Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17252


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO LXV NUMERO 111

li-
li
PARA A CAPITAL E LIBARES U\DE Vi O SE PACA PORTE
Por tres mezes ad
Por seis ditos idem
Por um anuo idem
Cada numero avulso,
los.
do mesmo da.
60000
124KXX)
23,5000
00
SABBADO 18 DE MAO DE 1889

PARA DEVTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados ....
Por nove ditos idem......
Porum annoidem ...
Cada numero avulso, de das anteriores
135500
200000
260000
0100
DIARIO DE PERNAMBUCO
Tropriedacle de Manoel ftgurca de Sfor S
TELEGRAMMAS
:s:-::: pasticulae so
t.ii.
RIO DE JANEIRO, 17 de Maio, as 5
hons da tarde.
A Cmara dos Diputados coneluio hoje
a eleicSo de suas commissoes.
Nos tres quartos de hora depois do ex-
pediente o Dr. Nogueira Penido, deputado
pelo 10. districto de Minas Geraes, apre-
sentou e justificou um requerimento para
ser nomeada urna commissao, tirada da
Cmara, afim de dar parecer que habilite
o poder legislativo s. resolver se S. M. o
Imperador est em condicSes de contirfuar
a dirigir a governacilo do Estado.
Proposta e vencida a urgencia para en-
trar em discussao esse requerimento, houve
curto debate, sendo rejeitado por quasi
unanimidade de vot03.
A votacao foi nominal e smente vota-
rain a favor do requerimento os deputados
Nogueira Penido, Godofredo Lamounier,
Pacifico Mascarenhas e Manso.
:::,:::: sa a&sncia satas
BERLIM, 16 de Maio.
Contina a mesma situaeSo na Westpha-
lia, mas os grevistas esto calmos.
BERNE, 16 de Maio.
O presidente da Confederacao Helvtica,
ir comprimentar S. M. o Rei Humberto,
que na sua viagem para a Allemanha deve
atravessar o territorio suisso.
MADRID, 17 de Maio.
A exposicao fluctuante hespanhola deve
partir prximamente de Valenga para a
America do Sul.
Agencia Havas, filial
17 de Maio de 1889.
em pernambuco,
IHSTRUCClO POPULAR
AS GRANDES IMNCOES
ANTIGS E MODERNAS
NA8
Sciencias. industrias e artes
POR
2.3JEZ ^.I-GUiiSR
xrv
O vapor
(Continuacao)
Os wagons tem vanas formas. As casas rota-
toria* destinadas ;i transportar passageiros tem
diflVrencas proporcionadas ao prego dos lugares.
A disposicao dos wagons das differentes classes
' asss conhecida, de sorte que podemos abster-
nos de fallar riel la
S[0s carros para ov.4lia- e gado suino tem dous
andares e nao sao .divididos em repartimentos.
Ha tambera wagons especiaos para o leite, a hu-
llia e o coke. e trucks destinados a transportar
carruageas, carros de correio e diligencias. Os
wagons para transportar p Iras e ballasto du-
rante os aterras tem urna forma simples : sao
carros osciliatorios que podem descarregar
toiul (Contina)
PARTE OFFICIAL
Goverao da provincia
BXPEDIE3TR DO DA 37 DE ABRIL DK 1889
Acto :
O vice presidente di. provincia, attendendo
ao que. requereu Faustino dos Santos Costa, mes-
trc da officina de calafates do rseoal de Mari
ha c tendo era vista as informacOes prestadas
pelos inspectores do dito Arsenal e da Thesou-
raria de Faaenda em oflicios de 12 e 25 deste
mez, ns. S|e 161, resolve, de conformidade com
o decreto4!. 2,884 do l" de Fevereiro de 1862,
abrir um edito da importancia de 574750
verba do 12 Arsenaes do Ministerio da Ma-
rioha exercicio corrente, alim de occorrer ao
pagamento da gratificago extraordinaria, a ra
zJo de 14750 por da til, concedido ao suppli-
cante pelo aviso do mencionado Ministerio de
20 de Fevereiro findo. n. 283, a contar desta
data at 30 de Marco subsequente. -Remetteu-
se copia ao inspector de fnesouraria de Fa-
zenda.
Officios
Ao vice cnsul da Grecia. Accuso o rece-
bimento do officio de 30 de Marco em que o Sr.
H. Niemeyer, vicecnsul da Greciaparticipou ao
meu antecessor haver na mesma data, usando
das attribuices conferidas pela lei consular hel-
lenica, constituido gerente interino do vice con-
sulado o Sr. E'igene Chali te.
Inteirado de scmclbante oceurrencia da qual
passo a dar sciencia as estagoes competentes,
aproveito a occasio para renovar ao Sr. vice
cnsul os protesio< de minha estima econside-
ragio.
Fizeram-se as necessams communicagoes.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Remetto a V. S. para osfins convenientes copia
do contracto celebrado poi esta presidencia era
23 ilocorrente cora Misajl da Siiva Guimares
para destruicao de casco do vapor Bahia nau-
fragado em 23 de Marco ele 1887 ao norte desta
provincia, vista do aviso io Ministerio da Agri-
cultura Commercio e Obras Publicas de H de
Janeiro 'iltimosobn. 1 e ordem do Thesjuro Na-
cional n. i de 16 do mesmo mez.
Mutalii muiandu ao inspector do Arsenal de
Marinba.
Ao director interino do Arsenal de Guerra.
Nos termos do aviso do Ministerio da Guerra
de 13 do crrente, autoriso Vrac. a mandar for-
necer a companbia de'operarios militares desse
Arsenal, do-2. 14" e 14' batalhes de infantera
os arligos de .fardaento constantes da inclusa
nula de 2JJ df Margo lido, organisada na repar-
ligo do qunrfel tuesire general.Fmram-so,
as necessanas rciiirarficacOes.
Ao mesmo.Faga Tpc. desembarcar de
bordo do vapor Pernambuco procedente dos por-
tos do sul os 6 volumes de que trata c incluso
conbecimento, contendo arligos destinados a es-
se Arsenal e ao corps de polica, os qulrafr'
ram remettidos pela impudencia da Guerra em
em officio n 258 de 12 do corrente.
Ao Dr. juis de direito da comarca do Rio
Formoso. Providencie Vmc. para que me seia
apresentada a cerlido do processo de Leonardo
Al ves Nogueira, que interpoz recurso ae graca
da pena de gales perpetuas imposta per deciso
do jury do termo de Serinhem em 11 de Marco
de 1881 devendo a certidao vir acompanhada
de informaco dojuiz da condemnago, ou,da-
quelle que o livor substituido np cargo.
Portaras :
Recomraendo cmara municipal de Tim-
bauba.em resposta ao seu officio de 20 do cor
rente mez. que me informe si foram cumplidas
as ordens transmitidas aos parachos e sacbris-
tos iocumbidos da admiuistraco dos cemite-
rios desse municipio alim de nao seren feitos
enterramentos sem a competente certidao do es
crivo de paz conforme determina o artigo 74
do regulamento do registro civil.
Os Sr,. agente^ da Companbia Brazileira
de Navegacao facam transportar a provincia do
Cear. por conta do Ministerio da Guerra o alum-
no da fcscola Militar all existente, Henrique Ri-
beiro Campos de Vasconcellos que em viagem da
corte para aquella provincia, desembarcou n'esta
cidade. por doentc, segundo declara o comnian-
dante das arma= interino era officio de 25 do'cor-
rente sob n. 909. Coramunicou-se ao comman-
dante das armas.
O Sr. gerente daCompaohia Pernambucana
de Navegacao mande transportar gratuitamente
com passagem de proa para o presidio de Fer-
nando de Xoronha na primeira opportunidade
a Secundina Thomazia Maria do Sacramento mu-
Iher do sentenciado Joo Mendes dos Santos. -
Communicou-se ao director do presidio.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco d passagem de ida e
volta, com direito a bagagem e por conta da pro-
vincia da estago das Cinco Ponas a de Gamel-
leira a quatro pracas do corpo de polica, que
Eara all conduzem dous presos que terao tam-
em transporte as mesmas condicOes da escolta.
Expedio-se ordem ao commandante do corpo
de polica para mandar a presentar ao Dr chefe
de polica as referidas pracas.
EXPEDIENTE DO DB. SECBETABIO
Oflicios:
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda. -
De ordem do Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia remetto a V. S. quatro ordens do Tbesouro
Nacional de o*. 63 a 66.
Ao coronel Francisco Cordeiro Das dos
Santos.De ordem do Exm. Sr. vice-presidaatA
da provincia communico a V. S. para o sea co-
nbecimento, que por portara do Ministerio da
lustica de 16 ae Marco lindo, foi V. S. transfe-
rido para o servicoda reserva Hcando aggregado
ao commando superior da guarda nacional da co-
marca do Rrejo.
Ao lenle coronel Manoel Ignacio da Silva
AzevedoDe ordem do Exm. Sr. vice-presiden-
te da provincia communico a V. S. para seu co-
nbecimento que por portara do Ministerio da
Justica de 16 de Marco Gndo foi V. S. transferido
para o servico da reserva ficando aggregado ao
9 batalho do mesmo servico.
Aos agentes da Companbia Rrazileira de
Navegacao a Vapor. S. Exc. o Exm. Sr. vice-
presidente da provincia ticou inteirado pelo offi-
cio de 24 do corrente, de qde o vapor Maranhao,
esperado no dia seguinte dos portoa do sul se-
guira no mesmo da s 6 boras da tarde para os
do norte.Communicou-se a directora da agri-
cultura.
Ao mesmo-S. Exc. o Exm. Sr. vice-pre
sidente da provincia ticou inteirado pelo officio
de V. S. de haver entrado boje s 6 horas da ma-
nda dos portos do sul o vapor Para que seguir
amanha s 4 da |tarde para os do nor:e.Com-
mumcou-se a directora da agricultura.
Edital :
Por esta secretaria se faz publico, de confor-
mid de com o aviso do Ministerio do Imperio de
10 de Fevereiro de 1864 que nos termos dos arts.
52 e 53 do dec n. 3,059, de 17 de Abril de 1863,
foi registrado boje, nesta repartigo, o titulo em
seguida transcripto de James Dick, passado pe-
la igreja do East London Tabernacle, silo em
Borden.
0 secretario interino,
Manoel Joa Visto, e designo o 2* official interino da 4*
seccSo para registrar.
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, 20
de Abril dr. 1889.
0 secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
Pagou 64890 de emolumentos e addicional de
6 ,do registro.
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, 27
d 'bnl d^!889. -Chacn.
"Reg. a fls. 134 do livr* 7* de provises do Mi-
nisterio do Imperio,'4 seco* da Secretaria da
Presidencia de Pernambu, 27 de Abril de
1889.
O official interino
Jote Gilirana.
EXPEDIENTE DO DA 29 DE ABBIL DE 1889
Actos :
O vice-presiden te da provincia resolve no-
mear as pessoas abaixo declaradas, para serv
rera de paranyrapbos do assentamealo da pri-
meira podra do passeio publico desta cidade no
da 13 de Maio prximo, s 5 horas da tarde, no
largo do Hospicio.
Paranymphas
As Exmas. Sras. DD. :
Anua Marques de Amorim.
Arcelina Carapello.
Carolina Soares Moreira de Araoriin.
Maria Catharina Leonor de Seixas Ferrao.
Lauriana de Jess Regadas.
Eudoxia Curio.
Margarida Julia Ferreira Machado.
Zulmira Cavbante de Albuquerque Boulitreau.
Maanita Loyo de Amorim.
Mariauna Lovo .'orreia de Oliveira
Anna dos Arijos Correia de Araujo.
Maria Augusta Correia de Oliveira.
Joanna Francisca da Rosa e Silva.
Felippa Maranhao de Oliveira Andrade.
Umbelina de Sampaio Alcoforado.
Maria Marques de Amorim.
Francisca de Souza Leo Cbristiansen.
Francisca Dubeux Loyo.
Isabel Magalhes Leal.
Evangelina Burle Lisboa.
Amelia Coelho Pe eir Lemos.
Joanna Mendes Goncalves.
Maria das Mercs CisneiroPontual.
Maria do Carmo Rodrigues Pires.
Maria Carolina Fiuza.
Rita Fiuza do Reg.
Maria Grata da Cmara Martins.
Maria Emilia Cavalcante.
Anna Lima Pontual.
Rosa Alves de Oliveira.
Corbiniana Baptistade Medeiros.
Ernestina Palmeira Lopes de Barros.
B ironeza de Amaragy.
Baroneza de guas Bellas.
Baroneza de emflca.
Baroneza de Casa Forte.
Baroneza de Catuama.
Baroneza de Frexeiras.
Baroneza de Granito.
Baroneza de Jaboalo
Baroneza de Lucena.
Baroneza de Morenos
Baroneza de Petrolina.
Baroneza de Tacaruna.
Baroneza de Soledade.
Viscoodessa do Livramente.
Viscondessa de Campo-Alegre.
Viscondessa de Mee ejana.



Eu abaixo assignado William Eustace Venn,
tabellio publico ca cidade de Londres por no-
meacao real devidamente juramentado e em ex-
ercicio, pelo presente certifico, que as assigna-
turas que dizem Archibald G. Brow e Joseph S.
Mawis, escriptas ao Km da certidao que se acha
aqu annexa sob o sello de meu officio, sao au-
tnenticas e respectivamente de propria letra do
Rvd. Sr. Archibald Geikie Kronn, ministro e
pastor do East London Tabernacle, e doRevd
ti Joseph Stephen Marris, ministro e pastor da
igreja de Leyton e professor de theolog.a no
collegio de Harley. desta capital. E certifico an-
da mais que a tradueco que vai aqu annexa de
igual forma verso fiel e conforme da referida
certidao, e que em virtude do exposto as citadas
assignaluras e tradueco sao dignas de toda a
f e crdito, tanto nos tribunaes de justica como
fora dos mesmos.
Era testemunbo do que para fazer constar on-
de convier e para todos os effeitos legaes, passo
o presente que assigoo e faco sellar com o sello
do meu dito officio em Londres, aos 5 de Novem-
bro de 1888Veritas W. E. Venn. Not Pub.
Reconheco verdadeira a assignatura supra do
William Eustace Venn, tabellio publico desta
cidade. que liguei com os documentos ns. 1 e 2
rubricados e numerados por mim, e para cons
lar onde convier a pedido do mesmo, passei o
presente que assignei e liz sellar com o sello das
iraperiaes armas deste consulado geral do im-
perio do Brazil em Londres, aos 8 de Noverabro
de 1888.Baro do Ibir-minm. cnsul geral.
Tradueco
Certifica a presente que era officio solemne ce
lebrado esta tarde pela igreja do East London
Tabernacle sito em Burdett Road, foi o Sr. Ja-
mes Dick aceito pelo ministro e merab^ da
mesma igreja presentes pela mesma occtisio
como ministro do Evangelho de Nosso Senhor
Jess Christo legtimamente autorisado para es-
se cargo, que os referidos ministro e igreja Ihe
desejam todo bom xito, bencao e favor divino
em todos os seos trabalbos pasttraes, ministe-
riaes <>u inissionarios onde quer qua tenna de
annunciar o Evangelho East London Tabernacle.
Burdelt Road Londres aos o de Novembro de
1888. Accnibald G. Brown, pastor do East-
Loodon Tabernacle.Joseph S. Marris, pastor da
igreja de Levton. late de theologia. collegio de
Harley
Viscoodessa de Rio Formoso.
Viscondessa de Tabatinga.
Paranymphos conductores da pedia
Os Exms. Srs.:
Desembargador Joaquim Jos de Oliveira An-
drade.
Conselheiro Quintino Jos de Miranda.
Padre Dr. Jeronymu Tbom da Silva.
Baro de Casa Forte.
Tenente coronel Corbiniano de Aquino Fonseca.
Conselheiro Joo Silveira de Souza.
Baro de Itapissuma.
Commendador Antonio Gomes de Miranda Leal.
Paranymphos
Os Exms. Srs. :
Desembargador Domingos Antonio Alves Ribeiro.
Desembargador Manoel Clementino Carneiro da
Cunha.
Desembargador Hermogenes Scrates Tavares
de Vasconcellos.
Desembargador Delpbino Augusto Cavalcante
de Albuquerque.
Desembargador Joaquim Pires Goncalves da
Silva.
Dr. Daro Cavalcante do Reg e Albuquerque.
Dr. Miguel Joaquim de Almeida Castro.
William H. Bilion.
William M. Webester.
Henry H. Swift.
Commendador Joseph Howe.
Manoel Antonio Cardoso.
Dr Eduardo Augusto de Oliveira.
Dr. Francisco Amynthas de Carvafho Moura.
Dr. Alexandre de Souza Pereira do Carmo.
Affonso do Reg Barros.
Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda.
Dr. Antonio Bruno da Silva Maia.
Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro.
Dr. Antonio Pedro das Neves.
Antonio Joaquim Goncalves Fraga. <
^ndr Maria Piaheiro.
Dr. Arislarcho Xavier Lopes.
Antonio Leonardo Rodrigues.
Augusto PiBto d Lemes.
lernardino Gomes de Carvalho.
Aurelio dos Santos < oimbra.
i andido Casimiro Guedes Alcoforado.
Clemente Lima. ,
Joaquim Duarte Campos.
Tenente-coronel A polinario Florentino de Albu-
querque Maranhao.
Engenheiro Ernesto Bortherbood.
Dr. Francisco Apoligorio Leal.
Dr. Francisco do Reg Baptista.
Francisco Pereira da Silva.
Francisco Jos dos Passos Guimares.
Dr. Fuleencio Infante de Albuquerque Mello.
Commendador Francisco Goncalves Neto.
Tenente-coronel Francisco Faustino de Brito.
Henrique Vogeley. *
Herculano Jos Rodrigues Pinheiro
Izidoro Basto* de Oliveira.
Dr. Ignacio Alcebiades Velloso.
Antonio Francisco Correia Cardoso.
Francisco Antonio Correia Cardoso.
JosJurle.
Dr. roao Joaquim de Freitas Henriques.
Jos Francisco Marques
Joaquim da Silva Carneiro.
i-oinmendador Joaquim Felippeda rosta.
Joaquim Jos de Amorim.
Joaquim Jos Goncalves Heltro Jnior.
Tenente-coronel Jos de Oliveira Castro.
Tenente-corenel Jos Fiuza de Oliveira.
Jos Doraingues Maia.
Jos Ferian des Lima.
Luiz Alfredo de Moraes.
Dr. Laurino de Moraes Pinheiro.
Manoel dos Santos *raujo.
Commendador Luiz Jos da Silva Guimares.
Baro do Bonito.
Commendador Rogoberto Barbosa da Silva.
Tenente-coronel Antonio Florencio Pereira do
Lago.
Engenheiro Manoel Martins Fiuza Jnior.
Manoel Medeiros.
Manoel Alves Barbosa.
Dr. Pedro de Altahyde Lobo Moscoso.
Tenente-coronel Pedro Osorio de Cerqueira.
Jos Leopoldo Bourgard.
Sebastio Lopes Gujares.
Capitao-tenente Rodrigo Nuno da Costa.
Dr. Luiz da Rocha Dias.
Dr. Joo Barbalho-l'cha Cavalcante.
Dr. Augusto Carlos Vaz de Oliveira.
Dr. Francisco Domingues Ribeiro Vianna.
Dr. Ulysses Machado Pereira Vianna.
Dr. Joo Augusto do Reg Barros.
Joo Jos Rodrigues Mendes.
Dr. Malaquki3 Antonio Goncalves.
Tenente coronel Francisco de Araujo Lima.
Tenente-coronel Antonio Franci-co da Costa.
Tenente-coronel Feliciano JCalliope Monteiro de
Mello
Expedio-sa es convites.
0 vice-presidente da provincia resolve de-
clarar, em addftaniento a portHa de 23 do cor-
rente, que ijterina a aomeaco do engenheiro
Gregorio 'MuMPMBrgo di Azevedo para exercer
o cargo de fiscal do engenho central de Seri-
nhem, de que contractante Gaspar de enezes
Drummond.
0 vice-presidente da provincia, em execu-
co da lei n. 2,395 de 10 de Setembro de 1873,
resolve nomear Joo Nunes de Oliveira para o
posto de capito do 23. batalho de infantaria da
guarda nacional da comarca de Caruaru. em sub-
stituico de Antonio Fernandes da Matta que mu-
dou de residencia para fra do districto.Cora
municou-se ao commandante superior.
O vicepresidente da provincia, em execu-
g resolve nomear Manoel Alves de Oliveira Moyss
Sara o posto de alferes da 1.' companhia do 57"
atalbao de infamara da guarda nacional da co-
marca de Garanhuns, em substituirlo de Jos Go-
mes da Silva Mello que deixou de solicitar a pa-
tente no^praso legal.Communicou-se ao com-
mandante-euperior.
O vte-presidente da provincia resolve, de
conformidade com a proposta do Dr chefe de po-
lica em officio de 38 do correte sob n. 416, do
mear para o cargo oe subdelegado do districto
de Macacos da freguezia de S Lourenco da Matta
o actual 1." supplente Alfredo Garret.
O vice-presidente da provincia resolve, de
conformidade com aeroposta do Dr. chcmde
polica em officio de 16 do corrente, nomear para
o cargo de subdelegado do 1. districto da fre-
guezia da Boa-Vista d'esta capital o actual '.
supplente Mauoel Hugoljno Pereira Giralde.s
O vice-presidente da provincia resolve, de
conformidade com a proposta do Dr. chefe de
polica em officio n. 401 de 22 do corrente exone-
rar Jos Antonio da Silva Acciuly do cargo de
subdelegado do distflClOde Paratif-e do termo de
Olinda, e nomear pan substituil-o o cidado Jos
Cavalcante de Albuquerque Gadeiba.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereu o juiz municipal e de orphos do
termo de Ipojuca, bacharel Jos Emygdio Gon-
calves Lima, resolve conceder Ihe trinta dias de
licenca com o ordenado a que tiver direito, em
Srorogacfio a que Ihe foi ltimamente, eonce-
ida.
Officios :
Aos presidentes de piibmncia. De conformi-
dade com o 2." do arr. Y" da lei provincial
n. 1,904'de 4 de Junho de 1887, rogo a V. Exc.
se digne de mandar, publicar o edital junto cha-
mando concurrentes ao novo contracto da illurai
naco gaz desta cidade mediante as condicoes
constantes do mesmo edital.
Ao Barita de Jaguar, presdeme da provin-
cia de S. Paulo.gj> officio a que respondo, de
H do corrente fleo sciente de haver V. Exc. na'
mesma data depois de prestar juramento, toma-
do nosse do cargo de presidente dessa provincia,
para o qual fra nomeado por carta imperial de
6 deste mez.
Ao presidente da provincia do Espirito-
Santo. Nesta data mando publicar no Diario de
Pernambuco o edital chamando concurrentes ao
centrado para abastecimento d,'agua e ervico
de esgoto dessa capital, coaforme V. Exc. soli-
cita em officio de l do corrente sob n. 8.
Ao governador do bispado. A' vista do
que solicita a presidencia da provincia de S.
Paulo em officio de 15 do corrente mez, rogo a
V. Rvdma. que se sirva de providenciar no sen-
tido de me ser fornecida a certidao de baptisrao
de Jos, preso pobre recolhido cadea da ca-
pital d'aquella provincia, nascido em Buique e
ex-escravo deThomaz de albuquerque, confor-
me consta do incluso requerimento que me ser
devolvido.
Ao tenente coronel commandante das ar-
mas interino.- A' vista do que expoe o director
interino do Arsenal de Guerra em officio n. 472,
de 2 do corrente mez, e dos demais papis jun-
tos, por copia, recommendo a V. S. que na forma
das disposices em vigor, nomeie um conselho
de investigado, alim de reconhecer a criminali-
dade do facto de que aecusado o soldado da
companhia de operarios militares d'aquelle ar-
senal. EmilianifXavier de Siqueira.
Ao inspector 'da Thesouraria de Fazenda.
Communico a V. S., para %g fins convenientes,
que o juiz municipal e de orphos do termo de
Floresta, bacharel Antonio Candido Correia de
Araujo, em 13 do corrente mez reassumio o
exercicio de seu cargo por haver terminado a
licenca em cujo goso esteva para tratar de sua
sade.
Ao mesmo. Declaro a V. S.. para os de-
vidos effeitos, que por despacho desta data rele-
vei da multa de 504000, o vigario da freguezia
de Cabrob, Rvd. Emilio de Moura Ferreira San-
tos, de que tratara seus officios ns. 149 e 157 de
13 e 23 do corrente mez.
Ao commandante do corpo de polica.
Mande Vmc. destacar quatro pracas no districto
policial de Taquary. comarca de Bom Conselho.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Becife ao Limoeiro. Declaro a Vmc. que o Mi
nisterio da Agricultura, Commercio e Obras Pu-
blicas approvando em aviso de 16 do corrente o
acto, pety qual esta presidencia atitorisou a li-
cenca de 3 mezes ao contador dessa estrada de
ferro, PH. Conolly. para tratar de sua sade na
Europa.
Ao escrivo de paz da parochia de S. Lou-
renco da Matta. Em officio de 20 do corrente
mez, consulte Vmc.:
1. Se podem ser tomadas as declaracoes para
o registro civil depois de esgotado o praso de 3
dias de que trata o art. 53 do regulamento an-
nexo ao decreto n. 9,8*6 de 7 de Margo de 1888,
morando o declarante dentro da legua da sede
do nico districto de paz de que consta essa pa-
rochia.
2 Se o atteslado de duas pessoas qualifica-
das de que trata o final do art. 74 do citado re-
gulamento, ptatembem ser de pessoas do se-
xo feminino, vistrjlhe ter 3do apresentado u.n
nessas condigoes.
Em resposta faco constar-lhe quanto ao I."
ponto de sua consulta que, estando a hypoihese
figurada comprehendida na disposico do citado
art. 53 so podem ser tomadas taes declarares
precedendo ordem dojuiz de paz que irapor
multa a quem nella tiver incorrido, conforme
preceita o art. 23 do mesmo regulamento.
Quanto a segunda consulta Alaro-lhe que so
na falta de varoes maiores J^Mpinos, podem
ser aceitos os attestadoa ppiBOasdo sexo fe-
minino a vista do art. 74, mbinado com o art.
13 do citado regulamento.
Portara :
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco mande dar transporte
em carro de 2.* classe. da estaco de Cinco Pon-
tas a de Una. por conta do Ministerio da Agri-
cultura, i ommercio e O .ras Publicas, ao immi-
granle italiano Henrique Magalti.
Igual ao encarretado da estago de Una
no Prolongamento para mandar transportar at
a estago da Jqueira.
EXPEDIENTE DO DB. SECBETABIO
Officios ;
Ao commandante superior dagaarda naci
nal da comarca de Nazaretb. De ordem de S.
Exc. o Sr. vice-presidenteda provincia declaro
a V. S em resposta ao seu officio de 18 do coi-
rente que nesta data e reiterado ao ministerio
da justiga a proposta da reforma do maior com
mandante do 6 esquadro d cavallaria da
guarda nacional sob seu commando, Joaquim
Nunes Machido Coutipho, deixando de ser feita
a proposte de nemeagao cio Pessoa de Mello visto nao existir nessa co-
marca seeso Ae reserva pela aova reorganisa-
go da guarda naehsial.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco.O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia deu hoje o devido des
tino aos documentos que acompanharam o offi-
cio de V. S. de 25 do corrente, sob n. 20.
Aos commissarios encarregados da hqui-
dago das contas da estrada de ferro do Recife
ao Limoeiro. De ordem do Exm. Sr. vice presi-
dente da provincia communico a V. S. que uve-
ram hoje o devido destino os documentos que
acompanharam o seu^officio de 26 do corrente
mez.
Ao engenheiro Luiz de Albuquerque Mara-
nhao. De ordem do Ex i. Sr. vice presidente
da provincia accuso o recebimento do officio de
26 do corrente, no qual V. S. participa ter nessa
data assuraido o .cxerciciojdo cargo de fiscal da
estrada de ferro do Recife a Olinda e Beberibe
durante o impedimento do engenheiro Felippe
de Figueira Faria.Communicou-se ao inspe-
ctor do Thesouro Provincial.
Edital:
Por esta secretaria se faz publico, de or-
dem do Exm. Ir. Dr. vico-presidente da provin-
cia e nos tenuoxdo g 2o do art. i" da leijn. 1,901
de 4 de Juolip de |887, que tendo-se concluido
por meio de laudo'xle arbitro desempatador, a
questo de avaliafto do material da empieza
de Iluminaran a gaz desta cidade, tica aberta a
concurrencia, com o prazo de seis mezes. con-
tados da data do presente edital. para contrac-
to da dita illuminago, mediante as seguintes
clausulas da citada lei:
3." Nenhuma proposta ser recebida sem
que o proponente com ella aprsente documen-
to de haver feit^ no Thesouro Provincial depo-
sito da quantia de 25:000a em dinheiro" ou apo-
Qces da vida publica, para garantir a aceitego
to contracto, no caso de ser preferida a sua
proposta.
i-jL O deposito a que se refere o paragrapho
antetraente, nao ser retirado pelo contractas-
le senao findo o contracto e servir de caugo
para os pagamentos de multa e fiel cumplimen-
to das clausulas, que forein estipuladas no mes-
mo.
S 5 0 contracto so oliera ser feito com
quem melhores vantegerts" offerecer na concur-
rencia.
| 6. A nao ser no caso do paragraphn ante-
cedente, a actual empresa nao ter preferencia
a outro qualquer proponente.
7. O novo contractante ser obrigado in-
demnisago a que a provincia sujeita por for-
ga da clausula dcima terceira do contracto em
vigor, devendo dita indeinnisaco ter lugar de
"acrdo com essa mesma clausula, e ficando o
material e obras da empresa bypolhecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemnisago
ou pelo menos depositada a respectiva impor-
tancia.
8. O prazo do contracto nao poder exce-
der a 30 annos.
9." O prego da illuminago, quer publica
quer particular, nao poder exceder de 260 ris
o metro cubico de gaz, fazendo se urna reduc-
go de mais de 30 0/0, para os estabelecimentos
de caridade e beneficencia, e repartiges publi-
cas.
10. O systema mtrico, si fr mais conve
mente, ser adoptado oara a medigo do gaz.
S 11. A luz ser clara, brilhante e isenta de
substancias estranhas, que possam prejudicar a
illuminago e a hygiene.
12. A intensidade media da luz ser equi-
valente a de 10 velas de espermacete, das que
Jueimarem sete grammos por hora, correspon-
ente a 120 graos inglezes.
13 As boras de illuminago publica sero
tixadas pele presidente da provincia no princi-
pio de cada anno, nao podendo ser em numero
menor de seis, nem maior de dez, devendo neste
caso baver urna reducto no prego do gaz cor-
respondente ao acrescimo de horas.
14." O contractante ser obrigado a ler na
provincia ura representante com plenos e Ilimi-
tados poderes para tratar e definitivamente re-
solver as questes que se suscitaren!, quer com
o goverao, quer com os particulares, ficando
sujeitos todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiego dos tribunaes judiciarios ou
administrativos do paiz.
15 O contractante ser obrigado a collocar
e construir sua custe um ou mais gazometros,
se houver necessidade, nos lugares que o pre-
sidente da provincia designar, e a introduzir to-
dos os melhoramentos que durante o prazo do
contrete se forem descobrindo, |uma vez
adoptados na corte do imperio ou em alguma
capital da Europa.
16 O pagamento da illuminago publica e
particular ser feito em moeda do paiz, sem at-
tengo oscillago do cambio
8 17. O contractante poder organisar com-
panhia, a qual flear subrogada em todos os di-
reitos e brigages do contracto.
8 18." Para as despezas com a fiscalisago do
servigo de illuminago o contractante concorrer
annualmente com a quantia de 3:000400, que
sero recolhidos ao Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia estabelecer
as multas e mais condigoes, no intuito de garan-
tir a boa (xecugfto do contracto, quer com rela-
go a illuminago publica, quer com a parti-
cular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo con-
tractante ter de pagar actual erapreza, con-
forme o 7 cima citado, a quantia de......
994:9174528, de accordo com a avaliaco feita
pelo arbitro desempatedor em 18 de Margo ulti-
mo, visto deduzir se da de 998:7774528, total da
avaliagio, a importancia de 3:8604000 paga
empresa em 1860, proveniente de 202 canos de
ferro, 5 columnas e 5 bragos com lampees, enl-
locados fora do permetro do contracto.
O secretario interino,
Mvnoel Joaquim Silveira.
- O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda publicar, para conhecimento de quem
interessar e conforme foi solicitado pela presi-
dencia da provincia do Espirito Santo, o edital
chamando concurrentes ao contractopara abas-
tecimento d'gua e servigo de eugoto da capital
d'esa provincia.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
j EDITAL
De ordem de S. Exc. o Sr. Dr. presidente da
provincia fago publico e a quera interessar pos-
sa, que at seis mezes, contados de hoje, sero
recebidas e oito dias depois, era hora previa-
mente annuqfliada. abertas as propostas que
tiverem sido depositadas n'esta secretaria, para
o abastecimento d'agua capital e o servigo de
esgoto, nos termos da lei n. 33 de 19 de Setem-
bro do anno passado abaixo transcripta.
Secretaria da presidencia da provincia do Es
m
m.
pirito Santo, em 8 de Abril de 1888 Sen indo
de secretario O chefe da i specao, Joo t-
tonio Fernandes Muyalham.
Henrique de Athaydc Lodo Moscoso, doutor em
direito pelaPaculdadedo Recife, presid nle da
provincia do Espirito Sanio, etc., etc
Fago saber a todos os seus habitantes que a
Assembla Legislativa Provincial decretou e eu
sanecionei a resolugo seguinte :
Art. 1." Ficam garantidos os juros de 4 "'.
sobre o capital que empregar at 500:0004-
erapreza que se propuzer fazer o aba?tecimento
d'agua a esta capital e o servigo de esgoto.
Art. 2. A' mesma empi-eza pertencer o di-
reito exclusivo de fornecei\ pennas d'agua as ca-
sas particulares, coiupreb.iideudo-se n'esse di
reilo nao s o da venda e assentamento dos ap-
parelhoscomo o de cobrar o prego d'agua for-
necida mediante as tabellas que ella organisar
e dependero de approvago do governo provin-
cial.
nico. Fica-lhe salvo tambem o direito de
venda d'agua pelas ras.
Art 3. Pelo servigo de esgoto a erapreza na-
da perceber alm do que Ihe fr devido pelos
apparelhos e assentamento d'estes.
Art. 4. Ficam pertencendo empreza, du-
rante o prazo de 60 annos a propriedade, uso e
gozo dos encanaraentos, caixas d'agua. chafari
zes e repuchos e todo o material erapregadi'
bem como os favores que esta lei Ihe concede.'
No tim d'esse prazo poder a provincia, quan-
do Ihe parecer conveniente, desapropriar a em-
preza por meio de accordo ou arbitramento.
S nico, a empreza e o seu servigo ficaro
debaixo da fiscalisago da cmara municipal
d'esta capitel, perante a qual sero processadas
quaesquer reclamages attinentes ao mesmo ser-
vigo.
Art. 5." Toda a obra ser fiscalisada pela pro-
vincia, guardando-se as seguintes regras :
a) Collocago de urna grande caixa no raanan
cial onde fr se abastecer ;
b) Assentamento de cannos de ferro ou eu-
canamento de cantara, attendendo se a que os
tunos tenhara inficiente dimetro ;
c) Que aproveile-se todos os mananciaes exis-
tentes nos arredores da capital sem comprehen
der os do dominio particular e se os rena em
urna caixa de capacidade suflicicnte e conve-
niente altura.
Art. 6. Depois de promulgada a presente lei,
a presidencia mapdar auuunciar concurrencia
para esse servico em todos os orna s desta ca-
pital, nos principaes da corte e das cidades do
Recife, Bahia e S. Paalo, cm o prazo de 6 me-
zes e concedendo igual prazo para apresenfa-
go dos orgamentos necessarios os quaes serSo
approvados pela presidencia e o devero ser
tarabem pela Assembla se houver de ser ele-
vado o capitel garant Jo. >
% 1. A approvago ser dada dentro de 30
dias e dentro dos seis mezes seguintes, sob pena
de caducidade do contracto, comecaro os tr-
balhos que devero estar concluidos em dous
annos.
N. 1 A presidencia poder prorogar esses pra-
zos, se Ihe requererem, tendo em viste as razoes
que Ihe ferem expostes.
8 2. No caso em que a approvago da Assem-
ble exigida, a da presidencia ser suficiente
para a contegem dos prazqs. Se na primeira reu-
nio a Assembla nao deliberar a respeito eoten-
de-se que dea tambem a sua approvago.
Art. 7. Concluidas as obras de que traa este
lei cessaroos direilos da provincia e do muni-
cipio da capital sobre os encanamentos e caixas
acluaes, embora possam ainda ser aprovei-
tados.
Art. 8.- Logo que a renda liquida da empreza,
comprehendida a garanta, passar de 8 0/0 ser
esta paga smenle at ebegar aquella taxa, po-
dendo, porm, a presidencia preferir a redueco
das tabellas de consumo em lugar de diminuir a
garanta.
Art. 9 Para auxiliar a provincia no compro-
misso do art. Io ficam creados os seguintes im-
postas, que s sero cobrados depois de feito o
contracto:
!. De 5 0/0 addicionaes sobre todos os impos-
tas cobrados na recebedoria da capital, salvo os
de exportago que sero de 2 0,0.
2." Sobre todos os predios que "servirem de
moradia eflectiva dos seus proprietarios, segun-
do a lotago que a mesma recebedoria far.
Art. 10. A empresa fornecer agua gratuita-
mente aos estabelecimentos e repartiges publi-
cas provinciaes.
Art. li. Revogam-se as disposiges etr. con-
trario.
Mando, portanto.a todas as autoridades a quem
o conhecimento e execugo da referida resolugo
pertencer, que a cumpram e. lagara cumprir to
inteiramente como n elle se contera. O secreta-
rio interino d'esta presidencia a faga imprimir,
publicar e correr.
Dada no palacio da presidencia do Espirito
Santo, aos 19 dias do mez de Setembro de 1888,
sexagsimo stimo da Independencia e do Im-
perio.
(L. S.lHenrique de Aiahyde Lobo Moscoso.
Sellada e publicada ne3te secretaria da presi-
dencia do Espirito Santo, aos 19 das do mez de
Setembro de 1888. Serviodo de secretario, o
chefe da 2" secgSo, Urbano Ribeiro Pinto de Aze-
vedo.
DE
- Aprsente a
no praso mar-
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 16
MAIO DE 1889
Baronesa de Amaragy.
supplicante a sua propnsta
cado em carta fechada.
Hermelindo de Almeida Alcoforado.
Informe o Sr. jaiz municipal do termo de
Floresta.
Josephina Maria dos Santos.Sim, pa-
gando comedor ias.
Dr. Jlo Vieira de Araujo e capito
Ernesto Vieira de Araujo. Recorram aos
tribunaes competentes.
Maria Emilia de Figueiredo Casanova.
Informe o Sr. regedor do Gymnasio
Pernambucano.
Severina Maria da C'onceicjlo. Enca-
niinhe-se.
Bacharel TemoliSo Peres de Albuquer-
que Maranhao. Indeferido, por quanto
subsistem os fundamentos do despacho de
18 de Janeiro ultimo.
EM ADD1TAMENTO A08 DESPACHOS DE
15 DO CBRENTE.
Floriano Rodrigues do Passo. Preju-
dicado.
Joao Goncalves dos Santos Jnior.
Prejudicado.
Jos Carlos de Souza Lobo. Preju-
dicado.
Dr.Joao Antunes Correia Lins Wan-
derley. Sim.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 16 de Maio de 1889.
O porteiro,
F. Cftacon.






2
Diario/ de PernambucoSafckado 1 de Maio de* 1>89'
l
Repartidlo da Polica
2/ necead.N. 50o Secretan* de* Po-
lica de Pernambuco, 17 de Maio de. 1889.
Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram hontem recolhidos Casa de
DetencSo os seguintes individuos :
^A' minha ordem, Antonio Ferreira de Mello,
e Belarmino de tal conhecido por Pello, como
Criminoso de mortli^BOS prmns.Aa.niichratuiiilriiJig,,^
dos
da
iatatri(*K*
paraffenan a
e Palraeira
goa.s.
A' ordem do Mudelejando alo
capital, Rila Minada fitaEcieao
moral publica.
A' or.lein do saaelegaes da fregaaan doi-Re-
cife, MaximianoaVioente. Senara, .como tana-
bundo turbulennol'-oando Jan daJfaate e Se-
verino Ramos daaiikvajan* dsaarbios.
A' ordem do Bdn*' .eaatricto-duBanjczia. fr
de urna excellente m3, carinhosa esposa
a escalfante maga,
O procedimento do pagador do prolon-
gamento ds estrada de ferro desta prerin-
cia, de nomo Oardoso, alm de criminoso,
merece urna represso!
Alm de tractor mal os erapregacos do
prolongamento, excedeu se com o agente
immukmUmko^inmdin 24uaio
aansadantTIn |j_, laJa-nioranano veneanr,
o Tul toado para es*aafiirtarl* cana a impar-
nHKa honestar own proenaaiaanan anapou a*s-
aignatura qce o mean-ageste esaawea
na resanntiwfciolha!
Os tfem fieaal eaaeb i do trafaga da
Afosados, Jos Ro-nnJnvde Aaainn-i por enan
de turto
A' ordem do do 2 distiicto de S. Jos, Anto-
nio Jos de Sant'Anna, por disturbios.
A' ordem do do 2" distric'.o da Boa-Vista, Joo
Luiz de Souza Moreira, por distu-bios, Joanna
Eugenia da Conceicao por embriaguez e distur-
bios, Joaqnim Vieira da Costa, como vniwnde
. Parliaipon-me o cidado Trajano Alvesf *
Jenaonra, ter no dia.l4do correle,) aswmido
o exercicio do cargo da subdelegado. dot|lT dis-
tricto da t delegada %o termo de Serinhem,
na qualidfcde de2 supDlente.
Deus. guarde a V. lExe.rllbmre Exm.
bSt~ Dr. Ignacio Jeaquim de Sonza-LeSo,
muito digno vice-presidente da provint-
ca.O ehefe. de polica, Adolpho de
iSvfueira. Cavalcante.
DE
TkeKOiiro Provincial
DESPACHOS DO DA 17 DE MAIO
1889 ____
. HenryForster A C. Ao Sr. Dr contador;para
mandar esoripturar.
Genesio Libanio de Albuquer.]uc Monteirow-
Ao Sr Dr. contador paro fazeras devidas> notas
da portara de licenca.
Oflicio do director das* obras .publicas sobre
Manoel Deserrados Santos JniorAo Sr. Dr.
coutador para satisfazer
Mauoel. Alves- de Carialho :ertifique-se.
Victo* Prxedes de MelloInforme o Sr.
contador.
Dr.
Rtseeaedoria Provincial
DESBACHOS DO DA 17 DK HAIO DE 1889
Mello & C, Manoel. Joanuim da Rocha,
Manoel. Gomes Martina, Manoel Pereira
de Castro, Francisco do Reg Barros, An
tonio Jos Mendes Bastos e Jovcntina
Amelia Carneire de Oliveira. Informe a
1* scelo.
Josepha, niha de Francisca Pinto de
Assis e Maria Joaquina das Dores. De-
fiendo, em vista das informacSes.
Victorino Aives de Souza e Luiz Fran-
cisco Gonzaga. Faca-se a necessana de-
claracaode accerdo coraasiafbrmafoes.
Jos dos Santos Oliveira. Certifiqe-
se o que constar dos livros existentes nes-
ta reparticSo.
Jos Duarte Pereira* CertifiqHe-ae.
Joaquim da Rocha & C. A' 1* seccao
para* os devidos fins.
Manoel Joao Lobato..Indeferido em
vista das nforujacoes.
..Jote dos Santos Nimea.de Oh/vera.
Junte'conhecimento de qnitacSo -da de ci-
ma relativo ao ultimo semestre.
Adolpho Teixeira Lopes e Adalaidc Be-
zarra ide. Yasconcellos. Informe a 1? sc-
elo.
(elisino. Pedro de Araujo. A' 1
cao para os devidos fins.
REVISTA DIAR
sin a*
E3-.
sec
I nrtnirro pwaltca
despacho do da 16 de maio de 1889
Maria Liberata da Suva Frertas.-r-En-
caminhe-se.
Fradcisco Deodato Lins.Encaminbe-
se.
-Encanii-
Rufina Demetria de i Souaa.
nha-se.
Victorino. Antonio de Alcntara.Encar
minhe-se.
Jos Xaviert. da Cunha Alvarenga.
Aneao.
17
Jas KwatiMn Ribeiro -Encaminhe-
se.
INTERIOR
foram
at 31
an-
de
ideaeia do Diario -le
ppraaalmM
i VILLA DE S. BENTO.l de Maio
de 1*89.
' No 'registro civil dear noadoay^desde 1 de Janeiro
Marco do corrente anno.
^81 -aaseknieatos^
16 dwaweRtos.
19 bitos, occorridosjn 1** drstricto.
No aegundo diatrieto do Jupy, deram-
se.muitoa aaacimentos, alguna .casamentes
e fc^oa^^aas^deiuorando a.2 kiiometeos,
o povQipouco castem feito dos salotaaes.
preceitos da lei, c algu<-m tem incutido ao
animo do povo rude _a-crenca que o re-
gistro civil urna matricula para escravi-
sar-se*- povo pobre,, para aub.atituir.ios es-
cravos !!
Chovcu -flopiosameata no da 3 do cor-
rentemezj.- As lavoaxas reanimoram-se,
e o povo conta com urna,c*lae*.abundan-^
te e eguBa.
O atado do alto serto nao lisongei-
ro ; e a prova que a emgra$ao para as
mafttas vai- tunando proporcoes assustado-
raa!
Oa wiveres kjUo* poripreos/ altos, ven-
dendorsa a fawnha.a Hi. a-cuia o o nilb
a 800 ris, e a nao aec casa caresta,. a
nossa villa:estonia convuma populacao ad-
venticia attmerosissima-
No da 26 do passado chegou a.sta co-
manea o Exm. Sr. Dr. Jos da Cunha
Teixeira, e no dia 27 assumio as funeyoes
de juia de.direito.
Eapera-sa que a sua adminatracao ser
paotada pela rectidSo e justica.
Succumbio a urna metrite grangrenosa
D. gueda de Hollanda VUenca, ido-
latrada esposa do tenente Jos Pereira
Leite, morador em Canhotinh, deste mu-
nicipio.
Excellente mSi de familia^ deixou con-
aternados a seu bom esposo e muitos fi-
lhinhos, os quaes perderam a melhor mSi,
perda que jamis ser compensada, ape-
zar dos desvellos de uin pai por demais
sarinhoso.
Tambem folleceu de hydropesia do ute
ro D. Antonia Francisca dos Passos, casa-
da com Flix da Costa Villela, morador
em Jurubeba, deste termo, deixando nu-
merosa familia, a qual deplora a perda
tranhos ao procedimento criminoso do pa-
gador Cardse, por quanto o agente, logo
no dia inmediato telegraphou para aquel-
es funecionarios, e o thesoureiro, sera
perda^de teinpo, reenviou o ordenado do
agente !
Avalie-se ira pobre emppegado publico
que vive da seu magro ordenado e rpi-
damente se v privado do mesmo pelo
capricho e prepot ncia de um pagador !
No dia 51 corrente vuiez, i houve quinta
corrida no Hippodpemo da Bel la-Vista, na
qnal, cuno as anteriores, reinou ordem
e foram muito concorridas, elevando-se o
noviraento das apostas a urna avultada
importancia, parocendo que esse termo
nao soffre a cris monetaria por que tem
passado o resto da provincia !
Fdram inscriptos os segirintea-anirnaes :
J perdeu, vencedor ; Vac*, Chiringa, J
perde, Velozy Sertanejo, vencedor; Des-
engao, Boro, Cainpineiro, vencedor;
CochillSo, Crepuac-lo, Alegria, voncodor;
Ingazeira, Roldao, Perde' e ganhar, -venc-
der; e Solgaedo.
Levantou se duvida na corrida do 2o
pareo, decidindo o juiz da partida que
Sertanejo. havia sido vencedor, e os es-
pectadores opinyvam que havia sida DcsL
engao. Para conciliareni'Se os nimos
que se exalta vara, fieo asaeotade que d^e
novo, e em ultimo lugar, o segundo pareo
repetira a corrida, e anda desta vez toi
vencedor Sertanejo, o qual foi lavado
cora vinho, tao grande foi o enthusiasmo
desenvolvido por um amador.
Concluindo, peco -so Exm. Sr. director
da Instruc^o Publica da provincia, que
lance suas vistas /para a/, folla, de movis
as escolas publicas do municipio, falta
remediavel com quantia menor de um
cont de ris.
At outra-viste.
lirr1"-1" ProvincialNao homwses--,.
sao hontem por terem comparecido aperen 14' ria'i.avaeiro
srs/depu lados.
A rewaifto fui'presidida pelo Exm Sr. Bir&o
de Caiar. ^
O 9r. 1." secretario procedeu leitura do se-
guinte expediente: ___________
. jnaan
ril<*' tMO.aantei "*
' l8i^-Alajoe
FI\A\(;AS EfMMEfiCW
Abr-ndo este titulo especial, o fazemot para
nelle cjSrprebeuder quaesquer oticias que se
rehram a ebjecto que elle expressa em sua
accepeo lula, quer de propria qner de estranha
lavra.
E iniciaremos esta revista com o escripia da
Gazeto-de Noticias da a'trte, relativo a reforma
bancaria- e sobre a creoco do
CI.AEKIN( IlOUSE
Dgrande nreMena a resolver- as jovensso-
ciedades sul-amt-ricanas sena duvida, supprir
a escacez. dos caeitaaMii0pot>e8, utili*ando,os
mov i- MMitruarentO! de-credito, de maneira que
elles facilitem e multipliquem as operacOes^ dis-
pensando a uxiatuncia de vahosa3 reservas me
lailtcas e numeroso'auxiMar- meada fiduciaria.
Os capitaes disponweis, eomo-tee tabe, re-
presealam, em toaas as sociedades, as ecoao-
miasds scalos de trabalba. Em eizes como o
Brail no4ouve, flinda;ropo- defamar taes
accumahicoes. Alm disa as cenBtantes exigen'
oia* de irainoitilisur caaiteeadispeniveis em- mc-
Inooamefltos permanentes, eamo "elementos de
reprodaeco, toraam mais-eeBsivel aj sua1 falta
e encarece o alupuel deHes.
Estando, como est, demonstrado que o che-
quede Banco, pomo auxiliar do instrumento in-
termediario de permutas deseuipenha ikvibov-
inealo das Iransacyes murcantis utilisiMiaa^
funecees,'senvos inconvni'iites.que se abser
vaui na ciruulacao da moedaliduciaria, convnr,
pois, fuzer nsodes9a> convencional' andida de
valores, en preferencia--ao 'ipiseffa'de cairas
queofferecem na troca graves perigos.
Examinndolas coudicoea do cheque de Ban-
co, e obseroar aape consiitue' Onafwiwail
os depsitos, nenuttlindo quo muaVui dr-prn-
prietano urna earailas vizes'-no mesmo da. e
servindo satisfactoriamente "o'adosas traits-
aeyoes vm que elle inleaum: Presta a> sarvico
det'conoiuisar asivurdadeiras medidas de valor
-oaro e prata -"vitando.os Brroaqoe.ocoorrem
na contagem e veriticac&o dasiraoedas.
os cheques, soirtrasopugaaei ua ta<;ao c circulam como dinlieiro, purqu; eerti-
ilicam a posse de fuados em aoder de unifean-
queiro, ou o que Uie 6 efoinilento-^crediio a
seu favor concedido pelo aceitante do saque.
Xas operac&es omine*oiaes os cliofues. ra
certificadoiajuaadosnecessarias o as grandes
emimoes de inoada fiduciaria : que o cotomer-
piopede opera* em toda a sua grandu uciivida-
du com'diminata-imurvenro. ue monda eii>'u-
lante. e, porlawto. como reduzido xtock de me-
lacs preciosos.
O eheqBe, ifinalmente, o nrais -praveitoso in-
lermediario em todas as trausaecea, poequerar-
mon6aa economa de tempo-com a de moedas
aietatlieas
Mas. para que ohcque tentia um*extensacir-
culacaoe bem desempanhe todas as-suas funr-
goes indispensavel a existencia.- de um Clae-
nmg-hotue eu> osle grande centro deaettvidude
oommarcial eindtistrial.
A inslituii;o CLaerwgluMixe existe, desde mui-
tos aonos fundada em Londres,- New-Yorfc e ou-
tros mercados, como sendo o nico meio poesivel,
fcil e pcatice de economisar os metae precio-
sos, que se neeessitariam para no* grandes mer
cados satisfazerem as .exigencias das-suas m
podantes iransacgoes. E no suir America Bue
nos Ayres quem primeiro tratou.de iniciar esta
importan!* innovagao no mectranismo do crdito
Antes de organisados os Claermg dos grandes mercados, os baoqueiros tmfaam di-
teito e diariamente quejeclamardos seus colle-
jas o pagamento de valiosas sonxnas. Entao os
banqueiros envwvam todas as ntunas um cai-
xeiro a receber os crditos que possuiam con
ira os outros banqueiros. E como todos nroca-
diara do mesmo modo, cada, banqwiro era com-
pellido a conservar em caixa sommas considera-
veis, sem proveito justiticavel, como demonstra-
remos.
Suppontn-8* que o banqueiro A tinha em cer-
ta dia de eeceber, por intermedio do seus clien-
tes do. banqueiro B,.ano oonlos, e que este devia
tambem por conta dos seus .comiailtentes igual
quantia do mesmo banqueiro A. Pelo systema
usual.antes da formacao dos Claeringhouse o ban-
queiro A manda va buscar com varios cheques e
Sor varias veces deba quantia de 200 conlos. e
pedia por igual forma de casa de A igual som
ma : de maneira que para saldar os respectivos
crditos, que em resultado se anuullarian entre
si, exista a necessidade, que as caixas dos dous
banqueiros dispuzessem de 400 conlos apezar
de ser o total dos crditos igual somma dos
dbitos.
A invencd do Glaermg-ho'ue foi, pois, para fa-
cilitar a compensagao de crditos, nao s entre
banqueiro e banqueiro como entre todos os bm-
queiros admittidos a esses estabeleciment09.
Pelas razes exposUs qualquer comprebende-
r ser urgente e indispensavel que coastitua como
parte integrante da reforma bancario a formacao
do Claering houte no grande mercafjo do Rio de
Janeiro.
Parece que nao admitte controversia que no
mecanismo bancaria d'este mercado podem in
troduzirse todos os elementos modernos e aper-
fecoedos.
cacSoi-da
a lei nvUftMlekiie
preta"adat as antte
I fez a eajaanat'o-. V
i outradeemeano, deaUvaadn un* t'Meraaar de
cada aawdas-aesolajaR flaaiomdaa slW990
t l'.l'.H.-A aroiar.
Outraxdo dansaofraavolaarMio man imanar lar
4m reaaa^oaanataka^n^nlaanasasaannataMob
n. 1993.-A archivar.
Urna peticao de Hermelindo de Almeido Aleo-
forado, requereudo consignago da verba de
8ii816 que-lhe-(leve a Camar'Mutiiopalde
Palmares de custas judiciaes.-A' commissao de
orcamento municipal.
'Ouliu niaapawiBunia'uir MMaMaTaWaaP
forado, requereudo consignaco- da verba- de
173430 para seu pagamento que"lhedeve a Ca
mar de raimares de custas judioiaes.A' com-
missaode orca-mento mumciojil.
Foi a imprimir sol) n. 66 lira prejecte, prece-
dido de parecer da coinmissade^aetiges. auto-
risando o contraetar-se por 10 anuos o peso-
publico.
Einsegaidadissolveu-se a reuniao.
lvton do fn-iilil4tMi*t dH *ro < *
i-oramUranfer'dos' por eonveniencia do sep-
vigo do corpo de polica, o tenentc-ajudante Se
veriano Vieira da Paz para o posto de tenenti.-
uartebmestre; o tenente1 da 3.* cumpanhin
Theodomiro Tteemaz Cavulcant. Peaaoa para o
posto de lsneme-djudante ; e 9leneuli: qaartel
mestre! iosMFeUape Gomes Miiior pa.a a 3.*
coinpanliia.
Foi nomeado o alfares-do corpo-de pelicia Joio
Pinto Cavalcante para o lugar de delegado do
dislriolo.de S. Louwnifo da Malta.
- Foram-atmcedidos no profcssor da cadeira de
ennino afininriode Uio Fernandes Pires 3 mezes de liceuea. coai orde-
nado para tratar de ua sade onde lhe coavier.
Id.iii ao professor contraciado da cadeira de
ensinopriinario do povoado Gaboelo Genesio Li-
banio de Aibuquerquc Muianlioo, (in das de li-
cenca com a gralilieago a que tiwr direito para
tratar de su sade, deixandj a sua custa aub-
stiluto deaccordo com o delegado litterario res-
pectivo.
PorolUcio da meama data aeinspoctor da The-
souiaria de Fae-nda foi autorieado o>pagamento
de 24:000* ao'barbarel Beulo m da i osla da
importancia do siiiu denominadodaqueira
paia servir de hospedara aosimrigrartes.
naailaa-"II i uns dias a esta paate leorrem
p .r asta culadi; koalas de. seques:rico de crian -
gas, o tcwlo liti4>ii>-algum-vulto-edia lulii'ia. ha
dado lugar a acharen-se alarmadas as- familias.
iiieanio porque a massa popular, sob tal impres-
sao, tem se eregido envapprehenderaos presu
Olidos i\rti!)a!ore.. prseguia do-os.
Enlrotauto. nao ha fundamento"'Igum para
arretHtar'sena alludidueeque*raeo,e da poli-
ca nada constae iiem rcclamacoetguaa lhe foi
levada de-qualquer-prejudioado n'esse sentido.
E' de crer, pois, que noisejara esses.boatos
seno u.na fraca xemjraei, e tanto mais quanto
dao aqurlies rsilitados, que devem ter a repro-
vacu geral.
At agora os pretendidos roubadores de crian-
ca- qualem sido fierseuuidos pela massa popu-
lar, naopassam de individuos estranho4 seme-
Ihauto imputaran, e por isso ti'iu se dado at
quiproiftu*- que sao-para lastimar.
Oarapeoeli>-se a-populaca de quei So tem
existncia<"reai.'aqueiies boatos, e socefuem as
familias aos-reneios que tinuam sobre seus li-
Ihos.
t.i-anili- cuiirrriuItealisar se ha na pr-
xima terga feira 21 do corrente, no theatro Santa
Isabel, um grande concert vocal e mstrumen
tal. promovido mn favor do tiileniose-ceraposilor
perwambucano Euclides1 Fonseca, porsuasmis
adjunto da escola.
'De volta-dos festejos a passeiata escolar' diri-
gere aaaasas deste Diario, Jornal do Recife e
Pioummn, a cujas redacgOes sandaram por meio
de vivas enthusiasticos.
Hnnireatacdi* de aprco Ante hon-
oras da tarrfaia paaani adu*aanaao
tenJwarpiaidaaritat*a.|iaaai.paaaVu f"bli-J niiiihi do Ai-. naWllmm*u faiaanaapn-
cacovdi anMo ,daata AeaembaM, reaniaidlit ndo>nnprecedido da banda da>au~taada anata
as
idizes raarinlntr,BMaipriaaaian*>6r.
nenie Rodrigo NaaaMla Caaaaniianasr
rueges navaes nannn seanaairaano
do cargo de napaaor inMriaaalo
mesan* rsenal pi mn Ti laiirt ii naaiiianai
iusponar Sr. capito-MaentealfBhoelAaf uaan
CastaMIuiezes, e p anu laaan'i
o sen*aa!o a oleo, inananlnnaun
pholographia Alberto Henschell.
Em norae dos manifestantes fallou o capito
Castro Vilella, escrevente da directora de cons-
truegee aavaesi svathelisado avirrudes cvicas
que engrandecem o nobre carcter do capitao
tenente N'uno da Cosa.
> iiiaaiiw'^r.'TapttanteTnWg'irgTiidBCL'g-BBm-
raameale oommovido a prova de considerago
que acabava de receber, por me da seguintes
palavras :
Illms. Srs.f meus amigos e eompanheiros de
irabalbo.Agradeco vos sinceramente esta ma-
nifestagao- de ..estima e.-aprego. que muito me
honra e ainda inais.Iiunraa aqoelles que com
tanta generosidade julgara o modo pelo qul
cunipro com os meus deveres.
Tenho trabalhado quauto me tem sido pnssivel
a bem do desonvolvineiito do Arsenal de Mal
riwlia d'esta provincia e do nemastar dopessoal,
e tendo j contegoidnalguma cousa, jultro ter
conseguido muito pouco em relagao aowaraoe
hons des1]
Prometto continuar a fazer quanto esttver uo|
meu airante aix-ai do Arsenal.
Lembremo-nos sempre de que a unio faz a
forga,.*squerainc-portanto dentro do estabeleci-
meiMo em qe.senvimosqaaaquer divergencia de
ideas, e preorcupemo-nos soinente do hel cunii-
primiwto do oever e dotrabalho, por ser o quf
mai nos euuobrece-e eleva.
Em seguida convidou o Sr. caoitno-tenente an$
manifeslantcs a servirerase de um copo d'agua.
durante o qual foram trocados diversos brindes
sendo o mesmo Sr. capito-tenente alvo das mais
significativas proras de aprego, grado e consi-
derago.
Foi urna bonita Testa a que inconlestavelmcnte
teve jus o distinclo> director das construccOes
Navaes e ex-inspector, capito-tenentn Rodrigo
Nano da Costa.
Arsmauslulf tilicrrnlin-Ivn complemento
noticia que demos 'honlem em nossa revista.
relativa a rhegada esta eidade do Sr. inspector
interino do Aisenal de Mnriiiha o Sr. capitn te-
tinctos d isripulas.
Pelopvogramm'que va puWioado 'em -outra
seceaoyverao os.'ieitorw que 'nSopodiaraser
meior esealbldos'do que-foram os^fteHos-tre-
cbos masicaes que compoem o coneerloe temo
intormaeoes que sera um do* melhore6 eartra.
henles-qoe se realisa n'esta eidade.
Convictos denla verdade, ?emoscomo' certo;
qoe o theatro "regorgHar de apreciadores da boa
msico e queassiro sero coreados os esforcos
das discipular do benericiado.
Ejercicio Assumio o de subdelegado do
Io distrlO'de8eriohaemocidadoTYa]a*o-AI-
ve>" de Mendonca. no da-44-do corrente.
Knaawld" 11 a i i no '13 de *ia* A S.
Exc.o Sr. vi ce-p residente dasprovmoia at boje
foram remetidas aa-segaintes' esportulas- com
applicaco assc paseie p-las Exmas- S-as:
D. Mara Catharn> Lswror de Pires 'W00a>
. Margaiida Juba Ferneir*Machado (OOMBO
I). Antonia. Manques de A mor i ni 100*^00
D. GarelinaSoafes Moreira lOOSOOO
Hoeiednidpaai*ina*iea)4-4t e u n e *se
hoje pa/a ejeger a reapeetiva dirncyer, sob a pre-
sidencia doSr."l)r. 4)lvntho. Vielor
^ridn nuaubso-^Beoebemoe o m 8. de
7" anno, d'este un portan le peridico, oread d*
Assoaia^oirdos RunQoionario. Provoniats de
iernaubuco.
o -sea tmamark) eoosla dosiseguialea artigo*:
liivisao' da contribuigao publica em relagao as
provinciasPela dios Provincia de Pernain-
buco -Nogoes de botanina element-aEsUidos
-TbeorieosPraticos de arilliineticas coiamercial
i-eocao de'noticias.
Agradeaidos.
Boa pinta Os Srs. Joaa^hm Chrislovo
4 C, proan uta ros do Anaaaem Gantral.de g-
neros antenlicios a/ua do Cjibug n. 11, obse-
ipiiaraiu-nus liouteni como urna amustra da se-
cunda reint-isanm: iitabani.Hli; recabur do excel-i
lenta vinbe d.< pastor-puro Sautarcia da qainta
uoBarral
MeEece ser ex^arimentado.
i.i rapiu Tendo o industrial Jos Bernardo^
de Sant'Anna. prelo, em antite de-aule-hontcm,
tirado era>.\pipkcoadoiS'feriis.Xoi pelaaotorida-
iln d'aquelle povoado, reoommendada> aos teas
ordenanzas- a- priso de tal individuo, o qual
?i-iido. Iiontoiu enceiilradon'esta eidade, e quau-
do urna das pragas ia pirtctuara priso, deitou
Sant'Aaoa a torcer e espalaanitorie sem, nenhum
fundajnento.de .que .tal individuo, era um dos,
raptares de criangas, grande massa de pov arr
remessou-se contra Sant'Auna e teriam tal vez
dado cabo d'elle se.nio.fosse aintervengio da
guarda cvica em auxilio .dos nolicias xroe condu-
ziam o preso.
I Tomando conheeimenlo do facto o Dr/ delega-
do do 1. districto, fez vir a sua presetga urna
aralher.que diziam ser.mi de urna criaaca que
Sant'Anna havia ronbado, a qual negoa o nieto e
disse que nenhum lilbo seu havia desappare-
cido.
' O preso confessou ter elYeetivameate roubado
os pers.
' C**JBpan*ate janae*a>Em vista, dos
boatos que corriam hontem com relag&o a desup
parecunonto de criancas, as autoridades policiaes
tiveram occasiio de verificar todos os contradi s
dos artistas menores da couipanhia do Sr. Pala-
cios.
Todos os papis de contractos estavam devi-
damente legalisados e o exame foi feito perante
o Sr. cnsul do Chile.
Nao ha portanto fundamenla^nenhum para
os boatos que corriam a respeito d'aqnella com-
panhia.
Comminao Prrnnmliiii'ina para
a reprc*pntaro da provincia de Per-
nambMio. -na- Expaiao I niverval
de Parla0 Exm. Sr. Viscoude da Silva Loyo,
presidente d'essa commisso, faz constar, para
conhecimento dos interessado.-, que na respecti-
va secretaria, ra do Imperador n. 52, 1." an-
dar, sero entregamos diplomas dos expositores
abaixo indicadWa]
Ameiico (tuarcineiro).
DD. Joanna e Flora de Moura.
J. J. Pachec AlburfuerquejMaranho.
Joaquim Augusto Aavier da Maia.
Manoel J. Trevas Marinho.
Francisco Joviniano de Mello.
Jos Pinto i C.
aaaelata acolarOs alumnos da 2.a
cadeira da freguezia de S. Jos d'esta eidade re
gida pelo digno* professor Benjamn .Constant.
mos dizer mais.r pecgo do Uito'Arsenal, foi convuludo pelo Sr.
capito tonenta Rodrigo Nuno. da Costa, que se
achav interinamente no oargo doinspeotor, todo
pessoal administrativo eartisliiod'oquelle.esta-
belecimenio, para receJxr o inspeuior recente-
mente nomeado, o qual o recebeu no eaes,
quando desembarcava, ucoHwatdiado.do capito
tenente Nuno da Gostn,i.*> tenente Bandeira de
Gouveia e do secretario da inspeego.
Durante o desembarque e posse tocen .a banda
de msica de apreadizes marinheiros, cedida
graciosamente pelo respectivo commandant'?.
iii"iii>li-i.iln K*lrc!la'id*t .%OfrteA
interessante menina Luiza Palacios, connerida
por Estrella do Norte, e cujos sorprendentes tra-
badlos tanto tem agradado n'esta.captol, laznaje
o seu beneficio no Circo Chileno
E' variado o e*pcotaeulo anninciado, e aera
concorridissimo peloipubliico especialmente por
seus decididos partidarios 'trae tudo faro para
tornal-o o mais esplcndidopossivel.
Applausos, florvs e mimos nSo ho de por
certo faltar crianga beofioiad. i que bem
digna de os receber.
notician do Para O'paqnete.aorte-ome-
ricano Adcance trouxc nos hontem o Gammercio
do Para, at 11. donde extrahiraos as seguintes
noticias
No dia 3 do corrente, pelas -i horas da tarde
Antonio Uamaceno Ferreiraifi)i.a casa de-sen ir
mo Lourengo DatnacenoiFerreirae atacando-o
de surpreza deu-lhe trez. natpes'enorinesvqat
foram considerados martaes, abaodonando-o so-
mente depois de suppol-omorto.
Lourengo Damasceoo Ferncira, pohhn.-le-
vanlando-se, c tendo un braga cen monmenta,
langou mo de urna spingtuila. eouando An
ionio Jlimasceno anrMitava- no boi, lez-the eer-
teira pontana e desl'echou-lhe um tiro sobre o
ouTjdo. .qiiC' derribou arortatmente ferido.
>. Ambos achavam se moribundos, aonos ser
transmittida esta noticia.
- Estes malvarlos sao 03 mesaos que ha.teai-
pos atacaram o nosso amigo. Sr. major tiosta en
sua eK-faaendaA'Kwi/ii sendo porui -ivpeHidoe
eiiergicaincnlc.
A justiga porm nos obrigua a confessarqud
o>pai ritoifcerwrso bomene, XinKlaii!too i)a-
masceno Ferreira, 6 mBiaomem bom, estimado
fazendeiro em Maraj.
Lamentamos: >
-fallBCeuioa capital a. iO,YMara franeisea
do Canno, com 110 anuos de idade.
o pianirHJiM(-4o dia 2 do
corrente, na eidade de Belm, capital do Para,
realisw o' dosso distincto coniprevinciaBe; Sr:
Brito Bastos, pianista all residente, lia um anno
pouco mais uh menos, ums-beHssiirra festa'arts-
tica entre os seus alumnos, que muito agradou.
O 8r!BoiU>Baftosr- em d09pouco9braziwirrJs
que estudaraaMwr Eropamaska e pianes'eujo
segredos mais recnditos conhecey eosmndo a
I tocar piano pelo .nethodo moderno.
Eis o que a respeito do concert infantil, que
alli deu,encontramosnbfriwiaCTa do Pard.de 2'
Hojej no salSo de honra do cano, deve realiear-'seo roncera einvqBe-ioaiam
parte-'os auuuoos'do eperoso.pianista Sr. Brito
Bastos- que-piomevendo es iseis dispipulos, teve como iitm nico omneot-
ival-os --no esWdO; da msica, porquanto, apezar
das despezas que foi "Obligado a faBerafim -de
effectual-a, offereceu<*gracwsameBte oe convites
*ara ella, sera espectavar ?acratVTOs interesses
ecuiiiarios.
Como se vio do prograrnma'j pualieado.
nao sero executadaras grandos/produccQerdos'
Listzi Gluk, Hanniian ettaates ontros artistas de
primeira espbera, o que serta ura impossivel
nttendendo-se diminuta idade dos concertis-
tas ; todava, a festa 'prealette'8e^ Havel. vista la varitdade eda eaerupulosa es-
coiha dos trechos que formam o programma-.
trechos que, apezar de facis- sao todos'da lavra
de autores cIbsbcos
Diz a mesma folha de 4 :
A' hora marcada principian o concert dos
alumnos do professor Brito BtLstos, com omita
onimago e geral-conuntameBlOi.aBte-Honlem
DOite.
> > Os jovans eoaoevtistas hauveram-sebem iw
execucow dea trechoseque Ibes foram eoafladosV
sendo appUrBdadosnjni'razo. e o professor Bas-
tos torneu-se mais ma rea-digno da elogios.
Terminon s 10 horaa pouco mais ou eaoi
C a impresso que de. l trouxeaios'foi das me-
Jhores.
De novo apreseutaraes nosses parabens aos
jovens concertistas a ao iniciador d'aquelleagra-
davel sero musical.
Honro* e < hrJmto* llavera nnriAa-'
ratoso e graade espetaculo ao ar livre nos dias
19, 20 e 21 do corrente na eidade de Olinda, co-
nhecido pelo nome de Mauros e Christos.
, Est ^pteressante diverlimento de origem nor-
tista, ha 12 annos nao apreciado nem nesta
uem em nenhuma eidade desta provincia.
, O programa minucioso da festa ser publicado
amanh.
HonrosoNo C'arim folha da Cachoeira,
do Rio Grande do Sul, encontramos publicado o
segrate honroso officio dirigido ao nosso com-
provinciano, Dr. Augusto Netto de Mendonca,
pelo Dr. juiz de direito da comarca /de Ta-
quary:
film. Sr.Accuso a recepgo do officio de
V. S. de 6 do corrente, em que rae commnnica
achar-se removido a.pedjdo para os termos da
Cachoeira e S. Sepe d'esta provincia, deixando
por isso o exercicio das funeges de jniz muni-
cipal e de erphao8 dos termos de Taquary e
Santo Amaro d'esta comarca.
Cumpre me agradecer com o maior esforgo
os relevantes servicos prestados por V. S. najad-
ministrago da justiga nos termos d'esta comar-
ca, merecendo sempre no dftempenho de seos
merece, atientas suas excelleaies qualidades.
pelos dignos habitantes dos termos da Cachoeira
a S. Sepe.
Deus guarde a V. S.
Villa de Taquary, 10 de Dezembro de 1888.
Illm. Sr. Dr. Augusto Netto de Mendonga,
cx-juiz municipal e de orphos dos termes de
Taquary e danana Amaro- O juiz dedirt-ito da
comarca dek*^uai*Woa Beclanaaraai-'SubanUemos providencia
que possa nancea,.* notieia constante da carta
em seiruida :
- Recife', 6de.Maio dad689.
Srs. rnontaorea-dn Diario de- Peimamkwo.
Pedimos a Vv. de< pala ua concnaunadblha.
chamar a u*aa;ao da Illne.RdV!n:6r. goarrna-
dor do bis pan parai o facto" de'Bnse'tepiffec-
tuado este i.ne*^*i4radicienal-'preoHsao do'Se
nhor aos enfermos na freguezia de S. Jos, con-
forme praxe de nossa religio cada freguezia
celebrar dila procisso.
Consta nos que no seio da irmandade existe
divergencia e desgostos; si as'sim nao devem
pagar os pobres eufomoa que por essaoccasio
queriam e tinharn .necessidade de toma o Sa-
grado Viatico.
Com a publicagSo d'estaslinhas muito Rea
agradcido o de Vv. criado agradecido e leitor,
/.. A. O.
Npkou liiirrarin Ante.-hontem realizou-
se no theatro das Variedades a sesso Iliteraria
promovida pelo curso annexo Faculdade de
Dirrito: em commemorago ao Io anniversarioda
lei de 13 de Maio de 1888.
A' hora marcada, achando-.se o reeinto do
t'nealro'repleto de espectadores, tdppois de ha
ver a banda de msica do 2 batalho de infan-
laria executado urna escolhida pega de .seu re-
pertorio, foi aberta a sesso pelo Sr. Dr. Jos
Izidoro Martins Jtrnior, que pronunciou um elo-
qui'ntpdiscnrso anlogo.ao a^to, dando em se
.mida a patarra ao orador ollicial o Sr. Paixo
Vieira,>-que dissertou sobre o movimento aboli-
cionista c consequencias da lei de 13 de Maio.
Usaram tambem da palavra as Exmas. Sras.
O. Il.'rsilia Ferreira, por parte da 2a serie da
Escola Propagadora, C D. Maria Flora, por parte
da t* serie da mesma escola, os Srs. Francisco
da Costa Filho, Ur. Ovidio Filho, Luiz G. H. di-
Mello, Joo E. Vianna. J. VVanderley V. da Cu-
nha, por parte da ~ociedade Litterai a Gongalves
Dias, Ricardo Guiraares. Joo C. Prazeres, Eu-
rico W'itruvio, Jos- Braziliano, Miguel Tinoco.
Joo de Deus, Biogenes Pernambuco e mais nra
estudante cujo norae ignoramos.
A's 9 horas da noite, nito havendo mais quem
quizesseusar da palavra, foi a sesso encerrada
pL'loKr. Marlms Jnior que-pronunciou algumas
palavras, send. bastante applaudido.
Conpnnaia de" Bomhoro-A galera
Duca vem pholo.'ra)hado o pessoal da Companhia de
Jos, fiama, 14 mezes, Santo Antonio; eatar-
rbo suffocante.
JosEiancisco Domingues, Parahyba, 33 an-
nos, casada; 'gastrlte aguda.
Maria Clementina.Uche, 40 annos, Parahyba,
viuva, Ba-Vista; congestSo cerebral. r
Florencio Jos, da Conceigao, 46 annos, Para-
hvba, viuvo, Boa-Vista; bronolte
Theodoro Jos Lopes, Parahyfl 46 annos, sol-
leiro, Boa-Vista; bronfibite.
Hita Maria Lopes-da Comceico, Rio Grande do.
Norte, 27 annos, Boltro,Bca**ista ; tubrculos
pulmonares.
Maria Josepbina da Concpeo, Babia, 28 an-
nos. el te ira, Boa-Vista ; c;iTFBa.
Bemardino Fraucis o Jeronymo, Pernambuco,
30aunos. solteiro Boa-Vista; febre perniciosa.
Auna. Correia -de Aune ida, Pernambuco, 80
annos, viuva, S. J: tebreperniciosa.
Maana>i'nanuco-,. 14mk>s, solteiro, Boa
Tlsta; enterite.
UMPOC^DE TUDO"
nenie Manoeh Augusto de lastro Menezes. deve- 'Bombeiros d't.'Sta eidade, trabalho que muito te-
commenda o raesnio-estabelecimento.
Este quadro foi espontneamente photogra-
phado" pela- referida galera, ende se aclia
venda o exemplar a 2.5000, sendo metade do
producto arrecadado, applicado ao jardim 13 de
Maio.-
Agradecemos o raimo.
Mrc.ctornrnaN tf*jra*'d eoaaerva-
roadar Porto de rernamburaeci
fe. 16 de Maio de 1889.
Boletim-meteorolgico
E
= .
Horas 2 =-3
= p-^B
-*"-
6 m. a5--7
* . 26 8
12 28-6
3 t. 27"- 8
6 26-2
Barmetro a
0
760-orfi
7C2>*12
761-44
759-54
759-73
Tensan
do vnper
1920
22.31
21,90
22.36
20.79
a
"3
89-
84
78
80
82
sahiram encorporados em passeiata,era numero de bous jurisdiccionados pela recta justiga que dis-
TempeTarara maxiraa-i29,',25.
Dita mnima 23".25.
Evanoracao em 24 horasao sol: 4-.6; som
bra: 1-.9.
Chuva4,-9.
Direceo do vento: SSEde meia noite at 2
horas e'lOminutos da matih ; at-9 horas e 20
minutos'; SE com interrapgoes de SSE at meia
noite.
Caimana durante 3 oras peiamanha.
Velocldade media do vento: lfc 72 por se-
gurdo.
N'ebulesidade media: 065.
Boletim do porto
23
ra
B. W
P. M
Dia
B- M. '16 de
P.'M-
Maio
17 de Maio
Horas
1154 da anhi
5-3 da taide
O^O
569 da-man ha
Altura
O-.-lO
-2-,72
0-,29
"2*,71
i.e*a*Efectuar-se au os seguales:
Hoje:
Pelo arente'.'Silveira, s 11-horas, a ra
do 'Imperador n. 45, dapredios.
Paloegente Gusmfto, s 1* horas, ra Vis-
conde de lihauma n. 13 A, de fazendas a re-
tal ho.
Segunda feira :
1 Pele agenteyGusmSo, s pi 'horas, ra' do
Bispo gardiaha n. 11, de urna armaca e gene-
ros da-taverna'ahi'Sita.
Pelo agente Wnto, s 24;'2 horas, nos Afflictos,
de um cavado bom andador.
Pelo mesmo agente; depois'de meio'dia; nos
Afflictoss-de movis; porcelana ecrystaes.
- aHettan rameafea *9ero celebradas:
Hoie :
A's 8 horas, no convento de S. Francisco, pe-
la alma de Antontobarlos Soares de1 Arelar ; s
8 horas, namalriz de Santo-Antonio, pela'alma
de Joo Cancio Firmino Monteiro.
pa*;elwov-Cbegados"da Europa ne va-
por francer'WJfe e Peniambueo ;
Ral Colen. sua senhora, sua mai, um irmo
e urna irm, e Achule Zeppi.
Chegados da Europa no vapor americano
.ldoor*:
Alfred Kyble,.'D. Isabel Fioch Romane, D. A.
D. Romano,1liB3iMiraiid* WWlam lH Jone.
Hoapwai redro n 0 movimanto' deste
estabelectaento de daridada, no dia .14 de Maift
'foi o segniate:
Entraram 18
Sahiram 11
Falleceram 4
Existem 611
ForanirVisitadas a3 respectivas enfermarlas^
pelos Des.:
Moscaso s 8, Cysneiros 9 1[2," Barros So-
brinba asfi,.1i4, Berarde s.10, alaquias s 9 14
ontuat s 9.1|*. Estevo .eaalcante. 8 l\tbo-
iras.
Nao coBipareeeram os Drs.: .,
Berardo.
SimOes Barbosa.
O rirurgiao dentista Nttnu Pcmpio nao com-
parecen .
0 phirmaceurico entrou s 8 1{2 da mann e
sabio s 4-da tarde.
O ajudantc do pharmaceutico eptrou s 7 l\t:
da manhe sahio s 4 horas da larde.
Lotera do ram-ParaA 1" parte d
29' lotera, dessa provincia, cujo premio grande
120:000*000, -era extrahida no dia 2f do cor-
rente (terca-fe ira).
Caaa.de DelencioMovimento dos pre-
sos da Ci*sa de Detengo do dia 16 de Maio de
1889.
Existiam 490; entraram 12; sahiram 13; exis-
tem 489.
A saber:
Nacionaes 447 ; mulberes 17; eitrangeiron 2a.
-Tof 489.
Anpcoados iil.
Bons 419.
Doentes 19.
Loucos2.Total 441.
Movimento da enfrmaria
Teve alta :
Vitalino Jos dos Santos.
Teve baixa:
Manoel Anselmo Barbosa.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
mento por 180 pessoas, sendo 69 homens e 1)0
mulheres.
Ceaiierio a>nailcoOb:tuario do dia 16
de Maio de 1889 :
Datanrde-1884 as inve-tigagees do nesso in-
cansavel compalriota De. Joe Biptista de Lacer-
da acercado bei-iberi. e desdo Janeiro de 1887
deu elle a lutne o Microbio do Beriberi. acompa-
nhado por estampas que represeiram as lesSes
dos^ ervos periphericos e as formas do raicro-
orfllnismo, bem comoporoinaphotographm que
mostra um coelho paralysado pela inoculaco de
culturas do mesmo micro-organismo.
Tendo noticia tiestas importantes e felizes pes-
uizas, o Dr Pekelharing, professor eminente
anatoma palhologica na universidade de
Urecht, mostrou desejo de conhecer os traba-
Ihos do microbilogo brazileiro antes de partir
em commisse do tovemo BOllandez; para a In-
dia Needandeza, onde a enfermidade causava
estragos considerareis. Acceden de prompto 0
Dr. J. B. de Lacerda a esle pedido, pelo gracio-
so e solicito intermedio do Sr. F. Palm, consol
geral dos Basca buixos.nesta capital, a, decor-
ndos alguns mezes, recebeu offieialmeule o nos-
so compatriota copia manuscripta dos dous re-
latnos com que o Dr. Pekelharing'dern conla
minuciosa ao seu governo dos resultados obti-
dos.
Tomou a si o Sr. F P'lm verter pata o nosso
idioma os dous referidos relatnos e, com legi-
tima .satisfagan, pode e Dr. J. Baplista de Lacer-
da verificar que, em lodos os pontos, as conclu-
ses dos seus trabamos forum confrrmadas pela
alta auloridaJe do professor hollandez. Eflecti-
vamente, reconheceu este professor constituir o
beriberi molestia infecciosa, devida a um micro-
bio que isolou do saogue de doetes, culvou,
e, iuoccjkido em anitnais, repnodano nelles a
enfermidade. Mais tun,; remelteu da Hollanda
o Dr. Pekelharing preparagfla microscpicas do
micro-organismo que prodnz na Helia o beriberi,
e, cotejadas estas preparacoes com as oblirlas
pelo l;r. J. B. de Lacrela, tioou lora de toda a
duvida a idenlidade do miorobio quena India
como no ftrazil produz a eafermidade. O nosso
compatriota dar brevemente a estampa, acom-
panhados d dbservage e notas da sua lavra,
estes dous interessantes documentos que vieram
dissipar todas as obscuridades que ate agora ro-
deavara a natureza e a causa da terrwe moles-
tia.
Agora que o beriberi se tem manifestado no
Rio de Janeiro e era antros, pontos do imperio,
coni intensidade nunca vista e o governo impe-
riai acaba de constituir commisso ei,carreg;:da
do estado da molestia, de valor inestimavel a
verificada ideotidade das -eonclusoes do sabio
hollandez com as do profefesor brazileiro. Se
esta identidade nao importa a desooberla de
agente ou agenles therapeuficos reputados espe-
cilicos contra o beriberi, tem cooitudo grande
importancia para orientar e assignalar o curso
dos esludos e.das iavestigages qua materia
reclama por bem da humanidade. J daquella
conformidade de.opimOes aba^das. e experi-
menlalmente adquiridas, tiram-se concusoes
utilissimas para evitar o contagio resultante da
natureza parasitaria do mal.
Um namorado palerma dizia um dia sua es-
pirituosa dama:
Que frmenos ps tem V. Exc.! Era fazendo
testamento, lembre-se de mira ; deixe-m os.
Com mnilo gosto, respondeu'elia; h'car com
quatro.
O Hvro a yenda d'alma,Hjomo a laarimaj a
perola Jo corago.
Jess t'.hristo expulsou do templo os negocian-
tes; o livro expulsa do seio da humanidade a
gaaaaaaavaaia a mortedeepifjfo. "No litro
est o futuro dos rafelizea>captiao%-Baaaaedelle
dinutn a rotAferimento do' bfflE,-ev'._iuconse-
qucaaiava-guervaemMregwasaeste^irHo hu-
milhante, delestavel, indecoroso e negro como o
punhal de um bandido; direito cujo alicerca
mais tortadesaboa com asabhmelei de 28 ds
Setembre* a'cefiseo.uencia'tfel3 de Maio.
O livro mita o .ioo, fecha a la?erna: oerra os
eareeres e rfiR|iensaes tribunaes^- E* 'elle o re-
formador da humanidade, a luz mais rifa do se-
cura XIX.
Em recente conferencia perante a Associago
Scientifica de BerJim foram indicadas algumas
particulorid indgenas do Xing pelo Dr. Von den Steinen
que, duas vezes, expiaron,aquella regio, reali-
zando com intrpidos compaaheiros viagem as-
perrima de muitos mezes.?. So'do Dr. den Stei-
nen as seguintes 'ldformges:
Esto aqueleseelvieblaa na idade da pedra ;
nao contecem'nenham metal nem usam seno
de ossos, denles, pedrase conchas para -fabrica-
go das suas. armas, e dos seus utensilios e or-
naos'<|uesO'! csculplurados cora 'maita-arte-
Nao sao de todo selvagens; a despert da sua
saawnaria vestimenta, tm costnnns'decentes e
sao nronopamos,'posto que o casamento' nao se-
ja entre Meu celebrado eduj' qualcfuer 'Ceremo-
nia ; tralaa os nlhos com grande trnura. A
sua vida das mais simples.
Ashffereates tribus habitvni aldcra^que con-
tis noiniaaiB3oi60 individuos'^, sendo situadas
. beira dosirios e separadas nnias' das," outras
poraiguBsdias-de caminhada. 'Tem'powcacom-
municago entre si. Nao lhes sendo defeonheci-
da, a nogio.de-propriedade particular nao tm
entre elles grande importancia pratica, sendo
ripin a riaf^sWfijiTBflnianaanr--raiin
individuo. Algumas mezes commettem furtos,
mas as adaJn>viQanhaBt nunoaiaa Meia que
habitara. Jo poiaiarntanihaBii aoiSaui domes-
tico nem mesmo caes. TJSo-se caga, pesca e
cultivam um tanto a trra de modo inteirmen-
te primiBTO.
Dizem-sc descendente prximos de diversos
animaes. 0 Bakari faz remontar sua origem &
onga, acreditando que os seus inimigos Tru-
mais, grandes nadadores, sao primos dos jaca-
rs: O sol para- elles um norello de peonas
.vuriiieltiiis de arara enllocado em panella cuja
lampa se leranla pela manh e se deposita
noite. Cada pheoomeno celeste .tga-ge-a mun-1
do dos animaes. C*bruso antes -msdico do'
queJsacerdete,"Wo3em aminima.-idea; de um'
ser^eapremo. A alma e o cerpo -sao. separados;
aqueMapasseia a seu gosto emquanta*jeste dor-
me; NSo acordara de sbito quem.dorme, por-
que temem que a alma nfio teria tempo para
tornar >sua morada.
Quanto lingnagero, sera estruenra nem sys-
tema," nao inteiramente pobre. E' apenas
pouce meaos rica do que aquella de qne usam;-
os oampenezes aHemSes em dlguns-logarejos
solados.
Um cidadao calvo conversa com a dona da
casa na saia das visitas.
Nhonhd trepa nos joelhos do ancio, e, aca-
riciando-lhe a calva, pergunta-lhe :
Diga-me : E' ahi que a sua misiiiha lhe d
palmadas quando o senhor fica Iravesso ?
Em un\ livro de Jules Arena, encontra-se o
seguinte, que bem capaz de excitar o riso :
A raulher Jd'um marcineiro, chamado Tien,
era perseguida pelos galanteios d'um fiscal de
montepo, chamado Hou. A mulher era hones-
ta, e revelou tudo ao marido. ste quera tocar
o galanteador, mas depois reflectindo mais pau-
sadamente, resolveram o que se vai ver
A mulher fingi acceder s instancias do na-
morado, e deu-lhe um rendez-vous.
Apena Hou tivera lempo di trocar duas pa-.
lavra com a sua querida, onvem-se os passos
domando. t .
JJepressa. dentro deste bahu. Diz a mu*
Iher ao atterrado D. Juan deRabicno.

;
i
k
:





i.

^-

i



*
Dkhxo de PieiiianibupD--rSabbado 18 de jVfaio de 1889
3
n raeiteu-se no bab
chou-o rcbave.
Entra o marido.
N'ito ha remedio, fln*ie#> diz elle, tenho
qoaeinpcanar o babti.
* Edito e-feilo, elle ah .vai para o monte-nio.
f ququer voa1 em retinar'
Esieroi>por doremos* lacis.
- Deixe ver-o qiwtew durtro.-
liso que nao, d. os duzeatos tacis, se
nao quer arrependcr-se
Nada, nao emprestamos dinbeiro as cgas.
Mas oiseo ouve-seuma'voz lastimosa dentro
do tab draeoo t
Dm os dozantos tacis, ou morro aqu dea-
tro.
A voz do fiscal f
Oemp-egtido dea os dmientos tacis, o marido
vai-se ealbora a rir, e emtim, de dentro do bahu
salto o espavorido I) Juan, jurando nao se tor
nar a metter n'outra albada, nem em outro
bata I
S. M. o Imperador, atiendenio ao que repre-
sentaram as religiosas do convento de Nossa
Senhora da Ajudu, houvc por bera cooceder-lhes
licenga para applicarem a obras urgentes de
que arecem o templo, o edificio do convento c
outros pertencentes ao. neu patrimonio, bem
.assim ao pagmenlo de reparos ja executados,
a quantia de 50:00050 0 depositada no tbesouro
nacional, em virtude de mandado do juito da
i* vara civel, e em que foi arbitrada a desapro-
priacaO do predio n. 28 da ra do Pasaeto e
parte da cerca do mesino convento.
Titmhei llck j
nosso correspondente de Paris, escre-
ve o Piccolo de aple, noticiou-nos pelo
telegrapho a morte do celeber.imo tenor,
que cuchen o mundo com o seu nome,
pela potencia e a beleza da soa voz.
Todos o conheceram, quando nada pelo
grande nome, mas pouco sabem que Hen-
rique Tarberlick era italiano, por haver
nascido em liorna, onde estudou theelogia
no Seminario de Montefiascone.
Menino, errava pelas ras da cidade
immortal, e cantava a noite serenatas de-
baixo das janellas das bellas ; a sua can-
cSo resoava fcilmente, c vibrante.
Um empresario ouvio-o urna noite : pro-
poz ao pai tomal-o aos seus cuidados e
mandal-o estudar. Mas o pai de Henri-
que Tamberlick nao quiz vencer o filho a
um especulador: fel-o estudar a sua custa,
e da maneira que Ihe foi possivel. A isso
talvez o genio do grande artista devesse
todo- o sen brilho, porque tambem ahi ha-
via um puro raio de ternura paterna
Foi hospede constante em casa de Joa-
quim Rossini, e teve o segredo de que se
servia o autor do Barbiere, no qual es-
condia-se a famosa estatuazinha d'ouro de
NopoleSo.
Contase urna agradavel ancdota.
Quando Tamberlick cantava em S. IV
tersbourg, Joaqoim Bbssmi lhe recommen-
dou muito urna cantora afim de ser es-
cripturada. EaL porm, era insufficien-
te, e nao agradou.
Tamberlick, quando voltou, manifestou
a sua surpresa por ter-lh'a Hossini recoin-
mendada.
Eu vol-a recommendei, com effeito !
exclamou Kossini.
Porm, mnito m.
Naturalmente. Pensaes entao que,
se fosse boa, teria necessidade de recom-
mendaeSes ?
* *
no
Tamberlick. no vigor dos annos e
maior fulgor da sua gloria, stiscitou pai-
xSes em toda a parte do mundo. Mas esta
COMMERCIO
lez
Relrosprrto -ommereial do
de Abril de s*
Nao foi dos. melhorcs, para a nossa praga, o
mez qu vem de lindar.
O mercado exportador esteve menos activo do
que no mez anterior e o mesmo se pode dizer
quanto ao mercado importador, cujas transac-
ces forain limitadas.
Entr. tanto, a baixa do cambio, que coiuci-
dio cora a publicagao do decreto imperial que
estabeleceu o curso Coreado do soberano ao pre-
go de 8*890, concorreram para melhorar a po-
sigo dos principaes artigos de produccao na-
cional, como o assucar e o algodao, que foram
negociados a algarismo? mai elevados.
Eis os dados que colbemos :
As estagOes publicas arrecadaram :
Aifandega
Abril de 188!
de 1888
766:39fi:5874
Menos em 188!)
a: i;
de 188H
de 1888
Recrbnlwia Gtral
Mi* em 1889
Abril
de 1889
de 1888
Mais em 1889
Cemio

203015*512
48:4125381
45:0495006
3:3635576
12:857*004
J 2:697.4874
vmnu
Renda Provincial
Abril
de 1889
de 1888
155:870*437
150:109*711
5:760*786
Mais |em 1889
Verifica-se, portanto, aue em Abril ultimo,
excepgao da Aifandega, toas as roais-reparti-
g&es tiveram augmento ero suas rendas.

O seguinte quadro da renda comparada da
Aifandega mostra a differenga havida as dille-
rentes verbas da rece i la :
00
O'. I* V.
V. C". t- ~i -
'i ce -'
H" & Jfc'O.
5 S
te o movimeato de dinbeiro sob a res-
ponttbidade das compaatias de vipores que
ser vein 4 praga do Recite :
>na materia que iinpCe urna certa, di-
I Saberse- que em Madrid apaiwaou-ae
d sublime artista, .italiano a bella.amante
d'ttffl dos personagens mais populares da
Hjespanha, esta com feraoidade maridio-
nal, tinha preparado ao joven, inebriado
pela paixao, urna bebida terrivel, da qual que
o salvou a polica ; e que urna- grande
dama inglesa,, joven e graciosa, seguie*
mu i tos anuos em todas-as suas. viagans, e
nao se auseatou urna s foite do theatro
em que alie cantava.
Os amigos de Tamberlick sabem o ro
manee gentil, ineffavel, pelo qual elle com-
prou a Tao a quinta do tenor Ginglini e
que divina figura de mulher e de artista
por alli se fazia ver com o seu suave es-
plendor.
' sabida a formosa historia da rainha
d'um vasto dominio asitico... Esta
princeza, viuva, joveuissima, muito ale-
gre, rica, se dizia, d'uma centena dd mi-
IhSes, se enamoron, estando em Londres,
do potico artista, e Ih'offerecsu a mo.
Tamberlick, porm, recusou por tor a rai-
nha seas olhos tres defeitos : a cor de
chocolate (e perfumava a pelle eom bau-
nilha), a mania de cantar e desentoava
(realmente); e sobre tudo a prova existen-
te de que *inha feito decapitar o seu pre-
sidente consorte..., sendo effectivamente
Tamberlick circumscripto por nao empe-
nhar-se n'um amor, que lhe tornava to
provavel e perder a cabeca.
E ninguem pensar jamis em pol-o na
historia entre os homens que magnani-
mante recusaram um throno pelas pro-
prias conviccSes.
#
No tempo em que esta va a o Mxico,
Tamberlick teve urna das mais singulares
aventuras da sua vida.
Os campos estavam infestados de bandos
de salteadores, cuja audacia tinha subido
ao ponto de chegarem as vezes quasi at
as portas da cidade.
Um dia Tamberlick, sahindo a cavallo,
foi s duas horas da tarde, capturado pelo
bando do conhecido sequestrador Mango
de Clavo; e poucas horas depois, o em-
presario rcccbja urna carta, annunciando-
lhe que o seu tenor estava sequestrado e
exigindo-se-lhe, para restituil-o, urna som-
ma enorme.
Tamberlick constrangido pelas ameacas,
tinha assignado um documento, em que se
obrigava a pagar ao empresario cem mil
francos, com tanto que os entregasse do
modo que lhe fosse indicado, como parte
do seu resgate. O empresario quiz avisar
a polica, e os salteadores rpidamente
desapparecernm, pondo-se ao largo.
Por trez dias, o tenor foi debalde es-
perado na capital. Tinham-n'o conduzido
de serra cm serra e no segundo dia fati-
gado do ocio (ha quem diga que o ocio
nao can<;a !) elle, tomou um bandolim e
no seu acompanhamento cantou urnas pe-
quenas arias.
Poquita, a mulher de Magno Claro, ou-
fulguranie de alv.ura, atraVez do um fich
desordenado.
- Seor, seor,'lhe murmurou affectuo-
amente ao ouvido urna suave voz feme-
bail Despirtese !
E elle-'desperta, e levasta^s. A bella
tinha propinado aoi seus urna bebida, em
estava um potante narctico, e em
qnanto estavam immersos no somno, os
dous atacavam os mulos, e partiam. O te-
nor voltou capital com a mais bella alas
novie, pois que Paquita tinha querido se-
guil-o.
Dous annos depois a feiticeira mexicana,
a quem Tamberlik fez urna recepcao prin-
cepeaca, se suicidava, n'um banho publico,
em New-York, por um amor infeliz com
um outro artista. Mas, cousa extranha !
aohou-se-lhe em frente o retrato de Tam-
berlik, do benvolo protector, sobre o qual
ella tinh tido os olhos at o ultimo mo-
mento.

DifTerentemente de muitifcsimos outros
grandes artistas Tamberlick conservon
a voz, pode dizer-se, at ao fim, e o seu
do die8ts, a nota que elle tinha mais po-
derosa, lhe foi pela generosa natureza con-
servada na idade mais avancada.
Habitou os ltimos annos da sua vida
em Pariz, e de vez em quando se fazia
ainda por beneficiencia ouvir.
As festas rossinianas ochamaram Fio-
renga onde fez um discurso chegada
dos cinzas de Kossini, e onde contou, acla-
madissimo, no Pagliano, pedacos do Guil-
liemo Tett.
Tamberlick foi e considerado como a
maior voz de tenor que em todo tempo
tem existido. Morreu depois de ter com-
pletado os setenta annos e depois de
urna das mais explendidas esistencias de
artista que tem havido.
Del lino Gavalcantc
"Negou-se* proTin*n-
os Srs. desembargadores
Tavare de -Vasconeeitos.
tot Bmntnemente.
Mgww daiaeteMninta
De ParmareAggrawntes Dr. Laurinioi de
Maraes Pittrciro' e outro, agpmvado o juizo.
Relator o Sr. deserabarfarlof.Alves Ri&eiTo.
Adjwtos os Srs/iiesMntargadorori'BuaatiaeLi-
ma o Silva Rago.."flagou-8e prov*nianla,'Contra
o voto do sSr. desembargador Silva Reg.
Aggravo de pet-co
Do RecifeAggravante- Marta Francisca "des
Anjos Curado, agipavado o juizo. Reiuter o Sr.
desembargador Moiitelfo de Andrade. Adjun-
tos os Srs. desembargadores Oliveira Andrade
e Pires Ferreira.Deu se provimento, unnime-
mente..
vira arrebatada acuelles cantos; e lagri-
mas arrebentaram de seus bellos olhos.
A' tarde do terceiro dia Tamberlick ti-
nha adormecido sobre unas palhas.
De repente os seus olhos sao feridos de
um clarao e ve inclinado para si um seio
Abril
de 188!
de 1888
Entrado
651:539*873
442:374*140
Mais em 1888
208:9854733
Abril
de 1889
de 1888
Sahidu
Menos em 1889
802:799*020
975:148*134
172:349*114
A expedigao em Abril prximo findo foi para
os seguintes pontos:
Rio de Jaueiro
Sergipe
Alagas
Fernando
Paranyba
Rio Grande do Norte
Cear
Para
0 balango das entradas
420:5000'iO
2:5363000
94:980*430
2:893*330
36:780*000
26:000*000
10:609270
208:500*000
e sahidas em Abril
lindo demonstra que houve na provincia um
desfalque de 131:239r>145.
Enectuaram-se os segnintes saques para o
exterior :
Sobre Londres :
Abril de 89- 320:000 de 27 27 7/8 d.
de 88 210:000 de 22 12 24 3,4 d.
Mais em 89- 110:000
Sobre Paris :
Abril de 89 fr.
de 88 fr.
350:000 de 342 352
305.000 de 388 421
res
Mais em
I- fr- 45:C00
Sobre Hamburgo :
Abril de 89-reisch. 42:000
de 88 40:000
de 424 a 435 re*
de 482 i 522
Mais em 89
2:000
Sobre Portugal :
Abril de 89-ris fortes 60:000* de 92 104 'L.
de 88- 5W00 *de!17 135 /.
Mais em 89
10:000*
Para as pragas do imperio que entretem rola-
ges mercantis com a de Pernambuco o movi-
mento de saques contmuou a ser diminuto, effec-
tuandose aos seguintes premios medios :
Sul
Rio Grande do
S. Paulo
Rio de Janeiro
Rabia
Cear
MaranhSo
Para e Amazona?
1889
3
1 1/4
1 1/16
/2
1888
1 3/16
3/4
7/8
10
Os descontos de letras, regularam de 8
%, tendo sido de 8 -/. en Abril de 1888.
Em ttulos da divida publica e de acgOes de
companhias houve na bolsa o seguinte movi-
mento :
Apohces geraesVenderam-se 17 de 1:000*000
c 5 de 3004 com os descontos de 4 4 4/2 /..
Apolices provinciaes Venderam-se 62 de 1:000*
ao par e com o premio de 1 7/5.
Lettras hypothecarias Venderam-se, das do
Branca de Crdito Real de Pernambuco.^50 com
juros, valor de 100*, ao par e com o descont de
1 12 /.; e 172, sem juros, valor tambem de
106*, com o descont de 3 1/2 "/..
Banco de Crdito Real.Venderam-se 6 aeges,
valor de 100*, com o premio de 30 %.
Diversas empresas Venderam-se : 100 aeges
da Companbia de Fiago e Tecidos ao par: e 140.
aeges da i ompanhia do Beberibe, com o premio
de 65 % ; 88 aeges da Companbia Pernambu-
cana, valor de 2oO*, com o descont de 50e55
/o e 34, valor de 100* om o descont de 50 7.;
.310 obrigages preferenciaes da Companna
Peroambucana, valor de 860*, com o descont
de 2 1/2 e 5 /
CHR0N1CA JDICIARIA
Tribunal da Helaeo
SESSO ORDINARIA EM 17 DE MAI0
DE 1889
PRESIDENCIA DO EXM. SR. COSSELHEIRO
QUINTINO DE MIRANDA
Secretario, Dr. Virgilio toelho
A's horas do costume presentes os Srs. des-
embargadores em numero legal foi aberta a
sessao depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
JI'L GAXEKTOS
Rabeas Corpus
Pacientes:
Manoel Francisco de Souza.Mandou-se ou-
vir o Dr. chefe de polica e o juiz municipal de
Serinhaem.
Bernardo Jos Carlos. Prejudicado, contra
os votos dos Srs. desembargadores Oliveira An-
drade, Tavares de Vasconcellos,' Alves Ribeiro
e Pires Ferreira.
Recursos crinies
De PalmaresRecrreme o juizo, recorrida
Anna Maa do Espirito Santo. Relator o Sr.
desembargador Buarque Lima.Negou-se pro-
vimeotc, unnimemente.
De Goyanna Recorrenle o juizo, recorrido
Jos Vicente da Silva. Relator o Sr. desembar-
gador Toscano Barreto.-Negou-se provimento,
contra o voto do Sr. desembargador Tavares de
Vasconcellos.
Aggravo de petigSo
Do ReeifeAggravante Herculano Maria de
Oliveira, aggravado Vctor Nepsen. Relator o
Sr. desembargador Pires Ferreira. Adjuntos
O movimento do porto do Recife, foi este :
Entraram do exterior
21 vapores lotando 34:270 toneladas.
25 navios 9:458
Entraram dos partos do imperio
26 vapores lotando 30:671 toneladas.
13 navios > 2:308
Dando para total das entradas
85 embarcages, lotando 88:707-toneladas.
E tendo sido o total em Abril de 1888. de:
83 embarcages, lotando 67:311 toneladas.
V-se que" entraram mais 2 embarcages lotan-
do mais 19:396 toneladas.
Sahiram para o exterior
18 vapores
12 navios
Sahiram para o, porto* do imperio
25 vapores
17 navios
Dando para o total das sahidas
72 embarcages.
E teodo sido esse total em Abril de 1888, de
72 embarcages
V-se que em Abril findo nao houve differen-
ga as sahidas. #
Assucar
Entraram desle producto em Abril finio me-
nos 75.370 saceos do que em igaal mez de 1888.
sendo tambem exportados menos 2.6*0.085 ki-
logrammas. a
O mercado manteve-se pouco activo, sendo a
media dos preco3 725 ris mais elevada do que
em Abril dp 1888.
0 valor do genero exportado era Abril Ando
foi apenas inferior em 21 891*648 ao valor ex-
portado em igual mez de 1888.
Km detalhe foi este o movimento.
Entraram:
Abril de'1889 70.066 sacco3
. de 1888 145.436
llenos em Abril de 1889
73.370
Regularam as vendas por 15 kilos para expor-
tacfio :
Branco 3 superior de 3*900 a 4*300
. 3* boa de 3*800 a 4*10O
. 3* regular de 3*700 a 3*900
. 4* sorte de 3*400 a 3*500
Somenos de 2*400 a 3*000
Mascavado purgado bom de 2*200 a 2*500
regular de 2*000 a 2*400
. americano de 1*450 a 2*10
Bruto regular de *000 a 2*080
Do Canal de' 11700 a 14800
O prego medio por 15 kilos foi:
Em abril
cft 1889
de 1888
Mais em Abril de 1889
Foram exportados:
Abril de 1889 -Exterior
- Interior
Total
Abril de WB8
Menos cm Abril de 1889
2*Hft)
2*075
*725
3.562.190,5 kilos
3.540.955,5
7103.446 .
9.743.231
2.60.085
O valor exportado, calculado pelos pregos me-
dios respectivos, foi:
Em Abril de 1889 1 325:9205680
de 1888 1.347:812*328
Menos em Abril de 1889
Algodao
mercado ainda
21:891*648
um tanto am-
Matrtewse
mado.
Nos prego medios noton-ee una differenca
apenas de 50 rs. para menos do que em Abril
de 1888,-'fechando o mercado no fira do mez
mais trate e em melhor posigao.
A differenga para menos na exportacSo ele-
voa-se apenas a 403.507 kilos do'que em Abril
de'1888.
Foram as entradas por trra e mar:
Em Abril de 1889 x 19.421 saceos
23.393
de 1886
Menas em Abril de 1889
3.972
Effectuaram-'se as vendas
Do de Ia qualidade
Do mediano
Do de 2" qualidade
por 15 kilos:
de 6*400 a 6*680
de 54O0 a 55600
de 4*400 a 5*400
medio comparado por 15 kilos, foi
3*500
5*550
*050
O prego
este :
Abril de
. de
Menos em Abril de 1889
Foram exportados |
Abril de 1889-Exti";
Interior
Total
Abril de 1888
Menos em Abril de 1889
2031.342
213949
2 265.291
2.668.798
403.507
kilos
Calculado Dlos pregos medios respectivos,
valor d'essa exportagao foi o seguinte :
Abril
de 1889
de 1888
Mais em Abril de 1889
830:607*800
987:640*815
157:033*013
Agurdente
O mercado continuou ainda baslaute anima-
do.
Queros pregas, qur a exportagao foram mui-
to mais superiores do que cm Abril de 1888.
Entraram :
Em Abril de 1889 1.250 pipas
, de 1888 825 .
Mais em Abril de 1889
425
As vendas effecluaiam-se entre os extremos
de 80*000-a 85*000 por pipa da 480 litros.
A media foi :
Em Abril de 1889 82*300
. de 1888 65*000
Mais em Abril de 188 17*500
Foram exportados :
Abril de 1889Exterior 42.373 litros
.Interior 506.487
Total 549.062
Abril de 1888 400.118
Mais em Abril de 1889 l't8.94t
Calculado pelos pregos medios respectivos, o
valor dessa exportagao foi :
Em Abril de 89 .94:332*315
de 88 54:163*070
Mais em 89 40:169*245
Alcooi
O mercado esteve em boa posigo, e comquan
to os pregos baixassem um pouco, em todo saso
foram mais altos do que em Abril de 1888.
As entradas e a exportagao foram igualmente
superiores.
Entraram :
Em Abril %9 52 pipas
de 88 32
Mais em 89
20
Regularam os precos por pipa de 480 litros,
de 156*000 165*000, sendo es pregos medios :
Em
Abril de 89
de 88
Mais era 89
A exportacSo foi :
Em Abril de 89-Int.
de88
Mais em 89
0 valor exportado,
medios respectivos, foi
Em Abril de 89
de 88
Mais em 89
29
7
158*000
110*000
48*000
760 litros
200 ..
22.560
calculado pelos pregos
10:428*000
1:650*000
8:778*600
Appellaaes crimes
De GuarabiraAppellante Joao Antonio Ja-
nuario, appellada a justiga. Relator o Sr. des-
embargador Monteiro de Aadrade. Contir
mou-se setenga, unnimemente.
Da Penado ?-Aopellante Luiz Prnheiro da sil-
va, appellada a justiga. Relator o Sr. desem-
bargador Pires Ferreira -Conlirmou-se a sen-
tenga, unnimemente.
De Olinda-Appellante o promotor paMieo,
appeHado Francisco Bonifacio Alve-pertaira.
Relator o Sr. desembargador Oliveira .Andrade.
Mmdou-se a novo jury unnimemente.
Do Pilar da ParahybaAppellante o juiza,
appellado Joao Marinho de Souza. Relator o Sr.
desembargador Alves Ribeiro. Mandou-se a
novo jury contra o voto do relator.
AppellagSo civel
Do Cabo Appelantes Tavares de Mello Genro
& C, appellado Jos Mondes Cameiro de.Souza
Leo. Relator o Sr. desembargador Alves Ri-
beiro. Revisores os Srs. desembargado* Ta-'
vares de Vasconcellos e Oliveira Aadrade. -
Conrmou-se a senteoga, contra o voto do re-
lator.
Embargos infringentes
Do RecifeEmbargante a companbra de se-
guros fndemnisadora, embargados -Moreir &
Irmos. Relator o Sr. desembargador Delfino
Cavalcante.Era |diligeocia.
PASSAGENS
Do Sr. desembargador Toscano Rnrreto ao Sr.
desembargador Delrmo Cavalcante :
AppellagSo crinte
Do Limoeiro-Apncllantes o promotor publico
Antonio Ribeiro de Maria, appellados Manoel
P. Borges e outro.
Do Sr. desembargador Delfino Cavalcante ao
Sr. desembargador Pires Ferreira :
Appellago crime
Da Victoria -Appellante o juizo appellado Jos
Justino.
0 Sr. desembargador Pires Gongatves como
promotor da justiga deu parecer nos segointes
feitos :
Appellaces crimes
De PalmaresAppellante Jos Miguel da Paz.
appellado Ignacio Ferreira Lima Bacaruby.
De Goyanna -Appellante o juizo, appellado
Flix Luiz Viamra do ffaseimento.
De JaboatoAppelantes Manoel Francisco
Ferreira Gomes e outro, appellada a justiga.
De CimbresAppellante o juizo, appellado
Joaquim Jos de Carvalho
De Salgueiro Appellan'e olpromotor publico,
appellado Jos Mara de Almeida.
De PalmaresAppellante Jos Francisco da
Silva, appellada a justiga.
Do Sr. desembargador Alves Ribeiro ao Sr.
desembargador Tavares de VsaconceUos :
Appellago crime
Da Victoria-Appelantes o juizo e Jos Fer-
reira, appellado Jos Peona.
Do Sr. desembargador Tavares de Vasconcel
los ao Sr. desembarjador Oliveira Andrade :
Appellaces commerciaes
De MaceiAppellante Antonio Casado Lima
Jatob, appellados Borstelman C.
Do Recife -Appelantes Lev. is Ehman e ou-
tros, appellados Luiz Googalves da Silva &
Pinto.
Do Sr. desembargador Silva Reg ao Sr. des-
embargador Buarque Lima :
Appellaces crimes
De Alagas -Appellante o jaizo, appellados
Manoel Garanhuns e outro.
De Bom Conselho Appellante o juizo. ap-
pellado Jos Alves de Vasconcellos.
De bezerros- -Appellante o promotor publico,
appellado Manoel Quirino Santiago
DILIGENCIAS
Bellamnaa.aaaMte OUsiraseu*s<*6B! ar
fatn^MWawfr.'-dascrabargadM^raiPOtor da .goe presado.tiowhefe. v;tIiosissima.de.-partido
jiistiya :
Appellac crime -
DcCaruaNH^Appelldale1(Kisto> da bCruz. Vi-
te lia. appellaria a jusoa.
Contacto de uriadiccSo.
Entre-as juiaes deidireite de or-phos e dos
feitos da fu en da do Recit.
Em dingsncia no juizo a quo
AppeHagfio crune
De Aiagaa da-Monteiro -Appellante Luiz Ale-
xandre de Ges, appellada a justiga.
distbibuk^Ses
Recursos crimes
Ao Sr. desembargador' Tavares de Vascon-
cellos :
Do RecifeRecorrenteo juizo do commercio,
recorrido FelippeNery Onwraracs.
Aa Sr. desembargador Oliveira Andrade :
DO Recife- -Recorrenle o juizo do comme rcio,
reaorridos Joo AugBSto IjnacicVMoreira e ou-
tro.
Ao Sr. desembargador Silva Reg :
De AlagGrande Recrrante-o juizo,. re
corridos Francisco Leonardo PeCira e outro.
Ao Sr. desembargador Buarque. Lima :
Do Pilar dai^ralryba Recowente o juizo, re-
corrido Joo de Assumpgo.
Aggravos depetigo
Ao Sr. desembargador Pires Gongalves :
Do RecifeAggravante Jos Eleuteriode >ze-
vedo, aggravaao Ludovica Gomes da Silva.
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Do Recife Aggravante Agostinho Jos da
Costa, aggravado o juizo.
Ao Sr. desembargador" Tavares de Vascon-
cellos :
Do Recife Aggravante Dr. Joaquim Jo3 Fer-
reira da Rocha, agaravadjc juizo.
Ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
Do Recife Aggravante -Maaoel Bwnardkio
Vital, aggravada D. FranceKna da Silvtf-Almeida.
AppellBges crimes
Ao Sr. desembargador Silva.Reg :
De CimbresAppellante o juizo, appellado
Antonio Bernardo-dos Sanios.
Ao Sr. desembargador Buarque Lima :
De CajazeirasAppellante o juizo, appellado
o menor Emiliano 'Manoel Felippe.
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
De SouzaAppeHante o -juizc, appellado R-t
cardo Mariotao Fafcao de Normandia.
Encerrou-se a sessao s 2 horas da tarde
Cidade de Goyanna
Annunciando no sabbado o telegrapho
roaioria do governo ficando ainda mais urna vez
provado o elevado mrito dofeminenteestadista
conselbeiro Joo Alfredo, lia-se na facf.de todo&
o prazer e o e.ithusiasmo.
Nada mais honroso e justo, do que este en-
thusiasmo, desde que tinha se-visto o program-
ma luminoso com que um governo sabio e pa-
tritico, qur fazer nivelar nossa patria com as
nages mais civilisadas da Europa.
Simultneamente foi o telegrapho transmissor
de outra agradavel noticia de quehavia partido
para esta cidade; um Idos-seua mais esperango
sos e syrapathicos filhos -o Exm. Sr. Dr. Pedro
Correia
Immeiatamente grande-numero de amigos,
resolveu ir encontral-o em caminho, .nao s
para assim patentear o sea regosijo pela victo-
ria do Exm. Sr. seu pai, como tambem para
manifestar-lhe suas denoastngoes -de^aprego,
porque vem nelle um substituto futuro do seu
caro progenitor para esta tradiocional cidade.
e tarahem para a nacao-que o espera.
De facto, s 4 horas da tarde do dia seguinte
em numero de-10 earres partiram-todos a-3 kilo-
metros, mais ou menos, foi encontrado o carro
que do Recife, trazia o tao estimado viajante,
que vinlia em compauhia do prestimosa cidadao,
seu presada sogro, o Exm. Sr. commendador
Loyo.
Ahi, foi calorosamente abracado por todos os
seus dedicados amigos.
Entrando nesta cidade todas as portas e janel-
las regorgitavam de povo para velo ; todo o
prestito dirigio-se para a casa do Illm. Sr. Dr.
Mel
Nao soffrea alterago o prego da 50*000, por
pipa de 480 litros.
O mercado esteve bastante supprido, sendo
exportagao muito superior de Abril de-1888.
Os progos medios foram :
Em Abril de 89
de 88
Mais em 89
A exportagao foi:
Abril del889.-lut.
.. de 1888
Mais em 1889
50*000
42*500
73500
O valor total da exporlajo,' calcwlado pelos
1 pregos medios respectivos, foi este :
95.423 litros
1.880
93345
O valor exportado, calculado pelos pregos me
dios respectivos, foi:
Em Abril de 89 9:9095250
. de 88 1465200
Mais em 89
*
Couros
Entraram- por mar e trra :
Abril de 89
de 88
Menos em 89
Regularam os pregos por'kilo
Dos espichados (nominal)
Dos seceos
Dos verdes (nominal)
Em media
9:7635050
2.0">8
3286
1.278
de 390 410 ris
de-363 375
205
Abril
de 89
de 88
Espichados Seceos
400 370
580 450,5
Menos era 89
180 80,5
Verdes
203
250
45
Foram exportados :
Abril de 89Exterior :
Seceos
Abril de 88
Menos em 89
Total
12:000
12.000
238 .-385
216.385
O valor dessa exportagao, calculado pelos pre
gos medios respectivos, foi :
Abril de 89 Seceos 4:440*600
. de 88 86:129*417
Menos em 89
81:6895417
A demais exportagao feita pela Aifandega foi
a seguinte : '
Borracha-Ext. 570-kilos
Caf-Ext. 120 .
Carogos de algodao Ext. 592 120
Int. 430.185
Total
Cera de carnauba-^-Ext.
Int.
Total
Cascos de tartarugaExt.
CocosInt.
Ceuriohos e pellesExt.
DoceExt.
Int.
1.022.305
5.367
500
Total
kilos
Int.
Farinha de mandioca
FeijaoInt.
Fio de algodaoInt.
Gaxa-Int.
GenebraInt.
Medicamentos e drogasExt.
Int.
a
Total
Madeiras -Int. (taboas)
Milho-Int.
Ouro velhoExt.
9.862 saceos
60
15 .
2 250 kilos
1-824 litros
7 vols.
195
202 .
13.000 y los
2.173 itavas.
.conservador onde hospedaram-sc sTisitoteS!,
(JAochegar immensas gyrandolas*alraiaffl'a
ares com'. seus -estampidos e em segna umJ
banda de 'usica-w^auvir 'iniBosaavipegasula *
sea repertorio.
Aindaiao diasegurate todos os < seasbamigoae^-
admiradores enoorporados e comunua'banda de '
msica a frente'foraoi "nomprnnwKal-a, usando W
da palavra'0 inletlgene acBd8iaico"Leoaiiildo '
MaranMo, quadinse- ser-dupl* "'Irm claquela
manifestacao: primeiro felicitar o Exm-- Sr.
conseUieiro Joo Alfredo, na sua pessoaj'noTter
feitodcwapparecer dv-Braail a 'eseraridao.-ase-
gundo proTar ao i*la9tre'bospede'0 aprego ,oe o
partido" lhe tributava.
O Exm. Dr. Pedra Correia,.com: phraswdeli-
cadas e cora a amabilidade qoe lhe*peculiar,-
agradeeeu a-todas e faBando sobre' a le 18 de
Mato, disse aue ella' foi o resultadcda aspira-
Eio nacionalf maw que a provincia de Fornam-
uco tinha entrado com gran de1 contingente'para>
sua consecugo, porque;' dous dos maia mes
propugnadores tinbam sido'1 pernam truanos ios
democratasDrs. JosIS MaPBne.o-eUoacfUJwitflabU'-e
co, eabendo entao a ultima-baialta anda a un
pernambucano-'seD veneraodo'^pai.
Foiem seguida offerecidoiporiBeHllusItetio,
um lauto copo d'agua, onde 'foram"erguidos
brindes enthusia9tas qVExto. Sr. Dr. rea ao eleitorado do 4o districto. tomando Ba-
tiente os oomes do Illm Sr. Dr. BeUarmina, do
Illm. Sr. Dr/Lourengo Bezerra, coronel Serafim
Pessoa.'tenente'coronel LurzGorreiavmajor Leo-
degario-Correia'. tene-Bte-coroniJl AnlcraiO'Gue-
des, tenente-coroael Valentmiano delego-Bar-
ros e ao Exm. Sr. Dr Juvencio de Aguiar, digno
representante do districto.
De diversos cavalaeiros ao Exm. Sr. conse-
lbeiro Joo Alfreda, ao distmc1o"'chee'Br'Bel-
larmino, ao Exm. Sr. Dr:'PedroOerrei. aoBa-1-
jor Leodegario Correia. ao'Dr. Nilo de Miranda,
ao Dr. Francisco Chateaubriand, ao Exm. Sr.
commendador Loyo, ao acadmico Leovigildo
MaranhSo e ao al fe rw Angeiim.
Do Exm. Sr.-Pedro Correia tados-08 seus
amigos desta cidade fazenda saliente os.ames
dos lllms. Srs. Manoel Ignacio, capitoJoo do
Canto, capitao Mathias Pinto e outros deignaes
raerecimentos.
O brindede honra foi feito -petoExm. Sr. Drt
Pedro Correia, no qual foi acompanhado fren-
ticamente por todos os amigos ao distincto che-
fe o Ilustre Dr-. Bellarmino Correr' de Oliveira.
Terminou toda esta festa reinando'semprE o
prazer e a ordem.
Goyanna, 14 doMak) de 1889.
*#*
-dgseoag--
Gratidao
AoSr. r. Carlas Bllemourt
Soffrendo seis annoa de estreitamento
da urethra, hoje me acho radicalmente
curado gracas a electroKse^ a prarieiai e
delicadeza que o .mesmo Dr. Bitteacourt,
se houvc durante o tempo do tratamento,
nao tendo soffrido accidente algum duran-
te a operaco.
RecifeMaio de 1889.
Bernai Gratidao
AO DR. CELOS 15ETTEKCOCRT
Suffrendo a seis mezes de estreitamento
da urethra, hoje me acho Tadiearmeirte
curado gragas ao electrolise, a pericia e
delicadesa que o mesmo Dr. Bettencourt
so houve durante o tempt do tratamento :
nio tendu soffrido accidente algmn durante
a operagao.
Bernardo Jos Paes.
Prata veHia'-Ext.
Plantas vivas Ext.
Pennas d'avesExt.
Rap-Int.
SalInt.
Sebo Int.
Trapos Ext.
1.047 -
1 volaaie.
20 kilos
525.5. .kilos
20.000 litros
1.600 kilos
4.876
Assucar
Algodao
Agurdente
Alcooi
Mel
Gouros
Borracha
Caf
Carogos de algodao
Cera de carnauba
Cascos de tartaruga
-Cocos
Courinhos e pelles
Doce
Farinha de mandioca
Feij5o
Fio de algodao
Graxa
Genebra
Medicamentos e-drogas
Maderas
Milho
Ouro velho
Pennas d'ave
Prata velha
Plantas vivas
Rap
Sal
Sebo
Trapos
Valor approximado
dem em 1888
1.325:920*680
830:609*800
94:338*315
10:428*000 i
9:909*250
4:440*000.'
513*000
64*000
24:535*116
2:777 520
60*000
4:544*080:
74:108*000
5*00
57:889*910
772*500-
300*080'
600*000
72*5600
4:040*000
4*000
9783000
6:950*600
40*000'
261*750
5*000
5S5*S00
1173400
97*500
2.456:226*471
2.658:03**996'
Menos em 1889

201:806*525'
**#
IMl'ORTAg.Ul
0 mercado importador estere menos aclivo do
que em igual mez de 1888, e isso mesmo se evi-
dencia da renda da Aifandega na rubrica fmpor-
tacao, que aprsenla urna differenga, para me-
nos, de 191.692*181.
Foram estas as entradas em gneros alimenr
ticios, bebidas alcoolicas e fermentadas, e acce-
pipes e condimentos :
Albos623 canastros. Venden-se a 70 por maunga. ,
Ameixas42 volumes.
Amendoas -1 volme.
Arroz 2.030 saceos. Regularam as vendas
por 15 kilos de 2*250 2*500.
Azeite de oliveira287 caixas. Vendeo-se
por gal&o de 2*760 2*780.
Azeitonas30 volumes.
Bacalho24.216 barricas e 50 eaixas. Ven-
deu-se a barrica de 15*000 17*0.
Bagres17 volumes.
Banha de porco1:275 barra Venden-se o
kilo de 763 806 ris.
Batatas920 caixas. Vendeu-se cada urna
2*200
Caf3:911 suecos. Vendeu-se por 15 kilos
de 6*000 9*500.
Camaroes43-volumes.
Carne de conserva8.volumes.'.
Castanhas1 volume.
Cebla 661 caixas. Vendeu-se a caixa de
13* 13*100.
Cerveja-356 caixas e 206 barris. Vendeu-se
por duzia de garrafas ou botijas, de (5*000
8*500.
Cevada-50 barricas.
Cha-35 volumes. Vendeu-se o kilo de 2*600
i 4*500.
i hampagne6 caixas.
Chocolate2 volumes.
Choungas 3 volumes.
Cidra-320 caixas.
Cocos -24:500.
Cognac227 caixas.
Conservas211 caixas.
Doce10 volumes.
Ervilhas4 volumes.
i
%
\


Diario de PernambucoSabbado 18 de Maio de 1889
A m. Exea, os Srs. ministro da
agricultura e presidente da
provincia
Chamamos a attencSo de Ss Excs. para o
estado de atraso em que se acbun as obras da
ferro-via de Caruaru.
A morosidade com que vo sendo ellas execu-
ladas nos induzem a crer que, ou ha proposito
em retardar o seguimento dessa estrada, ou os
eacarregados de sua conslrucjaD e responsaveis
perante o governo teem descurado inteirumente
esse servico.
E' doloroso que, estando terminados todos os
trabamos de reiroco de trras e obras d'arte de
atronara at a cidade de Bezorros. nao se possa
estender trilbos al l e estubekeer o trauco se-
no d'aqui a um anno. pelo menos.
A causa desta demora dizem ser o assenia
ment dos viaductos na serra dis Russas, mas,
sendo assim, nao se comprebende como o res-
pectivo engenbeiro em chefe nfio obriga ao con-
tractante d'esse servido a botar maior numero
de operarios e fazer o ussenlamento de dous ou
tres viaductos ao mesmo lempo
Sao pouco pesadas as pecas que bem podem
ser coaduzidas em carros de boi por caminhos
marginaes abertos para esse trajelo.
Passamos constantemente por essa estrada,
observamos as obras e nnnca vimos nem Uve-
Tos noticia de que o engenheiro em chefe as
tivesse visitado.
Quizramos que S. S. l fosse assiduamente e,
de visu proprio, observasse a norosidade com
que vo sendo ejecutados esses servicos, com
manifest prejuizo para o governo e para os ha-
bitantes dos lugares que tem de ser servidos por
essa estrada.
Confiamos que o oosso reclame ser attendido
, por so. chamamos a atter.co de Ss. Excs.
que se convencero do quanto temos dito.
Gravat, 10 de Maio de 1889.
Um prejudkado.
Protesto conveniente
Constando que o Sr. Leocadio Antonio
de Leao procura demarcar os seus enge-
nhos afina do hvpathecal-os ao Banco de
Crdito Real de Pernambuco, faz-ee pu-
blico que elle nao pode realisar essa hy-
potheca, pois que seus bens estilo sujeitos
ao pagamento de urna accao relativa a
responsabilidade que assumio como fiador
judicial, na qual acha se eondemnado por
sentenca do honrado Dr. Mello Barreto,
quando juiz de direito de Palmares e con-
firmada pelo Venerando Tribunal da Re-
lac5o.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
* 1 Ra tarta lo Kooario 9-1
(POB CIMA DO ANIEL DE OCRO)
Onde tem consultorio e resi-
dencia : podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades : partos, febres, moles-
lias de senhoras edos pulmes, syphilis
em eral, cura rpida e completa e ope-
rares di- estreitamentos e mais soffri-
menios da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telephone u. 394
Dr. Firmo Xavic
Medico e operador
O consultas das II as 2 horas em seu con-
sultorio ra da Imper.iiriz n 30 I" andar t
tem sua residencia na cidade do Cabo, onde po-
de ser procurado das 6 da tarde as 9 da manh-
Ao publico e ao commercio
Joo Goncalves de Souza Beiro declara que
durante sua ausencia na viagem Europa deixa
encarregado de seus negocios era primeiro lu-
gar o seu irmao Vctor Goocalves de Souza Bei
rao, em segundo seu sobrinno Antonio Marques
de Almeida, socios da firma Beiro A Almeida.
e dos negocios judiciaes perante os tribunaes o
seu procurador ioaquim Cavalcante de Hollanda
Alnuquerque, que estario nromptos para enten
derem se com qualquer pessoa com quem o
mesmo tem tratos.
Ao mesmo lemoo pede desculpa a seus amigos
e freguezet que pelu pressa aa viagem deixou
de despedir-se pcssoalmente.
Reeife, 13 de Maio de 1889
IV, t
A melhor e mais perfeita de todas as conheci-
das at agora a Einulso de Lanman & Kemp,
por conscguinte a mais segura e rpida nos j je |a
seus effeitos em iodo o caso de affeccSo da gar-
ganta, lisica, e demais incommodos pulmonares
ou peitoraes.
Sabidas e conhecidas sao em todas as partes
as virtudes de urna boa Emulsao de Oleo de Fi-
gado de Bacalho e no presente caso, s temos
a dizer que, tanto a absoluta excellencia dos ele-
mentos empregados, como o esmero e correcto
scientilica de sua preparacao, fazem da Emulso
de Oleo de -igado de Bacalho com os Hypo-
l.hosphitos, de Cal, ^oda e Potassa que leva o
nome e Marca Industrial de Lanman t Kemp, a j
mais perfeita, efficaz e agradavel das que exis
tem no mercado.
EX^OSITION UNIVERSAL DE 1889
Segn nos escriben nuestros correspon-
sales, los Srs Aaade Prince f C
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura de los
principales pridices de las Americas del
' "entro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
deraje las inas lindas.
Ksr situado dicho pabelln a mano
derecha de la Tone de Eiffel, del lado
derecho y en trente de la, parte central
1 Palacio de los Artes liberales. Se en-
caentra a proximidad de todas tas seccio
Dea dr las Bepiibiieas de las Americas y'
del imperio del Brazil, quienes, han cons-
truido palacios que rivalizau de riqueza, y
que sern una de las mayores atracciones
sicion.
Exp
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en el Pa-
belln de Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestros corresponsales, Mrs. Am
dee Prlnce y C gracias a la amabili-
dad del seor comisario general de Gua-
temala.
Exposico 1'niversal de 188
Segundo a carta que nos escievem nos-
sos correspondentes, os Srs. Amdoc
Prince & C, o PavilhSo do Guatemala
onde elles acabara de organisar urna sala
de lcitura de todos os principies jomaos
Infelizmente bem commum urna mo- a8 Americas do Centro, do Sul, das An-
Cuidai avossasaude!
quem mais der e maior lance offerecer na
dia e hora cima indicados.
E para que a noticia chegue a conhe-
eiraento de todos, mando ao porteiro do
juizo affixe o presente no lugar do costu-
me, e que passe a respectiva certidad.
u, Pedro Severo da Costa Leite, es-
crivao, o escrevi..Manoel Caldas Bar-
reto.
E mais se nao continha em dito edital
aqui fielmente copiado, ao que m* re-
porto e dou fe.
Palmares, 11 de Abril de 188'J.
O escrivao,
l'edro Lucio da esta Leite.
da
lestia terrivel, conhecida pelos nomes de
Tisica, Con8umpcao, doenca do peito,
ete.
Nao pretendemos affirmar que o Peito-
ral de Cambar, cure aquella molestia,
porque at hoje tem sido impossivel cu-
ral-a quando chegada ao ultimo periodo ;
porem, podemos assegurar, que todos os
doentos que usarem do Peoral de Cam-
bar, no primeiro e segundo periodos,
logo achanto, com toda a certeza, grande
allivio e depois a sua cura completa, por
meio de um tratamente prolongado e per-
sistente.
O Peoral de Cambar nao limita a sua
aceito benfica s doencas do peito cura
tambera rauitos defluxos, bronchites e toa-
ses que, as mais das vezes, quando des-
presadas, sio a causa das affeccBes pul-
monares.
Este remedio acha-se venda em casa
dos agentes Francisco Manoel da Silva
& C, ra Mrquez de Olinda n. 23,
que o vendem a 20500 o frasco.
\\ Frederieo Chaves Jnior Ij
Homoepatha
ii-
RA BARA6 DA VICTORIA 39
Primeiro andar
tilhas e do Extremo-Oriente urna cons-
tralo de madeira muito bonita.
Este pavilhao acha se situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito e de-
fronte da parte cental do alacio das Ar-
ies Liberaes. Est perto de todas as sec-
j5es das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissiraos palacios
hilo de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attraccSes da ExposicSn.
Aos nossos patricios recommendamos
encarecidamente que visitem no Pavilhao
de Guatemala a installacilo dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince &
C, devida ao obsequio do Ilustre com-
missario geral do Guatemala.
ED1TAES
Familia de mandioca 1053 voTomes. Vcndeu-
se na razio de 3W0 a 7 5000 por anea.
Familia de trigo 27 08ti barrica*. Vcudcu-
se por barrica : da americana, n 8 i: e da de
Trieste e Hungra de !74jOO :i l!)J(KKI.
Feijo 379 saceos. V"inl.u-se casa um de
114500 a i 14(100.
Folhas de louro -21 saceos.
GeBebra 5o caixas. Veudeu se per duzia
de irascos de i4 a 11*300.
Gouima de mandioca35 votamos. Vendeu
se de i/oiHla .",i os IS kilos.
Gerims100.
Le^uiiH's 30 volumes
Lieom-H caixas.
Linguas22 volumes.
Maizeua 2.S5 caixas.
Mauteiga970 barris. 884 meios e 9 caixas.
Vendeu-se por kilo : da franceta em barril, de
I#30^ a 14329 : de diversas em lulas, de 24015
a 24 Massas alimentares -4S3 caixas. Vendeu-se
de 74 a 84500 a caixa.
Massa de tomate 40 caixas
Milho460 saceos. Vendeu-se o kilo a 75 ris.
Mosiai'da 2 caixas.
Passas26 volumes. Vendeu-se a caixa de
54 a 840UO.
Peixe de conserva -170 volumes.
Pimenta da India23 saceos. Vendeu-se de
14000 a 14050 o kilo.
Presuntos10 caixas.
Provisoes 19 caixas
jueijos 651 caixas e 7 tinas. Vendeu se
dos flamencos de 34000 a 3 200 cada um.
ai -288.200 litros. Vendeu-se de 500 a 630
ris aa 100 li'ros.
Salpicos12 volumes.
Sardinhas 415 barris.Vendeu-se a lata de 1/4
de 240 a 230 ris.
Tapiuca -10 volumes. Vendeu-se de 34000 a
34200 os 15 kilos.
Toucinho 175 barris. Ven leu-se por 15 kilos
<|e lOSOOOa 1043011.
Vinagre 2 pipas e 189 barris. Veudeu-se por
pipa : do de Lisboa de 1204 a 1304 e domi-
onal de 50 i a 704-
Vkiho 161 pipas. 1,412barris el 7.'i6 caixas.
Vendeo-sc por pipa : iki de Lisboa e 170 a
I80i; do da Ki^iieiia de 180 a 1954 ; e do na-
ionalde 100 > i 1204000.
Xarquc638 7:o kilo, u 20.526 fardo*. Ven
leu-se por 15 kilos : do do Rio da l'r.ila, de
11500 a 44400: e do nacional de 34109a 4i0)
Wermoulli -43 caixas.
w batey08 caixas.
Entraram mais os segrales artigo*:
alfafa175 lardos.
Alfazeraa 4 saceos.
Alpiste 240 volumes Veudeu-*e por 15 kilos,
le 34000 a 34900.
Azeite de palma 25 voluntes.
Barricas e barris \asios 2.353 e 70 vi-lumes.
Barrilha171 tambores.
Borracha 7 volumes. Vendeu-se os 15
kilos de 134 a 14*000.
Breu 350 barricas.
Cabos-I volme.
Calcado 28 volumes.
Carocos ile algodo-428 volumes.
Garrapato60 suecos.
Carvao de pedia 7 778 mudadas. Vimdeo-
sea tonelada de li y l^JOO.
Cavallos 3.
Ceras 65 volumes. Vendtu-se a de carnau-
ba de 24600 a 4*30J os 13 kilos.
Chapeos -32 volumes.
Charutos3 volumes.
Chumbode munigao 6i barricas.
Cobre6 volumes.
Colla10 volumes.
Couriuhos e pelles 786 voluntes. Vendcuse
o cento, de *04 a 974000 conforme a qauli lade.
Couros-2.008.
Drogas -270 volumes.
Enxofre70 volumes.
Estanbo -18 volumes
Estciras16 volumes.
Katopa60 volumes.
Felino280 fardos.
Ferro Km ajo : 17 cunh-.
u arcos : 20' feixes. \
Km barras : 1 905 e 769 faijet
Em canos: 99 e 10 feix
enxadus 16 barr
Remedio soberano
O Peitoral de Cambar, de S. Soares,
cura de urna forma admiravcl qualquer
rouquido e perda de voz.
Os agentes
Francisco Manoelda Silva Se P.
Ra de Mrquez de Olinda n 23.
Em ferragens diversas : 389 volumes.
Eui foges, fogareiros e chapas para elles
4!'7 volumes a pecas.
Em folhas : 55.
Em folhas de Flandres: 320 cuubetes.
Km ps : 45 feixes.
Em pregos : 369 volumes.
Em taxas: 111.
Em trilhos, 7.692.
Em machinas e apparelbo* diversos : 3 238
volumes e pecas.
Fio112 volumes.
Fumo- 383 volumes. Vendeu-se de 124 a
234 os 15 kilos.
Carrafas, frascos, botijas e garrafes 30
volumes.
Graixa100 pipas, 1 barril e 10 573 kilos
Vendeu-se por 13 kilos a 44"00.
Kerosene 814 caixas. Tendea-so a lata !
3 4350 34450.
Linhas 87 caixOes.
Linhac10 barris.
Lona 5 fardos.
Loura691 volumes.
Madeiras76 praoches. 32 travs. 11 i*H)
loros de mangue e 7 volumes de diversas.
Marmores e pedras 87 volume*, e 7o0 pedra-
de amollar.
Mer.-adorias diversos -2 245 volumes.
Movis 23 volume*.
leos diversos-115 volumes.
Ossos780 kilos.
Panno de algodao-832 fardos.
Papel -87 caixas e 305 fardos ou neceta*.
Vendeu-se a resma do de embrulho de 670 a
1*200.
Perfumaras7 volumes
Phospboros55 caixOes. Veuuea-se a UOOi
cada groza de caixichas.
Pianos 4 volumes.
Pipas vasias1-491.
Pontas-2 000.
Saceos vasios49 fardos-
Salitre 100 barricas.
Sement*1 volume.
Sabo -10 caixas.
Sebo-600 barris e 47.739 kilos.
Sola- 2 357 meios e 5 volumes. Vendeu-se
cada meio da nacional de 24300 a 35SO'.
Tamancos 35 volumes.
Tenidos diversos849 volumes.
Tintas25 volumes.
Typos17 volumei.
Trapos43 fardos.
Velias 35 volumes.
Vidros83 volumes.
VimesEm liaca, 1000.
Zinco-2 volumes.
Revista do Mercado
Kkcike, 17 H maio de 1889.
n iiiovimeiitofoi ainda pequeo.
Su atareada de cambios forain Gotas algumas
iraesa^soM.
il ,i\e algons negocios de ajgodao.
0 Dr. Manoel Caldas Barreto, juiz de di
rcito da comarca especial de Palmares,
por Sua Magestade o Imperador, a
quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital
de 20 das de pregSo e tres pragas vi-
rem, que por este juizo, fiados que se-
jam os ditos pregoes e praeas. tem de ser
arrematado a quem mais der e maior lan-
ce offerecer, no dia 23 de Maio prximo a
1 hora da tarde, na casa da Cmara Mu-
nicipal da cidade de Palmares, em audien-
cia especial do juiz de orphaos, o arren-
damiento, por uin triennio do engenho C-
morisinho, sito no termo de Agua Preta,
moente e corrente, motor a vapor; a re-
querimento do Dr. curador geral de or-
phos, tende por base a avaliacao annual
de 1:6005000.
NSo se admitte licitante que nao esteja
legalmente habilitado com tianea idnea.
E assim ser o *lit- engenho .rrendado o
TABLLLAS AFFIXADAS
y < > c ? g 5 b
o 1 o a n G9
1 ~ s 3 3 s p B 3 *6 r~
" (l T
P (5 o
' ^ -1 ' " " 1 7
>
X 1
-t a
5.* seccSo.Secretaria da Presideocia
de Pernambuco, cni 29 do Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vicepresidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Io da le n. 1,1)01 de 4 de Junho de 1887,
ue, tendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, a questao de ava-
liago do material da empreza de illumi-
naca> gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zes, contados da data do pr esente editil,
para contracto da dita illtimin.ieilo, me-
iiaate as seguintes clausulas da citada le:
5 3. Nenhuina proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de ha ver feito no Thesouro
i'rovincial deposito da quantia de 25:0005
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
| 4." O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contnietante seno lindo o contracto e
servir de canelo para os pagamentos de
mulia e fiel comprimento das clausulas,
que furem estipuladas no mesmo.
5. O contracto s poder ser eito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
| 6." A nilo ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa nilo ter
preferencia a qualquer outro proponente.
| ".*> O novo contractaute sera obliga-
do iniemnisagao, a que a provincia
sujeita por forga da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisagilo ter lugar dj aecordo com
essa mesma clausula, e licando o material
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sagSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8." O prazo do con'racto nilo poder
cxcedeT a 90 annos.
9. Oprego da illuininagao, quer'publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
2G0 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
re urna reducgSo de mais de 30 |0, para
os estabelecimentos de uiridude e benefi-
cencia, e repartigSes publicas.
10." O systeina mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
gao do gaz.
| 11." A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranbas, que possam pre-
judicar a illuminagSo e a hygicne publica.
| 12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacetc'
das que queimam setc grammas por hora,
corrc?p'ind'intc8 a 120 graos Higienes.
13. As horas de illiitmnagao publica
serlo fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nem maior
de dez, devendo neste caso baver urna
redcelo no prego do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
| 14." O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e illimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questScs que
se suscitareni, quer com o governo,
quer com os partie.-.lares, fica .ido sujeitos
todos os seus netos s leis e regulamen-
tos e jurisdiegao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos dopaiz.
| 15." O contractante ser obrigado a
collocar e construir ana eusta um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
| 16." O pagamento da illuminagao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attengo oscillacao do cambio.
17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em
todos os direitos e obrigac&* d con-
tracto.
18." Para as despezas com a liscali-
sagao do servigo de illuminagao o contrac-
tante concorrer annuaimente com a quan-
tia de 3:000^000, que serao recolhidos ao
Thenouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais eoudigoes, no
intuito de garantir a boa execuyao do con-
tracto, quer coin relagao a illumingSo pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, linalmeiite, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, -
quantia de 994:9175528, de aecordo com
a avaliagao feita pelo arbitro desempata
dor era 18 de Margo ultimo, visto deduzir-
se da de 998:7775528, total da avaliacao,
a importancia de 3:8(i05OO paga em
presa em 18G0, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
pe5es, collocados fo:a do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manod Joaqun Silxeira.
DECLRALES
S. R. J.
I5ols;i
DOS COK
UTAi.oKS OrfltAM A .ILN'TA
KETOKES
(keife, 17 neMaio de 18*9
Jto luHive olac3o-
O presidente,
('andido '".. G. Slcoforado.
O secretario,
tdnardo Dubcux
Caaabio
Os bancos abriram hoje com u laxa ue 2ti 5 h.
dando, porm, o London e o Inlernacioail i 11
3 4, reservadamente.
Houve falta de papel particular, sendo a
exigida pelos bancos a 26 7.8.
\'o Rio cotaram todos os bancos -'<'' 7 I'iirticuiar escasso a 27.

O i
O _
r- g >
os x i
M>
u- S
\ i i* i.
- 03 < I
y Si . . : -8 S 8 1 'x B
!* fi
H
55

, M M m
_? O -J ES
\ 35

5?
ir
E
1 ; :' $$-*
- > *- ; j
=
.algodo
Cota-se o Oe I* sort-; do serlo a 6*700 pol-
lo kilos,
A exportagflo tota pela airandega ueste miz
jt o dia 15, attiiiHio a 751.705 kilos, sendo..
597.310 para o exterior c 154.377 para o me-
nor.
As entradas verificadas at a data ile hoje, so-
oem a 7 051 saccas, sendo por:
Barcaria..... i 7tt." Sacoaa
Vapores ... I.'o
Miimaes.... 1.391
Via-ferrea de Caruar. 60i
v"ia-ferrea de S. Francisco. 330
Via-fen-ea de Limoeiro I 320
Somma.
7.051 Suecas
sanear
Os precos pa^os ao agricultor, por 13 kilos, s.--
undo-i Associai,ao Commercial Agrcola, forain
is seguintes:
Branco?..... W:8 a U
Someno..... is-iH ., jsoO
Muscavado purgado l*80ti a 4000
bruto. 1*700 a 14800
letame..... | 500 ;, ij600
X i'\porlu(2i', Vitapela allaiidega ueste inca
at u dia 15, subi a I .79.68&5 kilos, sendo.....
9l'.'..'.:;2 para u uxtvriorc i.'i;M).3l.S para o Inte-
rior.
Ar wadas vericadas al a data de lioje, so-
bem d S3 i) saceos, sendo por:
Barcagas
Vaporea.....
Ammaes....
V'ii-ferrea de Caruaru.
, Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
Somma.
10.429 Saceos
384
1766
817
96
23.291 Saceos
Agurdente
Cola-se a 800CO, por pipa de 480 litros.
.aJeool
ntlmas vendas, 16S00O por pipa de *80 li-
tros.
el
tMa-ec a 30000 por pipa de 480 litros.
Conroa
A colaco dos salgados regula 3tH) ris e dos
verdes 205 ris.
Pauta da alfandega
-kmVi h 13 i 18 DB MAIO OK 18
Vide o Diario de [i de Maio
.\arIoa a carga
Lunar portuguez Temerario, para o Porte.
Vavios a descarga
Barca nacional Mu a Aikj'Uim, xarque.
Barca norueuuense Dntjmur, carrao.
Burea nacional Marimmka, xarque.
Barca iugleza Rose oflh'vnn. larMO.
Bureanoruegueiise Filmad, carvao.
Burea iioruegense EMctra, arvio.
Bur:a uoruegueuse Foilumi, carvao.
Lugar ingle/. Ater, varios eneros.
Patacho iiespibol oceu Pura, xarque.
Pulai'ho bollandez Eugetta. xurque.
P.itu> lio il%ruegucuse Amuianlh, carvo.
Patucho ullcmo a'dan. xurque.
I ni por: ac o
Va|>or americano Advwce, entrado de Xew-
York e escala, em 17 do corrente ecoosignado a
Henry Forsler le C, manifestou :
Amostras 2 volumes a ordem..
Agua Florida 24 volumes aos con-irnaturios.
It.nilia 23 barris i ordem, 23 a Paita Vajele
*C .$> a Domingos Cruz 4 C, 90a Araujo
Catiru ,V C., 20 a Lopes Albeiro 6t C, 30 a Soa-
ri-s P rnaudes, 23 a Silva Marques C, 50 a
flor.jTtlves llosa & Fernandes.
Bren (>t barricas aSeixas C.
Caneiro.-. e pertenct'S 3 volumes a Deodato
Torres A ('.. a Beinardino Duartc &' ., 10 a
Viaima Castro \ >'.
Cliaimn- 30 caisaa 1 VV. Halliduy 4C.
Parnha de irigo 730 barricas a Pereira Car-
Ht'iro V l... 100 a Gomes de Mullos IrmSos, 20 a
Aiaorim Inoaos & C
Fti iiu ebina *i alados o Lopes Albeiro a
C 20 u Cosa Lima Se C.
i.ia\a 1 barrica aos mesraos, 2 a G-on^lves
lt"sa > Fernandes. 2 a Nones Fonseca 4 C, 1
a Penara de l-uria 4'C.
Aereadorius diversas 2 volumi's ios .consigna-
tarios. u Vianna Castro 4 C.. 1 a Julio Fuers-
leinberg, 2 a Nunes Fon seca 4 C.
Muizenu 33 caixus a Esnaty |t 50 u Pereira de Furia 4 C, "30 a Araujo i^islro
a C, 40 a Curios Alves Barbosa. 50 a Gont^ilves
Rosa 4 Ferniudes.
Movis 1 caixito a Joan Muios.
Ps de ferro 50 amarrados u A. 1 Carueiro
Vianna.
Teciilos de ulgotlo i eaixas a liunculves Cu
liba C
Touciuho 12 barris a JovJoaqoiui Alves 4 C,
5 a Araujo Castro 4 C, 13 n Soares 4 Fernn
des 3 a Lopes de Magalhes A C.
Sarga do ItaraoBao
\iiilio 200 saceos u Coshi Lima 6 C, 200
ordem.
Tapioca 10 panclros a Moma Bsrges 4 C
Sola 10 rolos aos niesnijs.
uxporlaeio
BBCiVK, 16 DB MAIO DE 1889
Para o exterior
No vapor americano AUitmca, curregou :
Para Ncv-York, Rossbach Brothers 48 fardos
com 11,713 pelles de abra.
No vapor agle Sculptor, carregaram:
Para Live pool, (i. de Mallos Irmaos & C. 143
couros seceos salgados com 1,700 kilos, 9 barri-
cas com 387 ditos de borracha de maugaba e
324 saccas com 11,741 kilos dcalgodao.
No lugar ponuguez Tenerano, carregou :
Para o Porto, J. H. Boxwell 200 fardos com
35,145 kilos de algodao.
Para Ufinleitor
Xo \apor ioglez aareim, carregarau) :
Pan Para F. i asco & Filbo 260 barris com
19,200 litros do agurdente ; Francisco S. F. da
Costa 16 pipas com 7,680 litros de agurdente.

Sociednde Rccrcatia Juvrnlude
A presidencia desta sociedade ne, subendo a
morada di-alguns socios honorarios para n-met-
l'r-Ihed os seus ingressos, pede o Obsequio de
virem procurar os meamos mata secretaria.
Secretaria da Sociedade Recreativa Jnventude,
17 de Maio de 1889.-0 2- secretario
Autonio P. Lopes.
S. R. J.
<> < l;il BccrcMtiv lutvuludr
Sario bimslral em 16 de Junho
Convites na secretaria desta sociedade. ingres-
SOS em mo dothesoureiro. No se admiti ag-
gh'gados. a.-,.
Secretaria da Sociedade Recrcalivu Juveutude,
17 de Maio de 1889.O 2- secretario.
A. F. Lopes.
No vapor amei icano Adcaitre, 'arregarain :
'ara Rio de Janeiro, A. C. M. Das 25 pipas
com 12,000 litros de agurdenle : P. Vianna &
C. 1 fardo com 180 kilos de jalwrandiin.
No vapor nacional Maranhw, carregaram :
Para Manos, P. Piulo 4 C. 71 barris com 6,816
litros de agurdenle e 2 caixas com 80 kilos de
doce ; J. Borges V" saceos com 3,000 kilos de
assuear bruen ; A. da Fonseca 30 barricas com
2.791 kilos de assuear branco ; F. M. de Moura
10 barris com 960 litros de agurdenle ; M. F.
Hartias 70 barricas com 1,713 kilos .le assuear
branco ; Pinto Alves 4 ('.. 40 bun-i.-a- cora l,*99
kilos de assuear reflhado.
Para Para, A. emuirSes 200 iKirrioc ecm
12,300 kilos de assuear .raneo : M. 1 Alves 80
barricas com G.353 Kilos ileussucar inascavade;
J. A. de S 136 barritas com 13 -'i-" Kilos de as-
suear branco : Asorm Irmaos 4C. HW barricas
com 8,950 kilos dr assuear braaco c 15 ditas
com 7,575 ditos de iiio rauscavado ; E. C. Bel-
tr5o 4 Irmo 100 barricas com 3,312 kilos de
assucur retinado e loo ditas com 4 300 ditos de
dito branco.
Pura Mano--, Amorim limaos 4 C. 75 barris
coro 7,200 litros de agurdente e 59 barricas com
43,165kilos de assuear !n..iico ; J. A. de S 10
ba. ricas com 080 kilos de assuear retinado.
Para Maraabao, J. M. Das 1 cai\a com 30 12
kilos de rap.
No vapor nacional Van, carreg-m :
Par-i Rio de Janeiro, M. Meiie/.s 300 saceos
com 0,000 kilos de asneur mn"i\ado.
No vapor fraucez IVIteJb lemambuco, car-
regaram :
Para Santos, K. C. Bel;rao 4 Iruio 100 saceos
com 6.000 kilos de assucur branco e 100 ditos
com 6,000 dilos de dito niaicavado ; II. Burle 4
C. 340 saceos com 20,400 kilos de asnca-- mus-
cavado.
o vapor americano Alltanra earregaramf:
Para Pur, B. diveira 4 C. 2o. volumes com
12,110 kilos de assuear branco.
Na barcaca Aurora de Maco, carregaram :
Para Camossim, E. C. Beltrao a Irmo 30 bar
ricas cora 2,725 kilos de assuear branco e 10
ditas cora 1,012 ditos de dito mascavado.
Para Ceara, B. Oliveira 4 C. 90 saceos com
6,750 kilos de assuear mascavado.
Na barcuija/. Palmeira, carregaram :
Para Mossoro, P. Alves 4 C. 20 barricas com
815 kilos de assuear branco.
Para Aracaty, P. Alves C. 60 barricas com
3.660 kilos de assuear branco.
Na barraca Dylu, UTegOU :
Para Macei, J. Cordeiro 25 caixas com 370
litros de genebra.
Readlmentos publico
Si El DE MAIO
Alfandega
Renda eral:
Do dia la 16 120331 818
dem de 17 21:3954959
Empreza do Gaz
Aviso
A empreza de Iluminado a gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
$5o do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminaco mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a ndemnisayito da empreza
actual a quantia de 998:7*70528, por
quanto forara avalladas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vera pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacao nSo pode servir
de base para tal indemnisayad, por ter
sido illegal e irregularm-rnte feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo 1 teyt intimado do mesmo
protesto o Dr \- .curador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da provincia.
E como quer que deva em teinpo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicacao para scieneia dos ;n-
teressados.
Reeife, 1 de Maio de 1889.
George Windsor,
___________________Gerente.
Secretaria da InNtrucco Publica.
1S de Maio de "i 989
Justificac&o de ausencia
N. 79. Ao professor contructado da cadeira
publicu de instruccao primaria do sexo mascu-
lino do Cheos, Andr de Albuquerque Mello, faz-
se saber pido presente editul e de ordem do Sr.
Dr. inspector gerul, que era sua peli^ao em que
procura justilicarse das ausencias de sua dita
cadena, Ibi proferido oseguinte despacho :
Venha por intermedio do delegado lutera-
no. Inspectora gerul da instruccao publica, 25
tle Abril de ! E como al boje nao toaba cumplido o mesmo
descacho, lira llie de novo marcado o nruM de
15 dias para fazel-o, mandando procurar a peti-
yio mencionada a esta repartico para encumi-
nlial-a na forma proscripta, sob as penas daiei.
O secretario.
Pergentino S'iraicu de Araujo Gatean.
1." eceo. Secretaria da presiden-
cia de Pernambuco, 16 de Maio
de 1SSO
Por esta secretaria se communicu a quem in-
leressar possa, que por portara do Ministerio
da Justiga, de 8 do corrente, ftii prologado por
mais tres metes 0 pruzo legal, utim de que o ci-
iladio Joo Baptista Castunliu, nomcudo para o
posto de tenente-coronel enmmandunte do 43 ba-
lalhao de infuntaria da guarda nacionul da co-
marca do Rio Formoso, nesta povinci, para
solicitar a respectiva patente, prestar juramento
e se apresentar fardado e prorapto pura o ser-
vico.
Manoel Jouquim Silveira
Secreta rio iuleriuo.
Irmandade do Divino Espi-
rito Santo do Reeife
Conwelho nuca!
> onsulla
De conformidude com o urt. 68 do nosso :jm-
promisso, convido aos nossos canssimos irmaos
cx-juizes e bemfeitores. comparecerem ;m
nosso consistorio domingo 19 do corrente, pelas
11 horas da iiianh, am de darmos cumprimen-
to ao disposlo na segunda purte do art. 8J Jo
mesmo comproiuisso
Consistorio, 16 de Maio de 1889.
O procurador geral
Jos Ignacio A filia.
Reeife D ral na ge
Do dia la 16 ::469i751
dem de 17 104*419
3:571*170
Mercado Municipal de t. Jo
O moviraeulo desle mercado uo dia 13 de
Maio foi o seguinte :
Entraram :
34 bois pesando 5,273 kilos.
407 kilos de peixe a 20 ris 8140
48 cargas com Turraba a 200
ris 9j600
1 ditas com railbo a 200 res 200
II ditas de Iradas diversas* 300
ris 35300
21 laboleiros a 200 ris y 200
13 suinos a 200 ris 2600
20 matulos com legumes a 200 ris 4000
Poram oceupados:
281.2 columnas a 600 ris 17100
1 escriptorio a 300 ris 300
25 compartimentos de farinhu a 5u
ris 12*500
26 ditos de comidas a 500 ris 13;000
88 ditos de legumes e fazendasa400
ris 35*200
16 ditos de suinos a 700 ris 114200
10 ditos de fressuras a 600 ris 61000
37 talhos a i i 746000
Renda provincial *
Do dia 1 a 16 41 39^*954
dem de 17 3:450*093
442:127*777
44:843*047
Somma lolai 486:970*824
Segunda se'.vo da Alfandega, 17 de Maio de
1889.
y He. soureiro -i-lerendo Doungues.
JS 0 chefe da spccSo Cicero B. de Mello.
II<( loria Geral
Do da 1 a 16 25.487*228
dem de 17 339*503
25:820*731
Reeebedoria provincial
Do lia 1 a 16 13:083*825
dem de 17 154*019
201 340
Reudimento dos das 1 15 do cor-
rente 2:893*JH0
P01 arrecadado liquido at boje 3:094i'J4O
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 480 reis o kilo
Carueiro de 720 a 800 reis idera.
Suinos de 560 a 640 reis dem.
Parinha de 560 a 720 reis a cuia.
Milho de 800 a 900 reis idem.
>->:;iode800a i*20Jidem. I
VI a lado uro publico
Neste estabelecimento for am abatidas para o
consumo de boje 101 naes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
m DE MAIO
Sul... ...... Alliama.......... lis
8ul.... ...... Hamliurg.......... 23
Norte.. ...... Par............. 23
Europa ...... m Plata.......... 25
Sul.... ......mXeva............. 26
8Ul ...... ilagoas ........... 27
Norte.. ...... Fin nce........... 30
Sul ... ...... Adcance......... 30
Vapores a sabir
MEZ DE MAIO
Santos c esc. Yille de Pernambuco 19 as 4 h.
dantos e esc. Adcance.......... 19 as 4 h.
New-York .U/oit^a.......... 19 as i h.
Rio eesc .... Para............. 23 as 5 h.
Montevideo La Plata.........25 as 4 h.
Antuerpia .Yira............. 26 as ib'.
Manos o ese. Alagos........... 27 as i h.
Jfovlmeato do porto
Navios entrados no da 17
RioFoimoso e Tainandar7 horas, vapor bra-
sileo Mandahu de 222 toneladas, counnan-
dante Alcides Moraes de Albuquerque, <:qui-
pagem 18,em lastro; Companhia I'emuni-
bucana.
New-York e escala21 dias, vapor americano
Adcance, de 1,902 toneladas, commaudante
I). E. Grifflihs, equipagem 63, carga varios g-
neros ; a Henry Forsler 4 C.
Ca.diff41 dias," barca norueguensefi7t'i de 437 toneladas, capitSo P. J. Bowilz, equi-
pagem 11, carga carvao; ordem.
Havre e escala19 dias, vapor francez Vk de
Pernambuco, de i 735 toneladas, commaudan-
te Leou Sebere, equipagem (38, carga varios
gneros; a Augusto Labille.
Navio^sahido^w mesmo dia
Manos e escalaVapor nacional .Varaiihao,
coumandante Pedro |Hypolito Duurte. carga
13:237*841' var08 eneros.
I
I
\
*


Diario de PernambucoSabbado 18 de Maio de 1889
LARGO DO ARSENAL DE GUERRA
Sabbado! 18 de MaioSabbado!
'GRANDIOSA E DESLUMBRANTE FESTA
Dedicada classe
!
e aos seus admiradores
KM JKXEFICIO DA SYMPTICA
bstrbua oo nn
A BENEFICIADA desde j agradece aos seus partidanos e a todos aquclles
que com as suas prcsenyas, honrarem a sua festa.
Bilhetes desde j ra do Imperador n. 27.
DOMINGO
e s 8 e 1{2
Duas ultimas funches s 4 e
PRECOS DO C0STCM1
O secretario,
D. de Siqueira.
HIPPODROMO
DOO
HPOBRiNDE

S^S
)


Para o dia 26 de Maio de 1889
17: CORRIDA
. PAREO EXSAIO800 metros. Animaes da provincia que anda nao te-
nham ganho premios nos prados do Recife. PREMIOS: 200^000 ao
primeiro, OjSOOO ajo segundo e 20(5000 ao terceiro.
." PAREO IMPRENSA PERNAMBCANA 1.000 metros. Animaes de
menos de meio sangue, que nao sejam da provincia, premios :
300(5000 ao primeiro, 705000 ao segundo e 30(5000 ao terceiro.
8. PAREO VELOCIDADE 1.000 metros. Animaes da provincia que anda
nao teaham ganho era maior distancia nos prados do Recife. PREMIOS :
250(5000 ao primeiro, 000000 ao segundo e 25(5000 ao terceiro.
4. PARE HIPPODROMO DO CAMPO GRANDE1.609 metros. Animaes
de qualquer paiz. premios: 600)5000 ao primeiro, 120)5000 ao se-
gundo c 60000 ao terceiro.
*. PAREO DESTREZA1.300 metros. Animaes da provincia que nSo tc-
nhain ganho n'esta distancia no Hippodromo. premios : 300)5000 ao
primeiro, 70i5000 ao segundo e 30^000 ao terceiro.
O.0 PAREO TRILHOS BRANOS 1.600 metros. Animaes nacionaes at
meio sangue. premios : 300000 ao primeiro, 80(5000 ao segundo e
354000 ao terceiro.
. PAREO PROGRESSO900 metros. Animaes da provincia, que nao
tenhaiu ganho nesta ou maior distancia em 1880 neste prado, pre-
mios: 25Oi5O00 ao primeiro, 60(5000 ao segundo e 25(5000 ao
terceiro.
Observares
Nenhunt parco se realisar sem que se inscrevam cinco animaes de proprie-
tarios differentcs. i
A inscripcao encerrar-se-ha na segunda-feira, 20 do corrente s 6 horas da
tarde na secretaria do Hippodromo na ra do Imperador n. 55.
O cdigo de corridas prescreve modo da inscripcao.
O secretarlo.
Ferrara Jacobina.
OBRBY CLUB
&>
PERNAMBUCO
A
Tendo a directora instituido um premio annual para auiuacs de meio sangue
procreados e nascidos. na provincia, c determinado que a corrida para este premio
seja a primeira do mes de Maio de cada anno : fica desde j constituido o projecto,
de inscripcao para a primeira corrida, que de ver ter lugar em Maio de 1893.
l"
MMM
m
:
PARA O
PREMIO DA ESTANCIA
EM MAIO DE 1893
Animaes de meio sangue procreados na provincia e nas-
cidos 110 auno de 1890
Distancia2.000 metros. Premios: .OOO^OO ao primeiro, iJOUdOO ao se-
gundo e 300^000 a j terceiro.
Entrada lOOOO tu duas prestares, a 1.a de 60f>000 110 acto da inscripcao
at 30 de Dezembro de 1890, a 2.a de lOOOOO at 15 de Abril de 1893..
Observares
Na oceasio da. inscripcao devora o proprietario aproaentar certidao de haver
o animal sido inscripto no Stood Book Pernambucano, dentro do mea seguintc ao do
nascimento.
O proprietario que nao pagar a 2.* prestacSo perde o direito a 1.a
A declaraclo de fbrt-fait, que ter lugar 3 dia antes da corrida, d ao pro-
prietario o direito de rehaver metade da 2.a prestacSo.
Para que se realise o pareo preciso que inscrevam-se c corram pelo menos
quatro animaes.
Secretaria do Derby Club de Pernambuco, 16 de Maio de 1889.
O GERENTE,
Henrique SchuteL
QUE SE REALISAR NO
Dia 19 de Maio de 1889
\ome
rolln
lid.
' Cor da vett-
mi-nlu
ProprletarioN
Io I arco CuiiKoiaro 800 metrosAnimaes da provincia que ainda nao tenliam
no Derby tiesta ou maior distancia e nos outros prados do Recife, em distancia
de 830 metros. Premios: 230* ao l; 50* ao v e 23* ao3.
ganho
maior
liPitt.......
2|Desprezo.
3 Novidade
4 Lucifer ...
51 Rosa deOuro
6Pombo Preto
7 Petit-maitre.
8 Cerbero
9
10
Bostock.....
Vercing e t o-
rix......
11 Tupan......
Aracahy.....
Jasmin......
Rei de ouro.
Guerreiro...
5 Zaino.....
3 GastanIki-----
4
5 Rodado.....
3 Alazo.....
5 Cavilo.......
6 Rodado
S
i
Pera..
Alazn
Castanho.. ..
CardSo...
Russo.. .
Rodado..
Castanho.
Alazao...
35
30
53
33
30
35
33
55
33
53
53
55
53
55
55
Ene. ebrancolistrado.
Encarnado e branco.
Azul e branco......
Branco..........
Branco ene. e azul
Preto e branco.. ..
Violeta e ouro
Encarnado e amarello
Preto e branco
Azul e branco......
Encarnado e ouro.
Azul............
Azul e branco.....
Greaat e ouro.....
A. A. B.
S. V.
Coudelaria Leal
A.U.
R. A.
Coudelaria Victo.ia.
J.D.
A X. F.
D.P.
R.
Coudelaria
i. F.
L. A.
F.G.
A.M.
Mondego.
2* PareoOmnium -1000 metros Animaes de menos de meio sangue. Premios ; 300
ao Ia, 60* ao 2-, e 30* ao 3*.
l,Ophir...
2 Aymor..
3 Favorita..
4 Cometa.
Turd. negro.
Castanho ..
Zaina
(
B
6
5 Alazao......
S. Paulo..
50
35
56
35
Branco e bonet verde.
C. Ventura.
A. M.
Maia 4 Chrysostomo
Coud. Luso Brasileira
3" PareoPrperldde850 metrosAnimaes da provincia que ainda nao tenham ga-
nho em nenhuui dos prados do Recife era maior distancia. Premios: 250* ao 1- 30
ao r e 25* ao 3 '
11Pao Brasil. .
2 J-parte___
3 Vilhge.....
i PomboPreto.
Sneca....
Potos......
Petit-maitre.
_ Orange ___
9 Bonapartc.
Rosilho..... Pern.
Alazae___
Mellado...
Caxito ..
Russo pedrez
Castanho I
Rodado.....
Castanho___
Rodado ...
33 Grenat.............
55 Grenat e branco...
55 Encarnado..........
55 Branco ene. e azul..
33 Azul e amarello.....
53 Encarnado e ouro....
33 ^Pretoe branco.....,
33 Preto ene. e ouro.....
55 ;....... ............
H.R.
Jos Luiz de S. Filho
H. .
Coudelaria Victoria.
U. P
Bostock.
J.D.
A. J. e G. A.
R. G. S.
i." Parco -IX-rfcy club de Pt-rnamfauco- 1-200 metros- Animaes at puro sangue
Premios: 500* ao 150* ao 2- 8
Diana.
Ves per.
Brasil
3 lAlaza.......
4
3 JAlazao.....
iFranca. .
Inglaterra.
[Franca ...
49 jAzul e ouro ...
52 [Ouro e branco
31 I--............
*." ParcoEmular* -850 metros.Eguas da provincia.
e 20*000 i 3\.
Coud. Internacional.
Coudelaria Emulaco
Coud. Independencia.
Premios : 200* i: WjS 2*
IjFantiua.....
**Slolla......
Simirarais.
Primavera. .
Priiuazia.. -.
Castanha
Zaina-----
Castanha.
Pedrs...
Foveira..
Pernamb
53
53
50
53
55
Encarnado e rosa ...
Encarnado e branco.
Branro e encarnado..
Azul e branco.
M. P. A.
R. C.
J. C.
L-P.
J. A.
6." PareoConcordia 1.200 metros Animaes nacionaes ate meio -anime.
300* ao 1, 60* o 2* e 30* ao 3".
Premios
Riselte..... 3 Zaina....... Rio de Jan 52
Saturno---- 3 Castanho .. S. Paulo... 34
Douro...... ti Alazao ..... Rio de Jan. 34
Corcovado... 4 Castanho. a
Coud. Brazileira.
Internacional.
F. P.
Coudelaria Paysaud.
7. Pareolaaarrasa Prrni........Mi 830 metros Animaes da provincia que nao
(eunarn ganho no Derby. nesta ou maior distancia. Premios : 250* as I" 30* ao
Azule ouro......

Verde e amarello..
Encarnadoe ouro.
2* e 25*000 ao 3".
Orauge....
Corsario. .
Potos. ...
Piraroc.
Bonaparte
Bismarck.
8." Pareo-
Cas tanho.
Rodado..
Castanho
Rodado .
Pernamb.
35,1'reto ene. e ouro___
91
M
n
53
Encamado e ouro ...
Grenat e branco.....
Asul e ouro.........
Branco e azul marinbo F
A. J. G. A.
J. F. S.
Bostock.
J. L. de S. Filho-
R G. L.
G.
miarla d Prrnambaco 1.000 metros Animaes
Premios : 350* ao Io e 23* ao 2*.
da provincia
Roldo. -
Templar.
Arnmary.
Baio....
Redado......|
Ala/So..
IPeruamb .; ."i."
33
.'i">
Preto e ouro........jD. F.
Encarnado e ouro .. Ij. F. F.
Violeta.'e ouro.......If. Siquera & Bastos
Os animaes inscriptos para o Io pareo devem achar-se no ensilhamento s
9 horas da manhS.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, deverao estar no ensilhamento
urna hora antes da determinada para o pareo em que tiver de correr.
O expediente desta corrida enerrar-sc-ha sabbado, 18 do corrente s 3
horas da tarde.
A venda de poules encerrar-se-ha 20 minutos antes de cada corrida.
HORARIO
l.o pareo.....
2." pareo .
3. pareo.....
4. pareo.....
5.* pareo.....
6. pareo.....
7." pareo.....
8. pareo. .
iiecife, 16 de Maio de 1889.
11
11
12
1
2
3
4
4
Horas
i
*

*
>

e
o
c
e
e
e
e
e
m.
50
40
30
20
10
50
O Gerente,
Henrifjiw SchuteL
Gabinete Portugriez
de Leitura
Nao tendo comparecido numero preciso, se
gundo os nossos estatutos, do senhores membros
do conselho deliberativo, no nia il do corrente,
de novo e por ordem do Mu. Sr. presidente, os
convido a comparecen-m na sede social, pelas
11 horas do dia 19 deste. afim de. em sessao ex
traordinaria, tratar-se ila pos^c e de nutros as
sumptos de importancia.
Recife, 13 de Maio de IftW.
O l Kcretarip
Albino Monlra de Souza.
Comp,
Glub Carlos Gomes
Sarao niensal
Ter lugar no dia 18 o sarao deste mez.
Ingressos aos senhore socios na forma to
costme. "
Secretaria do Club Carlos Gomes, 8 de Mulo
de 1889.0 1 secretario,
Andr Costa.
);in!ii;i de Edificarlo
Assembla geral extraordinai-ia
Nao se teud' reunido numero legal de accio-
nistas para que su oll'ectuasse a a?^emblC'a geral
extraordinaria pela .-egunda vez convocada para
bontem, faco publico, de ordem da directora u
de conformidide com a resoluco que tomn em
sessao extrao/dinaria. que se devem os senbores
accionistas reunir-se em assembla eral ex-
traordinaria no dia 23 do corrente mez, ao meio
dia, no eso iptorio da companbia, praija Pedro
2." n 77, 1 andar, bem como que nesta reunio,
cuia convocagao hoje pela terceira vez l'eita, re-
sover-se-ha com qualquer numero de accionis-
ta, em virtude do 4 do art. 15 da le n. 3130,
de 4 de Novembro de 1882, a respeito. como j
foi annunciado, da possibilidade ou impossibi-
lidade da reorganisaco da companhia, segundo
o plano impresso do gerente, e da conveniencia
ou u5o conveniencia da liquidaeo da compa
nhia. Chamo a attenfao dos sennores accionis-
"i'i % 8." do mencionado art. 15.
Rorife, 10 le Maio de 1889.
Ricardo Meuezes
Gerente.
VOCAL E ESTRUMBNTAl
ha
SALA DE ESPECTCULOS DO THKATHO SANTA ISABEL
Promovido pelas discipnlas i!o maestro
E0LDESFONSK0A
EH SE I' BENEFICIO
PROGRAMMA
E. FONSECAmabcha festival a 9 pianos, 4 m3os e orchestra, executada
pelas Exmas. Sraa. DD. Mara e Lucilla Fiuza, Maria Thereza da
Soledade, Isabel Pinto, Julieta Vieira, Adelaide e Albertina Leal,
Clotilde Silva, Guilhermina de Mattos, Maria do Carmo Pires da Silva,
Eugenia Moscozo Bandeira, Rachel Bastos, Maria do Carmo Pires Gal-
vio, Maria Thereza Raposo, Herminia Coutinho, Olindina Franco de
S e Angelina Alcoforado.
E. FONSECAbacabolla para canto, com acompanhamento de orchestraExmas.
Sras. Maria Thereza Raposo, Julieta Vieira, Mara e Lucilla Fiuza,
Rachel Bastos, Clotilde Silv.a, Maria Amelia Rodrigues Texeira, Al-
bertina Leal e Anna Salles.
GOTTSOHALK cri de elivbance, capricho para panno, Exma. Sra. D. Her-
minia Coutiniio.
SAINT SAENSmarcha festival de Gounod para
Sras. DD. Albertina e Adelaide Leal.
PALIONImeloda para canto, com acompanhamento
Exma. Sra. D. Julieta Vieira.
LISTZ SPrfNER-LIDER DAS FIANDEIRA8 HOLLANDEZAS, de WAONEB, para piano
Illm. Sr. Elias Pompilio.
E. FONSECAaida, phantasia para 2 pianos com acompanhamento de pequea
orchestraExmas. Sras. DD. Thereza da Soledade e Herminia
Coutinho.
%%!%*% **lr%l
E. FONSECASALVATOR ROSA, phantasia para 2 pianos 4 raaos com acompa-
nhamento de pequea orchestra Exmas. Sras. DD. Maria Pires Gal-
vao e Maria Celiciua Rodrigues.
PINSUT1 il libro santo, melodia para canto com acompanhamento de violino e
pianoExma. Sra. D. Maria Thereza Raposo.
RAFF ( a bolero )s n .., .
THALBERG ( b tarentelle )Exma' Sra- D" Maria 0eIlcina Rodrigues.
HALEVY bolero DA judia, para canto com acompanhamenno de pianoExma.
Sra. D. Clotilde Silva.
SAINT SAENSjota aragoneza, para 2 pianos 4 mos Exmas. Sras. DD.
fijri'fc" -MaTia- Thereza Raposo e Julieta Vieira.
VERDIAria final da opera D. garlos para canto com acompanhamento de piano
Exma. Sra. D. Maria Amelia Rodrigues Texeira.
E. FONSECA aprs la victoire, marcha pela banda do corpo de polica e
orchestra
Intervallo da '4.a i 2.1 parte, 1/4 de hora.
==
Os acompaahamentos ao piano sero feitos pelo beneficiado.
para panno,
2 panos 4 mSos, Exmas.
de flauta, violino e piano
A parte principal de flauta ser executada pelo ntelligente amador o Illm.
Sr. Dr. Francisco Dias da osta, em obsequio a promotoras do eoncerto e homena-
gem ao beneficiado.
=#**=
Os Alustres convidados tero ingresso indiatinctamente no vasto espaco pre-
parado na sala de espectculos e nos camarotes de 1.a ordem.
As pessas que se dignaran distribuir os convites sao as oampetentes para
receber as esportillas e por isto nao haver eoinmissSo as portas do theatro para
tal fim-
Trem
99*-
para Apipuccs e bonds para todas as linhas.
bonds para todas as linhas.
Principiar lis 8 horas.
Grande espectculo ao ar live nos dias 18,
19, 20, 21 do corrente
m i
Drama popular extrahido da historia do Imperador
CAKL08MAGN0

1- dia Sabbado
Os raouros e chrisloa sahiro d<- Oliuda era grande passeiata s 2 horas da tarde, e
depois de percorrereui diversa- tuas do Recife annunciando. e.^tes que acceitam o appello eme
Ihes fez o Patnarcha para ireiu arriucar do poder dos mouros as santas reliquias das quaes enes
se apoderaram. e aquelles que nao ternera a lucta. As 6 horas da tarde de volta para Olinda
assentarao assim uns e outros as suns ixtremas no autigo Largo do Carmo, fazeudo as respectivos
generaes proclamaces ao seu exem'to.
Os mouros serau dirigido pelo Almirante Balo e os christSos pelo Imperador Car-
los Magno.
2. dia -Domingo
Acampamento durante o dia inteiro; os mouros na praca do Dr. Jos Marianno: 03
christaos no Largo da Abolicao ; exercicios de campanha
Os mouros licarao uo seu castello e na fortaleza com a qual defendem a porta da igreja
onde esto as reliquias. Os christaos occuparSo um abarracamento. Desali do gigante
Ferrabrax. A's 4 huras da tarde, embaixndas de Carlos Magno ao Almirante Balo exigindo a
entrega das reliquias roubada*. O .Almirante nega-se a recebar a intimaco e manda o
seu general para o campo e corr. arrogancia responde pelos seus embaixadores. Conibatem-se ot
dous exercitos. Taes preparativos durarao al s 6 horas. A's 8 horas da noite aovo combate
decidindo se a victoria pelo lado dos mouros
3. diaSegunda-feira
Novas embaixadas entre os dous exercitos. Carlos Magno manda annunciar ao Almi-
rante que cmbale pala Cruz e ha nao so de vencel-o como convertel-o ao Christiaaismo.
Preparativos ic guerra- Novo combale.
Xestedia o divertiraento comeca s 4 horas da tarde e termina s 7 da noite.
Os cliiistos perder a bandeira que tomada pelo troco mouro qua combate sob o com-
mando de D. Arxelino, duque de Mauritania.
4/ diaTerc,a-feira
Os chiistaoo surpri-heudem os mouros em seu castello tendo tomado de assalto a fortale-
za, debandada dos mouro* que sao batidos em differentes pontos da cidade de Olinda.. Este exer-
cicio durar das 0 horas da manb s 9 horas.
A <'^sa hora os mouros trrao conseguido illudir a vigilancia dos clirstao e reunidos sur-
raleiranienl" tefflo gnaniicido de novos contingentes o castello. Morte do commandante da for-
taleza.
A's i borasda larde novo combate entre as tropas iniuiiga?.
Itoldao cavallieiro christo. leva de vencido os mouros, tomando lhes a bandeira e reha-
veudo o estandarte clirislao]: os rcis mouro echristo corabatem, Carlos Magoo subjuga BalSo
que rceonheceudo qoe < um poder mais forte que o de Malwmet AUah Ihc pode snbjugar o
braco seiiipiv vcmi-dor c nunca vencido comerte se a religi-.)dos christaos, elle e todo o sen
exefcito.
Tomada do castello. Grande scena do baptisado dos mouros.
teste dia o divertiraento se prolongar at s 10 horas fazendo o exercito vencedor una
p;is-c;il;i pelas mu da cidade.
. A PEDIDO
Em os tres ltimos dias
Crande bazar em beneficio do ajardioamento da praca da
abolicao
O SECRETARIO,
Jm tomo Neptuno.
'



i


Thesmrraria d'Fzenda
Ims-Sr.-inapai:**- e de coide*-
coMD*ords do ThecarsKacianahati-
ie **'io'>eorrenteHB*r,. fago puaeo
tbesanrarift cha-se* lmyMiiilili
i cono neaetma rdito. pMa-ptie-
l segantes divie*s,do,>exeiakios fin-
dos :
2624363 do capitao Lucio de Siqueira Campos.
685*000 de Jeronymo Gomes da Fonaeca.
13*420 da praca reformada Antonio--Jos de
Moraes
:"4600 da empresa.do Jornal do Retife.
12M000 de D. Luiz Augusta Pestaa.
72*000 de Dr. Alipia da (loria Pereira do
Lago.
53*120 de Or. Francisco Mgarjnos. de Souza
Leao
27*000 de los Pereira da Costa.
%*80i de #>Maiia do Carino Mato, .da Por-
ciuncula.
618*000 de Miranda & Souz;.
1:172*492 de Jos Antonio da Mfctta. Guimaraes.
60*000 de Tertuliano Eustaquio do Gusrao.
23f 520 de Nicas da Silva Gusmo.
Em 17deMaiodel889.
O secretario,"
Dr. Antonio Jos do Sant'Anna. ,
Arsenal de Marinha
Iinii'iilo de olimiitrios pao o
balalha naval
De ordem do Illm. Sr. eapitao-lenente-Rodrigo
Nuno da Costa, inspector deDte arsenal e eaprtao
do porto desta provincia, fago publico que. em
observancia circular do Ministerio da Marmha
a. 581 de 21 de Marro ultimo, acna-se aberto o
alatamento de cidados as circumstancias de
terem praga no batalho naval, percebendo cada
um, afem dos respectivos vencimentos, o premio
de 40*, de conformidade com o art. 3 da lei
a. 3367 de 21 de agesto de 1889.
lnspecgao do Arsenal de Marinha de^Pernanv
buco, 3 ele Abril de 1889.
O secretario,
Antonio 4a Siha Azevedo.
Diario

Companliia.de
MtUltititi______
MigtiL Jfes- Ai#e
IV. 9Ba do Baa lenasIV. *
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes uKimos seguros a nica companbia
nesta praga que concede aos Srs. segurados semp-
c4o de pagamento de premio em cada stimo
auno, o que equivale ao descont annuol da cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados
SEGUROS
IHHTIfOS CONTRA FOGO
C muianhla Phanii Fci-
oanbieaoa
BIJA DO COMMERCIO N. 38
de Pereaja*wo-TSJiJkia4o .,l&4arJMa de 3889
Royal MailStam Packet
C*mpa*ihy
O vapon L Plata
Commandante" A. H. Dyke
Espera-se da Europa at-e-dia.-ia\ le
Maio, seguiudo aupte da ama-
ra do costume pe
ni m* fogo
Royal Insurance Company
de CAPITAL. .000:000
AGENTES
Obras publicas
De ordem do Illm. Sr. engeuheiro director ge-
ral, fago publico que no di 28 do corrente, ao
meio da. nesta repartigo, recebe-se propostas
em cartas lechadas, competentemente selladas,
para execuco dos reparos de que necessitam o
boeiro sobre o riacho Joss e a curva do (xito,
na estrada da Victoria, oreados em 649*000.
O licitante de ver, para poder concorrer a
praga cima, depositar no Thesouro Provincial
a quantia de 824450.
Secretaria da directora geral das Obras Publi-
cas de Pernambuco. em 14 de Maio de 1889.
O engenheiro secretario
Luiz Antonio C. ele Albuquerque.
S. R. C.
.Sociedad* Recreativa tomntercial
Assembla peral o/dinaria
Eleicao
Nao setendo reunido numero sufficienle de
socios domingo 12 deste mez, de novo convido a
todos os sennores socio a comparecerem do-
xingo 19 do corrente, ua sede social, pelas 4
horas da tarde, afim de ouvirem a leitura do re-
tatorio e eletrerem os novos m 'mbros da direc-
tora.
Secretaria da Sociedade Recreativa Lomax-r-
cial, 16 de Maio de 1889.
O 1 secretario
Araujo Guimaraes.
Obras Publicas
De ordem do Illm. Sr. engenheiro director ge-
ral e em virtudc de ordem da presidencia da
provincia, de 15 do corrente fago publico que,
no dia 31 deste mez ao meio di.i, nesta directo-
-ia. recbese propostas em cartas fechadas,
competentemente sellada?, para execugao das
seguintes obras:
Reparos da coberta do edificio da Escola Mo-
dplo, oreados em 1:4023170.
dem da ponte sobre o rio Pirapama, no Enge-
nho Novo do Cabo, orgados em 909*920.
dem da ponte de S. Joao, na estrada de Pao
d'Altao, orgados em 1:664*300.
0 licitante devora depositar no Thcsouro'Pro-
vincial quan'ia equivalente a 5 0 do valor de
cada um dos orcamentos.
Secretaria da Directora Geral de Obras Publi-
cas, 16 de Maio de 1S89.
O enptnheiro secretario,
Luiz Antonio Cata/cante dAltntque'que
Capitana do porto
Avino aan navegante*
De ordem do Illm. -r^capitao-tenente Rodrigo
Nuno da Costa, inspector interino deste arsenal
e capito do porto deeta arovincia, fago publico
para quem interessar possa, que o Sr. inspector
do Arsenal de Marinha do Para, em telegram
ma datado de 14 do corrente, communicou .que
a inaueuraga do pharol nas-pedras decollares-,
deve ter lugar hoje. sendo a luz natural, alcance
de dez milhas e longetude 48 aros, O Tafentos
e 50 segundos. O Gr. W. Latitnde 52 metros e
50 segundos S. Carta montraie el.
Capitana do porto de Pen>mbco, 15 de Maio
de 1889. secreterioi
Antonio da Silva Azevedo.
Companhia
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e merendara
Taxas baixas
Prompta-pagamento de prejuizos.
CAPITAL
Ks. 10,000:000^000
AGENTE
MMMH -* C.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
London & Brasilian Bank
Limited
Sita do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco eiu Portugal, ando
em Lisboa, ra des Capellistas n. 25. No
Porto, na dos Jnglezes.
O
CONTRA FQ-G0
Th< LiviT|ooU Lh4oh k iM\e
Ra do Commercio n. 3
Campanea t btgnms
comA M
NORTHERN
de Londres e Aherdaen
Posifao Dnaneeira (Dezembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.134,348
Reeeita annual :
De premios contra fogo 577,330
D premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
o MmrtE,
John jy. Boa/indi.
R.DEDRSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda-
-13
1NDEMNISADORA
(lampanla de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
Eirtl>oliei da-Mil 1 .".:.
CAPITAL 1,000:000^000
SLMSTROS PAGOS
Al 3* de Dezemfero de 1884
Martimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316-KX)0$000
44Raa do- Commercio44
SANT CASA
ClSAKI'llli \l,l \ll
Ra da Moeda n-.-49, annazam 2402000
dem do Vigario Tenorio n. 27, leja 240*000
fdem idem n. 22, 2. -andar 180*000
dem idem idem, 3. indar 180*000
dem idem n. 25, 1. andar 360*000
dem do Mrquez de Olinda, sobrado
n.44 2:131*000
dem do Bom Jess n. 29, 1." andar 240*000
dem de Domingos Jos Martins n. 136,
loia e l" andar 400*000
dem de Tbome de Souza n. 14,1 andar 200000-
Macelo, Baha,
e
Para passagens, fretese encommendas trata-
se com os AliENTES.
O vaper^Neya
Commandante Q>. M. Hi*ks
E' esperado do sol no dia- fide
Maio, seguiado depoia da demora
necessana para
Lisboa, vlgo. Sonthampton e
Antuerpia
ReduccSo de potmgens
Ida da e tolla
\' Lisboa 1 classe 20 30
A' Southampton 1' classe 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Emquanto vigorar a quarentena imposta na
Repblica Arjjaotina, aos vapores e navios pro
cetes do Brasil, os vapores desta companbia nao
aceitarao passageiros nem carga para Buenos-
Ayres.
Para passagens, fretes, encommendas, trata-se
com os
AGNTES
A.morim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
.....eMriHMHa* &mBMmummm~
DE
Xavi'sai-o eostelra por Vapor
Rio de Janeiro
(Directamente)
O vapor Una
Commandante Seraphim da Silva
pete de'centro e sof, jarros de alabastro, ditos
de porcelana, crochets, quadros dourados, car-
aeitas e co^iaados.
Camas de ferro com colxOesre travesseiaas,
avalarlos, guarnicOes, 1 commau, 2cabidea2
eaas com gavetas, 6 cadeiras, ijaiuania-roupa e
?lindos candieiros.
Urna mesa elstica com 6 taboas, 2 apparado-
res de armario com tarapos de pedra marmore,
12:jeadaicawl-i,elogiu,.4-4iparellio para jantar,
l ditOHpara chi, 1 ditatniesairl, copos, clices,
g&araiae e compoteiras--de^rysial. 1 galheteiro,
1 portauelas du>eleetfo-pllH, bundeijas, guar-
nifOes, flandres, moaaaxaiWns, tiens de cosi-
nlia e mais acomariw4c casa-e familia.
*agundaeirMt*nd corrente
Nos Aflitos
1. sitio com portSo e grada, de ferro na
freate, esquerda da estrada
O asente. Pinto levar a leilao os movis e
mais objectos cima mencionados existentes na
chcara dos Afilelos, em que mora o Sr. A
Cohn.
O leilao principiar 1/4 de hora depois de
meio dia, com a chegada do trem que parte da
estacao ao meio dia.
Os prctendentes poderao ir no trem de carga
ou nos bonds da linba de Kernandes Vieira, por
ficar a casa perto do Entroncamento.
Derl>y CU
Leilao
De urna armaco envernizada e envidracada,
1 dita de louro, caixas com batatas, latas com
iaanteiga ingleza, garrafas com vinn do Porto,
cervejas, agurdente, licores, loucas, vidros, pi-
pas vazias, utencilios e muitas outras merca-
dorias-quaestarao pau?nte9 no acto oo leilao.
Segunda-feir. <0 do corrente
A's 11 horas
Na tatema sita na do Bispo Sardinha
n. 11
V.m loics a vonlade don rompra-
duwea-.
POR INTKRVENCAO DO AGENTE
Gusmo
Pdese incluimnav ajuasain a^imaea
pareo sem preceieMa^meosLaa pana; aaauaa
inscripcOes, comvAmimicoa* naparte-a-Bis-
marc^_______________________
Vinho^pnr. .deliSanti*
reni
Un .lululn da Ihural
0 armaaem oenrral de gneros alimenticios
ra do Cabug n 11, acaba de receber a segun-
da remessa deste especial vinho, para o qual
chama a attenfio dos seus distinctos &eguZ86 e
do respeitavel publico. Telephouc n 447.
Aos amadores da boa
pinera
Oarmazem ceatral de generes aliiaenli'-ias 4
ra do Cabug o. II. avisa que ckcgou a segun-
da remessa do poro Santarem ; a elle, antes que
sejcbe!'!
Ama
Precisa-se de urna ama
casa de pequea familia
mosa n. 37.
para cosiBhar, para
; a tratar narua.For-
Cosinheira
Precisa-se de nma ama boa
servico e assistencia interna
Mrquez de Olinda n. 54.
cosinheira. papa
a tratar na ra
S. Lourenco da Malta casa.terrea
Ba do Mrquez de Olinda n. 33,
sobrado
dem do Padre Floriano n. 6o,
casa terrea
dem de S. Bento n. 3 em Olin-
da. idem
Estrada de Parnamainm sitio
60*000
1:200*000
200*000
240*000
420SOoo
BAHCO IinfHACUJirAL
DO
JO JSTJmt/uZl XJLj
Capital
40. Idem rcalisado 19,000:0004
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 40, saeta, vista ou
a prazo, contar os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LONDON..(Banco Internacional
do Brasil,
London office.
( London A County
( Banking Company L."1
PARS......4 Brinque de Paris A le*.
( Pays-Bas
> Deutsche Bank.
Bank d'Anvers.
i Batea Ganerale e suas
agencias.
Banco Hypotecario de
Espaa e euaa agen-
cias.
Hambuigo..
Berlim.......
Bremen .....
Fr;mk furt
sur Main...
Antuerpia..
Roma........\
Genova......i
aples.....I
Miloemais)
340 cida-i
des de- Ita- ]
lia.........../
Madrid......\,
Barcelona ..
Cluiz.......
Malaga......
Tarragona .
Valen cia e ;
ou traV c i-
da des d a
Hespanl-ra
e ilhas Ca-
narias ......
Lisboa......
Porto e mais
eidades -de
Portugal e
ilhas.......
Buenos Ay-
res .........,
Mon tevido
Nova York. Qr, Antsirik'& C.
Compra Baque sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro.
Receba diftheiro em conta corrente de
movimento com juros, na razao de 2 /0 ao
anno e por letras a praa. juros >ooaven-
cionados.
O gerente, mUiam N Westber.
Banco de Portugal e
suas agencias.
The London & River
Plata, Limited.
MARTIMOS
(OHPI\UIA PE>4I
DE
IHUA
iVayregacSo costetra pnr Tpor
Para Fernando de ^oroilia
O vapor1 Jacuhype
Commandante Esteves
Sepue no' dia 18 de Maio s 12
horas da laaali. Recebe carcaat o
dia 17.
Passagens at s 10 horas do di da sabida.
ESORIPTORJO
Ao Cae da Companhia Pernambucana
n. 12
Segu em poucos das para
o porto cima o vapor na-
cional Una.
Ainda recebe alguma carga a prancha, a trav
lar no
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Pernambueana
n. 12
Leilao
i
Companhia Brasi-leira de
Nayega^ao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor. Para
Commandante Antonio Ferrcira da Silva
E' esperado dos portos do norte at'
o dia 23 de Maio e depois da de-
inora indispensavel seguirarpara-os
'portos do sul.
As encommendas sarao recebidaa no trapiche
Jarbosa at 1 hora da larde do dia. da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Alagoas
Commandante Jo2o Maria Pessoa
E' eeperadodos pertos do sol at-a
diu 27 de Maio e segurado1 depois
demora indispensavel para os
portos do norte at Manos.
As encommendas ssero recibidas na agen-
cia al 1 hora da tarde do dia da saluda.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
LEILOES
Segunda-feira 20; "deve ter lugar o dos mo-
vis, vidTosj'cryBtaes, quadros, espelhos e mais
objectos da casa em que residi o Sr. A. Ca-
en nos A Inicios. 0 leilao principiar depois
da chegadado frem te'earga 1|4 de hora depois
de meio dia.
Agente Silveira
Leilao
DE rit i iios
Sabbado 18 do corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 45
O agente Silveira, por mandado e com assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de-or-
Phaos c a requerrmeato do inventariante de D.
raocisca Candida dos Santos, levara a leilSoes
segunles casas:
Urna casa terrpa trayassa- da.Veaeza n. 2,
com porta e janella de frente,* 2 lalas,^) quartos,
cosinha fra e quintal.
Urna dita mesma ra n. 4, com as mesmas
droienses:
Urna dita detaipa sob n. 17, ra do Bom-
Gosto,'ooiB'portaoe jaaella de frente, 2 salas, 2
quartos, cosinha e quintal.
Urna dita mesma ra n. ", com porta e ja
nclla, 1 sala, 1 quarto e pequeo quintal.
Urna meia agua n. 27 mesma ra, com as
mesmas dimensoes.
Urna dita n. 29, idem, idem.
Urna dita n. 31. idem, idem.
Urna dita n. 33, idem, idem.
De engenhos, partes e de mutta em Tlabl
comarca de i'itimb
Quarta-felra tt do correne
A' 1 hoia ent/ponto
No edificio da Camn Municipal de Qlir 0 agente Stepple por mandado, c issisleneia
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphaws e,
ausentes, a requerimento do Dr. Jos Vicente 4e
Meini Vasconcellos. inveirtwiante dos bensd
finado coronel Joao de S Cavalcante de AIbu-1
querque, levar a leilao
Tres partes do engenho Itapirema.
Trras e engenho S. Miguel.
As trras en ijae est
Sosza.
As mattas denominadas Pitanga.
Uma parte'de ongiMihoTatutiDga.
Ama
Precisa-se de urna ama para familia : na tra
vessa dos Ferreiros n. 6.
,
conslitui*) o engenho
4. e ultimo leilao
Do engenho.. Resgate
Na comarca do Bonito comcasa de vi venda,
ditas para lavradores com todos-os pertences e
obras, corrente e rooentc dividindo as trras do
engenho pelo scente com as do engvnho
Thesi, pelo sul com as do engenho Nelts e visa-
das, pelo poente com Ierras do engenho Ferta-
leza e pelo norle com trras da Sismara dos
herdeiros de Jos Carlos Mairink da Silva Ferrao.
4|nula-feira 8 do corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Bom Jess n. 45
O agente Pinto levar novamente leilao por
despacho do Exm. Sr. Dr. juiz do commercio
depois de ouvidos os interessados, o engenho
cima mencionado pertencente a massa fallida
de Tavares Pinheiro, isto s U horas do dia'
cima dito, no armazem da ra do Bom Jess
n. 45.
Importante leilao
Do movis de Jacaranda, de junco, loucas
c vidros
Quinta I eir 23 do eneren te
Ra do Conde da Boa-Vista n. 106
(antigo Canoho Novo)
As 11 horas
0 agente Stepple,. por mandudo' eassisteireia
do Exm. Sr. Dr; juiz de direito privativo de or-
phos e ausentes a requerimento da inventaran-
te dos Leus quoificaram por fallecimento do seu
tinado marido, -Joao Josc da Silva, levar a lei-
lao os segunies movis :
ma mobilia de Jacaranda com encost depa-
lha, composta de 1 sof, 4 cadenas de braco, 18
de guu*nicav t dunkerrajitr i ilKa de dito sem
encost com 1 sof, 3 cadeifas.de braco, 2 ditas
de balanco, 12 de guaraicaooacensold* com pe-
dra, 1 dita de junco, 1 espelho oval com mol-
dara doarada, 2 ditos obwngo6, 1 dito oval
grande, 7 langas, 3 lustresdccrystal com bK
eos, 3 guarda roupas, 1 toiHete de Jacaranda
com espelho e pedra, lavatorio, 3 conjoes'de-'
Jacaranda com pedra, 1 mesa elstica de 610008,
Audiencias
0 juiz d' paz da freguezia do Recite d au-
diencias as tercas e gextas-feiras, s 10 horas
da manha, no 1 andar ra Baro do Trium-
pho n._88__________________________________
Caixeiro
Precisa se deumeombastante pratica de bal-
co de molhado?; a tratar na ra da l'nio
n. 54.
Boa acquisi^o ao al-
cance de todos
As aeces entre amigos com o titulo cima,
que corriam com a lotera do Grao Para que se
extrahisse no corrente mez, ficam transferidas
para correrem com a Ia lotera da mesma pro-
vincia, que se exirahir na mez de Julho prximo
vindouro.
\ tvellar-
D. Emilia Caroiina de Paiva Avellar t seus -
Ihos convidan! aos Seus prenles e aos amigos a
parenWs <& sen- ?irrado marido e asi. Antonio
Carlos Soares de Avellar, para assistirem a una
missa, que pelas 8 horas da manh do dia 18 do
corrente, mandam celebrar no convento de S.
Francisco por alma do mesmo linado, 1 anni-
,versarlo do seu fallecimento. Por este obsequio
.so confessam agradeeidos.
2 guarda-lpuca, 2 aparadores com pedra; i dito "que mandam eelebrar sabbado 18 do corrente,
grande, 1 caixa de mogno com machina de cos-
tura,--atades de peredee de cokimn*. mesas, 7
bracospara gaz. 1 estante, 12 cadeiras de junco,
commodas, 1 cama para casal, sofs, lougas, vi-
dros, faoaa,i' garfos, colheresy bandejas e outros
limito? objectos que esto patentes no acto do
leilao.
Grande numero de*crotons e roseirasem va
sos separados.
i
Leil
Aluga-sc o terceiro andar do sobrado rus
do Imperador n. 26 ; a tratar na'Iitnographia
ra Mrquez de Olinda n. 8. ^_________
Alii^a-se o 1- andar da ra de S. Jorge n.
12*,' ofnau e gaz : na mesma ra n. 131, e a
casa n. 2 da travessa Pedro 1."
United States and Brazal
M.S.S.C.
O vapor Allianca
E' sperado'des portse do
sul at o dia 18 de Maio
o qual depois da demo-
ra necessana seguir
para o ,
Maranfco. Par. Daiftndos. 8.
Thonaz e \ew-Vork
Para passagens carga, encommendas di-
nheiro a frete, trata-se : eom os AGENTES.
Heory Forster & C.
8Ra do Commercio8
1* andar
ao
De fazendas a retalho em lotes a vontade dos
compradores
CONSTANDO DE:
setinetas, caaemiras, roupas feitas, fustocs,
brias de linho, camisas e muitos ontros artigos
que serao vendidos por liquidaco de urna casa
que acabou.
Ao correr do martello
Sabbado, 18 do eorrente
A?s 11 horas
Na ma do Visconde de Inhauma n. 13 A. an-
tiga do Bangel.
Por intervencSodo
Agente C usmao
Ag<
o
_ ente Pinto
De una avallo alazao-cachito andador >.ie
baixo-a meio
A' -2 1\2 horas da tarde
Nos Afflietos
Port)ccasio do leilao dos movis maise ob-
jecte3 da casa-era que mora o Sr. A. Cohn.
Leilao
De movis, porcelanas, crysta, esquadros,
espelhos, eloctros, esleirs, tapete e car-
neiras
A' SABE::
ma mobilia de mogno com tampo de pedra
marmore, com 1 sof, 2 consolos, 2 cadeiras de
bracos e 8 de guarpigao, 2 cadeiras de balanco,
1 jardineira, 4 cadeiras cora encost de panno 1,
espelho oval grande, 1 Kwtre a gaz de crysalt
com 2 bicos, esteira forro de sala e quarto, ta
AvraonnvERsos
Aluga-se o 1 andar do sobrado n. 8 ra
estreita do Rosario ; o sobrado n 17 ra das
Trincherras : sobrado n. 3 no caes do Gazome-
tro : a tratar na ra das frfnohras numero 17,
loja.
de urna cosinheira; na ra da
Precisa-se
Unio n. 11.
Precisa-se de urna ama : na nBarao da
Victoria n. 35, ou ra Conde da.Boa-Vista nu-
mero 137.
Precisase de um perito horteto, aue en
tenda tanto de horta como de jardim, para um
engenho prximo da via frrea ; a tratar na ra
do Hospicio n. 65.
No cercado doengenao^apljarbe; fuegue-
zia de S. Lourenco, entrou um boi castanno :
quem for seu dono, procure-o no mesmo en-
genho. *
- J ehecaram para a fabrica Vendme
os verdadeiros charutos Flor de Espaa, Regala
de la Reina, avisa aos apreciadores.
A o commercio
limk^tiiu-
Os abaixo assignados avisara ao commercio e
ao publico em geral, que venderam sua' casa
coainrercial em Timb-Assd, denominada. a
Experietrcia- Quem se jalgar cretior firma
Cesar & irmSo, queira apresentar suas coatas no
praw de> 30 dia?, no povoado de ttou-Viagem,
onde serao encentrados. Outrosim, pedemaos.
seus freguezes em atraso de liquidar seas detri-
tos, afim de evitar questes futuras.
Timb-A ss, 17 de Maio dei889:
Cesar & Irmao.
Ao commercio
Pelo presente convido a toiaa as paasoas que
se julgarem credores meus e da firma Bernardi-
no de Souza Duarte 4 C, a apresentarem suas
contas at esta data, no prazo de tres das, para
serem conferidas. Declaro que uesta data dis-
pensei os servicos de meu ateressado, Beato
Jos de Almeida; o que scienufico para osde-
vidos fins. Recife, 17 de Maia de~1889.
Beraardiao de Souza Duarte.
Joao Ca'm-lO Firminn Honirir
Trigsimo dia
Luiza F. deC. Agr eseus filhos, Candida Mi-
quilina Barroso e Carlos A. Firmino Moateiro, i
convidan aos sena parentes e amisos e aos d
seu tinado filho. irmo, sobrinho e pai. Joao
hCancio Firmino Monteiro. assistirem as missas
s 8 horas da manh. na matriz de Santo Anto-
nio, trigsimo dia de seu passamento. Por este
acto de caridade, desde j se coafessam agrade-
cidos.
f
Tenenle Pedro taMnie lia ilva
rataa*
Alexandre Braga, por si e por sua. familia
(ausente) agradece ato conduziram os restos mortaes-de seu infeiia ir
mo, Pedro Antonio da Silva Braga, e de novo
ipede encarecidamente a estes distinctos cavallei
ros e aos amigos do tinado para ouvirem urna
missa/que por almado raesino manda rezar na
matrifc de Santo Antonio, pelas 8>'horas da ma-
nh, na-eegunda-fcira 20 do corrente. Desde ja
*eodos o seu eterno reconheclmento.
t
^iMNDE LJQTJIMGAO
N Loja das Estillas
56-Ru 'ftk|e de Gs-S8
TeleplaoM nf 1S>
Este bem conhecido estabelecimento acaba
de> pasear por. urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 oo. intuito
de serem despachados todos os seu
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande H*
quidaco e lodos os saldos que
ficaram de balanco, por menos
50 r. do sgh valor, cujoe eteigoe
passamos a demonstrar:
Artizos de lei
EsguiJb,-. pe9a, a 3600.
Madapolo com um metro de largura de
144 por 7*000
dem idem americano de 84 por 54000.
Algod2oi-marca T, especial, muito largo,
de-74 por 5,5000.
Bramantee, pegas, por 74000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu'
ras, a 14 e 14200 o metro.
Guardauapos de 45 por 24000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 1?>00 o dito.
Lencos brancos e com barras de cor a_14,
e 16200 a duzia.
Toalhas de fustSo, qualidade superior,a
34 e 43KXK) a duzia.
(Cratones para coberta a 240 re.
Colchas acolchoadas,*brancas a de cores a
25000.
Le-ces de bramantes a 25000.
Chales escocezes a 14000.
E outroa muitos artigos que deixam de
6er mencienado e qu- se vendem coa
igual abatiraento
Teckdoo de alta aovjdadc
PARA VESTIDOS DE 8ENI10EAS
Linhos pardos para [vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 15800 por
800 rs.
Setins' de seda, todae as cores, de. ...
15200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos "novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PEgAS!
Merinos de qwidros, grande variedade de
padroes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
FustSes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitcs outros tecidos para vestido,
eraalgodo, linho, la e sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 {t.
C'oni'eeen
Vestidos feitos de Cascmira ricamente
bordados de 804 por 55 e 305.
Ditos para armar de 65, 85 e 105.
Ditos branVjs bordados em carto, alta no-
vidade a 84 e 105-
Guarnijoes de colariuhos e punhos para
senhora por 15 e 15200.
Caclas (preparadas- na- corte) 'de;i90#-por
W' 105
Grotlmhas e punhos para m'nino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhae para criancas, por
55. 65, 85 e 105, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 2a e 35.
Enxovaes para baprisado com collares ele-
trieos por 54.
Luvas de seda meio b-aoo e qualquer ta-
manho a 15500 o par.
dem idem de Escocia a 15 e 155GQ.
Sobretudos impermeaveis de borracha de
705 e 805, por 305 e 404.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
255 e 305.
dem idem de renda, seda, damaaeo e
gurgurSo, tanto para phantasia oomo
para commodidade a 385 3 405.
Velludos de seda e algodSo de muitas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo
d5o-e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E- amitos- outros artigas de confeccSes
como sejaHunjBtyietsa de blonds, sahidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos-mais, que se ven'
dein -com o mesmo abatimento de 50 [.
Para hoarens
Casimiras inglesas com duas larguras, de
35500 por 15200.
Ditas cor de caf e azul, de 25500 por
800 rs.
Corte de seda paracollete, de 125000 por
35090 e 34500.
Ditos de -velludo e fustSo a 15 e 15200.
Meias inglezas com fio de seda, de 125
por 65000 a duzia.
Paletots, de 75 por 45000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
15600 urna.
loaepfia Francisca da Sila Pinto
Jos Antonio Pinto e sua filha, (Jos Francisco i
da Silva, Maria Ignacia da Paz e Manoel Proco '
da Silva1 convidam a todos os parentes e amigos!
para assistirem u missa que tem de madar cele-1 a
5^!^?^J^lM'^a-M^i^^rfiolInho8, modelo moderno, a 54000 a
presada esposa, me, filha e rnia.Josepha Fran-1 ~
cisca da Silva Pintojas 8 horas da[mann do dia j oaia.
Si do corrente sptimo do seu passamento.
Desde j antecipam sua|etcrna gratido a todos
quantos se dignarem comparecer a esse acto de
religio e caridade.
t
Francisca Fin Inllir ii n
Os netos e oras da fjllecida Francisca Jacratha
Prfeira seus filhos Adolpbo Jacintno Pereira,
BellarumW Jacintho Pereira, Maria I. Pereira,
Idalina Amelia J. Pereira, convidam a tados os
seus parentes e amiga da finada, para assisti-
rem a missa que pelo repouso de sua alma fa
zerrt celebrar terca feira 21 do corrente, stimo
dia ide, seu passamento, s 7 1/2 horas dama-
nhai na^rreja de xN. S. do Terco, e por este
acto de religio e caridade se confessam agra-
dgc|dos.
t
losepba Fraaciscn da MI va
Pinto
Manoei Procopto da Silva agradece a todos os
seus amigos que se dignaram acompanhar os
restos mortaes de sua prezuda irm, Josepha
Francisca da Silva Pinto ; e de novo os convida
assistirem a urna missa que manda celebrar
terca-feira 21 do corrente, pelas 7 1/2 horas da
manh, na igreja do Senhor do-Bourilm, em
Olinda. Desde j astados o chnento.
Camsasunglea*-com. collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
364000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito blanco de linho n. 6 al#20 aovara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 64
85, 104-' 12* a 44, 65, 85 e 104000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, .para
homens, de 704 04 por^OJ : 44-
Ceroulas francesas, de 385 por 244000
a duzia.
Paletots de seda, completos d feitos d
casemira, malas para viagenr, e boinas e
tapete e um completo e varadisshno ".'sofr.
timento de cheviots, casimiras frbdzas,
Ijiogtezao; pretaa e de cores de padroes in-
* teamente novos e que se vend*an oota o
mesmo abatimento de 50 ?0 de seu ^vaJor
Helalhns
Aproveitem a grande quantidade e
pelos pre08, em^sedas pretaa e delo^res.
gorgor5es, setins, las, merinos, aephyrftsv
(inhos, chitas, madapoloes e algodlbsi-
nhos.
E muitas outras pechincha que, s se
encontram na
Loja das Estrellas
56, 58Ra do Duque de Caxias56, 58



t

M



. t~de Mw>~de 1889
ARTI60S i MODA ESPECIALMENTE REC0MMENDAD08
W Colonia Im*rlal toana. Alambra [mbrasal eremei para a barba. Crome de
para lenco. ,_
Crema da
##* PERFUMARA DE LUXO, Ra ie la Paiz, 15 ##*
atino da tiKlrUa dai
_ para dar a frescura ioh
_ Athantanaa. a, Agua Loatral, para as
Coohloar I o de AgrUo para oa cuidada
da bocea. Perfume para o lenco: HollotrotUo branoo, Imperial
SbeMa Caarloho, Balsamo aaaaBalal' da Vlotattaa, taaparlal
Clcala Imparlal HUESA, para o toilette.
la aaraania, FaaBoaa, Paterna da Piaaoa.
arpr pandar airara a cuta. gese*
E' de admirar!!!
Os preces abaixo mencionados*
Tanta do Loavre
Um lindo Jcorte de vestido com bordado por 100000.
Um corado de batiste muito fina a 240 rs. E' barato.
Urna peca de esguio do algodo com 10 varas por 30200.
Urna rica colcha imitacao de crochet por 6)5000.
Urna peca de bico .matizado por 20500 e 30000. S<5 vendo.
Urna duzia de camisas allemas por 350000. E' pechiricha.
Um bonito corte de setineta com guarnicao por 60500.
Um covado de 13 Amazonas a 440 rs., imita eao de seda.
Um ovado de cachemira de listras, ou lisas, a 1(5200.
Urna sahida de baile com bordado a 10000.
Um covado de percale, corea fixas, a 200 rs.
Um covado de tecidos de fantazia, ultima moda, a 500 rs.
Um corte de casemira ingleza por 54500. E' barato.
UnrTnefr* de-n-nda.hespanhola, todas as cores, por 30000.
Urna duzia de serouias de bramante por 15)5000-
Um covado de linn matizado por 500 rs.
Um fich do 18, o que ha de melhor, por 69000.
Urna peca de niadapolao americano, com 20 varas, 60500.
Um paletot de gorgurina, imitacao de sdda, por 40500.
Una linda colcha de damasco de algodSo por 60500.
Um ovado de zephyr, o que ha de bonito, por 200 e 240 rs.
Um espartilho couraca com bordados a 5(5500.
Urna guarnicao de crochet com matizes por 70000.
Urna duzia de nieias ingleza? de 90000 por 6)5000.
Urna'duzia de lencos, em caixas, por 20500.
Um covado de merino liso, duas larguras, por 440 rs.
Um paletot de seda palha por 7 i 500.
Urna camisa de flanella americana por 5)5000.
Urna peca de canibraia Victoria por 20800.
Urna peca de bordado muito fino por 700 rs.
Urna peca de cambraia bordada por 40000.
Um tapete grande para sala por 13(5000.
Um covado de surgelim diagonal por 200 rs. E' do melhor
Um covado de iustao branco por 360 rs. Sao bonitos.
Um par de luvas de seda, todas as cores, por 2(5000.
Um covado de cretone, cores claras, a 240 rs.
Completo sortimento de regatas, punhos, collarinhos, entre-meios, leques, ex-
tractos, bolsas, costurnes para banhos salgados, bicos lisos e braacos, roupas feitaa e
Officina de alfaia te
^wrmii BO'Wemw-M
LULAS
'.'-*
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados.


Na wa Primeiro de Marco o. 20
fk%\ DI
AJVL&IEAL & G.
gescoberta gnteressantissima
< PHIVILEGIADA >
PEflFIRES':QRIZA. SOBIFMDQS
APRESERTADOS DEBA1I0 DA FORMA DE UPIS (12 MMI fleto.)
Basta esfregar levemente os objectos para perfuma!-os
(a Cutio Roupa, Papei para Cartas, etc.)
li. SCrPvJSal^D, Fornccedor da C6t d~&90ai&
207,RUA -SAINT-HONOR,ria.ltt3
principias Perfumaras, Pharntacias 9 erogaras do mundo.
Vend9-se em
ledas as
UANDA-.sk DL'PAlUStKCAlALDCO ILI.VVTI;AtPO -.W*! mmmmmmmm
i
Peptonas Pepsicas
db CHAPOTEAT
Pharmaceutico do 1* Claaso
MANCA t FAIP.IC*
Approvadas pela Junta da Eygiene do Rio do Janeiro.
Empreadas nos Hosptaes de Pars e nos do Narinha.
A Peptona e o producto da digestao da carne de vacca pela pepsina de
Chapoteaut extraliida do estomago do carneiro e transformada em um ali-
mento soluvel, inmediatamente assimilavel, que vae ter a todos os pontos do
organismo por meio da circulacao venosa, e alimenta os doentes sem fatigar-
Ihe? o estomago.
O Vinho do Peptona e Ghapoteaut por isso indicado as molestias que
tem por causa as ms digestdes, as affecges do ligado, dos intestinos, as
gastrites, na anemia, na calorse; as molestias do reito, na dysenteria
dos paizes quentes, as digestoes difficeit e laboriosas. Este Vinho alimenta as
ereartfat, que nao supportao a comida, augmenta a secreco do leite das pessoas
que criao e torna-o mais rico; fortifica os velhos e levanta provpamente as fcrcas
dos conealescentes.
A Conserva de Peptona de Chapoteaut, qua pode ser empregada interna-
mente e em-**lysteres, tem o poder de aumentar dorante mezes os doentes ais
graves, como ds tsicos, que nao possao tolerar alimento algum, os cancerosos, oa
que soffrem da bev'ga, dos rins e da medulla espinhal.
Em rarao de sua pureza, esta Peptona a nica empregada no laboratorio
do Sr. PASTEUR.
Deposito em Paria, 8, roa Vivienne e as principaes Pharmacias
* .
'
b *
59Rua-< Duque de C&xxm^bQ
ADMIREM
Cortea de cretonea em cartao com figuriao e enfeitos, a 8<5000.
dem de oaohimiras bonUdas, a 251000/ uto i& 40)5000.
Setim preto, a WkXX), 1(5200 e 1)5800 o covado, yerdadeiroJIaco.
Grosdenaples pretos, verdadeiro Len, a 2|JtGO'4> dito.
Merinos, pretos, duas .larguras, a 500, 400;'1#000 e" l"j56W.
"Manfiftas pretas, a l'flOO, 3^000 e 5000.
Oiiwb Am 'cachimba' pretos1,- a 305000.
Fil bwdado, a 800 rs. o cavado^ para reos e- eafeltos.
Vel ludilhos de todas as cores, a 800 rs. o dte.
Zefiros de coces, a 80, 100 e 160 rs. o dito.
Linn de cores, a 200 rs. o dito.
Teeidos diversos em cores, a 240 e :80O'rs.1 odito.
Fustoosbramos bordados^a 360/'400'f'#60 rs. o dito,
i Lindas satinetas, a 200 rs. dito, aproveitem.
Cretones laagoitieoB, um-metro de -larfnra-, a 280 rs. e dito.
Chitas, bom sortneoto em Boros firmes, a 200 rs. o drtc.
Rendas austriar-a para vestidos a 500 re. o dito.
Cambnaias bordadas, a 45oOO, com 10'fardas,
dem Victoria, a 2)5500 e 3)5060,' com 10 ditas.
MadapoHo operior, a 65000, com 24 ditas
Algodoes naeionaes, a 35000 e 35600' com 20 ditas.
Ricas guarnicoes de crochet, a 75000 e 85000.
Toalhas de labyrintho par dem grande para tost;* 45000 a duia.
Ceroaka-de- braunante a 125000'a dita.
Meiaa iogloBas-superiores a 8#000 e 55000.
Camisas inglesas e trncelas a 305000 e 365000.
Cortinado, bordados a 65000 e 85000 o par.
Lences de bramante a 1(800.
Coberta de ga, 4o puos a 2M00.'
Sedes upenores, a 105000, sao de 155000.
Pannos para mesa a 15100 e 15400 owrado.
Atoalhados bordados, a 14900 o metro.
Bramantes-de dgodio, a 700/'900 e 15000 o dito,
dem de puro linbo, a 15600 o dito.
Casimiras era cortes, a 5000, 3*000 55000.
.Sargelina-diagonal; '200 e Q20 rs. o covado.
As^vendas" em1 grosso tenro dewconto^'de 14jc
MORRHUOL de CHAPOTEAUT
\
Parto*rattmtno e pfompiarara dat
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias do figado,
lispepsia, inditrestfics, clicas,
nauseas, diarrfiea, prisao do
ventre, falta de appetite, incom-
modos depois da comida, enxa-
quecas dores de cabera chroni-
cas, rbeumatiMino e nevralgias,
moh-stiiis da pollo, molestias pe-
ridicas das senhoras, e, alm
11 estas, muitas uut ras enfermidades que se
clas.sico debaixo de nina iniinidaile de
nomes, todas porm, oriundas da mesma
causa, & saber;
Desairan jos dos orgSos de di-
gestao e aesimilacfio,
donde pro v iu a impureza e o enfraqueci-
mento do sangue, com a deblUdade e con-
gestio de todos os orgos vitaes do sys-
tema.
Procurem-se
AS PILULAS CATHARTICAS DE AYER,
PREPARADAS PF.LO
DR J. C. AYER & CA.,
I.oivel 1, Mass., Kst.- L' nidos.
i ti'^i'nsi 111 nmM
Aiuga*-se
o pavimento terreo do predio sito ra do Bom
Jess n. lo, proprio para escriptorio por ter gra-
des, gabinete, etc.: a tratar na mesma ra n. 4,
escriptorio.
lu^ue barato
Ra de S. Amaro n. 14.
Baixa verde d- 3.
Becco da Bomba n. 8 luja.
Baixa Verde ns. 1-C.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra do Coronel Suassuna, quarto n. A.
Roa dos Guararapes n. 94.
Largo do Mercado n. 17, loja.
A tratar ra do Commercio n. 5, 1 andar.1
escriptorio de Silva Guimares & C.
O OLEO PURO
-DE-
FMDftMGAM
uams & ksmp
produz efeito3 anlogos a es da
Eraulso com
dos mesmos aenheres, no easo do
ser preferido o traotaiiianto nosta
forma para o curativo dos ineom-
xnodos
do Peito, a Garganta e os Pnimes.
rosas de vidrilho.
de algodSo
com
sem
0 Morxhuol eontm todos os principios que entrao na composico do oleo de
gado da bacalho, excepto a materia gordurosa. oleo, como sabem todos,
desagradavel pela seu cheiro e seu sabor, 6 muitas vezes rejeitado pelo estomago e
pcovc* a dtrraa. O aforrhooi pala aaoUsno baaa moomt paiot toan toa, a
actQlmente, nos tedpttaes e en lodosos stabetaetaieirtoB de earldaile, civil, os mdicos felicitao-se por ter encontrado no Morrhnol um medicamento,
que desparta o appetite, acaba com a tosae e os auores nocturnos, resttue
os tsicas as- cores perdidas, augmentaMbes as forcas. melborando considera-
velmente o seu estado.'0 Morrbuol, que as creanca* tom'ao sem a menor difficul-
dade; modifica promptamente a sua oonstituicao, qoando ellas sao debela e
lymphaticas e sujeitas a resfrtementos.
O Morrhnol, que 6 um* producto em tudo differente dos chamados extractos
de figaio de bacalho, encontra-se encerrado em capsulas redondas, cada urna
das q&aea representa 25 vezes seu peso de oleo escuro, que os medico*
reconfeMBarBcr> otrmais rico de prinoipios activos.
iS
PARS, 8, Ru Vivienne, em todas as Pharmaeias.
*">.
SttMtt
1K
Wl
Molestias Nervosas
Garsinas do Dbutor Gliii:
Laurala da F-acuMidm d*- Uodioia de Pars: Pnmh Morilyon
.........................
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Campbora eoapre^a-se
jki3 ilolaetias, as de Cerebro e contra as afTecc&es segua tes:
Asthma, insottinia. Palpitacoes) do Corocao, Epilepsia, Hallncinaco,
Tonteiras'/He'micrania, AHecgoes dae viai urinarias et para calmar toda
especie de> excitacao.
' 41B Urna etoiiticio OeteDmd acomptnhk sdt fVttOO.
baj ...,
[ Exigir as Verdadeiras Capsulas o Brnarto de Camphora de CLIN & C'S
d PAftlS, que.te-entontroutm'foaea dos Droguistas et Pharmaceuttcas. ^
i i
.
PEEEIBA & HAfiALHAJES
mam
nmmmmmam .*. o?blaod
Emjmgamrse eran'cpuai(*>x!t6* ba malsi 4e rSO aaa>pelalor p**te doaranuKitiS'
oa Frantizea e i*Orii;4*roa yaaaad AXEHMA,ClfCOMOgB (eSre punidme)e-a
WmrnuAfO ** t*:iinae.
"A inasr^Svac novo VWUfJlstanc ^utroslr* o fac'.o da bavar a Jauta -Mjcfmm 4a
vancado ameaeiaQ*ssimiai, autorlstndo.lncara vaoa>,aaooaaqualquar encnalo
laaiwiaa aiia lilil m'i iartT 4avaMar* *u* H m mes aaaaam a
DJSBOONFIEM-SB DA IMITA9E8
> HtmelOi MMM, mu llM'Wr Mo*.
9 0
r
ABIS, t, IDA ATIKKE
- SPOSTfOr EM TODAS AS nUMOIPABS PHABMACIAS
AROPE
DE
Agrio, Jo- e Cambar 4o Sorte
- preparado por
BARTHOLOMEU &C.
MI.'CCI'WMMIKW
, Est cabalmente provada a effieacia do
agriio para acur das molestias attinentes
aos orgaos da respiracao e juntando a essa
precioBft.planta as bao menoseenheerdas Jo
e Cambar do'norte, cujos effoitos balsrtmiJ
coa tnif sido^obsevadosfTporflongO'temjK),
torna- se o nosso xarope de ageiO, jo e
CAMBAR DO NOkTE o primeiro recoramen-
dade para a-cura das. diversas .molestias
das vias reapiratorras, desde- a phaiyn|te
oa mal da garganta t a tubereulose>
abrangendd as diversas bronchites, cathar-
ros e pleurisias.
' Os innumefos attestadas que temos de
curas 'conseguidas por esse poderoso pre-
parado nos autorisam a fecommbndar o seu
nso1- de preferencia a qublqer outro.
Uepotttto jeral
pnARMAClA E D-ROGARIA
34ha' carga do rosario34
im:kv%ubico
Engenhos
Arreftdam-se os engenhos Cachoeira e Bocea
da Marta da comarca da "Victoria, a tratar na ra
dd'ImpeTldrn. 50,1."andar.
A Opiniao
Nesta ypograpbia onrora'se o tt. lP da fo-
Iha intitulada A Opiniao, de 1880, que e'pBbli
ou nestac cidade.
20$000
Aluga-se o 2- andar rua da Guia n. 62, com
i salas, 3 quartos e cosinha, acha-se limpo ; tra-
ta-se na loja.
20#Q00
Aluga se a casa a. 16-C da ra de RiaehuelloJ
com 8 salas, i quartos, quintal e cosinha ; a de*l
n: 16-1), junto, por 183 ; a de n. 14 em S. Jos;:
pori2, com i salas, i quartos, cosinha e quin-
tal ; a de n. 16, junto, por 14, com i salas, 2
quartos, cosinha, cacimba- e sotao, todas acham
se limpas e as chaves-estiky junto para ver ; tra-
ta-se na ra da Guia ti. 02.
Am de leite
Na'rea do Vigarto n. 25. 2- andar, precisa-se
deomatma deleite para eriahea.
li iacho do Padte
Previne-se que o co-proprietario do engenho
Riacho do Padre, sito em Agua Preta, que quer
vender a sua parte, dono rnente da sexta
parte, e as bemfeilonas qae diz ter feit.acbam-
se em terreno que nao pertence ao ongenho.
G>n*timemha
Esta mimosa walsa para pianno composico
do fe3tejxdo professor Candido Filho, est aven;-
da a lOOOo e\emplar as ssguintes casas :
J. KrauseRa Primeiro de Margo,
i Bento1 Machado-Ruar,Nova.
Lenidas -Rn da Imperatriz.
AaevedeIhiro da -Victeria.
DuarteImperatriz.
TratamWto
r

Reconstituate
::
COM EXTRACTO
de Wigoio* de liacnthmii
Qirina e Cacu
Cada frasco d'este,
ELIXIR 'con tem
princiaiot dopurativot a (
tnicos da um litro da oleo (
da fgado da bacalhu' a <
umKtrodinho da Quina. <
Goflapra-se
tun eStabelcTtoento de seceos e molhados, pre-
ferindo-se is margens das vias-frreas at Api
pucos '-oa eserainhada de -Berem; pagarse be ni,
agradando : que o tiver nestas condiges e
queira desfazer-se pode dirigirle ra Direrta
numero 26.
Engettho
Arrda-se o enenlio Arariba -e Wmentel,,
sito na comarca do* Cabo, em trras d^ grande
fertilidade, movido a agua, tem todas as obiis
necesssvias^iefcsa1 de vivendae de laVrdores,
sement, etc. : u tratar na -ra-Primeiro de Mar-
co n. 13.
Movis austracos
A' ra do Mrquez de Olinda n. 54
Vende-se movis austriaeos, tanto em/groso
como em partes, dos mais ricos modelos que tm
vmdo a esta provincia, o por precosr"'muito re-
duzido, para liquidaco de facturas e bem as-
sim
Sobrado
Aluga-se o S* andar do sobrado ra de mingos los Martins n. 138, com amitos com-
modos para grande familia e por preco commp-
Idb, em'bom'estado' de'aceioi o qua flea con-
frcnle ao fundo do armazem de Carneiro Yian-
nae a tratar na ra do Marque de Olinda nu-
mero 54.
Gasa terrea
Ataga-se uma^'Ufagm'fica casa terrea; com
bonseommodos I roa da Ventura-fCapunga) n.
34, a tratar na mesma ra. no sitio junto pon
'te d fallecida D. CandidH'haseiTe.
Aluga
-se
2, a
_*l_a___J-J" -"" \M
Tem sobr* o o!o d
fgado da bacalhu a van-
tagtrn da accaterar ai
func^oea do tomajol
am lugar de as perturbar, [
a de deepertar o appatita.


Este Medicamento, de sabor e gst
muito agradareis, obteve o melhor snc-
cesso em Franca para combater :
ANEMIA, CHLORSE,
i AFFECQES dos BRONCHIOS
e PULMES,
e a FRAQUEZA das CRIANZAS
Depsito gera) em PARS :
StrOBAMF, 15, ra de Polton
Em Ptrnambuco ;
'A Meo M yjH_yA m Q.
^?^^#W#NF*5eF7
C0Nrf3hE*(Kyi)A
IVIUTAMBA
PBEPABADO 1H TNICO' K POMADA POR
X. 3D(Kr,STjrG
Garftt#Sea"ttrr da'CAtVlcrE, qddA
DOS CABELLOS, CASP*A3 e NEVBALGIA8 na
cabera.
Vende-se na loja de' cabeleireiro de
ODILON & IRMAO m
o ^Ritii dn( iwperaKYlzaJb
ni
i1
PET
Administrando diariamente urna lnj
sobcutana com o conteudo de urna el
de Praviz (modulo Lo Brun jaela de
EGALTPTK1ALBIRI
OOKk-SB'
a Ti*tca,< as 'Hr-nachite ^[
Catmrrhoa puUktonare
A Sfeoalyatlaa ito coBtm morphma
LE- BRUN.- Pharrnaceot'M-ChlmlcOJ
?AIU8. SO SSL Fa'Pooro ft)nuaaTS J'
roa ImM/'tta, TARIS
Danjaj eavm>:ahiUr*E!-1. ti ttttl: f.''
a casa terrea travessa doe Guararapes- n.
1rata ni rtia'cfd'Mrquez-de Olmila n.' 54.
Coffies de ferro
dos melhores fabricante? qut-tem vmdo-a esta
provincia, como sejam Mibfcrse outrosfabricafl-
* Todas garomidwwdeveTdarfelraRfiSuaHicafMeiasiJe lSpaa homeis.e Setdmras.
pro va de fogo. T :-1 -T l",A **>>** -"
\o ^rmairfui urp^rador de
Carneiro t*-ia-?a>a
Caatellas do tele de iwmr
Compra-se ranteWaB do-Moftie t Sobebmx t
qualquer jaia, brimantes t lelpgioss paga-*
bem na'mca da' mdeperfdeficia c. 12, loja t
rtloioeiro
ViobopiiM de untaren
Da Quinta do-Brral
Cbegou a pnmeiraTemetesu deste especial -v
aho para d Armazem Central de generes-alimen
ticio9 aina do Cabug n. 11, o qual se tornar
oommeireado pela sua-pureza e boa qualidadt
mand*se em casa dos distiactos freiiuezo? lim-
de frete, para qualquer poatoda cidade.
RiiadoCabagn. 11
Telephone n. 447
Joaqun, Christofo & L
Gh verde fino
Alheiro, Fernandes & C, espccialitas ueste
artigo.' vendem em sen estabfecimrtito1 da me
Ihor qualidaae que vem ao mercado, em pacotes
e a retatno, e por preco mdico
Vinhos de Pasto e Figueira, propiios. para re-
feicao e de superior qualidade, venae-se no
mesrno estabelecimento, c por preco resunlidis-
simo.
Assim como,tambem aomesmo estakeleci-
mento se encontra superior caf moido em pa-
cotes de 500 grammag, a 600 rs! o pacote.
tRa am Inajaftfpatrla f*
TELEPHOJB R Vm
Professora
Urna senhora competentemente habilitada,
prope-se a leccionar em collegios e casas par-
ticulares as seguales materias : portuguez,
francez, msica e piano a tratar na ra Vis-
conde de Albuquerque'n. 20. ^^
AFLOKIDA
GalSes, palmas e
Bicos de seda
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 e 4^000
a duzia.
Bordados de camb aia tapada a 400, 500
600 e 800rs.|apeca.
dem com 3 e Ii2 metros, de qualquer
argura a 10200.
Lencos de linho em caixinhas a -30000 a
dita.
Meiae para, homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duaia a 40000.
Lindos leques transparentes de gaze
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Fias pulseiras americanas a 40,^60 e
80000 o par.
J)kaa de -pheatafiiaV gesto moderno, de
20500 a 30eOdo-fiar.
\-ortinadi t'idos do -'crochet para- eaftia a
' 123000,' 170000 C-19J00 o par, alguna
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 e
120000.
Toncas de setim para baptiado a 30, 40 e
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de titas modernas.
Baleias a 280- rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car-
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a
Arquetes para chapeos e chapelinas a
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20000 o
par.
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
saaduario- e consellos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos* ditos para enftita* "cabdea e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 e
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 a
10500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprio
para creanca.
Bengallas com flauta a 10500.
Linha aburada para fcso? erofltet.
Lindas fitas 'parifracn a^'otf e 4WX
o metro.
LimtOB legues de setim para casamento.
Grande sortimnto defeques1" de setim" o
de papel de tontos" as cores.
Ensorios americanos a 20000.
s desenhos para talagarca.
cafteiras para algibeira- dtY 1, aV,
9 e 30000 ama.
Raa Duque de laxias n. 105
i -
i Mito urgente
Precisa-se de perfeitas costureiras; na ra
Barao da Victoria n. lo, sobrado
Ao
commercio
0 abaixo assignaJo retirando se para Porin-
gbl, declara que deixa como seus procuradores
aos- Srs. Clemente G. Netto. Albino da Silva
Brito e Jos"Nicolao T. de Araujo, naTOrma1^!
Jue ficam collocados. Outrosim, pede descaSa
e, pela presteza de sua viagem, nao ter-se des-
pedido pessoalmente das fjessoas de sua anu-
zade, oflerecendo seus hnitados prestimos orie
se achar.
Recife, 3 de Maio. de 1889.
Antonio Jos Carvaluo Jnior.
Engenho a arrendar
0 CauaDdtibi, prximo a estacao deJaboato,
mnito bom d'agua, e ha pouco reconstruido, tfta
extensas trras e matas para safrciar at 2,001
pes de assncar a tratar na ra larga do Ra-
sarlo n. 37.

I



8
Diario de Pernambujo-Sabbado 18 de Maio de 1889

4
Papel de forro
de sala, gabinete e corredor, esplendido sorti-
mento na livraria'TJontemponnea.
Quadros
com beHlssimas oleographias, obiectos para
adorno de sala e para presentes, ludo encontra-
sej .livraria Contempownea, ra 1- de Marco
Mal^s deviagem
para roupade seniora e de honem, propria de
camarote e caminho de erro, bolsas, cfuipelei-
ras, binculo?, etc. etq, artigos muito boii3e
baratos na livraria ConHDpora|ra.
Instrumento* de msica
para banda e orchestni.^alqB, oaixinhas com
i 2 e 6 peca*, jpgwa cr^pca ; na livraria Con-
o ranea.
< o sin 5 i eir
Precisase de urna que cosinhe bem e nao saia
ra ; a tratar na ra do Calinga n. 14, primei-
ro andar, de meio dia al 2 horas.
Cozinheira
Precisase de urna ama que cosinne nem, pan.
casa de pequea familia, que durma em casa
dos patroes ; na ra Conde da Boa-Vista n. 24-F.
portao de ferro_______________________
Attndam
Una senhora. perfeiamente habilitada a lec-
cionar portugus e fruncez assim como todos os
trabalhos em bardados e flores de todos os gos-
tos e especies offerece-se para ir a casa das
familias que nao quizerem mandar suas filhas
para as aulas ; assim como tumbem ir reMdir
na casa de alguma familia abastada que queira
para mais commodidade de suas tilhas. Aftitn
jase conduca honesta, prudente e moralisada.
quem precisar pode dirigir-se ruado Barao da
Victoria loja de fazenJas Pariz na America nu-
mere 16. ____ _____ __
Engenho
Arrendase ou vende-se um engento moente
e correte na fieguezia da Varzea : a tratar na
ra do Vigario n. 31, primero andar.
Ao coinmercio
Os abaxosassignados, componentes da Arma
Cainar.i Braga & C., estabelecidos ra Direia
de Afogodos n. 31, declaram que dissolveram a
sociedade rctiraudo-se, q socio Antonio Botelho
da Cmara Braga, pago e satisfeito de seu ca-
lucros Meando o Activo e Passivo a cargo
do socio Jos de Souza Nane Brat
Recite. 8 de Maio de 1889.
Antonio Botelbo da Cmara Braga.
P,. p. Amonio Joae l1
Ag-ostinho & Irmos
Collar de Ouro
- IM d OaH -A
Como fizessemos urna grande reforma em o
nosso estabetacicnento, tizemos ambem redue-
co nos preces'de noasas johs da ouro, prala t
bnihantes. Pedem a seu- ami^gB e freguezes a
virem comprar lindos objeclos com pouco di
nheiro. ompra-se ouro, prata e brilhantes err
obras servidas, a paga-ae beca. Concerta r
refugta, obt*e t oaro e wjU eoaatjimn/- .,
1ISnJO-000 CIRA^ f
Engenho
Arrenda-se o engenhe Riacho d'Antas, distan-
te legua e meia da estaca de Timboass, bom
d'agua e de tenas e tem i astantes lavradores :
a entender-se com o proprietario no engenho
Bemfica, visinho ao rr.esmo.
DORES E DeDENTES
PREPARADO NICAMENTE
POR CALASANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos, inchaeoes, dores aciaticas, nevral-
sjias, dormencia, etc., empregaiido-se em
fomentares sobre os lugares affectados
Cura o beri-beri, as paradysias e as dores
de dntes.
Todos os frascos levam direccBes para
uso 'este medicamento admiravel.
Preco 1(5200. Descont de urna duzia
tm diantel ____
DEPOSITO NO RECIFE
^Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n.23
Exp<
>enmentae
A bronchite e a coqueluche curam-se
maravillosamente por meio do Peitoral de
Cambar, que se vende em casa dos agen-
tes Francisco Manoel da Silva & C. e em
todas aj boas phanmtcias e drogaras ties-
ta capital.
Experimentae !

GARBOS INDIANOS
preparados ota CANNABIS INDICA
par GRMAULT e C, Pb- imwmphhi i fcf fc mii !
Constituem a preparadlo a mala
.Ocas que se conhece pan
a asthma, a oppraaaio, aa
oafM, a
tarrhoaaa
ai r
BEDFRERS
Constructores a Ham, Franca
Representado por Emilio mi-
llo o. eagenhelro meehanfti
(PERNAMBCO)
Assentamento completo para engenhos cen-
traes e Uzinas pelos processos os mais aperfei-
coados.
Moendas e repressao mltipla.
Corte-cannas vertical, systema Bedu.
Dirfus.io, circular e rectilinha, dito Bedu.
Diflusao continua do bagaco dito Perret.
Fornos para queimar o bagago da diffuso,
dito Bedu.
Filtros mecltanicos a liltracao mltipla.
Turbinas centrifugas (economa, lirapeza e
Irabalbo rpido.
Em geral todos os apparelhos os mais moder-
nos e os mais aperfeicoados para o fabrico de
asacar.
N. B. O Sr. Emilio Billion fazendo urna via-
jera de 3 mezes na Europa, durante a sua au-
sencia dirigi as cartas e pedidos a casa Bedu
Freres a Ham, que forneaer plantas, orcamen-
Uis etc., e por qalquer negocio urgente infor-
marse ao Sr. Eugene Chaiine ; 24 ra do Com-
rnercio, Becife.
Alug;
a-se
o sobradinho no becco do Qniabo n. fii (Afoga-
dos), caiaio e pintado de novo, com quintal
grande, cacimba e diversos ps de fructeiras : a
tratar na ra de Harcilio Dias n. 106.
Boa morada
Alugam-se tres casas com commooos para
familia, no Arraial : a tratar na ra da Harmo
nia, com Moreira da Silva 4 C ______
Cosinheira
Precisa se de urna, que cosinhe com perfei-
co : na ra Duque de laxias n. 91, loja.
Queris curar-vos ?
Se queris curar-vos da vossa toase ou
da vossa rouquidSo, tomae o Peitoral de
Cambar, que ficareis logo curado.
Os agentes,
Francisco Manoel da Suca & C.
folp
SEM MI
POR
r:::: nmimt
. A falha da gouraga
(Continua$3o do n. 110)
CAPITULO VI
a*a f-pioboH
Ella mostrava-8e toda pensativa e ainda
ais commovida fallando assim.
O mancebo estremeceu involuntaria-
mente.
Que quer dize-f minha querida Clo-
tilde? perguntou-lhe elle, com o coracSo
pul ando mais violea^ncnte que de cos-
tume.
Ella meneou a sua fina cabeca loura.
Quando fallei-lhe na minha vida de
crianca abandonada, respondeu ella, nao
Ihe contei senSo a minha existencia de
convento e as cousas que lhe seguiram.
Mas, muito mais longe ainda que aso, na
noite quasi completa das minhas recorda-
coes, ha um episodio encantador e inolvi-
davel. E' a de um pequeo companheiro
i minha infancia, muito mais rico e mais
altamente collocado que eu, mas que ia,
apezar disso, a pobre choupana onde eu
era criada, e tao bom, to ineigo e tito
amante !...
O mojo sbitamente parou, suffocado
tambem por urna lufada quente de recor-
dables e de ternura roais intensa.
E tinha o meu norae, ease seu pe-
queo camarada? perguntou elle.
Sim, chamava-se Roberto, como o se-
ali
Roberto de que ?
Esqueci rae. Foi ha tanto tempo!...
Doj. annos Cin seculona miuhaidade !...
Em que lugar foi entao criada, mi-
h lotilde?
AO 55
Convite s familias
Pede se attenjSo para os preces abaixo
mencionados :
Cambraia com salpicos a 4?S000 a peca.
Rendas hespanholas a ljjt o covado.
Madapol&c americano a6^, 7(5e8^XXl
Renda da China, novidade, a 240 rs.
Amor da China a 200 rs. o covado.
Zefiros a 160 e 200 rs.; cousa chic.
Espartilhos, grande sortimento.
Guardanapos a 1|}600 a duzia.
Capas para senhoras, novidade.
Fust<5es brancos a 400 e 500 rs. o ce
vado.
Linn bordado a 800 n. > covado.
Toalhado para mesa a 1)5 o metro.
Esguiao pardo a 400 rs. i covado.
Babados e ntremelos, grande sort
ment.
Colchas muito bonitas a 2|000.
Enxovaes para baptisados, finos.
Merinos pretos e de cores a 500 rs o
covado.
Cortinados para cama a dJOOO.
Las a 240, 320 e 500 o covado.
Luvas de seda a 2|{KX)0.
Crinolines a 400 rs c metro.
Cambraia branca a 2J8O0 a peca.
(irnaldas para noivas.
Setins de todas as cores a 800 rs. o eo
vado.
Cortes d cachemira, c usa chic.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. o
covado.
Collarinhos e punhos grande sortiment).
Cretones para vestidos a 320 rs.
covado.
Toalhas felpudas, grande reduccSo en
preces.
Camisas inglezas com e sem collarnho
Mantilhas pretas.
Brins para roupa de criancas.
Setins de quadro, em cortes, gostos no-
vos e prejos commodos.
Batistas a 120 rs. o covado.
Cretones para coberta a 500 rs. o co-
vado.
Tecidos arrendados para vestidos, cou-
sa chic, a 400 rs. < covado.
Tapetes grandes e pequeos.
Bramantes 1 sos e trancados a 800, l
e 1)>200 o met-o.
Alm do que rica mencionado, temos
mais outras pechinchas que s vista se
pode acreditar.
Da-ae amoatraa sem penhor.
55RA DUQUE DE CAXIAS~fe
FERWMSDE4ZEVED0IC
Vende-se

VENDAS
Vinho particular
So arraazem da ra do Amonm n. 60. vende-
se o que pdde haver de melhor pelo mdico -pre-
i'o de 7090 o garrslao de tres caadas, voltan-
do o casco.
Padaria
Vende se urna padaria das- mais centraes da
cidade, e urna das mais afregnezadas, desmn
cha raensalmeote J30 barricas para cima. 0 mo-
tivo da venda o dono querer retirar se por se
achar doente, quem pretender, faz boa acquisi-
cSo : a tratar na roa o*o Noguoira n. i, esquina
da ra vellia de Santa Rita.
Vende-se
o cstabelecimento sito ra uo Rosario da Boa
Vista n. 11 a tratar no mesm
Na Normandia.
Ohl como singular!...
Que quer dizer ?
A aldeia mais prxima nao chamara
se-Villero Feuillu ?
Sim, era o nome della.
E a mulher que a ;riava Martinha
Fresnay ?
Ah meu Deus mea Deus !... Ro-
berto, disse ella muito pallida. Entao 6...
Elle nao deixou-a terminar.
Sim, ioinha querida pequea, disse
elle, tao coramovido como ella, apertando-
lhe demoradamente a mo, sou eu o Ro-
berto da sua infancia. Eu, o sobrinho da
Sra. de Romilly, eu que estimava-a j,
minha irmSzinha tao meiga e tSo gentil...
Admira entao, depois disso, que eu a te-
nha estimado tanto e tSo depresaa quando
a encontrei?... Olhe, minha pequea Clo-
tilde, os meufl olhos nSo a reconheceram
logo; voc creaceu muito e ricou extraor-
dinariamente bella para que tal se podesse
dar; mas o meu coracSo, esae nao se en-
ganou e readquirio rpidamente o querido
habito de outr'ora.
ConW Deus bom .'... murmurou
ella extasiada por estas doces palavraa.
Imagine, Roberto, que eu detestara
quasi essa recordaco. Parecia-me que a
alfeicSo conservada pelo meu querido ca-
maradazinha roubava-lhe urna pareella dos-
te coracSo, em que vo'; hoje vive s com
a minha bemfeitora. Agora eatou contente,
contente at loucura... Elle voc !...
Os dous mocos Jsubiram nessa noite a
Montmartre, de mos dadas, calados, vi-
vendo no passado, bemdizendo a Deus por
aquelle encontr tao inesperado, inebria-
dos pela ventura de haverem-se conhecido
outr ora, de se haverem sempre amado.
Co ilde entrou em casa, continuando a
nSo ter no seu coracSo, calma, sem arre-
pendimentos, como sem ambicies, achando
muito bom aquelle affeeto, que ella cha-
mava incessantemente de amisade frater-
nal, e que continuava a encher tao abso-
lutamente a ana vida.
Roberto, de seu lado, sentia-se talvez
mais feliz ainda que "sua amiga.
Quem sabe, elisia elle comsigo, se
mesmo inconscientemente, nao foi a minha
recordaco que protegeu-a e salvoa-a aa
sua pobre existencia tao abandonada ?
Quem sabe se nao foi ainda W recorcia-
yao que m'a conservou t3o casta, to puia,
tao immaculada?
E' n'ura hymno louco de reconhecimen-
to e de amor, a sua alma dilatava-se, pres-
tes exploair de alegra. *
Quizera contar a sua aventura s M-
nm cstabelecimento de molhados. dos melhores
em retalho ra do Bangel n. 53, e urna cochei-
ra de vaccas tourinas especiaes, sendo duas com
duas bexerras. e urna com seis mezes de barri-
a. e um cavalb andador ; garante se a chave
a casa a quem comprar e a-se a freguezia pa-
ra o leite : a tratar na ra do Rangrl n. 53. A
causa destas vendas o proprietario ter de reti-
rar-se para Europa.
A Revolucao de 48
A" ra Duque de Caitas n. 18
NAO CREIO QUE HAJA COMPE-
TENCIA DE PREQOS
Neste mnito acreditado estabelecimen-
to de fazendas finas o modas, como j
teera provado aos seus freguezes, que ven-
dem por menos 3) i0 do que em outra
ualquer casa, continuam a ofFerecer as
vantagens.
quadros e lisos a 200, 240 e
280 JMvado.
Seda alfl tL (fantasa) padioes escolhi-
rloV a r"^"fi. o covado.
Xetii'itadc quadros modernos a 120, 140,
200 e 240 rs. o covado.
Cachemiras lisas e de quadro (combina-
cao) a 320 rs.
Organdis (fazenda de fantasia) a 400 rs, o
covado.
Nanzuks muito finos de 120 a 240 rs. o
covado.
AlgodSosinho muito largo e bom, a 4f?000
e 5 a pessa.
Fichus de 18 de todas as cores de 10,
1*500 e 2 um.
Cretones claros e escuros a 160, 200 e
240 re. o covada.
Leque.i transparentes a 2$, e de papel a
500 re., para acabar.
Lindos cortes em cartSes com aviamentos
a 60, 8 e 100 um.
Camisas de meia (pechincha) a 15 lfS200
urna.
Toalhas de cores para mesa elstica 50
urna.
Camisas francezas de linho puro de 4
por 50, urna.
Brini branco n. 6 a 10600 a vara.
Madapollo americano com um metro de
largura a 60 n pessa.
Brins de linhos de cores finas e garantidos
a 600 rs. o covado.
Bramante trancado duas larguras a 400
rs. o metro.
Atoalhado de linbaa 10500 o metro.
Cortes de fustiio para colete a 10 e 10500
um.
Toiletts para baptisados, mnito finos a 100
e 120 um.
Espartilhos de courafa a 40 e 50 um.
Cachemiras de 1S pura, claras e escuras a
20 o covado.
Setins de todas os cores a 800 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras finos a 40, 50, 60,
70 e 80 um.
Lencos de cores, imitado de seda, a
10800 a duzia.
Esguiao de algodSo, duas larguras, a
30200 a pessa.
Colchas de crochet com palmas de cores,
para noivos a 100 urna.
Capel las com veos a 80 urna.
S na Revolucao de 48
HENRIQUE DA SDLVA MORED1A
Machina
Vende-se urna de forca de
dez cava]los a tratar a na de
S.Rita n. 71.
Remedios homeop-
ticos
Vende-se por menos de 50 "/O do prejo desta
cidade, urna ambulancia homeopathica, rinda
de Hamburtro pelo vaoor Campias, da casa de
Kart Otte, mu propria para o interior da pro-
vincia, pela variedade dos remedios, em vidros
de esmeril fino, com 30 e 60 grammas de reme-
dios, de alta e balxa dyn.
Alcool de 60 e 80 gr., opodeldoc de Rhus.
Biel, Sulf, rnica, Ruta, etc.
Tint. de rnica calendule, vidros sonidos de
10 a 900 grammas e ralbas de cortica.
Carteiras para algibeira com 40 tubos de re-
medios. O motivo da venda para quem man-
dou-se vir estes remedios, deliberar ir para Eu-
ropa. Para vel-os e tratar, ra Duque de Ca-
sias, loja de ferragens n. 46.
A LOJA MAIS BA'RATEIRA
PARIZ NUMRICA
AZEVEDO, IRMaO & '. .
1$Ra do B. da Victoria16
200 Tdephone -200
Tendo recebido directamente da Europa
grande, sortimento de fazendas e modas o
que ha de mais novo e precos sem com-
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda c merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 12 e S. seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 10200.
Cnoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com 10
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
MadapolSo trancado a 90000 a pe5a.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito BSa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichus de II e seda 10000.
Brins de linho cGies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000.
Colchas de fustSo a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado a
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimente de saia a 10500.
Renda de la, preta, para quaresma.
fano verde para buhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama a
100000.
Chitas de cores a 200 re.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de c6res a 800 e 10000.
Extracto Rite Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnigSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roanas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de rusti de cores.
Dito de casemira de cSres.
TELEPHONE 200
WBISIT
Roya) Blend marca YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede R0y.1l Blend marca Vlado
cujo nome e emblema sao registrados pare
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
C'arvo
Vende-se na padaria de Mello & Riset a 408
rs. a barrica na ra larga do Rosario n. 40
trellas, dizel-a aos anjos, encher com ella
trra e cos !...
Amava extraordinariamente, absoluta-
mente, exclusivamente, tanto quanto o co-
raclo humano pode amar.
E era amado do mesmo modo pela mais
sublime creatura que se pode imaginar.
De repente vio se em frente usina.
Pelas janellas abertas ouvia-se a.voz de
Georgina.
Ella cantava e Adelia acompanhava-a
ao piano.
A moca tinha urna bella voz de mezzo,
mas que, as notas graves sobretudo, era
de urna seceura e de urna aspereza extra-
ordinarias.
Aquelles sons arrancaran) Roberto de
seu sonrio de ouro e chamaram-n'o cruel-
mente realidade.
Elle den volte pelos massicos, passando
na sombra da asina para nSo ser visto do
sallo.
Depois, chegando aos jardins, tomou a
escada commnm e dirigi se para o seu
quarto.
Ahi, atirou-se na cama, oceultou o rosto
as rnSos e desatou em solucos.
Meu Deus! murmurou elle no meio
das suas lagrimas, como o dever cruel!
NSo poderei jamis cumprir o meu, por
que prefiro morrer a aceitar Georgina co-
mo esposa e renunciar a Clotilde!
CAPITULO VH
A vonladr de Georilaa

A intimidade de sir Jonathan Pie re e
com a familia Chaniers crescia de dia para i
dia.
9 americano nao fallara em voltar para
Nova-York, e ninguem na casa de seus
hospedes achara exquisita a sua longa de-
mora em Franca.
Elle estimara tSo profundamente Geor-
gina E em todas as suas relacSes com
Pedro de Sauves usara de tanto tacto, de
tao grande delicadeza, de tao elevados
sent montos I...
Adelia achava-se absolutamente con
quistada.
E isso sem discussfto possivel.
NSo era alias cousa de admirar; Geor-
gina constitua a sua fraqueza.
O que anual comprehende-se ; a moca,
nascida em circunstancias tao dolorosas,
representava pfra ella nao smente o que
sao habitualmente as outras filhas para
suas mais, mas tambem a recordacao da-
quelle que morrera tao trgicamente.
Quanto a Pedro sir Jonathan havia in-
struido Roberto e tratado delle com urna
dedicacSo que tinha antecipadamente abor-
to ao americano as portas daquelle coracSo
leal e bom, que nSo sabia senSo amar e
acreditar no bem.
A propria Suzana, diante da grande cor-
rente de sympathia que cerca va o recem-
chegado, pareca ter dominado a sua m
impressSo dos prime.ros das.
Ter-se-hia desvanecido realmente a sua
antipathia ?... Teria a rapariga mudado de
opiniSo ?
NSo o dissera.
O certo, porm, que ella nunca com-
munieara, nem mesmo Adelia as suas
impressees sobre o estrangeiro.
Entretanto via-o de perto, de muito
perto mesmo, pois todas as manhSs, antes
do almoco, conforme lhe havia pedido sir
Pierce, a joven criada levava-lhe Geor-
gina.
Embarcavam entao todos tres no carro
que esperava sempre sir Jonathan porta
do Hotel Continentel e dirigiam-se para
onde quera conduzil-os o capricho da don-
zella.
Sir Pierce fazia Georgina e Suzana
sentarem-se no fundo da carruagem, esta
direita, no lugar de honra, e tratava-a
nSo como criada, mas como se ella fosse a
propria Sra. Chaniers.
Iam entSo casa de todas as boas mo-
distas, a todos os armazens de nomeada,
viaitavam todos os bazares, casas de quin-
quilharias, as ioalherias sobretudo...
Sir Jonathan nSo achava nunca Geor-
gina suficientemente, caprichosa.
S r1 dizia elle sempre. Olhe, Geor-
gina, quando os seus bellos Alhos riem e
dizem-me obrigado, sem mesmo que os
seus labios se movaro, quizera possuir os
thesouros de Golconda para lanjal-os a
seus ps.
Ella pareca impressionar-se com esse
transporte louco de ternura, e estimava
extraordinariamente o americano... tanto
quanto podia estimar o seu coracSo.
Aquelles passeios matinaes pareciamalias
constituir urna grande alegra para aquelle
homem tSo fri, tSo senhor de si, e que
poveas emocSes encontrava fra da casa
de Belleville. *
E entretanto elle nao era completamen
te feliz.
Suzana, apezar das suas attencSes, da
constante sympathia que elle testemunha-
va, recusava todos os seus presentes, mos
trando-lhe evidente frieza.
NSo smente nos seus passeios ella nSo
escolhia cousa alguma, nao aceitava nada,
como tinha silencios exquisitos, durante
os quaes fixava singularmente sir Jona-
than, parecendo, com os seus olho ne-
Leite puro

Na estrada de J0S0 Fereandes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.
Pao centeio
Mello & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-letras, tem este sa-
bproso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
Para jornaes
Papel formato Diario, 500 felhas 7500
Dito dito Jornal, 400 folhas 5*000
Dito dito Provincia, 400 folhas 4*800
Vende-se na fabrica Caxias.
Superior queijo do Serid a
1$500 o kilo
S no largo do Mercado n. 11, Gomes Ferreira
& C. Successores.
gros, um pouco duros, querer 1er at o fun-
do daquella alma mysteriosa.
Um dia elle sentio-se mais embarazado
que de costume sob aquelle olbar inquisi-
dor ; elle, entretanto, o impassivel, e cuja
fleugma americana nSo se perturba va f-
cilmente.
Por que razSo olha para mim assim ?
perguntou-lhe elle meigamente.
Dar-se-ha caso que isso o incommo-
de ? replicou a joven criada examinando-o
mais attentamenet.
Elle tentou rir-se.
NSo, redarguio elle, os seus olhos
sao muito bonitos para que tal aconteca.
EntSo que mal existe nisBO?
Nenhum. Perguntei para saber.
Pois bem! eu medito...
Em que? %
No passado.
Ella nSo insisti e falln immediatamen-
te em outra cousa.
Nem um msculo do seu rosto se havia
contrahido.
Parecen entretanto a Suzana que os
seus olhos pardos tinham-se sbitamente
annuviado.
Na usina elle tinha-se recusado formal-
mente a immiscuir-8e no quer que fosse
relativo aos seus negocios.
Foi entretanto iorcoso um dia ceder s
vivas instancias de Pedro, que quizera,
exigir quasi, mostar-lhe tudo quanto
dizia respeito sociedade commum : os
utensilios, as machinas, os modelos, a
escripturacSo.
Elle entrara entao pela primeira vez
no gabinete que Pedro oceupava nessa
poca com seu filho, depois de o haver
durante tao longo tempo partilhado com
sua irmS.
Nada ali tinha sido mudado^ desde que
o Sr. de Sauves, volta da sua prisSo,
encontrara o retrato de Jorge e o su
pendurados a parede pelas mSos piedosas
de Adelia.
Era de manhS quando sir Jonathan
ali penetrou; Suzana, tendo-se negli-
gentemente atrazado n'um servico que
nSo fazia sem duvida de ordinario, lim-
'l pava as quinquilharias da chamin, as
amostras dos ltimos modelos, espalhadas
desordenadamente sobre as mesas.
EntSo, disse sir Pierce com a sua
voz calma, sem inflex3es, com a voz que
tinha sempre fra do lar da familia Cha-
A Loja das Listras Azues
A' RA DUQUE DE CAXIAS.N. 61
Vende mais barato
Fazendas pretas
Cachemiras arrendadas de duas lar-
guras tecido novidade, a 2J0O0 e 20500.
Merinos pretos infeitados de pura 1
a 800, 10000 e 10200.
Crep inglez para enfeitos de vestido
a 10200.
Rendas hespanhola de seda a 50000.
Gorgorao de seda pura de 20000 a
40000.
Vellndos de seda, lisos, com pinta*
e ramagens, a 40000.
Velludilho bordado a contas, lindo
desenhos a 10600.
Fil de seda bordado a 10200,
Veos e mantilhas com rendas a 40OOC
e 50000. !
Capas e visitas, de gorgorito, de ren-
das ou cachemira, enfeitedas a rendas com
vidrilho a 250000 e 300000.
Bicos de seda com lindos desenhos de
40500 a 60000 a pe$a com 10 metros.
Tecidos de novidade
Cortes de vestido bordados, em car-
tSo, de lindas corea a 100000.
Vestidos brancos bordados para noi-
vas a 180000.
Tecidos arrendados cores creme, rosa.
azul celeste e branco a 400 rs.
Linhos phantasiados, tecido com omi-
te largura a 500 rs., em listras e qua-
dros.
Setins de Maco, todas as corea e
mais salmSo, lilas e bronzeado a 800.
Cambraias brancas bordadas a 40000
a peca.
Ci'jzes de seda com fios prateados e
douradoscores: rosa, azul e creme, a
10000.
MadapolSo trancado, peca com 20
varas a 60000.
FAZENDAS ESPECIAES
Batlstes de cores finas a 120 a
240 rs.
Chitas finas claras miudinbas a 200 e
240 rs.
Cretones francezes, verdadeiros a
320 rs.
Morim de listras azues niiiapo-
lSo fino largo com 20 varas a 60000.
MadapolSo americano muito largo,
sem ponina a 80000 a peca.
Bramante de 4 larguras a 700 >
10000 o metro.
Cinardanapos superiores a 10800 a
duzia,
Cortinados bordados a 50-500,70000
e de crochet a 100000.
Crochet para sof e cadenas de bra-
cos, um completo 60500, para sala.
Hosqniteiros americanos com ar-
macSo a 120000.
Alcatifas par forro de salas e gabi-
nete a 1^200.
TECIDOS MAIS BARATOS
Merinos de duas larguras, qalquer
cor a 440 rs.
Linhos lisos e de quadrinhos a 80 e
100 rs.
Bico branco e de cores desde .600
a peca at 20500.
Colchas de fustao de cores a 20000
e30000. 4
Toalhas acolchoadas a 30000 a duxia.
.nvas de seda, bordadas, qalquer cor
a 20000 e 2500.
Leqnes de pennas e transparente
de 10500 a 60000.
E muitas fazendas que se d por qal-
quer preo.
D-se descont a quem comprar de
200000 para cima,
Troca-se a fazenda vendida se por qal-
quer motivo nSo fr de muito agrado para
quem for comprada .
Lojas das Listras zoes
^gm-
muito da sua casa, tilo artsticamente ar-
ranjada, tSo elegante e tSo bem tratada?..*
Pedro sorriu tristemente.
E' verdade, disse elle, difiere um
pouco. Mas minha irmS nao quiz abso-
lutamente que fosse mudada eousa algu-
ma aqui. Exactamente neste sitio que
seu marido foi tSo covardemente' assas-
sinado; aqui que ella desde entao tem
t rabal hado e soflrido.
O rosto de sir Jonathan ricou muito
grave, um pouco triste.
E' o retrato do Sr. Chaniers que
est ali, nSo verdade? perguntou elle
designando na parede a imagem de Jorga.
E aquelle o seu?
Pedro inclinou silenciosamente acal
O americano aproximou-se da parede.
Suzana nSo limpava mais cousa alguma
e olhava para elle tSo fixamente como
pela manhS, quando sentada na carrua-
gem, defronte delle.
O senhor nSo mudou nada, Sr. de
Sauves, depois que foi tirado este retrato,
declarou sir Pierce ao cabo de alguna
segundos de silencio. Nem sequer en-
gordou. Dir-se hia que quando muito
irmSo mais velho de seu filho accrescen-
tou elle sempre tranquilo.
Depois, voltando-se para o retrato de
Jorge, sem esperar a resposta de Pedro:
E seu cunhado, que boa encanta-
dora physionomia repreaente o retrato l
Est parecido ?
S lhe falte fallar; tinha urna
ex-
boa
ho-
0 senhor passa urna
com Roberto, Sr. de
parte da sua vida
Sauves ?
Sim, aqui mesmo. C est o meu
lugar, e l est o de meu filho.
Sab* que este compartimento desta
pres.sao ainda mais sympathica,
alegre, se possivel.
NSo se comprehende como esse
mem tivesse um nico inimigo.
Depois, de repente :
GeoMyjpmlo se parece com elle.
Nada solatemente.
Entretanto as filhas sSo de ordi-
nario os retratos vivos dos .pais... Esta
nSo se parece nada tambem com a Sra.
Chaniers.
No seu canto, Suzana, com as sobran-
ceras f'ranzidas, pareca accommettida de
vivssima estupefacto.
Muito baixo murmurou:
Ser possivel por ventura tanto san-
gue fri ?...
E sahio.
Sir l ierce acompanhou-a um instante
com os elhos.
Teria ouvido as palavras que a moca
havia balbuciado ?
-Talvez, pois as palpebras tremiam-lhe
imperceptivelmeme.
(Continuar-te-ha)

4
<
s
i
'
\i

i
}
Typ. do /warojrua Duque de Caxias n. 42.
*K,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX5XJNVCN_I6JS0I INGEST_TIME 2014-05-21T23:12:04Z PACKAGE AA00011611_17252
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES