 351
19 352
19 354
19 35o
19 356
19.359
19 361
19 36!
19 364
19 369
19.377
19*385
19.849
19 870
19.878
19 904
19 918
19.926
19 949
19 955
19.963
19 389
19.. 91
19.396
19 i' 1
19 403
19 404
19.405
19 407
19 409
19.417
19 423
19 434
19 438
19-439
19.443
19.444
19 447
19.454
19.455
19.472
19.473
19.476
19.482
19 484
19.485
19.487
19.492
19.493
19.971
19.979
19 984
l'J 9*2
19.9*6
20 008
20.014
20.023
20.026
19.499
19.505
19 510
19 522
19 523
19 526
19.540
19.542
19 543
19 543
19 546
19 55
19.535
19 559
19565
19.568
19 571
19 572
19.573
19 574
19 576
19579
19 580
19.585
19 586
19.587
ln.588
19 589
19.851
19872
19.892
19.907
19.822
19.9.16
19.953
19.958
19 964
19.593
19.594
19 596
19 597
19 598
19.599
19 600
19 602
19 605
19.610
19 615
<9 6!6
19 621
19.626
19 628
19.637
19 644
19.653
19.654
.9 655
19.658
19 667
19 668
19 675
19 684
19 686
1 693
19 695
19 972
19.H82
19.985
19 994
20.000
20.012
20.016
20 024
20.027
19.696
19 492
19.709
19.710
19 714
19 725
19.727
19 737
19 744
l.751
19.754
19.769
19 77
19.772
19 773
19.:80
19.7 0
19.791
19.795
19.796
10 797
19 800
19.806
19.807
19 810
19.814
19 825
19.829
19 859
19 875
19 895
19.913
19924
19.938
19-954
19.959
19 965
Recite, 17 de Julbo de 1890.
O gerente,
Felino D. Ferreira Coelho.
Arsenal de Guerra
T.O cocselho de compras deste Arsenal recebe
r proposlas co dia 30 do correle, s 11 horas
da manh, para o fornecimento dos artigos se-
guinles :
Algidozinho com 82 centmetros de
largura 000
Amiagem, meros n Z
uoloes grandes, de metal amarello 80 0
Diios requenos, idem idem 8l00
Dilus pretos, grandes, de osso, para
blusas 22O0O
Ditos ditos, pequeos, de osso. idem 22000
Ditos pequeos, brancos, de osso 126450
Brlm banco transado, nn-lros 22 50
Brim escuro, trancado, metros 5000
Bonets para inferiores do estado-menor 10
Baetilha branca, metros 14
C( lebetes pretos. pares 2145
Cordio de la encarnada, metros 23276
Espheras para divisas *0
Borlas de l e-<-arlale para corres 1500
Hollanda para forro metros 3940
Lenco3 de chita 3580
Panno escarate francez, metros 150
Sargelim de cor, metros 21
Panno para capotes de inferiores, ii li-
tros 24
Ganga encernada, metros 222
Praios fondos e rasos, de louca 200
Chicaras e pires du louca, casaes 100
Bmdejas de folba pata farinha 10
Ornas de folba para caf, cora torneiras
Bule de looca
Monngos onbiiiius de barro. 16
Machadiohrencabada
Facas graodes para cosiohu
Terrinas de ferro agaiha 10
Oleados espessos de 5," cada un 6
Observaces
Previne se que as propostas devem sr cm du
plicata e assignadas pelos proprios proponentes,
que deverSo comparecer ou lazcr-se rt presen-
jar compeleninnenle Ba occasiao da sessao e
ler muito cm vista as disposicOes do regula-
ment em vigo-, devendo as referidas propos
las faxerem a declaragao de sojeilarcm se
mulla te 5 |. no caso de se recusaren) a as-
signar o contracto, e bem assira as de que tra
tam os arls, 87 e 88 do mesmo icgulamenlo.
Secretarla do Arsenal de Guerra de Pernam-
buco, 25 de Agosto de 1890.
Gongalo Attico Lima,
Araanucns.-.
Instituto Areiieologico e Geogra-
phico IVruainbucaii
Qu BU-l-ira, 28 do m rento a hora do costu.
me avfi s^r-sau urdmana.
Secreta'a do Instituto, 26 de Agosto de 1890.
0 1 secretario,
Baptista Regueira.
SI eereinrla da ant Cue Hi
erlroniiH alugitm Me as aeffdlatea
cmnskm t
Ras :
Sete de Set^mbro n 25 404030
Restaurado n. 25 13*000
Uila o. 27 15*000
Aiuorim 1 andar n. 23 15*000
Uiu 2 andar n. 23 15*H)0
| armazeu. n 64 300f0
5hrio Tenorio 1- andar n. 25 25*000
iita 2o andar n 25 20*(X).)
D'ta .jan. 27 15*000
Domingos Jo Martina, terrea n. 16 2o*"'0"
Diia o. 118 16*666
Di- 1* afijar n. 132 15.000
Da 2o andar n. 1.12 loOOO
.ompanhia Pernambucana loia n. 30 15*000
Uurgos. tnea n. 21 14*000
Lapa n 2 14*000
liecco do Abreu 2 andar n 2 8*000
mador da Detengo n. 4 6*000
Klff
Rio de Janeiro. San os, Rio Grande do
Sul, Pelotas e Porto-Alegre
O vapo iglez Cometa
E' esperado do sol at o dia 28
do crrenle e depois di demo
ra ncessaria regressar para os
pono- ai iuiu.
Para car
Consignatarios
Per ira uumiro & C.
6RA DO COMMERCIO6
I- andar
ompanhia Bahiana de Na-
vega^ao a Vapor
if&cei, Vtlla-Nova, Penedo, Araca
, Estancia e Baha
O vapor Sergipe
Ccmmandante Rebello
E' esperado dos portos .t""-
at o dia 2 de Setembro regn,a
sando para os mesmos depois do
^idemora do costume.
Para carga, passageus, encommendas e dinnei-
rj a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerquis
17Ra do Vigario 17
Roy al Mail Steam P*?cke
Com pan y
O vapor Trent
lispera-se aa Europa ate. o dia 29 d
Agosto, seguindo depois da demo
ra indis pensavel para
ihl:i. liio de Janeiro, autos,
Montevideo e Buenos-Ayres
Para carga, passagens, e ncommendas e vale-
tes trata-se com os AGENTES.
O vapor Tamar
E' esperado do sol no dia 1 de Se-
tembro segnindo depois da demor.
uecessana para
Lisboa, Vigo e Santhampton
RujtucfSo de passagens
Ida Ida f votu
1 Lisboa 1 classe < 20 4 30
V Southamptoa 1" ciaste 28 42
Camarotes reservados pa, a os p ssageiros di
'i'-nambuco.
Para passageus, freies. encommendas. trata-s
on os
AGENTES
A morim Irmos & C
N.:<--Kn.n H/> Bon JessUS.
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Lecointre
E' esperado dos portos do
sul no dia 2 de Memoro
seguindo depois da demo-
ra do costume para bor-
deau.x, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de vodas as
classes que ha lugares reservados para esta
i ;encia, que podem tomar em qualquer tempe
Fas-sc abatimento de 15 0(0 em favor das fa-
aia8 compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepcao, os criados de familias que to-
rnaron bilhetes de proa, gosam tambem deste
a latimento.
Os vales postaos s se dao at o dia 30 de Agos-
to pagos de contado.
t>ara carga, passagens, encommendas e di-
nti3ro a frete : trata-se com o AGENTE.
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado da Europa no
dia 3 de o Setembro segui-
r depois da demora ne-
cessaria para
Janeiro, Buenos-Agres *
Montevideo
fahia, Rio de
^embra-se aos Srs. passageiros do todas as
clajses que ha lugares reservados para esia
dgencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercado-
rias que 86 se attender a reclamaces por tai-
ta j, nos volumes, que forem reconhecidas na
0 icasio da descarga, assim como deverao den-
trj de 48 horas a contar do dia da descarga das
a vareagas, fazerem qualquer reclamacao con-
ternentes u volumes que porventura tenham se-
guido para os portos do sul, am de poder-se
lar a tempo as providencias necessanas.
Cates paquete* HlMiad
1 a elctrica.
Para carga, passagens. encommendas e di-
a leiro a frete: trata-se com o
AGENTE
AugusteLabille
Ra do Commercio 9

Llov! Brasileiro
PORTOS DO NORTE ^
O vapor Brazil
.'ommandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do or:
teat o dia 30 ie Agosto e de
pois da demora indispensavel
__________Iseguir para or porto* do sul,
recenetido carga bardear no Rio de Janeiro :
para Sanios, Can enea, Iguape, PaiaraMua Aniu
oibh, S Franei-co, Itaaliy, S-nta Ca horua, H10
Grande, pelotas e Pjrto Alegre..
a MDBHUesdHS tono nt i ora
da tarde do dia da sahida, no trapiche Baroosa
no largo do Copo Santo n. li-
pa.* pussagen^, tretei e euc>iQ'n alas :r la-
se com os AltEVTES.
PORTOS DO SUL
O vapor VlanoH
Commandante o Io tenente Guilherme
WaTddington
E' esperado doi Bortos to 3
e ti da 6 de S leubro e s^-
i/omdo depon d iMuion in4's
ipensavel par* u portos do
dle 11.1
i .'fir.oiu 11 :iLis serio 1 "i at! hor
d t rde do da da sabida, no trapiche ttnb.i-
no lar o do Curpo Saot) o. li.
iracarga, enuimmeuita-, issa sas falo-
es trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6==/2m do CotKTOrc")=='s
'n ndar
CHARGERS KclUNlS
Cumuanhla l'ra s*
DE
*aregco a vapor
jiona quinzenal entre o Havre, Lisboi-
Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro
Santos.
O vapor Crdoba
Commandante Duret
E' esperado da Enr>pa ate o di,
6 de Setembro seguindo depoi
la mdispensavel demora pan
K10 de Janeiro e Santos
Aoga-se aos Srs. importadores de oar^a peiw
aDores desta linha, queiram aprese.ntar dentr
le 6 das a contar doda descarga da* al varen*
(ualquer reclamacao concernente a volumes gu
lorveutura tenham seguido para os portos n
ul am de se poder dar a tempo as prov;
lencias necessanas.
aspirado o .-eierido prazo a compaoJiia nao
-esponsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di
ib airo a frete: trata-se com c \
AGENTE
Augusle Labile
9 -RA DO COMMEKCI > -
United States aad Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado dus portos oc
sul at o da 9 4e Setem-
bro o qual depois da de
mora necessana seguiri
para o
Para, Barbados, Martlnlqne, #.
Thomaz e New Vork
N. B Recebe carga para Manos bal-
deando no Para.
Para passagens carga, encommendas e di
aeiro a frete:. trata-se com os "GENTES.
O vapor Alliaaca
E* esperado de NewYon
at o dia 11 de Setembro
o qual depois da de
mora necessaria seguir
________para a
Baha, Rio de Janeiro e Manto
?ara carga, passagens, encommendas e o
aheiro a frete : trata-se cora os
AGENTES
Henry Forster & C.
8 Ra ao Commeeior8
1 andar
Ao correr do martello
A's IU Ij2 huras par ra do Ar o um trem
quo dar pus ag ni ..s Srs. coav.or-
1 t" e-
Ageute Ur to
Leilao
LEILOES
Quinta feira, 28, deve ler lugar o leilao de
movis, espelhos, ja iros e^ movis no sobrado
da rus d Bom Jess n. 45.
Sexta feira 29 bavera leilo de move s em
Jaboato casa em que morou o fallecido Antonio
Crrela de Vasconcellos
Sexta feira, 29, djve ter lugar o leilao de
movis, louca. vidros, quadros e espeih is da
casa em que residi o fallecido A- Corris de
Vasconcellos, em Jab alo, pira onde partir s
9 horas, um tren. ;
Agente Burlamaqui
2: Ifilu (Mimtivo
De urna armaclo e resto de gneros
A's 11 horas
A' ra Duque de Caxias n. 22
Com garantia das chaves
Quinta-feira, 28 do corrente
O agente cima, por mandado e assistencia do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio, ven
dea em 2o leilao definitivo a armsco e resto
de gneros, pertencentes 4 raassa fallida de Me-
deiros & Pereira, garantindose as chaves a quem
comprar a armago, por ordem do proprietario
do predi. ____________ ,________________
Leilao
De 77 canaslra3 com alho3, sendo marca trian-
culo 100, 3 dem dem 120 e 24 idem idem 130,
cerca de 20 presuntos de iiambre, caixas com
bi'.er de Angu-tura. caixao com cerveja branca
ingleza em meias garrafas, 1 excellente burra
nova e mansa.
Qulnta-feir.*, 8 do corrate
A's 11 horas
No armazem ra do Mrquez de Olinda
n 48
Por intervengao do agente
Gusmao
de predios, um pi*n (q ias n ?,) deH;.n-
ry Hit e movis
Urna mobili.. de jan o, i ,-.u,. franreza, mar-
i|i Oes. mu: uta guarda ve t.uo. toilette e'
lUllUS IIJU i '">- obj'it" .
tm s^KuiU v.iide-a o ^tr- nt-- cima 2 meias
au'ua.- a ra iln S ci'kii ns. 71 -73, I i-a a terrea
a ra linprinl n. >78 li-i d 4"'nbaracada9.
Rua d* lm >! z o 47, 2a i S \t '-feira, <* A's 11 horas
Leilao
JLeilo
Deesprllios, 12 cadeir. s de junco, sofs de
junco avulsos, mobiliaa, mesas elsticas, camas,
ommodas, chicaras e pires, pratos razos e fon-
dos, tigellinba, garrafas, 2 Iind03 jarros, 2 ba
bus com roupa de u:o, 1 veloeipelee 1 carrinho
para meninos.
Qaiata-felra, 8do corrate
Agente Plato
Rua do Bom Jess n. 45_________
Agente Pestaa
Leilao
de plano e movis, perteuceotes
ao espolio de Domlogos Tei
xelra Basto.
Sextafeita, 29 do co:rente
A's 11 horas em ponto
No predio sito rua do Conde da Boa-
Vista n. 1G3, junto ettacao d-j Cami-
nho Novo.
0 agente Pestaa vender por mandado e as-
sistencia do Ezm. Sr. Dr. juiz de orphos:
Um excellente piano Pleyel, urna cadeira para
o mesmo, urna mobilia de Jacaranda, tres espe
Ihos grandes, seis quadros pintura fina, dois
aparadores dois guarda comidas, urna excellen-
te mesa elstica, ires sofs americanos, vinte ca-
deiras de dito, urna cama de Jacaranda, urna dita
pe dau carga, urna dita de amarello, dois mar-
quezes, marquesa, urna mobilia hogindo bam-
b, ama dita de Jacaranda, materiaes e monos
outros objectos que scio vendidos
D-. m veis, 'plicas, widros, esp'lhos, qua
ims, baneoo d j r iui, mu'tiis outros
muveis e (Bal lij etoa
Em Jahoatd
Conotaado:
D- I m -luiid "( june pn'n, 2 cad"ira3 deab-
iatiy 1 j io iin-ir.i H.p-heH quadros h laoter-
n w 1 aie-a nar. j ao 1 osiureira, 1 loucador,
2 inesi .lias 4ca i (e^ .i -lip-f-^uicadeiras, 1 mar-
qu<-z-> ii ta|fie- I me-a ehniic, 1 guarda-
'luga 1 tniai.lu-' oiuhI :. 1 quartinh-'ira, 16 ca-
'eira" d? junco, i r<-iuio ie p cha i* j.ni.ir, vidro^e nutr s arti iiiuinbu. ti- a:re- 1 idi i de araini-, mesis de
ft-rro baoms de j;cdim muitos out-os movis.
Sexta-feira, 29 do corrente
Agente Pinto
Em J boatao
Na proortedade do falle .-ido Amonio Correta de
Viisunceilos
AV 9 hor.ts em ponto partir da esta;So n;n
trem para Jabuaio.
Leilao
Agente S ep le
Dr". dua.- eai-a- lerr-as, ^eudo una em solo forei-
m e mura em solo pn.prio
Nabbado SO do corrate
A's 11 horas
No armaze rua do Imperador o. 39
O BgUte acuna por m ndado e asilencia do
Enm Sr D juiz iie (HreitO da provvdona de
capeilas e residuos, lavara leiia a ca3a terrea
n. 41 rua ios yesca ioies em solo f.ireiro, p-r-
ta. lanella de frente, mas salas. 3 quartos, COS-
oh i f<*a, quintal mura lo e cacnooa prnpria.
Urna iin'ia agua D. 14 travos a da FuadicSo
em solo prop-io, porta e ja> ella de frente e urna
no ol So. 1 -ala 1 qua to ; a requerimento do
mventariante dos beus dt-uad03 pelo nado Cle-
mente Gcnca ves Nelto.
Os Srs. pivteiidenti's des le j poderlo irex-
aminar as referida* casas.
3. e ultimo leilao
De um casa terrea n. 10 com soto rua
Duque de Canas, em solo foreiro
Sabbado, 30 de Agosto
A-\* 11 horas
No armazem a rua do Imp rador n. 39
O agente St pple, por mandado e assistencia
d Exm. Sr. D.'. juiz de dir. /.o de orphos, a re
queiinieiiio do luior de t> u irmfn Vulpiano de
Aquuio Fonseca. It-var a leilao a casa terrea
aciuia com $ portas e 1 janella, >alas, 2 qoar-
tos, cusintia ext-rua pequea,nuintul murado,so-
tan -orni sala e 1 quario.
Os Sro. i reten denles desrtv ja poderio ir exa
minar a dita ca^n. ______________
Leilao
De rn-v ii, espelt.0, quadros. Iouch, vidros
o t.rem de BOainha
Nabbado, 3 O do corrale
A's ll horas
No l' andar do sobrado rua du Cabug
n. 16
Ooostando :
De 1 mobilia de amarello. completa, 1 espelho
oval, 4 quadros a oleo. 4 elapere?, 1 candieiro
para kcozene, 4 jaros para jres, 2 escarra-
deiras, 2 tapetes, 1 caixa de mus a, S pannos
de. c:orhet, I espana lor de ennas, 1 cama fran-
cesa, 1 cpula, 1 rico cortinado com lago, 1 loi
lette. 1 cabide de pared- 2 garrafas para extra-
cto, 1 tapete, 2 ecarradeiras, 1 marquezo, 1 l-
valo' 10 cora jarro e hacia, 2 cabides de parfde,
meia couimoda, I lanterna com molla, 1 u esa
com gaveta, 1 cama de lona, 2 cpulas 1 mesa
elstica cora 3 taboas 2 aparado-es, 1 guarda-
comida, 6 cadeiras. 1 panno para mesa, 1 ma-
china de costura de 2 posponlo-.com mesa, 1
relogio bom regulador, 2 cabides, loucas para
almccj ejantar, garrafas para viouo, compotei-
ras. bandejas, tolneres. colbere?, copos, clices,
jarras para aguas, bacias, trem decozinha e mui
tos outros objeems do uso domestico.
O agente Gusmo, auiorisado por urna familia
que retira-se para a Bahia, far leilao dos o oje-
aos cima mencionados existentes no referido
sobrado.
AVISOS DIVERSOS
Alugam se casas caiada e pintadas scu a
nos fuds de S. Gongalo, a Si ; tratar na rua da
m peratriz n. 76.
Compra se um guindadle : quem o tiver
poder dirigir se ao escriptorio de Ltvramento
& Companh a.________________
Tenente Antonio Jos de Souza c Silva
Kste senhor tem urna carta no escriptorio
deste Diario, e ignorando se a sua residencia,
pede se a qcem soaber, o favor de dar informa-
cOea.____________________________________
Precisa se de urna ama para cosinhar e en-
gotomar; a tratar na rua larga do Rosario n. 9,
relojoaria._ ____________________________
O Sr. Jos Francisco da Cosa Ferreira, pra-
ticant-? do Correio, recebeu diversas notas do
Ttiesouro para entregar a i ua dona, e ainda ha
tres dias recebeu do Cabo dinheiro, nem sequer
dignou-se apparecer na rua d- Palma, sabendo
que ha urna ordem contra o senhor.
"- O Se HtiMel T. de raujo Sadanha appa
rega no Dateo do Tergo, padaria, para dizer que
negocio fez o senhor, como agente daquella trao-
sacga, ou se diz que nao se, importa ; mas acho
fcio que este negocio saia luz. __
Eogommadeir e lavadeira
Precisa se de urna ama para lavar e engom-
mar : ca rua da Victoria n. 1, defronte da esta-
co deCaruar._____________________________
Attencao
Oa abaixo assignados declaram que nesta
data aissolveram amigavelmente a socie-
dade qne tinham nos estabelecimentos
sitos rua da Guia ns. 62 e rua do Co-
ronel Joaqnim Cavalcante n., em Glinda,
e que giravam sob a firma de Silva &
Carvajo, o primeiro fica de posse do
estabelecimento da rua da Guia e respen-
savel pelo passivo da dita firma e o
segando fica com o estabelecimento da
rua do Coronel Joaquina Ccvalcante, para
pagamento do capital comqno entrn para
a Eociedade.
Recife, 26 de Agosto de 1890.
Manoel Jos da Silva
Jos Coelho de Carvlha Dim.
u





6
!
i
i

' .A
I
mm
Diario de Pernambuco-Qoinla-feira 28 de Agosto de i 890
Attendite et v-
rete!
Joa Samuel BotelJ avisa ao reapeiiavei pu
blico que anda contina a fabricar torniquete
para casamentos ou ontros quaesquer actos,
assim corno torta bouquets de papel e seda : a
tratar na soa residencia, roa da onceijao n. 3,
ena ra da Cadeia do Recife a. 43, toja de sel-
ireio.
Barracas e merceeiros
Vinbo fino do Porto a 6W00 a duzia ; vnde-
se no armazem da ra da Madre M Deus uu-
mero 16.
Cofre
de se um importante cofre. prova de fogo;
a tratar na ra da Imperairiz n. l. ___
o Tieuiu
-20
20Ra 1. de Marco
PARA PRESENTES
Acaba de receber o que ha de mais
lindo em caixas de perfumaras, as novi-
dades mais recentes de Pars, as caixas
alo todas forradas de setim.
E' um rico presente que se pode offe-
recer a qualquer pesada, sem risco de ha-
ver cousas mais Bonitas.
PRECOS RESUMIDOS
Amaral tSo G.
Aluga
-se
a toja do obrado a roa de Mariz e Barros n. 8,
propna para estabelecimento de molbados, por
ter armaco com todos os seus pertences, e tem
ao lado urna excellente casa de banhos aunexa
mesma, e sobre tudo recommenda se a boa lo
calldade : qoem a pretender dirija-ge ra da
Compai bia Pernambncana n. 10.____________
lina ..
SUPERIOR
3$000 a libra em lata
Importadores
LPREDO LOPES & G
88 Roa da Imperatriz 88
PERNAMBUCO
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro para a padaria Vil-
lora ra Imperial n. 208 ; a traltr na ra Pe-
dro Affonso n. 12.________
Ao commercio e ao publico
0 abaixo ass gnado, proprietario da fabrica
a vapor de leos vegetaes ra da Auroran.
163, avisa aos seus freguezes e ao respeitavel
publico em geral, qoe do 1 de Setembro em
dame, todas as garrafas de oleo de lamparina,
sabidas de seu ettabelecimento lodustriai, sero
cintadas no rotlo com urna etiqueta da marca
registrada pela junta co 1 raercial desta praca.
Recife, S8 de Agosto de 1690.
Jos Gomes de Amor:m.
os maranhenses
Frinba d'agua ; /endero Guimares 4 Valente
-(lrpo Santo6
C
era
Vndese na ra do Cabug u. 2, segundo a
qualidade, de 1*000 a 1*500 a libra, e sendo de
arroba para cima faz se na de 2.* o descont de
30 0/0 e na de 1." de 20 0/0. Pedimos, portante,
a todas as pessoas que precisarem deste genero
a virem verificar a qualidade, pois dessa forma
que poderao avaliar qual a melbor. No mesmo
estabelecimento tem um completo soriimento de
fazeoda6 que se vendem por precos sem compt
tencia, para liquidar.
Vaccina
do instituto de vaccina animal de Paris ; vnde-
se na botica franceza Rouquayrol freres, rea
do Bom Jess n 22. __
E' para liquidar
Vende se urna vacca e urna linda garrota,
prendes, pora raga tourina : a tratar na ra do
Piresn. 31, defronle da antiga caixa d'agua.
Ao
publico
Osabaixo assignados declarara que compra-
ram ao Sr. Pedro de Souza OUveira o estabeleci-
mento de mercearia silo ra conde da Boa-
Vista n. 143 a, livre e desembarazado de todo e
qualquer oous. Recife, 25 de Agosto de 1890.
Joaquim da Rocba & C.
20Ra 1. de Marco20
Para sentaras
Ktamines rendados.
VoiLadell.
Cachemiras de lista.
Cretones voiles.
Zephyr de quairo.
L2 Amazonas.
Foolard de algod&o.
Zephyr de ramagem.
Setim do JapSo.
Linn de ramtgem.
Setim d cores.
Voiles de algodSo.
Cortes de zephyr (bordados;.
Cortes de cambraia (bordados)
Cortes de setineta (duas cores).
E muitos ontros artigos.
Em compras maiores ter direito a um
exemplar de msica a eacolha.
AMARAL & C.
VAIS DE 10:000 GURAS
TIHTUB& DITIHA
HCflTS SO SSSlATISltC
DORES DE DENTES
PREPARADO NICAMENTE
POR CALA8AN8 & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos, inchacSes, dores sciaticas, nevral
gias, dormencia, etc., empregando-se em
fomentares sobre os lugares affectados,
Cura o beri-ber, as paralysias e as dores
de dentes.
Todos os irascos levam direcc. aso d'este medicamento admiravel.
Preco 1)5200. Descont de urna dusis
em diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Hanocl da Silva & C. roa
Marques de Olinda n. 23
As almas caridosas
Mara Candida Waoderley Autran, viuva do
empregado publico Candido Autran da Matta Al-
buquerqne, moradora na travessa da Peda le n.
! 5, ttndo em sua companhia tres mocas solteiras,
de qoem nico arrimo, acbando se gravemente
doenle dos olhos. sem enebergar mais, vem im-
plorar das almas caridosas um soccorro pelo
amor de Deus, para poder man ter se. ___
Cas
Livros uteis
O convento desmascarado ou revelares
de Editho O. Garman, ex freir do con-
vento de Santa Isabel, em Nova Jersey.
Diz ella : nao fjgo declaraco alguma que se
posea refutar : dou nomes, datas e factos, dt-sa-
fiando assim toda e qualquer cootradiccao. O
leu Qm esclarecer os catbolicos romanos cgo.,
illudidos e supersticiosos dos erros da religio,
da disciplina e influencia perniciosa da vida
conventual, e bem assim di pertar a altencao
dos pas que teoham blbas entre as educandas
das escolas dos conventos, onde sao corromp
das e tffastadas da verdade pelas intrigas e
astucias das jesutas e das irmas da caridade I i
volume de cerca de 200 paginasI 000.
O padre, a mulher e o coefessionario pelo
ex-padre Chiniquy, l se no mesmo
livro :
Nao ha acto de loucura, nem (alta de seaso
commum. comparavei com a licenca que um ma
i ido d sua esposa para ir confessar se a um
sacerdote, 1 volume de 18 paginas1*000.
O que a mise, perguntas e r spoetas, pelo
padre Goilherme Da, 1 volume de 9i pagi-
nas400 T.
S. Pedro nunca foi papa, por Salomo, 1 volu-
me de 36 pagina?2* 0 rs.
A venda as seguintes casas : Livraria Fran-
ceza, rea 1 de Marco n. 9 e Livraria Quintas^
Aviso para Ipojuca
Convida-se um cer-
to negociante de Ipo-
juca a vir por estes
dias satisfazer o seu
compromiso) na tra-
vessa da Madre de
Deus n. 5, sob pena de
ver o seu nome estam-
pado nes e jornal.
Aluga se urna casa em Afogados, entrada para
a estrada dos Remedios n 72, preco muito bara-
to, com 5 quarios, 2 salas, "osiha fra, grande
quintal murado, cacimba, jardim na frente, etc.,
a chave est na Joja de fazendas dos Srs. Cam-
pos & David ; a tratar com tiles ou na ra larga
do Rosario n. 14.
Dous milagres
Illm. Sr. D. CarlosTomei o seu re-
medio o Elixir M. Morato e foi com
elle que pude tarar das boubas que soffria
ha muito tempo e que descorocoava por
nunca melhorar ; um meu visinho que
tambem soffre j largou de tudo que Ihe
receitaram e est tomando o seu mesmo
remedio.
Agradecido pelo conselho e sou obriga-
dissimo.
Santos.
Albino Jos Couto.
Illm. Sr. D. Carlos. Eu e todos de
casa, faz muito tempo, que soffremos hu-
mores de boubas, com dieta Bem resulta-
dos. Fizemos uso agora do Elixir M.
Morato, propagado por D. Carlos, e
sarmos completamente.
O remedio, alm de ser muito bom,
ainda tem bom gosto, pois as coianc&s
bebiam com facilidade, misturado com
agua.
Sap.
Firmino Agui.
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira : na ra doHos-
dicio n. 30.
Criado
Precisa-se de um criado
ra da Palma n. 109.
para comprar ; na
Agua niaravilnosa
Com a applicacSo desta agua, qoem soffrer de
-SDinhas. pannos, sardas e vermelhido do ros
to. litar perfeitamen'.e curado, reconhecendo-a
desse modo, corro nico especifico efficaz. Alm
desses effeitos, tem ella a propriedade de, lor
jando a cutis limpa, dar lhe a cor natural. A
cada vidro que custa 14000, acompanba a respe-
ctiva indicicao do uso.
nico depotito
Drogara de Faria Sobrmbo & C, ra
Mrquez de Ohnda n. 41
Comarca do Bom Conselho
Vende se urna parte do sitio denominado Ser
ra Grande, bavido pelo inventario do finado Pe
dro C-valcante de Albuqnerque, no valor de
650* ; a tratar na ra da Florentina n. 20, Nova
Hamburgo.______________________________
Ifl
Ra ]. de Margo d. 20
ESPECIALIDADE EM
Extractos.
leos
Tnicos.
Sabonetes.
Pasta para dentes.
Vasos para p<5 de arroz.
Agua de cologne.
Agua Florida.
Regatas de cores.
Suspensorios.
Bicos de cores.
Luvas de seda
P de arroz.
Botoadoras americanas.
Lencos de seda. ,
Espartilhos.
Fitas de cores.
Baleias.
Empermiaveis.
Fichus prateados.
Amaral & C.
Casa
Compra-se ou permuta se por urna casa rto
burro da Boa Vista, que es teja desembaracada.
por um boro sitio ecsa no Poco da Panella,
todo murado, e no caso de compra, que nao
oxceda a 5 000* : qoem tiver dirija se a esta
pbypogaria que se dir" com qoem tratar.
t
Rslojoaria Bari4
Ra do Cabug n. 14
Este aovo estabelecimento de relojoaria
acaba de receber um grande sortimento de
relogios de ouro, prata e nikel, da impor-
tante fabrica americanoWalthan Masa, ver
dadeira especialidade em perfeicSo e re-
gulamento infallivel, e se vendem por precos
mdicos. Aasimcomo relogios de parede e
de cima de meea, com despertador o que
ha de mais elegante.
Oonvidam-se as pessoas que quizerem
um relogio de confianca a virem a este
estabelecimento que capricha em vender
relogios dos melhores fabricantes, com o
tim de bem servir os seus amigos e fre-
guezes.
Ra do Cabug n. 14
Tnico de Cams can
(Restaurador vegetal dos cabellos)
Dentre tedas as preparaces congeneres que
detidamente propalara seus effeiios, nSo surgi
ainda urna que alcancasse o xito do Camacan,
qoe pela sua composico assaz poderosa e sua-
ve tem a propriedade exclusiva de curar e pre
servar os cabellos de todos os males da calvice
que posBam sobrevir-lbe. Composto somente
por Jos Gomes de Amorim (.uccessor de Mar-
tins & Bas os) e premiado na exposic&o de Pars
de 1889, o Camacan foi submettido a longas ex
periencias, as qnaes deram maravilbosos resul-
tados : venda em todas as lejas de perfuma-
ras e no deposito geral da fabrica ra da Au-
rora IK163.____________________________
Cavallo. bois, carroca e
carro
No gasmetro, em Olinda, vndese um bom
cavallo, baixeir, russo, arreiado ; dous bois de
carroca ou carro ; urna carroca c um carro j
osados, tendo um cambo para um ou dous
bois ; a tratar no mesmo gasmetro com o ad-
ministrador.
Pedro Ferreira dos Santos, Antonio Ferrara
da Los, Tertuliana Amelia Ferreira da Luz
Francisca Amalia Ferreira da Luz, Mara Amelia
Ferreira da Los, Erco Ferreira da Lus, Deocle-
ciano Ferreira dos-Santos e sua mulner, Mara
Francisca Bezerra Cavalcante e Albos (ausentes),
Chri8tovao de Barros Gomes Porto, Anna Gomes
Porto, Mara Petronilla Porto, Mara Loiza Porto,
Samoel Porto, Pelro Porto, Jos Porto e mais
netos, convidam a todos os pareles e amigos
para assistirem a missa qoe mandam celebrar
na igreja do povoado da Torre, por alma de soa
et tremecida esposa, mai, avesogra, Francisca
le Panla Ferreira dos Santos, pelas 7 1/2 horas
da manbu do dia 30 do correte, stimo do seo
passamento, confessando se a todos eternamente
gratos por este acto de reljgio e ca'idade.
De Sorocaba
Declaro que soffri muito tempo, fazendo
uso de medicamentos sem resultado, e,
usando tres dias apenas daInjeccSo M.
Morato sarei completamente de urna
chronica gonorrha que me atormentava.
Faja uso deste como convier.
Antonio F. Fontoura.
Est reconhecida a firma pelo tabelliSo
Agentes depositarios em Pernambuco
Francisco M. da Silva & C, ra Maquee
de Ohnda a. 23.______________________
Alugnel barato
Visconde de Goyanna n. 139.
Roa do Bom Jesos o. 47, 2. andar
Ra de Lombas Valentina n. 4
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Roa Aguazinhas em Beberibe n. 7
Ra Itaparica n 43 1 andar.
Travessa do (armo, 1' a n. 10.
Largo do Mercado n- 17, loja.
Ra do Calabouco n. 4, dem.
A ratar ra de C mercic c. 5.1 anda:
cartono de Silva Guimares A- C.
Lopes & Araujo
Para eogenhos
Continuam a ter em seu estabelecimento gran
de deposito das mer:adorias abaixo declaradas,
onde os Illms. senhores de tngenhos poderao
se Bupprir para a nova safra, a precos sem com
petencia.
Cal nova de Lisboa.
Dita de Jaguanbe.
Oleo de moclo.
Azeite de coco.
Dito de peixe.
Dito de carrapato.
Pixe em tatas.
Graxa em bexigas.
Gaxta de linbo.
Polassa da Russia.
Ra do Livramento n. 38
Tnico Ju-Mutamba
Est nico, preparado com plantas de pra-
prledades coohecidas pelo nosso poblico, o
melhor de todas as preparaes at boje deseo-
bertas para impedir a queda dos cabellos, dissi
par as caspas ees conservar no mais formoso
estado, alm de ser um magnifico perfume para
a toillete.
Encontra-se i venda em todas a3 principies
Dharmacias e lojas de miudezas.
Duzia 10*000 | Vidro 1*000
Deposito
Pbaramcia Martins, Ra Duque de Caxias n. 88
Farelo superior
n3 largo do Mercado ; 1*800 o. If.________
Vende-se
Kerozene.
Dito ioexplosivel (luz dia-
mante).
Phosphoros.
Breu.
Velas de stearina.
Alcatrao da Suecia.
Cimento em 1[2 barricas e
inteiras.
Soda caustica com 70 graos.
Sebo e graxa do Rio Grande
do Sul, em pipas e bar-
ricas.
Ka tua do Encantamento n. 9 e
Caes do Apollo n.17
*
D Virginia Amalia Accioly
Mara Adelaide de Figoeiredo e Mara Carmel-
la de Pigueiredo, feridos do mais profundo sen-
timeoto pelo fallecimento de soa sempre chora-
da e idolatrada amiga Virginia Amalia Accioly,
convidam a seus parentes e pessoas de sua ami-
zade, bem como os da fallecida, para assistirem
as misBas qoe por sua alma mandam rezar na
matriz di Boa Vista, s 7 horas da manbS do
dia de segunda feira 1 de Setembro. Confessam-
se gratos por este acto de religiao e caridade.
t
D. Hara Fellppa Monteiro da
Franca
Terceiro anoiversario
Cu pilito Manuel Jone n un te ir o da
Franca e O. Candida de Lima Man
teiro da Franca
Segondo anniversario
Joao Beoto Monteiro da Franca e sua familia
ma;i4am rezar missas na matriz de Santo Anto-
nio, as 7 horas da manh do da 30 do frrente,
pelas almas de soa prezada mai, irnia e co
nbada. Para este acto de religiao e caridade,
convidam os pareotes e amigos, e desde j se
confesam tratos._____________________
f
Deocleciano Ferreira dos Santos, sua mulher
e Qlbos, feridos do mais profondo sentimento
pelo fallecimento de sua presada mai Fran;isca
de Paola Ferreira dos Santos con\i:am os seus
prente* e amigos raa assistirem a missa que
por sua alma mandam rezar na matriz do Divino
Espirito Santo de Pao d'Alho, segunda feira 1.
de Setembro, stimo dia do sen passamento ; <
desde j se con'essam agradecidos por tste acto
de caridade.
Alfredo Peregrino Camello
PesMoa
Os amigos do fallecido Alfredo Peregrino Ca-
mello Pessoa mandpm celebrar na igreja den.
S. da Conceico de Beberibe, urna missa pelo
descanso eterno do mesmo fallecido, no da 28
(quinta feira) s 7 1/2 horas da manh, e para
assistirem a esse acto, convidam a viuva, filbos.
genro e mais parentes e amigos, e desde j se
confessam tratos a todo? que com paree rem.
Teuenle l rrieino Aagnato
Villauboaa
ElizaLeopoldina Vmasboas agradece do mimo
d'alma a todos aqoelles que acompanbaram os
restos mortaes de seu muito prezado esposo, e
de novo os convida para assistirem as missas
que pelo seu eterno rep.uso, manda celebrar na
matriz de Santo Antonio, s 7 horas da maaha
do dia 29 do corrente, stimo do seu passamen
to, pelo que desde j se confesa summamente
grata por esse acto de relii io.
por

t
Joa Manuel da Cruz
Tberesa V. da Cruz, seus lilbos e cunhado
convidam a seus pareotes e pessoas de sua ami
zade, para assistirem a missa de stimo a do
fallecimento de seu marido, pai e cunhado, Jos
Manoel da Cruz, s 7 horas da manb de 30 do
corrente, na matriz da Varzea, pelo qne se con
fessam eternamente ralos.
Mercearia
Vende-se orna muito afiegoezada, na ra da
Concordia; informacOes. na ra da Florentina n.
36, tabacana.
Curso primario
Para o kio mascalino
- Roa da Gloria 49
Rapbael de AzeveJo, com longa pratica de 11
asnos de ensinc, tem aberto um curso especial
de iD8trucgcO primaria para meninos, espera
por isso merecer a confianca e proteceo do il
lustrado publico e de todos os seus compatiio
tus pernambocanos, e em particular dos pa tutores das changas que desejam o real aprovei-
t mento de seus lilaos ou tutelados.
Dedicando o mximo cortado para dar lhe o
necesario desenvo vimento, espera dar a seos
alumnos, a par da mais s edncaco moral e
pbjska, orna cducaeao intelectual baseada nos
principios geraes da verdadeira peaagogia, es
forcando-se por satisfazer completamente a to-
das as exigencias da educado moderna em sua
mais lata accepcao.
Admitte alumnos internos, meio-pensionistas
e externos, mediante mensalidades azoaveis.
________49-RA DA GLOR1A-49________
Me rcearia
Vende se a bem localis. da e acreditada mer-
cearia da roa do Rangel n. 73, prxima ao mer-
cado ; tratase na ra de Hortas.n 15.
Ahi
a-se
o i andar do sobrado ra Harcilio Das (anti-
ga Direita) n. 12 : a tratar no segundo andar co
mesmo.
Ao commercio
Luiz Goncalves da Silva A Pinto avisam ao
coi po commercial que mudaram seu escriptorio
para a ra da Croz ni, primeiro andar.
Para a cura JJcaB e prompta Jet
Molestias provenientes de im-
C pureza do Sangue.
E' urna loucura andar a fazer expe-
riencias com mistaras inferiores com-
postas de drogas ordinarias ou de plantas
tndigenas cuja eficacia nao confirmada
pela scicncia, emquanto que a molestia
cada vez vai ganhando terreno.
Lancem mo, sem demora, de um re-
medio garantido cuja eficacia seja facto
assignalado e iuquestiouavel'.
O Extracto Composto Coscestrado
di: Sai sai'akkiljia de Aykr conhecido
e reconunendado pelos mdicos mais in-
telligentes dos paizes adiantados, j
durante 40 aunas,
Centenas de milhares de doentea
tm colhido beneficios do seu emprego e
sao nutras tantas testemunkas da sua
eficacia positiva e iucomparaveL
FREFAKADO PKLO
DR. J. C. AYER & CA.,
T.owell, Mass., Est.-Unidos.
x>sa*osrro flsl da *i
A Florida
Acaba de receber pelo ultimo vapor
que de maior novidade tem a populosa e
grande cidade de Paris, os mais importan
tea artefactos da ultima moda.
Papel bordado com muita fantasa, propric
para cartas.
Cromos de seda e de oleographia.
Caixas de msica com manivella para 1
20 e 3,5000.
Caixas de msica, com corda., fechada*
com 1 a 3 arias para 7, 8, 9, 10 e
125, proprias para presentes.
Ricos enxovaes para baptisado a 70, 8
90, 100 e UfcjaP
dem muito finos para 160 a 200 um.
Timaosinhos com sombra com fitas e bicos
de embraia transparente a 30 e 30500
Um grande sortimento de porta-tran9>
para 5(K), 10 e 10500.
Grampos dourados e com perolas a 200 t
500 rs. um.
dem de celuloide e dourados a 200 e
300 rs. um.
Estojo para desenbo de talagarja a 30000
Bandeiras de IS dos Estados-Unidos de
Brasil a 1050 \ 30000 e 40000, confor
me o tamanho.
Grande sortimento de bolsas de pellica e
de chagrn pra 2, 3, 4 e 50000, par
senhora e meninas.
Carteiras cem estojo a 3, 4 e 50000 t
10500 e 20000.
Grande sortimento de bicos de algodao e
de seda, brancos e de cores.
Livros de surtes a 300 ra.
Albuna de pellucia e de chagrin, gost-,
moderno, imitando um leque.
dem para cromos, poesas e miuicai.
Espadn has para enanca.
Boleas de coaro para cobranya.
Navalhas de Roger AmSo americanas ele
ctricas e de 2 laminas, e afadores coa
a massa propria para afilar.
Ramos de flores para baile e casamento
de 10500 a 40000 um.
O Cabelleira engenheiro invento a 500
res.
GalSes e bordados de cores.
Bordados de cambraia de 600 a 10500
peca.
Sabonetes para tirar nodoas de casemiras,
sedas, 13b e outras fazendas finas de
800 ris.
Ocnlos e pince-nez finos, dourados, b-
falo e nickel.
Tinteiros para viajantes.
Espartilhos para 4, 5, 6 e 70000.
Cllarinhos e punhos de borracha.
Caetas de vidro a 500 ris.
Boleas para menino de eschola a 20COO.
Sabonetes para banho com desinfectante
a 400 ris.
Pulseiras americanas para 3, 4, 5, 6, 7 e
80000.
Aunis e brincos com pedra imitando bri
sarta.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 103
Romances francezes
A 500 rs. o volume, ven-
de-sem no escriptorio deste
Diario. >
Pao centeio
Mello & Bisel tendo recebido nova remessa dt
farinha centeio, avisa aos seas freguezes qnt
continuam a fabricar este delicioso pao centeic
(odas as tercas e sextas-feiras ; na ra arga de
Rosario u. 40.
Criado
!( Lympha vacciniea pora
( (VENDE SE NA PHARMACIA HOMEOPA-
THICA DO
( ( DB. SABINO
)) 43 RA BARO DA VICTORIA 43
ff'-^-*-'-^'%~
Cautelas do Monte de Soc
corro
Cmpra-so Cautelas do f* rte de Hoo-
corro de qualqtier joia, briiBanies e relo-
gios, paga-se bns ba ra do Cabug n
n. 14. Loja de reiojoeiro.
?ca.-u terrea da roa do (al eireiro n. 90, caiada
e pimada de novo ; a tratar na ra laxga do Ro-
sario n. 30, Bazar Pernambucano.
Muita attencao
No becco dos Ferreiroj n. 6, pregMks-M ha-
bidos e recorta se de todas as largan*.
Precisase na ra da Guia n. 5, i andar, de
um criado para servicos domsticos, que seja
natricoiado.
Aluga-se
Seminario de Olinda
Previne-se a todos aqueiles que se acbam em
debito, pela estada de seus rilbos no Seminario,
que procurem saldal o quantu antes, se nao qui-
lerem ser ajuizados. xta cidade do Recife po
dem entender-te com o Dr. Jos Diniz. ra 15
de Novembro (antigalmperador) n. 55, piimeiro
aadar, e em 01 nda com o Reitor.
Vende-se
urna boa macbina de numerar, um repartimento
de amarello para escriptorio e um importante
cofre prova de fogo, e que foi da stica thesou-
raria das loteras ; a tratar oa ra Marques de
Olinda n. 1, primeiro andar.
Gallados
Sapatos de feltro para quem soffre de dor
u enca e frialdade nos ps. d'onde causam di-
versas molestias, pois esto se acabando ; pre-
co maito baratos a 500 rs. o par, tanto para
Hornera como para senboras e enancas.
LOJA A' RA DA 1MPERATR1Z N. 80
Libras esterlinas
Vendem-se na ra do Com-
mercio n. 26, 1. andar.
& sem
falta
Urna governaute offerece se para casa de qoal
quer pessia da capital ou fra della ; quem pre-
cisar dirija se ra lo Principe n. 43.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarius do Armazem Central, a ru;
do Cabug n. il, avisam aos seos distinctos fre
guezes e ao respeitavel publico qne receberan
nova remessa deste especial vinbo, o qual si
recommenda por ser puro da uva, e s se reta
Iba em seu armazem.
Joaquim Christovao & C.
Telephooe 447
Criado
Precisa se de um criado ; na praca Maciel Pl-
n*ieiro n. 1, phsrmacia Ferreira. .
Superiores queijos do serta
Vende se em grossu e a retalbo ; na praca do
Conde d'Eu o. 8.
DOENA8
-DO-
ESTGMAQO
E DO
FIGADO.
!! nmis Di BRISTOl
POllSHEHTE YEGETAES
sao o meHior Purgante e o Remed
iaa'!* officaz contra os ditos raale;
Regularizam a Digesto
PURIFICAM A BILIS
e cu ram radicalmente
A DISPEPSIA.
Ama
Precisa se de urna ama de boa conducta e que
durma em casa, para cosiobar e lavar, para casa
de pooca familia ; a trater no pateo da Santa
Cruz n. 18. _________________^
Ama para meninos
Precisa se de urna, de bons cestnmes, para
tomar cenia de dous meninos ; a tratar na roa
do Cabug n. 14, de meio dia at 9 horas.
Ama
Precisarse de urna ama para cosinbar ; a tra-
tar na ra Duque de Coxias n. 63, que entenda
da arte.
Ama
Precisa te de urna ama qne saiba cosinbar
bem e que durma em casa dos patres ; a tratar
na ra da UniSo n.5.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama que tenba bom leite*
seja sadia ; na ra do Cotovello d. 46.______
Ama
Precisase de urna ama pare cuidar de urna
enanca e alguna outros servicos; na Graca, casa
amarella, defronte da matriz.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinbar e com-
prar, e de um meDino de 12 annos para manda-
dos ; na ra de Pedro Affonso n. 16.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinbar ; na roa
da Palma n. 1C9.__________________
Ouro 9 prate
Compra-se, como tambem
moedas, ra do Cabug
n. 9., loja de Augusto Reg.
Barraca Coronel Tei-
xeira Jnior
Hoje, grandes premios.
Reservado para familias
Largo do Arsenal de Querr
BTMlaTOM
Rna Mrquez de Olinda n. IS
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada cer-
veja Phcenix .de Dortmund
e do chocolate Ph. Suchard
de Neuchatel.
Agencia da grande fabri-
ca de charutos Dannemana
&C, S. Flix (Baha).
Os productos d'estas ulti-
mas duas fabricas foram pre-
miados com a medalha de
Ouro na Exposi^ao Univer-
sal de Pariz, em 1889.
JNo sobrado n. 6" 1 da
ra Mrquez do Her
val, precisa-se de urna
boa cozinheira.
^intureiro
Precis a-se de um bom lintureiro para divar-
sas cores ; a tratar na ra r!a Cruz n. 42.
Cosinheiro .
Precisase de um cosinbeiro ; na ra de Pay-
n (m.19.
Cosinheiro ou cosi-
nheira
Precisa-se para casa de familia, em Beberibe;
a tartra no pateo do Terco n. 63, padaria.
Superior vinho de Al-
cobaca
O acreditado e autigo armazem do Lim par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamenle pelo ebefe desta
casa, tornando se reconunendado por ser puro
de boa qualidade.
Jos Fernandes Lima & C, ra Baro da Vic-
toria n. 9
___________Telepbone 383____________
EGENHO
Vende-se o engeuho In-
haman na comarca de Igua-
rass, perto da cidade, todm
recortado de trilhos de trans-
porte de canna para a usi-
na Timb.; j.
Quem pretender, dirij-se
a ra Barao da Victofta n.
18 1. andar, ou a usina
Timb.
-'-

i.

\


.
'


<



i >
-"X
^
1

'S
Diario de Pernambnco-Quinta-feira 28 de Agosto de *890
1
CHEGARAM
Os mosqriteirs americanos
Com armado e carritel conforme a estampa
Frecos : l2#ooo, l4#ooo e l6#oo de cores
Fazenndas baratas
Miudezas
taitas clara finas, a 200 e 240 rs. Vende-se mils barato
Cassas de palminhas de cores 120 ra. e Bicoi e rendas, brancas e de todas as co-
cortes com 9 metros a 1(5600.
Linh.cs ce quadrnlios a LOO rs.
Zefiros largos a 200 rs.
Voiles phantasia a 200 e 240 rs.
Cretones francezes a 320 rs.
Lana de quadrinhoa a 100 e 200 rs.
res a 2(5000 a pega.
Babkdos bordados, a 500 rs. a pega.
Entremeios bordados desde 500 rs. a pega
com 3 metros.
Lavas de seda branca?, pretas e todas as
cores d 2, 3 e 4 botones, a 2000.
MadapolSo americano, 20 varas a 6:000. Lavas de pelica branca a 2(5000.
Morim lavado a 3,0500 a pega com 10 Capellas com veos de blonde de seda des-
varas, j de 60000.
Mada >o!2o com 1 metro de largo, 20 va Meias arrrendadas brancas para senhora, a
ras'6,5000. 0 0 rs.
Algodaozinho muito bom a 4(5000, 4(5oOO Meias cruas de cores lisas e brancas com
e 5(5000. | palmas a todo prego.
Bramante com 4 larguras a 700, 800 e Fichus prateados pequeos a 500 rs., e
16000 o me'ro. | grandes 10000.
Bramante de linho, 10 palmos de largura, Lengos brancos abainhado a 10200, 10600
a 10600. | 20000 a duiia.
Atoalhado bardado, 8 palmos de largo, a Lengos de cdres a 10300 a dosia.
10300. I Baleias a 200 ra. a duzia.
Panno da Costa para toalha de mesa a Arcos a 100 rs. o metro.
10000 e 10200 o covado. ; Fitaa, phantasia e chamalotadas
gortmados de crochet para portas e ja-
nellas a 70000 o par.
Cortinados bordados para cama ou janella
a 60000 o par.
Cortinados de cores, novidade, a 10600 o
metro.
Guardanapos finos a 10800 e 20000.
Oleado para meza grande ou pequea a
405OO cada quadro.
Brim pardo a 280 rs. o covado.
Brim de cores a 240 rs. para meninos.
Camisas para senhora a 30500.
Caaaaos ou penteadores a 2*5500.
Collarinhos de linho e algodSo a 50000 a
duzia.
desde
400 ra. o metro, todas as cores e pretas,
tem larguras 5, 9, 12.
Magos com 12 pegas de fita branca chi-
neza a 320 ra.
Extractos finos americanos desde 10000.
j Sabonetes finos para pannos e sardas a
800 ra.
Thesouras finas com mola que dobra a
10500.
Lapiseiros de ouro fino a 10500.
Pentes phantasia para cabello por 400 rs.
Pegadores de tranga.
Flores para cabellos, chapeos e vestidos a
10000, 10500 9 ramo.
Crochets para cadeiras e sof guarnigao
250:000^000
LOTEKI \ DO GRAO PARA'
Premio maior 12:08G$00
Lotera do Grao Para
Premio maior 60:#8$8GG
Extraern alternadamente todos os sab-
bados. Bilhetes venda as casas do eos-
turne.
- r% U* *AIS DORES de Oeiu^^
f** Elixir, Fe e Pasta dentitficios ^9Sg
Tampos de fronhaa grandes e pequeas a I a 70000.
10500 o par. | Toalhas felpuldas a 40000, 50000 e 60000
Babados com 4 1/2 metros de tamanho a a duzia; para banho a 10500.
40000
I Tarlatana branca, verde, azul, rosa e en
j carnada a 700 rs.
e Fil de linho liso, salpico, palmas borda-
das,
a Leques para meninos a 500 rs. e finos a
i 300CO.
j Leques de gazes a 10, 10500 e 20000,
Camisas de flanella de corea desde 10800. Espartilhos a 40000, 50000 e 6#X0, to-
Coletes de flanella brancos con manga e dos os tamanhos.
aem ella. Meias cruas e de cores para meninos a
Lengos francezes de labyrintho a 10COO e 30000.
com bordado a 500 ra. Ligas, phantasia a 10000 o par.
Ouarda-p americano de todos os tama- Sargelim de todas as cSras a 200.
10200 a pega.
Bedes para dormir a 30300.
Bolgas de tapetes grandes a
40500.
Camisas brancas finas para meninos
300000 a duzia.
Camisa de meia desde 900 ra.
nhos a 40000.
Collarinhos, peitos e punhos de celluiloid,
miiit) til aos viajantes; prego ruis ba
rato.
E muitos artigos que se offerecem ao
eomprador por qualquer prego
Crinolina branca, pret-s, efir de chumbo e
de caf a 400 re
Cambraia de forro, preta e branca a
ris e com duas larguras a 400 ra.
Magos de contas de cores, qualquer
se deseje a 500 re.
200
que
Loj<
I a das Lis tras Azues
61-RA DUQUE DE CAXIAS-61
-?>.S3
r^
VINHO DEFRESNE
:-,..
JONI-NUTRITIVO
COM
PEPTONA
ADMiTTmA omciAunn, na mamma e m hospitai de paj"
i > Vinh Orn rVp*mna De/Veane o mal precioso dos tnicos, conten a
fibra muscular, o ferro hemaUcu e u pUunpluito de cal da carne de vacca, e o nico
reconstituate natural e completo.
Msrte SeM mago e melbora a digestio, como reconstltulnte locomparavel. qu 6, por laso que
encerra o elemento plaaUco dos msculos que susla a consumpeao. colore e
singue dyscrasiado pela anemia, prerue os desYlos da columna vertebral.
O Finito de Veptnm Ifefrwat lmpoese em todos os casos de afTccctes
das Tas digestivas o de enfermldadee de frma deprimente, agudas ou enronicaa,
como as uyspepslas, ulceras do estomago, etc., e no marasmo, cblorose, diapete,
cacbexla tsica pulmonar, etc. Derem usal-o egualmente as pessoas de constituidlo
dbil, as erlancas cuja saude 6 posta em risco pelo crescimento rpido, as maens
culo rigor compromettido pelo trabalbo do aleltamento.
EfRESSEo prlmelropreparador do Vimhode feptvnu.Cuidado romiilmitacoes.
avaaaw: s t4u mtu *cr*Au fkanaMiu da Prufk

DO
ESTADO E PERNAMBUGO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa 4* Misericordia do Rodft
INTBGRAES
A 17.* parte da ] .* loter mle Estado ser
xtrahida impreterivelmfente terca-ieira 2
d< gViS.O.
lodos os pedidos de bilhetis desta lotera
leven, ser !irgidos thesouraria ru: arga
do 'owarion. 9 1. andar.
? PELOS CONTRASTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.
Palo Prior
Fierre BOOTtSAUI
RR. PP. BENEDICTINOS
da A33ADIA de SOULA.C (Gironde)
DOM MAGUELONNE, Prior
9 Medmlhag de Ouro: Bruxslles 1880 ~ Londres 1884 \
ft-S MAIS ELEVADAS RECOMPENSAS
XHVJUITADO ia>i<%
H> ANICO I O
O oso ouotidiano do Elixir Dentifricio
dos RR. pp. Benedictinos, com dose de
algumas gottaa com agua, i>rovem e cura a cari*,
dos (lentes embranqneeeos, fortalecendo e tc>,
naudu m gsnaioas perfeitamente aadias. '
a Prestio um verdadeiro senrifo, assipna-l
lando aos losaos lcitores este antigo e utili-'
simoprepamdo.o melhor curativo e o nico
preservativo contra as AfeeoSes den-
tarias.
Agente geral: SEGUIN, BORDEAUX
Acha-aa m to6 m FtrfomarlM, Fharnmalu Drogarlns do mondo intelro.
Peitoral de Cambar
MEDIO GARANTIDO
Os innumerob e valiosos attestados mdicos e particalare em
favor d'este preparado, do Sr. Sooza Soares, de Pelotas; os mais altos
premiosmedalhas de ourocom que foi distinguido; a bus approva-
cSo por urna sabia junta, como a de Hygiene publica do Rio de Ja-
neiro; a autorisacSo de seu uso em todo o Brasil por decreto do
governo central; o seu coosummo extraordinario e sempre progressivo;
a sua fabrica especial fundada no grande estabelecimento Agrcola In-
dustrial do Parque Pelotense, expressamente criado para esse effeito,
em Pelotas, honrado com a visita do notaveis personagens nacionaes e
estrangeiros, sao merecimentos que b os adquirem preparados muito
importantes e reconhecidamente emeazes como o Peitoral de Cambar,
tornando-se um remedio garantido.
Vende-se, ao prejo de 2)>500 o frasco, lo\jkXI0 meia duzia e
24)J000 a duzia^ em todas as bai pbarmacias e drogaras da capital.
Sao nicos agentes e depositarios no Estado de Pernambuco
Francisco M. da Silva & C.
PJJA MRQUEZ DE OLINDA
f* bMBKtarit U IjiUb U Isftrl* l BMaU.
QUINA E FERRO
Cblorose, Anemia, Debilidade
Oura das Febres
VINH0STiTlioLD!ls0SSlAN HENRY]
)*J*. U 4cmlmi, i tUrt'.dm fartl, Jkill i#iratt> mi fictU i. ffmtf.
K feliz rcurilao, n'cste preparado, dos dous tnicos por excpllencla, a CvijA I
e o veutio, cnnsiiiiie iim precioso racdicamcnUj contra a f-niorone., Teres I
_ 1*/" / J >4atm > > f i 'i '- i nt a /'h.i.i/i' ...'..-'_ n i. Ai* mfw ?
*J* (U 4c*Umt* i, JkI'.Hm. ii farii, Jkui ctMintlt> u iff. &*!**.
A. feliz rciinlao, n'aste preparado, dos dous tnicos por excpllencla, a (VISA
e o vsatio, r.nr.slline um prsclnso medicamento contra a CMaroae, 36rea>
pe .'.'..'.i, itiemi.i, flore* brancas, Conatltuicet fraeaa, etc.
PASBS, D.-H & roUCfKSER, 43. ra d'Amste-rdam.
C.r,oi,-.ei!j. em ,ci-...i....l,i.ci> .- FAN" M. a SILVA k Oh,
WDMOlrMI
BROENZE
CAKUOZO a- IBMA
Rna do Baro do Tnnmpbo ns. iOA. f 02 e f(M
Deposito ra do ApoJlo os. 2 e 2 B
Ten para vender o seguale:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo dirpjtpara o ou fogo de asse-
amento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRIVACOES de deferentes tamanhos.
TATXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 oavallos.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e nnalment
odas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREQAM-SE de qualquer concert e mandam buscar por encommei
a, mediante ajuste previo ou urna mdica commissao qualquer machiniaino.
MACHINAS de descarocar algodSo.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhos para usinas, garantindo a b&
akdade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultad
tbtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
anta Filonilla e Joao Alfredo
Ve^dem a praso ou a dinheiro com descont.
(Aviso aos (reguezes
Oa PRODtrCJfrOB d
FEFI1M11A Sft!, LEiKAHD
**, i>ie*e ca. i?-, r-.TEcSe7.^aixo ? PARS
antgttmenti SO?, ra Ge Saint-Honor. .,-
TScomo Of?!ZA OIL ESS. ORZA *0ftiZ LACT CREME ORIZA
ORIZA mOUT* ORIZA TOMICA* ORIZAUNE >8A8A0 ORIZA
DEVEM SEU GRANDE XITO BEM COMO 0 FAY^R DO PUBLICO;
1* Ao cuidado pereito com que esto sendo fabricados.
2* A' sua qualidade nalteravel e a suayidade do seu perfume.
MS. COMO SE FOX CONTRAFAOGE^ ESTES PRODUCTOS ORIZA
com intuito de liier assim a cusfa de fama pomos de sobreavisc os fregneies no tiin que se nao deixem engaar.
OS UflDADEIROS PRODUCTOS SE VENDEM EM TODAS AS BOAS CAZAS DE PERFUMARA E DROARIA ^J
Manda-so Paria C &talogo Alliastrado franco de porta.
IRACEMA
DE MEZAS
Inaugurado segunda feira 1.* de Setembro
2A Ruado Cabug 2B
^ NEVRALGIAS
Pilulas do Docteur Moussette
As verdadeiras Pilulas Moussette acaimao e curso as
Nevralgias mais rebeldes, a Enxaqueea, a Gastralgia, a Sciatica, as Affeefot
rheumatitmaes agudas e dolorosas que resistirao a qualquer outro remedio
As Verdadeiras Pilulas Moussette devem ser tomadas as
refeicfes. No prmeiro dia tomar-se-ha tres pilulas; pelamanha, ao almoooao
jantar. Si nao se tiver experimentado allivio tome-se quatro pilulas no segundo
dia, duas pela manha, urna no almoco e outra no jantar. E' preciso nao tomar mais
de quatro pilulas Moussette por dia.
Exijas as Verdadeiras I-ilulas Moussette de Clin & O, de Pajub
que se eompro m todas a$ drogariat pharmaciai. ^
LOJA DO POVO
il Ra I* de Marco II
GRANDE NOVIDADE
Esta nova loja contina a ter um grande Eortimento e sempre pichicehas, em
precos ninguem lhe pode exceder, capricha na exactido da qualidade e uas medidas
de sua8 fazendas, que podem ser compradas por qualquer crian ca. Muitas de suas
faaendas sao recebidas directamente da Europa.
Descont de 10 [0 em compras de 20(J000 para cima.
'rande eortimento de fazendas de phantasia para 3. Joao c S. Pedro.
Voile de 1S e algodao, lindos dse nhos, a 240 ir.
Las imitacSo de cachemira a 240 rs.
Chitas de 200, 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de cores, desenhos lindas o 300 rs o covado.
Zephyros lindos a 120, 160 e 20U rs. o covado.
Cortes de casemira de 30500 e 6)5000.
dem de costumes e de casemira de cor a 12<$C0O.
dem dem idem preta fina, a 14)J000.
Ricos casacos de Jersey, bordados, a 6(50:' 0.
Toile de seda de 10600 o covado a 650 rs.
Granadine de seda, de 10800 o covado a 800 rs.
Merino preto"a 500, 700, 10000 e W800 o covado.
Dito de cor, liso, a 400 rs. o covado.
PARA GRIANCAS
Redes de cores, pechincba! a 3000.
Vestuarios de Jersey, a 60000 e 70000.
Capinbas ejaquetas de malha para crianca, a 1000'J, 10500 e 20000.
Brins de cores, covado 400 rs.
Merinos lavrados, lindos desenhos, toalhas lepsas :g-;*stt>> tium pequeo
defeito para todos os preos, grande sortimento de lencos de seda a 400, 800 e 10000,
lencos de algodSo com barra grande a duzia a 10600, bramante de inho e algodao,
toalhados, cortinados, colchas, fichus chales, sedas, setins brancos e de cores e
oil es, lindos desenhosNovidades !
CaPSULftS THEVENOT
Tratamento das doencas do peito
a todos os degros
Atcatro.
Alcatro Creosotado e Tol.
t iQdOfortniO (Ether iodoformado).
Creosota ioaoformaa.
Creosota de faa.
Oleo de flgado de bacalhu creosotado.
Balsmicos creosotados.
Deportarlo em PEBNAMBUCO : PSAW"> M. da SUVA da FIQADO FRESCO d* BACALHAO, NATURAL MEOICIMA
fiisflato desde so aimoa, m rranca. Ioflatern. Hpinto. Portan!. "
infirunas, los yrlamalvaa
j '-r,.i*^
Alten
cao
Os proprietarios do antigo e acreditado arma
tem do Lima, site ra Barao da Vi nona n. 3
articipam ao respeitavel publico e aos seus
istinctos fregoezes, que tr< Dsferiram tempora-
riamente sen armazera para a memia ra n. 9,
conticuando da mesma forma a receberem soas
ordens para Ihes servir com o costnmado e ba
bitual desempenho.
Jos remandes Lima k C,
Ra Baro da Victoria n.
Telephone323
AdmmiitrQto : P,ARIZ, 8, Boulerrd Monlmirtrt.
GRANDE-GRILLE.-Air.xren ]ymph.itias, Doen-I
; .as vas tlipostirasObslmc. r> s d i fi-rada do liaco, I
OlistrareSfi visreraes. CoBcretfK' i .! 'bmi n da bilc. f
HOPITAL- Aflerfocs das vas di-i s'.ivas, Inroramo- [
do do estomago. Diges'o d^rii.i.', lami-leacia. I
Gastralgias, Dispepsia.
CfiLESTOS. A(Tt. o s ilos rins. da botica, Arcias,
Concretoasdas'onrinas.fiola, Diabetes, AHjnminuria. I
HAUTERlVE-AIToccooidosriin.iIi bexiga, A roas,
Concreciiesdasoniin a.GolaDiaboie-, Allniminaria. |
EHJA-SE 0 W fia F8ME DI CAPSULA
im dez vezes, oito vezes
[se dissipam as nxaquaoas e ne>
vralgias em alguns minutos cois
prego das Parolas de terebinthina d
s>*Clertsn.
Tras oa quatro d'estas perolas produiefj
sas alivio qaasi Instantneo, de modo tal asjt
m a prisaeira dse nao flzer effeito 4 qBMl
Cada frasco oontm 30 perolas, toma-dsj
fSSS insignificante o proco do curativo %f
sbm Bevrilgta ou enxaqueea.
Como a essencia de terebinthina
eauMlusils com o maior coidado, 4
SswooeSar das Imltsrfles e exigir
ganntia de ortgesa que em cada vWro se i
madeOerun.
Bmrii%,oM*I*.PT*r,nmima*,m
VENDAS
Vende ee a taverna da ra do Progressr n
20. propria para principi me ; a tratar com o
dono na ra do Paysand n. 20, ou na mesEa.
Vende s^ a taverna sita ra da Palma n.
i ; a tratar na mesma1____________________
Vinho Maduro
Pelo ui'imo vapor recebemos urna importante
remepsa do delicioso vinbo maduro, analysado
pela junta de hyaiene da Capital Federal.
O VINHO MADURO, poro da uva, o melhor
que tem vindo ao mercado, ; neste estabfiteci-
mento se encentra.
SEMFNTES NOVAS de ores c h.crtalicas es
todas a- qualidsde8.
AZEITE puro de oliveira em lalinbas de mew
pum litro.
Em bebidas fina?, como eejtai: cSan
cidra^inhos liordeaux, Porto, Doero, Ghi
Um, rVores de diversas qualidades. nao
rival.
Queijo de lodas as qualidades e o apreciado
,'equeijoem latas.
Erofim. completo Borlimento de (Teneros de
primeira qualidade para uaa boa despensa e o
pteos sem con peteocia
Ra estreia do Rosario numero 9
Pocas Mendes & .
Telephone*4
:ne.
bi
Em Pernambuco. Aguas mn Fon te* de Viahy,
a tina nom-sda-;, Iiao-se ta canas de
SOLZETl & KOECHUN,35.ruadaCruz;-Aag.LABILLE. I
Vende-se
i



I a
;
5 i
s *


1
i I
'I ^
i a taverna bem afreguetada, no becco do Lobats
! n. 14, a o motivo se dir ao comprador.
*



-


ti
1



- M
1
J
I
I
fl
LOUVRE
F ANCISCO GURGEL & IRMAO
|>la i npor .nte I a de modas, completamente r< formada, tem n'estes ltimos dias recebido um vanadi-simo sortimento de
nente escolbido por um dos sucio* act al mente em Pars, os quaes dam-nos urna permita idea da ultima
1
1
teculos de phantasui, e*cupul smente
phM- da np(k em m* i<> cL s variadas mutac^s dos proirressos sociaes. Os seus prt>prietaris nao p upam esforcos afim de bem servir
ao nii lico em serA e e^pcei? luiente s Exmas. familias a quem rog^Tn h fineza il
quaes uam-nos urna pe
n
ile suas visitas a tan importante estabelecim^nto.
N limpossTbilidadede mencionarse todos os rticos deque seeompe este incompar.vel sortimento notm todava os se^uintes:
Ricos i-nxows para baptisados e casamntos. Rendase bicos de difler nte larguras e qualidades.
Li'ulissin os tecid- -sde i>h*nr sa para bailes, theatr s, pass^io, etc
Bonitos co les de la, seda, Ir h e levantine; integramente novidade.
Se! pre'a- lavradas e c m chamalte para todos os precos.
Surahs preos e de con s de differentes qualidades.

{iquissimas capas e pellerinas, pretas e de cores para, senhoras.
Guarnido- s de novos m delus para vestidos.
Luvas, Uques, chapeos de std, espartilhos, sabidas de iheatro e urna
infinidade de meias de seda, fio da Escocia, algodao, etc.
PRECOS RESUMIDOS
RA 1. DE MAKQO N. 20 A
-
M. CAMAS BETTENCOURT
su \naw\ i
i1
GKANM DKPI H ATI YO 110 SANGUK
El X"- anti-ihrumMt"C", aun rypb.ln > <- -muregado em todas as molestias de
.lie, ry p'-l a. dxnhriis oa emp gnn, beri-beri, anthrazes ou carbuncul Bucaneros
venreos, fer d c m as. uUrer-a, gonorrhtwis chnmica-, boubas, babSss, escrofu-
hs o to nias, mpnstrnaeVs diffic-ia, debilidade geral, cores paludas e todas as vezes que se
quer fortificar o organismo e dar desenvolvimento ao systema osseo e muscular.
Convm 8 pessoas ou senhoras que criam para tornar o leite mais nutritivo e robus
tcer as enancas E te remedio superior a todos os tnicos estrangeiros que se
asnunciam por ah.
Um frasco 3$000, urna duzia 30$000
pela pr < i-
V
tf
-H
l
"tos d<> 8ku panero, o que est provado
frase- -U() U urna duzia 30J600.
-m..f-ruT i> t di'h
niie 'be Ai
zxanL Oi i i
R
o part>
"0SC, cr-8 nn
pregari
ft-bi-eb M
i i M l .. idi ai (1
.-- ni ;a*
Xarops GuNDf PEITORAL
Tratamento e curativo de todas as molestias do peito e da garganta, defluxo,
'osses simples e convulsas, coqueluche, constiparles, asthma, bronchite, catarrho
jhronico e tsica pulmonar e do larynge
E' o primeiro peitoral que se conhace at hoje na medicina.
Um frasco 2500, urna duzia 24#000
CAROBIN
0 BRXTOE PU^ISX'^JjaR DU SAN3UE
O em prego da OAROBINA deve dirigirse a combater as seguimos moleslias:
i diversas formas das doencas chronicas, os desengaados, soffrimentoa do tero,
iffeccoes cancerosas, beri beri, escrfulas, tumores brancos, ulceras chronicas, tffec-
S na Reveluco
48Ra Duque de Callas49
O proprietario deste tabelecimento conti
miando a liqudalo, est vendendo por
menos 50 /0 tanto tazenda de lei como
de moda.A SABER :
Modas
Cortes de etamine de 14(5000 por 8(5000.
Surah de linho muito largo a 320 rs. o co-
vado.
Voile de 1S matisado, ultima m da, a
80 rs. o covado.
Dito de algodao a 200 rs. o covado.
Etamines de cores a 28, 300 e 320
o covado.
Merinos lavrado a 500 rs. o covado.
Zephiros de cores a 120 e 160 rs. o
vado.
LSs de cr"8 a 200 e 240 rs. covado.
Cachemira de quadros com listras de seda
a l(S00i) o covado.
Cortes de metim par vestidos a GCKX
um.
Ditos brancos bordados a 12)5000, 140000
e ldtSOOO um.
Luvas de seda a 15, 15500 e 250 0 o par
rs.
co
IM.-M.STKUENTE
,...* d -I..IH-KO, couvalescencas depoia: ^es venreas rebeldes, paralysias, molestias do cora9ao, da garganta, rheumatismo Cortes oe cachemir8 bordados a 2550UO
por
i;.. ?

M.
b ., taita de appetite,
-el ao paladar.
uzia 30^000
anemia, cdo-
IMm, v lln iMMIiT
: Oy
JIA
Cura radical em seis dias
Erui-r gadi aun .ptiiuo r-s -iud n h cornmentoa agudos ou chronicos
urethra ou vagua |uoorbea ou flores brancas E te medie ment de urna g
fficacia,
Um frasco 1#500, urna duzia 15$000.
jhronico e gottoso, molestias de pelle, assim como todas as enfermidades derivadas
da impureza do saogue.
Um frasco 3^000, urna duzia 30#000
nicos exportadores
COMPANHA DE PRODUCTOS MDICNAES
31-KA BIS (IRIYK8-31
RIO UE IA\i:iKO
Vendas em grosso e a retalho em Pernambuco
Francisco Manoel da Silva & J.
VENH0 TOMCO
Coro lacto-pbofphato de cal e trro, coca, cascas de Uranjas amargas o quina.
O melhor remedio que se tem formulado pea xinibinacSo destes heroicos
uiedicamen:<>e. Empregado no tratamento d-s molest'Mts A<- i*"ito, do estomago, ane-
Hoya! Bleud mrrx VIAOo
Este excellente Whisky Escoces 6 prt |
terivel ao cognac ou agurdente de cam
para fortificar o corpo.
Vende-so a retalho dos melhores arm:-
aens de molhados.
Pede Rojal Ellend marca %'tudtt
cujo nome e emblema s5o registrados par<
todo Brasil.
BROWNS & O., agentes.
Obras de vimes
Recebemos oeste uitimo vapor grande e com
l pelo sortimento. com sejam :
1 Cestas para compras, tamannos diversos.
Hlalos para roupa cngummaa.
Balaios para roupa soja.
C(
FOLHETIH
gm& m&sm
POB
P I 'LO DMICRKMO>T
tebceiBa parte
A filha adoptiva
(CoBtiimacft<
IV
193
tnt pkimo
OA AMERICA
Isso seria rematada t-dice, quando a
wd* lio boa I...
E Mauricio dizia a verdade.
Com o sea carcter alegre, como o do
oa, serupre prediepo.t) > cnaergar tudo
oelo lado melhor, mas entretanto recto o
ffrme como o de Laura ; com a sus fortu
os, a adoracSo ap->ixonada de todos quan
toe o coi cavara, a vida nSo era acaso para
do de tol um co ainda pallido dos frios
do invern, que mal bavia oassado, enchen
Hara da s rrcaturas, s quaes a mar- do os bosques e os jardi is "com o encanto
be r xpieMiiUd<>, e a senhora deve per
mi tir que eu o leve casa.
..ostureiro.
Agafates.
Bonitos bercos e lindas cadeiras.
POCAS HEnDES C.
Ra streita do Rosario n. 9
Junto a igreja
C 'pas ricamente bordadas a vidrilho
26(5tXiO
Cortinados de crochet a 10(5000 o par
Le!
MadapoISo americano com 24 jardas a
500 a peca
Bramante de linho a 2|J000 o metro
i-.innos de crochet para cadeiras a 500
s um.
Sargelim de todas as cores a 2U0 rs. o
o c< vado.
Cortes de casimira para calja a 40000
um.
: Colchas de cores a 20100, 30000, 40000 e
! 50000 urna.
Toilettes para baptisados a 60000 um.
I Fichas de retroz, todas as cores a 10000
um.
Cortes de cambraia branca de quadros a
106UO um.
Cort nados bordados a 60000 e 70000 o
par.
Atoalhado de linho com defeito a 20400 o
metro.
Camisas finas de meias a 14000 urna
Cobertas forradas para casal a 205CC
urna.
Batistas de cores a 120 e 160 'o covado.
Toalhas para enanca a 100 rs. ama.
Ceroulas francesas, a 10000 urna.
Atoalhado de algodSo a 10200 o metro.
Algodao trancado para toalha a 1001/0 o
metro.
Bramante de algodao com 4 larguras a
800 e 10000.
Lentos de algodao a 10200 e 2,5000 a
duzia.
Ditos de esquilo a 20500 e 30000 a duzia.
Collarinhos e punhos de esquiao, precos
sem competencia,
('retoes escuros e claroB a 200 e 240 ra.
o covado.
Brim pardo trancado a 240 rs. o covado.
Panno da Costa para mesa a 10200,
10400 e 10600 o c, vado.
0am88 de linho para homem a 20000,
30000 e 40000 urna
Vestidos de Gersey para creanca a 60000
um.
Costumes de cachemira para homem a
140000 o 15)J000 um
Cortes de fuatSo para collete a 600 rs. um.
hiardanapos c m franja a 200^0 a duzia.
Espartilhos couraca a 40000 um.
Grram>dina8 pbantasia a 360 o covado.
E muitas outras fazendas que s com
' a v sta, assim como em sua offieina de al-
faiate aprompta-se em 24 horas qualqner-
costume, garantindo-se toda perfeicSo em
trabalho e preco resumido
. S na Revolucao
HENRJQE DA SILVA MOBEIRA
VO MUS
r* OL.CRY
brilhautes e a Ba tez tao embaciada, que zar os oihos diaote dos de Ignez, a resia-
mesmo ao lado de Ignez deviam reparar tir Ihe, a provocal-a at. E para melhor
nella. chegar a esse resultado fitava-a, toreando
queza <)'w teles, > tre tanto tSo absoluta
e 'A<> der-p tu, nada sabia recusar.
E lg.< z. em primeiro lugar. Ignez, a
it y rain e cegu, ra, a sua paixao e a sua
oucura.
K, deu.iis o bello rapas moreno e alti
o. que tmh' o aeu nome e que pareca
be emu elt tan iut;alarmente, que quando
san a em su* c i \ nhia os estranhes to
aiVMm 'o por oeu tilbo-
A' volitare, reapondeu ella com um
aorriso. A mintia cana nao por ventura
a na ? Leva o teu amigo para almocar
c m oc, d.i iiiiik se entenderos que isso
nao t-- iiic inveniente
Ol !... Mauricio quaai meu ir-
mao.
Entdo, at domingo.
Liiz d'A cerae nao faltou.
At o meto da, no palacete de Cn-
dales, disae elle a< eamarada; tarde em
casa do pai Val uria. Que da cheio !...
E durante toda a semana nSo allou ao
amigo tcuo i os o:h>s estriados de o uro
da prima, no seu peregrino encanto, na
t 'i i
tao exquisita e tSo
sua belleza de cig*na,
impressionadora.
liffejtivumente, fazeudo com que Mau-
ricio s i apaixonaase por Ignez, sobretudo
fasendo virar a oabeca da rapariga pelo
amigo, e te tando faser nascer no coracSo
desta urna paixa.
Itfnea na era capaz de experimen-
He urna boa estrada piara, tem uro ceizo tar tal inte^sld^d de sentimente, mas um
m um desvio ?
O aca*o mostrou se amigo do joven du
iiue. ^
Logo no dia seguinte, indo Diana fazer
urna visita mullier de general din-ctoi
Saint-< yr, teve *cci8io de a bragar o
rimo ao pausar.
Hinha tia, disse Ihe elle logo, teobo
<]U um eamarada que o mais gentil ra-
paz deste mundo Elle est auoioso por
capricho maia violento, nao icaria elle
Sroprio desemharneado dos projectos que
liana form-jva a nu respeito?...
E ato sem Hender nem desgostar a
marquesa d'Argelles, de quem precisava...
V
DOUS LABES
Urna bella manba de Maio, em que a
primavera ria -nae folbas novas, inundan-
dos nuvos rebentos, restiluindo por toda al Dissemos cmesmo ao lado de gnea. ,a sua timidez natural, examinaodo-a de
parte a alegra da natureza e do canto dos Nada effectivamente podia ser to capti-1 talhadamente, come aui objecto d'arte raro
passaros, o trem que corra a toda veloci- vnte e bello como aquella mo5a elegante e cunoso
dade, depoz os seus passageiros na esta- j e fransina, cujo corpo delgado desta java-
cao de Montparnasse se tao fino no seu simples vestido de seda
Dous estudantesde Saint-Cyr, elegantes clsra, completado por um corpinho escu-jaionar aquella pequea desabusada, diante
e cingidos nos seus uniformes novos, bem'ro, sem nenhum atavio, mas que cingia j da qual todos inclinavam se sempre muito
enluvados, com o pequeo capacete azul! como tima luva os seus hombros inclina- baixo.
celeste, em cuja frente se destacava o : dos e a sua cintura mais flexivel que um
pennacho trmulo de peonas de gallo, apea ; junco.
ram-se vivamente de um wagn de pri- Trazia na mSozinha, admiravelmente en-
meira classe. I lurada, um pesado missal de
Queres tema: um carro ? perguntou prata.
Nada neste mundo, mais do que e*sa
resistencia inrsperada, consegua impres-
JE1L coroa depeitada.
E emquaoto Diana voltava para casa, a
, tendo mandado embora a oarruagem
fechos de anm de fazer um pouco de exereicio ; em
quanto a Sra. d'Argolles conversava com
Mauricio ao eamarada.
NSo vale a pena, reapondeu
rae. A casa de miaa tia nSo fiea longe; eicgulares effectivamente, como tinha dito
estamos com um a vaneo de mais de urna Luiz d'Asterac ao eamaradaella ti uva
hora. Ella e a
na missa de S. Sulpicio.
prima devem anda estar os dous amigos, sem se me er, nSo Ihes
tendo talvez retribuido o cumpnmento.
Camiuhemos ao seu encontr ; o Emquanto Diana se mostrava muito gra
exercicio nos desembaracar as pernas. ciosa para com Mauricio afim de 6eragra
Puzeram se effectivamente a caminho, davel ao primo, pelo qual tinha fraquezas
Luiz com o espirito muito tranquillo, gra- materoaes, Ignez, immovel, com as nari-
ce jando e rindo; Mauricio com o cora cao as ligeiramente dilatadas, espera va que
e a gargadta singular mente cerrados, co-' lhe preatasaem attenc3<, como costumava
mo approximacao de urna desgraca. fazer todos quantos se approximavam da
Cbegaram finalmente ao velho templo, marquesa d'Argelles.
emcuja frente, junto eacadaria, estn- Aquella altaneira physionomia de crian-
dih-ae, nessa manhS, um verdadero tcete 9a, aquella frieza quaai insolente agasta
defldres em vasos ou em ramilhetes. vam-n'o.
L\iis lancou um olhar rpido dj$bte Acbava a rapariga impertinente e des-
de si. '. agiadavel, com urna expressao indecira-
No alto da escadaria app*reciam alcfic vel, quel he provooava.aelle desconhecido,
grupos, que sabiam da missa. estranho, urna neeessidade de luta e de
Olha, dtee elle de sbito, fomos fe- contranedade.
lisas, ah vm justamente minha tia e mi- E entretanto confeasava a si pro pri o
nha prima. qe ella era bella, admiravel e soberana-
Approximaram se vivamente e cbegaram mente be'la, com o seu inebriante olhar da
em baixo do adro ao mesroa tempo que! cor das algas marinhas, o seu aorriso de
Jiaoa e sua filha adoptiva. sphioge e as suas adoraveis formas, dignas
A marquesa trajava am vesti3ov.de/oiue de serem invejadas pela mais perfeita das
cinzento muito escuro e ama capa aeren- estatuas de Tanagra.
da preta, cajo grande ramilhete de rosas j Mas bavia nelle, emquanto admirava-a,
rubras fazia parecerera oa seus o!ho3 Vs' nm quer qne que o impellia a nito abai
Com os sus grandes olhos verdes estra- os dous mancebo, Ignez queria parecer
d'Aste- dos de ouro, de cilios de banoolhos | miito indifferente, muito fra.
Nao o consegua, porm.
Mo grado a sua vontade, com os can-
tos das pupilas verdes ella olhava para o
bello rapaz elegante e esvelto, de altivo
pe. til muito mais sympathico e meigo do
que o do pumo, por mais duque de Can-
dales que este fosse.
E lem brava se do que Luiz lhe tinha
muitas vezes dito a seu respeito ; o mais
intelligente de sua turma, o mais leal, o
mais ad irad > de todos, mas um carcter
singular, um Catao, a quem as mulheres
nao perturbavam, e cujo coracao nunca
havia batido.
Como todas as mocas actuaos, educadas
em ceru liberdade de costumes, a menina
Ignez sabia muitas cousas.
Na aociedade, que t'requentava j, tinha
recebido nao poucas homenareus, urnas
dirigidas sua pessoa, que era realmente
arrebatadora, outras aos milhoes do Sr. de
Riodes, que julgavam-se a ella destinados.
Dar 8e-hia caso que s aquelle amigo
de Luis d'Asterac nao se deixaase des-
lumhrar pela sua belleza e pela ana for-
tuaa?
Ma= entao elle nao se pareca com os
outros?...
Com viva palsaco de corac?!o, vendo
Vende-ss em toda 1 iiri
Oleo feilva
0 verdadeiro restaurador do cabello, expen-
mentndose o seu benfico resu'tado dentro de
30 dias de uso snecessivo. As suas virtudes
sao: evitar a queda do cabello, promover o seu
crescimento e destruir as caspas, a par de un.
perfume agradavel.
Vendem:
Fabrica Camacan. ra Larga do Rosario n. 30.
A Florida (miudezas) ra Duque de Caxia.-
n. 103.
0 Novo Hundo (miudezas) ra Barao da Vi-
ctoria n. 24.
Proco1$000
PPJPJPJSjMMpj^^t m
que elle nao lhe tinha ainda dirigido a pa
lavra, Ignez pensou, quando chegou casa :
Havemos de ver isso !. .
Luiz, dizia ao mesmo tempo Diana
ao primo, leva teu amigo aos teus aposen-
tos. De more m-se por l urna meia hora
e vnham depois encontrar nos no salao do
pavimento terreo.
O joven duque de Cndales bejou a
mSo aquella a quem chamava tia.
A's suas ordens, minha senhora, a
mais adoravel das amigas e das parentas,
disse-lhe elle muito satisfeito.
Ignez nao havia pronunciado palavra.
Km compensacio, logo que a Sra- d'Ar-
gelles desembaracott-se da presenca dos
rapases, ella mandou embora a sua cria-
da, que nSo comprehen ieu sufficien te men-
te depresBa urna ordem dada apenas com
o gesto, e fez urna scena com Diana, que
queria acancial-a, perguntando-lhe se ella
nao estara doente, por vel a com os olhos
mais brilhantes do que as estrellas em
noite de tre vas.
Tu, respondeu-lhe ella speramente,
que me fars :_tiear doente com as tuas
perguntas tolas e aborrecidas. Se conti-
nuares assim, tomarei tanta raiva de ti,
que re ter com o vov e nanea mais que-
rerei saber de ti I...
Diaua H jou mais branca do que a renda
que ornava a golla do sea vestido.
Contrariar, po m, Ignez, quando esta
estava ata -ada dos ervos, o que succe-
dia frequeotemente, era escasado, Diana
sabia o perfeitamente.
E ella que nunca se calara, que nunca
se dera por vencida, sabio do quarto da
filha, murmurando:
Ah 1 cruel, cruel crianca, como me
fases pagar caro a minha raqueza por ti t
(Continuar $e-ha.)
Typ. Dono, Rd "oque de Gaxiss a. 41
*'.'
:- m

II*
m 'ylTliili I



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETJXJPV4L_JM895F INGEST_TIME 2014-05-22T01:04:21Z PACKAGE AA00011611_17382
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES