Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17257


This item is only available as the following downloads:


Full Text

..'...-'
i flr'*-
ANNO LXV NUMERO 116
i) l
SEXTA-FEIRA 24 DE MAIO DE 1889
a


:

PARA A CAPITAL E LIARBII ONDE SAO SIS PACA PORTE
Por tres mezes adiantados..........
Por seis, ditos dem...........
Por um anno idem.......
Cada numero avulso, do mesmo dia.....
60000
120000
230000
0100
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados ....
Por nove ditos idem.....
Por um anno idem ...
Cada numero "avulso, de diaa anteriores
130500
200000
260000
0100
DIARIO DE
Tropriedade de Manoel Zftgueijca dt acera # 3W)cs
KogamoK ao> boimi anaigiiftale
fne ncham em aira zo o obsequio
de mindarem abonarauaiSHlgna-
turan at o lim do corrate mes
para evitar a suspenso da remes
a no principio do me* eguinte.
-V
IELEGRAMMAS
&O DE JANEIRO, 23 de Maio, as 2
horas e 45 minutos da tarde.
Nao houve hoje sesso na Cmara dos
Deputados.
Hoje o gabinete ha de convidar a maio-
ria dos deputados para urna reuniao poli-
tica.

:::,::;: : :::r:: botas
S. PETERSBURGO, 22 de Maio.
O general Gourko, governador geral da
Varsovia, foi destituido de suss func-
ces.
BERLIM, 22 de Maio.
Um grande revista de tropas acaba de
ser passada em honra de S. M. o Re da
Italia.
S. M. foi aclamado pelas tropas.
. A grve decresce em grandes propor-
cBc: na Westphalia.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
23 le Maio de 1889.
PARTE OFFICIAL
INSTRCClO POPDLAR
AS GRAITOS IWEAfOES
ANTIGS K-MftDKRNAS
Sciracias.
AS
industrias e artes
POR
a-saz ya-s^aasa.
XV
A electricidade
>**
nrpriio da Provincia
r>K8PACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 22 DK
MAIO DE 1889
Abaixo assignados agricultores e eleitores
residentes no povoado de Santo Antonio de
Buique. Nao tem lugar em vista da disposigo
do art. 33 das instrueges de 24 de Maio de
1887.
Antonio Rufino de Barros.Sim.
Bernardo Silvestre do Nasciraento.Informe
o Sr. Dr. chefe de polica.
Cjcero Vieira de Torres Gallindo. Concedo
flDdiafctMi.w. ,4>~ **.-
Capiwo Drago Carneiro Rodrigue^ arapeflo.
Informe, o Sr. commandante superior da
"guarda nacional da comarca da Escada.
David Marques da > osla Pombo.Sim.
Francisca Euphrasia da Conceigio Neves.
Por despacho de 29 de Abril lindo conced tres
mezes de licenca a supplicante aquem por acto
de 18 do corrente mez gfoi expedida a respecti-
va portara. Nao pode, por isso, ter lugar a que
de novo solicita.
Fielden Brothera. -Remeltidoao Sr. inspector
do Thesouro Provincial para mandar effectuar o
pagamento, de accordo com a sua iuforraago
n. 149 de 17 do corrente mez.
Francisco Monteiro de Mello.Aguarde a re-
quisigo da autoridade competente.
Irmandade do Divino Espirito Santo do Reci-
te.Subraetta-se deliberago da Assembla
Legislativa Provincial.
Isabel Candida Tavares da Costa. Aguarde
concurso.
Bacharel Joo Zeferino Pires de Lyra. In-
forme o Sr. inspector do Tesouro Provincial.
Alferes Jos Nicolao Ferreira Gomes. Sim,
na forma da lei.
Capito Joo Perciliano da Costa.Remetlido
ao Sr. commandante superior da guarda nacio-
nal da comarca do Cabo para mandar passar
a guia de que trata o art. 43 do decreto n. 1,130
de 12 de Maio de 1853.
Bacharel Malaquias de Queiroz Barros.Defe-
rido com o ofilcio de hoje a Thesouraria de Fa-
zenda.
Rouquavrol Freres.Ao Sr. inspector da The
souroria de Fazenda para mandar pagar estan-
do em termos.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 23 di Maio de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
Isto posto, sem embargo das circumstancias
mencionadas, accidentaos e nao de existencia
permanente, a companhia acha-se em estado
prospero e em via de lucros nao duvidosos era
sua explorago.
O bataneo geral da companhia fechado em 30
de Marco ultimo demonstra-o claramente, e. por
isso consignamos o.seu activo e passivo para
melhormente apreciarse o estado a que allu
dimos.
Activo
Usina Pinto 300.000*000
Deposito da Directora
Material rodante
Lettras a receber
Obras novas
Acces da estrada de ferro de Ri
%>-*: beirao a Bonito .<
Movis e utensilios
Augmento de vias frreas
Terrenos
Banco Internacional do Brazil
Sobresalcntes
Questoes judie iaes
Caixa
Contas correntcs
Assucar
Almoxarifado
(Continuacio)
Ntese que este ultimo principio pode servir
para conhecer a especie de electricidade que
tem utn corno electrisado. Com etleito, dado um
corpo electrisado, supponhanios que se quer sa
ber'a natureza da electricidad!- que contem, isto
0, se tem fluido vitreo ou fluido resinoso. ne-
gu-se a este corpo um fio de seda electrisado
resinosamente : se o to fr altrahido, porque
se o Ho fr apellido, porque o corpo esta car-
regado de electricidade resinosa. E' este o
"ipi de um apparelho muito importante,
amado electrmetro, o qiial serve para deter-
minar tanto a presenga, como a natureaa e inten-
-:dade das mnimas quantidades de fluido el-
ctrico.
O noraede Dufiay tornou se popular em Fran-
ca, quando este demonstren que o corpo huma-
no pode arodozir faisca elctricas. Aquelle
collocava-se em urna pequ 'na plataforma. Rusti-
da e solada por cerdas de seda, e fazia-se tocar
eoai i"n grossO tubo de v.! > friccionado, para
eleetnsaro sen corpo. l'm joven sabio, que
;:js tarde-se fez cele., o padre Nollet, que
re servia de ajudanu. tirara vivas faiscas quan-
do a*|roxj*a,va a rao do corpo de Duffay.
Di'sswpos cima que a machina elctrica de
Ha; be baria ido rejeitada pelos experimen-
ta Em 1733, um physico allemo, chamado
to-/.-.-, otisuio urna machina, na qual smente
um iobo de vidro substitua o globo de enxofre.
A machina de Boze constava effectivaincntede
mr globo fleo de vidro. atravessado por urna has
te de ferro, o qual se fazia rodar com urna ma-
nivetla. emquanto urna rao bem secca, apoiada
sobre o dito globo, n'elle desenvolva electricida-
de pc'.o friccionamento. Um conductor de lata,
sobre o qual se accumnlava e conservara o flui-
do em mantido por um houiem isolado sobre
um escahello de resina.
Wollius e Hausen modilicaram algum tanto a
forma desta marhina, inunrado-a de grossos con-
durtoref isolado.- por consta de seda suspensos
ao 'eclo, ou apoiadas sobre pes de vidro.
'Lofrt depois, Winckler, professor de lingua
gren e latina na universidade de Leipsig, sub-
stitu.' ama almofada mo do operador. Esta
ultima modificaco nao foi logo adoptada geral-
mentc. Foi rejeitada em Franca, sobretudo pelo
padre Nollet. que constru:o e fez adoptar geral-
menic a machina.
K-ta michina consta de um globo de vidro, que
se faz girar com urna roda, a qual, tem emuma
gorja fe sua circumferencia urna corda que vai
en:i-lar se ao eixo do globo de enxofre. Ura
ajadante collocava a mJo sobre o globo que ro-
dara : pelo frlccion;imentoque d'alli resultava, a
electricidade que se formava ficava accumulada
no .:'oho de enxofn Esta machina usou-se
VBHi i lempo.
na ao anuo de 17tt um ptico inglez, cha-
.' Ilaisdeii. subst.tino ao globo de vidro da
ma-1: .'TeTeptrica de Nollet, um prato circular
da ni.-ma substancia. O prato friccionara ro
dtale 'le encost a quatro ahnofaias de carnei-
ra ciiias de cabellos : a eladJricidade formada
n'e -te prato de vidro paseara depois para dous
cod'lucieres isolados por pes de vidro.
1770 usava-se geralmente esta machina,
ivamentc a machina elctrica geralmer.
te i!-- a ln>ie a deRamsden, modificada de fo. -
m-.i 'que tem dous conductorejiviii ve/, d-- um so
A iinrlucco da electricidade n este apparelh.> e
ipa--a"em daquelle fluido para os conductores
qu,, rji e conservara explicase do se-
gu, modo-
fConttna)
Kepartlfio da Polica
2.* eeceo. -N. 520Secretaria de Po-
lica de Pcrnanibuco, 23 do Maio de 1889.
Illm. e Exm. Sr. Participo a V. Esc.
que foram bontem recolhidos Casa de
DotencSo os seguintes individuos :
A' ininha ordem, Maria Frauoisca da
ConceicSo, como alienada, rcmettida pelo
Dr. delegado do 1." districto da capital,
ate que tenba conveniente deslino.
A* ordem do Dr. delegado do 1. dis-
tricto da capital, Maria Joaquina da Con-
ceielo, por offensas moral publica.
A' ordem do do 2. districto, Jlo Cor-
reia Leite, Antonio Nogueira da Costa e
Manoel Jos Barbosa, por uso de armas
defesa.
A' ordem do subdelegado da freguezia
do Recife, Maria Felismina, por offensas
moral publica: Flix da Gama, por crime
de furto
A' ordem do da freguezia de Santo An-
tonio, Sebastiao Ferreira da Silva, por
disturbios.
A' ordem do do 1." districto da fregue-
zia de S. Jos, Luiz de Franca Marinho,
Elias Justo Xavier, Julio Paes Barreto,
Leocadia Maria da Cen^cic^o, Mathilde
Felicia de Jess, por disturbios.
O delegado do termo de Ipojuca com-
munica, que no dia 17 do corrente, re-
metteu ao juiz competente o inquerito po-
licial procedido contra os individuos de no-
mes Joao Manoel de Olivcira c Manoel
Abrantes Guimarles, por crime de mortc.
Communica o subdelegado do 1." dis-
tricto da freguezia de S. Jos que na noi-
te de hontem para hoje foi roubado por
meio de arrombamento o estabelecimento
de Francisco dos Santos Moreira, sito a
ra Vidal de Negreiros n. 34, confluzindo
os ladriks diversas mercadorias.
O respectivo subdelegado tomando co-
nhecimento do facto, fez proceder a com-
petente vistor a, e diligencia descubrir o
autor ou autores do crime.
Deus guarde a V. Exc.Llm. e Exm.
r. Dr. Ignacio Joaquim de Souza LeSo,
muito digno vice-presidente da provin-
cia.O chefe de polica, Adolpho de
Siqueim Cavalcante.
FIMM.VS ECONNERGIjO
A companhia industrial Uiina Pinto, reunida
em assembla geral no da 22, assistio a leitura
do relatorip da gerencia.
Nesta peca assignala-se, que ao passo que _o
fornecimento de cannas excedeu em 1 300.339
kilogrammas ao da safra anierior, o resultado
accentuou um decrescimento de 131.913 kilo
grammas na produccSo do assucar, sendo devi-
do este phenomeno irregularidade da estaco,
que impussibilitando o pleno desenvolvimento
das cannas, empobreceu as de materia saccha
ria .
i or esse mativo e pelos precos baixo? do
producto no mercado, durante o lempo di maior
produccio de Unta, foi di.-tribuida em dividen-
do simplesmente a quantia de 25.0.>0*OO0, que
corresponde a 3 % do capital ou 10*000 por
accio
O lucro da safra foi
de 31477*813
do qual deduzidos 10
7 para o fundo de re-
serva
e igual quantia de com-
missao da Directora
3.147*781
3147*781
liquidou-se um lucro de
ido appli
Gado
ao 3.a dividendo
renta por saldo, pas-
sando a tonta f/i lu-
cros suspensos
6.295*362
25.182*253
25 000*000
i 82:253
Capital
Caucio da Directora
Fundo de reserva
Lucros suspensos
Contas correntes
Segundo dividendo
Passivo
30.000*000
5.156*824
2 t*DO*' '00
4.184*460
+ .006*06*4
53*700
7.26*020
480*000
24.8225660
11.917*670
SOOiOOO
17.972*814
22.980*789
3.733*3:U)
8:734*525
644.824*792
500.000*000
30.000*000
9.466*299
182*2.ri:t
80. 764240
23.0004000
644.824*792
0 Economista Mexicano publicou, l-se no Jor-
nal dos Economistas, urna estatistca do Sr.
Licht, autoridade competente em materia de es-
tatistca assucareira, calculando a safra do as-
sucar de beterniba em toda a Europa em.....
2,850.800 icneladas contra 2,299.313 em 1887-88
e 2.722.936 em 188687.
Os algarismos sao os seguintes com relaco
a cada paiz :
Paizes 1888-89
Allumaiiha 1.025,000
Austria 600 000
Franca 500.000
Russia 475.000
Beigica 137.500
H..||a|,|.i 43.000
Outros paizes 67.500
1887-88
942.440
408.565
391.238
430.000
135.000
36.000
56.0(XI
188687
1.012.967
523.000
486,443
479.582
132.57o
32.263
36.080
2.850,000 2.399,263 2.722,825
De accordo com estas cifras do Sr. Licht e
outros, referentes safra do assucar de canna. se
verifica que a safra total de 188889 vira a ser
talvez a maior dos ltimos 7 anuos, como pode-
remos ver pelos seguintes algarismos por tone-
ladas :
Annos Canna Beterraba Total
1888 89
1887-88
188687
1885 86
1SS4--83
188384
1882-fc3
2.412.000
2.530 000
2.345,530
2.339,9,'iO
1323,20 '
2.107 000
2.850,000
2.407,000
2.728,800
2.2 6,600
2.S46.O0O
2.361,000
2.147,000
3.262,000
4937.000
5.074,350
4.336,550
4.81*7,500
4.684.200
4.254,000
ma nova applicaco acaba de ser descoberta
no assucar.
A importante revista austraca La Industria
Harinara Moderna d a seguinte noticia, que re-
produzimos:
O sal que se acreditara ser o raelhor con-
servador das carnes, deteriora as suas proprie-
dades alimenticias e sanitarias; e o assucar a
raelhor substancia nao so para conservar as
propri' u'ades alimenticias, como tambem para
augmentar suas condicbes sanitarias.
Como prora de que o sal deteriora as car-
nes, se adduz a existencia de substancias nutri-
tivas de grande importancia na soluc&o do sal
das carnes salgadas, taes como a albmina, po-
tassa, e acido phosphorico, e na proporcSo do
tempo que o sal opera sobre as carnes, e da ra-
pidez cora que penetra nos tecidos animaes, esta
acciio destruidora maior.
Por consegrante, quando se retira a carne
salgada da agua em que se lava, tica grande
parte de suas propiedades alimenlicias e at o
seu sabor, que desmerece ; e o contrario d-se
com o emprego do assucar, que forma urna
crosla protectora das substancias nutritivas e do
Babor, o mesmo que se encontra depois de se
Ih'1 tirar o assucar n'agua, ao passo que as car-
ues salgada- precisam ser frvidas para deixar
e sal.
O grande inconveniente est no preco do as
socar, que, por muito barato que se venda, sem-
pre cusa mais caro do que o sal.
VARIEDADES
A Molher doutora
Con a epigraphe cima, deparamos neste
Diario do dia 10 do cerrente cora um artigo do
Sr. Dr. Alfredo Pinto, formando, podemos dizer.
urna linha pujante e ameacadora, em ardua fai-
na de ueslruicio ao que hodiernamente se ad-
mitte como mais um pasao da civilisaco: a
graduaco cientfica do sexo feminioo
Pezou-nos de ponto a forma pela qual o dito
senhor pronunciou-se no alludido artigo; e nfe
hesitamos ao embate de urna conteslacao.
Foi com nlegria intensa, que o articulista leu
no f'aiz a noticia relativa reprovaco na Vai-
versidode Helga, de urna joven concurrente ao
grao de bacharel era direito.
Parece-nos, entretanto, a nao existencia de
urna causa justificadora deste jubilo, porquanto,
se na Beigica tal caso occorreu, alias de reco
nhecida naiuralidade. visto como, pelo facto se-
xual, naoestao sentas de reprovaco; na Alie
manha. na Russia e em outros paizes da Euro
pa e America, teem com grande vantagem en-
trado em concurrencia mitas outras e sido ap-
prova' as por merecimento.
Se dita universidade deu urna tal deciso, pelo
faci de le^almente existir i upossibiliade de
oceuparein as mulheres posicOes inherentes
carreira judiciana parece-nos que, uina cabec.i
e um epraefo alumiados pelos reverberos da
jusliga, jamis devertam applaudil a, attenden-
do a notoria iniquidade do caso.
Seriamu silenciosos a este respeito, se a ma
tricula de ""uraa mulher fosse all previamente
vedada.
Mas, desde que permittida, nao acredaaios
que tal reprovaco tenha por causa o que refere
0 Paiz; salvo ajustica patente, o que vira em
je sabono da Universidade Belga e por mducgo,
j o Sr. A. Pinto, que se identifica com o seu pa-
.ecer.
Aps isto. penetra no terreno nacido e raove-
digo da crilica, procurando atirar mullicr o ri-
diculi, que parece circundar suas patarra*.
'.remos que nao exageramos o nosso dito, e
pedimos ao illustre articulista que medite e re-
Dicta mais albura tempo no que inserio sol) as-
simia tura propria.
Di; .
Como ser bello e comptivel com alivile
da utulhe.r, vennol-a eleva;-se na tribuna
eetnaUgj
rl,"rlfWd*a muinW.se wianQavacook^sejam autorisadas ao ejercicio 4f
" judiciark para defender um pobre diabo. dar
.. uma senfenca fundamentada, citando ordena-
;6es 0' leii extravagantes;, prendendo criruino-
sos e accuaandQjfifl no jufj. ou finalmente so-
bre a mesa deo(Sfiicos mOTifesiando os seus
conbecinieutos ciiurgioos
Se, de unvolta con) esta lirada nSo viesse a
chufa, nao Jusiariames.Virpa! a dizendo com
denodo : t pirque nao?...
Tudo isto; com ffeito bello e comptivel com
a ndole da mulher t ,
Provenios.
E' incontes'vel eme esta, desde os mais remo-
tos tempos. tem vivido mais-on menos embara
cada em certa ignorancia, em -certa obscuridade
intellectual^
Nos aatn _iula mergulhados na denegrida
barba
a tenebrosidade dos costumes : era um ser es-
cravo e submisso, entregue aos encargos de ru
des traba I nos
A principio, entre os romanos, a sua condicao
era de rral homogeneidade com aquella: sem
vontade propria e sem liberdade de oniniao.
O tempo, porm, na sua marcha evolutiva, ex-
tirpan lentamente e em favor da sociedade civi-
hsuda a mor parte deste barbarismo das pocas
primitivas.
Do lado opposto, entre os asiticos, era ella
um simples instrumento para saciar a sede ani-
mal, uma teteia dos homens cercada de certo
biilho, e atirada a um leito de pennas e de
rendas.
Se ah a mulher era simplesmente idealisada,
como instrumento de concupiscencia, com tudo
fra de duvid'. que a sua condigno era mais
branda e menos rigorosa.
Nos tempos feudaes, j o germen da civilisa-
go, tendente a solidificar a igualdade dos dous
sexos, fecundara, se bem que lentamente, em
prol da mnlner.
A marcha continua, o progresso vai desten-
dendo as suas azas, e a civilisagao derramando
nos povos hodiernos o jorro de sua luz cn-
dense.
Hoje, 6 ella, nao mais uma escrava, nBo mais
um simples objecto de luxo. porera, um ser que
a ignorancia de outros tempos eclipsou, mas
que vai surgindo mostrar o que realmente Ihe
compete no seio da sociedade.
Repitamos :
K' perfeitamente comptivel com a ndole da
molher vennol-a elevarse na tribuna judiciaria
ou sobre a meza de operages manifestar os seus
conhecimentos cirurgicos.
Mores est lex.
Se os costumes antigos nulliticaram a mulher
adaptando-a somente aos misteres domsticos
plantemos a base de uma reforma, e vel-a-bemos
seauir de fronte altiva para a tribuna judiciaria.
O que lhe falta ? Energa e coragem ?...
A mulher fraca e tmida nao procreago da
natureza ; a obra da educagao, doensinoeuol-
liente recebido desde a infancia, da compene-
tracao de que realmente e frgil, e fragilidade
entregue.
Conipareras, porera, as duas faces deste sexo :
a mulher aldeS e a nwlher da cidade.
A primcir o typo do vigo e, podemos affir
mar, da forca.
s trbalo**, o movimento salutar do corpo, a
transfoi mam'.tni uaser perfeitamente igual ao
homem. arforea physica e na coragem.
Se o noflftrwticulistaliBB permiUe, lhe
selhamos at, qne na^t realise a jiperierfcia do
que asseveramofl, porque poderisAr consequen-
cias um pouco prejudiciaes ao sen corpo e as
suas vestes. ,fi'S'#'>
A outra, porem, entorpecida, njgte, cora o
pensamentomergulhado em vaporq^kphanta-
sias, nem siquer pode e sabe defemrsf*6e.
Affastemol-a. porera, deste ouropel, derrame-
mos a verdade do que real n'esses cerebros
enfezinhados e vela-hemos como i succede
nos Estados norte americanos, ter a defeza de sua
honra no eonhecimento do que ella realmente
e vale.
Voltemos ao assurapto. i
Ser a falta de talento o empecilhofquc pode-
r embargar seus passos ?
A isto, responderara na historia antiga Co-
rina Saphos e Clobatma : na Idade medieval a ce-
lebre Caldeeoti e Siciliana ; modernamente Mme.
d'Slael, Misi Gane!, Hedwig Herriot, Yaz de
Carvalho, Gmmar Torrezno e tantas outras que
seria enfadonho enumerar.
Perdo nas, o sorriso d'ironia amarga
acaba ae nos desabrochar os labios ..
Julga o articulista que realmente existe iu-
compatibilidide entre a mulher mi de familia e
a mulher doutora 111
Teneatis risum, amia ?
A mulber doutora simplesmente a molher
scientiflca por approvago de uma Faculdade a
cujo exame se submelteu.
E' mais apta, portanlo, e com maioria de ra-
zo, a desenvolver os misteres maternaes, ba
nhando as ten ras criangas com o orvalho de uma
educag&o beufazeja. longe de velhas doutrinas
e agoureiras superstigoes; internando as luzes
da verdadeira instruegao as pequeas frontes
prestes a reeeberem o que dos labios maternos
se desprender.
Como j disse alguem :
E' da educag&o que pode dar e receber a
mulher que depende a felicidade da familia, a
. molcula social que uma vez gangrenada, faz
a sociedade esphacelar-se n'uin monte de po
dridSo.
A au.iencia da mulher instruida nos tempos
modernos : o envenenamento moral da so-
ciedade pelo envenenamento moral da fa-
milia .
Bem disse:
E quanto a mulher medico ? Tao convictos
nos achanios de ra ingente necessid de que
julgamos impossivel uma contestago sena de
quera quer que seja.
Pensar o nobre articulista que a arte de cu
rar algum privilegio concedido aos noraens,
sob as formalidades de um contracto? Ou so
meute estes, podem dar passaporte para o outro
raunuo?
-e o Sr. A. Pinto partencesse ao Bello sexo,
reconheceria a utilidade da mulher na therapeu-
lica e como operadora, era militares de casos
efll que a curiosidade ratonil podesse enrubecer
a flor da pudicicia.
Mas nio I e bem revela fallar sem o bcu-
lo da experiencia..
D'ahi, nteina-se na questfto, sob o ponto de
vi3ta jurdico. Apreciemol o
A mulher formada em direito pode oceupar
. os cargos a que tem jus pela sua carta e exer-
cerdireilos polticos? .
Nao, poique o titulo nullo em virtude de
ser confer lo contri a disposigo da le ,
Em coiilraposicao oiremos : Se a lej no re
couhecesse as raulhe es'ap'dSo para a carreira
jttridica, vedara terminantemente suas matricu-
las as diversas Faculdades, e por induegao l-
gica, a |iercepgo das cartas que desejassem au-
ferir.
Mas, tanto nio cogitou d isto, que ellas livre-
raeni podem lazcl-o, e nucessariamente poderao
oceupar os cargos a que teem jus como possui-
doras das ditas cartas.
E' inifgavel que a lei no Brazil demasiada-
iiienie restricta, na parte referente s mullie-
res.
E' como que um reflexo das suas eras passa
das I r ,
Mas nao obstante, quando ella se ref.-re a mu-
lher. nao t-m em vi*tu a mulher, a mulher equi-
valente ao homem, capaz de se guiar na senda
da vida, com a seguranga de quem lhe conhece
as rosas e os espinos, a mulher possuidora de
um gre scientilico.
E, se assira fosse, o que pretendemos, e pa-
tentear a legalidade de seus direitos civis, a ex-
emplo de tantos outros paizes mais humedecidos
pelo roci da civili?ag5o, e onde estes sio reco
nhecidos e respeitados.
Entretanto, -e o nobre articulante tivesse com-
pulsado o Cdigo Commercial nao sera tao ar-
rogante na >ua pergunta : Pode a mulher com-
merciar ?
Para que nao mais ignore, tomamos a ousadia
de lhe pedir que consulte os artigo* 25 e 27 do
supracitado Cdigo,
Aim como j podem commerciar e adminis-
trar seus bens, 6 de esperar que | o futuro
eitos po-
lticos.
Nada n ais injusto do que sujeital-as ao paga-
mento de imposto, que regularmente monta
Jecima parte de suas rendas, e vedal as desses
direitos ; alias permitlidos, a seus empregados
inferiores, e ate fraudulentamente, a miseraveis
especuladores e mentecaptos!
O futuro aguarda a reforma. Transmittamol-a,
pois, para que rajamos o tronco desta arvore,
que nao obstante a foice do Sr. Alfredo Pinto,
destender um dia os seus ramos onde quer que
a civilisoco tenha penetrado.
E a mulher fulura mostrar aos ollios do mun-
do que aquella crlebre bice, era moda japone-
za : de papelao I...
Aqui fazemos ponto aguardando OCcasiSo pro-
picia para vedarmos que tal preronecito seja es-
magado sob a clava do llu-in. articulista.
Recife, 21 de Maio de 1889.
E. E. D, B.
REVISTA DIARIA
i'u*H<*f publico 13 de MaioDamos
ao conhecmsnio publico a relagao nominal das
pessoas que por suas esportulas, remettidas ao
Exm. Sr. vice-presidente da proviocia, tm con-
currido para as obras dess passeio :
D. Mana Catharina Leonor de Seixas
Ferrao 100*000
D. Margal ida Julia Ferreira Machado 100*000
D. Mana Soares de Amorim 100*000
I). Anna Marques de Amorim 100*000
Wiliam M. Webster 100*000
Berculano Jq^PodriKue> Pinheiro lOOsOOO
D. arolina Soares de unrim -ffy 100*000
D. Auna dos AnjosCorreia de Araujo 100*000
Clemente Lima 50*000
i ,oiuui'-'idador Jdaquini FeUppe da -
Costa. x r Wtm
D. lorbeMma Bflplisla de Medeirofc,. 30*000
Commendador Manoel A.Cardse
Ernesto BroMierhood
Viscondessa de Tabatinga
D. Mariana Leal Lojo de Amorim
Jos Domingues Maia
Baroneza da Soledade ,.
Francisca da Rosa e Silva
Amonio Joaquim Gongalves Fraga
Desembargador Manoel < lemenlino
Carneiro da Cu'nha
Dr. Ignacio Alcebiades Velloso
Candido C. Quedes Alcoforado
Desembargador Delphino A. Caval-
cante de AlbuquiTque
Tenentc coronel Francisco ;de Araujo
Lima
Desembargador Hermogenes Scrates
T. de Vasconcellos
Desembargador Domingos A. Ribeiro
Aamesabla Provincial Funccionou
hontesj sob a presidencia do Exm. Sr. Baro
de Ilapissuma, tendo comparecido Srs. depu
lados.
Lida a acta da sessSo antecedente encerrou-sc
a'discussiio por falta de numero.
O Sr. 1." secretario procedeu leitura do se-
guinte expediente:
Um oflicio do secretario do governo, trans-
mettindo emia da porlaria desta data convocan-
do extraordinariamente por 30 dias essa Assem
blea para o dia.1 de Agostojvindouro.Inteirada.
Outro do mesmo remettendo o balango da re
ceita e despeza do exercicio de 1887 a 1889 e o
orgamento para o de 1890 da Cmara Municipal
de Nazarelh.A' commisso de orgamento mu-
nicipal.
Orou pela ordem, para uma reclamaco. o Sr.
Barros Brrelo.
. Orou pela ordem o Sr Jos Maria sobre o as-
surapto da convocago extraordinaria desta As
semblea.
Adiou se por ter pedido a paiavra o Sr. Phae-
lante da Cmara, um parecer das commissoes de
orcamoato provincial e de peticocs, indeferindo
a "petigao de George Windsor, representante da
empresa de illuminag5o a gaz do Recife.
Findn a hora do expediente o Sr. Barros Bar-
reto rejuieren uma urgencia por 5minutos, sen-
acw'do-lhe rcusat. -^ *
O Sr. Correa da Cruz orou pela ordem c re-
quereu outra prorogagao por 60 minutos. nSo
seodo aceita pela mesa.
'.Passou se ordem do dia.
irovou-se em 3* discusso, sendo remettido
aiisso de redacgSo, o projecto n. 32 deste
anC iaft
Encerrou se a Ia discusso do projecto n. 120
de 1888 ,e adiou se a do parecer n. 44 deste
anno.
O Sr. presidente em seguida levantou a sessao.
Acto* da presidencia da provincia
Por actos de 4 do corrente foram noraeados :
Jos Cavalcante de Albuquerque Lins para Benjamn Pereira de Queirz.
o cargo de 1 supplente do subdelegado do dis-
tricto de Cassuipe, do termo de Agua Preta, em
substituico de Francisco Tito de Lima, que mu
50*060'
50*000
30*000
30*000
30*000
SOOOO
30500o
50*000
30*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
1:500*000
Tribunal do Jury do Recife Anda
hontemno pode ser installada a sesso deste
tribunal por shaverem comparecido apenas 17
juizes de facto.
As 11 horas da manha, achando-se presentes
os Drs. Joaquim Co-reia de Oliveira Andrade.
juiz de direito do 2 districto criminal e Joo
Joaquim de Freitas Henriques, Io promotor pu
blico fez o escrivo a chamada dos jurados sor-
teados :
Foram multados em 20/000 os jurados que
deixaram de comparecer, constantes da relago
hontem publicada e mais os seguintes do Io sor
teo supplemetar:
Augusto Pinto de Lemos.
Benjamn Ernesto Pereira da Silva.
1 nristovo do Reg Barros.
Joo Baptista Gongalves Lima
DioiiO Baptista Fernande-
Francisco Pacheco Soares.
Jos Roberto Galeno Coelho.
Francisco Landelino da Silva.
Joaquim Antonio de Oliveira Baduem
Godofredo de Abreu e Lima.
Francisco Joaquim Ribeiro de Brito.
Dr. Joo Alfredo de Freitas.
Francisco do Reg Mello.
Jos Faustino Porto.
Antonio Leopoldo de Mattos Ferreira.
Jos Joaquim Das Fernandes.
Alfredo Soares de Azevedo.
Foram sorteados os seguintes suppleules
Freguezia de S. Fre Pedro Gongalves
Antonio Bffptista de Ariujo
Fregu:a de Sanio Antonio
Pedro Jorge da Silva Ramos.
Antonio Jos Felipoe Santiago.
Antonio Luiz de S.uza.
Jos de Souza Monteiro.
Manoel Joaquim de Miranda Souza
Francisco Joaquim Antune:~
Antonio Joaquim de Oliveira Costa.
Freguezia de S. Jos
Antonio Leoncio de Carvalho.
Jos Martins aldantia.
Maraede Paulo de Albuquerque.
Manoel Venancio Alves da Fonseca.
substituigo _
dou-se do districto-, Henrique Abreu de Siquei-
ra Cavalcante, para o de 2 supplente do subde-
legado do districto de Campos Frios do termo
de Agua Preta, em substituigo de lysses
Prancisco de Mello, que tambem mudou-se do
districto, e Heliodoro da Silva i abral para o de
subdelegado do Io districto do termo de Bom
Jardim, em substituigo do alferes Jos Antonio
da Costa Duarte, que, a pedido, foi exonerado.
Foi concedido um mez de licengacomor
denado ao 3o offieial da secretaria da presiden-
cia. Arlhur Machado Freir Pereira Silva, con-
forme requereu.
Foram concedidos ao pharmaceutico do
presidio de Fernando de Noronha, Vicente Gue-
des de raujo Pereira, 3 mezes de licenga para
tratar de sua saude, devendo entrar no goso del-
les no praso de 15 dias-
Por conveniencia do servigo publico foi
removida a professora de ensino primario raix
to de Cuyambuca, Maria Barbosa de Araujo
Freitas, para a cadeira mista de Capoeiras.
t orara concedidos a professora dacadeira de
ensino primario de Batalha, Joaona Augusta de
Albuquerque Jacome, 3 raezes de l'.cenca com
ordenado, alim de tratar de sua saud" onde lhe
coovier.
Eleico do 11 districtoAlm da no-
ticia qu hontem demos acerca dessa cleigao,
nenhuma outra tivemos directamente a respeito
do resultado dos collegios que faltam.
No entretanto, de um boletim espalhado hon-
tem consta que o conselheiro Portella obtivera
em Buique 21 votos e o Dr. Joao Augusto 73, M
Pedra este 28 e aquelle 24 ; e em Tara o pri-
uieiro 14 e o segundo 13.
Com esta votago addicionada ja conhccida,
tem o Dr Joo Augusto 301 votos e o conselhei-
ro Portel la 278
Falla o resultado do collegio de Aguas Bellas,
do quol nada de real consta por agora (8 horas
da ooile.)
Eleico senatorial do Cear* O re-
sultado condecido d'essa eleigo at o da 23 do
corrente, e que nos foi comtnunicado por tele-
gramma, o seguinle :
Barito de Ibiapaba g
Conselheiro Aranpe 2b/
Dr. Accioli 2S
Conselheiro Rodrigues Jnior 2330
Baro de Aquiraz -iJ>
Dr. Leandro Bezerra 18la
Ensenbos centraesChamamos a at-
tengao dos interessados para o edlUlquevai
publicado na respectiva secgo, relativaraenie
a- proposta; apresentadas a presidencia da
provincia, no da 18 do corrente, para a funda
gao de onze, engenhos ceoiracs nesta provincia.
Das vinie propostas presentadas vao hoje
publicadas trze sendo as demais publicadas
auiiiih.
Circo Chileno-Em consequencia da chu
va foi transferido para hoje o espectculo em be
delicio do Vonte Po Popular Peniambucano.
Vapor seM-Este vapor sahio do Rio de
Janeiro no dia 21 s 7 horas da noite, pelo que
so poder diegar ao nosso perto a noite de do-
minno ou na manha de segunda-f.ua.
Recreativa Hocidade Esta socidade
reunir se ha no domingo 26 do correrte, s 4
horas datante, em at-sembla geral, alim de
tratar teae negocios de urgente interesse para
a raeima
Manoel Cezar Alves.
Freguezia da Boa-Vista
Monocl Jos Dantas Jnior.
Eduardo da Costa Oliveira.
Manoel da Costa Albuquerque.
Candido Thoraaz Pereira Dutra.
Dr. Joaquim Kerreira Chaves.
Joaquim Getulio de Azevedo Souza.
Ernesto Arcelino de Barros Franco.
Rodrigo Jacome Martins Pereira.
Firmo Caetano de Araujo.
Jos Odilom Jacome Pires.
Freguezia da Grara
Victorino Arkias do Reg Farias.
Dr. Alberto de Oliveira Colho
Joo Carneiro Ferreira Bacellar.
Dr. Eduardo Augusto de Oliveira.
Francisco Ferreira Tavares.
Freguezia de Afogados
Dr. Joo Telesphoro da Silva Fragoso
Freguezia do Poco
Auguslo Parios de Miranda Henriques.
Foi adiada a sesso para hoje s 10 horas da
manila.
Servico militarEsto1 designados hoje
para superior do dia o Sr. major Alves e para
rmida menor ura subalterno de cavallaria.
A guarniro da cidade dada hoje pelo 2*
batalhao de iniantaria.
Foi pedida ao 14" batalhao de iniantaria a
guia de soccorrimento do soldado Joo Jcs da
Rocha.
Wpr rcduzida a 6 pragas sob o commando
de um inferior a guarda de palacio.
Foi reduzida a I cabo de esquadra e 3 pra-
gas o destacamento da Iraberibcira.
S. Exc. o Sr. lente coronel commandan-
te das armas, liispensou o refQrgo diario para o
quarte! genera, e bem asis! a patrulba da ra
da Florentina^
Foi ma-llado comparecer a delegacir. do
corpo de sjpK. hojeas 11 horas dodia,afim
de ser inspeccionado, o Sr. tenente do 14 ba-
talhao de infanlaria Jos Joaquim de Aguiar.
addido ao 2o da'mesma arma.
Funcciona hoje s 11 horas do dia o con-
selho de guerra a que responde o anspecada
do 14" batalhao de infantana Manoel Francisco
de Almeida. .......
Na enfermara militar existem 4> pragas
em traiamento.
Monte Pi dos Voluntarios da Pa-
tria Esta associago, por motivos justos'dei-
xa de solemuisar hoje, como de costume, o an-
iversario de sua inslallago, limitando se ape-
nas a Iluminar a fachada da sede social e arvo-
rar no respetivo ma'stro o p tvilho brasileo,
em signal ile jubilo pela gloriosa victoria alcan-
cada pelo exercito brasilein na memoravel ba-
lallia travada cora o exercito Paraguayo em 24
de Maio de 1866.
Fullecinaento No dia 20 do correte fal-
lecen na cidade no Espirito Sano de Pao d'Alho.
em cj#visequ"ncia de um laborioso parto, D. Lui-
za Maria do Espirito Santo Villa-Nova, virtuosa
espo-a do professor Vicente Ferreira Pessoa Vil-
la-Nova.
A finada nascera naquella cidade em 29 de
Judio de 1834. casara se em 25 de Outubro de
1873 e deixou na orphandade sete tilhos meno-
res, oue desde j comeg m a sentir a falta dos
carinhos e disvellos de mi.
A .-ua morte consiernou a todos que a estiraa-
van e ao seu enterro, que teve lugar no dia 21.
c mpareceu grande numero de pessoas gr;


^:
*

amui 1


*
I

i
Diado de Pernambuco---Sexfa-fejra 24 de Maio *\e H*9
de, irmandade e
> d'Alhense, que
iedade
tocou o fue-
SPORT
Prado Pern:iiBbncai;o
Realisou-se bon'.em a inscripcao para a 86
corrida, que deveri ter lugar no dia 30 do cor-
rente :
l' pareoHarmoia :
Jatob, Gui, Potos,
Vil'
Tupy,
i
3 parteDestreza:
Ski. i i Mr Siouro. Templar, Jlugarl.
4p pareaBarro-Carril :
Mimoaaa tarar no Maaalaaap,
corado.
i isua alma.
PaMkm-aut-Na freguea de Afogados,
onde resida, fallecen no dia 2J do correte, vic-
tima de anazarca,-D. Sygismundu dos Prazeres
Braymer Lins do Moura, viuva do professor
Joao de Moura Florencio.
A finada era urna virtuosa senhora e estimada
por todos quantoacmhciti iiBaaji.tendo.tt-a*",, fraa
corpo sepul lado owMMMario tearffctero.
Club IiHtri>aiawai mfc- f- y paawInterna mal :
Funccionou honaeai ea> eessio oaaaawria este tepbanie, Coapou, .Apollo,
club, sob a presianciaute Sr. Alra--iina. tigliona, \'anda e Bnuil.
Foram aceitos-tiiomo socios efTeotlne e tona-1
ram assento os Srs. Elias dos Santos de AzeMdo*^
Costa Jnior, Luiz Gomes atanteiro de Mello,;
Joao Alfredo QuenUl e Joto HHiTeira.*lonteiro.;
Teado pedido.-dispensa d*rgo4e vice-oro-
dor o Sr. EuricowWrsvio, Coi eieito apara eub-
stiluil-o o Sr. Luiz G. Mon trro d Mello
Foi submettido juramento o personagem
histrico D. Fre Vital de Oliveira. que foi ab-
solvido, tendo sido advogados os Srs. Paixao,
Vieira e Eunco Witruvio e promotores os Srs.
Caneca e Abdias Salles.
Nao slU mate ic que se tratar ui encer-
rada a sesso pelo Sr. presidente que designou
o diu 29 do Brrente para ton lugar a essao em
que tem re ser jnlgado o personagem Srya,! seceo competente.
serviii promotor o Sr. Gabriel Lima.
Sociedad* BeHoOceale de >aa
resto Foi presenieada pelo Sr. Dr. Sabino
Olegario Ludgero Pinho com urna carteira ho-
meopathicu, para, soceorrer aos imligentes.
Pedindo-nos o luwiomo da mema sociedade
esta pablicaeo, ntanifesta ;em nome d'ella os
MBS ugradecimentos quelle cavalheiro.
RAUDONa noite de anto-hoatem para heu-
tetn os ladres penctraratn, por meio de arrora-
Jjameoto, no estabelecimeato do Sr Francisco
dos Santos Moreira,* sito a ra de Vidal de Ne-
greiros a. 34, no 1' districto da f/egueziade S.
Jo#e. coaduzindo d'ahi diversas mercaduras.
t) subdelegado respectivo toraou conhecimen-
lo iterado e procura deseobrir o autor ou auto-
res do crime.
ftre< loria dan .ibrn de MMr(a
. M-doa 1'ordMdr Per*Mlii-Reci-
te. 24 de Maio de 1889.
Bonaparie. Mi-
bo Prete.
-Aamodcn, -Cas.
Maenatae Cor-
6 pareoI- de Juiho :
Moncorvo, Hamlet, Opbir, Vulcano, Arumary,
Favorita, Cometa, Recite e Ayraor.
Xao Hcxto witeiM o 5" 3* psrri| BM-
maaios a atlenco dos interessados para o pro-
jecto de inscripcao que qae val publicado na
UM POLCO DE TODO
Roletiin meteorolgico
i!HU8 Plf
1. o te
H-3
6m. 23 -4
9 28" 4
12 30' 0
3 t. 19 i
6 28-3
Barmetro a
0
762-50
7M-7J
763-Oi
Ttii" 72
7(-ii:
Tcnsao
do vapor
1
a
-a
6
s
18 73
18.77
20,4ii!
20.92
21.54
TeqifKjratura mxima-30,o0.
Dita minima 24.50.
Eranoracae em ii horas-ao sol: 7".; asom-
bra: 2*.9.
. i Chuvanulla.
Direcco do vento : SE de meia noilc at aos
Matemos da tarde; SE e SSE alternados at
7Jhoras e 58 minutos; SE at meia noite.
Velocidad media no vento: 2-31 por se
jardo
Nebulosidad? media: 0.59.
Bolettm do porto
Una planta fructfera que est destinada a urn
grande porvir no Coi.'O, o Kola,. Essa-nrvore
durissinia a*senn.'Ui*-<'i .:o castanh.",iro,.e eticon-
MitM por toda a parte, oVstle Eoma a' a^Equa-
dor, bem como no Mombuttu, proluzindo duas
vezes no auno >rca de 50 kilograrmoas fie no
zes do tamanho da ame:xa, cen uina polpa
branca ligeirainente amar.-liada.
Taes nozes sao faebradirw coinoasciisiauhas
e al i de contereiu muito inais tbcina do ijue v
ha, tem tim sabor amarissirao, sfflido pc>- sse
muito procuradas pelos negros, porque, masti
gados, iKirece-lbes doa; por contraste ao vino
da palmeira mais spero, sefli caiitar as qual1-
dades SiWpciOuan que ellas possueni, tanto
que depois de terem comido duas ou tres pela
manlia, os habitantes do Congo podem tratalhar
todo o dia sin terem fome. nem sede.
At agora so .-e tem feito do Kola urna pe-
queua exporh.co. porque Of indgenas conso-
inem as ikiz-s cu gr.uiile abundancia, por 8JI-
trarein ellas nao so no sen uso privado qw ti-
diitio, como anda em todas as mufl festares
da sua vida publica. Assim, em quanto qu a-
nozes brancas se t-ocam entre os cheles para
concluir a paz. ;.s nona recmatfctt sfto nm syra
80 bolo da dicliracao de guerra : um Kola ruanco
04 acjmpanha o peiiulo de u > prelendentc, e o v i
63 nielho tira-lhe a esperanea etc., re surte que
6? nao estar longo o teiupo em que lera cometo a
* exportajao dessas nozes, mesmo porque sao
muito procuradas nao so pelos hahiantes do
Senegal. como pelos que commcrciam oewas
paragens em ouro em p; os quaes em troca
lueicrn exeteiMicnteireeBiMr essas nwzes,que
reduzidas p, entram no mercado, e passam
de uns a outros coinmerci.iiic- at Timhoeni,
d'onde naturalmente se pagara (recos fabu-
losos.
Dous cgos lallam de amor.
Lio del es sectario do materialismo.
Como conbeces que urna niulher bonita ?
.. e tu ?
Eu f como todo o mondo. Pelo tact
INDICAQOES TEIS
i -81 Da Horas H12 da manh 5 51 da ter* 038 da manh ti-23 Altan
P. M. 9 M P. M. B. M 22 de Maio 2 de Maio # 2-00 0-.65 1-.93 0-8
i,eioeEllectuar-sc uo os segrales
Hcje :
Pelo gente Silvrira. as 10 horas, ra
do Imperador n. 45, de predios.
Pelo agente Pinto, s 11 1|2 hora-, ra do
Bispo Canloso Ayres n. 12, de movis e muitos
outros objectos.
Pelo agente Brito, as 10 I 2 horas, ra Ka .-
gel n 45. de piauo movis, etc.
Pelo agente Gusmo. (s 11 horas, ra do
Mrquez do-Herval 30, da armayo e utensi;
da taverna ah existente.
Amanta:
Pelo agente Pinto, s 11 horas, a ra da .Nau-
ta Cruz n. \i. de momia t> diversas qaaJidadea.
Pelo ageute Gusmao, as 11 horas, ra de
Pedro Aflouso n. 31, de niov,-is diversos.
Pelo agente Modesto Bautista, as II oras, no
aecoo da Bomba a. i, de novis, >uca e qua-
dros.
M,*-n% miailwnai aiorrln celeoraoaa :
Iloj- :
A- 7 lotea, oa Madre de Deas, pela alma de
D. Carma de Sote Silva : s 4 horj<. na matriz
de S. Jos pela, alma de Victoriae Concalvt-s da
Silva
Oper-.iccs irnruratt Forara pralica-
das no hospital Pedan il, 00 da 23 do corrate,
les:
Pelo Dr. Malaqia- :
Besccco rio corpu e desarticolacSo do lado
direito do maxillar inferior, indicada por ne-
crose c- osteitc do mesmo naso.
Pelo Dr. Beresdo : ____
Tarsnnhaphia \eisao pelle da
palpcbra superior, indicada por ttkhteaia
ca;> **? Peifaiai Movwnenm nos
sosdaC;.-.i de iei-orc dia ii de Maio dr
I8M
Ev";:! na ::i. i :itraram l'i; sabinal 7 ; i
tem I
A safcer:
Nflrionaes 307 ; .un'heres 20 ; estrangeircs 23.
ToLil 440.
Arracoatlcs 389
Bons 371.
Docntes 13.
Loucos 3.
Louca ft -*9-
Movimeato da tufennaria
Teve ha i xa ;
Joao -Galdinu Moren-a.
nowottal is-dr II-O i.-iovimento desle
estabcL-cme::.' dedaridade, no di ti de Maio
Eotraram
ram 26
Faiter.eram 0
JBxistefll 629
Fwerr.viao-- a; respectivas eafennattas
pelos Drs.:
Moscoso s 8. Cysoeirwsfl 1|2, Barros bobn-
nho s 7, alaquias > 8, Poutuai as* 1|4, Bate
Nao compareceram os Drs. :
Berar.ai.
Simoes Bariiosa.
vio Cavbante as 8 1|2 hora?.
O cirurgi&B dentista Numa Po!npiB|p nao coru-
uarecen. a y
O ptrarmaceutieo emrou s 8 rj2 da mauha e
?ahio s i da tarde. _
O ajudante do pharmaeeotico entrn as / 1]*
lamantos e sabio a* 4 horas da tarde.
Laterta do Srnm-Powr.A V parte da
i8* lotera,-dessa provincia, cujo premio grande r
69:0OOiO00, -era extrabid no dia 27 do cor-
rente spgunda-feira)-
Cemiterio Pubtlco-Ob.tuano do da 22
le Maio de 1889 :
Glieeria Mara do Jess, Pernambuco. 00 annos.
solteira, Ba-Vista; eocephaliie. >
Francisca >el!iia Leite, fer^ambuco, 82 an-
nos. vmva, Ba-Vista ; velhice. ,
Petronilla Marques de Oliveira, 15 annos, soi-
leira, Recife; tubrculos pulmonares.
Joanna, Pernambuco, 11 mezes. S. Jos; ente-
ro-cote.
Jos, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos; denti
rO.
Eocldes, Pernambuco, 38 dias, Boa-Vista; en
lerite.
Ildefonso Beltro Negro Monte, Bi-hia, 4da:i
nos,solteiro. Boa-Vista; broocho-pneumonia.
Joo Quarcsma de Soma, Pernambuco, 45 an-
nos, casado. Boa Vista; bronchile.
Manoel Antonio de Freitas, Pernambuco, 1
dMK Bi\a Vista ; anazarca.
Mana Joaquina da Conceicao. Pernambuco. 28
asada, Ba-Vista; tubrculos pulmona-
Josepoa Mara de Apoionia, Pernambuco. 38
uva, S> Jos ; gestro entente,
m feto, Peraambaco; Boa-Vala.
A mulher
Solteira, una flor; casada, urna sement;
viuva, urna planta abandonada; freir, uracogu-
melo da humanidade; irma de aridade. urna
planta medicinal; e solleirona, una enredadora.
Como solteira. um problema ; como casada,
um premio ; como irma, urna causa; como ui.ii,
um ahjo : como amante, um loso ; como angra,
um demonio : como madrasta, um inferno.
Bonita, um aojo : feia urna nuvem.
Morena, urna virgem ; loira, u anjo.
Casta, um altar; pura, urna inaagen: vai-
dosa. um engao ; humilde, um adiado.
Ciumenta, um cilicio; amante, um dem:
presumida, um porteo ; modesta, ama serle.
Econmica, urna fortuna ; gastadora o maior
castigo que Deas pode impor a um homeiii dan-
do-lh'a jior companheira.
A lUliier para o hornera : o trabalho e des-
vello, o valor e a forca a honra e a fortuna, o
pensamento e a alma... emfim, a malher foj
queui ensinou o hornera a amar, e a odiar, a luc-
tar e vencer, a trabalhar e soflrer, pensar e con-
seguir a crear e matar, c a viver c riorrer re-'
tignaru com a forte que l!ie cabo uo planeta
B as dj lar domestico :
Cma pobre seabora acaba de perder o mari-
do, e com i cr.a ia choram a Ummtavel pesda.
_;, A .' Zcfiiha, ramo elle era bom
K' verdad'', minha .-irhora, era muito
bom *
Nunca m: is terei seas beijos abr .jos I
Nem en. ir.inha aanaora !
*
Em Aih oas conJemnaram es oaaosos pena
de more : e o Han radar Vaiente os puna coa
a gaita da baaaaaada.
Salu-ti i a-o mo priiaeira neces-ida-
c do ooveao baaoM em ajae oceapar os bo-
ateae. CteeraatSraaava que durou a gloria de
liorna emoaa)ato se abserravam as leu contra
a oe:os;da le. Marco Amonio nandava que todos
os Imneatj tn ausapai labre .-.i uui rigotl a
pietiasao que liuliam : e quera o uo tnuia era
O BtteOUBBdo a .-en,r as obras jiublicas.
Naeo baavt esa. que nito se dar de ceiar
aos mocos que uo mostrusseai B trabalh.i em
que se titiliam oceupado pdufaote o dia.
Batre i a egypcios houve le que obriga^a a
eada um dos boaaens a moslrur aos magistrados
de que se oecup iram durante aquello anno.
Bseos da antigot lade para os lempo mais
atadetsos ser tas apnrovade este modo de go-
verno que ftepuc II c udcianou os ociosos a
gales.
Os cilios nao COOSentem um so o dso. o luis
cam occujiaco p ra quetes a quem a eo-
fermidade priva de trabalho : os que nao lea
Btaot tnbatfiiim comosps c viceversa: al
os cgos irabujh un. us im nin is isiaeaeretiados
uo Irahalho apagas Mlioaam 7 aunos.
u*mt
DnxiCtm/mma imite, team o aeu^seaapto i
rio aaaa teiraa Duaaaedeo^texiae a. 74, da?
12 sAbaasd tarrhay iaailn horajaaadwn
te em stta rssideaoaar aaaa liariR de 5.
Borja n. 22. EsaMaasaliitedes Moteetias
deseniwras e- criaaaaw. TescpaMic u, 32G.
Dr. *istro JrJ*$ Pratica a lavagem do tero quaudo e co-
mo auonsclhada. Consultas das 11 s
3 da tarde em sua risidencia ra dol
Bom Jess (arrtiga da <*ruzi) n. 23, 1.
andar. Telephone n. 389
IM-. Bmimmo Smxpaio d eonmrrtas r
meio-wliH s 3 hora no 1. andar da casa
ra do BarSo da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
r. Ribeiro de Britto d consultae|de'
meio dia s 3 horas da tarde, no 1. an
dar a ra Duque de ; axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio u. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Joaqaim Louieiro medico e partei
Por sua parte cada cidadao deve pesar as pa
lavras de-am jornal, despresara tagwellice. sem-
pre infundada, e malcreaciio, sempre artificiosa,
a especulaco, sempre desastrosa. E' aqeHes
que Uz-m da imprensa nm meio d vida, quando
ella urna missao elevada, que nem a todos de-
vera ser commettida.
O philosopho judeu, o pallido Jess, expulsou
do templo os hypocriia3. sedando resa a parabo
lica legenda dus mercadores phariscus ;pois
bem, fajamos o nosaamatoaup e ex[daaBaoetdo
aaasa'Bteio, para n. o 'samiaaaaer o'ar-qar'ab
loorvemos, esses pestiteaciaaao-pnrasiaaa- qaav vi-
rndo da nossa vida, acabas do aaplinter
nos.
Como todos sabem, o canataaride oaawpow
a impressionabilidade.
para-aquaBjii dis-
"' .sil
***
Quatai pena sufficieiwe
pre-tgavessa expona
tac!io_.d*flaolidariedade?
Agiiar-se toda una numerossima popoJacao,
distrahil-a dos seus inlinitos labores, implaniar-
lhe no coracao odios contra caraeteres respeita-
veis, utilisar-se da tragedia, artillctosamente con-
cebida, para assumpio de mercanca, pode ser
ludoselvageria, impudor, infamia, etc.; excep-
to a rtemonstr*?o -da alta mentatidade de um
jornal.
consultorio ra d > Calinga u. 14, ser previamente aquilatados.
l. andar de 12 s 2 da tan!.\- residencia
uo Monteiro. \ .
Dr Atoares Guimaiaes, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidado s molestias do cora-
^5o, pulmSes, rigado, estomago e intesti-
nos -e tambero s fecgoes das crianzas.
Reside praya do Conde d'Eu, n. 28 e
tem consultorio na ra do Bom-Jesiu
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas ilo meio-dia s 3 Loras Telephone
n. 381.
O l:r. Simplici Mavignier.Clinica me-
dico cirurgica. Especialidades: molestias
pulmonares e partos. Ruado Mrquez de
Oiinda n. 27 1." andar, (.'onsultas das 11
s 2 h. nclla) das t s 9 horas da- manh e da
(nde.
Ocetilisia
Dr. Ftrreira. com pratica nos priuci-
aaaa hospitaes e clinica de Paris e Lon
dres, consaltas todos os dias das 9
horasdao mcio-dia. Cousultorio o resi-
dtacia 9 p*s r.pi-gad" !{"!?>' o- ?Q-
A<5vogalos
O hachar! Wruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1." andar.
O Dr. H. Mil:', inudou o seu cscripto
torio de advocad;!, vira a ra de Impera
dor n. 46,. 1" andar, salado frente.
J. A. de Magalhil'.:: Bu4os. Duque de
Caxias n. ''i, 1." andar..
?& rogarla
Faria Sobrmho & '-:., droguista por ata-
cado, rna do Mrquez de Oiinda n. 41.
Francisco N'vwrf Ja SilcadS'C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
eeutieas, tintas, drogas, productos chimi-
cas c medicamentos homeopticos, ra d
Mrquez de Cunda n. 23.
Aterrarla a vapor
Serrara a vapor e oficina de carapino
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribc n. 23. Este grande, stabele-
cimento, o priuieiro da pro^feia noste
genero, compra c vende inadeiras de todas
as qualidades, serra madeiras do conta
alheia, as^im como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem doin-
;^L-m:a*Pernambuco.
A cdade do Recife foi e tem sido teslemunha
da versatildade de certos espirites e da indis-
cripc&o com que se annuneiou u'na serie le se
quesiros de ternas e iiifelizes criancas, brutal
mente arrancadas aos cuidados e conchego da
familia para serem immoladas em benelicio de
ura potentado, cuja fortuna (dizia-se mezza
voceet era capaz de vendar os olhos de lodo o
mechanismo policial...
Una parte da imprensa teve a leriooda
ile de, antes de cnteriosas pea |nitas, aceitar m
forniacOes cujo peso e cuja gravidade deviam
fahi, da divulgiico de lacios, que a serem
verdicos imprteran) em urna eompleu regres-
sao aoo lempos primevos em que os horneas er-
ravaui e;n bandos famlicos palas florestas on-
da incubas,(actos casca ceja pud<,ao devn ser
ti-enM'Hda, re-ultara;n louas as sceoas vergo
abosas, que tanto depuzeram da nossa civil-sa-
co, e do que foi ihealro esta capital, em qaanto
nos bastidores da intriga, escalada na impuni
dade, a garotada ra se da credulidade de urna
popularn impressionisla.
razao justilicativa
de sa desastrosa
Onal a
mentira ?
iespoodam os entendidos...
Fehz.iiente os oi'gos indep"ndentes e serios
da apifliio publica, dei Ir os quaes avulta, pela
signifteaefto, a Provincia sempre disposta a oes-
eobrii debites na nossa polioia; inanife taram-
se contra 12o torpe campauha de calumnias e in-
vena .les. d.vlirando lonual e te imtianciieiile
SF.UFSI AbSOLITAMINTE FALSOS TODO OS BOATOS
A RKSl'KITO DE IIOL'SO DE CRlAITCaS,
Que o espirito publico revoltado nao faca re-
cahir sobre os gracejadores de ino goslo o peso
da sua colara eis o que devenios todos peair.
Rata pnaicao de lio degradante esperaiafao
bastam odespneso -e u exacrafao social.
Ilraai.
.?-3S"~
?mm\mi{?mM
0 ultimo naamra dadteaaia Antologa publica,
sob o titulo de Politi a italiana na frica, um
artig i eaeripte pala laflima pessoa que cm Maio
de 1887 fez um esiudo imprtame a muito apre-
ciado, sobre a sitUJc.) italiana na frica.
0 autor se declara I'avoiavcl a ocoapasao do
plaoalte eiiopieo, lembrando e! a lo ha
dous anuos; e luje mais que nunca, l!ie parece
oiiportuno aquelle paseo depois dos snaces w
internos da Abyssinia; Tiste que, no pensar do
escriptor da Ahmmi Antologa, a oceupayo de
Asmara if.o [seria somen!:' umi satisfacfio ao
amor propno nacional italiauo, mas tarubem um
feito de particular vaior sob o aspecto inililar.
A creseenta que toiu a pos-e da fortaleza
d'.-iddti-hlai, a duas horas e meia de distancia
mar, a dominagso dos abyssinos Ucaria
provavelmenlc acabada uaquellas regies; e refe-
riudo a opiniao do vlde, o aut^'do artigo af-
fnna :
Por mais temeraria que seja a audacia de
penetrar a viva forca uas altas pianuv.sd'Asma-
re, i.'i'smo sendo o passo sustentado so por pe-
quenas' forcas, e alada que possa darse alguma
negligencia, nada impede-nos de marchar para
a frente, todas as vezes que os eoanecimentos
nos offerecam urna occasiao favoravel e segura,
ocasio que talvez por mullos annos se esperas-
se inuti mente.
0 aacfiptor da Nueva AnloLgia, que se mos-
tra realaa n e na altura de juLar a respeito dos
negocio da frica que racioctaa com muito
acert, indica igualmente de que modo, segun-
do emende, deve proi.eder-se na oceupaco
n'A.-niara e K reo ; mas er necessario Wel-o
por cuiquauto com referencia a localidade ou
oulra isoladamenle.
MJaercre me
tul
Soroais t(^ apouquentem as culpas nassada
(j'tu tao contncte aneaste em meu seio
Mas grava, eu exijo, na tua memoria
Que sempre d'iagratos o interno est cheio.
#*.
I
N'um col!
De um numero inteiro tirando qualro
quarios. quanios Arara 1
Ninguem-responde.
mprehendam bem a pergunta : se par-
tirmos um sapoty em quatro pedajos e os co-
mermo* todos, o que tica t ,
Os meninos em coro ?
Os carocos. .
Fados...
a i
Desde qae o hornera, urgido pelas anas cres-
centes necessidades e pelo alargamento da fami-
lia, foi obrinado agrupar-?c eiu trilms, afiro de
azer a essas precisOes inadiaveis com a
promplido requerida patea acoiitecimentos e
:.ela diviso do trabalho ese-
paraeuo dos diversos nunlnx rivendi, estabelecea
mo base de toda essa inieressante e com-
plicada tea de pbenomenos regidos lano pelas
leis sociolgicas e atenea como pilas leis eos
micas e biolgicas, ura principio reguladora
solid'Uii'd'ule, iso o amor iceojervaco da
especie, raan.Testado objectivaments pelo inte-
resse que desperta ni colbctividade o mal succe-
dido a um dos seus raembros.
D'ahi resulla, inqnestionavelmcnte. esse aec-
muio de sontimenlos bons. que fon-,tu o indivi-
duo a, irrellectidament", ligar una grande im-
poriaucia a qualquer fucto que affacte a es|)e-
cie-
O coijuncto il'e-sa- fmftu dispersas e que ex-
crce un awbalawl poder sobre cada iuitivitluo,
chama se opiniao publica, cujo agente directo,
enju orgam especial a-imprensa.
lista tem, (oudeve ter) urna importancia enor-
me, en virtude do papel que representa na vida
ou do individuo em particular ou dos individuos
e>||.'divamente considerados.
Um eatedtete francez disse que a imprensa era
utn poder igual aos poderes polticos da na
V. de fado, incalculavel 6 a diiiidade d'esse
poderesissimo espelho onde se reproduz loda a
civilisaco de urna epocha
Rao s pelos seus mltiplos lins, como terabeai.
e mu principalmente, por caracterisw, a tenden-
cia poltica ou philosophica do momento histrico,
estabelecer um ideal em leglacao e artes e ap-
plicar penas tao pezadas, como o a&iquilarnento
mord, das quaes nao se pode apptllar, ella oc-
cupa um lugar proemioeate.
Cointudo duvida paira no espirKo do povo.
Urna eoosa tem coacorrido toara essa dcscon-
banca a illegilimidade e falseamento dos raeibs
qne ura jornal emprega para atravessar inclu-
me alguns dias de existencia.
Nennutna lei existe impedindo que qualquer
especulador grosseiro c ignorante, ntilisando-se
de captaes seus ou albeios, possa' fundar um
jornal.
Um jusz precisa ter aprofundados cstudos,
Irar se habilitada para decidir da r^rte de
un homem e est sob o dominio de urna engr-
oageffl administrativa, cujas rodas esmagal-o-hao
caso se alaste da norma prestabelecida, porque
razio, porm. um jornalista, que tem era suas
mSos nSo s a tionra de nm cidadao, a sua pro-
pnedade e a sua liberdade, como lambem o re-
gular funecionamento das instituicoes constitui-
das, pode abusar dos seus direitos e laucar ao
publico, bue o auxilia, material e aioralmente.
urna serir\di inverdades e de factos a cuja di-
vuL'acSo nao autecederam conscienciosas averi-
guasOes T
, Em face d"e.-ses abusos, os Estados tra o de-
ler de impedir que se faca da imprensa o halcao
l'icm mais d. e se transforme tan
ulil poder director em immundo prostbulo em
qoe n todas as torpezas do seus redac-
cujo tims propaga-se rpidamente.
**
A liberdade de cscrever nao se caracterisa
pela calumnia e pela diffamacSo e pela licenca
de se por merc dos gananciosos a respeitabili-
dade dos cidadosea ordem social.
A imprensa nao deve ser um punhal. mas
um pharol; nao deve ser a lama que conspurca,
mas a las qne allumia.
.4 gratule fV<;> sa::wiral, lnNlrnn*.-Bi-
tal e viirnl dl4rada ao laleniutio
macMlro EuclideM l'uascra.
Teve odntem lugar como se havia aimunciado
o coocerto n.-usical que as mu dignas e excelsas
discipolas de cauto c piano, offerecerain a sen
delicado c interessaiKe maestro Euclides Fon
seca.
A prini'.ira sem duvida das testas dessegne-
ro que tem tido execucfio nesta grande capital.
(O a que liunitun realisou-se ao theatro Santa
Isabel, com a maior admirado de todos e geral
contentamente.
Q'ia-i se pode asseverar que a priraeiri re
que as vistas galeras e recinto do theairo esti
verai lao repletas de gente c essa da raelhor so-
ciedade de.-ta cid-de.
Cora effeilo mais de treseiitas senhoras OG B-
pavam as tres ordens de caaWabteS, e da BBMraa
forma a platea que havia sido convertida em sa
lito por meio de-am vast tablado.
?lo proscenio achava-se a escolhida orcheslra
Suetiiiha de tomar* parte na exeeuco das pe as
e msica qui haviaui de ser executadas : em
seguida, e no tablado achavam w coiloeados ttm
diagonal nove pianos djs mais escolhidns e en-
tre elles um de cauda, novo, que foi offerecido
ao maestro pelas suas discipulas.
A's 8 horas da noite j mo avia um logar
desoecupado entre tantos que estavam dis|in-
sico do (niblico. e j era p'eciso trazer cdei-
ras su|)plem,ntares para aspessOas que estu\am
de p.
A"s 8 1/2 horas da noite teve principio de exe
cugo o programma do concert pela marcha
festival composta pelo maestro Euclides Fonse-
ca e executada em nove pianos pelas suas dez-
oito discipulas mais novas, com acorapanha.iicuto
de orcheslra e que muito agradou aos ouvinles,
nao s pelo elevado goslo da compo.sic.ao, como
pela nitidez inexcedivel com que foi ella execu-
lada parecendo que nao havia mais do que um
s instrumento, tao accordes estarn os pianos
com a orcheslra.
Pesoas que tem algum conhecimento da mu-
sica duvidaram que entre taas meninas nfio
houvesse algum descuido, e que a execuc/'o por
isso fosse interrumpida, porm, ao cuidado c pre-
ciso com que tea ellecojadO' os nei essarios
ensaios deve-se o resultado que tanta emoeo
causou no auditorio que applaudio enlhusiasaia-
dainenle as executoras, e no lira do concert pe
diram repetico da marcha, a qual da mesnia
forma foi executada sera descrep.racia alimma.
Igual elfeilo produzio a exeeuco da phinta-
sia .-obre moti\os da Aida composta pelo Sr. Eu
elides Fouseca e executada pelas Bxmas. Sras.
I) Tlereza da Soledade e D Uermina (".outinho,
c ueompanhada pela orcheslra.
Se nenhuin motivo houvesse para ser applau
ddo e admirado o talento musical do Sr. Eu-
clides Ponseea bastava a phantasia sobre os
motivos da Ada para coustiiuirem um padro
de gloria para spu autor, assim como para as
duas Exmas. Sras. que com tanta leuldade e
belleza mterpretarara os pensamentos de seu
mestre.
Com effeilo nao se podia esperar tanlo de
duas meninas quenocstao rinda provectas nos
estudos.de piano e que alm disso nao lera ou-
vido os grandes pianistas, pois que infelizmen-
te l muito tempo elles deixuratn de visitaj esta
cdade. Quem ouvisse as duas senhoras em con-
juncio exeeularein aquella msica com tanta
perfeico, com tanto brilho e inteiradlente con-
victas de seu papel e certas da agradavel m
presso que estavam produiindo no auditorio,
pensariam que eram duas grandes pianistas edu-
cadas na Europa com os raelhores mestres.
Acresce a isso que a orrhestra as acora panba-
va e que e las conliavam plenamente na boa di-
recebo do maestro.
Foram applaudidas como deviam sel-o, es-
trepitosamente e por muito tempo e muita gente
de-ejaria que se preenchesse a noite com essa
monumental composico e mais outras de qne
haremos de fallar.
Com esta encantadora phantasia encerrou-se
a primeira parte do grande concert. Seguio-se
ara intervallo de um quarto de hora de reposoo.
As concertantes aproveilaram-no para fazerem
a apresentecao do valioso mimo ao s- u mestre,
e consista esse era ura exceltenio piano de
cauda de Uerard que'de proposito maudaram vir
da Europa.
Para servir-Ibes de interprete foi eleita a me-
nina Eugenia Bndeira, tllha do Dr. Arslides
Bandeira, a qual recitou um pequeo discurso
com voz clara e distincla, que produzio verda
deiro entbusiasmo era todo o auditorio, sendo
vehementemente applaudida.
Era seguida priucipiou, depois de curto inter-
vallo a segunda parte do concert- pelaexecugSo
da magistral phantasia, composico do maestro
Euclides Fouseca sobre motivos de opera Salva-
dor Hosa, executada em dous pianos pelas
Exmas. Sras. D. Mara Pires Gal TO e D. Maria
Detecten Rodrigues com aeompanbamento de
orcheslra.
Nao sei o que mais se deva admirar, se a tran-
quilhdade de espirite com queasnossas meninas
exhibem se em nm concert em que se acham
entes milhares-de pessoas, ou a coagem
com que o maestro Eucli lesconlianas suas dis-
cipulas, principalmente quando ellas lemdeexe-
cutar msicas difficeis com acompanhamento de
orebaatra.
0 que vewlade que audooss fovtun juvatit
qne elle sahe-se perfeitaraente bemvda sua em-
Dresa, e alm disso coberto de muito bem mere-
cidos applaasos.
uas senhorilas deram completa exe:ugo
sua msica, dando I he a mais exacta interpre
taco e por consegrante execuiaiido a com gosto
e verdadeira expresso.
Nflo podemos deixar de laier especial ffieng&o
da tarantella e bolero de Baf, brilbantemente
executada pate#Bna. -ra. B. Maria Cehtcina
Rodrigues, que dispe de agib-teda- e gos-
to, dando atewcuco um vaior que pouco poder
ser excedida.
Apreciaraaa'muiloaexecucuo que comprehen-
de a expreso f-m- todo rigor da palavra. A
msica iautro meio despriairentioKntos
por meio danaans ; ella tvadaz o.pessr, eas di-
versas emoffJM done^so espirito :.precisa por-
lanlode pate*ma*baarndas e fortes.
A Exma Sra.-&/ Maria Celecroa wterpretrcom
perfeico os sentiraentos dos autores e as trnduz
raaravilhusaraenie, a satisfazer as exigencias do
publico.
Ao maestro Euclides. Perde se offendo a
sia modestia, e me sinio contrariado por nao
possuir os dotes scieotiJicos Hecosartee para
fazer o seu'eogio e apreciarlos seus la-en
tos. Jao4'a3;i|ec.9tn8U atreuinwnte um desejo
de mcntMpo'sal-o.
Continu, maestro, o caminho por onde se
ctie-aaodegteo em que se oham Aydn. NelxT.
Merendante e tamos outros que orraara o granda
catalogo dos mestres celebres, este mesmo
que S tem trilhado ; o trabalho, que nao
desanima nunca, o i sfoico para vencer as dif-
li'.-uldades, e a roragem para eupportar-a morda-
cdade dos invejosos, a.Tilica que nao leinoutro
fundamento seno o desejo de abater aque'lcs
\ iv se lera i levado por seu trabalho e que era
vez de maldizerem dos outros, ocenpamu lempo
em estudar.
Avante I As maiores difliculdades Tem S. S.
venciiio. v
Djju era rliauie principian! a desappajvcer as
escalirosfdadda estrada e vai e longe com
facilidade. '
Sei que era melbor nada lur dito da raagni
canda da sua festa, porque, fiquei muito a quem
lo que lia foi.
Nao fallara porm quem pruetieha os claros
ajlC i'ii deixei por desruido e iiiaptiilao.
A's Exilias. Sras. discipulas!! Um voto de
adiniragu e limites applausos a todas e a cada
urna de per si.
Todas cumpriraiu o seu dever, e executaram
08 seus p peis com geral salisfaco de todos que
aneiosaminte desejain que Vs. Excs. tenhara
uuito breve oc,:iso dse exhibi.-em e darera
outr.s tamas pravas de seu talento e eu nao
deixarei 'e pr.,i-mar ura cantmho para sentir
tao agradayeis eineeoes comoa< que experimen-
ten 00 dia l de Maio de 188'J que marcar
ceilamente jumaepM-lia :iotavel m hi-loria du
apprendizagem da masa era Pernambuco.
Recite, 22 de Maio 1889.
#
estifsr nesta comarca o actual promotor, Dr. Do-
mingues Carneiro. com quem o suspetto e par-
tidario juiz nao conta para auxilial-o na impd-
nidade dos seus amieos.
E tanto parece ser isto certo que propala-se
estar elle esperando somente que o mesmo pro-
motor entre no goso de urna licenca que, se-
gundo nos consta, requeren, afim de poder croa
facilidade illaqnear a boa fdo adjunlp qne'o
substituir no exercicio da promotoria. urna vez
qoe nao pode mais contar com a pasiividade do
ex adjunto Jos Arnaldo. (felizmente j deraitti-
do), e de cujaoa vontaae tinha garantas.
Nada duvidamos do Sr. Dr. Aleibiaoes, princi-
pnlniente quando se trata dos seus auxiliares po-
liticos, e sd providencias.
Entretanto vao as iiessoas sensatas e o publi-
co imparcial aprecianae se o Sr. Alcibiades
juiz pastidrio, on se o magistrado, que se
inculca tnatacacel na pureza de sua toga I...
Pobre de espirito !.. -
Ouricury, 27 de Abril de 1889.
Romulo.

1.
A ladea!
S O NOME ESPANTA !. .
A tsica E' como dizer: a morte por polle-
gadas, urna urna, a dissoluco do corpo e da
vida, dia por dia, hora por hora, e at'uial. por
minutos, por instantes ; uto no lempo, n"tea-
tena anda peior : a dissoluco por libras, por
oncas, por graos, por atoraos, por molculas; at
se sentir apagar como urna falsea !
Isto chamara os mdicos o periodo ternario,
isto o periodo sem es>eraiira. o periodo
tal e fatal,
Pois bem, se mesmo j no segondo nFnoflo
emprega-se sem inteErupso a Emulsao de Lan-
raan A Kemp, nao lia perigo de que ebegue o
tei rivel terciario; e comecaudo no primario
qucs'&o de poucos dias e de poucas garrafas o
curativo radical da molestia.
bto um lado provado, demonstrado e irre-
cusavel
Si existe um remedio para a tsica, anda no
seu estado mais perigoso, este remedio a Emul-
so de Oleo de -igado de Bacalho de Lanman A
Kemp, a qual preparada cora o oleo mais puro
da Noruega e os hypophosphilos de cal, soda e
potesaa, segundo os principios mais acabados da
seiencia.
idoapr-
pfrioflo
-v, --..
o publico
Aliinoel Pe reir do
Icc'ara qne do dia 15 do
an e passou a assignar-se.
Manoel Pereira do Amoral londellv.
Kigueiredo TonduIIa
corrente cm di-
Ao publico
Ha alguns mezes passr.dos, algucm qae
nao tem escrpulos, mas, que tem bastan-
te coragem para assaltar a dignidade
alhei.-., atacou-me das columnas (leste Dia-
rio, affirmando criininostinicnte que eu
gastara em raen proveio s^is cantos de
reJs que me haviao sido entregues pelo il-
iuatre missionario, a Revm. Fr. Venancio,
pan a construcyiio de urna capelia no no
voado Arcas de Goyanna.
Logo aps esta publicaca insultuosa,
vim a impreusa, e, pedi ao publico que
uspendesse o seu uizo a meu respeito,
c'unpromettendo-me eu, a exibir opportu-
n.-iiu.-;ite Moaaa que dbsfizeasem de um
mo.lo absoluto as falsidadcs apregoadas
por aquelle que procurava calumniar-me.
Keconheco que ^tardei cm me desobrigar
do comproinisso contrahido, mas, nunca
tarde para se restabelecer a verdade. En-
tretanto so houvc deitiora, houve raz?io
para sto.
O respeitubilissimo missionario de quem
eu pretenda haver um documento cm
meu favor, achava-se ausente.
Mas, agora que possuo urna carta do
Revm. capuchinho, venho dar resposta ca-
bal ao meu gratuito inimigo, publicando
essa carta qae a minha propria dc-feza.
Eil-a:
Recife, 24 de Abril de-1889.
* Illm. Sr. Recebi o prezado favor de
V. S. datado de 23 de Abril do corrente,
em que me pede que dec are a quantia de
dinheiro agenciado para a nova capelia do
Senhor S. ebastiSo de Arcas, na occas ao
em que missionei no dito povoado cm
1881.
Em resposta, cbeme dizer que o di-
nheiro agenciado chegou a dous cantos cen-
to e intenta oito mil reis, c que se gastou
as obras da dita capelia, para mais de
um cont de reis, durante a primeira mis-
aSo, ticando o resto naa raaos de V. S.
para se continuar 'as ditas obras e mandar
fazer tijolos queja faltavam.
Disponha de quem se honra de ser cou
estima e alta consideraeo. De V. S. hu-
milde servo.
Fr. Fenanetb Maria de Ferrara.
Missionario capuchinho.
(Afirma est reconhecida)
Como se v da earta cima, o diuheiro
agenciado subi a pouco mais de dous con-
tos ,de reis; na primeira missao foi des-
pendido com os trabalhos da capelia mais
de um cont, e o resto qne est em meu
poder ser empregado nos mesmos traba-
lhos durante a segunda missao, que devo-
ra ter iugar em Janeiro ou Fevereiro do
anno vndouro.
Mas agora convem pergunar: A que
ficam reduzidas as affirraacoes do mea ca-
lumniador ? A cousa nenhuma. Ha indivi-
duos que por nao serem serios, descreem
da seriedade albeia.
Tracnnhaem. 21 do Maio de 1889.
Manoel de Britto Camello da Veiga.
lo p. Blpidio Reg
Deparando com una critica feita por este se-
nhor a raim pela inmunda redaceao do Cafa
moile, que para i-Io se pre.-ta, enio tendo com
este typo conhecimento, peco-lbe que apparega
em miflha preseaca ; que de minha parte Ihe
quero dar os agradecimentos de que o senhor
merece.
Re if, 23 de Maio de 1889.
Eduardo C. Rodrigues Sfte.
' t

1






ZVicaula
A CEMEBE

Brevemente
O
uncury
Ao l']\iu. Sr. Dr. presidcale da
provincia
Pede-se muito respeitosamente a attenco do
Exm. Sr. presdeme da provincia para o irre-
gular procedimento do juiz de direito desta co-
marca, bacharel Joaquim Alcibiades Tavares-de
Hollanda, e espera se que S. Exc. efficazraente
providencie de modo a que esse magistrado d
prorapto andamento aos processos de responsa-
bilidade intentados contra seus bons amigos te-
nente-coronel Elias Gomes de Souza e Auto
Monean de Oliveira Castro, processos que apesar
de iniciados ha mais de um anno, nao tem tido
andamento por conveniencias polticas oo mesmo
juiz.
Em principios deste anno inquirirn) se al-
guraas testemunhas, sendo, porm, pouco de-
lois, paralysadas as diligencias! e, segando
vos geral, nellas nao se proseguir emquaulo
Aviso aos aossos leiore?
Os BO8S08 leitores que visitaren) Pars
durante a ExposicSo de 1889 j sabem
que poderao 1er os ultimes exemplares do
nosso jornal chegaclos aquella cidade no es-
criptorio dos nossos correspondentes, Srs.
Arade Prince & C, 36. ra Lafayette,
onde podem mandar dirigir qualquer cor-
respondencia, pedir quaesquer informacSes,
dar ordens de compras, etc.
Alm d'isso,. levamos ao conhecimento
dos nossos patricios que afora o Berviao esta-
bclecido no escriptoiio da ra Lafayette,
n. 30, os mesmos Srs. Amdce Prince 4
C, acabam de organisar urna sala de lei-
tura e de mformacoes na Exposicao mes-
mu, no pavhao da repblica de Guate-
mala cujo comBMjMano geral dignou-se de
por graciosamente' urna vasta sala com
varanda s ordens dos nossos correspon-
dentes.
Aconselfrauloiniui vivamente aos nos^'
sos amigos e Ibjaores que se achareni em
aris, quevattem a casa Amde rince
'! O. na sua sede social, 3G, ra Lafayet-
te, bem como na installacao que possue na
ExposicSo no Pavilhao de Guatemala que
ha de ser, gracas s extensas relacSes dos
nossos correspondentes, o ponto da .re- x
uniao dos numerosos estrangclros residen
tes em Paris. >

J^---
J*r
X
Frederico Chaves \mw
>
'39-
RDA BARAO DA 'VICTCP.lX~39^
l'rinieii-o aullar h^
Aviso a nuestros lectores
Los de nuestros lectores que vayan a
Paris mientras la Exposicin de 1S&P, es-
tn ya avisados que podran leer los lti-
mos ejemplares, recebidos en Paris, de
nuestro peridico, en la oficina de riwes-
tros corresponsales los Srs. Amdc-e Prin-
ce y l\, 3ti, ru Lafayette, donde pueden
haceroedirigir toda su correspondencia,
pedir informes, dar ordens de compra,
etc.
Pero, avisamos a nuestros compatriotaa
que ademas del servicio instalado en su
oficina 36, ru Lafayette. los Srs. Am-
de Prince y C. han orgonizado u otro
gabinete de lectura y de informes en la
Exposicin misma, en el Pabelln de la
Repblica de Guatemala, en donde el Sr.
comisaiio general a puesto a la disposicin
de dichos Srs. una grande sala cou ter-
rado.
Aconsejomos vivamente a nuestros ami-
gos lectores que vayan a Paria, de hacer
una visita a la casa Amde Prince y C,
tanto en su residencia, 36, ru Lafayette,
como en su instalacin e el Pabelln de
Guatemala de la Exposicin, que resulta-
r, ser por el hecho de las extensas rea
ciones de nuestros corresponsales, *1 cen-
tro de reunin de los numerosos estrange-
ros presentes en Paris.
^

:;
Despedida
Oabaixo assi<.mado retirndose temporaria-
mente para a Europa,, vem pelo presente meio
despedir se d* seus amibos, a queiii- olTeivce
seus prestimos e n qualqui r parte onde se
Ha ausencia ficam encarregao
negocios, em 1" lugar seu lilho o Dr. Jos Zefe-
rino F rrti.a Vellosoe em i oSr.Loiz Machado
Boielbo.
Recife, 19 de Maio de 1889.
Zefermo Ferretra Velloso.


J


vt
Diario de -Pisrnanibiico---Sexirfeira. 24. de -Maaide .1889
3

mm

OSr: Dr.Serafim Arawjo
Dr. Serafina Jos Rodrigues de Araujo,
formado em medicina pela Facukkde da
Baha, cavalleiro da ordem da Rosa, etc.
fjitteeto que e Peitoral de ambara, pre-
parado pelo Sr. Jos Alvares de Soasa
Soarea, un excellentc medicamento, em-
preado coro mnito bons resultados, as
molestias Woncho-pulmonares. E por ser
verdade.passei o presente, que assigno em
fe do men grao.
Dr. Serqfim Jos Rodrigues de Aravjo.
Pelotas.)
Dr. Fimo-Xavie?
Medico e operador
Di corwaltas dos 11 as Xiioras em Mu con-
sultorio ra de'lmperatrnjjn 30 lu andar e
tera saa residencia na cidawuo Cabo, onde po-
de ser procurado das 6 da tarde as 9 da roanh.

A
Correto r
Necessita-sc de urna pessoa que- se quei-
ra encarregar da venda de um artigo pre-
vilegiado paflft o allivio da surdez E' um
encargo de grande vantagem e de muito
poueo trabalho. Quera pretender pode di-
rigtr-se por meio de carta a caixa de cor-
reio n. 123S em Baenos-Ayrea.

Biicharel Antonio Wilro-
I j vio Pinto Bandeira ,'
{ Pode ser procurado a ra do Imperador
B. 71, 1 andar /
Apas alcalinas mineraes de Ion-
dariz em Pontevedra, na lies-
a


ESPECIALIDADES
para molestias de estomago, taes como: dispep
sia gastralgia, catharro chrcnico do estomago,
ulceras simples,
Molestias dos intestinos, taes como: enfarta-
mento do ligado, ictericia, clculos bilia.es, diar-
rha chronica, etc., etc.
Molestias das fias urinarias, taes como: dias-
teses ricas, calharro vesical, diabetes sacarina,
albuminuria e gotta.
as anemias, chlorosis, psoriasis, prunigos,
dores artriticas e mutras umitas molestias.
As aguas alcalinas de Mondariz nascem de ro-
chas granticas na temperatura de 180 centgra-
dos, sao claras, incolores de cheiro parecido um
Souco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, pro-
uzindo um ligeiro sabor picante na occasio de
tomar-se. Ellas sao classicadas no numero
das alcalinas e bi-carbonatadas de soda.
Estas aguas acharase venda no estabeleci-
meato do Sr. Antonio Alfonso Simes, sito ra
Visconde de Goyanna (i. 1 (quatro cantos), em
Boa-Vista, e no escriptorio do Sr. Joao Ramos,
na Praga da Indopendccia n. 11.
Dr. Mello Gomes
j Medico operador parteiro
| 91Ra l.a r*a do Roarlo I
(POB CIMA DO ANNEL DE OORO)
Cuidai a vossasaude!
Infelizmente bem crnmum urna mo-
lestia terrivel, conhecida pelos nomes de
Tsica, Cbnsumpcao, doenca do peito,
etc.
Nao pretendemos affirmar que o Peito-
ral de Cambar, cure aquella molestia,
porque at hoje lera sido impossivel cu-
ral-a quando ebegada ao ultimo perodo ;
porem, podemos assegurar, que todos os
doentos que usarem do Peitoral de Cam-
bar, no primeiro e segundo periodos,
logo acharan, com toda a certeza, grande
allivio c depois a sua cura completa, por
meio de um tratamente prolongado e per-
sistente.
O Peitoral de Cambar nao limita a sua
accao benfica s doencas do peito cura
tambera muitos defluxos, bronchites e tos-
ses que, as mais das vezes, quando des-
presadas, sao a causa das ffecco'es pul-
monares.
Este remedio acha-se venda em casa
dos agentes Francisco Manuel da Silva
& C, ra Mrquez de Olinda n. 23,
que o vendem a 20600 o frasco.
15.
Quaesquer duvidasque se soscitarem entre o
preshieate da provincia e os proponentes, Serio
definitivamente decididas por dous arbitros no
meados, um pelo presidente da provincia, e
antro pt-los proponemos.
No caso de desaccordo entre os arbitros, cada
um delles apreseutar para desempatador urna
pessoa. e a sortee decidir.
16.'
Pela infraego do qualquer das clausulas pre-
sentes, vorilicada sobre representago e infor
maguo dos interessados, os propouontes serio
ohrigados pagar a multa de 5005000, que o
prosidenlo da provincia poder impor, sendo
somentu admittido recurso para o juizo arbit'al,
quando o valor da multa exceder de 1:000000.
17."
Os proponentes, alm de sujeitarem-se todos
os onus o condiges. e prestarem as garantas
de que iraiaui as leis n. 1,860 do 1863, art. 16, e
1,972 do corrente anno ; offerecem a seguinte
EDITAES
Escrivo Reg Barros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto supplenlc em
exercicio dos feilos da fazenda Jos Salazar da
Veiga Pessoa se vender em praga publica no dia
24 do corrente mez de Maio, polas 11 horas da
rnanha, o seguiote:
Doze cadeiras de guarnico, 2 ditas de braco,
2 ditas de halango, 1 .-ola e 2 consolos, ludo de
junco bruno, pelo proco de 121.5360, mais 24
cadeiras de guarnico, 4 ditas de braco, 2 sofs
o 4 consol*, ludo 3p junco, pelo prego de 360*,
Rteteme* no estabelecimento de movis ma
Duque de Caxias n. 29, pertencente a Baptista
<5cC.
Urna arniago de pinho pintada, 1 balcac, 1
carteira de amarello. 2 caixes, 1 relogio de pa-
rode e 1 pipa vasia pintada e verde, existente
do estabelecimento ra do Caes Vinte Dous de
N'ovombro n. 77, pelo prego de 444550, perten-
cente a Joaquim Ramos A C
Quiuze arrobas de carne secca existente no
estabelecimento ra Pedro AITonso n. 40, pelo
proco de 36S450, pertencente a Moroira Reis
ai C
Cujos bous acham-se penhorados e vo ser
vendidos para pagamento da fazenda nacional e
custas.
Rocifo. 21 de Maio de 1889.
O solicitador da fazenda nacional,
Luiz Machado Botelho.
pouente
Emprestaro sob sua responsabilizado pra-
zos convencionaes, a juro nao excedente de 8 %
ao anno, capitaes os plantadores e fornecedo-
res de canna, como adiantumenlo para auxilio
do^gasteivdaproduccao nao excedeodo o era-
prestimo de dous tercos do valor presumivel da
safra, o. devendo realisar-se tempo de poder
s.',r atilisado de*de a primeira colbeila (art. 4*do
decreto n. 10,100 de 1 de Dezembro ue 1888).
18.'
Os proponentes poderio, em vz de um enge-
nlio do typo maior, fundar dous de typo menor,
se por ventura, depois tos estudos precisos, re-
conhecera presidencia da provincia esta con-
veniencia.
19.'
Os proponentes obrigam-se assignar o res-
pectivo contracto dentro do prazo de 30 dias
contar da data do despacho presidencial.
20.
0 valor do contracto ser lixado para os effei-
tos legaes na importancia de 600:000*000.
Estavam tres e-tampilbas do 200 rs. cada urna
ioutilisadas pela forma seguinte :
Recife, l'J de Maio de 1889. Nopoleao Cesar
Duirte, por si e como procurador do coronel
Manoel Nascimento Vieira da r.unlia.
(Se exhibir procurago sendo preciso .
PROPOSTA (
O abaixo assignado se prope jontractar a fun-
dacao e explorado do eogeriho central a cons-
truir se no municipio de Muribeca e de todos os
outros a que se refere o edilal da Secretaria da
Procidencia de 20 de Abril deste anno, acceitan-
do todas as condices nelle exaradas, e fazendo
as soguintes vantugeus
ma^o dos. intereseadaa, os proponentes sero
obrigados a pagar a multa de 50 '#000, que o
presidente da provincia poder imar, sendo s^
mente admittido recurso para o juizo arnitra!,
5pando o valor da multa exceder, de um cont
e ris.
17-
Os proponentes podero, em vez de ura enge-
nho de typo maior, fundar dous de typo menor,
como aculta oarligo 16 da lei n. 1860 de 1883
18."
Os proponentes obrigan>se a assignar o res-
pectivo contracto dentro do prazo de 30dias, a
contar da data do despacho presidencial.
19.'
O valor do contracto ser (ixado para.os effei
tos legaes na importancia de seisceutos conto3
de ris.
20."
Os proponentes, alm do sujeitareai-se a to-
dos os onus c condices e prestaren as garan-
tas, do que Iratam as leis ns 18u0c 188 art.
vantagem para proferirem a qualquer outro pro- 16 o 4972 tto corrente anno, onerecem as se-

_........._
{lias de senhc
em geral, cu
, ratees do asi
}{
Onde tem consultorio rewl-
ii-nria i podendo ser encontrado c
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especiilirtiidc.i: partos, fobros, moles
inoras e dos pulmes, syphilis
cura rpida o completa e i
treltamontos e mais soB
mntos da uretra.
Acode de prorupto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telephofle n. 394
*
Estreitaraento da urethra
Ao Illm. %r. Dr. Carlos Bctlen-
conrt
O abaixo assignado vera pe'11 presento agra-
decer ao distinelo especialista Dr. Rettencourt a
importante operaco que Ihe praticou n'um es-
treitamento da urethra que o acabrunhava ha
mais de dous annos. Vendo as imasonsas curas
feitas por este Ilustre doutor re-olvi-me a pro-
cural o no seu consultorio, onde fui ha dias ope-
rado pelo electrose, aps cujo tratamento acno-
me perfeitamente curado.
Recife, Maio de 1889.
Joaquim Atonia da Futtseca (alcao.
y*
Oculista'^
Dr. Barreto Sampaio, medico,
wcuiist.H, cx-chcfc de clinica do
Dr. de Wecker, d consultas de
mei dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 na do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.

Cimirgio Dentista
DR^ROBERT P. RAWLINSON, for-
nad pela Universidade de Maryland nos
Estado-Unido8, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Baro do Victoria 1S, Io an-
dar.
Consultas da 10 s 4 horas da tarde.
r. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com espeoiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
CoMuitorio e residencia ra da iuipe-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 a 10 da maiiha.
Chamados (por eseripto) qualquer hora.
TELEFHONE N. 226
MEDICO HOMEPATA
Dr. Balthazar da Silveiraj
Especialidadefebrcs, molestias
das criaacas, dos orgaoa respirato-
rios e das senhoras.
Prestare a qualq uer chamado para
ora di capital.
AVINO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do J WSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
irr
O1*
Herm. Peterseo & C.
Reichenstr 29/31
IVBIBtM
Par'iaipam'ao seus numerosos amigo.s que
para (acuitar aos compradores de ultramar teai
cotoftalado em sua casa um rico sortimenioo*'
amostras de todos os artigos aUeme) oque re
commendam aos seus amigos que acabara w
visitar a Europa
5.* serco.Secretaria da presidencia de
Pernambuco em 23 de Maio de 1889.
De ordem do Exm. Sr. vice-presidenteda pro
vincia faco publico, pai'a conhecimento dos in-
teressado's, a integra das vinte propostas, apre-
sentadas ao mosmo Exm. Sr., e por elle rubrica-
das, em 18 do corrente, para a fundaco de onze
engenhos centraos em dilTerentes municipios, de
confoimidade com a lei n. 1971 de 22 de Marco
ultimo.
O secretario.interino,
Uanoel Joaquim SUrrira.
PROPOSTA
Os abaixo asslgnados. pro prieta rios e agricul-
tores, residentes no municipio de Iguarass, as
sociados e dispondo de capitaes precisos, obri-
gam-se fundar e explorar no municipio de
Iguarass, um engenho central de typo maior
com capaeidade pura Irabalhar em 100 das de
moagom. 25 a 30 milhes do kilogrammas de
canna sob as clausulas seguint.es :
!
Os machinismos e apparelhos sero os mais
modernos o. aperfegoados de modo poder
jbter-sc das caimas a maior porcentagem deas-
sucar juizo da commisso nomeada polo pre-
sidente du provincia.
2."
So submetlidos approvaco do presilenle
da provincia at o da 30 de Seterabro do corren-
te anno, o plano de lo Jas as obras projectadas,
os desonhos e relacSo dosapparelhos, descripcao
do proco sso da fabrica de assucar, a planta do
local e os contractos feitos com os fornecedores
de canna.
3.'
As obras de construeco do ongonho comeca-
rSo depois de feilo^ e approvados os exornes de
que trata a clausula 2.', e licaro concluidas em
setembro de 189*', salvo caso do forca maior
4.
r- Os proponentes sujeitam-sc multa de
5:000a000 :
!.* Se as obras do eogenho nao forem con-
cluidas dentro-do praso estipulado, cabend aos
fonieccdores das raimas urna indemnisaco
pelas suas safras, salvo caso de forca maior;
2." Se deixar de funecionar o engenho por
lespaco'dc um anno, salvo caso de forra maior.
5.a
Os casos, de forca maior sero justificados e
julgados peh presidencia.
6."
Os direilos e obrigacOes entre os proponentes
e fornecedores de canna, serio regulados pelos
contractos entre elles celebrados e escriptu
rados.
7.
A provincia conconer titulo de empresii-
mo com a quantia de 2OO:O0OW0O em apotices
de juro de 7 % ao auno, sendo os respectivos
juros recolhidos pelos proponentes ao Thesouro
Provincial no lira de cuda semeslre.
8
O pagamento da quantia de 200:0)0iC00, ser
feho pela provincia em duas prestacoes iguaes
accordo com o art. 16 da lei n. 1860 de 1885,
e art. nico da lei n. 1972 do corrente anno.
.
A provincia ter hypotheca sobre o engenho
central e dependencias do mesmo engenho para
garanlia de suas apolices, concedepdo, porem,
isenfes de quaesquer imposto? provinciaes omu-
nicipaes, exceptuados nicamente os do espor-
taoo eriiquanto nao forem eliminados te lecoita
provincial, aos termos do 4 do ar!. nico da
lei n. 197), do corrente anno.
10"
A provincia ter uas obras um engenbeiro
fiscal de nomeaco do presidente da provincia,
cora a ^ratificaco de 2:40Otu. jiuo correr
por conta dos proponentes.
11.'
A amortisaco das apolices auxiliares de que
trata o a. 5 do art. 16 da lei n. 186" de 1888,
ser feta de accordo com o 3o do art. nico da
lei n. 1972 do corrente anno.
12.'
O contracto ^ealisado pelos proponentes rao
poder cer transferido agricultore-. preceden-
do approvago do presidente da provincia com
relaco todas as clausulas da cesSo ou trans-
fonncia. N
i erto, porm, os proponenUs incorporar
companhia que leve efmio a fandaco o axplo-
rafao do engenho central, e depois que olla es
tivor logalmente constituida, IransfeTT Ihe todos
os .lireitos e obrigacOes do alluilido contracto,
precedendo igualmente approvaco te presi-
dencia.
13.'
Os prepooeiilcs prestaro perante o Tliusouro
Proviucial lianca que garanta a importancia dos
joros que livor do pagar a provincia pola omis-
so do sua* apolices, podendo diminuir a referi-
da flanea medida que realisar-sc a mr.ortir'
sacao.
14.'
Nenhum dividendo ser pago antes de serem
satisfeitos os juros das apoliees emittidas pela
provincia e a quota da respectiva uaiortisacio.
1.
Dispensa do'imposlo de exportago durante 10
annos a que se refere o art. 16 da le n. 1,860.
tanto com relacao aes impostos provinciaes como
aos municipaes.
2.
Far o proponente aamortisaco das apolices
pi n i i ociaos a razao de 12 f0 annualmentc e d'ahi
para cima nos annos subsequentes.
M 3-*
Urna vez ternunada a araortisacao das apll-
eos o proponenie se obriga a dar em beneficio
da provincia 2 ^^nflnalniente do lucro liquido
das fabricas ouengenhos' contraes por elle con-
tractados na conforfniojjde do mesmo edital.
Eslava urna estamprna de 200 risinuilisada
pela forma seguinle :
Recife. 18 de Maio de 1889. Antonio Gomes
Peretra Jnior.
PRO'OSTA
Os abaixo assignados proprietarios agrcolas
e agricultores residentes no municipio de Muri-
beca, associados e dispondo de capitaes preci-
sos, obrigan.-se fundar e explorar no munici
pi de Muribeca um engenho central de typo
maior com capaCidade para trabalhar em 100
dias de moagem 2 a 30 milhes do kilogram
mas de cannas ; sob as soguintes bases :
1.'
Os machinismos e apparelhos serio os mais
modernos e aperfeicoados de modo a poder ob-
ter-se das canoas a maior porcenlagem de as-
sucar juizo da commisso nomeada pelo pre-
a da
guiles vantagens para preferircm a qualquer
oulro proponente :
!. Emprestario, sob sua responsabibdade a
prazos conveneionaes, a juro nao excedente de
8 % ao anno, capitaes aos plantadores e reme-
cedores de canna, como adiantamento para au-
xilio dos gastos da produccao, nao excedenao o
emprestimo de dous tercos do valor presumivel
da safra, e devendo realizar-se tempo de po-
der ser ntilisada desde a primeira colheiMart
4. do decreto n. 10,100 do 1 do Dezerabro de
1888).
2.* Logo que a usina rcilizar lucros que per-
mittam dividendo de 10"/o annualmcnte, a quan-
tia excedente ser distribuida proporcional
mente com os fornecedores de cannas.
3.* Os proponentes tambera se obrigara a fa-
zer a amortizaco a taxa de 5 1/2/, annual
monte, renunciando deste modo a vantagem
concedida na 1" parte do S 3* do arl. Io da lei
n. 1972.
4.' Os ^oponentes so comprometiera a desis-
tir em favor dos cofres provinciaes, da impor-
tancia de 2',' sobre o capital de duzentos con-
tos fornecidos pela provincia, subsistindo, porm
a obrigaco de famortizai a quantia total de
duzentos contos e de pagar os juros correspon-
dentes mesma.
Estavam tres estampilhas de 200 rs. ioutilisa-
das pela forma seguinte :
Recife, 18 de Maio de 1889. Gabriel Germano
de Aguiar Montarroyos. Manoel Carnciro Leo.
Racharel intonio Coelho de S Albuquerque.
Reconheco verdadeiras as assignaturas supra.
Recife, 18 de Maio de 1889.
Em testemunho de ver.lade (signal). 0 ta-
belliSo publico Jos Bonifacio dos Santn Mer-
gulhao.
Feitas e approvados os eiaiues. de que trata-a
clausulatanterioR tattiuezeB depois oomecaTio
as obras1- da ooostrucco da--usina ou-eogenho
central e (Icario oncluidas em Setembro. de
1890, salvocaso de forca maior.
4
Pelos proponentes serio aceitas as modifica
c6es que forem feitas. pelo presidente da pro-
vincia nos trabalhos preliminares a que se refe-
re a clausula anterior, depo3 de ouvida a com-
misso de engenheiros de que trata a condico
7 do art. 16 da lei n. 1,860.
5'
Os proponentes e seus associados agriculto-
res residentes no valle da comarca do Cabo, su-
jaitam-se multa de 3:0005000: Io se as obras
do engenho nao fofcm concluida ao prazo- es>
tipulado cabendo aos> fornecedores ide caunas
urna indemmisaco polas sua:: 'safras,. salvo o
caso de forca maior; 2o se deixar de funecioruu;
o engenho central por espaco de um anno, salvo
ocaso de forca maior. Os casos de forca maior
sero juslifleadbs.pelo presidente da provincia.
6"
Os drreitos e obrigacOes entre os propononlps.
os plantadores e fornecedores de cannas. sero
regulados pelos contractos entre-elles celebra-
dos e escripturados.
7
A provincia concorrer, a titulo de emnrcsli
mo. com a quantia do 200.-O00* em apolices de
juro de 7 % ao anno.
8-
O pagameuto a que se refere a clausula ante-
rior, ser eito de conformidade com o artigo
unuo da lei n. 1,972 de 1889, isto em duas
prestacoes, a primeira quando fr ^presentado
ao Thesouro Provincial o contracto de compra o
venda dos materiaes devidamentc legalisado e a
secunda depois que se acharem-os meamos ma.
teriaes no local em que fflr estaltelecida a fa-
brica.
9*
0 contracto de que falla a clausula anterior
sera por escriptura publica, em que o vendedor
dos materiaes garant aos proponentes com hv
7.-
sidento da provideia.
?
Sero submettidos approvaco do presidente
da provincia at o da 30 de Selembro do cor-
rente anno, o plano do todas as obras projecta-
das, os desenhos e relaco dos apparelhos, dis-
cripeo do processo da fabrica de assucar. a
planta do local e os contractos feitos com os for-
necedores de canna.
3.
As obras de cooslrucco do engenho comega-
rio depois de feitos e approvados os exames de
que trata a clausula 2*c ficarto concluidas era
Setembro de 1890, salvo caso de forra maior.
4.'
Os proponentes sujeitam-se multa de
:000000 :
1." Se as obras do engenho nao forem con-
cluidas dentro do prazo estipulado, cabendo aos
fornecedores das cannas urna indemnisaco pelas
suas safras, salvo caso de forca maior.
2.' Se deixar de funecionar o engenho por es-
paco de um anno, salvo ocaso de forca maior.
5.
Os casos de forga maior sero juslilicados e
julgados pela presidencia.
6."
Os direitos e obrigaoes entre os proponen-
tes e fornecedores de canna, sero regulados
pelos contractos eatre elles celebrados e escri-
pturados. ,
A provincia concorreri a titulo de emprestimo
com a quantia de 200:000*000 em apolices -de
juro de 7 % ao anno, sendo os respectivos juros
recolhidos pelos proponeutes ao Thesouro Pro-
vincial no um de cada semestre.
8.
O pagamento da quantia de 200:000*000 ser
feo pela provincia em duas prestages iguaes,
de accordo com o art. 16 da lei n. 1,860 de 1885
e ar. nico da lejh. 1.972.
9.
A provincia ter hypotheca sobre o engenho
oentral e dependencias do mesmo para garanta
de suas apolices, concedendo, porem, isengOes
doiquaesquer impoelos provinciaes e munici-
paes, exceptuados nicamente os de exportagao
emquanto nao forem eliminados da receita pro-
vincial, nos termos do g 4* do artigo nico da
lei n 1.972 o corrente anno.
10.
A provincia tora as obras um engenbeiro
riscal de nomeaco do presidente da provincia,
com a gratificag'o de 2:400*000, que correr por
conta dos propnetes.
11.
A am das pela provincia a titulo de emprestimo, de
que traa o n. 5 do art. 16 da lei n. 1,860 de
1885, ser feta do accordo cora o 3o do artigo
unioo da lei n. 1,972 do corrente anno-
12.
O contracto realisado pelos propouonles s
poder ser transferido a agricultores, preceden-
do approvaco de presidente da provincia, com
relaco a todas as clausulas da cessfto ou trans-
ferencia.
Podero, porm, os proponentes incorporar
companhia que leve etl'eito a fundaco o explo-
ra cao do engenho central e depois que ella es
tiver lcgalmenU: constituida, transferir Ihe todos
os direilos e obrigagoes do alludido contracto,
preco-lendo igualmente approvaco da presi-
dencia.
13.
Os proponeules prestaran -perante o Thesouro
Provincial tenca que garanta n importancia dos
juros que tive- de pagar provine! i pela erais-
sao de suas apolices, podendo diminuir a refe
rida fianga a medida que realizar se a amorti
zacao.
14'
Nenhura dividendo sera pago antes de serem
^alisfeitss o* juros das aponeos emiltidas pela
provincia o a quota da respectiva amortizarfio.
i.'
Quaesquer dnvidas que se gusoarsm entre o
presidente da provincia e os proponentes. serio
definitivamente decididas por dous arbitros no-
meados, mu pelo presitlenU' da provincia, o ou
tro pelos proponentes.
fo caso de desaccordo entre os arbitros, cada
un dclles apwscotar para deserapatadoi urna
pessoa, e a sorte o decidir.
!
Pela infracco de qualquer das clausulas pre-
seate4 -venteada sobre representagao e infor-
PROPOSTA
. Manoel Xavier Carneiro da Canlia Filho, bra-
sileiro, agricultor, rendeiro. residente no enge-
nho Novo, da freguezia de Muribeca, comarca de
Jaboato, prope-se a contractar a coustrucgiio
de urna fabrica central de typo maior, sujeitan
do se a todas as clausulas e obrigaoes indica
das no edital de 20 de Abril do correte anno,
mandado affixrr pola presidencia e offerece como
vantagem o seguinte :
Pagar aos contractantes fornecedores de can-
nas porcada tonelada mtrica a quantia de cin-
co mil ris, quando o assucar bruto der na pra-
ga do Recife mil reis por 13 kilos, prego que
dever ser attestado pela junta dos corretores
ou pela Associago Commercial Agrcola.
Se porventura o prego do assucar subir de U
torio os fornecedores mais 300 ris por cada 100
ris que subir.
Dar aos fornecedores 3 litros de mel por cada
tonelada de canna.
Obriga se tambera a adiantaraos mesmos for-
necedores 2o por cento sobre o valor de suas
cannas, aevendo ser feitoo descont a razo de
30 por cento na poca das colheitns e por quin-
zena na razo dos fonecimentos do cannas.
O proponente, alm das vantagens offerceidas
os agricultores de cannas, offerece tambora
vantagens ao governo, pagando a amortisago
cora raais 2 por cento, alm do que se acha es-
tabelecido no edital e na lei, de forma que em
prazo mais curto ser o governo desonerado.
O proponente offerece ainda como vantagem
receber na fabrica que pretende fundar 10 or-
phos do sexo masculino, maiores dfc oito an-
uos, emprendo oe no servigo da mesma fabri-
ca compa'ivol cora as suas forrad educando-os
no trabalho agrcola, dando-lh'es a instrucr.0
primaria, roupa, comida curativo e mais urna
razoavel soldada proporcional a aptido e for
gas de cada um menor, diminuindo assim a va-
gabundagem e o onus do governo as casas de
caridade.
E, porque as vantagens na presente proposta
offerceidas sejam de grande peso, p propqnente
espera que seja ella recebida do preferencia.
Eslava sellada cora urna estampilha do valor
de 200 ris, inutilisada da forma seguinte : Re-
cife, 18 de Maio de 1889. Manoel Xavier Car-
neiro da Cunha Filho.
Reconhego a firma supra.
Recife, 18 de Maio de 1889. Era testemunho
da verdade.-O tabcllio publico, Joao PrescUia-
no da i osta.
Ulna, e Exm. Sr. vice presideule da provin-
cia. -Francisco Lumay, o qualdispe de machi-
nismos os mais v perfoigoados e ainda nao in-
troduzidos nesta provincia, do fabrico de assu-
car, e que, eom vantagens, tem montado uas
provincias do sul do imperio, nos termos do edi-
tal desta presidencia e perante esta prope-se
ao estabelecimento de dous engenhos contraes
de typo maior, nos municipios de Bonito e Mu-
ribeca, ou mesmo outros onde raelhor couvenha
ao governo provincial.
O proponenie aceita todas as condiges esta-
blecidas no referido edital, com as inoditicages
da lei n. 1,972, tambem publicada no Diario de
Pernambuco de7 de Maio de 1889, offerecendo
sobre ellas as seguales vanlagens :
1* O proponente far a amortisago deque
falla o S 3o do artigo nico da citada lei, ra-
zo de 10 por cento a comeoar da primeira sa-
fra depois qne a fabrica houver principiado a
trabalhar.
2* Compromett?-e a aceitar gratuitamente 10
orplios naeiooaea e mir islrar Ihes os conheci-
meut03 precisos para o- fabrico de assucar e,
urna vez aperfeigoados, adraittil-os de preferen-
cia ao trabalho das fabricas de seu contracto,
correado por conta do proponente todas as des
peas com sua alimentago, vestuario eensino.
Em quanto ao mais aceita, como j disso, sera
restncco as clausulas e condiges do artigo
16 da lei de 1860, mandado observar pela le n.
1,971, ampliada pela citada lei n. 1,972.
Nao estando presente nesta provincia, protes-
to juntar procurago, habililaudo-sc os signa-
tarios com o telegramma tambora junto.
Assimespera aceitacSo da proposta pela in-
cootestavel vantagem provincia que della re-
sulta.
Nestes termos pede a ^. Exc. deferimento.
E. R- Meo.
Eslava sellada com urna estampilha do valor
le OO ris. inutilisada da forma seguinte : Re-
cife, 19 de Maio de 1889. Theo. JushJ. Bon-
nefond.
PROPOSTA
Os abaixo assignados, agricultores, proprieta-
rios e residentes nos engenhos Velbo e Barbalho.
junados ambos na comarca do Cabo, de confor
midade com as leis provinciaes ns 1,971 e
1,972 de 1889 e arts. 16 a 18 da lei n. 1,860 de 11
de Agoslo de 1885, e bem assim nos termos do
edital dessa presidencia publicado em o dia-20 de
Abril do corrente anno. propem se a fundar e
explorar por si, ou por companhia que incorpo-
rarcm, ura engenho central de typo maior. do
custo de 600:000*, cora capacidade para safre-
jar em 100 dias, de25a 30 milhoes de kilogram
mas de cannas, ou de duas usinas di- custo de
300:0o0 cada urna, de typo menor, com capa-
cidade para safrejar cada ama de I las, no mes-
mo espago de tempo de 12 nilhue* e 500 mil a
lo miilioes de kilogrammas de cannas, sob as
seguintes bases
1'
Os apparelhos e machinismos sorao dos mais
modernos e ;>perfoigoados, no intuito do se ex-
tratdr das canoas a mair porcentagem de assu-
car, a juizo da commisso nomeada pela admi-
nistragio da provincia,
2-
Dentro de 90 dias, depois da assignatura do
contracto, serio submettidos a|provago do
fire.iidente da provincia o tleseriho des apparo-
bos, a planta do local, o plano de todas as
obras projectadas, e finalmente, os contractos
feito.i cora os proprietarios fornecedores de can-
nas usina.
polheca convencional de bens a entrega dos ap-
parelhos na poca ajustada, ou com fianga equi-
valente primeira prestaco paga pela'provin-
cia.
10
Ficar a provincia subrogada as garantas
dos proponentes qoe assignaro perante o The-
souro Provincial termo de responsabilidade, fir-
mado tambem com abonadores daquelle.
!!
Os proponentes e seus associados agricultores
obrigam se a rceolncr ao Thesouro Provincial,
no lim de cada semestre, os juros das referidas
apolices.
12-
A provincia ter li y polheca sobre o edificio,
a fabrica e dependencias desta, para garanta
de suas apolices, tirando, porm, a usina senta
de quaesquer impostos provinciaes e munici-
paes, exceptuando o de exportagao do assucar,
em quanto vigorar esse imposto no orearaento
provincial.
13
O coutracto resultan!; da presente proposta
s poder ser transferido a agricultores resi-
dentes na comarca do Cabo, precedendo, entre-
tanto, approvaco do presi lente da provincia
com relagao a todas as clausulas ua cesso ou
transferencia.
14-
A amortisago das apoliees fornecidas pela
provincia a titulo de emprestimo, ser feita an-
nualrnente e por sorteio razo de 5 e prin-
cipiar duas safras depois daquella era que a
fabrica houver principiado a trabalhar, (cando
livre aos proponentes fazer maior amortisago
se assim Ihes cenvier.
15.'
Os proponentes prestaro perante o Thesouro
Provincial lianga que garanta a importancia dos
juros que livor de pagar a provincia pela emis-
eo de suas apolices, podendo diminuir a mes-
ma tenca a medida que a divida diminuir.
16.
Xenhum dividendo ser pago ante3 de serem
sasfeitos os juros das apolices emittidas pela
presidencia e a quota da respectiva amortisa-
go de que falla a clausula 14.-
17.
Quaesquer duvidas que se suscitarem entre o
presidente da provincia e os proponentes sero
deliniti.ameno decididas por dous arbitros no-
meados, uiu pelo mesmo presidente e outro pe-
los proponentes. Xo caso de desaccordo, cada
um dos arbitros aposentar para desempatar
urna pessoa e a sorte decidir.
18*
Pelas infraeges das clausulas da presente
iroposta, verificada sobre ropresentago ou n-
orraaoo do engenbeiro fiscal,, os proponentes
sero obrigados a pagar a multa de MM a
5:000* que o presidente da provincia poder
impor, sondo somente adrnitiido recurso para o
juizo arbitral quando o valor da multa exceder
de 1:0005.
19'
O engenho central ter as obras um enge-
nbeiro fiscal, de nomeaco do presidente da pro-
vincia, cira a gratifieacio annual do 2:4004 ;
ossa despoza correr por conta dos proponentes.
20
Os proponentes obrigara se a assignar o res-
pectivo contracto dentro do prazo de 30 dias, a
contar da data da acceitago da presente pro-
posla, sob pena de ser considerado caduco.
O valoreo coutracto #er lixado para os ef-
feitos legaes em 600:000*.
Vantagens que offerecem os proponentes
^.' Se comprometiera a ceder, em favor dos
cofres provinciaes 2 1/2 % sobre o capkaj de
200:000* fornecidos pela provincia, subsisrnido
porm a obrigago de s amoriisarem a quantia
rocebida.
i.' Os proponentes tambera se obrigara a fa-
zer a amortisago a taxa de 6 3% animalmente,
renunciando deste modo a vantagem concedida
pelo g 3* do art. Io da lei n. 1,972.
3. Logo que a usina realisar lucros que per-
mutara dividendo de 10 % annualmentc, a
quantia excedente ser distribuida pnoporcio-
nalmcnte com os fornecedores do cannas.
Estavam colladas duas. estampilhas do valor
de 400 rs. initilisadas da forma seguinte :
Engenho Velho, 16 de Malo-de-1889.Viscon-
de de Guararapes. Jos de Maraes Gomes Fer
reir.
Reconhego verdadeiras as assignaturas-supra
e uou f.
Recife, 18 de Maio de 1889. Em testemunho
da verdad e Signal publico) Jos Bonifacio
dos Santos Mergulhdo.
' Aprewnoiacaocorrert titulo ideempr*stw
"rao-son aquantia de 20:0te* em alice,s te i
'juro de 7 o ao anrro sendooos respectivo jui-
nas recolhidos pelo propononte ao -vi hesooro
Provincial no fim de cada semestre-
8.
O pagamento da quafitiui de 2OO:808|O0*
ser feito pela provincia em duas> prestao&esc
igues, de aceor 1885, e artigo nico da lei n. 1972 do corrate .
anno.
9.
A'prcvineia ter'liyrjothecansobre o engaos
central e dependencias do mesmo para gamalia'
de suas apolices concedendo, pornvisencoe- de
quaesquer impostos provinciaes e muninipaoB,
exceptuados unicaineate'os de exportafo a
qaan" nao forera eliminados da receita provin-
cial nos temos do <4 do artigo nico da4e* ni
1972 do correnteanno.
10."
A provin
cal de nomeaco do presidente du provincia, com >
a gratificucao de 2:500000 que correr por con-
ta do proponenie. '
liK* '
A amortisagiV das upolitw auxiliares, defqwi;-
trata o n 5:d art. 16 da lei n. 1860 de 1885. i
ser feita de accordo com o 3" do artigo nico
da lei n. 1972 do corrente anno.
12.
O conlroeto roalisade pelo proponenie 6ipo-
der ser transferido agricultores,, precedende
approvagio do presidente da provincia, com re-'
lago a todas as clausulas da cesso ou transfe
rencia. Poder, porm. o propooento incorpo-
rar compinhia que leve effoito a fundarn e
oxplorago do engenho ce.tial. e depois que
ella estiver legalmeate constituida, transf*ir-lhe
todos os direilose obrigagoes do alhidide- con-
tracto, precedendo igualmente approvaca da
presidencia.
13.*
O pro|)*nentc prestar perante o Thu*ouro
Provincial lianca que garanta a importancia dos
juros que tiver de pagar a provincia pela emis-
gao de suas apolices. podendo diminuir referi-
da fianca medida que roalisar.se uamorlisago.
14.'
Nenhuin dividendo ser pago antes.de ser
satisfeitos os juros das apolices emittidas epeia
provincia e a quota da respectiva amortisago.
Quaesquer duvidas que se suscitaram* entre o
presidente da provincia e o proponente,-, serio
definitivamente decididas por dous arbitros} no-
meados ura pelo presidente da provincia e outro
pelo proponcHte.
No caso do desaccordo onic os anbilro.vcadn
um del'.es apresentar para desempatador urna
pessoa e a sorle o decidir.
16-
IVIa infraego de qualquer das clausulas pre-
sentes, verificada sobre rO|,resentacoe informa-
go dos inleresiadns o prepon-ente ser robriga
do a pagar a multa da provincia poder impor. sendo smenteadmit-
tido recurso para o juizo arbitral quando o ralo:
da multa exceder de 1:100*000.
17.'
O proponente poder, em vez de uro engeul
de typo maior, fundar dous de typo menor, se
por Ventura, depois dos estudos precisos, reco+'''
nhecer a presidencia da provincia-eso conve-
niencia. \
18,
O proponente obriga sea assignar o respectivo
contracto dentro do prazo de 30 dias a contar da
data do despacho presidencial.
19."
O valor do contracto ser lixado para os effei-
tos legaes na importanciaale 61(0:000*000.
20.
O proponenie, alm de sujeitur-sc a todos os
onus e condiges e prestar as garantas de que
tratara as leis ns. 1860 do 1883, -arl. 16 e-1972-
do corrente anno, offerece mais s seguintes
vantagens para preferir a qualquer outro propo-
nenie :
1 Emprestar, sob sua rosponiabilidade, a.
prazos convenciones, a juro nao excedente
de 8 ".' ao anno, capitaes aos plantadores e for- .<
necedores de caima, comoadiarUamentoparaau-
xilio dos gastos da produego. nao exceaendo1
o emprestimo de dous tergos do valor presumi-
vel da safra, e devendo realisar-se a-tsmno de
poder ser utilisado desde a primeira colheita
(art. 1< do dec. n. 10100 de l de Dezembro de
1888).
2" Compromelte-se nos contractos celebradas
para foroecimento de canna, a pagar nos priraci-
ros quatro annes, por 100 kilogrammas de canna
quatro de assucar mascavado bom pelo prego
corrente do mercado mais prximo, cinco do
mesmo-nssucar nos dez anuos posteriores, e seis
de eoto em diante, com tanto que a canna ua-
cerre pelo monos 12 / de-facaharese (art. ii n.
3 do citado decreto).
21.'
Deduzidas as despezas do custeio do engentan<>
centra! e dopois de satisfeitos os- juros -das apo--
'ices e respectiva quot- da amortizaco do divi-
dendo annual, destinado aos iuteressados ou ac-
cionistas, se deduzir 23 %, que sere-reparti-
dos entre os fornecedores de canoa, cada un em
proporgo ao forneciiiienlo que houver MtMivi
rante o anno.
Eslava com tres estampilhas no valor de-600.
ris devidamentc inutilisadas.
Recite, 18 de Maio de 1889.Joaquim Custodio
Duarte.de Azev'do.



PROPOSTA
O abaixo essignado, proprietano : gricola e
agricultor residente no municipio :do Cabo, as-
sociado e dispondo de capitaes precisos, obn
ga-se a fundar e explorar no municipio do Ca-
bo, um engenho central de typo maior com ca-
pacidade para trabalhar em 100 dias de moa-
tem 25 a 30 milhes de hilogramraas de canna,
sob as clausulas seguintes :
1.
Os machinismos e apparelhos sero os mais
modernos e aperfeicoados de modo a poder ob-
ter-se das cannas a maior porcentagem de as-
sucar juizo da commisso nomeada pelo pre-
sidente da provincia.
Sao submettidos approvaco-do presidente
da provincia at o dia 30 de etembro do corren-
te anno o plano de todas as obras projectadas,
os desenhos e relago dos apparelhos, descrip-
cao do processo da fal rica de assucar, a planta
do local e os contractos- feitos com os fornece-
dores de canoa.
3.
As obras de construeco do engenho comc-
caro depois de feitos e approvados os exames
de que trata a clausula 2' ai Hcaro concluidas
em Setembro de 1890, salvo caso oe forga maior.
4.'
O proponenie sujeita-sc a multa de 5:000i :
1." Se as obras do .engenho nioforem con-
cluidas dentro do prazo estipulado, caliendo aos
fornecedores de cannas urna indemoisago pe-
las suas safras, salvo caso de forca maior.
2." Se deixar de funecionar o engenho por
espago de umanno, salvo caso de forra maior.
Os casos de forga maior serio justificados e
julgados pela presidencia..
6.
Os direilos e obrigagoes entre o proponente e
fonoecodores de canna, serio regulados pelos
contractos entre elles celebrados e escriptnraaos.



PROPOSTA
Os abaixo assignalo;, proprietario? ag.icolas
agricultores, residentes no municipio de Bo-
nito, associados c dispowio de aapitacs precisos
obrigam-se a fundar e explorar no municipio d<~
Bonitoumengenhocentral.de typo maior com
capacidade para trabalharera 100 dias de moa-
gem 25 30 milhoes de kilogrammas de canna,
sob as condi<-es.uguinte8:
1.
Os machinismos e appareilMS -to -os maia
modernos e aperieH;oidos de modo'ioder.oo-i
terse das cannas a maior porcentagem de assu-
car juizo da commisso, Horneada pe* presi'
dente da provincia.
2.
Serio submeUidos apnwwgaa u.presiden^
te da provincia at o dia 30 de -etembro do cor
rente anno, o plano de todas as obras projecta-
das, os desenhos e relago dos apparelhos, des
cripgo do processo da fabrica de assucar. a plan
ta do loca! e os contractos feitos com os fornece-
dores de canna.
3
As obras de construeco do 'engenho comega-
ro depois de feitos e approvados os exames de
que trata a clausula 2, e licaro concluidas em-
Setembro de 1890, salvo caso de forca maior.
4.'
Os proponentes sujeitam-se multa de 5:0"0* :
1." Se as obras do engenho nao forem con
elui'la- dentro do praso estipulado, cabendo aos
fornecedores das cannas urna indemnisaco pe-
las suas safras, salvo caso de forca.maior ;
. Se deixar de funecionar. o engento por es-
pago de um anno, salvo o/caso de forga maior.
5.
Os casos de forga maior serio justifica Jos
julgados pela presidencia.
6.
Os direitos e obrigagoes entre oaproponentesi
e fornecedores de canna, serio regulados polo-,
contractos entre ellos celebrados e escriptu
rados.
. 7-*
A provincia concorrer titulo de emprestimo
com a quantia de 20 .000* em apolices dt jurr.
de 7 / ao anno, sendo o respectivos juros re-
colhidos pelos proponentes ao Thesouro .lovir.
cial no tira de cada semestre.
8.-
0 pagamento da quantia de 200000* ser fei
to pela provincia em duas prestages Uruaes, d.
accordo com o art. 16 da fei n. 1860, d 1885, e
artigo nico da W n. 1972 do corrente anno.
9.
A provincia ter hypotheca sobre o-engento
central e dependencias do mesmo para garan-
ta de suas apolices, concedendo, porm, sen-
tos de quaesquer imposto9 provinciaes e mu-
uicipaes, exceptuados nicamente os de expor-
tagao, om quanto nao forem eliminados da re
leita provincial, nos termos do 4 do ai
nico da lei n. 1972, do corrente anno.
10.
A provincia lera as obras ni eogenhro fis-
cal de nomeago do presidente da provincia,
com a gratilicacao de 2:IW> qae correr por
conta dos proponentes.




:'-: '. .' : r


Diario de PernanjbucoSexta-eira 24 de Maio de 1889

si
I








a
H.
A amortisaco das s plices auxiliares de que
(rata o n. 5 do art. 16 da lei n. 1860, de 1883,
sera feita de accordo com o 3.* do art. nico
da lei n. 1972, do corrente anno.
12*
O coatracto realisado pelo rules <
poder ser transferido j fegrcuilores, preceden I..
approvagSo do presiden'e da provincia, rom re-
laco todas as clausulas da eesso ou iransfe
rencia.
Podero, porein os proponentes incorporar
. laaaia que leve a effeito a fundaco e ex-
ploraco do engenho central, e depois que ella
estiver legalmen.e constituida, transfer)-Ihe lo
dos os direitos e obrigaces do alludldo con-
tracto, precedendo igualmente approvacao da
Presidencia.
13.'
Os proponentes prestaro perante o Thesouro
Provincial nanga que garanta a importancia dos
juros que tiver de pagar a provincia pela erais-
sao Je' snas apolices. podendo diminuir a refe-
rida tianca medida que realisar-so a amortisa-
co.
14.'
Nenhura dividendo'ser pago aules de seren
satisfeitos os juros das apolices emiltidas pe-1
provincia e a quota da respectiva amortisaco.
Quaesquer duvidas que se suscitaran entre o
presidente da provincia e os proponentes, seo
definitivamente decididas por dous arbitros no-
meados um pelo presidente da provincia, o outro
pelos proponentes.
No caso de desaccordo entre os arbitros, cada
um d'elles apresentar para desempatador urna
pessoa e a sorle o decidir.
16.'
Pela infracco de qualquer das clausulas pre-
santes, verificada sobre representacao e infor
inago dos interessados, os proponentes serio
abrigados pagar a inulta de 5001000, que o
presidente da provincia poder impor, sendo s-
mente admittido recurso para o juizo arbitral,
mando o valor da multa exceder de 1:0005000.
17.'
Os proponentes poderao, em vez de um en-
genbo de typo maior, fundar dous de typo me-
nor, se por ventura, depois dos estudos pre-
cisos, reconhecer a presidencia da provincia esta
conveniencia.
18.'
Os proponentes obrigam-se assignar o res-
pectivo contracto dentro do prazo de 30 dias, a
contar da data do despacbo presidencial.
19.-
0 valor do contracto ser fixado para os eflfei-
los legaes, na importancia de 600:0004000.
20.'
Os proponentes, alni de sujeitarem-se lodos
os onus e condicSes, e prestaren) as garantas
de que tratam as leis n. 1,860, art. 16, e 1,972
do corrente anno, otfererem a seguinte vanlagem
para preferirera qualquer outro proponente:
Emprestaro sob sua responsabilidade, a pra-
zos convencionaes, a juro nao excedente de 8 ,'
ao anno capitaes aos plantadores e foroecedores
de calina, como adiantameiito para auxilio dos
gastos da producQo, nao excedendo o empres-
timo de dous tercos do valor presumivel da sa-
fra, e devendo realisar-se tempo de poder ser
- utisado desde a primeira colbeita (art. 4.' do
decreto n. 10,100 de l. de Dezcmbro de 1888).
Eslava com tres estampillias ae valor de 600
ris devidamenle inutilisada.
Recife, 17 de Maio de 1889.-i#ord Or
lando de Barros.--Jos Pinuhylmo Gomes de Mello.
PROPOSTA
!.'
Os abaixo assigoados, proprietarios agrcolas
e agricultores residentes no municipio do Bo-
nito, associados e dispondo de capitaes precisos.
obrigam-se a fundar e explorar no mujicipio do
Bonito um engenho central de typo maior com
capacidade para irabalhar em 100 dias de moa-
gem 25 30 milhes de kilogrammas de canoa.
2
Os machinismos e apparelbos sero os mais
modernos e aperfeicoados de modo a poder
obter-se das canoas a maicr porcentagem de
assucar juizo da commlsso nomeada pelo pre
sidenle da provincia.
3.'
Sero submettidos a approvacao do presidente
da provincia at o dia 30 de Setembro do correute
anno o plano de todas as obras projectadas, os
desenbos e relaco dos apparelbos, discripgio
do processo da fabrica de assucar. a plaa do
local e os contractos feitos "ora os foroecedores
de canoa.
L
As obras de conslroec&o lo engenho come;
carao depois de leos e apprnvados os exames
de que trata a clausula 2, u licaro concluidas
em Setembro de I81K) salvo -aso de forra maior.
3-
Os projioneulcs sujoiiaiu so i mulla di-.....
3.0004000 :
i* Se as obras do engenho uo Pin-m conclu-
i Jas dentro do praso estipulado, i-abendo aos
tbrnecedores das cann:i- nina indcnmisaijo pe-
las fuas safras, salvo caso di- lona inaiof.
2o Se deixar de funecionar o engenho por es-
pago de um anno, salvo o caso > e fon a maior.
6"
Os casos de forra serio justificados ejulgados
pela presidencia.
"
Os din'itos e obrigacjea entre os proponentes
; fornecedores de carinas seto regbaos pelos
ntractos entre elles celebrados e escriptura-
dos.
A provincia eoocorrera, a titulo de empresti-
ino cora a qiinntia de 3mVi.hi*0I)') era apolices
de juro de? aoaouo. sendo os respectivos
luros recoibidos pelos propouenlea aoTliesouro
Provincial no liiu de cada semestre.
D"
n pagamento fia qnantia de 200.0003 00 ser
leito pela provincia em duas (.i estaques iguaes.
de accordo com u art. i6 da lei n. 160 de 1H83
e artigo nico da lei u. 1972 do corrente anno.
10-
A provincia lera liypolheca sobre o engento
central e dependencias do mesmo para gamuli
de suas apolices. concedemio iscnocs de quwte-
quer impostas provinciaes e mumcipacs, excep
tuados nicamente os de expe-rtaeo, emquautu
nio forera eliminados da receita provincial, nos
termos do 4 do artigo nico da lei n. 1972, do
correte anno.
11"
. provincia lera as obras u:n eugenheiro
fiscal de nomcacao do presidente da provincia
cun a gratificaco de 2.1004000, que correr por
ooota dos proponen!'
A amortisago das apolices auxiliares deque
trata o n. o do art. 16 da lei n. 186"* de 1885, ser
feita de accordo com o 5 :" do artigo nico da
lei 19/2 do corrente anno.
13'
O contracto realisado pelos proponentes so
poder ser transferido agricultores precedendo
approvacao do presidente da provincia com re-
laco a todas as clausulas da cesso uu ransfe-
ri'Bcia.
Podero, porm, os proponentes incorporar
companliia que leve a elTeito a fundacio e ex-
plcraclo to engenho ce tral, e depois que e!li
c-tiver legalmente constituida, t.an>t'erii-llu' to-
dos os direitos e obrigaces doalludido contrac-
to, precedendo igualmente approvacao da presi-
dencia.
14'
Os proponentes prestarn perante o Thesouro
Provincial flanea que garanta a importancia dos
juros que tiver de pagar a provincia pela emis-
sO de sn'as apolices poderdo diminuir a referi-
da fianca a medida que realisar-se a umortisa-
co-
13'
Nenlium dividendo ser pago antes de serem
satisfeitos os jnros das apolices emiltidas pela
provincia e a quota da respectiva amorti.-arao.
16
Quaesquer duvidas que se suscitaren entre o
presidente da provincia e os proponentes, sero
defraitivaraent decididas por dous arbitros no-
meados, um pela presidencia da provincia e ou-
tro pelos proponeBtes.
No caso de desaccordo entre os arbitros cada
um d'elles apresentar para desempatador urna
pessoa e a sorte o decidir.
17.'
Pela infracco de qua quer das clausulas pre-
sentes, verificada sobre representacao e infor
maguo dos interessados, os proponentes sero
obrigados a pagar a multa de 500* que o presi-
dente da provincia poder impor, sendo somen-
ie admittido recurso para o juizo arbitral quan-
do o valor da multa excedr de 1:0003000.
18.-1
Os proponentes podero em vez de um enge
uho central de typo maior, fundar dous de typo
menor, se porventura depois dos estudos preci-
sos reconneccr-se esta conveniencia.
19
Os propnenles obrigam-se a assignar jo res-
pectivo contracto dentro do prao de 30 dias a
contar do despacho presidencial.
20.-
O valor do contracto ser fixado para os ef-
feito* legaes na importancia de 600:0004000.
2 .'
Os proponentes alera de sujeitarem-se a lodos
os onus e coudigoes e prestarem as garantas
de que tratam as leis u. 1,860 de 1885, art. 16 c
1,972 do torrente anno, oTereccm mais a se-
guinte vanlagem para prefenrem a qualquer
outro proponente :
Emprestaro, sob sua responsabilidade, a
prazos convencionaes o a juro nao excedente de
8 por cento ao anno, capitaes aos plantadores e
fornecedores de canna, como adiaolafflenlo para
auxilio dos gasto* da produego, nao excedendo
o emprestimo de dous lergos do valor presumi-
vel da safra e devendo realizarse a tempo de
poder ser ut.lisado desde a primeira colhcila
(art. 4. do decreto n. 10,100 do 1." de ezein
oro de 1888.)
Estava sellada com quatro estn,pillia? do va-
lor de 2U0 ris cada urna e inutilisada da forma
seguinte :Recife, 17 de Maio oe 1889.Joo
de S-queira Barbosa Areovtrdr. Siltecrte de
Siquetra Barbosa Arcoverdi: jNfonJU l'ariiic dn
Cunlm Pedrosa. Jos beHnrmmo Penan i*
Mello.
PHOPOSTA
Joo de Barros e Silva, agricultor rendeiro do
engenho Cortez da comarca d>' Bouito, em vir
lude do edital da pn-sidenda da provincia le
20 de Abril prximo paaaado, oropOe-se fundar
em sua comarca um cngfBiW central cora capa-
cidade para moer em I20jjas i"> a30nlli0es
de kilogrammas >' "aunas, sujeitando-se para
tal fim c todas as cundios e obrigages comidas
no mesmo edital < mais pfleruce as vantagens
seguiutes :
I.'
A receber na fabrica a orplios maiores de
nito anuos sustental-os e testil os sua casta
e dando-Ibes a educago primaria, bem como
a pagar-lhes urna soldada conforme a loica p
aptido de cada um.
A dar aos fornecedores de cannas tres liims
de niel por cada tonelada mtrica de cannas.
3.'
A adianlar aos fornecedores de canna- 25
por cento do valor de suas safras a juro de s
por cento aoanno, devendo ser feilo o descont
raza i de 30 por cento na poca das col I iias
e por ifuinzena.
4.'
A pagar ni = fornecedon-s de cannas por < ida
tonelada mtrica a iiuantin de 53000 guando o
assucar Unto er na praga do Recife liIO
por 15kilos, pnro que dever ser atlesiado pela
Junta dos uorrectort ou pela Associaco Com
meicial Agrcola.
Se por ventura o prego do assucar subir de
15000 lero os fornecedores 300 reis por cala
100 reis que subir.
A pagar a amorlisacao rom mais 2 .. a di
que se arlia csiabe'ecnlaii!'edital e na Ivi (le
forma fot cin praso mais curto ser o gonrron
ile.-onerado.
E, porque as \aulageii? olen-cidas sojan df
grande peso, o proponente spera que seja ella
n cebida de preferencia.
Estava sellada com una estampilha no valo-
de 200 reis e inutilisada da forma seguinle :
;'e, 17 de Uab de 1889.-Joo de Barros e
SU va.
Reconheco a firma supra.Recife, 18 de Maio
de 1880. Em Ustemuuho da verdade (signal pu-
blico) Joo Presciliano da Cotia
Illm.Exui. Sr. presidente da provincia.Os
coro ais O.iqaim Maxiiniauo Pereira Vianna e
Manuel Prauci '/:i tead. o primeiro pro-
prietano d'S eii;enlios l'ereira e Floresta e o
sagQBdo conscnlior do eogeiiho Javunda. dotnj'
ciliados na comarca de Jauo.t*o, *vm nos ter-
mos do edital desta nresH" icia .o 20 do DMt
passailo, concorrer a toadagau e explorago do
eng abo eeiitrul do mnair.ipio de Janoatao, au-
tonsado pela lei il. 1912 de ti de Marco (leste
anno, mediante as segrales coodicoes :
t. O engenlio central ser construido no en-
genho Pereira, abundante d'agua e ItraJia para o
servigo da fabrica.
2/ O engenbo central ser de typo menor e
de cusi de 300:0003000, lendo a capacidade
para moer em cem dias 15.0 ;0.000:000 de kilo-
grammas da cannas.
; A provincia connocrcr nos termos da ci-
tada lei 1912 e art. 16 da lei n. 860 com..
100:0003000 em upolires, piren -hendo os pro-
ponentes o resto do capital decessario por si ou
companhia que orgaoisar dentro ou fora Ja pro-
vincia.
4." Os proponentes sujeilam-se a todas as dis-
posigiV-, clausulas e obrigages das citadas leis
O. 1912 de 22 de Margo desie anno e art 16 da
de n. 1860 de 1886.
Eslava sellada uo n urna estnmpllfl de 200 rs
e i'oi'ilisadi da inaueira sigunile :
Recife 19 de Maio de I8K9.M-iunA Frtmciscii
(i> Svuza Ledo Joaquiiu JjAma ttre'uu
Viauna.
Illm Exm. Sr. sre.-ideutc da provincia.O co-
ronel Joaquim^Maxiinino Pereira Vianna, pro-
prielano dos rogeDROS IV reir e Horcsta. e
consenhor do ragenbo Javunda, domiciliado ni
comarca de Jalioaio, vem nos termos do edital
desla previdedein de 20 de m< z pausado concor
n-r l'un.laco c explorac&o d> engenho central
do municipio de Jaboaii, aulorifado pela lei
ii. 1712 de 22 di; Margo desleanno, mediante as
seguidles rondicOes.
I. 0 engenho central ser construido no en-
genho Pereira, al.nndaule d'agua e leona parao
servico das fabricas.
2. O engenbo central ser de typo menor e
de custo de 300:0003000 lendo a capacidade
para moerem cem dias 15 000;00:000 de kilo-
grammas de caimas.
3.' A provincia concorrer nos termos da cita-
da lei .:. 1912 e art da de n. 1860 cem.....
100:000*000 em apoltces, preer.chendo o propo-
nente resto do capital necessario por si ou
companlii:1, que orgausar dentro ou fora da
provincia.
4.' O proponente sujeita-se a todas as dis-
posiges, clausuals c obrigages das citadas los
ns. 1912 de 22 de Margo deste auno e art. 16 da
de n. 1860 de 18a3.
Estava sellada com urna estampilha de 200 rs.
inutilisada da inaneira seguinte
Recife, 18 di; Maio de 1889.- Joaquim Maxi-
mino Pereira Vianna.
PHOPOSTA
Joaquim Xavier Carneiro de Lcenla agricul-
tor, brasileiro, rendeiro do engenho Soccorro,
da comatca de Jaboato e residente no mesmo
engenho, prope-se a coutractar a construego
de urna fabrica central na comarca de Jaboatao,
de typo menor, ojeitando-se a todas as clausu
las e obrigages indicadas no edital de 20 de
Abril lo correte auno, mandado allixar pela
presidencia e offerece como vanlagem o segra-
te :
Pagar aos contraetantes fornecedores de can
as por rada tonelada mtrica a quautia de cin-
co rail ris. quando o ssucar bruto der na pra-
ga do Recite mil ris por 15 kilos, prefb que de-
ver ser atkkiado pela junta de Orretores ou
pela Associago ommcrcial Agricola* Se por-
ventura o prego do assucar subir de inii ris, le-
rao os fornecedores mais tn-zenlos ris por cada
cem ris que subir.
Dar aos fornecedores tres litros de niel por
cada tonelada de canna.
Obriga-s^ tambera adiantar aos mesnios for-
necedores 250,0 sobre o valor de suas c>nnaa :
devendo ser feilo o descont a razao de : 0 ) 0
na poca das cullK-itas e por quinzena" ta razio
dos lorueciraentos de canoas.
O proponente alm das vantauens offencidas
aos agricultores de canoas, offerece tambera
vanUigens ao uoverno, pagando a amorlisacao
com mais 2 0/0 alm do que se acha eslabeh <-
do no edital e na lei, de forma que 83! praso
mais curto ser o governo desonerado.
O proponente lfei-ece anda como vanlagem
receber na fabrica que pretende fundar dez or-
plios do sexu masculino, maiores de oilo au
nos, emprcgaiido os no servigo da inesnia la
lirici. coiiipaliM'l cem :s sua- forras, educan
lo-os no iralilhi. grii-oL, dando-Ibes a insinic-
ijo primaria. np<>. rmuida e csrajtvu < .i.ais
una ia-oa\el-nlda.1.;. .:i.|cni-ional a aptid.lo e
forca- de cada um ij.iuir: lmiiiuiudo assiiu a
nigalMiiiilageui onus ao goveruo as casas
de caridade. K |>, rque as. vaotageas na pr^
seut- pii'pi.-sia oll'ereeid.is sejain de graudc; pe
-. u |)i-i)"ne.ile espera que seja oda reren da
d'prelcicucia.
Estava adiada utra estampilha de riuzriitos
r.i- e niutilisada da maneira segrate:
Recifi', 18 de Maio de 1889.-Joaquim Xanrr
Carn-im deLucerda.
Hceoohece a firma supra. Recife, 18 de Maio
de l'iv.i.
Em icslomunlio da verdade (signal publi-
C">). O labellije, publico, Joo l'riscdian-t iln
l'.i.shl.
liagSo lo material da empreza de illumi-
na;3o ;i gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com a prazo de seis me-
zes, contados da data do presente edita],
para contracto da dita lluminagito, me-
dia..te as seguiutes claoeulas da citada Jei :
Nenhuma proposta ser recebida
sen que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Tnesouro
Provoical deposito da quantt de 2:0U0t$
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacSo do contracto.
no e.s'.i de ser preferida a sua proposta.
| -1." O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, n2o ser retirado
pelo eont:ictantc senjo rindo o contracto e
servir de caugo para os pagamentos de
multa e liel comprimento das clausulas,
que forero estipuladas no mesmo.
s, o* O contracto s poder ser eito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
| 6." A nilo ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa nio ter
preferencia a qualquer outro proponente.
~. O novo contractante sera obriga-
do inJemnisa^So, a que a provincia
>ujeita poe for9a da clausula decima ler-
ceira lo contracto em vigor, devendo dita
ii.Jemnisae-no ter lugar de accordo com
saft incsiua clausula, e fcando o material
i, obras da empreza liypothecados pro-
.r.cia at que esteja realisada a indemni-
! sagao mi pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8." O prazo do contracto nao poder
exceder a 3'.- annos.
^ y." O prego da ilIuminacSo, quer publi-
ca, quer particular, n2o poder exceder de
20 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
te urna rcduccSo de mais de 30 |0, para
os estabelccimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartieses publicas.
10." O systema mtrico, si Cr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
gao do gaz.
s, 11." Aluzserclara, brilhante eise.nta
le substancias estranbas, que possajn pre-
judicar a ilIuminacSo e a hygiene publica.
5 12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacetc'
das que qncimam sete grainmas por hora,
corre^pond^ntea a 120 grSos iiiglezes.
| 13. As horas de illummagilo' publica
8erS fixadas pelo presidente, da provincia
ino, nao podendo
COMERCIO
Revistado Mercado
Recikk. 23 dk MAM DR l9.
Foi ainda pciraeno > movimeiii < un [traga
,-instando apenas Ininsatriea no mercado de
ambios.
lolsa
jeTAgK8 OFFICIAES DA JUNTA DOS COK
BETOKES
Recife. 23 Cambio sobre Londres. 90 div. 36 13,16 d. por
UOOO. do banco
Mto sobi-e dito vista 26 9,16 d. por 1*000, do
banco.
Cambio saine l'ari.-. vista3o8 rs. o l'ranco, do
banco
Pelo presideole.
Kduardo Dubeux.
Pilo secretario.
P. J. Pinto.
Algodo
So cousou vendas.
A exportago feita pela alfandega neste mez
:t o da 21, attingio a 928.126 kilos, sendo...
784.608 para o exterior e 163.518 para o inte-
rior.
As entradas veriBcada al a data de hoj
oem a 9.56.'! saccas, sendo por:
arcacas..... 2 IT5 Sacas
Vapores ... l'.l
-mraaes..... 3.796
v'ia-ferrea de Caruar. 819
v'ia-ferrea de S. Francisco. 713
''ia-ferrwa de Ijinoeiro 1 898
Em papel partigular mo cons'ou IransaerXo
alguuia, apparcceudo tomadores a 27 d.
O mercado no Rio nao soffreu nlteraco al-
guraa.
TABELLA8 4FFIXADA9
A a* > y =s^ - V 5 5
* -< -i -i ce 3 5 o ti o-c B >: 5"
~ ib -1 *
o k;
co 'P o i
2.
c
t
s
i
X a
w3
M * C9 O -i" o
s g 1 * *
p. |
1*
. <
1> !* ** -. E *
^ - i r Ii. P
I ? '
r> **.
\Zl S | 5
* CC c .---
r.* si'ce'io.BccreiaflB da Presidencia
-le Pernainbuco, -m V de Abril de 1889.
Per esta secretaria se faz publico, de
ardvm dn Exm. Sr. Dr. vice-preadenie
da provincia e nos termos do | 2o do art.
Io da lei n. 1,'JOl de -1 de Junho de 1887,
que, tendo-se concluido por recio de laudo
de arbitro desempatador, aquestao 1- nva-
Brancos .
Someno .
ILwcavado purgado
bruto .
Helame .
31300 a IOIKj
24200 a 11300
13800 a 20()!l
13700 a !80
1*300 a 13600
A exportagio, feita pela alfandega neste inez '
at> o lia 21.subioa2.W6.433 kilos, sendo... j
M9.331 para o exterior e 1.487.101 para inte :
rior.
As entradas verificadas alea data de boje, so
bem u 28.306 .accos. sendo por:
Barraras .... Va| uros..... Amanes.... Va-frrea de Caruar. Via-rcrrea deS. Francisco. Via-ferrea do Limoeiro I3.0BC Sa< -, ...... sai 2.3.I 11 /8I 752 .
Somma. 28.396 Sanear
Sorama.
9 563 Saccas
CaMbie
Os bancos mantiveram taxa i
dando porem, reservadamente a W !3/|.
/--
-:
t> 4 i
r. i_t i 8 5 t
.
Assucar
Os precos pagos ao agneultor, por 15 kilos, se-
gundo a Associago Commercial Agrcola, foram
ossegolntea:
Agurdente
Cota-se a 803000, por pipa de 48c litros.
Alcool
Cota-se a 1703000 por pipa de iS litro*.
Me I
Cota-se a 703000 por pipa de 480 litros.
Couros
A COtaeSo dos salgados regula 383 rea o
verde- 203 ris.
Pauta da alfandega
SMVftlU i r 20 t 25 DE MAIO DE 18
''ide o Diario de 19 de Maio
navios carga
I, .,. ; 'Mugues Temerario, para o Porte.
liarlos ii descarga
Barca nacional Mar ti Angelina, xarque.
Barca nacional Marianninlia, xarque.
Barea norueguoase Fortuna, carao.
Barca norueguense Dux, carvo.
Barca norueguent''; /. imatfosr, carvo.
Patacho bollandez F.ngctta, urque.
Patacho norueguense Amaranth, carv3o.
Patacho allemo Atiton. xarque.
no principio de cada
ser em numero menor de seis, era maior
de dez, de vendo neste caso haver urna
redcelo no preyo do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
14. O contractante ser obrigado a
ter na {provincia um representante com
plenoa e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questSes que
so snscitarcm, quer com o goveruo,
quer com os particulares, ricando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos c, jurisdC5ad dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos dopniz.
l;*).0 O contractante ser obrigado a
col locar c construir sua eusta um ou
mais gnzoraetros, se houver necessidade.
nos lugares jue o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os raelho-
rainentos que durante o prazo do contrac-
to ge i'orein descobrindo, nina vez adopta-
dos na cote do imperio ou cinslguma ca-
pital da Iviropa.
l1'-.' O pagamento da illuminago pu-
l)!ii:i i' jiarticular ser feito era moeda do
paiz, -' i :ittengSo oscillyg.slo do cambio.
7.'' O contractante poder organisar
eoiiipanlim, a qual iicari'i subrogada em
todos os direitos e obrigages do con-
tracto.
1S." Para as despzas com a fiscali
8*C0 do s.-rvigo de illuininH;ao o contrac-
tante eoncorrer aunualmente com a quan-
tia e ".OMjJOO, que sero recolhidos ao
Thesouro Provincial.
s, 19. O presidente da provincia esta-
bclccer as multas c mais eondigScs, no
intuito de garantir a boa execugo do con-
tracto, quer com relago a illumingao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-su publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
pr*aa, conforme o 7o cima citado, z
qiiiintia (le 994:917fJ528, de accordo com
a avaaglo feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Marco ultimo, visto dednzir-
se da de 998:777^528, total da avaliacSo,
a iin)or!mcia de 3:8GO50()0 paga em
presa em 18G0, proveniente de 202 canos
de ferio, co!unimi8 e bracos com lam-
pefles, eollocados fora do permetro o
contracto.
O secretario interino,
Muiioel Jonqni.i Silveira.
Pitadlo americano Harriet G., graxa.
Patacho nacional Rical, xarque.
Palact.o liolbridez Margaretha, xarque.
>.\>oi*lacu
ina.li 22 DE MAIO DE 1889
'ara o exterior
>*o vapor ingles Victoria, carregaram :
Para UaHim, orstelman & C. 700 saccas com
at.it* Kilos ,i,. i-odao.
No Iflglir pormguez Temerario, carrega-
mn: '
Para u lQrto. S. B. Amorira 5c C. 148 saccas
', i. 11.07 Uilos de algodo.
Para o interior
No vaoor nacional Pira i ama, carregou :
Para Maco, J. J. de Figueiredo 1 barris con
GO litios de mel.
Na l.arcaca D. Constancia, carregou :
l'..ra la-ara, F. A. de Azeve'io (JO suecos cun
4,300 kilos de assucar branco II barricas com
1.210 ditos de dito inaacavado.
Na bareaca Dwtsm Procidencia, carregou :
Para Aracaty, A-Cuimarfics 10 saceos coa 750
kilos de assucar Inane.'.
Rcndliucnto* tcihhios
Empreza do Gaz
s Aviso
A empreza de ilIuminacSo a gaz desta
cidade por seu gijrente, tendo visto no
Diario de Pernaniouco de hoje a publiea-
5S0 do edital em que a presidencia da pro
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da iDaminacSo mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas o strrvmdd de
base para a iinl- ion iSo da empreza
actual a quanti;i >I--. 98:777t>.'i?S, p''^
quanto foram av.,!: "!.i~ p-.'o arbitr>] ilesera
patador as obras da mesura a /a
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractuiti-. vera pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliaySo nao pode servir
de base para tal ndemnisayo, por ter
sido illegal e irrogularacnte feita, bem
como que contra ella j proles ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos fcitos da
fazenda, tendo; intimado do mesmo
protesto o Dr curador dos feitos da
Fazenda Provinciui, como representante
da provincia.
E como quer que deva em tempo op
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicado para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maio de 1889.
Gcorgt; Win
Gerente.
BECUMGES
1.- tit-rcao.<*<':ri ii prt-Kiiicn-
cia tic Pernumnucu. %l de Maio
de ISS9
Por estasecrelaria se fax publico que achan-
te nesta repartijao, an de serem entregues aos
interessados, depois de satisfeitos os deudos
direitos, as patentes le major ajudante le or
dens do ominando superior la guarda nacional
da comarca do Limoeiro, Firmino Jos da -ilva ;
capital) qiuricl-ifiestre lo mesmo commando su-
perior Antonio de Ponlcs Hartuho : major com-
inandanie da 15. serebo da reserva da raesma
comarca c.pito Virginio le Medeiros e Silva ;
teoente-mronel coniinandanie 1I0 2i." bntalhAn
de infantaria da comarca de Caruar capit.io
Francisco Rodrigues Porto ; tenente-eoroni-i
comm-indanlc do i. lialalhao de reserva da
mesma Comarca, Joaquim Antono Correia de
Vasconceilos ; leneute-coruflel eoiniuandanu'
do 18. balalhan ae iiii.nitaria da comarca de
Cabrob, capito Antonio Jos de Andrade.
Manoel Joaquim Silveira
Secretaria interino.
Obras Publicas
De orden do Illm. Sr. eugenheiro director -m-
ral e em virtude de onh-m da presidencia da
provincia, de 1*> di correte fa^o publico que,
DO dia 31 deste inez ao nielo u, nesta directo-
ra, recbese proposias era anas Fechadas,
coiiipetentemenic .-diadas, pura executjio das
seguinies obras :
Reparos da cubera do edificio da Escola 0-
dolo, oreados un 1:403^170.
litera da ponte sobre o rio l'irapama. no Enge-
nho Novo 1I0 Cabo, meados eiu 9094920.
dem da pona- de S. Jofio, na estrada de Pao
J'AlllO, oleados em l:0;ii:.-.0.
I) licitante dever depositar no Thesouro Pro-
vincial quau'ia equivalente ao", d valor le
cada um dos ircanicnios.
Secretaria da Directora Geral de Obras l'uli-
iStt, 10 de Maio de 1.-89.
O eugenheiro secretario,
Luiz Antonio Cavalcante d'Alltuqwque
Obras publicas
eordem do Illm. Sr. eugenheiro director rc-
ral, fa<;o publico que ni dia 28 do correte, ao
meio dia, nesta repartijao, recebe-se propostas
em cartas fechadas, competentemente selladas.
para execuco dos roaros de que necessitain o
boeiio sobre o riacho Joss e a curva do Caxito,
na estrada da Victoria, oreados em 6193000.
O licitante dever. para poder concorrer
praca acitna, depositar no Thesouro Provincial
a quantia de 324130.
S"crelaria da direc'oria .ral das Obras Publi-
cas de Pernaubuco em I i- de Maio de 1889.
O engenlieiio secretario
Luis Antonio C. de Albuqu-rquc.
O procurador dos feitos da fazenda provin-
cial, tendo recebido do thesouro a relacao abai-'
xo transcripta los devedores do imposto da de-
cima da freguezia da Boa-Vis'a, do exercicio de
1886 a 1887 inclusive o 3 semestre que deixa-
rara de pagar no tempo competente declara aos
mesuras devedores que Ibes lica marcado o praso
de 30 dias. a contar da pulilieago do presente
edital, para dentro doli pagaren) a importancia
le -cus dbitos, com guia da seccao do conten-
cioso, cerras de que lindo aquelle praso ser feita
a cobranza executivamenie.
lie.cilc. t" de Main de 1889.
Manud Nievan Regmeira Pinto de Souza,
llelaijo dos devedores das decimas da freguezia
da lloa Vista do exercicio de 1886 a 1887 e 3"
semestre, que deixaram de pagar no tempo
competente.
Ponte Velha 11. 73. Antonio Ferreira \
da Rocha Leal l3998
Praga do Conde d'Eu n. 26. O mesmo 123*998
Estrada de luiz do llego a. 2. Anto-
nio Francisco de Oliveira 114139
Largo da Igreja n. 7. o mesmo 14687
Caoito Antonio Lima n. 2. Antonio
Gomes Pereira I8399
Aurora n. 113. O mesura 164499
Dita n. H3. O mesmo 014999
Principe n. 3 A. Antonio Gregorio
Gonyalves, parte 10478
Travessado Maduro 11.7 Antonio Joa-
quim l879
Riachuelo n. 3C Antonio Joaquim de
S 113139
Capibaribe n. 18. Antonio Jos,- Bilen-
court n.;!38
Visconde de Albnquerque n. 36. An-
tonio Jos Coorado 204697
Bocea do Palacio do Rispo n. 2. An-
tonio Jos da Cosa ."Mira l'*a879
Dito O. i. O mesmo U--879
Dito 11. t. O mesmo 14879
Dito n. 8. O mesmo U879
Dito n. 10. O mesmo : 15879
Dito n. 12. O mesmo 14879
Dito n. 14. 0 mesmo 115879
Dito n. 16. O mesmo 1879
Dila n. 18. O mesmo 115879
Dito n 20. O mesmo 114879
Dito 11. 22. O mesmo ti879
Dito n. 21. O mesmo 114879
15879
II879
114879
114879
7'372
I24i78
175386
134397
'.1S299
Dito n. 26. O mesmo
Dito n. 28. O mesmo
Dilon. 30. O mesmo
Dilo n. 32. O mesmo
Visconde de Goyanna n. 117. Antonio
Jos Haia c C., parte
Soledade n. 36. amonio Jos Moreira
Principe n. 28 C. Antonio Jos Soa-
res
Gervasio Pires 11. i. Antonio Macha-
lo Pereira Vianna
Visconde le AlliU'|ueri|U4.' 11. 136.' An-
tonio deMeiiezes Vieira da Cnuha
Ponte Velha n. 3'i. Antonio Moreira
liis 23 5S73
Dita n. 58. O mesmo 22 .::is
Principe II. 2ST. Antonio Outes Mar-
ti ns' 374199
Dita n. 12. O mesmo :74199
Dila 11. 14. (I mesmo 334013
Dita 11. 16 O mesmo 63 099
Nymphas n. 1 0 mesmo 275889
l'omlial n. 8. O mesuro' 18^399
Dito n. 10. 0 mesmo 185399
Soci'go n. 3. O iiM-sm-i 115139
Dita 11. 7. mesara 2ti5139
Dita n. 7 a. O mesmo 334013
Dita n. 7 B. O mesmo 33*013
Dila 11. 7 C. Ome.-ino 334013 ,
Visconde de Gojanna 11. 13. Antonio
R'jdrigues da Costa 12)178
S Borja 11.58. Dr. AnteroManuel de
Medeiros Furtado 77 5199
Gervasio Pires n. 83. Augt.-dollvgino
de Miranda J !tt4998
lfecco de Santo Amaro n. 13. Dr. Ay-
res le Albuquerque Gama 184399
S. Borja 11. 11. balljiia Carolina Pa-
dilha Lavra ->l 5613
Visconde deCamaragibe 11. 63. Baro
de Bemfica 924998
Praga do Conde d"Eu 11. 32. Baro da
Estada 386*874
Princesa Isabel n. I. Baro dcGoyan-
na 16)15877
Imperatriz n. 9 Baro de Xazareth 3095996
Dita n. 31. Baro e Taeuruna 185717
Dila n. 33. O raesme 2H5433
Dita 11. (8. O mesmo 135397
Riachuelo n. I. Baro de Villa Bella 1034495
Ponte Velha 11. 98. Baroneza de Cim-
bres 315613
Travessa lo Maduro n. 10. Belmira 235219
Estrada Velha da Magdalena 11. 3 A.
Bcmvinda da Cunha Sonto Maior 925998
Principe n. 31. Bernardina Senna
Silva 244838
Dita 11. 30. A mesma 215838
Riachuelo n. 48 A mesma 225030
(Contina).
.* tecco. lecreurla < pr-iii< n-
ciu d i*<- ii.i.ii.u. <>. .'i il' Mai>
de I***
Fago publico ojm" actam-M1 nesta secntaria
as patentes Imoeriaes reformando iios mesmos
postos os seguinte- offk'iac- da guarda nacional:
BeiHo Jos Fern ira Ual.llj Candido Xavier
Pereira de Brito e Paudoo Velloso Freir, coro-
neis commandantes superiores das comarcas de
Goyanua, Cimbres > ltamb: Jos Joaquim Ar-
mando Agr, BrasJliaoo de Burros Crrela, Joa
quim Bezerra da Silva, Francisco Cavalcante de
Albuquerque e Joo Guilherme d" Azevedo Lyra,
lenles coronis commandantes dos batalhes
ns. 18, 23, 24. 31 e 1." de reserva las comarcas
de Cabrob, Caruar Cimbres ; Joo Salvador
dos Sanios e Lueiauo Jos Nogueira de Mello,
majores ajuda.iv de ordeus secretario geral do
commando superior da comarca de Caruar e
onimandante da 2.' seccio do baialhc da mes
ina comarca e Diogo Lins Carociro de Albuquer-
que capito qnartel-mi'.stre do commando supe-
rior da comarca le Xazarelh.
0 secretario inlerino,
Maooel Joaquim Silveira.
S. R. M.
Uecehcdora provincial
Do dia la 22 17:235278
Idera de 23 3945673
17:6304931
Recife C i-ata ase
Do dia 1 a 22 3:4195038
dem de 23 2685721
3:6874779
dos
llei. aireial :
Do dia 1 a 22
dem de 23
MQ UK MAIO
Alfamlcjn
344:900fi83
II J924517
Renda lirovincal :
Do lia a 22 33:3 84529
dem le 23 1:1334102
3.39:73:15202
.344534631
Somma total 611:2064833
Segunda seccio da Alfandega, ti de Maio de
1889.'
SlliesoureiroFlerencio Doraiugues.
chefe da seccio Cicero B. de Mello.
Itecebedorla eral
Do dia 1 a 22 32:3574929
dem de 23 1:2624533
Mercado Uunicipal de *. fos
O movimento deste mercado no dia 22 de
Maio foi o seguinte :
Entraram :
20 bois pesando 3.020 kilos.
108 kilos de peixe a 20 ris 84160
60 cargas com Tarinlia a 200 ris 121000
5 ditas com feijao a 200 ris 14000
3 ditas com.milho a 200 ris 14000
13 ditas de fructas diversas & 300
ris 3491NJ
24 taboleiros a 200 ris 15800
11 suinos a 200 ris 22no
20 matulos com legumesa200r'is 44000
Foram oceupados:
30 columnas a 600 ris 18i0uo
1 escriptorio a 300 ris 300
24 compartimentos de faiinhaa30o
ris 124000
26 ditos de comidas a 300 ris 134000
81 ditos de legumes o fazendas a 400
ris 324400
16 ditos de suinos a 700 ris H42iK)
8 ditos de fressuras a 000 ris 4*800
29 tullios a 24 384000
ioriediiile Hi-iii'iili\a >!<> il;tI
De ordem do Ulm. Sr. presidente, convido os
scuhores socios a coraparecerem em nossa sede
domingo 26 do crreme, s i horas da tarde,
aliin de reunidos em assvmblea geral, tratarse
de negocios urgentes da niesua^socicdade.
Secretaria da Sociedade Recreativa Mocidade,
23 de Maio de 1889. 0 1 secrelario
Pouci.rao Pereira Leite.
Kecrelnria da Fnnn !> Publii n,
i.i d> Maio de isss
Prazo de .'JO dias
N. 82.De ordem lo Sr. Dr. inspector .'eral,
fago saber s pro!'-.-oas Fr-ncisca Mara da
Ainunciaco Antonia dos Aojos da Poreiuncula
c Luiza 1 leuii'inina Vieira 00 Mello removidas
por acto de 17 do corrente, que Ibes lica marca-
do o prazo de :mi lias, a contar da dala da re-
inogo. para assumirem o exercicio de suas no-
vas cadeiras.
U secretario.
Pergentino Saraicaile Aninjo Gulvo.
nataIsiro j>-,:;>li-o
Neste estabeleciraeii'o fia. 1 abatida? parao
consumo de hoje 65 rezes "- (Mvntes a diver-
sos marchantes. flC
Vapores a eurar
HEZ l>: MAIO
Sul......... Sergipe......... 24
Europa....... Im l-hl.i.......... 24
Norte......... fiar............. 26
Su!........... I "Me de Vear..... 26
Sul........... Arr.i............. 26
sul........... Hambtug......... 27
>ul........... Espirito Sanio..... 27
Europa....... Uesabon.......... 28
Europa....... VtUe ti* Baha .... 28
Sul........... Aimnce -......... 30
Europa....... Computas......... 30
Norte......... Fin-nre........... 30-
Vapore, a sabir
11EZ I>E MAIO
Montevideo .. La Plata....... 24 as
, Cear e esc... 'mi/miiui......... 23 as
i Ilio e esc ... Para............. 26 as
Antuerpia .. .Vera............ 26 as
Havre o esc Ville de Cear,..... 27 as
Norte........ Espirito Santo .'----- 28 as
Bbuburgo llamburg ....... 28 as
>antos e esc. Lissabon-----.J. ... 29 as
Santos e esc.. Ville de Baha .. .. 29 as.
New-York .- Advance ........ 30 as
Sul.......... Campias......... 30 as
j>antos' e esc.. Fmance.......... 30 as
*.
3h.
h.
h.
h.
h.
h.
h.
h.
b.
h.
h.
_ 186/760
Bendimcnto dos das 1 21 do cor-,
rente 4:0844800
Fot arrecadado liquido at hoje
Pregos da dia:
Carne verde de 320 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 800 reis idem.
Suinos de 360 a 640 reis idem.
? arinha de 300 a 720 reis a cuia.
Milho de 800 a 900 reis idem.
Peiao de 800 a 14203 idem.
4:2714360
Movimento do porto
Navio aullido no dia 23
Porto Alegre28 das, patacho hollaudez Aflene,
de 170 toneladas, capitn N. H. Boswyk, equi-
pagem 6, carga xarquo c tarinha ; Pereira
Carneiro 4 C.
Navios tahidos no mesmo dia
S. Vicente Vapor iuglez Elhel, commandanle
A. Fouseman. em lastro
Rio Grande do NorteBarn nomeguense For-
tuna, capito J. F. Christiansen em lastro.
MacoLugar inglez Alen, capito David Low-
sen, em lastro.
Rio Grande do Norte Patacho allemo Antn,
capito F. Henverman, em lastro.
Maco Barca norueguense, Morrig, capito J.
Taarvig, em lastro.
.

e



i
:i
j-
'w


i-
I
Mk
Ifl
Diario de PerLambucoSexta-feira 24 de Maio de I88U
Thesou aria de Fazenda
f oruc<-inj uo ao presidio de
Fernando
De i lhui. Sr. inspector, fago publico
que no diu 6 le Junho prximo vindouro, pe-
rante a sessao da junla desta Thesouraria que
combar s 1 horas da manti;':, serao abertas
as propo.-las que ate > da anterior (5) foreui
recebidas. aiin de scrconlructado, com quem
'melhores vantagei rr, o fornecimento de
gneros e ai'- i^iu u presidio de Fernando
de Noronha. durante o semestre de Julho a De
zembro de '.' anuo.
K<<;,< prop'ii.is m'vi'H) vir devidameBl* sel-
ladas c rectiad -; i- "s pioponciues requercrao
previamente a isla Tlw-ouraria provan.o que
sao negociantes uotriculadot i se achain qui-
tes relativamente au imposto i!t industrias e
profissesdo ultimo semmlrv, c declarando que
se obrigam a entregar o- referidos gneros e
rticos no mencionado presidio.
Oulrosim. nao serao aceitas as propostas que
contvoivn artigos n.io iiii'iu ionaTos nesle edi-
tal; tem inroiioffl aquella* cojts procos estire
rem aujeito* a abat nenio ou de.-eontos por isso
qoe os tnesmos precoa ileveto sor invariaveis.
Os prditos gneros e artigo* sae :
Assucar mascavndio, kilo.
Arroz pilado, dem.
' Assucar bronco retinado l* sorlu, idem.
Aletria, Moni.
Amista, kilo.
Alcool He 3 a 41) graos, litro.
rame, kilo
Agua raz. litro.
Atgodao trartcadoaznl e msela, metro.
Acu quadr.ulo ou niilo, kik).
Azeite doce, iitro.
Algodosioho, metro.
Algodo trancado de listr.is. idem.
Agulhas para rosiuras, papel.
Arcos de ferro sonidos, feixe.
rame de latao, kilo.
Arithmetica de Castro Nunes. urna.
Botes de osso cota dous furos, cuixa.
Barbante, kilo.
Boi vivo, um.
Bacalhau. kilo.
Banha de porcu, idem.
Brim pardo de algodo, metro.
Cha bysson, kilo.
Caf em grao, dem.
Copo de vidro, um.
Camisolas de brim, idem.
Ditas de algodo, dem.
Ditas de forca, idem.
Carvo de pedia para ferreiro, kilo.
Cartas de A B C, una.
Collecco de traslados, idem.
Cordas de croa, peca.
Cobertores de la em arnades, um.
Ditos de d'ia esculos, idem.
Cabos de Manilha, kilo
Cabo para ornada, um.
Cbapos de baeta, um.
Cabos de Cairo, kilo.
Colla da Baha, idem.
Cobre em follia, idem.
Caivete lino, um.
Cera branca em vellas, kilo.
Ditas em braudrocs. idem
Canelas de pao, duzia.
Chamins pateut, um
Cabo de linho de todas as dimensoes. kilo.
Doutrina Christ. urna.
Doce iie goiaha, kilo.
Enxameis, um.
Envelopes in folio, um
Ditos para oflicio, idem.
Eoxadas de 3 l|2e i libras, urna.
Esleirs de palna, idem.
Estanno em verga, kilo.
Esteiras de palha pava caugalha, una.
Feijao sacca.
Familia de mandioca, litro
Dita de trigo SSSF, barrica.
Dita de tapioca, kilo
Flele de cores, metro.
Fumo em latas, kilo.
Folha de Fia odres, urna.
Facas de ferro, duzia.
Ferro initiez sueco sonido, kilo.
Fios de vela, idem.
Grammatica portugueza de C. Xuues, urna.
Dita de Abilio, idem.
iJeometria, idem.
Geographia, idem.
(omina laca, kilo.
Gemina arbica em po, idem.
Dita em caroco, idem.
Giz idem.
Hostias, urna.
Historia do Biazil, idem.
Incens, idem.
Kerosene, lata.
Lences de algodo, um.
Lacres, pao
Lixa esmeril, folha.
Limas sortidas, duzia.
Ditas de desbastar, nina.
Limatoes surtidos, i em.
Lapis de borracha, duzia.
Ditos de Faber pelos, ideiu
Ditos de carapina Mera, duzia.
inha branca n. 20. earrilel.
Lences de liuho, um.
Limatoes e limas sorlidas, caixa.
I^apis de cores, duzia.
Livro 1." de leitura, um.
dem 2." de leitura, idem.
dem 3o de leiiura. idem.
Manteiga iugleza, kilo.
Manteiga fraeecza, idem.
Marmelada. idem.
Manusoriptiv-. idem.
Mangaos de Ierro para carroca, om.
Macaran, kilo.
Madapoln icea.
Milbo, sacco.
Oleo de lindara, litro.
Marmita.- do i.ilia. nina.
Ocre uiiiaivll';. kilo.
Papel abnassu paulado liu:ue. resma.
Dito carteo mata borran, folha.
Pedias para escrever. nina.
Paos de jangada pa'a balsa, idem.
Ditos grossos. idem.
Pavios para candieiros paleut a gas, idem.
Palha de carnauba para chapos urna,
l'regos de ferro sortidas, kilo.
Peonas de ac Perry, caixa.
Pregos francezes, kilo.
Piche, barril.
Sabao amarello, kilo.
Systema mtrico, ora.
Sola, mcio.
Sal de cozinha. litro.
Tinta azul da Prnssia, kilo.
Tinta prela, litro.
Toalbas de algodo, urna.
Taboadas, idem.
Tellias dezin-o. d. ni.
Vidros para vidrnen, um. N-
Verde chrorao, kilo.
Vinagre de Lisboa, litro.
V'inho brauco, idem.
Vinlio do Pono, idem.
Vassouras de piassava, urna.
Velas stearinas, kilo.
Xarquc, idem. ..
Zarcao, idem.
Tbesouraritt de Fazenda de Pernambuco, i
de Maio de 1889.
0 secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sania Annn.
LARGO DO ARSENAL DE GUERRA
EMPRESA E DIRECCAO DE
H

noko palacios
11 0 HB
Sexta-feir, 24 do corren S'
Grande festa de cardade a favor da sociodado betumente
MONTE PI POPULAK PKHXA3BBUCAX0
Em consequeneiu da grande chuva que houve hontem, foi transferidlo
HOJE o espectculo dado por ost i empreza.
Come-cara as 8 c 1 j2 horas da noiie.
para
Para a 2S.a corrida
Nao se tendo realisado a inscriucao para o 5. e 7.
pareos da corrida que ter lugar no dia 80 do corrente fica
aberta a seguinte inscripcao :
Vil p p I m e n t a r 1.600 metros. Animaes de qualquer paiz
5."PAREO Kiippl<>mentar 1.600 metros. Animaes de
que ainda n3o tenham ganho n'esta distancia. Premios : 6000000 ao
primeiro, 120iJ000 ao segundo e 60)JO00 ao terceiro.
7." PAREO Iniprcnsa Pernambucana1.200 metros. Animaes da provin-
cia nao inscriptos para esta corrida. Premios: 250fJ000 ao primeiro,
50*000 ao segundo e 255000 ao terceiro.
A inscripcio encerrar-se-ha i oje sexta-feira. s 3 horas da tarde^ na se-
cretaria do Prado ra do Imperador n. 83, 1 andar.
NSo Be realisar nenhum dos pareos, sem que se inscrevam animaes de trez
proprietarios differentes.
Recife, 24 de Maio de 1889. ;
O GERENTE,
i Francisco de Souza Res.
DERM U
PERNAMBUCO

Companliiade Edificacao
Assembla geral extraordinaria
Be o uem da directora e em vista da resolu-
cao tomuda em assembla geral extraordinaria.
Iioje effectoada, na qual foi resolnda a conve-
niencia da liquidacao da coinp nhia, convoco 08
senhores accionistas reunirem se em assem-
bla "aordinaria, no dia 10 de Junho
vindouro, ao neio da, no escriptorio da compa-
iihia, prata Pedr*> n. 77, 1 andar, afim de
tratarem de accordo com o n. 3 do art. 5- da lei
o 3150 de 4 de Novembro de 1882, dos meios
de liquidal-a c indicarem o que deve ser adop-
Previno aos senbores accionistas que em face
do dttMsto pelo | 4- do art. 15 da lei citada,
ba aacessidade do oomparecimento do numero
de aconisUs que represente dous tercos db ca-
pital social. 1Mn
Recife, 3de Maio de 1889.
Ricardo Mcnexes
Gerente.



3
*.
*Ss?S,
PARA A CORRIDA
A roalisar-se qo dia 2 de Junho de 1889
l%%%ft CONSOLA9AO 00 metros. Animaes da provincia que no
tenham ganho no Derby. Premios: 2505000 ao primeiro, 50i$000 ao
segundo e 255000 ao terceiro.
^^I^^ 25 DE MAIO 900 metros. Animaes de menos de uieio san-
guc que no tenham ganho no Derby n'esta distancia. Premios:
300)5000 ao primeiro, 60)5000 ao segundo e 30f>000 ;io terceiro.
^VM. PROVINCIA DE PERNAMBUCO l.BOf metros. Animaos
da provincia. Premios: 250)5000 ao primeiro, 150|J000 ao segundo e
25)}000 ao terceiro.
"^rtsS PROGRESSO !.> metros. Animaes at ineio sangue.
Premios : 400(5000 ao primeiro, 80)5000 ao segundo e 40-5000 ao terceiro.
WVtH 1MPBE8SA PERNAMBUCANA -l.VOO metros. .Vnimaesda
provincia que nSo tenham ganho no Derby, nesta distancia,. Premios :
3X)50O0 ao primeiro, 60)5000 ao segimdo e 30)500i ao terceiro.
IMA RADO DA ESTANCIA f .too metros. Animaes nacionaes
at mcio sangue que nao tenham ganho em Maio de 1889 nesta distancia.
Premios: 350)5000 ao primeiro, 70^000 ao segu,do e 35.^000 ao
terceiro.
>" '?\'?s) PROSPERIDADEt*0 metros. Animaes da provincia que
nao tenham ganho no Derby, em maior distancia em 1889. Premios:
250500 ao primeiro 50)50QP ao segundo e 25(5000 ao terceiro.
Observacoes
Os pareo> :.'."> DE MAIO, PROGRESSO e PRADO DA ESTANCIA nao se
realisarao sem que se inscrevam e corram pelo menos 5 animaes
A' directora reservase o direito de alterar a ordem dos pareos na organisacao
do prigrainma.
A inscripto encerrar-se-ha segunda-feira, 27 do corrente, s 6 horas da tar-
de, na seeroUiria da Derby Club, praca de Saldanha Marinho n. 2, 1. andar.
O GERENTE,
Henrique Schutel,
Capitana do Porto
Matriculas a passar mostra
De ordem do Ului. Sr. capitao tenentc Manoel
Augusto de Castro Menezes inspector deste Ar-
senal c capil&o do porto desta jirinincia, faco
publico para quem iulercssar possa, que no
primeiro domingo individuos da vida di mar devero apreseutar-
se nesta captainia do pm-to com as sua- matri-
culas a passarem inoatn, conforme o disposto
no art. 66 do reculamente que baixou com o,
decreto n. 447 de 19 de Maio de IHi. o qne
flea eslabelccido para \fl \ufXC de.dous em dous
mezes. impoado-sc aos reiuissos a umita ciar-
cada no regulamento.
Secretaria da capitana do porto de p. rmto-
buco, it de Maio de 1889
0 secretario,
Antonio da Silva Axevodo.
Ven
idadi
era^el yman
OE
antu Cecilia ha axatrii. de % Jo
ELBJCiO
De ordem da mesa regedora e por despucho
do Exm. Sr Dr. juix de direito da provedoria,
convido a todos os irmaos professores para se
reunirem em nosso consistono no dia 27 do cor-
rente, s 4 horas da tarde, afim de em assembla
geral eleger os novos funecionarios para o cor-
rente exerdeio de 1889.
Consistorio da veneravel irmandade de Santa
Cecilia, 53 de Maio de 1889.
0 secretario
Amaro Joaquun do Espirito Santo.
Irmandade das Almas da
matriz do Corpo Santo
De ordem da mesa regedora, convido a todos
os irmaos desta veneravel irmandade para com-
parecerem em nosso consistorio no domingo 26
do corrente, pelas 11 horas da inanha, aliin de
reunidos em mesa geral, tratar-se da fundaco
do bospital da irmandade e de outros assumptos
importantes. Scicntificando que sendo esta a
quarta convocacSo. funecionara com o numero
de irinSos uue comparecer, em vista do despa-
cho proferido pelo Kxm. Sr. Dr. juiz de capeifBfl
em 14 do corrente mez.
Cooikterio da irmaodade das Alma-, em 23
de Maio de 1889.
O enriv&o
F. Costa.
S. R. C
ioriedade Berrraliva CommercUI
Sarao extraordinario em honra a nova di-
rectora om 26 do corrente
Scientificamos a todos os senbores socios que
os convites e ingresaos acnam se em poder do
Sr. thesoureiro da sociedade, e assim como so-
cio algum peder ter ingresso sem assUmar a
respectiva cota. Aggregados nao sao admissi-
veis.
Sala das sessoes da commisso promotora, 20
de Maio de 1889.A commisso
Manoel Ferreira.
Manoel J. Ribeiro Jnior.
Manoel Eu^bio SimOes.
fin
m
1
ramma da
QUE M REALIZABA
Demingo, 26 de Maio
corrida
\oiim-s
I(!:ial>N
V-Ilon
MiIiii :iiala-
de
Vmm
Cor da estmenla
Proprietarios
1 PareoEnsalo(l* turma)-800 metros. Animaes da provincia que nao tenham ganho premios nos: prados do Recife.
Premios : 200000 ao 1, 304000 ao 2" e 0000 ao 3o
1
2
3
4
3
6
7
8
9
10
II
l
19
14
13
16
Aracahy......
Bismarck.....
Cognac......
Stuart.......
B.......
Zambo. ......
Vinho Branco..
Boa Vista......
Thisbe.......
Pierrot .......
Pedreira......
Bilontra.....
Bostock.......
Arreda......
Royal.........
Pitt...........
anuos.
Russo...
Rodado
Russo .
Rodado .......
Castanho.....
Russo........
Baio..........
Pedrez........
Baio.........
Russo pedrez..
Baio........
CuSlanlio......
Russo.
Zaino.
Pernambuco
;33 kilos.
33
33
33
33
53
53
55
30 .
53
55 "
53 .
53
53 .
33 -
53
Amarello e branco.....
Branco e azul marinho
Encarnado e ouro .....
Branco e encarnado
Grenat e branco.......
Azul e branco.........
Branco e encarnado ...
Verde ? amarello_____
Grenat e ouro.........
Greiiit.................|Coudelaria Progresso.
Azul e encarnado .........,P. H.
J. F.
F. G.
Bostock.
J. C.
Jos Luiz de Souza Filho.
F.R. R.
M. M.
F. C. F.
A G. S.
Coudelaria Progresso.
'reto...
D. P.
Encarnado e branco........Coudelaria Musical.
IS. B.
2" Pareo- Imprema Pernambueana1000 melros.Animaes de menos de mcio-sangue que nao sejam da provincia.

Premios : 3OOJ0OO ao I, 70*000 ao 2 e 305000 ao 3"
II Cometa
{Favorita..
3 Moncorvo
41 Ay mor....
5 Recife
6|.-lpha ...
5 annos.
6
4
5 .
5 <
6 .
Alazo.
Zaina-----
Tordilbo.
Castanho
Alaz
S.Paulo........
Rio de Janeiro.
S. Paulo.......

Rio de Janeiro..
S Paulo.....".
55 kilos.
58 .
53
57
57
54
Rosa e preto.
Encarnado e branco.
Coudelaria Luzo-Brazileira
Maia & Chrysostomo.
Casemiro Fernandes.
S.M.
S P.
Djalma Moreira.
3o Parco Velocidade-1000 metrosAnimaes da provincia que ainda nao tenham ganho em maior distancia nos prados do
Recife. Premios: 250000 ao Io, 60$<>00 ao f e 25*000 ao 3o
i
I
3
4
3
6
7
S
I
10
II
la
5 annos..
3 B
Potosi ...... S
Dublin....... 4
Bonaparte..... 5 a
Barnave ...... 4 n
5 a
Rocambole 4 a
Pirraca....... 5 u
Rei de Ouro... 4 m
4
6
Baio.....
Rodado...
Castanho.
CardSo ..
Rodado..
Castanho
Rosilho...
CardSo...
Castanho.
Rodado .......
Russo-pedrez..
i- PareoDestreza1300 metrosAnimaes
Pernambuco
55 kilos.
55
55
55
55
33
35
53
55 .
;
Jos Luiz de Souza Filho.
R. C.
Bostock.
M. L.
R. G. L.
Coudelaria Emulaco.
J. B
C. P.
J. O. B.
6:
iS.B.
Azul e amarello.........>M. N.
Azul e branco...........
Encarnado e ouro ........
Azul, encarnado e branco.-
Azul e ouro...........
lOuro e brauco............
-Branco e preto............
| Eueurnado e preto.........
[Aso] ouro..............
da provincia que nao tenham ganho n'esta distancia no Hippodromo. Premios :
70 ao i e 304 ao 3*
Traviata.......
Good-morning.
Mouro........
Monitor.......
Advancc ex-Pi-
rapama.
Florete..
Templar
annos..
Rodado

Alazao.
Russo
Castanho
Rodado.
3004 ao 1
Pernambuco
94 kilos
54
54
34
54
n
54
Encarnado e branco..
Amarello e branco
Encarnado e branco..
Encarnado e branco......
Escarate e ouro..........
S. #. *.
R. Cardoso.
A. Taques.
Coudelaria
M. P. S.
M L. J.
J. F. F.
Pernambueana
3." PareoTrilitos I rtanos1.609 metrosAnimaes uaciouars al mcio sangue. Premios: 330000 ao Io,
SOOOOao 1 e 33*000 ao 3.
Risette------
Douro .....
Cometa...
Minerva
Mimosa___
Mandarim.
Olga ......
8 Favorita ..
anuo.-...
Zaina
Alazao.
Douradilha
Alaz ........
Rosilho........
Casi anha......
Zaina.......
Rio de Janeiro.
S. Paulo.
Rio di: Janeiro...
52 kilos
54 >
54
49 .
46 -
54 -
51 -
54 -
Azul e ouro____
iCoudelaria Brazilcira.
;F. P.
, oadeiaria Luso Brazileira.
Coudelaria Cruzeiro.
Azul branco e encarnado-
Violeta e ouro............ i Coudelaria Parnamerim.
Azul e grenat......
Encarnado e branco...
/ ;,
J. astos.
H. Pontes-
Maia i*t Chrisosthomo.
PareoProgresso900 metros -Aniniae- da provincia que ainda no teuham ganho nesta ou maior distancia em
1889 n'este prado. Premios : 230.5000 ao l,60i000 ao f e 2500 ao 3o
I

3
4
3
ti
7
s
9
lo
11
l
13
14
t.'i
10
Cndor. .....
Vinho Branco.
Tupiniquim...
Roldo.......
Tupy.........
Lindhcs......
annos.
Baio.........
Russo......
Rodado .......
Baio ........
Pernambuco.
33 kilos.
53
53
55 .
57
55
Encarnado e brauco
Grenat e ouro
Rosa...........
Rosa e branco
R.C.
M. M.
L. J.
d.f.
F. C. Resende.
Coudelaria Vencedora.
Pareo Knsitio 2a turma 800 metros.Animaos da provincia que nao lenham ganho premios nos -dos do Recife.
Horisonte
Ferrabraz 2o...
Moc.......
Bonjour......
Pleiade.......
Marat........
Traviata.....
Barro........
Fausto.......
Tupa..........
Biscoutinho___
Jasmim........
Estranbolico..-
Mignon........
Bourgalez.....
Rio do Peixe. -.
anuos.
Alazo......
Baio.. .....
Zaino..
CardSo .
Rodado.
Russo..
Alazao..
Premios: 2004000 ao 1", 304000 ao 2o e 205000 ao
Pernambuco .
Pedrez........
Baio........
Rodado .......
Rjidado-pedrez.
Zaino........
Rodado........
Baio.........
\
33 kilo?
50
55
33
53
53
55 -
55
55 -
55 .
55
53
55 -
3 55
55
Encarnado e preto. .,
Grenat....... ......
Preto e branco............
Encarnado e branco......
Encarnado e preto ........
Azul e branco.............
Encarnado e branco........
m
Azul e preto.............
Encarnado e preto.........
Azul e ouro...............
Branco e encarnado .......
Rosa e branco.............
J. 15.
P. i.
i. B.
A.
A. S
C.
P.
Coudelaru Demcrata.
S. #. #.
F. L.
J. b. W.
I. M.
J. B. Civnlcantc.
S. A.
F. L.
P. S.
E.A.
C. D. /
V
Mouiatlo por amador.
OBSERVACOES.
\
seos animaes s 9 horas da nianlia no ensilhamento.
Pedente aos Srs. proprietarios o obsequio de terem
visto como mprcterivelnieute ser cumprido o horario.
Os animaes inscriptos para os outros pareos deven aehar-se no ensilhamento 1 hora antes da determinada
para o pareo cm que tfin de correr.
Os jockeys que no ostiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nao poderlo correr, cumprindo-lhes
ar
f-
ipresentar as respectivas cadernetas na occasiao da pesagem.
Os forfaiis serao recebidos na forran !" artigo 62 do Cdigo de Corridas.
HORARIO
Corridas
1. pareo
2. .
3.
4.
5.
6."
7.
8.4
Recife, 24 de Maio de
11 horas
11 > e 50
12 > e 40
1 > e 30
2 * e 20
o e 10
4
4 e 50
minutos
1889.
O secretario, Jos Eustaquio hWnira Jimobina,,
Irmandade do Divino Espi-
rito Santo do Recife
Assembla geral de eleicao
Convido a todos os nossos carissimos irmaos
a se reunirem em nosso consistorio domingo 26
do corrente, pelas 11 horas da raanh, afim de
elegermos os funecionarios da n> va mesa rege-
dora, qoe tem de administrar a nossa irmanda-
de durante o anno compromissal de 1889 i 1890.
Consistorio, 23 de Maio de 1889.
0 secretario do consclho,
Domingos Jos Antuncs Guiraaiv
1."
prac,a
Pela inspectoria desta Alfandega se faz publi-
co que as H horas do dia 27 do corrente mez,
serio arrematadas em praca, porta desta rc-
partico, as seguintes mercadorias, apprehendi-
das pelo guarda Joaquim Jos de Meira Lima :
Urna peca de cordoalha de linho, pesando li-
quido 90 kilos.
Un note grande com bastante uso, vindo de
bordo do lugar ingles Alert.
3.* seccao da Alfandega de Pernambuco, 23
de Maio de 1889 -0 chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca
I sec-ro. Secretaria da presidea-
<-ia de Pf rii*nobnco. 91 de Maio
de i**
Por esta secretaria se coramunica a quem in-
teressar possa, que por portara do Ministerio
da Justica de 9 do correte, foi concedida dis-
pensa do lapso de tempo decorrido para que o
coronel reformado da guarda nacional da comar-
ca de Olinda Manoel Dionisio Gomes do Reg,
possa solicitar a respectiva patente.
Manoel Joaquim Siheira
Secretario interino.


m**e*xazMb-9.j*~-
6
|



r



hstitato Ardteologico e Geogr-
fico Peroafflbucana
QuintaJeira, 23,4o qorreute, hora do costu-
me, havef sessq^ordiunria.
Secretaria do Instituto, 21 de Maio de 1889.
Baptista Regueira,
! secretario.
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vaporea tabre .$**'"
sas do mesmo banco eru Portugal >-.fejido
em Lisboa, ra dos Capelljstas n. 75.
Porto, ra dos Ingleses.
da 24 de
No
Companhia
Segurj4S|^OtttK Eqgo
B6T: 1803 -
Edificio e rercadoriat
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
Rg. 1 .000:000 A OO
AGENTE
Hitnos dt C.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
CO'fiTRA FOGO
The Liverpool Lhiioh k (loln*
SLACssra, mim & c.
Ra do Commercio n. 3
"/Lln^i Espera-se da Europa al o d
SlMaio, seguiudo denoisr da demo-
^^^^ra do costume para
Kacei, Baha, Ro de Janeiro
e *aatos
Para passagens, fretesc encommendas rata-
se com os AbENTES.
O vapor Neva
Commandante G. M. Hicks
E' esperado do sal no dia 46. de
.Maio, segurado depois da damor>
oeeessana para
Lisboa, JK|fm. fc a ii
Beduccao de passagetu
Ida Ida t rolla
V Lisboa 1 classe t 20 l 30
A' Southarapton 1' classa t 8H t 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernarabuco.
Emquanto vigorar a quarentena imposta na
Repblica Argentina, aos vapores e navios pro
cetcs do Brasil, os vapores desla couipanhia nao
aceitahto passageiros nem carga para Buenos-
Ayres.
Para passagens, fretes, encommendas, Irata-ae
com os
AGENTES
AH>rim4re*s & *C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3 .
Companljia i>e Seguros
CDUTSA FO&O
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posigo financeira (Dezembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.134,348
Receita animal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. Boxinell.
MiMiiricr~
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 2.000:000
AGENTES
R.DE DRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
INDEMNISADORA
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
E*tabelerida em i *r
CAPITAL 1,000:000*000
SINISTROS PAGOS
At 81 deRezeaibrode I 8si
Maritimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316:000*000
44Ra do Commercio44
Companhia de Seguros
AGENTE
Miguel Jos Alves
X. 5 Ba do Bom Jr-uuu-X. 1
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios 6 a nica companhia
nesta praca que concedeaosSrs. segurados serap-
5I0 de pagamento de premio em cada stimo
anno, o duc equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados
SEGUROS
martimos comra fogo
Companhia Pheni\ Per-
nambueana
RA DO GOMMERCIO N. 38
MARTIMOS
Pacific Ste m Navigation
Coipajoy
STRAITS OF MAGELLAN LINE
O paquete Potosi
Espera-se da Europa at o dia
2 de Junho e seguir depois
tada demora do C03tume para Val-
f'paraiso por
Babia, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
meiro a frete : tratase com os
AGENTES
Wilson, Sons k C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
RoyahMail Steam Packet
Companty
O vapor La (lata
Commandante A. H. Dyke
Diario de Peroamt^co--SQxt^-feira 24 4e Maio de J889
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado dos portes do
norte at o dia 3 de Junho
o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha. Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e d-
aheiroa frete : trata-se com os
AGENTES
Ovapor Advance
,E' esperado dos portos ao
tul at o dia 6 de Juabo
o qual depois da demo-
ra necessaria s e g n i r a
para o
Haranhi%;jPara. Barbados, s.
ThOjayaz e Xtw-Vork
Para passagens oarga, encommendas e di-
nheiro a frete, trata-se : com os /GENTES.
Henry Forster & C.
SBa do Commercio8
* andar
CHARGEURS REUNS
om p ujj fe i h lr*nceia
Companhia Brasileira de
Nayegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Para
Commandante Antonio Ferrera da Silva
E' esperado dos portos do norte ai
o dia 26 de Maio e depois da de-
'mora indispensavei seguir para os
"portos do sul.
As encommendas sero recebidas no trapiche
3arb03a at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
re! trata-se cora os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante J arlos Antonio Gomes
bm-v E' esperado dos portos do sul ale o
^Um^dia 27 de Maio e segurado depoif
L:. : mora indispeasa?t para os
^^^"prtos do norte al Manos.
As neommendas so sero rccebida naa^en-
i-iaate 1 hora la tardo do dia da sahida
Para cargad tincommenda. passagens e valo-
res trata-se com. os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do CotnTtter_pto= Io andar
E
*avegaco a vapor
.^inha regular, entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos.
O vapor
Ville doCear
Commandante Lainey
Espera-se dos portos do sul no
dia 26 do crrante, seguindo
depois da indispensavei demora
;para o Havre.
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e ofTerecc excelentes, commodo^ e. ptimo pa-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
mo.
OfTerecendo-se mais aos viajantes., para Paiis
bilhetes de camiuho de ferro do Havre a Pars.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes accompio4ao^s.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : tratase cora o AGENTE.
O VAPOR
. Ville de Bahia
Commandante Houz
E'esperado da Europa at o dia 28
de Maio, seguindo depois da in-
dispensavei demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Rogase aos Srs. importadores de carga peles
vapores dest* linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer rcclamajSo concernente a volumes que
porveptura tenham seguido para os portos do
sul atim de se podei dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e dj-
nheiro a frete : tratase com o
' AGENTE
Auguste Lalille
9 RA DO COMMERCIO 9
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Equateur
Commandante Moreau
E' esperado dos portos do
sul no dia 2 qe Junho.
seguindo depois da demo-
ra do eos ume para Bor-
deaux, tocando em
ar Usboa
Lembra-se>ao8 Srs. passageires de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatuuento de la OjO em favor das fa-
milias compostas d 4 pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepeo, os criados de familias qu.- io-
marem bilhetes de r>ra, gozara tambera. deste
ahatimente.
Os vales poslaes s se do at o dia 31 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: tra'a-se com o /GENTE.
O paquete Nerthe
Commapdante Jezcgabcl
E'esperado da Europa no
dia 4 de Junho c segui-
r depois da demora ne-
cessaria para
Bahia, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Sre. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qnatquer tempo.
Previne-3e aos Srs. recebedores de mercado-
rias que s se aitender a reclamacOes por fal-
tas, nos volumes, que forera rccoibc.cidas na
occasio da descarga, assim como deverao den-
tro de 4>< horas a contar do dia da descarga das
alvarengas. fazerem qualquer reclamacao con-
cernentes a volumes que porventurc tenham se-
guido paro os portos do sul, afun de poderrse
dar a tempo as providencias necesarias.
Entes paquetes ao illumjnados &
Iub elctrica.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
COMPHIAXA PKB.VtMBt'C.tVl
DE
Xavegaeo eostelra por. vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco. Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Commandante Carvalho
Segu no dia 23 do corrente s 5
horas da tarde. Recebe carga al o
dia 24.
Encommendas, passagens e dinheiro a frete,
at s 3 horas da tarde, do dia da partida.
ESCRJTTORIO
Caes da Companhia Pernambueanu
n. 12
Quartos
Camar de Erable. guardaiONipa
toilets, lavatorips oora. ^>sem fadra, guacf icjies,
tocadores, porla flore, i*bide*#l thear, oaripie-
zas, machina de.cotura, enfeiiss de mesa, qua-
dros, e muitos outm^aovei* t casa iloifamilia
existentes na chacarand, ra 4u Bispo Ayres 0. 12 outr.'om ra4a AUmcao.
Mexia-falra. 4 do eorrenle |
A baroneza de Catuama faz leiliio por inter-
vencSo do agente Pinto oi movis e mais ob-
jectos cima mencionados existentes na casa em
que residi a ra do Bispo Cardoso Ayres n. 12.
Aluga-se a referida casa a qual tem 4 frentes
toda assoalhada e tem accomodacOes para gran-
de familia.
Em continuado
Vender o mesrao agente urna vacca lourina
cora cria, 1 cavallo de sella, andador.
O leilo principiar 10 Ii2 horas.
Bonds da linha de remandes Vieira.
Ao
(OHPMIlll PKll\*IIBIt*\l
DE
\avesaeo eostelra por Vapor
PORTOS DO SUL
Macei. Penedo e VracaJM
O vapor Mandaju
Commandante Alcjdes
Segu no dia do 25 rnente s
5 horas da tarde. Receba car-
at o dia 24.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRHTORIO
Ao Caes da Companhia Pemamhucana
11. 12
Leilo
Agente Britto
De piano, movis, etc.
Urna mobilia de amacollo, 1|2 dita de pao car-
fi, 1 guama-roupa, 1 toilet, 1 cama frauceza,
mesa elstica, 1 guarda louca, 2 cadeiras de
ballanco de junco, cadeiras avulsas, 1 eslanle,
2 lavatorios, 1 cabide e quartinheira, 1 jardinei-
ra com pedra, 2 carteiras, 1 mesa de amarello, 1
commoda, 1 armario, 4 jarros tinos. 1 espelho
1 relogio de parede, lou^a de porcelana para ai-
mogo ejantur, garrafas, copos, bandeijas, candiei-
ros para kerosene, machina de costura, 1 can-
delabro de 5 luzes, tapetes, esteira para soalho
e quartos, 1 jarra, 2 inarquescs, trem de cosi-
nha e outros obeclos que sero vendidos ao cor
rer do martello.
Sexta-feira, 24 do corrente
A's 10 1[2 horas
No 2- andar da casa a ra do Rengel
\. *.
Leilo

LEILOES
Sexta-feira 24. o de movis, louga, vidros,
espelhos. quadros e mais objectos da chcara
em que morou a Exma. Sra. Baronesa de, ('.alna
ma.
5-1
Aujiste Labille
Ba itb Commercio 9
Companhia Bahiana de Na-
vega^ao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Esrancia e Bahia
O vapor Sergipe
r>mmandante Rebello
|E' esperado dos portos cima
at o dia 24 do corrente, e re-
gressara para os mesmos. de-
da demora do costume.
Para'eargi. passagens, encommendas e dinhei
,u a frete tratase rom o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ba do Vigario 17
Leilo
De predios
Agente Silveira
Sexta-feira. 24 do crrante
A's 11 horas
aruijwci a. ta lo Impna
dor n. 1.
O agente Silveira por mandado do Exm. Sr.
Dr. juiz de orpbos, e requerimento do in-
ventariante de Jos Rodrigues a leilo: mu, terreno formandoura trap^sjo, sen-
do um dos laidos paraleilos, que corre da beira
da estrada a beira da levada, mediado &7 .metros
e 98 centmetros e um lado, que vai dajiriraeira
casa de vivenda iede 68 metros e 42 qentime-
tros, com. urna casa de taipa cora duas portas e
umajanella de frente, duas salas, dous quartos,
cosinna externa e um telhciro, no poente sobre
pilares de tijotos e madeira, medindo a casa 5
metros e 5*4 centmetros de trente, e 9 metros e
90 centmetros de. fundo.
A propriedjide est siluada na estrada,do Gi-
qui em Jaboato. Os senhores pretndalas po-
dem examinar.
2 leilo
De predios
exta-felra 361 do eonenjle
A's 11 horas
No armazem ra do Imjfradir, n. 45
O agente Silveira por mandado do Exiii. Sr.
Dr. juiz de orphos levar a )>i!o, e a Feueri-
mento do inventariante re D. Francisca Candida
dos Santos, as casas segralos : urna .Travessa
da Veneza n. 2, fresuexia dos Afogados, urna dita
sob 4, na mesma ra, urna dita sob n. 17 ra
do Bom Gosto. e cinco meias-acuas na mesma
ra sob ns. 25, 2?, 29, |l*.e 33.
o
Da armafip, balco, candieirp, gneros e
utensilios existentes na taverna. sita
travessa do Peixoo n. >", esquina da
ra do Mrquez do Herval.
Sexta-feira 24 do cosrefjtie
A's 11 horas
O agente ^usmao, antorsado far ,U>il#p da
ar marjlQ, gneros e utensilios da tavefna cima
mencionada.'
Em.um ouraaiaJote;- voalade doe _____m_________
Leilo
De bons movis, crystaes, candieiros s
gaz, espelhos, jarros, electros e diffe-
rentes volqmes da revista Dous Mun-
dos''.
A saber :
Sala de.visita
Um piano, 1 espelho oval dourado e srande
urna mobilia de Jacaranda rom 2 sofs, 4 conso
los, 4 cadeiras de bracos, 22 cadeiras de guar-
nilo, 1 mesa redonda com pedra, 2 candela
bros, 4 casugaes e mancas, 4 Jarros. 1 relogio
com planta e reclame, 1 ramo artificial c 2 can
dieiros a gaz.
1 gabinete
Urna n: juilia de Jacaranda com tampo de pe-
dra, 4 quadres, 4 jarros e 2 candieiros a gaz.
2 gabinete
Urna mobilia de junco com sof consol, 2
cadeiras ue braco, 12 de guarnico. 2 capiteis e
4 jarros.
,3" gabinete
Urna jardineira 1 consol com pedra: 2 cadei-
ras de balanfo, 6.' 2 quadros e 2 jarros.
4" gabinete
Urna secretaria de Jacaranda, 1 mesa para es-
crever 1 burra provade fogo, 1 oa, 6 cadei
ras, 2 cabides torneados, 1 tinteiro e cen-
slos, w
Saladejanlar
Urna mesa elstica com 6 laboas, 1 aparado-
n-s grandes com tampo de pedn, 2 ai< iradores.
I relo-fio, 1 sof. 1 guarda coTida. 21 cadeiras
de guarnigao, 1 mesa redonda. 2 aparelho
poicelana liara cha. jantar. apareiho dessert
garrafas, copos, clices, corapoleiras, fructeiras.
palheteiros, talheres. colheres, globos e porta
creme.
* ahitad o 95 do eorrene
.No Becco da. Bomba n. i
De t]2 mobilia de amarello, 1 cama de casal.
1 marquezo 1 marqueza, 1 berro, l mesa qua-
drada, 1 machina de costura, de p, -candieiros
avulsos, 1 mesa 1 aparador, ,1.espelho,, .louga,
vidros quadros, jarros, .candi-iros, etagers,.ta-
petes, 2 alraofadas e outros artigos.
. Maria das Dores retirando-se para fora da
provincial far leilo por intervenga do ageote
Modesloiastisla do que cima se declara, ao
correr do martello.
Leilo
De I mobilia de junco, prela, coraposta de
1 sof, 12 cadeiras de guarmcao, 4 ditas de bra-
gos,fc2 <(;iisolos com pedra, 1 piano, 1 espelho
dourado. 4 jarros de louca, 6 quadros, 1 espre-
Btrcadeira, 1 comn^adp de amarello, 2 etagers,
1 toilele com pedia. 1 mesa para jantar. 6 ca-
djeiras, \ rppgio de-cima da mesa.
Sabbado 25 do corrente
A'S II horas
No 2- andar do sobrado ru* e Pedro
AHonso n. SI, antigo. ca Praia
O agente Gusmo, antorisado por mandado
do Exm, Sr. Dr. juiz de direito do commercio e
a requerimpnto do Dr. curador fiscal da massa
fallida de Salvador Goncalves Braga & G. fara
leilo .com assistencia do mesmo juiz, dos ob-
jectos cima mencionados, perleucentes a mes-
ma.massa.
Leilo
2 consolos, duas cadeiras de bra
eos. de giiarniro, urna mesa redonda, 1 espe-
ibo oval dourado", duas cadeiras, de bataneo, 4
jarros e 2 candieiros gaz.
Urna mobilia de amarello com tampo de pe
dra, urna cama franceza. guarda-vestido, 2 lava-
torio, 2 cabides e 1 mesa com gaveta, urna mesa
de jantar, 1 aparador, 1 guarda comida, 6 ca-
deiras de guarnigao, duas dilas para meninas
lou^a, vidros, copos, garralas e outros objectos
existentes da casa da
Ra da Santa Cruz n. 42
Agente Pinto
Sabbado, 25 do eorrente
A's 11 horas
Leilo
De engenbos, partes e de maUa em Tab
comarca de Pitimb
Huaria-fera SB.do wr-renlc
A' 1 hoia em ponto
No edificio da Cmara Municipal. O agente Stepple por mandado fi, assistcjnfiia
do Exm, r. Dr. juiz de direito dq cuchaos e
ausentes,'a requerimento do Itr. Jos Vicente de
Meira Vasconcellos. inventariante dos bens do
finado coronel Joo de S Cavajeante Ae AUU-
querque,,lejar a leilo *
Tres partes do engenho Itaoirema.
Trras e eogehho S. Miguel.
As trras em que est constituido o er. genio
Souza.
As maltas denominadas Pitanga.
Urna parte do engenho Tabatinga.
AVISOS DIVERSOS
AMA. Preeisa-se de urna ; qa.rua. Rafo
da Victoria n. 35.
Aluga-se-o terceiro andar do sobrado ra
do Imperador u. 26 ; a tratar na lithographia
ra Mrquez de Olinda n. 8.
Aluga- e o II andar da casa a ra larga (te
Bosario n. 37, esquina defronte da igreja; a tra
tar no pavimento tarreo.
Aluga-sc o 3 andar do predio n. 39 ra,
da Iraperatriz, comeado 2 salas 4 quartos, um
grande solA cora .'versos quartos e agua i a
tratar na loja do mesmo predio.
:Stt!^HANDE LlQrtlACAU
NaiLoja. das E^tsellas
^--BiiL^de-(jiXiis--58
Telephone a. NO
Este-tona conheeido estabeleoinaento acaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos os seus
freguezes com mxima brevidade
possivcl, resojveu fazer grande II-
qilldaeo de todos os saldos que
ticaram de balanco, por menos
50 [. do sou valor, cujos artigo
passamos a demonstrar:
Artlgos de le
Esguiao, peya, a o#600.
Madapolao com am metro de largura de
144 por 70000
dem idem americano de 8)5 por 5(5000.
Algodo marca T, especial, muito largo,
de 70 por 50000.
Bramantes, pecas, por 70000.
Atoalhados, lindos desenbos, duas largu
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me
|tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lenchos brancos e com barras de cor a 10.
e 10200 a duzia.
Toalhas de fustao, qualidade superior,a
30 e 40000 a duzia.
Creton.es para coberta a 240 rs.
Colohas acolcboadjis, br.-iaaas e de cores *
20000.
Lenyes de bramantes a 20000.
Choles aacocpzes a 10000.
E outros muitos.artigos que.deixam de
:ser mencionados e que se- vendem com
igual abatiiuento
Tecldos de alta novidade .
PARA VESTIDOS DE 3ENH0BAS
Linhos pardos para vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 10800 poi
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de....
10200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 poi
240 rs.
Tuaile de Vicby, de 240 por 160 e 80 rs
Nonsuks, desenbos !" novos de 240 poi
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissimoe
desechos de 440 por 240 rs. 1.800
PECAS!
Merinos de quadros, grande variedade dt
padroes, do 500 por- 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fustoes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippmas, de 500 por 200 rs.
E muitcs outros tecidos para vestido,
em algodao, linho, 12 e sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 jt
C'oufeeeo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 800 por : 50 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados em cartSo, alta no-
vidade a 80 e 100.
GuarnicSes de colariuhos e punhos pari>
senhora por 10 e 10200.
Capotas (preparadas na corte) de 200 poj
y0 e 100
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupiahas para erianyas, por
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptisado com collares ele
trieos por 50.
Luvas de seda meio b"ajo e qualquer ta
manho a 10500 o par.
dem idem de Escocia a 10 e 10500.
Sobretudos impermeaveis de borracha de
, 700 e,800, por 300 e 400.
pCapas e pellerinas de cachemiras otoma
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
250 e 300.
dem idem de renda, seda, damasco e
gurgurSo, tanto para phantasia como
para commodidade a 380 e 400.
Veiindos de seda e algodao de muitas co-
res.
Gazes de seda.
Ripas rendas hespanholas de seda, algo
dio e linho, com um metro.de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 t
800 rs.
E nmitos outros artigos de confeceftes
como sejam mantilLetss de blonds, sabida
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 0.
Para, horneas
Cas mira <> inglezas com duas larguras, de
3*50Q por 10200.
Ditas cor de caf e azul, de 205g por
' 800 rs.
sen;
~V
GalSes, palmas e rosas de-vidrilho.
Bicos de seda e de-'IgodaO com
vidrilbo
MantIbas de seda e de algodao.
Con tas lapidadas^ para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda bespanhola.
Collarinhos para hornera a 30000 e 40000
a duzia.
Bordados de camb aia tapada a 400 500'
600 e800rs.;a peca.
dem com 3 e 1 2 metros, de qualquer
argura a 10200.
Lencos de linho em caixinhas a 30000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindo leques transparentes de gaze i
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama p
120000, 170000 e 190000 o par, alguna
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 o
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de eomprimentc
a 40000.
Capellas com veo para nova a 65000 e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 e
120000.
Toncas de setim para baptisado a 30, 40 c
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha dr
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas s
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.-
Luvas de seda, cano comprido a 20000
par.
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moga a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilettc:
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
GrampoE ourados para segurar cabellos
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segura-
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 r
60000.
Grande soTtimento de sabonetes de 200 &
10500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprit
para creanca.
Bcngallas com flauta a 10500.
Meias de 12 para homens e senboras.
Linha douradas par feaer cr* Lindas fitas para lacha a 20, 30 e 40OU.
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarca.
Finas carteiras para algibeira de 10, 2.
3 e 30500 rima.
Roa Duque de Caxiasn. 103
nomts,
i*4* *5UERY
de idade :_na ra das Pernambucanas n. 2o.
-- Preristt-e de urna cosinheira; na ruada
l'nio n. 11. .
v
~ Urna senhora habilitada propeesea leccio
nar em collegios e casas narticulares as seguin
tes materias : primearas letras, geograpqia, pia-
no e Imrdados : queni precisar pode dirigir-sea
ra veihade Santa Bita n. 81K
Pede-se ao Si-. Dr. Argemiro Alves Aroxa
que apparega no Paco, da ; atrja n. o, atim de
concluir aquella transaegao.
Arrendase ou vndese o engeobo S. Uar-
tholomeo, sto ha freguezia dp Munb' ca : a tra-
tar na ra Sete de Setembro n. 15. ou no.eng*,-
nho Sant'Ar.ru na frei'iiezia de Jaboato. ^_^
Madame Kanny Silva, costijreica mo;Ji4a,
participa s km Exuas. fregneza, que .segu,
para Taris oo fitn do corrente miz e agarqa
desde j suas ordens a qualquer encpaunQiida
que Ihe queiram confiar. Agradece a todas 4
sua valiosa proteccio. e participa que durante
a sua estada era Pars o seu atener lica fechado.
Ra Baro da Victoria n. 13, sobrado
Telephone n. 93.
Xiinguas seccasdoRio Gran-
de do Sul
Vendem Costa & Fernandes ra do Commer-
cic n. 28, Reoife.
Vene-se em toda a o*rf.
Cortos de-seda para collete, de 120000 por
30000 e 30500.
PfecUajseda.uai_oaieirt4le 13 ali-i^noa iDitos de velludo e fustao a 10 e 10200.
Meias inglezas com fio de seda, de 120
por 60000 a duzia.
Paletats. de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 10600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 50000 s
duzia.
Camisas inglezas com co-Uarinias- e pu-
nhos, sem collarinhos e sem pwibos a
360000 a duzia.
Brins, pardos de linho a 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito bronco de linbo n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de .casimir gleza, de 6#
' 80, 100 e 120 a 45, 60, 80 e 1O0OO<>.
6obretudos mpermeaveis de borracha, par
homens. de 700.e 800 por 300.e 400.
Qaroajns frances, de 380 por 2410001
a duzia.
Paletots de seda, completos 4e fcitos, d
casemira. malas para viagem. e boleas e
tapete e um complem e vana/lissimo sor-
timento de cheviots, casimiras franceza3
inglezas. pretas c de cures de padroes in-
teiramente novos e que se vendem.com <
mesmo abatimento de 90 "^ de seu valor
Re&aihos
Aproveitem a grande quantidade e
pelos presos, em sedas gretas e de cores,
gorgores, setins, las, merinos, zephyros.
iinhos, chias, madapol^es e algodSosi-
nbos.
E muitas, outra* peobinehas que s se
encontrara na
Loja das Estrellas
56, 58Ra do Duque de Caaas-r-56, 58
E' tempo bastante
0 Sr. Jovino Tavares far o especial favor de
satisfacer aquello compromisso que nao ignora,
pois se assim nao o zer declaramos minuciosa-
mente por esta lolha.
Ama
Precisase de urna ama que saiba cosinhar : na
ra Imperial n. 17.
A.OS Srs. sci-RiETaEos de ca.*Ai:w>a
UNGENTO STEVENS
O iinipn s.ithilitniado r oa;iter;-acift dos cava!!- *
pella:,-.. Kot nwraviil.s preiarae^ i> uwoc-
remp.iio verJaiii'haraentu. el'flcaz para cunr t^das>
e qoH6*iuer ilrfi v tenias da titano, icitimilidat b
j.ir.i .: c Dislocares de tod; a misma. annog de
ptimo e continuo osito em todas a cor-
rula-,, hars >, e nos priacJpats estabelecl
mrntos i- f cavall.os em Inglaterra e Europa.
Nuiilm deixa nodou al^u:na. ET nilsltr erpepi
ni.i.t'i lo para flear convenc Idn do sea Talor.
Vtndesr cm etuHttu cyr,' tu miTi/c''** trv/cucti
pfir\i '- .*., ;/'i>."< /,'. ''in poftugui
UmzcuDtu* preparado p-i H. R. ..rsVSN3. nvdxa SSISPJMBSj
V. PaS Uant. Loudre* tfse^MMOl
l>psiUrio ea rVasBOliec : tUf ta Sil. A fe P"
Jofto Flix da Rosa, tendo de rctirai-se
fura da provincia. Vsejando liquidar os
seus negocioa, por isso teiaja d< sde j a todas
as pessoas que tiverem cartas de flanea por si
pass da, virem no prazo dfe :0 dias liquidar, sob
pena de nao ser re-ponsavel por.qualquer debi-
pnxsa apparecer.
-- s ehecaram para a fabrica Vendme
os verdudeiros eharuU* Flor de Espaa, Regala
Ue la Reina, avisa aos apreciad
Sapa aria italiana
.IJra;a lf SalUluh Jlarljibo n. 1
Nes'a' casa receutemente abprta comp
Giluados ufados e recebe se encommendas para
qualquer obra tendente a esta arte ; remonta se
calcados veihps por pi-ecos razoay.
i.ui/a Maria do Kpirlo Santo
Tilla Xoa
i Vicente Ferrera Pessoa Villa Nema e si;us li
Ihos. Francisca Hara da Annunciago e sua liiln-
Anna Maria de Medeiros Lima, padre Seera.
Jos Villa flrva e suas irms, agradecem-do in^
tir% Jhqs serviros e obsequios durante a terrivel do-
enca de sua sempr* chorada esposa, mai, filhu
iran e cualiuda, Jjii?.a Maia do Espirito Santo
Villa Nuva. oque serji;n:irarr. assistir c acom-
fpaahai o sjp enterro ; r de ove as convidara i
da, que por almt
danieiia patift 8e^; Lvltibrada^eo dia 27 do
conren!" ut-r. -na i^rujo do K. S do Uvraateot^-
t^ln cidjidt: '- 7 i bor.ts.da inanb. acrade*
d
4pSM8JaJo a opiMortouulade, agradeoem-.
tambera t. ndad- lijkriijioifia 'o'd'Aiense
o seu .coiriiiareciinon'o no euierro.
* 5ro;to, iorlvR da SMva
Joti tiaoiaivo da Silva, seus tios e lias, pri-
mse priin s: aLraUeueiii' do intimo d'alma s
ue se dignaran) conducir sua ultima
n9i(ad o seu prezado irmo, sohriaho e priaw
Viciurmo be!u;ales da Silva ; de novo as cao-
vi.Jatnpara assisUrets as missas que-ps*. sua
ainia inauJam ezar "na matriz de S. Jos, 4-
boras da raanha de sabtwdo *5 do correte, s-
timo dia do seu pas-amMo. Por este acto-de re-
liaiio iQiesiamsua elcn gratidao.






.


3


.

M
~
\


Diario de Pernambuco---ScMtoafoir 24-de Mto* de 1888"
Engrori'imadeira
Precisa se de urna engoramadeira ; na ra do
Imperador n. 43, 2- andar.
BOUS MIL CONTOS
2.000:000$000
Esta lotera est a cargo da commisso e coneessionarios
abaixo assignados, que garantem a extraccao da primeira serie NO
DA 25 DO COKRENIE, impreterivelmente as 2 horas da
tarde.
Esta lotera torna-se a mais importante do Imperio por so
jogarem vinte e cinto mil nmeros.
COMMISSO CONCESSIONAMOS
Barao deBocaina. Visconde de Figueiredo.
Francisco A. de Souza Queiroz. Fonseca & Cunha.
Conego Manoel Vicente da Silva. Jos Mcndes de Oliveira Castral.
Bento Jos AlvesPereira. Sbastiao Pinho.
Os restos dos bilhetes acham-se venda.
Engtttito
Arronda-se o engenho Riacho d'Antas, distan
te legua e meia da estacao de Timboass, bou.
d'agua e de trras e tem listantes lavradores :
a entender-se com o proprietario no engenho
Bemnca. visinho ao mesmo._______________
Gosinheira
Precisa-se de umo, que cosinhe com perfei-
gao ; na ra Duque de i axias n. 91, loja.
Cha verde fino
Alheiro, Fernandes 4 C, especialistas nestt
artigo, vendem em seu estabeleeimento da rae
lhor qualidade que vem ao mercado, em pacote.-
e a retaiho, e por preco mdico :
Vinhos de Pasto e Figueira, propiios para re-
feicSo e de superior qualidade, veuae-se ne
mesmo estabeleeimento, e por preco resumidis-
simo.
-ssim como, tambem uo mesmo estabeleei-
mento se encontra superior caf tnoido em pa
cotes de 300 grammas, a 600 rs. o pacote.
l-Rna da lmpt ralrli l
......._____TELEPHONE N. 47S_______
Hotel Primavera
18 Ra da Roda 18
O proprietario desse estabeleeimento, Jos
Bernardo da Silva, chama a attenco do respei-
tavel publico para incumbil-o de encommendas
de janlares.
Forntce-se comedoras para casas particula-
res a pregos commodos :
Feijoada 240
Carne de qualquer forma 320
Feixe 400
Frigideira ^ 400
Vtr para crr
PH-ULAS
f
I

Tara o tratamtnto e rnitptu cura dat
Molestias do estomaer e dos
intestinos, molestia* do figado,
dispepsia, indigestos, clicas,
nauseas, diarrhea, priso do
ventre, falta de apprtit*. in com-
modos depois da comida, enxa-
qiiecas e dores de cabeea ohroni-
cas, rbeumatismo e fevralgias,
molestias da pello, molestias pe-
ridicas das seaJioJNM, e, alm
(testas, maltas oatras enfenmrjailesque se
classiflcSo debati de ama inflnidade de
nomes, todas porm, oriundas da mesma
causa, a saber;
Desarranjos dos orsSos de di-
gestflo e assimilacSo,
donde prorm a impureza e o esfraquecl-
mento do sangue, com adebUldade e con-
gestio le todos os orgos vttaes do sys-
tema.
Procorem-se
AS PIULAS CATHARTtGAS DE AYER,
PREPARADAS PKI.0
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Kst^-Vnidos.
um
FAiJiYEI
g, em todo o ca de
RHEUMATSltfO
Ils, Ulceras, SipMis
e toda afVocco de natureza
eruptiva ou venrea
a a
SALSlFAfiHlJ.fl
DE BBIST0L
pormslenciat
ga n
Cosinheira
Precisa-se de urna ama boa
servico e assistencia interna :
Mrquez de Olinda n. 54.
cosinbeira, para
a tratar na ra
Boa morada
Alugam-se tres casa? com commodos para
familia, no Arraial ; a tratar na ra da Harmo-
na, com Moreira da Silva & C.

Cura&s pelos CIGARROS ESPIG
OpprcssCes Tese )eJtuooa Aevraigiaa
LICKNClADO* PU INSPLlTOIA DEHYBIKNE DO IMPERIO D< > 2RAZII.
Aspira-se a Ruases tfie pen.-tra no pello, acalma o systema nervoso,
acii:'-a acxpccturaf oe fa vorsa as funciocs dos oreaos respiratorios.
Vendo am atacado, .' CEPiC," CO, p Ut-Lazori, en Pars. tuja-te eita atugn
K Vamnav i'i^Uic H. 4;: EU.VA 4 O. m Ba^joj '" i**"
jaHtibfcJt5bddfcAAAtef
T^jVACO TZt-*. ACAU-MI DE MEDICINA D ]S
O melhor
PUR6ANTE
10
0P0DSJR0G
(Pot/Sfif R;;:t"
'Is.Co
CGm-iun i*a
mr rerm> .
4.
Nao ha Purgante
algn que tenha
sabor mais agradavel
l'ABKICA :
Casa L. FRENE
19. rna teok, FaEIZ
59^Rua Duque de Caxias59
1IREM


Cortes de cretones em cartao com figurino e enfeitos, a ou00.
dem da --achi'miras bordadas, a 20^000, s2o de 4CW000.
Setim prcto, a 1000, 1^200 e 1(5800 o covado, verdadeiro Maco.
GrosJenaples pretos, verdadeiro Len, a 2(5200 o dito.
Merinos pretos, duas larguras, a 500, 800, 1|000 o 1(5500.
Mntilhas pretas, a 1^200, 350 e 5(5000.
Casacos de cachimira pretos, a 30(5000.
Fil bordado, a 800 rs. o covado, para veos e enfeitos.
Velludilhos de todas as cores, a 800 rs. o dito.
Zefiro de cores, a 80, 100 e 160 rs. o dito.
Linons de cores, a 200 rs. o dito.
Tecidos diversos em cores, a 240 e 300 rs.-jo dito.
FustSes brancos bordados, a 360, 400 e 460 rs. o dito.
Lindas setinetas, a 200 rs. o dito, aproveitem.
Cretones magnificos, um metro de largura, a 280 rs. o dito.
Chitas, boiii sortimento em cores firmes, a 200 rs. o ditc.
Rendas austracas para "vestidos a, 500 rs. o dito.
Caiabraias bordadas, a 4(5-"> dem Victoria, a 25500 e 3(5000, com 10 ditas.
MailapolSo uuperior, a 0<500, com 24 ditas
AlgodSes nacionaes, a 3(5000 e 3500 com 20 ditas.
Ricas guarnicSes de crochet, a 7(5000 e 8(500i.
Toalhas de labyrintho para baptisados a 25(5000 e 30^000.
dem grandes para rosto a 4(5000 a duzia.
Ceronlas de bramante, a 12#tOO a dita.
Meias inglezas superiores a S^/OO e 5)5000.
Camisas inglezas e francezas a 300(X) e 36^000.
OttnwlOB bonidos a 6&m e 8^000 o par." :
Lences de bramante a 1(5800.
CoberUs de paga, itm y^^* 20800.
Redes superiores, a 10(5000, *o de 155000.
Pannos para mesa a 1(5100 e 1(5400 o covado.
AtoaftuMlOH bord dos, a 1)5200 o metro.
cantes do algodao, a 700, 900 e 15000 o dito,
dem de puro linho, a 15^00 o dito.
Casimiras em cortes, a 250G, 35000 e 55000.
Sargelins diagonal, a 200 e 220 rs. o covado.
As vendas em grosso tem o descont de


FUNDICAO DE SINOS E BROME
DE
LUIZ D4 CRUZ MESQUITA
66ra do Baro do Triumpho66
Tem para vender o seguinte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
Serpenfiuas de cobre e de cstanho.
Carapncas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes c continuas.
Tornclras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, deehumbo e de ferro.
Repartideiras, passadeiras e cscumadeiras de cobre e de ferro estanhado.
Cobre em len^ol e arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
Cadinhos patente e de lapis.
Minos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitns outros objectos
AJuara-se
o 2- andar da ra da Roda n. 17. com grandes
comoiodos e em bom estaao de conservaeflo.
sendo a sala da frenle forrada a papel ; a tratar
na ra do Ran^-el n. 65.
Aluga-se
c sobradinho no becco do Quiabo n. 64 (Afoga-
dos), caiado e pintado de novo, com quintal
grande, cacimba e diversos ps de Iructeiras : a
tratar na ra de Marcilk) Dias n. 106.
Alug-a-se
irapos
tratar na rna Murquez de Olinda n. 5'i.
Alugue barato
Ra de S. Amaro n. 14.
Raixa verde n. 3.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Balxa Verde ns. 1-C.
Rna Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra do Coronel Suassuna, quarto n. A.
Ra dos Guararapes n. 94.
Largo do Mercaao n. 17, loja.
.A tratar ra do Commercio n. 3, 1 andar,
esenptorio de Silva Guimares 4 C.
Xarope e IPeistet
oeSEIYAoePINHEIRO martimo
OTiAftAflrTW. Piunnmuci m BoidMSX
Affl**tfu fU JnuU i Byit%* i J
Popular ha 30 annos, o nico
preparado com a verdadeirm
Seiva de Pinheiro, extraJiida
pelo vapor d'agua, logo depois
de cortada a anrore. Cura os
deflozos rebelde, s tosas,
as grippes, oatarrho, bron-
chites, molestias da gar-
ganta e rouqutddes.
Bm PARS, S, Ra ViT;

Ama
Precisa-se de urna ama ; na ra da Florentina
numero 34.
tindo
EiCARREGAM-SE de qualquer concert e obras de encommenda, garanj m nsj orrillnriJR l llOI
jresteza. perfeijao e preeos mdicos, para o que tem pessoal habilitado. xa.Uo dlildUOl vJo \Xa l3 VEX1IE a praso ou dinheira com descont.
pinga
0 armazem central de genero* alimenticios
ra do Cabog n. M. avii-a que i-uegou a segn
da remessa do puro Sar.larem ; a elle, autes que
se.acabe
c>-

!
SADE PARA TODOS
">"- _:, '';
1
tngenbos
Arrendam-se os eoganhos Cachoeira c Bocea
da Malta da comarca da Victoria, a tratar na ra
do Imperador n. 30, .andar. ,
Agostinho % Irmos
Collar de Ouro
-a Hum *t* Cfci<* S-.*
Como fizessemos urna grande reforma em o
nosso estabeleeimento, tizemos tambem reduc-
(;o nos pregos de nossas joias de ouro, prata e
briihantes. Pedem a seus amigos e freguezes a
virem comprar lindos objectos com poco di-
nheiro. ompra-se ouro. prata e brilhariles em
obras servidas e paga-se bem. Conserlara se re-
logios. obras de _ouro e_ prata commodamentg
Caueilas do Moee de Soeeorr*
Comprd-sc canudas do Monte de Soccorro de
qualquer joia, brilhanU-s e relogios; paga-se
bem na Praca da nde|H?ndencia n. 22, loja de
relojoniro .
.-

liEOHM
';iJ4:
-0 B
... -':"^
.... a
i. c
.' :-;'
. I
GRANDE NOVDAM
:::::s:::: :::::os
- P -i.'/ii.'isiinos Ua 8J
: i:nr*vll16sr> preparado\
nip*roj.>i.. t'' : li-'... i- -.IcSi fijglenico, '
i. mu.. ..i"..!!. ....un .la ii.iiw^...
e nma ntrrlwn aun trvcaor.
,.:.:. .' .: .:. k oza t\- lanir. universal, uor-.'
.'.- c-rt., ...r!e; sapera!
VtBde i ... .. uliMMMiak, rosarias,;
e n j-r--- perfcimanaa it mfiido. j
L""i' -"'. :.. r'n S;t;. i

......^
L':m 5,7).
..16:6.
OvJr.g-jeni p :
'iin-. my::o SnlHhtl pira os males de ruroas e Jo peito; tembenpaei
. .'.-.,.-. K f-r.v -i ii^.rp. a s^ac Q rhcimatismoepara tda-: as arfQDBJ-
bSo c reconheoe egn I
Para es mata* de garanta, bronchites reafriamentot e tossss.
Tirares scc g..:r.i, lias c xta K m Jestiaa i pdfc 0S0 *em genejhaate e para c:, iaanibz$ j
r.'.ahilos pal ^s obra eomo P'>r encoiuo.
1at mnBrV-t > HEW trgOHi r ,antea ta, Oxlori Streot), UjSOBSS,
* M ihar-aacias q tuiivta-so. p
tggOs r- qasdons Xa c -li^t s rra^tosa.iicriti! a earai.iar rtulos de cadi cau. e ?o uirccsao, 533, xb-d Street, sio alsific*Coes-
^
14
PIRIIBA & MAGALBES
.LAS PEPSINA PURA DYALISADA
de CHAPOTEAUT, Pharmaceutico.
Fol o 8r Ghapoteaut o primeiro chimico que conteguio preparar e fornooer ao
mdico e aoe doentes, em perolas redondas, urna pepsina pura, nao contendo, nem
amido.Dom as$ucardeleite,nem ytlatina.E' Cinco vezes mais acti vaquea pepsina que
fluir na ultima edigo da Pnarmacopea francesa e digere 100 vezes seu pezode carne.
Soa aeco da maiorefleacia; duas perolas tomadas depois da comida basti
para favorecer e activar a digestao, e fuera desapparecer no flm de um quarto de
MM as enxaqneoas), a* droa de caboca, os booojos c a somnolencia, qms
sao a oonsequencia da naa aa digestao.
Cada perola leva impresso em negro o nome CHAPOTEAt.
PaYRIS, 8, Raa Trrtaaaata. t sr a* st OsssWs t Ptommiu.
%>
HkBALilA DE HONRA
0 OLEO CHET^IER
altHntoctdo pele Ac trio,
ttftioc bthtmiem, m qu rrjiU
ftjmtfi tt proprimJtdn o
t OLEO h FIC4D9
K CAL. FERRUGINOSO
4 a ulcp prtjaracio tft oo'mtttt
itmiiiiitri' o farro m* o.-*.
unr Priaie da Vi
a cao.
t
mi ru
.marnA>4MtBirtn 11
IA.D06 l'KI.A
rt&>
DIPLOMA DE BOiTI
EKCKITADO POB TODAS U
CjlTsrilades Uedleaa]
OA rBANt B DA EL'ROPA
MOLESTIAS 00 PEITO,
AFFECCES ESCROFULOSA!
CHL0R0SI5,
CMEK1A. OEBiUDADE,
TSICA PULMONAR,
UONCHITES, RACMITISMO
f.-SPSCTOmiA DE 1TH1EXB 1M-I IM7T.R10 DfT^SAglU
Vinho de Coca
INJECTION CADET
Cura certa em 3 das un outro medicamento
BARIS V, Boutevard DentUn, 7 PAUIB
Depsitos em todas as principos Fharmaeias e Djroflsrlas.
VERDaDEIRS GRaOSdeS AUDE oo DFRAHC
? LICENXIADOS PELA INSPECTORA GBRAL DE IIYGIBNB UO IMPERIO DO BRAXL
1 Aoarientas, Cstomachicos, Pupjotlvo, Depurativo
*;ontra a Taita de appetite. '. ObetruccSo, a Enxaqn>ca, SS Vertlgems,
* as ConroScB, etc. Dote ordinaria : 4, s a 3 uraot.
Desconfiar as (alsiOcacOos. Lslgir o rotulo junto lraprinidoem rra::cc=
ecouj i'tr^sd.. 4 ores ^ndo Q.g. ja Qjsji*) 0s Fabricantes.
cada urna lelta uo u,. i iur amerenu; t ___
Xoi 9AUXZ. attuu-macta OtsJtOT. Deiiti SJ Uiuu [SicllMPiarMCUi.
BRONZE
DE
GAKUZO 1RMA0
Ra do Bardo do Triumplio ns. 100, 102 e 104
Deposito ra do Apollo os. 2 e 2 B
Tena para vender o Hegulnle:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directo ou para fogo de assea-
tamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS d espora e angulares.
CRIVACOES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOUOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
MACHINAS de descarocar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
todas as ferragens precisas pera a agricultura desta pajkincia.
ENCARREG \M SE de qualquer concert e mandam buscar por encommen-
da, mediante ajuste previo ou urna mdica commisso qualquer machinismo.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhos para usinas, garantindo a boa
quajidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultado
obtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
DE
Agrian, Jo e Cambar do Norte
preparado por
BARTHOLOMEU&C.
*l C liNNHU S
Est cabalmente provada a efficacia do
agrillo para a cura das* molestias a tt i nenies
aosorgaosda respiraf;ao e jui tando a essa
preciosa planta ae nao menos cohecidas Jo
e Cambar do nortey cujos eSeitos balsmi-
cos tm sido observados por longo tempo,
tornase o nosso xarope deagkiao, JO e
CAMBAR DO noi-te o primeiro recommen-
dado para a cura das diversas molestias
das vias respiratorias, desde a pharyngite
ou mal da garganta at a tuberculose,
abrangendo as diversas kronchites, cathar-
ros e pleurisias.
Os innmeros attestadas que temos de
curas conseg'iidas por esse poderoso pre-
parado nos autorisam areoommendar o seu
uso de preferencia a qualqaer outro.
DeposMo geral
PHARMACIA E DROGARA
. 34Bl'A LAKGA DO KOSARIO34
pi:n\HBi(o
48RA BARO DA VICTORIA48
Venham ver para
crer
AlimentoiCriangas
Para remediar a fraqneza das criancas, desenvolver
as suas rau e prestruul-os "'ai doencat da tdade
tetra, os principies Meiiicos de Parts, incmbros
da Arademia de Medicina de Pars, recellao com
ptimo ex i 11 o verddeifo
tecabout i s Arabas 4s Dulc crenler, i Parta
Este agradavel al i mento.com posto com substancia
ve,'etacsnulritivaserortalrcedorasaivi.ie-senaeco-
aoiViia luda.e, pelas suas propriedades analpticas,
aielliora a composicao do leite das senhoras que ama-
mcnlao. e acorda as Torcas-lnguidas do estomago.
51. ra TMeue, Pars. Depositas au Ptanutu do lud* nUiri.

Sobrado
Bolga e pulseira
Quem perdi'U os cbinctos cima, dirija-se a
secreturia do Derby Glub que dando os signaes
e patando a despeja desje annuncio,
entregues.
Ihe serio
Aluga-se o 2o audar do sobrado ra de Do-
mingos Jos Martins n. 138, commuitos commo-
dos para grande familia e por preco commodo,
em bom estado de asseio, o qual nca confronte
ao fundo do armazem de Garneiro Viannava
tratar na ra Mrquez de Olinda n. 34.
Coziiibei
Precisa-se de una ama que cosmne nem, para
casa de pequea familia, que durrua em'casa
dos patres; na ra Conde da-Boa-Vista n.-24-P,
porto de ferro.
AIMNPA
i4*-iH..HUU 80II
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
is.
Taixas fundidas e batid^i
Taixas batidas seui, exava^ao
Arados.
I



-
A

f
'I



Diario de Pernambuco-Sexta-feira 24 de Maio de 18S9

;J
Tralanienlo radical em 6 dias
DAS
BLENORRHAGIAS AGUDAS
v
GHROniGAS
(VULGO PURGACO)
no nonii o da Htiiiii
E da leucorrka ou f,-> omteos
Pilulas Resiao -Balsmicas
IiyeecaO Ant-Blenorrha^ra
PREPARADOS POR CALASANS & C.
PRODUCTOS APPROVADOS PELA
. INSPECTORA GERAI. DE HTGIENE
Urna serie de brilhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bom xito
durante dez annos, assignala a estes dous
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens prescriptas, o prime iro lugar entre os
medicamentos estudados e preconisados
para "urar estas terriveis molestias.
As pilulas sao supp">-tadas pelo estoma-
go c mas delicado, pois que ellas nao im-
pede," uem difficultam as funcscies deste
orgto.
A injeccao anti-blenorrhagica nao ab-
solutamente irritante e por isso nao tem o
inconveniente das actualmente empregadas
e nao produz estreitamentos.
Nao publicamos o grande numero de
carta:-, attestados e agradecimentos que te-
mos recebido para nao offender aos nossos
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mui-
to conhecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular excellente preservativo contra as
molestias secretas.
Modifica e faz desappareceromocheiro
das regras.
Preparados por Cala san s & C, Phar-
macia Imperial, Bahia.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C, ra
Mrquez de Olinda n. 28.
E o melhor
Est reconhecido que o melhor e mais
seguro especifico at hoje conhecido para
combater as molestias dos orgaos respira-
torios o Peitoral de Cambar, de S.
Soares, de que sao agentes e depositarios
rraes os Srs. Francisco Manoel da Silva
C, ra Mrquez de Olinda n. 23.
A o publico
Pede se ao amigo que tomou renta de urna
bolea no afo para lvala estacad da roa do
Sol, contendo diversas mercadorias, como nao
enconirou o dono, traga ra da Florentina nu-
mero 34.
Quadros
com bellissimas oleojrraphias, objectos para
idorno de sala e para presentes, tudo encontra-
se na livraria Contempornea, ra 1 de Marco
aumero 2.
Precisa-se
Precia-se da quanlia de 1:000i000, amortisan-
do-se mensalmente lOOJ, alem do premio; quem
pretender esta transaccao annuncie para ser pro-
curado.
FOLPTIM
SEM MAI
POR
FA7L0 FAOSMT

i'/
I

A PALHA DA COURACA
(Continuado do n. 115)
CAPITULO, VIII
Em Bellevillr
Com quem ests fallando ? pergun-
tou Adelia. Com teu tio ?
Nao, com Roberto. Elle ah vem.
Depois, voltando.se para a costureira:
Espere um pouco, disse ella. Vai
Ver que tenho o namorado mais bonito de
Pariz.
Com os ps pregados no assoalho, a gar-
ganta secca e os olhos ardentes como bra-
ia:-, lotilde obedeceu donzella.
Quera ia ella ver entrar?
Senta que era a sua propria vida que
ia decidir-se.
Dahi a pouco fez-se buvir um passo leve
no corredor, a porta abrio-se e urna voz
multo conhecida disse :
Onde est ma-nai ? que deseja ella ?
Mostrar-te como sou bonita, respon
deu Georgina. .
Mas nao pode dizer mais nada.
iem um grito*, sem urna palavra, sem
um suspiro, sem mesmo haver erguido os
olhos para aquelle que entrara, Clotilde
cabio fria e branca sobre o tapete do
fftiarto.
Ah! meu Deus! exelamou Roberto,
eonheeendo-a ; o que ?...
Mas conteve se a tempo, fechou os la-
comprehendendo que urna palavra
poderia acarretar alguma catastrophe,
io a sua, esperanza de felicidade pe-
nfallivelmente.
i grito nao havia revelado que elle
:a Clotilde, i
Nao despertou, por conseguinte, a at-
t zelosa de su;* prima.
X
Instrumentos de msica
rra banda e orchestra, realejos, caixinhas com
2 e 6 pecas, pata enanca ; na livraria Con-
tempornea. ______ _____
Malas deviagem
para roupade scabora e de bomem, propria de
camarote e caminlio de letro, bolsas, rliapelei-
rus. binculo.-, etc. etc. Airtigos muilo bon3 e
baratos na livraria Contemporajte.
Losinneira
Precisa-se de urna que cosinhe bem e nao saja
ra : a tratar na ra do f.abug n. 14, primei-
ro andar, de meio da at 2 horas. _____
Papel de forro
de sala, gabinete e corredor, esplendido 3or-
tnento na livraria Contempornea.
BEDU FUERES
Constructores i IIiiii. Franca
Representado por Emilio Bu-
lln, eagcnhelro mcihan'<.
(PEKXAMBUCo)
Assentamento completo para engenhos cen-
traos e L'zinas pelos processos os mais aperfei-
coados.
Moendas e repressao mltipla.
Corte canoas vertical, systema Bedu.
Diffuso. circulare rectilinha, dito Bedu.
iffusao continua do bagaco dito Perret.
Fornos para queimar o bagaco da diffusSo,
dito Bedu.
Filtros mechanicos a liltracao mltipla.
Turbinas centrifugas (economa, limpeza e
trabulbo rpido).
Em geral todos os apparelhos os mais moder-
nos e os mais aperfeicoados para o fabrico de
assucar.
N. B. O Sr. Emilio Billion fazendo urna via-
gem de 3 mezes na Europa, durante a sua au-
sencia dirigi as cartas e pedidos a casa Bedu
FrresaHam, que fornecer plantas, orcamen-
los etc., e por qualquer negocio urgente infor-
marse ao Sr. Eugene Cbaline; 24 ra do Com-
mercio, Becife.__________________
Araruta ingleza
BAcaba de cheear para o armazem da Estrella,
no largo do Paraizo n. i 4.
Engenho a arrendar
O Canaoduba. prximo a estaclo de Jaboatao,
inuito boiu d'agua e a j.ouco reconstruido, com
extensas trras o. matas, para safrejar at 2,000
paes de assucar; a tratar na ra larga do Rosa-
rio n. 37.________________________
Farelo de carolo de
alg'ndo
J conbet ido como o melhor e mais nutritivo
alimento para aniraaes : vndese na ra do
Bom Jess n. 38, i andar._________
Casa terrea
Aluga-se urna magnifica casa terrea, com bons
cemmodos, a ra da Ventura (CaBunga) n. 24 :
a tratar na mesma ra. no sitio junto ponte
da fallecida D. ('andida Lasserre.
VENDAS
Vende-se duas casas de tijolo, sitas em
Sant'Anna de Dentro, sendo o ar o mais sauda
vel que ha em no-so- arrabaldes.teodo a estacao
d Saut'Anua mui perto da via-ferrea : a tratar
ha ra Paulino Cmara n. 19, 2- andar.
Vinho particular.
No armazem da ra do Amorim n. 60. vnde-
se o que pode haver de melhor pelo mdico pre-
go de 7*000 o garrfo de trs caadas, vollan-
do o casco.
B
reu marca f
Vende-se em barricas a 30 rs. t libra
mazem da ra do Amorim n. 60.
-Burrinho
Vende-se um bonito burrinho
ra Direita n. 22.
no ar-
a tratar na
Vende-se
urna rica mobilia de Jacaranda, muito elegante
e propria para noivos, prego commodo ; para ver
e tratar na oflicina do tenentc Dionisio, no pateo
do Paraizo.
Quanto a Adelia, a Suzana mesmo, pre-
opitaram-se ambas sobre a orpha, e, ajoe-
lhadas diante daquelle bello corpo, esten-
dido, mais flexivel que um junco, de urna
graca soberana, na sua postara abandona-
da, cobriram n'a de caricias e de cuida-
dos.
Mas Clotilde nao voltava a si.
Ajude-nos, Roberto, disse Suzana,
ella nao pode ficir aqui, estendida no chao.
Para onde quer leval a? perguntou
o mancebo, quasi tao pallido como a mofa
desmaiada.
Para o meu qurto; estendamol -a na
minha espreguigadwra, ella tcar mais
vontade que aqu.
Sem esperar que Suzana e a Sra. Cha-
niers tentassem levantar a orpbS Roberto
inclinou-se sobre ella, ergueu nos bracos,
e, como faria com urna penna, trans-
portou-a para o quarto de sua tia, atra-
vessando o corredor.
Georgina, muito indifferente, conservou-
se no sen quarto, Suzana correu a buscar
um frasco de ether em baixo, s Adelia
entrou aps o mancebo.
Ella estremecen, porm, de sbito.
No momento em que Roberto estendera
a orpha na espreguicadeira da Sra. Cha-
niers, os labios do mancebo haviam pou-
sado sobre os cabellos da moca desmaia-
da ; emquanto que no rosto tao grave e
tito expressivo do ilho de Pedro pintava-
se um inexprimivel sentimento de adora-
do e de dr.
Meu Deus !... pensou a pobre senho-
ra, o que ser isto ?
Mas conservou-se muda, sem pronun-
ciar palavra, e, quando Roberto voltou-se,
cousa alguma na attitude de sua tia pode
fazel-o presentir que ella tinha visto o seu
movimento
CAPITULO IY
O leier
Voc nSo pode voltar aind para ca-
sa, minha flha, disse a Sra. Chaniers a
Clotilde, quando esta, depois de muitos
cuidados, abri finalmente os olhos.
Ella olhou em lomo de si.
Roberto nao se achava mais presente.
Suzana c Adelia, attsntas como duas
mais muitOfMOvens e muito affectuosas,
achavam se ssinhas ao p da doente, es-
preitando o menor movimento da sua phy-
sionomin. .
Teria aonhadoV...
E aquelle Roberto, seu amor nico, a
sua adoracSo e a sua felicidade, seria real-
mente o filbo adoptivo de Adelia, o noivo
da menina Chaniers ?...
MAIS BARATO
\'a Loja das Listras zoes
A* UUA DUQUE DE CAXIAS N. 61^
Vende-se fazendas finas mais barato e
d-sc descont a quem comprar e^20^000
para cima, troca-se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo nao fOr de muito
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes precos :
Cachemiras lisas e com listas de
seda de lindas cores, a 1(5400.
Merinos de duas larguras, a 440 e
800 rs., qualidade superior.
Tecidos arrendados cor de creme com
matiz com duas larguras, a 600 rs.
Fazendas de phantasia e lindas cores
a 400 e 500 rs.
Teeidos de linho, lindos padrocs
grados, a 200 e 240 rs.
ZeAros lisos e de quadro, a 80 e
100 rs.
Wetlns de Maco branco, preto e de
todas as core a 750 e 800 rs.
Netins de quadrinhos, a 900 rs.
Sedas lavr. das brancas e de cores cla-
ras, a 10400.
C Azes de seda com fios prateados a
10000.
Cortinados de crochet, em peca, a
900 rs.
C amoral as bordadas brancas e de
cres, a 4^KK a peca.
Cortes de vestido bordados, brancos,
para noivas, a 160000, 180000 e 200000.
VOS para chapeo preto, branco e de
qualquer cor, a 10500.
Crep inglez para enfeitos de vestid( s
a 10200 e 20000.
TECIDOS MAIS BARATOS
Percales e chitas claras, finas, a
18o, 200 e 240 rs.
Cassas de cores finas e seguras, a
120 e 240 rs.
torini de listras azues muito lar-
gos com 20 varas, a 60000, a pega.
Sargellns linos, a 160, 180 e
200 rs.
Crinolina, qualquer c6r, a 400 rs.,
o metro.
Guardanapos superiores a 10800 c
20000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 10000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 10000, o metro.
Toalhas acolchoadas e felpudas com
listas de cores, a 40000 e 60000, a duzia
Bicos brancos francezes, a 60*
e 800 rs., a peca.
BCOS uno, brancos. oremos e ma-
tisados, a 20000, a peca.
Baldas a 240 rs. a duzia, cobertas a
400 rs.
uvas de seda, bordadas, brancas,
prettis e de cores, a 20000.
liCques de papel, a 500 rs. o trans-
parentes, finos, a 20000.
Leques de pennas o que ha do me-
lhor, a 50000 e 60000.
Sabonete grande de. perfumo agra-
davel, a 500 rs.
Extractos fino^ francezes o ingfozea
a 10000 e 20uOO.
Bespertadores americanos, a 70.
osquiteiros americanos com ar
macao a 100000 e 120000.
spartilhos americanos e inglezc*,
a 40000, 50000 e 60000.
Capas de vidrilho e rendas, a 25-<0(i0
e 300000.
E umitas fazendas qne se d por todo o
preco nn.
das Listras Aznes
Loja
Hodie mihi eras tibi
0 Sr. Francisco Raposo Falco" 3- official do
conaio, nao quer restituir os movis nem pagar
o valo/ dos mesmos, nao se lembrando que esta
transaccao desde que foi demltido, talvez nao
esteja muito longe para licar no estado que j
esteve._____________________^^_^^__
Mas entao o que lhe restava era ir-se
embora, fugir para a extremidade da tr-
ra, occultarse como urna criminosa, para
restituir a toda aquella gente a felicidade
que a sua vida perturbava, sobretudo da-
qnella bemfeitora adorada, cujas lagrimas
ella nao queria por cousa alguma fazer
correr!..
O seu coracao, o seu pobre coraclo de
crianca abandonada, que certamente se
despedacaria com o golpe, nSo estava por
ventura acostumada a soffrer?
E, alm disso, ella pensava sequer em
tal cousa?...
Nao, o dever era desapparecer, fazer-
se esquecida de Roberto ; ella o cumpri
ria.
Tentou erguer o busto.
PerdUo, disse ella muito confusa.
Como sou ridicula, dando-lhes todo este
incommodo !...
O coracSo de Adelia, vendo-a muito
paluda, muito fria, confrangia-se singular-
mente.
Cousa extraordinaria!...
Estendida naquella espreguicadeira, com
a franja dos seus lougos cilios desenliando
urna curva sobre a sua cutis alva, Clotil-
de mais que nunca parecia-lhe a imagem
viva de Jorge adormecido.
At aquelle beije de Roberto que ella
sorprender rocando a testa da moca des-
maiada, nao a havia offendido, nem zan-
gado, nem irritado.
E elfit, eujo sonho eterno tinha sido ver
Qeorgina casada com o filho de Pedro, nao
soffria idea de que o corac3o do mance-
bo pertencia a Clotilde ....
Ao contrario, emquanto a imagem de
sualha desvanecia-se, fugia, apagava-se
pouco a pouco ao longe, o quadro radioso
dos dous jovens enlacados perseguia-
lhe a imaginacao, e aos labios subiam-lhe,
muito naturalmente, estas palavras :
Estao tao bem talhados um para o
outro!..,
Mas de repente tomou a si, e, compre-
hendendo a singularidade dos seus pensa-
mentos:
Estou douda! disse ella comsigo,
meneando a cabeca. E Georgina ? serei
entao niii to m que esqueya-a assim ?...
A despeito, porm, da sua vontade, ha-
via urna cousa que ella nao podia expolia-
do seu espirito, qual parecia-lhe nipos-
sivel renunciar. ^
tueria a todo transe saW- como Ro-
berto e Clotilde se conheciam ; onde se
haviam encontrado; qual era o genero da
affeicao que os unia.
Mas como chegar a saber da verdade
absoluta?...
Pergnntando-lh'a ?...
A O, 55
Convite ;s familias
Pede se attengSo para os precos abaixo
mencionados :
Cambraia com Bnlpioos a 40000 a pefa.
Rendas hospanholas a 1.0 o covado.
MadapolSo americano a t0, 70 e 80000.
Renda da China, novidade, a 240 rs.
Amor da China a 200 rs. o covado.
Zefiros a 160 e 200 rs., cousa chic.
Espartilhos, grande sortimento.
Guardanapos a 10600 a duzia.
Capas para senhoras, novidade.
Fustoes brancos a 400 e 500 rs. o co
vado.
Linn bordado a 800 re. covado.
Toalhado para mesa a 10 o metro.
Esguiao pardo a 400 ra, < covado.
Babados e entremeioj grande sorti
ment.
Colchas muito bonitas s 20000.
Enxovaes para baptisados, finos.
Merinos pretos e de cres a 500 rs o
covado.
Cortinados para cama a 60000.
Las a 240, 320 e 500 o covado.
Luvas d- seda a 20000.
Crinolines a 400 rs c metro.
Cambraia branca a 20800 a peca.
Grinaldas para noivas.
Setins de todas as cores a 800 rs- o co
vado.
Cortes dt cachemira, c usa chic.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. c
covado.
CoUarinhos e punhos grande sortiment).
Crotones para vestidos a 320 rs. c
covado.
Toalhas felpudas, grande reduccao em
precos.
Camisas inglezas com e sem collarinho
Mantilhas pretas.
Brins para roupa de enancas.
Setins de quadro, em cortes, gostos no-
vos e prefos commodos.
Batistas a 120 rs. o covado.
Cretones para coberta a 500 re. o co-
vado.
Tecidos arrendados para vestidos, cou-
sa chic, a 400 re. i covado.
Tapetes grandes e pequeos.
Bramantes 1 sos e trancados a 800, 10
e 10200 o met'O.
Alm do que fica mencionado, temos
mais outras pechinchas que s vista se
pode acreditar.
Da-se amostras sem penhor.
55 RA DUQUE DE CAXIAS N
FER.Vi.MlES DE AZEVEDO C
Vende-se
um estabelocimento de molbados, dos melhores
em rotalho a ra do Rangel n. 53, e urna coenei-
ra.de vaccas tourinas especiaes, sendo duas com
duas bezerras, e urna com seis mezes de barri-
a. o mn carall'i andador ; garntese a chave
a oasn a quem comprar e d-se a freguezia pa-
ra o leite : a tratar na ra do Rangel n. 53. A
causa destas venda* o proprietario ter de reti-
rsr-ae pan Europa.
Moveos austracos
A' ra Mrquez de Olinda n. 44
Vende-se movis austracos, tanto em grosso
como era partes, do mais rico modelo que tem
vindo a osta provincia, o por prero muito re-
duzidos, para fiquidaefio de Faenaras ) v lie:n as-
sim
Cofres de Ierro
dosinoilires fibrcantes, que tem vindo a esta
provincia, como sejam : Millners e outros fa
bricantes. Todos garantidos e de verdadeira
seguranca 'proa de fogo). No armazem im-
portador de Carneiro Vianna.
Cofres de ferro
Carlos Sinden tem para vender cofres de su-
perior qualidade, mais barato qne em outra
qualquer parte : na ra Banto da Victoria nume-
ro 48.
Roberto >obretudo, que ella conhecia a
fundo, dir-lh a-hia francamente, sem una
mentira, aera anu reticencia, tinha certe-
za disso...
Sim, mas o pobre rapaz soffreria talvez
fazendo urna confidencia que nao tivera a
lembranca de contar-lhe espontneamente.
NSo, pretera tancar mSo de outro re-
curso para sbelo.
As suas finas sobrancelhas entrecerra-
das diziam o esforco do seu ponsamento,
procurando um meo de attingir seu fim,
quando Clotilde, com a sua voz de ouro,
muito enfraquecida e um pouco trmula
disse :
Supplico-lhe, minha senhora, deixe-
me voltar para casa.
E' impossivel, respondeu Adelia,
nao posso consentir em tal, ficaria muitis-
sima inquieta.
Mas eu tomarei um carro e nao me
fatigarei.
Sim, mas est ainda fraca. Alm
disso, essa syncope sbita prova que nao
se acha em estado normal; quero conSer-
val o aqui todo o dia. A' tarde se estiver
completamente boa, urna de nos leval-a-
ha a Montmartre.
Oh minha senhora! todo o dia as-
sim em sua casa! Nao, realmente seria
muito indiscreto da minha parte.
Eu que tratarei de si, disse Suza-
na, a quem a moca seduzia cada vez mais
e que de minuto para minuto sentia-se
possuida por ella de urna affeicao tao sin-
gular quanto indefinivel. Sim, tratarei
de si e far-lhe-hei companhia emquanto
a Sra. haniers vai com todos s cor-
ridas de Auteuil [hoje, como est combi-
nado.
Georgina ir com seu tio, sir Jona-
than e Roberto, se ella quizer, declarou
Adelia; eu estou um pouco fatigada e
prefiro nao acompanhal-os.
Bem v, minha senhora, que causo-
lhe transtorno, murmurou a orpha muito
confusa.
Cale-se, m !... Bem razao tenho eu
quando lhe digo que voc nao me estima
e que n3o comprehende a minha affei-
cao !...
Oh! minha senhora! minha querida
protectora, adoro-a, ao contrario, e mil ve-
zes mais do que pode julgar !...
Occultou o lindo rosto as maos finas,
de dedos afilados, e desatou sbitamente
em solucos.
Ahi est! exelamou Suzana, repre-
hensiva, W-a agora cho.ar! Vale a pena,
na verdade !...
Depois, sentando-se ao lado de Clotilde,
abracando-a maternalmente e descansando
no seu hombro a cabes 'our* tla or^ :
A RevolucSo de 48
A' ra Duque de Casias n. -I
NAO CREIO QUE HAJA COMPE-
TENCIA DE PRECOS
Neste muito acreditado estabelecimen-
to de fazendas finas e modas, como j
teem provarlo aos seus freguezes, que ven-
dera por menos 30 j0 do que em outra
qualquer casa, continuam a offerecer as
mesmas vantagens.
Merinos de quadros e lisos a 200, 240 e
280 ra. o cevado.
Seda alsaciana (fantasa) padioes escolhi-
dos a 280 rs. o covado.
Zefiros de quadros modernos a 120, 140,
200 e 240 rs. o covado.
Cachemiras lisas e de quadro (combina-
cao) a 320 re.
Organdis (fazenda de fantasa) a 400 rs, o
covado.
Nanzuks muito finos de 120 a 240 rs. o
covado.
Algodaosinho muito largo e bom, a 40000
e 50 a pesBa.
Fichs de 12 de todas as cores de 10,
10500 e 20 um.
Cretones claros e escuros a 160, 200 e
240 rs. o covada.
Loquea transparentes a 20, e de papel a
500 re., para acabar.
Lindos cortes em cartoes com aviamentos
a 60, 80 e 100 um.
Camisas de meia (pechincha) a 10 10200
urna.
Toalhas de cores para mesa elstica 50
urna.
Camisas francezas de linho puro de 40
por 50, urna.
Brim branco n. 6 a 10600 a vara.
MadapolSo americano com um metro de
largura a 60 n pessa.
Brins de linhos de cores finas e garantidos
a 600 rs. o covado.
Bramante trancado duas larguras a 400
re. o metro.
Atoalhado de linho a 10500 o metro.
Cortes de fustSo para colete a 10 e 10500
um.
Toiletts para baptisados, moito finos a 100
e 120 um.
Espartilhos de couraca a 40 e 50 um.
Cachemiras de 13 pura, claras e escuras a
20 o covado.
Setins de todas os cores a 800 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras finos a 40, 50, 60,
70 e 80 um.
Lencos de cores, imitaao de seda, a
10800 a duzia.
Esguiao de algodSo, duas larguras, a
30200 a pessa.
Colchas de crochet com palmas de cores,
para noivos a 100 urna.
Capellas com veos a 80 urna.
S na Revoluto de 48
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Royal Rlend marea YIADO
Este excellente Whisky Escoeez pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corno.
Vende-se a retamo nos melhores arma-
zens de molbados.
Pede Royal Blend marca Viudo
cujo nome e emblema sao registrados par*
todo Brazil.
_________ BROWNS & O, agentes.
Vende-se
duas vaccas com crias novas, qualidades boas,
e urna garrota tourina, sendo as duas urna tra-
cada e a outra da trra ; na estrada de Joao de
Barros, averna n. 20-A. junto acapella. Scom
a vista.
Criado
Quera precisar de um criado jjara todo servico
de casa de familia, queira procurar na ra Pedro
Affonso n.82, 1 andar.
Vamo8,^ninha menina, disse ella,
lafagando-a, enxuguc as suas lagrimas,
deixe-8e tratar e estimar !...'E' tao bom
ser-se objecto de sj mpathia e de affeicao !
Clotilde, aniquilada, vencida pela emo-
cio, retribua joven governante as suas
paridas, murmurando:
Oh meu Deus !... o que quero eu
mais?...
Durante esse 'empo Adelia, com o olhar
ensombrecido, accommettida de extraor-
dinaria agitacao, passava, furiosa, vendo
Suzana acariciar Clotilde daquelle modo.
Dar-se-ha caso que ella v estimal-a
agora mais que eu ?...
lima voz acre e dura arrancn as tres
mulherea do seu sonho.
No corredor Georgina chamava suamai.
Que queres? perguntou-lhe ella.
Sir Jonathan chegou, mamai, res-
pondeu a moca, e meu tio Pdro manda-te
dizer que o almoco est tua espera. Ve-
nh ver se ests prompta.
Vou vestir-me e deseo j.
Clotilde foi-se embora?
NSo, ella contina muito incommo-
dada, nao quero que se retire j.
Ah e o que vais fazer della entao ?
Ficar sob a guarda de Suzana, que
deseja tomar conta della durante tedo o
dia de hoje.
Georgina nao insisti e nSo fez sequer
meuao de entrar.
EntSo desees? perguntou ella.
Sim, dize a JoSo que pode servir.
Est vendo, minha senhora, disse
Clotilde a Adelia, quando esta fechou no-
vamente a porta, melhor que eu me v
embora.
Porque ? Em primeiro lugar Geor-
gina nao acliou extraordinaria a sua pre-
sencia aqui; depois eu quero que voc fi-
que ... Suzana, veste-me ; depois tratars
de arranjar o al mojo para ambas.
A criadinha obedeceu e foi buscar urna
admiravel toilette de rendas pretas, cober-
ta de fil, que vestio na Sra. Chaniers.
Quer por o adereco de esmalte que
lhe deu outro dia sir Jonathan Pierce ?
perguntou Suzana.
Adtlia fez um violento movimento de
repulsao. -
Ah! nao, disse" ella. D-me um sim-
ples laco de fita.
Quando ficou prompta, e antes de sabir
do quarto, Adelia lan$ou um golpe de
vista sobre o espelho do armario, afim de
ver o conjunto do seu vestuario.
Era maravilhoso e nunca a sua belleza
parecer to radiosa, tSo deslumbrante o-
uio no meio daqueilas rendas e daquelle
fil, cujo brilho negro punha em extraor-
dinario relevo os seus cabellos de ouro
A LOJA MAIS BAHATJBIRA
PARIZ N'AMERCA
. AZEVEDO, IRMaO & .
16^Roa do B. da Victoria16
200[Ttl-ephoM200
Teudo recebido directamente da Europa
grande sortimento de fazendas e modas o
que ha de mais novo o procos sem com-
petencia.
A saber :
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, preto:-, de 15 e 12 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de SQO; 10000 e 10200.
Crinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 208 rs.
Bramante de linho a 10500, com ~10
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 ra.
Dita de l e seda 2 larguras a 10000.
MadapolSo tranjado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000. .,
Fichs de 1S e seda 10000. T
Brins de linho cies fixes a 600..^
Espartilhos couraca a 40000 e'50000.
Colchas de fustSo a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado a
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 10500.
Renda de la, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama p.
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnicSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, braneds.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola .". 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 s par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de c6res para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com fires.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de sol
Setineta para coberta a 600 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cijes.
TELEPHONE 200
Leite puro
Na estrada de Joao Fern andes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os dis leite puro de,vaccas tourinas e da
trra, garntese a qualidade do leite. _
Pao centeio
Mello & Biset. uvi.-uin ao respeitavel publico.
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
boroso pao ; ra larga do Rosario n. V).
Para jornaes
Papel formato Diario, SO ralbas 7J50O
Dito dito Jornal, 400 folhas 54000
Dito dito Provincia. 400 folhas 4*500
Vende-se na fabrica Caxias,
Superior queijo do Serid a
1#500 o kilo
S no largo do Mercado n. 12, Gomes Ferreira
4 C. Succesores.
bruido e a seductora ^alvura da sua cu-
tis.
Mo grado seu entao lembrou-se do dia
em que, sete annos antes, tando-lhe o Dr.
Leval scientificado de que um dos dous
individuos que hav ain montado a fabrica
de madeira esculpida na America n3o era
casado, ella concebera a esperanga de se-
duzil-o pela sua beileza e arrancar lhe to-
das as confidencias que desejava.
Sim, mas em primeiro lugar naquella
poca ella acreditava na existencia pos-
sivel de Eugenio Gages, emquanto que
entao tinha a certeza de que elle estava
raorto.
Depois, por um phenomeno singular,
agora que tinha attingido o seu fim, ago-
ra que Jonathan Pierce estava apaixona-
do por ella, ao ponto de offerecer-lhe" o
sea nome, elle, o selvagem e o misntro-
po, ella nao tinha a coragem de provocar
as suas confidencias, de instigar as suas
expansd*es.
Sim, isso era bem singular na verda-
de!...
Emquanto elle era simplesmente o pro-
fessor de Roberto, o amigo de sua filha,
urna grande sympathia attrahia a elle a
bella viuva.
Depois, porm, que, de accordo com.
Georgina, elle havia pedido mais, o cora-
cao de Adelia fechara-se para aquella
creatura, que ella tinha entretanto aceito
como seu futuro segundo marido; urna in-
vencivel repulsao havia substituido nella
a amisade de outr'ora; n3o podia, quando
elle estava presente, estender a mSo, dei-
xar sorrir os labios e ainda menos cahir
de sua bocea a mais insignificante palavra
de intimidado ou de confianca.
E, descendo a escada, repeta comsigo-:
Projectei outr'ora essa conquista?...
Desejei a, quil-a!... E por que hoje esta
invencivel repugnancia iiapede-me de ti-
rar partido della, de dirigif-lhe at a pa-
lavra?... Ah se eu nao tivesse receio de
alguma asneira de Georgina!...
Tiveinos entao, disse-lhe Pedro, logo
que ella entrou na sala de jantar, urna
moca incommodada em casa?...
E' exacto, respondeu Adelia, olhan-
do involuntariamente para Roberto, tSo
abatido, como se se tivesse levantado de
urna molestia de seis mezes, ella est an-
da l em cima.
(Contimtir-M-ha

% ;.

Typ. tio Pww ra Duque de Casias n. 45
?


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E80RDAYAU_4FS7GL INGEST_TIME 2014-05-22T01:03:51Z PACKAGE AA00011611_17257
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES