Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17011


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANK XVINUMB U3
IBA 28 DE JUMO DE 1S9<
J

DIARIO DE
PARA A CAPITAL LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Propriedade de Manoel Figueira de Faria tSs Filhos
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por tres me es adantados. .
Por seis ditos dem......
Por do anno idem......
Cada numero avulso, do mesmo da.
6^000
12,5000
23^000
100
Os Srs. Amedpe Prince & C.
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios e publica-
res na Franca e Inglaterra.
Por seis mezes adiantadoa. 13^500
Por nove ditos idem. 2OdO00
Por um anno idem...... 264000
Cada numero avulso, de dias anteriores. 4100
AVISO.
A empreza deste Diario
pede aos Srs. assignantes,
que estao ern atrazo de abo-
no de suas asignaturas, o
obsequio de maudarera sa-
tisfazer os seus dbitos at o
dia 30 do crrente; isto para
que nao soffram suspensao
naremessa do a Diario no
1. de Julho. \
TELEGRAMAS
SSBVI50 PA&TICULAa SO 2IABIC
RIO DE JANEDIO, 24 de Junho, as 3
horas e 15 mi .utos da tarde.
Chegou hoje aqu, e foi recebida com
muitas demonstrares de sympathia, a es-
quadra norte Americana.
Foram nomeadoi:
Capitao do porto do Estado do Rio-
Grande do Norte, o 1. tenente da armada
Arthur Jos dos Res Lisboa ;
Administrador da Recebedoria da Ca-
pital Federal, o bacbarel Joao Curvello
Cavalcante ;
Inspector effectivo da Alfandega da Ca-
pital Federal, Antonio Joaquim de Son-
sa Botafogo.
Director geral da Directora de Rendas
Publicas do Thesouro Nacional, Jos Igna-
cio Evrerton de Almeida;
bub directores do me3mo Thesouso,
Manoel Antonio Fernandes Trigo de Lou-
reiro e Francisco da Costa Jnior.
NATAL, 24 de Junho, s 9 horas e 35
minutos da manba.
Hontem houve aqu grande manifesta-
cio ao generaissimo Deodoro da Fonseea,
na pessoa do governador do Estado, pela
dec -etagao da ConsttuicSo.
A' noite fez se urna grande passeiata
cvica, a qual foi muito concorrida pelo
poro, reinando muito enthusiasmo.
RIO DE JANEIRO, 25 de Junho, as 4
horas e 10 minutos da Urde.
No paquete nacional seguio o engenhei-
ro Ricardo de Menezes.
-----------------------/
IISTRUCtfO POPULAR
uabiiabilujs jos ASisa:
POB
2 SISMO ia.ra-0 If^iSHTiSS
CAPITULO VUI
A \ldadoo aerea Hollnenlo da vi
da Durar o Ua existencia da*
corpa*-Principio* da vida.
( Con ti n u ag 5o )
IV
Tero razio os gelogos que suppem que a
ereago nao terminou anda na Terra, eque una
fauna e urna flora completamente novas substi-
luiro no futuro as que hoje exislem ?
Maisadiant-i nos oceuparemos destas ques
tfies. ,
CAPITULO IX
A* forra* ermitas da naturesaO
que lio entaa forra*! fteu mov
meato e transformar.
I
A-celluIa elementar, o germen, o embryo, o
organismo rudioienlar, eis as causas predispo
nentes da vida ; sao estas as forras occultas da
Nitureza, que, collocadas nos m- ios convenien
tes de bumidade, luz. calor e eleetncidade, ro
deadas das circumsiancias que devera assimilar
se, ({"rminam e desenvolvem se, segundo as con-
diges e maneira de ser de cada urna.
Quanlo mais rudimentares sao os organismos,
tanto maior resistencia offerecem a acgo do
lempo, porque, conforme vo subindo os ger
mens na escala da vida, assim se tornam, em
igual proporgo, mais deslisaveis e infracti-
lero3.
Se um grao de trigo, que a trra produzio ba
centos de anuos, fdr boje semeado em terreno
apropriado, onde encontr molculas similares
que se Ibe aggreguem, nao tardar em germi-
nar, e ver-se-ha a espiga sabir flor da trra,
veroe, louc e cheia de vida. Tanta a forga
de impolsio que se esconde em tao pequeo.
ger mens I
CConttnaJ
t-ARTE 0FF1CIAL
Actos do poder ejecutivo
Decreto n. 355, de 25 de Abril de 1890
Coacede au orisa;So ao Banco de Crdito
Real do Brazil para elevar o capital de
sua 'carteira hypothecaria e corre pon
dente emissSo de seis mil accSes inte
gralisadas de duzentos mil reis cada
urna.
O marechal Manoel Deodoro da Fonse-
ea, chefe do governo provisorio constitui-
do pelo exercito e armada, em nome da
nacSo, attendendo ao que Ihe requeren o
Banco de Crdito Real do Brazil, por seu
presidente, resolve conceder autorisacSo
ae dito Banco para elevar o capital de sua
carteira hypothecaria somma de seis mil
e duzento contos de ris, isto mais mil
e duzentos do que o actual, em seis mi!
accoes cada urna.
O ministro e secretario de estado dos
negocios da fazenda assim o faca ejecu-
tar.
Sa'a das sessSes do governo provisorio,
25 de Abril de 1890, 2. da Repblica.
Manoel Deodoro da Fonseea.Ruy Bar
bota.
Ari. 11, g J#Em lugar de determinados
n'estes estatutos e pelo decreto que os appro
var -diga se determinados no art. 9 .
Art. 14, n. 7-Substitua-se pelo seguinte:
Socarrear se de commissOes inclusive a da
viada de colonos,'e seu estabeleciiaeuto, de li-
quidaco d qualquer genero, de ODras piblicas
eiros .
tiporimam 3e as palavras e
ao portador, as bases e con
pelo governo ou pilo poder
e por conta
Art. 14,
biibetes la1
diges esial
legislativo
Art. 3!Insfr^m-se entre as palavras liypo
the;as e conTSfrjer .as seguintes: fei-
tos a lavoura e iolpSlias connexas .
Art. 33. 2Sappruaam-se as palavras > pai
e ibo collcqaerp-se entre as palavras < cu
nbadio de socios as seguinte3: os pareates
por consanguinidade at o 2 grao .
0 ministro e secretario de Estado dos nejo
cios do fazenda assim o faca execatar.
Sa a das ses-Oes do governo provisorio e.m 19
de Junbo de 1890, 3 da Repblica:-J/afta/
Deodoro da Fonseea.Ruy ~Borb>sa..
mW ^ A&SSCU SA7A3
BERLIM, 24 de Junho.
O capitao Wissemann, chefe da expedi-
cSo allemS no sul da frica se ba de che-
gar aqu.
NOVA-YORK, 24 de Junho. .
O general Francisco Menendez, presi-
dente da repblica de S*n Salvador, aca-
ba de fallecer sbitamente em San Salva
dor.
Um telegramma de Martinica annnncia
que um incendio conBideravel acaba de
destruir a metade da cidade de Fort de
Franca.
AIX LES'BAINS, 24 de Junho.
S. M. o rei da Grecia chegou aqu
hoje.
NOVA-YORK, 25 de Junho.
O general Ezeta acaba de ser nomea-
do presidente provisorio da repblica de
gan Salvador.
BERLIM, 25 de Junho, '
O ministro das financas do gabinete
rumano den a sua demissao e j foi sub-
stituido pelo Sr. Miguel.
MADRID, 25 de Junho.
Est diminuindo a epidemia do cholera-
rbus.
ROMA, 25 de Junho.
Corre o boato de que o cholera fe a
au* appariclo naa cidades de Genova, a-
ples e Venen. v '
Agencia Har, filial em Pernatmoo,
5 de Junho de 1890.
Dec SETO N. 498 DE 19 DK JUNHO DI 1890.
Estabelece que as multieres casadas que estivo -
rem no goso de pensao, meio sold ou monte
pi, podem recebel os directamente por si,
mdependenta de procuracao ou outorga de
seus maridos.
U generaissimo Manoel Deodoro da Fonseea,
ebefe do governo provisorio constituido pelo
exercito e armada, em nome da nacao :
Considerando que o meio sold<> estabelecido
para olliciaes do exerciio e da arcada, pela le
de 6 de Novembro de 18i7 e pelo decrelo do go
verno provisorio n. 475 de 11 do crreme mez,
e monte pi iustiluido pela contribuico dos of-
ficiaes da armada, pelo plano de 23 de Setem
bro de 1795 e as pensoes concedidas pelo Eda-
do sao beneficios pecuniarios fritos s familias
dos militares e outros servidoras da nacao, do
accoes incommunicaveis, cem carcter pessoal e
alimento* para garantir da miseria as pessoas
beneficiadas ;
Considerando que, como taes, estes beneficios
nao podem ser reputados bens de rendas per-
tencentes communbo do casal, administra-
veis pelo marido no rgimen marital ;
Considerando que deotrina corrente, que
inclue taes beneficios no privilegio da adminis-
trado dos maridos, pode annollar os intuitos
protectores do Estado ou dos iastituidores nos
casos em que por abandono ou ma administra-
cao do cabega do casal st-jam os beneficiados
privados do beneficio ; decreta :
Art. 1. As molberes casadas que tiverem di
reito penso, meio sold ou monte-pi podem
receber o que por tal Ibes for devido directa
mente por si, tndependente de procuracao ou
eutorga dos maridos.
ArL > Revogam-se as disposijes em con-
trario. ,
O ministro e secretario de Estado dos nego-
cios da fazenda assim o faca executar.
Sala das sessOes do governo provisorio, em
19 de Junho de 1890, Jda repblica. Uanoel
Deodoro da Fonteca.Ruy Barbosa.
DBCHBTO N. 499 DE 19 D IWS10 DE 1890
Approva com alierac5et os estatutos do Baes
Emissor do Norte
0 generaissimo Manoel D odoro da Fonseea,
chefe do governo provisorio constituido pelo ex-
ercito e armada, em nome da nacao :
Attendendo ao que requsreu o Banco Emissor
do Norte, por seus iocorporadores, resolvo ap-
provar os estatutos do mesmo banco com as se
euintes alteraces:
Art. 3* i 1", 1* parte. Em vez de as entra-
das sero realisadas em dinbero ou fundos pu
blicos com intervallos nunca menores de 60 dias
e em quotas nuoca maiores de 10 / do valor de
cada accSo diga-se as entradas na razao
de 10 -^do valor de cadaaccao serao realizadas
em din'heiro ou fundos pblicos com intervallos
nunca menores de 6J dias.
Art. 7' i t. Insiram.se entre as palavrt
couverter-se e em ttulos as seguintes:
com approTicao do fiscal do goverao .
Art. 9*, parte Colloqoe-se o adjectivo
respectiva entre as palarrts* oas e re-
partices. ,
Art. 11,1" parte -Oiga-se Os bilbetes serio
de 10#, 901. F#, 5W, 100#. *0bf e 800*. e
eonterlo, eta.
Ministerio da fasiiea
Foi nometdo desembargador da Rela-
cao de Ctyab o juiz de direito Aristides
Jos de Leao.
O ba^harel Jos Carlos Mayrin^k
Pires Nabuco, foi nomeado juiz de direito
da comarct de Philadelphia, de 1.a en-
trancia, em Minas Geraes.
Foram Te movidos: o jui* de direito
Manoel Jos Martinho, da comarca de S.
Luis de Caceres, de 1.* entrancia, para a
de Cuyab de 3.' entrancia, ambas no Es-
tado de Matto Grssso.
O juiz de direito Jos Jacintho 3orges
Diniz, da comarca de Iguarap miry, de
1. entrancia, no Estado do Para, para a
de Bonito, de 2.a entrancia, no de Per-
nariibuco.
O juiz de direito Austerliano Correia de
Castro, da comarca de Campia Grande,
no Estado da Parahyba para a da Igua-
rap mirim, de igual entrancia, no do
Para.
O juiz de dir to Joaquim Moreira Lima,
da comarca do Bonito, de 2.a entrancia,
no Estado de Pernambuco para a de Cam-
pia Grande, de igual entrancia, na da
Parahyba.
Foi dispnsalo do cargo de chefe de poli
cia do Estado do Piauby o bacbarel Jos Calhei-
ros de Mello, por assin o haver pedido, e no-
meado para esse cargo o juiz de direito Alvaro
Teixeira de Souza Mendes.
Foram nomeados juizes de direito da co-
marca de Tiradeotes, de 1* entrincia. no Esta-
do de Minas Geraes, o bacbarel Gastao Cuoba.
Da comarca e Burras, de 1' entrela, no Es
lado do Piauhy, o bacharel Jos Calbeiros de
Mello.
Da comarca de Lagda Vermelha, de 1* entran
cia, no Estado do Rio Graqde do Sul, o bacha
re Bernardo Linlolpbo de Mendooca.
Foram removidos :
0 juiz de direito ^dolpao Augusto Olia'.ho, da
comarca le Pirapellnga. de 2* entrancia, no Es
tado de Minis-Geraes, para a do Rio das Mortes,
de 3a entrancia, no mesmo Estado.
0 ju.z de direito Francisco de Paula Fer-
nandes Rabello, da comarca le GrSo Mogol, de
i* entrancia, ambas no Estado de Minas Geraes,
ficando sem effeito o decreto que o removt u
para a do Sacramento, no mesmo Estado.
A pedido:
0 Juiz de direito Aotonio Augusto de Li
ma, da comarca aa Conceicao da Serra, de 1*
entrancia, no Estado do Espirito Santo, para a
de Sapucaby, de igual entrancia, no de Minas-
Geraes.
O juiz d> direito Joaquim Manoel de Arau
jo, da comarca do Rio das Mortes, de 3 entran
cia do Estado de Minas Geraes, para a vara de
orphaos e provedoria na comarca de Campos,
de gual entrancia, no do Rio de Janeiro.
O juiz de direito Jesuino Jos de Freitas,
da comarca de Amarante, de 1' entrancia, no
Estado do !'i.iuhy, para a de Marinhos, de 2*
entrancia, no de Goyaz.
Ojuiz de diieito Joaquim RibeiroGoncal ves,
da comarca de Barros para o de Amar inte, am-
bas de 1 entrancia, no Estado do Piauhy, por
assim o haver pedido.
Clodon Augusto de Albuquerque Cha
ves.Nssta daiajpe dirijo ao ministerio
rinha noNaRid do que requer o
conario. y
Companhia Pcrnambucana. .f* Deferido
com offico desta data ao nspfetdr do th9-
souro do Estado.
Eduardo Antunes de Albuquerque Mello.
Informe o Dr. juiz de direito da co-
marca de Cimbres.
Francisco Ferreir. Ai Silva Eatre
gue.".ow documentos, mediante recibo.
Francisco Salles Oliveira. Deferido
com offico de hoje ao commandante das
armas.
Capitao Florencio Rodrigues de Miran-
da Franco.-.Deferido com o acto dsta
data.?
Frederico Columbano da Silva Gui-
maraes. Requeira ao" ministro di fa-
zenda.
Florismena Joaquina de Mello Montene-
gro.Indefendo.
Gerente da/Recife Drainage Ccmpany
Limited.Nestadata solicito do ministerio
da marinha a abertura do respectivo cr-
dito.
Bacharel Jos Mauricio Borges. la-
forme o inspector da thesourara de fa
zenda.
Joao Pereira do Nascimento Silva.
Informe a Intendencia Municipal do Re
cife.
Tenente Jos Carlos Vital.Informe o
inspector especial de trras e colonisa-
c3es.
Jos de Azevedo Maia e Silva Jnior.
Sim.
Capitao Jobo Ignacio Ribeiro Roma.
Informe o inspector do thesouro do Es-
tado.
Joaquim Tertuliano deMederos.Com-
parece na secretaria deste governo para
completar o sello da peticSo ao ministerio
da fazenda.
Leopoldina da Conceiclo.Este gover-
no nSo tem passagens gratuitas na estrada
de ferro do Recife ao Limoeiro.
Manoel Freodrippe de Souza.Deferido
com offico desta data thesourara de
fazenda.
Mara Auta de Jess Campello. Inde-
ferido.
Mara Julia Monteiro Lopes e Emilia
Lpiympia Talles BezerraSim, conservan-
do os venciment')S que actualmente per
ceoem;
Pedro Pereira dos Santos. Deferido
com offijio de hoje*o cronel commandan-
te das armas.
Pedro Cavalcante de Albuquerque
Uchoa.Informe, com urgencia, a Inten-
dencia Municipal de Barreiros.
Pedro Jos do Carmo e Souza. Nest
data faco remetter os autos ao juiz de di-
reito da comarca do Rio Formoso
Rodrigo Carvalho & C.Ao comman
da ate do orpo de policia para certificar.
Severino Jos do Nascimento. Inlorme
o inspector do thesouro do Estado.
Theresa Jcsephina da Cunha Salles.
D se a certidSo e entreguenrse os docu-
mentos, mediant reecibo.
Secretaria do Governo do Estado de Per
nambuco, 25 de Junho de 1190.
O porteiro,
H. M. da Silva.
Ministerio do Interior
Concedeu se a exonerago que pedio
o Or.
Clovis Bevilaqua
tado do Piauby.
do cargo de secretario do Es
2.
licia
Ministerio da Agricultura
Foi nomeado Rufino de Paula Mesquita Cardo-
so para o lugar de thesoureiro das stradas de
ferro do Recife a Caruaru e prolongainentoMa
do Recife a S. Francisco, no Estado de Pernam
buco.
Foi removido Tobias Correia do Amaral,
de rngeobeiro de 2* classe da estrada de ferro
de BatTit para o de chefe do tnfego da do
Sob al.
Foi nomeado para o lugar de coadjuvante
de 4* classe du servico le -h ico da commlssao
do Porto de Pernambuco. o cidado Manoel Mi-
Iheiros de Azevedo Villarouco.
Ministerio da Marinha
Ficou sem effeito a nom-iacao do Io teneBte
Luiz Ignacio de A'.evedo osta para o cargo de
capitao do porto o EitaJo da Parahyna, sendo
nomeado para esse lugar o teneote Ireoio
Americo da Costa.
Pernanv
po
Bom
orerao do Estado de
bueo
DBSPACHOS DO 'IA 23 DE JUNHO
Dk 1890
Abaizo assignados, residentes na
voagao de Sal_adinho do termo de
Jardim. Infirme o inspector geral da
instruccSo publica.
Abaixo aasgnados, guaraas de 2. classe
da Casa de DetencSo. Mantenha se a
actual organiaacao e aguarlem os petici-
nanos que melhorcm as finanzas do Es-
tado.
Abaixo assignados, moradoras na Es-
trada Nova de Caxanga. Providenciado
por despacho de 16 do corrente.
Adelino Augusto Pereira de Albuquer-
que.Informe o inspector do Arsenal de
Marinha.
Repartleo da Polica
secyao.N. 140.-^Secretaria de Po-
do Estado de Pernambuco, 24 de
Junho de 1890.
Cidado governador.-Participo V03que foram
hontem recolhidoi a Casa de Djtenc4o os indi
viduos de nomes Manoel Paulo nezerra, Manoel
Joaquim de Barros, Jos Elias Coelho da Silva,
Jos Aieixo de Franca, Vicente Macambira de
Oliveira, Herculano Jos do Espirito Santo, Tar
ginio do Nascimento, Fraucelina de-tal, Silves-
tre Ferreira, Raymundo Gomes dos Santos, Izi
dro Mulhert. Jos Celestino dos Santos, Antonio
Joaquim de Sioi'Anna, Joao Paulo Bezerra, Ma-
noel Jos das Dores, Luiz da Rosa e Silva e Joao
Carneiro da Silva.
Ante-hontem, s 11 1/2 horas da noite, to-
ram os ladrOes A estacSo do Arco, pertencente
via frrea de Caxang, e arrombando a gaveta
de urna cesa, subtrabiram a quantia de 40#000
em dinheiro e alguns papis.
0 subdelegado da freguezia de Santo Antonio
tomou conbecimento ao facto e trata de deseo-
brir o autor ou autores do criroe.
Ainda ante hontem, s S horas da tarde, e
no l.'districlo de S- Jos.travaram se de razes
os individuos de nomes Manoel Andr e Euzebio
Manoel do Nascjmento, resultando sahir este te
rilo. ., '
Contra o delinquente, que evadi se, proce-
deu-se na forma da lei.
A'i 2 horas da manb de 21 do correte,
penetraram os ladroes, por meio de arrompa-
ment, na faverna de Jos Rodrigues de Oliveira
& C. sita no districto do Peres, co iseguindo
apenas se apoderaren! da quantia de mil e tantos
ris em dinheiro. por terem sido presentido por
pessoas que dormiam na referida taverna.
A tal respeito procedeu-se na forma da le.
Na noite de 20 para 21 do corrente pene-
inram os ladrOes por raeio.de errombamento,
em urna casa no lugar Porta a'Agua, do 1." dis-
tricto do Poco da Panella, onde moram uns
mocos estudanles e subtrahiram cerca de oU#
cm didbeiro, i corrente de plaquet, 1 cacical
de metal branco, 1 par de botes com brilhaotes
para punhos e diversas pegas de roupa.
O subdelegado respectivo procedeu s dili-
gencias da lei para descobrimento dos autores
do crime. _,
Sade e fraternidade Ao cidado Ue.
Albino Goncalves Meira de Vasconcellos,
governador do Estado.O chefe de poli
ca, Ernesto ds Aquino Fonseea.
2." seccao.N. 141.Secretaria de
Polica do Estado de Pernambuco, 25 de
Junho de 1890.
Cidadlo GovernadorParticipo-vos que
foram hontem recomidos Casa de De
teoclo os individuos de nomes Antonio Nicacio
deFarias, Brnardioo Jos de Souza, Antonio
Pereira dosSantos, Sergio Gomes da Croa, Jos
Pedro de Araujo, Porfirio Bispo da Franca, An-
tonio Joaquim Evangelista, Joo Pedro, Thomaz
Ttieodoro e Aatonio Bella'mino de M mra.
Nesta data fago remessa ao Dr. juii de direito
do 5 districu criminal do inquerito policial
procedido por esta chefatura sobre o deflora
ment praticado em urna menor pelo subdito
portuguez Domingos Leite de Azevedo Rendo.
Pelo delegado do l.- districto desta capital
foi tarabejaemettiao.ao Dr. juiz de direito do
i. dJstril^rwjirjal o inquero a que procedeu
contra Genaro Gfrri e Joao Michelena).por crime
de estelliojiate.
Foracjj'egjetti^b a esta repartico, pelo
subJelegawdo ^istujcto da Torre, 9 facas de
ponta, 1 roqueir?; 1 compasso, 1 estoque e 1
pistola, tomadas a diversos desordeiros.
Sade e fraternidadeAo cidadSo Dr.
Albino Gongalves Meira de Vasconcellos,
governador do Estado.O chefe de poli
cia, Ernesto de Aquino Fonseea.
NORTE DO BRAZIL
Pelo paquete nacional Pernambuco, ante-hon
tem ebegado do norte, ti vemos as seguintes no-
ticias :
Estado do imaioND
Dalas ai 11 de Junho !
Apenas encontramos na Amazonas de 10 a se
guinte lamentavei noticia:
0 vapor MunduruciK, que hontem aportou
nesta cidade procedente do rio Juma, trouxe
nos a triste noti:ia de mais urna hecatombe de
que foram theatro essas longinqoas e desprote
gidas parageos, onde, na ausencia de um poli
ciamento regular imperara, i orno arbitro supre-
mo .:as questes, o refle e o direito da torca.
Um dos pas-ageiros do Munduruc o Sr.
Fortunato Dray, que umbem um dos actores
do drama sangrento, que infelizmente se vai
tornando frequente nos nossos rios, prestou a
um amigo nosso as informagOes qu* seguem :
por urna questao de seringaes travou-se
seria e renaida lula entre elle e os seus fregu
zes e Castr) & Irmao, seus .visinhos, e os fre
guee3 de8tes.
No combate foram morios o chefe da hrma
Castro Irmo, o Sr. Jos Augusto de Castro,
rtcentemente demillido de subdelegado de po
licia do districto, um freguez deste e um caixei-
ro de Dray, ficando gravement ferido o referido
Forlunato Dray e um seu ciixeiro, dando se an-
da outros fenmentos, alm dos consideraveis
preiuizos causados peloinceudio aleado .. na bar-
raca de Dray, a qual ficou reduzida a ciszas
com todas as mercadorias oella existentes, ava-
lladas em cerca de 30:0>M)009.
Consta terem sem dado mais quatro mortes
outros lugares do rio Juru e porjdentica ques-
tao.
Basado do Para
Datas at d5 de Junho :
O Dr. Juslo Cbermont, governador do Estado,
sabio uovamente da capital em visita diversas
localidades do interior.
L se no Diario do Grao Para de 13 : ,
Hontem, s 81 2 hora3 da noite pouco mais
ou menos, no largo de Sant'Anna, o corpo de
bombeiros, sem motivo justificado, espaacou
selvugem .c brbaramente alguraas pragas de
cavallaria e infantarii do corpo de polica.
Travou se um conflicto serio, cujas conse
quencias sao para lamentar, porquanto safcirara
gravemeoie feridos os soldados de pulicia de
nomes tbeotonio Tavares Maria e Jos Antonio
de Moraes.
. Tambera forarn feridas duas ragas de bom-
beiros e mais o soldado de polica Vctor Deo
cleciano.
Os bombeiros tentaram tomar um preso do
poder de alguns'policiaes, tentativa es?a levada
a effeito de um molo !assu grave sobresalto as familias e os transentes.
Os desordeiros invadiram os botequins, me-
iteram se atabahoadamente pela igreja de Sant'
Anda e faria a ahi, inquestionavelmente, serlos
estragos, si nao fossem enrgicamente repelli-
dos. _
Os Drs. Matti Rez*de e Pereira Barros fi-
zeram os respetivos orpos de delicto.
Estado do Maranbao
Datas at 17 de Junho :
As folhas ueste Estado nada referem de inte-
resse geral.
Eatado do Plnaby
Ditas at 5 de J inbo :
A Democracia dessa data noticiou nos seguin
tes termos o juramento e posse do Dr. Parana-
gu como Io vice-governador :
E virtude de telegramma, hontem recebido
do governo central pelo Dr. Gregorio Thauma
turgo de Azevedo, orJenando-lhe que passasse
incontinenti a administragio ao Io v^ce governa
dor deste Estado, nosso illustre collega, Dr. Joa-
quim Nogueira Paranagu, prestou este, hontem
mesmo s 5 horas da tarde, juramento e foi em-
possado perante o conselho de intendencia desta
capital.
O commercio, era regosijo. mandou tachar
suas portas e hoje distribuio o seguinte boletim
subscripto por q iatro honrados representantes
daquelia classe:
Convidamos a lodos os nossos collegas, do
commercio, a manterem fetbados os seus esta
belecimentos hoje, como regosijo de ter assumi-
do a administrago desie Estado o eminente ci-
dado Dr. Joaquim Nogueira Parauagu.
E tambem os coavidamos para que noite
illuminem as frent-s de suas casas.
E" indiscnptivel o regos'jo da populago
desta capital. >
Estado do Ceara
Dalas at 21 de Junbo:
Leaos na Patria de 16 :
Hontem realisou se no tbeitro S Luiz urna
reunio para organisago do partido operario
cearense,
i: Falln e expoz as bases do prigramma o
cidado Aderson Ferro.
y Estiveram psenles 174 artistas.
Foi eleito cuele -o cidado Aderson Ferro e
secretarios os cidados Antonio Victorino S. Sil
veira e Augustc Thom Wanderley.
c NSo nos parece que um partido operario no-
Brasil e principalmente no Oar leona razao de
existir. Na Europa um "partido dessa ordera
urna necessidade. Aqui pode ser um producto
do espirito de lmilaco. Mas, em Iodo o caso, os
artistas esio no seu Ureito se aggremiando e a
escolha do cidat&o Aderson Ferro urna condi-
digao de propriedade do partido.
L se no Libertador de 18 :
Precedida de boatos alargantes, assoalbaios
com insistencia nesta capital e em varios outros
pontos do Estado, foi hoje feita, no Cearense, e
em boletins assignados pela r>-da<-cao daqueHe
peridico, a couvocagao de um meiting que se
devia reallsar amanh na prag< publica.
Era vista disso o corono! governador do Es-
tado convidou, por carta, o con-elheiro Antonio
Joaquim Rodrigues Jnior a comparecer casa
do governo para dar eplicjgoes. que reputava
urgentes, acerca do mencionad o meetin.
A' 1 hora da UrJede hoje foi effectivamcnte
presenga do governador aqueile conselheiro,
que, peraote o Dr. Samuel Oh, ehefe de po-
nda do Estado, e do coronel Frederico Buys,
conferencioa sobre a materia, durante mais de
urna hora.
O coronel Ferraz declarou ao conseHSeir
Rodrigues Jnior que consHerava inconveniente
a reuoiao convocada e que providenciarla para
que a raesma nao se reazasse.
0 constIheiro Rodrigues Jnior entren em
largas consiJerages e disse, por fin que, embi-
ra proiestasse cootra a medida, obedeca or-
dera- do governo e la declarar sem effeito a cou-
vocagao do meeting.
No municipio da Fortaleza foram quaflea-
dos, ao todo, 2 335 eleitores, sendo 1M54 no l-
e 1.181 no 2. districto.
Estado do Rio Grande do Norte
Dalas at 22 de Junho :
Nada referera as folhas deste Estado que nie-
rega mengo.
SUL DO BRAZIL
Pelos vapores Britannia e Duque de Caxm,
negados ante hontem, ti venios as seguintes ao-
licias :
Estado do Rio erando do Sal
Dalas al 31 de Junbo :
0 Diario do Rio Grande, em data de 10, dic qie
o conselho de investigago perante o qual o
tenente-coronel Luiz Alves Leite de Oliveira
Salgado justifica va se das accusagOes que me
foram feitas com rlago aos successos do dia 31,
suspenden seus trbalbos, por ter encontrado
grave culpabilidade, nSo naquelle militar, mas
em um general, subindo 03 papis ao julgameote
do generaissimo chefe do governo provisorio,
O governador do Estado mandou que ricas-
se sem effeito o acto que determinou a prisc
preventiva do Dr. Anlero d'Avila.
A praga do commercio da capital, atten-
dendo s reclamagOes dos negociantes, dirigi
o seguinte telegramma ao ministro da fazenda:
Alfandega cheia. Lanchas todas oceupadas
com mercadorias em grave risco.
Vapores e navios sem poder desearregar.
Tbesouraria nao pode alugar armazens odere-
:idos por falta de verba.
Praga pede a V Exc. medidas urgentes.
Joo Artz, presidente. Sytoio Rangel, secre-
tario.
Lemos no Artista de 9 : v
O vapor Camillo, era viagem do Rio de -
neiro para este pono, avistoo a 5 do corrente,
ao meio dia, na latitude S 26, 36' 18" e long.
47, 53' 09" urna barca que aavegava em mas-
tros reaes.
0 Cumulo dirigi se para ella a ver se pre-
cisava algum auxilio, e quando chegou perto eot
um escaler se dirigi a bordo da barca o imme-
diato do referido vapor, a quem o capitao de-
clarou nada precisar.
A barca norueguense, denomina se *
derne Rioser, procede de Liverpool e destioa-ae
a Bueuos-Ayres, para onde conduz carregimea-
to de varios gneros.
Tinha desarvorado bavia 16 dias, e com o
pouco panno que liaba traa va de arribar a Santa.
Cathanoa
A bordo ludo la bem. >
Capital Federal
Datas at 20 de Junho.
L se no Pz dessa data :
O Sr. ministro das relagOes exteriores rece-
beu hontem urna nota do charg d'offaires da
Repblica Francesa nesta capital communicaa-
d i-lhe que o seu governo bavia reconhecido o
dos Estados Unidos do Brazil.
Por tfilegramma de hontem o Sr. Baro de
Itajub, enviado extraordinario e ministro pleni-
potenciario do Brazil em Franga, annonciou M
Sr. ministro das relages exteriores que solici-
lara audiencia do piesidente da Repblica Frau-
ceza para Ibe apresentar as suas credenciaes.
L-se no Jornal do Commercio da mesnu
data :
Hontem, cerca de 11 horas da noite, o atie-
res Ildefonso, commandante da 3.* eslago poli-
cial, foi avisado per urna praga de que na casa
n. 62 da ra de Santa Luztadera-se grave cou-
lecimento.
Para alii dirigi se aquelle'commandante era
companhia do Sr. Bapdsta da Costa, subdele-
gado do 1. districto de S. Jos, e verificou que
nos arreoores da casa havia grande massa de
povo que estava horrorisado com o que se havia
passado.
Entrando no interior da ca3a, que terrea e
de porta e duas jaoellas, depararam con um
borrivel espectculo na sala de janlar
Urna mulher, apenas de cama e esta toda
eoeanguentada, estava segura por duas pragas
do 7. batalhao de infanlaria, com as quaes se
debatia.
No chao estava cabido morto. completa-
mente n, e quasi degolado, tal era o golpe que
tinha no pescogo, que estava envolto era nma
toalha um individuo de meia idade que era o
dono da casa e marido da mulher mencionada.
Por ordem di autoridade policial foi a mu-
lher conduzida para o xalrez da 3.* eslago po-
licial, e communicado o faci ao Dr. Pestaa de
Aguiar, 1. delegado, a quem foi requisitada a
presenga dos mlicos da policia para verifica-
ren! o bito e estudarem se, pela posigo do ca-
dver se podia presumir se o facto era devido a
um suicidio ou a um crime.
Hoje, 1 hora da madrugada, foi iniciado o
inqueruo sobreest aconteclmento, que parece
envolvido em certo mysterio.
Estad* de Serglpe
Datas at 21 de Junho :
L-se no Estado de Sergipe de 18 :
Sabemos por telegramma de ppssoa compe-
tente que o inspector Rodolphiao Padilha entre-
gou na Babia ao commandante do vapor Mr-
quez de Caxias, com destino tnesouraria
deste Estado a quantia de 245:345*680, corres-
pondente ao empreslimo contrahido pelo illas-
trato Dr. governador cora o Banco da Lavoura e
Commercio fara o lim de resgaiar as apoces de
Estado.
L-se na Gazeta de Sergipe de 21:
Com o comparecimento de 18 representan-
tes direelos destas duas c asses, alguns funecio-
narios pblicos e limitado numero de especta-
dores, reaHzou se hontem a reunio convocada
pelo governador do Estado.
A' 1 hora da Urde, abri a sesso o Dr.
Pelisbello Freir qm expoz o fim da reuniio,
declarando que, segundo promessa feita pelo go-
verno central, esperava em prazo breve fosse
installida nesta cidade umacaixa filial do Banco
Emissor da Bahia e que julgando assim satis-
feita urna das necessidade mais urgentes da
lavoura- a falta de capitaes, submeilia cou-
sideraco da3 pessoas presentes o esludo das
medidas mais efficazes p ira melhorar o trabalho
agncoh que a seu ver era tambem de inadiavei
resolugfio.
Quanto ao commercio, deelarou S. Exc que
jnlgava de grande aproveitamento as medidas
que decretara, subvencionando a navegace
entre este porto e o do Rio de Jaoeito 6 aug-
mentando consideravelmente o? inipostos dos
gneros entrados por cabotagem ; e que< pos-
unto, propunha apenas a qnesto de saberla
se era ou nao conveniente tratar-se de clas-sil
car os gneros exportados.
Posto em discusso o primiro ponto, falla-
ran] os Srs D -. Joo Gomes, Joaquim Machado,
Ricardo Curvello, que leu o parecer escripto de
seu irmao Aotooio Curvllo, Dr. Muniz e Joao
Roirigues da Cruz.
Ficou decidida a creacio de urna escola
pratica de agricoRara, nomeando o governador
urna commrssSo composta dos Srs. Joao Boda-

.-:.'
I.:
TT
\ s



Diario de Pernambuco-Quarta-feira 25 de Junho de 1890


m.
r
i.
i
s
8 da Crot, D. Mofiiz, Ricardo Curvello, Aa coruelheiro intimo do monarcba. O autor narra
io Fe mandes de Barro* e Jo4o Gmete aa acedes do coneoaamr daeerdia. E*l0buei-
o eetatmaior
por
dos
ia
Mello Cardoio para- tratar de bnwlMai prox er-^r ofco
ecto de rejRdsmeotOfbaseo. e wperjl*far alloafea, saponaria qaattjfaerra ia ten
scola alludida
Posto en discomao o segundronlo,- de
da> BMWHatnous vi
^mlm7>ammaml, qoo
>e em opposica**elle o SivMo Rodriga nelfcmw tnacem^4* seus ofli
da Crui, porrtlo eocootraroa rfasotficajlo n a "a oiootnria, VMMiaiau0'
tagem algoma, quer
par- o commero, qmr QM* Qnaadu o Impetador aiihermtfwM*e,
SCILUUSE Lilia AS
SIIKXII E PATBI4
Conferencia feia a 9 do Margo de 1889 na Assol
ciation Francaise pour l'avancemeot naciona-
pelo-Sr. Gastn Tissandier.
(Traduccao de Augusto Hygmo de Miran la unior,
aulorisado pelo autor)
Bis me agora constrangido, depois d ter-vos
mostrado a sciencia francesa prestdindo a todos
08 nossos triomphos, a todas as nossas vicurias,
a vos fallar dos esforcoe que elia einpregou par..
remediar os nossos desastres.
Depois do esplendor das nossas gloras passa
das, i'is que chegamos ao momento sombro das
derrotas da guerra de 870 e do cerco de Pariz.
Mis, aqui inda, como adianto veremos, apezar
dos revezes da fortuna, houve milito engenho e
mu lo valor. A historia na sua ialegridaio, fa-
r justica aos defensores da patria.
E' preciso ter sido testemuntia do3 aconteci-
mentos do cerco de Pariz, para fater se urna i ia
da dor pungente qua experimentamos todos,
Suando soubemcs das primeiras derrotas, quan
o as nolioias nos diziam que noaso corpos de
exercito achavam-se totalmente reducidos ao ca
ptiveiro.
Pariz, sem meios, sem defeea e seos defenso-
res ia ser atacada por exercitos sem numero,
embriagados p>r victorias inauditas, sem prece
dentes na historia dos pavos.
Digamol-o altamente em bonra do nome fran-
cez, em Hleira algoma se observou desaaimo.
nem fraqa-zi; cada um eitava fri miente resol-
vido a cumprir o seu dever.
Foi aioda a sciencia a quem so recorreu para
fazer face ao inimigo. Foi ella que forjou os
nossos canh&es, que fatincou os projeclis e a
plvora, e foi ella que prevenio os effios da ia
vaso a&rindo pela va dos ares, um servico de
correspondencia permanente entro a capital as-
sediada e as- provincias.
Durante o' ce reo de Pariz,'64 bales atraves
saram as trinctietras aiuaigis. Blevaram se aos
ares 64 aeronautas, 91 paasageiros,. 3*>1 pombos
viajantes e 8,000 kilogramnm. de despachos, re
presentando* 3 milhoes de cartas que apenas pe-
savara 3 gramolas. *
Os aerstatos serviam ao transporte das men-
sagens 4e Paria para a provincia e os pombos
viajantes, munidos de despachos photomierogra-
phicos, asseguravam o servico da volia.
Imp-iraia se em Tours toda a correspondencia
privada oo publica em orna grande fo.ua de pa
pe infolio qoe poda cooter 300,000 caracteres
de imprema.
O Sr. Dagron, que parti- de Pariz em balo,
reduzia esse verdadeiro ufli-tie a um pequeo
clich que era apenas do tamaabo. de ama foiba
de papel de cigarro.
A prova positiva era tirada sobre urna fina pe-
licna de collodio que, apelar de sO pesar 5 cen
tigrammas. continua materia, para amitos jor-
naes.
Muitas dessas pelliculas eram enrolladas e de-
positadas em um pequeo tubo de pjnna do la
mande de um palito de dente.
Essa modesta caixa de cartas, de novo gene-
ro, era amarrada eauda do pombo correio qoe
passa va porcuna das liabas prussiaoas entra
va no seo pombal no cent o de Pariz sitiado.
Um grande numero de- paginas irapressas fo
ram assim reproduzidas pelo Sr. Dagrou a acu
babii collaborador o Sr. Fernique.
Cada pagina continua cerca de 5,000 leltras ou
Soueo mais ou menot 300 missivas; dezeseis
essas paginas eram coudas em urna pellicula
de 3 centimetfes sobre 5.
Cada pombo leva va umi viotena dessa* pelli
calas, que, todas reunidas, nao excediam o peso
de umi gramma, Esaes despachos reunidos for
mavam um total de 3 inbds de lettras ou me
Ibor e valor de mu tos volumes in 18
Uau Ms-arn Parz.o despachos microscpicos
eram aogmeotado pelo microscopio pboto-elec
trico, e os carcter, prajectado sobre um aa-
lepar; rasorreprodsstdos pelos copistas.
Jolfo alo exacerar dizendo qua o correio ae-
reo o cerco do Paria 4 mi da*< piis bellos ap-
plieaeooa da arte milttai
O velho rei Gullberme julgaw-o< wan ; en
do pasear ares teodiac homnairim nao s alna* des
porto,! a eogaob naide do doi traoootot.
O que acabo de dizer acha se affir _ado no li-
no intlHado l'Empereor Guillaume.
Itto foi eocripto por Lois Schneier.,
Sara a lavoora, no que foi- acomaaahadfior la
as as pessoas prosenUui litad, pOMolara
idea.
O Sr. Jacinlho Martios lembron o alvitre da
navegaco directa para a Europa, fallando ain
da sobre o assumpto os Srs. Joao R idrigues, Ti
to Livio e Maooel Goocalves Machado, que apre
sentn o expediente de se contractar cora urna
companbia nacional ou estrangeira o servico do
transporte dos gneros por meio de baldeacao,
que se efectuar em qualquer dos portos visi
nhos.
< Para estado deste ultimo proiecto nomeou
S. Exc. a seguinte commissao: Machado, Joao
Rodrigues, Jacintho Martin, Pedro Freir e Do
mingos S. miago. ___ .
Nada mais tuvendo atratar-w, levaaton-se
a sesso
L se na mesma Xelba:
Hen'era. pela manh, foi a Fabrica de Teci
dos Sergipe Industrial theatro de ama borrive)
scena, que causou profunda a tristnsuna un
pressao a quantos tiveram o:oasiaode presen
cial a.
Seguramente meia hora depois que baviam
comecado os trabalhos da importante empresa,
dous operarios foram collocar no grande eixo
que atravessa em sentido longitudinal toda a of
Hcina e que communica movimento as machinas
parciaes urna cor rea para faser mover a machi
na de eecgao da gomadeira, e nesse mister se
empregavam, quando o que estava em baixo,
teodo para melhor segurar urna corda que o de
cima pre:isava, dad'nna volta no p, foi arre
Datado com iocnvel velocidade pelo rpido mo
vimento do grande eixo que o enlinhou de modo
a matal-o iostanla'ieamente.
< De nada vaieu que os companheiros gritas
sem paradle se deixar cahir naqaella pengosa
e fatal asceoeao.
Oa porque nao tivesse percebido o aviso que
lhe davamem altas voie&ou poroaeavertigem
o accommettesse, o certo que o infeliz foi leva-
do ao ar e estrangulado completamente.
O cadver flcou totalmente mutilado, parti-
do, dizemos mal, fetos em migalha* os ojsos.
Ni rapidez com qu i voltea va ora torno ao
eix mgido por forca estranha, fez em peda
eos a tabea onde se sentava o companheiro, que
de.-; nh oo se das alturas em que se acha va, ca
biniw sobre um tawyproduzndo urna fractura
comminutivB do braco esqoerdo e lige:ras con
tnsoes na oegiao occipital, interessando apenas
o couro cabelludo, na regiao toraxica e em todo
0 braco dimito.
O corpo da desgrnala victima no seu gyro
esmigalhouainda urna trave que, desnenhaodo-
se, produzto na operara Adelaide.Vallida umi
soluco de continuidaie na regiao parietal, in
teres ando apenas o couro cabellado e Iteira
contuso no terco superior do humero direito.
O operario que suecumbio chamava-se Jos
Loarenc > Al ves e o que fracturan o braco Ma
noel CooraJo.
> Todas essas desgracas succederam se em
curto espaco de tempo, o sufficiente para se
avisar ligeramente o machinista para-parar a
machina.
< Isto feito foram conduzidas as victimas para
os vastos aposentos do grande edificio, dando o
digno e locansavel gerente, que compare.-.eu in-
mediatamente, todas as providencias precisas
para o trtameos dos ferinos.
Nao se descreve a.bOTrrvel confnsao que; rei
nou naquella casa do trabalbo.
Cerca de 300 nutrieres, a maior parte mo
cas, em gritos, urnas cahidzs sem sentidos, ou
trasera pintos e todasassombradas com o tris-
te quadro de que foram, sem o querer, teetemu
nbas.
Conduzidas todas as que estavam sem sent
dos para a casa da veneranda rali do Sr. Jos
Augusto, qus mora junto ao su prestimos ti
lho, ahi receberam tratamento desvelado e cari-
nhoso.
depoiode RoischoftM, depois de Sedan, depois
da reodaoao- de Mesovdepots da derroU do exer-
cito da Loira, que Chanzy resista valorosaoMOJto
aos ataques de Frederico-^arlos, e que o general
Fai lherbe tomara a offensiva com um exercito de
jovens soldados, exclamou com impaciencia:
E' forcoso couvir que esse Gambetta lem poder
de fazer sahir exercitos do solo.
Nada disso terla tido logar tao fcilmente sem
o servigo do correio aereo. Esse Gambetta que
fazia sabir os exercitos do solo nacional, foi um
balo que o condazio a Tours, e foram os baloes
e os pombos correios que favoreceram o enrgico
movimaoto da resistencia para o qual elle con
tributo tao altamente.
E'uma epopaa historia dos aerstatos do cer-
co de Pars; emquanto m mioisiro vae* coota do sea logar passando por cima das nu-
veus, vemos tambera um astrnomo, um dos nos-
sos masa Ilustres sabios, o Sr. Jansseo, partir
em balo, a 1 de Dezembro de 1870, com todos
os instrumentos necessarios para ir observar o
eclipse do sol em Alger.
Como diese o Dr. Domas, o pranteado secreta-
no perpetuo da Academia das Sciencias, em ou-
tra qualquer epocha, o carcter absolutamente
scienii'ico da missao do Sr. Janssen Ine teria as*
segurado um acolhimento cavalheiresco no cam
po inimigo. Mas receiou-se com razo que o
mesmo nao se desse com o estado-maior do ge
neral Moltke. O Sr. Janssen, gracas aos balOes
p le dispeasar-je da autorisago prossiana. Exe
cutousua descidaemSaveuay. no Loire-lnferieu
re, e effectuou de urna .maoeira muito feliz, sua
raisso scieDlilica em Alger.
A viagem aerea dos Srs. Rollier e Daschamps
nao constitue tambera urna popeia. Ellcs par
ti ram da estacan de O-leans por urna noiteescu
ra, meia noite, de 24 de Novembro, sendo ele
vados cima das ouvens n >r urna verdaieira tem-
pestade. No e-paco de treze horas, atravessa-
ram o norte da Franca a Blgica, a Hullanda, todo
o mar do Norte e urna parte ua Noruega para ir
descer no monte Lid, a cea leguas de Christia
nia, distante 1600 kilmetros do ponto de par
tida.
Os Srs. Rollier e Deschampa encontraran! na
Noruega um acolbimento tao caloroso que mere
ce todo o nosso reconhecimento.
Foram recebidos com as maiores honras pelo
tu lite de Cnristiania, e por toda a par'.e festejou
se os aeronautas do cerco de Pars. Foram in?-
tallai-3 no mais bello hotel da cidade, em honra
delles foram dadas recepcoes. O Sr. Rollier
ontou me qne, pela manha, bandas de estudan-
tes norueguenses vieram sob suas janellas e em
coro entoar nossas arias oacionaes ; mais tarde
as mocas da cidade trouxeram aos franceses ra
malhetes tricolores
Un dia, os Srs. Rdlier e Deschamps viram en
trar no seu quarto mulheres do povo trazendo os
filhos pelas raaos: Abencoae estes meninos,
diziam ellas aos aeronautas franceses, para que
mais tarde elles sujam Dravos como v.
Por toda a parte onde os aeronautas passavam,
eram aectamados, e a mullidlo gritava em roda
delles : Viva Pars, viva a bella FrancaJ
Viva Pars, viva a bella Franca I Eites gritos
pronunciados alm dos mares por populaces
syrapathicas, nao ser para nos alguma cousa de
verdadeiramente tocante ? Nao devem elles achar
eho nos nosss coraces ? Respondamos a es-
tes povos amigos: < Viva a leal e honest No-
ruega, bem como digamos: Vivara as nace*
que nao receiaram estender a mo Franca es-
maga la. >
Durante o cerco de Pars, quatra baldes foram
feitos prislooeiros ; quasi todos foram o p mto de
mira dos projectis allemes; deis aeroslalosiper-
deram 3e no mar. Um delles, era dirigido por
Lacaze, o outro pelo marinheiro Prince.
Que triste fim o desses infelizes Vede esse
aerstato arrebtalo pelos ventos por cima do
atlntico. Isolado na sna barca entre o co e o
oeeaoo, o meosagniro d) cerco espera a morte,
mo'ti' quasi certa, no meio da mmeusidade.
Quando nao tem mais prumo, o balo, fatalmen
te levado pelo ptao, rhega ao Clline das vsga ;
arrastado a superficie dos mares e todos os
mov.nentos das ondas resoam cootra a barqui
nba de vime maneira de um sino fnebre.
Chega o momento em que o fri vence o aero-
nauta ; suas mos achara-se crispadas, suas tor-
gas o abandonam. Elles preparara se para mor
rer e, nesse momento supremo, seu nltimo pen
sanenlo para a patria ton^inqua.
Ah I Unta abnegacj, tantos, esforgos entre
tanto nao coroaram de succesao as empresas dos
defensores da Franca em 1870.
Elles, como outr'ora Archimedes, nao salva
ram a p.itra, ma--. prolongando tao heroicamen
le a sua resistencia, salvaram todava a propria
honra.
De ento para ca desoito anuos sao passados :
depois das derrotas, depois de oerdidas as pro
vincias e pagos os cinco milhares, as palavras
que pronunciei no coraeco da sesso, pela scien-
cia e pela patria, nao cessaram de inspirar o io-
dispensavel trabalho do armamento nacional.
Paaso agora a fazer vos ver, por projeccOes de
um certo numero d* photographias que vos re
presentarn no;sos.fortes, nossas cpulas me-
talltcas, nossos cann0e3, nossos encouracados,
no.-sos torpedeiros, nossos aerstatos militares,
de aesordo com as descobertas e trabalnos mais
recentes, que os nossos engenneiros tem posto
com vantagem disposigo dos recursos da
sciencia moderna, para salvaguardar os interes-
ses da patria.
compatriotas, para fa- [horas da tarde,
porte de
szssssssrj&m
nidos de todos os nossos
ooatdaaaiflwr ei
*iL_
CeilaiWJle, eooootraw pajo
plotaawogsaw!atado i novaras, qm
qooa acieaeia fago laaroi progreoaoa^para qoed"
os poatqao arto da mam.
Reapeitaraos o>OBhoiiasQmripazMversal e
de ora desottnaaaato soail, oras jaifawos que
istooo pacode uaiiiaii'iaw .
Na pratica danrida doiadiviaoos, como na da
vida dos povos, necessario tomar as cousas laes
quaes ellas sao. Nao est em noaaag mos o po-
der de mudar os destinos da nac9o.
Querer a paz perpetua quasi querer mudar
a natureza da humanidade. E'-nos fcil seguir
atravez dos seculos os acontecimentos que se
succederam ; desde o cerco de Troia at o cerco
de Pars, esses acontecimentos parecem c bedecer
a leis immutaveis, e que de alguma serte pede-
3e dizer reguladas como corso dos astros do co.
J nao temos visto os povos pastores, os po
Jaindeoa em noaso porto o
guerra Madmnz, qae foi
vos pacficos lesapparecerem s mais des vezes,
on tornarem se a presa fcil dos povos militares T
"Ji nio tiveiBoa-tamlM ooaaaiaa'ioO'Wi"yaw-
res nacOes pela inteligencia, pela actividade do
trabalbo, pelo genio da invenco, serem as mais
enrgicas e as mais valeotes ? A Grecia antiga,
que soabe attingir o apogeo do sublime oa pro-
dcelo da litteratura e das artes, elevoo-se ao
mais alto grao do herosmo pelos altos feitos dos
seas combateotes. A naglo que produzio Homero
e Pbidias conta tambera no numero de seus li
Ihos os Lenidas e os Themistocles.
A Franca tema maior affioidadecom essa no
bre Grecia antiga, que, teudo sabido ao mesmo
tempo possoir espirito e a forca, deve a sua
grandeza seu eterno brilho na historia, ao sen
patriotismo.
A patria a bandeira, o ideal. Nio podemos
viver sem ideial. A ideia de patria conduz os
passos do explorador as suas viagans: fortalece
o braco do soldado nos campos da tntalba, e ins-
pira tambem as mais das vezes o sabio no seu
laboratorio. A ideia de patria torna nos accessi-
vel a esses sentimentos magnnimos, os mais
bellos talvez a que a natureza humana possa pre-
tender : o espirito de sacrificio e a bnegaco de
si mesmo.
Pariz, 27 de Janeiro de 1890.
Depois dessa primeira parte da conferencia,
urna serie de qaarenta e cinco projecgei foram
fetas pelo Sr. Molteni; o orador acompanhou as
con slantrmente de explicages e de detalbe
>iue nao podemos reproduzir porque nao foram
escripia?, mas que pareciam ioteressar vivamen-
te o auditorio.
Essas projeccOes apresentavara successiva-
mente todos os progressos da metallurgia mili-
tar e naval e ara certo numero de apparathos re-
centes : torres xraragadas do commandanto Mou
gio. torre a eclipses do coronel Busstre, torpe-
dos balsticos, novos fortes suoterraneos, ca
oboes Kropp de grande calibre, canho d i Bao
ge, canbo pneumtico ameri -ano ; ltimos ty
(ioi de navios i ncouragados e torpedeiros ; na-
vegaco submarina ; navio suDmarino, le Gym
note, construido pelo Sr. Zd. e accionado pe-
I) motor elctrico do capito Krebs ; aerstato:
dingiveisde GifTard, Dupuyde Lome, Tissandier
freres, Renard e Krebi; balOes captivos milita-
re?, o estabelecimento de Chalai3 Mealon diri-
gido pelo comraan lante Renard ; espcimen de
photograohias em balo, velocipedistas militares
etc., etc.
As projeccOes terrainaram por duas de um
triste interesse patritico ; representaram a pon
te de Cbatou deslrnida depois do cerco de Pariz,
e urna batera franceza depois do armisticio. O
orador continuou a sua conferencia nessesi ter-
mos:
A vista dos ltimos quadros faz me lembrar a
historia do soldado Samnita que os Romanos li
zeram prisiooeiro em um combate. Quando um
lictor araarrava o com cordas, o Samaita disse
framente : Aperta, lictor, aperta, para que eu
me lembre bem que son teu prisioneiro
Nos tambem temos recordagoes qne devem fl-
cr gravadas as nossas memorias e gravadas
nos oossos coragss.
Creio ter vos mostrado, pelas projeccOes que
o Sr. Molteni execulou na vossa presenga, os im
mensos recursos que a patria pode tirar da
sciencia.
Nesta conferencia j ura pouco looga, em todo
caso muito curta em relagao ao assumpto de
que tratamos, apenas esbocei aa applicagOas
mltiplas da sciencia quanto a seguranza aa-
conai.
Nada dissemos da telegrapbia ptica, nem da
telegrapbia elctrica militar, nem des numero
so? servicos scientificos do exercito, em parti-
cular do servicn geograpaico, que foi transfor-
icado em Fraeca, nesses ltimos anuos..pelos
patHotioos esforgos do general Perrier e qoe
succesaores dignos deste eminente sabio tem
continuado a dirigir.
Nada dissemos da escola de guerra, nem do
servico de transporte em caminbo de ferro, nem
dos trabalhos da engentara militar,.nem dos
servicos das ambulancias. Contentamos-nos com
salientar qoe, se encaramos o futuro com a fron-
te erguida, devido inteiramente i sciencia dos
notaos sabio e engenbeiroa, e aoa osforcoa rea-
1MHISTB1AS E ARTES
Realizoa se a ioauguragao da importante Usina
do Porto das Neves da empresa Brazil Metallur
gico, de propriedade dos Srs. Magalhes e Bas-
tos, Castro Lopes C. e Carlos Justioiano das
Cbaga8.
E' um estabelecimento muito importante, que,
dando verdadeiro resultado aos seus proprieta-
rios, honra e engrandece o paiz.
A fundaco de semelhante estabelecimento, seu
desenvolviraento e vida, camo est acontecendo,
vem fazer com que o Brazil dispense a importa-
Cao do ferro e se deseavolva a industria ex'raciti
va d'este, to abandonada at hoje entre nos,.
0 ferro velho de que presentemente se serve
essa Usina, ao sahir das fomalbas, levado ao
martello de pudalagem, e d'ahi passadp nos la-
minad jres, que o reduzem a barras dagrossura,
lamanho e coaliguragao qde se deseja.
Anda paseado esse ferro em outro? laminado-
res reduzido a verguinbas, que o rame com
que sao feitas as pontes de Pars.
Todo o ferro que presentemente se fabrique
est tomado pelos importadores da oossa praga,
que, tenlo verificado ser esse producto muito
superior em qnalidadeao estrangeiro, dispensa
ram este de seus armazens e depsitos..
J se po le dizer que corre as veas dos bra-
zileiros o sangae americano.
A fabrica miniada com todos os machina-
mos de aperfeicoamentoa modernos, movidos por
um, motor com. forca de seis mil cavados.
pessoal da fabrica compoe-se do 238 opera-
rios nacionaes e estrangeiro?.
A illurainaco feita pelo systema eJactrico,
sendo adoptadas a lampadas do systema Ripper,
com urna forca de mil velas.
Pertencem igualmente a essa empresa as im
portantes minas de Jacupiranguinba, situadas no
Estado de S. Paulo.
Ah pr.;tendera os seus proprietai ios tazer
omtriiir 01 ultoo forno- OH'H COnf 'c'Coxl ) gUZa
e da mesma f'ma a montagem de machinas
para fazer a lupa.
Essa vira substituir o ferro veibo.com que tra-
balha a Usina das Neves, que ser o engenho
central, pdese assim dizer, nara a lupa que fr
feita pelas empresas que se entregarem indus
tria extractiva do ferro.
A fabrica de soalbos da mosaico de madeira,
ra Mrquez de branles, em Botafogo, no Rio
de Janeiro, de propriedade do architecto indus-
trial Igacio Ta vares de Sonza.
Existe ha 2i annos, e s trbala exclusiva-
mente em madeiras brazilei'as, das mais bellas
e duraveis, sendo a especialidade da fabrica os
soalhos de mosaico de madeira, desde os mais
simples >e baratos- at-aos; mais ricos possi
veis^
Alm da esnecialidade dos mosaicos, tambem
manufactura rorros (tectos) desde os mais sirn
pies atajs mais ricos, assim como ludo que
concernente construeco de um predio.
Dorante a sua existen :ia, a fabrica tem rece
bido es primeiros premios as exposiges do
Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e uaiversal de
Pars.
Era innmeros palacetes do Rio de Janeiro
existem soalbos da mosaico, salienrado se pela
sua belleza, dnraco eterna e asseio.
or de arnaamenagpe oatm motoriaes
M-a o 34 batalhio do infantada doate Es-
Alem da visita oficial do-diatioeto go-
vernador Dr. Xavier da Silroira, hiocebeu
o brioso commandanta capillo do
.ta, Alencaatro Chaca, a risita do es-
timado e popular cher repubh'cano Dr.
Pedro Velho, que, acompanhado de di-
versos amigo, visitn em o dia 20 aquello
navio, sendo reeebido pelo distincto com-
mandaute e toda a offlcialidade, com a
affabilidade proverbial aos que pertencem
a distincta olassa da noasa marinha.
Ao retirar-se o Dr. Pedro Velho e seus
amigos, o distincto commandante offere-
ceu-lhes um copo de cerveja, trocando-se
por est^ occasiSo ezpressivos cumprimen
tos dirigidos peo-digno commandante eaos
quaea respondern ob Dr. Pedro Velho e
Antonio Garca.
Consta-nos que o Madeira se prepara
para seguir viagem anunhS, se concluir a
descarga dos volamos qae troaze para
este porto.
Um tacto bastante lastimavel acaba
de dar-se na cidade do Serid, onde o co-
nhecido e estimado oidad3o Egydio Go-
mes de Britto foi victima do punhal de
um sen visinho de nome Antonio Jos de
Freitas, com quem tinha urna qnestSo de
trra.
O tenente Egydio Gomes, que exerceu
o cargo de deputado provincial neste Es-
tado no antigo rgimen, era um cidadao
estimavel e intelligente, dando se ao tra-
balho de advogacia, e, pelo que sabemos
de cartas que temos avista, os ferimentcs
que recebeujsao gravissimos, sendo pro
vavel qae tenha sucumbido a elles.
O criminoso evadi se, sendo preso o
pai deste, como cumplice do brbaro atten-
tado.
A Repblica, folha primorosamente
redigida que se publica neste Estado, aca-
ba de, em artigo edictorial, fazer a mais
justa e sensata detesa ao honrado gover-
nador Dr. Xavier da Silveira, pulverisan-
do completamente as pou -o pensadas, so
nSo mesmo pueris arguicocs, que em arti-
go publicado no Jornal do Commercio, fez
b Dr. Ferro Cardoso.
De feito, nao ba, quem conhecendo
a este faltar publica e ostensivamente com o res-
peito derktoaa.gove*o constituido ;
2o qne, na poca de agitacao em que o es-
tado se acha, a condescendencia do governo so-
bre este poalo-aoria ceosuravel, como incentivo
a agitadores mal intencionadoi;
Resolve deattir o mesmo 3 escrpturario.
Dr. Albino mira.
orfMdsMle de vavriadsM -Segando as
notas fornecida pelo.cemiterio de Santo Amaro,
elpublicadasaa-impraHio, faileeeram e foram all
sepultadas em Maio prximo-flodo 558 pessoas,
sendo 209 de variolar, isto 37,45 0/0 dos se
pnltamentos foram de varila.
A media di ira dos enterramentos sendo de
18 cadveres no referido mez, a parte correspon-
dente varila foi de 6,74.
Nos primeiros 10 dias do allndido mez foram
alli sepultados 67 cadveres de variolosos, dando
a media diaria de 6,7.
Na segunda decada do dito mez foram em nu
mero de 65 os sepnltamentos de variolosos, o
que d a media diarla de 6,5.
. Nos ltimos 11 dias do mesmq,mez foram se
pultados 77 variolosos, o que da a media diaria
de 7 corpos.
Estes dados pem patente que j nos ltimos
dias de Mai a epidemia reinante de varilas ti
nha augmentado de iotensidade.
Esse augmento, porm,a?signalon-se de modo,
notavel as duas primeiras decalas do corrate
mez de Junbo.
Com efieito : na 1* decada deste mez foram
sepultados 214 cadveres no cemiterio de Santo
Amaro sendo 89 de variolosos; na 2* decada,
de 11 20 de Junbo, foram sepultados 217 cor-
pos. sendo 111 de variolosos.
Na 1'decada, sendo a media diaria -dos en-
terramentos de 21,4a parte correspondente aos
variol038 de 8,9 o qne representa 41,58 0i0
dos repultamentos.
Na 2' decada de Junbo, sendo a media dos se-
pultaraentos de 21,7 a parte correspondente aos
variolosos representada por 11,1; o que equi-
vale 51,15 OtO dos enterra ment03.
O qne poe lora de duvida que a epidemia rei
nante de varilas attingio entre 11 e 20 de Ju-
nho correte o seu mximo desenvoivimnto.
Reunindo os dados cima tem-se para a mor
tandade de variolosos:
De 1 10 de Maio
De 11 20 de Maio
De 21 31 de Maio
Total
De 1 10 de Junho
De 11 20 de Junho
Total
Em 51 dias
67
65
77
209
~89
111
200
409
Por urna empre3d industrial de explorago de
madeira foram remettidas do Paran 24 taboas
estrenas de 75, 4 largas de 24 a 75 rnillimetros
de espessura e 6 vergonteas, tudo de pinho,
afira de serem utilisadas em obras do Estado e
verificar se por tal ando se semelhante material
pode competir com o seu congenere de proce
dencia estrangeira e mesma substituil-o.
Para este effeito mandou o ministro da mari-
nha que no competente arsenal da Capital Fe-
deral-saja sujeitado o referido material a expe-
riencias das quues dever-dar conta esta repar-
ta o secretaria de Estado, i
Assim, a respeito do pinho do Paran como
de ontros productos nacioaaes (e de entre estes
especialisaremos o carvao de pedra), nao ser
necessario fazer sentir como fra conveniente
dar aos artigos do paiz a mais larga applicagao
possivel as ob as construidas oa custeadas
pelo Estado.
Desde que taes artigos poderem competir com
os similares estrangeiro), a preferencia nao de-
ver ser duvido*a. Mesmo era oulros casos,
porm, dado que a solidez daroora oa a regola
ridade do servico nao venha a soffrer pela infe-
rioridad relativa do material, tolo o interesse
deve por a admiaistrago no fazer utilisar os ar-
tigos de prodcelo nacional, os quaes, quanto
mais aproveilados forera, mais cuidadosamente
pederio ser beneficiados,
O pinho do Paran, podendo bastar pela sua
abundancia a t-das as exigenrias do suppnmen
to, merece dos poderes pblicos atteuco toda
particular. Por isto louvavel a iniciativa do
Sr. ministro da marinha.
*
De Bata va foi transportada pelos hollandezes
para sua colonia de Goyanna a planta do caf,
que ahi se cultiva at hoje, e originarla da
Ethiopra. .
Disem qoeAm tal Morgues conseguir, com o
risco da sua 'vida, subtrahir algumas sementes
frescas de caf da colonia hollandeza e introdu
zil-a em Cayenna.
Ignoramos em que documentos se baseiam al-
gumas pessoas para dizer que o governo de
Cayenna prohiba, com penas severas, a sahida
de plantas e sementes de caf; mas, a despeito
dessa prohibigo, um desertor da cotona frao-
ceza furtou esse verdadeiro pomo d> jardim das
Hesperides, e chegaodo ao Para fot o caf ahi
cultivado, e depois transportado para o Mar-
nhao, d'oode. para o Rio. de Janeiro, pelo chao
celle- Joao Alberto de-Gasielto Branco, foromle-^
vados dourou tres pea.
. Quem julgana entd que essas tenras o mi
mosaa plantas aerianra origem-da rotara t co
lossal.riqueza do tantos iavradores ?
C(HsHHF#ftGIMlAS
u* Alario de rrs*JtiToi
RIO GA-SDE DO NORTfi-iaaC, 22
DI JTJNHO DE 1890
Em o din 18 do corrate, polos 5 o meio
, ...-, ...., quem conhecendo o
Ilustre Dr. Silveira, deixe de considerar
de todo o ponto injustas as accusacSes
que lhe sSo feitas no referido artigo. A
nica folha da opposicjt i neste estado, a
Gazeta do Satal nao articulou anda con-
tra o digno governador a mais leve aecu-
sac-ao-
Quem quer qne, desprennido de pai-
x3es tenha de apreciar o periodo benfico
da administracad do distincto Dr. Silveira,
ha de reconhecer qua tem elle sabido.im
pojan? a todos os eeus actos a mais pro-
nunciada justica e morilidade.
Demcrata distincto, antigo e conhecido
republicano de principios, tendo ensatado
as suas primeiras armas nos tempos diffi-
oeis, quando era um crime serse republi-
cano, o Dr. Xavier da Silveira, ha con
quistado, no elevado posto de governador
deste Estado, gjraes sympathias e a esti-
ma publica, fazendo urna admim'stracSo
perfeitamente autnoma, digna, criteriosa
e sensata.
O resultado dos exames geraes que
se procederam ltimamente foi o seguinte :
Houve 54 inscripgSes, sendo destes ap-
provados 34, e reprovados 20, inclusive
os que deixaram de responper a chamada
e nao compareceram na prova oral.
Acha se aberta nesta cidade a subs-
cri gao para as acedas do Banco Emissor
desse Estado, como se vo da seguinte no-
ticia que transcrevemos do Rio Grande do
Norte:
< Banco Emissor.Conforme se verifi-
ca do anauncio respectivo que consta de
outra seccao, acha se aberta nesta capital,
no eBcriptorio commereial do nosso Ilus-
tre amigo Joaquim Ignaoio Pereira, a
sub8crips2lo para as acjSes do Banco
Emissor de Pernambuco, que comprehen-
de as suas operares este Eatado.
c Parecendo-nos que aquello banco se-
r aqui um factor de produelo da riqueza
e muito fomentar os commettimentos
agrcolas e industriaos, acreditamos que
todas .is pessoas abastadas e que tiverem
economi.-.s accumuladas n.ao deixarXo de
ser subscriptores do referido banco, pela
certeza de nclle encontrar lucros rendosos
seus capitae paralysados. *
E' tambem do Rio Grrnde do Norte o
seguinte noticia :
c Foi preso pela forca sob o com mando
de capitao Olegario G. de M.. Valle, e
acha-se recolhido a cadeia da villa de Sor-
ra Negra, o reo Manool Hvgino, alli pro-
nunciado no art. 193 combinado com o
artigo 34 do cdigo criminal.
Muitas vezes til associar a creosote
de alca' r3o de faia ao oleo de ligado de
baealho no tratamento daa affeccoes do
larynge, dos bronchios, dos pulmdes, e
principalmente as bronchites chronicas e
nos catarrhos, Esta associacSo aprsenla
grandes vantagens, mesmo na ausencia
de doenca e quando se faz uso sraente
no fim de fortificar um peito franco ou um
temperamento dbil.
Estes dous medicamentos encontram se
reunidos as Capsulas de Berth Creoso
tadas, onde a creosote de alcatrSb de faia
acha-se em dissolucao n'um oleo de ga-
do de bacalhao particularmente recom-
mendavei visto ser obtida por procesaos
que sao os aicos 2que tem merecidos a
approvacSo da Academia de Medicina de
Paria.
istas
REVISTA DIARIA
Acin ontale*Por actos de 25 do cor-
rente do Dr. governador do estado:
Foi nomeado 3- escrpturario da 2' seceo do
tbesouro do estado, o carteiro do mesmo tbesou-
ro Maooel Antonio de Oliveira Brandao.
Foi supprmrdoo lugar de carteiro do theson-
ro do estadf. vago pela nomeaco de Maooel
Antonio de Oliveira Brandao, que o exercia.
Foi expedida a seguinte portara:
3* seccao.Palaciodo governo do estado de
Pernambooo, em 2 de Junho de 1890. 0 go
vernador do estado, tendo chegado ao conheci-
mento de que o 3* escrpturario do theaouro do
estado Laurentino Antonio Cesarlo de Azevedo
em Jiscoreos publico, joroccaaio darnetalla^
cao de-sja ciab poltico oo freguesia de S. Jos,
no dia II do corrate, se partoa de im modo
reprekensivel, atacando desrespeitosamente^ o
governo ; e considerando ;"
1* que a liberdade de manifestacio dorpensa
ment, que a repobUca garante b funcefonaro ..
publico, nao deve ebegar ao ponto do ser licito I ma qualidade da que elle ingerir,
As medias diarias so
De 1 10 de Maio 6,7
De 11 a 20 de Maio 6,5
e 21 31 de Maio 7,0
De 1 10 de Junho 8,9
De 11 20 de Junho 11,1
Quanto porcentagem dos variolosos em re
laco morandade total, julgada pel03 sepulta
mentos no cemiterio de Santa Amaro, teese :
Era Maio 37,45 00
De 1 a 10 de Junho 41,58 0)0
U--11 a 20 de Junho 51,15 0|0
Estes algaiisruos fallara eloquente iinguagem,
mas tecm a eloquencia fnebre da morte.
uani|iii-ie Na residencia da Exma. Sra.
D. Thereza Freitas realirou se na terca-feira ul-
tima o banquete que a colonia piaubyense, ami-
gos e admirad o re-s do Ilustre Dr. Gregorio
Thaumalurgc de Azevedo baviam preparado era
obsequio ao diga) ex-governador do estado do
l'iauby ao chegar s plagas pernambucaoas.
Ao banquete foram presentes distinctos cava-
lheiros de no.-.-a sociedade, e a colonia esme
rou-se em desempenhar devidamente o compro
misso que sejfizera de manifestar por tal forma a
cousuleracao.de que credor o Dr. Toaamatur-
go-.
A mesa do banquete era urna extensa exhibi-
cao de admira veis recursos da arte do confeitei-
ro, e o servico foi profuso e selecto.
No dessert, o Dr. Clovis Bevil qua briadou ao
Dr. Thaumaturgo, evidenciando lhe as qualida-
des e sondo delirantemente acompanhado por
todos nos conceitos queexternava a respeito do
mesmo Dr. A este orinde seguram-^e outro-'
inultos, a diversas senhoras ecavalbeiros distin
etes, termioando pelo levantado ao estado do
Piauhy, representado no seu digno filho, o Sr.
Dr. Gregorio Thaumaturgo de Azevedo.
Foi urna bri.liante festa, digna sem duvida do
cidadao qae della foi alvo, e nao desmerecen
dos sentimentos da colonia piauhyense, que as-
sim den copia do apreco em que tem o mesmo
cidadao por seus servicos ao paiz, a forca de ca
ractes e elevado de espirito.
A familia Freitas, a (quem coube a direccao
da festa, penho ou extremamente aos convivas,
pelos cuidados que dispensava gentilmente to-
dos com agsua recoobecida amabilidade.
TateatroRepresentou-se antes de hontem
ainda urna vez o Amor Molhado, opera a respeito
da qual j nos temos pronunciado mais de urna
ves.
A grande concurrencia qoe encheu a sala do
Santa Isabel, apesar de-ser noite de S. Joan, na
qual ba sempre festas e reunioes em casas par-
ticulares, disse eloqnentemente que, ou nao des
agrada anda a repetico da interessante opera
cmica, ou ba anda urna grande parte do pu-
blico que tem anciedade de vel a.
Por nossa parte, nao duvidaraos repetirque
ella a mais interessante, especialmente no que
diz respeito msica, de quantas teem sido le-
vadas scena pela empresa Heller. Tanto mais
nos agrada quanto mais a ouvimos.
Os artistas foram applaudidos e festejados
com immenso enthusiasmo, merecendo es pe
ciaes sympathias a Sra. Massart, que, effectiva-
mente no Amor Molhado obtem um verdadeiro
triumobo.
Club Engrima Fez ante-hontem esse
Club a sua festa annuuciada, no Prado da Es-
tancia, onde tremulavam as suas cores n'aquelle
dia.
Foi urna bonita festa qae agradoa a todos.
A concurrencia que em comeen pareca dever
ser limitada, em rasao dachuva, que anda ca-
rura pela manh, e de ser de S. Joao o dia, no
qual muitipiicam-se as reunioes familiares, avo
lumou se ligo depois ; e com o sol que oslen-
ton se em seguida fulgurante no firmamento,
subi a proporces numrica e qualitativamente
impoaentes e de abrilhantamento para a festa.
Nesta houve, com effeito, animac&o ; e as
apostas o perodo em que ella se revelou viva,
efervescente, foi no pareo Companhia Beller,
em que disputon-se a corrida aranha pelas
signoritas Lopiccolo e Scquilero ; e tambem no
pareo Imorensa Pernambucana.
S realizaram se cinco pareos, deixando de
ser disputados os 5.* e 7..
As apostas deram um resultado total de......
2:776*000.
Foram vencedores no 1 pareo Harold e Ga-
fanhoto, sendo o rateio em 1." 16*500 e em 2.
4*000 e 24*300 ; no 2." pareo Boulanger e Ca
boclinbo, sendo o rateio em i.* 7*600 e em 2
6*800 e 8*300 ; no 3 pareo Vry Well e KUs-
me, sen to o rateio em 1.' 5*100 e em 2. 5*100
e 4*300 ; no 4." pareo Na morado e -Mi tuto,
sendo o rateio em i.**#M0' era *. 5*10) 3
SjSOO; e no 6.* pareo, finalmente, Maravilha
(signonta Lopiccolo) sendo o rateio 7*200 em
242 poules emittidas no pareo.
aos vencedores do 3- pareoImprensa Per-
nambucana ama commissao, logo a pos a cor
rda, fes entrega dos premios que consistiram
n'um bello relogio e n'um artstico bouqnet, to-
Ciado n'essa occasio a msica -
A gentil vencedora do 6.* pareo leve o rico
codean cid qae a mimosearam os seua admira
dores, conforme o programma da festa que his-
toriamos em sua-execuco..
Tentativa de s-aicldio -Na segunda
feira ultima pela noite tentou suicidar-se o Sr.
Antonio Felippe SimOiS, commerciante e mora-
dor roa do Codorniz.
Para vel-o foi chamado, por volta das 8 horas
d'a mella noite, o Sr. Dr. Sonza, que, solicito
cono nao ge fez esperar em acudir ao cha-
mado, apesar do mo tempo que faxia, eacon.
trando n'essa occasio o diligente subdelegado
Santo Noves, que para qualquer emergenctt
pos sua disposseo- a respectiva ordeaanca-
Chegado A casa do Sr. Simoea, onde com. pouco
veio auxilial-o o Sr. Dr. Silva Ferraira,..fai lhe
dite qae asabav do tamar, veoonoi o mesmo S ,
mes ; e depoi de^oxanHOAdorost, loiUs as
pesquisas necessarias e SBal>soa.)sb.diimu-
ta porcoo de substancia qae diziam ser de mes-
e considera-
da a soppoita existencia de arsnico no qae to-
mara o padceme, entenderam administrar en-
to ao Sr. SUnei o vomitorio de ipecacuanha,
cajo effeitono podia ser mais rpido, nem me-
lhor, e logoapa a magnesia calcinada em dosea
pouco elevadas.
Com esta medicaco visavam os referidos m-
dicos antes um meio preventivo qae directo
propriamente dito, visto qoe nio eram manifes-
tamente pronunciados os symptomas de intoxi-
caco por arsnico.
Nesta sitoago, depois de conveniente demora
de observacio, retiraram se os Srs. Drs. Souza o
Silva Ferreira por parecer-lhes que o estado do
Sr. Simes ao inspirava receios, nem urga por
mais seria attenco -
A tentativa a qoe nos referimos, parece nos
que teve por causa orna depresso de animo do
Sr. SimOes.
VaslieoimentoFinou se o Sr. Dr. Anto-
nio Sebastio de Abren Reg, qne ha longos an-
nos resida em Garanhuss, onde exercera o car-
go de promotor publico e dedicavase por ulti-
mo advocada.
Em tiacem-Seguio hontem para a capi-
tal federal o Sr. major Gregorio Thaumaturgo de
Azevedo ex-governador do Estado do Piauhy.
Desejamos boa viagem a S Exc.
Pamaaienu Na Capital Federal fallecen
no dia 17 do corrate o teoeute-coronel Antonio
Francisco de Souza Magalhes, com 67 annos de
idade.
O finado era natural deste Estado, onde tem
familia, sendo seus filhos os Srs. capitaes Fran-
cisco d'Assis Ferreira Magalhes e Sergio Ever-
gisto Ferreira Magalhes.
Boyal Man team Packet Company
Essa companhia em Setembro prximo inau-
gura ama nova linha mensal de vapores com a
terminal do Rio da Prata, devendo o primeiro sa-
hir de Londres, que o respectivo ponto de par-
tida, no dia 6 daquelle mez.
Esses vapores, na partida, fazem escala por
Southaoiplon, Coruaba, Vigo, Cdiz, Las Pal-
mas. Montevideo e Buenos-Ayres; e na volta,
Buenos-Ayres, Montevideo, Santos, Rio de Ja-
neiro, Las Palmas, Lisboa, Vigo, Soutampton,
Rotherdam e Londres.
Club Republicano I rogrc-Nita do
ReciteFunconou em sesso ordinaria esse
ciub ao dia 17 do correte, na qutl foi delibera-
do que os respeciivus raen tiros acompanhassem
al a bordo o orador do mesmo club, Gomes Vi-
nhas, que vai licenciado ao Estado da Baha
tratar de assumpto importante.
Foram apresentadas differentes propostas, e
raarcou-se o dia de boje para sesso.
Examea de latan0 resultado final
desses exames foi o seguinte :
Inscreveram se 25 candidatos, e destes foram
approvados 5 plenamente e 10 simpliciter, sen-
do reprovados 3, inhabilitados 6 e faltou cha-
mada 1.
Dr, Tobas Barre to Hoje o dia do Io
aoniversarlo do irespasso do lllustrado mestre
da direito e notavel Iliterato Dr. Tobas Barreto
de Menezes, urna das cabecas melhor organiza-
das da geraco actual.
A mocidade acadmica, acata ora da memoria
do notavel hornera de lettras, nao deixa dassar
desspercebida esse anniversano.
A esforcos da commissao, para esse fim insti-
tuida, realiza aquella mocidade inteligente e es-
tudiosa, hoje, 1 hora da tarde, no saiao de
honra da Faculdade de Direito, nm sarao Ilitera-
rio commeraorativo do seu mestre e amigo.
A festa ser solemne, e para o certamen ora-
torio esto inscriptos diversos cidados. O re-
trato do illustre morto figurar na ceremonia,
que ser urna verdadeira apotheose do malo-
grado meslre de direito.
itt-coiiin'ciment da repblica Diz
o Paiz, de 19 do crreme :
E' provavel qae no principio do prximo
mez nos chegue a noticia de ter o governo de
Sua Magestade Bntaonica reconhecido o gover-
ne da repblica dos Estadoa Unaos do Brasil.
' A esse reconhecimento oftbial da Inglaterra
tambem provavel que se siga, no mesmp mez
de Julbo, o da Suispa, 0 da Hespanba e o da Ita-
lia.
Retirada m tempo 0 mesmo jornal
diz tambera:
O Sr. general Almeida Barreto desligou se
do directorio do partido catholico, porque, sen-
do presidente da commissao militar, creada pelo
decreto n. 85 A, de 23 de Dezenbro do anno pas-
sado, pude ser chamado a exercer as respecti-
vas fum e jes contra o mesmo directorio ou con-
tra alguns dos memnros do referido partido.
Pacldco e Rio da Prataas fainas do
Rio de Janeiro foram publicados estes tele-
gramraas:
Valparaizo, 16 de Junho.
Na Bolivia, o general Anlizanor dispersou os
restos das tarcas do general Camacho, comman-
dadas pelo coronel Gonzlez.
17 de Junbo.
0 governo regulou a questo dos cemiterios,
permittindo que nelles se l'acam ceremonias re-
ligiosas.
A municipalidade de Santiago representou
contra a restrieco do direito de reuniao.
A cmara dos deputados voiou urna proposta
adiando o ornamento da receita.
O gove. no do Per resolveu fazer transportar
para Lima os corpos dos fallecidos na guerra
com o Chile.
Buenos Ayres, 16 de Junho.
O Censor d o emprestimo como nao conclui-
do e pede reformas reaes as leis do; bancos.
Deu se colliso entre dous trens em Villa Ma-
ra, mas nao bouve mortes
17 de Junbo.
Chegou o ministro Saenz Penha.
A Nacin diz que a bexiga augmenta epid-
micamente.
A Prensa d noticias alarmantes sobre a mo-
lestia.
Montevideo, 17 de Junbo.
O presidente da repblica pretendo casar-se
em Outubro com D. Elvira Reyes.
- o Dr. Enrique Moreno deciaiou que o Brasil
est disposto a baixar os direitos que pagara os
generes de procedencia platense.
Os vapores entrados lm encontrado muitos
destrocos de navios.
Valparaizo, 19 de Junbo.
Informaeas particulares indicam que o gene-
ral Camacho oceupa o sul da Bolivia.
Buenos-Ayres, 19 de Junbo.
A epidemia de bexigas contina a grsssar no
Rosario.
A junta sanitaria pretende que o vapor brasi-
leiro Ldano arrojou ao rio Paran o cadver
de um passageiro fallecido de fe bre amanella, e
prope restrieco livre navegaco dos ros.
Montevideo, 19 de Junho.
O Banco Nacional recebeu 7,500 libras ester-
nas, provenientes de letras negociadas com os -
bancos brasilelros.
Fallecimento-'No collegio de S. Jos, di-
rigido pelas irms de Sania Dorotha, e do (nal
era urna das professoras, falleceu, no domingo
ultimo, a irm Raphael Joanna Cavo, victima da
pa decimentos intestinaes.
A irm Cavo tinha apenas 37 annos de idade,
dos quaes 20 estove na ordera, j como elucan-
da, j como professa.
E a ingenua como ama crianca, simples e
amoravel para com as .suas discipulas. como se
lhes fosse companhera, e de par com isso mui-
to intelligente e muito bem preparada para edu-
cadora.
O seu trespasso causou prolunda impresso
cm todo o collegio. e foi lamentado pelos pais e
tutores das meninas que alli7 reosbem educa-
Cao.
Paz sna alma.
Companbia Pernanbocana-Do 1*
de Julbo em dtaote, no esenptorio da Compa-
nhia Pernambucana de Navegaco Costeira por
Vapor, pagase os juros da3 obrgacoesdo res-
pectivo emprestimo, referentes ao semestre
do correte anno, e beta assim o valor das obri-
gagOes, qoe no da 23 deste mez, foram sortea-
das para serem resga tadas.
Companbia ao Reberlbe Ao meio
dia do 1 de Julbo prximo devera reanir-se, na
respectiva sede social, os accionistas da Compa-
nbia do Beberibe, nao. s para tomar conta da
gesto dos negocios no anno sociai- rindo, como
tambem para eleger a nova commissao fiscal o
o presidente e secretario da assemtya geral.
anco de Crdito Real-Hoje, ao meio
j
JU
da, n'uma das-salas do palacete- da Assoeiaco
Commereial BenefL-ente, nroceoero os admi-
nistradores do Banco de Crdito Real de Per-
nambuco ao 9 gorieio das letras bypothecariaf,
eWHtda pul ansio JRDOopB qoa (tai de ter
amortisadas. Refeto-se esse, sqrlpio, AMettju
da 1, ',3eV serie, e diit:^Sittr' oM ao-
mestre do corrate anno.
.

''-i B- '

"

T -
'..
*
w} 1
I. q
;


-HH

I
-tloje, ai 11 horas do da,
pereate a jonta da tbetouraria de faaenrt, era
arrebatado o fornecimento de diversos artigos
pura o arsenal de guerra, coma* do edital
pdbHoado oeste Diario.
Iimi* o ***r*-Telegramma do Para,
que nos fui Mirado dii terem ido nomeados :
Jais mancipel de orpMoe do termo da Vigia,
nesse Estado, o bacharel Ovidio Ferreira da
Silva Pilbo ; e promotor publico da comarca de
Gachoelra do mes no Estado, o bacharel Joo
Romio Ferreira da Silva.
Theatro Manta Iaafeel No domingo
ulmo reuniram-se os membros da directora
desse theatro. afim de proceder se eleico do
respectivo presiden-e, na forma do regulamen-
to; e segando o resaltado da volapo foi eleito
presidente o Or. Regueira Costa.
Este senhor ja exercla esse cargo naquella
direc toril.
Cara* aa mi- Aman ha comepam os
exames de inghz e geographia na Facoldade
de Direito 1 hora, da larde.
As bancas foram constituidas deste moda :
InglePresidente, Br. Portella Jnior; e
examinadores, Drs. Adelino Filho e Barros So
brinbo.
Geographia presidente, Dr. Cirne ; e exami-
nadores, D1-*. Sorlano e Bandeira da Mello.
Perhneato-O S horas da tarde de 23 do
correte mez e no i* districto de S. Jos Manoel
Andr, travando lata com Emygdio Maooel do
Nascimento ferio a este j depots do que evadi-
se.
vaccinn publicaHontem, na inspecto-
ra de bygieoe, foram vaccinadas 29 pessoas,
pelos Drs. inspector e sea ajudante.
Impona de Industriase profl*e
O lancador Minoei Antn o Ribeiro, addido i
alian dega do estado de Pernambuco, comepa
hoje 26 do corrento a proceder o tangamente do
imposto de industrias e profisses e predial da
fregoexia da Grapa para o exercicio de 1891.
I g-reja de S. lioncaloO cidadao Cosme
DamiSo Gailnerme de Assis manda celebrar boje,
s 7 Horas da manh, n'essa igreja, orna missa
em louvor de S. Joao Baptista.
ervico militar' boje superior do dia
o cidadao capito Gelasio e faz a ronda de vi-
sita o cidadao alteres Mascaren!*.
O 14* batalho dar a guarnipo da cidade.
Clnl Republicano Fre Caneca -
Amanha, s 7 horas la noite, em sna sede ra
do Visconde de Albuqnerque n. 41 reane-se esse
Club, em sesso extraordinaria, afim de com-
memorar a morte do velho republicano Francis-
co Borges de Santa Rosa, nosso empregado e
socio fundador daqaelle Club.
S4o convidados todos os socios e o corpo ty-
pographico de que o finado era digno mtmbro.
Fabrica ApolloEssa antiga fabrica de
cigarros tendo passado a novos proprietarios,
reabrise ltimamente em a roa do Mrquez de
Olinda n. 33.
Operacee elraraicaForam pratica-
das no hospital Pedro II as seguinles:
Pelo Dr Berirdo :
Enucleacao do olbo direito indicada por
ophtalmia sympatbica.
Tarsorrbaphia com retalho ovalar em ambos
os olbos, indicada por trychiasis dupla.
Pelo Dr. Malaquias:
Ampntopo super-malleobar elliptica muito
obliqua, pelo procesan de Guyon, indicada por
esmagamento do p esquerdo.
Doas ureihrotomias internas indicadas por es
treitaineoto da urelhra.
Posthotomia indicada por phimosis e cancros
veneos.
Pelo Dr. Pontoal:
Oscbeotomia como tratamento de elepbantia
sis do penis e scrotam.
Reseccao parcial e esvasiamento da extremi-
dade inferior do tibia esqoerdo como tratamento
de carie sypbilitica.
Foram vaccinadas 40 peasoas pelo Dr. Bastos
de Oliveira.
Tribunal do Jury do ReciCeAinda
hontem deixou de baver julgamento flto de
juizes de facto em numero legal. _
Apenas responderam chamada 30 juizes de
facto.
Foram multados em 20*000 os seguintes ja-
rados que deixaram de comparecer j
Jos Feliciano de Naisreth.
Francisco Leovigildo de Albuqnerque Maranhao.
Vicente Antonio do Nascimento Penosa.
Augusto Cesario de Mello.
Francisco Augusto de Miranda.
Joao Pacheco de Medeiros.
Dr. Manoel de S Brrelo Sampaio.
Victorino Luiz Innocencio Pog?y.
Antonio Gracindo de Gusmao Lobo.
Cosme de Abreu Macedo. .
Manoel Cactano de Siqueira Cavalcante .
Manoel de Souza Galvao.
Joao Jos Barbosa da Silva Jonior.
Dr. Jos Izidoro Martina Jnior.
Alfredo Ferreira Baltar
Francisco Elseo Antunes .Ferreira.
Genuino Jos da Rosa.
Dr. Jos Rodrigues do Passo Netto.
Tenente Jos Gaetano da Silva.
Dr. Jos Nicolao Tolentino de Larvalho.
Dr. Manoel Joaquim Silveira.
Maooel Al ves villapa.
Coronel Manoel Martins Fiuza.
Dr. Pergentino Saraiva de Araujo Galvao.
Jos Xavier Faustino .Ramos.
Jos Alfonso de Araujo.
Multados em 10*000:
Antonio Pereira de Farias.
Audrooico Lobo.
Joao Landelino Dornellas Cmara.
Ljdio Anselmo Bandeira de Mel.
Ramiro Antoaio da Co3ta.
Candido Goncalves Ferreira.
Joo Pinto de Mattos Lemos. .
Dr. Joaquim Albuquerque Barr03 Guimares.
Bellarmino Francisco de Paula Madureira
Justino Casado de Lima.
Dr. Ermirio Cesar Coatinho.
Flavio Jos Bezerra Cavalcante.
Silvino Antonio Rodrigues.
Dr. iysses Machado Pereira Vianna.
Antonio Rodrigues de Souza.
A sesso ficou adiada para boje s 10 horas.
Oirerioria das obras de conserva
o dos porto* de FeruauabueeReci
e, 84 de Junho de 1890.
Boletim meteorolgico
Barmetro a
O*
As 9 da manhi e
Horas
l& 9 12 3 t. 1 2f,0 54 ,3 .S 26*,9 45,5
3niro 4s II.
Mal a q ni as s 9.
O pbartnaceunoo eatrea
abio As 2 da tarde.
Casa de eseaedoMovimento dos pre-
sos 4a Casa de Detencfto do Recite, IsUdo de
Psrnambnco.-em Vi de Junho de 1890.
Existiam*!, entraram sabiram exlrtea
473.
A mhpr *
Nacionaea 430 moiberes 16, estrangelroi 12.
-Total 458
Arracoados383.
Bons 355.
DoenteeSS
Lottcos 5.
Loucal.
-Total 383.
Movimeoto da enfermarla
Tiveram baixa:
Maooel Antonio do Nascimento.
Vicente Macambira de Oliveira.
Jesoino Pereira de S.
Porfirio Bispo de Franja.
Tiveram alta :
Candido Felippe Santiago.
Manoel Francisco da Silva, conhecido por Ma-
noel Eufrasio.
Intendencia Municipal do aaeeJCe-
Rendimento do da 1 a 21 : *^:S*5?j
dem de f3 _J:K90
30:693*984
762-23
76zG8
762-04
761-84
"61-11
Temperatura mximaS7,lo.
Dita minima21,50.
Evaporaco em 24 horas : sombraI" ,3-
Chuva-5,-7.
Direcco do vento : S de meia noite s 10
horas e 33 minutos da manh; SE at meia noite.
Velocidade media do ventoi,"60 por se
gurdo.
Nebulosidade media0,"49.
Boletim do porto

P.
B.
P.
B.
M
M.
M.
M
Dias
24 de Junho
25 de Junho
Horas
8-55 da manh
320 da tarde
914
3-40 da manh
Altara
Hospital de santa gueda-O rao vi
ment deste estobelecimento (para variolosos
nos dias 23 e 24 do corrente, foi o seguinte :
Existiam
Entraram
Sabiram carados
Falleceram
Exiatem
Ornen Muihere Total
123 86 209
13 11 24
11 6 17
5
120 87 207
_ospltal Pedro II -O movunento deste
stabelecimento da caridade, no dia 24 de Junho
foi o seguinte:
ram *
2
415
faraa visitadas M respectlva etUermartM
Dra.:
Leliees -Effectuar-se-ho os segnintes :
Hoje:
Pelo agente Pinto, s 11 horas, no largo do
Corpo Santo, de cavallos de corridas e e no lar-
go da Ponte Nelha 1 hora, de out-riggera e es-
caleres.
Pelo agente Martins, s 11 horas, ra do Ata
ho n 3, de piano, movis e outros objectos.
Amanha :
Pelo agente Martins, s 11 horas, roa do
Imperador n. 16, de terrenos foreiros de casas
da ra do Arajio e outro ra Imperial.
Pelo agente Gusmo. s 11 horas, A roa Lar-
ga do Rosario n 31, de um restauran!, bem
montado, ah existente.
Pelo agente Burlamaqui, 4311 horas, A ra
do Imperador n. 41, de fazendas e roupaa fe-
Us- j
Pelo agente Alfredo Guimaries, ao meio da,
ra do Bom Je3U3 n. 44, de movis diversos e
urna machina litographica-
Mlssas fnebres Serao celebradas :
Hoje :
A's 7 Ii2 horas, na matriz da Boa Vista, pe
la alma de D. Maria Paula de Abreu; As 8 ber-
ras na Ordem Terceira do Carao, pela alma de
D. Maria Isabel Simoes.
Amaob : .
A's 7 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma de Jo* Barbosa dos Reis.
PassagelrosChegados do Norte no va-
por nacional Pernambuco :
Mana Mangabeira, Elodio Amo-im Lima, Jos
Galdino Hollanda. Manoel Rocha", FredericoGun
kel, Maria Florinda do Nascimento, Manoel H.
da Silva, Pedro Lambert dos Santos, Jos Lima,
Antmio Jos Maia, Joaquim Robim de Aguiar,
Fructuoso Rolim de Albuquerque, Paulo Evan-
gelista, Francisco Alves Lima, Dr. Leopoldjno
Arantes, Dr. Domingos G. de Azevedo, Dr. Irv
neu Olympio de Oliveira, Florencio VarejSo,
Jos Cabral, Simplicio, Eugenio, Joo Araujo
Costa, Fontino Jaooano de Oliveira, Manoel Li
beraliBo, Elias Soares do Amaral, Vicente da S.
An'unes, sua senbora e 2 ftlhos. Maooel Tosca
no de Bruto, Maria e 1 filho, Jos e Joaquim
Teixeira. ,
Chegados do Sal no vapor inglez Brta
nia :
Antonio Augusto da Silva, Paulo Caroeiro, co
ronel Joaquim Verissimo do Reg Barros, Dr. Pe-
dro Crrela de Araujo e su senhora. D. Gaspa-
rina e 2 Albos, D. Maria Luiza Golcatves Santos
e sua lilba D. Amelia, AliredoA- de Souza Ran-
gel, Domingos G. Freitas, Antonio Fernandes
Jnior, Eustaquio M. Pessoa, Frederico de Al-
meida e Jos Cyro.
Sahidos para Europa no mesmo vapor :
Augusto Cavalcante de Albuquerque sua se-
nbora, 1 filho e 1 criada, Anne Berlhand, Dr.
Francisco de Paula Rodrigues, Joseph Latham e
1 filho, Edwin Guilliam, Jobo Heill e Charles
Wilkin8on. .
Chegados do Sul no vapor nacional jfar
quez de Caxias: ,
Raymundo Soares da Cost, Augusto Soares
da Costa, Jos Babello Padilha, 9 pracas de h-
nha e 9 presos de justica.
. Sabidos para 03 portos do Sul n^ vapor *
Francwoo : .
Jos Lemos Calhciros, Firmno M. da Lunna,
eaa senhora, 7 conbados e sabnnha, Matheus
Joaquim Moreira,. Antonia Maria da Conceisao e
Alfrada Babia.
Luirri. do Estado de Fernambnco
-A 8 serie da lotera deste Estado, serex-
trahida impreterivelmente no dia 28 do corrente
(sabbado), 1 hora da larde, no consistorio de
igreja de Nossa Senhora da Rosario, de Santo
Antonio. _
tioteraa do Estado do fcram-Para
A 6* serie da 37* lotera cop premio gran
de de 60:OOD<000 ser extrahida no dia 28 d
corrente. .
A 15 serie da 31* lotera deste Estado, cuio
premio grande de 250:000*. ser extrabida
no da .. de Jnoho (sabbado).
A 1* serie da 36* lotera, cujo premio gran
de de 120:000*000 ser exlrahida no dia do
corrente.
Lotera ao Maranbfto A 21* serie
da 1* lotera deste Estado, cujo premio grande
de 300:000*, ser extrabida no dia 2 de Ju
lbo (quarta feira).
Cemlterlo publicoObituario do dia 22
de Junno: .
Euclides, Pernambuco, 45 das, S. Jos; vano-
las confluentes. ,.
Bacbele Joanna Caro, Italia, 37 annos, soltei
ra, Boa-Vista; peritonile.
Pedro, Pernambuco, 6 annos, 8. Jos ; vanlas
confluentes. ,Q
Maria de Andrade Freitas, Pernambuco, 18
annos, solteira, Recite ; varilas hemorrhagicas.
Maooel, Pernambuco, 2 annos, S.Jos; va-
rilas confluentes.
Oiympio, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos ; con-
vulses. .
Alvaro, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos; ente-
rite.
Maria, Pernambuco, 1 mez, S. los; ttano
espontaneo. __.
Antonia Francisca da Conceicao, Pernambu-
co, 26 annos, solteira, Santa gueda ; vanlas
confluentes.
Joaepba Maria da Conceico, Pernambuco, 21
aDnos, solteira, Santa gueda: varilas hemor-
rhagicas.
Manoel Joo do Nascimento, Pernambuco, do
annos, solteiro, Recife; cyrrnose do figado.
Demetrio, Pernambuco, 30 annos, solteiro Re
cie ; dyarrba.
Joaquim Torquato Ferreira dos Santos, Per-
nambuco, 48 annos. casado, Recife ; dyarrba.
Mana da Conceico, Pernambuco, 39 anuos,
viuvo, Santa gueda; varila.
Antonia Mana, Pernambuco. 30 annos, soltei
ra, Santa gueda ; varila.
Primitiva da Conceico Accioly Lins, Pernam
buco, solteira, Grasa; ephrite.
Esperanca, Pernambuco, 6 mezes, Santo An-
tonio ; espasmo.
Antonio, Pernambuco, 5 annos, S. Jos; va-
rilas confluentes. _-__
Bernardo Jos Martins, Pernambuco, S. Jos;
varila. ..
Tbereza Maria de Jess, Pernambuco, 40 an-
nos, viuva, S. Jos; varila.
Alexandrina Luzia de Albuqnerque Silva, Pa-
rahyba, 76 annos, viuva, Recife ; decrepitade.
Anto Gouea d'Assumpso, Pernambuco. 5d
annos, casado, Santo Antonio ; nepbnte intes-
Etelvina, Pernambuco, 2 annos, S. Jos; va-
rila. .,
Francisca. Pernambuco, 6 annos, Recife; va
rila conteute.. .
Deolindo, Pernambuco, 7 annos, Grapa; un-
paludismo. ,,, _.
Candido Francisco de Oliveira, frica, 70 an-
nos, casado, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Leopoldina Carolina de Soasa, Pernambuco,
70 annos, solteira, S. Jos; diarrha.
Aderyce Leopoldina, Pernanabuco, 6 annos, 8-
Jos; varilas. ,__. ;. _
Joo, Pernambuco, 13 maies, S. Jos; va-
MaoMl, Pemamboco, 5 asnos, Recito ; varila
hemorrhagica.
lambaco, 3 annos, Recife; varila
KnWihigica.
Joo, Pernambwo, 3 anuos, ReoMe; varila
confluente. ,
Josepba, Pernambuco, 2 % annos, S. Jos ;
varila confluente. ;
Salvtaa Maria de -Oliveira, Peroambuco, 23
anos, solteira, Boa Viste ; cartela coaaaente.
Silvino, Pemaiabuco, S. Jos; varila eon-
Lflaente.
Mara J. da Conceigo, Pernambuco, 45 annos,
solteira, Sant'Agueda; varila influente.
Maria Magdalena do Espirito Santa, Pernam-
buco, 27 annos, solteira, Sant'Agueda; varila.
Joo Francisco Alves, Pernambuco, 25 annos.
solteiro, Sant'Agueda ; varila.
Jacinlho L, Pernamouco, 27 annos, solteiro,
Sant'Agueda; varila.
Lourenco Antonio da Silva, Pernambuco, vi
annos, Boltelro, Boa-Vista; diarrha.
Luiz Bernardo Nogaeira, Pernambuco, Grapa;
hemorrbagia cerebral.
J3sepha, Pemaartuca, 1 mezes, S. Jos; va-
rilas.
24
Camarina, Pernambuco, 1 anno, Recife; va-
rila confluente.
Escolstica Maria da Coaceipo, Pemamboco,
20 annos, solteira, Saato Antonio ; tubrculos
pulmonares.
Rila Maximiana de Jess, Parahyba, 27 annos,
casada. Boa Vista ; varila homorrhagica.
Carlota Maria dos Saotos Pereira, Pernamba-
co, 20 annos, solteira, Olinda ; tuberculoso.
Fernandes, Pernambuco, 21 dias, Recife; con-
vulsOes. _
Hermina, Pernambuco, 6 mezes, !>. Jos ; va-
rila confluente.
Anna, Pernambuco, 9 mezes. S. Jos ; vano
la confluente.
Maria, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos ; vanla
confnente.
Maria, Pernambuco, 1 hora, Recife.
Adelaide, Pernambuco, 5 anuos, S. Jos;
athrepsia. _. ..
Manoel, Pernambuco, 9 mezes, Recife; vano-
la hemorrbagica.
Joo Estevo da Paixo, Pernambuco, Boa-Vts-
ta; vanla hemorrhagica.
Manoel de Franca, Pernambuco, 28 annos,
solteiro, Santo Antonio; varila hemorrhagica.
Joao Francisco de Lima, Pernambuco, 37 an-
nos, solteiro, Santa gueda ; varila hemorrha
frica.
Maria F. da Concelpio, Pernambuco, 24 annos,
solteira, Santa gueda; varila hemorrhagica.
Manoel Conceigo, Pernambuco, 7 mezes, San-
ta gueda ; varila hemorrhagica.
Aaastacia Maria da Conceigo, Pernambuco,
40 annos, solteira, Santa gueda ; varila he-
morrhagica.
Secundino Manoel do Nascimento, Pernambu-
co, 35 anuos, solteiro, Boa Vista ; tubrculos
pulmonares. an
Firmino Ceciliano dos Santos, Pernambuco, 23
annos, solteiro, Recife ; varila confluente.
Mana do Espirito Santo, Pernambuco, 30 an
nos, solteira, Grapa ; enterlte.
Manoel Antonio da Costa, Parahyba, 30 annos,
solteiro, Boa Vista ; hemoptyse.
Fran isco Alves Bezerra, Pernambuco, 40 an-
nos, viuvo, Recife ; varila confluente.
Um feto, Pernambuco, Boa-Vista ; inviabili-
dade. _
Capitalino, Pernambuco, 18 mezes, Grapa ;
varila confluente.
Flix. Pernambuco, 2 mezes. Boa-Vista ; dy-
sentheria.
Estevo, PernamDuco, 5 annos, S. Jos ; va-
rila.
Um feto Pernambuc", Santo Antonio.
OlindiQO, Pernambuco, 5 dias, S. Jos ; con-
vulsOes. .
Jos, Pernambuco, 7 mezes, G*apa ; vanla.
PBLICACES a pedido
INDICACES DTEIS
Dr. Joaquim Louieiro medico o partoi
ro. consultorio ra do Cabug u. 14,
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
10 Monteiro.
Dr. Catiro Jess medico e operador,
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
i da tarde em sua risidencia ra di
Bom Jess (antiga da Crua) n. 23, 1.'
indar. Telephone n. 389
AdYOgados
O baehard Joaquim Ihtago da Fonteca
T t
Kmprestimos a usioas
Ife-preseote artigo-propsma-nos a combater a
segunda illegalidade do acto do goveroador,
descoberta pelo Dr. Ulysses Vianna.
Consiste ella no seguinte :
Ro pensar do autor do edictorial do Jornal do
Recife, tendo sido avallada em treiautoe contos
de ris a actual uaina Aripib, a poder ser pres-
tado o auxilio do Estado, so podara ser de cera
contos de reis e nunca de duzentos, por isso que
o governo concorre para as usinas de costo de
seiscentos cootos com duzentes contos e para as
de costo de trezentos contos com cem contos.
E' per este modo que o Dr. Ulysses Vianna
interpreta a lei n. 1,860 de 11 de Ag03to de
1885.
E* improcedente a censura, desde qae a ille-
galidade articulada s existe na imaginapo do
sen autor.
Demonsiremo Ihe :
E' certo qae usina Aripibb foi dado o valor
de trezentos contos de res, mas a usina Anpib
fundada e fnnccionando tal qual est, isto de
typo menor.
No entanto, o emprestimo de duzeoto3 costos
de res feito usina Aripib, de typo maior
e cojo valor, depois de augmentada para o duplo
a capacidade e com a liona frrea al o engeaho
Vicente Campello, nao ser de trezentos contos
de reis, porem de quantia muito superior de
quinbentos a seis centos contos.
Ha moito lempo que o Dr. Ulysses Vianna
obstina se, na sua ingloria faina contra os eoge-
nhos centraes auxiliados pelo Estado, em sus
tentar que o auxilio do Tbesouro deve ser na
razo da terca parte do valor da fabrica.
Assim, em seu modo de ver, urna asina do
valor de seiscentos contos de reis ser auxiliada
com o emprestimo de duzentos contos de reis e
urna do valor de trezentos com o de cem.
E' errnea esta opinio.
A ei n. 1860 nao falla em terca parte. E' o
Dr. Ulysses quem o collige.
Imagine se urna usina de typo menor mas
que pela simaco topograpbica seja de casto de
seiscentos contos de res, porque alem da linha
frrea destinada ao transporte de cannas, tem de
fazer urna via frrea custosa para o transporte
do assucar at o porto de embarque ou mais
prxima estopo de quakjuer das estradas de
ferro.
A hypothese nao gratuita, pois, como sabe
moa b i engenbo3, qae ficam a quatro e mais le-
guas de. qualquer porto de embarque para o
transporte dos productos.
Neste caso temos que o Estado auxiliar com
duzentos contos, por isso que o custo de seis-
centos, a urna usina de typo menor, o que im-
porta auxiliar a urna custosa e onera la empreza
que nao uferir lucros em relapo ao capital
empregado e portanto nao garantir ao Estado o
reembolso de seu emprestimo.
Imagine se, agora, o caso de orna usina de
typo maior, mas que pela boa situapo, em que
se acha funaada, nao seja de custo superior a
quatrocentos contos.
E' ama usina de grande capacidade e em pti-
mas condipes de solver o emprestimo de du-
zentos contos de reis com o Estado, por isso que
despendeu menos duzentos contos de capital, do
que outra com a mesma capacidade que ella e
que nao auferir mais lucros que ella poder
auferir. ^ TT1
Segundo o modo de pensar do Dr. Ulysses
Vianna, o Estado nao dever auxilial a com du
zentoa contos de reis, mas sim com a terpa parte
de quatrocentos.
Eis o absurdo da ioterpretaco que o autor do
edictorial procura, o forttori, dar lei n. 1860
-o pois, o custo da usina o que serve de
bitola ao emprestimo do Estado, mas sim o typo,
a capacidade.
Desde que a usina pode Ubricar em cem das,
doze mil e quinhentos a qutnze mil saceos dt
typo menor e ter direito ao auxilio de cem
contos desde que a capacidade fr dupla, de
typo maior e ter i ireito ao emprestimo do
Tanto isto verdade que a lei n. 1,971 de 22
de Marpo de 1889, que autorisou a fuodapo o
exploraclo de onze engenhos centraes e que al
terou alei n. 1,860 de.1885, no g 2- do art. 1"
precisa o que seja typo maior e o que seja typo
menor, marcando o praso de cem das para a
moagem e nao se referiodo mais ao custo da
usina. ... .
Se o Estado emprestsse usina Aripib, tal
qual se acha funccionaisdo, de typo menor, du-
zentos contos de ris, nao- ha duvida que o go-
veroador, que isso autoriasasse, teria commet-
tido urna illegalidade, desde que emprestava a
ama usina de lypo menor o auxilio s prestavel
^em seu escriptorio de advogado ra do a 0^Qa/udceeJPa0umafxactamente o contrario
Imperador n. 14, 1. andar.
Occulista
Dr. Ferreira. com pratica nos princi
jaes hospitaes e clnica de Pars e Lon
dres, consultas todos os dias das 6
aorasdao meio-dia. Consultorio e resi-
lencia ra Larga do Rosario u. 20.
Dr. Brrelo Sampaio, occulista, d con-
joltas de 1 s 4 horas nj 1. andar da
asa ra BarSo da Victoria n. 51. Resi-
dencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra-
da pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio roa Nova n. 32, onde pode ser en-
contrado do meip dia s 2 horas e fora
destaB horas ra do BarSo de S. Borjc
a 22. Espe jialidadesmolestia de cnan-
9 senhoras e parto. Telephone n. 326
d i casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8
donsultasmedico-cirargicas todos os dias
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
dias santificados.
Dr. Freitas CruimarSe$, medico, tem
se? consultorio na ra Duque do Caxias
n. 57, l. andar; d consultas nos dias uteis
das 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
jueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
dico-cirurgica. Especialidades : moleUia*
pulmonares e partos. Roa do Marque de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas uas 11
te 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa
ella) das 6 s 9 horas da manbl e i
ard. Telehone n. 392
Mdicos
O Dr. Loh teoso d consultas [oro
sua casa ra da Gloria n. 39, das 10|ho-
ras da manhS 1 da tarde. Achando se
fra do servipo publico offerece se para
acudir a qualquer chamado com prompti-
do para fora da cidade. Especialidade :
operap5es, partos e molestias de senhoras
e de meninos.
O Dr. Alcibiades Velloso d consultas
das 12 s 2 horas da tarde, na casa da
sna antiga residencia, ra do BarSo da
Victoria n. 45, 1. andar.
Dr. Joao Pauloespecialista em par-
tos, molestias de senhoras e de enancas,
com pratica nos hospitaes de Pars a de
Vienna d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da Urde, ra do Bario da Victo-
ria n. 60, l. andar, e reside na estrada
dos Afllictos n. 30, junto estacSo do Es-
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te-
lephone n. 467, na residencia.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
jado, ra do Marques de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
oeacaa, tintas, drogas,- productos chimi-
oas e medicamentos homeopticos, roa do
Marque de Olinda n. 23.
Ora succede que
que se deu. ,
Contractou se o emprestimo de duzentos con-
tos de ris usina Aripib para trnala de ty
po maior. ,. ...
A avaliapo de trezentos contos da ris nao
sobre a usina Aripib de typo maior, mas sobre
a usina Aripib de lypo menor.
O Dr. Ulysses Vianna confundi os termos da
Se o goveroador bouvesse emprestado duzen-
tos contos usina Aripib, com o typo menor,
que tem actualmente, os interessados naquella
uaioano seriam obrigados a augmentar ihe a
capacidade e a fazer a costosa linha frrea at o
engenho Viceate Campello.
Nao tem razo, portanto, o Dr. Ulysses Vian-
na.
E, quando tivessea, qual o criterio para asse-
gurar que a usina Aripib, depois de augmento-
do o typo para o duplo, nao ter o custo de seis
centos contos de ris ?
Forme-se o capital dessa usina despendido :
! em estados preliminares para organisapo
do plano e orpamento das obra ;
2o na construepo ou acquisipao dos edicios
aproprialos fabrica e sua3 dependencias e na
compra de uacbinas e apparelbos, animaes, ter-
renos e accessorios necessanos ao servipo ;
3o em vias frreas para o trafego da fabrica,
comprebendido o material fixo, rodante e fluc-
tuante. ...
Accrescente-se ainda os machinlsmos precisos
para tornal a de typo maior e mais dez a doze
kilmetros de linha-ferrea para o transporte de
canna dos engenbos, novos fornecedores [a-
bric3
Accrescente-se, finalmente, dez por cento so-
bre o capital assim despendido para ser empres
todo aos fornecedores de canna.
Forme-se, assim, o capitel, como alias o quer
o proprio regulamento do Dr. Ulysses Vianna
(arts. 2 e 5 | 2) e feremos que a usina Aripi-
b depois de augmentado o typo, nao podera
ter valor inferior ao de seiscentos contos de ris,
e portanto, em condipes legaes de ter o auxilio
de duzentos contos de ris por parte do Es
Conseguiatemente, ainda mesmo na hypothese
de ser verdadeira a argumentapao do Dr. Ulys-
ses Vianni, o que contestamos, isto que o au
xilio do Esttdo seja na raza) da terp> parte so
bre o custo da usina, ainda assim, a usina Ari-
pib, cujo casto depois de augmeutada, me'"0
rada e tornada de capacidade dupla, nao pode
ser inferior a seiscentos contos de ris, anda
oaquella hypothese ella tem legalmeute direito
ao emprestimo de duzentos contos de ris.
Els. pois, fulminada a 2* nullidade do acto do
goveniador e que tanto den as vistas do Dr.
Ulysses Vianna.
Amanha ocuparnos hemos da falto de ga
rantias ao Tbesouro.
ida cTdVde do R- ( diante s tramas
Ardidos pelos entilo sectarios ostensivos do
Visoonde de Ourd Preto.
A.consciencia publica, porem, requer-
uob abstracclo do valor intrnseco dessas
desleaes invectivas, exigindo-nos urna sa-
tistacSo, muito embora esteja na sciencia
e consciencia dos habitantes desta capital,
que o illustro articulista i'A Provincia,
por sentimentos qae nfto Ihe de via m ser
condignos, s hoje intenta offuscar a
abnegapSo, a forca crescente e o prestigio
moral que esse ncleo de 8ONHAD0BE8
BEETHOLE3S exercia, se debatendo contra
a perniciosa e decadente influencia do aa-
phixiante meio poltico-social, em successi-
tos e perennes reacgSes.
Dessa forma, pois, em nome da opiniSo
publica, respondemos ao artigo do ex-litico
visionario Alfredo FalcSo, cuja transigen-
cia com os seas adversarios de hontem
tem-lhe trazido urna estranha e lamentare!
miragem de ptica poltica, oppondo o seu
presente de incoherencias ao seupassado
de glorias democratico-repubvicanas.
E' assim que appellando para a expe
rienda consequente dos aeontecimentos da
memoravel tarde do dia de que nos occu^
pamos, interroga meio imperativo, meio
surprehendido, com todo aquello seu
a lomb, qual fra o numero dos que se
predispozeram a seguir o Dr. Silva Jar-
dim, atravs dos apparatos hostis que se
lhes contrapunham ; em cuja resposta, por
si mesmo dada a sea melhor contento,
confessa qae entrando no proprio Club 22
de Julho, apenas, lobriga os distinetos ci-
dadao Veras e Martins Jnior, emquanto
que os demais sectarios do grande tribuno
agitador deixaram-se ficar prudentemente
em casa, receiando constipagSes, como na
columna das publicares diversas foi
pubiieado n'A Provincia de 22 do corrente
mez.
Pois bem :ou o Ilustre cidadao um
espirito systhematioamente contradictorio
opposicionista, ou na tarde do dia 22 de
Julho nao esteve, s 4 horas, no pateo da
Matriz de Santo Antonio.
No primeiro lemma, concludente que
um tal procedimento por demais grave ;
pois que, ex bona fide, dos labios de um
moco observador, experiente e talentoso
jamis se desprendera essa pseuda afir-
mativa, cuja causa eficiente s poderia
ser ou por leviandade, ou por oocasional
excitadlo nervosa, ou pelo nacreditavel
intuito de injuriar aquellos, muitos dos
quaea abandonaram os seus lares, levando
a desolaco ao seio de suas mulheres, fi
lhss e demais entes que lhes eram oaros,
para se entrega em, por um dever cvico
patritico, s probabilidades de um con-
flicto inminente.
Na segunda proposicjto, nao torna-se
menos digno de censura esse intento in-
justificavel de toda forma; visto como
uSo licito a quem quer qie seja exter-
nar opinies ou as3ercSo sobre assumptos
de que nao est sciente e consciente, com
especialidade aos que se mostram adeptos
de ama philosophia experimental, por sua
essencia constitutiva, que estabelece como
principio axiomtico o predominio da ver-
dade sobre o erro, da virtude sobre o vicio
e do altruismo sobre o egosmo.
Descaaos a comprovapSo historia do
alvo que visamos, por nossa conta pro-
pria :
Quem l estivesse, predisposto e devo
tado para o sacrificio ou hecatombe que
em nome do orleanismo aventureiro teria
lugar, descobriria, de certo, que, n5o obs-
tante o numero ser pequeo, como aem-
pre succede com < dos correligionarios de
urna ida^que comepa a desenvolver-se,
la esta va "um certo grupo de republicanos,
esparsamente collocados, que, com a
qualidade ultrapassando os esforpos cor
respondentes quantidade correlativa, der-
ramara o seu sangue quando soasse o to-
que do massacre que entao se preparava.
Quem la estivesse as fileiras republi-
canas, no para fazer figura e numero e
correr aos primeiros acenos da hottthdade,
mas para luctar brapo a brapo, corpo a
corpo e vida vida, hoje saberia que nao
estava t em numero de 6 (?l); porque
existiam comeigo muitos socios regimen-
tados da sociedade Cavalheiros da morte,
um bom contingente de militares republi-
canos, e socios de diversas associapSes
reaccionarias existentes naquella poca,
nao mencionando precaupSes de ordem
efficaz que seriam tomadas, e que nSo de-
vem ser estranhas ao autor da artigo con-
tradi to.
O signatario destas linhas, por exem-
po, la esteve, muito embora entenlesse
nSo apresentar se a alguna que se faziam
chefes de aepao.
Ainda mais: o numero desses que s hoje
o Sr. Alfredo Falcao Ibas nega o senti-
mento autonomo-republicano, era t2o suffi-
ciente que o Club 22 de Julho, com al-
gum concurso seu e de membros de sua
familia, foi fundado, a principio, com o
fim de ser exclusivo aos que, na tarde de
22 desse dia, nao recaaram o Bacrificio
pela Repblica.
D'ahi a sua denominapo.
Tanto assim que emquante o Sr. Al-
fredo FalcSo nelle esteve nSo pensava
desta maneira ; e tanto assim que jal-
gamos que o mesmo cidadSo, quando cen
correu para esse intuito, nSo teve a estul-
ta aspirapao de fundar um club exclusivo
de quatro, cinco ou seis pessoas
Hara Paula .x'ABWeu
Completaram-se hontem 7 das que a mo fra
e implacavel da morte riscou do livro dos vivos
o nome de Maria Paula d'Abreu.
Todos quantos a amaram e respeitaram na
vida, foram hontem, aos ps do altor, pedir con-
solaces religio do Crucificado, essas cren-
Sas sublimes que nao circumacrevem o destino
a humanidade entre o berso e o tmalo, e, ao
contrario, fallum de ama outra vida melhor de-
pois desta ; foram exalcar aos cos, as azas da
orapoi os votos ardentes pelo. descanso eterno,
na nemaventuranpa, de urna alma que, at des-
prender se do involucro terreno, aasignaloa por
virtade3 sua passagem por este mundo.
Como sao incomprehensiveis e insondaveis os
designios da praridencia I
A morte, arrancando violentamente e sem
piedade dos brapos de nosso desventurado amigo
Joo Caetono de Abren sua idolatrada esposa, a
compaoheira de longa jornada petos camiah03
da vida, e roubando nella urna bemfeitora aos
affectos e reconhecimenlo de muitos beneficiados,
tun as apparencias de cega e inconsciente fata-
lidade I
Entretanto, a morte ama lei providenciar
porque e urna cousequencia da contingencia hu-
mana.
Qaando ella desfecba um golpe aqni na trra,
no co, volta se urna pagina do grande livro do
destino, e l e6t escripto um nome
Cedo, muito cedo, foi volvida a em que estova
escripto o nome de Mara Paula d'Abreu.
Foi de cincoenta e f eis annos sua peregnna-
po pela vida, e, na maior parte dessa rpida
viagem, fez do lar a sna e a ventura do esposo
idolatrado, hoje pungido por acerbos soffrimen-
tos e fondas saudades, e o couverten em cari-
nhoso asylo de parantes e coohecidos sem am-
paro, com os quaes destriboia os carinhos e ami-
gos, de que seu corapo bem formado era um
tbesouro, e que tinham nece3sidade de trans-
bordar de sua alma, na ausencia de filbos que
Ihe foram negados pela sorte.
Quando assim se tem passado pela vida, quan-
do assim se reslitue trra o que era da trra,
quando assim se transpOe os liumbraes da eter-
nidade, es premios- da outra vida sao ama espe-
ranpa para os qae choram sua ausencia, um
unitivo para as justas maguas que os affligem.
Qae o desolado esposo, na graudeza de sua
dor, no triste isolamento de sua viuvez, na3
tristezas amargas de snas fundas saudades, peca
conforto e resignaco s creopas desaa religio
consoladora, que faz nascer esperance ainda
alm do tmulo, e impOe respeito aos decretos
da Providencia.

A trra ssja leve a-quem to pouco pezou so-
bre ella I E qae o Supremo Jaigador Ihe retri-
bua em premios as virtudes que exercitoa e os
beneficios que fez na vida I
Recife, 26 de Junho de 1890.
*
Despedida
Retirando-me para a Portugal temporariamen-
te, e nao me sendo possivel despedir me pes-
soalmente das pessoas que me dispensam a sna
amisade, fapo o por este meio, ofierecendo lhes
03 meus prestimos em qualquer parte do Reino,
onde me acbe.
Outrosim, julgo nada dever nesta prapa ou
fra del la. .
Constitno meo procurador especial o Sr.
Florindo Jos Bapti3ta, e meus procuradores
bastantes aos Srs. commendador Jos da Silva
Loyo Jnior, Justino Vieira de Andrade e Albi-
no da Silva Brito, na ordem em que se acham
collocados.
Recife, 21 de Junho de 1890.
Venancio dos Santos Rosas.

-
:

Tertuliano


A reuno do club parochial de S. Jos, iostol-
lado a 22 do corrente, teve o desfecho inherente
a todas as renniOes promovidas pela celebern-
ma Guarda Negra.
Princi piou por graves accusap5e3 so governo
provisorio, a seus respectivos membros e a Re-
pblica, acabando com vivas dados pelos orado-
res aos uiesmos aecusados e ao general Deoloro t
Ab Janos latinos I f...
Na reunio promovida pela mesma Guarda
Negra, em nome dos empregado pblicos para
urna imaginaria manifestopio ao marecbal Si-
meo, deu se idntica circumstancia.
Um orador, observando que a manifestapo
devera ser feito exclusivamente pelos emprega-
dos ; outros, porm, em segunda, mostraram a
conveniencia de ser feita por todas as classes so-
ciae8; ambos foram applaudldos pelo mesmo
grupo!
E o caso de dizer se :
Rapadora cousa dura ?
E', sim senh.
Rapadura cousa molle i
E', sim senbfl.
Rvoa.
{


(08
Protestando
BEPUBLICANOS DE 22 DE JTJLHO DE
L889E O 8B. ALFREDO FALCAO)
Ha accuBapBes tfio revoltantes de resent-
ment ou despeto e assim despidas, por-
tanto, da authenticidade positiva dos tactos,
qae a contestaclo, nica e adaptada a se
lhesoppor, seria o silencio advindo do
mais pronunciado indifferentiamo, para
provar, desse modo, que b o que junto
e racional merecece tributos de attenpSo.
Em taes condipes est o asserto do Sr.
Alfredo Falo&o relativamente aos aoonte-
cimenttoB da tarde de 22 de Julho de 1889
e a attitude emergente dos republicanos
Fique, por consequencia, s.benio o pu-
blico que as propoaip3es firmadas no artigo
de 22 de Junho, com relapSo a parte que
hoje refutemos, provam t3o smente que
o illnstre mopo de que nos occapamos nlo
reflictio quando, no fundo de sea gabinete,
trapou os. periodos contestados, deixando-
se levar por urna infeliz impressao e mo-
mento.
Evidenciadas essas inexactid5es, per-
mitanos o Sr. Alfredo FalcSo, que de-
ponhamos a penna, applicaado-lhe as snas
ultimas palavras :Simplesmene ridicu-
lo. Vivamos as claras.
Recife, 23 de Junho de 1890.
Felicio Buarque.
Ra 24 de Maio n. 5.
Estojo cirurgico
&ratifica-seaquem entregar nest typographa,
ou na ra do Raro da Victoria n. 60, venda, um
estojo cirurgico que perdeu-se na noite de 20
para 21 deste mez, no trajecto da ponte grande
da Magdalena, estradas do Derby e da Estancia,
ra do Visconde de Goyauoa atea estrada
afflicts.
dos
Cinco Chagas
DE
Deus Nosso Senhor Jess
Christo
(ConnuaccLo dos ns. 117, 120 e 133 do
Diario)
Ha lempos me disse o illustre Sr. Dr.
Sigismundo Antonio GonpalveB, que o Dr.
Henrique A. Milet ia para o Rio de Ja-
neiro ; n2o acredite^ mas Ihe fui logo di-
zendo que cumpria demittil o para nao re-
ceber os 12:0000000 da estada do hiate.
Carga II, e nem os 15:0000000 da apoli-
ces da Companhia Nova Permanente, em
virtude das provas que tinha do infideli-
dade o juiz de semelhante administrador.
Calou-se o digno Sr. juiz, sobre o que
Ihe ponderei; comtudo vim para casa e
pensei muito sobre o assumpto, e em 3
dias requer o preciso para coagir o digno
juiz do commercio a fazer justipa.
Requer nos das 3, 4 e 6 do corrente
e foram despachados na mesa do tribunal
no jury, e convenc me de que nSo conse-
gua a justipa ; parei, scientificando-o de
que me ia queixar perante o Tribunal da
RelapSo.
Esperei desde 6 at o dia 16 a ver se o
digno juiz mudava de pensar e entSo em
16 voltei com novo requerimento j baldo
de recursos, e o juiz suatentou os seus des-
pachos anteriores.
Repliquei logo, e renovando o recurso
que me resta va de me queixar perante a
KelapSo se me nao uzease a justica; des-
pachou ainda na mesa do jury, ao qual
presidia, no sentido de que eu apresen-
tasse minha queixa a quem de direito.
Tendo este deBpacho em 16 do corren-
te, nSo podia fundamentar a queixa de
prompto; e hontem s 7 horas d noite,
fui informado por casualidade na redacpSo
da Provincia, que o Sr. Dr. Henrique
Milet embareava para o Rio de Janeiro.
Hoje, porro, noto j despedida feita ao
Diario e este agradecendo-a em sua Be-
vista ; porm, agora, poco me importa
com a casa em face do que a magistra-
-





-,t..."
}
^****mr*^?m*m*



>


I
BHB^B^B^B^B^BJB^BJ^B^B^B^B^B^B^B^B^S^B^BJ
O goverao responsavel pala justic do
mq paz, e portento, tenho de correr os
eanaes para chegar ao fim e preparado
presentar-me ao goverao nacional para
receber.
O Ilustre Sr. Dr. Sigismundo Antonio
Goncalves, actual juiz de direito especial
do oommercio, nlo est compromettido por
hora, mas acaitele os interesses no Rio
de Janeiro ; o Sr. Dr. Milet, pode aioe -
cor e at morrer no Rio di Janeiro com o
dinhairo em si, ou na volu traaendo o como
tem acontecido quando ha naufragios, s
Teses.
No tendo o Sr. Dr. Milet bens que me
ooste, dadas aquellas bypotheses quem
paga por elle, Ilustre Sr. Dr. Sigismundo
Antonio Qoncalves, juiz de direito espe
eial do commercio ?
Acautelei, e se o seu antecessor o fes
administrador contra o que determina a
le, representa governo pelo Ministerio da
Justica se irSo as contas da fallenca ou
esta ser ex .minada ; na ausencia do Sr.
Dr. Milet, nao sei quem o administrador
da casa, talvea fq le acephala on elle carre-
Cie a para o Rio de Janeiro, mas como os
tos sao no Recife aconselho aos Srs.
eredores que tomem apontamentos, e sou
ieopin'ao mals, que o i Ilustre juiz do com
mercio faca os autos entrarem para o depo-
sito publico, em face do que sepaasa e do
que se segu.
m
icnmentos tambem que 1854.
aprsente sob ns. 15 e 16 ; e, todos estes Essa faculdade j foi dada pe'o illustre
foram sustentados pelo Tribunal la Re- hua do oommercio, actual, mas houve um
laclo em aggravo, como se evidencia do > desarranjo entre partes como se evidencia
documento n. 17, oabedoria e rectidlo pelo documento n. 2, que serve de base a
do Tribuual agora submettido. presente; porem, como se prdtendeu um
O queizoso, em face dos documentos ns. arranjo com o queixoso, no sentido opposto
14, 15, 16 e 17 que foram arrancados con- ao que determina o artigo 842 do cdigo
tra a vontade do proprio jais- os de ns. [commercial, e decreto n. 2481 de 28 de
Illustre Sr. onselheiro presidente do
Tribunal da RelacSo do Estado de Per
aambuco.Antonio Francisco Corga vem
perante o Superior Tribunal da RelacSo,
m virtude do que Ibe facultado pelo
art. 72 do cdigo do processo e 2 do
art. 77, satisfazende o que determina o
art. 78 e demonstrando o que exige o
art. 79 em seus ns. 1, 2, 3, 4 e 5, e au-
torisa'> pelo illustre Dr. Sigismundo An-
tonio Goncalves, actual juis de direito es
pecial do commercio, como prora com o
documento que submette ao Tribunal para
examina!-o tob n. 1 ; e assim, com o fim
que
xa.
<>r
de justificar e desenvolver
elle autorisada.
' perante o Superior Tribunal da Re
iacao que cumpre ao queixoso reclamar a
justica postergada por aquello illustre
magistrado, pretendendo sustentar os actos
de nomeacao e de confianza praticados pelo
antecessor, o intelligente Dr. Thomaz Gar
aez Paranhos Montenegro, que andava de
acord com o seu escrivlo Jos Franklin
de Alencar Lima, e o Dr. Henrique A.
Milet, e ontros postergadores do direito
das leis que regem a fallencia.
Queixa-se o peticionario perante o Tri-
bunal da RelacSo de que V. Exc. pre
sidente, com os documentos que submette
a estudo do Tribunal e vio sob na. 2, 3,
4, 5, 6 e 7, bem como ns. 8, 9, 10, 11 e
12, e ainda n. 13 ; destes documentos re-
sulta a prova evidente de que o illustre
Dr. juz de direito especial do commercio
Sigismundo Antonio Qoncalves para *t-
tender aos direitos que tem o administra-
dor Dr Henrique A. Milet, mais o escri-
vSo Jos Frackn de Alencar Lima ; pos
tergou os direitos do queixoso e os inte-
resses dos eredores da casa bem como a
justica.
O q-ieixoso tem a base do feito do il-
ustre juis, que aprsente sob n. 14, e a
COMMERCIO
Revista do Mercado
Rkcifk. 25 d junho ds 1890.
Houve algum tnovimento no mercado de cam-
Hk.
3ol
sa
COTAyOKS OKFICIAES DA JUNTA DOS COR-
BBTOBK8
Recife, 25 tu Suato de 1890
Obrgaces prefereodaes do Derbv Club de Per
namuuco, juros de 8 00, de 15 de Haio, valor
de 1004, aopir.
letras hypothecarias coaj jaros, a 1O4J0O0 ca la
ama.
Na Bolsa veoaeram-se
20 obrigacoes preferenciaes do Derby Club d
rVoamboco
20 ditas idem dem. .
40 ditas idem idem.
SO letras bvnothecarias com uro?.
J presidente,
Antonio Leona -do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Dubeax.
CaBabio
PBACA DO BECIFK
A laxa bao caria nominal foi boje estableci
da a 22 5/8 saccm 'o, porm, siguas dos bancos
a 22 3/4 e o Sul Americano a 22 7/8.
Ao meio dia as noticias do snl flzeram com
aee os bancos retirassem para 22 5,8, a caja
)a\a fecbon o mercado quieto.
Pela manha houve negocio em papel bancario
Tepassado a 22 7 8.
PKACA DO BIO DB JANEIRO
Mfircado frouxo a 22 5/8 e 22 1/2 bancario.
tlgodo
Nao constou vendas.
A exportapn feita pela alfandega oeste meza'
dia 21, constou de ii8 :116 kilos, sendo 333 165
ara o exterior e 25 151 para o interior.
As entradas verillcadas at a data de boje, so-
aea> a 3.067 saccas, sendo por :
Barcacas.....
Vapores ....
Animaes.....
Via-ferrea de Caraar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea de Lunoeiro
Somma.
Assuear
a precos pagos ao agncnltor, por 15 kilos, se-
cando a AsR0ci(ao Commercial Agrcola, foram
iseguintes:
usinas..... 3*700 a 4*000
Braoco..... 3*000 a 3*600
Sjmenos. .... i0O a 2*700
Mascavado purgado 1*600 a 1*700
ratos ... 1*300 i 1*500
Rtame..... 1*900 a 1*200
Aexportaclo feita pela alfandega oeste msale
o dia 21, constou de 3.379.742 kilos, sendo.....
1.973.623 para o exterior e 1.406.117 para o inte-
rior.
As entradas verificadas at a date de boje so-
sema 21.305 =accos sendo por :
aareacas
Vapores.....
Animaes. .
Vfa-ferrea de Cmara.
Tu-ferrea de S. Francisco.
ta-ferrea do Limoeiro .
Somma.
14, 15 a 16, em face do que se v nos
autos a fls. 738 ; tem de servir agora,
como serviram para o Tribunal lavrar
aquello Accord o em aggravo que se v
como documento sob n. 17.
, sa o AccordSo assentou nos funda-
mentos apresentados pelo illustre juiz em
seus feitos que eitio expostos como docu-
mentos sob ns 16, 15 e 14; este primeiro
de justica tem por base o que est de-
monstrado nos autos de fls. 739 a 742 e o
Tribunal agora mesmo pode 1er e apreciar,
porque o queixoso apreseota-o sob n. 18
para instruir j.queixa.
Os fundamentos da queixa, os primor-
diaes, que consta m daquelle documento n.
18 e que obrigaram o illustr juiz de di-
reito especial do commercio atazer justica
reformando tudo quanto se havia procos-
sado desde 1885; estSo nease documento
n. 18 apontades e de alguma frna des
envolvidos, mas por conveniencias. nao
se apresentam, os autos os contm bem
como- existem fra copias e certidSes para
outro fim, Exm. Sr. presiden' e do Tribu
nal da RelacSo do Estado de Pernam-
buco.
SZo aquellas bases que destruiram o
feito do ex juiz do commercio Dr.' Tho-
maz Garcez Paranhos Montenegro, e que
agora se honra o queixoso de apresentar
esse fraudulento feit >, que havia sido
approvado em relacSo quando recorrido
pelo indigno juiz processante e qualificador
da quebra ; apresentado simultaneo sob
n. 19 em datas da 39 de Julho de 1885 e
17 de Desembrode 1888, nao sentando o
ultimo feito a m fe por ter oceultado ou
segredado o terceiro requerimento com
referencia entlo a se lhe entregar os bens
sonegados pelo pessoal da aleada pelo juiz
nomeado.
O queixoso, por forca dos feitcs ns. 14,
15, 16 e 17 tem as regalas concedidas
pelo art. 820 do cdigo commercial emsua
ultima p.rte, porque, os ftitos civis da
pronuncia do Tribunal do Commercio
esto validos, e mesmo porque o precei-
tuado no decreto n. 1837 de 8 de fovem-
bro de 1856, em sua primei.-a determina
cao foi oceulto por m f do juis proces-
sante e qualificador da quebra, e inda
bem corrobjiB* os juramentos das teste
mun'ias que apresentou o r. curador fiscal
Vicente Ferrer de Barros Wanderley
Araujo, dados por negociante* todos bem
conceituados, s b n. 20.
Por effeito dos ltimos julgados em p ir
te commercial que rcstabe:eceram ao quei-
xoso as prerogativas do art 825 do cdigo
commerc'al, por aquellas fundamentos nos
autos de fls. 739 a 742 e aqu documen
to sob n. 18 esclarecendo, ordenando lhe
o pagamento de custas e o soccorro jus-
tificado,tambem ibe fez desapparecer a
existencia de presumpco de culpa ou
fraude na fallencia,e por isto tem mais
a faculdade que na" > lhe po le ser negada,
em face do art. 842 do cdigo commercial,

730 Saccas
507
4"0
51 .
652 m
1347
3 687 Saccas
12.485 Saceos
340 861 7.532 96 a f
21.305 S roa
farol
Owros salgados 405 res, e os verdes a 240
sis
Agurdente
:u- . Alcoitl
:oU-se a 188*000 por/po* de 480 litros.
Mel
ou-s: a 55*000 por piDa de 480 litros.
Pauta da Alfandega
4BMANA DB 23 A 28 DB JSJVH0 DB 1890
Vide o Diario de 24 de Junbo
navios a descarga
Barca nornegnense Cortez, varios geoeros.
Barca p3rtaguezi Alltanca varios gneros.
Barca noruegaeosc Upes, carvo.
Barca njrueguense Cari Hatuted, carvo.
Barca noruegneose Gler, carvfto.
Barca nacional Marianninha, xarqae.
Barca americaaa Charles Loving, farinba.
B iguc bespaohol Maristany, xarque.
Brigue lullinJer Meidem. urque.
Escana uo-ueguease Gefion, xa-qua.
Lagar inglez, Cor.sande, bacalbo.
LQ^ar ingles Alberi. gorduras.
Logar nacisoal Tigre, xarqae.
Patacho ingles M. B. Daly, graxa.
Paiaclu nornegueose Lagos, xarque.
Patacho noruezaense Hennk Wergeland, x-rque.
Paiactio eueco Siri, xarqae.
Pata -fu dinamarqus Jugor. xarque.
Patacho nacional Marinho II. xarque.
Patacho bllaodez VoowaarU, xarque.
Patacho hespanhol Joven Pura, xarque.
Palocho hespanhol Ballcser, xarque.
Patacho holiandez Hennk*. xarqae.
Patacho aacional Rival, xarqae.

Isnportaelo
Vapor ingles Editor, entrado de Liverpool e
Lisboa em 19 do andante e consignado a Black-
burn Neebam AC.
Carga de Liverpool
Arcos de ferro 100 feixes a Vianna Castro c
C, 149 a Albino Amorim e C.
Amostras 5 volumes a diversos.
ArmacOes para sellius 1 caixa a W. llalliJay
e C.
Arroz 25 saceos a Soares e C, 50 ordem.
Alpiste 25 sacos a Lopes Alheiro e C.
Agua mineral 5 caixas a Heileiroi Iruios eC.
Batatas 50 caixas a JoSo Feruandes de Al-
meida.
Barrilba 13 tambores a Fernande3 Irraos e C.
Barras de ferro 30 e 40 feixes a W. Halltday e
C, 53 e 84 a Miranda e Souza, 391 a Albinj Sil-
va e C.
Biscoulos 19 caixas a Vasconcellos Sobrinbo e
C, 6 a Guimaraes Racha e C, 15 a Fernandas e
Irmaos, 2 i ordem.
Carvo de pedra 300 toneladas a Great Wes-
tern of Brasil.
Cb 46 grades ordem, o a Domingos Cruz e
C., 3 caixas a Fernandes e Irmo?, 2 a H. J. Per-
mana.
Conservas 35 caixas a Pernaadesalruiios.
^Caodietros 4 caixas a J. D. Moreira.
"Calcados 1 caixio a C. ampos e C, 3 or-
dem, i a Manoel de Barros Cavalcante, t a Fran-
cisco Ramos da Silva e C.
Coapos 2 caixes a Adolpbo e Ferro.
Cerveja 20 caixas a Ferreira Rodrigese C,
50 a Feroande* e Irmos, 15 a GueJes de Arau-
jo e Filho.
Canella 3 caixas a Soares e C, 10 a Pana Va
lente e C.
Cidra 4 caixas a Jnlem, 100 a Fernandes e Ir-
maos.
Cbapas para fogo 80 a Miranda e Soaza
Ovada 10 harneas i ordem.
Cobre 65 volumes a Ferrlra GuimarSes e C,
Canos de ferro 37 feixes a Miranda e Sonsa.
Camisas 4 caixas a Rodrigo de Carvalho e C,
1 a C. Slnden.
Setembro de 1859, pretende o queixoso
que o Tribunal da RslacSo determine ao
illustre Dr. Sigismundo Antonio Q-oncelves
juiz de direito especial do commercio, or-
dene a convocacSo ou reuniao de eredores,
para o queixoso fazer ama proposta pe
rante o juiz do commercio, de aocorda com
a lei.
E, nSo tendo o Dr. administrador que-
rido prestar contas desde 6 de Novembro
de 1.889, desobedeenndo ao despacho do
jais substituto como prova o documento
o. 12 e o que se v no de n. 6, nem ter
querido pagar o mandado das cuscas e
assim ter desobedecido nao s ao juiz
que o determinou e assignou, mas ateo a
proprio Tribunal da RelacSo que no accor-
dSo deliberou, como se v nos documentos
ns. 11 e 17 ; ainda e pelo refer do adminis-
trador ter desobedecido ao juiz e tambem
ao Tribunal da RelacSo em face dos docu-
mentos de ns 14, 15, 16 e 17 nao ter
proposto o soccorro que foi determinado
se des-e ao queixoso e que ainda nSo cum
prio, como se evidencia do documento n.
6, e finalmente por ter sido o promotor
que peiio a condemnac&o de fraudulento
para o queixoso em 1885 ao encerrar-se
o processo com as vistas sem duvida de
ser nomeado mais tarde administrador da
casa e como de ficto foi contra o que ter-
minantemente dispSe o art. 856 do cv
digo commercial, e pelos fundamentos
apresentados e provas constantes dos au-
tos demonstradas no documento n. 20 -
que os indica, e anda porque o queixa
so sendo credor do sald) do bataneo da
casa-ou importancia de 55:889#J97 e mais
credor das Gustas constantes do mandado
ou documento sob n. 11 qu3 constitue o
direit} especial para requerer como re-
quer ao Tribunal da RelacSo em face do
que determina o art. 858 na segunda par-
te demissilo ou destituidlo de administra-
cao por cansa justificada ao Dr. Henrique
Milet.
E ainda o queixoso, pelo que demons-
tren e provou com os docunte tos n. 1,2,
3, 4, 5, 6 e 7, e tendo o escrivlo Jos
Prauklin de Alencar Lima de apresentar
os documentos que recebeu do queixoso e
coostam dos autos a fls. 77, documento jun-
to sob n. 21 e com) tal de ser respousa-
bilisado pelo desapparecimento dos mea
mos em importancia superior a 20:00041,
em vista do Dr. Vicente Ferrer de Barros
Wan lerley Araujo, ex-curador-fiscal da ca-
sa, ter declinado em sua informacio para
o escrivSo Franklin a responsabil dade, e
este Sr. escrivSo nao ter informado sobre
o assumpto ou cumprido o despach do
illustre juiz de direito do cumercio Si
gismuud > Antonio Qoncalves como n ve
nos autos de folhas 752 a 757 e de Rlgnraa
forma ainda o esclarece agora o docu-
mento n. 18, e por effeito daquella des
ob dieacia desde Novembro que erabira-
ca, o despscho que o illnstre juiz tem a
dar ao requerido, e do deeapptreciraeato
dos dou8 documentos constantes do que
locamente n. 2, e andax pela Seo illustre Dr. Sigismundo Antonio
desobediencia final que o tribunal analy- Goncalves um juiz de grande intelligen-
sar no documento n. 6 nao cartificiado cia e probidade; s assim se explica o es-
oonsa alguma, pelo que prova j o do ter no firme propos-to de faltar-me com a
eumento sob n. 7 : o queixoso requer ao justica e peraistindo para me queixar e elle
tribunal para que os autos sejam em con declinar para a RelacSo acontecimentos
tintiacJo trabalhados pelo escrivSo inter.no que nSo sao delle, e sim do OOTB e
Antonio Augusto da Frota Menezes, que
exerce as funccSes no cartrio do segun-
do escrivSo do commercio por este se
achar ausente com licenca, e por elle j
funecionar oomo prova com o documento
n. 7 por despacho, nao requ-rido ao jute,
na sua fallencia.
O queixoso, alera das provas apresen-
das, offerece afim de jurar na queixa os
cidadSos commerciante commendador Jos
Ferreira Baltar, Dr. Mayrink, capitSo Joa-
quim Jorge de Mello Filiio, negociante
Vctor Al ves Matheus e mais o commen-
dador commerciante Jos Antonio Pinto.
O supplicante em face do allegado
ao jais do commercio, este permit-
tio a queixa, por saber que nSo podia o
queixoso vir com outra forma de instru
ment requerer justica ao Tribunal da Re-
lacSo por falta de escrivSo para o fim de
o preparar, e est demonstrado pelos do-
cumentos ns. 1, 2 e 6 pelo menos ; e, as-
sim, o queixoso Pede ao Superior Tri
bunal da RelacSo do Estado se digne
deferir E. R. M.Recife, 20 de Juoho
de 1890..4>tfoh!o Francisco Corga.
A queixa esta, porm, nSo pode ser
apresenteda antes de 33 das, jorque pre-
cisa publical-a em folhetos com os docu-
mentos para esclarecer bem a magistratu-
ra, os funocionarios da fazenda e de ou-
tras rep irtifSes administrativas ; bem co-
mo aos lentas da Academia, o Instituto
das Advogados e a estes que nSo sSo del-
le, bem como aos acadmicos para fica-
rem scientes do que consta em tees do-
cumentos citados.
Abrirei na q^ieixn exposte o lugar da
pagina ou folha coacerneote ao numero do
documento c tado, para facilitar a procu-
ta e a (etura aem confindir; e, tambem
lhe hei de alterar a data, porque nSo tem
de ser recoabecida com a de boje (20 de
Junho}, e sim com a do dia que tiver de
sor eutregue ni secretaria do Tribunal da
ReLjSo.
Preciso, antes, tambem de fallar com
alguns amigos commerciantes para me
emprestarem o dinheiro afim de fazer a
publicacSo daquel e trabalho utillissimo ao
commercio dcsta pr:ca, ao detodo o Es-
tado, e bem como s de mais prg,s do
commercio e dos Estados deste paiz
Sa porventura, por effeitos do que est
demonstrado s em apontamentos o Sr. Dr.
Milet fdr destituido das fune,oes de adminis-
trad r i casa e se aununciar a convocarlo
ou reuniao dos eredores; a queixa, as-
sim mesmo prosegue e ha de ser submet-
tida ao tribunal porque: os escndalos
nSo teem comment*cSo j praticadas pela
aleada commercial do ex juiz do commer-
cio Thomaz Garcez Paranhos Montene
gro.
E, creio, que o actual juiz do commer-
cio o illustre Sr. Dr. Sigismundo Antonio
Goncalves, tem medo de completar a jus-
tifa que iniciou 5 e attinjo que ser por
causa dos meninos que tem orphSoa de
mS visto que elle viuvo, temer que an-
tes ds tempo fiquem a forya orphSos -tem
bem di pai
DELL a.
Recife, 20 de Junho de 1890.
Antonio Francisco Corga.
Vapor Beberibe
A commisso de eogenheiros da estrada de
ferro de Tamandar, confessa se grata ao Sr.
commandante Pereira pelo trato cavalheiro-o qne
lispeosou-lbe dorante a viagem de Aracaj para
o Recife.
Oatrosim, agradece ao amavel pessoal de bor-
do, oomeaiamente ao Sr. Joao Rodrigues Ma
rios, dispenseiro.
Recife, 22 de Junho de 1890.
Collegio Parthencn
RA DO HOSPI ;I0 N. 3
Este establecimt-oto de iostruccSo primaria e
secuudaria recebe alomaos internos, semi nter
nos e externos.
lilil-tre cidadao Dr. Se-
bastiao de Vasconcellos
Galvao.
Agora que djs deixar o lugar de ama-
nuense deste cemiterio, para prestardes
os vossos servias em cargo idntico na
c mtad .ria da Intendencia Municipal, com-
pro a ubrigacSo que me corre de louvar-
vos pela Bolicitude, probidade e intclli
gencia, com que soubestes cumpriro vosso
dever e, ao mesmo tempo, vos agradeco a
cooparacSo leal e effisa^ que sempre me
prestastes.
Possa o digno conseloo do Intendencia
Municipal apreciar a vos3a dedicacSo pelo
servico publico e considerar vos como me-
recis, o que de corasSo vos deseja o
vosso collega e
Amigo obrigadissimo
Jos Mara d^ Araujo,
CeeJTterio Publico do Recife, 2d de Ju-
nho de 1890.
o no entente muito melhor ser er-
guntentes indicassem o meio de conseguir
um alhvio immediato e seguro, recommen-
dando aos seus amigos enfermos o Pe
toral dq Anacahuiteporque ainda mesmo
e embora que o doente houvesse estado
soffrendo durante semanas mteiraa, d'nma
tosse violente ou d'nma constipacSo for-
tisaima, es e soberano remedie para todas
as enermidades, os alliviaria e curara
det-tro do curto espaco de vinte e quatr
horas. Os nativos do Mxico conheciam
perfeitamente as extraordinarias virtudes
medicinaes de arvore da qual se extrahe
este maravillosa preparacSo, e era o sea
grande remedio fovorito em todas aa en-
ermidades da garganta e dos pulmSes. O
Peitoral de Anacahuita, nSo tem seu igual
entre todos os pulmonicos da materia me-
dica, e por isso pode se lhe chamar com
toda propriedade e razSo o nico remedio
digno do nome.
Como garanta contra aa falsificases,
observe-se bem que os nomes de Lanmav
& Kemp venham estampados em letras
ransparentes no papel do.livrinho que ser-
ve de envoltorio a cada garrafa. Acha-sa
venda em todas as boticas e drogaras.
Drogas 3 caixas a Francisco Manoel da Silva e
C, 6 a M. J. hampos, 2 a ^oaquayro F -eres.
Elstico 1 caixa a (uimares Uardo Eslup 6 lardos a Goiups de Mattos rraos.
Fio 1 fardo a Parete Viaoni e C.
Ferra^ens 11 volumes a Albino Silva e C, 3 a
J. de Azevedo e C, 5 a Paren'.e Vianna a C, 22 a
Cardoso <: Irmaos, 16 a Ferreira Guimaraes e G ,
9 a M rail la e Souza, 3 a Viaooa Caslro e C., A
a Amonio Ouarte C Vianna, 1 a A. Piala da S r-
va, 1 .Gotnpanhia dos Tnlhos Urbanos do Reci-
fe a Olioda e lieberioe,2 a Recife Drainage Cou:-
pany, lo a W. Ualliday e >:., 2 a Gjmes de Mat-
tos Ir.uao.
Folhas de ferro 12 a Miranda e Souza, 56 a
Alian Pater^on.
bita de Flaa Irej 10) caixas a Parate Viaa-
oa e C, 15 a A. Pinto da Silva e C.
Genebra 25 caixas a Figaeiredo Costa e C. 25
4 ordem.
Louc/i 40 caixas a J. de Macedo.
Linha 15 caixas a N. Campos e C, 2 a L. A.
Saaiir, 4 a Miguel Isabella, 6 a Francisco Lau-
ra e C, la GuimarSes Cardoso e C, 4'J a or-
dem, 3 a Gomes de Mallos Irmaos, 3 a Netto
Campos e C 6 a N. Fonseca eC.
Latas vasias 1 caixa ordem.
Move's 2 caixas a Silva Fernandes e C.
MecbiOismos 1 caixa a Silva Fernandes c C,
1 ao Prolougamento.
Mercaduras 5 volumes ordem, 1 a Oliveira
Basto e C, 107 a Bezerra eC, la Ferreira Bar
bosa e C, 1 a Victor Neeseo, 2 Great Western
of Brasil, 1 a Manoel da Cuuba Lobo, 2 a N
Ponseca e <:., 2 a Manoel Collac e C, 1 a C
Sinden.
Materiaes para a fabrica de Fiac/io, 63 volu
mes e pecas Corapanh a de Fiacao e Tecidoe.
Ditos para engenho 125 volumes aos berdeiros
Bow.naon.
Ditos para telegrapho 9 volumes a Brasilian
Suhmarine Telegraph Company.
Machinismos e ferragens 165 volumes a Car-
doso e Irmaos.
Oleo 25 tambores a Recife Drainage.
Perfumara 3 caixis a Antonio D. C. Viaoaa-
Presuoio 6 caixas ordem, 2 a Das Fernan-
des c C. 8 a Joaqdim Felippe e Agaiar.
Papel de embrulho 55 fardos a Soaza Basto
Amorim e C.
i;xuoria<;ao
BBCira, 23 d junho di 1890
i*aro o exterior
No vapor inglez Edictor, para Liverpool,
carregaram :
R. Pessoa, 1.500 saceos com 105,0 0 kilos de
assucar mascavado.
C. F. Minias, 1,500 saceos com 112,500 kilos
de assucar mascavado.
No vapor allemaa Campia*, para Lisboa,
carregaram .
S. Guimaraes C, 1,390 couros seceos salga
dos com 16,680 kilos.
i. B. Amorim 4 C, 836 saccas com 67,068
Kilos de algbdao.
P. Carneiro & C, 200 ecos com 15 000 kilos
de assucar braoco.
Para Himbargo, carregaram :
Pohlin. & C, 17 saceos com 863 kilos de
cera de carnauba e 6 volumes com 428 kilos de
garras de couro. /
Vctor Neesen, 718 couros seceos salgados
com 8,610 kilos. 7
Rossbach Brothers, 973 couros seceos salga-
dos cora 11,676 kilos. \
No vapor allem&o Argentina, para Hambur-
go, carregou :
F. M. Duarte de Azevedo, 375 pedes de cab
Na barca nornegeense CaW, para N
York, carregaram :
H. Forster & ., 1,558 saceos com 116,850 ki
de assucar mascavado. % /
Para o interior
No vapor inglez Planeta, pira Pelotas, far-
regaram :
F. yieira, 174 saceos com 13,050 kilos de
assucar braoco e 60 di os com 4,500 ditos de
dito mascavado.
A. Cesar da Silva, 10 pipas com 4.800 litro de
agurdente, 650 barricas com 68,950 kilos de
Convite
*5A commissao acadmica abaixo asnigoada tem
3 honra de convilsr. em nome da mo:ladeaca
.lemica. qoe representa, a Ilustrada congrei;a&o
da Faculdade de Di'ci'o. a distincta impreura
pernambacana, as associacGes litteran is e os
amigos e admirador s do prantcado raestre Dr.
Tobas Brrelo de Mvnezs. para assistirem
sssSo li teraria qoe se' realisir araanha a 1
hora da (arde no edificio da Faculdade. era com
uiemoragao ao Io auniversarij do fdllecimento
la>|uelle sabi 1 preceptor da mocidade.
A commissao :
Thomaz Vi>'g*s.
Jayo'e de Miranda.
L. F Souza Lt-ao (nuior.
M. da Silva Correia de Oliveira.
Vctor Manoel de Frailas.
Anionio M. da Cista Ribfiro.
I'.aymnndn J do^< Res Lisboa.
A. B. U;hdi a valante.
Rayraundo P. de Miranda.
Ral da Cuuba Ma< hado.
Como esi Vote, da sna tosse ?
Esta pergunta feita diariamente com
benfica solicitude milhares da pessoas,
assucar branco e 15 J ditas com 16,778 ditos de
dito maseavado.
Amorim Irmaos & C. 35 pipas com 16 800 li
tros de agurdente c 2 pipas com 9 0 ditos t'e
a'cool.
Para Pjrto Alegre, carregaram :
F. Vieira, HTsaccos co.n 8,550 kilos de assu
car branco e 141 ditai con 10,575 ditos de dito
mascavado.
AuiO'im IrmaJ8 A C, 50 saceos com 3,730 kilos
de assucar mas .avado e 410 volumes cora 3o,731
ditos de dito braoco.
Para Rio de Janeiro, carregaram :
P. Carneiro A C. 60) saccas com 40,339 kilos
de algodao.
Amoriai Irmao3 a C, 50 birria cr>m 4.8'30 li
tros de mel.
No vaoor naciooal Pernambuco, para Rio de
Janeiro, carregaram :
A. de Oliveira Maia. 10,0*) cocos, fructa.
P. PinU A C, 50 pipas com 24,000 litros de
agurdente.
Para Baha, carregou :
M. Caoba, 50 barricas com 5,782 kilos de
assucar branco.
ro vapor nacional Jaboatao, para Cear,
carregaram :
P. Carneiro A C, 30 barricas com 3.180 kilos
de aseucar braoco.
P. Alves A C, 2 barricas com 140 k los de
carvo animal.
o vapor francez V. de Montevideo, para
Santos, carregaram :
S. Gnimares & C, 10 pipas com 4.800 litros
de atcool.
Maia & Rezeode, 10 pipas com 4,800 litros ^e
aguarJeote. f
Na barcafia Rosalina, para o Natal, carre-
gou :
G. de Mattos Irmao, 50 saceos com farinba de
mandioca.
Fone"1 Irmas *\
Ramos Geppert A C.
1.010*800
467*000
Conferencias religiosas
Desde domingo 22 at sexta-feira 27 e
Junho far-se-hSo urnas conferencias espe-
ciaes dirigidas por H. Maxwell Wright,
chegado ltimamente do Portugal, no salSo
da ra do Imperador n. 7L, Io andar, s
7 horas da noite.
Convidam se as familias e o publico em
geral.
Entrada franca.
Bonito
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional 'Jaboatao para :
Natal 200.000*000
Maco 1.731*96
n .;.-u ui<
KeudiiB-entos pablteos
MU DB J UN 110
Alfandega
Renda geral
Do da 2 a 23
dem do 25
762.622M86
43:430*780
Renda do Estado de Pernambuco
Do dia 2 a 23 115:300*231
dem de 23 6.020985
806.032966
Somma total
121321*217
927:374*183
. Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco,
25 de Junho de 1890
O thesoureiroFlorencio Domiogns.
O chele da seceoD. J. da Fonseca.
Recebedorla do Estado de
Pernambuco
Do da 2 a 23 79:423*709
dem de^25 3:709*917
83:193*626
Recife Drainage
Do dia 2 a 23 7:830J548
dem de 25 382688
7:889*23
Dlnnelro
BECEBIDO
Pelo vapor ioglez Treot, do Rio de Janeiro
para :
Raneo de Peroambuco 250.001*000
Pelo vapor nacional Pernambuco, do
norte, para.
Julio A Irmao 4 OOOJOOO
Jobnston Pater C. 4.000*000
Rodrigues Lima A C. 3.962*500
Jos Lourenco da Silva Oliveira 3.222*660
Duarte A C. 3.000*000
Loodon A Brasiliao Bank 2.599*300
Aodrade Lopes k C 2.497*000
lloviniento do porto
Navios entrados no dia 24
Valparaso e escala, 26 das Vapor in-
glez Britaniat de 2463 toneladas, com
maadaate FI. Browu, equipagem 98,
carga varios gneros, a Wilson Sons
& U.
Manos e escala, 13 diasVapor nacional
Fernambuco, de 1999 toneladas, com
mandante Antonio Pereira da Silva,
equipagem 6J, carga varios gneros, a
Pereira Carneiro & C.
Babia e escala, 6 dias Vapor nacional
Mrquez de Caxias, de 500 tonela
das, commandante Manoel Andr de
Mora'-s, equipagem 28, carga varios
gneros, a Pedro Oaorio de Cer
queira.
Babia e escala, 8 dias Vapor nacional
tUia de 268 toneladas, commandante
Alfredo Mooteiro, equipagem 33, carga
varios gneros, Oompanhia Pernam-
biraana.
Pelotas, 16 dias L^ar uacion-! Loyo,
de 2i toneladas, capitSo Bernardino
da Silva Thnn, equipagem 9, carga
xarque, a Amorim & 0.
Navios sahidos no mesmo dia
Liverpool e escalaVapor inglez
tania, commandante H. Brown,
varios gneros.
MaceiVapor inglez Lisbonense, com-
mandante John King, carga varios g-
neros.
Estados Unidos Barca norueguense
cliler, capitSo J. Annundsen, carga
assucar.
Navio entrado no dia 25
Saatos e escala, 8 dias Vapor allemSo
Campias*, de 1643 toneladas, om-
mandante A. Barreler, equipagem 49,
carga varios gneros, a Borstelman
& e.
Navios sahidos no mesmo dia
Rio de Janeiro e escala Vapor nacional
Pernambuco, commandante Antouio
Ferreira da Silva, carga varios g-
neros.
Baha e escalaVapor nacional S. Fran
cisco, commandante Albino Vaz, carga
varios gneros.
ParaCruzador nacional Cajador, com-
mandante Manoel Fontes, em lastro.
Macobarca americana Chas Loring,
capitao J. A. Rose, em lastro.
Pelotas e escalaVapor inglez Planeta,
commandante D. James, carga varios
gneros.
Ao Dr. chefe de polica do Es-
tado
Agora que sabemos que segu para este
termo o delegado de polica, pedimos ao
Dr. chele que lhe recommende a prisao
de Manoel Felippe Marques Lios, pro-
auociado, que se acha tranquilamente em
sua casa no engenho Recruta, gosando da
mais escandalosa proteccao da arte de
quem tudo pode nesta trra.
Nao possivel que continu por mais
tempo semelhante escndalo, cumpre fazer
cessar isso a bem da moraidade publica,
e prestigio da autoridade.
Confiamos, que as procidencias serSo
dadas e ao actual delegado, que, estemos
informado um militar brioso, e cumpridor
exacto de seus deveres.
7 de Junho de 1893.
Um amigo da ordem.
P. S. O reo protegido escandalosa-
mente pelo aspirante a promotoria deste
comarca qua seu advogado e morador
na mesma comarca.
Muita attenijao
O abaixo assignado, legitimo cesionario dos
bens deixidos por Jo Cordiro do Reg Ponte?,
fallecido n'esta cidade do Recife, deparando com
um annuncio no Diario de 3 do correle, offere-
cendo d'aqoelles bens alguns predios venda,
previne ao commercio e ao puolico d'este e dos
maiiEstados,-que nao facam lrans>ccao alguma
com os heos ahixo declarados, pertencentes ao
mesmo espolio, pois que os tribuaaes do pas
in la uo se pronunciaran] definitivamente a
i -i'o, e por isso estando disposto a havel o do
iiouer de quem os tiver obtido por qualquer mo-
do, faz a presente dcclarago para que mus tar-
de nao se allegue ignorancia ou boa f por quem
""" ine seja.
os nena sao os seguintes : casa terrea roa
feuptsrial n. 48, dit?. na ra do Nogueira n. 33,
sobrado no pateo de S. Pedro o. 3, dita ua tra-
ves-a do Carmo o. 12, 7 armazens ua travessa
da roa Pedro Affmso, aatiga da Praia, ns.- 2 a
11, um armazem aa ra Nova da Praia, antiga
Ces do Ramos, o. 24. um sobrado da ra Pedro
Alfonso, aatiga da P.aia, n. 57, om armazem os
mesma roa o. 61, um dito na mesma roa o. 63,
um dito na ra Nova da Praia, amigo Caes do
Ramos, n. 42, um dito na mesma ra n. 44, 44
apolices geraes os. 300.022 a 300,029, 208 914 a
208,915,248,665 a 248,671, 24S.67* a 218 676,
163.589 a 162 593, 162,594 a 162,598 84.346 a
84.355, 248.663 a 248,664 ; 24 apolices provin-
ciaes, os. 1,885 a 1,838,1,170 a 1,182, 1,269 a
1,278, (7 accOes do Raneo do Brazil, os. 152,639
a 152,658.
Em lempo, o abaixo assigoido declara baver
do mesmo modo todos ss rendimentos e os mais
que at esta da>a tm sido recebidos pelos pro-
curadores de Antonio Jos Machado, residente
em Portugal, Manoel Roberto da Costa ou Costa
* Medeiros, da ra do Amorim n. 39, uesta ci-
dade do Recife, onde sao situados todos os
bens.
Recife, 5 de Abril de 1890.
Jos Soares do Amoral.
Bri-
carga
Vaporea a entrar
MEZ DB JNHO
Europa....... Tagut........... 26
Europa....... ViUe de Montevideo. 26
Europa...... Montevideo........ 30
Norte f... Allumca.......... 30
Agencia de diversos nego-
cios. ,
Jos Luiz Saloaco Accioli i ra do Imperador
o. 77, 1 andar, onde pode ser procurado das 9
s 3 horas da Urde por todas as pessoas que o
quelram honrar com suas incumbencias, encarre-
ga-se principalmente de promplllicar papis
para casament03 civis e religiosos, de eocami-
nhar at o despacho definitivo quaesquer pre-
tendes as repartieses geraes e do Estado, e
de as mesraas pagar ou receber, e dar o desti-
no que lhe fr ordenado com a mxima prompti-
Srs. magistrados, parochos, professores e quaes-
quer outros fuoccionarios, eeocarrega se final -
mete de qualquer outra commisso de compra
ou venda de que Ibe queirain incanbir os Sr?.
pruprietarios, iodustriaes, commerciantes e agri-
cultores. ,
a tolos garante sincerilade, zelo eprompt-
do no cumprimento de suas ordens.
A o publico
O Dr. Joao Ribeiro de Hritto. encarregado do
tatramento dos variolosos do 1" diatricto da Gra-
pa e da freguezia do Poco da Panella, rde ser
procurado oa 5* estagao da guarda cvica e no
Suartel do destacamento do i districto Poco da
anella e na sua residencia a roa do Hospicio ru
18, telephone303.
Culto Evanglico
Ha culto publico com leitura e explica-
cSo do Evaagelho, todos os Domingos aa
11 horas-da manhS e aa 7 horas da noite
e as quintas fe iras a 7 horas da noite,"
na ra do Impetdor n. 71, 1.'andar. A
entrada franca.
Convidam se as familias e o publico em
geral a assistirem.
Examnae as escrpturas, pois julgaes
ter "bellas a vida eterna; e ellas mesmas
sao as que dio testemunho de mim
Ev de JoSo, 39.) cap. 5. ver.
\
. '
s*.

> -
-.



I- -
r


;
Jk'S YICTIMAS DAS FKBRBS
Elixir nll-febrll Cardui, appro
-vado em 21 de Marco desle.anoo pela Inspectora
Geni de Hygieue do Rio de Jaueiro, vea boje
apresentar-.-e humanidade soffredora do mua
do ioteiro como taboa de aaivaco qoe ao infe-
Jiz naufrago Ibe enviada pormo omnipotente!
Elixir aatl r fcrtl Cardoao, appli-
cado em muitisiroos casos de febres, tein, como
por mil-ge, levantado do1 lelto da dur a comple-
tos moribundos.
Este remedio, com posto gmente de vegetaes
ioteirameote iooffermvo, anda mesmo na inai-
mimosa e tenra enanca.
As senboras, no estado de paridas, ou uo pe
riodo de ineommodos naturaes, podem nsai o
sem receio algam.
Depsitos
Drogara dos Srs. Francisco MmoeldaSilv
& C, ra Mrquez de Oliod n. 23.
Pharmacia Martina, ra Duque de Caz:ae
n. 88.
Pharmacia Oriental, ra Estreito do Rosario
a. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Baro da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Impera triz
a 49.
Para qualquer explicacao podem dirigir se ao
-rotor Manoel Cardoso Jnior, roa Estreita do
; Hosario n. 17.
Dos innmeros attestados que temos, damos
.;m segni la principio a sua publicaco ; e isto
bastar para que sejam conhecidas as virtudes
- Attestados
N. 41
-"Becif-, 30 de Maio de 1889.
IHm Sr. Manoel Cardoso Jnior.Caro Sr.
Cm dever de gratidao obriga-me a levar ao co-
aupcimonto de V. S. o seguinte:Tendo en
. sido acoommettido forteracnte de febre amarella,
e tendo este 'mal se tornado rebelde a todos os
ceeareos de que lancei mao para combatel o, tor
ando se por isso cada dia mais grave o met
astado, re.-olvi, por indlcaco de alguem e com
mhjrisacJo de um de nossos facultativos, osar do
es preparado denominado ante-febril, do qual
ip>nas tomei tres doses segundo asna prescri
i peo. e foi o bastante para fazer desappa-ecer
- completamente a febre, Qcando aesim restabele
ddo. Nao quero com isto assegurar que o seu
remedio seja infallivel para lodos os casos de fe
hre, c sim tmente fazer-Ibe scienle dofacto que
se acaba de verificar commigo, que jamis pode-
r ser contestado.
Subscrevo me com alta estima
De V. S. aliento e crudo,
Manoel Gomes da Cruz.
N. 42
fiedle, 30 de Setembro de 1883.
I Mu. Sr. Manoel Cardoso Jnior. Estando
doente com f. bre e tratndome com um medico
d'efta cidade, e nao melborando com os remedios
por elle rece i todo?, fiz uso do remedio de seu
preparado Cuando restabelecido no fim de tres
dias; o que podera fazer uo da presente como
ibe convier.
Son com estima
De Vmc. amigo criado e obligado,
Francisco Joaquim Alves.
K. 43
Ternambnco, 10 ue Seti-mbro de 189.
IUni Sr. Manoel Cardoso JniorAmigo e Sr.
Faltara :. um dever se nao commun casse a
'V, S. o beneficio que me fez o seu preparado
Elixir Cardoso: tendo lulo urna febre, j a al
ims dias, lembrei me do seu preparado, mandei
pedir a V. S., o que me fez o favor de mandar-
me, usei e em pouco lempo tive urna pequea
melhoia at que fiquei restabelecido, e julgo que
V. S. Je ve facer a propaganda, pois ser um
grande beneficio que pode prestar a humanidade,
emappear o sea Elixir Cardoso, preparado por
V. S fijando Ibe en multo grato.
Peo Ihe licenca para que me assigne, de V. S.
criado e obriadssiaio
Francisco Antonio da Silva Barbosa.
agradecer, redundar em beneficio da in
strucc&o deste E-tido, i qua! ha 20 annos
tem consagrado exclusivamente toda sua
actividade.
Reoife, 13 de Junho de 1890.
O director,
Manoel Seb anio de AraujS Eedro
Aviso aos Srs. paes de fa-
milias
O professor Gustavo H. Poleni, suflkientemen-
le habilitado para ensinar a llngua nacional, com
piano (ou seraphlnai deseja encontrar al urnas
discipulas eci casas particulares.
Quem preten 1er pode < eixar sen enderece na
Livraria Industrial, 7, roa Nova ou na Rainba dai
Flores, estabelecimento do Sr. Laporte, que ser
p ocurado.
Inanias vezes acontece !
Urna peaaoa muito conceitaada mora
doura na ciiade de Bag (Rio Grande do
Sal,) achou se gravemente doente do peito.
Foi chamado, para a tratar, o Ilustre
Dr. Penna, e mais tarde, o tambem Ilus-
tre Dr. Albano.
O doente cada vez ficava peior: a mo
lestia, zombando do ratmento medico,
seg lia seu fuaeso curso.
Urna pessoa da familia, tendo confrnca
no Peitoral de Cambar, descoberta di J.
de Soaza Soares, de Pelotas, lembrou ao
madico a sua apphcac&o.
Este, porm, que talvez nao conheces-
se, por experiencia propria, os effeitos de
tao suberano remidi, recusou se a recei-
tal-o, continuando com outras applicacSes.
Vendo se que o doente nada aproveita-
va, e que a morte era inevitavel, man
don se, em segredo, comprar um vdro do
dito peitoral e o doente principiou a to-
mar o novo remedio e a melborar, e no
Grande Companhia de Opera-Coflica, Operetas e Mgicas do
THEATRO S A N T' A N N A
CAPITAL FEDERAL -
SM'BEZa DQA8IIS TASILLIS
SO JEQuinta-feira, 26 de Junho de 1890HOJE
1.a Recita de assignatura
(DA TERCEIRA SERIE)
NOVIDADE! JNOVIDADE!
Pnmeira representac^o da opera burlesca de grande espectculo em tres actos
e quatro quadros (parodia do ORLANDO FURIOSO) por C1II OT e DURO,
msica do maestro HERV, arraniada para a scena brazileira pelo distincto escriptor
EDUARDO GARRIDO
PURSONAGENS
fim de algum tempo
mente restabelecido.
achava-se completa-
Um bagense.
N. 44 \
ecife. 4 de Julho de 18<.
lita. Sr. Manoel Cardoso Jnior.Tendo sido
-accommetdo de urna febre intermitiente a qual
em pencas horas attingio a 40 graos, im i edia
aaaente recorr ao afamado medicameuto deno
aunado Ante febrilde mu preparado, e foi to
vaota|oso o resultado que obtive que, no espaco
de tres das achava me inteiramente restabele-
cido.
E' com n uita salisfacqueSo levo 3to ao coohe
cimento de Vmc. e fago ardentes votos para qne,
na espinfioja missao que (em encelado, sempre
ofotc/ina resultados to maravilbosos como o qoe
acabo de narrar.
Aproveito a occasio para lhe apresentar os
mees sinceros agradecimentos e subscrever-me
-om toda a estima e consideracio
De Vmc. cria lo, aliento e obrigadissimo,
Albino Ferreira Neres.
N. 18
illm. S\ Manoel Cardoso Jnior.-Presente
Atiesto que tendo doecido dois filbinbos meas,
na le no ne Thelesphoro de idade' de sete annos,
eBlandina de tre8 annos, de fcbre de carcter
desconhecido para mim porque fazia alternares,
asando do Elixir Ante-febril de M. Cardoso,
consegu debelar a Febre em menos de vinte e
^qnatro horas, licando os mesmos meninos com
lelamente restabelecidos al esta data, c como
tsqa verdade escrevo o presente, do qual o mes
sao Sr. Cardoso poder fazer o uso que bem Ibe
convier.
Recife. 13 de Marco de 1889.
Antonio da Cruz Ribeiro.
(Estavam selladas e reconbecidas as firmas).
Collegio Onze de
Agosto
la V/sconde de Albuqoerque
n. 05
O director desto estabelecimento, fun-
dado em 1880, sempre no proposito de
fromover o maior aproveitamento moral
e intelectual de scus alumnos, resolve no
dmiltir mais, do Io de Ju ho em di*nte,
-a!uranos internos maiores, substituindo os
por urna teacjlo de semiintsrnos menores.
A experiencia tem mostrado que a pre-
senca de alumnos maiores, contrariados
com a o.-dem do Collegio, qnasi sempre
4 origem dos desrespeitos e infrac,3es do
regulamento.
EstSo convencidos de que podem cor
seguir approvacSes nos exames sem a
precisa bbilitacio, e por iseo nSo se con
i'ormam com as exigencias da disciplina
esttbelecida para cbamal os ao cumprimen
to de seus deveres.
D'ahi, a rasSo principal da m vontade
qae votara ao Collegio, onde nSo se Ihesi
concede plena liberdade para procederem
orno Ibes aprai.
N2o acceitando mais esses alumnos que
ordinariamente estudam os ultimes prepa
catnos, ficario redundas as materias de
nsino s que forem estudadas pelos me-
nores.
O ensino primario aera tomado na maior
oMiderac&o c far objecto de especiaes
eaidados do director, que empregar todos
4 esforcos para dar-lhe o necessario des-
srolvimento.
Para conseguir solicita e espera a pro
teccSo dos pas de familia e dos amigos
qoe deaejam a prosperdade do Collegio e
o progresso do ensino, que tanto necessita
de gp.ral animacSo para erguer ae do aba
imento em que ae acha.
O apoio qoe Lhe prestarem e que saber
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, do volta de sua via-
gem Europa, da consultas de
1 s 4 horas da tarde, no Io
andar da casa n. 51 ra do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Sete do Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
I na cura de asinina
De Santa Victoria (Rio Grande do Sul) remet-
teram-nos o segulnte atlestaoo :
Eu abaixo ssignado atiesto, a bem da huma
nidade, que tendo orna Ulna que goffrera, ha mais
de quatro annos, de asthma e outras molestias
do peito, foi radicalmente curada pelo maravi-
lloso remedio Peitoral de Cambar, do Sr. J. Al
vares de Souza Soares, de Pelotas.Del/lm Jos
Rodrigues.
(A Arma est reconhecida).
EDITAES
0 Dr. Joc Paulino Cavalcante de Albuquerqne
juiz municipal e de aus-tntes, de l'auellas e
Quipap, em virlode da le, etc., etc.
Faz saber que. a requerimento do curador es
pecial da ausente D. Bibiana Mara daConceico,
ser arrematado em basta publica, lindo o praso
da le, um ternno denominado Cocal Grande,
em S Benedicto deste termo, depositando se sua
importan.ia ua repartiese fiscal.
Para que ebegue ao cobbecimento de todos e
a quem interessar poss, mandei passar o pre-
sente edi al. qu* ser aflixado na casa da Inten-
dencia desta villa e pnblic. do pela impreasa.
Subscrevo e assigno. Villa de QuipapT, 26
de Maio de 1890.
Eu, Miguel Joaquim do Reg Barros, e'crivo,
sobscrevi.
Jos Paulino C. de Albuquer ne.
DECLAnACES
Junta Couamercial
Esta secretaria az publico que foram regis-
tradla as escripluras antenupciaes ede dotes, ce
lebradas entre Manoel Carpinteiro e Souza e D.
Anna Francisca Machado Teixeira e de Manoel
Joaquim Baptisla com D. Fbnorioa da Silva
Reg.
Entre os primeiros foram estabelecidos os pa-
ctos seguales :
i* Que o rgimen do casamento o dotal,
constituindo o dote o que em legitima paterna
locou nubente 1>. Anda no respectivo inven
torio.
2' Qoe ludo quanlo a conlraclante adquirir
por compra, doacSo, heranca oa legado far par-
te do me-rao dote, alim de gosar do privilegio
dotal.
3* Que por morte da contraanle, deixando
filnos, sern est s os seus herdeiras e no caso
de nao os ter, passar o que possuir aos seus
legtimos nerdeiros, salvo disposico testamen-
taria.
Entre 03 segundos contactantes foram estrfia
lados os seguales pactos:
1* O contactante dota a D. Honorina com os
bens segnlntes : 15 accOes da Companbia de
Tnlhos Urbanos do Recife a Olmda e Beberibe
da as. 468 a 482; a casa terrea n. 116 ra
Marciiio Dias ; a casa terrea n. 262 ra Au
gusta ; a casa terrea n. 5 roa do Nogneira, e
deas mobilias para a casa em que tenham de re
sidir.
2"Hiver completa exclueo da comraunhao
de bens, tonto presentes como futuros, qualquer
que sea a proveniencia dos uliimus.
3* 0 esposo administrar todos os bens dotaes.
para com seus rendimentos sustentar os eocar-
gos do matrimonio.
4 Nao bavendo prole, voltarSo os bens por
morte de cada um dos conjanges aos seus res-
pectivos herdeiro?, salvo direilo, a cada um, de
dispor delles por testamento.
5" no caso da superveniencia de filhos conti-
nuar o rgimen dotal como se acba estipulado
na dito escriptura.
6* A esposa renuacia qualquer lucro e perda
que o mando possa ter de arrema'acSo de ren-
das publicas ou por qualquer outro contracto.
7* Os bens que forem adquiridos com dinbei-
ro dotal .-ero considerados dotaes.
8 Os bens dotaes nao ficaro sujeitos s din
das conlrahidas pelo marido; nem antes do ma-
trimonio, nem na constancia delle.
Secretaria da Junto Commercial do Recife, ?3
de Junho de 1890
0 secretorio,
Julio Guimaraes.
Banco do Brasil
Pelo prsenle sao convidados os cenhores ac-
cionistas deste banco a realisarem no escriptorio
de Pereira Carneiro & C, ra do Commercio
n. 6 1 andar, do dia 20 a 25 de lulho prximo,
10 0/0 de entrada ou 20*000 poc aeco da nova
emisfo. Messa occasio s?r facultado queltes
que quizerera entrar cent mais 20 0/0 ou 401000
por accao, realisando asaim 50 0/0 do capital.
Recife, 16 deJunho de 1890.
O Grao duque Rodomont .
Roldao (cavalheiro andante)
Sacripante (GrSo-seneBchal)
Med'.>r (menestrel) .
Merlin 2." (feiiceiro).
Amadeo da Gallia (cavalheiro andante) .
Lancelot du Lac (idem dem) .
Ren.aud de Montoban (idem idem)
Ogier le Donois (idem idem)
Meluzina (teiticeira;
A Duquesa (malher de Rodomont)
Idalina (filha do GrSo-duque)
Flor de Nev (companheira de Meluzina i
Cazuda (idem idem) ....
Rosalinda (idem idem) .
Primavera (idem idem) .'
Um camarista .....
Um pagem .....
Senhores e damas da curte,"camponezes
zas
Sr. Mattos
Sr. Vasques
Sr. Peixoto
Sr Colas
Sr. Radgel Jnior,
Sr. Barros
Sr. Andr
Sr. Mesquita
Sr. Nazareth
Mme. Massart .
D. Isabel Porto
Mlle. Lopiccolo
D. Mathilde
D. Rosa Bergmann
D. Julieta
D. Virginia
Sr. Esperanca
N. N.
e campenezas, burguezes e bargue
etc. etc.
pagn, gendarmes, soldados, anSes, povo,
TTULOS dos quadkos
i.Os cavalheiros.
9. Scenas de familia.
3. O venoedor do Torneio.
4." Um Rold2o.de contrabando.
Scenarios, vestuarios, aderemos novos e
riquissimos
MISK-ENSCEIE DO ARTISTA
HELLER
A's 8 1/t horas
Haver trem para APIPUCOS e Olinda e bonds para todas as iinhas.
AVISOOs Srs assignantes das 5 novas
vem procurar os seus bilhetes at s 11 horas.
recitas, que eoruecam boje, de-
Royal Mail Steam Pac-
kel Company
Amerim Irmos lt C, agente dos vapores desta
companhia, receberam aviso de Londres, de que
em Setembro prximo ser inaugurada urna
nova hnha mensal de vapores para o Rio da
Prata. Os portos da escala na vinda sero :
Sonthanipton, oruooa, Vigo, Cdiz, Las Pal-
mas, Montevideo e Buenos-Ayres ; e na volt?
ser.io :
Boenof-Avres, Montevideo, Santos, Rio de Ja
neiro, Las Palmas, Lisboa, Vigo, Southampton.
Roiherdam e Lcndres. Oprimeiro vapor dever
sahir de Londres em 6, e de Southampton em 9
de Setembro.
Banco
Sul-America no de Pernam-
buco
KiniMur dos Estado de Per
nimbiiiii. Mnrabybn. Rio
Crande du Norte e
Cearft
Contina aborta a subscripeo para o BANCO
EM1SSOB, no
BANCO SL-AMERICANO
38 Rh;i do lommerci 38
_______JUBCira^______^__
Patrimonio da capel!a
de N. S. da Boa Via-
gem
0 fabriqueiro da capella de N. S. da Boa-Via
geio, nomeado pelo Exm. e rtevm. Sr. conego
governador do bispaco, previne a quem inters
sar possa que desde o dia 23 do correte que
prestou juramento e entrou no exercicio do dito
cargo, e que perianto niaguem faca transarcao
alguma com objecto da propriedade do dito pa
tnmonio, visto como nnllo todo e qualquer ne
gocio feito sem oconsentimento do mesmo abai-
xo ssignado e ordem do Exm. e Revm. gover
nador do bispado. Recife, 25 de Junbo de 1890.
Jos Crupiano da Silva.
. Faculdade de Direito
De ordem do Sr. conselheiro director interino,
fago publico que sexta fera 27 do corrente, i
bota da tarde, comecaro os exames de ingles e
geographia, e cujas bancas se acham organisa
das do modo seguinte :
Inglez
Presidente, Dr. Manoel do Nascime^t > Macha
do Portella Jnior ; examinadores, Drs. Adclioo
An'onio de Luna Freir Filno e Antonio Joaquim
de Barros Sobrinbo.
Geographia
Presidente, Dr. Alolpho Tacio da Costo Cirnet
examinadores, Dr. Jos Soriano de Souza e ba-
c arel Jos Bandeira de Mello.
secretaria da Faculdade de Direito do Recife,
23 de Junho de 1890.J cffidal, servindo de se-
cretario,
Manoel Antonio dos Patsns e Suva.
Thesouraria de Fazenda
ABTIGOS PABA O AB8ENAL DE GEBBA
De ordem do Sr. Dr. inspector, faco publico
que no dia 26 do corrente mez, ser arrematado,
em sesso da junta desla Thesouraria, por quem
melhores vantagens offerecer, o fornecimento dos
artigo* abaixo mencionadus, para o expediente
do Arsenal de Guerra durante o semestre de Ju-
Ibo a Dezembro do presente anno.
Os proponeotes devem observar o seguinte a
1. Rcunindo se a junta as 11 horas da manba
daquelle dia para o lim indicado, a respective
nabilitacao deve ter lugar al o dia anterior e
ser requerida o cidado inspector, devendo s-
juntar as petigoes a prova de serem os propo:
nentes negociantes matriculados, e acharem-se
quites relativamente ao imposto de industrias e
prorissOes do ultimo semestre.
2. Que as propostas nao devem figurar pre-
cos variaveis ou sujeitos a abalimento ou des
cont
3." Que devem acompanhar s propostos amos
tras dos artigos nella mencionados.
Artigo
Cadernetos em branco de papel fiume pautado,
com 100 folbas, ama.
Cadernetos idem de papel fiume pautado, com
150 folhas, ama.
Cadernetas idem de papel hume pautado, com 50
folbas, ama.
Caetas Anas, nma.
Caetas "ntre finas, ama.
Caivetes finos, um.
Enveloppes para officio3 timbrado, um.
Envelopes grandes lia brados, um
Esptula de osso, om.
Gomma arbica, frasco.
Lapis de Faber. um.
^apis de cores, um
Lapis de borracha, um.
Lacre encarnado, pao.
jivro em branco de papel hollanda pautado, for-
mato Carr, com 50 folnas, um.
Ihas, uta.
dem idem idem, mesmo formato, com 150 folbss,
um.
dem idem idem, mesmo formato, com 200 fo-
lbas, um.
um.
I demidem idem, mesmo formato, com 100 fo
ibas", um.
tem idem idem, mesmo formato, com 150 fo-
lbas, om.
dem idem idem, mesmo formato, com 200 fo-
lbas, nm.
dem idem de papel fiume paulado com 100 fo
Ibas, om.
IdemJdem idem, com 150 folbas, um.
dem dem idem, com 200 folbas nm.
Livro em branco de papel hollanda pautado, for-
mato Eco, com 50 folhas, um.
Idem idem idem, Ec com 100 folbas, nm,
dem idem idem, Ec. com 150 folhas, um.
dem idem idem, Ec, com 200 folbas, om.
dem idem idem, formato Colombier com 200 fo-
lbas lithograi hadas para mappa-com encader-
nacao nteira de couro, um.
dem dem dem, formato Ec, com 150 folhas
riscadas para receiti, um.
dem idem idem, mesmo formato, com 200 folbas
i riscadas para despeza, om.
dem idem dem, formato Carr, com 100 folbas.
encadernaco nteira de couro, om.
dem idem idem, formato Carr, com 150 folbas,
encadernaco inteira de couro, om.
dem idem idem, formato Carr, com 200 folhas
e encadernaco inteira de couro, nm.
dem idem idem, formato Corone, com 100 fo-
lbas, eacadernaco inteira de couro, um.
dem idem idem, mesmo formato, com 150 fo-
lhas, encadernaco idem, nm.
dem idem ide_. mesmo formato, com 200 fo-
lhas, enea ei naco idem, um.
dem idem idem, formato Jes, com 100 folbas
e .cadernacio indm, um.
dem idem idem, mesmo formato, 150 folbas,
encadernaco idem, um.
dem idem idem. mesmo formato. 200 folhas,
encadernaco idem, um.
Papel fiume pautado, resma.
Pastas de oleado, de diversos lmannos, nma.
Papel fiume liso, resma. N
Papel inglez rosado para officio, resma.
Papel idem branco pa>a olficio, idem.
dem idem rosado para officio, timbrado, res-
ma. '
Papel idem oranco, limbrado, para oflicios, res-
ma.
Papel hollanda formato Corone, folha.
Papel de frmalo E>, folba.
Pappel idem formato Carret, folha.
Papel idem formato Raisin, folha.
Papel idem formato les, folba.
Papel idem, formato Colombier, folha.
Papel carlo mata borrSo, folha.
Peonas de ac Peny. crixas.
resilba3 para prender papel, caix.
Hadtira \.uz i.tpti/1 ae.
"iota ingleza para escrever, boilo.
Tinta ingleza sardinha, toio.
Tinta prela para escrever, garrafa.
Tiota carmim, frasco.
Thesouraria de Pernambuco. 14 de Junho de
1890.
O secretario da jnuto.
Dr. Antonio Jos de t-ant'Anna
Companhia Pernambucana
de Navegacao Costeira
por vapor
A directora desta Companhia, tendo
procedido ao sorteio de 55 obrigac3es pre-
ferenciaes para aroortisaclo de 2 *r9 sobre
o valor do emprestimo de ris 55U:0C0|5,
faz s iente que feram sorteados os nme-
ros segaintes: 59-71-129175-189
277 I 294336 -337366368 408
497 -568 580-583-590703781
- 78 792-796-811841844 888
936-939995 -10021087-111'
1204-12371256-13151317 1385
1503-16611705-1733-1897 1957
-2046 2056 2099 2401 2403
244424702543 2548 2611
2623.
Convido, pois, aos possuidores desias
obrigacSes a se aprsente em na sede desta
Companhia, do d a 1. de Julho em dian
te, para em face das mesmas receberem
no s o valor de cada amo dellas, como
tamhem os juros decorridos d^ Janeiro a
Junho, data em que cessarSo ditos juros.
Convido igualmente os possuidores das
demais obrigacSea, nao sorteadas, a virem
naquelle dia ou subsequentes recebe- os
respectives jures vencidos em igual tempo.
v Banco de crdito Real de
Pernambuco
9.9 sorteio
Nos termos dos arts. 47 e 48 dos estatutos,
administraco e commisso fiscal pro^edero no
dia z6 do corrente, ao meio dia, em urna das
salas da Associago Commercial Beneficente, ao
9. sorteio das letras hypotbecarias, emittidas
pelo banco, qoe teem de ser amortizadas e rela-
tivas a I,, 2.*, 3.* e 4 series e primeiro semes-
tre deste anno, como de costme dez destas le-
tras sero premiadas.
O local franqueado a qualquer accionista.
Pernambuco, 11 de Junbo de 1890.
Os administradores, .
Manoel Joo de AtLorim.
Laiz Duprat.
Jos Adolpho Rodrigues Lima. -v
jembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classas que ba logares reservados para esta
agincia, qoe podem tomar em quatquer tempo.
?revine-se aos Srs. recebedores de mercaao-
rias que s se attender a reclamacCes por fal-
taj, nos volomes, que forem reconhecidas na
o casio da descarga, assim como devero den-
tr} de 48 horas a contar do dia da descarga das
a varengas, fazerem qualquer reclamaco con-
sernentes a volumes que porrentura tenham se-
guido para os portos do sol. afim de poder-se
Jar a tempo as providencias necessarias.
afto HloMlnado i
Companliia de^JPeBe-
l /re.
nlje ^pj
Convida-se aqs seohores T^^jnislas
desla compauRte^d^reunire^N em
assembla geral ordiftaria do dia 1 de
Julho prximo vindouro, ao meio dia,
no i* andar da casa n. 71, a ra do
Imperador.
A referida assembla geral tem por
fim principal tomar conta da geslo dos
negocios sociaes do anno prximo pas-
sado, eleicao da commisso fiscal e do
presidente e secretario da assembla
geral, mas resolver tambem sobre tudo
o que for de inleresse da companhia.
Recife, 15 de Junho de 1890.
0 director gerente jntermo,
Barao de Casa Forte.
0 director secretario,
Aurelio dos Santos Coimbra.
Aviso aos passageiros
Tren de espectculo
Nlo sendo possivel companhia expedir
trena depois do espectculo pelos prejos
da tabella ordinaria, resolve lezel os nos
dias em que forem annunciados pelos pre
eos duplos dessa tabella ; sendo que em
taes trens nSo vigoram nem os passes, nem
assignatoras por cartSes ou por series ; os
menores que oceuparem assentos pugam
passagem.
Recife, 20 de Junho de 1890
O gerente,
A. Pereira Simdea.
tea paquetea
I i elctrica.
Para carga, passagens, encommendas e di-
a eiro a (rete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille ,
* Ra do Commercio 9
Jnited States and Brazil
M. S. S. G.
O vapor Allianqa
E' esperado de NeuTork-
at o dia 30 de Junbo
o qual depois da de-
mora nece8saria seguir
para a
Baha, Rio de Janeiro e Suatos
ara carga, passagens, encommendas e di
ibeiro a trete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
1* andar
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITS 0F MAGELLAN LINE .
O paquete Iberia
Espera-se da Europa at o dia
28 do correte, nao communi
cara com a trra, segnindo em
direitura para a liba Grande,
conforme ordens do ministro u"os negocios do
iotorior, ecebidas boje por telegramma do Ri
de Janeiro, em visto da epedemia do cholera
morbus que actualmente reina nos portos la
Hespanha.
Pede se desculpa aos Srs. passageiros, ao pa-
nuco e especialmente ao corpo do commercio
por esta falla devlda Torga maior.
AGENTES
Wiison, Sons & C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
TribuDal da Rela^ao
De ordem do Sr. conselheiro presidente
4a Relacao fayo constar que, foi designado
o dia 28 do corrente mez, para ter lugar
o exame requerido pelo cidadfto JoSo
Antonio Francisco de S, que pretend-
obter provieao para exercer a profiss3o de
advogado em algumas comarcas do Estado
da Parahyba.
Secretaria da RelacSo do Recife, 20 de
Junho de 1890.
O secretario,
Virgilio Coelho.
MARTIMOS
Royal Mail Steam Packet
Company
O vapor Elbe
J^S
Espera-se da Europa ateo dia 3 a-
,Julho, segnindo depois da demo
ra indi? pensavel para
Baha, Rio de Janeiro, Santos,
Montevideo e Buenos-Ayres
Para passagens, fretei e encommeadas trata
se com os AGENTES.
O vapor Magdalena
E' esperado do sul ao dia 3 de Ju
lho seguindo depois da demora ne-
eessana para
9. Tcente, Lisboa, vigo. e Sou-
thampton
Redueqa de passagens
Ida Ida c volt
L" Lisboa 1* classe 20 30
i Southampton ciaste < 38 t 4
Camarotes reservados pa a os pissag_eiros dt
?emambuco.
Parapassagenp, fretes, encommendas. trata-s*
:o3 os
AGENTES
Amorimlrmos & C
N. 3Ra o Bon JessN. 3
Companhie d Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado dos portos do
sul no dia 3 de Julho
seguindo depois da demo
ra de costume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar e JLisboa
Lombra-se aos Srg. passageiroB de todas as
c!a3ses que ha lugares reservados para esta
a jencia, que podem tomar em qualquer temnp
Faz-se abatimento de f5 0(0 em favor das R-
m:lias compostas de & pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepeo, os criados de familias que to-
marem bilhetes de proa, gozam tambem deste
a atimento.
Os vales poslaes s se do at o dia 30 de Ju-
nbo pagos de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
oh airo a frete : trata-se com o AGENTE.
O paquete ^ Equateur
Comandante Moreau
E'esperado da Europa nt
dia 4 de Julho e segui-
r depois da demora Re-
ces sana para
Janeiro, uenos-Ayre t
Montevideo
Llovd Brasileiro
PORTOS DO NORTE
O vapor* Maranho
Commandante Carlos Antonio Gomes
E' esperado dos portos do sol
at o dia 30 de Junho e se-
guindo depois da demora indis-
pensavel para os portos do or-
:e at Manaos.
As encommendas s sero recebidas na agen-
da at 1 hora da tarde do dia da saluda.
Partrm^a, encommendas, passagens evalo-
es ;-v -a com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C._ .
6=Rua do Comni?;cio6
i lo andar
de
Na-
ompanhia Bahis 11
vega^ao \ por
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, E8tancin e Baha
O VAPOR
Mrquez de Caxias
Commcndante Moraes
Seguir para os
portos cima
indicados no dia
[26 do corrente s
4 horas da tarde.
Para~carga, passagens, encommendas e dinhei -
o a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario-17
LEILOES
Qumta-feira, 26, deve ter logar o leilo de
tres aa val los Je corrida (garanbOes) e seis eguas
d'estf Estado.
Quinta feira, 26, 1 hora da tarde emeon-
tinjaro ao leilo de cavallos e eguas deve ter
lugar o leilo de botes, out rigyer c escaleres
Segunda-feira, 30, deve ter lugir o leilo
nao s da armaco, balco, lindos Gteiros e mais
pertences da fabrica Martina, bem cerno amitos
e differentes movei?, candleiros e mais pertences
de casa de familia, existentes no pavimento ter-
reo da leja da rna da Imperairi/. n. 1, a qual
alnga-se.______________________________
Grande e importante
leilo
De ricos movis de phantasia, piano, espe-
Ihos, reposieiros, cortinas, objectos do Japo e
China, porcelanas e electro-platp, cribtaes, etc.
Um elegante Dog Can com coberta movel para
um animal com os competentes arreios. Do im-
portante cavcllo Fiy, alazo, trotador para car-
ro, (vencedor na corrida de aranhas), do excel-
Icnte cavado Fluminense, meio sangue nacional
para corrida. #
No 1 andar do sobrado ra da Imperatriz
n. 30
Nos jornaes de amanh sero annunciados mi-
nuciosamente os objectos e o dia do leilo.
Por intervenco do
Agente Gusmo
JLeilo
de meio
proprios
fahia, Rio de
Dos bons e conhecidos cavallos
sangue Torpedo e Mandarhn
para corridas.
Quinta feira, 26 do corrente
Pelo agente Pinto
No largo do Corpo Santo
A's 11 horas
Por occasio do leilo de ontros cavallos e
eguas.
Leilo
Importante leilo de piano do fabricante Pleyel,
mobilias de Jacaranda entalbada, dita de pao
carga torneada, espelho oval, estantes, secre-
tarias nogneira, geladeiras, objectos de electro-
pate, crystaes, louca Una, apparelbos de por-
celana dourada, jarros cbinezes, di:os de bron-
ze e figuras de biscuits.
CONSTANDO:
Um excelleate piano de Pleyel n. 4,1 cadeira
para o mesmo, capa, estrado e ps u vdro.
Urna estante para msica.
Urna importante mobilia completa de Jacaran-
da toda entalhada, (obra rara), i dita de pao car-
ga nova e obra le goslOi i espelbo ovol, i par de
escarradetrag dourada, 1 tapede grande, i linda
secretaria de mogno com movimento (obra ame-
ricana) i estante dita, 1 toilette tampote pedra
e flores fuscos, 1 lavatorio de mogno, lampa de
pedra e espelho, 1 importante guarda roupa

m
11
I
wa
s
' -i' i

:''
m,
*.

t;--
HfiNR }


I

I
I
I
^

^^^^MTpara cabnr mobilia, 1 pannos de
tlec tan te de amare 1 lo
un de livros, i banca, 1 estante
par i achia electrice pera choques,
inte mesa elstica com 4 taboas de pao
Hh e ps torneados, 1 guarda comida, 1 appa-
raores de amarello, geladeiras, 1 guarda pratos,
i guarda looca de amirello, t tbear, i cabide de
parede, 1 quartinheira, i capta para cama, 1 can-
oieiro de brome para cima de meza 4 pares de
jarros de brome, 1 linda apparelho de porcellana
donradapara cha, 11 pratos pequeos para desut,
bules de tonca chineza, t fructeira de vidro, 1
lamparina de vidro opaco, trens de cosinha, 1
carro de mao e trem de jardim.
lindos objectos de electro pate, talherea de
dito tnissimo, tbxob e pratos cbiaezes, bijoute
ras, porta-cartees de crjstaes, jarros emitando
bronze e figuras de biscuit.
QINTA-FEIRA, 26 DO CORENTE
Na roa do Atalho n. 3, Segando portlo
junto a aotiga caiza d'agua
O agente Martina autorisado por orna familia
que mudou de residencia, far leilSo dos movis
e mais objectos cima mencionados. Todos os
movis sao de apurado goslo e muito se recom-
mendam por sea estado de ptima cooservaco.
O mesmo agente declara que t>s*oveIs serao
retirados e pagos em acto continuo.
Leilo
Dos bons cavallos Feuillage, Vampa e
ero de poro sangue, de boas tiliacSes,
proprios para corridas ou para garanhSes,
seis eguas do Estado e 20 fardos de al-
ala.
Qulnta-feira SS do corrate
A's 11 horas
Agente Pinto
No largo do Corpo-Santo________
Leu
ao
De 2 Out-riggers e 2 escaleres, Oceanie
e Pernambacana com seos pertenees'
Quinta feira, 26 do corrente
A.' 1 hora da tarde
Agente Pinto
rn azem do largo da Ponte-Velha o-
de se acham os mesmoa botes
Leilo
De um terreno sito no principio da ra Impe-
rial, junto ao terreno do tinado capito Manoel
Joaquina Ferr ra Esteves, tendo 50 palmos de
frente e 150 de fundo, limitando ao norte com
terrenos de Affonao da Cruz Muniz, pelo aul
com terreno pertencente ao capito Ferreira Es-
teves, frente para o nascente pela roa Imperial
e fondo para o poente.
Sextu-feira, 27 do corrente
** hora*
No armazem da ra do Imperador n. 16, onde
haver o grande leilo dos terrenos das casas
da ra do Arapo, pelo agente Martina.
Leilo
_ _
dr, 1 jardlneira.
Urna cama franeexa, 1 marque o, i guarda
comida, 1 mesa elstica e muitos outro s movis
de can de familia
cgvmda ftIra, SO do correarte
A's t horas em ponto
Manoel Antonio Pereira, tendo modado a sna
residencia para Jaboatio, far leilo nao s da
armaco, balcao e mais pertences da fabrica
Martina, bem como de differentes movis de
casa de familia, existentes no.pavimento terreo
da easa da roa da Imperatrii ns. 1 e 6.
Atuga se a referida toja da esquina com gran-
des accommodacea para estabeiecimento, e casa
de residencia para hmilia._______________
Agente Britto
Leilo
i Terca-felra, Io de #_
Ultimo leilo
De 1 armaco envidracada, 10 candieiros de
bronxe, de 2 e 4 luzes, 3 serpentinas, 4 re-
domas, 3 gigu com oofines e tigellaa, cbiearae
sem azas, pratee trtvessov bacas e jarros, jar-
rinbos dourados, pequeos, 2 ditos grandes,
arandelas de metal, 3 carteiras de amarello. para
escolas, 2 fiteiroa, 2 relogios, 2 cadeiras de ba-
laceo, 1 esprefuicadeira, 1 machina de costara
e outros objectos.
Ra da Imperatris n. 13
Ao correr do martello-
A's 11 hora em ponto
Do excedente RestaurantjFederalista, completa-
mente montado com bons utensilios para o ser-
vico do mesmo grande sortimento de bebidas
finas, em magnifica locaiidade, sito ra Lar-
ga do Rosario n. 31.
tteita-felra, 13 do corrente
A't 11 lioraa
O agente Gusmo, autorisado pelos Srs. Octa-
vio Rodrigues & C, proprietarios do mesmo, fa-
r leilo do referido restauran!, o qual ser
vendido livre e desembarazado de qualquer
onns.__________________________________
A gente Burlamaqui
Leilo
exta-felra, 9 9 do corrente
A's 11 horas (
No armazem ra do Imperador n. 41
De fasendas, camisas de linho e roupa
O agente cima, autorisado, vender ao correr
do martello, ama macbina de costara de alfaiate,
ama mesa grande,propria paraoffleina de alfaite.
calcas, paletots de panno fino, gravatas, colletes,
camisas de linho e muitos outros artigos.
Leilo
Seguro em prego de capital
Do dominio directo dos solos em que esto edi
ficadas as casas da ra do Aragfto, freguezia da
Boa-Vista.
Solos das casas do lado dos nmeros impares
i, 3,5, 7, 9, H, 13, 15. 17, ,9, l, 23, 25, 27, 29,
31,33,35, 37,39, 41,43 e 45.
Solos das casas dos nmeros pares 2, 4, 6, 8,
10,14,16,18, 20, 22, 26. 28. 30, 32, 34, 36 e 38.
Sexta-felra do corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 16
O agente Martios. competentemente autorisado,
far leilo dos solos das casas da roa do Arago,
constantes dos nmeros cima, conforme a re-
lacSo que se acha em seu poder.
O mesmo agente convida aos capitalistas e
aos proprietarios a virem comprar os solos de
snas respectivas casas, para assim ficarem va-
lendo mais as snas propriedades por nao estarem
sojeitas a foro e laudemio, no caso de venda.
Agente Britto
Grande leilo
De movis, loucas, 2 pianos e 1 armacSo
envidracada
Urna mobilia de Jacaranda, 1 dita de janeo,
completa, 1 dita dejuoco com encost de palha,
com 1 sof, 2 cadeiras de blanco, 12 de guar-
nicao, 1 dnnquerque,de laxo, 1 divn, 1 guarda-
vestido, l cama francesa, 1 toilette de jacaran
d, 1 lavatorio com pedra, 1 espelbo grande,
oval, 1 luneta astronmica, 1 esphera armitar,
1 globo geographico, ps de bronze, 6 sanefas
douradas, 1 lustre de vidro para gaz carbnico,
2 contadores mecnicos, 1 commoda de amarel-
lo, 1 cabide de columna, 1 mesa elstica de 4
taboas. A secretaria de moguo, 1 relogio de pa-
rede, 3 tribunas de grade de ferro. 3 lousas
grandes, 13 bancos de amarello. ps de ferro, 1
carta mural de Levasaeur, 1 planta do Rio de
Janeiro, 10 cartas geograpbicas, 50 tinteiros de
vidro, 2 lavatorios com pertences, 3 aparadores,
cadeiras de junco e de amarello, 13 narquezoes
de amarello, 28 camas de ferro, 2 alcatifas para
sala, 1 titeiro com colleccoe* de animaes, 2 es-
trados de louro, 2 tapetes, para sof, 2 estantes
de amarello, 47 globos ds cores para gas car-
bonico, 4 armarios grandes de amarello, 3 cam-
pas elctricas, 5 grandes (Reros de amarello,
envidracados, proprios para armaco, 3 lampa-
das belgas, 9 mesas grandes de amarello, 13
bancas-mesas americanas, 14 bancos para car-
teiras, 6 uibide de parede, bacas, loucas, vi-
dros, jarros, lanternas, serpentinas, talberes,
copos, garrafas, colheres, 2 baluncascom pasos, 7
bolas, 1 armaco de louro, bancos para jardim,
candieiroa para kerosene, ditos de suapenso,
belgas, 17 arandelas para gaz carbnico, 3 bi-
dets, etageres, 1 sineta grande, 1 compartimen-
to para escriptorio, 1 jarra com torneira, osear
radeiras e outros objectos proprios para coegio
e casa de familia.
Terca-felra Io de Jnlho
No collegio da ra do Hospicio n. 71
Principiar s 10 boras cm ponto por serem
muitos os lotes.
MISOS DIVERSOS
Precisa se de orna ama para eosinhar, e de
outra para engimmar : na ra do Vigario n. 5,
armazem.__________________________-
Precisase de urna boa coainbeira ; na ra
da Soledade n 82
Leilo
De ama magnifica cama de Jacaranda, 1 sacre
tria da mesan madeira, diversas mesas com
pedra, lavatorios, 1 carteira, 1 macbina de
arte de litbograpbia, quadros e muitos outros
objectos que estaro patentes no acto do
leilo.
SEXTA-FEIRA, 27 DO CORRENTE
Ao meio dia
No armazem da ra do Rom Jess numero 44
A>r intervencao do agente
Alfredo Guimaraes
Age
Leilo
Del" 00 fardos com atfafa (era um ou mais lo-
tes), 50 caixas com mas-as, 2 ditas com sabone-
tes, 1 dita com bo'es, mobiliaa de junco e mu
tos outros movis.
?gente Pinto
eita-felra. S9 de Junho
A's 11 horas
Ra do Rom Jess u. 45 ________
mte Pestaa
Ultimo leilo
De 680 palmos de terreno no Alto da Torre,
ra do Rio, tendo o mesmo de fundo, perten-
cente ao espolio do capito Joo Carneiro Ro-
drigues Campello.
eita-felra, do corrente
A's 11 horas em ponto
No armazem travesea do Corpo Santo -
a- 27
O agente Pestaa vender, por mandado e as-
sistencia do Exm. Sr. Dr. jmz de orphos, o tsr-
reno cima mencionado com 680 palmos de fren-
e e o mesmo de fondo.
AMA Precisa st de urna, para casa de
familia : na rna da Palma n. 80.______-
Alugam se casas caladas e pintadas nos
nados de S Goncalo, a 84000; a tratar na ros
la Imperatriz n. 76.
Patacoese ontras moedas de coro e prata:
compra-se pelo maior prego ; na roa do Com-
al erci o. 4.
O Sr. Luiz Ferreira da Cruz, resolva,
quem paga o acceitante ou o secador.
se
Aluga-se a loja da travessa do Livramento
n. 10; na roa do Apollo n. 11.______________
Precisa-se de um rapaz de 16 a 18 annos.
que tenna pratica de padana e d fiador de sna
conduca ; a tratar na ra da Praia n. 12, ou na
roa Imperial, padaria Victoria.
Urna senhoia viuva sem tilboa, desejando
empregar-se em casa de familia como profesaora
de primeiras letras, dentro ou fora da cidade,
pede a quem pretender os seus servicos que dei-
xe nes a typographia carta para M. E F. L.
Precisa-se de urna boa
cosinheira, na ra da Sole-
dade n. 82.
Compram-se pa-
tacoes portuguezes,
hespanhoes, etc. etc.;
na ra do Commercio
n. 32; paga-se bem.
Ao commercio
Casimiro Jos Goncalves faz sciente-ao res-
peitavel corpo do commercio que comprou livre
e desembarazado de qualquer onus, ao Sr. Ma-
noel Raptista do Amara!, o seu estabeiecimento
de molhados sito ra da Guia n 47 ; portaoto
se alguem se julgar com direito ao mesmo,
quelra apresentar-ae munido de seas ttulos no
prazo de 3 dias, a contar da data deste.
Recife, 26 de Junbo de 1890.
Vende se o estabeiecimento de molbados
sito roa de D. Mara Cesar a. 39, propino para
principiante e bem afreguezado : a tratar no
mesmo.
Cal nova de Lisboa
J ebegon para Gil maraes -Valente, no largo
do Corpo Santo n 6.___________
Leilo
Agente Pinto
Da armacio de amarello envidracada, contendo
ricos ffteiros solios, de armario, e para bal
coea, 1 ou 3 balcoes euvernisados, 1 lustre de
bronxe com 8 tucos, 2 espelboi grandes dou-
radoa, taboleiros para cigarros, arandelas de
porcelana, outroa candieiroa a gai, registro e
encanamento da fabrica de cigarros Martina,
i roa da Imperatris n. i.
Bem eomo:
Compra-se
ama armaco de amarello, envidracada, propria
fiara taverna : quem tiver dirjase a tratar no
argo do Carmo n. 2. _________
Pataees
e ontras moedas de ouro e prata compram-ao
pelo maior prego, na roa do Commercio n, 4.
Patacftcs velhos
Compram-se na relojuaria David, rna do Ca-
bug n. 14.
Compra-ae Caatelaa^o Monte de Soo
corro de qualquer joa, briUiactea relo-
gioe, paga-se bem na rna do Cahag n.
n.14.Loja de relojoeiro.
Bom negocio
Precisa se de um rapaz com pratica de mo-
lbados, ou de um rapas com algnm capital para
socio de ama taverna na freguezia de Santo An-
tonio, em boa locaiidade e bem acreditada :
tratar na ra da Detenco n. 29.
(taro e pwte
Compra-se, como tamben
moedas, ra du Cabug
n. 9., loja de Augusto Reg.
Gasa
Aluga-se o 2- andar do predio n. 39 rna da
Imperatriz, com agua, caiado e pintado, com 4
quartos, gabinete e 2 talas ; a tratar na roa da
Conceigo n. 43. _______
Gasa para alugar
01 andar da roa larga do Rosario n. 37,
esquina defronte da igreja. com commodos para
grande familia ou escriptorio ; a tratar no pa-
vimento terreo. -
Attenfo
Os proprietarios do antigo e acreditado arma
zem do Lima, sito ra Baro da Vi itoria n. 3,
participam ao respeitavel publico e aoa seus
distinctos freguezes, que tnnsferiram tempora-
riamente sen armasem para a mesma ra n. 9,
continuando da mesma forma a receberem suaa
ordens para lhes servir com o costamado e ha
bitual desempenho.
Jos remandes Lima & C,
Rna Baro da victoria n. S
Telephone323
Alugnel barato
Visconde de Goyanna n. 159.
Largo de S. Jos n. 74.
Pedro Affonco n. 46, 1 andar.
Becco Campello n. 1,1 andar.
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Rna do Bom Jesns 2*. andar n. 47
Ra Agoazinbas em Beberibe n. 7
Ra Itaparican. 43 1.* andar.
Travessa do Carmo, loja n. 10.
A tratar roa de Commercio n. 8,1 aod
riptorio de Silva Guimaraes & C.
Livraria Contempor-
nea
?tramentoa de araste*
BomDardo, bombardino, barytono, tronr.
trombone, helicn, saxapbone. carrilon, bomb
iaixa, pratos,elarinitas. flautas/abecas, violoe
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quartos, gabinetes, corree
res.
Molduras
lourads, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viaeem, diversos formatos, especialmei1
para roupa de senbora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptorio, toncador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA & C.
Bna Prtmetro de Hareo b. 9
Precisa se de um criado
que de Caitas -o. 63.
to
a traUr na na Du-
Casa e sitio
Aluga-se ama casa em peneito- estado de as-
seio, com agaa, gas, jardim. baobeiro com cha-
visco, diversos arvoredos dando fracto, e com
bastantes aecommodacoes, na estrada para o si-
tio do Cajaeiro sob n. 6: a tratar na roa da
Conceico da Boa Vista n. 43.
Mana Lerqneira Oasiro Monteiro, Manoel ae
Castro Monteiro, Angosto de Castro Monteiro,
seos irmos Jos de Castro Monteiro, Antonio de
Castro Monteiro, sna sogra Rosa Antones de
Oliveira Monteiro e seos fllhos agradecem do
intimo d'alma a todos os prenles e amigos que
acompanharam nltima morada a sna prezada
esposa, tilba e mfti Maria Cerqueira Castro Mon-
teiro e Manoel de Castro Monteiro, assim como
a todas as corporaeOes que se dignaram fazel-o
e muito boa vonUde e promptido ; Sacramen-
to de Santo Antonio, N S. do Rosario, S. Jos.
S. Goncalo. As missas resadaa que deviam ter
ugar no stimo dia, ficam transferidas para o
Bfeaimo dia. 18 do rniro mez de julho.
t
Joi Mari de Soasa Aran jo
A viuva, sogra, cunhados, sobrinhos e primos
do fallecido Jos Mara de Souza Aranjo, agra-
decem a todas as pesaoas que acompanharam
ultima morada os restos do seo sempre lembra-
do esposo, genro, cunhado, lio e primo ; e de
novo as convidam para aisistirem as missas que
pelo repooso de sua alma, mandam celebrar na
capella do cemiterio publico, s 8 boras da ma
aba do dia 26 do corrente, stimo do seu passa-
ment. Antecipam seus agradeeimentos a todos
que- compsrecerem.______________________
t
i
-i
A
-i
i
i
-i
4
i
i
i
-
i
i
i
-}
i
--}
-
J
->-
-
}
-1
)
-)
i
-
4
i
-
i
-J
H
-)
->
-I
-1
-i
Prepon do riese depuntito
Approrado pela Ilustrada Junta de
Hygiene Publica da Corte.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSI9O
Mara Digna de Paula Costa
Antonio Francisco da Cosa, seos-fllhos meno-
res, Joo Francisco de Paula, sua molber Fran-
celina Maria do Nascimeoto Paula e seus filhos,
agradecem do intimo d'alma s pessoas que se
dignaram acompanbar ao cemiteriq publico de
Santo Amaro os restos mortaes de sua sempre
chorada mulber, mai, tilba e irm, Maria Digna
de Paula Costa; e de novo convidam os seos
amigos e parentes pira assistirem as missas do
stimo dia que por sua alma mandam rezar na
ordem 3." do Carmo, no dia 26 do corrente, s 8
boras da manb, que por este acto de religio e
caridade se confessam ralos.
Mara Isabel sluiee
Manoel de Souza Cordeiro Siraes, sua malher
e filhos, Jos de Souza Cordeiro Siaes e suas
irms, Joo Alves do Valle e sua mulher, agra-
decem do intimo d'alma a todos os parentes e
amigos que acompanharam os restos mortaes de
sua prezadiasima cunbada, tia prima, Mara
Isabel SimOes, sna ultima morada; e de novo
os convidam para assistirem ; s missas que por
sua alma mandam rezar na ordem 3.* de N. S.
do Carmo do Recife, s 8 boras da manb 0
dia 26 do corrente, stimo do sea fallecimento,
anIpcipado d^sde j seus agradeeimentos.
de
Firmino Candido de Figueiredo.
Empregado com a maior efficaa no
rheurnatismo de qualquer natureza,
em todas as molestias da pee, as
leucorreas ou flores brancas, nos
soffrimentos ocasionados pela impureza
do sangue, e finalmente as diSerentes
formas da syphiKs.
Dote Nos primeiro seis dias urna
colher das de cha pela man ha e outra
noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para^olhe-
res das de sopa para os adultos e me-
tade para as enancas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhos frios ou
momos, segundo o estado da molestia.
DEPOSITO CSKTBaL
Francisco Manoel da Silva & C.
Droguistas
23 Ba Marques de Olinda
Pernambuco
3 BMMMMJaMJkfMfMVPpMMMMMMMl t
Chaves perdidas
Perderam-se oito chaves pequeas, presas em
urna argola ; rogase a quem as acbou o obse-
quio de entregal as a roa do Bom Jess n. 43,
que ser recompensado.
Perdeu-se
Quem acbou ama copia de escriptnra do pre-
dio n. 49 A roa do Baro de S. Borja, pertencente
a Bartholomeo Lourenco, queira reatituil a que
ser bem gratificado, entregando no meemo pre-
dio ou roa da Madre de Dea n. 8.
Ao commercio
Os abaixo assignados avisam ao respeitavel
corpo commerciat detta praca que compraram
aos Srs. Pedro d'Able & C, livre e desembara-'
cado de qualquer onus as mercadorias e arma-
Co'existentes no armazem da tua Mrquez de
Oltoda n. 36. Recife. 23 de Junho de 1890.
Julio Mues da Silva.
_____________Joo Rodrigues Pinto-
Ao commercio
Pedro d-Able & C. communicam ab respeitavel
corpo commercial desta praca, que venderam
aos Srs. Julio Nnnes da Silva e Joo Rodrigues
Pinto, as mercaderas e armacSo existentes no
armazem da ra Mrquez de Olinda n. 36: fican-
do a cargo dos annunciantes a liquidacao do ac-
tivo e pasaivo de sna firma. Recife, 25 de Ju-
nho de 1890.
Pedro d'Able 4 C.
Engenho
Arrenda se um engenbo muito bom de agua,
moenle e corrate, em Jaboato, distante ama
legua da eaUco, com extensas trras e matas
para safrejar 2,000 pes de assucar, e tambem
se vende a safra fondada ; a tratar na rna larga
do Rosario n. 37, Progresso Central.
Engenho Guarany
Arrenda-se este engenbo simado na comarca
de Jaboato, distante da establo de Tigipi orna
legua : quem pretender dirija-se ao largo do
Corpo -Santo n. 15, i andar._______________
Cosinheira
Precisa-se de ama cosinheira ; a tratar na ra
Visconde de Goyanaa n. 66, eu roa do Vigario n.
19, armasem.
Sociedade Litteraria Gon-
^alves Dias
t
Jouu Barbosa dos Bel*
A directora da Sociedade Litteraria Goncalves
Dias convida aos consocios benemritos, hono-
rarios e efectivos, aos collegas, amigos e a fa-
milia de sen prestimoso e indiloso consocio Joo
Barbosa dos Res, para assistirom a miasa qae
por sua alma manda celebrar no dia 27 do cor-
rente, trigsimo do sea fallecimento, pelas 7
horas da manh, na matriz de Santo Antonio-
Desde j protesta a sua eterna gratido aquel! es
que cemparecerem ao referido acto.
O 1- secretario,
Joo V. Croz Jnior._____
Manoel Paulo de Souza
Jos Alves da Silva convida aos seus amigos e
aos de sea fallecido irmo a assistirem as mis
gas que por descanco deste se celebram no sab-
bado 23 do correte, s 8 horas da manh, na
matriz d Roa-Vista e na capella do povoado
Pregonas.
Dr. Antonio Saluatlano de ilireu
Beato
Antonio Faustino d>- Miraada Reg, tendo re-
cetado a infausta noticia do fallecimento de seu
prezado pa, Dr. Antonio Salostiano de Abren
Reg, na cidade de Goyanna. convida aos seus
parentes e amigos para assistirem e missa do
stimo dia do seu pasamiento, que pelo reponso
de sua alma, manda rezar na matriz de Santo
Antonio, sabbado 28 do corrente, a 7 1/2 horas
do dia, e desde j se conftssa agradecido a to-
dos que assistirem a este acto de religio^____
Vende-se
urna boa machina de numerar e diverso* cofres,
sendo um muito grande, e qne foi da antiga tbe-
souraria das loteras ; a tratar na roa Mrquez
de Olinda n, 1, andar.________________
Para engenho
Um homem casado com ponca familia offerece-
se para ensinar instrueco primara em algum
engenho ou povoaco no centro do Estado ;
quem precisar diri]a-se a ra da Madre de Deas
n. 11, loja de alfaiate. _______________~
Declarado necessaria
Rodrigo Carvalho & C. declaran) que nada
devem ao espolio de Jos Luiz Ftrreira Costa.
Recife, 13 de Junho de 1890.
Rodrigo Carvalho & C.
riada
Quem tiver de embarcar para a Capital Fede-
ral e preciaar de urna criada de coahanca e que
naoenji, para cuidar em criaugas, dirjase
ra Vidal de Negreiros n. 91, que a cbar com
quem tratar. ^^^^^^
aVlSEf
Boyal Bleed marea VIADO
Este escolente Whisky Eaoocea pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalno nos melhors arma
aens de molhados.
Pede Ryal Blend marca Tlado
cujo nome e emblema s3o registrados para
todo Brazil.
BROWN8 A C, agentes.
Attemjo
Maranna de S. Jos Cavalcante, viuva, cem
avancada idade, tendo em sua compartida tres
netinbos orphios de pai e mi, e sem ter o mi
nimo arrimo para os sustentar e vestir, pela
grande pobreza em que muito se acha, recorre
s almas bemfasejas, pedindo ama esmola para
os meamos, de cujo beneficio ser pelo Altissimo
recompensadas. A residencia da supplicante
na ra Augusta, casa n. 238.
Vende-se
meia mobilia. loucas e preparas para cosinha,
por proco commodo ; na ra do Rangel n. 50.
Vende-se o hotel bem ljcalisado, sito ao
largo do Mercado n. 3. O motivo da venda se
dir ao comprador : a tratar no mesmo.
PETTORAL de GEBEJA
Do Dr. Ayer.
JU enfermldades mais dolorosas da rargaat*
e do* palmSe*. ordinariamente desemolrtm-*,
Undoborprladpio baaes peqneiuu, eajo nauta,
do* nao sao difflol* de corar Be promplamente s*
tralio com o remedio conveniente. O Bo*ftt>
do e a* Toaaea dio reciprocamente o re altado
de LarintltU. Aithmi, BronchitU, Affeo-
eao Pulmonar e a TUica.
Todas as familia) qne tem criaocas devem ter
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
em casa para o asar em caso Me rne*essid&de.
A perda de um so da, pode em muitos caso*
aocarretar serlas comequencias. Por tanto alo
te deve perder tempo precioso, experimentando
remedios de emeada duvldosa, emqnanto qne
a enfermidade se apodera do systemae searrafa
profundamente, ento qne se necessita tomar
nene Instante, o remedio mais certo e activo em
eu afeito, e este remedio sem dnvida algum*,
a FxrroJbli. de Ckreja do Dr. Aiek.
PBEPABASO PBt/>
DR J. C. AYER & CA,,
.Ijowell, Mass., Est.-Unidos,
DEPOSITO OERAL
^jB.00 OUS^
PARA O CABELLO.
Augmenta, Aformosea
FAZ CBESCEE O CABELLO
oom assombrosa rapidez,
Ama
INOVIDADES
Vlanequins de Bazar
Precisa-se de ama ama para eosinhar e com-
prar ; na roa Velha 137.
Ama
Precisa-se de orna boa cosinheira para casa
de pequea familia, que durma em casa dos
patres e seja matriculada ; na rna de Fernn-
des Vieira n. 19.
Abre e fecha como chapeo de sol e ser-
ve para qualquer senhora por mais gorda
ou magra qne seja fazer seus vestidos sem
ter necessidade de costureira.
Cortinados de cSres para porta ou janella
a 1)9600 o metro.
Crochet branco e de cores para cortinados
a ltfOOO e 1,5500.
Flores para cabello ou eneito de vestidos
a 1*000, 1*500 e 20(00.
Sabonetes para pannos e sardas a 1 jJO
Extractos finos, frasco com 20 gotas, a
2.0 ra.
Lapis de ouro a 10500 e 20000..
Tesouras com mollas e caiza a 10500.
Porta-luz com phosphoreira a 10000.
Relogios para ver no escuro a 80COO e
100000.
Albuns para 10 ou 25 retratos a 30000.
Parauso domestico
Bramante de 4 larguras a 800, 10000 e
10200.
Panno de linho com 4 larguras a 10600 e
2000.
Atoalhado adamascado a 10400.
Panno da Costa, com quadros e listas,
10000 e 10200.
Guardanpos finos a 10800 e 20000 a du-
zia.
Toalhas felpadas a 60000 a dita.
Cretones para cobertas a 303 rs.
Colchas de cores, muito grandes, a 20000,
Cortinados bordados para cama ou janella
a 60000.
Oleados de cores para mesas, cada repar-
timento 40500.
AlgodSozioho largo para todos os precos
E muitas fazendas que se vende por
qualquer proco.
D se descont a quem comprar de
210OCO para cima.
NA LOJA DAS LISTRAS AZUES
Injeccao
Se nlo morri desesperado, sofirondf
muito tempo urna molestia chronica que
ninguem poda curar; foi por encontrar o
santo remedioInjeccSo M Moratoque
instantneamente poz termo ao meu hor-
rivel BofErimento.
Taubat.
Aagusto Cintra Magalhet.
Agentes depositarios em Pernambuco :
Francisco M. da Silva & C, ra Mrquez
de Olinda n. 23._____________________
Bom negocio
Admitte-se um socio com algum capital para
averna : a tratar Ja roa de Domingos Jos Mar-
tins n. 80
Aos agricultores
O bacharel Petronillo de Santa Crns Oliveira
contina a encarregar se de levantar emprest
mos para auxilio da lavoura sob nypotheca de
propriedades e penhor de safra ; na ra do Im-
derador n. 96, i andar.
Olaria
5Ra da Gloria-8K
Nessa olaria encontrar*se-bao os seguintes
materiaes, que nao teem competencia :
Telbas.
Tijolos de alveoaria batida.
Ditos de dita mais Ana.
Ditos de ladriiiio.
Ditos de tapamento.
Ditos cosidos propiamente para calcadas.
Todo este material fabricado com o ptimo
barro da agua doce do Taquary. Acrai tem o
freguez toda a quantidade que necessitar sem
demora
85Ra da Gloria85
Taverna
Vende se urna taverna propria para princi-
piante, por girar com pouco capital, o alueuel
aioavel e tem commodos para morada ; para in-
forrmages i ra doCapito Lima n. 31
Tai
verna
Vende-se a taverna da rna da Palma a. 71,
bem afregaezada; a tratar na mesma.
Attenfo
Precisa se de ama molber ou menino para
vender taboleiro ; na roa Marque do Herval n.
118, loja.
Precisa se de ama ama para eosinhar e en-
?ommar ; na roa larga do Rosario n. 9 (regula-
dor da marnha).
Amas
Precisa se de dnas -amas, sendo ama para
enanca e outra para o ser vico domestico ; a tra-
tar no caes 22 de Novembro n. 24, armazem, ou
na ra Barao da Victoria n. 59,1- andar_____
AMA
Precisa se de urna ama para comprar,
eosinhar e fazer ensaboado em casa de
familia. Prefere-se pessoa que seja s e
que seja matriculada. Na ra do Hospi-
cio n 6 se dir quem precisa.

Precisa-se de ama ama qne cosinhe bem ; a
tratar na ra da Imperatriz n. 15.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinbar, para
casa de pequera familia ; na ra Direita n. 64,
segundo andar. ___ __________
Tnico de Cama can
(Restaurador vegetal dos cabellos)
Dentre todas as preparagOes congeneres que
detidamente propalam seus effeiios, nao surgi
anda urna que atcaocasse o xito do Camacan,
que pela sua composicao assaz poderosa e sua-
ve, tem a propriedade exclusiva de curar e pre-
servar os cabellos de todos os males da calvice
que possam sobrevir-lhe Composto somente
por Jos Gomes de Amorim (iuccessor de Mar-
tins Bases) epremiado na exposic&o de Pars
de 1889, o Camacan foi submettido a longas ex-
periencias, as quaes deram maravilhosos resal-
tados : venda em todas as lojas de perfuma-
ras e no deposito geral da fabrica ra da Au-
rora n. 163.
MAIS DE 10:000 CURAS
tihtub* nrraui
MST_E.B2EflM.S_0
DORES DE DENTES
:p.A.:R..Axr$rsx,Ae
PBJ'ARADO NICAMENTE
POR CAA8ANS & C.NA BABIA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos, inchayes, dores sciaticas, nevral-
gias, dormencia, etc., empregando-se em
fomenta^oes sobre os lugares afectados,
Cura o beri-beri, as paralysiaa e as dSres
de dentes.
Todos os frascos levam direc58es para
aso d'este medicamento admiravel.
Pre90 l)J2O0. Descont de urna duzia
em diente.
DEPOSJTO NO RECIFE
Francisco.Manoel da Silva & C. roa
Mrquez de .Olinda n. 23
Hanteiga Espacial
PARA ROLOS
Latas de meio kilo 800 ris.
Crpo Santo n. 6
.ulularais *fc \ alelen
Vende-se
superior massa de mandioca para bolos a 13000
o kilo ; na Camb5a do Carmo n. 10.
Criado
Precisa-se de nm criado ; na ra do Paysan-
d n. 19.
Bom emprego de ca-
pital
Vendem-se as casas da ra do Padre Floriano
n. 41, e Vidal de Negreiros n. 30. A 1.'tendo
venda na esquina e dependencia na travessa de
Antonio Henrique, rendendo 48*000 mensaes.
e a 2.* ser .indo para qualquer estabeiecimento,
rendendo 300: trata- se com Olegario Nei 7a, na
ra Marcilio Dias, antiga Direita n. 131, primei-
ro andar.
Elixir M. Morato
PROPAGADO POR D. CARLOS
Depois de 6 annos de atroz soffrimento
de rheurnatismo, estando verdaderamente
descorocoado, sarei completamente usando
o=El_ir M. Morato^=que declaro ser o
melhor e nico anti-rheumatico at hoje
S. Paulo, 2 de Novembro de 1889.
Cetario Rodrigues Alvim.
Curso primario uocturno pa-
ra adultos
Raphael de Azevedo tem aberto em sna resi-
dencia um curso primario nocturno para adultos
e pelo sen metbodo de ensino garante rpido
aproveitamento aquelles que desejam multipli-
car e enriquecer a vida interior, associar-se a
vida de seus semelbantes, unir-se e fraternisar
com os homens; islo ler, escrever e contar.
Horario das 6 s 9 da noite.
Ra da Gloria n. U9
Aluga-
se
urna boa casa pelo alugnel mensal de 25*000,
com bailantes commodos para pequea familia;
na roa da Gloria n. 115 ; a tratar na roa do Li*
vramento n. 3.
/


de -P&nambuco-Quarla-feira 25 de Junho de 190
PREQOS BARATOS
Na ra do Crespo n. 21
LOJA DO C4MP0S
Chitas setim de ramagem 280 ra. o covado.
Linn com ramagem grada a 400 re. o dito.
Dito com barra e ramagem, nm metro de largura, a 500 re. o dito.
Etnmines de cores, ores miudas e ramagem a 400 re. o dito.
Cretones, novidades em cores e padrees, a 360- re. o dito.
Voile de II, retiramoa d'AUandega o mais lindo sortimento de voile, em pa-
drees e ao prejo de 800 re. o dito.
Merino ssetinado de 1S com ramagem, a 500 re. o dito.
Damass d'algodlo com preparo de seda a gosto de voile a 800 rs. o dito.
Aasim como variedade de artiges, tauo de phantasia e por presos que gar anti
mos sem competencia.
Na laja do Campos
RUADO CEE8P0N.
Iijecco Caclet
Cardoso & Irmao
Ra do Barao do Triumphons. iuv
Receberam novo sortimento de vapores dos acreditados fab-icarte
Hobinton para trabalbar com fogo de assentamento, moendas, taxa.,
tacar e todas as mais ferrages r---:" agricultura.
104
ras
lavarla l kart.
fU MOK1M* U IjftlM *
r=| QUINA E FERRO
Calorse, Anemia, Debilidade
O-u-ret d*B Febrea
tSM

1VIMHQS buladosQSSiAM HENRY
ll !^^ I 1
Mundo enteiro
PAR. CURAR
aem nenhum outro medicamento e aem temer accidente.
PARS 7, Boulevard Denain, 7 PARS
Depsitos em Pernamuco: FKAN- M. da SU.VA *C,ena principas. Pliai-matoU.
,
r


CURA CE
ta MOLESTIAS NERVOSAS Poio
il^OPE HENRY MURE|
Bom ex;to verificado por 15 annos de experiencias nos Hospitaes de Pars
PELA CURA DE
Epilepsia H y atera
Chorea
I if s ero Epilepsia
Molestias do- Cerebro
e do Eapitthoco
Diabete assucurado
Convufsocs, Vertigeia
frises iwi'VAtrnia
Ejcaquecas, Tonteiraa
Congestoes cerebraea
Inamnia
Spermatorrla
Um Folheto muito imprtante dirigido jfituJment a sualquar pssa que o pedir
HENRY MURE, em Pont-Saint-Esprit (Franca)!
VBNOS-6S BM TOAS AS PamCIfAS PHARMAGUS B UEOQAiUAA
'
-
".T
BRONZE
i
DE
CAR1I0Z015-
Ra do Bario do Triumpho ns. 100, 102 e 104
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para ve oder seguate:
VAPORES e diversos fabricantes para fogo dire.jtpara o ou fogo de asae
lamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRTVACES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallps.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmont
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM-SE de qualquer concert- e mandara buscar por encommei
a, mediante ajuste previo ou urna mdica commissSo qualquer macbiniemo.
MACfflNAS de descarocar, algodUo
VARANDAS de ferro fundida e batido.
CONTRACTAM fornecimanto de.^appMalboa ftarn Malwmm, gaaanuntto-a b6
noaUdade e bom trab&lho.dos mesuws, o qua,,po4eni proyar ,com o bom resultad,
tbtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Fionilla e Joao Alfredo
Vendem a Draso ou a dinirairo i com descont.
fea,umUmUt JfraYrta **rla, mM citbintttom finia lar***-
A. Mb reunlSo, n'cste preparado, doe dous tnicos por exenllencl.. s Quit*
o o Y3O, coustltoe ura precioso mcdlcjmer.to contra a fiiiora*. ve*
!'t '.'-V.v, 4neunn. flor** 4trattcas> Cn*tituU;ic ffiean, <
PARS, BA.EN.& aOUBt:r| 43. ** TAm>tisrauu.
Depositarlos sm rcrnatnbnco : FRAti" at. da SILVA cu.
di FIQADO FRESCO da BACALHAO,
PrMorlpto deada ao ajotoe. m Frene, inglUerre. Hwptaha,
LOTERA
rao
ESTADO DE PERNAMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa d$ Misericordia XNTEGRAES
A 8.a parte da L8 lotera deste Estado ser
extrabida impreterivelnifnte* sabfcado 28p"o
corrente.
Todos os pedidos de bilhetis. desta loterja
deVem ser difigidosi thesouraria ra larga]
do Rosario n, 9 1. andar.
PELOS CONTRACTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.
VERDADEIROS
AGUAeP^BOTOT
Os t&nicos Wentirficios
approvados pela ACADEMIA de MEDICINA
Branqueam os Dentes. Forticam as Gengiras.
---------------------
DEPOSITO : 17, Fue de la Palx, PARS.
Antigamente : OSO, Ru Saiat-Honor.
DEBCONFIAR-SE DA FALBiriC.9E8
^CKIM-SB KAS PRINCIPIS p fl O O A R I A 3 B flHFUMARIAB.
*T~
FABRICA DE LIVROS DE ESCR1PTURACA0
NOADIMIAtAO PAUTAQAO

CQanoel J. oe (EJiranda
praso
L
DIGESTOES
DIFFICEIS
Dyspepsla
Perda
\tta Appatita
TONIOO
XU TODOS
DOENCASdoESTOMASO
ELIXIR GREZ
y OHMtTIVO oom QUINA, OOCA e PBP
I TODOS OS HOSPITAKS Jftrflhai amia-couja c.im ->>,,( fiiaiHii
GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos
Dlarrha
clwonlca
PEPSINA
* 39 KA nr DUQUE -- DE --CAXI^S HK^SQ ?
NUMERO TELEPHONICO 194
55NJwWJa.
11Ra 1 de Marco11
08 MDICOS SDB8TITDEM COM XITO
o 0L0 de FIGAD0 de BACALH0 aaeim como o VINHOde QUINA
ELIXIR DUCHAMP
COI EXTRACTO DE FI6AD0 BE BACALHAO COI QUIMA E CACAO
Este CMEME de CACAO um podero Depurativo
e tmeomtpuramel Corroborante,
JEaM HM ATMMO : PPOargikHyffl. 15, RU DE POITOU,
DepoattartBa em Hwmiw; nuur a t uta 4 o*.
ASTHMA & CATARRH0
Curados pelos CIGARROS ESPIG
Oppreaa&ea Tosae Defluwoa Xevralgiaa
licicudos pela inspectora di byoikme do i hpirio do dbaiil
Aspira-se a fumaca que penetra no pello, acalma o systema nerroso,
facilita a expectoracao e favorlsa as func?6es dos orgaos respiratorios.
V rVourtuM : FRAMCcc M. da SILVA 4 CX s om Fricita rOamaaa !*"

DO CBJGBBS
Dr. Humphreys de Nova York.
A Verdadeira Maravilha do Seculo.
APPEO^ABA E LICENCIADA
pela Inspectora Geral de Breleae do
Imperto do Brasil.
A MaraTilhm QaEatlTa 6 remedio prompto
para as Pisadura, Mahucador&i, Contnadoa, Tor-
oeduras, Cortadoras, oa Laceracoas. Allrrta a d6r,
estanca o aangue, fas parar a faflammacao. redua
a tncaacao, tino deacoramento, e fazsarai a ferlda
como por encanto.
A Maravilha Cara ti va 6 alllvio prompto e
cura rpida para Queimadoras, Eacaldaduraa, e
Quelmadura do SoLe superior a qualquer outro
remedio.
A Maravilha Curativa lmpagavel para
todasasHeBKjrrbdglas, seja do Nariz, das Gencivas,
dos Puknoea. do Kaumago, ou ae HemorraokiaBou
Alniorrelmascurasenipree nunca falha.
A Maravilha raratlvaumalllvloprompto
Dor de Dentes, de uvidoe, da Face. incoacAo
ESPE0IFIC0S

DO CSXEBKE
para
2a n
Pane Nevralgla.
A Maravilha Curativa o recurso prompto
e i>recioso para DOres meomatlcas, Aleljao, Dor e
Rigidez uas Juntas ou Pomas.
para
Inflam
ti va o grande remedio
__fc AmTgdalaa tachadas ou
ipre seguro, sempre efflcaz.
A Maravilha Curativa de multo valot
como lnjeocao para o Catarro, a Leucorrbea ou al
Floras Brancas, e outros corrimentos debilitantes.
A Maravilha Carativa lmpagavel para
curar Ulceras, Chagas antigs, Apostemas, Panari-
clos. Callos, Frielras, Joanetes e Tumores.
A Maravilha Curativa fi remedio prompto
para Dlarrbea simples, e de Dlarrhea chronlca.
A Maravilha Curativa excenente.aa
Estribarlas e Cavauaricas, para Torced ui as. Dores,
Pisaduras e Eafoladnras, Contusoes, LaceracSes, ftc
Especialidades Ao Dr. EompliTtvs.
Remedies Especficos,
I'nKuento Marnvllhoso,
Remedios Syphilltlcou,
Remedios Veteriuarioe.
O Virnl do Dr. Humphreys 144 paginas sobre as
Enf enuidades e modo de cural-as se di gratis, pede-
se ao seu boticario ou a
IInil'HEEVs' MEDICINE CO.,
109 rallo Street, NEW YOKK.
nico deposito para vendas em
Dr. Humplireys de Nova York.
Km uso mala de 80 annos, simples, seguros, effl-
cazes e baratos. A venda as Drogaras e Phar-
maclas prlncJpaes e mais garaniadas do Mundo.
CURA
So.
3. Co.....
4. Dlarrhea de CTlaacas e Adultos.
8. D vscateria. Dona de Barriga, Clica bulos
. Celerraa, Colera-Morbo, Vmitos-..........
7. Toase, Constlpacao. Kouquldao, Bronchlte..
8. Dar de Dentes e de Oara,eNe;'
8. Dor de Q "
10. DisppiHii-.
11. suppreaaAo da Regra.
rada..
15. Itheumal hiho, Dores rheumatlcas..
16. Sexdeis Malelta, Febre Intermittcntc.........
17. Hemerrhaidas, Almorrelmas. luternas ou
externas, simples ou sangrentas............
18. OphthaUuia, Olhos traeos oiLlnnammados.
W. Catarro, KUdoou chronleo, nefluxo........
20. Coqaelache, Tost espasraoaiea..............
31. Asma, T DlracSo dlfficultosa.................
22. Suppuvhy.io iliis P' "oSjSurdez............
23. Kse rol na, Im-hacoes e ulceras.............
24. Debilidade gera,, ou phyflca..............
25. Ilydronesia, Aituulacoes Buidas...........
*. F.njno de Mari ..ousea. Vmitos.............
27. Molentiasourrparias, Clculos ou Pedra
na Bexlga..............................'^"s"
28. Impotencia, DeWUdade nervosa, senunal..
29. Chaaralnhas na Boccn.ou Apata..........
50. Incontinencia de Ouriua. Ourinar-sena
Cama....................... .;.............
51. Menstruacao '..olorosa. Prurito......--..
32. Molestias do Coracfto, Palpitacoes, etc..
83. Ep v loimio, Mal caduco, Uottacoral, Balle-de
St.
S. Vito......
r
1 c
grosso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C. ra de
Marqeuz Olinda n. 23.
Diphtheria, Mal maligno de Itorganta......
CongestSes Chronlca, DOrdeCabeca....
O Manual do Dr. Humphreys, 141 paginas sobre
as Enfermldades e o modo de cural-as, se da gratis,
pede-se ao seu boticario ou a
HUMPHREYS' MEDICINE CO.,
109 Faitea Street, NEW YORK.
nico deposit o para vendas em
groso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C.

CURA CERTA
>,6 toiaa as Afffogos plmj&res
Todos aqueiks que sofircm
^ o peito, deven, experimentar
Capsulas do; Dr. Fournibb
Deposllano ein Ptrntmbuo :
niANCISCO M. d SILVA ftX
*
\ ANEMIA, CHLCROSE
* EMPOBPSCIMENiTO DO SANGUE
* COIES PULIDAS, COIVLE$CERyA
i Otado ns Hospitaes de FarH
* 6B1NDE DIPLOMA ll HOIBl.LMsNtlSU
GOTTAS Conceolraas
^ Holw>Domiu,dnnmlBt J
JVINHO E0BIN
4 Tel-HtrHln Seeoai-
J tttvlito
4SRKAS ROBN ^^.^d.
IHffomilito JO^^tkr sMimlUvel.occMion.
.^tak^AV^sr Bu pessois qus nio se !
prestam a qualqusr tra-
tamento ferruginoso, 01 <
reiuludoi 01 mais rpidos c
constantes, Mffl uodcs occa-
ion.r dOres da estomago asm
constlpacao (pnsao d ranlrs).
|ajaApnl:Pb'R8iuB;ialtr|l(e..r)
Km nrtitmbuco : Fru- *. > n. **[
Heda'hMt
*aril. tirre \
Btrtetona
eruMtllu ifJ-U)
Excediente morada
Aluga-se r grande casa e sobrado do Dr. Ay-
i iGama, na,estrada de Joao, de Barros, pertc
{ das esiu^Oes da En ;rnzilhada, das ferra-vias de
! Olinda e de LinoBiro, com immensas accommo-
; dacOSj. jardins, arvorts fructiferes da meltior
! qoadade e yasto terreno, .queriura plantacoes,
qner para criaco ; a tratar no nresmo sitio.
Pao centeio
Mello & Biset tendo recebido nova remessa de
farinba centeio, avisa aos sens fregnezes que
continuara a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sextas-feiras ; na ra larga do
Rosario u. 40.__________________________
Farello superior
a 1*800; bo largo do Mercado n. 12.
'
AO PBLICft
Queris eu>ar-vo propipta e radicalniente de vost enfermi-
dade polmonar, bronchite, aathma, rouquidlo, defluxo ou de qualquer
toaae ? Toim o remedio garantido
0 Peitoral de Cambar
de Sonsa Soares, de Pelotas, que se cha venda e as prncipaea
pbarmaciaa. e drogaras deata ciiade, a 2tJ500 o frasco 24<5000 a duaia.
Os agentes e depositarios
Francisco M. da Silva & C.
BA MRQUEZ DE OLINDA

ico
D flral :PHAMMW G. 0HMZIE, W, rntUt Wim*?M*\
ifiB B. Arassataa.. NUM- M. < SILVA C-^^BJBHBHBM
O mota aeiiro do* VmTTogiaowom
GRANDE IWOVIDADE
Esta nova Ioja contina a ter um grande sortimento e sempre pechinchas, em
preos ninguem lhe pode expeder, capricha na exactid^ da qualidade e as medidas
de suas iaaend^B que podera ser compradas por qualquer., crianja. Multas, de suas
fazendas sSo rcebidas directamente da Europa.
Descont de 10 J" em compras de 2O0XX) para,cima.
Grande sortimento.de fazendaa de phantasia para S. Jo2o e S. Pedro.
Voile de U Las imitaco de cachemira, a 240 rs.
Chitas de 200, 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de obres, desechos lindes a 300. rs o covado,
Zephiros lindos a 120, 160 e 200 rs. o covado.
Cortes de casemjra de 305OQ P 6|5000.
dem de eostumes de casemira, de c6r a 12.000.
dem idem idem preta fina, a 145000.
Ricos caaacos de Jersey, bordados, a 6$0Q0.
Toile de Be de 10600 o covado a 650 rs.
Granadme de seda, de 1J800 o covado a 800 rs.
Merino preto a 5O0, 700, 1(5000 e 10200, o covado.
Dito de c6r, liso, a 400 rs. o covado.
PARA CftlANCAS
Sedes de afires, pechinchal a 3j>000. v
Vestaaijos de Jersey, a 6t$000 e 70000.
Capioaaa ejaquotaa de.malbapara crifln2a, a 10OQO, 1#600 20QOO.-
Britvs de efires, covado 403 rs.
Merinos laviados, lindos desenkMf toalbas felpadas inglesas ^J^**^^
faito pera too o preoos, grande sortimento da,loatjoa d-seeklaV 4OOy8O0 10POw^
lencosde algodlp on.kaii frandt *> 1#6V bramaiitli'de'linll4v: e alg atosdbados, cortinados,- caiehaa, ficho, chales, sedas, letins branoos e de etres -
voiles, lindo* desenhosNovidade !
O abaixo assignado resolveu participar
aos seus amigos e freguezes que contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de:
COGNACS destacando o afamado
PauMnj, que um dos, que mais se pres-
tan* a tomarse cou leite.
VINH0S.-- Palhete sem ,prejuz,o das
outras marcas, especial,sando tambera o
magnifico Bordeaux p Republique Brtil
lienne. .
LEGUMESem conserva, eapecialida
des como nao se encontram em qualquer
casa.
CARNES em conserva, especiaes como
nunca vieram aqui.
PE1XEStambem o que ba de mais
variado.
CER VE JASonde se destaca a bem
conhecida e digna de celebridade Paulino
Bier.
CHARUTOS nm grande sortimento
das melhores marcas, e por precos muito
commodos.
Ale destes artigos acha-se o seu esta-
belecimento sempre' Bupprido de tudo
quanto se possa desjar ?um bom esta
belecimento d'aquelle genero
Ra do Imperador n. 28.
Paulino de Oliveira Maia.
VERNIIFUGE COLME]
CHOCOLATE oom SANTO MINA
IW ILUTO l*n atttrilr ti LSMBBI8i$ j
fctt vermlfoco wetaunn4de pala (U*
laaaaiwartiataleaianaiasiselia. Jft
Exiilr atl(*atvr ; (J
Podido
Pede-se ao Sr. Francisco
de Souza Motta, ajudante de
guarda-mr da Alfandega
para vir ou mandar ra do
Barao da Victoria n. 50, loja.
liquidar aquelle negocio que
S. S. nao deve ignorar, visto
nao saber-se o seu domicilio.
Cal virge,^ Ae Jagna-
ribe
Deposito no Caes do Apollo n. 3
Esta afamada cal, propria para o fabrico
de assocar, continuase a vender, pelo mes-
mo prego e abatimento do costume. No mes-
mo armazem vendem-se todas as mais quali-
dades de cal de Jaguaribe branca e preta, em
p, assim como todos os materiaes proprios
para construcc5e3 e reconstrueces por precos
menores do que em nutra qualquer parte,
Nsvidade
9 0 nwlhor (tentando *
a
Odo
mu wruu, ntutim
A Livraria Franceza avisa ao respeita-
vel publico que acaba de receber um sor-
timento de novos hvros de litteratura e
jurisprudencia, taes como:
Repblica e Monarchiapor Latino Coe
lho.
Espumas Fluctuantespor Castro Alves.
Bella Rosapor Amede Achard.
As Primaveraspor Casimiro de Abrea.
Novissima arte de cosinha.
A Carne por Julio Ribeiro.
Monographias Judiciariaspor Hyppolito
de Camargo.
InstituicSes de medecina legal Brasileira
por Joaquim Mariano GalvSo de Moura
Lacerda.
A ConstituicSo de Repblica do Brasil
por Jlo Jos de Andrade Pinto.
Carteira Jurdicapor JoSo de S e Al
buquerque.
Livraria Fraapeza,
RA 1 DEMARCO, 9
Casa e sitio
Aluga-ge a .casa n> i, na estrada .vemada Pas-
sagem. com baixas di capim e muito,.lerreno
para nlauUco, dotjf grandf vJvejros e muitoB
4pWd6s de froett?* olferWfe nroita vbugem a
ajieaitiiBraegoeiotle vacis oucfryctVf fai-se
rendimento por teepo qau se convenoionar:
a tratar na ra Viscoude de Goyanna o. 157, 00
ras di Madre de Deas n. 7.

rmn
iPipPi


OIH

VENDAS
Vende se a bella 'usa e Olinria. no pateo'
orinas
Aproveitem agora





,



i:
" .


,c.B^v"^nfiri1^.as
quintal murad proprio.
teiras de primeira qu*li gas e agua, cosan* fon, rende WXi e 6"0J por
anao, esta semnre alujada ; a tratar
nbo 8ow p g8 ______
- Ven icui se' purtoes de trro ooui roiumoas
e sem ellas, gra frumento ->ara cima de mur,
terreos e jarcios, bao eiras d ferro para arca
das, Docca de forno dobradas e o> chumbar,
trancas de ferro com cadeado, errolboa -de se
guranga, alraga, rodas para carroc-s e c*ri
unos de mao ; no largo do fore das Cinco Pon
tas n. 4. tenda de ferreiro.
silrosaas theMDas, por t-r recebido ordem orn
liquidar; a r na cojheira < ra Sebastrto
. Ljpej n. 33. < a tratar com Jos Maia, roa da
""', Pires D.3I, drfrunte da canga Caixa d'Agua.
Vende-se
teaverna da -un da Pilaba n. 4, prop'ia para
priocipinte bem afreguezada ; o motivo da
venda smente porque o dono tem outro ne-
gocio a tratar r.a ra da Concordia a. 67, pa
dara.
M. CABIOS BETTENCORT
su. ihiiuin Ecun
GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
Elixir anti-i heumaticu, anti eyph/litico e empregado em todas as molestias de
p-lle, erys pel;a, dartbros ou empigens, beri-beri, anthrazes ou carbuncul s, cancros
venreos, feridas cancro as, ulceras, gonorrheas chronica-, boubas, bubSes, escrfu-
las e todas as doencas que dependem d* impureza do sangue.
Este remedio superior a todos os nutres do seu genero, o que est provado
pela preferencia e acceitacao que Ihe da o publico.
Um frasco 3#0()Os urna duzia 30#000.
Xarope d jaramacar composto
Gk NDR PKlTRAL
Tratamento e curativo de todas as molestias do peito e da garganta, defluxo,
toases simples e convulsas, coqueluche, constipares, asthma, bronch te, catarrho
chronico e tsica pulmonar e do l.irynge
E' o primeiro peitoral que se conhece at hoje na medicina.
Um frasc< 25l)0, urna duzia 24$000
----------
Vendem-se osseguin-
tes Hitos
T'
TNICO
Com lacto-phosphato de cal e ferro, coca, cascas de laraDJas amargas e quina.
O melhor remedio que Be tem formulado pela combinacSo dcstes heroicos
medicamentos. Empregado no tratamento das molestias do peito, do estomago, ane
mias, menstruacSes difficeis, debilidade geral, cores paludas e todas as vezes que Be
Suer fortificar o organismo e dar desenvolvimento ao systema osseo e muscular
onvm as pessoas tecer as criancas. E te remedio superior a todos os tnicos estrangeiros
annunciam por abi.
Um frasco 3#000, urna duzia 30$000
que se
O BRA&3E PIIr.l?i:An3H 30 SAN3U2
O emprego da OAROBINA deve dirigirse a comrater as seguintes molestias :
as diversas formas das doencas chronicas, os dse< ganados,. sofFrimentos do tero,
affeccSes cancerosas, beri beri, escrfulas, tumores brancos,* ulceras chronicas, effec-
5808 venreas rebeldes, paralysias, molestias do corajan, .da garganta, rheumatismo
chronico e gottoso, molestias de pelle, assin como todas as enfermidades derivadas
da impureza do sang'ie.
Um frasco 3$000, urna duzia *-30#000
INJECCMI BETTKNCOURT
AHTI-BUEHOBBHA6ICA
Cura radical em seis dias
Empregada com ptimo resultado n< s corrimentos agudos ou chronicos da
urethra ou vagina, leucorha ou flores brancas Es.te medicamento de ama gande
eficacia,
Um frasco 1#500, urna duzia J 5#000.
si jma, .u mi
TON! O FEBBIHJGO E DESOBSTRUENTE
Empregado na debilidade geral, doencas do estomxgo, convalescenjas depois
do parto, febres palustres, molestias do figado e baco, falta de appetite, anemia, chlo-
rose, cores paludas ou falta de sangue e doencas nervosas.
E um reconstituate de energa, aromtico e agradavel ao paladar.
Um frasco 3$, urna duzia 30$000
nicos exportadores
COMPANHIA BE PRODUCTOS MEDKMAE8
31--RUA DOS 0UHIYES--31
RIO DE JVMIKO
Vendas em grosso e a retalho em Pernambuco
Francisco Manoel da Silva & C.
FOLHETII
POR
PAULO D'.llliltIMIOt'T
SF G.NDA PARTE
A victoria do mal
(Conticuacao do n. 141)
I
UM BRAVO
Pela manhl estava decidido. _
Quando o dia despontava, um rapaz alto
e magro, elegante, cujo busto delgado e
esvelto achava se vontade n um ampio
capote de 1S branca, sabio do castello de
Compaa, de espingarda ao hombro e.sac-
co de couro amarello a tiracollo.
Acsrrpan ava-o um cao de ca^a.
Na encruzrlhada de um pequeo bosque
descebrio-se para corresponder ao cum-
prmsento e om camponio.
PWe-se ver entao nm rosto comprido,
fin*, alongado ainda mais por jedosa bar
ba castanho-clara e dominado por urna
testa de quasi extraordinario desenvolv
meato.
A exprsalo desse rosto era fra, glacial
im tuto altiva. A insigficaocia das mi
jas faciaes dava-lhe nm cunho singular
de dureza e de austeridade, augmentada
ainda por um nariz de extraordinaria per-
I feiclo.
Mas os olbo, de bello azul celeste,
eram tSo leaes, tao francos, s vezes mes-
mo tSu meigos ; os labios nm pouco ea
pesaos apresentavam, as raras occasiSes
em que elle sorna, to real expressao de
bondade, que Jacques de Rhodes, pois era
elle, depois de ter intimidado e amedron
tado todos quantoa delle se acercavam, nao
tardava a encontral-os primeiro, a conquis-
tal-os depois.
Estava se no fim de Outubro.
A escacSo, muito adiantada no sul, era
ainda quente e a atmosphera tepida e sua-
ve.
Os prados reverdeciam sob os effluvios
de incomparavel esto ; as grandes arvo-
res comecavam apenas a despojar-se das
folha?, as margena do caminho continua-
vam cobertas de flores.
Atrs dos grandes bois cinzentos, de fo-
cinho preto e msculos de ajo, nos su Icos
regulares que a charra abra no solo, os
bellos trabajadores lancavam o trigo a
m&os cheias; algumas bonitas raparigas
dos campos gasc6es, morenas, de olhos ne-
gros e dentes alvos, acompanhavam-nos
no trabalho.
Alegres risadas mesclavam se com os
gritos lentos e montonos dos mojos de
charra, excitando os animaes preguico-
sos.
Hai, Diamante!.... Hei, Pastor!....
Ao aspecto do coade, .subindo os ato
lhos, as cabecea se levantaram e um bom
dia affectuo80 saudou o mojo que havia
crescido naqaelles campos, outr ora domi-
nio e propriedade dos sena.
Bom dia, Sr. Jacpues!
Dopois, mais baixo, quando elle ia mais
longe, as bellas raparigas disseram, pis-
caado os olhos maliciosos:
Lourecco, rutnance histrico por F.
Tavora, i vol. ene. 4/000
0 Matulo, dito dito, pelo mesmo, 1
vol. ene. ijooo
Os Cavalbeiros do Amor, romance em
4 vols. enes. 12/000
Ei-hos de liorna, pelo padre Guiter
me Dias, i vol ene. 2000
D.ccionario Biograpbico, por P. A. P.
Costa, 1 grosso volme ene. 10/000
V008 Icaros, versos por 11. Barreto. 1
vol ene. 3/000
Flores Fluctnantes, versos, l vol. ene. 3/000
Vui e quedas, versos, 1 vol. ene. 2/000
Guimares, poema, 1 vol. ene. 3/009
Sons que passam, versos por Th. Ri-
beiro, 1 vol. ene. 3/000
Alberto Pimentel, Cantares, versos, 1
vol. ene. 3/000
Julio de Castilho -Livraria Classica,
Estudos biograpbicos e Iliterarios,
3 vols. enps linos 15/000
i'aatrioto Luzitano, historia entre o
Brafil e a Holianda. 1 vol. ene.
no S/O^O
ibliotheca do Povo.ilS vols. enes. 25/000
Worte de D. Joao. romance, 1 fol.
ene. 3/000
Conloe de Pedro Ivo, romance, 1 vcl.
ene. 3/000
0 abandonado por Julio Vcrne, 1 ?ol.
ene. 2/500
Processo Lerouge. romance hist-
rico, 1 vol. ene. 3/000
Gabriel Malagrida romance, 1 vol.
ene. 3/000
Neto do Acoitao, romance histrico,
1 vol. ene. 3/000
Viagem no dorso de urna baleia, 1
vol. ene. 3/000
Chiquiobo, Encyclopedia da Infaneia,
por G. Bruno, 1 vol. ene. 3/000
Caricaturas em proza, por Luiz An-
drade, 1 vol. ene. 3/000
0 Pastor e a ovelha, obra rara e es-
gotada pelo finado bispo D. Joao, 1
v. ene 13/000
0 birajara, lenda, 1 vcl. ene. 3/000
Arnaldo Gama- Um motim ba cem an-
uos 1 vol. ene., obra rara 6/000
O Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene. 2/000
P. de KockJoao, 2 vol. ene. 4/000
As mil e urna mulheres, 4 vols. enes. 8/000
O rei Candla, romance, 1 vol ene. 2/000
'ontos a Xinon, por E. Zula, i vol.
ene. 2/000
A caca de um baronato.l vo!. ene. 1/500
Arraldo Gama0 filho do Baldai, 1
vol. ene. 4/000
Os berdeiros de Caramuru, romance
histrico, 2 vols. ene., finos 6/000
A igreja e o Estado, por GanganelU,
4 vola. ene. 10/000
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes, finos, com grava-
ras 12/000
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro 2/000
Castello de Grasvie, romance raro,
2 vol, ene. 3/000
Leonor, D'Araboise, l vol, ene. 1/000
As obras de Julio Verne, 42 vols,
enes. 30/000
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene. 3/000
Typos de cara dura, 1 vol, brocb. 1/000
As viagens de Guliver, obra critica
ejocoza (rara,) 1 vol, broch. 3/000
Vozjs da historia pelo Padre Gui-
lberme Dias, 1 vol. brocb. 2/500
Um mysteno de familia por F. Tava-
ra, f vol, brocb. 2/000
m casamento no arrabalde, 1 vol.
brocb. (mesmo autor) 2/000
Guarrignes breve leitura sobre sci-
encia, 1 vol, ene. 3/000
0 matadouro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o i#. vol 8. 1/500
Ponsoo do Terrail A beraoca myste-
rioza o 2. vol se ene. 2/000
Repostas consisas e familiares por
Mr. Segur, i vol, ene. 1/000
Carta sobre a Companhia de Jezus,
1 vol. brorb. 2/000
Hiseeiania Religiosa por Finio de Cam-
pos (obra rara) 1 v. broc. 5/000
Ao cidadao Arricete, versos do Cigano
ao Dr Chinez (raro) i v. broc 1 /500
Oracao fnebre do bispo D. Vital, 1 v.
broc. 2/000
Propaganda religiosa Chrsto e Papa em
prosa e verss 1 v. broc. (raro) 2/000
Deseseis de Maio, puemeto, 1 v. broc.
(raro). 1/500
Factos da Historia de Pernambuco,
1 vol ene. 2/000
Bibliotbeca do povo, 31 caderninhos
broc. 4/000
Um misterio de familia, por F. Tavora,
1 vol. broc. 2/500
Um casamento no {arrabalde, 1 rol.
broc, mesan autor. 2/500
Boaanceteni francs por ilooo
r.-la cana um vulume.
Thatre complet de Eugne Labiche
Eogne Cbavette Le Saucisson a Paites
Premier Amanl par Georges Duval
Catalogue le Musi-e d'Ar til lene par 0 Penguilly
L. II indon
Henry Rabusson L'Epousa
Lopold Stapbaux les Vicieuses
Lucien Descaves La Teigne
Emile Allaim Rio le Janeiro
Edard Montegne Les Affems de Londres
Tiennot des Ablestes grapinos de Girondas
Marcel Trvost Madamoisehe Jaufre
Louis de Hessem Leerme de la Cbair *
La Comedie de L'Apotre par Cbaa.pfleury
Le Fiis du Jesuite par Leo Taxil
Odyss Barot Les Usurlers de Paria
Prosper Mrime La Double Mprise
Carolas Brio "r Desses 'Les Moul
Prospar Mrimee Les Dux Heritages
tceur d'or par charles Merouvel
Le Heve par Emile Zola
Le Prjoce Zilah par Joles Claretie
Un geodre par A. Matlhey
Len Heorique Un Caractre
Le Enfant de 36 Peres __
Len Michel Tunis
Le Casier Judiciaire par Odisse Barot
Albert Delpit Solange de Croix St Lnc
Adolpb Belt Les Fugitives de Vienne
No escriptono deste Diario se dir quem ven-
de todas estas obras, e faz-se grande abati-
mento a quem comprar todas juptas
E9 tildo bom. para bem
de todos
Os abaixo aasignadoa, tendo feito gran-
de rednecao de precos as fazendas
existentes em seu estabelecimento, convi-
dam o respeitavel publico e especialmente
a seas bons fregnezes, a certificarem se da
verdade que aqui fica dito e a aproveita-
rem a occasiSo de supprir-se de roupas,
para mmto teropo, e por prejos insignifi-
cantes.
Como sejam :
Voiles de 13 e algodSo a 240 rs. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
800 rs. por 320 rs. o covado, zepbyros de
cores diversas a 320 rs. o covado, baptis-
tas republicanas (inteira novidade) a 200
rs. o covado, las de cores^ a 200 rs. o
covado, setinetas finas a 320 rs o covado,
merinos de cores (la pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o covado.
Grande quantidade de chitas finas, com
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
0 covado.
Variado eortimento de voiles de 18,
fazenda muita fina de gostos lindissimos.
Crep da China, dem, idem, cambraias
da China, com palmas soleas, comp'eta
novidade, voiles com salpicos, idem, idem.
Chitas, chamalote, o que ha de mais
exquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas,' cachemiras lavradas, pretas e de
cores, fustScs brincos, cretones pretos e
de cores lieos e com flores, baptistas de
cores, gostos delicados.
MadapolSo americano a 55000 a peca.
Metins, idem variado sortimento.
Espantoso sortimento de cretones para
cobertas e chambres, esguiSo de puro
1 i nbo, costumes de Jersey para meninos,
capas hespanholas, pura seda a 3)JOO0
urna, cortes de vestidos de todas as qua
lidades, fchus de 12, linho e prateados,
o que pode haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linho
e flanella para homem, idem, idem de
punhos, oollarinhos e grvalas e muitaa
outras fazendas que seria enfadonho men-
cionar e que tudo vendem sem reserva de
precos.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1." DE MARCO N. 1
Bernardiuo Campos &,C.
aman) o
O joven proprietario de Compaa
caniioha depreasa, est affiicto por ver a
menina Branca... e nao quer perder a
occasiSo.
E vai ver se a encontra, quando ella
voltar das casas dos seus pobres.
Com certeza, elles se amam, todo o
mundo sabe disso !
J sei que elles Be amam desdo pe-
queos. E o Sr. Jacques, comquanto seja
bello rapaz e nao lhe tenham faltado as
occasiSes, nunca olhou senSo para ella.
Os olhos delle sao entr tanto bem
arden tes...
Mas a menina tao boa!.
do co!
Jacques tinha caminhado.
Dentro em pouco, n'uma clareira, appa-
receu urna choupana abrigada pelos car-
valhos seculares da floresta.
Era a casa de um pobre diabo, cuja mu-
lher doente estava de cama havia alguna
dias.
O conde de Rhodes assoviou, chamando
o seu cto, que penetrara no bosque, latn-
do como um lonco, atrs de algum coelho,
sem duvida.
Aqui, Pyramo, disse elle a meia voz.
Alguns segundos depois appareceu urna
moca no limiar da cboupans.
Nao era muito bonita, mas tinha gran-
des olhos castanhos, que resplandeciera,
profundos, meigos, sob cabellos pretos li-
geiiymente ondulados; a sua bocea fina,
o sen nariz nm tanto comprido, faziam
lembrar os mais bellos typos bearnezes.
Era pquena e franxina, mas particu-
larmente elegante, p fino e torneado,
mSos de notavel -perfeicSo.
Vo aqui, Jacques ? disse ella com
adoravel sorriso. Ah 1 estava certa de
havor(reconhecido os latidos de Pyranre !...
Que foi indiscreto, distrahindo-a das I
r. uh ttnsiN & a
Ra Mrquez de Oliodn n. 13
- Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phoenix de Dortmund
e do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposic^o Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne-
mann & C, S. Flix (Bahia).
Arados de Cuba
Ns. 1 e 2
Vendem-se
Na Fundic.ao Geral
j. Perei a lapihies
Receben re* directos dos aer-
ead** da Europa
Apresentan os seguintes artigos, sendo
alguns ainda do anno paseado, razao justa
para serem actualmente baratissimas.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado
dem trancado, superior, a 26 J rs. o dito.
Cortes de fustao para colete a 8- 0 rs.
dem de casen etas a 14000 e 10200.
dem de casimira ingleza de cores a 30 e
400 0.
Algodao cr, marchetado para toalhas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para lences, a 40 e
500^0 a pega.
MadapolSo superior, com 24 jardas a 50
e 600,0.
dem Boa-Vista, verdadeiro, a 50800.
Cortinados bordados de crochets a 120000.
1 Colchas dem a 70000 e 80(OO.
Grinaldas e veos para noivaB a 80009.
Espartilhos modernosa 40000,
j Percales claras e escuras a 240 o covado.
Merines de cores, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toalhas naeionaes a 20500 a duzia.
Lencos em lindas caixinhas a 10800 e
20800 a dito.
Meias inglezas e naeionaes a 20500 e
30000 a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 120000.
Cerolas b rdadas de bramante a 120000 e
160000 a duzia.
Guardanapos com franjas a 10800 a dita.
Pannos de cores l.-ndas para mesa a 10600
_ o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 2500.
Creyones para as mesmas, a 10000 o me-
tro; o "melhor.
dem mosaicos, dem, a 440 rs. o covado
Bramantes franceses a 10600 o dito.
Casemiras de cures, duas larguras, a
10800 o dito,
Cheviot azul, cor inalteravel, a 20400,
30500 e 40000.
Merines para luto desde 500 rs. a 10800;
duas larguras. '
Sargelins de cores a 200 rs o covado.
Mantilhas e fichs a 10, 30000 e 50000.
Toalhas de labyrintho, riquissimas, a 250 e
300000.
Vendas em grosso tem o descont de
14}*/..
59RA DQE DE CAXIAS59
Vendem-se
duas casas de ptdre e cal, na estrada real de
Goyanna, no Timb, amiga Barreiras, em trras
de X. S. do Rosario de Olinda, tendo orna, duas
portas e outra urna porta e urna janella, bem
iocalisada para qualquer negocio ; a tratar em
Olinda com Guilherme Pereira das Neves, do
Varadouro n. li e no Recife com Vieira i C, i
ra da Florentina n. 34.___________________
Vendem se duas casas
terreas
sitas na estrada do Hatumbo. em Beberibe,
ttndo cada urna duas Janellas e nma porta de
frente, 2 salas e 4 quartos internos, cosinba e
1 quarto fra, muro e portao na frente, tudo em
bom estado, com sitio contendo algumas arvo-
res fructfera.' ; as casas esto alugadas e ren-
dara 302000 mensaes ; a tratar na ra do Com-
mercio n. 32. das 10 s 3 horas da tarde.
Patacoes velhos
Compra-se na reloioaria David, ra do Cabu-
? n, 14.
A Florida
Acaba de receber pelo nltimo Tener e-
que de nitor novidade tem a populse e>
gr- nde cidade de Paria, os mais importan-
tes artefactos da ultima moda.
Papel bordado com muita fantasa, prepri
para cartas,
aromos de seda e de oleographia.
Caixas de msica com manivefta para 1JL
20*3001,0.
Caixas de msica, x com corda, fechaW
com 1 a 3 arias para 7, 8, 9', 10
120, proprias para presentes.
Ricos enxovaes para bartulado a 74, 8JL
90, 100 e120000.
dem muito fiaos para 160 a 200 un.
Timaosinhos com sombra com fitas e bieea>
de c; mbraia transparente a 30 e 30500.
Um grande sortimento de porta-traae
para 500, 10 e 10500.
Grampos dourados e c m perolas a 260 m
500 rs. um. \
dem de celuloide e dourados a 209 e-
300 rs. um
Estojo para desenho de talagar9a a 3#0G0L
Bandeiras de la dos Estados-Unidos
Brasil a 1050 ', 30000 e 40000, caafei-
me o tamanho.
Grande sortimento de bolsas de pellica e
de chagrn p..ra 2, 3, 4 e 50000, par
senbora e meninas.
Carteiras cem estojo a 3, 4 e 50000 e
10500 e 20000.
Grande sortimento de bicos de algodSe
de seda, braceos e de cores..
Livros de sortes a 300 rsv
Albuns de pellucia e de chagrn, gostto
moderno, imitando um leque.
dem para cromos, poesas e muscaa~
Espadinhas para enanca.
Boleas de couro para eobranca.
Navalhas de Roger AmSo americanas el-
ctricas e de 2 laminas, e afiadores eoxe
a massa propria para affiar.
RA DUQUE DE CAXIA^N. 103
Gal nova de Lisboa
J chegou para Guimares & Valente, no Cor
po Santo d. 6.
AlLEdg
Para frente de casas, banhairos
corredores, acon^ues, sendo de lindas
cosre, vendem-se por 60^000 o milhei-
ro, por: er um saldo, a Fraga da In-
dependencia n. 40
Farelo
superior do Rio da Prata a U800, dito do R
de Janeiro a f750, pesando 42 a 44 kilos ; vea-
dem Franco & C, no pateo da Penba n 8.
MbOMUU
homais^
^** OL6RY Venje-te em toda pyh
Engenho
Vende se urna parte ou a meia accao de;
engenbo moente e frrente a agua, auatr
legoas da estacau de Palmares, com capacida
para safrejar mais de 2,000 pe, podenJo e>
mesmo comprador arrendal-o : a tratar na rea
Mrquez do Herval n. 144.
Superior yinho de Al
cobaya
O acreditado e autigo armazem do Lim par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes qne irisa
de receber urna nova remessa deste espeeat
vinho,' escolhido propriamente pelo chefe ili ita
casa, tornando se recommendado por ser pare*
de boa qualidade.
Jos Fernandes Lima & C. ra Baro da Vic-
toria n. 9
_________Telepbone 323
Urgente
Vndese um sitio arboriaado e com boa c
de morada, na estrada do 6 quia ; trata se
ra do Imperador n. 61, 1- andar.
Cera
Vende se na ra do Cabug n. 2, segundo a
qoalidade, de 1 a 1*500 a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se na de 2* o descont de
30 0/0, e nade l. de 200/0. No mesmo esta-
belecimento tem machinas para costura e mesas
para as mesmas por 104 cadauma.
tinha !... Os seus pobres v8o me amal-
dijoar, se voc os abandonar por minha
causa !
J tinha acabado; a infeliz Agla
Baraille vai melhor. J nao sem tem-
po ; a coitada tem quatro filbos em qne
cuidar.
O senhor, retrncou elle, o conde de
Rhodes, far se-ha caixeiro !
E' deshonroso ?
De certo que nao.
Entao porque quer o senhor que eu
hesite ? Pretendo chegar fortuna. Ser
na carreira militar que attingirei o meu
fim ? Outr'ora os nobres arruinados enga-
javam-se. Novos tempoa, novos costurnes :
huje elles trabalham. Jacques de Rhodes
far como os da sua geracSo ; os seus fi-
Ihos, se algum dia os tiver, em vez de
mandar tornar a pintar aos peinis das
suas carrnagens o seu brazSo e a sua co-
rSa, tomarSo por armas o compaseo de ar-
chitecto, o theodolito de engenheiro ou o
escalpello de medico.
Vinho puro de Sautarem
la quinta d Barral
Os proprietarios do Armazem Central, ru.
do Cabug n. 11, avisam aos seus di ti netos fre
uezes e ao respeitavel publico qne receberan
nova remessa deste especial vinho, o qual st
recommendapor ser puro da uva, e s se reta
ha em seu armazem.
Joaquim ChrstovSo & C.
Telephone 447
Bom emprego de capi-
tal
Vendem-se os dous sobrados sitos no caes 22
de Novembro ns. GO e 32, pertenceotes a viuva
onstanta Boulitreau, tendo om rendimentosu-
perior a dez por cento : a tratar na ra 15 de
Novembro, na livraria de F. P. Boulitreau.
Especial manteiga ingleza
flor '
Em barril, vende-ee o qne ba de metbor nestr
genero, no
Armazem do Lima
9--Boa Baro da Victoria
Telephone323
Hoje sabbado, amanha domingo,
arrumarei as malas ;* segunda-fe ra estarei
no meu posto. .
E os movis do castello ?
Jacques teve um minuto de hesitac2o, o
seu rosto delicado revestio se de um lam-
pejo de emocSo, mas depressa dominon
esse eetremecimento passageiro.
Elles fazem parte da minha casa,
retrucou elle, o senhor pgalos ha pelo
prego que a sua consciencia lhe disser.
Nao tem pena entao do abando-
nal-os ?
Nao se trata disto, urna vez que di-
go adeus ao que foi at aqui a minha vi-
da e a dos meus; faga se entSo o sacrifi-
cio inteiro, ser melhor assim.
Bom. At segunda feira ?
O conde de Rhodes inclnou se.
Quando ia para afastar se, o Sr. De-
passe dirigio-lhe novamente a palavra :
O senhor sabe que em minha casa
os caiseiros mais modernos sao os incum
bidos de todos os ser vi eos grosseiros ?...
Massa para bolos
Pateo do Carmo n. 2
Garante-se a qualid ide por ser tratada a ca-
pricho, e por preco sem competencia : vevaaas
ver para crer.
Bom emprego para
capital
Vende se o extenso armazem n. 51, no caes ato
Apollo, em frente da nova ponte Bnarqoee-
Macedo, com capacidade para recolber de 9 *
10,000 barricas de fannba de trigo ou oafra
mercadoria em proporco, e dous sobrados com-
ticruos com frente para a ra Domingos Joa
Martins, no todo constituindo urna boa acqcis-
cao : trata-secom Matbeus Austm 4C., raa 4a
Lommercio n. 18.
Bom negocio
Vende se a (averna da ra Imperial b. HbL
bem afreguezada. para pouco capital, com aaa
casa ; a tratar nos Afogados, ra do Motococa-
b n. 51 B.
tar.'.v. Se o rapaz cumprir as suas pro-
messas... a minha filha poderia perfeita-
mente chamar se um dia a Sra. Jacques
de Rhodes, eimplesmente... o que seria,
incontestavelmente chic !...
II
O commerciante levantou se, majs com- .disse elle,
movido do que quena parecer. Cortamente, retrucou Jacques impas
Tomo o debaixoda micha proteccSo, sivel.
disse elle. Enea.reg me daliquidacfio de! Mas esses servicos consistem em fa-
seu pai. O resto do dinheiro ser eolio-' zer a limpeza, lavar as carrocas, e at
cado na minha casa de commercio. Quan-,- varrer todos os das os escriptorios e os
to ao senhor, admitto-o em minha casa armazens.
com o ordenado dos que estream : oitenta. O mancebo sao pestanejou.
francos por mes e o almoco ao meio dia. i Disse lhe j que a minha vontade era
Serve-lhe ? solida, declarou elle simplesmente, provar-
o olhar lmpido e pe-
Observava-o com
netrante.
Jacques nSo pestanejou, ao
contrario
Ihe-hei que nao minto.
Desta vez afastou se definitivamente.
Logo que desappareceu, o rosta impe-.
_---,_^ r--------j--i ~-s-------------|---o" i-----rt-------- ---- .r-.
um relmpago de alegra illuminou-lhe o netravel do Sr. Depasse desembaracou-se
resto de ordinario tao fro. da mascara de indifferenca que o havia
Finalmente... estava com o p no es-
Est combinado, responden: elle,
agradeco lhe do cora980.
E
suas obras de carid.de, minha querida tan-1 Quando comeca ?
revestido at entao. Nos seas olhos p-
tenteou-se nm grande sentimento de ad-
'miracSo.
Diabo murmurou elle a meia vo,
creio qne encoatrei nm homem ao pin-
DE A8SALTO
Mestre Depasse, porm, como commer-
ciante matreiro que era, teve todo o an-
dado de nunca deixar adivnhar essa ad>
mirajSo pelo seu empregado.
Pagou pelo castello os sessenta mil fran-
cos que Jacques lhe havia pedido, mande*
avahar os movis por um perito qne tinha
pratica dessas cousas e, terminada a liqoi-
da^o do conde de Rhodes, restaram dese-
sete mil francos, que elle entregou inte-
gralmente a Jacques.
Este, desde a sua entrada na casa i
drogas e gneros 5,coloniaes por atacad,
da qual o Sr. Depasse era chefe, curagei-
r as suas promesaas.
Nada lhe fazia traquear a vontade.
Mora va n'um qaarto aiseiado, porsa
miseravel, vivia com quasi nada e nSo a
differencava daqnelles que o cerca van
nao por nm zelo e urna pontualidade a
da prova.
Julgava que devia guardar esse di-
nheiro, senhor, disse elle ao negociaa"
quando este entregou lhe as dezesete nof.
ue rep. esentavam a ana fortuna actual.
Em que cond9oes ? perguntou o jf>
tr2o, fitando o com' olhos deaconfiadea.
Naquellas que o senhor quizer.
Seis por cento, come para os sei
companheiros qne deixam as suas eceai
mias na caixa...
Pois sejam seis por cento.
(Contitutar-ti-a)
Typ do Dmno, Hua Duque de Caxas n, tX '
m
r
/
i
1
" '
. %




-1
i
i.

* -


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJY6KWN0R_D834JR INGEST_TIME 2014-05-21T22:50:48Z PACKAGE AA00011611_17011
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES