Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17000


This item is only available as the following downloads:


Full Text
IbW
"
J
t
)
I
'
DIARIO DE PERNAMB
Propriedade de Manoel Figueira de Faria dto Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres meses adiantado. .
Por seis ditos idem.
Por um anuo idem. .* .
Cada numero avulso, do mcsmo dia.
6)5000
12,5000
23O000
0100
Os Srs. Amede Prince & C.
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios e publica-
res na Franca e Inglaterra.
PARA DENTRO F0RA DO ESTADO
Por seis mezea adantados. 134500
Por nove ditos idem...... 20)5000
Por um anno idem...... 26)5000
Cada numero avulso, de dias anteriores. 5100
TELEGRAMAS
SfiftgO rASTIHLAB SO SIASZC
RIO DE JANEIRO, 10 de Junho, s 8
horas da noite.
No paquete Magdalena chegou hoje o
Dr. Joaquim Pernambuco, que fbi recebi-
do pelo cidadSo Quintino Bocayuva, mi-
nistro das relaces exteriores, e por gran-
de numero de amigos e correligionarios,
que foram esperal-o eom msica.
Em S. Chhstovao, onde reside esse fes-
tejado demociata, foi-lhe eita enthusiasti-
ca manifestacao.
RIO DE JANEIRO, 11 de Junho, s 3
horas e 30 mi ..utos da tarde.
Foram nomeados juiz es de direitopara o
Estado do Cear:
Da comarca de Palmas, o hachare 1 Al-
varo Gu-gel de Alencar;
Da comarca de Araripe, o bacharel
Francisco Cordeiro da Rocha Campello.
Foi removido da comarca de Jero-
menha, no Estado do Piauhy, para a de
Aracaty, no Estado do Cear, o juiz de
direito bacharel Ant nio Saboia di S
Leitlo.
Foi nomjado praticaate da Atfande-
ga do Estado de Pernambuco, Cleodon
Chaves.
:ssn;: sa as-ski. uvas
LISBOA, 11 de Junho.
Foi aberta a circ alacio do caminho de
ferro metropolitano em tunnel desde a
Avenida da Liberdade at Jampolida.
A. Avenida ficar sendo estaba > para
passageiros (central) de toda a rede do
caminimde ferro.
BEBLTM, 11 de Junho.
S. M. a Imperatriz da Allemanha acha-
se seriamente incommodada de sarampo ;
todava seu estado nao inspira serias in
qnietacoes
Agencia HavaB, filial em Pernambuco,
11 de Junho de 1890.
INSTRCClO POPULAR
A BABITA2ILIBABE JOS ASTSQS
POB
( Continu ac. So )
CAPITULO V
que o liomem 1-Sua Importan-
cia na (erra
II
Com essa chispa do fogo sagrado dos deuses,
qu; lbe illuuina a inteligencia, sulca o horadar
03 procelosos mares, aplana as accidentadas
nonianbas, fertilisa os mais ridos campos, a
dirige o extraviado curso do3 rio3, utilisando
sua caudal em differeotes industrias.
O bomem, qual outra Providencia, cuida-
do alimento conservacao de loHoitos seres,
dos quaes se aprveita logo nos seus vestidos,
as snas manufacturas, e no sustento proprio
Elle detem a furia insana da scenlelba elctri-
ca, e condul-a, como pela mi, ao fosso, onde
tica sepultada para sempre.
0 bomem, pontaletaodo receptculos mmen-
sos de agitadas ondas, coostroe por bano do seu
entumecido seio um caminho subterrneo pelo
qual. condusido em veloz locomotora, transita
ousadamente. Elle, perfurando as mai8 gigan-
teas coroilbeiras, atravessa, indemne, por entre
o seo rasgado seio ; elle, emnra, penetra na3 en
tranhas da trra, a grandes profundidades, para
ihe arrancar os seos escondidos thesouros.
O homem ntsce triste e desvalido ; mas a sua
debilidade apparente ; ante elle hutmlha a sua
ferocidade o voraz crocodilo e o indmito cha-
cal- .
Quando Ihe apraz, prende a seas ps as aves,
que se escondem entre as nuvens : aprisiona o
peixinho, que se desusa rapid-mente entre os
crystaes das ondas, ou submette com o frreo
farpio o monstruoso cetceo, nos gelados mares
do polo.
O homem descobrio a electricidade, o magne-
tismo e o vapor, tres poderosos motores, com os
quaes pode commover e transtornar em um dia
a face do mundo; inventou a plvora, que, com-
quanto dizime e extermine a humanldade, Ih^
causa infinitos beneficios as snas applicagoea a
industria e s artes.
farte ornciAL
Acto* do poder executivo
(Dlamrnifl do* Crrelo da Bepu
bliea do* Miado* luido* do Bra
II approvado pelo deerelo n.
A de 1 de Malo de I
(Coutinoagic)
CAPITDIiO VI
Propriedade da correspondencias pottaet
Art. 78. Para retirar se de nma repartico pos-
tal qualquer oflicio ou maco oficial netessa ra
> requisicao por escripto da competente autori-
ade; e, si (or carta, requisicao assignada pelo
^metiente, descreyendo o endereco da carta e
declarando assumir a responsabilidsde que pro-
vir possa da abertura delta.
!. Quando a reclara agao referir 3e a cartas
registradas, ser necessano collar se requisi-
cao o respectivo certificado.
2 Aberta a carta pelo empregado ou agente
na presenca do reclamante e verificada a identi-
dade das assignaturas, ser ella entregue, me
diante recibo passado na requisicao.
3. Quando u carta tiver no sobrescripto um
carimbo, marca oa deslgnacao por onde 83 co-
nheca ao certo que ella pertence ao reclamante.
ser dispensada a abertura de que trata o 2",
com Unto que na requisicao esteja reproduzido,
por modo perfeitamente igual, o carimbo, marca
ou designacao.
4." Quando a assignatura da carta nSo for
igu il da requisicao, sera a carta oovamente fe-
chada e lacrada com o sinete da reparticao pos-
tal, escrevendo se na parte posterior do sobre-
scripto a seguinte dejlaraco :Aberta a pedido
do Sr. F... que declaran ser o signatario desta
carta.
Art. 79. S poden ser reclamados os macos
de manuscripts, de impressos e de amostras
que tiverem dectaraco do nom; do remllente.
1. Para poderem ser retirados esses obje
dos necessario, que o remetiente fija requi-
sicao por escripto, na qual declare o endereco e
contedo do mago ou magos; que sua identida
de seja coabeciaa, e que elle passe recibo.
2. Quando se tratar de macos registrados,
dever o remetiente collar requi-icao o respe-
ctivo cenificado.
Art. 80. O prazo para reclamar corresponden
cas ser at duus horas antes da partida das
malas.
Art. 81. Os sellos aflixados as corresponden
cias re 'lanadas pelos remetientes serio sempre
obliterados.
Art. 82. Depois das correspondencias serem
expedidas, s poier o remetiente "reclamar a
suspeoso da entrega dos objectos registrados,
e nasseguintes condicOes : 1', fazendo a requi-
sicao por escripto e declarando que assome a
responsabilidade completa pelas consequencias
da suspensio da entrega; 4a, apreseotando o
certificado do registro ; 3*, justificando a identi-
dade de pessoa ; 4a, satisfazendo antecipada-
menle a importancia do despacho lelegrapbico,
pelo qual a requisicao for traosmittida repar-
ticao deslinataria, quando honver de recorrer se
a esse meio, ou a taxa delim objecto registrado,
si a requisicao for por via postal.
nico. A reclamacao de que trata este artigo
s podera ser apresenlada na reparticao em que
as correspondencias tiverem sido registradas.
CAPITULO VIII
Refugos
Art. 83. 03 objectos que, por qualquer moti
vo, nao devam ser expedidos, ou que depois das
possiveis diligencias nao possam ser distribui-
dos, considerara se cahido3 em refugo.;
nico. Nao ha refagos officiaes; porque de-
vero ser devolvidos sem demura a respectiva
repai ligio ou autoridade, com urna nota declara
tona do uiu.no da devolucio, os oilicios e ma-
cos que nao puderem ser distribuidos.
Art. 84. No principio de cada trimestre as
agencias remelierao, no Estado do Rio de Janei
ro directora geral, e nos outros Estados as
respectivas adraiuistragoes, os objectos, ordina
rios e registrados, que houverem cabido em re-
fago ; e ahi taes objectos serio Bujeitos ao exa-
me de em prega les para este tira designados
1. Serao devolvidos logo aos remetientes os
objectos em cujoa sobrescriptos ou cintas houver
qualquer indicaco por onde possam ser coobe
cidos.
2." Qualquer refugo reclamado pode reexpe
dir-se repartigio postal d'onde foi devolvido.
Art. 83. N03 ltimos das de Junho e Deiera-
bro, oa ditectoria e administraces, em presen-
ca de urna commisso nomeada pelo director ge-
ral ou pelos administradores, os refugos do se-
mestre anterior sern tratados do seguinte
modo :
!. Os Jocnmi, asm como as amostras e pe-
quenas eucommendas que tiverem valor, apar-
tar se-hSo para ser vendidos, e as amostras e
pequeas eucommendas sem valor venal serao
inutilisadas.
i.' Dos impressos e manuscripts ciotados
apartar-se bao os qae tiverem importancia para
serem archivados durante dons aonos, e os ou
tros serao autilisados.
3." As cartas e cartas bilhetes serao abertas
sem serem lidas, inutilisando se as que nao con-
tiverem valores ou documentos.
4. Os blindes postaes serio tambem iuuti
lisados.
i. Si no acto da abertura de ama carta ou
cartabllhete cahidaem refugo encontrar se den
tro della documento ou objecto de valor, ser
fe:nada outra \t, tomando ?e nota do nome do
remllente, afim de ser convidado a recebel a,
mediante recibo.
2 Das operaces por que passar a corres-
pondencia calhida em refugo, lavra- se ha termo,
do qual as admiaistraces remetterao copia Di
rectora Geral.
Art. 86. Pertencero ao Estado as impressos e
manuscripts importantes, assim como *>s valo
aes encontrados em carias de refago, que forem
reclamados no prazo de dous annos.
CAPITULO II
Ponatidadei
Art. 87. Aquelle que, s m autorisajio, tiver
eposito de cartas para distribuir ou expedir,
incorrerA na multa de 100*000.
1." Fica sujeiio a mesma penalidade quem
conduzir cartas para onde houver servico posial
2. A mulla ser dobrada, si o infractor fr
mestie, capitao ou commandaate de navio, em-
pregado em estrada de ierro oa oceupado no
transporte de malas do correio.
Art. 88. Fica sujeilo multa de HK'J o mestre,
capio ou commandante que nao fr ou mandar
Duscar ao correio as malas que Ihe devam ser
entregues ; assim como os donos, agentes oa
consignatarios de navios de vela ou vap r que
nao rizeram a participaco de que trata o Io do
art. 63. .
Art. 89. O mestre, capitao ou commandante
que, chegando ao porto do destino ou de escala
do navio, nao entr> gar a mala ou malas que Ihe
tiverem sido confiadas, incorrer na malta de
200*000.
g 1." IncorrerSo nesta mesma multa os com-
mandantes, capuSes, mestres, tripulantes, e pas-
sageiros de paquet s ou navios" de vela ou de
vapor, nacionaes ou estrangeiro?, que nao entre-
garen} logo no correio oa a tordo, si houver ah
quem represente o correio, a correspondencia
avulsa que tnuxerem, embora regularmente fran
qu>ada ;
g 2. 0J donos, agentes ou consignatarios dos
navios serio responsaveis por Ijdas as infracjas
ou irregularidades commetdas no servico pos
tal, pelos mestres* capitaes e commandantes.
Art. 90. Quem, para conseguir as vantagens
ccneediJas i. correspondencia official, usar de
endereco simulado, st iltribuir ao destinata-
rio oa ao remetiente funecoes publicas que ne-
abum delles exerca, incorrer n. multa de 1U0#.
Art 91. As autoridades ou oj funccionarios
quo se valerem da correspondencia official para
servtrem a interesses particulares, i'acorrerio na
multa ce 20 00.
Art. 92 Deixara* de gozar do direito de rece-
ber as correspondencias em soas casas as pes-
coas que, na occasiao de recebel-as, maltrata-
em os carteiros com actos ou palavras; e aquel-
as que maltratarem os era pregados na reparli-
Icio pagario a mult i de 30*000.
Art. 93. Aquelle qua, por qualquer forma, em
baracar o gyro das malas oa a transmissio das
correspondencias e sua entiega, incorrer na
multa de 5O0J0O0.
Art 94. Aquelle que, para franquear as cor-
respondencias. U3ar de sellos servido?, pagar a
multa de 25*000.
Art. 93. Aquelle que, sem autorisago, vender
babitaalmente sellos, perder os apprebendidcs
e pagar o dobro do vrlor dilles.
An. 96, Aquelle que, autorisado a vender sel-
los, effectuar a vea<(a por precos superiores aos
fixados. incorrer na multa de 25*000.
Art. 97. O destinatario ou remetiente de carta,
de paco'.e ou qualquer rcmessa ordinaria ou sim-
plesmente regstrala, que cootenha arligos de
ouro ou prata. m teda?, joias, objectos preciosos
oa sajeilos a direitos de alfandega, pagar a mu
ta de 25 % dos valores encentrados.
Art. 98. Incorrer na mesma multa do artigo
antecedente o destinatario ou o remetiente de
carta ou qualquer remessa, ordinaria*ou sim-
plesmente registrada, contendo papel moeda,
bilbetes de loteria, ttulos oa valores ao portador.
Art. 99. As reincidencias as infraeces espe-
cificadas oeste capitulo dario lagar ao dobro da
malta respectiva.
Art. 100. As maltas impostas tornarse bao ef-
fectivas. independentemente das penas crimi
naes em que o infrac or possa iocorrer.
Art. 101. O processo para tornar effeclivas es*-
sas maltas c o das causas ejecutivas perante o
Jaizo dos Feitos da Fazenda e, quando os mal-
lados nio teobam raeios para satisfazer a malta,
ser esta substituida por prisao, na forma do
Cdigo.
Art. 102. Da importancia das multas metade
pertcncer ao apprenhesor oa informante.
(ConttnaJ
Thesouro do Estado de
Pernambuco
DESPACbOS DO DIA 11 DE JUNHO DE
asgo
Antonio Jos de Azevedo, bacharel Manoel Go-
mes Viegas e los Antoaio Ferreira Porto.Haja
vista q.ttC' procarador fiscal.
Manoel.Gmes da Cruz Villarim, Fi^lden Bro-
thers, Francisco Torquato Paes Brrelo, Josa
Theotonio Pereira de Carvalbo, Jos Nediciano
de Mello, Pedro Bezerra Cavalcanle Maciel e Se-
|-verino Jos de Brito.Informe o Dr. contador.
Portarlas de licencas de Joaquim Menna da
Rosa Viries c Irineu Henfique Cardim.-^Regis-
tre se e facam se as devidas notas.
Bemveouto de Queiroz -Amaral e Manoel do
Carmo Nascimento.Registre-se e facam se as
devidas notas.
feo re rao do Estado de Pe mam
buco .
DESPACH08 DO DIA 10 DE JNHO
DE 1890
Aufosto Goncalves da Silva.Nao ha que de-
ferir..
Aleixo Rodrigues de Moura.D se.
Antonio Fernandes de Albuquerque. -Diferi-
do, com officio de boje ao cidadao inspector do
Thesouro do Estado.
Antonio Alexandrino dos Passos Baptista.
Informe o inspector geral dainstracco publica.
Abaixo assignados, pas de familia de Jatob
do Brejo.Inform, o inspector geral da instruc-
co publica.
Antonio Olympio Lobo Bacalho. De accorao
com a informacao n. 406 de 3 do correntv, do
inspector do Thesouro :do Estado, seja o pre-
sente requerimento remettido ao mesmo inspe-
ctor para mandar fazer a restituicao de qar se
trata, ama vez apresentado pelo peticionario o
titulo de nom-afio.
Antonio Augusto d Oliveira.Informe o Df.
juiz de direito da comarca de Jaboatio.
Antonio Soares de Novaes Mello Avellins.
Sim, com os vencimentos a que tiver direito.
Ernesto da Silva Miranda.Remetlido ao com-
mandante superior da gmr Ja nacional da co-
marca do Cabo para mandar passar a guia, de
que trata o art. 45 do Decr. n. 1,130, de 12 de
Marco de 1833.
Franc- lina Forjaz de Lace-da.la forme o ins-
pector geral da nstruccio publica.
Francisco Jos de Limi.Venha por interme-
dio do commandante das armas.
Fi"ld n Brothers.Resolvido nos termos do
officio dirigido hoje ao inspector do Thesouro do
Estado. J
Francisco Tavares da Silva Cavalcante.Inde-
fenao, vista do art. 10 ,'do decreto orcameeta-
rio vigente, e providencie-se atim do peticio
nario nio continuar a cobrar os pedagios das
barreiras de que se trata.
Henrique Florentino da Silva Santiago.De-
ferido com officio desta data ao inspector do
Thesouro do Estado.
Ismeoia Genuina Dias.Informe o inspector
do Thesouro do Estado.
Joo Le poldo Montenegro da Caoba.Infor-
me o inspector da Thesouraria de Fazenda.
Jo Elysio dos Res. -Indeferido, em vista do
telegramma de hontem datado do ministerio da
justica.
Joo Manoel Fontes.-Iaforme o inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Jos Marques Bacalho.Compareca na secre-
t ria deste governo para receber a guia, me
diante recibo.
JosFulippe Gomes.Informe o inspector da
Thesouraria ae Fazenda.
Joio Jjs Pereira. -Informe o inspector geral
da iastrucco publica.
los Joaquim de Azevedo.Encaminhe se,
devendo o peticionario pa^ar o parte no correio.
Alferes Joo Jorge de Campos.Informe o
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Joo Goncalves dos Santos Jnior.Informe o
Dr. juiz de direito do districto criminal da
comarca do Recife.
Lui Duprat.Sim.
Manoel Gabino da Silva.Deferido, com ora-
do desta data ao inspector do Thesouro do Es
tado,
Manoel Peixot'j Pinto.Informe o inspector do
Thesouro do Estado.
Olympio Je Hollanda Chacn.Informe o
Dr. juiz de direito dos casamentos.
Rodrigo Carvalho C D se o que constar.
Sociedade nio Benelicente dos Machinisias.
Informe o capilo do porto.
Secretaria o Governo do Estado de Per-
nambuco, 11 de Junho de 390.
O porteiro,
H. M. da Suva.
Reparticao da Polica
2.* seccao.N. 129.Secretaria de Po-
lica do Estado de Pernambuco, 11 de
Junho de 189U.
CidadSo GovernadorParticipo-vos que
foram hontem recolhidos 'Jasa de DetencSo
os individuos de nomes Sebastio Pacheco da
Cmara, Joo Baptista do Nascimento, Martinho
Francisco d-i Slaria, Andreza Maria da Conceigio
An>berto Pereira do Nascimenio.
Communicou me o delegado do termo de Al
tinlio, que no dia 29 do mez rinde e no logar Gua
rita, o individuo de nome Manoel de tal, condecido
por Manoel Flor, foi victima de um tiro dispara
ao de emboscada e que o ferio gravemente.
A tal respeito procedeu se nos termos do n-
querito policial.
No lia 31 do mesmo mez, s 10 horas
da noite, em trras do engenho baca do termo
de Sennhiem, o innviduo de nome Antonio Se
bastio ae Menezes, assassinffi com nma facada
a Francisco Alves. [
Coolra o delin jaente que foi preso em flagran
e, proceden-se na forma da lei.
No dia 1 do correte apresentou-se volun-
tariamente ao Dr. jaiz municipal do termo de
Tacarat e foi recomido a cadeia, o reo Casimiro
Jos da Silva, pronunciado no art. 201 do Cdigo
Criminal.
Pelo subdelegado do districto do Sertaosi-
nho do termo de Palmares, foram remettidas a
esta reparticao 60 armas defesas tomadas a di-
versos desordeiros.
Entraram em exercicio as autoridades poli
ciaes seguintes:
Joio Gailherme de Azevtdo Lyra, delegado do
termo de Al ti abo.
Coronel Antonio Candido de Oliveira, delegado
do termo de Limoeiro.
Alferes Demetrio Hermillo da Costa, subdele
gado do l.s districto de Timbauba.
Sade e fraternidadeAo cidadSo Dr.
Albino Goncalves Meira de Vasconcellos,
governador do Estado.O delegado en car
regado do expediente, Francisco Xavier
Quede* Pereira.
+-*
Recebedoria do Estado de Per-
nambuco
DESPACHOS DO DIA 11 DE JUNHO DE
1890
Guimaries Cardse & C, Vicente Licinio da
Costa Campello, Luiza Mathilde de Farjas e
Elya, Leopoldina Lopes do Nascimento e seus
filhos.Informe a 1" seccio.
Vicente Licinio da Costa Campello.Certili
que se.
Aolooio Ignacio do Reg Medeiros.Junte
conbecimeoto de quitaco do imposto, com re
ferencia ao Io semestre do correle exercicio.
Iaspectoria -eral da nstruccio
Publica do Estado de Pernam
buco.
DESPACHOS DO DIA 9 DE JDKHO
DE 1890
Augusto Elysio Ucba. Gumpra-Se e regis-
tre-se. .. .
Francisco Sizenando de Souza Ribeiro.Como
requer.
NORTE DO BRAZIL
O paquete naciooal Espirito Santo, hontem
chegado do norte, trouxe as seguiotes noticias :
Estado do Amazona*
Datas at 28 de Maio :
Com o latuito de estudar os meios praticos de
crear ama diocese no Amazona, resolveram
alguns sacerdotes de Manaos conferenciar com
diverses cidados; pelo que, no dia 18, no Semi-
uario de S. Jos reuniram se, alm dos sacerdo-
tes, os Srs. Dr. Jos Cardoso da Cuoha. Dr. An
selmo de Figueiredo Santiago, Dr. Julio Mario
da Serra Freir, commendador Francisco Joa-
quim de Amorim, major Mauoel Ferreira dos
Anjos, tenente-coronel Menandro Leandro Mon-
teiro Tapajs.
Foram unnimes em con;iderar de alto airan
ce e do maior ioteresae social a cresgo do his-
pido, e depois dj baverem concordado em algu
mas medidas, resolveram nao pol as em pratica
sem primeiro se esclarecerem com as luzes de
um maior numero de cavalneiros dos mais con
spicuos, pertiocentes s diversas classes so-
C&C3.
Pelo que licou assentado que se fariain novos
convites para urna outra reunio. *
No dia 22, na casa de residencia do Bario
de Juru, boave urna reunio com fim de ser
constituido o partido demcrata.
Diz oCommercio do Amazonas ter ficado as-
sentado sua definitiva constitnicio, para o que
foi nomeada urna commissao para organisacaj
das bases de seu programma que ser discutido
e publicado pea imprensa.
A mesma folha, em 23, deu a segTunte no
ticia de urna catastrophe em Huanchaco, na Bo
Urna catastrophe pavorosa acaba de des
truir totalmente urna colonia de cerca de 4 0OU
habitantes, estabeleciia nos terrenos mineiros
de Huanchaco (Bolivia), propriedade de urna so-
ciedade presidida pelo Dr. Arce : cem quintaes
de dinamite explodiram em virtuda de urna cau-
sa ainda desconhecida. ._ .. .
As consequencias da explosio, de certo sem
igual at hoje, em intensidade, foram medo-
unas cavou-se um abysmo de vinte metros de
profundiade.onde centenas de victimas expira
rato no meio de horriveis torturas, esmauadas
pelas travs e escombros de toda a casta, e inun
dados por um verdadeiro mar de petrleo a ar-
der, que invadir esse abysmo.
Alm do pelroUo e da dyoamite, Huancha-
co, que fdra escollado como deposito de guerra,
encerrava dous milhoes de cartuchos.
. Os dificios desmorouavam-se como se o
selo fosse agitado por um abalo de trra Nio
ficou pedra sobre pedra.
m incendio que nio durou meos de tres
dias, completou a obra da destraicao. Nio foi
aioda possivel verifiaar o oumero de mo, tos e
feridos ; mas pode se calcular, pelos pormeno
res cima transcriptos, o quanto devem ter sido
consideraveis.
Estado do rara
Datas at 1 de Junho :
0 tribunal da Relaco absolveu o Dr Fraoersco
Mendes Pereira, jaiz de direito de Jamela con-
tra quem dera denuncia o Dr. Manoel de Moraes
Bitiencourt. ,0.A7i
Renleu a alfandega em Mjio bzo:J4Bo/4.
Estado do Maraano
Dalas at 4 d- Junh > :
O Globo recebeu um carta de Arary, datada
de 22 de Maio, nesles termos :
. No dia 21. depois de se haver instalado a
commissj municipal, o promotor publico, o
pandego major Catrim, invadi a casa da nteo-
deocia, acompanhado no delegado Vicente Fer
reir Rodrigues e precedido do destacamento
competentemente armado, teotuu por meio da
forca fazer tomar asseuton intendenten.eonardo
Pimenu Bas 03, que na ordem do3 nomeados
oceupa o quinto lugar.
0 presidente da commis3io foi desacatado
de maneira srlvagem e brutal e a mesa, coacta,
deliberou suspender 03 respectivos trabalhos.
. Este facto tem alarmado a populacio e o
governo do Dr. Porciuncula co.neca a impopula-
risar se mesmo no interior, como o responsavel
dos desmandos das autoridades que neste mo
meato representam o partido do Dr. Gomes de
(.'astro.
Apezar de installada a commissao, nao lbe
foram ainda apresentados o livro e papis do
alislamento.
O povo receia qualquer violencia.
Se o governo nio reconsiderar o acto da
nomeacio do Cutrim, as consequencias nao se
rao agradaveis.
Os proprios amigos do Dr. GomeB de Castro
maniestaram o sea desagrado.
Em 29 de Maio a mesma f jlha escreveu
sobre Gaimaraes :
Ar.dam agitados os nimos na pittoresca
villa de Guimaries.
< Por occasiio de am espectculo dado por
ora pequeo grupo de artistas gymnasticos,
boave am disturbio no qual tomou parte activa
um alferes que 11 andava a tomar ares. Tendo
elle mandado prender um cidadio, as pracas
encarregadas de o fazer esbordoaram-n'o.
Um irmio da victima, sabendo do caso, veio
ao lugar do conflicto, ao que consta verberou o
procedimefjto dos soldados. Tendo sido tam
bem preso, diversos cidados tomaram lbe a
defeza, e fechou se o lempo com grossa punca-
daria. A fjrca Meando em minora abandooou
o campo.
O nimos conservara se exaltados.
Para o lugar do conflicto seguiram hoje am
contingente de 30 pracas ao mando do alferes
Guapindaya.
Seguiram tambem o chefe de policia e com
mandante do corpo militar de policia.
Consta que ha ordem de prisao contra di-
versos cidados indigitados como amotinadles,
e que deverao seguir para a capital federal.
No dia seguinte a dita folha accrescectou
estar restabelecida a ordem em Guimaries.
Renden a alfandega em Maio 2 >4:527699.
Estado do Fiauliy
Datas al 2 7 de Maio :
A Democracia publicou 22 em Boletim o se-
guinte, reproduzido no seu numero de 2o de
Mato :
Est demittido de governador deste Estado,
segando telegramma qae acabamos de receber, o
Sr. Dr. Gregorio Tbaumaturgo de Azevedo.
Foram reeotregues 003 lagares de vice go
veroadores os nossos illustres amigos D's. Joa-
quim Nogueira Paranagu e Theodoro Alves
Pacheco, ficando assim reparada a injuslica da
demissio que soffreram, obtida pelo mesmo Sr.
Dr. Gregorio Tbaumaturgo de Azevedo.
Os piauhyeoses bemdizem o gov6roo provi-
sorio por esses actos de justica e de alevantado
patriotismo.
Conhecedores do genio violento do Sr. Dr.
Tbaumaturgo, prevenidos das intencoes sinistras
de seu imito alferes do exercito Joio de Deus
Moreira de Carvalho, actual commandante de po-
licia, exigimos de todos os amigos que vieram
lypogtaphia d'esta folha, a mais absoluta calma,
a condemnaco de foguetes, discursos, passeiatas
a musicari, no que. felizmente lomos attendidos,
sendo que alguns foguetes que appareceram fo
ram g,ikimados por pessoas do povo, por urna
uenUra casada e de familia, ha tres dias presa
pessoamenie pelo Sr. governador e por outros
individuos que na* nos ouviram.
Achaudo-se urna orenestra particular em
casa do cidadio Jis Francisco do Panla, onde
festejava-se nm casamento, foi ahi divulgada
a noiicia de nosso boleiira e entilo os rapazes da
orebestra, espontneamente, sem convite de nin-
guem, vieram ea sernela, pois j eram mais
de 11 horas da noite) acompannados de algumas
pessoas reconhecidamenie pacificas e inermes,
felicitar o nosso collega Dr. Theo toro Pacheco
pela sua reintegragio. Ani conservaram se tod03
na mais perfeiia ordem, sem que fosse levantada
ama voz siquer que podesse offender ao gover-
nador leuiiiti .o ou a seus amigos.
Retiraudo se a orchestra para a casa de nosso
honrad] amigo bario de Urussuhy, a qual fica a
pequea distancia da do Dr. Pacheco, qae se con-
servou em casa com outros cidados, momentos
depois, foram todos all sorprendidos e ataca-
dos por urna forca da guarda republicana, com-
mmdada pelo irmio do Sr. governador, alferes
Joio de Deus Moreira de Carvalbo, o qual tinha
a sea lado os cffkiaes capitn Francisco Ferreira
de Carvalbo, lente Jos Gentil da Silva Moura,
alferes Alonso Morad i (que se portou nio como
um instrumeoto) Leovigildo de Carvalho e Pho-
cion Caldas.
< Achavam-se em casa de nosso amigo bario
de U ussuhy as pessoas de sua familia, algn?
amigos e em frente da mesma a orchestra e indi
viduos que a liaviam acompanhado.
> Nao se fez alli um discurso, nao se soltou
um foguete, nao heuve a maii pequea maoifes-
tagio de bostilidade a quem quer que seja ; eo-
tretaiito, o poder que havia se celebrisado pelo
seu despotismo, quiz fechar o eyelo do seu des
tino com um epilogo de sangue I
O irmio do governador mandou calar baio-
neta e carregar sobre as pessoas que eslavam na
calgada, fazer fogo, mas dizem nos ter se ouvido
urna outra voz pedir aos soldados que nio des-
parassem e a essa circumstaocia se deve boje
tal vez muilas vidas preciosas t
Era, porm, tal o furor sanguinario d'aquelle
commandante que, oa occasiio em que diverros
amigos pegavum o bario de Urussuhy e faziam
n'o eotrar para o ioterior de sua casa, por ama
jaoella desparara elle oa direcco d'aquelle ami
go dous tiros de revolver, que foram ouvidos
por todos os preseotes e o que foi igualmeote
visto por muitas pessoas.
Quaodo os soldados desobedeciam ordem
de seu commaodaote desvairado, poapaodo as
sim a existencia de quem nio commettera cri-
me,sbavia igual ao alferes Joio de Dos,o
seu conmensal acadmico Eray^dio Pcdreira.
adjunto da promotona em pleno exercicio, e que
tambem de revolver em punho desfechou um
tiro qut parti as vidracas da casa sitiada t
O tenente coronel Aotooio Ribeiro Soares,
que por essa occcsiio re acbava na esquina da
botica do pharmaceutico Alfredo Rosa, conver
sando com este, o major Gentil e outros. ao ou
vir tiros, dirigi se para a casa do bario de Urus-
suhy, ah chegando e procurando saber o que de
teruiinava a presenca da torca publica a provo-
car desordens, preso pelo Sr. alferes Joio de
Deus, e teria si chefe de polica nio ioterviesse.
> Essa capital em peso tem estigmatisado os
attentados, da noite de 22, aicos no seu genero
acontecidos uo meio deste povo habituaimeote
pacifico.
0 Sr. Dr. Gregorio de Azevedo jaz em pala
co em estado uesesperador.
j O despotismo de sea governo havia chama-
do contra si as aolipaihias do povo; hoje, es
crimes de seu irmoe de seus agentes, dio Ihe
iireito s maldigo ?s, ao odio de todas a3 cas -
ses, cujos sentimeoios nio fazem explosio, por-
que todos j i eoxergam em S. Exc. um morto
moral
As medidas de prudencia tomadas pelo U
lu;tre Dr. chefe de polica, Calheiros de Mello,
qae fez retirar a torga desordein, forana bastan
tes para que a ordem se restabelecesse e ficasse
provado que s havia sido .Iterada por aquelles
que tiubam o dever de mantel a.
O nosso amig) Bario de Urussohy requerou
carpo de delicio uas jaaetlas e paredes de sua
casa.oqaal foi feo, aisim como j foram to-
mados os depoimeotos de 3 pessoas que provam
plenamente a autora da tentativa de morte con-
tra a sua pessoa.
Veja o Brasil inteiro a que mios eslavas
confiados os destinos deste povo I
Como foram crois os estertores do desps-
tismo.
Salve o Governo Provisorio I
Salve o invicto generalsimo Manoel Deode-
ro da Fonseca 1 *
Estado do Cear
Datas at 7 de Junho :
Foi aceita a desistencia que fez o babaret
Jos Carlos da Costa Ribeiro Jaoior do lugar de
chefe de polica por haver sido uomeado profes-
sor de alemo do lyceu.
Para exercer interinamente o cargo de chefe
de policia foi nomeado o juiz de direito da co-
marca do Aracaty bacharel Samuel Felippede
Souza Ucboa.
Sob o titulo desastre e morte publicou o
Cearense de 27 de Maio :
Succambio ante hontem pela maobi oo si-
tio Tauape-Das immediagOes desta capital, o Sr.
Joio Chrysostono Ferreira Maia, negociante.nes-
ta praca e proprietario da lojaIodiaoa.
Tendo ido no domingo em compaohia de s-
gaos prenles a urna cacada do sitio de um to,
de quem era muito amigo, teve a infeltcidade de
melle se no agude para apanbar nm passaro es
que havia atirado, embaragou se em diversos
arbustos por onde quiz passar morrendo em so-'
guida i vista de seus companheiros que nioe
poderam salvar.
Era mogo, contando apenas 28 aonos de ida-
dade, casado com a Exma. Sra. D. Eduvirges
Maia, filha do Sr. Antonio Lucio Mala; deita
am filhinbo, que ainda nio conhece a perda ir-
reparavel que soffreu.
Pelas suas excellentes qualidades, o illustrt
finado era geralmente estimado .
Falleceu cora 95 aonos'de idade o maior
Luiz Carlos de Saboia.
Rendeu a alfandega em Maio 210:39U1(8.
Estado do Bto Grande do Norte
Datas at 9 de Junho :
As noticias desse Estado carecem de inte-
resse.
CORRESPONDENCIAS _
Rio-Graude do \orlenatal 8
DB JNHO DE 1890
Termioou no dia 20 do passado o prazo para
a cooclusio dos trabalhos da qualificagao elei-
toral pejs commissOes dislrictaes, sem que aos
conste ter havido a menor reclamagio, a respei-
to do procedimeoto das mesmas commissOes.
Nesta cidade foram alistados 967 cida:ios, in-
clu ve os eleitores da lei de 9 de Janeiro de
1881. 4*
Pelos dados conbecidos e pelas ioformages
que temos podido colher, parece que o numero
total dos eleitores de todo o Estado attingir a
18:000.
Era todos os pontos grande a maioria do
partido que tem por chefe o illustre cidadio Dr.
Pedro Velho, e que se compe dos elementos
melhores do Estado, que Ihe prestam todo o
apoto e adhesio.
Os chamadosSebastiao'sta?, cada dia se re-
duzem mais aao seu verdeiro valor e nio im-
posivel que desapparegam de todo
Apezar de suas proporgOes mnimas, nio ces-
sam de lancar mi de todos os meios, para per-
turbar a marcha regular dos negocios pblicos,
espalhando, as vezes, boatos alarmantes, noticias
de pura inveDgao, que sao, felizmente, facimeote
destruidas, gragas a previdencia dos dignos ci-
dados a quem se acba confiado o poder publica
Em 24 do passado foi installado pelo digno
juiz de c?sauient03 Dr. Joaquim Ferreira Chaves
Filho, em, audiencia publica, o registro civil
desta capital, com as formalidades da lei, publi-
cando o illustre juiz o respectivo edital.
Chegou a esto capital em 22 do passado, o
digne juiz de direito da comarca de Poteng
(Macahyba) Dr. Jos Augusto de Souza Amaraa-
tho, que ni mesmo dia seguio para sua comar-
car para assumir o exercicio das respectivas
funecoes.
Sabemos que vio adiantados os esludos da
engenheiro hydraulico Dr. Souza Gomes, para
a abertura da nossa barra, um dos melhoramen-
tos mais importantes que podemos ter. Pelo que
nos informara, assegura o honrado profissional
que o trabalho dos mais facis e com urna
despeza nio excedente de 300 contos, teremos a
barra accessivel a navios de lodos os calados.
O illustre cidadio governador, Dr Xavier da
Silveira, se acha seriamente preoecupado eos
este grande raelhoramento, como tudo quanto
pode concorrer para o engrandec ment e pros-
peridade deste Estado, em boa hora confiado
sua solicitude e reconhecida actividade, de qae
tu lo devemos esperar.
Seus esforgos serio certamente Fecundados
pelo patritico governo provisorio, que nio dei-
xari de fornecer os meios precisos para que pos-
samos ver realizados os melhorameDtos mate-
riaes de que carecemos, e com os quaes teremos
attingido ;>o grao desejavel de prosperidade.
Seguodo telegramma aqui recebido da capital
federal, vai ter comego era breve o trabalho da
construego da estrada de ferro do Cear mirim,
tendo sido approvados os estudos apresentados
ao governo pelos coocessiooarios major AtTooso
Maraohao e outros.
E' nm melhoramento de grande alcance para
este Estado e que dar ainda maior valor ao ri-
quissimo valle do Cear mirim, que constitue
quasi que por si s a nova fonte de receia. Diz-
se que a companhia de Natal a Niva Cruz, val
protestar contra a concesso feita, sob pretexte
de qae se trata de zona privilegiada e nio sabe-
mos mais o que.
Nio de esperar, porra, que sirva de emba-
rajo a realizago do grande melhoramento to
anciosameue reclamado, e nem o protesto da
companhia asseuta em base razoavel.
Comegara amaDhi os exames geraes de
preparatorios presente a delegacia especial da
instruego primaria e secundaria da capital fede-
ral neste Estado.
Segundo nos informamha someoteS2 ioscrip-
ges.
Do Diarlo de Pernambueo
GARANHUNS, 8 de Junho de 1890
Completamente fiesanimiJa ~vai a popolJa
laboriosa desta Importante comarca.
As chovas, que vieram eocher nos de gratas
esperangas, desappareceiam e com ellas loda
as lavouras plantadas no mez pa3?ado I
E o sol applica -terra um caustico de bra-
zas.
Pleno desanimo.
Completa miseria !
E' triste, desanimador, ver se diariamente
as ras da cidade cobertas de pobres mendigos,
monos le fome, imploran lo a caridade publica,
ja de ba muo esgotada.
Em taes erergencia3 tolos aqui se volta
confiadamente para o governador do estado,
para o governo da repblica, a quem as autori-
dades superiores da comarca vio pedir urgentes
soccorros
Os gneros de primeira necessidade estio por
pregos excessivameote caros.
A miseria augmenta diariamente e os miogua-
ios recursos da populacio esgotam Be.

-. \
-
l

.
i-





Diario de Pernambuco-Quinta-feifa 12 de Junho de 1890


Onde iremos parar ? ____ ...
O eommercio agoniza oa* vasca? anta oram
emenda, a agricultura ten* a desaoparscar e
M criadores nta actuo preco naaaatn -para
radoe I .
Medonha oriao asaetea eirtermia-nosl
Appellamos para oExra. Sr. 0r Alnas Ma*
k. appellamos para o reconheord patritica
do 'illustre adado, que nao r-oderi ver con i*
differenca exterminar se os misaros Mltnsdo
serto de Pernamboco I ;____
Acuda nos Bxui. Sr ; a boro- extm
povo l morre oroe!
Noa campos i pega-se o gado face
donos, e o iostmcio da conservacao 6 capas de
mais, capas de todo I
Com o espirito abatido concluimos esta carta,
cntiando que providencias promp'as o energ
aas serao d-das pelo Ilustre cidado governa
dor do estado.
TIANSCRIP0ES
de seus
em operetas com
n. e repulajpo em
tia tia nul
prrsidratr
(Do Paiz, do Rio de Janeiro)
A raanrfestaco franca da nossa opmio com
referencia ao egregio cidadSo que ora occnpa o
eleva lo carga do chefe do governo provisorio,
o fructo da conviccSoem que estamos, de qae
eile realmente o alvo para o qual devem con
vergir os votos da nago, ao tratar da definitiva
aomeacio (fe seo primeiro magistrado.
Pra-.-nos consignar a espontaneidade com que
a Diarto dt Noticias e outros orgaos da impreo
aa dos Estados Federaes apnlaudiram a nossa
tairiativa, esposando essa cmsa, na qual esto
envolvidos os mais sitos e generosos mtoitos do
satrioti-rao. O nosso illustrado collega de tongo tempo comprehendeu que a neutralidade
ue Ihe impunham sua ndole e interesses nao
pote ir ao ponto de fazel o abacdonar as qu?s
toe* fundamentaes de organisacao, das quaes
depende essencialmente o fun nal da* instituicops republicanas.
De feito, apreciadas as circumstancras quaes
se ho deaenbado de 15 de Novembro a esta par
te o marechal Djoioro da Ponseca, se ro em
pora lio momoravei o braco propulsor da vic
Wria, le ento para c tem sido o centro de
oanvergeucia de toda agitacao poltica e admi
straiiw* par cora as esperancss que as novas
aastitwcO -s bao despertado no coraco de todos
ae brasileiros.
nfeesto periodo laborio?oeextenuante de orga
agio da patria coosagrou elle a propria exis
leticia xpondo s a todos os perigos sem outra
oreoecuiHCo que a do bem publico. Responsa
veJ dlOMle da patria e da historia pela consoli ia
So d* nbra de Novembro, o marechal Deodoro
aoz n maior evidencia anda as qnalidades
anv tu do seu carcter, assomindo, nesta po
ca anormar e diffioil, a posigo menos invejavel
mas ao rapsmo tempo a que Ihe permittia, como
a'uma batalha, commandar em chrfe as forcas
que bao de lombater pelo progresso, pelaord;ra
- a pela llbe'dade. .
Dem ii, os elementos de disso ncao social, qae
ah ficaram como triste legado do regimem de
ah do, despertara aoinnsidades e impaciencias
an ; urna vontade poderosa e forte, co no
em regra, a do vencedor, pode cooter, evitan Jo
xcessos e trasbordamentos fuuestos prompta
eonsolidacao da Repblica. O cunbo de uoidade
arionai, que deve revestir este ideal do gover
o do; pavs livros, nao comporta as averigua
Op; de qustoes bysaotinas, que remontara a
propria origem da luz tucreada. Todos somos
bra-ileiro3 e a pat ia urna s.
Para collaborar efficazmente neste trabalho
lento e aturado, de hrmar e affirmar a victoria
por um modo incruento e pratico, o general
eodoro tem tido a seu lado a dedicacao e o ci-
vismo dos nosso exercito de mar e ierra. Em
ora ciosa de sua auionomia, a classe militar,
anida e compacta, volts- para o chefe conspi-
cuo do goverrro provisorio, esperando delle a
oalavra de ordem, convencida de que, exaltando
prestigio do hroe da jornada de 15 de Novem
bro, exalta o proprio nome pela disciplina e pelo
apoio oidem geral.
us Estados Unidos da America do Norte a
ele-co d.- W.fhington para presidente da rep-
blica proclamada foi nao so um facto resultante
da victoria alcancada contra & roelropol exorno
acto espontaneo da gratidao nacional.
Thiers foi a crystalisagao de lotfas as esperan
ea.9 da Franca anos o desastre de Sedao. Tendo
combatido o imperia em nome. das liberdades
onfiscada, a elle competa presidir os destino
da sua natria-m nome das liberdades restau-a
das. A justica e odireito entrara pila pona por
n.ie sahio o despotisim. E' est3 a vinganca
dos povos. ...
Apr ciadas em sna generalidade as circum
stancias que nos so peculiares, a investidura do
general Deodoro no crgo de chef do governo
provisorio, 6 forja confeasar, foi um facto lgico.
Elle jogou urna partida decisiva para si e para
as pascadas instiiuigoes. Vencen, e quem vence
ontrabe a grande responsabilidade de conser
var a po-ico tomada ao inimigo. tornando-a um
campo fecundo pas, hberJade, ao trabalho
i ordem social, s reformas necessaria, das
1naj derende a fcil transforraacao do carcter,
os comunes, das tradices e instituigOes em
qo"* cada povo foi educado.
E' a este vasto trabalho qoe est presidiado o
gen -ral Deodoro Ioterromper o concursa qu>-
ile e>t prestando com o oais acendrado pa
triosm i e desprendimento seria quebrar a u-ii
dad- moral de urna obni que deve obedecer,
and's de todo a um cy^lema harm nico de von-
tade--, oara ser fecunda e Dratica.
A patria tem para com elle um dever de ara
lidQ0 a cumprir ; a repob iea espera delle a?
energas da sua voo'ade, a honra do seu nome,
o bnlho da sua estrella de soldado sempre vi
cloroso, para garanta da sua estaailidadee res
peito niiiversal das outras nacoe?.
REVISTA DIARIA
tista que, altes de trabalhar
cas o Mrleaeaa. fea 3 af,
*o i saeta raeiaa e aa papis drotro
grae; seria e correet. Basa ducacto,*! nao
ha apio aa noasaapaaicio, o defend- por
tal mtto rece grare o> maia. Itere oa tres pMasa o
Sr. MM'os ra o aula fwaaliaado, qinat qoe di-
urnos o mais ariitocraiieo, si ba aristocracia en
tre gatunos. Nao vai n'isto nasa censara, Mato
mais qumto p>'3ivel %*t tives.-e entrado nos
m'oitoa do Sr. Mallo* establecer differencaa en-
tre os tres typos de qoe elle fazia parte.
O Sr. Peixoto, qoe iucontestavelmeote Intel
ligcnie e a quem nao se pode contestar boa vea
cmica, can; s veses no excesso contrario, na
unposiibilidade, talves, de center a vivacidade
de ua aptidao, oa em obediencia ao objeclivode
agradar o mais possivel s plateas que mereci-
damente o festejara.
Alera dos merecimentos que acabamos de apon
lar, a Gran Via agradou aiada p'la sceoographia
e pela scena final, que de muito effeito, e onde
afile. Lopicolo exhibi, alm de outras j conbe
cidas, suas habilidades choreographicas.
D ucjenecoao espectculo a zarzuela en 1
acto Choteau Margaux.
S5o muito interessantes quer o lbretto, quer
a msica. To bem se boaveram os artistas que
n'ella tomaram parte, que difficil assignalar
preferenc as ; entretanto, pede a justica que se
d as honras da execuco da chistosa zarzuela
Mde. Mis.art, que aiiiou admtravelmente exe-
cuco do canto o desempenho dramtico. A mu
sica da Ckateaux Margaux adapta-se perfei la-
ment voz d'essi artista, que a ex;cutou com
adrairavel facilidade e incontestavel mestria
Ni parte dramtica nao foi ella menos feliz, pois,
disse o sea papel com bastante naturdidade e
expresso, simulando com habilidade os mivi-
mentos, a compostura e a desenvolturas da em
briaguez .
0 Sr. Sattos foi um maitnilico criado, ora ver
dadeiro he3panhol, como til bem caracterisado e
vestido com propridade; comprehendeu com
talento as diversas situaces era qoe o enredo da
comeda o colloca, e, quando a patrdi o re3olveu
a tocar guitarra, cantar e dan;ar, e quando a bi
roneza de Lombardo sanio fra do serio, aos re
petidos clices de chateaux raa'gaux n5a teve a
menor duvida ena perder a grdeidade.
A S-a. Isabel Pcrto, no papel ae baronesa, ro
bastecen vantajosamente os bellos crditos con
quistados na parte de me Jacjb ni Josepha ven
didi pelas irmas. Maria Amalia Uonteiro e Cleiia,
velhas conbecidas do nosso publico, no gene-o.
nao dirtara midhor desempeoho aos papis at
agora executados pela Sra. Isabel Porto.
O Srs. 'lols e Andr estiveram na altura dos
seus compaolHros de trabalho, guardadas as
proporcoes eolre os papis d'eates eos seus, que
alias eram os menos importantes da zarzuela ;
foram um bom marido mojo e leviano, eunin
teressante velho recem casado e ridiculo.
A concuareoci; continua a se de molo a ani
mar o Sr. Heller a abrir urna nova serie de espe
ctaculo8.
Pasemos votos por isso.
Calan arbaaa-\ a Imlnistraco d^s
crrelos acaba le collocar mal3 duis caixas ur
baas para a lecepco de correspondencias or
diaras, urna na Passagem da Magdalena, ra
de Betnfka, taverna n 6, e ontra em Santo Am i
ro das Salinas, ra de Luiz do Reg n. 56,
sendo conectadas diariamente s 9 horas da raa
nh e s l da tarde.
A mesma administracao, para coramodidade
do publico, resotveu que as demais caixas n^-
barias, d'ora era diante, sejam conectadas, pela
manh s 9 e i|> horas.
terviro militarE' hoje sopetior do dia
o cidado capito Migalhies, e faz a ronda de
visita o cidadSo alferes Armando.
0 i" batalno dar a gaarnico da cidade
varrlnn pvHlleaHontem, na inspectora
de hygiene foram vaccioadas 51 pessoas, traba
Ihando nes?e servico os Drs. inspector c Lopes
i'essoa.
O inspector de hyieie pede s pes3oa3 que
vacciiiarem-se na respectiva reparticioo favor de
vollarem no lira de 7 das, para poier obter lym
pha e continuar a propagaco da vaccina.
II baiaiiiHo Fez hontera tardeexercicio
de fogo simulado, era freote ao respectivo quar
te.1, es-e batalho que parte honrosa da guirni
gao deste estado.
O exercicio loi feito a centento dos offl:iaes
superiores
'caataMlaaAmanh (13), pelas 7
Taeaur A terceira recita da corapanhia
elier, redlzada antes de hontem, terca fe.-a.
onstoa da Gran Via, r>vista ra dnlena, e da
zarzuela em 1 a;to Chotea* Margaux. Foi um es-
pectculo todo hepuihol, o que nao quer ozt
ao caso, um espectacuo exagerado e coeio de
byp-bi!es, mas, ao coarano, uaa noila reple
la de boa nsica de msica origioal e le um
culio .-specialis-iimo. A H-spanha tera urna
muMca sua. urna escola particular, que se a la
pta magnficamente s operetas. A nutica lies
panhola quasi sempre se denuncia por urna pon
ta de lango e de bolero ; e, por isso me.-mo, soa
u.nito bem aos oovidos brazileiros, especalnieo
le ao do norte, habituados ais abianos e fan
dangos.
E. na Gran Fia, particularmente, todo o inte
re*est na parte musical ; a revista, pelo fi
cto de referir se a lugares, a acoi ecimentss e
coMume da capital hespantuda, perde mullo !
inter.-sse para quai-squer plateas que nao as de
M. rrid ; todava o movimeoto e vanedade de
sci as, propnas de laes compo-6es, auxilia !os
pela boa msica, ntretetm agradavelmeote o
espectador.
O- nu neos de msica parr.iaes cantido
isoladamente, sao poucoa e de pequeao me-e:;i
ment ; exc-pcSo de umai cacouetas, a qw i
nc: e a voz, p-qa^na, mas melo-ltoia e a?ra-
avelmente timbrada de msdeiooelle Lopicolo,
do ram-'nio realce, e o tercetto dos gatunos
muito be o ensaiado e ptimamente exeeulado
pelos Srs. Vagues, Ma'tos e Peixoto, o grande
ntere^se da OBUs'Ca est na valsa dol.acio,
bem cantada p^lo r. Golas, e nos cro3, que
to todo-< boss, salientandose notavelmcnte en
Ir t-Ues o dos man une iros, um mimo qnanto
eompo ico. um triurapho quanto execuco
os ires artisus, a qoe a-abimos de oos refe
rir os Srs Vastes, Mallos e Peixoto, tiraram
am panido immenso de seus pequeos papeu
O Vasqoes poda nao ter dado ama patarra, nao
ter canudo ama nota de msica ; bastava exbi
bir-se, para rerelar-se o artista intellifernte e
noiavel que 6, e pela caracterisacao, pelos ges-
tos e miiviraento pbisionomico. Nao fosse elle
to c, onecido, nao o trahisse esse meamo bem
acabado da caracterisacao, e aingnem o re:o
nbecena. io completa a transformagao. to
perfeita a caricatura. Quem qoer que encon-
tra-se o Va.-que?, assim transformado, as ras
da cidade, especialmente a uoite, levara instio
ctivamenie a m*o a acantetar a carteira e a ga-
rantir o relogto.
O 8r. Mallos, a julgal o pelos panetasgagora m
por elle deaempenhadoe, se nos augur qp ar- J qoe n09 fel
h >ras, celebram se missas cantadas, em louvor
de Santo Antonio, ia igreja de S. Pedro e matriz
de Santo Antonio, s 8. na Ordem Terceira de S.
Francisco e s 9 na igreja do respectivo conven
to des'a cidade.
BMradn de ferro de Rlbciru ao
BonitoRene se hoje ao meio da essa cora
panlua em assembl.'-a geral de accionistas, para
tomar conhecimento de urna representago, que
Ihe 6 .-ubmettida por alguns accionistas da raes
raa empreza.
Poraeclatenlo a zuarnlraa No dia
16 do corrente recebem-se propostas para esse
servico, na constancia do semestre de Julho a De-
zembro prximo, de accordo com o pedido e con
dices constantes da pnblicagaooffi iai em outra
tego d'este Di ro.
Hediro Pharmairulica P e r a a na
bacanaEssa sociedad funeciona boje, no
lugar e a3 hora? do costume, em sesso ordina
ria, para proceder a eleigo dos respectivos func
cionarios no novo anno social
Arsenal de Guerra -O conselho de com
pras d'esse estabelecimento reune-se hoje pelas
11 horas da raanh, afira de receber proposta*
para forneciraenio de artigoa de fardamento da
tropa d'esta gnarnigao, de cooforraidade com o
scueditil publicado n'este Diario na seceocom-
petent>*.
Tfeeaonrarla de Paienfla-Ein sesso
da junta da fazen Ja da Tiiesourana Geral, abrem-
se boje, s 11 horas, as propostas apresentadas
P'.-los proponentes ao foroccim-nto de gneros e
arligos diversos ao pre-idio de Fernando de N >
r mha, no semestre prximo de Julho a Dezem
bro.
Arroaialacau na .4irndea;a-A's 11
horas do da de hoje, arrematara se n'essa repar
tigo differeates mercadorias que fora.a appre
hen li las na-bagagera de Julia Larbie Koblet, pro
cedente da Europa
Club Republicano Progresaiwta dio
BecifeE n sua nova sede ra Mrquez de
Olinda. z: andar uo sobrado n. 53, rene se hoje
s 6 horas da lar le, esse club em sessio extraor-
dinaria.
Eiveola Wandeakollx-faaugurara.-n se
honlem os trabalbos d'essa importante institu
g;io,'en to lido luifar o acto no pavimento superior
do predio, onde funeciona a Associago Agrcola
i 1 Lora da tarde.
Companbla Alagoana de Fiaran e
Tecidoo Depoi- d'aioaubi lindase o prazo
para cutruda da 10." preslagio da subscnpgo
l'esaa comp^nhia
Esa prestaco na razo de 10 <>/ do valor
das aeges e recolbe se no Banco ttoeo,
Declaracao de aacloaalidade~No
sabwdi p-eximo 11 do corr nte, encerra se o
razo concedido 8H estrangelros para faz"rem
suas decarac5-.'S de mantera nacionalidade o
ginaria.
Avisamol os, pois j e lhps lembramos ao raes
rao teupo que tae-< declaragOes podem ser feita;
na [oteadesea Muuicipal, peran'e os eenves
das dWegaeias e subdelegadas de polica, e anda
no Gonsntado da propria na cao.
Fucuitlade de DireltoAmanbi come
g^ra a sogOila e ultima chamada para proia
escripia as bine is de portaguez e geometra.
Sania Cana de Misericordia-Sen o
saDba lo (14) considerado da de fusta na ional,
os pagamentos da Santa Gasa tero lugar na sex
la feir, 13 do com-nte.
ireoalodo* Profeooor rlBaarlo
E-ia xuciedale funeciona boje, ao meio dia,
em sesi-o ordinaria.
Inlu rtlalico Republicana -Hoje.
as 7 horas da noite, funeciona essa sociedade
em sessio ordinaria.
Club Hartiao PanlorAmanbi, s 7
horas da noite. funeciona esse club no Io andar
do oredio n. 32 da ra Marcilo Dias.
Embargue -Seguio hontera para a Babia
no piquete Btpirtto Santo o Sr. Dr. Faria Rocha.
Agr lerendo Ihe a despedida que nos fez por
car to. de*ej3mos lbe feliz viagem.
la aaaaielpal -Segu h'jje a tomar pos
se do cargo de jais municipal e de orpaaos do
termo de Ingasetra, par o qnal foi recentemen
te nomeado, o Dr. M. de Araujo Pinheiro, a qnem
desojamos feliz viagem, agradeceodo Ihe a visita
Tiro No logar Guarita do termo do Altinho,.
aadsa J>i>Haio flaa JUnraiistel atebecida,:
pa, Maatetor, M mmmm abate^or am
tlr*qBaimbabniilB\Bfoia*paM
oRdJMWio-Bn M da Mate pibf) late,
eaiaateBlB enjeobo Ubica a lera de Sari
nbdJteavy Aatenio 3etesflte de Menea? assHr:
noa coa um facada a Francisco Ahas, senda
preso em &*&r****- _V^
Naaessio de 10 do correte, o* saetee deste
Glab assignamm a moft diriajilaaoDr. Ambro-
sio Machado e reaolveram ir, encorporados,
rasa deste illnstre cidado, fazer entrega da mo-
clo. "
All chegados, fallou em nome do Club o Dr.
Tranqaillino Leitio.
0 Dr. Ambrosio agradecendo a manifestagio,
que os seus correligionarios Ihe faziam, pedio
licenga para dar sua resposta por escripto oestes
trex a quatro dias, acrescentando que esta res-
posta nao deixaria de agradar ao Club.
Club Eagrlaaa -Amanbi, pelas 5 horas
da tarde, faz esse Club sesso no lugar do cos-
tume, para prestaco de con tas, devendo assia
comparecer oa respectivos associados, qoe sao
convidados para a raesraa sesso.
Tribunal do Jury do Blclfe Func
cionou hontem este tribunal sob a presidencia
do Dr. Sigismundo Autoolo Gongalves, jais de
direito do 3* districto, no julgameato do reo
Manoel Jos Alves da Silva, pronunciado no art.
269 do cdigo ciminal.
Occnpou a tribuna da aecusagao o Dr. Manoel
Antonio Pereira Borba, Io promotor publico da
comarca.
Deduzio a def.za do reo, qns foi absolvido, o
Dr Adolpho Tacio da Costa Cirne.
O jury de sen tenga compoz se dos jurados se
guiles :
Jos Joaquim Borges Ucnoa.
Gyro Pedrosa.
Antonio Caelano d'Oliveira Coragem
Juvencio Aureliano da Cunba Cesar.
J>s de M lio Albuqoerque.
Rodrigo Jacorae Ma-tins Pereira.
Jos liulin) Climaco da Silva.
Epaminondas P. B. Accioli de Vasooicellos.
Joio Moreira de Hendonca.
Domingos J a juim da Fonseca.
Manoel Gimes da Silva
Carisio Cumencio do Reg Barros.
Maeoel Jos Alves da Silva era aecusado
de haver tirado para si ou para outrem, me
iliante videncias, dous baus e umcaixo con
tendo objctos diversos pertencentes ao capito
Paulo Pp>-eira Stuoes.
Term'ua o jul#amento s 2 ho-as da tarde.
A seso-ficou adiada para boje, s 10 horas.
Orgao Republicano -Inforraim-aos qae
no dia 1- de Julho, on dnranle todo esse mez,
sabir luz da pabHeidade ura novo jornal, or-
go do partido republicano dette Estado. Est
noroeada urna com ra sso composta aos cidadios
Raymundo Pontes de M randa, Mzooel Gavalcan
te d; Millo Fiiho. D-. Joaquim f'^valcante Leal
de Barros e Felicio Buarque de Macelo para or
ganisar o prospecto do mesmo jornal e dirigir se
ao3 diversos clubs republicanos e araigo3 nesse
sentido, providenciando no que for uecvssario
paraamstallaco do mesmo.
Consta que o redactor chefe do jornil ser o
Sr. Dr. Mirttns Jnior.
A iniciativa do novo org5) republicano pare
do Club 22 le Julho, e consta que o notoe'do jor
nal ser .4 Repblica.
Matriz de H. Smm.K irmaadade do San
t.ssuno Sacramento proedeu no dia 10 do cor
rente leleigo da mesa regedora para o anoo
comorcmiv-al de 1890 91, chegando ao segunte
resultado .
- JjizGommendalor Francisco Antonio Cor-
rea Cardoso.
Escrivio Capilio Joio Gervasio da Cunba
Pern.
TuesoureiroHermelindo de Lima Cirvalbo.
Procurador geralVigario Prancisea de Assis
Costa Gondim.
i- Procurador Capitio Vicente Licinio da
Costa Campe'l).
- Proc.rador Capitio Joio Pedro da Cruz
Neves.
Definidores .Mauoel Goncalves Agr, maior
Jos E iasde Oliveira, Francisco L pes Guiraa
raes, padre Albino de Carvjlbo L'ssa, Joo J
deMiraoda Antonio do Carrao F."reir Sydro
nio Nuies Selle, Elias L>pes, Jo Miriins Pon-
tea, Jos Mirla P<-rreira Franca, Antonio Carlos
Borromeu dos Santos e Jos Chrisplniano da
Silva.
Tobiaa Barre*o--Acha se nos parios dos
.-rs. Ei umiuoudas A Krause a polka que. com o
latendeaela Honlelpal do Beelfe
ment dodiata :
10.
do de S. Jos
dooro
te rio
rsos irapostos
7:StS*293
t#000
2*4*860
4*500
5IOZ72
peracae*
das no ho^piul I
8:7.925
am ortica
pital Pedro II as seguinles :
Pelo D-. Silva Frreira:
Calporraphia anterior e posterior indicada por
prolapsc do tero.
Pelo Dr. Estevo Cavalcante :
Amputaco da mama, indicada por carcino
ma ulcerado.
Pelo Dr. Pontual :
Ligadura da arteria femural direita no vrtice
do triangulo de Scarpo, como tratamento de
aneurisma popbno.
Pelo Dr. Berardo:
Extracgo de catarata do olbo direito pelo me
thodo a retalbo penpherico com iridectomia.
Casa de Bese ncao -Mov melo dos pre-
sos da Casa de Detengio do Reclfe, Estado de
Pernarabuco, em 10 de Juana de 189-1.
Existiam 509 ent:arara 5, sahiram 25, existem
US.
A saber:
Nacionaes 471, raulheres 23, estrangeiros 15.
-Total 509
Arragoados 400
Bons 363.
Ooentes 25
Loucoa 4.
Loucaa 3.
-Total 400.
Movimeoto da enfermarla
Tiveram baixa:
Joo de Paula Neves.
Florencio Jo' de Souza
Joo Fraacia:o do Nascimento.
Tiveram alta :
Emygdio Joaquim da Silva.
Pedro Alexandrino da Silva.
Jos Jeronymo da Silva.
Joae I?nacio Pereira.
Fraciico Beltr&o Gomes Silverio.
Joia Paulo dos Santos.
Possidoaio Joaqaira d'Assumpgio.
Anselmo Das Crrela.
HoHpitai de variolosos -0 movimento
do hospital de Santa gueda (para variolosos/
no dia 10 do corrente, foi o seguiste :
Homens Mulhere Total
Existiam 106 66 172
Eotrarara 6 18 24
Sahiram curados 4 2 6
Falleceram 3 2 5
Existem 105 82 18
ospitat Pedro -O movtm-nto desu
*abelecaiento de caridade, no dia 10 ic Junho
j o seguate :
Enlraraca 10
Sabiram 15
Falleceram 3
Exiatem 434
.'oraro visitadas a respectivas enfermarla*
ios Drs.: -
Moscosos $ 1.2
Frreira VeTloso a 10.
Berardo s 9.
daiaquias s 9 1/4.
Pontual s 9 1/2.
Estevo Cavalcante 9 1/4.
Simes Barbosa a 9 1/2.
Nio comparecern) os Drs.:
',vsBeiro.
Raymondo Bandeira.
u-arros so r-n ano.
0 cirurgio dentista Numa Pompilio s 8 3/4
horas.
J pbarraaceulico entrou s 8 1/2 da mar.h e
.dio s 5 da tarde
O ajudante lo pharmaceatico entrou s 8
esihio 48 2-o-cs rfa tarde.
atadour Publico da Cabanga
Foram abitidas para o consumo de boje 43 re
zea. pe-tencentes a diversos marchantes.
Lo.-rl<* do Estado de Pernambuco
A 6* -ene da lotera deste Estado, ser ex
trahida i.upret^rivelraentfi no da 14 do correte
(aabbado). 1 hora da larde, no consistorio de
igreja de Nossa Senhora da Rosario, de Santo
Antonio.
.olera do Estado do Cran-Pari
A H' serie da 31- liitena deste Estado, cujo
nrem.u rande de 250:OiH). sera cxiraida no
aome Jt-s e Ilustre iiu.idw iMiuiem di- i- ilra-, foi da 14 le Ja mo. (Murado).
offerecida por CtaQUio da Gama aoa acadmicos
de nossa Faculdiie.
A comroissao eocarregada da coraaiemoragio
do 1" anniversario da morte do venerando mea
tre, faz rennifto hoje, s 6 horas da tarde, no 2
andar Jo predio n. 45 ra da Aurora.
Essa commisso, por se terem r tirado para
f-a da cidade atguns de seos primitivo raem-
bros, acha-se actualmente composta dos acade
micos Tnomaz Viegas, R Lisboa. Vctor Freitas.
Manoel Correia d'Oliveira, Luiz Fclippe S Leio
Jnnior. Arthar B U. Civa'cante, Raymondo Mi-
randa, Antonio M. C. Ribeiio, Ral Machado e
Jos Jayme de Miranda.
Bl rectora das obras de conoerva-
eo dos por i os do PeraambneoReci-
fe, 10 de Jnnho de 1890.
Koletim meteorolgico
3 <*
loras a Barmetro a
V o ac 0
a; s
6 m. 25,3 763-34
9 2fi,8 764-68
12 28 ,1 764-26
3 t. 28\0 762-85
6 26",7 762-95
Tenso
'do vapor

m
17,50
1750
17,50
1861
18,25"
72
66
61
66
68
Temperatura mxima28,'50.
(Jila niinimai4,"75.
fivaporagio ora 24 horas : sombra3",7.
Chnva-1,0
Direcgo do vento : variavel de E a SSE de
meianoite at 10 horas e 15 uiiau'os da manb;
S at 9 horas e 20 minutos da larde ; SSE at
meia noite.
Velocidade media do vento4,"07 por se
gando.
Nebulosidade media0,"49.
Boletim do porto
U i ] SI Dia3 Horas Sa Altur
P. M 10 de Junho'lO36 da manh B. v ; > 1 5-24 da tarde p. M > 11-38 l B. M. 11 de Junho 6-11 da msnh 1 2-,25 0,78 2-.08 0-,98
ajeiiaes-Ellectuar-se-ho os seguintes :
Hoje:
Pelo agente Gusraio. s 10 e 1/2 horas, ra
da Iraperatnz n. 17, de predios e terrenos, fo-
gos chinezes, gneros de estiva, etc., etc.
Pelo agente Stepp'e. s 11 horas, na ra das
Plores, de aicessorios de reinagao.
Pelo Agente Burlamaqui, s 11 horas, no pa
leo do Paraizo n. 8, de movis, lougas, vidros,
etc., etc
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, na travessa
do Corp o Santo n. 27 de um espolio. .
Bissao fnebres-Serio celebradas:
II je :
Ars 7 horas, na igreja da Penha, pela alma de
Muioe.l da S.l i,\ M u ionga Viaana ; a 7 1/2 ho-
ras na matriz da B m Vista, pela alma de Joo
Alfredo Soares Pinto.
Amanbi :
A's 8 horas n. igreja de S. Francisco, pela alma
de Agostinho Luiz Vieira.
PassaaelroaChegados do sul no vapor
uai.ional Espirito Santo.
Joio Carlos Oliveira, Jorge Sab, Joio Pedro
Jas Maria Alves, Paulo Conde Joo Meirelles,
Eurico V. La Balze, Maria da Conceic-io, Maria
Luisa? Dr. Paulo Rodrigues, Dr, Jos Julia Ri
trueira Pialo de Souza, Jos Gil Castello Branco,
Vicente Poncio Frreira, Antonio Lopes de Car-
ralbo, Germano Ignacio de Araujo, Antonio Lou
renco de Souza, Jo. Pedro de Sonsa, Trifoni
Lucavy. Francisco de Assis Guedes. Americo
Carlos Gonveia, Antonio Pinto Guedee Paiva, sua
senbora 2 Albos e i criado, Dr. Celso Barreto,
Aleixo Parias Godinho, Anua de Lemoe, Joaquim
Piusa de Lima, Joio Cagador, Hara F. da Con-
ceigoe Ignex Salustiana,
- A 5* >ene aa 37* loieria cujo premie gran
de de 60:00)4000 ser extraada no dia do
corrente.
A 1* aerle da 36*loteria, cujo premio eran
de de 120:0004000 ser extrahida no dia .. de
corrente.
Lotera do narnnbo A 20* ferie
da 1* loieria deste Estado, cjo premio grande
de 300:000i000, ser extrahida no dia 18 de
Junho (quarta feira).
Cemiterlo publico -Obituario do dia 10
de Jutriio :
Jos Lopes Frreira, Portugal, 27 aanos, sol
teiro, Santo Antonio; laryngite chronica.
Philomena Maria das Virgeus, Pernambuco, 16
aonos, solteira, S. Jos; vanla confluente.
Loarenco Gomes da Silva, Pernarabuco, 21 an
nos, solleiro, S. Jos; varila confluente.
Mara Fraocisca da Conceico, Pernambuco,
23 anno, solteira, Re ife; vanla confluente.
Eiisiario Estevo Soares, Rio Grande do or
te, 20 aonos, solleiro, Recite; varila confluente.
Anna Maria da ConceigSo Correia, Pernambu-
co, 50 annos, casado, Boa-Vista ; estreitamento
artico.
Mana Antonia da Conceigio, Pernambuco, 31
annos, casada, S. Jos; escropbulose.
Felicia Mana da ConceicAo, Pernambuco, 66
anuos, casada. Afogados ; febre maligna.
Vicente Bezerra de Almeida, Pernambuco, 20
annos, solleiro, Boa-Vista; varila confluente.
Joanna, Pernambuco, i annos, Boa Vista ; va
rila confluente-
Clandio, Pernambuco, 7 annos, S. Jos; va-
rila.
Mara, Pernambuco, 4 annos, Recife ; varila
confluente.
Mathilde Maria da Conceico, Parahybo, 17
anno3, solteira, Boa Vista; tubercnlose pulmo-
nar.
redro Alves Pereira da Silva, Pernambuco, 28
annos, solteiro, Boa-Vista; tubercnlose pulmo-
nar.
Margarida Maria da Conceigo, Pernambuco,
30 annos, casada, Boa-Vista; tubercnlose pul
monar.
Manoel Frreira de Lima, Alagas, 30 annos,
solteiro, Boa Vista ; varila conflueute.
Joio Soares, Pernambuco, 30 annos, solteiro,
, Boa-Vista; varila confluente.
I Pessoa, Pernambuco, 24 aonos, solteiro, Boa
i Vi ta ; varila confluente.
Francisco Antonio da Silva, Pernambuco, 26
annoa, casado, Boa Vista ; varila confluente.
Jos Alves, Pernambuco, 33 annos, casado.
Boa Vista; varila confluente.
Maria, Pernambuco, 2 mezes. S. Jos ; dyar
rbea infecciosa.
Maria. Pernambuco, 1 dia, Boa-Vista catar
rha fuffocanle.
e a Manoel Virgilio por Hercules, que ficaram
parados em pareo* em que entraram em sua
rail.
Para oGrande 16 de Julho,do Jockey Clnb
do Rio, eslo inscriptos 20 animaes.
Entre estes ba 4 completamente novos do turf
fluminense, e alo :
Dan Porester, bello e musculoso alazio, por
Dan Godfrey e Poreat Beauty, pertencente a um
sportsman de Cantagatlo e ora entrega aos cui-
dados da Coudelaria Mioeira ;
Gol a en Star, egua alazi, chegada muito recen
temeote de Inglaterra, onde a bou ve por bom
prego a Coudelaria Hanoveriana, e ainda de tilia
gio nio conbecida ;
Mysteriosa, a.celebre egua do Sr. F. Schimidt,
qoe sabe se agora ser a ex-Palette, por Zut e
Hatticienne ;
Salamandra egua castanha, por Standar! e
Biony pertencente Coudelaria Cruzeiro, que
a com proa aos Srs. Sedestrom & Guimaries.
#
No Pait da capital federal, l se a seguinte
noticia :
A Coadelaria Brazileira, nao encontrando
nesta capital jockey que Ihe coaviesse, maodou
vir um... imaginera donde...
Da Inglaterra ? Da Franca ?
Nao, s Pernambuco.
Podemos aflancar aos leitores, porm, que
nem da Inglaterra nem da Franca viria nenbum
mais perito e mais babil do que esse que deve
chegar por estes dias, e que bastante contien-
do nesta capital. *
A forma dessas palavras exprimir satyra en
leuvor ?
Si no entanto urna satyra em louvor, de no
tar o bello conceito que tem os jockeys deste
turf no sport fluminense 1
O que certo, porem, que es se, cojo advento
l se espera, ha de ser um desses tambem que
de l vieram e. assim de novo attrahido para
matar saudades.
Hippodroaio do Campe rao.de
A inscripgo para a corrida do dia 15 do cor-
rete nesse Prado encerrarse ante-hontem com
o seguinte re ultado :
! pareoEnjulago 756 metrosIda, Yam-
bo, Tarujo, Stella, Fantina, Urano Mosca. Belga,
Fox, Hori9onte, Vampiro, Thisbe, Mab, Kri-Kri,
Mane e Peut tre.
2* pareo Progre.:so 830 metros Plnto,
Hercules, Malange, Talispher, Hnmilde e Ma
ranguape
3 pareo -Harmona -800 metros -Rio de Ou
ro, Tranaclave, Diu, Petit maitre, Potos e Ber-
Um.
4* p ireo-Estado de Pernambuco-1,400 me
troa-Faceira, Pindaro, Aruma'y, Templar e
Delegado.
5 fcareo -Trlh03 Urbanos l,200Tnetroa-
Villuge, Sans-Souci, Colosao e Transclave.
6 pareo13, de Maio800 metros Talispher,
Pombopreto, "Gerfau', Hercules, Pharisea c
Honro.
7 pareo -Reparaco 800 metros Dublio,
Conectar, PoBrazif, Thisbe, Breas e Mouro.
IHDICAyES OTIS
Mdicos
O Dr. Lobo Mokiso d consultas em
sua casa a ra da Gloria n. 39, das 10 ho-
ras da manha 1 da tarde. Aihando se
fra do servigo publico oflferece se para
acudir a q'ialquer ichamado com prompti
do para fora da cidade. Especialidade :
operac5es, partos e molestias de senhoras
e de meninos.
O Dr. Alcibiades Velloso d consu'tas
das 12 s 2 horas da tarde, na casa da
sua antiga residencia, raa do BarSo da
Victoria n. 45, 1 andar.
Dr. .Todo Pauloespecialista en: par
tos, molestias de senhoras e de criaocna.
ooin pratica nos hospitajs de Pane e de
Vi en na d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da tarde, ra do Bar5o da Victo
ria n. 60, l. andar, e reside na estrada
dos Aflictos n. 30, junto estaslo do Es
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te-
lephone n 467, na residencia.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto
rio ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia s 2 horas e fora
destaa horas ra do BarSo de S. Borjc
n. 22. Espe sialidadesmolestia de enan-
cas, senhoras e parto. Telephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz o. 8
d onsultas medico-cirurgicas todos os das
das 8 ao meio dia, menos nos domiogoe e
dias santificados.
Dr. Freitas QuimarHea, medico, tem
se consultorio na ra Duque de Casias
n. 57, 1. andar; d consultas nos dias uteis
das 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
jueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
co-cirurgica. Especialidades: moler.uat
pulmonares e partos. Ra do Marqo^< di
alinda n. 27, 1. andar. Consultas uaa 1]
aa 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa
ella) das 6 s 9 horas da manh e
ad Telehone a. 392
Dr. Joaquim Loweiro medico e partei
ro, consultorio ra do Cabug u. 14
i." andar de 12 s 2 da tarde; residencit
o Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador,
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 as
i da tarde em sua risidencia ra d>
3om Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
indar. Telephone n. 389
PBLICAC0ES A PEDIDO
A directoria do De by, por irregularidades as
corneas do e 3* pareos da corrida ae 8 do
corrente, suspendeu por 60 dias aoa jokeys Al
frndo de Freitas e Balbino Benjamn.
A suspenso do primeiro desses jokeys foi de
ter.nna.ia sem dvida por ler lacado parado o
cavallo Djerid, que o mesmo jockey montava no
a'lu'iido pareo ; e essa providencia, alias justa,
porque o animal veio para a raia aura de correr,
& do para nella estacionar, fallando assim es
pectativa dos apostadores, traz nos lembranca
a falta de igual providencia que deixou de tomar-
se a respeito dos jockeys, que na ptima corrida
do Prato mon'.aram a Sieila e o Rio de Ouro, e
por maioria de razo deviam soffror urna pena,
visto que nem foram restituidas as poules doa
mesraoa animaea aos respectivos apoaiadores e
eotrarara assim no computo do raleio, sem que
essas aposladores prejudicados fossem convena
dos pela luta de sua m orientaco ao tomarem
por favoritos os referidos animaes.
E' possivel que a boarada directoria do Prado
tivesse bom luoaameuto, que nos escapa, conai
derado o facto pela rama como o Osamos, para
aisim proceder, mesmo porque j vimol a em
casos idnticos multar a Luiz Pereira por Cauby
Advogados
O bochar el Bonifacio da AragSo Faric
Hacha contina a advogar. Escriptoro
-ua do Imperador n. 46., 1. andar.
O baeharel Joaquim Ihiago a Fonseca
em seu escriptorio de advogado ra de
Imperador n. 14, l. andar.
Oceulista
Dr. Frreira. com pratica nos princi
iaes hospitaes e clnica de Pars e Lol
ires, consultas todos os dias das V
aorasdao meio-dia. Consultorio e resi-
enca ra Larga do Rosario o- 20-
Dr. Barreto Sampaio, oceulista, d con
iultas de 1 s 4 horas no 1. andar da
asa ra Bario da Victoria n. 51. Resi
lencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra
a pela ra da Saudade n. 25.
Drogara
Farta Sohrinho & (7.,dxogoBta pog.aU
jado, roa do Marques de Olinda n. 41,
Francisco Manoel da-Silva A C, depoai
arioe de todas as especialidades pharma
Miuticaa, tintas, drogaa, produoto ohinu
osa medicamentos boawopatiaoa, raa dt
tfarquei de Olinda n. 23.
Empreza da estrada de ferro
de Ribeiro a Bonito
A directoria da empreza da estrada de fjrro
de Ribeiro a Bonito abri concurrencia* para
a construccao de mais 38 k lometros e 700 rao*,
troa da raeama estrada e suas obras at a villa do
Bonito, de accordo com os estuios, plantas, or*
camento e especiticacoes existentes no escripto-
r o central; segaudo o edital de 2 de Malo.
0 Sr. Antonio Dnarte Machado propoz con-
tractar a construeco geral do leo da estrada, a
comecar do 23 kilmetro at a villa do Boaito,
in -lusive todas as obras d'arte, o foraecimento dt
dormeatesde madeira de le, e o assentameoto
dos trilhos e de todo o material de flzaco...
Tacbaram de incompleta a proposta do Sr.
Machado:
Io Porque diz orcamento no singular,
sendo que ba dous orcamenios, no segundo dos
quaea (o da va permanente) esto comprehen-
didos : trimas e acoessorios e superstructura
metallica de pontes e pontith6-s ; dormeatea a
assenlaraento da lioha; telegrapbo edifi-
cios ;5 caixas d'agua ;-e 3 gyradores.
2 Porque o Sr. Machado especifica os dor-
mentes e assentamen o da lioha ; do que se de-
duzio que elle exclua as outras verbas do se-
gando orcamento.
A censura improcedente; pois a reatnccSo
qae se infere da palavra orcamento, est no edi-
tal, e com elle se conformou o Sr. Machado
O edital especificou as obras, para abranger os
edificios, mencionados no segundo orcamento,
oa importancia de 130.000*003. O 8r. Macha lo,
com a mesma inteoco, especificou todas as obras
d'arte.
Julgou se no edital que os dormentes e assen-
tamento da linba estavam claramente incluidos
as palavras construeco da estrada ; mas
o Sr. Machado, para evitir dundas, mencionou
o fornecimeuto de dormentes e o assent ment
dos trilhos e de todo o material de Bxaco.
Para encommend ir esses ob'ectos, assim como
o material rodante, a empreza nao necessitava
de onerar se com a intervenco do emp-eiieiro
das obras.
Conveio ao Sr. Amaral incluir na sua propos-
ta ambas os ornamentos, em sua totalidade, e
muito mais ainda; a coadicc&o da empreza con-
tractar com elle a construeco de um prolonga-
ment e de ura ramal, isto de mais 160 kilo-
mtrtrja, sem concurrencia e sem abatimento pe-
los preces que foram aceit03 pelo governo. Ist#
na occasio em qae o mesmo proponente offe-
rece ura abatimento ae 20 0,0 cm precos que fo-
rara aceitos pelo governo I
E para maior segnranca, era o Sr. Amaral,
conforme sua proposta, quem bavia de fazer os
estados definitivos ; e portan to qnem faria o or-
camento geral ou d^ria as base3 para o mesmo.
Um distancio engenheiro fez por conta do go-
verno os e;tudos definitivos de certa estrada da
ferro ; e potKO tempo depbisoffereceu-se a fazer
a construeco, com abatimento de milhares da
eolitos, o que nao foi aceito O Sr. Amaral con-
tractiva desd^ logo as duaa coasas: os estudos
etimlivos e a construeco)
Das duas propostas, era a do Sr. Machado a
que eslava mais de aecordo com o edital. A
obrijiaco, a que se sujeitou, de contractar coa
os pequeos empreiteir'8, que j tinham come-
rulo os trabalbos, conformase com o edital;
porque nicamente urna vantagem e urna ga-
rant i para o cumplimento do contracio. Sea
esta condiio, aqueiles empreitetros exwiriaa
indemnisacOes, e podenam oppor obstculos,
judiciaes e extrajudiciaes, ao servigo do con-
tractante.
II
Prolisfioaae3 mullo distinctos demonsIraTam
que a preposta do Sr. Machado era a mais van-
tajosa para a empresa:
1 Porque d um abatimento de 22 '. mais
1 9/10 que a proposta do Sr. Amaral.
2 Porque o Sr. M.chado obrigou se a dar co-
ra co aos trabalbos da construeco oito dias
depoia que, para isto, fosse intimado pelo ge-
rente ; e a concluil a no prazo de 24 mezes,
salvo o caso de forca maior, a jutzo da empresa :
ao passo que a proposta do Sr. Amaral inde-
terminada neste ponto, e dependa de accorda
por occasio da assignatura do contracto.
3." Porque o Sr. Machado obrigou se a con-
tratar do 23 ao 30 kilmetro com as pessoas
que j deram i om co a resolutiva c>nstrocco ;
o que evita quesioea e prejuizos, a que a empre-
sa estara sujeita.
4.e Porque o Sr. Machado obrigou se a fazer
a conservacao de todos oa trabalbos emquanta
nao forem abertoa ao trafego ou aceitos pelo
engenheiro fiscal.
5. Porque o mesmo proponente obrigou se a
deixar no cofres da empresa 10 % do valor
liquido de cada kilmetro, para garanta da boa
execuco do contracto at sua terminaco.
6. Porque o Sr. Machado, para facilitar os
pagameoios, obrigou-se a receber 500 ecOes da
empresa (o qae importa a concesso de mais ua
abaiimenio, emquanto estas accOes eativerea
abaixo do par).
7. Porque nao urna vaotagem, seno gran-
di.-sima desvantagem para a empresa, a condi-
co proposta pelo Sr. Amaral, de fazer opportu-
namenie os estudos defioitivos do proloogamen*
to a Peaqueira e do ramal a Capoeiras, com o di-
reito de fazer a construeco pelo prego do orca-
mento que for approvado peio governo e servir
de oase para a obtengo da garanta de juros.
8." Porque, prnpoado o Sr. Amaral fornecer
material ro lante, que for necessario, pelos_pre-
rvs, quantidades. quahdadea e mata condigoes
que forem convencionadas opportunamente, coa
isto do ufferece vantagem alguma. Nao era ua
onus para o Sr. Amaral obrigar se a fornecer
pelos pregos que opporlonamente'convenc nasse
le que foasem do seu agrado, sem o que D*
convencionaria) o material rodante ; alm de ser
cousa, de que no edictal se nao tmha cogitado.
A proposla do Sr. Machado era coosguinte-
mente muito raaia vantajoaa para a empresa.
III
Pondera o Sr. Dr. Feilosa, em um parecer que
foi impresso, que o abatimento proposto pelo
Sr. Machado sobre a qoaotia de 1.227:570*, im-
portancia do Io orgamento, e a de 15o:0O0J, pre-
go dos dormentes e assentameoto da liaba, espe-
cificados pelo mesmo proponente ; o qne (dk
0 Sr Dr. Feitosa) d para a importancia das
obras que pretende contractar, a quantia de. .
1 377:1-01*, da qual deduzindo o abate offereci-
do. resulla para a empresa o beneficio de......
303:t<0* ..
Neste perio lo ha dous equvocos.
1.* Porque o Sr Machado, declarando todas
as obras d'arte iucluio os edificios, que esto
contemplados no 2o orgamento. Elle nada es-
Secificou do primeiro, nem era necessario que
zesse.
2." Porque, assim como os pregos parciaes do
! orgaraento tem 10 */ oara evenluaes, que fo-
ram accrescentados englobadameote no nm do
mesmo orga nenio, elevando-o somma de-----
1 227:723*695 ; tambera os pregos parciaes do 2
orgamento lera esse accrescimo, feito engloba-
damente. na importancia de 52:350* ; o que elo-
vou o 2 orcamento a 575:850*, como se v ao
proprio parecer-do illustre engenheiro.
Para calcular a importancia do abate offe.reci-
dona proposta Amaral, o Sr. Dr. Feitosa consi-
dera as somraas dos dous orgameotos, inclusivo
os 10 "/, para eventuaes ;
Para calcular o abate da propo3ta Machad,
considera a somma do 1* orgamento, com even-
tuaes, e urna verba do segundo, sem os 10 %,
OslMOalhoa, a qae ao otonaou o Sr. Machad,
sao:
.. *

I
I

Os do i" org. (inclusive os 10 % 1227:723*61*
Dormentes e ass. de linba (dem) 165:000*001
Edificios (dem) iaiOOO/OH
ll35l7S3*6*.
O aba'imento proposto pelo Sr. Machado vte
a ser de 337:859*212, e nao de 303.160*, coa
calculou o Sr. Dr. Feiiosa. >.
O aba.imento offerecido pelo Sr. Amaral sobra
a totalida le dos dous orgamentos de.........
362:518*312, isto mais de 2%:65*100.
Mas a Empresa tea-de contractar com o Sr.
Amaral o fornecimento de trilhos e superstructi-
ra meUlica por 170:000*000 e mais 10 /.; t*-


Diario de Pernambuco--Q*inta-feira


\
Sapbo por 30:800*000 e maia 10 /.; eaixis
ligua por 25:0004000 e raais 10 / ; e 3 girado
res por 18:0004000 e ans 10 /..
A excepgio do assentamenlu dos postes e fias
lelegraphicos, do qual se podem despender um
600*000 ou meos do que isso; e do issenta
Beato das 5 caixas d'agua e 3 giradores ; as
quatro verbas oa importancia de 243:"O*000 e
saais S43K)A0J0 para eveutuaes, sao ferragens,
em raja encommenda lucrara o Sr. Amaral quan
Ka muito superior aquella diflereoca de.......
14:659*000. S por si, ere maguiflco receber
10 */0 Para eventuaes em umi eacommeada dp
trilrios e obyectos de ferros oa importancia de
entenas de coitos.
As 5 caixas d'aguas foram oreadas em.....
15:000*000, ou antes em 17:500*000, com os
10 */ Para evenlaaes, import ado cada urna em
1:500*000; mas 1 das 5 caixas j eato feilas
sela Empresa, que nao chagoa a despender em
ada urna 1:000*000. O'ahi duas consequencias :
1.* A Empresa nao incluio no edilal o 1." 051:
nenio em sua generaldade; notando se que,
aim das duas caixas d'agua, lem em deposita 8
kilmetros de trilhos.
1.* O Sr. Amaral, ae contractassj a constru:-
fio de 5 caixas d'agua por 27:500*000, menos
10 /., lucrara s n'isto uas 10:000*000.
Fgure-se. porm, a bypolhese de baver em
orna das clausulas da proposta Amaral urna van
tagem de 24:659*100, e nao um grande prejuiso
para a Empreza. Essa vantagem estara muito
aquem das que offreceu o Sr. Machado : praxo
limitado para o cornejo e termioaco dos traba
Idos ; conaervagao das obras at a abertura do
trafego ; deposito de 10 */> do valor liquido de
ada kilmetro;3UbscripcSo de 500 aeces pelo
valor nominal contracto com os empreiteiros,
fue podan] exigir indemaisacOes e embaracar o
ervico ; e mais 1 e 9/10 de abatimeoto.
Nao se pode contestar, que a proposta do Sr.
Machado devia ser preferida; vejamos, porir,
te a dinctoria proceden de modo censuravel Da
redacgSo do contracto.
E' sem nenhum valor a prineira censura : le
rem os directores declarado que residiam n'esta
idade, quando ba dous que residem fra.
A minuta fornecida conlioha as forgas da es-
eriptura, as condiges do contracto, o que dito
elas partes contractanies, e nao a residencia
os directores, nem a do Sr. Machado. D'ahi re
sultou escrever se que o Sr. Macaado era ivsi
dente na comarca ile Palmares ; contra o que elle
reclamou, motivando faser se do flm urna recti-
icacao, do seoiido de que sua residencia era na
omarca da Escada.
Ouvindo a leitura do instrumento antes de
assignal o, a directora preoecupou-se comoutras
cusas, que muito mais importavam aos inters-
es da Empresa, do que a mengo da residencia
de cada um dos directores. Sim, preoecupou-se
iom ouiras cousas auto que, tendo escapado,
epois daspalavr 1 salvo caso de forja maior,
a clausula a juiso da Emprea, que eslava
na minuta,a directora exigi que ella loase con-
ignada, o que se fes, mediante urna rectifica
fo.
A censura eita ao contracto por nao ter com
prehendiio todas as verbas do 2o orcamento,
a mesma que ja refntei, de ser incompleta, e em
desaccordo com o edital, a proposta do Sr. Ma
hado.
Outra censura haver no cootracto especifica-
60 de pregos. 11 ouve dous motivos, para que
elles fossem aponlados:
! A ojutuacoDveniencia de estipularse, co-
no se estioulou, que a Empresa, bem como o
empreiteiro, nao senam prejudicados por erros
de somma ou de calculo, que por ventura se
ncomrassem no orgamento; respeitadas as uni-
dades de prego que oelie serviram, com o aba
tmenlo convi'DCionado.
2 A possibilidade de se tornaren) necessarios
trabamos e obras nao previstos no orcamento,
ou de ser necessana a modilicagio do projecto
m algum ponto, com dimmuigo de trabalhos
obras.
Escreveu um dos censores :
Na 2* condigo vem a labslla de pregos e
determinase para pedra solta 2*001 por metro
ubico, Dar rocha 3*000, para al venara deci-
menlo qSsiqutr unr seja a sua dos gnu, 20*000 e
para enrocamenio 12*000 !
o orcamento para a construego dos k'lorae-
Iros 11 a 22, se menciDam quatro alveua-
rias:
De pedra solta a
De lajes a
Ordinaria, de 2 de cal e 3 de areia
dem de 2 de cimento e 3 de areia
205003
1410 0
I6000
20*000
df Sr. Ma
M para pe Ira 33 /., *fle que estes multiplica-
dos por 2* dao perfishisjsntt a quantia coas un
le do orcamento 111
Fiaam respondida es c.-asaras ; e do que dei-
10 exposto, sem auxilio de conhecimeotos leen
nicos, acharao os accionistas Bufflcieute esela-
recimento.
Um acc.onuta.
Segundo traslad
EM J de alo e !o
L se na 2' condigo do contracto
hado:
Os pregos que serviram de base para o or-
ea ... .0 :: construego do leito da estrada e
obras de Duo.ro e ponlr.Oes sta os seguintes...
alvenaria de cal 161 ; dita ie cimento 2H0OO. .
Estes e os outros pregos referidos na 2* con
iga foram os que serviram para o orgame ato
d s 38 kilmetros, agora contractados. e para o
orgameolo dos kilmetros anteriores ; mas a al-
ienara de cimento tinha urna dosagem certa e
determinada : 2 de cimento por 3 de areia; assim
orno a de cal: 2 de cal por 3 de areia.
No contracto se fes urna alterugao em prejui
so do Sr. Machado ; mas houve ao mesrao tem
po urna falta de exylicagao.
Vejamos a clau-ula 3*:
0 empreiteiro obriga se a construir todas
as obras d'arte com alvenaria ordinaria de pe
dra e argamassa Ae 1 de cimento por 3 de artia ;
e nss obras em arco a argamassa ser de 2 As
miento por 3 de areia, e o revestimento das res
pectivas abobadas ser de 1 ie cimento por 1 de
mrea; obrigaado se geralmente a rejntalas
nis alas exteriores com argamassa deldecimtn
le por 1 de ureia e com empedramento a mou
tanle e jasante de u.n melro correnre.
B' claro que 3" Do Davla de estipular urna
alvenaria de 16*000, (que, sendo a mais barata,
devia ser a mais frequente) e ao mesmo tempo
xcluil a de todas as obras, nao le dar applica
gao alguma. Nao ;e excluiu a alvenaria de 16J;
o que se fe foi substituir a argamassa de 2 de
til e 3 de areia pela de um de cimento e 3 de
areia, maudo o rmsmo fcco.
Quera redxir mesma denominagao as frac
5e- 1/5 e 1/4 ver que valem o mesmo que
/20e 5/20, oque facilita a compareci. Em
20 de argamassa o Sr. Machado d de c ment,
em ves de 8 de cal, com o que vem a soffrer
augmeuto de despla-
yara a alveoaria de 1 de cimento por um de
areia o Sr. MachaJo uJo exigiu prego especial,
contentou se com o mesmo prego da alveoana
de 2 de ciraeolo por 3 ae areia.
O tai prejuiso de 72.0^0*, deque falla o ceo-
sor. nao existe absolutamente.
Ont.-a censura e aia la mais solemne :
Quaoto 1' parle (pedra solta e rochi) f-
cil calcularse qual fui o prejuiso da Empresa,
pois tomando se qualquer dus volumes kilome
trieos do orgamento apresenUdo, e dauUo-?e pa-
ra pe.'.ra33 /,, v se que estes mullipluadui
por 2*000 dao perfeitamente a quantla constaote
do Ofgamenlo; ao passo que, multiplicados por
3*000, como cou estabelecido no contracto, dao
um augiuuuio 1 norme, que > leva s* smente nos
kilmetros 31 a 60,700 metros a 166:0O0*0uO !
quaiatia e.-ta de que a director a langou mo pa-
ra fazer presvaM a Machado I I
Tomemos um dos vlume, kilomtricos door-
garaento aprt3. nudo. Seja o ktlumelro 28.
Ns. Cortes
80
81
82
83
J84
ti5
aterros
4423 10237
8650 121
3596 R3M
32538 17853
78 20i6
405
Pregos
Terra 14:903*080
Pedra 49 600*000
Obras 31:197*220
49692
42621
Do 49622 metros cubico de cortas se tom.r-
aaoB os 33 "/, de que falla o censor, lemos
16398 metros cuaicos; e es'e* multiplicados por
1* dao 13:796* e oto os 49:690*. que eslo uo
orcaoi-nto Os 16398 multiplicado* por 3* am
da oto chegam aos 49:690*0001
No kilmetro segoinle (18*) UaJ7973 metros
cablee de cortes, cajos 33 / mtmiplicadoa por
:l* (e nao por 2*) dio 37:533*. isto 6, menos do
que est no oreameoto ode se calculen para ex
caago em pedra 37:9758000.
Meo precito ir mais longe.
leste modo qoe em qualquer des volumes
kilomtricos do orgamento apresenUdo, dando-
Diatribuigio.A' MaranhSo.
Escriptura de contraen) qe taem a di-
rectoria da empreza da estrada de ierro de
Ribeiria a Bonito, estabelecid nesta ca-
pitel e Antonio Daarte Machado, resideote
em RibeirSo.
Recife, 26 de Maio de 1890.
Est a estampilla do sello inatilis.*d a
pelo distribuidor Horacio Pire.
Saibam quaotoa esta escriptura publica
de cootracto virena, que no auno do as
cimento de Noaso 3enhor Jess Christo
de 1890, aos 26 dias do mea de Maio,
neste cidade do Recife, capital do Estado
de Pernambuco, em mea cartorio ra
do De. Feitoaa, onde eu tabelliao me aaha-
va, ah perante mim e as duas testenai-
nhas no fim nomeada e assigaada, com-
parecern! como partes presentes contra
otantes a directora da empreza da estra-
da de ferro de RibeirSo a Bonito repre-
sentada pelos cidadios gerente coronel
Jos Bellarmino Pereira de Mello, seare-
tario Manoel de Hollanda Cavaicante, e
thesoureiro Antonio Guilhermino dos San
tos, e do outro lad o cidadSo Antonio
Oaarte Machado, denominado neste con
tracto o empreiteiro, este residente em
RibeirSo da comarca de Palmares e aquel
les ne-ta cidade, todos conb.ee dos de mim
tebelliSa e das testemuohas, como os pro
prios de que dou f.
Declaroa a mesma directora perante
mim tabelliSo e a testemunhas, que ten
do a empreza abarto concurrencia publica
para a construcc&o do trecho de 38 kilo
metro3 e 700 metros da mesma estrada
at a villa do Bonito, e todas as suaa
obras d'arte, edificio e estacos, e assen
lamenta dos trilhos e de todo material de
fisacSo inclusive o fornecimeuto de dor-
meatos de madeiras pelos pregos que ser-
viram de base ao orgamento geral, confec-
cionado e apresenUdo pelo engeuheiro da
empreza, na importancia total de........
I,535:723i5690, resolver i ceitar e con-
tractar com o referido empreiteiro Anto-
nio Duarte Machado todas as obras e tra-
balhos j declarados neste contracto, inclu
sive o fornecimento dedormentea de accer
do com a proposta do] mesmo empraiteiro,
por ser a mais vantejosa, com o abatimen-
to de 22 [# do orcamento geral, em be
neficio da empreza, sob as seguintes con
digoes :
Prmeira.--0 empreiteiro, cidadSo An
tonio Ouarte Macb tdo, obriga-se por si ou
por sen prepostos .1 construir o trecho de
38 kilmetros e 7 0 metros da estrada e
todas as suas obra* edificios e estagoes,
de accordo com as lanas, perfis e dese-
nhos de obras d'arti, apresentado pela
empreza, assentaalo trilhos e todo o ma-
terial de fixacSo e fornecendo os dormen-
tes de madeira necessarios a comegar do
kilmetro 23, estaca 1,100, at a villa do
Bonito, obedecendo s regras d'arte pelos
pregos que serviram de base ao orgamen-
to j referido, dando um abatimento de
22 (0 em beneficio da empreza, como
declara em sua proposta.
Segunda.Os pregos que serviram de
ba83 para orcamento construcclo do
leito da estrada, e obras de boeiros e pon
tilbSes sao as seguinteB :
Para aterrar e cavar bOO rs. por me-
tro cubico, em pedra solta 20000, em ro-
cha 3|J000, em vallos 500 rs., alvenaria
de cal 160000, dita de cimento 200000,
rejuntamento 10500, lajSes 140000, enro
camento 120000.
Ter^eira.O empreiteiro obriga-se a
construir todas as obras d'arte com alve
naria ordinaria de pedra e argamassa de
um de cimento por tres partes de areia,
e as obras em arco a argamassa ser de
dous de cimento por tres de areia, e o
revestimento das respectivas abobadas se-
r de um de cimento por um de areia,
obrigando-se igualmente a rejuatal-os as
alas exteriores com argamassa de um de
cimento por am de areia, e com o empe-
dramento a montante e justante de um
metro correte.
Quarta Nio ser -obrgado o emprei-
teiro a rejuntar os boeiros capeados que
sero construidos oom lajSes, bem com >
os muros de sustentagSa serlo fitos de
pedra secca aaruaada, obrigaado se en-
tretanto a faael os nos lagares em que fo-
rem precisos a juizo do engenheiro da em-
preza.
Quinta. Ser obrigada a fazer valloa
em lodas as obras que delles necessitarem,
certo de'que neahuma obra ser fundada
sem exime previo do mencionado enge-
nheiro.
Sexta.Obriga se a dar coraego dos
trabalhos da construegao do le^a da es-
trada e suas obras empreando material
de primeira qaalidade e madeiras de le,
oito dias depois que para iaso for intimado
pelo cidado gerente da empresa e a con
cluir todas as obras referidas neste con-
tracto e a fazer a entrega defiaitiva no
prazo de 24 meses contados da intimagio
alludida, salvo o caso de forga maior.
S.stima. -Obriga se tambem a fazer a
contrvagao de todos es trabalhos em
quanto nio forem recebidoa pelo enge-
nheiro fiscal do governo ou abertos os
trafegos, desde quando cessar mmedia-
tamente a sua responsabilidade
Oitava.Obriga se mais o empreiteiro
para garanta do presente contracto a dei
xar urna conta corrente a seu crdito na
empreza, de por cento do valor liquido
de cada kilmetro construido urna vez
aberto ao trafego de ettego estac&o e
recebida sua importancia.
Nona. Obriga e tambem a reeeber em
pagamento 500 aceces da empreza do va-
lor nominal de 1OJ0OJ cada urna pro
porgao do avanga nento geral da hnha po
dendo entretanto remil-a antes.
Decan. O empreiteiro no poder
exigir pagameuto algum da empresa por
conta de trabalhos em construcglo se
ulo vista dos certificadas do eDgenbeiro
da emp esa e quando forem apresentado,
sendo" que o mesaoo engeah-iro* os de ver
pastar proporolo que o servioo for sonde
feito.
Decima primeiru.Qualquer obra que Presidente.
nSo estiver em coadigUes de ser recebida Dr. Manoel Gomes de Mattos,
pelo eagenhiiro da empresa por nio offis-! Vice-presidente.
recer a olidas precisa ser o empreiteiro Dr. Pedro Gaadiauo de Ratis e Silv*,
ohrigado a demolir a sus caite e fasel a; 1- secretario,
de novo fem que lha assta direito a in- Dr. Trajaao Alipip Temporal de Meadonca.
demnisacao alguma. 2' secretario.
Deaima segunda. E' igualmente obri- Demetrio de Araujo Bastos,
gado o empreiteiro aempregarno leito da Thesoureiro.
es rada dormentee de quina viva de ma- Engenbairo darlos Alberto de Meneaos,
deira de le, completemedte descascadas, Vgario Francisco Joaquim da Silva,
isente de b'osios, fendaa, racaduras, ca Tenente Eelippe de Araijo Sampaio.
riadas e de outros quaesquer defeitos,. Dr. Manoel Barbosa de Araujo.
medindo um metro e oitenta centmetros Arthur Gomes de Mattos.
de comprimento, vinte e dous centmetro Joaquim Olintho Bastos.
de largura e quatorse cantimetros de es
pessura
Julio Cesar Paes Barrete.
Francisco. Antonio Gomes de Mattos.
Decima terceira.A empreza nao ser Flix Valois Corroa.
Antonio Gomes de Mattes.
Conselheiros.
obrigada a acceiter dormentes que nSo
estejam isentos dos deleites apontados na
decima segunda condicSo do presente con-
tracto e os recusados ficarSo disposig&o
do empreiteiro sem que lhe assista direito
a qualquer indemnisacSo.
' Decima quarta A empreza obriga se
a por disposigo do emureiteiro urna ou Cabbllbib
mais locomotivas e os trolys necessarios J Quintino
para o servico da construegae da estrada Mabtiss :E' falso,
e das obras que alo objecto do presente
contracto e a entregar na ponte dos trilhos
todos os materiaea destinados ao assenta
O Martina e o Cabelleira
seeaa e unta comedia
Tenho um telegramma do
ment da linha permanente, taes como
vigas de madeira e superstructura met-
lica de pontes, trLhos e accescorios.
Decima quinta.A' empreza fica livre
o direito de importar directamente do ex-
terior trilhos d'aco de vinte kilos por
metro corrente para suas obras loaomoti-
vas, wagdes e todo material frreo desti
nado a pontes, pontilhSes e etc.
Decima sexta. No assentamento do
material fixo o empreiteiro obrgado a
lastrar e nivel'ar a linha, abrindo o vallo
de esgoto necassirios de accordo com o
perfil pelo qual se reger na exscugao do
presante contracto.
Decima stima. Obriga-se "o omprei-
teiro a contractar do vinte e tres ao trinta
kilmetro com 03 pessoas que ji deram
conaeco a sua construgSa, mediante as
garantas necessarias.
Deaima oitava.A empreza, bem como
o empreiteiro nao serio prejudicados por
erros de somma ou de calculo, que por
ventura so enc;ntrem no orcamento, res-
petadas as unidades da prego, que nelle
foram estabelecidas, e coastam da segn
da condicSo deste contracto, com o abat
ment declarado na primeira condicSo.
Decima nona.Se o empreiteiro, fal-
tando ao cumprimento das obrigagSes, a
que fica sujeito por este contracto, nSo
entregar a estrada completamente constru
da, de accordo com o perfil e regras d'ar-
le, no prazo marcado na saxta condigno,
perder a favor da empreza as quantia
que tiver deixado em caugao, na confor
midade da condigJo oitava.
Duodcima. Se a empreza, faltar ao
cumprimento do presente contracto, op
pondo-ae a sua fiel etecugao, pagar ao
empreiteiro urna multa de duzentos con
tos de reis, alem de lhe restituir a quan-
tias que elle tiver deixado em caugao,
segundo a condigio oitava.
E por assim estere m accordes fiseram
distribuir a presente a mim tabelliSo e
depos de escripia eu ali perante as tes-
temuuhas e partes que reciprocamente a
outorgaram, acceitaram e assignaram com
as mesmas testomuahas o Dr. Luis Anto-
nio de Andrade e Joaquim dos Anjos No-
gueira, moradores nesta dita cidade.
Don f.
Pagou o empreiteiro Antonio Duarte
Machado o Bello do presente contracto,
como se v da guia seguinte :
Antouio Duarte Machado vai pagar o
sello proporcional de reis 1:1980000 com
o addiciona jrespectivo, deduzido da quan-
tia de 1,198:0000000, valor do contracto,
que celebra com a directora da empreza
da Estrada de Ferro de RibeirSo a Boni-
to, para a construcgSo do trecho de 38
kilmetros e 700 metros da mesma estra-
da at a villa do Bonito e todas as suas
obras d'arte, edificios, e.tagSe e foraeci-
meato de dormente de madeira.e o as-
sentamento dos trilhos e de todo material
de fixacSo.
Racife, 26 de Maio de 1890.
O escrevente juramentado. Jos Carlos
* S- LJL
Verba n. 1Selloaddicional l:2o709OO.
Pagou 1: 570900 ^e sello de verba por
na 1 havrr estampilhas deste valor.
Alfaudega de Pernambuco, 26 de Maio
de 1890. -Domingues Ulyttes.
E nada mais e conlinha em a dita
guia e verba de setlo, que fica archi
vada.
Eu, Jos Cario de S, escrevente ju-
ramentado escrevi.
Em tempo : De Jaro que ni sexta
condicSo do presente contracto depois das
palavras salvo casa de forga maior
acrescente-saa juizo da empreza, e na
oitava condicSo em iugar de 1er se urna
c&nte corrente laia se em conta cor-
rate, e que o domicilio do empreiteiro
na povoagSo de RibeirSo, comarca da
Escada e nSo na de Palmares, como por
equivoco foi escripto.
Eu, Apollinario Florentino de Albu
querque Maranhao, tabelliSo a escrevi.
J s Bellarmino Pereira de Mello,
Manoel de Hollanda Cavbante.Antonio
Guilhermino dos Santoo.Antonio Duarte
Machado.
TestemunhasLuiz Antonio de Andra-
de. J. a-juim dos Anjos Nogueira.
Conforme com a propria escr.ptura ori-
ginal qual me reporto, exarada a folhas
41, do livro 23.
Cidade do Recife, da era ut retro.
Subscrevo e assiguo.
Recife, 26 de Maio do 1890.
Em testemunho ds verdada. O tabel
liio poblico. Apollinario Florentino de
Albuqnerqne Maranh&o.
Partido Catholico
Tendo o Circulo Catholico resalvido
promover neste Estado a creacSo do par
tido catholico, convida a todos aquellos,
que sSo catholioos, apostlicos, romano,
ama ves que nio lhe posevel dirigir se
aoreinalmente, para itir ao. soto da
instalracae, qae ter lagar no alio do
Lyco de Artes o Oficios, no sabbado, 14
do crrante, s 7 horas da noite.
ffal^ das sessSss, 10 de Junho de 1890.
Vigario Augusto FraakuaMoreira da Silva,
CabellsxbA':NSo do Quintino, do
Oeodoro !
MartiS :E' falso.
Cabelleira :Nao do Deodoro, do
Benjamn 11
Mabtiss : E' falso.
Cabelleira (entupido) : NSo do Benja-
mn ......... .... .... do...
(em voz baixa) Z Mara acode me.
(oaendo eom'a mito na testa)
Eureka 1... do Papa que me convidou
para ser o c ,ete"do partido catholico !
(Contina..)
rifareida ao eldadie Manoel
*os Alves da Silva, por oc-
caslo de sua iiberdade no dia
lf de Junh de 18SO.
A sua presada mSi a Exma. Sra. D. Ma-
ra Venancia da Silva
Salo vos senhora I SaJo
Cbeio de grao contentamente,
Pelo pnser que gosaes,
O lho em arrecebimento !
Os das de negror to triste,
Foi o destina, foi a sorte ;
Que voj fes sofTrer senhora ;
As dar crueis de morle !
0 vossd coragao torturado
Ter alma toda em afllkgao,
Por ver seu dito innocente ;
Quasi.quasi, a perdigao:
Porem o tens, em vossos bragos ;
O lho vosso tao querido !
Oh I p<-la mao vigorosa,
Do cruel deslino ferido I
Nao era elle criminoso.
Oisia, o aeu lindo semblante ;
A sua afflicgao dolorosa ;
Era um quadro toaante!
S o \il negro patronato
Esta vil concha de couro,
Bos vtrdugos da honra
Vergaio; valor da ouro 1
Urna ioganca mtsquinba,
Urna eobiga 1 traico j
A's veses marca innocente,
E, leta-os a perdigao !
Encerrado entre grades,
Tendo o dever trilhado,
Porm : os odios cuaicosos,
V seu rosto marcado !
Com o ferro do negror
E nunca no crime trilliou,
A vil macbinagao
Foi quem seu rosto marcou !
Eu ros 8ado senhora,
Pellas lago3 da frateraidade,
Pot ter o llho nos bragos ;
A grande feheidade!...
Retife, 11 de lunho de 1890.
Adelino.
Offereco ao cidado Manoel Jos
Alve da Silva
E' desejo meu,
Oae'os os dous formem um sfl eu.
P. D.
SEMPRE
Desde do nascer d'aurora,
Al que o sol fique posto,
A) anjo dos caberlos louro ;
Deejo alegre seu rosto!
llarece ser adorada,
0' fada diviuisada!
Acompanhou as desventuras
Neste* dias, triste negror l
Muria, a virgein for.iiofa,
Delle era doce senhor!
P.lo teu amor constante,
Nao diminuio um instante !
Eotre o riso e o pranto santo
SotlrenJo a alma em afllicgao,
Virgem martyr formosa,
Tinha triste o coragao;
Porem: lo consoladora
D'am amor puro credora I
Aoa vaivens da sorte exposta,
hl deslino I Rigoroso/...
R digna la, terna sempre,
Can fallar to carinhoso,
Couao urna fada deseada,
Co'os anjos do co parecida /
Que te fadem. as fadas, as mais bellas,
yoe o teu lo segureui, os anjos do co;
E cubrindo os leus cabellos lio toaros.
Sobre elles estendaui; o teu candido veo 1
E a tua grinalda, de flores tao lindas.
Te orne a fronte, tao pura, tao bella,
\t flores, o symboio da pureza
Q e forma da virgem, a palma e capella I
Ento o viver fels d'amor Uo puro
A f. da querida d'amor j o alcanga !
Em tbalamo lio rico, lia forzoso ;
Atii Mara o louro aojo descanga
E o vrlho cantor, que s lem tristeza I
Por ver. dous unidos, a um coragao ;
Louco de piazer I au delirio Unto,
Que seu bandolim, se quebra no chaa
Recife, 11 de Junbo de 4890.
Adelina.
Ribrirao a Bonito
Asseiukiea geral
Reuae-se hoje ao meio-
dia, no escriptorio tiesta Em-
preza,.a astsemblea geral ex-
traordinaria para tomar co-
nhecimento dos actos prati-
cados pela actual directora,
relativos a coii-truc^ao do ul-
timo trecho da estrada e pro-
videnciar como julgar con-
veniente.
Nenhum accionista deve
faltar esta reuniao, que
ter lugar na ra Duque de
Caxias n. 74.
Es tao em jogo os interes-
ses, o crdito e a vida da Em-
preza*
A' pos los, honrados accio-
nistas, ide mostrar que nes-
ta jterra anda ha homensque
tem moralidade e sabem
cumprir cum os seus deve-
res!
Hoje ao meio-dia.
Muitos accionistas indignados.
s
Despedida
Seguindo boje para a Babia, onde vou gosar a
licenca que me foi coocedida pelo Sr. governa-
dor do Estado, e nao podeodo por motivos iin
penosos despedir-me de todas as pessoas que
me honram com as suas amisades, o fago por
este meio, assegurando-Ihes que, durante a mi
nba curta ausencia, estare n'aquelle Estado
suas gratas ordena.
Recife, 11 de Junho de 1890.
B. Arayo Faria Rocha.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no Io
andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Telepbone 285.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
Dr. Eusebio Martins
Costa
tem o seu consultorio medico e residencia ra
Bar&o da Victoria n. 7, i- andar, onde pode ser
procralo para 03 misteres de su i oflsso.
Consultas de 1 s 3 horas a.
rde.
Dentes
Termina a horrivel dor de dentes usando
o excellente preparado de Manoel Cardoso
Jnior.
As cartas que lhe tem sido dirigidas
pelos jornaes do m ior circulacSo, attestam
a efficacia.
Depsitos :
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da
Silva & 0., ra do Mrquez de Olinda
n. 23.
Pharmacia Martins, ra Duque de
Caxias d. 88.
Pharmacia Oriental, ra Estreita do
Rosario n. 3.
Pharmacia Alfredo Ferreir, ra do
BarSo da Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Impe-
ratris n. 49,
Telegramma de Roma
Pede se ao alustre e benemrito patriota Jcs
Mariaooo o favor d publicar o telegramma que
dis ler receido do paps. ;
Como mudam-se os lempos!.. Mooteo> es-
ptDcamenlo e expulslo das jesnatas I- Moje,
csthdllco, apostlico, romano e defensor ate no
padre Augusto, que elle tanto repadiou f...
Cabera de negro
Elixir sedativo e antirhtumatico, formula
da pharmaceutico Hermes de Souza
Pereira.
SEM HEBCU4U0
Approva do pela Inspectora Oeral de
Hygiene
Este poibropo medicamento j bem co-
nhecido ha mais de U annos e cojos ma-
ravilhosos effeitos tem sido a( estados por
muitos mdicos e numerosos doentes, cura
radicalmente os HEUMA WMl>8, EEY8I
PELAS, SYPHILI8 SSCEOFLA8 todas as
molestias que teem por origem a impuresa
do sangue. .
O verdadeiro e mais antigoJitxtr de
cabeqa de negro o da formula do phar
maceutico Hermes de Souza Pereira, e
para aras ta dos consumidores traz elle
emseus rotula e envolueros o retrato do
autor.
Vndese a varefo em todas as phar-
macas e em atacado na pharmacia Fer-
reira, praga de Maciel Pinheiro, n. 19,
(antiga do Conde d'Eu, e na drogara de
Francifcco Manoel da Silva & C, ruando
Marque de Olinda, n. 23.
" .55
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do BarSo da Victoria46
(defbont* da phabmacia pisho)
Onde tem lsori e reas-
dencia i podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles-
tias de senhoras e dos pnlmoes, sypriHls
em geral, cura rpida e completa e ope-
ragoes de estrettamtnlos e mais soml-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distaoeia.
Telepfcoae m. B9A
3
Agencia de diversos nego-
cios.
Josa Loa Salgado Accioli i roa do Impera ior
n. 77, l' andar, onde pode ser procurado das v
4? 3 horas da tarde por todas as pessoas que o
quelram hourarcom suas incumbencias, encarre-
a-se principalmente de promplllicar papis
para cafamentos civis e religiosos, de eucami-
nhar al o despaclio definiuvo quaesquer pre-
tengoes as reyarugoes geraes do Etlao,
de as mesmas pa(ar ou nceber, e dar o desti-
oo que lhe fr ordenado coaa a mxima promp-
dao quuesqutr quantiae, ou vencimentos dos
Srs. magistrados, parocbos, professores e quaes-
quer outros funecionarios, eeacrrea se Unal-
mente de qualquer outra couimissao de compra
ou aenda de que lhe queiram incuubir os Srs.
propietarios, industnaes, commerciantes e agri-
cultores.
A lod03 garante sinceridade, selo e prompti-
do no cumprimeato de suas ordens.
Colonia Portugueza
Em nomo da Commissao Central Exe-
cutivA da Colonia Portuguesa, convido a
todos os cavalheiros que anda r-So aatisS-
seram as quotas que subscreveram na
grande reuniSo effectuada nu Gabinete
Portugus de Leitura, no dia 2 de Feve-
reiro ultimo, a fazel o at o da 15 do
corrente, ao Thesoureiro da Commissao,
Sr. Joaquim da Silva Salgueiral, ra
Mareilio Dias, n. 22.
Igualmente rogo aquellas das dignas
commistSes parcii.es, que anda nao fi-
zeram entrega do que arrecadaram, o
o obsequio de o fazerem com a maior bre-
vidade possivel, visto a necessidade que
ha da Commissao Central tffectuar a re
messa.
Recife, 6 de Junho de 1890.
Albino Moreira de Souza.
- Secretario.
A'S YIGTIMAS DAS FEBRES
o Elixir antl-febril Cardoso appro-
vado em 21 de Margo deste anno pela Inspectora
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vem hoje
apreseniar-te humauidade soffredora do mun-
do inteiro como taboa de salvago que to infe-
liz naufrago llie enviada por mo omnipotentet
O Elixir unll f. bril CaroHw. appli-
cado em muitissimos casos de febres, tem, como
por milsgre, levantado do leito da dor a comple-
tos moribundos.
Ette remedio, com posto smente de vegetaes
inleiramente inoffensivo, anda mesmo amis
mimosa e tenra crianga.
As senhoras, no estado de plidas, ou no pe-
riodo de incommodos naturaes, podem usul o
sem receto algum.
Depsitos
Drogara dos Srs. Francisco Maooel da Silva
de C.| ra Marques de Olind i n. 23.
Pharmacia Martins, ra Duque de Cavas
n 88.
Pharmacia Oriental, ra Estreita do Rosario
n. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Bario da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatris, ra dalmperatris
n 49.
Para qualquer explicago podem dirigirse ao
autor Manoel Cardoso Jnior, ra Esireit do
Rosario o. 17.
Dos ionumeros attestados que temos, damos
em seguida principio a sua publicago ; e isto
bastar para que sejam conhecidas as virtudes
do Elixir anti febril Cardoso.
Atteatados
N. 31
O abaixo B3iignado declara que, tendo sido
accommettido de urna febre palustre, anonse-
Ihado por om amigo fes oso do Anti Febril Car-
doso, e applicando em urna minlia liiha de 5
anuos de idade que na mesma occasio foi
commeitida de urna febre de mo carcter, nao
fasendo uso de mais midicamento algum, o que
com dte Anii Febril no curto espago de tres
dias nos acbamos perfeitamente cuiados.^ 0 que
por mi, e por minha lba, s temos que agra-
decer ao seu digno propietario o Sr. Manoel
Cardoso Jnior, que tao bondosamente me en-
viava o dito remedio e se pre3tou a apolical o
at completo desapparecimento da molestia,
pelo que me acho completamente tratado.
Recife, 25 de Janeiro de 1889.
Manoel Antonio da Cruz Braga.
N.~32
Ulna. Sr. Manoel Cardoso Jnior.Declaro que
a sua tintura Anii Febril um excellmte reme-
dio para curar febres .' Eu, estando com urna fe-
bre de mo carcter, priocipiei a tomar o
excellente remedio, s 5 gotas de duas em duas
horas, e fiquei inteiramente boa, principiando
s II horas do dia e terminando todo o meu fn-
commodo da dila febre s 7 horas do mesmo
dia, pelo que lhe agradego a offerta que me fes
da suajespecial tintura.
Recite, 26 de Janeiro de 1889.
Adelaide de Araujo Vttga.
N. 33
Recife. 14 de Janeiro de 1889. Illm. Sr. Ma-
noel Cardoso Jnior.Presente.Presadissim*
Sr.Soffrendo meo lho Alberto se urna febr
que atogia a quarenta graos, lemnrei me d
por veses ter ouvido fallar na proticuidade de
seu elixir Caldoso.
O resultado Dio se fes esperar e a terceira
dose j a crianga eslava esperta, achando-se sSs
restaDelecido sem outro qualquer incommodo.
Felicito a V. S. pelos prodigios do Elixir Car-
doso ; as vantagens que elle offerece, s as pe-
soas que o nsarem o podem avaliar.
Crea na minha. sincera gratido e me sub-
screvo com estima e consideragoDe V. S.
vengador e ariaduAdriano Monteiro de Souza.
Illm. Sr. Manoel Cardoso Jnior. Recife, It
de Juoho de 1889. Tendo em minha casa pes-
soas de minha familia e bem assim um criad
aJoeciio de fVbre palustre, resolv depois d
ter experimentado muilos outros antidoto
impioficuamente, auplicar seu milagroso Eli-
xir Anti Febril o resultado nao se fez esperar,
poucos das depois vi restablecido lodos aquel
les que foram acommettidos por aquella enfer-
uaidade ; porlauto com muito praser que ve-
oho dar lhe testemunho de minha gratido, de-
clarando que considero aquelle seu mediment
como o ii.ais evidente para combater aqutlle
mdl anda mesmo de carcter difireme.
l'ara nao suppor commum esta minha decla-
ragi desdida, declaro que a fago coj o nica
lito de que" lodos possam tirar della proveit
benfico e sem mais crea meDe Vmc, amigo
criado e obligado Maooel Bento Borges Cmara.
N. 7
Recife, 10 de Setenio de 1889. Illm. Sr. a
noel Cardoso Jnior.Tendo sido minha lhinh
Julieta, de 6 annos de idade, accommettida d
urna febre com delirios, a ponto de n e causar
serios receics, e tendo eu scieocia de innmeras
curas obtidas com o seu niaiavilboso Elixir tiv
a felis lembranga de consultar a Vmi-. que, coa
aquella:franqueza que o caraclerisa, offerecea-
me um frasquioho (.oolendo tao maravilhoso me
dicimento o qual appiiquei em minha Qlhinua
Uve a felieldade de vel-a complelamente restabe-
lecida tendo tomado apenas quatro doses.
Dias depois, urna outra creaoga Riba de urna
mulher empreada em nossa casa, adoeceu tam-
bem de febr', e applicando lhe tao prodigios
remedlo.com espago de algumas horas, ncoa
reslabelecioa.
Resta me Fomente agradecer a Vmc. o gra
obsequio qae me prestou. pateDteaodo lhe os
meus protestos de tierna gratidio, podendo Vme.
faser o uso que lhe convier de6ta verdadeira
sincera dedaTagao. ..
Sou de Vmc. amigo admirador e criado UMO$>
lo.JosLeonarJoGrego.
e recoDtMctdas as firmas)

*
->.
*

*.-
[
| -
m

V
I


4
ambuco-Quinta-feira 12 de Junho de 1890


i
1
r.
I
Club 22 de Julho
Por falta de espaco deixamos de injerir boje
m artigo do Club 22 de Julho, firmado pela di-
rectora e diversos membros deste club, era res
posta ao que s seo respeito tm publicado os
eidadaos Alfredo e Annibal Falcao.
Daremos amioba.
Taes e taes doeaeas...
i Nao so dizer se : tal remedio cura taes e
' bes doencas...
E' preciso que essas coras se provem por meio
e attestados firmados pelos proprios pacientes
preciso que esse remedio seja consagrado
pela experiencia de illustres Albos da scieocia.
cima de todos quantos se apresentam por
ah a reclamar a consideracao publica, podemos
boje apresentar um remedio que foi approvado
pela suprema aoloridade medica do paiz, auto
visado pelos poderes competentes e consagrado
Bao so por illustres facultativos nacionaes e es
trangeiros, como por um grande numero de pes
seas curadas.
Refermo nos ao Peitoral de Cambar, qus,
como multo bem diz um illustre medico da ci-
dade de Pelotas, o Sr. Dr. Octacilio Cmara,
pelos effeitos que exerce sobre a mucosa das
ras respiratorias, cujas molestias cura e allivia,
goza actualmente de urna crescente procura e
aceitacao, como aiuda nao teve producto algum
oficinal n'este paiz.
Osigentes, Francisco M. da Silva Jb C.
Dr. Coelho Leite
participa a seos clientes e amigas que mudou
sua residencia para a roa Bario da Victoria n.
01. andar, e continua a dar consultas de i as
* as da tarde, no sen consultorio, roa Duqoe
de Casias n. 57.
Ra da Gloria 39
Varila ou brxtga
O Dr. Lobo Hoscoso, todos os das,
das 10 horas da maoh at 1 hora da
tarde,-receita gratuitamente e da os re
medios homeopticos precisos a tolos
os doentes que o procuraren], para tra-
Umento das bexigas.
W
Culto Evanglico
Ha culto publico cora le i tura e explica-
eSo do Evaogelho, todos os Domingos as
11 horas da manbl e s 7 horas da no i te
as quintas feiras s 7 horas da noite,
a roa do Jmpetdor n. 71, 1. andar. A
Mitrada franca.
Convidam seas familias e o publico am
jeral a assistirem.
Examnae as escripturas, pois julgaes
ter nellaa a vida eterna; e ellas mesmas
alo as que dio testemunho de mim >
Evde Joio, cap. 5. ver. 39.)
Notice
British subjects are ioformed that, by a Decree
of the Provisional Government of Brazil pu-
blisbed on tae 15,k instant, they can, should thej
aot wish to be considered brazilian citizens as
Botified in the naturalization Decree of tbe 15*
of Deceraber 1889, make tbe declaration of na
tonality required by tbe last mentioned Decree
at tbe office of the plice delgate or sub-dele
gate of any istrict, or before the undersi gned :
and those wbo have already made or may make
iheir declaration of oaiionality before any local
luthority can enter their ames at tbis Consu-
bte.
British Coosolate.
Peroambuco SO* May 1890.
A Cohn,
H. B. M Cnsul
Isollna e Silviaa
Eis o que attesta um coohecido mora
ior de Pelotas com referencia a dous ca-
zos de asthma :
c Attesto que as minhaa filhas Isolina e
Silvina soffriam, ha mais de tres annos,
horrivelmente de asthma, qm lhes vinha
por accesso amiud dos e tao fortes, que
o julguei em muitos d'elles, ter se appro-
ximado o termo fatal de suas pobres exis-
ten .ias. Depois, porm, que usaram do
Peitoral de ambara, p: eparaglo do Sr. J.
Alvares de Souza Soares, s Silvina foi
atacada, ha quinze dias, de am novo ac-
eesso, que codea promptamente ao mesmo
jeitoral.
c Miguel Antonio do Santos.
(A firma est reconhecidt.)
A praga universal
Em todas as regiSes e entre as pessSas
de todas as occupagSes e profissSs, preva-
lecem as enfermidades pulmonares. Por-
tante, o grande e admiravel remedio con
tra ellas e que produz a sua completa aoi
quilaclo o Peitoral de Anacahuite, o qual
as deve perseguir e em seu devido tempo
as perseguir indefectivelmente at nos
mais remotos confias do mundo.
O soldado nos acampamentos, o mineiro
as minas d'ouro, o colono as fronteiras,
o Iavrador, o viajante por mar e por ter
ra, e especialmente todas as pessdas su-
feitas a padecerem de tosse, constipaco" :s,
resfriamentos e catarrhoe, bronchites, asth-
ma e outras affec,o*es nao menos afHictivas
da garganta e dos orgSos da respiracSo, e
que tao fcilmente se deaenvolvem e pro-
pagara nos lagares hmidos, inclemencia
da atmosphera ; achar&o com a mais gra-
ta satisfacao, no Peitoral de Anacahuita,
um remedio irresistivel e absoluto, para o
completo sabjugamento de tao perigosas
enfermidades. Compre se em tempo, pois
e bom estar-se prevenido.
Como garanta contra as falsificares,
Ou Q-se bem que os nomes de Lanman
& Ke Tenham estampados em lettras
transparen ao papel do livrinho que ser
ve de envoltorio a cada garrafa.
Acha-se de venda em todas as boticas e
drogaras.
| Frederico Chaves Jnior jj
Homoepatha
U 39 RA BARAO DA VICTORIA 39/ '
{ ) Prlmelro andar ( j
Dr. Bastos de Olveira (
Ao commercio
Os abaixo assighados participara ao
tem o seo consultorio medioo-cirragico i blico e ao commercio em geral que o
ruado Marque de Olinda, n. 1, l.'an- "
dar, onde pode ser procurado todos os
dias uteis das 12 s 3 horas da tarde.
Chamados a qualquer hora em sua resi-
dencia, ra do Hospicio n. 46.
Telephone n. 365.
G>
II
A's familias
Ensino de prime i ras lettras, por-
tugus, francez e inglez ; pelas
residencias dos alumnos, de:, tro
da cidade e em seus arrabaldes :
a tratar na ra do Imperador n.
75, 2. andar.
COMMERCIO
Revista do Mercado
RtCCIFE, 11 DE JCNHO DE 1890.
Pouco movimento na praga. constando taosac-
joes no mercado de cambios e pequeas vendas
de algodo
v Bolsa
S'JTAgES OFFICIAES DA JUNTA DOS COK-
BETORE8
Recife, 11 ae Junho de 1890
tetras bypothecarias sem juros, a 101*000 cada
urna.
Na Bolsa venaeram-se
160 letras hvootbecarias sem juros.
J Dre8idente.
Antonio Leona-do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Cambio
PEAQA DO RECIFE
Os bancos abriram com a laxa nominal de 21
j.. elle recen do logo saccar a 21 1/8 mais tarde
i H 1/4, acbando pouco dinheiro.
A's 2 horas da lardea Iguns bancos offereceram
ti 3/8.
Em papel particular nao constou movimento
algum.
PRA^A DO RIO DI JANEIRO
Papel baocario 21 1/4. constando transaccoe
i 21 1/2 papel bancario repassado.
Uouve falta de papel particular.
Algodo
Colase o de 1* sorte do sertao na razad de
1*000 por 15 kilos.
A exportacao feita pela alfandegaoeste meza'
9 dia 9, coostou de 115 8j4 kilos, sendo 92 8S5
ara o exterior e 22 989 para o interior.
As entradas verificadas al a data de boje, so-
bem a 2.053 saccag, sendo por:
Baxcacas.....
Vapores
animaes.....
Via-ferrea de Caruar.
V,a-terrea de S. Francisco,
ia-frrea deLimoeiro
Somma.
Aasaear
O precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
gando a Associacio Commercial Agrcola, foram
os seeuintes:
Usinas..... 3*708 a 4/000
Braoco..... 3*000 a 3/6 0
Smenos..... 2*500 a 2*700
Mascavado purgado 1*600 a 1*700
Brutos 1*300 s 1*500
Rtame..... 1*900 a 1*200
Aexportacio feita pela alfandega oest3 mez at
dic-9, consto** 1463.381 kilos, sendo 746.745
ara o exterior 3l6^3ti para o interior.
Ae entradas verificadas at a data de hoje so-
res 10 874 rceos sendo por
Barcacas .... 6.780 Saceos
Vaaores
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLDSON, for
nado pela Universidade de Maryland not
Estados-Unidos, tem aberto o seu cnsul
torio, na ra BarSo do Victoria 18,1 ao
dar.
, Consultas dat 10 s 4 horas da tarde.
Leonor Porto
Roa Larga do Rosarlo nu
tero
SEGUNDO ANDAR
Contina a execotar os mais difceis ()
rk'urinos recebidos de Londres, Pars, <
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeico de costaras, em
em brevidade, modicidade em preco3 e
fino gosto. _
RestanrantPortu ruez
O prlmelro em Pernaabnco
2123RA DA8 LARANGEIRA8 2123
COSDHAS
Brasileira, Portuguesa e Francesa
Proprietarios : Charles Rozier & C.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Balthfa3 da Silveiraj
Especialidadefebres, molestias
da criancaa, dos orgips respirato-
rios e das senhoras. *""
Presta- se a qualquer chamado pare
ora da capital. ** 4
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos phannacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
I)
Medico
Dr. Rlhelro de Briso
participa aos seas clitntes e amigos que pode
ser procurado para os misteres de sua ptofiss&o
4 ra do Hospicio n. 81. e na pbarmacia Miner-
va roa Vidal de Negreiros n. 7.
Telephone n. 303

^
fe
^A.dvogado
SI L CLQSOISQ S2 SQVZA
Mudou o seo escriptorio para a roa do
Imperador o. 32. pr.meiro andar, onde
pode ser procurado de 10 da manba as
ida Urde.
Residencia Ra Imperial n. 148
Telep'ioEe n. 102.
;&&.
-&.$
u-
Ignacio Manoel de Carvalho' Miranda
deixa de ser empregado em sua casa, a
comecar do l.de Junho em.diante, agr-
decendo os meamos ao Sr. Carvalho os
servicos prestados durante 9 annos, mos-
trando em rodo esse tempo fidelidade,
dedioacSo e actividade.
Recife, 31 de Maio de 1890.
Esnaty Rodrigues & C.
Dr. Silva Lea] .
clnica medico cieurgica
Consultorio e residencia rna do Livramento
n. 6 i andar. Consultas das 11 s 3 horas da
tarde. Chamados a qualquer hora, por escripto
EDITAES
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creanas
Consultorio e residencia ra da impe-
ratria n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer hora
TELEPHOifE N. 226
600 Saccas
496
85
34
316
521
2 053 Saccas
fteCaraarn.
%fWssW de S. Francisco,
frrea do Limoeiro .
Somma-
iO.874 S croj
Coairoa
salgados 406 ris, e os verdes a 240
guardt-Die
Cou-se a 94*000, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cota-se a 190*000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a 55*000 por pina c 480 liirof.
Pauta da 4lfaadega
IMANA DI 9 A 14 DE JMNHO DI 1890
Vide o Diario de 8 de Junho
navios a descarga
Barca norueguense Cari Haatted, carvao.
Barca norueguense Gler, carvio.
Barca nacional Marianninha. xarque.
Barca americana Charles Lovng, farinha.
tingue hoilindez Meidem, xarque.
Escuna norueguense Gefion, xarque.
Lugar nacisnal Tigre, xarque.
Lugar dinamarqus Arken, xarque.
Lugar portuguez Temerario, varios generas.
Faucbo portuguez Fue* 1, xarque.
Patacho nacional Manuho II, xarque.
Patacho hollandez Voowaarts, xarque.
Patacho hespanbol losen Pura, xarque.
Patocbo bespaobol Bailcster, xarque.
Patacho hollandez Uenrtka, xarque.
Patacho nacional Rival, xarque.
Patacho inglez Annsfail carvao.
Imporfaco
Hiate nacional Deus te Guarde, entrado de Ma
cao. em 9 do crrente e consignado a Uanli Jlo-
meu Loureoco & C, manifestou :
Sal 500 alqueires 4 ordem.
Patacho dioamarquez Jugor, entrado de Pelo
tas em igual data e consiguado a Maia & Rezen
de, manifestou :
Couros 78 i ordem.
Xarque 186 975 kilos ordem.
Brigue hespanbol Meristony, entrado de Mon
tevido na mesina data e consignado a Am3rim
& c. manifestou :
Xirque 3J9.390 kilos ordem.
Vapor inglez Lisbonense, entrado de New-Yoik
e escala a 10 do correte e consignado a J. Pa-
ter & C, manifestou :
Carga de New Y* k
Breu 100 barricas a Ferreira Irmaos C, 100
a Manoel dos Santos Araujo. Banba 125 barris
a Ferreira Rodrigues & C, O a E gues & C, 25 a Sjares & C, 25 a Figueiredo &
C., 23 a Jjaquim Duarte Irmaos & C, 50 a Fer
naodes da Costa & C, 30 a Soares Fernandes,
20 a Dias Fernandes 4 C, 23 a Lopes de Mjga-
Ibaes, 25 a Silva Marques C, 50 a Goocalves
Rosa i Fernandes, 2"> a Guimaraes Rocha k C.
Bombas 3 caixas a Cardoso & Irmaos.
Cartuchos 1 caixa a Miranda 4 Souza. Can
dieiros 1 caixa a Miranda 4 Souza. Carne em
conservas 3 barris a ulzer Kauffmann & C.
Drogas 1 volme ordem.
Estopas para calsfetar 7 fardos a Beltrao &
Corta.
Ferrageos 10 caixas a Miranda 4 Souza, 21 a
Cardoso 4 Irmaos. Farinna de trigo 3300 Dar
ricas a H. Forster 4 C 50 a Gomes, de Mattos
Irmaos. ^^
Joias 1 caixa a Arlhur & Desiderio, 1 a E. G.
Csscao.
Kerosene 600 caixas ordem.
Mercadorias versas 2 caixas ordem, 2 a E-
G. Caseto.
Maizena 4 caixas a Esnaty Rodrigues 4 C, 50
a Pigueiredo Costa C., 25 a Joaqoim Doa:te
Simos 4 C.
Obiectos para escriptorio 5 caixas a Ramir
M. da Costa 4 C.
Presooto 6 caixas a Suizer Kioflmaon 4 C
Relogios 23 caixas a Arthur Desiderio.
Hemos i amarrado a Beltrao S Costa.
Toaclnho 1 caixa a Suizer Kauffmann C, 25
barris a Ferreira Rodrigoes C, 20 a Piguei
po Costa 4 C 20a Sosres 4 C. 15 a Soares 4
Ao commercio
O abaixo assignado participa ao com
mercio em geral que a comecar do 1. de I
Junho deixa de ser empregado dos Srs.
Esnaty R drgues A C aproveitando a I
occasiao para testemunhar-lhes agratidao
pela delicadesa e attengoes que os mea-
mos lhes dispensaram durante o tempo
em que foi seu empregado.
Recife, 31 de Maio de 1890.
Ignacio Manoel de Carvalho Miranda
Escola particular para me-
ninos
49-Rua daGloria-49
O abaixo assignado, tendo tomado a si
a regencia e direcco da escola primaria,
outr'ora mantida por sea irmSo Julio
So irs de Azevedo, confa e espera me-
recer do Ilustrado publico, e todos os
seus compatriotas pernambucanos, a mes
ma confian^ e proteccao quelle dispen-
sada : conminadas pela matricula e fre-
quencia de avultado numero de alumnos;
em particular dos paes e tutores das crian-
cas que desejam o real aproveitamento de
seus filhos ou tutelados.
Nao desconhece qu3o ousada esta
tentativa; mas, sobrar-lhe bao forga e co-
ragem para levar avante tao sublimada
missao.
Cada escola que se ergue um novo
centro de vida, e para elle pois, hab de
convergir todos os seus esforcos e sacri-
ficios para dar bons eidadaos que venham
a ser o futuro sustentculo da patria e da
religiao, da familia, d jastiga e da liber
dade, que slo o tabernculo de todos os
progressos.
Mantera o en sino do catecismo catholi-
co, porq e a edueacao religiosa tem sido
e a ban6 de toda a edueacao physica,
-moral e inteilectual.
Admitte igualmente alumnos internos e
meio-pensionistas mediante as seguinles
mensalidades pagas adrantadas
Alumno interno 35 $00"
Alumno meio pencionista 1550^0
Alumno externo 2(j(0C0
Raphael de Azevedo.
Ne*
Fernandes, 15 a Silva Marques C, 10 a Dias
Fernandes C, 10 a En*ty Rodrigues 4 C.
Tinta 1 caixa a Gomes de Mattos Irmaos, 8 a
Ramiro Moreira da Costa & C. Typos 3 caixai
ordem, 1 a Ramiro Moreira oa Costa 4 C.
Carga do Maranbao
Farinha de mandioca 7.400 saceos a diversos
Vapor inglez Brwswch, "entrado de Cardiff
em 8 do andante e consignado a Wilson Sons 4
C, manifestou :
Carvao de pedra -60 toneladas ordem.
Vapor nacional Espirito-Santo, entrado das
portos do norte em 11 do andante e consignado
a Pe reir Caroeiro 4 C.
Farioba.de mandioca 503 saceos a Amoro
Irm5os & C., 2,000 a Mircelino Giacalves lti 997 a Guimaraes 4 Valente, 4,000 a Paiva Vt
lente 4 C, 360 a Maia 4 Rezende.
Pipas 50 a Amorim Irmaos 4 C.
Exponadlo
BBCITB, 10 DE JUNHO DB 1890
Para o exterior
No vapor norueguense Gler, para
York carretraram :
Burle iC, 150 saceos com 11,250 kilos ce
assucar mascavado.
H. Forster 4 C, 7,300 saceos com 547,500
kilos Me assucar mascavado
Para o interior
No vapor nacional Espirito Santo, para Ro
de Jaceiro, carregaram :
F. M. de Moura, 40 pipas com 19,200 litros de
agurdente.
_M F. Leite, 300 saceos com 22,503 kilos de
assucar braoco e 20 i d.tos com 14,010 ditos de
dito rLascavade.
M. R. No'es. 3 caixas com 220- kilos de quei-
jos do sertao.
Para Babia, carregaram :
F. Viera, 7 saceos com 52,500 kilos de assu-
car brancor 13 ditos com 975 ditos de dito mas-
ca vado.
M. Cunha, 100 barricas com 11,516 kilos de
assucar braoco.
No hiate Aurora de VLaco, para Mossor,
carregaram :
E. C. Beltrao 6 IrmSo, 5 saceos com 375 kilos
de assucar braoco.
Nj hiate Geriquity, para Macahyba, carre-
gou:
J. P. Lapa, 9 caixas com 72 litros de geoebra.
Dr. Jpao Rangel
MEDICO
Pode ser procurado para os misteres suade
prolio roa do Bom Jess n. 45 1.* andar.
Consultasde meio dia al 3 horas da tarde.
Chamadosa qualquer hora do dia ou da noite.
Telephone r. 160
Itinhciro
RKCEBIDO
Pelo vapor nacioaal Espirito Santo,
te, para :
Loudon & Brasiliin Banb
Niemeyer Cibn 4 C.
Rodrigues Lmia 4 C.
Julio & Irmao
Seixas 4 Irmo
Banco Sul Americano
Machado Lopes & C.
J i s Loorengo da Silva Oliveira
Henry Forster < C.
Ferreira Casco 4 C.
Almeida Machado 4 C.
Francisco Rioeiro Pinto Guimaraes
Fraga Rocha 4 C.
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Jaboatao,* para
Reudlmei
MU
itoa pblicos
DB JOBO
Reoda geral
Do dia 2 a 10
dem de 11
Alfandega
350:7061878
53:705*186
404:412*0
Renda do Estado de Pernambuco
Do dia 2 a 10 46:012*747
dem de 11 9:757*954
Somma total
55.770*701
460:182*765
Segunda seccO da Alfandega de Pernambuco
11 de Junho de 1890
O tnesoureiroFlorencio Domingoes.
O chele da seccSoCicero B. de Mello.
Reeebedurla do Estado de
Pcrnaaabuco
Do Ola 2 a 10 38:362*328
dem de 11 1.619*390
Fernando de Noronha
Una Rata
0.982*380
2.000*000
Mercado Municipal de H. los
O movimento deste mercado no dia 10 de Junho
foi o seguintc:
Entraram :
311/2 bois pesando 4,400 kilos.
184 kilos de peixe a 20 ris 3*680
9 1/2cargas com farinha a 200 rs. 1*9)0
2 ditas de fructas d. versas a 300 rs 600
32 columnas a 600 rs. 19*200
91 taboleiros a 200 rs, 18*i00
6 suinos a 200 rs. 1**0
1 escriptorio a 300 rs. 300
72 compartimentos com farinha a 500
O cidadSo Dr. Joaquim Cordeiro Coelho
Cintra, juin de direito do civel da espe-
cial comarca da Victoiia, Estado de
Pernambuco, etc.
Paco saber aos que o presente edital virem,
que no dia 25 de Junbo as 12 horas da manha,
na porta da sala das audiencias tem de ser arre-
matado a quem maior lance offerecer o engenbo
Precioso, sito neita comarca, com casa de viven
da, casa de engenho em esteios, casa de purgar
em mo estado, tanque de madeira. deslillacao
contendo alan bique, nove cubas, duas resfria
deiras e dous depsitos, finco taxas e duas bate
detrs, vapar em bom estado, moendas. trras,
casas de lavradores, avallado por 10.000*000,
cujo engenho vai praca a requerimeoto de Ma-
noel Cruz 4 C, na execncao que movem a Ma
noel Antonio Cabral e sua mulher.
E para que chegoe a noticia a todos mandei
este passar, que ser publicado pela imprensa e
affixado no logar do coatume.
Victoria, 29 de Maio de 1890.
Eslava urna estampilha de 200 ris.
Eu, Bellarmino dos Santos BolcaoFilho, escre-
vi.Joaquim Cordeiro Coelho Cintra.Conforme.
-^O escrivo interino, Bellarmino dos Santos
Bnlcao Filho.___________________________
Jiiizo dos feitos da Fa-
zenda nacional
EserlvSo Reg Barros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos
feitos da fasenda, Benicio Nelson Tavares
da Cunha Mello, se venderao em praga pu-
blica no dia 13 docorrente mez de Junbo,
pelas 11 horas da manha, depois da au
diencia, os bens seguintes :
Urna arma^So envernisada, am balcao
e urna balanza decimal com os competen
tes pesos, que se acham na taverna da
Estrada Nova de Caxang, lugar Iputin-
ga, freguezia da Varzea, pelo preco de
162(J0JO, pertencentes a Souza & C.
Um? armacZo de pir.ho, um baldo e
um fiteiro pintado, que se acha na casu
n. 76, rU de Marcilio Dias, pelo pre^o
de 40^500, pertenceates a Joaquim Anto-
n o da Silva.
Urna armaclo de pinho pintada, um
balcao e urna caixa de fu h i pintada e
onvidragada, urna pequea balanza de
pesar remedios, urna escada de mo e um
relogio de parede, que se acham i na c^sa
n. 58 da ra Direita dos Afogados, pelo
preco de 210870, pertencentes a BeLar-
mino da Silva Corte.
Urna armacSo de amarello envernisada
e envidragada, um baldo com tampa de
podra, quatro caxo^s que se acham na
casa n. 18, ra larga do Rosario, pelo
prego de 72.0C0, perter.centes a Jos
Francisco Calares.
Urna armacao de louro, misturada com
outras madeiras, um balcao e deposito
para seceos, sendo mm destes com vidraga
e urna balanca com conchas de madeira,
que se achim na taverna ra d -. D
Maria Cesar, n. 2. freguezia do Recife,
pelo prego de 45/J360, pertencentes a An
toni Gomes Salgueiro A C.
Um cofre de ferro, provi de fogp, do
autor M lner, que se acha na casa n. 60,
ra do Mrquez de Olinda, avaliado por
100t>000, pertencente a Manoel Ferreira
da Cruz & C.
Urna armacao e um balcao de amarello
envernisadu, tendo toda a frente superior
mo3t ador de vidro que se ach na c sa
n. 60, da ra do Mrquez de Olinda, ava
liados em 35060G0, pertencentes a Manoel
Ferreira di Cruz & C.
Um cofre de ferro prova de f )go, que
se acha no 1. andt.r do predio n. 7,
ra do Vigario Thenorio, avaliado em
50000, pertencente a Joao Vctor Alves
Matheus.
Um cofre de ferro, Franen, que se acha
na casa n. 4, na ra da Soledade, avaliado
em 13JO 0, pertencente a Pereira Neto.
Urna carteira grande com quatro gave-
tas, urna mesa de ps torneados, urna es
tante com diversos repartimentos, urna
mesa pequea, urna prensa para copiar
cartas, quatro tamboretes com fundo de
C3uro, urna cadeira americana e urna ou
tra ; e dous barris com -cal de Jaguaribe,
avallados em 39($00O, pertencente a Se-
bastiSo Jos Bczerra Cavalcante.
Sendo todos os bens vendidos para pa-
gamento da Fazenda Nacional e castas.
Recife, 10 de Junho de 1890.
O solicitador,
Imz Machado Botelho.
rs. 36*000
30 ditos de comidas a 500 rs. 15*000
95 ditos de legumes e fazendas a
400 rs. 38*000
17 ditos de suinos a 700 rs. U*9u0
8 ditos de fressuras a 600 rs. 4*8<0
3 ditos de camares a 200 rs. 600
36 tiihos a 2* 72*000
Rendimento de 1 a 9 docorrente
223*380
2.086*080
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 480 ris o kilo
Suinos de 560 a 720 ris dem.
Carneiro de 640 a 900 idem.
Farinha de 520 a 600 ris a cola.
Milho le 40J a 440 ris ideui
FeSo de 900 a 1*200 idem.
Vapores a entrar
MEZ DE JUNHO
Norte......... Manos..........
Sul........... Malange .........
Sul........... P. do Grao Para...
Europa....... Cintra...........
Europa....... Ville de Cear.....
Bul........... Alagos...........
Sul........... Finance...........
Europa....... ratfiw............
Sul........... Trmt.............
Vapores a aahlr
HEZ DE JCNHO
Europa...... Malange.......... 14 as
Santos e ese Cintra. ...... 16 as
Sul.......... ViliedeCear...... 17as
New-York.... Finance........... 20 as
Buenos Ayres. Tagvs............ 21 as
2.309*460
14
14
15
15
Iti
17
19
*r
22
2a
4 h
3h
3 b
2 h
Southamptoa. Trent............. 22 as 12 h
Reelfe Oraioage
Do dia i a 10 3:823*108
dem de 11 105*867
Hovlaaeiito do' porto
Navio entrado no da 11
Manos e escala13 dias, vapor nacional Espi-
39.981*613 nto-SantOy de 1,999 toneladas, commaodante
Francisco Antonio de Almeida, equipsgem 60,
carga varios geoeros ; a Pereira Caroeiro a C.
Navio sahido8 no mesmo dia
Rio de Janeiro e escala Vapor nocional tEsph
to Santo, commaodante Francisco Antonio ae
3:928*fr75 Almeida, carga varios gneros.
Theso*iraria de Fazenda
FOBNECIMENTO GUARXICAO
0 conselho para o foroecimento de gneros e
forrageos s pracas d'es'a guarnidlo e aos ca-
vados a cargo da 4* batera do 5a bataltiao de ar-
tilbaria de posicao destacada n'este Estado, re-
cebe propostas no dia 16 de Juobo prximo vin
douro, s 11 horas da manha, no quarlel general
do commandodas armas, onde funecionar o dito
conseibo para cootractar o fornecimento dos allu-
didos gneros e mais artigos constantes da rea
c< nfra, durante o semestre de Julho a Dezem
oro d'este anuo.
Arroz, kilo.
Assucar branco refinado de i* qualidade, idem.
Dito dito de"2* dita, idem.
Azeite doce de Lisboa, litro.
Alfafa, kilo.
Agurdente, litro.
Aletria, kilo.
Ameixas passada?, idem.
Aramia, dem.
Bacalho, idem.
Batatas inglesas, idem.
Biscoutos, idem. i
Banha de parco, americana, idem. ,
Caf em grao, iuem.
Caf raoicio, idem.
Carne de porco, dem.
Dita de vacca com osso, idem.
Dita de dita sem osso, idem.
Dita eecca do Bio Grande do Sel, idem.
Dita de carneiro, idem.
Cha verde de India, idem.
Dito preto da dita, idem.
Sevadinha, dem.
Cravos, cento.
Chocolate, kilo.
Carvao vegetal, barrica.
Dito coke, kilo.
Caetas de madeira, duzia.
Euterros por cavallo, um.
Farinha do 1* qualidade, litro.
Dita de 2* dita, idem.
Feljao preto ou mulatioho, idem.
Fruc as, racSo (duas bananas ou orna laranga).
Farello, kilo.
Ferradura, par.
Figos pascados, kilo.
Frango, um.
Gallinha, urna.
Gomma arbica, frasco.
Gou bada em lata, kilo.
L;nha, acba ou toro.
Leite de vacca, litro.
Lavagem de roupa passada a ferro, pega.
Lapis preto de Faber n. 1, duzia.
Macarrao, kilo.
Maizenr, idem.
Manteiga ingleza de Ia qualidade, idem.
Marmelada, idem.
Milho, idem.
Medicamentos para cavalhada, numero.
Ovos, um.
Pao, kilo.
Phosphoros a- ericanos, grosa.
Patsas, kilo.
Pennas de ty> Perry, caixa.
Papel pautaao fime, resma.
Papel mata borrao, folha.
Quelo de Miiias, um.
Sai, litro.
Sangnesugas, pela applicagio de ama.
Sabao commum, kilo.
Toucinho de Mina?, ko.
Tinta preta, garrafa.
Temperos e verduras, rago.
Tapioca, kilo.
Vinhu tinto, litro. -
Dito branco, idem.
Dito do Porto, idem.
Vinagre tinto, idem. -
Dito branco. dem.
Vassouras de piassava, grande?, urna.
Velas de cers, kilo.
Capim feicbes de 3 kilos;
CondicZes
1* Todas os gneros serao de primeira qualida-
de e os fornecedores deverao satisfazer os pedidos
dentro dos prazos marcados nos respectivos con-
tractos, entregando os gneros nos quarteis ou
fortalezas e enfermaras, e depositario na The-
souraria de Fazenda urna quantia como caugaO,
que ser arbitrada pelo conselho de forneci-
mento.
i' As propostas deveio conler a declaraco
expressa de sujeitar se o proponente multa de
5 % da importancia a que montarem os vveres
ou artigos que forem acceitos, ei deixarem de
comparecer para assignar o respectivo contracto
dentro do prazo que fr marcado pelos jor-
naes.
3" S podero concorrer ao fornecimento ot~
candidatos que se habilitaren! na forma do art.
18 do decreto n 7085 de 6 de Maio de 1880.
4 Da falla de Sel cumprimento de qualquer
das obrigagoes coot ahidas, os fornecedores oca-
ro sujeitos a pagar o valor dos gneros regeita-
dos ou nao recebidos em tempo
5* Os concurrentes sao obrigados a apresentar
as amostras dos gneros ou artigos, que forem
julgados precisos pelo conselho.
6* As propo3las serao apresentadas em dopli-
cata al s 11 horas do referido dia, em que all
sero abertas e apuradas em preseoga dos pro-
ponentes ; sen lo que na mesma occasiao se ac-
ceitaro propostaa para a venda de estrume dos
animaes da p*ecitada batera.
7* Finalmenie, os fornecedores que requererem
a resciso de seu contracto e forem attendidos,
licarg^ujeitos multa de 10 '/. sobre o tctal do
fornecimeote do semestre anterior.
Tlie.-ouraria de Fazenda do Estado de Pernam-
buco, .10 de Maio de 1890.
O inspector,
Dr. Dmocro Cavalcante de Albuquerqut
Arsenal de Guerra
O coneelho de compras deste arsenal recebe
propostas para a compra dos artigos abaixo
mencionados para o fardamento da tropa, no dia
12 do correte ale 11 boras da manha.
46.164,'OOde algodiosioho com 0-,72de lar-
gura pelo menos.
15,00 de alpaca preta.
,1.187,60 de aiagera.
15.550,00 de brim branco liso.
33 494,00 de escuro trancado.
36,00 de flaoella azul ferrete.
401.82 de panno escarate francez.
20,50 de sargelim de cor.
24,00 de flanella de cor.
1.507,50 d< Hollanda para forro.
5,50 de morim francez. -Sr
211,60 de ganga encarnada.
14,82 de chita para caigas de entiar.
20 camisas de morim.
1310 cobertores de l encarnada.
7080 leogos de chita.
6770 pares de meias de algodSo.
20) botoes grandes dourados.
120 ditos pequeos idem. *+
10 espheras douradas.
10 pares de passadeiras de panno escarate
para inferiores do estado-menor, bordadas a re*
troz amarello.
270 lyras de metal para msicos.
10 bonets para inferiores do estado menor.
2470 gorros de panno para infantaria.
2370 grvalas de couro.
2500 capacetes sem penachos.
12610 pares de sapatos de bezerro.
2500 pares de polainas de couro.
Oservajes
Previne se que as propostas devem ser em
duplcala e assignadas pelos proprios proponen-
tes, que devero comparecer ou faxer-se repre-
sentar compclenteuente na occasiao da sessio
e ter muito em vista as disposices do Regla-
melo em vigo-, devendo as referidas propos-
tas fazerem a declarago de sujeitarem se molla
de 5 '/ no caso de se recusarem a assigoar o
contracto e bem assim as de que tratam os arts-
87 e 88 do mesmo Regulamenlo.
Secretaria do Arsenal de Guerra do Estado da
Pernambuco, era 9 de Junho de 1890.
O secretarlo,
Jcs Francisco Ribeiro Machado.
A ssoclac&o He dico-PIiarm acenci
Pernambucana
Nao se tendo reunido numero legal para a
sesso de eleicSo no dia 6 do correte, sao con-
vidados de ordem do Dr. presidente os Srs. so-
cios alim de se proceder a eleigo do di j 12 pr-
ximo, a qual se verificar com qualquer nu-
mero.
O l' secretario,
Dr. J. M. Cario.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Perante a j anta administrativa em sua sesso
do dia 17 do correte, ser arrematado por quem
mais vantagens offerecer, o sitio que possue a
mesma santa casa no lugar daMiruera.pe!o espa
go de um a tres annos, tomada por base da ren-
da a quantia de 152*000 annuaes.
Secret ra da Santa Casa da Misericordia do
Recife; 11 de Juaho de 1890.O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Perante a junta administrativa lesta santa
casa, deverao ser apresentadas propostas para o
arrendamento, por tempo de um a tres annos,
da propriedade Miiueira, pertencente a mesma
sant i casa a 10 do correnle.
As propostas devero ser em cartas fechadas e
sellada e ser preferida aquella que melhores
vantagens offerecer, tomando por base o crego
do actual arrendamento, que de 120*000 an-
nuaes.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 24 de Maio de 1890.
O escrivao, Pedro Rodrigues de Souza
SANTA CASA
CASAS PARA ALUCIAR
Restauraco casa terrea n. 27 14*000
Lapa n. i 14*080
Bom Jess n. 29, loja 15*000
dem idem idem, 1." andar 16*660
dem idem n. 13. 3o andar 16*66>
dem Uo Amorim n. 23, idem 15*000
dem idem idem, 2* andar 15*0C0
Idem idem n. 64 armazem 25*000
'dem do Vigario n. 25, 1." andar 25*000
dem idem idem 2.* andar 20*000
dem idem n. 27, loja 15060
Bispo Sardinha n. 11 1 andar 16*600
dem idem n. 3. 2 andares e loja 33*303
D. MariaXesar n. 118 terrea 16*000
dem n.16, terreo 20*000
Companhia Pernambucana n. 30, loja 15*000
Madre de Deus n. 2, armazem. 12*9)0
Burgos o. 21, terrea 14*000
Imperial n. 153, loja. 10*090
T
l V.
Y -
i
-



Diario de Pernambuco-Quinla-fi 12 de Junho


&
THEATRO
SANTA ISABEL
eic?b:z do_abi:si selibb
ui:
OPEBA-COIICA, OPERETAS E MGICAS
DO
YHEAXftO SANT'ANNA
DA
CAPITAL FEDERAL
HOJEquinta-feira, 12 de Junho de 1890 HOJE
^R.4lNDE novidade
3 actos e 12 quadros, de
Primeira representacao da lenda phar.tastiea em
i!B DUARD0 GARRIDO, msica do maestro MESQUITA
ALI-BABA
ou os .
40 LADROES
Personagens:
Pregos (rancezes, kilo.
Pxe, barril.
Pregos caixaes, kilo.
Placis de rama comprido, um. _
Ditos chatos finos, dem.
Ditos redondos dem, dem.
Praru hes de pioho de 25.a 30 palmos de com-
primcnto, 1 de largura e 3 poliegadas de es-
.pesora, um.
Rpas, molbo. ~
Sab&o amarello, kilo.
Systhema mtrico, ora.
Sola, meio.
Serrotes de 45 a 80 centmetros, um.
Sicaute fzes de ouro, k'lo.
Sombra para fingimento, idem.
Sal commum, litro.
Tinta azul da Prussia, kilo.
Tinta pret, litro.
Toalha de algodo, urna.
Taboada?, idem.
Teliia3 de zineo, idem.
Trincha de veia, idem.
Trincheta, idem.
Tornos para bancada idem.
Travs de 30 a 40 palmos ama.
Tijollo?, centro.
Tenas de barro, idem.
Vidros para vidraca, um.
Verde chromo, kilo.
Vinagre de Lisboa, litro.
Vinbo branco, idem.
Vi olio do Porto, idem.
Vascouras de piassava, urna,
Vellas stearianas, k'lo.
Verruraas sortidas, urna.
Verniz copal branco, kilo.
Dito do Jai JWT idem.
Vermelb.lo da China, idem.
Xarque, kilo.
Zarco, dem.
Os gneros devera fer de boa qualidade.
Em 4 de Juabo de 4890.
O secretario da jonla,
Dr. Antonio Jos de Sanl'Anna.
A nercial do Recife convida os com
n-ercianies oacionaes matriculad osdestedistricto
a comparecereoj nodia 13 de Junho prximo vin-
doaro, s 9 hora* da.manha, no salao da Assocta
cao Commercial Benecenie, para a eleicao de
un supplente de depuiado commerciaote, em
substitolcSo de Luiz de Paula Lopes, que fji ele-
to deputado e cuj eleicao termioara a 31 de De-
zmbro do presente anuo, devendo o novo elel-
to, em vista da ultima parte do art. 4o do titulo
uoico do Cdigo Commercial, servir somante
pelo tenipo que falta ao substituido
B, para constar mandou dita junta fazer o pre-
sente edital, que assignado pelo seu>prestdente,
ser publicado no iornal do Recife, Provincia e
Diarto de Pernambuco, e aflixado na praca do com-
mercio cjm a lista de que trata o art. 5o do
Decr. n. 696 de 5 de Selembro de 1850.
Junta Commercial do Recife, 29 de Maio de
1890.
O presidente,
Joaqun Olino Bastos.
Lista
Thesouraria, de Fa-
zenda


Ali Baba (radiador de lenha)
Cassim (sea primo, mercador rico)
Aftidina (fiiha adoptiva de Ali-Baba)
Bak-Barok (filho de Cassim) .
Zelma (mulher de Ali-Baba) .
Abulabul (capitao de ladrees) .
Zam-'d (Udrao)
Benzabil idem
Zu-Tug idem | .
Mustaph (intendente do Visir).
O Cadi ....
Um medico turco .
Ilassan (tabelliSo) .
Ariel (genio).
Jacar (marujo) .
Ab dalab .
Asain .....
Lul (filho de Ali-Baba).
Nini, dem idem .
Um moleque. ....
Amigos e parentes de Ali-Bab, cavalheiros,
JLeras, mercadores de escravos, diabos, etc., etc.
TTULOS dos quadros
-1." ACTO1. qiiadro A floresta encantada!
. ditoA cabana de Ali Baba.
3 ditoA caverna dos [adroes.
4. ditoAs entranhas da trra.
2. ACTOV* quadroO mercado das escravas.
tt dito -O casamento de Aladina.
S." ditoAs pipas que falam.
8. dito fundo do mar
3. ACTO O. 4(iiadro -A familia de Ali Baba.
O. ditoA galera Fatimn.
(GRANDE EXPLOSAO.)
41 ditoAriel.
I!." ditoO premio da virtude.
Bailado das escravas, infernal das fitas
Grande e pjpular tango
Sr. Vasques
Sr. Mattos
D. iBabel Porto
Sr. Colas
D. Ignez Gomes
Sr, Andr
Sr. Nazareth
Sr. Rangel
N. N.
Sr. Mosquita
Sr. Mesquita
Sr. Esperanca
N. N.
D. Anna Leopoldina
Sr. Cezar
Sr. Mesquita
Sr. Barros
O menino Vasques
Sr. Carlos
Sr. Vicente
negros, ladrees, baila
escravos
f
e punhaes
dos negros
Estream n'esta peca os bailarinos
Signora Alba e Parotim
Scenarios, vestuarios e aderecos
luxuosos
A'8 8 l/t horas.
Haver trens para APIPUCOS e OLINDA e bonds para todas as linhas.
Thesouraria de Fa-
zenda
Forneelmeoto do presidio de
Fernando
Ve ordem do Sr. Dr inspector faco publico
\ae no dia 12 do rorrete mez, perante a sessao
u Jata desta Thesouraria, que comecara as II
aeras da mnha se rao a bertas as nropostas que
Colla da Babia, idem.
Cobre em folha, idem.
Caivete fino, um.
Cera branca em velas, kilo.
Dila em brandoes, idem.
Caetas de pao, dutia.
Cbamios patentes, um.
Cabo de linbo de tedas as dimenses, kilo.
Cal.branca, litro.
Cal prela, dem.
Cornetas, urna.
Cbapas de ferro de 8/8 1/3 16/8, numero.
atesse dia forem aposentadas, afim de ser con- J Doutrina ChristS. urna.
:r*cUdo, com quem melhores vantgens offere-
xr. o fornecimento de gneros e artigos para o
jresiiio de Fernando de Noronba durante o
aeoestre de Julbo a Dezembro deste anoo.
Sssas propostas devera vir devidamente sella-
bas c fechadas, e os proponentes requerer&o pre
mente a esta repartirlo, provando que sao
aeeoctaotes matriculado- e se achara quites re
Zativameete ao imposto de industriase profisses
leaitimo semestre e declarando que seobrigam
a entregar os referides gneros e artigos no pre-
4lfiS.
tGitrosim, nao serao aceitas as propostas que
;oriU*erem artigos nao mencionados oeste edi-
XA, nem tambem aquelles, cujos pregoj estive-
eR snjeitos a abatimento ou descontos, por is-
5t qn; os mesmos pregos devem ser invaria-
aeis.
*3s gneros e artigos sao:
issucar rcascavinho, kilo.
Atroz filado, idem.
Aasucar branco refinado de 1* sorte, idem,
.jtfetria, idem.
marola, idem.
ifcuol de 36* a 40, litro.
rame, kdn.
.Agaa raz, li ro.
Algodo trancado azul e msela, metro.
jLqb qaadrado ou milo, kilo.
_t doce, litro.
Aj^odaosinho, m tro,
Algodo trancado de listras, idem.
. Agnihas para costura, papel.
Arcos 4e ferro sortidos, feixe.
. Arazae de latao, kilo.
AnKioietica de Castro Nunes, naia.
jronl ultramar, kilo.
Ama de caldear, barrica.
Ma frasees com um& pollegada de grosfura,
tilo.
Arae de ferro de 7,8 a 7jl poliegadas, kilo.
BolOes de osso com dous furos, caira.
Brabante, kilo.
ai vivo, um.
acalnia, kilo.
Sanba de porco, idem.
Sera.0 para espanar, um.
Ama fardo de algodo. metro,
aadeira nacional de 6 pannos, urna.
CaaUyeaon, kilo.
Caf em grSo, idem.
Copos de vidro, um.
Camisolas de brim, urna.
Aitas de algodo, idem.
Sitas de forca, idem.
tmenlo Portland, barrica.
Car vio de pedra para ferreiro, kilo. .
Cartas de A B C, urna.
C*Heoco de traslados, idem.
Cardas ero*, peca.
Cabos de m inilba, kilo.
Cabos para en\aua, am.
Caaeeoe de baeu, dem.
e Cairo, k
Doce de goaba, kilo.
Enxaraeis, um.
Envellopes in folio, um.
Ditos para of&ciosf idem.
Enxadas de 3 l/ e 4 libras, orna.
Esleirs de palba, urna.
Eslaobo em verga, idem.
Esteiras de palba para canalha, idem.
Escopro?, um.
Farinba de mandioca, litro.
Dita de trigo SSSF, barrica.
Dita de tapioca, kilo.
Fumo em latas, kilo.
Facas de ferro, dnzia.
Ferro inglez sueco sortido, kilo.
Fio de vella, idem.
Ferro de Siemes queimado, idem.
Folies para fe-rejro, om.
Ferro para varanda, kilo.
Grammatica portugueza de Castro Nunes,
Dita de Abillo, idem.
Geometra, idem.
Geographia, idem.
Gomma lacea, kilo.
Gomma arbica em p," idem.
Dita em caroco, idem.
Giz, idem.
Gomma nulta, idem.
Hostias, urna.
Historia do Brazil, urna.
Incens, kilo.
Kerosene, lata.
Lences de algodo, um.
Lixa esmeril, folha.
Lacre, pao.
Lapis de borracha, duna.
Ditos de Faber pretos, idem.
Ditos d2 carapina idem, duzia.
Linha nranca n. JO, carritel.
Lapis de cores, duzia.
Livn primeiro de leitura, um.
dem segundo de idem, idem.
dem tercelro de idem, idem.
Hanteiga ingleza, kilo.
dem franceza, idem.
Marmeliada, kilo.
Manuscriptos, um.
Mangaes de ferro para carraca, om.
Macarrao, kilo.
liadapolao, peca.
Ncar encarnado, k^).
Ncar rozo, ideo.
Oleo de linftaca, litro.
Ocre amarello, kilo.
Papal pautado almagro Fime, resma.
Dito cartao mata-borrao, foiha.
Pedra para escrever, u>na-
Paos de jangada, um.
Ditos grossos para balsa, idem.
Pavios para caodieiro patente a gas, idem.
Palha de carnauba para chapeos, ama.
Pregos de ferro sortidos, kilo.
Peonas de ac Perry, caixa.
urna.
A D. Maria L. de Myra Wanderley
De conformidade com a ordem do ThesourQ;
Nacional n. 't de 28 de Maio prximo passado,
l'ico constar a D. Maria Leooarda.de Mzra Wan
deiley, que para ser attendido^jeu requeri-
mento pedindo a elevacao do id" sold quej
percebe, na qualidade de v;nva vto capitao do
exercilu Joao Jacques Nogueira Bowmao, torna-
se necessaria a prova de que o referido i fficial
falleceu no acampamento durante as operacOes
da guerra contra o Paraguay,. apresentando,
para ieso, attestado do facultativo do exercito,
na fOrma do decreto legislativo n. 2618 de 8 de
Setembro de 1875.
Thesouraria de Fazenda do Estado de Per-
nambuco, 9 de Junho de 1890.
O secretario da junta,
^^^^ Dr. Antonio Joi de Sant'Anna.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Fornecimenlo de pao e bolacha
. A junta administrativa da Santa Casa de Mise
ricordia do Recife contracta com quem melhores
vantagen i cfferecer o fornecimento de pSo e
bolacha para o consumo dos estabelecimeatos a
seo cargo, inclusive o collegio das orphas, em
Olinda, no trimestre de Julho a Setembro do
correte anno.
As propostas deverao ser apresentadas na
sala de suas ses?Oes, em cartas fechadas, devi-
damente selladas, pelas 3 horas da tarde do dia
17 do correte, declirando -os proponentes su
jeitarem se multa de 5 0/0 sobre o valor total
do fornecimenlo. se no praso de tres dias nao
comparecerem secretaria para assigna: o res-
pectivo termo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 11 de Junho de 1890.O escrivSo,
______ P. Rodrigues de Souza.
Thesouraria de Fazenda
Dividas do exercicios findos
De ordem do Dr. inspector faco publico que
esla Thesouraria acha se habilitada peloThceea
ro Nacional com o necessario crdito para pa
gamento dos credores de dividas de exercicios
tlnilos abaixo mencionados :
Dr. Albino Goncalves Meira de Vas-
concellos 538*988
Bacharel Jos Francisco Ribeiro Pcs-
soa 137*500
Bacharel Herculano de Oliveira Tor-
res Galliodo 164*515
Joao Rodrigues de Moura 2*000
Cosme Jos do 0', Antonio da Costa
Paiva, Claudioo Lourenco Pihheiro
e outros operarios do pharol das
Roccas 791*000
Guimaraes Valente 10*300
Joaquim Alves da Silva Santos. 6*000
Jos dos Santos Oliveira 20*720
Januaria Pereira da Silva 15i*837
Bacharel Victorino do Reg Toscano
Barreto 1.061W26
Manoel da Silva Pereira 125*000
Companhia Pernambucana 840*600
Luiz Francisco de Souto ilaior 45*000
Manoel Thomaz de Alboquerque Ma-
ranbio 264*000
Francisco Manoel da Silva & C. 21*460
Antonio Francisco Santiago 6*100
Joaquim Basilio Pyrrbo 21*460
D. Maria da Assis Campos 14*400
Bacharel Luiz Frederico Codeceira 48*311
Arcediago Dr. Luiz F. de Araujo 266*666
Bacharel Eutropio G. de Albuqoerque
e Silva 133*890
Bacharel Miguel dos Aojos Barros 180*819
Joaquim Pedro de Sant'Anna 8*700
Em 9 de Juubo de 1890.
O secretario da junta.
Dr. Antonio Jos? de Sanl'Anna.
Consulado da Allema-
nna
Terminando no dia 14 do torrente o praso
concedido aos estrangeiros para fazerem a de
claracao de que desejam manter a sua naciooa
lidadee facultando o decreto de 15 de Maio, que
taes declaracOei possam ser feitas nao so piran-
te a intendencia, como tambem perante os es-
crivaes de delegacias, subdelegadas e este con-
sulado, dou p:la presente stiencia de taes dis-
posiges a todos os cidadaos allemes.
Consulado da Allemanha em Pernambuco, 2
de Junho de 1890.
P. Borstelmann,
Cnsul.
Companhia Alagoana de
Fiacao e Tecidos
Convidamos os senbores subscriptores desta
companhia para, de accordo com os arts. 9 e 10
dos e.Ututos, realisarem at o dia 14 de Jucho
prximo futuro, a 10,* entrada na razao de 10
0/0 do valor de suas aceces no Banco de Per-
nambuco. Macei, 14 de Maio de 1890.
Os directores
Jos Teixeirri Machado.
Jos Januario P. de Camino.
Propicio Barreto.
Santa Casa da Misericordia
do Recife
Perante a junta administrativa, em sua sesso
do dia 17 do correte, podero ser aprsenla
das propostas para o arrendamento da proprie-
dade liba do Nogueira, com casa de vivenda.
coiueiral e com orna pequea esa junto ao
cae?, servindo de base a quanlia de 1:200*000
annuaes de renda e as mais clausulas que po-
dem ser consultadas netta secretaria.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 4 de Juobo de 1890.O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
ClubMilitar
Por ordem-do cidadao presidente, convidos
cidadaos s. cios para comparecerem assembla
geral. que ter logar no dia 13 do correte) para
tratar se de assumolo inuito importaate
O i- secretario,
R. Nuno da Costa:
1 Antonio Gomes Miranda Leal.
i Antonio Geraido do Re;o Barroca.
3 Amonio Luiz Teixeira Elias.
'i Antonio Valealim da Silva Barroca.
5 Antonio Rodrigues de Souza.
6 Antonio Gomes de Mallos.
7 Antonio Seraflm da Silva.
8 Antonio Machado Pereira Vianna Jnior.
9 Antonio da Cunba Ferreira Baltar.
10 Antonio Vicente de Magalhaes.
11 Antonio da Silva Ferreira Jnior.
12 Antonio Guilhermrno dos Santos.
13 Antonio de Oliveira Maia.
14' Antonio Muniz Machado,
'ti Antonio Xavier Bezerra.
16 Adolpho Francisco Lavra.
17 Aureliano Augusto de Oliveira.
18 Augusto Qeipiano de Scuza
19 Alexandre ieSouja Nogueira.
20 Alfredo Gibjon.
21 Alfredo^tFerreira.
22 AffdjMO Augusto de Brito Taborda.
23 Barab de Petrolioa.
24 Barao da Soiedade.
25 Barao da Santa Cruz.
26 Bardo de Aguas Bellas.
27 Barao de Nazareth.
28 Corbeniano d Aquino Fonseca.
29 Claudio Jos de Sant'Anna.
30 Carlos Pinto de Leruos.
31 Carlos Jos de Medeiros.
32 Carlos de Paula Lopes.
'33 Candido Jos da Silva Guimaraes.
34 Candido Goncalves Ferreira.
35 Carlos de Moraes Gomes Ferreira.
36 Cuperuno de Gnimaraes Bastos.
37 Demelrio Acacio de Araujo Bastos,
38 Ernesto Arcelino de Daros Franco.
39 Eduardo Candido de Oliveira.
40 Euzebio da Cunha Beltrao.
41 Eneas Americo de Medeiros.
42 Eugenio Regadas.
43 Fr, ncisco Ferreira Baltar.
4i Francisco Antonio Gomes de Mattos.
45 Francisco Theopbilo da Rocha Bezerra.
46 Francisco Apolonio Bezerra da Silva.
47 Francisco Gomes de Araujo.
48 Francisco Botelbo le Andrade.
49 Francisco Ignacio de Oliveira.
50 Francisco Ferreira Baltar lunior.
51 Francisco Jos da Silva Guimaraes.
52 Francisco Gurgel do Amaral.
53 Francisco de Paula Gomes.
54 Francisco Correia e Mesqnita Cardoso.
55 Eilix Pereira e Souza.
56 Francolino Rodrigues de Moura.
57 Genuino Jos da Rosa.
58 Gratuliano dos Santos Vital.
59 Graciliano Octavio da Cruz Martins.
60 Gabriel Ildefonso das Neves Cardoso.
61 Henrique Bernardes de Oliveira.
62 Henrique Xavier de Araujo Saraiva de Mello.
63 Herminio Exydio de Figueiredo.
64 Ignacio Bezerra Pessoa.
.65 Jos Antonio Pinto.
66 Jos Marcelino da Rosa.
67 Jos Francisco S LeitSo
J>8 Jos Gomes Leal.
69 Jos Adolpho Rodrigues Lima.
^70 Jos da Costa Pereira.
71 Jos Fiuza de Oliveira.
72 Jos Braz da Conceijo Silva.
73 Jo de Oliveira Castro.
74 Jos Mu reir da Silva
75 Jos Augusto de Araujo.
76 Jos de S Leitao Jnior.
77 Jos Francisco do Reg Mello.
78 Jos Antonio Moreira Dias.
79 Jos Ferreira da Silva.
80 J s Feliciano Nazareth.
81 Jos Rodrigues da Silva Barroca.
82 Jos Alves Barbosa Jnior.
83 Jos da Silva Loyo Jnior.
84 Jo.-; Ferreira Bailar.
85 Jos Candido de Moraes.
86 Jos da Assumpcao Oliveira.
87 Jos Luiz de Mello.
88 Jos Ruhoo Climaco da Silva.
89 Jos Luiz Goncalves Fenna Juniar.
90 Jos de Brito Bastos Filho.
91 Jos Ferreira Marques.
92 Jos Fraocisco Pit-heiro Ramos.
93 JoSo Ignacio de Medeiros Reg.
94 Joao Baplista Gomes Pensa.
95 Joao Pinto de Lemos.
96 Joao Manoel da Veig& e Seixas.
97 Joao Baptista Castanha.
98 Joao Jos da Silva.
99 Joao Jos de Carvalho Moraes.
100 Joo Fernandes Lopes.
101 Joao Walfredo de Medeiros.
lOz Joao Rodrigeos de Moura.
103 Jjao de Aquino Fonseca.
104 Joao Ferreira Loureiro.
105 Joo Pereira Reg.
106 Joao Joaquim de Mello.
107 Joao Chrysostomo Galv&o.
108 JoSo Vctor Alves Malheus.
109 Joaquim Olinto Bastos.
110 Joaquim de Souza Silva Cunha.
111 Joaquim Alves Garca.
112 Joaquim Bernardo dos Reis.
113 Joaquim Lopes Machado.
114 Joaquim Francisco das Cbagasc Silva.
115 Joaquim Mauricio Goncalves Rosa.
116 Joaquim Felippe da Cost.
117 Joaquim Nicolao Ferreira.
118 Joaquiai Jos Goncalves Beltro.
119 Joaquim de Oliveira Borges.
120 Julio Cezar Paes Barretto.
121 Juvimano Manta.
122 Juvino Cezar Paes Barretto.
123 Juviuo Bandeira.
124 Bjcbarel Laurino de Moraes Pinheiro.
125 Leocadio Jos de Figueiredo.
126 Lenidas Tilo Loureiro.
127 Luiz Aotonio Siqueira.
128 Luis Jos da Silva Guimaraes.
12} Luiz A fredo de Moraes.
130 Luiz Leopoldo dos Guimar>s Peixoto.
131 Ladislao Gcmes do Reg.
132 Luiz de Paula Lopes.
133 Ladislao Jos Ferreira.
134 Leopoldo Marques da Assumpcao.
135 Manoel Ignacio Pessoa de Mello,
136 Manoel dos Santos Villaca.
137 Manoel da Sil.a Maia.
138 Manoel Jos da Silva Guimaraes.
139 Manoel Paulo de Albuquerque.
140 Manoel Moreira de Souza.
141 Manoel Pereira da Cunha.
14 Manoel Bernardo de Oliveira.
143 Bacharel Mi noel Gomes de Matto.
144 Manoel Jos Monteiro. *
145 Manoel Joaquim da Costa Carvalho.
146 Manoel Honorato da Silva.
147 Marcelino Jos Maria ne Almeida.
148 Marcelino Goncalves Rosa.
149 Matbias Tavjres de Almeida.
150 Migu> I Jos de Abres.
151 Narciso Jos Mooteif.
152 Olympio Frederico Loap.
153 Olympio Gjncalvns Rosa.
154 Pedro Jjaquim Viaona de Lima.
155 Pedro Ozorio de Cerqueira.
156 Fedro forge da Suva Ramos.
15? Pedro Alexandrioo Maia e Silva.
158 Paulo Pereira Simftes.
159 Primenio Duarte Ribeiro.
160 Salyre Seraum da Silva.
161 Thoma>. Teixeira Bastos.
162 Thomaz Ferreira de Carvalho.
Secretaria da Junta Commercial do Recife, 29.
de Maio de 1890.
O secretario.
Julio AugUstoda Cunha Guimaraes.
Juizo substituto dos
feitos da fazenda
(Escrivao Torres Bandeira)
No dia 27 do correte, depois da audiencia do
Dr. juiz substituto, irao praca por venda, os
predios abaixo declarados penborados, por exe-
cucao da fazenda:
Recife
Casa terrea ra do Pbarol n. 56, com porta e
jane lia, duas salas, dous quartos, uosinha, quin-
tal, sotao interno e salao, 4 metros e 50 cent-
metros de frente, 12 metros de fundo, avahada
em 600*000, pertencen'e a Francisca Maria do
Rosario Monte. ,
8. Jos
Casa ra Imperial n. 285, com porta e janel-
la, duas salas, um quarto, cosinba, quintal, 3
metros de frente e 9 ditos de fundo, avaliada em
200*000, pertencente a viuva e berdeiros de
Francisco Xavier das Cbagas.
Casa em caixo ra da Palma n. 119, com
duas portas de frente, 4 metros e 80 centmetros
de frente, 17 metros e 70 centmetros de fundo,
quintal e cacimba, avaliada em 400*000, per-
tencente aos filhos de Joaquim Vieira.
Boa Vista
Casa ra do Socego n. 3 A, com port e ja-
nella, duas salas, dous quartos, cosioha fra e
quintal, 3 metros e 70 centmetros de frente, 12
metros e 95 centmetro* de fundo, avaliada em
1:200*000, pertencente a Joao da Silva Villa
Nova.
Casa ra do VisconJe de Albuquerque n.
til, com 4 metros e 30 centmetros de frente, 43
metros e 20 centmetros de fundo, 2 salas, 3
quartos, cosinba externa, quintal murado e ca-
cimba, avalada em 1:500*000, pertencente a
Francisco Ferreira de Mello.
Afogados
Casa ra de S. Miguel n. 5, com duas salas,
dous quartos, cosinba fra, quintal, 4 metros e
30 centmetros de frente e 11 metros e 70 cent-
metros de fundo, avaliada em 800*009, perten-
cente a Tuereza de Jess Mana.
Casa estrada do Giqui a Jaboato, no lugar
Paul, com tres janellas de frente, urna port no
oitao, duas salas, dous quartos, urna puchada ao
lado com um quarto, cosioha fra e quintal, 5
metros e 72 centmetros de frente e 8 metros e
80 centmetros de fundo, avaliada em 260*000,
pertencente a Antonio Jos do Carmo.
Poco da Panella
Casa ra da Matriz n. 8, com 7 metros e 12
centmetros de largura, 11 metros e 30 centme-
tros d fondo, tres janellas, duas salas, 3 quar-
tos, cosinba externa, quintal murado, terraco ao
lado da entrada, avaliada em 700*000, perten-
cente ao vigario Francisco Luiz de Carvalho.
Alujuel
Casa ra do Padre Nobrega n. 70, com por-
t e janella, duas salas, dous quartos e quintal,
por 8*000 mensaes, pertencente a Anna Maria
da Luz.
Recife, 9 de Junho de 1890.
TRk&\
a vapor
o Havre, Lisboa,
Janeiro e
tf'TSr >
GEURS REUNS
Companhia Fran^tia
DE
Mavegaeio
Linha qninzenal entre
Pernambuco, Babia, Rio de
Santos.
O VAPOR
Ville doCear
Commandante Lainey
E' esperado da Europa at o- dia
16 de Juobo segnindo depois
da iDdi8pensavel demora para
Macei, Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga peles
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
le 6 das a contar do da descarga das alvarengas
inalquer reclamacao conceraente a volumes que
orreotura tenham seguido para os portos do
iul afim de se poder dar a tempo as prori-
lencias neceasarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao
esponsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
iheiro vrete: trat-se com o
f AGESTE
Angoste Labille
9RA DO COMMERCIQ-9
Royal Mail Steam Packet
Company
O paquete Tagus
2L
Espera-se da Europa at o dia 20 de
E' esperado do sul no dia 22 de Ju-
nho segnindo depois da demora ne-
cessaria para
Juizo de paz da freguezia da
Boa-Vista
Arremataco
No dia 13 do crreme, s 9 horas da manba,
irao em bast pnblica para serem arrematados
tres animaes da raca cabruna com duas crias,
remettidos este juizo pelo fiscal desta fregue-
zia, por andarem vagando pelas ras desta ci-
dade. A praca ter lugar a roa Velha n. 87.
Freguezia da Boa-Vista, 11 de Junho de 1890.
O escrivao.
___________Alfredo Francisco de Souza.
lustrada de ferro de
Ribeiro Bonito
-4, Por deliberacao da dinctoria, sSo convidados
os senhores accionistas para se reunirera em
assembla geral extraordinaria, no dia 12 do
corrente, ao meio dia, na sede da sociedade,
afim de tomarem conhecimento de urna repre-
seotcSo feit por diversos accionistas.
Recife, 6 de Junho de 1890.
Manoel de H. Cavalcante,
_____________.Director secretario.______
Consulado de Portugal em
Pernambuco
Ntste consulado precisa-se obter informaces
a respeito de D. Francisca Adelaide da Cmara
Monteiro, viuva de Manoel da Cmara Monteiro.
Peco, portanto, a quem poder fomecel-as, o ob
sequo de comparecer neste consulado.
Consulado de Portugal em Pernambuco, 11 de
Junho de 1890.
O encarregado do consolado,
_ A. J. Barbosa Viaona.
Sociedade
DOS,
Artistas Mchameos e Li-
beraes
De ordem do irmo director, sao convidados
todos os oossos irmos que se achara no goso de
seos din itos sociaes, a comparecerem na sede
da referida sociedade no sabbado 14 do corren-
te, s 6 1/2 horas da tarde, para em assdmbla
geral extraordinaria, tratar se de negocios de
alt importancia, com relaco mejraa socie-
dade.
Secretaria da Sociedade dos Artistas Mcham-
eos e Lioeraes de Pernambuco, 11 de Juaho de
1890.O i- secretario,
Joaquim Lopes Teixeira.
MARTIMOS
'ompanhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda s
E' esperado dos partos acuna
at o dia 15 de Junho regressan-
do para os mesmos depois da
demora do costme.
Para carga, passagens, encommendas e dlnhe-
r> a frete trat-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario-17
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
sul at o dia 19 de Juobo
o qual depois da de
mora necessaria seguir
para o
naranho, Par*, Barbados, S.
Thomaz, Hartlnfque e Xew
York.
Para passagens carga, encommendas e di
heiro a frete:. trat-se com os AGENTES.
O vapor Allianca
E' esperado de NewYorK
at o dia 30 de Junbc
o qual depois da de
mora necessaria seguin
para a
Baha, Rio de Janeiro e Santo
Para carga, passagens, encommendas e c>-
nheiro a frete : trat-se.com os
AGENTES
Henry Forstr & C.
8Ra lo Cbmmfioior8
1* andar
'Junho, seguiudo depois da demo-
'ra indispensavel para
Baha, Rio de Janeiro, SanEos,
Montevideo e Buenos-Ayres
Para passagens, frete i e encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Trent
9fcJ~
Lisboa, Vigo e Santhampton
Reducqao de passagens
Ida Ida e votia
4'Lisboa 1* classe 4 20 30.
1' Southampton 1* classe 28 42
Camarotes reservados para os passageiros dt
Pernambuco.
Para passagens, fretes, encommendas. trata-s
xxnos
AGENTES
A morim Irmos & C.
N.3Ra do Bon JessN. 3
Companhia da Mala Real Porta-
gneza
O vapor Malange
E' esperado do
Rio de Janeiro at
o dia 14 de Junho
seguin do depois
da demora indis-
pensavel para
Lisboa
-Sobre fretes e passageiros trat se com os
AGENTES
Pereira Carneiro &C.\
6-RA DO COMMERCIO6
Io andar
, Llov] Brasilero
PORTOS DO SUL
O vapor Manos
Commandante o 1 tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos portos do nor-
te ate o dia 14 de Juobo e de-
,pois da demora indispensavel
seguir para oe portos do sol.
as encommendas serao receidas na agencia
at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens, e ncommendas e vale-
res rat-se con os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Alagoas
IS !'
Commandante JoSo Maria Pessoa
E' esperado dos portos do sul
at o dia 17 de Junho e s-
guindo depois da demora indis-
ipensavel para oe portos do cor-
.e ate Manaos.
As encommendas s serio receidas na agen-
a at i hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
es trat-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do CommeTcio=6
1 andar
Sabbado, 14, deve ter lugar o ultimo lei-
lao de importantes dividas documentadas e com
muitas das lettras ainda nao prescriptas, servin-
do de base urna diminuta offerta.
Leilo
De 1 importante casa na ra da Uuiao n.
53 com grandes e excellentes acommo-
daedes, quintal, gaz, agua encanada, ba-
nheiro, quartos para criados e tudo mais
necessario a urna boa moradia.
De 4 stimas partes do armazem n 50 da
ra de Pedro Affonso, antiga da Praia.
Quinta-feira, 12 do corrente
A's 12 horat
No armazem. ra do Mrquez de Olinda
n.48
O agente GusmSo, autorisado fara leao dos
predios cima mencionados ; para ver e pxpli-
eaces devem os pretendentes entender-se com
o mesmo agente.
Leilo
Agente Britto
De movis, loucas e vidros
Urna mobilia de Jacaranda a Luiz XIII com en-
cost de palha, com 2 contlos com pedras,4ca-
deiras de bragos, 12 ditas de guarnicao, 1 cama
francesa de Jacaranda, 1 espelbo oval, 2 ditos
para cima de mesa. 2 importantes quadros, 1
toilette de jaearanua, 1 (uarda-veslido, 1 cbm-
moda e 1 me?a ela.-lice, 2 apptradores % mar-
queiOee, 1 guarda-lopca, 4 jarros fin s, 2nler-
naa tinas bacarat, louca para almofo.e i^ftf, 1
cortinado e colcha^qna3i nova e'ouos muitos
objectos. ^L
Roa da Aurora n. 117
Quinta-feira, 1S do corrente
A's 10 2 hora
O agente cima autorisado por urna familia
que muden de residencia, fara leilao ds obje-
ctos ar-ima declarados.
!


o
Diario de Pernambvico--Quinta-feira 12 de Junho de 1890


' Leila
De predi* e terrea**
Quinta-fera, 12 Jo corren te
A's 11 h. ras
N vmuem da ra Marque de Oluid
n.'4S
CONSTANDO:
Do KraLd**e iiiiuortJtiiie bio com frente moa
fe e piril. dr fe ru li i a roa do bum 6 10,
tTorrt, MOdO Ulna IllHliili.-.. C. familia, culi] agua eni'all da <- appar** hos. qu.n
tos par* criail > e falo e- e risa, quartu eooi i>. i hriroa le < huvxco. aaleua
para euKmuirt tOB expeliente agu-i I"1 J*H wOdoJ ora b Ba-
bas P'Ta ri'tfar o MI". I gratule I), lia (te eapilli
Olios arvore-ii 8 le fru 1.8 e grand- terit-no
ajoe val at o io. que se p( de eii fl ar 4 Oaan
Sefli prt-juii r o -Un.
De i te-reno "Uo a roa do Padre Ii>br*tM.
aotlga Al'i-nm mu 30 palmo- lie frile e fu
dos at a roa do M un i do H'-rval, temi i
Bjeema la'gora no- fundo-.
De 1 terreno a roa da Gadea Nova coio 43
Baile 8 de f'fiile e 132 illlu de fundo.
0 ag- nif Gosiuan, nn.Hit-iiit-un-nle autorlua
do. far Miau do np. ranle predio e torran a
cima ief ndda, p "d--ndo os Sra compradores
irem xaminal oa para mais mfnruiages o
aesmo agenta tara em seu escriplorio 4 ra do
Mrquez d Olmda n 48
Agente Stepple
' leilo
De 1 machina de ferro e pertences para
refinarjio e mais obj-o.tos existentes no
armatem a ra daa F urea.
Quinta-feira, 12 docorrenfr
A's 11 huras
Ni' ann; zi-in a ra da Flores
0 geme Stepple por mandado e assistenria d
Exm. Sr. Dr. juu de direilo de Orphos e au*o-
tes, a ivqueriroento do Sr. consol de Por uial,
levara a leilo os objecin existentes no armatem
a roa das Fl ires, perienoDies ao tinado Angel
0 Jos dos Santos Andrade em um ou main lo
tes._______________________________________
Leilo
De 1 caixo com fugos ch nezes, 2 ca xas rom
azei ouas em latas, cvrwja branca em meiat-
botijas, resmas de uap>-t azul e bramo p?ra
em "Ulho, licores finos, vtrmcu'h, rhom, mu
veis, loucas, vidros e muitus outros artigo*
que serao vendidos para fecbamen.o de con
tas
Quinta-feira i 2 do cosrente
A's 11 hora
No armazein ra Mrquez de Olinda
n. 48
POR INTERVENgO DO AGENTE
Gusmao
Agente Kurlani'tqni
Leilo
Quinta feii a, 12 do crvente
A'a 11 horas
No Io andar do sobrado do pateo de S.
Pedro n. 8
De bons movis
0 a-'ente aciu a, auionsado por urna familia
qnere retirou para o noru, veuder em leilo,
ao correr do mancho, os movis existentes no
i andar do referido sobrado.
Tem urna mobilia de amarello, completa cama
francesa, espelbo dourado, quadros, etageres.
jarros, mesas, cadeiras, cabides, tapetes, can
diedros louca. vidros e maitos ouiros movis
que estaro vista dos Srs. licitantes.
Agente Pestaa
Leilo
De movis e joiaa pertencentes ao espolio
de Joao Mana de Albuquerque Ol
veira.
Quinta feira, 12 do corrente
A's 10 horas no a-iuazem travessa do
Corpo Santo n. 27
0 agente Pestaa veader por mandado a as
sistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orpbaos o es-
polio cima menci. nido.
Agente Burlamaqui
Leilo
De predios situados no Recife e em Olinda
SENDO:
Urna meia agua o. 294 a roa Imperial, dnas
ditas ns. 1 e 3 no becco do Maceoo por t az da
de n. 294.
Urna casa terrea n. 2, na travessa da rna do
Commercio. em Olinda.
Urna dita o. 27 na ra da Bicade S Pedro, tam-
bera em Olinda.
Keita-felra, 13 do corrente
depois que chegar o trem que parte do
Recife ao meio da
Na porta da Cmara Municipal de
Olinda
0 agente Martins far leilo por mandado do
cidadau Dr. juiz de direito de orpbaos da cida e
de Olinda, em sua presenta, dos predios cima
Krtencentes ao espolio do capito Florentino
unes de Mello, os quaes serao vendidos a quera
aior lance efferecer.
Pr n.-iscu Luis dos Res 1:338*9*0
-hiaoo ato ira Cavalcanti 36*300
Aui'-mo-lauco Ja SiWeira Lina 64M8
J ao B .pn-ta de VercoaaLias 9564180
-S huno Morara Ca alcanti 205#u0
O uiesmo 44*680
O n^mo 46#60
O mesmo 34*840
o ni -mu 14*480
Amono Francisco da CosU 7:365*410
J a., Francisco Teixeira Marques 200*000
Tr.ijawo Cicaro Pinto de Mendonca 516*780
S l.i mu M i eira Cavalcanti 30*440
Joagmu Jo-e Rodrigues da Costa 1:778*080
Jo quim G ues da Silva 139*760
Mano i Cavalcanti de Mello 651*650
uiwano M .r^ira Ca/alcanti 31*180
J a Antonio dos >antos Conde 761*000
R.iruoC rvalbo AC 1:108*300
ifrcou Alves da Silva Freir 4:828*<>10
J -e Luureiico Goncalvea 2:353*120
J H-reira de Carv.lbo 7:703*300
S va Varella & C. 828*740
SiMauo Moreira Cavalcanti 2:195*560
M uu>- H euo Rodrigues dos San-
ios 4:413*880
B ..a & rmente! 80*280
Ja. Aive- UCrui 88.950
J-s Fernaa es dos Santos Bastos 15*000
R trio Jd de Sani'Anna 144*860
A io Ui ..ira & C. 235*140
J qu ni loiicalv.'s da Rocha 60*680
j. V ie,i daCru* 107*800
Krauc -io Ribeiro 10*420
j a a u u Alves da Silva 39*000
T i.odoio Cbnsliansen 45*260
Luiz Pin o saraiva 47*300
Amonio Gungalves Lorega 327*800
Jo*c taunio a Silva 59*500
. io o J i < da Silva Brasil 7*000
Jo* Francisco Borges 10*500
Augusio de Paula Lopes 24*560
i uuba Irmos & C. 35*360
D Pintn Hessoa 27*720
M.mo. i Martins Lourenco 35*2uO
Bar h domeu Loureocn 15*600
-ntiuio Vasco u'Algooez Cabral 145*600
Augusto, no Afogado 62*100
J a de Atevedo Pereira 41*000
Lu. C brai de Medeiros 22*400
Jo i ,uuu da Silva Pereira 48*600
:arval o, o-Coelhos 25*500
Justino Gomes de Almeida 411*050
Amonio da Silva Girio 18*840
Ji.o^o.iu :.ieiho Netto 114*000
Jos da Silva Pereira 81* 'O
,. u i Fe i reir dos Santos 25*200
Jo Gomes de Pinbo, 30*160
J .ao Barba Azul 11*200
Jj, Vensslmo Marques 201*600
Masca re 11 has 10*160
Mano-1 Luiz Ribeiro & C. 50*660
J .114111 u a a ionio Braga 200* 40
E neslino, fiscal. 43*110
Alfredo Augusto de Vasconcellos 61*960
Sai tos 401*800
Campos & C. 18*550
oreira 1 Braga 4*8n0
David Maia 109*90)
Alberto 42*000
D. Eulalia E. deMattos Lima 599*740
Somma 100:780*600
Importancia de urna relacao de di-
vidas consideradas perdidas e
Segn fo e ultimo
Leilo
Das dividas do espolio de Jos Luiz Fer-
jeira da Costa, na importancia de.....
116:526i5500, servindo de base a offer
U de 6000G0.
abbado, 14 de Innho
A's Ll horas em ponto
No armazem da ra do Bom Jess n. 45
O agente Pin lo levar novamente e pela ul-
tima ves a leilo as dividas abaixo declaradas,
pertencentes ao espolio de Jos Luiz Ferreira
da Costa, contendo livros, letras e mais docu-
mentos, a saber :
Jos Dias Soare9
Francisco de Souza Monteiro
Manoel Felippe
Tcente Ferreira Taboja
Christnvao Santiago de Souza Pinto
Francisco Ayres S. de Moraes
Estanislao Lopes de Carvalbo
Francisco Accioli de Gou\a Lies
Lourenco Gaspar de Bastos
Franca & Filbo
Domingos goacio de Fraga
Bernio Juftlniano Accioli Lins
Joaquim Uoraci) Lins Piroa
Pedro Chrisolis de Lima Buarque
Manoel Buarque dos Res Lima
Jos Marinbo Falco Lina
Jos de Castro Paes Jarreto
Jos Ignacio de Mendonc a
Bernardo Lio lolpho de Meodonga
Dr. Jos VicQte-Daarte Brandao
Dr Jos Francisco de Barros Rege
Jnior
Antonio Francisco da Sil veira Lins
Filbo
Manoel Joaquim de Vercosa Lins
Jo- Antonio Feroandes Fradiqae
Maaoel Cavalcanti Accioii Lias
Joao Marinbo Falcao Sucupira
Amaro Buarque de Gusmao
Jos Pinto da Costa Soares
Antonto Lmz de Mello Marques
Manon Anuncio dos Res
Joaquim Antonio i Costa Ferreira
Jos Ferreira Bailar
Ca alano Carlos de Atooquerque
Dr. JacirrtBO Paes de Mendonca,
era 3 letras de pagar em 1883 a
Maoori Francisco Al*M da Silva
299*240
41*800
330*430
600*000
227*680
7;i'0)*000
1:478#'40
3.330*120
660*200
346*080
3:119*130
299*120
1:303*920
1-784*780
1:088*980
66*640
794*700
1:165*420
130*28;
661*640
948*700
294*060
2:5 7*320
391*780
254*240
1:263*100
69*640
74*800
1:139*680
I 4u*500
30*000
431000
6:724*000
17:K89*00
i:002830
Para qualquer negocio
Alaga as a casa terrea da roa da Imperatriz
n. 54 A, com aceommodacoea para estabeleci-
meoio e morada ; a tratar na m< ama roa n. 54.
oa 4 roa Doque de Casias n. 77.
Ama
Precisase de ama que saiba lavar e engom
mar, para pequea familia; a roa bella a 46.
Na ponta !
Milho do Maranbao.
Arroz de casca.
Fareilo, saceos de 42 kilos.
Alfafa nova. .
Aveia nova.
Vendem a precos aem competencia
Guim fres k Valente
6 CORPO SANTO 6
Criado
Precisa se de um criado para servico domes
tico ; no Paco d Patria n. 5, quinta casa.
Criado
Precisase de nm criado para casa de pouca
familia, a tratar m roa do CaiabDugo n. 11.
Ama
Precisa se de orna para cozinhar; a tratar em
Santo Am JJas Salinas, padara n. 40 K.
Caixeiro
uuiras tiuvidosas
Somma
15:746*000
116:526*^00
3 e ultimo leilo
Das dividas da maesa fallida de Jos Ta
vares Pinheiro na importancia de cerca
de 116:5240500 servindo, de baae a of-
fer t* de 1:1005000.
Nabbado 14 do corrente
A's 11 horas em ponto
No armazem ra do Bom Jess n 45,
O agente Pinto levar a novo leilo as dividas
aetlvas da maesa fallida de Jos Soares Pinbeire,
sendo o leilo ultimoe definitivo, isto por despa-
cho do Exm. Sr. Dr. juiz de direito especial do
"ommercio, as 11 li ras do lia, sabbado 14 de
Ji/Oho. no armazem da ra Bom Jesue n. 45.
Diario d'amanh dar a discriminagao
dos devedores e suas importancias.
Precisase de nm caixeiro de 12 a 14 anuos,
qpe d fiador de sua conducta ; a tratar no Bec-
co do Pocinbo n. 7.
ATKINSON
PERFUMARA INGLEZA
Excede todas u outns pelo tea
perfume exquisito.
EA DE TOILETTE DE L0IDBES
DE ATKINSON
lncomporavel ptm efnMM utm
pelle pe luexculiwl eicolh M
Perfumes par o lenpx Artigoe Dora
preparadof pelo InTentofe exolot*
TWBLnte.
ncmtn-u m Cari dt Ioo'm m *o-
cttnla e ftbrlantu
i. A E. ATKINSON
24. Od Bond Street, Landre
Mus JaFsbrk -Ca"R..brjo<
obr* om Lyr d ooo
mm afo n lonlVUiW
Ao commercio
0 abaixo assignado declara que nesta data
comprou o establecimento de molbados sito
ra Vidal de egreiros n. 155, pertencente aos
Srs. Duarte Cruz C, Hvre e desembaracado de
qualquer onus.
Becife, 1 de unho de 1890.
Manoel Gomes da Costa.
Para engenhos
QUIMARES 4 VALENTE, jparteci
pam aos seas fregueses e Illms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados
garantindo todo de primeira qualidade e
precos sess eosspetestela a saber:
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jagnaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot. .
leos americanos
especiaos para machinismos.
Azeite deeco,
Dito de carrapato.
Dito de pevee.
Pixe emlata.
(5 galSes.)
Kerozene inexplosivel,
Graxa em bexigas.
Gaxetdi de linho.
Potassa do Russta,
(em eaixas, barriquinhas, latos grande i
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo--6
Preparado Tinaso itymtin
i
Leilo
No
SABBADO 14 DO CORRENTE
laoms
De movis novos e bonitos
2o andar do sobrado ra do Impe-
rador n. 17
Ao correr do martello
O agente cima, aulorisado por urna familia
que se reiirou para o sul, vender em leilo os
bons movis existentes no referido sobrado.
Tem 1 bonita mobilia de jnneo, phantasia, e
completa, cortinados e sanefas, quadros, can
dieiros de vidros, 3 bicos, para gaz carbnico,
toilette, lavatorio, lampo de pedra, bidet, cabi-
des, cara i fraoceza, cortinado e cupola, tapete*,
guarda louga, aparadores,| mesa elstica com 5
taboas, cadeiras de junco, guarda comida, relo-
gio tiltradeira, cama de ferro, louca fina para
jantar e almoco, trem de cosinba, facas e colhe-
res de metal fino e mullos outros artigo^ qu
estaro vista dos Srs licitantes, e vendidos
Ao correr do mar.ello
AVISOS DIVERSOS
- AMA Precisase de urna, para casa de
familia : oa ra da Palma n. 80.
Joa Alfredo Soares Pinto
Laura Teixeira Pinto, Osear Soares Pinto
Gustavo Adolpho Cardoso Pinto (ausente), Leo
or Cardoso Pinto, Segismundo Teixeira, Flora
Silva Teixeira, Leonor Teixeira. Lino Teixeira,
Maria A.'Teixeira, Amanda Teixeira, Maria
Amelia da Silva, AugUto Teixeira Dr. Alfredo
Teixeira, Feliciano Teixeira Sobrinbo, Ernesto
Te xeir; (ausente?), viuva, filbo, sogra, soaro,
conbados, concunha a e prima de Joao Alfredo
Soares Pinto, convidara acs seos prenles c
amigos c. aos do fallecido, para assislirem as
missas que se bao de celebrar no dia 12 do cor-
rente, pelas 7 1/2 hora- da manh, na matriz da
Boa Vista, stimo do seo passamtnto, por cujo
acto dp rnliglao e caridade se coi fessam gratos.
t
Harrolina Soptaia do .\atclmeaUt
Felismina Augusta Maciel Sobreira, seus Albos
e .Varia Bernardina di- Sena agradecem do inu
mo a'alma a todas as pessoas que se dignaram
ac.mpanhar os restos mortaes de ,-ua sempre
lembrada tia e irm, Marcolina Sopbia do Nas-
cimenio, e de nova convidam as metmas pes-
soas e as da amizade da finada, a assislirem a
missa que mandam rezar na igreja de N. S. da
Penba, sabbado 14 do corrente, pelas 4 IJi hora
da madrugada, stimo dia do seu fallecimento ,
e desde j anteripam a todas seu eterno reco-
nbecim-inio.
1
Quem dai- informagOes do Sr. Jo3o Mari
nbo da Bocba Falco e do Sr. Joio Baptista Fer
reir ?
Precisa- le de um caixeiro dt menor idade,
com h bihtacOes de pad: ria ; a tratar na ra da
P aia n. 11
Cim'Dio Alsen, dei kilos por 700 rs. ; na
roa do Brum n. 65.
Tendo se extraviado um conaecimenio da quan-
lia de 1.350*000 correspondente a igual quantia
que recolhi ao cofre do Tbesouro deste Estado
alim de arrematar a obra dos reparos da ponte
de Afogados; peco a quem o acbar queira "en
tregar ao abaixo assignado que ser gratificado.
Joo Lins Ca vahante de Albuquerque.
Quem precisar A-t urna pessea habilitada
para leccionar prm ira- letras, dirija-se ra
da Bestauraco n. 38, que se informar quem ,
advertiorio, porm, ^ar dos mistares de sua
profi.-sao, em algum engenho
Vende se um terreno com 3'0 palmos de
frente e fondos para o rio, em Beberibe, estrada
nova da Caixa d'Agua ; a tratar na ra do Bom
Jess n. 44, lytograpbia.
caladas e pintadas ce
8*000; a tratar na ru*
Alugam-se casas
landos de S Goncalo,
ta Imperatriz n. 76.
Aluga se o J andar do p-edio n. 39, silo
ira na Imperatriz, est caiado e pintado ; a
tra tar na loja do ocesmo.
t\arua Bario de S. '^orja, outr'ora ra do
Sebo n, 4. vendem se plantas de todas as quah
da les, natto de fructo como flores de todas as
qualidades.
Palaces e outras moedae de i uro e praia,
cotnpra-se pelo maior prego ; na ra do Com-
1.relo n 4.
Pede se ao Sr Manoel Torqualo de Araojo
ialdaoha que nao se sabendo onde se acba, ap-
pareca na padaria do pateo do Terca.
Pede-se ao Sr. Dr. A. A. A., que appareca
ou diga onde pode ser encontrado.
Jnau Tavare* Conleiro
Trigsimo dia
A viuva, mi, irmos. s brinhos e coohados
do infeliz Joo Tavares Cordeiro, de novo convi-
dam a seus prenles e amigos para as6istirein
a missa que por sua alma raaudam celebrar na
igreja da Bua-Vista, no dia 13 do corrate, s 8
boras da maoh, trigsimo do seu passamento.
coofessando desde ja sua eurna gralido por
este acto ue r ligiao e randade.
t
AxoxiInliO i.uii Vi-ira
Antonio Bego N lio. Mana utbilia Netto, Jos
Ai gusto Vieira, Francisco Luiz Vieira, Manoel
Antonio Vieira e Aifrvdo Augusto Vieira cu-
miado e irmos do tinado A20-tinho Luiz Vieira,
agradecem a todos qne a--istiram o seu enterra-
mento. e convidam aos me?mos e aos demais
prenles e amigos para assislirem as miesas do
stimo da, que oor sua alma mandam celebrar
na igreja de S. Francisco, 8 horos da niantia
de 13 do corrente, confessan lo-se gratos a todas
as pessoas que comparecerem a esU acto de
relitiSft e caridade.
Vinrond d> 4a(uaribe
Francisco Gomes de Mallos e seus Albos, pre-
sntese ausentes, mandam celebrar na matriz
da Boa-Vista, quinta feira 11 deste, pela.- 7 o-
ras da a anha, urna BHOsa por alma d> eeu ve-
nerando auauo e prente, o Vi.*conde de Jagua-
ribe, fallecido a 5 deste mez, no Bi j de Janeiro,
e pedem aos amigos da mesmo seu compareci-
men'o.
t
Boga se ao Sr. A. T. qne raolva, alm ou
nao-_________________________
O Sr. Luiz Ferreira da Cruz, reaolva, se
quem paga 6 o acceitante 00 o taeador._______
Precisa-se de orna cosinbeira e de um ce-
pt iro ; na rna do Commercio o. 38. _______
Precisa-se arrendar om engenho
em bom estado e prximo a alguma
das linbas frreas. A tratar na travessa
da Madre de Deas n. I.
*oit Peisolo da Ponser
Trigsimo da
Firn>ina Soares Peixoto onvida aos seus pa
rentes e amigos para aesistirem as missas que
por alma Je sen sempre lembrado esposo, Jos
Peixoto daFonsecb, sero celebradas na igreja
da Sol la de, pelas 7 i/S boras da ma^b de
qarta feira U do corrente_________
Manoel da Mllya Heodoaca
vitiana
Jos Antonio Goncalves Penoa, Maria da Silva
Mendanca Vianna, Elvira da Silva Mendonca
Vianna e Manoel da Silva Meadonca Viaona Ju
mor, agradecem s peesoas qne se dignaram
acompanbsr os restos mortaea de tea presado
cunbado e pai, Manod da Silva Meo tonca Van*
na, e de novo convidara aos prenles e amigoi
do finado para assistirem a mi> sa do stimo di
que lera lugar na quinta feira 11 do correte,
pelas 7 boras da maoba, na igreja da'Peona,
por cojo acto Acara agrad eidoa.____________
Approvado pela lilustrada Junta e
Hygiene Putlicr. da Corte.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSI9O
de
Firmino Candido do Figueiredo.
Empregado com a maior efficacia no
rheurnatismo de qualquer natureza,
em todas as molestias da pelle, as
leucorrhas ou flores brancas, nos
soflfrimentos occasionados pela impureza
do sangw, e finalmente as differentes
formas da syphilis.
Dse Nos primeiros seis dias urna
colher das de _ch pela manha e outra
noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para colhe-
.-es das de sopa para os adultos e me-
tade para as crianzas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banbos fros ou
momos, segundo o estado da molestia.
SSPOSITO 5ENTEAL
FrancECO Manoel da Silva & C.
Droguistas
23 Rna Mrquez de Olinda
Pernambuco
^%^^>*^+*+"+V^++"*H-!+++l4!-t!Jfl-l
Novissimo livro de iteressintes sortes
para recreio das festivas noites
DE
Santo Antonio
Si
S. FSSRO
POR
0LIVSZ.IQ JUNIOS
CONTENDO:
ma linda e^variada colleceo de sortes ede
jocos de cartas, como o Kcurti e de sociedades
como os PBOVERBIOS.
Em accao, urna imraensa collecco de receitas
uteis e de perfumara e cosmtico, nm utilissimo
kalendario agri.ola, urna enorme quaniidade de
logrogripbos, eniemas, charadas e problemas e
urna inflnidade de contenies hlalas, fbulas,
raodinhas, lunds, anexins, anedoctas, romn
ees instntantos, defioices espirituosas, poesas
e outras cousas mis, aliu de una nova e salli-
tente po k.a de composito do festejado professor
(j-audio da Cama
o inspirado autor da Slella, A Moreninha, la
Sim, Sensivel, Risos de Amor. V Entrando,
Tais toi mon cceur ?, Nao Creio ?, Maceta, Rsob
de Yaya, e tantas outras polkas e walsas que de
continuo se tocam e se dansam aos sons das mes
mas, constituindo delicia do.-i melbores sales,
denominada- O Teas encanto I ,e offe-
recida ao bllo sexo nernambucano e editada
pela LIVRARIA FBANCEZA ra 1 de Marco
n. 9, Pernambuco de ^V. de Medeiroa
Prego de um volnme nitidumeote impresso em
8o contendo 112 puginas, inclusive s msica
<*00(ll)
Club Internacional
SEGUNDA FEIRA 9 DE JUNHO
PELO Sf TENIDO PORTOGEZ
Lino da Ettcaniacio
Que apresentara novo repertorio nos seus ins-
trumentos, e pela primeira vez as TCELAS ME
OLDIOSAS de grande effeito.
Os bilhetes acbampe a venda porta do Club.
Princip'ar s 8 horas e meia da noite.
Ao concert! Ao concert!
o commercio
Os ; baixo assi^n.das decaram ao corpo rom*
mercial deala praca, que neaia data venderam
oseo esiaselecimeLto de molbados sito ra
Vidal de egreiros n. 159, sjue gira va sob a Ar-
ma social de Duarte Cruz 4 C ao Sr. Manoel
Gomes da Costa, Hvre e desembaracado de qual-
quer onus.
Recife, i de Junho de 1690
Manoel Du-rte Machado.
Fraucisco Ferreira de Albuquerque.
PECTORAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
A enfermldades man dolorosos dajnrgaatt
e dos pulmoes, ordinariamente eTesenwlvcm-se,
tedo por principio bases pequen, eajos resolta-
dos nao sao dlfflcls de corar se promplamente se
tratao com o remedio conrenlente. Ot Beafrl-
ados e as Toase* dio reclpi-ocamente o resultado
de l.arlB1ti, Asthma, Bronchitls, Affeo-
eato Pulmonar e a Tsica.
Todas as familias qne tem erlancas derem ter O
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
eza casa para o osar em caso de Decessidade.
A perda oe om so da, pode em nutos casos
accarretar serias comeqaenclas. Par tanto mW
se deve perder tempo precioso, experimentando
remedios de efflcacla duvidosa, emqnanto qne
a enfermidade se apodera do systema ese arraiga
| profundamente, entSo que se necesslta tomar
nesse instante, o remedio mais certo e activo em
tu effeilo, e este remedio sem duvlda alrum*
o rima; qk Cekeja do Dk. Atbk.
PESPABADO PELO
DR- J. C. AYER & CA,,
I^owell, Mass., Est.-Unidos.
Dxpoarro gal -
O OLEO PURO
DE
FIGADO de BACALHO
-El-
LAKMA1T & EEMP
produz efibitos anlogos a os da
Emulso com Hypopbosphtes
dos mesmos soiihores, no caso de
ser preferido o tractamento nesta
forma para o curativo dos incom-
modos
do Peito, a Garganta e os Poimm
Aluga
se
em Afogados nma casa terrea, muit 1 limpa, com
boos rommodjs para familia, na ra Direita,
junto a antiga estuco das diligencias ; a tratar
na ra estreita do Rosario n. 9, junto a igreja.




'.
i: ,
Anta
Pedido
pede se ao Sr. Francisco de Souza Molla, aja-
danto de guarda-irr da Alfandega, para vir ou
mandar rna Baro da Victoria n 30, loja, Ii>
quidar aquel le negocio que S. S. nao deve igno-
rar, visto nao saber se o seu domicilio.^ _____
A's maes de familias
QUERIS VOS SOS FTLHOS SEMPRE SADK S
Adminstrae-lhes o XARO PE ou a
Pillas Vermipiirgativas
DO DR. CALASA1\S
ptimas preparadles de mastrnz
e rbuibarbo, para a expulsao completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestinaes on lombrgas
(das creancas e dos adultos)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO!
f Estas excellentes preparacea nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas que tm vermes sentem co
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
posicSo, sensacSo de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s vez es, vmitos. Rangem os den tes, quan -
do dormem, e algumas pessoas expellem
vermes com as fezes on com as materias
dos vmitos. As creancas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o nome de
DR. CALASANS e sao cSr de rosa.
1 caixa de pilulas 102CO
1 vidro de x aro pe 102CC
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS
Fogos Sortea
Para os festejos das noites de
Santo Antonio
S. JOO
S aP3SDB.a
Grande e completo sortimento, eaixas sor
ti das e a retalho
Vende-se por precos commodos ra da
IMPERATRIZ N. 12, loja de ferragens
do SOUZA.
Attenco
Vende-se um piano novo, com capa e banco
de Pleyel ra Duque de Caxias, 54, loja.
Engenho Guarany
Arrenda se este engenho situado na comarca
de Jaboato, distando da estaco de Tigipi urna
legua : quem pretender dirija se ao largo do
Corpo Santo n. 15, 1- andar._______________
Baixa de capim
Aluga-se urna muito grande e par preco m-
dico ; a tratar na estrada de Joo de Barros nu
mero 16. ^,
Acaba de chegar do Rio de Janeiro a 4.
edico ltimamente publicada da
Herona ptr Excelencia
oc
Novo Mez Mariano
e indulgenciada, pelo Episcopado
Approvada
Brasileiro
PELO
Monsenhor Dr. Manoel da Costa Honorato
Acha-sc venda na livnria. Ec-momica de
Jos Nogueira de Souza, ra do n.perador nu-
mero 73.
Cada exemplar encadernado2*000
Cosinheira e criado
Preca-se de urna boa cosiuheira para casa de
familia, assim como de um bom copeiro; a tra
tar na ra Mrquez dt Olinda n. 54._________
Aluga-se
o 2- andar da casa ra Demingos Jos Martinb
.n. 138, com muitos commodos^ara grande fa-
milia, com agua e apparelho, muito bem coner-
vada e em estado de asseio, muito hYgienica
por ser de oitao e tendo tres vistas liouinsimas,
por prego muilo con mudo ; a tratar 110 arma
sem n. 54, ra Marqmz de 01 nda. ____
Attenco
Aluga se urna grande casa terrea na rus de
Motocolomb n. 24, muito propria para negocio
por ja ter armac&o, tem muitos commodos para
familia e um grande quintal trata-se no largo
da Paz n. 96.
Sitio
s
Aluga se um bom sitio na travessa do Cal-
deireiro n. 4, com boa asa de vivetida, muito
'bem arb irisado e com boa agua potavel. A tra-
tar prac de Maciel Piuhe ro n. 19, pharmacia
Ao commercio
0~s abaixo assignados pelo presente avisam ao
commercio e quelles a quem interessar possa,
le deata data em diante anuulUm os poderes
da procu-aco passada ao Sr. Francisco Agosti
Bho Fernandes de Qoeiroi. Recife, 10 de unho
de 1890.
Maia Resende.
Precisase de ama ama para cosinbar, para
casa de pouca familia ; no Pago da Patria u. 5,
quinta casa.
Amas
Precisa se de chas amas, sendo ama para co-
sinbar e outra para andar com mangas ; a ra-
tar na ra da Unio n. 5.
Ama
Precisa-sc de urna ama para cosinhar e com-
prar ; na ra Velha .137.__________________
Ama
Precisase de nma boa cosinheira para casa
de pequea familia, que durma em casa do
patrOes e se] i matriculada ; na ra de Fernn-
des Vieira n. 29.

i

Amas
Em Fernandes Vieira n. 60, precisase de
duas amas, sendo urna para cosioha e outra
para cuidar de mangas
Ama
Drecisase de urna ama para cuidar de crian-
cas e qne entenda aluma cousa de costura ; na
1 aminho Novo, defronte da estacao.
, '

Precisa-se de urna ama para cosinhar em casa
le familia, em Beberibe ; a tratar no paleo da
Terco n. 63, padaria.
Ama
Precisa-se de urna boa cosinheira; a tratar oa
ra da Aurora n 85, laverna._______
'
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar ; na
travessa do Pires n.*5. Geriquity.____________
Ama
Precisa se de urna ama boa cosinheira e que
esteja matriculada ; a tratar na roa uo Cabug
ns.8e 10.

ti.
Ama fiel
Precisa se de urna traa para C33inh:r, lavar a
fazer compras no mercado, para casa de familia
composta de dua* pessoas ; a tratar na ra da
Caldeirelro n. 7 A, das 7 as 9 horas da maoh e
das 4 as 6 da larde.___________________
Um cidado
matriculado offerece se para empregado de
de familia ou para acompanhar qualquer p
que deseje retirar se para fr deste Estad
tratar na ra dos Pescadores n. 33.
>0VIDADKS
Vlanequins de Bazar

i -
i
i
.
Abre e fecha como chapeo de sol e ser-
ve para qualquer eenhora por mais gorda
ou magra que seja fazer seus vestidos seas
ter necessidade de costureira.
Cortinados de cores para porta ou janella
a 1)5600 o metri.
Crochet branco e de cores para cortinado*
a 100.0 e 1500.
Flores para cabello ou enfeito de vestidos
a ljCOO, 15500 e 20 00.
Sabonetes para pannos e sardas a 100
Extractos Heos, frasco com 20 gotas, a
2 0 rs.
L>pis de ouro a 10500 e 2.S000.
Tesoiirs com mollas e caixa a 10500.
Pcrta luz com phosphoreira a 10000.
Relogios para ver no escuro a 80000 e
100000.
Albuns para 10 ou 25 retratos a 30000.
Para uso domestico
Bramante de 4 larguras a 800, 10000 e
10200.
Panno de linho com 4 larguras a 10600 a
2000.
Atoalhado adamascado a 10400.
Panno da Costa, com quadros e listas, a
10000 e 10200.
Guardanapos finos a 108CO e 20000 a d-
zia.
Toalhas felpudas a 60COO a dita.
Cretones para cobertas a 30 rs.
Colchas de cores, mnito grandes, a 20OOD,
Cortinados bordados pnra cama ou janella
a 60000.
Oleados de cores para mesas, cada repar-
timento 40500.
AlgodSooiaho largo para todos os precoa.
E maltas fazendas que se vende por
qualquer preco.
Dase descont a quem eorpprar tai
2C0OOO pora cima. _____
NA LOJA DAS LISTRA8 A2UES
'ir
1 -
1

T^


Diario de Pernamb'ico-
ara 12 de Junho de 1890
-



-I


LOJA DO P0V0
HRa i, de Marcoli
Com este titulo acaba de se abrir, a roa 1.a de Marco n., 11 urna loja de faaen
ae e ten proprietario convida o publico d'eeta cidade e de fdra a apreciar o aea
ELLO srtimento. Muitas de anas fazendaa sao recebidas directamente.
GRANDE If OVIDADE
Descont de 1(V em compras de 200000 para cima.
Granadino, pura seda, de 10800 a 80J re. o covado.
Toile, para seda, de 10600 a 650 re. o covado. %
Lis com listras, preparo de cachemira, a 200 re. o covado.
Las com preparo de cachemira a 240 re. o covado.
Chitas de 200, 220 e 240 re. o covado.
Setinetas de cores lindas a 300 re o covado.
Zephyr largo de 800 re, a 320 rs. o covado.
dem dem a 200 re. o covado.
dem idem a 160 re. o covado.
Cortes, costumes de caaemira inglesa, a 120000.
Ditos de casemira inglesa de 30500, 40000 e 60?OO.
Ditos de fustaepara collete de 600 re. e 20400
Cheviot de 30Ef>O, a 20030 o covado.
Casemira efir de caf de 30000, a 10000 o covado.
Casacos de Jeresy para Benhora a 30000 e 60000.
Merino preto a 50, 700 e 10200 o covado.
Dito de cor a 400 re. o covado.
Casinetas finas de 500 rs, a 360 re. o covado.
Colchas de crochet de 80000 a 30500.
Cortinados lindos a 60000.
Bramante de 10 palmos a 10400, a vara.
Ver para crr s na
loja ido &a*sro
Completo srtimento de chapeos, capotas e gorros de fantasas em todas
qualidades.
Fitas, rendas e bico de seda e algodao de todas as cores.
Flores, plumas, pasearos, algrttes e bijonterles para enfeites.
Chapoe feitra e castor, os mais modernos, para homens e menino
Recebe por todos os vapores as prime iras novidades de artigo de se
g.nerc de negocio.
Raphael Dias & C.
2 Ra do Barao da Victoria 2
Alugnel barato
Viecoode de Pelotas n. 8
Pedro AffoDso, armazem n. 46.
Largo do mercado loja n. 17
Ra do Bom Jess r. andar n. 47
Ra Agoazinbas em Beberibe n. 7
Ra Coronel Suassuna N. 141, quar
Ra Itaparican 43 i. andar.
Travesea do (armo, loja n. 10.
Becco o Tarobi n. 21.
A tratar roa de Commercio n. 5, t am
esenptono de Silva Guimaraes & C
Bom emprego para
capital
Vende seoextensoarmazem n. 51, no raes a
Apollo, em frente da nova ponie Bnarque di-
Macedo, com capacidade para re-ulher d> 9 a
10,000 barricas de familia de tripo on outia
mercadoria em proporcao, e dous sobrados on
ticuos com frente para a ra D..mingos Jos
Martios, no todo constitnindo urna boa acquisi
traase com Hatbeus Austn, & C, ra do
mercio n. 18.
r
SAUDE PARA TODOS.
1TO H 0 L LOVVAY
r
osito de Kollow=y nm remedio n&Ufrd paris males de pemu e do peito; tambe p*j>
as Wat jnt-gas chagni e utreras. E famoso para a gota e rheumatismo e para toas ak raKraf I
dades de peitc no se reconhece ep-jal 4
p?i es males de tur garfa brenchite* rasfri?.r.)entos e tosssa. ^
.amores *x gadaltt e todas u molestias da pellr n" =-' 'sxu'^nte e para o memblQSj
iptrab" Rlwai nta-c^n:. -b. mm ''-' Jmff no fotber-shatmo o T.-i-ssor BmvMUt.
S CBW OSF0JH.. :.T ,'wttts "3. fhrtei Street), BOMHI
r Evefli n I i. as har.lacias do iinive-ja. ,
)~f /.s .- .,_.._.-.,. .x, cr.viJ.i<.< leiutlUMinnaW a amanar x rceaka da caii ca s Po*, X AatMB -
J ouwtao. 533. OaS-rd Stree, rio afcBfctUS.
Cardoso & Irmao
Ra do Barao do Triumpho ns. iv, <- li'
Receb^ram novo Bortiroe-ito de vapores dos acreditados fab-csr*?
Mobinson para trabalhar com fogo de assentamento, moendas, tax,=
car e todas as mais ferragen ~:- 4 agricultura.
,rma
,k WAO HA REPUGN4*0r
%1^ pan.-. TOsAr. o *
BROMUR

*"
PoHtUha* I*. POISSON cotu Ch colote
Ecta# PMtUhMM, de airar sgradavel, esUc riaoruiwnnU mI
Cas* fiiuiht oonum M -t!|aaM o ti (aaw cc/a.>
DepMH mi: L. WISSC1, Pfc", W. Mi de Cwrteri!, n Asws, pert i Fifis. ~
vsmdb-sb mu todss as parNcrPARS phahmacus
ESTADO DE PERMMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa 4$ Misericordia do Reif
1
INTEGRAES
A 6.a parte da 1.a lotera deste Estaco ser
extrahida impreterivelmpnte sabbado 14 do
orrente.
Todos o^ pedidos de bilhetis desta lotera
devem ser dirigidos thesouraria ra larga
do Rosario n. 9 1. andar.
PELOS CONTACTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.
SOLUCAO e CAPSULAS
de Antipyrina do Dr Clin
laureado pala Facalda.de de Medicina, de Pariz. Premio Montyon.
0 Melor Remedio contra a Enxaqueca.
A Verdadeira SolucSo de Antipirina do D-f Clin possue urna poderosa
acc&o para acalmar as dores de : Lumbago, Torticolis, NvrtttgiaM, Sciatica, Mena-
truocdo diffie, Clica violenta e os Accetso de Gota e de illieumutiimo.
a Antipyrina pode ser oonsiderada scientificamente como o medica-
mento mais poderoso contra a ddr. iAc*ilemiidaiScUnci3s.Stss-ode1B Dose : Tome-se cada dia de 2 4 colhres da Verdadeira Solucao de
.Antipyrina do Dor Clin.
NOTA. As Capsulas de Antipyrina do D' Clin &3o destinadas as pessoas
que nao podem tomar a Solucao.
Casa CLIN e C^ em PARIZ, k fhabmacias.
NOVIDADES
PRESOS BARATOS
iNa na do Crespo n. 21
LOJA DO CAMPOS
Chitas setim de ramagem a 280 rs o covado.
Linn com ramagem graiida a 400 rs. o dito.
Dito com barra o ramagem, um metro de largura, a 500 rs. o dito.
Etamines de cores, floreB raiudas e ramagem a 400 rs. o dito.
Cretones, novidades em cores e padrBes, a 36' rs. o dito.
Voile de li, retiramos d'Altandega o mais lindo srtimento de voile, em pa-
drees e ao preco de 8C'0 rs. o dito.
Merino assetinado de 13 com ramagem, a 500 rs. o dito.
Damass d'a'godSo com preparo de seda a gesto de voile a 800 is. o dito.
Asbim como variedade de artiga, tu-io de phantasia e por prefos que garant-
co :
Como:
Cal virgem de Jagua
ribe
Depoito no Cae* 41* Apollo n. 3
Esta afamada cal, propria para o tai> ic
de as?ucar, continuase a vender pelu mee
mo preco e abatimento do costume N<> aif
mo armazem vendem-se todas as mais qoali
dades de cal de Jaguaribe branca e urrta. eu
p. assim como todos os materiaes propiiu
para construccoe3 e reconstruccoes por precu-
menores do que em outra qualqoe; parte.
Excellente morada
Aioga-se s grande casa e sobraoo do Dr. a\
.((Gama, na estrada de Joo de Barros, per'
das estac6e8 da En :ruzilhada, das ferr i-vias ii
Ohnda e de Limoeiro, com immen^as aciomn
dacoes, jardins, arvores fructift-rs da melho
qualidsde e vasto terreno, quer para pa uraco"
qner para criacSo ; a tratar no Bmw hi
Ama de lei
*.
Precisa-se de urna ama de leite ; na ra do
Coiovello n. 46.
Para crianzas
Grande quantidade de redes de cores, par.
criancas, a 3^000, grande e vaiia de vestoaros de Jersey para meninas e memoo*
de todas as idades. para 6 e 74 : .- na loja du
Povo, ra I- de Marco n. 11.
mos sem competencia
\a loja do Campos
RA 0 CPEflPO K 21
L.T. PIVERem PARS
Bom negocio
Admitte-se um socio com algum capital pan.
averna ; a tratar na ra de DomiDgos Jos Ma'
os n. 80 ___________
Aos agricultores
O bacharel Petronilto de Sania ilrai Olv--.
contina a encarrear se de levantar nnnesi
mos para auxilio da lavoura sob hypotiie d<
propriedades e penhor de safra ; na ra de fan
perador n. 69, 1 andar.__________________
Aos sapateiros
Acaba de chegar para a loja da roa de 1, va
ment n. 19, um novo srtimento de fo roa*
Trncelas para calcados de horneo*, senhor s -
meninos. No mesmo estabelecimenio e -enho
res sapateiros encoatraro neanrn am compH
srtimento de a vi amen tos para fabrico de alca
dos e por recos sem competencia ; no Baz
do L vramento n. 19.
Gasa
Novo
Extra-Fino
AO
COBYIOPSIS DO JAPAO
A VAPOR
---------*----------
FABRICA OE LIVROS OE ESCRJPTURICAO
SM0ADGRNACA0 MVTA9A0
(Uanoel J. de (Diranda
? 39 -*- RA DUQUE -*- DE CAXI AS -*- 39.
NUMERO TELEPHONICO 194

INJECTION CADET
Cura certa em 3 dias sem mitro medicamento
PA.UI8 7, JSouletnird Vena in, 7 PARS
Depsitos ero todas as principaes Pharmacia e Drogara
ALUNPATBRS8
44~i4 um no mxm
lladaina*-a vapox.
. Moeadas.
Rodas d'agua.
f aixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados.
O Peitoral de Cambar
para
as
Sempre foi, e ser o pi cipal remediogarantido
molestias do larynge, bronchios e pulmoes.
A bronchite, asthma, ma! do peito, ronquidSo, la yngite, coqe-
lucbe e qualquer tosse, por mais grave e antiga que seja, curam se esm
o Peitoral de Cambar, medicamento approvado pela Junta Central de
Hygiene Publica, premiado com duas medalhas de ouro de 1.' classe e
rodeado de valiosos attestados mdicos e de innmeros de pessoas cu-
radas. Exija-ae a firma do autor.
J. Alvares de Sousa Soares.
Alnga-3e a casa terrea sita ru* Dr Naboc
n. 24 (Capunga) ; a tratar no o. 28 djcmi).
ra.
Attenco
Os proprietarios do antigo e ac editado arui;
em do Lima, sito ra Baro da Vi tona n '>
participan] ao respeitavel publico c ao sen
distinctos freguezes, que tri nsferiram tempori-
'iamente sen armazem para a meenia ra n
con tu uando da mesma rorrna a recenerpai sua-
oroens para Ibes servir com o contornado e h;
ditual desempenbo.
Jos Fernandos Lima k <,
Ra Bario da Victoria a.
Teleph .ne323
^uiimnniiiui.i)>tUt-.'Umnmu>^u>-^
MED ALAS de OUUO
as Expofifte Pnivermde de
I'aris 1878-1889
1 Bordan, diploma de honra na Eiposicac m 1H2
iiiiruiiiijiiu;:mmuiuiiuiiiiiuiniiiiti
gS-XSte
S?f
' n.l4.-Lc
__ ii > j'i
Falta 9e Forjas, Doenfa* do Estmago
^ Anemia, Febres, etc. _^-^^
Borieo (Franja)
Depsitos em todas as vendas
de comestiveis.
Cautelas do Monte de So-
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc
corro de qualquer joia, brilhantes e relo
gios, paga-se bem na ra do Cabug c
n. 14.-Loja de relojoeiro.
Licenciad* "******** z>u < ^^-1
de
do 1WJ,
Ouro $ prato
Compra-se. como fambem
moeci 8, ra di) (Jabuda
o. 9, Joji de Atiiriwto Reg.
Aliig-a-s^
urna .ran l<- eaea <. n wiii i idc t-rande quin-
tai. ca ii.. e |)n( i, .i: Km uu pril-
cipto da re ImptTial n. 64 : a r n padaria
coofroeie
AO PBBLICe
O abaixo as8ijfn:n resolver rticipar
ao een nw'fior- e tr*ti'ez'-s '; niit.a
a ter sempre <> n-aih completo s) tmente
de :
t.'O'NA \s di-e Pn qu>" e um dH que ma i pres-
tan) a tomar a c i. leite.
V'.NHON -<> Palhet* -i. pr.jmzo das
nutra*- ni. u- -- i-i-pn- i| aand t mbem
in .-gnitici' Bordea. He/nMique Brt-
lieiiii>-
Lr(l:M-> ei t-pecialida-
d-s c'iijo nao se eoconam em <; >a quer
ca
CAUNK.' mii opeoiae* eme
nanea, v--r m aqui.
PK1XKS t robem ue fia de mais
ariid
"KKVKJASonde se destaca bem
oeoheeid* i>ni& de celeLDdade Paulino
0fer
HA -l-Tos nm granrle srtimento
Han melhor eoOMBodoa.
Aen de-tes ;.n aebfl t- seu e-ta-
bflerinieriT. -i. | m, r il<< de todo
qtianto >>e .,.-- un ii'nn Iki ata-
be'ecuieii d'aquelte genere
K-i do 1 ir -^
/ m,I ii- ii* t ihvnra Mnia
iig< mina de rn
l'rerif, i ii i, para entrainora .irra'ijar
(uar'o- enig -; le peuen lan.ina ; no C mi-
nii" N ve ttet "i da eswij* .
Mnn. H< iessa da
i mi, n / jue
o liRiiaii enteje
< H- ': (O

.'
ai\etr
(i. ii-.,!-. w ni '. x d" 12 a 'i.-iinris;,
uu- ; "i n i. n ma Vis.-oi
.. d. G v ii 2
SANTAL CLERTAN
Perulti* fe Ennencia
de Santal
putm
A eueucia pura de Santal tera sido experl
ncada com o maior succeMO pelas celebifc
du les da Europa e da America. E' inoffeutiva,
muamo 4 dose elevada, e uto occaaiona uea
iarrh.-as. nem ''oree da eHtomago, nem arotot
eoiiiu produzem frequenteuiuute aa preparado*
4e copah.
A easeucia pura de Santal "lo ezala chairo r
vevtdor.
A perolas de Santal do D' Clertan, preparar
das com a approvacao da Academia de .Sledi
cia de Parz, contm essentia pura, e la elIU
eacidade certa tos eorrimentos contagioaoa,
e.iueutamentos e todas as inflammacSes ou ca
tarrhos dos oribes (renito-urinarios.
Podem ser tomadas a todos os periodos d
blftDorrhagia. Tomando as perolas de Santal de
D Clertan, os doentes sao assrurados de ter ua
producto que mereoa toda confianca. Exigir
a forma.
Vende- r mor parte das |

(
Faie das baratas
\!;i |. h < as Listras Azues
A'iu Hi[i|ii 'Haxusn.ti.
V.ile phaataia a 24< ru
Teeidw irn-ri a Ua de c r- s a 240 rs.
t >rg P"y b'Hi c tinas 50 rs.
A re d^riiif. iim 60 6r a 400 rs
Perca ee ti ai a 20 rs.
i si. 8 d-- -ri's al 0 rs.
aainba '' qn dr s a 16" e 800 rs.
L nh b Ii qiihe a 1(H> rs.
Z tir S largnH a '< O rs.
s.-i t- eoin padi8 s de voile a 280 rs.
Fustn dr v < s, pad" 5es miudinhos a
1H rs.
Chitas efCurat- 20fJ rs.
M rtMp la-, americano, 20 varas, a Si'VXJ.
M'ir m das "i-t s azues 1' vari-s, a 3)0 0.
h eian 2< 0 ra. a dnzia.
titn chama otadas t' das as c6res
Eu-per a" m |ia \estdo a 4U0 rs.
Babadi > ni: rio 4 I BW' rs.
r.z-iiila- finas
ret<'n'-8 t i* u uito I rgN a 320 e
.S6' r-
Na zi k re eri s finas, a o< 0 rs.
Ti cii'i e corrlS", lindas c6r s, a 400 rg.
Voile dr !a ti cirios mm hnos, a 8l 0 rt.
Oases de seiiH, lindas efirea, a 1500.
Surah di t du- as cres a 1)54 O.
Oigaini de crdao, indas cores, a 3tK)rs-
Setim de .-c de t<-ds as crese preot
a 8 rs.
Tecid s de li"ho, n nito lsrg, a 40!) ra.
Port- s d- V' t-t'^os bordados em carto a
940
\l
"H
M0STARDA EU F0LHA8 para SINAPISMOS
INDI8PENSAVEL AS FAMILIAS
^ A08 VIAJANTES
Usada ao mundo inteQ.
NADA DE
VERDADEIRA
qna nao leva a
FIRMA
atrs
com
tinta
EBURIIU
O malo
slmpiee.-
o mais
a
o mais
efncaz
dos
Revulsivos,
EXIGIR
asta MABCA
para evitar
aa Oontralaccdes.
A' venda em todas aa Pharmacia?
DEPOSITO OERAL: AVENUE VICTORIA. 3&
VARIS
.V
d
asa
Aluea se nma boa casa rom bastantes comme-
rjoH p ia pt-iuena f.ttui ia. ajjua e ira, na rs)
das Nynii has 2fi : a tratar na ru Conde A
Ba Vi-la ii 'JO. C n-inh-i Nevo
(.'o'tu reirs
PreM-a se departas cosloreirac ; mrafeitar
de madame Fanny mlva, roa Barao da Victoria
n. 15, sodraao.




I
4,
Tnico Ju-Mutamba.
Este tnico, preparado com plastas de pro-
Vende se a casa da ra ta Ponte Velhan. iprtedades coDaecidas pelo nosso publico, i
39 e um bom sitio em B berifce, Aguasaba, n I melhor de ti das as preparares ate hoje deseo
m 3SO palmos de frente e 1=00 de fundo ; a! bertas para impedir a queda dos cabellos, dissi
trata/ na ra doCabugn. 14, relojoaria David.
Vndese a taverna sita ruada Seotala
Ifova n. 3 : a tratar na mesma. O motivo da
venda se dir ao compradar.
Urgente
Vende se um sitio arborisado e com boa casa
de morada, na estrada do G.qui ; trata se na
ra do Imperador n. 61, 1- andar.
par as caspas ees conservar do mais formoso
estado, alm de ser um magnifico perfume para
a lQillete.
Eocontra-se venda em todas as prncipaes
I pharmacias e tojas de miudezas.
Duzia lOiOOO | Vidro 1*000
DrpoMilo
Pharmacia Marlins B:i Duqn de Caxttfl n 88
Vende-se
'superior maasa de mandioca para bolos a 1*000
o kilo ; na Cainboa do Carino n. 10.
DO
cancros
escrofu-
M.JABLO^BETTECOlT
IPiiiliT CMH1
GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
Elixir anti-rheumatico, anti-syph,Utico e einpregado em todas as molestias de
pelle, erysipella, darthros ou empigns, beri-beri, anthrazes ou carbnculos
venreos, feridaa cancerosas, ulceras, gonorrheas chronicas, boubas, buboes,
las e todas as doencas que dependem da impureza do sangue.
Este remedio superior a todoB os outros do sen gonero, o que est provado
pela preferencia e acceitocSo que lhe d o publico.
Um frasco 3^000, urna duzia 30$000.
Xarojw do jaramacaru eom posto
GRANDE PEITRAL
Tratamento e curativo de todas as molestias do peito e da garganta, defluxo,
toases simples e convulsas, coqueluche, constipares, asthma, bronchte, catarrho
chronico e tsica pulmonar e do larynge.
E' o primeiro peitoral que se conhece at hoje na medicina.
Um frasco 2$500, urna duzia *4#000
VINHO TNICO
Com lacto-phosphato de cal e ferro, coca, cascas de laranjas amargas e quina.
O melhor remedio que se tem formulado pela combinacSo destes heroicos
medicamentos. Empregado no tratamento das molestias do peito, do estomago, ane-
mias, menstruacSes difficeis, debilidade geral, cores paludas e todas as vezes. que se
quer fortificar o organismo e dar desenvolvimento ao aystema osseo e muscular.
Convm s pessoas ou senhoras que criam para tornar o leite mais nutritivo e robus-
tecer as enancas. Ette remedio superior a todos os tnicos estrangeiros que se
acnunciam por abi.
[Jm frasco 3#000, urna duzia 30#000
a 2.0, 240, 300 e
seda
e 100000 um.
coi es de retroz
CAROBXXTA
O GrRlTDS PTIHIFICADOR DD SAXT3E
O emprego da CAROBINA deve dirigirse a combater as seguintes moleslias:
as diversas formas das doencas chronicas, os desengaados, soffrimentos do tero,
affecjBes cancerosas, beri-beri, escrfulas, tumores brancos, ulceras chronicas, tffec-
c3es venreas rebeldes, paralysias, molestias do coracSo, da garganta, rheumatismo
chronico e gottoso, molestias de pelle, assim como todas as enfermidades derivadas
da impureza do sangue.
Um frasco 3$000, urna duzia 3O#00O
INJECCAO BETTENCOURT
AHTIHBXiEHOB&HASIA
Gura radical em seis dias
Empregada com ptimo resultado nos corrimentos agudos ou chronicos da
urethra ou vagina, leucorha ou flores brancas. Este medicamento de urna g-ande
efficacia,
Um frasco 1#500, urna duzia 15$000.
m Wmktm i mam
TONI> O FEBRIrUGO E DESOBSTRUENTE
Empregado i a debilidade geral, doencas do estomago, convalescencas depois
do parto, febres palustres, molestias do fgado e baco, falta de appetite, anemia, chlo
rose, cores paludas ou falta de sangue e doencas nervosas.
E' um recocstituinte de energa, aromtico e agradavel ao paladar.
Um frasco 3$, urna duzia 30SOOO
nicos exportadores
COMPANHA DE PRODUCTOS MEDICDAB8
31-RUA DOS 0RIYES--31
RIO DE ia\i:iiio
Vendas em grosao e a retalho em Pernambuco
Francisco Manoel da Silva & C.
FOLHETIM
POR
PAULO D'.tlREIO\T
RIMEIRA PARTE
A andorinha
(ContinuacSo do n.
VIII
131)
MINOD E SOURIQUETTE
Um quarto de hora depois, quando Lau-
a, recuperando por si mesma os senti-
dos, teve forcas para levantar-se, vio
luz da lamparina, queilluminava o quarto,
m espectculo inolvidavel.
Inclinada sobre o leito, Henriqueta, com
tedas as suas forcas, aspirava o tubo, co-
mo o tinha feito o doutor.
No prato, coilocado sobre a mesa de ca-
aecfra, via se urna primeira membrana,
ato eebranquicada e tao sanguinolenta co-
mo a outra, porm menos comprida.
Smente, extrah.da essa, a crianca nao
se sentir alliviada, e a corajosa menina,
?mprehendendo que havia outra, puzera-
M a aspirar novamente
Laura precipitan se como urna louca.
Ah! exclamou ella, eu que deve-
xia estar em teu lugar, minha adorada...
Eu, mai sem corceo !... Covarde... Fra
for,
a ser
des-
compete arrostar a morte, se preciso
para lhe dar a vda ?...
Sem deixar a sua heroica tarefa, Hen-
riqueta fez lhe com a mSo signal que se
calasse.
Nao, diese Laura, sahe d'ahi, sup-
plico te!... Nao quero... Nao, nSo quero
que contines !... Meu Deus !... meu Deus !
se me acontecesse urna nova desgrnca 1..
Obedece-me, Henriqueta, ordeno-te 1
Sim, ella obedecen lhe, mas com um
lampejo de triumpho nos olhos, o fino ros-
to radiando de expressSo de amor e dedi-
cado sem nome, com a membrana nos la-
bios.
A respiracSo de Mauricio voltara
calma, profunda, fcil...
Laura cahio de joelhos, a solucar
vairada.
Ah exclamou ella, entre copioso
pranto, elle est salvo... o meu Minou...
e salvo por ti :...
Mas a crianca fez disaipar immediata-
mente a formidavel emo^So que determi-
nava o alvoroto de Laura:
Depressa, mamSi, disse ella, d me
agua e acido phenico !...
Mauricio estava salvo effectivamente.
Salvo pela coragem heroicj d- ii< pida
crianca.
A convalescenca caminhou rpidamente.
Mas coube a Henriqueta a vez de cahir
doente.
Laura quasi enlouqueceu de dor e de
angustia.
Emquanto com o seu meigo sorriso de
anjo a doentmha diiia ao irmSo :
NSo te atormentes, meu Minou, es-
tou tSo contente, que nSo posso estar mu
to doenre. Porque o bom Deus ouvio as
minhas supplicas, tu ests curado !. ..
Por ti, minha Souriquette, que to-
maste a minha molestia, querida irmasi-
coa a
48Roa Duqne de Callas* *
Surah de linho fazenda muito larga a 320
rs. o covado.
Etamines de cores a 28'J e 300 rs. co-
vado.
Zephires de cores a- 120 e 160 rs. o co-
vado.
Lindas las de cores
320 rs. o covado.
Cachemira de quadros com listras de
a 1(5003 o covado.
Merinos lavrado. a 500 rs. o covado.
Voile de algodSo & 240 rs. o (Jovado.
dem de 12 ultima m.da a 803 rs. o co
vado.
Cortes de metim par vestidoatde duas
cores a 6000 um. g
Ditos brancos bordados a 120000, 14,0000
- e 150000 um.
Ditos de cachemira bordado a250CO3 um.
Cortes de cambrai branca de quadros a
10800 um.
Coronados bordados a 60000 e 70000 o
par.
Ditos de crochet a 80000
Pectas de todas as
10000 um.
Colchas de cores a 20100, 30000, 40000 e
50000 urna.
Cobertaa forradas, para casal a 20500
urna.
Toilettes para baptisados a 60000, 80OOC
e 100000 um.
Camisas finas de meias a 1000 urna
Toalhaa para crianca a 100 e I20rs. urna.
Ceroulas francesas, a 10000 urna.
Pannos de crochet para cadeiras a 500
rs um.
Atoalhado de linho de 40400 o metro por
20400
Dito de algodSo a 10200.
AlgodSo trancado para toalha a 10000 o
metro. #*
Bramante de algodSo com 4 larguras, a
800 e 10000.
Lencos de algodSo a 10200 e. 2'000 a
duzia.
Ditos de linho a 30000 a duzia.
Batistas de cores a 120 e 160 o covado.
Creton.es escuros e claros a 200 rs. o co-
vado.
Madapollo americano com 24 jardas a
50000 e 60OUO a peca
Cobertores brancos de IS para acabar a
20COO um.
Bramante de linho, fazenda de 30000, a
20000 o metro.
Panno para mesa a 10200, 10400 e 10600
O covado.
Brim pardo trancado a 240 rs. o covado
Vestidos de Gersey para crean y a a 60000
um.
Camisas de linho para homem a 20000,
30000 e 40000.
Granadinas ultima moda a 360 o covado.
Costumes de cachemira fina para homem de
200000 a 150000.
Cortes de cachemira de cores muito finos a
4000 um.
Cortes de fustSo para collete a 800 rs. um.
Guardanapos c m franja a 20OCO a duzia.
Espartilhos de todas as qualidades e n-
meros por preco baratsimo.
E muitoB outras fazendas de lei e moda
qen vende por preco sem competencia,
em vista de seu proprietario querer acbar
com o estabelecimento.
S na Revoluto
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
WHISKY
Boyal Blend marca YUDO
Este excellente Whisky Escoces pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arniH
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado
cuio nome e emblema sao registrados pan
todo Brasil.
BROWNS & C, agentes.
ataban
0M/S________
<*> QL6BY
Farello superior
a 8*000; bo largo do Mercado n. It.

E' tudo bo
Vende-u em toda a car"
de to
Os abaixo assignados,
de redcelo" de precos
existentes em seu estabel
a _________________
bemt Pereil^^gailies
Recebedores directos dos
eads d Europa
feito gran-1 Apresentom os seguintes artigos, sendo
fazendas alguna ainda do auno passado, rasSo justa

to, convi- j
dam o respeitavel publico e especialmente
a seus bons fregueses, a certificaren) se da
verdade que aqui fica dita e a aproveito-
rem a occaaiSo de supprir-se de roupas,
para muito tempo, e por precos insignifi-
cantes.
Como sejam :
Voiles de 1S algodSo a 240 rs. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
8C0 rs. por 320 rs. o covado, eephyros de
cores diversas a 320 rs. o covado, baptis-
tas republicanas (inteira novidade) a 200
rs. o covado, lSs de -cores a 200 rs. o
covado, setinetas finas a 320 rs. o covado,
merinos de cores (IS pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o covado.
Grande quafitidade de chitas finas, eom
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
o covado.
Variado sortimento de voiles de IS,
fazenda muito fina de gostos lindissimos.
Crep da China, idem, idem, cambraias
da China, com palmas soltas, completo
novidade, voiles com salpicos, idem, idem.
Chitos, chamalots, o que ha de mais
exquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas, cachemiras lavradas, pretos e de
cores, fustScs breos, cretones pretos e
de cores lisos e com dores, baptistos de
cores, gostos delicados.
Madapollo americano a 50000 a peca.
Metins, idem variado sortimento.
Espantoso sortimento de cretones para
cobertas e chambres, esguiSo de puro
linho, costumes de Jersey para meninos
capas hespanholas, pura seda a 30000
urna, cortes de vestidos de todas as qua
lidades, fichus de la, linho e prateados,
o que pode haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linho
e Hanella para homem, idem, idem de
punhos, collarinfaos e grvalas e umitas
outras fazendas que seria enfadonho men-
cionar e que tudo vendem sem reserva de
precos.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1." DE MARCO N. 1
Bern&rdino Campos & C.
para seren actualmente baratissimas.
Vinho d'Amarante
Em decimos e quintos, o que ba de melhor
nesie genero.
VENDEM
Guimaraes & Valente
6CORPO SANTO-6
BJEDfiDW&G.
Roa Mrquez de Olinda n. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mo eral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phoenix de Dortmuud
e do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposic,ao Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne-
mann&C, S. Flix (Bahia).
Arados de Cuba
Np. 1 e 2
Vendem-se
Na Fundicao Geral
Engento Santa Clara
Vende-se urna parte do engenho Santa Clara,
situado no termo de Ipojuca : quera a quier
comprar dirjase ao engeoho Genipapo que
achara com quem tratar.
c
era
Vende se na ra do Cahug n. 2, segundo a
qpalidade, de 1 a toOO a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se na de V o descont de
30 0/0, e na de i.* de 20 0 0. No mesmo esta-
blecimento tem machina? para costura e mesas
para as mesmas por 104 cadauma.
Brins pando e de coras a 240 rs. o covado.
dem trancado, superior, a 26 J rs. o dito.
Cortes de fustSo para eolete a 8l0 rs.
dem de casenetas a 1,5000 e 1^200.-
dem de casimira ingleza de cores a 3 e
40OCO.
AlgodSo cr, marchetodo para toalhas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para lences, a 4& e
5 jOCO a peca.
Madapollo superior, com 24 jardas a 5
a 60OCO.
dem Boa-Vista, verdadei#o, a 5^8C0.
Cortinados bordados de wochets a 12jJ000.
Cakmas dem a 70000 e 80COO.
rinaldas e veos para noivas a 80000.
Espartilhos modernosa 4(5000,
Percales claras e escaras a 240 o covado.
Merines de cores, ua largura, a 200 rs.
o coVhdo.
Toalhas nacionaes a 20500 a duzia.
Lencos em lindas caixinhas a 10800 e
20800 a dito.
Meias inglesas e nacionaes a 20500 e
30000 a dito.
Camisas de meia, idem, superior, a 120000.
Corolas bordadas de bramante a 120000 e
160000 a duzia.
Guardanapos com franjas a 10800 a dito.
Pannos de cores lindas para mesa a 10600
o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 2500.
Cretones para as mesmas, a 10000 o me-
tro ; o melhor.
dem mosaicos, idem, a 440 rs. o covado.
Bramantes francezes a 10600 o dito.
Casemiras de cores, duas larguras, a
108COodito,
Cheviot azul, cor inalteravel, a 20400,
30500 e 40000.
Merines para luto desde 500 rs. i 10800,
duas larguras.
Sargelins de cores a 200 rs o covado.
Mantilhas e fichus a 10, 30000 e 50000.
Toalhas de labvrintho, riquissimas, a 250 e
300000.
Vendas em grosso tem o descont de
14"/
59BA DDQE DE CASIAS59
Vendem se duas casas
terreas
sitas na estrada do Matambo, em Beberibe,
ttndo cada urna duas janellas e urna porta de
frente, 2 salas e 4 qusrtos internos, cosinha e
t quarto fra, mnro e porlio na frente, todo em
bom estado, com sillo contendo algnmas arvo-
res fructferas ; as casas esto alugadas e ren-
dem 304000 mnsaes ; a tratar na ra do Com-
mercio n. 32, das 10 s 3 horas da tarde.
Patacoes velhos
Compra-se na relojoaria David, roa do Cabo-
gn 14.
Taverna
Vende fe a taveira sita ra da Hora n. 2
(Espinheiro), bastante afreguezada, livre e de-
sembaracada ; a tratar na mesma. 0 motivo da
venda se dir ao comprador
AZULEJOS
Para frenle de casas, banhairos
corredores, acongaes, sendo de liadas
cosre, vendem-se por 6O&000 o milhei-
ro, por er um saldo, a Fraga da In-
dependencia n. 40.
Vende-se
amal-
a.. sem forjss!... Pois nao a mli que ^ replioava Mauricio a chorar.
Laura, desesperada, aecusava se,
dicoava se, repetindo :
Ah! eu, eu que devia expr-me
ao terrivel perigo 1.,. Ah por que me
faltn a coragem ?... Por que, diante da
morte que vi esvoacar sobre o leito de
Mauricio, desfallec ?... Minha filha, a
minha adorada Henriqueta, nao estara
agora alli I,..
Deus teve finalmente compaizSo da po-
bre familia.
A molestia .de Henriqueta nSo toi tao
grave como a de Mauricio, e estove at
muito longe disso.
A angina nSo degenerou em croup.
Urna medicagao enrgica, auxiliada alias
pela intelligencia e pela forca de vontode
da doentinha, subjugou o mal.
E, ainda bem nSo decorrera um mez,
Minou e Souriquette, mais unidos do que
nunca, percorriam o bairro, a sua ees ti
cha enriada no braco, de maos dadas, em-
quanto em torno dell. s, com sympathia
ainda maior. mais do que nnnea igualmen-
te, todos repetiam :
Mas vejam como elles s3o galantes,
se pode haver no mundo crianzas mais bo-
nitos do que aquelles dous petizes!...
O que augmenton sobretudo foi o amor
verdaderamente maternal, immenso, ex-
traordinario, de Laura pela filha adop-
tiva.
Agora, ao primeiro motivo de affeoto e
de reoonheciment, viera juntor-se outro
ao coracSo delicado da Sra. Vallauris:
Henriqueta j nSo era smente a compa-
nheira aff ctaosa e dedicada da sua Rosi
nha morta, companheira que tinha distra
hido a longa agona da coitodinha e derra-
mado o balsamo consolador na chaga do
seu coraco de m&i desesperada...
Ella era agora tambem a salvadora de
Mauricio, o seu filho nico, o primogeni
to... a herona abenyoada que lh'o havia
conservado com risco da propria vida!.
urna boa machina de numerar e diversos cofres,
sendo um muito grande, e que foi da antiga tbe-
souraria das loteras ; a tratar na ra Mrquez
de Olinda n, i, 1 andar.
IX
O PAI
Urna tarde de invern o appetite deRo-
selin mostrou se mais imperioso que de
costuro, e o pSo tinha acabado antes de
terminado o jantor... Henriqueta deseen
immediatamente ssinha para ir buscar
mais.
Em vez, porm, de voltarcoma preste-
za do costume, ella demorou-se muito tem-
po.
NSo lhe v ter acontecido alguma
cousa !... repeta Laura em t-dos ostons.
E debru^ava se janella, procurando
traspassar com a visto a escuridSo profun-
da ; ou entSo, sentada na sua cadeira, ap-
plicava o ouvido. concentrando toda a at-
tencSo ao menor ruido que lhe
annunciar a volta da menina.
Pego-te, Roselin, disse ella finalmen-
te ao marido, vai ver o que se passa. Isto
nao natural, sobretudo em Henriqueta,
tao prompto, t. o ajuizada e que nao para
nunca em parte tilguma.
Vallauris ia fazer o que a mulher lhe
pedia, quando ouvio-se a porto do com-
modo abrir-se e tornar a fecharse.
Laura levantou-se offegante.
Henriqueta, perguntou lia, s tu ?
Sou eu, sim, mamSi, responden a
enanca
Terreno
Vende-se^ por barato preco um bom terreno
no lugar loutinga (estrada nova do CaxaDg)
confronte a ettagao do mesmo nome da via fer
rea do Caxang, tendo ISO palmos de frente e
500 de fundo ; a tratar com a sua propietaria
em urna casa sita no mesmo terreno.
ParaengenJio
Vende-se urna roda de ferro systema Lean-
dro, com 25 palmos de dimetro e 7 de largura
(que se pode estreitar) com cubos e forro de
amarello, em per feito estado, sarilho de ferro
com 20 palmos de comprimento e mais um
acrescimo de sarilho com 10 palmos e pecas
para liear, gigante de ferro, quatro rodetes an
guiares, tres de 4 pemos e um de 8, urna moen
da de 36 pollegadas por 2i e um rodete perpen
dicular de 8 palmos, tudo em bom es ado, e
vende se barato por se ter botado vapor ; quem
pretender dirija se ao escriptorio de Ribeiro de
Carvalho, ra eslreita do Rosario n. 19.
barato
NA RA DO CRESPO 21
Da lujo do Campos
Cintos escuras cSr de caf, a 2CO rm. a*
covado.
Ditos brancas, panno de ere tone a 259 aas.
o dito.
Ditas de cores, finas, de 840/280, 309
320 rs. o dito.
BaptiBtos de efires de 160 rs. e itov.
Ditos idem, finas, a 200 re. o dita,
Nazuhus de cores finas, a 240 rs odftav
Merino de c6r, liso, 13 pura, urna a lar-
gura, a 280 rs. o dito.
Ditas lavrados duas larguras, boas atzaay.
a 500 rs o dito.
LSs de cores, lisas, listras e de quarSLa&
200 rs o dito.
Ditos com quadros de seda, a 400 na, n-
dito.
Ditos achamalotsdas, 500 rs. o dito.
Cretones lisos, a 200 rs. o dito,
Sargelins trancados, tonas as eSrs. v
200 rs. o dito. .
Etamines de cores, tudo phaatas a
reis o dito.
Zephiros de quadros, a 160 rs. o dito
Linho pardo para vestido, a 400 ra o <
Oambraia Victoria transparente de
a peca.
Atoalhado para mesa, fazenda de fiosfis^ a
1|J400 rs. o metro.
Fichus de todos os tamanhos, quiiTisTsJsi
precos.
Toalhos para mesa a 25000, urna.
Colchas brancas, portuguezaSi **"^m^ i
IOjJOOO a 5,5000.
Meias, sortimento eompleto oara
senhora e crianzas.
Lencos de algodSo, brancos d
linho, e grande sortimento em seda-
Cortes de calca para homem, aa esto:-
UGOO.
Qravatos, fichus, voile e IS o qas Ea> Jr
mais em novidade.
Setins, surah, sedas de cores e prcDas,,.
merino preto, lisoo e lavrado, graadas>
quantid&de de artigos que vendemos gcaV
todo preco.
LOJA DO CAMPOS"
CRESPO21
Taverna
Vende-se a taverna sita no pateo do Tergo i.
55, bastante afreguezada, livre e desembarazar,
a tratar na mesma. 0 motivo da venda se r
ao comprador.
Vinho puro de Santare
Da quinta do Barra!
Os proprietarios do Armazem Central, A ia
do Cabug n. 11, avisam aos seus distinctos fia
aova remessa des te especial vinho, o qaataa-
recommenda por ser puro da uva, e s se fts-
Iha em seu armazem.
Joaquina ChrstovSo & C.
Telephone 447
Engento
Vende se urna parte ou a meia aev> f? ea.
engenho moente e correte a agua, a joaftac-
legoas da estacao de Palmares, c cm c-j.v ..idas-
para safrejar mais de 2,000 p!t<. j-
raesmo comprador arrendal-o *..-,t saaaa
Mrquez do Herval n. 144.
!-*

i >
Vende-se
barato urna taverna com boas commodi dadrs ; as
tratar na ra dos Guararapes n. 29. O moiiw>&
incommodo de sade.
Leituras Selectas
Pelo Dr. Juo Barbalho
Acha-se no prelo e brevemente sera expostaSt
venda, a 3* edicSo des te importante livro aam>
leitura e outros exerclcios as escolas.
Superior vinho de Al-
cobaya
O acreditado e autigo armazem do Lite par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes quv acata?.
de receber urna nova remessa deste espet-
vinho, escolhido propriamente pelo chefe sao.-
casa tornando se recommendao por ser purs-
de boa qualylade.
Jos Remandes Lima & C, ra Baroda Tsr-r
toria n. *
Telephone 3
Attengao
Vndese a taverna sita roa do Rosario: a
Boa-Vista n. 11, esquina do becco do Tambi da
tratar na mesma.
~7~
a menina, nSo te-
NSo., respondeu
nbo nada
Ah nSo me ests dizendo a verda-
de... tenho certeza disso 1
Henriqueta levou o dedo indicador aos
labios. -
Cala te. disse ella muito baixo :
quando estivermos sos, eonter-te bei tudo.
Ha entSo alguma cousa ?
Sim, mas cala-te !...
Pareceu a Laura, naquella noite, que
Roselin nSo se ia deitor nunca ; quanto a
Mauricio, foi logo mandado para a cama,
a pretexto de que fazia muito fri e de
que estova com ar muito fatigado.
Aquelle serSo de familia, de ordinario
longo e suave, na iotimidade do lar, pela
primeira vez pareceu insupportovel a Lau
ra, que alias empregou todos os esforjos
podes ie para abre vial o.
Finalmente ella ficon a sos com a me-
nina, no pequeo quarto para que eBta ha-
via voltado, depois do restobelecimento do
irmSo.
O que ? foram as primeiras pala-
vras da Sra. Vallauris.
Papai est deitodo ? perguntou Hen-
riqueta.
Sim, sim !...
E estar dormindo?...
C'reio que sim.
NSo poder ouvir nos ?
Pens que nSo, roas por que todas
AVISO
Vende se ou arrenda se um terreno de mi
palmos quadrados, sito n>gua Fra, cs!ra*a
das boiadas. terreno desmembrado do> sin r
Coronel Hmete rio Velloso da i-ilveira, pertaaia>
estacSo ; a tralsr na ra 15 de Novembro .a. *A
primeiro andar. ,
E ao mesmo tempo appareceu a peque ezsas perguntas ?^
na, com o seu chaposinho pousado noi
cabellos louros o pao sobre o braco.
O seu adoravel rosto, tSo fino e tSo ro-
sado ordinariamente, estava aterradora-
mente paludo; es seus bellos olhos da cor
do uo apresentovam se cercados de lar-
gas olheiras azuladas.
- Que tens tu ? exclamou a Sra. Val-
lauris, acostumada a 1er as feieSes deli-
cadas da crianza como n'nm livro aborto.
Acontecen-te alguma oousa?...
Porque jurel que smente tu, mmSi,
saberias o que vou dizer.
E' singular.
Oh! sim.
Vejamos, falla. -
NSo o repetirs ?
NSo.
Das a tua palavra de honra ?
Dou t'a.
Entao eatou tranquilla. E' o seguin-
te: Quando eu ia sahiudo de casa para ir
buscar o pSo, vi um senhor de muito. baa
apparencia destocar se da parede, qnaE.
estova encostado, parecendo esperar, ai-
guem, e que depois poz-se a acompanhac-
me. Quando elle passou debaixo da Iwr.
do lampeSo, examinei-o bem.
Ah 1... e a primeira vez que a
viste ?
Creio que nSo. Parece-me. ao eaat-
trario, telo encontrado frequentementav
nestes ltimos dias, quando sabia com Maca-
ndo ou volta va da escola com elle.
Como esse senhor?
Alto, curvado, physionomia bk9pn
sympathica, olhos meigos e bons, maspai-
lido, tito pallido. .. e um ar tSo doenti?
Elle fallou-te ?
Hoje, sim. Das outras vezes alW
Ah que te disse elle ?
Espera, vou te contar. Elle acoastp*-
nhou me, como ia dizendo. E cousa
traordinaria, nao me fazia medo, ao
trario...
Como ao contrario ?...
Sim, os seus olhos sSo tao boca eaa
seu rosto ha urna expressSo de t3o granea-
tristeza, que asaaltova me at a veststte-
de dirigir-me a elle e de consolal-o. Ba
conheci-o desde logo. Quando eu sahia dav
padaria, elle chamon me.
Ah 1
Voc effectivamente a peqoeaav
Henriqueto Vallauris? perguntou eB.
Sim, senhor, respond cu com tedafe
a naturalidade.
A que foi criada pela pebre tm
neira Clemencia Foulon ?
Laura fez um movimento.
A pequea percebeu o e continuos -
Ests admirada, nSo verdade, m
mSi ?
Muito admirada, mas continua^
( Continuar-ae-ia.'P
Typ do Diario, Ra Duque de Casias*n. aa.
m

r
:
t
.

[im



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHG0EL15V_6JROHU INGEST_TIME 2014-05-21T23:18:05Z PACKAGE AA00011611_17000
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES