Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17082


This item is only available as the following downloads:


Full Text




ANN LXYI KUiERO 18
QKTA-FBIRA 23 DBTJANEIRO DE 1890
t
E

'
1
i



w
f
DIARIO
PERNAMBUCO
Propriedade de Manoel Figueira de Fara efe Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES 01
NAO SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiantadu.
Por seis ditos Jff. .' \" .
Por nm auno idem. .
Cada numero avulso, do mesmo dia.
65000
125000
23C
Os Srs. Amede Prince & C.
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios e publica-
res na Franca e Inglaterra.
TELEGRAfflMAS
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Per seis mezes adiantados.* 13500
Por nove ditos idem...... 20^000
Por um anno idem. ..... 260000
Cada numero avulso, de das anteriores. 100
rfw^

i-^V
3S&7I5Q PARTCULAS SO DIABIC
RIO de JANEIRO, 22 de Janeiro, s
4 horas e 5 minutos da tarde.
Foram piomovidos no exercito nacio-
nal:
A tenente-general effectivo, o marechal
do campo Jos de Miranda da Silva Reis;
A tenente-general giaduado, o marechal
de campo Hermea Ernesto da Fonseca ;
A raarechaes de Campo, os brigadeiros :
Carlos Resin Fil o, e Jos de Almeida
Barrete :
A brigadeir s, os coronis: Tude Soa-
res Neiva, e Benjamn Constant Botelho
de MagalhSes.
Foi reformado o tenente-general Ba-
rao da Penha.
Foi tambera reformado o almirante
Visconde de Tamandar.
= Foi assignada a reforma do Thesou-
ro Nacional.
funda magua produzio em sua alma o slygma de
infamia laucado a sua familia e a pobreza a que
a va reduzda, que quando chegou ao preludio
apezar de nao contar mai3 de 44 annos, tinba
embraquecidos os cabellos, as Coreas debilitadas,
parecendo inais um sexagenario caduco do que
um bomcm na forc i da vida. Aquella velhice
prematura, aquella dr intensa que tenaabranda
do urna fera, nao abalaram as duras libras do
governador de Ambaca, o qual reputando o des-
venturado poeta um homem perigoso, em ohe
diencia talvez s ordens secretas internou o em
zonas mortferas, onde ella naj podendo resis-
de quaatos e amavam. Assim perecen tao r-
deme engenbo, assim se evolou deste mundo
aquella alma genwosa capaz de levar por diante
as gloriosas empresas. Serriraoi le coro sua
prematura raorte os priaftiro* rugido darevo
incao frece.
Citemos tambera Doming03 Vidal Barbosa,
Barthoforneu Antoaio CorJoril e Joo Pereira da
Silva, os quaes, aiada que mito menos impor-
tantes que os precedentes, pertenceram comtudo
a Escola de Minas e a Arcadia Ultramarina.
(Contina)
NATAL, 22 de Janeiro,
tarde.
s 4 horas da
Aqui tocou hoje, em sua viagem de re-
gressso para o Sul, o paquete nacional
Mandos, q~e segu para Parahyba e Per-
na m buco.
imv$ ua amscia um
MADRID, 21 de Janeiro.
D. Gullon recusou fazer parte do novo
ministerio.
MADRID, 21 de Janeiro.
O joven Rei acha-se restabelecido.
D. Becerra foi n-raeado ministro das
Colonias, e D. Veragua ministro do Com-
mercio e Agricultura.
Agencia Havaa, filial em Pernambuco,
22 de Janeiro de 1S90.
INSTRDCqO POPULAR
A UTTESAT7BA SSAZILSIBA
TOPOS GOLONIAES
POB
a cUierafura Brasllelrado scalo
XVI ao cometo do XIX
EMBOCO HISTRICO
V
(Ccatinuaglo)
O principe sagrado
No pao de pedta, qe 'omina a barra
Em colossal estatua levautado,
Veja a tritorme ga-ra
Quebrar-lhe ao3 ps Neptuno furioso,
Que o Irritado sudoeste esbarra ;
E veja glorioso
Vaslissima exienso de mmensos mares,
Que cerca o seu imperio magestoso ;
Honrando nos altares
A mo, que o faz ver de tanta altura
Ambos os uundos seus, ambos os mares,
E a f mals santa e pura,
E'spalhada nos barbaros desertos,
Conservada por vos firme e segura.
Sombra illustre e famosa
Do grande fundador do4uso imperio,
Eterna paz, eternamente gosa.
'um e n'outro hemiepbario
Tu vs os teus augustos descendentes
Dar as leis pela vos do ministerio :
E os povos differenes,
Qoc e impossivel- quasi ennumeraLos,
Que vem a tributar ihes obedientes ;
A honra de mandal os,
Pedera ao neto glorioso teu ;
Ju< adorara rei, que serviro vassalos.
O indio o p bateu,
Tremeu a trra, ouvi trovo, vi raios,
E de repente desojipareceu.
Casando afinnl Alvarenga Peixoto com urna
das joven? mais ricas do paiz .banlonon ama-
giftr itur b u 'f cxclus v nte admi-
Sistr^tuj des.s'i r-easos b.'i. Gj--va de urna
ptz invejave', era to querido e respeitado por
todos, que foi nomeado coronel dacavallaria de
milicias do Rio Verde. Infelizmente sempre
yerdaaeiro o p*oloquio : nao ha bem que sem-
Sre dure. Deposto o governador da provincia
e Minas, seu amigo. D Rodrigo deMenezes no
auno 1783, o funecionario que o substuio D.
Luiz da Cuntir, de Menezes, tantos desacertos e
tropelas comrretteu. que a consciencia publica
insurgio-se contra a sua administracao e Alva-
renga Peixoto sentio despertar novamente em
sua alma o sentimento de independetcia que a
havia is>!ta,*o toda a vida : comecando por sa-
tvrisar )i actos do governudor e toncluindo por
rfnar Krte na conuraeSo a che^siido a ser
um dos 'chites da Inconfidencia.
Preso com os demais, cooiemnado morte en
1791, couflscadoa os seus bens e declarada sua
familia infame, foi levado at junto do cadafalso
onde Ihe commutiram a pena em degredo per-
petuo para Ambaca em Angola. Tal successo
impressionoo tao fortemento o espirito do poeta
foram tao grandes os seas soffrtmentos e tao
Gorerao do Estado
buco
EXPBDIENTB DO DIA 10 DE DEZEMBR) DE 1889
Actos :
0 governador interino do Estado resol ve
mandar addir secretaria da extincta Assem
bla Provincial o cidado bacbarel Luiz Deme-
trio Dias Simes, como chefe de seceo que era
da mesma secretaria, percebendo venctraentos
iguaes aos dos outr:s chefes.
O governador interino do Estado resolve
noraear o Dr. Bernardino Sena Dias para exer-
cer o cargo de delegado do districto litterario de
Duarle Coelho, em substituicao do actual que
flea exonerado, pedido.Lommunicou se ao
inspector geral da instruejo publica.
O governador interino do Estado resolve
nomear o engenheiro Alfredo Fernandes Dias
para dirigir a construccao do novo edificio des-
tinado Kaculdade de Direito d'esta cidade, per
cebendo a graticagao raensal de 350*000. -Fi
zeram se as necessanas communicagoes.
O governador interino do Estado, atten-
dendo ao qae requereu o bacharel Manoel Gomes
Viegas, pagador do Thesouro do mesmo Estado,
e tendo em vista a informaclo prestada pelo res-
pectivo inspector em officio de hoje, n. 49, re
solve prorogar por mais 3 mezes a licenca em
cujo goso se acha o peticionario, nos termo3 da
lei n. ,9fli de 18 de Maio do correte anno.
O governador interino do Estado, tendo em
vista o exposto pelo inspector da Thesouraria
em officio de o do corrente mez, n. 502, resolve,
de accordo com a autorisacao do Ministerio ta
Guerra, ronstante dotelegramraa de 8 do mesmo
mez, abrir nm crvdilo da importancia de 6204700,
verba do i 11.Hospitas e Eafermariasdo
referido Ministerio, exercicio vigente, alim de
occorrer ao pagamento dos vencimentos dos
ph.armaceuticos contractados da Enfermara Mi
iiiar e da folna dos respectivos enfermeros, cor
repondente aos mezes de (tatabro e Novembru
prximos lindos.Remetteu se copia ao inspe
ctor da Thesouraria de Fazeuda e commur.i
%ou-se ao commandante do 22." batalhao de in
botarla.
O governador interino do Estado resolve
nomear o engenheiro' Alfredo Fernandes Dias
para exercer interinamente o cargo de director
das obras militares deste Estado. Fizeram-se
as necessarias cominunicac/es.
O governador interino do Estado, atten-
dendo ao que reqoereu o bacharel Antonio di
S Cavalcante fie Albuquerque, promotor pu-
blico da comarca de Cimbres, resolve conceder-
Ihe 30 dias de liceuca, com os vencimentos a que
tiver direito, para tratar de sua sade, devendo
o peiicionario entrar no goso da referida licenga
no prazo de 2o das-
O governadtff interino do Estada resolve.
de cenfrmidade com a propost do Dr. chefe
de polica, em oflicio n. 1668, de hontem dafedo,
crear urna delegada no termo do Rio Frmo*o.
c qual comprebender a freguezia deUua. Com
municou-se ao Dr. chefe de polica.
O governador inter.n do Estado resolve
considerar de oenhum effeit? a portara de 2 do
corrente mez, pela qual foi exonrala baoharel
Francisco de Carvalho GoMglves
cargo de promotor Paolicd !bvcsmi
ra; enomeado para subUtu'.l o o bacharel
la, na importancia de oilenta e seis mil reis, re-
lativa a feria de 2 a 8 do correte mez dos em
pregados incumbidos de administrar e vigiar a3
obras do edilicio destinado a Faculdade de Di-
reito Jesta cidade.
Ao mesmo. Devolvo-vos as plantas que
acompanharam vosso ofliciu de 28 de Outubro
prximo passado, sob n. 422, contendo inforna-
niatao da Contadoiia acerca do terreno sito no
Pombai e do qual preten Jem obter titulo o Baro
de Muribeca e outros. .
Ao mesmo.Mandai abonar por adiaflta-
mento dous mezes de sold 10 alteres do 26 ba
r, falleceu em 17^)3, ao desamparo e segregado talhao de infamara, addido ao 2 da mesma
arma, Manoel Sebastio da Ronba Lins Filbo, a
gue vos refers em^jfcio le 9 do correte, n.
alo.
Ao ajudante general do exercito.Em res
P03ta ao vosso offlcio de 21 de Novembro Ando,
sob n. 8726. transmitto-vos o incluso attestado
passado pelo cidado commandante do 2 bata-
lhao de infamada em substituicao do titulo de
vo'untario e caderuda pertencentes ao sol lado
do 17 batalbao da mesma arma, Antonio Jos
de Lima, que foram extraviados pela mesma
praca quando destacada no presidio de Fernan-
do de Ncronba, segundo declarou aquelle com-
mandan'e em oflicio n. 426, de 8 do corrente
mez.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.De-
claro -vos que, atienta a deficiencia de mdicos
do corpo de saude do exercito existentes na
guarnico dpste Estado, e ao servigo que sobre
os mesmos recabe, nao pode ser salisfeito o pe-
dido de que trata vosso oflicio de 7 do corrente,
sob n. 1, po Jendo a ospecgo de saude ser feita
unidamente pelo medico encirregado da enfer
raaria de marinha, como se procee a respeito
dos voluntarios para o servigo do exercito.
Ao inspector do Thesouro do Estado.Nos
termos da vossa inforraagao n. 23 de 3 do
corrente, mandai pagar ao detento Joaquim
Jos da Costa Coelbo a quantia de 345080, con-
stante da inclusa conta em duplcala, provenien-
te da lavage.n de roupa da onfermaria da Casa
de Detengao, durante o trimestre de Julbo a Se
tembro ultimo.Communicou-se ao Dr. chefe de
policia.
ao mesmo.Para que me pre3teis novas
informagOes acerca da pretenso dos carteiros
serventes da secretaria deste governo, aos quaes
se refere o officio dessa inspectora de 8 le Ou -
tubro prximo passado, o. 395, devolvo-vos esse
officio acompanhado do parecer emittido pela 3.'
secgao da mesma secretaria a respelto do as
sumpto.
Ao inspctor da hygVene. Informai se
acha-se esgotado o prazo para ter lugar a recia-
mago de Bellarmino da Cunha Cortes, a quem
vos refers em officio de 2 do corrente.
Ao director geral de obras publicas. Au-
toriso-vos a mandar entregar ao porteiro da se-
cretaria do governo deste estado, Hemeterio Ma
ciel da Silva, o cofre da extincta paga lona da
repartigao a vosso cargo.
Portaras:
O cidado gerente da Companhia Pernambu-
cana de Navegago providencie para que tenham
passagem para o presidio de Fernando de Xoro
nha, no vapor que para all segu no dia 14 do
corrente, o director nomeado para o mesmo pre-
sidio, major Justino Rodrigues da Silveira, sua
senhora, dous lilhos e urna criada, por canta das
gratuitas a que o governo tera direito.
dem por conta do Ministerio da Guerra,
at o presidio de Fernando deNoronha, a Leonor
Mara de Oliveira, mullier do tenente do 2. ba
talho de infamara Francisco Teixeira de Car
valho, commandante da guarnigao do mesmo pre
siuio, e bem assim a urna lilba de nome Ambro
siiia de Carvalho com 14 anuos de ida le.
dem, passagem gratuita de proa para o
presidio de Fernando de Noronha, no prximo
vapor, Maa Francisca dos Santos mulher do
sentenciado Manoel Juvencio de Oliveira.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Fran toco d passagens, com di-
reito bagagem, por conta deste estado, da esta-
go de Cinco Pontas a de Gamelleira, r Mara
Alexaodrina da Couceigo e a cinco pragas do
corpo de policia que a conduzem e vao destacar
era Rio Formoso
dem idem as estradas de ferro de S. Fran
cisco e do prolongamento ao cabo de potieia
Antonio Al ves dos Santos, que destaca para Bui-
que, conduzindo sua mulher.
dem, dem a urna praga do c.rpo de po-
licia, que destaca para S. Benedicto.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Officios :
Ao Dr. chefe de policia. -De ordem do gover-
;n"a~'l6aior interino do estado communi:o-vos que
~fros vossos offi:ios de fiontem datados, sob ns.
-Iti76 e 8,346, foi proferido hoje o despaclio se-
Manoel 'Freir Hughes. Fi:ram/se, as necessar ^P>'0e :
ras communicaces.
O goveruador interino do Estado, de con
formidade com a proposta do cidado adminis-
trador dos crrelos em oflicio sob n. 1402 de 5
do correute resolve exonerar do cargo de agente
do correio da villa do Bom Conselho o cidado
Vicente Guedes Cavalcante Nelto e nomear para
substitu! o o cidado Miguel Lins Rodrigues da
FonsecaCommunicou-se ao administrador dos
correios.
O governador interino do Estado, de con
formidade com a proposta do cidado adminis-
trador dos correios em officio de 4 do corrente,
seb n. 1393 resolve nomear para os cargos de
agentes do correio os cidados: Pedro de S
Campos, da Villa de Flores; Alfredo Adolpho
Ferraz Costa&j|e Afogados de Ingazeira; Fortu-
nato Alves Carnosa, de Belm de Maa ; Clau-
dino Bezeira'do Arnaral, de Jaboato; ficando
exonerados os actuaes serventuarios.Commu-
nicou se ao aimiuislrador dos correios.
Officios :
Ao governador do Estado da Baha.Para
que tenua o conveniente destino transmiti vos
o incluso requerimento em que Isidoro los da
Silva Mascarenbas pede que pelo 9" batalhao de
infamada estacionado nesse Estado seja passa
do po* certido o que constar das respeclivros
livns de assentamento, acerca do alferes refor-
mado do exercito Luiz Jos de Souza, j falle-
cido. ,
Ao commandan'e do 22 batalhao de in-
famara.De acord com a commisso encar-
re. ada da recepgo do governador general Jp3
SimeSo de Oliveira, nomeado para este Estado,
convi''o-vo3 e a oflieialidade sob vosso comraan-
do para compareceretn ao desembarque, do me3
rao governador, que se realisar, amanh s 8
horas do dia no Arsenal de Manh.
Afufaras miitandi as demais autoridades mi-
litares.
Ao engenheiro Gregorio Thaumatnrgo de
Azevedo.Em solugo ao vosso officio*de 4 do
corrente, sob n. 37, acoapantndo da declarago
feita pelo concessioaario ao lote n. 2 da colonia
Suassuna, Joo Bernardo Laaatte de que trata o
aviso do Ministerio da Agricultura de 5 de Ou
tubro ultimo, sob n. II declaro vos que nesta
data approvei a mesma declarago para que
surta os effeitos legaes.
Ao inspector da fbesoura-ia de Fazenda.
Em officio n. 1 de 4 do cor ente participou-
me o Io tenente Carlos Ambrdsio do Re?o Bar-
roca baver assumiio, no da anterior, o com
mando do patacho Guararapes esa virtude de de
terrninagao do ajudante-general da armada. O
que vo8>communico para os devidos as.Res
pondease ao tenente Barroca.
Ao mesmo Recommendo vos que, depois
de proceesada, mandis satisfazer a inclusa con
Ao cotumanlanle do corpo de policia para
satisfazer a requisigo.
Ao inspector do Thesouro do EstadoO
governador interino do estado manda coramuni
car-vos que exarou hoje o seguinte despacho
na petigo de Christovo de Barros Gomes Porto,
a que se refere a iuformago dessa inspectora
de 28 de Xovembro prximo passado, sob n. 11:
Indeferido, visto que o su: plicaote prestou
gratuitamente, nos termos do art. 48 do regula-
memo de 7 de Abril de 1879. o servigo a que al
lude.
Ao mesmo. -0 governador interino do es
tado manda communicar, em resposta ao vosso
officio de 3 do corrente o 25, que em 14 de Ou--
tubro ultimo foi vos declarado haver sido appro
vado o fornecimento da alimentaco aos presos
pebres da cadeia da Victoria.Comrauni:ou-se
ao Dr. che fe de policia.
BXPKD1ENTE DO DIA II DE DEZKMBRO DE 1589
Actos :
O governador interino do Estado, attenden
do ao que requereu o subdito portuguez Antonio
Augusto de L*mos, resolve, de accordo coro- o
dec. n. 13, de 26" de Novembro rindo, naturali-
sal-o, a fita de qu2 possa gozar de todos os direi-
tos, conferidos aos cidados brazileiros.
futatis mutandis quanto aos subditos por
tuguezes Antonio da Silva Girio e Jos Moreira
de Lomos.
O governador do Estado attendendo ao que
requereu o juiz municipal e de orphos dos ter-
mos reuniJos de Ingazeira e S. Jos do, Egyptc
bacharel Pedro Jorge de Souza, resolve conce-
der-lhe 3 mezes de licenga com os vencimentos
a que tiver direito, para tratar de sua saude, de-
vendo entrar no g030 da mesma licenga no p.-a-
so de trinta e cinco ias.
Officios :
Ao director do Arsenal de Guerra. -Cons
lando de officio da intendencia da guerra de 3
do corrente, sob n. 62, ter vindo a bordo do va-
por Pernambuco trez caixOes contendo medica
raentos destinados a pharraacia militar do Esta-
r*uo do Rio Grande do Norte, assim declaro vos
para os devidos lins.
Ao mesmo.Constando de officio n. 67, de
3 do corrente da inleodencia da guerra t.-retn
sido embrcalos no vapor Peraa*Buco, proce
dente dos portos do sul 13 caixGes contendo
medicamentos destinados a pnar.r. :ia mina
deste Estado, assim vos declaro par;, os devidos
na. ,. .
- Ao Dr. juiz de direito do 2o districto en
rainal fla comarca do Recife.Transmiti vus
para a devida execugo, copia do aviso de 28 de
Novembro Ando, em que o Ministerio dos Nego-
cios da Justica determina que seja posto em li-
berdade o ex-sentenciado Margal Correia pelos
meios compelentes e a vista da respectiva carta
de guia que deve comer a integra da sentenga
condemnatoa e os requesitos pxigidos pelo
irt. 412 do Cdigo do Processo, sem prejuizo
das formalidades judiciarias que devera ser
preenchidas no termo da condemnacio.
Ao director da Faculdade de DireitoPara
vosso conhecimento e lins convenientes declaro
vos que nesta data conced licenga ao bacharel
Clovis Bevilaqoa para ausentar se deste Estado
alim de assabir o exercicio do cargo de secre-
tario do overoo do Piauhy, para o qual foi no
meado ltimamente, sem prejuizo do cargo que
exerce de professor de philosophia do curso ao
nexo a essa Faculdade.
aual aojnspector da Thesouraria de Fa
zenda.
Portadas :
Declama Cmara Monicipal do Recife para
providenciar convenientemente, que o idad&o
brigadeiro Jos Sunco de Oliveira, prestar ju-
ramento amanh 1 hora da tarde, perante es-
sa cmara, afim de assumir o governo deste Es
tado. -Expedio-se convites as autoridades civis,
militares e ecclesiasticas alim de assistirem ao
acto. .. (
O cidadigerente da Companhia] Peruana
bucana de Navegago mande da; por adianta
ment, passagem gratuita at o presidio de Fer-
nando de Noronha, de r, a Manoel Francisco
dos Saatos e sua mulher e de proa a um criado.
O cidadio gerente da Companhia Pernam
bucana de Navogago ( passagem gratuita de
r para o presidio de Fernando de' Noronha no
prximo vapor ao cidado Bernardino Botelho
que all va por molestia.
dem de proa a Clarinda Mara da C -ncei-
i.o mi do sentenciado Antonio de Oliveira.
0 Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a Limoeiro d passagens at Po-d'A
Jiio cora direito a bagagem, por conta deste Es-
tado, ao tenente do corpo de policia Joviniauo
de Albuquer jue, sua mulher, um criado e qua-
tro pragas do corpo de policia.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco d passagem al Gamel
leira, por conta deste Estado, ao 2o sargento do
corpo de policia Vicente Correia Marques, que
all va destacar.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Olfioi03 :
Ao Dr. chefe de policia.0 cidado gover-
nador do Estado em resposta ao vosso officio n.
1 636 de 15 do corrente mez, no qual peds que
seja augmentado o destacamento d Garanhun.-,
vos manda Iransmittir copia da informago, que
sobre o assu npto prestou o commandante do cor-
po de policia em data de honte n, sob n. 40.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Rogo-vos que providenciis sobre a entrega,
ao servente desta secretaria, que se apresentar
requisilando, de tres caixOes, contendo cada
um 10 exemplares to relatorio e annexo3 apre
sentados este anno pelo Ministerio da Agricul
tura extincta Assembla Legislativa.
Aoin3pe.tr do Tiiesouap do Estado.-O
governadb; uterino do Estado manda comrau
nicar-vos, para 03 lins convenientes, que hoje
proferio o seguinte despa ho na petigo do raa-
jor Joo Salvador dos Santos, de (quem trata
V03S0 officio de 11 de Novembro lindo, n. 484 :
Alm de nao haver crdito na lei do orga-
mento vigente pare ser attendido o supplicante,
acontece que oaltestadn do juiz de direito nao
cootm ucaa afca^atiTa, e prtanlo nao corres-
ponde xigeneia legal.
EXPEDIENTE D8 DIA 12 DE DEZBJBR) DE 1889
Acto :
O governador do Estado, attendendo ao que
requereu o 1. escripturario da Thesouraria de
Fazea la, Man>el do Nascimeoto Moreira, e, ten
do em vista o attestado do medico exhibido e a
informago prestada pelo respectivo insoector,
em olfi;io de 6 do correle, o. 506, reaolve, da
accordo com a autorisago do Ministerio da Fa-
zenda, comida em telegrarnma de 10, conceder
ao peticouario tres mezes da licenga com orde-
nado para tratar-se de beriberi, onde lhc con
vien.
Circular :
Aos governadores dos Estados, cnsules,
governador do bispado, Chefes de repartlges e
mais funcionarios pblicos. Communico vos
que. depois de prestar juramento perante a C-
mara Municipal desta cidade, assumi hoje o.
exercicio do cargo da governador deste Estado,
para o qual fui nomeado por decreto de 21 de
Novembro lindo.
Officios :
Ao cidado Di- chefe de policia interino.
Deixando oje o exercicio do cargo de gover
nado.- interino deste Estado, agradego vos o zelo
e actividad? que manifestastes no desempenho
de vossas fuueges, e o auxilio que presuutes
minha adrainistragio
Mutatis mutandis ao commandante do cor-
po de polica.
Ao Dr. secretario interino do governo do
Estado.-Deixando hoje o governo deste Esta
do, agradtgo vos os bon3 e leaes servigos que
me prestantes na qualidade de secretario.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
R-raetto-vos copia do aviso expedido pelo
Ministerio do Interior em 28 de.Novembro pro
xirao passado, sob n. 135, pelo qual foi appro va
do o crdito de 180J5 aberto verba Secretaria
e Bibliotheca da Faculdade de Direito para o
pagamento de que trata o mencionada aviso.
Ao mesmo.Para os devlos nos, remet-
to-vos copia do aviso expedido pelo Ministerio
do Interior era 30 de Novembro ultimo, sob n.
232, concedendo o crdito de 1:000* para o pa
gamento da ajuda de custo ao Dr. Clovis Bevi-
Fuqu i, secretario nomeado para o Estado do
Piauby.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.--Do-
claro vos, para os fins conveuieOtes, que, pelo
Inislcrio da Mariuha, segando consta de aviso
n. 203, de 3 do correte, foi determinado na
mesma data que o capilar -tenerte Rodrigo Nu
no da Costa losse transferido o*fugar de diiv-
etor das olficinas de construego naval do Arse
nal un Mar nha do Estado da Bahia^para o deste
Estado. Communicou se ao inspector da The-
souraria de Fazenda
Ao commandante do 14 batalhao de infan
taria Transmita vos o ucluso requerimeato
Ldo alferes do 3o batalhao de. iofantaria Philade!-
pno de Alencar Sicupira, alim de ser cumprido
o despacho exarado no dito requerimento man-
dando que seja passada pelo batalhao sob vosso
ommirMo a f de officio do fallecido major da-
quelle bataihio Cirios Augusto de CaValao.
Ao director do Arsenal deOuerra. Re-
commeado-vos que aejam addldos a esse Arse
tal desde o da .la apresentagao* as pragas con
stantes das indas s guias de sod-orrimento. as
auaes licaro a minha disposigo
Ao engeuheiro encarregado das obras mi
litares.Transmitto-vos os inclusos nappas de
g.iz tansami Jo nos quarteis do 2o, 14' batalhOes
le infiqlana destacamento de cavUtana e en
fermaria raiiiUr, durante o mez de Novembro
lindo, alim de que de accorlo com as disposi
Oes em vigor prestis a devida informago.
Ao inspecto- do Thesouro do Estado. -
uommjnico vos para os fins convenientes que,
gusta data assumio o exercicio do cargo de se-
eMia'ie Ivsle roveroo o commendador Antoaio
l_'iia:>oHe lcsquita N'.'ves, para o ^ual foi no-
ado po decreto df 2i de Novembro fiado.
Portaras:
js Srs. agentes da companhia brasileira de
navegago a vapor, mandem dar passagens at
o Estado do Rio de Janeiro, por conta do-minis
terio da guerra ao cidadio coronel doestodo
maior de 1* classe Jos Cerqueira de Aguiar
Lima, sua mulher D Auoa da Conceigo Jausen
de Lima e bem assim a tres criados de nomes
Ermirio, Estevo e Felippa.Mandou se. a Tne
.-'ouraria de Fazenda ajustar cjutas ao mencio-
nado coronel.
Mutatis mutandis at o Estado das Alagas
ao alferes Manoel SetastiSo da Rocha Lins Filho
que por portara do ministerio- ida guerra de 5
de Novembro lindo, foi transferido do 2o bata-
bao de iofantaria para o 26 da mesma arma.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a-S. Francisco.,d passagem at Una,
por conta deste Estado ecomdireiio a bagagem
ao cabo de esquadra Manoel Jos Bapusta e duas
pragas do corpo de policia que destacam para
Quipbp.
Ao referido alferes acompanha sua mulher.
Mutatis mutandis ao encarregado da estago
de Palmares para dar passagem at Quipap.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Officios:
Ao Dr. chefe de policia.De ordem do-go
venador do Estado declaro-vos que as requisi-
ges fetas em vossos officios, de 7 do corrente
mez, sob ns. 1,652 e 1.653, nao podem por agora
ser satisfeitas vista do qae o commandante do
corpo de policia informa no officio, por copia, de
hornera datado, sob n 45.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
O governador interino do Estado manda re
mettervos cinco ordens do Thesouro, de ns. 7
ali.
EXPEDIENTE DO DIA 13 DE DEZEMBRO DE 1889
Actos :
O governador do Estado, attendendo ao que
requereu o subdito .portuguez Manoel Matheus
Capelieiro, resolve naturalisal o, de accordo com
o decreto n. 13, de 6 de Novembro lindo, alim
de qne possa gosar de todos os direitos confer
ios aos cidados braslleiros.
Igual quanto ao subdito allemo Samuel
Wolff.
O governador do Estado, considerando que
a nomeago do ajudante do bibliotecario da Fa
culdade de Direito, desta cidade, da compe-
tencia do governo federal, resolve julgar de ne
nhum effeito a portada de 5 do corrente mez,
pela qual foi nomeado Jos Joaquim da Costa Pe
reir Braga para o referido cargo.Fizeram-se
as necessarias communicagoes.
O governador do* Estado, attendendo ao
que requereu Antonio Leocadio do Reg Barros,
guarda da'policia do Arsenal de Marinha, tendo
em vista o attestado medico exhibido e a infor-
mago q. 54, do inspector do dito Arsenal, re
solve conceder ao pelicionsrio dous mezes de
licenga cora vencimentos na forma da lei, para
tratar de sua sanie. ommunicou se ao respec
tivo inspector.
Officios :
Ao Inspector da Thesouraria de Fazenda.
Informai um quanto importa o crdito ueces-
sario para o lira de ter lugar o pagamento dos
empregados do Arsenal de Guerra, relativamente
ao mez de Novembro ultimo, com descriminago
dos operarios civis o outros, aos quaes vos refe-
rs na informago de-10 do crrente, sob n.
521.
Ao mesmo.-Transmiti vos, para os fins
convenientes, copia do officio de 30 de Novem-
bro lindo do juiz de direito da comarca de Taca-
rai, relativo ao seu exercio.
Ao mesrao.Transmiti vos, para os lins
convenientes, copia do oflicio do juiz de direito
da comarca de Panellas, datado de 10 do cor-
rente, relativo ao exercicio do respectivo pro-
motor.
Ao m3smo. Communico-vos que em 7 do
corrente o bacharel Sebastio Ildefonso do Reg
Barros, juiz municipal e de orphos do lermo do
Bonito, entrou no goso de 30 das de licenga que
em 6 do mesmo mez Ihe foram concedidos por
este governo.
Ao mesmo.Communico vos que o bacha-
rel Joo Evangelista da Frota e Vasconcello3 as-
suraio hontem o exercicio do cargo de 8o pro-
motor da comarca da capital d'este Estado.
Ao magmo. Communico vos que o bacha -
re Francisco. Tavares Netto assumio no dia 6 do
corrente o^exercicio do cargo de promotor pu-
blico ta cpiarca de N'azireth. para o qual foi
nomeado por portara de 30 do mez findo.
Ao mesmo. Communico vos que o bacha
re Aquilino Gomes Porto assumio no dia o do
corrente mez o exercicio do cargo de promotor
publico interino da comarta da Escada, para o
qual foi nomeado pelo respectivo juiz de di-
reito.
Ao mesmo.dommuDco vos que em 3 do
corrente mez, o cidado Francisco Jos de Souza
assumio interinamente o exercicio do cargo de
promotor publico da comarca do Brejo, em sub-
stituigo do effectivo, que acha se licenciado.
Ao mesma. -Communico-vos que o promo
tor publico da comarca de Tacarat, bacharel
Permino de Araujo Lima, passou, no dia 2 do
corrente mez, por incoramodo de sauUe, o exer-
cicio de seu cargo ao respectivo adjunto, Manoel
Gomes de Souza Ferraz.
Ao mesmo.Comraunico-vos que em 9 do
corrente mez o bacharel Methodio Romano de
Albuquerque Maranho assumio o exercicio do
ra^go de promotor publico da comarca de Goyan-
na, para o qual foi nomeado pelo respectivo juiz
de direito interinamente.
Ao director do Arsenal de Guerra.Auto
riso-vo3 a mandar addir a esse Arsenal.. es le o
dia da apresentagao, o 2-> sargento Joo Baptista
Paes Barrote, cab03 de esquadra Antonio Dias
Carneiro e Hermenegildo Francisco de Oliveira,
soldados Jos Hygino Barbosa, Antonio Jos dos
Santos, Jos'Gabriel do Nascimento, Virtulino
Belarmino de Souza, Miguel Gomes de Araujo,
Manoel Jos Francisco de Souza, Francisco Nu
nes de Souza, Antonio Jos do Nascimento, Ma-
noel Pedro de Oliveira, Francisco Manoel Do
raingnes, Francisco Pereira da Silva, Pedro Jos
de Sou?a e o cabo de esqs.ira do Io batalhao de
engenheiros Benjamn Santiago, que chegaram no
vapor Pernambuco. acompanhindo quatro boceas
de fogo, svstema Krupp, calibre 7 1/2 e seus
pertences; e bem assim duas metralhadoras que
j se acham re -olhidas n'esse Arsenal, convindo
Srovidencieis de modo a que todo esse material
ellico seja convenientemente acondicionado, e
zelado.
Oppormnamente sero remttidas as respecti-
vas guias de .-occorriment.
Ao director da Faculdade de Direito do
Recife.De ordeni do Ministerio dos Negocios
do Interior, coostante de aviso n. 214 de 30 de
Novembro lindo, declaro-vos para vosso conhe
cimento, em referencia ao art.2' 2" do de:reto
n. 7 de 20 do citado m^z, que os estabelecimen
tos de ensino -uperior e secundario creados e
regidos por leis gerwes devem continuar a regu-
larse pelas disposigOes que vigoravam.
- Ao commandante do orpo Autori-o vos a alistar'no corpo de vosso cora-
mando os paisanos de quem trataes 'o vosso
officio de hontem datado sob o. 48.
= Ao director das ooras militares. Trans
mittiido vos o incluso officio, que me ser de-
volvido, do commandante do 14 batalhao de in-
famada, referente ao do Dr. 1 drurgio encar-
regado da enfermara militur, recommendo vos
que me apresenteis cora a possivel brevidade o
orcamento da desoen a fazer-se com os reparos
precisos na re. .rmnria, excluida a mo
de obra *.'-
Ao administrador doTheatro.Declaro vos
que por despacho de hoje conced a actriz Rosa
Manhonga esse theatro para dar um espectculo
na noite de 15 do corrente sem a contribuigo
do estYlo, mas deduzindose do beneficio quan
lia pelo menos equivalente aquella contribuigc
em favor da divida interna dos Estados Unidos
do Brazil e obrigando-se ella as demais despe-
zas inherentesFizeram-se as necessarias com
municages.
Portadas :
Os Srs. agentes da Companhia Brazileira
de Navegago mandem dar transporte at o Es-
tado doTlio de Janeiro, por conta do Ministeric
Ja Marinha, ao Io sargento Joo Gonjalves de.
'uva, que para all segu a disposigo do quar-
tel-general de marinha, visto estar soffrendo de
beriberi.
OsJSrs. agentes da Companhia Brazileira de
Navegago mandem dar passagens at o Estado
do Rio de Janeiro, por conta do Ministerio d
Mariaha, ao 1 tenente AfrodizQ Fernandes de
Barros, que para alli segu a disposigo do
qnartcl general da marinha ; e bem assim a suc
mulher e urna filha menor.
Os Srs. agentes da Companhia Brazileira
de Navegago deem passagens, por conta do Mi-
nisterio da Justiga, deste Estado para o do Rio
de Janeiro s pragas do corpo Militar de Policia.
Theodoro Jos de Moraes e Adolpho Leopoldc
dos lentos, que d'ulli vierara cosluzindo o sen-
tenciado por crirae de moeda falsa Antonio Fer-
reira com destino ao presidio de Fernando de
Noronha.
O ci ado gerente da Companhia Pernam-
bucana de Navegago mande dar passagem gra-
tuita, de proa at ao presidio de Fernando de
Noronha a Mana Leonor da Conceigo, mulher
do sentenciado Manoel Antonio Ferreira e a um
filho de nome Jos, com 12 annos de idade.
dem a Antonia Mara de Jess, mulher de
sentenciado Bellarmino Correia de Moura e 4 fi
llios : Jos com 12 anuos, Maria com 10, Jose-
pha com 9 e Tnereza com 1
Iaem a Maria Joaquina da Conceigo, mu-
lher do seutenciado Manoel Joo Torres, um filho
de 3 annos de idade e urna cuuhada Sal vine
Maria da Conceigo.
dem a Josepha Maria de SanCAona, mu-
lher de Joo Francisco Ferreira.
dem a Caetana Maria da Conceigo, mu-
Iherdo sentenciado Manoel Francisco de Souza
e a 3 filhos menores de 10 anuos. .
dem a Francisca Carolina de Mello, mu-
lner do sentenciado JosLiao de-Azevedo e um
iilho menor.
dem a Maria Francisca da Conceigo, mu-
lher do sentenciado Herculano Raymundo Alves
das Neves e a ura filho menor de nome Jos
Communiiou se ao director do presidio.
dem por conta do Estado aos 40 senten-
ciados de que trata a relago aqui junta, e a
respectiva escolla composta de 15 pragas e um
inferior de linha. Offi>lou-se ao director do
presidio c communicou-se ao Dr. chefe de po-
li da."
dem por conta de Albino Fernandes c C.
com destino empreza de explorago de phos-
phato de cal os gneros alimenticios e os opera
dos de que tratam as relaces aqui juntas, as-
signadas pido secretario do governo d'eate Es-
tado.
O Sr. superintendente da eslrada de ferro
do Recife ao S. Fraaciso d, por conta d'este
Estado as passagens requisitadas pelo Dr. chefe
de polica no officio, junto por copia, n. 1.692.
de hontem datado
dem ao encarregado da estago de Palma-
res.O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagens, por conta
do Estado, cora direito a bagagem, da estago de
Cinco Pontas de Una, ao alferes do Corpo de
Policia Joo Ribeiro Pessa de Lacerda e qu3tro
pragas que para alli destacam.
dem idem para as pragas de policia Lu-
ciano de Oliveira e Jos Zefenno de Andrade que
destacam para Bonito.
dem idem prega de policia Salusti3no do
R;go Barros que destaca para S. Beato.
Mutatis mutandis ao encarregado da esta-
go de Palmares, d'ahi at Cauhotihho.
*- dem idem as estradas de ferro de S.
Francisco e do Prolongamento praga de pjlicia
Joaquim Gomes da Silva, que regressa para o
destacamento de Quipap.
dem idem ao cabo de esquadra do Corpo
de Polica Claudino Coriolano de Arruda e pre-
ga Joaquim Gregorio da Silva, que vio destacar
era Correntes.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao Limoeiro mande transportar em
carro de 2.a classe por conta do Ministerio da
Guerra da estago do Brum comarcado Li-
moeiro urna escolta de tres pragas que vai alli
buscar o corneteiro Manoel Raymundo de Car-
valho e o soldado Apolinario Gomes dos Santos,
ambos do 22. batalbao de iofantaria, os qur.es se
acham ausentes do respectivo quariel, providen-
ciando outro sim para que tenham passagem d'a-
quella localidade para esta capital a referida es-
colla e pragas. -Communicou-se ao commandante
do 22 batalhao.
dem por conta do Estado, da eslago de
Nazarelh do Brum a duas pragas de policia que
se recolhem ao corpo.
dem idem da estago do Brum de Tira-
baba s pragas de polica Francisco de Salles
Brito e Izidoro Gomes de Mello.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Officios :
Ao commandante do Corpo de Polica.De or-
dem Jo cidado governador d'este Estado com-
munico-vos que, sob proposta do D-. chefe de
policia em officio n. 1,661 de 9 do corrente mez,
foi boje uomeado o alferes do corpo de vosso
commando Joo Evangelista de Souza para o
cargo de delegado do termo do Brejo.
Ao comraan Jante da Escola de Aprendizes
Marinheiros.O governador d'este Estado man-
da declarar-vos que ficam expedidas as ordens
sobre o assumpto de que tratara vossos officios,
sob ns. 15 e 16
EXPEDIEtfTB DO OA 14 Da DEZEM8RO DB 1889
Actos :
O governador do Estado resolve uorcear os
cidados Drs. Manoel Gomes de Miltos, Felippe
de Figueiri Faria, Jos Faustino Porto e
Jos Maria de Andrade para fazerem parte, com
os nomados em 7 do corrente, da commisso
encarregada de rever a lei de orgamento sobm.
2,125, de 3 de Novembro ultimo, indicando a
melhor organisago das repartiges e propondo
medidas no sentido de equilibrarse o mesmo or-
gamento.Fizeram-se as necessarias communi-
cago js.
O governador do Estado, tndo em vista
o offldo do inspector da Thesouraria de Fazen-
da, de hoje datado, sob n 5;7, resolve, de ac-
cordo com o decreto n. 2,884, de 1 de Feverei-
ro de 1862, aDrir ura crdito da importancia de
1:776$ 100 verba Arsenats, do Ministerio da
Gu-rra, exercicio vigente, afim de ter lugar o
pagamento do3 empregados do Arsenal de Guer-
ra, relativos ao mez de Novembro ultimo.
Remetteu se copia ao inspector da The30uraria
de Fazenda e communi'oa ?c ao director do Ar-
senal de Guerra.
Officios:
Ao governador do Estado da Para^yoi.
-Remeti vos a inclusa petigo de Manoel Sen-
t Martias da Silva, preso pobre recolcido C \ x
de Detengio desta cidade, afim de que '".:..: 13-
vos de dar o conveniente destino.
\o cnsul geral dos Paizes Baixos.Ac-
cus; -ebido o officio de 11 do orreute ea
que. H. Nmmever, cnsul ,\:.= Pan bi-
xos, me participa que, duraute a aoa a neta,
com a viagem que pretende fazer ao UjI \JO da

3
I
-
,r
*:

1
.

_
-


Diario de Pernam buco --Quin tai eir 23 de Janeiro de I 90

r


i
.4

Parabyba, Acara encarregado do consulado o Sr.
Augusto Araajo. ,
Renov ao Sr. aonsul os pitea alai de taraba, *. *enlo.
08
Fiz
iotima conaide/aeio.
ras corooiunicaBjfcs. ^^
- Ao inspector da nvaauraaaa ae-^anzerana
Commuaico-voa-ara i Eito ref rmader aifraanyFe'nanlaea%ias,.eBn
irme participo eo* catato dartt dbar-
rente, sob n. Ma\ aaaaupieaaa laaaeea data a
direcgo interina.* Repartajia daaeiaraaaVii-
tares deste Estadasftaiaonaa so. aa- renaaao
director.
Ao director da Pacul Iade de Direito do
Keeife.Para os devidos effeitos communtco
vos, que o baeharel Clovis Bevilaqua, professor
de pbilosopbia do carao annexo a essa Faculda
de, entrou a 12 do correte uez, no gozo da li-
eenca concedida ltimamente por este governo,
segundo partid pou me em oficio da mesma
data
Igual Thesouraria de Faaenx.
Igual a Thesouraria de Fazeoda.
Ao inspector geral da Iistrucgo Publica
Acceitando o offerecimeato feito pela professora
n'jlica da 5' cadeira da fregueeia de S. Frei
edro Guncalves denla fiidarifl, aUrta Flonaaiiaa
de Ges Cavalcante da quantia dous mil res
men.-aes, que sera descontado de seus venci-
meotos, alim de auxiliar o pagamento da divida
aterna, a contar de 4 de Janeiro do anire Tin
aboro at o completo pagamento da mesma di-
vida, recoauneudo vos que em nome do governo
deste Estado louveis a referida professora pelo
acto de patriotismo que acaba de praricar.
Goramunieoo se ao Thesouro do Estado.
Circator:
Ao* joizes'de direito.Para vosso conbeci
Beato e fins ^omrenientes, deparo vos em vir-
lude de ordem constante de aviso circular n
129 de 28 de Novembro lindo do Ministerio dos
Negocios do Interior, que devem ser suspensos
os trabamos de rewsao do alistamento eleitoral
que porveotora se esttver procedendo nessa co
marca, visto ter o decreto de 19 do citado inez
eslabelecido que serao considerados eleitores
para as cmaras geraes, provinciaes e muntei-
. dem idem ao soldado do corpo de polica bra nao vesse esta procedencia, era despa-
Antonio de Oliveira Braga, que vae destacar em chado como pertencente aquella clasae,.a que
fficiea:
dav-'pdua- cidud
tada. aiaaria^caamunii
s, aalaaBaaDjBntemaacoatt
i mearan*** sesada te
nt
lo anaado-.
De ordem do cidadao Governador deste Esta-
do, declaro vos que foi approvado de coofouni
03,'
idaaMta otaabliaado ifeaajuaf-
aaaaaBomeaaio das vaoaaaaapor*
8.
da. Sv. Jasan rio, porax, p
rita* paocanintes
iaiilaaaaaos
dea .seM"MtP as
ra
sem protestos, sem defeza de quem quer le
toase,, anas instituicee-naaa>mne (aoven* no
aaaaaanMmo um phentHnaaannanral de ihsat
-tecaanaam motivarem aamaistdeve osofla^aapao
iaociaa#em -eseotimeatos- aas- se nfie- paaaam
oaaai
faaaem aata
j itaalBnosi.r-ae
^aascrjataWrt 1 alna I amuiiiu avalia-
dos segundo a s ja classe e calbetoria em rela-
c4 aos vinhos superiores d'outraa naoOes ; que
Ui
dade com a vossa informacao a- 47 de lodo j.oo'vinho* ogarrarado, ftaalnaarte, fosaea va
correte mez, o contracto de locacao da-casa
pertencenle a Manoel Gomes da Cruz Villarim,
para servir em Tacaran! de cadeia e quartel,
pelo aluguel de 103 mensaes.Communicou-se
ao Dr. che fe de polica.
Ao "director da eitincta Assembla Provin-
cial. r-De. ordem do. Goranadorv deste Estado,
aecuso o recebimeoto do vosso oficio.n. 5 de
13 do correte mez, e, em resposta, declaro vos
que os movis e mais cbjectos mencionados na
liados em cooformidade com as ctassea detei mi-
nadas na tarifa.

O numero total das entr.das na Expo3igo de
ls89, pagas ou gratuitas, foi, desde 6 dn-Mnio
at 6 de Novembro inclusive, de 28.122:673.
As entradas gratuitas eottam n'este total oom
2.723:466, e as entradas pagas oom 25.398:609.
O numero de tickets apreaentidos superior
ao das entradas pagas, visto que a certas horas
H-p;*ir* ti PeJH5*a
2.* seccao.N. 16.Secretaria d Po
licia do Estado d Pernambuco, 22 de Ja-
neiro de 1890. CidadSo. Participo-vos
paes todos as cidados brazileiros no gosodos ue f0ram hontem recolbido Casa de,
a o citado afStao\ vmm asr^ieeti^eertwdmfl^>rarraoeMdoaft 3, 5 e-mesmo
40 titilis por pessoa, em ves de 1.
Reahaeote de 6 de Maio a 6 de Kovembro re-
colhe.u 28 149:332 tickets.
A a nniowtrgo tioba, alm d'isio, resolvido
que a entrada da parte hvre do Campo de M .-rte
seria aindu permittida trepois do da 6, das 10
horas.da manha as 4 da tarde, aos visitantes que
aaoUivessem billietej, mediaate I ticket.
-oi assim que no >lia 10de-Novaaabro, 4 notte,
o nuoiero de tickets resolbidoso annullaJas su-
ba a 28.188 467.
Comparado com o annode 1887 o numero de
entradas a'este aano fot pelos nwao*87 % su-
II r.or-.
< -rataoai _
coasarvados sendo iimpos diariamente pelos em
pregados incumbidos desse servico.
fidttal; .
De ordem, do cidadao Governador deste Eita-
do faco publico, para, os devidos effeiloa, que
ao provimento dos oficios de partidor e dis-
tribuidor e partidor e contador do tormo do
Garanhuns coneorreu nicamente e fra do pra-
so legal o cidadao Oreses Saraiva de Carvalao
NeLva.
O secretano,
Antonio Igoacioliesauita Se ves.
li dj conrentei n. 53, resolve determinar que Leopoldiua de Carmo Guedes e outro Ee F. Central da Babia
i annexada collectoria do municipio de Ja- ?_. I Mora.8 n Ferreira e outros. Ramal do Timb
nao a de Munbeca.-Communicou se 10 ms "* 1"lor.&es TT"" t E. F. Nazareih
aeus direito8 polticos que souberem er e es
crever.
A' Cmara Municipal .o Recife. Reeom
avendo-vos que me prestis as ioformages exi
gidas pon este governo em oficio de 3 do cor-
rete, com referencia a vamagem de continuar
ou de cessar a ordem. de 21 de Marco aftiooo
conternentoa suspanaao-do embarque na Alfan
ega de furinha de mandioca, bem como sobre o
abastecimento do alludido genero no mercado.
. ilututis mutinit ao inspirctor da Alfan
ega.
PontiT.as :
O cidadao gereate da Conpanhia Pernam-
auc.ina d passagem gratuita-de proa para o
Er siiiio de Femando de Soronha, no vapor de
oje a Claudioa Mara i i Conoeicao mulber do
aentenciado Antonio .Rodrigues da Silva.Ccm-
mantcou-se ao director do presidio.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recite a S. Francisco d passagens, por con-
ta deste Estado, com direito a bagagem da es-
taco de Cinco Puntas a de Una, a um oficial do
orpo de polica e as pragas que sob seu com-
mando seguem em diligencia para o termo de
Buique.
Mulata mu'imdis ao cidado encarregado
da esiarao de .'almures d'ahi at Garanhuns.
RXPEOIKNTE DO DR. SBCRETAAIO
Oficios :
Aojuiz i. lireito do 2o disirioto crimina
De ordem do cidadao governador deste Estado,
commonico vos que no vosso oficio de 12 ao
Brrenle mez foi proferido o seguinte des-
pacho:
Ao director do presidio de Fernando de So-
ronha para, satisfazer a requesicao -
XPBDIHMTR DO DA 16 DE DEZBMBB0 DB 1889
Actos :
O governador do Estado, tendo em vista o
axpesto pelo inspector do Tnesouro, em oficio
de 14 do correte, n. 5, resolve exonerar os ci
dadaos Jos Mana da Cruz-e Jos Juliao de Mello
4o cargos de colector e escrivo da collectoria
do municipio de Murtbeca, na ordem em que se
acham collocados: visto nao terem se habilitado
para entrarem em exercicio Coinmuoicoa se
ao inspector do Thesouro do Espado
O governad r do Estudo, tendo em vista o
axpo8to pelo inspector do Thesouro, em oficio
de "
aeja
boatao
pector doTneaouPO.
O governador do Bata Jo, tendo em vista a
propostu o inspector d > Thesouro, ontida era
aficio de hoja, son n. 37, resolve nnmejr-o pro
ajotor publico baeharel Francisco Tavares Setto
para eaercer o cargo de ujudante do pro 'tirador
4os feilo- da fuzenda do mesmo Estado, no mu
aicipio de N^zureth, licando assim exoaerado de
dito cargo Oiloacharel Jos Mafia Cardoao. Com
munieou ee ao inspector do Thesouro do Es.ado.
Oficios :
\o desrmbargador Jouquim Pires Gongal
ves Lima.Transmuto-vos os reqaeritnentos e.
aai papis concernenti s ao ped*do de appro-
vacAt dos estatutos da Igreja Bningelica Per-
aamhucana, allm de que digneis-voa de emittir
vo.-s-f parecer a respeito.
Ao director do Arsenal de GuerraDe ac-
aardo com a vossa iformocao. n. 223, de 13 do
aorrente, aatnriso vos a satisazer o i rl upo pe-
dido de un Proprioda hiese p ira o cullo .i vi
a > da capelra da fortaleza do Brum Coramu-
aitoo-s- ao cammandaale da fortulczc.
Ao inspector do Thesouro.do E-dado Fica
approvado o contracto de locacn da casa per-
lenceute a I) Mara Joaquina da Trindade, pelo
preeo de t5|U08.iiiensies e a contar do 1. lia.
de Selembro nlttrao, para servir de quatel ao
destacamento do di-tricto de S. Lourenco da
Malla, o quo vos declaro para os devidos effeitos
aem solugo aos vossus oficios de 11 de Sovem-
Ikro lindo e 10 do-cerreatejnez, sob ns. 482 c 45.
Remetteu-se copia ao i t ebefe de polica.
Ao -mesmo; Autorisa vas a forneeer a fa-
jenda requisitada pehLcbefatura de polica em
afieio n. 14 6 de 13 dTiovembro lindo, para os
aaaaos da r.asa de Deu oco devendo o respecti-
vo pagamento ser effectuado aoetermosde voss
inoruiayao de l docorronte mei\ aob n. 53.
OotnmunicoU'ie ao Or ene fe de polica.
Ao mesmo. -Sos termos de rossa informa
fio n. 42 de 9 do corrate, man tai pagara
kiina Castro & C a quantia de 1074300, con
atante da inclusa tonta em dupli.v.ta, provenieo
te de objeetoa por elles fornecidos para o servi-
90 dos presas pobres rccolhilos Casa de De-
ten gao. i.oinmunicou se ao Dr. ebefe de polica.
Ao inspector geral da iostmegao publica.
Aceitando o offerec'uneoto feito pelo protessor
Sblico da I." cadeira da freguezia do Santissimo
;ramento da Boa-Vista, Joaquim Elias de Al-
auquerque Reg Barros, de ;#000 mensaes de
seas vencimentos a contar ue Janeiro vindouro,
alim de auxiliar o pagamento da divida deste
astado, recommendo vos que agradegais em
aome deste governo ao referido professor pelo
acto de elevado patriotismo que acaba de pra-
Scar.Officiou se ao inspector Ho Thesouro.
Portaras:
"Os Srs. agentes da Companhia Brazileira de
jfevegacSo a vupor facam transportar aoRio de
Janeiro, por conta do Ministerio da Guerra, ao
teneiile do 22." batalliao de iofantaria Antonio
lenejieto de A-aujo.Communicoue ao secre-
tario do commundo das armas.
dem idem ao estado das Alagoas ex pra-
Cdo 14.* batalhao deiofuntaria Manoel Joaquim
8 Santos, o qua tsndo sido escuso do servigo
do exercito a 26 de Sovembro ultimo, por con
luso de lempo, rccolhe se aquelle estado de
ande natural.
A referida ex-proga leva comsigo. sua raulher
Amelia Machado dos Santos e tilhos Jos Joa-
ajoim dos Santos de 9 aonos de idade, Arthur Jo-
s dos Santos de 6 annos, Joao Jos do i Santos
de 4 annos e Amaro Jos dos Santos de 1 anno.
Commooicou se a secretaria do commando
das armas
O cidadao gerente da Companhia Pernam-
kacana d passagem gratuita de r para o Pene-
do do prximo vapor ao Dr. Manoel Xavier
tarneiro Pessoa.
. O Sr. superintendente da estrada de ferro
o Recife ao S. Francis, d passagens de ida e
volta at o Cabo, por conta deste Estado a um
sebo de esqnadra e duas pragaa do corpo de po-
ida que para all seguem. ahm de trazerem para
asta capital um soldado que se ach preso, o
qaal devera ter passagem de viuda
dem idem as estradas de ferro de S.
Francisco e Prolongamento ao soldado do corpo
Detencio os seguintes individuos :
A' minia ordem, Valdevino Pereire da Silva,
como sentenciado nc termo da Escada; Pedro
Ferreira Lima, como criminoso de moHe no ter-
mo do Brejo ; e Jo mna Eugenia da Conceicao,
por offensas a moral publica
A" ordem do sufe-Megado do Recife, Margan Ja
Basilia do Sascimento e Juventtna Maria da Con-
ceigSo, por offensas moral pubica; e Antonio
Baplista de Souza, por disturbios.
A'ordim do do 1." disirioto da Boa Vista,
Manoel Marcolino dos Santos, por embriaguez e
disturbios; e Anoa Mara da Gonceicao/alien-ada,
at que possa ser transferida para o Asylo da Ta
marineira.
A' orde n do de Santo Antonio, PraaciHtna-faa-
ria da Conceicao, por offensas amoral publica.
A'ordem do da Magdalena, Joaquim Jos do
Sascimento, p r uso de arma defeaa.
A' ordem do do !. districto da Greca, Jo*o An
tonio de Lima, Joao Sogueira da Costa e Antonio
Fernaodes da Silva, por disturbios.
"elo zeloso telegado o 2.' disticto da cap
tal coadiuvad pelo seu digno collega do 1." dis-
tricto foi boje effuotnida a prlsao do ex cojlector
das rendas geraes do mumeipio do Limoeira ci
dadfto Emilio de Souza Costa, requisigao do
inspector da Thesouraria de Faaenda, cujai dis-
posigo acha-se o mesmo ex collector recomido
na Casa de Detengao.
Sade e fraternidade Ao brigadeiro
Jos Simeo de Oliveira, mui digno go-
vernador provisorio do Estado de Per
oambucoO Chefe de polica, Antonio
Antones Ribas.
mm
wmmm i mus
reu
r4
A exteaso das estradas de ferro brenietris
em trafisgo em 30 de Jumo prximo pa-sado
atungia a 9:321,5 kms. segundo colhe se dos ar-
chivos da Revista Aas Estradas de Ferro.
Dessa extensSo kilomtrica em geral 1376 kms.
cor-fsp :ndein conitruocao de biloka larga e
7:915 5 a de biiolaeatreita, regulando aqaella'as
ditneusoes de 1.60 a IAO; e esta as ae 1,20,
t,H>, i',08, 0,95, 0,76. e 0,60.
Bitola delm\60
Linbtt'perteocen te ao estado
E. F. Central 725 kms.
Lionas com granvia de juros
E. F. Babta;aoS. Fraociseo 123 kms.
E. F Recife ao S. Francisco 125
E. F. Santos a Jun liahy 139
Linha sem E. F. Paulista
Kcecbcdoria alo Balado de
ernaiahueo
DESPACHOS DO DA 20 DK JANEIRO DE
1890
Paulo Francisco de Souza. A' 1.a sec-
cao para os fins devidos.
21
Dr. Jos Austrefiesillo Rodrigues Li-
li.
E.
de F.
douro-
de F. do
beberibe
Tita!
Biwfa delm.44
de Jarugu ao Bebe-
BMa de Um 40
Raajfe a Olinda e
Bitola de im.SO
E. de F. do Caxaima
Bitola de l.mO
Ramal de Cantagallo
. de F. Uniao Valenciana
242 kms.
1354
10'
12
20
69
63 .
132 >
Total
BiUls. de 1 metro
Llnhaa perteocentesao astado
,E F. Sobral 129
E. F. Baturit 109
PntaaapaBHata do Pernambuco 146
-: F. Curaarie 72
E. F. Paulo Affooso 116
Prolongamento da B hia 322
E. F. RiodoOuro 655
E. F. Central 103,5
E. F. Taquary a Caoequi 306
kms.
Total
1360
Linha com arnntia de juros
F. Satal a Sova Cruz
F Conde d'Eu
F. do Limoeiro
F. Central de Alagas
121 kms.
Deferido em vista das informacoes.
Antonio Soares Raposo.Deferido.
J. E. Purcell.Deferido com- relacao
ao 2." semestre do exercicio de 1889.
Victor Neesen Sim.
Maria Simplicia dos Anjos, Odilon Bap-
tiata da Silveira, JoSo de Almeida & G. e
Nicanor Avelino Al ves Araujo.A' 1.a
aeccao para os fins devidos
Vicente Licinio da Costa Campello.
Aguarde a sua reclama^ao. para o fim do
1. semestre.
Jos dos Santos Oliveira.Dirija a sua
peticSo ao Thesouro do Estado pagando
antea o que deve do imposto de bombei-
ros.
Engenheiro Oustayo Hernand.Inde-
ferido.
Delphim Lopes da Gra.Inorme a
1.a secyao. ., -
Benigna Leocadia Marques da Silva.
Indeferido.
- 22
Livramento & C, Antonio Ferr ra de-
Olivei-a e Jos do Livramento & IrmSo.
A' 1.a secyao para os fins devidos.
JoJo Ramos. Informe a 1.* aecc2o.
E. F. Baha e Minas
E. F. Itapamirtra
E. F. Santa Izabel do Rio Preto
E. F. Campos draogola
E. F. de Rezando a reas
E. F S. Paulo e Rio de Janeiro
E. ?. Mogyaoa
E. F. Soro.abana
E. F. Ituana
E F. Brauantina
. F. Leopoldina
E. F. do Juiz de Fra ao Piau
E. F. Rio e Minas
E. F. Paranagu a Coritiba
E. F. I). Thereza Christina
E. F Rio Grande a rag
E. F. S.Leopoldo
E. F. Quarahy a Raqui
31*
83
34
142
70 .
74
283
28
232
775
222
212
52
1.123
61
170
1(1 .
116 .
283
43 .
175-5
S.07 krcs,5
lopect)ria geral da lu*trnce**
piiblfca do Estad de Vernxm
baoo.
DBSPACHOd DO DA 21DE JANEDJO DE
1890
Clarinda Guimaraes Ribeiro Machado.
Sncammhe se.
Antonio das Chagas Rodrigues Macha-
do.Encaminhe se.
Maria do Carmo de Drummond.Justi-
fico.
Maria Albina do Oliveira Coste.Cum-
pra-se e registre-se a apostilla de 26 de
Novembro do anao passado.
Manoel Lopes de Albuquerque.-Cm-
pra-se e registre se a apostilla de 3L de
Outubro do anno pa&sado.
22 -
Rodolpho Gomes da Silveira.Com-
prase o registre-so a apostilla de 21 do
corrente.
tium COllEktIO
Os Estados do Prata sio grandes importadores
de vinhos: at anda ha poucos annos, na esta-
tistica ofcial fn.nceza, eram considerados o pri-
meiro mercado do mundo para os vinhos de
Bordea.
A iraportayo de vinhos portuguezes era resu-
midissima e quasi exclusivamente representada
pelos vinhos licorosos do Porlo e da Madeira,
tnicos regularmente clasificados as pautas
com retacbaos vinhos dos outros paizes, sendo
anda para notar que grande parte da importa-
cao do vinbo do Porto oes mercados das rep-
blicas americanas se fazia por intermedio da In
glaterta, de modo que nao flgurdvam no com-
mercio portuguez.
Comprehende-se, poi-, que dada a cspeciali-
dade do consumo geral des tinhds n'aquelle3
paize3 (typo Bordeaox) ha vena toda a vantagem
em introduzir all os vinhos portuguezes de
pasto.
a concurrencia desses vinhos encontrava,
porm, urna grande diticuldade Na pauta an-
liga os vinhos portuguezes eram comprebendidos
ia polica Fehx Jos Freir que regressa. para | ni desigaacSo Ve^vTn"ho7 do Porto, Madeira e Lis-
seo destacamento em Villa Bella. D,ai de modo que todo vinho portugue, em-
Total
Limas p3rtencenles a provincias
E. F- lielm a Braganca 59 kms.
E. F. Sanio Amaro 36
Total 95 kms.
Lmbas sem garanta de jaros
E. F. Corcovado 4 ^^s
Es. F. Principe do Gnio Para 92
E.F. doSorte *6 "
E. F. Santo Antonio de Padua 93
E. F. Sant'Anna 39 *
E. F. Rio das Flores 36
E. F. Ramal Bananaleose
E F. Rio Claro 26a
E F. Taubatfl aTrmemb
E. F. S. Vicente J
E. F. S. Paulo e Sanio Amaro 29
Total 625 kms.
Bitola de 0m,95
Lindas sem garanta de juros
F Macab a Campos 96
F. Baria de Araruama *<>
F- Campos a S. Sebasttao 18
kms.
E E
E.
Linf
Total
Bitola 0,m76
com subvenyo kilomtrica
154 kms.
Oeste de Mas 320
Linha sem garanta de juros
F. Minea 358
kms.
Total 358 kms.
B.tola 0m,60
Linoas sem garanta de juros
E. F. Vassoarease 6 kms.
E. F. Descalvadense 14
Total
20 kms
TBASSCRIPCOE.S
imierfttaes viiaes
(Diario dn _^JoUcia?, do Ro do Janeiro, de
S de' Janeiro)
0 comraecio. aa industrias, a classe agricol>,
e, em geral, todas aa componentes da sociedade
brazileira, devem Interessar-se o mais possivel.
por que se rain re a preoccupaQaopoltica inevi-
tavel com a inslituico de um novo rgimen,
porem hoje sem mais razao de ser pelas garan-
tas de estabiliJade, de ordem e de imutabili-
dade, que teoua America aorma republicana.
Tao prompto o povo, como as classes produ-
ctoras, desviarejn a attencao da poltica para os
trabalhos que constituem a riqueza nacional, tao
prompto, ao seio da calma e da conhanca, en
trarefflos todos n'essa poltica americana, que
faz das estradas de ferro, do povoamenlo do
slo, dajexploracao das riquezas natnraes do der-
ramamento da instrueyao e dos melhoramentos
matenaes os seus dogmas fecundos, que se abrem
em beneficios e em heneaos aos povos que a
tomam como urna religio.
O paiz est definitivamente organisado em re-
pblica e, paraphraseando um dito celebre de
Bismarck, nos podemos dizer. tambem que o
nossa fru.ade governo, hoje, s teme a Deus.
Deposlas instituices semi seculares, sem Jutas,
por si idesmos.
verno forte, ondo-taB'qaaP se aaaia
na spera escola da atlveaaiade eat
toma instanlaaeimaaaa poaaa da
reveste a de aaia-faaaa^ dakeam a
tigio-eamo nao se tintexistaaBaa noaaBpaiav
occapanros postos que o patriotismo loes indi
con, e sob essa direceo, conquistada pelo me
tito e-pela intrepidez, tudo se mose-uo .paiz, em
harmooia impreseionadora, e conr nrettoramen
tos palpaveis em todos os ramos do servico pu-
blico.
Ruy Barbsza, essa'gladiador da democracia,
eaae mixto de genio e de operario, que ora nos
arrebata con os fulgores do su talento, ora nos
assomara com o seu poder de trabalbo, estuda
as flnaocas brazileiras i luz dos principios e do
desinteresse. tendo )& produzido reformas e ex-
peadido ideas importantissimas.
O seu re; torio sobre o estada da fa'.eada.pu-
blica, a 13 iie Novembro, o documento mais
vasto, mais serio e mais animador que jamis
u ministro d'ssa difficil pasta teuba dado a
publicidade. Por elle se vqaanto pesado o
encargo que nos deixou- a monarchia, mas tam
bem a con3anca nos recursos do paiz nao se
abala um instante. Descarna se o mal, para
que todos saioam o proprio estado, mas simul-
taneamentft, o remedio heroico applicado e de
modo tao feliz, que a conrissao publica dos de-
sastres passados sauda la na praca e nos cir-
cuios commercia -s rom a subida do cambio.
Para sahir das difficuldades, basta s fecun-
dar um pouco as forcas productoras do paiz. e
para que o nosso crdito nao se abale, 6 suffi-
ciente apontar ao mondo os recursos enormes
tuetemos no imposto, no yalor predial d-is ci
ades e nos proprios nacionaes. Temos muito
com que pagar-essea compromissos.
Por outro lado, a lavoura, a quera ve '-em affl
nado sempre com seductoras proma*as. sabe
por experiencia-propria, quo os beneficios fei
lo* em seu nome, na maioria dos casos, t;n ido
parar s mos de intermediarios mais ou me-
nos estr.intios classe por eXCellencia creadora.
da riqueza oublioa.
Dos saonficios j feit09 pelo Thesouro, urna
ate mnima temebegado a seu destino, sendu
idea firme do Sr. ministro da fazenda meihorar
3narito puder os meios de levar alent e con
anca s classes que ais se oceupam da fecun
dacSo das nossas numensas riquez Em todas as pastas, finalmente, vemos ho
mens de oonvicco e de trabalho. sahidos do seio
do novo, e levando para o>govevno os saos prin
apios da deraocaciu, a que se-trauboram con
aervar fiis durante urna1 vida inteira delucta e
de speras provaces. Sao homens de cortfira-
ga de ideas aasenuidas, de coa-viedes irreduti
veis e ligados sorte da Republici por nm des-
tino c 'inrauui.
Era todo'o paiz nota se a maior calma, e o
raaior trabalho de orgaorsaQ&o NSo ha um f
Sstado que, sob o novo rgimen, nao lenha j
melhorodo sensivelmente' as suas cireumstan
cas, mostrando se todos confiados e cheios de
aairaaco.
Do eatrangeiro, tambem nenhum perieo. Bem
perto d nos vemos toda a America identificada
com o Brazil, na tnanutencao da Ripublica, c
fazeodo votos pelo nosso futuro. Da Europa
ha urna forte corrente de synpathia em nosso
favor, oriunda di tudo quanto tem vida e aspi-
racoes progressisla?. Ha, tambooii um espirito
de bostilidade, nascidodo confhcto das nossa*
iostiluicoes com os velho3 organismos de ori-
gem feudal, que se sentera ameagados. Sao,
porem. mauifestacea platnicas, easas. que sem
pro existiram entre o passudo e o futuro, e qu
jmait irapediram os novos de caminhar.
Em relacSos nos*a3 a-taaes inslituices sao
de todo o ponto innncinas.
Em laes circumstancias, a situaco da R'pu
blica torna se a mais propicia possivel, Dada
tendo'de quo receiar.
Convm f que nos ab9tenhamos das luitas
esteris de una poltica intolerante, 3 que a som
ma de activi Iade e de movimento, me-outr'ora
se di-pendia ios assaltos do podar, seja agora
impregada, do moflo raais fecundo, na reorga
nizag.iodos servico-, na elevajao do nivel moral
do povo, no incentivo aotrabaiho, avolumaudo a
nossa riqueza e a nossa gloria.
Confiados nos humana- que est&o a esta do
governo, e cuja sorte est ansolutamente identi
licada com a da Repblica, s noa resta deixar
Ihes liaerdade de-aeco, e que cada um de nos,
na esphera da sua actividade, "ajude a cora
pletarem se as grandes linhas da politiza geral,
tito auspiciosa e b^oeli'.a, inaoguraia a 13 de
Sovembro. Para isso, que cada^qual faca con
vergir, de novo, a sua aclividade e os seu3 es
forjos, para os trabalhos e para as orofiss 'S
que Ine3 sao peculiares, tranquilizando o espi-
rito publico, desenvolvendo as aclividaes, e or
ganizando urna sociedade em que o mrito e as
apudes sejara a maior forca, que jamis impul
sione os cidadaos conquista das posicoes mais
altas e mais honrosas.
Entregue cada um de nos aos seus-labores
habituaes, o governo tambera descansar, po
denoo em- calma entregarse ao estudo c re-
soluco das questes mais vitaes da nossa exis-
tencia poltica e social. E tao prompto obtiver-
mos esta hooaoga, no mar das impaciencias e
dos sobresaltos infunrradoa, to prompto o go
verno, era vez de quest-'s polticas, paasar-a
oceupar-ae cora os prt blenas das-vias do com-
rminicaco, do povoamento do slo, da protec-
gao s industrias do derrammento da instruc-
jo, isto enveredar pelo programma dos me
Iboramenlos as (nangas, naadiaimatrago e nqs
costume8, espalbando-se a riqueza e o bem e9
tar pelo povo, e fazendo deste Br..zil urna torra-
da promissao, onde a fraternidade attraia a ac
tividades de toda a ordem, e a remunerarn do
trabalho permita a orgaaizago da familia em
melhores bases do que hoje.
Veremos ento surgir, urna geraco msenla,
que, abiingoamloaobra heroica de aeusmaioces,
se lngara com alfan a todas as lucias nobres,
dando ao. mundo o-espectaoulo da.paz.e da con-
cordia, em meio dos esplendores de urna cvili-
sagfio que, por ora, nao antev limites ao seu des-
envolvimento vertiginoso.
Se isto fize-mos, o mundo anda urna, vez po
der ficar assombrado com os prodigios d'esta
inesgotavel e esplendente America.
Estudando mais os livroi que podiam toroal o
conhecido naaBaaapa do qaa os qaav pulaesem
auxilalo aaaaoiaaaaimetManhs caaeaae das ne
cessidadeaaalB mean trra; prafcraado-a.grego
ao portugaaaBO paaaaer da Acidalia-Baanceza
sobre a pasaaqein-de Venas, ao de-Ruf iarbosa
sobre a abaaio dcaxescranoa no BmaiL; go-tan-
4o mais doaatacueaBide anumeraboB das abade-
rnis astr
dro sonhavaaaaaaaaan setaaaaaamaaaapqii lavnav
onde fazia urna derrama de condecorages. sem-
pre que ia visitar o velno continente, do que em
car atiando pelo povo brazileiro de quem de
peadia o throno de Braganca na America.
Cercado de bomeus acahhados e de conselhei-
ros m autonoma, o ex-iinporaJor reinova, go
vernava e adm nistrava, sem encontrar impecilio
poderoso, capaz de fazel-c recuar do camiuho
deagrapado que segua sem rumo.
Cuaianado a mandar e a ser obedecido, gik
vernando discricionariamente, sem encoptrar reT
sistencia sua vontade, ludo podendo e tudo fa
zendo, o ex imperador julgou pe, nao smente o
.pumflHiQ.nirtadniaawa,abafa-do Botado, como o
nico homem.ounico liti.-rato.ounico philologo.
ounicdtalento, o nico estadista, o nico sibio,
emltm, que o paiz era ejle, qae o povo eslava
fechado em suas mos de fierro e que o bro ti
nha deaapparecdo com o ultimo dos sauea mi-
nistros.
Esta convieco majou o pobre im;wradan, que
deixou-8e illudir em quimo mogo, cmprame!
tendo-se cruelmente na velhice.
Luiz XIV dizia que o Estado en elle, mas
LaiZ'XIV era um grande rei, deu nome numse
calo, eraquanto D. Pjdro II nao deu o seu nome
seno s ras e alguraas inslituices do sau
paiz, quando imperador. Entretanto, poda im
mortaltsar se ao menos peraate os seus compa
trilas, porque governou os mais. como servos
do que como biasileiros, embora. nvessemos
protestos eloqu>mtes como as revoluces de
1835, 1843 e 1848, que lavantaram bem alta, o
nosso nome no estrangeiro.
Mas D. Pedro nada quii faz*r. Tendo aa re
formas beraes em suas raos-.aperia'aras anli
patriaticamente, desviando o povo de suas coa
vieces e eucamiohando o para, rumo diverso,
fazendo o paran ou mesmo recaar.
Durante meto seculp de seu reinado nada fez
degrade e de extraordinario que o tornis-^e
merecedor ta nossa consilerago e reconheci
ment.
A abotico fui fVita pelo povo, que a conquis-
lou na prnua -mblia, auxilia 1,j pelo ex.-rcito e
nao pela ttinouo. q* se apalOUi na idea para
salvar a monarchia.
F-izend j valer a sua intlaenxia em todos os
ramos do servigo publico, instiiuio o tholisrao,
protegendo os nullos em despr iveils do mere-
cimento,
Soube fazer o mal talvez inconsnentemmte
na-, nu.i :a soiitu.1 :'i/."r o 1) m da patria, C >iu-
mettendo actos uberaeit e encatniuB-iado as re
baataa de que tanto oareciuraor.
Sustos coiidigHs a R-pubct. eni aoja saii
da I', e>j qu-Mio d ta.n i >, porqu" a dy*istiu
e-iragad.i te B:',i.'a;ig i devia ser extorminadu
na America.
E ella upnareieu grandiosa, sublime, dando
iigas de civismo '^ cordur. ao mundo-inteiro- o
promovendo as grandes.aafoajaas que odeson-
volviinentu lutrtllH.-.iud do as .ido aaatiwna
En in-iis de dons iu.!7.h.s a Repblica tea
noa engrandecido mais no-mundo i'iviiisudo do
que o imperto u.n mais de 67 innos /
Altes do SovQ.Q'>ro u Eirop u>n 'oacontM
ca, porqae o Brasil era o monurcia e omouur
cha erara.nagao, maa lioje est mudada, a face
loa acontomatentos e o Brasil o Brasil.
Mois de u na geraco mieira tem ouvido fallar
na questaoidea M-su-, tao deba'ida entre nos
motivo do tumos desgoslos e dissenges en
sidente, major Francisco Tiburcio Paulino de
Meato e Silva e capitn Jos Antonio de Meflo.
Ignaams
Jfapoleo Casar uanta, sansindo de presidenta,
endador ioo JJourada da Cu nha Azeveda
Scipio-de Albaqnerqne Maranho.
aDhess.
Cosanel Sebastio,ABtoaiovccioly Lias Wan
mia do quetaVuaaaoaragaai^oqaaate, apakona-idala, servindo do paaaidaato-, Luiz Cavalcante
da e patriaBaadenBae ftanliciai-.quaaamrio san ida-AUMKjuerqaa Uchaua caojtio Maooel Vicente
Hataja (aaignado)Jos Smsmt-d Oliveira. i
-4.* seccao.Palacio do Governo do Estado
de Peroamouco, em 21 de Janeiro de 1890. -
0 brigadeiro governador do estado resolve
nomear o coronel Joo Correia de Queiroz Mon-
teiro para fazer parte do con3elho de Intenden-
cia Municipal da Escada, em subatituigao doDr.
Leouardo de AlbuquerqueCavaljante que pedio
dispensa daquella incumbencia.
assigoado)Jos Simeo de Oliveira,
Heatao.a policaPor acto do governa-
dor de estado, de ante-hontem datado, foi no-
mea lo o Dr. Carlos Dantas Bastos para exercer
o (rirgo de medico da polica durante o irapedi-
raooto do.Dr. Jos Flix da Cuntia-Sfenfres; que
obteve tres meses de lioanea paraaratar de sua
sade.
Fcaia do >Vnte So domingo prxima
celebra se na visinha cidade de Olinda a festa
tradicional de Nossa Senhora do Mon'e.
Ao passo que assim se manifesta sempre fer-
vorosa- a devoco, que a no isa populago nutre
para com a Mi de Dos, inaugura se ao mesma
lempo a.sua secular apella, cujo estado d dam-
nificago acaba de passar por urna reparacaa
completa e condigna da morada da excelsa
Christipara.
Viva a Repblica
(Diario de Noticias, do Rio de Janeiro, de 9 de
Janeiro)
Em menos de dous mezes a Repblica lera fei-
to muito mais do que o imperio em mais.de ses-
senia e seto annos.
Quem conbece a historia da nossa independen
ca, quem estuda os fac.os da nossa organisago
poltica, quem procura acompanhar o fraco es-
tabeleeimento da monarchia no BraziL e o proce-
dimento do primeiro imperador, faltando sna
palavr de pnneipe, suffocando a sua conscie ca
de filrio para deixar transparecer a sua ambigo
de mogo, no poda acreditar na estabilidade do
imperio n'esia parte do continente americano,
onde a idea da Repblica um facto e os senti-
m-nlos libaraes do povo urna realidade.
A no-sa independencia, em 1822. nao foi com-
pleta; lindamos umi ligago anda com a Eu-
ropa, que tornava-nos urna continuadlo da me-
tronle, c que nos enfraquecia profundamente.
So principio da sua adjlinistrco, Pedro l
procur u acertar, commetteamo al^uns rasgos de
louvavel energa, mas pouco depois comecou a<-
descarrilhar, descobrin lo a sna ambiguo e arbi-J
1
ti-e a Repblica Arguntina o o Brasil.
Durante iodo o im^torio discuti so cora nnis
uu meaos-vebsmania, de parte a parto, sera
nunca 88 chegar a um resultado positivo, tiean
do sera >re pendente de urna aoluo defloitva.
Hiuve momento era que corremos .inminente
pongo, ponqueos uaimos exaltaram-se extror-
diuan.i.ii nte. an-ag in lo nina guerra entre as
duas. naces.
A iraprenaa arganUna- commentava os factos
le um molo exagerado, esoitanao os nimos e
provocando remoques por parte do povo, que
rauitas veses desejava a lerraiaago da questao
pulas armas; felizmente a nossa prudencia im-
pedio esse -mal, deixando, porem, um raaior--
o motivo da discordia otorna entre as duas na-
goes.
Um accordo tornava se impossivel no impe
rio, e a Repblica doa E^tadoa-Unidos do Brasil
resolve a questao de um modo honroso para am-
bas as nag:;s. terminando-a camarariamea'.e.
Se houve mato alguma generosidade de nossa
parte, ella nao passa jamis de urna pro va do
nosso recobeeimento ao povo argentino, que-
se tem deafeito em demonstrages de amisade
nara comnoaco, amisade to hbil e gentilmente
cultivada pelo-eminente diplomara D. Enrique
Moreno-
Est, poi8, terminada urna das questes mais
importantes para a nossa tranquiilidade, porque
ella foi se-npre un pomo de discordia entre os
dous povos e que o imperio nunca resolveu.
Outro acto otavel da Repblica foi a sepa/a
gao da igreja do Eilado, do modo por que ella
foi feita, a exemplo da Suisa e dos Estados Uni
dos do Sorte
Sao-tive8semos j outras reformas urgentes e
quaa monarchia nunca nos quiz dar, baatavam
estes dous ltimos actos para perpetuar a me-
moria do governo provisorio na gratido do?
brasiteiros.
Se a Repblica tiv*B33 dez di.is mais como o
le aore-hontetn. seriamos j a primeira ou urna
Entre o imperto^ a Repblica ha um abys
mo : Viva a Repblica !
REVISTA DIARIA
trariedade, querendo tudo dominar por si, dandi
era re-altado 7. de Abril.
Sa infancia anda, sobe ao throno Pedro II,
qu", educado por jesuta, soube adquirir Ihe to-
das as manhas. que mais tarde foram applicadas
pelo ex-imperador com toda a arte de professor
erudito.
Bem cedo o ex-imperador empolgou os ho-
mens de Estado do seu paiz e comegoua domi-
nar o Brazil discricionariamente, pondo e dis-
pondo detudo.com a pujanga do sea poder, mas
recuando s veas timoratamente das grandes
acges de heroismo, porque receia;a enfpaquecer
sna forga, que era extraordinaria, mas que nao
tinba tstabilidade segura.
Podando tudo fazer para garantir o seu throno,
dispondo de todos os elementos de vida para des-
envolver o seu paiz, dotando o de lea libaraes,
D. Pedro de Alcntara trata va mais de se engran-
decer no estrangeiro do que de ser engrandecido
e estimado pelos seus compatriotas.
Cmara* Mnnlclpae Pela seguinte
portara do cidadao governador do E-todo foram
dissoividas diversas Cmaras Municipaes, sendo
nomeadas ia tendencias.
4* Secgo.Palacio do Governo do Eslado
de Pernambuco, em 18 de Janeiro de 1890.
O briaadeiro governador do Estado, consi-
derando, que'as Cmaras Municipaes de Rio Por
moso, Barreiros, Garaohans, Buique, Pedra
Aguas Bellas, Bscada, Ronito, Iguarass e Se-
rinhem nao te.n correspondido ao fim a que se
destinara, em prejuizo dos respectivos munici-
pios, que se'acham em visivel estado de d'eca-"
deucia, e sem que se manifest qualqaer inicia-
tiva de beneficios- reaes; e considerando mais
que, bem administradas as suas rendas, sero
estas suflcientes para o provimento, alias ina-
iavel, das necesstdades da cada um destes, re-
solve, usando da autorisago concedida pelo
Decr. n '07, de 30 de Dczembro lindo, diasot-
ver as referidas Cmaras e nomear um eonse
Iho de intendencia para cada urna dellaa, com
posto des seguintes cidadaos :
Rio Forraoso
Visionde de Rio'Foraoso, servindo de presi
dente, tenente-coronel Francisco Forreiaa ile Al-
buquerque e eopito Joao Senhocioho da Silva.
Barreiros
Dr. Manoel Victorino da Cosa Barros, servindo
de presidente, commendador Manoel de Barros
Wanderley e Francisco Marinho de Paula Lins.
Garanhuns
Dr. Antonio Baplista de silo Pdxolo, ser-
vindo d presidenta, teagate-coroaei Francisco
Pereira de Carvalho e Amaro Augusto do Barros
qrreia.
Buique
- MinoeliCamello Albu merque Cavalcante, ser-
vindo de presidente, Antonio Ferreira Cavban-
te Badega e a lean ir de Albuquerqu; Ca al
cante.
Pedra
Jos da Rocha de Siquetra Cavalcante, servin-
do de presidente, coronel Francisco Vaz Caval-
cante e tenente-coronel Amonio Al ves de Carva-
lho Cavalcante Concigo. *
Aguas-Bellas
Coronel Nicolao Florentino de Albuquerquc
MaranhS), sprvindo de presidente, coronel Cons
tantino Rodrigues Lins de Albuquerque e teen
te-coroael Victorino Jos da Rocha e'Souza
Escada .
Drs. Antonio Hermenegildo Castro servindo
de presidente; SamneL Pontual e Leonardo de
Albuquerque Cavalcante.
Bonito
eonardo Orlando de Barros, servindo de pre
I
Bavida essa obra de gratidSo ao concurso dos
Heis, foi d*el!a colkborador incessante um'alraa
dedicada ao culto, e cujos seotimentos religiosos
nao se compadecianvpom o estado ruinoso da
veiusta capella, ondp os nossos maiores pela
adocago pro:uravam conforto auas alHcgoes
e rendiam reconbecime .tos pelas gragas rece-
bidas.
MiwsaH uuebre:Amauh. pelas 8 horas
do da, na capella do cemitero publico de Santa
Amaro, commemoram os empregadoa do Pradt
Permmbucanoo trigsimo dia do fallecimento da
seu finado director, Ore-tes da Costa-Rego Montei-
ro, mandando rezar missa3 em intengo de sua
alma e fazen.lo cplloear urna lapide morluaria
e n ,:ei tmulo.
E branga geoerosa, si por um lado exalta aquelles
que o praticam, por outro realca o i.erecnn rata
do individuo que d'elle objecto, e cuja recor-
dago perdura.
Festa de \onna Senbora da Sade
Hoje levanta se a bandeira de Sossa Senhora
da Sale do ogo da Panella, sendo asa acta
cencatlo da magnilicencin que os devo'os da
rae^ma Senhora na renovago annual d'elle na
mnittem.
Em seguida comej, iro is respectivas aovenas
com a costumada pompa, devendo ter lugar a
featividade no da 2 de Fevereiro proaimo.
Club de InlhoReune-se boje no lu-
gar e s iioras do estae esse club, em sessSe
ordinaria
Honie de Soccorro Sio concluio-sa
huntera o leilau le todos os lotes annuneiados
pela Cnxa econmica; e por isso con'indi hoje
e-mesmo leilio, no qual devem ser dispostas as
melhores joia.s depositadas no r.-ferido estabele-
ci meato.
Club tepabltava r>rtiiin) do
Beclfe Faz Ooje sesaao, pelas 7 horas da noi-
te, esse club, com o fim de discutir os esta-
tutos.
Priao -Na terca feira i noit; foi preso pela
subdelegado do Io listricto da Boa-Vista Pintes
Adedino da Cosa Doria, que celebre nos annaes
(rimes desta cidade, e contra o qual ltimamen-
te fora expedido mandado de priso pelo Dr.
juiz do direito fo 2o districto criminal, como in-
ici do em crime :e estellionato
A priso foi rcalisada na propria residennia, a
qual ticou em cerco uto o amanhecer de hontem,
por haverem suspeitas de ser o mesmo Philea
|.fabricantee introductor na circulago de raceda
(atoas de prata e nik"l.
E procedida a busca, encontrou se com effeite
formas de gesso dos valores de 00, I 000.
300, 200 e lOOTis com o demais material exi-
gido para fabricago das respectivas moeda3, das
quaes ha derrama i ITecvama circulago.
As diligencias da autoridade proseguem, e pe-
las j effeutuadas ella credora de applauaos pele
servigo real que acaba de prestar sociedade.
En viatem-So vapor costero. hontea
chegado do norte, veio o Sr. Miguel Feraand88
Marros, 2' escripturario da alfandega da Capital
Federal, que em comm3sao do governo, fora aa
Rio Grande do Sorte e ao Para.
O Sr. Miguel Barros deve embarcar no paquete
Mandos para o-sal, alim de assumir o exercicia
do seu cargo.
Comprimentamol-o cordialroente.
Aleuifu HuLSical Peruiatliucaao -
E-ta sociedaite praeadeii anta hontem eboioSa
do novo conselht) que tern defonecronar no cor-
rente anno, a qual dea o segointe resultado :
PresidenteSantino Alves Carneiro Pinto.
Io secretario- Manoel Amerreo.
2" dito Egydio de Freitas Cunha.
OradorCyrilio Augusto da Silva Santiago.
BibliothecarioPedro Brazil (reeleito).
ThesoureiroArthur Balbino dos Santos.
Couselheiros SebastiSo Duarte e Pedro Apri-
gio (reeleito).
lommisso de contasJoo Alves da Silva,
Joaquim Gonzaga de Menezes e Augvsto Pa-
checo.
Ficou marcado o ira i de Fevereiro para ter
lugar a posse.
Examen de adnaisfto na Escola
NormalPor portara do cidadao inspector
gerol da instrueco publica, de 22 do corrente
mea, foi designado o cidadao Dr. Joao Baptista
Regueira Co-ta, membro do conselho litt.-rario,
para fazer parte da commissao examinadora
que tem de reunirse no dia 28 do andonte, na
Escola'Normal, arim de proceder se-asa exames
de suflicienia de que trata o art. 27 do regala-
menta de 27 de Dezernnro de 4887.
NoBseaco interiaa Poi confirmada
pela mesma'insper.toria a norntago do c-iludao
Joo Bariholomeu Pereira da Silva, designado
pelo-delegado litterario de S. Fre Pedro Gon-
galves do Recife, para reger interinamente a 2*
cadeira do sexo masculino da mesma freguezia.
C'onfr .ra de Santa Rita de fausta
Commnnicam-nos que se acha reconstruida a
eoberta dessa igreja e parausada a reconstruc-
go da capella-mr'por falta absoluta de recur-
sos.
A iniciativa popular como que desappareceu,
ama vez que o appello que fez o conselho admi-
nistrativo da contraria da retenida igreja, s foi
attendido pelo pessoal do Arsenal de Guerra,
companhia de bomheiros e commissao paroenial
de S. Jos ; no emtanto de esperar que as ou-
tras corporages existentes nesta capital, s"
quae3 se dirigirara circulares pedindo auxilios,
correspondan! espectativa do mesmo conse-
lho. mostrando assim que do seio de nossa so-
ciedade anda nao desappareceu o espirito reli-
gioso.
Os habitantes desta capital tem bem presen-
tes que es3a igreja foi damnificada por um vio-
lento incendio, que teve lugar na noite do da
17 de Outubro do anno prximo passado, sendo
os prejuizos oreados em20:000.
O conselho.administrativo, por convoeaco
do seu respeitavel regedor, cidadao major Jos
Elias de Oliveira, se reunir boje, s 6 1/2 ho-
ras da tarde, para tratar de medidas urgentes
que pendem do Collegio Representativo, cuja re-
uniao ter lugarto da 27 do corrente (domin-
go) s 9 horas a manb.
< E' de esperar que todo" os confrales compa-
re-gara a essa reotiio do Collegio Representati-
vo, e nessa occasiSo conoorram de qualquer mo-
do e com qualquer quantia, por mais diminuta
qaeseja, para as obras da igreja Je que sa
Temos por diversas vezes nos oceupado desta
assnmplo, e estamos promptos a receber em
nosso escriptorio os donativos que nos queiram
confiar para a reconstruego da capella mor do
templo incendiado, dando conuecimento ao pu-
blico das esportulas que nos forera remetidas.
Carnaval de H90Informara-nos que a
commissao para os festejos carnavalescos da ra
do Hoco. Jess, no corrente anno\ ficou formada
com os Srs. Jos Antonio Moreira, Josa, Lopes
da Costa, 'api to Marcelino P. Jos de Sonto,
Manoel P, Barlolo Iunior, Capttao Julio Augusta
Torres, Jos Ptno Moreira, Antonio F. Galvo,
Hermenegildo A. de Assis. JoSo dos Pasaos Gui-
maraes, Augusto Paulo de Carvalho, Tenente Au.
f
" Vv
'/
r/
Y. *:
I -
A.
i;
i
m

-
-

f *-

" I
i

.



- I
5*'
W

*






i

- .


S?

.,


Pernambuco--Qum*a4cH,a 23 d Janeiro de
7\J
gmsto S. 4a Silva Neves, /orge Andrade, Boa
tano-A.*rt*%o Joa Unja, tm&torm ta JTt* devea reuoir-ae n
asaa-bia-geral a confrades da SortaMe dw
Artistas Mchameos e.Liberaes para o fim de
procederem a eleige .de su; nova drectoria
para o aaao social de 189091.
Pgrfo Carril de Peroaaibmco-A'
partir de 17 do crrante mex a Cotnpanbia Per-
ro Carril de Peruambuca pagar o Ib" dividen-
do aos respectivos accionistas, razo de 4*000
por acgo. e referente ao 1 semestre do exerci
ci de 1889 90.
Oj !! PrronmbuMM Estao
abertas rs matriculas para as diferentes dieci-
filloas do Gyraoasio Pernambucano, devendo ter
ligar a 3 de Pevereiro prximo a abertura so-
lemne dos cursos scieotilico e luteranos.
4tt;ln!iMs Commumcara-nos dessa lo
ealidade :
No da 3 de Dezembro, ua escola publica do
eso masculino desta povoacao, regida pelo
professor Philomeno Rvrmuodo Nuaes de Lima,'
perante a commisso examinadora, composta
do delegado litterario capito Manoel Rodrigues
Torres Gallmdo, do estudaate Adolpbo Suues
Cbalegre e do professor da cadeira, tiveram lu-
gar os cxarues de quatro alumnos habilitados no
i* grao, cujo resultado foi o seguinte : Miguel
Mues de Olivera, multo adiantado, Dinaine-
rico Apolinario Crespo, idem, Rczendo Alves dos
tanto*, adiantado, e Manoel Abdeuago da Silva
leal, idem.
Acabando o acto muito tarde, foi designado
o dia seguate para ter lugar oexame do 2 grao
do alumno Miguel Nuaes ae Oliveira, que tinha
sido julgado muito adiaotado.no Io grao.
A commisso examinadora foi a mesma, e o
caminando foi considerado adiantado.
Em seguida foi dada a cada examinando
urna Menco boa rosa.
Os olumnns agradeceram da tribuna escolar,
tendo tambem fallado o professor da cadeira e
o cidail i Manoel Alfredo Somes de Almeida.
No tim de cada discurso tocou a msica da
locaudade, subiram ao ar foguetes e foram er-
guiSos vivas Repblica do Brasil, ao maro
bal Manoel Deoioro da Foa3eca, ao goveroador
do Estado le Pernambuco, ao Dr. Jos Izidoro
Martins Jnior, ao inspector da instruccao pu
blica ao professor da cadeira.
'A' noite taouve um sarao oa ca3a do profes
ior.
Ormelo~ia dai obra* de conserva
ru don portoa de PrrnnUnRevi-
fe, 21 d; Janeiro de 180
Boleim meteorolgico
mmmmmm

1> , o
Boras i) c s?5 barmetro a 0" Tensao do vapor a I s
H a
6m. 2o,6 758-79 22,25 92
9 23 ,4 760*12 22,74 9i
12 27". 1 759*00 2,83 86
3 t. 27",5 757-95 19,87 71
6 27.3 T37-78 19,54 71
Temperatura mxima28,0J.
Dita mnima -25,u25.
Evaporaco em 24 horas: ao sol4,-6;
som Ora3,-0.
Cuva- 15,-i.
irecyo do vento : ENE de meia noite it 5
horas i' ni inutos da roanh : 3 at 6 horas e
20 minutos ; NNE at aos 55 minutos da tarde ;
E at meia noite.
Velocidade media do vento2-63 por se-
gucdo.
Nebulosidade media0,"75.
Boletim do porto
g2 1 MU\ Dias Boras 46 da manha -11 da tacde -21 5 i da manha Altura
-B. S.,21 .le Janeiro.10-P. M. 5-B. H. 11-P. M. 22 de Janeiro 5 0-,40 2-,87 0-,23 2-.70
Lei'x -Effectuar-se ho os seguales :
Hoje :
Pelo agente Silveira, s 10 1/2 horas ra da
Concordia n. 22. de movis diversos.
JVo agente Gusmo s 11 horas, ra Mar
quez de Olinda n. 48, de fazendas de diversas
qualidades.
Amanh :
Pelo agente Pialo, s 11 horas, ra do Bom
Jess n 45. de mobilias austracas, espelhos, etc.
taaae fmiebreSero celebradas :
Hoje :
A's 5 horas, na igreja do Terco, pela alma de
Manoel de Poutes Gomes ; s 8 i/2 horas, na ca-
5 ella do cemiterio, pela ama de D. Constancia
o Reg.
Paajceiroa-Chegados do norte no vapor
aacional Pirapama:
Adolpbo de Albuquerque, Manoel A. Albo
uerque, 7 tripulantes nufragos, capito Aoto
bo P. de Albuquerque, sua senbora e i criado,
1. Mara Rosa de Souza F. e i menor, Manoel
Coelbo de Oliveira e sua seuhora, Jos Lopes,
Alberto M. Ribeiro, R. H. Matheus, Manoel Joa
quim de Mello, Clement Spars, 100 pracas de li-
ana e 28 pessoas de suas familias, 1 praca e 1
desertor.
Chegados de Femando de Noronha no va-
por nacional Una:
Joaquim Antonio Gongalves, Manoel Ciernen
tino da Fonseca, Marcos Pascboal, Antonio M.
dos Aojos, cadetes Manoel Ignacio Pereira, sua
seohora e 5 tilbos e Juo da Costa Medeiros. 17
ragas, Antonia Thereza de Jess, Umbelina
hereza de Jess, Sabina Mara da Conceiglo,
Luciana Mara da < onceigao, Belmira Mara de
Lima, Anna Mara da .Cooceico e 1 Bino, 20
sentenciados, 6 mulheres e 11 lilhos.
Cata de neUMiftauMuviuiemo aos pr>
ios da Casa de Deteneo do Recife do Estado
de Pernambuco, em 21 de Janeito e (880
Exisiiam 482 ; ntraram 13; sahiram 15; e-xif
;em480.
A saber:
Nacionae- 455 mulheres 21; estrangeiros 6 ;
-foial 482
Arracoados 404.
Bons 379.
Ooeates 48.
Loucos 4.
Laucas 3.
-Total 404.
Movimento aa enfermarla
Teve baia :
Joo Chrysostomo Peixoto.
Tiveram alta :
Antonio Manoel Tenorio.
Jos Feliciano dos Santos.
Jeronymo Leandro da Silva
Jos Francisco da Silva.
Ludgero Elencio de Assumpco.
Manoel Jos Vieira.
oapital Pedro II-O movimento dee.e
stabelecimento de cardade, no dia 21 de Ja-
neiro foi o seguinte:
17
9
1
437
as respectivas enfermarla
ntraram
Saniram
Fallecern)
Existem.
Foram visitadas
petos Drs.
Moscoso is81'2.
Cysaeiro s 9 1/2.
Barros So9noboa7 3/4.
Berardo sll. t. ,
ialaquias s 11.
Pontual s 9 1/2.
SimOes Barbosa s 11.
O Dr. Estevo Cavalcante nao compareceu
* O cirorgio dentista Nnma Pompilf nlo com
pareceu.
O pbarmaceutico entrn s 8 1-2 da manha e
abio s 4 da tarde,
O ajudante do pbarmaceutico entrn as 7 1,2
sabio as 2 horas da tarde.
M POUCO DE tUDO
Por occasio de observar do Monte Branco o
ultimo eclipse total do Sol, o astrnomo Jans-
sen non ve como prava vel que os caracteres es-
pecficos da presenca do oxygenio na lnz do
astro central tejan devidos nao mesma lnz,
mas ao ar raterposto.
A torre Eiffal aiaba de prestar se a orna ex-
perieneia-4iBB3-freee conhnnar iiMn mai-
tado.
Collaeaila* torB-deMenon, a luz despedida do ouoh da
torw ^ista do ramojo *OoeToak
espeseura taiospherica equivalente distancia
vertical qoc havera entre o lugar da observago
e a lux transportada ao limite da atmo3phera
terrestre.
Obteve o astrnomo que a luz plectrica da
torre fjsse dirigida para o observatorio de Meu-
don e, analysando a com o mesmo poderoso in-
strummto de que osara no onte Bratico, veri
licou o effeto do ar interposto, parecendo Ihe
qoe a) ar sao devidos os referidos caracteres
especficos do oxygenio.
O Sr. Janssen conta repetir a experiencia com
a lux da torre Eiffel, que as-im comecou a ser
utilisada em obserracoes scientiflcas.
O capuchinho Cardn e toda a communidade
do mosteiro de Steyl Tecgelen, no Limburgo
Holl ndez..observaram curioso phenomeao me-
teorolgico.
Deslacou-f'e de ama nuvem urna columna que,
desptdafuda por dous relmpagos, deixon ca
hir copio-iauacom i.eixes.
Evidentemente, o capuchinho prrsenciou o
rompimento de urna tromba, nao sendo esta a
priuieira chuca de peixes observada em taes
occasi6es.

A luneta colossi 1 do observatorio de Litk, a
maior de todo o globo, tem j prestado astro-
noma servigos assignalados.
Com o emprego do poderoso instrumento, des-
cobrij Barnard 20 nebulosas inteirameHte des-
coahecidas, tendo achado tres em regiao onde
Swift apenas lograra /er urna com equatonal de
16 pollegadas. Pdde tambem Barnard .compa-
nhar o cometa Olbers, cm 1888 al o mex de
Julho, quando o astro j se tornara invisivel ha-
via quatro mexes, para todos os cutros observa-
torios do mundo.
Da sua parte Keeler, observando os dous sa
tellites do Marte, demonstrou que a graude lu-
neta de 36 pollegadas permute observar corpo3
seis vpzcs menos volumosis do que aquelle* pe-
queos astros, dadas as condices em que estes
foram descobertos por Hall em 1877.
Os satellites de Jpiter mostram-se grande
luneta com o aspecto de planetas.

Aps observacoes muito pacientes d; Scbmidt,
Newton e outros astrnomos, chegou-se a con
clulr que diariamente nao cahem na terra me-
nos de 400 milhOesde meteoritos, entre os quaes
as estrellas cadentfs, que multas nao se fazem
visiveis.
A velocidade destes asteroides foi calcula 'a
em 0 kilmetros por segn lo.

Em Combes, do Aveyro, observou Cayla s
9 1/4 da uoite de 9 de Juoho, magnifico globo lu-
minoso, do dimetro apparente de 10 a 12 centi
metros, e viva luz azulada, movendo-se na direc
gao sal-norte.
Foi visto perto da estrella Arcturus, e, pouco
alm estrella polar, dividi se em tre3 ou quatro
corpsculos queseexlinguiram instantneamen-
te, sem que nenbuma detonacSo fosse ouvida.
Na sua trajectoria deixou o asteroide ura sulco
gneo.
*
O grande cometa de 1882 que por tanto tem-
pj foi visivel para o Rio de Janeiro, e a re?peito
to qual fez o imperial Observatorio, observacoes
das mais interessantes pode ser rigorosamente
estudado desde 7 de Setembro d'aquelle anno at
1 de Junho do anno immediato.
Do mesmo modo que os de 1843 e 1850, passou
o admiravel asir a mui pequea distancia do
sol, tal sendo o seu brilho que pdde ser visto, dia
claro, de 16 a 19 de Seteiiibro, e do observatorio
do Cabo da Boa Esperanca pdde ser notado o
momento preciso em quedesappareceu nos raio3
da photospi era solar.
Pelo aspecto physico mostrou o cometa de
1882 particularidades do mais alto interesse. en-
tre as quaes a formaedo de diversas coadeasa-
gOes luminosas no ncleo, quasi dispostas em li-
nha recta, no eixo do astro.
Oulra mui notavel particularidade foi a sepa-
laco de materia cometaria, coastituiado um co-
meta juoto de outro.
Este phenomeno foi observado pelo astrnomo
Schmidt, de Alhenas (Estados Unidos), que o
commuicou e dcscreveu cm carta dirigida a S.
M. o imperador.
O Sr. Kreutz, do observatorio de Kjel, colli-
gindo :odas as observacoes do cometa em nume
ro maior de 1.200, e utilisando n5o menqs de 300
effecluadas com emprego dos instrumentos mais
poderosos, acaba de calcular em 772 annos (com
erro provavel de 3 annos), a revoluco do grande
astro.
Julpa. outrosim. provavel que o cometa de
1*82 teja o mesmo que foi observado em Feve-
reiro de 1106 na viiinhvnca do Sol e do qual ba
noticia nos Annaes thitiezes e na Cmetogiaphia
de Pingr.
#
Um medico reco orneada a ura doeote que to-
me todos os dias um copo de cerveja.
Encontra-o n'um bolequim e sabe que o ho
mem ja est tomando o terceiro copo de cerveja.
Ento eu retommendo Ihe que lome um
copo de cerveja e o senhor toma tres ?
Eu Ihe digo, doutor, que eu cousultei tres
mdicos, e cada um d'elles me dss que tomasse
um copo de cerveja

A' sahido do sermo.
Um ouvinte muito desconsolado a outro :
Nao gostei do padre Antonio este anno. No
anno passado andou muito melhor.
Mas no anno passado elle uo prgou.
Pois por isso esmo-1 -
No Diario do Commercio, do Rio de Janeiro, co
Ihem se as segmntes noticias :
A coudelaria Hanooveriana venden ao Sr. Car-
doso Bastos o cavallo Flageolet, puro sangue
francez, fllho de Flageolet.
No paquete Nasymtth, devem chegar da Euro
pa, para a Coudelaria Hanaoveriana oito animaes
de paro sangue.
Chegou de Pernambuco o Turner.
Vem nedio e rubicundo, dando mesmo DDQb-
tras de que os ares das plagas no Recife o fize
ram gozar urna bella sade.
u grande premio do Prado de Pernambuco.
A victoria do Apollo. Apollo o famoso pequira
qHe as nosaas raias to esplendidas figuras fez
e que ltimamente andava sendo derrotado em
Peruambuco, por animaes mediocres, tomou urna
brilhante desforra ganhando o grande premio no
dia 1." do corren te.

O conhecido e estimado entramen- da coudela-
ria Cruzeiro, o Sr. Lourenco Alcoba, az hoje an
nos-
A sua longa carreira no nosso turf, pois elle
cenhece-o desde o seu bergo, tem-n'o feito esti-
mado de todo pela sua lealdade, franqueza e
pericia com qne dirige os animaes victoria.
Como entraineur os seus triumphos sao bem
conhecidos. 9 seu modo, todo especial, de pre
parar um animal, a paciencia qne elle dispende
com um crak, o estado em que elle o apresenta
na raa fax a verdadeira admiracSo de todos os
que conhecem o quo difficil a arte de entrai
nenr. ...
Sandando-o no dia do Beu annirersar q
O; rendemos urna franca e sincera homenfgem
ao distinelo entraineur.
Em leilo realisou se .hontem a venda do ca-1
vallo Phalerno. bem como a da egtia Phedra, am
bos por 600*000.
THDtigES DTE1S
Medleds
Dr. Cergueira Leite, tem o sdu escripto-
rio ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia Ae 2 noraa e fora
destas horas roa do Bario de S. Borja
n. 22. Espe ialidadesmolestia de crian-
cas, senhorae e parto. Telephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. Sd Pereira, roa ds imperatr n. 8,
da consoitas medioo-eirorgicas todos os dias
das 8 ao meio dia, menos noa domingos e
dias santificados.
Dr. Castro Jema medico e operador
Pratica a lavagem do tero quando e co
no aconselhada. Consoitas das 11 a?
< da tarda em sna riaidencia i, ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
uadar. Telepaone n. 380
O Dr. Mohmu Vcm, medico, tora o sem
scnpiorio a roa do Qucimado n. 43, 1.
dar, onde d consaltas das 11 a 1 hora
ia tarde. Reside roa de Gervasio Pires
n. 27. Encarrega-se do tratamento das
nolesti'is de olhes. Telephone n. 427.
Dr. Joaquim Louiro medico e partei-
.o, consultorio roa do Cabug u. 14,
l. andar de 12 s 2 da tarde; restdencis
.o Monteiro.
Dr. Ribeiro de Brito d consultas de
soio dia s 3 horas da tarde, no 1. an-
isr a ra Duque de Casias n. 48, poden
io ser procurado pasa chamados na su*
residencia ra do Hospicio n- 81. Te-
ephone n. 303.
Advogados
O advogado Jos Antonio de Magalhaes
Bastos mudon o seu escriptorio para a ra
1. de Margo n. 18, 1. andar.
Dr. Cludouldo de Souza, escriptorio a
ra do Bom-Jesus (antiga da Cruz) n. 1,
1. andar,, das 9 da mauha s 4 da tarde.
Telephone n. 102. Residencia, ra Im
perial n. 148. Telephone n. 104.
O bneharel Joaquim 2Mago da Fonseca
.em seu escriptorio de advogado ra do
imperador n. 14, 1. andar.
O bacharel Bonifacio de AragSo Faria
'iocha continua a advogar. Escriptorio
lia do Imperador n. 46., 1. andar.
O hachard Petronilho de Santa Cruz Oli-
vera, encarrega-se de levantar emprsti-
tos perante o Banco do Brazil para auxi-
io da lavoura. Escriptorio ra do Impe-
rador n. 69, 1. andar. Residencia sitio
na Jaqueira, prximo estacao.
Dr. Cerqueira Leite, tora o seu escripto
io na ra Nova n. 32, do meio dia s 2
aoras e desta hora em diante na Barac
le 8. Borja, n. 22. Especialidades
nolestias de crianca senhoras e parto.
Telephone n. 326, da casa de residencia
Dr. Alvares Guimares, dedica-se me
dicina em gera!, c oom especialidade s
molestias do corado, pulmtes, figado, es
tomago e intestinos e tambem s affc^Sea
de criar.^fl Seaide ra de Fernandes
Vieira n. 23. e cem consultorio na ra do
Bom-Jesus (antiga da Cruz), n. 45, onde
d cnsul'as do meio-dia s 3 horas. Te-
lephone a. 381.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
lico-cirurgica. Especialidades : moler .ai
ralmonares e partos. RnadoMarqi de
Diinda n. 27, 1. andar. Consultas uas 11
s 2 horas e na Casa Forte (P090 da Pa-
.p.\la.\ das 6 s 9 horas da manhS e
arde- Teleshone n. 392
Occullsta
Dr. Fgrreira. com pratica nos princ;
)-.'.s hospitaes e clnica de Paria e Lon-
dres, consultas todos os dias das i
lorasdao meio-dia. Consultorio e resi-
ienca ra Larga do Rosario a. 20.
Dr. Barrete Sampaio, oceulista, d con-
. al tas de 1 s 4 horat no 1. andar da
asa ra- Baro da Victoria n. 51. Resi-
lencia a ra 7 de Setembro n. 34, ntra-
la pela ra da Saudade u. 25.
O rogar! a
Faria Sobrinho & C, droguista por ata
ado, roa do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi
arios de todas as especialidades pharma
jeuticas, tintas, drogas, productos chimi
;?.s e medicamentos homeopticos, ra d<
Varquez de Olinda n. 23.
Tinta de escrever
A melhor a tinta Victoria, vende-se a
MX) rs. meia garrafa e a 800 rs. urna gar-
rafa intuir na Livraria Corntemporanea
de Ramiro M. Costa, ra Io. de Margo n.
2, loja de erragens de Albino da Silvs
4 C, ra da cadeia n. 42; loja de ferra-
jens de Brandao & C, ra Duque de Ca-
sias n. 46.
Negocios municipaes
AO MUNICIPIO DO BECIFE
. II
Aioda um outro contracto foi objecto de acu
rado estudo di nossa parte. Queremos fallar
do que se refere ao arrendamento do Mercado
de S. Jos, para rngate de sua divida com o
Banco do raz 11.
Esta obrigac&o que a Cmara tem para com
aquelle estabelecimeoto urna das causas da
escassez das suas renda a, porquanto ella tor-
eada por le a recolher aquelle Banco o reodi-
meoto liquido annualmente 60:000*000, isto para pagar urna
divida qnej devia estar sol vida ba longos annos,
seas passadas administracoes tivcssem prestado
mais attenefio para sua liquidaco E assim
que havendo urna disposico de le, conforme j
dissemos, que manda applicar a este pagamento
o rendimenlo liquido d'aquelle menado. a ad-
ministraco que ujs precedeu apenas recolheu
em 1885, 4:037* e em 1886, 20:876*000, tendo
sido este o procedimento mais ou menos das
anteriores admioistracSes. ao passo que aquella
de que lizemos parte pro jurou cumprir com a
citada disposico, como adiante, quando tratar-
mos das linancas municipaes provaremos; resul-
tan 10 da exigidad a de taes recolhimentos a
accumulajo dos juros que o Banco capitalisa
semestralmeute dando isto lugar a que aquelli
divida se avolumasse consideravelmente.
Levados pelos dolorosos effeitos desta im
presso, e podendo acontecer qne a adminntra-
gao que nos tivesse de succeder nao fos-e to
escrupulosa a tal respeito. como a nossa, trata-
vamos de obter os meios necessarf&s, quer por
um emprestimo, quer pelo arrendamento daquel-
le estabelecimento para liquidar com o Baqco
do Brazil esta divida.
N'este interim foi submettida Cmara nma
proposta dearrendamento que nao duvidamos
acceilar porjarecer-nos primeira vista, que
era ella garantidora dis interesses damunicipa-
lidade, por isso que alm de outras condices.
estipuladas, o proponente se obrigava a resca-
tar a referida divida, que ento era de 280:000*
alem dos juros accrescidos dando se-lhe a van
tagem de poder gozar a renda do Mercado por
9 annos
taludando em seguida esta proposta j sem o
enthusiasmo qne ella nos dispertou em razio 'de
vermos solvida assim urna divida contrahida ha
17 anaos do valor de 300.000*000, e que a Ca
mar tem pago quasi dnas vezes, resultou
encontrarmos condijOes menos acceitaveis, taes
como a circnmscripco de 300 metros em redor
do Mercado para esiabelecimenjo- de acougues,
o prazo demasiado longo, a falta de concurren
ca publica e a forma do pagamento ; nao du-
vidando na sessSo seguinte apresentar estas con-.
sideracOes presidencia da provincia, a quera j
trabamos pedido approvacao do nosso acto,
dizendo Ihenessa occasio tfae se por ventura
acbasse conveniente o arrendamente do Merca-
do com o proponente, attendesse s nossas cita-
das coMiderao6t,^e8pecielnicnte quelles que
se refferiam i oireamscripefio e ao te rapo que
era dado ao proponente para usufruir a renda
do Mercado, que devia ser restringido a 7 aanos
por termos calculado serem precisos 6 annos e
8 mexes para a Cmara solver dita divida, cura
prindo ella o qoe a le Ihe impe, e a presiden-
cia attendendo-nos, julgou sem effeto aquella
resoluco
Continuando anda o nosso desejo de livrar a
Cmara de to oneroso encargo, agnardavamos
definitiva decisSo da Asacrnbln Provincial, a
quetn hi.viamos pedido, no nosso relatone, auto-
risacao para contraliirmos um emprestimo para
tal lira e effectivamente aquella corporaco for-
mulou urna le neste sentido, qne ebegou se-
gunda discusso, mas, sem que possaraos conhe-
cer das razes, que infloiram no animo dos re-
presentantes d'esla provincia, julgaram elles de
melhor alvitre a celebrago do arrendamento do
mercado ao emprestimo alludido, e por outra le
autorisaram a Cmara a facer o contracto do ar-
rendamento do mercado ; e, em virtude d'esta
le a Cmara remetteu Presidencia da Provin-
cia urna proposta que Ibe foi apresentada e que
d'alli veip approvada com as bases organisadas
para effectividade do contracto, qne anda as-am
a Cmara s cumprio fazendo algumas altera
ces n'estas bases, que Ihe pareceram coave-
nientes aos interesses da municipalidade, poden-
do aflnal afflrmar mos que este contracto foi feito
em superiores condicOes proposta primitiva.
A maior divida da Cmara Municipal dolecife
a que ella tem com o Baoo do Brazil desde
1873, proveniente do emprestimo de 300:00 >*000
para a construeco do mercado deS. Jos.
Esta divida, como j dissemos, avolnmou-se
consideravelmente pela falta de regulares remes-
sas mensaes do rendimento liquido d'aquelle
mercado, coja responsabilidade pesa sobre as ad-
ministrares anteriores nossa, pelos motivos
j expostos.
Quando a admioistraco, da qual lizemos par-
te, tomou con'.a dos negocios municipaes, esta
divi ia era de 343:000*000; conseguimos reco-
lher aquelle banco at 30 de Juaho prximo pas
sado 152:06i*000, podendo penas com to eoor
me somma arnortisar 75:000*00), sendo que os
77:000*000 restantes foram applicados ao paga-
mento de juros; (cando anda o Banco do Bra
zil credor de 268:000*000, como se verifica de
sua conta correte, fechada em 30 de Juoho.
Este nosso constante proceder de cerca de 3
annos foi interrumpido de Julho a Outubro pro
simo passado pela razo de achar-se pendeLte da
approvacao da Presidencia da Provincia o con
tracto do arrendamento do mercado, a que cima
nos referimos, e a Cmara ua intenc&o de nao
offerecer me'.hores vaatagens ao contractante,
reduzindo a divida pela continuaco que tivesse
de fazer das remessas mensaes, enteoaea sas
peoder o recolhimeoto at que a Presidenaia da
Provincia resolvessn sobre o assumpto.
Approvado o contracto, e llcando a mencio-
nada divida a cargo do contractante, que offere-
ceu Cmara valores para garanta d'esta sua
responsabilidade, e estando ella a dever venci
mentos dos seus empregados do mez de Setem-
bro de 1887 c aos contractantes da limpeza pu
blica de igual poca, cujo pagamento j havia
sido autorisado por le provincial, julgou se de
bom alvitre satisfacer todos estes encargos, como
se fez, e anda mais, os venciraentos dos empre
gados do mez de Outubro de 1889, e cinco sema
as da limpeza publica a cala um dos con-
tractantes. pois nao nos era dado contar com os
futuros acontecimeutos polticos, que influiram
para annullaco do alludido contracto.
Devia anda a Cmara ha umitas annos trez
letras, 1.0 valor de 15:000*000 a juros de 12 /.
ao anno pela compna do sitio Cacte, e que par
nao terem sido pagas no devido lempo elevou-se
a mais de 20:000*000.
A nossa admioistraco entrando em accordo
com o portador de duas d'estas letras no valor
de 18.0003000 pdde resgatal as, conseguindo a
despensa dos respectivos juros, que orcavara j
em cer.-a de 4:000000, nao podendo o mesmo
fuzer com o portador da terceira, porque eslava
sendo pjgo mensalmente com a receita prove
nieote do vexatorio imposto langado sobre os
vtncimentos dos empregados d'esta Cmara, que
nenhuma parte tiveram n'este infeliz negocio, e
que por lim se nao fossem as providencias por
nos tomadas seriara elles obligados ao paga
ment de '.oda esta divida, sem entretanto, po
derem allegar direito sobre a alludida proprie
dade, e mesmo assim se nao conseguimos total
liquidaco com a terceira letra, foi porque a Ca
mar resolveu em sesso nao estar sujeita senao
ao juro ofBcial de 7 %, com o que nao se confor
manrio o possuidor da letra, procurou demaa
dai-a ao foro competente, sendo aliual ella con-
demnada a pagar o juro de 12 % menciona Jo na
referida letra.
Tambem liquidamos a divida de Antonio da
Costa e S, proveniente da resciso do contracto
do servico de transporte de caroes verdes, e
grande parte da de Penna 4 C, foi tambem araor-
ti.-ada.
Com taes legauos que nos deixaram as antigs
administrages herdimos ainda a resciso do
contraco Ja limpeza publica feito com Peona
Molta & C, tendo sido a Cmara condemnada a
pagar Ihes 40:000*000, cojo pagamento j se
achava autorisado pela Assembla Provincial.
Pois bem, nao obstante o bom direito l'estes
credores, a nossa admioistraco obteve d'elles o
aba ti meato de 20:000*003, pagando-Ibes o re i
taote em apolices municipaes do juro de 7 /Q ao
anno.
Devemos dizer para os bons crditos da C-
mara, que os juros de todas estas apolices fo-
ram pagos em devido lempo.
(Contina).
dade e aakro -ooraeie #1 *u*w, estao ao
dominio do publico os motivos qne levaram o
Sr. D. Josa a emprehendar a agen sue obje
cto de tal censara.
Foram interesse mesmo da dioaece obrigaram a ir ao Rio, e sua demora no sul foi
motivada pala tonga molestia de sea presada
mil, que aflnal falleeeu ba poucos mezes.
O mais que se t uaqaelle infeliz escrivto nao
merece as nonras de urna resposta : sao cousas
proprias daquelles que se compraaera em malsi
nar a reputaco alheia.
Veniam provas
A veidaie.
do
Scpr.ra?3o da igreja do Estado
Sob a epigrapbe cima foi publicado hontem
neHe Diario, um artigete com o Hm deensinuar
animosidades entre o clero desta diocese e o seu
preclaro hispo.
Ha pessoas que fazem profisso de semear
sizanias em campos que sempre prodaziram
bora trigo; ao oumero deatis parece perteacer
o autor do referido artigo, se nao fpr talver al
gum despeitado, que se deixa arrastar pelo im-
peto de paixoes incoafessaveis.
A respeito dos motivos que actuaram no animo
de quem fez semelbantes publicacib, nao 001
resta 1 menor duvida: que foram o espirito da
intriga e da discordia, cora o indecoroso intuito
de pescar em aguas turvas.
Engaa se, porm, ainsidiaj/riatrigaute ; uo
conseguir colher os (ructowjue almeja nessa
tarefa agloria.
O clero habilitado de.longa daU a Jisceroir
eulre os seus verdadeiro amigos e os pseudo
defensores do catholicisaio, e.' daalo o Jevido
valor s amabilidades, aos elogios olicio.-os e
s doces negeeas que se Ihe fazem, repelle digna-
mente essas malvolas iasinuacOcs. inteiramente
destituidas de bom seas%e subversivas dos priu
cipios que regulam na igreja as relacoeg entre
sup rio e a subalternos.
Nesta qusto deSeparago da igreja do Es
tadoo clero saber cumprir o seu dever, tendo
na frente o seu illuslre pastor, do mesmo modo
e com a mesma calma que em outros lempos
mais calamitosos soube manter se em urna atti-
tude digna, enrgica e prudente em face de um
conflicto de todo o ponto melindroso.
. Se em these nao podamos desejar f separaco,
tambem nao lamentamos o aoto do Governo Pro
visorio procedendo como procedeu, porquanto,
o que existia nao era a uniaq, segondo as bases
que a igreja estabelece, alias de conforuidade
com a razo e a lgica, mas* una verdadeira es
cravido. *
0 clero, em perfeita communho de vistas com
o seu preclaro chefe, que em breve estar no
seio de seu rebanbo, ha de letantar-se do ma-
rasmo a que o tinha condemnado o regalismo,
ha de unir se pela forca das circurastancias
pela necessidade, que o motor *de todo pro-
gresso. para man ter-se, para garantir-se, para
curar dos interesses reliziosos da nago, at hoje
myslificados e contrariados pelos que se incul-
cavam representantes do povo brazeiro, na sua
grande maioria catnolico.
Elle saber cumprir a sua missSo, que nao se
limita simplesmeote a rezar, como se disse ha
ponco em urna das folhas diarias desta capital,
mas qne consiste em promover por todos os
meios os interesses cathocos, esforcando se
mesino pela creacao de um partido forte e nume-
roso cujo programma esteja, de accordo com os
principios da igreja.
A igreja que nao instituico humana, trium-
phar mesmo apezar dos homens.
Quapto ft censura injusta e aleivoss que se
contem na parte final do dito artigo, qoe s ser-
ve para revelar o quanto chelo de maUgni-
Cldadio red seto re-chefe
Diarlo de Pernambuco
Sauie e fraternidade.
Cumprindo.-nos responder a um pedido feito
pela Provincia de hontem em norae de alguna
collegas nossos, pedimos-vos a atteoc&o de pu-
blicardea em vosso conceituado Diario o que
abaixo se segne.
O manifest que val ser dirigido ao cidaio
ministro du interior ha de ser depositado eai um
posto oentcal-da Gidade pora receber as assig-
n aturas dos nossos ce llegas que a elle queiram
adherir. Ser previamanU anauneiado pela im
prensa.
Aproveitamo3 o easejo pera manifestar o nos
so pezar, que envolve urna censura aos nossos
corapanheiios de lides academ cas, pelo crimi-
noso iadifferentismo com que tratara os negocios
concementes classe. .
Esses nossos collegas que se deram ao encom-
modo de dirigir se redueco da Provincia, me
liior leriara procedido, com maior interesse pe-
las qu-'stOes que Ibes dizem respeito, sendo mais
atteuciosos para com seus collegas, corresp-jn
d nio aos repetidos appell03 que para este e
anlogos fios se tem feito pela imprensa, a todos
os acadmicos de direito do Recife.
Entre a maioria, a'guns qoeixam se da falla
de solidariedade mas sao elles os primeiros que
para ella concorrem, esquivndose directa e
propositalmentc a qualquer communho de sen-
t mentos, a qualquer umo. Outros, porm, sio
inteiramente indifferentes, hincando mo do li-
tlo de acadmico para ulisar se da benvola e
honrosa consideraso ^ue a casse tem sempre
recelado em nossa sociedade.
E' contristador isso, mas infelizmente veri-
11 ico. Nos procuramos repellir esse ms esta
do de cousas, e se funda a Uno Acadmica que
ser daqui em diauli o centro e o principio de
unidade e solidariedade acadmica.
Lastimamos somente que todos os nnssos col
legas nao tenham coicorrido com fu presenga
e esforcos para mais prompta e fcil conseeogao
de nossos tas.
Muito penhorar nos-heis, cidado-rodaotores,
publicando em vosea ooreituada folba a integra
da prsenle carta; e desde j vos antecipamos
os nossos agradecimentos e a estima que vos nos
merecis.
'Com prazer nos assignamosVossos concida-
dos e respeitadores obrigadissimos.
Tr.inquillino G. M. LeitO.
Jos Victorino Alves Maia.
Jos de astro Silva
Joo Lima Rodrigues.
Antonio de Pauta Pessoa Figueirdo.
Recife, 2 i de Janeiro le 1890.
Parabens a Olinda
Acabamos de ter com prazer noticia de
que o cidadao general governador d'este
Estado por acto de 16 do corrente mez
houve por bem dissolver a Cmara d'esta
cidade e nomear urna intendencia para di
rigir os negocios municipaes.
Mil gracas ao cidadao governador d'este
Estado que t3o acertado tem andado era
suas decisoss.
A decahida ^"amara d'esta cidade es-
quecia-se sempre de seus mais sagrados
deveres e juramento prestado para servir
e zelar os ioteresses municipaes, a ealu-
bridade publica, causa essencial para onde
qualquer corporacjlo administrativa deve
convergir suas vistas, tem sido aqu total*
mente esquecida a ponto de faz'er-se no
centro d-'esta cidade grandes depsitos de
cisco ou detritos de toda a especie, e que
entregues acco do tempo para os des-
truir, exalam cheiros nauseabundos em
grande parte de seus contornos.
Vejam os depsitos dess-is materias im-
muidas accumuladas, na Bica dos Qua'.ro-
Cantos, Poyo do Conselho, fundo da Ca-
deia Veiha, becco de S. Pedro, sitio que
comprehende os fundos do Mercado e Cai-
xa d'Agua : Por isso diz-se (com muita
raz) que a agua que aqui bebemos
impregnada de miasmas deleterios (com
vista aos Srs. mdicos da salubridade pu
blica).
A creacao de toda a casta animaes pelas
ras em grande escala; porcos, cabras,
cachorros e cavallos, tude se cria as nos
sas ras come? no alto sertSo. Oh'l E as
immoralidades que pioym d'esse modo de
proceder condemnado pela civiliaaQao ?
E' igualmente infringida com g-ande
prejuizo do aocego publico a postura mu-
nicipal que manda fechar as tavernas s
2 horas da tarde noa dias santificados.
Acontece, porm, que as tavernas que
teem trea portas fecham duas, as que teem
duas fecham urna, ticando sempre urna por-
ta aberta fora dos effeitos da postura, para
dar entrada aos bebedores que n'esses
dias apparecem de muitos pontos.
Temos f que a futura intendencia sa-
ber bem cumprir com seus deveres fa-
zendo desapparecer tantos e tactos abu-
sos que aqui se dSo. Temos f na gran-
de reforma. Temos f em summa no cri-
terioso cidadao governador d'este Estado,
que nao perder de vista este pobre mu-
nicipio.
Muitos olindenses.
Olinda, 18 de Ianeiro de 1890.
lamoali IO %
Consta que a commisso nomeada para orga-
nisar o orgamento provincial j concluio o sea
trabalho, submettendo o esclarecida aprecia-
gao do illuslre governador deste Estado.
Con3la tambem que houve divergencia entre
03 honrados membros da alludida commisso
sobre os intuitos manifestados por alguns, de di-
minuir despeza por meto de suppresso de lu-
gares e raduego de ordenados.
Consta, finalmente, que a pouca. humanitaria
idea de reduzir as despezas do Betado custa
de demissOes e dminuigo de pobres emprega-
dos pblicos, que j rivera sob a presso de in-
nmeras necessidades, nao ser aceite pelo hon-
rado governador, cujo espirito justo esevero re-
pugna certamen te o expediente econmico da
augmentar a receita com a aggravago da pena-
ra de urna classe que consom as suas torgas
nos servigos pblicos.
Melhor orientada estara a comaissO, se era
ves de propr diminuigo de ordenados, prepo-
zesse a exliocgo do vexatorio imposto de 10 /
sobre os minguados vencimentos dos emprega-
dos pblicos.
De certo, nao ha mais disparatado imposto de
que o laucado sobre ordenados considerados,
pelas leis, que os flxaram apenas remunerato-
rios dos servigos que prestara aqaetles qne os
per ce bem.
Se o Estado julga que o servigo, que presta-
Ihe um empreado, vale 100*000 e Hxa Ihe nes-
sa quaotia seu ordenado, nao ser urna inigui-
dade reduzil o por meio de imposto a 90*0p0?
Isto siraplesmente um disparate.
NSo eremos que o crilerioso e justo general,
que nos governa, annua a essas extravagancias
econmicas dos execrandas assemblae provin-
ciaes da monarchia, contra cujos vicios aeve sa
premunir a Repblica.
O imposto de iO importa em uraainsuppor-
tavel diminuigo dos ordenados dos mendigot
de casaca, isto dos necessitados empregados
pubicos.
Em quanto em r.ulroc Estados se-uugraeotam
os vencimentos dos empregados, nomeadamen-
te na Bahia. Rio de Janeiro, emquaato o gover-
no provisorio muito patriticamente duplica e
sold do exercito e da armada, seria ama nota-
vel desigualdade, urna dissonancia, se em Per-
nambuco, sob a administnigo de um pigao re-
presentante do governo provisorio, fsscn re-
duzilos 03 ordenados dos empregados pblicos,
aggravando-se-lhe3 a penosa si'.uago em qne ji
vivem.
A conlianga que a todos inspira o aciual ad-
ministrador, tranquillisa-nos quanto sorte da
classe dos servidores deste Estado.
Civis.
!
4
O major A. .4. Leal ao neis de
CMrtariM
Tenho estado na cuca vendo o planinho do
Cabelleira, por isso nao lenho comparecido.
Pal, Menna, Gamba Joaquim das Couves, Pe
reiro Jnior, Rames, Nume, Anselmo, Ass, Bi-
co-Doce, P.ozendo, Torres, thesoureiro de oitiva
e seu rancho ho de comparecer peto carnaval
com a medalba do eupim.
Phaelante, Joaquim Si.lia e Joo Carneirt
comparecen! desde j vestidos de virgem-mar-
tyr.
Major A. A. Leal.
P. SOs tres ltimos sao viotoes uticos.
Leal.
NotaPhaelante passou cathegoria dos adje-
ctivos indecentes.
Leal.

i.
r '
Despedida
O capito de fragata Manoel Augusto de Castro
Menezes e sua familia tendo de partir para Capi-
tal Federal no vapor Mandos, faltando-lhe temps
para despedir se pessoalmente_ das pessoas de
sua araisade, o faz p >r este meio", offerecendo-lhe?
os seus servigos em qualquej lugar em que se
ache
Recife, 22 de Janeiro de 1890.
Operacoes de catarata
Hootera fo.-am praticadas pelo Dr. Ferreira.
em seu escriptorio, inco operages de catarata
pelo processo de extraego, sendo quatro seo
iridectomia, seguidas todas de ptimo resultada
iramediato
Sirvirara de auxiliares a ete oculista os Dre
Arruda Beltro e Daniel de Almeida.
>
Muitas vezes til associar a creosote z ai
catro de faja a 1 orerrde ligado de bacaBiao ao
tratameato das affecges do larynge, oos bron-
chios, dos pulmoes, e principalmente as broa-
chites ebronicas e nos atarrh is. Esta associa-
go apreseuta grandes vaotigens, mesmo na au-
sencia de doenca e quaodo se faz uso somente
no fim de fortificar um peito fraco ou um lea-
peramento dbil.
Estes dous medicamentos encontrara se reuni-
dos as Capsulas de Berlk creosotadas, onde
creosote de alcatrSo de faia acha se em dissolu-
g3o n'um oleo de ligado de bacalbao particular-
mente recomniCndavel, visto ser obtida por pro-
cesso) que sao os nicos que tem merecida a
approvago da Academia de Medicina de Pariz
-



-*-
Lembranqas que nSo offen-
dem a susceptibilidade de
ninguem.
0 abaixo assignado, procurador do proprieta-
rio do predio em que funeciona urna padaria
perto do mercado da Boa-V3ta, deparando co
um artigo no Diar.o de hoje 22 do corrate, con
a epigraphe cima, participa que nao verdade
o que diz o censor do dito artigo, pois nao hoa-
ve demoligo e sim fez parapeno e eaeanamenW
das aguas conforme a respectiva licenca.
Recife, 22 de Janeiro de 1890.
fos Francisco de Figueirdo.





Itamarae
Em Itamarae, no dia 26 do corrente, e s 4
horas da tarde, haver urna conferencia promo-
vida reto Dr. Franc3CO Martiniano de Oliveira.
Discretar o conferencionista sobre os seguin
tes tpicos :
Quaes os verdadeiros objectos que devem in-
fluenciar no entendimento daquelles que dse
jam o luzir desta patria brsileira to vida de
glorias e de progressos ;
Se os esforcos continuos dos itamaracaenses
auxiliados pelo patriotismo daquelles que se
acharem frente dos seus destinos e em face
dos elementos naturaes que psssue aquella ilha
podem tornal a neste Estado a Petropolis Per
nambucana;
Quaes as inevitaveis e certeiras medidas que
que de prompto devem ser tomadas para o seu
florescimeoto material e moral.
0 coofereocioaista escolheu para lugar das
suas explanagOes* a povoaco do Forno da Car
daquellas parageoa, e a casa do seu conceitua-
do amigo lente Antonio F. Guedes Sidronio
para ponto de reuni&o.
Pede, portanto, o comparec ment de todos os
habtenlos circumisiohos povoaco supradita.
# #-#
Collegio Amor Divino
Ba am Imaeralrli n. S9
As aulas abrir-se bao no dia 7 da corrente.
A directora,
Olimpia Afra de Mtnionca.
Despedida
Mara Ignacia Avila da Silva, tendo seguid
no dia 20 do corrate para o Estado da Bahia
em compaohiade sua irm que achava-se doea-
te de beriberi e nao tendo tido tempo de parti-
cipar aos pais de suas discipulas e s pessoas de
sua amisade, pela brevidade da viagem, pede-
Ihe desculpa e offerece seus dimiautos prest-
mos n'aqu' lie Estado.
Recife, 20 de Janeiro de 1890.
'
j. -
Olinda
Convida se o povo olindense para ama
nhS 23 do corrente s 4 horas da-tarda
reunir-se no largo do Varadouro em grands
meeting, afim de pensar o melhor meio da
ser resolvida a magna questao relativa ao
templo de Nassa Senhora do Monte, que
est sendo ameacado de perder sua auto-
noma em favor do mosteiro de S. Bento.
Recife 22 de Janeiro de 1890
commer-
bacbarel
todos os
0 JUIZ SUBSTITUTO, do
ci e do 3. districto criminal,
Pedro Correa, despachar em
dias uteis das 10 horas da manhS s 2 da
tarde em seu escriptorio a ra do Impe-
rador n. 45, 1. andar
....
Mudanca de escriptorio
MiwelJos de Almeida Pernambuco, proca-
rador dos eitos da fasenda deste Estado e advo-
gado, mudou o' seu escriptorio para ol-andir
do predio n. 45, roa o Imperador*^1 sert
encontrado daB 9 horas da manh s 4 da tara.

}<<&*k





K!
10 de Pernambuco-Quinta-feira 23
1890
La Rosa Alemana
E' o.nome de ama qualidade de c rveja
branca que, fui primeira vez vera a este
Estado.
A cerveja La Rosa Alemana u3o con
em acido ou producto chimico.
A preparacSo da cerveja La Rosa Ale-
mana chegou ao mais alto grao de per fe i
co. E' SUBLIE, inuitissimo agrada-
vel ao paladar, finalmente ama combi-
nadlo de substancias poderosas para a ba
alimentac&o. As mais afamadas cervejas
aSo trazem o nome do fabricante. Entre-
tanto o proprietario da cerveja La Rosa
Alemana tendo conquistado o scgredo da
sua saudavel cerveja registrou a marca
com a s E como teve a honra de requestar a
sympathia publica e para que a cerveja
La Rosa Alemana contine a goz:r de
conceito do respeitavel publico, amiudadas
vezes manda examinar a sua cerveja pelas
celebridades chimicas.
Diversos attestados de cbimicos e dou-
tores em medicina justficam que a cerveja
La Rosa Alemana muito saudavel e mu
soberano alimento, cojos documentos i
cam' disposicao do respeitavel publico
Diz o Dr. Vernier: Tenho por muitas
vezes examinado no laboratorio publico a
cerveja La Rosa Alemana e nao encontr
materia chimica c sim urna gigantesca pie-
paracao de substancias que representara
urna valiosa riqueza para a alimentaco-
A cerveja La Rosa Alemana goza de
grande conceito na Europa c um Ilustre
cavalleiro desta praca, ha pouco chegado
do estrangeiro, animou o fabricaute a ex-
pertal-a convencido de ter grande acceita
yo aqu.
Teem venda em grosso e a retalho:
Machado & C, ra do Vigari > n. 19;
Albino Fernandes & C, ra do Mrquez
de ('lindan. 2; Jos da Costa Casero
& C, ra da Cruz n. 13; Lopes & Arau-
jo, ra do Livramento n. 38 ; Vasconccl
os Sobrinho & C, ra da Aurora n. 81 ;
R. Ferreira & C, ra Mrquez de O!inda
n. 50; l'oca Mendes & C, ra Estreitu
do Rosario; Manoel Jcaquim AJves Ri-
beiro, travessa das Cruzes; Pcreira Fer-
reira & C, rna do Imperador ; Joaquim
Christovao & C, ra do Chbug, Jos
Fernandes Lima & C, ra Nova ; Salga-
do & C, ra das Cruzes no 20 ; Antonio
Almeida Rabello, ra da UniSo n. 2, An-
tonio Souza Duare Ferreira, ra da
Uni.lo ; Antonio Jos Martins, pr.ca Con-
de u'Eu n. 2; Luiz Jos Salgado, praca
do Conde diEu; Marcelino Martins Gea
teira, ra do Vigario n. 6 ; Azevedo Maia
& C.j ra da Imperatriz
1
A a ^cKnmercio
Figueiredo & C. propietarios da loja dj Cys-
ie. sita ra da Imperariz n. 64: participara ao
eerpo commercial e particulares que nao se re?J
noDsabilisam per dbitos conlrahidos por queu;
3ner que eja, gem previa autorisnro eecripti
a mesma tirma; ouirosim. identifica ao nubli
co em peral, que o seu empregado Jnaquiu Eu-
sebio Sin es, se ausentou de sua casa no dia 2
de 'aneiro do crreme cono
Recife 21 de Janeiro de 1830.
Fujueireio A C.
\
II
Leohor Pprlo
ll:i Larga do Rosarlo u-
ta ero
SEGUNDO ANDAR
Contina i executar es mais diflieeir.
(laurinos recebidus ' ) Lisboa e llio de Janeiro.
i j Prima em 'pf/rTeic.lo de costura;, em |
; >em brevidade, uiodicidade em precos e.
I I fino gusto. *~r*
:i
Atten^ao
A commissiio Hqoidadora do espolio de
Deodato Monteiro di C. pede aos devedo
res do mesmo espolio para pr.garqth ou
entenderte com o seu representante na c;-
dade da Escada o Sr. Joaquim da Jilva
Costa, o mais breve poesivcl. t
Recife, 14 de Jnneiro de 1800.
Maia & Remond.
Machado Lofies & C.
Uliccira Busto & C.
m

COMMERCIO
Revista do Mercado
Rkcity, 22 r>E jaxeibo de 1810.
O movimento na praca oi ppqueno, limitndo-
se anda a lrar.3:cct do mercado de cambios.
Bolsa
30TACCK8 OFFICIAE3 DA J0XTA DOS COK
BETOEK8
Recife, 2 i de Janeiro de /8: 0
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 60 d/v. cem 1 1.2
0/0 de descont.
v oresidente,
Antonio Leooa do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Dubcax.

< amblo
PRAA DO RECIFE
A taxa inicial foi 25 3/4 saccando o- bancos
algama cousa a c.-ta tasa.
Depois de meio dia reliraram par.i 2 j 3,8 c fi-
nalmente para 25 12, a cujo algarismo nominal
fecbou o mercado.
Papel particular foi pujado a 25 13/16 pela
manh.
PBACA DO EIO DE J .NEIBO
Mercado frouxo a 15 3/4 nanearlo, saccando
o Nacional sobre a tilial de Londres a 25 7,8.
Houve pequeo negocio em papel particular a
28 7,S.
tlgodo
No constou vendas.
A exportacao feta pela alfandega n?ste mez at
o dia, coo.-tou de 3$3 105 kilos, simio 145.735
para o exterior, e 117 670 para o inteiior.
As entrada verificadas at a tala de h ije so-
beo) a 11.730 saccaa, sendo por:
Bircacas.....v 1 V-tf Sacra;
Vipores ..... 72
A-iimaes..... 3 506
Va-ferrea de Caruar. 6*5
V a-ferrea de S. Fjanci'c. 1 :15
Va-ferrra deLimoeiro .80J .
Ao oommercio
Seixas Irmaos, ayisam os
seus freguezes que nao ac-
ceitam mais pedidos de
mercadorias pelo telephone.
As mercadorias so serao
entregues mediante bi'hete
ou compra pessoal..
Fazem esta declarado
para evitarem esperlezasde
alguns innocentes dos quaes
teem sido victimas.
Aviso ao oommercio
o ao publico
R. de Drtizina & C. de-
claram que sao os nicos
importadores nesta pra^a da
verdadeira cerveja mar-
ca PHONIX da fabrica
Export bier-Brauerei Dort-
mund.
Pedem os mesmos que
evitem as falsificacoes
Aviso ao oommwoio
o ao publico
Soares d'Amaral Irmaos
declaram que sao os nicos
importadores nesta praca'da
verdadeira cerveja marca
Sphinx da fabrica Ex-
port Bier Brauerei
Dortmond
Pedem os mesmos que
evitem a.1 falsificacoes.
!j Frederico Chaves Jnior j'
Homoepatha
39 RU BA1A0 DA VICTORIA 39j '
Hiimilro andar
Dr. A. Uoilonhl de Souza
Escriptorio-Rua do Do.ii Jess (an
liga da Cruz) n. 1, 1" andar, das 10
horas da mauha as 4 da tardeTile
phone n. 102.
ResidenciaRa Imperial n. 148 Tc-
lepboce n. 104.
COLLEGIO
De D. S. da Penha p. 37,2o andar
RA DA AUKORA
%o! a directa de Augus-
ta (aruciio
Os trabalbos activos desie eslabelecimen'o
de ir,stru(xao primaria e fecundara, para o
stxo feminino, principiarSo a 7 ue Jaue.io'
aosoa-
Dr. Silva Leal
' CLNICA MEDICO CIKUBGICA
Consultorio c residencia rna do Livramento
o. 6 1* andar- Consu las das ll'as a horas da
tarde. Chamados a qualauer hora, por eteripto
Somm-
11 730 Sa-;.-a
Asvocar
Os preces pago* ao agricultor, por 15 kilos, se-
{idoa AMoeio{rio Commercial Apcola, foram
38 efHnte:
Usinas .
Branco .
5 .menos.
Miscavado purgado
^^ltos .
R.tame .
iitKX u 4*500
3*J0 a 4/030
2*600 a 2*700
1*600 a 1*7(>!'
1*200 a 1*700
1*030 a 1*100
A exportacao, feila pela alfandega neste mez ale
o dia 20, subiu a 10.601.248 kilos, sendo 2.358.201
jara o exterior e 8,143.047 para o interior.
A9 ntradas veri&t.'as at a data de hoje, 30
bem a 137.231 rceos sendo por
iarcacas 57.3i8 Saceos
Vapores.....
Vaimacs. ... T.ilO
/ia-frrea de Caruar. 6.78o*
Via-ferrea de S. Francisco. bo 074
fia-ferrea do Limoro -0.613
Soturna.
137 2J1 Saccu
Couro*
Ccuros salgados 360 ris, e os verdes a 215
r"s
%guardcaic v
Cou-sc a lOOOOO, por pipa de 480 litrosT
Alcool
Cota-se a 190*000 por pipa Je 450 litros.
aci
CoU-se a M3000 or Dlpa de 480 litros.
Pauta da Alfandega
;e:i*va db 20 \ 25 dr jankiro ob 1810
Vide o Diario de 19 J meiro _
navios a descarga
Barca nornegnsn*e Fusnat, carvo.
Barca noroegne se Cera, carvSo.
Barca alleina Schuam, varios geaer>?.
Barc allema RUea, carvo.
Barca noraeguense CoUector, rarvo.
Barca portiguea Novo Sencio, varios genero-
Barca nacional JfarMniwivAa, vsrios gneros.
Barra noruegnen* Dronnitg Lpitlte., carvSo.
Brigae italiano Immucotila Conceztone, varios
genero?.
Brigoe por uguiz Boa $ te, varios gneros.
Encuna norOfeoeose Ge/tone, xerque.
Liigar allemio Uarold, varios gneros.
Lugar porlgaez Marta, varios gneros,
t Lugar inglez t-o^na. bacaiho.
Lugar in>:lez Fleuk L>gkt, lamo. m
Cgar inglee Volador, voris* giTie.-o-.
PuUeho fcoilandez Clara, xarnue
Patacho nespanhol Encarnacin, xarque.
Escuna allem* frtiz. xarque.
' alacho nacional Industrial, vario? gneros,
p.tt.bcottenal Mormko 2-, varios gneros.
Tuberculosc pulMonar
Cura garantida pelo Peitoral de Cam
bar.____________
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali
ade de molestias de senioras e creancaa
Consultorio e residencia na da impe
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) A qualquer hora
TELKPHOSB N. 226
D roo chite agqda on chreaiea
O Peitoral de Cambar o melhor rr-
medio.
Ing-lez e Francez
Cursos ra da Aurora, n. 37, 2.* an-
dar.
CollegioMeira
Este antigo collegio contina a funecio
nar na ra da Imperatriz n. 63, abriudoj
suas aulas no dia 7 do corrate inez de
Janeiro.
Seu director solicita aos pas de familia,
que desejam o real aproveitamento de seus
lhos, o obsequio de attender ao que vai
exposto.
Alm dos preparatorios para a matricula
as Facilidades de Dircito, ensinar-3e-ha
tainbem a fallar, escrever e tradnzir a
lingua franceza, a ingleza e a aeina, sen-
do profesor d'esta o Sr. Algernon Schie-
fler.
O lado moral,da educacao de seus aium
nos, do mesmo modo que o intellcctual,
merecer-lhe-ha sempre o mximo inte-
resse.
O resultado dos exames prestados no
fim do anno prximo paesado, na Faaul-
dade de Direito, pelos alumnos do Col-
lcglo Heira, sSo a prova mais eloqnou-
tes, e ao mesmo tempp, a informacjlo mais
criteriosa das vantagens que oferece dito
collegio.
Assim que, dentre os 80 exames que
prestaran! entao os alumnos, apenas 8 to-
ram mal succedidos, inerecendo 6 d'elles
distinecao, sendo plenificados 31 e sim
plificados 35.
Dentre as discipulas que habilitaram-se
prestar exeme : D. Adelina Cabral c
D. Carolina Sirooes foram approvadas com
distinejao em inglez e plenamente em
francez ; D. Maria da Exaltado Cabral
e D. Adelaide Cabral fizeram aquella
dous exames, e esta um, sendo pleninca-
das n'elles.
Contina a funecionar a aula primaria,
que peder receber alumnos da maia tenra
idade, pois dirigida por duas rilhas do
director, das quaes ama a bacharel Ma-
ria Augusta Coelho Me ira de Vasconcel-
os.
Admitiera se pensionistas, raeio-pensio-
n8tss e externos.
Entre os exercicios phyeicos que tanto
convm sade, ensinar-se-ba esgrimir
espada.
Tambem podeiSo aprender msica os
alumnos que quizerem.
O ensino d*. msica, o de alemSo e o
pratico das lingas franceza e ingleza se
rito mediante ajuste previo.
Recife, 1 de Janeiro de 1890.
O director,
-Isceicto Minervino M. de Vasconcdlos.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do Bario da VictorJa46
(DEFEONTE DA PHARJCCIA PINHO)
Onde lem connallorio e rewl-
denciat podeudo ser encontrado e
recclicmlo chamados a qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades : partos, fehres, moles-
tias de seohoras e dos pulinOes, syphilis
em geral, cura rpida e compiola e ope-
racoes de estrcitamtn'os e mais sollri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamacos para
fra, a qualquer distancia.
Telephoac o. 374
aoates
UOtUo
Medico formado pela
Faculdade do Rio de
Janeiro, tendo-se dedi-
cado com especial idade
therapeutica moderna
das molestias de pellc
e syphilis, na Policlni-
ca geral da corte, cargo
do Dr. Silva Araujo,
onde servio como seu
ajudante ; d consultas
de meio dia s 3 horas,
no 1. andar da casan.
15 do largo do Corpo
Santo, e recebe chama-
dos a qualquer hora em
sua residencia, ra do
Vkconde de Coyanna
n. 185.
JORGES PARA 1BW,
ti. JLaporte41 ra do barao da
victoria encarrega se de assignaturas
para os Jornacs da Europa, Modas, Poli
ticas, Agricultura, Ulustracao, Engenha
ria, Medicina, Artes, etc., etc., garanta
absoluta de rcgularidade.
Advogado
Bacharel Ci-lso F. HoHUQtJES de Sooza
MudJu-beu eBcriptor.o pura a na do
Imperador n. 77. 1. indar.
Importar
Vapor nacional Ai Un entrado dJ portos do
ul em 21 do andante e consignado a l'ereira
Carneiro CtaatiMut u :
Aniageos 20 fardos a II. Burle & C.
Caf 153 sacros a Joaquim Ferreira de larva*
iho 4 C:
Milho 200 saceos a Pgodredo Costa & C,
800a Marcellino Goncalves Kota.
Mercadorias diversas 25 caixas ordeni.
Fomo 2 fardos e 2 caitas ordem.
l'ipas 67 i ordem.
Piassava 40 molhoa ordem.
- Panno de algodao 37 fardos a Ferreira & Ir-
mao, 30 ordem.
Xarquc 881 fardos aos rom-ignatarios, 1.593 a
Maia* Rezende,300 Billar Olivcira C.
Vapor nacional Puapimi ntralo dos norlos
do norte cm 22 do correte c consignado Com-
panhia Pcrnambucana, raanifestou :
Asocar 490 saceos a uliu & IrrtiffO.
Algodao'178 saceos'a ordem.
Barricas 102 amarrados a Moura Burgns St C.
Bagas de mamona 4 ?ac;os ordem
Carocas de caraaiiba I i saceos- ao mesmos.
Ca'ocos de algidio 1 s -co a cr.:c:n.
Couros 27 a W. Ilalliday & C.
Carnauba 11 saceos a Ajiho Oliveira & C.
l'ellcs d cabra 98 fardos A i.rdeai i a MeUei
ros Irmao.
E^poraco
dKCirr-, 21 Di JANI> D* 18'.'0
Para o exterior
No vapor ingle* Euci des para Liverpool,
carregaram :
B. Neednam & C, 77 saccas cora C,874 kilos
de algodo.
C F. de Lemo3, 4,18 saceos com .171.233
kilos de carosos deotlgodaj.
No lugar porlgaez Maria, para i P, rto,
c.rregiram:-
S B. Amorim & C, 300 iaccaa coai 24,893
kilos de algodSo.
Na escuaa porlu^ue/.a Feitictya, para >
Miguel, carregaram :
Al. T. do Auiaral, 3 travs.
Abrantes cV C, 1 barrial cora &) kilos de
caf e 3 barricas com 243 kilos de asso^ar
branco.
Mi o nkror
No patacho hespanbol Encamaciun, para
Porto Alegre, carregaram :
Mata & Hiende. tiOO saceos com 43 00) kilos
de as-uoar* branco e 4"0 barricas com 42,800
ditos de dito inascavadb. '
No vapor all-.-mio Capuj, pa a 5. otos, car
M. Amorim 150 saceos :om 9,000 kilos de
assucar branco e 330 ditos coin 2- 00 c:t)i de
dito ma-cavado.
E. C. Beltrao & Irmao. 300 saceos eom 18.000
kilos le assucar mascavado.
Para Rio de Janeiro, carregaram:

If
a
j
I
Dr. Barreto Sampaio, uculistn,
ex chele de clnica do Dr. de
Wecfcer, de vtlta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no Io
andar da casa n. 51 na do
Karao da Victoria, excepto .nos
domingos e diaa santificados.
Telephone 235.
llesidencia ra Scte de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
i
I!
MEDICO HOMEPATA
r. Oalliiu.' da Sveira
Especial idadefebres, molestias
as crianzas, dos orgJos respirato-
rios e das senhoras.
Prest-sc a qualquer chamado para
ora da capital.
AVINO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos .pharniacia do Dr. Sabino,
rita do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.^
Tosse convulsa! coqncfnene
Nilo deis crianya seniio o Peitoral de
OamLar. *
Burle & C. 50;) saceos co:n 30,0)0 kilos d-,-
wsoohr mis:avjdo.
Asdrade Lo^cs C. 136 saccas com 10^'0
kilos de algodio.
Maooe.l Aiuorim, 850 saceos com 31,000 kilos
de assucar inisiuvdo
.\'o vapor uicio lal Arlmio, para Rio de
Janeiro, carregaram :
P. Carneiro & :.. 13 pipas com ",200 litos de
alcool.
S. GuiiurSes & C, 5K saceos com 30,0 0
kiloi de assucar mascavado.
No tiiate nacional .ApaJy, para Mossor,
carregaram : ...
G. de Matts Irmio, ICO saceos com laaba
de man lijca.
Para Aracaty, carregaram :
Albjrto Runos, 50 sacos com 3,000 kilos d-.
milho. ,
Campos Filho 4 C, 3,000 saceos com farinaa
de manJio;a.
No hiato X-ptuno, pira Aracaty, ca.rcg*-
Martins Viegas & C, 1) caicas e 30 garja.o.u
co-ii 63) litros de genebra.
Fernandes & Irmao, 33 saceos com 2,103 kilos
de milho.
J. L. do; R'ii Ferreira, 11 saceos com to de
algodao.
No hiate naciom 1 Co-veio ile Jfcao, para
Aracaly. carregaram:
G. de M.ttoi Irmo, l G0) saceos com tanaca
de mandioca.
Na barca Joven T'irnino, para Alagoas,
carrejaras : '<
Mais Viegas v C, 3 ciixaj com 7a litros
de ginebra.
Rcuiiiueutos publleo
HEZ DB JANKUW m
Alfandega
Reuda eral :
Do dia .2 a 21 55.i89272
dem do 2 10 114*701
COLLECIO PRYTANO
Estrada de Jao de Barros, n. ?7
Este estabelecimento particular de educacSo e ensino tem operado grandes 're-
formas em seu preg^amma da ensino e em sua economa, collocando se na altura de
collegios particulares das principaes cidades da Emopa. E' assim que^ alm da :n-
struccSo intellectual. phy>ica e domestica, methodica, perfeita e completa, ministrada
por um corpo docente Ilustrado, e polo director o sua fami.ia, o Collegio Prytaro
fornece aos seus educandos internos, mais as segujntes vantagens, desconhecdas e
nao offerecidas em nenhum dos collegios da Repblica, quer publicos quer particula-
res : todos os objectos de escrip'.uragao, tratamtnto medico em qualquer doenca UM ENXO-
VAL COMPLETO DS HODPA DIARIA, I'E CAUA E DE BANHO, CAL9AD>, etc, ; e tudo pela
mesma penpJo de 600j000 annnaes, paga pelo eoatribuinte em qualquer outro inter-
nato do Paiz.
O Collegio Pry'aiSo recebe alumnos internos, semi internos e externos Est
localisado em um dos mais saudaveis e aprziveis arrabaldes da capital, em im gran-
de predio de vast s e sadias acorn.odacSes, com um espacoso e bem arborisado po-
mar para recr-ios; agua encanada, e iHuminada lampadas do gaz carbnico de sys-
thema mui recente. Est situado na Estrada de JoSo de Barros, n. 27, muito pr-
ximo da estaglo da Principo, da via-ferrea do Recife a Olinda; fica perto da linha de
bond de Fernandes Vieira e tem na varanda para maior saliencias ama grande ta-
boleta em o distico do Collegio.
Ha no estabelecimento Estatutos impressos, que esclarecem c n3o deixam da-
vidaB. Abre suas aulas no dia 15 de Ja'.eiro prximo de 1890.
Podt m dar inforraac5es e explicacoes detidas sobre o Collegio Pry'ano, 03 oi-
dadds : Drs. Adolpho T. Jirne, Augusto C. Vaz e Eduardo ilveira; e os nego-
ciantes Joaquim Medeiroa, Alipio Rosado, da firma Guerra & Fernandes, Odilon Da-
arte & Irma e Antomo Rodrigues d'.' Souza & 0. Em m3o desses cavalheiros en-
coatrar-se hao estatutos impressos do Collegio.
Recife, 28 de Dezembro do 1889.
O director,
Tranquilino G. de M. Leitao.
Despedida
Retirando rae hoje para o sul onde pretendo
demorarme, e nao me tendo sido pissivcl des-
pedir me pessoaloi'jnte de todas aquellas pes-
soas que me dispensam amlstde, faco o por
meiodeste, offerecendo-llvs os meus diminutos
prestimos onde quer que me arhe.
Recife, 20 de Janeiro do 1890.
i):\ Hiena Barros.
^^
"m&
I 0 Dr. Eriiiiri Couliuh >9
de volta de sua vagem A Europa, on-
de c rtedicou especialmente ao es-
tudo das uioie;:ias do sysienw ner-
too. lixou su 1 residencia e consul-
torio ra da Auor;: n. 83.
Consultas de meio dia is 2 horas.
TELEPHONE N. !)7
^=
ISX
Escola particular para me-
ninos
Joo FrnacidC) la Cost Fialbo, alumno mos-
tr titulado pela Escola Normal deste Esiado
<' ieniiRc- aos jiai: de familias que na mu de
Christovo Colomb n. 7 (aniaa travessa iio
Lobato) a ham-;-e ab:rta s matriculas de sua
e/Cola, no dia 7 de J:iie:ro.
Frtcoa eonimod-eo
%. 36
Stalsa|ifirrIh:i Ai Brlsfol.-Os
inventores de poderosos machinas de des
triiiv^o taes como Armstrong, Witney,
Dahlgreniminortalisaram se. O Doutor
Bristol, que eom a sua preparacao tem sal-
vado mais vidas de quantga se perdem em
urna dezena di batalhas, merece por cer-
to um altar tSo alto ao menos como o da-
qnclles, no templo da F traUquilIos e pfyegmaticos observadores,
e os mdicos os mais distinctos de tud s
as partes do paiz, vo untariamento se aprft
sentara a qualificar os effeitos da Salsa-
parrilha de Bristol, como verdadeira
mente milagrosos p os mais incrdulos
nid podem refutar es se testemunho com
desdm, dizendo nia o creio. Pelo espa
90 de 35 annos, tem este remedio, o maior
e o mc'hor dos modernos, aleaneado taes
victorias sobre as enfermidades eacrofulo
sas, cancerosas e eruptiveis, e o rheuraa-
tismo, etc., que o mundo nunca as hou
vera crido poss'reis. Tem triumpltante-
mente prosguijlo a sua marcha por sobre
os decadentes tmulos de cem falsitcacSes
e mitaeSes diversas e cada vez, adiaota e
augmenta mais. Acha se venda por
toda a parte em todas as principaes boti-
cas e lojas de drogas.
Formu a de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspcctorio Geral de Hy-
gicnc.-Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo.6 de grande efficacia as mo-
lestias syphiliticas e impureza do sangue ; aasixa
como eni totlas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente muitas pessoas ac
commeltidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os indultos tinaiao quatro colneres das Je
sopa pelu maona e quatro a noite.
*s eiiaocas de 1 a 5 an.V(s tomarSo ama c>
Iher pea manila e outra noite, e as de 5 a !i
auuos tomaro duas coiheres p^Iamanha e du:s
noite.
DeverSo tomar banhos frios ou momos pea
m:.nha e ,i neile.
Resguardo regular.
Eicontra se a oda na drogara dosSr--.
Francisco Hanod da Suva 4 C, ra do Ibrqnea
de Olindi. n. 3.
0 ju'.or deste prep.irado plc ser procurado
na ra do Biro da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar tola e qualquer explicacLj
que fot precisa.
Cuidado COtu QN raIsifica<' N.*8-
lm. Sr. Angelino Jjse dos Santos Andrade.
Euecobo Queluz. 20 de Ontubro de 1887.-
Amigo e >r, F llaria a um dever de grtidi)
se deixasse de Ule communicar um caso extra-
ordinario que sodeu em meuengenho, coaovoa
refalar.
No anno de 1884 .lendo urna miaba escrava
dido & luz, e quasi no liin do resguardo, per
acaso foi bagaceira, la foi accommettida de u:a
tenivel accesso do loucuraque tornou-se furio-
sa, lendc-a submettido a um tratamento serD
sem que de I le o. tivesse o menor jesnl lado.
J sem esperanca de a alvar aconselharam La
que usasse do seu elixir purilkadorno sangu.'.
Sim peda de lempo mandei buscar urna garn
fa ; logo que priiicipiou a usar appareceu Iba
uaia rande reaccf o com um ataque que me a-
suslou, ma3 in.-piado mandei continuar coa
elle, logo que Qadoa a garrafa licou radi:alme:j-
te 1 establecida, gracaa ao seu prodigioso re-
medio.
.;S-jTrendo eu tambera de urnas dores rheuraa-
ticas, usci de urna garrafa do dito remedio o
qual me rcslabcleceu dos meus soffrimentos.
Distas pencas linlias que e coutm a pura
verdade pode V. S. fazer o uso que Ihe apronver.
De V. S. amigo e obrigadoJos Francisco des
Anjos.
N. 99
Illm. Sr. Angelino Joc dos Santos Andrade.
Amigo e Sr. Tendo sido accommeltido per
muito lempa de nevralgia na cabeca, qne ba.--
laute me atormeutava, depois de ter recorrido a
diversos remedios, sera delleg obler o menor
lenitivo aos meus sofTiimentos, a conselno de un
amigo lancei mo do sea e'ixir purificador do
Beoda provincial :
Do dia 2 a 21 10i:3ii*897
dem de 2 S:i.JlA7o
59i:603>973
Ilio766o9
Somma total T09:l88632
Segunda seccio da Alfandega de Peraambuco,
22 de Janeiro de 1890.
O thesoureiroFlorencio Domingues.
0 chefe da seccaoCicero B. de Mello-
lleecbedoria geral
Do dia 2 a 21 27.1Ui8l2
dem de 22 2JI7271
30:117*283
Keeeltedor.ta provincial
Doaiu2a2l liX)O07ii7
dem de 22 l:i93Sl
(0t:ttS99S
Dj dem de 22
Recife nralaage
:3143S3
Si2090
3 056.653
Mercado Municipal de S. los
O moviraento desie mercado no dia 21 de
Janeiro foi o seguinte :
Entrarara :
31 bois pesando' 4,215 kilo?.
489 kilos de peixe a 20 res 9>780
3 carga com farioha a 200 r?. <500
6 dita3 de fructaa d;,ver3as a 300 rs. 1800
32 i/2 columnas a 600 rs. 19*300
1 escriplorio a 300 ri. 300
62 tabolei-os a 200 rs. i240()
lo suioos a 200 rs. 3*000
70 compartimentos com farinha a 300
351060
14*600J
rs.
28 ditos de comidas a 500 rs.
100 ditos de legome e faieadas a
400 rs.
9 ditos de fressuras a 000 rs.
16 ditos de sulnos a 708 rs.
9 Compartimentos de caoiar.'s
a 200 rs.
32 talhos a 2*
Kenliftento de 1 a fO do crrente
40 000
0*4(10
11*200
I *800
644000
218*780
4:2635280
4:492 *f 60
Creeos do dia:
Carne verde de 200 a i-*J res o tilo.
Carneiro de 640 a 800 iaem.
Sainos de 480 a 640 ris idem.
Farinha de 440 a 560 ris a cuia.
Milu le 480 a 560 ris idem.
Fcijo de 900 a 1*440 idem
Vapores 9 entrar
MEZ DE JANEIRO
Norte........ S. Francisco....... 23
Sul......... Sergtpe......... 24
Europa....... Ydle de Pernamjnfco. 24
Norte......... Manos........... t
Sul........... Espirito Santo..... 17
Sul........... Aconcagua........ 29
Europa....... Olinda.......... 30
Vapores a sabir
MEZ DE JAXEIRO
Balda c esc... Jacuhype......___ 4 as 3 h
Ceareesc... Una.............55 as oh
Sul..........Manof........... 25 as 3 h
-antos e esc. VUledsPernambnco. 23 as 4 h
Norte........ Espirito Sanio...... 28 as 3 h.
Liverpool .... Aconcagua ..... 29 as 10 h
BtftO SIL AMERICANO
Capital 20.000:000^000
ESTE BANCO FUNCCIONA
A
38-Rna do Commcrcio38
Desconta letras e contas assignadas.
Adianta dinheiro sobre caucao de ttulos
o mercadorias e abre contas correntes com
garanta dos mesmos effeitos.
Recebe em deposito tirulos e valores.
Fas mov ment de fundos de praca
praca e concede cartas de crdito, abono e
ang.
Paga em conta. correntc de movimento
3 '/o & anD0-
Recebe dinheiro a prazo nxo ou por
aviso a juro convencioLaio.
E faz outras operacoes baacarias.
Banco Sul-americano
nuil d j Coatmercio u. 38
Compra e vende saques sobre Babia, Rio de
Janeiro, San o*, S. Paulo e Campias, e faz
nuai'squ<-r opu*HCeA de crdito sobre asmes
111 s prucas.
Movimento do porto
Xavio8 entrados no dia 22
Cdr e cs'ala8 da.j, vapor nacional Pirapa-
mi, de 360 iontl;nius. commaudante Francis-
Z3 Hay uundo de Carvalho, equipagem 30, car-
ga vanos geucros : Companhia Pernambu-
can;i.
Peni-nido de N jronlia36 horas, vapor nacional
Una. de 261 toneladas, cominiudante Alfre-
do Monieiro, ei'iipagem 30, em|lastro; Cou>
pauhia Pcrnambucana.
Buenos Ayres e escala 16 "dias, vapor inglez
Alina.' de 1,143 toneladas, commaudante rto-
beit Forth, equipagem 22, carga milho; a
\Vilson.o s C.
Gaspc (Caad 35 dias, patacho inglez Ro-
bn de 160 toneladas, capito Abraham L-
Rus, equipigem 8 carga bacaiho ; a Johns-
lon Patcr & C.
Rio Grande do Norte 3 dias,. hiate naciona-
Ciriqnity 2', de 15 toneladas, me9tre Jja-
quim II. da S.Ivowa, equipagem 5, carga as-
sucar ; a Manoel Joaquim Pessoa.^
faoios sonidos no mesmo da
BarbadosBarca ingleza Beltrees, capitn A.
Service, em lastro.
Santos Patachofinglez Robn,> capitSo Abra-
ham Le Res, carga bacaiho.
S. Vicente e escala-Vapor f.ancez Burgandia,
commaudante Louis Dulac, carga sature.
Falmoth Vapor inglez Alina,- commandante
Roberl Forth, carga milho.
P



1
r

. \
1



I '




Diario de Peruambuco-Quinla-feira 23 de Janeiro de i890
-
3angue; g effeito benelico rfSo se fez srperar,
porqoe duas garrafas sonie;itc foraro sufliciente
pera meu re>tabeleeiraento.
Dess poucas nnnas que s dizem a verdade
fara o uso que Ihe coovier. E sou de Vrac. at-
iento e obligado. Recife, S da Margo de 898.
:os Gil Peres.
100
Illm. Sr. Angelioo Jjs dos Sautos Andnjde.
Tendo soffrido por espaco de seis mezes de um
forte rbeumatismo que alm de scffrcr grandes
dores, me prirava omovlraentodo corpo. depols
de tomar diversos remedios! sera delles obter o
aiei.or lenitivo aos raeus soffnraentos, a conse-
ibo de um ainijo laucei mao do sea elixir puri
:kador do sangue. com tanta felicidade que coni
urna garrafa .oe restabeleci de todos os meus
S-ilFriraentos.
A bem da humauidade faco a presente deca
ranao e autoriso a fazer della o uso que Ibe
aprouver.
De Vmc. amigo e obngado. Gravat, 11 de
Agosto de 1888.-Jote Ferreira Jnior.
Esto selladas e rccunliecidas as firmas por
tabeliao.
Auxilios lavoura
Pereira Carnciro & C. continaam, autorisado-
peio Banco do Brasil, conceder emprestimof
" lavoura das provincias de Pernambuco, Ala
goas.Paraliyba e Rio Grande do Norte, mediante
as condiges te que os iiileressados serao infor-
mados no escriptorio a ra do Commercn n. 6
das 11 horas da'rcanh as 2 da tarde.
---------------s-esees----------------
Professora
Urna senhora perfeitamente habilitada e
com bastante pratica de ensino prope-se
a leccionar em collegios e casas particu
lares as seguintes materias: portuguez,
francez, msica e pian', a tratar na ra do
Visconde de Albuquerque (antiga da Ma-
triz da Boa-Vista) n. 20.
Faculdade de Direito
De oroem do cidado director desta faculdidc,
faco pobico que no da 27 do correte coineca-
r a matricula para as aulas preparatorias, e
podera effeduar se at o dia 8 de Fevereiro, in
de ledente de despacbo do mesrao cidado di-
rector.
Desta ultima data em diante, it o r de Abril,
oalamr-.o que quizer matricular se deve justi-
ficar perante a directorio os motivos que o re
tardaram naquelle acto.
Os ala nos poderao reqoentar, se o quizercm,
mais de una aula, com Unto que os que pre
tendtrem matricular se as aulas di rlietorica e
ibilosopbia, mostrem. ter aprendido luiiin e
r-ncez, e as aulas de geograplua c historia,
mostreui s; ber o francez, devendo a pro va ne?
tes casos ser dada por atlestada passado por
professor publico ou particular, autorisado pelo
governo para leccionar.
A matricula na.3 rulas de linguas ser permit-
ti ia at o flm do mez de Jalno, e as de scien
cas alol- de Abril, e todas as aulas serao
aberlas no dia 3 de Fevereiro prximo vindou
ro, de conformidade com o art. 16 do regula
ment das aulas preparatorias, sendo c respec
ll vo horario o seguinle :
t'hilosophia. das 8 as 9 horas, n. 6 cala.
Portuguez, das 9 as 10, dem.
"helorica, das 10 as tt, litan.
Ingles, das II as 12, dem.
Antbmetica e geoiwtrta. das 11 a 1 hora,
dem.
Geogrsphia e historio, de S as 1: i !em
Francez. das 2 as 3, wr>.
Lata, de 1 as 3, na 3 sala.
Di petico para patrenla, teve coaslar o
lunie, iiliaco, nal'jralilaJe cidade to aiumm,
e de baver sido salisfeila a laxa da matricula.
Pela inscripcSo em urna aula f-^000
dem idem em duas 9 000
I lom idem em tres 12*000
Secretoria da Faculdade de Pireito do Recife,
18 de Janeiro de 1890.-O secetario.
Bonifacio de. Aragao F. Rocha.
Sociedadc
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryiand nos
Estados-Unidos, em aborto o seu cnsul
torio, na ra Barao do Victoria 18, 1
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
ac
EDITAES
O Dr. Carlos Augusto Vas de Oliveira, juiz de
direito do com nenio dcs'a eo narca especial
de Nd/.xrelh, em virtude da 1 'i, itl
Faco saber aos qae o presente edital de ter-
ceira praca cou o praz) de oito dias virem, que
o porteiro dos auditorios deste juizo ha de tra-
ev o pregto de venda e arrematado a qnem
mais der e maicr la 1150 off.reer, no dia 19 do
torrente, ao raeio diu, por ti da casa das au
Jiencias deste juizo, o engenh.i Bello Monte, rao
vido a animaes, sito na freguez'a de Viccna
lssta omarca, com a3 casas de vive ,d 1 c de en-
geobo de p?dra c cal, casas de sobrado e de
morada, de purgar disilhcio, 2 estribaras, 20
;atai de tii;iu e lellias para lavr.idores, 2 casa*
de farinba, 18 casas cobertas rom caiim, 100
forma* de barro, alaabiqoe de cobre cou cara-
pac 1 e serpentina, 1 resfriador de madeira, pe-
iibrado por aceto execultva |ue move o Banco
le Crdito Real de Pernambu'.o viuva e her
ileiros de Jos Ignacio Camello, o qaal engenho
foi hypotbecado ao mesmo banco pela quafltia
de 22:0005, constante d". escriptura. c vai ter-
ccirapraea pelaquanlia de 17:830i, ja fetto o
abate legal de 10 por cento do seu valor. E
iuem ao m:sm) ijuizer lingr.-, coinpi"CQ neste
juizo no dia, ho-a e lugar cima declarados.
E para constir se pissou o presente, que o
porteiro o affixir no lugar oais publico desta
cidade,lavranl-se a competente eerttdao.
Dado e passado nesti cidade de Na/.areth, em
21 d: Janeiro d'. 1830.
Ej. O lindoiliquelini de Almeida, escrivao,
escrefi.CirtM augusto Vaz de Oliveira.
Eslava sellada com urna estampiUia de 200
ris, legalmente inuliltsada
Subscrevo e assigno.
Eu, Orlando Mtqueliao de Alm ida, escrivao,
escrevi.
DECLARARES
Obras publicas
De ordem do cidado engfnhcirc director, c
em virtude da aulorisaco do cidudo general
iovernador deste Estado, de 20 do correnle, fago
publico que no dia 8 de Fevereiro prximo vin-
douro recebera se propostas em canas lechadas,
competentemente selladas, para execugo das
i-?guintes obras :
Reparos da ponte de Nasaretb. oreados em
1.937*723.
dem do pontilhSo sobre o riacho Tanos, na
estrada de Grvala, na importancia de '.060.
dem de diversa* puntes da estraJa da Victo-
ria, na de 2:939,200. -
Idem dos boeiros de Campias, M.ucs c Bu-
Ibes, na de 1:172 072.
As propostas devem ser assignada* pelos lici-
tantes, com as firmas "tcanhecidas, e devero
declarar o prego pelo qual H obriyam a execu
tur a obra, como o local de eoa residencia e as
hibilitaccs que possuam pira dirigir os traba-
llios, as quaes se rao aberlas ao meio dia cm
presenfa dos praponenies.
Nao serao aceitas a* propostas nos seguintes
casos:
!. As que excederern dos prejos dos orea
meatos.
2 As que no forem organisadas do accordo
com o presente edital.
3 As que offerecerem no as garantas exigi-
das.
4. As que se basearem sobre os precos das
p.-opostas dos outros concurrentes
5." As q e forem aprehendidas por pessoas
que ja leonesa deixado de cumprir contractos
celebrados com a tepartico.
Os orcameutos e mais condices dos contra
ctos acuam se nesta secretaria, onde podem
ser examinados pelos prclemlenlci.
Para concorrer praja cima de- cro os lic
tantes depositar nesU jyparticSo as seguintes
quanlias:
De 973886 para a primeiru obra.
De -UOOi) para a segunda.
Ds 1464960 para a lerceira.
De o8560i para a quarta.
Todas estas quaotias sao equivalentes a 3
dos valores dos respectivos orcarasntos, como
determina o art. 42 do ;egulameoto de 30 de
Outubro de 1889.
Secretaria da directora gerat de obras pubk
cas. 22 de Janeiro de 1890.
O engenheiro ajudantc,
A. Rege Sello.
Nomeacoes interinas
*)ecrfnrln daliwtrurcao Publicado
KmkxIo de Peroambnco. ** de Ju-
utiro de l0
N. 2.-D ordem do cidado Dr. inspector pe-
ral da instruccSo pjolica de=te Esudo, declaro
aos Srs. delegedoa litterarios que f serao con
firmadas pela inspectora as nomeac&es para
professores interinos, quaudo recablrem estas
em pessoas coxp:(-hendidas as disposicOej dos
arts. 77 2- 11. 7e23i do regulaiuenlo em
vigor, on em cidadaos qie pelo menos salisfa-
cam alguma das coodicocs impostas pelos ns-
2, 3,4 e 5 do I 2- do citado ari. 17, salvo o caso
de provar te alo existirem as localidades, onde
se dereoj tacs nomeacCes, pessoas que possam
preeoeber as determio-coes dos arts. cima ci-
tados.
O secretario,
Pergenlino S. de Araujo Galvlo.
DOS
Artistas Mechanicos e Li-
be raes
Assembla geral de eleico
De ordem do Sr. director, convido a lodos oa
nossos consocios, que de accordo com os esta-
tutos, se acharem no goso dos seus direitos, a
comparecerem no dia 23 do corrente, s 6 horas
da Urdo, lim de proceder se a eleicao da di
rectora para o eorrenta aoni social de 1830"a
1891.
Secretara da Soniedade dos Artistas Micbuni
eos e Lioeraes. 20 de JaBeiro de 1830.
O 1 secretario,
Joaquim b. Teixeira.
Juizosdos feilos dafazenda
nacional
Eecr'vSo Reg Barr.s
Peracte o Sr. Dr. juiz substituto dos feitos da
fazenda Benicio eloa Ja Cunha Tavares
Mello no dia 24 do corrente mez, pelas 11 horas
da manba depois da audiencia se vender em
praca publica, os bens seguintes :
Um sobrado de 3 andares rito roa do Livra
ment n. 7. freguezia de Sanio Antonio, avaha-
do por"3.0C000O, perteoanle a Diogo Augusto
dos Reis.
Urna otaria sobre 5o palmos de lijlo e cal ro-
be-la de tuina sita no lugar Coelhos n. 23 per-
tencente a Vicente Ferreira dos Sant03 Barros, i
avaliada por l:50000>.
Urna casa terrea de lijla e cal coberta de te-
>yinasIo Pernamb:icaao. en
1 de Janeiro de 1MOO
Pela secretaria do Gymnario Pernambucano, e
de ordem do Rvd.cidadSo regedor.sedeclara aos
paes de familia, e a quem mais interessar possa,
q ue a abertura solemne do curco scientinco e
Iliterario ter logar no dia 3 de Fevereiro prxi-
mo vindou ro, e uede ja se acha aberta a in-
scripgao da matricula pira aquelles que preieo-
dereua estudar as seguate* disciplinas :
Lingna nacional.
DiU latina.
Dita francez a.
Dita ingleza.
Ditas alltma e italiana.
Geograplua antiga c moderna.
Historia sagrada antiga c moderna.
Geometra e trigonometra.
Arltbmetica e algebra,
Philosopna.
Rhetorica e potica.
H storia e chor< grapbia do Brazil.
Sciencias naturaes.
Escripturaco mercan.il.
O corpo docenb- do instituto composto do 19
professores, oceupando-sc rada um delle3 6-
men'ecom a materia ensinada em sua respecti
va cade-ira.
Serao admitlidos n Gymnasio alumnos tnlcr-
nos, meio pensionistas c- externos
Os petisioiiittas resi-lir&o nj instituto, tendo
direito de estudar a rcrie de discipUiftS de qu se coropOe o estadio srieclillco e ltc-ario do
Gymnsskt. de ccnforroirlade com b p.-ogramma
esiabelecido ; a ser'alia. e:.lados sedia e abun-
dautemente c a ser tratados cm mas pequeas
enfermidades. O n-.iiluto iornecer aina me-
dico, medcamenos, cma, mesa, radeira,. luz,
corte de cabello gu r-lanapo, lavatorio, banho,
murica e desenlio.
Os meio pcnsonJsUs e aprereTitaro no es-
tabclccimcuto no> das lectivas, s oras em
que as aulas se abrircm. c desde enlo at se-
rem tncerradas UrJe ; so equipatados as
pensiouitias, qoanio :-os cstuuos, ahmentaco e
recreio.
Os alumnos externos 10 teem direito s HcOes
e cxplicacOes dos respectivos professores.
A pensao annual ,de 300000 que pagam os
alumnos internos do Gymnasio, ec cobrar pelo
anno lectivo somenie, dividida em prcstacOes de
lOOiOOO cada urna ; comecando a primeira em
Fevereiro, a segunda em MJio e a terceira em
Agosto e terminar no fim de .Vovembro.
Para os alamnos de inst:ucco primaria que
devem se aehar n j estubilccimenlo no da 16 de
Janeiro, a primeira pre tago ser antecipada
sem augmento de pi nso.
A pen^So annual dos meic-pensiooistas, ser
de 180*000em tres p-eitaefr-s de 6000) cada
orna, effecluadaa ecbraoca do mesmo modo que
para os Internos.
Os alumnos iuierno* da qualquer cathegoria
pagaro na entrada e par urna ni vez, urna iota
de 20^030 ; doos irrros 30000, sendo l.'iilHX)
por cada um e nao haver 11.a s augmento de
joia crescendo o numero destes
O instituto encarregar-se-ha da lavagem da
roupa dos alumnos interne s que nSo tiverem
quem o faga por fra. e i;to mediante 13*000
em cada prestac/io. Este pagamento se far de
modo idntico ao da pensao e conjuntamente
com elle, dando direito aos concerlos das pegas
arruinadas do enxoval.
As despezas com livros e mais objectos indis-
pensaveis para a ec;ipluraco, coriem porcon-
ta tos alumnos infernos : devendo seus paes bu
quem os representar deixar quantia sullicieitc
na-a este fornecimentn.
Os externos f tcm direito s UcOes e expli-
earOes das materias ensilladas uo curso, quaes-
quer que ellas sejam, pogando apenas no acto
da matrcula a tasa igoal a que pagam os alum-
nos no Collegio das Artes
Ha tambem urna cadeira de instruego prima-
Compatiia de Seguros
$iMii*&t it ishi
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE A
8, FRANCISCO
AVISO
FESTA DO CABO
DOMINGO, 26 DO CORRENTE
Alen dos (reas ordinarios de passageiros harer o seguiula
irein especial entre as estaees das Cisco Pontas e Cabo.
THEM ESPECIAL
AGENTE
Miguel Jos Aires
IV. VMoa do Bom Je*D*-N. 7
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Sestea ltimos seguios a nica compa:.: :a
.-isla praga que concede aos Srs. segurados se.'ip-
,"So de pagamento de premio em cada set-rro
timo, o que equivale ao descont annual de c- :-
: de 15 por cento em favor dos segurados
Ida (tarde) Tolta (molte)
Cinco-Pontas (partida) ... 12 Cabo (partida) 10.30
Afbgados ... 12.10 Ilha > ... 10.45
Boa Viagem > ... 12 20 Prazeres > ... 11.05
Prazercs ... 12.30 Boa Viagem ... 11.15
Ilha ... 12.50 Afbgados ... 11.30
Cabo (che gala) ... 1 Cinco-Ponta8 (chegada) 11.40
' Cabo, 22 de Janeiro de 1890.
Wells Hood,
Superintendente.
tencente a Leoncio Peteira de Souza avalia ia'por '
270*.
Urna casa de rancho coberta de telha, sita no
lugar denominado Areias, freguezia de Afoga-
dos, pcrteneenle a Jao Rodrigues da Silva.
pola prego de 27.
Estes bens sao vendidos para pagamento da
fazenda nacional.
Recife, 14 de Janeiro de 18&9.
O solicitador,
Luiz Machado Rotelho.
Instituto Archeologico c Geogra-
pbico PernambQcano
QuinU fera 23 do corrente, bora do costume,
haver sesso ordinaria.
Secretaria do Instituto, 21 de Janeiro de 1890.
Uaptista Regueira.
________ _____________t secreUrio.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Na tecreUria da Santa Casa recebem-se pro-
lostas pa -a arrendamento do predio n. 33, ra
tarqoez de Olinda, com araazem proprio pfra
ualquer esubelecimento commercial, com
rrande redueto no preco da -enda.
Vs proposUs sero apreciadas pela junta em
ua sesso prosima.
SecreUria da Santa Casa de Misericordia do
tecife, 30 de Outubro de 1889.
O escrivao,
Pedro Rodriguet de Souza.
O secretario,
Celso Tfiuliano F. Quinte'la.
Derby Club de Peroambnco
l.'oinpaiilii 1 Ferro Carril de Per-
namboco
Dividendo
Do dia 27 do torrente em diantc, pagi-se
no escriptorio central desta com tanhia, no Rio
de laneiro, o lo1 dividendo de i000 por aeco.
correspondente ao l* semestre do esercicio de
1889 a 1890.
Recife, 20 de Janeiro de 1890.
Carlos Alberto de Meueze?,
Gerente.
Faculdade de Direito do
Recife
Por esta secretaria, de ordem do cida-
dSo director, se faz publico, que em vir
tude da ordem do governo federal cons-
tante do-offisio abaixo transcripto do Go-
verno Provisorio deste Estado, haverSo, a
come car do dia 3 do mez poxiiuo, na Fa-
culdade, exames dos preparatorios, que
serao opportunamentc declarados para os
estudantes que tendo se inscripto na pri-
meira epocha os nao poderam fazer em ra-
zao do disposto no art. 3. do decreto e
aviso no dito oficio citados Os estudan-
tes que estiverem n'estaa condicfos de
verao desde j requerer para serem seus
nomes incluidos as respectivas listas de
chamados.
c 4." seccao.Paltcio do Governo do
Estalo de Pernambuco. Em 8 de Janei-
ro de 1890. -Para os devidos effeitoscom-
munico vos que o Governo Provisorio da
Repblica, segundo declarou-mc o
d2o Ministro dos Negocios do Interior sm
aviso n 741 de 30 de Dezembro tiedo,
resolveu que, at ulterior deliberacao, nSo
se continu a observar o disposto no art
3. do Dec. n. 9,647 de 2 do Outubro de
1886. explicado pelo avieo de 9 do mes-
mo mez e anno; devendo ser admittidos
a prestar os exames de preparatorios para
que se achem inscriptos n'esta epocha os
estudantes aos quaes nao tenba sido per-
mittido fazel-os em virtude d'aquella dis-
posicAo. Sade e fraternidade.Jos S-
melo de Oliveira Sr. diredtor da Fa-
culdade de Direito do Recife. >
Secretaria da Faculdade de Direito do
Recife, 20 de Janeiro de 1890.
O secretario,
B. Arago de Faria Rocha.
Os Srs. accionistas queiram procurar n'esta
secretaria, os novo? ca t;s em substuico dos
antigos, at o dia 23 rio corrente. Depols d'esta
data estes cartes nu tinto valar.
Secretaria do Deiby Clua de Pernambuco, 17
de Janeiro de 1890.
0 secretario,
J. de O. Castro.______
Recreativa Magdalcnens
Por ordem superior convito os Srs. socios a
so reunirem em asse-m'j'i: 1 geral, quinU-feira.
23 do cerrente, s 7 horas da Urde.
S. R. Magdaletinsc SO de Janeiro de 1890.
O 1 secretario.
Tito Livio da Silva
Banco o Bmi
Pelo presente sao
convidados os Srs. ac-
cionistas d;:s novas ac-
coes lo Banco do Bra-
zil, aqui subscriptas,
a virern realizar a se.
runda ntrala de dez
por cento ou vinte mil
res por acciio, nos dias
21 a 25 do corrente no
escriptorio de Per eir
Carneiro Sf C, ra do
Commercio n. 6, 1.
andar.
Juizo dos Feitos da Fazen-
da Nacional do listado de
Pernambuco
Krri Perante o cidado Dr. juiz fubstutuo dos Feilos
da Fa>eoda des'.e Elido. Benicto Nelson da Oa
nha Tavars Mello, n-j dia iS, do corrente mez,
pe as 11 lloras da rnanlia, depois da audiencia,
sero vendidos en prac (lublica os bens se
guates :
Urna machina a vapor coui seus pertences,
que se acha luiicciooando na serrarla sita no
caes de Capibanbe n 21, mralada por 2:000/1,
pertcncente a Francisco dos Sintos Slacedo.
Urna arrracao, i catiides de columna, 1 car-
teira e 1 mesa grande que se acham na lo ja de
alfalate ra-do Rara i da Victoria ti. 46 A, per
teocen es a Rodrignes A C. avallado tudo cm
cda. 85000.
Urna armacSo demadtira de louro. 1 bale&o,
diversos depsitos para seceos, sendo 5 com vi-
draca a fente e 1 balanza com conchas de
madeira, que se acliam todos na (averna ra
D. Mara Cesar n. 2, iv Im-Io ludo am 55OO
pertencentes a Anl nio ((Man Salgueiro 4 C,
sendo ditos bens vendidos para pagamento da
Fazenda Nacional ee-ur-U.
Recife, 21 de Janeiro de I8J0.
(i so ieitador.
I.uiz Uifh d Botelho.
O procurador dos feitos da fazenda
do Estado de Pernambuco tendo recebido
do thesouro a relacao abaixo transcrip-
ta dos devedores da Companhia Recife
Drainage, relativa ao 1. semestre do
exercicio de 1885 a 1886, da freguezia da
Boa-Vista que deixaram de p^gar no-tera-
po competente, declara aos mesmos deve-
dores que lhes fca marcado o praso de 30
dias, a contar da publicacSo do presente
edital, para dentro delle pagarem os d-
bitos, com guia da seccSo do contencioso,
certos de que findo aquelle praso procede-
r a cobranca judicialmente.
Recife, 13 de Janeiro de 1890.
O procurador dos feitos,
Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
Relacilo dos devedores da Drainage Jdo
1. semestre do exercicio de 1885 a
1886 da freguezia da Boa-Vista que
deixaram de pagar no tempo compe
tente.
Socego n. 24. Henrique Jos Viei-
ra da Silva
S. Goncalo n. 38. Ilerdeiros de
Bernardo Duartc BrandSo
Dita n. 29. Herdeiros de Fran-
cisco da Silva
Travessa dos Coelhos n. 1. Os
15^151
150151
30^302
300302
150151
180028
150151
150151
210694
150151
150151
150151
450453
480330
45J453
450453
150151
150151
150151
150151
150151
155151
150151
15J151
Arremaac,o
No di i 7 de Fevereiro ?c~. arrjmatado o en-
rentio Jagnaribe. sito n.> termo da Escala, a\a
lado por zO.OOOiOOO : qu -ni quizer fuer ac-
quisico de oma bea uepriedade, chegada a
occasio, muito comrnoJo cor distar da cidade
meia legoa, terreno muit. frtil, e contiguo ao
engenho centr 1 do Firmesa ; a praca ser na
casa das audiencias s 9 horas da manhl do
indicado dia cima me cionado.
mesmos
General Seara n. 27. Hermene-
gilda Amelia de Araujo Ribeiro 150151
S. Borja n. 29. Heliodora de A-
quino Fmaeca
Dita n. 23. Herdeiros de Eduar-
do Duarte Rodrigues e outros
Dita n. 43. Herdeiros de Anto-
nio Jos da Costa e Silva
Dita n. 45. Os mesmos
Dita n. 47 Os mesmos
Socego n. 52. Isabel Augusta da
Costa
Santa Cruz n 4. Irmandade das
Almas do Recife
Pon e Velha n. 112. A mesma
Imperatriz n. 36. Dr. Jo5o Mana
Seve e outros
Dita n. 4. Jos L^pes Alheiros e
outros
Dita n. 42. O mesmo
Dita n. 3. Jacintho Pacheo Pon-
tes
Dita n. 67. Dr. Joao Maa Seve
Dita n. 73. Jacintho Pacheco Poo-
tes
ConceicJto n. 21. Josepha Joa-
quina Pereira Ramos
Dita n. 23. A mesma
Visconde de Pelotas n. 12. Jos
de Barros Correia
Tambi n. 7. Joaquim Ferreira
Ramos
Dita n. 9. Jos Pereira Teixeira 310J95
Visconde de Albuquerque n. 62.
Joao Baptista Vieira Ribeiro
Dita n. 64. O mesmo
Dita n. 96. Jos Francisco de S
Leitao 150151
Dita n. 114. Jos Domingues Co-
diceira 150151
Dita n. 63. Jos Francisco de S
Leitao 150151
Aurora n. 13. Jos Vicente Duar-
te BrandSo 450453
Dita n. 23. Jeronyrao Carneiro de
Albuquerque MaranbSo 180028
Ponte Velha n. 62. Jos Francisco
Souza Penna 150151
Dita n. 64. O mesmo 150151
Dita n. 11. J icintho Pacheco Pon-
tes 150151
Dita n. 15 O mesmo 150151
Dita n. 17. Jovino Lydio Ferreira
Fontes 150151
Dita n. 61. Jos Gomes Coimbra 3003 2
Dita n. 127. Joaquim Jos de
Azevcdo Santos e outros 150151
Conde da Boa-Vista n. 27. JoSo
Carneiro Raposo e outro 340618
Dita n. 33 Jos Nabuco Cezar de
Araujo 155151
Dita n. 35 O mesmo 150151
Hospicio n. 18. Jos Carlos Man-
co da Costa Rois 150151
Dita n. 32. Justino Jos de Souza
Campos 150151
Dita n. 34. O mesmo 10O28
Dita n. 3. Dr. Jos Bernardo Gal-
vlo Alcoforado 290202
Dita n. 45. Jos Carlos Manco da
Costa Reis 150151
Rosario n. 3. Joaquim Bernardo
dos Reis 19*1^1
Dita o. 43. Jos Martins do Rio 155151
G. Pires n. 3. Jos Mara Seve 150151
Dita n. 23. O mesmo 150151
Dita n 25. Jos Pirette Seve 150r51
Travessa do Gervasio Pifes n. 7.
Joaquina C. Aguiar Barroso 150151
Socego n. 3 A. JoSo Pereira da
Silva 150151
Dita n. 25. Joaquim Pinto Lapa 150151
Principe n. 2. Dr. Jos Lopes
Peasda da Costa 150151
Dita n. 1. Jlo Cavalcante de Al-
buquerque 150151
S. Goncalo n. 12. Jos Gomes
Coimbra 150151
General Pedra n. 4. Padre Jos
Zacaras Ribeiro 150755
Dita n. 25. Jos Alves Barbosa 150151
(Continua)
Ciymnasio Peraattbncano, 99
de Janeiro de 1890
Pela secretaria do Gymnasio Pernambucano, e
de ordem do Rvd. cidado regedor, se faz pu-
blico a qnem interessar possa, que no corrente
anno ser observado o seguinte horario as au-
las do curso :
Latim 2 anno, das 8 s 9.
Allemo, idem.
Italiano, idem.
Escripturaco mercantil, iiem.
Latim i anno, das 9 s 10.
Aritbmetica e algeba, idem.
Geographia, dem.
Historia e cororraphia do Brazil, das 10 s II.
Ioglez, idem-
Portuguez l" anno, idem.
Dito 2o anno, idem.
Sciencias naturaes, idem.
Geometra e trigonometra, das 11 s 12.
Latim Io anuo, idem.
Dito 3* anno, das 12 1.
Rhetorica, idem.
Francez Io anno, de l s 2.
Dilo 2e anno. idem.
Historia universal, dem.
Pritneiras lettras, das 9 1.
0 secretario.
>/o Tertuliano F. Quinlella.
EDIFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BAIXAS
Prompto pagamento de prejuizos
SEM DESCONT
A COMPANHIA
IMPERIAL
DE LONDBES
EST: 1803
CAP: lis. 10,000:000^000
AGENTES BHOW NS & C.
N. 5RA DO COMUERCIO-N. 5
Escola Normal do Estado
de Pernambuco
Matricula
De ordem do Dr. director fajo publico,
a quem interessar que a contar do dia l5
do corrente, at 3 de Fevereiro, estar
aberta a matricula para os diversos annos
d'esta Escola. Os pretendentes deverSo
requerel-a ao Dr. directer, provando para
a matricula no 1." anno :
Ia- Hade maior de 17 annos, se forem
do sexo masculino, e de 15, sendo do
sexo feminino;
2.IsencSo de culpa que motive a
perda da cadeira de professor publico;
3.' Ser de bons costumes ;
4.N3o soFrer molestias contagiosas
nem defeitos physicos que os privem de
bem exercer o magisterio ;
5.Habilitacao as materias professa-
das nos tres graos do ensino primario, ou
as do exame que houver de fazer na
escola.
Quanto matricula para os outros an-
nos basta ser a pet;cao instruida com cer-
tificados de approvacSo em todas as ma-
terias do anno anterior.
Outrc3m declaro, que o mesme Dr. di-
rector tem designado o dia 28 do corrente
para comecar o exame di que tracta o
arf. 27 do regulamonto vigente.
Secretaria da Escola Normal, 7 de Ja-
neiro de 1890.
Francisco Verlos da Silva Fragoso,
Secretario.
Sociedade Refinada e Dis-
tilJac,ao Perni mbucaha
Sao convidados os Frs. accionistas a realizar
a 3' entrada de 10 "/., equivalente a 20*000 por
aeco, at o dia 31 do corrente mez, conforme
os arts. 8J e 9o des estatutos, no escriptorio do
Exm. Sr. thesoureiro Baro de Petrolina; entra
da pela ra do Torres n. 48, Io aolar.
Recife, 13 de Janeiro de 1890.
O presidente,
Joao Fe nandes lapes.
' SANTA CASA"
CAKAS PARA ALUGAR
(dem da Guia n. 23, idem IGiOOO
dem do Encantamento u. 9, i.' andar 15/000
dem dem a. 3, loja 1U000
dem do Bom Jesos n. 29, loja 18*000
Idem idem idem, 1." andar i0*2?^
dem do Amorim n. 23, idem 12*500
dem dem idem, f andar 12*800
.'dem.Imperial o. 151, casa terrea 30*'00
*ua da lloda n. 45, armazem 16*660
dem idem n. 47. 20*000
(dem idem n. 49, idem 16*000
[dem do Vigano n. 25,1. andar 30*000
dem idem a. 27, loja 16*660
dem da Senzala Velha n. 132, loja 15*000
Quadro da Dctengo n. 2 8*000
dem idem n. 3 6*000
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
tas do mesmo banco em Portugal sendo
im Lisboa ra dos Capellistas n. 75. No
?orto, ra dos Tnglezes.
Compattljia e Seguros
cootba mi
HOBTHERN
de Londres e Aberdaen
Josico financeira fDezembro de 1887J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.421,000
Aeeeita anaual :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros 143,000
O AGEKTE,
John H. Boxine.
SEGUROS
CONTRA FOGO
f he Liverpool & London & Globe
INSURAXTCE CO./EFANT
HC23U58. mim & c.
Ra do Commercio n. 3
" SEGUROS
MARTIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenlx Per
anbucaaa
RA DO COMMERCIO N. 46
res
Pede-se aos Senho-
consummidore s
que queir a m fa z e r
qualquer communiea-
jjaesta feitano escrip-
torio desta empreza
ra do Imperador n.
29,onde tambem se re-,
cebera qualquer conta
que queiram pagar.
Os nicos cobrado-
res externos sao os
Srs. Hermillo Fran-
cisco Rodrigles Frei-
r e Manoel Antonio
da Silva Olireira, e
quando fpr preciso o
Sr. Antonio Martins
Carvalho.
Todos os recibos
desta empreza devero
ser passado em taleg
carimbados e firmados
pelo gerente, sem o que
nao tero valor algum.
George Windsor,
Gerente
SEGURO CONTRA FOGO
Hoy al Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R. DEDRUSDA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
MARTIMOS
INBEMNISADOR
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
EKlabek-cIdaem 1855
CAPITAL I,000:000#000
"SDISTROS PAGOS
Al 31 de*>ezewbrodel884
Vlaritimos.. 1,110:000#00G
Terrestres. 316:000#000
44Ra do Commercio44
Companhia Brasileira.de
Navega^ao V^apor
PORTOS DO NORTE
Vapor EspiritQ>Santo
Ccmmandante (arlos Antonio^-fiomes
E' esperado dos portog do sut
ate c dia 27 de Janeiro .e se-
guindo depoi da demosaindi-
_ pensavel para o portos do nor-
te at Manaos.
As encommendas s serio reecbidas na agen-
cii al i hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, pasaagens-i* vaio-
res rata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
QmmRua do Con-to=i6
lo andar
*




*


6
Diario de Pernmbuco--Quinta-feira



>
H
.1
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Eqnateur
Commandante Moreau
E' esperado' dos partos do
sal no da 2 de Hevereiro
segnindo depois dademo
i ra de cos'ume para Bor-
I deaux, tocando em
Dakar e Uslwi
Lembra-ae aos Srs. passageiros de todas as
iasaes que ha logares reservados para esta
gencia, que podem tomar em qualquer tempo
Tai-se -batimento de 15 OjO em favor das fa-
tilias compostas de 4 pessoas ao menos e que
agarem 4 passagens inteiras.
Por excepcSo, os criados de familias que to-
aarem bimetes de proa, gozam tambem deste
batimento. _._*,.'_
Os vales postaos s se dio at o da 30 de De
sembr pagos de contado.
Para carga, passagens, encommendas e.di-
ttieiro a frete : trata-se com o AGENTE.
O paquete Nerthe
Commandante Lecointre
E' esperado da Europa no
dia3 de Fevereiro e se-
gira depois da demora
"^w___p=___J aecessaria para ^
''aJda, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
_cmbra-se aos Srs. passageiros de todas as
jases que ha lugares reservados para esta
.enca, que podem tomar em quatquer tempo
Previne-se aos Srs. recebedores de mercado-
|M que s se attendera a reclamacoes por fal-
sa, nos volumes, que forem reconhecidas na
ocasiao da descarga, assim como deverao dep-
o de 48 horas a contar do dia da descarga das
?arengas, faierem qualquer reclamacao con-
srnentes a volumes que porventura tenham se-
. jido para os portos do sul, afim de poder-se
iir a tempo as providencias necessarias.
Kle paquete* mmo illnmlnadu a
ib rleelrea.
*
Para carga, passagens, encommendas e di-
aeiro a frete: trala-se com o
AGENTE
Angoste Labille
9 Ra do Commercio 9
7ompanhia Bahiana de Na-
vegado Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
O vapor Sergipe
Oemmandante Rebello
E' esperado dos portos cima
at o dia 24 de Janeiro, e de
, pois da demora do costume re-
______ hgressar para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinhe.
ro a frete trata-se com o
AGENTE
^edro Osorio de CeTqueira
17Ra do Vigario 17
C9BASA rEB^AMBlCANA
DE
Navegaco eosteira por vapor
PORTOS DO SUL
Ttnandare RioFormoso
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 23 do corren
te as 5 horas da tarde Re-
cebe carga at o dia 21.
Encommendas, passagens e dinheiro frete
as 3 horas da tarde do dia 23.
ESCRIPTOPJO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
COMPANHIA PF.B!\AHBI CA*A
DE
:avegace cos-elra por vapor
POR'iOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaju e Babia
O vapor Jacuhype
Commandante Esteves
Segu no dia 24 de Janeiro as
5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 23.
Encommendas, passagens e dinhe!ros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Pacific Sl;eam Navigation
Company
STRAITS OP MAGELLAN UNE
O paquete Aconcagua
Espera-se do sul at o dia
29 de Janeiro e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool por
Lisboa, Bordeaos e Piymouth
Para carga, passageiros, encommendas e di
ieiro a frete: trata-se com os
AGENTES
iVlson. Sons & L Limited
14RA DO COMMERCIO14
ioyal Mail Steam Packet
Company
O vapor Taraar
^Slrl-S. Espera-se da Europa at o dia 1 di
SgLFevereiro, seguiudo depois da demo-
__^ora do costume para
Babia, Mo de Jaaeiro, WQi,
Montevideo e Buenos- _yres
Para passagens. fretes e encommendas trata
3e com os AGENTES.
O vapor Elbe
E' esperado do sul no dia de Fe
vereiro, segnindo depois da demora
isaria para
*nx e8
gjfcnec^
Lisboa, Tico, e Sou__uu_.p-ou
Reduccdo de passagens
Id* daeroilc
A Lisboa i classe 20 30
A'Southamptonl'classe 28 %1
GamaaBtes reservados i)ara os passageiros di
Pmambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Roa io Boa JessN. 3
DE
favegacSo eosteira por vapor
PORTOS DO NOJBTE
arakyba, Natal, Maco, Mmsor, Araea-
ty e Cear
O vapor Una
Commandante Monteiro
a, Segu no dia 25 de Janeiro s 6
tt]s. horas da tarde. Recebe carga at o
fcldia 24
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
as 4 horas da tarde do dia 28.
ESCRIPTORIO
> Caes da Companhia Pernewnbucanu
n. 12__________________
"CHAlGEURS REUNS
Companhia Fraaecia
DE
*avigj_cSa> a por
Liaba quinzenal entre o Havre, Lisboa.
Pernmbuco, Rabia,, Rio de Janeiro.
Santos.
O vapor
Ville de Pernmbuco
Commandante Koux
E' esperado da Europa at o dia
23 de Janeiro, segnindo depois
da iodiapensavel demora para a
cei, Rio de Janeiro e Santos
doga-se aos Srs. importadores de carga pelo:
va sores desta linha, queiram a presentar dentre
de 6 das a contar do da descarga dasalvarengaf
qualqner reclamagao concernente a volumes qut
porventura tenham seguido para os portos de
sul afim de se poder dar a tempo as provi
de acias necessarias.
expirado o reierido praro a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
?ara carga, passagens, encommendas e as
ah-iro a frete : trata-sc com c
AGENTE
Angoste Labille
9 RA DO COMMERCIO >
dspssita __m, -ythgheiro todo de ferro, obra
prima, qnartos para criados, um dito com appa-
rrlbo, sitio todo murado com 2 portees de ferro
e gradeameto de ferro, e um portao no fundo
que deita para o rio Capibaribe, onde existe um
excellente banbelro para binbo salgado, com
variedades de excellentes fructeiras; como os
Srs. pretendentes poderao desde j examii ar o
referido sitio, e qualquer informac&o o mesmo
agente dari._______________________________
Leilo
Agente Britto
Em continuacao do do dia 17, ra de 7 de Se-
tembro, antigo becco dos Ferreiros n. 8
Vender o segui nte:
Urna mobilia de Jacaranda, 1 guarda-vestido,
1 guarda roupa, i toilette, 1 "ama de Jacaranda,
2 marqnezoes, 2 commodas, 1 cabide de colum-
na, 1 banca, i berco, i inesa elstica, i guarda
louca importante, camas de ferro, 2 aparadores,
movis avulsos, jarros, iouca pora almoco e jan-
tar, vidros, bandeijae, 12 cadeiras de junco, 12
osles de pao carga, relogios de paree, ouadros,
candieiros e muitos outros objectos, inclusive 1
guarda comida.
Qnarta-feira, 3 do corrate
A's 11 horas
LEILOES
Sexta-feira, 24, deve ter logar oleilao de mobi*
lias de junco e cadeiras avuisas alm de muitos
ontros movis existentes no armazem da roa do
Bom Jess n. 45.
Leilo
De cambraia; adamascadas, metas para bomens
e enhoras, camisas i raneas para bomem, fichs,
lenco i de ganga sabonetes tinos, extractos ti
nos, vinhos, licores, leite frerco em latas, mar-
roquins de cores, lougas, vidros, jarros, movis
em grande quantidade de junco, ditos de ama-
relio, ditos de Jacaranda, pianos e muitos cutres
objectos que sero vendidos para fech;.mento de
conta.
Quiata-feira, S& do corrate
A's 11 horas
No armazem da ra do Mrquez de Olinda
n 48
POR INTERVENCO DO AGENTE
Gusmao
i ..eilao
DE MOVIS E LOgAS
lulna-leira 91 do corrate
A's 10 1/2 horas
Ra da oncordia n. 22
O agente Silveira, por ordera do Sr. tenente
Joo Pereira de Lima far leilo dos movis e
mais objectos de casa de familia.
Leil
o
Sexia-felra, 94 do corrate
A's 11 horas
Na ra do Rangel n. 11
0 agente Martina, far leilo da taverna cima,
por conta de quem pertencer em um ou mais
lotes. Garanfe-e as chaves, sendo os gneros
todos novos.
l_eilo
de mobilias austr acas de moco a Luiz XV, ca-
deiras de junco avuisas, ditas avariadas, can
dieiros a gaz, espelbos, quadros. louca, vidros e
muitos outros movis de casa de familia.
ext '-ieira 94 do corrate
Agente Pinto
Vo armazem roa do Bom tie-
sas a. 45
Leilo
De dua* mobilias de Jacaranda com tampos de
pedra, 24 cadeiras de junco, 12 ditas de jaca
randa, 1 relogio de parede, 1 mesa elstica de 3
taboas. 1 dita para escriptorio, 1 lavatorio com
pedra. 1 jardineira com pedra, raarquezes para
casal, ditos para solteiros. 1 mesa com estante,
mezas com duas gavetas ditas com urna gaveta,
1 qurtinbeira de columna. 1 relogio para mesa.
1 mesa com pedra para cosHiha, 2 ditas de pi-
nho i baabeiro de folba, 1 lavatorio de ferro
com baca, 1 machina para fazer manteiga, 1
candieiro para escriptorio, 1 espingarda de sa-
lo com balas, i bengala de pescar com perten-
ces, 1 lavatorio de folba para parede, 1 trena,
escarradeiras, cabides, bandeijas, taboas para
engomtnar, lougas. vidros, trem de cosinha e
muitos outros objectos de casa de familia, que
foram transportados para o armazem da ra da
Imperatriz n. 6, onde serHectuado o leilo.
Saoaado. 95 do corrate
A's 11 horas
POR INTERVENCO DO AGENTE
Gusmao
Agente Burlamaqui
X_eilo
SABBADO, 25 DO CORRENTE
A's 11 horas da manhS
Be movis e divt sos objectos
Ra do Catdereiro n. 62
0 agente cima, vender em leilo por conta
de una familia que se retira para o Estado do
Para, diversos movis, louca, candieiros. qua-
dros, 1 piano e muitos outros movis, que es
taro a vista dos Srs. licitantes.
Em continuacao. vender urna boa armagao
existente no esabelecimento ra de S. Goncalo
n. 27, cuja armaco vendida para pagamento
dos alugueis do referido armazem. Garante-se as
chaves, podeodo os pretendentes desde j, exa-
minaren] a casa e armaco; as chaves esto em
poder do referido agente.____________________
Agente Slepple
Leilo importante
Tcrca-feira, 98 do corrate
A's 11 i oras em ponto
No armazem ra do Imperador -n. 39
De um importante sitio com urna excel-
lente casa sobradada, no largo do
Monteiro, sob n. 1.
O agente Stepple, autorisado pelo cidadao Dr.
Antonio Gomes Tavares, que retira-se d'este Es-
tado para o do Cear, levar en leilio um im-
portante sitio com urna excellente ca ta asaobra-
dada, sita no lugar do Mcnteiro, sob n. 1, eom os
segmntes commodos : pavimento terreo com 2
e8pacosa8 salas as?oalbadas e 3 grandes qnartos.
terraco, giaads coaiobe, dispensa so andar su-
perior, 2 grandes talas, 3 qnartos, e muita fres a
toda casa ; no sitio urna grande coebeira, estri-
bara, cacimba com boa agua potavel e bomba,
casa de banho com tanque a mosaico e grande
AVISOS DIVERSOS
- i miL1IVSL
<*..'
Precia-se de urna ama que saiba bem en-
gommar, para servigo de casa df familia ; na
ra da Concordia n 104. _______________
Precisa-se de um criado e de urna copeira
para casa de ponca familia a tratar no 1 -[andar
do predio n. 3, pateo de S.. Pedro. _____
Precisase de urna ana para servico do
mestico de rasa de tamilia ; aa roa 1. de Margo
numero 2. _
Precisa se de um caixeiro com idade de
12 a 14 annos, com alguma pratica de venda, a
tratar na ra de Hortas n. 1.
Precita-se de dous criados que sejam ma-
triculados e garantan) a sua conducta ; a tratar
na ra Duque de Caxias n. 56, loja das es
trellas.
Precist-se de urna ama que saiba bem co
sinbar e engomor; na ra Joaqaim Nabuco
ns. 36 e 38.
para comprar e
na ra Pedro
3- andar.
Precisa-3e de urna ama
cosinbar, para duas pessoas
Alfonso, antiga da Praia n. 53,
Precisase de urna bo: cosinheira, matri
culada ; a tratar na ra da Soledade M.M.___
ra da Palma,
para
RHEU.MATISMO
mpui'eza fio Saogse, Erapps, Escrfr
Mas, Ulceras, 3$___
e toda aCToccSo do r~raroBa
eruptiva ou venrea
SALSAPRII
DE BSISTOL
0 ReBfedk) lo Faailia por excelleocta I
Ama
Precisa-se de urna ama que cosinbe e engom
me com perfeico, para duas pessoas ; na fabri-
ca ra da Florentina n. 36.________________
Ama
Precisase de urna ama para cozinhar ; na
travessa do Pires n. 5, Giriquiti.____________
Ama
No becco da Liogoeta n. 3. precisa se de urna
ama para casa de pequea familia, para cosi-
nbar, preferindo-se que durma em casa
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinbar e com-
prar para casa de duas pessoas e que durma em
casa ; na ra do Imperador n. 23, 1 andar.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinbar e mai i
servijos de pouca familia ; na ra do Pilar n.
127, i andar.
Aluga-se a casa n. 65
muito fresca e com boas acci mmodac&es
familia ; a entender se ra da Cruz n. 4.
Aluga t barato"a~"loja"eHFandar da ra
Estreita do Rosario n. 38, e a casa terrea;n. 108
da ra da Gloria, a tratar na ra do Pilar n. 56
Aluga se a grande casa catada e pintada
com grande sitio arborisado e todo murado, sito
ao becco do Padre Ioglez, as chaves no mesmo,
a tratar no armazem n. 25 travessa do Corpo
Santo.___________________________________
Aluga u->e duas casas novas ra da Gasa
Porte, tendo cada urna 5 quarto;, 2 gran les sa
las, cvsinha fra quintal murado, agua encana-
da e banheiro com cboviscos ; a tratar na ra
Duque de Caxias n. 30, padaria di Beiro e Al
meida.
. logam-se casas catadas e pintadas nos
indos de S Goncalo, a 84000; a tratar na ra
ta Imperatriz n. 76._____________
Alugam-se o 1 e 2- andares da casa n. 43t
rna Visconde de Inbama, com egua e com-
modos para familia; as chaves no andar terreo-
Pentes a Btndeg, em prata, tartaroga e
mrssa; continuam a vender Pedro Antunes &
C., ra Duque de Caxias n. 63. ^^^^^^
Nova rcmessa de porcos rebeldes : rece-
beram Pe ro Antones r C, ra Duque de Ca
xias n. 63.
fferece se urna senhora para leccionar
primeiras letras e algum trabalhode agulha, em
collegio ou casa particular, deixando carta fe-
chsda gesta typographia, com as iniciaes T. M
Vende-se urna casa terrea com duas janel-
las e urna porta de frente, e juntamente um
terreno ao lado, na ra da A ni i zade n. 43 (Cu-
punga) ; traa sa pameama casa.___________
Boa acquisi^ao
Vende se a loja d miudezas ra Duque de
Caxias n. 97 ; a tratar
93 e 95.
na mesma ra nmeros
Kiosque
Vende-seo grande afamado kiosque bem afre-
euezado, confronte a escola Modelo, o motivo
dir-ie ha ao comprador, faz se toda concesso ;
a tratar com Silva Azevedo <* C, ra Mrquez
do Herval n. 73. ____________
Sitio dentro da cidade
Aluga se o grande sitio da ra Imperial n.
150, tem grande cara de vivencia cm dependen
cus, agua e banheiro fructeiras e hortalicas.
todo murado e com dous portees, com cocheira,
planta de capim e um bom viveiro ; a tratar na
ra Duque de Caxias n. 77.
Cosinheira
Precisase de urna cosinheira para casa de
pequea familia ; na ra Duque de Caxias l. 86,
terceiro andar.
Ao commercu
0 abaixo assignado, uni:o responsavel pela
firma de Bernardino da Costa Mata & C, com
loja de calcados ra do Livramento n. 19, de
clara que nada deve nesta praca nem em outra
qualquer ; quem se julgar credor aprsente se
no praso de oito dias. O mesmo pede a todos
os seus devedores para mandar saldar seus d-
bitos at o dia 25 do corrente.
Recife, 9 de Janeiro de 1890.
_______________Bernardino da Costa Maia.
Cosinheira
Precisase de urna ama para coainhar;
no 3. andar do predio n. 42 da ra Du-
que de Caxias, por. cima da typographia
do Diario.
\o publico
Antonio Fernaodes Velloso da Silveira parte-
cipa ao reepeavel publico que desta data em
diante (lea sem e/frito a procuraco bastante
que passou ao seu filho Alfredo Velloso da Sil-
veira no cartorio do escrivo Herculano Guima-
res, nesta villa de Gamelleira.
Gamelleira, 15 de Janeiro de 1890.
Antonio Fernandes Velloso da Silveira.
A's crianzas
nteressantes nonecas em lodosos timanho9,_
e muitos outros brin quedos, aos cuidados da boa
mami e do papai, na Nova Esperanca, ra
Duque de Caxias n. 63
A electricidade progride!
Novas e.covas elctricas para de. tes, preco
14000 ; collares para facilitar a denticao, mita
grosas medalbas e pulseiras para evitar qual
quer incommodo nervoso ; vendem Pedro Antu-
nes & C, ra Duque de Caxias n. 63.
Ama
Precisa se de urna senhora para o servico de
urna casa de famifia. que durma em casa ; a
tratar na ra Duque de Caxias n. 79, loja.
Ama
Frecisa se de urna ama para andar com me-
ninos e Uvar alguma roupa ; na eslaco da Ja-
queira se indicai o sitio.___________________
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba cosinhrr
bem ; a tratar na ra das Crioulas n. 14, Ca-
punga ________
Alug-a-se
o magnifico sitio com boa casa, na estrada de
Joo de Barros n. 28, tendo multas fructeiras,
um grande jardim e n sitos canteiros para ver-
duras, e por ser perto da el dad e e pastando na
porta trem e banda, cuiem quizar dirija-se a
trata? na ra do Commercio n. 26-A.
Caixeiro
Precisa se de um rapaz, com praea do fazen-
das, que queira imprecarse fra da cidade : a
tratar rua_Duque de Caxias n. 52.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar; na
roa dos Gnararapes n. 88.__________________
Amas
Precisa se de urna boa engommadeira e de
urna cosinheira que faca compras ; a tratar na
ra do Hospicio h. 40.____________________
Ama de cosinha
Precisa-se de urna, que desempenhe bem este
fervico ; a tratar no caes 22 di Novembro n. 2i
armazem._______________________________
Ama de leite
Precisa se de urna, a tratar na ra da Impe
ralriz h. 11.
Ama deleite
Precisa-se com urgencia, de urna que queira
ir para o Rio de Janeiro com urna familia. Ra
da Imperairiz n. 32, 1" andar________________
Caixeiro
Precisase de um de 12 a 14 annos, na ra do
Lima n. 68, Santa Amaro._________________-
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira para casa de
pouca familia, a tratar na ra do Visconde de
Goyanna n. 4.
Cimento
A 5^800 a barrica vendem Fonseca Irmaos.
Harpa
Compra se urna harpa com movimento e cm
bom estadi ; na ra Nova n. 13.
ATK1NS0N
PERFUMARA INGLEZA
Excede todas u outras pelo sea
perfume exquisito.
Agua afamada do
LAYAHDA IHGLEZA de ATKIHSON
e outros muitos conbecidos perfumas
pela sus quajidade e odor deleitare!
exquisito.
Pasta Oriental.-. Dentes Atkinsoc
sem riTal p?ra alrejar e embelecer of
dentes e preserrar as gengTaa.
EnoQ*tra-$6 vn Caa de todo* os tltgo-
eianes e Fabrlcantta
4. E. ATKINSON
84, Od Bond Street, Londres
J_at__.de Fabrica Um ito*abranca"
obra nma Lyra daOoro "
aora -Dderoco na totalidad*.
Feitor
Precisa se de um feitor para tratar de um pe-
queo sitio ; a tratar na ra Direita 8.22, refi-
nacSo. ^^____
Aluga-se
o 3- andar do predio n. 52 ra do Imp?rador,
asseiado, agua, muito fresco e linda vista; a
trat- r no 1- andar n. 22, ra larga do Rosario.
Mano, i de Pontea (ornea
2- annivereario
Jos dos Santos Horeira e Antonio Goncalves
dds Santos, grates memoria da seu sempre
chorado primo e amigo, Manoel de Fontes Go
mes, maodam rezar urna missa por sua alma,
quinta-feira 23 do corrente, s 5 horas da ma
nh, na igreja de S. do Terco, e convidam
aos prenles c amigos para assistirem a esse
acto de caridade e religiao. Desde j antecipam
seus iigradecimeotos.
t
Orele ala Coala Bego Mouleiro
30 dias de seu passameoto
Jos da Costa Reg Monteiro ma da celebrar
nma missa no dia 24 do corretite mpz s 8 ho
ras da raanha, na mariz da villa de Gamelleira,
por alma de seu irmao e amigo, Orestes da Costa
Reg Monteiro, 30 dias do seu fallecimento. e
para este acto convida aos seus p: rentes e ami-
gos e aos.do lnado.
5-
Antonia Navaei re reir da Silva
Antonio Augusto Pereira da Silva, seus filhos
e sua sogra Rosa de Lima Novaes agradecer de
coraefio as pessoas que se dignaram levar
ultima morada os restos mortaes de sua. esposa,
mai e Alna, e de novo pedem o caridoso obse
quio de assistirem as missas que mandam cele-
brar na igreja da Ordem 3' de s. Francisco no
dia 25 do corrente pelas 8 horas da manha, 7
dia de eeu fallecimento. _________
Pl LULAS
Criados
Na ra Formosa n. -8, precisatse de um copei-
ro edeum meoint fiel par vender ;om tabo-
leiro.
Para o tratamtnto i prtmpta cura iai
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias do figado,
dispepsia, indisestSes, clicas,
nauseas, diarrhea, prisSo do
ventre, sita de appetite, lncom-
modos depois da comida, enxa-
quecas e dores de cabeca ebroni-
cas, rheumatismo e nevralglas,
molestias da pelle, molestias pe-
ridicas das senhoras, e, alm
des tas, multas outras enfarmidadesque se
classinco debaixo de uma l_fl_Ld-de de
nomes, todas porm, oriundas da mesma
causa,a saber;
Desarranjos doa orfrfios de di-
gest&o e asslmilacao,
donde provm a impureza e o enfraqueci-
mento do sangne, com a debllidade e con-
gesto de todos os orgaos vitaes do sys-
tema.
Procurem-se
AS PILULAS CATHARTICAS DE AYER,
PREPARADAS PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est.-Unidor.
_>__poaixu _aa__
A\7SO
Livrameato & C, muda-
ram o seu escri]L>t:>To para
o Forte do Matto n. 3, en-
trada pelo caes.
Casa
Precisa se comprar una pequea casa, a tra-
tar na ra da Unio n. 5'i.
AlimentoiCriangas
Para remediar a fraqueza das,crlaiicas, desenvolver
as sitas forras e prestrval-os -ios S/oeneas Ha idade
tenra, os prlncpac3 Mdicos de Pars, membros
da Academia de Medicina de Pars, recuitao com
ptimo xito o vcrddelro
R_ca_o _t tu ____ i DbI _ugrfininrT < Parle
Este agrudavol ali rocnto.compsto com siicstancia
vegetacsnutriti^'asefortali'cedora-s di vicie-sena eco-
aoniia tuda, e, pekis suas propriodades analpticas,
aiellioraa composli^o do leitc das senhoras ijue ama'
menlao, e acorda as torcas lnguidas do estomago
51, n_ TiTicne, Pars. Depositas bis PhuBtciu do Iludo enteiro.
A's boas almas
Uma senbora, rujo marido endoudeceu, e que
tem quatro pequeos lbinhos a seu cargo, re-
curre s bous almas para que a soccorram.
E' pauprrima e nao tem pao para dar aos
seus innocentes lhos.
Pede, pelo amor de Dcus. que lhe valbam
pois o seu estado 6 cruel, e ella nao tem forcas
para trabalbar.
Quem quizer soccorrel-a, mande suas esmo
us ra do Alecrim n. -".
Fabrica de
PRODUCTOS EN0L0GIC0S
de ULYSSE ROY, em Poitiers (Franca)
EmilePROUST, Sucr- & Genro
Compra-He urna casa
terrea ou assobradada, de Z
a 5 quartos, com quintal,
na freguezia de Santo An-
tonio: a tratar naiuaNova
p T5. loia.
Tr-alameiio radical em 6 das
DAS
BLENOHRHAGIAS AGUDAS
GHROICAS
(VULGO PURGAR O)
DO HOME OU l>A MUL-flECH
E da leucorrha ou flores brancas
Pilulas Resino Balsmicas
E
injeeeo Aui-Blonorrhagca
PREPARADOS POR CALASANS & C.
PRODUCTOS APPBOVAD08 PELA
INSPECTORA geral de htgdsne
Uma serie de brilhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bom xito
durante dez annos, as6ignala a estes dORl
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens proscriptas, o primeiro lugar entre os
medicamentos estudados e preconisados
para curar estas terriveis molestias.
As pilulas sao supportadas pelo estoma-
go o mais delicado, pois que ellas nao im-
pedem nem difficultam as funegoes deste
orgSo.
A injecgSo anti-blenorrhagica n_o ab-
solutamente irritante e por isso n_o tem o
inconveniente das actualmente empregadaa
e nao produz estreitamentos.
N_o publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agradecimentos que te-
mos recebido para n_o offender aos nossoa
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mul-
to conLecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular excellente preservativo contra aa
molestias secretas.
Modifica e faz desapparecer o mao ebeiro
das regras.
Preparados por Calasans & C, Phar.
macia Imperial, Bahia.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C, ra
Mrquez de Olinda n. 23.
especficos "
DO CFJ_BRE
Dr. Humphreys de Nova York,
Pm oso mate de 90 nir.os. A-ornlos. Bogaros, ef(l-
c_u o baratis. A venda as Drogara* e Par-
IMHlnflT prlnclpaes c rn^is amatitlas ilu jlurdo.
So. CUBA
I. Fpbrw>, CcnRCPtao, InflMimitJeB............
-'. Kcbrc e Colicaoiu._J,_ por 1 jimbrisos....
3. Clica, Choro 0 Icsomnle 'as Crianzas. .....
4. niarrheadeOriaiiase Adultos...
200r.
. Perfume enantico dos Vinhos ou sobra
da Medoc................ <- <--i' -..-.-
. Rancio u Essencia :t Cog.iao. os 100 francos 500 b.
. Perfumesrarp.t^doso.>I_corce; 100 frascos 300 r.
_ Es8enciadeRhumnutlrfT;.f.a, es 100in-oos 600f_
Em Pernmbuco t&%" & da SIVA4C*.
Al ugue- barato
Ra da Roda ns. 68 e 60.
Largo do Mercado loja d. 17.
Becco do Campello n. 1, Io. andar!
Loja do sobrado do becco do Calobonco n. t
Ra do Nogueira n. 13.
ViscoiifJe Goyanna n. 163 com agua e gaz.
Travessa do armo, loja n. 10.
Becco do Tarabi o. 21.
A tratar ra de Commercio n. 5, i anda
escriptorio de Silva Gnimar_e3 C.
MARAVILHA CURATIVA
DO CELEBRE
Dr. Humphr_ys de Nova York.
A Verdadeirr. Maravha do Seclo.
APPEOVADA E LICEHC1ADA
yela iDSpectoria Geral de Hygiene do
Imperio d Brazil.
A Maravilba Cnratlra remedio prometo
para as Pisaduras, Hachuuaduras, Contusoes, Tor-
ceduras. Cortaduras, ou LaceraoSes, AUlTla a dor,
estanca o sangue, faz parar a ___m__cfto. redus
* lnchacao, tira o deseoraineuto, e faz sarar a f erkla
como por encanto.
A llaravilhR Curativa e allivio promptoe
cura rpida para yuehuadnras, EBcaldaduraa, e
Quelmadura do Sol, e superior a qualquer outra
remedio.
A Maravillm Curativa e lmpagavel para
todas u HenjoiTDagUs, sela do Nariz, das Genglvas,
_oe Pulmoes. do (omsgo, ou _M_____H|__s ou
Almorreimascura sempre e nunca f alba.
A HaraTHkn Carativaiimaluvloprompto
para Dr de -entes, de Ouvidos, da Face. lnoh_jao
da Face e Xemgla.
A Maravllha Corativa 6 orecurso prompto
e precioso para D6res rheumatlcas, Aleljao, Dor e
P.j&ldez as Juntas ou Pernos.
A Mai-vilha Curativa oCTarideremedio
na Esquinencia, Angina, AmygUulas inebaduoo
____sempre seguro, sempre efflcaz.
- A Maravlluii como inleccao para o Catarro, a I_uccrrnea ou as
Flores Brancas, o outros corrimentos debilitantes.
A Maro-vllha Curativa 6 lmpagavel para
curar Ulceras, Chagas antigs, Apost-mas, Panaii-
cios. Callos. Frieiraa, Juanete e Tmuorea
A Karavilba Ciirativa 6 remedio prompto
para 1>Urrhra simples, e de D_rr_sac_rMoa-
A Maravllha Curativa excellenttnas
Estrebartas e Cavalb_ies, pium TonwdMraa, Drea,
Pisad urase Esfoladnras, Contusoes. Laceracoes, se.
Especialidades do Dr. E__tp_re7s.
Bemedln Eapeeifieoa,
TJn-iiento MaravilbosMH
Kemedios Syphililioos,
K cmedios Veterinarioe.
O KaDual do Dr. Humpbrevs 144 paginas sobre s
Enfermldadw c modo de cural-as se di graos, i>ede-
se ao seu boUoario ou i
IIIMPHBEY' MBDICINE CO..
10 Faltos Street, NEW YORK.
nico deposito para vendas em
grosso na imperial drogara da F.
Manoel da Silva & C. ra Mr-
quez de Olir.da n. 23.
Attengao
Vende-se farello do Rio da Prata, com 41 ki-
los, a 2*400; na ra MarquezdjHeryaln. 73.
Costiireira
Na 'roa Sete de Set.mbro n. 6, precisa-se de
nma costureira que saiba cortar e enfeitar ves-
tidos com perfeico.
Boa aequ_s_te
Aluga-se para estabelecimento a loja n. 16,
sita roa estreita do Rosario, opflmo ponto para
negocio ; a tratar na roa larga do Rosario nu-
mero 30.
S. Dor de |*MH e <'-! Cara, o HtoUt
f. lior -aCabeca, E_0_wno, yc-tigciu.....
!0. I>iepein, Iict'.:;- -i ::>, PrKIo de V entre.....
11. Supiueeso da Kc3r_. _a_aouDcmn-
r,i'.la............................ -.........._....
12. Le-corr-ea. r !<>"? ra-ucas, P.ctrr imiusn
18. C:roup,*osseRonca.DUflciiOadedo Kespuar
14. Herpes,J!r_pcO_ r.vslpeiR..................
!f.. Ubenuir.timce, Dores .climticas..........
l. Sezie-:, Mwefta P"cbre litlermutente.........
!T. iJejiiorrliiila?, ,,;i.-releas, iutei-ansou
exu-nia-s6:c!e o:i aasrnaa .......
16. Opbthaln::.-!, oluos fracm i j. IrniainmadOB.
19. f'alarro, cgc(!o nn eirouico, Deuuxo........
Sa !M;neincl,e, Vo_ as^iodia.............
21. Asma.: ^m-ladtflhnl i..................
22. Kuppuri.v'-o!s,Siu-dez ...........
23. Escroln'.RS, Inc_v_B8 c pcelas.............
24. l>ebiii i Pedra
"a~B_ga..r............'...............v*-;"
28. Impotencia, Ddlfudade norvosa. seminal..
29. Cb_iUiuhaM_aloo(:,oaAp;hB..........
W. Incnntiucncia de Cui-ua.Ourlnar-scn.i
0ma......................................
ti. 3lenstr-aciiO(."ior i. 1 olestins do Corntfiio, Palpllacej etc.
83. t <>rlemifa. liiil eudliJo, ottacornU iMc ')
B.Vlto.......................................
31. Diphtberia, 5ial maUg-Ode Osreaula......
1S. CoB-eatBe-i O-ToBlcms, DordeCalieoa....
- OM_u_ldo nr.numnhrcys, 111 pasfnas obro
as Enfcrmidauese o modo do curu-as, to _i srutis,
ped-se ao seu boticario ou
HCMPHKEY-' 3IE0ICISE CO.,
109 Fultoa Street, NEW VOEK.
nico deposit o para vendas em
grosso na imperial droga ria de F.
Manoel da Silva & C, ra Mr-
quez de Olinda n. 2 3
Licor depurativo vegetal iodado
do medico <|uintella
Este notabilissimo depurante que vem
precedido de tao grande fama nfallivel na
cura de todas as doenc^s syphiliticaa, es-
crofuloaas, rheumaticas e de pelle, come
tumores, ulceras, dores rheumaticas, 08-
teocopas e nevralgicas, blenorragias agu-
das e chronicas, cancros syphiliticos, in-
flamagoes viceraes, d'olhos, -ouvidos, gar-
gantas, intestinos, etc., e em todas ai
molestias de pelle, simples on diatheriC-S,
assim como na alopecia ou queda do ca-
bello, e as doencas determinadas por sa-
turacSo mercurial.
Dao-se gratis folhetos onde se encon-
tram numerosas experiencias feitas coas
este especifico nos hospitaes pblicos e
muitos attestados de mdicos e documen-
tos particulares.
Faz-se descont em caBa de
FARIA SOBRINHO & C.
Ra Mrquez de Olinda n. ti
A's maes de familias
QUERIS VOS80S FILHOS SEU---: SADIOS,"
Administrae-lhes o xarope ou as
Plalas Vermipurgalivas
DO DR. CALASANS
ptimas preparares de mastruz
e rhuibarbo, para a expulsao completa, sen
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
(das ceeajcas e dos adultos)
SEIS ANNOS DE SCCESSO
Estas cxcellentes preparares nao ne
cessitam de purgativos como auxiliare!
visto seren purgativas por si mesmas.
As pessoas que tm : iva Bentem oe-
cas, tem constantemente u : '..s, india
posicSo, ensaco de corpos i_e se moven
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s ve_es, vmitos. Rangem os dentes, quaa-
do dormem, algumaa e pessoas expellen
vermes com as fezes ou eom as material
dea vmitos. As enancas apresetam ai
pupillas dilatadas e napetencia.
As pilulas levam impresso o nome do
DR. CALASANS e sSo c5- de rosa.
1 caria de pilulas 1<$2_C
1 vidro de varope 1<526C
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS

'

V
!
i:

i



-
.


I
!
; i "'
.

-
>
t


i

I
!T

li
Para&mbueo Qakrta^leira 23 de Janeiro de T990
1
1A--RUA DO. CABUG-.-l A
Klacime KtWet previne ac Exni. Sras. e ao respeilavel jm-
bIio, que re^ ebni um- uovw e ndo sorfeMuento de vestidos borda
dos de la, algo Nova reine?-nade rhapos e^toapeiiaN e amitos outros artigos pro-
prios para presentes.
OFFICIM i DE COSTURA
Fazem-s^ vestidos LUTO EM M HORAS -
C*&mfc-eTO'
Na traveasa de Jo&o de Barros (Soled a de) p re-
ga-se de um cosinheiro ou co3inheira.
Criada
Precisa-ge de um. criada para o servigo de
casa ; a tratar no caes 82 de Novembro n. 24,
armazem.
Alugam se a casas n. && ra da Unio e n
4 na Conde da Boa-Vista; a tratar com o
Srs. Negreiroa, paca da Independencia.
Precra-se- de-um copeiro
d n. U.
Gopeiro
na rna do Paysan -
BRONZE
Cautelas do Monte de Soc
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc-
corro de qualquer joia, briUmntes > relo-
gios, pagase bem .na roa do Cabtrg n.
14. a. Loja de relojoeiro.
Complet > sortiraer.to de chapeos, capotas e gorros de fantasa em todas a>
q i idudesi
Fitas, reudas n bicc de seda e algodSo de todas as cSres.
Flores, plumas, pasearos, algrttes C bf|*Ttftei**e9 par3 enfeites.
Olipoe J. Toiirj e castor, os oais modernos, para hornensc niccinos.
Recebe p arolda tegocio.
Raphael Das & C
2 Ba do Baro da Victoria 2
das Tres Porte
jptott ao loutbk
Zephyr de ramagem a 500 rs. o corado, i Fich de 18 a 1)9500 um.
Merinos de duas larguras a 440 rs. o dito. I Renda hespanhola, a 20000 o corado
se i
-ff
I
1 j^taBSggj;
ADMINISTRACO :
rURK, 8, Bonlavard HoirUnurre, Pft.RJBj
PASTiLHAS d;c ..-"i iiera
Vtcilfr' c. '. '
ilo goSln ai?:: davcl i a i <-' Coi i i ;-
,-.. <. .- i/flceH.
SAES C: YIGH'i r-ARfl fi".:.iiOS. UmrolopMaum Dante, V-: : : i n:.lr -
Para evitar r*t:ace exiuir em foJcs o-, prouctot a
MARCA DA OO-lVT.5. DE VICHY
Fn: Pernorr.huco. os Productos *-.ih ar-tiio-to em caas de SULZER A KOECHLiN,
.". riM '" Crol : AU3. l_Arll_t-S.
THES0UR0 DAS MAIS VETF2.I3ADEIROS
COLLARES ROTEB
Mi
Drie* "Collarts aaedymos de deuiitao" coatra a*.
CONVU1.SES
I PAU riCIUTAB A DEHty IAS CftMIpU
"Os COLLARES ROYER.conliecidos hamaU
'te 28 amos, sao os nicos que presento
ire.ilmontt' as creaofas das CClVULSES
Iajudando ao nie*mo lempo a oUintipao.
Para OTitar e. Fnlaifica^o>9 e as lmlia^de'^ fsija-se -;''- tfaAl
,._ cactn/ia tenlia a marea da fabrica m-iratm e o verdadeiro nom*
?Mll)tNCUHuCfiUNjJASROyER,Pharmaceutico,225..ruaSain-aiartia.em PARS



-.'
j f Gnste! Tslti-Csii*. LE BROS, (miara itsee iptt aia&
DDoaitwios em fintarntom : tXA-' 4*. il>. feiZ.A OT.

Etamine lisos a 500 rs. o dito
Setim do Ja pao a 240 rs o dito.
Crep de 12 para vestido a 240 rs. o
dito.
Chachemiree de listra, duas larguras, de
20000 por 10200 o dito.
Gertinados bordados a 60000 o par.
Ritos cortes de zephyr bordados a 14)5000.
Setins de todas aa cores a 800 rs. o co-
vado.
Esguiao pardo a 360 e 400 re. o dito.
'asacos de Jersey a 6!0C0 um.
Fianella branca, toda 13, a 4'. 0 rs. ; ba-
rato.
Seda palhi a 1)5000 o corado.
Cortinado de crochet para janella a 70000.
Cortes brancos bordados a 180000, o que
ha de lindo.
Sabida de baile a 10000 e 10500.
Sargelins, a 20C rs.. o covado.
Guarnicao de crochet a 70000 urna.
Camisas de flanella a 20500, 30500 e
50000 urna.
Crep para coberta a 600 rs. o covado.
Madapolao americano a 60000 e 70000 &
pop*.
Cheviot preto a 20500 o covado.
Atoalhado de cor a 10500 o dito.
Panno da Costa a 10000 e 10200 o dito.
Bramante de linho a J 0600 o metro.
Toalbas para banho a 10.M)O e 10800
Espartilhos finos com um toque, de 120
por 50000.
Pecas de esguiao de algodao a 30500.
Camisas alternaos a 360000 a duiia.
Flanella ingleza azul para palitot a 40500
o covado.
Atoalhado bordado a 10200 metros.
Fustao branco a 360 rs. o covado.
Lindos cortes de metins a 80000.
Capailas e veo para noiva a 70000, 80000
100000 e 120000.
Cortes de fustao para collete.
Cortes de seda para collete.
Cretones claros e escuros a 240, 280, 320
e 360 rs. o covado.
Cambraia branca bordada a 40000, 50000
e 60000 v peca.
Cambraia cora aaipicos de cMaa40000 a
peca.
Alpacas lavradas a 500 rs. o covado.
La Amazonas a 400 rs. o dito.
encof com ba-ra n 1^200 a drzia.
;.;nt:-,iH. Viotoria Zephyr de bsra, o que ki o uiais uno,
400 rs. o covado,
Reeda da Airstria a 200 rs. o dito.
Setineta bi-aoca e de cor.
Brim p-'.rdo a 80, 400 e 500 rs. o covado.
Alpaca preta a 300 rs. o dit".
Velljutiaa^awa a 700 rs. o dita.
BE
CARDUZO IRMAO
Roa do Baro do Triurapho ns. 100, 102 e 104
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Ten para Tender o seguate:
VAPORES do diversos fabricantes para fogo directpara o ou fogo de assoa'
.amento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'ag.
RODAS de espora e angulares.
CRIVACES de differentes tamanhos.
TALXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
xias as ferragens precisas para a agricultura desta provincia
ENCARREGAM SE de qualquer concert e mandam buscar por encommeE
a, mediante ajuste previo ou urna mdica commissao qualquer machinismo.
MACHINAS de descarocar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAM fomecimento de apparelhos para usinas, garantindo a bit
a-idade e bom traba'ho do3 mesmos, o que podem provar com o hom resultadr.
qiide-com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.


-

> -.
NA L"J DE FAZENDAS
2.--EHJA DO CRSSPO 21
rsravxJkXJ^s
Fitas de todas cores e larguras
Bordados e entremeios.
Bjleias forradas a 500 rs.
i'uixas com perfumarias.
Porta dedal a 600 rs. um.
Plastrn de cores a 10500.
duzia.
Extractos de diversos fabricantes.
Bicos lisos e matisados.
Baleias pretas a 240 rs. a duzia
Ralendarios com perfumarias.
Luvas de seda a 20000 e 20500.
Cegatas de cores a 20000.
ESFECIALSBAJ
Gnana p para senhora 100000. I Paljtote de esguiao pardo a 40500 um.
Guarda-p para horneas 60000. I Ju!itot de aipitoa pi:cu a 450.
Palitot8 de seda palha a 80000.- | Palitots de alpaca de cor a 40500,
Roupat paro, banku Sedeados
Roupa para homens a 80000. I ro upas para senhora a 100000.
Ditas para meninoB a50OOO. | Boleas para o mesmo fim
GASA DE CONFIANZA
20Ra l.deMar^o20
AMAMAL & C.
lUNDIflAO DE SINOS B' BRONZJ
BE
LlSZ DA MZ MESIA .
-ra do Bro doTriumphoi?8
em para vender o seguirte:
Machinas de cobre para fazer espirito de deetilkr e reetiliax.
Alambiques de cobre do ant'go e novo systema com esqnazfo gaiapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapueas de cobre.
1'!:.lias, taixos caldciras ele cobre.
Bombas de todas as qualidades de repudios, aspirantes e oorvmui.
Tornearas de bronze e madeira de todos os tamanhos.
f ssfflfc de cobre, de chombo e de ferro.
Repartideira8,pa83edei)i:s a eBaumodeiraa de cobre e de ferr eBtanhado
Cobre em lencol e arruciau
Sof ingleza e do Rio.
Cadinhos patente de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 ascofcas.
E muitoB outros objectos.
ENCARREGAM-SE le qualquer concert e obras de wicraanfffldo, garan-
tido re-tM, fcerfeisSo ep-e^oa medico^.nara o e babslitac^i
ViAE a o raso ou dinheiro com descont.
MC,
CAPSULAS THEVEN0T
**tfC0t
Enfennidades nervosas de qualquer natureaa
Aitipyrtaa.
Bromursto de Camptwra.
Bromursto de Potassio.
Eier. Etherolo de Valeriana.
Apil (Amenagogo, regulador do sangue).
Sulfato de Quinina. ____
EMCHEIRONEM SABOR
AteMftKlO
para
ViNHO
- i'cfMerer
o organismo
-ruinado e dseeKar
Anemla.Chloposis, Pobreza
'* Sangue, Fluxo Branco, Debi-
iilode, Amenorrhea, Molestias do
Figadot etc. "
PARS, Bonlevard de Strastourg, 50
e em todas as pharma;ias.
Tnico FeDrifugo Regenerador
QUINA 000A
Extraut* i Caree
Hypophotphito
J0HANNO
+
A YAPOK
---------------------------
FABRICA DE LIVROS DE ESCRIPTURACAO
INSAQBRNA^AO + MMTAQAO
*-
fflANOEL J. DE BRANDA
- 39 RA DUQUE *- DE CAXI AS 39 #
NUMERO TELEPHONICO 194

Depo^Uuio B PEBKMMBOCO :
[. da iva *.
Xarope e Pasta de Berth
UM
Pharmaciutieo, Z^aartado paloa Bompita d Parim.
O Xarope e a Pasta Berth de Codeinapura, possuem umaefficacia incontestavel
nos casos de Defluxos, Bronohltea, Catarro, Asma, Molestias da Gar-
ganta, Insomnias, Tosse nervosa e exbaustante das Molestias do Pelto e
para acalmar a Irritacoes de qualquer natureza. Aa pessoas que usam do
Xarope ou da Pasta Berth experimentao um somne calmo e reparador que
nunca seguido de pezo na cabeca, perda de appetite, nem deconstipacao.
as receaa especiflque-se bem Xarope ou Paita Berth e como garanta exja-
se a ?asignatura Berth e o SUo Azul do Estado Francs.
Par gasa CLIN k Ve por intermedio de qualquer phartoacia^
VmHO MAKUkm
ae. con*, go per
O Tnrae aejUUAiex itj m r..ti*njti3ut A HueuniM- CMrtBBieOie com xito pa oombatec a Anotar
nttrr**l*K *+. *tfitUa* *ma Ttu asmptaamutee a
4*io 09 e*s*o veeeJ.
.nimeniniipiniiiin t-~---------^|--r.f.. 1.....-^... ^..
aa t .- '
inaiTprTrTr~nr vm mmihi.T.aCTrJsaA
Ka mmmiunmcn i as..** ns.wa.. *y
Camisas francezas, punhos, colla: inhos
de linho.
Fichus de 13, e 13 e seda, de 10006 a
60000 um.
Lencos brancos de algodao, linho, borra
de seda e seda pura, brancos e de corei.
Gravatas e mantas, sortimento com-
pleto.
Leques de papel muito lindos, 320 rs.
um.
Eapartilhos para senhoras e meninas,
todas as qualidades e precos.
Lencos chinezes, de seda, para rap.
Collarinhos de linho para homem a
10000 a duzia.
FustSo branco lavrado e com flores s
Linho pardo para vestido, escuro e ca-1400, 500 e 10000.
ro, de 360 e 440 rs. o covado. Peitinhos de vidrilho a 10000 um. 1
Zephirs finos para vestido, ramagem Capas, visites e romeiras, de cachemi-
Merin francez, urna largura, todas as
cores, 13 pura, 280 rs., o covado.
Dito, duas largurrs, cor azul, a 400 rs.
o covado.
L3s diversas com listras e quadros de
seda a 400 rs. o covado; fazenda de
800 rs.
Merino de cor, duas larguras, com lis-
tras, fasenda de 20000, a 800 rs. o covado.
Etamines arrendados, lavrados e de lis-
tras, fazenda de muita phantasia, a 400 rs.
o covado, cores lindas.
iantilhas hespanholas, cremes e pretas,
30000 urna.
Brim de linho, pedroes mimosos para
crianca8, a 600 rs. o covado.


:-



>--.
grande, a 500 rs. o cov. do.
i ras, gorgor3o a vidrilhos, todos os precos.
L3 adamascadas com salpicos de seda Bramantes de linho e algodSo
a 500 rs. o covado. Toalhas adamascadas para mesa 200t
Sedaai lavradas, de listras e de quadros, urna.
a 10000 o covado.
Chitas, sortimento completo, de 200,
240, 280 e 320 rs. o covado.
Crotones francezes verdadeiros, a 320,
360 e 400 rs. covado.
Cachemiras lisas para vestidos a 200 rs.
o covado.
Meias brancas cruas e de cores para
homens, senhoras e criancas, todos os pre-
GuardanapoB de linho e algodao, de
30000, 40000, 50000 e 60000 a duzia.
Setim Macci, todas as cores.
Surah de todas as cores, seda pura.
Merino preto, 13 pura, de 640, .808,
10OCO e 10500 o covado; baratissimo.
Brotanha de linho 27 varas por 120CO9.
Modopol3o algodao grande variodade ei
precos..
Cortes de casineta, cores fixas, a 10000.

eos.
E muitos outros artigos que vendemos por qualquer prego.
Na RA DO CRESPO N. 21 LOJA DE
OLIVElfU CAMPOS & C.
-
<





'- \t__ W9>%
^laciiiJias a \...a
W~ Moafidas,
cl'aga

Faixas iindids e batidas.
Tahas batidas sem crava^ae
Arados
Compra-se
uma casa terrea com 3 qoartos pelo menos, eu
bom estaio e bo.i ra. no bairro aa uos Vi. 11:
onem a tivtr pdela deixar as dimensOes na ra
das Laraogeiras o. S. pflMoa de ouniyes com
tai to que estej* (leserobar;'C!.di> de qualquer by
dalhfccu.______________
Negocio de vantagem
D se o sustento c roupa a urna mvlherde
meiailade e bon3 costume?. para companbia de
urna senhora casada, a traclar na rna do Uldei-
reiro n. 7 A
Ca
h
lugar
asas para
Ns, 30, 26 e 18, aa ra Capitn Antonio de
Lima em Santo \maro das Salinas ; a tratar na
ra Marquezde Olinda n. 8, lythogrsphia.____
Pataces velhos

SAUDE PARA TODOS.
Pl LUAS-. HOLLC^^/A^
Ab Plulat purlfhab 0 Sangue, corriem todas aa Jeaordems de Estomago 9
dos.tntattlnoa,
Fertoecem a saude das constitoooes delicadas, sfto d.'un> valor iacrivel para todas as eofermidedeo
peculiar ao sexo fenmano em todas as edades. Para es meninos assim como tamfcm para as
pessoas de idade avancada a sua eflicauia e incontestaveL

Tn^dcamet^pprovado pela aob-
demia de Medicina de Pariz, o
verdadeiro purgante das senhoras, .das
criancas e das pessoas de constituicao den-
cada. Com um vidro de P de Rog, fcil a
levar comsigo por toda parte, pode-se preparar
na ocoasiao necessaria, urna limonada de
costo agradavel e muito refrigerante.
0 P6 de Rog conserva-se infinitamente sem
sealterar. __, __
Emprega-se'o, deltando o contedo do
vidro em mela garrafa d'agua, deixando em
contacto durante urna hora, eu melhor da
nolte para o dia; rolhar a garrafa se dese.ar-se
ter urna limonada gazosa.
Fabricae venda por atacado: CasaL. Frere.
roa Jaoob, 19, Pariz. A varejo, em quasl
(odas as pharmacias de todos os paizes^______
Compra-fe na ra do Cabug n. 14, relojoa-
ria David. _________________^^_________,
j2T* Attendite et vi-
dete!
Jos Samuel Botelho participa ao respeitTe
publico que encarrega-; e de fabricar bouquets e
- bolos para casamento, baptisado ou outro qual-
; quer acto, assim como fabrica capellas mortua-
uas de perpetuas ; a tratar na ra Nova n. 48,
i 2 andar, eruadaCadeia do Recifc n. 43, loja
1 de selleiro.
VERMIFUGE COLMET
CHOCOLATE com SANTONINA
IFiLLITEL ra destruir U L0MBRI6S .
lo. Vermlfago raannsiidulo pela f,/l
seisirpiTleeiaerT}UiliieiiiU. Tff.
Exigir i auignatura : (J
Pars. 26, ra da Temple e as principan rUraHto \


-


'
.
,





-
'

V: .'

Noivos
IrTO
__,_iiiMi >lo r*-uaaaa semeole no Esubelccimento de IVofecor Hollowxf,
, BW OXIOBjO STBKSX (ante*, fias, OerJord Birtet), L0Ulffi8,
E aidein em todas as pharmacia do universo.
maridados rerpehesamente a -craminsr ot rtulos de cada cauta e Pote M n*o'
direegao, 533. Oxford Street, sso-feUilicaoei.
CozinlvBJra
Prcetsa se de ua a fea corfnhei'ra para fami
lia que esta temporurian vn

{ral i no esc ipUirio da-eoapBnhIa de bonds
Cosinheiro
Pcecisa se de um eosinh ; a ou rosiobeira ;
ra o Piogreseo n. 1.
0 Baiar do Recife. ra arquez de Oliada
n. H, receben grandes e bonitos espelbos para
ornamentos de salas de noivados, a preco sm
competencia ; no Bazar do Recife de Domingos
M. Martin?.
2/ andar para aiugar
Aloga-e o sesondi) andar ,do preio
n. 4 da ra do Vigario Thenorio a tra-
ctar no pavimento terreo do mesmo,

y ilflji


i#i&ti-* m



<
.
*
UiriT
er

co--Qu!na-feira 23 ^0ABB4
ViqUi.ii TIMBf ffHT
*
Approvado pslt. Ilustrada anU d
Hvgitne Pnbllsa la Corte.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSI9O
de
Firmino Candido de Fie
Empregado com a maior eflicacia no
rkeumatismo de qul'juer naturea,
em todas as molestias da peUe, as
Uucorrhas ou flores brancas, nos
soffrimentosoccasionadospela impureza
do sangue, e finalmente as differentes
formas da syphilis.
Dse Nos primeiros eis dias urna |
4J' colher das de ch pela manha e outra
*j< noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para colhe-
res das de sopa para os adultos e me-
tade para as criancas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhos fros ou
momos, segundo o estado da molestia.
DEPOSITO OENTBAL
Francisco Manoel da Silva &C.
Droguistas
23 Ra Mrquez de Olinda
Pernambuco
Para engenhos
Lopes & raujo, vendexn
a presos sem competencia,
garantindo a boa qualidade
os artigos abaixo mencio*
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco. ,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas..-
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixa?
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttsnd.
Graxa em bexigas.
Roa do Ligamento o. 38
Telephone 316
Yiuva Rygaard
Ccmpra-se urna casa em bom estado na cida
de dffOlinda, para residencia da viuva Rygaard.
podendo a pe?soa interessada dirigirse a ruada
Cadeia do Recife n. 43 loja de selleiro, e ah en
tender se com o Sr. Samuel Dotelho. um dos en-
carregados para essefim. _
Gaiadas e pintadas
Alaga se um armazem com um sobradinho
ra Pedro Affonsc n. 74 ; urna casa terrea ra
de Santa Thereza n. 46 ; um 2- an ar ra es-
t-eita do Rosario n. 21; urna casa terrea no
becco do Calabuuco n. 24 ; urna loja do sobra
do ra Coronel Suassuna n 66 ; a tratar no
pateo de S. Pedro n. 3 i- an lar.
VENDAS
Vende-se urna mobilia de Jacaranda em
p;rfeit) citado, constando de sof, cadeiras de
Ulanco, raslos, jarros, etageres, muitos era
veiro3, palmeiras, arvorc da fortuna, toceira
grande, tudo porque o iono vai para fra da
trra ; no Caminho Novo n. 128. Na mesma casa
oga-se um comm naa familia, dndose comida, querendo.
Vende se um bom sitio dentro da cidade
de Olinda, perlo da estacao do Varadouro, cora
coqueiros, sapotiseiros e outras arvores de fruc
tos tem urna boa cacimba que nao secca, tanque
de cimento ao p para bano, tem a frente e o
fundo murados e portes, deita os fundos para a
entrada do norte (muito frequentada) offerecen-
ao vantagens para negocio, boa casa, bem con
senada e limpa, com terrino ptimo para plan
taces; quem pretender dirija se ra da Flo-
resta, por detiaz da do Baro da Vera Cruz nu
mero z.________________________________
Vende se ulna tavern ra dos Martyrios
" 6, tem pouco capital, o motivo da venda
o dono estar doente trata se na mesma ou na
na da Palma o. 11!.
Carnaval
as listras zoes
A Grande Novidade
PARA MODISTA
HAXE)UINS AMERICANOS
Com molas para augmentar ou diminuir a
grussura do corpo.
Qualquer senhora ir agr ou gorda pode fa-
zer seus vestidos sem necessidade de
provar.
Fecha-se como qualquer chapeo de sol.
Prefo lOOQ
Mosquiteiros Americanos
Com armacao de differentes tamanhos.
a 10*000e l*OOQ
Estante para Msica
Para amadores ou profissionaes ; fechase e
rica de tamanho de urna flauta ; muito
fcil para condcelo.
______Preco SfOOO
Celluloid
Colarinhos Peitos e Punhos
Lindos modelos, muito til aos viajantes
Preco 5&OOQ um temo
j Relogios Espertadores
| om movimento, e figuras muito lindas para
mesas ou para presentes a 6)5000,80000,
100000.______________________
Oleados para Mesas
Quadrados ou de qualquer tamanho que
Ge deseje.
A 4*500 cada quadrado
Retratos a Oleo
Com lindas molduras em alto relevo, o que
ha de mais lindo para um presente e
para sala de visitas.
a i5*000 e mal* preco
Qualquer familia que desejar ter um lin-
do e perfeito retrato bastante mandar
um retrato em cartlo de visita nSo im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos olhos e do cabello para chegar um
retrato dsejado.
Para ver, e fazer encommendas
Dirija-Se T.oj da.s Lidtao Aouc
RA DUQUE DE CAXJAS N. 61
Especialidades
PASTILHAS HYGIENICAS PARA
AC ENDER O FOGO, supprimn-
do o immundo kerosene e dan-
do n'um instante nm fogo inten-"
so, a caixa core 20 pastilhae 100 rs
OLEOGRAFHIAS : Io. A importan-
te obra prima de Vctor Meirel
les: A Primeira Missa no Bra-
zil>,grande quadro histrico da
descoberta do Brazil, medindo99
X 76 centmetros de valor real de
15* pouco3 exemplares) 6000
2 SCENAS DE CORRIDAS, qua-
dros de cavallos admiravelmente
desenliados e proprios para sa-
las, 26 differentes, um 1JOO0
3* RETRATO DE SADI CARNOT,
presidente da repblica franco-
za, o melbor anda publicado 1*000
CAMISAS DE FLANELLA para bo-
mens, urna de 24 a 54000
PERFUMARAS, artigos para presentes. Quadros
e albuns para retratos. Carteiras para cigar-
ros e cbarulos. Cigarreiras e charuteiras de
mbar e espuma verdadeiros. Bengalas. Pa-
Selaria. Lencos de linbo a 4*500 a duzia.
eias. Espartilbos. Leques. Bonecae e brin-
quedos diversos. Fitas. Bordados. Luvas de
seda prpfas e de cores e outros muitos artigos
de miuiezas.
;'a?- barato ao que em outra qual-
quer parte
NA
Rainha das Flores
Rua do Baro da Victoria a. 41
O Baza- do Recife, a ra Mrquez de OMnda n.
11, recbeu grande sortimenlo de mascaras de
todas as qualidades vende-se em grandes e
pequeas quaotidad na -fainada loja de miudezas Bazar do Recift, de
Domingcs M. Marlins.
Attenc,o
Vende se um hotel muito afre ^uezado, tm
una das melhores localidades de Santo Intonio:
o motivo da venda eu dono achar se daenle e
ter de retirar-se para o sertao ; a tratar na ra
larga do Rosario n. 16.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio le
go depois das casas novas da direita, vende-!
todos os das leite puro de vaccas taurinas e '
erra, garante-se a qualidade do leite.
Azulejos
Coa lindissimas cores e desenh03 variadias*
moF, encontra se para vender um grande sorti
ment deste artigo, proprio para frentes de
casas, corredora?, cosinhas e banheiros, por
oreos sem comoetencia ; na ra Visconde de
Goyanna n. 45.
FOLHETIM
ODOMIGKE
POR
un: ;::::::
PROLOGO
A NOITE M NATAL
(Continuacito do n. 17 )
III
Nunca notou que entre essas cartas
houvesse alguma dirigida.... assim....
a urna pessoa que vossemec nao conhe-
cesse ?
Nunca.
- A menina nao escrevia a alguna man-
cebos que costumavam visitar o r. du-
que ?
Em primeiro lugar, disse vivamente
B: bet, aqui nao entra va m rapazes ; e de-
pois ...
E depois, interrompeu a criada de
quarto,"posso afEancar-Ihe, meu senhor,
que sirvo ha quatro annos menina enan-
ca a vi escrever senao s pessoas das re-
lacees de seu av.
Muito bem. E ella recebia cartas ?
Poucas vezes. Vinham quasi todas
para o Sr. duque, a quem a menina ser-
via de secretario.
Mas especialmente para ella ?
Ora !... Vinham tao poucas, que
em vale a pena fallar n'isso...
E nestes ltimos dias n&o tinha vin-
snhana carta para ella ?
Nenuama, responden a ama com
muita vivacidade.
O Sr. Diniz sorprendeu aquelle olhar,
aias fingjo nao ter dado por tal.
Tem a certeza disso ? insisto o in-
spector de polica.
Q A certeza absoluta, respondeu a ro-
chonchuda mulher comjguma certa intima-
tira. Eu bem sei o que digo.
Muito bem, Babet. Agradecido pe-
las suas nformacSes ; pde.retirar-se.
Babet aoltou um suspiro de allivio, e,
comprimentando Diniz, sahio, repetindo
com urna eerta emoySo :
Oh! senhor inspector de polica, tra-
ga-noB a nossa menina, sim ?
O Sr. Comtois ouvira com a mxima
attencSo as perguntas de seu filho e pare-
ca admirado de tanta insistencia.
Fanny esperava, olhando tranquilla e
confia lamente para o Sr. Diniz.
O inspector voltou-se para seu pai.
O porteiro que recebe toda a cor-
respondencia da casa ? perguntou elle.
E\
Faz-me o favor de conduzir at aqui
o porteiro, sem que ninguem d por isso ?
disse o Sr. Diniz criada de quarto.
Pois nSo.. replcou a bonita rapa-
riga, sahindo logo.
Que te parece ? perguntou o Sr-
Comtois.
Parece-me que Babet, por excesso
de dedicaeSo, me oceultou urna parte da
verdade.
E que mais ?
E que a menina Herminia re :ebeu
urna carta hontem ou esta manha.
. Estou convencido de que te enga-
as.
Nisto voltava Fanny, seguida do por-
teiro, um homemzarrSo de ares solemnes,
que comprmentou militarmente.
O carteiro tem-lhe entregado militas
cartas de hontem para c ? perguntou-lbe
o Sr. Diniz.
Quatro hontem e tres esta manha,
alm dos jornaes, respondeu o porteiro.
Para quem eram as cartas que vie-
ram hontem ?
Duas para o Sr. duque, urna para o
Sr. Colitis e outra para mino.
E as de hoje ?
Era urna para c Sr. duque, outr
para Rmy, o eocbc:r> e a tc-rceira para
Babe.t Leevre.
Obrigado, meu amigo; era ado
quanto quera saber.
O porteiro cortejou de novo com o mes-
mo aprumo e, rodando sobre os calcaoha-
Boyal Bleod marea VIADO
Este excellente Whisky Escoces prt
ferivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores an-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca fiado,
cujo nome e emblema sao registrados pan
todo Brazil.
________BROWNS & C, agentes.
Pao centeio
Mello A Bit tendo receido nova remessa de
farinba centeio, avisa aos seus freguezes que
continuam a fabricar este delicioso po centeio
todas as tercas e sextas-feiras ; na ra larga do
Rosario n. w.__________________________
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, rub
do Cabug n. 11, avisam aos seus distinctos fre
guezes e ao respeitavel publico que receberaui
nova remessa deste especial vinho, o qual se
recommenda por ser puro da uva, e so se reta
ia em *eu armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447 _
Farello superior, 42 kilos
S&SOO o maceo
Vende se no largo do Corpo Santo n. 6.
Livraria Conten pora
nea
Instrumento* de msica
Bomnardao, bombardino, barytono, tromf
trombone, helicn, saxaphone. carrilon, bomb
caixa, pratos.clarinitas. nautas.rabecas, violOe
realejos, caixas de. msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas", quartos, gabinetes, corred',
res.
Molduras
dourad s, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viaerem, diversos formatos, especialmen'
para roupa de senhora e camarote.
Novidades
oara presentes, escriptorio, toucador, etc., etc "
RAMIRO M. COSTA & C.
Ba Primeiro de Harco n. 9
PIANO"
Vend-se um ptimo pia-
no, quasi novo, do autor Fe-
lippe Henrique Herv; a tra-
tar na ra da Imperatriz n.
7, loja de piano.
res como nm soldado voz de meia volta.
sahio da sala,
E entao ? pergunton o Sr. Diniz, di-
rigindo-se a seu pai.
Inclinme perante a tua pratica nes-
tas cousas, murmurou o velho.
Ora, diga-me c, Fanny, proseguio
o Sr. Diniz ; Babet sabe 1er ?
Nao, senhor.
Quem poder, entao, ter-lhe escripto ?
A criada de quarto mordeu os labios.
Nao sei, respondeu ella.
NIo seria, por acaso, para a menina
Herminia a carta que vinha sobrescriptada
para Babet ?
Oh senhor! exclamou a erudita
com ar de offendida. Quem se atrevera
a suppr tal cousa ?
Eu, rainha querida, e vossemec tam-
bera. 'Estou mesmo a ler-lh'o nos seus
lindos olhos.
Entao que os meus olhos mentera.
Ora, vamos, acabemos com s ret
cencias e fallemos a serio, coatinuou o
Sr. Diniz, franaindo o sobr'olHo. Eu nao
quero por forma alguma atacar a honesti-
dade da sua gentil patrda, que deve ter
sido victima de alguma tenebrosa machi-
nacSo, estou certo disso. Nao se me faja,
pois, ingenua, porque a sua inteligencia
alcanca perfeitamente estas pequeas cou-
sas e prove-me que desoja ajudar-me a
salvar a menina Herminia da perigosa si-
tuac&o em que ella sem duvida se acba.
Fanny hesitava ainda.
O Sr. Diniz voltou carga.
Vio a tal carta ? perguntou elle.
Vi, sm, senhor, respondeu a rapari-
ga, baixando os olhos.
E, como eu, suppoz logo que ella
era'dirigida menina Herminia. NIo
verdade ?
Fanny fez um gesto affirmativo.
Tinha eu razio ou nao tinha, meu
pai ? disse o Sr. Diniz sorrindj.
E' preciso tornar a chamar Babet !
exclamou o velho mordomo.
Para que ? Babet urna aldea igno-
rante e manhoaa ; julga servir a sua que-
ridu menina, guardando-lhe religiosamente
^redo e tudo quanto eu tentassse para
Ih'c arrancar, seria baldado. Passareisem
Babet, se Fanny quizer ser franca.
Juro-ihe que direi o que souber.
Ora, vamos ; entao que sabe a mi-
nia'flor ?
Para engenhos
QUIMARES & VA LENTE, parteoi-
pam aos seus freguezes e Ulms- Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados,
garantindo tudo de primeira qualidade e
presos sem competencia a saber
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machiismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
(5 galSes.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
GaxetsL de linho.
Potassa dn Russia.
(em caixas, barriquinhas, latas grande*
e pequeas.)
Formicida Capahema.
6--Corpo-Santo--6
Paulino
Ra do Imperador n. 28, an-
tiga casa de campos
Tem sempre o inpertante vinho Palhete ser-
cerveja Paulino Bier e o delicioso vinho Musca-
tel aos copos. Doce sceo de caj, em calda
eetrangeiros, licor de canella de rlela pimenta
e o grande licor de cervejas; rum completo sor-
timento do que ha de maistfino e puro. __
Para a f esta
^.JChegou urna remessa do excellerte vinbr
Mourisca, urna espe^ialidade e contina a ven
der-se por M500 o zarrafao de tres caadas
voltando o easco 75000 ; no armazem da ra dr
Amorim n. 60.
Alfafa
nova e de superior qualidade ; vende-se ao pre
co de 100 rs. o kilo, no trapiche Fiuza & C ao
largo de Corpo Santo.__________________
o$lbo
Ra da Imperatriz n. 56
Grande estanelecimento de modas
e faiendns finas
Completo soriimento de fazendas em tecidos
de novidade e escrupulosa escolha que recebeu
directamente da-Europa. Variadissimo sorti
ment em fazendas pretas, merinos, cachemiras
lisas e lavradas, etaai.es de stda. domares,
chamalotes. capas e visitas, eppecialidade neste
genero, em seda, gase e cachemira, ricamente
co ife ;cionadas, maulas c mantilhas de renda,
etc., etc., leques e luva3. Especialidades em
razciius Diuuwib, tonncumes Uc llatro paro o
algodao e linho, morim, grande variedae de
marcas especiaes, s encratrada na loja Coelho.
Telephone489
Domingos Coelho & Soares
A FLORIDA
Fitas lavradas com um palmo de largo
ra a 20000 o metro.
Papel de arroz de todas as cores.
Chapelinas modernas a 50000.
Bendas hespanholasde todas as c3.-;s
pretas com c sem vidrilhos.
Tiindan guanicSes de vidrilhos pretos pai a
casac.
Grande sortimento de galles, palmas e
rozas de vidrilho preto.
Bicos matisados de urna s cor como se-
am, granad, azul, rosa, beije, palha, chum-
do, salmn, terracote e muitas outras cores.
Sabonetes perfumados a 500 rs. a du" :
Lindos desenhos para talagarca.
Lengos de seda a 500 rs.
Bicos de seda e de algodao com e sem
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 e 4000
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 50C
600 e 800rs.apeca.
dem com 3 e,lj2 metros, de qua!quer
argura a 10200.
Lencos de linho em caixinhas a 30OOT a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Finas pulseiras americanas a 40, 6 e
80000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
120000, 170000 e 190000 o par,algtns
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Capellas com veo para noiva a 60OOG e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 e
120000.
Toncas de setim para baptisado a 30, 4 e
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20 a'par
Ditas de Beda para creanca a 10000.
Dita para mo5a a 10500 o par.
Espartilhos para crean$a a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 e
60000.
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Linha de machina a 600 rs. a duzia.
Albuns de pellucia de diversas cores.
Livros de missa a 10500, 20000, 20501
. 30000, e 30000 cada um.
Lindas luvas de seda com salpicos e con
listas, gosto moderno, a 20500 o paz.
Toalhas para banho a 10300.
Toalhas para rosto a 300.
Tolhas para m2o a 160 rs.
Babadores com inscricSos e paizagem a
500 rs. e 400000 a duzia.
Espelhos grandes com mulduraB finas e
cantos redondos a 40000 e a 60000 urna
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas de seda arren-
dada com palmas carino comprido a
10500, 20000 a 20500.
Raa Duque de Caxiasn. 103
Silhes inglezes para
montara
Venden se dona ;ilh6es in^lezes em bom es-
lado, quasi novos, e por prego commodo ; na
ra Nova n. 13.
Superior vinho de A.1-
cobaca
0 acreditado e antigo armazem do Lima par
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acabs
de receber urna nova remessa deste especia]
vinho, escolbido prop.-iamente pelo chefe desta
casa, tornando-se recommendado por ser puro
e de boa qualidade. Jos Fernandes Lima a O.
ra Baro ai Victoria numero 3, Telephone323
Farello superior 42 kilos
2*500 o sacco
Vende-se no largo do Mercado n. 12
no MAIS
P OLERY
Vende-se em toda a oart*
Nada, affianco-lhe sob a minha pala-
vra de hoara. Suspeitei apenas...
De que ?
-*- De que Babet recebera urna carta
para a menina; e a minha suspeita confir-
mou-se, porque a vi entregar lh'a esta ma-
nha, seriam dez horas, quando a menina
descia para almocar.
E ella leu a?
N3o, senhor. Escondeu a no seio,
mas assim que acabou de almocar, foi
para o seu quarto.
E vossemec nSo teve assim .. um
bocadito de curiosidade?...
Oh l isso tive... respondeu Fanny
um pouco envergonhada. E como ha re-
posteiros...
O Sr. Diniz sorriu.
E esto bem certos ambos, continuou
elle dirigindo-se tambem a seu pai n'esta
pergun'ta, que a menina Herminia subi
sem levar cousa alguma comsigo.
Nada, absolutamente respondeu o
Sr. Comtois.
Nem o seu porte monnaie, confirmou
Fanny, e esqueceu-se at de por os brin-
cos.
Como foi ella vestida ?
Levou um vestido de faille empr-
gado, urna japoneza de panno preto, bor-
dada mao o um grande casaco de tafet
com guarnicao de pelles de marta. O
chapeo era de feltro, com urna pluma cin-
zenta e outra branca, e guarnecido de
urnas folhagens em setim.
O Sr. Diniz ia apostando estas informa-
c5es medida que Fanny as dictava.
Muito bem, minha querida, concluio
alie, erguendo-se, mais vale tarde do que
nunca, e vossemec, anual, deu-me bellas
informacoes. i oie ir embora, mas cau-
tela, seja to discreta quabto bonita.
Fanny corou ligeiramente e sahio fazen-
do ao inspector urna profunda cortezia.
Que conclusao tiras tu de tudo isto ?
perguntou o Sr. Comtois.
Que se trata da cousa mais simples
deste mundo. Herminia recebeu urna car-
ta pedindo-lhe urna entrevista, sob um
pretexto qualquer muito plausivel. Acce-
deu ao pedido, sahio pelo jardim, fazende
conta de estar apenas alguna minutos au-
sente... e raptaramn'a. Nem mais nem
menos.
, onde estar ella ?
Em Pariz, com toda a certeza.
Ees capaz de a encontrar ?
Alfafa nova
chegada directamente, a 120 rs. o kilo, ou 6000
o fardo ; vende-se no largo do Corpo Santo nu-
mero 6.
Liquidado para acabar
Na Revoluto
raa Duque de CaxJas n. 48
Por estarmos no fim do anno, resolve-
mos vender por menos 50 por cento ts-
seguintes fazendas.
Etamines de cor a 300, 400 e 500 rs. o co-
vado.
Cachemira com toque de mofo com dua=
larguras de 20 800. covado. '
Zephir de quadros modernos a 120, e 169
e 200 o covado.
Las de quadros modernas a 200 e 240 o
covado.
Cretoncs miudinhoB a 200, 240, 280 e
320 o covado.
Cachimira modernas de quadros de 20000
por 10000 o covado.
Merinos lizos a 200 e 440 o covado.
Ricos cortes de cachemira bordados de la e
Beda de 800 por 300 e 400.
Ditos bordados de lynon de 180000 per
100000.
DitoB de cretone com barra a 60000.
Oitos modernos de setineta a 70.
Lis com listas de seda a 400 o covado.
Seda Japoneza a 200 e 240 o covado.
Bramante com quatro larguras a 10000 e
102O o metro.
AlgodSo trancado para toalha a 10OCO o
metro.
Cort"nados bordados para cama a 60 o par
Ditos de crochet a 100.
Etamines finas para vestido de 160 a pega
por 100.
Setins de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
FubIo de cor para roupa de homem a 500
o covado.
Esguiao pardo e amarello para vestido 6
360 o covado.
Velbutinas de listas e quadros a 800 c
covado, para acabar.
Setins chamarlotado de todas as cores a
10500 o covado.
Bicos brancos e de cores a 10500 e 20OOC
a peca.
Lencos brancos com barra a 10200, 108OC
e 20000 a duzia.
Fechus de retroz a 10000 um.
Luvas de seda,todas as cores, para senhc
raa 10000 10500 e 20000.
Espartilhos couraca a 40000, 50000 9 <50
Cachenez para homem e senhora 05OC
um.
Costumes de Jersey para criancas de 4 a
5 annos a 70000 nm.
dasacos do Jersey para senhora, a 60
um.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs
um.
Lencol de bramante a 10600 um
Cabertas forradas para casal a 205OC
urna.
Toalhas para enanca a 120 e 160 urna.
Cobertores brancos de II com pequeo de-
feito a 20000.
LencoB de linho a 20000, 30000 e 40OOC
a duzia.
Ceroulas francezas, a 10000, para acabar
Colchas adamascadas, a 20000, 30000.
40000 e 50000 urna.
Ditas de crochet, a 40000, 50000, 60000.,
70000 e 80000 um.
Cortes de cachemira a 30500, 40000, 50
jo 60000 um.
Cortes de fustlo para collete a 500 rs
e 10000 um.
Ditos de velludo bordado a seda a 20OOC
um.
Camisas brancas de linho para homem :-.
Z0OOO uui.
Ditas de meia. superior qualidade, a 10
urna.
Brim branco de linho de 40000 por 205OC
vara.
Renda hespanhola a 20 o covado.
Completo sortimento de cachemira de co-
res e pretas para costumes, precos sem
competencia, assim como aprompta-s3 qual-
quer costume em 24 horas.
S na Revolucao
HENRIQUE DA SDLVA MOREHtA
To certo como eu estar aqui. Dur-
ma tranquillo, meu pai ; voltarei amanhl
e espero trazer-lhe a nossa querida fugiti
va.
Deus te ouca murmurou o velho
com as lagrimas nos olhos.
O Sr. Diniz pegou na bengala e no cha-
peo, e, apertando a mo a seu pai, diri-
gio-se para o vestbulo, nao consentindo
que elle o acompanhasse.
la j a abrir a porta da ra, quando vio
surgir urna sombra a seu lado.
Era Fancv, que Ihe metteu na mo um
papel dobrado e o comprmentou de novo
graciosamente.
Boa noite, Sr. Diniz.
Olha olha! Que diabo ser ato ?
disse o inspector de si para si, muito in-
trigado.
Apenas sentio a porta fechar-se sobre
si, o Sr. Diniz apressou se, com a ancie-
dade de um uamrado, a desdobrar o bi
lhete que acabava de receber.
E, luz de um phosphoro, leu estas
duas linhas, escripias com urna calligra-
muito regular :
a. Se nao encontrar nada em Pariz, pro
cure no Mans, rua de Flora n. 10.
E' esperta a criadita, nlo tem duvi-
da disse o Sr. Diniz, esfregando as mos
de contente. Decididamente nlo ha como
as mulheres !.... Em ellas se mettendo no
jogo, tudo Be arranja.
Neste momento parou em frente delle
urna carruagem que vinha a toda brida.
Um homem assomou a cabe5a porti-
nhola.
Lerat! exclamou o inspector. Ain-
da bem ; chegas mesmo a proposito.
E o Sr. Diniz subi para o fiacre, sen-
tou- se ao lado do seu agente e ordenou ao
cocheiro que seguisse o seu caminho.
Mandei-te procurar, Lerat, comecou
elle, para te confiar um caso difncil ; pre-
ciso, para o destrincar, do teu faro ub-
til e de todos os recursos da tua habili-
dade.
Est-me lisongeando, Sr. Diniz.
NIo; faco te simplesmente justica.
Mas vamos ao que interessa. Foi rapta-
da urna menina ; aqui esto retratos della,
signaes diversos e algumas indicacSes sum-
mariaa que pude conseguir. Rene os
teus homens e poe-n'os dentro em urna
hora na pista da fugitiva. Urge que seja
encontrada at amanhl.
Far-se ha a diligencia, respondeu
modestamente Lerat.
Alm disso, preciso fazer marchar
para o Mans, no primeiro comboio, um
homem esperto.
Bem.
Nesse bilhete vai urna morada indi-
cada. O homem que for, que me tele-
graphe, no caso de encontrar l a pessoa
de quem se trata.
Est combinado.
Este cavallo bem bom ; olha, p3e-
me porta do posto da rua de Varenne,
porque tenho all que fazer antes de ir
pa a casa.
Prece-me que o senhor antes de ir
ao posto, ainda ha do ir a outra parte.
Entlo aonde ?
Ao restaurante Magny, na na Coc-
trescarpe.
E que ha de novo no restaurante
Magny ?
Nada menos que dous envenenamien-
tos ; fui chamado para tomar conta do
facto.
Dous envenenamentos! Mas esta
noite urna mina de casos importantes-
Conta-me c, como foi isso ? -
Estavam uns poucos de rapazes e
raparigas para comecar a ceiar, quando
um delles, urna especie de mulato, exu-
dante de medicina e a amante delle, por
sigual urna pequea bem boa, cahiram
fulminados ao beberem um copo de Ma-
deira.
Duplo suicidio ?
Parece que nlo; todis os outros
convivas affirmam que nlo houve tal e eu
tenbo razSes para suppor o mesmo.
E esses qus esto vivos, nlo bebe-
ram todos do mesmo vinho ?
Beberam ; pois ahi que est o mais
interessante ; beberam todos e s aquelles
dous ficaram envenenados.
Prendeste alguem ?
NIo, senhor. Magny conhece todos
os que l estavam e que, de resto, fica-
ram to commovidos, que foi preciso aceo
panharem-n'os suas casas. Quando eu
cheguei, j nlo encontrei senlo um dos
amigos das victimas, que lhes prodigalisa-
va cuidados, emquanta nlo ia um raedico.
E mandaste chamar o commissario ?
(Continuar-te-ha.)
Tjp. do Diario roa do Duque de Casias n. U
V" /
-

>
-
.



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6HPT33OJ_3KN5Z6 INGEST_TIME 2014-05-21T23:08:23Z PACKAGE AA00011611_17082
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES