Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17371


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AIS" NO LSVI ^fifMERO 184

Qu,\
N'
4 1 <
1 i*
DE AGOSTO O

V
'! -
*
.-
/*.
DIARIO DE
Propriedade de Manoel Figueira de Faria dh Filhos
PAKA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres meces achantados.
Por seis ditos dem......
Por om anuo iem......
(Jarla numero avulso, do mesmo dia.
60000
125000
230000
100
Os Srs. Amede\Prince& C.
de Pars, sao os oossb agentes ex-
clusivos do annuncips e publica-
res na Franca e Itfgi aterra.
TELEGRAMAS
3b?kd & }s:: um
MADRID, 13 de Agosto. ,
A epidemia do cholera vai tcando esta-
cionaria.
BERLIM, 13 de Agosto.
S. M. o Imperador Guilherme partir
quinta-feira prxima para a Russia.
S. M. ser aeompanhado pelo chaneel
ler do Imperio, o general de Caprivi.
LISBOA, 13 de Agosto.
As cortes portuguesas foram prorogadas
ate o dia 15 de Setembro.
LONDRES, 13 de Agosto
As negociares diplomticas entre Por-
tugal e a Inglaterra terminaram-se com
um arranjo, tendo por fin proteger os in-
teresses das duas nacSes.
Este arranjo deve ser assignado amanha
era Londres.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
13 de Agosto de 1890.
INSTROCCiO POPULAR
A SABXTASILZSAS SOS ASTBQS
POE
CAPITULO XXII
O imperio da morle O ser e o nao
er no* mpaco* clente*, ou a clr
rolaro da idaO queaaorlei
(Continua cao)
11
Este movimento incessante do ser e do nao
ser, este fluxo e refluxo da existencia universal
perpetuad se permanentemente, sera iaterrup
gao airavez dos lempos e dos abysmos do espa
co infinito. E' a constante vaga do mar, que
rae morrer as suaves venentes da praia. E' o
TOdar perpetuo da materia em constantes e iuin
terrompids iransformacjs. E' o relogio At
vida universal que marca em cada segundo do
seu horario innmeros acoutecemrmos prospe
ros e catastrophes.
Desde os astros, seres singulares e incompre
iiensiveis, it as humanidades intelligenies que
os povoam, e desde estas ateas ragas inferiores
e as dos seres parsitas e embryonanos, ha
ama graduago incommensuravel de elementos
activos, que se movem em loroo uus dos outros,
em centros adaptados as suas revoluges biolo
gicas.
Este movimento universal 6 o que cjnstitue a
circulaco da vidj, prova evidente e terminante
daunKersalidade das leis que egem toda aerea-
Que significa para o homem a morte ?
O sabio v nella um facto natural e necessario ;
0 moralista um lim que deve appetecer-se ; o
ignorante e malvado urna causa permanente de
sustos e terrores.
Que pensara da morte e da vida o famoso con
quistador Tamerlan, quando sobre as fumegan
les ruinas da amiga po oacode Bagdad, que
penetrou a sango- e fogo, fez construir urna gran
de pyramide. commemorativa das suas facanhas.
de muito!1 milhares de crneos das suas vicli
mas ?
O homem activo e laborioso amado da Natu
reza, porque coraulea a mais eseencial condigo
da vida. Por tal motivo a ociosidade e a indo
1 -ncia parecem vivas imaeens da morte.
rreueriro II, rei da Prussia, que era talvez o
boatm mais activo do seu lempo, dlzia Que tra-
balbava para viver. Nao e necessario que eu
yjvaexclamou nos seus ltimos momentos ;
mister que trabalhe. *
J dissemos que s os malvados e ignorantes
temiam a morte. De facto a conscicncia de uns
e as ideas desvairadas de outres forj .m, nos der
radeirof momentos da vida, u i pbanlasma hor
rn esses instantes que deveram ser suaves e traa
quillos em desesperada e dolorosa agonia.
E' um lacio posiuvo, scientiticamente demons
trado, que, salvo algumas -enfermidades e acci-
dentes imprevistos no acto de morrer experi
menta--e urna sensago agradavel. voluptuos-, e
at exttica em muitos casos.
Os livros de medicina legal reunem as suas
pa"inas, innmeros dados e noticias sobre este
assumpto, que provam deom modo frisante o
nosso assertu.
Ovidio disse : O somno a imagem da mor
te E Horacio diz nos tambem : A morte
s.m >orano continuado."
O instante bupremo do passamento, da annm-
lirao do movimento e do comeco da desa>;gre-
caco das molculas e seus compostos, o cora:
Diemento de um facto determinado, de urna le
tecessaiia, que se desenvoive do modo mas l-
gico e natural. .
Se as observaces medicas nao comprova.ssem
hoje este axioma, so pela forca do raciocinio te
riamos -helado mesma concluso ; to ligado
- est este facto com todas as pbases e a maneira
de ser da mi Natureza. ....
As.-im, pois, se a vida universal, lao pouco
a morte tem limitago alguma no seu imperio.
Onde se encentra o principio da vida abl reside
fim da morte. Nenhnm dos dous pode exis-
tir separado do outro, porque mutuamente se pu
nficam e coojpletam.
Se concordrteos em que um d elle, qualquer
ue etia exerce positiva i-,.:<-veogao as mu-
3 ateas que peas observages astronmicas se
nolam nos ceus sera mister conceder ejjual pre
rogativa ao principio contrario, po que idnti-
ca! ruies militaro em abono de ambos. Vivera
dependentes e subordinados um do outro .e
esta dependencia tul, que, se um cria, sob a
rondicao de que o outro destrua.
Sanios ter demonstrado evidentemente que
amorte e a vida se albergara por metade n esses
mundos brhantes, que, em ooiles serenas,es
r.aliam a abobada celeste com uraumeras luzes
haniasticas. ..
Pois bem ; se este corpos estellares, i seme-
Uianca ie todos os seres vvenles, esto sojeiios
a ser ere, dos e destruidos. Be oelles regem as
leis universaes da Natureza, mister curvara
fronte e acreditar que sao a sede e a habitagao
de urna infioidade de especies animadas, as
uaes, secundo as condigoej physicas de cada
astro assim se aproximararo, mais ou menos
as apparenciae biolgicas dos da f erra.
vr (Continua).
fARTE 0FF1C1AL
overuo do Estado de Pernam
bueo
DESPACHOS DO DIA 12 DE AGOSTO DE
1890 '
Abaixo a8signados. alumnos mestres titulados
pela Escola NormalInforme o inspector geral
da Insiru< gao Publica.
Alcides Kodrigues de Souza. Requeiraaomi-
oistr-rio da Jusiiga
Antonio de Figueiredo Oliveira. Iudeferido
em vista das mformages.
O mesmo.Iodefendo, em vista das informa-
goes.
Dr. Francisco da Cunha Caslello BrancoEn-
tregue st. medante recibo
Francisco de Oliveira Guimares.Entrege-
se com recibo.
Francisco Joaquim Padilba.-Indeferido, em
vista das fuformages.
Grrmana Mina Baudel. Concedo.
Joao de Oliveira Vaienga.Ao Dr. juiz de di
reito da comarca de S. Bento para proceder nos
termos da lei contra o denunciado, se depois de
ouvil o, acbar para is-o materia
Jos Antonio de Pinho Borges.Seja exone
rado.
Jos Cysneiro de Albuquerque Mello.Preju-
dicado.
Juventina Amelia Carneiro de Oliveira.Inde-
ferioo.
J -aquim Jos Leoncio da Silveira.Ao com-
mandante do corpo de polica para conceder 15
das-
Jos Gom-s F -rreira Maia e Jos Eleuterio de
Azevedo.loforme o inspector do Tnesouro do
Estado.
Jos Bezerra da Cunha Informe o inspector
geral da Instrurgo Publica.
Manoel Jjs Go.igalves Braga. Nesta dala au
tonso o pagameulo requerido.
Manoel da Silva Faria.-^Escripture-se a divida
visto pertencer ao exerclcio prximo passado.
Pergentmo Ferreira de Fanas.Informe o ci-
dado administrador dos Correios.
Ponciano Camello de Siqueira Cavalvante.
Informe o Dr. ebefe e policia.
Pacifico G. de Vasconcellos e Vicente Alexan
dnno dos Santos.Ao Dr. chefe de polica para
tomar o assumpto na i onsiderago que merecer-
Roa Mana de Rezendes.Nao tem lugar o
que roque-.
Rodolpho Honorio de Serpa BrandSo.Iodefe-
ndo
Thereza Maria da Silva.Informe o comman-
dante da Escola de Aprendizes Marinheiros.
Tiiomaz de Aqumo Barbosa de Souza.Infor-
me a Intendencia Municipal de TiinbfrBba.
Umbelina Kosa de Lima e Silva.Iafbrme o
Inspector geral da Inslrucgo Publica.
Vicente Bezerra Cavalcante.O qadro da
oflicialidade do corpo de policia est completo.
Secretaria do Governo do Estado de Fer-
nambuco, 13 de Agosto de 390. ^
O porteiro,
H. M. da Suva.
Repartlco da Polica
2.* scelo.N. 181Secretaria de Po-
licia do Estado de Pernambuco, 13 de
Agosto de 1891).
Cidadao gobernador.Participo-vos que
foram hon.em recomidos Casa de D-
tencSo os individuos de nome Manoel Na-
tividade de Freitas Lima, Jos Joaquim
de Oliveira, conhecido por Joaquim Be
riDguel, Laurentino Jos de Oliveira,
Gonstron Antonio Raymundo GuimarSes
e Cusiodia Maria Francisca de Oliveira.
Communica o delgalo de Agua Preta
que do dia 9 do correte foi preso e reco-
lhido respectiva cadeia o individuo de
nome Sydronio Pereira de Freitas, pronun-
ciado na comarca do Brejo da Madre de
D-us no artigo 257 do cdigo criminal.
No da 11 deste mez, foi preso pelo sub-
delegado do districto de Monte Pi do re
fendo termo de Agua Preta o individuo
de nome Antonio Paulo da Silva, poi ha-
ver ferido mortalmente a um individuo e
espantado a quatro outros.
Proceden se a respeito noB termos da
lei.
Consta de communicacjlo do delegado
de Agua Preta que no dia 10 deste mez
amanhecera arrombado o estabeleciment
do cidadao Manoel Jos de Oliveira Dias,
e do qual subtrahiram os ladres a quan-
tia de 300*000 entre fazendas e dinbeiro
O subdelegado do districto, acompa-
nhado do escrivao e de algnmas pracas
seguiram em perse^uijao dos criminosos,
e encontrando os em urna casa, sita na pro
priedade Souza, conaeguiram depois de
renhida luta da qual aabiram feridos um
soldado e um paisano, a priao de Fran-
cisco Marcelino de Araujo, evadindo se
Francisco de SalleB, all pronunciado no
art. 257 do Cod. Crim.
Fez se a competente vistoria no arrom
bamentodo referido estabeleciniente, corpo
de delicto na praca ferida e no preso Fran-
cisco Marcelino, que tambem sahio terido
na luta e abri se sobre o facto o compe-
tente inqnerito.
Saude e fraternidade Ao cidadao de-
sembargtdor Barao de Lucena, muito di-
gno governador do Estad de Pernambuco.
O chefe de polica, Antonio de Olinda
Almeida Cavalcante.
peetorid eral da inslrucco
Publica do Estado de Peroam
buco-
DESPACHOS DO DIA 12 DE AGOSTO DE
1890 V-
Sizeuaodo Hilario Ramos.-Cerufique se o que
t0Ljdia Alves daPonficago Bezerro. -Prorogue
por mais 50 dias.
- 13 ,
Maria Aguata da Silveira. -Justifico para os ef-
feitoi do art. 1K do regulamento dt 18 de Ja-
neiro de 1888.
mwqS E COMiEKO
A pruduego da prata augmentou de urna for-
ma prodigiosa, exactamente na epocba em que o
seu pr. i i altingio os mais baixos limites, isto e,
a 41 3/4"a ongi. e se n'esse prego a abundancia
era extraordinaria, a que ponto nao a.ungir, se
o prego se maotiver cima de SO pence ?
A produegao das minas da prata nos Estados
Luidos tem augmentado de 1885 a 1888 na razo
de 20 7. pois que sendo avahada em 1885 em
2.850:000 dol ars, em 1888 subi a 3.427:000
doliars.
Segn io a nova lei, o ministro da fazeoda nos
Estados Unidos le~ todos os annos de comprar
54 milbO s de oogas de prata, uto quasi m -
lade da produego annual em todo o globo, e ae
cerlo Ihe con prego b.ixo do que por alto, para poner tornar
tfftciivos os seus direitos de senboriagem ; mas
por outro lado os lucros da amoedagao sao absor
vidos com o agio das notas ou da moeda de pra
U, que fatalmente ter de se dar. I
Nenhuma narao possue hoje um quantititivo
de moeda de pratt (3o importante como os Es-
tados Uoidos, pois q e desde 1874 at ao pre
sent tem cunbado todos os mezes 2 1 2 milhes
de ongas. ou 360 milhes, no prazo de annos
da vigencia do BlandBill.
Acrescentando a e.ita amoedagao as anteriores
cun agens, vemos iju a c.rculagio se acba j
pesadamente sobrecarregada com moeda de pra-
ta, e por i-so n'alguns dos Estados d'aquelle paiz
ella circula com difficuldade.
Para ob iar ao~ iuconvenientes do excesso das
emisses de moeda de prata, substitue a sua cir
ulago pela das dotas, processo ess^ que seria
muito vantajoso se a circulago fiduciaria nao
tivesse j apresentado todos os sesultados da sua
expansibilidade.
Nao duvidamos de que nos primeiros actos da
execugio da nova lei monetaria elles sejam
acompanhados de feliz xito, adrede prepralos,
mas o proseguimento d'essa medida nao pode
deixar de, mais cedo ou mais tarde, ser suspeo
so. em virtude das Iei3 econmicas que regulam
a offerta e a procura.
Os stocks de prata na Europa sao coosiderabi
issimos, nao s por parte dos Estados que abu
s aram do direiio de emissSo, mas em poder de
particulares, que por occasio da baixa Hzeram
as suas largas provi^es.
As exportages para America j se ioiciaram
por parte do syndicato que comprou o stock de
260 000 kilos de moeda ao governo da Roumania,
eoufos especuladores seguiram o mesmo curso,
pelas vantagens que offerece a transferencia
.Na Hungra iguaes embarques se esto prepa- |
raudo para o rae -mo destino e de I les puma, onde
a mo^da de prata circula com lo pesados onus,
tamoem se dever operar do mesmo modo.
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por seis mezes adiantados. ... 136500
Por nove ditos idem. ..... 204000
Por um anno dem..... 26*000
Cada numero avulso, de dias anteriores 100
ment
ti ha
Rosas.
ao cidadao Lycurgo. sobritiho do Dr.
to uavalcaote de Albuquerque
mesmo'da cb-'gou a esta cidade, grave-
rido, o cidadao Joaquim Meodes da Cu-
vedo, pelo inspector de Moxot, Joo
A polica procedeu acerca destes tactos
de accordo com a lei.
0 jury acna se convocado para o dia
Setembro.
A varila contina a fazer seus estrago
Tem chuvido regularmente, e os gei
alimenticios tm esiado rasoaveis. carne bd
320 a 400 ris, fannba a 400 e raUho a 3201 360
ris.
A lei do casamento civil est sendo 'esta
eonnfe cumpriJa.
A Intendencia Municipal tem procedido
tolo criterio e zelo, gragas a actividadfj
trescidados distiuctos que fazem parte del la.
Au revoir
D de
s.
ero'
a de
com
dos
i
VARIEDADES
X companhia Braz Oriental inicou no Rio de
Janeiro, onde fundada, a subscripgo do res-
pectivo capital, que foi todo tomado.
Este de 2 000:000^01)0, dividido em 10.000
oges de OOtM) cada urna.
E-isa companhia de navegago e d ques u
ctuaotes pelo sysiema privilegiado Trajano, tem
por fim emprenender:
-4 A navegago entre o porto do Rio e Porto
Alegre e Momivido, com escala pelos portos in
lermediarios:
f A explorago de diques flutuantes do sys-
iema Trajano .
A companbia inciar seu funecionamento em
pregando tres vapores de ago, tendo a commo
daces para 90 passageiros ae primeira clasae e
250 de segunda.
A directora se compe dos Srs. Dr. Augusto
Carlos da Silva Telles, presidente; commendador
Trajano Augusto de Carvalho, secreiario e ge
rente; e Joaquim Bernardino Alves Costa, the-
soureiro.
O conselho fiscal formou-se dos Srs. commen
dador Manoel Jos da Graga Teixeira, commen-
dador Luiz de Malafaia e Jerooymo Moreira da
Rocha Bniio, sendo seus supuleotes o Dr. Jos
Ho in-.u-'S I. -itelraiiuzeiro, Antonio Luiz Caetano
da Silva e D Honorio Gjmes de Paiva Couti-
nho.
CORRESPONDENCIAS
Do Diarlo de Pernambuco
VICTORIA 11 de Agosto de 1890
So dia 10 do correte, vindo da capital em
um expresso. esteve entre nos o honrado gover
nado- deste Estado, Baro de Lucena, que segun-
do nos consta fra a Russioha.
O illustre Baro, na volia, foi recebido por
diversas pessoas gradas, e pela banda de musi
ca Recr.-io Musical Vicloneose, que o espe-
ravam na estacao.
No dia 28 d passado assumio o cargo de
delegado de polica, o mui digno alferes do cor
po de polica Manoel do Nascimento Borges Leal,
na qualidade de 1 supplente, visto o cidadao
delegado lenle-coronel Joo de S Cavalcante
Lins, acbar se encommodado em sua sade.
A policia do cidadao alferes Borges Leal
tem sido de calma e prudencia, merecendo ap-
plaus s de toda a popuiagao ; elle tem mostrado
na sua administrago verdadeira justiga.
. No da 4 do correte foram recolbidos ca-
deia desta cidade, os cdadaos Jos Tavares de
Saoi'Aona, Joo Correia de Mello e Jos de tal
pelos Io e *> suppleutes do suodelegado de Pom
do.-, Joaquim Baptisia dos Santos e Joo Baptis^
u dos Santos, sendo o motivo da prio Ate
minba segunda ordem.
. O cidadao Jos Tavares foi esbordoado, pos-
to ao tronco, e bebeu urina com sal. depois de
trettido em um agude a mandado dos mismos
Bapusta, ludo is.o para declarar o que o Joo
Baplista quena soore uus cavllos do digno Dr.
promotor publico, que firam fuados.
O deleeado/ie polica, depois de proceder a
auto de pergunlas a Jos Tavares e Leonardo de
tal, m.indou p" esses cidiJSos em lioerdade ; e
igualmente procedeu a auto de perguntas mu
iher de Joo Crrela e a Rita da Couceigo, que
a. ha-se depositada em casa de Joo CuTu
pa a casar com Jos de lal, que foi tarab m
preso. Estas seuhora* tzeram declarages so
bre o procediment" dos doos Baptista, ua oc
casio da priso do marido e noivo ; e taes de-
clarages a decencia manda calar.
< Os autos de pergunlas foram remet.dos ao
mu digno cidadao Dr. chefe de polica do Es
tado.
A policia destes dous homene s tem sido
de esbordoamento, como publico e notorio
nesta comarca, e biasonam elles que sao verdu
gos do infeliz a quem ba3 a o nome de Udro.
O Joo Baptista respoodeu em 1883 aojury por
enrae de morte.
> No dia 8, s 3 horas da larde, no lugar
Pont:;, Manoel Floieocio espancou gravemente a
Joa'quim Ferrara do Nascimeuto, e roubou le a
quantia de 20*000. O denqueute evadi se.
No mesmo dia, s 4 horas da tarde, Joa
quim Alvino estando procedendo perfurago
de urna birrtira no engeobo S. Jos desta co
marca, desabou a mesma, matando-o instant-
neamente.
No dia 9 foi preso o indviduo de nome Mo-
desto, ex-cscravo do Baro de Jundi, como in-
dignado em crime de roubo mo armada, no
dia I do correte, no engenbo Dous Mundos de
CJnroniua
(Jornal do Commercio de Lisboa;
Nesta occasio, como em muitas idnticas,
deu-se entre nos em relago a Hespanha o facto
nolavel que ja aui mesmo eu aponlei: A exe-
cugo de Higina Balaguer fez nos muito mais vi-
va impresjsito do qae nos faria realizando se rj'ou-
tro qualquer paiz.
Inter mente separados da Hespanha em tudo
que diz respeito ao seu movimento mental, ar
tistico e luterano, nao se d all un acontec
ratnto poltico ou social que nao teoha no espi-
rito portuguez um profuudo retentissement.
Na Franca, na Inglaterra, na Russia, ha con-
liuuatuente execuyes de criminosos ai. ou
menos celebres; deixamol-os passar levemente
commovidos, dessa commogSo de epiderme que
a nossa seosibilidade tem para tudo que a uiv
pressioua, anda mesmo que seja de passagem.
Ha urna execugo em Hespaoba, e lodos nos
vibramos in ensamente, como se tosse nosso o
acontecimento lamentavel que acaba de succe-
der no vismho reino
Sentimo nos, em todas as horas importantes
que a vida social desse paiz alravessa, um i ou
o identificados com elle por afinidades miste-
riosas que nos esto no sangue.
Alllige nos cruelmente a idea de que um ho
mem como Cnovas del Castillo leve urna mu
Iher como a rainba Cbristina de Hespanha a lir
mar com a sua regia mo, to divinamente ma-
ternal, lo castamente mo osa, lo firme oas ho
ras decisivas, a seutetig mortal d'um ser des
grajado do seu propno sexo.
Sim, porque existe essa absurda fatalidade
natural a que ninguem pode eximir a altiva e
nobre rainha! Ella, e a miseravel pana ha
pouco jusligada sao ambas olheresl K o
branco lyrio real devia ter d, um d profundo
e salvador da miseravel flor do enxurro I
Eu, que tambem tenho as intuige3 ir re luCti-
veis, os divinatorios instinct03 do meu sexo, seo-
ti que, na noitc desse da trgico, quando o [se-
reno e casto vulto da regnnt- se inclinou aovio
so e trmulo soore o leitoznbo immaculado ori-
lle dorm< o pequeo rei d'um grande povo, Ua
havii de ter medo, muito me lo, de encootrarH-
lo no seu, o olhar transparente e cnlmo da rapo
cente cnanga
Se el e Ihe perguotasse: mi o que fizeste ho-
je do leu dia?poderla a nobre mulher resppn
oer-Ihe : raandei mitar urna mulher cnminoia?
O pequenino volvera tremen lo de horror!;
Mas no Padre Nosso que tu me eosioas noite
lodos os preceilos desmentera esse preceitcl de
morle! Perdoainos, Senkor, as nossas dividas,
assim como nos perdoamos aos nossos devedores. \ Os
criminosos sao os devedores. Mi, porque pao
perdoaste a mulher criminosa, em nome do D|eus
que perdoou aos seus algozes ? I
E como as almas simples dos pequeninos jio
sabera o que sejam razao dt Estado, soberana da
lei, exemplo terrioel, etc., etc., toda essa frandala
gem com que os polticos e os magistrados sa
bem sopbismar os crimes centra a numanidade
que perpetram continuamente, o pequenino rei
deitar se-hia muito triste, muito magoado, no
travesseiro de reodas do seo leilo, e pederia
m4i licenga para rezar, pela alaia da justigada
o Padre Nosso que a devia salvar e a nao sal-
vou.
E' me mdifferente que a conservera nos coii
gos, comtauto que a expulsem dos costumes.
Em resumo, a proximidade dessa traged;a
legal arripia me os cabellos, e faz me pensar
que anda no lim de contas estamos bem loige
do ideal de tnaasido e de bondade, a que l|em
querido conduzir os homens a voz inspirada de
tantos pensadores.
Se compete sociedade sequestrar do seu cbn
vivi aquelles que peccam contra as leis em vir-
tude das quaea ellas se mantera e progride, nao
e matando os urimioosos, daudo as multides
grosseiras esse drama de sangue, embrulecedor,
eosiuaado a meoria immoral da retaliago, aue
ella pode compnr o s*u leve; altissimo
E depois a verdadeira razao de Estado, que
ospirasse os ministros do visioho reino, tio
devena ser o desejo de que o reinado de urna
cnanga e a regencia de urna mulhe- se maculas
aem era sangue, no sangue de urna infeliz que a
ramios pareoeu inconsciente e allucmada, e ((ue
era todo o caso mspirou ao paiz uteiro um mo
vimenlo irresislivel e altamente sympataico de
enternecida piedade.
Ha momeuios em que a severidade da le con-
sume um inalienavel direito do Estado.
Teem navido na vida das sociedades horas de
tremenda crise em que a morte de dous ou lies
poda salvar as vidas dd milhares.
Coraprebende se qud u'esse caso o magistrado
supremo que preside os destinos n'um :>aiz he-
site em perdoar, pois que o seu perdao pode ter
causa ou pretexto de.deeordens muilo mais san
grenias e muito mais graves, arriscando as vidas
de muito maior numero de innocentes.
Maa quaudo se iraia de um criminoso cora
mura, de um destes malvados em cujo organisuo
aigiins querera ver as fat-es predisposigoes lo
crime. a sociedate quu nao tem coleras, ma- q ie
lera justiga, que nao raiu obngago de se lud
gnar, mas sira de velar pela seguranga publica,
presta um serugo maior civiusago sequ
iraiido-o, do que assassinaudo-o legalmente
, a pan harem, emlim, a lago, o desg agado crimi-
noso. Como ae mais a figura de Goufi, o bele
guim agiota, era mudo pouco interessante, e
como as angustias do lio in,ra agodado nest. caga
infernal deviam ser esmagadoras e torturantes
at ao paroxysno daagooia, o resultado de tudo
isso foi destocar o inleresse e o d de todos na.
Em vez de termos pena do mono, comegmos
a sentir urna compaixo immensa pelo matador.
Perseguido rom a tenacidade in lis atroz, de
nunciado pela sua propria amante, -e este ge
nerq/de amante denunciadora que floresce em
Pars, o mais abjecto. o mais igoobil de
quantos possam desabrochar no grande pantano
ua dissolugo moderna, Eyraod tornou-se aos
meus oibos um personagem interessante.
Foi necessario vel-o retratado no D ario Illus
Irado, em duas pbases dtinctas da sua vida,
ani?s e depois da America, maneira dos re-
clames do chocolate,para Ibe perder todo o af
fecto.
Agora declaro francamente que j me nao im
porto com elle.
Taoio se me d. como se me deu I
Se o Sr. Carnot I e perdoar, nem por isso sua
excellencia toma para mim o aspecto sylpbidico
d'um anjo salvador; se o deixar morrer pacien
cia I.. Fica aos meus ilhos Gros lean camine
devant, isto bora e honesto e sincero burgunz
como at aqu.
Mas a rainha de H jspanba I ,
E' um typo to lindo, essa creatura austera e
doce, que i mr oiou ao p d'um bergo e d'uma
sepultura,onde, entre parenihesis, tantas ou
tras podem chorar!a sua florete mocidade, a
sua alma affectuosa e pura de mulher I
Quando ba pouco tempo ell se debrugava tre
mua e palpitante sobre o corpo ardeodo em fe
bre do seu baby, quanta tristeza me inspirava a
evocago da sua imagem trgica I. .
E como ella tes sabido ser rainha e ser mi I
Moga, oexperiente, criada sob outras leis, no
contacto com outras naturezas menos arrebata-
das e mais relleciidas, menos capazes de arran-
ques heroicos e tambera de loucuras impr vis
tas, quem, seno o lom divino que Deus con
cede s mis que ficam sos velando pela vida e
pela alma dos seus filhinhos o'phosquem Ihe
ensioou a dominar as paixes dos homens, a por
o equiligrio da sua razo clara e tirrae entre os
seus nleresses antagnicos, a impor silencio
voz dos egosmos revollados, a maner se ser
na, imperturbada, radiosa de magestade mater
nal por sobre o ra.ir revoito das atnbiges de
mil partidos ? t
Quizera en, e commigo muita g agora tivesse resistido enrgicamente ao rigor
descabido d03 seus ministros.
Nao da podre mora que eu tenho pena. E'
da rainha que a sentencin a morrer 1
Morrer bem melhor que penar mogamente
n'um carcere estreno e glacial, sobre urna en
xerga dura; morrer para o criminoso, que j
nada espera, talvez a solugo mais feliz que a
sua desventura sen nome pos-a ter. Mas deiiar
se noite sabsndo que um trago da nossa peona
cortou o fio sagrado a urna vida humana e que
ja nada, nada pode fazer com que esse ser que
expirou entre agonas volte de novo vida, res
pire de no^o o ar do co!. .
O irremediavel sob esta forma brutal ecrude
lissima devia fazer soffrer muito a nobre con
sciencia da rainha de Hespanha !
Limento-a, e lamento a obcecago que levou
Cnovas a collaborar, ou antes a ser o principal
protogonisla deste drama tristissimo.
Hegosije.no nos, porera, porque entre nos a
pena de morte foi de facto abolida dos nossos
costumes por um re cuja figura potica de Hara
let sera culpas, se levantaapparico lendaria
de outros lempos na imaginago de todos os
portuguezes 1
Se muitas veze3 erramos, e se muitas vezes
somos dignos da ceesura universal, o que nunca
poder dizer se que nao temos, vivo e ardente
o lustrado da mxima geoeresidade e da mais
profunda e lneffavel piedade hura na.
A vida do homem nos lo sagrada que. nun-
ca em Portugal se commette um homiciiio que
a uossa alma nao estremega de e-panto e de
ho ror.
Quanto ao crime social da pena de morte. so
mos ha muito io^apazes delle, e no espago de
meio seculo temos feito oeste ponto um pro
gresso to grande que chega a ser prodigioso
para quem l e conhece a Historia
Valentina de Lucena.
REVISTA DIARIA
ter
lo
lo
la
morte lufLgida a nosso semelbaue um lo hor-
reudo crime, o nico pan o qual nao deve haer
piedade, poc que motivo ha ae esse crine
menor, se o commetteu urna coilectividade,
que se o commeite ara odividuo ? O boraicu
em oefeza propria consiitue uua cir.ramslaoi
atieuuanie, mas sotneiiie se fr provado que njio
ha la ouiro meio de evitar a morle ; h lera
socledado a preleaco ae nos provar que o u|e
Ihur meio ue defeza contra os ass,.ssinios
for;a ou o garrote.
p. lo oootrario
Os paizes o le a pena de mo
, te anda existe
nos costumes e ua le ao aquelles em que nuis
freqaeuiemente se p^rpetram crimes ternveis.
Haja vista aos de Londres e de i'ans.

A verdade porm que o mesmo caso succu
dido n'outra pane ua i nos mpressiouaria pello
mo io que este nos irapressionou.
Arada ta pouco a Fra iga dju ao mundo iodo
o immoial, o revoltante espectculo daqueJa
cagada humina. cuja presa se chamava Eyraud 1
Durante mezes a ente esteve era da com
todos os passos dados pelos rafeiro da Iti para
tendencia* MuniclpaesPor acto de
8 do correte do gover ador do Estado :
|- Foi exonerado o teoenje-corooel Thomaz Pe-
dro de Aquino do logar de presidente da Inten-
dencia Municipal de Ouricury e nomeado para o
referido logar o cidaao Aoionio Mario ho Fal-
co.
Por acios de 12 do correte do mesmo go-
vernador :
Foi dissolvida a Cmara Municipal do Brejo e
nome do um couselho de intendencia para o re
ferido municipio, Cumposto dos segrales cida
daos: Mauoel Geminiano do Reg Maciel, ser-
vindo de presidente, capit Manoel Rodrigues
Fraoa e teo-nte Sebastio Floro do Reg.
Foi exonerado, a pedido, o ctdado Juven-
co Taciauo Mariz do logar de memoro da Inten
dencia Municipal de Caruar.
Foi elevado a cinco o numero de Inlenden-
tes do municipio de Caruar
Fotam nomeados os r.idados cap to Sy
drooio iio da Silveira Vital, capito Joo da
osla Pinheiro e Joo Salvador dos Santos para
servirem de membios da Intendencia Municipal
de Caruai.
Foi exonerado, a pedido, o cidadao Jos
Duaite de Albuquerque Maranho do logar de
loieudente de S. Lourengo da Malta.
Foi nomeado o bacharel Beliarmino Guedes
Correia Gondira para exercer o logar de presi
denle da Intendencia Municipal de TirabaDa,
em subslituigo do actual, que passar a (une
conar na qualidade de inembro da mesma luien-
denc.a.
Foi elevado a cinco o numero de membros
da Intendeucia Municipal ae Timbaba
- Foi elevado a cinco o numero de memOros
da Iuteudencia Municipal de PjU o'Albo.
Foram oomeados os cidados tenenie coro
oel Jos Francisco Pinheiro Ramos e cap to Fran
cisco Jos la Silva Ci neiro para servirem de
merabros da Ijienleocia Municipal de Pau d A-
Iho.
Foi exouerado, a pedido, o Dr. Jos Anto-
nio de Piuho Borgea do cargo de inembro da
Intendencia Muuicipul ^e JaDoato.
Foi nomeado o cidadao Manoel Floro Ros
para .xercer o argo de memoru da Ititeodeu :ia
Municipal de Grvala, era subslituigo do Dr.
Vicente de r-..ula Felicia dos Sanios que nao ac
c itou aquella ucurabencia.
Fv-i elevado a cinco o numero de intenden-
tes do municipio do Altin o
Foram uutnsados inteudenles do municipio
do Aliiiino os ciuado3 Luiz Rodrigues Gurua
raes e Joo Bezerra de Arrula Cmara.
Foi elevado a cinco o numero de intendentes
do municipio de Llunoeiro.
Foi exonerado o ci lido Watfredo Moreira
da Cosa do cargo de memoro da Intendencia
Municipal de Limoeiro. '
Foram orneados inlendentea do municipio
do Limoeiro os cidados coronel Simplicio Goa-
glves dos S ratos, major Firmino Jos da Silva e
iniente coronel Maqoel Guedes de Araujo Pe-
reira.
Delegado* laiterarloNPor actos de
12 do correte foram nomeados Jelegados Ilite-
rarios os seguinles cidados:
Antonio Lourengo Bezerra da Rocha para
Jistncto de Gamclleira de Buique, em substita-
go do actual, que foi exonerado.
Firmino Rodrigues Lins de Albuquerque para
o districto de Bello Jar-im, em suDstituigo do
actual, que falleceu.
Jos Rodrigues de Miranda do districto de Pe*
pra Tapada era surislituigo do actual, que foi
exonerado a pedido.
Auturldades policiaca O governador
do Estado, soo proposta do Dr. chefe de policia,
exonerou em 12 do corrente, o cidadao Antonio
Martiniano Veras do cargo de delegado do 1*
districto d'esta capital e nomeou para substituil-
o o bacbarel Luiz Antonio de Andrade.
- O governador do Estado, sob proposta do
Dr. chefe de policia, exonerou na mesma data, o
lente "Jarlos Lopes Nogueira Rosa do cargo de
delegado de polica do termo do Ronito, visio ter
sido nomeado secretario do corpo oe policia, e
nomeou ara substitu! o o cidadao Jona Fer-
nandes de Araujo Santos.
taller menio-o nosso amigo e co-pro-
prieiario ueste Dhiio Mariaono de Figueir Fa-
ria passou ante-i) i tem noite p-io duro transe
de perder a sua querida companheira de pere-
gringo, D. AnnaPessoa de Hgueira Faria.
Joven, pois apenas contava 28 annos de ida-
de. a ill 'Stre finad* era gentil e int-ressante, t>
tiiiha todos os dotes de urna esposa e mi exem-
plares.
Associando-nis dr do nosso inditoso ami-
go, esfolhamos urna saudade na campa de saa
extremosa esposa.
wtaaiey Spencer -Amanha s 4 horas da
tarde, no Prado da Estancia, da sociedade Derby
Club, az a sua estra de ascenso o aerstato
desse inlrepi o aeronauta.
Pode dizerse que ser esse um espectculo
novo para nos u -s condiges em que lera elle
lugar ; pois Stanley, depuii de elevarse da tr-
ra aos ares n'uma distancia de dous mil metros,
d'ah despenbar-seha no vacuo, e em gravitag
vertigioosa a jrincipio, e mais logo librado no
para quedas tocar a Ierra em arrojos da gym-
uastica.
S esta considerago caracterisa o espectculo
que na re erula tarde proporciona Stanley Spen-
cer ao nosso publico, cuja concurrencia ihe nao
faltar ; e assim deve ser, porqus o mesmo
espectculo a manifestago mais assombrosa do
arrojo humano, e particularmente da coragem
de ura homem que aventurase a empresa de tal
quilate.
Instituto Pnilomatico Hoje solemuisa
esse Instituto o 5 anuiversario de sua fundagio
e o 4 da ostituigao da Sociedade Pbilomaiica,
com urna ses-o Iliteraria, que se realisa'sT
horas da noite
Agradecemos ao Sr. Dr. Oliotho V ctor, digno
di eclor do uesrao Instituto, a gentileza do con
vite que nos dirigi
Club i'r. Can caReune-se no dia 17 do
correte, s horas e no lugar do'coctume, esse
Club republicano em sesso para pro ;eder
eleigo la respectiva 'directora.
Or. Pinto Penoaou tal titulo, Os De-
bales, de Lisboa, pul icaram a segrate local, em
que considera devidainente e em poucas pala-
vras o oosso patricio e amigo, fazendo-nos o de-
ver de rep-ojluzil-a nestas columnas :
Regr -ssa oa segunda fera ao Brazil o nosso
respeitavel amigo, o Sr. Dr. Fraocisco Pinte
Pessoa, aotigo servidor da causa republicana na
nago nossa irm, e um dos mais dedicados de
feosores da obra gloriosa da revolugo de 19 de
Novembro. O Sr. Dr. P uto Pessoa deixa oa
im prensa portugueza o testemnnbo do seu alto
valo- poltico e deixa no animo daquelles que o
coaheceram a impressSo da raais viva sympa-
thia e respeito -
Os Debates inserirn diversos artigos iote-
ressaotes deste nosso illustre correligionario e
agradecem esta valiosa collaborago.
< Esperamos que o Sr. Dr. Pinto Pessoa con
trauara a distinguir nos com os seus trabalhos,
s-rvindo deste modo a cau a da democracia,
commum ao povo brazileiro e ao povo portu-
guez.
IndemniMadoraNo escriptorio da Com-
panhia Indemuisadora, a ra do Commercio
n. 44, e-ta sendo pago, razo de f2000 por
aeco, o dividendo referente ao semestre de Ja-
neiro a Junho prximo hndo.
Club Internacional -Hoje, s 7 horas da
noite. n ver -e.sso de poss-- da nova directora
do Club Internacional do Recife.
Procimiao-Huje, tarde realisa-se a pro-
ctsse da irmandade de Nossa Senhora da Boa
Morle, que sa lindo da igreja do Carmo, percor-
rera diversas ras das parochias de Santo Anto-
nio e S. Jos.
rmandade de Koaaa Senbora do
Bum Parto Amanha, pelas 10 horas do dia.
reurem-^e em assembla gerl os confrades de
Nossa Senhora do Bora Parto, da igreja de S.
Jos de Rioa Mar, para tratarem de nleresses
da respectiva confraria.
eablnetf Portugus de Ieltur
E' araann o dia do 39. auniversario da instal-
lagao do Gabinete Portuguez de Leitura, insti-
tuigo que tem prestado relevantes servigos
causa da instruego popular deste Es ado.
A reopectiva associago, como de ordinano,
commtmora esse aooiversario, celebrando nos
seus sales urna sesso mjgnalitterariasl* no-
ras do da, e expondo noite o eslabelec,ment
visitago publica
Para essa festa tm sido expedidos muitos
convites, e tudo induz a crer qne ser ella es-
plendida, como sem ser as do Gabioete Portu-
guez. i
Candidatura militarR -cebemos, hen-
tem, do itOBSO compioviucuno o Sr. coronel A.
Gome- Piraentel o segrate lelegramua:
. Corittba, 12 de Agosto, as 12 h. e 40 m. da
tarde.
A' llluslrada Redacgo do Diario de Pernam-
buco :
Agradecido pela espootaneidade do Club Mi-
litar do Recife.
Aceito a candidatura ao Congresso pelo
meus conterrneos.
Dirijo p-ilo Correio as condiges de aceita-
o do h idioso mandato.Assignado.Coronel
A Gomes fimentel.
Fruta da Paraso Celebrase amanha, s
10 nor .s do da, a festa de Nossa Seahora do Pa-
taizw. na >ua grvj', que serve de capella o es-
label-'draento d. Casi dos Expostos.
A' larde esse estabelecimenio ser aberto
vi-nago publica.
Instituto Archeologlco-Reune-se hoje
est assocugo, as horas do costume. em ses-o
ordinaria. ,
Club Martin* Junlor-Este club tune-
cuma uoje era sesso ordinaria, as horas do cos-
tum'. ,
julio do* feito* da fa*enda-A au-
diencia leste juizo lera lugar hoje, s 10 horas
da maoh. vi*u s-r amanha da santiheado.
A*ociaeao M*-dico-Pbarmaceutica
Hoje, as 7 oras da noite, fuucciona esta asso-
ciago 'em s-sso ordinaria.
Juico de pai da Boa Vi utaPor ser
amanha dia santificado, fgi transferida para 16.
do corrente a au liencia do juizo ue paz da paro-
chia da Boa-Vista.
1

h
m




i
>-M
H l '
Wi
i *" -
1
' *A , *
*'-

I !


Diario de Perriamhiir.o--QuintA*eira 14 d<* Agosto de 1*90

'
c
-



Cap"* *m eriio-
Foram estes os 'sou-so* p olalos pelis S<-s.
caollao teoente P-reir e Soji e Dv Jedro de
AttuyiJ L)bJ \Qi\fi\\iidi or a do Avi. OffirdCfUl JUKligau
ioipHCior do v-eul di'inn, capuso*-^*
Fred^ri:o do correal", c >afo m- j oueiam is :
ilinkns senhoras cid idaos. O ng i ido por
meus c uarada* para dri >'->'os fctura u pila
vras, s Ustin essa geutileid te' re -.mo na
anana pessoa que nunc tere outra tnhunaalm
dos eauvealos dos oavioi di aossa Armtda.
-ina f<* -11 > 01 i ra aba tarefa se esta feita
loase tao soaienie entre os m -mb os da corpo
raeao di Arcada aqu prenotes, pois que na
Mi inha de Guerra ta Repuolica dos Esta lis
Unidos do 3rml o nome de Serrano ana -yj
tbese de hmra, dever e lealdaie : toraa se, M
ren, custosa por me caber a hoo-a de di-igir-
me a ta i s-lecia sociedade. receiaodo ser prolixo
ou omnsj na ja tificic) da bomenagem que ren
demos ao nos-o digno eanarali.
< ) eapiUo ten-me S-rraiO afll dos mus
disuado-; officue* daausi* Armada e teve a for
Inaa de nasc r pernambucaoo.
> Veio ao mundo eo're os m pici em qu
a idea repi>l!<:ana erabryonava e prerisava para
med ar de *an Kuaes Machad pa*a seu Oip'i-a. atim-de mais
tarje rdapoarecrtr pujant- e miis impetuosa que
ama avalancbJ das eordilheiras americanas ou
ama pororoca dos oo-sos rios. t4) compacta,
graa le e ameacadora q le os Jefjosores do go
veroo lecanido -ecuara a sem acontar a boara
da hiela que Ihes era offerecida, r-icasaado mor
le de hroes ao posto que desfructaram desd"
1822
i',.) no vd-^, o nosso camirada teve por Dar
M Venea Americana, oode ouvio entre os
seus as aarracOe das cruesis |ue praticaram
contra os que prrmeiro peasara n em Peraam-
boco em prol di repuouca que tornen se o seu
< treio: crescendo, na > rauou; oo poude ser
corrompido, porque o que o cerco d s se perde
ao tomlo.
TuJo o impellia a - l...O eeu granie cenco o sea temperamento,
;* bel lea >le sua trra aaut, que a propria natu-
^reza defendeu com urna muralna como que ciosa
t vel a conquistada pelooasaoo, que otaba a-
snas risoabas plagas.
Dddioando-se o joven pemamoncano a pe
osa vida do mar, tornou se un Jos ornamentos
. ida sua eiasse. .
Contar a sua vida de nauta sena dinV.H, por
-ser mister remontar a triau anaos pasados e
lirtoriarvos t->l > esse p'f odo da n issa hi-i'oria
narval, comprenenden lo es*a lata booencaque
- usMienimo* eoat.a o Paraguay, en cijos fistos
.imis eocoaliareis o a une InaflU, emulan-
bmb com ou'.ros tamben coasagrados nos*a es-
tima e veoeracao
Para nao aousar di vusa bensvolencia, vos
,-irei jue no da 13 d^ Nvenbroo capitn te
ente Serrano prestou re evaatisumos 8ervi5>s ;
. ue por escolha do osso enemerito tntn.stro
.i ida marmha fui esse oficial encarrega lo de
i.fransportar para a lina Grande a ex-familia im-
perial.
a -eorjanisacio em qoe nos acdamos, coa-
>be he o lugar qu- tai irreprebeanivelmente des-
lempeaba de inspector do Arsenal de Marmha
de Peroambuco, on le tem conquista lo a sym
pathn de todos os seus subordinados e se va-
calado mais intiinam n-e com o nade povo
i vpe-nimbucaao, povo generoso que val mandar
ao Senado da Hrpuoli'.a o bravo marechal Si-
HflMi*, u na Jas or >s de oosso eiercito e que
-tem du'ida nao deixar de eleger o cap .ao te
-tate Serrano, aeu mais eminente Hh> na ar
i. aada naciooal, para re^reseatal ano (utnro con
gresso, onde ningueaa mais idooeamente defen-
der os seas direttos e honrar o nome peroam-
i dracaoo.
Eta, ^Ira. urna divila de honra ; quinto,
porem, ao brinde que off-receaios ao osso ca
r .aurada, urna smples homenagem que !be ren
demos pelo mmto qu' oos taereie, por anas ra-
ras qualidades de ci.lada e militar.
as mos da gentil ssima ilna do nosso ca-
i oarada deponho a vwnera de Avu que offerece
>nos ao digno progenitor de S. Etc., rogando
lie a-inil o officiai de^sa ord"in e ahracal o em
. me de seas camaradas. Pereira e Soaza.
i-*0'ianDe n. 54, de movis, espelnos, carroga e euooVs, que ames baraiham do que eseUrecem
b''!taMi fuo^-*(tera^iewrtas : '^*. mtgoa do aclu.fcgoveroador, o bOO
H ,je : r**' sr- BiI"3 de Licena, e do oonseihei,ro Joo
8 n os, na matriz do Cano, pela a ma de Alfredo, atirando lh^s urnas respoosabildades
Klr2LPtrr 1 -T1ITI--1 to sai no vapor """ao '* cabem, aurttomodo.lhes proU-stO
o i oual Principe 4oSra-t P*r : (qnunca tizeramve exigencias e oondicDes que
P.ra d"patado-Bar> de Traip, projrieta Ca.los .t.oii, hU staKMra rt :la aogra. D-. U()Ca jri,cuUrm, wsinuaflo al que cbegaram
no, residatd o Peoedo, Or. Bcraardo Antonio H :uor ^de, Souzi,'Or. J >ao B otista de Citva I r*"""
de SlQdong isteilo Bran^proprietaio rest IHj, B-oe*to K.nn, Cyoriano F.tom s, Ma-ia |e"t'8 aPtd,r A verdade, a pura verdade que os amigos
eccSoRegiusa, uin externo artigo oronlar.
fina 111 p r diversos si e lotes, apr s; UanJo e
recommeit Un lo a s.'gumte :i 101 el -itoral :
Par*ueaadores m trexhal Ploruno Pe.xoto,
ministro da guerra, coroiel pe i-o Paulino Ja
on-oa, g-femidor d Me B* alo, D-. Jis To -
^jaato !* Araujo narros, pfop;-iiano, residente
em S. Migu:l.
num:a
dos llustres cidados cima indicados
declaram incompatibilidade com nenhiim dos
grupos em que est.vam divididos os aotigos
partidos na raooarchia, e que todo quaoio dese-
deote em Ciniragibe Dr. E-oendiao Eloy ie loabaa E n.-.st Coaber, onn Hriiur^r, J
Barros t'imeniel Jootor, jutz de diretto, Dr. Ha- PiOiioo la Silva,PbroacioJosPfrmra.Joio Mi
noel Ribe:ro Barreno de M-nez"S, advogado, re- ceno, 6 pragai d|j polio a eos r^os, Alexandre
idete em M ce Dr. Miguel Sures Palmeira, Alves di^ Santos Manoel Ignacio ia uiva, (val-
juiz suosti'.ut' em Nicther.iy, Dr JoiquimPon- gi \linoel Amaro)
tes de Miran a, empregaio publico residente Suiuos pra o sul no vapor nacin Per
\em Micei. ancuco:
\ nova direcySo Ja Associafio Gommerjul Ag.ittnilio C'ionlo. Mara Brazilioa, J.iao Paa javam era o desappareciraeoto dos aatigou odios,
de Macei ti :ou assim corutituida : lino Fra s;o da Conceiso, Z-fenoo Ferreira, o desmo onameu o da
P-esidenie, o major Jos Virginio Teixeira de Vasco da Gama L ibo. Criarles B-<-qu-. Mana Pas-
A aajo. tora, Jonqnm Vieira da Suva. Ba^oneza Je Bein-
Yice presidente, o il idao Manoel Ramalho. i tica, 2 nlhos, 2 menores, 2 erados e I menor,
Secretario, Guido Duarte H>any W iterhoff Joaquim E. de Meal-inc al
Toescureiro. Januario Looes da Silva. torea Joo Leopoldo. Miruana Mina da Con-.ei-
L se no G>ttenberg, de 12 : gao, Dr. Dmi-'l Je Alo ei la. Joaquuu J;s Mir-
Constou nos oitein, altana hora, qie urna tiu-, A'thur Guum-es spreodli marinneiro M -
guel Vicente, lerooymo Africano e 7 companbei-
Capitao lente S-rraoo. O Club Militar
deste Estado nomeou nos em com nisso para
. vitmos asistir elevada demon-4racaode apre
.co que pregaron a corporago de marmita exis
teoie a-^sta ei-tade com o intait-o de vos ofTeie:er
. vmera lo ufa tlalo da ordem de Aviz, com que
o Governo Provisorio acaba de -listuuuir vos.
A eominisso m lyto ci la o capiao tenente
3?ran>, nao precisa fazer o elogio de vossa
laureada vi.la miiitar. pois em vessa f de offi
ci, que tanto vos honra, e to esbogados em
aito relevo os rimantes fetos de heroico pa
kattMOM eaboegigao. que aaveis pratiCido du
rame a carreira que encelas es em to verdes
ann>-, eque tem sido una sene nao inlerron
pilad fetos de brivura incen ios pelo raars
acys ;li o a:n >r desta pain, de qae nos orsa
Ibaoios de ser nlhos.
A com nisso. cidado S-rruo<>, se cnthusias
am com o el vado procedimenlo da corporago
de miri'hi en pr ;Sar voa o magoiticantt-
P'o-a de aprego aos vossos reoonh^cidos m^ri
tos e pede vos p-rmisso para a ella a3^oclar se
com um solemne proiesto de estima e cOnsidera-
cr vossa pes: oa.
Viva o Governo Provisorio dos Estados Unidos
do Brasil.
Viva o generalissimo Manoel D.;odoro la Fon-
seca
V'va o pxerciio e marinan do Brazil.
Viva a co p irago de marinha deste E la !o
Viva o capitao lente Guiti-rme Federico
de Sonsa Serrano
RH.:-f.\ 10 I *gxto i- i890. D-. Pedro de
. Athayde L^* Mo corpo de sa le do exercilo.
1 oIN-ko orne de Aolo Teve lugar
no Jia 11 Jo crreme a fesU -ora que erteetta-
.keleiineio de e'docago costumi -olemnisir o
si-uanuivers rio sen lo esta festa lambem a do
sea primeiro decenario.
A se-so litterana f.i este amo s 7 horas di
noule, se .do no.u-sj .-eandino premiados em
^ :lsejj*j de M> son F.na. em 3 Samuel
Fntz Sw.-ison, Fraticis-o Vieira Boulitrnm An-
tonio i" Swnsoo, Jo.- Antonio Alves Maciel, Minarl,;
Oiympio Je Mendonga Portado, Ral Bornes
Leal e Jos Moreira Ha-to<; no carao primario
em i* Jos Cameirc de Hollanda l'Jlicoo, em z-
Francisco Manoel da Silva, Arnulano BsuniM i
AH ns., Ante.o Estanislao Aff man, Ar.hnr ar
reto de Albuquerque, Clemente Googalve3 da
gilva, Joaqmu da Fonseca Vianna, Jos Joaquim
de Birros e Alvaro da Si I'"a.
Oc aparara a tribuna die sos oradores, entre
os'quaes sub.-esahio o Sr. Leandro Barreno, que
re itou por ultimo urna laieressm.e poesia, mu
to appla dida.
Fioda a s.'.ssj Iliteraria, foi distribuido o jor-
nal Onze de Agosto, e em seguida deram os
alumnos ao ibeutnnho lo colle/m am lindo es
pectamlo, sendo repr.>seatadi3 a= come lias-
Nao envpnenes toa mulhe-, 0 diabo atroz da por
tae muTas vistas le urai lariierm mgica.
Iniluolra nacionalTemos sempre sa
tisfag. em noticiar o deseuvolvimento Ja induc-
ir a oacioual; e. po s, com pruzer que acolhe
ios a seguinn commaaicaco :
Ctdado redactor do Diario de Pernombuco -
Cono no vossoconceitaado jornal semo costu
mais Jar noticias geraes sobre os melboram^n.
tos que vo se operando em todas as partes de
jsso paiz. vcahe pedir-vo3 o obsequio de fazer
des publicar as sezuinte? liabas :
Segando o tesiemunbo dts joraaes de Caxia3,
no Marauho, a faDrica de liaco e tejidos -lo
ustrial Caxtease, alii situada, mm progredido
bustante. V.i pioluxiolo diariamente mil e tan
los metros de pa^no ; e as aegoes, cojo valor in
triseco de 100, estaos^nao vendidas a 180*.
Esta tamb-m funecionan io regularmente a
fcbnca de fannba-Usina Agrcola C; ios resultados sio de grande alca ice. A tari "ha
tem tido largo coosomo e est sendo vendida
or ura alto prego ^... _
J foram enviados dos Estad. s-Umdos a mes
a cidade de Caxias, os apparelhos de ama ou
ira fabrica de tecidos qoe est em vas de rea
lisago. Foi encar egado da escolba dos appare
Ibos o baoil engenheiro mech.nico Hiram Mapes
Jnior
Por este favor tlcar agradecido o cencida
dio atteocioso e criado.Jodo -V. de Souza Ma
ihado, Recife, 13 de Agosto de 1890 .
Estado de alaoaa-As folbas deste Es-
tado, que huatem recebemos, e alcaacam a 1S
do correte mez do estas noticias :
0 Diano de Alagoat de 11, pabucou na soa
forg que J'.iqui seguio commandala por Jous
Mdetes e con Inzuido presos, para Anadia, pro-
vocm am onLcto na feira d'aqiella vid i.
D-'pois J u na escaramuga entre paisanos e
s il lados, estes foram ao quarlel toma rain as ar-
mas voliarain a t'eirae atiraram sobre o povo.
Fi-.arara feridas tres persoas, urna dasquaes.
Jo sexo fememo. ach se as ponas Ja mort; .
Na Pono Noo Jo Pilar, l-se o seguate
em data de 6 :
O honrado e laborioso ci ladin Nicol > de
Moraes Sarment, eslabelecido com casa de ae-
.ocio ai villa de Atal -i i. foi ante hontem doran-
te a noalehornvelm "me assiS->inado por um in-
dividuo a quen tmli proporcioaado hospeJi-
gem.
A fera aproveilaa i o a o xasio em qne o in
feliz se achava dormindo, introduzio ln a pin-
ta de un co.npjsso n'u n dos ouvi loi descarre-
gando-lhe em seguida un golpe de machido so-
bre a cao-ga. em Kgwda evadise, .nio
todas ai portas.
Cansando especie i os visiib.-s a rec'osodo
infeliz Nicolao, pj:s qu; o nao uuham visto enr
preparativos de viag.-m, d -ram parte polica e
esta arrumbando a porta, deparou com a victima
j exaague.
Contra o crimiooso, que dizem ser conhe:i-
do, p ocedem as auto idades do districto .
Fallece a o mijir Silvestre Do oiogues da
Silva Pimeateira.
Vacolna publicaNa iaspe;toria de liy-
g eae foram noni-.n vaccmalis 11 p;s o-.
Ovupouse n'esse servigo o Dr inspector.
erviro militar!i' hoje supe:ior do dia
o cidadio" capitao Mag.ilha-3, e faz a renda de
visita o i i 1 iloulferes ego Birros.
OU bita bao Jara a guirnioo dacilaie
FerlnaenitM No districto policial do Mon
te Po, t^rmo de Agua Preti, Ant uio Paulo la
Siiva, u'am contiicto que travoa com diversos
individuos, no da 11 Jo arreate mez, ferio a
um delles mortalmente e espan :ou a quitro o-
tros.
E->se bravo f)i preso.
Biiubu Ni viii l de Agua Preta, em 10 lo
corrate, araaahecea arromoado o estaodeci
ment do cidado Manoel Jos de Oliveira Das.
Je oade roubaram os ladros cerca de SOJ'OOO
eatre dinheiro e fazeodas.
O subdelegado di disiruto, ioformido do ro-
mo que seguirum os nminosos, foi-.hes no en
caigo, e, eacoatrando os no lugar Souza, tratou
de prendel os. 0< gatunos, porm, resistiram
sahiodo feridos dalu'a travada una praga e um
paisaao.
Foi pre3i, entretanto, o le aone Fraaiisco
Marcellino de Araujo, evadalo se o de aome
Francisco de Salles, alias all pronunciado ao
art. 237 do cudigo.
T.ibunal do Jury do B.-cife -Va-u:
cionoo hmiem eue Tribunal son a pesidenca
do Dr. Antonio Domingos Pinto, juiz de Jireito
do 5 districto, sendo submeltido a julgament o
reo Joaquim Beoto da Paixo M'deiros. pro un
ciado pelo Dr. juiz de direito da 3o districto,
orno i8cnrso no art. 201 do coligo criminal,
porque em 14 da Agosto de 18S6 em Santo
Amaro das Salinas, ferio levemente a sua amasia
Maria Amelia Dantas Julia.
Compare :eram 37 juizes Je [acta, -endo sor-
teados para compor o ja y de senteaga os se
guintes :
Corbinnno de Aqum i Fonseca
Janoano Jos dos Santos Bernardes.
Sjbastio Antonio do Reg Barros.
Demetrio Carneiro Rodrigues Campeilo.
Cy lio Purparario Santiago de Oliveira.
Gjdofredo de Abreu e Luna.
Agt;o Brrelo de Mello Re$o.
Pedro Francisco de Paula Baptista.
J .o Baptista Cezar.
0 ni m Co-lbo da Silva.
Jos Deltino di Silva Cirvalho.
Carlos Es;aOi-'lo da Costa.
Occupou a tribuna da accu?agao o Dr. Joa
quim oa Silva Cabra!, adj n'o dos promotores,
que, provan >o a responsabilid de criminal do
accosado, pedio a -ni cna lema igo no grao m-
ximo das p mas do citado art. 201, em vista das
agravantes do art. 16 Io 6 6 te cougo cri
nin I. que ooooorreram na praUca Jo delnto.
0 Dr. Luiz Drum no id, patrono do acensado,
a-gou a uona jo delicio ao .Desmo attriBuido.
e ueste si'ntido resol veu o cooselbo Je entenga
por unaninidade de votos, p'lo que foi o to
ab o vido e conde una 11 a municipalidad'.' iws
cuitas
Foi l^va tada s-o 1 hora da tarde e
adiada para hoje as 10 n tras.
Intendencia Umiirlpal do le el fe
KeiUimeuio do da 12 de Agisto : 9i7i2
-aldo do da anleriu.- 4:d"0/ii6
i
4
430
eufermanas
Despenden se no dia li
En poder do procorador
No Banco Sul Americano
3 6i7*77s
137*000
3:4801778
26:000*000
:t 1:480*7 78
'irnciorla ra iftivais -Jb emuer
n do portoi tt^ ?fraaaluceRw
', 12 de Agosto de 4890.
loletuii meteorolgico
i* -
lousj til H irometro a .. 0 roptf) ) vanorj ir
'"* \ ' m
- * -------\. ----' ------
IIJ. 3"A ti 33 1858 83
9 f 25' 4 ) 703-77 18^8 78
U 26- 4 / 763-31: 18 57 71
3 t 26.4 761-87: 1781 70
6 i 23-.1 61-841 18,12 : 76
TemperatuniJrMiama- 6. 75
Dita muiiuw-I^OO
Ev. -a ii lloras : a somora--2*5
;:;uva -2-2.
Dir gao do vento : S de inea noite a 1
hora eo3 minutos : SE it 2 oras e 30 minutos;
E-^E at 5 hora.-: h 40 inmutas ; E ate 7 horas e
15 minutos da manh ; SE ule ueia noite.
Velocidade media do veuto4 "15 por <>-
fMCdO.
V^bulosidarte medtu0,58
Boletim do porto
-i -3 si M M. M 12 te 1 : 13 i* i i 9ias 8-2 S 2- -50 da ranh -47 da tarde 57 -34 da matM
B. P. B P. Agosto Agoto 0-58 1-02 i 0',73 f 2-21
ros.
I.twiiiai de aula Igaed* -O m>vi
meuio deste esiabelecimeoto (para variolosos)
no da 12 Jo correute, foi o eguiote :
Homens Mulherrs Total
Existiam 204 146 350
Eotrarain 7 7
Fdlleceram 3 1 4
Existem 08 143 353
Ho Itai Pedro llO movitneato deste
estabelec:menio de candade, do dia 11 le Agos
lo fot o seguate j
Eotraram
Sa nr,.m
Falleceram
Exislem
Foram visitadas as respectivas
pelos Drs. :
: .-.i- s 8 l|4
Cysoelro as 9.
Berar.lo s il
Malaqutas as-8 1|4
- -Tmirual K-lO.
Estevo Cableante s.9-l|4.
cirur^io diutisu Numa Po npilio s 8 1(2
horas.
O-piarmaeeutico entrou as 9 horas da manh
e sabio s 4 da tarde.
O 1" ajuJantf Jo pnanna.'cutK'O entroo s 8
da uianb e s tiio s 6 Ji tarde.
O 2 dito eiiirou s 7 da maulla e sahio s
6 da r.ara^
luoi rii do Ksladodr Pernaoanuco
-A 15' sene da lotera desie Estado, aera ex
trahida impreterivelmenie no da 19 de Ago-to
.terca fera), 1 hora da larde no consistorio du
igieja de Nossa Sennora da Rosario, de Santo
Antonio.
tii-nt d<> Balado do UramPar
- A 6" sene da 41- loieria cu(o oreawcgraa-
de de 60:00 '40"HJ sera extrahida no dMMl Je
Agosto (sabDalo).
Ijoieria do Haranhio A 1* serie
da 3* lot-na de-Je Estado, cojo premio ,'rande
de 3o0:'Kiti 000, sera extranida no dia 27 de
Agosto Coarta fera)
cemiierio punllco Obituario do du 12
de Agosto le 1890 .
Jos de Sjuza Salgaeiro. Atagoas, 17 annos,
soileiro, S. ros; vanlas confluentes.
Mana E nilia da Coaceigo, Pern.imbuco, 37
anaos, casada, Santo Antonio; tobaremos pul-
monares.
Ju'.ia, Pernambuco, l anuo, Amgados; coo-
vols6es.
Antonio L. do Niscimento, Pirnambaco, 29
annos, solteiro, Sanl'gueda ; vaclas.
Jos Moreira, P.-rnambuco, 23 annos, solteiro,
Sant'gueda ; varilas
Zeleruio, Pero imbu:0, 20 annos solteiro, San-
t'Agoeda ; va olas.
Pedro Manuel F-ancisc i, Pernambuco, 16 aa
nos. Saot'Ago-'da ; vanlas.
AI"Xaodre Rimas, P;rnambuJO, 55 annos. ca-
sa lo, Boa V ata ; pneuraoaia.
Domingos Gimes, Perounbaco, 28 innos, ca
sado. Boa Vista; tubrculos polmooires.
Joo Tbemoteo, Pernambuco, 40 annos, sol
teiro Boa Vi'ta ; pneumona.
Rosalioa, Pernambuco, 4 annos,Graga ; esgo-
to nervom.
S-venna Mina Ja Cooceigio, Pernambuco, 3
anaos, Sant'Agueda; vanlas.
das velhas barreiras parti-
darias que dividiam a familia peroamoacana, e a
assimilago dos republicaaos de tedas as proce-
deacias e de todas as datas, sem essas preteo
ges de preponderancia e de exclusivismo que
andaram retardando a formago do verdadeiro
partido republicano deste E-Jado.
No dia em que frente dos destinos de Per-
nambuco foi collocado um governador qoe, alem
da mi'.or competencia, do mais provado tino, di
mamr isengo le ani:no, da mais correcta inde-
pendencia, da mais imperlur. avel energfa e do
mais acrisolado patriotismo, trazia j honrosas
tradigoes Je seu amor e deiricago a este Estado,
que foi Ibe b-rgo. congregaran] ge tolos os boos
elementos, e-iquwrara-se todos os odios, irrom-
peram .dbeses as mais significativas de todos
os pontos do Estado e formn se o partido repu
bhcaao, que, unid >. ebeio de eathusiasmo pela
nova i 'ea, de estrera-i nenio pela definitiva or-
ganisaco di Repblica Brazileira e de esperan
gas na prxima constitug 10 deste. Estado, val
dentro de poneos uias entrar animado na lucia
elei toral.
Este facto que dar ao Sr. Dr. Albino Meira
a explicago de que > s grandes competencias
dada a realsagfio dos grandes coramettiraentos.
UM POCO DE TUOO
lietMea -Effeotuar-se-hao os segulntes:
Hoje :
p6lo agente Si I ve ira, s 11 horas, roa do
Rosario n. 8, de urna casa terrea.
Pelo agente Stepple, s 1 hora, na Cmara
de Olinda, de predios.
Pelo ag '.te Pinto, i 11 eras, roa Mrquez
de Olinda n.6 de movis, etc.
Sabbado :
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, roa Larga
do Rosarlo n. 31, de orna armago e mais acces
sorios.
Pelo agente Stepple, i 11 hora, no Caes de
!ipl,-c i^"* do Or. Whla.i
Meira
0 ex-governador deste Estado,o Sr. Dr. Albino
M. ira, qumdo pdio aegao modificadora do
lempo o desvanecanlo de seu despeito e a tie
cessaria refLxo para poder darao publico urnas
explicagoes que julgou devidas depois de sua
demissao, squeceu se de que, com 03 dias de
corridos, com a distancia mettida de permeio
enire os acoatecimentos e aquellas explicagfies,
sua memoria poda peccar por iolidelidade.
EtT-ctivamen.e, si no espirito do D Albino
M.;na presidio o de-ejo da respeitai*escapulosa
iMote a verdade dos factos, o in'uito de ser sio-
cero, na3 explic.gftes h n:em estampad.s no
Jornal do Recife; se laes expliciiOes a;osao o
recoi-'O aesesp rado de qoeo nao pode bem ex-
piicar-je; com certeza, a iMMJfU d-< ex gover
nadar o; Ibe extraordiniria e aotavelmente in
lid)
0 Sr. D.-. Albino Metra, qus nos ulIrnos dias
de sua adrainistracao tinha ama pbrase habitual,
dictad, sem duvida pela consciencia, e que se
raduza ua.s seguiates pilivras : -si eu nao for
demUltdo -; que praiicava e dosfazia actos
cora a versaiili lid.; i qje.n nio oo :de:ia a mo
vimenlo propno, mai ceda a sugges'OiS esira-
nna ; que se abalia desolado, confessando os
propnos erros, JUnie Je amigaveis censuras
fe.tas em nome da amisade e Ja lealdade ; que
Jest ludio dentro de piuco lempo aqu-lles que
he attribuiam u o ea-acter de nja tempera e
urna independa.:' ia capa/i deresiatir a direeges
alheias ; que fez de sua curta admioistnco a
negago mais formal e c>mpleta das promessas
coudas em sua eirccUr programma, dirigida
imptnsa do Es'.ado w tomar as redeas do go
verno ; qoe, na praiiea Jos seus ac os como go-
v- rna ior, lev u a depon lencia do placet de quera
hivia promovido sua uome-go at ao ponto de
Btofir a ineedeta que correa d- que S..Exc.
adiou a troca pr outra di mesa em qm despa
chava a espera desse pl cet; o r. Dr. Albino
Meira llca tomado de admiragSo ao ser demitti
do, ignora o motivo de sua demissao e a attri
bu a phanta/.ias e capnc.ios individoaes I-
A verdade sabida, a verdade que s o S". Al-
bino Meira ignora, que S, Exc apezar de sna
ostracSo a de seas tlenlos, foi demittido por-
que uha comegado por demittir se de soa ia-
depeadeacia, de sea lir.e arbrio, para gover-
oar, arriscando e malbaratando a propna res-
poasabilidaJe, mas a impulso de influencia
albeia foi de utido, porque sui alroi usira-
go, erabora corta, fo. urna longn serie de erros ;
foi demit ilo, porque nada fez em nome da Re
publica a em bem de sua organisago e conso-
lid-go oeste Estado; porque, finalmente, des
preoecupado deste grande e patritico empeabo,
nao cuidou seo&o de derrocar um predominio
que Ibe pareca fatal, nao para livnr este Esta
o de predominios inconvenientes, mas para
fundar oulro com rotulo differeole e differeole
direceo.
E tao obliterada vai a memaria do Sr. Dr. Al-
bino Meira, si que nao vai nisso am recurso
menos leal, que S. Exc envolve as snas expli-
Urna Jas paginas m is imputantes da Historia
da Sangra, por CoTadi, aquel a que diz res
peito s sangras peredicas usadas nos conventos,
e q i; Cabanis, com rauta ligeimia julgou nao
terem ouiro r-scopo sendo tornar mais t*il a cas
liJade squ'dles a qujra era imposta por -Jever
religio-0
Eutretaiito a minutio sanguinis dos frades era
um uso geral, a qu.I se applicava depois tam-
bera aos con venios le freirs, que para qailqoer
cousa tinham regu ameuios bem estaheUcidos.
A ornea cora esp cial e cariosa que nisto se
nota que os san/raJos nos conventos gosavam
Je p iv legios e commodidades.
Jftflui habeant nusericoriiam tioham-n'a
nao s oeate no comer, ras amia ella se esten-
dia s funeges religiosas ; tinham elles Jmi
noido as resas. as genutlexes ; podiam tambera
ser dispeosados do coro, e a elle concorreodo.
tinham ti *nga de sentar-se como Ibes approu
vesse, e de dormir se Ibes viesse o sotmo.
Se a estago era fra, dawam ama/Sima devia o brago, em qu- se ncisava a vea, estar
aquecido, pormiltinio-se aliomas rezas dorante
o acto; e, acabado este o sangrado toraava logo
all mesDo um cordial, ou ia ao nfeitorio con-
fortar se.
A cura da minutio tomou-se para os conventos
um >ynoaimo de vacancia, de repouso, e at de
reareaca sen-lo a subt-aego de singue aeora-
panhida Je tantos privilegios e de nao menores
commodidades.
E' nm bom plaao conservar m se as ostras
vivas um oa dous dias ; e para isso poJem ser
collocad.?, era orna vasilha concava com agua,
sendo alimentaJas com farinna e mudando essa
g ia, de o,odo que ellas possam conservarse
deseobertas por pouco lempo, depois descera
lavadas As ostras i-sto n s melbores coodiges de
Setembro a Mno
Como meio d>: transmittir phosphetos sao de
graooe valor.
As ostras frescas sao uiuo uteis as lyspep
sias chronicas, acornpauhadas de n-useas; aas
tsicas, n.is Jiarrbas ebromcas; e devera s r
usadas pelas senboras que amameatam, pa.a a
soa outrigo e das c-iaagas aman atadas, que
lacrara mmensamejte com tal nutngo.
E dizias me ta, quan lo aos casamos que
o cammho da vida seria para mim tapetado de
rosas e agora aqu estou eu a arremendar amas
otates.
O' menina I 'or cima de rosas anda se
prfeitamenie descaigo
#
Porque anda o Dr. Y to alegre ?
- Porque esvNqoasi a celebrar o sea ceate
narlo
Coico assim elle nem 50 annos tem.
Mas que se enterra hoje o seu centesimo
doente.
O que um forte ?
E'mra logar onde se prendem 03 homens.
E orna fortaleza ?
Um lugar onde se prendem as mulheres.

N' orna agencia de ca*amentos.
A nm fregmjz apresentam 4 oa 5 relatos de
mulheres feias e velhas.
Isto cagoar com a gente, diz o freguez
maito zangado.
- Perdi, cavalheiro, contesta o director da
agpocia.a nimba casa est com 52 .naos de
existencia.
Pois sim. mas isso oo orna rszo para
me offerecerem noivas que dalam da fuadago
do estabeleciinemo !
Declaragao d'u'o a vreme Coosnelo:
Ah I co'os diabo3 I qus olbo-1 Parecem
(loas moedas Je loco mil ris !

Um veterinario ao seu novo aju Jante :
Agora o-seiihor agarra ven tubo.enche o
deste p, introduzl o na bocea do cavailo e so
pra co u forga.
Dahi a dez minutos volta o ajudante fazendo
hornvpis caretas.
Enlo, qoe i- so ? Que Ihe acooteceu f
0 cavalio soprou primeiro I
IHDICCOES UTEIS
A estatistica fnebre assignala no mnimo ora
tolal de 40 railhesde horneas que, na fio.- da
idade. a huujao.dade perde era cad seculo as
suas incessantes guerras polticas, religiosas oa
internacionaes.
Esta cifra representa quasi a populacao total
de todo > mundo.
Assim, d-p is de errea de tres milanno-, de-
pois das guerras pnaraonicas do Egypto, das
inva-es mougoiicas e bintzas, etc., official e
moralm*-iite se lm mono, e multas vezes can
lando byranos aos deuses dos exercitos. porque
cada um tem o seu, ou com.iondo msica alegre,
outros lanos seres humanos quao'os sao os que
existem actualmente no globo;
A extravagancia humana assim. Em vi z de
vjver tranquillamen'e urna vida laboriosa, intel-
lectul e feliz, ella se suicida continuamente,
abundo as juatro veas e derranando o seu rae
Ihor sangoe era convolses ph.-eoeticas.
V 1 e-a em accao. esta humanidade.
Escoltie os Papales mus fories, os alala, os
nutre, os cerca de cuidados at a flor da idade
viril, depois os nivela meihodicameote. E assim
como n'ura seculo nao ha seno 36.525 dias, e
ella se cempraz en desolar 40 milhes de indi-
viduos ; a-sim tatnbem nao abandona un. instan
te o sea ctelo, e degola sem fadiga l.lOOoo
dia quasi am MM mmato, e 46 em cada hora I
E oo ha temp a perder, porque e por acaso
repousa ora s da, sao 2.200 cunda-moa os que
esperara a sua vez no da segrale.
A guerra o assassinio ; a guerra o furto.
E' o assassinio, o tuno, ensaiadoe ordenado
aos povos pelo-- seus governos.
E' o assassinio, o furto, ac amado, blasona-
do, coroado.
E' o assassin o. o furto, menos o castig e a
vergonha, mais a mpum lade e a gloria. -
E' o assassinio, o furto, subtrahido forca
pelo arco do tnumpho.
E" de Cruz Gomes e dada estampa no Diario
do Commercio :
Vorri'i morir I
Vorrei mor^r disseste, minh'amada,
E, ao recitar a l.ntra entristecida
Do poda ilalian>, compungida
ilizias tu a phrase soluc-ada I
A' tua voz, ron-* morir di endo,
Um tal accento davas cry^tallino
Que eu m. is i.eo-ava estar ouvin lo um hyrano
O teo vorrei morir comprehendeudo I
O' minha jurity niinhi alorada,
Nessa pbrase por ti pronunciada
Cifra se o raeu presente e o mea porr.
Se nao ouves minh'alma apaixooada
Pelos raartyrios Ja paixo prostrada.
Como tu tambera direi -. Vorrei morir !
Na composigao chmica doiioraem eolram tre
ze materias priucipaes, da.; quaes cinco gazifor
mes e oito solidas.
A principal o oxygeneo em ura estado de
extrema prest-ao.
Um bomem normal de 70 kilogramraas de
peso conten 44 kilogramraas dt oxygeneo, qoe
ao estado natural ocenpam um es pago de 18 me-
tros cbicos; contm mais 8 kilogrammas de
hydrogetieo. o qaal em estado livre eneberia um
ep go de 80 metros cbicos.
Os tre-outros gazes sao: azote 11,72 kic-
grammas, chloro 0,8 kilogrammas e flor 0,1 ki
logramdias.
As materias solidas que contm o referido ho
mem normal sao 22 kilogr m uas de carvo 800
gramolas de phosphoro, 100 grammas de enxo
fre, 1,750 gramraas de calcio, 80 grammas de
potassio, 70 grammas de sodio, 50 grammas de
mag I)..hi v se qoe o corpo humano nSo contm
metaes preciosos, mas simolesmente em 8ab-
stancia matriaes de prego to bixo como a
amora silvestre.
#
As ostras sao nairitivas e de fcil dlgesto,
mesmo para ob e9toma?os mais delicados ; pa-
recen *o, segundo recentes investigages, que el
las -ontm suffi^ente quaotidade de pepsiua
para se tornarem digestivas. Para as pessoas
invalidas, ellas devem ser usadas sem a guelra
e tirado o msculo que prende o peixe ao ma-
risco, e devem ser comidas frescas e bem maati-
gadas.
Usar das ostras com o vinagre commetter
nm erro diettico.
di-tlicn
O Dr. Lobo Moscuso d consulta em
sna casa ra da Gloria n. 39 das 1<>
horas da manha 1 da tarde. Acbardi-
se fra do serviuo publico < fferece se par.,
acudir a qualqner chamado com prorapti-
dao para tora da cidade. Especialidade :
operares, partos e molestias de senhoras
e de meninos.
Dr. Jtatheus Voz, medico, .'onsulto
rio: roa do Imperador n 42, 1. andar,
'ooaultas das 12 s 2 horas da tarde.
Residencia, roa do Pires n. 27. Encar-
rega-se do trata ment das molestas de
olnos.
Dr. Cerqueira Leife, tem o seu escripto
rio ra nova n 32, onde pode ser en
ontrado do meio dia s 2 boras e fon
destas horas ra do BarSo de S. Borj;
u 22. Espe -alidudesmolestia de criao-
9 senhoras e parto. Teiephone n. S2t
d. casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8
donsultas medico-cirurgicas todos os dias
das 8 ao meio dia, menos nos domingos <
dias santificados.
Dr. Freitcu Quimar3.es, medico, tem
se consultorio na ra Duque de 'axitu-
n 57, i. andar; d consultas nos dias atis
das 11 1 hor.. da tarde e reside no Ca-
ueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Teiepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica u;
L.co-cirurgica. Especialidades : moler .
.itiraonares e partos. Ra doMarqn-- d>
".'inda n. 27, 1. andar. Consultas uas 1
m 2 horas e ca Casa Forte (Poco da Pa
ella) das 6 s 9 horas da maphs e i
arde Chamado por escripto. Te'ehone n.
392
Dr. Joaquim Lanieiru medioo e parte;
o, consultorio A rut- do Cahug a. 14
. andar de .12 s 2 da tarde; residencia
o Mon teiro
Dr. Castro Jesua medico e operador..
Pratiua a lavagem do tero quando e co
j.. aconseihada. Consaltas das 11 s
! da tarde em sua risideucia r.ia d <
om Jess (antig-a da ?ruz n. 23, 1.
ndar. TelepUone n. 380
ur. Jodo Pauloespecialista ea par
os, molestias de senhoras e de criancas,
com pratica nos hospita ;s de Paris e de
Vienna d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da tarde, r,:a do Bar3o da Victo
ria n. 6 L. andar, e reside na estrada
dos Aflictos n. 30, junto esiac^o do Es
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Ta
iephone n 467, m residencia.
dvogado
O hueharel Joaquim Iktago da Fonsecc
em seu escriptorio de advogado ra d<
imperador n. 14, 1. andar.
r. Fbrreira. com pratic.-. l pr.-...:
>aes hospitaes e clnica de Paris e Lo?
ine. coas :.'.'.;. todos oe anua das 'i
orasda". muio-dia. OoBttwdtorio a res)
.naca s rus Larga do Rosario d. 20-
Dr. Barreta ampaio, occuiista, d cc-o
altas de 1 s 4 horas aj 1.a andar d;
atsa ra Baro da Victoria n. 61. Resi
lencia a ra 7 de Setembro r.. 34, entrs
:a pela ra da Saudade n. 25.
orogaria
tanu obrinho <& f'.. droguisy |ro.rt jado, ra do Marnics de Olinda n. 41.
Francisco Ma?oe da Suva dt C, depos.
a-ios de todas as especialidade* eutiess, tintas, drogas, product* chim:
as e medicamentos homepata na d>
\Iarques de Oimda n. 23.
Cha perol npperior qualidade
O melhor cha que tem viado ao merca
do vende se a 30000 a libra no Bazar da
BV-Vista ra da Imperatriz n. 88. Al
fredo Lopes & C.
governo do tratamento dos variolosos,
aviassein as recortas exelusivamente na
pharmacia d'aquelle hospital e ordenar
ao respectivo empreg.d um augmenta
de 3 1 / as coutas a receber da tbesoa-
raria.
Tudo isto falso: oo ped por moda
algurn o monopolio, era mindei augmen-
tar 30 [o as contas.
RiCebi urna ordem do 1. vicegiver-
oad >r para mandar aviar na pharmacia
do Hosoijal Pedro II as receitas que
fossem pa sadas pelos mdicos eocarre-
gados do trata-meato dis variolosos des-
valido.; es^a jriom foi expedida, porque
foram apresentadas contas que se consi-
deraram exageradas e nao por que eu
qu.zesse beneficiar a Santa Casa com o
fornecime-co
Em offiem, j ti ve occasiSo de d:zer a*
governador que a San'-a Casa quiz pre-
star um servico ao gov.rno de quem tem
recemdo auxilio para occorrer as despezai
feitas com o tratamen'o do-* variolosos,
acresc ntando que quando o goverao dis-
pensal-a de semelu-.nte incumbencia, lhe
prstala ma s um relevante servico.
Tambem .:ao msindei augmentar 30 *f#
a.is pregos dos medicamentos ; recommen-
dei que as contas fossem organisadaa ape-
nas com o augmento de 5 |9 para com-
p.-nsur o accreccimo da despeza com dous
empregados que contr-.ctei para a phar-
iracia. por causa do ser neo que lhes foi
ordenado.
E' bem pos^ivel que esse augmento nXa-
compense a dts eza ; mas nao se t atanda
de negocio e sim de prestar um servico,
je ^.areceu conveniente supportar qual-
quer prej'i'zo -para nao incorrer na cen-
sura dos despertados
Anda, procedendo assim, nao pude
evital-a.
Os acto9 por mim praticados, como pro-
vedor da Santa iJasa, tem marecido a ap-
provacSo de iodos os mordomos que con-
stituem a Junta Administrativa, cuja eon-
tianc-a muito me p -uh. ra e bem assim a
de todos os presi lentes da p^tovincia 8em
distioegao de eoltica e governadores que
tem tido este Estado; est >u prompto a
iii8cutil os com quem qiit-r. que seja, me-
diante a nica condigao de ser assigoado
o artigo ou artigos em que forera elles
crticad.f.
Nao posso perder tempo, dando explica-
coes a quem nao tem a coragem de pe-
dil8- *em 'ceultar o.ppiprio -nome.
Recife, 13 de Agosto de 1890.
Dr. Joaquim Correia ds Araujo.
Repblica dos Estados-Uni-
dos no Brazil
o x imperador do Brazil
Divulgou-se a notieja de que o ex-irn-
perador d Brazil endere9ra urna carta
ao governo provisorio, declarando que
renunciara o seu distilo corabr zileira,
se lhe fosse facultada a resi lencia na
noticia nao lora alias contes-
PBLICACOES A PEDIDO
Santa Casa
Em ama publicacao a pedido, a Pro
vincia de hontem chama a attencSo de
S. Exc, o Sr. governador do Estado
sobre trio aco* do provedor da Sant
Casa de ^iserioordia e, paBsatdo a tra
tar do assumpto, apenas refere qne elle
conseguir da fatal administrac&o pas-
soda, qne oe mdicos encarregados pelo
paz
Essa
tada.
Por outro lado, cocstou pelos jornaes
lestu cidade que D. Pedro, ao ser-lhe per
guntsdo, quai.do cheg-m a Lisboa, se
voltaria ao Brazil, no caso de ser convi-
dado, responder mmto cathegoricamente :
Porque nao ?
N3o vemos, alias, nconveniente algum
em conceder se-lhe essa faculdade, que
elle teria solicitado, por veutura, muito
patrioticam e.. te
A actualidade da medida que seria
objecto para ser considerado.
Urna vez reunida a constituint3 e as-
sentes as bases da le orgnica da ivpu-
I nao vemos que possa haver escrpulo, e
menos receio, em permittir que volvam
ao seio da patria todos oe seus blhos
ain^a os mais Dgratos eob a cond92o
uoica de submetterem se e de acatarem
as novas leis estabelecidas.
Parece, que D. Pedro implcitamente
tem reconhecido a legitimidade do actual
governo provisorio, desde que procura
entrar com elle em transaccoes financeiras
sobre os seus b-ns, se v-ridicas sao as
noticias, que eeto a ser transmitidas a
esse respeito.
Por outrb lado vemos constantemente a
urdirem-se nov^s conspiracS.-s, qie, a nao
serem fome .tadas por D. Pedro, nao sa-
bemos a quem attribuir.
Agora meimo estamos a !er, c a nm
dos jo nas desta cid.d-. o que se segu :
A morte da imperatriz fez revi ver a f
monarchi"a, porque a mai-v -ia da popula-
cao br zileira fav-.rave: ao ve'ho impe-
rador D Pedro e familia imperial.
O e3t*bele-ime to da repblica parece
periclitante, e se o governo se atrever a
consultar o paiz, maioria dos eleitos
ser imperialista
N> Kio de Janeiro foram prohibidas &s
reu.i5es publicas; m..s' em muitas pro-
vincias o partido de D. Pedro levanta
sera re.ceio-acabecae exprime t:bertjmente
a esperance de urna rostau,-ao raonar-
chica.
Do estado dos e^piritoa no Brazil pode
concluir se que se o veliio imperador ali
voltasse, a populagao, f.rta j de suppor-
tar o rgimen que lhe foi imposto por
i.lg.ins revolucionarios audaciosos, acabara
por desembaracnr-se delles, voltando aos
aotigos tempos
Ora nada mais illuso.io do que essa
tpprehensSo de certos exploradores, que
se entretem em machinar infaustas novi-
dades c-tntra o governo brazileiro, para
verem em breve desv.-.necidas as tristo-
nhas prophecias
O que certo, alias, q ;e nngtiem
cuida j hoje de urna restauracao, que
toda'a America recusara, como medida
de prevencao e de alto inte?esse propro.
Os Estados Unidos, como todas ;.s re-
pblicas platinas nao podem esquecer a
falta em condescenderem por tao larga
tempo como o imperio de Maximiliano,
adrede estabelecido com centro de re-
sistencia e de combate da autocr. cia eu-
ropea contra a ndole e tendencia demo-
crticas smerioanas.
NSo formulemos a hypothe&e da volta
de D. Pedro para reconquistar o throno,
por inconcebivel e absurda, Bobretndo em
vista da decadencia pessoal, m que elle
se acha.
Desterradas as velleidades insanas de
ama santa allian^a europea para
reconstituir o imperio com o ex-impera.
4



:.~i
.
I
f
:-

V
A


Diario de ^erdambiico-Quinta-feira 14 re Agosto He 1890
bbi^bbbmhbbshssbsbbssbsssssbsmws""""^"""""***"""*****^^

..

"
ii

dor, ji nao ha lugar para qualquer aven-
tureiro; o qaal, se por irriao de obati na-
da orce, cheijaBse a empolg.r uto throno,
ensauguentado por centenas de patriota i
e de martyres, que < xporam a vida en
defeza da patria, teria de ptdecer, ine-
vitavelmente, o extremo sapplicio porque
passou o maliogrado Maximiliano.
Nada mais consolador e edificante do
que a desprendida resolucao de D. Pedro
de tornar sua patria, onde seria ac-
lhido, acreditamos sem despe tos e antes
C\m a maior generosidade, como seria a
desditosa e santa esposa, que tSo vivas
saudades e lagrimas fez verter no cora-
cao magnnimo dos braz'leiros palo in-
fausto aconteomento.
Mas D fedro tem que voltar despido
das roupageos estranhas e exticas da
r.-al'za; como nm philos pho, um sabio e
um santo varao, que renunciou para
sempre o sceptro e a cora, nos symbolos
tristes da decadencia c da oppressio dos
povos.
Sim, que s n'essa qualidade de cida
do e de brazileiro se llu abrirlo os bra
eos em urna communhao de fraternidade
e de digndade.
Como imperador, D. J?e.dro encontrara
um vacuo, que se lhe fez em torno na
hora di aban tono.
Os seue senadores e conselheiros, que
se lhe ajoelhava i>, os seus deputados e
os seus proprios ministros de entAo, todos
lhe voltariam as costas, nao sua pes
oa, mas monarchia, que a nacSo toda
despediu e boje det- sta e abomina.
Que os exploradores continuem a en
redar e a urdir cospiracSes contra a
naco amiga e irmcl, certos de que ser
infructfero todo o malvolo empenho de
restauracSo.
Todos os homens mais eminentes do
psiz, sem excepcao de partidos, apressa-
ram se em manifestar a sua opiniao cd
tra a volta do imperio e tal a forja dos
factos consamados, que um dos mmittros
mais distiactos do ultimo gabinete de
clarou :
Soubjr cot) a re=surreiyao do antigo
rgimen lora mais do que um erro, urna
perigdsa llusao.
t Depois do embarque do imperador
eu nao promovera a contra revolucS,
ainda que tivesse minha disposicSo o
mais poderoso exercito do mundo.
< As monarrhias restauradas sao fatal-
mente reaccionarias e ephemeras.
t i'umpre, portanto, que acceitemos
como irrevogavel o tacto do dia 15.
Esta e alto criterio do conselheiro Lourenco
de Albuquerque, exprime com inteira
fidelidade o sentimento publico da nacSo.
Que os inimigos disfarcados de Brazil
contiauem em suas infructferas especu
laco^s.
Dr. Pinto Pessoa.
(Dos Debates de Lisboa).
rogramma da procisso e
festa de Nossa Senhora
da Boa Morte.
A'8 3 laboras da tarde do di i 14 do cor
rente sahir com todo esplendor da igreja
do N< ss* Senhora do Carmo, em solemne
procisso, a veneranda imagem de Nossa
Senhora da Boa Morte, que percorrer o
eguinte itinerario :
Camboa do Carmo, parte da ra das
Flores, ras da Paz, Sol, Barao da Victo-
ria, Cdbug, Larga do Rosario, parte da
Estreita do Rosario, Pateo do Coilegio,
15 de NovembioT* Duque de Caxias Li-
vramento, Marcilio ias Pateo do Terc,
parte da do Coronel Suaasuna, Pateo do
Carmo recolher ; havendo em seguida a
esse acto heneaos de aunis.
No dia segninte ao romper da aurora
haver missa rosada, linda a qual soltar
se-hao urna salva de 21 tiros, e diversas
gyrandolas de foguetes, tocando nossa oc
casiao urna banda de msica.
A's 7 oras da manha ser rezada Bo
altar de Nossa Senhora da Boa M >ne
urna missa, em tenclo de todos os fiis
que concorreram para a festa.
A's 11 1(2 horas da manhS entrar a
missa solemne, sendo a orchestra confiada
ao insigue maestro JoSo Polycarpo Soares
Rosas, que far executar a missa denomi
nada Santa Crnz, pelo maestro Maximia-
no Russo de Missma ; o lantum ergo,
grande orchestra. pelo maestro partugu- z
Martinho, e o Credo, tamhem a grande
orchestra, peb maestro Mercadante, oran
do no Evangelho o Revdm. vigario Jlo
Augusto do Nascimento Pereira.
A's 7 horas da noute entrar o Te Dcum
Laudamus denominado Sant'Anna, occu
pando a tribuna sagrada o Revdm. Fr.
Augusto da I inmaculada ConceicSo Al-
ves
A orchestra acha-se confiada a direceso
do maestro Daciano Alcebiades da Por-
ciuncula Ferr ira.
Fmda festa e Te Deum serao executa-
dos peL banda lindos trechos di msica.
Consistosio da Devocao de Nossa Se
nhora da Boa Morte, em 13 de Agosto de
1890.
(I escrivSo,
Maximiano Alves da Silva.
Muita attencao! !
0 abaixo assignado ten io visto annun
ciada a locaylo do sobrado e sitio, sita
dos nirrgem do Capibaribe pertencentes
ao Derby lub, bem como de todas as
dependencias, cocheiras, baixa de capim
do mesmo sitio ; vem em tempo pro-
testar contra a inclusao na respectiva
locaco da cocheira e cercado d: cai-
bros perteDcentes a sociedade, que o mas-
mo abaixo as signado tem com Misael da
Silva Guimaraes, conforme a escriptura
lavrada n s notas do tabelliio Costa em
1 de Feverero d*. 1889.
Sem que a mesma soc.edade seja in
demnsada do que all possue, nao pode
ser despejada, porquanto todas as bemfei
tinas foram feitas com pleno conheci
mentos do locador, que a isto autorisou o
locatario, socio do abaixo aseignado
1 orno de tude tem conhecimento a dire-
ctora do Derby Club, o abaixo assignado
em tempo fez o sen protesto para evitar
d vidas.
Hecite, 1 de Agosto de 1890.
Francisco Correia de Retunde Reg.
(on-iai>*i bendicen te !su
fragos do vapor Baha
DKMON8TBaC,AO DA EKOEITA E DE8PEZA A
CONTAR D 3U DE JAHKIBO DE 1888 A
31 D EJDLHO DE 1H9 .
A siber:
RECtHA
Reci-bido da rommisxao de soccorros aos nu-
fragos do vapor Baha :
30 d* Janeiro de 1888:
Urna caderaela n 1U93 da raixa
E: monoica da capital de Perna:o
oambuco, a favor da mt-nor Di
zi lima de Jos Anselmo de Oli-
veira, nufragos do vap r Baha
cura a verba entregue em deposi
to de 4J000
mu dita n. 12094 tem tem a fa
\orda menor Pstva tiha do
(ueiuio ai^i lulo Je 0 iveira il m
item iiem com a verba 44*000
item.
Um n'ulo de deposito do Banco de
Crdito Real de Pernambuco por
55 letras hyootoecarias do mes
mo Baocouo valor de 10M cada
Utna e inro de 7 */ ^ ana. Di
nbeiro 366*690
23 de Margo de 1888 :
Pela venda de 6 das letrasthypotbe-
carias em deposito a 95 570/000
17 de Julbo :
Pelos inros le 49 letras nm semes
ir' 171*500
3 de !nlnodei889: --.v
tem juro de 51 de om anno 357*000
I'etn rescate pelo Banco de 4 letras
sorteadas 400*000
28 de Julho de 1890 :
tem jorus de 50 letras om anno 350*000
tem resga e pelo Banco urna letra
sorteada 100*000
DESPEZA
6 de Fevereiro de 1888:
Pelo socco roaos tripolsnles da ga-
lera ingleza Cagate incendiada
em viagem da California para
New York 150*000
12 de Marco :
tem con la ao Diaria deParnambuco
publicacoe impressio do relato
rio da commisso de soccorro 250*000
23 Marco:
tem soccorro na Babia s v ct.mas
do sinistro do vapor Dous de Ju-
lho 501*250
17 de Julbo:
Iiem compra de 2 letras bypothe-
carias a 96* 192*000
3 de Julbo de 1889 :
tem dita de 3 ditas ditas a 97*500 292*500
tem commisso do Banco, do depo
sito das letras por om anno 12*750
Iiem soccorro a D. Rita E. Carmo e
seus Albos menores, oa I. S. Mi
goel vio va e fllbos de Antonio G
Pereira. paroleiro e naofngodo _______
vapor Buhta 480*000
28 de Julbo de 1890:
tem compra de 4 letras bypothe-
carias a 102*000 408*000
tem commissa do Banco do depo
sito das letras por 1 anno 6*620
31 de Marco : aa,n
Saldo em dinbeiro 22*070
2:315*190
VALORES EM PODER DA C0MMISSA0 EM
31 DE JULHO DE 1890
Urua caderneta n. 1* 93 da ca xa
Econmica em favor da menor
Elysa, com a veiba em deposito
de 44*.
Urna dita n. 12094 da mesma caixa
em favor da r-eoor Felisbella
com a verba em deposilo de 44*.
Um titulo de deposito doBaoco de
Crdito Real de Pernamboco de53
letras hypoibecana3 perleDcen
tes acoinmis8o benelicente Nu-
fragos do vapor Baha-
Em dinbeiro correte, saldo zz#uou
Pernambuco, 31 de Julbo de 1890.
'.ommis-ao benelicente Nufragos do vapor
Babia. Presidente, Joseijb K-uasse. Tbesooreiro
Jote Joo de Amorim. Pelo secretario, Gorgel
do Amaral. Lu*z Duprat.
Nao toleramos?
Por nao termo3 sido encontrados hootem, dei
xamos de assigoar o protesto sobre a epigraphe
cima, publicado n'A Provtncta, e dos ;.pressa-
mos em declarar que sooio* solidarios com os
nossos amigos signatarios do mesmo.
Recife. 13 de Agosto de 1890
M. Veras.
Anelo Tivares.
Major Facundo.
Jos Bi.
Amaro Pessoa.
Tnteresse publico
Padre Fraocico Veris im Bandeira, desejan
do facilitar aos frexuez s do Rio Foro oso e de
Ua, contrahirem o casami no i.h.ioso, offere
ce se a todos os que nS; p dert-ni pagar os di
reitos parochiaes, assistir gratis a seos casamen
tos em acto continuado, depois te habilitados,
se receberem civilmeate, de conformidade com
o Decreto vigente ; outrosim contintii com a
aula noc urna, que j funecionra p ra alumnos
pobres, descalcos e adultos, ; nalphabetos, que
nao poderem frequeniar as aulas do governo,
dando gratis todo o oecessario da escola, a prin
cpiar do 1. de Seteu bro em dianie. Tambem
promover d'enlre os homeos sensatos e morali-
sados o Circulo Catbolico.
Rio Formoso, 5 de Agosto de 1890.
Soccorro a viuva
A viuva da praca de pret do 2 batalbo de io-
fanUria Manuel Almeila do Nascimento, cando
ao desamparo e faltindo Ibe o sustento pede
caridade publica que soccorram-n'a com o sea
obulo. Mora no quadro da ra de S. Joo, ao en
trar a u tima CdSa, e tem quatro Qlhos.
Atiendaii n'a.
R cife, 12 de Aeoto de I89*>.
Umbelina Maria de Almeida.
jrabinete Portugu z deLei-
tura
Realisando .-e no dia 15 do corrente a festa
aBoiversaria desta institnivSo. scienti6co a todos
os Srs. associados, qne 6ca encerrado o eiDe
dient) do da 9 a 17 inclusive, e rogo a todos
aqoelles que tiverem obras em seu poder o ob
5equio de recolbel as bibliotbeca.
Directora do Gabinete Portoguez de Lntnra
aos 8 de Agosto de 1890.
O l- se retarlo,
Joo V. C. Alfana.
Cidado presidente e mais
membros da Intendencia
desta cidade.
Os abaixo assignados negociantes, eslabeleci
dos com depsitos de agurdente e alcool oo
bairro do Recife, vem reclamar coolra o 4 do
projecto de postoras desta Intendencia, em vir-
tude do qual as fabricas de alcool e eeus depo
sitos, e draguardente sero permitiidos nos ter-
renos ao oeste da ra Imperial, na distancia de
60 metros dos fondos d s predios desse lado da
roa, a partir do atigo vlveiro do Mans at a
ponte de Afogados. Se esta disposicSo qaer di
2er qae s oer&> permitiidos depsitos de aguar
deote e alcool nos terreos ao oeste da ra Iiu
perial, urna medida, alem de motil, altamente
vexatona para o commercio.
Ioutil-porque neoboma vantagem oo provetto
r-sulta para o aiunicipio com a adopcao da re
ferida melida.
Vexatoia para o ommercio porque a roa Im
perial e.-i muito affistada do ceotro do com
mrrcio, r.-sultaado assim grandes embaraces,
difBcuIdades e delongas quer para as compras,
quer para as vendas das referidas mercado-
riM.
Atm disto, nao baveolo n. s proximidades
daquella roa pjrlo- de embirque, as mercaduras
qae livereu de ser remeilidas para fra. nao
liolero sel o sem que primeramente sejam
iransportadas em carracas, para o Recife, o que
acarreta despezas, alm dos damnos e prejuizus
que ordinariamente um lagar por occasiao dos
traosportes.
Sob o ponto de vista da hygiene publica, tam
bemnenhuma rzo'hapara justificar a transieren
c a dos depot s de alcool e agurdente para
as ras mais afasiadas do centro da cidade .* em
que o alcool e a agurdenle depositados no Re
cife podera pr^judicar a salubridade des?e oair-
ro?
Com relacij a evitir incendios, o argumento
provaria demais. porque as principaes roas
i'esti cidade existem estabelecimeutos commer
ciaes com depsitos de materias inflammaveis, e
isto nao tem sido motivos para modal os para
oatros DODtOS.
Cumpre auender mais que na Capital Federal
os depsitos de agurdenle e alcool esto collo-
cados na ra da >auJe, bem no ceotro da cida
de seodo os fuodos dos armazens os proprios
pootos de embarque, tndo para salisfazer as ne
cessidades desse genero de ommercio, que nao
pode estar longe dos lugares, em que naja fa
facis e promptos meios de transporte quer por
trra, quer por mar.
Nestas rondicoes, os abaixo assignados. con
fiando no saber e bons intuitos dos membros
desta Iatendencia. esperara ser attendidos, con
tiouanjo os depsitos e enchimentos de alcool
e agurdente no bairro do Recife.
Mello Pinto & C.
Pereira Pinto &C.
Jes Rodrigues Macieira.
Pinto Ferreira O.
Maooel M rques de Oliveira & C.
S. A- Couto & C.
Antonio Mara da Silva.
Antonio do Reg Lima C
t
Nossa Senhora do Moni
Moa bemfeltores do tlonle
Como f6ra aonunciado no Diario de 13
de Julho prximo passado, celbrai-se-ha
no dia 14 deste corrente urna missa de
reqniem e memento resado pelo descanco
eterno dos bem'eiiores daquelle venerando
templo, desde a ongem do seu appareci-
mento at a obra de 1889 a 1890. Se a
gratidao e caridade para com os vivo
tao nrcessaria, quanta maioria de razao
nSo tomoa nos para com aiuelles que dei
xando de existir, nos deixaram tSo gran-
de exemplo de piedade, f e devocao para
com a Rainha do Co, nossa boa e cari-
nhosa Mai ?! .
S m, nao p:dia, nSo devia passar
desapercebida a nossa homeoagem para
com os nossos irmaos na f da religiao do
Crucificado; elles de la do lugar aonde
estao, nos poderiam dizer: t en vos dei-
xei o exemplo; segu o e imitai-nos !.e.
com effeito, nao conhecemos pregador mu-
da, mais eloquente, do que o exemplo ; a
semelhanga do tocheiro no grande cande-
labro coUocado sobre a alcantilada monta
nha, eis'urna fiel ima'gem do bom exem
pJo.
Quasi4)) annos sao passados, que na
quella collina santa se manifestou o poder
de Deus, por intercessao de aua Virgem
Mai attrahindo os tilhos, uns na angustia
do soffrimento physico e moral, curan-
do os, outros para admirarem o seu poder
para com o Filho que nada lhe nega ; e a
proporcSo que perpassam os seculos va-
riando a mil modos de se encarar a ver-
dade daquella santa tradiegao, tem afiual
atravesado at hoje a sua veracidade !!!
Bem-!ito seja D> us -
Salve! KeHgiao tres vezes santa, do
Cordeiro Immaculado!
i 'ousa admiravel; tenho notado que,
quaodo Be trata na Senhora do Monte,
n^o me < onsta um coracSo que nSo se
abala como isto explicar ?... n2o
para mim.
Para este acto de caridade e religiao,
a capella mor vestir-se-ha de lucto; os
broozes darao na vespera e dia dobres,
levando sentido lamento por aquelles vales
e collinas fazendo chegar o annuncio aos
ouvid s dos vivos, convidando os para
aquelle acto de tanta importancia.
O Levita do Senbor, depois da epstola,
dir o sublime e tocantediesirae ; \ue>
grande liccao e instruccjlo ncerra em
mdo, e principalmente naquella bella
methaphora; lber scriptus proferetur, in
quototum continetur, unde mande judi
cetur. *
Um livro escripto se apresentar, no
qual se cntm tudo, por onda o mundo
ha de ser julgado.
Ah! se peasassemos nessa verdade
terrivel ?
Muito teria que considerar em conti
riucao de outras verdades contidas ne38a
inspirada prosa que a Igreja offerece para
nossi instrueyao !
Vejamos anda:
O ministro sagrado comecando o in-
troitos da missa, faz cruz sobre o tmulo
dizeudo : Rquiem aeternam dona eis, Do-
mine : et lux perpetua lucaat eis.
Com justa razio diz a grande Doutora
myitica Santa Theresa, tque de boa von-
tade dara a vida pela mais pequea ce-
remonia da Igreja.
Convida-86 s Exm8. familias e espe-
cialmente aos devotos do Monte, para
esse acto di caridade e religiao pelas
6l[2ho-asda manha do dia 14 deste
corrente.
Olnda, 11 de Agosto de 189).
C. J. C. J.
Aos officiaes honorarios do
exercito
Se todas as classe: se farSo representar
no prximo congresso, dSo vos dexeis fi-
ear na retaguarda ; apresen tai tambem o
V0880 candidato para a defeza de vossos
direitos.
Para esse fim lembramos os seguintes
nomes :
Tcnente-coronel Apolinaro Florentino
de Albuquerque MaranhSo,
Capillo Antonio Qracindo de QusmSo
Lobo.
Em talentos e servicos nenhum outro
os exceder, accrescendo mais em favor
de ambos a 'fluencia que exercem nesta
capital e no interior, onde um e outro
pr.staam relevantsimos servijos publi
COI.
o
Tabelliaes i suffragaJ
clubs republicanos! m#i
o orador de voseo contempornea,
de Fevereiro
Voluntarios, o teoente-coroael Mar
nhao e o capillo Lobo reunem
compativeis com esse honroso mand to
aproveitai, poia, o prestigio que o primei
ro tem em S. Bento e outros lugares; <
o segundo em Olinda, Tigipi, etc., em|
cuja ultima localidad; tem amigos e
considerado o tribuno do povo.
11 de Agosto de 1890.
Um voluntario.
Perda deo-nhecimento de
deposito
Tendo o abaixo assignado perdido om conhe
cimento de deposito feto no thesoaro deste Es
Udo, na importancia de 400*000, em garanta
da conservaco da ponte sobre o rio Ipojuca, do
engenbn Caneca de Negro, roa pessoa que o
tiver a. hado o favor de restitoil o co escripto
rio dos Srs. Souza Pioheiro & C, ra do Bom
Jess n. 7 que ser gratificada.
Recife, 16 de Junho de 1890
Barao de Frexeiras.
A'S VICTIMAS DAS FKBRES
O Elixir anti-febril Cardse, appro
vado em 21 de Marco deste anno pela Inspectora
Geral de Hygieoe do Rio-de Janeiro, vem boje
apresentar-ee bumanidade sobredora do mun
do inteiro. como taboa de saivaco qae ao infe-
liz naufrago lhe enviada por mo omnipotente!
O Bllxlr anil-f- bril Cardlo, appli
cado em maitissimos casos de febres, tem, como
eor mibgre, levantado do letto da dor a comple
op moribundos.
Erte remedio, composto smente de vegetaes
e ioteiramente iooffeosivo, anda mesmo na mai-
mimosa e tenra crianca.
As senboras, no estado de paridas, oa no pe
i odo de iocommodos nataraes, podm osai o
am receio aigum.
Deposito
Drogara dos Srs. Fraociscj Mtuoel da Silv
i C, ra Mrquez de Olind n. 23.
Pharmacia Martins, roa Duque de Cax a?
o 88.
Pharmacia Oriental, roa Estreita do Rosaric
a. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Barao da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperalriz, ra da Imperatriz
n 49.
Para qualquer explicacao podem dirigirse ao
autor Maooel Cardoso Jnior, ra Estreita do
Rosario n. 17.
Ate*tados
Scieotificamos ao respeitavel publico qoe alm
dos attestados a qae damos pablicidade boje,
foram curados 360 variolosos-
Pedimos aos incredolos para irem examinar
os tratados pelo Elixir anti febril.
Dos innmeros attestados que temos, darnos
em seguida principio a sua publicaco ; e isto
bastar para que sejam conhecidas as virtudes
do Elixir anti febril Cardoso.
N. 61
Cidadao Maooel Cardoso. Levo ao vosso co-
nhecimento qoe oh(ive grandes resultados ap-
plicando o vosso Elixir para varilas, de qne foi
accommettida orna criaDca cooflada ao mea cui
dado, tendo por clnico o Dr. Ferreira Alves que
nao admittio outro medicamento alm do vosso,
por excellencia preferido, o que agradejo vos
cordialmente.
E' mais um fado que podis registrar para
pleno conhecimento dos incrdulos.
Recife, 28 de Julho o> 1890
M. Rodrigues.
Roa do Imperador n. 19, l- andar.
N. 62
Sr. Manoel Ca-doso Jnior.- Tendo adoecido
com urna grande carnada de bexi^as e no estado
grvida pensei que era chegadoo tim de mi
nba vida ; felizmente do fim de cinco dias e quan
do j a bexigas estavam todas lora appareceu-
me urna alma caridosa que me applicon o
sea Elixir Anti-Febril, do qual continuei a fazer
uso s expensas do mesmo sehor, sendo que no
segundo dia que rtz aso do seu remedio, aborte!
ama crianca do sexo masculino com muito feliz
soccesso e nao tendo tomado ontro remedio
acbo-me de perfeiia saute Pude fazer o uso que
lhe roovier.
Afogados, roa de Jos Pn gresso n 3.
Mara Jacintha da Luz.
N. 63
Illm Sr. Manoel Cardoso JniorAmigo e
Sr.Soffrendo eu de urna febre de mo carcter
que me levou no dia 12 do corrente mfz ao le
to acooselhado de om amigo que referi me de
sua proflcuidade.
0 resaltado nao se fez esperar, restituindo me
a saude em poucas horas, tanto assim que no
dia seguinte eslava ji sem febre completamente
restabelecido
A' vista do maravilhoso effeito do fciixir car-
doso quero com estas linhas felicitar a V. S. pe
los prodigios desse poderoso preparado e hab
litar a connecel-o outros que podem no sea uso
colber as vantagens qae elle oflerece.
Continuo a ser-lhe grate e porisso eubscrevo-
me com estima e consideracao de V. S. amigo,
obrigado e criado. Jos Bernardino Marques
Sobnnbo. morador ra larga do Rosario n.
20.
N. 64,
Ao emrito cidado Manoel Cardoso.
Seria urna falta sensivel, ou, por outra, urna
iudolencia sem sentido, quero dizer, sem coobe-
cimenlo nem do bem nem do mal, aquelle que
compensado com o beneficio daquelles mesrnos
qoe eDeontra por felicidade, na occasiao que no
maior flugello de sua dor, .-ncootra um coDheci-
do que pergunta, tnde vai ? voo a procura de
um medico, ou de um remedio qie d allivio a
minha muito estimada filha, que apresentou se
hoje com ama febre devoradora. -
Dissemeelle ento, nao corra mais, vao
Cardoso e pega o antifebril de sua produecq
Na verdade, aquelle estimado cidadao nohesi
tou, denme o seu lenitivo parificador contra a
febre. .
E vos asseguro : todos aquelles, e qualquer
casa familiar, que por maior segoranca a falta
de um medico, tenha um dos milagrosos fras-
quinhos do anti febril do Cardoso, para prompto
e tao aterrador mal. /
Se com esta minha publicaco vos offendo des-
culpar me-heis; s o sentido da gralido me
leva a publicar o tflVito da vossa grande inven
cao, alvadora, anti-febril.
Podereis. po: tanto, fazer uso desta minha pu
blicacAo, vos considerando ao mesmo tempo
como um ente salvador na maior parte desie
Ao benemrito cidado Manoel Cardoso, saude
e fraternidade.
Recife, 16 de Maio de 1890
Cdndido Guedes Cavalcante.
vosso collega; cas pronunciadas, e exerce influenea-be-
ui em v /S83 chapa nefica em todas as affeccoos catarrhaes,
2 principalmente as do apparerho respira
torio e geaito urinario.
As affeeoea catharraes do larynge, doa-
requisitob bronchios da bexiga, quando primitivas,
cedem pr mptamente ao uso reiterado do
Pe toral de Cambar.
As secrecSes auco-purulentas, aympto
maticas da tuberculose pulmonar, modi-
cam se vant^josamenie, tornando mais
de8embari>9adu o campo da hematose pul
monar.
E', portanto, o Peitoral de Cambar,
um heroico meio preventivo e um auxili
no tratauj :nto da tysica pulmonar, tao-
requente no Rrazil. a
Dr. Urias da A. Sveira,
(A firma est reconhecida.)
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, p&rteirc trata com especiali
'.ade de molestias de senhoras e creanas
Consultorio e residencia ra da impe
atria d 18, Io andar.'
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer ho"a
TEl,KPHONK S. 226
u?.BEi D BO
.lixir sedativo e anti-rheumatico, formula
do pharmaceutico Hermes de Souza
Pereira.
SKM MERCURIO
pprovado pela Inspectora Geral dt
Hygiene
Este poderoso medicamento j bem co
rhecido ha mais de 1( annos e cajos ma
ravilhosos effeitos tem Bido al estados por
n mitos mdicos e numerosos doentes, cura
radicalmente 08 BHEUMA II8MOS, ERYSI
pfeLA8, 8YPHILI8 58CKOPLA8 e todas as
molestias que teem por origem a impuresa
do sangue. *
' O verdadeiro e mais antigoElixir de
cabeca de negro o da formula do phar
maceutico Hermes de Souza Pereira, e
para arastia dos consumidores traz elle
em seus rotules e envolueros o retrato do
autor.
Vende se a vare o em todas as phar
daciae e em atacado na pharmacia Fer-
n ira, praca de Maciel P>nheiro, n. 19,
(antiga do Uonde d'Eu, e na drogara de
Francisco Manoel da Silva & C, rut> do
que de Olinda, n. 23.
.65
Manoel
Cardoso Jnior.
Cidado e ami^o
Presente.
Veobo por meio desta declarar a vmc. que
tendo adoecido em minha casa urna cunhada de
idade de 14 annos, de urna terrivel febre e a con-
seibo de um amigo o cidado Bernardino Jos
Rodrigues Braga, aopliquei o E'ixir anti febril
Cardoso de sua propriedade, a qual com a con
tiauacSo de tres das j oo exista symploma
febril ; e hoje a=ba se completauen** restauele-
cida ; peco ao artigo que desculpe se esta oflen
der a sua mode.-tia.
Recife, 3U de J, ho de 1890, (!. travessa do
Principe). / ,-_,_,
Luiz Hermelindo'da Trtndade.
(As firmas estavam reconhecidas )
Barra Maaa
O PeitoraLd* Cambr.r, importante pre-
parado Illm Sr. J. A de Souaa Soares,
de Pelotas, possue propriedades balsami
lixir depura-
! tivo vegetal.
Formu'a de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande eficacia as mo-
lestias syphiliticas e impureza do sangue ; assim
como em todas as molestias das senboras.
Tem curado radicalmente umitas pessoas sr
commettidas da terrivel molestia beriben.
Cuidado eom a fAlaiflcacoee
MODO DE USAR
Os adultos tomaro quatro colneres das
sopa pela manb e quatro noile.
as enancas de 1 a anaos tomaro ama co
Iher pela manh e outra noile, e as de 5 a 11
annos tomaro duas colheres pela manhS e duas
noite.
Devero tomar banbos frios ou momos pela
manb e noite.
Resguardo regular.
N. 119
Eagenho Guerra, 25 de Junbo de l82.
Amigo Angelino.0 leu reu.edio urna cousa
rriraculosa.
Aqu no nosso engenho foram tantos os casos
eia que eu appliqoei o teu santo elixir e que
diste tirei sempre bons resultados, qae tomar
s< bia enfadonno mencionando-os ; s fa re pa-
tente um, de om morador que estava morto ; j
niose levanlava de ama urande quantidade de
s> philis, complicado com urna terrivel inflamma-
co do figado, e creio que tambem soffria de hy-
diopisa.
Com franqueza appliquei-lhe o teu remedio,
sem e8peranas de que ohomem se salvasse ;
plrm depois de urnas oito dses, irregulares,
piesenti urna melbora espantosa, depois de to-
mar algomas, quero dizer, duas garrafas, levan-
teu se, e com oais ujia ficou completamente
bi m.
Um oulro caso nao menos importante do que
esle, foi de um escr vo que estava de sezes ao
pinto ae negro que ficar branco, devido 10
ctaco em que eslava, e hoje, gracas ao teu re-
m?dio. um dos mais sadios da fabrica.
D--ta resposia faze o que quizeres.
Sem mais, teu amigoCandido Dias.
N. 120
Illm. Sr. Angelio > Jos dos Santos Andrade.
Siffrendo ha muito tempo de um terrivel rbeu
m itismo, e tendo por muitc lempo tomado mui-
to i remedios receitados por habis facultativos,
sem que achasse melhoras recorr ao sea elixir,
e :om o uso de tres garrafas apenas fiquei com
pl pamente restabelecido.
Faeo esta declarado para quem padece nao
ter receio de fazer oso deste bom elixir.
oder V. S. usar desta para o que ibe possa
vir.
lecif-, 1 de Novembro de 1883.Dr. Guennes
rtuu Fontes.
As firmas estavam reconhecidas.)
A.' ra do Baro da Victoria n. 37 se dar
toda e qualquer explicacao que for precisa acer-
ca desle preparado.
ce
Jf
Leonor Porto
. Rna Larga do Rosario uu-
, i mero
,' SEGUNDO ANDAR
i ) Contina a executar 03 mais difficeis (
! >^uriaos recebidos de Londres, Parix,
( (Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicao de costaras, em
Jem brevidade, modicidade em presos e-,
!)finoosto. U
*9
"i
Dr. Bastos de Oliveira
u
5DICO OPERADO i E PARTEIRO
consultorio ra do Mrquez
pode
tem o sea
de Olinda, n. 1, 1." andar, onde
ser procurado todos os dias uteis das 12
a 3 horas da tarde.
Chamados a qualquer hora em sua reai
dencia, ra do Hospicio n. 46.
Telephone n 365.
Denles
Ter nina a horrivel dor de den tes usando
o excellente preparado de Manoel Cardoso
Jnior.
Aa cartas que lhe tem sido dirigida
pelos jornaes de m iorcirculacao, attestam
a eficacia.
Depsitos:
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da
Silva & C, ra do Mrquez de Olinda
n. 23.
Pharmacia Martins, ra Duque de
Caxias n. 88.
Pharmacia Oriental, ra Estreita de
Rosario n. 3.
Pharmacia Alfredo Ferreira, rua.de-
Barto da V'ctoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Impe- -
ratriz n. 49,
A's familias
Ensino de prinieiras lettras, por-
tugus, francez e inglez ; pelas
residencias dos alumnos, dei tro
da cidade e em seus arrabaldes :
a tratar na ra do Imperador n.
75, 2 andar.
CC
Dr. Silva LeaJ
clnica medico cikubgica
Consultorio e residencia rna do Livramento
o.6i andar Consultas das 11 s 3 horas da
da tarde Cbam ados a qualquer hora, por escripto
|
> <
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua vis-
gem Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no Ia
andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
Dr. Coelho Leite
participa a seus clientes e amigos que modos
sua residencia para a rna Baro da Victoria n.
1 4 andar, e contina a dar consultas de 1 a
6 as da tarde, no sea consultorio, ra Doqse
de Caxias n. 57.
MEDICO HOMEPATA
H
M Dr. BalllihAw da Sveira
l
'
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos crgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer ihamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Cidade de Pelotas
Atiesto que o Peitoral de Cambar,
preparado pelo Sr. Jos Alvares de Soasa
Soares, um excellecte medicamento,
empregado com muito bonB resultados as
molestias broncho-pulmonares.
Dr. Seraphim J. R. de Araujo.
(A firma est recouhecida.)
Muita attencao
0 abaixo assig nado, legitimo cessicDario
bens deixudoppor Jote Cordeiro do Reg Pontos
fallecido n'esta cidade do Recife, deparando cois
um annuncio no Diario de 3 do corrente, offere-
cendo d'aquelles bens alguns predios venda,
previne ao commercio e ao publico d'este e os
mais Estados, que nao facam transido algn
com os bens ab.ixo declarados, pertencentes ae
mesmo espolio, pois que os tribonaes do pan
amea nao se pronunciaran! definitivamente a
respeito, e por Isso estando disposto a bavel-o do
poder de quem os tiver obtido por qualquer mo-
do, faz a presente declaraco para qae mais tar-
de nao se allegue ignorancia ou boa f por quem
qaer qae seja.
Os bens sao os seguintes : casa terrea ra
Imperial n. 48, dil?. na rna do Nogneira n. 33,
sobrado no pateo de S Pedro n. 3, dita na tra-
vessa do Carmo n. 12, 7 armazens na travessa
da rna Pedro Alfonso, antiga da Praia, ns. Sa
14, um armazem na rna Nova da Praia, antiga
Caes do Ramos, n. 24, um sobrado da ra Pedro
Alfonso, antiga da Praia. n. 57, um armazem ta
mesma roa n. 61, tim dito na mesma ra n. 63
um dito na ra Nova da Praia, antigo Caes do
Ramos, n. 42, om dito na metma ra n. 44. 44
apolices geraes ns. 300.022 a 300,029, 208 914
208,915,248,665 a 248,671, 48.W a W
163 589 a Ib2,593, 162,594 a 162,598. 84,346 a
84.355, 248.663 a 248,664; 24 apolices provio-
ciaes, ns. 1,885 a 1,888,1,170 a 1,182, 1,269a
1,278, 17 accOes do Banco do Brasa, ns. 152,631
a 152658.
Em tempo, o abaixo assignado declara baver
do mesmo modo todos ss rendimentos e os mais
que ai esta data lm sido recebidos pelos pro-
caradores de Antonio Jof Mechado, residente
n Portugal, Manoel Roberlo da Costa oa Costa
Medeiros, da ra do Amorim n. 39, uesta ci-
dade do Recife, onde sao situados todos M
bens.
Recife, 5 de Abril ae 1890. j*.
Jos Soares doAmaral.
em
4
Cirurgio Dentista ,
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for
nado pela Universidade de Maryland noi
Estados-Unidos, tem aberto o seu consol-
torio, na ra Barao do Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
2^
Medito
DR. TAVARES DE MELLO
formado pela Faculdade do Rio de Janeiro,
tendo-se dedicado com especialidade 4
therapeulica moderna das molestias de
pelle e sypbills, na polyclinica geral, a
cargo do Dr. Silva Arao]o, onde servio
como 3eu ajudante ; d consultas de 12 s
3 horas no largo do Gorpo Santo n. 15,1*.
aodar, e recebe chamados a qualquer bora
em sua residencia, largo da Pai n. 41,,
iAfogado8. 4

'i
h,'
bl


Diario de Pernambuco--Quinla-feira 14 de Agosto de 1890
EDITAES
O De. Joaquim da Costa Ribeiro, juiz de
direito do civel desta cidade do Recife
e sea termo, capital do Estado de Per-
na-nbuco, em virtude da lei, etc.
Fago saber, aos qae o pr sent dital
virem ou delle noticia tiverem, qae nados
o 10 das da lei e depois da audiencia
deste juio, que ter lugar no dia 16 do
orrente mez e anno, serao levados a praca
a fim de serem arrematados por quem mais
der e maior lance off recer os movis se
guintes :
Doze cadeiras de junco envernisadas de
preto, avaliadas por 240000; duas ditas
de brayo de amarello, por 65000; seis
ditas de guamico de amarello, sendo tres
m mo estado, por 64000; um sof de
amarello, por 85000; dous coasolos de
amarello, por 84000; um piano e meza,
de mogno, por 500000; urna cadeira de
parafuso para o mesmo. por 24000; tres
jarros de porcelana, por 340 '0; um candiei
ro parakeroz^ne, por 24000 ; um espelho
grande com moldura dourada, por 1U0OOO;
Um dito pequeo, por 54U00 ; urna com
moda de amarello, por 84000; urna toilette
de amarello, por 54000 ; urna espreguica
deira, por 34000; um aparador de ama-
rello, por 340JO; urna estante de ama-
rello eovernisada, por 204000; urna mesa
redanda de amarello, por 34000; duas
scarradeiras, por 14001); um lavatorio
de ferro com bacia de p de pedra, por
340C0; um tapate de sala para sof, por
24000; urna, mesa grande de lo uro, para
jantar, por 34000, penhorados a Silvestre
Marques da Silva Ferrao para pagamento
do executivo, por alugueis que promove o
Barao de Mattoeinho.
^E nara que chegue ao conhecimento de
iodos mandei passar o presente, que ser
publicado pela imprensa e atusado no lu
gar do costume.
Dado e passado n'esta cidade do Kecife,
aos 2 de Agosto de 1890 Eu, Pedro ter-
tuliano da Cunha, eserivSo, screvi.
Joaquim da Costa Ribeiro.
Ita marac
*
DECLARAGOES
Indemnfsadora
Esta companhia de seguros est pagando aos
senhores accioni.-tas um dividendo d<- I*u00
por atco, correspondente ao se^ estr de Jaoei
ro a JuQho prximo lind >, em seu escriptorio
roa do Commercio n. 4i.
Borlas de gorro
O Arsenal de Guerra precisa contactar duas
mil borlas de cordaj de l para gorros ; prefere
tratar com seahoras, or ser trabalbo proprio
para ellas. ___________
COMMERCIO
Revista do Mercado
RkCIPK, 13 DE AGOSTO DE 18S0.
O movimento constou apenas de transaeces
to mercado de cambios.
Bolsa
OTACOE8 OFFICIAB8 DA JUNTA DOS COE-
BETORE8
Reae. 13 te Agosto de 1890
Sao nouve cotaco.
o nresidente,
Antonio Leona do RdaiCWs.
O secretario,
Eduardo Duoeux.
Cambio
PKA(,'A DO BECIFE
Os bancos abnram com a laxa de 22 ;i 8 nomi-
nal. BObindo rpidamente para 22 3/4, a cuja la-
xa fecbeu lirme o mercado.
Em papel particular nao nouve negocio.
PBACA DO BIO DE JANEIRO
O baocos principiaran! a 22 5/8, lia vendo neg
io em papel particular a 22 3 4.
liis Urde sacearam alguns dos bancos a 22
3/4 e papel particular foi passido a 22 7/8
ligo tifio
Nao constou vendos.
Aexportacao frita pela alfandega neste mez aK:
dia II, constou de 199.300 kilos, sendo 38.032
para o exterior e 161.168 para o interior.
as entradas vericidas at a data de hoje so
Oem a i 932 saccas, sendo por :
IMMCM .... 237 Saccas
Vapores..... 443
Animaes.... 5*8
tfa-ferrea de Cntaro. 70 *
fk-ferrea de S. Francisco. 34 *
a-ferrea do Limoeiro 560
A mesa regadora da irmandade de
Nossa Seuhora da Concei$3o de Itama-
rac avisa a quem interotsar possa, que
no dia 8 de Setembro do corrente anno
r em praca por arrendamento triennal
o sitioCatuama-pa rimonio de Nossa
Senbora da ConceiySo de Itamarac.
Os pi-dtendentes ou licitantes ao refe
rido sitio devero se apresentar no refe
rido dia, s 9 horas da ruanha no consis
to'io da mesma irmandade, na villa Velha
de Itamara.-, competentemente habilita
dos com seus fiadores, os quaes devem
ser pessoas idneas e de reconhe ida pro-
bidade, conforme' determina o capitulo
15 do compromisso que rege a mesma
irmanaade ; e para que chegue ao conhe-
cimento de t jdos mandou a mesa rega-
dora passar o presente, no qual me as-
sigoo.
Consistorio da irmandade de Nossa
Senhora da Conceico, na vill* Velha de
Itamarac, aos 8 de Agosto do 1890.
O eserivSo,
Joaquim Rufino d'Almeida Villarim.
Veneravel Ordem 3.a do
Seraphico Padre S. Fran-
cisco do Recife.
De ordem do charissimo irmao ministro
convido a todos os nossos irmSoseui geral
para assistirem a missa, que se celebrar
com a pompa possivel na sexta feira, 15
do corrente mez, em louvor a Nossa Se-
nhora da Ajuda, padroeira dos Novicos.
Outrosim conwido a todos os Srs. can-
didatos approvados para entrarem de
irmaos e aos cbanssimos irmaos novicos
approvados para professarem, a compare
cerero, uns e outros no referido da, pe!as
8 lj2 horaa da manha, afim de realisarem
sua entradas e profissoes.
Secretaria da Veneravel Ordem 3.a do
Seraphico Padre S. Francisco do Recife,
13 de Agosto de 1*9 J.
Arthur Augusto de Almeida.
Irmandade
DE
N. S. do Bom Parto, erecta
na igreja de S. Jo; de Ri-
ba-Mar
De ordem do iimo juiz convido aos irmaos
que estiverem no g"*o de seu direito a compa
rrcerem na sexta -feira 15 do corrate, pelas 10
horas da manb, em nosso consistorio, au fim de.
em assembla geral, traannos de negocios a ia
te-esse da irmandade, o no caso que a eta hora
nao tenha numero kgal. a mesa regedora por ti
; resolver o que Ihe for conveniente.
Recife, 12 de Agosto de 1890.
O secretario,
Vanoel Leaode Mello.
Banco &9 Pwnam-
Iwco
9.000,000^000
1.00,000^000
0,0004000
5950300
Cap-tul
Capital reali-
sado
Fondo de re-
serva
Lucros sus
penaos
Sotnma.
1.932 S ceas
Asanear
\) precoe paf.'cs ao agricultor, por 15 kilos, se-
M seguintes:
graneo..... 3*200 a 3*808
Somenof..... U:00 a 2*800
Maucavado purgada 4*6> a 1*700
tratos ..... 1*200 1 l*oo
KeUme..... 900 a 1*I0U
A exporlacao feita pela alfandega neste mez al
o dia 11, constou de l 09.399 kilos, sendo 36.615
para o estertor e I .012. ;8i para o interior.
A entrada venneada at a dala de heje
oem a 3 573 san o;, sendo por
Urcava.
.'aperes
Aaimaea. .
Via-Ierrea (iaCaruaro.
/ia-ferrea de S. Frascuo.
*fa-ferr? de Limoeiro
so-
2 298 Saceos
72
953
26
Somma
Couros
coaros salgados 360 ris, e
ria.
3.575 Saceos
os verdes a 245
Agurdente
- Cota-se a 100*000, por pipa de 480 litros.
Aleol
ota-se a 200*000 por pipa de 480 litros.
Sk
K&tla-w a 150*000 por pipa de 480 lro.
Pasta da 411 andega
imttMA o 11 a 16 di agosto de 1890
Vide o Diano de 10 de Agosto
Marios a descarca
B^rc nacional Ataa Augelina, xarque.
Barca noraegense Leciathan, car.So.
gfrea ngleza Gioamin. carvo.
Barca norueguence Gid, carvao.
arca ingiera Delta, carvio.
Barca norueguf nse Progreu, carvo.
-Sarca ingina lise of Englond, carvo.
ogiez xcelttor, varios generes.
^j allemao Edk Marj, carvio.
Sa aleoi ohan, xarque.
Lagar nacional Loyo, xarquf.
Lugar iaglez Granada, vano gneros.
Lugar sueco Cari x.rqaee gorduras.
falucho nacional Industrial, varios gneros.
fatacho sueco Siri, xarque.
Patacho norueauense Heanle Wergeland, xarque.
Patacho norueguense Lagos, xarque.
Patacho norueguense Rabbi. xarque
Patacho dinamarquez Jugor, xarque.
Importacao
Vapor naeioual Principe do Gran Para,
entrado dos portos do sul eui 13 e consig
nad a Pedro Osorio de Cerqueira.
Borracha 3 barricas a H. Forster & 0,
barricas 284 a Manoel F. Marques & O.
Couros 610 ordem, charatas 4 cai-
xoes ordem.
Fazendas 4 caixas ordem.
Louca 2 barricas a Paulino de Oliveira
Maia.
Piaasava 800 volumes a Albino Costa
Ramos, pipas 14 a Antonio Maia da Silva,
pedras 300 a Maia & Resende, pellas 186
frdos a Abe Stein & C.
Sola 1050 meios rolos a Ferreira Ro
drigues & C.
Tamancoa 3 fardos ordem.
r.vaoriuffio
BBCira 12 Da acost db 1890
Fara o exterior
Nio honve exnortacao.
'ara o interior
No vapor allemao Procia, para Saotoj,
carregou :
M. Amorim, 4 pipas com 1,860 li'.ros de agur-
dente.
no vapor nacional Vernambaco, par Babia,
carreeou: ....
M. Cunha, 50 barricas com 5 876 kilos de
assucar braco.
Par Rio de Janeiro, carresraram :
G. Martina &. C, 1 caixa e 48 garrafas com
maniooeira no valor de 100*.
No vapor nacional Alagos, para Para, car
regaram :
A. M. da Silva, 10 ipaa com 4,*0) litros de
agurdente.
C. M. da Silva, 306 barricas com 21,060 kilo3
de assucar branco.
Para Ceara, carreeou :
J. M. Dias, 20 caixas com 188/2 kilos de rap.
No vapor ioglez ParanJ, para Para, carre-
gou :
~ C. F. Martins. 342 birr.css com*8,379 kilos
de assucar branco.
No hiate Dens te Guie, para Jlossor, carre-
garam :
E. C. BiUrao & Irmo o sacejs com 3(5 kiios
de assucar branco.
P. Alves k C, 24 barricas com 2.402 kilos assocar branco e 8 ditas com 573 ditos de dito
retinado.
No Mate Aurora de Maco, para Maca j, car-
regaram:
E. C. Beltrao A IrmSo, 5 barricas com 59J kilos
de assucar branco.
P. Alves & C, 6 barncaS com 489 kilos assucar refinado e 21 di as com 2 314 ditos de
dito branco.
No hiate Flor do Jardm. para Aracaty.
carregaram:
P. Vianna A C, 10 caixas com 100 litros de
genebra.
Na barcaca Nazinka, para lliinanguape,
carregou :
Prente Vann, 4 caixas com 32 litros de
genebra.
Effectua todas as opnra^Ses bancarias.
Sacca por todos os vapores sobre Ba ico
Nacional do Brazil Londres, London
& County Banking (/ompnyy Limited -
Londres, e cobre toda as de mam pravas
da Europa e Amerita do Sul.
Gabineie **ortug"uez
de Leitura
Festa annlrersarla
Solemnisando esta insiituicao o 39 aoniver-
sano dd abertura de sua bihliotheca, cora urna
ses.- j magna, que ter lugar no da 15 do cor
rente, ao tocio dia em ponto ; em nome da dire-
ctora teoho a honra de convidar para assistir
a esta festa todos os Srs. associados.
Igualmente convido todas as sociedades, cava
Iheiros e familias, 1 cujas ,oiaos nao tivessem
ebegado os convites expedidos pi la directaria,
esp erando que lodos, < m geral. nao deixarao de
abril hantar o referido acto.
No mesmo da, das C Horas da tarde Af 9 f|2
horas da noite, estarao abertos iao publico os sa
loes do Gabinete.
Recife, 12 de Agosto le 1890.
0 Io secretario.
Joao V. C. Alfaira._____
DERBT
Alfandega
Edital n. 71
Segunda pra^a
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do dia 18 do corrente mez,
serao arrematadas a porta desta reparlico. tima
caixa e tres barricas, marca letreiro ns 1/4,
viudas de Ntw Vork no vapor americano Allian-
qa, entrado em 27 de Novembro de 1889, con-
tendo objectos chimicos nSo classili:ados aban
donados aos direitos por Antonio do Carmo Al-
meida.
2. secgo da Alfandega de Pernambuco, 12 de
Agosto Domingos Joaquim da Fonseca.
Companhia
Alagoana de Fiacjlo e
Tecidos
Os senhores accioaUtas sao convidados a vi-
rem ao Banco de Pernambu o trocar, o mais
cedo possivel, as suas cautelas dtssa como;>3hia
pelas respectivas aeces.
Macelo, 12 de Agosto de 1890.
Os directores,
Jote Teixeira Machado.
Jos Januario P. de Carvalho
Propicio Bar e o.
Triumphal AssenQo do Aereostato
STANLEY SPENCEK
Sexta feira 15 de Agesto de 1890
o 8
0) cel ob'b m:nm i pb-ousdisi
? M FLUS LTttA
t~ do arrojo e da coragem A ultima palavra sobre a
IVAVEG iC lO AEREA !
Q Asssombrosa demonstrac.ao dt prximo triumpho dos
g AEREOSTATOS
Q O celebre Stanley recem-chegado da [Capital de S. Paulo
/S\ pro vara que
pois elevando-se no balao prodigiosa altura de
6:poo ps
se despenhar no vacuo, sendo a sua descida a principio vert-
4

ginosa e depois. abriodo o seu Inxuoso
-
Recetoeduria do listado de
Pernambuco
o dia 1 a 12 9:893 471
dem de 13 .iioi'.US
10:214*149
Do dia 1 a 12
dem de 13
Recife Dralnage
7:1774903
913*931
Reudh
Renda geral
Do ala 1 a 12
Mea de 13
entos pblicos
HBZ OS AGIStO
Ailandega
230 053*787
24:539i7
Renda do Estado de Pernambuco
Do dia 1 a 12 43 167*05)
dem de 13 3.357*121
274 509*724
Sorama total
46.724*175
321:233*889
Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco,
13 de Agosto de 18W
inesouretroFlorencio Domiugues.
0 cbe'e da seccaoD. J. da Fooseca.
liaiuiro
KECEKIDO
Pelo varor nacioual Pernambuco,
para :
London & Brasilian Bank
Rodrigues Lima A C.
Femando Silva A C.
Duarte & C.
Antonio Pinto Carvalho da Silva
Jos Lourenco da Silva Oliveira
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Pernambuco,'
R o de Janeiro
8:121*834
do norte,
35.528*200
ii S2:ixi.U
3.02>*0o0
2 oiillj. 00
l;*74*00O
1 062*460
para
6.000*000
Mercado Municipal de *. Jos
O movimento deste mercado no dia 12 deAgos-
to foi o segutnte :
Entraram:
44 boi8 pesando 6,153 kilos.
146 kilos de peixea 20 ris 2 920
11 cargas com farinha a 200 rs. 2*200
14 Jilas de fructas .versas a 300 rs. 4*200
32 columnas a 600 rs. 19.200
88 taboieiros a 200 rs. 17*600
6 sumos a 200 rs. 1*200
i escriptorio a 300 rs. 30"
(i compartimentos com farinha a 500 30*000

E' este o mais pe
ver o difficil problema
A'
eem
|7


descera mais Jentamen
ABR8 JOS BE 6YIMSTICA
igo>o estudo at hoje effectuado para resol-
'sm
V-
da
V
e i) i
SXTGG3SSSO!!!
de Agosto de 1890
28 ditos de comidas a 500 rs.
94 ditos de legumes e fazendas a
400 rs.
1.3 ditos oe suiooa a 700 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
6 ditos de camaroes a 200 rs.
44 Unos a 2*
Rendimento de 1 a 11 do Crrente
4*000
37*600
9*100
5*4*10
1*200
88*000
232*920
2.749*260
2.9825180
Precos do da:
Carne verde de 200 a 480 ris o kilo.
Sumos de 560 a 640 ris idem
Carneiro de 640 a 800 idem.
trarinha ^e 4S0 a 560 ris a cuia.
Mimo le 36 a 440 ris ideui
Peiiao de 700 a 800 dem3
Morimento do porto
.Vai;os entrados no dia 13
Babia e escala8 dias, vapor nacional
Principe do Gram r'ar de 508 tone-
ladas, com man da o te Julio Cesar de La
cerda, eqoipag m 28, carga varios gne-
ros, a Pedro Osorio de Cerqueira.
Terra Nova33 dias, lga-inglez Flora,
de 288 toneladas, capitSo James Pike,
equipageo 10, carga bacalho, ordem.
Jacios sahidos no mesmo dia
Villa NovaPatacho nacional Industrial,
capitao M. A. de Andrade, carga varios
gneros.
Maracaibo (R. Venesuela) -Brigue ingles
Excelsio., capitao W. Hughes, em
lastro.
Vapore a entrar
HEZ DE AG03TO
Europa....... Cfyde............. 14
Eurooa...... Desterro... ...... 14
Europa....... Paranagua........ 14
Sol......... Tharnes........... 16
Sul.......... Alagoas.......... lei
Liverpool..... Scholer ,.......... 16
Europa...... Finance........... 17
Sul........... agelhn......... ir
Sul........... Planeta........... 19
Sal........... Advance.......... 20
Norte......... Espito Santo..... 22
Vaporea a anlr
MEZ DE AGOSTO
Buenos-Ayres. ClyaV............. 14 as 12 h
Sul.......... Desterro ........ 15 as 3 b.
lanto* e esc. Paranagu........ 15 as 3 n
Soutnampton. T/Aame........... 17 as 12 h
Norte....... -lagoas........... 17 as S o
CJCil!:
Stanley, ornis c >r. josohomem da epocha. que mais temarris-
cado sua vida nos ares, ^m todo o scalo, apresenuro problema da
direc^io dos para-quedas completamente resoivido !
Sexla-era 15
CLUB
a: i z:s: il :,:s
AvisoSo deixar de haver ascencao em caso de chuva tor-
rencial.
Enliada para Scnlioms oa Gav.illiciros........ 1$000
dem para enancas.........
Durante a fcsla locar urna banda do mgica marcial
Havcr bomls c liem a (sposQo do publico.
*<- :
DERBY
ClubluteroacioDaldoRe- I Monte de Soccorro dePf-
cife
De ordem do Sr. prpsidente, aviso aos senho
res socios directores eleitos em assembla geral
de 2 do corr;nt2, que a sessao de passe tera lu-
gar em 14 do correte, as 7 horas da noite, na
sede social.
Secretaria do Club laternacioual do Recife, 12
de Ajicsto de 1890.
Alfredo B. Rosa Borge?,
2- secretaro.
S. Jos d'Agonia
De ordem da mf sa regedora, convido todos o>
irmaos a com parecer n no consistorio da irmao
dade no dia 14 do corrente, pelas 3 horas da tar-
de, para acompaaharmos a procissio da Senhra
da Boa Mor le, e no dia 15, s 6 horas da manh
paraassisiiretn a festa, para o qae tivemos con-
vite.
0 secretario. <
Manoel Francisco dos Santos S Iva.
nambuco
Sao con /dados os possuidores das cautelas do?
nmeros abuixo. a virem resgatal as al o dia 8
de Agosto prximo avisando se lh? de que
lindo este prazo serao levadas a leilo publico :
Costuras do Arsenal
de Guerra
As costitreiras fie ns. 488 a 537 devem compa
recer amaoba 14.' ____ _____
Club Republicano
Mar tin s Jnior
Quinta-feira, 14 do corrente, devem
reunir se os membros deste Club em sessao
ordinaria.
Pede-se o comparecimento de todos 08
socios.
Comparecer Bsalo o Ilustre chele
repub icano Dr. Martins Jnior.
Na secretarla da Santa Cnunv MI
aerlcordla aiugam e mm aeajdlntea
caant
Ras :
Sete de Setembro n 22
Viraco n. 19
Restaurac&o n. 25
Dita d. 27
Wem 1" andar e loja n. 14
Amorim andar n. 23
Dita 2 andar n. 23
Dita armazem n. 64
Vigario Tenorio 1 andar n. 25
Hila 2 andar n. 25
Dita leja n. 27
Bispo Sardiuba Ia andar n. 11
Domingos Jos Martins, terrea n. 16
Dita n 18
Dita o. 118
Dita i* andar n. 132
Dita 2* andar n. 132
17.642 19 294 19 389 19.499 19.593 i9.n96
17.776 19.295 19.S91 19.505 19.594 19 49
18 594 19 301 19.39H 19 510 19 596 19.709
18.610 i9 302 10.4"! 9 522 19 597 19.710
18 615 19310 19.403 19 5*3 19 598 19.714
18-617 19 3-17 19.404 19 526 19.599 19.725
18 028 19.322 19.405 19.540 19.600 1H.727
18.713 19.35 19 407 19.541 19.602 19.737
18.734 19.328 -19 409 19 543 19 605 19 744
18.797 19.329 19.417 19.345 19.610 19.751
18 819 19.335 19.423 9546 19 615 19.754
18.864 19 338 19.43* 19.55 I9.6!6 19.769
18 903 19.34.. 19.438 19-553 19 621 19 771
8.988 19.35 19.439 19 339 19.626 19.772
19 050 19..146 10.443 I9.5B3 19 6J8 19.773
19 195 19.347 19.444 19.5*8 19.637 19.780
19 197 19 3ol l.447 19 571 19 644 19.7-0
19.233 19-352 19.454 19 572 19.653 19.79!
19.249 19.351 19-455 19.373 19.634 19.795
19.255 19 355 19.4 19 574 19 655 19.796
19.259 19 356 19-471 19 576 19.658 10.797
19.26 19.359 19.476 19.579 19.667 19.800
19.263 19 361 19.482 19 580 19 668 19.806
19.267 19 36! 19 484 ;9.585 19 675 19.807
19.268 19.36 19.485 19 586 19 684 19 810
19.269 19 369 19.487 19.587 19 686 19.814
19.276 19.377 19492 19.588 19.693 19 825
19.293 19.385 19.493 19 589 19 695 19.829
19 970 19.819 19.971 19.851 19 972 19 839
19.974 19 870 19.979 19.872 19.'.'8 19 875
19.983 19.878 19 984 19.892 19.9S5 19 8J5
19 988 19.904 19.992 19.907 19.994 19.913
19.95 19.918 19.9.^6 19.822 20.0tK> iy.924
20 006 19.926 20.0(18 19.9.16 20.0 2 19.938
:0 013 19.949 20.014 19.953 2'>..ii6 19.954
20.019 19.955 20.023 19.958 20.02*. 19.959
20025 19.963 20.026 19 964 20.027 19.965
19 842
'Jompantna Pernambucana loja n. 30
Madre de Deas armazem n. i
Bangos, terrea n. SI
Lapa n i
becco do Abren andar n. S
auador da Deteoco n. 4
40*090
204000
15*000
15*000
41*666
15*000
13*000
304000
25*000
20*000
15*000
16*6661
20*000,
15000'
16*666i
isooo;
15*000
15*000!
12*500
14*000
14*000
8*000
6*000
Recife, 17 de Julbo de 1890.
O gerente,
Felino D. Ferreira Coelno.
E. de F. do Recife a Caxanga
Aiceaco do aereontato
Tr^ns extraordinarios
Do Recireao Dirby Club 3.0 e 3 30.
Do Recife a Dous irmaos 1.43. De Dous Ir-
mitas ao Dery Club 2.42.
Loo que termine a ascengao haveri trem para
"ola.
13 de Agoslo ce 1890.O gerente,
H. Fletcher.
Cnsuate o the United
States
Pernambuco. 11 de atalo de ISBO
0 abaixo assignado o nico aotonsado a
conlrahir dbitos por conta deste consolado.
Edwio Steveas
Uaited States Cnsul.
Instituto Archeoiogico e dleogra-
phico Pernambocano
Quinta-feira, 14 do corrente, hora do costa,
me. baver sessao ordinaria.
Secretaria do Instituto, 11 de Agosto de 1890.
0 1. secretario,
Bautista Regueira.
Irmandade do Glorioso Santo Amaro di a
Salinas
Jos Teixeira Lope
A musa regedora manda rezar no dia 14 do
cor'ente, pelas 7 noras da maoh. ama missa
pelo repouso eterno do irmo e mesano Jos
Teixeira Lopes, e pede o comparecimento dos
prenles e amigos para assistirem a este acto de
religiao.-O escrivO,
C. Magalbaes da Silva.
Hippodromo do Cam-
po Grande
Assembla geral ordinaria
Em virtude do 1. do art. 13 dos
Estatutos, convido aos Sra. accionistas
para se reunirem em assembla ordinaria
no dia 20 do corren te, s 6 horas da tar-
de, no escriptorio desta companhia,. ra
do Imperador, n. 55, 1." andar, afini de
eleger se a nova directora para o futuro
auno fnanceiro e tomar conhecimento das
contas e parecer fiscal.
Recife, 4 de Agosto de 1890.
Joaquim I. Gomes,
Presidente.
Sociedade Reiinaria e Dipti-
Jacao de Pernambuco
Sao convidados os senhores accionistas a rea.
lisarem a nona entrada de 10 0/0 equivalente a
10*000 por accao, at o dia 25 do corrente mez,
de accordo com os arts. 8.a e 9." dos estatutos,
no armazem do Illm. Sr. thesooreiro Augusto de
Figueiredo Costa, travessa da Madre de Deus
numero 18.
Recife, 10 de Agosto de 18*V 0 p-esidente,a
Joo Fernandes Lopes.
m D EMIfIS ADORA
Companhia de Segaros
MARTIMOS E TERRE3TRF?
Eitabelecldaem IH55
Estado flnaacelr* em 81 de De-
zembro de 1S8S.
Capital 1,000:000*000
Fondo de reserva i 10:376^000
Sinistros pago? 1,776:6834000
44Ra o Commercio44


Diario de Pernambuco-Quinla-feira 14 de Agosto de 1890


-



.

Lofipaniia de Seguros
$iit\iMt de pt*b0&
AGENTK
Miguel Jos Al ves
N. Vllun do Boni Jrnii-.^.
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Xeatea ltimos seguios a nica companbi;
ncala praea que concede aos Srs. segurados semp
;4o de pagamento de premio em cada semi
tono, o que equivale ao descont anana! de cer
sa de 15 por cento em favor dos segurados
seGo mn\ um
tioyal Insurance Compan>
de Liverpool
CAPITAL. .000:000
AGENTES
R. Drusini &. C.
13-Rua iiinuicz de Ollnda-13
Ki
aoos
N. B Rcsbi cagt pira
deando no Para.
ara carga, passagens, encommendas
ibeiro a frete trata-se com os
AGENTES
Henrv Forster & C.
Hhua do Commecior-8
andar
bal-
ed<
SMJitOS
ARAMOS CONTRA Futid
C>_.fianhia PheoJ ler
nambucana
R A DO COMMEROIO N. 46
Companljia he &e%uxo*
costea ?::;
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posico linanceira (Dezembro de 1887,
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.421,000
Recelta aonnal :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros 143,000
O AGENTE,
JoIik I.Boxine.
Pacific Sieam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Ma ellan
Espera-se do portosdo sul
ate u d i; 16 de Agosto e se
gira depois da demora do
costu me para Liverpool
com escala por
Lisboa, Bordeaux e Plymonth
Para carga, passageiro, encommendas e e
leiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilsoo, Sons & C, Limited
14RA DO OOMMEROIU'.-
CHARGEURS REUNS
Campnula
DE
%'avegaco
Cal -ra quinzenai entro
Pernambuco, Babia,
dantos.
Fra:i- ca
a vapor
o Havre, Lisbu
Rio de Janeiro
O vapor Parangu
Commandante Dcliens
Macelo,
E' esperado da Europa at o da
14 de Agosto seguiudo depo:
iia ipdispensavel demora pare
Rio de Janeiro e Santo*
CONTKA FOGO
he Liverpool & tundan k om
Ra do Commercio n. 3
:.
SEGUROS COMBA FOGO
EDIFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BA1XA8
Prompto pagarw.nto de prejuizoi
SEM DESCONT
A COMPAHIA
IMPERIAL
E iovdhis
Estabelecida em 1803
CAPITAL Rs. ie,000:000000
AGENTES BROWNS & C.
N. 5-RUA DO COMMERCIO-N. 5
Aoga-se aos Sr3. importadores de carga pe
aores desta linha,qneiram apresentar der!r>
le 6 das a contar do da descarga das al varen .a:
oalquer reclaraaco concernente a volumes quv
)orventura tennam seguido para os portos di
ul a!5m de se poder a*r a lempo as prov;
leacias necessanas.
Expirado o re:eriao prazo a ccmpanbia nao
esponsarlisa por extravos.
PB1 carea, passagens, encommendas e \
iteiro a trate : truta-ae eom c
AGENTE
Aug&sie Labie
u RA DO COMMERCIO -9
Agente S epple
Leilo
De urna casa terrea n. 12 ra Real da
Torre, freguezia dos Afogados
luinta-felra. I 1 lo corrate
A1 11 horca
No armazo ra do Imperador n. 39
O agente cima por mandado e asistencia do
Exm. Sr. Dr. ju'z de din-ito privativo deorptiSos
e ausentes, a rtqueriuieolo do Dr. inventarame
dos beus pert^nerntes ao Honda Dr Pedro AfTon?o
de Mello, levai a leiliio a oua cima com os
segomtes ccmmodis: 6 quartos, & salas, cus
nha fra, cacimba meieira. p.rtas de frite,
tendo 1 quarto ao lado, 6janellase 1 porta no
oito, sitio bem arborizado medind < de frente
36 palmos e de fondo 99
Os Srs. pretenderles desde j poderao ir ex
ammar o referido predio.
Leilo
De 1 armago de amarello. envitlraeada, 1 im-
portante foeo de ferro perfeiio e quati novo,
diversas divitOes epra'eleiras, registro, encana-
niento, tandieiros e randeilas de az, diversos
movis, 1 earroga paracavallo. i oovil a lourina,
prenhe, 2 vac as da trra, e inais objertos exis
lentes no pavimento terreo do sobrado n. 31
ra Larga do Horario, sonde foi o Restaurant
Federativa, que se rao vendidos
Ao eorrer dt marte lio
Sabbado, 16 de
A's 11 huras em ponto
Por intervengiio do
Gusmao
90Ra 1. de Margo-
Pitra senooras
Ktamines rendados.
Voil- a de 14.
Cachemiras de lista.
Cretones voiles.
Zepbyr de qua iro.
L4 Amazonas.
Foulard de algodSo.
Zepbyr de ramagem.
Setim do Japo.
Linn de r-mgem.
Setim de cores.
Voiles de algodSo.
Cortes de zepbyr (bordados^.
Cortes de camb aia (b^ rdados)
<-<>rtes de 6etmeta (duaa cores).
E muitos outros artigos.
Em compras maiores ter direito
exemplar de msica a escolha.
AMAEAL & G
-20
LIIMUUI
a um
Agosto
agente
COHPAMilt
London &. Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Ss::ca por todos os vapores sobre as cai-
cas d<> rnesmo banco em Portugal sendo
ai! Lisboa roa d is Capellistas q. lo. Ni
?orto, ra dos Jnglezes.
DE
davegaco costeira por vapor
Para Fernando de Noronna
O vapor Jaboato
Commandante Joao da Silva Pereira
Segu no dia 19 de Agosto s 12
'horas da manba. Recebe carga at o
dia...
PassagcLS ate s 10 horas do dia da saluda.
ESCRIPT0RI0
Ao caes da Companhia Pemambucana
n. 12
Agente Stepple
Leilo
De movis, espelhos, carroyas e bois ex
istentes na casa n. 52 no caes do Ca-
pibaribe
Sabbado 16 do corrente,
As 11 horas em ponto
No Caes do t.apibaribe casa n 52
O agente cima, por mandado e assistencia do
Exm. Sr. Dr. jui de direito de orphos e ausen
tes, a requerimento do Dr. curador de ausentes,
levar a leilo os bens perienceores ao espolio d)
tinaJo Joaquin Francisco (bollares, 1 mobiiiaile
Jacaranda rom umpo de pedra. comple a, espe
Ibo doarado oval, 1 p.ano e cadeira, serpentinas,
jarros, castijaes, poiia-can6es. commoda, cama
de rasal, guarda roupa, cabides. cofre prova de
fogo, (novo aparadores, guarda-loaca. mesa
elstica, caUeira?, qoadros, louca para janlar e
almoco, relogio de pared^. 6 bois de carrocas,
4 carrogas e carro de 4 rodas. U'AlfandegJ, e ou-
tros mu tos movis que estaro patentes no acto
do leilo.
Leilo
MARTIMOS
Maco e Mossor
Segop nesies riias para os portos cima o
iiate Deus te Guie, recebe carga, 2- pouto ; a
tratar na ra da Madre de Dos n. 8.
Companbia Estradas de Fer-
ro e Navegado do Norte
do Brasil.
O vapor Planeta
E' esperado do
sul at o dia 19
do correte e se
guir depois da
demora iudispmavtl para o Para d>m escala
pelo
Ccar e Maranho
Este vapor lein expelientes accommodacOes
para passagero<.
Para car.a e pasageiros tratarse com os
AUEJNTKS
Amorim & C.
Ra do Visconde de Itaparica (amiga
Apollo) n. 26
ompanhia Bahiaoa de Na-
vega^ao a Vapor
ifacei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
", Estancia e Babia
O VAPOR
Principedo Gro-Par
Commandante Lacerda
Seguir para os
portos cima
indicados no dia
16 do correte s
4 horas da tarde
Para~carga, passagens, encommendas e dinbei-
rj a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario- 17
CJnited Stares and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finalice
E' esperado de NewYore
at o dia 17 de Agosto
o qual depois da de
mora necessaria seguir
para a
Ala, Ro de Janeiro e Manto*
Para passagens carga, encommendas e di
iBeiro a frete:. trata-se com os AGENTES.
Ovapor Advance
E' esperado dos portos da
sul at o dia20 te Agosto
o qual depois da de
I mora necessaria seguir*
'para o
aranhao. fara, Barbados, 9.
TBoma/. Martlalque e Mew-
York.
LliiVd Brasileiro
PORTOS DO SUL
O vapor Alagoas
Commandante Joo Mara Pessoa
E' esperado dos portos do so
at o dia 16 de Agosto e se
guindo depon da demora indis
pensavel para ot portos do or
ate Mauaus.
As encommendas sero rebebidas at 1 hora
da t rde do da da sahida, no trapiche Barbos
no lar*o do Corpo Sant > a. II.
?ara carga, eacommeudas, passagens e valo
es :rata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
rj=iua do Commercio-=6
lo andar
Roy al Mail Steam P.^ckei
Company
O vapor Cljde
Este novo e ragnico vapor ten-
do sahido de Lisboa no dia 4 s 5
horas da tarde, dever chegar a este
porto no dia ti do corrente, seguin-
do depois da demora necessaria para
ttahJa, Rio de Janeiro, Monte-
video e Buenos-Ayres
Para carga, passagens, e ncommeodas e vals-
tes trata-se com os AGENTES.
O vapor Thames
2^
E" esperado do sul no da 16 de cor-
rente segoindo depois da demor
Qecessana para
*. Vicente, Lisboa. Vigo, e Sou-
Ihampton
R'daccao de pattagent
ida Ida e voltr
\' Lisboa 1 ciasse O 30
i'Southamptoiii'clasie SK> 42
Camarotes reservados pa a os p ssageiros d<
pernambuco.
arapassagen?, fretes. encommendas. trata-s
mH
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N.3Ra do Bon JessN3.
LEILOES
- Hoje. 14. continua o agente Pinto o leilo
de movis, looca e vidros comecado hon :em no
sobrado da ra Mrquez de Olioda n. 6, entrada
pela roa da Sentala.______________________
Leilo
De move?, fcgOes de ferro, mobilia de pao carga
eovernisada de preto por 45j000. tapetes e
oolrosobjectos.
Era continua^ao
HOJE, 14 BE AGOSTO
A's 11 horas
Agente Pinto
No 2 andar do sobrado da ra do Marquex
de Olmda n. 6, entrada pela ra da Senzala.
De ->4 caixas com massas italianas para
sopa
Segunda 'ei a 18 do corrente
A's 11 horas
O agente Gusmao far leilo do armazem'n .
48 da ra do Mrquez de Oiinda das caixas com
as referidas massas.
"AVISOS DIVERSOS
Diarlo de Pernambuco e Jornal do
Recite
Compram se os dos dias 17 e 18 de
Novembro do anno de 1889 ; no 1 andar
desta typogr-phia a tratar com o admi-
nistrador ; tambero comprara se os Jornaes
do Recife ns. 2'.9 e 271 d mesmo anno
D pedra e tai, iivre e desembaracada,
vende se urna casa oa ra do AQugue, em Igua
rass, onde reside actualmente, a professora,
tendo 1 salas, 6 quartos, salo. cosinha, quintal
grande com bastantes frocteiras elguns quartos
para criados, propria para qualquer esiaDeleci-
meoto ; a tratar oo Caminbo Novo n. 7o.
Pede se ao Sr. Manoel T. A. Saldanha, que
veoha restituir aquelle cordo de ouro e ver em
que dea aquellas apolices da Compaohia do Be-
beribe, tolos os das promette, quando ven-
del as, e ltimamente so faz ameacas.
Alugam se casas calada e pintadas son a
oos fods de 8. Goncalo, a 81; tratar na ra du
mperatnz n. 76.
Precisa se de orna ama para cosinhar e de
ootra para engommar ; na rija do Vigario o. 5,
armazem._____________
Precisa-se de urna ama para engommar.
na roa do Pires n. 30._____________________
Precisa-ie de omaaraa para coioprar e co
siohar ; na roa do Livrameoio n 11, loja.
Pedese ao Sr. Jos Francisco da Costa Fer-
reira, praticnte di Coireio, que ba um anno
Vine, recebeu para entiesa a urna seohora a
quantia de 70*000, e al esta data nao o fez ; ap-
pareca oa ra da Palma n. 109______________
Precisase de urna ama para cosiunai ; na
roa Duque de Caxias n. 51. loja.
Precisase de um criado que entenda de
servaos de cosinba; a tratar no largo do Paraizo
numero 21.
Precisa se de um memoo pira caixeiro de
tavema e coi pratica : 'rala se na ra do Bom
lesus das Cnaulas n. 41.
Precisa se de urna ama de leiie ; na ra
do Pilar o. 14.
Aloga-se a sott'a da ra do Padre riona.>u
n. 69 e aloja do Padre n. 10 : na ra uo Apollo
numero 11.
Precisa-se de urna
bo? cosinheira e urna co-
peira para o servico de
una familia: na na da.So-
ledade n. 82
Vinagre puro
Snperior vinagre, em garrafas e em caixas de
dozia ; vende se oa ra do Crespo o. H, loja do
Povo.
Agente Srlveira
* leilo
Da casa terrea sita travesea do Atalho
o. i, (terreno proprio)
Qulnta-fclr. 14 do corrente
A's 11 horas
No armazem ra Ettreita d* Rosario
n. 8
O agente Silveira, por mandado e com aisis-
tencii do Exm. Sr. Dr. jais de direito da prove-
doria, a requenmeoto do inventarame de Flix
Jos Felicio. levar a leilo a referida casa.
Os Srs. preteotVotes podem examinar.
Vndese
Kerozene.
Phosphoros.
Breu.
Velas de stearina.
Alcatrao da Suecia.
Cimento em 1[2 barricas e
inteiras.
Soda caustica com 70 graos.
Sebo e graxa do R o Grande
do Su), em pipas e bar-
ricas.
Na iua do Eacau tu Bienio n. 9 e
Caes do Apollo b. 17
Os Barateiros! !
E s neste estabelecimento que pde-
se encontrar fuaendas finas de gostos lin-
d8siroo8 or preyos razoaveis, como se-
am :
Voiles de 12, padroes inteiramunte no-
vos, merino dem, idem, cachemiras la-
vradas, o que pode haver de mais lindo
em gostos.
Cambraias da China, idem catitas, idem
com salpicos c lisas, Victoria e transpa-
rentes, grande sortimento de cretones
(padroes de voile) de gostos attrahentes-
repe da China, inteira novidade.
Etamines de cores, lisos e rendados.
FustSes b-ancos. Linons com Darra, o
que ba de mais rico pa;a vestidos, chitas
dem, idem e ruuitos outros tecidos a phan-
tasia.
Ls de quadros a 200 rs.
Merinos idem, aznda de 800 rs., por
240.
Voiles de 3 e algod3o a 243 rs. o co
vado
Zepnyros de cores a 320 rs. o covado.
Merinos de urna argura a 280 rs. o co-
vado.
Bautista republicana a 200 rs. o co-
vado
Madapolao americano a 55000 a pega.
Vanado sortimento de setinetas e cre-
toaes, para chambres.
Grande e variado sortimento de chitas
clarcs, de cores e escuras. dem chama-
lot, padroes exquisitos. dem voiles, gos-
tos inteiramente novos. Casacos de Jer-
sey para smhoras, vestuarios idem, para
enancas. Toalhas telpudaa rara rosto e
banlio, brancas e de cores. Grande sor-
timento de aventaes, idem, idem de ba-
beiros, para enancas.
Para horneas
Grande ortimento de camisas de fla-
nel'a, nbo e algodio.
dem de collarinhos de linho e cellu-
loide de cachemiras pretas e de cores, en-
tre ellas destacara se as de 70000 o corte,
para costumes.
Alm das mercadorias que cima dicta-
mos, temos um esplendido sortimeoto de
cestas de palha e chagrn e muitos ou-
tros artigos que sena enfadonho mencio-
nar.
E' so nos barateiros!!
A' RA Io DE MARCO N. 1
Bernardino Campos & (].
PARA EWGENHOS
GUIMASRS & VALENTE, partici-
para aos seus fregueses e Illms. Srs. de
engenbo que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados
garantiodo tudo de primeira qualidade e
precos sena conipetencla, a saber:
Cal nova de Lisboa.
Dita de Jaguarme.
Cimento Porlland.
Oleo de mocte.
leos americanos
especiaes para macbinisraos.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Ditodepeixe.
Pixe em lata.
(5 galoet)
Kerozene inexplosivo.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa da Russia.
(em caixa*, barriquinhas, latas grandes
equens.)
Formicida Capanema.
6 Corpo Santo 6
A. Loja das Estrellas, tendo dado seu
bala neo separou os segnintes artigos que ven-
de por meta de do sen valor
A 81BSB:
Fazendas de le
Nauznk, desenhos modernos, a 120 rs o covado.
Percales, lindissimos desen os com pequeo toque de mofo, de 400 rs a 160 rs.
o covado.
FustSes, desenhos lindissimos, de 360 rs. a 140 e 160 rs.
Tuayles escoceses, de 50) rs. a 120 e 160 rs.
Cretones, desenhos de voiles, de 400 a 240 rs.
MadapolSes americanos com pequeo toque de mofo de 80000 a 50000.
Bramante com quatro largaras de 10200 a 600 rs. o metro.
Dito dito de linho de 205^0 a 10600.
Dito de urna s largura a 320 rs.
Ganga Grpton para coberta de 500 a. 240 rs.
Fazendas de phantasia
Vo'les, lindissimos desenhos, a 16 e 2c0 rs.
Bi.reje.8 escoceses a 80 rs.
MerinB de 13, pretos e de lindissimas cores, de 800 a 240 rs. o covado.
Cachemiras de quadros a 240 res o covado.
Etamine, branca e preta, de 10200 a 240 rs. o covado.
Seda lisa e com listras de 10600 a 640 e 800 rs
Cortes de vestido circassiana com chapeo de sol de 200000 por 120000.
Ditos de cambraia bransa bordados e de corea de 160OCO a 60000 e 7000
cada um.
Setim de todas as cSres a 700 rs o covado.
Dito dos Alpes de 400 rs. a 200 rs. o covado.
Linn de todas as cores de 500 rs. a 200 rs.
Crep da China, bordado, todas as cores, de 600 rs. a 200 rs.
Para homens e meninos
Casimiras inglesas, pura 13. de 40500 a 23000 e 25500.
Brins de cores e pardos, de 800 rs. a 240 e 320 rs.
Camisas brancas com um pequeo toque de mofo a 10600 urna.
Ditas de flsnella a 20OLO.
Brim branco superior de 20OOO a 800 rs- o metro.
Brim de lioho de cor, padroes novos, de 20 00 a 10000 o metro.
Cortes de casemira ingleza de 60000 a 2J5U0.
Ditos para collete de fubtSo e velludo, de 40500 a 800 rs. e 10500 um.
Ditos de brim de linbo, novidaric, a 20200
Camisas inglezas para boraem de 545000 a 365000 a duzia.
Ditas de meia para homem, com mangas e -em ellas, de 200000 a 80e 120
Ditas de 13 com listrasInternacionaesde 5$5 0 por 35500.
Artigos diversos
Mcias de cor para meninos de 60000 a duzia, a 10500.
Ditas para homem, brancas e de cor de 50000, 60010 e 80000, a 35000, 40000
e 50OCO rs.
Lencos imitacao de linho branco e de cor de 35000 e 40OCO, a 10200 rs. a
duzia.
Toalhas felpudas de 60OCO, a 30000. T
Ditas alccchoadas de 4000) a 2550".
Guardanapoa de 40OCO, a 20000 a duzia.
Meias croas para senhora, com um pequeoo toque de mofo, brancas e de cor
de 140000, a 5000', 60OCO e 70000 a duzia.
Casacos Jersey para senboras e meninas a 30000 e 40000.
Lavas de sera de todas as cores de 25500 a 10000 e 10200 o par.
Leques de i'a tazia a 400 e 10000 rs.
Espartilhos couraca de 60000, a 40000.
Sabidas para b-iile a 500 rs.
Babados brancos e de cores a 500 rs.
Entremeios bordados a 320 rs.
Cortinados para cama a 05000.
Colchas de l'nstilo brancas e de cores a 20000.
Cobertores a 700 rs. um.
Chales de caBemira de 50000 e 60000, a 20000, e 3.0UO.
Um completo sortimento de algodoes nacionaes, brancos e de cores, que se
vendem por precos sem competencia.
Retalhos de algodoes, chitas, I3ns e seda?.
Emuitos outros artigos que se vend ecom grande abatimento.
Loja das Estrellas
56E58-RA DUQUE DE CAXIAS-56E58
Telepnone n. 2l0.
I
O FUMO
Higyenico Nacional
E' isento de qualquer composielo
iumica e nociva.
E' escolhido d*s melhores qualidades do
mimo.
Um pacote de 50 gramm&s costa 200 rs.
Fabrica Minha Esperanza
Ra largado Rozario 21
clephone 191
VERMIFGE COLMET
CHOCOLATE com SANTONINA
IHFALLIYEL fin destru.- as L0MBRI61S
Isla Vermfugo (recomiundidt pelo (l
na sibor igndivtl e couern^s indefinida. Jf/
Exig'' zssisnatura :
Parla, 36. ma da Temple t bu principan Pharmaclu."
Engommadeira
Precisa-se de urna boa engommadeira para
urna casa de familia oo Monteiro ; a tratar na
ra 1." de Margo n. 16.
CISCAOS
MUTA ATTENCAO
Os melhores cigarros, que ha hoje
tanto de fumo picado como desfiado ale
osMINHA EPERANQA.
Olhai com af tencao para o envolucro dos
cigarros onde se l a paLvra ESPE-
RANQA.
Ha muito quem venda gato por Iebre !
Ns grandes merciarias, naa casas de
ref3i5e8, as tabacrias, nos salSes de
cabelleireiros, vende-se os nosso ci-
garros.
Deposito central.
Fabrica Minha Esperanca
Ra larga do Rozsrio n. 21 A
Teolphone 191.
SSFSCIifZUOS
DO CELEBRE
r, Ktunphreys de Um York.
' .la uso mais de 90 ancos, simples, .-guros, effl-
- -.o ixiratoa. A darte -a:: Drogaras o Phar-
:" 3^3 inclpaes o muli. :r-i ^ .:Uus do Mundo.
CUE".
. ebrea, Conpesto. Xnficmniacaes...........
^ tebrec Collcecansadas itor (.ntabrigaa....
. C.l ler Choro e Icscmaa das Crtancaa......
3. niarrhea de CrlaDcas e Adultos.............
5. l'yuent erto. Dres."1. Barriga, Clica biliosa
8. Cttlerina* Colera-Morhc, Vorritos............
7. Tohhp. u^usrlp.'*;o. Kouqulio, Ironclitc..
- Jlor de Oeii~oeedc Cara,c I'evralKla.......
'. Dor de Cab^ju. ICnchaijuet-a, Vcrllifem.....
. Dispepsia I'i:?stUo. JVrK'udc Ventre.
*!. snpprosso dr. ejcrt. EscassaouDemo-
rada..........................................
- T*euccrrfce:-.. Floresn acas. Repra nanea
-!- t'roup, roaaeRouea.Dffic-aldadedcKesplror
i'. Iierpeu, Eruycoes. F..yr^noIa.................
.". AbeamalflBiOi DCres rheumaticas..........
. riescs, Malclla, lebre lnt>'rmittenle.........
.' Hemerrholdr.B, !:n;:rcniae. Internasen
externas,Himplesou Eant-rentaa............
' .>hlhclnilti, olhos fracos ou lnoammadoa.
- -otario, OKUdoou chronloo. Dcfluxo........
J. Coqueiacbe, Toae espasmodlca..............
L Ma, Becpiracao dineultoaa.................
t. SupparncSedo Odo, sur.z ...........
SI Eacrotiils, Inchacoes eLIceras.............
f. Debillda.ie scrnl. ou ptiyslcn .............
:'. Hydreptaii A''uir.*ia..>fs i'xdaj...........
: i. Enjeo de Hjar, Nausee. Voriltos............
". Moleatlas oarinarics, Calcidoa ou Pedra
' ?. iHipoteacia Dhtlidiuie nervosa, seminal..
fkao-uinkaa aa Boera, ou Aphta .........
ncoatinencla de Ourins. Ourlnare na
Cama.........................................
1. Meaetraac* dolerosa. Prurito...........
. Moieaciaia So Cornea o. Palnltacoes. etc..
x. Et-Tiepela, Mal caduco. Uouacorat, Baile de
ESPECFICOS
DO CELEBRE
Dr. Humphreys de Nova York.
Em uso mata de SO annos, simples, seguros, effl-
cazes e baratos. A venda uas Drogaras e l'nar-
naclas piincJpaes e mais garantidas do Mundo.
So. CUBA
i. Febres,<
3. Kebre e f
3. CrOicn. f-----
4. I) i a r rhea de Criancaa o Adultos......;"
;. Ilraeuteria, Drcs de Barriga, Clica biliosa
6. Colerina, Colera-Morbo, Vmitos.....
'.. Tnwsc, Constipaco. Rouquidao, BTMnchltc..
8. l)n r 0. lior de Cabcco, Enchaqiieca, Vertlgem-----
U. Iii pi-ysiit, Indlgesto, Prislode ventre.. .
t!. ISuppreaauo da Ztegra. Escassa ou Demo-
rada......................... -v..............".
12. ICncorrhea. Flores Brancas, Reara morosa
1S. cmu',!, TosseBanca. Duuculdadede Respirar
14. Ilcrpca, EruuQOes, Eryslpela..................
15. KlieumatHino, D^resrneuinacas..........
!S. M'ze, Malella, Febre lntermiltente.........
JT. Iiemorrhoi'lns. AImorrclmas, internas ou
extemas, smeles ou sangrentas............
1'. Opnthitlmia. Olhos fraeos ou innanimados.
19. Cntnrro, agudoou clironico, Oefluxo........
'JO. Connelache, ToiseesDasmo.lLa..............
91. AB..' -UracaoillnTcliltosa.................
3i Sin>p:iri.v.icii!sC 'os.Sunlez ...........
28. Ks. rotulna, Inehavsca e Ulceras.............
21. Debllidn.dc aera,, ou physica..............
BG, ydrotiesin, A'-uniulacites fuldas...........
a. Elijo de Mar. aauaea. Vmitos......v;v--
i.',. .Uolcsiiusoarinarias, Clculos ou Pedra
na Beslga..............................-.;
S8. Impotencia, Tn'.illldade nerTOsa, seminal..
2a. ChHicninka:!^ Bocee, ou Aghta..........
30. Incontinencia de Onrina. Ourinar^ena
Cama,
cnstri
olcsti:
lyleps
8. vito.....
Si. Diphtheria. Mal maligno de Garganta......
S5. Cong-estoeK Chronicae, DfdeCabeca....
o Manual do Dr. ITumphreys. 144 paginas sobre
as Exies mldadcs e o modo d e cu ral-as, se da graos,
peder oo seu boticario uiik
BDHFHEETS' MEDICINE CO.,
100 Fulton Street, KEW TOKK.
nico deposit o para vendas em
groso na imperial drogara 1: F
Manoel da Silva & C.
Tratamento Reconstituate


ELIXIR DUCHAMP:
COM EXTRACTO
de JFigftdo de JUaealhu
Quina e Ccate
E"Sfev?S,*'
I)iphtaeris_. _
3S. ConceaMea Ohranlcaa, Dr de
I- Dipbtaera, Mal rosligno de Uargaara
"" dcCahoca..
O Manual do Dr. Humphreys. 144 paginas sobre
as Eufermldadese o modo -> -ural-as. seda gratis,
pedoee ao seu boticario ou a
HCJlPHEEiS' MEQICZNE CO.,
109 Faitea Street, NEWYOKK.
NICOS AGENTES
Para vendas em grosso em
PERNAMBUCO
Fana Sobrnko i C.
DROGARA
A' Ra Marques de Oiinda n. 41
I
Cada frasco d'ssts) Tem sobre o oleo da ]
ELIXIR oontam os / figado ds bacalhu a van-A
principios depurativos e / tagem da accalarar aT
tnicos do um litro da oleo ? funepoas do estomago
da figado de bacalhu ? am lugar da as parturbar, T
um Utro do* inho de Quina. ^ e da deapertaro appetite.^
Este Medicamento, de sabor e gsto
mnito agradaveis, obteve o melhor snc-'
^cesso em Franca para combater :
i ANEMIA, CHLORSE,
i AFFECQES dos BRONCHIOS
e PULMES,
e a FRAQUEZA das CRIANCAS
Deposito geral em PARS :
DiTOKAKP, 18, ra U Poltoaj
Em Pemarntmco :
I
a
m


I
1
h
Diario de Pernammieo--Qunta-!eira 14 de Agosto de 1890
CERVEJA
PILSEN
l nieus importadores
ALHKIRO, FKRN NDES & G.
A cerveja Futen couhecida e reco
nhecida como a mais pura, hygienica e
ao mesroo tempo a mais peitoral de todas
as cervejas fabncana> na Allemanha e
como tal recommendada pelas summidades
medicas nos prmcipaes paizes da Earop,
India e Australia.
Deposito ge i al
RA DA IMPERATRiZ N. 42
Tflephoue a 4 35
Vende-Be tainbem as seguintes casas :
Jos Fernandes Lima & J.*
Amaral & Primo.
Pocas Mendes & C*
Ja quim Maia & C.
Jos Maia & O.
Pereira Ferreira & C.a
Manoel Joaquim Alves Ribeiro & C
Ramos Ferreira & C*
Antonio de Almeida Rabello.
Jos Gomes Gauches.
Arthur Ooncalves Mcaes.
Antonio Affouso SirtSes.
Veriss'mo Marques & C.1
Valongueiro & C*
CHA VB8DB FINO
O antigo e acreditado armazem do
Alheiro recebeu o que ha c'e melhor
neste artigo, o qual se torna recommen-
davel pelo seu ezcellente paladar.
S se retalha em seu armazem.
Ra da Imperatrlz n. 4*
Alheiro, Fernandes & C.
Yinho Yirgcm
iwxo3Nrs^o
De ptima quahdade, proprio para re-
feicoes, receberam os propietarios do
armazem do Alheiro ; de excellente
qualidade por ser puro de uva e nao
con ter alcool de especie alguma.
Retalha se no armazem de molhados
Ra da Imperatnz n. 42
Alheiro, Fernandes A C.
Opt
)timo escnptono
Aloga se o" 1 andar do predio n. 15 & ra do
Commercio ; a tratar na ra Duque de Canias
numero 82.
Lopes & Araujo
Para engentaos
Contiouam a ter em seu estabeleciment gran
de deposito das mer:adonas abaixo declaradas,
onde os Ulnas, senbores de tngenbos poderao
se supprir para a nova safra, a pregos sem com
petencia.
Cal nova de Lisboa.
Dita de Jaguanbe.
Oleo de moclo.
Azeiie de coro.
Dito de peixe.
Dito de carrapato.
Pixe em tatas.
Grasa em bexigas.
Ga%'a de lnhc
Potassa da Rsela.
Ra do Livramento n. 38
Puro vinho de pasto
Alheiro, Fernandes & C, estabelecidos rus
da Impe'atriz n. 42. cora armzem de molhados
avisam aos seus freguezes que receberam nma
remessa deste magniHco vinho. pelo que espe
am seas ordens.
Ra da Imperatriz o. 42
Telephone475
Segundo andar
Aloga-se o da ra 1.' de Margo n. 17 |(antiga
do Crespo), tem agua ; a tratar na loja.tr
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro com pratica de mo
ibados, de 12 a 14 anuos de idade e que d fiador
de sna conducta ; a tratar na roa de Santa Ce
cilian. 27.
II
Lympha vaccnica pura i
(VENDE SE NA PHARMACIA HOMEOPA-) I
THICA DO J J
J { lH. SBI\0 )
j (i3 RA BARO DA VICTORIA 43 j j
Attendite et vi
dte!
Jos Samuel Botelho avisa ao respeitavel pu
blico que anda contina a fabricar bouquefe
para casamentos ou outros quaesquer actos,
assim como porta-bouquets de papel e seda : S
tratar na sua residencia, ra da onceicao n. 3,
enu ra da Cadeia do Recife n. 43, loja de sel
Ireio.
Superior vinho de AI
cobaca
O acreditado e autigo armazem do Lim pa-
ticipa ao publico e aos seus treguezes que acac
de receber urna nova remessa deste especia
Tinno, escolhido propriamenle pelo ebefe dest
casa tornando se recommendaao por ser puro
de boa qualidade.
Jos Fernandes Lima & C, ra Baro da Vir
loria n. 9
Telepbone 323
Ao Clero Pernambu-
cano
A' loja Coclho
Una d* Iniralni numero .*
Receberam dinctamenie da Europa os verda-
deros merinos para balioas, capas e paleiots
romanos, e as de*ejadas fachas pretas com lar
gas franjas, tudo de pura la e prt-cos resumids-
simos.
Telfphonc-489
Liquidacao por 60 das!!
Ra Duque de Callas n W9
De miudezas e algumas fazendas
PECHINCHAS E MAIS PE CHINCHAS
A' vontade dos freguezes
ioaealft al 4 horas da tarde.
Attenco
Urna senhora habilitada, propoe-se a leccionar
em collegio e casas particulares as seguintes
materias : primeiras lettras, geograpbi, histo
ria, piano, bordados e flores ; a tratar na tra-
- Jjs n. 13.
Ao Hippodromo!
Alfafa, aveia, milbo, fare o e arroz de casca,
ve.idem Guimaraes Valente, Corpo Santo
n 6 ______________________________
Dous milagres
Illm. Sr. D. Carloe Tomei o seu re
medio o Elixir M. Morato e foi com
elle qne pude sarar das boubas que soffria
h muito tempo e que deacorocoava por
nunca melhorar ; um mea visinho que
tambem soffre j latgou de tudo que lhe
receitaram e est tomando o seu mesmo
remedio.
Agradecido pelo conselho e soa obriga
diseimo.
Santos.
Albino Jos Coulo.
Illm. Sr. D. Carlos. Eu e todos de
casa, faz muito tempo, que soffremoa hu-
mores de boubaa, com dieta sem resulta-
dos. Fizemos uso agora- do Elixir M.
Morato, propagado por D. < arlos, e
sarmos completamente.
O remedio, alm de ser muito bom,
inda tem bom gosto, pois as coiancas
bebiam com facilidade, misturado com
agua.
Sap.
Firmino A gui.
Attenco
Os proprietarios do antigo e acreditado arma-
tem do Lima, site ra Barao da Vi :tora n. 3
participara ao respeitavel publico e aos seus
listinctos freguezes, que tr nsferiram tempora-
iamente seu armazem para a mesma ra n. 9,
:onti> uando da mesma forma a receberem suas
jraens para Ibes servir com o costumado e ba
oitoal desempenho.
Jos Fernandes Lima k C,
Ra Bario da Victoria n. O
Telephone323
Goiaba
Comprase goiaba propria para exporlaco :
na ra do Coronel Suassuna n. 242.
E' a melhor cerveja que tem viudo a
este mercado, escura e clara ; nao precisa
de attestado para se impr aos aprecia-
dores. '
Eucontra se em casa dos Srs. Antonio
Mello & ('., e Antonio Nascimento
Recife.
c oci.vtc riikto.\
Um dos melh preferido a outra qualquer marca para usar
puro ou com leite.
vinho Palhete
O melhor vinho portuguez e que tem pre-
sentemente um tdroiravel consumo, assim
como o puro Collares, remettidoa pelos
proprios viticultores
Retalha e vende em porc5es o importa-
dor directo
PAULINO
28 Roa do Imperador
As almascaridosas
Mara Candida Waoderley Autran, viuva do
empregado publico Candido Autran da Matta Al-
buquer-me, moradora na travessa da Piedade n.
5, tmdo em sua corrpanbia tres mocas solteiras,
de quem nico arrimo, achando se gravemente
doenle dos olnos. sem enrbergar mais, vem im-
plorar das almas caridosas um soccorro pelo
amor de Deus, para poder manter se.
Casa
Aluga se urna casa tm Afosados, entrada para
a estrada dos Reme ios u 72, prego muito bara-
to, com 5 quarios, 2 salas, :osir,ha fora, grande
quintal murado, caciu ba, jardim na frente, etc.,
a chave esti na loja de fazendas dos Srs. Cam-
pos & David ; a tratar cora tiles ou na ra larga
do Rosario n. 14.
Na ra Velna de Santa Rita n. 89, precisa-
se de urna ma para comprar, cosinhar e ensa
boar. _______________________
PROMmARIOMLBI
DO
Casamento civil
Ach-se exposta a vend* esta obra de
incontestavel utilidade ao publico em geral
e especialmente aos juizea e es rivSes e
mais funecionarios a quem cabe o conhe-
cimento da materia.
O livro se compoe de tres partes, urna
com o repenorio da lei, outra a mesma
lei, an notada e onde se faz um estudo
sobre ella com o direito ai.tigo e se epre-
senta abjeoes possiveis na execuc&o, a
ultima finalmente once se acham compen-
diados os decretos, avisos e actos do go-
verno posteriormente a lei at que o livro
entrou para o prelo.
Os Srs estudantcs de direito all encon
trarao um peculio para estulo
LIVRARIA PARISIENSE RA 1. DE
MARCO N. 7
Oleo >ilva
O verdadeiro restaurador ^do cabello, esperl
mentando se o seu benfico resillado dentro de
30 das de oso soccessivo. As suas virtudes
sao: evitar a queda do cabello, promover o seu
crescimento e destruir as caspas, a par de um
perfume agradavel.
Vendem :
Fabrica Camacan ra Larga do Rosario n. 50.
A Florida (miudezas) ra Duque de Caxias
n. 103.
O Novo Mundo (n-iudezas) ra Barao da Vi-
ctoria n. 24.
Proco 1$'J00
Cautela? do Monte de So.
corro
Comprase Cautelas do Monte e &oc
corro de qualquer oa. brilhantea e rc-lo
rioe, paga-ae bem na ra do Cahuga l
a. 14. Loja de relojoei:
Ao commerci >
Os abaixo a signados rterlaram que corr nrr-
raro ao Sr. FaDio do Monte a ud casa de ne-
gocio de mo'hados e armajo, vre edesemb-
rscada de qualquer onos, ein 13 do correte.
uecife. 13 de Agosto de 1890.
Ferreira Duarte & C.
lUlojoaria Bavid
Ra do Cabug n. 14
Este novo estab- lecimento de relojoaria
acaba de receber um grande sortimento de
relogios de ouro, prat i e nikel, d impor-
tante fabrica amercanoWalthan Mass, ver
dadeira eapecialidade em perfeicSo e re-
gulamento infalhvel, e se vendem por precoa
modicoa. Asa mcomo relogios de parede e
de cima de mesa, com despertador o qne
ha de mais elegante.
Convidam se as pessoaa que quizerem
um relogio de confianca a virem a este
eatabelecimento que capricha em vender
relogios dos melhores fabricantes, com o
fim de bem servir os seus amigos e fre-
guezes.
Ra do Cabug n. i 4
De Sorocaba
Declaro que soffri muito tempo, fazendo
uso de medicamentos sem resultado, e,
usando tres uiaa apenas daInjeccSo M.
Morato sarei completamente de urna
chronica gonorrha que me atormentava.
Faca uso deste como convier.
Antonio F. Fontoura.
Est reconhecida a firma pelo tabellio
Agentes depositarios em Pernambuco
Francisco M. da Silva & C, ra Maquee
de Ohnda a. 23.
Aug"uel barato
Visconde de Goyanna n. 159.
Ra do Bom Jess o. 47, 2. andar
Ra de Lombas Valentina n. 4
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Ra Asjuazinhas em Beberibe n. 7
Ra I lapa rica n 43 1. andar.
Travessa do armo. I' a n. 10.
Largo do Mercado n- 17, loja.
Ra do Calabouco n. 4, dem.
A ratar rea de C mercio n. 5. i- >'-
notorio de Silva Guimaraes & C
nobert tope
William Cnpe e sua familia (sente), Alfredo
Cope e sua familia (ausente), Aodr Caminba
da silva, Philomeno Cope Caminba, Antn o
Manius Filbo e sua muiher, Francisca Cope e
Mana Cope, elernameute rec"necidu8 a lodos
os dislincto cavalleirot, que pelo acio de cari
dade,acinpan a>am a tan uiiina morada o seu
estremecido pai, sogro. ave e irmao, Roben
Cope ; e de novo lhes ^edem de assi tirem a
missa que mandam rezar na matriz do cabo,
pilo .-eu eterno descanco, as 8 horas da manba
de quinta ieira 14 do correle, stimo da de seu
pagamento e iiesovja we i-onfessam ratos.
Cosinheiro
Precisa se de um cosinheiro ; na ra de Pav-
and n.19.
As maes de familias
QUERIS VOSSOS FII.HOS SEMPRE SA0IOS
A'lminstrae-lhe o XAROPE ou a
DO DR. CALASAItS
ptimas preparadles de mastruz
e rhuibarbo, para a expulsSo completa, sem
dores nem, incommodo, dos vermes
intestinaes ou lombrigas
(DAS CREANCA8 E D08 ADULTOS)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO!
f Estas excellentes preparares nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por ai mesmas.
Aa pessoaa que tm vermes aentem co
licas, tem constantemente diarrhas, india
posicSo, sensacSo de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
a veies, vmitos. Rangem os dentes, quan
do dormem, e algumas pessoaa expeliera
vermes com as fezea ou com as materias
dos vmitos. As creangas apresentam as
puplas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impreaso o nome de
DR. CALASANS e aSo cor de rosa.
1 caixa de pilulas^ l|}2t0
1 vidro de xarope 1J90C
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS
Sitio
Aluga se um sitio com omitas Iructeiras e boa
casa de vivenda com bastantes commodos para
fam lia. na travessa das Pern mbucanas n. 3; a
ratar na ra Visconde de Itaparica n. 2, esenp
tro___________________________________
lilil
Ra 1. de Marijo n. 20
ESPECIALIDADE EM
Extractos.
leos ,
Tnicos.
Sabonetes.
Pasta para dentes.
Vasos para p de arroz.
Agua de cologne.
Agua Florida.
Regatas de cores.
Suspensorios.
Bico8 de cores
Luvas de seda
P de arroz.
Botoaduras americanas.
Lencos de seda.
EspartiIho8.
Fitas de cores.
Baleas.
Empermiveie.
Ficbus prateadoa.
Airiaral & C.
Vinho Kadur
o
Pe!o ui'irao vapor recebemes urna importantt
reraer.-a do delicioso vinho maduro, aoalysadc
pela jonia de hyniene da Capital Federal.
u VINHO MADURO, poro da uva, o melho
que tem vmdo ao mercado, : ueste estabeleci
ment seeocon:ra
SEMtNTES NOVAS de Bor= ? tcrtc'.rcas co
todas a-> qualiddes.
AZE1TE puro de oliveira em latinhas de meic
uiirn litro.
Eiu bebidas fiuis. como sejam : champagne
cidra, vinh.. Bordeaux, Porto, Douro, Chamber
tim, licores de diverjas qualidades. nao tem i
rival.
Queijos de todas as qualidades e o apreciad'
cqueijao em latas.
Eirtim, com&leto sortimeow de Receros d>
(-uncir qualidade para ua a boa despensa e b
precos sem ecu petencia
Ra estreita do Rosario numero 9
Pocas Mendes & (.
Telepbone949
Aluga-se
a loja '.o sobrado ra de Mariz e Barros n. 2,
popna i;i a i sttbelecimento de molhados, por
ter arm <;o cm todos os seus pertences, e lem
ao lado un a excel'c nie casa de banbos aunexa
a mesm'*'. e sobre ledo recommenda se a boa lo
caljdadc : qi;em a pr-iender dirija se ra da
Compa bia p. raa-nhucana n. 10.
t
nr. Joo II roa no Alves Maciel
2." anoiv.rsano
O coronel Thomaz Alves Maciel, anda muito
sentido pelo doloroso passamento de seu muito
amado rilbu Dr. Joao Hircaoo Alves Maciel, man-
da celebrar mistas por sua : Ima na matriz do
SS Sacramento de Santo Antonio do Recife, e
as de Agua Preta e Palmares, s 7 e 8 horas
da mauba de i 8 do correte, pedindo o compa
recimentoem taes actos de lodos os amigos seus
e do tinado, pe j que desde j maoifesla a sua
eterna irra iran
a ran na ierlrudea Van na
1- anniversario
Os filhos, genros e netos da finada Mananna
Gertrudes Vianna, mandam por sua alma rezar
urna missa na mariz na oa-Visia no dia 14 do
corrente. As 8 horas da m-nhS.
Cofre
de se um importante cofre, prova de fogo;
a tratar*na ra da Imperatriz n. 12___________
PEITORAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
A* cnfermldades mais dolorosaa da itargaata
e dofl pulndes, ordinariamente degenvolvem-se,
ti-ndo por principio banes peqcenaa, cu Jos multa-
dos nao ao dtfflols de curar se promptamente e
trato com o remedio conveniente. Os Xte#jfti>
ados e as Toaaea dau reciprocamente o remltado
de Laring-ltls, Aathtna, lironchitis, AflTec-
cao Pulmonar e a Tsica.
Todas as familia que tem eriancas devem ter o
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
em casa para o usar em caso de necessidade.
A perda de um m5 dia, pode em inultos casos
accarretar serias convqaenclaa. Por tanto nlo
se deve perder tempo precioso, experimentando
remedios de emenda duvldosa, emqnanto que
a enfermldade ae apodera do systema e so arraiga
profundamente, entio que se necessita tomar
nesse instante, o remedio mais ceno e activo em
eu efleito, e este remedio sem duvida alguma
o rBnrxw.:. se Cereja do De. Ayer.
PBEPABADO PELO
DR J. C. AYER & CA,,
Jjowell, Mass., Est.-Unido*.
DEPOSITO GERAL
SUPERIOR
fi^OOO a libra emlata
Importadores
4LFRKD0 LOPKS & G
M Ra da Imperatriz 88
PERNAMBUCO__________
Horticultura
Tem para vender e alugar differentes qualida-
des de plantas, especialidades em crotons, pal
meiras, roseiras e fructeiras, arbustos para ar
borisacao de mas; ; ssim como palmeiras impe-
naea e carolna principe ; na ra do Sebo n. 6.
^ttengao
Precisa se comprar dua taixas de ferro batido,
com oito palmos de bocea, mais ou menos, e
urna moenda com 24 pollegadas de paadora,
devem estar em bom estado : quem tiver dirja-
se por carta ra da Assumpcao n. 22 (Recife),
endereco C. S.________________
Aos proprietarios das
barracas
A liquidagao da ra Duque de Caxia3 n. 67
tem grande variedade de rticos que se prstam
(ira fazer um bem sortimento ; a elles 11
Antonio Jos deSouza
e Silva
Ignorando se aonde mora este senhor, pede
se para deixar a dtrecco de sua residencia no
escriptorio deste Diario. _________________
Ctpeiro
Precisa se de um bom copeiro ; na Passagem
da Magdalena, ruaBcmhVan. 12, paga se bem.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Ot proprietarios do Armazem Central, a r.
io Cabug n. 11, avisam aos seus dietinctos fre
aova remessa deste especial vinho, o qual s>
recommenda por ser puro da uva, e so se reta
Iba em seu armazem.
Joaquirs Christov5o O
Telephone 447
Cabra de leite
Vende se urna muito boa cabra de leite ; na
ra de S. Goncalo n. 21, taverna. _____
Comarca do Bom Conselho
Vende se urna parte do sitio denominado Ser
ra Grande, havido pelo inventario do tinado Pe-
dro C-valcaote de Albuqneique, no valor dt
650* ; a tratar na roa da Florentina n. 20, Nova
Hamburgo. _________
Farelo superior
no largo do Mercado ; 1*800 n 12.
( avallo, bois, carrtca e
carro v
No gasmetro, em Olinda, vende se um bom
cavallo, baixeir, russo, arreiado ; doos bois de
carroga ou farro ; urna carrosa e um carro j
osados tendo um camban para om ou dous
bois ; a tratar no mesmo gasmetro co-u o ad
minutrador.___________________
Alenlo
Na ra Velha n. 75. vende se um bom piano
allemao, em perfer.o estudo e por preco com
modo. ________^____________
20Ra ]. de Mart;o20
PAKA PRKSNTBS
Aeaba de receber o que ha de mais
lindo em caixas de perfumaras, as nov:-
dades ruis receDtes de Paris, as caixas
sao todas forradas de Betim.
E' um rico j rese^te que se pode offe
recer a qualquer pe-soa, sem risco de ha
ver cousas mais b riit/is.
PREgOS RESUMIDOS
Amaral dte G.
A Florida
Acaba de receber pelo ultimo vapor i
que de ma^or novidade tem a populosa e
grande cidade de Paria, os maia importan
tea artefactos da ultima moda.
Papel bordado com muita fantasa, propri
para otrtas.
Cromos de seda e de oleographia.
Caixas de msica com manivella para 1|J
26 e 34KXJO.
Caixas de msica, com corda, fechada*
com 1 a 3 arias para 7, 8, 9, 10 e
125, proprias para presentes.
Ricos enxovaes para baptisado a 70, 80
90, 105 e120000.
dem muito finos para 160 a 200 um.
Timosinhos com sombra com fitas e bico
de c mbraia transparente a 30 e 30500
Um grande sortimento de porta-tranc
para 5 Grampos dourados e c m perolas a 200 t
500 rs. um.
dem de celuloide e dourados a 200 e
300 rs. um.
Estojo para desenho de talagarca a 30000
Bandeiras de 13 dos Estados-Unidos di
Brasil a 1050 ', 30000 e 40000, confor
me o tamanho.
Grande sortimento de bolsas de pellica *
de chagrn pura 2, 3, 4 e 50000, par*
senhora e meninas.
Carteiras cem estojo a 3, 4 e 50000 t
10500 e 20000.
Grande sortimento de bicos de algodSo e
de seda, brancos e de cores.
Livros de sortes a 300 rs.
Albuns de pellucia e de chagrn, gost,
moderno, imitando um leque.
dem para cromos, poesas e mosioas.
Espadinhas para cria o ya.
Boleas de couro para cobranca.
Navalhas da Roger Ama > americanas ele
ctricas e de 2 laminas, e afiadores con
a massa propria para afilar.
Ramos de ores para baile e casamento
de 10>OO a 40L-UO um.
O Cabelleira engenheiro invento a 500
res.
iialoes e bordados de cores.
Bordados de cambraia de 600 a 10500 a
peya.
Sabonetes para tirar nodoas de casemiras.
sedas, lSs e outras fazendas finas de
800 res.
Oculos e pince-nez finos, dourados, bu-
falo e nickel.
Tinteiros para viajantes.
Espartilhos para 4, 5, 6 e 70000.
Collarinhos e punhos de borracha.
Caetas de vidro a 500 r'S.
Boleas para menino de cachola a 20COO
Sabonetes para banho com desinfectante
a 40(> ris.
Pulseiras americanas para 3, 4, 5, 6, 7 e
80000.
Aunis e brincos com pedra imitando bri
Ihante.
EUA DUQUE DE CAXIAS N. 103
Licor depurativo vegetal iodadi
do medico tftuintella
Este notabilissimo depurante que vei.
precedido de tao grande fama infallivel m
cura de todas as doencas svphiliticas, es
crofulosas, rheumaticas e de pelle, com.
tumores, ulceras, dores rheumaticas, os
teocopas e nevralgicas, blenorragias agu
das e chronicas, cancros svphiliticos, ic
flamayoes viceraes, d'olhos, ouvidos, gar
gantas, intestinos, etc., e em todas fe-
molestias de pelle, simples on diatherica
assim como na alopecia ou queda do ca
bello, e as doencas determinadas por aa
turaeSo mercurial.
Dao-se gratis folletos onde se encoc
tram numerosas experiencias feitas con
este especifico nos hospitaes pblicos <
muitos attestados de mdicos e documer
tos particulares.
Faz-se descont em casa de
FAR1A SOBRINHO C.
Ra Mrquez de Ollnda n.
Criado
Precisase de um iria o para o serviga do
mestico : na ruj da Pilma n. 109.
Boa morada
Aluga-se o 2- andar, com grande sotao, boni-
ta vina e fresco, roa nova de Santa Rita n. 41 ;
a tratar na padaria junto. ____
i aixeiro
Preeist-'e de um caixeiro que tenba perfaita
pratica de retalho e que d conhecimento de soa
ooodfli ti; na ru S. Seh stio n. 14. em Ohnda.
M
< rceiina
Vende se a bem localis ra e acredita a mer
ceari i da tua do Rangel n. 73, prosiroa ao mer-
cado ; trata ee na ra de Hortas.n 15.
Boa morada
Ha para alupar um bonito sobrado, alugnel
ba at na ra Direita de Afogados n. 7 ; a tra-
tar i a mesma ra n. i6
Romances francezes
A 500 rs. o volume, ven-
de-sem no escriptorio deste
> Diario.
Pao eenteio
Mello 4 Bisel tendo recetido nova remessa di
taaba rentlo, avisa aos seus freguezes qu>
oontinnanj a fabricar este delicioso po centeic
odas as tercas e sextas-Jeiras : na ra larga d(
Hosarir, r. 4o
4-
ja
raFALLIYBI
mpure^- Ib S^sb, E^pgoes, Esc-
m. uiesras, S![
& toda cffeeyo do natureza
eruptiva ou venarea
AlSAPHILfll
DE BEISTOL
0 Remedio fie Panilla por exceJlencia 1
Ama para meninos
Precisase de urna, de bons cestumes, pan
tomar conta de dous menioos ; a tratar na ra
do Cabula n. 14, de meio dia at 2 horas.
Ama
Precisa se de urna ama para co inhar : na roa
Pedro Affonso n. 70.
Ama
Precisa-se de urna ama que cosiobe e compre,
para casa de pequea familia ; na ra larga do
Rosario n. 38, 2- andar. _______^_____
Ama
Na ra da Matriz da Boa Vista n. 26, 1 an-
dar, pre isa se de urna cosinbeira, para casa de
pequea familia.
Ama
Precisa-se de urna ama ; ao largo do Corpo
Santo n. 17, 3- andar.
Amas
Precisa se de dms amas ; intratar na ra Ba-
rao da Victoria n. 54.
Ama
Precisa se de urna ama para sala ; na ra Du-
que de Caxiss n 83.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinha ; a tratar
na roa do Cotovello n. 27.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar e com-
prar e outra para cosinhar e engommar; na ra
Primeiro de Mdrco n. 2___________________
Ama
Precisa-se de urna ama para cuidar de urna
enanca e m is alguns servicos domsticos ; na
largo da Graca, casa amarella defronte da
'greja. __^^_________________
Ama
Precisase de uros ama para cosinhar ; a tra
tar na ra Pedro Affonso n. 9
Ama de leit
e
Precisa-se de urna ama que tenba bom leite e
seja sadia ; pa ra do Coovello n. 46.
Ouro pate
Compra-se, como tambem
moedis, ra du Cabug
n. 9., oja de Augusto Reg.
C'osinheira
Precisa-se de urna cosinbeira que entenda
bem da arte e durma em casa do patrao ; na
ru do Riacbuello n. 51.
i''aleados
Sapatos de feltro para quem soffre de dor
encia e lriald.de nos pes. d'onde causam di-
versas molestias, pots estao se acabando ; pre-
eos muito baratos a 500 rs o par. tanto para
Homero eomo para sentiora e enancas.
LOJA A' RA DA IMPERATRIZ N. 80
CACHEMIRAS
DE
SEDA DS X^A
Cachemiras de seda e 13 'com um metro
de largura, em todas as cores, ciel, gris,
saphia,bronze, wihite rose, marrn, beije
wxite rose, rose, tabaco, grostete, grenat,
i reto e creme, o mais fiuo que se fabrica
n'este artigo, a 3|$000 o metro.
Lola do Povo
11Ra do Crespo11
CKDU.R
Ra Karquez de linda n. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos. champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada cer-
veja Phoenix de Dortmuud
e do chocolate Ph. Suchard
de NcchateI.
Agencia da grande fabri-
ca de charutos Dannemann
& C, S. Flix (Baha).
Os productos d'estas ulti-
mas duas fabricas fo am pre-
miados com a medalha de
Ouro na Exposi^ao Univer-
sal de Pariz, em 1889.
Cosinheiro
Na roa da Saudade n. 27, precisa-se de urc
cosinheiro.
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira para casa de pe
queua familia no largo do Pirizo n. 14.
Aluga-se
a casa terrea da ra do^ldeirejro n. 90, caiada
e pintada 'le iwo ; a t a ar na ra lar^'a sario n. LIO. R;izar Pi-rnauhucano
L rige ano
Wnde-se o ei genbo Cun, moeni'1 e corren-
te, com propn gs para satre] -r 3 000 pes,
distante da eslaiSo na com rea re Goy.nn : quem o p etender, di-
rija-se u mesmo engenh > a tratar cem o pro-
prietariu Antoii'o O elh Ferreira abello.
Vende-se
a taverna bem afrepoezada no becco do Lobalo
n. 14 ; o motivo se dir ao compndor.
Libras sferlts
Vendem-se na ra do Com-
mercio n. 26, 1, andar.
! ."
**

s
::;

I
* L v Jl
r^
<"



)
11 /

.
*
* ano de Pernamhiuo- Qutnta-feira 14-iU Agosto ^e 890
CHfcGARAM
roo
ESTADO UE PEHMMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa Os mosquiteros americanos
l'om rmacSo e camtel conforme a estampa
PrecoS : l2$ooo, l4#ooo e 16$. oo de cores
Fzennd^s baratas [ Miudezas
Chitas claras finas, a 20 ) e 240 rs. I Vrnde se ni ti barato
Ca88aa de palminhg de cores a 120 rs. e Bicos e renda, br-ncas e de todas as c-
cortes cora 9 metros a 1600. I res a 8I0UO a peca.
Bab dos bordados a 500 rs. a peca.
Entremeiot bordados desde 500 re. a peca
. com 3 metros.
Lavas de sed< branca?, pretas e todas as
cores de 2, 3 e 4 botSes, a 2J000.
100 rs.
Linbc s e quadrin Zefiros largos a 200 rs.
Voiles phantasia a 200 e 240 rs.
Cratones franceses a 320 r*.
Lans de quadrinhos a 100 e 200 rs-
Madapollo americano, 20 varas a 6:000. Lavas de peca branca a 2(>000.
Morir lavado a 0500 a peca com 10 Capellas com veos de blondo c"e seda des-
v*r*8. I de 64000.
liada u.lfio com 1 metr> de la"go, 20 va I Meias urre dadas brancas p,ra senhora a
ras 6(5000 f 8 0 fti
Alg'idac.zinho m lito bom a 4(5000, 4)5500 Meias cruas d<-. cores lisas e brancas com
e 5(5000. { palmas a todo preco.
Bramante cm 4 larguras a 700, 800 e Fichus pratodos pequeos a 500 rs e
1*000 o me ro. j graodes 1*0" 0.
Bramante de linho, 10 palmos de largura, Lencos brincos ahainhado a l(5-'00, 1(5600
a 1(5600. 2*0 0 a duzia.
Atoalhdo bordado, 8 palmus de largo, a Lencos de cores a 1300 a duzia.
1<5300. j Baleias a 2uO rs. a duzia.
Panno da Costa pura toalha de mesa a Arcos a 10 rs. o mstro.
1(5000 e 1(52(X) o evado. Fitas phantxsia e ohamalotadas desde
Cortinados de crochet para portas e ja-| 400 rs. o metro, t<-d*s as cores e p-etas,
nellas a 7000 o par. I tem larguras 5, 9, 12.
Cortinados bordados para cama ou janella Magos com 12 pecas de fita branca chi
a 6(5000 o par. oeaa a 320 rs.
Cortinados de cores, novidade, a 1(5600 o' Extractos finos americanos desde 1(5000.
Sabonetes finos para pannos e sardas a
800 rs.
INTBGHABS
A 15.* parte da 1/ lotera desfe Estado ser
xtrahida tmpretervelm^nte tera-ieira 9
de Agosto.
Todos oh pedidos de bilhetis desta lotera
devem ser dirigidos thesouraria ru i arga
do Rosarion. 9 1. andar.
PELOS CONTRACTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.
mdalba T^rmr
0 OLEO CHEYMER
0 OLEO de FIG1D0
DE lCL0 FERRUGINOSO
4 a nica preparado qua oarmitta
admmtatrar o Ferro aam pro-
ducir Priaio de Veatre, nan
Ineommodo.
BrUNCO.LO.
EFERRUGINOSO
DIPLOMA DE ffOjrjjX]
B1CPITADO POB TODA! .8
Celebridades tf edioas j
DA TRANCA E DAELHOF
i aalniectado polo Alcitrio, _
Unta, a balsmico, o Qua multa m ^J
augmanla aa tnprladadaa da lias
= --=--' WJLESTIAS DO PEITO,
FFECQES ESCROFULOSAS
CHLOROSIS,
kHK:;, DEBILIDAOE
TSICA PULMONAR,
*?'*L.U i-^X^'*' MOMCHITES, RACHITISMO
H.rM,r,rt--i.n.irt.i "-^%r^:".."' VinhodeCoca
LICENCIADOS PELA INSPECTORA DB HYQIKNE DO IMPERIO DO BRAZO.
>&&im
.1856

^ATBU FE553B
BIS
PhTmflfrfUeT
Licenciado pela Inspectora geni de Hygiene do Imperio du Brul
metro.
Guirdanapos finos a 1(9800 e 2(5000.
Oleado par., meza grande ou pequea a
4(550(1 cada quadro.
Brim pardo a 280 rs. o covado.
Bnm de cSres a 240 rs. pxra meninos.
Camisas para senhora a 3550O.
Casaos ou penteadores a 2 ColUnnhos de linho e alg< dao a 5,5000 a
duzia.
Tamuos de fronhas grandes e pequeas a
1(5500 o psr.
Thesou'as finas com mola que dobra a
1-3500.
Lapiseiros de ouro fino a 1(5500.
Pentes phantasia para cabello por 400 |8.
Pegadores de tranca.
Flores para cabellos, chapeos e vestidos a
1||000, 1(5500 o ramo.
Crochets para cadeiras e sof guarnilo
a 7f5000
i Toalhas felpuldas h 4(5000. 5*'00 e 6,5000
A
(Codeina, Tol, ato.)
Babad"8 cm 4 1/2 metros de tamanho a a d izia ; para banho a 135(0.
1(5200 a peca. Tarlatana branca, verde, azul, rosa e en
Redes para dormir a 3(5"X)0. j carnada a 7o0 rs.
Boleas de tapetes grandes a 4(5000 e. Fil de linho liso, salpico, palmas borda-
45U0. i das.
Camisas brarcas finas para meninos a Lequ-s pra meninos a 500 rs. e finos a
3i'(5"00aduzia. : 3*100.
Cami.-a d-j-meia desde 900 ra. Leq. es de gazes a 1(5, 15500 e 2#000,
Camisas de flanella de cores desde 1(5800. EsHartilhos a 4(5000, 55 Coletes de flanella brwncos co n manga e dos os tamanh<.s.
'sem ella. Meias cruas e de cres para meninos a
Lencos francezes de lbyrintho a 1(5 00 e 30000
com bordado a 5( 0 rs. Lig s, phantasia a 1000 o par.
Guarda p americano de todos os tama- Sargelim de todas aa coran a 200.
nhes a 40OuO.
'OollariDhos, peitos e punhos de celluiloid,
muit > til aos viajantes; pre90 mais ba
rato.
E muitoj artigos que se off;recem ao
comprador por qualquer pre<>.
Loja das Listras Azu s
Crinolina branca, preti, cor de chumbo e
de cat a 400 rs
Cambraia de torro, preta e branca a 200
ris e com duas l.-rguras a 400 rs.
Magos de contas de cores, qualquer que
se deseje a 500 rs.
61 RA DUQUE DE GAX1AS61
COM QUINA
SUMO DE CARNE
\PHOSPHATO CAL!
Cotnpomto
com Substancias necessirias
e indispensaveis na
formacio e no desenmlrlmnto \
da Carne
muscular e dos Systemas
tracas de Constituico. **:43aJS&Z''' nervosos e ossosos.
O vlNHO DE VIAL e a Associ' j fe'.:- os ^!e cf Chlurose, a Tsica, a Dyspepbi.astaa'ralj'i s ou Gastnlas, a Drrlia atnica, a Idafle critica, a
Frouxidao ?eral, as iongas Convalesoiiiciss, itc. Em urna palavra, tod'is aquelles estados de Lan-j
cuidez de Eimagrecimenlo, de K-mlamento nervoso, aos quaes os temperamentos de hoje estao
latalmr- Bm '. Pi-M^ruriria .1. VKAJj. ma de nmtirbon, 14,
TNICO
ANALPTICO
RECONSTITUSTE
O Tnico
mais enrgico que dsverr
em pregar os Convs!escir.'.:c,
as psssos idesas,
as Mulheres, as Changas tlbis
e as Pessas
JUINA ?
sttw Pcrtiantl
11 FRAK 3. DA SILVA fc O* i 11 tda s ftarducias c Crotarin.
p?.skeic Ki-.ro?
250:000^000
UITEHIV DO GBAO PARA'
Promio maivf 12O:OOO$O0O
Lotera do Grao Para
Prmio maior 6O:O0d$dOO
Extraer' alternadamente dosossab-
baclos. Bilhetes a venda as casas do eos-
turne. /
VEROADEIR0.5 GRMS peS AIJDEOTFRANC
UCBUCIADOS WLA INSPECTORA QBBAL DB HYGIBNK 00 IMPERIO DO tk\M..
a Api lnl 'fittttmnrtttfrn ^urgellVoa, rtapftivo;_________
* k)ntra a Falta d etit*. a obstraeco. a Enxaqni-ca, as HlftM
. as"TpWire* etc. Dote ontna^c i. t a 3 nrons
'S Deaconnar as tklttflcac" IgJr o rot\; w.i.n ttnprimldo em frtrace:
Um^e^edu^^ii^1n0teeO&ei ^Ut i rncutw
Whmrmaud Liaoi
A tocio d Codeina pura m taha completada com as do Tol e da
Agua He JLot.ro ce reja, que fazem do XAROPE do .I1' ZED
\__ (# Casta Zd o peitoral mait enrgico em todos ot cato* de :
\ MHDnC T088E8, RESFR1.VMENT08, PNEUMONAS, COQUEuO ^M,
A CATABROS. WBOMNIAS 1EMAZES, DORES ABDOMINALES, tO.
f- Myrtol do Br Linarix
Laureado pea Faculdade da. Med.cioa de PaxriM.
O Bfyrtol Linarix apresenta-se sobre a forma de Glbulos empregadof com
o naior successo contra as
AFFECQE8 CHRONICAS DO PEITO
Defluxos, Bronchites, Catarro, Asma, com oppressSo e Falpita^Ses.
Os GLBULOS de YKTOL LINARIX tamao-se na dose de 6 por dia :
i pela manha, 2 ao meio dia, 2 ncute.
Todas as pessoas que tomao os VERDADEIRCS GLBULOS DO
D LINARIX sao unnimes em reeonheeer que respirao mate fcilmente.
\
Exija-se os Vordadeiros Olobulos Linarix de Clin & C'*, de Pariz
que se encontrdo as drogaras e as vitarmacia.
)
Peitoral de Cambar
Remedio soberano para as molestias dos orgao* respiratorios
approvado pela Exma. Junta de Hygiene Publica, autorisado pelo go-
verno central, premiado com duas medalhaa de ouro i rodeado de
muitc s e valioeos atteatados medicas que garanten] a sua eficacia.
O Peitoral de Cambar preparado em Pelotas, tm larga esca-
la, pelo seu desc bridor, o Sr. J. A. de Souza Soares, no conbecido
estabelecimento Agrcola Industrial do Parque Pelo ten se, exprs samen te
creado para esse effeito.
' urna prepHracao perfeita, de corpo volumosn, transparente e
de um gosto agradabilissimo ao paladar.
O nelhor attestado hoje da superioridade deste precioso med
camento est n seu consumo grande e progressivo por toda a Ame-
rica do Sul
Acra se venda as principaes pharmacias e drogaras desta
capital, aos precos do 26C0 o frasco, 13(J00() meia dnzia e 24)5000 a
duza
Sao nicos agentes e depositarios no Estado de Pernambuco.
FRANCISCO MANOEL BA SILVA & C.
23-HUA MRQUEZ DE OLINDA23
INJECQO
Hflmme Prttsr
.T! 0SS3AT
aomltmnti
GRAGEAS
de OopeMbe. Cubeta
Satesim Ferro. HimWHm
Btemtreo, TeretemtMem. V
Aa filUaUt POfITIM, forlo aa prlaiairu que obtvwam apprtnrufloai
e wmeteiem (1880) que adptaraan aoa Haapita.es. Gnrarj aa molaaUaa r
wkvim nktMM mtjm fatigar oa MtMajw 'mala UUoadoa
ArimilliOio TOWTWI mym, w^Mandada eoio ni ilmiln *< teasla.
i Pe i irnii >rcaJ.
wttmemttmVtt^tiiemmmu
PERFUMARA
PARIZ
Segredo la Juventnde
AGUA LAFERRIERE
Para o Tvucador.
POS LAFERRIERE
LAFERRIERE
PARIZ
Segredo da Juventude
OLEO LAFERRIERE
Pura os Cabellos.
________ ESSENCIAS DSVERSAS
fofto. ^^^| ^t\w^^ Pora o Lenfo.
PRODUCTOS HYGIENICOS para conservar a Belleza do Rosto e do Corpo.
___ c\
ii 11
ODONTINE
SABO DENT-FRICIO
DO
Um. RIEDEL,
A melhor prepara^ao hyieuica para clarear e conservar
Approvda pe'a junta de tiygiene do Rio de Janeiro, com a marca registrada i
ra todos os Estados Unidos .^o Brasil.
YENDK-SE AS SEGMNTKS CASAS:
~8
'nr-ijo pila tettmtsta ea itftteaa o Imosm ir, tmh.
UISmS AH8AL0 GITRIN:
de Savaresse
Ptrnememefti alonan anta aOiaaa mu a>
SSOLE TI A. S SEOBBTA8
te qu* aS'amotmt Capsulas *ntt>erfmlmemte rtrcmmtmenHrtatam ame mttueee
Vm -un 'com iDflrooftVi r'iniplctai pan a ttaHinrata) cor rcrmtoiTOia d*c:ro d> ama aamaaa
irr^.yi*. me>irm av c-, am Liverpool. iNm, t.F.nmtett *\- wm, am londres
' a -r 'TV"......."*rc-
FABRICA DE LIVROS DE ESCRIPTURflCAO
fflANOEL J. DE ffllRANDA
^39
RA DUQUE DE *-CAXIAS *- 39
NUMERO TLEPHOICO 194
Maia Sobrinho & C.
Castro Medeiros & C.
Duarte A C.
Pedro Antunes & C.
JoSo Hezerra A C.
Netto Campos & C-
Manoel Joaquim Ribeiro & C.
Maia e Silva <& C.
Barbosa & Santos.
Barros & C.
Numa ompilio.
Nones FoDseca & C.
Manoel Vieira Neves.
Manoel Cardoso Jnior.
Manoel Coliseo & C.
Papoula & BastoB.
Ribeir. & Almeida.
Antonio D. de Lima & C.
Sabino Pinho & C.
JoSo Ramos,
^^*'
Deposito por atacado
THEO. JUST
Lar^ro VENDAS
E'AYEi
jaff
li
'i-rourdo i mpe
Xmprega-K HI. tr fi$CO VA, e sao superbo
I aaapoa.'talire-o calcado, aa nrr. m a todas oatoapoa'ftlaWaaaM,-
I laraado a o lustro torna a *a parecer de si "tartera o couro e nao maacha m
| Teatldoa. Nublan manatacturing C", L", G1 Saltron Hill Loadon, InglaUri a
______________ Venda-a* am toda a. parto,
frjjti Bleid mim ^4|i
Este exccllente Whisky Escoce- e ot
ferive ao cognac ou aguardan t' d^ nac
para ,v-rt'ficer o corpo.
Yede-se a retihr- roa melt..ires a.--
eetlB de molhados.
Pede ROfal Blead marca Tladc
cujo come e emblema sSo registrados par-
todo Brazil,
BROWNS ft C, agente.
ATKINSON
PERFUMARA ingleza
Bzcede todas as mitra? pelo sen
perfume exquisito. 4
Afamada
AGUA de COLONIA de ATKINSON
em riral pelo en perfume e piii conr-n-
tra^fto. Excede torios os progne: <
lares ven'1 idos sob o lueamo oouic.
lff?A FLORIDA de ltlRSCH
1 delicado perfume para o l<
e ama eaeolba ejnnWta.
Cnccntra-M am Ca ir todos oa H*0-
' f br, anl-s
J. 4 E. TKI s n
24, Oler BeSia Street, LontTre
Maro. d Fatarira L'n Bola branca 7
obra uiua Lyra da Oaro "
aoaiandafacoM tolalMaAa
Vende se a taverna da ra do Progresso l.
20. propria para principi me ; a tratar com o
doDo n roa do Payeand n. 20, ou na mesaia.
Vende se urna taverna na estrada nova de
Caxarg, do lugar Corde ro n. 156 ; a tratar na
mesma.
Vende-se nma casa em Afosados, db roa
de Motocolomb o. 25, com 2 salas, 5 quartos 6
quintal com arvoredos em terreno proprio ;
tratar na ra velba de Santa Rita n. 6i.
Ven le s. a tavera sita ra da Palma n.
71 ; a tratar na mesma.
Vende se a bella rasa na mais bonita posi*
gao oeOlinda, pateo de S. Pedro mulo boa
com grandes coturno tos pa a familia, gaz, agua
terreno proprio, livre de onus ; a tratar no Ca-
minbu Novo i. 128, e vende-se j por sua dona
retirar je para lora da piovincia.
Vende se, alaga se, on permuta se por
predio u a pequea fabrica de sabao prompta
a trabalhar, com urna pequea casa demorada a
muito bem lo .-alisada ; a tra'ar na ra da Madre
de Deus n. 16.
EGEHO
Vende-se o engeDho In-
haman na comarca de Igua-
rassu, perto da cidade, todo
recortado de trilhos de trans-
porte de canna para a usi-
na Timb.
Quem pretender, dirija-se
a ra Barao da Victoria n.
18 1. andar, ou a usina
Timb.
Attemjo
Prelo do Rio da Prata, com 42 kil s a 14780,
veodem Silva Azevedo* C, 4 roa da Concordia
numero 73.
Chlorose.- Anemia Calharropulmonar,- Bronchitechronlca,
irVuirro aa-texiga, Phtisicp, Tosse convulsa, Dyspemtta, Fa'M&?r
*raas sem'naes, Catharros antigs e complicados, otu
"wni^vora nenain, 1 c" >a3Ur- ; na* orbyirawt rxri-ut i*/.-
N-21
Fazendas baratas para acabar, por metade de seu valor
IV .4
Na ra do Civspo n. 21
Gomo sejam:
Voile de cores, ramgens e desenos novo*, a 200 rs. o covado.
Ajsthines de cores, lisos, quadros e listras, para vestido e roupas de crianca,
fazenda nova cores fixas, a 280 rs. o covado.
Zephires de cores, a 12'), 160 e 200 rs. o covado.
Percales de cores, lindos desenhos, a 28 > rs. o covado.
Lmon enf itado, padroes miudinhos, a 320 rs. o covado.
Organdy de cores, ramag-ns da mada, a 70" rs. o covado.
Olindinus, desenhos de folbagem, a 500 rs. o covado.
Cachemiras de cores para vestidos, fasenda francesa, diversas cores, combina-
2,5400.
Capinhas hespanholas, pretas e creme, seda, a 3*5000 ama
Vestuarios de Jarcey para crianca; n'este artigo temos grande sortimente 9
vendemos a preco de 45UO a 8(J00.
Voiles assetinados, imitacao de seda, a 240 rs. o eovado.
Daaass, a mais linda fasenda para vestido a 800 rs. o covado.
Aventaes para senhoras, completa novidade, todos bordados a matiz e moda
segundo os ltimos gurnos, a 1(9500 um.
Vestuarios de Cambraia e instilo, todos bordados, para meninos a 6(5000 9
8(50CO, sSo de 20;000.
Sargelim de cores e branca a 200 rs. o covado-
Cestas de vime e palha, de 3(5, U, 50, 6(5, 7(5 e 8(5000.
Capas pretas enfeitadas para senheras, de merino, cachemira, seda e damasse.
de 20(5000 a 5i (5 L3s, cachemiras, merinos pretos e de cores, que liquidamos por todo preco ,
bem assim grande sortimento de outras fazendas que vedemos a pteco mdico.
NA RA DO CRESPO N. 21
LOJA D IMPOS
i




1
I
-
f.

I


:

GR
www
!#* A
o*
iV-fl
A R M A ZB 5
LOI%
FRANCISCO GURGEL & IRMAO
Esta importante luja de modas, completamente reformada, tem n'estes ltimos dias recebido um variadsimo sortimento de
tecidos de phantasia, escrupulosamente escolhido por um dos socios actualmente em Paris, os quaes dam-nos urna perfeita idea da ultima
pirase da moda, em meio das variadas mutacoes dos progresos sociaes. Os seus proprietarios nao poupam esforcos afim de bem servir
ao publico em geral e especi?lmente s Exmas. familias a quem rog-am a fineza de suas visitas a to importante estabelecimento.
Naimpossibilidadede mencionar-se todos os artig-os deque se compoe este incomparavel sortimento notam todava os seguintes:
Ricos enxovaes para baptisados e casamentos. Rendas e bicos de difiFerenten larguras e qualidades.
Lindissimos tecidos de phantasia para bailes, theatr s, passeio, etc. Riquissimas capas e pellerinas, pretas e de cores para senhoras.
Bonitos cortes de J, seda, linho, e levantine ; inteiramente novidade. Guarnico* s de novos modelos para vestidos.
Sedas pretas lavradas e ce m chamalote para todos os presos. Luvas, laques, chapeos de sol, espartilhos, manidas detheatro e urna
Surahs pretos e de cores de differentes qualidades. infinidade de meias de seda, fio da Escocia, alg-odo, etc.
PREGOS RESUMIDOS
HUA 1. DE MAKgO 2T. 20 A
DR. CARLOS BETTENCOUftT
II IIII i ililllt
GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
Elixir anti-rheumatico, anti syphilitico e empregado em todas as molestias de
pelle, erys'pella, darthros oa empigens, beri-beri, anthrazes ou carbuncal s, cancros
venreos, feridas cancerot-as, ulceras, gonorrheas chronicas, boubas, bub5es, escrfu-
las e todas a's doencas que dependem da impureza do sangue.
Este remedio superior a todos os outros do seu gonero, o que est provado
pela preferencia e acceitaco que Ihe d o publico.
Um frasco 3^000, urna duzia 30$000.
m n hiHb khi muHH
TONINO FEBRFUGO e desobstruente
Empregado na debilidade geral, doencas do estomago, convalescencas depois
do parto, febres palustres, molestias do figado e baco, falta de appetite, anemia, chlo-
rose, cores paludas ou falta de sangue e doencas nervosas.
E' um reconstituinte de energa, aromtico e agradavel ao paladar.
Um frasco 3$, urna duzia 30100
MECCAII BETTEMIURT
JlHTI-BUEHOBBHASICA
Gura radical em seis dias
Em pregada com ptimo resultado MI corrimentos agudos ou chronicos da
urethra ou vagina, leucorha ou flores brancas. Este medicamento de urna grande
eficacia,
Um frasco 1#500, urna duzia 15
VINHO TNICO
Com lacto-phosphato de cal e ferro, coca, cascas de laranjas amargas e quina.
O melbor remedio que se tem formulado pela combinaco destes heroicos
medicamentos. Empregado no tratamento das molestias do peito, do estomago, ane-
F0LHET1M
TERCE1RA PARTE
A filha adoptiva
mias, menstruales difHceis, debilidade geral, cores paludas e todas as vezes que se i
quer fortificar o organismo e dar desenvolvimento ao systema osseo e muscular, i
Convm s pessoas ou senhoras que criam para tornar o leite mais nutritivo e robus
tecer as crian cas E te remedio superior a todos os tnicos estraogeiros que se
annunciam por ah.
Um frasco 3$000, urna duzia 30#000
Xarope d jaramacar composto
GRANDE PE1T0RAL
Tratamento e curativo de todas as molestias do peito e da garganta, defluzo,
tosses simples e convulsas, coqueluche, constipares, asthma, bronchite, catarrho
chronico e tsica pulmonar e do laiynge-
E o primeiro peitoral que se conhece at hoje na medicina.
Um frasco 2*500, urna duzia '4E000
GAROSINA
O emprego da CAROBINA deve dirigir se a comrater as seguiotes moleslias:
aa diversas formas das doencas chronicas, os desengaados, soffrimentos do tero,
affeccSes cancerosas, beri-beri, escrfulas, tumores brancos, ulceras chronicas, -ffec-
c5es venreas rebeldes, paralysias, molestias do coraco, da garganta, rheumatismo
chronico e gottoso, molestias de pelle, assim como todas as enfermidades derivadas
da impureza do sangue.
Um frasco 3#000, urna duzia 30#000
nicos exportadores
COMPANHA DE. PRODUCTOS MBDCNAE8
31-KUA DOS OHIYKS-31
RIO DE J \l IHO
Vendas em grosso e a retalho em Pernambuco
Francisco Manoel da Silva & 0.
POR
PAULO I AM. KKMO\ T
SEGUNDA PARTE
A victoria do mal
(Continuaco do n. 163)
i XII
Ib A CASTA ASOSYStA
O Sr de Rhodes nSo quiz recusar ao
Mrquez o que elle pedia com urna insis-
tencia augmentada pela febre e pelos re-
mersos.
Assim, o corpo da pobre martyr foi
denosto provisoriamente n'um carneiro da
Chaftreuse, o grande cemiterio brdeles.
Logo no dia seguinte Diana parta com
Aiiinha Castarde, levando Ignez, a saa
ova filha idoptiva, para o castello d'As-
terao, onde o leite destinado a alimenta! a
seria mar paro, mais sao do que em Bor-
dean, ao paiso que igualmente o ar das
monsimas ajudaria a desenvolvel-a e da-
pKcaria as forcas e a saude da pobre criao-
c semMti.
FU DA tgniDA P.
OLHOS AZl'ES E OLHOS VERDES
Passaram-se dous mezes.
A febre typhoide, que o Dr. Lalande
tema, declarara se em Fabio d'Argelles.
Ella tinha sido terrivel.
A fin al, os cuidados de Jacques de Rho-
des lograram triumpbar da molestia.
Mas as forcas do marquez voltavam
muito lentamente.
A sua palhdez tornara-se assustadora ;
acreditar se-hia que o joven marques era
minado por algum mal profundo, que nao
o perdoaria.
Diana ?...
Elle nao fallava nunca na sua pessoa,
nao pronunciava o seu nome, parecia nao
preoecupar se em saber sequer se ella exis-
tia.
Essa dor verdadeira irapressionava Sr.
de Khodes ate o amago da alma, fazia o
estimar Fabio mais do que nunca, ao pas-
so que igualmente mais do que nunca fun-
diam-se como a nev ao sol as fugitivas
saspeitas que concebera por occasio da
morte de Margarida.
Um dia decidi se a fallar ao genro.
Meu filho, disse-lhe elle, sente-se
com as forcas precisas para deixar Bor-
deaux e emprehender a triste viagem que
sabe V
Fabio estremecen.
Que viagem ? perguntou elle mais
plido ainda do que de costume.
Mas nos devemos, antes do invern,
transportar minha filha para junto de sua
soi, que- repousa em Asterac... Esqueceu-
ta disse entl* ?
Agua niara vilosa
Com a applicacSo desta agua, quem soffrer de
esDnlia8, pannos, sardas e vt-rmelhidao do ros-
to ficar perfeitamente corado, reconheceodo-a ,
desse modo, corro nico especifico efficaz. Alm ',
desses effeitos, tem ella a propriedade de, lor j
nando a cntis limpa. dar Ihe a cor natural. A i
cada vidro que custa lOOO. aiompanha a respe- (
diva iodicbcao do uso.
nico deposito
Drogara de Faria Sobrinho <& C, ra
Mrquez de Ohnda n. 41
Ah meu Deus, nao !... respondeu
elle tapando com as mao os olhos que se
enchiam de lagrimas, nao esquejo nada !...
E sente-se com forcas para fazsr a
viagem ?
Sinto-me.
Entao prepare-se. Depois de amanta!
partiremos.
Jacques ia deixal-o.
Fabio fez Ihe um signal.
Meu pai, disse, quizera pedir-Ihe um
conselho...
Falle
E' indispensavel o meu casamento
com a menina de Cndales ?
Voc prometteu-o.
Poda porventura recusar, quando
urna moribunda o pedia, o exiga mesmo,
como o senhor ouvio ?...
Era o seu desejo, preciso que seja
cumprido.
O seu desejo era principalmente que
Ignez fosse amada e tornasse a encontrar
I urna mai; e ella nSo quena, com toda a
delicadeza d'alma de que era dotada, que
\ a reputacao dessa mi adoptiva podesse
soffrer com a minha presenca...
Bem v que forcoso obedecer lke.
Porque Margarida tinha razSo... Todos
os motivos de que voc falla, sao podero
sos.
Haveria outro meio de respeitar as
conveniencias e de nao me impdr urna
obrgaco superior s minhas forcas/
Qual ?
Permita me que eu v para os mos
teiro3 da Trappe ou da Urande Chartreuse
cherar eternamente sua filha...
O Sr. de Rhodes reflectio.
E se a menina de Cndales se casar
mais tarde, objectou elle, que ser de
Ignez?... NSo, nao, os moribundos veem
s vazes melnor mais longe do que nos;
devemos cumprir os juramentos que elle
nos pedem.
Fabio tornou a cahir na sua poltrona,
c
era
Vende-se na ra do Cabug n. 2, segundo a
qoalidade, de JOOO a lio K) a libra, e sendo de
arroba para cima faz e na de 2.* o descont de
30 U/0 e na de 1.' de 20 0/0. Pedimos, portante
a todas as gessoas qne precisarem deste genero
a virara verificar a qualidade. pois dessa forma
que poderao avallar qual 6 a melbor. No mesmo
estabelecimento tem um completo sortimento de
fazeodas que se vendem por pre^oa sem compe-
tencia, para liquidar.
tomado de profundo desanimo, de sincero
pezar.
Efectivamente, longe de Diana, nao sof-
frendo mais a sua diablica influencia, elle
achava-se todo entregue sua do-, que
era verdadeira, aos remorsos pungentes
que o seu carcter honesto, comquanto
f'ra-.o, Ihe devia impdr.
Junto della, porm, acorrentado aquella
seduccSo que Ibe fazia abdicar tudo, tudo
esquecer, que seria del le ?...
Que nova infamia, que novo crime Diana
Ihe taria commetter
NSo bastavam j os paludos phantasmas
da Sra. de Rhodes e de Margarida para
atormentu, -\hs o espirito e m.tal-o lenta-
mente ?
Nao se ia prefervel ir sepultar se n-'uma
solidao f terna a tornar a cahir debaixo do
imperio daque'la maldita e perversa crea-
tura a quem adorava tao absolutamente,
to criminosamente, quando se achava por-
to delU ?...
Quandu o viram em Asterac, acompa-
nhar o esquite da esposa, na plataforma da
estrada de trro, to palhdo, to acabru-
nhado, to curvado, de todas as boceas
soltou-se urna exclamaco unnime :
(JooiO sent a morte da pobre moca;
o nosso querido Sr. marquez !... Elle
ao Ihe sobreviver de certo por muito
tempo !...
E afirmase, entretanto, que vai ca
sar com a menina Diana, porque a marquesa
assim o pedio antes de morrer.
Para que a sua pobre orpbzinha
tenha urna segunda mi que a ame.
E ella conseguio esse tm. A menina
Diana, que nao era nada carinhosa, douda
pela pequea.
Sim, parece que ella nSo a deiXa ara
momento, que a acompanha como a propna
sombra, e Matheu Puyloa diz que a me
nina de Cndales- fica com febre qaando a
crianca solta simplesmeote um grito...
Mas o que ainda mais attrahio a atten
co daquelles que acompanhavam o corpe
S na Revoloco
48Rna Duque de Casias-IH
O proprietario deste tabelecimento conti
nuando a liqudalo, est vendendo por
menos 50 /0 tanto fazenda de lei como
de moda.A SABER :
Modas
Cortes de etamine de 140000 por 80000.
Surah de linho muito largo a 320 rs. o co-
vado.
Voile de la matisado, ultima m do, a
80;t rs. o covado.
Dito de algodo a 200 rs. o covado.
Etamines de cores a 28U, 300 e 320 rs.
o covado.
Merinos lavradoa a 500 rs. o covado.
Zephiros de cores a 120 e 160 rs. o co-
vado.
Las de cores a 200 e 240 rs. covado.
Cachemira de quadros com listraa de seda
a 1000 o covado.
Cortes de metim par vestidos a 65000
um.
Ditos brancos bordados a 12iJOO0, 140000
e 150000 um.
Luvas de seda a 10, 10500 e 200 0 o par-
Cortes oe cachemiras bordados a 250000.
Cipas ricamente bordadas a vidrilho por
250000.
Cortinados de crochet a 100000 o par.
Le
Madapolao americano com 24 jardas a
50000 a pe^a
Bramante de linho a 20000 o metro
Pannos de crochet para cadeiras a 500
is um.
Sargelim de todas as cores a 200 rs. o
o covado.
Cortes de casimira para caiga a 40000
um.
Colchas de cores a 20COO, 30000, 40000 e
50000 urna.
Toilettes para baptisados a 60000 um.
Fichs de retroz, todas as cores a 10000
um.
Cortes de cambraia branca de quadros a
10600 um.
Cort nados bordados a 60000 e 70000 o
par.
Atoalhado de linho com defeito a 20400 o
metro.
Camisas finas de meias a 10000 urna
Cobertas forradas para casal a 20500
urna.
Batistas de cores a 120 e 160 o covado.
Toalhas para crianca a 100 rs. urna.
Ceroulas francezas, a 10000 urna.
Atoalhado de algodo a 10200 o metro.
Algodao trancado para toalha a 10OUO o
metro.
Bramante de algodo com 4 larguras a
800 e 10000.
Lencos de algodao a 10200 e 20000 a
duzia.
Ditos de esquilo a 20500 e 30000 a duzia.
Collarinhos e punhos de esquiao, preces
sem competencia.
Cretones escuroa e claros a 200 e 240 rs.
o covado.
! Brim pardo trancado a 240 rs. o covado.
Panno da Costa para mesa a 10200,
10400 e 10600 o evado.
Camisas de linho para homem a 20000,
30000 e 40000 urna
Vestidos de Gersey para cranla a 60000
um.
Costumes de cachemira para homem a
140000 o 150000 um
Cortes de fus tao para collete a 600 rs. um.
Guardanapos c m franja a 20OCO a duzia.
Espartilhos couraca a 40000 um.
Granadinas pbantasia a 360 o covado.
E muitas outras fazendas que s com
a vista, assim como em sua officina de al-
faiate aprompta-se em 24 horas qualquer
costume, garantindo-se toda perfeico em
trabalho e prego resumido.
So na Revolugao
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
da joven aenhora ao cemiterio, para onde
a couduziram directamente, foi a attitude
de Jaeques de Rhodes.
Nessa poca o armador nao tinha mais
do que os seus quarenta e oito annos.
A sua cabera soberba conservara grande
aspecto de mocidade, que era ainda aug
mentado pelo sea corpo esbelto e pela su
prema distineco de toda a sua pessoa.
A sua barba, os seus cabellos cuidado-
samente tratados, nao apresentavam um
fio de prata; apezar das dores e dos des-
gostos que o haviam assaltado, a sua ener-
ga e a austeridade da sua vida taziam
com que se nao Ihe dessem trinta e cinco
annss.
Ao lado do genro, curvado, envelheci-
do, dobrado ao meio como um velho, Jac-
ques parecia maior, mais desempeado,
mais enrgico que nunca.
E entretanto eia to grande e desespero
d ama. que se Ihe lia no rosto mais branco
do que o marmore ; os seus olhos apresen-
tavam to inoividavel e* presso de dor,
luto to prot.mdo, to eterno, que, ao vel o,
todas as cabecas inyunctivamente se des-
cobriam, todos os coracSes se canfran
giam.
E nem urna palavra sabia dos labios dos
espectadores.
Para lastimal-o, nao se encontravam ex-
pressSes.
Diana nao acompanhon o cortejo.
Esperava no castello d Asterac com
Ignez, que Jacques e Fabio l fossem ter,
rinda a ceremonia.
Esta fe i longa, muito longa mesmo.
Afinal Margarida repousou ao lado de
Branca, debaixo da capellinha de marmo-
re branco que ria ao sol, n'um canto do
cemiterio, de ende avistava se ao mesmo
tempo o castello e o valle, muito prximo
da igreja, onde o harmoaium, fechado ha-
via muito tempo, conservar se-hia mudo
sem duvida.
Em urna das faces da capellinha va-se
Obras de vimes
Recebemos ueste ultimo vapor grande e com-
pleto sortimento, come sejam :
Cestas para compras, tamanbes diversos.
Balaios para roupa engommada.
Balaios para ronpa suja.
Costureiro.
Acafates.
Bonitos bercos e lindas cadeiras.
POCAS MEjVDES C.
Ra estreita do Rosario n. 9
danto a Igreja
o nome de Branca, na outra o ne Marga"
rida e em baixo :
MORTA AOS VTNTE ANNOS
Quando as pedras do tmulo foram
ajustadas, Jacques pareceu arrancar-se
immobilidade que o mantinha mais erecto
e mais rgido do que urna estatua de pe-
dra, com os olhos fixos, sem um suspiro
nem um movimento, nada, a nao serem
algumas contractas involuntarias no seu
rosto descorado, de p diante da sepultu-
ra de tudo quai.to havia amado neste mun-
do.
Tocou no hombro do marquez.
/amos, Fabio, disse Ihe, a cami-
nho!... Voc nao sosinho na trra...
Sua filha espera-nos ambos!...
Foi elle quem deu o braco ao mancebo.
E viram-n'os afestar-se na direceo de
Asterac, sem que nngum ousasse acom-
panhal os, nem mesmo tallar-Ibes.
Onde est a menina Diana? foram
as primeiras palavras de Jacques ; porque
pela manh, acompanhando o corpo da
tilha, nao perguntara pela rapariga nem a
vira.
Est em cima no soto, responde-
eam-lhe.
Effeutivamente, o aposeito mais vasto,
mais arejado da casa e no qual penetrava
o sol mais largamente, tinha sido o esco-
lhido pela menina de Cndales para criar
a tilha de Margarida.
Jacques, cujo coraco havia pulsado tas-
singularmente por Ignez desde que ella
nascra, nao tinha por esse lado razo da
queixa.
Quatro a quatro, com ardor de moce,
galgn os degros que o separavam da
crianca, que era tudo quanto Ihe restava
de Branca e de Margasida.
( Continuar tt-hm.)

<

*.
['
V
v
^O *5lRY Vnde-se era toda a M* -
f
Tjp. Diarto, Rus Duque de Caxias n. t
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETOAT5EEN_6HOMMG INGEST_TIME 2014-05-21T23:57:47Z PACKAGE AA00011611_17371
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES