Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17006


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO
JLI
N CIIE R O 13
ap
DIARIO DE
H*j
-FHBA 19 DE JTJNHO DB 1890
*-
RNAMBUC
Propriedade de Mano el Figueira de Faria
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE Qs grs< Amede Prilice & C.
uU
*


l
5< ,
V

f
Por tres inexes aiautados. .
Por seis ditos idem. .....
Por um anno idem......
Cada numero avulso, do mesmo da.
6*000
12i5000
23*000
100
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos Je annuncios e publica-
res na Franca e ntaterra.
Filhos
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por seis meros adiantadoa. 13*500
Por nove ditos idem...... 20*000
Por um anno idem. 26*000
Cada numero avulso, de das anteriora. *100
TELEGRAMAS
2-7150 PABIICULAfl 25 SUBS
RIO DE JANEIRO, 18 de Junho,
horas e 50 mii utos da tarde.
s 3
Fui nomeado desembargador para a Re.
lacao de Cuyab, o bacharel Aristides Jos
Lelo, juiz de direito da comarca de Ca-
mama, no Estado da Bahia.
Foram removid s os jnizes de di-
reito:
Bacharel Jos Jacintho Sorgos Diniz,
da comarca de Igarap-mirim, no Estado
do Para, para a do Bonito, no de Pernam-
buco;
Bacharel Austerliano Correa de Crasto,
da comarca de Campia Grande, no Esta
do da Parahyba, para a de Igarap-mirim,
no do Para;
Bacharel Joaquim Moreira de Lima, da
comarca do Bonita, no Estado de Pernam
buco, para a de Campia Grande, no da
Parahyba.
Foram elevadas 2.a entrancia as
coaiareas de Timbauba, no Es ado de Per
nambuco, e de Campia Grande, no da
Parahyba.
FARTE OFFICIAL
:savxsc ja mmL satas
LONDRES, 17 de Junho
Consta que o primeiro lord da Thesou-
raria e o secretario de Estado do Interior
vo pedir a sua demisaao e que serio sub
stituidos pelo Mrquez de Hirtington e o
Sr. Henry' James.
BRUXELLAS, 17 de Junho.
O jornal a Independence Belge annuLcia
que Stanley acaba de ser nomeado gover-
nador geral do Estado do Congo,
MADRID, 17 de Junho.
Urna epidemia da qual nao se pode ain-
da verificar o nome acaba de declarar se
em algumis aldeias perto de Valenca e
corre o boato de que o cholera-morbus e
que j houre muitos fallecimentos.
LISBOA, 17 de Junho.
Noticias d* Mocambique dizero qu^ os
'nglezes queiu.aram urna bandeira ^ortu-
gueza so Chir, e mandaram executar dous
cipayos.
MADRID, 17 de Junho.
A epidemia j assignalada como tendo
apparecido em diversas aldeias perto de
Valonea vae se desenvolvendo. Deu Be
um caso fatal na iidade de Valenca.
As maiores precaugo'es sanitarias foram
temidas.
E' provave! que a molestia seja o chole-
ra morbui, mas ainda nao se tem toda cer-
teza.
Agencia Havas, lial em Pernambuco,
18 de Junho de 1890.
IHSTRDCqO POPDLAR
A2AB:uBiL:a:s2ttAs:s:s
POR
lOSMoaiE-o ruaMTas
CAPITULO VII
fflovIaealo.-DrOnlrio do mov
meato. aaaa ezaaases mximo.
na mar vimos muido pe
,.ea. iy
( Continu ac, 2o )
As multplices manifestages do movimento
nao sao notas discordes e isoladas ornas das ou-
tras, sen cobeso, sem harmona, sena lago '
gum de-cootinoidade. Vibram todas unisona
menle no conjuncto e as minuciosidades, assim
como todos os movimeotos de urna machina con
tem exacta e gradoada correspondencia entre si.
Essas manifestages encadeiam urnas as outras,
como as rodas de um artefacto qualquer por
mais que o seu encadeamento soecessivo h^ja
escapado at agora s vidas vistas do bornear
As leis da gravitaco universal, quasi entre
vistas per R>pler, e descobertas por Newton, sao
a prova tcientfica deste asserto.
A quietaco, a immobilibade absoluta, nao
exiatem na creaco. O movimento universal ex-
Srimenta. em summa, pelas suas repetidas mu
ocas e transformages, ligeiras quietages
que modnam a sua velocidade em detalhes iso-
lados, e nao no seu cnjoncto ; por qne, como
todas as cousas do universo apreseatam con
stantemente urna das pbses genricas, isto
, oo se estao formando, ou desfazeado, se-
gu se que, equilibrados sempre os ditos i xtre
nos. orna e a metma, na sua totalidade.a som
di do movimento.
(CvtmAa)
Actos do poder exeeutlT
Becolomento dos Corretea da Bean
tilico dos Estados Unidos do Bro
II approvado pelo decreto a. SO*
A de 1 de Malo de 1SPO
(Coanuagt)
CAPITULO XVIH
Licenca* e aposentadorias
Arl. 195. Aos empregados do correio podero
ser concedidas licencas, com ou sem ordenado,
por motivo de molestia devidamente comprova-
do, ou de jnsto interesse particular allegado por
escripto e documentado, quando seja possivel.
i.* A licenca > cooiecar a contar-se do
da em que o inte: essado comegar a fazer uso
della.
2. S por motivo de m.lestia conceder se-
na licenca at um anno. podendo ser com orde-
nado inteiro at seis mezes, e, de eoto em
diante, com metade do ordenado.
g 3." Por qualquer ootro motivo a licenca nao
exceder de seis mezes, e, sendo com ordenado,
ficur este sujeilo ao seguinte descont: da
quinta parte, sendo a licenca at dous mezes ;
da terca parte, sendo at quatro meses; de duas
tercas parles, se exceder a quatro mezts.
4. 0 lempo das licencas concedidas com or-
denado, suas reformas e pro.-ogages dentro de
um anno, a cootar do dia em que o empregado
entrar no goso da primeira, ser sommado para
o fim de fazer se o descont de que trata o pa-
ragrapb) antecedente.
g 5.* Em lodo o caso, Ando o prazo mximo
da licenca, nada mais perceber o empregado,
nem ser renovada ou prorogaia sem que elle
volte ao exercicio de suas funeges e permaoeca
por lempo pelo menos igual ao da ausencia de-
terminada pelo goso da licenca.
6. Picar sem effeito a licenca concedida,
se o empregado nao entrar no goso della dentro
de um mez eontado do dia em que o acto da
concesso for publicado no Diario Offldal, sen
do na Capital Federal; e nos Estados o praze
correr do dia em que o respectivo gorerna or
marcar.
7. Nao se conceder liceoca ao empregado
que, tendo sido nomeado ou removido, nao nou-
ver entrado 00 effdctivo exercicio do seo cargo,
e neste servigo durante seis mezes.
Arl. 1%. E' concedida aposentadoria ordina-
ria ou extraordinaria aos empregados do cor
reio.
Arl. 197. Sao coodiges indispensaveis para
cbter aposentadoria ordinaria : 1", ter comple-
tado pelo m- nos trinta anoos de servigo publico
e tffectivo; 2*, absoluta ncapacidede. pbysica
ou moral, para continuar no exercicio do em
prego.
i. Na contugera do lempo de servico nao
sero atendidos os das de suspenso e de fal
tas nao justificadas, nem as licencas por mais de
60 das em cada anno.
i 2 A incapacidade pbysica ou moral verifi-
ca-se peio exams de ires facultativos e parecer
fundamentado do director geral.
Art. 198. A aposentadoria extraordinaria pode
ser concedida : i", ao empregado que, contando
10 anuos de servigo publico, .-e imposibilite de
continuar no desempenbo do emprego ; 2, ao
empregado que, independeotemente de qualquer
outra condico, torne se inhbil para o servico
por desastre resultante do exercicio de suas
funeyors, per ferimento ou motilaco em lula
oo desempeobo do cargo, por molestia adquir
daa :a vico ou na pratica de algom acto ho-
manilano ou de dedicaco causa publica.
11.* a's- causas de impossibilidade previstas
oeste urtigo sio applicaveis as disposiges do g
2 do art. 197.
g 2.* Cessdudo a impossibilidade, e verificado
que 8']i este facto pelo modo indicado no g 2*
do arl. 197, o empregado ser restituido acii
vidade do servico oo mesmo lugar que exercia
oo em outro equivalente, na primeira vaga que
bouver.
Art. 199 Para os effeitos das aposentadoras
contar se ba o tempo de servigo nos correios e
em ou r< s e npregos pblicos.
Art. 200. Na apo?e-itadoria ordinaria o em-
preado lera direito ao ordenado do lugar por
ello occopado dorante tres anoos.
Art. 201. No caso de aposentadora extraordi
naria e na hypothese do n. 1 do art. (98, o em
presado lera direito ao ordenado pronorcional
ao seu lempo de servigo, contado nos termos do
art. 199; e oa bypotbese do o 2 do art. 198,
ter direito a todo o ordeoado, se cootar menos
de 15 annos de servig.\ e a todo o veocimento,
se contar mais.
Arl. 202. A melhoriade veacimentos s apro-
veuar para a aposentadoria um anno depois de
tornar se tffectiva-
Art. 203. O empregado postal, quando apo
seotado, podera optar eatre o veacimeato da
aposeo .adoria pelo correio e o de outra aposeo-
tadona ou retorma, nao podendo em caso algum
accumular vencimentos de duas aposeoldonas.
Art. 20i. Podero ser aposentados com o or-
denado por inteiro. nos cargos que oceuparem
por tres auno-, os foocciooarios que, com tempo
de servigo inferiora 30 e superior a 15 annos
se houverem notoriamente distinguido no exer
cicio de seos empregos.
Art. 205. Ao empregado que cootar mais de
40 an jos de importantes servigos, sem nota, po
der ser concedida aposentadoria com todos os
venimentos do lugar occopado durante tres
amos.
nico. O empregado que contar mais de 30
annos de servigos, prestados todos em repart-
gdes postaes e sem interrupgo por licenca que
monte a mais de um anoo, poder requerer apo-
sentadoria com todos os vencimentos do lugar
oceupado durante dous annos, se, alm diss),
nao uver sido suspenso, demittido ou processa-
do por actos commettidas no exercicio das suas
fun go*'8
Art. 206. Aos agentes de i* e 2* classe e seus
ijudaines, aos praticants e carteiros tambem
podera o governo conceder aposeotadoria ordi-
naria oo extraordinaria.
An. 207. Os empregados dos correios ambo
laotes, durauteo lempo em queestiverem nesse
servigo, contaro antigoidade de mais 50 % para
o- effeitos da aposentadoria.
I nico. Esta dUpoaigo s ter effeito retro
activo a' 26 de Mjrgo de 1888.
An. 208. A aposeotadoria pode ser dada a re
qoerimemo do ioteressado, ou por determinago
lo governo, iniepeodentemente de solicitagao
capitilo ivn
Dispostcoes geratt t
Art. 209. 0 segredo das cartas' inviolavel,
qualquer qoesejao poder publico qoe preteoda
deva>sal-o e qulaqu r que seja o fundamento ou
p- texto .llegado.
Art 210. Neohuma autoridade estraoba ao
servigo do correio poder neile intervir, salvo no
caso em qoe ana intervengao seja requisitada
p. los empregados daqoelle servigo, oa nos de
caos por elles ou contra elies commettidos.
Art. 211. A receita e despeza qoe correm
pela verbaCorreio $eral devtm effectuar se
directamente pela Directora e pelas admiais
t-ag>8, alvo as qoe se refenrem a exercicios
ja encerraoos compnndo neste aso as repar
tiges postaes expedir as necessarias goias,
quando se tratar de traosaejes de receiu e
emqoaoto os documentos je acbar:m nessas re-
pariicftes.
Art. 212. Quando a Directora, as administra
ges e as agencias no lireretn fundo para oc
coi rer s despezas que ibes compelirem, scro
suppridas pelo Tb souro Nacional, the.-ou arias
de fazeoda, ou collectorias de rendas geraes.
Art. 213 Do saldo em dioneiro verificado
nas admioistrages em 31 de Dezembro de cada
anno ficaro n'ellas as quantias neces*ar'L*s para
occorrer s despezas do exercicio no trimestre
addiJional ; mas em 31 daMargo, ou noaotecej
dente dia til, o aldo dp exeroidte^ encerrar,
se ser impreterivelraanfflSflMmjPfb Thesouro,
oo s thesourarias de fazen*a-."
Art. 214. A re.-eita do Crrelo ser arrecada-
da, tanto qoanto for possivel, por meio de ta-
loes.
Art. 215 O director geral poder ordenar qoe
a despesa i Tectoada pelos thssoureiros seja
comprovada por documentos passados em du-
plcala
Art. 216. 0 pagamento ou a entrega de quan-
tias ou valores em deposito devera ser feito, ain-
da depois de encerrado o exercicio, pelas mes
mas repartiges onde o deposito se tiver reali-
zado
Art. 217. Em casos graves e urgente?, quan-
do o emprego do Crrele fr prejudicial ao ser-
vico, podero corresponder-se per meio de tele-
grammas, de officio, o director geral, o sub di-
rector, os contadores e os ebefes das secces da
Directora e das do Correio da Capital Federal,
Ob administradores, os agentes, os chefes de
correios ambulantes e os empregados incumbi-
dos de inspecges.
Art. 218. As thesourarias das repartiges po_>-
laes devero soffrer, pelo menos tres veze.s por
anoo, em pocas iocertas designadas pelo dire-
ctor geral, um inventario minucioso dos valores
a cargo dos thesoureiros.
g l." Procedero a esse inventario emprega-
dos das respectivas admioistrages, para esse
fim commissiooados.
2.* as administrages de 3.* e 4.* classes,
o oveotario ser dado por empregados das the-
sourarias de fazeoda.
Art. 219. Para as faltas de comparecimeolo,
erros e omisses de meos gravidade qoe os
praticants, auxiliares, carteiros, serveotes c es-
tafetas possam commetter. o director organisar
dosde j um regolamento disciplinar, que ser
sobmettido appiovaco do ministro da Ins'.ruc-
glo Publica, Correios e Telegraphos.
Art. 220. ai formlas impressas, objectos de
expediente e utensilios serao foraecidos s ad-
ministrag3S pela Directora, e s agencias pelas
administra ges-
" Art. 211. Os administradores e agentes sero
responsaveis pelo valor dos saceos de cooro os
de mono que nao devolverem aos correiou,
d'oode esses objectos houverem sido enviados.
Art. 222. Os titolos de nomeaco, licenga,
etc., expedidos pela Directora oo pelas admiois-
trages serio autbeolicados por meio de sello
adoptado pela Directora e colocado ao lado da
asignatura do director eral ou administrador,
aos qaaes compete a guarda do mesmo sello.
Art. 223. as admioistrages e agencias, to
das as ordens, circulares e ans papis de im
portaocia nara o servico, serao archivados, de
modo a poderem ser consultados fcilmente.
Art 224. Os empregados do Correio serao
dispensados do servico do jury, qnaodo reqosi
lados por seus cheles ; c dos termos da lei o.
4,556 de 26 de Setembro de 1874 do serv'co do
exercito e armada em tempo de paz
Art. 225. O director geral submetter ap
provaco do ministro da Iostroccio i'nblico,
Correios e Telegraphos o regu'.amento para as
caixas econmicas postaes.
Art. 226. 0 premio das quantias depositad-s
as caixas econmicas postaes ser sempre
igoal ao das oot-as caixas econmicas mantidas
pelo governo federal.
Art. 227. Entraro desde j em execogo to-
das as disposiges do p-esente regulamento que
oo depeoderem de instrueges.
Art. 228. Pica revogado o regulamento appro
vado pelo decreto o 9,912 A. de 26 de Marco de
1888, e todas as disposiges em contrario.
Capital Federal, !. de Maio de 1890.Fran
cisco Glicerio.
files
o do Estado de
Pernambuco
DB8PACH08 DO DIA 18 DE JONHO DB
1890
Marif Francisca da Pas e Cunha. -Re-
gistre se e facam-se as devidas notas.
F. 0. Boulitreau, Manoel Gomes Tava-
res, Jos Victorino de Paiva, Manoel An
tonio dos Santos Diss, Companhia Per-
naiubucana de NavnaSo Costeira por
Vapor, Baltar Olivak*"^ C, Francisco
Jos Leite, Pereira Carneiro d C. e Ma-
noel Flojiano Vieira Pessoa.Informe o
Dr. contador.
Joaquim Antonio Pereira, Luiz Jos de
Mello Teixeira, Severino Martin?, Manoel
Fernandes Velloso, Qoncalo Antonio Fer-
r ira e Vi uva de Antonio Joaquim Tei-
xeira.Ao cidadSo porteiro.
Antonio Francisco dos Santos FalcJo.
Ao cidadSo tbesoureiro.
Jovioiano Jos de Albuquerque, Carlos
Lopes Nogueira Rosa e BarSo de Utinga.
- Haja vista o Dr. procurador fiscal.
Recebedorla do Estado de Per
nambuco
DESPACHOS DO DIA 16 DE JUNHO DE
1890
Oliveira Bastos & C, David Araujo
Pinto, Francisco Isidoro Ribeiro de Car-
valho e Emilia Marn ha de Al : eida Res.
Informe al.* teccSo.
Francisco Baptista de Araujo.A 1.*
seccSo para os fins devidos.
Joto Vctor Alves Matheus. Certifi
que-se.
O mesmo.Sellado o documento que-
rendo volte.
Antonio de Almeida Rabellp. Al.9
ara os fins devid- s.
2.
licia
ReparticSo da Polfela
scelo.N. 135.Secretaria de Po-
do Estado de Pernambuco, 18 de
Juoho de 1891.
CidadSo GoveroadorParticipo-vos que
foram hontem recolhidos Casa de De
teocSo os individuos de n- mes Joaquim
Antonio da Silva, Manoel Antonio, Amaro
de tal, JoSo Gualberto Bispo, Jos Fer
reir, Trajano de tal, Antonio da Costa,
Jos Luiz de Sant'Anna, Antonio Isidio,
Candido Naaario de Lima, Isidoro Be-
zerra de Lima, Joao Primitivo Carneiro,
Gaspar de tal, Flix Jos Marcelino,
Francisco Joao Ceciliaao, Antonia Mara
Calista, Amancio de Souza Bispo, DamiSo
Vieira da Silva, Manoel Beserra Gomes
dos S ntos, Marcolino Jos Gomes da Sil-
va, Valeriano Jos Pedro, Manoel dos
Pa8sos da Silva Santos, Luiz Antonio dos
Santos, Basilio Baptista Adens, conke-
oido por Bas, Antonio Monteiro do
Nascimento, Aquilino Antonio da Silva,
Martioba Maria da ConceicSo e Cosme
Jos de Barros.
Hontem, s 9 horas e 45 minutos da
noite, o trem da via frrea de Olinda que
desoa de Beberibe, ao pasa ir pela Estra-
da Nova daquelle povoado atropellou ao
individuo de nome Jos Primo Pinheiro,
que se achava em estado de embriaguez,
esmagando-lhe o p esquerdo e a mSo
direita.
O subdelegado respectivo tomou conhe
cimento do facto e mandn .ransportar o
ofieodido para o hospital Pedro II afim de
ser tratado convenientemente.
Pelo subdelegado do 1. districto de
S. Lourenco da Matta, foi remettido ao
juizo competedte o inquerito policial que
proceden contra Antonio Franklin Alves
do Nascimento, Emilio Seelsen e Manoel
de Lima, por crime de espancamento.
Fallecen hontem repentinamente, na
1/ estaclo da guarda cvica, victima de
urna lalo cardiaca, o desvalido Ignacio
de tal, que alli aguardava opportunidade
de ser transferido para o hospital Pedro
II.
O subdelegado da freguezia de Santo
Antonio tomou conhecimento do tacto e
mandou vistoriar o cadver na forma da
lei.
Sade e fraternidadeAo cidadlo Dr.
Albino Goncalves Meira de Vasconcellos,
governador do Estado.O chefe de poli'
cia, Ernuto a Aquino Fonaeca.
SC1ESCI4S E LLTTK.IS
Alm destes nomes, dados pela lingua dos Tu-
pioambs, tem outros no3 dialectos das tribu a
que o usaram.
Assim AUby, entre os Uaboys; Nanacy, en
tre os Tarianas, Nagarukj, entre os Kataoichis;
Kumarilo, entre os Guabibos, etc.
Ejses sao os oomes, qoe- hodiernamente do
os naturaes porque, outr'era, teve a preciosa pe
dra tambero os de Itobymba, que Martius es
creveu it ybymbae, e o de Itpocanga.
0 primeiro era applicado geralmt ote para dis
tinguir a qualidade da pedra. (it, pedra, o6y,
azul, mbae, o qoe .) e o segoodo para exprimir
as suas virtudes (ira, pedra, pocanga, remedio)
como as de previnir partos laboriosos, etc.
Esses sao os nomes dados no Brasil, porque
muitos outros tem nos paizes por onde elle va-
jou.
Ignorando se a sna procedencia e sendo moi
raras, por ser ama neranga transmitlida de Um-
dos immemoriaes, grande valor Ihe davam,
acompanbado de varias leudas que eclligi, e
qne aqui as reliro.
J vimos qoe H-tarte, Fre Joo de Jos, Jos
de Moraes, Siegfried e Bulln davam-lbe o nome
de muyrakyla e nao podendo explicar como se
trabalhava sem in?trunientos orna pedra de urna
rigesa extraordinaria, acreditavam que os ha-
bitantes da America, e principalmente os do
Amazonas possuiam urna arga molle, qoe to-
mava a dureza qoe mais tarde a resentava;
agora veremos como o indio na sua imaginago,
Eropensa ao maravilboso, explicava a sna origem
aseado as leudas.
Dizem qoe, outr'ora, no lago Yacyuaru (2)
runiam se as Amazonas em certa poca do
anno, em determinada pbase da loa, e depois
de das de expiago f aziam ama festa dedicada
loa, e mi do mwrarjta, qne no fondo do
lago babitava.
Fiada a festa, quando as aguas estavam (im-
pidas e n lias, como em om espelbo, a loa sel coodemoal as.
reflectia, todas as AmazoDas se langavam no lago
e lam ao fuado receber das mos da tnai dos
muyrakyt&s os mesmos, com as formas que de-
sejavam.
Sabiam mollea, mas em contacto com o ar en-
duieciam.
HMC4S E COMMEBCI
Algoos peridicos tem discutido a palpitante
qoesto s os salarios diminuem por i-ff^it
das invenges .
Se alguns tem respondido afflrmativaraenle,
a maioria, pilo contrario, tem respondido ne-
gativamente, e teem dito como dos, que, l'.nge
disso, as invenges fazem com qoe augmenten
os salarios, diminuam i>8 horas qoe coostitwa
o dia de trabalbo e fazem baratear os pro-
ductos.
as invenges, com effeito, encontrar o tra-
ba Iho o nnico e possivel meio de emancipar-as
das tarefas ingratas e dos das de trabalbo i
muitas horas mal retribuidas.
As invenges dia dia se multiplicara, c m
salarios seguem a mesma progressao em (odas
paizes bastante Ilustrados para otilisarem as
inveotos.
Citemos cemo exemplo o qoe snecede cim
tecidos de algodo, com a percate. Ainda viven
muitas pessoas que se recordsm deqoandose
venda a jarda desee tecido 25 centavos. Hoje
vende se elle 8 centavos a jarda, e essa gran-
de baixa devida aos inventos. Entretanto tm
vez de diainuirem os salarios da iodostria de
tecidos de algodo, augmtntaram mnito. Ca
o jornal de boje se pode comprar a mesa
qoaDtidade de percate qne se cemprava, ba c-
coeota aoaoB, com o salario de ama semana e
trabalbo.
Embora tenhamos citado a percale, es dcibm
effeitos se observa em rt laco ostras mana-
factaras.
Quem falla contra as invt nges, seja opera-
rio, industrial co capitalista, proouncia-se cas-
tra urna das maiores n i res concedidas ao mun-
do pela Providencia, e mal se concebe qoe baja
quem ti nha o atreva ento da ignorancia para

O Muyrakyt
ESTODO BA ORIGEM A8UTICA, DA CIVILIZA
(,'AO DO AMAZONAS NOS TEMPOS PRKHIS-
TOB1COS, POB J. BARBOSA RODRIGUES
(CootinuaeSo)
III
Ortgem do muyrakyt e sua natureza
Qual a origem do muyrakyt oo Amazonas ?
E' des ,-oahe ida no valle ao grande rio, s
contiendo o nome, entre os lapuyos, e os escrip-
tores que detle trataran), que tambem 4b dao o
nome depedras das Amazonas.
Castelnau diz que em Manos, antiga Barra,
Ihe der>m algutoas contas cyUndncas de jade,
as quaes os indios attribuem grandes vinotes
medicinaos, mas que Ibe foi impossivel saber de
3oe localida le vinha o mioeral. Les mitens
isaient seulement qu'tl n'tat pas du puj*. (1)
o Amazonas nanea lapayo ou uaio algom,
desde a mais remota antiguidade, preten lea que
a rocha fossedo valle deste grande rio, e sempre
affirmaram qoe obtinham os objectos por meio
de trocas, e por ssj vejamos se em atgoma
parte da America se aponavam ascuas jazidas.
Coarlevoix, affirma que os baytiaaos (karaibas)
usa vam as pedras verdes ; ms quenunca fo
ram adiadas na ilba oa saas immediaces.
Em S. Cirios, do Rio Negro, disseram a Hum
boldt qoe o logar oae se descobriam essas pe
dras era as nascentes do Urenoco e do Rio
Braoco, m.f, as misses do Rio Caroay e
em Angustura, Ibe disseram o contrario, isto e,
que era as nascentes do mesmo Carooy, onde
tambem nao foram acbadas.
Asesar dessas indicages nem Humboldt, nem
Cbirurg Hartsmano qoe em 1739, sabio o Ese-
3uebo e veio at ao Rio Branco ; oem D. Antomo
os Santos, quando, em 1773, atrave3sou esses
lugares, sahindo de Angostura e desecado polo
Ro Negro, descobriram e toJos tomaram a tra -
Jicgo por um mytho.
Razo, entretanto, havia para as3im informa
rem, como veremos adiante, porqae pela regio
do Orenoco e Nova Granada desceram os muy-
rakytas, qne sao os mesmos qoe Bernardo ue
Sabaguo, vio sendo usados pelos Niuhas, pela
restaurago do Mxico.
Os ir mos Scbomburgks, que exploraran) a
Guyana logleza e percorreram as regies apoo
tadas pela tradieco como sendo as das footes
donde sahiam as jades, nada encontraran!, posto
que se inleressassem em reconaecer as suas ja
zidas. '. "
0 uiy8terio, sempre o mystero sobre as jazi-
das dos objectos que s appareciam maoufactu
rados e de tribu a tribu, passavam como pedra
sagrada e porte bonheur.
No proprio Mxico, onde os rauyrakytas, ou
chalchihuitls eram nos primitivos lempos traba
Ibados, a invaso hespanhola, s encontrn os
objr&08 fetos e os qoe ahi, ento se rizerain
posteriormente eram os de Amazonst^ne, como
a de qaa.'tzo qoe ainda hojn se fazem no Rio
Neg porqoe j as communcages com a Asia
estavam iiiterrompHlas e haviam s os que vie
ram as primeiras epjchas ou nvas-s.
Vejamos aiada o que disseram alguns escrip-
toree, que se occoparara do muyrakyt brazei
ro, para mos;rar qui- este nome antiquissimo
e qoe verdadeira a tradocgo que delle dei.
Mauricio Heriarte, que em 1662 foi oovidor oa
capitaoia do Para, diz : E por este rio dos
Tapajs vo a regatar madeiras, re les, urnc e
pedras verdes que os indios ctmnam buraquus
e os e8traogeiros do norte estimam muito.
O padre Jos de Moraee, qa^ desde 1736 mis-
siouou no Amazonas, oa sua Historia da Compa-
nhia de Jetms, publicada em 1793, diz : Cha
ma-se estas pedras p la lingua doi indios Puu
raquitax. 0 certo qoe ha estas pedras entre
os indios e eu live urna grande e anda se nao
sabe o lugar onde se acham e donde se tiian.
0 bispo Fre Joo de S. Jos de Queiroz, na
sua Viagem e visita ao sertao, em 1762, tratando
da pedra verde que vio em Santarem, uiz :
Chama-se e3ta pela lingua geral, que a
dos Tupioambi8, corrupta, Ifuraquita, isto ,
n de pao
Buraquita, Puuraquitan, uuraqaitan sao nome
originados da ma auJigo e da ortbogiaphia,
porqae nao passam de orna corroptella de mby-
rikyti.
No Dbeeugato moderno, 6yra passou a ser
muyr e muir e tmr. pronucciaado com o y
guitural os vehos tapuyos e com os civillsa
dos, o que modifica o sentido porque mira
gente e oo pao. .
Muyrakyt, significa n de pao oo de madeira
pela semelflaoga que alguma jades tem com a
madeira.
Spix e Manas, na sui Reise en Brashan es
creveram muraqae't, porm Moatoya escreveu
IbyraquytS, donde a t aduegao de nud de palo
Muyrukytd, em geral, quer dizer tambem taus
na, ou amuleto.
A mSi do moyrakyt a Ycomama dos lo-
cas.
Outra. que ouvi de om velbo Uaboy, coja trl
bu foi contempornea da dos KoDons, diz que
no lago Yacyuaru os moyrakytas existiam vi
vos-, como peixes, e que as Amazonas reunidas
em torno do lago, feriam urna parle do cerpo e
la ligando o sangue na agua, aquel le, sobre o
qual este cania, para va.
Eulo a mulber laogava-se n'agoa e o apa
nha va. e com elle prese nleava o bomem qoe Ihe
tinha feito ser mi de orna filba, porqoe os filhos
e.am regeitados oa morios.
Quando o iodio dos re fere assim, a origem do
muyrakyt, tomamos isso como lendas porm
nao o sao.
E' o reflexo de ama rem ioiscencia ; a ver-
da de qoe elle apreseola, envolv ;a do manto te-
nebroso do passado e, seno vejamos :
as noticias dadas sobre a cidade de Khotan,
extrabidas dos aonaes cbinezes escriptos na dy
uastia de Taang, no auno de 632 da nossa era,
diz Brondel que : logo que avistan) noite
a localidade, muida em cheio pela la, o povo
mergulna no rio para ir buscar as pedras mais
linas. Nao isso que referem os iDdios, com
os atavos de sua imaginago ? Aqoi a verda
de, alba a mesma disfargada. Explicarei : A jade
oo oepbrite encontrada em duas localidades
differeotes; dentro dos ros ou espalbada as
momanbas. A do rio a mais bella em cor e as
vtzes cortada de veias azues e a das montanbas
tem a appareocia de n de madeira em geral
corlada de veios pardacentos.
O Dr. Foreman diz. That from the montain is
ordinarily veined browo, and bas somewbat the
appeareuce otcood.
Dahi vem o uusso nome indgena talvez por-
que outr'ora fossem mais asados os dessa ap-
pareocia. O que exacto ainda oa China tam-
bem se couhecem as jades pelo nome de no de
pao ou de madeira.
Hoje a pescara das jades, tal o nome que se
d oa china sua procura, quando dellas preci-
sa o imperador, e que mostra tambem o seo
aprego e O sea valor, assim fei a : Vinte ou
mais soldados, guardados vista por officiaes,
uem-se em hnha e mergalbam tolos a um tem-
Vo ; aqoelle que primeiro acba alguma, sabe e
ao toque ae um tambor, em urna folha de papel
faz se um sigoel vermelho. Acabada a pescara,
om inspector separa e marca as melbores, q e
nunca attingem mais de 30 centmetros de com
EnmeDio. Escoltadas seguem depois, para Pe-
a, as jades.
Justificado o nome de muyrakyt, com o de
n de pao, da China, udeotilicado tambem tica a
lenda com a pescara do Celeste Imperto, nao
sendo as outras lendas mais do qoe reminisetn-
cias da imimgrago Nanba-qoich, que tem rai-
zes oo mesmo cominete.
Para jusiitioar-me, oo tenho remedia, seno
apoiar-me em autoridades competentes, para es-
tahetecer a identitioagao prensa, entre a civi
lisago Amasonense e a que as ruinas do Mexi-
xo, America Central e Per apresenlam :
Diz Herera (3) e Fre Gregorio Garca o con
firma referiodo se cenca que ba entre os in-
dios da America Hespanbola, que : vio en el
profundo de lo mar una muger mu hermoza, a
quien entr por el agua como Buso, a hablar, i
ella, en agradecintento de la visita le dio knas
cuentas de marmol i las que los indios llaman
Cibas: Estas joias v savam despus todos los Se-
nvres, i Heu de aquella ierra i las tienen por
cosa sagrada i divina por haver vsado de ellas
Vaguniaua; que fui el primeiro Seor, i Rei que
bouve.
Nao a Ikamiaba mergulhando no lago para
ir bascar o moyrakyt, para com elle preseotear
o bomem que a visuou r Nao eram com os muy
rakyis que ellas pagavam aquelles que repro
duiaua a sua especie?
Nao anda o nanacy ou tuichaut, que usam
os Uaps como iasigna da realeza.
O muyrakyt no Mxico, (chalcbibuitl), eslava
lo ligado a Qucizacoalt e a Taloc como a Chai
cDihuiiiicue, (a mi do muyrakyt) -deesa das
correnies, dos lagos e dos nos, a Kurwnu dos
Karamas, a mama yacu dos Peruanos, que a festa
que se Ibes fazia era commum, em um s dia ;
era no dia primeiro do primeiro mez do Calen-
dario Azteca qoe correapoDde ao mez de Feve
reiro.
Vimos que as propriedadea do muyrakyt, sao
as mesmas do amuleto asiatiCu, vimos que a sua
origem desconueoida mTAmamms, e que as-
faDula3 que do a sua procedencia filiam se
Asia, agora vejamos de que el.e feito e d'onde
se origina.
Todos os muyrakyts qoe vi e que possoo,
assim como os nicos doos de origem brastleira
que existem oa Europa, levados pelo D.\ Mar-
tius, e que tigoram uos museus de Berlim
e de Munich (i) sao da rocba conheciJa pelo
nome de nepkrue ou jade oriental, cousiderada
por Coofaoios como o syubolo da virtude, pelas
Jue Ibes davam os sabios que perdtam oa noite
os lempos.
(Contina.)
(i) H'S. du voyage, V pag. 113.
(2) Yacy, a la, narud. o espelbo da.
(3) Dec I. tb, 5 cap. lll e tibr, 9 cap. II.
{i) Origem de los Indios, cap. II pa. 319.
O Sr. G. Clet, em eteripto sobre Venezuela.
escreve o seguinte acerca do teu commercio ;
As relagoes commerciaes esio actualmente:
rom importancia sempre cresceote ; o comiBcr-
ci de impert.gao. com 118 navios em bandeira
fraDceza. attioge em 1888 a somma de 12,63i.777
francos e 88 tenlimos; o da Inglaterra 23 ad-
Ibes, Allemanba 13 milhes, Estados Unidos d
Norte. 19 milhes.
0 commercio de exprrtago em Franga ete-
va-se, no mesmo anoo, a 13,209.809 francos e M
cntimos.
A populaco de 2,238.822 habitantes en
1888 e em 1887 era de 2.200.000.
A superficie de 1.552,741 kilmetros qua-
dradoB. tres vezes a da Franga.
Alguns capites francezes teem participada
largamente na creacSo de muitas compaobia* ;
pde-se citar a Sociedade Franceza dos Telgrav
pbos Submarino?, a Ccmpanbia Franceza da>
Caminhcs de Ferro Venezoelenses, a Sociid
Foncire e Agricole Franco Venezulenne, etc.;
o palacio nacional da Mee da em Caracas, can-,
tal da federaco, e dirigido por um engento
fraocez.
> O systema monetario, baseado no systens '
decimal, tem por umdade o Bolivar, moeda d* jr
prata qne vale om franco e pesa 5 grammas da .
885 milsimos.
< Os navios das tres priacipaes liobas fraa-
cezas, que partem de Marselba, Havre. Bor-
deaox e St. Nazaire, fazem escala nos dous pri-
aeiros portos commerciaes : La Gruzara (a 39
kilmetros da capital) e Puerto Cobello.
#
Segundo o plano do Ilustre almirante Barao
de Jacetuay. e tendo como incorporado.".-.; S-
Exc, o Dr. Antonio Paulo de Mello Barrete e coia-
meodador Manoel Jos da Foaseca, est definiti-
vamente organisado O Lloyd Brizileiro.
Para mostrar a importancia da empresa basta
fazer notar o sen capital, que de 20.000 eco ios
de ris.
Fazem parte do Lloyd Brazileiro as segua-
les companbias : Nacional de Navegaco a Va-
por, Transatlntica, Espirito-Santo e Caravellas e
Progreso Martimo.
< A companhia projecta tambem adquirir
ilba do Maocanguc e o diqoe do Commercio alM
construido.
A directora do Lloyd Brazileiro, qoe Keoe
bontem installada, compe-se d js Srs. Baro de
Mendes Tolta, gerente; capito de fragata Mein
e Alvim, sub gerente; e Barao de Satinan
Viaooa, secretario.
Parte em breve para a Europa, afim de as-
sistir a constrocgo de quatro grandes vapore
{ara a companhia Transatlntica, o Sr. Barao de
acegaay, a quem se deve. exclusivamente, por
assim dizer, a orgaoisago de to importante
empresa.
E' aos esforcos do Ilustre almirante que (le-
vemos o Lloyd Brazileiro.
Esta companhia ficou definitivamente incorpo-
rada no dia 15 de Abril do corrente anno. .

A directora do Banco do Brazil resolveu bon-
tem conceder empresa do Moinho Fluminense
um emprestimo de 1,000:000^000 sob a garanta
de d.bentures.
#
Est publicado o decreto concedendo ao Vis-
conde da Cruz Alta, permisao para incorporar
n Banco Emissor da Regio dos Estados do Rio
Grande do Sul e Matto Grosso, approvando os es-
tatutos do mesmo banco com alteraces e reda
zindo o capital de 20,000:000* a 16,000:000*.
CORRESPONDENCIAS
NAZARETH, 14 de Jjnho de 1890
Embora convencido de que a sorte dos muni-
cipios ainda- ser por moito tempo descurta,
e de que as bellas theorias que proclamam a
necessidade dodesenvolvimento e cultora iles-
sas pequeDas cucumscrpges administrativa*
someote servem em geral de artsticos de:>eano*
de simples e imaginaria planta d" um grandio-
so edificio, qoe depende de muitos materuies,
que nao possuimos, e de habis arebitectos para
soa coostruego, comtudo.uo cessaremos de ira-
balhar por essa patritica aspiragao, a que se
liga e da qoal decorre verdadeiro progresso na-
cional.
Nao ser com o sileucio e o mutismo da par-
te d3 que soffrem, qoe viro os remedios de-
beliadores de seos padecimentos.
E' por isso, que os habilaotes dos mnnicipio?,
sempre apreciara a imprensa, quando esia se
oceupa dos interesses das munuipaidade*.
A' generosida e da impreusa devem elles uii-
ta graiido, e essa especialidade un do
seu mais conceituados orgjs : o Diarfo de Ptr-
nambuco sempre accessivel e atteocioso todas
os municipios deste Estado, o que ninguein po-
de contestar.
. E" este rruoipio om dos mais importantes ao
Estado nao = pela sua avultala popuag de
cerca de 40,000 almas, como pela u .erdade do
solo, onde ae cultiva geralmente a canoa de as-
sucar, o algodo, alm dos cereaes, e do qaal
poder-se bia ter quadroplicada prodocgo, se o
systema da cultura oo fosse o mesmo dos lem-
pos coloniaes, ligeira e raramente modificado por
muito poucos agrica teres.
Nao temos om eogenho que possa servir
modelo e incentivo aos rotioeiros. qae deixan
de fazer acquisico dos instrumentos agricolaa
aperfeigoados por nao conhecerem pratteameata
*K
f
-- -j^- ~iIir*z?***5e


Diario d Pernambuco-Quinta-feira. 19 de Junho de 1890
-
f


deHes reaultam para a la
inatituicoea nacionaea.
De nada valtrio a urberdade d> notso soto e
todas as suas riquesas naturaes, si os nossos
Cvncidados cao cuttrvarem as saas aptidoes,
fue sao as grandes forg i* necessarias a aua ex
ploracto.
Como cgos e paratyticos, na ignoraacia em
me vivera, sero eJIes antes um etcargo social,
Jo que benetksos agentes e obreiroa do ogran
decinw it(vda patria.
Iutrucc e trabalko, eia nosao ver o raais
bello progran>ma de ura governo, por que cora a
eduracao popular-ter se bia proltcuos elementos
de de seguranga publica e individual, de ordeno,
e florescimeoto de todas as industrias e anual a
coniui9ia da roai- esplendida civllisago.
Nao sei por que estando estes conceitos na
conciencia publica, nao tem arada a inatrocgo
popular meresido a desvelada attencfto dos go
A instruccao tem o poder de formar do cida
do urna torca autnoma, independente e em
geral benfica, a esU a base scientinea e posi-
tiva da orgamaaeo dos- ncleos sociaes por sua
te antono os. coostitaindo-os alicerces do sys
tema datnoc-atieo da fe ieraco.
Sem essa homogeneidad* e barmoaia entre as
-nidades-e o todo que dallas se compoe, nao se
formar sino um corpo anmalo, de vida preca-
ria e de impessivel deaenvolvimento.
Nao tem descuipa o despreso desta* radimen
tare ncoes de phisiologia social e pohtica, e a
eonnnuucSo da rotioa que tudo espera do lempo
e do accaso fazeodo da naturea um poder do
Estido.ao.qual se conrta diacriclonariamenle as
mai importantes funcc6ea dos poderes polt-
Clamarei sempre pela instrucgao do povo, e
peco ao swerao qua neate sentido nao poupe
despesar por que a economia em tal assurop o
stm gastar Urgne generosamente, devendo
manter toda restneco na eseolna des professo-
res e d^s logares em que se tenbarade fundar as
Esta cidade precisa de mais urna escola de
instruccao primaria para o sexo feniinino, pois a
nica existente aqui conta perto de 100 alumnas
de uina outra para adultos, ue um pequeo esta
belecimento de artes e oflkios, nodeodo se para
auxiliar essa despesas oriar urna taxa e-colar
municipal impasta e arreeadada pela Intenden-
cia. ,
A polica do municipio neeessita do reorgant-
saco do seu pessoal em geral composto de boas
pessoas in-is quem falta a conveniente instrue
gao e especial doneidade para seraelbante ser
co, alias difficil c penoso.
A escala do crime augment e existe para
mais de 60 procesaos em andamento, alm dos
muitos i jugados em 2 sessftes do jury neste
anno e dos que tera de ser submetudos a jul
gamento na sessto convocada para o dia 16 do
correte mez.
Si os jwados nao foasem tao omasos em com-
parecer ao tribunal seria possivet maior numero
de suas sessdes. O correctivo dessas tota a
multa, que cooatitue recata municipal, e entre
tanto, o presidente da nossa lutendeoea de
opiniao que ellas nao devem ser cobradas e as
te sentido dea o seu voto ltimamente em p'ena
sesso.
Segundo ellepensa, conveniente passar o na
mSI sobre esta divida, isto perdoal ? com
se a laten enca tivesse poder para tanto!
O ticamente elei'orol fez se regularmente,
aern/ou- isa* ou redamagOea. e apenas boave um
recarso para o Dr. juiz de diretto, que nao teve
^OilSugOS partidos-, anda distanciados um do
outro petos vicios do syslema de sua. orgaoisa
cao e pelas paixes pessoaesforlizinadas de cer
ta falta de educarlo poltica e mesmosde muUos
defeitos communs aos pemenos povoa.lo?, onde
ludo estoW cultivar, parece que se aeflam ac-
cordes uolpensameo'o de irabalharem pela manu
lenco di ordem e consolidago das novas nsti
tuiebes. JE' este com certesa o programa das
antigos conservadores, cojo cueto o venerando
Bara d8 Tracunbem.
Refundidos os elementos boas dos antlgos par
dos, aban lonadas as amDicOes de-mani exciu
sivo por parte de certos ctdadaos, anda inrec
ciooados pela athiHOsphera do rgimen monar
chico praticados com sinceridade es senmentos
de fraternidade, o que m parece quasi ura m
possivel, poder-se-bia formar urna grande torca,
um grande partido republicano, representante
das ideas de ordem e progresso reflectito e pru
denle em apoto da nascente repblica.
Pelo menos este o meu pensar e sao estes o.
meus mais arden* s desejos na actualidade.
para a feira, e cousideraveis reparos no paco da
lutendencia, osq'saaao tosoaa maito daaaate e
dam-tte as accoMBMito(o>a paeeis3. Titoem
tem cwtadoda hypMipBldica. faieodaiwasno
qtma) aant ver o tao m amaacaaaoaterrar a cid-wrtmBfe
quisitBMorMboi vm'HIMWi id tem. giMCMor
do Estad* cm o Un dfvaar a uaaao da
vanla, reqiicaa-qna Mi lofOxflatialetia, de
odoqu? detoontdUB^ara^oja^^a foraaa vaea-
nada muitaa-pesjoaav
Pfwpoaittimeolsafeserret para oBjI a ni-
ca notiaie c da torra.
O Club Luterano Caruaruense no da 23 de
Marco reelegeu sua directora, com excepcio do
ibesoureiro e do 2 secretario, que se haviam au
sentado da cidade por lempo indelermtna lo. ro
ram eleitos para aquelles cargos o capiao Joao
Francisco de Pontos e o alteres JoSo Paulo Cor
rela e S- n, w
No dia 25 do mesmo raez celebrou o Llub o
anu versarlo da sua installacao, com urna aesao
solemne, ua qualoraram. cotnraeodador Rodri-
gues Porto, presidente, Dr. Luiz Zacaras, ora
dor, e Dr. Eutropio de Faria, orador da socieda-
de Recreativa Juventude, segurado seum recreio
ato as 2 bo
ras da madrugada.
Poram propostos e acceitos unnimemente so-
cios honorarios os illustres cidados: generalis
simo Manoei Deodoro da.-Fonseca, marecbal Jos
Simeiade Oliveira, Dr. Jos Isidoro Martina J-
nior, Dr. Ambrosio Machadj < te, Dr Maooel Gomes de Mattos e Dr. Autopio
de Sooia Pinto, em sesso de 23 de Marjo, e en-
enbeiros Lucio Freitas do Amara!mz Marques
de A'buquerqu? Maraohao, Gastavo Mermud,
Alexaudre H -orique Vieira Leal e Antonio Pra-
do Lopes Pereira, na sesso de 8 do corrento.
os beneDeioa que
TConsidero urna iadaehnavel providenoia a fuu-
dacao neste uMoioifHt senio dsram eagenho.
central, que -*ma ptoa awter
mnento da psa*ccao do assocaacaa opsf peM
Derfeicao dos msrusMBtos e appawUws da coh
tura, ao meoaa de urna escoto pratica da agr^
cultura em cool6es d edaaar e asopatar mi-
seros e desprotogido* orpbJat, CR^aeram ruto^
ros cidados. boos ou maar sepa ido aatormar
cao do seu caraoa* e modetatM. das suaaaafe-
dOes naturaes ao rgimen do trabalho e da mo
ralidade. ...
A iostruego e a educaco popular sao o fe-
cundo germea da civil isacao do paiz. E' por
meio dellas que crescem e fructificam todas as
virtudes sem as quaes nao posvel a oble j-
fio da verdadeira paz, ordem e progresso so-
ciaes. .
Gaste se e gaste se muito com o servico da
instruccao obrigatoria de creancis e adultos, e
eja isto a maior e mais interessanle preoecu-
Dacio do govrrno da Repblica, e eu vos afir-
mo" que crescer prodigiosamente ariquen po
i e au coos j1-1-^ d '<*"* iifnliaal aa toslaule aauaado queso pxotoagou
VARIEDADES
E' o elixir erapregado com vaotageus inaudi
tas peioatUfltaBes.
A tinnBidiTi pafailaa lr*illlwlj>tive na
tas ni nfri7i*7f-------rr'"Tr fliaoa da liba
Graadmp*embaisvam>..a*n jdeskoa, com.-. o
unaeo Itaaxla tirar da mamllivio pasttiajffrimaa-
toadoa pul nales. ^
Contra o mar e oaaeua-navio e i*m o direi-
to de fallartaqueilwque.oiqoaab.
Para essea fedimeale para- a bamanidade
pouoos, que saa daaantattaa a viaaam submet
lidos a um traumento emtico, que emmagre
cem e chegam ao porto almejado cono varda
deiros cadveres, o mar, longe de aer urna fonte
de venturas, o maior dos martyrioa.
*
No prximo artigo tratarei dos meios aconse-
Ihadoa pelos hygienistos para prevenir e reme
diar o eujoo.
- Franca Jnior.
T~
REVISTA DIARIA
CARDARU', em 14 de Junho de 1890
Nao ha talvez localidade alguna que maif se
tenha recolhido ao silencio, de certo ternpo a es
ta parte, do que esta Dequena cidade do centro.
Entretanto, nenhuma outra teria mais sobejos mo
tivos para falla clamar, gritar, em vez de sub
metter se com-santa resignaco c-rasa de seus
ales, causados pela secca que a victima desde
Movembro do anno lindo.
E' tristissimo o quadro de tome e de ratserra
que se desenrola diante de nossos olhos. Homens
esquelticos a implorarem trabalhop-ra que Ihes
d*n o pao ; mulheres maltrapilbas, lvidas, com
crian.inhwao b'aco, pedindo, nao para t, raa^
para o Hlhinho que es a raorrer de tome ; mu
tido de meninos de ambos os sexos, quast nui,
estacionados pelas partas, crenies em sua rage-
nuidadedeque a sua insistencia e:u per les
produzir algumas migalhas.
E' compngeme ver, ua* das de reunio ua
feira, grupos de mu.heres e enancas, porlia,
apanharen, de-ffi-tura cjm a trra, a uona
que os vendfdi)ret.ieiium cabir^ ao ^^ f
eherem suas mi
se, njunamtic
Os vendedifJBm** ***&> enxotim
os. Elles resis.en almosf_ tranqutltos
insensiveise cotiua m a^ropellar ae, mpell;-
dos peloaguilhio da fom
Acarld.leesUexliau^ta. A popalacio mai,
favo -ecida naa p le soecorr a tamanha mise-
ria e m*is exiguos ae tornara os seus-auxilios
dlaote da caresta dos gneros de primara n.
Nao ha recursos de natorez algumi. O gado
morreu qua-i todo, ticindo reduztdoa punco mais
da decima parte. Nao ha leguraes, uem traoalhos
de lavoura. Daranre os das 3, e 5 de Maioc.
hi-am algumas cauvas; o povo tez um esfo.co
sop-erao; adquiri sem^utes por alto precj
plantn e as plantag-.s foram destru Jas p*l
lrgala e as chavas deia.Jpareceram al e
**A Intendencia Municipal, por iniciativa de^seu
disoo presidente o Sr. commendador Rodrigu s
Porto pedio providencia aobre esie assumpto
aoExm. marechil Jos Snaeo e nem resposta
htcvp
Pedio as ao aduil governador e este respon
den que bavia solicitado do ministro do interior
a abertura do crdito ueoessano na verba soc
eorros pblicos. Mas esta esperanca ja nSo po
Jaaatisfazere urgida p-^tos circuanlaJcias, in
aK>o a Iotendeocia no seu pedido e aguarda
^"pebzoaenta qui a- laUodencia, a este e a
otros respeitos, tem totaad a>aeno os nteres
tae-a rnaatoip.. A'aergta dos dignos inten
ftnaBaBaaitoaedu*e: a regnUriaacao daillu-
iteasao publica e da outro* servicos, a effecti
ajuBaofto-das posturas e alguna melboramen
toa materuea que l.n sido por ella promovidos,
laes como: a construccio de um curral para re
aohilmeato dos aainaes que coadnzirem cargas
Hygiene
Seriedade i
Severidade!
Digoidade!
Quantas cousas uteis e at n3ce3?aria? n03
deixamos de faser n'este manto, s por amor
d'essas senborass que cora primera no3 a di em
nm circolo de ferro, como os grilhes o arteai)
de um gale I

Nao te rias, leitor, se, a proposito do jogo da
bola, qn3 o pnraeiro assumpto~de q e mi V)u
oceupar hoie, lango sobre o p^pel esta tirada,
quo melhor cabL-rta em um capitulo de philoso-
pbia barata.
Nio te ras.
Entre nos ha exercicios gymnasncos qae as
conveniencias sociaes s permitlem s cnaogas.

Imagina com todaa gravidade que a idade da
razo se emprestar tua physionomia. que ests
em casa, alegre e satisfeito, a jogar a bola ou a
peieca com os leus Blbos, urnas enancas verme-
Ibas e sadias, que nunca te fizeram passar n^ii
tes em claro, e ques sorpreBdiio n'este uUI di-
vertimento por urna visita, que esti tambem na
tal idade da razo.
A visita achara aquillo engraca Jo.
Sahindo. porm. de tua casa, a quantos mote-
jos e ridiculos alo te snjeitaro os seus com.
mentarlos. '
Parece-me que a estou ouvindo dizer a esta e
Ora esta Pois Pulaao nao est doudo I Um
marmanjola d'squella ordem a jogar peteci com
os tilhos Que creatura ftil! Um conselheiro r
Ura advogado acreditado !
Se fores medico, a tua dioica soffrer, anda
maiores boleos que a peteca manejada por luis
mos vigorosas.
Se fores fonecionario publico, nao faltar quera
allegue este inciJente para justircar a tua de-
misso.
*
A nossa vaidade, que nos fai commettar taa
tos culoas priva nos anda de urna tonto pun-
sima ile alegra e de sade,
Quanto a mira, entendo pelo contrario qoe se
deve dizer com Martial: Folfe ietet pueros luden,
foll tenes. ... ___
E' preciso langar pela jane'.la fra, ctom se
lanca a saliva ou um phospboro servido, certos
estupidos preconceitos, que, embocados eob o
manto da digoidade, da seriedade e da severi
dade humanas, sao enfriante tudo quaBto pode
haver de ralis deshumano.
Joga a bola, a peteca ou a raalba as horas va
gas com teu3 filhos, leitor.
No te cahiro por sso, como dlzem as veihas,
os porente3 em deshonra.
E se aquelle que escreve estas linhas nao e
competente para dar le um conseibo, ouve o que
seos melhore3 livros de bygiene:
Muitos fuaccionarios digennafa rae-lhor ;
muitos litteratos e advogado3 nao tonara as mo-
le-lias que atacara os individuos de vida seden-
taria, se trvessera urna pequen* bola de berra
cha e cora ella iogassem de vez em qoando, in
terrompento as fadigis do trabalho; e muitos
paissenam mais vigorosos e mais tolises no seto
da familia, se brincas3ein com os mbos.
E se a tua vaidade de homem serio entender,
visu do que acabas de ler, que arada assim
nao est livre dos botes da maledicencia, recor
da-te da posigoem qu^ os embttxaderes oram
encontrar o grande home.m, que,ni dizer de Vot
taire, reinou sobre a Fraoc por direito de ron-
quista e de nascimenio, e de cuja vida fez sub.i-
me apotbeose o pincel de Rubens.
No momento era que aquelles entregavam loe
as credenciaes, tito, o todo poderoso, esta va de
brucos, a rir como uma crianca, cavalgado pelo
tiiho. .
Se nao bastante este exem po, lembra-te ara
da do grande Mallebranch \ que brincava como
u u menino 3 de Maciiiavelli, que em San tai
,-iano diverta se a polar com os camponexes
Queres me'.hores corapannias?
O jogo da bola, diz o grande Fleury, um
exltenle exercicio que desenvolve todo o syste
ma muscular e soreiudo o peUo de ura modo
especial. ,.
Elle d aos movimenlos energa, ligeireza.
rapidez e s^guranca; attitude geral, nobrezae
elegancia ; aos olhos agudeza e rapidez ; torna
o tacto mais delicado; excito o cerebro prorap-
u e decisiva determiuacao e d ao jogadir a
lusta medida das torcas, da habilidade e da co
ragem.
*
til exercico tambem o passeio de carro.
P.ra que He, purera, aproveite sauie.
Dre -iso que seja opporluao e feito em del :rmi
UaJji coatlicoef.
E*pfed';aqe o individuo tacase conduzr
'. m carruagem desee berta por um caminho onde
lio "i-l"poeira.
O passeio em carro co.ivm muito aos coma
le.-centes e aos fracos, especialmente depois do
janlar.
Esie conselho, que dado por um hygienista
no av -I, deve ser adoptado entretanto cora- res-
iriccoes ua cidade em que vivemos.
Qu -ra j se mellen em uma caleea de praga
cui is molas soTrem de rheumatism), depo.s de
tiaver in^endo um bora repasto, pira o tim de
ac upanhar um eaterro, ou pelo simples prazer
le passei ir, deve saber, pelos boleos que '
levad >. que o carro a correr pelas nossas
esburacaias outra cousa mais nao que
machn de desgrudar intestinos.
Poohi, por cooseguinte, esieconielho de qua-
renleni, at que a nossa edilidade se lembre de
laLcar seriamente as suas vistas para o caiga
memo das mas. _
Pa-seie carro quem Uver a sua carraagem
conforUfrf, e^colbendo os bairro3 onde
e-t jira em bom eslado.
Q wm ao puder tor esto luxo, lance
O Jiond um grande meio therapeurtco.
E' preciso porem, oao tomal o >
valires que infelixmente n4
nos habituau-os.
O bond como certos medicameates.
Km 1 .rga escala um veneno.
Na conta um Inico.
Actos ortlciae*Por actos de 14 do cor-
r nte do governador do Estado:
Foram concedidos 2 mezes de licenca ao jniz
substituto de Jaboato, bacharel Bellarmino Ce-
zar Gondim. .... .
Foram concedidos 30 das de licenga ao 2juiz
substituto da capital, bacharel Pedro Francisco
Correia de Oliveira.
Fot prorogada por 3 mezes de licenga em cujo
goso se acba o collector de Agua Preta Adolpho
Machado de Moura.
Foram exonerados :
Joo Lopes da Costa, Joo Ma:lins Vieira e
Jos Barboaa da Silva, dos cargos : de ajtenle
do procurador dos teilo?, colle tor e esenvao da
collectona do muuicipio do Triumpbo e nomea-
do para substiiuil os o tenente-coronil Antonio
Jos de Campos Barbosa, los Balsabino Gongal
ves Lima e Joo Bezerra Lito.
Foram concedi'los 9 mezea de licenga, sendo
6 coa ordenado e 3 com metadede ordenado,
ao 3- escripturario da Recebedona do Estado Ji-
s Torres Campos de Medeiro3.
Foi exonerado. Manoei Pereira da Rocha do
carga de collector das rendas do Estado em Se-
nnbem.
Foi exonerado, a pedido, o bacharel Jos Vi-
cente Meira de Vasconcellos do cargo de oficial
de gabinete e nomeado para substiiuil o o ba-
charel Jos Marques Acau Ribeiro.
Foi nomeada urna commisao com posta do juiz
de direito da comarca, presidente da Intendefl
era e do delegado de polica para distribuir me
dicamentos aos radig ntes accommetlidos de va-
rilas na comarca de Barreiros.
Por actos de 16 do correte do mesmo gover
nador:
Foram momeados merabros^ia Intendenta :
De l^uarass : capito Jos Francisco Jayme
Galvo e Dr. Joaquim Rodrigues Campelto ;
D> Palmares : mjor Jos Alves da Silva eLaO
rindo Feii de Mello ;
De Grvala : Dr. Vicente de Paula Feliclo dos
Santos e Victorino Jos Gongalves.
Foi nomeada uma commisao composla dos
Drs Francisco G de Andfade Lima, Antonio Pe-
reira Sim6es e Jos Joaqun Alves de Albuquor
que para dslnouir medicamentos aos indigen-
tes accommetlidos de varilas em Olindare fazer
removel os para o hospital de Santa gueda.
Foi nomeada uma comraisso composta do
j
pela partitura, pela msica,
e de notavel originali-
tem
ruis
uma
mSo do
doses ca-
oa flimioensea,
Para quem oo aofre de enjo ou deixa da
soffrel o depoi* de alguus das de viagem, a
naveaco um dos meios mal poderosos pora
excito a outristo. fortalecer o pnlmo e me
A Mvegacao'dit Maniegazza, ntiKssima para
defender o individuo fraco da tsica, e memorar
tqnellea que della j eitiverem atacados.
uiz de direito, do presideo;e da Intendencia, do
ftvd. vigarto e do delegado de polica, para da
tribuir petos'larra dores- desvallidos da comarca
de Beterrosv 3ment s de milho e feijao.
Foi permitido ao*! oflciaej : da 3* secgia
da secretafia do g-iverno, Tolemasa Cavalcante
de Mello e do arcMvo da.meso secretara Hen-
rique de Ba-roa Cavalcante, permutarem os rea-
peciivos lugare
Poi elevada a craco o numero da membros das
Intendencias Muciicipaes de Iguarais, Paimires
e Gravat.
Tbealro-Iniciou se a 2" serie de recitas no
Santa Isabel com a opera cmica em 3 actos, ori-
ginal francez de J. Prevel e A. Liorat, traduego
livre de Moreira Sampaio, e msica do maestro
Luiz Varney.
A julgar pela priraeira recita a 2 serte nao
prometle meaos ao Sr. Heller do qjio a l'.A con
currencia foi imtireosa e extraordinario o enthu
siasmo do publico, a cujos reclamos foram bisa
dos diversos trechos de msica, e que, nao s
applaudio frenticamente os artistas, como at
cnamou scena o digno emprezano da coraiia-
nbia. Alm do merecimento da opera e da opti
ma execucio por parte dos artistas, coocorreu
era graale parte para esse resollado a circura-
tancia de ter Bcado adiada a representago d'O
Amor Molhdo, escolhido para a estra da com-
p inhia e retirado da scena por impedimento da
Sra. Blaoche Grao. Tal cirenmstancia agugou a
coriosidade publica, o que tanto mais natural
quanto era de presumir que a opera destinada
apresentago da companhia fosse das raelhores
do seu repertorio.
Nao se illudiram, nem a empreza com a esco-
Ih que havia feito, nem o publico, preven lo,
por causa d'ella, o merecimento d'O Amor Molh-
do. E', com effeito, esta opera-comi'a interessan
ti3sima e, ncontestavelmente, a melhor das at
agora exhibidas.
O libretto nolevados em conta o despreso
das exigencias dramticas e o 3cnbuai respeito
ve-osirailianga, o que commum ao geral das
composicSes d'ete genero, nio deixa de ter,
por si s, algu.u interesse e espirito. Uro velho
governad or do princi nado de Tarento, no general
em flns do secuto XIV. oerde se de amores por
uma formosa mercadora de laranjas, que nSo du
vidou com elle casar se, principalmente porque
umcstudanto, sen namoradu, se tem ausptado
do lugar sem mais dar noticias suas. O general
lera em sua corapanbia umasobrinhae pupilla,
mnito simples e ingenua; e para casar com ella
chama de aples um parete, qie a meci-
dade em paasoa. Resolvido o casamente, a que
a sobrinha do genern! em sua ingcouUade, nao
se oppe, apezar da pessima iopreaso .arodu-
zida pelo noivo, apparece no lugar um principe
de Syracusa, grande bandoleiro, verdadeiro cou
reur, por qnem a moga se apaixona, sentindo
amor pela primeira vez. O principe acompa
nnado por seu secretario, dfargado em cralo,
o qual nao outro seoo e antigo namorado da
mercadora de laranjas, enlio mulherdo general,
a qual o recohece e por elle se mostra anda
up ixonada. Descoberta a paixo da pupilla, o
general pretende violntala ao projectado nasa
ment porm ella refugia se em um corwnto
de freirs. O general, sua ranlher o r^nxlpae
seu criado, todos, por differeniea meios>nisrar
fces, e impellidos por seotiraenios diverso* con
seguem penetrar no convento, mas por tro ludo
se descobre, sendo presoPo prin 'ipe o o cnado.
03 quaes sao, atloal. postes em lDerd idr, o-pn-
meirvporMotereesso da sobrinha do general,
q e accede ao casamento projectado pao lio, ao
saber que o principe j tem um compromisso, e
o segn lo por instancias da ex mercado'a de
laranjas, que modifica o marido cora caricias e
protestos i innocencia. Por flm de coalas, o
principe sent se verdadeiramente apaixonado
pela sobrinha do general, pede Ihe a mo e a
obtera, licandoo primuiro noivo em posigo maia
ridicula ainda do que a maotida durante todas
as peripecias d'esta historia.
E' esta, em resumo, a acgo dramtica da ope-
ra, e no desemptnho deHa houTTam se do me-
Ihor modo os artistas que a desempenharara.
O Sr. VasqueB, com o seu bello talento e com
a e.-pontaoeidade de seu espirito, deu immensa
vi la e 8aliencia ao papel de Cascarino; O Sr.
Peixoto foi mmto bem na parte de Parapraelli,
governador de Tarento. e pela primeira>vez o vi-
mos bem caracterisado, sem os riscos e tragos
demasiadamente salientes e vixweis com que se
pioia em eral; o Sr. Nazarelt compreheodeu e
execulou bem o tvpo ridi' uto de Asoanio, sobn
nbo d > governador; a -ra Blaoche Grau j co
nhecida e festejada lo nosso publico, na simpli-
cidade e iogenuidade que sao o fundo dacara-
cter de Lannetta, a Sra. Massart, na leviandade,
desembarazo e desenvolturas de na cuoqBWta-
dor handoleiro, o principe Carlos, a Sra Lop
ccolo, na malicia de Catharina, uma ex mercado
ra de laranjas, casada com na velho persona
gem. mas guardando viva no corago a paixo
por um antigo namorado. e a Sra. Isabel Porto,
as curiosidades pelo amor, sentimento que nao
conbece, e que j se satisfaz em sel o deaperta
do no coraco de uma amiga a-quem encoraja e
incita para e deixar amar, toda* den a ptimo
desempeobo aos sena intereaaantea-papeii.
Entretanto, nao na parte dramtica que e*t
o maior intereaae e merecimento d O Amor Mo-
hado, porque aquella obscurecida e ventajosa-
mente suplantada
qu inleressanlts
E' esta de pura escola fraoceza, sam a predo-
uhoago quasi exclusiva de harmaeias e sera as
disasnancias scientificaa da msica aliena, e f-
ra dos moldea da amiga escola italiana, em que
a oreuestra nada mais faado qoeacoepanhar.
Na partitura d'O-Atmr Molhado, a nstrumen
tagaa magnifica, ha, liadiaaimo*. grupaojeotos,
e a ofcbestra acoiapmha canta e torra i conjuo
ctoa-do maia bello Auto. No correr d% opera,
ora o violoncello, ora a fliota, ora a claroeta, se
deslaca e impressiona o ouvido do publico cora
algum solo, rpido, porm original e melodioso;
a flauta sobretodo se deslaca muito agradavel-
mente por occasio do cinto do beija flor: e hon-
ra seja feito orchestra do S rata Isabel e ao seu
digno regente pela boa execugo que deram
inspirada composigo de L. Vaoey.
Com relago ao canto, as bouras da noite per-
tenceram iuconteslavelmenle a Sra. Marsart.
Quando algum dos diveraos trechos de msica
por ella bem executados nao Ihe dsse a isso
bom direito, bastava o canto do heija-flr. do 2
acto, a que ja nos referimos, aquello-joto / po I
pi Ichelo de origioalidaue e vocaltaado com
admiravel habilidade, para que nao Ihe podease
ser disputado o primeiro lugar na execugo da
msica d'O Amor Molhado. Si L. Vaoey foi de fe-
cissima iospirago na composigo desse canto,
nao o foi menos, encontrando no talento da Sra.
Marsart uma inspirada int irpetre.
A Sra. Blaoche Grau justiticou gallardamente
as sympathiis com que o publico a recebeu,
desempeotmndo com admiravel habilidade o seu
papel de ingenua, e dando boa copia de sua voz
ainda segu'a e harmoniosa, da grag com que
costo mi cantar, especialmente na barcarola com
que faz sua entrada no 1 acto e, nos diversos
duettos com a Sra. Marsait, entre os quaes so-
bresahe o em que se deixa ingenuamente bei-
jar.
A Sra. Lopicolo, sempre cheia de vivaMdade e
graga e, por isso, j muito sympatbisada peto
publico, cantou com muito espirito e proprieda-
de as coplas do 3 acto, quando volta a vender
laranjas.
Ato o Sr. Vaaque-, que nao tem pretenges
ariis.a ly. ico, as coplas do 1* acto, quando se
encontra com a amiga namorada, canta com taes
ntengea e com tanta graga, que o espectador
nem repara na fraqueza de aua voz.
Tudo o que lica dito quer dizer que a opera
cmica O Amor Molhado. agradou muito e foi
muito bem execuiada, e que o publico deu elo
puentes provas de suas b>as. inpress-'s. apilau
diodo a com delirio e chamaado scena o era-
prezario, que, com certeza, nao eU descontente
com isso.
Servleo militarE' boje superior do dia
o cidadb' Cipito]Carvalho, e faz a ronda de vi
sita o cidado alteres Armando.
O 2 bitaino dar a gnarattfio di cidade-
Deaaatre Aole-hontem, s 9 hora- e 4o
minutos da Bote, um trem que descia de Bebe-
nbe, ao passar na Estrada Nova que conduz para
o povoado desse nome, atropellou a Jos Primo
Pinheiro, que, em estado de embriaguen, foi
abalroado pelo dito trem, :a;ido com o p es
querdo e a mo direita esmagados.
A autonda e policial competente lomou co
nhecimento do facto, e fez recolher o ferido ao
hosoital Pedro II
Reviita Illuafrada-Fomos obsequiados
com o n. 591 d'essa publicago humorstica, que
editada no Rio de Janeiro.
O texto, como de ordinario, notavel e variado
em assumpt8; e as estampas alTiam o serio ao
humorstico, oceupando as paginas externas os
retratos do commendador Matheus May.ucki, di-
rector gerente da companhia da estrada de ferro
de Sapucahy, e do governador do Estado do Rio
de Janeiro, Dr. Francisco Porlclla; e as interaas
um cumpriraento aos paisauos-generaes, repre-
sentados en grande tenue, e a tigurago dos boa-
tos era bolhas de sab ou levantaraento de poei-
,-a, que udo entorpece o progresso.
Gremio ilo* Profssere* Primarlo
Faz sessio hoja, ao meio dia.
< lu Republicano Martina Jnnior
Em sesso preparatoria d'esse club, effectoada
no da 17 do corrente, foi eleito a respectiva di
rectora, que ticou compoata dos Srs. :
Presidente e vice-presidenteAngelo Tavares
e Vicente Cysneirqs Cavalcante.
Secretarios1- Henrique Ferreira Bailar e 2o
Anlcnio Igaa-io do Reg Iffeddiros.
Thesonreiro -Viriato Pinto.
Foi na mesma aesso marcado o dia 20 para
installagao definitiva do club.
Em obaervae&oO Siglo, de Montevideo,
com o tilulo cima, noticia, em data de 29 de
Maio ultimo:
Foram suimettidos a 48 horas de observa-
gio sanitaria um bergantn e uma Barca allema,
chegados hoje de Pernambuco.
Km on i rod vehculo-Ib i tem, cer-
ca de 2 1/2 horas da tarde, chocaram-se o bond
n. 33 da linha da Magdalena e a carroga n. 25,
iiararapa queda ra do Baro da Victoria di ac-
cessso para a ponte daBoa V sta.
Os paasageiroa do oond, que deseia a rampa,
asusaram se, e com rs til qu3 esse vehculo ticou damnificado.
Vnrrlna publica -Forara vacoinidos hon
tem na inspectora de hygiene 39 pessoas, traba
Ihando nesse servigo os Drs. inspector e aeu aju
dante.
Visita nocturna* Com incommodo e
justificados recelas de moradores na ra de Ger
vasio Pires, sao Ihes vistalos os quintaes quasi
toda? aa noites por larapios, que, parece, fazem
ui ntrala pira alli por um muro ao entrar da
ra do Baro de S. Borja.
Recoraraendaraos attengo da polica esse
facto, que nos comiruoicado por moradores
d'aquella rus, alim de ver se elle nao repele-se.
Club 15 de 'Novembro de Tifflplo -
Agradecemos o exemplar de seus estatutos,
com que fomos obsequrado3.
Socledade Ueerelatlvra Mocldaae
Essa sociedade d um sarao no dia 28 do cor
rente. ..
Ser uma noite aprazivel, servida pela amaDi
lidade da directoria ; a qual agradecemos a h-
neza do convite. '
Declarac&o A redaego da Paino pede
nos a declarago de que o jantar politico, para
cuja execugo foi nomeada uma commtssao,
exclusivamente era homenagem do da
Jul lio, em que foi tomada a Bastilha.
Fica assim satisfeito o pedido. V
Club Republicano oyanneMe
No dia 11 do corrente fundou 34 na cidade de
Goyanna um club com a denominago que a
esta serve de titulo ; e a julgar pelo grande
fimparecimenlo de cidados dos antigos credos
oliticos, a aoimago e o espirito de concordia
qua presidiram a reunio, i;er essa agremiago
um verdadeiro elemento de ordem e progresso
para aquelle municipio nascircura3tanciaa.es-
pttctaes em que se acha o paiz.
Foi nomeada uma comraisso para redigir os
ealaiuto-s que, uma vez approvadoa, daro lu-
gar a eleigao da directora e a definitiva orga
nisago do referido club.
Em sua primeira reunio resolveu o club te-
legraphar aos cidalos Drs. Martins lunior, Al-
bino Meira e Pereira de Lyra, protestando saa
adheso direcgo poltica do primeiro e a ad
ministragao do segundo, e reconhecendo o ter-
ceiro como seu delegado oeste capital.
Suarda elviea-Bemettem-nos o segra-
te :
Pedrnoslo Sr. commandante da guarda ci
vica, que providencie em ordem a que oa res-
oeclivos guardas em vigilancia noite se nao
as>eniem nos batentes das ca8as nem ae encos-
tera as ponas em palestras, com perWbago
assim do repouso e anda suato da pessoas das
casas, como ainda hontom aconieceu pela ma
trugada em uma ca?a a ra do Mirquez do lljr
val, ondeo dono despert pela vozeria, teve de
lev rata- se, e inqninudo pela causa do rumor,
Ihe foi respondido serem guardas cvicos em
servigo de ronda
Cremos que esse servicn-deve ser feito sera
incommodo das familias e de modo que nao d
occasio a ser tomado o rumor porta, alta noi-
te, por outra cousa qoe a ronda e aasim provo-
car alarma ua visinhanga. .
Submeteojoa o facto-ao conhecimanto do br.
commandante, para tomal o em considerago.
aaaoclacao Medico Pfcaraaeeatl
co Pernamfcueana -Hoje no lagar e. ho-
ras do coatume, reun ae essa associago em es-
sao ordinaria para eieger a nova directora.
Pal meira de fiaraahon* Desaa lo-
calidade dizem em 16 do corrente :
Ante hontem a noite ieoq> avisado o cida-
do Joaquina Gomes Cardoso, primeiro supplen
te do auVelegado em exercico, de que oa tur
bulentos e dewrdelros Candido Nazano de Li-
ma e sen tilho Isidoro Bezerra de Lima, se pro j0s0 Fernando e sua seohora, Dr. Saldanha,
pararam deaaarregando armas e de novo carre* bispos D. Antonio Candido de A varenga e D.
ando aa para, assassinarem nesta povoago o Jbronymo Tiom da^ilva, conego Vic nto "'
Fer-
actual subdelegado Aiwusto de Moraes, aquelfa pira Salvo, lr. Antonio C. de "Arruda Beltro,
autoridide activa e zeloaa como sempre tem si D%zenobio Marques Lins D. Al ana Coelho Ro-
do seguln sem demora, alguraa no encalgo dos dngues, 2 Albos e 2cnados. J. W. Carvalho, Abel
meamos desordeiros, e logruu na manh debo
je, captralos faaendo o* logo seguir conveni-
entemente esc dtedos para essa capiUl a dia-
posigo da-Dr. chefe de polica do Estado.
A popuiago bem -da da importante diligen-
cia que acaba de efT-ctoar o subdelegado'Gomes
(lardoso ; e com a sabida dos presos, que eram
o terror e o llagello de Indo e de todos, estamos
convictos de que esta localidade entrar agora
no reg neo da lei e do direito, constando-nos
que em poder,do Dr. chefe de policaexlatem
diversos documentos a respeito da conducta de
Candido Nasario e de seu lllho Isidoro, torne-
cidos peto capito Francisco de Carvalho Silva
Queiroz, delegado de polica do tormo Gara-
nt un*.*
Tribunal do Jury de Recite--Ainda
nao pode ser installada a 4* -sesso ordinaria
d'este tribunal, que funeciona no Pago da antiga
Assembla,
Apatas responderam a*cbaaala 27 juizes de
facto. senda sorteados oa seguiotes- supplentes :
Recife
Jeronymo Duarte Rodrigues.
Sydronio Silvano Nunes Selle.
Fraacisco Maria dos Santos.
Santo Antonio
Argemiro Pereira da Silvetra.
Flavio Jos Bezerra Cavalcante.
Dr. Jos Izidoro Martius Jnior.
Joiquim Manoei de Medeiros.
Silvino Antonio Rodrigues.
S. Jos
Manoei Hygioo de Carvalno Couto.
Mamede Pauto de Albuquerqne. \
Joo Jos Barbosa da Silva Jnior.
Joo Carlos Mea les.
Boa Vis'.a
Jos Pedro Velloso da Sveira.
Dr. Ermino Ceiar Coulinho.
Dr. Antonio da Silva Castro.
vlanoel Jos Gougalves Braga.
Hermenegildo da Junha Albuquerque.
Gaspar Antonio Jorge.
Pogo
Elutird Dubeux.
Dr. Pauto Jos de Oliveira.
Amonio Jo- de Moraes Sarment.
Foram multados em 20< os aeguintes juizes de
facto, que deixaram de comparecer:
FranciSvO Leovlgido Albuquerque Maranho.
Henrijue Soare3 de Azevedo.
Joe Francisco Alvares Quintal.
Jos Feliciano de Nazarelh.
J s Alfonso de Araujo.
Dr. Joaquim Ferseira Chaves.
Joo Padreoo de Medeiroa.
Antonio Jos da Silva.
Augusto Ferreira de Carvalho.
Evaristo Meudes da Cunta Azevedo.
Francisco Augusto de Miranda.
Gustavo Alberto de Brillo
Dr. Manoei de Sa Barreno Simpaio.
Dr. lyases Macnado Pereira Vianna.
Victorino Luiz Innoceocio Pogy.
Antonio Jos Dantas.
Augusto Cesano de Mello.
Candido Xavier Ferreira.
Francisco Candido de Vasconcelloa.
Manoei da Silva Maia.
Francisco Joaquim Antunes.
Antonio Gracrado de Gusmo Lobo.
Cosme de Abreu M-acedo.
Carlos Jos de Medeiros.
Firmiuo Ricardo M- esquila Pimentel.
Flavio Jos dos Santos e Silva.
Jos Francisco dos Santos Neves.
Capito Francisco Evaristo de Souza.
Job Pereira Bastos.
Manoei Caetano de Siqueira Cavalcante.
Manoei de Souza Galvo.
L'iitBandeia de Gouveia. .___ .
Foram multados em 10/1000 Antonio Pereira de
Farias e Dr. Joio Telesphoro da Silva Frago.-o.
A sesso ficou addiada para hoje s 10 horas.
iirector!a da oor de eonerv
e*o do porto de PernauabncoReci-
to, 17 de Junho de. 1890.
Boletn! meteorolgico
Le i.ville, Maria da Conceigao e Joao de Moura
Coutinho.
Chegados do sul no vapor nacional Ja-
cuhype :
Alexandre Soares do Couto, Pedro Bogdanoff,
Verissimo Jos Gongalves, Francisco S. de San-
t'Anna, Maria C. de Sant'Anna, Cypriano Jos da
Saot'Anna, Octaviana C. de Sani'Anna, Carolina
Maria da Coneigo, Antonio Joaquim de Jess
Manoei Lopes de S.
Chegados do sul no vapor nacional Principe
do Gr&o Para:
Antonio Baptista Rene Ulmann, tenente Urci-^
cio A. Villas-Bdas e sua senhora, cadete sar*
genio Antonio Vicente da Silva,24 pragas, 8 mu-
lheres e 1 aprendiz marinheiro.
Chegados de Fernando de Noronha no va-
por nacional Jaboato:
Capito Antonio Ignacio de Aiuquerque Xa-
vier, sua senhora e 2 tilhos, lenle Horacio da
Rocha Silva, sua senhora e 4 ftlbes, Anna Ber-
thand, Manoei Freeeisco Perreira, Braz Avelino
da Fonseca, Jos Fernando de Souza, Agostinho
Loureiro, Joo Antonio da Silva. Jorge Alves de
Oliveira, Jos Ftorencio Vieira de Mello, Salus-
tiano Jos de Souza, Jos Francisco de Souza,
Jos Antonio dos Prazeres, Francisco Rodrigues
da Silva, 1 sargento, 18 pragas, 8 sentenciados
suas familias.
Sabidos para o norte no vapor nacional
Alagos:
Manoei Joaquim da Silva, Joaquim Garca de
Castro, D. Elysa de Lemos, Dr. Gustavo M. Soa-
res Pinbo e sua senhora, Joo Soares Pmho J-
nior, Antn o Nello, D. Antonia Lemos, E ysiario
Victorino de Paiva, cadete Julio Gongalves de
Azevedo, Gertrudes Mana da Concjico, Fran-
cisco Nogueira de Moraes, Antonio Venancio da
Silveira, Joanna da Sveira, Margarida Maria da
Conceigao, tenente coronel Julio A. Serra Mar-
tras, Manoei Felippe. C. Horner. Silveria H.lena
do Espirito Santo e Francisco Jos de Assis.
L,eiioe -Effectuar-se-ho os seguintes :
Hoje :
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 48, de um sobrado de 2 an-
dares.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra da Au-
rora o. 41, de movis, vidros e loucas.
Pelo agente Silveira. s 10 horas ra Du-
que de Caxias n. 29, de movis, espelho3, vidros,
ojadeiras e obras por acabar.
Amaoh :
Pelo agente Pinto, s 11 horas, no largo do
Corpo Santo, de tres cavallos de corrida e de
sella, uma vaccacom C'ia. bei e carroga.
Pelo-agente Martins, s 11 horas, ra do Ara-
go n. 27, de movis, loucas e vidros.
Pelo agente Bito, s 11 horas, roa das Trin-
ebeiras n. Id, de movis, lougas e vidro3.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, confronto i
Cauatazia d'Alfandega, de 400 canastras coa
alho. .
Mia fnebreSero celebradas :
Amanh : .,.. ,
A's 8 horas, na matriz da Boa Vita pela al-
ma de D. Ignez Ma-ia Olympia da Motta Seixas ;
as 8 horas, na matriz da Boa Vista, pela alma da
conselheiro Luiz Jos de Sampaio ; s 8 horas,
no Recolhimento da Gloria, pela alma de D.
Francisca Candida Giraldes.
i, >|. ra do HaranboPor telegram-
ma recebtdo pela Casa do Ouro, sabe se que foi
este o resultado da 20- serie da 1* lotera do Es-
tado do Maranho, extrahida em 18 de Junho de
1890
ao s a
Horas ni 24,2 Barmetro a 0* Tenso do vapor 1 9 m
6 m. 761-14 19,50 85
0 25.S 761-81 20,15 82
12 27,-2 761-56 19,07 70
3 t. 27,2 760-59 18,39 8
6 25,3 760-81 17,35 "
Temperatura mxima27 75.
Dita mnima3.25.
Evaporago em 24 horas : sombra2* ,3.
Chuva-64.
Direcgo do vento : S de meia noite at 4
horas e 20 minutos da manh; SE com peque-
as interupges de ESE at meia noite.
Velocidade media do vento3,-04 por se
guedo.
Nebulosidade media0,"55.
Boletim do porto

14 de

M
M
M.
M.

Das
17 de Junho
>
| a
18 de Jnnbo
Koras
Junho'l0-I5 da manh
5-00 da tarde
1041
o-10 da manh
Alte
0-.49
2-,23
0*,59
2-.33
Cana de DetencAoMovimento dos pre-
sos da Casa de Delengo do Recite, Estado de
Pernambuco, em 17 de Junho de 1890.
Existiam 448 entraram 30, sabiram 18, exwtem
460.
Nacionaes431. mulberea 17, estrangelroj 12-
-Total 460
Arragoados 385
Bons 364.
Doentea 14
Loncos 4.
Loucas 3.
-Total 383.
Movimento da enfrmarta
Tiveram baixa:
Maooel Ralia da Silva Carvalho.
J >aquim Telles de Menezea. "
Eloy Alve8 da Silva.
Francisco Pinio de Oliveira.
Tiveram alta :
Franciaco Bezerra de Lima.
~Silvioo Celeatino da Costa.
Foram visitados os presos deste estableci-
mento por 156 pessoas, sendo 43 homens. e lid
mulheres.
lio nal de Santa Agueda-0 raovi-
ment deste estaheleciment (para varteloso)
uo dia 17 do corrente, foi o segrate:
Homens Mulhere
Existiam J* 7*
Entraram *
Falleceram ? _g
Existem ~ lur io
dopital Pedro n -O mnvueento
no consistorio do
Rosario, de Santo
Total
170
13
9
174
deste
stabelecimento de caridad^, no dia 17 de Junho
foi o seguinte:
Entraram *
2
414
as. respectivas enermarlw
Sabiram
Falleceram
Existem
Foram visitadas
>elos Drs.:
Moscoso s 8 1/4.
CysneiTO s 9 3/4.
Ferreira Velloso s 9 3/4.
Berardo s 9 1/4.
Malaquias s 9.
Pontual s 9 1/4.
Sstevao Cavalcante s 8 1/4.
SimOes Barbosa s 9 3/4.
Nao compareceram os Drs.:
Raysaondo Bandeira.
PIBarroaSotirinho.
0 crurgiao dantsta Nnma Pompo aa 9
O nhannaceunco enuon *8 1/4 da manha-e
hio s 4 da tarde. .
O aldante do pharmacenco entrn as 7.J/4
e sahio s 3 horas da tarde.
raeaaselroa -Sabidos para o sul no vapor
allemao Cintra:
|SG 300:000*000
7U 50:000*000
6342 12:50000
Q&30 5:000*000
g6l2 5000*800
Foram premiados com 2:500*000 os aeguintes
nUmer2930 3442-6144 6217 8343 884*'
Esto premiados com 1:500*000 os seguinte
BU:nei330 1504 1659 1879 1893 6541
8332 8442 8674 9180
APPR0XIMAQ0BS
4868 2:500*000
4870 2:500 .'000 *
7491 1-500*000
7493 1:500*000
6341 750*000
6513 750*OUO
Esto prenra os com 750*0 0 os seguales
DUme4r86 486 4863 4864 4865 4866
4867 4868 4870
Esto premiados cora 500*000 oa segrales
DUmer07491 7493 7194 7495 7496 7497
7498 7499 7300
Eato premia tos com 250*u00 oa seguinte
nmeros: .,_
6541 6543 6541 6545 6546 6547
6548 6449 6550
Todos os nmeros terminados em 69 esto
premiados com 250*, excepto o da sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 92 esto pre-
miados com 250*, excepto o da sorte mraediata.
Todos os nmeros terminados em 9 estao pre-
miados com 125*, excepto os termntodos em 69.
Todos os nmeros terminados em 2 esto pre-
miados com 125*, excepto os terminados era 92.
A seguinte lotera corre no-dta 2 d^ Jumo.
L.otvrl doBetadode Pernantlmce
A 7 serie da 1* lotera deste Estado, ser ex-
trahida impreterivelmente no da 21 do corrente
(sabbado). 1 hora da tarde,
igreja de Nossa Senhora da
L.otria do Estado do Cram-Par
A 5' serie da 37- lotera coio premio gran-
de de 60:0011*000 ser extrahida no da 21 do
corrente. .
A 15 serie da 31' lotera deste Bstado,cujo
premio grande de 250:000*. ser extrahida
no da .. de Jonho (sabbado).
A 1" serte da 36" lotera, cujo premio gran-
de de 120:000*000 ser extrahida no dia .. da
Loteria uo Maranliao A 21* seria
aa 1* lotera deste Estado, cujo premio grande
de 3l)0:ii00, ser extrahida no da 2 ae Ju-
Iho (quaria feira). ,. ._
Cemiterto puJMIeo-Obituano do da 17
de Juooo: __,.
Manoei. Pecaambuco, I8mezeg, Graga; ente;
Maria Amelia de 0 iveira Bega. Pernan buen,
lleia""Recife; varlola'confilientes.
3, PernAtjuco, 39,annos, solteir, _
eso orgnica oo corago.
gnez Mura da Coaceigo, Alagoas,
50 anuos, solteira, Graga ; carcinoma uterino.
Isabel Escorel da Silva, Pernambuco, 22 an-
noe casada. Recite ; varilas hemorrhagicas.
Joo Pereira da Silva, Pernambuco, 27 aonos.
solteiro, Santa gueda; varilas.
Migue Aves da Silva, Pernambuco, 55 anno,
solteiro, Boa-Vista ; varilas.
Ponciaao Coate, Pernambuco, 70 annos, soltei-
ro, Boa Viste ; diarrba.
Arcenio Bellarmino da Paz, Pernambuco. 7t.
annos, solteiro, Boa Vista; diarrha.
I-macio Jos da Rosa. Pernambuco, 40 anuoa,
solteiro. S. Jo&; leso cardiaca. ..:'*
Hara da Conceigao, Rio Grande do >ul, 9
anno3, solteira, Boa-Vista, tubrculos pulmona-
Caelana, Pernambuco, 9 annos, solteiro, Sal-
to Antonio; varilas gaogreoadas.
Maria Ignacia da Concetgo, Pernambuco, di
annos. solteiro. Boa Vista; varilas.
Mauricio da Conceigao Mello, Pernambuco, 4
mezes, Boa-Vista; varilas confluentes. ___
Dorotbea, Pernambuco, 7 dias, S. Jos; entera
CMaria RuQna da Paa, Pernambuco, 24 anno,
annos, casada, S. Jos; vanlas.
DE DOMINGO 4 DullMO (')
Devido obsequiosidade da Eama. Sr.
D. Maria Amelia de Queiroa que em 80
viagem ao aol da Repblica teve ocoaaia*
de receber as maia inequirocaa provas d
conaidecaclo, dwntre aa- qoaea ae salienta
o offereoimento de diversas'obran valiosa,
por seus proprios auctores, lemos, cheio
de annredade, principalmente, dous vela-
mes e um folheto de versos bons e sadios.
. '*

: -

/

mi
H
tai-
t



V
,
v
As Madreselvas,, as Pepolai faUat, e .4'
.America, enfirmadas as prime ira pelo
nome de Jos Petitinga, a segundas pelo
do Dr. Castro Lopes e o teroeiro pelo Dt.
Luis Delfino, o uimoso poeta A'As Inti
mas sao treslindos recueiles de poesas
rigorosas e artsticamente modeladas.
Mas... fallemos de cada um de per si.

As Madres'lvas, que se acham contidas
n'um lindissimo volume de 142 paginas e
cujo trabalho typographico honra deveras
a oficina dos Dous Mundos (Baha) con-
ten bellissimos productos capases de por
ellea aer architectada a psych de sea
aactor, cheia de sonhos abrasadores, de
UlusSes auriazuladas, de esperanca des-
lumbradoras. ..
' um livro, este, original e individua-
listico, reproduz a personalidade de sen
constructor como ella toda docuras e
sspiracSes...
o proprio auctor que isso revela
quando no prefacio indicando as fontes
Onde foi beber a sua inspiracao indica,
alm de outras os seguintes:
c Sao versos que escrevi em dias de agonas
c depois de baver beijadoo rosto da malher
c a quem dedico amor com santa idolatra,
c ou depois de oecular de minha mSi querida
c s protectora mSo, e as perfumadas trancas
c das irmSes que eu adoro.... >
Jos Petetnga artista, na rigorosa ac-
cepcSo da palsvra;modela primorosa-
mente as suas phrases e as agrupa cuida-
dosamente.
Na discripcao de um quadro, no esboco
de un.a paysagem elle apropria-se da na-
tureza, descreve lhe os contornos, imita-a,
reprodul a no seu trabalho, de modo que
confeccionada a poeaia nada lhe falta, nem
variedade e justeza de colorido, nem ver-
dade e exactidao nos detalhes, nem maes-
tra na f( rmacSo do conjuncto...
Ha as poesas d'i4 Madresilvas muita
luz, muita vida, apezar do tom delicado e
ingenuo que se nota em quasi todas ellas.
No 'espertar da natura ha estrophes
lindas:
<......o beija-flor
c como' um calouro vadio
que quer passar por doutor,
Da um passeio campia,
f e contemplando o arrebol,
c que se dezfaz, beija ufano
as namoradas do sol.
Ne campo urna bellissima paysagem,
muito natural, muito bonita :
c O dia despontava bonancoso,
t por detraz das collinas verdejantos,
t sobre um throno de nuvens cambiantes,
c surga o astro re voluptuoso.
c No crystal do regato preguicoso
as palmeiras se estavam refieetiudo,
i e o insecto dourado ia zumbindo
pousar da flor no clice odoroso.
Tablean noir, em que
c Tudo sinistro e medonho
como o gemido profundo. >
urna scena de naufragio, de que s
restoram
..... taboas quebradas
f alguna ossos... nada mais
Paysagem urna pagina cheia de inspi
rac&o :
De?faz-Be a madrugada. No levante
c Dsspouta o sol beijando a cordilheira;
o favonio repassa delirante
c pelas folhas vicosas da mangueira ;
A jurity suspira pelo amante,
na galba da vetusta cajazeira,'
c que orgulhosa retrata o seu semblante
as aguas crystaiinaR da ribeira ;
c a gentil borbuleta doudejante
c p )usa no bugari, na trepadeira ;
c e o colibr voltil, inconstante
c qoai 1 criancinha meiga feiticeira
c suga o nctar das flores n'um instante
< e parte para o ninho na capoeira.
Endecha-, A Partida, InvocacSo, Em
frente do Ocano, Crepsculo, Matutina,
De Volta, etc., sao compsicSes inspira
das.
Destocam-se, porm, da feicSo predomi-
nante no livroo lyrismo puro e creador
que se approxima do naturalismo (bem
oomprehendida a significacao de cada um
desaes termos) as poesas En attendant
(versos abolicionistas e republicanos) Aprs
le combat (escrpta a 13 de Maio de 1888)
e A' Patria redimida (dem a 14), e Ero
damacda (versos dirigidos mocidade em
prol da republiea). _
Emfim... foi explendida impresaao
que em mim deixaram as successivas lei-
turaB qe* fiz 'As Mr*
,
O Dr. Castro Lopes se j nsSxfosse
suficientemente conhecido como poeta ca-
prichoso e correcto com as Perolas falsas,
teria feito o seu renome.
Publicado na capital federal em Feve-
reiro deste anno e impresas na Typ. de
LeuzeDger que deu ao livro urna forma
adequada a elevac&o de ideas nelle conti
das, apresentando um trabalho artstico
bastantemente capaz de rivaliesr com os
melhores que no estrangeiro tem sido fei-
tos, as Perolas falsas, que se nle fora a
interpretacao dada por seu Ilustre auctor,
poderiam ser intituladas, com melhores
visos de verdade Perolas verdadeiras
nao symbolisam smeote a vastidao e elas-
terinm da veia potica do Dr. C. Lopes,
mas tambem a delicadeza na architecta-
cSo dos versos.
Os 129 sonetos que compoem o volume
que temos sobre a nossa modesta banca de
trabalho e et criptas em forma de glosas s
mottes de diversos esenptores, indicam
todas que o Dr. C. Lopes 6 verdadera-
mente poete.
Esees sonetos, cujas rimas exprimem a
imaginosa intelectualdade daquelle que os
en firma, dio idea cabal e exhuberante do
que do qne vale este distincto encyclo-
pedisto,polyglotto, uramsturgo, poeta,
financeiro, pbysico, astrnomo, especialis-
ta em queatSes da agricultura, latinista de
primo cartetto e medico consciencioso.
Nao ha neste Pas, cujo clima, em cer-
tas regiSes, provoc a apathia e o entor-
pecimento, quem como o Dr. C. Lope*
empregue maior actividade, despenda maior
somma de forcas no alargamento de urna
vida litteraria e scientifica.
Damos dous specimens extrahidos do
roame de vers; s s qae alludimos.
NIo houve escolha proposita!, mesmo
porque o livre nada admitte por constituir
um todo artsticamente modelado.
Eis um soneto pantagrulico (como o
chama o proprio autor :
Mardooheu furibundo ata- a Ardes ;
f monta espumante, colossal ginete,
cqual se estregado fdra a sabonete
tnos ardentes cantos da Paulica : .
t Alexandre, a tremer, corre a Pompea;
mas recua ante a carga d'un piquete; *)
n'isto surge Roldan ; solta um foguete,
que estourar va no canto da Jadea 1...
Ribomblo os canhoes ; tudo fumaca I...
o Mil Troyanos dos templos as ogivas
um palacio fulminSo em Mombaca ..
Victoria bradBo logo hortes Argiy s ;
e ao ver que Genserico entra na praca,
nempenas ondas o Equador d vivas!*
Vejamos agora um eacripto em estylo
diverso :
Quero o retrato desenhar d'aquel!a,
que de livre tornou-me seu escravo ;
tomo a paleta ; do pincel j travo ;
na memoria colloco a imagem d'ella :
preparo o cavallete, estendo a tela;
da rosa as cores, do jasmim do cravo,
procurando imitar, ns mente gravo,
que taes cores possue a minha bella,
o rabalho com eco; o rosto es bogo ;
imagino formosa semi dea;
ora os traeos afiuo, ora ob engrosso;
mas no retrato san dar ua dea
da sua formosura, nao, nao posso ;
eE' um mimo, u* flor, u3 tdeia /

A leitura das Perola falsas cauaam
verdadeira delicia.
Sao lusidias, rebrilhantes, valiosas as
Perolas de que o Dr. C. Lopes formou
um requissimo colar.
*
A' America um hymno vigoroso, for-
te, cheio de ardor marcial, incitante e
ardente, possuindo na frase de G. de
Araujo a noto vibrante, metollica ruidosa
e mascula que faz vibrar a alma popular
na Marselheza e incrustando so as suas
estrophes a mais alto philosophia e amis
arrojada aspiracao mtderna.
Furacoes de jasmins e acucenas,
cua, que arranco dos cos aos pedacos,
s5es inquietos, que prendo em meas bracos,
gneas rosas, cecens da maoha,
veigas d'oiro em dous dedos trazendo
ros d'oiro, em dous dedos de matta ..
o meu hymno iato tudo desato
a teus ps, patria minha loucS.
Predomina em toda A' America, hymno
commemorativo do dia l de Novembro
de 1889, o mais acrysolado patriots ao e
a mais arrojada e arrebatadora imposicao.
O Dr. Luiz Delfino nSo precisa de en-
comios, porera visto como um poeta
applaudido, cheio de primores.
Neste, como em todas as suas poeois n
8entin ento creador encontra ns mais cor
recta modelada architectecao a sua repro-
dcelo externa.
#
Terminamos agradecendo o ensejo que
nos foi proporcionado pira hrmos tres
obras dignas de sinceras palmas e felici-
tando os seus dignos autores.
Carlos d'Aubeville.
8om Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
andar. Telephone n. 389
Adverados
O bacharel Bonifacio de Aragao Faria
Rocha contina a advogar. Eacriptorio
roa do Imperador n. 46., 1.* andar. "
O baehard Joaquim Ihiago da Fonseca
tem sea eacriptorio de advogado ra da
Imperador n. 14, 1. andar.
Occullsta
Dr. Ferrara, com aratioa nos princ;
pees hospitaes e clnica de Pars e Lon-
dres, a consaltas todos os dias das
uoraadao meio-dia. Consultorio e resi-
iencia rus Larga do Rosario n. 20-
Dr. Barreta Sampaio, oceuliste, d con-
lultos de 1 s 4 horas nj 1. andar da
jasa rus Bario da Victoria n. 51. Resi-
dencia a rus 7 de Setembro n. 34, entra-
la pela ra da Saudade n. 25.
Drogara
Faria Sobrinho dt C, droguista por ato
sado, ras do Marques de Olinda n. 41. '
Francisco Manoel da Silva ai C, depoei
'.arios de todas as especialidades pharma
eeuticas, tintas, drogas, productos ohimi
sas e medicamentos homeopticos, ra d<
Mrquez de Olinda n. 23.
POBLICACffES A PEDIDO
As claras
(RE8POSTA A' TBEPLICA DO SE. ALFREDO
PALClo)
No segundo artigo qae eaerevi e z publicar
para rebater os golpes atirados ao mea carc-
ter de h >m ;m publico palo Sr. Alfredo Falcao,
inser o seguinta periodo, qae nJo polia ter pas-
eado desapercebido ao mea coaten Jor :
Coaviio e provoca o Sr. Alfredo Paldo a
provir qae eu na apostata, renegado e traidor i
por isso que acato e defcido o miaistro da fa-
zeaia(que o gestor de tola a |i)IUica aan
ceira do goveruo provisorio) c, aluda mais, e
especialmente, a provar que o M mi fasto Repu
blicano de Dezembro de 1383 iscompativki.
cos a poltica F..VANCSIRA do actuil iDiuistro das
Qaaaca3 da Repblica.
Depoi3 dessa leal e soleme pravo cacao, lodo
o publico flcoa iaugiaaado que o meu adversa-
rio viria imprenaa dissecar aquello periodo e
provar tudo o que havii .iasiaualo a mea res
peito
Naj acaa'.eieu, porem, assim. O Sr. Alfredo
Falcao, apparccenlj n'un las columnas d'A
Provincia, fez abslracclo ,da 1* parte da tninba
intimiliva, isto uio da discuis) da miaba
apostasia, limilou-se a declarar que.psssoalaien-
te eu sou digao do mais elevado couceito, mas
que ao mito poltico d3vairei-tna e teano urnla
do de iacoaereacu em insobereacia (sempre
palavras, sempre pbrases, sempre allagac-s
ou:asl) e... quantoa !* parte da provocagai...
veio diier duai magras cousas... bem pouio
dignas de um rapaz mtelligeute.
Eis o que escreve a tal respeito oSr. Alfredo :
< S. S. anda pergunta com toda a ingenuida
de em que mcompitivel a pjlitica liiianc-i r
do ministro da fazeada com o mintfeslo de 88
Em tudo, respondo eu. Primeramente porque
o manifest prega a mais larga descentralisacao
administrativa para os Estados e os bancos em
sore signi/icam a mais completa e absoluta centra
ttsacao; em segundo lugar, .porque o manifest
condemna m Umn; tolos os privilegios e os ban
catnssores estabelfe*m ndintos privilegios finan
cetros, i
i l t
(*) Por affluencia de materia deixou de
ser publicado este artigo na folha de do-
mingo.
() Vai com a autografia do autor.
D so paso qae o Manifest de 8
condemna iodos os privilegios, o plano Qoancei
ro do Dr. Rey Barbosa estabelece odiosos privi
legios para os bancos emissores.
EMame^lrealmeateqneolacidoespiriU, S^^XS^SS^J^ "~ *
do Sr. Alfredo tenha cabido em to exquisita con por euquanto o artigo publicado os Gazeta de
tosi. Pois pereuadlu se e persuade se S. S. de Noticias, pelo Sr. Annibal Falcao em respoBta
que os privilegios de que falla o manifest com-
. ^iengI^Tnfmd08 P6l Df" M*rttD8 "
H -,,. goveroo esta da p.
prebende os privilegios de n/ur*za commsrcml Ma9 ^^ 0 Hustre chefe do Club M de Ja-
lho tivesee adiantado alguma cousa em a sua
primeira exbiblcao, referiode.se a trechos de
ou industrial, os privilegios, financeiros, em flm os
privilegios de oriem material ?
Attenda o meu contendor :
Os privilegios de que se falla no Manifest sao,
e ninguera tem duvida sobre isso, os prwutgtos
de ordem poltica ; comprebendem apenas as isen-
ces e dislincce8 que as relacoes entre gover
nao tes e governados, podem affectar a liberda-
de espiritual de uns e outros, podem ofTender
a dignidade cvica rebaixando urna certa classe
d) cidadaos mi-vii de outra. Isto s isto
Fra desses os privilegios sao nao s admisslveis,
como, em certas circunstancias inprescindiveis.
Prove oSr. Alfredo o contrariD, se pode.
E se nao poder, faca acto de contriccao, e de
clire que no meio poltico, quem se desvairou
nao foi eu ; declare tambem que o mahifesto di
88 nao lncompativel com o plano financeiro do
actual ministro da Fazenda.
Recife, 18 de Junho de 1890.
hidoro Martins Jnior.
4 feira de Itapissnraa. Ao pu-
blico e especialmente ao ci-
dado governador.
A sete leguas ao norte da capital, & mar-
ge m do rio de sua denominacSo se ergue
a povoacSo de Itapissuma, bem digna ho-
je de nossas vistas, pela oppressSo a que
est sujeita d'aquelles que lhe dirigem os
destinos.
Ahi, a custode enormes sacrificios, pre-
juizo8 e extraordinarios esforcos consegui-
ram os hab tantea, sonhando-Ihe um futu-
ro ridente criarem urna fera, nSa deixan-
do de envidar para isso as commodidades
que fossem necessariaa, afora as que offe-
rece o lugar devido a sua posicSo topo-
graphica.
E' bello ver aos domingo&^espectoculo
que apresenta este povoado; sobre um lar
go pateo e a sombra, urna multidUo com-
pica Be entrega aos labores de suas tran-
sacgSes commerciaea ; entS um verda-
deiro vaivm, um bulicio continno e ge-
ral em que Itapissuma exbera se de vi
da por todos os lados, orgulhosa de si
mesase.
Mas a esta animagao, a esto vida aca-
ba de ser vibrado um golpe terrivel; pois
que se acha consumada a
noticia da transfarenoia deets feira, contra um annuncio no Diario de 3 do correnle, offere
o bem estar dos habitantes e o progresso
da localidade.
Iguarass, a nobre sem rendas, revol-
vendo-se raivoaa qual amphisbena que
vauuu-se ranuo iua m| sent pisaram-lhe a cauda, a espalhor por ainda nao se pronunciaran definitivamente
._j.___i_j_________u_ j- :a. ,.< rpsnpim c. or isso estando disnosto a havel o
As' claras
AndOMmeate tenho esperado pela cootinua-
Cao dos artigos que o Sr. Dr. Marns Jucior
promelteu escrever em defeza de sua attitude
carias particulares do Sr. Annibal Falcao, peco
licenca ao i I lustrado irofessor de economa po
litica para descer a urna ligeirissima aoaly-e.
0 honrado Dr. Martins Jnior para provar que
a sua ebefia foi aceita e reconhecida pelo Sr. An-
nibal Falcao, publicou tres pbaaes de cartas que
receben. >
k primeira foi de 23 de Setembro de 1889, pe-
riodo de agitaco em qae salientaram se Maciel
Pinbeiro e Silva Jardyn. Maciel Pinheiro vi-
brando desassombradamente ao Norte contra os
desmandos da roonarebia.
Silva Jardim bateado o 3 reinado em confe
renctas populares.
Quondo no Rio propalou se a noticia da mor-
tedo venerando chefe oo nosso partido, o Sr.
Annibal eacreveodo ao Dr. Martins disse : vais
ficar reduzido as tuas proprias forcas-
S. S. dabi tira argumento favor de sua che-
fia.
Pura illusao |
Annibal referia se a redaeco A'O Norte e quan
do mesmo se referase so partido republicano,
seria para considerar o Dr. Martins Jnior izola-
do, incapaz de dirigir apoltica sem o auxilio e
prestigio de Maciel Pinheiro.
A segunda carta diz: nunca te rectisei forca
poltica.
SO d for^a quem a tem e recebe-a quem ca-
rece d'ella como obvio.
Cooaeguintemente este trecho serve apenas
para provar a fraqueza do Dr. Martins.
A terceira carta ac;:seiba anao modiflcacao
Ao manifest de 1888, manifest dirigido pelo sig
aatario da carta e aceito e proclamado pelo Dr.
Martins Jnoior, d'oode fcil colligir quem re-
presenta o papel de general e quem o de solda-
do. Alm de que o general nao confia no seu su-
balterno e julga-o capaz de renegar as aoas creo-
cas, como 03 factos vieram demonstrar confir-
mando assim fundadas auaoeitas.
Accresce ainda que o Club 22 de Julho, na mi-
aba ausencia, a proposito de um projecto de es-
tatutos, pretendeu, sem a mnima competencia e
sem o mais pequeo vislumbre de orientacao mo-
dificar o manifest de 881
Em sinths8e, tudo isso prova que o Sr. Dr. Mar-
tins Jnior sempre se submeiteu aos conselbos
a a direccao poltica do Sr. Annibal Falcao ; que
se agora estio separados, a cuipa nao do Sr.
Annibal, pois conserva-se firme no seu posto.
mas do Dr. Martina Jnior que altern o pro-
gramma republicano, querendo a todo o transe
servir ao Sr. ministro da fazeada, por quem S.
S. experimenta extates de fetichista f
Dito isto. espero que o meu digno adversario
entre em outra ordem de considerares para re-
ftalas francamente.
Alfredo Falcao.
Muita attencao
dos
0 abaixo asalgnado, legitimo cessionario .
?a-v inP1iL, bena deixidos por Jos Cordeiro do Reg Pontes,
lao apreRosua fallecido n'esta cidade do Becife, deparando com
&k11*i) A'intrQ _________________* J- t J-. Ana_nnln nfVnPii
ceado d'aquelles bens alguns predios venda,
previne ao commercio e ao publico d'este e dos
mais Estados, que nao fagam lransco alguma
com os bens abaixo declarados, pertencentes ao
mesmo espolio, pois que os tribunaes do paiz
Dr. Bastos de
INDICACES DTEIS
Mdicos
O Dr. L6b< iscoso d consultas em
sua casa rus da Gloria n. 39, das 10 ho-
ras da manha 1 da tarde. Achando se
fra do servico publico offerece se para
acudir a qualquer chamado com prompti
dSo para fora da cidade. Especialidade :
opera53es, partos e molestias de.senhoras
e de meninos.
O Dr. Alcibiades Velloso d consultos
das 12 s 2 horas da tarde, na casa da
ua antiga residencia, ra do BarSo da
Victoria n. 45, 1 andar.
Dr. Joo Pauloespecialista em par-
tos, molestias de senhoras e de enancas,
com pratica nos hospitaes de Pars e de
Vienna d'Austria, d consultes de 1 s 3
horas da tarde, ra do BarSo da Victo-
ria n. 60, l. andar, e reside na estrada
be Aflictos n. 30, junto estoclo do Es
iiro. -Chamados a qualquer hora. Te-
ihone n 467, na residencia.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio ra Nova n. 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia s 2 horas e fora
destas horas ra do Bar&o de S. Borjr
n 22. Espe ialidadesmolestia de crian-
9 senhoras e parto. Telephone n. 326
d. casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra fia imperatris n. 8
donsultos medico-cirurgicas todos os dias
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
dias santificados.
Dr. Freitas QuimarSes, medico, tem
seo consultorio na rus Duque de Caxiaa
n. 57, l. andar; d consultos nos dias uteis
das 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
jueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
co-cirurgioa. Especialidades : mole* -at
pulmonares e partos. Ra do Marqu-* de
blinda n. 27, 1." andar. Consultas usa 1]
s 2 horaa e na Casa Forte (Poco da Pa
lella) das 6 s 9 horas da manha e i
arde Telehone n. 392
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
l. andar de 12 as 2 da tarde; residencia
ao Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador,
Pratica a lavagem do tero quando e co-
ate aeonselhsda. Consultos das 11 s
i da tarde em sua riiidencia roa do
lili 1 I lilil
Gomo o Sr. Alfredo Fiico est atrazado oes-
tas cousas !
Vejamos : Os baws emissores signi/icam a
mais completa e absoluta centrallsacao. Isto nao
passa de urna pur-ise sem seatilj. Ant3 de tudo
preciso coosiderar que qualquer organisacao
da circulacSo Glaciaria tentada neste periodo
da vida nacional (em que fez-se e faz se oeces-
sario manter as altas regiOes dos negocios p-
blicos urna forte coocenlraco politico adminis-
trativa, a qail s pode e deve cessar depois de
reorganisada a nucao pelos moldes federaos que
estabelerer a constituigao) nao podia defxar
de s r eminentemente centraliaadora. Comemis'
sao urna ou com emissao pluralisada o reg
I mea bancario que se quizesse estabelecer bavia
fatalmente de te um carcter ceotralisador.
Si esta a grande culpa do Dr. Ruy .Barbosa,
entc o Sr. Alfredo Falcao constitua-se tambem
alversario de tod,$ os membroa do gover no, ia
elusivamente do generalsimo Deodoro, porque
todos elles iocorrem na mesma culpa, nao coa
siderando desde j completamente autnomos
no ponto de vista administrativo os 20 Estados
da Unio Brasileira.
Si, porem, nao consiste nisto o n gordio da
questo, o Sr. Alfredo nao tem razo plausivel
para fallar em centralisas&o. Pluralisando, ne-
ma certa medida, a organsiaco naneara com
que dotou o paiz, o digno ministro da fazenda
procurou atteader, quanto possivel, s neeessi
dadea econjmicaa dos principaes Estados da
Unio, e fugio deliberadamente emisso de
um banco unique s na o typj da circulagj
centralisada.
Comprehendeu o Sr. Alfredo ? 0 ministro da
fazenda fes o contrario do que S. S. peasa que
elle fez. .
E fique S. S. sabendo que nao se deve fallar
levianameate em centralisaso e descentralisa-
Co ban aria. Gonbece o Sr. Alfredo o acta
rgimen bancario da grande Federajo Ameri
caado Norte, o rgimen dos Estado^-Uaidos?
Po.s all vigora ama legislacao federal, isto ,
geral, composta das leis de 1863. 1865, 1873 e
1875; em virtude da qual malgr l'apparente
concurrence pour la arculation, la plice de l'emis
sion se troitve tres efficacement cents alises.
(Paul Cauwes Prects du Cours d'Economie polili
que, vol. 1' pag. 576.)
Consultando- o autor que acabo de citar ( me
lhor lel-o do qne pretender citar Comte, Diderot
e Larousse que nnnea foram economistas) ver
o Sr. Alfredo que o rgimen descenttalisador, de
pleuissima liberdade, admittido nos Estados
Unidos antea de 1863 deu logar a urna enorme
crise que por sua vez deu nascimenlo a citada
lei de 63 e seguintes,Leis restrictivas da plena
liberdade naneara.
Pense o mea adversario nestas cou3as e...
responda. Ha de convencerse afinal de que des
centralisacao administrativa nao quer dizer liber-
dade bancada.
E o Sr. Alfredo mesmo partidario da liber-
dade bancaria ? Eudesejavaque S. S. me desse
sua opioiio a respeito. Quanto a mim vou logo
declarando que nao.
Concorda S. S. commigo ou discorda ?
Basta sobre a primeira snhida do Sr. Alfredo.
Paaso a segunda, que simplesmente admiravel.
todos os lados a pegoaha da inveja, que
nSo podia ver por mais tempo sua humil-
de viziaha fruir o prsducto de seu afano-
so lidar, acabou por envenenar essa vida
commercial qae Itapissuma contava para
seu arrimo, na senda do progresso.
Os Igutrassueases, com honrosas exea-
podes, lancaram mo de tud- para o sa-
crificio de nossa feira, sendo necessario
dOt-tl Vt DUC ao oopoi-noo a Yonera^uo
pedida pelo major Luiz Scipiao de Albu
querque Maranhao, cavalheiro independen-
te, e de carcter firme, com quem nSo
contoram na Intendencia para abasos e
arbitrariedades ; bsm como o n5o menea
razoavel commendalor Joao Dourado da
Cunha Azevedo, actual Intendente, os
quaes pro tes tara m solemnemente contra
tal deliberac&o, declarando nao assigna-
rem semelhante absurdo; notando que es
sea dietinctos cidadaos nao residen! em
Itapissuma e que portento, s a razSo os
induzia a nao ae prestarem a tonto rregu-
laridade. .
Exonerado, pois, o major Luis Scipiao,
e sendo nomeado o capitSo Joao Lins para
substitil o conseguiram entSo o que-- a
tonto tempo almejavam, mudando feira
deste lugar que faneciona aos domingo
para Igurass, fieando a d'aqui para os
aabbados ; tudo isao contra a previa opi-
nio dos habitantes e dos concurrentes a
alludida feira que nem ao menos indire-
ctamente foram consultados.
E' notorio que as intendencias munici-
paea teem procedido no intuito de nSo ha-
ver mais fora aos domingos; e como
que nessa mesma poca julga conveniente
a Intendeucia de Iguarosau, transferir
para a sede do municipio urna feira que
tem lugar aos domingos ? /"
Esse procedimento da Intendencia
reprodcelo de outro muito anterior que
deu em resaltado a extinecao de ambas
as feiras; sando restaurada a de Itapissu-
ma devido aos extraordinarios esforcos do
grande emprehendedor Manoel Lourenfo
da Sirva Sobrinho, de saudoaa memoria,
a'cinju annoa passados, construindo um
graade barrac2o onde ella funeciona, sa
orificando com seus collegas negociantes
de ehtao, nSo pequea quantia em gene-
ros sujetos a "vendas quasi sempre infe-
riores ao valor, comtanto que alli fossem
consumidos ; factos estes que ainda hoje
se reproduzem pelos negociantes existen-
tes.
Nos que vemos Itopissnma sacrificada
aos caprichos de muitos Iguaraasaenses e
escandalisados pelo procedimento irregular
da Intendencia que nao s lembrou se de
acolher, mas julgamos at de adherir e
sancionar aquella resolucao sem prever as
buhb consequenciasdo alto da imprensa
protestamos solemnemente contra a pos
tergacSo dos nossos direitos e contra esse
abuso de poder, confiando que vos cidadSo
governsdor, que sois justiceiro e dotado
do sincero patriotismo, nSo nos negareis
as justas providencias que na sede do nosso
municipio nfto poderiamos obter.
A prosperidade deste torree est pois
dependente de vosea decisSo e somos ac-
cordes que tendo em conaideracao o nosso
appello, nao consentiris que seja sacri-
ficada inveja de muitos Igaarassuenses
esto populosa e florescente povoacao, e que
havereis de trabalhar para seu engrande-
cimento, visto tudo em nosso favor esperar-'
mos de vosas lesldade, urna ves que s
tendea por fito trabalhar para o engrande-
cimento da patria.
Itapissuma, 10 de Junho de 1890.
Os itapissuenses.
reapeito, e por isso estando disnosto a havel o do
poder de quem os tiver obtido por qualquer mo
do, faz a pre3ente declaraco para que mais lar
de nao se allegue ignorancia ou boa f por quem
quer que seja.
Oa bena sSo os seguintes : casa terrea a ra
Imperial n. 48, dit?. na ra do Nogueira n. 33,
sobrado ao pateo de S. Pedro n. 3, dita na tra
vessa do Carmo n. l, 7 armazens ua travessa
da ra Pedro Alfonso, antiga da Praia, ns. 2 a
14, um armazem na ra Nova da Praia, antiga
Caes do Ramos, n. 24, um sobrado da ra Pedro
Alfonso, antiga da Praia, a 57, um armazem na
mesma roa n. 61, um dito na mesma roa n. 63,
um dtto na ra Nuva da Praia, antigo Caes do
Ramos, n. 42, um dito na mesma ra n. 44, 44
apolices geraes ns. 300.022 a 300,029, 208 914 a
208,915, 248,665 a 248,671, 248 672 a 248 676,
163 589 a 162.593, 162 594 a 162,598, 84,346 a
84.355, 248.663 a 248,664; 24 apolices p-ovin-
ciaes, ns. 1,885 a 1,888, 1,170 a 1,182, 1,269 a
1,278, 17 accoes do Banco do B-azil, na. 152,639
a 152,658.
Em tempo, o abaixo assignado declara haver
do mesmo modo todos ss rendimentos e os ma3
que at esta aia lm sido reeebidos pelos pro-
curadores de Antonio Jos Machado, residente
em Portugal, Manoel Roberto da Costa ou Costa
* Medeiros, da ra do Amorim n. 39, uesta ci-
dade do Recife, onde sao situados todos os
bens.
Recife, 5 de Abril de 1890.
Jos Soares do Amoral.
das
Votos para senadores
Conselheiro Luis Felippe.
Commendador Francisco Benicio
Chagas. -
Cobo.
M. O. do Reg Brrelo.
Ao publico
Retirndome temoorariamunte para a Eu-o
pa, com minba familia, e nao tendo tempo, pela
presteza de minba viagem, de receber peasoal-
mente aa ordens de todas aa pessoas que me
honram com sua araisade, a todos offereco os
raeus fracos prestimos, pedindo desculpa da
falt que contra minba vontade commetti.
Recife, 14 de Junho de mi.
Manoel Nunes da Fonseca.
tem o seo consultorio medico-cirrngico
ra do Marques de Olinda, 9gwb* an-
dar, onde pode ser procurado- paos os
dias uteis das 12 as 3 horas W^lSde.
Chamados s qualquer hora em sua resi-
dencia, ra do Hospicio n. 46.
Telephone n. 365.

Advogado
i
Paraosgn
O honrado cidadSo Sr. Joaquim Soare-
Gomes, vice-consul de Portugal e Inglas
trra, em Psranaga, tratando da cura de
urna bronchite de man carcter, em ana
esposa, diz o seguinte:
c ... Minha mulher acha-se perfeitamen-
te restobelecida de sua grave enfermidade,
com o uso de quatro vidros do Peitoral do
Cambar, tendo antes experimentado, sem-
pre intilmente, tolvas eincoento remedios
diversos.
Joaquim Soares Gome.
(A firma est reconhecida.)
n.L CLOSOALSQ S S02A
Mudou e seu escriptorio para a roa do
Imperador n. 32. primeiro andar, oade
pode ser procurado de 10 da manh s
ida tarde. )
Residencia Ra Imperial n. 148 (
TelepaoHe n. 102.
sute--------------------&.
Sem contestado
Principiamos a publicar hoje urna serie
de attestodos em favor do Sr. Jos Alvares
de Souza Soares, sobre as prodigiosas cu-
ras que tem feito o seu acreditado e po
pular Paitoral de Cambar.
Ha tempo um dos redactores d'esto fo-
lha, sendo atocadado de urna forte e per-
tinaz tosae, e depois de ter usado diversos
xaropes sem resultado satisfactorio, fez
aso do Peitoral de Cambar e ficou com-
pletamente restobelecido de aua alterada
sade.
Particularmente nos disse o Sr. Dr.
Henriqson, quando aqu esteve hs pouco
tempo, que esse importante remedio era
muito procurado em Santo Victoria e que
elle receitova-o a seus doentes, sempre
com vantogem sobre qualquer outro, pois
que a cura ers radical.
(Extr. do Diario de Pelotas).
Dr. Joao Rangel
MEDICO
Pode aer procurado para os misteres suade
profissSo ra do Bom Jess n. 45 1." andar.
Consultasde meio dia at 3 horaa da tarde.
Chamadosa qualquer hora do dia ou da noite.
Telephone a. 16G.
j} Leonor Porto
!
I
y
Ras Larga do Rosarlo nu-
mero 99
SEGUNDO ANDAR
) Contina a executar os mais difficeis
{ >itfirrao3 reeebidos de Londres, Pars,
() Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicaO de costuras, em
em brevidade, modicidade em precos e
flno gosto.
Restaurant Portu mez
O piimeiro em Pernambaco
2123BA DAS LABANGEERAS 2123
COSINHAS
Brasileira, Portugueza e Francesa
Proprietorios : Charles Rozier & C
Ra da Gloria 39
varila oa bexlga
O Dr. Lobo Moscoso, todos os dias,
das 10 hora3 da manh at 1 hora da
tarde, receita gratuitamente e d os re-
medios bi meopaticos precisos a tolos
,os doentes que o procurarem, para tra-
'tamento das bexigas.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLDSON, for-
nado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu conaul-
sorio, na ra BarSo do Victoria 18, Io an-
dar. ,
Consultos das 10 s 4 horas da tarde.
Dr. Silva LeaJ
CLNICA MEDICO CntOBOICA
Consultorio e residencia rna do Livramento
o. 6 1. andar. Consultas das 11 s 3 horas da
tarde. Chamados a qualquer hora, por escripto,
As familias
Ensino de primeiras lettras, por-
tuguez, francez e inglez; pelas
residencias dos alumnos, dentro
da cidade e em seus arrabaldes :
a tratar na ra do Imperador a.
75, 2. andar.
Culto Evanglico
Ha culto publico com leitura e explica-
cSo do Evaugelho, todos os Domingos as
11 horas da manhl e s 7 horas da noite
e as quintas-feiras s 7 horas da noite,
na raa do Impetdor n. 71, 1. andar. A
entrada franca.
Convidam seas familias e o puWico em
geral a assistirem.
c Examnae as escripturas, pois julgaes
ter nellas a vida eterna; e ellas mesmas
s5o aa que d5o testemunho de mim
Ev de Joao, 39.) cap. 5. ver.
A o publico
O Dr. Joo Ribeiro de Britto, encarregado do
tratamento dos variolosos do Io distncto da bra-
ca e da freguezia do Poco da Panella, pode ser
procurado na 5* estaco da guarda emea e no
quartel do destacamento do Io distncto Poco da
Panella e na sna residencia a ra do Hospicio n.
81, telephone 303.
.------- -------
Agencia de diversos nego-
cios.
Jos Loa Salomo Accin i ra do Imperador
n 77, Io andar, onde pode ser procurado das 9
s 3 horas da tarde por todas as pessoas que o
queiram honrar com suas incumbencias, encarre-
ga-se principalmente de promptlQcar papis
para casamentos civis e religiosos,, de encami-
nbar at o despacho definitivo qae8luer. P":
tencoes as repartisOea geraes e do nsiaao, s
de as mesmas pagar ou receber, e dar o desu-
no que lhe fr ordenado com a mxima promp-
dio quaesquer quantias, ou vencimentos dos
Srs. magistrados, parocbos, professores e quaes-
quer outros funecionarios, e encarreza_se tlnal-
mente de qualquer outra commueaode compra
oo venda de que lhe queiram incunbir os Srs.
proprietarios, industriaes, commerciantes e agn-
OTAtod8 garante sinceridade, telo e prompli-
do oo cumprimento de anas ordena.
AS YIGTIMAS BIS FKBRKS
O Elixir snil-febrli Cardoio, appro-
vado em 21 de Marco deste anno pela Inspectoria
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vem hoje
apreaentar-se humanidade soffredora do mun-
do inteiro, como taboa de aalvaco que ao infe-
iii naufrago Ibe enviada por mo omnipotente!
O Elixir antt t. brll Cardoso, appli-
cado em muitisaimos casos de febres, tem, como


Ubbbbbbi
ernambuco--Qui
tu
JUDDO
de 1890

FS.-
11
fe
I
I
i
-i

per milgre, levantado do telto da dr a comple-
tos moribundos.
Este remedio, composto smente de vegetaes
ioteiramente iooffensivo, anda mesmo na roai
mimosa e tenra crianca.
As sanhoras, no estado de paridas, ou no oe
risdo de incommodoa naturaes, podem osa! o
em receto algam.
Deposito*
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da Silv
* C, a roa Marquei de Olindi n. 23.
Pharmacia Martina, roa Duque de Cax:as
88.
Pharmacia Oriental, i roa Estrella do Rosario
o. 3.
Pharmacia Alfredo Ferreira, a roa do Bario da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperalrii, i ra dalmperatris
a 49
Para qualquer explicaco podem dirigirse ao
astor Manoel Cardoso Jnior, A roa Estreita do
Rosario n. 17.
Dos i au meros attestados que temos, damos
em segnida principio a sna publicaco ; e isto
bastara para que sejam couhecidaa as virtudes
4o Etliir anti febril Cantoso.
Attestados
rt. >
Recife, 10 de Setembro de 1889.
I'.im Sr. Manoel Cardoso Jnior.Teado sido
aceommettida de ama febre perniciosa miaba li -
Iba Francisca Olivia, que 4 oito das guarda va o
Jeito, fti applicaco do sea maravilhoso Elixir
Ante febril e de 40 graos 4 que ja tioha attin
ido a febre, deseen em 14 boras a 37, dsap-
pareceado, completamente, dois dias depois I
llaravilhado com semelbaate resultado, don
parabena 4 hamaaidade pjr to importante des-
coberta de V. S. e agradece a Oeus a feliz lem-
bringa qne Uve, aatori3aodo a V. S. faier desta
o so que lhe approuver.
De V. S. amigo e criado obrigado,
L'lysses Goncalves da Luz.
N. 3/
lilm. Sr. Manoel Cardoso Jnior. Tendo ap-
plicadoem nma minba lilba de 3 annos de idade,
o seo preparado Ante febril que V. S. obsequio-
samente me foroecen, obtive na terceira dse o
desapparecimento da febre que 4 muitos dias a
persegua, tendo at entao sombado de ontros
medicamentos.
Agradece pois a V. S. a ollera do seu mar
wilhoio Ante febril, podendo faxer uso desta mi-
aba espontanea declaraco o aso que lhe con
vier, .
De Y. S. amigo criado muito obrigado,
David Gomes Ribeiro.
ftecife, tt de Maio de 1889.
N. 38
Recite, 2 de Abril de 1889.
Sr. Manoel Cardoso Jnior.
Amigo e senhor. Acbando-me no dia 24 de
Marco prozimo passado com ama febre qne me
atacou bastante a garganta, e fallando com nma
pessoa, disse-me ler estado em igaaes coodicOes
que tinba frito oso de um remedio, cojo Jul
g*va cificaz para febre.
Perguntei lhe o que era, diae- me ser um pre
parado de Vmc, o qne dava o nome de Ante fe
bril. Immediatamente mandei em sna c?sa, o
qne Vmc. promptamente mandou-me um peque-
no frasco, tiz uso com quatro dses no espaco
de 8 horas, acbando-me restabelecido sem febre
aiguma e sem dr de garganta, o que achei
sacio o que me icformaram.
O que so (enho que agradecer tao poderoso
remedio, o que iulgo iofallivel para ftbre.
Pode Vmc. fazer deste mea agradecanlo o
oso que mclhor lhe apprcuver em seu beneficio
Me escrevo com es'ima de Vmc. attenio cria-
do e obrigado,
Jos Bernardina Marques Oliceira.
N. 39
Sr. Manoel Cardoso Jnior.
Amigo e Sr. Tendo adoecido-me o mea em-
pregado Jos de Azevedo Maia e Silva, de 16
annos de idade, com ama febre de mo carac
ter, tive a fellcidade de na occasiao de chamar
un medico encontrar nm amigo, '.esse me acn
selliou deque Vmc. tinba nm seu preparado a
que dava o oome de Ante-febril; deixando eu
de chamar medico e mandar em sua casa ver
om irasco dess" remedio o qne Vmc. pro pa
mente o entregos ao meo portador, o que s le-
nto a dizer que no tim de 24 boras ja se aibavu
o mea dito empregbdo sem febre akuma, o que
/altara en a um sag ado dever se nao viesse por
jneio destas linhas agradecer Ibe o tfTeito de
:o poderoso remedie, podendo Vmc. lazer em
seo beneficio o oso que este meo agiadecimen
o lhe appouver, o que subscrevo me com est:
aa e considerac,o
Sen amigo e criado
Manoel Joaqwm Aires Ribeiro.
Sna casa de Junbc de 1889.
S. 40
Recife, 1" de Marco de 1889.
nim. Sr. Manoel Cardoso Jnior.
Presente. Presadissimo senhor. Soffrendo
de urna febre amarella que me levou ao leito,
cse do Elixir Cardoso, a con.elhos de diversa?
pessoas que referiram me a sua proficuidade.
O resaltado nio se fez esperar ;
me a sade em pooco dias, e dando me na con-
valecencia um admiravel estado fortificante,
a vista do maravilhoso effeito do Elixir Cardo
so; quero com estas linhas felicitar a V 8. pe
los prodigios desee preparativo e habilitar ac
nhecl o outros que podem no sea aso colher as
vaniagens qne elle offerece.
Empero que V. S nft} se molestar com estas
linhas, filhas da verdade.
Subscrevo com toda a estima e consideracSo.
De V. S. atiento criado obrigado,
Manoel Jos dos Santos.
(Estavam selladas e reconhecidas as firmas)
MEDICO HOMEPATA
Dr. Balthazar di Silveira
Especialidadefebres, molestias
das enancas, doa orgioa respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer .hamado par
era da capital.
AVIWI
Todos ob chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
4 ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Cabera de negro
Elixir sedativo e anti-rheumatico, formula
do pharmaceutico Hermet de Sousa
Pereira.
SEJ MERCURIO
Approvado pela Inspectora Qeral a
Hygiene %
Este poderoso medicamento j bem co
nhecido ha mais de 10 annos e cujos ma-
ravilhosos effeitos tem sido al 'estados por
muitos mdicos e numerosos doentes, cura
radicalmente os rheumausmos, erysi
PELAS, 8YPHILI8 S8CROFULA8 -e todas as
molestias que teem por origem a impuresa
do sangue.
O verdadeiro e mais antigoElixir de
cobeces de negro e da formula do phar-
maceutico Hermes de Souza Pereira, e
para araatia dos consumidores traz elle
em seus rotules e envolueros o retrato do
autor.
Vende-se a vare jo em todas as phar-
macias e em atacado na pharmacia Fer-
reira, 4 praca de Maciel P'nheiro, n. 19,
(antiga do Conde d'Eu, e na drogara de
Francisco Manoel da Silva & C, rua do
Marque de Olinda, n. 23.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta- de sua via-
gem 4 Europa,, d consultas de
1 as 4 horas da tarde, no 1
andar da casa n. 51 4 ra do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telophone 287.
91
:
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do Bario da Victoria46
(dkfrontk da pharmacia rarao)
Onde tem connulforl* e resi-
dencla t podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles-
tias de senhoras e dos pnlmes, syphilis
em geral, cura rpida e completa e ope-
racoes de estreitamentos e mais sonri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telephone n. 394
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creanas
Consultorio e residencia 4 ra da impe-
ratri n. 18, Io andar. ""^
Consultas de 8 as 10 da manhS.
Chamados (por escripto) i qualquer ho-a
telephone n. 226
|j rederico Chaves Jnior
Homoepatha
U39 RA BARO DA VICTORU 39^
Primelro andar
Dentes
Termina a horri vel dor de dentes usando
o excellente preparado de Manoel Cardoso
Jnior.
As cartas que Ibe tem sido dirigidas
pelos ornaes de m ior circuladlo, attestam
a eficacia.
Depsitos :
Drogara dos Srs. Francisco
Silva & O., 4 ra do Marques
n. 23.
Pharmacia Martina, 4 ra
Caxias n. 88.
Pharmacia Oriental, 4 ra Estreita do
Rosario n. 3.
Pharmacia Alfredo Ferreira, 4 ra do
Barao da Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Impe-
ratris n. 49,
Manoel da
de Olinda
Duque de
EITAES
Id m Daas barricas ns. Ii2 dem, idem
aos mesmos, contando 13 k logrammas,
peso liquido legal de vidros n. 1, para
boca de vasos grandes, para pharmacias.
Marca diamante 4277 no centroDous
fardos es. 245[246 de Hamburgo no vapor
allemlo Baha, em 18 idem, a Reis &
SantGs, contendo 749 kilogrammas liquido
de lona de linbo.
Marca CHAOUrna caixa n. 4 idem
em 19 ide u a ordena, contendo 10 kilo-
gramo] as de chales de 1S.
Marca diamante A em cima C no cen-
tro e C em baixoUm pacote sem numero,
idem idem, 4 ordem, contendo amostras.
Marca diamante QW no centro e W em
baixo --Quatro caixas ns. 880i883 idem
idem, a Reis & Santos, contendo 388 ki-
logrammas peso liquido legal de obras de
ferro fundido eam: Itado.
Marca E3-^ka dita, n. 478, idem no
vapor alleinao Mmtevido em 1 de Maio
idem, a Euge^ flamico, contendo 40 ki-
logrammas pesa liquido de estanho sim
plt s para boca oj frascos.
Marca triangulo A no centre A do lado
e D do outroUm pacote n. 1, idem em
2 idem 4 ordem, contendo 100 grammas
de amostras.
Marca QRDuas^ caixas ns Ij2
New Yoi k no vapor americano Cearense,
ena 15 i lem, nao consta do manifest,
contendo 245 kilogrammas de cartazes
annuncios de mais de urna cor.
Marca FS&C Urna dita, sem numero
de torna viagem, no vapor ameriejao Al-
cance em 22 idem, contendo frascos que-
brados.
Armazenvn. 6
Marca APSSlCTres caixss xa. 43i45
de Hambargo no vapor allemSo Hurugay,
em 18 de Abril de 1888 a A. P. de Souza
Soares & O, contendo molduras douradoB
desarmadas, pesando liquido 680 kilo-
2' secco d Alf-tndega de Per. ambuco,
16 de Juaho do 189J.
O chefe,
Cicero Brtleiro de Mellj.
grammas.
Marca
resiituindo
COMERCIO
Revista do Mercado
Recipe, 18 o jdnho ds 18S0.
Hunve negocio no mercado de cambios e al
gomas vendas no de algod&o.
Bolsa
OOTICOkS OFFICIAE8 DA JUNTA DOS COR-
KETORE8
Recife, 18 tu Junho de 1890
5ao nouve cotaco.
O Dresidente,
Antonio Leona -do Rodngues.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Cambio
PRACA DO RECIPE
O- bancos abriram a SI 1 S em geral, saccan
do mais larde o Londoa e o de Pernambuco a 31
5*.
Sio bouve cotacSo em papel particular.
PRACA DO RIO DB JANEIRO
14 3/8 baocario nominal, aaccando o London
e o Nacional a 31 1 i at meio dia, quando ele-
varam a taxa para 31 5.8 s- m acharem tomado
res.
Papel particular foi passado a 21 3,4 pela ma-
chi.
O abaixo assignado, tenu de Beguir
)je para a comarca de Af gados de In-
gazeira onde vai exercer o lugur de juiz
man.cipil, deepodo se da pessoas com
quem Um relacSes amlstoics, e offerece-
Ihes all os zeus servias.
Recife, 12 de Junho de 1890.
Manoel Baymundo de Araujo Pinhci.
Dr. Coelho Leite
participa a seus clientes e amigos que inudou
sua.re8idt-ncia para a ra Bario da.A'ictjria n.
61. t andar, e contina a dar consultas de 1 :
as da tarde, no seo consultorio, roa Duque
le Caxias n 57.
io a 9*000 por 13 kilos,
bastante frouxo.
fechando o mercado
A lfandega
EdJtal n. SO
PRASO DE 30 DIAS
1 .* praca
Pela inspectora desta alfandega sj faz
publico que as 11 horas do dia 17 do
mez do Julho prximo vindouro secao ar-
rematados a porta desta reparcao as
mercadorias contidas nos voluaes abaixo
mencionados nos termos do titulo 5." ca
pitulo 5." da consolidaba) das leis das
alfandegas e mesas de rendas si seus do-
nos ou consignatarios nao as de*pacharem
e as retirarem dentro do praso de 30 dias
a COUtar da rindo o mesmo praso serera vendidas por
sua conta Bem que lh:a fique d:reito de
alegar contra os effe'tos desta venda :
Armazem n. 3
Marca FM da S&CUrna caixa n. 25,
vinda re New-York no vapor americano
Adoance, entrado em 7 d* Outubro 1889, consignad) a Francisco Manoel da
Silva & O, contendo 7 kilogrammas peso
nos involtorios de pomada medicinal, 2
kilogrammas peso liquido de plalas me
diciaaes.
A exportacao frita pela alfandega neste mez a'
o dia lo, constou de 121.05 > kilos, sendo 94 865
para o exterior e 21185 para o interior.
as entradas verificadas al a data de hoje, so-
bem a 3.259 saecas. sendo por :
Barcacaf..... 700 Saecas
Vapores .... 507
vmaes. ... 303
/;a-rerreade Caruar. 34
V a-lerrea de S. Francisco. 429
J H-fer.ca u'eLimoeiro 1.286
Somma.
3.259 arcas
f
<
3
V
s.
3
T
8
3
v
s. o f I M f
ce 8 s
- g *
1 a f i
g i
O
8
o.
C3
2
V
o-
<

S
-.i
8 i
- 8
S 08 i *
-I
S
i*
C'
i


Alftodo
flouve pequeas vendas do de 1* sorte do ser
asnear
- ib precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
' ndo a Associa^ao Commercial Agrcola, foram
> seguintes:
Umas..... 34700 a 40H)
8 anco..... 3*000 a 36 0
S.vnenos..... 24500 a 24700
M .scavadu nurgado 1*600 a 1*700
8-atos 14300 14500
K tame..... 14900 a M2K)
A exportacao feita pela alfandega neste mzate
0 dia Ioaconstou de 2.153.074 kilos sendo,.....
1 303.V*t para o exterior e 847.579 para o inte-
rior.
*
4s entradas verificadas at a data de boje so-
berna 17.797 rceos sendo por:
larcafas 10.821 Saceos
/apores..... ...
\.nimae8.... 313
Via-frrea de Caruarb. 744
ia-ferrea de S. Francisi o 5 82i
'ia-ferrea do Limoeiro 96
Sorr.ma
toaros
Couros salgados 405 ri'is, e
17.797 cros
os verdes a 240
Agurdente
tola-se a 9340'-, por pipa de 4W iitros.
Alo |
CoU-se a 188J00 por pipa de WWHioe.
I
UU-K a 554000 por piw ir. 480 litros
Pauta da tlfitndcsa
SBIU1U DB 16 A 21 OB 1M.NHO DB 1890
Vide o Diario de 15 de Junho
\avIo a descarga
Barca noruegnensc Spes, carvSo.
Barca n^ruegaeose Cari Haatted, csrvo.
Barca norueguense ler, earvao.
Barca nacional Marianninha, xarqne.
Barca americana Coarto Lociug, farinh.
B igue hespanhol Maristany, xarque.
hrgue bol ndez Meidem, xarque.
Escuna no: uegnense Gefion, xarqae.
Lugar nacisnal Tigre, xarque.
Lugar dinamarquez Arken, xarque.
Patachj dioamarquez Jugor, xarque.
Patacho pariuyuez Fir l, xarque.
Patacho nacional Marinho II. xarque.
Patacho hollandez Vooxcaarts, xarque.
Patacho hespaobol Joven Pura, xarque.
Patocbo hespaobol Ballcter, xarque.
Patacho hollandez Henriki, xarque.
Patacho nacional Rival, xarque.
Imporfae&o
Barca noruegueose Corf;, ntrala de Him-
borgo em 17 do andante, e consignadi a Foiie
ca Irm&os v C, manifesiou:
Alpiste 20sacco8 a Domingos Craz le C.
Bataneas 3 volumesa Antodio D jarte Carnciro
Vianna. -
Cinento 150 barricas o Davi-J Ferreira Porlo
Bailar. 200 a Albino Silva A C, 780 ordetn.
300 a Miranda & Souza, 800 a Prente Vianni
AC.
Chambo de munico 30 barricas ordem
Cerveja 70 caixas aFeroandes fe Irmijs, 60 a
Domingos Cruz & C, 200 a Paiva Valente C,
35 ordem.
Espoleta 1 caixa a Vianna Castro A C.
Ferragens 50 volumes aos mes nos.
Garrafoes, 1 000 ordem, 1,000 a Souza Basle,
Amorim 4 C, 900 a Paiva Valente & C.
Genebra 25 caixas a Silva Marques & C, 50 a
Paira Valente C, 25 ordem, 100 a Souza
Basto, Amorim A C. 25 a Fernandes & Irinos
Mercadorias diversas 4 volumes a C nrad Wa
chsmann.
Louca 3 barricas a Francisco Mioel da Silva
& C, l grade ordem.
Pianos 2 a H. Vogelev.
Pimenta 20 saceos a Domingos Cruz & C.
Plvora 200 barris a Antonio Pinto da Silva
AC.
Pbosphoros 10 caixoes a Nones Fonseca & C ,
3 Cosa Lima C 20 a D j.ningos Cruz & C,
20 a Gomes de Mattos Irmos, 30 ordem, 45 a
Fernn les & I-maos, 10 a Silva Marques & C, 40
a Souza Basto, Amorim & C ,
Papel 5 caixas a P.iiva Valente & r.
Dito de embrniho 210 pacotes a Jarlos Alves
Barbosa, 603 a Dominuos Cruz & C 799 a Sou
za Basto, Amorim & C, 350 a ?ernandes A Ir
mos, 555 ordem, 200 a Silva Marques & C.
30 a Paiva Valente A C.
Pregos 23 caixas a Miranda & Souza, 20 a
P-iva Valente A C.
Vela3 2 amarrados a Joaquim Ferreira de Car
valbo, 15 caixas ordem, 50 a Souza Basto, Amo
rim C.
Vapor nacional acuhype, entrado dos porlos
do sal em 17 do corrento, e consignado Com
panbia Hernambucana, manifestou:
Albos 23 canastras a Ferreira Rodrigues & C.
Caf 50 saceos i. ordem.
Couros 200 a Abe Stein A C.
Cofre 1 caixio a Jos Alves da Silva.
Fumo, 20 fardos ordem.
Fio 50 saceos a Joo Francisco L-ile.
Farioha de trigo 400 barricas a Henry ForsUr
A C. 1,000 ordem.
Panno de algoJao 20 fardos a Albino Amcrim
& C, 6 ordem.
Pelles de cabra 61 atados a J. Q. Bo.vw.ll. 85 a
Abe Stein A C.
Sabonetes 1 caixi a Jos Alves da Silva.
Patacho ingles M. B. Dalu, entrado do Ru
ML.Urna dita n. 2,826, de
Southampton no vapor inglez Tomar, em
26 de Novembro, ilem, a Antonio Jos
de Azevedo contendo :
3 espingardas de um cano para caca,
6 pistolas de um cano para algibeira, 18
revolver de seis tiros, c. um.
Marc* QF.=Uma dita n. 2 de Bor-
deaux no vapor francez Congo, im 6
idem, ao cnsul Royal de Italia, contendo
livros impressos capas -t papel, pesando
liquido legal 70 kilogrammas.
Marca HF. Urna dita n. 3,1 J8, de
Southampton no vapor ingles Turnar, em
26, idem, a A. P. de Souz* Soares & C,
contendo 83 kilogrammas de estampas nvo
especificadas..
Marca BN & C, Urna caixinha sem
numero, do sul no vapor ingles Elbe, em
29, idem, a B. N. & O., contendo urna
lata com oleo de caroco de algodo pe-
sando 4 kilos.
tiuimaraes & Permem.Urna dita n.
608, idem, no vapor inglez Elbe, era 12
d- Maio, idem, contendo 5 kilogrammas
de cartases-annuncios.
Christiani & C. Urna dita n. 514,
idcoi, no vapor ingle? Xcva, em 12 de
Novembro dem, contendo impressos de
mais de urna cor, pesaedo liejui lo 3 kilo-
gramm.B.
Francisco Manoel da S Iva & CUrna
dita n. 51, dem, idem, contendo iropres
sos de mais de urna iGr, pesando liquido
8 kilogrammas.
Leal & UUm picto, sm numero,
de Bbrdaux no 'vapor raucez Congo, em
6. dem, contendo jornaes, pesando bruto
2 kilogrammai.
Marca LA. Duas caixas, sem numero,
velh.s, vasias, que contiveram tructas vin-
-as de Sjuthampton no vapor inglez Ar-
va, entrado em 12, idem, na> consta do
manifest.
Joo Fernandes Lop-S.Um picite n.
'26, de Southimptoa id vapir inglez la
mar, em 26, dem, cinteado amostras, em
pedacos.
O Dr. Sigismundo Antonio GoncalveB, juiz
de direito especial do comraereio, da ci-
dade do Recife, capital do Estado de
Pernambuco, em virtude da le etc.
Faco saber aos que o presente edital virem ou
delle noticia Uverem que se ha de arrematar
por venda a quem mais dr em praca publica,
depois da respectiva audiencia deste jaizo, do
dia 10 de Jubo prximo vindouro, os bens se
guintes :
Urna casa terrea de lijlo e cal, n. 4, sita
Travessa da Constancia, no Arraial, freguezia do
Peco da Panella, tendo 3 jauellas de frente e 1
porta no oito, com 2 salas, 3 quartos, 1 saleta,
cosinha fora, ficando dentro de um sitio arbori
sado e cercado, cacimba propria, em solo pro-
prio, mediado de frente 6 metros e 20 centme-
tros e de fundo 12 metros e 60 centmetros, em
bom estado de conservadlo, avaliada por
2:0004000.
Outra casa terrea de lijlo e cal, na Travessa
da Poeira, no Poco da Panella, sob n. 6, a qual
lem 1 porta e 1 janella de frente, com 2 salas, 3
quartos, cosinha fora e mais I. terraco coberto
ae telba, quintal murado, em so'o proprio, me
dindo de frente 5 metros e de fundo 11 metros c
50 ceotimet-os, avaliada por 1:6004000.
Movis
Urna luzia de cadeiras de guancao, de junco,
e envernisadas de preto, avallada por 4->4000.
Urna carteira com es'ante de maleira de ama
relio, avaliada por 204000
Urna baoquinha com gaveta de am relio, ava
liada por 44000.
Um pequeo sef de amareilo, avaliado por
lOiOOO.
n pequeo sof de lonco, avaliado por...
84000.
"Seis mochos com asiento de palha, avaliados
por 124000.
Ditos bens vao a praga para pagamento da
exeeucoque move Manoe! Marques d'Avila con-
tra o Dr. Jos Mara de Albuqoerqu: Mello e
Fraicico de Paolj e Silva.
E nao bavendo lancador que cubra o prego da
avaiiaco a arremataco seta feita na audiencia
seguinle ao romplomentn do prazn de 8 Jias e
com o i batimento de 10 / de accordo rom o
art. 24 do regulanunt? de 23 de Janeiro de 1886
que assiin conc bi'Jo :
Nao haveodo arrematante polo preco da Eva-
liacao vollarao os neos praca com o intervillo
di 8 dias e com o abatimeuto de 10 "/. Se
nsla ainda nfto eoconlrarem lanco superior ou
igual ao valor determinado pelo dito abaiimento
iro terceira praca com o mesmo intervallo e
novo abatimento de 10 "/. e ueste caso sero ar
rematados pelo maior prejo que fr offtrecido
sem que em hYiiothese algumu sej permittida a
a^go de nulltdade por le:So de qualquer es
pecie.
E para que ebegue ao conheciojenlo de todos
quoiiio nos referidos bens queiram licitar, man
dei pa?sar o presente edital, que ser publicado
pela imprensa e outro de igual theor auixado no
lugar do costamp, do que be juntar certdo
aur autos.
Dado e passado nesla cidade do Recife, cap
tal lo Estado de Pernambuco, aos 7 dias do
u-'z de Juino de 1890.
Eu, Jo.- F.-ai.klm de AlencarLima, subscrevi
Sigismundo Antonio Goncalves.
Grande do Sul em 17 do correte e consignado
a Joo de Aquino Postees, manifestou :
Grasa 78 pipas ordem.
Sebo 920 barricas ordem.
Lugre inglez Abest, "ntrado de Pelo as em 17
Jo andante e consignado a Foaseca I'inao> A '-.,
raanlfestou :
G^axa 275 pipas ordem.
Sebo 1100 barricas r !em.
Pa'acbo aorueguense Sago. entrado de Pelotas
cin igual dala e consignado a Jjj u n da Sil vi
Carneiro & C. inj;ife.-tou :
Xarque 151623 ko.1 ordem.
Puticbo su co Sisi, entrado de Peala? na roe.;
rna dala e consignado a J jajuim da Silva Car
oeiro Xarque I9J000 klos ordem.
Exportacao
bcifb, 17 08 JUNHO db 181*0
Fara o exterior
So vapGr inglez Lisbonense, para Liverpool,
carregaram ;
H Burle & C 3 300 saecas com 247,520 kilos
de a'godo.
No vapor inglez Scholar, para Liverpool,
carregaram:
B. Needhan 4C..6 saecas com 523 kilos de
algodio e 48 saceos com 3,285 kilos de caroco<
de algodo.
R. Hessoa, 4,000 saceos com 280,0 0 kilos de
aseucar masca vado.
Para o interior
No v por allemo Cintra, para Santos, car-
regou :
A. do Oliveira Maia, 10.000 cocos, fructa.
Para Rio de Janeiro, carregou :
A. de Oliveira Maia, 1<>,00J cocos, fructa.
No vapor inglez Grangense, para Para, car-
regaram :
Amorim Iraoi A C 22 pipas com 10,560
litros de agurdenle e 5 ditas com 2 400 ditos
de alcool, e 80 barrica como,8lS kilos de a-iu
car branco.
No vapor nacional Alagoas, para Manaes,
carregou :
A. Moohard, 24 barricas com 1,814 kilos da
Sssucar branco.
Para Maranbo, carregou :
M. Amorim, 1 barril :um SO litros de alcool.
No vapor americaoo Finance, para Par,
carreearini
M. M. de Oliveira A (I., 5 pipas com 2.400 li-
tros de agurdente.
No vapor francez Ville de Cear. pira San
los. carregaram :
Amorim rmos k.los de assucar mas avado e 250 ditos con
15.000 ditos de dito brunco, 3 pipas c o barris
com 2,400 litros de alcool.
No vapor uacionil P. do Oral Para, para
Penedo. carregou "*
M G.mcalves Ja Rja, 700 saceos com faiinba
de mandioca.
Para Villa Nova, orregon :
M. G da Roja, 400 saceos com f.riohj de
mandioca.
No blata Ntpiuno, para Parahyaa, carro-
gou :
J Bapiista, 50 saceos com 3,300 kilos de milho.
?io biaie Bom /., para Aracaiy, carre
gou :
Arsenal de Guerra
Fornecimento de v.veres s companbiasde
i 'perarios Mitaies e Aprendizes Art-
fices.
O conselho econmico das compauhias cima
munciouadas; recebe p oposlas par a compra
dos gneros abaixo relacionados no lia 20 do
corrate, s 11 horas da manh, para o semes-
tre de Julho a Lrzemhro do corrente anno.
Azeite doce, litro.
Arroi, kilo.
Ateria, k-io.
Assaear retiido de 1.' sorte, ko.
AasacaT raascavarto, kilo. *
Bauba de norco, k lo.
Bacalbao. k.lo.
Hi-laxa. k'lo.
Ca ne cecea, kilo.
Carne verde, kilo.
Cafo moido, kilo.
Ch Hy-coo, kilo.
Doce e goia'-a. kilp.
Fejo, litro.
Faiiuba da trra, litro.
aramios; ura.
Galliuha, urna.
Mauteiga inglezi, kilo.
Lenba', acha.
Pes de 123 gra mas, ura.
Toucioho, k'lo.
M. Amonm, 6 caixas com 64 litros de ge- i
Beba.
Na barcaja Adelina Mendes
carrejaran. :
A D. SimOes 4 C, 10
de genebra
Si oarcaca Jocem Assencia, para P.Ur de
Alagoas, carregou :
A. D. SimOes C, 10 ca:xai cora 80 litro: de
gen ibra.
Na barcaca S. Luz, para Parahyba, carre
gou :
M. Amorim, l fardo com 100 pares de laman-
eos.
flciidiiueato pblicos
KSZ DB JUNHO
Alfandega
Sal, litro. ^
Vinagre, litro.
Viobo do Porte, garrafa.
Quijo fiameogo, um.
Sapatos de couro de beserro, pares.
Lavagem, concert, engommado, pregamento de
botOes da roupa los aprendizes, peca.
Velas stearinas, maco grande.
ObservajOes.
I. No caso de recusarem os contractantes de
assignar o contracto pagaro a malta de 504000-
2.* Senao recusados os gneros pela commis-
so, por sua m quaiidade, sero obrigados a
entrar com outros dentro do praso de 2 horas,
fiudas as quaes sero comprados no mercado e
pagos por conta dos contractantes.
3." Os contractantep sero obrigados a entrar
para o cofre do conselho com a quantia que Ibes
for arbitrada pelo meimo conselho para garan-
ta de seos contractos.
4.' Finalmente recusndose os contratantes a
cumprir as condices de seas contractos hcaro
estes rescindidos e pagaro a multa de 2004000.
A contractante da lavagem da roupa ficar
igualmente sujeita s condices cima.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernambu-
co, 17 de Junho Je 1890.
O secretario,
Jos Francisco Ribeiro Machado.
Proionameiiio da entrada de ferra
do Beclfe ao s. Francisco
De ordem do cidado Dr. director e enge
nheiro i hefe faco publico que, a contar do Io
de Julho vindouro em diante, romegar a vigorar
no prdongameulo da esirada de ferro do Recife
ao S. Francisco o horario abaixo transcripto
para os trens de carga :
ESTACES
Una
Boa Sorte .
Calende
Jaqueira
Colonia
Marayai
Barra .
S. Benedicto
Quipap .
Agua Branca
Canhotinho.
Angelan -
S Joo.
Garanhuns.
Partida
Horas
"Too"
630
7.05
7 50
8.03
8.27
9 03
9.45
10.35
11.17
12 20
1.07
1.45
Chegada Partida
ESTAgOES

lloras Hjra3
Garanhuns. 6.15
S.Joo. . 7 05 7.10
Angelm . 7 43 7 48
Canhotinho. 8.30 8.40
Agua Branca . 9 30 9 35
Quipap 10.12 10.23
S. Benedicto . 1 01 11 06
Barra . 11.35 11.40
Marayai 12 11 12.16
Colonia 12.30 1235
Jaqueira . 12 43 12.48
Calende 1.28 1 55
Boa Sorte . 2-20 2.25
Una .... 2.50
Secretara do prolongatncnlo da estrada do
ferro do Recife ao S. Francisco c estrada de ferro
do Recife a Caruar, 18de Jmho de 1890.
O secretario.
Vitaliano Ribeiro de Soaza.
Thesouraria de Fazenda
ART1GOS PARA O ARSESAL DE GKRRA
D: ordem do Sr. Dr. iospector, fago pcbco
que no rila 26 do correnle mez, ser arrema'.ado,
em sessao da junta desta Tnesouraria. por quem
meiores vaoUgens offerecer, o fornecimento do*
a t g>< abaixo mencionados, para o expediente
do Arsenal de G j-rra. durante o semestre de Ju-
V o a D'zembro do prente anno.
Os proponentes, devem observar o seguate &
l.' R -uriindo se a junta -? 11 horas da manha
d jquelle dia para o rim indicado, a respective
naiiilitaco deve ler lugar at o dia an'.eriore
#'rt requerida ao cidado inspector, devendo s-
juntar a? petices a prova de serem os propo:
nenie? negociantes matriculados, e acbarem-se
quites relativamente ao imposto de indnslrias e
protissoes do ultimo semes;re.
2. Que as propostas nao devem figurar pre-
para Ma:ei,
caixas com 80 litros
-32 horas, vapor
de 391 toneladas,
da Silva Pereira,
lastro; Compa-
Renda geral
Jo da 2 a 17
dem de 18
531 586*677
11:6474033
Renda do Estado de Pernambuco
603.233-762
Do dia 2 a 17
Idea d.? 1
8L88540
4:70236!
somma 'otal
8.8T4982
689 821A744
Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco,
18 de Junho de 1890
O ttiesoureiruFlorencio Domiugues.
O chefe da secesoCcera B. de Mello.
Reeebedorf a do Estado de
Pernambuco
glez capitSo A. Lemarohent, equipagem 7,
carga graxa; a Jo3o de Aquino Fon-
seca.
Fernando de Noronha-
nacional iJaboatSo,
cemmandante Joao
equipagem 30, em
nhia Pernambucana.
Maco33 diaa, lugar inglez ^aroline,
de 157 toneladas, capitn E. Baddeley,
equipagem 7, carg sal; ordem.
jfaoio sahido no mesmo dia
ParahybaVapor inglez Bruswiek, COS-
mandante C. H. Holtten, em lastro.
Vapores a eaCrar
HEZ DE JUNHO
Suropa....... Ville de Cear----
Sul........... Finnice..........
ui ....... Alagoas..........
. Edictor..........
.- Bntania.........
Liverpool
ui...... ..
Europa....... Tagui.....
Sul........... Trent......
Norte.......... Pernambuco
Sul.......... Campias......... 29
Norte........ Alhanca.......... 30
19
19
17
20
21
21
22
24
Vapores a sahlr
MEZ DE JUNHO
Sul.......... Ville de Cear.....19 as
3 ti
3 h
5 b.
Do dia 2 a 17
Idem de 18
54:2054560
3:302i893
57.70354 5
Hecifc Oraiaage
Do dia 2 a 17 6:0314688
dem-de 18
2778i
6.096936
Iilahclro
EXPEDIDO
P. lo vapor allemo Cintra.
Rio de Janeiro
Santos.
para
150.000^000
1.5004000
Movimcuo do porto
Navio entrado no dia 18
Pololas -18 dias, patacho sueco Si:i,
de 187 toneladas, capitSo J. J. Malin-
berg, equipagem 6, carga xarque; a
Joaquim da Silva Carneiro.
Rio Grande do Sul14 dias, lujar inglez
Alert de 243 toneladas, capitSo W
Grodett, equipagem 7. carga gor'uras:
a Fonseca Irmaos & C.
l'elotas18 dias, patacho norueguense
Ligos, de 124 toneladas capitSo M.
Olsen, equipagem 6, c rga xarque ; a-
Joaqui.n da Silva Carneiro.
Rio Grande do Sulldias, patacho in
New-York---- Finance........... 20 as
Cear e esc... iaboatao.......... 21 as
Lverpool.....Britania.......... 21 as H h-
Buenos Ayres. Tagus............ 2Las 2 h
Southamolon. Trent............ 22 as 12 h
Hamburgo___ Campias......... 26 as 4 h
Mercado Municipal de 9. 9os
0 jjovimento deste mercado no dia 17 de Junho
foi o seguinte :
Entraram :
29 bois pesando 4,093 kilos.
W kilos de peixe a 20 ris 96 740
12 cargas cotnfarinha a200rs. 24400
II ditas de fructas diversas a 300 rs 34300
32 columnas a 600 rs. 194200
99 taboieiros a 200 rs, 194800
8 sainos a 200 rs. 146(0
1 escriptorio a 300 rs. 300
64 compartimentos com farinha a 500
rs. 324POO
30 ditos de comidas a 500 rs. 154000
94 ditos de legumes e fazendas a
400 rs. 374600
16 ditos de suino a 700 rs. 114200
8 ditos de fressuras a 600 rs. 800
8 ditos de camares 200 rs. 14600
U taihos a 24 74000
2304540
Rendimento de 1 a 16 Jo crreme 3 6974980
3.9284520
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 480 ris o kilo.
Suinos de 560 a 720 ris idem.
CarflTwo de 6 iO a 900 idem.
Farinha ic 560 a 640 ris a cuia.
Milho te 40J a 440 res dem.
Feijaol* a 14800 idem.
:
)


-
IbT-3


:--;



&'< irJf/K&f**- *&&%
Diar
lO Q Mu CiiilUTlDUCO"H 111D{.BL-ICLTfl. 1*1 (.16 JlllillO IC IotTvl
i
.i
:
ou sojetoi a batimento ou des-
cont
3.* Qje devem acompanhirs propostas amos
tras dos artigo Della tu. nc.onados.
Artigo
Cadernetas em betico de papel Hume paitado,
cora iUO fjitias, atoa.
Cadenetas dem de papel fiuno pautado, com
150 fjibas, urna.
Cadernetas dem de papel tiume pautado, com 50
folhas, urna.
Canelas linas, urna. *
Caetas -ntre linas, urna.
-Caivetes linj*, um.
Enveloppes para cilicios timbrado, om.
Euvelopes grandes ta brados, um
Esptula de osso, um.
-Gomaa ar&bica, frasco.
Lipis de Paber, um.
bapu de cores, um
Lapis de borracha, um.
Lacre encarnado, pao.
u'vro em braceo de papel hollanda pautado, for-
mato Carn\ com 50 foi as, um.
'Jera dem idem, mesrao formato, com 100 fo-
Iba, um.
dem idem ideai, mesmo formato, com 150 folbts,
um.
dem idem dem, mesmo formato, com 200 fo-
Ibas, um.
den idem idem, formato Corone, com 50 folhas,
um.
li-m idem idem, mesmo formato, com 100 ra-
lbas, um.
liem dem idem, mesmo frmalo, com 130 fu-
Ibas, om.
dem ilem idem, mesmo formato, com 200 fa-
llas, um.
4 dem idem de papel Hume pautado com 100 fo
Ihas, um.
,1 lera i le;ii idem, com 150 folbas, um.
idem dem idem. com 300 folhas um.
Livro em branco de papel hollanda pautado, for-
mato Eco. com 50 folbas. um.
Jem idem idem, Eco com 100 folbas, om,
dem idem idem, Ecu. com 150 folhas, um.
A dem idem idem, Ec, com 200 folbas, om.
4 lera idem idem, formato Colombier com 200 fo-
lbas lilhographidas para mappa com encader-
naco inteira de couro, um.
dem idem idem, formato Ec, ;com 150 folbas
rucadas para receiti, um.
dem idem idem, mermo formato, com 200 folbas
tiscad^s para despeza, um.
SJeru idem idem, formato Carr, com 100 folhas,
i iicadernagao inteira de couro, um.
3 lem idem idem, formato Carro, com 150 folbas,
encadernaco inteira de couro, um.
i lem idem idem, formato Carr com 200 folbas
e ouoadernacao inteira de ecuro, um.
iJem idem idem, formato Corone, com 100 fo-
ltis. eacadernaco inteira de couro, um.
dem idem idem, mesmo formato, com 150 fo-
Ihjs. encalernaco idem. um.
Meta dem ide ... mesmo formato, com 200 fo-
lhas, enea ernaco idem, um.
4 lem idem idem, lo. mato Jes, com 100 folbas,
e .cadernaco indrn. om.
i lem idem idem, mesmo formato, 150 folbas,
encadernaco idem, um.
dem idem idem, mesmo formato. 200 folhas,
encademaciio idem, um.
"Papel Hume pautad), resma,
astas de oleado, de diversos tamanbos, urna.
Papel Hume liso, resma.
Papel iaglex rosado para oflicio, resma.
Papel idem branco pata ollieio, idem.
iiem idem rosado para officio, timbrado, res
ma.
-Papel idem oranco, timbrado, para ofcios, res-
ma.
VifA iiullanda formato Corone, folha.
Papel de formato E folba.
appi-l idem formato Carrel, folha.
PdiM-l i tem formato Riisin, folha.
Papel idem firmito ies, foiha.
Papel iiem, formato Colombier, folha.
Papel carta*! mata borrio. folha.
Peonas d* ico Per y. c ixas.
Previlba para prender papel, caz*.
Rrfautiia j..is jt}-'., :~.
ffitiJa ingina para escrever, bolio.
Tiia ingleza sanlioba, toiSo.
Tinta preta para escrever, garrafa.
T ;wa cartciiT, frasco.
Tn^uraria de Pemimbuco. 14 deJuuho de
0 (ecretario da jnu'a.
WW DO BTiST SELLES
M1DS S-tOIMSTOA
DE
OPEIA-OIICA. OPERETiS E MGICAS
DO
Tipiar.
exem-
DA
CAPITAL FSDERAL
HOJE Quinta-feira, 19 de Junho de 1890
2.a recita de assign atura
(DA SEGUNDA SERIE)
BRANDE NO VIDA,
Primeira represeutacao n'este Estado da notavel opera
Adolpho Jaime o Felippe Gi.', ti-adaccao do Sr. Figue redo
maestro Leo Delibes
HOJE
3 actos, de
msica do
15
P-tau 2f9
Ferrabraz
O Principe Leo
Jan", confidente do re Patau
Zero, idem idem .
Pelagio, idem idem .
Moscatel, idem idem
Mercurio, idem idem
Trombetto, dem idem .
A Princesa Serpentina .
A Senhora das tres estrellas
Aurora .
Estella.
A menina da Billa Rosa.
A Senhora da Villa-Nova
Cesarina
A menina d'Agua Mora
Um correio .
Um pagem de Patau
Um pagem de Ferrabraz.
Fidalgos e senhoras da c3rte,
Personagens:
. Sr.
T.
Sr.
Sr.
Sr.
Sr.
Va sq ues
Mattos
lime. Massart
Sr. Calas
Sr. Rag>l
Nazaretb
Mesquita
Andr
Esoeranca
Mlle. Blanche
D. Athayds
D. Mathilde
D. Leopoldina
N. N.
D. Engente
D Athayde
D. Mathilde
Sr. Pavotiin
D. Estaphania
N. N.
pagens, guardas, arautos d'armas,
algos
lacaios, amas, rtc etc.
Scenarios, vestuarios, aderemos novos e
deslumbrantes
MI8E-EN-SCENE DO ARTISTA
HELLER
A's 8 1/1 horas
Haver tram para APIPUCOS e Olinda o bonds para todas as linhas.
corre g
DK
Dr. Antonio Jos de Sant'Aana
Companhia de B*be
libe
CinviJt seobores accionistas
dosla compauhia a reunirem-sc em
.'.stiih'.a ger;il crdimria no di i i de
JuHio prximo vindoiro, ao mcio dia,
no l-andar da casjt n. 71,a ra do
imperador.
A refer la
fim principal
assembla g-;ral lem por
lomar conta da geslo- dos
;iegocio; ociaos do anno prximo pas-
tado, cleifao da comroisso fiscal e do
jjrcsidinle e secrel.rio da assembla
geni, mas resolver tambem sobre ludo
oque for de inleicsse da companhia.
ecifi", 15 de Junho de 1890.
O director gerente intenno,
Barao de Casa Forte.
U director secretario,
Aurelio dos Santos Combra.
i/,sta do txamioaiidos iascrl
pos (m lailiu (B Malo de
iso.
\ Icic de Oveira Santos.
2 I iiocH.ncio L*ilr Ferreira.
i i >e fclainede Ferreira Pire.
i Jenuino Amazonas de Fi^ueircdo.
Airaro Ladislao Cavalcante de Aibujuerqne.
rt Jos Cofreia de Amoriin.
7 joaquim Pinto de Freitas.
8 loas Joaquim Ferreira Girio.
9 Tiriorcio Jiouirio df Olieira.
W Antonio SaniO de Araoj > Guarita.
11 Jos Francisco Kandeira Cavalcante.
<2 D fTiiingo C-ivalcaYUe de Soun I.eao Filho.
13 Joao Eang' lista Goimaraes ^ilveIra.
J^.-iMi i Silva Luna
15 Vidorini Oomriaes Alves M.iu Jnior.
<6 D tm-trio J ;;iquiin Rodrigue*.
I" Elogio Kpiphanio Aointi''?.
l J .ao I laltoo Jo Reg Panas.
19 O w.ld i 3a>?mao.
20 Jj; E'ias M<'U'eiro Lope?.
~>i n^racii o Andrade Vil Je Oliveira.
11 J ;j l>(iio de Garvalli'.'.
JJ Acvooio Cavihaoie de Albuqu^rque.
Si Mara da Exaltacio Cabra!.
25 Domingos Anionio Alves Ribeiro.
Devedores da fazenda
Por esU seccio e fai publico que tica marca
do o praio de oito da?, contados da dala da
presente declarafao, para os devedores de itn-
postos de industrias e proti-soes, relativo ao
Ixercico de 180 Tirem pagar es seus debitjs
amteaelmente ; cortos dti que fe o nao lizsrem.
ro as respectiva certido-.^ enviadai ao juizo
do fetos para a cobran^'- de Miranda Castello B-ano 67#175 : Antonio
OoncaUeg de Souu IVIW ; AMto |>ii & L.
t*00 : Anelo Casar ili/OTO ; Cl rino G:a
ilano da Silva 4I150 : Ciofldo Perora feo.
tos M-550 ; Franci3(o J jaquim ^^ Aooa
iMiOO ; Francisco da Silva L zoovs Hita
rindo dos Santtw F anca la&ib ; J s Man o el
de Sooza 16.100 ; Joso / aquira fBorm L.bo
16*100 : Joo da C-*a Jmua'in 36*63!): Ja
quisa A. S. Corta 28>7W ; Jo59 Manoei Burge
351669 ; Manoel Bento Bow-3 Cmara 5I#7j0 ;
Manoel Joaquim lu'ooio Guimares 51*;;
Pinto Alve k C. 47*376
PE R IV A MBUCO
Com sede na cldade do Reelfe
Banco Emissor dos Estados de Pernambuco, Parahyba,
Rio Grande do Norte e Cear
Capital em acedes de 2008000....... i,000:OOWOO
Emisso de bilhele ao port dor e a viste.. 20,0'J :000$000
Estatutos approvados pelo Governo da Repblica do3 Estado* Unidos do Brasil
Decretos N. 367 A de 30 de Abril o N 395 de 12 de Maio de 1890
Entradas
A 1.a de 10 j> ou 205000 no acto da eubscripsao.
A 2.1 de 10 |0 ou 20>000 depo'a de constituido o Banco.
As restantes com intervallo nunca menos de 30 dias e cao excedendo a 15 [o
cada ums. x
Depois de realisada a quinta parte do capital nominal facultada a integrali-
sacio das a^oes, que ticarSo sendo nominativas ou ao portador e com direito ao di-
videndo proporcional
A subscripcSo das acece est aberta cas pracas do Kio de Janeiro, Babia,
Arac^j, Macei, Pernambuco, Parabyba do Norte, Natal, Cear, MarfenhSo e Para.
Os incorporadores do Banco
Jorge da Costa Franco.
Alfredo Prisco Barbosa.
Luiz juoxisto de Magalhes.
Bardo de Mesquita.
Jodo lnnocencto Borges.
SUBSCRIPCAO NESTt ESTADO
Acha-se aberta ra do Commercio n. 38
NO
BANCO SL-AMERCANO
S. R. M.
' Mociedftde Recreativa Moridnilc
SarAo trimestral em S8 docorrente.
Os senhores socios podem procurar es seuT
epOvHe em mlio do presidente ; serviodo de
ingresso o recibo do correle iLti. Nio a ad-
mitte aggregados.
Secretaria da Sociedade Recreativa Mocidade,
13 de Junho de 1890.
O secretario,
Antonio J js Hundes.
Fito nos Coelho, caes de Capibaribe, avaliado
oor SOv)*O00, perlencente a Joao Francisco Pare-
des Porto ; cojos bens sao vendidos para pa
gamento da Fazroda Nacional e cusas.
Itecife, 11 de Junbo de 1890.
O solicitador,
Luiz Machado Botelbo
Arsenal de Guerra
Viuva de Antonio r<-
Viova de Anto;
Silva & Lopes 39* 100;
'i Cuaha U9AO-3;
.. .
s de Junho de 1890
E) 1 e;criptun:
J. Gomet da Silva
Juizo dos feitos da fazenda
nacional
Escriv&o Reg Barros
l'eranle o Sr. Dr. juiz sub (iluto dos feitos da
'azenda Bcnicio N-lson T^vares da Conlia Mello,
s vi o u-r em praca publica, no dia 20 do cor
frote uien, peLs 11 bo-as da mauba, uepois da
audiencia, os bens segu o t es :
Urna olaria montada sobre pilares de lijlo e
ral, coberta sila na I lia do Ruro, fregoezia dt
Arogados, pelo preco de 1 080*000, pertencentc
a Evaristo Menes d.t Cnnha Azcvelo.
A casa terrea de taipa. no lugar denominado
Cbeca deCavallo, fregoezia de S. Lourenco da
Malta, em terreno proprio,vcom casa de farinba
com todos os seus pertences, pelo preco de-----
324*000, per encent a Leonel Bandeira de Car
vallio.
L'jia ol.ria sita no lugar dos Coelbos, fregu-
zia da Boi Vi-la, sobri 53 pilares de lijlo e
cal, coberta de t Pa. pelo prego de 1:350*000,
p^rtencente a Vicente Ferreira dos Santos Bar-
ro?.
A commissao de Comoras do Arsenal de Guer-
ra, na forma do art. 96 do regulamemo de 19 de
Outubro de 1872 convida aos senhores neg
ciantes que se acbarem devidamente habilitados
a virem feroecer ao mesmo Arsenal as ferra
mentas, utensilios necessarios s suas officinas e
mais artigos de supp-imento s fortalezas, quar-
teis e mais estabelecimentos militares, durante o
S.# semestre do correle anno, devendo pro-
curarem nesta Secretaria a relacao dos obje-
Lctos-
Os proponentes devero apresentar suas pro-
postas nesta Secretaria at as 11 horas da ma-
nh do dia 21 do corren'e.
Previne se que nio sero tomadas era coosi
deraco as propostas que nao forera feitas na
forma do art. 61 do citado regulamento, em du-
plcala, com referencia a un so--artigo, mencio-
nando o oome dj proponente, a indicaefio da
casa commercial, o pre$o de cada artigo, o nu-
miro e marca das amostras e finalmente deca
rac&o expressa de sujeitar-se a multa de SO'q no
caso de_recus?.r assignaro contracto, a as demals
de que tratam 03 artj. 87 e 88 do mesmo regula
ment.
O foroecimento ser fei'.o por pedidos par-
ciaes conforme as exigencias do servico, e deve-
la sej-o de prompto.
Secretariado Arsenal de Guerra de Pernam-

Catbecismn de doutrina el
Esponja, kio.
Gomma arbica em caroco, kilo.
Compendio de grammatica poriuguczi,
piar.
Geometra por Abillo, exemplar.
Giz, kilo
Historia do Brasil, exemplar.
Livros de !., 2." e 3 leituia, exemplar.
Dio de systema mtrico, exemplar.
Ardosias para escripia, urna.
Lapis de pedra para as mesnas, duzia
Taboidas, exemplar.
C mi vetes, um.
Papel almaco, resma.
Peonas de ac, caixa.
Lapis de pao, duzia.
Caetas de. pao, duzia.
Tinta para escrever, garrafa.""*-
Areia preta, kilo.
Para as officinas
Ac batido, kilo.
Dito dito em verguioba, kilo.
Dito de Hilao, idem.
Dito bexiga, idem.
Dito fundido, idem.
rame de lato, idem.
Dito de ac, idem.
Dito de ferro, idem.
Dto de cobre, idem.
Arcos de ferro, fortidoa, feixe.
Areia para moldar, barrica de 180 kilos.
Azeite de carrapaio, litro.
Azeite de peixe, idem.
Dito de c6;o, idem.
Bandeiras nacionaes de 2 a 8 pannos, urna.
Breo, k lo.
B-oxas de ns, l a 8, urna.
Ditas pequeas, orna.
Cabo de itnbo branco, kilo.
Dito alcatroado, kilo.
CaJinbos para fundico, numero.
Acido sulfrico, ko.
Agua forte, idem.
Acido mutktico, idem.
Cantoneiras de ferro, sortidas, idea.
Carvao cok, dem
Dte para ferreiro, idem.
Cimento portlaod, barrica.
Chombo em lencol.kilo.
Cobre em vario, idem.
Cravos on arrebites, idem.
Escaplas de ferro, urna.
Enxadas encabadas, nma.
Espirito de vinbo, litro.
Estanto em verguioba, kilo.
Es;opa de algodao, kilo.
Ferro inglez em barra, idem.
Dito dito redondo, idem.
Dito em encol, idem.
Dito em chapa lomour, idem.
Dito sueco em barra, idem.
Dito sueco em lenco!, idem.
Fio de algodao, idem.
Dito de vela, idem.
Graxa do Rio Gran le, idem.
Latao em leocol, idem.
Lima chata, pollegada.
Dita triangular, idem.
D .ta meia cana, idem.
Dita murca, idem.
Limatao inglez, idem.
Lixa de vidro, de papel, folba.
Dita esmeril em panno, idem.
Machado encabado, um.
P de ferro patente, orna.
Parafusos de ferro, duzia.
Ditos de metal, idem.
Pregos francezes, kilo.
Fecbaduras de ferro para porta, urna.
Ditas de dito para armario e gaveta, idem.
Ditas de latao para armario3 e gavetas, idem.
Ciscador encabado, idem.
Dobradicas de ferro de cruz, urna.
Ditas de ferro e de lata.-, idem.
Espanador de palba, um.
Dito de peonas, idem.
Enxannis de madeira de qualidade, idem.
Ferrolnos pequeos di ferro e de latSo, dem.
Gomma lacea, kilo.
Grozas, polegadas.
Machado encabado um.
Pruasiato amarello, kilo.
Palba de junco, idem.
Sabao, idem.
Tincal, idem.
Tijolosoara iimpar facas, um.
Velas de carnauba, urna. **
Vasseuras de piassaba chapeadas, idem.
Vassouiinljis de dita para Iimpar lonja, idem.
Vassouras ue timb, dem.
Acido nit,-ico, kilo.
Dito bydrochloiico, idem.
Zraco em folha, idem.
Tintas
Agua-faz, kilo.
Amirello fraocez, idem.
Alvaiade de z neo, idem.
Azul ultramar, dem.
Jalla da Bthia, idem.
Cr. idem-
Oleo de liohaca, idem.
Oleo preto, idem.
P pr^io, idem.
Roxo trra, i lem.
Seccante frzes de ooro, idem.
Oleo de zinco, 1 lera.
Ocre, idem.
Ve;de tbroruo, idem.
Verde francez, idem.
Verniz japonez, idem.
Zircao. idem.
Madeiras
Taboas de piubo da Suecia de 0,22 de largura
X.0012 urna duzia.
D t8 de dito de 0.22 X0.0I9 deespessura, idem.
Di las de dito de resina de 0>. de largura
X012 de espeseurj, metro correte.
Das de dito cora (,22 de largura X0.019 de
(spessura, idem.
Tabeas de pinno de resina com 0.022 Je largu-
ra X0,02 de espessura, idem.
Costado de amarello, idem.
Costadinho de dito, idem,
Taioas de amarello para soalho, de 0.46 de Ur
gura, idem.
Ditas de dito de 3/i com a mesma largura,
idem.
Ditos de dito para forro cora a mesraa Ir-rgura,
id Hie
Costado de pi carga,idem.
Costadinho de dito, idem.
Costado de sicunira, idem.
Costadinho de dita, idem-
Costadinb) de luuro, dem.
Taboas de louro para soalho, de 0,44 de largu-
ra, idem.
Ditas de dito de 3/4 cjm a mesma largura, dem
Ditas de dito para torro, idem ^^^^^^^
A lfandega
A casa terrea n. 27, na travessa do G-iz, edi .
liada de tiiolo e cal, em terreno de marinba e buco, 18 de Juobo de 1890
cob rta de'telha, avaliada por 1:000*000, per O secnitano,
(encent a Joaquina Jaciatba Poreira. rianatco Rtbnn Uscha&o.
A casa terrea de tjolo e cal, coberta de telba 1 reluci a qie se refere o ediia' supra
edilicada em ternno de marinha. slia^ roa lm- Par? as escolas rgimen "ios
n. 242 avaliala em 103*000, perter.cente Rudimentos de arithmetica, exemplar.
aos herdeiros de Jos Miguel de Miranda | Cartas de A B C. pxeraplar.
O dominio til do terreno de marinha n. 81, Crayoes para pedra, duzia.
Edital n. 51
Segunda pra^a
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que s 11 boras do dia 21 do corrente mez,
serao arrematadas i porta desta repartic&o, a
mercadoria abaixo declarada :
ma barrica, m-.rca M&C e contramarca P. n.
208, vinda do Hivre no vaaor francez Vdle de S.
Nicols, entra lo em Maio Ando, contendo fumo
em rap, pesando liquido 123 kilogrammai,
abandonada aos direito* por Meuron & C,
'Era continuacao serio vendidas io trapiche
alfand' gado Barao do Livramento :
Dez pipas, marca SF, viudas de Liiboa no va
por francez Vtlle de S. Nicols, entrado em 16
de Marco ultimo contendo vioho commum, rae
dio lo 4,686 litros, abandonadas ao? direitos por
Francisco da Costa & C.
2.* secgoda Alfandefra de Pernambuco. 18 de
Junho de 1890-0 chefe,
Domingos Joaquim da Fonsfca.
Sociedade
DOS
artistas Mchameos e Li-
beraes
De orJ'em doconselhi desta tociedade. sao
novamentc convidados todos oj socios no goso
de seus direitos sofaes, para reunirem-se quin-
ta fe a 19 do corrente, s 6 1/2 horas da tarde,
para era assembla geral extraordinaria, trabar-
se de assump'o de grande importancia ; sendo
esta realisada com o numero dt socios ^ue com-
pareccrern.
Secretaria da Sociedade dos AriUtus Mrchni-
C08 e Lioeracs de Pernarabnco. 17 d Juaho de
1830.-0 i secretario,
Joaquim Lipes Ttixcira.
Companhia Pernambucana
de Navega^ao Costeira
por Vapor.
A directora desta Companhia proceder no
di 23 docorrente, ao meio dia, o Io orteio da
amortiBaco do emprestimo de8M):000* na ra-
zio de 2 /, relativo ao semetre de Janeiro- a
Junho do corrente anno ; para o que convida 09
Srs accionistas que quizerem assislir, a compa-
recerem a essa hora na sala de suas sessOes, no
predio do Forte do Mallos n. 12.
Recife 18 de Junho de 1890,
Manoel Joao de Amorira.
______________Sebstiio Lopea Guimaraes.
Associagao Medico Pharma-
ceutica Pernambucana
De ordem do Dr. presidente, convido os ge-
ohores socios desta associacao a comparecerem
a sesso que se celebrar no logar e hora do
costme, afim de se pr iceder a eleicao da nova
directora, que se effectuar com qualquer nu-
mero.
Secretaria da Aisociacao Medico Pharmaceu
tica Pernambucana, 19 de Juaho de 1890.
O secretario,
Dr. J. M Curio.
* collega* enearregadot do trata-
nenio dos v.-riolonoi*
Empero 4ue providenciis no sentido de nao
ficar msepOlio pessoa alsuma morta de varila
alera de 24 Iteras, cessando de urna vez para
sempre as reciamacOes que nesse sentido appa
recam diariamente uos jornaes ; outrosira. que
seja reraettida a essa inspectora a relacao das
flpde exisli.-ao variolosos, os noraes dos
ios das ditas casas, afim de pr-se em
o 2- do art. 83 di regula raen o de bv
15 de Janeiro de 1890.
90.
Dr. Cergueira Leite,
*______________inspector de hygiene.
Thesouraria de Fa-
zenda
De ordem do Sr Dr. inspector, faco publico
que pelo Tbesooro Nacional foi concedido o ne-
cessario crdito para pagamento das segrales
dividas de exercicios findos :
Medeiros & C. 1:231*30)
Santos Lopes & C. 2*880
Re 11 rao & Costa 901*860
Manoel Figueiroa de Faria & Filhos 6*720
Thesouraria de Fazenda do Estado de Per
oambuco, 17 de Juobo de 1890.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Atina.
Faculdade de Direito
De ordem do Sr. conselbeiro director interino
faco publico que na sexla-felra 30 do corrente,
1 hora da tarde, na sala dos geraes, comeca-
rao os exames de latim, sendo que depois de
esgotida a primeira chamada, seguirse ba logo
a segunda ultima ; coja banca foi constituida
do modo seguiote :
Presidente, Dr. Adolpho Tacio da Costa Cirne.
Examinadores, arcediago Dr. Luiz Francisco
de Araujo e Dr. Jos Bandeira de Mello.
.secretarla da Faculdade de Direito do Recife,
18 de Junho de 1890.O offictal, serviodo de se
crttario,
Manoel Antonio dos Pasaos e Silva.
COMPANHIA FKKVAUBICABA
DE
%'aregacSo coi tetra par vapor
PORTOS DO NOBTE
Pjrakt/ba, Natal, Maco, Motaor, Ar
ty e Cear
O vapor Jaboato
Comm ndante J080 da Silva Pereira
Segu no dia 21 de Junho as S
horas da tarde. Recebe carga s* o
a...
Encommenda, passagens e dinheiro frete
1 s 3 horas da tarde do dia 21
ESCRD7TORIO
A> Caei da Companhia Pernambucanu
n.12
Companhia Baha na de Na-
vegacao Vapor
Hacoi, ViIl-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia -
O VAPOR
Principe do Go-Par
Commandante Lacrela
Seguir para oj
portos cima
indicados no dia
19 do corrente s
4 horas da tarde.
Para carga, passagens, encommenda3 e dinhei-
r j a frete trata-se com o
ASENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
B'^
Banco do Brasil
Pelo presente sao convidados os senhores ac-
cionistas deste banco a realisarem no escriptorio
de Pereira Carneiro & C, roa do Commercio
n 6 1 andar, do dia 20 a 25 de lulho prximo,
10 0/0 de entrada ou 20*000 por acgo da nova
emisso. Nessa occasiao s?r facultado quelles
que quizerem entrar cem mais 20 0/0 ou 40*000
por ac-cao, realisaodo assim 50 0/0 do capital.
Recife. 16 deJunho de 1890.
SANTA CASA
CASAS PARA .ILI'CiR
Restauraco casa terrea o. 27 14*000
Lapa n. 2 14*000
Bom Jess iiem n. 13. 3 andar 16*660
dem do Amorim n. 23, idem UWOPO
dem idem idem, 2* andar 15ou0
dem idem n. 64 armazera 25*000
dem do Vigario n. 23, l. andar 25*000
Iiem idem idem 2.andar 20*000
dem idem n. 27, loja 1 j 100
Bispo Sardinha n. 11 Io andar 1C*I0
D. M-ria Cesar n. 118 terrea 16*U0ii
dem n. 16, terreo 2050uo
Companhia Pernambucana n. 30,.loja 15*000
Madre de Deus n. 2. armazem. !2o00
Burgos n. 21, terrea ii000
Sete Becco de Abren n. 2 8*000
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado dos porto9 oo
8ul at o dia 19 de Junbo
o qual depois da de-
mora necessana seguir
para o
Haranho, Para, Barbados, S.
Thomaz. Marlinlque e Xew-
Vork.
Para passagens carga, encommendas e di-
heiro a frete:. trata-se com os AGENTES.
EMPREZA NORTEE SJ,
Rio de Janeiro, Santos, Rio Grande do
Sul, Pelotas e Porto-Alegre
O vapor Planeta
E' esperado do
sul.at o dia 21
do corrente e se-
guir depois de
portos cima indica-
pequea demora para os
dos.
Sobre carp, encommendas e pasaagens, tra
ta-ee coa os
AGENTES
Pereira Carneiro & C. .
6-RA DO COMMERCIO6
andar
MARTIMOS
Roy al Mail Steam Packei
Company
O paquete Tag"us
Espera-se da Europa ateo dia20 de
,Junno, segniudo depois da demo
ra indis peusavel para
Sabia, Ro de Janeiro, Sbeos,
nonlevldo e Buenos-Ayres
Para passagens, frete i e encommendas trata
se com os AENTES.
O vapor Trent
E' esperado do sul no dia 22 de Ju
nho seguindo depois da demora ne-
cessana para
Lisboa, Vigo e Santhampton
edncgdo (U pauagens
Ida Idaevolio
\ Lisdo f claase 20 l 30
l Souiauptonlfclai. i 18 4 42
Oamarotcs-eservadoB pa, os pusageirosdt
^ Ta ui buey.
Para passagens, .'rc.es. encommendas. tjata-s>
:O OS Vfc
AGENTE3
A norim Irmos & C
N.3Ra do Bon JeansN. 3
O vapor Aliianca
E' esperado de NewYors
at o dia 30 de Junbo
o qnal depois da dt
mora necessaria seguir
para a
Ba, Rio de Janeiro e Santos
ara carga, passagens, encommendas c di
iheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Covunecior8
1' andar
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Britania
Espera-se do portos do sul
ateo da 23 de Junhoe se-
guir depois da demora do
costme para Liverpool
com escala por
Lisboa, Bordean.* e Plj-moutb
ssageiros, encommendas a c
su a i>w: irata-sccom os
Vso, Sos k C, Liffliled
14RA DO COMMERCIO14
Lloyd Brasiltiro
TARTOS DO ^UL
3 vap-'-p Pern::mbuco
Cimmandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do nor-
te ai o da 24.de Juoho e de-
"(' da demora indispensavel
i.. para ot portos d sul.
As cu<(<: .u. das Beraurecebidas na agencia
at 1 or. -la larde do dia du ihidn.
^'-'ir^a, encommendas, assagens e valo-
res '.raU-s com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=~Rua do Commercio==
lo andar
COMPaSiUA PEB>H(B1C4\A
DE
avegaco eostelra por vapor
PORTOS DO SUL
iacei, Penedo, Araeaju' e Baha
O vapor S. Francisco
Commandante Albino
Segu no dia 25 de Junho s
.5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia ...
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
tt as 2 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
> Cae* da Companhia Pernambucana
n. 12
LEILOES
Sexta-feira, 20. o de cavallos de poro san-
gne, eguas deste Estado e vaccas tourinas
Grande Iillo
QINTA-FEIRA, 19 DO CORRENTE
A's 10 horas
No armazem n. 29 ra Duque de
Casias
O agente Silveira, competentemente autorisa-
do, far leilo, ao correr do martelto, de diver-
sos movis, espelbos, vidros, 1 cofre prova de
fogo bancos c ferraraentas para marcinciros,
.Tiadeiras e diversas obias para acabar, existen
no refer lo armazem.
hgno refer:
ente Stepple
Leilo
ros
De bons moris crystaes,
, espelhos apparelhos de
quadros, jar
porcelana fi-
nos para almoco e jantar.
Quinta-feira, 19 do corrente
A's 11 horai
No 1. andar do sobrado ra da Aurora n. 41
O agente cima, competentemente autoriado
por urna familia que mudou-se d'este Estado, le-
var a leilo urna importante mobilia de junco
com en osto de palha, com 12 cudeiras de guar-
nigo, 2 ditas de Dragos, 1 sof, 2 consolos com
pedra, 2cadeirasde bal joco, 6 quadros, etageres,
lanternas bordadas, 6 ricos jarros e fracs 2 figu-
ras, 1 toilette com pedra e espeiho, 1 lavatorio
com espeiho e pedra, 1 hidet, camas para casal,
mesa elstica de qnadro laboa?, guarda cernida,
aparadores, um importante guarda loua. appa-
reino para jantar, dito, para almoco, galbeteiro,
12 eadeiras de junco, copos'para agua, corapo-
teiras gdrfos e facas tinas, colberes para sopa,
e cutros mnitos aovis que wrSo no acto do
leilo.
Leilo
Dj 1 sobrado de 2 andares e solo, edificado
en. terreno proprio sito ra do Visconde do
Inhauma n. 24, anliga do Rangel.
De 1 terreno sito ra do Padre Nobrega anti
ga do Alecrim, com 30 palmos de frente e fttndoa
at a ra do Mrquez do Herval tendea. vLesm>\
largura nos fundos.
[
i


M





fc




1
4 ra da Cadeia No, com VS
palmos de frente e I Mr diloe de fundos.
Quinta-feira, 19 do corrate
A't l hora
jfe armaMtm ra do Marques de Olinda
n.48
O gente Gusroo, competentemente aumrisado
mri leilo do sobrado e terrenos ama menclo
nados os quaes poderao ser examinados pelos
Srs. compradores.________^^__^____^_
Leilo
de movis, um espelho oval, louca, vidros
e qaadros
CONSTANDO:
de urna bonita mobilia de pao-carga (torneada),
J cadeiras de bataneo de amarello, i bonito es-
pelho oval, 3 pares de jarros, 6 etageres, i
candieiro de suspenso para kerosene, lanternas,
urna banquinha de fantasa, escarradeiras, figo'
ras e tapetes.
Dous gualda vestidos de amarello, 1 lavtatono
de amarello com pedra, 1 marquezo, 2 lvalo
los de amarello, 1 estante para livros, 2 binqui-
nnas, cabides de parede, 1 cama grande antiga
amas de lona. 1 dita para casal.
Urna mesa elstica de 4 tabeas, 8 aparadores,
etageres de nogneira. 1 marqueta. 1 sof, louga
de fantar, dita de almoco, garrafas, copos, compo
teiras, etageres, diversos qnadros, urna ambu
lancia, 1 licoreiro, i aparador re caixa, mesa de
cosinba, jarrees. telbas de zinco, bacas, 1 tina
grande para banho e diversos ps de crotnns.
fteiia-felra, do corrate
A's 11 horas
Na casa n. 27 ra do Aragfio
O agente Martins, autorisado pelo cidadao al-
teres Ignacio Joaqmm Pereira Lobo, que seguio
para Garanhuns, far leilo dos moves e mais
objectos existentes na dita casa, os quaes sero
vendidos
Ao correr do martello
O Sr, Manoel Tbom de Azevedo deixou de
eer nosso empregado detta data em diante. Re-
cife, Ifi de Juntio de 1890
Domingos Jos Perreira <* C.
Precisa se de um moco com alguma orti-
ca de balcao ; a tratar no n. 3 a roa Bario ca
Victoria.
Precisa se de um rapaz de 16 a 18 aonos,
que tenba pratica de padana e d Oador de sua
conduc a ; a tratar na roa da Praia n. 12, ou na
roa Imperial, padaria Victoria.
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira : na roa Mr-
quez de O. inda n. 57, i andar.
Chaves perdidas
Perderam-se oito chaves pequeas, presas em
urna argola ; roga-se a quem as ac ou o obse-
quio d entregal as na ra do Bom Jess n. 43,
que sera recompensado.
Leilo
Dos bons cavallos Feuillage, Vempa e
ero de puro sangue, de boas filiacSes,
proprios para c> rridas ou para garanhes,
aeis tguas do Estado e 20 fardos de al
tala.
Sexta-feira O do correle
A's 11 horas
Agente Pinto
No largo do Corpo-Santo
Leilo
De 1 excellents vacca tourina, com cria, 1 car-
roca nova, com boi novo e gordo, 1 cavallo pre
to. 1 sella e arreios.
Sextct-feira, 20 do corrente
A's 11 horas da man ha
Agente Pinto
No largo do Corpo Santo, por occasio do lei
lio de ravallos de puro sangue, eguas do Esta
do e alfafa. ______________
Leilo
De cerca de 400 canastros com alhos, exis
tentes no armazem do Sr. Tbomaz Times, de-
fronie dos armazens da Capatazia da Alfandega,
que sero vendidas em lotes, a vontade dos com-
pradores.
Sexta-feira, 20 do corrente
A't 11 horas em ponto
POR INTERVENCO DO AGIENTE
C :smao
Chaves perdidas
Perdeu se hontem urna argolla com 5
chaves, desde os Afogados at ao escrip
torio do Diario de Pernambuco, pede-se
a pessoa que as achou aandar entragal as
no referido escriptorio que se lhe gratifi-
car.
17 de Jnnho de 1890.
Ao commercio
Os abaixo assigoados declarara ao commercio
e ao publico que oesta data dissolveram amiga-
velmente a sociedade que tinbam no estabeleci-
mento de molhados, sito ao Largo do Mercado
n. 10, sob a Grma de Manoel Pereira da Silva &
C, retirando se o socio Francisco Ferreira Al
berto pago e satfeito de seu capital e lucros,
lirando o socio M noel Pereira da Silva de posse
do activo e reaponsavel pelo passivo da dita fir-
ma. Recife, 31 de Maio de 1890.
Manoel Pereira da Silva.
Francisco Ferreira Alberto.
Criado
Precisa se de um criado de idade de 12 annos ;
na ruada Palma n 109._______________ .
Criado
Precisa-se de om criado para vender na ra :
a tratar no becae do Calabouco n. 11.
Vinho d Amarante
Em. decimos e quintos, o que ha de melbor
neste genero.
VENDEM
Guimaraes & Valente
6CORPO SANTO-6
flpe*^*i Britto
L'eiio
De movis, louc,as e vidros
Urna niob lia de junco, 1 guarda vestido, meia
commoiii, i cama de jjca:and. 1 dita de ama
relio BKziahdd, 2 marqv. -oes 1 guarda lou
ca, 1 mea elstica, 2 aparaJ,>re?, 2 mesas de
pinho, 1 marqueza, 6 cadeiras de amarello, lou-
ca para almoco e jaotar, garrafas para vinbo,
copos, colheres, bandejas e outros muitos
objectos.
Sexta-feira, 20 do corrente
Ra da Trincheiras n. 16
Leilo
De predios, loucas, vidros, balcSo e resto
de urna armaejta
O agente Britto vender em leilo a sexta par-
te do sobrado de 2 andares, roa Marques de
Olinda n. 64, que rende 2:000#000: duas dci-
mas partes do sobrado ra uas Trincheiras n.
19. Vende-se pela maior offerta.
Em continuaeo, vender o mesmo agente, o
resto da armacao, movis, loucas e vidros, bal-
cao e mais objectos da loja ra d? Imperatriz
n. 17.
A's 10 li2 horas
Sabbado, 21 do corrente
Explendido leilo de
anhnaes de corrida
* ah bat o Si do corrente
0 agente Pestaa devidameDte aulcrisado pe-
los prop -ietarios levar leilo no da e hora
cima indicado, no seu escriptorio, na travessa
do Corpo Santo, os animaos Apollo, Damnubio e
Alfa.
r.Os quaes podero ser examinados na ra ua
Conquista n. 1.
AVISOS DIVERSOS
Precisa se de urna ama para eo3inbar, e de
ontra para engammar : na ra do Vigario o. 5,
armazem.
Precisa se de urna boa cosinheira ; na roa
da Snledi.de o 82_______________________.
Precisase de urna ama para tedo servl-
co ; no 2- andar n. 16 do largo do Canno.
na ra Baro de S. Borja, otr'ora ra do
Sebo n, 4. vendem-se planta? de tedas as qual
dades, natto de fructo como flores de todas as
qualidades.
Vende-se o sobrado n. 7 ra Viscoude
de Inhama ; a tratar na ra Doqte de Caxias
i. 105, loja de calcados._________________
AMA Precisa se de lima, para casa de
familia : na ra da Palma n. 80.__________
Quem dar informacoes do Sr. Joo Mari
nbo da Rocha Falco e do Sr. Jo&o Baptisla Fer
reir ?
Cimento Alsen, [des kilos por 700 rs. ; na
roa do Brum n. 65.
Alngam-se casas caladas e pintadas nos
Indos de S Goncalo, a 8*000; a tratar na ra
la Imperatriz n. 76.
Aluga se o 2- andar do p-edio n. 39, sito
a ra oa Imperatriz com agua, est caiado e pin-
tado ; a tratar na loja do mesmo.
Pataces e outras moedas de i uro e prata
compra-s pelo maior precy ; na ra do Com-
mercio n. 4.
Eoga se ao Sr. A. T. que reolva, sim on
nao.
O Sr. Luiz Ferreira* da Cruz, resolva,
quem paga o acceitanie on o sacador.
se
Precisa-Be de urna cosinheira e de um co
peiro ; na ra do Commercio n. 32.__________
Precisa se de um criado que queira ir para
Olinda ; a tratar na ra do Cotovello n. 43, de
1 hora as 3.
Aluga#e a loja da travessa do Livrimento
a. i0 na roa do Apollo P-11-
Attenco
Os propietarios do antigo e acreditado arma
sem do Lima, sito ra Baro da Vi 'tona n. 3,
participam ao respeitavel publico e aos seus
Jistinctos freguezes, .que tr< nsferiram tempora-
riamente seu armazem para a mesma ra n. 9,
continuando da mesma forma a receberem suas
ordens para Ibes servir com o costumado e ha
tiitual desempenho.
Jos Fernandes Lima i C,
Ra Barita da Victoria n. 9
Telephone323
Missas
erara repUo d'alaaa de B. lcraem M -
ra Oljmpla da Multa Kelxa*
Olympio de Senas Borges, sentimeotalisado
Kla perda da sua carinhosa e estremecida mi,
lecida na cidade de Sonsa, Estado da Parahy
ba do Norte, convida por meio deste escripto
os seus parentes que aqui se acham, aos seus
amigos, mestres e amigos do seu velho pai a
assistirem as missas que manda celebrar na ma-
triz de Santo Antonio, as 8 horas da manb do
dia sexta-feira ; e por este acto humanitario e
caridoso. ficara elle reconhecido a todos que a
este humilde convite acceder.
t
Connelbeiro L.ul* Jo de am-
palo
Umbelina de Sampaio Alcoforado, suas irms
e Albos convidam os seus .-migos e os do oado
cons-ilbeiro Luiz Jos de Sampaio, seu irmo e
lio, para assistirem a missbvdo stimo dia, que
maodam rezar na matriz da Boa-Vista no dia 20
do corrente. s 8 horas da manb.
t
O. Franclaca Candida CUraldes
1. annlversario
Pelo reponso eterno d'alma de D. Francisca
Candida Geraldes, seus filhos, ora, genro e
netos, mandam celebrar missas no recofnimento
de N. S. da Gloria, s 8 horas da manb de
sexta feira 20 do corrente, 1- aniversario do
seo pascampnto.
t
Aflonno Pinto de Car va I ho
Primeiro anniversario de seu passamento
Pelo repouso eterno de sua alma, seus pas e
irmos mandam celebrar missas na igreja do
Poco, sabbado 21 do corrente, s 7 horas da
manh
t
Os Drs. Jos Austregesillo e Francisco Potbier
Rodrigues Lima mandam rezar no convento de
S. Francisco, s 8 horas da manh do dia 21
(sabbado) urna missa pelo repouso eterno de
seu irmo o Dr. Antonio Plutarcho Rodrigues
Lima, stimo dia de seu passamento, e pedem
aos seus pareutes e amigos do finado se dignem
de assistir a esse acto de caridade religiosa, o
que mnito agradecero._______________^^^^
t
Angelina Mara de Oliveira
Manoel Antonio Pereira convida a todos os
parentes e amigos para assistirem as missas do
trigsimo dia, que manda rezar pela alma de
sua mi, Aogeliua Mara de Oliveira, que tero
lugar na igreja da Santa Cruz, pelas 7 horas da
manh do u 21 do corrente (sabbado), pelo
que se confessa grato.____________^_^^_
Vaccas tonrinas
Aproveitem agora
Vendem se duas vaccas dando leite, com crias,
duas Urdas garrotas prenbes, pura raga, e uten-
silios das mesmas, por Ir recebido ordem para
liquidar; a \r na coebeira da ra Sebastio
Lopes n. 33, e a tratar com Jos Maia, ra do
Pires n.3l, defronte da aBtiga Caixa d'Agua.
Cautelas do Monte de Soc
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc- j
corro de qualquer joia, brilhantea e relo- <
gios, paga-se bem na ra do Cahug n
n.14. Loja de relojoeiro.-
Farello superior
a.l#800; ho largo do Mercado o. 12.
Aluga-se
um grande sitio na ladeTra do Barro n. 7S, con*
tendo umt casa de taipa com commodos para
familia, muitos coqueiros, jaquelras, mangueiras
e outras arvores, todaa dando fructo pelo alu-
guel aensal de 8000 ; a tratar na pbarmacia
francesa ra Baro da Victoria.
Bom negocio
Precisa se de um rapaz com pratica de mo-
lhados, ou de um rapaz um algum capital para
socio de urna taverna na freguezia de Santo An-
tonio, em boa localidade e bem acreditada : a
tratar na roa da Detenco n. 29.
Criada
Quem tiver de embarcar para a Capital Fede-
ral e precisar de urna criada de coitianga e que
nao enj.i, para cuidar em criaucas, dirija-se
ra Vidal de Negreiros n. 91, que achara com
quem tratar.__________^_________
Vendein-se
duas casas de ptdre e cal, na estrada real de
Goyanna, no Timb, antiga Barreiras, em trras
de N. S. do Rosario de Olinda, tendo urna, duas
portas e outra urna porta e urna janella, bem
localisada para qualquer negocio ; a tratar em
Olinda com Guilberme Pereira dasNeves, no
Varadouro n. 11 e no Recife com Vieira & C.,
ra da Florentina n. 34.
Hanitiga Especial
P\R4 BOLOS
Latas de meio kilo 800 ris.
Crpo_ Santo n. 6
4. iii maraes k Tlente.
OUDdtXdLCS
MITA ATTE^CA0
Os melhores cigarros, que ha hoje
tanto de fumo picado como desnudo sSe
oaMHA ESPERANCA.
Olhai com* attenco para o envolucro Iob
cigarros onde se l a pahvra ESPE-
RANCA.
Ha muito quem venda gato por lebre !
NhB grandes merciarias, as casas de
refeicSes, as tabacrias, nos salSes de
cabelleireiros, vende-se os nossos ci-
garros.
Deposito central.
Fabrica Minha Esperanza
Ra larga do Rozario n. .21 A
Teolphone 191.
O FUMO
Higyenico Nacional
E' isanto de qualquer composicSo
mmica e nociva.
E' escolhido da a melhores qualidades de
iumo.
Um pacote de 50 grardmta cuata200ra.
Fibrtca Mioha Esperaoc-
Rma larga do Rosario 21 j
Telephone 1!
AO PUBLICO
0 abaixo assignado resolveu participar
aos seus amigos e freguezes que contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de :
COGNACS destacando o afamado
PauHno, que um dos que mais se pres-
tan- a tomar-se com leite.
V1NHOSO Palhete sem prejuizo das
outras marcas, especialisando tambem o
magnifico -Bordeaux Republique Brs
lienne.
LEGUMESem conserva, especialida
des como nSo se encontram em qualquer
casa.
CARNES em conserva, especiaes como
nunca vieram aqui.
PEIXEStambem o que ha de mais
variado.
CERVEJASonde se destaca a bem
conhecida e digna de celebridade Paviino
Bier.
CHARUTOS nm grande sortimento
das melhores marcas, e por precos muito
commodos.
Alen destes artigos acha se o seu esta-
belecimento sempre supprido de tudo
quanto se possa desejar d'um bom esta
belecimento d'aquelle genero
Ra do Imperador n. 28.
Paulino de Oliveira Maia.
De Sorocaba
Declaro que soffri muito ten: po, fazendo
uso de medicamentos sem resultado, e,
usando tres oias apenas daInjeccSo M.
Morato sarei completamente de nma
chronica gonorrha que me atormentava.
Faca uso deste como convier.
Antonio F. Fontoura.
Est reconhecida a firma pelo tabelliSo.
Agentes depositarios em Pernambuco -
Francisco M. da Silva & C, ra Mrquez
de Ohnda ak23.
Liyraria Contempor-
nea
Instrumentos de mmlr
BomDardao, bombardino, barytono, tromL
:rombone, !elicon, saxaphone. carrilon, born;
caixa, pralos.ciarinitas. llantas,rabecas, violfi
-ealejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quartos, gabinetes, corree.'
-es.
Molduras
tourads, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viacem, diversos formatos, especialmenr
ara roupa de senbora e camarote.
Novidades
ara presentes, escriptorio, toucador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA & C.
Boa PrlmHro de Harro a. 9
Ooro 9 prati
Compra-se, como tamben:
moedfts, ra do Cabug
n. 9., loja de Aagusto Reg.
Precisa-se
de peritas costun-iras; na Notre Dame de Pars,
ra do Cabng n. i-A.____________________
Gasa
Alnga-se a casa terrea sita ra Dr. Nabuco
n. M (Capunga) ; a tratar no n. 28 mesma
ra.__________________________________
Attenco
Aluga-se urna grande casa terrea na ra de
Motocolomb n. 24, muito propria para negocio
ior ja ter armacao, tem muitos commodos para
amilia e um grande quintal tratase n largo
daPain. 96.
Para en gentos
GUMARES 4 VALENTE, parteci
pam aos seus freguezes e Illms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados
garantindo tudo de primeira qualidada c
preeos sen eonipetencla a saber:
Cal nova de Usboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para aachinismos. s
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
(5 galSes.)
Kerozene inexplosivel.
Ghraxa em bexigas.
Gaxeta de finito.
Potassa do Russia.
(em caixas, barriquinhas, latas grandei
e pequeas.)
Formicida Capanetna.
6--Corpo-Santo6
->
-*
i
i
-i
-i
i
i
4
Prepara do rase depurativo
ij Empregado com a maior eficacia no
-) rheumatistno de qualquer naturexa,
em todas as molestias da pelle, as
leucorreas ou /lores brancas, nos
soffrimentos occasionados peta impureza
do sangue, e finalmente as differentes
forma da syphilis.
Approvado pela Ilustrada JnnU de
Hygiene Public- da Corte.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 2o de Junho de 1883.
COMPOSICO
de
firmino Candido de Figireiredo.
I
i
i
->
4
i Dse Nos primeiros seis dias urna
i I colher das de cha pela manh e outra
j I noite, puramente ou diluida em agua
^ e em seguida mudar-se-ha para colhe-
-) res das de sopa para os adultos e me-
"i tade para as cnangas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhos trios ou
momos, segundo o astado da molestia.
4
i
-t
i
t
i
-)
->
-}
j i Francisco Manoel da Silva & C.
i
j 23 Ra Marque* de Ohnda
-1
i
DEPOSITO CENTSaL
20 Manoel da Sil'
Urogulslas
a Marques de
Pernambuco

{-
1
f-

(
K
f
r
<-
t-

AIS DE 10:000 CURAS
TIHTUB& BIYIHA
mn so assKAiisicQ
DORES DE DENTES
3PJ^3FLAX,'SrSXaA
PKEPAKADO NICAMENTE
POR CALASANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos, inchaySes, dores sciaticas, nevral-
gias, dormencia, etc., empregando-se em
fomentacSes sobre os lugares afiiectadoa,
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
de dentes.
Todos os frascos levam direccocs paia
uso d'este medicamento admiravel. v
Preyo 1(J200. Descont de nma dmia
em diante. _^
DEPOSITO NO RECD7E
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n. 23
Fandas baratas
Na loja das Listras Azues
A* ra Duque de Caxias n. 01
Voile phantasia a 240 rs.
TecidoB arrendados de cores a 240 rs.
Organdy branco finas a 500 rs.
Arrendados de urna s cor a 400 rs.
Percales finas a 200 rs.
Cassas de cores a 120 rs.
Lazinhas de quadros a 160 e 200 rs.
LinhoB de quadrinhos a 100 rs.
Zefiros largos a 200 rs.
Cassas com padrees de voile a 280 rs.
Fustlo de cores, padroes miudmhos a
160 rs.
Chitas escuras a 200 rs.
M-dapolao americano, 20 Vfcras, a 6)5000.
Monm das listas azues, lO^aras, a 3t>0U0.
Bs leias a 200 rs. a duzia.
Fitas chamalotadas todas as cores.
Empermeaveis para vestidos a 400 rs.
Babados bordados a 400 e 500 rs.
Fazendaa finas
Cretones francezes muito largos a 320 e
360 rs.
Nanzuks de c6res finas, a 500 rs.
Tecidos de cordSo, lindas cores, a 400 rs.
Voile de 15, tecidos mais finos, a 800 rs.
Gazes de seda, lindas cores, a 1(J500.
Surah de todas as cores a 104CO.
Organdy de cordSo, lindas efires, a 300 rs-
Setim de Maco de todas as cores e preot
a 800 rs.
Tecidos de. linho, muito largo, a 400 rs.
Cortes de vestidos bordados em cartSo a
9,5000.
Aos'.
mercieiros
Viuva Bernardo lose Correia & C. teem para
vender temos de medidas, bons e baratos ; na
travessa do Queimado n. 9, esquina da roa larga
do Rosario.
9
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases sclentiflcaa
e physiologricas para o fim de
beneficiar os cabellos, restaurar
a cor, impedir a queda, e promo-
ver mmi vico e abundante cresci-
men*o.
Esta apurada e excellente prepara^o,
sem duvida o melhor remedio at hoje
conhecldo para os differentes defeitos da
cabelladnra, merece a intima attenco da
todas as pessoas qne tm tido a infelici-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o sen emprego inteigente tem-se
conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porm nio
sempre, a propria calvicie tem sido curada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
do cabello; emquanto que para openten-
ao das senhoras, o objecto mais til
mais agradavel qne se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-Un.idos.
I A' venda as lejas de armarinho e pe
Aunarlas.
DEPOSITO GEKAI ( .
MVIDADES
Manequins de Bazar
Abre e fecha como chapeo de sol e ser
ve para qualquer senhora por mais gorda
ou magra que seja faaer seus vestidos sem
ter necessidade de costureira.
Cortinados de cores para porta ou janella
a 1600 o metro.
Crochet branco e de cores para cortinados
a 1(5000 e 1,5500.
Flores para cabello ou enfeito de vestidos
a 10000, 10500 e 2t 00.
Sabonetes para pannos e sardas a 1^0
Extractos finos, frasco com 20 gotas, a
2.0 rs.
Lapis de ouro a 1(5500 e 24000.
Te so uras com mollas e caixa a 15500.
Porta-luz com phosphoreira a 10000.
Relogios para ver no escuro a 8,5000 e
1C5000.
Albuns para 10 ou 25 retratos a 3 #000.
Para aso domestleo
Bramante de 4 larguras a 800, 1,5000 e
10200.
Panno de linho com 4 larguras a 10600 e
2000.
Atoalhado adamascado a 10400.
Panno da Costa, com quadros e listas, a
10000 e 10200.
Guardanapos finos a 10800 e 20000 a du-
zia.
Toalhas felpudas a 60000 a dita.
('retoes para cobertas a 30> rs.
Colchas de cores, muito grandes, a 20000,
Cortinados bordados para cama ou janella
a 60000.
Oleados de cores para mesas, cada repar-
timento 40500.
AlgodSozinho largo para todos os precos.
E muitas fazendas que se vende__p)r
qualquer preco.
D se descont a quem con>prar de
2C0OCO para cima.
NA LOJA DAS LISTRAS AZUES
Bom negocio
Admitte-se um socio com algum capital para
averna ; a tratar na ra de Domingos Jos Mar-
tins n. 80 ____ ____________
Para qualquer negocio
Aluga se a cara terrea da ra da Imperatriz
n. 54 A, com accommodacdcs para estabeieci
ment e morada ; a tratar na ra sma ra n. 54.
ou ra Duque de Caxias n. 77.
Compra-se
o jornal denom'nado Vapor do Rio Formoso, pu-
blicado em 1857 e impresso na typograpbia do
finado Ignacio Beato de Loyola, ou collecciona-
dos ou os nmeros avulsos ; a t ntender-se com
o padre Bandeira, ou na loja de ourives de La-
berty, a praca da Independencia, ou annuncie.
Aos agricultores
O bacbarel Petromllo de Sania Cruz Oliveira
contina a encarregar se de levantar empresti
mos para auxilio da lavoura sob bypotbeca de
propnedadea e penbor de safra ; na ra do Ira
derador n.96, i andar.___________________
Precisa-se
de peritas costureiras ; na Notre Dame de Pa-
rs, ra do Cabug b. i A.
Aproveitem a occasio
Vende-se, aluga se ou permuta-se por predio,
urna pequea fabrica de tabao muito bem situa-
da ; ptimo negocio, e esta prompta a traba-
Ibar : quem pretender dHja-se com urgencia
raa da Madre de Deus n. 16.
Criado
Precia-se de om criado ; na ra do Paysan
don 19
CJaixeiro
Pre -isa-ae de um caixeiro de 12 a 14 annos,
que d fiador de sua conducta ; a tratar no boc-
eo do Pocinho n. 7.
Casa
Aluga-se urna boa casa com bastantes commo-
dos para pequea familia, agua e gas, na roa
das Nympnas n. 26 ; a tratar na ra Conde da
Boa vista o. ISO, Ca'minho Novov.
Declaracao uecessaria
Rodrigo Camino & C. declaram que nada
devem ao espolio de Jos Luis Ft rreira Costa.
Recife, 13 de Junho de 1890.
Rodrigo Camino & Cv
O OLEO PURO
-DE-
RGADO de BACALEU
DE
LA2THAH & EM?
produz efleitos anlogos a os da
Emulso com Hypophosphites
dos meamos sonhores, no caso de
ser preferido o tractamonto nesta
forma para o curativo dos incom-
modoa
do Prito, a Garganta e os PulinCes.
Dous milagres
111 m. Sr. D. Carlos -Tomei o sea rs
medio o Elixir M. Moratove foi com
elle que pude sarar das boubas que soffria
ha muito tempo e que descorocoava por
nunca melhorar ; um meu viainho que
tambem soffre j largou de tudo que lhe
receitaram e est tomando o seu mesmo
remedio.
Agradecido pelo conselho e sou obriga-
dissimo.
Santos.
Albino Jos Couto.
Illm. Sr. D. Carlos. En e todos de
casa, faz muito tempo, que soflremos hu-
mores de boubas, com dieta sem resulta-
dos. Fizemos uso agora do Elixir M.
Morato, propagado por D. OarloB, e
sarmos completamente.
O remedio, alm de ser muito bom,
ainda tem bom gosto, pois as coi ancas
bebiam com facilidade, misturado com
agua.
Sap.
__________.^_____Firmino A guia
Aluja-
se
em Afogados urna casa terrea, multo limpa, com
bons commod >s para familia, na ra Direita,
junto a antiga estaco das diligencias ; a tratar
na ra estrella do Rosario n. 9, junto a igreja.
Ama
Precisa-sc de urna ama para cosinhar e com-
prar ; na ra Velba 137.
Ama
Precisase de urna boa cosinheira para casa
de pequea familia, que durma em casa dos
patrOes e sej 1 matriculada ; na ra de Fernan-
des Vieira n. 29.
Ama
Precisase de urna ama para cuidar de crian-
cas e que entenda alguma cousa de costura; no
taminho Novo, defronte da estacao.
Ama
Precisa-se de urna boa cosinheira; a tratar na
ra da Aurora n 85, (averna.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar ; na
travessa do Pires n. 5, Geriquity.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite ; na ra do
Cotovello n. 46.
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar e com-
prar, para casa de pequea familia ; na ra Di-
reita n. 64, 2- andar, trazendo a sua matricula.
Precisa-se de urna ama para comprar e cosi-
nhar ; no Caminbo Novo n. 99.
Ama
Precisa-se de urna ama de meia idade para
cosinhar, para casa de pouca familia ; na ra da
Palma n. 109,___________________________
Amas
Precisa =e de duas -amas, secdo urna para
cria rica e outra nara o servico domestico ; a tra-
tar no caes 22 de Novembro n. 24, armazem, oh
na ra Baro da Victoria n. 59, 1 andar.
> Caixeiro
Precisa-se de um menino ; na taverna & ra do
Lima n. 68. _________
Fogos Sortas
Para os festejos das noites de
Santo Antonio
S. JOO
s- 3PS3aDao
Grande e completo sortimento, caixas sor-
tidas e a retalho
Vende-sepor pre$Os commodos rua-da
IMPERA TRIZ N. 12, loja de ferragens
do SlU/t
Aluga-se
a casa n. 28 ra de S. Joo, com commod
bom quintul e cacimba.
dem ra Vidal de Negreiro3 n 47, bons com-
modos, bom quintal, e est limpa : a tratar na
ra das Lar.-.ngeiras n. 29, das 10 horas s 3 da
tarde.
Eng'mmadeira
Precisa-si- de ama engommadeira ; no Pago da
Patria n. 5, quinta cas?. ________"
Mass" para bolos
Pateo do Carmo n. 2
Garante-se a qualid ide por ser tratada a ca-
pricho, e por preco sem competencia ; venhaa
ver para crer.
Cosinheira e criado
Precisa se de urna boa cosinheira, para casa
de familia ; af sim como de um bom copeiro ; a
tratar na ra Marques de Olinda n. 54.
Para crianca
Grande quantidade de redes de cores para
criancas a 3J0O0.
Grande e variado sortimento de vestuarios de
Jersey para meninas e meninos de todas as ida
des para 64 e 11
So na loja do Povo
Ba 1- de Marco n. 11
<.
' t
_
i



-
-

>:



Diario de Peroambuoo-Quinta-feira 19 de JunBo de *890
GUERLAIN DE PARS
### PERFUMARA DE LZO, Roa de la Palz, iS *#*
IBTieOS 1 I0D1 ESPECI1LHENTB RECOMENDADOS
laaaertal trun, Alasaaraada, ilaanTarta, pera lenco. aaaieM. Sabio te toUeUa da __
(i aaaeaaa*aj^ai*ra(Mi arraw) para a barba. Croma de atoengoe a Crema da Pepinoa para dar a fraseara a o a
i colla. ttfflmia* cmtaiilaaaa fluida para dar rastro aoa oabeiloa a a barba. /
oldadoada caneca. Acua de
bocea.
aUJaaa, para o
LOJA DO POVO
11Ra i, de MarcoH
Com este- titulo acaba de se abrir, roa 1. de Marco n., 11 ama loja de tasen
das e seu proprietario convida o publico d'esta cidade e de lora a apreciar o sen
BELLO sortunento. Muitas de suas fazendas sao recebidas directamente.
GRANDE ItOVID ADE
Descont de 1(V em compras de 203000 para cima.
Granadino, pura seda, de 1(5800 a 800 rs. o covado.
Toile, para seda, de lfi^OO a 650 rs. o covado.
Las com Ultra, preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
Las com preparo de cachemira a 240 rs. o covado.
Chitas de 200, 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de coree luidas a 300 rs o covado.
Zephyr largo de 800 rs, a 320 ra. o covado.
dem idem a 200 rs. o covado.
dem idem a 160 ra. o covado.
Cortea, costumes de casemira inglesa, a 125000.
Ditos de casemira inglesa de 30500, 4G00. ,
Ditos de rusti para oollete de 600 rs. e 20400
Cheviot de 305'JU, a 20000 o covado.
Casemira cor de caf de 30000, a 10000 o covado.
Casacos de Jersey para senhora a 30000 e 60000.
Merino preto a 500, 700 e 10200 o covado.
Dito de cor a 400 rs. o covado.
Casinetas finas de 500 rs., a 360 rs. o covado.
Colchas de crochet de 80000 a 30500.
Cortinados lindos a 60000.
Bramante de 10 palmos a 10400, a vara.
Ver para crr s na
LOJA DOPOYO
I

ROPE DE PAGU
Depurativo e Regenerador do Sangue
Privilegiado pelo Governo de S. M. el Rei dltalia
X30 PBOFEaBOR
I1HEST0 F&ZiIAKO
b Munto Profeeaor JERONVMO PAOUANO, O
VKXDK-SK BXC'.USIVAMRNTR BW
aples, 4, Calata S. Maroo (Casa propna)
* CASA DE FLORENQA EST 8UPMMDA. 0 Sa/lr. EfHESTO PAGUANO posad*
toat i raceitao Bicriptas pela propria mo flo dafunto Proftstor JERONYtK PAULIANO.
mu to, oulroaim um documenta que o daiigna como nico euccettor : .
ERNESTO PAGUANO.
SepoaitM em Pmamm / TM~o.n- BE. a SILVA *. r.
F EM TODAS AS PRINCIPIS PHARMAC1AS DO Bratil
*******************************
->l
104
-.'
i
Cardoso & Irmao
Rita do Baro do Triumpho ns. iv. ^.
Recebsram novo aortime-ito de vapores dos acreditados fab-'cacf
lobinsn para tsabalhar com fogo de assentamento, moendas, taxbs, inmi
e todas as mais ferrageD p'-;- 4 agricultura.
VERMDEIRQS SRUSdeSUDE do DrFRANG
* LICENCIADOS PELA msPECTOHIA OKttXL DE HYGIENE DO IMPERIO DO BRAZU.
Aperiente, Eetomaehico, Prgatiw>e, Depurativo
;ontri a raltu de appetite, a obstruccio, a Enxaqueca, as VerOcems,
* as consreatiee, etc. Dose ordinaria : 4, 1 i 5 grao.
iS DesconOar as falsiflcacOcs Exigir o rotulo mnto Imprimido em rrancez
V cada u^ieA^tA'Srda?!. e 0 Selli -Tull dos Fabricantes.
5JJ3** atan VAXXZ, Pharmacia ITSOT.
MEDALBA DE HOlWt
0 OLEO CHETRIER
jtr- m lHuu f-mamTu*"!.
NOVIDADES
PREQOS BARATOS
Na ra do Crespo n. 2i
L0JADG4MP0S
Chitas setim de ramagem a 280 rs. o covado.
Linn com ramagem grauda a 400 rs. o dito.
Dito com barra e ramagem, um metro de largura, a 500 rs. o dito.
Etamines de cores, flores miudas e ramagem a 400 rs. o dito.
Crotones, novidades em cores e padrSes, a 86' rs. o dito.
Voile de 12, retiramos d'Alfandega o mais lindo sortimento de voile, em pa-
drSes e ao preco de 800 rs. o dito.
Merino assetinado do 12 com ramagem, a 500 rs. o dito.
Damassc d'algodo com preparo de seda a gosto de voile a 800 rs. o dito.
Assim como variedade de artigas, tu .o de phantasia e por precos que garanti-
mos sem competencia.
Na loja do Campos
RUADO CRESPN. 21
TEIDOR!
E' hoje a casa que vende mais barato!
^00,000 BeeatJ
caan li
FLUXOS, TOSSE, iNSOKir-
Crises nervosas
PSLO
XAROPE DO D,r FORGET
km todt, ai Phirmicis do Unirerto
Exija o ender9o
ao lado.
r 36
r^e Viv\etv<^
CHABLE
<00,000 DoenteS
cinta di
50N0RRHEA, FLORES BRANCAS^
PERDAS SEMINAES,
iDEBILIDADE.ESGOTAMENTO.etc.
I-ELO
, CURATO de FERRO CHAB1
Em todtt ti boa, Phtrmtciu
Exija-ae o endareoo
ao lado.
m
'.matn $s atsaacfe'a *t rijf/e de litptn da trun.
de SAMDAL0 GITRINi
^APSULA
9T*pmo*D akynon tUi alUozji oai-.va ap
^JLm &8TIA.S SBORET,
qyc attranioiai CapsuUu uttitmTiuxttnKr.tt; ? .- Um eeixa [ton lstmoi^ot coirrl-'. -'i. ?--;". -<--"i' ^. -*ra < esft Mliwaa.
MTABB, fOjra Se C; en t. IX, !. .-.-'.' ." .. (!, m LOHDIUS
FABRICA DE LIVROS DE ESCR1PTURACA0
INOADBRNAfAO MVTA9A0
m
DANOEL J. DE ffllRANDA
MMttJaUMI WM'itSiZ
Fazeoa?s de nvdade
Crep de algodSo a 240 rs. o covado.
Cambraia branca com salpicos a 4(5000.
Crep m&tisado a 440 o covado.
LS Amazonas a 400 rs. o dito.
La escosseza a 240 rs. o dito.
Voile a IS a 806 rs. o dito.
Linn de ramagem a 600 rs. o dito.
Zephyr com padrees de voile a 640 rs.
Cretone voile a 400 rs. o covado.
Chitas percales a 200 rs. o dito.
Cambraia Victoria a 2800 a peca
Gazes arrendadas a 440 rs. o covado.
Cachemira de listra, duas larguras, de
2)5000 por 10200 o dito.
Vestidos para crianca a 40000 um.
Baptistas finas a 260 rs. o covado.
Setim do JapSo a 240 rs. o dito.
Cortee de metim, em cartao, a 70000.
Cortes de zephyr, bordado, a 100000.
Cortes brincos bordados a 180000.
Casacos Jersey a 60000 um.
Popelina branca de reda.
Setins de cores a 800 rs. o covodo.
Brilhantina de listra a 600 rs. o dito.
Atoalhado pardo de linho com matizes
brancos a 30000 o metro. -
Mantilha de seda, creme e preto a 40500.
Capas, visites Pelerina e mantilhetes (ca-
chemira e seda).
Grinalda para noiva a 1O0COO e 120000
Toalha felpuda para rosto.
Luvas de seda a 20000 e 2,5500.
Palitots de seda pal ha.
Merm de duas larguras a 40000 o covado.
Ricas caixas para presente.
Corte de col le te de fustSo.
Bicos de cores e brancos.
Extractos e leos.
Suspensorios americanos
Variedades
Camisas allemSes a 360000 a duzia.
Cortinados bordados a 6d000 o par.
Ceroulas de bramante a 140000 a duaia.
Meias para hoinem a 30500, 40500, 50000,
6O0O e 70000 a duzia.
MadapolSo trancado a 90000 a peca-
Mirin preto de 800 rs. a 20000 o covado.
Fustao branco a 3-0 rs. o dito.
Leques transparentes a 20000.
Guarnilo de crochet com matizes a 70000
MadapolSo com nm metro de largura a
60500.
Cambas de flanella a a 40000 e 50000.
Bramante trancado de duas larguras a
500 rs. o metro.
Panno da Costa a 10200, 10400, 10600 a
10800 o covado.
Lencos, meio-Unho, & 20500 a duzia.
Lencos com barra a 10400 a dita.
Toalhas para banho a 10800 urna.
Esguiao pardo a 360 e 400 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos.
Baleias a 140 rs. a dnzia.
Colchas de c res a 20000, 30000, 40000,
50003 e 60000.
Colchas de damasco de IS.
Saludas de bailo a 10000 urna.
Ramos para peito e cabello a 20000.
EsguiSo de algodSo a 305 0 a peca.
Va sos para p de arroz a 10500.
Punhos e collarinhos de celuloide.
Abotoaduras americanas.
Palitot de alpaca preta.
Espartilbos a 5iS000 e 60000.
Baptiste de cores a 160 rs. o covado.
Renda hespanhola a 3$000 o metro.
Bordados e entremeios.
Eficovas e pentes.
Regatas e la eos.
Completo sortimento de cachemira
E OFFICINA DE ALFAIATE
20Ra 1. de Marco20
Amaral & C.

MARAVILHA CURATIVA
DO CLEBES
0r. Humphreys de Nova York.
A Verdadeira Maravilha do Seculo.
APPBOVADA LICENCIADA
pela Jaepectaria Geral de Hygiene da
* 39-*~KUA EDUQUE DII^-CAXIAS-*-39.
NUMERO TELEPHONICO 194

DIPLOMA DE HONA]
t aWlutncliiilri pelo Alcatro,
tmeo bluntice, o ou mu/la
ugm**t* a* proprleddi de
0 OlEO k FIGAD6
DE BACALAO FERHUCINOSO
if i ufl/ei praptncio qu ptrmittt
mdminiitrar o Ferro Mffi pn-
tiittlr Friso de Veatre. n*m
Incommodo.
HNBm pl m mu
ll.rui rni'-IontBimt, 11
UCSNI
E FERRUGINOSO]

p
BBCE1TADO POl TODA AS
Celeljrilades liedleas]
DA rilA>vA E DA L'ROPA
aai
MOLESTIAS DO PEITO,
FFECCES ESCflOfULOSUS
CHL0ROS1S.
ANEMIA, DEBILIOAOE,
TSICA pulmonar,
BflONCHITES, RACHIT1SM0
Vinho de Coca
CTOHIA DB HYGIKNE DO IMPKR10 DO BRAZIL.
1
O Peitoral de Cambar
Sempre foi, e ser o pi cipal remediogarantido-para as
molestias do larynge, hronchios e pulm5es.
A bronebite, asthma, mal do peito, ronquidSo, laryngite, coqe-
luche e qualquer toase, por mais grave e antiga que seja, curam se esm
o Peitoral de Cambar, medicamento approvado pela Junta Central de
Hygiene Publica, premiado com duas medalhas de ouro de 1.' classe e
rodeado de valiosos attestados mdicos e de innmeros de pes&oas cu-
radas. Exija-se a firma do autor.
J. Alvares de Sonsa Soares.

[GRAGEAS lJ.VLk.tA|INJECCA0
tntm* la farra, Hammam \\^mm\\\\*awmaamaamaa\aaaa\*BaO fffV
mmlr$M. Tarabawtblaa, aBBB^Ba^9aWBaaaBaanBBBaBl amatam
dtlUaUt POWTWl, forlo a Bfiaaairaa que obtireraaa a approvalo fe
i, maaammm (19K) qne aaVaaaraaa-aa aoa HoajUne. Cnrar* as molestia '
HM Mt>ld*M aaB ltl0ar a aloaoaaoa mala attoaM.
A UUatOQ&O i*ORTIN i aipr> recommenilaa osao aamsaaatwt
SADE PA
- .Vrjta.*
[ja*M"chaaueuiceis ^ para a gou c ii1.uou^.^l.*-..^- &0kStU-
dades de peitc nao e reconhece egual l
Pan m males de engarita, bronchites ratfriamentos e tosse. ^
fMlhoilk-ms JanMas e toda as molestias da pelle nao a* luiaaltaBr e r*-
ccotrahidos s jnneturas recias, ol>ra ooi^ irf encanto.
e no atbel~cKe*> do P.i*a*eoi 1lOLumM%
antea K3, Oxfara Street\ MKatM
Va IC a tW plaaWlaMCtM o un'.Vf'O.
Cia/e^an^aaereidbcepTldac- m'fcli y ; "->" *a\**o. it cada cakasFcaia* *
C3KSM, )(, Ol -d Street, alo I
la a>edcln*i9S ?rp
W SW 0XV0E1J
&OTELUA
ESTADO LffiPEniiiM
EM BENEFICIO DA
Saata Casa de Misericordia do Reoife
Imperio do Brazil.
A MaraTilha Curativa remedio \
para as Pasaduras, Machucaduras, Coat
cednraa, Cortaduras, ou Laceracoee. Allivia a dur.
estanca o sangue, faz parar a fnflammacaq reduz
a lncnac&o. tira o descoramenio, e fas sarar a erlda
como por encanto.
A MaravTllha CiralWa allvfo promptoe
cura rpida para Queimadurs?, Ecaldaduraa, o
Quelmaaura do bol, e superior a qual^uear ouixo
remedio.
dos Pulmoes. do Estomago, ou as Hpmorriv
aMniorrenascura sempre e nunca faina.
A Marav litan nara Dr de Denles, de Ourtdos, da Face. Incha^ao
da Fare e Nevralgla.
A MaravIIfcaCai-atl-rnorccwso prompto
redoso para Dores -neumticas Alejao,Doro
e as Juntas oa P?rnas.
rilhn Cratin o grande remedio
icla. Angina, AmyRaiasrocnadasou
3SFS6XFZC0S
P CELTOBE
Or. Humphreys de Nova York.
Em tino mala de 30 anuos, simples, seguros efn-
caa e baratos. A venda as Drogartas e Pnar-
maclas prncpaes e mais t^irajitldas o ilundo.
Ko. CURA
seguro, sempre efflcaz.
A Mararllha CaratlTB de multo ralot
como lnjeec&o para o Catarro, a Leueorrbea ou aa
Flores Brancas, e outros conimento debilitantes.
A BlaraTtlba Curativa lmpagavel para
curar Ulceras, Chagas antigs. Apostemas, Panaii-
clos, Callos, Frlelras. Joanetes e Tumores.
A MaraTllha Oarallva remedio prorapto
para Dlarrbea simples, e de Dlarrliea cnronlca.
A Maravilha Caratlva excellenw naa
Estrebarlas e Cavsllaricas, para Torceduras, Dores,
Plsadurase Eafoladta-aa ContasSes. LaceracOes, ftc.
Especialidafls do Sr. EvotfkKys.
Remedias Kpeclflco,
Ungento Haravlltioso.
Renados Sypfcllitloo-,
Remedios Vet crinarioe.
inas sobre as
grada, pede-
INTBGRAES
A 7.a parte da l.8 lotera deste Estado ser
extrahida impretervelm^nte sabbado 2Ido
corre rite.
Todos os pedidos de bilhe.tis desta lotera
devem ser dirigidos thesouraria ra larga
do Rosario n. 9 1. andar.
PELOS CONTRACTANTES
Bernardino Lopes Alhelro.
CMorose. A nemn Gatnv. i ro pulmonar, Bronchite cnronlca,
marro Ha ttexlga, Phtisice, Tosse caneaba, Dyspensia, Fatim
Paraos car'naes, Catharros antigs e complicados, er.
Cal yirgem de Jagna
rbe
Deposito no Caco ao Apollo n. 9S
Esta afamada cal, p-opria para o fabuco
de a8socar, cotitinaa-e a reoder pelo mes-
mo preco e abatimeoto do costume. No mes-
mo aroiazem veodem-ie todas as mais quali-
dades de cal de Jaguaribe branca e preta, em
^>6, assim como todos os maieriaes proprios
para construcceJ e reconstrucjes por precos
menores do que em outra qualquer parte.
Aluguel barato
Visconde d Pelotas n. 5
Pedro AffoDso, armazem n. 46.
Largo do mercado loja n. 17
Ra do Bom Jess V. andar n. 47
Ra Aguazinhas em Beberibe n. 7
Ra Coronel Suassuna N. 141, quar
Roa ItipUrt* n. 43 1.* andar.
Trateasa do <^rmo, loja n. 10.
Becco do Tambia n. SI.
A tratar 4 rea do Commercio n. 5, 1
nptorio de Silva Gnimartes & C.
arica
ATKINSON
PERFUMARA INGLEZA
KsceJe todas s ootras pelo no
perfume exquisito.
Afamada
AGA de mm de kW3M
laoomnravl pefo sen psrfnme e sua
tjooctntr.- >. ijeede todos oa pro-
doctos similares Tendido* sob o^mesino
aome.
Encentra u em Caf de todo* oa fftjo-
cl"te a FaDricintea
J. t C. ATKINSON
24, Od Bond Street. Londras
iCsrc de F..l-.c mi" R .br-i>;
tobra ama, J,yr at Ouro "
oom odareoo oa Louliavia.
Engommadeir e criada
Na ra Visconde de Gonnoa n. 107, precisa
se com urgen-ia de nm perita engommadeir e
de ama criada para serrico interno.
O Manual do Dr. Humphreys 144 pt
Enfermldade e mododecural-aasec
Be ao seu boticario ou a
HT7HFHBEYS' MEDICINK CO.,
109 Fultaa Strret, NEW YORK.
nico deposito para vendas em
grosso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C. ra de
Marqenz Olinda n. 23.
EXPOSITION J& MW1 HN
lliilli 0r1ffiCCrix.CkmIier
10 HU HMTUKWMinU
AGUA DIVINA
E.COUDRAY
MTa I8H ni MUOf
fRtmtaaaa pan 4 Meato. v>m mmim\!i
catUiitie a tbtn a maeaa,
a ataaerrando da peale a do ehoten msrkaa.
ARTIGCS RcCOMMENDADOS
PERFUMARA DE LACTEINA
laa < >i" ttttUttm li
OOrB CONCENTRADAS pan'
0U0COHE para a belleu do
4. Dlarrhea de Crlanc=3e Adultos
5. Ivsenterin, Drea te Barriga., Cccabulosa
6. Colerina, Colera-Morbo, vmitos .......
7. 'Vose, Constipngao. Rouiuidao, Hi-oncMtc
8. lor lio lenles e de Cara, o Kevralsla......
9. llar de Cnbeca, EnohaquP';a, Tcrd
"?. IHapepMa
11. CTipprcss
12. IieauW rica, Mores Brncu^. Keerojwofasa
13. Croup,ToFsi:H->uca.l''BeiilniuleacRcr::...-
14. Herpes, Eruixo<, tr.-it*-' ...........
>'. Sext-ts, UielJfc, FeiEi inteSlente.... :i...
n. UMr>;..-te.-, Abi'.omoas. Iaternui:
eziern-ik. su5o;rse;i sasEiSBau........
-. Opl.t -.:liiil.--, SL-.oa r.-acM ou !nflawTcaae.
:'J. f'iititrro, otj'Ioou ctironico, Defluxo........
30. taailn-hp,Tnojas:nodlca.............
21. ArJnn." lrncAo<*nnilco.ii.................
a. !Sa*|>iiri>>.icia8C' tos. tsurde ...........
a, KratnlaB, TsrhaeScs otnsoraa.............
21. Dci'Ulciate sort., oa i)hj>!ca..............
2.3. RT^rtpfsis >'':mu' 2. F.i-Jso ce lla .-'ausca. Vmitos......u_
Zl. Molestias ourinarias, Clculos ou Pedra
na^exisa..............................v;"
2. Iraputencla, Ueuldodc nervosa, awnBll .
29. fMinan'nhns na Bocea, ouApbta.........
Si. laentineaei 6 Caic

ESTES H7IG0S ACHAM-. IA FAMIfl
fftRis 13. m d'Eisflin. 13 tm
tu mm m Parfunuriai,
a ottt*** di Amarte*.
Excel lente morada
Aloga-se grande casa e sobrado do r. Aj
tGatna, na estrada de Joo de Barros, pertr
das estacOes da En ruzilhada, das ferrJ-vias de
Olinda e de Limoeiro, com immensas accommo
dagoes, jardins, arvores frnctifersB da melbo'
qualiJade e vasto terreno, quer para plantaces
qner para criaco ; a tratar no mesmo sitio.
"" PILULAS BLAIR
60TiEBEDHATISH0S
0 Qtltberrimo nmedi Ifithz B*r/
CrOta,Rheamatiamos,Sciatica,
Lumbago Nevralgla.
Aconteloa-ie a todas aa petsoai qno padeeerem
ai moleatias cima, recentas oa antujis, que
meni M PILULAS BLAIR CONTRA A GOTA
E OS RHEUMaTISMOS, por serem esUs pilalM
eonsiiieradas o remedio mais seguro e efflcas que
jamis foi apreasaUdo ao publico, atado apre-
|adas coto ptimo esilo ha ji largos anaos lauto
aa Europa como aa Amarica.
Estas Plalas, alias perleilamenl. inoffeosiTis,
nio eiif m dieta algasia. Vendidas em caixas
d 1A 000 e 1A St ni*. Acbaavaa esa easa dettoda
a* Pharmaceuticos ou Droguistas do muaJs eeteiro.
wiiadUriaMPTTiaTe . St llirlitherla. Mal ninllmo do Garanta.
35. Consest0esCfai'ouictts,D6rdeCabeca...
O Manual do Dr. Bumhreys. 141 i>a:dlias sobre
asrjifei-mldadejieonx' lori.'caraiba,edgrata,
p5e Se ao seu boticario o;i &
i!!;mphh.ey6' iiEicr:.E co.,
109 Falten Street, NEV." YORK.
nico deposit o para vendas em
groso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C.
__
Pede-se ao Sr. Francisc
de Souza Motta, ajudante de
guarda-mr da Alfandega
para vir ou mandar na do
Baraoda Victoria n. 50, loja.
liquidar aquelle n-gocio -que
S. S. nSo de ve ignorar, visto
nao saber-se o seu domicilio.
Bom einprego para
capital
Vende se o extenso armaz-m n. SI, no caes do
Apollo, ero fr-n'e da nova pone Buarque de
Macedoi com capac* ade para reeolber de 9 a
10,000 barricas de fcnoria de triso ou outra
mercadoria em proporg'i, e dous sobrados con-
tiguos com frente p;-a a ra Domingos Jos
Martins. no todo con?tituindo urna boa acquisi-
Cio : trala-secom Matbeus Austiu & C, ra do
Comroprc'o n. 48 .______________
OresteEstomago
DISPEPSIAS, GASTRALGIAS
A commiaaao notnoada pela Academia OB
Medicina de Pahiz, para eatadar oa ffeitoa do
CurSo da Belloc, verigaon o f acto de que a*
Dore de eatomago, Drapepaias, Gastralgia, Digw-
toea dificeia oa doloroaaa, Caimbraa, Aria,
Arroto, etc., deaapparecem depoia de alg^ins diw
de nao deato medicamento. De ordinario, o alliri
manifeata-ae deade aa primeirae daea ; o appatSt
volta e a constipacao de ventre, tao habitual neatM
moleatiaa, deaapperece. As propriedadee antisepS-
esa do Carrao de Belloc facem delle nm doa meioa
maia certoa e mais inoffenrivoe contra aa molestia!
infecdoaa, oomo a Dyaeoteria, a Diarrhe^ a CbB-
lerina, a Feare tjrphoidea. Emprega-ae o Carrfc
de Belloc quer para prereoir qner para eavat
atas Etoleatiaf.
Cada Fraaoo de P6a e cada caixa de Pastilhas
deTem levar a aasixnatnra e o ainete do D" Bella*,
Viada aa toaa aa Phannaciaa.
Frecisa-se
'c umeriado qn^fnlenda dn trabalho de sitio,
e del ontro para servico de orna casa, que dann
conhei-imento de sua conducta, podero tratar
na .ui Direitan SI.
---------------...................-----------
) centeio
Mello & Bisel tendo recetido no?a remesa de
farinba cnteio, avisa aog sene freguezes que
coDtinuam a fabricar este delicio?o po centeio
todas as tercas e sexus-feira? ; na ra larga do
Rosario u. 40.

w.
K i U..

igf


*t lilil \J \\J
I *J\J

m
\

i
I
I

I
Atlengo
; Vende se um piano novo coro c; pa e banco
(oto, rom fie Pleyel rna Duque .14, loja.
rn o me
. Tamaraca
i
Y'en Vende a* nm .-
.'os ojfSB P8B
terreno qBf
i boa, safte iras, coqueiro., s-ie que car-' superior 3ia.s?a de manlioca para bilos a i*CO0
i muilo, duas casas para mondia. um cha c kilj ; na imba do Carmo n. 10.
itt qoe Hca mesuo in.lt-; endent" da oulra cara, j ----------------
00 jardim, caramanchu, tluas curianas de Tavema
;-^'ua de beber; o chalet 6 col locad o no alto qoe *"
a vista oais linda dos bo.-ques, s serve Vender a (averna da ra- da Palma n. 71,
- quem be apreciar e n; para especular, Dtm afreguezada ; a tratar na mesn.
ter.eno propno; a tratar no mesmo sitio a qual-
quer bora, ou na caso de nio enantrar o dono,
deixe o nome e morada. At 9 boraa da majh \ Vende bo ou aluga se um bom cosmorama e
Cosmorama e realejo
..ari cora quem tratar.
realejo ; a tratar na roa do ogueira n. 30.
DO
BRjABLOS BETTBNCORT
JSLyPilSRLHiROB*
GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
Elixir anti-rheumatico, anti-srphiiitico e empregado em todas as molestias de
pelie, erysipella, darthros ou empigens, beri-beri, antbrazes ou carbuncul s, cancros
venreos, feridas cancerosas, ulceras, gonorrbeas chronicas, boubas, buboes, escrfu-
las e todas as doencas que dependem d* impureza do sangue.
gonero, o que est provado
Este remedio superior a todos os outros do seu
pela preferencia e acceitaclo que Ihe d o publico.
Um frasco 3^000, urna duzia 30#000.
Xaropo tte jaramacaru omposto
GRANDE; PEITRAL
Tratamento o curativo de todas as molestias do peito e da garganta, defluxo,
toases simples e convulsas, coqueluche, constipares, asthma, bronchite, catarrho
cli'onico e tisica pulmonar e do larynge.
E' o primeiro peitoral que se conhece at h<>je na medicina.
Um frasco 2|50d, urna duzia 4|000
VINHO TNICO
Com lacto-phospbato de cal e ferro, coca, cascas de laranjas amargas e quina.
O melhor remedio que se tem formulado pela combinacSo destes heroicos
medicSBmentos. Empregado no tratamento das molestias do peito, do estomago, ane-
mias, menstruales difficeis, debilidade geral, cores paludas e todas as vezes que se
quer fortificar o organismo e dar desen volvimento ao systema osseo e muscular.
ouvm as pessoas ou senhoras que criam para tornar o leite mais nutritivo e robus-
tecer as criancas. E-te remedio superior a todos os tnicos estrangeiros que se
r.rr.unciam por abi.
[Jm frasco 3#000, urna duzia 30#000
CAROBINA
a bhaxeqe FuaiPUAuaH ca sangue
O emprego da CAROBINA deve dirigir se a com ater as seguintes moleslias :
aa diversas formas das doencas chronicas, es desengaados, soffrimentos do tero,
affeccoes cancerosas, beri-beri, escrfulas, tumores brancos, ulceras chronicas, effec-
c3es venreas rebeldes, paralysias, molestias do coracSo, da garganta, rhumatismo
chronico e gottoso, molestias de pelle, assim como todas as enfermidades derivadas
da impureza do sangue.
Um frasco 3^000, urna duzia 30#000
INJECCYO BETTENCOURT
AHTI-B&KHOBBHASICA
Gura radical em seis dias
Empregada com ptimo resultado nes corrimentos agudos ou chronicos da
urethra ou vagina, leucorha ou flores brancas Este medicamento de urna g-ande
efficacia,
Um frasco 1#500, urna duzia J o#000.
TONFO FEBRFUGO E DESOBSTRENTE
Empregado na debilidade geral, doencas do estomago, convalescencas depois
do parto, febres palustres, molestias do figado e baco, falta de appetite, anemia, chlo-
rose, cures paludas ou falta de sangue e doencas nervosas.
E um reconstituinte de energa, aromtico e agradavel ao paladar.
Um frasco 3$, urna duzia 303000
nicos exportadores
COMPANHIA DE PRODUCTOS MEDONAES
31--RUA DOS 0URIYIS--31
RIO DE JANEIRO
Yendas em grosso e a retalho em Pernambuco
Francisco Manoel da Silva & C.
F0LHET1M
POR
PAULO HtK.llinOM
RIME1RA PARTE
A andorinha
(Continuaclo do n. 136)
X
Mil e filha
Laura espern crea de meia hora com
as tmporas a latejarem lhe, o coracao a
bater-lno desoompaasadamente.
Que lhe ira communicar frei Cyria-
co ?.'..
E se ti vera a ntuicao de entrar, nao se
ra por effeito de algnm mysterioso cha-
mado daquelle monge, que tinha alguma
cousa a dizer lhe ?...
Has o que ?..
Ah que angustia !... Que apprehen-
slo !...
Se a familia, o nome, a origem da sna
Souriquette adorada estiVesssm finalmente
descobertos, o seu dever, della Laura, nlo
seria tentar o impossivel para fazer com
que a pequea voltasse para a compa-
nhia dos seos e reivindicasse a sua fortu
ns ?...
Sempre a mesma cousa !...
Irte o dever!...
Nao era capaz de faltar ao seu de/er,
a valorosa, a excel lente creatura ; mas co-
mo seria entao desgranada !...
Mortalmente desgranada !
E grossas lagrimas rolavam-lhe pelo
rosto alvorotado durante aquellea longos
quartus de hora de espera.
Finalmente ouvio-se o ruido de um pas-
so leve, e no limiar appareceu o alto per-
fil do monge na sua batma escura com o
manto branco atirado de um lado, sobre o
hombro direito.
Era exactamente o homem que Roselin
lhe havia descripto, com o seu fino rosto
austero, a fronte vasta, o olhar ao mesmo
tempo escrutador e meigo.
Laura teve entao confianca.
O desgosto, pareca-lhe, nSo poda par-
tir daquelle homtm.
Man pai, comecou ella, ha alguna
annos, o senhor prometteu a meu marido
oceupar se de um negocio muito delicado,
e que nos falla muito de perto ao coracao.
Seu marido chama-s = ?.. pergun-
tou o monge com a sna bella voz lenta e
grave.
Roselin Vallauris.
O carmelita estremecen e olhou para
Laura mais atteutamente.
Foi em Agn, nao verdade ? per-
guntou elle.
Em Agn, sim, senhor. E tratava-
ae de saber por quem tinha sido confiada
a Clemencia Foulon a orphanzinha que
ella criara.
Recordo-me. A senhora tinha nessa
poca a intenco de recolher e adoptar a
crianc.
Como o fia, men pai.
E continua a tel a em sna compa-
nhia ?
Contino. Mais do qne nunca, ella
minha filha, e en adoro-a. Mas o men
dever procurar todava desvendar o mys
terio qne cerca o sen nascimenti.
5WC-0
25*000
34O0O
3*000
2*500
3*000
3*000
3*000
3*000
3*000
3*000
Vendem-se os seguln-
tes livros
Lourecco, ru-nance historie* por F.
Tavora, t vol. ene. 4*000
0 Matulo, dito dito, pelo Ifctesmo, 1
vol. ene. 4*000
Oj Cavalbeiros do Amor, romance em
4 vols. enes. 12*000
Ethos de ['.oma, pelo padre Guilher-
me.Diae, 1 vol. ene. 2*000
D.ccionario Biographico, por F. A. P."
Costa, i grosso volume ene. (0*000
Voos loaros, versos por U. Barrete, 1
vol ene. 3*000
Flores Floculantes, versos, ( vol. ene. 2*000
Voos e quedas, versos, i vol. ene. 2000
Guimaraes, poema, 1 vol. ene. 3*000
Sons que passam, versos por Tb. Ri-
beiro, i vol. ene. 3*000
Alberto Pimentel. Cantares, versos, i
vol. ene. 3*000
Julio de Castilbo -Livraria Classica,
Estudos Diugraphicos e tterarios,
3 vols. enes., finos 15*000
Castrioto Luzitano, historia entre o
Braiil e a Hollanda, 1 vol. ene.
fino
Bibliotbeca do Povo,|12 vols. enes.
Morte de D. Joao, romance, 1 vol.
ene.
Contos de Pedro Ivo, romance, i vol.
ene.
O abandonado por Julio Verne, i vol.
ene.
Processo Lerooge, romance hist-
rico, 1 vol. ene.
Gabriel Malagrida romance, 1 vol.
ene.
Neto do Agoitado, romance histrico,
1 vol. ene.
Viagem no dorso de urna baleia, i
vol. ene.
Cbiquinbo, Encyclopediada Infancia,
por G. Bruno, i vol. ecc.
Caricaturas em prosa, por Lniz An-
drade, 1 vol. ene.
0 Pastor e a ovelha, obra rara e es-
gotada pelo finado biepo D. Joao, I
v. ene
0 birajara, lenda, 1 vol. ene.
Arnaldo Gama- m motim ba cem an-
nos, i vol. ene., obra rara
0 Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene.
P. de KockJoSo, 2 vol. ene.
As mil e urna mulheres, 4 vols. enes.
0 re Candla, romance, i vol. ene.
Contos a Ninon, por Zola, 1 vol.
ene.
A caca de um baronato.l vol. ene.
Arraldo GamaO filho do Baldai, 1
vol. ene.
Os herdeiros de Caramurn, romance
histrico, 2 vols. ene., finos
A igreia e o Estado, por GanganelU,
4 vols. ene.
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes, tinos, com gravo-
ras 12*000
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro 2*000
Castello de Grasville, romance raro,
2 vol, ene. 3*000
Leonor, D'Ambolse, i vol, ene. r 1*000
As obras de Julio Verne, 42 vols,
enes. 30*000
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene. 3*000
Typos de cara dura, 1 vol, breen. 1*000
As viagens de Guliver, obra critica
e jocosa (rara,) 1 vol, brocb. 3*000
Vozes da historia pelo Padre Gui-
lherme Dias, 1 vol, brocb. 2*500
Um mysterio de familia por F. Tava-
ra, 1 vol, brocb. 2*000
(Jm casamento no arrabalde, 1 vol.
brocb. (mesmo autor) 2*000
Guarrigoes breve leitra sobre sci-
encia, 1 vol, ene. 3*C0O
0 matadouro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o Io. vol s. 1*500
Ponson do Terrail A heranga myste-
rioza o 2 vol s ene. 2*000
Repostas consisas e familiares por
Mr. .Segur, 1 vol, ene. 1*000
Carta sobre a Companhia da lenta}---------_
1 vul, brocb. 2*000
Miscelania Rr!igio pos (obra rara) 1 v. broc. 5*000
Ao cidadao Anicete, versos do Cigano
ao Dr Cbinez (raro) 1 v. broc J *500
Oraco fnebre do bispo D. Vital, 1 v.
broc. 2*000
Propaganda religiosa Cbristo e Papa em
prosa e verss 1 v broc. (raro) 2*000
Deseseis de Maio, puemeto, 1 v. broc.
(raro). 1*500
Fados da Historia de Pernamboco,
1 vol ene. 2*000
Bibliotbeca do povo,31 caderniohos
broc. 4*000
Um misterio de familia, por F. Tavora,
1 vol. broc.
No escriptorio deste Diario se dir quem ven-
de todas estas obras, e fas-se grande abati-
mento a quem comprar todas juntas
15*000
3*000
6*000
2*000
4*000
8*000
2*000
1*500
4*000
6*C00
10*000
WIISET
Boyal Blend marca YUDO
Este excellente Whisky Escoces pre
fervel ao cognac on agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Tlado
cojo nome e emblema slo registrados pan
todo Brasil.
BROWNS & C, agentes.
E' tuto bom, parabemj
de todos
Os abaixo assignadoa, tendo feito gran-1
de reducjSo de procos as fazeedas,
existentes em seu estabelecimento, con vi-
dam o respeitavel publico e especialmente
a aeus boas fregnenes, a certificaren! bo da
verdade que aqui fica dita e a aproveita-
rem a occasilo de supprir-se de roupas.
Perei a Magalhes
Recebe-- orea directos dos mer-
cad* s da Europa
Apresentanr o* seguktes artigos, sendo
, alguns anda do anno passado, razSo justa
para serem actualmente baratissimas.
i Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado.
dem trancado, superior, a 26) rs. o dito.
I Cortes de lustao para colete a 8i0 rs.
i dem de caseoetas a 1-5000 e 1.5200.1
para muito tempo, e por precos insignifi-
cantes.
Como sejam :
Voiles de 12 e algodao a 240 rs. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
800 rs. por 320 rs. o covado, sephyros de
cores diversas a 320. ra. o covado, baptis-
tas republicanas (inteira novidade) a 200
rs. o covado, las de cores a 200 rs. o
covado, setinetaa finas a 320 rs. o covado,
merinos de cores (12 pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o covado.
, Grande quantidade de chitas finas, com Espartilhos modernosa 40000,
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs. Percales claras e escuras a 240
covado.
dem de casimira inglesa de cores a 30 e
400" 0.
Algodao cr, marchetado para toaihas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para lences, a 40 e
50OLO a peca.
MadapolSo superior, com 24 jardas a 50
e 60010.
dem BSa-Viste, verdadeiro, a 50800.
Cortinados bordados de crochets a 120000.
Colchas dem a 70000 e 80000.
Urinaldas e veos para noivas a 80000.
o
Variado sortimento de voiles de 12,
fazenda muita fina de gostos lindissimos.
Crep da China, dem, dem, cambraiaB
da China, com palmas soltas, complete
novidade, voiles com salpicos, dem, idem.
Chites, chamalots, o qne ha de mais
exquisito em gosto, etemines lisas e ren-
dadas, cachemiras lavradas, pretes e de
cores, futtocs brencos, cretones pretos e
de cores lisos e com flores, baptistes de
cores, gostos delicados.
MadapolSo americano a 50000 a peca.
Metins, dem variado sortimento.
Espantoso sortimento de cretones para
cobertes e chambres, esgui2o de puro
linho, costumes de Jersey para meninos,
capas hespanholas, pura seda a 30000
urna, cortes de vestidos de todas as qua
lidades, fichus de 12, linho e prateados,
o que pode have-r de mais chic.
Grande sortimento de camisas' de linho
2*000 e flanella para homem, idem, idem de
punhos, collarinhos e gravatas e umitas
outras fazendas qne sera enfadonho men-
cionar e que tudo vendem sem reserva de
precos.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1. DE MARCO N. 1
Bernardiiio Campos & G.
R. DB DBUSINA & C.
Rna Mrquez de Olluda a. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phcenix de Dortmund
e do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposic,ao Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne-
mann&.C, S. Flix (Bafaia).
o covado.
Merines de cores, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toaihas nacionaes a 20500 a duzia.
Lencos em lindas caixinhas a 10800 e
20800 a dita. .
Meias inglezas e nacionaes a 20500 e
30000 a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 120000.
Cerotes berdadas de bramante a 120000 e
160000 a dnzia.
Guardanapos com franjaB a 108iXL&.dite.
Pannos de odres lindas para mei
o aovado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 29Q0.
Cretones para as mesmas, a 10000 o me-
tro ; o melhor. ^W*
dem mosaicos, idem, a 440 rs. dcWa-do.
Bramantes franceses a 10600 o dito.
Casemiras de cores, duas larguras, a
108CO o dito,
Cheviot azul, cor inalteravel, a 20400,
30500 e 40000.
Merines para luto desde 500 rs. a 10800,
duas larguras.
Sargelins de cores a 200 rs o covado.
Mantilhas e fichas a 10, 30000 e 50000.
Toaihas de labyrintho, riquissimas, a 250 e
300000.
Vendas em grosso tem o descont de
14 %.
59BA DUQUE DE CASIAS59
Vendem se duas easas
terreas
sitas na estrada do Malumbo. em Beberibe,
ttndo cada urna duas jan ellas e urna porta de
frente, 2 salas e & qnsrtos internos, cosinba e
i quarto fra, moro e porto na frente, todo em
bom estado, com sitio contendo algomas arvo-
res fructferas ; as casas estao alagadas e ren-
dem 30*000 mensaes ; a tratar na ra do Com-
mercio n. 32. das 10 s 3 horas da tarde.
Patacoes velhos
Compra-se na reloioaria David, rna do Canti-
ga n 14.
AMLEJ8S
Para frente de casas, banlTMros
corredores, acongaes, sendo de lindas
cosre, vendem-se por 60$000 o milbei-
ro, por er um saldo, a Fraca da In-
dependencia n. 40.
Arados de Cuba
Ns. 1 e 2
Vendem-se
Na Fund cao Geral
Engenho Santa Clara
Yende-se urna parte do engenho Santa Clara,
situado no termo de Ipojuca : qoem a quizer
comprar dirija-se ao eDgenho Genipapo. que
achara com quem tratar.
Cera
Vende se.na rna do Cabng n. 2, segundo a
qualidade, de 1* a 1*500 a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se na de 2* o descont de
30 0/0, e na de 1.a de 20 0/0. No mesmo esta-
belecimento tem machinas para costura e mesas
para as mesmas por 10* cadauma.
Vende-se
No interesse della ou no sen ?
Lanra, sempre tao calma, teve um raro
lampejo nos olhos, que immediatamente se
annuviaram.
Ah I meu Deus! ezclamou ella; no
meu, de certo que nSo!... Qoanto a mim,
nao almejo mais do que o olvido e o si-
lencio; que me peroiiitirao julgar-me mSi
della e conserval-a para todo o sempre,
sem temer que me venham arrebtala.
Entlo?...
Entao, meu pai, apezar dos meus
combates, das minhas angustias, do hor-
rivel despedacamento de todo o men ser
ao pensamento de que podero separar-me
de minha filha, vim sua prsenos, por-
que parecen me que era esse o men de-
ver.
Por seu turno, o monge teve um lam-
pejo no olhar.
Bem, minha senhora, nos nos enten-
deremos. Conforme prometti a sen mari-
do, procurei. Frei Theotonio, antes de
morrer, nao tria incumbido algnm dos
nossos irma >s de tratar do negocio que
tao de perto Ih -s falla ao ooraofto?... por
que era isso exactamente que qneriam sa
ber, que a senhora desoja saber agora,
n&o verdade ?
Laura, ciosa, achva-se suspensa dos
labios do religioso.
Sim, responden ella, exactamente
isso. E o senhor encontrn ?...
Julgo estar na pista.
Ella deixou escapar um grito.
Que sabe o senhor, men pai ? per
guntou ella anciosamente.
Pouca cousa. De algumas palanas
escapadas a frei Honorato, amigo e confi-
dente de frei Tneotonio. deprehendi que
elle tinha do incumbido por este de al-
guma misslo.
Concernente minha filha ?
Nlo sei o certo, mas elle informou-
se por varas veaes do fim qne tinha le-
nma boa machina de numerar e diversos cofres,
sendo um muito grande, e que foi da antiga tbe-
souraria das loteras ; a tratar na rna Mrquez
de Olinda n, 1, 1- andar.
vado Clemencia Foulon e onde morava
ella depois qne partir de Castelann d'Au-
aau.
Meu Dees balbuciou Laura cam-
baleando, nao ha duvida, frei Honorato sa-
be de alguma cousa.
Fazendo, porm, de sbito um esforco
e agarrando-se a toda a sua coragem :
Onde est frei Honorato ? pergunton
ella; poderei fallar lhe ?
NSo, senhora, responden o carmelita
com um lampejo de enternecimento, que
l-amenisava ainda mais as linhas t8o bene-
volentes do seu rosto de anachoreta. NSo,
nao pode fallar-lhe.
Por que? Entretanto preciso que
eu saiba o que diz respeito a Henrqueta.
E' preciso, no interesse da pobre pequea.
NSo passamos de gente pobre que talvez
alcance fortuna, forca de ordem, econo-
ma e trabalho, mas que nunca deixar
de ser operarios arranjados. Emquanto
que a familia della deve ser rica, sem du-
vida, nobre, vivendo n'um meio que nSo
ser nunca o nosso.
E ella era acaso mais feliz por isso?
NSo sei. NSo tenho a experiencia
dessas cousas. Pens, nSo obstante, que
a felicidade est onde se amado, onde
estSo os affectos profundos e eternos : o
marido e os filhos !...
E a mfii ?
E a mSi, sim respondeu Laura com
a voz sbitamente molhada de lagrimas.
Eent3o?...A' mSi incomparavel
que sua filha encontrou j no seu meio,
como a senhora diz, nSo poder ella juntar
mais Urde um marido e filhos que a tor-
nem feliz?
Assim o espero. Mas nem por isso
deixa de restar para mim um dever terri-
vel, qual o de procurar, apesar de tudo,
a ana verdadeirs familia, qnanto mais nio
seja para dizer-lhe : tEscolhe, v o que
queros fazer. E em todo o caso, para
Terreno
Vende-se por-barato preco um bom terreno
no lugar lrtnga (estrada nova do Casanga)
confronte a ettacao do mesmo nome da va fer
rea do Caxang, tendo 130 palmos de frente e
500 de fundo ; a tratar com a sua propietaria
em urna casa sita no mesmo terreno
Paraengenho
Vende-se urna roda de ferro, systema Lean-
dro, com 15 palmos de dimetro e 7 de largura
(qoe se pode estrear) com cabos e forro de
amarello, em perfeito estado, sarilho de ferro
com 20 palmos de comprimento e mais um
acresi'imo de sarilho com 10 palmos e pecas
para liear, gigante de ferro, qnatro rodetes an
guiares, tres de 4 pemos e nm de 8, urna moen
da de 36 pollegadas por 2i e nm rodete pe-pen
dicular de 8 palmos, tudo em bom es ado, e
vende se barato por se ter botado vapor ; quem
pretender dirija se ao escriptorio de Ribeiro de
Carvalho, ra eslreita dj Rosario n 19._______
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, ru
do Cabuga n. 11, avisam aos sens dietinctos fre
gnezes e ao respeitavel publico que receberan
nova reme8sa aeste especial vinho, o qual st
recommenda por ser puro da uva, e s se reta
Iba em seu armazem.
Joaquim ChrstovSo & C.
Telephone 447
me evitar o remorso de nSo ter tentado,
por ciume ou por egosmo maternal, tudo
quanto era humanamente possivel tentar.
Mas com que idsde est a crianca ?
Doze annos.
E' muito nova ainda para tomar por
si propria urna resolucSo.
Engana-se, meu pai; Henrqueta
urna excepcSo. Ella possue a razSo, acal-
ma e o criterio de urna mulher j feita, e
alm de tudo isso c dotada de extraordi-
naria intelligencia.
Manden a para algum pens'.onato,
sem duvida ?
A Sra. Vallauris corou.
Ainda nSo, respondeu, nSo pude se-
parar-me della.
Oh! nisso nSo reconheco a mulher
forte que a senhora parece ser. Como !
acredita que a crianca pertence a familia
altamente collocada, diz que ella possue
intelligencia notavel, e nSo lhe manda dar
urna educacSo esmerada ?...
Tem razSo, meu pai, amanhS, minha
filha entrar n'umtTos melhores collegios
de Pariz.
E levantara-se.
Agora que me conhece, meu pai,
disse eilla, permittir-me ha que eu falle
com frei Honorato ?
O monge sorrio.
Declarei-lhe j que nSo poda fallar-
lhe, replicn elle, nao porque a minba von-
tade a isso Be opponha, mas por que frei
Honorato est longe d'aqui.
Aonde ?
Na America do Sul, onde missiona
e propaga a nossa religiSo.
Meu Deus 1 E quando voltar ?
O religioso ergueu os olhos para o co.
NSo sei, responden elle, ninguem o
sabe. Mas talvez um dia ou outro oa nos-
sos superiores, de quem emanam as oi-
dens, se lembrem delle; participar Ihe-hei
ent2o para que a senhora o prjtfire
Florida
Acaba de redeber pelo ultimo vapor
que de maor novidade tem a populosa e
grande cidade de Pars, os mais importan-
tes artefitetos da ultima m&da.
Papel bordado com muita fantasa, propri>
para caitas.
Cromos d seda e de oleographia.
Caixas de msica com nn nivella para 1S.
2& e 8#0tO'.
Caixas de msica, com corda, fechada
com 1 a 3 arias para 7, 8, 9, 10
12(5, proprias para presentes.
Ricos enxovaes para baptisado a 70, 8jk
94, 100 e120000.
dem muito finos para 160 a 200 um.
TimSosinhos com sombra com fitas e b'eo
de c.-mbraia transparente a 30 e 30500.
Um grande sortimento de porta-trinca
para 500, 10 e 10500.
Grampos dourados e com peroles a 200 e
500 rs. um.
dem de celuloide e dourados a 200 e
300 rs. um.
Estojo para desenho de talagarca a 30000.
Bandeiras de 1S dos Estados-Unidos d
Brasil a 10500, 90000 e 40000, confor-
me o tamanho. -
Grande sortimento de bolsas de pellica e
de chagrn pera 2, 3, 4 e 60000, para
senhora e meninas.
Carteiras cem estojo a 3, 4 e 50000 e
10500 e 20000.
Grande eortiaenio *de bicos de algodSo 9
de seda, brancos e d cores.
Livros de sortes a 3G0 rs.
Albuns de pellucia e de chagrn, gosto
moderno, imitando um leque.
dem para cromos, poesias e msicas.
Espadinhaa para crianca.
Boleas de couro para cobranca.
Navalhas de Roger AmSo americanas el-
ctricas e de 2 laminas, e afiadores com
a massa propria para afilar.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 103
Farelo
superior do Rio da Prata a 1*800, dito do Rio
de Janeiro a i750. pesando 42 a 44 kilos ; ven-
dem Franco & C, no pateo da Pecha n. 8.
Vende-se
a (averna da ra da Palma n. 4, propria para
principiante e bem afreguezada, o motivo da
venda somente porque o dono tem outro nego-
cio ; a tratar na roa da Concordia n. 87, pa-
daria.________________
Bawim
tomas,
Engenho
Vende-se urna parte ou a meia acgSo de nm
engenho moente e corren te a agua, qiatro
egoas da estaco de Palmares, com capacidade
para safrejar mais de 2,000 pes, podenio o
mesmo comprador arrendal-o ; a tratar na roa
Mrquez do Henal n. 144.
Superior vinho de Al-
cobaya
O acreditado e autigo armazem do Lim pir-
ticipa ao publico e aos seus freguezes qne acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamenle pelo chefe desta
casa, tornando se recommendado por ser puro e
de boa qualidade.
Jos ternandes Lima & C, rna Barao da Vic-
toria n. 9
Telephone 323
ente
Vende se um sitio arborisado e com boa casa
de morada, na estrada do G qui ; trata-se na
m do Imperador n. 61, 1- andar.
Na ponta!
Slilho do Maranhao.
Arroz de casca.
Fareilo, saceos de 4s kilo?.
Alfafa nova.
Aveia nova.
Vendem a precos sem competencia
Guim:-.raes Yalente
6 CORPO SANTO 6
Taverna
Vende-se a acreditada taverna tita praca da
Concordia n. 1, por seu dono se achar doente e
ter de retirar se para fra ; a tratar na rna de
Pedro Alfonso n. 70
Especial manteiga ingleza
flor
Em barril, vende-se o que ba de melhor seste
genero, no
Armazem do Lima
9 Ru Barao da Victoria- 9
Telephone323
E at l, permute-me que ven ha fal-
lar ao senhor ?
Pego Ihi at que o faca. E tudo
quanto estiver ao meu alcance, farei pela
senhora.
Laura voltou para casa aseas preoecu-
da.
Pelo lado da crianca estava tranquilla,
e a sua quietitude maternal nSo seria per-
turbada por espaco de largos annos, pelo
menos.
Quanto ao presente, porm, a cousa mu-
da va de figura. .
Era-lhe forcoso separar-se de Henrque-
ta para mettel-a n'um collegio como pen-
sionista ; frei Cyriaco tinha razio...
Mauricio estavi. j no lycu.
Por que nSo fizera o mesmo com Hen-
rqueta ?
Porque scostumara-se a tel a sempre de-
baixo dos olhos, quer em casa, quer na
cfficinas, onde a crianca se fazia til, co-
mecando a substituil a, a tornar-se vigi-
lante de primeira ordem, quasi ama con-
tra mestra.
E, cima de tudo, porque a adorada
pequea, Uto affeotuosa, tao carinhosa, t3o
desvelada, pareca tanto faser parte do sen
eu, que se afigurava a Lanra que lhe rou-
bariam metade da sua vida, se a afastas-
sem della, mesmo para as ausencias esco-
lares que todas as mlis, entretanto, sof-
frem e supportam.
Porm para ella devia vencer a sua fra-
^ueza, no interesse da crianca, conforme-
lhe dissera o carmelita.
A' medida que aprofnndava a cousa,
Laura achara essa dever penoso.
Resisti ao desgosto.
Qoe valia elle diant do outro ? E, en-
tretanto, quando entrara no convento da
ra Vaugirard, estava perfeitamente dia-
posta a cumprir o penosissimo dever...
(Continuar-M-k)
postea
o l>*arto, Ra Duque de Canasto. U
r
: 1
5,
t
---
s


--
^:
I
M
u
I I
i,
* '9
>
I
m!


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3UAFGXPR_SLCSWQ INGEST_TIME 2014-05-22T01:00:59Z PACKAGE AA00011611_17006
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES