Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17069


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AK
I 5
Amia"
y JE JANEI
-&''
U
DE PERNAMBU

Propriedade de Manoel Wlgm'ra, de Farla fe Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres meses adantados. ("JOOO
Por seis ditos em...... 125000
Ppr um anno Wem...... 23fOOO
I Cada numero avulso, do mesmo da. fjlOO
Os Srs. Amcie Prifi^ & O.
de Pars, sao.os nossos agentes ex-
clusivos res na Franca e IiigWterra.
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por s>.is uiezes adiantados. 130500
Por nove ditos dem...... 20)5000
Por um anno dem...... 26)5000
Cada numero avulso, do dias anteriores. 5100
TELEGRAMAS
RIO de JANEIRO, 7 de Janeiro,
1 hora da tarde.
ilouve grande promoco no exercito :
Entre on'.ios, firam promovidos :
A marechal de campo, p Baro de Bu-
jtrru", brigaeiro Innocencio Velloso Peder-
nciras ; *-
A niaf$Sia de campo graduado, o \fr\
gadeiro Augusto Froderico Pacheco ;
A brigadeiros, os coronis Candido Jos
da Costa, Joaquim Mendes .%$*ua Jac-
ques, Carlos Fredeiico da Rjcha e Tude
Soares Neiva.
Foi promovido a '.elegraphista de 1.a
classe, o de 2.a do Telegrapho Nacional
Atgemiro FalcSo.
l que trtanos deste poeta, o decano dos de
Minas e darnos-ramos, tendencia nacionalisa-
dora da epopeh, narremos ainia que suecinta-
mente, o que se coimou por aquello; lempos /
cmfilencia de Minas primeiro movineuto da io
dependencia poltica que se effectuou nojrazll,
e desde a qual se proclamcu de urna nraneira
disineta a da sua IHtcratura.
Corra o anno de 1783 qusnlo foi noraea lo ca-
piSo general fla provincia de Mirras D. Luiz da
Cunha Menezes, hornera vuido30 e inepto para
o governo sobretudo em urna epocha como aquel-
la, em que os escassos rendimentos das minas
de ouro baviam alterado 8fn3Telraeate a rique-
za publica e particular, at entao lorescenlissi-
ma. Cerca de 700 arrobas de o ro devia a pro-
rinda segu-.do a lei da capilaco, e nao havia
meiode psg-'rquana.taoatena. A.criseeco-
n?.dor ; tanto que ao cabo do al .um tempo, era
kaalquerido de uns e detestado de outros, cen-
surado c ridicularisado por maitos.
Foi entao que appareeram as celebres Carlas
chilenas escripias por um poeta de Villa Rier
sob o pseudnimo*e Gritill&r dirigidas a o
t .1 Dorothen da Cirle -carias que Warnhagen
attribue a Claudio Manoel da Costa ou a Alvaren:
gaPeixoto. Nao erara mais n>tn menos do qoe

LISBOA, 4 de Janeiro.
D. Podro de Alcntara mostra-se bas-
tante abatido e taciturno.
Um dos ministros annunciou ao Parla-
raent) a triste nova do allecimento de D.
TLereza, ex Imperatriz do Brazil.
O Diario do Governo publicou lio je o
prograinma das exequias solemnes que
hilo de se realizar conforme foi annun-
ciado.
D. Pedro e totla familia assistiram hoje
a urna missa que mandara ai celebrar em
memoria da illustre fallecida.
MADRID, 5 de Janeiro.
D. Sagasta procura organisar um minis-
terio de conciliac&o com diversos membros
da direita liberal e alguns liberaes dissi-
d entes.
MADRID, G de Janeiro.
A crise ministerial ainda nSo est ter-
minada, mas urna solugilo parece immi-
nente.
BRUXELLAS, 6 de Janeiro.
A grve dos operarios das minas Je car
vao augmenta em grandes proporc5es.
LONDRES, 6 de Janeiro.
A epidemia "influenza estende-se con
Bideravelmente tanto na Europa como nos
Estados-Unido6.
..MADRID, 7 de Janeiro.
Acha-se seriamente incommodada S. M.
a Rainha regente de Hespanra.
Contina a crise ministerial; por emquan-
to nlo se pode conjectura: o seu desen-
lace.
BERNE, 7 de Janeiro.
Est gravemente doentc o Sr. Ruchon-
net, presidente da Con'ederacJo Suissa.
BEUL1M, 7 de Janeiro.
O estado de sade da Imperatriz Augus-
ta, viuva do Imperad r Guilherme I,
gravissimo. -,
Agencia Havas, filial em Pernambuc^
7 de Janeiro de J90
INSTRCCiO POPULAR
i littebatsa bsa3isisa
NOS
TKMPOS CQLONIAKS
POB
a LiurrHiura Hranllrira I* rulo
XVI ao eomefo do XIX
BBOQO HI8TOBICO
V -V
(CoBtinuacIo)
Esta cant ta urna record.gao, urna lagrima,
o pulsar de um corago que ja nao espera ; o
queixume da rola aopor do sol, laceando dulcs
simas nula de extremo canto, cerne o deus do
astro-rei para depois se esconder alm das ser
ranias do occidente, um gemido emflm de urna
alma dolorida, que nao encontrando meios de
expresar seus sentimentos em idioma vulgar,
pede a poesa seu ryihmo e seos acordes para
prodozr um grito de d:. Tal o poeta, tal
Claudio Manuel d,. Costa. Para julgal-o ucees-
sario ler amado cjmo elle amou. e isso nao
aio sendo almas privilegiadas ; o-> que nun-
ca tentiram bater o coraco ao impulso de urna
paixao suoluue, os que twn -ntido a falta de
um idioma celeste para expres-ar a divioisajao
de om sentimento poden dispensar-se de o ler :
ao o comprehenderao.
res, sendo nomeado o Dr. Jos
Porciyncula. -
-^-t Foi nomeado secretario da commis-
b"io. cncarregada do elaborar o projocto da
eonstituicSo da Repblica dos Esfcaios-
Unidos do Brazil o capitjtorteaente N'eUon
de Vasconcellos e Almeioa.
HIaiscrio da 9u'sti?a
Foram declarados sem efFeito os decre-
tos de 10 de Dezembro, que removeram os.
jutzes de direito Felsberto Soares de
Goavt- Ilorta da Comarca do Rio Lamba-
nomicaj j^iStJJnjuvii profDr0os giganlea, agR rrpara a do Rio Verde, ambas no Estado
anda aujimerhfPr ti os aesacerfos dtf gftfW* <{e Minas Ge raes, e ?aetano Augusto da
aquella co-
o Caetano
desta para
Jama Cerqueira
marca.
- Foi-designada a comarca de Phila
1. entrancia, no Estado de
7 para nella ter exercicio o
jaiz de "direito Ignacio Antonio Fernan-
ds.
urna tremenda accusac&o contra o mo governo, j,->0' nomeado chefe de polica do
em aumiOHtrac&o do capito general. Esaal &t d d p D rjlad8lo Hercula-
cartas. pode se dizer, foram a mecha acceso ap-i-
pli ada mirra do descontr-tamento publico qu
nao tardou a tomar un carcter de verdfdeira
conjurcSo. Inteirado alinal o governo da me
tropole do que ?e passava, depoz immediatamen-
ieo capito general subslituindo-o peloviscondo
de Barb'acena
Mas o impulso eslava dado. Correu o boato
de quj o novo capilao general ia exigir o
prompto pagamento daqfitplla enorme divida pro
vincial, e desde entao nao se conspirou mais na
sonara. O descontentamente torn&u se geral e
publico, e n'um banquete dado por essa occ-a-
sio, Joaquim Jos da Silva Xavier, cognominado
Tira ckntcs, oficial de mi.icies de Villa Rica, e
um dos chefes conjurados, brinHoi in lepen
dencia d; Minas Geraes e de todo o Brazil ; ao
passo que o poeta Alvarenga Peixoto, aprovei-
tando-se do enthusiasmo com que foi acomido o
brinde, propoz urna bandeira nacional que foi
acceita por todos, a qual devia ostentar um ge-
nio rorapendoascadeas, comaseguinte divisa :
tiberios qnce sero tamem.
Que era isto senao a manifestaba pratica da3
ideas e trabalhos d'aquelFes poetas, era cujos
versos palpitava latente o senlimento de inde-
pendencia e a 38pirac.ao de urna nova patria '
A quesiao econmica era um pretexto, que pro-
duiia aquella fermentjao dos nimos queprin
cipiava a tomarum carcter ameajador ;*raa
refraeco dos alvores da indepen lencia Norte
Americana, saturada das doulrinis. que havia
espargido pelo mundo a encyclopedia franceza ;
era que a uora da liberdade do homem havia
soado no quadraote do tempo, e que desde as
abobadas dos claustros acadmicos repercuta-e
comoj^a esptrat.ci suprema na conscienda
da uatnaoidude ; era que ao privilegio das raca3
as n.quidades da lyranniv^ aos abusos do des
[otismo, iam succeder os direitos do hemem ;
eran finalmente os primeiros relmpagos daquel
la tiipestade terrivel mas vivificadora qnepou
codlpbis havia de rebentar em Franca, abrindo
notos horisontes s creajoras. <^^& ^ exercito
A--m foi que essa conjuracSo nao leve o e ^_v TnrA mVi
racter de um raotim promovido contra este oo
aqutlle personasem. Xc ; desde os primeiros
momentos surgi a idea da independencia na
cional e a pro:lama<;ao de uraa repblica bra
zileira ; n3o como um espirito de imitagao, pois
o resto do continente Sul-Americano segua obe
diente a cora de Hespanha, mas como um mo-
vimento e^pantoro, ainda que prematuro, que
surga no povo brazileiro; sem odio ao governo
da metropole, que alias nao o mereca, mas
como urna aspiragao sacrosanta de autonoma
que brotav da consciencia publica, to grandio
sa. tao potente e to deslumbrante mo a sua
explendida vegetacSo.
('ontina)
no ie Freitas.
P Foram nomeados juize3 de direito :
da comarca de Margaogy, de 1.a entran-
ca, no Eatado das AtegSas, o bacharcl
Antonio Ferreira Coelho; da comarca do
Pomba, de 1.a entrancia,- no Estado de
Minas-Geracs, o bacharel Luciano Rangol
de Azevedo.
Foram removidos os juizes de di-
reito :
Agostinho Julio do Coutq, Belmonte da
comarca de Piracuruca, de 1.a entrancia,
no Estado de Piauhy, para a de Breves,
de 2.* entrancia, no do Para; a pedido,
Eneas Jos Nogueira da comarca de Ita-
pemirim, de 2.a entrancia, no Estado d->
Espirito-Santo, para a de Piracuruca, de
1.a entrancia no d > Piauhy ; Joaqiiini Mon-
teiro Diniz da comarca de Fortnosa, de
1.a entrancia, no Estado de Goyaa, para o
da Floresta, ele igual entrancia, ao de Per
nambuco ; Alcebiades !'avalcanti de Albu-
querque "comarca da Floresta, de 1.a
entrancia, no Estado de Pernambuco, para
a de Tortuosa, de. igual entrancia; no de
Goyaz; Francisco" da Silva Saldanha da
comarca d"e*Jrevea, de 2.a entronera, no
Estado do ar, para a de Itapemirim, de
igual entrancia, no do Espirito-Santo.
Thomaz infantana Antonio Soares da Cruz tentou suici
i dar se. disparando urna pistola sobre o peilo es
I querdo.
Conduzido mmediatarneute por urna escolt i
do msalo baialho para o respectivo quartel, d'a-
hi para o hospital militsr, proceleu-se a coanj-
leute' viaioria, e mais diligencias legae*
Poucoaiiies de meia imite do refer lo da 5,
no becco do Lima, Trburcio Jos Eipidio, que
dorma janto casinha do viga da Estrada de
Ferro ao iecifo a S FYancisco, foi disperlado
por Casptr Jos de Mello Filco, Joao Cangalha e
mais treaindividuos que o insultaran, e teudo
lie rope'do foi esbordoaJo pelo referido Jio
Cangalha c feriJo por um tiro de revolver des-
fecb -dosf) G, spar.
Qj. fcr'A:ii3sis evadir mi se, sendo o feriio
aari^uzliroa prseoea do subdelegado respecti
Vi que o fez vistoriar, abrindo sobre o fado o
competente inquenlo policial.
A requerimeoio do Dr. i" promotor publico
desti capital mandui proceder a aulopsla no ca-
dver do-pardo Mircelino da Silva Lipes, por
cnstaj; ter o mesmo pardo fallecido em conse-
qneacia de um envenenamento lento, e do exa
me oidvrftdo verificouse que a mortefao
n sultado de urna congesto pulmonar.
Communica o subdelegado do 1 districto de
Limociro que no da 16 de Dezembro ul;uo no
lugar -Lagoa Torta, daaoelle termo o indi-
viduo de nomc Joaquim Moy.^es, por motivos
frivolos, desfechou um tiro de pistola em Manoel
Joaquim lavares, que licou mortalraente ferido.
Aquelle subdelegado tomou conhecimenlo do
facto, fez vistoriar o offendido e prosegue em
diligencias para a captura (jo criminoso, que
conseguio evadir se.
O respectivo inquerito, que foi feito no praso
legal, j leve o convenieute destino.
A's 11 horas dasoite do da 5 deste mez, no
porto do Jacobina da freguezia da Graja, Salus
tiano Jos Joaquim de Sant'Anna ferio mortul-
mente a Svano Jos dos Santos.
O subdelegado respectivo tomouconheciraeuto
4o facto, fez vistoriar o offendido e nandou ra
ol ler o offensor ("asa de Detenyao.
No dia 4 deste mez, Albino Lopes Ferreira
que lancara-seao rio, na praia de Santa Rita,
aliin de evitar o abaroamento de urna draga
com a alvar nga que governava, acoateceu nao
apparecer mais tona d'agua.
Retirado qepois o cadver e procedida a com-
petente vistona, dcclararam os facultativos ter
sido a.-,-.Iiy.ua por submersSo a causa da morte.
Communica o delegado de Pao d'Alho que em
tema do engenhoRamos, por voltas de 8
horas da noite do dia 31 do mez passado, o in-
dividuo de nome Francisco Ferreira dera casual-
mente urna queda, vindp a fallecer momentos de
p^i!.
Das diligencias procedidas veriRcou se que o
facto foi todo casual.
Sade e fraternidade Ao brigadeiro
Jos SiineSo de Oliveira, mui digno go-
vernador provisorio do Estado de Per-
nambucoO Chefe de polica interino,
Jos Izidoro Martins Jnior.
Ministerio da Ciuerra
Foram mandados reverter para a 1."
o 2. cirurgilo Dr. An-
lionio Jos Pinbeiro Tupinamb, tenente
Constantino Antunes do Prado e alferes
Jos Honorato Xavier de Mattos ; o 1.
aggregado ao corpo de sade, o 2. aggre-
gado arma de cavalhna o o 3. de n-
fantaria visto terem sido julgados promp-
tos para o servico.
PARTE 0FF1CIAL
Acin do Poder ieeatlvo
DECRETO N.DE 30 DE DEZEMBRO DE
1889
Manda vigorar no exercicio de 1890 as lei
ns. 3.396 e 3.397 de 24 de Novembro
de 1888.
O governo Provisorio d*os Estados Uni-
dos do Brazil, constituido pelo exercito el
arma a em nome da nago decreta :
Art. 1. Emquanto nSo forem Comul-
gadas as lea que devem lixar a despeza e
orear-a- receita federal para o exercicio
de 1890, continuarlo a vigorar as de
us. 3.396 e 3.397, de 24 de Novembro do
anno passado e a tabella C que as acom-
panha.
Art. 2. Ficam revogadas as disposi-
cSes em contrario.
SaU das sesees do Governo Provisorio
da Repi blica dos Estados-Unidos do Brazil,
30 de Dezembro de l89, 1. da Repu
frica. Manoel Deodoro da Fonseca.Ruy
Barbosa.
DECRETO N. 107 DE 30 DE DEZEMBRO DE
1889
Autorisa os governadores dos Estados a
dissolverem a cmaras munic'paes
O governo provisorio dos Estados-Uni-
dos do Brazil constituido pelo exercito e
armada, em .irme da nacSo, usando da
faculdade que se reservou no art. 3. do
decreto n. 7, de 20 de Novembro ultimo,
decreta :
Art.vl.0 Oj governadores dos Estados
silo an orisados a dissolver a3 cmaras mu-
nicipaes e a organisar os respectivos ser-
vivos, adoptando eu> tudo que lhes forera
applicayeis as disposiciJes do decreto
n. 50 A de 7 do corrente mez,
Illma. cmara municipal da capital
deral.
Art. 2." Ficam revogadas as disposi
58>-b em contrario.
S la das 8es8s do Governo Provisorio
da Repblica dos Estados-Un idos do Bra-
sil, .0 de Oezrmbro de 889, 1." 3a Rd-
p Aristides da ilieira Lobo.
relativo A
fe-
Mln.sterlo do Interior
Foi wmc dida a exoneradlo que pedio
do cargo de g^uernador do atado do Ma-
ranhao ao bacharel Pedro Augusto Tava-
Mlaisterlo da Marinha
Foram classificados na ordem abaixo os
guardas-marinha da turma de 1888, que
concluiram o 4." anno do corso da escola
naval: .
Francisco de Lemos Lessa, Luis de
Mello Marques, Luiz Lopes da Cruz, Ar-
mando Torres de Carvaiho, Camillo Dan-
tas Horta, Duval Melchiades de Souza,
Jo3o Francisco Jorge, Armando Vieira
Fontes, Mario Aurelio da Silveira, Paulo
Lopes de Mendonca, Francisco Antonio
Pereira, Mario Ribeiro da Suva, Ernesto
Malfogo, Jos Antonio Coutinho, Gervasio
Pires de Carvaiho e Alberto JIbrtinho.
PJPTICLkS DA EUROPA
O paquete Equateur, entrado a n t e h o n t e m,
trouxe datas qu, de Lisboa, alcancam 25 de
Dezembro Hado, udhntaudo dezesseis dias s
trazidas pelo Magdalena.
Es as noticias de que foi portado' o referido
paquete :
He*fsaji2iri
Efcreve o nosso corre; pndente de Lisboa :
Continan as conferencias entre os notaveis
do partido liberal, en^aminhadas a eslabelecer
um accordo para limitar tolo o posvel as con
quoncias da cdse.
Q sr. Castelar nao oeeula a ninguem a noces
sidade de que a crise seja resolvida quanto an-
tes, offerec -n1o a saa j^aevolencia ao gabinete
liberal que chegue a organisar se quer rfebaixo
da presidencia de Alonso Martnez, quer sob a do
general Martnez Campos.
Os ministros da guerra e da marinha j enva
rain so Sr. Sugasta as suas demiss5es, por ^o-
cripto; mas o presidente do conselho respoii.k u
lhes que,a3 levassen ao prximo conselho pre
. .America do sul
Pacifico
Foi publicado no Rio de Janeiro este tele-
gramma
Repartivo da Polica
2.a scelo. N. 4.Secretaria de Po
licia do Estado de Pernambuco, 7 de Ja-
neiro de 1890. Cidadao.Participo-ves
que foram recomidos Casa de Detencao
os seguintes individuos :
So dia 5 :
A, ordem do subdelegado do Recife, Jaunes
I. Sraide*, requisicao do cnsul inglez ; e Ma-
ra Thercsa de Oliveira, por offensas moral
publica.
A' ordem do de Santo Antonio, Manoel i into
de Mello, por uso de arma defesa; Manoel ?aulo
da Rocha, Jos Jrsulino de Barros Cargeiro, Au
tonio Guabiraba de Assi^, conhecido por Cluilei
ra, Augusto Jos de Sant'Anna, Estanislu Lo
pes de Carvaiho, Anua Maria da Conceicao, Bal-
bina Maria da Cooceigao, Maria Virginia da on
ceisao, Felippa Maria da Conceicao, Luzia Maria
da Conceifio, Marmolina Maria de Araujo, ..me
1.a Mana da Conceisa. Margarida Liberata Af
fon30, Antonio Joaquim Bibiano e Lourenco Ma
ra do Rosar o, por d^tnrdos,
A' ordem do do 2 uistricto de S. Jos, Cypria-
no Coroelio Ribeiro por disturbios.
A' ordern do da Torre, hrispiniaoo Fran-
cisco de Vasconcellos. Manoel -Jos de Sanl'An
na, Marlinho Jos de Sant'Anna. Ruino S^rgi
Sevenuo M.daquias de
guez e distuibios.
.No da 6 :
A' [iimlia ordem. Mana de tal,alienada, al
que posaa ser transferida para o azylo da Tama
rineira.
A'ordem du Dr delegado do distnelo da
capital, Mana CarulHU de Abreu Evangelista.
por offensas a moral publica.
A'ordem do r. capital, HeriBini.i de Oliveira LeitSo e Joaquim
Man el da Silva, cuuhecido por Bombeiro, por
dl-luibuo.
A. orden do ruhd.degalo do 2o distijcto da
Graga. JimS [nuci Co me Barceos e Manoel
Bernamiiio A ve> couiu vagabundos; e Enilia-
n Vieira da Cunta, por crime de fennenios
graves.
A's 5 uoras da arle do dia 5do corrente no
lugar Canpj Aletee di 2o districto da Grafa,
Emiliano Vieira ua unha ferio con urna bayo
nrU a Joi- Aaa.-1-i io iW silva.
U cnminjso ui preso em flagrante e contra
ede procede *e nos termos da le.
Aiudu no da 5 desie mez, por volta de 11 ho-
ras da naoha e na calcada da ra Imperial d j
2* districto de S. Jos, a praca do batalbao de
quella cidade, como o Sr. Martens, delegado da
Ruseia, e o Sr. John Kirk, da Inglaterra.
A conferencia nSo tonou anda regolucao
alguma com respeito proposta ingleza relativa
ao direito de visita na costa oriental da frica,
a todos os navios de vela, sem distineco de na-
cionalidade.
Comquanto alguns jomaos francezes hajam
dito que 03 representantes da Frcnca tiuham fei-
to viva opposicao aquella proposla britannica,
certo que tal proposti nao foi ainda discutida no
fundo. O jornal belga, a que nos temos referi-
dos diz saber que o governo francez est prepa-
rando a respeito do trafico martimo, e do direi-
to de visita urna contra-proposta, que coacilia-
r o respeito reclamado pelo pavilaao francez,
com a cecessldade da repressao do trafi'o de
escravos.
Suissa
Dizem de Berne que a asse.bla federal ele-
geu por 149 votc3 en loi roanles o Sr. Ru-
chonnet, para o lugar de. presidente da confede-
rapSo, e o Sr. Welti para o de vicepresidente.
O. Sr. Ruchooaet originario de Lausannia.
sido pela^ainha regente. Sxerce tanben o cargo denTnistrodaTs'tica'e
>J da nnlicia
Valparaizo 39 de Dezembro.
0 governo codtroctou con o engenbeiro Pet-
zo d a fortilicacao das costas da Repblica.
Kio da Prala
Limo. 21 de Dezenboo de 488?.
Deram em Arequipa serias desordens, que fo-
ram seprimidas.
Foram pu licados no Rio de Janeiro estes te
legra ramas :
Buenos-Ayres, 20 de Dezembro.
O governo autorisou o banco nacional a augj
mentar o seu cspital at 50 milhOes de pesos.1
A junta de bygiene vai tomar providencial
contra o heriberi que, consta aqu, estar gras-
sando no lio Crande do Sul.
Montevideo, Oi de D2zembro.
0 Dr. Herrera y Obes publicar en fins de Ja-
neiro prximo o seu manifest poltico.
0 presidente da repblica parti para z sua
estancia.
Chegou o Sr. B.ring Filho.
Buenos Ayres, 30 de Dezembro.
Os indios do Chaco invadiram e atacaran }
estancia de Santa F roubando o gado e mdta:i
do diversos colonos
A iiipbtena esta grassando em Cordova.
Chegou o filho do batiqueiro Barin^.
A produeco do vinho, em Mendoza, foi boa.
A imprensa teeeu inultos elogios a ex impe-
ratriz uo Brasil.
Montevideo, 30 de Dezmbro.
0 preiidi-oie gMieral Tajes declarou que nao
intervir as prximas eleves para preside*
da Repblica.
Buenos Ayres, 31 de Dezembro.
O ministro da fazenda Pacheco cogita de m
portantes reduccOes no orcamenio.
a alfande^a da capital rendeu este anno mais
de 45,000 000 de pesos.
Montevideo, 31 de Dezembro. *
O general Tages, presidente da repblica,
est de voita a esta capital.
Angmenta aqui o numero de suicidios.
A colonia brasiieira telegraphou a D Pedro
de Alcntara dando-lhe o pezane pelo fallec-
oieuto da.ex imperatriz.
Iniciou-^e urna snbscripco paoa levantar urna
elatuaa Laveilejai na ciJade de Minas.
nterlca do Norte
Halti
A legaco dairepu.uco euiParis, do Hait, des-
mt-nte a noticia de ter all oavido urna subleva
cao contra o governo: diz que o supposlo decre
to d'' pros-Tipcao coul'a 600 pessoas do qual
tanto fe fallou, e pelo .outano, um decreto de
amniatia que autorisa regresso dos exilados
polticos a paina ; oega que fo38em lesadoa in
4-mi'Ar or embria- ten-m lalmeute os inleie^es de cjrtos estran-
ge.ro-; e declara qaeo governo esta prompto a
sati Oacoe^ lgitiiuas .
A Franc aguarda snmente argumas ntorma-
ce Hyppolite coon piv^ideote da repblica do Hait.
A este resjfilo a Fraila procede de accordo
con a luglateria.
i:lnd< luido..
O presideute Hair.son r.iviou ao congreeso
u,na nota pnitinjo a proiogujjo da
mantin. por dous mezes a contar
A conferencia mantuna de Washington're-
ioitou urna protwsta, qie Itfodia a.tornar obriga-
lui-u d. terminadas uenou para os vaports
qoe faieui ca reirs entre a Europa e a America
do Hurte. .-. ..:-.
AnaiHon ram 110 da 17 de Dezembro o
trabalbo 230 carreja mr^s de navi03 recusando
se a tr b..lli .r .-otu os p flos.
O Sr. Cali da Floriia'. apresentou na ses
sao do seuatiu u u prjjccto d. le> autorisando o
governo a a> go>*iar com a Hespanha para trans-
formar a posse,4o bespaonola de c
repblica mdependeute.
E' prav^vel quo o noro^abinete soja cempos.
de voflW *mincn!L'S do partido, mas sem .qu
n'elle figurera alguns dos ministros actuaos.
0 Sr.Sagasta ddseja a to io o transe adiar a so
luc-lo da crise at depois do Natal, posto que os
t abalhos iraticados daraiite. a sua doenga pare-
can ter censuado os dissidentes do partido, em
sentido favoravel s suas aspiraees.
Nos circuios polticos a3severa-se que no futnro
gabinete entrar um possibilista da fraeco diri-
gida pelo eminento tribuno Castelar, sendo ainda
duvidoso que Monieiro Ros acceite pasta al-
guma.
Parece cousa incoutestavcl que a soluco da
crise ser mais ampia do que suppOem alguns
jornaes miuisteriaes.
Conforme os dados ofli. iaes ha actualmente
em Madrid 20.000 pessoas atacadas de grip>
entre as quae3 se conta:n"o Sr. Sagasta, marquez
de La Vega de Armijo, Alonso Martnez, que con-
tinurn enfermos, e outros persdnagens.
N'aquella cidade trata se de establecer a to la
pressa hospitaes provisorios para o grande nu-
mero de ataca Jos.
as escolas muuicipaes ha 300 cr-ngas doeu-
tes; no Banco de Hespanha 8 empregados ; aos
correios 86 carteiros; nos tribunaes de contas 60
?npregados; noninisterio da fazenialOO; na
fabrica de gaz 40; as estaces do caminho de
ferro sao tantos os atacados que foi necessario
nomear novos empregados.
O rei de Hespauha solTr de urna bronchite,
e, comquanto o 3eu es'ado 0S0 inspire in-
qui taco, a Gazeta Official publica o respectivo
boletim sanitario.
No porto c!e Calis r^alisaram-se novas ex-
periencias com o banco submarino Peral, a 17 do
corrente.
0 navio perraaneceu completamente inmergido
duraste 7 horas, respirando os seas tripulantes
o ar comprimido, armazeoado nos depsitos, e
funccionanlo a bomba de extracto de ar.
O sur-marino naveaou tres horas e meia sub
merw at 3 metros, isto at aos vidros da torre
ptica, e n'csta disposico navegou com a aguiha
e i'pparelho opti:o at 3,80 metros de calado.
Ntvegou hora e meia, utilisando o appareluo
opco.
O percurso total executado na sua navegaco
foi de 33 milhas, havendo-se verificado as expe
riencias de imuiersao a 10 milhas do porto de
Cdiz
Com estas prova3 icaram evidenciadas as per-
feitas condices de estabilidade do Peral, e expe
rimentou se a navegaco submarina en pessi-
nas condices de vento 3 nar.
O levante muito fresco, que soprava durante
as experiencias, levantava muito mar, que nao
cansou o menor transtorroao submarino.
As experisncias do Jia 17 foram bnlhantissi-
mas, e parece terem excedido os proprios calca
los de Peral.
Este foi enlhusiasticamente applaudido e vic-
r^oiiado.a^l "i < V--*' *hi
sesso da Geographica
Madrid, foi
conferencia
de 1 de Ja-
Cuba n'uma
elogiada calorosamente a energa e o patriotismo
dos portuguezes, sustentando os seus indiscuti
veis direitos contra as inirusoes da Inglaterra
nos territorios africanos, que sempre pe:tence
ram a Portugal. *^r f <,__]" Jf p^ i i
Os jornae3 hespnhoes cnegados a 20, di-1
zem em poucas linhas o que se passou na Socie-
dade de Geographia de Madrid a proposito da
queseo africana. ^
0 Imparcial escreve :
A energa dos portuguezes pe-ante a Ingla-
terra mereceu enthusiastico^ elogios da assem-
bla, que v com grande sympatnia o palriotis
rao cora que o povo vis'nho defende a sua g!o
riosa beranca e a energa e perspicacia poltica
com q je. trata de a 1 onsolidar. '
Recebeu-se m Mjdri 1 um telegramm.i da
Havana, noticiando estar gravemente doente p
^eneral Salamanca, e ter morrido o general
Acosta.
A cmara dos epuiados approvou por 268 vo-
tos contra 239 as eleices dos Srs. Leonzon Le
duc, boulangista reaccionario, e Mandevil.e, .e
publicano.
fepois dicidio discutir a tomada em conside-
raco da proposta do S \ de Muby, republicano,
nara se craar un srande esado-maior do exer-
para se craar un grande
cito.
O Sr.-Bourgeois, republicano, annunciou urna
interpellacao sobre a convenco monetaria.
0 Sr. Rouvier, ministro da fazenda, declarou
que o governo no tenciona de modo algaraRe-
nunciar a convenco. A interpellacao foi adiada
para d'aqui a um mez.
O Sr. de La Ferronays, deputado da direita.
quera interrogar na sessao de 19 de Dezembro
o Sr. Fallieres, ministro da iustrucco publica,
sobre a upportunidade de antecipar as ferias do
Natal nos collegios por causa da epidemia de
grippe, mas o miuistro pedio Ihe que adiusse a
pergunta para 21 afim de Ihe dar tempo para
conferenciar con o reitor ua academia.
O senado approvou a verba Jos fundos secre
tos por 209,v.itos contra 25.
A caara dos diputados, depo; de larga dis-
cus&So. sobre a eleico do Sr. Vacher. reaccio-
naria, eleito pelo Correze, decidi por 274 votos
contra 24i. a pedido do Sr. Le Heriss., boulan
gista, nandar proceder a iuuuerito acerca d'esta
eleico afim de fazer luz sobre diversos tramas
eleitoraes.
Diz um telegramma de Londres para A Ba
taille, que Rochefort est de cama ha oito dias.
A principio julgou se que fosse a tnfluenza, mas
mais grave o caso .
Prese que ojfen ivel polemista n O Intramgeant
est cetn urna paralysia ua cabega.
Pode apenas articular algunas palavras. INao
perdeu, comtudo, to tas as acuidades.
Blgica
A cmara dos wpr*s-ntantes da Regir oc
cupou-se ha das das fstas que devem celebrar
se no prximo anno, para solemnisar o 250anui
versarlo da aectamaco do actual sobe: ano, e
resulveu ufferecer, de accordo com o senado um
banquete ao re. Este havia feito saber a cami
ra, por iuiernedio do nmistro do interior, u1
desejava que nao houvesse festa publica, e hui-
os suusi.iios de loados a quaesque.r f"S.ejo
fossen entregues caixa de seccorros s vicu
as do traoalho.
A co_fereucia de Bruiellas interrumpe 0.-
seus tranalhos turante as ferias do Natal e do
anne no?o. Alguns delegado jrBaniram d a-
da polica.
O Sr. Welti suisso-allemo, do canto de
Argovia, e dirige as reparticOes de correios e
caminhos de ferro.
O conselho federal da Suisfa propoz as-
sembla federal um decreto, para que baja uc
Io de Agosto de 1891, urna fesla nacional com-
memorando o 6 centenario da fundago da con-
federacSo.
O conselho federal desejava que a festa fosse
celebrada por cada cantao individualmente nc-
Io de Agosto, e que houvesse urna festa central
era Berne, no dia i do mesmo mez.
Italia
Foi notavel a declaraco feita ha poueos dias
pelo Sr. Crisp na cmara dos deputados italia-
na, declaragao que foi acolbida com o maior
prazer pelos sinceros amigos das relacOes cor-
deaes entre as naces. .
Tratava-se da discusso da resposta as dis-
curso da corda, na qual se alludia melhoria
das relacOes commerciaes entre a Italia e a
Franga, revelando-se o desejo de que ellas fos
sem mantidas do modo mais amigavel.
O deputado radical ?errari propoz que se 3up-
primis3e a palavra commerciaes n'aquella
phrase, sustentando que nao possivel melho-
rarem se, somente as relages commerciaes, sem
se melhorarem ao mesmo tempo as relagoes po-
lticas, conforme toda a nago deseja.
O Sr. Crisp negou que a palavra que o Sr.
Ferrari pretenda supprmir tivess o sentido
que elle Ihe attribue. Aflirmou que as retacOes
polticas entre os governos italiano e francez sao
excellentes, e que entre os Jous paizes apena
ha urna divergencia nos assumptos econmico?.
Accrescentou que o governo italiano foi o pri-
meiro a abrir o carainno para urna solugo cor-
deal.
Observou atada o presidente do conselho que
as tarifas differensiaes italianas foram conse-
quencia d is que a Franga e.-tabeleceu em Feve-
reiro de 1868. Espera que a iniciativa da Italia
ser seguida, e servir para estabelecer entre as
duas nacOes visiehas relages de amisade, que
todos desejara, porque mnguem deixar de de-
sejar que. a Franga e a Italia permanegam ami-
gas. Se fosse preciso acceotuar esta idea na
resposta ao discurso do throno. o Sr. Crisp no
se opporia.
O relator associou 35 s deelaraces do.gover-
no, declarando que nao se opporia emenda do
Sr. Ferrari, cuja necessidade, alias, nao reco
nbecia.
0 Sr. Ferrari tomou nota das declarages do
governo, com respeito melhoria das relagOes
polticas entre a Franga e a Italia, deu-se por
satisfeito, e desLo da 3ua emenda.
A imprensa europea registrou com satisfacao
as declarages do Sr. Cnspi, como tendendo a
desfazer as apprehenses que nos ltimos lem-
pos tem havido acerca da desin'elligencia entre
a Franga e a Dalia.
O principe herdeiro da Italia projecta fa-
zer urna viagem na prxima primavera a Hes-
panha e s colonias africanas.
O Sr. Giolitti, ministro do thesouro apresen-
tou cmara Jos deputados o seu relatorlo fi-
nanceiro, no qual diz estar assegurado o servigo
do thesouro nao s para o corrente ew-icio,
mas tambem para o de 1890-91, graga as se-
ias economas que se fizeram ? continuando as-
ira, ha-de chegarse ao equilibrio do orgamen-
to, mas sero inevitaveis novos impostos, se
quizerem novas despeza3. A cmara applaudio
o relatorio. .
, -~ O ministro Tez na cmara urna exposigao
iio estado financeiro do reino M'-.strou s >. opti-
'mista, declaran In que noorgamento de 189091
o dficit se elevara apenas a 32 milbOes de liras,
Homprehendidos ueste os novos cr^ttos pedidos
Vuto para o exercila, como parajtecaraiiihos de
ferro. As economirS realisadas ro da impor-
tmela de 40 milhoes.
' Terminando, o mnist o indicou numerosas
providencias a'dminutrativas, que foram toma-
das para auguen.ar o producto dos actuaes im-
postos. Annunciou a apresentago de dous pro-
jectos de lei destinados a nelhorar a adWniJ-
tragao dos taba os e a organisar as laxas da 'iol-
sa. Reconnnendia reorganisacao des es'.abeie-
cimeotos de emissio e do crdito predial, e fez
ver a necessidade de proteger o crdito publico,
observando se as regras econ tnicas que preva-
lecem no mundo moderno, -e de que depende o
bem estar das clases populares.
Est era grandes apertos a situago tinanceira
do raunicioio da R-j na. Diz se que o syndico
da cidade procureu 1 Sr. Crisp, para o advertir
de que a cid.de o im deste nez, nao podera
satisfazeros sem encargos, se o ihesouro publi-
co Ihe nao acudir cora uin auxilio.
O governo italiano exonerou por um decre-
to o\ dous'syiidko? commu.aes de Unberlide e
do i'.iita de Castel o na Irabria. Estes dm- fuuc-
cinaiios, ao lomar posse depois de haver pnsta-
do jurament.. de fi.lelidade ao rei. baviam f'ito
urna declaragao restrictiva, segundo a qual o
juramento mili.-tu pa l g-r as convieges poticas individuaes..
Tnham dito mais que su-eilando-se dispo-
slgo anti-li eiall.. iei, cmillrmavam plenaneo-
te a sua f republicana.
Vio panli'-ar se brevemente em Roma as
memorias no laiiecido minisiro Benemeto Gar-
rolii. Sao coord nadas p"lo seu mnor anige,
Fredenco Nao li ano
AcaraT-h ios diputados approvuu por 208
votos contra 84 profogaco do cur^o legal ias
notuR do bae.
O oigao de ,i 1 tico hebdomadario '.orag-
g'o del Veris, refwind 1 -e trplice allwwat, de-
clara que ella oo pu le levar vantagen- a Italia,
poiqie n.. caso i'una ,pjerw victoriosa, ajana
noubteria mai do <\w- T e-.to, pagando T ies-
le-u.ra a; maos ;!.. Ale-.....ba, >u eominuaiido
a perteoc r a Att**' ia. No mso de. gu r,a des-
slfuriN a It'al.a an-18C s-hiaa perder outra
-Noda 1 11 ib > tui offerecid 1 um b-m-
qi-ie.u> U 'i 1 i-i l' "c ie- .l> Indepen-
dente, d- T ,- m e.na j. u .1 .>:.- -.dia-
liu. it. t ,. 1 loj. e pe depaados i:on-
serva'1-. B-i- Rux i' -i lentee vi -e pre-
Sij 11 i' -i 1 li i.upiens*.
1) inii-i 1 ......ue'iiJu iws anies
euiqj.i Etona,mouarchicoa
loetasos, iumd onraen-tarios quemo deixavam
duridas sobre o ntmto dos promotores.


-~M
i:




m
-



.
-
r-




Diario de PernambucoQuarta-feira 8 de Janeiro de 1890
*





v

*

A manifestado foi com effeito, claramente ir-
redentista.
Entre os brindaa-heuve am numorn de B*r-
iank, e outro, exsmiudo o deatjo d* que en
brev u-n banquatoaematoante-aaunaaameaatos
convivas em Triaeto ligas Itasa.
Foi validad atleiafta .Sborbarai Favast-
ceu ao deputado toseras a occasiia para sea
discurso aggresstoaao gam-m por nr porto
em liberdade imaasniatsaaaeto: protosaer.
Baecarioi r>curmaeM*n liretoede ramr
as sentengas dos titonsi. na* rasaaame
Sborbaro ciernen*, real.
A discusso, hautante violenta, terminou por
um discuso de Crisp, em que elle ieclarou que
a prsalo, on do corpo eleitoral, ou ia esquerda
aenhuma influencia teria as decisOes da cor i.
O governo repelle qualqer resolugao neste sea
tido.
Santa S
No principio do prximo Feverelro ira a
Roma urna grande peregrinacio italiana. Os
bispos foram convidados a reunir pira aquelle
Im o maior numero possivel de- liis, porque o
Vaticano pretende attribuir queile acto o car-
cter de urna manifestado contra a lei das obras
piis.
Tem sido muito commentado em Boma, e
em Bertira o ficto do imperador Guilberme re-
cusar ao director do jomar catnolico de Travs,
e capeHo Desbach, licenga para acceitar a
orden Pro retraa et pontfice, que o papa lhe
conferio. Esta re asa que parece tender a beba
car Leao XI/I, nao melhorar por certo as rea
cOes entre a Alleraanha e o Vaticano.
O New YorkH^rali annuncia que vai consti-
tuir se brevemente em Nova York um banco,
gob o patronato dopa-a, para administrar e lazer
fructificar os ca pitaes e rendimeutos da Santa
S. assim como as fortunas particulares dos
memoro do clero catnolico.
O capital -ociaI de banco ser de dez milbOes
de libras sterlinas, isto 45:000 conlos de ris.
A sua sede central ser em Njva York, mas ha-
ver soriursaes em diversas cidades especial-
mente era Londres, Pars, Burlim. Vienna, Ham
bu~go, S Petersburgo. Barcelona. <-tc.
O joroui americano diz. que esto ji escolhi-
dos os directores daqueflas succarsae3, sendo
o BVSS Garlos de Bernard o da de Paris.
O mesroo jornal recebeu um telegramma de
Roma, esi que se diz qne o moosenhor Rampol-
la, secrriano de estado do papa, declaro nada,1
saber com respeit> a tal banco, e qua a dita no
ticia ali considerada ama pura invengo.
Dizem de Roma ao Oatia Chronicie que o
Sr. Isvolski, agente diplomtico russo, junto do
'Vaticano, volcou de S Petersburgo, levando o
con ?enti meato do czar para as nomeagoes de
brspos, que devem ser feitas no p oximo consis
torio.
Hj poueos dias que o czar lirmouo convenio
entre a curia romana e a Russia.
O correspondente especial da PaU Mal Ga
sette em Ruma annuncii qae Lelo XID acaba de
terminar a eneyelica em que acce.ta quaes sao
es deveres doseatholicos.
Esse importan le documento examina todas as
circunstancias da vida particular ou publica em
que um ebristo se pode encontrar, e assignala
as regras pelas quaes este deve amoldar o seu
procediraento em cada caso.
A en-.yMica em questo ser traduzida nos
principis idiomas da Eu-opa, e calculase que
ser publicada em fins de Janeiro.
No prximo consiliario o papa protestar con
tra o prefecto de lei relativo s obras pias, qne
a cmara italiana discote actulmente.
TamDem protestara nos termos mais enrgicos
contra a rcsolago, em virtude la qual o governo
italiano depz monseoher Pellegnni.
Em breve se celebrarlo duas beatificagaes:
a primeira, a do memoravel Pompilio Piorotti.
verificar se-h i a 28 de Junei'o, o a segunda, a
do bispo da Salaces, Juveoal Ancina, em 9 de
Fevereiro.
O p pa fixou esta ultima data, afira de que os
peregrinos italianas possom assistir a cerimonia
Por occasio do c nsistorio qae se reali ara
no Vaticano no dia 30 de D -zambra, o papa
pronunciar urna impirtantisbima allocuco. em
que serio tratados vhos assumptos da aduali
lid?.
Meven se qu- o soberano pontfice repetir
a aflirmagSu de que a MtBJCe da Santa 9 em
Roma ca la va mms tilfieil era conseqaenciu
o proae liment do governo e das autoridades
italiana-.
Um teh'^'unnu de Roma para- o Daily
News decrente o oato de que a Franca esteju
sepuindo e-'ra .desco'ifhnca as negciagoes do
general inglez si John Liatn Siramous com o
Vaticano e diz cr r que monsenhor Mermillod,
bispo de L-io-anne. a?ra creado cardeal no pri
metro consistorio
Inda'erra
Asiegora-8e que a ainha Victoria abrir pes
goal'npof'' o parlamento, e que a ab*rtora da
sesso ser un pauoo retardada
t;oa'i.iuin. oa eonflictos entre os palrtM-
e os operarios; e, w coasequencia d'ell-s, con
tiaua ii is gntm E-*8o ellas sen^li oum'rosa^
ha ak'ins nez" Julaava se agoca qae r-1 ha )"
eotra.d n'um ueriwdu de calmara, mas bem de
press i p desfrs es a illu- .
A grande gire d s doeas, a unio des traba
lnadofp n'uoia pode1 osa TreuU Union, e o bom
xito qu<' elles obtiveram n'aquellagrn pa.en-
teren) exerrido "as clasees opera ra; urna n
ffaeai.:ia w^rn ciosa
Acloalmrtti a ida le de Londres ft araea-
oada de uma grce, qe as mais inconimod*-
que se podiam imagina1' na presente quadra do
anno. K' a dos operarios da comptohia sul
m- t fpoana do gaz qu fornece il tumi naca >
de ama grande parte dos dtatrictus metrpoli
tao? da margem direita do Tamsa. Ha aqu lies operarios, ^m numero d" 2,000, nten
taram abandonar o trabalho, euua graade partq
dr-'capital (icaria sem gal, ou pelo menos, teria
que aceitar um rateio como aconteceit era Man
chester, on*? dura/ite algans das, apenas se
accemleu um bico de gaz para cada dous. a
)'"' a preaso era ti i fraca, qne em umita
casas e estabeJeao)! n os h.w.i uocessidaJe e
te recorre" la do potrolea.
Em Londres, onde os nevoeiros sao roais fre
quentes e mais espejeos do que em Mweester,
e onde durante o invern se acceode o gaz s
3 liora da tartle qoantdo nao naoessario telo
acceso todo o da, taso muito jrave a grce
que se annuncia, porque vai incommodar de um
iodo muito serio tima grande parte da popu
laco.
Hada, por quiste, faz prever uma soluco
satisfactoria para o conflicto. A companbia do
raz declara se pr>mp'a ?. j ates libras, do que ceder e por uma parte os op*-ra-
rtos, sustentados pela Trade Union, mostram-se
igsa!n>ente ispostos a nao desistir das suas exi-
gencias.
NSo dessnimou a Inglaterra, no sea empenho
de obter a converso da divida publica doE-;ypto,
converso que ha mez-s a Franea declarau
admittir, se o governo \agUz consentisse em
ixa&.a po~a em qo poria termo occupaya>
.d'a'inelle paiz.
Asora de novo o governo egyacio volu a ver
e coo-egue aquelle desidertum dos creaores in
glezes. Afliniu se que brevemante va. substet
fe~ s.potn:ias projectos importantes de refor
mas fi-caes, entre as quaes se comprehende a
inppresso do trabalho gratuito, que os borneas
do campo sao obrigatfos a prestar ao governo
a cu!tu a fio slo.
Aquella providencia 6 incontestavelme.ite justa
at necessa ia; n>as defronta-se com al^uaas
fKi-uId des. Urna d'elhs consiste na compen
aguo de qae tbesouro egypcio precisa para a
per.a do valor do trabalho ob igaorio. Essa
compensac'.i s poder procurar se no augmento
o impoto sobre a propriedale, ou na converso
da divida previlegiada, com a qual possa realisar
uma diminuico de juros.
E' fuodando-se no intuito de recorrer a este
ultimo meio, que o governo egypcio appella pa-
ra a boa vootade da Franca, reclamando della a
ua annueneia converso da divida. Para a le
var a tal accordo, pretende convencel-a de que,
annuindo converso, ella colher a gloria de
beneficiar com a supprtmo do txabalho obri
f;atorio, os fellaks egypcios. NSo somente isso
ara que se lbe perdoe a sua anterior opnosice
providencia de que se trata, mas tambem es-
ta opposico redundar em sea beneficio, pok
que- ter obrigado o governo egypcio a cooquis*
tar a sua annueneia a prego da aboliclio do tra-
balho obligatorio.
fi' muito pouco provavel que a Franca se dei-
xe eagodar com a perspectiva de tal glorila e
detae de prescindir da clausula que tem exigido
isto que a Inglaterra fixe definitivamente a
poca da retirada das tropas britannicas do
Egypto.
Diz um jornal inglez qne a rainha Victoria
faca. brevemelA ana vuggm vAUomanha afita
dvitar aissMaSrisPnacriea astfironbefje e
ir eat laJun*a muMavaiao do aa*
m qua esth
aira dar Fraarico.
0 ccaaaaaimiarmi a fcassres, r
eat dia9aanresoiar mam a. festa qm se
apara um haaaa dfStantrf, qpano aflate
aatar AfraL
bdSautaB* Loadra ameemm quaSten-
v ),ia laataasrra; os da BaanHas
sarta n qi sw* para etfes a priaierra vistea.
Segundo dizem oitelegrammasdeLoolres,
Parnell ao chegar no dia 18 de Dizembro aSot-
tiogham, fji recebido com grande eothustasmo
pelos liberaos. Respondendo a um toast no al-
moco que lbe offereceram, Parnell liase que nao
tem receio algura de que o relatorio da commis-
so judciaria possa prejulicir o movimenlo
nacionalista agrario na Iran ia. Accresceolou
que, apenas se obteoha a autonoma os seas es-
foscos se dirigirto no sen ido d aimnar o de-
senvolvimentu iolustrial da Irlanda para dimi-
nuir o numera excessivo dos trabalhadoras oc-
cupados na agricultupa.
A* noato, nBStM proooteroa mu fjsamwa dis-
curso em preieoc/i de u jw iiuorosaatisistencia.
Disse que a sympatht manifestada^ pelo povo
inglez I tan*, faz ors do qae 2(r amos de
coerja para m^ater os rlandeaes no espirito
da coantUni$o affistal-os do crime.
Embora nao sffj im?ssivl goveruar a Ir
amia pela coereao, continnou Parnell, nao cria
elle, oradjr, qae se polcase faze'-o con xito,
por meio do systema hybrr Balfeuc.
Este ultniH., disse o orador, coatmettea varips
erro*. Entre outros, nao tratem na lei de 1887
de prever a serte dos reatieiros; esta negligea
cia originou um novo m )vi.neoto agrario, que
varrer A. Balfeur e os seus- oartidarios, como
se foaseuaama p>-qa--ia p tilia levada pelo vento-
ttlemanba
Tjen desenvolvWo orna enorme actividade
nos arttmos temos os socialistas de Beriira.
Nos primeiros das de Dezembro celebraraiT
101 rennioes. das qaaes 21 forain grandes as-
sembi-as p'iWi'.as 7 reunios eleitoraes, 26 re
uaies pabliffis operaras, e 96 de so-edades
prossionies.
No periodo correspondente ao mez deNavem-
bro twviam tido 7* reunies. Cada vez aflamen
ia mais a contianca ;ue poem nos seus Srorcos
e no seu valor, como alguos factos o esto de
mostrando.
Ultimameate, ordenando ura official de poli-
ca a dissofueo de urna reuuio aperarla, cinco
ou seis dos sisteates ag^rediram-o violenta
mente. Em vista do respeito qne a populacao d-.
Alleounba prufessa pela poHcia, aquello facto
tem altasignilieaco. Alguraas das ultimas grt-
vet, especialmente as de l.uchetrwalde, perlo de
Berlim, tonta provcalas a estn sendo mana-
das pelos estorbos dos socialistas tl'aquella ca
pilal
O congresso socialista reunido em Paris ha
mezes decidi que no dia r de Mbrco de 1890
haja urna grande raanifestaco internacional em
favor do estabeleciraeno da da de oito horas
de trabalho. Os socialistas de Berm, que a
principio se baviam mostrado contrarios idea
de tal uianifestaco. roran>se pouco a pouco at-
fecoaiido a ella, e para isso cootrbuio princi
palmeiie ama reanio qne houve em Risdorf,
nos arredores d'aquella cidade. Nao somente
esto revolvidos a tomar parte em tal maoifes
tago, mas esto j reanifldo quota3 cojo pro
du<-.to enviara para a Suissa, para a fu'i lat; < de
ura jornal socialista que ah vai apparecer. es
cripto em alleoto, e intituladoO Dia de oito
horas.
Por ordem do imperador, o ministro da
guerra du Alleraanha mandn publicar ama se-
ne de livros-de canto, e dirigi instruccSes aos
chefe dos corpos do exercito convidaudo os a
que facam que tolos os soldados aprendam a
c otar.
Igaaes in Iruc^es foram dadas pelo ministro
da inariuha aos chefes das esquadras.
A lei, em virtnde da qual os jesutas e as
ordeou religiosas qoe se hgum '.ompanhia de
Jess, foram expulsos de todo o territorio alie
mo, foi applicala aos primeires das de De-
zembro no districto de Dmea, Prussra. Osre-
demp'oristas tinbam ido a Lhorn .-chh :h M-.'-
rod, e all inhaa convocado uma assemblea
caama iamissao.
Em Dare, os jesmtas tmbam levado o atr.'
vimento a desembarcarera, e a annur.ciarem que
aru n contereuc as de scieocia popular, destma
das especialmente aos catxetras ue cuaraer. io.
Redeiiiiiioi'i-tas e jesutas foram reeonduzidos
frori i-ira do imperio.
parlamento federal da Alleaanhn foi
ada, lo para 8 de Janetro.
% uvtrW lluusrUi
O piesidenu docoaselbu Je-ini.nstrosda Hun
Kriadirigi a caraaca dos utagna.es uma coiu-
uiumca^ao, em que lava cootade que o imper-
is iiavia sauccUHiado a reouncla .lo arci-du-
qui Juo a calo,-goda o au Ululo que pu>sui i.
A cmara registrando esta commuuica^o,
r.soj ao arqui duque da lista dos -eus mam
aros.
A alta, socie lade de Vienna sollreu agora
pardas mpoiiantes ua falleacia, da casa baaca-
ria Ki-s4er. Entre as victimas coala se o archi-
duque Juo, que ha, ouco reouaciou e sua ca
alegara e titulo, e agora se chama apenas Jjao
Orih Es-e perdeu tola a sua fortuna passaal.
Sorreu o carJeal Gaoglbaoer, arcebtspo de
V.em.a, e membro da cmara austraca dos se-
nhores.
No eichsrath austraco, no principio da
siKsao de 13, Derschatta, e muitos outros depu-
lados, interpllaram o ministro sobre as med
das rigoroias tomadas coatra as associaces ac
demicai cujas salas sao ornaoieutadas com os
retratos do imperador Guilherrae, do imperador
Frederico, de Bsmarck e do conde de Moltne.
Era Gr.tz. e em muitos outro3 pon.tos a po-
lica ('..-Ider.ju aquellos retratos como ama
inanifeslao poltica contraria aos estatu-
tos, e mandou dissolver ?s associacOe.
Derscbatr e os outro3 interpellantes continua
ram perguntando a ministro do interior como
que a prohibijo de que se exnuzessem aquel-
les retratos pode coioordar cono aailiansa aus-
tro-allema.e se ji foram dadas ordens para sos-
ter o inqualificavel procedimesto das antorida
des.
Consta em B rlim que a imneratriz Elisa-
beth le Austria foi atacada de alieaac,o mental,'
durante a sua recente viagem pelo mar.
Parece que em Corfr tentou atirar-se i asua.
A'gunsjornaes asseverara que a noticia mere-
ce crdito.
Kebentou uma grande grce as minas de
carvao de Kezla, junto de Orsosa. E;t5o mil
operarios sem trabalhar.
Como manifestavam disposigOes ameagadoras,
foram reclamadas tropas para o local da grve.
A cmara de commer:io de Vienna pedio a
opioio de um ceit-i numero de gran les indus-
traes e de sociedades industriaes importantes,
a-siin como das duzentas casas de commerjio,
que gozara de maior crdito, relativamente
parte que deva tomar na gr^nle exposijao uni-
versal amer.' aua de 1892.
A maior parte dos interessactos maniestou se
disposta a tomar parte nesse certamen, mas
mostraram dasejo de que o governo tomasse a
iniciativa da nomearo d'umi commisso ofli-
cii!.
pssls
Est ajustado o casamento do czarejvitcb Nico
lau com a princeza Maria da Grecia, devendo os
esponsaes ser proclamados na prxima prima
vera; mas, com3 a princeza tem apenas W5 annos
de idade, o matrimonio ser celebrado somente
d qui ha dons annos.
Oczarjulgou, depois de ma(Jura delibera-
Cao, que nao devia legalisar a detntsso do em-
prestimo blgaro colado na bolsa de Vienna.
A nova lei, que acaba Je ser proatalga ia,
tornando obrig&torio o uso da lingaa rnssa as
provincias blticas, d um novo_ golpe gravissi
mo no germanismo dessas provacias.
Acaba de ser preso em SeStstopol um es-
pan inglez, que se dispunha a desenhar os pa
nos das fortincacGes d'aquella cidade.
Em casa delle foram encntralos documentos
anulo compromettedores.
As esquadras masas dos mares Negro e
Bltico sero prximamente, reforjadas com
dous gtandes courasados e alguns barcos torpe-
deiros, cada urna.
Bulgaria
Corre com grande insistencia em Sopbia o
boato de que o principe da Bulgaria vai realisar
um negocio com a Turqua 0 sulto nao s
reconbecer o principe Fernando, mas consen-
tir em que o principado se torne independente
e se caamita* aat. reino. A Balgaria aagar 23
millifta A Saahaan Porta, atoa de qpa toa pae
sa pagar o tributo de gaarra ia >o*ta> peto. Bas-
~ r um pacabafgaca, .tpaStttof,
inajociacSMj a-paranaa tovat-aa a
bom
HajeSJhat drado aa prlatopt uma raanria
fue teraatoa patoesriilnia- aaaclualo daqpe a
latiera Ja ciar aaacatanr. tofo qae cteveja
acoaaaaa Batgaria a Parto.
Hotsdaaa. aoi sia era 1877.
que dafS
Nj dfe Io d^ Utezembro os estndantes da rjni-
versidade Nacional da Grecia queimaram todos
os exemplares que poderam ha ver s mos de
jornal Acrpolis, que, n'um artigo intitulado O
principe herdeuo da Grecia, contmba insultos ao
povo francez.
Nao contentes com isso, eaviaram aoSr. Meo
tnoioo, emoaixador de Franca em Alhenas, a se
guinte mensagem:
Os estudantes da Universidade Nacional da
Grecia, reunidos boje porta da Uaiverstdade, e
profundamente commovidos pelos insultos que
un jornal de m f dirige ao povo fraaee*, ro-
gam a V. Exc. se digne levar ao cnahacaeiUo
do gwverno da Repabtca Pranceza, e ao desse
nobtlissimo povo, que o povo grego nanea d i
xir de consagrar Franga urna sincera grati
dao. e uma amisade cordeal. Rogam ao me: mo
lempo a V. Exc. nao d a mnima importancia
aos es ripios de m f que a sociedade grega
unanimemeota reprova.
leiiegrro
0 c-01?0-DU da ciatura Para ciuia. conseguir O estado sanitario bom apezar das chavas
apataassar-se da borda a> auaio, e iSjpas. incessantes daa\a o da 3 da carrate.
"ozes atirara-ae-aaast, ooaa rrataa- i L-se atnM fotna, sb o titula- Jln^-
catoiiIBculdade proenravaakangar a tem; ;nlie centraldt ii/ft ~
es,
par
m
iciasa-
Na Albania tem se ltimamente refugiado Chiabotto.
grande numero de familias moateoegrinas fu
indo forae, que assola o seo paiz. As auto
ridades de Sen tari re:eberam ordem para soc
correr estes iafeliaes, e diaem da Constantino
pa o sultao mandoa dar ao principe Nicolao
Motilen ru uma esmola avallada par dividir
pelas victimas desse flagello.
Turqua
O gavera curco promulgo aitim cente uin
firman eom varias ipost^Oes retativas illi'a
de Greta. Naw eweowrauros ainda no3 jornaes
o texto d'aquello diploma ; raa> parece qne elle,
longtt'de dar sati-4aco aa reelanaueoes dos ere
tenses, an.es a^grava a situac/to destes com ri
gores noves.
Ttnbi-se aanonci ido a correessao de uma am-
nista aos chefes da recente insorreiao. em re-
adiado da iutervenco diploaiatta da Grecia, e
da visita do imperador da Alleraai ha a Con
suintmopla: roas as ultimas noticias levara a
crer que esse aonunsio flcou mailogrado.
Diaem que o firmn da Turqua nao s pro-
duzio grande desconten (amento em Caoa, e em
uatfw, mas tamoein saseito protestos vefre-
raentes da parte d3 jarnaes de Alhenas, que
acoatielaam o*creteosj a resistirera s dispo
s'.ces d'aquelle documento. Os representaates
diplomticos das potencias na Grecia reeekrm
novas complicaces, e as correspondencias de
Alhenas sao Concordes enn affirraar que se de-
vtrin receiar grave in 'dentes. se a Porta nao se
resolver a atfendar, pelo menos em parte, s re
clama*;0 -s e queixa da populacao de Grata.
Uma circamstancia ple concorrer fortemen-
le para aggravar a sttuaco. E* a infaencia da
opnno publica da Grecia, qae pode obngar o
governo d'aquelle paiz a entrar, coatra sna von
tade, no camiaho da iatervencSo aetia.
Dtx um telegrarama de Atheaas para o
Standard que aa dntrietj de Sphakia, em Cre
ta, i oave um confcto enir j os insurrectos e as
tropas tar -as, ficando martes SO homens.
- Diz o Daily News, que foram presas inuitas
pesaoas era Constaotioopla e Tilfis. acensada de
ha^erern propomoKido ao correspondente da
quelle jornal i iforuwco': sobre o occorrido em
Creta. G DaiiyNews diz nao ler fuhdqmento tal
aecusace.
FRICA
M r r-o r o M
0 sulto di- Marrocos mandou prender um ir
mao seu.
A prrra effeMaou-se em seguida a ama seena
violenta entre os dous princip-a.
O saUao irritou se cora as obnervasfies do ir-
iiiao. Este censurou a m a'lraiuis'.ra;ffo, attri-
buindo a responsabilidade ao soberano pelo mo
systema adoptado por este para reger o impe-
rio.
Consta que o sult iavaeo proa pretexto da
sua medida de ngar a audacia de Irmo.
& ver a^eiro motivo, da ira imperial foi o con
tniio de varias carta iaterceptadas pelo impe-
rador.
N'ellas se jnstilicava a desconflanca existente
e se roa ni fes tav.t >n propsitos de conspi-racSo
lcontra a actual ordera de e.ousas.
Tratava se de impedir a transmissao do go
verno ao nerdeiro presnmptivo Moley Abdel
Axis.
O caso produzie profunda ensaco.
As kabilas continuam a sublevar se.
Os irrteresses dos subditos braaileiros em
Tnger esto e.onliados legago de Portugal em
M irrocos, emquando nao for providenciado a
tal respeito pelo governo do Rio de Janeiro.
Eyta
Um telegrarama do Cairo para 0 Times, faz ob
stM-var. a u.-.>p isito das visus da Italia sobre
Agig, que a questo do Soldao boje muito de-
ferente do que era ; com efiVito, se a Italia se
torna predominante na Abyssinia, certo qua o
carainho mais fcil para ir a Khartum ser Mas-
aoab e K i-sal; at ago a os partidarios do abau
dono do Soldo argumentavam na hypotli se de
qu.' nenhuraa pitencia poderia oceupar Knartura
a situaco esta a^ora mudada; 6 indiscutivel que
o estado cvilisado que peder oceupar Khartum
vira a ser praticameale seuhor do Egypto.
Diz o na -sino telegrarama que o vapor egypcio
Mausurah partir p ovavelmente de Monibica a
26 de Dizembro levando Stanley, Eran-Pacha, e
os outros membros da expediga que quiaereto
ir ao Cairo.
Varios jornaes consideran! inminente a ad-
rr-ao, UFr :ii,'a e da Suss lcinv.-rs> da iivKla
ptihlica" et'ypcia, visto quep'governo egypaio
est (lap i tu. segundo a reconimenlac/o da
Pranga e da Bussia^a emp regar o producto da
converja j em'sBppnmir a prestar i do trabalho
gcatuito.
Xinxil;ir
O chefe rabe, Bocnire foi enforeado era virtu
de da swntenca,do conselho Je guerra presidido
pelo major Wiismann.
Tinha sido aprisionado perto de Pangani pelo
Sr. Schmidt.
Etnin-Pach est livre de perigo.
O cnsul geral de Inglaterra em Zamribar
ouereceu ura jantar aos 50 zanzibaristas qae li-
zeram parte da xpedigao de St;aley. 0 janlar
foi servido por senhoras.
Sunl-^y i aeu3 ollieiaes assistiram ao fistlm.
Cada um dos zamziuaristaB reciiteu nm donativo
pecuniario.
0 navio de guerra ingl&z lleindeer apri3i>
aou ny costa orienlal da frica, n'umi angra da
Una de Qemba, perto de Zanzbar, um dJioic
rabe, que tinha a sej larclo I2i eacrayaj eque.
havia C3cajaj '. ;^'ilaiicia do t(S cu'ros na-
vios de guerra inglazes
AquelJbs escravos, apanbados no interior da
frica, eram. deslinados iltu de Qemba, e de
viam render 10 libras por cabega aos rabes que
03 haviaui csciav.saJo.
Faziam parte do uma caravana de 600 capli
vos, que todos emiiarcavam em dhows, activa-
mente procurados pela esquadra britannica. Os
rabes cae intrads a bordo do dhow capturado
foram mullidos na cadeia, e aquella eaibarcaco
destruida.
Segundo um telegrarama de Zanzbar para
o Times, a influencia da Alleraanha. em Ziazi
bar, e em todo o liltoral continental do sultana-
to, tem augmentado considravelmente nos ul
timos seis mezes.
Todos as in forra ages aovanvmte recabidas,
tendem a confirma: a noticia 4o morticinio do
explorador alltrai., *Sr. Peiars e'aeas compa-
nbeiros. Nao escapou membro algum da ex
pedigo.
occasij, vendo-se pr-e2.
dous tripolantes d smnsim
toaasto mais appareceu.
A' ato da denuncia odafaaaau de i
drigo T.e Alraeida maaatoa etoaiar A
tana acapto Mithie:
gado adarou que ti
Jensaa asado de trra auat uub iacc-to,
trra-rhe ao respeito, pelo que vira se obrigado
Por decreton. 9*de 2Tdeste oaez fjiauo
risado Joaqa Igaam Pantra a eaaraaar n
coastrucc da urssSenjeaso cestrat, daana
do ao fabrica e aaaaear e de alcaol de canm
pelo systeraaardiBatoo, oeaaitald 1.13:80 >,
o qaat sea^o intorra-! sobre o qual lar haaaa coacatido o i eruto de
a-atawlanto AJtoaft l de Abril attonoaararitiadaj irwda &*/***
j auno para coaiaiatalii dae Lihaieaa- o ta'
' natureza, mas de systema diverso daquelle. A
mandal o algemar e recolner ao ranro, de onde ; nova fabrica ser situada no rnuaicipi do C ara
conseguir fagir estira--- A agua, nao sendo Mena, do ftto Grande do Norte, deveodo tr ea-
possivul salval o, apezar de ter mandado em seo pacidadepara trabalbar no mnimo 450 tonela-
socarro um bote cora dous tripolantes. d-s de canna por dia.
Foi mais interroxadu ura tripolaate .que con- Foram ao m^smo terapo marcado o prazo de
firmn as deedaragoes do capito, aecresceotan lo quatro raez"s para aprese.itago dos planos a
que este mandara alternar Alfredo Jenst-n por orcamento. bem como d 18 mezes, canta ios da
querer brigar cora toda a tripolago
Furara inquiridos outros tripola .tes.
- No htgar denominado Quatorze Co'omis,
districto da .,axias, uos bandidos que alli an-
dan espalhando o susto e o terror, assaltaram
uma casa am Nova P m mrm a aiaatatoaraat o
moradores, roubaram e deilaram fogo ao predio.
- No Algrete o capito Joo Das dos Saa-
tos, em acto de legitima defeza, disparou um
revolver contra o criador oriental Caetano Or
tiz, matando o iti*taataneau*mte.
- Em Santa Maria da Bacca do Monte, Mi-
noel Mtra, guarda chave da estrada de ferro,
assassiaou a faeada* o chefe da liona Isidoro
ul do Brasil
Tivemos aa seguinteg noticias :
Kstado da tola Ctracute do Sol
Datas- at 27 de Dezembro :
Noticiara o Echo do Sul que um tripulante do
patacho dinamarquez Hansine Marte, ancorado
no porto do Rio Grande, depois de atrozmente I
castigado a bordo, com os pulsos algemados e I a rio Peixe.
Em S. Borja foi aggreiido e assassidado
em sui residencia. Jaauario Alves de Castro, aen-
do tambera ferida sua esposa que aecudira a
defendelo..
Faleceranz: no Bio-Grande D. Wimfred
Caretaa Landell e Joo Rosselli.
totaala d* Sauta, c*tuarta
No dia 22 o Dr. Lauto Muller, govern .dor do
estado, parti para S. Fraacisco ac, visita ao
norte.
Fallecen, neDese-ro, na idade d^ 7 an
nos, Axnpiiloquio Nunws Pires, que-exercea va-
rios capgos de eleic,o paoular e de escolba d
governo.
Eatado de Nina* 4u-rae
Escreveram ao Jornal do Commercio'do Rio de
Janeiro:
eor ioioiativa do D.-. liaarique Gertetx, di-
rector da Escolado Minas, reaniraawe he|e (2S)
diversos cidados no edificio daquelle estabele-
ciraeno, e depois de exposto o fin da reunio
que crear-se no estraa,'eiro (de preferencia na
Franca) uma. espoaieo permanente dos produ-
ctos naturaes de Minas Gerae3, foi lula e appro
vada uma proclamago aos minaros, e qae ahai-
xo traiMerevemo, chamando os ao enpeuho de
tiabalharem todas para o mes-rao Bra, qual o en
graadrfciiaento do nasso Estado, por meio de
uma propaganda ut. seria e criteriosa, fra do
paiz.
Era um discurso, que pronuncou o Dr. G )r-
ce*, nwetrou o iustrado professor a neceasida-
de de um esforgo constante, eflicaz, n sealidw
de levarse vaate a sua idea, alias, merecedora
de todos os appkmsos.
Fez sen'ir os effeitos de nossa ineren, os re-
sulta ios prejudijiaes que os outros parces core a
propaganda em proveito proprto nos tm tcaiido.
Historioufacros quo atteitaca os sacrificios asa a
Franga tm empregado para desenvolver o seu
cuuimereio e a sua indastria, e apnellou-para o
taaumnta patritico dos Miaeires.
A' reanio compareoeram muitos profesores
da escola, diversos representantes da Itnnam e
outros cidados.
Melhor do que eu dir a proclamago lida na
riuni* o qae aq^ traascrevo :
Mioeiros! .+ uUiaias acoatecimenta*, que,
todos, vos conheceis, iando s antigs proviaeias
uma nova vida, cearam para todos nos novos
direo e tambem novos deveres. Eatre estes
deverea, nenhwa ha mus sgralo qae o da tra-
li.illiar cada wn, e> nos, coaunoae noasa nasigo
e na medida de uassas fjrgas, para o deseavolvi-
mento e progresso de nos-a briosa trra.
Al boje, foreoso coofessal o, Minas per-
maaecea descoohecida da Pesia da mando e at
quasi que ignorada, mesrna pelas ootraa antigs
provincias, nossas iraUs. Na Europa bum- piu-
cos a conhecem, e aingnem sabe exactamente
quo vastos sSo os no3S03 recursos, nem quo
valiosos -os eleraentos que possuimos, para nos
tornarmos fortes e respeitados.
E' timp(h! aahiriBoadeete- (etaargo, qae a
situago de Minas e mes no nossa ndole nos lom
feito por tantos annos snpporlar.
Mostramos ao raunk> o que realmente so-
mos e o que possaimos. Tenhiaaos f em nossa
futuro, porque nana canseguem os que em n,'.da
crm.
Mostremos ao estrangeiro a uberdade de
lean slo, as riqaeaas de rxwaa Ierra e de nos-
sas floiestas e a astaaklsMMta nesse clima.
Unarao nos em um pesameato patritico e
Uberterao-nos de una vez por todas dos fal-
sos precon;eitos, que pelo mundo correra. sobre
a insalubndade e difficuldadas da vid? no Bra-
zil
Chamemos a to 103 que quizerera auxiliar-
nos e apasHtotsa dos aeneflcios eriqueaas que
a natureza, a mos cheias^ derrameu em nosso
abengoado slo.
Sem receio de eontfestaco. digamos bem alto
que Minas, com territorio maior que grandes p -
tencias da Europa, com recursos superiores aos
deEsadosque sustentara exercitos, armadas e
goverrros apparatosos e custosos, com mais ..
de S.ft'O.OOd de habitantes, offereeja todos os
qui quiaerem trabalhar os meios de atngirem,
mata taeilmente que n qaalqoer oatra part, o
tira que todos nos deverao3 ler em visto : criar
filhos que vivam de nm trabalho hvre e indepen-
dente.
Na nos amedroitemos com a grandeza do
commettimeoto nem com as diffieuldades a ven-
cer.
Unamo-nos, tenhamos f, e venceremos.
" Para aleaner to patritico fim, de um modo
modesto porm com intima conviego de seren
uteis a Minas, recorrea os abaixo assignados a
todos os mioeiros, pedindu auxilios para a or-
gintsago du urna asseciacao, qua seoacape ex-
clusivamente do deseneolvim'nlu, industria c com
mercio do Estad) de Minas Geraes. *
<])* IVrfer.l
Datas at 31 de Dezembro :
Le-se no Jornal do Gommereia de 31 de Janeiro:
" O Sr. marechal Deodoro, chefe do governo
provisorio, deseen honten do hotel Vista-Alegre,
em Santa Thereza, para o palacio da ra Larga
de S. Joaqmm
A's 8 horas da manir S. Exc, acorapauba-
do de sua familia e de seu estado maior, capites
H'jrmes e Olyrapio da Fonseca, major Lobo Bo
telho, capito Percilio da Fonseca e Pedro Paulo
da Fonseca Galvo, tenente coronel Silva Porto,
cirurgiao de divisSo Joo Severiano, cirurgiao de
i.ri-rada Dr. Garcez Palha, e major honorario Dr.
Siqueira Crvalcante e o Sr. Alfredo de Barros,
tomn um bond especial da empreza Santa The-
reza e dirigio-se ao plano indinado, e d'ahi des-
ceu, tomando na ra do Riachuelo o bond es
peeial da companbia Carris Urbanos, cedido
pelo di rector-Rercntc da nrisma companhia, no
qual foram, alera do 8r. marechal Deodoro e sua
familia o sen estado -maior calgnmas oatra3 pes-
soas.
0 bond especialfoi a:ompanhadoe otrtro no
qual tomaram logar varias pessoas.
0 bond fez o trajelo pelas mas do Riachue-
lo, Conde d'Eu, Santa Anna, General Pedra, pra-
ga da Acclamago e roa Larga de S. Joaqnim,
onde chegou s 83/4 horas da raanhS.
S. Exc. apeou se e dirigio-se para o palacio,
antes, porra, de percorrer as suas dependen
cas, esteve no pavimento tjrreo escolbendo ac
commodages para alojamento da guarda do
mesmo palacio e do offieial commandante.
D'ahi ento S. Exc. subi ao andar superior
percorreudo todo elle.
Em todo esse trajecto o Sr. marechal apre-
sentava aspecto prasenteiroe forte, o qne deno-
ta que cada vez mais se accentoam as suas me-
lhoras.
O palacio est rica e elegantemente ador-
nado e mobiliatfo, ha vendo nelle todas as ac
coramodages indispenaaveis a- nm palacio de
chefe de Estado.
S. Exc. foi durante o dia visitado pelos Sr?.
ministres da fazenda e das relacoes exteno-
res.
L-se na mesma fblha de 3t, sob o titulo
Commisso de limites :
Telegramma de Palmaa noticia o segointe :
Est concluido e aastenado o servigo das
eabeceiras do Chapec e Jangada.
A commisso argentina parte no dia J*para
Buenos-Ayres e a bragilctra desee no dia 30 para
iioba, da arm da, do corpa de polica e da guar
da cvica, o mare-hal commandante das ..ras,
o Sr. Bario de S. Marcos e outros cavalUuiro.
Eutre outros brindes troca~am-se os s -goin
tes :
Do Hxui. Sr. Dr Maooel Victorino Prreira
aos Estados Unidos norte-americanos ao almi
rante Giles eao ckkdo Burkj, cnsul ameri
cano n't'ste estado.
Do almirante Giles e do cnsul americano
repblica dos Estados Uni ios do Brazil, ao
governo provisorio, ao exercilo e armada a. a
zileira.
Do Exm. St. Dr. Maooel Victoraa se exer-
cito brasimr ao general Deodoro, brindando-
o; na pessoa do general Hermes da Fonseca.
DoExta. Sr. Pr. Manoel Victorino aos Es-
tados Unidos norte americanos.
Do almirante Giles s senhoras brazilei-
ras.
m
lltUCO
Dezembro
o ft>larte de Perna
RTGALLiSBOt, 23 ie
de 1889
E' no dia 28 doste mez qu se realisa a solem-
nidade constitucional do juiaueno caedamago
d'elrei D. Carlos I. 0 respectivo progrmala j
foi publicado na folha offlciai.
A primeira parte desta solemnidade deve pas
sar-se as cortes, onde S. M, ractifiear perante
as duas cmaras reunidas ojuramentoprescripto
pela carta.
Em seguida suas magestades e a corte virc-
ao templo de S. Domingos, que o mais espa-
goso de Lisboa, assistir ao Te Deum em acgo de
gragas por este fausto aconteciraeuto.
D'alu dirigem-se os soberanos aos pagos do
conselho, onde se proceder tradiccional ccri
monia da entrega das chaves da cidade.
Esta serimonia tem se feito sempre no Terrei-
ro do Pago, em um pavilho armado para o acto ,
mas dpsta vez entendeu-se que tendo a casa da
cmara saloes magnficos e opulentamente deco-
rados, com uma escadaria monumental que para
oHes d ingreseo, melbor seria que a cerimonia
se fizesse D'aquelle edilicio.
N'essa noite haver recita de gala no theatro
de S. Carlos.
No dia segninte ha uma revista militar na Ave
nida da Liberdaie.
A guarnigo de Lisboa reforgada com os con
tingentes de todos os corpo* aquarteilados as
provincias, metiendo se em parada nns seis mil
homens de todas as armas.
Esto quasi completos o pavilho e tribunas
que se levantaram na Avenida, para S. M. a rai-
nha e corte, corpo diplomtico, cmaras legis-
lativas, tribffnaes, altos funecionanos, imprensa,
cmara municipal etc., etc.
El-rei assiste continencia da tropa, a. ca val-
lo, rodeado pela sua casa militar, e ofliciaes ge
nerars que re^eberam ordem de se incorporar
aquelle cortejo. .
No dia 31 deste mez haver banquete de gala
No Io de Janeiro, recepgo de gala, por motivo
da acclamago e dos comprionentoa de anno-
bom. ....
No dia a a abertura das cortes e principio da
nova legislatura
A cmara dos depulades transacta e que no
dia 28 recebe o juramento d'el-reL
A 1, noite, recita de gala etn S. Carlos.
. Como vem, uma semana de festejos e rego-
sijo publico, fazendo largo parenthesis ao lucio
nacional, como j o fez, ha dias, a cerimonia do
baptisado da infante D. Manoel', em que o lucto
foi susaaneo.
A' noite, os edificios do estado tinbam posto
luminarias, e entretanto, o sinos de S. Roque
entretinflara-se a dobrar a finados, porque no
lia seguinte n'aquella igreja se feriara aa exe-
qiiw ao 1 laatlm r~i D. Lato i, mandadas cele
orar pela piaaaaaria aaMaaricardia.
Vas sido trata! mstiliit* e wecea os a!e-
oa>demonntoBe*toselaa.que j ninguem
a atonde
O awio lucte aa papaljaa, principa ramte
fasisiso, de Ltohoa, aawce m vai ser pisto
aftinitmraeni de partodess o dia 28.
Qatat) de sjaom ibumc f
To la as liatoa de csaaiiaa de ferro estbe-
toaeraa peen rauzidB aa Wae volt' para as
*i8 da acclamaco. Fofga o coramercio da
Baixa.
As galeras da cmara dos depota los compor-
um oito vntos lugares. Ha pedidos para o tri-
plo. Tem-sa alagado janeilas por pregos f.bu-
jsos. ai fin um. f-b e destas esbibigesepe-
i-'t-i uio-a e easenciaimente theafraes que f/.era
parte e-sencial do culto externo di ruotia'-chii...
carao d- tilos o^ cultoa.
- A inflwnz i, febre dengue, ou grippe, ou dan-
dy c>mo tne chamara os ingleze- a a temos.
E' um i epidemia que grassa ago a en toda a
Eiropa, desde S. -Potersaurg-i a L:shoa, nia
respitandu situagoVs de fortuna e :. -o.
Prineipes, prineezas, ministros de ettad>, bin-
queiros. operarijs, pobres ditlH>sr as enanca
dos collegio snidaate da acotas, velaos
e novos, nada escapa importuna topanete; cu
trancazo, que o norae que lhe Uo os oossos
visinhos hespanhoes onde s "m Madrid ha
20000 doentes, indurado quavo ministros da
coroa.
Diz um dos no-,sos primeirn clinico3, oDr.
Carlo3 Tavares, queja desde Agosto e'la c esta.
Seia assin.
O numero dos atacados em Lisboa, nao por
ora muito consideravel, raa< nos correos, tele-
g'aph is e caminhos de ferro j fem sido neces
sario tomar providencias para o servigo nao ser
interrompido. Na casa Pa, de Be lera, ha 193
orphos em tratamento hora em que lhe es-
ore vo.
A molestia porm, muito benigna. 0 mais
que durasen 4 iUs ; todava sao dolorosos, e
muitos inconmodos os soff imentos que produz.
E' urna doenca chic e da moda. Dizem que de
bom tom para una cidoda que se pieze a or,gal-a
nos seus muros.
Os h ispitae? de Lisboa esto abarrotando de
doentes.
Apezar' do .seu ckiquismo ou dandysmo, creiata
bom que a dispenso e fago votos para que me
nao venha importunar e pelo menos, em vesperal
de paquete.
#
Os Srs. condes d'Eu partiram de Lisboa a 17
do correte no comblo da noite para San Lucas
do Barrameda, prximo de Svilha, a:ompaoha-
do^ de seu sobnnho o Sr.1 D. Pedw Augusto
dos Srs. Baro de Loreto e Muritiba. Relarda-
ram a viagem por causa de ter aloecido seu
filtro D. Luiz. Vo hospedarse em casa dos du-
ques d Mjntpenster.
Foram **re de e netos o Sr. D. Pedro de Alcntara e sua con-
sorte.
El re D. Carlos, S. A. o S-\ infante D. Affon-
so e varias pessoas da corle corapareceram tm-
besxao bo(a4ots dos nossos illv&lres ho-p"dcs
brasileros.
Por doeuga, ainda que leve, de S. M. a mpe-
ratriz. que anda os imperadores nao foram
para Coimhra, donde tenciooam seguir para
o-Borto, e de t para a Franga peloc ainioho da
ferro de Salamanca. 0 Sr. D. Pedro de Alcn-
tara, segundo informara de Caifbes, mandou re-
servar aposentos no hotel Beausjour, onde por
mais de uma vez se tem alojado.
A 1 i deste mez, o Sr. con le de Aljezur fez
puDlicar nos jornaes de Lisboa a seguinte de-
claraeao :
Sr. redactor. Tendo alguns jornaes, tanto
portuguezes como de outros paizes, publicado,
interview**, ou coafereecias, de diversos redacto-
res e correspondentes com Sua Magesladc o Im-
perador e com Suas Altezas a princeza Imperial
o Sr. Conde J'. peco a V. seja servido de-
clarar que os illustres jornalistas, que Sua Ma-
gestade e Suas Altezas se disnaram de recebar,
nao (orara autoridades a publicar quvesquer
opinies emittidas c -rea dos ltimos ttconteci-
in -utos polticos daquelle paiz. a multas das
quaes nao for dad, de certo sem proposito,
exacta iiiterpn-tagio.
Lisboa, 10 de'K-zerabro de 1889.Conde de
Aljnw, CMBariste de servigo de Sua Mugestada'
o Imperador.
Alguns peridicos iaqui replicaram dizende
ser cousa sabida em todo o mundo que os jor-
nalistas quando obtm conferencias- ou iuterti-
etces de pessoas notaveis nao e de certo para fa-
cer das infirmagOes alcanzadas uso apenas
pessoal, mas sira para as transrailtirem curio-
sidade natural des sus leitores, e por i-so qu
posigao ou ciicurastancias
naugurago da estrada de ferro do Natal
Jear Minm, para coocluso das obras.
Revela esta coicesso o intuito louvavel de
fazer adoptar o systema de diffuso e de, por tai
raoio, auxiliar a industria saccharina na puase
dafcit qs. h* kmge aaoes, atrave-ssa -obre
tudo para a-, antigs provincias assucareiras do
norte, a fun Jago de egeobos centraes uec-s
sidade que nao mais deve ser preterida e muito
migamos que a administrago nova continu
nette sentido o emoeaho manifestado pela an
terior.
< O aovo regalamento, qne estabeJecu bases
para as concesses de engento centraes, pro
curou com perfeita orientaeio facilitar a ec
corporago de capites e organisag de com
panoja i do tal genero. Assim arredadaa as
diflir.uldades, que a isto se oppuakara, pre-
sumaos que o empenho da admini.->tragao,
conliauado com solicUude, poder em prazo re
lativame:ittcu "toalcaogir resaltados utilissimo-
para essa importante industria, que tanta tem
concorrido, e de to langa data, para a obra da
riqueza nacional. *
Aalfaodega readeuen Dozerateo.......
L9U:087s9BS.
Balada da Batoia
Datas at 4 de Janeiro :
Lemos no Diario d Noticias le.
HeUeu, por o^asio de passar a prociss&o
do Senhor dos Navegantes pela Cota de S. Mar
cello, des so um incidente qae pedia acciretar
gravsimas coasequeacias.
Como de esljlo, aquelle forte, di ama sal
va de 21 tiros na passagem da pro'i-"sao. que,
re sah-in todos, compe se de grande numero
barcos, vapores e e caleros cheios de ho-
mens, senhoras e cranlas.
Pois bem : honteui foram socprehendkla
quando da lai salva virara passar por cima das
suas cabegis duas balas de artiluana, uma das.
quaes foi balar em uta navio no.uegacz, faz-n
do Ibo alguraas a varias.
Semelhmte descuido imperdoavel e aae
rece ser punido severEiente.
Soaws informado; de qao nao esta a pri-
meira, nema segn La vea qu? das boceas das-
pegas d'aq*e'!e ferie san-- a lulas ca occi-ioes
du salva oa causa que o vaiha.
Algn guardas di aJfukiega tem reparado
qae o ti-.i das 9 ooras da abita tem sido, eai
alguraas oceasiis dados eom bala.
As autoridades corapeteates cuupre averi
guar a raasa destes dsscuioe e dar as providen
cas que o caso requer.
Era 31 da Dazathro, o govc?aador d > Es-
lado fizera a reforma da instruego publica, de-
pois de ouvir o parecer de ama commisso que
nomea-a
Os arts. T- e 8* daasa reforma preacrevem :
Art. 7o A iastru cao primaria ser dada em
i* Escolas in&ntis.
Escola elenieolares.
:t Encolas medias.
4' Escolas superiores.
ArL 8 Haver, alera das escolas para crian
cas de 4 a l-i annos, cursos para adultos de am
bos os sexos, uos domingos pela manh, nos das
uteLs noite, assim clsssilicadas :
I" Escolas de kitura ;
2''Bstotoa especiae rulimanlares para o
ensino scieniitico das artes e prolissos tai.hoi
cas destinadas particularmente aos adultos de
ambas os sexos, arwiphabetos ou nao e que te
nliain ou, deixi'in de ter uma prolisso.
Por acto do dia anterior (30) tinha sido
creado uis fun la escolar para ser applicado ao
des.;iivulviraeuto da instruego popular.
- Ltaos no Diario da Bahia de 4 : >
No dia i' do corrate o Exm. Sr. Dr.sever
nador deste Estado ollereceu no palacio do go
ve rao, Victoria,, um banquete aos officiaes da
corveta norte americana Ruhmond.
A'a 2 horas da tarde servio-se o banquete,
em qoe tomaram parte, Jera, do Sr. Dr. geverna
dor'deste Estado e de sua Exoa. j"*.! ""^J Waa pessoas que a posicao ou ,
ciaUdades do Hicbmoud, do 9 e 16 batalhoes d jrapr(,vislas poZeram era eviJencia se acautelam,
I...I... .1.. ...... -I .1... ...^-, A rvAliflia a a- criiop. r r. .... '
abstendj se de expansOes e confidencias com-
pro neltedoras.
Este genero, norte americano, de mformagOei
j .nialisticas vai indo de foz em fra. A iin-
prensa portumieza, diga se a verdade, salton-
ihecora uuhis denles e nao quer licar airas
da reportage indiscreta dos outros paizes.
Tera-se ltimamente usado e abusado aqu da
interview que mesmo um louvar a Deus 1
Tambem Os nossos jornaes, entre mil outros
teh-graramas importantes do Brazil, pubhcaram
a seguinte que fui expedido, pelo governo pro-
visorio dos Estados Unidos do Brazil, aos seus
agentes consulares :
Rio de Janeiro, 15 de Dezembro.
A grande iiaturalisago foi feita par decreto
de boje, 15. Todos 03 estrangeiros sao cidado?
brazileiros da data da proclarnago da 11 publi-
ca, salvo recusa. Todos os eslrangeiros fero
considerados brazileiros aps dous annos da
residencia, e gosarfio todos os direitos civis e
polticos excepgo do de chefe do Bstado, salva
recusa-
(Assignados)
Marechal, Deodoro da Fonsoea,
Chefe do Estado.
Aristsdes Lab
Ministro do interior.
-
< .
0 Dia, que um dos jornaes mais considera-
dos de Lisboa, commenlavj assim- a teiegram
ma :
Era esperada esta medida, mas parece-nos
que a sua forma nao perfeitamente consenta-
aea com as regras de direito publico, que geral-
uiente presiden) aos actos de naturalisaco.
Exerce urna certa coa:go moral sobre os es-
lrangeiros, e exige, portante,' que o governo da
Brazil pjssaassegurar que os que se recusarem
a ser brazileiros nao soffrero por 330 o mni-
mo vexame
Alguns outros jornaes tambem discararau so-
bre o fado e, por assim dizer, no mesmo sen-
tido.
Segundo Icio nos jornaes, a colonia brazileira
daqui vai enviar ao governo provisorio a seguin-
t mensagem, que se acha Dtente no consulado
do Brazil ;
Aos cidados membros do governo proviso-
rio da Kepuldica dos Estados Unidos do Brazil.
Os brazileiros residentes em Lisboa,- tende
acolhido com o mais vivo enthusiasmo a nova
da proclarnago da Repblica Federal no Brazil,
sadam os membros do Governo Provisorio e
enviam a sua adbeso calorosa ao glorioso mo-
vimento poltico, que consolidou to brilhante-
menle o-triumpho da democracia americana.
A serena evolugo da uossa'sociedade, galfaar-
damente realisada sem sombras de resistencia,
velo confirmar admiravelmente a vossa constan-
te assergo, de que a monarhia no nosso paiz era
planta sem raizes e que as aspiragOes das pro-
vincias brazileiras, sem discrepancia de ama s,
convergiam para a formago de uma repblica
desccntralieadora. en que cada Estado tivessa
["ampia vida local, todos intimamente ligados pelo
vinculo federal de reciproca conflanga e com-
mum defeza.
Vendo en vos todos, defensores corajosos da
idea republicana, os iniciadores de uma era
desafogada de prosperidade o grandeza para a
nossa querida patria, a colonia de Lisboa feliei-
la-vos por to exactamente haver comprehen-
dido e interpretado o sent ment brazileiro.
No dia 15 chegou a Lisboa o Sr. Visconde da
Ou~o Preto, presidente do ultimo gabinete do
imperio, acompanhado de seu filbo, o Sr. depu-
taao Afronso Celso, de sen genro e nis mem-
bros de sna familia, ao todo quinze possoas, que
se acham hospedada* no hotel Atlntico, ao
Corpo Santo.
Pareceque o Ilustre estadista vera, ftxar asna
residencia em Portugal. Neaaa mesma noite o
St. Visconde de Ouro Preto e o Sr. Candido de
Oliveira, membros ambos qoe foram do ultimo
Ministerio do Braz'.l foram recebidos em audien
I

i





e





'


:

\
Diario de Pernambuco--Quarta leira 8 tf Janeiro de
ssss
-
cia ao hotel Bragancu pelo ex imperador do
Brazil.
Logo tra em Lisboa urna noticia desenvolvida dos u
successos polticos do Rio de Janeiro, justi
do os saus actos e demonstraudo a impossibik-
dade absolu'a de resistir ao raovime ito revolu-
cioTnri >
En*-* livaiaenta, o Comnrrcio de Portugal do dia
20 Mobeava em suppleraen'o o manifest doSr.
Visconde de Oaro-Preto.
E' un i irl inte para a historia
cont nporanea.
P-li ii ixteosao, (tres paginas ;ompactis de
graade f naato) os oulros jornaes de Lisboa li
ralaram as apenas a tiansiirever Ihe as conclu
35es.
Go no l!i.is riMietto na ialeirca o mjmnSTo, fa
rao d'eile o uso que entenderem, abstend)-rae
for miaba parte di o ex radar aqai, ou muti
1 o. o qae nao ser'iria sena) para iloogarseiu
provaito. esta mi3siva, tea opea este loeamento se dani a mator publi-
cidade.
'Ha urna circa nsncia notavel: na vespera de
ser publica la o manifest, insuria o Secuto, o-
Iha republicana do Lisboa, de grande tiragora,
um longo telegramma do R;o de Janeiro, as?l-
goado pelo Ruy Barbosa, um dos actuaes rainis
tros do governo provisorio e dirigido ao Sr. La
tin) Cocino, 'outra Retando'os tpicos prinii
Saes do documento histrico Jo. Sr. Visconde de
uro-Preto, d'onde se con :lue que as regioes
do poder constara antecipadamente o theor d'a
quelle manifest.
S ja como for, a imprensa portugueza nao se
tem oceupado em discut! o, consignando apenas
a sua apparieo.
O Sr. D. Pedro de Alcntara j foi ao paco da
Ajuda despedirse da Sra. D. Diaria Pia. Assis-
tiu ao baptisalodo novo infante D. Maooel; vi
silou pola segn Ja ves o :i nul > de Alexan l
Herculano aos Jeronymos, depondo nelle urna
corda com varios concetos significativos da sua
admirago pelos mritos Jo grande "xtiocto.
Poi ba das assistir a urna lieco de sans^rip-
to, de que lente o nosso notavel orientalista
Vasconcellos Abren.
O Sr. conde de Pars foi visitar ) imperador
ao Bragaaca, mas como uo estivesse presente,
demorou se meia hora conversando com 5. M.
a imperatriz.
Na sua visita escola Polytechniea onde as
sistio a una liegao de inalhematica do r. Mo
raes de AlmeiJa, os estudaotes, sabida, fize
ram-lbe alas e saudaram n'o com vivas, o que
muito commoveu o velho imperador exilaJo.
Tendo os estudantes d'iquella escola superior
mandado rezar na reja de S. Maraede una
missa por alma do re D. Luiz I, o imperador
foi ounr essa missa.
O Sr. coaselheiro Thomaz Ribeiro vai publi
car, sob o titulo daCarta d'alforria, urna epis
tola em verso dedicada a S. M. o Imperador do
Brasil, felicitando o por haver generosamente
obtido d'aqu !! paiz o seu diploma de liberto >.
Um telegramna de Vienna d'Austria com a
arehi luqueza Alice da
. D. Pe 1ro de Alcntara
jkeuwjrlh, prximo de
data de 13, diz que a
Toscana offereceu ao S"
o seu palacio do Schl
Carlsbad.
No paquete em que veio do Brasil o Sr. Vis-
conde de Ouro Preto, ebegou tambem urna se
hora muito nova, sobrinha da senhora vis'con-
dessa da Ponseca Costa, que sabio do Rio de Ja
neiro a toda a pressa para- vir acompanhar sua
lia no exilio.
O imperador presentcoa o coramandante do
vapor Alagos que o trouxe do Brasil, com um
bonito relogio d'ouro, com urna dedicatoria ;
aos immediatos c primeiro machioista, a cada
um, aderecen urna abotoadura de ouro e bri-
lhantes. Di o 303 libras sterlinas para serem
destribuidas como gratificac) pelo resto do3
tripolantes.
i>eu-se aqoi um ligeiro incidente, a que talvez
se leona pretendido abi dar grande vulto. O
Alagos, depois do desembarque da familia im
penal arvorou a nova bandeira da repblica,
substituindo cora esta a antiga bandera do im
peno, que trazia quando entrn no Tejo, inti-
mado o capito pela capitana do Porto a ar
reiar a nova bandeira, visto que o novo governo
do Brasil anda nao foi rscoahecido diploman
camente, a no*a bandeira foi arreada. Os offi
ciaes da armada portugueza que foram a bordo
do Alagoas expor 03 motivos que havi para es
se reparo foram cordealmente receidos pela
tfllciilidade do Alagoas e assim termiuou tulo
regularment fijando bem assentado que este
prcediraeuto das autoridades martimas portu-
guezas pr modo algum significava qualquer
scntiraento de Ii03lilidade no a ordera de cen-
sas do Brasil, e s o cumprimento das regras do
direito internacional.
O Al go is sabio do Tejo a 12 do corrente as 3
horas da tarde em direceo ao Brasil, condu-
zindoa seu bordo os dous officiaes da raariuha
brasili'ira, que tinbam vindo acompanhar a Lis
boa a familia imperial e diversos passageiros.
Noticiara Ibes na minba u tima que o nosso
ministro dos negocios eslrangeiros tinha res
pondido Jo modo mais correcto c patritico,
tota do raarquez de Salisbury sobre a supposta
invaso de forjas portuguezas nos sertes da
Africa-Orient il, em territorios ainda nio civili
sades, que a Gr Bretanba cubica e a que pre-
tende chamar seua, quando ellos pertencem a
Portugal por antiquissimo direito de oceupac).
Toda a imprensa europea menos a ingleza,
applaudio a energa da chancellara pirtugueza.
apntad nos -'como exemplo digao de imtar-se
'este e em scmclhantes conflictos.
Urna parte, porra, do jornalisio inglez, tem
reccorrido as injurias e araeacas, procurando
ailaiUr nos do bom caminho. A imprensa da
appoii^o. em Portugal, n'eete conflicto, uni se
toda goveroamental. sera excepeo de Jres ou
matizes polticos, para dar forc moral ao go-
verno, deixando para mais tarde liquidar outras
responsabilidades polticas ou administrativa-
com o ministerio, li' um nobre procedimento
que nos honro.
A's injurias da imprensa ingleza, a nossa im
prensa dignamente responde com serenidaie de
animo e como quem tem o Jireito e a Justina da
ua parte.
Ora, a pretendida expedigo de conquista com
que os jornaes de Londres incriminam c major
Ser a Piulo, e o governo portuguez por nao o
ter castigado, j conhecida cm lodos os seus
promenores. Serpa Pinto, :om o distincto ea
genheiro Ferraz foram encarregados de uus e3
udos para se eJTecluar a linba frrea do Cbire,
levantar o plano exacto da baca d'esse rio.
O c-ousul inglez Johnston, que para penetrar
no se; tau solPcituu passaportes e cartas de re-
commendaco do governador geral de Mocam-
bique, e foi sen pre bem acomido no interior,
grabas a essas recommendac5e-, foi incitar as
tribus dos Makolotos contra nos e destribuir
pejos selvagei)3 algumai bandeiras inglesas, com
a prfida intencao de que elles hostil i assem a
misso portugueza, e no caso de serem batidos
os negros, poder se allegar que estavam sob o
protectorado inglez, reputndose ento qaal-
Iuer acto aggressivo como affronta a bandeira
a Gran Bre'.anha.
Foi o que succedeu. Os Makololos atacaram
a expedicao de Serpa Pinto e foram derrotados
por ella, com grande perda de gente, logo que
Serpa Pinto mandou buscar a Quelimane e a Mo
gambique os soccorros de bomens e municOes
de guerra que requisitou para se defender de
futuras aggresses dos negros.
Na derrota. 03 Makolotos abaodonaram aos
portugueses as taes bandeiras inglezas, o que
ievanh'U grande alvroco na imprensa londrina,
que narrou os succ^ssos como entendeu, de ere
vendo Serpa Pinto como um Attila dos pacficos
subditos de sua graciosa niagestade, com gran-
des rasgos de indigoacao.
r/ahi as dialribea tremendas as caricaturas in
solentes, os te'egraramas terrficos, as incitacOes
quotidianas ao gabinete ingles para nos esma-
gar pela forca, pelo supposto attrevimento.
Annal toda a Europa conbece que Serpa Pinto,
o famoso explorador africanista e os seus, ape-
las usaram do legitimo direito de defeza contra
hordas peitadas cavilosamente para os hostilisa
rem na sua misso paciea e civilisadora.
Depois de um ebuveiro de telegrammas, cojo
contefido son forcjdo a passar por alto, veio
este de Londres, da Agencia Havas, com data de
2 i do corrente : *
Sabe se de foote autarsada que lord Sals-
bury dirigi o governo portuguez urna nota,
que foi entregue ao Sr. Barros Gomes, pelo Sr.
Glyn Petre, ministro britnico em Lisboa. A
nota tem a forma de una represeotaco sobre a
sico dos factos, e pede a restauracao do anterio
Uatu quo na Vfnca Sul-oriental Lord Salisbury
nnunoia segundo se diz, que o gorerao tnglez
4o po.^e perniltir que seja arreada a banJeira
ingleza arvorada por um seu representante res
ponsavel. -
Segundo parece, o gabinete de St. James timi
tou-ee a expor os factos, taes como os conbece
pelas narrativas do biapo Smytbies e do explora-
dor fraocez Trivier e pergunta finalmente ao go-'
verno portuguez o que tenciona Lzer. O Sr.
Birro3 Gomes apressou-se a responder, e a es
tas hora3 a sna nota vii j caminho de In,'la-
.erra.
E' opinio geral que esta troca de despachos
o prembulo de negociacOes mais p.sitivas
pois a verdade que o assumpto nao est ri
.irosamente elucidado, nem aqu, nem era In
glaterra.
Taes presumpeoes (dizia hontera o Jornal
do \Cjmtnerao) sao por' emquanto favoraveis a
Portugal, e se novos esclareciment03 os compro
varem, os nossos direitos e a nossa digoidade
de naco devem ser mantidos, cusie o que cus
lar.
fi.it.-ndo mais aquella folba que a verilicar-se
ter havido da parte dos nossos qualqutr excesso
mesino de bro, o gocerno portuguez deveria ao
tecipar-se a renhecel-u, leal e espontanea
mente, evitando o desaire de ter mais tarde de o
fazer constrangido. E cooclue :
Poder isso custar ao nosso amor proprio ;
mas tal procedimento o que entramos acon-
selham tanto a honra como o interesse. *
O Sr Burros Gomes tem a conBanca do paiz.
E' a propria imprensa da opposico que o coa-
fessa.
Ainda ha poucos das a municipalidade do
Porto enviava urna mensagem aos oome da ci
dade invicta, 'elicitaido o Sr. Barros Gomes pe
la maneira patritica e correctissima con que
procedeu na sua nota era resposta prira.-ira do
cliefe do gabinete inglez.
A Europa toda faz nos justica, e afina! o es-
pirito de equidade do gabinete britaunico pesa
rara mais no animo .leste, do qae 33 ambiciosas
e rancorosas sugges'es dos lacustres escocezes
do Nyssa.
Nao Ihes posso fallar boje detidamente sobre
os vastos planos do governo para a fundaco
de urna poderosa companhia austro-africana que
titme pela efficacia dos seus capitaes rea-
lidade -la nossa posse naquollas regidas.
A AssociacJo Commercial do Lsji que est
incumbida de lanzar e eacornorar a companhia.
buscndose influencia em todos 03 campos po
Uticos.
Trata se de urna grande erapreza nae.iona I, fu
gindo se a obras de syndicatos e compadnees"
Oxal que vi por diante, pois um recurso
este de grande alcance
O inventario dos bens do Sr. infante D
Augusto corre palojuizo de direito da 3* vara
civel. e cabeg de casal o 3r. coaselheiro Na
zareth.
O D.\ F. Mittermeier,. o sabio professor da
Universidade de Heidelberg, acaba de dirigir
urna carta ao Sr. Francisco Beiro, ministro da
j estica, remellen Jo Ihe um desenvolvido relatorio
sobre o novo cdigo commercial, o qual j se
acha publicado na Allemanha
fiessa carta diz o llustrado publicista que tra
tava principalmente de por em evidencia no seu
relatorio o grande progresso que a legislago
portugueza fez com o novo cdigo, restando-
Ibe a esperanza de ter contribuido pela sua par-
le para tornar conhecida no seu paiz a nossa le
gsl:igO.
Apre3a:no3-nos a dar a publico e3ta aprecia
co do eminente jurisconsulto, por enieuder
mo? sor altamente honrosa para o paiz.
Os jornaes republicanos de Lisboa uoti
ciam a publicaco de um manifest ao paiz,
que os ltimos acontecimentos toruaram espe
cialmente nece3sario, dizem elle?.
Reuniu a comrais3o;do monumento a Fon-
tes Pereira de M dio. DjcJu insistir com a
cmara moni ipil para que conceda outro local
no centro da Avenida da Liberdalc, para o mo
numento ; e que no aaniversario da norte da
quelle estajista seja collocada urna cora de f;r-
ro no seu jazigo.
Est-se procedendo na casa da coeda
cunhagem da nova moeda de prata e cobre
com a elligie de sua magestade el rei o Sr. D.
Carlos I.
Vem mencionada no Diario do Governo a
cirta regia de 9 do corrente, pela qual a Sra.
duqueza Je Palmella foi nomeada camareira mor
de sua magestade a rainha.
Estl em Lisboa o notavel publicista egypci o
e anligo professor da escola polytechnica do
Cairo, o cheit Abon Ni i Ja ti, e fez ha olas urna
conferencia sobre a litteratura rabe e coStura-s
do oriente na socieJade de geographia de Lis
boa.
E' o redactor principal do jornal Abon Nad-
iarra e da revista rabe 'Ilustrada Stawadii.
O ultimo numero desta revista traz o retrato
de el-rei D. Carlos. ^_
Abon Naddarra.que d'aqui segu para.Tanger,
Argal e Tunis, celebrou ha pouco tempo no
A: li-neu de Mudrid urna conferencia sobre eos
turnes orientaos.
Para o desempenbo do mportante cargo
de administrador da casa Braganca, foi efecti-
vamente convidado por sua magestade el-rei
D Darlos, o coronel de cavallaria Manoel Anto-
nio Novaes Siqueira, seu ajudante de ordens,
que aceitou to honrosa distinco.
Realisou-se a 12 do correte a sessao or-
dinaria, na classa de litteratura da Academia
Real das Sciencias.
No impedimento do Sr. Thomaz Ribeiro, pre-
sidio sessSo o Sr. Silveira da Motta, servindo
Jr secretario o Sr. Pinheiro Chagas.
Approvada a acta da sesso anterior, e
presentadas varas obras estrangeiras, offere
cidas Academia foi votado por unaoimiJade,
socio correspondente o Sr. Alberto Telles.
Em segu la foi votado socio correspondente
o Sr. Lias Lallemento.
O fallecido visconde de Santa Moaica devia ser
votado socio nesta sesso, mas o destino fez sub-
stituir essa votaco por um voto unnime
sentimento. ^
P oceJeaJo-sa a eleico de alguna cargos, foi
eleito vice presidente da classe o Sr. Silveira
da Motta, e reeleito secretario o Sr. Pinheiro
Chagas.
O cooselbo administrativo e a commisso de
cuntas foram reconduiidas.
O Sr. Eduardo Prado foi proposto socio cor
respondente.
Antes de encerrar a sesso, o Sr. Silveira da
Motta, fazendo o elogio dos mritos pessoaes e
3ualidado3 htterarias do finado consocio viscon-
e de Benalcanfr, propoz, e a classe approvou
que se lavrasse na acta desta sesso um voto de
profundo pezar pelo bito de to illustre escrip-
tor e to distincto cidado.
O imperador do Brasil participou que nao as-
sista sesso por se acbar incommodado.
O suDremo tribunal de justica, reunido
boje em sesso magna, resolveu nomear para
arbitro na questao da Companhia Vincola do
Norte, o couselheiro Jos Ferraz Tavares de
Fontes. juiz do tribunal da relaco de Lisboa.
Consta que a '.ompanhia Vincola do Nor-
te nomcou par a representar ao tribunal arbi
tral o dezembargador Pinheiro Osorio, juiz da
relaco do Porto.
Parece que ebega brevemente a Lisboa um
archiduque d'Austria, portador d'uma carta au
lographa de sua magestade o imperador Fran
cisco Jos paraS. M. el rei o Sr. D.Carlos I,
felicitando o pelo seu advento ao throno.
Como eslava annunciado, realisou so no
dia 18 deste mz na safa de Sua Magestade a
rainha, ao paco de lelm, previamente oraada
para o acto com todo o esplendor, o baptisado,
ou antes a confirmacao do baptismo do infante
D. Mannel.
A ceremonia comecoj cerca das 2 horas da
tarde, e concorreram a ella muitas pessoas da
corte e da mtimidade dos soberanos.
Pz os santos leos o Sr. cardeal patriarcha,
achaoco se all o nuncio de Sua Santidade, todo
o ministerio, commaodanes da diviso e da
guarda municipal, inspector geral de infantaria,
casa militar e civil d'el-rei, governador civil,
presidente da cmara municipal, etc.
O neophyto foi levado a pia baptismal pelo
Sr conde deSabugosa, no impedimento la Sra.
duqueza de Palmella, que eslava doente.
Assistiram ao acto, como padnnbos do bapti-
zado, Sua Magestade a Sr. D. Mara Pia, e o Sr.
conde de Pirs.
Viam se tambem all Sua Magestade o impera-
Es'es navios lo.uaram parte as festas da ao- A E clamaco do rei D. Carlos. n. ifc, de 31 do passado, do j-irnal de modas, A
A folhafficial publicou o dacreto nomean- Estoq&o, quiosenar o que da a dia ganba reno-
do damas honorarias de Sua.Magestade a rainha ~
D Amelia asfixtaas. Sras. marquesa doFayal,
condessa de Sabugal, condessa de Taimes e vis-
rondeasa da Varzea.
A reunio da liga dos lavradores do Douro
% 18.1o xtraordinar: me.ite coa-
j j/ad li por ja. i ai la t
de a acta e um voto de senlimento pelo falleci-
mento do benemrito Dr Alves Ferreira.
Presidio o Sr. Jr. Joaqum -deMollo e Fa .>,
servindo de secretario o Sr. Visconde de Villa
rinho e Vasco Pinto Basto.
Foi eleito por unanimidale presidente da liga
o Sr. Dr. il.guel Mor-ira da Fonseca.
Na commisso executiva da cmara mu
cipal do Poro foi tomada urna deliberaco para
perpetuar a memoria d'um dos mais illusires
lilhos dacidade invicta.
Por proposta do presidente da vereago, Sr
Dr. Antonio de Oliveira Minteiro, a commisso
resolven comprar a casa da ra do Calvario,
onde uasceu o visco id) Je Almeida Garrett,
am de abi fundar urna biblolheca popular com
as obras daquelle escriptor edos seuscontem
poraneos, taes como Alexandre Herculano, Re
bello da Silva, Castilbo, etc.
Essa bibliotheca denominarse ha : Biblio-
theca popular de literatura cooteraperaaea de
Almetda Garrett.
A' braveza do mar e falta de arborisaco
que se oppunham ras dunas e areaes da co.-ta
furia das ondas deve o povoagao balnear e
piscatoria do Espinbo, no eotuelho da Fera, a
sua quasi completa destruicao. GranJe nume
mero de palhe:ros, isto de casas em que na
bitavam os pescadores daquella costa foram ul
timamente desmoronadas. Ha poucos das os
prejuios elevavam se j a.40 coutos de ris for
tes. Alguns chalets %onforta eis e elegantes fo-
ram tambera Je; rubados ; ao i restantes puzeram-
se espeques, mas a vaga continuava aalluil-os
pelos un lamentos e a derrocada araeaca o
resto daquella, ainda ba pouco orescente po-
voacio, aonde na quaira dos banhos concorriam
tantas familias portuguezas e hespanholas.
El-rei e sua augusta consorte mandaram dis-
tribuir urna avultada esmola pelos mais neces-
sitados Tambem recorreram aquel le iofelizes
bonificante iniciativa da rainha viuva.
Tem sahido all procissoes de penitencia afim
de implorar o auxilio divioo para to horrorosa
catas trophe.
A comarca da villa da Fera resolveu conce
der gratuitamente os terreos oecessarios para
a construeco de palbeiros.
O Sr. conselheiro Uiogo Antonio Correia
de Siqueira Pinto, ajudante do procurador geral
da cora e fazenda foi nomeado para exercer in
terinamente o lugar vago pe o fallecimeuto do
Sr Cardoso Avelino, que era procurador geral.
Coasta em Coimbra que, por occasio das,
festas da acclamaco, o Sr. coaselheiro AJriano
M icbado, reitor da Universidade, eutrar em
cembinages cora o governo acerca da forma de
leva- a olleito noanno prximo a celebraco da
ceotenario daquelle estabelecimeoto
a's 11 horas da mauh do da ID celebra-
ram se exequias por alma de el rai D Luiz, maa-
dadas celebrar pela provedoriadaSauta Casa de
Misericordia de Luboa.
Na grande tribuna da direita tinham tomado
lugar os masicos da Associago 2i de Juuho e
os cantores da s.
Na da esquerda os convidados ; a tribuua di-
plomtica, do lado direito do altar mor esteve
quasi vasia.
Em frente della fra levantada urna tribuna
para a familia real que se fez representar.
El-rei era representado pelo Sr. conde de Fi-
calho.
Do ministerio eslava apenas o Sr. ministro da
justica.
O soborbo c tafalco era cercado pelo pessoal
superior da misericordia, com tochas accesas.
Os representaoles da imprensa oceuparam o
lugar que Ibes estava reservado.
ra o Sr. Dr. aples, deo da s>, quem offi-
ciou.
FinJa a missa. o Sr. Moreira Freir, abbade
de Sanio Ildefonso, do orlo, subi ao puipito, e
em phriscs lio inspiradas, cuno verdadeiras,
poz emj^aJce as virtudes do fallecido monarcha,
a sua'dedicago pela patria, o seu extremoso
am >r de pai e de esposo.
Relembron alguna factos importantes, occorri-
do3 durante o reinado de D. Luiz ; fallou larga-
mente acerca do nosso bom oome no interior da
frica ; reuni por vezes no mesmo periodo re
fer"iicias ao amor a Deus e ao amor patria.
Te vi- algumas imagens bastante felizas, sacen-
do aprt veital-as com toda a sobriedade e corree
Cao -
Em seguiJa cantou se um Libera me.
Em vista do acolbimento pouco li3ongeiro
que os accionistas da antiga companbia do gaz
teem feito ao projecto da fuso com a aova com
panhia, licito duvidar do xito desse projecto
Se, porm, elle for approvado, cmara mu-
uieipalcumpre nao so assegurar as vantagens
que j comecavamos a gozar, devidas lucta dos
dous concurrentes, mas diligenciar outras em
favor do mioicipin, tratando de emendar erros do
contracto com a nova companbia.
A cmara dos pares, constituida em tribu
nal de justica, procedeu ha dias ao julgaraento
do Sr. conde de Gouveia, que fra pronunciado,
ha tempos, na qua idade de engenheiro director
da companhia d03 carainhos de ferro da Boira
Alta, como respoosavel pela morte de um indi
viduo que fra colhido por um comboio, na mes-
ma linha, em consequencia de um descuido de
guarda, que devia ter fechado urnas cancellas
passagem do comboio.
Suscitou se a questo de competencia da refe-
rida cmara para julgar o acensado, mas tendo
esta deliberado em sesso secreta ser competen-
te, absolveu por unanimidade o Sr. conde de
Gouveia: consideran lo improcedente a ceusa-
Co.
E realmente, como que se poderia alguem'
persuadir que o director d'um caminho de ferro
culpado d'um desastre proveniente do deleixo
d'um empregado qualquer.
__Agora s tenho paquete no 1 de Janeiro.
E' o Potoi da linha do Pacifico.
Termino pois esta desejando aos meus amigos
e a todos os nossos leitores boas entradas do
novo anno e mil prosperidwdes.
L.
REVISTA DIARIA
accSo de Portugal na frica Sol oriental, e pede d0r o Brasil e muitas peseoas da corte,
a repudiacSo dos actos do agente portuguez no Chegou a Lisboa, proveniente de Boston
districto da Zambezia. Lord Salisburv nao usa uma esquadra americana eompoata de quatro
de ameccas. mas a sua nota conten urna expo- Q%Vios Chicago, Boston, Atlanta e lorktown.
Municipio de S. liourenco da Hal-
la -O cidado Governador do Estado de Per-
nambuco expedio o seguinte acto :
4.' 3ecco.Palacio do Governo do Estado
de Peruambuco, em 2 de Janeiro de 1890.
O brigadeiro Governador do Estado, tendo
em vista a lei n. 1805 de 13 de Junho de 188i,
que creou o municipio de S. Louren;o da Matta,
composto das freguezias de Nossa Senbora da
Luz e S. Lourenco, resol ve nomear os cida.laos
Dr. Joo Severiano Garneiro da Cunha, servindo
de presidente, teneutes-eoroaeis Jos Duaite de
Albuqueique MaraahSo e Lourenco de Si e Al-
buquerque, capits Antonio Gomes Tavares de
Araujo e bacharel Francisco de Paula Correia de
Araujo pan constituireua o conseibo de inten-
dencia do referido municipio, aos quaes ficam
conferidas as attribuies concedidas s Cama-
ras pelas leis em vigor. (Assigoado).Jos Si
meao de Oliveira.
Manifest Ouro Preto- Em snpplemen-
to do Commercio d* Portugal, de Lisboa, foi pu-
blicado o Manifest do Visconde de Ouro Preto,
referente aos acontecimentos de Novembro Ando,
que mudaran a forma de governo do Brazil.
E' extensissimo, pois oceupa tres paginas e
um terco daquelle grande jornal ; e tanto tem
de longo como de infiel na narraco dos factos e
de aleivoso na exteroaco dos concetos.
Para que se ulgue do criterio que presidio
sua coateccao, basta dizer que o Sr. Visconde de
Onro Preto leve o arrojo de avancar nesse dosu-
mento que a cleico de 31 de Agosto do anno
passado correu livremente, sem intervenco do
goverao, se compresso e sem corrnpco I
Escrever taes inverdades n'um papel publico
que pretende foros de imparcial, tirar-lhe
qualquer forca que porventura pedesse ter.
Mas, o fado que essa forca nao tea o Mani-
fest Ouro Preto, porque o seu autor cabio em
completo descrdito antes mesmo de baqueiar de
sua posico poltica.
Nao transcrevemos esse documento porque
dissentimos plenamente do que neile se i e do
espirito malvolo que presidio a sua confeceo.
me e geealmeote bem acceito.
Tevouraria de Paseada do Ceara
No paquete nacional Maranhao, procedente do
sul, segu de viagem o Sr. Dr." Antonio Olavo
Calmen de Araujo Ges, que vai para o Cear as-
sumir o ex-ercicio do cargo de inspector da Al-
fan lega d esse Estado
Agradecendo-lhe a visita que nos fez, de3eja-
mo3 Ihe prospera viag :m.
Culao Acadmica -Araanh, s 11 horas
do dia, devem reunir s, n'um dos saes da Fa
culdade de Diraito, os membros da Sociedade
aio Academia, para diseutirera os estatuios da
mesma sociedade.
TreapaMo -Devido a uma febre typbica,
falleceu no domingo, s o 1/2 horas da tarde, o
3o aonista de direito Theodoro Pereira da Silva,
filho do Baro de Monte Verde, de Minas-Ge-
raes.
Contaado apenas 22 annos de idade, intelli-
geate e j no termino de seu tirocinio acadmico,
a sua morte produzio grande senlimento em seus
amigos e collegas.
O -n torrara en lo procedeu se hontem pelas 9
horas da raanti no cemiterio de Santo Amaro,
tendo sido o corpo depositado noitc na capeila
do mesmo cemiterio. A ambos os actos compa-
receram os estudantes do sul aqui residentes.
Tneftonraria de Fu sendaAconlarde
bontem, acha se fixado o prazo de-60 dias para
tor lugar na reparticio cima dita o concurso de
2 entrancia, como foi autorisado pela ordera do
Thesouro Nacional, n. 11, de 30-de Novembro
prximo passado.
O refer.lo concurso regula-se pelos arts. 3 o
28 do dec. n. 10,349 de 14 de Selembro ni timo.
Geologa de Fernando de \uromi
E'una fxcellenle monographia do Dr. Joo
C. Braoner, Ilustrado professor de geologa ni
Universidade de Indiana, nos Estad >s Unidos, t
que, traduzida polo llustrado professor do Gym-
nasio Pernambucano Dr. Joo Baptista Regueira
Costa, acaba de ser dada luz pelo Instituto Ar
cheologico e Geographico Pernambucano.
E\ como assignalamos, uma excellente mono-
fraphia sobre a natureza geolgica da ilha de
ernando de Noronha, cuja forraago determina
precisamente o llustrado gelogo, que a estudou
como membro da Commisso geolgica do Bra-
zil e por occasio de sua visita mesma ilba em
1876.
Ainda mais importante torna se o trabalho de
Branner pelos raappas com que Ilustrado ; e
por isso o seu traductor, a seu turno, prestou
um bom servico, que foi completado pelo Insti-
tuto publicandoo.
Agradecemos o exemplar com que fomos ob
sequiados pelo Dr. Regueira Costa, que effecti-
mente fez nos um precioso mimo.
Morte repentinaEm a casa de sua re
sidencia, no Caxang, falleceu repentinamente no
domingo, a do correa*e, o cidado brazileiro na-
turalisado Bento Gomes dePinho, ex negociante,
retirado do commercio.
Feito o exame cadavrico por peritos, a man
dado da polica, reconheceu se ter sido a causa
da morte uma congeslao pulmonar.
Jui/o de paz da fresuesia de San-
to Antonio Acha-se no exer-icio do cargo
de j iz do paz d'esta freguezia, neste corrente
annos, o cidado Francisco de Assis Fernandes
Vlanna, que contina a dar suas audiencias s
segunda e sexta feiras de todas as semanas, s
2 horas da tarde, sala das mesmas, ra do
Imperador, despachando em qualquer parte onde
fr encontrado.
FaiieclmentoCom 48 annos de idade,
falleceu, em seu engenho Mnmucabas da comarca
do Rio Formoso, na m .la de 3 do corrente,
o Dr. Manoel Xavier Paes Brrelo, conceiuado
agricultor d'essa comarca.
Formado em sciencias jurdicas pela Universi-
dade de Roma, dedicou se #ida agrcola, reve-
lando rnuito gosio por ella e muita dedicaco ao
trabalho. Era geralmente estimado em Rio For-
moso.
A' sua familia, e especialmente a seu genro
Dr. Thomaz Lins Caldas, juiz municipal de Rio
Formoso, apresentamos nossas condolencias.
Cuate da naonarenia Diz A Marcha,
folha de L'beraba, em Minas Gcraes, que desde
1750 at a proclaraaco da Repblica dos Esta-
dos Unidos do Brazil, a monarchia cnstou ao
paiz a sorama de 253:804:7592597
dornallMtaNo paquete Equateur passou
para o Rio de Janeiro o Sr. Osear de Araujo,
redactor do Temp, de Pars, e correspondente
do Economista de Lisboa.
Agradecendo ao illustre confrade a visita com
que nos honrou, desejamos Ibe feliz viagem.
Banco do Brasil-Na ra do Commercio
n. 6, Io andar, est sen lo pago o 72* dividendo
aos accionistas do Banco do Brazil, sendo (OjOOO
por accao das antigs, e 400 ris por aeces das
novas
iilylioCom este titulo o Sr. Cassiano Lo-
pes publicou um folhe'.o, escripto em estylo poe
tico e imaginoso, que auguram uma lisongeira
promessa.
Agradecemos-Ibe o mjrao que nos fez de om
exemplar.
PerimentoEm Campo Alegre, 2 distri-
cto da Graca, tarde do dia 5 do corrente, foi
fondo Jos Anastacio da Silva por Emiliano
Vieira da Cunha, que deu Ihe uma baionetada.
O delinquente foi preso em flagrante.
Tentativa de suicidio-Antonio Soares
da Cruz, praca do 2o batalho de linha, tentn
sur-i lar-so, dando em si um tiro de pistola sobre
o peito esquerdo, no da 5 do correte pelas 11
horas da manb, na ra Imperial.
Depois desse desatino, foi conduzido ao respe
ctivo quartel por uma escolta do mesmo bata-
lho, e dahi posteriormente ao Hospital Militar,
onde procederam-se 83 diligencias lgaos e foi-
Ihe feito conveniente tratamento.
it.-AlredMarc Echo de prtout.-Informa- chogados do sul no vapor nacional Moro-
tions -Le traite des musiu. Chemas de -Mouviment industrie! bresien. -Plata et Pac- j cipi!ao D. ja tiosta Leilo, Dr. Joo de Fre-
l.que.-La marino breailvnne. Ejcalc-Berue [ Enriques sua eenbora e 3 criados, FemanSa
Lopes' e Silva, Ptatto de Carralno Reis, Luiz de
' 11 i u ni un i l>i,i Jn '4 il..>4x If___>!_ .!_____n ___
liaauciere
N 26: La Rvotatiou brsilteose : Le 13.
sige du minietre Le cbangement de rgime ;
Oliveira Alraeida, Arthur Martins Pereira, 3 ex-
pracq8. 1 dita da armada, Antonio Jasquim Jos
Chille de la monarchks.*e 16, Dposse sion de i-aB.iia X\W,
l'Etnperour; Installation du gouvernemont \ ,! p^etano^ltt.Se^
el
Au-
dpart desSouverains-Le; Le nouveau gou- Augusto Moraes de Mesquita sua senhora
vernement; Documenta ffieieJs; La situation menor, Dr, Angosto de Araujo JorgeVOesar
relle. -Altred Marc.-Amve de la famiUe im- gast0 Zanoli) ^llliam B|nkb.a JuRo've^ Sb-
priale Lisbonne. Revue nanclre.
Ns. 230 e 231 da H vue Sud Amerioane, de
8 e 15 de Dezembxo findo. tambera publicada em
Pari3, e cuios summarios contm :
N. 230: Influeoces de 'a Rvolution brsilien
oe sur la politique internalioaale de TAmrique
du Sud, par L Guilaine. Les vnements au
Brsil. -Le Congres Continental de Washington,
par L. Guilahe Situ-Uion conomique et Boan-
cire de l'Uroguay.Courrier d'Am iqHe.Re-
vue conomique.Revue financiere,Arts, scien-
ces et faits di vera.
N. 231: La Rpablique de Centre Am. iquu
Pacte- d'u non provisoire des EtaU de Centre-
AmriqueRglement de la dette du Prou.
Le3 vnements du Brsil. Courrier d'Amrique
Revue conomique. Revne financiera.Arte,
sciences et faits divers.Compagoie des Char-
geurj Runis. Bibliographie.Dernieres nou-
velles.
Folheto de Dezembro da Revista de Portu
gal, impresso no Porto, e cajo summarto este :
A Evoluco da Litteralura Brazileira.Oliveira
Lima. A Corista.Luiz de Magalbes. Os Fi
Ibos de D. Joo I.Oliveira Martins. As Minas
de Salomo.Rider Haggard. Um Economista
Portuguez. Rodrigues de Freitas. Cartas de
Fradique Mendes.Eca de Queiroz. 03 aconte-
c monto do Brazil.Fredenco de S. Notas do
mez.Joo Gomes. Boletim bibliographie : La
graude Encyclopdie. Inventaire raisonn des
Sciencea, des Lettres et des Arts. Avec nom
breases illu9trations et cartes en couleu'-.
Entradas de assuear e algodo
Por mar e trra vieram para o mercado do Recife
em Dezembro :
SMMT
1889 2G2.857 saceos.
1888 3.9 828
1887 495 258
1886 337.623
1885 .276 241
Algodao
1889
- 3888
i 187
186
1883
tiabinete de Leitura
teo, Aatonio Guerra 1 filho, Franeelroo Leite Ro-
drigues e Jos Joaquim da Fonseca.
Sahidos para o sul no vapor fraucez PiJfe
' de Bunios kyres :
Joaquim antos Souza, Amonio Jacob Maus-
sour e Jorge Elias.
Directora tas obras ar eoswerva-
-o dos portes de rernasabneoReci-
fe,; 6 Ai Janeiro de 490.
Boletim meteorolgico
De
De
Horas 2
epM
6 m. 9 12 3 t. ti 26,5 29,9 30,3 29,9 28,3

as
758-24 18,27; 71
759-52: 19,6fi 61
759-36; 19,9 63
758-27 49,47 62
759-01 19,58* 68
femuoratura mxima31,00.
Dita minima-26/00.
Evapocago em 24 horas: ao sol -9,-0;
sombra4,-0
Chuva-nulla.
Direcco. do vento
Velocidade media
guedo.
Nebulosidade media0,"52.
Boletim do porto
l SE durante todo o dia.
do vento2,-33 por se-
H
Dias
Horas
23.843 saccas.
30.919
39.369
37.585
24.318 .
Instructivo e
Recreativo (amelleirense. Esta so-
ciedade recobeu ulliraamente as seguimos otfer-
tas :
l'olus Srs. T. Freir e F. Pereira : Ritoraellos
lyricos, versos pelos olfertantes, 1 vol. broc.
Pelo autor, F E. Horisonte Brazileiro : Dic
cionario los nomes proprios, 1 blheto.
Pelo Sr. Antonio J. Pires : Noites com os ro-
mancistas, pelo Revm. M. H. Seymour, i vol.
broc.
Pelo Sr. Fortunato Pinheiro : Poesias de Ri-
cardo Guimares, 1 vol. broc.
Pelo socio benemrito Ribeiro da Silva : Tra-
eos biographicos do secador Jacinlbo P. de
Mendonga c sua estirpe, 1 folheto ; Esbaoja-
mentos comprovados do engenheiro Aristides
Galvo, 1 vol. broc. ; 1 quadro com o ministe
rio republicano brazileiro ; dem com o retrato
do general Deodoro ; Maitms Jnior, jornal ;
Gazetada Tarde, nmeros
Pelo edictor Soares Quiutas : Dezenove de Se
tembro, jornal.
Pelas redaCQOes : Diario de Pernambuco, Jor-
nal do Recife, Seis de Outubro, Lidador, Epocha,
Federacao Binculo, Norte, boletins.
Sahiram para leitura 123 vols. en 98 obras, e
ontraram 85 em 43.
Frequentaram a bibliotheca 113 visitantes.
Conferencia Do D ario Popular de S.
Paulo, de 24 do passado, transcrevemos a se-
guinte honrosa noticia referente nossa compro-
vinciana a Exm Sra. D. Mara Amelia de Quei-
roz. -Recebemos um folheto contendo a confe-
rencia realisada a 13 de OutubFO do corrente
anno no Club Republico Fre Caneca, do Recife,
por D. Mara Amalia de Queiroz. Pela rpida
leitura que fzemos delle estamos habilitados a
conhecer a illustre demcrata e julgal-a possui-
dora de uma intelligenoia perfoilamente cultiva-
da c de um cabedal de conhecimentos histricos
na altura do seu elevado talen to de oradora po-
pular. Agradecendo a deltcadesa da offerta, com
que nos distinguiu, desejamos illustre propa-
gandista que a proclamago da Repblica nao
faga descancar sombra dos seus lauros, e que
bntfnue na campanha, pois que a Repblica es-
t feita mas necessario levar o conbecimento
Ja verdadeira doutrna republicana ao coraco
Je todas as canudas populares.
Mais este servico para glora da mulher bra-
sileira.
Grande lotera de HespanbaSe-
gundo as folhas de Lisboa, foram os segrales
os nmeros melhor aquinhoados na graude lo
teria de Hespanha, oxtrahida a 23 de Dezembro
prximo lindo :
P. M. 6 de Janeiro' 502 da tarde
B. U | ,1121 .
P. M.i7 de Janeiro 8 -35 da manb
Altrra
! 2-,32
{ 0-,44
2,-22
496; mulliere; 44
440
icasa ae ItoctusfbeMunmeni jo m|>
03 da Casa de Deienc^o o Recife do Estado
de Pernambuco em 6de leero e I8!0
Existiara 544 entraram 8; sahiram 3; cti?-
em 549.
A saber;
Nacionaes 496; mulliere; 44 ; 6t:r: ucs
-Total 549
-\rracoados
3ons 400.
Doentes 30
Laucos 4.
Laucas 6.
-Total 440.
Movimento ua enfermarla
Tiveram baixa :
CaetanoLuiz da Silva.
Manoel Rodopiano Barbosa de Santa Barbara.
Jos Francisco da Silva conhecido por Gamba.
Jos D.mingues da Silva.
aospltal Pedro II O
tslabelecimento de candado,
n?iro foi o seguinte :
Entraram
Satiram
Falleceram
Existem




oiuviuieuu) Ueste
no dia 6 -de Ja-
5
5
0
41

,'
Ns.
Pesetas Ns.
Pesetas
i.-.ioo
17223
22286
2903
3857
34413
48453
22808
23499
47145
39
13464
29075
38706
15424
20901
26848
36787
45079
4199
10566
11486
12019
18126
25325
Espancamento e tiroNo boceo do Li-
ma, por obra da meia noite de 5 do corrente, foi
espancado e ferido com um tiro de revolver Tibur-
cio Jos El pidi por Gaspar Jos de Mello Filho,
Joo Cangalha e tres outros individuos, que all
foram aggredir ao referido Tiburcio ; aoqua|^"
ento accordaram, pois dorma, e dos' insultos '
3ue Ihe dirigiram, passaram a vas de facto que
eu a consequencia mencionada.
O offendido foi vistoriad pela, autoridade
local, que abri o competente iquerito, tendo
os criminosos logrado evadir-s. v
ir Ja de Santa Cruz Ante-hontem
teve lugar nessa igreja a exposic.au de Santo
Amaro que all se venera, das 6 ff 8 1/1 horas
da noite, acompanha la de cnticos.
Essa oxposicao continuar predongando-se at
o dia 14 ; e no seguinte (dia do mesmo santo)
se far o seu "festejo, de conformidade com as
esmolas dos dev itos que se acham na eleico j
publicada no Diario do dii 15*de Novembro Jo
aooo passado.
Autopsia Da que officialmeote procedeu-
se ao cadver do parlo Marceliino da Silva Lo-
pes, por suspsitas de enveneoameoto leoto per-
petrado em sua pessoa, foi recoabecido ter o
mesmo suecumbido a -uma coogesio pulmo-
nar, e nao causa supposta.
Perlmento mortal-E' o que soffreu no
da 16 de Dezembro ultimo Manoel Joaquim Ta-
vares, no lugar Lagoa Torta, districto do Li-
moeiro, sendo-lbe dado ura tiro de pistola por
Joaquim Moyss, por motivos completamente
frivolos. -
Vistonado o offendido, j foi feito o iquerito
e remeltido ao juizo criminal, diligenciando a
autoridade policial por capturar o criminoso,
que pode evadir- se.
Outro -No porto do Jacobina, na Capunga,
no dia 5 do corrente, pelas 11 horas da noite,
foi ferido mortalmente Silvano Jos dos Santos
por Salusliano Jos Joaquim de Sant'Anna, que
foi preso e recolhido Casa de Detenco.
O offendido foi vistonado.
DesastreDe uma queda que deraem ter
ras do engenho Ramos, de Pao d'Alho, resultou
vlr a fallecer logo depois o individuo de nome
Francisco Ferreira, que desse desastre foi vic-
tima.
A casualidaJe des3e. facto fot. verificada pela
autoridade policial.
CadverFoi retirado do rio o cadver de
Albino Lopes Ferreira, que nelle te laucara a-
altura da praia de Santa Rita, procurando to
dia 4 do corrente evitar o abalroamento de uma
draga com a alvarenga que governava ento.
Veniicou-se que a morte fra determinada
por aspbyxia por sobmerso.
Imprensa europeaRecebemos:
Os ns. 288 e 256, de 8 e 16 de Dezembro,
do peridico Le Brsil, que se publica em Parie,
e que trazem estes summarios:
N. 255 : Tlgramraes.Ce que l'on dit de
nous.Argollo Ferr&o.Les vnements au Br-
2.500 000
2.000.000
1000 000
750.000
500 000
250.000
250.000
125.000
125.000
125 000
80.000
89.000
80.000
80 000
50 OO
50.000
50.000
50.000
80.600
50.000
40.000
40.000
40.000
40.000
40.000
40 000
346 20 000
704 20.000
4050 20.0 0
4644 20.000
4931 20.000
10849 20.000
11692 20.000
12541 20.000
14892 20.000
17644 20.000
18297 20 000
22183 20.000
28782 20.000
29014 20.000
32610 20 000
33747 20 000
34708 20 000
41369 20 000
44638 20 060
45273 20.000
45399 44.000
45401 44. t'OO
17224 28:0O0
17226 28.000
222j 18 000
22:87 18.000
2902 12.000
22904 12.1-00
3856 7.000
3858 7.000
45400, 17201 a 17300,
a 23000, 3801 a 3900,
Koran; visitadas ap respectivas enfermara
elos Drs.
BarroB Sooriaho s61/2.
Malaquias s 9.
Nao compareceram os Drs.:
Moscoso.
Cysneiro.
Berardo.
Pontual.
SimOes Barbosa.
Estevo Cavalcante.
0 cirurgio dentista Numa Pompio nao com-
parecen.
O pharmaceutico eatroa s 9 12 da mauh e
;ahio s 2 da tarde.
O ajudante do pharmaceuticojentron s.7 1,4
Lotera do Ciram-ParaA 3a parte, da
34' lotera, cujo premio ?rande de 60:00M.
ser oxtrahida no dia 10 e Janeiro.
A 8> parte da Jl" lotera dessa provincia,
cujo premio granda 5 de 250:000/, ser extrahi-
da no dia .. de Dezembro.
A 3* parte da 33* lotera, dessa provincia
cujo premio grande 120:000<000, sen extrairi
ia no dia .. de Janeiro.
40 000
J8I01 40.000
38461 40000
39156 40000
As centenas 45301 a
22201 a 22300, 22901
foram premiadas com 2400 peseta
Os nmeros acabados em0tem 500 pese-
tas-
iLeiieesElTectuar-se-ho os seguintes:
Hoje:
Pelo agente Pinto, s 10 e 1/3 horas, ra dos
Pires n. 83 A, de movis, candieiros, etc., etc.
Pelo agente Martins, s 11 horas, ra do
Imperador n. 16, de um terreno com duas meias
aguas.
bUssas fnebresSero celebradas :
Hoje:
A's 8 horas, na igreja da Soledade, pela alma
de Hermenegildo Marcellind de Miran Ja; s 7
horas, na igreja da Penha, pela alma de anoel
Caetano Borges Ucba ; s 7 e 8 horas na igreja
da Congregaco, pela alma de Albino Jos Mo-
reira de Soua.
A'S 4,horas na igreja da Madre de Deus, pela
alma de' Joo Antonio da Silva Pereira.
PassageirosChogados da Europa no va-
por francez Equateur :
Madame Laure Charre e 2 Qlbos, AntonieteCha-
line e i filho, Brnest, Luiz Bernard Loth, Otto
Kerno e sua senhora, Louzi Micbel e sua senbora,
Piel/o Gaiantino e i filho, Antonio Jos Soares
e sua senbora, liara Umbelina da Bocha e 2
lilhos Jos Bayjbundo Rodrigues de paula e 1
filho, Charles S#res.
Sahidos pa*a o sul no mesmo vapor :
Joo Candido Santos, Vctor Moreira Lopes sua
senhora e 3 lilhos, Francisco Alves da Silva, Ar-
thur Ferreira da Costa Silva, Silveira Carvalho
sua senbora e 2 lilhos.
Cbegados da Europa no vapor francez Vitle de
Buenos Ayres :
Manoel Pires.
Chegados do sul no vapor americano
Advanee:
Dr. Daniel de Almeida e Vicente Mello.
Sabidos para o norte no mesmo vapor :
Sympbronio Menezes e Paulo Fragoso.
PERNAMBUCO
English Bank of Rio de f aueiro
(Umlted)
Capital do Banco em 50.000
acsSes de 20 cada uma 1.000,000
Capital realisado.......... 500,000
Fundo de reserva.........& 150,008
balando da caixa filial em pebnambco,
em31 dedezembeo de 1889
Activo
Letras descontadas............. 83:138610
Emnrestimos e contas cauciona-
das....................... 490:663*320
Letras a receber............... 2^3:111*400
Garantas e valores depositados. 316:112*850
Mobilia, etc., do banco......... 1:63000O
Diversas contas............... J 236.744*000
Caixa......................... 567:011*020
2.988:411*200
Passivo
Contas corrente3
simples........ 455:428*580
Depsitos a prazo
nxo com aviso e
por letras...... 1.561:542*060 2,016:970*640
Letras a pagar................. 5:59a*i^
Ttulos em cauco e deposito... 316.1125850
Diversas contas............... 648:731*570
2,988 411*20
S. B. & O.
Pernambuco, 7 de Janeiro de 1890.
A. /. P. Clarkson, manager.
/. JST. Eddowes, accountant.
l.outlon & Brazllian IBank Li-
mited
Banco
Pago
reserva

'
f ;

I 5
",--

.
Oapital
Fundo
do
de
1,250:000
625:000
360:000
BALANfJO DA CAIXA FILIAL EM
BUCO, EM 31 DE DEZEMBEO DE
Activo
Letras descontadas
Letras a receber
Emprestimos, contas correntea e
oatras
Garantas por contas eorrentes e
diversos valores
Caixa sm moeda corrente
PERNAM-
1889
P8:2j*370
961:973*500
2.544:675*681
727:599*520
l,44p-763*83
5,76rt:303*90t


I .
( -
Passivo
Depuaitoi :
Em coota corrente
Fixo e por aviso
Garantas por contas eorrentes e
diversos valores
Diversas contas
Letras a pagar
961:370*580
2,021:421*020 2,982:791*601

1,581:936*980
1,203:067*720
507*600
5,768:303*900
8. E. & O.
Pernambuco,
7 de Janeiro de 1890.
W. U. Bilton,
Manager.
R. G. Kng,
Acting accountant.
'! ..' -." 'I ..' f'".' ."1


i/iario
ae
890


SPORT
Hlppodrc o do Ctmpo Ciraade
Com a concurrencia do cosame realisou este
prado no dom ngo uliimo a9.*ornda.
0 diverlimeulo correu com muita o.dera e re
gularidade, as gaidas foram boas e o procraai
ma foi observado, menos quanto ao desafio por
ler fgido o animal Monitor que devia coa pelir
com Piramon.
Ni casa das apostas foram arrecaJadoj 18.9304.
Eis o resultado das corridas

1. pareo Ensato -800 metros Animaos de
Peinambuco que nao haviam ganbo nos prados
do Recife-Premios : 2001, 40* e 80*000
Trigueiro, montado por Manoel Arcbanjo, sa-
bio na vanguarda e da mesma forma chegou ao
vencedor, ganbando folgado a corrida em 601/2".
Urano foi 2." e Honarcbista 3.
Guaraoy, apesar da mascara que levava, em-
pacou e nao correram CamOes, Z Povinho, Mer-
curio e Pekio.
PotUe de Trigueiro em i., 38*300; em 2.%
16*100.
Poule de Urano em 2.. 8*400.
Movimento geral, 2:745*000.
2." pareo Imprenta800 metros Animaes
e Pernambuco que nao haviam ganbo nesta dis
tancia no Hippodromo e em distancia superior a
900 metros nos prados do Recife Piemios :
200*, 403 e 20*00).
Ao signal de partida auby pulou na pona,
seguido por Ilumilde, que cerca de 200 metros
depois conseguio cmparelbar e asaim correram
at a entrada da recta de chegada, quando Boa-
Vista, montado porManosI Canavarro eolloca-se
oa vanguarda e ganha a corrida em 61".
Homilde foi 2. e iuby 3.>.
Nao correram Conforme e Corsario.
Poule de Boa-Vista em I, 24*100; em i.;
! 0*700.
Poule de Humilde em 2., 9*700.
Movimento goral, 3:583*009.

3. pareo- Tr i Utos Urbanos-i 700 metros-
Animaes nacionacs at meio sanguePremios:
"(00*, 60* e 30*000.
Fluminense, montado por Thomaz e leodo por
ajudante a Gallileu, que se enearregou de aper
tac e alropellar ao Danubio, logrou ganbar a
"orridaem 127". M L
Danubio foi 2." e Gallileu, qu" ja vai se dcnti
ftcaaa com o trihofeiros. ch Nao correram Favorita, Baccho e Recife.
Poule de Fluminense. 23*609.
Movimento p ral, 2:300*009.
i- pareo lhrinonia-%0 metroa-Animae?
de Pernambuco que nao haviam ganbo em maior
distancia no Hippodromo-Premios : 200*, 40*
e20*
Arreada a bandeira, sahiram os animaes em
bolo, apparecendo pouco depois na vanguarda
Pombo Preto. que conservou essa posic&o at a
distancia de 300 metros, passando Turco para a
frente.
Prximo ao distanciad), Cauby, montado por
Lnii Pereira, adianta se e ganha a corrida em
68".
T-.crjll'eBoa Vista 3. iA,
Poule de Cauby em 1., 27*200 ; em 2., 10*
Poule de Turco em 2.^, 7*700.
Movimento geral, 4:215*000.
[*
5. pareo -Wppodromc do Campo Grande
1 609 metrosAnimaes de qualquer paiz que
n5o haviam garbo nos ltimos seto mezes nesta
ou em distancia sup-rior a 1.609 metros nos
prados do Recife Premios 400*, 80* e 40*
Ao signal de partida Damietta tomou apona,
ceeodo a cerca de 600 metros depois a Africa-
na dirigida por Cbrispim, que conseguio ga-
nha:- a corrida, chegando Damictta em 2, logar
e Phedra em 3.
Gallia abandonou a corrida em meto da via-
gf m e Ernani, na forma do coslumc, 200 metros
Im .i-' da sahida malucaa no. raia.
Nao correu Lovel y.
Poule de Africana em I, 13 ; em 2 ", .>$400.
Poule de Damietta em 2 5*300.
Movimento geral. 3:385*000.
6.* pareo -Vil cdade-8'0 metros-Animr.es
Je Pernambuco-Prumius: 20)* 40* c 20*000.
Coube a Piramon pozar a corrida, ceden do
depois a ponta a Templar.; mas na recta de che
gada o jockey de Arumary forca o galope e obn
gao a ganhara corrida
Piranon foi e Templara."
Poule de Arumarv em !., 34*300; em 2.",
6*900.
Poule de Piramon em *. fiilHX).
Movimento geral, 1:5003000.
Club grima
Na segunda-feira ultim-i eobrio se o turf per-
nambucano dis suas nn-lion-s galas para um
acto demostrativo de sympatmca signihcacao e
le ura inicio promrHedor.
Era a festa do Club Esgrima, congratulatoria
do seu digno presidente, capilao Joto Justioiano
Ja Rocha, e iniciante provisoriamente dos nns
da sociedade em urna de suas faces.
E o Prado Pernambucano, onde ella, por gra-
ciosa concessio da respectiva directora, leve
lugar, esteve todo risos-lodo Colgarestodo
centro de communicaiiva alegra, que do mo
d'alma se irradia-a na supertele dos semblan-
tes.
C01IF.RCI0
Revista do Morcado
RCTFK, 7 DF JANEIRO DE 180.
O movimento foi pequeo e constou de traos-
aecesocs mercados de cambio e de algodo-
Bolsa
OCTAVES OFFICIAES DA JUSTA DOS COB
BECTOKE8
Recife, 7 de Janeo o de 18! 0
uambio sobre o Rio de Janeiro, lo e 15 d/v. cem
3/8 0/0 de descorito.
Jamlo soDre S. Paulo, 30 d/v. com 7/8 0/0 de
descont.
Dito sobre dito, 60 d/v. com 13 40/Odeues-
cont.
Jambio sobre Londres. 90d/v 231,4 d. por i*.
do bance.
U Presidente,
Antonio Leona do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Dubcux.
Assuear
Os precofl pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a Assoeiaeo Coaimercia Agrcola, foram
>s seguintes:
-;slnas..... 3*000 a 3*400
dj-aDeo..... M8U0 a 3*S
S.menos. 2*400 a 2*500
M iscavado purgado 1*600 a 1*00
Brotes ... 1*100 a 1*360
n tnme...... *800 a 1*000
A exportaco, feita pela alfandega neste mez at
o dia 2, subiu al.4'<'.8H0 kilos, sendo 918.375
Dar o exteriore 549.503 para o interior.
As entradas veri fio lilas em Dezembro Ando,
ittingiram a 262.^57 saceos, sendo por:
arcacas .... 120.38 Saceos
Vapores..... 400
Animaes. ... 12 60 .
via-ferrea de Caruar. 9101 *
Via-ferrea de S. Francisco. 87.99
Via-ferrea do Limoeiro 32.:<2H
Somma.

Em igual mez de 1886
Menos em 1889 .
261.857 Saceos
0.818
W.*71
Cambio
PRACA DO KECIFE
0 b.ncos man ti ve-am oo balea o a tabella de
5 d., saccandu, poiro, c Loudon a 23 1/4 at
i boras da tarde, quando remsou coatinaar a
esta Ua ..
P quena escala.
De facto, o ediBci s respira ?a a *ida, e de
todas as suas avenidas a anim.cao constitua lhe
as feicoes.
Tado que a elle se prnedia, ludo que lhe era
dependencia, afiuava-se por urai mesma gamma
e dP8feria natas barmanicas de un sentimenlo
festivo, fazendo sobreahiresse tom geral as de
cora;6es vistosas e aprimoradas das srchibanca
das, e nao meDOs o embandeirameno da
entrada, sua projecgo gni3a de columnita at
ao corpo princioal e alada a sua extensao a raia.
A concurrencia de assistenles era immensa :
assemelhava-se que se tem contado nos gran-
des premios dos nossos hyppodromos.
Regorgitava de gente, de todas as carnadas
sociaes. mas em sua parte selecta,
Familias sem numero pejavam as arebibanca
das, e abi figuravam por sua represeotacao dis-
tinctos ramalhetes de fragantes e vanegadas
florea, diipostos naquella grande jarra.
Ne8e encanto da viso associava se o da
audico por duas bandas de msica marcial,
que alternadamente se faziam ouvir e saudavam
ao vencedor, celebrando Ihes assim a victoria,
quando, corrido o parco, toca va a. meta, e apos
era agalardoado com o premio que a distinc'a
sociedade lhe destinara em belissimo objecto
d'arte.
Pouco depois do mcio dia deu-se comeco de
i xecucio ao programma, e successivamente rea
lisaram-se os pareos com intima satisfagao do
publico. Isto revelava se com exuberancia em
st us applausos, despertando lli'os mais eslrepi
toso? o pareo de corrida comobstaculos por sua
originalidade c execucao (i bilontra, e e de selec
cao de cor'ida de meninas, no qual todo o pessoal
de fiscaIisa(,-o e julgamento foi composto de se-
nboras ; o que mais o abrilhantou, ao mesmo
passo que singularisava a corrida, em que ao
surgir da Estrella d'alva appareceu na ponta e
lo ."ou a meta a bella Haianeza.
Concluido o 3' pareo, forinou-se o cortejo do
brinde ao distinelo presidente do Club, em bou
ra de quem celebrara se a festa sportiva.
Sabido procissionslmentc da casa das apostas,
com a msica dos menores do Arsenal de Mari-
nbo frente, o esennio de offerta no cenlro con-
duzido pelos Srs. Francisco de Gouveia e Leaos
Duarte, e seguido da coramissao de 3enboras,
das jovens que compozeram aquelle pareo, de
varios socios do Club e de outros amigos e af-
f icoados do iilustre brin.idao, seguio para o sa
luo de honra da archibancada, oudc achava-se
elle.
Alli che-gado o prestito, presentes o Ilustrado
Dr. ebefe de polica, outras autoridades e dis
tinctos cidadaos. o nosso collcga de re lcelo
Dr. Wilruvio Pinto Bandeira, como orgao do
Club, em breves patarras, fez entrega do
objecto que constitu! o brinie, assigiialundo
que elle nao se valoris :va pela importancia ma
terial do mesmo objeelo, mas que o brindado o
estimasse na altura do scutimento qne de'.ermi
nava a manlfestacSo que lhe faziam o- amigos,
e que outro nao era senao o recenhecimeoto do
mrito do cidadao capilao Joao Jusliniano da
Rocna.
Em palavras repassadas de agradavei3 sensa^
c6es, o obsequiado agradeceu a manifestacjoe
recebeu reconnecido o presente, sellando as pa
lavras de agradecimenio com um abraco no or
gao da manifestacao.
Por esse momento a marselhesa encheu os
ares com as suas harmonas arrebatadoras.
O objecto offertado consisti em una bellissi
ma guarnic&o completa, composta de 12 pegas
para escripia, le elee.ro pial oxidado.
Na parte superior interna do escrinio havia a
inscripcSodedicatoria : Club-E9grima So
cios e amigos offerecem ao cidadao capilfio JjSi
Justiniano da Rocha 6-1-90
E' obra da ourivesa ia dos Srs AMtiur & De-
siderio, desta cidade, que se recommendam
graudemente pelos seus artefactos.
Sob as mais agrsdaveis impressOes, as 5 bo-
ras da tarde, terminou esta ftott, que deixara
vivas recordajOes no espirito Me qnm Ihe^sis
lio a execucao acompanhiiido lhe as differenics
pilases e desfructando lhe o; iliff^ren'es e sem
pre novos entretinimentos, de que foi ella opa
tenia.
Bella copia deu de si o Club Esgrima : es
tampou urna promessa que para desojar se nSo
demore ej sercumprida.
*
Foi este o resultado dos pareos :
Io pareo Cidadao Dr. Marhm J.uior100
metros corrida a p para meninos de 12 aun s-
premios : ao Io e 2" objeclos d'art .
A victoria coube a Pombal
O segundo lugar cone^uio-o Goatrany.
Poules do Io em primiiro lu3'ar 3*800 c em
secundo 5*0'K).
Do 2o em segundo 20JI200.
A casa dasapostis vendndo9l noule?, arre-
cadou 182*000.
2o pareoArmada Bratileira t)0 rae-tros-
corrida a p para mefiinos premios : ao 1" e 2'
objectos d'arte.
Foi vencedor Nictherby.
Em segnndo chegou iial de Oliveira.
Poules do 1" em prineiro logar 11*100 e em
secundo 4*400. .
Do 2 em segundo 2800.
A casa das aposta-i exiraliio 215 poules, que
prodnziram 430*000.
L
3o pareoCidadao 3apilo Joo Juslioiano da
Rocha50 metroscorrida a p para meninas
PBACA DO BIO DE JANEIRO
Taxa bancada em geral a 25 I/t c o Xaoio
nal a 25 3,16, exigmdo os tomadores 25 ,'4.
TABEL1.18 AFTIXADAS
25 n 1 > o 5 r-c a ( b
# CX o B B 3
< -i a s. 5 o p e CT V b
rr ?5 (T O
o 5
re ' " i
' ' ' " a
' a1 . - * 1
35 +

ti. " 1 * *
. . . .
premios : 1" urna joia e 2a nm ohjecto d'ar-
te.
Ao vencedor chegou em Jipone^a.
O segundo logar foi alcancado por Estrella
d'Alva.
Poules da 1* em primt iro logar 4*600 e em se-
gundo 2*300.
Da 2" em s>vundo 2*300.
A caa das apostas arrecado 3045XX), por ler
vendido 152 poules.

4* pareoPrado Pernambucano600 metros
G-ntleinen ridersAnimaes deste Estedo-prc
mos : urna j-iia ao Io e u.n objecto d'arte ao 2.
Conqnistou a victoria Z imbo.
Chegou em seguedo Borlim.
Poules do Io em primeiro logar 7*400 c era
segundo 3*100.
Dj 2 em segundo logar 2*700.
Emiltio a ca-a das apostas 394 poules, arre-
cadando por 8so 788*000.
3o pareo-Club E-grima150 metroscorrida
a p com obstculos;premios : ao Io e 2* ob-
jectos d'arte.
Obtev a victoria Trigueiro
O segundo lugar foioecupado por Piramon.
Poules do Io em primeiro 5*7 6*0 0
Do 2" em segundo 6*000.-
Foram vendidas 150 poule3 pela casa das apos-
tas, que assim arrecadou 300*000.
# '
6 pareo15 de Nove.nbro250 metroscor-
rida a p para homens premios : 20*000 ao Io.
5*000 ao z, e 2*000 ao 3.
Foi vencedor Pompadoor.
Chegou em segundo Hirondelle.
Poules do 1 em primeiro 8*i00 e cm segundo
6* :0O.
Do 2o em segundo 2*500.
A casa das apostas Yendeudo 06 poule, apu-
rou 212*0.0.

7 pareo -Estado de Pernambuco-10O metros
corrida a carairos-premios : ao Io 2' ob
|eclOS d'arte.
Conquisten a vietsria Armond, mesmo tendo
soffrido um desgarro, cujis effeiloa fowm en
lempo annullados pela habilidade dojock--y.que
recorreu a proposdo ao recurso da cauda.
Em segundo chegou Templar.
Pcules do Io em primeiro 6*700 e em segunJo
1*600
Co 2o em segundo 13*700.
Foram vendidas pela casa das apostas 133
poules, dando o resultado de 35fi*0C0.
Neste pareo levantram-se algumas rjclama-
ges no sentido de trr havido engao com rea
cao ao carneiro, quechegariem2 pretendendo
se ter sido La Plata e nao Templar.
O movimento geral d i casa das apostas foi
de 2 522*000, corrc=p.ndente a 1.261 poules
vendidas.
Dt-rliv Clul de Peranmbaco
Realisou se hontem a inscrips&o para a corri-
da a realisar 6e em 12 do corrate, dando o se
guinte resultado :
1. pareo Coosolaco 800 metros -Vivas,
Urano 2o, SalomSo. 19 de lunho, Plutao, Pelit
mare, Corg 2o, Maribondo, Cam6e3, Royal,
Atchim e Uo'i.archista.
2." pareo -EmulacSo 700 metros Invicta,
Steilj, Feniana, Ida, Fascira e Rosa Branca.
3o prreo-Oiuoium1,500 m'trosFavorita,
Atila, Recife, Gallileu e Aymor.
4 pareoAnimacSo -1,200 metros -Triguei-
ro. Tupy Piniaroe Cau'ny. .
5." pareo -C>n~ordia1 70) metrosAlrica-
na, Ernani, Phedra, Feuillage, Ziuga-o e Da
miela.
6. pareo-Rapidez 1.609 metros Chiron,
Minerva, Dinubio, Gallileu e Fluminense."
7. pareoPro.-peridade 9(X) metros-Sans-
souci. Gerfant. Poto?y, Faceira, [da, Piodaro,
Donavan e Cauby.
PUBLICARES A PEDIDO
Ao publico
da venina
Recife de
ia pastado, as.ignada por Jos de Siquei
s, senella nao ae me accn.-aise d'envol
Nunca lancei mao de objecto alheio, ou por
muios que nao fossem muito honrados; e ape-
rar de saber de quanto sao capazes meu5 da-
tractores, no pensava e nem podia pensar qu;
elles tivessem o arrojo de attribuir-me actos
que pudessem macular meu carcter, que lauto
preso-
Oqueoccorreu com relaco ao boi, que diz I
o Sr. Laurenlino lbe pertencia. e pelo qual re
cebeu 6O.-:0OO. porquanto foi vendido por mim,
a pedido do Sr. Gustavo de Siqueira, como sabe
ou deve saaer o Sr. Lourentioo Ventura, consta
da carta abaixo, dos Srs. Manoel Raymundo da
Siva Pat e Agoslinho Ferreira, aqueJ meu ad
ve sarlo poltico, porem hornera de recoaiiecido
carcter como tambem este.
Rematando com rclajao ao Sr, Laureatiao re-
Sto que calnmniou me. sorvindo.de instrumea-
de meus desalmados iuimigos, e representan-
do um papel improprio de um homeai de digni
dade.
Prova mais esmagadora n5o podia eu off--e
cer, salvo se levasse o Sr/Laurentio bar a do
tribunal competente, o que me custaria despe
zas superiores as minhas circumstancias pecu-
niarias, quando actualmente luto luto com os
effeitos de urna grunde secca, sustentando urna
numerosa familia.
Quanto calumnia rela'iva Toaren, que se
pretendeu justificar com urna carta falsa, es-
cripta em nouie de seu pai, peco aD.=us quema
d paciencia pare supportar o inconsciente Josi5
de Siqueira Ge3 Antonio AI ves de Ges Mel e
Francisco Alves de Queiroz Amaral /! !
Sorprehen lldo com a leitura da citada verrim i
da^nal f muito depois de ter sido publicada,
live noticia, dirige me a Jos Ferreira de Araujo
perguntando lhe como ex plica va o ficto, e elle
admirado e sorpreso, disse meque nunca tintit
me altribuido defloramento em sua lilha. qu
estava casada, tendo sido raptada por um no
meu de cor prela, e casada om out'-o de nome
Casimiro, e que com ella est vivendo. Aceres
centou finalmente, que nao sabia de tal. c que
iiinguem lhe havia pedido que de.'se carta
naqielle sentido concluir.do por asseverar que
estava prompto para declarar o qie me acaba vi
1e dizer, em qualquer parte. Sobre este ponto,
comprometto-me a fazer publicar una de dar
cao de Jos Ferreira, o que nao figo j, poreHe
no saber ler, e s quero servirme de dacjmen
t^ qne mereca f.
Nao tenho, gracas a Deus, fados em ruin!: i
vida que me envergonhem ; outro tanto, porem,
no poderlo dizer meus rancoiosos c cal-
mados inimigos !
Elles sao indignos de commiseraco. mas eu
me envargonho de desenrolar aos olhos do leitor
a chronica de cada um.
Para provar quanto sao elles perverso*, basla
dizer que, asc-mdendo ao poder o Sr. Visconde
de Ouro Preto, elles reuniram criminosos e des
ordeiros e arsassinaram ao infeliz Jos que tinha
sido meu escravo, e un menino, e nio obstante
lao grave ;rime ter sido pratic-ido co: ostenta
cao, anda nao esli processados.
sobre este facto chamo a atlencao do cidadao
Di*, chefe de polica e do Exm. Sr. governador
deste Estado.
Alagoa de Baixo, 28 de Novemhro de 1889.
Frairisco Alves de Siqueira e Mello
ca ? NSo. O baUto pie ser substituido
por um fracoo de vidio forte, etc.
E, d'este modo, fazemos a applicacao, e
anda, sem paiavras, ensinamos o mode de
prover a Wta de certos apparelaos!
Para adoptarmos, pois, o eusino objec-
tivo, largamente intuitivo, nao nos faltam
musaus nem laboratorios ; falca-nos vonta-
de, e, sobre tudo, aptidao !
O regulamento du 1883, ora em vigor,
parece que quiz exigir pro vas do aptidSo
do candidato, por meio do concurso, que
n'elle levado altura de um principio.
Teremos occasiao de analysar, anda
que 1 geiramente, o concurso.
Arthunio Vieira.
No ma oceoparia da venina contra mira pu-
blicada no Jornal do teafe de IV le Sflembro
proxim
ra Ges, ^
ta com outras, a torpe calumnia de ter me ap
dorado de um boi do Sr. Liureuti.io Ferreira
Ventura, mora tor no termo de Alago i do Mon
leiro i!a provincia d-i Paraiiyba, ft de..lwv.:r de-
llorado urna moja, procurando se provar ties
assertos com urna c:irta do Sr. Lauvetilno e u
outra do nui da suppo-ta deshon'a:a :rmrqu ,
para es que mp conbecem nao preciso defender,
me, e para o pub.ico, em una correspond ncia
que liz publicar nu. Diario de Pernaiubuco em
Margo do correte anuo, tlefendendo inede ale
vosius seuaelhanles, ja disse de quanto sao ca
p: sos meus detractores, como prncedem rasgan-
do Ihes as pstulas e fazendo verter asqnerasi
dades Entretanto, como o'Sr. Laurentino leve o
arrojo, faltando a verdade, C pondo de parte a
sinceridade com que deve expres-ar se o bo-
mem qne se presa, de fornecer urna carta, era
que diz que me apoderei de um boi seu, e dis-
jmz no sul, e Ih'o paguei, afTirmo sob palavra de
honra que falso, 1'jlsissimo o que diz o Sr.
Laurenlino.
4fgodso
sorte do serto
de G600 por
Gula se o de 1'
t5 kilos.
Aexportago feita pela alfandegr. oeste mez al
o dia 2, cootou de 162.776 kilos para o exterior.
As entrada verificadas em Dezembro lindo,
*ui>iraraai3.8Vl saccaN pendo por:.
B.irt-acas..... f SaCCSS
V.'.ores ... 7.
Aomaes. .... *-W
Via-ferrea de Garuar. **
V.: lerreae S.Fra:Ri.:co. 1-6J9 '
Va-fenw. deLiaioeiro 11.810

i: a. <
t
00
o
%
s*



te
oo
v e I s j
.^ *
*>- <
s * t ti M & U "V ^ '/',
% t 00 s * 9 o> (U
s

- ^
'. -

-> i
M
5
oo
$
Couros
Coaros salgados 360 ris, e os verdeo
res.
a 215
Agu.trrfcute
Cota-se a 95*000, por pipa de 480 uos.
A le o
Cota-se a 190*000 por pn>a de 480 litros.
M.el
CjU-se a 55*000por pipa de 480 litros.
Somma-
Em igual mez de 188B.
*1 83 Saceos
3>.919
Menos em '.889
Pauta
SEUXXi t8 7
7.670
da Aliiidega
A 11 DE 1AXKIB0DB l-0
Yide o ano de b de J uiciro
navios descarga
Barca nonjegnen e fusilas, carvo.
Barca non egue ise-Cfvs, carvo.
Barca niru'suensc tyelulatioa, carvao.
Barca al'.ema Sc>\ia:n, varios gcacros.
Barca noraegaettae Suez, carvo.
Barca sntca Grpen, carvao.
Brigue italiano Imnucot da Concezione, vanos
^eneros.
Escuna ?oro< eoenw Geflune; xerque.
Lugar allemo Haiold, varios gneros.
LOgar americano Edward Johutton, vano:- ge-
n ros.
Lugar egies ^deer Sea, bacalliao.
Lugar inglez 3la'g-e. bacalho.
Lftgar inglez linoyeae, ba^lhao.
Loga> noru-."ii"nse Lrkna, varios gneros.
Lugar inglez flora, hacalhio
Lugar pirtuguez diana, v ros gneros.
Paurho n iriegu nse Aalong. xarque.
Patacho hoJandez Clara, xarque
Patacho hespnhol Encarnacin, xarqe.
!*atac.u.n noraeguene Lodsen, varioi gcoertfs.
Patacbi inglez Atoe Arfa, xarauK
llahcito
KECEBICO
Pelo vapor nacionl Maranho, do guipara:
C-ir'os L uri.o Ganes Fonseca 2.i004000
Juaquim Pires da Silva 2:00'i*000
Bcrnardino L oes Aliioiro 1.00" OOO
r _____
RcudloaatM pblicos
MEZ D^AKmO
JfuMega
A escola QaRupublica
VII
Desde muito que ouvimos urna objecyao
digna de nota.
D:zem, em opposi',a.o a estas tlieorias:
l'ara que adoptemos os prooessos intuitivos,
preciso faz-sa que em cada escola linjn um
museo e ura lab-iratorio.
. E' verdade q'jo se tal 'Ora possivel, me
lhor seria; mas entendemos que nlo pre
ciso, iudi^ensavel o museo, nao indisjien
savel o laboratorio, porque Jacotot j o
disse : TytU c'et dans tout.
Fa!tain-nos certos apparelhos? graphe-
mol os, esforcmonos por dar crianyi
urna idea d'e'.le. Nilo temos laboratorio?
Has para que o laboratorio se n(>a nao ve-
mos eneinar chiraica (sciencia era que a
mor parte somos gregus) cnii <-i? I
Nos vamos, nos devemos ensinar-lhe cer-.
tas experiencias facis, appiave.is, &jin
as quacs a crianca possa mais tarde resol-
ver certas difiuldades da vida pratica !
Para essa experiencia, para estas appli
eatSea puramente na-uraes no percurso du
vil?., n3o precisa grande somma do ap
parelho!
Ao nosso ver, at, esta mesnn falta de
appr.relhos um incentivo para o c:sino.
E, se nao, vejamos.
Carecemos de urna lampada a alcool e
de um )alo de vidro para vapor sar um
pouco d'agua? Custa-nos consmir um
simile de lampada com um boio de tinta,
tendo como tubo para a mecha um tubo de
caeta, atravessando um disco de corti-
Munrjiv MffHhmwBfcii*TntTsTyi'~rWsnn Segunda seceo da Alfandega di1 Pernambuco,
7 de Janeiro de 1890.
O thesoureiroFlorencio Domingues.
O chefe da seccaoCicero b. de Mello
^^
de Juiho ou o cadver da
Xaea
(AO D3S0DAD0 TRIBUNO .REPUBLICANO DR
A. DA SILVA JARDIM).
Era medonho o rubro ps idell) !
ALVARES DE AZBVEDO.
Foi nos lempos venaes da heJnda tyrannia .'...
No cadver da patria, eito exanfue e fria,
Ao rbido estrid .;r das negras buccbana.:S,
Mais que tigres, lee?, aoutres e chacaes,
C.evavam-se em furor as amJicOes feroaes,
urdas da le do sangue is sacrosantas votes 11..
Di historia nos annas, voz da curropcSo
ftmais ueste paiz, la infamia m balcaa
T.o vil caucionara, luz do biixo imperio
O carcter trabidur de um torpe ininisterio !...
A lei fra o puuliol di (podra luctulenla '....
A's garras Ja oppressj sacrilega, o lienta
Vergara es:a ftacio no transe, iterrainro...
O altivo roraeao do pavo hrai!ei'rd,
FadaJo do porvir as epopal gra ides,
Cuja gloria iinmo:!al a lou"a tei expandes
Oh! repaolica :iu'Jaz!...de iulinios arrebes,
Os soIios do povir, e alma dos avs.
baptismo da idea em sangue dos val^ntes
D ) martyr B itclif ao bero!co Tuadentes,
i) leu exempk) in-igne. insigne, be re do norle,
Glurioso ni v;li cauda mus na mirle,
;\ que aponas no pstfo 0 v.\:\:.a corac/M),
Etique do amor da patria etni-to vulcao,
Di patria, que. so't.ira oatr'ora inda no berco
A vjz d,i liberdade aos plaiaos io universo
Quando aleando a lamnem toda em noventa e tres
A Fnwsa 3|>-'dacava a parpara dos 4S|
Todo aos ps de um gnveru i agstala falsnrio
Adormecer entodo io uu salario
n somno percursor d.iuorte das nugOis!...
Inercia e scrvism) ao beso dos grHhOca I I ..
Rcccbedoria
Oo dia i a 4 7 8iSi641
dem de 7 1:171*257
geral
9:016*898
Mais eis que sobre o etnreo, em pol igo d'horrores
Converi'-wd'i ao tridente a SiOtu dos traliidores,
Columbo do povir em atejo noota ttrica
D. mar da lyraonru ;; resgjtar a Am rici,
sarga o Projihela eOtts catcac [o.o dorso a vaga
Que conspurca essa nj, que a lempest ide traga)
Das treva! no reinadoapostlo da luz,
Bravo com Danton calmo como Js3us,
Eil o na prica erzaida em tao as multidoes...
Mas que vejo ?! AlTa-ta: vos clicas visOes !...
Qna sinistro jjrosnr n*is tmulos da historia
Perpassa a aspertareiu se manto de gloria
Os pliuu'.asmas que vejo, o!; puiria de Sbucol
0:i I v.'la a favo em '.TCf.o. heroico Pernambucj....
Q-ie. negro furaco 3e uegros pa.itauaes,
N:i borrasca que cerca os corucheos reaes,
Estesonro sarveo, q-ie em picas passadud
i'- ertora febril a^ crinas inQ.immadas,
Dos areaes do norle., indmito IeSo?!..
Oh! e'aalvr.i eciio:-j j!i misa lalignacai..
SoBoca-uae no petto os impotos f emeites
Das rubras explos523 4a oleras araentea ..
E vos, sonoras que a lama er^ueu no Capitolio
io mais sabl.me aitir e impcrecivel solio.
l'edro Ivb. Ciera, A'ire. Nones Mochado,
E lo la essa phalangd aijjista do passado-
as irevis do sepulclwo. luz da baechinal,
AiTajlai vosso olhar da pagina fatal,
Sin que. gravoa.ahisijriao -22DEJUL110. .
Embucai vos, hroes, que entumecis de orgulho
O peiio outr'ora livre, sento do labo. -.
Ka praca, que amotina, o inmundo povo reo,
Que nos antros do rime os dia cnxovallii,
tVndo ?ior Deaso viera, e coito-o di navalha,
E qoe infamia miseria e estupidez eonsomem,
Freme e ulula feroz ao acular de um homem,,
- Espurio d'essa raja aliva de le.'s...
E sangra a liberdade ao po.-!e dos baldSes !!-..
O punhal fez-se algoz das consciencias mu Jas...
A arma do sicario e o osala ae Judas
Europa
Norte..
Sul....
... P. do Grao Para...
... Potusi............
... Para.............
... Alagos...........
Europa....... Atiato............
,-ul........... Magdalena.......;
Norte.......... Mandos...........
12
12
13
17
17
ts
Recebcdoria proviaeSai
Do oa a i
Liem de 7
27:87J01
56o *0!i
44:43.jV074
i Saht03 e esc
Sul......-'-
(Janiaeesc .
Hamhnrgo
Norte......
Sotampton
Reeife Dralaage
Do dia i a 4 391*578
dem de 7 471*217
8o;Od
Stereado de Jos
o consumo dos das 4 a G de
Renda geral
Do dia 2 a 4
dem de 7
01:35i>36
30:5*2*896
Rehda provincial :
Dodia2a4 19.716*311
dem de 7
11:057*785
121:099i92
30 774*097
Somma Otal 152.673*389
Vapores a sabir
UKZ DEJAXBIBO
Financs .... :..... 8 as
Pmia?ii(ico....... 8 as
S. Francisco....... 8 as
Buenos-Ayres...... 8 as
Maranho......... 8 as
Nena............. 9 as
5 b.
5 b
5 h
4 n.
5 b.
3 h.
BBS 0 SIL AIERIG4S0
Capital 20.000:OOOJOOO
ESTE BANCO FSCCIOXA
Eulraram para
Janeiro de 1890 :
\)'.> bois pesando 14,116 kilos
1343 kilos de peixe a 20 rs. 26-9 i
28 cargas com farioha a 200 rs. o*-00
19 ditas de fructas diversas a 300 rs. 3*7.0
Furam oceupados :
91 columnas a 600 rs. 54*600
66 taboleiros a 200 rs. 13 200
3 escriptorio i 300 rs. 900
02 sumos a 200 rs. 12*400
175 corupa lmenlos de farinha a 500
rs. 87ja
84 ditos de comidas a 500 rs. 42*0^J |
296 ditos de legumes e fazendas a
400 re. 1 '84K,:
26 ditos de fressuras a 600 re. 15600
48 ditos de sumos a 700 re. 33*600
18 Compartimentos de camares
a 200 rs. 3*500
113 talhos a 2* 226*000
3H-na do Commerrio3
Deseonta letras e contas assignauas.
A lianta dinheiro sobre caucho de ttulos
e mercadorias c contas cerrentes, abre
contis correntes com garanta dos niesmos
effeitos.
Re?.ebe em deposito ttulos e valores.
Faz, movimento de fundos de pr5a
praja o concede cartas de crdito, abono e
Jhttca.
* Pga era conta corrente de movimento
' fi an or.nn
Renlimento de 1 a 3 no crrente
646.060
611*120
l:257*18u
ao armo.
Kecabe dinhsiro a prazo txo cu por
aviso a juro convencionado.
..i,.outras operuois baaoarias.
-)
Pregos do dia:
Carne verde de 200 a f60 reis o kilo.
Carnero de 640 a 800 dem.
Suinos de 560 a 640 ris idem.
Farinha de 400 a 561 ris a caa.
Milho de 400 a 440 res dem ,
Feyao de 800 a 900 idem.
Matadonro pnblleo
Neste estaoelecimeto foram abatidas para o
consumo de hoie 81 rezes pertencentes a dive.-
sos marchantes. .
Vapores a entrar
MEZ DE JANEIRO
Xorle......... Portuense.........
Norte......'. Finince..........
Norte......... Pernambuco......
ul........... Cometa..........
Sul.......... Yepa.............
Banco Sul Americano
5-RA DO COMMERCIO-38
Saca pjr todos os vapores sobre o Ban-
co g-: Portugual em Lisboa, Porto e outras
1 .-aii ;ades do mesmo Reino.
Uovimento do Porto
Navios entrados no dia 6 de Janeiro
team e escala 16 dias, vapor fnncez.
Eqtaisur, de 2482 toneladas, commandante Mo-
reao, equipagem 125, carga vanos gneros, a
AUfc'osto Labiile.
es ala19 dias, vapor francez Ydk de
r;iu-Ayrcs, je 1553toneladas,commanilante
L '-Bjuo, equipagem 36, carga vanos gene-
a Augusto Labllle.
Navios sahidos no mesmo dia
(TCPQ06 A y rea e escalaVapor francez Equateur,
commandante Mareao, carga varios genoros.
New Y >rkVaf or allemo Fa'erno,conmandante
L. La-:seD, carga varios gneros.
j-Vapor al!mao Gutenfls, commandante
Voa Fivyden, carga varios gneros.
Entrados no dia 0
S4 itos e escala -10 dias, vapor americano d-
De Iaivos de cror com visgos negrejattes
Haculam do passado a obra de gigantes
Para eterna vergona aos posteros hroes I...
Eeospeainda affronta e lodo sobre ros I!...
Do assa6slnio e traico a hybrida communa,
Trancando ao ciiado a popular tribuna,
A palada emmadece ao inclyto Orado-. ..-
E sinistro a ergucr-se o e pectro do terror...
E:n veo de lucto immerge a grande capital...
A' noite, irma do crime, s dobras do sendal
Foge a con3tellaco augusta do Cruzeiro...
E, sobre o palio triste ao povo brazileiro,
N'esse ultimo torpor da tyrannia exange,
As estrellas nos cus sao lagrimas de sangue...
Ob vela a lyra e chora, oh musa Iodignaco,
SuBoca-me no peilo os impetos frementes
Das rubras explosOes das coleras arJeates
Sim! immerge em negro mauto a grande capital...
Masoh miseria humana! !.. em marcha trumphal
Por sobre as moras leis, s luzes d'estes ceas,
D03 horneas ante a grei, e sob o olhar de Deus,
Apos o escarro impresso face da Nago,
Campeia impune e audaz do crime a legtao II...
Jimais, alteando o eolio o infando vandalismo
Na obra da traicao, do odio e do cynismo
Sellou to n-gramente a negra barbaria...
E'lulo em prol du patria e da democracia...
Sccaas de execracao, sacrilega fargada !
Tartufos, que passais na longa mascarada,
A's sa'urnaeida patria ha pouio inda leilao,
Tropuiaus em que o perverso iguala o bistrio,
Das mezas do orea uento, oh commensaes farcistas,
Que ao sabor da deshonra accommodais as listas,
A troco do azinbavre em cunho do impudor,
Glutes da ditrnidade, oii monstros do raneor,
Que empedernida fronte aureolis a rama
Da vaidade entonada eiu pedestal de lama.
Corvos, que rastejai3 a aza negra da inveja
A's aras do tilento, e profanis s ijreja,
Coraparsnsi(ue hombreaos com immundos farrouplh>&
Paral na senda atrOz II...
O lucto das familia*
Postergado o direito, s'inlia do bandido
O sanctuario das leis que. teudes prostituido,
Eiperaacas, que patria a lamina homicida
Podera nos roubar, na aurora inda da vida,
Palmas da juvee.tude,aureolas das caos,
No horisonte o surgir de esplendidas manhas.
Conjnram-vosoin coro : (oh expiacao sublime !)
Parai na senda atroz, aposlolos rfo crime !!!...
lYaz a fach i de luz, que almo porvir "alegra
Vos soooe a noiie escura- infanda guarda-negral!I
ACOOSTO CAVAT.C4NTK DE MbIXO.
Janeiro de 1890.
Intendencia Mu icipal
Diario official, sexta-feira 23 de De-
zembro de 1889.
Intendencia Municipal.
Eti sess') de hontem ressolveu... etc.
R-:commendar aos fiscaes que tornem e-
fectivas as disposic5:s das posturas sobre
f ioricas de fumo, approvada pelo Minate
rio do Imperio de 19 de Dezembro de
1838, com a modifioaclo constante da por-
tara de 8 de Margo de.ste anao'; de for-
ma que sejam intimados os respectivos pro.
prietarips, so'- as penas nns ditas posturas
A REMOCAO OV FECIUMEITO DAS DITAS
TURICAS NO PERMETRO DA CIDADE A
CDSTAR DO Io DE JANEIRO DE 1890.
^XiWarjii!
Collegio Alhciiei Brasiieiro
RA VISCOXDE DE 'AMARAQIBE
(UOSPI IO) N. 71
O director d'este collegio communioa
ao3 pa3 de geus alumnos e mais pes
soas interessadas que no dia sete do cor-
rente comecarSo os traualhos do anno. O
eusiuo das diversas disciplinas do curso,
contina a cargo do director auxiliado,
como de cosfcume, por professores intellL
gentes e dedicados.
O director,
Jos Marques Acau Ribeiro.
Tubereulosc pulmonar
fura garantida pelh Peitoral de Cam-
bar.
IB
vanee, de 1902 tunela as, commandante D. E.
GriQlihs, equipagem 69, carga varios gneros,
a Henry Fcster & C.
Fiuice e escala3G dias, vapor austraco Matle-
kovtts, de I2'i9 loaeladas, coumandante A.
Raerdich, equipogem 28, carga varios gneros,
a Johnston Pa'ter & C
Liverpool e escala24 Jias, vapor inglez toi-
bem, de 12CS toneladas, commandinte Joseph
Oavies, equipagem 28, carga varios gneros a
Blackburn Kcedhim & C.
Buenos-Ayres41 dias, lugar americano Elisa J.
M. Manemy. de 746 toneladas, capil&o J. D.
Doddge, equipagem 10, em lastro, ornem.
Rio de Jatai o -29 das, lugar uorueguense Ideal,
de 221 toneladas, capilao Jolln Gymere,equi-
p-igam 9, em lastro, a II. Lundgren & C.
Macao -45 dias, hiate oacional tom Jess, de 8o
toneladas, mestre Clemenlino Jos de Macedo,
equipagem 3, carga varios geueros, a Hauoel
Joaquim Pess a
Macao8 dias, biate nacional Genquitl, de 45 to-
neladas, mestre Joaquim Honorio da silveir;.,
equipagem 3, carga sal, a Manoel Joaquim Pes-
soa.
Navios entrados no dia 7
Rio de Janeiro e escala--7 das, vapor brazileiro
Maranhoo, de 1999 toneladas, commandante
Pedro Hyppolito Duarte, equipagem 60, carga
vanos gneros ; a Pereira Carnero & C.
Terra-Nova37 das, lugar inglez Rozina, de 185
toneladas, capitao Junes Stafford, equipagem
8, carga baralhao; a Black'iurn Needham
ttrC,
Port Natal (frica)30 dias, barca americana Se-
rtmt dv f%* louelauas, c ipio Tbomaz S geonn, equipagem 13, em lastro; ordem.
tf.ico -13 das, hiate nacional 'amelia, de 85
toneladas, mestre Manoel Antonio da Silva,
equipagem 5, carga sal; a Manoel Joaquim
Pessoa.
Rcuerda.j (H.llanda) -44 dias, barca allem
Rhea, de 445 toneladas, capitao C. 0. Hegny,
equipagem 12, carga carvao de pedra ; a Li-
vrameato 4 C.
Sanios e escalas 8 dias, vapor allemSo Buenos,
Ayres, de 1364 toneladas, commandante K.
Lov e, equipagem 53, crga varios gneros:
a Borstelman & C.
Rotterdam 38 dias, lugar allemo Marte Sluki,
de 270 toneladas, capitao B. Schmidt, equipa-
gem 9. carga carvao de pedra ; a Livramento
&C.
Navios sahidos no mesmo da
Santos e escala -Vapar francez Ville de Buenos-
Ayrcj, commandante Le Bouin, carga varios
gneros.
New York e escala-Vapor americano Advance,
commandante D. E. Gnffithr, carga varios g-
neros
Rio Grande do NorleBarca norueguense Gltnet,
capitao A. Haavig, em lastro.
Baha e escala Vapor Gualty, commandante
Domingos Viegas, carga varios gneros.
LiverpoolVapor i glez Vandicke, commandante
Thomaz Pheam, carga varios gneros.
Natal -Patacho inglez Hokewood, capitao C. M.
Copperty. em lastro.
ObservacSo
Nao houve sabidas no dia 6.

M




1

!,



Diario de Pernambuco-Quarta-feira 8 de Janeiro de 1890
1
0 rancho dos Res ca Onda
i
S' noite brisa cicia
No ramos do cajueiro.
Contra as praias, altaneiro,
7C; se o mar a bravejar.
A la vai se elevando
Por traz da6 verdes collinas
Esclarecendo as campias
Viado as aguas pratear.
Em iinda, tudo festa,
Tudo traduz alegra,
Di msica a harmona
Se defunde n'amplidSo,
Vestindo bellas roupagens
Rapazes, mogas bonitas,
Snfsitadas com rail fitas,
Inv'adem ricos saldes.
A' luz de brilhantes lustres
Rompe a danc, a syraphonia,
NospeitoB fazer sentia
Amor, dilirio, pr&zer.
Mocas bellas engranadas.
Rironhas, todes voavam,
Na douda walsa gyravam
J quasi a desfallecer.
.
II
.
De typo helleno
Na festa vi
Urna donzclla
Um serfi.
-
Bocea pequea,
Olhos rasgados,
Negros cabellos
Bem amarrados.
Que bellos labios...
Que perfeico !
Os dentes fios
De per'las sao.
Airoso talhe
Oh que primor !...
Serve de molde
Ao esculptor.
O seu olhar
Tem tal condito
Qoe captivou
Meu coracao.
Se eu merecesse
Um seu aorriso
Julgara estar
No paraizo.

III
Ja a danca acabado se tinlia
Qnanrlo a rosea manhH despontava,
Dos prazeres que ja se lindara
S lembrancas dea nos vinha.
Olinda, 7 de Janeiro de 1890.
B. J.
Aloe ulos de lugazcira. 3 de de-
zembro de 188.
Hosannas ao Brazll republicano lio-
sanas aos protognistas da patritica pro-
clamacao feitn no dia 15 de .Novembro
rindo no Estado do Rio de Janeiro I Ho-
sannas ao laureado here Manoel Deodoro
da Fonseca.
Hosaas, que j estamos salvos dos ma-
les e perigos da raonarchia, isto da ty-
ranaia, quando menos inconsciente, prodi*
galidade, estorsao; tudo que a gasta e
desmoralisada monarchia gerara, alimenta-
ra e fecundara s eic prol do egosmo de-
vorador de ura punhado de desalmados
brasileiros e olygarchioos /
O que se via uos egoistas timoneiros da
monarchia tangida do Brazil ? Aquelles
vicios; a justica separada das polticas !
Quando a justica deve ser sempre a es-
trella polar de todos os actos do governo
na aociedade civil.
Pois q-.e tola a grande aberracao della,
em quaesquer circumstancias, faz suspei-
:ar que nao a poltica que obra,' mas a
^obica de dominacao, sentimento este jque
pre domina va no coracSo dos egoistas timo
neiros da monarchia.
Sao cetas expressoes que no maior en
Jiusiasmo est proferindo o povo Brazilei-
ro, incendldo pelo patriotismo e revoltado
contra a corrupeo dos egoistas.
E sao as mesmas que ouco dos meu8
iurisdiccionados, desde que aqui chegou a
noticia da proclamacSo da Repblica; e
que foi confirmada pelas gazetas O Norte,
Diario de f-'ernambuco e Jornal do Rec'fe,
de 17 a 21 de Novembro dito: fazendo-se
aeete sentido enthusiasmada manifestaelo
unisona de vivas Rspublica e aos Beus
protogo.iislas.
E no sentido da adhesao prestada li
vremente pelos meu jurisdiccionados e
smente para se dar a conheccr ao publi-
co, est se promovendo um abaixo assig-
nado deste termo de Afogados de lugazei-
ra, que ser, sem duvda apresentado ao
Exm. governador de Pernambuco.
Como juiz e como brazileiro, pensando
ser neoessaro e nm dever Callar ao povo
sobre esta mudanca de governo, o fiz pe
las 11 horas da manha do dia 1, do adro
da igreja, quando o povj acabara de ou-
vir a missa ; e hoje logo apos do encerra-
mento da sessilo da cmara, lendo ascom-
raunicacVs officiaes constantes Cas refe-
ridas gazetas e nos e autoridades diri-
gidas : provando dest'arte a realidade da
proclamacSo da Repblica e justificando a
iua razap de ser e a necesaidade da sua
adhesaj, no que, felizmente, fui t'mani me-
ra on te ahplaudido com repetidos vivas.
5^Imparta agora que esperemos da Rep-
blica, esta vantagens indicadas por Wil
liam PaleyLiberdade ou isencao de res-
iricco'es desnecessarias; lea iguaes ; re-
gulaci"' adaptada a necessidades e cir-
cumstancias do povo; espirito publico;
avereao guerra ; opportunidades que as
assemblas populares dio aos homens de
todas as classes de manfestarem as suas
habilidades e propdrem os seus conselhos
manilestacao publica, e, em consequen
ia de exercitarem as faculdades e ener-
ga dos melhores para o servico da com-
mundade.
Confiamos que os novos timoneiros da
patria, encarregadoB de saudaveis refor-
mas ; nao obrem debaizo do infl jxo
das paixScB ; que em seus projectos nao
publico ;
origmal-
tenham em vBta senao o bem
attendendo que as im-tituicSss
mente viciosas, depuis d-., tomarem raizes
profundas,. Be misturam c entreiacam com
muitas cousas boas, e que por isso nao
se piem desarraigrr sem ao mesmo tem-
po notavelmente se dcstruirem essas boas
cousas, nao devoraos sor dispostos a abo-
l! as de repente. Ha coi tudo juEto raeio.
Devem compSr e ornar a estado, corrigin-
do e n8o abatendo.Soartam accepisti,
hanc exorna.
Esta regra de profundo sonso jamis
deve estar fra do espirito de um reforma-
dor honesto.
Deus nos livre que haja quem repita a
doutrina de um parlamentar do corpo le-
gislativo francez, quando, no scalo passa
do, sendo destruida a monarchia, no par
lamento exprimi assim o seu grande prin-
cipio destructivo :Os estabelecimentos da
Franca corfam a infelicidade do povo.
Para o fazer feliz, necessario re nova-
val o : mudar suas ideas : mudar suas
lea ; mudar os homens : mudar as cou
sas : mudar as palavras... tudo destruir...
sim, tudo destruir, p da que tudo so deve
tornar a crear. O que v-lcu-Jhe um sa
biocritico dizer : *Se este arengucir fosse
escolhido para presidente da casa de Ora-
tes poderfa ser ha vid i p-jr c.to ivciooal?
Pretendo ir ao termo de S. Jos do
Egypto fallar ao povo, no sentido em que
tenho fallado aqui e em prl da Rep-
blica.
O juiz municipal e de orphaos,
, Pedro Jorge de Souza.
CURSO m INSTRUYO primara k segundaria
IOTEMAT0 B EXTBRKATO
dirigido pelo
BACHAREL 0LNTH0 VCTOR
As aulas deste estabeheimento eslaro
abertas do da 10 do cOrrente em (liante
33-Raa Yiscoade AIknqii$r<|M-33
Aula mixta particular
AnaaMendes Bastos, residente rna do Padre
Floriano n. 30, avisa aos cidadaos paes de fa
milia que abre a >ua aula mixta particular, no
dia 7 ao correte mez. e promette-lhes, como tem
feito em.oulros aanos, esmciar-se o mais possi
vel para bem de.-empenhar o seu dever.
Consta a sua aula das mate'ias de iostrucee
primaria, e trabalhos de aj.ulha s alumnas.
Recife, 4 de Janeiro de 1890.
------------^---------------
Nossa Sen hora do Monte
AVlS>
O administrador do p^lrimoaio da capella de
Nossa Senhora do Monte de Olinda. avisa a
todas as pessoas que estio com as cbaves das
casas pertencentes ao patrimonio da mesroa ca
pella, que al o dia 8 deste correle, entremuera
as chaves ao guarda da mesma, sob pena de re
3uerer-se ao Sr. Dr. juiz de capellas a entrega
as ditas chaves ; advertindo-se, porm, que
aquel le que se julgar com algum dirci o ou pre-
juizo, que reclame do mesmo venerando juizo.
Olinda, 3 de Janeiro de 1890.
flBH Clrigo Javcnal C. J.
--rrg'vS3SCS-
IV. 3*
Provincia de Buenos -Avres.B'dgranc, 29 de
Abril de 1882.
Srs. Lanman & Kemp.Amigos e senhores.
Sem ter a honra de conhecera Vs. Ss. e com o
devido respeito tomo a liucrdade de chamar a
attencao publica em geral para os sorprendentes
efleiios conseguidos pelo nunca bem apreciado
Tonicj Oriental que Vs. Ss. preparara.
O caso estimados ?enhores; qoe bavendo
estado bastante a'.acado p. sobrinho meu (Ignacio Fru^one) residente era S.
Fernando, na confeitaria do mesmo nome, de re-
sultados da dita febre, e em sua convalescencia
perdeu totalmente qua^i !o!o o cabello.
A indlcagao de Tartas pessoas e tarabem mi-
nha, recorremos ao Tnico Oriental, usaado o
segundo asprescripcOesqieacompanham a cada
frasco J. seus resultados nao tarda rara muito era
aer verdicos.
Hoje, senliore., que a d.ta febre predomina
tanto na capital como na campaoln, desejaria
que isto fo=se pablicadj e n obse juio aos muitos
enfermos que inlub tavelmente teriio que recor-
rer e9ta precioa preparaco para recuperar
este thesouro da cabeja.
Sem outro assumpto. s me resta sandar a Va.
Ss. mui attentamente e ollerecer Ihes as segu-
ranzas de meu maior apreco, subscrevendo-me
De Va- Ss. affecluo?o criado obrigado,
Carlos M. Fiwjone.
Pespedida
Tendo resolvido arr'.e honlem ir at o Rio de
Janeiro, e seguindo hoje no vapor Elbe^iO pude
pe8Soalmente despedirme dos meu* atnigos. o
que ora fago por meio dela, ped!id-'hes.-fe8
culpa por essa falta e to mesmo tempo etrere-
cendo Ibes os mcus fervicos eraquanto alli es-
tiver.
Recife, 4 de Jmeiro de 1890.
Dr. Manoel fo-Sascimento ihdiado Porldla.
c
Alberto Henschel&
, Huccs. ayisam aos
Srs. acadmicos do 5.
aimo da Faculdade de
Direito do Recife que
queiram fazer parte
do grupa do quadro de
Marco de (896, que
foi marcado o prazo
para se retnarem os
mearnos para o gran-
de quadro de que elles
foram incumbidos, de
at 15 de Fe ve-
do corren te an-
no, sern prorogaco
algu na.
Recife, 1 de Janei-
ro de 1890.
J0R.MES PARA EIR0P4
Ci. Laporte41 ba do bakao da
VICTOBiA encarrega se de assignaturas
para os Jornaes da Europa, Modas, Poli-
ticas, Agricultura, lttustrac&o, Engenha-
ria, Medicina, Arte, etc., etc., garanta
absoluta de regularidade.
hoje
reiro
Ao publico
Hoje termina o prazo de 15 das para ser
removida a machina a vapor de picar c pre-
parar fumo existente nos fundos do predio
da ra da UniSo n. 37, visto a Intendencia
Municipal, co.n justija, ter iudeferido urna
impertinente petieo de prorogacSO de pra-
2.0, pois desdo 26 de Outubro lindo, tem
tido continuados prazos pala inspoctoria
de hrgier.e em virtude do art 184 do
decreto n 9,554 da ') de Fcvcrciro de
188C e o dono de tal machia tem zom
bado, funcionando at boje.
A questao tem por si a le, e est as
mos da auto.idade competente e foi ao
que o reclamante pode che.'ar, fundado
nos attestados mdicos, confirmados pelo
digno inspector da hygiene < na termi-
nante disposicSo do art. 50 da le pro-
vincial n. 1,129.1 Devmos, pois, confiar
na justica da causa, a bem da salubridade
publica.
Recife, 8 de Janeiro de 1890.
A viinhanc,a soffredora..
Despedida
Viclor Moreira S opes e sua senhora,
tendo embarcado para a capital federal,
no vapor francej Emutteur e n3o podendo
fazer as suas despedidas aos seus amigos
pela predeza de seu embarque, o faz por
este meio ftfferect:n o os seas prestimos
n'aquella espita!.
Escola particular para r.1,
nios
Jjo Fraacic) da Ci-la Fi.ilo, tluruno
tre titulad; p-'la Sseola Normal deste E-tado,
scientitic- aos pai.- de familias que na ra de
Christovao Colorab n. 7 (an'.iga travissn do
Lobato) a.bam-e abortas as matriculas de sua
e cola, no dia 7 de Jineiro.
Precos commolos.
DECLRAC8ES
Ljceu Triadelphico
o l Ra do Hospicio T-M|
As aulas deste estabelecimento de in-
struccSo primaria e secundaria para o soso
feminino recome9ar5o no dia 15 do cor-
rente.
A directora, convencida de que tem
cumprido as obrigacSes que, pelos estatu-
tos de seu collegio, contrahio para com
aquelles que lhe confiarain a educacao de
suas filhas, espera continuar a merecer
essa mesma confianca.
Recebe alumnas internas, se ni i-internas
e externas, podendo os interesados, para
melhores esclarecimentos, dirigir se ao es-
tabelecimento.
Recife, 5 de Janeiro de 1890.
K directora,
Francisca Teixeira de Mello.
ACTALIDADE.E' nesta est
cao que no3cssariq provar os productos
lou>vados para o cuidado da pello. Apezar
do clima, o rosto c as milis onservam
urna brancura e um avelludado maravi-
lhosos si Be emprega o cbeme siuoa, o
P DE AEBOZ O O SABAO SIMN .
Nao se pode achar nada mais efficaz do
que o CB3HE simn contra as picaduras de
mosquitos. Evitar as falsificacSeB, e veri-
ficar bem a firma de limn, ru de
Provence, 36, Pars.
Instituto 19 de Abril
Fundado em i s3
Director o bochare! Luiz Porto Carreiro
Este estabelecimeuto de educacao e de instruc-
io primaria e secundaria reabre suas aulas no
la 7 de Janeiro.
Recebe aloran js-internos, semi internos e!ex-
tprnos; segundo as condigOes publicadas no
valso efue ser distribuido,
Ra 7 de Setembro n. 13 (esquina da
ra Formosa).
O director,
Bochare! Lniz Porto-Can eiro.
<
Dr. Silva Leal
CLNICA medico CIBBGICA
Consultorio e residencia l rna do Livramento
n. 6 1 andar- Consolas das 11 s horas: da
tarde. Chamados a qualquer hora, por escripto.
Collegio Parthenon
Hiih do Hospicio n S
O director deste collegio participa a03 pais de
seus a'umaos e ao publico em gera que as ao -
hu do supradicto collegio c mecaro a funecio-
nar no dia 7 de Janeiro de 1890 ; nutro ira, re-
cebe alumnos internos, semiinternos e extern js,
Recite, 30 de D zerabro de 18S9.
O director,
Sacharel Ovidio Alvcs Manaya.
De ordem do cidud} inspector da Thesou-
raria de Fazenda, faco publico que no dia 9 de
Janeiro vindouro contractar-se ha nesta tbesou
rana com quem mais vantagens offercer o for-
necmento de sementes de milno, feijao macassa
8 arroz, aCm de seren distribudas com os
agricultores indigentes deste Etadr, conforme
determinacSo do illustre governador, em oflicio
n. 37 de 20 do corrente.
Os proponentes devero apresen lar suas pro
postas em carta echada,sellada e com assignatura
de seus fiadores, declarando logo o ultino pre-
go do litro de cada umi daquellas s*mentes.
Thesouraria de Fazeada da Parahyba, em 24
de Dezembro de 1889.O secretario da junta,
Balduino Jos Heira
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Perante janta administrativa, em sessac do
dia 7 do corrente, recebec-se i ropo.-tas para o
fornecimento de carne verde de muito boa qua-
lidade i todos os estabelecimentos desta santa
ca:a, no trimestre de Janeiro a > argo vinderaro,
mandando o contratante lvala sua custa aos
referidos estabelecimentos, e snjeitaado se s
(i< ni is con gOes do contrito, sendo as contas
pagas mensalmente.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 2 de Janeiro de 1889.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Banco do Bmil
Pelo presente sao
convidados os Srs. ac-
cionistas das novas ac-
edes io Banco do Bra-
zil, aqui subscriptas,
a virem realizar a se.
runda entrada de dez
por cento ou vinte rail
ris por ac$o, nos dias
21 a 25 do corrente no
eseriptorio de Pereira
Carneiro $ C, a ra d
Commercio n. 6, 1.
andar.
dias
Pela inspectora desta alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do da 20 do mez de Janei-
ro vindopro serao arrematadas & porta desta
reparligo, as mercadonas abaixo mencionadas,
nos termos do tit. 3- cap 8- da :onsolidago da 3
leis das alfandegas emesas de rendas, seos
seus donos ou consignatarios nao a? despacha-
ren) c as retiraren! no referido praso de 30 dias,
acontar da data o mesmo praso, serem vendidas pouua conta,
sem que Ihes fique direilo de allegar*contra os
effeitos desta venda ;
Arm zem n. 2
Marca triangulo eC no cent-o. 1 caixa n. 2727,
vinda de Liverpool no vapor ingiez Sckolar, en-
trada cm 19 de Marco e 1889, coasignada a
Carvaluo Jnior & Leite, ci ntendo 24 cadeiras
de madeira ordinaria com assento e encost de
palha sem brajos.
ma dita n. 2728, idem dem, contendo 2i
cadeir. s de madsira ordinaria cora assento e
encost de palha sem bracos.
Urna di a n. 2730, idem idem, canteado 12 ca-
deiras de madeira ordinaria com assento e en-
cost de palha sem bmcos, e 6 ditas de madeira
ordinaria com assento e encost de palha com
bracos.
Urna dita n. % 31, id-m itera, contendo 18
cadeiras de madeira ordinaria com assento e en-
cost de palha com bracos.
Companhia Permmbucana
Mar a JAC, 1 barril de dcima, vindo de Lis-
boa no vapor ingiez Delambre, entrado era 13 de
Abril de 1889, consignado aJoao F. Feneir,
contendo 24 litros de vinho comraum.
3.' scco da Alfandega de Pernambuco, 19
de Dezembro de 1889. 0 chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Baleas foradas a 240 a duzia.
< >
Collegio Metra
Este antigo collegio contina a funecio-
nar na ra da Iroperatriz rj. 63, ab rindo
! suas aulas no dia 7 do corrente mez de
El .i Janeiro.
SCOla particular mixta Seu director solicita aos pais de familia,
.^JMaria da Cunlia Domirguez, professorr |que desejam o real apiovetamento de seus
particular d'este Estado, partecipa aos paes filhos, o obsequio de attender ao que vai
de familias que Ra da Penha n. 21,' exposto.
(andar torreo) acham se abertas as matri-: Alera dos preparatorios para a matricula
cubas de sua escola, no dia 7 de Janeiro as Faculdades de Direito, cnsinar-se-ba
;tambem a fallar, escrever c traduzir a
i lingua franceza, a ngleza e a allemX, sen-
do profesor d'esta o Sr. Algernon Sche-
Ifler.
O lado moral da educacao de seus alum-
nos, do mesmo modo que o intellectual,
sempre o mximo inte-
resse.
O resultado dos exanaes prestados no
Banco do Bmii
Paga-se o 72 dividendo, razao de
dez mil res por aceito das antigs e qua-
cenlos res por aegao das novas no estro*
criptorio de Pereira Carneiro & C,
ra do Commercio n. 6, i. andar.
Recife, 7 de Janeiro de 1890.
Precos^razoaveis.
-s=>S*S3?.
Collegio Estellita
Neste estabelecimento de ensino primario _
secundario (diurno c nocturno) ra Mjrquez merecer-lhe-ha
de Olinda n. 53. recomecaro as respectivas au
las no dia 7 do corrente. Acceitam se alumnos
pensionistas, semi pensionistas e externos
O director,
P. Estellita C. Lins.
COLLBGIO
De \. S. da Penha n. 57,2 andar
E-D ADAAUROKA
Sob a direc?io de Angos-
ta Carneiro
Os trabalbos Uctivos desie estabelecimento,
de iostruccao primaria e secundaria, pnra o prestar exeme: D. Adelina Cabral e
s( xo feminino, principiarao a 7 de Janeiro.
nm do anjio prximo passado, na Faaul-
dade de Direito, pelos alumnos do Col-
legio Meira. sao a prova mis eloqnen-
te8, e ao mesmo tempo, a informacao mais
cnteriosa das vantagens que offereco dito
collegio.
Assim que, dentre os 80 exames que
prestaran! entSo os alumnos, apenas 8 fo-
ram mal succedido8, mereciendo 6 d'elles
distinccSo, sendo plcnificados 31 c sim-
Soeiedade Unio
Commercial Bene-
ficente dos Merci-
eiros
Levo ao conliecimcnto dos Srs. asso-
ciados que se acham cm atraso de suas
mensalidades, que Ihes icca marcado
o prazo de trinla dias a contar desta d-
cla, para se porcm quites com os cofres
sociaeg; e findo o referido prazo aquellos
que nao o houvcrem feito serao punidos
com as penas do Art. 6 |. 3. dos nos-
sos estatutos.
Sal i da Secretaria da Soctcdade Uni-
o Commercial Benefi.cenlc dos Merciei-
plificados 35.
Dcntrc as discipulas que habilitaram-se | ros 1. de Janeiro (le Ib'JU
COLLEGIO DE SANTA LUCIA i L
para o sexo feminino
Rna Duque de Casias n. 48
D. Carolina Simos foram approvadas com
distinccSo. em ingiez e plenamente em
francez ; D. Mara da Exaltacao Cabral
D. Adelaide Cabral fizeram aquella
__us exames, e
! das n'elles.
esta um, sondo plenifica-
Contina a funccioifar a aula primaria,
quepoder receber alumnos da maia tenra
As aulas deste estabelecimento de instrueco dade P0*8 diriSidl por duw filhas do
primaria e secundaria, abrir-se bao no dia 7 do director, das quaes urna c a acharel Ala-
corrente. ria Augusta Coelbo Meira de Vasconcel-
A directora.
Aona di Reg Brrelo de Almeida.
Collegio Amor Divino
Ba da lmperalrlx n. 39
As antas abrir-se bao no dia 7 do corrente.
A directora,
Olimpia Afra de Meadonca.
Collegio S. Miguel
Roa Vlsronde de camaroglbe
n. 53
As aulas reabrir se-ho uodia 7 doccrrenlc.
A directora,
Emilia A. de Meiulonca.
los.
* Adruittem se pensionistas, meio-pensio-
nistas e externos.
Entre os exercicios phvicos que tanto
'convm sade, cnsinar-se-ba esgrimir
espada.
i Tambem podeiSo prender msica oa
I alumnos que quizerem.
O ensino de msica,- o de allemSo e o
pratico das lingas franceza
rio mediante a]uste previo.
Recife, 1 de Janeiro de 1890.
O director,
Ascencio Minervino M. de Vasconcellos.
C'airso primarlo c secundario
Jos de Souza Cordeiro Si.n5^s participa aos
pais de seos alumnos e ao respcilavel publico,
que no dia 7 do corrente se achara aberto o fcu
estabelecimento de instrucc j primaria e secun-
daria sito no pateo do Ca no n. 6. a continuar
os exercicios de sua prossao ; ass:m corao con-
tinua a admiltir alumnos internos, meio-pensio-
nistas e externoa.
Aula particular
AnnaTbeodora SimOes participa ao respeita-
vel publieb e aos pais de sna3 alumnas, que sua
anta particular, sita no pateo do Carmen. 26
i" andar, abrir se-ba no dia 7 do torrente : ou
troiim, continuando no exea-icio ih: sua pmis-
sao, aceitaaluxnas ro*3rnaa, meio-pensionistas'
externas. _____
Tosse conrulsa! coqueluche
Nao'deis crianca sen?," o Pe i toral de
Jambar.
ingleza se
Auxilios lavoura
Pereira Carneiro 4 C. continuara, autorisad03
pelo Banco do Brasil, conceder emprestiraos
i lavoura das provincias de Alagoas, Parahyba
3 Bio .Grande. do Norte, mediante as condices
de que. os Dteressados serio informados no es-
criptorio rna do Comraerci) n. das il borae
la manb s 2 da tarde.
0 secretario,
Joaquim Maia.
Derb? Ciufo de Pernambuco
Previne se aos interessados que a corae?ar de
hoje s e perraittido co-ejr no Prado da Estan-
cia, os acimaes inscriptos para a corrida de 12
do correnta, ficando dito cotejo interrompido
nos dias 10 e 11.
Becife, 7 de Janeiro de 189*.
0 secretario,
Jos de 0 Cedro.
Aguas alcalinas de mandarra: em
Ponte Vedra ua Hespanha
Estas aguas o^ntcm em si mineraes que
preduzem um cfreljiDaravhoso em qual-
quer creatura que ^r^a uso dcllas. Como
seja para as molestias de estomago, qual-
quer que sejam ellas, para es molestias
da bexga e dos rins para qualquer des as
molestias, s ha differenja em mais ou
menos porfo das aguas que se tem de
tomar para produzir bora resultada.
Acham-se a venda cm casa doSr. An-
tonio Alfonso Sim5es na rna do Visoonde
de Goytcnnan. 1.
Obras publicas
De o-dem do cdadSo engenbeiro di-
rector e em virtude da autorisacSo do ci-
dadao general Governador deste Estado,
de 18 do corrente, faco publico que no dia
11 de Janeiro prximo vindouro, nesta
directora recebem se nevamente propos-
tas em cartas fechadas, competentemente
selladas, para a construccao de urna ponte
sobre o rio Pirangy-ass, em trras do
engenho Catende, orgada e'm 6:963)5963,
As propo8ta8 serao abertas em presecca
dos consurrentes.
O orcamento e mais condicSes do con-
tracto acham se nesta secretaria, onde
podem ser examinados pelos pretendentes.
Para concorrer praca cima deverSo
os licitantes depositar nesta lleparticao a
quantia de 348i$l9S, equivalente a 5 i
do valor do respectivo orcamento.
Secretaria da directora de Obras Pu-
blicas, 19 de Dezembro de 1889.
O engenbeiro ajudante,
A. liego Netto.
InutUulo do* Profc*ores de Per-
namtoaco
Nao se lendo reU: ido no tia 4 do correute
namero leg-,1 de assccia'ios, convido de novo
aos Srs. associadea a comparecerem na sJe
deste instituto, s 10 horas do dia 9 do corrente,
afm de eleger-se oconselhoadminitretivo para
o anno. de 1890 O 1 secretario,
Traniuilini daCruz Rihe.ro.
Empieza Minerva*
De ordem da directora declaro que os ex-so-
cio8 dtsla eaipreza Jos do Espirit > SanU c Sil-
va e Antouio Marques da Silva foram indemni
sados por 20 socios que espontanean] nte se
quotisaram para este fliu, e nio pea empreza
que s fura inlemnisaces quando poder.
O secrtiro.
Francisco u e Oliveira.
Edltal n. 1>9 .
PRA20 DE 30 DIAS
Pela inspectora desta alfandega se faz
publico que s 11 horas do dia 22 de Ja-
neiro vindouro serao arrematados porta
desta Repartico as mercadoras contidas
nos volumes abaixo mencionados nos ter
mos do titulo 5" da coasolidacito das leis
das alfandegaa e mesas de rendas, se os
donos ou consignatarios nao as despacha-
ren! e as retirarem no referido prazo de
SO dias, a contar da data deste edital, sob
pena de, fin lo o meBmo prazo, serem ven-
didas por sua conta, sem qne Ihes fique
direito de allegar contra os effeitos desta
venda.
Armazem 5
Marca diamante FL ao lado, GP em
baixo, 674 no centro.Urna caixa n. 7{8,
vinda de Liverpool no vapor ingiez Ma-
r'ner, entrado em 12 de Maio de 1887,
consignada a Ouarte & C contendo amos
tras de copos de vidro.
Marca SBA.Urna barrica n. 76(112,
idem, em 21 idem, a Souza Bastos, Amo-
rm & C, contendo amostras de louca
de p de pedra.
Marca C'B.Um atado n. 7 idem, no
vapor ingiez Orator, entrado em 14 de
Junho de 1887, Companhia de Bebaribe,
contendo 7 kilogrammas de chaves no
cla8Sficadas para registro d'agua.
Marca GJ&C.Urna caixa sem, nume-
ro, dem, em 20 idem, nSo consta do ma-
nifest, contendo amostras de fazenda em
retalho e de chales de algodao.
Marca Barreiro Freres.--Um pacote n.
6, idem, no vapor ingiez Actor, em 8 de
Outubro idem, nSo consta do manifest,
contendo amostras de fazenda sem valor.
Marca B& em cima, W em baixo.
Um dito n. 14[15, idem, idem, no cousta
do manifest, contendo. amostras de fazer.-
d.ts sem valor.
Marca Jos da Silva Loyo & Filho.
Um dito, sem numero, dem, idem, nao
consta do manifest, contendo amostras de
estopa, sem valor.
Marca Dr. Jos B. de Alcoforado J-
nior.Erna caixa n. 59, de Buenos Ayree,
no vapor ingiez Tama--, cm 17 de Outu-
bro, idem, contendo amostras de vinho
medicinal.
Marca diamante F ao lado e B no cen-
tro.Um encapado n. 206j55, de Liver-
pool, no vapor ingiez Orator, em 10 de
Dozembro idem, a Fernandos IrmSos, con
tendo amostras de louca.
Marca GT&C.Urna caixa n. 125, idem,
idem, em 11, idem, ordem, contendo 156
kilogrammas de brim de algodSo estam-
pado.
Marca diamante B no centro.Urna bar-
rica n. 1[15, idem, idem, em 15 idem, a
Fernandos Irmaos, contendo amostras de
louja.
Marca MI, P cm baixo.--Urna caixa n.
4, idem, no vapor ingiez Author, em 10
de Dezembro idem, a Maia Irroo, con-
tendo 132 chapeos da feltro do 13 simples.
Marca SBA '.Urna caixa n. 130, idem
no vapor ingiez Merchant, em 29 idem,
nao consta do manifest, contendo amostras
de louca.
Marca MAC PAO em baixo.Urna dita
n. 1, idem, idem, cm 31 idem, a Mederos
& C, contendo 36 kilogrammas de pennas
de afo para escrever;, 9 kilogrammas de
lacre nao especificado 1 1/2 kilogrammas
de obras de ferro fundido pintados, em
obras nao especificadas: 6 duzias de porta-
embrulhos.
Urna dita n. 2, idem, idem, aos niesmos
contendo: 12 duzias de caivetes para
pennas com cabo de &arfim ; 4 kilogram-
mas de linha de hnho para costura; 3 k-
logrammos de couro nao especificado, c6r
natural.
Marca X, M em cima, W em baixo e 4
e 2 nos lados. Um paco:e n. 50(56, idem,
no vapor Dglez Sc-ilptor em 6 de Marco
de l-89, a Martins Cardoso, contendo
amostras sem valor.
Marca W Paterson.Urna caixa sem r..
idem, idem, em 8 dem, nao consta doma
nifesto, contendo 45 kilogrammas pezo li-
quido legal de cha da India.
Marca SBA.Um cestn. 471 i9, idem,
idem, em 11 idem, a Souza Bastos, Amo-
rim & C, contendo amostras de louca.
Marca SA.Um dito n. 56i64, idem,
idem, em 12 dem, a Soare? do Amara!,
contendo amostras de louca.
Urna barrica n. 11 [32, idem, idem, ao "
mesmo, contendo amostras de louca. ,
3.a seccSoda Alfandega de Pernambuco,
21 de Dezembro de 1889.
O chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca. i
Hippodromo do Campo
Grande
Assembla geral extraordinaria
Era virtude do 1 do art 13 dos estatutos;
convido aos senhores accionistas para se reuni-
rem em assembla extraordinaria no dia 8 de
Janei.o do anno vindouro, s 12 horas da ma
nh, no escriptorio dcstu companbia, roa do
Imperador n. 55, andar, aflm de tratar-se de.
negocios urgentes de interesses da mesma.
Becife, 23 de Dezembro de 1889.
loaquim Ianoceacio Gomes. -
Presideate.





*'

-






6
Diario de Pernambuco-Quarta-feira 8 de Janeiro de J890

I


i
>t
5*~
'
1
i

Correio central
Expede-se heje malas para o orte da Itepu
alica polo vapor nacional MarankSo, receb ado
ge impresso e objectos ; registrar t 2 horas.
e cartas ordinarias at 3, e com porte duplo al
Correio central do Estada de Pernambuco, 8
de Janeiro de 1890.-O administrador,
Affonso do Reg Barro*.
o. xv. J.
Socledade Recreativa 4aveMwM
Sarao extraordinario era 11 de Janeiro era so-
learais; gao ao 3- anniversano da banda
musical
Convites e ingresaos em mao dos oidadios
Manoel Joaquim Bapti;ta e Migael de Axevedo
Andrade. Sao se admitiera agregados.
Secretaria da Soriedade Recreativa Jurentude,
7 de Janeiro de 1890. O secretario do sarao,
Manoel G de Andrsd* Fa'-cao.
Instituto Archeoldgicd t Geogra-
phico IVriiamliiicaiio
Quinta- fera 9 do rorronle, hora do costme,
aaver sesso ordinaria.
Secretaria do Instituto, 7 de Janeiro de 1890.
Baptista Regneira.
i- secretario.
Escola Normal do Estado
de Pernambuco
Matricula
De ordem do Dr. director taco publico,
a quem interessar que a contar do dia 15
o corrente, at 3 de Fevereiro, estar
aberta a matricula para os diversos aonos
d'esta Escola. Os pretendentes deverSo
requerel-a ao Dr. director, prevando para
a matricula no 1. auno :
Io- Idade maior de 17 annos, se forem
io sexo masculino, e de 15, sendo do
sexo feminino;
2.IsencSo de culpa que motive a
perda da cadeira de profeesor publico ;
3.Ser de bons costumes ;
4."Nao soffrer molestias contagiosas
nem defeitos physicos que os privem de
bem exercer o magisterio ;
5.- Habilitado as materias professa-
ias nos tres graos do ensino primario, ou
as do exame que houyer de fazer na
scola.
Quanto matricula para os outros an-
nos basta ser a petiySo instruida com cer-
tificados de approvacSo em todas as ma-
terias do anno anterior.
Outiosim declaro, que o mesme Ltr. di-
rector tem designado o dia 28 do correte
psra comecar o exame de que tracta o
art. 27 do regulamonto vigente.
Secretaria da Escola Norma), 7 de Ja-
neiro de 1890.
- Francisco Vatios da Siloa Frtgoto,
Secretario.
Concurso de segunda en-
trela
i it-soiii aria de Faienda do Estado
de Pernambuco. 1 de Janeiro de
De oidem do cidado inspector, faeo puhiieo
3ne tica Bureado o preso de 60 dia-, a contar
esta data, para ter lugar nesta thesouraria o
onrurso de segunda enlrancia, autorisa ordem do Tbesomo Nacional n. 11 de 30 de No-
vembro ultimo, qnal ser rrguiado pelo d
creto n. 10,349 de li ee Setembro prximo pus-
sado, que dispOe o seguinte :
Art. 2-
" As ma:enas di concurso para os lugares de
primeira en l rancia se ro:
Grammatica da lingus nacional (orlhographia.
aaalyse e redaeco);
Grammatica das linguas francesa t ingleza
(eitura tradoegao c analyse) ;
Arilhmetica e s as applicacOes so eoa.mercio
e as repartieres de f. z> nda ;
Algelra at equacOes do segundo grao ;
Escripturcgao mercantil por pnidai dobra
das. *
Art. 3- a
" As materias do concurso
*e segunda entrancia sero
Legislacao de Fazenda ;
Pratica de reparticao.
0 exame se far, salvo a hjprbes do art.
26, por um questkraario q je era publicado pelo
Thesouro.
. Art. 28
-. Os actuats em pregados de primeira retran-
ca nao podero ser nomeados para lugares de
segunda sem dar prova plena de que subein, nao
so a pratica da reparticao em que servirem. mas
tambem as materias designadas no art. 2.
Os que se to babilitarem dentro de dous
atine.-, contados da data deste decreto, conside
rar se ho desligados do servipo d>- Fazenda.
Ontrosim, os candidatos de*f rao requerer a
inscripco de teus nomes commissao respec
Uva, instruindo suas peli;6es com os seguiutes
documentos:
1." Certido das notas que tiveram no ponto
e su a reparticao ;
2.< Attestado do competente ebefe sobre asua
aptido pira o servido publico ; da coaformida-
de com o art. 10 do citado decreto
Thesouraria de Fazenda do Estado de Persam
uco, 7 de Jbneiro de 1890.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna.
para M eaipregos
Escola normal para senboras a car-
go da Socledade Propagadora da
iMlrncrio Publica, aa Boa Viola
A isscripco para a matriaila das aulas da
escola normal a cargo dessa sociedade, acha se
aberta desde odia 2 e emerra-se-ha a 30 do
corrente
As sennoras que se quizerem mserever deve
rao apnsentar seus equenmento* instruido^
na forma do regolamento, dentro do praso mar-
cado ; assim -orno no dia 7 abrir se bao as res
pectivas aulas ,
Derby Club de Per-
nambuco
De accordo com o art. 5. do cdigo ie corr
das desta asiociacSo, esolveu a directora nao
admittir inscripeo, at 30 de Junbo do cor-
rente anno, nos pareos de au.maea de Pernaui
buco os seguintes animaes : Aruraarj. Capiba
ribe, Guarany 2-, Templar, Hiamon, Daiby
Club, Delegado e Bertholesa. .
Recife, 3 de Janeiro de 189.
O secretario,
'os de Oliveira Ca ro.
Banco JNacional do
Brasil
A Caixa Filial do Banco Nacional loBraal
esta praca, entrara em liquidacao no dia 31 do
corrente, tra sferindo para esse un o seu activo
e passivo ao Banco de Pernambuco, que execu
tara as operares pendentes. Pernambuco, 19
de Dezembro de 1889.
WiUiam M. Webste ,
Gerente.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Na secretaria da Santa Casa rec* bem-se pro-
x>3tas pa -a arrendameato do predio n. 33, -rua
Harquez de Olinda, com arrrazem propri'o psra
raalquer esubelecimento commeroai, eom
j^rande reduc^o no preco da "enda.
Aa propostas serao apreciadas pela junta em
raa sesso prxima.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
aecife, 30 de Ontubro de 1889.
O escrivao,
Pedro Rodripmi* Snu*.
Banco de Crdito Real de
Pernambuco
No sorteio a que se procedeu neste Ban-
jo em data de bontem, 27, para o resga-
.e de IflO letras hypotbeearias agente
sm circulaclo (l*, 2*, 3* e 4* Viesi de-
tignou a Borte as de numero abaixo deb-
sriptos, as quaes serao pagas pelo Banco
i contar do primeiro dia til do mes de
Janeiro prximo futuro, e, quer sejam ou
uto aprasentadas, nao venoerSo xnais ju-
-08 depois de 31 do corrente mez.
Esti-s letras serilo pagas ao portador pe'9
cu valor nominal de 1U0U0, cada urna,
em como os juros e cora os premios as
iba'xu mencionadas.
Tamrem serSo pagos a contar do dia 2
ie Janeiro prximo futuro, os juros das
etras emittidas us anuos de 18S6, 1887,
1888 e Io semestre de 1869. "
Recife, 28 de Dezembro de 1889.
U gerente,
Joao Fernandas Lopts.
32
185
217
269
353
381
440
511
531
584
676
693
735
778
885
890
1.108
1.150
1.174
1.183
1.209
1.216
1-354
1.361
1.413
i' serle145 letras
1.429 2.925 4.587 6.239
2.973 4.609 6.261
3.130 4.680 6.274
3.203 4.744 6.311
3.240 4.823
3.277 4.830
1.438
1.540
1.681
1.798
1.815
1.827
1.846
1.954
3.301
3 395
3 487
2.179-3.489
2 264 3.567
2.354
2.357
2.425
2.460
2.463
2.480
2.560
2.562
2.660
2.663
2.669
2.773
2.808
2.864
3.724
3 789
3.883
3.941
3.943
4.000
4.073
4.213
4.395
4.472
4.480
4.493
4.518
4.521
4.893
5.042
5.109
5.130
5.227
5.258
5.293
5.305
5.316
5.(14
5 638
5.837
5.887
6.019
6.076
6.080
6.082
6.163
6.2C6
6.343
6.503
6 530
6.545
6.5">3
6.558
6.611
6.673
6.794
6.905
6.927
6.949
7.014
7.017
7 329
7 342
7.523
7.541
7.593
7.598
7.676
7.719
7.757
7.785
7.792
7.807
7.816
7.843
7.848
7.920
7.960
7.978
8.020
8.047
8.094
8.122
8.193
8.232
8.246
8.346
8.456
8.506
8.520
8.561
8.625
8.672
8.795
8.914
8.933
8.977
9.029
9.204
9.222
9.244
9.273
9.290
9.564
9.686
9.715
9.721
9.783
9.915
9.985
10.021
10.248
i serle118 letras
10.627 12.147 13.654 15.615
10.656
11.056
11.125
.1.146
11.177
11.212
11.235
11.261
11.272
11.468
11.587
11.671
11 853
11.864
11.875
11.889
11.947
11.972
11.989
12.046
12.048
12.099
12.109
12.162
12.203
12.208
12.240
12.244
12.287
12.315
12.316
12.594
12.603
12.626
12.651
12 831
12.922
12.923
13.071
13.142
13.176
13.183
13.233
13.395
13.551
3.603
13.724
13.738
13.758
13.969
14.135
14.161
14.171
14.222
14.28
14.296
14.320
14.366
14.375
14.435
14.589
14.862
14.909
15.129
15.160
15.220
15.288
15.422
15.548
15.647
15.693
15.703
15.791
15.840
15.922
15.87$
1G.016
16.033
16.097
16.324
16.356
16.360
16.454
16.547
16.631
16 759
16.766
16.810
16.907
16.932
i serle- 95 letras
16.974
17.003
L7.004
17.006
17.066
17.140
17.155
17 167
17.219
17.238
17.248
17.256
17.344
17.359
71.364
17.374
17.410
17.430
17.456
17.459
17.511
17.526
17.555
17.592
17.624
17.633
17.634
L7.669
17.807
17.849
17.851
17.961
18.042
18.023
18.050
18,077
18.089
18.090
18.171
18.224
18.236
18.254
18.267
18.291
18.292
18.341
18.371
18.376
18.413
18.422
18.431
18.433
18.444
18.465
18.477
18.518
18.534
18.568
18.577
18.584
18 597
18.601
18.652
18.705
18.707
18.745
18.752
18.790
18.806
18.821
18.841
18.850
18.903
18.960
19.046
19.053
19.083
19.118
19.119
19.145
19.148
19.175
19.177
19.183
19.190
19.239
19.268
19.283
19.298
19.312
19.314
19.349
19.386
19.413
19.431
19.441
19.466
19.548
19.552
19.564
19.574
19.675
19.721
19.730
19.744
19.793
19.798
19.847
19.858
19.871
19.883
19.892
19.906
19.914
19.919
19.935
19.953
19.957
19.964
19.974
19.981
20.017
20.018
20.065
20.092
20.163
20.168
20.204
20.215
20.232
20.250
20.265
20.273
20.325
20.338
20.341
20.347
20.354
20.413
20.439
20.441
20.460
20.466
20.506
20 520
20.529
20.569
20.543
20.553
20.571
20.586
20.667
20.670
20.705
20.718
20.726
20.735
20.743
20.763
20.764
20.824
20.836
20.837
20.875
20.981
21.062
21.063
21.(83
21.090
21.111
21.128
/l.152
21.185
21.212
21.235
21 246
21.258
21.262
21.326
21.370
21.387
21.404
21.448
21 462
21.488
21.514
21.524
21.528
21.590
21.20
21.622
21.689
21.704
21.750
21.790
21.802
21.840
21.-65
21.874
21.920
21.927
21.991
22.021
22.094
22.108
22.117
22.136
22.523
22.538
22.545
22.546
22.548
22.549
22.566
22.583
22 593
22 612
22.613
22.630
22.635
22.640
22 652
22.658
22.665
22.680
22 696
22.701
22.746
22.757
22.'<64
22.769
22.789
22.fc.08
22.833
22.844
22.850
22.860
22.873
22.889
22.890
22.891
22.920
22.975
23.024
23.041
23.040
23.058
23.065
23.070
MARTIMOS
DE
aTegae&a costelra por
POMOS DO SDL
VCANA
vapor
ti icei, Penedo, Aractju' e Baha
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 8 de Janeiro as
5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 7.
Sncommedas, passagens e dinheiros frete,
1 t as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRTPTORIO
Aj Caes da Companhia Pernambucana
n. 12 ____________
ompanhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Ifeoeio, Villa-Nova, Penedo, Araca-
jd, Estancia e Baha
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
4-^v
'S"TC
E' esperado dos portos cima
at o dia 12 de Janeiro," e de
pois da demora do costume re-
gressar para os meamos
Para carga, passagens, encommendas e dinliei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
'edro Osorio de Cerqueira
17Raa do Vigario 17
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LDE
O paquete Potos
Espera-se da Europa at o dia
12 de Janeiro e seguir de-
pois da demora do costme para
Valparaso por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageros, encommendas e di-
nheiro a fre.e : trata-se com os
AGENTES
Wsoh, Sons (]., Limited
14RA DO COMMERCIO14
toyal Mail Steam Packel
Company
O vapor Atrato
Commandante L. R. Dickinson
Espera-se da Europa at o dia 16 dt
,kneiro, segurado depois da demo-
'ra do costume para
Salda, Rio de Janeiro, Santos,
Montevideo e Buenos-Ayrrs
Para passagens, fretese encommendas trata-
S3 cornos AGENTES.
O vapor Magdalena
Commandante W. Chapmam
E' esperado do sul no dia 16 de Ja
neiro, segnindo depois dademon
necessarra para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, e Southampton
Reducto de passagen
Ida lia e volU
A Lisboa i> classe i 20 30
A Sontbampton i> claese 28 42
Camarotes reservados para os passageros d
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-
coaios
AGENTES
\.morim Irmos & C.
N. 3Ra do Bon JesnsN. 3
Para a Ilha de S. Mi-
guel
Escuna portuguesa < Feiticeira
E' esperada a todo o momento da Pigeira, e
depois da demora indispensavel segu cara a
liba de S. Miguel, em direitura, por teralguma
carga engajada, e para o resto que Ibe falta.
trata-se com Antonio Hara da Silva, ra da
Companhia Pernambucana n. 10.
Agente Burlamaqui
Leilao
(|ulnta-feira, le Janeiro
A' 11 horas em ponto
De faiendas e armacao da leja de fazendas
'ua rrimeiro de Marco n. 11
0 agente cima legalmente autorisado, vende-
r em leilao as faz ndas existentes na referida
Joja, parajpagamento dos credores de Antonio
Ramires & G.
Garntese as cbaves do estabelecinento a
quem comprar a armacao.
Leilao
oval,
de bons movis, um bonito espelho
louca e vidros
Constando de urna mobilia de junco exm en-
cost de palbioba, 1 bonito espelfao ov*l,2knter-
nas, 3 jarros finos, 2 pares de esrarradeiras,
tpeles para portas, 1 dito para sof, 1 guarda-
vestidos de amarello, 1 toilette de amarello com
pedra. 1 guarnicSo de porcelana para toilette,' i
cama franceza e l cabide de columna.
Urna importante mesa elstica de 6 taboas, 1
guarda-comidas, 2 aparadores, 6 cadeiras de Jun-
co, 1 lavatorio de ferro eom bcia, 1 marqueza,
louca de jantar, dita de almoco, 4 duzas de co-
pos de pe, garrafas, talheres, trem de cosinha,
mesa de pinbo. Sanares para farinha e outros
muitos movis que ser&o vendidos
Ao correr do martello
Sexta-felra, IO do corrente
A's 11 horas
No 1. andar do sobrado n. 5 da ra da
Penha
0 agente Martins fari leilao por ordem de urna
famitia que se retira para a Europa, do3 movis
e mais objectos existentes no sobrado da ra da
Penba n. 5, os quaes se acbam muito bem con-
servados.
Leilao
De mobilia- austracas a Luiz XV, novas e de
gosto, 10 duzias de cadeiras de junco, pretas
e de nogueira
Em lotes vontale dos compradores.
Sexta-feira, 10 do corrente
A's 11 hora
No armazem ra do Bom Jess n. 64, no oi-
to da igreja do corpo Santo
*0 agente Pinto levar a leilao em lotes von-
tade dos compradores 6 mobilias auitriacas e
10 duzias de cadeiras de junco contendo 9 cai-
xas ltimamente despachadas.
Leilao
Da excellente taverna sita rna do Bartnolo-
meu n. 67, constando de urna importante arma-
cao envidragada, utensilios e gneros, que ser
vendida para pagamento dos credores, em um
ou mais lotes vontade dos compradores ; mi
seguida ser vendido -um lindo cavallo melado
para sella bom andador.
Sexta-ieira, 10 do corrente
A's 11 horas
Por intervenclo do
Agente Gusmo
Leilao
De i carrocas nevas de 4 rodas e 1 boi manso
Sexta feira 10 do corrente
A's 11 horas
D agente Gusmo far leJIo das carrosas e boi
cima, por occasio d leilao da taverna da ra
do Bartholomeu n. 67, defronte da estaco de
Caruar.
AVISOS DIVERSOS
LEILOES
22.149*23.080
22.189 23.089
22.230
22.264
22.293
22.300
22.341
22.343
22.371
22.388
22.393
22.398
22.422
23.107
23.152
23.163
23.168
23.174
23.177
23.186
23.200
23.207
23.211
23.265
23.454
23.497
23.537
23.638
23.795
23.845
J4.055
4/ *rrle-3 letras
26.129 27.321
26.3*4 27.377
26.406 27.594
26.698 27.978
27.176 .
Quarta-feira, 8, o de um bom piano, mo
veis, quadros, espelhos, caadieiros e mais ob-
jectos da casa terrea e solSo da ra do Pires n.
83 A' pelo mesmo agente Pinto._____________
3 e ultimo leilao
do terreno n. 23 da ra da Palma, com
cerca de 72 palmos de frente c 300 de
fundo, com frente dobrada para edifica-
cao, foreiro ao convento do Carmo.
Quarta-feira, 8 do eorrente
As 11 hora
No armazem ra do Imperador n. 16
O agente Martins levar a leilao por mandado
dolllm. Sr. Dr. juizdedireito da provedoria, em
sua presenya, do terreno da ra da Palma n. 23
com 2 meias-aguas e um grande lelheiro, perten-
cente ao espolio de Jos Caetano de Carvalbo,
servindo de base a eflerta de 3:003*000.
Alugam-se casas caladas e pintadas nos
un dos de S Goncalo, a 8*000; a tratar na ra
ia Imperatriz n. 76.
Alugam-se o 1- e2- andares da casa n. 43l
ra Visconde de Inhama, com tgua e com-
modos para familia; as chaves no andar terreo-
Aluga-se ou vende se por ioteiro ou em
parcellas o sitio e casa em Joo de Barros n. H.
Ataga-se o 3 anda; da ra da Penba n.
1 ; a tratar no escriptorio la ra 1." de Margo
uumero 17.______________________
Precisa-se de um copeiro e de urna criada
para fazer o servico domestico de casa de fa-
milia, na rna da Imperatriz n. 21. 1.* andar.
Precisa se de um caixeiro de 12 a 14 an-
nos de 11ade.com pratica de molhados, a tratar i
ra de Hortas n. 1.
Precisase de um caixeiro ; na ra Ua lm
peratriz n. 55.___________________
Precisa-se de um criado e de urna copeira
para casa de ponca familia a tratar no 1-andar
do predio n. 3, pateo de S.[ Pedro.
Na ruado Mrquez do Herval n. 61, sobrado,
precisa se de urna ama eue cosione bem.
Ama
fretisa se de urna ama para cosinbar, para
casa de familia ; no becco da Lingeeta n. 6, pre
ferindc-be que lurma em casa.
Ama
Precisa-se de urna ama para lavar
ma ; na ra do Rangel n. 9 padaria.
e engom
Precisa-se de urna
Paco da .'atria n. S.
Ama
ama para (osinhar
no
Ama
Pr(cisa-se de urna ama para co*inhar emcasi
depouca familia; a tratar na ra da Santa
Cruz n. 3.
Amas
Precisa-e de duas amas, sendo para cosinhar
e que durma em casa dos patres, e ontr para
lavar e engommar ; a t-a lar na ra da Unio
numero 5.
Ama de leite
Precisa se de urna
numero 5.
a tratar na ra da Unio
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com pratica ie pa
dara e qu d fiador sua conducta ; na ra
da Florentina n. 1.
Caixeiro
Precisa se de um pequeo de 12 a 14 annos de
idade, com p -auca de taverna ; a tratar na ra
da Aurora n. 39.
Professora
Em um engenbo preximo estaco Timb
Ass, via-ferrea de i. Francieco. precisa-se de
urna senhora habilitada a ensinar portuguez,
francez, msica e piano, preferindo se de.nacio-
nalidade franceza ; a tr. tar na rna Mrquez de
Olinda n. 56, 1 andar.
Atten^ao
Vende se um hotel muito bem localisado e
afregnezado; o motivo seu proprietario se
achar doente e os mdicos aconselharem que se
retire para o serto; para informaco ra
^arga do Rosario n. 16.
Escola mixta de N. *. don >>i. T\
rna da Sania Crn n. 98
A aula abrir ee-ha no dia 9 de aneiro.
* riada
Precisase de urna criada matriculada, que
saiba comprar e c sinhar bem ; a tratar na ra
Duqte deCaxias n. 51, 2 andar.
I luga-se
) 3- andar do predio n. 59 ra Duque de Ca
xias, forrado a papel, agua e commodos para
familia ; a tratar na I.ja.
Para a festa
Cbegou urna remessa do excelle te vinbt
Mouri8ca, urna espe ;ialidade e contina a veo
derse por 8*500 o earrafo de tres caadas
voltando o easco 7000 ; no armazem da ra de
Amorim n. 60.
Alfafa nova
chegada directamente, a 120 rs. o kilo, ou 6*000
o fardo ; vende se no largo o Corpo Santo nu-
mero 6.
DO CBT.FgiRE
Dr. Huniphreys de Nova York.
A "Verdadera Maravha do Secuto.
AFFBOTAOA E LICENCIADA
vela Inspectora. Gem de Hygiene da
Imperio da Braxll.
A Harairilba-CaraUra Temedtowoajpt
pa as Pisaduras, Machucaduras, ContuaSea, Ter-
cedura, CoMadsna,abaeaae***. "AurCtaador.
estanca o saogue, tmz parar a fnnarnma^ao. redas
a lncuac&o, ttrao H" ni il*sm\ 1! fir istniy9 ffTfln
como por encanto.
A Alaravilha Curativa alllvlo promptoe
cura rai.l'Ia para (^ueuDaduras, Escaldadura
Quelmadura do Sol, e uperlor a qualo.uer c
remedio.
A MaraTilha Caratlra Impararel para
todas as Hemorrala, seja do Naris, dasGenslras,
do PulmOes-Uo Estomago, ou ai Remorrholdas oa
Almorreimascurasraipree naacaCalba.
A 3Iuravi!ha CuratiTuumalllvloprompto
para Dor de L>enes, de Oandsc, da Face.
5a i'ace e Nevralgla.
A MaraTUra CarratiTaorecurso
e precioso Dura Dures rheumatlcaa, AlerJ
Rlgldaz nos Juntas ou Pemas.
A Marovllaa CaraUra o, (pande remedio
psra Esquinencia, Angina, Amyjrualas tachadasou
nflammadasempre seguro, senipre emcai.
A Marnrilha Carativa de multo toIot
como lnJeooSo ara o Catarro, a Leuccrrbea ou as
Flores Brancas, e outros commentos deollltantcs.
A Marnrllha Carativa impasnrwl para
curar leras. Chaas antteas, Apostemas, ranart-
clos. Callos, Friclsas, Joanctes e Turnares.
A HaraTilba Coratra remedio prompto
para Dlarrhea Elmples, e de Dlarrhea ehronjea.
A niararilba CaraiTa cnente as
Estrebarias c Ca valanlas, paraTorceduraSjDClrea,
Pisaduras e Esfoladaias, Contosses. LaceraoBes, *a.
Especialidades do Dr. HuaphwTS.
Remedias Eupeciflcos,
Cngaento Maravllhoeo,
K eaiadlas Sypkilltlcos,
Remedtoa Veterinarios.
O Manual do Dr. Bumphreys 144 paginas sobre as
Enfcrmldades e modo deanru-asse dagratls, pede-
Be ao seu boticario ou i
HUHPHRBYS' MEDICIrTE <(>.,
108 Faltn Street, NEW YORK.
nico deposito para vendas em
grosso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C. raa Mr-
quez de Olinda n. 23.
-
A's
maes
de
Atten^ao
Na engenhoca de Bemfica, ra Real da Torre
n. 21, vende-se farinha de nillio de todas as
qualiddes, desde a mots lina mais groi?a,
para todos os misleres dest precioso suceulen
b e substancial cereal, sendo pelos mesmos
presos dos mais moinhos ; a tratar na mesma
Procisa se de urna pessoa que saiba tratar
de um sitio ; na ra de Paysand n. 19.
Precisase de duiis
Pires n. 30.
amas ; na ra Gervasi
Precisa-ee d urna aa a para frrico do-
mestico de casa de tamilia ; aa ra 1, de Margo
numero 2.
Vende se o antigo e bem acreditado c sta-
belecimento de calcados nacionaes da ra do
Livramento n. H que foi do finado Pocas, o
3ual se torna recommendado pela boa localida-
e em que est ; a tratar no mesmo.
Permuta-se a famosa chcara da Torre,
ra do Rio com muito3 comino iOs, sa ubre, ar-
borisada e bem conservada, pi r um p;queno si-
tio prximo cidade do Recife, onde passe K-
nha de bond. TamDem vend se ou arrenda se
a quem der garanta pela boa conservagao e pa-
gamento certo ; trata se na mesma chcara com
seu proprietario B. de Goicana, o rna Mar
quez de < linda n. 3r>.
A fabrica Vtndome precisa de ofliciaes ci-
ga reros para desfiados, cxtj urgencia ; a tra
ar ama Barao da Victoria n. 39.
24.187
24.286
24.437
24.666
24.866
24.897
25.264
25.294
25.318
25 346
25.350
25.403
25.467 27.272
25.797 27.284
D'estas foram premiadas as seguintes:
11.671 com ... 100*5000
25.467 t .
4.680
12.208
15.978
18-431
21.620
22.293
24.187
24.897
504000
30*000
104006
10*000
100000
104000
101000
104000
104900
Leilao
De movis, candieiros gaz carbnico e
kerosene, quadros, jarros e tapetes
A SABER:
Um piano forte quasi novo e de um dos me-
lhores fabricantes, urna mobilia com tampo de
pedra, cadeiris de balando, 8 quadros, 4 jarros,
8 etageres, 1 candelabro, i lustres de metal com
3 bC03, i candieiros de 2 torcidas, urna secreta-
ria de Jacaranda, 2 lindos espelhos, mesas
ovaes.
Urna mesa elstica, aparadores, 1 guarda lou-
ca, cadeiras de junco, 1 relogio, copos, garra-
fas, compoteiras, fructeiras e louea granitada.
Quartos do pavimento terreo e superior
Um guarda vestido, commodas, lavatorios,
gnarnigoes, espelhos, camas de forro, marque-
&es. cadeiras de balanco, cabides, quadros e
muitos outros movis de casa de familia exis
tentes na casa grande da
Ra dos Pires, n. 83 A
<)aarta>felra, 8 do corrate
O agente Pinto levar a leilao os movis e
mais objectos existentes na casa terrea e soto
da Ra do3 Pires n. 83 A, devendo comecar dito
leilao s 10 i/2 horas em ponto por serein mni
t 3 os lOtrS.
Kio-Grande do'Norte
Leilao
Da barca noruegnense Eos, naufragada no no
do Fogo no Rfo Grande do Norte, com carrega-
ment de carvo de pedra.
A 8 do corrente
0 agente Macoel Joaquim, legalmente autori-
sade e peraote i respectiva autoridade, far lei-
lao da barca noruegnense Eos, com todos os
seus pertences, assim como da carga de carvio
de pedra, no dia 8 do corrente, ao meio-dia.
Arrenda-se um terreno tito estrada Luiz
ffo Reg n. 31, preprio para planto decapim ;
a tratar na ra de S. Jos n 2, tave na.
Ra de S. Jorge (Recife)
Vende se nesta ra urna casa ltimamente
reedificada com soffriveis commodos sotao,
com aeaa encanada, banhpiro. rbuvisco, etc. ;
trata ss a qualquer horj do dia. na ra Viscon
de de {ohama n. 43
Milita atiendo
NoMoinho Vermelho da e g^nhoca de Bemfica
rna Real da Torre o. 21, ha montado um moinbo
dos m is aperfeigoados que permilte moer todo
e qualque ceieal. como milho, trigo, arroz*
feijo, etc., reduzindo-o mais lina flor da fari
nha ou mais gro.-sa, vontade dos consumido
re).' Recommenda mu especialmente a sua
farinha de milho, cereal ntilissimo para a in-
fancia e as peuoas debilitada i, anmicas, ou
cuja di misteres da arte culinaria, ta?s :oa:o: pao,
sopa, papa, pudim, bolos de toda a especie, can
gi.a, custs, ang, mun^us, etc., etc.; com
eisa farinha que se prt para vontade, desde a
mais lina m: is gros^a, com ine vcedivel cui-
dado e limpeza, as preparacOes culinarias tao
apreciadas entre nos, como a cansrica por exem-
plo, que tanto trabalbo uecessita,' fazem se com
a fanaha n. 1 em alguns instantes.
No mesmo Moinbo Vermelho vende-se,lm das
demais h rinbas, farinha e pos de arroz, farinha
de ervilhas seccas, farello proprio para animaes.
Hoe-se por conta albeia por prego razoavel,
tola e qualquer especie de grao, octade.
Compra se nilio branco por prego superior,
como trigo, tanto quanto apparega.
Todo o genero sabido doMoinho Vermelho ga-
rantido purissimo e confeccionado com gro-t e
primeira qualidade.
AGENTE E DEPOSITARIO GRAL
G. La porte
Bu* Ilaro lia Victoria-41
familias
QUERIS VOSSOS FTLHOB SEMPEE SADI08,f
Administrae-lhes o xarope ou a
Plalas Yerniipurgalivas
DO DR. GALASAIVtf
ptimas preparacSes de mastruz
e rhuibarbo, para a expulsao completa, sea
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
(das ceeancas e dos adultos)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
< Estas excellentes preparacSes nao ne
cessitam de purgativos como auxiliare!
visto seren purgativas por si mesmas. >
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, india-
posicSo, sensajSo de corpos que se mover
nos intestinos, endura.amento do ventre,
s vezes, vmitos. En gem os dentes, quan-
do dormem, algumaa e pessoas expeliera
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As enancas apresetam aa
pupillas dilatadas e ir;petencia.
As pilulas levam impresso o nome do
DR. CALASANS e s3o c6 de rosa.
1 caixa de pilulas 1$20C
1 vidro de varope 102OC
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS



- i
1
P
l
a lugar
o asas para
Ns, 30, 26 e 18, na ra Capitn Antonio
Lima em Santo Amaro das Salinas ; a tratar
ru a iiarquezde Olinda n. 8, lythogrsphia.
Livraria Oontempora-

nea
insIruiB'iiii le .ntica
Bomoardo, bombarlino,
trorabone, helicn, saxapnen
caixa, prats.clarinitas. flaul
realejos, caixas de. msica, e
Papel pi
para forro de salas, quartos,
res.
Moldu :s
douradfs, pretas e donrada^ ara quadros.
Malas
rytono, tromp'
carrilon, bombe
a becas, violOe*
. etc.
ado
Jinetes, corred

M

para viaeem, diversos forma'
para roupa de senhora e cap
Novidao
para presentes, escriptorio, tu
RAMIRO M. COF
Raa Primeiro de
especialmenh
::te.
S
ador, etc., etc.
, &C.
reo a. 9
Manoel tome da C'unba e Silva
Candida Anttnei de Oilveira t Silva e Anto-
nio Gomes de Oliveira e Silva convidam a todos
os f ees prenles e amigos e os de sen sempre
chorado esposo e pai, Manoel Gomes da Cunha
e Silva, fallecido f ni Lisboa, para assislirem ai
mrssas que mandara ceiebrar na matriz da Boa-
Vist i, na sexta feira 10 do corrente, s 8 horas
da mauh, 1 anniversario de seu fallecimento %
desde | confessam-se agradecides.
j^i
.- -'
otho
Ra da Imperatriz n. 56
trnnde (tlabelecimeiito de moda*
e falencia* liaos
Completo Foruminto de fazendas em tecidos
de novidade e escrupulosa escolha que recebeu
directamente da Europa. Variadissimo sorti
ment em fazendas pretas, merinos, cachemiras
lisas e lavradas, etan i es de sida domares,
chamalotes, caps e visitas, epppcialidade neste
genero, em seda, gase e cachemira, ricamente
co ife ;cionadas, mantas e mantilbas de renda,
etc., etc., leques e lavas. Espec&lidades em
fazendas brancas, brarxantes de linho puro e
algodo e linho, morim, grande varedade de
marcas especiaes, s encentrada na loja Coelho.
Teltpbone489
Domingos Coelho k. Soares
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro de 12 a 14 annos,
com pr. tica de molhado, prefere-se portuguej
e que d fiador de sua conducta ; na rna Vis-
conde de Goyanna n. 72.
ESPECFICOS
DO CELEBRE
Dr. taphreys de Nova York.
Em nao mais de 80 ann'.s nlmj.li =, f^nro, pW-
cazfs e bai'fiUje. A snda <-n Dn.raTlas a Fliar-
jeucIam casaclpaeb e mal* garantidas do Blundu.
Ka. C'l'li A
1 Fel
4. Fel
:i Col,
4. Dlarrhea de Crtancss e Adultos
5. Drseateria, Dtres dB Barriga, CoUca biliosa
8. Calerisa>< Colera-Morbo, Vmitos.
, Coi
!onstlp:i,io. Bouaaidao, Broucbite..
"?estes
sf>en
8. Dar de Oestes e d<-- Cara, c No
9. DnideCobcta, Erchadoeca, Vi
10. nixDeasiR, liidlf ^tJo, pria! do ventre..
Carrosa
Vende se urna carroca com qualro rodas e am
boi para trabalhar com a mesma ; a tratar no
UaminhoNovo n. 90, a }u;lquer hora.
Penso acadmica
Vende .e ts: casa de penaab, sita ruada
Imperatriz n. 15, 2- andar ; a tratar a mesma,
das 10 horas da manh s 4 da tarde.
Sabr
Jwqoim Henrique8 de S Brrelo
cisco Costa Ferreira.
.toc ?ran-
11. aupsiressiio da cgra. Escassaoa Dtoo-.
12. LeBcorrhea.riorcsBraniaii, Reir profusa
18. C'rotip, TeseKo'ira. DUBouldadede Bespinr
11. Uerpss, Rnipcjdt^ Eryslpela..................
15. IMieDtm.tUiuo. Iirearheomatk-as..........
14. Sczes, Maloca. I: c lnUj-tnlitent.........
17. HenarrbaiiUtN, Auurrslr^i'a, iuteraas oa
extornas, slnipiv. ou eJm^n'ntas............
18. Oshthulmln, Olhos rr.cx oujnuanuiiados.
19. Catarro, asudoou dironlco. rsjfluxo........
20. Co^aelM-'-h'?. rosseesiMHBnodlca..............
21. As.." ijli^aodllC'ult.. ................
22. SapuHrtw.io ac Crostardez...........
28. Eserotulo" 'm-LarflSs e Ulceras.............
24. Debilidudc s.:?ai. oa physiea..............
S6. Hrarovesia. A<"imulaco?s Oiildos...........
26. Kajoa de Mar, ..usca. Vmitos......,, .
2?. Molewtio.Kourinario.8, Clculos ou Pedrn
na BezJas..............................,;
2?. Impoteoi'ia, DehUdaaf- uervou, ^muial..
29. C'haKainbns ua Bocea, ou Apn..........
SO. IaeoBtiuencla de Onrlna. Ourlnar-se na
Cama........................................
81. Menstrua -o doloissa. l'rurito. -...
82. Molestias do Coracto. PalpItacSes. eto..
83. EpTlepsia, Msi caduco, Gottacoral, BaOe de
34. Dlphtkeiia, Mal maligno de Garganta......
85. Ceaftestoes Chrontcas. Dorde Caneca...
O Manos! do Dr. Humphrers. 144 pagina sobre
s Bniermsladesso mouo do crala, seda sratls,
pede-se so seu boticario ou
HUMPHKEYS' MEDICINE C.,
lMFslUt Btreet, NEW YORK.
nico deposito para vendas em
grosso na imperial drogara dejF.
Manoel da Silva & C, rna Mar-
que* de Olinda n. 23
i
ermefloclldo Hnrreiiino de
HiranOa
Odorico Augusto Luma.-h -, Catbarina Leopol-
dina de lirauda Lima, convidam a todos os p-
renles e amigos do finado Hermenegildo Marce-
lino de Miranda, para assistirem as missas qne
mandam celebrar na igreja da Soiedsde e na
capella do cemiterio, quarta-feira 8 do correte,
s 8 horas da m. nha, 1- anniversario do sea
fallecimento, e desde j confetsam se agrade-
cido?.
-:,
t:
Altaino los Moreira de Soasa
Albino Moreira de Souza manda celebrar mis-
sas por alma de seu querido tio e padrinno, Al-
bino Jos Moreira de Souza, fallecido em 'orta-
gal a 8 de Dezembro ultimo, na greja < e S-
da ConaucSo da CcngregacSo, s 7 e 8 horas da
manh do diB 8 de corrente trigsimo de sea
fallecimento; e pata assistir a estes acios de
if ligio, convida os seas amigos e os do finad,
protestando desde j a .todos seu eterno raca-
nhecimento.
-
-
t
a familia do finado Joao Antonio da Slra
Pereira manda celebrar missas na igreja da Ma-
dre de Deus, na quinta leira 9 do cor i nte, s t
horas da manh. stimo dia do seu passemente,
e para esse Bm convida a prenles e umigos dt
mesao, etnfessando-je desde j etern: mente
grata para com aqeelles que corrcorreem a este
acto de religio.______________
Felo presente irnos conidar as pess>as que
quizerem assistir urna mise?, que n da segun-
la feira 13 do corrente, ser resad,1. oa capella
das Dores da aovo* gao d'AJljaoca, pela repooat
eterno de D. Francisca Amelia de Mendonfa
Nunea Bandeira, esposa do professor Hereafana
Hjgno Nunes Bandeira, fdlecida so dia 30 ie
Dezembro prximo passado. gradseeax des-
de ] o cindoso obsequio e a todos c8.dero.at
que assis irem nos confessamos penborados a
reconheeidos.
r

-'--'


V,
'
h'
tJario de Pernambueo--Qarta-feira 8 de Janeiro de '890
*l
A NOTKB DAME DE PARIZ
1 A--RUA DO CABUG--1 A
Mdame j&'blet previne at Exqijs. Sras. e ao respeilavel pu-
blico, que recebeu mu novo e lindo- sortimento de vestidos tarda
dos de la, alg'odo, linho e sed..** *le todas as qualidades e cores.
Nova re itte*a de chapeos e chape I as e muitos outros rticos pro-
prios |>*r* prsenles.
3P3B.3SGOS DFLA.SOJ^'VEXS
OFriGINA DE COSTUR4
Fazem-so vestidos de baile, casamento, com todo rosto e esmero.
LUTO BM 24 HORAS
Pan es festnaes
A' nuda aoladade a. 56, preparan? se
com limpesa, meatria e commodidade em
precps: bala, pao-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovoa, vatap.
bandeijas para casamento! e baptiaadoa, etc,
Reeebem-se as encommundas quer par* a
cidade, quer para fora d'ella. .
2." andar para alujar
Aluga-se osegaodt andar do predio
n 4 da ra do Vigario Thenorio a tra
ciar do pavirupnto terreo de mesmo,
Movis austriacos
Sortimento completo de movis austracos de
diversas cores e g stos, desde o mais alto al (
man baixo prego, todo muito razoavel, tanto ea
porcoes como s pecas, para liquidacao por
ser fim de anno na ra Mrquez de Olinda no-
mero oi.
~A&fa
nova e de superior qualidade ; venderse ao pre
co de 100 rs. o kilo, no trapiche Pinza & C ao
largo do Corpo Santo.
39--RA DUQUE DE CAXIAS-39
Este antigo estabelecimento, aoje compltamete reformado com machinas
lis aperfeicoadaa e movidas a vapor, acha-se em condicoes de execu :ar qu&Iquer
Pereira k fflagalhaes
Cartas, memoranduns, recibos, circulares memoriaes, despachos. cartBes de
ndicacoes, mappas, precos corren tes, accSes, bilhetes de loteras e rtulos, do tedas
as qualidadea em preto, orno ou cores
mmu
Brocharas, cartunados, encaernacoes, livros em braoco para o cemmercii 6
repartieses, tend para este fim urna excellente machina de pastor.
SAETEES BE VISITAS
Variado sortiment em cartSas para visitas, participacSes e convites de casa-
meci, bailes, menus, fielicitacoes,. etc., etc.
Liwos de recibos de alug-uel de casa, papel de impressflea tintas verjzes e
bs'. artigos para typografthia e lythographia.
Manoel J. de Miranda
A
Telephone i94
gn u ri ti k a u rj n Klfia
ACABOU-SE COI AS D9RES DE DENTES!
PILO USO DO
Elixir, P e Fasta Dentifricios
DOS
RR. PP. BENEDICTINOS
ABBADIA de BOTJLAO (0-ixozi.de)
Doro MAOUELONNE (Prior)
0MEL50RER1T1T0
Muu&wxim
Alaccofis Deniarias
tJttMe
3&t
ij.
MTADOdoAIIIIO
1373
thlo
Prior Pierre BOURSAD
EXTRACTO ZXA. NOTICIA
A formla de F1ERBE BOuhSAUB e seos procesaos primitivas sAo escrupulosamente respeitadoa.
Este ailaUydos casaos Padres goza das propriedades mais preciosas. Prerein a carie dos dentes que
tonta alTos ao mesrao teropo que os consolida. Bxpelie o saujr.ie das aeugiras qna tonifica e refero e
dissipa to iachaoao. Parifica o bato c sanea a beoca em que ili-ixa- urna Trucara deliciosa e oriTal.
Prerem e cuas as dens de raraaut, as lauquMoas, Intammaaaa., as apluas c IrriuoOea de toda, espacia.
N'uniaimloTra.ousoqam: ikuis-do XStXtF
loa sa. *. aenediotiaat aac
gura a sauds pnrpatuii da At-.aa;as*ta sjpj faa*s& ?/ S~ Ai fi o4/AstJ
ednBoccavCuma T-ae,oeap*cifioociaoa MB d\ {S r/,/L
Tezus secular dos nossos Rcrcaeodoa- Padres
nada teca d couunun: com os productos
nicamente a^Tadereis espalhados no com- m
xbkm; il'ees dlaUngae-se tanto por saas TBS)Gf *- c?t>m *sr&<*-4'*Jt*&*t-t^
ttttitm proventivaa como por sua \F^Zn tf ~~?^3 i5 "2^^>
aocfi ciu-at iva, anai-aJas. lapida e ^
carta.
-------------------AGENTE GERAL: A.SCOUIPI, BRDEOS ------------
Acha-se em todas as Perfomarias, Miartcaclas Drogaras do mundo lntelro.
Reeebedore directos dos mercados estrangeiros
1,9Ra Duque i% taias--5)
%Bdam os segalntes artigo deseontos le 14 O/O na
veodas eaotsM
Superiores percales para vestidos a 290 e 240 r% o covado.
Crotones suissos, finos, qaasi 1 aietro de largo, a 280 rt. o dito.
Baptistas de cores e lisas a 100 e 120 rs. o dito.
Brim pardo trancado superior 290 rs. o dito.
Flanella de cores para camisas a 280 rs. o dito.
Renda, hespanhola a 24800 o metro.
Bramante fraccea a 800 rs. o dito, 4 larguras.
dem de puro lmbo a 1600 e 20OOC o dito.
Pannos de cores para mesa a 10000 1 Meias-casemiras, duat larguras, pretss, a 800 rs. o dito.
Casemira diagonal, idem a 1|>400, 1<800 e 2.J000 o do.
Cheviot preto e azul, idem, a 2J000 e 3(5000 o dito.
Tapetes avelludados a 14<>000.
Cortnadoa bordados, altimo gosto, a 6>000 e 8)5000 o par.
Lencos de lia** a 20500 a duzia lonitas caixinbas.
Meias inglezs e nacioaaes, para bomem^ a 20500, 30000 e 50000.
Camisa* idem superiores a 280000, 100000 e 360000 a duzia.
Ceroulas bordadas de bramante a 12000 e 160000 a dit i
Toalhas grandes para rosto 40000 a Uta.
Madapol&o amerwano com 24 jardas v 50500 e 60000.
Cambraia Victoria e transparente a 2J800 e 30000.
Idam bordada branca e de cores a 40)00, 12 jardas.
Cortes de seda para collete a> 40000.
Idni de meia-casemira par* calca a )$500 e 10800.
dem de cretones, novidade, com figulino, a 80000.
GuarnicSes de crochets para sof e sadeiras a 60000 e 80000.
Colchas de crochets a 70000.
dem de fustao de cores a 30000 e 30000.
Cobertas de ganga, fowaAes para cal a 20500.
Lencoes de bramante idem a 10800
Cobertores de 12., superiores, a 500(0 um.
Chales de 1 a 10600, casemira 30OX).
Fichas e mantilhas a 10000, 105OOe 20000.
FustSes bordados de ores e branca, a 280 e 360 rs. o covado.
Lison braneo para noivas a 500 rs. o dito.
Setins de todas as cores a 800 rs. ) dito.
Sargehns de ores, diagonal, a 200 rs. o dito.
Sortimento completo de merinos pietos e brins para- lutos, casemira^ pretas
ano"'as azues e muitos artigos verdadeirai pechinehas.
59Ra Duque de Caxias59
Ct-^/**t*u*J-
KJ ii ca ca 'x
U ki u raje
\
fNBICAO DE SINOS E BR0NZI
E
LIK DA mSL DESQUITA
6fl-raa do Baria do TriumphoS6
feB para vender o seguate:
Si.a chimas de eobre para fazer espirito de destillar e res tillar.
ALiaaAlqae de cobre ao aat'go e novo systema com esquente garapr..
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapucas de cobre.
Talxa, taixos caldeiras de cobre.
Bombas de toda as qualidades de repacaos, aspirantes e continuas.
Tornera9 de bronze e madeird de todos os tamanhog.
CttOS de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartideirao, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estaad
Cobre em lenco] e rmelas
Sola ingleza e do Rio.
Cadinhos patente e de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectos.
ENCARREGAM-SE le qualqoer concert e obras de erreommenda, gara
do pr;steea, perfe$3o e pregos mdicos, para o que tem pessod habilitado.
VsOXDE a oraso ou dinheiro com descont.



aHm
AD&UNISTRAgAO :
?AUZ, 8, Bonlavard Montmartre, PARIZ'
1
PA9TILHA8 digestivas fabricadas era
Vichy com os Saestx.rahxdosias Fontet. Sao |
de gosto rgradavol e a stn iccao e certa con-
tra a Azta c as IjigeUOes di/flceu.
SAES OE VICHY PAR BAWHOS. m rolo para um banno, para as pessoas que nao podem Ir a Vlchy-
Aans miar su imitmeu exigir em todos os productos a
Tatanofli i>a cojvrr. rE vioanr
Bao Permmtmco, as Producas ana* acao-se em oasas de 8UU6R HOUMklN,
5. ras Os Cres; Aua. UASILLE.
I
SsoaMto
tfsto/ar
rtetmatulr
mrwlaao
Afl#NMC f ^afl lOaPOVaVg
* pangue, I
IWatfa, Ai*M
Flaawto, tc.
VINHO
Febriiigo
Pobreza
Brarvoo, Dbl-^
00
QTJINA
Extraste
D0UT0R
IraMfcsasMis
do
PA2IS, BcmleTard de Straabourg, 60'
ao oda* a phmrx
J0HANN0
*
Completo sortimeato de chapeos, petos e gorros de fantasa em toda as
qualidatos.
Fitas, rendas e br* do^seda-e algsda de todas as coree .
Flores, plumas, pasearos, aigrltes e bijoaterles para afeitas.
Chapoe- i tvn e castor, os mai modernos, par homens e meninos.
Recebe por todos os vapores as ximeiras novilados de artigos de
i ^t;ero^de negocio.
Raphael Das & C,
2-Bna df> Baro da Victoria 2
sen
Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Uuntdo da Ftouliiad de Uedidna de Ptrit. Pnmio Montjmn
As Capsulas do Doutor CLIN ac Bromureto de Campdaora empregao-se
as Molaatiaa, as de Cerebro e contra as ffeccoes seguintes:
Asthma, Insomnia, Palpltacdes do Corado, Epilepsia, Halluonaco,
Tonteiras, Hemicrania, AHece^ea das vias rrinaiias et para calmar toda
especie de excitacao.
iia jmt ixplhscio dialhtd tcompanha udt Frttet.
Exigir
de PARS, 9 te encontrad em casa dos Droguistas et Pharmaceutico*
jJescoberia (piteressantissima
PERFUMES ORIZA SUMADOS
Baila
APRSEMEOS DEBA1I0 FA TORMA DE LAPTJ (r|
esjregat levemente as abyectos para perfumal-as
Ca Cutis, Boupe, PapeL para Cao;tas, etc. i
L. LEGRAND, Fonicc da CSrtO de Eusai*
807, RA SAINT- C^OR, PARS
Ktnds-a em Utai. as printifiaat Perfumaras, Phecmacias b Drogr.rias efe muiHo.
sfAHDA-ac df rAita* o catalogo i lustrabo fsanco de ote
Para a cura efflctu i prompia das
Molestias provenientes de im-
pureza do Sanffue.
E' urna loucura andar a fazer expe-
riencias com mistaras inferiores qom-
postaa de drogas ordinarias ou de plantas
indgenas cuja efflcacia nao cou-irmada
pela, sciencui, cnMjuanto qne a molestia
cada vez val gaiibado terrena.
Lancem nsao, sera demora, de um re-
medio garantido cuja efflcacia seja facto
assijrnalado e inquestiouavil.'
O Extracto Composto Concf.ntbui.o
de SAC&*rAiuuiJiA.i)B Ayrr C coulaecido
e recommendado pelos medieos mai in-
telligentos dos paizc adiantados, jA
durante 40 anos.
Centenas de millinrrs de doentes
tOm colhido beneficios do sen emprego e
sao outras tantas testimuaha* da sua
officacia positiva e incomparavcL
l'KPAltAllU PELO
D-R. J. C. AYER & CA.,
LowelVMass^ Kst.-Ursidot.
O OLEO PURO
-DE-
FIGADO de BACALHU
Recife, Boa-Vista e Olinda
Ataga-se acaso pt^iena n 4 tra*essa da
fandico em F6ra de l'ort s a de n. 63 ra
da Gloria, com bous coamodos. quintal e ca-
cimba ; e a de n. 2i ladeira do Varadouro,
irrn commodos pata glande familia, cacimba e
quintal murado com pono para o becco da
rXwira ; a traUr na ra Diretta n. 45, sobrado.
OLA MOURIS
O uso da Smola Monria
recommendada as mulberes grvidas, as
amas de leite e s oriancas no periodo da
dentiolo e do crescimento.
A Academia de Medicina votou telicitacoes
ao 9r Mocmfcs, e o Instituto de Franca eon-
cedeu-lhe urna medalha de incitamento, no
concurso do premio Montyon, por esta des*
coberta, que exerce tao feliz influencia na
diminuicao das enfermidades e na mortali-
dade das crianras.
A Smola Mouris sendo usada pelas
mulberes durante a gravidez e a amammen-
tacao e sendo dada s criancas durante a
denticao e o crescimento, de natureza a
produzir individuos de constitulcp robusta
Junto a oada vidro acha-se urna instruecao
sobre este producto.
Fabricacao e venda por atacado : L. Frere,
49, ra Jacob, Pariz, e em todas as drogaras.
A varejo: vas principaes pbarmacias d'esta
aidade._______________
Ama
Na ra d Matriz da Boa Vista n. 26, ^ andar
preci-a-se de urna ama que coioac bem, pan
ca3a de pequea familia.
-EE-
LANHAN te. KEMP
produa offeitos anlogo a os da
Eimrfso goib flypofiisspfitej
doa mesmos sentiores, no caso d
ser preferido o tractamento nesta
forma para o curativo dos ineom-
modos
do Peio, a Garganta e a Pumles-
Confec^oes para senhoras
. Balame l'onny tMva tem a honra ds
participar a sua disncta clientilla e as Exmas.
Sras. em geral que acaba de receber um lindo
80Ttimeotn de ventidos de seda cm corte bem
como fou'ards (alta novidade).
Chapeos e capotas de apurado
gosto
?estlttea fettom em Pars, de seda e ou-
tros tecidos. .
PALMAR OALOES,^VIDRILH08
GUARNigOES
para vestidos nunca vistos nesta cidade.
Faz capas e manteletes sob medida.
Continua a confeccionar (oda a
qauqner toilette com aparado gosto, per-
feicao no t rabal lio e precoz razoaveis.
Atclier
Ra do Bario da Victoria n. .5
1 ANDAR
Telephone 193
, *

9-n
Aluga-se
o 3 andar do predio roa do BarSe da Victoria
n. 60, com excellentes commodos e agua enea
uada ; a tratar no pavita nte lf rrpo.
Cautelas do Monke de Sm
9kn
ral
da- &rciep3
corro
Comps-.-.-se Cautelo* do MoqU do
corro de qualquer jola, brilbantos e
gios> paga-ae bem na praca
der.cia t-. 22 Ix>ia de relojoain..
aaaaaaao_
ril4.CklTI
Man
EXP0SITI0N
Moilli i O
5 PIMI Hius BtCOUKHSSt
DLE9 de QUIHA
E. GOUZSRaa.Y
t|PCI*LEI>TEPi)cPA:.J. M'AAFlSW*i.MilOCAttLUI
Recooimanrlamos e.-te producto,
Oiidcndo pelas celebhladss mediea,
flw mm i-nnei- A qaassk,
reo o au.r> poJerus-i regeneradur <\a f* B/Jicte.
Abusos McouHumm
PERFUMARA de lacteina
lema&nW.i tslu Celtarllaasi IMkw.
B0T4S CONCENTRADAS para o letce.
AGUA DIVIDA dita agua de saud*.
.TE8 ARTIGOS ACHAM-SE NA FABRICA
pars 13, na d'Eiijb:E, 13 pams
Cnositoi en todas u PerfwnarijB, Ptemaea
e Cabellereinis da Americ*.
Excellente morada
Aluga-s" bara o S ra do Hospital Pedro % ,
ooragaf dos Coelbos, nma rasa assobradad&i
outra terrea com frente de azulejo, ambas coi
agua e grandes qainUes murados, as quoes se
tornam mutto ricoramen lavis pelos grande;
commodos para famili-s numerosas, pelo frescr
e perto do bacbo ??lgado ; a tratar no mesmt
lagar com Joarokn Mor?-iri Res, di 8 s 10 ho
ras atr.anna. o t\u\ alii alugn tambem casa-
de 6* 8j, I0 e iiSQOO___
Vhiva Rygaard
Compra-se urna casa em bom estado na cida
de de Olinda, para residencia da viuva Rygaard
podedo a pe=soa interessada dirigirse a ra di
Gadeia do Recife d. 43 leja de selterro, e abi eD
tender ?e com o Sr. Samuel Potclho um dos en-
carregadoi para esse fim.
Criado
Precisa se de um criado que abone sua con-
ducta : iv ra da Florentina n. 36.

O MICROBIO
BlennorrhtHju
rsdiBfmetrttr afiiquHado pfile enunge da
INJECCO CAlffiT
DEPOSITO GEIllL:
PABTS, nanievard Senatn, 7, PAUe
Kf a fc.ic/ que serve v'fl esiirulho a oadt
vidr da Injcetftio Cndet.
jttltos cm todas as prindfaes Plurmaclas de Eryjt
Cosinheira
Preeisa-se de urna cosinbeira ; na raa estreila
do Rosario n. 3, pbarmacia.

-
i




Alugsm se a casas d. 8ara daUniao ea.
* roa Conde da Boa Vista ; a tratar com M
Sr. Negreiros, praca da Independencia,
ATKINSON
PERFUMARA ingleza
Exacde todas aa outras pelo snu-
perfaao erojoirtto.
LOQAQ de QIH1H9 de ATEllfSOH
aem rival pora fortaloeer e emboitcar
OS CribcllOB.
Garantida inoffensiTa.
AGUA FLORIDA BE ATKIMSfi
parfmaae azoepaional. psn o lanop; di
I tOlado da mals cxqnisitn escolha.
En-orUra-ee em Cam ck icio os S'ego-
ciintei < Pabnctntes
j.&E. ATKINSON
24, Od atoad &frLefc, Loqo-'
Karea -i Pab-ica tra Ran bra
afea um Lyia da Ottro "
oom zxlBraoo nai totalizada.
Criado matriculado
Piecisa se de nm que saiba 1er e escrever,
solle.ro, com pratica de servir em casa de fami-
lia : a tratar na ra d'Aurora n. 133, ou Madre
de Deus n. S, armazem.
'
':.

..--=
\ 'y
" *'>
'.
Contra
FA-PITUfiES SSf fOGiCBS
PHtTURBCOES a CIRCULADO
1ITERMITTEKCIAS AiTBHA
< todos os ir v.odot consterados como
preludios das
MOLKSTIAS DO OOHAQ&C
Ot Uticos ooffse/ism o amprtfs ios
graslos ictiioiaes
;
* "vS"6'* p-si
^jaBaaa9
Ac>tat>*ka 'te
arls.
AaaiasiATuRA
. 7, m caq-Rtta,
-= I3L da SILVA C
soYseiKe8!
Bom negocio
Anda se precisa de urna pessoa gre lenna
capital par se as-ociar em ama padanr sita em.
boa localidade, que desmancba actualmente de
18 a 2& arrobas de farinha ; a tratar na ra Prin-
ceza Isabel n. 3.

LUNPATEnSDNSC.
u-m um m TBKJsni-44
&r hias a vapor
Moendas.
Rodas d'sagaa,
Cixa indias e batidas.
Tixas batidas sem cravaijao
Arados
.LiniL.








u
Restituido
a uimu evua por ert^nno, da uro
:;to de cm wagn de 1.* classe da via fer
rea di; Cania-, na i stacSj do Rccie, um bre-
viario carmelitano e um pince nez di ta t ruga,
pieso por urna t? prela, o obsequio ds mu
ou ir restituil-os no convento do Cmni d
M.ade, etlla n. i, 2- andar, que recelier u
quii ta de 10*000. _________________
Casa
Com ira se urna casa teriea cu assobradada
le 3 a 5 quartos, com quintal, na freguezia de
Santo Antonio ; a tratar na roa Nova n. 15,
leja. _^____^______
AVISO
O abaixo a-signa'o, estabelecido c na fabrica
de bebidas no caes Cap'baribe n. 43, declara qu(
nao se responsabilisa per ctivkl. s contrah
pelo agenciador o Sr. Francisco Rosa, ou qoa:
quer outra pessoa. Recife, 31 de Dezembro de
1^89.
C. A. vau der Linden.
a--Quarin-feira 8
aneiro
de
1890
t-a
ninni
Para engenhos
GIMARAES & VA LENTE, parteci-
pam aos seus fregueze3 e Illms. Srs. de
engeuho que, como sempre, tOm grande-
deposito dos artigos abaixo mencionado,
garantindo4HJo de prrceira qualidade e
presos sem competencia a saber :
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de macote.
leos americanos
especiae3 para niachinisnios.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito depeixe.
Pixe em (ata.
(5 ga!oes.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa dn Russia.
(em caixas, barriqunhas, latas grandes
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo--6
Desappareceu
da rna do Rangel, na noute de quarta feira de
corrente, una caehorrir ha de nome Prelinha.
cor preta quatro olhos. rateira levuu no pescoc
urna corrente ; pedese a pes?oa que a appre
henden o favor de a levar ra do Rangel n
65,.que ser gratificada.
Criados
Precisa se na Ponte de Ucha n. 36, sitio ero
rentc a e-acSo, diumeopeiro e de um aju-
dacte, de urna boa e gommadeira e de um co-
siubeiro. '
Ama
Precisa se de urca ama para cosinhar ; na
ravessa os Pire* n. 5 Geriquity).
Est para alugar
um grande armazem muito proprio para qual
quer industria, n. 73 rea Baro do Triumpbo ;
os pretndeme podem dirigir se ra do Com-
raercio n. 34.
Farello superior, 42 kilos
S.lOO o tarro
Verde se no largo do Corpo Santo n. 6.
FOLHETIM
QUINTA PARTE
0 POLO MAGNTICO
(Continuaco do n. 4 )
VII
A de*forra
Depois que a divisSo franceza tinha le-
vantado ferro debaixo da torrente da Ar-
cada, o grande ohefe des Nibouais, Aguia-
Vermelha, o commandante Joo Bredette
e Belmas, diacutiam entre si, quando Ser-
pente do Mar e Carcajon reappareceram.
Tinham descoberto o novo aaylo dos
Esquimaus, mas nao haviam conseguido
apoderarse d Flafla-Raflafla.
Vinham pedir reforco.
Os Nibouais tornaram a partir.
Pouco8 dias depois tratava-se de urna
nica e definitiva batalha sobre as mar-
gena do lago dos Ursos, no interior da
Groenlandia, muito peuco distante do pelo
magntico.
Neata sanguinolenta batalha suecumbi-
ram os irmos Raktriak e Moktarof, di-
reita e esquerda do patriarcha Heynsk,
que nao sobreviven destruido da aua
tribu e morreu cantando como um digno
chefe de aelvagena.
Fiarla-Rafia fia, que tinha passado um
mez delicioso entre oa Esquim*us, Fiada,
que se prepara va a faxer-ae reconduzir
por elles a Bellegarde, bateu se como um
lelo.
Foi aprisionado por Goeland Branco e
Barba Preta, e entregue por estes dona
trnsfugas ao terrivel Aguia- /ermelha.
faftlpfr
Appro?ado &i Hbrida Jsala de
HyfWne Pablie: a Corte.
AuctorisadoporDecrtto Imperial
de 20 de Tunho de 1883.
COMPOSI(?AO
de
Firmino Candido de Figeiredo.
Empregado com a maior efcacia no
rkeumattima de quatfiuer natureza,
em todas as molestias Ja pe/U, as
leucorrMas ou flores brancas, nos
sqfirircentosoccasionadospela impureza
do sangut, e finalmente as differentes
firmas da syphilis.
Dse Nos primeiros seis dias urna
colher das de cha peta raanli e outra
noite, puramente cu diluida em agua
e em seguida mudar-se-Ua para colhe-
res das de sopa para os adultos e me-
tade para as crianzas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos bnnhos frio3 ou
momos, segundo o estado da molestia.
EEPOSITO CEHTSAL
Frtiicitco Manod da Silva & C.
Droguistas
23 Ra Mrquez de Olinda
Pernambuco
<- "
'-.

i-
f-
t-
:-
t-
I
t-
t-
t-
i-
h
Criado
Precisa se i* um criado que nao seja maior
Je 14 annos : no 3- andar do predio n. 42 da
roa Duque de Caxias, por cima da typographia
lo Diario.
Aviso
Justino dos Santos 7ieira. pelo presente de-
clara que desta data em diante pausar a assig-
nar se Justino dos santos Vieira de Andrade.
VENDAS
Para engenhos
Lopes & Araujo, venden
a presos sem competencia
garantindo a boa qualidade
os artigos abaixo mencio-
aados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivei.
Potassia da Russia em caixa*
de 10 e 25 kilos.
Cimento Portto nd.
Graxa em bexigas.
Roa do Livramento n. 58
Telephone 316
Vinho do Porto
Ha para vender excellente vinho do Porto, va ;
Jho e muito fino, por pr-0 comnodo, para li
quidar, ra Mrquez d "linda n. 54..
Tenho agora refea! exclamou o
grande chefe, vamos !...-
Finalmente !, pensou Belmas. Final-
mente consegu o mea fim_ e ae n3o fra
o imbecl de Jo3o Bredette, de ha muito
estaramos em melhor aitoacSo e pedera-
mos ter castigado o orgulho deste insolen-
te selva gem.
Os Nibouais dispozeram se a partir para
a Nova-Navarra.
Quando estavam a meio dos indiapensa-
veis preparativos, foi assignalada a divi-
sSo franceza.
nicamente Flafla-Raflafla foi cuidado-
samente escondido a todes oa olhares.
Amarraram o desgranado fldutim a um
poste, onde devia perecer pelos mais her-
nvei8 martyrios, se Aguia-Vermelha sol-
tasse o seu grito de guerra.
Em seguida a ato, a piroga, conduzin-
do Joo Bredette, Belmas e o chefe dos
Nibouais, largou da praia.
Os tres alliados subiram a bordo da
Alerte, como dissemos no capitulo antece-
dente.
Flafla-Raflafla come$ou a cantar eom to-
do o herosmo urna das suas canedes favo
ritas.
Algnmaa velhas Nibouais rlageilavam-
n'o e eapicacavam-n'o, esperando pela oc-
casiao em que os velhos fzesaem outro
tanto ou peior ainda.
As facas de escalpelar, as machadas e
oa catee tetes estavam promptos primeira
voz.
O pobre Flena-Raflafla, convencido que
tinha soado a aua ultima hora, proaeguio,
depaia de ter feito algumas reflexoes bem
tristes, a oan^o que havia comecado.
E, no em tanto, Gotland Branco, o vis-
conde de Glaville, ou, se os leitores o pre-
ferem, JoSo Bredette, tiuha-se apoderado
do commando em chefe da diviao naval.
O > ptimista Nicolau Nicolardot dizia ao
contra-meatre Concarnet, que se havia tor-
nado absolutamente pessimiata :
Agora nos, mestre, na que impe-
diremos este damnado selvagem de fazer
alguma das auaa.
Vamoa a isso reapondeu Concarnet ;
verdade seja que nSo dou couaa alguma
pelo bom resultado de tudo ito.
NSo tens razio, mestre. O Todo Po-
deroso l est no seu lugar observando tu-
do, e tudo ha de passar-s pelo melhor..
Emquanto a mim, eatou certo que a pre-
sencia de Aguia-Vermelha mais urna das
Fitas e bordados de al-
ta no vida de
NA
Rainha das Flores
Ba Bario da Victoria- *i
Na merma casa encontrasi o melhor sorti
ment de
Perfumarias
e raade variedade de papis deescreve-, en
veloppes, artigos de escriptorio, para parti ;ula
res e para o commercio.
!raprimem ae cartOes de visita em poucos mi
nntos, cem a maior perfeicao.
Precos sem competenca
Dinlieiro fi vlmla
Ra Barao da Victoria41
A FLORIDA
Fitas lavradas com um palmo de larga
ra a 20000 o metro.
Papel de arroz de todas as cores.
Chapelinas modernas a 5t>000.
Rendas hespanholasde todas as edrac t
pretas com e sem vidrilhos.
Lindas guanigScs de vidrhos pretos par-
cas ac.
Grande sortimento de galSes, palmas
rozas de vidrilho preto.
Bicos matisados de urna s c6r coma se
ara, granad, azul, rosa, beijf, palha, eburx
oo, salmn, terracote e muitas outras ccrcu
Sabonetea perfumados a 500 rs. a duair
Lindos desenhos para talagar^u.
Lenyoa de seda a 500 ra.
Bicos de seda e de algodSo con* k*
vidrilho.
Mantilhaa de seda e de algodSo.
Franja8 de seda com e sem vidrilho.
Renda heBpanhola.
Collarinhos para homem a 3;J000 e 40(>.
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 ;0
600 e 800r3.-apef;:..
dem com 3 o Ii2 metros, de quak:
argura a 1^200.
Len5oa de linho era caixinhas a 3;0'f-
dita.
Meiaa para hornera, diizia a 4J0O0.
dem para senhora, duzia a 4)$000.
Finas pul8eirai9 r.raericanas a 4^, ^
8K)00 o par. /
Cortinados todos de crochet para e2(3
120000, 17-5000 e 190000 o par, atyur
de cores.
Ditos para janellas a 7000.
Pannos de crochet para cadeiraa a 8K3 .
10000.
Ditq para sof a .20000.
(.'apellas com veo para noiva a 60COO s
80000.
Lindos enxovaes baritisados a C,;* 100
120000.
Toncas de setim para baptisado a 30, 4r
50000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha A
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20 p;
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senh3ra a 40, 40500, 50000
60000.
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Linha de machina a 600 rs. a duzia.
Albuna de ptllacia de diversas cores.
Livros de missa a 10500, 20000, 2050
30OUO, e 30000 cada um. *.
Lindas luvas de seda- com salpicos e cor.
listas, gosto moderno, a 20500 o paz.
Toalhas para banho a 10300.
Toalhas para rosto a 300.
To i lias para nulo a 160 ra.
Babadores com inscricSes e paizagem.
500 rs. e 400000 a duzia.
Espelhos grandes eom mu duras finas i
oantbafelondos a 40000 e a 60000 ui
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas de seda arate
dada com palmas canno comprid i
10500, 20000 a 20500.
Rna Doqoe de Caxias d. 103
muitas probabilidades em nosso favor. O
ponto est em vigalo bem.
Por isso Tespondo en. Estou vello e
cangado, mas quando se trata de defender
aquelles que me estimam e que mencem
todo o meu reapeito, nSo hesito, com cem
mil milhes de tempestades !
E os dous velhos amigos dirigiram-33 si-
lenciosamente para o lugar em que me
lhor podessem evitar qualquer acto ag-
greaaivo do feroz ch fe Aguia-Vermeha.
Oa officiaes e8tavam como petrificidos
por um sentimento de horror e repuLSo.
Os marinheiros estavam como algema-
dos pela estupefaccSo.
Por ordem de Jo3o Bredette, Yvoa de
Kervor tinha mandado formar toda a gen-
te da tripolacSo e acabava de proclamar e
fazer recoohecer o novo commandante da
divisao e o novo immediato da Alerte.-
Em seguida, apresentou J0S0 Bredette
um officio lacrado com o sello do ministe-
rio dos negocios da marinha.
Commandante, disse Yvon de Ker-
vor, a sua inesperada chegada impeda me
de cumprir, at este momento, a ultima
parte das minhas instrucc.o'es. Eate offi-
cio devia ser aberto immediatamente de-
pois da descoberta do polo magnetic.
D-m'o, aenhor, d-ni'o. S me per-
tence a mim, d'este momento em dantc,
tomar conhecimento das ordena do minis-
terio.
Yvon de Kervor entregou ao sea supe-
rior o documento < fficial, mas dizeido em
voz alta :
O officio incluso ser lido pulicamen
te em preaenc,a dos estados maitres reuni
dos e de um contingente de cada urna das
tripolacoe8.
Tal era a ultima phraae do sobrescripto
ministerial.
Ea sei 1er, senhor, replicou Joo
Bredet'e com irnica arrogancia. E' in-
til, segundo me parece, que me ensine o
que teuho a fa .er.
Yvon de Kervor nSo responden urna a
palavra. Inclnou se.
Miseravel dase a condeaaa de Fr-
4 i ere fitando o aovo commandante.
Joo Bredette recouheceu a toz de
Eduh; oa aeua labios paludos e descora-
dos encresparan'-se com malignidale ; um
relmpago 'de colera lhe illuminou por
matantes o olhar.
Nao ae voltou, porm, e, dirigindo-M a
Belmas, disse-lhe :
Liquida(ao para acabar
Na Revoincao
ra Duque de Caxias n. 1
Por cstarmos no fim do anno, resolve-
mos vender por menos 50 por cento as
seguintes fzendas.
Etamine8 de cor a 300, 400 e500 rs. oco
vado.
Cachemira com toque de mofo com dnaa
larguras de 20 800. covado.
Zephir de quadros modernos a 120, e 160
e 200 o covado.
L2s de quadros modernas a 200 e 240 o
covado.
Cretones miudinhos a 200, 240, 280 e
320 o covado.
Cachimira modernas de quadros de 20000
por 10000 o covado.
Merinos lizos a 200 e 440 o covado.
Ricos cortes de cachemira bordados de 13 e
seda de 800 por 300 e 400.
Ditos bordados de lynon de 180000 por
100000.
Ditos de cretone com barra a 60000.
"atoa modernos de setineta a 70.
L2s com listas de seda a 400 o covado.
Seda Japoneza a 200 e 240 o covado.
Bramante com quatro larguras a 10000 e
10200 o metro.
Igodo trancado para toalha a 10O.O o
metro.
Coronados bordados para cama a 60 o par
Ditos de crochet a 100.
Etamines finas para vestido de 160 a peca
por 100.
Setins de todas as cores a 800 rs. o co-
vado. /
FustSo de cor para roupa ds homem a 500
o covado.
Efguio pardo e amarello para vestido a
360 o covado.
Velbutinas de listas e quadros a 800 o
covade, para acabar.
Stfins chamarlotado de todas as cores a
10500 o covado.
Bicos brancos e de cores a 10500 e 20000
a pega.
LengOB brancos com barra a 1200, 10800
e 20000 a duzia.
Fechus de retroz a 10000 um.
Luvas de seda,todas as cores, para senho
raa 10000 10500 e 20000.
Espartilhos couraca a 40000, 50000 e 60
Cachenez para homem e senhora a 10500
um.
Costumes de Jersey para criancas de 4 a
5 annos a 70000 um.
Casacos de Jersey para senhora, a 60
um.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs.
um.
Lencol de bramante a 10600 um
Cobertas forradas para casal a 20500
urna.
Toalhas para crianza a 120 e 160 urna.
Cobertores brancos de 13 com pequeo de-
feito a 20000.
Len$os de linho a 20000, 30000 e 40000
a duzia.
Ceroulas francezas, a 10000, para acabar.
Colchas adamascadas, a 20000, 30000,
40000 e 50000 ama.
Ditas de crochet, a 40000, 50000, 60000,
70000 e 80000 um.
Cortes de cachemira a 30500; 40000, 50
e 60000 um.
Cortes de fustao para collete a 500 rs.
e 10000 um.
Ditos de velludo bordado a seda a 20000
um.
Camisas brancas de linho para homem a
20000 urna.
Ditas de meia. superior qualidade, a 10
urna.
Brim branco de linho de 40000 por 20500
vara.
Mantilhetas pretas a 50 e 70 urna.
Renda hespanhola a 20 o covado.
Completo sortimento de cachemira de co-
res e pretaa para costumes, precos sem
competencia, aesim como aprompta-s? qual-'
quer costume em 24 horas.
S na RevoliiQao
HENRIQE DA SILVA MOREIRA
Senhor immediato, chame ordem
todos os capitSes, estados-maiores e um
contingente do E'claireur e da itencontre.
No tope dos mastros fluctuaram d'alli a"
pouco instantes muitos signaos combinados
entre si.
E a tribu dos Nibouais, dispersa sobre
os rochedo3 prximos, vio d'alli a pouco
passar as embarcares que conduziam
bordo da corveta Alerte as deputacSes de-
signadas pelo signal.
O desventurado Flafla-Raflafla repetia
ento com mais forca ainda urna das suas
estrophes predilectas.
Depois calou-se e pensou com tristeza :
E lembrar-me eu que os francezes
estao apenas a quatro passos de distancia,
que vo eacalpelar-me, arrancar-me a pe
le !... Quemaabe at se sereicosido e feito
de caldeirada ?... Ha razio para estourar
de raiva, antes que estes" malditos tenham
tido tempo para dar fim da minha pobre
existencia!...
Realmente, a aituaco do folgasa3o
flautim da Rencontre era deseaperada.
Se Aguia-Vermelha consegua os seus
ntento3, seria mevitalmente sacrificado
ao furor de Joo Bredette e de Belmas,
que por certo se vingariam das auaa ir-
nicas palavras.
Se A guia-Vermelha fosee atraicoado pe
loa dous officiaes francezes, nao esperava
por certo vinganca da tribu Nibouais.
Nao havia appellajao possivel; e o des-
venturado rapaz cantava com mais forca
.linda ao lembrar-se que pouco seria o tem-
po que ainda lhe restava a viver.
O seu cntico de morte diatrahia o; em
quinto o entoava esquecia os tormentos,
quaai senta allivio em mostrar aos sel-
vagena que um marinheiro aabe morrer
com o Borriso nos labios, e encara a mor-
te com inexcedivel aangue fri.
A bordo da Alerte o contra-meatre Con-
carnet dizia a Nicolau Nicolardot :
j Mo !... mo !... tudo vai cada vaz
a peior Ah.' meu pobre amigo Nicolar-
dot, o desgelo vai comecar, agora que
tudo se embrulha, e vamos tel-a trava-
da !...
Rapetir-te hei ainda mais urna vez,
meu velho, tornou Nicolau Nicolardot, que
v.\) passas de um parisiense... Eu pretiro
um miihio de vezas a minha qualidade de
selvagem.
Toaos os marinheiros, e nesta conta en-
travam principalmente os da Reneontre,
as Lislras zoes
A Grande Novidade
PARA MODISTA
1AXE )UIXM AMERICANOS
Com molas pera augmentar ou diminuir a
grussura do corpo.
Qualquer senhora rr agr ou gorda pode fa
zer seus vestidos sem necessidade de
provar.
Fecha-se como qualquer chapeo de sol.
Preco g t&OOO
Mosquiteiros Americanos
Com armago de differentes tamanhos.
alOSOOOt 18OOO
Estantes para Msica
Para amadores ou profissionaes ; fecha se e
fica de tamanho de urna flauta ; muitc
fcil para conduccSo.
______ Proco &OOO
Celluloid
Colarinhos Peitos e Punhos
Lindos modelos, muito til aos viajantes
Preros .lO un Ionio
Re agios Espertadores
Com movimento, e figuras muito lindas para
mesas ou para presentes a 60000, 80000,
100000. _______________________
Oleados para Mesas
Quadrados ou de qualquer tamanho que
ce deseje.
A 4|500 rada qunclinito
Retratos a Oleo
Com lindas molduras em alto relevo, o que
ha de mais lindo para um presente e
para sala de visitas.
a *5*0 e mniwprecow
Qua'quer fpmia que desejar ter um lin-
do e perfeito retrato bastante mandar
um retrato em cart2o de visita n3o im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos olhos e do cabello para chegar un
retrato desejado. ______________
Para ver, e fazer encommendas
Dirija-se Loja das Listas Azues
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Nova remessa
400 rs. o covado
Merino de cores, duas larguras, la pura, a 4C(
rs. o covado ; ra do Crospo n. 21.
Oliveira Campos & G.
fechincha
400 ra. oeovado
Las de cores, quadros de stda, lindos patries,
fazenda de 1*400 a 400 rs. o covado, aproveitea
a pechincha ; roa do Crespo n. 21.
Oliveira Campos & C
Boya!
KT
lend marca VI4D0
Este excellente Whisky Escocez pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retamo nos melhores arma*
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Alado
cujo nome e emblema sao registrados par*
todo Brasil.
BROWNS & O., agentes.
JLeite puro
Na estrada de Jo5o remandes Vieira,- s'tie !&
godepois das casas novas da direita, vende-..
todos os das leite puro de vaccas tourmas e < ;
efra, garante-ae a qualidade do leite. ^___

Yende-se
um ptimo piano, qasi novo, do autor Feltppe
Henrique Herj : a tratar na ra da la peratriz
n. 7, loja de pianos.
zulejo
s
Coa indis?imas cores e desenh03 variadiss.
mof, enconfra se para vender um grande sorti
ment deste" artigo, proprio para frentes de
casas, corredores cosiohas e banheiros, por
irecos sem competencia ; na rna Visconle d*
Goyanna n. 46. ____ ____ _______
Mfriita atten^o
No lugar denominado Torre, perto da curva
da via-ferrea de Caxarife e da linha do bond
que cooduz povoac&o. vende se terrenos a
retalho 1 n em lotes, segundo planta ; a tratar
na roa Baro da Victoria n. 41
tinham merecido o epitheto de parisien-
ses.
Todos elles partilbavam das apprehen-
soes perfectamente justificada do valente
contra-mestre Concarnet.
Finalmente, o sello de lacre vermelho
foi quebrado.
J0S0 Bredette abrio'um officio escripto
em pergamioho, timbrado com as armas
de Franca.
Depois do protocollo official, que leu no
meio do mais profundo e religioso silenc'o,
o capitao de fragata, commandante em
chefe da diviso, empallideceu e faltou-lhe
a voz.
Beljiaa comesou a tremer.
Aguia-Vermelha, que obaervava tudo
com tengo infernal, levou a mo ao pu-
nho da faca de escalpelar, approzimando-
ae do immediato Belmas.
O contra-mestre Concarnet a Nicolau
Nicolardot seguiram passo a passo o gran-
de chefe Nibouais.
Mas leia, senhor Joo Bredette,
leia !... exclamou a condessa de Frziires.
Joo Bredette, porm, cambaleou, os
oihos velaram ae lhe e foi-lhe necesaario
apoiar se para nSo cahir.
A folha de pergaminho eacapou-ae-lbe
d'entre as trmulas moa.
Edith apanbou-a i nmediatamente e, com
ar triumphante, pela sua vez continuou
em voz alta e sonora :
berta scientitca e dos seus bons e leaes
servicoa, conferimoa ao capito de fragata
Yvon de Kervor, commandante em chefe
da expedico, o poeto de capito de mar
e guerra.
Urna salva de applausos e vivas entu-
sisticos, acompanhados de gritos de ale-
gra, cobrio completamente a voz da"con-
dessa, que nao pode- dominar se e preci-
pitou-se nos braco8 de Yvon de Kervor.
Gustavo de Orneuil correu para elle
com transporte filial,
O capito Tourmagne, commandante do
brigue E'claireur, todos os officiaes, Pe-
trus Casteilot e o duque de Bellegarde,
Paulo III, felicitaran! n'o calorosamente.
A aua promofSo, to justa e to feliz-
mente concedida pelo despacho do minia
terio, tornava o superior n'um posto ao ca-
pito de fragata Joo Bredette, ainda ha
poucos instantes seu coilega e seu supe-
rior nica e exclusivamente por antigui-
dade.
LOJA MAIS BAMTEBA
PARIZ NAMBKIO
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Telfpkone200
> Tendo receido directamente da Euxops
grande sortimento de faxeodas e modasji
que ha de mais novo e presos sem coa-
petencia.
A saber ;
Capas de surab, senda e merino.
Renda preta, diversas qnalidadea.
Etamines, pretos, de l e 13 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 102CO
Crinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de Unho a 10500, com 1C
palmos.
Toalhas para ba iho a 10000 e 105OC,
Chachemiras com 2 larguras a 800 ra.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
Madapolo trancado a 90000 a peo.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Fichas de l e soda 10000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Esoartilhos couraca a 40000 e 50OOC.
Colchas de fustao a 20000 e 30000.
Capellas para coiva com veo bordado 8
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 10500.
Renda de l, prata, para quaresma.
Paco verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de !?
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama a
100000.
Chitas de corea a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000. > -
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutir.a de quadro a 800 e 10900.
Guarnieres, pretas, de vidrilhos,
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40006.
Capachos de c6co.
Luvas de seda a 20000 o par. "
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com Adres.
Crep inglez para enfeite]
Grande sortimento de chapeos de aol>
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
DitQ de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
. Vinho puro de Santarem
Da quinta do llar ral
Os proprietarios do Armazem Central, ra
do Cabug n. 11, avisara aos seas distinctos fre-
guezes e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa ueste especial vinho, o qual se
recommenda por ser puro da uva, e s se reta-
Iba em eu armazem.
Joaquim Christovo & C.
Telephone 447
Superior vinho de Al-
eo bac,a
0 acreditado e antigo armazem do Urna par-
ticipa ao publico e aos seus fregueses que acaba
de reeeber urna nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamente pelo chefe desta
casa, tornndose recommendado por ser puro
e de boa qualidade. Jos Pernandes Lima & C,
ra Baro da Victoria numero 3, Telephone323
KflWJ/S,

Vende-se em toda 1 oarU
Apenas o socego e o silencio foram no-
vara en te restabelecidos, o proprio Yvon de
Kervor terminou a leitura do doumento
official^
t... E autorisamos o capito de mar e
guerra Yvon de Kervor, por meio do pre-
sente deapaiho, a promover, com um poste
de aceesao ou avanjar de classe, todos os
officiaes, officiaes inferiores, sargentos de
marinheiros e marinheiros que se tiverem
distinguido sob as suas ordens durante a
trabalhesa campanha em procura do polo
magntico.
Segunda satva de brados e gritos de en-
thusiasmo coroou esta phrase.
Impedio ella que se ouvissem as phra-
ses usuaes e de rigor, que terminavam o
despacho.
Nicolau Nicolardot apertou com forca a
mo do contra mestre Concarnet.
Ento, mestre, ento, nao te dizia
eu ?... N3o me cancava em f epetir-te
que tivesses confanca ?... Conta mais
esta probabilidade e vers que.so ao tode
onze... comprehendes me ?... sabes bem
o que eu quero dizer?.. .
Joao Bredette, aniquilado por aquelle
dscumento, esta va immovel.
Yvon de Kervor tinha reassumido sem
obstculo algun o commando em chefe.
Kervor tinha cruzado os brafoa sobre o
peito.
Sem duvida alguma ia faz m- um acto de
autoridade.
Neate momento, porm, Belmas dirigi-
se a Aguia-Vermelha, disse-lhe rpidamen-
te e em voz :
Fujamos !... Eet tudo perdido !...
Est tudo perdido !... replicou o
selvagem. Ento mentiste-me Pois bem,
morre, infame trahidor!...
A faca de escalpelar cravou se no cora-
jo do prfido immediato, cujo sangua es-
padanca o rosto lvido de Joo Bredette.
Poderemos chamar criminosos ao con-
tra-mestre Concarnet e a Nicolau Nicolar-
dot por nSo se haverem opposto ao pri-
meiro movimento do vingativo selvagem ?
Aguia Vermeiha tentou logo em seguida
arremeoar-se para Gabriella.
Desta vez oa dona marinheiros impedi-
ram-lhe a pasaagem.
(Continuar se-ha.)
~Tyd. do Diario ra do IHifue de uaxias n. U
l
*
*'
u
p
A"


*!


a
S

*j ..,.,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEX6JUD02_01F5C3 INGEST_TIME 2014-05-22T00:03:37Z PACKAGE AA00011611_17069
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES