Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17256


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-I
ANNO LXV-NUMERO 115
, PAHA A CAPITAL li LH.AKIS OSDIS NAO NK PACA PORTE
Por tres mozes adiantadem.....v......... 6 Por seis ditos idein................ 12)5000
Por un auno dem................ 230000
Cada numero avu! ; d" mesmodia.....' ... (5100
QCDTA'-FHORA 23-DE MO DE 1889

PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA

Por seis meses adiantados..............
Por nove ditos idem................
Por um anno idem ................
Cada numero avulso, de dias anteriores..........
134500
204000
264000
$100
DIARIO DE PERNAM
Tropnedaxk de Mancel Sigumoa -de diaria 3%0)cs
Bogamok sm aoMMoa ainiinanli*
4ae *f acham <*m atraso o obooqulo
de mandarein abonar nasanslgaa-
turan at o flu do crrenle mes
para evitar a a no principio do mes Meguinte.
TELEGRAMAS
mw FASTIC7LAS so::::,::
RIO DE JANE1E0, 21 de Maio, s 6
horas e 50 minutos da tarde. (Retardado).
A Cmara e o Senado deixaram de func-
cionar hoje.
No Senado foi apresentado hontem o
projecto de resposta a falla do throno.
RIO DE JANEIRO, 22 de Maio, s 4
horas da tarde.
Na Cmara o deputado Rodrigues Pei-
xoto apresentou um requerimento em que
pedia que fosse de preferencia discutido o
provecto sobre liherdade de cultos.
Depois de discutido esse requerimento
foi rejeitado por 57 votos contra 49.
O Dr. Joaquim Nabuco, tomando parte
na 2.a discussao do projecto de fixacao das
forjas de trra, pronunciou um importante
discurso em defeza do conselheiro Joao
Alfredo, presidente do conselho.
Segnio-se-lhe na tribuna o conselheiro
Loare-neo de Albuquerque, que contina a
esta hora em seu discurso.
sungo r: uncu un:
BERLIM, 21 de Maiu.
Tres mil operarios pedreiros desta ci-
dade declararam-se em grave.
ROMA, 21 de Maio.
Desordena bastante serias produzirain-se
na Alta-Italia a proposito de medidas agr'
rias tomadas pelas autoridades.
Um conflicto produzio-se entre as tropas
encarregadas do mantimento da ordem e
os agricultores.
As tropas virara-^e forradas a uzar das
armas.
Honve mortos e feridos a lamentar.
BERLIM, 21 de Maio.
Acaba de chegar aqui S. M. o Rei da
Italia e sua cotnit va.
S. M. o Rei Humberto foi carrosamen-
te aclamado pela popularlo.
PARS, 22 de Maio.
Acaba de fallecer o vce almirante de
Fr-rzbuer, prefeito martimo de Rochefort.
Agencia Havas, filia! .m Pernambuco,
22 de Maio de 1831'.
HSTRDCCiO POPULAR
AS ti4^tM>ytH0tS
AMT1UA8 K MODKHNAS
HA 8
Sciencias. industrlt s artes
POR
XV
A electricidad*
(OontmuacSn)
Um physico inglez, Hauksbee, substituio o
globo de enxofrc da machina de Otto Guencke
por um cylindro de viiro que se friccionava com
a mo, e formou urna machina elctrica mais
forte. Infelizmente para a sciencia, nao adoptQU
este instrumento ; e readop'ou-se o tubo de vi-
dro de Gilberto, que friccionava com um panno
de 15.
A obra d'Hank.-bce. intitulada : Experiencias
-pbysico-mechinicas, mostra a disposigo dessa
machina, Por meio de duas rodas de madeira,
fazla-se rodar um cylindro de vidro e collocava-
se a mo sobre este cylindro, quando girava,
para o el- rtrisar cora o frurionatnento.
Em 17*9 Grey c Webler physicos inglezes li
zeram ama descoberta capital : a do transporte
da electriciuade ao longo de certos corpos. a que
elle? chamaram conductores. o decurso de
-uas bellas experieicias foram enes dons phy
sicos induzidos a dividirera os corpos em
corpos conductores e corpos nao conductores
da electricidade, Gn-y e Webler reconhceerara
que o vidro, a resina, oenxofre. o diamante, os
leos, ect., parara o IranBporte do fluido elertri
co, emquanto qne o* metan oj liqui los cidos
ou alcalinos : a agua, rio rpo dos animaes, etc.,
0 rieixaui passar livivmente. Estes phvsicos
haviam portanto descoborio o transporte da ci
ctricidade a dis'iincia, ealtm disso dividido os
corpos da natureza em elctricos e nao electn
eos, isto em mos e fXMs conductores. Foram
os dous primeiros pasio-, mas dons passos im-
mensos, na scieicia d;i ele ctricida.de, que acaba-
va de nasrer
At aquella epocha as netos observados no
estado experimental da eleclncidade eram bas-
tante numerosos, mas extremamente confusas.
Era necessario relacional os, explical-os, em
urna palavra crear a theoria da electrieldade
Duffay. naturalistae physico fran:ez. membro da
academia das sciencias, e predecessor de Butrn
no cargo de director do jardim das plantas de
Pars, teve a honra, de laucar os alicerces desta
theoria 0 systeraa de explicago dos phenome-
uos elctricos', imaginado por DoTay. tem permit-
tido at hoie explicar todos esses" pnenomenos
de um modo simples e commodo.
Grey bavia dividido os corpos em electrisaveis
e nao electrisaveis pela friccionacao. Duffay
provou que todos os corpos 3&o electrisaveis,
comanlo que sejam solados, poroutra, armados
de um cabo de resina ou vidro. Mostrou mais
3ue as substancias orgnicas rilo devem a con-
uctibilidad, seno ayua que encerram. Mas
o verdadeiro titulo de gloria de Puffay consiste
em ter eslabelecido os deus principios theoricos
seguintes, que formulou por estas palavras :
Io Os corpos electrisados attrafiem todos os
que o nao forem e repeliera os que se electrisa-
ram pela proximidade ou contacto de algura
corpo eleclrisado.
SHa duas especies de electricidade, difleren-
tes urna da outra : a electricidade vitrea e a ele-
ctricidade resinosa. A primeira a do vidro,
das pedras preciosas, do pello dos'animaes, da la,
etc. ; a segunda a do mbar, da seda, do linbo,
etc. O distinctivo destas duas electricidades
o repellirem-se a si proprias, e attrahirem-se
urna oulra. Assim. um corpo animado da ele-
ciridade vitrea repelle todos os outros que pos-
suem a electricidade vitrea, e attrahe, ao contra-
rio, todos os de eletricidaderesinosa. Do mesmo
modo os resinosos repeliera os resinosos e attra-
hem os vitreos (*).
i*) Os physicos mudarnos servem-se das pala-
vras positiva e negatipa para designarem a ele-
ctricidade vitrea e resinosa.
(Contina)
PARTE OFFICIAL
(.oirno da
DO W\
Provincia
3 DK MAIO DE 1889
kxpkdif:tt
Actos:
O vice-presidente da provincia, resol ve no-
mear o engenheiro Gregorio Thauraaturgo de
Azevedo para servir como auxiliar da inspecto
ria especial de tenas e colonisagoes percebendo
os venciinento" que Ihe competirera at que se
aprsente o enjrenheiro nomeado, Zaciutho Adot-
pho de Aquilar Pantosa, ou o governo imperial
resol va o contrario.Fizeram-se as necessarias
communicages.
O vice-presidente da provincia, attenden-
do ao que reaueren o coraraandante geral da
guarda cvica, capitao JoSo do Reg Lima, re-
solve conceder-me tres raezes de Ticenca, com
os vencimenlos a que tiver direito para tratar de
sua saude, devendo o peticionario entrar no goso
da referida licenca no prazu de lo dias.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereu o capitao da 3a companhia do
3 batalhan de iufantaria da guarda nacional da
comarca do Recife. Alelxo Rodrigues de Moura,
resolve trausferil-o para a reserva visto ter pro
vado achar-sc impossibilitado de contiouar no
servico activo, (icando aggregado ao Io batalho
le resea Communicou-se ao cornmandante
superior.
0 vicepresidente da provincia, em execu-
gao da lei n. 2393 de tO de Setembro de 1873,
resolve nomear Jo&o Peilro da Cruz Neves para
o posto de caoito da 5* companhia do 3 bata-
lho de infantera da guarda nacional da comar-
ca do Recife. em substituico de Aleixo Rodri
gues de Moura que passou para a reserva. -Cora-
mumcou-se ao commandan'e superior do Recife.
O presidente da provincia, atten lendo ao
que requereu o capillo da 3* companhia do 8o
batalho do servico activo da guarda nacional
da comarca do Recife, Munoel dos Santos Pi-
mentel, que provou achar-se impossibilitado de
continuar no mesmo servico. resolve t-ansferil-o
fiara a reserva, ficando aggregado ao Io bata-
ho.Communicou-se ao commandanle supe-
rior do Recife.
O vice-presidenle da provincia, em exeru-
cao da lei n. 2395 de 10 de Setembro de 1873,
resolve nomear Jos Anastacio Ferrvira da Costa
para o posto do capitao da 3< companhia do 8
batalho do servico activo da guarda nacional
da comarca do Recife, em substituico de Ma-
noel dos Santos Pimenlel que passou para o da
reserva. Communicou-se ao cornmandante su-
perior do Recife.
O vicc-presideute da provincia, attendendo
ao que requereu o capitao da 3* companhia do
9 batalho de infanti-na da titar-da nacional da
comarca do Recife Manoel Torquato de Arauio
Saldanha, que (irovou achar se impossibilitado
de continuar no servico activo, resolve transfe-
ril-o para a reserva (icando aggrenado ao 2 ba
talhao. Coinraunicuu-se ao commaodante su
perior da comarca do Recife
O vice-presidente da provincia, em execu-
co da lei n. 2395 de 10de Setembro de 1873,
resolve nomear o alferes Lihanio Presidio de
Carvalho para o posto de capitao da 3' compa
nliia do 9 batalho de infanlaria da guara na-
cional da coma ca do Recife em substituico de
Manoel Torquato de Araujo Saldanha que passou
para o servico da reserva. Communicou-se ao
commandanle superior do Recife
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereu Antonio de Menezes Cysneirus
Randeira de Mello, professor publico da cadeira
de ensino primario de Nossa Senhora do O' de
Giyanna e tendo em vista a ioformacao pres-
tada a respeito pela inspectora fjeral da instruc
cio publica em ofticio n 1 4 de 23 do mez lindo
resolve conceder ao peticionario tres mezes de
lieenca com ordenado, para tratar de sua saude.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereu a professora Francisca Emilia
Spencer Netto. e tendo em vista a informagao n.
119 de 30 de Abril flndo, do inspector geral da
instruejao publica, resolve considerar sem cfTei
to a portara de 23 de Abril (indo pela qual foi
removida a peticionaria da cadeira de Allianga
para a de Cha de Carpina e desta para aquella a
prof-ssora Argemira iluilhennina Fetosa Rre
ckenfelJ. Communicou-se ae inspector geral
da iiistrncc.'ui publica.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereram is professoras Anua Etysa
de Onveira narros e Argemira Giilhcnnma Fei
losa Breckenfeld. esta da cadeira d! ensino
primario de h do Garsina e aquella da de Cha
de Capneiras, resolve de ac .rdo com o art. 172
do re^ulamento de 1S de Janeiro de 1888. per-
inittir que as peticionarias permutlem as cadei
nis em que lecnonam. Communicou se ao in-
spector da instruccao publica.
O vice-presidente da provincia resolve. de
conformidad"' com o di-creto n. 10129 de -i de
D'zembro ultimo, nomear o capitao Antonio la-
vares de Araujo, Fernando Barata da Silva e
Francisco Agrjptao do Reg Barros, para o> lu-
gares de 1'. 2' e 3o .-upplenles. na ordem em
que cstao collocados. do uiz subsiitnU da co
ii.arca d'-Nazareih devendo prestar o juramento
do eslylo no prazo uV um mez. Fizeram-se as
necessarias comniunicic -.
O vicepresidente da provincia resolve. de
confo midade com o decreto n. 10129 de 22 de
exemb'o ultimo, nomear Australiano Merra
de Albui|oerque capitao Virginio de Me.I.
Silva e Jun /anoel deCaflilho Cabr.il para os
lugares de 1, 2 e 3* supple;i!e. na orlem em
que esto collocados. do juiz substituto da co-
marca de Limoeiro, devendo prestaro juramen-
10 do estylo no prazo de um raez.Fizeram-se
as necessarias communicacoes.
Odiaos:
Ao Visconde de Arinos, enviado extraordi-
nario e ministro plenipotenciario do Brazil em
Londres.Tenho a honra de enviar a V. Exc.
um exemplar do balancete da receita e despe
za da estrada de ferro do Recife ao S. Francisco
durante o mez de Marco ultimo, acompanhado
do devido desenvolvimento e de copia da acta
dasessdo em que se procedeu a liquidacOcs das
contas relativas a esse periodo.
Sirvo-me desta occasio para apresentar a V.
Exc. os raeus protestos de subida estima e con
sideraco Communicou-se commissao cncar-
regada da liquidacao de contas.
Ao presidente da provincia de S. Paulo.
Solicito de V. Exc. a expedico de ordens aflm
de que sejam pagos ao thesouro desta provincia
os premios que porventura tenhara cabido aos
onze inclusos oitavos da serie da 144' lotera
dessa provincia, de que trata a relacao junta
por copia, e que foram apprehendidos em maos
de Felismino Jos de Vasconcellos e Joanna
Baptista Bezerra do Amaral na forma do regu
lamento de 4 de Julho de 1887. -< ommuncou-
se ao inspector do Thesouro Provincial
Ao commandanle das armas interino. De-
ferindoo requerimento do soldado do 14 bata
Iho de infanlaria RaymundoOlympio Paes, so-
bre que versa a iafonnacao de V. S. de 30 de
Abril lindo, sob o. 954, autoriso-o a conceder
baixa referida praca, urna vez que o substitu-
to apresentaoo esteja as con igOes da lei.
Ao mesmo. Sirva-Be V. S. de designar
dous cirurgies do corpo de saude do exercito
para com o da armada aqui existente inspeccio-
naren] no dia 9 do crrente, na escola'de apren-
dizes mannheiros o aprendiz Joao Flaviano Al-
ves de Carvalho-Communicou-se ao edmman-
d, nte da escola deapreodizes marinheiros.
Ao mesmo. Sirva-se V. S. de nomear urna
commissao para assisti- no Arsenal de Guerra,
na forma do aviso do Ministerio da Guerra de
13 de Maio de 1881. a abertura de 3 fardos vin
do da Intendencia da Guerra, contendo panno
azul para o dito arsenal. -Communicou-se ao
director do Arsenal de' Guerra.
AO mesmo Faca V. S. recolher corte
na primeira opportunidade conforme as ordens
do Ministerio da Guerra, o capitfto Joo Justi-
niano da Roi-lii.
Ao mesmo.Sirva-se V. S. de declarar-rae
no dia 10 do correle o numero de pracas de
pret existentes nesta provincia.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda
Remeti a V. -. copia do aviso do Ministerio da
Marinhade26 de Abril ultimo, sob n. 7 0, afira
de que se sirva de informar a respeito com a
possivel brevidade.
Ao mesmo.Communico a V. S. para os
lins convenientes, que o juiz municipal do ter-
mo de Nazareth, hachare! Manoel Cabral de
Mello em 23 de Abril lindo interrompeu por
molivo i.e molestia oexercicio de seu cargo.
Ao mesmoPara produair os devidos effei
tos, remeti a V. S. a inclusa copia do aviso do
Ministerio da Marinha de 24 de Abril Ando, n.
844, relativo ao pagamento do sold e racAes
quejeompetem ao Imperial marinheiro de I* cas-
se, invalido, Joao Felippe de *ndrade.
Ao mesmo.t Ministerio da Marinha de- j
clara por aviso de IMe Abril (indo. n. 644, que
nessa data concede a essa Thesouraria o crdito
da importancia de 148*700 por conta da verba
Armamento do exercici" em vigor, aflm de
legalisar o de igual importancia aberto por esta
presidencia para occorrer ao pagamento da des-
peza feta com os concert- do armamento e cor-
rame da escola de aprendizes marinheiros eac-
quisigo de bainhas de relies e corrame? com-
pletos.
Ao mesmoExpega V. S. suasordens pa
ra que seja despachada livre de direito na -I-
fandega urna caixa vinda no vapor Ville do Otar
contendo cartas chrorographicas da provincia e
respectivas capas, conforme solicita o inspector
especial de trras e colonisaco em bIBcin de 1
do correte.
A referida caixa devera ser entregue a F. P.
Boulitreau. Communicou-se ao inspector de
trras e colonisaco.
Ao Dr. juiz de direito do 2 districto cri-
minal da comarca do Recife. Remello a V. S.
Sara a devida execucSo um exemplar do Diario
fficinl.iU' 21 de Abril (indo, em que estipu
blicado o decrgto de 19 desse mez, pe o qual S.
Mageslade o Imperador houve por bem perdoar
a- penas impostas aos reos desta provincia,
Ignacio, Jos Rosendo Beriiiguel, Manoel Teixei-
ra de Carvalho Ralalau, Joo Pedro. Jos Anto-
nio de Sant'Anna eJos Joaquim do Carvalho.
Ao inspector do Th'-souro Provincial
Mande Vine, pasar, nos termos de sua informa
gao n. 130 de 27 de Abril lindo, companhia da
estrada de ferro do Recife ao Limoeiro a quan-
tia de 2#0i0 proveniente da passagera concedida
no mez de Margo anterior, nos carros d'aquella
estrada ao engenheiro da Repartigr de Obras
Publicas Francisco Americo de Albuquerque
Mello, conforme o documento junto.
Declaro a Vmc que n'esta data sao submel-
tidos a deliberac&o da Assembla Legislativa
Provincial os papis referentes ao pagamento do
restante da des pez i de que trata a sua citada
informagao.
- Ao mesmo A' Joo Lins Cavalcante de
Albuquerque, contractante dos reparos da ponte
de Afogados mande pagar a quantia de 2.00 i*
importancia da 1* presiaco de seu contracto de
accordo cora o certilicado junto, descontando se
afprestagao de responsabilidad?. Communi-
cou-se :'0 director peral de Obras Publicas.
- Ao director interino do Arsenal de Guerra.
Mande Vmc. fornecer ao capitn do. 14" bata
Ihao de infanlaria Augusto Frederico freir de
Carvalho, na-forma das disposigocs era vigor, os
artigos de tardamente, constantes do incluso
pedido. Fizeram-se as necessarias "ommuni-
cages.
Ao Dr. juiz de direito da comarca d-> Li
moeiro. Recommendo a Vmc. que me devoiva
com a respectiva informagao que Ihe foi envala
por despa'ho de 24 de Abril lindo, do 3 juiz de
paz M.inoel Augusto da Costa Rcvoredr.
Portaras:
Os Srs. agentes da Companhia Braxileira
de Navegago fagam transportar a corte por con
ta do Ministerio da Guerra as pragas emai?-pes-
1008 constantes da relagau junta por copia.
O? agenU' da Cumpannia Brazileira de Xa-
vegaeao fagam transportar aS pragas constantes
da relacao junta por copia e bem assim Slaria
Vitalina Vogueira, mullier do soldado Jos Dio-
iiisiu N 'gueira Coinmunirou-se ao comman-
danle das armas.
' Sr. gerente da Companhia Pernambucana
de NavegacSo mande dar pasagem de proi at
o presid i de Fernando de Noronha a Leoni-las
Ferreira de Mendonga mulher do sentenciado
Jos Antonio Pereira c a seus lilhos menores,
por conta das gratuitas a que o governo tem di-
reito. Communicou se ao dioctor do presidio
-O Sr. gerente daNCompanhia Pernambu-
cana de Navegago mande dar passgem de r
al a Pirohyba no vapor que segu para onorte
a 9 lo rorrete, rlhur Machado e Juas irms
por conta das gratuitas a que o Roveruo tea di-
reito provideiiciamlo sobre a volta do primeiro
O Sr. gerente da estrada de ferro do Reci
fe a Caxape mande dar transporte nos carros
r.a m. -nw' estrada por copta do Ministerio da
Agricultera, Commercio e Obras Publicas, ao
inspector especial de trras e c.oionisaco. ba-
charel Jos sorio de Cerqn^ira, sempre que o
servigo publico o exigir, assim como aos empre
gados da dita inspectora quan lo estes apresen-
tarem r quisigao daquella inspectora.
O Sr., superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco faga transportar em
carro de classe por corita do Ministerio da
Guerra, di estagaodas Cinco Ponas a cidade do
Cabo, a eAolta composta de um cabo e dous sol
dados, que tem de conduzir o desertor do 2o ba-
talho de infanlaria Antorflo Jos dos Santos,
providenciando outro sim no sentido de terera
passgem dalli para esta capital a referida es
colla e desertor. Offieipu se ao commandanle
das armas.
EXPEDIENTE DO I'iH SECRETARIO
Olcios:
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
O Exra Sr. vice-presidente da provincia manda
remetter a V. S. quatro ordens do Thesouro Na
cionalde ns. 68 a 71.
Ao Dr. Jos Mara de Albuquerque Mello,
1" secretario da Assemola Legislativa Provin
cial.De ordem do Exm. Sr. vice-presidente da
provincia remello a V. S. para o tira de ser sub-
raettido deliberagao da Assembla Legislativa
Provincial o officio do inspector do Thesouro
Provincial n. 130 de 27 de Abril lindo, acompa-
nhado de outros papis referentes ao pagamen
to da quantia de 2933'> devida companhia da
estrada de ferro do Recife ao Limoeiro pelas
passagen8 concedidas durante o mez de Margo
anterior a criminosos e a pragas do corpo de po
licia.
Devo declarar a V. S. que nesta data autori-
sou-se o Thesouro Provincial a pagar daquella
Suaotia a de 23040 que diz respeito passgem
o engenheiro da reiiartico de obras publicas
Francelioo Americo de Albuquerque Mello.
Ao teneote-coronel Andr Bezerra do Reg
Barros, cornmandante superior interino da mar-
da nacional da comarca de Cimbres.O Exm.
Sr. vice-presidente da provincia manda aecusar
o recebimeolo do officio de 22 de Abril finio em
que V. S. participa haver as umido o commando
superior da? guarda nacional dessa comarca,
atiento os motivos expostos no citado officio.
Ao Dr.Juiz de direito da. comarca de Na-
zareth.S. Exc o Sr. vice-presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. para os fins con-
venientes e em resposia de seu officio de 1 do
correte mez, que o successor ds serventuario
vitalicio Franklm Alves de Souza Paiva tica
obrigado a pagar Ihe a terga parte da quantia
em que eslavam lotados os rendimentos annuaes
dos respectivos oflicios.
Ao director do presidio de Fernando de
Noronha.~0 Exra. Sr. vice-presidente da pro
viaca manda declarar a V. S. para seu conheci
ment que na petieSn do sentenciado Manoel do
Nascimento Vieira da Cunha, sobre jue versa a
su inforrnaco n 122 de 30 de Abril Indo pro
ferio hoje o seguinte despacho :
" N-> pode ter luga' o qn<> requer o mpp'i-
caute.
EdiUl :
Por esta secretaria se taz publico .qucu
Exra. Sr. vice-oresidente da provincia, uefenndo
hoje o requeriAento da Baroneza de Amaragy
reaivir. qw. seja do IJD dias o. praso marcado no
edital di JO Abril ulin^fTWa a- apresenta-
gio de propostas referentesli tundago de lien-
gentos cemraes nesta provincia, na conformida-
deda lei n. 1971 de'Si de Margo anterior, con-
tado o dito praso daqueila data.
Primo e J iao Ribeiro de Oliveira. Informe a
Ia secgo.
Antonio* Silva.A 1* secgo para o- devi-
dos fins.
Fernandes v Primo.Junte conhecimento de
quitaco da decima relativo ao ultimo semestre
DESPACHOS DA PRESIDBXCU DO DIA 21 DB
MAIO DE 1889
Elysio Amancio Gomes de Mello.Informe o
Sr. inspector geral da Instrucgo Publica.
Gerente da estrada de ferro do Recife a Ca-
xang. Deferido, com 67 passes remedidos
nesta dala ao respectivo engenheiro fiscal.
.Secretaria da Presidencia do Pernambu-
co, 22 de Maio de 1889.
O i'orteiro,
F. Chacn.
Repartlfio da Polica
2.* scelo.N. 518Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 22 de Maio de 1889.
IHm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram hontem recolhidos Casa de
Detencao os seguintes individuos :
A' minhaordem, Manoel de tal, como aluna-
do, at que tenha o conveniente destino.
A' ordem do subdelegado da freguezia de
Sanio Antonio Joo Francisco, como, vaga-
bundo.
A' ordem do do i" districto da freguezia de
S. Jos, Manoel Ferreira da Cras, por disturbios
e uso de armas defeza.
,' ordem do do 2 districto da freguezia da
Boa-Vista, Silvestre Rodrigues narrozo. por dis-
turbios.
O cidado Manoel Antonio Ferreira Gomes
communicou me ter hontem rea.sumido o exer-
cicio do cargo de subdelegado do districto de
Belem
Commuoicou-me o cidado Sebastio do
Reg Barros Brrelo ter na qualidade de 1 sup-
pleite assumido o exercicio do cargo de sub-
delegado do districto de Beberibe.
Deus guarde a V. Kxc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leao,
muito digno vice-presidente da provin-
cia. O chefe de polica, Adolpho de
&i(mtira Cavalcante.
Thesouro Provincial
DKSPACH08 DO DIA 22 DE MAIO DE
1889
1 s Candido de Moraes e Vctor Prxedes de
Mello. Haja vista o Dr. procurador fiscal.
I). Mara Umbelina do Reg Pontes e Jos Joa
quira Sainarcos.Informe o Sr. Dr. contador.
1). Francisca Seraphico de Assis Carvalho e D
Francisca M.iria da Annunciago. Registre-se e
fagam-se as devidas notas.
D- Generosa Maria da Conceico. Certifi-
que-se.
Antonio Lope da Silva Campos Informe o
Sr. Dr. administrador da Recebedoria Provin-
cial.
Antonio Menezes Cysneiro Baudcira de Mello.
Ao Sr. Dr. contador para fazer as devidas no-
las .
Officio do inspector geral da nstrucgo publi-
ca relativo a Maria Julia Monteiro Lopes. Ao Sr.
pagador para os devidos los.
Reeebedoria Provincial
DESPACHOS OO OA 21 OK MAIO 1S 1889
Lucinda Plulomen i do Nascimento, Ernesto
? Leopoldo e JosJ Barnoza Cordetro. Informe
a 1 seceo.
Man m da Araujo 4 '. -Dirija se ao TUesoa
ro Provincial.
- 22
Joaquina Maria da Conceigao. Fernandes
A consplraco
(lia cidade do ilioj
Nao ha um anuo cousumou se o grande acto
da iniciago democrtica de nossa patria, contra
o qual o Sr. Paulino de Souza erapenhou todo o
prestigio e nao hesitou dame da compliridade
nos maiores attentados vida do cidado e aos
haveres do Estado. Or^ulhoso e odinto, 8. Exc.
nao se penilenciou do seu crime; ao contrario,
raivando vinganga, entrou ua conspiragao contra
a augusta ex-Regenie e ameagou as instiluiges
pela inercia apparente que era na realidade o fo-
mento secreto da propaganda revolucionaria.
Nenhum acto, nenhuma palavra atiesta a mu lau-
ca de disposigo e de principios da parte de S.
Exc. O Novidades, ostensivamente encaminhado
pelo Sr Cotlho Bastos, apadra o sentimento e
as aspiragOes de S. Exc, seu chefe.
O negrero fro, impassvel, tenacissimo de
1871 conservou-se intacto, com o seu perpetuo
sorriso de Salaoaz, em hora de tentacao, sob o
3ual se sent o ranger dos denles no ruminarda
esforra.
Nao obstante, os liberaes conduiara-se clandes-
tinamente com elle e o elegem o delegado da sua
contiaoga o fiel da balanga que deve pesar ouro
fio o nosso destino.
Insistimos : o que. est por detraz d'es*e ho-
mem impenetravel, que paira sobre o senado,
lgubre e lvido, como enorme fogo fatuo escapo
ao cemiterio da escravido ?
A que veio. que aspirago representa, que si-
tuogo depe?
Pelo que diz a Tribuna Liberal, veio presidir ao
tribuual dejustiga que devia julgar a probidade
do rajoisterio; veio exercer a austera magis-
tratura da opiniSo parlamentar contra um deli-
quente de lamentareis abusos administrativos.
E' a suprema arrogancia do impudor poltico.
Os liberaes vtstiram com a tnica de Salouiao
o amigo intimo, fiador e patrono do Sr. Belisario ;
o hornero que foi apanhado ero flagrante delicio
de testemunho falso, quando affirmou que o ex-
ministro da fazenda do gabinete de 20 de Agosto
rto se havia hypolhecado ao Banco do Brazil no
dia em que foi apresentado corda para aquelle
cargo : do e\-ministro da fazenda que franquciou
o thesouro nacional e as tbes^urarias e fez o arbi
tro de nossa praca. o re su'ador do cambio, um
seu ex socio de um syndicalo desgragado ; do
ex ministrada fazenda que se negou a explicar
ao parlamento o segredo das negociages de era-
prestimo e sahio do governo, deixando como ves-
tigio da sua lisura administrativa a verba de dif
trenga de cambio onerada em dez vezes mais
do que pedir e o cofre desfalcado pelo paga-
nento de porcentaeem de dinheiro, que o Estado
:)&"> receben.
Alm d'isso essa ausleridade de Themis ergui-
da speclralmeote cabeceira do tribunal, reuni
do as antigs cavallarigas do Conde d'Arcos, o
mesmo protector desabusado que propulsou o
gabinete passado a conceder Leopoldina urna
parle da renda da estrada de ferro de D. Pedro
II, e que vio e uao respondeu alluso pungente
do Sr. baro de Cantagallo, denunciando ao pu-
blico intervenco de prenles seus para a cor-
retagem da preferencia na compra da estrada
d'esse nome.
Do seu escrpulo poltico d arrhas a intimi-
dade administra-iva com o Sr. Coelho Bastos, que
se declarou doentc incuravel para fugr a m-
commodo da relaco do Para, continuando entre-
tanto a receber os vencimenlos at se declarar
sao e perfeito no dia em que foi chamado para
desempenhar af fimcgOes de chefe de polica
d'esta capital.
Solidario poltica e administrativamente com
o gabinete Cotegipe, o Sr. Paulino de Souza deu
provasde inquebrantabilidade do seu carcter
e da inteireza de suajustiga, preterindo os ho
mens de talento c aquinhoando o Sr. Belisario
cora os sacrificios e os serviros inestirnaveis dos
Srs. Andrade Figueira c Ferreira Vanna ao
seu partido.
E foi em nome desse passado, que riu s an-
gustias de Rio Branco, ferido no seu coraco de
pai: que rebaixou o parlamento a eito da fa
zPnda; que negoc u com a situagao liberal,
trocando pola escravid&o a tradigao de inflexi-
hifdsde do seu partido" roduzindo-o s prooor-
ges de um asylo de mendicidades, que enver-
gonha ate' hoje a historia parlamentar ; e foi em
uorae desie passado que esfaria em bjpotbeea
a 3 o termina p<-lo Icilao eleitoral da cora;
noi quem d mais da indemuisago e da rep-
blica ; foi em nome desse passado que os libe-
raes escolheram o Sr. Paulino para lirmar o ve-
redictum do jury, que tinha por lm conaeranar
o Sr. presidente do conselho pelo crime de nao
ser to moral! ado como o illustrc ancio da
Illia de Flores eda questao Agr como o ve-
nerando estadista do Banco Nacional, liquidado
em fallencia culposa, como o ex-advogado da
companhia Botnica! Garden, como o estadista
Leo Velloso, como os defensores de Francis
ca de Castro, como o immortal biographo
por Silveira Lobo, como o dignissimo ex
redactor da Egua. no Rio Grande do Sui, com a
sua tropa buclica de burros magros e gordos I
O org3o liberal dissimulou visivelraentc o ver-
dadeiro fim do seu partido.
Por mais crdula que seja a opinio publica
deste paiz, a sua crednli-lacle nao p le ir at o
ponto de aceitar o Sr. Belisario, como juiz da
moralilade administrativa de ninguem, e entre-
tanto foi S. Exc. nom-'ado para este cargo, no
dizer da Tribuna.
Nao uo foi um tribunal, que se reuni para
julgar o ministerio 10 de Margo ; sabbado cele-
brouse a primeira sessao publ'uvi de urna cois-
piraco, que, ha um anno se trama, as trevas,
abalalla como um brazido sob um ciuzeiro, e
que hoje exposto ao pampeiro da opinio para
que as suas ruadas ateiem a labareda. que tan-
to se prestar a qneimar o throno na fogueira
da revolugao ; como a ensinerar arevolugioao
sop do throno.
Quem corapareceu perante u sena lo foi a paz
publica, representada ueste momento pela cora,
e em vez de sentenga ouvio a proposigo desse
dilcmma sinistro de estradaou a bolsa ou a
vi,la.
Vamos demonstrar..
A crise poltica actual, ou acaba pela capitu-
lacno do imperador, ou esbarra na honra dos
seus autores, se com elft'lo elll's se reuniram
seriamente, o que contestamos em tribunal de
probidade.
Sipponhanos aue o imperador capitula.
O p.icto ha de expellir por brea Uin traidor
O |fanido liberal' d o Sr. Pauliuo de S nu i
co::io indicado a c:orda e S. Exc. man',
suas ideas, sustentlo pela alliaaca e Dessa
cas o< liberaes confessam que, rvmu liara a lei
de 13 de Maio c que s qneriam um carcter
para a liaiisacg-io inf.ime da inde nii-igo.
Ou o Sr. Paulino de Smza nao foi io cadeira prvsi leoc I do senado seno p-jra iudi-
car cora os liberaes, com o ;.eu proraaima,
com a sua solidariedade de 13 de Maio, e aeste
caso trabe a sua faceo e declara publicamente
que nao ha compromisso, que nao ha idea, que
nao ha partido, que vaina a satisfagao da sua
vinganga pessoal. E' apenas um gato morto.
Em qualquer dos casos, para o acto do senado
ter consequencias polticas definidas, preciso
que um dos dous amados se deshonre, sob pena
de recomegar a luta, nos mesraos termos, com
a mesma intensidade social.
0 momento efe discusses bysantioas; de
decises promptas.
A falia do throno p-ojecta a nova constitui-
go brasleira; va: do municipio at ao Estado,
vai da bolsa at a f.
Que." tornar '.udo estavel desde o meio circu-
lante, at a relago das almas com Oeus. A de
mocracia, julgando-se erapossada do seu direito
de cidade, quer aguerrirse do modo o mafs in-
vencivel que ella conhece, com a eterna arma
de Anlhreua trra.
Os demcratas na podem ceder, porque a ex-
periencia Ibei prohibe confiar.
Vasando, pois, a situagao prsenle, no molde
da moratidade poltica, o que resultara5 A
mesma posigo. 0 Sr. Paulino nSo pode dar tu-
do quanto os liberaes pedem, porque tem de
descontar o grande quioho reclamado pelo es-
cravismo; os liberaes nao podem ceder quanto
a democracia pede, porque devem urna parte ao
Sr. Paulino. Concluso lgica e fatal: impos-
sibilidadc absoluta de conciliagao.
Estabelecida uestes termos a crise, qual ser
a posigo da cora ?
Examinando a attitude do senado, o impera-
dor v logo a sene de araeagas comida no acto
de hontem.
Em primeiro lugar a invaso de attribuices.
0 senado arroga-se o direito de julgar un mi-
nisterio, sem a pronuncia da cmara dos depu-
tados, juizo privativo da instrucgSo do processo
Chana a si o direito de amnistiar os que elle
mesmo Senado reconhece culpados. Sut-stilue-
s<" ao soberano oa prerogativa de demittir os
ministros; annulla a cmara dos deputados
suspeitando-a de connivencia e cumpficidade
com o ministerio, o que importa na diffamacao
de um dos ramos da assembla geral.
Finalmente impe, por um pregio deignono
mia, a dissolugo da cmara usurpanda>ela se-
gunda vez a liherdade da cora
Em urna palavra, pelo acto de sabbado o Se-
nado empossou-se dos mais sagrados direito?
da soberana; cencentrou em si todos os pode-
res constitucionaes.
A propria maioria confessa : demittimoso mi
nisterio, a lgica, raciocinando coaclue : dissol
ver a cmara, pela suspeigo de connivencia.
Nao pode flear impune o co-ro, quando, at sem
forma de processo, inflingise a pena ao prin-
cipal aecusado.
Ceder ao senado, era taes circiuBStancias, se-
ria o mesmo que abdicar'o poder moderador ao
Senado; deixar-se despojar de todas as prero-
gativas constitucionaes; substituir o equilibrio
dos poderes pelo~ captiveiro a urna convengo
vitalicia, sem patriotismo e sem escrpulo.
O voto do senado, visto atravez dos commen-
tarios da imprensa liberal alnada tem todo o
carcter de intimago formal, que a attitude da
maioria colligada da cmara dos deputados au-
thentica.
Reconhecido o numero constitucional para a
abertura da assembla, os opposicionistas ne-
gam-se de fazer sessao para, avu fumando a pre-
ponderancia do senado, furtar o seu voto sane
gao dos representantes da cmara popular.
Nao temos necessidare de fazer suggstes
dignidade do imperador, ao ver assim encravada
a machina representativa da nacao.
O mechanismo constitucional est visivelmen-
te alterado pela cmara vitalicia, que Ihe fechou
a vlvula e contina a carregar a caldeira da
opinio.
O senado est praticando abertamente o cri-
me de conspiragao e impedindo que o poder pu-
blico, por coaego, possa exercer as suas func-
ges.
Nao um tribunal regular, que sentencia,
mas um ajuntamento illicito, urna faegao que
3uer exercer a sua autoridade em detri n-'Uto
as leis.
A Conslituigo s reconhece a assembla ge-
ral quando esto funecionaado as duas cmaras,
nao admitte que urna delibere na ausencia de
outra, e e senado, aproveitaado-se de urna cir-
cumstancia fortuita, impede a reunio da cma-
ra dos deputados, apressa as suas deliberages
na ausencia della, e iutima a cora a que obe-
dega no seu voto o da assembla eeral.
A usurpago de poderes palmar, a coaego
criminosa 6 patente.
Como circunstancias aggravantcs do atienta-
do concorreu: primeiro o estado de uperexci-
tago das classes poderosas do paiz, que. des-
apossadas do privilegio da ociosicade deshuma-
na, a escravido ameagam, revolucionariamente
as instiluiges; secundo o estado valetudinario
de imnerador; terceiro a sorpreza por meio da
cr.icana parlamentar.
O senado eenverteu-se, pois em sede de anar-
chia, com prejuizo da evolugo econmica do
paiz; com sacrificio das classes aboriosas, que
j experimentara, na oscillago brusca do cambio
os malficos efliitos da antipatritica conspi-
ragao.
Pode a coroa obedecer intimativa do sena-
do? Resalva, cedeodo, a dignidade do poder?
Garante as instiluiges capitulando com o blo
queio parlamentar ? Col lo -a a dynaslia a abrigo
dos vendavaes dnsencontrados da opinio? En-
tender o imperador que cerceiada a prorogaiiva
imperial, comer se-ho todas as exigencias re-
volucionarias? Acreditar que a nagfio inteira
se submeltera autocracia senatorial ? Pensara
que patenteada a impossibilidade de resistencia,
o senado se circumscrever rbita das suas
aitribuigus e a nago se resignar a ser gover-
nada por um Jdelegado norainalmente superior,
e que na realidade est prohibido de exercer a
soberana?
E-tas inlerrogagoes nao visam seno a definir
claramente a situagao.
Nao queremos como o senado acaba de faxel o
obrifar o imperador a s"ntir sobre o coracio a
dor que rumdhou o leo moribundo.
O no?so intuito insisti lo nestas interrogaces
loi compromeitermo nos a maiores explicages.
Por um acaso providencial, o senado obe.de-
cendo ao plano-da conspiragao. em que o estado
de saude do imperador entra co no principal
elemento, apressou o combate, em nom do ej-
craus.no revolucionado, cora que se decla-
rou solidaria coiu-a regencia no repudio es-
cravido.
Julgam os conspiradores que opportuuo
fazer j um reconhecimento parajpor em prora
a vltalidade iKipnlar das instiluiges pois que ha
um aun trabalhou por impopulansar lodos
(uaiiios toniarain parle na abo igiio e prin;ipal-
mente a princeza, que au laeio-am. nte larou com
a coroa a balanga a que tres seculos de iniqui-
dade haviam llCrusUdO una das conchas, impe-
dindo que da outra se lizesse sentir o peso da
civilisac.i,. bnisileira.
Demorar o assallo, 1aria ensr-jo a que a re-
IVaccao natural da historia livessc ti-ado u ca'.or
do odio aos p ralas de-alojados, privilegio de
*aqueio alma e ao suor de urna raga e a lionra
le una na loualidade.
O lerai o mcllior dos tnbunaes ; so elle
aoroxiuia ilo absoluto a relalividade natural da
justigu humana.



t

'
t



. '
_
_


,'




<-'-.

Diario ^de!5PernambucoQaikta-feira 23 de Mak^de 1**9
Mi odwsao, que dan rirtameo-a X"a*y
eumoacias coaa-- ate nu'i ero>*st
do modo seguate :
Rio Grande do. Sul .
Minas (ieraes .
,rfioya*eMaito Grosso. .
Baha.......
Amazona-.....
"auhv......
S. Paulo eiio.da Janeiro.
Paran ciSanta lialbaiina.
Pernambuco e Ccar .
Outraa pcosincias -
A industria pocuacia < ilie
'
Maislarde,quaido os nvoscidedaosdhassen)
para tudo quaiilo occornm antei xkxrprimtm
annos ilepois da aboligao, elles reconheceriam
quanto devem a essa princeza magnnima, que
se despojou do Mtfuturo em beneficio dos mal
desgrasados de-aewcotnpatriotas.
No momenta.-aMBUito pelo clamor deseneon-
trado da opinio, que afiirma e nega a enormi-
dade do sacrificio feito ;xr essa heroina-martyr
da liberdade nacional, nemlinesmo a unanimida-
de dos beneliuadMi a soUtedc daimij^ni
pode ser conta* ch reaBrnatetleoawra.
Alm dissa. os oaipiartoreaMibenwq
passado tenant ai l verdadciru riici soarifnimterna'taiidaaal f
creada .peloaa^erio.
Tudo esta'por fazer.
A aboligaaaaua
ser vivificdmelo*
mercio e indMriaipna*rant'' tra-aatorraa--'
cto do barro waprnisaaaamunto IheofMM
advinhar o i mccirrnainento.
Dulii essa especie de increJulidade que eiva a
esperanca e que desinteressa o doto pela 6orte
das inatituises, que ello nao abe se mantero
firmemente, ou se renegarao do futuro o com-
oromisso de 13 deMaio, como j outr'ora liieram
iii nr n r -*"-
EfA indifferetica relativa da opinio fortarace a
audnaia dos Hispir lores.
" E^eate o segredo do senado, que se aventura
i tamertnitwnre ade6afiar a coroa, eamtimal-a
aAspiar se da prcrogarita de aomear e de-
-mittar livremente os-seus Ministros.
No bello formulado |>ela cowspiwcao, S Ma-
gestade pode -surprotronderqnaes as adhesOes.
.MmqueeWacoDta. Be-neque uraaelasse se re-
voita, por preclpnaco oo por interesse, a im
renga, ou a tribuna revolanonaria faz imine-
ratamente sua a causa era questo, por mais
injustos que sejara os protestos e mais inicuas
as exifpMCias.
Se o governo npadrta pefei nossa moeda es-
.traageira, imptdindo que.o Tltcsonro seja avie-
tima "'ptirpotaa da espemticao de cambio; se
Haoa*feeebftr|>or 8*9quillo que mercan-
tmente/tem a valor de 8'75o; se nao se pres-
ta-a e*ecuiar nina le, que OTccalquc dens'
titaicOes' ctvditorias comlnnoadas.cam a. da
piuralidijdejlos.baocos de euJissao'julgattdo-se
a id*ntfWad dotfavoreifo apenas pela exhib "
jando capital; diz aaotspteagao oi em snta>'
^LprejWado-oTOii)mprcio; est detando
*#yawe8 eeaneimea do. Estado ; sao governo
pede na-'i-'ra tira que ella, comprinda a le.
strua as.suas seote.igas, para qae nao sefa
po9ta-enrt(uda pela opLiiao e irapecabilidafle'
da justica ; a conipiraco clama que o govrc#
esta invadmdo o polar judicial; se promove a
lmigrnco e os methoremenios materiaes, a eon-
spirayao brada que se esta alargando a sara
do favoritismo : se tunda mstitutos e asis(eo-
cisf/)ul)lica e de-eduracSo, e pbios de iniUtapes ou adrle -desvalrda do ope-
rario ; eenapirscao lrt>veja, qae se8ta espi-
cntendo'com a-miseria e militarizando o paiz ;
. traafcnente, sc-a piedade imperial desee ao gal
da escnavfdao epretendt. germioar^ielo.perdo
a' alna eabriortaria ao.oadmnado captivo ; a
coaspitacio vocifera que eestaoirecrutando
rattleias nejo-as para o !:io ha auto poi maii patritico, por mais hu
aafariQ quciTifto. liqoe cofaerto de lepra, e de
escorbuto j posto m contacto cornos tralicantes
da opirnao. qnc itcpois -la pintara en derre-
dorAo.-"beri,,ii>, na phxase de Salles Torres Ho-
mem, efcerceu .agora a piratania poltica era der-
redor do um tmulo, e aanm uno outr'ova rou-
bavam seio de. Dous, temara a^-ora saquear hen-
eaos no crvspolo da prasperidade.
o no9so moda do. entender o que est soba
."sentenoa tumultuaria An seoado nao com'6
.lfe diz. atnoralidade.de um ministerio, unte a
dignidade de um reinado.
coctrando alguma facilidade no mercado por
v(Ti fazeuda; as quaes test inspirado con langa ao
commercio, que n'uma parte muito importante
fez I he urna significativa deraonstracao, que im-
porta o fortalecimento moral dos planos d aquel-
le funecionario em opposic4o ao agio da mo in
fiduciaria.
Fizeram-se na praca descontos de 10 e 11 */0
em ouro e era papel. Os Bancos officiaes man
tm 0i fpfiuzido s|lini
apiftarme.
OaamuibiM teaMpaAaaaVaMmadoiawaamio
4eiifto
3. HMM.MewbrrtriB|.i papel, e cskre bon
raepooduatwia prr
o.
QmmiamLeamm awatorar. Aaaporta{iP
tendo a colheiu do milho dado resultado mui
vantajoso.
Segundo um calculo estatistico do Jmtial do
Agricultor oossue o Brazil rebanhos da raca bo-
wi aaiMuMi ili8Miiai"
I,
reprtalo pelas Broncia
iiiPmlPTMiv Haaiqwir o escai\artliramia
Fifirtr*"^ a voMapglBidas ccilnt e a
IIM4aNMrafc*0S MMptfOSMM-teuAOS :
Vna mrttadaMRn MOOwsoiHitos ju-
raeMpie wcaaaavdaipncer:
Aenaww ro.Baeeiraf -Awra.
AaapXRo Balrhwli MiwiHl'iliBeiliu.
Antonio Jovino da Fonseca.
Carlos Halliday.
Teuente-coronel Francisco de Miranda Leal
6eve.
Hermillo Francisco Rodrigues Freir.
Hernies Dias Fernandes.
| lili l%Miii'wrMN'"tal
Un..loa Curios Ualtliasar da Silveira.
i,000(0
/WD^OOO
!l,49,000
1,000,01)
"?,flBiyMO
1,000,000
1,000,000
1,000,000
1,800,000
nos, porem, sera
embargo do algarismo indicado, ra deploraivel-
mBntetdeseutada.
O Dr.'Baphal *Iarros, em artigosa re.^neito
(Jistiiiusaunplo^deraonstr as vaataxonslo des-
ennolvHiiento deitu ndutria e a .ircuitaique
dalla atUira aet&Mdo.
NeM Pidu.-lia.inuito adiantada est a Kpu>
kiaca AigDiuam; sendO'que oseoimues na lie-
ubtiuaeiitaiai(]rafKiay; sito denudhor qna-
dde pelo ^ue a industria de consurvaco de
nenies tora -ueste lisiado1 maior desenrolvimnlo
do tpje aquelle.
itA mataaga do fado-n'esse Jotis ritado-j Esta-
dos, no eorree d*nrieiro9 semestre dosianr
bus de> IH^afilHrpde-apreciar se pelo* se-
guate' dados abatidas :
Anno*
l8o
"J886
1887
18HN
Buenos Agres
14^.500
IM.000
30.000
180:000
itontimito
7*3.700
714^900
368.500
'733W0
Dr. lUaxedes'GeaPBB de Sonea Pilauga.
--A-recita total a campanilla, dos cnininlios de |oms Marques Verneira
ferro pojnugueaes dorWorte -Leste i. 7o7:ildi**B8 no annmliiido.
A companhia preteiide>'etabeleeer bilhetes de
Lisha para, Bordo.iuKe Pariz cora (lurai.'o de 40
dias. Os passageiros poderao:assim demorut-se
em Madrid, Escurial, Burgos, Bayonna e Bor
deaux, distando os batirles uara .este ponto,
guaroadas clarees, 40680,-((KJMO e.-t >;.
e para *ariz 63iiiW, 4(i*i>80 e. :tlMJ0.
a visinha comarca de Goyanna, qu* paese.ca*4aas.paJavras que dirigi ao beoecLado poroc-
ca de noventa eogenbos, ao paaaa i
(tamb tem um numero mais limitado.
A'vista dos motivos allegados,
presente resolocfio
Oortla ofierta.
iras vezes tem esta cidude apreciado taa
a na qual se vio a meiaer sociedade, de
ttpaaarttwa Sr. Euchdes Fonseca estar bastante li
Palacio da 'Presidencia de ParnambaccHai eagaado com o preito que reeafaeu na noite de
Mato de 1889.Ignacio Joaquim de-S*utl do Jury do lu-cir*-< Nao aarem lo bpm coroados os seus esforeps.
Mervicu militar- -Esto designados para
superior do dia hoje o Sr. capito Pedro Velho,
pode ser iostallada honlema 3* sesso deste tri-
bunal por haverem comparecido apenas 7 juizes
defacto. _tm _
qua aaaaaa do MJaaveaaaiAndaede, itpaesideaMe
(a^iaaaataa) prtaaaaonaiaablioak fir.Naao *m
loo Fraacisco de Otiveira.Santos.
Tenente-Jose da Cruz Sautos.
I Joee ioo derAMOrim Jnior.
Tenenle.Jet CarnerraMaciel do SiJva.
Dr. Maaeel do Nascimento Machado Portella J-
nior.
ManoeliSoraes Ferceira de SatLeito.
Dr. MlruW A.- Tlieimi.io I, -ssa.
O/; Mmoe4 Caetano Albuquerqno.Mello.
Mjaoul da Costa Albuquerquo.
Maiiu*.'! Romo torreia de.Araujo.
Salustumo Fraocisee Martin-.
liBo Alvos Aro xa.
-i Foraa sorteado**s segaintes supplenles :
Fregutzia de S. Fre Pudro Gonptlves
Alejuwdra Ainorii'o de Culilas.J'adila.
Beujamim Ernesto Pereira da Silva.
Jos VaustiBO Porto.
Freiitaui d&SuUfrMintmu)
Matioel.-Cdac Dias.
Joo Baptisla C.moa I vos Lima.
Afaaoel H.-nio de Mello .lomes.
roorisooi luiratio Jos Alves deBouza.
Maoael Antaniu Leite.
Jos Klia*'de MoBra.
ABtonio BernardoQuioteiro.
Fregitezia de>Q.Jos
Liberato Tmrtitio. de-Miranda Maciel.
Aiaueel Neto Garoeiro Cuatpello.
iManoel Bodri^uss das Neves.
FngutMiada Ba-Vista
Thoaraz de Aiwino JAudeiros.
Jos Roberto Galeno Coellio.
tir. iodo Alfredo de Freilas.
Aufru-sto Pinto de Lomos.
.Manool FraneisoeFragoso.
itioilofredo de Abreu e Lima.
iltoroo
al-
XI |
pelo
aaaaarata-
ronda memaua
A guarnicao ala xi
talbao de infaataria.
Na enfermarla
48 pra^s.
(Foi iiiiimlado .'dealiaar do 2 batalhaavcW aafaataraM
Qui.itino daaa Saajaaj q
na primer'ajaaajBBaMBjdaiai
batalho aaaaaaaiBaaBavna
lense.
Foi mandado comparecer a delegacia do
corno de saude afim do ser irvS4*ectk>i sargenteJoaquim andido de 'Castro Marques,
do 27 batalho de iofantaria.
Tem de seguir para a corte do imperio por
ad-
e res
cra-
-se
er-
batalhcio^e HifiiMiariai Jo*o Jos da-Rocha,
l r Urea enUeaTev lagar ante-hoatem
nesteicin o i-espeettaciilo anniiBeiade-cra-nene-
ficio da Soci9daae Nonleo Artstico-Instructivo.
A concurrencia foi grande, e oaarttstasique?
tomaram parto ueste Ix-nc-ltciii, porfiando, era
earresponaer.-i esneetaliva 'uelles iepoMlatla.
saliiram-e perfaitaraeote- fcem -no desempenho
de-neaa'.iliflksis-ie arriacados'itnaBaioos, sendo'
mui appkudidos o chamados "a seena- diiersas
viie. O Nene asiere knpagavel.
, Dorante c-ominissao da inosraa Sooiedade o diplons de
socio ao Sr. Honorio Palacios e amdiado'tDilet
aisua KKma.. eaposa.
Para hoje d-nos a rompanliiu un variado es-
peota-ulo a-favor la Jn(ae*ie, benclkenie Mon-
te Pi copular .eraamboaano.
rerlannn< leve -Hontemuis-4 horas da
kmte rwesquina du roa das Floros, provinio a
iirua'taveimalH esiElonli', os vagabundos S'ibas-
-tfa irVrreire da RMtfl o Martinho-deuta) travaram
luotasaliindoo ultimo com um feritnontona afi
be^a, proveniente de uu oacetoda queihe dera
o primeiro.
iA -nolkiacomparoceii mnied!:i-i!iioriti' ao lu-.
ga* uondelmto.ieprHKle' olen-oi-
- Utrtuftt+m dM Mfraui -! rnrrvn
ni di iNaream de Peruambaf*-mec"
"o. M-dniMa8-doilel89.
Uololitn weteoroloiriro
i n
REVISTA. DI \ RA
Nao'pretendemosi nam nor-odie, nem por vs-
tima coagir a prerogativa> imperial, qae se le-
*re.exefCer vrememe aaespiera da Constitu-
cao.
E* cbgado o memento do Imperador ser o
sea pretiri couselbeiro. .va Magestade preri-
sa.c-tfisr dentro de si oiesmo, na niviolabili-
lade da.sna consc-nca e da-.s-ja autoridaile.
.Depende i'randimente dessa decisoonem
eBatf4o paiz. Sna Magestade vai dizer sobre o
pundonor da djnastia e.sobre a paz pubUea.
A-qoestio lenoje a raesnia de hontem; es-
tSo1 frente a- frente os metimos belligerantes, an-
da qoe no ampo opnosto SuaMag'asta'ie veja,
branqin-aud entre as.camisolas vormelhas dos
conspir.Hlorcs. o unrfOrnie^raneo doabolkionis-
mo.
AnossaliistAria-recua para totes do. da i 3
de Maio de 1888.
^A' aanageda, SuaMagestadu a, sol o com-
raando do Sr. Paulino, o mesrno qae commun-
dea em J871 < eu 1884, as l'on-.is alliadas do
. escraTpsujo. em haialha isimpal oontraoabDli
ionismo.
Como processo do govi'nio*xh:lifm os Ircm
os cas 5iralieiras os rmachados e as ronias de lychamonlo : a
moeila inf nnmile do apn-ramento di caberas,
as tesiemunlias falsas do crime d; acouiimieoto
do escravp, a urna fechada loierantemente ao
pavo ; as nasalhas e os racotes dos capangas.
amanta de carne secca podre; os cofres em
que reooiliiam aaalaria roubado ao IraLalliador;
criaaoas de ilous aBnos pollulaae om sua vir-
gindabe, uiullieres negras, miaetai Amazonas
m os scios virtualra nte amputados para os
lilho. porque o leite a sagrada sxr.reco da mn-
ternidade, devia sor convertido eni perolas para
o-collar das sonhoras. O seu-acamjianiento s
tea; unas s^hiaas jiunaa para aseiuala e-oulra
para ;it pals o s escoras.
Em. torno Sua Magcalade vo o eserto; o saf'
e a samliaaibaia comoremaneMiente da oullura.
Passa a'.ravo,- dadle a estrada ufe ferro, mas pelo
90Ba olla vai inane como um phtysico a lossir, c a
'ongelar o habito na frialdade da morte.
A' din-ita. s:i, na anal ida v, sob a direccao
'le Sr:Joao Ufredo. as ferias alliadas do abol
cioaismo,onde s, lia homens. que j estivuram
no outro campo, lizeram peniloncia publica do
sett>erro c jurarara resgatar o pane pelo sa-
crificio de lodo o futuro. Os domis alliados ate
homens que irun-a pedirain a sua magestade
senao odiem publico; homens que s lera um
.interesse': a n!ahd?de da demoi:rocia,o progres-
so da ordera e ordem do progresso.
' lia apenas uai ;nn qae esses homens se reu-
niram e em ln curto eapact. de terapoi denois de
destruir as escuras, bastilha infame do escravis-
djo, aagmenlou-om milhio de homens apopula-
co laborioso da patria ; fuzem elTectiva a renas-
eenca nac-onal. Ahi estoeraiio puhlico como
teslemiiiilio; ah esta aancia do commercio pela
eonversao do -uieio circuanlo para attestar a na-
va orientaro eoonomica do paiz; ah esta o
augmento de iraportaso para demonslrar o me-
'horaraun-to fas condicr^ do trabalbador, e com
ella a exporta^o1 para authenticar a continuida-
de do trabalho : aoi esta o augmeuto da renda
das estradas de fierro, e o desanvolviraento do
pequeno commercio para attestar o deadobra-
mefllo da* energa nacional.
Apezar de todas as ciladas. de todos os inci-
tamentos, a paz evidencia a justica da adminis
trago.
O povo tem a agradecer-Bie a especial solici-
tude cora que se crcaram asylos para creancae,
velbos, invalidoe ealienados. O desvalido que
traba por agasalho a sarna e o insecto nausea-
bundo ; a carranca do viga e a desbumanidade
de trato, hoje lera o amparo do livro e do cari-
nho, o conforto do a b c e de Deas.
Neste esboco tem sua magestade a synibese da
moralidade de ambos os belligerantes.
Escolha entre ellee, certo de que decide do fu-
turo.
A deciso de sua magestade nos dir se a
mouarchia quer voltar de 1888 para 1831, da
abolcio para o trauco; i u se quer seguir digna-
mente o caminho da democracia, o orneo provi-
dencialmente aberto para povos americanos.
FIVAMJAS E COMMERCIO
A Revista Commercial, de Buenos-Ayres, de 20
de Abril ultimo, diz que as transaeges no mer-
cado de. im|>orta$&o foram nm pouco mais ani-
madas na quinzena, nao havendo alterucoes
a awignalar nos preyos da generalida-
de dos artigo*.
Os assucares refinados lograram uma alya no-
tavel, em repercursao dt que experimenlavam
nos mercados fraocezes.
As operages de descontos activaram-se, en-
ioNefflbla Provincial Funecioiiou
hontem sob a pnagidacia da Kxin. Sr. Baro
de llapissuina,-4endo comparecido 27-Srs.- depu
tados.
Foi 1 ida o sem-debate atJpaovada a arta da ses-
sto aatecedente.
O Sr. 1.secretario procedeu leilurn do se-
guate expediente:
l'n? ollicio do s2cretario do governo, enviando
copia de nm officio do Dr. chee do-policia, e
jautamente ao do auto de exame e autopsia a
que se procedeu no cadver de Manoel CaelaBo,
fallecido na cidadedeBezerros, e do respectivo
inqueriio policial.A' quem fez a requiro.
Outro do me sino. traasmKtinuo por copia a
informaoao do Dr. chefe de polica acerca da
norte de Maaoel latano na rulado do lezcrros.
a'.quem fez a ;equisigo.
Outro do mesmo, devokendo nm exemplar de
cada uma das resoloces, sendo duas saocoiona-
das sob ns. f%>4 e 1995 a una que tleixnu de
sel o que manda pertencer fregaezia' de-Nossa
^enliora do Rosario de foyanna o engenho Me-
repescora tolos os seus terrenose do termo de
Palmares o eagaaba S. Jos da Prata.- lnteirada
quanto s primeras, indo a Lima a coramissao
respectiva.
Foram a imprimir seis pareceres da commis-
so de reddCt'o sobre cracodas uo projeclo u. :19
deste inno.
Acb rado-se-sobro a mesa a redacefio do refe-
rido projecto n. 39 dcsto anno. (o dispensado
da irapresso a rcqoeriraento do Sr. Jos Ma-
ra sendo approvado.
Foram approvados mais dous pareceres da
coramissao de redaccio, um sobre a do projecto
n. 46 diste anno. e outro sobre emendas ao pro
jecto o. N de 1888.
Foram a imprimir :
l'tn parecer da eommisso do exame de leis
nao saiicoiiiaddS sob n. 56, opinando para -|iii-
sca .ulop'ada. tai qual se acha, a de 1888, que
melhora a aposentadoria do Dr. Jos Joaquim de
Soii/.a e autorisa a de diversos fu cionarios.
l'm projecto, sob n. 76. autorisando a despen-
der-sc Ai-tW) com a compra de urna casa pura
radoia na villa do Ex.
Ariii'U-se de novo pela hora a discusso do
requcriraoirto do -r Corroa da Cruz, lendo ora-
do o Sr. Clodoaldr. Lopes.
Approvou-se uiy renueriraento do Sr. Jos Ma-
ra te urgencia por R minutos para apresentar
um requeriraento sobre engeuhos ceniraes.
Erurando era discusso o reqnerimeoto. foi
prorogada a hora por 20 minutes a pedido ilo
Sr. Druramond, orando us Srs. Ulywses Viaana
que mandou mesa um projecto' revogandoa
lei que autorisa auxilios a engenhos contraes e
Drummotid. Ficou a discusso adiada pela
hora.
Approvou-se ou ro requerimento de urgencia
por 10 minuto-, do Sr. Ulysses Vianna, que orou
para una e.iplicario possoal.
O Sr. Jos Manan no requeren e obteve urgen-
cia por-2 minutos para ser lido o projecto de Sr.
Ulysses Vianna. Lido foi julgado objecto de
deliberac&o indo a imprimir sob n. 77, sendo
dispensado de impresso em avulsos a pedido
do Sr. Jos Mariaono.
Passou-se ordem do dia.
Encerrou se a 3< discusso do prujecto n. 36
de 1 votando por falta de numero nm reqnenmento
de adiainento da discusso. por 24 hons do Sr.
Barros Barreto.
Adieu-se a 3' ducussao do projecto n. 32
desle anno.
A ordem do dia : continnaro da anteceden-
te e mais : 1' discusso dos projestos ns. 11, 12
e 77 e discusso do parecer u. 56, todos deste
anno.
iel devolvida Da Secretaria da Presi-
dencia remette-se para publicar a segrate :
A Assemfola Legislativa irovinciai de Per-
narabnco resolve :
Art. 1." Fica pertencendo freguezia de Nos-
sa Senhora do Rosario da comarca de Goyanna o
engenho Merpes com todos os seus terrenos, e
ao termo de Palmares o engenho S. Jos da
Prata.
Art. 2." ReTogam-se as disposigOes em con-
trario.
Pago.da Assembla Legislativa Provincial de
Pernambuco, 15 da Maio & 1889.
Barao de tapistwni,
Presidente.
Jos Marta de Albvquerque Mello,
!. secretario.
Francisco Phaelante da Cmara Lim,
i.' secretario.
Volt* Assmbla Legislativa Provincial.
Nenbum motivo de utilidade publica ou com
modidade da populagao autorisa e justifica a
necessidade de ficar pertencendo freguezia le
Nossa Senhora do Rosario da comarca do Goy-
anna o engenho. Merpes com todos os seus ter-
renos, e ao termo de Palmares o engenho S.
Jos da Prata.
A comarca de Timbaba foi ha pouco des-
membrada da de Itarab, de sorte que licou esta
muito pequea, principalmente comparada cora
los aVCastro.-Rabelio.
Manoel Bruno-dos Santos Al tmida.
UristOAodo.Rego.BaiTOS.
Jos loaquim Das:Fernandos.
Joan sabino Pereira-Giraldes.
.Francisco Joaquim Rioeiro tle Brito-
Freguezia da Gruca
Fraociseo'PaehecoiSoares.
Joaquim Anteara Alfredo Soares deAzevedo.
Dio^n Ua-ptisia Fernandes.
ManiH-l Bruno Al ves o Couto.
Htfliodoro Corin de Oliveira iCoragem.
Freguezia de1 Afogados
Manoel Jos Mari i ns.
Freguezia o Poco
Jovino Baadeira.
Frcncisco do Seg' Mello.
Alfonso MareiraTempnral.
Antonio.fceepoloo deMattos- Feweira.
Jos Ferreira Dulra.
.Ramiro Antonio da Gosla.
Foi adiada a sesvaopara hoje s lOliorat'da
manb.
ass.m in< ao Meairo-r**rmmna*MUrm
Pernambucana-Reunir-se-ha Bojeamses-
sAo' ortBmaria, rao -lugar e hora do eoatame, eeta^e.
usseiag6o.
F,t-MJi do II." dlMirtct*Temos des-
sa elei*o o spiruiotc iultado paroial-:
ConseHieiro'PorteHa I>r. Joo/Angusio
Garanhuns 69
Correates 47
Palmeira 7
Moras
6m.
9
1S
3 t.
6
S-~

o
;-=
E
' 22-9
27-3
2H-7
29^-7
28 -1
liarometro a
7-S!i
763*21
7ta-'.)l
761-19
76i*:i5
Tenso
do'Tapor
18,31
2002
2128
19-13
19.71
o
~
a
3
3
89,
73
69
62
4empnala** iiwmuih ->,.>i.
Ditu niitiiina 22"..'i0.
Jvvaaorago era 26 hor9*-ao.sol: 7".'i ;-aom-
ora: .2-.7.
Chuvaulla.
Direccao do vento: Ede mola noite al-.1 10
horas e 20 minutas da man; ESE at 1 hora
e 2o ra nulos da lardo; SE at 3 horas e-30 uii-
nutosi; ESE at 'i horas .- U minutos SE at
meia noite.
CaUntiria lUiraiito 2 horas nela manila
Veioidae. media xt vuato : 1 W por : se
gordo.
Nobniosidadu.raMlta : 0.31.
Roletim do porto ^_^^_^_^^
Mi
"M.
M
M.
M
Dia
21 W> Maio
82 d -aatd
Horas
11M damanhS
|u-a2 da-tarde
10-58
4-56 da rnanh
Altiin
:l-
-flt.60
"I-.**
0-80
M-POJCr\DE WUQO
David Andereon, ex-re4actor do Heekly
Ditpatche, do Hornet, do Examiner e re-
dactor actual do Daily Telegraph, de Lon-
dres, fundou ltimamente uma insrituigao
muito curiosa, que se intitula Escola de
Jornalistat.
And
por i
aZpa:
um ei
b>MBii>jneiavifte fazer vimtrtifici-
em>jVias; abe .oa-mo cabe
toHpaaquaBMla nao anlwi manterf
sua infeaaaa dajjaaladat, ou povise.i ae sabor-
do publico.
Andaaaam admea atafos otate naaaaaos
sea cuninidiaaBinraaaamo, ^
norario cada discpulo 100 guineos, cerca
de 1,050:000 reis.
O seu methodo consiste em considerar-
se elle redactor-chefe de uma folha imagi-
naria, e os discpulos figurarem o pessoa
> O amor
Bom Con sel ho
T
16
41.
47
219
187
Falta anda saber-se do resultado dos collcglos
da Pedra, Tara e Agnas-Bellas.
(iremio Jos Proft-ssorcs Frinni-
alM -Reune-se hoje em sessSO'ordinaria essa
sociedade, pelas tfr horas da manila.
Unto.|iiu'P>jfiiiiar PemiMBliHiaHo
-Em favor dessa soeiedade ha hoje no Circo
Chileno um escolhido espectculo. I*i
Nos intervallos locar a banda musical do Ar-
senal de Guerra.
i'rliiiiiinii'iiio da estrada de forro
de H. Prniiiisi'ii e entrada de ferro
de Caruar-Por portara do Sr. director,
datada de 21 do correte, foi exonerado, sen
pedido, do cargo de Bel da estagao central da
estrada de ferro de Caruar, Livino Barbosa de
Franca Res
Era viitudedo faecimeuto do guarda de
armazem da referida estagao, Victorino Gongal-
xes da Silva, foi removiuo para esse lugar o guar-
da da estacao de Tigipi, Custodio Al ves de
Araujo.
Reverlea para a secretaria o escreveflte
Hermenegildo Ronrique Teixeira, que crHitiniia
at ulterior de!ibepago da directora, incumbido
do respectivo archivo, sendo dispensado do ser-
vico do mesmo archivo o amanuense Carlos Mar-
lins do Reg Barros, que voltou a auxiliar a es-
cripturacao.
ttoaanMuMu lisliia -i;ealitou-6e
hontem na sede da companhia a sessao da as-
smbla geral annunciada.
Depois deudos o approvados o-relatorio e pa
recer da eommisso fiscal, procedea-se a eletgi o
da nova directora qae licou-aasiincoastituida :
Jos Joaqun da Costa Mata, Jos Gomos anches
l>r. Antonio deSouaa Piato, sendonmediatEm
votos o Dr. Francisco de Souza Reis.
A eommisso fiscal ticeui (comfosta dos Srs.
commendadof Joao Fernandes Uipes. Jos-Mara
Caraeiro da Cunha e Dr. Firmino Theotonio da
Morada, sendo iiiuiiodiato em votos o Dr. Fran-
cisco de Sonza Reis
R<-iaiorlo Fomos obsequiados com um ex-
emplar do relatorio da Companhia Usina Pinto,
apreseotado em sesso do assmbla geral ao
dia 22 do correle pelo seu digno gerente o Sr-
Jos Joaquim da Costa Maia.
Agradecemos a offorta.
firande roncer*Com urna concurren-
cia que enchia toda a sala dos espectculos, ca
marotes de primeira. segunda e teroeira ordem.
do iheatro Santa Isabel, reatisou-se ante-hontem
o grande concert vocal e instrumental que em
favor do talentoso compositor pernambucano
Euclides Fonseca promovern) as suas disci-
pulas.
Nao cabe no estrello Jcspaeo de uma noticia
fazer a critica d'aquella fesla onde por algumas
horas foram emocionados peta belleza dos tre-
chos mnsicaes lodos quantos all se acbaram, e
lomis se quise>semos destacar qual a parte que
leve mrliior inlerpretago nos seria um pouco
difiicil fazel-o pois, quer a Marcha Festival a 9
pianos, ioninosigao dotx-neficiada. juera PAan-
tatia da Ada, quer o HoUro de Ruff e a Taran-
telle de Thalherg, quer a Jota Aragonesa de Sans
Saens, tiveram iao Del exeeugio pelas Eimas.
Srs. DD. Maria e Lucilla Fiuza, Mara Thereza e
Thereza da Soledade. Isabel Pq'o, Julieta Viei-
ra. Adelaide e Albertina Leal, Clotilde Silva,
Guilbermina deMattos, Maria do armo Pires da
Silva. Eugenia Moscoso Bandeira, Rachel Rastos.
Maria *o Carmo Pires Galvo. Maria Thereza Ra-
poso. Herminia Coniiulio, Olimlina Franco de S
e Anirolitii Alcoforado o Maria Celicina que nao
poderiamos escolher una sein fazor injustigaas
domis bom como salmam-se perfeitamenle os
Srs. Dr. Dias da Costa, Elias Po upilio ea orches-
tra
Ao terminar a primeira parte foi o Sr. Eucli-
des Fonseca surprehMidido com urna deliada
prova de affocto qu- Jhe p/odigalis;iram as suac
discipulas. otfiMi-endo-lhe um magnifico piano
de cau la, de PleyH, sendo a Exraa. Sm. D. En-
geoia M. Bandeira a interprete de suas collegas
aflaetado-deberiberi o -soldado ddM<- d'*edaecao. aaeim, cada manh3, s 10
horas, .ehegn,. examina o -correio, parcorre
os jornaes,, conve*HHii(!o eom os irapazes
aubr* a.novidadc8. da occasiao ; e depois
ooolia aeaiu um uma trala paraaquelle
dia:
-r-.Sv..Xi., boje devorter iugaBi*imareu-
fiifioremHyd i*rk. E'^ pneoiao ir as 3
horas e trazer-me umanotiwa de OOpa-
Uvras.
Sr. Y..., veja o movimeatO' oV porto
re prepare um boletim conameretal da da
de hontem.
Sr. X. tai galena est aberta. hoje;
alm disto annuneia-se tai reuniao. Tr-
game urna noticia oircuratan3ada e] 3
horas.
Sr. T..., vejaesto montede.relatorios ;
tnao podemos consagrar a cada mu mais
de seis linhas. Fa$a este -trabalho.
Sr J..^escrevanm artigo hnmorialico
sobre aquelie -asaassinate de hontem ; e
fai^a > tabein a criiK-a do diMinn, que foi
ver ante-bonteru, etc., etc.
B ass'mi por diante.
. Depois das.3 boraasao as aulas, isto ,
conversos, e dtsuiissies sobro tudo qu-into
interesta ij>reiis:, liiendo-se Mr An-
derson ajudar nosta parte-da sua- tan-la
por escriptores especialistas,.tendo jiiima
certa notoriedade.
- ineiwun entSe ttws discpulos- como se
devem "metter em cevtos jiegocios-, como
apanbar ae noticias, como se tclegrapha.
quaes as obras a consultar sobre differen-
?? te roaterias, como se devem serviri da
poliia, ote; dejioitteo Jugar um cur-
so daJ")egislapSes eapectsfes iraprensn,
tanto ingleza como de todos os nitros pai-
zea,.sendo que naturalmente, alm das li-
,-jos geraes, cada alumno guiado pelas
suas aptidoes e pelos seus gostos. Assim
ha o poltico, o reprter, o litterario, o
critico theatral, etc., etc.
Mr. Anderson parte, por exemplo, deste
ponto: > jornalisUi poltico, que oscrevu os
artigoe de fnndo, deve conhecer perfeita-
mente a historia, a constituido c as leis
do- -paiz, direitos internacioBaee,l economa
^litiea e estar bastante a par das ques-
ttes de indastria c de commercio; deve
ser-infatigavel; cscrever m.ito em poaco
tempo ; saber fazer, quando houvermeoes-
sidade, abstr.icoo de seus sentimentos.
peesoaos e bera comprenender o que si-
gnifica poltica c redaccSo.
i O primeiro anno do curso de Mr. Da-
vid Anderson foi estmdado l por um certo
numero de discpulos das Universidades
de Cambridge o do Oxford, beni como
por um filho de um membro da cmara
dos Lords; e este anno grande numero de
alumnos' sabidos da escola tem feito mui-
tos prodigios; o que assegura vcrdadci ro
saceesBo ao profoseor do jornalismo. *
a maia Janeiroa, rigtd creatnra dos tem-
pos idos:
Q amor.nasce da vista,
Cria-ae no coracad,
Cresce na correspondencia,
Morre na ingratidao.
De uma das meninas, joven e casada,
que deixa-a dominar pr este diabo, que
ime :
amor firme .e inconstante ao
empo. Em eoea(oes bem forma-
maiaRaantO'>que um templo, nos co-
inhos mais asqueiroso que
O
mo
tm
-rap5es m
uaa wadavaauie)inpMitre>eyao.
O da oulsa joven, aaaaoba creatura, que
de.-uma amor impossivel:
o sentimento mais bello,
mais sublime que Deus atrou sobre a tr-
ra. E desgranados d'aquelles que no
mundo n2o poderem-se unir se no doce
conchego do amor santo e aur i-fulgen te.
Uma velha ta da.caa, que coobilava a
um canto, suspirando pelas scenas de
amor, que no passado rep esentra, nSo
poudc-deixar de accrescentar.
O amorran pode ser comprehendido
felos. aoNKjoeff'dycades. Para os mogo
ello a tem o calor por um vulcU; para os velhos fri como
|gelo. Eu que o attesto...
#
* *
A exp08ySo dos Estados.-Unidos ser
uma das mais consideraveis que teem sido
feitas polos artistas e. Lnduscriaes .d'aquellc
paiz.
Espera-s- muito- da accao nicebanica,
qne ser posta em movimento por duas
machinas de 100 3avallos, cada uma de
typo particular.
Entre as pirantasias da arte industrial
da secgo americana, figurar&o-uma curio-
sa colli-coao de machinismos ciazeladoa
em espuma, representando todos os pre-
sidentea-do Eutado^Unidos,- desde Was-
hington at Harrisou.
IRDICiCES TEIS
4jeMan-*-E!fcC'.aur-sc iiao os seguntes :
--Heje :
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra do Oora
Jesusa, i-. do engeuao ra Velha e ae-HiTupiano aovo, movis, arma-
cae etc.
Pelo agente Sdenple, s 11 horas, raa Conde
d* lia V isla n. lia, de movis, nticas e vi-
dros.
Peloagenle Gasraao, s 11 horas, raa do
Mrquez de Blinda n. 48, do liversos gneros de
estiva e raiudeza.
Amiraha :
Pelo agente Silveira, s 10 horas, roa
do Imperador n. V6, de-predios.
Pele agente-Pinto, s 11 l\i horas, ra do
Hispo Crdese Ayres n. 12, de movis e muitos
outroa-obj setos.
Pelo agente Brito, s 10 l.i horas, ra l'.ai
gel n'W,de piano movis, etc.
Pelo agente Gusmo, {s 11 horas, raa do
Mrquez do Herval n. 30, da armago e atensis
da taveraa ahi existente.
Hlaan* funefcre-Sero celebradas :
Hoie :
A's 4 Ifi horas, na igreja da Penha, pela alma
de Candida Fioiin la de Senta ; s 8 oras, no
convento do Carmo, pela alma de Francisco An-
tonio da Silva Garateante.
Amanh :
A's 7 horas, na Madre de Dous, pela alma de
D. Carina de Sote Silva.
- a*anaiaft*'itra>K-~Chegndos do norte no hia-
to nacional Crreio do Natal:
Joanna Paulina de Castro. Medeiros, Antonio
Fernandes de Oliveira, Pedro Frencisco de Sou-
za o Manoel Balalha.
itcmilito arla!Ha hoje a segrate :
4)0 lutar Littararin- Marti ns Jnior, s 10 horas,
na sede social travessa das Flores n. 3, em
seaso ordinaria.
Casa d*.eaen^ao-^Moviraento uos pre-
sos da Casa de Dcteagao do dia 21 de Maio de
1.S89.
Existiam 442; enlraramo; sahiram 14 ; exis-
tem 433.
A saber:
Nacionaes 393 ; mulheres 17 ; estrangeuos 23.
-Total 433.
Arragoados 386.
Bous 3<06.
Doentes 16.
Loueos 3.
Louca 1.Total 386.
Movimenlo da enfermara
Tiveram alta :
Maaeel Albino Ferreira de Azevedo.
Jos Mansiaho-do Nascimeoto.
Antoio Jose-Lourengo.
. Foram visitados os presos deste estabeleci-
mento por-216 psssoas, sendo 83 homens e 133
mulher3s.
UuNpltai Pedro II O movimento deste
estabelecimento de dadade, no di? 19 do Maio
foi o segrate :
Entraram 10
Sahiram 4
Falleceram 5
Existem 634
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelos Dre.:
Moscoso s 8, Cysneiro s 10 1|4, Barros Sobri-
nho s 6 3|4, alaquias s 9 11i horas.
N&o compreceram os Drs.:
Pontual.
Berardo.
Simos Barbosa.
Estevo Ca valcante.
O cirurgiao dentista Numa Pompilio n5o com-
pareceu.
0 pharraaceutico entrou s 8 1{2 da rnanh e
sahio s 4 da tarde.-
O ajudante do pharraaceutico entrn s 7 1|2
da manh e sahio s 2 horas da tarde.
l.oK-ria do i8- loteria, dessa provincia, cujo premio grande
6<:0000n0. era extrahida no dia 27 do cor-
ronlo (segunda feira).
cemiirriu PublicoObituario do dia 21
de Maio de 1.889 :
Thereza Evarista Torres Bandeira, Pernambu-
co, 16 annos, solteira, S. Jos ; gastrite.
Olindina Luiza dos -amos, Pernambuco, 26
an nos; viuva, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Manoel, Pernambuco, S. Jos ; asphixia ao
nascer.
*
I Jin namorado j quasi noivo, vai levar
a sua ella um presente e, para sorpren-
del-a, entra na sala p ente-p.
A moja que o nao esperava, est a des-
folhar uma flor inargatida dizendo, todas
as vezes que arranca uma petla :
Ama-rae um pmico, Juca ; (tma-me,
Joaquim1; ttma-iiie apar. que ; nao me ama nada, Barboza.
Ao proferir este ultimo nome, a moca
d uma risada o diz :
Ora! tambem nSo gosto delle; mui-
to feio c telo!
Imagine-se a 3ara do noivo... que era
o proprio Barboza!
m
# #
Sobre emigi-aSo colhemos as seguintes
noticias, relativas a fraDceJ!es, inglezes e
hollandczcs:
Os operarios de Decazcville, que t-
nham emigrado para a America em 1881,
voltando patria, depois de tristes vicissi-
tudes, contam quemis de 15 mil france-
ses, pela maior parto do'departamento de
Aveyron, se achara em condicoos desespe-
radas em S. Francisco e- Buenos*Ayres.
O prefeito do departamento communi-
cou-o iauprensa, e por meio de annuneio
a respeito procureu despertar a vigilancia
contra as promessas exageradas e engaa-
doras dos jornaes e agentes interessa-
dos.
Segundo despacho do Marn, um cer
to numero de emigrantes ingleees, que
tinhara partido de Sonthamptou para Bue-
nos-Ayres, voltaram Inglaterra em con-
d~es extraordinariamente mseraveis.
As prom verno da Repblica Argentina foram abso-
lutamente fallaaes, tendo sido tudo absor
vido pelos italianos e belgas.
O cnsul da Holianda em Buenos-Ayres
reclama attenfo sobre a imprudencia dos
migrantes que se dirigcm para a Rep-
blica Argentina e que nao sao capazes de
trabalhar como agricultores.
O cnsul supramencionado desaconselha
a emigragao s pessoas absolutamente des-
providas de meios tinaneeiros, e observa
que os operarios acam actualmente diffi-
culdades em empregar-se.
* *
A scena passa-sc n'uma roja. A' luz
do kerosene depois de suceulenta ceia,
conversavam o chefe da casa, sua mulher
e duas flbas sobre o amor; e depois da pa-
lestra, 'escreveu cada um dos conversantes
o seu pensamento.
Eil-os :
Do chefe da casa, j discrente, tal vez,
de seu primeiro amor :
O amor, algumas vezes, um sen-
timento paro, doce, suave; nutras occa-
siSes, porm, tem a revolueSo dos gran-
des ocanos: na face tranquillo; no fundo
revolto a bramir.
Da dona da casa, uma matrona de 40
'i Mdicos
Dr. Cerqueira- Luite, tem o seu escripto-
rie abe>to na Duque de Caxias a. 74ydas
12 s 2 horas da tarde, e destahoraem dian-
ic em sua residencia ra Barfio de S.
I Jorja n.. 22. Especialidades aaol-setias
desenhoras e criancas. Telephone a. 326.
' Dr. astro Jess medico e operador.
I'ratiea a iawagemido tero qnando e co-
o kw>\^lhiiia. Consultas das Li s
Ui da tarde em sua risidencia ra do
Bom Je8U6 (antiga da ruz) n. 23, 1."
andar. Telephone n. 380
Dr. Barretto Sumpaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
ra do Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Ribeiro d Br tto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1. an-
dan a ra Duque de axias n. 4t, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ru do -Hospicio ni 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Joaquim Lmael.ro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug a..: 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr Alvares Quimaraes, ebegado da
curte, dedraa-se medicina era geral, e
com especialidade s molestias do cora-
l-cao, pulmoes, ligado, estomago e intesti-
nos e tambera a< tfifoccoes das -criancas.
Reside praca do Conde d-J^trj n. 28, e
tem consultorio na ra db Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, ondV-d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381. *
O I>r. Simplicio Mamgmer.Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades: molestias
pulmonares e partos. Rua do Mrquez de
Olinda n. 27 1." andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das C s 9 horas da manha e da
tarde.
OeenJista
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris c Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia rua Lrg>. d" BTario b. 20?
AiIvohIos
O bachard Witruvi Pinto Bandeira,
pode ser procurado rua do Iiri. rador
u. 71, 1.- andar.
O Dr. H. MiZaf-mudou o ser, erieript
torio de advocacia, para a rua d Impera
dor n. 46, 1* andar, sala da frente.
J. A. tl&ifagmlkdet) Bmsto. -Dnqae de
Casias n.- 66) 1. andar..
1 DVgMla
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, rua do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos china-
cas e medicamentos homeopticos, rua do
Mrquez de Olinda n. 23.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidade's, sorra madeiras do conta
alheia, assim oomo prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sen) dom-
petenciaPernambuco.
PLBLICUjES A PD1DJ
Acia
Da-inaaguracao do monumento -manaado erigir
Eor uma i^mmiss popular na Praca da Abo-
cio desta cidade de-Olinda para commemo-
rar as gloriosas datas de 12 e 13de afeio
de 1888, a primeira das quaes symbolisa a
extineco da escravido neste municipio, 8 a
segunda no imperio do Brazil.
No nono do nascimento de Nosso Senhor Je-
ss Ghristo de mil otocentos e oitenta e nave,
sexagsimo oitavo da independencia e do impe-
rio do Brazil, no reinado de Sua Magestade Im-
perial o .-r. D Pedro II, aos doxe das domes
de Maio, na Praga da Abolico desta cidade.de
Olinda, comarca do mesmo nome e fremezia.dt;
S. Salvador da S/provincia de Pernambuco, na
presenga do Exm. Sr !. vico presidente da
provincia em exercicio, de muitas outras autori-
dades, grande numero de senhoras e de outras
pessoas gradas, de commiss5es de diversas cor-
poracpi3s e associagfies, e de avultado concurso
de povo s cinco e meia horas la tarde e do ac-
cordo com o programma estabelecido. os Exms.
Srs. 1.* vice-presidenle da provincia Dr. Ignacio
Joaquim de Souza Leao, monsqnhor cooego Joa-
quim Arcoverde de Albuquerque Cavalcante e
presidente da eommisso encarregada da con-
C,
$
"i
'

j. \ -

i



Diario de PemambueoQuinterfeijia 23rdt> Maio de 1889
i
i
struccao e inauguracao Jo monumento das glo-
riosas dam-de II a n-e-Mm db 4888. des
embargadoT^Dbmmgos Antonio Atves Rfcero,
desvelaram a estataa da liberdade coOocada so-
bre o seu petrsstal.toeando nesta ftecasao difie-
ren tes ibanda< e msica os bynmos nacional e
da abMie*o, ero seguida ao-qut- fs* protnrtomm
eloqusn te-discurso pulo presidente' te eommi>
sao amron mencionad, 'memo Sr dependan
gadonDonriiigos" Antonio (res Rfbeiro,' que de-
claro iwoadgnrado o monamente.
O acto foi solermvisurto por cinco bandas de
musite e por discursos- proferidos por muito*
oradoss- que foram 'calorosamente apphiu-'
didos.n
O monunfento compoe-se de tres degros de
granito, de irra plyntho de alvenaria imitando
porpltjm f de um pedestal de ferro bromeado,
sobre % qual assenta urna estatua tamoem de
ferro bTmzeado de um metro e sessenta e seis
centiftetn de altura, representando a liberda-
de civil.
O pedWstal conta em duas de suas faces a
dala12 de Maio encimada pela palatra
Olioda -e as outras duas data13 de Maio
encimada pela palavra -Braiit, lendose na
parte inferior desasa quatro faces a data1888.
A altura total do monumento de seis metro".
Finda a ceremonia, eu, o bacharel Jos Vicen-
te Meira de Vasconccllos, lavrei a presente, que
vai assiguada por grande Damero das pessoas
presents, e por mimf*quejBserevvooo.juuta
ment com os domis mtedV= da commissao
encarregida da coustrutipo e inauguracao do
monumento, da qual fuco parte.
(A-signados) :
O fice presidente da provincia Ignacio Joaquim
de Sooza -Leo.
Monsenhor conego Joaquim Arcoverde de Atbu-
querque Cavalcante.
Adolpho Siqueira Cavalcante.
Alfredo Mana Fenvira Bessene.
Luiz da Rocha Dias, director engenheim em
chefe dus estradas de ferro do governo.
Antonio Gome* de Miranda Leal, presidente da
junta commercial.
Barao da Soledade.
Joaquim Jos de Faria Neves Sobrinho repre-
sntame da I aculdade de Direito.
Imperial Sociedade dos Artistas Mchameos e
Liberaes, Candido Jse de Goes Telles, Jos
Antonio Vieira da Cunha, Manuel Jos de
Sani'Anua Araujo.
Commist-o da Sociedade Litteraria Casimiro de
Abreu, Manoel de nuza Galvao Filho, Jos
de Goes Cavalcante, Francisco de Sonza No-
gueira.
Jos Jlariauno Carneiro da Cunha.
Manoel Gomes de Mallos.
Fernando de Castro.
Numa Pompilio.
Joao Ramos.
Guilherme F'rreira Pinto.
Elias i ouipilio.
Pelo Gabinete Portaguez de l.eitura, A. J. Bar-
bosa Vianna, Jo Vctor da ruz Al larra. Jo-
s Mata Sobrinho.
Pela Escola Normal, Ayres de Albuquerque Ga-
ma.
GasparOlympio Linsde Carvalho.
Jos Rodrigues di Passo Netto, vice-presidente
do Club Abolicionista Oiindense.
Francisco de Arauju Luna, cominandanle de po-
lica.
Severiano Vieira da Paz
Capitn Jcs vlfredo de Carvalho Jnior.
Maano Eduardo Jaymes da Silva.
Joaquim Francisco Qa Cruz.
Theodolindo Augusto Reg.
Alferes Jos Samuel B"tclho.
Dr. Eslevo Cavalcante de Albuquerque.
Joao Custodio .Martins Leite.
Jos Joaquim Guerreiro Jnior.
Luciano Bageuio de Mello.
Francisco Velloso de Albuquerque Lins.
Joa<> Augusto de Mello.
Joao Elias de Moma.
Alfredo Simes Barbosa.
Boavcniura Eugenio de Mello.
Elias dos Santos Jnior
Francisco Octaviano de Arroda Cmara.
Manoel Alves Barbosa.
Dr. Antonio Joaquim do Barros Sobrinho.
Joaquim Ferreira Pinto.
Jos Domingues Codeceira, membro da commis-
sao do Instituto Archcol-igicoCeograpbicoI'er-
nambocano.
Caetano Mana de Faria Seres, membro do In-
stituto Arcbeoloi'ico.
Estevao de S Cavalcante de Albuquerque, mem-
bro da coinmissao da Assembla Provincial.
Representantes da grande commissao promoto-
tora do monumento. Jos de Muraes Guedes
Alcof.-rado, Manoel rnaao Nmies de Alentar.
Jos. Jouqun Alves de Albuquerque, Jcs Gui-
Iherme da Silva I liarte.
Commissao executiva. Bernardino de Senna las.
Caiixto Jos de Mello, Fortunato Jos de Sam-
paio. }
A commissao encarregada da construegao e
inaujur;ico do monumento. Dominaos Antonio
Alves Rilieiro, Antonio Pereira Simes, Jos
Auslregesilo Rodrigues Lima, Jos Vicente
Meira de Vaseoncellos.
MaiO'dc 1887, de que nos oceupamos.
Urna vez que por le estava firmada a gratihV
cocao, e visto que para alteral-a nao preexisa
urna autorisacio legislativa, e visto tambera que
i addic"'o alludida urna exorbitancia, que deve
ser corregida pelo poder legislativo, que nao
pode encampal a pelo vicio de essencia e mais
anda por sua iniquidade e exeepcao odiosa do
principio geral a que obedece a materia.
' Nem tal correccSo pode demorarse es-vi da
lei n. 1,982 ha pouco publicada, que provides-
cioa sobre igual assumpto com relacfio aos em-
primados da reparticao das Obras Publicas, ruja
reorgaoisacSo autonsada tambem pela lei n.
1,884 reseiitioge do excesso a que aHudimos.
como representativo da graticacao .pro nter*,
como consagrado no Reg. de 2 d Jumo" de
1879.
Aqui por esse processo lewrMme" rumiado
procra-se o termo desconhecfdo que se mclue*
na geoeralidade do conhecido ; all a distinecao
dos-termos, o conhecimento certo 4o parcial afr
fcetoiaos descontos, excluso tratme de* mesmo
processo, e por conseguinte o arbitrio de que se _
tsente a disposicao do art. 27 do Reg. de. d*?0e4 '"' ?"K* rgo IU
O CONFUCTO
, Por nrerapres que*js8e-08 nosses drejo3
pare coaveSr. teneanewerwiel Antonio oreo~
oio'Persir*.'o Lsgov actual' connuandairted^s
semus interino, esses desojo* se esooroaram m
vwta da posiyao de^quwS. S. se revisti1 depois
llftifiadida
OaBatxrj-assignade retirandrj:se temperarla- \
mente para a Europa,,, vem pelo presente'maio
despddir-se de seus amigos, a quem offerece' el PtibakHti seus preMnoe em gaaquer parte onde se ehe. oreaniaado un. Erabinec ifc leotoca ide loaj
A gratlficai'o do enpregado
daHeeebedria Provincial
(Do Seisie Oitfalr)
O Dr. Pedro Vicente, quando presidente desta
provincia, reorganizando o CoiisBUulo.por con-
verso em Recebedorta Provincial, entre ae di-
versa* disposici? que creou, cslabeleceu no
art. ti do Reg."de M de Maio de 1887, que para
aquello tim foi expedido, a seguinte regra :
A porcentagem e um terco do ordeuado per-
ci'li'.!.. pelos emp;egado* da ReWibedtHa>Pro-
rinci il rao consideradas sratilicaro pro labo-
re pera os eUitos da lei, relativo desceios
por lalta-. (cencas e aposeataderies.
O citado Reg. antorisou-se na lei n. 1881 art.
) 8 1 n S e % 3. Aqnelle para^rapho eni sua
dele.'aco dispunha obr a reforma-do Consu-
lado com dispensa do funcionalismo que se
encarii-ava da arrecadaco de ir.postos, cuja
cobranza fora affecta Alfandega ; e este preve-
na, que nessa delegacfu (icaria o presidente da
proviocia adstricto as' verbas do orcamenlo, po-
dendo de accordo addir qualquer repartigao
os empregados cujos lugares fossem supprimi-
dos, e aposentar os que por tempo do servico
bouvcssem adquirido direito a isso.
Os vencimentos d.w empregados do Consulado
forano lixiWos pelo ai*. 33 da le n. 1.786. e ahi,
alm da parte permanente nomeadamente esta^
belecida. foi dr terminada a variavel na porcen-
tagem de por cento. da arredacai-ao, e a qual
attribuio-lfl expressamente a nature/.a de graUr
fieasfto para todos os efi'eutos Ibgaes.
A disposicao d'aquelle art. 27, pois, eviden-
temente exorbitante da vouldade; porque nalla
eregio-se o presidente em legislador, estabele*
ceu um principio discordante do direito corren-
te na materia, e ain<|; alais. revagotKiB^disp-
sicSo de lei especial, que rmara os vencimen-
los dos empreaados de que se trata e cuja revi-
sao na) foi autorisada.
A deiegaco legislativa de certo sao compre
henda essa parte, isto nao entenda com oe
vencimeotos dos cmpregado;. Nem diversamen-
te peiiMiu S. Bxc, visto que rw art-25 do allndi
dido Reg. reeonbieceu
lixados no art. 33. da lei n. 1.786 a consagrou-os
na tabella annexa ao Reg. da reforma da repar-
ticao.
Ora. si i o irrecufflvel, a arldicio do tergo
ilo ordruudo porcentagem, que foi declarada
yratiii;.! o pelo referido art. 33, e para os effei-
ios previstos na disposicao do art. 27 do Reg.,
una ortginalidadp malvola da ragu4B4nta(6o
rafeixada em arbitrariedade por venlura con-
sciente do excesso de poder que nssim se pra-
ticava.
Nao;-, ca temerario esse jnizo inesmo no
mono eii que formulado; por qnanto oe ven-
cmeiitos dos empregados de que '. fraia, cons-
tam do ordenado e gratifioaco. Neste caso
lo graiiliaco caracten-tiea do exeroicio,
s ella tambem posaiwl d peda eai faltas,
Beencss f aposentadorias, eoDBlituindo orna ver-
dadeira vieencia o addieionur-se Ihe mairi um
terco do ordenado para o mesmo (fnto.
X regra do tergo eslabelecida na legislagafyde
azemia nao alcanja a especie de ordenado e
iratlficiifo distintUmjeni^' lirmadf*; e simples-
mente incide na ciieumutancia- do wnciMiento
constap ctclusivamenle oo de porcentagem, ou
de onlenado ou de gratificagao, para que a tota
tidad. de sua importaeeii -individual 8e appli-
que o .procues da. e*es*.peaaLdo O grande conoerto Tfcearo
Manta Isabel, em 1 de Mala
de ia '
O maestro Euclides Foosera, deve estar rego-
sijado, deve ufanarse mesmo, polo brilhantismo
e bom xito, da festa que Ibe dedicaran) suas
gentis (liscipulas.
O vasto salSo do theatro, capriobosamente
preparado para o esplendido concert, bera como
as 3 ordeos de camarotes, regargitavam de es-
pectadores, cujo auditorio, compunha-sc da lite
de nossa soc'edade.
Foi urna noite repleta de harmonas, um ver-
daddro conjuncto de delicias, que, produzio em
todos os convidados a mais grata e indelevel
i i.pressao.
Era um deslumbraracnto, vr-se o gosto e ele
ganda, com que trajavam todas as Exmas. Se-
nlioras, no se podendo mesmo. dar a primazia,
a este ou quelle, toilette, por isso que, lodos ri-
valisavam entre si, pela riqueza e pelo chic.
A usica t. esta linguagem divina, com que
se expande os pezares. e com que se manifusta
as alegras, foi sublime a sua execugo, de prn
cipio a tim, sendo prodigalisado a todos os con-
certistas, eatliusiaslieos e merecidos apnlausos.
Entretanto destacaram-se principalmente.
.1 marcha festivalA 9 pianos, verdadeira
obra prima do Sr. Euclides Fonseca, e que, por
isso mesmo. mereceu as honras de um bis no final
do concert, sendo anda calorosamente applau-
dida como da primeira vez.
Milu Fanlazia a 2 pianos pelas gcn'is demoi-
selles Thereza de Soledade e llermina Coutinho.
Esplendido !. Executaaa com toda a pericia,
obteve urna prolongada salva de palmas, qne,
meritaraente foi dispensada a to distinctas e
graciosas demolselles.
tolero e TarttUeUe Pela demoiselle Maria Ce-
lecina Rodrigues : Magnifico Forarn mere-
cidissimos o? calorosos applausos que recebeu.
Opera flnai da opera ). CarlosFel Ex na.
S:a. D. Maria A. Rodrigues Teixeira, a quem
conbe tambera a gloria de estrepitosos applausos,
pelo perfeitissimo deserapenho que deu sua
parle.
Finaimenle, lodos os que tomaran) parte em
to brilhatite festa, exhibiram-se com correegao
admiravel. cabeielo-no por isso, o gosto de
dizer. que. os applausos que arrancaran] dos es-
pectadores, longe de ser o resultado da compla
cenca que geramenta se dispensa ao bello sexo,
nada mais foi, do que, a paga de um tributo,
devido ao verdadeiro mrito.
Honra, pois. as graciosas discipulas do Sr.
Euclides Fonseca, a cujo cavalhciro, apresen
tainos os nossos emboras pelo esplendor de sua
festa. e hoje que. em nosso espirito, s acta a
mais saudosa recordagao d'aquellas horas fa-
pueiras, anhelamos a reproduego de momentos
to felices, para que, anda nos seja dado, gozar
dos otfcctos cordnes e lino tracto, que, so soem
ser dispensados, por pessoas de esmerada educa-
cao, como as promotoras de to esplendido fes
ti val!...
copa
Fei s. S. quem com o sateudo da sua ordem
do da n. 301 de 93 do passado, nes veio des*-
pertnr.
S. S. que foi to fcil em dizer que j sabia;
nm desoobrir phrasee inconvenientes, onde efio
xrstem' em preeber censura eme sea deci-
so. quando temos a certeza que nunca houve e
nem ha desejos do censura; que notou m votr
4nde a hiii o/jkiai, que anda ruto deu prora de
tflsnbtrduifao, quando 'SSe ollicial tido por
altanado e dade ao veso do representar infun-
dadamente coiitraeeas superiores, como prova-
remos com a ordem do da n. 303: como quer
qucqualiquemoH' o seu procedimento ?
O sr. tenente-cerrjnet'Uago let cabedal do fac-
i de ter o commandanto do 14 publicado o seu
otlii-io depois- de estranhar o capitn M. A. I
S. S. qseria que fosse antes? 1
S. S. vio no exordio da ordem do dia do Sr.
'enmmandante do 14 urna affnmta sua autori-
dadef cabera por ventor aos commandantes
das armas tragapuos commandantes de corpos
uormaB-oo mjdo'de exordiarem' as sua* ordena
do dia?
Sao Nao possivel que exija tanto!
Fazemos de S. t*. nm eonceito mais elevado
Somos o primen a reconhecer em sua pessoa
um dos'oroamenroi da illustre classe a queper-
tence ; mas for^aeonfeBsar que S. S. nao tem
razao na questo do conflicto.
E porque A humaaidade contingente, bem
o sabemos, porm persiir no erro s para no
querer trconnecel'o, obstinaco !
Kstiimos fazendo um bem; tenha, pois, S. S.
pacine-ia.
S. S. oir.da podetolter effecrividade do car-
go que exerce interinamente, aqui ou em outra
provincia, e por experiencia propria, ficar sa-
bendo que a arte de governar nio das mais
facis.
Dizer que o Sr. tenentc-coronel Caliope. guan-
do recomrnenda qne no sen batalllo jamis se
reproduzam actos de condescendencia no servico
que s trazem prejuizo para o meoiuo senrigo e
acorogoado insubordinago de officiaes, cen-
uma deciso superior, dar provas de m von-
lade !
Ver phrases inconrenientes quando o Sr. tcnen-
le-coronel Caliope diz que o ollicial tal insu-
bordinado por actos de omisso proposital no
cumpritnento de seas deveres, ou de reaego
affrontosa s oraens do seu superior, legitimo,
de grande prevengo.
Infelizmente para S. S. nao foi somentc aquel-
la ordem do dia que Ihe pareceu merecer o Sr.
lenente-coronel Caliope : n<< seguinte artigo oc-
cupar-nos-hemos da de n. 303 de 27 do passado.
Cahgulcr.
Nasna ausencia ffcam en car regados, de seus
negocios, em i*lUgar.seufllho o Dr. Joso1 Zefe-
rino F' rreinrVelloso eem 2" o Sr.Loiz Machado
Botalbo.
Reciffc, 19 d*Maio de t8W.
Zefertor Ferretra fWKwo.
Corretor
Necessita-se de urna-pessoa que se quei-
ra encarosgar da venda do um artigo pre-
vilegiadoqmra o allivio encargo de grande vantagem e de mutto
pouco trabalho. Quem- pretender pode di-
rigirle por meio de carta a caixa de cor-
reio n. I33rj ora Susbdb-Ayres.
EXraSTTJON UNTIEEBAL3>liTS8
Segnwaio,*scril>mi'nueat*i)3 orxeapx)n
salea, ulostrMraii
,
Bacharel Antoaio WHtb*
to fimo Bandeira;
Pode ser procurado rua do Imperador
n. 71, 1 andar
*:
M
Protesto
Maio-22-1889.
J M.
Ao publico
Mouot-l Murtins Campos, tendo requerido li-
conga a Cmara Municipal para edificar urna
c-isa na ra da Casa Forte, s a obteve com a
condigo de levar a frente da dita casa ao ali-
nlumento d'aquella ra, por assim o exigir a
planta approvada pela Presidencia, e que estava
em vigor; e observando o requerente que nao
era seu o terreno, que seria preciso oceupar
para chegar .'.quelle alinhamento, foi-lhc decla-
rado que a Cmara Ih'o vendera.
EITectivamente avahado o referido terreno c
pajio o valor, foi Martins Campos empossado
d'elle e a obra comecada.
Manoel Ferreira Cruz, possuidor de urna casa,
visinha que Martins i ampos est construindo,
moveu-lhe urna acgo de numerago de obra
uova < tcm promovido, por si mesmo e por io
termedio de seus amigos, todo> os meios de im-
pedir referida obra.
Agora, porm, que Martins Campos, tendo
obtido- permisso para continuar na edificago
mediante cauco. aftirmam-lhe que pretendem
r:o s destruir a obra feita, prevalecendo-se da
noito. como at offendel-o em sua pessoa, vem
por este meio responsabilisar o referido Manoel
Forren Cruz, nico inimigo que tcm n'esta ci-
dade. por qualquer damno que soffrer na refe-
rida obra e em sua pessoa.
Recife, 22 de Maio de 1889.
Mmoel Martins Campos.
Bnsenho Resgate
O abaixo assignado vem pelo presente pro-
testar contra a venda deste engenho, urna vez
que o est oceupando no carcter de reodeiro e
tem mandado de manutenco e de ralilicago
de posse.
O mesmo abaixo assignado soffreu dos admi-
nistradores ita massa fallida de seu irmao Jos
Tavares Pinhciro um esbulho. pelo qual Ihe
causaram um prejuizo de 10:500*000 prove-
niente de urna safra que desfructaram, e ainda
mais a pona de cinco animaes cavallares e al-
ian s uniros.
Em vista deste prejuizo o :ibaxo assigna
do propsz acgo de perdas t- dainos, cobran-
do 10:500OUO.
Declara mais que tem direito a bemfeilorias
na propriedade, e que s depois de ser indem-
nizado podera deixar o referido engenho Resga
te, amidi- tem cerca de dez a doze mil ps de
cafeeiros situados em diversas reas.
O alludido engenho custou ha 8 para 9 annos
12:0O0Jii0O, e hoje tem um mor real
de i ii li- a trinta con tos. vi mi o J
ter niiiiios cafeeiroN dando irm.
E para que ninguem se chame ignorancia
faz o presente protesto.
Engenho Rescate, 20 de Maio de 18&9.
Joaquim Tavares Pinheiro.
Ao publico
No Diario de hoje veio a Sra. Francelina Ma-
ria de Jess, com um artigo assignado pelo ba-
charel Luiz d Drummond dizendo que ninguem
faga negocio com a taverna que diz eu ter em
Santo Amaro das Salinas, visto haver em juno
urna aegao contra mim e um processo de este-
lionato : mais isso umaespeculago com o fim
de me estorquir signo dinheiro, porque nada
aevo a dita seohora, e se ella tem urna letra
assignada por mim, nao sou eu o devedor, por-
que assignei-a como procurador de Joaquim
Antonio C, em virtude da procurago que a
dita BrOK me psHM pe'0 carlorio do tabelliao
Menailtio.
Quanto ao estelionato urna invenco para
produzir effeito e nada me consta a respeito.
Maroet Antonio de Carvalho.
Ao bmcmerMo.director do tir-
eo C hilcoo
Compenetrada em extremo do espirito de hu-
mamejade que o ornamenta, e vendo-me em
completa ausencia de meios para a mais parca
manutengo de oito tlhinhos menores, venoo
solicitar a generosidade de seu corar,5o para dar
um espectculo em meu beneficio.
Vi uva do bacharel em direito pela Facnfdade
de Recite, Joao Raptista Pinheiro Corte Real,
que tambem pugnou pela honra de sua patria,
nos campos inhspitos da repblica do Para-
tniay onde fez jus a patente de capitao honora-
rio do titulo de cassUsiro-da ordem da Rosa,
e.da respectiva raedalha de cautpanha, alm de
outros serviros que prestara 41a imprensa e na
tribuna pernambunnas, parecemio que s estes
requisitos) bem uie devem recommenndar ao va-
uoiento dos homens de sentimentos generosos,
e que muito cogitam em amparar a indigencia.
BastanlemBle relacionada.in to tal, onde tise borro -e me -desposes-eom Corte
Real, e o perd para senipre, raros sero es que
igooram. qual o estado precario emque fi'ruait*:
o como me hei coiiduzido, potetriar as sospei
tas. da aiadiconcia.
Sa Bftles.os tituiuc PilauKW. >de qotiui-fcipero
do Sr. IX Honorio
os mesmos- veocimeat&lacq*ie*eencia ao ..ea.nwdsrte.
Rcafe, 22 de Maio de IMt.
Mathde Serodio Corte Real.
Pedro Alex-andrino Coelho da J'osta agricultor
e i-o-proprietario do engenho Amora da comarca
da Escada agradece a quem tese a lembranea de
seu iiuuie pata o posto de commandante do cor-
po de: cavallaria da mesma. comarca, e declara
nao aceityr a nonieaco.
Enjenho Amor. 13 de Maio de 1889.
Pedro MexaruUino Coelho da Costa..
AO Sr. eipidlo- Reg
Deparando-com urna critica feita por este se-
nsor a mim pela inmunda redcgo do Cara
molie,, que sera -isto se presta, e nao tendo com
este lypo conhecimento, pego-|he que appateenf<
em mioha preseaca : que de-minna parte His
qeerp dar os agradecnse4oB -desque o senjiop
merece.
Recife, 23 de Maio de 18#.
Eduarim-CH^lrtMtt Sme.--
Aguas alcalinas mineras de Mon-
dariz em Pontevedra, na Hes-
panha
ESPECIALIDADES
para molestias de estomago, taes como: dispep
sia gastralgia, catharro ehrenico do estomago,
ulceras simples,
Molestias dos intestinos, taes como; enfarta-
menlodofigado, ictericia, clculos bilia.-es, diar-
rha chronica, etc., etc.
Molestias das vas urinarias, taes como: dias-
tesesuricas, cateto vesical, diabetes sacarina,
albuminuria e gotta.
as anemias, chlorosis, psoriasis, prunigos.
dores artrticas e muirs muitas molesiias.
As aguas alcalinas de Mondaria nascem de ro-
chas granticas na temperatura de 180 centgra-
dos, sao claras, incolores de cfceiro parecido um
pouco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, pro-
duzindo um ligeiro sabor picante na occasio de
tomar-se. Ellas sao classificadas no numero
das alcalinas e bi-carbonatadas de soda.
Estas aguas acham-se venda no estabeleci-
mento do Sr. Antonio Alfonso Simes, sito rua
Visconde de Goyanna n. 1 (quatro cantos), em
Boa-Vista, e no escriptorio do Sr. Joao Ramos,
na Praga da Independecia n. li.
}j Dr. Mello Gomes [|
, i ledico operador parteiro
II 14-RuaLarna do Rosario 2
H(POR CIMA DO ANNEL DE OURO)
Onde tem consultorio e rei-
deneia 1 podendo ser encontrado e
M recebeodo chamados qualquer hora I
j) do dia e da noite. I
H Especialidades : partos, febres, moles-
tias de senhoras edos pulmes
em geral, cura rpida e comple
, races de estreitamentos e mais soffri
prinoipslo prtdiee* /de las 1 Amfrricasidel
' 'entro, del Sud, de las Antillas y del Bk-
tremo-Orieirte -os nr eonstpoeeion de ma-
dera, do las mas lindas.
Est< situado dicho, pabelln-, a mano
derechaMba la Torre de EaFes^ deliiado-
derecho y en frente de la parte central
del Palacio*de loe Artes irbemles. Se -en-
cuentra a proximidad de todas las soocie-.
nes de las Repoblitae del imperio del-raii^,-quien" han cons-
truido palanins que rivalizan..de riqueza, y
que sern una de las mayores atracciones
de la Expoaicio.
Encomendamos particularmente a nues-
tros comsutriotos que visrten^en el Pn-
bton de-Guatemala/la, mstalaoien:-que han
hecho nuestros.corresponnaW, %m. Inte
de PerflCej' C. gracias'a la amabili-
dad del seor- comisario' gem!rlde Gua-
temala.
es, moles- j
s, syphilis II
lela e ope- 1 j
ais soffri- {J
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
lora, a qualquer distancia.
Telephoae n. 374

!!
alrntlr
O abaixo assignado tendo deparado com um
commumeado publicado no Jornal do Recite de
13 do correte, assignadoos cateudensese
entro no Diario de Pernambvco de :1 tambem do
1 iin ntii.asiiiansda una cii'nnil-niT'i honesto
faz sciente que nao fez parte nem de um, nem
de outro dos signatarios.
Recife, de Maio de 188*.
Carlos SSNSS*.
Ificaula
A CELEBRE

I
RaintM ie 8ab
Bieivetmente
"- 1 i-i ^r^|
-~ I
Hippodromo
A egua Olga pede correr ?
Naoifi-desqosiiirodo ?
Quciferte^ribefe!
NaOiBe-Hiat#05sraestr magro 1 A perda
das carnes e-dos tecidos-eelolosos por causa-di'J
enfermidade, padeimento moral^u doiiiga de
tonga.durago Cacil erpidamente reparada
com o.oso constante e sem iiHerrupgo de algu-
mas f arrafas da Emulsao de Lumnan & Kemp '
dlstrlctO policial da-iEoosWUs^ ,jnais paro -e-escolhde qup pode produzir a No-
ruega, e combinado eem os hypophosplMtos se-
gundo a formula sem rival do Dr. Chu<*chill.
A Emulsao de Lanman-& Kemp nao .rnente
m recuperativo Doderoso das consiituigOes de-
bis, e um remedio seguro e iufallivel contra to-
das asafTocges dopoito arganta e os pululos
(e outras molestias em que prescreve-se o uso
do oleo puro.) m.s alm disto o agente diges
tivo por excedencia para os estmagos delicados
ou dyspepiiow.
II
Frederico Chaves Jnior j
Homoepatha
V{39 RA RARO DA VICTORIA 39
Estreitamento da urethra
Ao illm. Mr. Dr. Carlos tclteu-
conrt
O abaixo assignado vem pelo presente agra-
decer ao distincto especialista Dr. Bettencourt a
importante operago que Ihe praticou n'um es-
treitamento da urethra que o acabrunhava ha
mais de dous annos. Vendo as inmensas curas
feilas por este illustre doutor re-olvi me a pro
cralo no seu consultorio, onde fui ha das ope-
rado pelo electro!ise.aps cujo tratamento acho-
me perfeitamenle curado.
Recife, Maio de 1889.
Joaquim Antonio da Fonseca Galvao.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meie dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos o dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro h. 34. Entmda pela roa da
Saudade n. 25.
Cirurgio Dentista
DR..OBBB&.P. EAWLDiSOX,-for-
mado pela-Unveraidade de Maryland.nos
Estados-Unidos, tem aborto o sen consul-
torio, na ra Baraodo Victoria 18, Io an-
dar.
t Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Dr.Frmo Xavier
nedico e operador
D consultastdas 11 as 2 horas em seu con-
sultorio a ra da Imperatriz n 30 Io andar e
tem sua residencia na cidade do Cabo, onde po-
aeoor procurado das 6 da larde as 9 da manha.
Vias urinarias, molestias do tero, 7
operacSos elctricas (
:a. cabios smcotrsT
EirrtIALISTA I
1 com pratica de pabis e londrbs (
Estreitamoato dwlwn dicalmeste pela.eleclrolyse. sem dr; (
bydroceles sem injecg (cura radical): j
feridas e ulceras chronicas, com garan <
tia de cura rpida ; podras da bexiga. (
fstulas eheraorrhoidas; Fyphilis. go- l
norrhas, pelo methodo das nistidacOes ; )
molestias da garganta e do peito pelas j
attraiospberas medioamejitosis. 1 on- \
saltas e operaoms das 42 s- 3 horas da (
tarde. <
RA DO MARQl'RZ DE OLINDA \ tt, |
2 ANDAR
Rrwidennia aa (Farre
ferm. Peterse & C.
ReichiMiot*- 9/i3I
Bsiwrwo
Particip*m aos seus numerosos amigos que
para facilitar aos compradores : ultramar tem
completado em sua casa um rico sortimento de
-imoslras de lodos os artigos allemes, o que rc-
commenitasit-ass seus -amigos que acabam de
visitar aBuropa.
MEDICO HOMEQRATA v.
I Ir. Baltliazar da.Sihwraj
EspecaHdadefebres, molcstiae l
das enancas, dos orgos respirato- t
roe e das senhoras. |
Presta-seaqua4qusr chamado para t
ora da capital. 1
Todos os chamados devem-iser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
rna do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Exposlfo Universal de I hs
Segundo a carta que nos escrevem nos-
sos correspondentes, os Srs. Amde
Prince & C, o Pavilhao do Guatemala
onde ellos acaban de organisar ama sala
de leitura de todos os principaes joraaeg
das Araericas do Centro, do Sul, das An-
tilhas e do Extremo-Oriente 1 Hm,ons-,
truc9o de madeira muitu bonitai
Este pavilhao acha-se situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito e de-
fronto da parte cental do alacio das Ar-
fes Liberaes. Est perto de todas as scc-
^oes das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
hao de constituir, por sem duvida, ,.uma
das maiores attiacc-ties da Expoetcao.
Aos nossos patricios recommendamos
encarecidamente que visitcm no Pavilhao
de Guatemala a installacao dos nossos
correspondentes, Srs. Amdce Prinee &
C, de vida ao obsequio do illustre com*
missario geral do Guatemala.
jam os ditos-progSee praeasj tm de sor -.
arrematado a^nem mais.der e-maior BQ-
.iPilaJslet'fyCi. ie offerecen, o dia-23 .doiMaio.^Boxiiiio*! .
1 hora da tarder.ua casa .da. GamarJtfo.-.i.
*icipal da cidade de Palmares, em^iidso-.^
oiajespecial do juiz-de orphaoa, ariUr,.'a
demento, por um triennio. do eugenhtiJfiJa--*
moriainho,.aito no tormo bde AguaiCreta,.
moente e corrente, motar-. a vapori;.. re-,
queitimeiito do Dr. curador genab do. oe-
phaos, tende por base aiavaliaeia tanuat .
de 1:600,5000.
Nfio se admitte licitaste, que nao ateja..
legalmente habilitado eom lianc/t idneas ,.
E assim ser o .dito engenho arrendado, o
quem mais.der e maior lance offeroeer na h
dia e hora cima indicados.
E para que a noticia chegue as conhe-
eiment de todos, mando ao porteiro do
juizo affixe o presente no Jugar do costu-
me, e que passe a respectiva certidSo.
Eu, Pedro nevero ,da Costa- Leites cs-
crivSo, o escrevi.Manoel Caldas Bar-
reto.
E mais se nSo. continha em dito edital 1
aqui fielmente copiado^ ao.que me^re
porto e dott f.
Palmares, 11 de Abril de 1889.
O escrivlo,
Pedro Lucio- da Cesta Leite.
Um habi tante do Rio de Ja-
neiro
O que se vai lr, e que recommeadamos
attenciio do publico, traz ai assignatuoa
de um dos associados da firma Manoel Joa-
quim Moreira & ''., estabelecidos com urna
importante -fundicao, no Rio de Janeiro, a
ra S. Pedro ns. 302 a 312.
o Illm. Sr. Jos Alvares de Sonza Soa-
res Pelotas. Commnnico-lhe. com a ma-
ior satisfacSo, que o seu sarape t eitoral
de Cambar remedio efficaz eonira a
coqueluche, pois tive occasio-de empre-
gal-o em fmulos de minha casa, que se
achavam atacados daquella,.terrbrcl.moles-
tia e da qual ficaram, em. poucos dias, .cu-
rados.
P !e V. S. fazer o uso que Ihe convier
desta minha communicaeao,. para gloria e
renoine do sen Peitoral de Cambar.
Americ9iSlwlorij-
Escwvao Reg'Barros
Penante-o Sr. Dr. juiz substituto supfjlflato'em:
exorcicio dos feitos da fasenda Jos. Salazar da
Ve-ga i'ossoase vender eui prar.a publica uo dia-
24 docorrente mez de Maio, polas.11 horas da
manila, o seguinte:
Doze cadeiras de guarnif&o, 2 ditas de bracor
2 ditas de bala ni. 1 sof e cousnlos. tudo do .
junco, branco, pelo preco de 126J36U, jnais ,24^
eadeiras de guarnicao, i ditas de braco, 2 'sotas
e 4 consolos, existentes *o estsbelecimentode movis w
Duque de Caxias a. 2I. pertenceate a Baptisti
&C.
. Urna armagao de pinho pintada, 1 balcc, 1
etwtera de amarello. 2 caixes, 1 relogio de pa-.
rede e 1 pipa vasia pintada de verde, existente
ftn eslabeieeimenlo a ra do Caes Viste-Duus de
A'ovembro n. 77. pelo prego de 44o.'0, per*ea.-v.
cente a Joaqmm Ramos & C
Quinze arrobas de carne seoca .existente no
estabelecimento ra Pedro Affonse n. 40, pelo
pcecoi de :(6MoO, perteocente a Moreira Res
&C.
Cujos bens acham-se penhorados e va ser
vendidos para pagamento da fazenda nocional e
costas.
Recife, 21 de Maiode 188!'.
0 solicitador da fazenda nacional,
Luiz Machado liotclho.
Marav il liosos effeitos!
Tendee tosse ou sofreis do peito V...
Nao percais tempo : tomai o Peitoral
de Cambar, que o nico remedio efficaz
para as molestias do larruge, bronchios e
pulmoes.
Com o uso deste poderoso medicamento
debellam-se as tosses as mais impertinentes
e rebeldes e, tambem desappareeem aaop-
pressoes, dores do peito e alteraeSes da
voz ;cessam as espectoracSes songinolentas
e os escarros de sangue; cm pouco tem-
pe, desenvolve-se o appntite, as forjas
perdidas reapparecem^ c cm uaia palavra,
os enfermos sentem urna uiadarba,, .muita
notavel, por assim dizer, reanimam-se e
escapam de urna morte certa 1
O governo imperial. depois da aio*a-
9X0 do Peitoral de Cambar pela Exma.
junta central de hygiene publica acctorisoc
o seu consumo em todo o Brazil por de-
creto imperial de 30 de Junho de 1884.
A academia nacional de Pariz e o jury
da exposicao brazileira-allema, de 1881,
esnferiram ao auctor de to grande e pre-
ciosa descoberta as suas medalhas de Ia
CLASSE de ouro).
Examinai que a marca da fabrica e a
firma do anctorJ. Alvares de S. Soa-
res so anham.noa iTitiilni.qiiPi rirtakim a
rolha e gargalo de cada frasco, como ga-
ranta contra as muitas falsificaccies e imi-
tacoes que por toda parte appasecem.
Este precioso medicamentovende-se em
casados agentes-Francisco Manoel da Sil-
va & C, A ra Marque* de Olinda n. 23.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de seahosas'e creanejas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz a 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da mauha.
Chamados (por eseripto) qualquer hora.
TKLEPHONE N. 226
O Dr. Manoel Caldas Barreto, juia de di-
reito da comarca especial de Palmares;
por Sua Magestade o Imperador, a
quem Deus guarde, etc.
Faco saber eos que o presente -edital
de 20 dias de pregSo e tres pracas vi-
rem, que por este juizo, lindos que se-
5.a seccaa.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, cm 29 de Abril de 188k-
Por esta secretaria sp faz publico,, de
ordem do Exm. Sr. 'Dr. vicepresidente T
da provincia e nos termos do | 2 do art.
Io da lei n. 1,'JOl de 4 de Junho dsrl87:,-
que, tendo-se concluido por mero de laudo ;
de arbitro desempatador, a questao de iraa-
liacao do in.'.tcrial da empr.eza de illumi-
nacS gaz desta cd:do, fica aborte
a concurrencia, eom o prazo de seis ene- v-
zes, .contado da data do pi esente edital,
para contracto da dita illuminac3o^ me-,
diante as seguintcs clausulas da citada loi:
| 3." Nenhuma proposta ser'recebida,
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feita no. Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0Q
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacjo.do contracto, ..
no caso de ser preferida, a sua praposte.
| 4." O deposito, a que se refere bi pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado1!
pelo centractante senSo finda o contracto e
servir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel comprimento- das .clausulas,
que firem estipuladas no mesinc*
5." O contracto s podar- -ser.-feio
com quera melhores vantagens offereoer-
na concurrencia. -
| 6. A nao ser no casa do paragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer outro propoaente.
7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por forea da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacao ter lugar de accordo com
essa.mesma clausula, e ficando. o material
e obras da empreza hypothecadoa pro-
vincia at que estoja reasada a indemni-
sacao ou pelo menos depositada1 a respecti-
va importancia.
| 8. O prazo do contractoi nio podar
exceder a 3i; annos.
9." O preco da lluminacao.'qnerpubli-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
e urna reduccao de mais de 30 \0, pana
os estabeleci mentos de caridade e benenV-
cencia, e reparticoes publicas.
10.e O systema mtrico-, si for mais
conveniente, ser adoptado, pasa a medi-
c5o do gaz.
11. A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranbas, que possam pre- |
judicar a illuminace.o e a hygiene publica.
12. A intensidad media-da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete'
das que queimam sete granmasapor hora,
correspondentes a 120 graos ingleses.
| 13." As hora^de ikHMn*5a*publB..
serao fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anne, nSo podendo
ser em numero menor, da eeis^ I nem maior
de dez, devendo neste caso haver urna
reduocao no precoXdo gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
14. O contractante iser obrigado a
ter na provincia um representante com.
pleno6 e illimitados poderes para+raiar e
definitivamente resolver as questies que
se suscitarem, quer com o gover) m
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leise regulamen-
tos e jurisdiccao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos dopaiz.
| 15. O contractante*aer obrigado a
clico:::- c construir sua- casta um. ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introducir 7.todos, os melho-
ramentos que durante o praoe do contrae
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feito en) moeda do
paiz, sem attencao oscillacao do cambio.
I 17. O contractante poder organisar
companhfa, a qual ficar subrogada em
todos os direitos e obrigacoes do con-
tracto.
1"8. Para as despezas. com a fiscal-
sago do servico de illuminacao o contrae- ..
tante concorrer-annualmenteicsm aiqaaa.
ta de 3:000S000, que sedte teooaoa.itto -
Thesouro Provincial.

r






Diario de PernambucoQuinta-feira 23 de Maio de 1889
^N

t
I
J


|

I
19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condicBes, no
intuito de garantir a boa execuclo do con-
tracto, quer com relaclo a illuminelo pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contraotante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, c
quantia de 994:9170528, de accordo com
a avaliacSo feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Margo ultimo, visto deduzir-
se da de 998:777^528, total da avaliacSo,
a importancia de 3:8605000 paga era
Sresa em 1860, proveniente de 202 canos
e ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peSes, collocados fora do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manad Joaqui;:i Sveira.
Empreza do Gaz
Aviso
A empreza de illuminacSo a gaz desta
cidade por scu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
9S0 do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacjlo mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacSo da empreza
actual a quantia de 998:7770328, por
quanto fram valiadas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliayo nao pode servir
de base para tal indemnisacSo, por ter
sido llegal e irregularmente feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
jtvincia, quer perante o juizo dos feitos da
v fazenda, tendo ir.Vo intimado do mcsmo
protesto o Dr jv ccurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da provincia.
como quer que de va em tempo op
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicacSo para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maio de 1889.
George Windsor,
Gerente.
Urna de Felippe de S e Albuquerque para
nm engenho central de typo maior no de Ipojuca.
Urna do bachaivl Bentb Jos da Costa para um
engenho central de typo maior no mesmo mu-
nicipio.
Urna de Jraquim I Pessoa de Siqueira para
um engenho central de typo maior no mesmo
municipio
Urna da Burooeza de Amaragy para um enge-
nho cenlral de typo menor no municipio da Es-
cada.
Urna de Manoel Tertuliano de Arruda para
um engenho central de typ menor no munici-
pio deBom Judien.
Urna de Joao Demetrio de Moura Aceioly para
um engenho central de typo menor no munici-
pio de Itamb.
0 secretario interino,
Manoel Joaquim Sveira.
DECLARARES
5 secco. Secretaria da Presidencia de
Pernambaco, 20 de Maio de 1889.
Por esta secretaria se faz publico de ordem
do Exm. Sr. vicepresidente da provincia que.
tendo expirado a 18 do corrente o praso de 30
dias marcado para o recebimento de propos'as
referentes aos contractos deonze engenhos cen-
traes em differentes municipios da mesma pro
vincia, na conformidade da lei n. 1971 de 2i de
Mareo ultimo, e sendo marcado o ia de hoje ao
meio da para a abertura das vinte proposlas
apresentadas n'aquella data (18 do corrente;
loram lidas todas, assignadas pelos seguintes
proponentes:
Lma de Napoleo Cesar Duarte, por si o como
procurador do coronel Manoel do Nascimento
Vieira da Cunha para um engenho de typo
maior no municipio de Iguarass.
Urna do bacharel Antonio Gomes Pereira J-
nior, no municipio de Muribeca e em todos os
outros municipios de que trata o edital de 20 de
Abril ultimo.
Urna de Gabriel Germano de Aguiar Montar
royos, Manoel Carneiro Leo e hachare! Anto-
nio Coelho de S e Albuquerque para uui enge-
nho de typo maior no municipio de Muribeca.
Urna de Manoel Xavier Carneiro da Cunha Fi-
Iho, para uni engenho de typo maior no dito
municipio.
Urna de Francisco I.umay, representad" u^r
Theodoro Just e Jacques Bonn-lond para a
funda cao de dous engenhos de typo maior.
sendo um no di"o municipio e outro to do
nito.
Urna do Visconde de Guararapes e de Jos de \
Moraes Gomes Fenvira para um engenho cen-
tral, do typo maior no municipio do Cabo.
l'ma de Joaquim Custodio Duarlc de Azevedo
para um engento central di- typo maior no mes-
mo municipio.
Orna de L-onardo Orlando de Barros e Jos
Piauhilino Gomes de Mello para um engenho
cutral de typo maior no municipio do Benito,
l'ma de Joo de. Siqueira Barbosa Arcoverde,
niitteerto de Siqueira Barbosa Arcoverde, An-
tonio Pamio da Cunha l'erosa n Jos Kella/mi
no Pereira de Mello para um engenho central do
typo maior no mesmo municipio.
Urna de Jos de Barros e Silva para um enge-
nho central de typo maior na mesmo municipio.
Urna do coronel Joaquim Ma.imiano Pereira
Vianna e Manoel Francisco de Souza Lefio para
um engenho central de typo menor no munici-
pio de Jaboatao.
Urna do coronel Joaquim Maximiano Pereira
v'ianna para nm engenho central do typo menor
no mesmo municipio.
L'uiii le Joaquim Xavier.Carneiro de Lacerda
para um engenho central de typo menor no
mesmo municipio.
Pina de Antonio Pereira da Cmara Lima para
um eugeuho central de typo menor no mesmo
municipio. y
O procurador dos feitos da fazenda provin-
cial, tendo recebido do thesouro a relacao abai
xo transcripta los devedores do imposto da de-
cima da freguezia da Boa-Vi|ta, do exercicio de
1886 a 1887 inclusive o 3o semestre que deiza-
ram de pagar no tempo competente declara aos
mesmos devedores que Ihes rica marcado o praso
de 30 dias, a contar da publicaco do presente
edital, para dentro delle pagarero a importancia
de seus dbitos, com guia da seccao do conten-
cioso, certos de que lindo aquelle praso sera feita
a cobranca ?xecutivamente.
Reeife, 17 de Maio de 1889
Manoel Nico'au Regueira Pinto de Souza
COMMERCIO
Revista do Mercado
Iteran. 22 DE MAJO DE 1889.
Henvealguw niovimento no mercado de bam-
bios.
Os outros mercado- estiveram paratvitados.
Bolsa
G*ITAgOE_ OKFICIAES DA .JUSTA DOS OOB
SETORE3
Reeife. 22 Of Mato di: 18S9
Letras hypothecarias com juros, valor de luo.
ao par.
Oarabio sobre Londres. 90div. 26 13 16 i. por
1M00. do banco houtem.
Na Bolsa Venderam-^e
HO letras hypothecarias..
O presidente.
Candido G. Alcoforado.
O secretario,
Ednanio Dabcux
Vlgodu
Cota-se o de Io sorte 300 por I
kilos.
A exportacio feita pela alfaudega ueste inez
it o dia 20, attingio a 878.613 kilos, sendo.. -
715.093 para o exterior e 163.08 para o inte-
rior.
As entradas verificadas at a data de hoje, so-
a 9 363 saccas, sendo por:
-Sarcacas..... 1.975 Saccas
"amores .... l
vnimaes .1.796
/ia-ferrea de Caruar. 829
Tia-ferrea de S.Franc- 713
ia-fema de Limoeiro 1 898 '
Colunia.
11.383 Saccas
Cambio
Os i i ce a taxa de
28 3/4, cacean idamente a 26
13/16, achandi .,-_,
Papel banca rio foi repassido a 96 7/8 e papel
"-sado a 27 d.
Belacao dos devedores das decimas da freguezia
da lioa Vista do exercicio de 1886 a 1887 e 3"
semestre, que deixaram de pagar no tempo
competente.
Biachuelo n. 58. Adelaide Gil de Mal-
tos Lomos 24&38
Visconde de Pelotas n. 9. Adelia da
Silva Santiago e nutra.- 34339.
Gervasio ires n. 37. Dr. Adolpho Al-
ves Simes Barbosa 28-233
Travessa do Veras n. 2. Adolpho
Francisco Lavra 293293
S. Borja n. 16. 0 mesmo 123*998
Atalho n. 21. O mesmo 18*599
Lefio Coroado n. 10. Adolpho Octa-
viano Leal Ferreira 293293
Travessa do Maduro n. 12. Agostinho
da Bocha Lins 14*879
L'nifio n. 73. Alexandnna Amelia Mo-
reir 4*991
Coronel Lamenha n. 8. O mesmo,
parles 7*382
Largo da Igreja n. 7. Alvaro Alfonso
de Oliveira 7*887
Luiz do B'go n. 7. Amelia Ferreira
Saraiva 40*9 8
Capitao Antonio de Liman. 50. Andr
Cursino de Assumpcao 44*638
Visconde de Camaragibe n. 35. An-
gela Maitoso Santiago Baudeira 36*166
Visconde de Albuquerque n 8. Anna
Cabra! 33*013
Atalho n. 3. Amaro de Barros Cor-
reia 61*999
Dita n. 5. 0 mesmo 65*099
Ponte Velha n. 108. 0 mesmo 61*999
Coronel Lamenha n. 4. Amaro Joa-
quim da Fonseca Albuquerque 37*199
Dita n. 6. 0 mesmo 33*013
Dita n. 10. O mesmo 33*013
Largo da Igreja n. 11. Amaro la-
vares 183599
Gervasio Pires n. 97. Anna Carolina
Lopes de Oliveira 42*313
Dita u. 99. A mesma 37*199
Dita n. 101. A mesma 37*199
Biachuelo n. 18. A mesma 123*998
Visconde de (ovanna n. 81. Anna
Clara de Lemos 33*013
Soccgo n. 46. A mesma 22*318
Dita n. 55. A me.-rna 14*879
Pombal n. 18 A. Anna Francisca de
Souza 4*991
Estrada de Joo de Barros n. 23. An-
na Joaquina da Silva 61 199
Principe n. 36. A mesma 33*479
Dita n. 38. A mesma 33*479
Dita n 40. A mesma 33*479
Boceo do Principe n. 2. A mesma 14*879
D o n. 4. A mesma 18*99
Dito n. 6. A mesma 18*599
Sabida de Joao de Barros n. 9 A
iir-ma 555799
Dita n. M. A mesma 33*479
Dita u. 13. A mesma 33S479
Gervasio Pires n. 75. Antonio Isabel
lo Coulo :J3j013
Soledade n. 10. Antonia Maria do
Corpo de Deus Nascimento 115074
Cunde da Boa-Vista ns. 40 a 44. An-
tonio Alberto de Souza Aguiar 92*098
Visconde de Goyanna n. 56. Dr. An-
tonio de Araujo Ferreira Jacobina 185*987
Conccicao n. 37. Antonio de Azevedo
Villaronca 46*499
Visconde de Goyanna n. 74. Antonio
Augusto Pereira da Silva 745399
Largo dos Coellios n. 25, Autonio
Carneiro da Cunha 27*899
Dito n. 27. O mesmo 30*99
Dito n. 29. O mesmo 37*199
Visconde de Govanna n. 14. Antonio
Diogo da Silva 37*199
Dita n. 24. O mesmo 30*999
Dita n. 16. O mesmo 33*013
Tambi n. 13. Antonio Feroandes da
Silva 2*354
Becco do Cajueiro n. 7 A. Antonio
Ferreira da Costa Pinto 37*199
Dita n. i. O mesmo 14*879
Dita n. 3. 0 mesmo 14*879
Dita n. 5. O memo 14*879
Dita n. 7. O mesmo 144879
(Continua)
No Bio o Internacional saccon a 26 15/16 < 03
demais bancos a 26 7 8.
Papel particular a 27 d.
TABELLAS AFFIXADA
I.* ecco.Secretaria da presiden-
cia de Pernambuco, SI de Malo
de 1899
Por,esta secretaria se faz publico que achau-
se nesta repartido, afim de eerem entregues aos
inicressados, depois de satisfeitos os devids
direito?, as patentes de major ajudante de or
dens do conimando superior da guarda nacional
da comarca do Limoeiro, Firmino Jos da Hlva ;
capitao quartel-uiestre do mesmo commando su-
perior Antonio de Pontes Mariuho ; major com-
miindante da 15. se cao da reserva da mesma
comarca c.pitr.o Y; e Silva;
teoeotcoronel 24." batalhao
de infantera da comarca .1.. CroarA capitao
Francisca Rodrigue* I ite-corooel
commaiio -.rva da
mema coanirc Jo [ti o Crrete de
Vasconrv: ; > i' '-'Uimandante
do 18- batalhao de infaal la comarea de
Cabrob. capitao AtiIonio Manuel J niui Sveira '
) interino.
Capitana do Porto
Matriculas a passar mostra
De ordem do IIIm. Sr. capitao tenente Manoel
ugusto de Castro Menezcs inspector deste Ar-
senal o capitao do porto desta provincia, Taco
publico para quem interessar possa. que no
prinwird domingo ue Ju'ho prximo futuro, os
individuos da vida do mar devero apresontar-
se nesta captaioia do po:to com as suas matri-
culas a passarem mostra, conforme o disposto
no art. 66 do regulamento que baixou com o
decreto n. 447 de 19 de Maio de I8'i6, o que
flea estabeleciilo para ter lugar de.dous emdotta
mezes. impondo-se aos remiisos a multa mar-
cada noregulamento.
Secretaria da capitana do porto de Pernam-
buco, 21 de Maio de 1889
O secretario,
Antonio da Silva Azevedo.
Quarla praca
Pela inspectora Hasta Alfaudega se faz publi-
co que as 11 horas do dia 24 do corrente mez,
serao arrematadas em praca i porta desta repar-
tido, as seguintes mercadura-
Arinazem n. 3
Marca AI, 10 grades sem numero, contundo
'00 barris com leos impyreinaticos nfio especi
deudos, peso bruto 500 kilos, tara de 10 0/0, li-
quido legal 450 kilos, viudas de New Xork no
vapor americano Finante, eui 15 de Jutiho de
1888
Armazn n. ">
Marca JHS&C, 1 caixa sem numero, con tem o
25 kilos de carios annuncios impresas em
mais de urna cor, vinda de Liverpool no vapor
mglez Orator. em 14 de Junho de 1888.
Marca diamante 981 no centro, FL em cima e
GP em baix, 1 caixa sera numero, contendo 50
lamina* de vidro com ac at 3 milmetros de
espessura, medindo 1,710 decmetros i4), todos
de mais de 20 decmetros at 50 decmetros
(4) de superficie, viuda de Liverpool no vapor
inglez Orator; em 14 de Junho de 18-8.
Annazem n. 7
Marca diamante, B no centro eSFemcima, 1
caixa sem numero, conieudo annuncios imp/es-
xi? ra mais de urna cor, prso brutj 21 kilos,
abate de 10 0 0. liquido legal l'1 kilos, viuda de
Liverpool no vapor inglez Sculptor, em 2 de Ju-
Iho de 1888.
Marca diamaute e PA no ceutro, 1 dita, dito,
peso bruto 19 kilos, abale de 10 0 0, liquido le-
gal 18 kilos, viuda de Liverpool no vapor inglez
Herckel, em 12 de Junho de 1888.
Marea diamante B no centro e DS em cima, i
dita, dito, dito, dito.
Marca diamaue e PV no centro, idem, dem,
idem, idem.
Marca JFA e contramarca H-P, idem, idem,
idem, idem.
Marca H&C, I caixa n. 50, contendo annuncios
impressos em mais de utna cr, peso bruto 173
kilos, tara de 10 0/0, liquido legal 156 kilos.
dem idem, 1 caixa n. 70 impressos em urna
so cor. pesando bruto 10 kilos, tara de 10 0/0,
liquido legal 9 kilos, viuda do Rio de Janeiro no
vapor nacional Pem mbuco, em 31 de Julho de
J889.
3.1 secefio da Alfaudega de Pernambnco, 22
de Maio de 1889. -O chefe
Domingos Joaquim da Fonsee.
Obras pub|icas
De ordem do Illm. Sr. eijlgenhr-iro director ge-
ral, faeo publico que no da 28 do crreme, ao
meio dia, nesta reparticS", recebe-se propostas
em cartas fechadas, competentemente selladas,
para exeODCjU dos reparos de que necessitam o
bocho sobre o riacho Joss e a curva do Caxito.
na estrada da Victoria, oreados eni 649-iOOO.
O licitante devora, para poder coucorrer
praca cima, depositar un Tlicf-ouro Provincial
a quantia de 32-5450.
S-crtiaria da directora ernl das Obras Publt
cas "de Pernambuco e;n 14 de Maio de 1889.
O Migtfihrfro secretario
Luiz Antonio C. da Albuquerque.
S. R. G.
se > x
? 3
; i 2- i
3
O B
" -2
5 o
I*
o. .
3- I
3
t
I
9
a
u<-i4-Uual<- Rccr-alia Comiuerrial
Sarao extraordinario em honra a nova di-
rectora em 26 do corrente
Scientlcamos a todos os-senhores socios que
os convites e ingressos acham se em poder do
Sr. thesourciro da sociedade, e assim como so-
cio algum peder ter ingrjaso sem assignar n
respectiva cola. Aggregados nfio sao admissi
veis.
Sala Jas scsses da commisso promotora, 96
de Maio do 1889.A commissfio
Manoel Ferreira.
Manoel J. Ribeiro Jnior.
Manoel Euzebio Simes.
at o dia 20, subi a 2.422.703,5 kilos, sendo.....
M9.332 para o exterior e 1.473 371,5 para o inte-
rior.
As entradas verificadas at a data do hoje, so
bem a 16.531 saceos, sendo por :
ercao. Secretaria da prroidt n-
cia de Pernambuco. 1 de Malo
de lSO
Fago publico que achara-se nesta secretaria
as patales imneriaes reformando nos mesmos
postos os seguintes ofliciaes da guarda nacional:
Beiiio Jos Ferreira Rabello, Candido Xavier
Pereira de Brilo e Paulino Velloso Freir, coro
neis commandantes superiores das comarcas de
Goyanna. Cimbres e ltanib; Jos Joaquim Ar-
mando Agr, Brasiliano de Barros Correta, Joa
quim Beserra da Silva, Francisco Cavalcante de
Albuquerque o Joao Guilherme de Azevedo Lyra,
tenentes coronis couiuiandantes dos batailies
ns. 18, 23, 24, 51 e i.' de reserva das comarcas
de Cabrob, Caruar e Cimhres ; Joo Salvador
dos Saulos e Luciano Jos Nojiueira de Mello,
majorea ajudante de ardeos secretario geral do
commando superior da comarca de Caruar e
couimandaiite da 2.' eccio do bailh.: da mes-
ma comarca e Diogo Lins Conoiro de Albuquer-
que capitao quartel-in<-ire do commando supe-
rior da comarca de .N'azuretb.
0 secretario interino,
__ Mauoel Joaquim Sveira.
Thesou.aria de Fazenda
Porneeimcnlo ao presidio de
Fernando
De ordem do Illm. Sr. inspector, faro publico
que no dia 6 de Junho prximo viidouro, pe-
rante a sesso da junta desta Thesouraria que
fntnecara i.s 11 horas da manila, serao abertas
as propostas que ato o dia anterior (5) forom
ni rindas, aliin de ser contractado, com quem
iicllk>res vaiilagou olTerocer, o forneciniento de
Seeros e arligos para o presidio de Fernando
de Noronha, durante o semestre de Julbo a De
teinitro deste auno.
rssas pioposlas devein vir devidanienle sel-
ladas e fechadas; e os p> oponentes requerero
previamente a esta Thesouraria provan.lo que
sao negociantes matriculados e se acham qui-
los relativamente ao imposto de industrias e
prolisses do ultimo semestre, e declarando que
-e olirigum a entregar os referidos generse
artigos no mencionado presidio.
Oulrosiiii. nao serio aceitas as proposta3 que
conliverein aitigos nao mencionados ueste edi-
lal; era lanHiom aquellas cujos pregos ostive
rem sujeitos a abaliineiilo ou descontos por isso
que os mesmos pregos de vera HT invaraveis.
O preditos geinios e arligos sao :
Aoo'jcar mascavinbo. kilo.
Arroz pilado, idem.
Assucar branco relinado { sorle, idem.
Aleiria, idem.
Ararula, kilo.
Alcool de 36 a 40 graos, litro.
rame, kilo.
Agua ra, litro.
Algodo trangatloazul c msela, metro.
Ago quadrado ou milo. kilo.
Azeite doce, iitro.
Algodaosnho, inolro.
Algodo trancado de listras, idem.
Agulhas para"costuras, papel.
('Arcos de ferro sonidos, fexe.
rame de lajo, kilo.
Arilbmelica de Castro Nunos, urna.
Boles de osso com dous furos, caixa.
Barbante, kilo.
Boi vivo, um.
1 acalhu. kilo.
Danba de porco, idem.
Urim pardo de algodo. metro.
Cha hysson, kilo.
Caf en grao, dem.
Copo de vidro, um.
Camisolas de brim. idem.
Ditas de algodo, idem.
Ditas de. forga, idem.
Garri de podra para rreiro, kilo.
Cartas de A B C, urna.
Cullecijao do traslados. dem.
Cordas de croa, pega.
Cobertores de l cncarnades, um.
Ditos de d'ta escuros. dem.
Cabos de Manilha, kilo
Cabo para enxada. um.
Chapeos de haeta, um.
Cabos de Cairo, kilo.
Colla da Baha, idem.
Cobre em folha, idem.
Caivete lino, um.
Cera branca em vellas, kilo.
Ditas em brandres. idem
Canelas de pao, duzia.
(.Ilumines patent. um
Cabo de lindo de todas as diraenses, kilo.
Dnutrina Corista, una.
Doce (le guiaba, kilo.
lSnxumeis, um.
Envelopes in folio um
Ditos para oflico, idem.
Boxadas de .! 1|2h 4 linras, urna.
Esleirs do nina, idem
Estanto em nirn, ktlo.
Esleirs de uatb 1 para cangalha, urna.
Fejo sacra.
Fannha do mandioca, litro
Dita de trigo SSSF. barrica.
Dita de tapioca, kilo
Flele de cores, metro.
Fumo em latas, kilo.
Fnlha do Flandres. orna.
Facas de ferro, duzia.
Ferro inglez sueco sonido, kilo.
Fios de vela, dem.
Grainiiiatica portugu'.za de C. Nunes, uuia.
Dita de Ablio, dem.
Geometra, idem.
Ceographia, idem.
iiomma laca. kilo.
Go'.nmi arbica em p, idem.
Dita era c.rojo, dem.
\'<\7. idisni.
II isti~, una.
Histeria ti Brasil, dem.
Incens. iih:m.
Kerosene, lata.
Lencoes de algodo. um.
Lacros, pao
liarcagas
Vapores
Ammaes....
Via-ferrea de Caruar.
Via-frrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
Somma.
11.633 Saceos
ex
2.339
1.178
752
16.531 Sacros
* S 1^ s * 1 8 > 5
- 1 e- 1
-. ' m Kl <

1^ x-. 9 i' i 5
: *N> 8
; : w : J es :
'. '3 E S " 4

t* m <% 3-
5 S 8 H 8 E 1 B 5
-& iv
f s ?
;" ; i 1 5 ^ -
i
* a. 2.
1 i i i. JLL i JL - CA S
Ansuear
Os pregos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
gundo a Associaso Commercia Agrcola, foram
os seguintes:
Broncos..... 3J300 a 4*000
Someno..... 2*200 a 2*300
Mascavado purgado 1*800 a 2*000
bruto. 1*700 a 1*800
Rtame i** a l*6'i
.tagua, feita pela alfandega ueste mez
Agurdente
Cola-se a 80*000, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cota-se a 170*000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Couros
A cotacio dos salgados regula 385 ris e dos
verdes 205 ris.
Pauta da alfandega
SKUAIU K 20 25 DE MAIO DE 1K
Vide o Diario de 19 de Maiu
.\avios carga
Lugar portuguez Temerario, para o Porto.
!%'avio> descarga
Barca nacional Maria AnytUna, xarque.
Barca nacional Mariumnka, xarqne.
Barca uorueguease Fortuna, carvso.
Barca norueguense Dwc, caavao.
Barca norueguense Levingtkme, carvo.
Patacho hollandei Engetta, xnrque.
Patacho norueguense Amaranth, carvo.
Patacho allemo Auton, xarqne.
Patacho americano Harriet G., graxa.
Patacho nacional Rival, xarqie.
Patacho hollandez Margaretha, xarque.
Iniportacio
Lugar nacional Tigre entrado de Pelotas em 22
do corrente e consignado a Baltar Oliveira & C,
manifestou :
Xnrque 245.000 kilos ordem.
Vapor austraco Medusa entrado do Trieste e
escala em igual data e consignado a Henry
Fa-ster C, manifestou :
Ac 125 feixcs orden.
Azeite de oliveira H c.uxas a T. Just.
Ceneja 30 r.iixas i ordem. 30 a Cramer Frey
&C
Farinba de li igo 300 barricas ordem, 680 a
Lopes Irmo- 1... 1,320 a Machado Lopes a
C, tOO aos o s 1; 11 lailos.
Livros 1 caiso :l Abe > loiu -V C.
Mercadorias iliw rus '. caixas ordem, 3 a
T. JOst.
;\portacSo
RKCIFa. 21 r>K M.VIO DB 1889
rara o exterior
No Vapor alleuio lamburgo, carregaram:
Para Uamburgo, V. Xcoscn 500 couros salga-
dos com 0,0011 kilos ; M. Lima & C. 159 saccas
com 12,500 kilos (o algodo.
Su vapor inglez Victoria, carregaram :
Para Bltico, Borstelraan 4 C. 500 saccas com
37r013 kilos do algodo.
Faro o interior
Na bareaca I inda Rosa, carregou :
Para Natal, "C. Alcoforado 1,008 saceos com
fannha de mandioca a entregar a presidencia da
provincia.
Na bareaca D. Constancia, carregaram:
para Cear. M. Borges & C. 100 saceos com
7,500 kilos do assucar branco o 50 ditos com
3,750 ditos de dito maicavado.
Na barcaga Alia, carregaram :.
Para Maeei, P. Alves & 12 barricas com
1.280 kilos de assucar refinado.
No cter Colambo, carregaram :
Para Natal E. C. BeltrSo & Irmo 20 saceos
com 1,200 kilos de assucar branco.
Rendlmcntos publico*
MEZ DB MAIO
Alfandega
Ben;ld eeral:
Do dia 1 a 21 o23:34S859
dem de 22 21:611*826
Beuda provincial -
Do dia la 21 51458*490
dem de 22 1.862*039
1 *.______________________
544:960*685
53.3.0*5.9
&>n-T_a total 598.284*214
Segunda secg-t ita Alfandega, 22 de Maio de
1889.
8 thesourciro-Florencio D_dnfues.
chefe da secg-o -Cicero B. de Mello.
Lixa esmeril, folha.
Limas sortidas. duzia.
Ditas de desbastar, urna.
Liraates sonidos, idem.
Lapis de borracha, duzia.
Ditos de Faber pretos, idem
Ditos de campia idem, duzia.
Linba branca n. 20, carritcl.
Lenges de linho, um.
Limates e limas sortidas, caixa.
.apis de cores, duzia.
Livro 1. de lcitura, um.
dem 2. de leitura, idem.
dem 3 de leitura. idem.
Manteiga iogleza, kilo.
Manteiga franceza, dem.
Marmelada, idem.
Manuscriptos, idem.'
Mangaes de Ierro para carina, um.
Macarro, kilo.
viadapolo, peca.
Milho, sacro.
Oleo de linbaga, litro.
Marmitas de folha, urna.
Ocre araarollo, kilo.
Papel almasso pautado liumo. resma.
Dito carlao mata borro, folha.
Pedias para escrever, urna,
Paos de jangada para balsa, idem.
Ditos grossos, idem.
Pavios para candieiros patent a gaz, dem.
falla de carnauba para cba'pos urna.
Pregos de ferro surtidos, kilo.
Penuas de ago Perry, caixa.
regos franceses, kilo. ,
Piche, barril.
Sabo amarello, kilo.
Systema mtrico, um.
Sola, meio. V.
Sal de cozinha, litro.
Tinta azul da Prussia, kilo.
Tinta preta, litro.
Toalhas de algodo, urna.
Taboadas, idem.
Telhas dezinco. 'dem.
Vidros para vidraca, um.
Verde cliromo, kilo.
Vinagre de Lisboa, litro.
Vinho branco, dem.
Vinlio do Porto, idem.
Vassouras de piassava, urna.
Velas stearinas, kilo.
Xarque, idem.
Zarcao, idem.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 20
de Maio de 1889.
0 secretario da junta,
Dr. Antonio /ose ,/c Santa Anna.
..Neo isramcioAL
DO
Capital 9<>.(0u:00IA
Idem rcalisado fl3.000:000
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Cpmmercio n. 40, saeca, vista ou
a prazo, contar os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LONDON..(Banco Internacional
)do Brasil,
London office.
( London A. Coiinfy
( Banking Company L.w
PARS......(BanqucdeParlsd-des
( Pays-Bas
b Deutsche Bank.
t Bank d'Anvers.
Banca. Genrale e suas
agencias.
Banco Hipotecario de
Espaa e suas agen-
cias.
Hamburgo.."]
Berlim.......f
Bremen......
Fr ankfun|
surMnin...
Antuerpia ..
Roma........',
Genova.
aplos.....I
Mifaoeinais,
340 eida-j
des de IUi-,
lia...........'
Madrid......,
Barcelona..
Cdiz ..
Malaga......|
Tarragona .
Valen cia e
ou tras c i-1
da des d a I
Hes pa ilia
e ilhas Ca-
narias .
Lisboa..
Porto e mais I
cidades de
Portugal ej
ilhas...
Buenos Ay-
res .........,
Mon tevido
NovaYork. G. Amsink & C.
Compra saques sobre qualqncr praca do
imperio e do estrangeiro.
Recebo dinheiro em tumUx corrente de
movimento com juros na razio de 2 "/o *"
auno c por letras a prazo a juros eonven-
eionados.
O gerente, miliaiu M Wtstba:
Recebedorla eral
Do dia 1 a 21 29.067*837
dem de 22 3:290*392
Banco do Portnsa!
The Loudon & River
Plata. Limited.
32:357*929
Recebedoria provincial
Do dia la 21 16:834*932
dem de 22 401*326
17:2364278
Reeife Drainage
Do dia la 21 5:348*769
dem de 22 69*289
o:419*Oo8
Mercado Nunripal de H. lua
O movimento deste mercado no dia 21 de
Maio fot o segninte : .
Eutraram :
30 bois pesando 3,272 kilos.
302 kilos de peixe a 20 ris 6*040
70 cargas com farinba a 200 ris 14*000
4 ditas com feijao a 200 ris 800
2 ditas com mimo a 200 ris 400
7 ditas de fructas diversas & 300
ris 24100
20 taboleiros a 200 ris 4*000
16 suinos a 200 ris 3*200
24 matutos com legumes a 200 ris 4*800
Foram oceupados:
30 columnas a 600 ris 18*000
i escriptorio a 300 ris 300
24 compartimento* de farinaaSOO
ris 1.4000
24 ditos de comidus a oOO ric 12*000
74 ditos do leguuie? e razcndasa400
ris 32*400
16 ditos de suinos a 700 ris 1U2U0
10 ditos de fressura* a 600 ris 6*000
32 tainos a 2* 64*000
Companhia de Edificado
Assembla geral extraordinaria
Nao se tond reunido numero legal de accio-
nistas para que se effecluasse a assembla geral
extraordinaria pela segunda vez convocada para
noniem, fago publico, de ordem da directora e
de conformidade com a resoluco que tomn em
sesso extrao.dinaria. que se devem os seohores
accionistas reunr-se em assemrda geral ex-
traordinaria no dia 23 do corrente mez, ao meio
dia, no esc iptorio da companhia. praga Pedro
2." 11 77, 1 andar, bem como que nesta reuniao,
cuja convocLcao h ije pela terceira vez feita, rc-
solver-se-ha com qu.dquer numero de accionis-
ta, em trade do i 4 do art. 15, da lei n. 3150,
de 1 ilo Novembro de 1882, 4 respeito, como j
foi aununciado, da possibildadejou impossibi-
lidade da reorganisagSo da companhia, segundo
o plae impre'-so Jo gerente, e da conveniencia
ou nao conveniencia da liquidago da compa-
nhia. Chamo a altencao dos serihores accionis-
tas para o 8." lo mencionado art. 15.
Reeife, 16 de Maio de 1889.
Ricardo Menezes
Gerente. /
Obras Publicas
De ordem do Illm. Sr. engenheiro director e-
ral e em virlude de ordem da presidencia da
provincia, de 15 do correte fago publico que,
no dia 31 deste mez ao meio dia, nesta directo-
ra, recbese propostas em carias fechadas,
competentemente selladas, para execucao das
seguintes obras :
Reparos da coberla do edificio da Escola i'o-
Jelo, orgados em 1:402-3!70.
dem da ponto sola-o rio Pirapama, no Eiure-
abo Novo do Cabo, orgados em 9095920.
dem da ponte de S. Joo. na estrada do Pao
J'Alho, orgados em 1:664*360.
O licitante dever depositar no Thesouro Pro-
vincial quan'ia equivalente, a 5 do valor de
cada un dos orgamentos.
Secretaria da Directora Geral de Obras Publi-
cas, Ki de Maio de H-89.
O engenheiro secretario.
Luiz Antonio Cacalcante d'Albuqucuue
Pede-se aos Senlio-
res eonsummidores
que queiram fazer
qualquer communica-
jaesta feita no eserip-
torio desta empreza
ra do Imperador n.
?9, onde tambem se re-
ceber qualquer conta
que queiram pagar.
Os nicos cobrado-
res externos sao os Se-
rihores Hermillo Fran-
cisco Rodrigues Frei-
r e Manoel Antonio
da Silva Oliveira, e
quando for preciso o
Sr. Antonio Martin s
Carvalho.
Todos os recibos
desta empreza devero
ser passado em tales
carimbados e firmados
pelo gerente, sem o que
nao tero valor algum.
George Windsor,
Gerente
Matadonro pnblieo
Nestc estaelecimentofoiam abatidas para o
cousumoale hoje 76 rezes perlencenles a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE MAIO
Sul........ Sergipe.......... .'i
Europa....... La flota.......... 24
Norte......... Para............. 26
Sul........... ViU>i i Cear..... 26
Sul........... Neva............. 26
Sul........... flamburg......... 27
Hu........... Rtptrtto Santo..... 27
Europa....... Ltnooon.......... 28
Europa....... Yule de Bahia .... 28 '
Sul........... Advance......... 30
Europa....... Campias......... 30
Norte......... Finunce........... 30
Montevideo .
Cear e esc..
Rio e esc
Antuerpia ..
Havre eesc
Norte.......
Vapores a sahir
MEZ DE MAIO
.. La Plata........
Pu-apama ,----y-
Para.
eca.........
vate de Cear..
Espitto Santo .
R#iime
rente
nto dos das 1 20 do cor-
192,1240
3:8924560
Foi arrecadado liquido at hoje
Pregos da dia:
Carne verde de 280 a 480 res o kilo.
Carneiro de 720 a SOOreis idem.
Suinos de 580 a 640 res idem.
Farinba de 500 a 720 res a cuia.
Milho de 800 a 900 res idem.
f-tifto de 800 a I*, idem.
4:0644800
Hamburgo ... Hamburg.
>antose esc.
Santos e esc..
New-York....
Sol..........
santos e esc.
H
_6
27
18
28
Lissabo.......... 29
Yule de Bahia..... 29
Advance.......... 30
Campias......... 30
Finance ..... ..:.'30
4
i
o
3
4
o
i
i
4
_
4 b.
4h.
tlovimeato do porto
-- Navio sahid.os no dia 22
Trieste e escala24 dias, vapor austraco ife-
duza, de 1775 toneladas, commandante G.
Mettel, equipagem 30, carga varios gneros;
a Johnslon Pater & C.
Rio Grande do Norte-5 dias, hiate nacional Cor-
re do Natal, de 50 toneladas, mestre Joao
Guedes de Moura, equipagem 5, carga varios
Seros; a Fraga Rocha & C.
as-28 dias, lugar nacional Tigre, de 238
toneladas, capitao Antonio Nones de campos,
equipagem 10, carga xarque; a Baltar Olivei-
ra & C.
Taleuana (Chile)83 dia?, barca ingleza Wmd-
sor Castle, de 613 toneladas, capitao David Ja-
mes, equipagem 14, carga trigo em grao; a
ordem.
Navio sahido no mesmo dia
Alto marVapor ingles Buccaneer, .commandan-
- te W. Barker, carga fios telegrapbicos.




#3


Diario de PernambucoQuinta-feira 23 de Maio de 1889
i
LARGO DO ARSENAL DE GUERRA
EMPRES V E DIREC^AO DE
J HONORIO PALACIOS
Quinla-feira i.i de MaioQuinta-feira
I^GB.vM;:; S S T BE CARIMBE*!*
;i favor dci sociedade beneficente


l.%
WA
Compaulia
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
* EST :' 1803
Edificio e mercaderas
Taxas baixat
Prompto pagamento de prejtiiz'is.
CAPITAL
R8. l0
ACKNTI
BROMA* A <.
N. 5-RUADOCOM.MEKCION. 5
CHARGEURS REUNS
('ompuiibin Francesa
DE
t'avegaeo a vapor
-inha regnlar entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro e
Santos.
O vapor
Ville cU ( ear
Depois de exocutada pola msica do Ae:i*l de Guerra, urna peca de seu
repertorio, dar principio u raftccJU) que esta Ilustre companhia dignou-se conceder ao
MONTE 110 POPULAR IERNAMBACANO
No ultimo intervallo ir urna commissao do Moule I*Io. agradec ao 8r.
Honorio Palacios o seus corapanheiros de trabalho, a generosidade que tiveram cwi-
cedendo-lhe o presente bencricio.
O Monte P.o Popular Pernambueano, a;jroveitando a occasSo antecipa os cus
agradecimentos a todos nqnelles que acccitarain biioti-s do seu beneficio.
Cumecar s 8 o l\2 limas da noute.
mm
1/8
GONTftA FOGO
Tbe Liverpool Loudon & (lobe
idtsuha::g2 mtPX?
8LAC8SUBV, tlim, S C.
Ra do Commercio n. 3
PROJEGTO DE HVSCRIP$AO
Para a 26.a corrida que dever ter lugar no
dia 30deJaiode 1889
1. PAREO SBarinonla 900 metros. Animaes da provincia que nao tenham
ganboem 1889 nesta ou maior distancia. Premios: 250t9>000 ao primeiro,
OiJOOO ao segundo e 25(5000 ao terceiro.
2. PABEO Internacional1.400 metros. Animaes dequalquer paiz que nao
teuham ganho em 1889 nos prados do Recife. Premios: 4000000 ao
primeiro, 805000 ao segundo e40f?000ao terceiro.
3. PAREO Destreza 1.600 metros. Animaes da provincia que nlo tenham
ganho em 1889 n'esta distancia. Premios: 300)5000 ao primeiro, 60)5000
ao segundo e 30i5OO0 ao terceiro.
4." PAREO__Ferro Carril1.600 metros. Animaes nacionaes at meio sangue
Premios : 4005000 ao primeiro, 80)5000 ao segundo e 40)5000 ao terceiro.
.0 PABEOPrado Pernambueano1.609 metros. Animaes de qualquer
paiz. Premios : 600)5000 ao primeiro, 1200000 ao segundo e 600000
ao terceiro.
o." PABEO i.' de lulho (hasdicap) 1.400 metros. Animaes pelludos do
paiz Premios : 3000000 ao primeiro, 600000 ao segundo e 300000 ao
terceiro.
7." PABEO Imprenta Pernamfoucana1.200 metros. Animaes da provin-
cia que nao tenham ganho este anno n'esta distancia. Premios: 2500000
ao primeiro, 500000 ao segundo e 250000 ao' terceiro.
Observares
S sero aceitas para cada pareo quinae propostas. Cada enveloppe dever
conter urna sS proposta, e caso appareca mais de urna, m ser acceita a primeira
que for lida, sendo recusada a proposta que nao vier acompanhada da importancia
da inscripcSo
Nenhum pareo, se realisar sem que se inscrevam animaes de trez propnetanos
differentes.
A inserpyuo encerrar-se-ha qiiinta-feira. 23 do corrente na secretana do
Prado Pernambueano, a ra do Imperador n. 83. 1 andar.
Recife. 18 de Hato de 1889.
O GERENTE,
Francisco de Souza Reis.
Companljia >c Seguros
cora poso
NO&THEBN
de Londres e Aberdacn
l'osigo fin.incnra ^Dczembro de 1885,)
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.134,348
Recelta animal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. Boxinell.
Rojal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
R.DEDRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
Commandiute
Lainev
Espera-sedas portos do sul uo
^.dia 6 do corrente, seguindo
-depois da indispensavcl demora
para o navre.
Conduz medico a bordo, 6 de man ha rpida
e ofTcrece expelientes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de aulc-
mao.
Offerecendo-se mais aos viajantes paa Pars
Indicies do caminho de ferro do Havre a Pars.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para o quaes ttuo i sedientes arcommodaces.
Para carga, passagens. encommendas e di-
nheiro a frete : tratase com o AGE.NTE.
: -O VAPOR
Ville de ftahia
Conimandiinte l'oux
K'esperado da Europa at o dia 28
de Maio, seguindo depois da in-
.dlspensavel demora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Rogase aos Sis. importadores de carga pelos
vapores desia linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamaco concernente a volumes que
pon'enmra tenham seguido para os portos do
mi alim de se podei dar a lempo as provi-
dencias necessaria8.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsamlisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o >
AGENTE
Auguste Labiiie
9 RA DO COMMERCIO 9
l CANA
COHPUIA.V1 PEDMA
DE
Xavegaeo costelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco Mosbor, Araca-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Commandante Carvalbo
Segu no dia 25 do corrente s 3
horas da tarde. Decebe carga ate o
' ,i; .i.
,dia 24
Encommendas, passagens c -dinbeiro frete,
ate s 3 horas fia tarde do dia da partida.
E80RIPTORK)
Ao Caes da Companh.ii Pcrnambucanu
n. 12
comp.\h:aa ri:uv*Miti casa
DE
.\'arega^So costelra por Vapor
POBTOS DO SUL
Micei, Penedo e Aracaju'
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no dia do 2* corrente s
5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 24.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCBTOBIO
Ao Caes da Companhia Pernambueano
n. 12
Leilo
DGRBY CLUB
PERNAMBUCO
INDEMIVISADORA
Companhia de Segaros
MARTIMOS E TEBBESTBES
Estabeleclda em 1SM
CAPITAL 1,000:000^000
SLMSTROS PAGOS
At 31 de Dezemlirode I *S4
Martimos.. 1,110:000#000
Terrestres. 316:000^000
44Ba do Commercio44
Companhia de Seguros
UtUMit &t l^ifiHz
AUKMK
Miguel Jos Alves
N. 9IIun Koin Ji'u-\. 1
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segurados isemp-
i.'So de pagaiiicnto de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por rento em favor des segurados
MARTIMOS COMBA Flllill
Companhia Phenl v Per-
nambncana
RA DO COMMERCIO N. 38
SAT CASA
CASAS PARA % II 4. % II
Tendo a directora instituido um premio annual para animaes de meio sangue
procreados e nascidos na provincia, o determinad" <|ne a corrida para este premio
seja a primeira do mei de Maio de cada anno; lita desde j constituido o projecto,
de inscripc2o para a primeira corrida, que dever ter lu^ir em Maio de 1893.
! i HKtfl
PARA O
PREMIO UV ESTAMPA
EM MAIO DE 1893
4nimaes de meio sangue procreados ua provincia e nas-
cidos no auno de 1890
Distancia2.000 metros. Premios: *.000 ao piiiueiro, WQgQQQ ao se-
gundo e 300)5000 ao terceiro.
Entrada 1605000 em duas prestagSes, a 1/ de GO^OOO uo acto da nscripcao
at 30 de Dezembro de 1890, a 2.a de lOOrJOOO at 1 de Abril de 1893..
Observacoes
Na occasiao da inscripcSo dever o proprietario apreseatar certidao de haver
o animal sido inscripto no Stood Book Pernambueano, deuti-o do mez seguinte ao do
uascimento. .
O proprietario que n2o pagar a 2.1 prestasSo perde o direito al.
A deckrasSo de fort-fait, que ter lugar 3 dias antes da corrida, d ao pro-
prietario o direito de rehaver metade da 2.a prestaclo.
Para que se realise o pareo preciso que inscrev&m-ae c corram pelo menos
quatro animaes.
Secretaria do Derby Club de Pernambuco, 16 de Maio- de 1889.
O OEBENTE,
Henrijuc Schutel.
I,' meecm.aeeretmTta Iw pi-ealdea-
<-la de Prrnamburn. 16 de Halo le
san
Fago publico queacha-se uesla secreUna a
portara dogoverno imperial couccdeiido a Fran-
cisco Seraphico Gomes do Reg, capito da 4.
companhia do 7 antigo balalhSo de reservada
goarda nacional desta provincia, dispensa do
lapso de tempo decorrido, aura de que o referi-
do oficial, que foi reformado no posto de major,
possa solicitar a respectiva patente.
0 secretario interino
Manoel Joaquim Silveira.
Iistilito Archeologico e Geogr-
fico Penaubucano
Qninta-feira, 3 do corrente, hora do cost-
me, haver sesso ordinaria.
Secretaria do Instituto, H de Maio de 1889.
BaptisU Regueira,
I secretario.
I,' f-r.- *eerelrla da preaiden
de 189*
Por esta secretaria se communica a quem in-
teressar possa, que por portara do Ministerio
da Jostica de 9 do correte, foi concedida dis-
pensa do lapso de tempo decorrido para que o
coronel reformado da puarda nacional da comar-
ca de Olinda Manoel Dionisio Gomes do Reg,
possa solicitar a respectiva patente.
Manoel Joaquim Silveira
Secretario interino.
London & Brasilian Bank
Limited
Roa do Commercio n. 32
Sacca por todo* os vapores sobre as cal-
zas do mesmo banco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas n. 75. Ne
Porto, ra dos Jnglezes.
Ra da Moea n. 49, armazem
dem do Vigario Tenorio n. 27, laja
dem idem n. 32, 2.a andar
dem idem idem, 3.* andar
dem idem n. 25, 1." andar
dem do Encantamento (Rispo Sardi-
uha) n. 11. 2. andar
dem do Mrquez de Olinda, sobrado
n. 44
dem idem n. 33, idem
Idem do Bom Jess n. 29, 1. andar
dem de Domingos Jos Martins n. 136,
loja e Io andar
dem idem n. 136. loja
dem de Thom de Souza n. 14,1 andar
dem do Imperador n. 81, loja, 1. c
2." andares
dem da Virato n. 1!>. casa terrea
dem de S. Tnereza n. 7, idem
Parnameirim, casa e sitio
S. Lourengo da Malta ca-a terrea
Ra do Padre Floriauo n. 43, casa
Ra do Mrquez de Olinda n. 33,
sobrado
dem do Padre Floriano n. 65,
casa terrea
dem de S. Rento, n. 3 em Olin-
da idem
Estrada de Parnameirim sitio
JOJOTO
200*000
805000
180a'J0
:J6S00
:UO000
3:131*000
):S00JO0
2i0000
400:3000
200^100
2005000
I :.'WUO00
240*000
216000
460 000
60*800
180*000
1:200*000
200*000
240*000
420*000
MARTIMOS
Royal Mail Steam Packet
Companhy
O vapor La Plata
Commandante A. H. Dyke
j^fc
Ebpera-sc da Europa at o dia 24 de
Maio, seguindo depois da demo-
ra do costume para
arrio. Baha, Rio de Janeiro
e Sanios
Para passagens, fretes e encommendas '.rata-
sc com os AtiENTES.
O vapor Neva
Commandante G. M. Hicks
E' esperado do sul no dia 26 de
Maio, seguindo depois da demora
necessana pon
Isboa, vago, ^oalhaa|lon e
Antuerpia
a
Reducco de patsutjf.ns
Ug h'A'rolta
\' Lisboa 1* classe t 20 t 30
A' Southampton 1* classe 28 x 42
Camarotes reservados para o iros de
Pernambuco.
Emanante vigorar a quareuteua imposta na
Repblica Argentina, aos vapores e navios pro
cetes do Brasil, os vapores dsta companhia nao
aceitarao passageiros nem carga para Buenos-
Ayre8.
Para passagens, fretes, encommendas, trata-ee
com os
AGENTES
Amrim Irmos & C.
N. 3Roa do Bom JessN. 3
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
norte at o dia 3 de Junho
o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha, Ro de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiroa frete : trata-se com os
AGENTES
Ovapor Advance
E' esperado dos portos ao
sul at o dia 6 de Junho
o qual depois da demo-
ra necessana seguir
para o
MaranhSo, Para. Barbados, S.
Thomaz e \ew-York
Para passagens carga, encommendas e di-
nbeiro a frete, trata-se : com os /> GENTES.
Henry Forster & C.
8Ra do Commercio8
1* andar
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Equateur
Commandante Moreau
E' esperado dos torios do
sul no dia 2 de Junho,
seguindo depois da demo-
ra do eos ume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Ka/.-c -abatunento de 15 0|0 em favor das fa-
uiiliat compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarem i passagens inteiras.
Por excepcao; os criados de familias que to-
uiarem bilhetcs de prfla, gozam tambem deste
al alimente.
Os vales postaes s se do at o dia 31 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : tra'a-secom o ,*GEJTfE.
O paquete Nerthe
Commandante Jezegabel
E' esperado da Europa no
dia 4 de Junho e segui-
r depois da demora ne-
cessaria para
Bata, T<> de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Letnbra-sc aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercadu-
ras que s se attender a reclamaces por fal-
tas, nos volumes, que forem reconhecidas na
occasiao da descarga, assim como devero den-
tro de 4 horas a contar do dia da descirga das
alvarengas, fazerem qualquer reclamacao con-
cernentes a volumes que porventura tenham se-
Sido para os portos do sul, afim de podor-se
r a tempo as providencias necessarus.
Entes paquete no iiiinaiimdos
lux elctrica.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
sle Labillc-
9 Ra do Commercio .9
Augr.
Gjmpanhia Brasileira de
Navega^ao a Vapor
PORTOS DO SUL
Ovapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos porto3 do norte at
o dia 23 de Maio c depois da de-
mora indispensavol segura para os
portos do sul.
As encemmenda sero receidas uo trapiche
jarbosa at 1 hora da larde do dia da sahida.
para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
POBTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante JoSo Mara Pessoa
n 2i E' e8gerado dos portos do sul at o
A"3M&k dia 27 de Maio e seguindo depois
Sida demora indispensavel para os
^R^^portos do norte at Manos.
As encommendas s serao recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde de dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6*=eRua do Commercio=^6
Io andar
Companhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
ju, Estancia e Bahia
O vapor Sergipe
Cemmandante Rebello
E' esperado dos portos cima
at o dia 24 do corrente, e re-
gressar para os mesmos, de-
,pois da demora do costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinher
ro a frete tratase com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqneira
17Ra do Vigario 17
LEILOES
Quinta-feira 23. o do engenho Resgate, pre-
dios e 1 armaco envidracada.
Sexta-feira 24. o de movis, louga, vidros,
espelhos, quadros e mais objectos da chcara
em que morou a Exma. Sra. Buroneza de Cama-
ma.
4. e ultimo leilo
Do engenho Resgate
Na comarca do Bonito com casa de vivenda,"
ditas para lavradores com todos os pertences
obras, corrente e moeote dividindo as trras do
engenho pelo nascente com as do engenho
Thesi, pelo sul com as do engenho Nelts e visa-
das, pelo poente com trras do engenho Forta-
leza e pelo norte com trras da Sismara dos
herdeiros de Jos Carlos Mairink da Silva Ferro.
lunla-feir !3do eorrente
A's 14 horas
No armazem ra do Bom Jess n. 45
0 agente Pinto levar novamente leilo por
despacho do Kxm. Sr. Dr. juiz do commercio
depois de ouvidos os interessados, o engenho
cima mencionado pertencent a massa fallida
de Tavares Pinbeiro, isto s 11 horas do dia
cima dito, no armazem da ra do Bom Jess
n. 45.
Leilo
Oa casa terrea n. 70 da ra do Caminho Novo,
cm chao proprio, e que rende '& 04000, 1 so-
brado da ra Velha n 82, casa de esquina.
Qnlnta-felra, *3 do corrente
Agente Pinto
Ra do Bom Jess n. 45
Por occasiao do leilo do engenho Resgate,
de 1 piano novo e d>- 1 urna armaco.
Leilo
I'e 1 piano forte e novo, aiuda encaixotado,
cadeiras e sof, 1 excellente armaco de ama-
relio, envidracada e eo^ernisada, balco e can-
dieiros de gaz |e caslicaes.
Quinta-feira, 23 de Maio
Agente Pinto
Ra do Bom Jess n. 45 por occasiao do lei-
lo de predios
Leilo
De 1 balanca decimal, 160 latas com doce, 62
latas com enxova?, 45 latas de 250 grammas,
1/2 e 1 kilo de ameixas, 75 resmas de papel
fino para cartas, ditas de dito almaeo pauta-
ndo, movis, candieiros elctricos-, jarros, es-
" pelhos, pianos, loucas, vidros, restos de fa-
zendas e miudezas e muitos outros objectos.
Hoje, 23 do conrate
A'S 11 HORAS
No armazem ra do Mrquez de Olinda
n. 48
Por intervencSo do agente
Gusmao
Leilo
De predios
Agente Silveira
Sexta-feira, 24 do corrente
A's 11 horas
\o armazem a rna do Impera-
dor n. I.
0 agente Silveira por mandado do Exm. Sr.
Dr. juiz de orphos, e requerimenlo do in-
ventariante de Jos Ro-lri^ues dos Santos, levar
a leilo : un terreno formando um trapesio, sen-
do um dos lados paralcllos, que corre da beira
da estrada a beira da levada, mediudo 67 metros
e 98 centmetros c, um lado, que va i da primeira
casa de vivenda lucdc 68 metros e 42 centime-
tros, com urna casa de taipa com duas portas c
urna janella de frente, duas salas, dous quartos,
cosinha externa e um telheiro, no poente sobre
pilares de lijlos e madeira, medindo a casa '>
metrof e 'J4 ceatimetros do frente, e 0 metros o
90 centmetros de fundo.
A propriedade et situada na estrada do Gi-
qui em JaboatSo Os senhores pretendentes po-
dem examinar.
2 leilo
De pred ios
Meita-felra 94 do eorrente
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 45
O agente Silveira por mandado do Exm. Sr.
Dr. juiz de orphos levar a I- ilo, e a requeri-
menlo do inventariante de D. Francisca Candida
dos Santos, as casas seguales: urna Travessa
da Veneza n. 2, frecuezia dos Afogados, urna dita
sob n. 4, na mesma ra, urna dita sob n. 17 i ra
do Bom Gobio o cinco meias-aguas na mesma
ra sobf u. 25, 27,29, 31 e 33.
De bons movis, crystaes, candieiros a
" gaz, espelhos, jarros, electros e diffe-
rentes volumes da revista Dous Mun-
dos ''.
A saber :
Sala de visita
Um piano, 1 espelho oval dourado e grande,
urna mobilia de Jacaranda com 2 sofs, 1 conso-
los, 4 cadeiras de braco*, 22 cadeiras de guar-
nico, 1 me;a redonda com pedra, 2 candela-
bros, 4 Casurjaes e mangas, i Jarros,"! relogo
com planta ereclaim, I ramo artificiale2can-
dieiros agaa.
l'gttbiuBle
Urna niobilia de Jacaranda com lampo de pe-
dra, 4 quadros, 4 Jarros e 2 candieiros a gaz.
2- gabinete
Urna mobilia le june p rom sof 2 consolos, 2
cadeiras ae braco, 12 de guamico, 2 capiteise
4 jarros.
3" gabtnete
Urna jardineira 1 consol com pedra, 2 cadei-
ras de balanco, 6 < 2 quadros e 2 jarros.
4a gabiuele
Urna secrelaria de Jacaranda, 1 mesa para es-
crever 1 burra provade fogo, 1 sof, 6 cadei-
ras, 2 cabides torneados, 1 tinteiro e 2 con-
solos.
Sala de jantar
Urna mesa elstica com 6 taboas, 2 aparado-
res grandes com tampo de pedra, 2 aparadores,
1 relogio, 1 sof, l guarda comida, 24 cadeiras
de guarnico, 1 mesa redonda, 2 aparelhos de
poicelana para cha, jantar, apareibo dessert,
garrafas, copos, clices, compoteiras, fructeiras,
galheteiros, talberes, colberes, globos e porta
creme.
Quartos
Camar de Erable, guarda roupa, commodas,
toilets, lavatorios com e em pedra, guarnices,
tocadores, porta flores, cabides, 1 thear, marque-
zas, machina de costura, enfeites de mesa, qua-
dros, e muitos outros movis de casa de familia
existentes na chcara aa ra do Bispo Cardoso
Ayres o. 12 outr'ora ra da Attrago.
Sexta-feira, Si do eorrente
A baroneza de Catuaraa faz leilo por inter-
venco do agente Pinto dos movis e mais ob-
jectos cima mencionados existentes na casa em
que residi a ra do Bispo Cardoso Ayres n. 12.
Aluga se a referida casa a qual tem" 4 frentes
toda assoalbada e tem accomodajes para gran-
de familia.
Em continuado
Vender o mesmo agente urna vacca taurina
com cria, 1 cavallo de sella, andador.
O leilo principiar 10 Ii2 horas.
Bonds da linha de Kernanaes Vieira. ____
Leilo
Da armacSo, balco, candieir, gneros e
utensilios existentes na taverna sita
travessa do Peixoto n. 30, esquina da
ra do Mrquez do Herval.
Sexta-feira 24 do corrente
A's ti horas
0 agente Gusmao, autorisado far leilo da
armaco, gneros e utensilios da taverna cima
mencionada.
Em um ou mais lotes vontade dos compra-
dores. ___
Leilo
Agente Britto
De piano, movis, etc.
Lina mobilia de amarello, 1|2 dita de pao car-
ga. 1 guarda roupa, 1 toilet, 1 cama frauceza,
1 mesa elstica, 1 guarda louca, 2 cadeiras de
ballanco de junco, cadeiras avulsas, 1 estante,
2 lavatorios, i cabide e quartinbeira, 1 jardinei-
ra com pedra, 2 carteiras, 1 mesa de amarello, 1
commoda, 1 armario, 4 jarros tinos, 1 espelho,
1 relogio de parede, louca de porcelana para al-
mnru e jantar, garrafas, copos, bandeijas, candiei-
ros para kerosene, machina de costura, 1 can-
delabro de 5 luzes, tapetes, esteira para soaiho
e quartos, 1 jarra, 2 marqueses, trem de cosi-
nba e outros obectea que sero vendidos ao cor-
rer do martello.
Sexta-feira, 24 do corrente
A's 10 1|2 horas
No 2- andar da casa a ra do Rengel
.V 55
Leilo
De 1 sof, 2 cousolos, duas cadeiras de bra
;os, 6 de guarnico, urna mesa redonda, 1 espe-
ho oval dourado. duas cadeiras de balanco, 4
jarros e 2 candieiros gaz.
Urna mobilia de amarello rom tampo de pe-
dra, urna cama francesa, guarda-vestido, 2 laya-
torio, 2 cabidos c 1 mesa com gaveta, urna mesa
de jantar, 1 aparador, 1 guarda comida, 6 ca-
deiras de guarnieo, duas ditas para meninas,
louca, vidros, copos, garrafas e outros objectos
existentes da casa da
Ra da Santa Cruz n. 42
Agente Pinto
Sabbado, 25 do eorrente
A's 11 horas
Leilo
De cugcuhos, partes e de matta em Tab
comarca de Pitimb
lua i-la-feira 99 do eorrente
A' 1 hoia em ponto
No edificio da Cmara Municipal de Olinda
0 agente Stepple por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphos e
ausentes, a requerimento do Dr. Jos Vicente de
Meira Vasconcellos. inventarame dos bens do
tinado coronel Joo de S Cavalcante de Albu-
querque, levar a leilo
Tres partes do engenho Itapirema.
Trras e engenho S. Miguel.
As trras em que est constituido o engenho
Souza.
As maltas denominadas Pitonga.
Urna parte do engenho Tabatinga.
AVISOS DIVERSOS
AMA Precisase de urna ; na ra Baro
da Victoria n. 35.________________________
Aluga-se o terceiro andar do sobrado ra
do Imperador u. 26 ; a tratar na litbograpbia
ra Mrquez de Olinda n. 8.
Aluga-^e o 3- andar da casa ra larga do
Rosario n. 37, esquina defronte da igreja; a tra-
tar no pavimento terreo.
Precisa-se de urna cosinheira; na roa da
l'nion. 11.__________________________
Preciaa-se de um caixeiro de 12 a 14 annof-
de idade : na ra das Pernambucanas n. 28.
Precisa-se de um perito bortelo, oue en
tenda tanto de horta como de jardim, para um
engenho prximo da va frrea ; a tratar na ra
do Hospicio n. 56. _______
ina seniora habilitada propfie-se a leccio
nar em collegios e casas uarticulares as seguin-
tes materias : primeiras letras, geographia, pia-
no e lardados ; quem precisar pode dirigir- se
ma velha de Santa Rita n. 89. _________
Pede-se ao Sr. Dr. Argemiro Alves Arxa
que appareca no Paco da Patria n. 5, am de
concluir aquella transaccao.
Arrenda se ou vndese o engenho S. Bar-
tholomeo, site na freguezia de Muribeca ; a tra-
tar na ra Sete de Setembro n. 15, ou no enge-
nho Sant'Anna na freguezia de Jaboato.
Madamt Fanny Silva, costureira modista,
participa s sns Exmas. rreguezas, que segoe
para Paris no flm do corrente mez e aguarda
desde j suas ordens a qualquer encommenda
que Ibe q^eiram confiar. Agradece a todas a
saa valiosa proteccao, e participa que durante
a sva estada em Pars o seu atener nca fechado
Ra Baro da Victoria n. 15, sobrado
Telephone n. 93.
4
I

-.
A


.



:







Diario de PernambuG*Qukita-feira 23 de Maio de. 1889*

v.



W-
Jih.gtiii-*i '-*> A------------
para ffrtf provincia, e de jando liquidar os
Seos negocios, por isso declara desde j a todas
as pessoas que tiverem caMb de nanea por si
nass ida, virem no prazo de 30 dias liquidar, sob
moa (M |toer respoKftvef por qualquer debi-
to que pisa appaasoar,
*eaa*#aaara' a fabrica Vendme
08 verdadeiros charutos Flor de Espaa, Regalia
e la Beina, avisa aos apreciadores.
Caixeiro
PreciBJ|*e di um.caixeir com bastante p-
tica de molhadoi, que d tiadbr -de sua conouc
ta ; no|Ogres0 nov (Capuoga)..,
A jpublico
Fui tratar-me eco Alagoas, e duranta a minua
ausencia*ludo quanto fizpratti est aullo ; quem
camprou a casa est nullo ; quem receben os
alaguis nao pd continuar, deve saber que
Codo esfenullo. A casa minha, cpmpre ao Sr.
Amoriosa 22 de Marco de 1883, sdu orpha, nia-
gnem pode autorisar-se de receber os alugueis
e nao querer restituir. Eu nada dVB ao Sr. Jos
da Trindttde, (hor^or,^ casa. As dprita 'qne
appareaarem "todwwfto -falsas. O Sr.'OwpwgB*
afra mande os 28*000 dos inquilines, ajuere*
carta de flanea. O dinheiro des alaguis deve
pagar aanira, do cwtmrio mude se.
D. M. Ai S. J.
Caixeiro
Precisarse de um caixeiro ; na fabrica Ve-
neza. ,______________________________t
Precisarse
Precisase dajuaaua.de jOOOAOOO, amortisan-
do-se meosalmente M)0*, alem do premio; quera
pretender esta transaegao annuncie para ser pro-
Curado^_____________
Eiigenho a rrenda^
O Canantlubai.proaiiBO a estas** de Jaboato,
muito bpffl d'agua e a pouoo reconstruido, o
extensa* trras1 e mulla, para safrejar at 2,000
paes de assucar; a tralar na ra larga doJtoaa-
rio n. 37.
AJuga-se
O 2- andar da ra da Roda-n. 17, com grandes
commo<*8* eembom estauo de conservacao,
Bendo a sala da frente forrada a papel ; a tratar
na ra dtt Rangel n. 68.
rarutangleza
Acaba de ebegar para o armazem da Estrella,
no largo do Paraizo n. 14.__________
Cofrede ferro
Carlos Sinden tem para vender cofres de su-
perior qalidade, mais barato que em outra
qualquer parte ; na ra Bario da victoria nume-
ro48. '_____________
Farelo de carolo de
rodo
KJflffiBlliQMIA'Ci
Na Loja das..Estrellas
56-Ru Do^e Telephone n. 110
Este bem conhecido estabelecimento acaba
de.paaBW por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa -contigua do n. 58 no intuito
de seren despachados todos oa seo
freguezes com mxima brevidad*
poasivel, resol veu fazer grande II-
qnidaeio dj lodos os saldos que
ficaram de bala neo, por menos
50 ?f- do sou valor, cujos artigo
passamos a demonstrar:
Artigo* de le
Elguiao, peca, a i^OO.
Madapolio em um mete de largura de
14* por*70OOO
dem idem americamo de 8j$ por 55000.
Algodao marca >iT," especial, muito largo 4
de 7 Bramantes, peca, por 7|000.
Atoalhados, liados dssenhos, duas largu
ras, a 1(J e 15200 o metro.
Guardanapoe de 45 por 25000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a
tro.
Bramantes do linho com 11 palmos de
largura a 15500 o dito.
Lencos brancos e com barras de cor a 15,
e 15200 a duzia.
Toalhas de fustao, qalidade superior,a
35 e 45000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colabas acolchoadas, brancas e de cGroe t>
25000.
Lenees de bramantes a 25000.
Chales escocezes a 15000.
E outros muitos-artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abatimento
I ecldo* de alta novidade
PARA VESTIDOS I)E SKXHORAS -
Linhos pardos para .vestidos a 300- 320
Sedas com quadros e listras de 15800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de. ...
15200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs
Nonsuks, desenhos novos de 240 poi
120 rs.
se
algv
Ja conhecido como o melhor e mais nutritivo
alimento para animaes : vende-se na ra do
Bom Jegus n. 38, 1- andar.
Criado
Quem precisar de um criado |ara todo servico
de casa de familia, queira procurar na ra Pedro
Alfonso n. 82, 1 andar. _________
"grande novidade"
ELS&A2TC2A I T2L1SASS
2&-2S.
48RA BARAO DA VICTORIA-
v enham ver para erer
-48
Sobrado
Aluga-e o 2* andar do sobrado ra de. Do-
mingos Jos Maitins b. 138, com muitos coman-
dos para-grande familia e por areco commodo,
em boro- estado de asseio, o qual fiea confronte
ao fundo do armazem de Garneiro Vianna : a
tratar na ra Mrquez de Olinda u. 54.
aos sr.. ntopanrMaTos ,c&aiio
UNGENTO STEVENS
O nico subslltuindo a caufcrls* So Jos cavallos
oelo foto. Est tiuiravllhso prc arado e o milco
remedio erla e qu.aes.iuer illec{5-s as iimaihciTili*, Eahrneaitttla
liriaoia e Dislocaos At Mi a taltxra. O annoa de
Ktima. e conltou eiiio em toda cor-
las, har i, e no principa* estaneieci-
ment de cavaUo : ansUaterra e Europa.
Munca deiw nodo* alum. E" mlster expen
menta lo pari> ficar enveneld* do tbJot._
Vtndt-te em cnu-at com ai compruntes tniUcala
para o >cu mr-rego, rmp-irtugutz ___
T1-'---------Srrwd(-ot H. STEVlflS. m-dieo-TH11.
4. Pirk Lf. U>n4m iDgliMrra)
tpoatHi~ O^kkf
Aluga-se
a casa terTea travess* dos (>uararapo
tratar na ra Mrquez de Olinda n. i.
n.2
Mover austracos
A' ru Hariiuez de Ollmla n. .".*
Vende-se movis austraco, tanto em grosso
como em partes, do mais rico modelo que tem
vindo a esta provincia, e por precos muito re-
duzidos, para liquiHrao de facturas ; e bem as-
8im
Cofres de ferro
dos melhores fabricantes, que tem vindo a esta
provincia, como ejara : frillners e outros fa
bricantes. Tod8^ garantidos e de verdadeira
seguranga (prova de fogo). No armazem im-
portador de Carneiro Vianna.
Hotel Primavera
18 Roa da Roda 18
O proprietario des-e estabelecimento. Jos
Bernardo da Silva, chama a attencio do respei
tavel publico para incombil-o de encommendas
de jamares
Fornece-se comertorias para casa? particula-
res a precos cominodos :
Feijoada g|
Gar'; de qualquer forma
Peixe ^ 400
Frigideira 400
Ver para ertr
F0i!\ A CALVICIE
COM O EMPREGO DA
MUTAMBA
PREPARADO Eu TNICO K P- MADA POR
Garante se a eura da Calvicie, queda
DOS CABBLLOSs CASPAS e NEVRALGIAS na
cabeca.
Vend-se na lnja de cabe leireiro de
0DIL0N & IRIAO '
O-Ria da Mlf ri striiOO
GaiSes, palma*-.pef de*drilb.
Bcos de seda e de algotUo. com
vidrilho.
Mantilhao-ie seda e-de algodfio.
Contas lapidadas 'para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda bespanhola.
Collarnhos para homem ^ 3?>OO0Hb4 4fS00C
a duzia. *
m Bordados de camb aia tapada a 400 500*
600 e800rs.apeca.
Idem.com 3 e 1|2 metros, de quai*ur
argura u 1^200.
Lencos de linho em caixinhas a 35000
dita.
Meias para homem, duaia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Lindos leques transparentes de gaae t
35000 um.
Grande sor timen to de porta-retractos dt
pelluoia.
Finas pulseira americanas a 45, 65 *
85000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, d
25500 a 35000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama
500 o -me- 125000, 175000 e 195000 o par, algn
de cores.
Ditos para-janellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 t
15000.
Ditos para sof a 25000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos-com tres palmos de comprimen^
a 45000:
Capcllas com veo para noiva a 65000 *
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105 *
125000.
Toncas de setim para baptisado a 35,44 *
55000.,
Grinaldas e ramos de seda, o que ha dt
melhor.
Renda bespanhola de diversas cures.
Bicos brancos e de cores a 25000 a peca
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinbos e punhos celluleido. .
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a dttaia.-
Extractos e leos de diversos fabricantes
Linha de machina, claque, a 40 rs. o cas>-
riteJ.
Pastas a 150001 e 25000.
0L1YEIB A CAMPOS & O. trodo de receber bre-
vemente um sortimento e artigos novos^dft alta novidade, resolveram
fazer um grande Teduccjio nos precos dos artigos abaixo menciona*-
dos, para os quaes chamam a atten^o das suas lv\mas. fregnezas.
Cretones claros e eeouios con>4md8imop' kPorta-lettrae e porta-sedula a 25000i
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800*
PEgAS!
Merinos de quadros, grande variedaded*
padr3es, de 50U por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fust&es de c6r, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodao, linho, 12 sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 it
Confeeeo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 805 por 55 e 305.
Ditos para armar-de 65, 85 e 105- '
Ditos brancos bordados em eartSo, alta no
bidade a 85 e 105.
Gnarnicoes de colariuhos e punhos partv
senhora por 15 e -15200.
Capotas (preparadas na corte) de 205 poi
95 e 105
Gollinhas e nillmi para menrno de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para criancaa, poi
o5, 65, ti^ e 105, o Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 25 e 35.
Enxovaes para baptisado com collares efe
trieos por 55.
Luvas de seda meio b^o e qualqtior <
manho a 15500 o par.
dem idem de Escocia a 15 e 15500.
Sobretudos impenneavens de borracha dt
705 e 805, por 305 e 405.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma
na ricamente eufeitadas de vidnlhos s
255 e 305.
dem idem de renda, seda, damasco t
gurgurao, tanto par", phantasia com
para commodidade a 385 3 405.
Velludos de seda e algodao de muitas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo
dao u linhe, com um metro dfl largura.
Setins Maco de todas as core*' a 750 e
800 re.
E muitos outros artigos de confeocoes
como sejam mantillctss de blonda, sabida
de baile, leques transparentes e de phaa-
tasia, e outros muitos mais, que se ven
dem com o mesmo I abatimento de 50 |0.
Para hmeos
Casimiras inglezas com duas larguras, de
35500 por 15200.
Ditas cor de caf e azul, de 255g por
800 r*.
Cortes do seda paracollete, de 125000 por
35000 e 35500.
Ditos de velludo e fustao a 15 e 15200.
Meias inglezas com fio de seda, de 125
por 65000 a duzia.
Paletots de 75 por 45000.
Camisas com um pequen toque de mofo
a 15600 urna.
Collarinbos, modelo moderno, a 55000" s
duzia.
Camisas mgleau con coHarinhoe e pu-
nhos, Bem collar! nhos e sem punhos a
365000 a duzia.
Brin pardos de linho a 240, 280, 320,
360 c 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 15200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 65
85, 105 e 125 a 45, 65, 85 e-10500O.
Sobretudos impermeaveis de borracha, paro
homens, de 705 e 805 por 305 e 405
Ceroulas francesas, de 385 por 24500
a duzia.
Paletots de seda, completos de fritos d
casemira, malas para viagem, e boleas e
tapete e um completo e variadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras francezaa
inglezas. preUs c de corea de padr5eB in-
teiramente novos e que se vendem com <
mesmo abatimento de 60 [0 de seu valor
Relalhos
Aprovcitem a grande quantidade e
pelos precos,-em eedas-pretaa e de coros,
gorgories, setins, las, merinos, zephyros.
linhos, chitas, madapolSes e algodaoai
nhos.
E nanita outras pecbiaebaa que e
encontram na
Loja das Estrellas
56, 58Ra do Duque de Caxta'--56, 58
inhos para vestido padrSes modernos a 160 rs. o covado.
Cretones francezes, odres claras, a 260 rs. o dito.
Merinos de cores, duas larguras, a 500 rs. o dito.
Ditos de cores lavrados, de 25000 a 15000 o dito.
Las de cores, desenhos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fustao branco de 400 e 500 re. o dito.
Mursolina branca para casacos a 500 re. o dito
Zephir de cor, listas e quadros a 500 re. o dito.
Ditos arrendados, lindos gestos, a 600 re. o dito.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Etamines arrendados, de cores, de 800 a 500 re. o dito,
flor de Italia em quadrinhos, a 500 rs. de 900 rs.
Mursolinas de cor, de listas, a 400 rs. o dito.-
fortes de cambra i a bordados, transparente e tapado, de 155000
e 205000 por 95OOO e 125000 cada um.
L.nao, padrSes em quadros, a 440 rs. o covado.
Sanzukes padrees mimoses, de 280 rs. o'dito.
Percales miudinha se pannos finos, a 200 rs. o dito.
Merino preto fino, de 25000 a -150QO- covado.
Setim Maco de todas-corea, a.OOOtirevo dito.
Brim fino pardo para vestido, a 400 re., o covado.
Cambraia Victoria transparente, -fina, a 85000 a peca.
35000 uma.B
de 45000, 5500, 66000"
Mantas hespanhoias, de seda preta
Espart.ilho8, o que ha de melhor,
75OOO um.
Fichs de cor arrendados,-de 15000 um.
Capinhas hespanholas de cor a 25000 urna.
Fichs de seda, muito lindos, a 35000 um.
Sargeli m diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 35000 e 4000 um.
Luvas de seda, todos os tamanhos, de 25000 a 35000 o par
Lencoes de linho do Porto, a 45000 um.
Ditos grandes para cama franceza, a 65000 um.
Colchas de cor, de 25000 a 55000 urna.
Fichs, sortimento completo, de 25000 a 65000 um.
LenQos de linho com barrinha a 25000 urna duzia.
Camisas francezas, de 245000 e 365000 a duzia.
Meias craarpara homen, de 45000, 55000 e 65000 a duzia.
Ditas branca cra e-de cores para-senhoras.
Ditas brancacroas e de cre*p*ra criancas.
Chambres de cretone, de 55000 e 65000 um.
Cortes de casemira de cor, de 65000 a 85000 um.
Cortes de fustao para collete, de 15000, 15500 e 25000 um.
Carneas inglesas de franella. la pura, 55000 nina.
Alm de outros artigos que deixamos de mencionar.
.
MMlia do Grespo21
Arquetes para chapoB e chapelinas a
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos'.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 o
par.
Ditas de seda para creanca a I5OOO.
Dita para moca a 15500 o par*'
Grande sortimento de jarros para, toHetta-'
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabello*
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segura?
chapeo.
Espartilhos para creanfa a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 *
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 >
15500 um.
kEstojo com faca, garfo e colber,* propti para creanca.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de la para homona e senhoras.
L>nb*A ifouradae par razer orh*V ?
Liadas Titas para facha a 5, o eW50(X
o metro.
Lindos leques de setim para cument.
Grande sortimento de leques de setim -r
de papel de toda as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarea,
Finas earteiras para algibeir de 15, &V
S e 35500 urna.
I.u;i llij(|iie de ixias n. Il.r
Bol^a e pttkeira
Quem perdeu os objectos cima, dirija-sc a
serreta ra do Derby Club, que dando os signaes
e payando a despeza deste annuncio, lhe serflo
entregues. ______________^______
Casa terrea
Aluga-se uma-roaguica rasa terroa. com ben9
comraodos, a ru da Ventura (Oanungay n.84 .
a tratar na mesma ra. ao sitio junto apeste
da fallecida D. Candida Las-erre.
ftftft ftft ftM^iftftiSift'ftiftft
Tratamento ReconstitJints
ELIXIR XWAM?
rail o
ROBERTO'AV'ESS-- -^^^^kxosenheiko e constructob
FRANCFORT S/MBNO ^^F CA*tn Estabelecimento especial por fornecimenlo de caminlios de
ago transporlaveis, e Gxos mnnlados completos paca^posifao e manpi>oe
assim como
CADEIRINHA COM RODAS, VAGONETESj DE
TAIPAES LOCOMOTIVAS, GRITAS, ETC.
Pan uso: agrigola, plantagoes, rmazens, minas
musiras, selvas e campos militares,
i;
etc.
KIPORT
de
COM ESOTRACTO
Figutl iftiina e Cacan*
Cada frasco d'est (
ELIXIR contom^oa^
principio* depurat.vos
tnicosdoum litro d oleo <
de fgado da bacalhiu
m litro do vinho da Quina. \
?:
Tem sobra o lo t j
fugado de Lecalhku a.van.J
tagem de ooelerar
fun?5es do tomago i
m l e de deepertar o appetite. J
Este Medicamento, de sabor e-_
muito agradaveis, obteve o melhor-suc-
cesso em Franca para combater :
ANEMIA, CHLORSE.
AFFECCES dos BKONCHIOS
c PULMES,
e a FRAQUEZA das CRIANCAS
Depsito geraJ em PARS :
BTTOHAMP, 18, ra da Poiton
Em Pernambnco
?vv*tf?v#
t
l'raiii-iw
ta-
ntnl aleante
Sexuado anuiversario
Hafia Rila do LiTramento. Cavalcante e aua
familia, tendo de mandar celcOrar urna missa
por alma de siu sempre cho^do e p>-e2ado es-
poso, pai, sogro e av6, Francisco Antonio da
Siha Clvalcaute, no convento do Carmo, as 8
horas da manha do dia 23 de linio, 2- anniver-
sario do seu p.isaameolOj contidam asous a-
rentes e amigos para assistirem a esse acto,
ni In qi'p s.> iio ba-tanio agr:iiierido.
O. Curta A d *t*tl Silva
Antonio Pclippe SiuiOes da Silva vem do inti-
mo d'aima airradecer a odas an pessoas quua
dignaran) acompanhar sua ultima inorada os
resto mortaes de sua sempre lemhrada esposa,
Carma de Sette Silva; e de novo convida as
mesiuas pessoas e a todos os seus amigosa as
sistirem as missas do stimo dw-que le rao lugar
sexta teira 24 do correte, pelas 7 horas da ma-
nila, na ijreja da Madro de Deus, por cu jo acto
de na^gio seconfess> .eternamente grato^
59^-Ru Duque de Caxias59
ADWIREItt
Cortes de cretones em cartSo com figurino e enfeitos, a 8^U90.
dem de oachimiraa bordadas, a 25*000, alto de 40,5000.
Setim preto, a liJOOO, 15200 e 15800 o covado, verdadeiro-Macio.
Grosdenaples pretos; verdadeiro Len, a'25200 o dito.
Merinos pretosrduaa largaras, a 500, 800, WOOO a-15500.
Mautilhas pretas, a 15200,'85*>'e 550001
Casacos de cachimira preto) a 3050001;
Ri bordado, a 800 rs. o covado, para veos e enfeitos.
Velludilhos de todas as cores, a 800 rs. o dito.
Zefiros dt, cores, a 80, 100 e 160'rs. o dito.
Linons de cores, a 200 rs. o dito.
Tecidos diversos em cYesy a 240 300 rs. o dito.
FustBes brancos bordades, a 360) 400 460 rs. o dito.
Lindas setinetas, a 200 rs. o dito, apreveitem.
Gratenes magnficos, um metro de 4argnra, & 280 rs. o dito.
Chitas, boni sortimerrto em cores "firmes, a 200 ts. o ditc.
Rendas, austracas para]vestidos a"500 rs. o dito.
Cambraias bordadas, a 45500 com- 10 jardas.
dem Victoria, a 25500 e 35000, cwra 40 ditas.
Madapolao ouperior, a 65000, com 24 ditas
lgod5es nacionaee, a 35000 e S5500 em 20 ditas.
Ricas guarnioSesde croofaet, a. 7^000 ei 65000.
ToaHiaa de labyrintho para baptisade a 255000 e 305000.
dem grande*para rosto-a 40000'a duzia.
Ceronlas de bramante, a 124000' a dita.
Meias inglezas superiores a 35000' e 55000.
Camisas inglezas e fraacesa* a 305000 365000.
Cortinados bordados a 60000 e 85000 o par.
Leafuu du biumuutu a 15089!!"
Cobertas de gamga,dons paanoa a 25800.
Redes superiwes, a 105000j sao de 155000.
Pannos para mesa a 15100 e 1&100 o covado.
Atoalhados bordados, a 15200 o metro.
Bramantes de algodao, a 700, 900 e 150001 o dito.
dem de puro lrahe.,' a 15600 o dito.
Caeiuxas m cortes, a 250QC-, 3t|080 e 55000.
Sargelins diagonal, a 200 e 220 rs. o covado.
As vendas- em grosso tem o-^desoonto tle 14
Agri, Jo-i
preparado por
BARTHOLOMEU&C.
Krcci^MiKK
Est cabalmente provada a efficacia dc>
agriao para a cura das molestias attinentes
aos orgaos da respiracSo e juntando a essa
preciosa planta as na menos conhecidas Joa
e Cambar do norte( cujos effeitos balsmi-
cos tm sido observados por longo tempo,
tornase o nosso xarope de agriao, JO e
cambaba DO nokte o primeiro recommen-
dado para a cura das diversas molestias
das vias respiratorias, desde a pharyngite
ou mal da garganta at a tuberculose,
abrangendo as diversas bronchites, catbar-
ros c pleurisias.
Os innmeros attestadas que temos de
curas conseguidas por csse poderoso pre-
parado nos aRtorisam a reconiruendar o sen
uso de preferencia a qualquer outro.
Deposito seral
PHARMACIA E DROGARA
34RA LARGA DO ROSARIO34
IKRV4MBI CO

grosso
MI
mvwn
oiaCieraliei
iMWMmrt
EXPOSmONt
Mitlr M
lo ma hut'es hcoupckses
E.COUDRAY
DITA MU M UUDT
PncMinar^Bra o umead* em -vatmn
coulantemeau at lita Jt ndc<4ad,
afueniaiido da pesie e do doler morsu.
ART6CS Rcoumendados
PERFUMARA DE LAeTEilfi"
. ......._-_
c
GOfAS CONCENTRACS ara fcaeo*-
Ot*MCOMEi>ara.abd]^o jbeim. .
NI FA6RI0
AXIS
EITE AW1GM -mut-f.
13. m 'E^flieB, 13
i fa tota* at Parfumanas, Pkarmacu*
^ise "tr"-* i America.
1
6ALEES
l.ier deptiralivo NKcMI iodado
dfl wedieo 4|nBtell:i
Este Dotabaiseima depurante que vem
precedido ^dc -tito grande fama infallivel na
cura de toda* as doenoas'.ypliihticas^eB-
crofulosas, rhetraiaticas e de pelle, como
tumoresi-- uloera8>,'dores rheumaticas, os-
tesfesase ncviia4gicas, bleri^n-agi** agua-
das c chronieas," caneco sypliilitioo, iu
flamaoSes vioeraos, dolbos, .ouvidoayigar-
gaatos, intestinos..'etc., o em'todas tas
mobsstias doyelle, S'mples on diathericas,
assim como na alopecia ou queda do ca-
bello, e as doencas determinadas-por sa .
taracSo mercurial.
DSo-se gratis folhetos onde se encon
tram numerosaa experieacias feitas om
1 este especifico nos hospitaes pblicos e
muitos attestados de mdicos e documen
toe particulares.
Faz-se descont em casa de
I ARIA SOBRINHO Riia flarquez de Olinda n. 11
44
a
!*4 UAJimM TMUUHM4
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
Tixas fundidas e batidas*
Taixas batidas, sem [crava^ao
Arados.
i
UOSVUftDA EU MLHA8 par SINAPISMOS^
1NQISPEMSAVEI AS FAMRTAS
U AOS VIAJANTES
Usada oo- mando intei.Vi
ye?
NADA DE
VERDADEIRA
qu oao lave a
FIRMA
atrs
com
tint
ElUBilH
O mxia- afn
simaHHtojf"
o mii
Kivmii
asta KARCja,'
pna.vJ*"i* {
as Contrnfacgas.
A* -rtadm.em to4*m Pharmaeia:
OEPOfUTO OGKAIl EyVICTO
t
X

!

.

f
s




^



Batanmhuro -QttiiitBiifiiirn^^BH^
o**de 4888

^^-^-i
0 melhor Alimento
Para oe ORMMOAS
PAWB, B.AKEH'Da YIOTUIIA, 8, V
DtfKttM en trinas prtwlMW+liirnutil.
DOS ML CONTOS
tmmtm
Eng'ommadeira
Precian-ee de urna engommadeira ; na ra do
Imperador n 43, 2-iandar.
commercio
nak-iim'
Os abaixo assigaados avisam ao commercio e
ao publico em gera!, que venderam sua oasa
coramercial em Tinjb-Ass, denominada *
Experiencia- Qneip sejulgar ere flor a firm
CeSar & Irinfi, qiu'ira aoreunUr cuas contas no
prazo de 30 dias, no povoado de Bea-Viagem,
onde sero encontrados. Outrosim, pedem aos
seus fregueies em atraso -de liquidar seus dbi-
tos, afim de evitar questes futuras.
Timbo-ass, 17 de Maiod189.
Cesar 4 Irraao.
INFALLIVEL e RADICAL
no curativo de todas as affeccOas bronchiaes:
Mal de Garganta, Tosse e Tsica
-49-
Esta lotera est a cargo
iv -
ti

*
i
i
da coinniissao e concessioBarios
abaixo ass i j>mi(los, que garantem a extrace.o da primeira serie NO
.DA..-25 IK>r.COKRENl E, .im(M,eteriyelmeiite- s 2' horas da
tarde.
Vishx lotera torna-se a mais importante do Iipperioi rpor> s
jogarem vinte eocinto mil nmeros.
...COHIIISSAQ GOPffiESSIOMMOS
Barao- de Bocaina. Vtsconde de Figueiredo.
Fraiwttico A. de.Souza Queiroz. Fonseca & Gunha.
Moriego Manoel Vicente da Silva. Jos Mendes de Oliveira Castra].
BentoJos AlvesPereira. Sebastia Pinho.
Os restos/dosbilhetesaeliam^setvenda.
vi
Engenho
Areenda-se o eogenho Riacho d'Antas, distan
te legua e moia da stacao de-Tiaiboass, bom
d'agua c de trras e tem bastantes lavradores
a entenderse com o proprietario no eagenno
Bcmfica. visioho ao mesmo.
Cosinheira
Precisase de urna, que cosinhe eom perfei-
i; ; na ra Duque de Caxias n. 91, loja.
Gh verde fino
Alheiro, Fernandes A C, especialistas oeetf
artigo vendem em sen estahelecimento da me
lhor qualidade que vem ao mercado, em pacote-
e a retaiao. e por preco mdico :
Vinhos de Pasto e Figueira, propiios para re
feico e de superior ,qualidade, veuae-se nr
mesmo stabelecimento, e por prego res un idis-
simo.
ssim como, tambem uo m-smo estabeleci-
ment se encontra superior cat-moido em pa
cotes do 500 grammas, a 600 re. o pacote.
Ba da Imperatri I?
TELEPONE N. 475
E' e admirar!!!
Os .-.piteeos abaixo mencionados
nato do L o a v r e
Um lindo'corte Um corado debatiste muito fina a 240 rs. 1'- barato.
Urna-peca de esguiao de alg* Urna rica colcha nitaco de crochet por 61OOO.
Urna peca de bico matizado por 25500 e 39000. S vendo.
Urna ansia de camisas allem&s por 3000. E' pecbincha.
Um bonito corte de. setineta.com guarnicao por 6?J500.
Um covado de 2 Amazonas a 440 rs., imitaeao de seda.
Um corado de cachemira de liatras, ou lisas, a 10200.
Urna san i da de baile com bordado a 10000.
Um covado de percale, cores fixas, a 200 re.
Um covado de tecidos de faatazia, ultima moda, a 500 rs.
Um corte de case mira inglesa por 50500. E' barato.
Um metro de renda hespanhola, todas a#erea, pon300.
Urna duzia de seroalas de bramante por loGOO-
Uw covado de linn matizado por 500 re.
Um ficha de 13, o que Jia de melhor, por 60000.
Urna peca de madpolao amerioano, com 20 varas, 60500.
Um-'palctot de gorgurina, imitacao de aa,< por 400.
Urna linda coteba Se damasco de algodao por 60500.
Ihn covado de zephyr, o que ha de bonito, por 200 e 240 rs.
Um espartilho eouraca com bordados a 5)5500.
Urna guarnilo de crochet -com matizes por 70000.
Urna duzia de mcias ingle zas de 90000 por 60000.
Urna duzia de lencos, em caixas, por 20500.
Ucn-oovado deimerin liso, duas. larguras, por 440 rs.
Um paletot de seda palha por 75O0.
Urna camisa de flanella americana por 50000.
Urna peca de eambraia Victoria .por 20800.
Urna peca de bordado muito fino por 700 rs.
Urna peca de eambraia bordada por 40000.
Um tapete grande para sala por 180000.
Um covado de sargelim diagonal por 200 re. E' do melhor
Um covudo de lusto branco por 360 rs. Sao bonitos.
Um par de luvas de seda, todas as cores, por* BJO00.
Um covado de aretone, core claras, a 240 re.
Completo sortimeiito de regatas, punhos, oollarinhoe, eatre-meioa, leques, es-
tractos, bolsas, costumes para banhos salgados, bices lisos e brancos, roupas feitas e^ ji
Oficina de alfaiate
Na roa frinitiro de larca n. 20
CAMDE
FNMCAO DE SINOS E RJ8.0NZE
ni:
\mm GRLZ MESQUTA
66na do Barao. do Triumpho66
Tem para vender o seguirte:
M.lobina.* de c-oJ>re para uzer espirito- de destillar e restillar.
illwj|ll|lll N de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
- Mrrpenfiaar de cobro e de- eatxudio.
C'arapuras de cobre.
Tai\as, taixos c caldeiras de cobre.
BOMBAS de Jodas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Tornelras de bronze e madeira de todos os tamanbos.
Canos de cobre, djchnmbo e de ferro.
IKe|arlideira^. passadeiras. e cscumadeiras de cobre o de ferro eetanhado*
Cabr em lencol e arruola.-.
Sola ingleza c do Rio.
Cadinhos patente e-de lapis.
Sinos de 1 libra at 410, arrobas.
E iimitos outros objectos
ENCARKEGAM-SE de qualqaer concert-e obras de eneommenda, garan
tindo presteza, perfci(o e piceos-,mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
" '-THVDE' a praso on dinbeiro com descont.
I Grageas Deiyiaziere
jAjpjpro o d>l y lo X&mxiGOtiOrLB do Hygiene do Braril
CASCARA SAGRADA I0DURET0 FERRO CASCARA
Gontrmm
O m+lrn motivo dom Farrug oomom
ttio prodmwiado Prtmio d V
mmtrm+mbitaal.
Owostto em i fUMMOIA 6. 0fittA2lRE, 71. mmUmtn,
i ftn^iW^FWM*- M. tltVA C-.
& c.
Vinho Xarope* Dusart
H0 LACT0-PH0SPHATO DE CAL
Approvadoa pala Janta d'Hyglen do Rlo-de-Jalro.
O Lotto-Phoiphato d coi, que entra na cowposic*o do VINHO do XAROPE
da DUSART, o medicamento mais poderoso que se conheoe boje para restaurar
as (oreas de cortos doentes.
Consolida e endireita os ossos das cresneas Machiticas, torna activos e -igorosos
oa AdoLftcentes melles e lynrphatiooa e os que aa achSo fatigados em confcsquenoia
de rapWo creseimento. Facilita a oicatrUac* das avernas do palmto nos Tie*.
Sendo administrado s mulhere durante a gravidez ellas atravessao todo o periodo
da gestacao sem a menor fadiga, sem nauseas, sem vmitos, e dio a luz a creancas
fortes e vigorosas.
O Laeto^Phosphato i oal administrado s na e as mtoa que \nio os fllhos,
torna o leite mais rico, mals nutritivo, epreserva aa creancas da diarrha e de ontras
molestias, que se deoiarao dorante o croscimento. A dmtifo opra-se sem fatigar a
ereanca, sem que apparecao convulsoes. ____
0 VINHO e o XAROPE de Latsto-Photphato de eal de DUSART despertao 0
appetite e ievantfio as forcas dos convalescenuss e devem ser empregados em todos
oa caaos em que o eorpo human ae achar fatigaao ou exhaurido de forcai.
Dsposlto sa Pars, B, ra Vtvtanns ___________

v
h fUAIS DORES de OCN>^
por MEin ., r. 11)1 ^ g
Elixir, J= e Pasta dentifricios **i
DOS
RR. PP. BENEDICTINOS
da ABBADIA de SOULAC (Oironde)
. DOM MAGUELONNE, Prior
2 Met ti i luis de Ou,ro: Bruxelle 1880Londm 1884
AS MAIS ELEVADAS ECOUPENS AS
lO'IO rto Prior
Id/d Fierro MOXntMJLtrD
IM VBSTABO
MO A.SNO
c O use qiiotidinno do Elixir Dentifrioio
dos RR. PP. Benedictinos, coca doae da
alpumas pottas com agua, prevem o-cura cana
do dentes, etnbranqueceo, fortalecendo e tor-
naudo as geugivas perfeita mente sadias.
Proeti.ios m erdadeiro aervico, anigita-
lando ao nossoa- lt-itoro este antigo u tilia-
simo preparado,o melhor curativo e o nnico
freservativo contra as AifeccSes den-
arias. >
Agente geral: SEGUIN, BORDEAUX
*cha-m em tvlM n bou Ptrtumirlat, Phtrmtolt t Dro/trUi.
ASTHnlA &
Curaflcs pelos CIGARROS ESPIG
Oppres*Ce Tosse Je fI u.ios Aevralgia*
LICENCIADOS PELA ISCPfcCTOIIIA DI HVOIKNK DO IMPBNIO DO EUUSLb
Asplra-se i uinaca que pintra no po:tu, acalma o systema nervoso,
(acllita aexpectoTasio e favvlsa as funecocs (los oreaos respiratorios.
J. ECPIC, LO, ra Ul-Lazara, cm raris. Bnja-te ata atugn*
ItUHO ti. A VMRDAJ>SIHA
DE
B0T0T
f' o nico Dmtfricio approvado
de MEDICINA oe PARS
0 melhor calmante contra at Dores d Dentes
Reoommendado espeotalmente oom os ROS d* nOTOT com Qi
para o ouldadoa da bocea.
SOS, &* e**-Bomar*,Pm*ia,t em Mfas Antiguo estabelecimento de ferrag-ens
DE
FEK8EHIA GMA-RAES & C.
m~Wna l)ii(]lie de Cavias-86
ranle sortimente ^eferrageitd, adaxias,
e muito5 ontraarttg00 a snbex:
Cobre em folha.
Ferro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para -
encanamentos de alta presso
Machinas e vapores
para algodao.
Candieiros elctricos.
Fogoes econmicos.
Este estabeleciment fundado em 1851, tem na sua
longa existencia a garanta mais segura dar os que pro-
curar em honral-o cornea sua confianca.
PRESOS SEM COMPETENCIA *
Descontos do cstume
B' I A. N
i i ^ s
NBIAN
V.
Vonda mm ataosvlo,J. C?l
a rarnam
Tl-jr-J aN
6RAXA LIQUIDA IMPERIHEAVEL\
E]E*ttJ*:tEO^-ST2 BKM E8COVA9
O magnico LUSTRO d'eata pretal
consorvo.se durante urna somajiA,
moja, qunl fr o tempo.
BALtORAL GL0SS Gemina lustrse elstica para as Soi/'nas das Senioras.I
APPLICA-BB 0SM ESOOVAa
PASTA UNCfUOSA, om ca xa de folha da andre, tal qual\
entregue ao Kxercito Ingles.
THC tiUm-AN MAKort COMP t, 8 A 9, HQUerL&r.*, LONDH .O.
AgcnUs aersss em PCRNAUBUCO :
Ouimaraes A Per
REMEDIO DO DR. AYER
AS SEZOES. OU. MALEITAS.
O RafKDio. do Dr. Aysi, descoberts
vegetal que- ni> .coiitm a quina era o
arsnico, aeut tJoi)ouqootM ngediente
nocivo, um remedio infalli vel e proropto
para toja a, tjuadade de /-liwa iatermic-
mle ou maleitas. b'eus effeitoa.aio per-
manentes e ceos a^Biium. mai ,abso-
Jutamcnte pWe advirdo seumprego.
Da raesma furnia toroa-se- o elhor
remedio poaetvel para todas aquellas
doencas que provm dos, efieito* dos
miasma, que se desenvolvein nos lugares
pantanosos e Infectados, e q*ie geialmente
earacterisao-se pelas affeoMBe do
libado o do l.a.-o.
U Bemkimo ds AvKRcnrax sempre,
mesmo nos casos pelores, toda a aez que
fr empregado convenientmento e se-
gundo as direceSes.
PREPaBAOO PELO
DR. J. C. AYiR & CA.,
Lowell.aius.. Kst,-Unidos.
DeANACAHUITA
_ Remedio Vegetal da atureza para o,alli-
vio e 6ura de. todas as molestias
Do Peito o dos Pulmoos.
Cosinheira
Precisa-se de lima ama boa
8ervico e assislencia interna ;
Mrquez de Olinda n. 54.
cosinheira, para
a tratar na ra
Boa morada
Ajugam-se tres casas com commodos psra
familia, no Arraial ; a tratar. na>rua.da Harmo-
na, eom Moreira da Silva & C.
Ama
Precisa-sc de urna ama ; na roa da Florentina
numero 34.
iZieenetadopela Inspectora Oerai
ie Eygine do Imperio io Br&zii.
Aluga-se
o pavimento terreo do predio sito ra do Bom
Jess n. 45, proprio para escriptorio por ter gra-
des, naIji nete, etc.: a tratar na mesma ra n. 4,
escriptorio.
.Aluga-se
o sobradinho no becco do Qukbo n. 64 (Afoga-
do8), catado e pintado e novo, com quintal
grande, caciaba e diversos ps de fructeiras : a
iratar na ra de Marcilio Dias n. 106.
Alugfue barato
Ra de S. Amaro n. 14.
Baixa verde n. 3.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Baixa Verde os. 1-C.
Ra Visconde de [tapanca n. 43, armazem.
Rua do Coronel Suassuna, qaarto n. A.
Ros dos Guararapes n. Qk.
Largo do Mercado n. 17, loja.
A tratar a rua da Commercio n. 5,1- andar,
escriptorio de Silva Guimares i C.
-

XaropeZed
(Da C0DBINA TOLU)
O-Zojfmo lottjprega-je toan*
briffba do Tiito, Tout dos 7Mb. TmM
wmmha ,Co^utuclx),Vr*HMUs,Comtm
Catarrbes t Imommm CersiiUnUt
FAJUa, Jl, ra. Onmol, n ni
Professora
Urna senbora competentemente nasilitada,
prope-se a leccionar em collegios ? :asas par-
ticulares as seguintes materias : portuguez,
francez, msica e piano ; a tratar na rua Va-
conde de Albuquerque n. 20.
Mellas do Monte de Socorr
Compra-s eatMeHas ^o Monte de Soccorro d
qualquer Joia, brilhantes e relogios; paga-a
bem na Praca da Independencia n. 22, loja d>
relojofiro
Agostinho .&' Irmo6
Collar de Ouro
-mmm> so MnnwS -a
Como fizessemos urna grande reforma em o
nosso estahelecimento, lizwnos tambem reduc-
So nos pregos de nossas jotas de ouro, prata e
riihantes. Pedom a seus amigos e freguezes a
virem comprar luadoa objectos com pouco di-
nbeiro. ompra-se ouro, prata e brilhantes em
obras servidas e pagase bem. Conscrtara se re-
ogios. obras de ouro ,; prata -comaiodatflente.
Engenbos
Arrendam-se os ngenhos Cachoeira c Bocea
da Malta da comarca da Victoria, a tratar na rua
do Imperador n. 80,1." andar. _____
Aos amadores da boa
pinga
0 armazfem central de gneros alimenlicios
roa do Cabuga n. II. avisa qee ebegou a segn
da remessa do puro Santarem,; a elle, autes que
se;acbe I!
i ^ 0 melhor enWricio
i
m
Ap de Plippe,
mprogada eom
? Odontallna
V ^ST Kirtnit. mototiM um u mea
,PES:efiiisIi.04,Mil'a|uri|^
*mr
IBu.a d& la. 2=a.xs
*****
gs d* frde .rroz especial
PREPABAOO COM EEMOXa
Porfumista
PA31S
BRONZE
DE
CARIIOZO IRMAO

-

104
de asses-
do Barao do Triumpho ns. (00, 102 e
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Ten para vender o seguinte:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directo ou para fogo
tamento.
MOENDAS de todos os tamaitos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRIVAgES de differentes tamanJios.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LO.-OMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavaUos. '
ARADOS americanos. )
MACHINAS de de8caro9ar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamentu i Malmente
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREGKM SE de qualquer concert e mandara buscar por er. emen-
da, mediante ajuste previo ou urna mdica commissao qualquer machitismo.
CONTRACTA.Vi fornecimento de apparelhos para usinas, garamindo^ b6a
qualidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar, cm o boai resultado
obtido com as duas USDAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
i;
DIGEST0ES
DIFFICEIS
Dyspepsia
Parda
\de Apoeta
DOEDCASdoSTOUAGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos
Diarrha
chronca
TNICO DIGESTIVO oom QUINA, COCJ PEPSINA
fADQ ni TODOS OS HOSPITAES MiMJHlhtta de Oaro DiplomaM de Honre,
"1 PABI8 OflEZ. Sh, rua ka Bruyre. Udaa a* raariiolii ~


Diario de Periiam.Mico--Qiiinra-feira 23 de Maio de 1^89
____. ... .



Tralamcno radical em 6 das
DAS
BLENOnRHA(iIA> AGUDAS
OL
CHRONICAS
(VULGO P U R G A Q A O)
do uoni:n o: da milher
E da leucorrha ou flores brancas
Punas Rcsluo-Balsmicas
E
lnjecco Aiii-Blenorrhagca
PREPARADOS POR CALASANS & C.
PRODUCTi S APPROVADOS PELA
INSPECTORA OERAL DE HYGIENE
Urna serie de brhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bom xito
durante dez annos, assignala a estes dous
medicamentos, usados coni a dieta e dosa-
gens prescriptas, o primeiro lugar entre os
medicamentos estudados e preconisados
para curar estas terriveis molestias.
As pilulas sao supportadas pelo estoma-
go o mais delicado, pois que ellas nao im-
pedem nem difficultam as funcc3es deste
orgao.
A injeceSo anti-blenorrhagica nSo ab-
solutamente iiritante e por isso nio tem o
inconveniente das actualmente empregadas
e nilo produz estreitamentos.
Nao publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agrsifecimentos que te-
mos reoebido para nao offender aos nossos
. otentes, nraitoa dosquaes sao pessoas mui-
,tr> conhecidas e altamente collocadas.
. Enipregada como artigo de toilet parti-
cular .6 excellente preservativo contra as
molestias secretas.
Modifica e faz desappareceromocheiro
das regrris.
Preparados por Calasans & C, Phar-
macia Imperial, Babia.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C, ra
Mrquez de Olinda n. 23.
Bons resultados
Para provar os bons resultados do Pei-
toral de Cambar, basta apresentar os nu-
merosos attestados de curas firmados por
pessoas dignas de toda f.
Cura-se fcilmente
As inflammacSo do larynge curase f-
cilmente com alguns frascos do Peitoral de
Cambar.
Os agentes,
Francisco M. da Silva & C
Instrumentos de msica
para banda e orcliestra, realejos, caixinhas com
I, 2 c 6 pecas, para en .oca ; ua livraria Con-
tempornea.
Malas deviagem
p;ira roupade senhora e de homem, propria de
"amarte e caminho de ferro, bolsas, chapelei-
ras. binculos, etc. etc. artigos rouito bons e
baratos na livraria Contempornea.
i osinSeira
Precisa-?e de orna que co ra ; a tratar na ra do Cbuga a. >4, primei-
ro andar, de meio dia ale horas. ____
Papel de forro
de sal, gabinete e corredor, esplendido sorti-
mento na livraria Contempornea.______
"BEDUFRRS
Constructores a Hain, Franca
Representado por Emilio Bu-
llo o. eageohelro mechante
(PEKNAMUUO >)
Assentamento completo ptra engenbos cen-
traes e Urinas pelos processos os mais aperfei-
coados.
Moendas e repressQo mltipla.
Corte-cannas vertical, systema Bedu.
Diffusao. circular e rectlinha. dito Bedu.
Diflusao continua do bagaco dito Perret.
Fornos para queimar o bagajo da diffusao,
dito Bedu.
Filtros mechanicos a ltrac&o mltipla.
Turbinas centrifugas (economa, limpeza e
trabalbo rpido).
Em geral todos os apparelhos os mais moder-
nos e os mais aperfeiroados para o fabrico de
assucar.
N.B. OSr. Emilio Billion fazendo urna via-
gem de 3 mezes oa Europa, durante a sua au-
sencia dirigi as cartas e pedidos a casa Bedu
Freres a Hum, que fornecer phntas, orcamen-
tos etc., e por qualquer negocio urgente in'or-
mar-se ao Sr. Eugene Chaline; 54 ra do Com-
mercio, Recife. ___________________
Quadros
com beHissimas oleosraphius, obiectos para
adorno de sala e para presentes, tudo encontra-
se na livraria Contempornea, ra 1 de Marco
Qumero 2.
Ped ~m ao amigo que tomou eouta w: urna
bo!'j- no arco para levil-a -i eetacao da na do
Sol," contendo diversas mercaduras, como nao
encontrn c deno, traga roa da Florentina nu-
mero 34.
Em tempo
O bachure] Francisco Canuto Emeniviuiano
pede as pes^us de sua atnizade particulares e
conimerciactr.;, que nenhuma importancia em
dinheiro ou inercadoria enlreguem a seu Hlho
Francisco Canuto. Elle menor de 17 nnos, e
aosentou-sp da casa paferna.
Cozinheira
.Precisase ce urna ama que cosrane oem, pan.
casa de pequc.a familia, que durma em casa
dos patroes; na ra Coode da Boa-Vista n. 24-F.
portao de ferro.
FOLPT
que o casa-
peca,
de
VENDAS
Vende-se duas casas de tijolo, sitas em
Sant'Anna de Dentro, sendo o ar o mais sauda
vel que ba em no-so- arrabaldes,tendo a estacSo
d* Sant'Anna mili perto da via-ferrea : a tratar
ha ra Paulino Canura n. 19, 2- andar.
Vende se urna muito boa vacca tourlna. es
lando prenhe de sete mezes. O motivo da venda
por ai har se doente o dono ter de retirarse
para Europa ; quem quizer cmprala dirija se
c cocheira junto a olaria do Sr, Reflarmino no
caes do Capibaribc.
Vmho particular
So armazem da ra do Amorim n. 60. vnde-
se o que pode haver de melhor pelomodico (.re-
g de 7*000 o garraf&o de tres caadas, vol tan-
de o casco.
MAIS BARATO
\'a Loja das Lisiras zoes
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Vende-ae fazendas finas mais barato e
dase descont a quem comprar de 20*5000
para cima, trocr.se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo nk> fr de muito
agrado para quenj fw comprada e vende
pelos seguintes procos:
Cachemiras lisas e com listas de
seda de l.ndas cores, a 104O>.
Merinos de duas larg;." 140 e
800 rs., qualidade superior.
Tecldos arrendados c6r de creme com
matiz com duas larguras, a 600 re.
Fazenda* de pbantasia e lindas cores
a 400 e 500 rs.
Tecldos de linho, lindos 'padroes
grados, a 200 e"240 rs.
Zeflros lisos o de quadro, a 80 e
100 rs.
SetlDS de Mnco branco, preto e de
todas as core, a 750 o 8lK) rs.
Setlns de quadrinhos, a 900 rs.
Sedas lavr. das blancas e de cores ca
ras, a 10400.
CiJZCS de seda com fios prateados a
10000.
Cortinados de crochet,, em
900 rs.
Cmbralas bordadas brancas
cres, a 40**' a pc9a.
Cortes .de vestido bordados, brancos,
para noivas, a 16$000, 180000 e 200000.
VOS para chapeo preto, branco e de
qualquer cor, a 10500.
Crep inglez para enfeitos de vestid' s
a 10200 e 20000.
TECIDOS MAIS BARATOS
Percales C chitas claras, finas, a
18 ', 200 e 240 re.
Cassas de cores finas e seguras, a
120 e 240 re.
norial de Ustras aznes muito lar-
gos com 20 varas, a 60000, a peca.
Sargellns Unos, a 160, 180 e
200 re.
Crinolina, qualquer cor, a 400 rs.,
o metro.
( ii arda apos superiores a 10800 e
20000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 101)00.
Bramante de 4 larguras a 640. 800
e 10000, o metro.
Toaihas acolcboadas c felpudas corn
listas de cores, a 40000 e 60000, a dtizi.-
Blcos brancos francezes. a 60<
e 800 rs., a peca.
tiros finos, brancos, cremes e ma-
tisdos, a 20000, a pea.
Hlelas a 240 rs. a duzia, cobertas a
400 re.
I,uvas de seda, bordadas, brancas,
55
Loja de barbeiro
Vende se a da ra de Marcilio Dias n. 88 : a
rralar na roesma.
Breu
marea
F
Vetide-se em barricas a 30 rs. a libra
mazem da ra do Amorim n. 80.
no ar-
Vende-se um bonito
ra Pireita D. 8
Burrinho
burrinho :
a tratar na
\>nde-sc
SEM MI
POR
falq numw
1
A FALHA DA COURAHA
(C o n t i n u a 5 a o do n. 114)
capitulo vm
Em B-ll-% lie
Oh! isto nunca! Quando voc co-
ahecer as creaturas boas e perfeitas que
uto meu pai e minba tia, ha de ver que
isso nao ser cousa possivel.
Bazao de mais entau para que voc
oto tenha outra vontade que nao seja a
delles.
Antee de conheceU ^nha aceita-
. do esse duro sacrificio. Hoj nio posso
mais.
E o 4evr?...
Elle estremeceu.
Depois, de sbito, sacudindo a cabeca
como para aastar de si pensamentos dolo-
roeos:
NSo falle em dever, quando eu amo-a
como um lonco, e quando tomarei qnalquer
resolucio de preferencia a renuneiar a vo-
c !.. Agora eston decidido, porque con
clui gravemente, seriamente, que nao po-
da viver sem voc. Nada newte mundo,
mas nada absoluta mente, me far jamis
mudar de resolujSo. Vou prevenir meu pai.
Escute-me, met Roberto, voc faz-
me feliz at onde posivel sel o. E nada
.neste mundo, a riim tao pouco, se collo-
car jamis no meu eorsjSo ao lado da ana
recordarlo. *"
Entretanto. supplic>vlhe que .ao leve a
"io ao seio de sua familia e que re-
nicta Lem. Nos somos mocos ambos ; an-
tes na determina^Jo to grave,
e em que se acha envolvida a feheidade
de taot* espere.
refl
San ric-, niobilia de Jacaranda, muito elegante
e propria para noivos, pre^o eommodo ; para ver
: tratar na offuina do tenente Dionisio, no pateo
do Paraizo. ^
Vende re um cavallo alaso cichito. andador
de baixo a meio; a tratar na ra Vidal de Ne-
greicos n. 141.
ment de Adea proporcoi-ava-Ihe um cer
to adiamentn, n3o tratariara mais em casa
de abreviar o prazo da oua projectada in-
felicidade.
Pois bem, disse elle, esperaremos
um anno, se quizer. Ento, como tenho
certeza de nao haver mudado, se continuar
a amar-me declararei a meu pai que s
voc ser minha mulher.
Sua mulher!... eu, Roberto !... A or-
pha* sem asylo!... Ah! mea Deus!... NSo
se morre entSo de alegra, visto que eu
respiro anda.
Clotilde ia cahir na calcada; Roberto
ampnrou-r. no<- bracos.
Minhi mulLer! repetio elle, apoian
do pela primeira vez a bocea nos bellos
cabellos de ouro, que chegavam altura
dos seus labio6. Sim, minha mulher, mi-
nha querida Tilde; tu, ou ninguem !...
Ella entrou em casa como urna louca.
Toda a noite, com grande desespero de
Pompn, que de qua;ai'o em qtundo ia
lamber (he as faces, ella ehorou com o
rosto mergulhado no lenco de seda de Ro-
berto, que nao pensara em restituir ao
mancebo.
E sempre as palavras divinas lhe acu-
diam, como urna msica do co, a emba-
lar-lhe os sentidos, a cxtasial-a : sua mu-
lher !...
Sua mulher !... isto n3o deixal-o nun-
ca mais, vel o todos os minutos da sua vi-
da, ser amada, guiada, amparada por elle,
turnarse a sua co fident^ o seu coneelho
e a sua amiga ; nZo terem ambos sean
um fira, urna existencia, Um coracaq!...
Realizar-se-hiam realmente felicidades
assim no mundo?...
E os proprios anjos nSo desceriam do
co parapdr-Ihe obstculos, r.ccomraettidos
de zelos.'...
No dia seguinte, como que para melhor
deixal-a entregue sua reflexao e siia
alegra, Roberto nlo foi ao boulevard
Haus8mann esperar a moca.
Era nm sabbado, e succedeu justamente
que ella nao podia, alm disso ir ao seu
encontr.
Acompanhava-a de facto um caixeiro,
levando n'uma grande caixa coberta de en-
cerado a toilette terminada que Ciotilde
devia no dia seguinte ir provar na menina
Chaniers, como ella tinha tao vivamente
desejado.
Mas quando ranspunha a porta a mi
Bretn entregou-lhe lima carta.
Ella recebeu-a em corar nem pertur-
bar-se, sabendo perfeitamente que era de
Roberto e que elle n5o poda escrever lhe
senao'cousas honestas e boas como a sua
pastos.
pret* s e de cores, a 20000.
Leqnes de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 20000.
Leqnes de pennas o que ha de me-
lhor, a 50000 e 60000.
Kabonete grande de perfume agra-
dare!, h 500 ra.
Extractos finos francezes e inglezes
a 10000 e 20UOO.
Despertadores americanos, a 70.
Mosquil el ros americanas com ar
macSo a 100000 e 120000.
spartilhos americanos e inglezes,
a 40000, 50000 o. 60000.
Capas de vidrilho e rendas, a 250000
e 300000.
E umitas fazendas qne se d por todo o
proco na.
Luja das Lislras zoes
AO
Convite s fninilias
Pede se attencJlo para os pregos abaxo
mencionados:
Cambraia com salpicos a 4^5000 a peca.
Rendas hespanholas a 10 o covado.
Madapolfio americano a 0, 70 e 80000.
Renda da China, novidade, a 240 rs.
Amor da China a 200 ra. o covado.
Zefiros a 160 e 200 ra., cousa chic.
spartilhos, grande sortirrento.
Ouardanaps a 10600 a duzia.
Capas para senhoras, novidade.
Fustces brancos a 400 e 500 rs. o ce
vado.
Linn bordado a 800 rs. > covado.
Toalhado para mesa a 10 o metro.
EsguiSo pardo a 400 ra. < covado.
Babados e entremeios, grande sorti
ment.
Colchas muito bonitas a 20000.
Enxovaes para baptisados, finos.
Merinos pretos e de cSres a 500 rs o
covado.
Cortinados para cama a 60000.
Las a 240, 320 e 500 o covado.
Luvas d- seda a 20000.
Crnolines a 400 re c metro.
Cambraia branca a 20800 a peca.
Grinaldas para noivas.
Setins de todas as cores a 800 rs. o co
vado.
Cortes d* cachemira, c usa chic.
Sargelins de todas as cores a 200 re. c
covado.
Collarinhos e punhs grande sortimenti.
Cretones para vestidos a 320 ra. <
covado.
Toaihas felpudas, grande reducc&o en
presos.
Camisas inglezas com e sem collarinhc
Mantilhas pretas.
Brins para roupa de enancas.
Setins de quadro, em cortes, gostos no-
vos e precos commodos.
Batistas a 120 ra. o covado.
Cretones para coberta a 500 rs. o co-
vado.
Tecidos arrendados para vestidos* cou-
sa chic, a 400 re. > covado.
Tapetes grandes e pequeos.
Bramantes 1 sos e trancada a 800, 10
e 10200 o met o.
Alm do que -fioa mencionado, temos
mais outras pechinchas que s vista se
pode acreditar.
Da se amostras sem penhor.
55-RIJA DUQUE DE CAXIAS 5
FERNAMSDEAZEVED06C
Vende-se
48
A RevokiQao de
A' rna lluque de Caxlas n. 4
NAO CREIO QUE HA JA COMPE-
TENCIA DE PRECOS
Neste mnito acreditado esrabelecimen-
to de fazendas finas e modas, como j
teem privado aos seus freguezes, que ven-
qite em outra
a offerecer as
240
Hodie mihi eras tibi
O ^Francisco Raposo Falco, 3- official do
o valo/ dos mesmos, nao se lembrando que esta
traosaego desde que foi demettido, talvez nao
esteja moito longo para licar no estado que j
estove.
Foi rnente no seu qnarto e cercada
das vidas cariciHS de PompoH, sempre
alegre guando a via, que ella abrio-a.
Eis o que continha A missiva:
c Minha querida Tilde.
Voc nao me ver esta noite, perqne
quero dcixal-a descer tranquilamente ao
fundo de sua alma, afim de que se recolha
e que pese tSo claramente quanto possivel
os pensamentos e os desejos do seu cora-
rlo. Amanh tarde esteja no parque
Monceau, e l, ssinhos, debaixo de um
massico, pois ha corridas em Auteuil e o
parque estar qua^i deserto, conversare-
mos novainente.
c Quanto a mim, quanto mais procuro
ler na minha alma mais comprehendo que
amal-a-hei santamente, exclusivamente to-
da a minha vida,.sem mudar nunca.
Robej&to de Salves..
Foi urna nova noite de alegra, feliz e
de ventura ineffavel que passou a orpha.
Verteu aiuda lagrimas de reconheci-
meoto e de amor ; e diante daquelle affec-
to santo, respeitoso e grave, sob a expres-
s2o do qual sentia-se urna vontade tao per-
sistente, tao deeidida, o seu desejo de re-
um estabelecimento de molhados, dos melhores
em retalho ra do Bsayel n. 53, e urna cochei-
ra d<* vaccas tourinas especiaes, sendo duas com
duas bezerras, e urna com seis mezes de barri-
a, e um cavalb andador; prante se a cnave
a casa a quem comprar e d-se a freguezia pa-
ra o leite : a traiar na ra do Rangel n. 53. A
causa destas vendas e o proprietario ter de reti-
rar-se para Europa.
Remedios homeop-
ticos
Vende-se por menos de 50 '/O do preco desta
cidade, urna ambulancia homeopathica, vinda
de Hambureo pelo va or Campias, da casa de
Kart Otte, mu propria para o interior da pro-
vincia, pela variedade dos remedios, em vidroe
de esmeril fino, com SO e flu grammas de reme-
dios, de alta e haixa dyn.
Alcool de 60 e 80 gr., opndeldoc de Rhus,
Biel, Sulf, rnica, Ruta, etc.
Tinfe de rnica calendule, vidros sortdos de
10 a 200 grammas e rolbas de cortica.
Carteiras para al^ibeira com 40 tubos de re-
medios. 0 motivo da venda para quem man-
dou-sc vir estes remedios, deliberar ir para Eu-
ropa. Para velos e tratar, ruc Duque de Ca-
xias, loja de ferra.rens n. 46.
dem por menos 30 [0 do
qualquer casa, continuara
mesmas vantagens.
Merinos de quadros e lisos a 200,
280 re. o cevado.
Seda alsaciana (fantasa) padiBes escolhi-
dos a 280 rs. o covado.
Zefiros de quadros modernos a 120, 140,
200 e 240 rs. o covado.
Cachemiras lisas e de quadro (combina-
cao) a 320 rs.
Organdis (fazenda de fantasa) a 400 re, o
covado.
Nanzuks muito finos de 120 a 240 re. o
covado.
Algodaosinho muito largo e bom, a 40000
e 50 a pessa.
Fichs de 12 de todas as cores de .10,
10500 e 20 um. ,
Cretones claros e escaros a 160, 200 e
240 ra. o covada.
Leques transparentes a 20, e de papel a
500 ra., para acabar.
Lindos cortes em cart3es com aviamentos
a 60, 80 e 100 um.
Camisas de meia (pechincha) a 10 10200
urna.
Toaihas de cores para mesa elstica 50
urna.
Camisas francezas de linho puro de 40
por 50, urna.
Brim branco n. 6 a 10600 a vara.
Madapolo americano com um metro de
largura a 60 n pessa.
Brins de linhos de cores finas e garantidos
a 600 rs. o covade.
Bramante trancado duas larguras a 400
rs. o metro.
Atoalhado de linho a 10500 o metro.
Cortes de fusto para colete a 10 e 10500
um.
Toiletts para bafsados, muito finos a 100
e 120 um. '
spartilhos SAdBkiraca a 4d e 5 um.
Cache: HUr jbsJ&JMra. clara= e escuras a
20 o tmmr
Setins de todas os cores a 800 ra. o co-
vado.
Cortes de cachemiras finos a 40, 50, 60,
70 e 80 um.
Len$os de cores, imitacao de seda, a
10800 a duzia.
Esguiao de algodao, duas larguras, a
30200 a pessa.
Colchas de crochet com palmas de cores,
para noivos a 100 urna.
Capellas com veos a 80 urna.
S na Revoluto de 48
HENRIQUE DA SELVA MOREDJA
Boyal Blend marca YUDO
Este excellente ^r^hisky Escocez pru
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Itoyal Blend marca Vlado
cujo nome e emblema sao registrados par*
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes
C'arvo
Vende-se na padaria de MeHo Risft a 460
rs. a barrica ; na ra larga do Rosario u. 40
A LOJA MAIS BAHATEIRA
PARIZ FAMERICA
AZEVEDO, IRMaO & ...
16Ru do B. da Victoria16
200 Tdephone200
Tendo recebdo directamente da Europa
grande -ortimento de fazendas e modas o
que. ha de mais novo e precos sem com-
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 12 e 1S seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 10200.
< rinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 re.
Bramante de linho a 10500, com 10
palmos.
Toaihas para banho a 10000 e 10500.
( hachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
MadapolSo trancado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de la e seda 10000.
Brins de Hho cies fixes a 600.
spartilhos couraca a 40000 e 50000.
Colchas de fusto a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado a
60000.
Toaihas de edres para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 10500.
Renda de 12, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama a
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
Guarnieses, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupa?.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito do fustio de cores.
Ditf> de casemira de cores.
TELEPHONE 200 ____
Leite puro
Na estrada de Jo Permanaes Vieira, sitio lo-
nQ depois das casas novas dn direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra., garante-sea qualidade do leite.
Pao centeio
Mello & Riset, avisam ao rrspcitavel publico,
que tedas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
Dorse pao: rna larga do Rosario n. 40.

I



Vende-se

-
duas vaccas com crias novas, qualidades boas,
e urna garrota tourina, sendo as duas nraa tra-
cada e a outra da trra ; na estrada de Joo de
Barros. averna n. 20-A, junto acapella. So com
a vista.
bitacSo, no alto da qual Suzana esperava,
tendo a campainha annunciado um visi-
tante.
D. G-eorgina Chaniers? perguntou a
eos ture ira, jerguendo para a joven criada
os olhos tao azues, tao bellos e tao pu-
ros.
Suzana nao tinha anda visto Clotilde.
Estremeceu profundamente e poz-se a
examinar a orpha sem responder.
Esta repetio a sua pergunta um pouco
admirada daquella physionomia tSo agra-
davel, mas que envolva a de olhires tao
investigadores.
A senhora sem duvida a moca que
vem provar a toilette da menina Chanier ?
disse ella finalmente.
Sim, senhora, respondeu com a sua linda voz musical, e creio que
a Sra. Chaniers espera-me.
Queira subir, minha senhora.
E introduzio a costureira.
Quasi immediatamente Adelia sahio do
seu quarto, e, dando alguns pasaos em d-
recgo sala :
E' voc, Clotilde ? perguntou ella,
antes inesmo de ver a moca.
Sim, senhora, responden esta, appa-
recendo atrs de Suzana. Trago o costu-
8stir, de continuar, a fallar no dever, fra"|me de D. Geo.-gina.
queava, abandonava-a pouco a pouco. A Voc vaijao quarto della; masan-
tes disso dgame bom dia, m, que
chegou em frente escada exterior da ha-! de damasco cor de rosa, com os seus mo*
Cerca de nove horas ella tomou um car
ro, conforme lhe havia recommendado o
Sr. Monteret, e deu ao cocheiro a morada
de Adelia, que nao conhecia senao desde
a vespera
Chegando em frente usina desembar-
cou e olbou para a grande taboleta, sem-
pre a mesma, sobre a qual lia-se.
MADEIBA ESCULPIDA
Parou, entretanto, sbitamente, muito
sorprehendida, muito intrigada.
Em brixo, sobre urna placa de marmo-
re preto, havia em letras de ouro :
CHANIERS DE SAUVES & C.
Oh disse ella comsigo, o nome de
l-berto !... E' singular!... j
Acreditou, porin, n'uma simples coin-
cidencia, nao lhe tendo o seu apaixonado,
antes do dia tao prximo em que deixara
escapar dos labios a sua confissao, fallado
nunca em sua familia, nem pronunciado
na sua presenca o nomo de Adelia.
To pouco na antc-vespera, nSo lhe ha-
va d'to que a tia que o tinha creado, e a
quem .riniava to profundamente, cha-
niava-se a Sra. Chaniers.
nao
e abrace me um pou-
presta-me attencao,
co, se me faz favor.
Inebriada de prazer, a orpha cahio nos
bracos de sua protectora e deixou-se co-
brir de beijos por esta, /M>m grande estu-
pefaccSo de Suzana, a qual, nao tendo nun-
ca ouvido fallar de Clotilde, nSa compre-
hendia como Adelia abracasse daquelle
modo urna simples costureira da casa Ana-
tole.
Meu Deus exclamou a Sra. Cha-
niers. como esta pequea tem as faces
frescas, e como bom sentil as sob os la-
bios !...
E vendo a interrogacao conttda nos olhos
de sua amiga :
Ests admirada, minha Snzana! dis-
se ella. Mas nos somos grandes amigas,
eu e Clotilde. Explicar-te-bei isto logo
mais. Por agora condul-a ao quarto de
Georgina; eu l ire ter daqui a alguns
minutos.
Suzana obedeceu, e do lado opposto do
corredor, na parte da casa recen tmente
construida e que dava ao mesmo tempo
para o jardim e para o pateo de entrada,
abri urna porta.
Appareceu ent&o aoe olhos de Clotilde,
que nao tinha visto nunca ceu;.< tao catita
Clotilde ntravf:ssou o grande pateo e %em tao bonita, um quarto iodo forrado
veis brancos, de feitio Luiz XVI, simples,
casto e elegante ao mesmo tempo.
Sobre aquelle fundo cor de rosa, no
meio daquelles grandes passaros cor de
rosa, rogando com as azas abertas flores
cor de rosa, n'um co igualmente cor de
rosa, a belleza morena de Georgina sobre-
sahia singularmente, deslumbrante e fina
Oh eil-a, minha cara Clotilde, disse
a donzella graciosamente. Trazo meu cos-
tume?
Sim, senhora.
- E' bonito?
No genero do da menina Gruey, po-
rm muito mais elegante e sobretudo feito
com muito mais cuidados, visto... que
para a senhora, accrescentou ella com um
sorriso muito meigo, comquanto um tanto
receioso,
Ah exclamou a outra, deixe ver.
Clotilde abri a caixa de papelio e es-
tendeu sobre a cama urna saia azul de flo-
rnhas brancas, de urna simplicidade e de
urna difctinccilo raras.
Quer proval-o ? perguntou ella no
mesmo tempo.
Sem duvida, peco-lhe.
Georgina tirou o penteador que ainda
tanda e vest o o cestume, ajudada por
Clotilde, que arranjava as pregas, atava
os cord3es, endireitavn os babados com os
seus dedos ageis e debis.
Adelia entrava quando acaba va do ser
abotoada a ultima casa.
Como me achas ta, mami ? per-
guntou a moca, voltando so duas vezes
diante da Sra. Chaniers.
Maravillosamente vestida. Mas no-
to entretanto um defeito.
Qual ?
Ests apertada de mais.
Ah isso nlla. Olha, passo a nulo
entre a fazenda do vestido e o meu col-
letc,
EfttSo o feitio do corpinho que te
faz franzina assim. Ests mais flexivel
que um junco.
E este franzido, disse Suzana por
seu turno, como est bem arranjado !...
Como simples e bonito Estas pregas
teem urna graca extraordinaria.
Sim, agrada-me, disse Georgina, mi-
ra ndo-se de todos os lados no espelho do
sen armario.
Depois, dirigindo-se a sua m3i:
Vou reservar esta toilette para o al-
raoco, mamai, disse ella; talvez que ella
tenha o poder de fazer Roberto passnr o
domingo comnosco, como seria do sen do.
ver de noivo. '
Ao nomeRoberto !... s palavrasde-
ver de noivo !... Clotilde estremecen pri-
Para jornaes
Papel formato Diario, SO foi ha; 7300
Dito dito Jornal, 400 folbas o#000
Dito dito Provincia, 400 folbas UM
Vende-se na fabrica Casias.
Superior queijo do Serid a
ljfeoo o kilo
S no largo do Mercado n. 12, Gomes Ferreira
& C. Successores.
mefro c ficou depois mais branca que a
cera.
Effectivamente, n'um pecsamento mais
rpido qne o relmpago, ella lembrou-se
qne a Sra. Chaniers Ihc havia dito que as
toilettes de Georgina eram destinadas ao
seu casamento com seu primo.
Dar-se-hia caso que seria o seu Roberto
o noivo da menina Chaniers ?
O seu Roberto, cujo nome achava-sc
inscripto fra, sobre a placa de marmore.
E ella, Georgina, seria a mnlher egos-
ta, m, antipathica, que lhe destinavam, e
que elle n3o quera aceitar?...
Ai de Clotilde!... como ella era desgra-
ada!...
Se existia no mundo urna moca capaz
de fazel-a resistir ao amor de Roberto,
essa moca era a de que Adelia, sua bem-
teitora, era mi!
Oh! esta, ainda que Clotilde tivesse de
morrer de dr, devia ser-lhe mil vezes sa-
grada!...
A Sra. Chaniers percebeu a extraordi-
naria emocao da orphS.
Que tem voc, minha filha, dase ella,
estar incommodada ?
Nao, senhora, obrigada, nao nada.
Mas o que ? repetio Adelia j as-
sustada.
Urna ligeira tonteira, queja passou.
E' sujeita a isso ?
Nao, senhora.
Quer um pouco d'sgua assucarada ?
perguntou Suzana por sen tuqio, muito
a flec tuosa.
A orphS voltou-se para a joven goveiv
nante :
Obrigada, disse ella, nao preciso de
cousa alguma. ^A boa- solicitude de am-
bas as senhoras poz-me boa j.
Est pailida.
Oh isso desapparecer com um pou-
co de ar fresco.
,E faz ao pronunciar estas palavras, um
movmento physionomico, que impressio-
nou Suzana.
E' singular!... murmurou a amiga
de Adelia. Estarc sonhando ?...
A orpha fechou novamente a caix de
papellao e prepara va se para leval-a.
Deixe estar, disse a Sra. Chaniers,
mandaren amanh um caixeiro leva! a
casa Anatole. **
De repente Georgina, que estava ja-
nella, poz-se a falla/1 para fbra, com al-
gnem que se achava no jardim.
Nunca tive urna toilette to bonita,
dizia ella. Vem c rel-a!.. MamSi est
aqu e^chama-te.
(Continuqr-e-ha
'




Typ. do )'"iru> ra Duque de Oaxias n. U



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ9HB5YAW_UUQPH1 INGEST_TIME 2014-05-21T22:48:41Z PACKAGE AA00011611_17256
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES