Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16997


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^
<.

^

1
i
'1
m

>

./*
DIARIO DE PERNAMBU
fclaKL
Propriedade de Mano el Figueira de Faria db Flhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres meses achantados.
Por seis ditos dem......
Por um anno dem......
Cada camero avulso, do mosmo da.
6*000
12(5000
23tf000
.5100
Os Srs. Amede PrinceSt C.
de Paris, sao os hoscos agentes ex-
clusivos de annuncos e publica-
?joes na Franca e Inglaterra.
PARA DENTRO FORA DO ESTADO
Por seis meses adiantados. ... 134500
Por nove ditos idem. ..... 20jJ000
Por um anno idem. ..... 26)5000
Cada numero avulso, de dias anteriores. (5100
P-
TELEGRAMMAS
3S2VI50 7ABIICLA& SO DIABIC
RIO DE JANEIRO, 7 de Janho, s 4
oras e 12 minutos da tarde.
Foi exonerado o 2." vico-governador do
Estado do Rio Grande do Norte, sendo
nomeado para substituil-o o Dr. Jos Igna-
cio Fernandos Barros.
Foram nomoados:
1. escriptarario da Tfaesouraria de Fa
senda do Estado de Pernambuco, o 2.
Elias da Crus Ribeiro ;
Continuo da ReparticSo de Estatistica
Commercial do mesmo Estado, Jos Fran-
cisco Mendes;
2. escriptarario da Thesooraria de Fa-
senda do Estado do Cear, Manoei Syd.
ney, que nao foi aposentado, como hon-
tem foi dito ,
2. escriptmario da Thesouraria de Fa
senda do Estado de Alagoas, SebastiSo
Neves
Inspector da Sade do Porto de Alagdas,
Dr. Domingas Jambeiro da Cesta, sendo
exonerado o actual;
Praticante da Alfandega do Estado de
Alagdas, Paulino da Silva Juca;
Director do presidio de Fernando de
Noronha, Joaquim de Gusmao Coelho, sen-
de exonerado o actual.
::s7i;s ia a&sscia savas
LONDRES, 6 de Junho
Cmara dos Communs repellio
234 votos contra 154 o projecto de
oncarnante a abertura de um tnel
por
lei
sob
a Mancha, entre a Franca e a Inglaterra.
Agencia Ha vas, filial em Pernambuco,
7 de Junho da 1890.
IHSTECCIO POPULAR
A SASITASZLISASS SOS ASTSOS
POB
*03< M-03R.SS-0 FKHTffi
IV
CAPITULO IV
i i lo Flam
Bu (fon Ketjo C
mrion
I
( Continu ac o )
- Se sobre a trra nao existase o hornera,
ver se hia introduzida a anarebia em todas as
creaturas, por falta de caudilbo e de bom gover
no. E, se cada planeta tem as suas, provavel
que i..ja entre ellas um ente soberana, que seja
o seu ceutro de aeco ie equilibrio e de harmo-
na, para que ueuhuma d'ellas invada o domiBio
das suas visinbas..
Eis aqu tambem as palavras bastante notaveis
de um horneen emiaeote, o conde de Buffon,,
este sabio naturalista, este genio collossal do
secuto passado, nao so nao foi eotraoho ideada
habitabilidade dos astros, que preoecupou tantos
homens distinctos. mas tambem a sustentava,
como verdade notoria, pois que diz : O homem,
ligado ao tomo terrestre em que vegeta, enera
este tomo como um mundo e nao ve os mun los
seno como tomos.*
Vollaire esta va tao convencido da universalida-
de do principio philosopbico a que alladimos,
qu- assim o indica repedidas vezes as suas
obras.
Em seguida traoscreveuios um dos paragra-
phos. em que elle se mostra mais explcito :
t Esgotados todos estes processos, ouvi promul-
gar este decreto:
Em nome do Eterno Creador, Conservador
Remuoerador, Vingador, etc., etc.
Notorio seja a todos os habitantes dos cem mil
i.-j s de mundos osquaes bouvemospor bem
formar, que Nos jamis julgaremos nenbum dos
ditos habitantes acerca das suas profundas ideias
mas nicamente sobre as suas acgOes porque
atsim gnossa justiga.
0 nosso erudito e sabio Feijo. jamis sumen
temente admirado pela universidade do seu ta-
le:: .j a proposito da tbese de que nos oceupamos
diz :'
Nao me repugna acreditar que nos- astros se
germinem e vivam borneas e animaes. Por ho
mens enteodo, n'este ponto, creaturas intelle-
ctuaes, compostas de corp e espirito comoo pro
prio homem. sem me fazer cargo de differencar
se eraui de distmeta especie intima, ou da mes-
ma que nos.
* f de suppdr que, assim homens, como bru
tos e plantas, sejamde temperamento muito dis-
uado do das mesmas clasues de viventes que ha
na Terra.
Multo nos restara a fazer, se compilassemos
qua.ito em apoio do axioma proposto tem dito
muilos sabios de todas as epochas e de todos os
fiizes mas baslam ao nosso proposito as opi-
uioes que temos apres- ntado. porque, apezar de
poueas em aumero, dao todava, urna idea bem
fri-ante di que, como principio, a habitabilidade
do; astros tem sido admituda em todos os lem-
pos pelos homens pensadores ; que o coobeci
ment desta verdade remonta s epochas mais
remotas, e que at ha poneos annos era perigoso,
quando nao funePto, proclama! a e sustental a.
, E dever accrescentar se a isto que actualmen-
te roncas pessoas das que profundam um tanto
as seiencias chegam ao c ohecmento de tal
principio, que tan o eleva e sublima, por assim
dizrr. as nossae idSs, ao passo que por elle se
aprs-nta a Bfjjtos teos gigantescamente en-
grandecido ecjBsdo de multas maravilhas o so
Serano Autor djfatureza.
A repetidas coWstaB. que pratica e intel"
iectuaimente reabj je_pirito humano desde o,
ultimo terco do
feito com que os pensamentos, que aoleriomente
nao p> diam proclamarse sem provocar contra o
temerario que tal ousasse o fanatismo e a per-
segaico de certas classes da sociedade, possam
agora emittir-se eillucidar se convenientemente
no terreno da silencia, da razao e da philosopbia.
III
0 mais notavel monumento levantado a maior
gloria e diffuso do pensamento que nos oceupa
o livro ba poneos anuos publicado por Camil
lo Plammarion, sob o titulo de Pluralidade de
mundos habitados.
. Excedem o numero de quinze as edlces, fei-
tas em Franca, desta obra, a mais completa que
o eng- nho humano, no estado actual das scien-
cias, poderla dar a luz.
O nome'do autor e as edicoes esgotadasso io-
dubitavelmente amis segura garanta do meri
to do livro, e de que o assumpto que nelle se
trata est magistulra nte exposto e resolvido.
Tanto nesta capital, como em Barcelona, tem
sido publicado, em castelbaoo, e boje poucos
sao os homens instruidos do nosso paiz que o
nao connecam, quer pelo original fraocez, quer
pelas traduccOes tiespanholas.
(ConttmaJ
____FABTE 0FF1CIAL
Actos do poder executivo
Regulamenlo dos Corris* diBepu
bllca diin Ealado l nido* do Bra-
sil approvadu pe* decreto n 36
A de 1 de Malo de 1SOO
(Coutiouacao)
CAPITULO III
Taxat de porte
Art. 11. As cartas pagam a taxa uniforme de
100 rs. por porte simples de 15 grammas ou
fraego de 15 grammas, qualquer que seja a
distancia que tenbam de percorrer por mar ou
por trra.
ArL 12. As cartas, anda quando nao fran-
queadas ou insufncien temen te franqueadas, se
rao expedidas pelo correio, cobrando se, porm,
do destinatario o dob.-o da taxa devida, que sera
representada por sellos especiaea.
Art. 13. As cartas-bilhetes representam a taxa
de 80 rs. e podem circular em todo o paiz.
Art. 14. Os bilhetes poslaes. tambem com cir-
culago em todo o pait, representam a taxa de
40 rs. e os que forem com respe sta paga a de
80 rs.
Art. 15. Os manuscriptos, isto as peca3 e
documentos escriptos ou desenliados mo, no
todo ou em parte, que nao tiverem o carcter de
urna correspondencia actual e pessoal, como :
os autos judiciaes. os actos de qualquer especie
lavrados por agentes ministeraes, as guias de
cargas ou conbecimeatos, as facturas, os diBe-
rentes documentos de servico das companbias
de seguros, as copias ou extractos de escriptu-
ras de particulares passadas em papel sellado
ou nao sellado, as partituras ou folnas de msi-
ca, os manuscriptos de obras expedidas isolada-
mente, etc., pagam a taxa de 50 rs. por 50
goammas ou fraego de 50 grammas.
S nico. O carcter de c orrespondeocia actual
e Dessoal nao se pode attriouir s segumtes in-
dicacOes :
1", assignatura do remetiente ou designa-
cao do seu nome ou Hrma social, de sua quali-
dade, do lugar da procedencia, da data da re
messa; 2*, dedicatoria ou bomenagem de
autor; 3*, aos riscos ou signaea simplesmente
destinados a marcaros trechos de um texto para
os quaes se deseje chamar a aitengo; 4a, aos
precos accMScentados s cotagOes ou precos cor-
rentes de pragas de commercio e de mercados ;
5a, emSm, s annotagoes ou correccOes fetas
as pravas de imprensa oude composic&o mu-
sical e com referencia ao texto ou execugo
da obra.
ArL 16. Os impre8S0s de qualquer natureza,
excepto os de que trata o art. 18, pagaro a taxa
de 20 rs. por 50 grammas ou fraego de 50
grammas.
nico. S5o considerados como impressos os
jornaes e outros peridicos, os livros impressos
brochados ou encadernados, as broenuras, os
papis de msica, os cartOes de visita, as part-
cipacOes de casamento e de nascimento, os con-
vites para enterro, as circulares, os cartOes de
eodereco, as provas de imprensa com ou sem
os respectivos manuscriptos, as gravuras, as
photograpbias, os desenbos, os planos, os map-
pas geographicos, os catlogos, os prospectos,
os aonarlos e avisos impressos, gravados, h
thographados ou autograpbados, em geral, todas
as inpresses ou reprodueces obtidas so!>re pu
pe, pergaminho ou carlo, mediante typogra-
phia, lithographia ou qualquer outro processo
mecnico, excepto a contra-prova e a machina
de escrever.
Art. 17. Os manuscriptos e os impressos de
vera expedirse quer sob cinta, em rolo, entre
cartOes ou em estojo aberto de um lado Ou as
extremidadesquer em um envoltorio aberto
3uer simplesmeote dobrados, de modo a nao
is8imular a natureza da remessaquer, final-
mente, amarrados com barbante fcil de des-
atar-ss. Os cartes de endereco e todos os im-
pressos com a lrma e consistencia de um car-
lo nodobrado podem ser expedidos sem cinta,
envoltorio, atadura ou dobra.
uoico. Nosera expedidos es maauscriptos
e os impressos que nao preeneberem as coodi-
ces cima exigidas ou que nao estiverem fran-
queados ao menos parcialmente, devendo co
brar se do destinatario o dobro do valor dos
sellos que taltarem.
Art. 18. Os jornaes e outros peridicos im-
pressos no Brazil que, em maco ou sacco, com
eolereco a cada reparlico postal forem expedi-
dos pelos respectivos ediclores, conhecidos como
taes, ou pessoas por elles devidamente autorisa-
das, para que sejam entregues a agentes seus ou
directamente aos assignantes, pagaro previa-
mente, em sellos que para esse fim sero espe
cialmsnte emittidos, 10 rs. por 100 grammas ou
frargo de 100 grammas. Quando a distribu-
gao tiver de fazer-se pelo correio, cada sacco ou
mago ser acompanhado de urna li-sta dos as-
signantes.
Art. 19. As amostras de mercaduras e as pe-
q moas en:ommendas pagaro previamente a
laxa de 100 rs por 50 grammas ou fraego de
50 grammas, alm do premio do registro, o quai
ser obrigatorio para ar encommentlas.
un'co. Devem esses objectos s collocados
era saceos, cnixas ou envolturios movis, de
maneira que facilite a sua vmficago, e nao po-
dem ter escripto a mo seno o nome ou firma
social do remetiente, u ealereco do destinatario,
urna marca de fabrica ou-de negociante, numero
de ordei/: e pregos.
Art. 20. A taxa de porte das correspondencias
de diversa" natureza reun-las em um so volum<\
ser regulada para todas ella pela correspon-
dencia que a tiver maior; e, -,e no volume hou-
ver eocommenda, e registro ser obruatorio
Art. 21. As cartas, as cartas-bilhete eos bi
Ibetes postaes da ummi hora continuam sujeitos
ao dobro dr taxa estabelecida.
Art. 22. As cartas avolsas, aioda ra -smo sella
das, que os capites e mestres de navios entre
girem ao crrelo, pagaro a taxa a q :e est&o
sujeitas as carias naciooaes nao franqunidas
Art. 23. A correspoodencia *
official coatina
isenta da taxa de porte, do premio de registro e
da porcentagem; mas para ser como tal consi-
derada deve ter no sobrescripto a dectarago da
autoridade a quem se dirige e da remettot;,
estar fechada, serapre que for possivel, com o
sello das armas nacionaes, podendo ser apre
sentada ao correio descripta em protocolio ou
emdoas guias competentemente assigaadxs e
datadas.
Art. 24. Os autos crimes em que for parte a
jU8tica, e por ella remettidos de um a outros
juizes ou tribunae?, sero considerados como
correspondencia official ; e o mesmo se pratica-
r, quando os escrives ou secretarios dos tri-
bunaes declararem nos sobrescriptos que os au-
tos e&o enviados em virtude do recurso de reos
notoriamente presos.
Art. 25. Os macos e cartas dirigidos por func ,
cionaros pblicos e particulares nodeveroaer
considerados como correspondencia official, em-
bora tenbam a declaracoservigo publico.
uoico. Exceptuara se : l., os exemplares do
Diario Oficial remettidos aos assignantes e auto-
ridades, e de revistas publicadas por estabeleci-
mentoa pblicos ; 2., os avisos, cartas e macos
relativos ao servigo postal ou do3 telegraphos
qne- aos. particulares remetterem os respectivos
chefes de servigo, e os remettidos palos mims
tros e ebefe das repartigOes geraes, e das dos
Estados.
Art. 26. Nao sero expedidos os pacotes de
manuscriptos, de impressos, de amostras de
mercadonas, e de pequeas encommendas que
tenham mais le 40 centmetros de coraprimento,
22 de largura e 16 de grossura, excepto quando
as malas para as localidades a que esses objectos
forem destinados os comportarem com matores
dimensOes.
Art. 27. As cartas franqueadas, no tolo ou em
parte, com sellos servidos ou falsos, sero ret
das.
Art. 28. Os sellos devem ser poitos as cor-
respondencias, e estas, quando ordinarias, as
caixas do correio pelos proprios reraetten.es ou
sena portadores. E' prohibido aos empregados
e agentes incumbirem se disso.
CAPITULO IV
Registro das eorresppniene as
Art 29 Qualquer dos objectos mencionados
aos arts. 11, 13, 14, 15.16 e 19, que pagar pre
v ament, seja qual fdr o seu peso, o premio
fixo de 200 res em sellos, alm da taxa do res-
pectivo porte, que entregarse no correio ao eo-
carregado desie servico, relacionado nominal-
mente, depois de dar-se na mesma occasio ao
remenate um certificado; e nao passa de urna
mo para outra na.mesraa repartipo postal onde
entregue, por onde transita ou a que se des
tina, sem ser mediaste recibo. A repartico do
correio nao se obriga a pagar indemaisacao al-
guma no caso de extravio ou subtracclo de
qualquer objecto simplesmente registrado ; umi-
ta-s a offerecer as garantas cima mencionadas
e as dos n3. 7 do art. 189 e 7. do art. 192.
1.* Nao ser feito o registro de carta ou
mago em cujo sobrescripto estiveren iniciaos
em lugar do nome por extenso do destinatario,
ou cojo endereco estiver feito em caracteres in-
intellgiveis ou a lapis.
g 2.* A correspondencia que tiver de ser re
glstrada ser receida no correio smente at
urna hora antes da que for marcada para a re-
cepgo da correspondencia ordinaria.
Irt. 30 Para que possam remetter se pelo
correio, as cartas regia*rtxta*, notas d lUesoa '
ro ou de banco bilhetes de ioteria e, em geral,
quaesquer valoras ao portador, indispeosavel
que o remetiente escreva ao lado do fecho da
cartavale (a quaotia por exteoso) m ris -
rubrique esta declaraco e ao entregar a carta
no correio, mostr o objecto cujo valor deca
rado.
1.* Si,o objecto for dinbeiro, isto notas do
thesouro ou de banco, so pouer ser acceito,
quando nio fdr possivel a emisso de vales para
o correio destiaatario; e a quantia a incluir a a
carta deve ser exactamente a declarada, que nao
poder exceder nunca de 200*000. Os bilhetes
de lotera, porm, e quaesquer outros valores ao
portador podem ser admittidos, e o valor decla-
rado poder ser menor, mas nunca maior, d o
que o valor real. Tambem se admitiera dosu-
meotos, mas ueste caso cumpre que declara
cao do valor se accresceate em documentos.
2 o Cobra se em senos pela remessa do va-
lor declarado alm da taxa do porte da carta e
do premio fixo de 200 ris oara ella ser regis-
trada, a de 2 "/ sobre o valor declarado, na se-
guate proprogo :
At 10* 200
De 10* a 15* *300
De 15* a 20* i;u
De 20* a to* *500
e assim por diante, accrescendo sempre 100 ris
por 5* ou menos de 5*000.
3.* Para a correspondencia ser regstrala,
mesmo a particular, com valor, nao preciso
que esteja fecaada cora lacre e sitele do re raet-
ten le ; e aos empregados do correio expressa-
mate prohibido iatervirem fornecendo sobre
cartas, lacre ou Bnete, es revendo o enderego
ou a declaragao do valor.
4.a O pagamento dos valores declarados que
se extraviarem ou forem subtrahidos poder ser
reclamado nos correios de ongem ou de destiao;
deveado iadispeasavelmente juntar se o certifi-
cado de registro ao requenmento de reclamago,
e ser o pagamento feito ao requerente (remet-
iente ou destinatario).
Art. 31. Para as correspondencias officiaes
nao ha limite mximo para o registro com valor
declarado.
Taes correspoodeasias poden 6er registradas
cora valor declarado, aioda mesmo que se pos
sam emittir vales para o correio de destiao.
Art. 32. Fica creada ama classe de encom-
mendas registradas com valor declarado, era que
podem ser incluidos someote artigos de ouro ou
prata joias, ou objectos preciosos.
i O valor mximo a declarar era taes en-
ceminendas*eer de 200* ; podeado esse valor
ser ioferior, mas auncasupenor ao valor intrin
seco dos objectes contidos na encommenda. Era
caso, de perda ou subiracgo o correio indemoi-
sarao valor declarado.
2." Taes encommendas Hcim sujeitas, alem
da taxa de porte e do piemio lixo do registro, a
urna porcentagem de 5 "/o sobre o valor decla-
rado ; aao d-veado aunca essa porcentagem ser
menor de 500 ris. Devero ser apres'ntadas
abertas no correio, e em segui la ser fechadas e
lacradas na presenca do portador, observanio-se
todas as formalidades a que eslo sujeitas as
cartas registradas om valor declarada.
Art. 33. Se o remetiente de qualquer objecto
registrado simplesmente ou com valor declara-
do, exigir aviso de recepgio (recibo do destina-
tario,) pagar para este lira mais 100 rts era
sello, que dever ser adherido respectiva for-
mula impressa.
(Contina).
2il-.9405000
202:893*003
56:934*000
401:600*000
372.034*500
200:500*000
84:600
3avel Bxar despezado mesmo ministerio no exer-
cicio de 1890, resolve decretar :
Art. 1. A despeza do Ministerio dos Negocios
da Instrucgo Publica, Correios e Telegraphos,
tixada, no exeroicio de 1890, na importancia de
11,165:787*950, distribuid* pelas seguiatea ru-
bricas :
1.* Secretaria de estado
2. Fatuidades de direito
3.* Secretarias e bibliotuecas das
(acuidades de direito
4.' Fatuidades de mediciaa
5.* Secretarias, bibliotbecas e la-
boratorios das faculdades de
medicina
6.^fiscola polytechnica
7.* Secreta ra e gabiaetes da es-
cola polytechnica
8* Escola de Minas de Ouro-
Preto
.9.* Iospectoria da instrucgo pri-
maria e secundaria da capi-
tal federal
10." Intrnalo do Instituto Na-
cional
lt.' Extrnalo idem
12.* Escola normal
IX* Academia das Bellas Artes
14 instituto Nacional de Msica
Instituto Nacional dos Cegos
Institutos dos Surdas Mudos
Observatorio Astronmico
Bibliotheca Nacional
Estabelecimeatos subsidia-
dos pelo Estado
20.* Museu Nacional
21.' Correio geral
Telegraphos
Obras
Eventuaes
Joo Fraocisco Po?gi de Figueiredo. para servir
o lugar de juiz dos casamentes, na capital do
Estado do Amazonas.
Foi nomeado juiz de direito da comarca de Gu-
rupa, em Miaas-Geraes, o bacharel Antonio I jia-
piaa.
Foram removidos, a seu pedido, para a comar-
ca de Santo Antonio do Machado, o,juiz de di-
reito da de Alfenas, Jos Fraocisco do Bego Ca-
valcante, e para a de Alfenas, o juiz de direito
da de Perapetioga, Adolpho Augusto Olyatho,
todos ao Estado de Minas Geraes.
*000
T
15.'
16."
17.'
18.'
19.'
767;280*000
201:045*000
157:590*000
97:140*000
108:840 000
104:J!0*000
153:408*000
63:365*000
99:980*0 JO
101:880*000
2i.'
23.'
24.'
121:400*000
84:880*000
3.800:000*000
3.219:726*450
300:000*000
10O:000*00J
Hinislerio da Agricultura
Foi nomeado Joo Gastn, escripturao da in
;o-wtoria especial de trras e colooisago ao
Estaao de Pernambuco.
Foram oomeados: o bacharel Domingos
neopbiio de Carvalho Leal para o cargo de in-
spector especial de trras e coloaisaco no Es-
tado do Maranho, e escriptarario, Bernardo Pe-
reira Brrelo.
Decreto n. 435de 30 de Miio de 1890
Fix a despeza do ministerio da instrucgo pu -
alibi, correios e telegraphos no execicio
de 1890.
O ebefedo governo provisorio, constituido pelo
exercito e'armada em nome da uac&o, conside-
Taado que era consequencia do decreto n. 346
de 19 de Abril prximo flado, pelo qual foi crea
do o Mioisterio dos Negocios da.Iaslrncgo Pu-
blica, Correios e Telegraphos, se toroa ind ispea -
11.165.787950
Art. 2a. As quantias correspondentes s men-
cionadas rubricas sero despendidas de accordo
com a tabella explicativa que acompaoha o pre
sent decreto.
Art. 3 Das quantias consignadas na referida
tabella sero deduzidas as que foram despendi-
das na conformidade dos orgameutos das despe
zas dos ministerios do interior e da agricultura,
commercio e obras publicas.
Art. 4. Revogam se as disposigOes em con-
trario. ....
Sala das seasoea do gavera pruvisono da Re- p.llpirpri,-, Npve,
plica dos Estados Unidos do Brazil, 37TdrMalO- i08^|/S?^.Neves
de 1890, 2 da Repblica.Manoei Deodoro da
to*teea,Benjamn Constan! Botelko de Maga-
tifies.
Decreto n. 436-de 31 de Mato de 1890
Esubelece a .competencia cumulan va, adminis-
trativa e criminal dos delegados de polica as
cidades em que houver mais de um.
Omarechal Manoei Deodoro da Fonseca, chefe
do governo provisorio, constituido pelo exercito
e armada, em nome da nago, tendo ouvido o
ministro e secretario de estado dos negocios da
justica acerca da representagao do chefe de po-
lica da capital federal sobre os graves inconve-
nientes resaltantes da rigorosa applicaco das
regras de competencia em razao do lugar do de
i.cto ou da residencia do reo s attribuigOes ad
ministrativas e criminaes dos delegados de poli
cia Je um i mesma cidade, e considerando :
' 5ae a divis&o de urna cidade em distric'.os de
deiegacias tem essencialm*nte por Hm a distri-
buigao do trabalho, pela mpossibilidade de bem
desempenhal-o um so funecionario, e nao con-
stituir outros tantos domicilios e competencias
privativas.
Que substituindo-se reciprocamente os juizes
aos mesmos Jistrictos. por maioria de razo se
deve facilitar a aeco da polica, assim relativa
a maauteugo da ordem, como preveago e
reprflsao dos crimes, permittindo a qualquer
dos delegados da mesma cidade, que pnmeiro
comparecer, o tomar coabecimeato dos distar
bios, delictos ou suspeita de criminalidades que
occorrerem proceder as averiguacOes Iegae3,
prender os criminosos e no impedimento, do de-
legado do distrito, fazer o inquerito policial de
que tratam os arts. 381 seguiote3 do decreto o.
4 824 di 22 de Novembro de 1871 e anda orga-
nisar o processo preparatorio das infraccoes e
crimes a que se refere o art. 47, se residir o reo
na mesma cidade ou for vagabundo, ou uella
houver coraraettido o deheto :
Decreta :
Art. 1 A competencia administrativa e crimi-
nal dos delegados de polica as cidades em que
'houver mais de um, cumulativa, cabeudo, ao
ebefe de polica distribuir a primeira cooforme
as coovenienc:a8 do servigo, o observando se,
quaoto a segunda as segrales regras.
1." Concorrendo mais de um delegado, pre-
ferir : ...
1. O do districto em que houver sido pralica-
do o crime;
2." O do districto da residencia do reo ;
3. O que f6r designado pelo chefe de poli-
ca. .
8 2.* 0 que primeiro houver tomado conheci-
to do crime commum, proseguir no inquerito
policial at sua terminacho.
8 3." O que primeiro receber denuncia ou
queixa do delicto policial ou houver procedido
ao auto circumstaaciaio do facto competente
para a organuago do processo preparatorio de
qu1* tratam os arts. 47 eseguintes doregulamen
lo de 22 de Novembro de 1871.
Ar. 2." Revogam se as dlsposiges em contra-
rio.
O ministro e secretario do estado dos negocios
da lustica issirn o faga executar.
Sala das sesses do governo proviso.io, 31 de
Maio de 1890, 2" da Repblica.Manoei Desdoro
da Fonseca.M. Ferraz de Campos Salles.
Ministerio da Guerra
Foram exonerados os mdicos adjuntos do
exercito no Estado de Pernambuco Dr. Fran-
cisco Augusto da Silveira, e no Rio-Grande do
Sal os Drs. Manoei de S e Joo de Carvalho
Brito, por nao terem entrado em exercicio.
Foi nomf ado o Dr. Osear Lamagure medico
adjunto no Estado de Pernambuco, e pbarma-
ceutico adjunto no do Rio Grande do Sul, Lucio -
do de Almeida SimOes.
Coacedeu-se troca de corpos aos alferes
Antonio Peraltes do 3" batalho de infantaria, e
Paulo Ildefonso Freir Gameiro do 5o da mesma
arma.
Foi transferido para a 4* companbia do 319
batalbo de iufaataria o capit&o da 1* compaahia
do 20*. Joo Luiz de Castro e Silva.
Foi graduado no posto immediato com an -
tiguidade de 17 de Margo do corrate anno, o
capito do 5 batalho de iufaataria, Pedro Abr-
Uno de Oliveira.
Foram transferidos:
Na arma de cavallara, 3o regiment, capito
do 2* esquadro Luiz Antooio Cardoso, para
ajudaate.
Para o 8o regiment, capito do 6o, Rodrigo
para o 2* esquadro.
SVderaaalaxiSLL
Para o 16 batolhVcapito*r-BVJoaflu'm
Melchior Carneiro de Mendonca- para a 2a comV
paouia.
Para o 22 batalbo, capito do 16*, Jos Nico-
lao Toleotino de Lemos, para a 4a compannia.
Para o 24 batalbo, capito do 32*, Joo Bar-
bosa Pereira Espiodola. para a 2* companbia.
Para o 31* batalbo, capito do 24", Americo
de Albuquerque Portocarreiro, para ajndante.
ter as habilitago33 necessarias para exeroero
cargo a que se refere, alm de que nio ha -rafa
presentemente.
Pedro dezerra Cavalcante Maciel.Inferas
inspector do Thesouro. e*at
Prudencia da Silveira Guimares.Remedd
ao director da Colonia Isabel para al tender i
peticionaria, se tatisfizerem o que dispe o arti-
go 13, ultima parte do regulamento da mesas
colonia.
Rodrigo Carvalho D se.
Bacharel SebastiSo Ildefonso do Reg Barrar.
Informe o inspector da Thesouraria de Fazeaa.
Thomaz Caldas Llos.-Informe o inspector 4
Thesouraria de Fazenda.
Vctor Prxedes de Mell o. Indeferido, esa
vista da informago do inspector do Tbesoaro
do Estado, de 23 de Maio ultimo, sob n. 34.
Secretaria do Governo do Estado de Per-
nambuco, 7 de Junho de 1190.
O porteiro,
H. M. da S*a.
2.*
licia
ninlsterio da Hartaba
Foi reformado compulsoriamente o 2 teoente
da armada Joaquim Jos de Andrade no posto e
com o sol Jo de i* tenente, visto contar mais de
35 annos de servico.
- Pelo Ministerio da Mariana foi expedida a
seguinte circular:
Rio de Janeiro, 28 da Maio de 1890.
Tendo resolvido que as escolas de aprendi-
zes marraheiros, excepeo da da Capital Fede-
ral, fiqnem subordinadas aos inspectores dos ar
senaes de marrana e aos capites de portos, nos
Estados em que nao houver arsenal, e bem as-
sim incumbir aquellas autoridades de inspeccio-
oal as meosalmeute, dando a esta secretaria,
por intermedio dos governadores dos Estados e
do quartel general, communica;o official do re-
sultado das iaspecgOes, e indicando as oecessi-
dades e provideoaias que coavier tomar de mo
meato a bem do servico e da disciplina interna:
assim vos declaro para os devidos effeitos, alte -
oado uessa oarte o art. 5o do regulameoto n.
9,371, de 14 de Fevereiro de 1885.
Sade e fraternidade.Eduardo Wandenkolk.
Sr. sjndaote-geaeral da armada.
No mesmo sentido aos governadores dos Esta-
dos, oode exislem escolas de aprendizes mari-
nheiros.
ReparticSo da Polica
seccao.N. 126.Sefiretaria de IV
do Estado de Pernambuco. 7 i
Junho de 1890.
Cidalao goveruador.Participo-vos que fonal
bootem recolbidos Casa de Detengo oa jati-
viduo3 de Nomes Antonio Francisco Sabrsst, av
cialbo Jos Sobral, Gustavo Beato da Sirva, te-
lonio Pereira Carneiro Machado, Manoei Meni-
que Bezerra da Silva, Galdino Pereira dolbaaV
meito, Joo Mara de Lima, Juvenci Antonio 4o
Souia, Mara Francisca da Conceicao, Francisco
Casato, Jos Luiz de Souza Lima, Cyrilla da Cos-
ta e Antonia Mara Calixta,
Com destino ao Asylo da Tamariners feitau-
bem re col nido o alienado Candido Mi roaos
Silva.
No dia 2 do corrate, em um va lado
tent i na estrada qne vai para o Cam po <
aconteceu virar urna canoa que dar pas
a diversos individuos, occasionando a mor te 4o
de nome Joaquim Mendes da Silva.
O subdelegado do 2 districto da Boa- Vista to-
mou conbecimeoto do facto e procedes s diri-
gencias da lei.
No dia 1* do corrente e no lugar deaoaa-
aado Jaqueira, do termo de Quipap, travaraca-ao
de razoes os individuos de nomes Joaquim Be-
zerra Maranho e Joaquim Cezario de Goes, re-
sjTaaosa&f-S pffiW9JBXi4a -Sfinjies fa
das, vindo a morrer horas depois.
Contra o delinquen te qne evadi-se,
inquerito.
Pelo subdelegado do districto de
dos Gatos do termo de Panellas, foi remettoi
juiso competente o inquerito policial aqoe]
ceden contra Pedro Jos dos Sanios, incaraenae
penas do art 269 do cod. Crim.
O subdelegado do 2 districto da Boa Tiste
tambem remetteu ao juizo competente o inqoni-
to a que proceden contra Hemeteno Ruth de
Albuquerque. por ter espancado e feri do ao se-
xagenario Manoei Prudencio de Souza.
Sade e fraternidadeAo cidadio Dr.
Albino Gong a l ves Mera de Vasconoellos,
goveruador do Estado.O chafa de poli-
cia, Ernesto ds Ajuino Fonaeca-

r-
**B
Reeebedorla do Estado de
nambuc
DESPACHOS DO DIA 6 DE JCKKO BB
1890
Vicente Gonjalves Ferreira da Coasa.
Cumpra-se.
Frederico & C, Jos Prente Vianna,
Dr. Simplicio Antonio Mavignier, Benje.
min Amos Jos da Fonseca e Zeferiao Ve-
lente & O.Informe a Ia seccao.
ministerio do Interior
Foi exonerado, a seu pedido, do cargo de 2
vice governador do Estado de Pernambuco o
Dr. Raymuodo Carneiro de Souza Bandeira, e
transferido para 2 o 3 Dr. Mauoel Gomes de
Mattos.
Foram exonerados, a seu pedido, de 1", 2o e 3
vice-gobernadores do Estado do Espirito Santo,
os Srs. Bernardo Horiha de Araujo, Dr. Antonio
Gomes Aguirre e Dr. Eduardo Mouteiro de Car
valho, sendo nomeado: 1 o coroael Joaquim
Gomes Pnheiro da Silva e 2 Henrique da Silva
Coutinho.
Por decretos de 24 de Maio foram agracia-
dos com os seguinles graos da Ordem ds Ayiz:
Gra cmz-Contra-almirantes Jos Manoei de
Araujo Gongalves de Albuquerque Lins e Carlos
Balituzar da Silveira. _. _
OflicmM-Coutra-almirante reformado Dr. Car-
los Frederico dos Santos Xavier Azevedo.
Capites de mar e guerra Jos Luiz Teixeira,
Bario d ; S. Marcos e Antonio Se.venano Nuces.
Capito de mar e guerra graduado Aatonio
Poinpeu de Albuquerque Cavalcante.
HJnlsterlo da Justica
Foram nomeados juizes de direito: da comar
1e Siraao Das, no Estado de S^rgipe, o ba-
eh.rel Her.clilo Diniz Gongalves. e da comarca
de Turyass, tambem de Ia entrela, no Estado
do Maranho, o bacharel Torquato Taaao Coelho
de Souza. ...... u u i
Foi designado o juiz de direito, bacharel
ra
(averno do Estado de Pernam-
buco
DESPACHOS DO DIA] 6 DE JUNHO
DE 1890
Abaixo assigaados habitantes nesta capital.
Eacamiohe-se, pagaudo o porte na reparligo
dos correios.
dem, idem, alomaos da Escola Normal.De-
ferido com o acto de hoje, que revogou o artigo
28 do regulameoto de 27 de Dezembro de 1887.
Antonio Carlos de Arruda Beltro.Concedo
sem veocimeotos.
Baptista & Santos.Deferido.
Diomedes Brayner Lina.Informe o director
da Colonia Isabel.
Enedina Floresta dos Santos Cordeiro.Iade-
ferido.
Fraocisco Torquato Paes Barreto.Ioforme o
inspector do Thesouro do Estado,
Fraocisco de Hollauda Cavalcaute de Albu-
querque.Sim.
Francisco Casado da Cunha Lima.Informe o
cidadio director engenheiro em chefe do prolou-
gameoto.
Ildefonso Marinho de Araujo. Nao existem
ro archivo da secretaria deste goveroo 03 docu-
meotos a que allude o peticiooariu.
Bacharel Jos Marianno Carneiro Bezerra Ca-
valcante.Encaminbe-se, devendo o peticiona-
rio pagar o porte na repartigo dos correios.
Joo Lins Cavalcante de Albuquerque.-Inde-
ferido em vista da informago e das dispo3iges
vigentes. "
Joo Ignacio de Medeiros Reg. Informe o
engeuheiro fiscal da Companbia Recife Draraa-
ge.
Jos Joaquim de Araujo. -Iodeferido em vista
da ioformago. ..
Joo Cavalcante BezerraDeferido com olh
ci de hoje ao coronel commaadaute das armas
Jos Victorioo de Paiva. Nesta data mando
escripturar a divida de 280*000 por perteocer o
exercicio Dado. *, .
Jos Joaquim Alves & CInforme o director
do presidio de Fernando de Noronha.
Capito Joo Ribeiro Montarroyos.-Prejudi-
Manoei Beroardioo Vieira CavalcanteDefe-
rido. Nesta data uomeei urna coramisso com
posta do director da Escola Normal e do teoeate
opoorario do exercito Asceoso Minervrao Mera
de Vascoacellos e do bacoarel Trajaoo,Alipio
Temporal de Mendonga para examiuar o.petico
uario. t
Manoei Joaquim Goaes Ferreira.Iaforme o
inspector do i'besouro do Estado.
Maooel Jos de Bastos Mello. Iodeferido,
vista da ioformago. .
Bacharel Marcolino Ferreira Lima.-Prejadi
"Mara Adelaide de Carvalho Oliveira.Sim
mediaote recibo. .
Marcelloo Antonio Pereira de Carvalho. O
peticiooario pelo seu requerimento revela nao
Inspectora Geral da Instraeele>
Publica do Estado de Pernam-
buco. ^^
DESPACHOS DO DIA 6 DE JUNHO
DE 1890
Anuncio Ramos Freir. Sim, mediaa-
te recibo.
JoSepha de Godoy Vasconcellos.Ouist-
pra se e registre se e marco o prazo de 35
dias para entrar no goso da licenga.
Antonio Nobre do Almeida m .Castro.-^-
Justifico.
Maria Emigdia A. Monteiro. Eaeov
minhese.
Auna Francisca Soares Pacheco.>So-
caminhe-se.
Idalina Maria de Castro.Encamiaho-
se.
EXTERIOR
AMERICA DO SUL
Pelo paquete Thames tivemos as 3eguintes eo-
ticias:
Pacifico
Datas at 26 de Maio :
Forara eleitos : >^itotajJa|eja)lSjej
Per, Morales Bermu-
Alejaodro de Soltri.
Em Valpariso ci
s 12 horas e 10 mioi.
espago de 4o segan de
com ruido surdo e pin.
A populaco BMO
felizmente, bouvesse
O co eslava seren. -
A Estrella de Panam publicou na inti
o projecto de arbitragem internacional re
em Washington.
Consta de 19 arligos.um dos quass. o 6", es-
.-.-*


t'ltllr' fftlP *
. Nao p'pdem ser recovadas, em virtude Teste
tratado, questOes sobre as qaaes as potencias ja
tiverem chegado a accordo d< finitrvo. Em tal caso
o arbitramento limitar-se-ha exclusivautenle a
quesees que forera suscitadas sobre a validade,
inteligencia ecumprimeato dos artigos do tra-
S E*stava flxada para o dia 1 do corrente a
abertura do congresso chileno.
No Rio de Janeiro foi publicado este teie-
grarama :
Valparaso, i de Junho.
O minisieno aciba de ser mudificaio da se-
guite maneira : E. S. Sanfuentes subsiitue Iba-
nez no ministerio do interior; Espinosa assufflO.,
a pasla da jusliga e instrucgo. Sanfuentes w
clarou que retira a sua candidatura presid
cia. _
Rio da Prata
Dataq de Buenos-Ayres at 28
U%&! em datare 24 pul******
sobre o incidenfe do vapor Diamanlmo.
jf


ltHHaV^^^^H



Diario de Pernambuco-Coiningo 8 de Junho de 1S90
c 0 capito teaente Masaot coocluio as averi- tropas e a ppalago famiata. As tropas atacadas
guacoes ordenadas pelo mioistro da marrada so por ara cnutetro ae p:d-a virara se obrigadas
lm aa noticias que appareceram eio diarios dj a faser uso dai arrais





bre as _.
lio de Janeiro referentes ao vapor Diamantino.
H ratera apreseutou ella o sea re I torio e,
mbora-por emquanto este doeurasaato tacna ci
racter reservado, podemos-adaos qanoa-
iumpto nao tena a importancia qaeihc attribui
ramos collegas fljfninenaee.
No Siglo, de 14 lemos a-noticia de que 3e
rao apresentados i aaaerable*divanaos projecios
importantes, un dos quaest relativo ao corpo
consular da Repblica.
Serio declarados araoviveia os cargos coasu
lares para que o governo possa fazer as remo
goes que forem convenientes ao meihor servijo
Jo pan com a aecessaria inJepealeacia
Como consequencia d'esta raoJiticago serio
removidos varios consoles.
Circu va as rodas polticas que dentro de
dons mezes ser creado o aovo ministerio do Fo
ment, ocgupaudo a pasta o engenheiro Alberto
Gaparra. Para a pasta do govereo entrar o Dr.
Juan Romn Mendoza.
O ministro do governo pretende estele*
cer liliaes do Asylo de lramigraoo en varios-
departamentos da campanba, tendo dado ordem
ao coitrataior para que s traga 300 immlgran
les por me, visto nao possoir o governo trras
para dar-Ibes.
Comecar a ser posto era cxecucao o novo
plano de coloaisaco e viago.
Entre as economtas que o governo pretende
realisar, e das quaes j demos noticia por tele-
grarama, estn a suppresao de dons dos navios
da esquadrilha nacional e coniideravel reducgo
o pessoal dos corpos de linba.
Diz se tamben que vo ser reduzidas ao mi
nimo as eventuaes de cada ministerio.
rio dia IS reuni se era Buenos Ayres a
eoramiaso de fazenda da cmara Jos deputados
para estudar o projecto sobre o pagamento era
oro dos direitos da alfandega.
Foi preso e logo depais solt o tenente-
coronel Sarav, ex director e fundador do El
Porvenir Militar, por ter analysado e coramenta-
o a mensagem do presidente da Repblica.
Na sesso de 24, a cmara dos deputados
approvou o segointe projecto :
Art. { B' reintegrado :io exercito nacional,
eoa sua qaalidade de teneite-general, o Sr. D.
Bartbolomeu Mitre, ex-presideote da repblica.
A>-t. 2* Communique se, etc. Luc) V.
Maosilla. .
Aofundamenlar o projecto, Mansilla profera
m discurso comraeraorando os servicos do
benemrito argentino, que ha de occupar bri
lhante pagina da historia da repblica e reme
norando a gloriosa data da jornada do Tuyuty,
discurso este qus termiuoo entre os applausoe
de toda a cmara.
Em relago ao caso do vapor Diamantino,
diz o Siglo de 26 : estar provado que quando
se avistou aquelle vapor a canboneira Paran
era cumprimento de sai misso sanitaria na en-
trada do porto, fez Ihe signaea repetidos para
qate diminuisse a velocidade, aim de exhibir a
carta de sande. Nao tendo sido attendida a
intimaco, o rom-mandante envin- um escaler,
trpolado por quatro marinheiros e um official
para fazer respeitar a bandeira qne tremulava na
popa do seu navio.
A-sim tambem o ominandante do Dianan
tino segua desacatando as autoridades argenti
as, de sorte que vio se aquelle oficial na ne
cessidade de tomar enrgica attitude, que pro
dazio resultados immediatos.
I*orara publicados no Rio de Janeiro estes
lelegrammas :
Buenos Ayres. 30 de Maio
O ministro da fazeada declaran qne o governi
app'0 esta declaracao cansou m mpressao.
El Djsds xaaiPiC-i ^6 bOliera fallecern!, 18
pessoas de varila.
HontecuUo, 30 de Maio
A quareotena para os navioi procedentes da
Brazil a terminar era m de Jeoh).
MontttuUo, 31 de Maio
O emprestinio contratado com Bering Irmoa
fo. efectuado a 84 1/2 com a coBflseeo.
Desappareceu o paUrabote argeaUuo; JV* ha
utro, cora viot* pessoas.
Ro Grande, 31 de Maio
Ao traoscor a barra uanfragoa hoje ra pata-
cho ral.-i, proee tente dos Estados Unidos. Sal-
vo-se a inpolaco.
Buenos-Ayre, 1 de Junho
Realiaou se rqje na praga San-Martn, o me-
eting em honra ao general Mitre ; pronuncia
rara se diversos discursos. Numerosa i columna
vwe.percorreo.as mas Florida, Cuyo e San-
martn al o edificio da Naoum de roja sacada o
f. neral Mu* le um discurso de despedida.
Hontem, a pedido do senado, o poder execa-
Uvo restaura ao general Mitre a sue graduagao
de tenente general. Muitos officiaes foram cura
erimentat-o no espectculo de gala dado era sea
lewa na Oper;
As senboras tizerara tambem urna manifesto-
{a ao general no />yr do theatro, cual res
pondeu, pronunciando um eloquente discurso.

EUROPA
e lar lea
O congiesso dos mineiros reunido em Joli
ont decidi que sejam publicas as suas sessoes,
e marcou a duraco le 10 minutos para cada
discurso"
O govern belga, sob pretexto de que a
conferencia anti esciavagista de Bruxellas a
eoosequfnma ila conferencia colonial, de 1886.
naoifestou a inteocSo de renovar a conferencia
de Berlim. cora o Um de permiUir ao Estado
Livre de Congo crear direitos adtlaneiros para,
a iraportaco de mercadorias estrangeiras.
Os delegados dos Estad)-Unidos protestaram
vivamente contra o fundo e forma desta iunova
cas. porque a conferencia de Bruxellas se foi
convocada com o lim de se accordar nos meios
de por termo a ^sclaragismo, e por isso nio
Code s?r ouvida, ne n resolver cansa alguma so
re direitos aduaoeiros, era sobre as 'dvttcui-
dades flnanceiras do rei Leopoldo.
Os delegados dos outros estados, p?rrnadidos
em duvida de que nio vale a pena eemelbante cousa, n?m ao aeo-a se raanifeda-
ram.
En Inglaterra, o silencio das agentes do Fo
reign-Office foi mal interpretado, e frobjecto do3
nais vivo- oara 'nurios em B'.rmingham, em
Mancne^ter, era Liverpool, e ni City.
O nazco completo da ooferencia anti-esclava-
gista de Bruxellas cada.vez parece maia indubi
levei.
O Mmwo* Dtploma>vnu annuncia que os
trabalhos da conferencia aati esclavagista de
ruxellas se acham paralysados pela insisteucia
com que a Italia pede a representacSo absoluta
do re Menelick, de Chva, no seio da conferen-
cia de Broxellas.
Sega ido afnna a Indpendance Belge, esta no
ticia nao tem o menor Inndamento. A conferen-
cia n*>m mismo tomou ;oabe :n-rMo do pedido
da Italia.
Itakll
O prssidente do conselho de ministros, refe
rln coiomal, di-Me qoe o gjv-roj iuliano nao polia
era devia molificar por forma alguma a sua
poltica cora relaco s colonia*.
Fali u na possibilidade e na probabilidad* de
e or^anisar urna graoii corapanbia paricuiar,
fue e.nprebenda, por sua coma, trabalhos de
colonisaco.
Esti declaraco causn certa imp-esso no
paz e i n io-explicou bra a sua idea, uiz-se que ef-
rectivamenie s ^ pensa a serio na organisaco
de oraa corapanbia colonial italiana, e que ser
dirigida pelo capitao Casati, o companheiro de
Imin
Em tez de estabelecer-se nos arredores dos
territorios de Massuab tomando por sua coma o
littoral, qne se esteode desde a embocadura do
Japa al ao Cabo Guardafni, sobre cuja costa foi
proclamado ha lempos o protectorado da Italia.
Diz se qne a Allemaoba est muito de accorio
com este novo plano colonial italiano; mas pa
rece tambem que a Inglaterra nio o ver com
Mac olhos, porque estara lalvez, no m pr->-
f ramma de aonexafo, tomar, por canta propna
t exploragao dos territorios, para onde se quer
expandir a Helia.
g'-general Ganlold quam succeda o ge
eral Irero, ne colimando da expediplo de Mas-
navendo manos b fendos
le ura e ii'ro lad) O governo eipjn qu; o
conflicto- se ni>. renovir. Foram distribuidas
sjccofw pj#j lacio.
-O-Sr. .Hcoten foi Jas vetes chemaJo
orlem por l verno de coriTipcao.
O tribuaai 1* Veu:zi a abi di cooieraar
a djus meas da prisa) o ujarjuaz de Palhvici
ni, por ter insltalo sua rai^estade o rei da Ita-
li.. 0 marquez refu^iou se na Vustria.
Escrevem de Vienna que o discurso do Sr.
Chrispi cerca da poltica de Italia nos Bdkan
proJuzira all exeelleote impresso. Considera-
se isto ora) um ultimo aviso, mi ultima adver
tencia siria na Rtusta.
0 Etrablatt,_referindo-se aquelle discurso, e
attitude da Rssia, diz que .esta nao leva as
coasas ao ultima extremo, porque podena bera
succeder que se o czar atravessasse o Danubio
tivesse que assumir grandes responsabilidades.
Referem de Tunm qne, nao obstante tolos
os desmentidos, raais ou menos officiosos, cer
to que em Speuu se espera dentro em poucoj
dias a visita de urna esquadra franceza. AraV-
ma se qu? a che 4 id i da e~ ju iIm franceza coin-
cidir cora a visita do 3r. Caanst.
O prndente da repblica franceza entrar na
Italia pela liaba d- Mont-Ceois, acomoinhado
pelo Sr. Rillot e pelo gen-ral Menabrea, que ira
tarara da raalisaco desta viagem.
O rei Humberto esperar o Sr Caraot em Tu
nra. A esquadra italiana reunir tambera em
Spezzia para receb.T a vt8i'a do presidente da
repblica, que. acorap rallados pelo rei Humber-
to, se dirigir para all a bordo do Yacht real
MM
E n Tarira -ealisar-3e-ho grailjs te-tas em
honra do Sr. Carno'.. Con) natural, esusni
ticias causara u seosa(o no mondo poltico.
ama H
Dizem de Roma em dita de 17 de Maio :
Ha algamas semanas, o papa ordenou a sup
presso Ido collegio de S Jeronymo era Rona.
e deterraiaou ara inquerito 1 airamisiraco do
mesmo iostituto. Desse inqneritc resultarara
graves revelaces. Poi por icio que o papa or
denou a todos os cooegos de S Jjronyrao que
deixassera Roma. Elles sao em nu ero de 12.
Este facto causou profaida impresso.
Sero naneados cardeaes 00 prximo con-
sistorio de Junho o bispo de Cracovia, minse
nhor Dnnajewsky e raonsenhor M:i"inillol, car
dea) parteas da Snissa.
Dizem de Roma que o papa recebara urna
caria lo principa de Bisraarck, era que este Ihe
diz que lenciooi ir a Roma durante o vero.
O principe quera partir ainda este m 'z, mas
o seu medico nao Ih'o con-eatn.
Ne cmara dos deputados, o Sr. Gbrtspi.
respondendo a ama interpellacio, conflrmoo a
oticia do coflicto batido em Raveona entre aa
SUL DO BRAZIL
Pelo paquete inglez Thames, recebmos as se
gniotes noticias :
KM a do no Rio Srande do Hu
Datas at 24 de Maio :
O Diario 4o Rio Grana de 23 d a seguate
noticia :
N) 1 oar-I general da guarnioao elle ".ma-
se hontem a reunio militar convocada pelo Sr.
general Candido Costa, governador e com man-
dan te das armas deste estado.
E-tiverara presentes, alera de S. Ex:, os
8rs. cha Osorio e Silva Tavares, coronis Jorge DiCtz
Santiago f MaooeLFraocuea Sares, iraeutes-
CCfOnes Zeferino Campos. Brajarain Moateiru,
Ricardo F. da Silva, Menna Brrelo e Francisco
P. da Silva Bittencourt, e offiMaes dos (loas c r
-pos da guarnic) oes'a cidade.
O Sr. general Candido Costa, tomando a pa-
la vra, expoz quaes os fin< da sua raissio.
< Dase qne fazia nm grande sacrificio viodo
neste momento ao Rio Grande, mas qoe nao po
dia-deixar de fazel-o era bera da-causa publica
e da patria ; aue a sua misso era toda de pas
e-rrracdracSo-t qne procurara pautar os aeus
actos de administrador p la razo, pelo di-ero
BAJfBrica, e que, para o bom xito da sua cora
jraisslo esperava o concurso dos teas corapa-
nheir u de armas e do povo rio*grandease;
disee qne grave era a responsabiiid.de do exer
cito na actualidade, eorao elenento de ordem e
sustentculo das novas ms iluicOes, qual es-
perava saberia correspioder dignamente.
toforraaa nos qu- O discurso pronunciado
por S. Exc. Hiera muite boa iapresso no au
dtono.
Da Patria iVotw, de S. Gabriel :
Na noite de 5 do correte foi o Sr. Annibal
de Medeiros Braga, escrivao da pagadoria. pro-
corado em sua, casa pelo Sr. Lo 11 re neo Enoes
Bandeira, empregado da raesmi pagadoria, para
prevenil o n&o s qne o Sr pagador Emiliano
Antonio Garca acabava de eomrauaicar a elle
Bandeira qne encontrara um desfalque de raais
de cinco c ratos de ris no cofre da repartico,
e qne estava convencido de qu i fora Braga quera
metiera raaos criminosas nesse cofre, como tara
bera o mesmo pagador encarregara a elle Ban -
deira de dizer a Brag qne restituste ao menos
tres coirtos de ris, qoe cora isso elle picador
dar-se hia por satisfeiio, perdoaria e abafaria o
roobo, fleando incolnme a r-rantac&o de Brasa
Es -usado dizer qne o Sr. Bandeira nao s i
apresentavan qualidale d couraissio iaio do
Sr. pagador, porque desde logo repellia a fcrave
imputacao qne este nzera a seu colleja ; mas
ne:ta qualidaie entendeu qu-; a hoara 10 Sr.
Braga exigia que aquella ira utaco nao fosse
d'elle desconbeeida, e por isso foi preveail o do
que se pessava.
O Sr. Braga indignon se naturalmente dian-
te do que ou\ ira ; mas coateve-se esperando o
dia seguate, quando, hora castumada, entrou
para a pagadoria e eotrgon se as .-uas obriga
j;6e?.
Seriara 11 horas, estaado na repartifo raais
de oito pessoas, que all tioham do receber di
oheiros, oSr. Braga na presenca d'ellis nter
pelln ao Sr. pagador e exigi que este deca
rasse alli publicamente e era verdade que attri
buia a elle Braga a autora do desfalque que di-
zia ter encontrado em cofre, e se disso estava
convencido.
O Sr. pagador ao principio negou se pretex-
tando' qie em oc:asio opportun dira o qne
senta, mas vivamente instado pelo Sr. Braga
que dingi-se ao Sr. Bandeira para que repet 1
se o qoe o Sr. pagaiec Ihe diserra,, este euto
aflirraoo que realm-Mte encontrara o de3falquj
e que estava convencido de haver sido elle
Braga qnem ir-'.a o dioheiro em urna occasio
era que elle pagador entrando pa.a o interior
da casa e.squeccYa as chaves no dito cofre.
O r. Braga retirou se entao da pagadoria -
communicon immediatamentc o facto thesou
raria. apreseotaado logo em juizo queixa contra
o Sr. pagador.
Diarto do Rio Grande accrescenta o se
guinte :
Post?riorment, era data de 16 do correte,
foi rec.ebido era Porto Alegre ura lelegrararaa,
qu o Jornal d Commercio pubticou, e diz o se
guine :
Erailiano Aotoaio Grela entregou hoje (16)
a pagadoria militar a Francisco Antonio de 5.ra-
za, ultimameate nomeado.
> Foi tal) achala era compl:ta ordem ; es
crp'.uragio, saldos, etc.
Capital Federal
Dalas at 2 de Junho :
Le-se ao iornaldo Zmmercio de 31 de Malo :
Nao ha arada muito tempo, sob esta ep-
g'aphe, enviamos atravs do continente sul ame-
ricano, cordial sau 1 aco ao povo ch>leno quando
o Almirante Cochrane Iranspuoba a barra do Rio
d Janeiro desfraldano a bandeira da naco
amiga.
Hoje, como euto, uuem ee os nomes dasduas
nados como esto unidos os doas povos por an-
tiga e nao interrompida araizade, para saudar o
novo represen!inte do Chile jamo do governo
brasileiro, o Sr. D. Alejandro Heirro, a quera
honiem por occasio do sen desembarque, fo-
ram dadas significativas raanifeuacoes de syra-
pathlis e reoonhecimento'qae ao Chile consagra
o Brasil.
O eco destas maoifestaces em que liveram
parle repre-entantes do gaverno, do exercita e
da armada e de outras classes sociaes dir no
Chile que nao se apagou entre nos a recordaco
dos obsequios que all repetidamente receberem
nossos compatriotas e anda ba ponco o repre-
sea Unte diplomtico do Brasil.
OSr. D. Alejandro Hierro, a quera cordial-
mente comprimeotamos, verificar em breve,
pela conveniencia na sociedade brasileira, que
sincero e geral o senilmente inspirador das raa
!iif;s*se*!3 de baatcesse Cjpajfc mnmi no desea-
peaas de sua. nausea Sfiiiaasji'ocara. boje,
oamoserapre, coiccarcr Isenemis naca o pro.
gajease pi aco d : ickfts Ce naQlsa sj-ara "rica
ees.
As raanifestacoes realisarasa.aeessina :
A's 7 i/2 da ra iba, tiav-jado-stjpat do p 1 que
le Sorata ao Sul, aetMraa deatCMal de ra.n-
nha era uratlanceaaipamarciiaVaj ministro do
interior, [varrasibal encarre^ado de negjcios do
Clil >, Autonie ValdesanmadCidode I gago, Au
gusto Violler addilo da legaco chilena em Ro-
ma, Dr. PelroCirreia de Araujo ex-ministro do
Brasil no Cnile e represjntantes da iraprensa e
dirigirara-se para a fortaleza de Villegaignon a
esperar o paquete, mas bavendo demora volla
rara para trra.
No arsenal estava formada urna forca do b3ta
Ino naval sob o cominillo do 1 leueate 01;-
veira Sampaio e as bandas de msica do mesrao
batalho e do regiment policial.
Estavam tambera alli aadministraco do arse-
nal, lentes e alumaos da escola naval cora o aja-
dante 1 teaente Ferraz, coraraisses dos clubs
naval e militar, de diverses corpos e grande nu
mero de officiaes da rmala e exercito.
Ponco.antes do raeio dia entrou o Sorata. par-
tiodo entlo do arsenal urna lancha especial goar
necula por alumnos da escola naval, posta a dis
posicio da Sr. ministro do Chile, pelo Sr. mi-
oistro das relaces exteriores e nella foram os
ernpregados da legaco chilena, oi'raOros do
Chile e do collegio naval.
A lancha levava a reboque um escaler.
Outras lanchas dirigiram-se tambera para o
paquete.
A' bordo esliverara os Srs coronel Jacques Ou
rique e capito Clodoaldo Foaseca pelo Sr. chefe
do governo provisor o ; Pmhro Guimares pelo
Sr. ministro das relacOis exteriores; corarais-
sOes dos clubs militares, escola aasal e de offi
ciaes la armada de de Estrella, cnsul do Chile e Or. Pe 1ro C)r-
ra, ex ministro do Brasil, no Chile. *
Depsis de coraprimentado o Sr. ministro e de
haver dado diversos vivas duas nagoes amigas
o "a rara 1 O Sr. coronel Jacjues Ouriqne, era o-
ra do Sr. chefe do governo provisorio ; o capi-
to de fragata -Wexandrioo de Alencar pela ar-
mad 1. o coroiel Leite de Castr), pelo exercito e
um alumno da Escola Naval.
Ao meio la e qnioze miautos partirn do
Sorata para trra sete lanchas a vapor trazeado
todas as bindeiras chilena e brasileira. Vinha
na frente a do Sr. ministro da raarinha cora a fa
railia do Sr. minist-o do Chile e o Sr. Conde da
Estrella, officiaes da armada, exercito e palicia,
representantes da imprensa e a banda de rain
nheiros nacionees.
A entrada no canal em frente ao arsenal largou
se o cabo a que estava preso o escaler e n> qual
viraba o Sr. minidtro do Chile.
Este escaler eslava asstm trpolado :
Pat.-a): capito de fragata N 'p muera 1 B ip
tista; remadores vagos: 1* teaeates Mirqufs
da Rocha e F. Matt03 ; remadores: I" tenentes
da armada Torelly, Ral Fernaale-, Bs-g .- Ln
to, Victo." Paulioo e Andrade Camaci, capito
Minervino. teaeates do exercito Phileto Peres,
Vasconcellos, Francisco Queiroga e Hoagria.
N.' arsenal foi o Sr. ministro chileno recebido
no meio de vivas acclamacoes o "los Srs. minis-
tros do exterior e marinha, Baro de Corumb i,
officiaes do exercito e armada e grande coicur-
so de povo, forman lo alas aos alumaos da es
cola naval para a passagem do S'. rainistro.
As msicas loca-ara o byraao chileno.
Dpois dos corapriraentos o Sr. ministro *>
;raile tomou o carro que lo fra afreci o pelo
Sr. Coad da Estrella e ecompanhalo por outro3
ai qje ura ri-pr-sentantes de diversas classes
sociaes, dirigi se para o Hotel Freitas.
tbi agradecen o Sr. ministro do Chile as sig-
nificativas demonstrares de syrapathia que Ihe
foram prodiga!isadas.
O Sr. ministro das relaces exteriores poz tara
bera carro dispusiera do Sr. ministro do
Chile.
A Ciiade do Rio mandn tirar diversas vistas
photograpnicas do desembarque.
Ao Sr. ministso chileno foi dirigida a seguin
te mensagem:
Rio de Janeiro, 30 de Maio de 1893.
Os ministros do governo provisorio da Rep-
blica dos Estados Unidos do Brasil, reunidos
em con'erencia na secretaria da ag iculiura san
dam ao Exm. Sr. Dr. Alejandro Hierre, enviado
extraordinario e mioistro plenipotenciario da Re
publica do Chile, e fazera votos para que seja
corapanbia o alferes da 5 Antonio Cadena Ban- car-se versad de documentos escriptos no idio-
deira de Mellb. : raa bollandez que interessam historia patria.
Foram nomeados alfees das I." e5. compa | Faz honra esta iniciativa ao lastituto Per
nhias do corpo de polica, o sargento Arthur Ri nambucano qne por tal modo, pondo em contri
beiro Roma e o cidado Po lirio Poupi Giro. boicao a competencia de espirito muito versado
aldanha Biariah Sob esta epigrapne as fon.es da historia patria, ac:rescentaro pe-
puolicou a Gazeta da. Noticias, de 31 de Malo ul culio j valioso com que tem concorrido para a
timo, a segointe carta, dirigida ao gen ralissimo reconstruc-co da historia de Peroambuco.
chefe do governo provisorio pelo aotigo chefe do ) referido instituto conslitue associaco
no Bocayuva, EJnardo Wandenikk. Cosario
Alvim, Francisco G'Tcerio. Caraoos Salles, Rny
Barbosa.
O Club Naval arvorou a bandeira chilena e
noite illnminou.
Era frente ao hotel Freitas tocn noite a ban
da de msica (So regiment policial.
Razada da Eepirlto Sanio
Datas at 30 de Maio :
A' 23 appareieu e numero do Diario Oficial
do Estado.
Era seu artigo editorial declara qoe o seu
programma o pro grarama de todos os org 1
da iraprensa que se raedera pela probidade, bon
ra e dig'-idade da patria.
O Diario ten o formato do Estado do Espirito
Santo, est irapresso era bom typo e apresenta
una fecao artstica synpatnica
A disirtbnieao das materias est feita em boa
ordem.
O numero publcalo traz na integra os actos
do governo do Eitado, assignaias no dia 22, e
coutioa a pnblicaco do expediente a contar de
16 de Feveretro d'este anao.
Foram nomeados os Drs. Jos de Mello Car
valho Maniz Freir, Jos Feliciano Hirta de
Araujo, Jos Horacio Costa, Barciraio Paes Bar
retto e alvogado Manoel Augusto da Silva, para
era corainissio, elaborarera o projecto da consti-
tuico do Estado.
Arribara ao porto da Victoria, para lomar
carv&o e agua, o vapor iaglez WUlem Albert.
Besado da Baha
Datas at 4 de Jnnho:
Lemos ao Diario de Noticias de 2 :
< Consta que os raais importunes membros
dos antigos partidos pulicos d'este Estado re-
solvern), de coramura accordo, organisar urna
chapa para os futuros can lidatos Constituate.
Segundo oavimos, sero coatemslados n'es-
sas listas velhos polticos do part lo liberal e
conservadores, diversos republicanos puros e al
guns militares.
Consta nos ter fi-ado deliberado entre as
influencias polticas d'este Estado que a chapa
para senadores componba se dos nomes dos Srs.
conselbeii08 Dantas, Saraiva e Visconde de
auahy.
Ouvimss que o Sr. coaselheiro Cirneiro da
R cha pleitear, por sua coata, a eleico sealo
rial.
L se aa mesmo folha de 1:
Fundeoo hontem o 6 horas da tarde em
frente ao Arsenal de Mariuha a caononeira Bra
eonnol que esteve durante oito dias em trabalhos
hydrographicos, cecoohecendo s diversos boa-
tos e bancos desde a pona do Monte Conselho
no Rio Vermelho at ao Arsenal de Marinha.
En virtude lo grande tufo que cabio du-
rante a noite de ante hontem, durante o qual
perderse uraa ancora, partindo o cepo de outra,
resolveiTo coraraan laale recolher-se ao fundea-
douro do arsenal onde amarrou boia da araar-
raco do patacho Caruvellas esperan lo refazer as
avanas para proseguir na comraisso.
Renden a Alfandega em Maio 674:501*522
Kii'ido de .lasoaa
Datas at 6 de Junho :
Chegara 2, de regresso da cidade de Ala-
goas o governador do Estado.
partido republicano brasileiro :
Cidado IComo velho sectario dos princi-
dios democrticos, nao devo abster-me de cha
mar a attenco do primeiro magistrado da rep-
blica para o qne occorre no Rio-Grande do Sul.
De tolos os Estados qne constituera a fede
raco brasileira sera duvida, o Rio Grande do
Sul ura d'aquelles oale se flzeram maiores sa-
crificios e cora maior abnegaco era favor da de-
mocracia brasileira.
< Os benemritos rio graadenses que lucia
ram contra a monarchia, resistindo bumitba-
co e corrupeo mais vergonzosa, nao pedem,
por certo, ser indifferentes a nenhum acto que
nao se harmonise cora o novo rgimen.
Contra a ignobil pretencao de qne o poder
o poder, neohnma provincia do antigo impe
rio se revoltou tanto como o Rio Grande, como
tambem nenhumaoatra conheceu mais os effei
tos de semelhante principio absoluto, que at lc~
grou constituir alli o contrabando official I
Vendo os republicanos a sorle do Rio Gran
de confiada aos mesraos horneas, que durante a
realeza tudo decida n por sua omaimoda voata
decomo era po'sivel esperar que aquelles que
as horas amargas da alversidade fender os direitos do povo, emmudecessem ante
a victoria da arbitranelade, promovida pelos que
foram alli a encarnaco do poder mais abso-
luto ? !
A ninguem cabe exigir taes sacrificios ; nem
elles aproveitariam ao governo provisorio on
causa da repblica.
A gloriosa misso do governo provisorio
prepaiar a sociedade brasileira para bera cora
prenender todos os preceitos que encerra a dou
trina democrtica.
Para iranler a ordem no Rio Grande do Sul,
nao necessita o governo lancar mode elementos
reconhecidaraeote realistas.
Os republicanos do Rio-Grande nio se aub
levara contra o governo constituido e por elles
aceito cora sincero enthusiasrao. O que fazera os
reoubjicanos rio grand rases, condemoar que
se vicie a joveo repblica brasileira, decretando
se leis sobre economa social, que n&o nodera re
ger um povo amante das suas prerogativas, por
que essas leis sao nm attentado liberdade de
industria e urna flagrante infraeco autonoma
dos Estados.
Pode ura capricho, quera quer que seja o
seu autor, exercer mus influeacia no animo do
chefe da naco, do que as razoes invocadas pelo
partido republicano de Rio Grande ?
Ssta questo que se debate, na sua expres-
sio mais simples o mais exacta.
< Ao lado dos republicanos est alli e aqu a
opioia imparcial. Alli. viram-se horaens que
nuac figuraran] na poltica militante, acompa
uhar o Dr. Assis Brasil e seas correligionarios ;
aqui, o manifest desses mesraos republicanos,
pelas gravissiraas revelacoss que contera e pelo
estylo p>. udenle e sensato que nelle se emprega,
revela que legtimos defensores da liberdade ti-
nta provocados, e colloca por isso a opioio im-
parctal tambera a seu favor.
< Erafim, nem a pacifica manifestado do pa-
samento era d;fesa de bementeadilos HUeresses
sociaes se coasente a.'li a cidadoa que, durante
lima cruzada de ooze annos, deaempeobarara a
patritica misso de propagar as mais as dou-
trinas, as mesmas doutrinis que justifiearam o
raovirnento de 15 de Noveinbro 1
E para que esse attentado lber lade de
peasamento fosse cercado de circumstancias ag
gravantes, a autoridade que mandn irapor si-
lencio pela forca, nao contava um a sacrificio
feilo era prol da repblica : militou sempre no
campo realista I
Tudo, pol8, me diz, pela voz da esoeraoca,
qne n primeiro magistrado da naco, consultan
do a sua conscieacia, resolver a crise rio gran
dense como justo e devldo. O singue derra-
mado por cidadaos, que nao esqoeceram sacri- .
(Icios para ver a patria engrandecida com todas I
antiga e, desde a sua fuadac&o, devida a esfor
eos do venerando e erudito padre Monis Tava
res, de saudosa memoria, do Dr. Joaquim Pires
Mchalo Portella e do finado e laborioso pro
fessor Salvador Heorique de Albuqnerque, tera
dadoexemplo de applicaeao perseverante ao ob
jecto das suas pe>qnizas, rectificando erros,
preenchendo lacuaas, fizando dalas, recolhendo
reliquias, fazendo erafim emergir o passado do
meio da escurid&o a que o tinha coodemaa lo
injustiticavel iadiffereoca. Nunca ser inoppor
tuno por em relevo a dedicaco desinteressada
e silenciosa que, ao travez de longos annos, nao
perde de vista o seu til tito .
Blapo do Maranho-S. Exc. Revma.
o Sr. bispo do Maranho visitou hrratem o bos
pital de Santa gueda, percorrendo todo o
estabeleciment e diri indo palavras de conforto
e animaco todos os doentes alli existentes, e
de cojos leitos se abeirou como verdadero mi-
oistro da religi&o catholica.
A visita duroa duas horas.
lrmnntla i da SS. Sacramento da
K<-cife Amanha pelas 11|2 horas da tarde
rene se essa irmandade, para praceder a elei-
co dos fu necio .arios qne fleverm constituir a
respectiva mesa regedora no anno compromtS3al
de 1890-!.
Ordem 3' de s. Franciaco Tendo
vagado o lagar de cobrador dessa coafraria, por
ter se delle exonerado o irrao, que o exercia,
est aberta a concurrencia para o respectivo
preenchimento devendo o pretendente apresen
lar aa secretaria da mesma contraria o seu
requeriraento amanha at 1 hora da larde, e
devidamente habilitado com a competente flanja.
Entrada de forro de Btfeeirao a
Bonito Na .quinta feira prxima pelo meio
dia renne-se era sua sede a asserablea geral
dessa corapanbia para tomar conhecimento e
deliberar sobre uraa representaco de diversos
accionistas.
Ordem de Crintovao Colombo-
E sa nova, ordem honorfica ltimamente creada,
compOese de.12 gran-cruzes effeclivos e de 24
hoaorarios. alem de dignatarios, olliciaes e ca-
valleiros.
Servico militarS' hoje superior do dia
o cidado capito MgaHies, e faz a ronda de
visita o cunada o al/ese* Armando.
O 14 bata! nao dar a gnarnico da cidade.
Amanha 6 superior do dia o cidado cap
to Leoncio, e far a ronda de visita o cidado
alferes ujndante do 14
O 2' batalho dar a guaraijao da cidade.
Sobre a reuna do commercioO
Diario de Noticias, da capital federal, em seu nu-
mero de 30 de Maio, publicou estes lelegram-
mas :
Recfe, 26.
Mioistro fazenda.Vosso telegramma satis
fez-me.
Vou dar conhecimento delle directora da
Assocago Commercial, e publicare! a parte ex-
plicativa da medida.
Aturra)-vos que a quasi lotalidade do corpo
commercial vos sympalhica. jlartins Jnior-
Recife, 27.
Ao ministro da fazenda.Ratifico o raes le-
legrararaa ultimo sobre negocios vinte por cento
em ouro.
Vosso telegramma explicativo tem calado no
espirito do commercio. especialmente depois da
puolieaco da vossa exposico de motivos ao
chefe do governo.
t Vou communicar vossos lelegrammas refi-
rentes s pracas do Rio e Santos.
. Pens hx a Associaco Commercial assen
tira, pois seus intuitos nao foram, nem sao de
opposicio a vos. -JfariiM Jnior.
Recife. 27.
Mioistro fazenda.Podis asseverar que >to
infuodados os lelegrammas da Gaieta de Noli
das.
At esta hora nenbuma voz bouve 00 cora
reclama que se ihe conceda todo o respeito.
Saiee frakraidide. Joaqufm Saldanha
arinho. Capital Federal. 21 de Maio de 1890 .
Repblica do Pera* O Jornal 4* Com
mero, da Rio de Janeiro, a proposito da elei
grata a sua per naneada nesta caricai.-Quioli rao de presidente e vice-presidente da repblica
as liberdades que felicitara as sociedades cultas,' mercio, lembrando protesto contra o vosso acto.
triuD otBciaeaPor actos de 2 do cor
rente do governador do Estado foi exonerado o
cidado Joao Pires Ferreira do posto de capito
da 7.a companhia do corno de polica.
Foram promovidos 00 corpo de polica : A
capito da 7 'companhia, o tenente da mesma,
lferes honorario do exercito Lanrenlino Flix
de Oiiveira Limi. A teaente, o alferes da mes-
ma companhia, Frederico Augusto Paes Bar
reto.
Foi nomeado alferes da 7.' companhia do cor-
po de polica, o cidado Patricio Jos Tavares de
Vasconcellos.
Foi exonerado do posto de teaente da 4.* com-
panfcix do carpo de polica, o alferes honorario
Octaviano Alfredo Gomes Padilha.
Foi nromovido ao posto de teaente da 4.*
d Pera, escrev o segrate no seu numero 30
da Maio :
O cabo submarino traasraittio nos a noli
ca da eleis&d dos Srs. Berraules, Solar e Bor-
gofio como presidente e vice-presidentes da re
publica do Per.
< Completando a noticia devemos dizer que a
eleico a que se refere o cabo simalesmente o
resultado da raaioria de votos as urnas eleito
raes a favor dos referidos personagens, sendo
esse um acto cuja valiaade depende do con
gresso que deve rever n&o sraeote a eleico de
Lima, a qu? naturalmente se refere o corres
pondente, senio tambera a de lodos os departa-
mentos.
O coogresso peruano ae reunir a 28 de Ju
Ibo prximo e tolas aa probabilidades sao effe-
ctivameate segando "commanicagoes de amigos
do governo ac nal, a favor dos Srs. Bermudes,
Solar e Borgoao.
< O candidato presidencia, coronel Remigio
Morales Bermudes, hornera de cerca de 50 an
nos, e desde muito joveo alistou se no exercito,
ao qnal adquiri successivaraeote todos os pos-
tos, distinguindo se sempre pelo seu amor or
dem e constituico qoe a todo transe defen-
deu *, pela sua severilade na disciplina gran-
geou a estima dos seus soldados e pelo sen va
tornos dlfiereatea combales em que tomou parte
alquirio grande presagio no exercito.
Na guerra ultima com o Chile segnio a cao
sa do general Caceres, actual presidente da re
publica, lutando at o ultimo momento, sera
aceitar a paz era condiges que na sua opiniio,
estabeleceriara na America um precedente fu
nesto de coaquista.
So nos fina de 1886, em consequencia do
accordo com o goveroo do general Iglesias, de-
poz as armas para esperar as eleices populares
que favorecern 00 general Caceres e premia-
ra u os seus servicos, com o cargo de 1 vice
presidente qne anda deserapeoba.
O coronel Morales Bermurdes tem sido pre-
feito da muitos departamentos, e as suas med
das e providencias revelavam talento e tino de
admfnistraco interna.
O Sr. Dr. Pedro Adel Solar advogado e
principiou a sua vida publica nos coneressoa,
na impren a e era urna das cadeiraa da univer
tidade.
* Era prefeito de Tacna quando se ferio a ba-
talba de Campo da Allianza, na qual tora ra par
te frente da guarda nacional dos voluntarios
deaae departamento, tomaudo-se notivel pelo
seusangue fro no fogo mortfero da luta, cono
antes se havia distinguido por suas idaa em
poltica.
0D\ Solar tornou se desde ento ura dos
chefes da resistencia contra o vencedor e foium
dos priacipaes autores- das operages que abri
ram as portas de Lunar ao exercito do general
Caceres.
* Foi nessa occasio presidente da cmara
dos deputados, cuja cadeira deixon pouco de-
pois para occupar a presidencia d_ conselho de
ministros e a pasta de governo aue varias retes
tera estado a sen cargo no actual periodo adral
nistrativo.
t No rnez de Fevereiro o Dr. Solar renunciou
a esse alto cargo para nao impossibilitar a su
eleigao de l.' vice-presidente, deixando pelo
mesmo tempo o Sr. Scane a pasta da justiga
para aceitar a misso diplomtica junto do go-
verno do Brazil.
O coronel Justiniano Borgono um rico fa-
zendeiro, que conquistan os seos postos milita-
res pa ultima campanba contra o Chile, ao la-
do tambem do general Caceres e durante a ad-
ministrago tem desempenbado em diversas oc
casies o cargo le ministro da guerra, organi-
sando-se com brilho a guarda nacional da rep-
blica. .
O coronel Borgono horaem de lucida n
telligencia e grande patriotismo.
Hlelorla PatriaLe se sob esse titulo no
Jornal do Commerao, do Rio de Janeiro, de 30
de Maio:
* Atteadendo no pedido do Instituto Archeolo-
gico e Geogranbico Pernimbocane delaberou o
.ministerio da loatruccio publica dispensar o Dr.
Jos Hygl no Duarte Pereira, durante o corrate
nono, a exercicio do cargo de lente da Facul-
dade de Direito do Recife para qne possa dedi
Quinto ao partido republicano, nao ba, em
todo elle, urna duzu de pessoas capases de uia-
uifestar-se contra a vossa poltica, que a nica
posiivel em Peroambuco.
Olas Eleltoral Bepublleaao Esse
.lub, da parochiade ^anto Antonio, celebra hoje
s 7 horas da noite, urna ses.-o solemne para
empossar a sua directora.
A ses-o tem tugar no i* andar do predfo*n*
2 do pateo do Carmo.
Para ella sao convidados, alera dos socios do
Club, todos os bons republicanos que quizerem
assistil a.
Club Martina JniorAnte hontem ef
fectaou-se a l* sesso preparatoria dease clnl>,'
cora assistencia de grande numero de socios.
Depois de apresentado o respectivo program-
ma, foi aomeada urna co nmissao para fo mular
os estatutqs e eleita urna directora provisoria.
No dia 13 haver nova sesso.
Club Paroeblal de s. daaa -Rene-se
hoje, ao meio dia, esse club, no predio o. 62 da
ra Vidal de Negreiros.
Faculdade de Direito-Foi o seguinte
o resultado dos exames feitos no dia 6 do cor
rente, no curso annexo da Faculdade :
Artthmetica
Plenamente, 2.
Simpleamenie, 2.
Reprovados,
Total
Plenamente
Simpleamenie
Reprovados
nhecida e lindissima valsa, para piano, Mtnha
Ramha, de Costa Jnior.
Vio all procural a os amadores de boa mu-
sica.
omieldio No lugar Jaqueira, do terme
de Quipap, Joaquim Bezerra Maranho e Joa-
quim Cezano de Goes, travaram luda, no dia 1*
do correte, sendo o primeiro ferido com tres
facadas, do qne veio fallecer horas depois.
O seu offensor evadio-se.
rata manlfeatacaoOs ernpregados c
operarios da 4* dlvisfio da estrada de ferro de
Caruar, em prova de affeigo votada ao sea
ebefe de trafego Dr. Pedro de Figueirdo Rocha^
mandaram tirar a oleo o seu retrato para offere-
cer-ln'o.
Esse retrato acha se em expoaco na galera
Ducasble.
Igualmente oa mesraos ernpregados e opera-
rios mimoseam com nm cartio de ouro ac
Sr. Dr. Antonio Jos saraiva Jnior qne interi:
mente substituir ao Dr. Figueirdo Rocha, e
por seu cavalheirismo soobe fazer-se estimar dos
seas subordinados.
Se essa dupla manifestago deve ser grata aos
cavalheiros que dela san alvo, tambem revela
sentimeutos de quera a faz.
Yacctna pnbJBcaForam hontem vaccinaj
das na Inspectora da Hygiene 41 pessoas pelo-
Drs. inspector e Lopes Pessoa.
CangreaaoIaetruetivo Pernumbu-
eanoFooccionon hontem essa sociedade lu-
terana, resolvendo celebrar no dia 15 do cor-
rente, n'um dos saldes do palacete do Lyco de
Artes e Officics, urna sesso magna commemo-
rativa de seu I* anniversario.
Foi nomeada a seguinte commisso para tra-
tar dessa festa : Opiato Caraju', Estevao de Le-
fia, Laiz Garaes e B-rtino Goacalves.
Foram recoohecidos socios effectivos os Srs. :
Jos Jorge Lobo le Carvalho e Elias dos Santos
Jnior e proposto o Sr. Antonio de Lelis e Souza
Pontes Jnior.
Tribunal-do Jury do IteclfeFunc-
ciooou hontem este tribunal com a presenga de
36 juizes de facto, sendo aberta a sesso a; 11
horaa da maab, sob a pre8ideocia do Dr. Si-
gis nun lo Antonio Gougalves, jniz de direito do
3." districto.
Foi submettido a julgamento o reo Vicente de
Paula Justo, pronunciado como autor dos feri-
meotos qne em 9 de margo.de 1884, no lugar
Belra, 2. districto policial da freguezia da Gra-
ga, soffreu Aprigio da Silva Ramos.
Occupou a tribuna da aecusaco o Dr. Manoel
Antonio Pereira Sorba, 1. promotor pub'ico da
comarca, e a da defeza o Dr. Jeronymo Materno
Pereira de Carvalho, advogado dos presos po-
bres.
O jury reconheceu em favor do reo a justifi-
cativa da defeza prevista ao art. 14 2. do .c-
digo criminal, pelo que foi elle absol ido e con-
li rana la a muuicipalidade as cusas do pro-
cesso.
Fo" julgado em segundo lugar o reo Eleuleric
Francisco de Paula, pronunciado no art. 257 do
cdigo criminal, por haver em 19 deJuahodc
anno passado tirado para ai, contra a ventade
de seu dono, do estabelecimento commercial n.
23, sito ra da Imperatriz, um queijo perten-
ceote a Fraacisco Cardoso da ilva.
Produzio a defeza do rea o acadmico Joc
Baptista de Medeiros.
De accordo com as deeisoes do jury foi o reo
condemnado a 2 annos e i mez de priso com
trabalno e multa de 12 e meio por cento do va-
lor furtalo, grao medio do art. 257 da cdigo
criminal.
O jury de sentenga compoz-so dos segrales
ju:zea de facto, que funecionaram em ambos os
julgameolos :
Dr. Joaquim Antonio de Castro Loureiro.
Landeiiuo de Luna Freir.
Jos Joaquim Borges Ucba.
Libado Candido Ribeiro.
Antonio Soriaoo do Reg Barros.#
Domingos Joaquim da Fonseca.
Joo Moreira de Mendonga
Pedro Jos Pinto.
Eduardo Duarte Rodrigues.
Dr. Thom Atves Aidxa.
Uermelioo Elyso da Silva Caneca.
Dr. Mamel Ntto Carneiro Campello.
Fui levan ada a -e=so s 3 horas da tarde, e
adiada para amanha s 10 horas.
-'hri'raurin daa obraa de conorrva-
eao doa portn de PeroambucoRed-
fe, 6 de Junho de (890.
Boletn meteorolgico
doan i' ( "llt'"5r"*s& 1 3 1
*" cd
6 m. 23,-1 762-11 (8,61 89
9 26,5 762-92 18,57 71
11 3', i 7*4? 19,40 I
3 t. 28",0 760'92 19,56
6 26-,6 "61-28 (9,53
17
~
Phlosophta
3
3
9
(5
Total
IilmoelroDessa cidade escrevem-nos em
data de 6 do correte:
Deixou hontem o exercicio do cargo de jniz
substituto desta comarca, o Sr. Dr. Eduardo
Correia da Silva, que hoje, pela marina, com sua
Ilustre familia, tomou o trem para o Recife e
seguir para a comarca de Paulo Alfonso, onde
val exercer o cargo de juis de direito.
Nesta comarca deixa S. S. gratas reoordaees
a sinceros amigos e tragos lurainoacs do sen
proceder como promotor publico, juiz municipal
e substituto.
A prova raais eloquente da sinceridade de
seu trato e da imparcialidade com que ae tiouve
como autoridade, no decurso de quatro annos e
cinco mezes, Ihe foi dada hontem ao divulgar se
a sua retirada desta comarca.
t Ura creacido numero de cavalheiroa de todaa
as classes e sera distinegio, acompanhados do
tenente coronel Antonio Candido de Oliveira,
prestigise ebefe. republicano, precedidos de
urna msica marcial, foram residencia do jo
vea magistrado, a quem, fallando o referido te
nente coronel, dirigi suas felir.itagoss pela pro
va de apreco e contianga que Ihe foi dispeasada
pelo governo federal e fez suas despedidas;
comprimenlo a que commovido agr leceu o Sr.
Dr. Eduardo, que teve opportunidade de conhe
cer quanto apreciado quem, como elle, sabe
p-artar-.se com imparcialidade e sempre superior
s paixe* polticas. -
Consignando essa honrosa manifestago
rendemos justa baraenagem ao mrito de que n
j nao exerce funego alguma entre nos e felici-
tamos os habitantes da comarca de Paulo Affbn
so do Estado de Alagoa3, pela posse do integro
magistrado, que Ihe destinou o goveroo federal,
fazendo votos p -ra que S. S., no exercicio do
seu novo cargo, conquiste muitos louros e avan
ce para o futuro e.-perangoso, que tem diante de
si na vida publica.
Club Republicano da Boa Viata.
Sexta fei, 6 de Junho leve lugar a sesso de
asserablea geral deste club.
O presidente expoz o motivo da reunio que
era disentir urna mogao apresentada por um dos
socios, para ser dirigida em nome do etnb .0
Dr. Ambrosio Machado, afira-deste illustre cida-
do, retirar sen pedido de demisso, del go
veroador do Estado.
Lida a raocio, foi approvada unnimemente e
ficou resolvido que na prxima sesso ordinaria,
terga-feira 10 do corrente, seja assigaada pelos
socios que comparecerem e em segnida se no
meie urna comraisso qne a entregue ao Dr;
Ambrosio, o que nao ae ponte fazer qa sesso
de assembla geral, pela hora adiantad* eavque
se disoutio esta medida.
Bamba Balaba 'fUa Reine)--'*: feces- ae
msicas do Sr. A. J. de Azevedb, rea daBsro
da Victoria n. 13, acaba de Imprimir a bem co-
Temperatura mxima28,975.
Dita miniam%* 75.
Evaporago em 24 horas : sombra3-,t.
Chuva-5",3.
Direcgo do vento : SE de meia noite at 3
horas; S at 7 horas e 10 minutos; SSW at 8
horas e 10 minutos da manh; SE at meia noite.
Velocidade media do vento1,-99 por se-
gando.
Nebalesidade media0,"49.
Boletim do porto
6 de Junho
de Junho
Horas
0-48 da tarde
7-21
i 25 da mtnha
Altara
O',45
2-,3l
O-,6
Iieilaea-Effectuar-ae-ho os seguintes:
Terga-feira :
Pelo agente Pinto, s 11 horas, i ra de
Bom Jess n. 35, de dividas e ura sobrado em
Olinda.
Pelo agente Brito. s 11 hora3, ra da Impe-
Iriz n. 13, le louga e ;;oveis.
Pelo agente Pestaa, s ll .horas, na travesea
do Corpo Santo n. 27, de um terreno com duas
casas.
Miaaa* fnebre- Serao celebradas :
Amanb:
A's 7 horas, na matriz da Boa-Vista, pela alma
de Miguel Marcelino Costa ; s 7 horas, na ma-
triz da Boa-Vista, pela alma de Felismina Mara
da Conceigo Viarraa.
Terga-feira:
A's 8 hora?, na matriz da Boa-Vista, pela al-
ma >*e Alridea Jos de Almeida Pernambuco.
aaaai>selraaChegados do sul no vaper
nacional Para:
Mathias B. dos Santos. Joaquim A. R. Pao Fer-
ro, Antonio Carlos de Siqueira, Primo A. P. de
Castro, Rapnael de Freitas, Maria Amelia de Quei-
roz, Gasto Dapr&l, Antonio I. do Reg Medei-
ros, Dr. Beluiim M. de Loyola, Padre Joaquiat
Arcoverde, Joaquim do Reg Barros, ucinde
dos Santos, Antonio A. de A. Mello (ex-cadete),
soldados Seba-tio G. da Silva Lins e Joo I.
O drico Pestaaa e urna mulber. 7 immigrantes,
20 marinheiros naciotiaes, Juviniauo da Silva,
Maria M. da Paz, Thom dos Santos: Hermene-
gildo Virgilio de Qaeiroz, Alvaro Macedo de
Aguiar, Euge.ne Lassuylei, Hen>"i Pacalan, JuC
Rora, Francisco Bandeira V. Tosta, Ceciliai
de Souza Dantas,-Joo S. Cunta, alfares Arlhc
G. de Carvalho, ca lete Nones C. de Moraes, Jos4
Francisco Leite, 4 pragas de linba, Conrado A.
de Moura, Felippe Antonio, Anna F. da Concei-
So, Antonio Jos Pereira da Assumpgo, Jos
Daquim a. Saldanha, sua mulher e 1 filho. Au-
relio Lopes Rodrigues, Horteneia Maria da Co-
ceigao e 2 nios, Firraino Gaimares, Adeliac
Lins (ex cadete), Mara A. de Menoonga, B. Cor-
reta, P. Joaquim Pedro Cavalcante, padre.Ma-
noel H Gongalve3 da Silva, fre Lsurengo Lassc
Fenato, fre Joo E+ do Donte Marciano, 8 pre-
sos, 14 pracas do exc redo e 2 ditas de polica.
;3 Chegados do sal no vapor ingles Thamar:
Dr. Manoel Florenlino d'Albuquerque Monte-
negro, Antonio de Oinda Cavalcante, ManoH
Virgilio dos Santos, Charlea- Horner-, Rodrigc
Ignacio de Souza Ramos, Joo Baptista da
Silva.
Sabidos ,nara a Europa no mesmo vapor:
John fLSftitrt Walker, Jebn A". Tnom, Ma-
noel Joan Amorim Jnior, Frederico weller,
,.v
1
1
r-.^H
i


I
t
*0 Carlr>3 Gotierre, G. S Richirdson. C Han-
*ing, Jos de Mediis. Joba El. Boxwell, Pelter
oiffio e Mr. Dance.
latendracia Municipal do Berlfe -
Rendimeolo do da la 4 : 3:307il67
Dia 6.
Merca lo de S. Jos 4654080
Mata tuuro 4164580
Cemiterio 9 >*00
Diversos impostos 7614530
Lotera

Mkraahi*
Diario, de r>ernambi!co--Domingo 8 de Junho de 1890
- A KC terie
Offerece o.batimento de 22 [ ero prol
5:0454357
Operar* ciruraicaa Foram pratica
das no tio-pitai Pedro II as seguintes :
Pelo Dr. Berardo:
Extracco de catarata pelo procesao de We-
cker.
Pelo Dr. Ponlual:
Posthoomia e dilatajao do mia'o indicada per
phJmosis e cancros venreos.
Ure.hroioaiia interna indicada por estreita
ment da ureihra.
Pelo Dr. Malaquias:
Ureibrotoinia interna indicada por estrella
ment da uretbra.
Amputacio la mama indicada por sarcoma.
Hydrcele, pungi e injeccao iodada.
Casa de eiieo -Movimeulo dos pre-
sos da Casa de Detenco do Recite, Estado de
Pernambuco, em 6 de Junho de 1890.
Existiur 507 entraram 14, sabiram ti, e.uslero
499.
A saber:
Nacionaes 463 emitieres 13, cstrange:ro. 13.
-Total 499.
ArracoadO:- 404
Bons 366.
Doenles 87
Loncos 7
Loucas 4.
Total 404.
Movimento ua enfermarla
Tiveram baixa:
Jos Francisco de Souza.
Pedro Alexaodre da Silva.
Auto-no Manoel Francisco de Pauli.
Ivo Celestino de Carvalho Noya.
Tiveram alta :
Beilino Ferreira de Araojo.
Mana Antonia da GoneeicSo.
HopiCal d varleloo-0 movimeoto
4o hospital de Santa gueda (para v riolosos)
o dia 6 do corrente, foi o "seguiste :
Homens Mulhere Total
Exi-tiaui 114 68 182
Entraram 6 4 10
Sabiram curados 2 2 4
FalU-cerain 1 1
xist-in 118 69 187
Hoapital Pedro 41 -U noviaieio destt
wtabeleciniento decaridade, no ia 6 Se Junho
foi o eguinte:
da 1* lotera deste Estado, cuio premio rande j miw. -!,. ;m--t-n;."" ?
de 300:000/000, aera extrada no dia 18 de da "P"* importancia tot. de
Junho (quarta feiral. ; Ma contracto nos termos do orcamento e
Ceaaiicrlo publico Obituario do dia '6 do perfil, presentados pela empresa, con
de Junho : foc;ionados e assignados pelo engenhairo
Tboroaz Nicas do Espirito Santo, Pernambu1 rwrn tfasr-imfintn
o. 39 annos, solteiro, S. Jos ; tubrculos pul o nascimenf-
monare*. Basta a simples leitura das claasuiaa
S basta* Marques dos Santos, Pernambuco, cima para ver se que a de Daarte Ma-
jfQ
16
5
447
as respectivas enferma-..-
9278
9280
3329
T.duS
454000
304000
304000
em 79 esto
em 30 esto
Entra ram
Sabiram
Falleceram
Existem
Foram visitadas
pelo.- Drs.:
Moscoses 8 1/4.
GjneuD is 10.
Ferreira Velloso s 9 3/4. *
Berardo s 9 1/4.
Maiaquiat- s 8 3/4.
Potua! as9 1,4.
Estevo Cavalcante 8.
Siines Barbosa s 11.
Nocouipareceram os Drs.:
Raymundo Baodeira.
Barros So rioho.
O cirurgiao dentista Noma Pompilio s 7 1,2
koras.
O pbarraaceutico entrou s8 1/4 da maiha e
sabio s 2 da tarde.
O ajudaiitt! do pharmaceutico entrou s 7 1/4
sai-i o 8 5 horas da tarde.
Liitor a ilu Elndo d Pt-riiambuiii
Eis o resultado da extracco da 5 sene da 1
loterh deste Estado, em beneficio d;i Sania Ca6a
e Misericordia do Recife, em 7 de Junho de
189J.
8279 13 0004000 9637 1204000
3330 1:5004000 10297 120/000
548 6004000
Esta > premiados coin 904000 os seguintes nu
seros :
4112 6009 8688 11691
Esto premiados com 604000 os seguintes nu
Meros:
94o 1095 2559
3248 3757 3937
4921 5241 6390
8315 9563
Estilo premiados com 244000 os guin les nu
meros :
9271 9272 927J
9274 9275 9276
9277 9278 9280
Esto pr;-miados com 184000os seguintes n-
meros :
3321 3322 3323
3321 3325 3326
3327 33:8 3329
Estao premiados com 124009 os seguintes nu
meros :
481 5482 5483
5484 5485 5487
5488 5489 5490
Approximaces
600O0 3331
604000 5485
45000 5487
os nnmeros terminados
premiados com 124000.
Todos os nmeros terminados
premiados com 9>00i).
Todos os nmeros terminados em 9 e 0 esto
premiados com 64000, excepto os terminados
m 79 ,e 30.
Ser extiabida a 6' serie desta lotera no dia
M do corrente.
Lotera do tirito Para -Eis os premios
da 4.* serie da 37.a lotera do Grao-Para, ex
Iranida em 7 de Junho de 1890:
3730 60:0004000
7312 60004000
6702 :0QO40Q0
1650 1:J004000
M50 1:2004000
APrUOXIMACOES
372 6004000
3734 6004000
7311 3004000
7313 3004000
701 1C04000
703 1804000
Mslo premiados com 6004000 os seguintes
seros:
8o 1664 2547 5001
alio premiados com 3004000 ,os seguintes
mmeroR :
1241 2071 4531 6337 6491
Isto premiados com 1204000 os seguintes
omeros :
3721 3722 3723 3724 3725 3726
3727 3728 3729
Isto premiados com 604000 os seguintes n-
meros :
7311 7313 7314- 7315 7316 7317
7318 731 7320
Isto premiados com 304000 os seguintes nn
maros:
701 6703 6704 6705 6706 707
6708 670 6710
Todos os nmeros terminados em 30 estao pre
miados com 604000, excepto o da sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 12 estilo pre
miados com 604000, excepto o da sorte imme
ata.
Todos os nmeros terminados em 02 esto pre
miados com 304000.
Tsdos os nmeros terminados em 0 estao
premiados com 304000, excepto os terminados
30.
Todos os nmeros terminados em 2 esto
premiados com 304000, excepto os terminados
eai 12.
Loirri de Basado de Perfcfo
A serle da 1* lotera deste Estallo, ser ex
tratada apnetfHtrUneaie 00
sabbado) Ja 1 cofd tarde,
fcreja de omt SenDer***!
-Antonio.
. Insera do raaa-ParAA 4a serie da
37' lotera daste Estado, ecrj premio grande
e 60:0004, ser extranida f dia .. de Jacho,
(tabfeidol.
A14* ser da 31* tetarla djo- premio grao-
e de 250:001400 sera mtramaodja ,-. do
correte.
Al* serie 4a 3lotera, espnmio anu-
de de 120:0004000 ser extratda m .. de
orrente.
31 aonoj, solteiro, Recife ; insuficiencia triui
pila.
Goilherme de Freita Barbosa, Pernambuco.
45 anuos, solteiro, Santo Antonio ; hemorrhagia
cerebral.
Antonio da Silva Campos, Portugal 56 aono?,
casado, Poco ; leso cardiaca
Manoel da Silva Mendonc 1 Vianna, Pernam
buco, 60 anuos, viuvo, Recife ; tubrculos pul
Meare*.
Joviniano Antonio do Nascimento Duarte, Per
naubuco. 20 annos, casado, S. Jos ; vomilos-in
cohersiveis.
Francisco de AssisUcba Cavalcante, Pernam
buco, 70 annos, viuvo. Boa Vista ; leso cardia
ca artica.
Joao A. Latino Ramos de Mello, Pernambuco,
16 annos, solleiro, Graca ; nbcesso pernicioso.
Jocundo, Pernamouco, 13 annos, Boa Vala;
tubercuos pulmonares.
Felicia, frica, 70 aanos, solteira, Boa Vista ;
asphyxia.
Mana das Neves, Parahyba, 30 aonos, soltei
ra, Santo Antonio ; valilas conflue.ites.
Julia Ttieodo a da Conceigo. Pernambuco, 22
annoi, casada, Boa-Vista; vanlas confluen
tes.
Luir, ernambuco, 3 annos, S.Jos; varilas
confluentes.
Antonio, Peroambuco, 6 annos, S. Jos ; ac
cesso pernicioso. \
Justina Mina da Cooceico, Pernambuco, 13
annos. solteira, S. Jos; vanlas confluentes.
Francisco Antonio, Pernambuco, 39 annos,
solteiro, Graca ; dyarrba infecciosa.
Jos Nunes da Silva, Pernambuco, 24 annos,
solteira, Boa-Vista; bronebites.
Manoel Caicito, Pernambuco, 15 anuos, soltei-
ro, Boa-Vista; varilas confluentes.
Manoel Gomes do Nascimento, Pernambuco,
20anno?, solleiro, Boa Vista vanlas confluen-
tes.
JoSo Fidelis Pereira, Pernambuco, 20 annos,
solteiro. Boa Vista ; varilas'confluentes.
Jor Francelino da Silva, Parahvb-, 20 annos,
soUeiro, Boa Visia ; varilas conflueutes.
Jos Julio de Fanas, Pernambuco, 25 annos,
solteiro, Boa Vista ; varilas confluente,;.
Uinbelina, Pernambuco, 23 annos. casado,
Boa-Vi.-ta; varilas confluentes.
Paulinj Eduardo de Azevedo, Pernambuco, 56
annos, casado, Bm Vista ; anazan a.
Secundina, Pernambuco, Graja ; hemorrhagia
umbelical.
Fernando, P rnambuco, 7 das, Boa Vista ; t-
tano infantil.
Maria, Pernambuco, 18 mezes, Graja ; mala
cia.
Amaro, Pernambuco, 18 meter, Recife ; ente
rile.
Dionisio, Pernambuco, 7 mezes, Afogados;
cbado a preferir!, pois acreditamos
que nSo exista q lera conteste que a diftj-
ren9a da 1. para a 2.a de 1 e 9il0 [0
portanto infenar em vantagens a empreza.
2.a de Soaras do Amaral.
Obriga se a entregar dita estrada cons-
truida e prompta a traiegar no prazo es-
tabelecido no contracto.
2.a de Ouarte Machado.
Obriga se o proponente a dar cornejo
aos trabalhos da construccSo que objecto
da presente proposta oito diaa depois que
for para isto inti nado pelo cidadSo gerente
da empreza e a concluir a constr-cjSo re
ferida no prizo de 24 mezes, salvo o caso
de forja maior juizo da empreza.
A 2.a clausula da proposta Amaral
ndetermhada, depende de aocordo por
occasiao da assignatura do contracto; a
de Duarte Machido concisa e em termos
2.
o que, da
empreza na oon-
justas asplraces de seos Albos, visto como a re-
ligio a base e o fundamento de toda a socie-
pjrqiw t :ndo a companhia compr > gb"e$ queforem co vencionadat;
misso com diversos para a construya do do o contracto, pria a empr
kilmetro 23 a 30, aqulj se acha tiogencia de Bupportir maior onus do que d 1c b.m constituida.
Zdstm0^L:iom?tai\ cohd rte particular'lhe poderia aavir ae +" i p^ssi^siai
tracur com os mesrnos ciiadfios referida ttsaaae a. causa em nova concurren^*, episcopado brasileiro, brilhaotissirao pharol da
cocstruccao evitando despezas e prejuizos releva dieer que, em relacio ao prolonga- verdade, que u Providencia nos dispOeparaa
a compaohia com a liquidas U e protesto ment da linha e do ram .1 de Oapoeirus direcSo >la uossa f, a Ib^rimos de oda a nossa
a que os pri neiros contratantes fic.riam seria desde logo taxativo esse m.ior onus, ;'
cim direito. | como positivo na el .maula 4a da pro^os-
3. E de grande vantagem porqne a ta em queetSo.
conservacSo da linha dispendr..s.-\ at nlo' Com effeito nessa clausula de sua p o
espootaneamu
na catholica qua 1103 exposta nessa pastoral,
.iqni8simade loses t; abunlaine em zelo, intel-
lif-eacia, raoderaco e candade.
E nlo : aiherimoB, mas.at, como Ulbos snb-
ao tratego, ou ser a lmha recebica pelo se obriga a fazer opportunamente os estu-
respectivo engenheiro fiscal urna econo-(doB definitivos do prolongamento at Pe-
mia grande para a companhia e que muito j queira e do ramal de Oapoeiras ficando a
prefenvel torna a-vossa proposta, -desde em reza brigada a contractar com elle a
que vos resp>nsabilisae3 pela dita conser- construccct > do dito prol nga nenio e ramal
va$ao.
4." porque vos- obrigaes a concluso
PKLO PBE90 DO
PEOVADJ PELO
OB^AMENTO QUE FOI
govebko e servir
AP-
de
i que deixar urna cauco b-se para a obtenjSo de garanta de ju-
ITT1Q riii
ciaros e rasoaveis, portanto anda mais
var.olas.
SPORT
Derby club de Peruaaibaeo
E' hoje u sua 9.* corrida.
O Prado da Estancia deveri encher se de ama-
dores de funccOes htppicas, e por conseguiote
constituir ce um ponto de grande diverso po
pulatao d'esta cidade.
Si a fuorco elli-.ctivamentc convida a concur
rencia, s temos por nossa vez a desejar aos
concurrentes plena satisfacao as horas que all
passarem, emovOes agradaveis, e ausencia d'cs
sas contrariedades que ma'am a esperanca e ali
geiram a bolsa,
O referida Club, >ia corrida de 13 de Julho
prximo d o grande premio Con.peruatfio, para
aniuiaes dequalquer paz, que nao teoham gamo
os grandes premios do mesmo Derby Club e do
do Htppodamo.e o grande do Prado Pernambu
cano no corrale auno.
Sao os premios 1:5005. 3504 1504.
A in.-cripco de 1204.

Temos a vi.-ta os ns. 24 e 25 da Semana Spor
tica.
E' urna visita que sempre recebemos com in
teiro agrado.

No nliimo vapor sabido para o norte, seguio
com destino ao Estado do Para o jockey Antonio
de Freilas.
PUBLICAC0ES 1 PEDIDO
Empreza da Estrada de Fer-
ro de Ribeirao a Bonito
Para esclarecimento do publico e dos
Srs. accionistas a respeito do contracto,
que celebre com a directora desta em-
preza, transcrevo em seguida os pareceres
dos distmetos profissionaes Dr. Theophilo
de Vsconcellos, 1. engenheiro do pro
longamento da ferro via.de S. Francisco,
Dr. Affonso Lustosa, chefe do trafego,
respectivo, Dr. Jos Antonio Saraiva Ju
nior, engenheirr. residente da ferro va de
Caruar, Dr. Felppe de Figueiroa Faria,
engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife a S. Francisco, e Dr Fraacsco'de
Sonsa Res, engenheiro civ 1.
Esses pareceres detxam fra de qual-
quer di vida, que era mii.hu proposta a
que devia ser preferida como foi.
Recife, 7 de Junho de 1890.
Antonio Duarte -Machado.
Recife, 28 de Maio de 1390. ^Cidadnos
engenheiroa.Levantando se na imprensa
em artigoa assignados por Diverso ae-
cioni$tai, aocuaacSes a directora da com
panhia da estrada de ferro de RibeirSo a
Bonito, por haver esta na concurrencia
que teve lugar no dia 20 do corrente para
construccSo de mais 38 kilmetros e 700
metros, preferido a proposta por mim
apresentada, pe(o vos o/ie inf rmeia qnal
das duaa propostas juntas em. impresso
apresentadas por Jos oares do Amaral
e por mim, a mais vantajosa aos inte
reBses da companhia, tendo em vista o
edital publicado para concurrencia e que
incluso encontrareis,, peimittindo que de
vossa resposta possa fazer o uso que me
convier.
De Vmc8. amigo, atiento e criado-
Antonio Duarte Machado. "
Cidadao Antonio Duarte Machado
Compara as as propostas de Jos Soases
do Amaral e Antonio Duarte Machado,
veritica-8e que a do ultimo offerece mais
vantagens a empreza da Estrada de Ferro
de RibeirSo a Bonito estando de accordo
com os termos do edital publicado por
ordem da directora e em termos concisos
relativos garanta da referida empreza e
vantajosa empreza.
3.a de Soares do Amaral.
Obriga-se a construir toda a obra de
conformidade com os perfis e projectos
approvados pelo governo empregando ma
terial de boa qualidade e de conformidade
com as especitiea^Ses estabelecidas.
3.a de Duarte Machado.
Obriga-se a contractar do 23., alias
vigsimo torceiro at o trigsimo kilo-
metro, com os actuaes cidadSos que j
deram comr jo sua construoj'o mediante
as garautias nocessarias.
Quando se propSe a fazer qualquer
servijo subentende-se que o proponente
tem o dever de effectuar o trabaiho as
melhores condicSes e de accordo com os
respectivos projectos j assim pois, torna-se
superflua tal clausula da propost. Amaral;
a clausula da proposta Duarte Machado
salvaguarda compromissos tomados pela
directoria e direitos de operarios que j
se acham empenhados na construcsSo da
referida estrada ; portanto anda, mais
vantajosa para a empreza esta clausula da
propotta Duarte Machado.
As clausulas 4.a, 5.a e 6.a da propoBta
Soares do Amaral, nSo tem razSo de ser,
visto como pelo edital a empreza ou a di-
rectoria nSo cogitou da exploracSo do pro-
longamento a Pesqueira ou ramal a Ca
poeiras e meos de promover tudo quanto
for necessario para a acquiBicSo de garan
tia de juro, nSo podem pois ser levadas
como vantagens taes clausul s que e po
dem ser proveitosas ao proponente pela
obrigajSo que ficaria a empreza para com
o proponente ; caso viesse realisar-se a
concessSo om garanta de qualquer dos
referidos trechos, prolongamento a Pes-
que ira e ramal a apoeiras I 1
Alem do mais isto pouco serio...
As clausu'as 4.a, 5.a, 6.* e 7.a ,da pro-
posta Duarte Machado, sSo garantas a boa
marcha e desenvolvale ,to dos trabalhos
de construccSo, salvaguarda os intercs.es
da empreza com a caujSo de 10 j0 do
valor liquid- de cada kilmetro e cooser-
vaco de todos os trabalhos at a abertura
do trafego dos referidoa trechos da linha
construida e facilitando o pagamento dos
trabalhos executodes com a subscripcSo e
aceitacSo de 500 aceSes da referida em
presa.
Do ligeiro cojfronto e exame feito as
diversas clausulas das duas propsUs,
somos de parecer que a proposta de An
tonio Duarte Macha o mais vantajosa,
completa e concisa segundo os termos do
ediial do qne a de Jos Soares do Ama
ral.
Recife, 29 de Maio de 1890.
J. A. Saraiva Jnior.
Affonso Lustosa.
Conformo me com a conc'usSo do pare-
cer retro, isto que a proposta Machado,
em vista do edital, mais vantaj sa para
a companhia RibeirSo a Bnito que a de
Soares do Amaral.
Todos comprehendem a conveniencia, a
necessidade para um seguro e fcil julga-
mento.das propostas cingirem-se aos edi
taes, 3 quaes, por sua vez, devem ter a
devida clareza, abrangendo os pontos es-
senciaes onde se encontrem todos os con-
currentes.
Recite, 29 de Maio de 1890.
Theophilo de Vsconcellos.
de 10 {0 do valor de cada kilmetro urna
vez sua construcgSo concluida.
5. finalmente: pirque aceitaos om pa
gamento 500 acedes da companhia.
De Vmc. atiento venerador e criado.
Francisco de Souza Reis.
Engenheiro civil.
ros.
Adhesao
V l'-j loral Collecva
prazosdo comee e terminacSo das obras.
m> ottsmr* di I Vejamos comparadas todas as clausulas
Rosarte, de 8hM das referidas propostas :
1.a de Jos Soares do Amaral.
Offerece effectuar dita construccSo patos
precos e importancia doa respectivos or-
camentoe, feitos e assignados em 30 de
Abril psoximo paseado existente* ae es
criptorio da empresa, mediants o abaU de
20 1[1 [, da importancia total dos refer-
1.a de Duarte Mashado
Racife, 29 de Maio de 189D Respondo
a vossa carta datada de h >ntem pedindo-
uu) que informe, tendo em vista o edital
de 2 de Maio corrente assignado pelo se-
cretario da companhia da Estrada de Ferro
de Rib i rao a Bonito, qual das duas pro
postas apresentadas por vos e por Jos
Soares d Amaral p .ra a construccSo de
mais 38 kilmetros e 700 metros da mesma
estrada de ferro mais vantajosa, paaso a
dar-vos as informales pedidas, podendo
vos de minha respi ata fazer o uso que
vos convier.
Pelo edital de 2 de Maio corrente foi
aberta a concurrencia para a construccSo
de 38 kilmetros 700 metros at a Villa
do Bonito de accordo c m os estudos,
plantas, orcamento existente no escriptoro
da companhia e foi declarado que seria
dada a preferencia a quem melhores van-
tagens cffereceaso. e melhores garantas
apresentat8e.
Jos Soares do Amaral, se propSe a
construir o referido trecho da linha offe-
reaendo como vantagem 20 lilO r0 da
importancia total dos ornamentos feitos
em 30 de Abril prximo paseado, que
supponho fcS i os assignados pelo engenhei-
ro Castro Nascimento, de que trata a vossa
(proposta de Antonio Duarte Machado).
Alem d) abatimento como vantagens
para preferencia Jos Soares do Amaral
ela 4.a e 5.a condic3es, apresentaEstu-
os para prolongamento at Pesqueira
ramal de Capoeiras e forecimento de
material rodante, vantagens estas de que
alo cogitou o edital, portanto nao podem
ser tomadas em considerado porque nlo
passam de simpes promessa sem garanta
alganrf.
A vosea p/oposta (proposta de Antonio
Duarte Machado) mais vantajosa:
porqae o abatimento de 22 %
sobre o mesmo orea 1 ento sobre o que
Amaral s abate 20, 1 r isto 1, 9 r,
menos.
Recife, 2 de Junho de 1890. CidadSo
Antonio Duarte Machado.
Venho responder a vossa carta de 28 de
Maio' proxir&b findo, em que padis que eu
informe, vista do edital da directora da
ferro* via do RibeirSo ao Bonito chamando
concurrentes construccao de um trecho
d -asa linba c diante das duas propostas
apresentadas, qual dellas a mais vantajo
sa aos interessos da companhia, se a vos-
sa, que foi preferida, ou se a do cidadSo
Jos Soares do Amaral.
Com a vossa carta recebi dous retalhos
de jornal, um cuntendo o citado edital e o
outro as duaa propostas, creio eu, nicas
apresentadas dentro do pr rencia; e p:s, em face desteB docu
mentos, e depois de os haver bem exami-
nado e julgad, q'ie venho dar-vos pedi-
do informaeSo, nos seguintes termos :
O edital da directoria da estrada de
ferro de RibeirEo, que t.-m a data de 2
de Maio ultimo, abri concurrencia para
a construccSo de um trecho dessa linha
da extengao de 38 kilmetros e 700 me
tros e suas obra, de accordo com os es-
tudos, plantas, orjamento o especfflcajrjes
existentes no escriptoro central da em-
preza. declarando que teria preferencia a
propoBta que melhores vantagens offereces
se 1; melhores garantas apresentasse.
Deprehende se desse edital que o fim
da directora foi exclusivamante construir
o referido trecho, qne levar a linha at
seu objectivo actualBonito, co : prc-
bendendo apenas a factura do leito da es-
trada, suas obras de arte e estajees, e o
assentamento da via metlica.
Sendo, peis, restricto o objecto da con
currencia, de rigorosa justica excluir
das propostas apresentadas as demasas
neas cogitadas ; e neste caso se acham,
na preposta do cidadao Jos Soares do1
Amaral, a offerta para a construcjSo de
officinae, fornecimento de material rodante
etc., e mais a parte em que esse concur-
rente se propde fazer ob estudcs do pro-
longamento da linha cima do Benito
Peeqirtirijr o- projectado ramal para Ca-
poe ras.
Postas assim em termos as propostas, e
comparando as, chego a conviceSo de que
bem procedeu a directoria da ferro va de
RibeirSo ao Bonito dando preferencia a
vossa, porque ella inquestonavelmente
mais vantajosa e afferece melhoreB garan-
tas a empreza.
Com effeito, so passo que o cid&dSo SoaJ
res do Amaral offerece 20 e 1-10 \9 de abate
sobre o valor crcamentario, em vossa pro-
posta vos offerecestes esse abate na razSo
de 22 "(,, dando assim empreza urna
economa de 1 e 9(10 (, do referido va-
lor.
O cidadSo Soares do Amaral nSo fixou
prazos para cornejo e conelusSo das obras ;
e vos o fizestes obtigando-vos a dar inicio
a coofctruccSo oito dias depois da intimacao
do gorento da empreza e a concluila den-
tro de 24 mezes; o que tem valor especifi-
ci, porquanto est no nteresse da empre-
za abrir ao t-afego no mais curto prazo
possivel o trecho em questSo para auferir
a renda respectiva.
O cidadSo Soares do Amaral nada dis-
se em sua roposta sobra a- conservacSo
das obras effeotuadaa ; vos offerecestes
conserval as at a abertura da linha ao
trafego ou at serem as obras recebidas
pelo fiscal do governo ; e isto importa tam--
bem urna notavel economa para a em-
preza.
O cidadSo Soeres do Amaral offereceu
as garantas communs, conforme direit,
para a boa execucSo do contracto; vos,
alm deesas garantas, offerecestes deixar
spb gerencia da empreza 10 (t do va-
lor liquido de cada kilmetro; o que im-
porta anda urna solida seguranca, um va-
lioso penhor d> execuoSo do voseo con-
tracto.
Finalmente o cidadSo Soares do Ama
ral nada propor om relacSo a empreitei-
ros de obras que estavam sendo fei-
tas n alludido trecho ; e vos o fizes-
tes, obrigando-vos a contractar com erlea
o prosegu ment deesas obras, exonerando
assim a empreza dos onus que forzosa-
mente lhe adviriam d rompimento dos
respectivo contractos.
Anda excluindo-se esta ultima vanta
gem pela razSo, que pode ser allegada,
de nSo se ter cogitado do caso no edital de
concurrencia, e portanto ser elle ignorado
do vosso c impetidor ; anda assim, digo,
claro, 1.vidente, indisctitivel que a vos-
sa proposta prima sobre a daquelle cida-
dSo pelad melhores vantagens e garantas vontade e expectativa le quasi toda a popularlo
Dcsorte que, se a directoria da empre
za tvesse contractado com o cidadSo 80a
res do Amar I, nos termos de sua propos
ta, a factura das obras agora cogitadas,
one.ar'.a pelo menos o capital da ferro-va,
quando se tractasse do prolongamente c
do ramal em 20 e lrlO (0 do valork lome-
trico dos novos trechos ; pois tanto importa
ra a sua improvidencia para o futuro, em
que, entretanto, me horadas, como de
suppor, as condiyoes econmicas do paz
pdese importa- o material estrangero
em mais favoraveis condicSes do qu-j as
actuaes, e portanto fazer-se urna concur-
rencia para a construccao do prolongaren
to e do ramal com maior economa .do
que a de 22 [0 para a mesma empreza !
Esta s eflexSo, ratando se de trechos
ferreos de muit- maior desenvolrimento
do que aquello para que chamou propalas
a directoria da empreza, bastava para,
em igualdade das demais clausulas das
propostas, fazer preferir a vossa.
Mas, repito, long- de haver tal gualda-
de, a vossa pr.>p3ti leva vantagem do
vosso competidor, nao s sob o ponto de
vista da economa, como no da. garantas
offerecidas empreza.
E tendo es'a, no edita] de 2 de Maio
prximo findo, feito cabedal dessas duas
ordena de vantagens, bem agio a directo
ria preferiodo a vossa proposta.
Taes sSo as informacSes que vos poseo
ministrar. Subscrevo-me
Vosso attento ve orador e creado
Felippe de Figueiroa Faria.
P. 3.
Podis, usar como vos parecer desta
resposta.
F. de Figueiroa.
pelas
prscripges, eonsc-lbos e admoesUgOes pater-
njos, que, Je futuro nos transmitirn os distin-
ctos Dispos, deliberando em commom, ou o ojsss
oclito prelado em seus salulares man lamentos
contenientes boa direcc&o das aimas.
Fazemos tambem votos ao Altissimo para que,
com a nossa cooperac&o, se desenvolvam, coa
os recentes estmulos na Igreja de Deus novas a
maiores stivas de vida e de accao, em qne alias
fecuodissima, para que, nMrn futurj prximo,
conie ella dias aleares e serenos ao seio da-pas
e da prosperidade
Recife, 20 de Maio de 1890.
Padre Dr. Jeronymo Tuom da Silva, governador
do bispaJo.
Dr. Jj-quim Fraucisco de Faria, deao da catbe-
dral.
Chantre, Jos Mirques de Castilbo.
Tbesourelro-mr, Antonio Manoel da Assumpgao.
Gonego, Aatonio Arcover e de AlDuquerque Ca-
valcante.
Arcediago, Dr. Luiz Francisco de Araujo.
Conego, Manoel Joao Gomes.
Gonego. Dr. F ancisco do Reg Mai.
Gonego, Dr. Jo juiui Graciano de Araujo.
Gonego, Dr. Adaucto Aurelio de Miranda Henri-
qu s.
Conejo, Marcolioo Pacheco do Amaral
Goiugo, Antcnio Pabricio de Araujo Pereira.
Gonego, Jos Vaz Guite res.
Padre Dr. Estanislao Ferreira de Carvalho, viga-
rio geral.
Padre Jos Alfonso de Lima e S, secretario do
hispido.
Padre Valeriano de Alleluia Correia.
Padre -Jos de Freitat Machado.
Vig.iri'. Manoel Esperidiao Muniz.
Frei Alberto de Santa Augusta Cabral de Vscon-
cellos.
Fre Paulino da Soledade.
Padre Francisco Adelino de Brito Dantas.
Padre Agostinlio de Lima Cavalcante de La-
cerla.
Padre Francisco de Asis da Costa Gondim.
Vigui', Jota Bautista de Araujo.
Conego, vigario Jo3 Jos da Costa Ribeiro.
Padre Miguel V'ieira de .'arros Marreca.
Vigario Joao Aukusio do .Nascimento Pereira.
Frri Amonio do Coracao de Mirla.
Fre Alaoslo da limn.i'uL.d Conceicao Al ves.
Padre Jos Procopio Pereira.
Gonego Tclespboro de Paula Augusto.
Gonego Antonio Eusiaquij Alves da Silva.
Viga o Francisco Joaquim da Silva.
Padre Pedro da Pnricacao Paes e Paiva.
Padre Albino de Carvalho Lessa.
Padre Joaquim Pereira Freir.

iNs, governador do bispado de Olinda, mera-
bros do cabido da igreja cathedral, parochos,
professores do seminario episcopal, religiosos e
mais sacerdotes residentes as cidades do Recire
e Olinda, da referida diocese, animados dos
mes.uos senlimentos, em que vaatajosamente
inspiraram se os venerandos bispos da ig"eja
brazileira em sua monumenicl Pastoral Codean-
va, dirigida ao clero e aos'fieis de suas re>/perti-
vas dijeeses; e, possuidos, alm disso, de indi-
sivel jubilo e satisfacao pelo modi firme, sincero
e criterioso, com que esses denodados atalaias
de Israel expozenm a doo'.rioa orthodoxa da
igreja de Jess Cbristo e tracaram a norma pra
tica e segura, que devenios seguir na situScHo
excepcional e difficil em que se acham actual-
mente os negocios ecclesiasticos e polticos de
nossa estreme. i a patria; em unio e de corayao
declaramos sem couslrangimeuto algum, que
adherimos franca e lealmeote doutrina catbo
lica magistral nen'e expendida na mencionada
Carta Pastoral, por ser esta doutrina a exprs
sao geouiua de nossas crencas inabalaveis e a
regra indefectivel de nossa conducta, quer de
sacerdotes catholicos, quer de cidados brazi-
leiros.
Desde o bcrco, esta f em Dense na sua igre
ja, hoje lio lucidamente exposta pelos Ilustres
e zelo-os prelados biazileiros, ulillrou se em
nossas almas como o leite materno assimilou se
ao nosso ser
Quando despontaram em nosso espirito os pri
meiros clares da razao nos ouvimos pronunciar
pelos labios santos de nossas mais este ensina-
mento salntar, e nos acostumamos a veneral o
como um thesouro inalacavel.
E mais tarde, quando pela cultura apurada c
progressiva das sciencias eedesiasticas novos
focos de luzesaperfeijoaram a nossa intelligen-
cia, a par das ingentes consolacOes que innun-
davam o nosso espirito, mais claras se tornaram
as noce.- que tinhamos dos attributos de Deus
e de suas infinitas perfeices, mais intima tor-
nou-se a convieco de nossa f, mais elevada a
nossa veneracao aos dogmair'da religiao reve-
lada e sua moral pura e immutavel, mais in-
tenso o nosso amor igreja instituida pelo Ho-
mem Beus e santificada com o seu preciosissimo
sangue, c mais prompta a nossa obediencia ao
ensiuo e preceitos salutares desta infallivel mes
tra da verdade.
Nao s por este variado e admiravel complexo
de conhecimentos, bebidos nos seminarios du
rante os dias do nosso tirocinio ao sacerdocio,
como tambem por outros, nao menos uteis e
importantes, adquiridos na grande escola da
vida pratica, nos sentimos a necessidade inde-
chnavel dessa religiao santa e intemerata, que
confera o nosso espirito no meio dos labores e
vicissiludes proprias da condicao humana do
mesmo modo que sentimos a oecessidade do.
alimento quotidiano para a cjnservaco da nossa
existencia physica.
E assim, com o auxilio do Co, n&o s quere
mos conservar intacto at o ultimo alent o sa-
grado deposito da religiao, a qual devemos a
par de nossa consciencia as inenaveis relages
para com Deus ; como ainda desejamos que seja
He guardado em todo o seu esplendor por
aquelles que esto sob nossa jurisdiccSo. depen-
dencia ou direegao persuadidos de que tambem
estes, por sua vez, participara das mestnas lu-
zes, dos meamos auxilios e das mesma conso
Iac0.es
Sim, alistado na milicia sagrada de Cbristo;
seguiremos as suas pegadas, e armados com o
escudo forie da oracao e da palavra divina, nSo
cessaremos de pugnar pan que se conserve na-
balavel esta f em Deus, que nos tem dado o po
der e a eoragem de cumprir com selo os arduos
deveres do nosso ministerio, e de manier com
digoidade as relaces que nos prendera aos in
dividuos e sociedade.
Por ser esta a nossa firme convieco, foi pro
funda a magua que sentimos, quando, contra a
Padre Dario Nuned Ja Silva.
Padre Francisco de Miranda Curio.
Padre M 11 ,el Jos do Amaral.
Padre Augusto Adolpbo Soares de Keswetler.
Padre Firmino Brant da Rocha.
Padre Dr. Jo^ Gil Vaz.
Vigario Augusto Franklin Moreira da Silva.
Vigario Zeferino Ferreira Velloso.
Vigario Joao Rodrigues da Costa.
Padre Marcellino Vieira da Silva e S.
Padre Juilas Balinga.
Frei Gaetauo d; Messiua.
Frei Casssiano de Lomacchio.
Frei Fidelis de Fognano.
Fre Lourenco de Sassoferrato.
Fre Cele.-iino de Pedavoli
Frei 1.ir meo te de Leonissa.
Frei Joao Evangelista de Monte Marciano.
Frei Pascboal de Varsovia.
Gonego Antonio Dommgues Vsconcellos Ara-
g5o. .
Vigario Joo Omena.
Padre Ignacio Francisco dos Santos.
Padre Antonio do Monte Silva.
Vigario Francisco Vieira das Cbagas.
Estrada de Ferro de
Siibeiro ao Bonito
O edital que hoje pubcou a directoria
da empreza, obriga nos a vir declarar ao
publico o srguLte :
A convocagSo da assembla geral ex-
traordinaria nSo foi feit -, por deliberacSo
expontanca da digna directoria, mas por
determ nacSo da commissSo fiscal, a quem
se dir'giram 36 accionistas, de maior im-
portancia.
E tanto esta a verdade que, tendo a
digna directora se recusado at a ouvir a
commissSo fiscal, sobre o monstruoso con-
tracto, que clandestinamente celebrou com
Antonio Duarte Machado, nSo convocara
urna assembla extraordinaria para esse
fim, se nSo fosse constrangida, como foi.
Fique a digna directoria convencida,
urna vez por todas, de que o seu contrete
leonino nSo prevalecer.
Os accionistas que lhe fizeram opposicSe
estSo alerta, e cada dia recebem novas
adhe.-e*es daqaelles que nao intervieram
em semelhante panaalheira.
Diversos accionistas indignados.
Felicit acedes
Amanb mais urna ang elica se desabrocha ao
bouquet da vida da symi athica Mlle. Mamnandh
Olivetra Marques, digna fijbs do capitio Joaquim
G. de Oliveira Marques.
Felicitamos e desejamos um porvir brillan.
M. E. M.
A. O M.
I. S. M.
P M. S.
.-
-

que offerece.
Nem-se diga que as demasas da propos-
ta do cidadao Soares do Amaral a favore-
cer; porquanto, alm do se tratar de ob
nacioual,viiui)satirar-se sobre a religiaoe a igre-
ja catholica os golpes fulmiaantes de um decrete,
que separoua igreja do estado e estabeleceu a lber
dade de cultos, e que por isio mesmo equiparou
a religiao de Deus com outras que sao meros m-
jecto de que nSo cogitou o edital da dir- vea,0 humanos, e a igreja de Jess Cbr sto com
J. a ,, 2 as sellas disseminadas pelo poder infernal as
ctona, acoresce que, longe d essas dema- muuiplas reg,6es do globo
sias offerecerem ensanchas de beneficio a j Eatretanto, sabemos todos que loi a eaforcos
empreza, ser-lhe hiam aoaivas, como fa-1 desta religiao que domesticou se o indio selva-
eil de verem relacSo a. prolongamento S debida e"de ^^n^ fumilia bra6leira
da linha at Pesqueira e oonstruccSo do c "^J qaUe W-dentoao"^ activo e intel
ramal, e bem assim ao fornec ment do, ligente de seus ministros que planta ram se apaz
material rodante. e a civilisacao oesta grande trra da Santa Cruz
Se em relacSo u este ultimo o cidadao ^ ^0iden berpo.
a! Sabemos que a esta mesma religite devenwie
em grande parte a proaperidade e bem estar do
nosso paiz.
Soares do Amaral estatu, na chamada 3'
de sua proposta, que o respectivo forneci-
mento alo ser feito pelo orcamento com
Sabemos que sem o seu benfico infloxo ja-
o abate que offereoea'na clausula 1* (20 e mai8 ? Bnml R0*" levantar se, qual immemo
i.in i. v... .:- -i~ ^_ Pgnte, no meto daspnncipaes uacoes eolisse Portanto cuidado
lllO \) mas aua como dase, pelos frs-, ^||gada8 e occopar entre ellas ob posto de rorUnt0' cu%aaao
fe, quartidmdm, qnaidadm mau eondi primers orden, ue satMkta coadigaemeatois
t
Urna lagrima de saudade sobre o tmalo ds
sempre lembrado Affonso Joaquim Pessoa, pri-
meiro anniversario do seu fallecimenlo.
T. S. M.
Banco do Brazil
Qui potest capere, capiat
O proprieiario que acceita capitaes ne
Banco, dando como bypotheca immoveis,
cuja aequisicSo preva pela escriptura oto
compra ou certidSo de heranca, sem pos-
vi amen te mandar esses ttulos do registre
geral para a competente transcripcSo, ni-
ca condicSo que completa os e iegalisa es
para quaeaquer contractos e al oe valer a
respoito de terceiro, conforme o art. I.*
do Dec. e 19 de Janeiro de 1890, proce-
de por motivos reservadoscom santm
simpticidade.
Sabe-ae qae, somonte os effeito da tra-
scripeSo pdem rrullificar, em e para ques-
tlo futuras, os embaracos provindos de di-
reitos adquiridos, ainda que remotamente,
sobre os immoveis transmittido,
O immovel que nao se acha registrado,
est injuridico para oontealea e ancat
im.


Diario de Pemambuco-DoniiDgo 8 de Junho de 1890
Menino na corrente
Cosa a epigraphe cima appareceu na
arioanas do mais desacreditado jornal do
M>rtr do Brasil, conhecido pelo nome de
4jfa*eta da Tarde, trea noticias alarmantes
aditivamente ao probo e honrado cidadfio
Odilon que com nm selo inexcedivel ser-
ve de fiscal do Extrnalo S. J080 Bap-
Se nao lora a colera de que nos acha-
bos possuidos ante nina inverdade to re-
junte, nao desceamos a responder aos
4oa miseraveis que procu-aram manchar
a wpatacSo de um homem cujo pasaado
elle* nunca terao.
Xas que temos nossos filhos as aulas e
me slo fiscalisados pelo digno Sr. Odilon,
protestamos coutra todas as calumnias re-
Soreates ao titulo que emcima esse artigo,
alegando que o mesmo Sr. alm de intel-
ligecte criterioao, serio e amante de seus
kcipulos.
par provar o que acabamos de dizer
kasU referir que chegando ao nosso co-
Jieeimento urna suspensao do Sr. Odilon,
por 3 meses, do cargo de fiscal das aulas,
Srigimo-nos immediatamente a casa one
koeeiona a sociedade S. Joao Baptista e
asa*, ve i ahi declaramos positivamente
feeetoria que se o Sr. Odilon foSse effec-
ente suspenso, tambem os nossoB filhos
aCariam suspensos das aulas todo jaquel le
Un homem que recebe tao solemnes
raras de estima e considerado por parte
est muito cima do
sos alumnos,
t oo viliJes.
Recife, 7 de Junho de
1890
#
?

1
I

um corneta in-
Armisticiu
i se em que parte do territorio paraguayo
.jaeom engao em nosso exercilo em opera-
te* que poderia tur como desf> cho a lucia ira
S rmaos, o exterminio de batalhes de doso
aralo por outros batalhOes do mesmo exer
Acampaado osnouos noite um soldado
cMMaeUeu a imprudencia de se internar em um
Me prximo e quaodo de l eahio, apresen-
asa-ee diante de orna gentinelta perdida.
Esta suppondo a aporoximaco do inmigo
easigoal de alarma e fez fogo.
Seguio se um tiroteio at que
entrado tocoutestar fogo !
Batao veriflcou-se o engao. Seguindo o
aeanplo deste humilde servidor da patria, que
esa Untos outros derramou o seu sangue e ti-
co*- aa obscuridade, porque a historia nao reco:
boe feitos heroicos de um humilde soldado, e
eeu que nao teaho corneta, vendo desintelii
moas nos arraiaes republicanos, grito com as
tasque o patriotismo me empresta :Sida-
m* repblica!.. ensarilhae armas!...
Qoe quer dizer ap esentarem se na arena de-
dtaZando-se, horneo s que tcem bnlbante f de
_ o, conquistada em comraum na campanha
Blicana, com tao largo dispendio decora-
, de dedicaco e de talento! ?
eCoofrange a alma daquelles que trabalba
a facer do Brasil urna patria, ver um partido
K poda ser o instrumento desta obra gigan
Sea, ameacado nesta emprea patritica pelas
eieaooes mais provadas aos lempos difliceis.
Ocaado este partido devia estar todo reunido
tm Uroo de sua baodeira, que motivo de ordem
attica, que interesse de ordem poltica au'.ori
mrnmi scisao, cujo desenlace sera pelo menos o
tawecimento iesta emerg* indomavel, que
ttm no dia 15 de Noveiutiro, para realisar
Immtxa reformas e de cuja dedicaco cansa de-
Heatka o paix espera sua entrada definitiva
awcaaatoboda legaiidade?
Comprehende se at cdrio ponto, urna diver-
gencia no modo de encarar certas questoes;
Deus nos livre de aconselbar que nao se man
fegtem com inteira hberdade, com civismo e at
com altivez, se quueram, o que se lamenta
que o" facam como inimigos, que esquecam
que tratam com antigos camaradas.
A sclso que se levantou entre os repblica
nos, foi movida pelas medidas econmicas do
governo -.-bancos de emissao e imposto de
20 0|0 em ouro, substituindo os 10 0j0 addicio
naes.
Quanlo a primeira nao contesUmos que possa
ser combatida por quem professe escola dille
rente em economa poltica, ou pelos que se
guern as ideas philosophicas de Augnsto Cont ;
quanto a segunda, achamos que foi urna excel
lente medida e que difficilmente se provara que
vexatoria ao commercio e que n&o correspon-
de urna necessidade urgente e que se impOe.
O dever dos republicanos discutir a medida
mostrar os sens inconveniente.-, mas nao faier
disto queslao de vida e de morte.
Dirao os opposicionistas :a questo flnancei-
ra de muita importancia, a providencia mate
nal de que falla Augusto Cont; responder
ujos que preferivel apoir um governo que
dote o paiz com instiluicoes sociaes e polticas,
aproveitaveis, embora nao seja feliz na parle
econmica, combatel-o dando ganho de causa
a elementos degenerados e carcomidos, que-por
ineptos e mal intencionados nao cnidram nem
da providencia material de Cont, nem do que
chamaremos, providencias sociaes e polticas.
Incontestavelmente o governo provisorio pro
cura assentar a constituicao republicana, em ba-
ses que nao coarctam a hberdade polica ; as re-
formas que se tem realisado e as que em breve
esiarao em execuco, visto os projectos ] serem
conhecidos, do ao paiz garantas de Hberdade e
Como pois, os republicanos dissideotes nSo
se aproveham d'este vasto plano de reformas so-
ciaes e polticas, para de posse delle trabalha-
rem por um plano floanceiro mais de accordo
com suas ideas?
Seria jU3to que se fizesse guerra de morte ao
governo se elle sophismasse reformas essenciaes
ao systema republicano, e que entendesem por
exemplo, com a eleicao do presidente da Repu
blica com o suffragio universal, com a liberda
de de imprensa, com a completa independencia
de poderes, com a liberdade de coasciencia e de
cultos, com a separacio da igreja e do Estado,
etc
Mas combater um governo que j tem decreta-
do e"se comprometteu a decretar outras reformas
que sao o orgulho das melhorea organisacOes re
publicaras, s porque se discorda de sua poltica
tiuanceira, nos parece um ateo impoltico, tanto
pelo momento critico que o paiz atravessa, como
porque de posse das inslituicfies que o governo
tem decretado, o Brazil fcilmente corrigir es-
tas providencias econmicas, combatidas por esta
faeco republicana.
Manifestando nos d'este modo, expendemos
com toda franqueza nossa opinio sobre este as-
sumpto. ,
Nem o interesse de agradar anda nos con la
mioou. nem o de combater nos anima, visto di
rigirmo-o.08 a cavalhetros, com os quaes j vive
mos na mais estrella communho poltica e an-
da boje estamos ligados pela amizade pessoal.
Recordamo-nos de um brinde felicissimo reito
em um jaaUr poltico, seguramente ha um aooo,
urna senhora pernambucana, a quem se cha
mou com muita justica a Me dos Gracchos, e a
ni me8mos perguntamos hoje, como acolhena
Cornelia os seus filhos, si depois de se terera ba
tido no Foruw por urna idea democrtica, a ti
vesem sacrificado por urna queslao de dla
Ibe I..
As consideracoes que ani ficam, tm por fim
a eoociliacao; si a conseguirmos, teremos pres
lado um servico causa republicana; no caso
contrario, nao teremos a felicidade do obscuro
cometa do exercito brazileiro.
Sadi Carnet.
Protesto de gratidao
Faltara ao cumprimento de nm sagrado de-
ver se nao viesse pela voz da imprensa proles -
lar ao distincto esculapio, o Dr. Emygdio Mon -
tenegro meu eterno recoahecimento pela ma-
oeira magnnima e generosa por que portou-se,
recusando delicadamente toda e qaalquer re-
muncrasao pcloesvetado tratamanto de meu
iofrliz esposo, Augusto Medeiros.
Actos de tamanha delicadeza so sao prauca
dos por coraefles essencialraenle bem formados,
e eu sinto, na minha humilde posicao, nada po
der fzer alm deste protesto, que enctrrajoda
minha gratidio.
Recife 7 j. Junho de 1890.
' IgnK Caminha de Castro Medeiros.
commercio
assignado participa
ao com
do 1. de
Ao
O abaixo
mercio em geral que a comecar
Junho deixa de ser empregado dos Srs.
Esnaty Rodrigues C aproveitando a
occasio para testemunhar-lhes agratidSo
pela delicadesa e atten5?5eB que os mes-
mos lhes dispensaram durante o tempo
em que foi seu empregado.
Recife, 31 de Maio de 1890.
Ignacio Manad de Carvalho Miranda
0 advogado L. E. Rodrigues Vianna mwiou o
escriptorio para a ra 5 de Novembro a. 14o:
i. andar.
Ao commercio
Os abaixo assignados participam ao pu-
blico e ao commercio em geral que o Sr.
Ignacio Maaoel de Carvalho Miranda
deixa de ser empregado em sua casa, a
comecar do 1. de Junho em diante, agr-
decendo os meamos ao Sr. Carvalho os
servicos prestados durante 9 annos, mos-
trando em rodo esse tempo fidelidade,
dedic&cao e actividade.
Recife, 31 de Maio de 1890.
Esnaty Rodrigues & C.
Colonia Portugueza
Em nome da Commissao Central Exe-
cutivA da Colonia Portugueza, convido a
todos os cavalheiros que aind. nao satisfi-
zeram as quotas que subscreveram na
grande reuniSo effectuada no Gabinete
Portugus de Leitura, no dia 2 de Feve
reiro ultimo, a fazel o at o dia 15 do
corrente, ao Thesoureiro da CommissSo,
Sr. Joaquim da Silva Salgueiral, ra
Marcilio Dias, n. 22.
Igualmente rogo aquellas das dignas
commistSes parcues, que ainda nao fi-
zeram entrega do que arrecadaram, o
o obsequio de o fazerem com a maior bre-
vidade posaivel, visto a necessidade que
ha da Commissao Central eflectuar a re
messa.
Recife, 6 de Junho de 1890.
Albino Moreira de Souza.
Secretario.
Para reconstituir o manUma
O Vinho Vicien de extracto puro (le timado de
bacalhao, nao carece ser recommendado por meio
de pomposos chamarises. Conhecido e receitado,
ha muios auno.-*, tem elle prestad) therapeu
tica os mais assignaladis servicos. Os medic?
ganara Ibe a provada etficacia e admirara Ihe o
preparo scieniilicamente dozado. Os enfermos
ssuera "por experiencia que um poderoso re-
coostituinle. As criancas lomam-n'o fcilmente
por causa do gosto s iboroso que tem, dissimu-
lando a sua preparaco, o chairo desagradavel e
o sabor nauseanun lo do oleo do flgado de baca
lhao, cujas virtudes possue no mais alto grao.
Muita attencao
0 abaixo assignado, legitimo cessionario dos
bens deixa ios por Jos Cordeiro do Reg Pon-
tes, fallecido nesta cidade do Recife, deparando
cora um annuncio inserto no uxorio ae 3 do
corrente, ofTerccend, daquelles predios venda,
previne ao commercio e ao publico deste e dos
mais Estidos Unidos do Brasil que nao facam
transaccao alguma com os beos abaixo declara
dos, pertencentes ao mesmo espolio ; pois que,
os tribunacs do paiz anda nao se pronunciaram
definitivamente a respeito, e por isso estando
disposto a bavel os do poder de quem s tiver
por qualquer modo faz a presente declaracao
para que mais tarde nao se allegue ignorancia
ou boa f por quem quer que seja.
Os beos sao os seguintes:
Urna casa lerrea ra Imperial n 48.
Urna dita dita & ra do Nogueira n. 33.
Um sobrado no pateo de S. Pedro n. 3.
Um dte a travessa do Carmo n. 1J.
DECLARACOES
$$*
Advogado
i
COMMERCIO
Dr. Silva Leal
CUKICA MBDICO CIERGICA
Consultorio e residencia roa do Livramentc
n 6 i.* andar. Consultas das 11 as 3 horas da
urde. Chamados a qualquer hora, por esenpte
IB. L CL020AL2QIS SOVZA
Mudou o seu escriptorio para a rea do
Imperador n. 3J, pr.meiro andar, onde
pode ser procurado de 10 da manna as
ida tarde.
Residencia Ra Imperial n. 148
^ Telepaoae n. IOS.
&%&--------------------------------------rfc.
Cult Evanglico
Ha culto publico com leitura e explioa-
cao do Evaogelho, todos os Domingos as
11 horas da manha e as 7 horas da noite
e as quintas-feiras as 7 horas da noite,
na ra do Jmpetdor n- 71, 1. andar. A
entrada franca.
Convidam seas familias e o publico em
geral a atsistirem.
c Examnae as escripturas, pois julgaea
ter nellas a vida eterna; e ellas mesmas
sao as que dao testemunho de mim -*
Ev de Joo, cap. 5, ver. 39.)
Veneravel irmandad
DO
SS. Sacramento do Corpo
Santo
K I el cao
De ordem d > irmao juix, convido a todos os
irm5os a comparecerem era o nosso consistorio
na segunda-feira 9 do correte, pela 2 1/2 ho
ras da tarde, afim de precederse a eleicao dos
novos funecionarioa que ho de dirigir 03 nego-
cios desU irmandwde durante oanao compro-
missal de 1890 a 1891.
Consistorio da veneravel umandade do Sj>.
Sacramento da matriz do Corpo Santo, em o de
Junho de 1890.
0 escrivao.
Gabriel I. das Neves Cardoso.

4/
V
Revista do Mercado
Recife, 7 ui JUNHO de 18S0.
Poico movimenlo na praca. constando algu
s transaccoes no mercado de cambios.
Bolsa
cot&cOks officiaes da jdnta dos cob-
EKTORKB
Medfe, 7 te Juana U 1890
u oreiidente,
Antonio Leona-do rtodngues.
jMbees provmciaes, juros de 5 0/0, valor de
ttM, a esiODO cada sma.
fM*"'- sobre Londres, 90 d/v. 21 d. por 1*000.
da tanca, hootem.
It* sobre dito, 90 d/v. SI 1/8 c 21 1/4 d. por
fjMO, do banco.
Na Bolsa venderam-se
ICO aeolices provinciaes de 100*.
O sccreuno,
Eduardo Dubcux.
Cambio
PRACA DO RECIFE
te bancos abriram a 21 d. nominal. oTerecen
*m lego o London a 21 1/8, sendo em seguida
i iMiiimh iin pelos outros bancos.
us tarde onereccram todos saccar a 21 1/4,
4MMUndo negocio feito a 21 3.8 bancario.
Boave pequeo negocio em papel particular
Us fechar do dia os bancos nao quizeram sac-
a 211/4, fechando o mercaio frouxo.
Aleool
CoU-se a 190*000 por pipa de 480 litros.
Ulel
Cota-e a 55M00 por pina de 480 litros.
VBAgA DO RIO DE JANEIRO
.tasa bancaria subi at 211.2, fechando,
a4reaa, o mercado frouxo.
Aleuda u
Xoconslou vendas.
Axportacao feita pela alfandega ceste mes s*
atad, constou de 92 86j kilos para o exte-
Pauta da 4lfaudega
CM&KA DI 9 A 14 DB JUNHO OS II
Assucar retinado (kilo)
Assucar branco (kilo)
Assucar masca vado (kilo)
Agurdente.......
AIcool (litro)......
Arro com casca (kil.oj
lgodo (kilo)......
lagas de mamonas (kilo) .
Borracha (kilo).....
Carocos de algodo
Couros seceos espichados (kilo) .
Couros seceos saigaaos (kilo) .
Couros verdes (kilo)
acao (kilo) -.....
Caf bom (kjloj.....
Caf resiolbo (kilo) ....
Carnauba (kilo .....
Carocos de algodio (kilo) .
Carvo de pedra de Cardiff (ton.)
Farinha de mandioca (iro) .
Folhas de aborandy (kilo/
Genebra (litro).....
Graxa ...".....
Jaborandy.......
Mel (tro).......
Milho (kilo.......
Pao Brasil (kilo).....
Sola (meios)......
260
206
39
170
370
80
S46
120
960
16
420
360
215
400
800
600
260
20
16*000
70
300
200
350
200
80
100
35
2*500
Kcudlineutos publico
HBZ DB JUNHO
Mfaniega
Renda eeral
Oo da 2 a
dem de 7
152.749*143
76:2474400
AS YICTIMAS DAS FEBRES
O Elixir antl-febrll Cardo, appro
vado em 21 de Marco deste anno pela luspectoria
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vem hoje
apreseotar-se humanidade soffredora do mun
do inteiro, como taboa de salvacao que ao infe-
liz naufrag Ihe enviada por mSo omnipotente!
O Elixir antl f toril Cardoso, appli
cado em muitissimos casos de febres, tem, como
por milagro, levantado do lelto da dor a comple-
tos moribundos.
Este remedio, coroposto smente de vegetaes
inleiramente inoffensivo, anda mesmo amis
mimosa e tenra enanca.
As senhoras, no estado de paridas, ou no pe-
riodo de incommodos naturaes, podem nsai o
sem reccio algum.
Depsitos
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da Silva
ot C, ra Mrquez de Oliodi n. 23.
Pharmacia Martin?, ra Duque de Cax-.as
a 88.
Pharmacia Oriental, roa BsireiU do Rosario
Pharmacia Alfredo Ferreira, i. ra do Barao da
Victoria n. 14.
Pharmacia, Imperalriz, ra da Imperalru
n 49.
Para qualquer expcacao podem dirigirse ao
autor Manoel Cardoso Jnior, & ra Estreila do
Rosario n. 17.
Dos innmeros atteslad03 que temos, damos
em segnida prindpm a sua publicaco ; e isto
bastar para que sejam conhecidas as virtudes
do Elixir anli febril Cardoso.
Agestados
N. 26
Recife. 21 de Marco de 1889.
Illm. Sr. Manoel Cardoso.-Tenho applicado por
4 diversas vetes e a diversas pessoas o seu prepa
rado inti febril; epdo alf-'Uiis dos casos classi
ticados de febre de mo carcter, e o resultado
tem sido sempre muito satisfatorio, porquanto
apenas com alzumas doses a febre desapparece,
nao voltando mais.
Pode V. S faier da presente o uso que Ihe con
T"- LJ_,
Sou cora estima amigo, criado e obngado.-
Uiguel de FigueiraFaria.
Renda do Estado de Pernambuco
228:996543
Oo dia 2 a 6
dem de 7
20 557360
7:205/032
As entradas verificadas at a data
a 576 saccas, sendo por :
Tapares ....
avlanes.....
Va-terrea de Caruar.
ffla terrea de S. Francisco.
fU frrea deLimoeiro .
Somma.
Assucar
Ca4oa Associacao Commercial Agrcola, foram
de hoje, so-
... Saccas
496 -
34
46
57 Saccas
27:762*382
Somma total 256:758*9*5
Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco,
7 de Juuho de 1890.
O thesoureiroFlorencio Domingnes.
O chefe da seccSoCicero B. de Mello.
Recebedorla do Estado de
PcrnaBibuco
Oo dia 2 a 6 14.463i326
dem de 7 5:738*936
20:202*262
ataeraiates:
ftVaano
cavado purgado
Sitaos .
3*700 a 4*000
30J0 a 3*6'J0
1*500 a 2*700
4*600 a 1*700
1*300 a 1*500
1*900 a 1*200
Awtacao feita peta alfandega tests mez al
**, constou de 162.6 4 kilos, sendo 30.000
O exterior e 131.614 para o ioterior.
Sjs entradas verificadas at a data de hoje. so-
esa5.341 sacos seado por : _
2.954 Saceos
74
U4
1 867
12
ae Careara.
Je 8. Francisco.
do Limoeiro
Somma.
Cowros
aleados 405 res,
5.341 S ceoi
e pa verdes a 240
AftEardeatc
Mtaaa a 4*000, po^^Visc tAm.
Navios t descarga
Barca norueguense Cari Haasted, carvao.
Barca norueguense Gf>r, carvao.
Barca norueguense Galera, farinha de trigo.
Barca nacional MdrtaimtMka. xarqoe.
Escuna ooruegneose Gefion, xarque.
Lugar nacpmat Tigre, xarqoe.
Lagar dinamarqus Arken, xrqoe.
Lugar hoHaades U. R. Leemhuis, varios gneros.
Lugar portoguez Temerario, varios gneros.
Paucbo portugnez Uondego varios genero?.
Patacho portuguei Faes 1, xarque.
Patacho nacional Marino II, xarque.
Patacho hollandex Voowaarts, xarque.
Patacho hespanhol lose Pura, xarque.
Patacho allemo Apoll, xarqoe.
Patocbo hespanhol Ballcsier, xarque.
Bjaportafo
ascir*. 6 Da juxiio un 1890
rara o exterior
Nio houve exoortacao.
oro i> tntertot
No vapor nacional Pura, para o Para, car-
regaram :
A. de Mello, 300 barricas com 20,331 kilos de
assucar braoco e 50 barns com 4,800 litros de
agurdenle t .,
C. M. da Silva, 129 barricas com 9,324 kos
de assucar branco.
M. L. Paes Brrelo, 230 barricas com 17,333
kilos de assucar branco.
Para Ceara, carrejzon ;
J. M. Das, 22 caixas com 235 kilos de rape.
Para Manos, carregou :
H. liveira, 25 barricas com 1,410 kilos de
assucar braoco.
No vapor francez V. de Buenas-Ayres, para
Rio de Janeiro, carreaaram : .,,
P. Valente & C, 100 saccas coa 8,739 kilos
de algodao.
F. M. de Moura, 35 barrs com 7.000 litros de
agurdente.
Para Santos, carregarara :
a. de Oliveira Maia, 10,000 cocos, frocta
J. 11. Boxvretl, 2)0 sacca* com 14,250 kilos de
algodao.
No vapor allemo Saleroso, para
Jaoeiro, carregiretn ;
F. M. de lloare, 40 barns com 6,400
M Leite, 400 saceos com 30,000 kilos de
aacocar braoco a 800 ditos com 60,000 ditos de
Uto mascBvado .
No vapor nacional S. Fromcsco, para Cear,
eCarneiro C, 65 barricas com 7,020 kilot
de assocar branco.
Recife llrainage
Do da 2 a 6 1:912*433
dem de 7 117*069
2:039*502
mercado Municipal de 9. Jos
O movimenlo deste mercado no dia 6 de Ju-
nho foi o seguinte:
Entraram :
301/2 bois pesando 4.612 kilos.
1124 kilos de peixe a 20 ris
16 1/2 cargas com farinha a 300 ra.
5 ditas de fructas d.versas a300rs.
32 columnas a 600 ra.
87 taboleiros a 200 rs,
5 suinos a 200 ra.
1 escriptorio a 300 rs.
62 compartimentos com farinhaa 500
rs.
30 ditos de comidas a 500 rs.
9j ditos de legumes e fazenas ;
400 ra.
17 ditos de suinos a 700 ra.
8 ditos de fressuras a 600 rs.
18 ditos de camaroes a 200 ra.
32 tulnos a 2*
N 27
R.'cife. 53 de Abril de 1889.
Sr. Manoel Cardoso.Permita que me sirva
d'esta carta, nara Ihe eslemunhar a gratidao que
Ihe devo, gratidao esta devida i cura radical de
urna febre de mo carcter que me accommetteu
por e-paco de 3 diar. ...... ,
Aconselha.io pela S-. Manoel \ mato a fazer
uso do seu remedio aoli-febril, segu o conselno
d'quelle tenhor, e hoje gracas ao seu remedio
estou completamente bom.
Sinto n5o o conhecer pessoalmente para melhor
Ihe te8temunhar o que a pobreza do meu espirito
nao sabe diier. .
Acceite. puis, esta carta txpressiva da verdade,
e o Sr. Manoel Viriato, por mim, perante o se
nhor, fabera, meihor que eu, agradecer quanlo
Ihe devo. .. ., r. .
Seu criado e obligadoIfanoe Monletro Lino
24*480
3*300
1*500
19*200
17*400
1*000
300
31*000
15*000
38*000
11*900
4*800
3*600
64*000
Rendim:ulo de 1 e 5 docvrrenie
235*480
1.144*480
1.379*960
Rio d>
llUOS
Precosdodia: '
Carne verde de 280 a 480 ris o kilo
Suinos de 560 a 720 ris idem.
(^rneiro de 640 a 900 idem.
Karinha de 540 a 600 ris a cnia,
Millio le 400 a 440 ris iein
Feiic de 900 a 1*200 idem.
Vapores a entrar
HEZ DE JUNHO
Xone......... Espirito Sanio.....
Europa....... Vale de Car.....
Europa....... Tagus............
Vaporea a aahlr
MEE DE JUNHO
Bahia c esc... Guahy............ 8 as
Norte........ Para............. 8 as
Rio e esc .... Eipirifo Santo..... 10 as
N. 28
Sr. Maooel Cardoso Jnior. Recife.
Amigo c Sr. Fui feliz com > sen-Elixir anti-
febril.-era boa hora ac:eiui o para tratar de
urna pessoa de minha familia que achava se com
urna febre palustre it j era adiantado grao (40);
era poocas horas vi com assombro o decahimento
d'eliaja que nenhum resultado tinba ebudo
cora o auinino.
Dou /be meus eraboras e desejo que em pro
veito dos soffredores, possa Vmc. utiltsar te
d'esta como Ihe coovier. .
Sou com eterna estima de Vmc. amigo, criado
e obligadoSeraphm Ferreira lata.
MA HBIL OPERAgO DE CIRUR
GIA
O embaixador americano em Vienna,
Mr. Kasaon, tem communicado recente-
mente ao seu governo urna dcscripgao in-
teressante da notavel operacSo cirurgica
praticada, a pouco, pelo professor Bill-
rotb, daquella cidade. Por certo, a cir-
cumstancia parece maravilhosa; mas e
verdade que a citada eperao tinha por
fim a remocSo de quasi a terfa parte do
estomago humano. Executou-se a opora-
cSo e restabeleceu-se o paciente, sendo
esta a primeira vez que urna tentativa de
tal genero tivesso tido bom xito na histo-
ria do mundo. Aquella facanha scientifica
manifestou-se n'um certo caso de cancro do
estomago, doenca que geralmente vai
acompanhada dos seguintes symptomas :
O enfermo carece quasi inteiramente
de appetite; sentem-se como que um pe-
so sobre o estomago, e s vezes ume sen-
sao de tvazio no mesmo orgao, a qual
causa um mal estar indisivel; e urna es-
pecie de materia gelatinosa accumula-se
junto aos dentes, acompanhada de um gos-
to desagradavel, principalmente pela ma-
nhS. A nutr9*o, demorando-se no esto-
mago, augmenta em fazer desapparecer
aqueie mo estar; os olhos ficam rodea-
dos de um circulo livido, e o seu branco
toma urna cor amarellenta ; e as maos e
ps tornam-se viscosos, achando-se cober-
tos de um suor fri.
O doente sente-se sempre caneado, e o
somuo nao Ihe da repouso. Algum tempo
depois, torna-se nervoso e irritavel, e o
seu espirito n3o v senao tristes presa-
gios.
Qnando se levanta bruscamente de urna
especie de tontura na cabeca e urna sen-
sasacSo de syncope, e cahiria se nao se
apoiasse em alguma consa. Ha prisao de
ventre: e a pelle passa sem causa do
calor ao fri. O sangue, espesso e pesa-
do, circula sem regularidade.
Em seguida, a nutrigao passa com diffi-
culdade e frequenteincnte rejeitada, ora
deixando na bocea um gosto agro e amar-
go, ora um gosto adocicado. A estes
symptomas ajuntam-se quasi sempre as
palpitacSes, que fazem suppr aos doentes
que elles soffrem de urna molestia do co-
racio. Quando o fim se acerca, o pacien,
te nao pode reter nutricio alguma, por
que a passagem dos intestinos ou cerra-se
completamente ou ao menos est quasi
cerrada.
Mas, ainda que esta enfermidade cr-
eamente assustadora, os afligidos daquel-
les symptomas devem tomar animo, por
qne "de mil casos ha novecentos e noventa
e nove nos quaes os enfermos nao tem
cancro algum senao simplesmente dyspep-
sia, doenca que o verdadeiro systema de
tratamento cura infallivelmente. O re-
medio mais seguro e mais eificaz o xa-
rope curativo de Seigel, preparacSo vege-
tal que vendem todos os pharmaceuticos e
boticarios do mundo inteiro e os seus pro-
pietarios, A. J. White, Limited, 17,
Farrington Road, Londres, E. C. Este
xarope destrne a causa do mal, expulsan-
do-a radicalmente da organisacao physica.
Depositarios na provincia de Pernam-
buco por atacado, Francisco Manoel da
Silva & C, na cidade do Recife.
Vendedores a retalho, na cidade do Re-
cife, Bartholomeu & C, J. C. Levy & C,
A. M. Veras & C, Roquayrol Frres,
Faria Sobrinho 4C. e T. S. Silva; em
Palmares, A. C. de Aguiar, e em S. Joao
da Igreja Nova, J. A. da Costa e fSilva
Faculdade de Direito
D2 ordem do Exm. Sr. conselbeiro director
interino, kco publico que segunda-feira 9 do
corrente, s 10 horas da maaba, na sexta sala,
comecarao os exames de portugus, e na terca-
feira (10) s 2 horas da larde, os de geometra,
algebra e historia geral, cujas bancas flearo
assira organisadas:
Portuguez
Presidente, Dr. Barros Guimares.
Examinadores, Drs. Adelrao Filho e Arcediago
Luiz Francisco de Araujo.
Geometra e algebra
Presidente, Dr. Eicorel.
Examinadores, Dr. Barros Sobrinho e Jos
Ferreira da Cruz Viera.
Historia geral
Presidente, Dr. Augusto Vaz.
Examinadores, Dr. Jos Soriano e bacharcl
Jos Bandeia de Mello.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife,
de unbo de 1890. O secretario,
Bonifacio de Aragao Farta Rocha.
EDITAES
Id
21
10
4 b.
5 h
5 b.
ttovlaaento do porto
Navios entrados no dia 7
Buenos Ayres e escala11 "ias, vapor inglex
Thames, de 3,369 toneladac, commandante
Hick?, equipagem 137, carga varios gneros ;
a Amofin.lrtnaos C.
Rio de Janeiro e escala3 das, vapor acional
Para, de 1,999 toneladas, commandante Ro-
berto Rtpper, equipagem 60, carga varios ge-
m-ros ; a Pereira Carneiro C.
Jomas sahidos no mesmo dia
Souibamptoa e escala-Vapor ingles Thames,
c-oimaniante Hieks, carga varios gneros.
BarbadosBarca noraegoense Stlen, capito
I. M. Abrabaose, em lastro.
N. 29
Rtcife. 7 de Maio de 1889.
Sr. Manoel Cardoso Jnior.
Amigo e Sr.No da 2 do corrente adoecendo
o meu empregado Manoel de Oliveira e Silva,
chegado de Po togal, soa trra natal, no dia 4 de
Novembro do auno pasaado, chamei para exami-
na!-o o Sr Dr Antonio Jos Ferreira Alves, este
me diese ser febre amarella e aconselhou me que
mandasse sua casa ver um frasco de seu pre-
parado anli febril e que applicasse em meio
clice d'agua 10 gottas de duas era dnaa horas,
ob3ervou por meio do thermometro a febre, que
attingia a 39*,8, n'esse mesmo dia voltou esse fa
cultativo nossa casa para ver o doen'e e j eu
tendo ipplicado allomas doses de remedio, dis-
se-raej vai melhor; no segundo dia veio duas
vezes, o que na ultima disse me
continu a dar sempre o remedio
que flz, e no tercero dia j se achava meu dito
erapregsdo prompto. oque s estevo at hoje em
convalescencia e se acha restabelecido ; 6 este o
segundo caso que teaho era minha casi, ao qne
a todos dous se tem salvado com seu antifebril,
o que por mais un a vez agradeco e me sub-
screvo cora estimaseu amigo grato -Manoel
Joaquim Altes Ribetro.
N~30
Recife, 10 de Maio de 1889.
Sr. Manoel Cardoso Jtnior. Presenta
Amigo e Sr. Venho pela presente agradecer-
Ule uru humanitario favor que de Vmc. acabo de
receber.
Adoecenlo meu Albo de nome Nicanor, esteve
aos cuidados de nm medico por espaco de nove
dia? o qual do ul'.imo me disse que nao recei-
Uva mais, porque os recursos eslavam eegota
dos ; lerabraodo me, por ter ouvido dizer, qoe
Vmc. tinba om seu preparado a que dava o nome
deanli febril, mmediatameate pedi ae Sr Ma-
noel Ribeiro, seo amigo, para, por intermedio
d'esle, obter un ftasco, o qoe pode obter; ap-
pliqoei o, e na lerceira dose ja se achava meu
'hosem febre, o qoe conouel a dar, no se-
gondo dia se achava elle como se nada tivesse
soUrid. Fallara a um dever Bagrado se nao
viesse testemunbar Ihe meu voto de gratidSo.
Subecrevo-me seu humilde criado e obligado
los Francisco Fernanda Ribeiro.
(Eslavam selladas c reconbecidas as hrmaa).
Edital
Secretaria do Governo do
Estado de Pernambuco, 5.a
seccao, em 7 de Junho de
1890. Por esta secretoria
se faz publico que, a con-
tar de hoje. s serao conce-
didas passagens as estra-
das do ferro e nos vapores
da Comranhia Pernambu-
cana aos cidadaos que tran-
sitaren! a servico publico e
o uia veiu uuae J'
-estprompto,|aos Que provarem maigen-
at amaohS, o x r j j
cia, mediante attestados de
autoridade competente.
Nao devendo continuar o
abuso que de taes passagens
se ha feito, concedendo-se
favores a pessas que po-
dem dispensal-os, sao preve-
jiidos todos os interessados
para proceder nos termos do
presente edital.
O expediente d'este ser-
vido ser nicamente de 10
as 11 horas da manha, per-
ante o empregado para elle
desigoado. (Assiguado) Q
secretario, Joo de Oliveira.
Thesouraria de Fazenda
FOBNECIMENTO A GUAENigiO
O conseibo para o fornecimento de gneros e
forraueos s pragas d'esia guarnico e aos ca-
vallos a cargo da 4* batera do5*batalbo de ar-
tilharia de posicao destacada n'este Estado, re-
cebe proposlas no dia 16 de Junho prximo vin-
douro, s 11 horas da manh, no quartei general
do coramando das armas, onde funecionar o dito
cooseiho para contractar o fornecimento dos allu-
didos gneros e mais artigos contantes da rea
cao infra, durante o semestre de Jolho a Dezem
bro d'este anoo.
Arroz, kilo.
Assucar branco refinado de qualldade, dem.
Dito dito de 2* dita, dem.
Azeile doce de Lisboa, litro.
Alfa fa, kilo.
Agurdente, litro.
Afetria, kilo.
Ameixas passadaf, dem.
Araruta, dem.
Bacalbo, idem.
Ba'atas inglezas, idem.
Biscoutas, idem.
Banha de porco, americana, dem.
Caf em grao, iuem.
Caf moido. idem.
Carne de porco, idem.
Dita de vacca com osso, idem.
Dila de dita sem osso, idem.
Dita eecca do Bio Grande do Sol, idem.
Dita de carneiro, idem.
Cha verde de India, idem.
Dito preto da dita, idem.
Sevadinha, idem.
Cravos, cento.
Chocolate, kilo.
Carvo vegetal, barrica.
Dito coke, kilo.
Canelas de madeira, duza.
Eaterro8 por cavallo. um.
Farinha de 1 qualidade, litro.
Dita de 2a dita, idem.
Feiio preto ou raulatinbo, idem.
Fruc:as, rac&o (duas bananas oo umalaranga).
Farello, kilo.
Portadora, par.
Figos passauos, kilo.
Frango, um.
Gallinba, orna.
Gomma arbica, frasco.
Goiabada em lata, kilo.
L'.nba, acba ou toro.
Leite de vacca, litro.
Lavagem de roupa passada a ferro, peca.
Lapis preto de Faber n. 1, duzia.
Macurrao, kilo.
Maizen?, idem. ,., ...
Mant iga ingleza de 1 qualldade, dem.
Mammlada. idem.
Milho, dem.
Medicamentos para cavalhada, numero.
Ovos. um.
Pao, kilo.
Phosphoros an encanos, grosa.
Passas, kilo.
Peonas de afio Perry, caixa.
Papel pautado me, resma.
Papel mata borrSo, folha.
Queiio de Miaas, um.
Sal, litro. ... i
Sanguesugas, pela applicacao de urna.
Sabo commum, kilo.
Toucinho de Minas, kilo.
Tinta preta, garrafa.
Temperos e verduras, ragao.
Tapioca, kilo.
Vinho tinto, litro.
Dito branco, idem.
Dito do Porto, idem.
Vinagre tinto, idem.
Dito branco. idem.
Vassouras de piassava, grandes, urna.
Velas de ceta, kilo.
Capim feiches de 3 kilos.
CondicSes
f Todae os gneros sero de primeira qualida-
de e os fornecedores devero satisfazer os pedidos
dentro dos nrazos marcados nos respectivos con-
tractos, entregando os gneros nos quartei sou
fortalezas e enfermaras, e depositario na The-
souraria de Fazenda urna quantia como cauca?,
quesera arbitrada pelo consflho de forneci-
m 2* As proposlas deverao conter a declarasao
expressa de sujeitar-se o proponente multa de
5 /o da importancia a qoe montarem oa vveres
oo artigos que forera acceitos, si deixarem de
comparecer para assignar o respectivo contracto
dentro do prazo que fr marcado pelos ]dr-
3* S poderao concorrer ao rornecimento os
caoidatos que se habilitarem na formado arl.
18 do decreto n. 7085 de 6 de Maio de 1880.
4 Da falta de Bel comprimeoto de qualquer
das obrigacoes coot.ahdas, os fornecedores flea-
ro sujeitoa pagar o valor dos gneros regeita-
dos ou nao recebidos em tempo
5- Os concurrentes sao obngados a apresentar
as amotras dos gneros oo artigos, que forem
jrjlgados precisos pelo cooseiho.
6' As proposlas serio apresenUdas em dupl-
cala al s 11 horas do referido dia, em que all
seiSo abertaae apuradas em presenca dos pro
ponentes; sendo que na mesma occasio se ac-
ceitaro proposta3 para a venda de estrume dos
animaes da precitada bateria.
7 Finalmente, os fornecedores que requererem
a rescisao de seu contracto e forem attendidos,
hcarSo sojeilos mulla de 10 /. obre o total do
fornecimeale do semestre anterior.
Thesouraria de Fazenda do Estado de Pernam-
buco, 30 de Maio de 1890.
' O inspector,
Dr. Democrito Cavalcante de Albuquerque-

v !
'

.
.

.
>





-.

11
A I
Oorreio geral
Malas a expedir-se hoje
Pelo vapor braseiro Par, esta administracao
expede malas para os portos do norte, receben-
do impressos e objectos a registrar at 1 bora
da Urde, e carta* ordinarias at 2, oo at a en-
trega das malas com porte duplo.
AdministradK) dos Correos de Pernambuco,
8 de Ha fla 1899. .
O adounistrador,
Ai* R*fo Barros.



Diario de Pemambuco-Dommgo 8 de Junho de 1890
>
<<.
i
i
THEATRO
SANTA ISABEL
sasparaa
DK
ORIA-mia OPERETAS E MGICAS
DO
THEATROSANTANNA
DA
CAPITAL FEDERAL
ElISiSA DO ABTISIA SELLES _.
HOJS Domingo, 8 de Junho de 1890 HOJE
2.a recito.
BST8A'DOS ARTISTAS
*ISABEL PORTO E PEIXOTO
Primeira representacSo da opera buffa eru 3 actos de PAULO ERRIER e
CARR, mnsica de VCTOR RO/EH, tradcelo livre de MOREIRA sAMFAlU
JOSEPHA
Personagens
Alfredo Gil Phara Pacha
Montosol
Patifar Bey .....
Mme, Jacob .....
Josepha, riiha de Mme- Jacob .
Benjamina, idem idem
Rebeca, dem idem. .
Deborah. idem idem .
Simefia. idem idem. .
Agar, idem idem ....
Racbel, idem idem.
Lia, idem idem ....
Sarah, idem idem ....
Judith, idem idem
Esther, idem idem.
Dinab, idem idem ....
Fatina .
Mourzouf .....
O carteiro
Ger rudes (criada).
Genros, visinhos, janisaros, visinhas criados,
soldados, carteiros, operarios, costureiras, etc., etc.
Sr. Mattos
Sr. Colas
Sr. Peixoto
D. Isabel Porto
Mme. Massart
MUe. Lopiccolo
D. Anna Leopoldina
D. Mathilde
D. Athayde
D. Eugenia
D. Rosa Bergmann
D. Virginia
D. Adele
D. Julieta
D. Rosa Santos
D. Estephania
D. Malhilde
Sr. Andr
Sr. Mesquita
D. Rosa Santos.
mulheres do serralho, incliaos,
==
Scenarios, vestuarios, aderecos noYOS e
riquissimos
HISE E\ ti:\i: DO ARTISTA
A's 8 1/ horas.
Haver trens para APIPUCOS e OLINDA o bonds para todas M linhas.
Thesouraria de Fa-
z
enda
Foraeclmento do presidio de
Fernando
De ordem do Sr. Dr. inspector faco publico
que no dia 12 do comente mes, perante a sessao
da tunta desta Tbesouraria, que comecar as i l
oras da m=.nh, seao abertas as nropostas que
at esse dia forera apresentadas, aflm de ser con-
tractado, com querr. melhores vanUgens olere-
cer, o foroccimento de gneros e artigos para o
presidio de Fernando de Noronna durante o
semestre de Julho a Deiesabro deste anno.
Essas propostas devem vir devidaniente sella-
das e fechadas, o os proponentes requererao pre-
samente a esta reparlicio, provando que sao
negociantes matriculado? e se acbam quites re-
lativameete ao imposto de industrias e pronsses
do ultimo semestre e declarando que se obrigam
a entregar os referidcs gneros e artigos no pre-
sidio.
Oatrosim, nao serio aceitas as propostaB que
cootiverem artigos nao meociooados neste edi-
ta! nem tambem aquelles, cujos precos estive-
rem sujeitos aabatimeoto ou descont, por ib-
so qus os mesmos precos devem ser invaria-
veis.
Os gneros e artigos sio:
Asaucar mascavinho, kilo.
Arroz pilado, idem.
Assucar branco refinado de 1* serte, dem,
Aletria, idem.
Araruta, idem.
Alcoot de 36 a 40, litro.
rame, k lo.
Agua ras, li.ro.
Algodo trancado azul e msela, metro.
Ac quadrado ou inilo, kilo.
Azeita doce, litro.
AlgodSosiotio, m tro,
Algodo trancado de listras. dem.
Agutbas para costura, papel.
Arcos de ferro sortidos, feixe.
rame de lati, kilo.
Arithmetica de Castro Nunes, uiu.
Azul ultramar, kilo.
Areia de caldear, barrica. ^c
Ac francez com uma pollegadi de groas ura
rame de ferro de 7/8 a 7j2 pollegadas, kilo.
Botes de osso com dous furos, caxa.
Brabante, kilo.
Boi vivo, um.
Bacalno, kilo.
Banha de porco, idem.
Boron para espanar, um. .
Bnm pardo de algodo, metro.
Bandeira nacional de 6 pannos, urna.
Cha Hysson, kilo.
Caf em grao, idem.
Copos de vidro, um.
Camisolas de brim, urna. -
Dita de algodo, idem.
Ditas de torca, idem.
Cimento Portland, barrica.
Carvao de pedra para ferreiro, kilo.
Cartas de A B C, urna.
Collecco de traslados, dem.
Cordas de croa, peca.
Cabos de manilna, kilo.
Cabos para eoxada, um.
Chapeos de baeta, dem.
Cabos de Cairo, kilo.
Colla da Babia, idem.
Cobre em foli.a, Idem.
Caivete fino, um.
Cera branea em velas, kilo.
Dla em brande, idem.
Caetas de pao, duna.
Chamiu patente, um.
Cana de linuo de tedas as dimeoses, kilo.
Gal branca, litro.
Pj-i nieta, urna
iaWs de ferro de 8 i 2 16,*, numero.
Doutrina Cbriaia. urna.
Doce de goiaba, kilo.
Enxamet, un
Enveltope tobo, oca.
Dito Me ornaos, dem
Enxadas de 3 1/1 e 4 libras, 00.
Esleir da palna, ana
Estanho em verga, idem.
Esteiras de pallu para cangalha, idem.
Escopro?, um.
Farinha de mandioca, litro.
Dita de trigo SSSF, barrica.
Dita de tapioca, kilo.
Fumo em latas, kilo.
Facas de ferro, duzia.
Ferro inglez tueco sortido, kilo.
Fio de vella, idem.
Ferro de Siemes queimado, idem.
Folies para fe~retr), um.
Ferro para varando, kilo.
Grammatica portugueza de Castre Nones, uma.
Dita de Abillo, idem.
Geometra, idem.
Geograpbia, idem.
Gomma lacea, kilo.
Gomma arbica em p, idem.
Dita em carcho, idem.
Giz, idem.
Gomma gotta, idem.
Hostias, orna.
Historia do Brazil, orna.
Incens, kilo.
Kerosene, lata.
Lences de algodo, um.
Lixa esmeril, folba.
Lacre, pao.
Lipis de borracha, duzia.
Ditos de Faber pretos, idem.
Ditos da carapina idem, duzia.
Linha Dranca n. 20, carritel.
Lapis de core, duzia.
Livn primeiro de leitura, um.
dem segundo de idem, idem.
dem tercetro de idem, idem.
Manteiga ingleza, kilo,
dem franceza, idem.
Marmellada, kilo.
Manuscriploa, um.
Maagaes de ferro para carroca, om.
Macarrao, kilo.
Madapolao, peca.
Ncar encarnado, kilo.
Ncar tdso, idem.
Oleo de linhaca. litro.
Ocre amarello, kilo.'
Papsl pauUdo almas?o Fiume, resma.
Dito carto mata-borrao, folha.
Pedra para escrever, uraa-
Pos de janeada, um.
Ditos grossos para balsa, idem.
Pavies para cao'aieiro patente a gaz, dem.
Palha de carnauba para chapeos, orna.
Pregos de ferro 80rttd03, kilo.
Pennas de ac Perry.caixa.
Pregos francezes, kilo.
Pxe, barril.
Pregos caixaes, kilo.
Pinceis de rama comprido, um.
Ditos chatos finos, idem.
Ditos redondos idem, idem.
Prancbes de pinhode 25 ;a 30 palmos de com
primento, 1 de largura e 3 pollegadas de es
pessura. om.
Ripas, rnolbo.
Sabo-amarello, kilo.
Syslhema mtrico, um.
Sola, meio.
Serrotes de 45 a 50 centmetros, om.
Secautc fzes de ouro, k'lo.
Sombra para tiogunento, idem.
Sal conmura, litro.
Tinta azul da Prussia, kilo.
Tinta preta, litro.
Toalha de algodo, uma.
Taboado?, idem.
Telna3 de zioco, idem.
Trocha de vea, iiem.
Trincheta, idem.
Tornos para bancada idem.
Travs de 3 a 40 pollegada, uma.
Tijollo?, centro.
Temas de barro, idem.
Vidro para vidraca, um.
Verde chromo, kilo.
Vioagre de Lisboa, litro.
Viobo branco, idem.
Vinho do Porto, idem.
Vassoura de piasesva, urna,
Vella steariana, k'lo.
Ver ruina wrtidas, uma.
Verniz copal branco, kilo.
Dito do Jaiao, idem.
Vermelhao da China, idem.
Xarque, kilo.
Zarcao, dem.
Os gneros devem fer de boa qualidade.
Em 4 de Juafco de 1890.
0 secretario da junta,
Dr. Antonio Jote de SanfAnna.
Secretaria da veneravel ordem terceira do
Sera;>hico Padre S. Francisco no Reci-
fe, 5 de Junho de 1890.
De ordem do nosso irmao ministro, chamo a
concurrencia para o lusar que se acba vago de
cobrador desta veneravel ord.m, em virtode do
nosso irmao Eduardo Colorubier, ter pedido sua
exoneraco. A pesoa para este lugar deve ser
habilitada, dando a devida Sanca o apresentar
seu requerimento na se;retaria desta veneravel
ordem at 1 hora da tarde do dia 9 do ce r-
rente.
Francisco de P. Coaceiro,
Pro secretario._________
Junta commercial
Esta secretaria faz publico qoe foi registrada
a escriptura .nte nuocial, celebrada entre Jos
Joaquin Samarcos e D. Mara Adehide Seve,
para se reeeberem em matrimonio, o qual ter o
rgimen da co.upteta separajjo de bens adqui
ridos e por ad<|uinr por qua quer titulo que
seja, nao poden io as lvidas de um djs conju
ges, contranidas por qualqaer titulo, ain>!a o de
alimentos dos esposos e seus Dlhos, responsa
bilis.:r o outro conservara cada coujuge plena
propriedade, posse e disposicao de seus bens
sem poder nisio ser erabai(;auo pelo outro, sal-
vo sujeicao marital a que est obngada a es-
posa.
Secretaria da Junta Commercial do Recife, 3
de Junho de 1890.-0 secretario,
Julio Guimares.
Matriz de S.Jos
Veneravel Irmnadade do SS. Sacra-
mento
Eleicao
Pela terceira vez sao convidados os carissimos
irmSos a comparecerem em nosso consistorio no
dia 10 do coi rente, pelas 6 horas da tarde, afim
de eleger se a mesa regedora para o anno com
promissal de 1890 a 1891.
Consistorio, 8 de Junbo de 1890.
Padre Albino de Carvalbo Lessa,
Presidente da commissao.
Club Militar
O major Lulz Cintra convida os seos collegas
da commissao da imprensa para reunirem se na
terca-fera 10 do correal--, pela 7 horas da tar-
de afim de tratarem de negocio urgente, na
sede das sessues d > mesmo club.
Irmandade
DE
N. S. daC( uceigao da Con-
grega^
De ordem do irmao juiz, convido sos irmaos
mesarles e mais irmaos da irmandade para as
sistirem a .'esta da nossa padroeira domingo 8
do corren te. pelas 10 horas da nianh ; e o mes-
mo irao juiz roga o comparecimento para
maior brilhantistno de dita festa ; issim como
is 7 horas da tarde para a ladainha.
Recife, 4 de Junbo de 1890.
Manoel Goncalves Agr,
Escnvo interino.
iiyiliiM Sali& OOlft!
A REALISAR-SE NO
Dia 8 de Junho de 1890
Nemes
i
Pellos
Cor da vesti-
menta
Proprletarlos
1. PareoCoasolac&o800 metrosAnimaes de Pernambuco que nao tenham ganho
premios nos" prados do Recife, nestes 8 mezes c eguas deste E3tado Premios :
200 ao Io, 40* ao *> e 20* ao 3.
Lucifer.....
Stella......
Pouillac.....
Lord -By ron,
Asamor......
Breas .....
Mouro.......
Djerid.......
Hercules-----
Ida.........
Berlim......
Ally Sloper..
Rodado..
Zaina
Rodado...
Rnsso pedrez
Balo....
Alazo..
Rodado.
Rodada.
Caxito..
Rodado.
57
55
II 55
55
57
57
55
55
55
55
* 55
a 55
Ouro e preto...,-----
Grenat e rosa........
Preto br. e encarnado.
Azul e bronco.......
Azul c encarnado
Preto ene. e ouro
Encarnado e ouro----
Lyrio e ouro.........
Verde e encarnado...
Lyrio e ouro........
Asul e branco........
Branco..............
Antonio Ucba.
Coudelaria Mondego.
Henrique J. da Silva.
JoSo de O Silva.
Jos L. Souza Filho.
T. Pernambucano.
JoSo Ferreira Costa.
Jos E. de B.Costa.
Jos Caetano Pinto.
Coud. S. Jorge.
Fernandes de Azevedo
Henrique J. Perman.
|PareoEstado de Pernambuco-1.100 metros Animaes pungas. Premios 200*
0 t., 403 ao 2." e 20* ao 3.
Delegado
Pindaro..
Gaurany.
Faceira...
Templar..
Corga 2..
Castanlio
Alazo...
Rodado..
Rodada..
Rodado..
Pera.
54
5*
54
5i
54
54
Grenat..............
Azul, encar. e branco.
Azul e branco.......
Lyrio e ouro-..-
Ama re lo...........
Grenat..............
Joaqun H. Hariz.
Coud. Venturosa.
Coudelaria Demcrata.
Joaquim S. C. Cunha.
Carvalho & Pereira.
Joao B. dos Santos
3. Pareo -Antmacao-800 metrosAnimaes de Pernambuco que nao tenham ganho
nestes 2 ltimos mezes nos prados do Recife. Premios 200* ao i, 40* ao 2 e
20* ao 3.
S. R. J.
Sociedade Recreativa Ju-
ventude
Sarao bimestral em 5 de Junho
Convites nesta secretaria, iogressos em mSo
do tbesoureiro, nao se admiltem aggregados.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juventude,
2 de Junho de 1890. 01 Secretario,
M. K. Baptista.___ _^
Lyco de Artes e Officios
Comeca a funecionar hoje a aola de cbymica,
sob a regencia do Sr. Iir. Augusto Coelho Leite,
para o que Be acbam abertas as respecti vas ma-
triculas na secretaria do Lyco, todo? os dias,
das 7 as 9 horas da noite. A aula funeciona as
segundas, quartas e sextas-feiras, das 7 as 8
hora
Sociedade
DOS
A.rtistas Mechanicos e Li-
beraes
De ordem do director, sao convidados todos o
Bocios qoe se acbam no gose de seos dirreitos
Sara comparecerem na sede ocial segunda-feira
do cerrente, > 6 1/2 horas da tarde, para ter
logar a sessao de assembla geral do crente,
mea, deveado effectoar se com o numero qoe
comparecer. "
Secretaria da Sociedade dos Artistas Mechni.
eos e LiDeraes de Pernambuco, 4 de Juabo de
1890.O 1- secretario,
Joaquim Lopes Teixeira.
Estrada de ferro de
Ribeiro a Bonito
Por deliberacio da din eteria, sio convidados
os senbores accionistas para se reunirem em
assembla geral extraordinaria, no dia ii de
corrente, ao meio dia, oa sede da sociedade,
afim de tomarem conbecimento de uma repre-
sentacSo feita por diversos accionistas.
Recife, 6 de Junbo de 1890.
Manoel de H. Cavalcanle,
Di rector secretario.______
Companhia Alagoana de
Fia^ao e Tecidos
Convidamos os senhores subscriptores desta
compaorfla para, de accordo com os arta. 9 e 10
dos estatutos, realisarem at o dia 14 de Juoho
prximo futuro, a 10, entrada oa raaao de 10
0/0 do valor de soas aeces no Banco de Per-
nambuco. Macei, 14 de Maio de 1890.
Os directores
Jos Teixeira Macbado.
Jas Januario P. de Carvalbo.
Propicio Barreto.
MTiiUlllIKGO
Crande cervejaria
CAFE' JARDIM .
Junto dos Iheatros
Gerencia do servido interna
maDcViwe j. mmm & c.
Esplendido Restaurant
Bebidas scladns e sorvetes
Bilhar e bola
os favoritos e traveseos
BECBEIOS P.illlSlEXiE
Tudo a dinbeiro eem
Con8umacott
vontade e paladar da selecta fregnez:a deste
odesto e8labeleeimento, que do alto da impren-
sa comprimen'.a a recem chegada, troupe da
festejada.
COMPAMHA HBLLER
E A BRIOSA
Mocldade pernambacana
Aos domingos le tarde
ExercicioB gymnaatiooa, acrobtico e de
Bo
Pelos artistas
Jack
Hallicher
Noeb
Woller
P0t08...
Lucifer..
Florete-.
Tupy
Humilde.
Hercules.
Castanho...
RU880.......
Castanho----
Baio........
RU8SO......
Redado......
Pern
57
57
55
55
59
55
Ouro e preto......
a
Encarnado e branco.
Branco e encarnado.
Aaul e encarnado.
Verde e encarnado..
Joaquim da Rocha
Antonio Ucba.
Francisco Freir.
Francisco C. Rez-nde
Antonio T. dos Santos.
Jos Caetano Pinto.
18.250 1 pulseira, i broche, 1 par de brincos-
de ouro conteni brilhantes, 1 broche e
1 par de brincos com brilhantes e rn-
bins, 1 pulseira com opalas e rubias, 1
dita lisa, 1 broche com esmeraldas e
perolas. todo ouro de le.
18 416 1 pulseira, 2 m< dalas, 2 trancelip-, 1
corrente para relogio, 1 par de brinco,
1 alQnele e 1 annel ouro de lei.
18.526 1 ujoeda de ouro de valor < e 5*000, t
voltas de trancelim, 1 medalba, 2 ft^iS
de coral em ouro e 3 teteas, ooro i
lei.
4. pareoProsperldade-850 metros.-Animaes de Pernambuco que n5o tenham ganho
em distancia superior a 1.090 metros no Derby, em 1890. Premios: 200*000 ao 1-,
40* ao t e 20*000 ao 3.*
Vfauritv......
Rio d'Ouro.
Cauby......
Phoriseu
Viilage......
Castanho....
Russo.......
Castanho....
Castanho ...
Mellado......
Pera
57
55
57
57
57
Azul e encarnado----
Preto e amarello.....
Preto eouro........
Preto ene. e ouro-----
Amarello e encarnado
Francisco H. Valle.
Coud. L Descoberta.
Alfredo Marques.
E. Floro de Paiva.
Antonio F. da Costa.
5. Pareo-Prado da Estaaela-1.800metros-Animaes aacionaes at meio sangueque
nSo tenham ganho no Derby no ultimo mez. Premios : 300*000 ao I. 60*000 ao
2. e 90*000 ao 3
I
Atila;.. ..
Chiroh.....
Fluminense...
Torpedo.....I 5 ICastanlio.....
ITordilno .
Castanho.
Alazo.
S. Paulo.. L 56
Rio de Jan.
S. Paolo. .
54
56
56
Azul encara, e branco
Lyrio e ouro.........
Ouro e preto........
Azul branco e encaro.
Ccud. Venturosa:
Coudelaria S. Jorge.
Joaquim da Rocha.
Coudelaria Cruzeiro.
6. Pareo -Experiencia 800 metros.Animaes de Pernambuco que nao tenham ga-
nho no Derby nestes quatro mezes Premios : 200* ao 1*, 40* ao V e 20* ao 3.
V
Vivaz.......
Potos.......
Tupy........
Maranguape
Talispher. ..
Diu.........
Dona van-----
Castanho-
Pern.
Baio.......
Alazo-----.-.
Rodado......
Rosilho.....
Castanho
55
57
55
57
57
55
55
Ouro e preto
Brancoe encarnado..
P. encarnado e ouro..
Branco e encarnado..
Verde e rosa........
Escarate e ouro.....
Joaquim da Rocha.
Fraocisco C. Rezende.
Bento B. da F. Filho
Jos N. da Silva.
Coud. ludependente.
Fredeiico Altwood.
7." PareoBmnlacao1.200 metrosAnimaes de Pernambuco. Premios: 200*000 ao L
40* ao i.' e 20* ao 3
Cauby.......
Viilage......
Maurily......
Phariseo-----
I Castanho.
: Mellado.
iCastanho.
Pern.
54
54
54
54
Preto c ouro..........
Amarello e encarnado
Azul e encarnado.....
Preto ene. e ouro
Alfredo Marques.
Antonio F. da Costa.
F. H. do Valle.
Eduardo F. de Paiva.
Os animaes inscripto para o 1* pareo devem achar-se no enaUhameto s
9 1t2 horas da manhl
O primeiro pareo correr impretenvelmente s 11 e 1\2 horas da mann.
Ob forfaits e serSo recebido at abbado 7 de Junho, s 3 hora da Urde.
O expedienta desta corrida encerrar-se-ha sabbado, 7 do corrente, s 3
horaa da tarde. Q SECRETARI0> ^
Manoel Medeiros.
n<^M%3r^a^-
Santa Casa da Misericordia i
do Recife
Perante a junta administrativa, em sua sessao
do dia 10 do correte, poderao ser aprsenla
das propostas para o arrendamento da proprie-
dade Ilha do Nogaeira, com casa de vivenda,
coineiral e com uma pequeoa crsa junto ao
caes, servindo de base a quantia de 1:200*000
annuaes de renda e as mais clausulas qoe po-
dem ser consoltadas ne*ta secretaria.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 4 de Joddo de 1890.O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Consulado da Allema-
na
Terminando no dia 14 do jrrente o praso
concedido aos estrangeiros para fazerem a de-
claracao de qoe desejam manter a sua naciona
lidade e facultando o decreto de 15 de Maio, que
taes declaragOei possam ser feitas nSo s piran-
te a intendencia, como tarubem perante os es-
crivaes de delegadas, subdelegadas e este con-
sulado, deu p;la presente sciencia de taes dis-
nosices i todo3 os cidadaos allemaes.
Consulado da Allemanhi em Pernambuco, 2
de Junho de 1890.
P. Borstelmann,
Cnsul. __________
Monte de Soccorro
43 leiUo de jaias
Este estabeleciroento far leilo no dia II de
Junho prximo, por intermedio do agente Mar
tins tm sua sede, na ra Boin J^tis i. 32, as
11 horas da manha. dos objectos que n&o foram
resgatados at a vespera, constantes das seguin-
tes cautelas vencida :
17 432 1 faqneiro contendo 72 coihere, 7 con-
cha, 1 par de trinchantes, 48 garlos,
24 facas pequeas e 4 colberes.
17.443 1 chpa de ouro (ofliciaL da Rosa) era-
vejada de brilbaotes e diamantes, 3 bo-
toes de ouro com 3 brilhar-te.
1 annel de ouro com 1 brilhante grande.
1 volta de ouro. 4 medalha 1 trancelim,
1 relogio de ouro par* senhora, ouro de
lei.
17.474 1 par de brioco com ametista de te-
roas, i volta de trancelim, 1 medalha,
1 era, 2 anneis, coro de tai, 4 calta, 3
coihere* para cha, 1 dita para topa, 1
avella de prata.
ITWOT broche cravejado de brilhantes, 2
17.445
17.465
*

17.550
17.580
17 593
17611
17.637
17 642
17.693
17-700
17.746
17.760
17.771
7.776
18 003
18 006
18.038
18.039
18.863
18.211
18245
18.249
grampos de ouro, com pecas tambem
cavejadas de brilhantes.
4 pares de brincos, 2 alBnetes, i trance-
lim, 1 annel, ouro de le, i pulseira, 3
cordes, 2 cruzes. 1 annel, ouro baixo.
I broche, 1 par de rozeta de ouro, con-
tende brilhantes, 2 anneis com brilban
te.
24 colheres para sopa e 29 ditas para
cha. prata de lei.
1 par de rincos, 1 dito de rozeta, 2 me
dalbas, 1 luneta. 1 cruz, 1 ga, 1 alri-
nete pequeo, 1 annel, 1 par de botes,
2 bolas de ouro, ouro de le, I par de
argolas. 1 annel, ouro baixo.
3 pulseiras, 3 pares de rozetas, 1 dito
de botes, i cordao, 1 cruz, 1 annel, 1
caixa de ooro para relogio, ouro de lei.
2 fls de poDtas de ouro de le, 2 cora-
ces de cordulina engastadas em ouro,
ouro baixo.
1 par de rezetas de ouro contendo 2 sa
phiras e circuladas de brilhantes, 1 an
nel com 2 brilhantes e i saphira, 1 an-
nel com um b.':lhaote, 1 volta de ouro
com medalha, i r-nlseira com mosaico,
2 pares de brincos e 1 cruz, ouro de lei,
1 pulseira. 2 alfincUs, ouro baixo.
1 corrento de ourc, 2 trancelins, 1 cai-
xa para rap, 2 livellas, 1 par de b)-
tes, ouro de lei 1 pa" le brtOes, ouro
baixo, 2 salvas, 2 paliteires, 24 colheres
para sopa, 19 ditas para cha, 2 conchas
para sopa e arroz, prata de lei.
ojgarfos com cabos de prata, 1 tesoora
frsta da lei.
par de rozetas cora brilhantes peque
nos, 1 salva, 1 palileiro, 9 colheres para
sopa, 9 lilas para cha, pr-ta.
2 salvas, i paliteiro, t colher para arr
roz, 13 ditas para sopa, prata de lei.
1 alrinete, 1 medalha, 1 cordao, 1 par
de rosetas, ouro de lei.
6 colberes para sopa, 10 ditas para cha,
prata baixa.
1 salva l paliteiro, 4 colheres para
epa e 17 dita para cb, prata de lei.
1 par de brincos, 1 medalha como
oniek, 1 annel ouro -do lei, l paliteiro
prata de lei. .
1 par de rozetas e 1 dedal, ouro de le.
2 pares de brinco. 1 volta de trance
lim, i annel, ouro i lei.
1 par de botes de ouro com 2 brilhan-
te. 1 par de roietaa de ouro e 1 aodel
com brilhantes.
1 broche de ouro craveiado de bruan -
ttt, 2 pnUeir, com ditos, 1 croa era-
vejada de ditos grandes.
l8cothere para sopa, M Mu para
cb, 1 concha para arro, prata.
18-550
18-564
18.571
18.591
18.600
18 606
18.607
18 610
18.612
18.615
18.616
18.617
18.618
18.619
18.620
18.621
18.622
18.623
18.625
18.626
18.627
18.628
18 632
18 633
18.640
18.656
18659
18.679
18 682
18.683
18.686
18.698
18.703
18.705
18.710
18.711
18.712
18.720
18.721
18.724
18.728
18.734
18.736
18.737
18-747
18.766
18.771
18.772
18.773
18776
18.796
18.797
18 806
18.813
18816
18-820
18.832
18.849
18.864
18.879
18.880
18-892 .
18.902
18.903
18 904
relogio,
18.906
18.913
18915
18.919
18.920
18.952
18.953
18 958
18.9IJ0
18.965
18 969
18.970
18.972
18 797
18.984
Brilhantes pequeos sob papel.
Relogio onro de lei.
i volta de ouro, 2 correles, 1 medalba
para relogio, 2 irancelins, 1 oedicha
de ouro com lago, 2 medalhas, 1 par
de brincos, 5 ditos de rozetas, 2 anneis,
2 moedas sterlinas em botes, ouro de
lei.
1 relogio ouro de lei.
1 pulceira de ouro, 1 dita com riquili-
fes e coraes, 1 trancelim, 2 voltas de
dito e 1 cruz, ouro de lei.
1 pulseira, I medalhao, 1 par de brin-
cos com rubins e perolas, ouro de lei,
2 salvas prata de lei.
1 annel de ouro com 1 brilbante.
2 anneis de ouro com brilhantes peque-
nos, 1 fio de perolas, 4 broches, 3 pares
de brincos, 1 dito de rozetas, 2 anneis,
2 pecas de cinteiro ouro de lei, 1 par
de botes, 1 medalha, ouro e onick ou-
ro baixo, 1 salva, um palileiro prata
baixa.
1 relogio de ouro de lei, 1 salva de pra-
ta de lei.
1 salva rande, prata de lei, 1 escrin-
mnha incompleta, prata baixa.
1 rosario ouro de lei.
3 trancelins, 1 cordao grosso, 1 dito
fino ouro de lei
1 corrente, 2 trancelins, 2 anneis, duas
cruzes ouro de lei.
1 pulseira de ouro com 5 brilhantes e 1
pedra branca, 1 par de brincos de onro
cravejados de brilhantes, 1 alfinete-para
manta, uma cruz com brilhantes ouro
de lei.
2 pulseiras e 1 uma corrente para relo-
gio, ouro de lei.
12 colberes para sopa, 15 ditas rara
cb, 18 ditas para creme, 3 para i:rar
sopa, arroz e assucar, prata baixa.
1 pulseira, 1 par de be les curo de
lei.
i moeda de ouro (libra) e 1 annel com
1 pequea esmeralda.
i cordao e uma cruz, ouro de 16 quila-
tes.
1 salva, 1 paliteiro, 2 colberes para
sopa e arroz e 17 colheres para cha, de
prata.
1 medalha e 2 pares de rozetas de ouro
lei.
1 salva de prata, 2 colberes para sopa
arroz, prata de lei.
1 relogio ouro de lei.
1 corrento, 2 trancelins ouro de lei, 1
salva oitavada prata de lei.
23 colheres para sopa, 22 ditas para
cb, 3 para tirar sopa, arroz, i dita pa-
ra peixe, 24 garfos, prata de lei.
1 broche, 1 par de brincos, 1 cruz, uo-
ro de lei.
1 par de rozetas de ouro com onisk e pe-
queos brilhantes. 1 medalha de onisk.
com 1 brilhante pequeo. 1 par de ar-
recadas cravjadas de diamantes, 1 tran-
celim.
1 pulseira de ouro e 1 medalha con-
tendo tirilhaaies, 1 volta de ouro com
laco, 1 corrente para relogio e 1 ca-
eta.
1 annel de ouro com om blhaote.
1 Pulceira ouro de lei, 1 salva pequea,
prata de lei.
1 pulseira de ouro, 1 volta com meda-
lba, 1 tracelim, 2 allinetes, l par de
Drincos, 1 dito de rozetas, 1 moedi-
nha de ouro (dollar) e 4.anneis de ouro.
2 anneis de ouro com 2 brilhantes, 1
dito com 3 brilhantes.
1 correte para relogio, ouro de lei.
1 crucilixo ouro de lei.
1 corrente com celes para relogio, I
rosario e 1 loneta d ouro de lei.
2 correles de ouro para relogio, e tran-
celim com cinete, ouro de lei.
1 annel de ouro com um briluante.
1 alfinete de ouro com brilhantes, 1
par de botes com ditos, 3 alrinetes de
ouro, 1 par de brincos, 1 dito de roze-
tas, 1 medalha, 1 luneta, 1 apilo de
onro.
1 annel de ooro com 1 brilhante, i
corrente para relogio, 1 alfinete com es-
meraldas, 1 figa e i relogio ouro de
lei.
1 aonel de ouro contendo uma esme-
ralda circulada de brilhantes.
i annel de ouro com um brilhante pe-
queo, e volta de curo e 1 medalha ouro
de lei.
2 casticaes com bocaes, prata de lei.
1 par de rozetas de ouro com brilhan-
tes em circuios, 1 alfinete de ouro com
esmeralda, 2 pulseiras, 1 par de brin-
cos, 2 pecas de dito, l rozeta, 1 peca de
ooro, 1 broche, 1 passader para manta,
0 -ro de lei. 1 redoma, 1 cruz, 1 par de
brincos. 1 dedal e 1 emblema do Espi-
rito Santo, ouro baixo.
1 par de rozetas de ouro com 2 saphi-
ras circuladas de brilhantes, 1 volta de
ouro e 1 medalha, ooro de lei.
1 aonel de ouro com peqoeoo brilhante,
i volta de ouro com medalha, 2 broches
e 1 par de rozetas, ouro de lei.
1 correte e medalha para relogio, caro
de lei
1 alfinete de ouro para manta, com 1
brilbante.
1 alfinete, 1 par de brincos, 3 anneis, 1
cinete, 1 tetea e 1 moedinba de ouro
com laco, ouro de lei.
1 corrente oe ouro pira relogio.
1 pulseira, ouro de lei.
1 volta de trancelim e 1 cruz, ouro de
le.
1 pulseira, i breche, 1 par de brincos
cravejados de brilhantes e diamantes.
1 pulseira, ouro de le.
1 par de brincos, ouro de lei.
1 corrente para relogio, ouro de lei.
2 anneis de ouro com brilhantes peque-
os, I moeda de ouro de 20 francos, 1
pulseira, 1 alfinete e 1 par de brincos,
ouro de lei.
2 trancelias, 1 moedinha de ouro i i
laco e 3 allinetes, ouro de lei.
1 annel de ouro com um brilbante.
1 annel de ouro com um brhanteg
de e um corrento, ooro de lei.
1 medalha, ouro de lei.
1 cordao, ouro de lei.
1 volta de trancelim.; i medalha, cara
de lei.
1 anuet de ouro com 1 brilbante pe-
queoo, 1 pulceira, ouro de lei.
1 boto de ouro com 1 brilbanto.
1 corrente e medalha para relogio e I
ouro de lei.
l co*rente para relogio, ooro e pla-
tina.
i trancelim, 1 luneta e 1 par de oculos.
l par de rosetas, ouro ere vejado de
brilhantes.
1 par de brincos, 1 cordo, ouro de lei,
1 trancelim, i figa, ooro baixo.
1 pulceira, i alrinete 1 par de brincos,
1 cordao, 1 ernz, 1 emblema de S. Braz,
1 par de botes, ouro de le.
1 aonel de ouro com 1 brilhante
1 trancelim, i brilbante, 1-par de ;-
seta, ouro de lei, i cordao, 2 a'.linetes,
1 par de rozetas, ooro baixo.
1 peona de ouro de le
1 trancelim com passador, ouro de ter.
1 corrente e medalha para relogio, 1
chave, 3 botes, 1 annel e 5 letras, ou-
ro de tei.
1 alfinete de ooro com brilhantes.
1 salva, 1. colher para arroz, prata de
lei, 12 colheres para sopa, 5 para cb,
S conchas para assucar e sopa, t casti-
caes e 1 paliteiro, prata baix. ,
2 trancelins, 1 volta, 1 cordao, 1 alii-
oete, ouro de lei.
1 alfinete de ouro cravejado de aiatfiaa-
1 relogio oaro do lei.

"; i


:-
Y


F

i
t
.i
I

rr
I

1

1"
Diario de Pernambuco-Domingo 8 de Junho ce 1890
18.988 1 par de rosetas de ouro com briltsan
tes, i aonel com f saphira circulada de
biilbantes, i anneis com esmeraldas, i
par de brincos, 1 dito d-^ rosetas. 1
broches, 1 medalha, 4 pares debotOes,
1 volta de iraoeeiim com 3 emblemas
de imagem, 1 redoma, I caeta, 4
bolOes de ouro com 4 perolas, i par de
rosetas com 2 perolas e i relogio de
ourj.
16-891 1 volta de ouro, 1 pulceira e 2 meda-
lhas, ouro de lei.
19.00o 1 cjrdao 1 medalha incompleta, 2 pa-
res de rosetas e 1 aunel, ouro d lei.
19. tH 1 corrente e medalha (unisk) para re-
logio, ouro de lei.
19.022 1 correte para relogio, (fallando cha
e.)
19.028 i correte e medalha para relogio, ouro
de lei.
19.032 1 par de rozetas de ouro com 2 bri-
Ihautes, 1 aonel com 1 dito, 2 traoce-
lins, 1 volta de dito, 1 par de rosetas,
1 dito de brincos, 4 pecas de brincos.
2 cruzes, 2 medalhas, 2 dedaes 1 al
nete, oun de lei, 1 vlia ouro, 2
pegas de brincos e 1 par de rozetas,
oOro de lei.
19.033 par de rosetas com 2brantes e 1 fio
de perolas.
19.046 2 pares de brincos, 1 volta de trance
hm, ouro de lei.
S.U'J 1 correte para relogio, 1 cordao, 1 pa-
de argoles, ouro de lei.
19.030 2 correntes e 1 medalha para relogio,
Ojro de lei.
19.064 I medalha, 1 cruz, 1 annel encaste de ou
-w ro para cabello, ouro de lei, 1 trance-
lira, 1 par de brincos, 4 pares de rose
tas, 2 anneis, 1 palmo de cordao, 1 liga
e 1 teia. ouro baixo.
19 067 i pulceira e 1 dedal, ouro de lei.
19.073 l pulceira compoata de moedinhas de
ouro.
19.080 1 par de rozetas, 2 voltas de traocelim,
2 xedalhas, 1 cruz c 4 teleas, ouro de
lei.
19.082 irueJalhas, 1 bandeira le ouro para
imagem, 1 cru*, 2 Unneis, 1 relogio, ou
io de lei.
19-088 i par de rozetas de ouro com 2 brilhan
tes pequeos, i volta com traocelim, 2
aom is, ouro Je lei
19.092 i par de brincas cravejado de brilhan
tes pequeos (em prataj, 2 broches de
ouro conleodo brilbaotes, 1 cruz com
ditos, 1 par de rozetas com ditos e 1
fio de perolas.
19.093 1 relogio de ouro incompleto, i dito pe-
queo para seohora.
11719. 1 par de rozetas de ouro com brilhan
les pequeos, 1 anoel com esmeralda
circulada de brilbaotes, 1 traocelim e 1
medalha, ouro de lei.
19 123 2 pule-liras, 2 correles para relogio, i
traocelim, 1 volta de dito, 2 medalhas,
1 cordao, 1 olho de Saola Luzia oovo, 1
par de b.'iacos, 4 anneis e 1 b^tlo, ouro
de lei.
19.127 i vulia de ouro com perola3, 1 meda-
lbao com 4 brilbantes e diamanles, ou
ro de lei.
19.128 1 cruz de ouro com pequeos brilhan
tes, 1 volta de cordao, 1 medalha, 1 par
de brincos, 1 dito de rosetas, 1 dedal,
ouro de lei, 1 moedioba de ouro de
meia .
19.131 1 aooel de ouro com 3 brilhaotes.
19.132 1 allinete de ouro com perolas, 1 pul
ceira, 1 correte para relogio, ouro de
le, 1 broche cravejado de diamantes.
19.158 1 corre .: pjra relogio, ouro de lei.
19.170 1 tiiu-tlim, 1 volta de dito, 1 moedioha
de ouro com lago, 1 Hga e 1 pequea
medalha, ouro de lei.
19.180 1 par de rozetas de ouro com 2 peque
dos brilbaotes.
19190 2 pa i es de brincos, 1 medalha, ouro de
lei.
19.193 3 medalhas, 1 par de brincos, ouro de
lei.
19.197 2 anneis de ouro com 2 brilhantes, 1
par de rezetas com ditos.
19.209 10 collieres para sopa, 17 ditas para cb,
i ditas para >pa t arroz, prata baixa.
19.2(9 1 annel de ouro com 1 brilbaote.
Recife, 21 de m rio ae 1890.
O gereote,
Felino D. Frrea a Coelho
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Peraote a junta administrativa lesta santa
easa, devero ser apresentadas propostas para o
arren ti amento, por lempo le um a tres anno-
da propnedade Mimeira, perteacente a mesma
santa casa a 10 do correle.
As propostas devero ser em cartas fechadas e
sellada e ser preferida aquella que melbores
taatageas oflVrecer, tomando por base o i reg
do actual arreodamento, que de 120*000 n
noaes.
Secretaria da Saota Casa da Misericordia do
Recife, 24 de Maio de 1890.
O escrivo, Pedro Rodrigues de Souza
MARTIMOS
COMI'AMIIA PKRV4.HHI CV
DE
laTegacSo coslelra por vapor
PORAOS DO SUL
laeei, Penedo, Aracyu* e Babia
O vapor Una
Commandante Monteiro
Segu no dia 9 de Junho r
5 horas da tarde. Recebe car
ga at o dia .
Encommendas, passagens e dioheiros frete,
at as 2 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao a Vapor
PORTOS DO SUL
Vapor Espirito-Santo
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do or
n-at o dia 8 de Jooho e de
la demora indispeosave'
, : para o portos do sol
uendas serfio recebidas na ageocia
at 1 hora da larde do dia da gahid.i
Pra carga, encommendas, nas3agens e tafo
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
lo andar
COMPANHIA PEB\4HBIX>1
Tegaeo coslelra por Vapor
rara Fernando de J\oroiba
O rapor Jaboato
CommandanUs- Jlo da Silva Pereira
j^tg
Segu no dia 10 do corre-
te la 19 horas da manhl.
Recebe carga at o dia 9.
' nited States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
sul at o dia 19 le Junho
o qual depois da de
mora necessana seguir*
para O
rara. Barbados, fc
Thosaaz, Marti o que e .\e
Vori..
>ara passagens carga, encommendas e
tieiro a frete:. trata-se com os AGENTES.
Marastho.
di
O vapor Allan9a
B SJa. Ro de
E* esperado de NewYor.K
at o dia 30 de Junho
o qual depois da d?
mora necessaria seguir;
para a
Janeiro e Nanlo
encommendas c t
. ra cargt, passagens
ihero a !rete trata-se com w
AGENTES
Hnry Forster & C.
8Ba do Commecior8
1' andar '
HARGEURS REUNS
t Conapanfeia Pran
DE
IV'aregacSo
Liarla quinzenal entre
?arnambuoo, Babia,
> O VAPOR
a vapor
o Havre, Lisboa
Rio de Janeiro *
Ville do Cear
Commandante Lainey
E' esperado da Europa at o dia
16 de Junho seguindo depois
va c dispensavel demora para
Rio de Janeiro e Santos
Maceio,
.iotra-8e aos Srs. importadores de carga pele-.-
aporee d-'-sia liuha, queiram apr&sentar dentn
le 6 das a cootar do da descarga das alvareogat
luaiquer reclamago concerneote a volumes qu-
jorveutura tciiham seguido para os portos.de
,ul uiru de se poder dar a tempo as provi
leocias gecessariae.
.xpirado o reieiido tazoa companhia nao
esponsabilisa por extravos.
'ara carga, passagens, encommandas e d:
L' :iro a [rete: trata-se com o
AGENTE
Aogaste Labtiie
RA" DO COMMERCI 9
. LU.

LEILOES

Leilo

Do sobrado le um andar, do paleo de S. Pedro
n. 6, na cidade de Olinda, cum 29 palmos de
frente e 35 de fundo e quintal murado (casa de
esquina).
Terq, -feira, 10 do corrente
A's 11 horas
Agente Pinto
A' ra do Bom Jess n. 45
Por occasi&o do lei ao de dividas e movis
no meru.o armazem
Leilo
De cerca de 1; 0:0036000 de dividas do
espolio de Jos Luiz Ferreira da Costa
constantes de cuntas de livroB e letras.
Terea-feJra, IO do eorrenfe
A s 11 horas
No armazem da ra do Bom Jess n. 45
O agente Pinto levar a leilo, a requeran r.to
do administrador do espolio de Jos Lniz Fer
reir du Costa e por despacho do Exm. Sr. Dr.
juiz de direilo especial do coiimercio, as dividas
activas 4o referido espolio, de cooformidade com
o inventario existente no carlorio do escrivSo
Erneslo Silva e em poder do meslo agente-
Leilo
PassagcLs at s 10 horas do dia da sabida.
ESCRJTTOKIO
Ao Caes da Compankim Pernambucana
a. 12
Das dividas da massa f .lliia de Jos Ta
vares Pin' eiro, na importancia de.. ..
126:4210'.ilO, servindo de base a offer-
ta de 600)5000.
Terqa feira, 10 do eorrenfe
A's f 1 horas
O agente Pinio levar iiovameotc leilo as
dividas aclivas da massa fallida de Jos Tacares
Pinheiro, oonsianies da relaco junta aos autos e
em poder do mesrxo pgente. por mandado do
Exm. Sr. Dr. joiz de d'.reito especial, servindo
de base a maior rffetta obtida, istos 11 horas
do dia cima dito, na rea do Bom .'esos o. 45.
Leil
v>*>
ao
Agente Britto
Em continuac^o
Urna srtQ. gao, 2 gigos contendo ourinoes e li-
jellas. 4 serpentioas, caodieiros de snspeosio,
arand-llas, Icoga de diversas qoalidade?, jarros
e bacas.
Um fogao grande de ferro, 1 mobilia de jaca-
rand, 1 dita de amareilo, 2 toilet, 1 commoda,
2 camas francezas, 1 icarque.-o r outros moi
tos bjectos.
Ra do Impratriz 13
TercaTfeira, 10 do corrente
'__________A's 11 \orm
Leilo
Pelo agente Pinto
De 2 vacos tourinas, boas leileiras, com 2
crias, 2 cava'los, boi e carroca.
No firmaaem a ra do Bom Jess r. 4
Ter^a-elr r, lo do corrate
posta de 1 sof, 4 cadeiras de bracos, 17 cade!
ras de goaraicio e 1 dunqoerkes, 4 quadros a
oleo, 4 ditos a fumo, 4 pares de jarros para flo-
res. 6 etogeres, 1 espelho grande, vidro bisonte
(oval), 1 tapete para sof, 6 capachos de palha,
2 escarra ieiras, 1 monilia di jacaraod com
lampo de pedra, (obra bem acabada), 2 UDliei-
ros para kerosene, 2 jarros graodes de porcela
oa, 1 cama para casal, 1 guarda vestidos, 1 toilet
de mogno, 1 cmoda de amarello, 1 banca cabe-
ceira de cama. 1 marquez&o para casal, 1 guar
da vestidos, 1 commoda, 2 cabides de parede, 2
consolos de Jacaranda com espelho. 1 santuario,
1 marquezo para solteiro, 1 guarda roupa para
bomem, 1 conmoda de jacaraod, 2 cabides de
parede, 1 cama para menino, 1 cama de ferio
com lastro de rame, 1 secretarla de jacaraod,
1 estante para livros, 2 cadeiras de balaoco, 1
sof, 2 consolos de amarello, 1 cadeira de ba
laoc, o cadeiras de guaroicSo e 1 mesa redon
da, todo de amarello, 1 relogio de parede, 1 la-
vatorio de amarello, 1 toilet de amarello com
pedra, 1 m sa elstica de amarello com 6 taboas,
1 guarda louca envidragado, 2 aparadores com
lampo de pedra, 2 etageies altos, 4 quadros.. 1
espelho, 2 (iodos aparadores toraeados. 1 can-
dela oro de bronze. 3 langas e perteoces para
cortinados, 22 cadeiras de juoco, 1. caodieiro de
suspeogo, 1 mefinha ae ferro, 1 qoartinheira,
fiorcelaoaBpara almoco e jantar, loucas. garra-
as para vinhos, compoteiras.galheteiros, copos
clices, porta queijos, talheres, eolheres, baodei-
jas, jarras para agua, mesas de cosinha e mui
tos outros objectos que se torna eofadoobo
meociooar.
O ajenio Gusmo, autorisado por urna res
peitavel familia que retirou se para o Estado de
S. Paulo, fara leilo dos bons movis e mais ob-
jectos cima escriptos os quaes se tornara re-
commendaveis por se acbarem em bom estado
de conservaco e foram transportados de Olinda
para o referido sobrado.
Leilo
Agente Pestaa
Leilo
De um terreno com 1,36-3 palmos de fren-
te e 68 i fundos e duaa casas edificadas
na mesma, sito ra do Rio (Torre)
pertencente ao espolio do finado eapitSo
JoSo Carneiro Rdrigu s Campello.
Terca-felrsu iodo corrale
A's 11 horas da manbl
No armazem travessa do Corpo Santo
n. 27
O agente Pestaoa vcnd sistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orpbos, ler
reoo cima mencionado e que ser veodido em
om ou mais lote a vonlaae dos Srs. comprado-
res. _______^______________________
Grande leilo
De solidos moveia de mogno, Jacaranda,
amarello, espelhos, quadros a oleo, di-
toa de fumo, porcelanas, cristaes, lou-
ca e vidroa.
Iar4a-felra, 11 do correarte
m 10 e lj2 hora
lo 1- andar do sobrado ra da Impera-1
trian. 17
Constando: |
De 1 mebiUadeaogno(obra de goato) coo>

De 1 importante casa na ra da Uuilo n.
53 com grandes e excellentes acommo-
dacSes, quinta!, g.tz, agua encanada, ba-
nheiro, quartos para criados e tudo mais
necessario a urna boa moradia.
De 4 stimas partes do armazen? n 50 da
ra de Pedro Alfonso, antiga da Praia,
Quinta-feira, 12 docorrente
A's 12 horas
So armazem & ra do Mrquez de Olinda
n.48
O agente Gusmo, utorisado far leSodos
predios cima mencionados ; para ver e xpli
cag&es de.vem os prelrndenles entender-se com
o mesmo agente.
Leilo
J9e predio e (erreaos
Quinta-feira, 12 do corrente
A's 11 he ras
No armazem da ra Mrquez de Olinda
n.48
CONSTANDO:
Do grai.de e importante sitio com frente mura
da e'pori&o de tetro, sito ra do bom Gosto,
na Turre, lendo urna magnifica casa para grande
familia, com agua encam da e appare.ho?, quar
tos para criados e feito:es, cocheiras e estriba
ras, qoartcscom baoheiros de chuvisco, saletas
paraeogommado, um bonito jardim, 3 .-.cimbas
com excellenleagua poiavel, sendo 2 com bem-
bas para regar o sitio, 1 grande baixa .le-caplm,
muo- arvoredos de fructos e grande terreno
que vai at o rio, que Fe pede edificar -4 easas
sem prejudi;ar o itio.~
De 1 terreno sito ra do Padre Nobrega,
aoliga Alecrim, com 30 palmos de frerrte e fun-
dos at ra do Mrquez do Herval, tendo a
mesma largura nos fundos.
De 1 terreno ra da Cadeia Nova com 23
palmes de frente e 132 ditos de fundo.
0 agente Gusmo, competentemente autorlta
do, far leilo do impcrlante predio e terrenos
cima referidos, podendo os Srs compradores
irem .-xaminal-os, e para mais informacOes o
mesmo agente dar em seu escriplorio' ra do
Mrquez de Olinda n. 4g.
AVISOS DIVERSOS
- AMA Precisase de urna, para casa de
familia : oa ra da Palma o. 80
Quem dar informac6es do Sr. JoSo Mari
oho da Roe ba FalcSo t do Sr. Joio Baptista Fer
ira ?
Precisa se de um criado e duas amas ; oa
roa do Pies o. 30._______ ^
Aluga se o sobrado da travessa-do Livra-
meoto n. 10, ra do Apollo n. 11.
Precisa-e de um cafxeiro dt menor idade,
com habUitacOjs de padiria ; a tratar na ra da
P.-aia o. 12.
Precisa-se de tima erada para comp ar e
cosioliaT ; na roa- do Caldeireiro er-* seguodo
dar.- .' .
I'ataccs e outras moedas
compra-se pelo maior pre^o ;
merclo o 4.,
de i uro e praa.
Da ra do Com-
Teodo se extraviado um conhecimento da quan
tia de 1.350^000 correspondente a igual quantia
qne-fecolhi ao cofre do Thesouro este Estado
alim de arrematar a obra dos reparos da ponte
de Afogados ; peco a quem o achar queira en
treaarao abaixo assignado que ser gratificado.
Joo Los Cavalcaote de Albuqoerque
Precisa-se arrendar m engenho
em bom estado e prximo a alguma
las linbas frreas. A tralar na. travessa
da Madre de Deus n. !.
Cim dio Alseo,
roa do Brsm o. 65.
dea kilos por 700 rs. oa
-- Alugam se casas catadas
viudos de S GoDCalo, a 8*000;
a (mperatriz n. 70.
Precisa-se de urna
mestice ; a tratar ni \
umero 141.
e pintadas nos
a tratar oa ra
; rea para servico do-
na Marques do Herval
Aluga-se on vende se o litio do Caminho
Novo, muito fresco e muito bom local, com duas
casas para morar e as frocias de quUidi.di s; eo
tre as duas linbas, b >nd o trem ; a datar no
mesmo sitio, cujo o. 118, deizanr'o seus no
mes, depoie das 9 horas da maulla.
Al uga-se
o 2 aodar da casa a roa Demingos Jos Martins
n. 138, com muilos commodos para grande fa-
milia, com agua e apparelho, muito bem coacer-
vada e em estado de asseio, mui'.o bygienica
por ser de oito e teodo tres vistas lindsimas,
por preco muo eexmodo ; a tralar do arma
zem o. 8i, ma Marqurz de 01 nda.
Aengo
Hdame laiinj Silva costureira *-
modisla frauceza. reguiodo brevemente a
Pars, a fasernoos compras, vende per prego*
de liqudariD, lindissknos vestidos feitos, de
seda e I para baile e passeio, assim como cor
tf s de seda, damass, foulars e moitas outras
novidades. LINDOS CHAPEOS E CAPOTAS
Convida as Exmas. familias a aproveitarcm esta
occasio nica de comprarem a precos sem
competencia.
Contln a confeccionar toda e qoaiquer
toilette para baile, passeio e casameotos, com
mxima pontualidade, elegancia e precos mo
dicos Loto em 24 horas.
Ra Barao da Victorian. 15,
sobrado
Telaplioiie 193
ngv minadora
awPrecisa-se de nsu para eagomanr arranjar
qiartos em casa ae onajuw familia; no Cani-
Mo loro- defroote da tocio.
Para engenho5
QUIMARAES A VA LENTE, partee
pam aos seos freguezes e Dlms. Srs. dt
engenho aue, como sempre, tm granJ<
deposito dos artigos abaixo mencionados
garantndo tudo de primeira qualidade t
precos sen competencia a saber
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo democot.
leos americanos
especiaes para machnismos
Azeiie de coco,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pire em lata.
(5 galSes.)
Kerozene inexplosiveL
Graxa em bexigas.
Gaxet&de linho.
Potassa dn Russta.
(em caixas, barriquinhas, latas grande
e pequeas.)
Fornucida Capanema.
6--Corpo-Santo6
Futidas baratas
Na loja das Listras Azues
AruaDuqnei!eaxiasn.61
Voile phantasia a 240 rs.
Tecidos arrecalos de cOres a 240 rs.
Organdy branc finas a 500 rs.
Arrendados de urna s cor a 400 rs
Percales finas a 200 ra.
Cassas de cores a 120 rs.
Lazinhai de quadris a 160 e 200 rs.
Linhos de quadrinbos a 100 rs.
Zefiros largos a 200 rs.
Cassas com padr8:s de voile a 280 rs.
FustSo de cores, padroes miudinho3 a
160 rs.
Cuitas escuras a 200 rs.
Al-dapolo americano, 20 varas, a 5#000.
Morim das listas azues, 10 varas, a o&0 0.
Bileias a 200 rs. a duzia.
Fitas chamalotadas todas as cores.
Emper.r,eave8 para vestidos a 400 rs.
Babadt'S bordados a 4('0 500 rs.
Fazendas finas
Crotones francezes muito largos a 320 e
360 rs.
Nanzuks de cores finas, a 500 rs.
Tecidos de cordao, lindas c6res, a 400 rs.
Voile de 13, tecidos mais finos, a 800 is.
Gazes de seda, liadas cores, a lf$500.
Surah de todas as cores a 1?J4 0.
Organdy de cordao, i indas cores, a 300 rs*
Setim de Maco de todas as cores e preot
a 800 rs.
Tecidos de liaho, muito largo, a 400 rs.
Cortes de vestidos bordados em cartSo a
9000;-.
A's maes de familias
QUERIS VOSSOS FILH08 SEMPEK SADICS
Adminstrae-lhes o XA R O PE ou as
Plalas Vermipurgativas
DO DR. C AL AS AI* S
ptimas preparares de mastruz
e rhuibarbo, para a expulsSo completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestnaes ou lombrigas
(DAS CRANLAS E D08 ADULTOS^
SEIS *ANNOS DE SCCESS!
c Estas excellentes preparacoes nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas. >
As pessoas que tm vermes sentem co
licas, tem constantemente diarrhas, ind s-
posicSo, sensacSo de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ven tre, e
s vezes, vmitos. Rangem os dentes, quan -
do dormem, e algumas pessoas expellem
vermes om as fezee ou com as materias
dos vmitos. As creancas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia.
As plalas levam impresso o nome de
DK. CALASANS e sao cor de rosa.
I caixa de pilulas l)}2i0
1 vidro de xarope 102CC
^AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS
fili mina -una da tonreirao
Tianna
Adelaide VianorBaslos e Amela Vianoa Mo
reir, filhis oa finada Felismina Maria da Con-
ceijao 'Vianna, agradecer do intimo d'alma a
tudas as pe~soas que se dignaran) acempanhar
os rrsto morlaes de sua prezada mai sUa ol
lima morada i e d.; ooo as coovidam, e aos
parales e amigas da finada para asMstirem a
mis?a do stimo dia, que lera lugar segunja-
fera 9 do corrente, s 7 horas da marina, na
matriz da Boa-Vista, por cujo acto Acardo agra-
decidas.
*&
Antonio da Silva Campos
Guilherniina Ferre a Campos, seu fi h-j e en
teados agradecem do intimo d'alma a todas as
pessoa que se dignaram acompanhar os restos
morlaes de seu sempre lembrado esposo e pai,
Antonio da Silva lampos ; e de novo convidan:
as mesu-as pessoaf, aos parentes e amigos do
finado a assistirem a9 missas que serao celebra-
das oa igrejada Madre de Deus, quarta-feira 11
do correte pelas 7 i/2 horas da manh fetimo
da do f, lleclmento do mesmo, que por cujo acto
de caridade desde j antecipam seu eterno re
AleldCH *om* de Almeida Per
nambuco
MipjeiJose de Ahneida PeroambHeo, tendo
recebido no dia 4 do correte a infausta noticia
de haver fallecido a 27 dowez paasada uaci
dade ie Acary, do Es ado do Rio Graode da
Norte.sen prezado irmao Alcidf s Jos de Almi
da Pernamburo, manda reiar missas por sa
alma no dia 10 do correnta, aa 8 horas da ma
Dha oa matriz da Boa Vista. ______
INFALLIVEL e RADICAL
no curativo de todas as affec^oes bronchiaes :
Mal de Garganta, Tese e Tisica
- PEITORAI.

Para a cura ejjlcat e prompta da
Molestias provenientes de im
C pureza do Sangrue.
E' urna loucura andar a azor expe-
riencias com mistaras Inferiores com-
postas de drogas ordinarias on de plantas
indgenas cnja.efficacia nao confirmada
pela scicucia, emquanto que a molestia
cada vez vai ganhando terreno.
Lanceni mi, sem demora, de um re-
medio garantido cuja efllcacla seja tacto
assignalado e inquestionavell
O Extracto Composto Conckktrado
de Salsai-aiuuliia de Ayer C conhecido
e recommendado pelos mdicos mais in-
telligentes dos paizes achantados, j&
durante 40 annos,
Centenas de milhares de doentes
tm colhido beneficios do seu emprego e
sao mitras tantas testemnnhas da sua
efllcacla positiva e lucomparavel.
PREPARADO PELO
DR J. C. AYER & CA,
T.owell, Mass., Kst.-Unidos.
aspoarto orjKAZ-
Caixeiro
Precisa se de um raenipo para praticar ; Da
tav rna ra do Lima n. 68 (Santo Amaro).
A.tten^ci
Aluga se urna grande han terrea na ru: de
Motocoloml n. 24, muito propria para negocio
por j ler armagao, tem muitos commodos para
familia e um grande quintal; trata-se no largo
da Paz n. 96.
FOTDADES
Manequins (J e Bazar
Abre e fecha como chapeo de sol e ser-
ve para qualquer senhora por mais gorde
ou magra que seja fazer seus vestidos sem
ter necessidade de costureira.
Cortinados de cores para porta ou janella
a 1,5600 metr .
Crochet branco e de cores para cortinados
a 140 0 e 1500.
Floree para cabello ou enfeito de vestidos
a 1*000, 10500 e 25 00.
Sabonetes para pannos e sardas a 1,5000.
Extractos finos, fraseo com 20 gotas,
2 Ors.
L.pi8 de ouro a 10500 e 25000.
Tesouras cora mollas e caixa a 1,5500.
Porta-luz com phosphoreira a 10000.
Relogios para ver no espoyo a 80COO
1O0OUO.
Albuns para 10 oi 25 retratos a 30000.
Para uso domestlro
Bramante de 4 larguras a 800. 10000 e
16200.
Panno de linho com 4 larguras a 10600 e
2000. .
Atoalhado adamascado a 10400.
Panno da Costa, com quadros e listas, a
10000 e 10200.
Guardanapos finos a 108CO e 20CQO a du
zia.
Toalhas felpudas a 65000 a dita.
Crotones para cobertas a 30 ; rs.
Colchas de cores, muito grandes, a 20000,
Cortinados bordados para cama ou janella
1 a 60COO.
Oleados de cores para mesas, cada repar-
timento 40500.
Algodozinho largo para todos os precos.
E muitas fizendas que se vende por
qualquer preco.
D se descinto a quem coreprar de
2< 0OCO para cima.
NA LOJA DAS LISTRAS AZES
i-V-VrS-:fatofe.-.,-

Approvado pela Illnstrada Janta de
H7giei Public: la Corte.
AuctorisadoporDcc7r to Imperial
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSI9O
de
firmino Candido de Figsiredo.
_____a
l^npregado com a maior efficacU no
rheiimalisnu de qualquer naturexa,
em todas as molestias da pelle, r.as
Uucorrhas ou flores brancas, nos
soffrimentosoccasionodospela impuraa
do tangue, e finalmente as differ,entes
formas da syphilis.
.i-
De ANACAHUITA
_ Remedio Vegeta! da Natureza para o all-
vio c cura de todas as molestias
Do Poito o dos FulmSes.
Aluga-se
em Afogados urna casa terrea, muiti lirapa com
boos commod -s para familia, d ra Direita,
junto a antiga esltcao cas diligencias ; a tratar
na ra estreita do Rosario n. 9, junto a igreja.
Ama
Precisa se dr urna ama ; oa ra do Camaro
numero 1.
Amas
Precisa se de duas amas, sendo urna para co-
sinhar e outra para andar com enancas ; a ra-
tar na ma da UnlSo n. 5.
i '
Amas
Precisase de duas amas para cosiohar e en-
ffommar; na ra Vidi.1 deNefrreir.s n. 14 .
ma
Precisa se de urna ama para cosinha, para
casa de pequeaa familia ; na ra Doqoe de Ca
xiaa 11.86 3- andar.
Ama

.y.
Precisase de tima ama para cosinhar e com-
prar.; na ra Velha 137.
Ama

Precisa se de urna ama para cosinhar e mais
servicos, para casa de pequea familia, a tratar
na ra Imperial n. 1, sobrado.
Ama
Precisa se de urna boa cosioheira para casa
de pequeoa familia, que dorma em casa dos
patries e sej matriculada ; na-ra de Feroao-
des yiefra n. 29. .
-
Precisa se di urna ama para cosinhar e fazer
mai? servicos domsticos, que durma em casa e
esteja. matriculada ; tratar oa ra Duque de
Caxias o. 48
Amas
Em Fernands Vieira n. 60, precisa-se de
Juas amas, tendo orna para cosinha e outra
para cuidar de enancas
Ama
Precisa se de urna ama para engoirmar e co-
ser bem, para ca:a de pouca familia e que durma
em ca?a sendo de boa conducta; a tratar no
pateo da Santa Cruz n. 18.
Am
:5,
?recisa-3e de urna ama para cuidar de crian-
gas e que entt-nda al^uma cousa de costura ; no
aminno Novo, defronte da estagao.
*
Precisase d urna ama para cosiohar em casa
1e familia, em Beb-.'rihe ; a tratar no pateo do
Terco n. 63, padaria.
-.......' -------------------------------........
Ama
Precisa se de urna ama para cosiohar, paja
ca3a de pouca famil a 00 Pago da Patria, quia-
ta casa.
Pao centeio
Mello & Bi-et teodo recebido nova remessa de
(arinl-a centeis, avita aos seas fregnezes que
cootinuam a fabricar este delicioso pao centeia
odas as tercas e sextas^feiras ; na ra larga do
Rosario u. 40.
A luga-se

u-l
urna grande casa.com solea, tendo grande quia-
al, cai.jl. e pintada, com agua e gaz, noprii-
cipio (la rea Imperial n. 94 : a tralar na padaria
confronte.
Empregados para engenho
Precisa se de dous portuguezc?. pivi'-rindo-N
capados,, para um engenho prximo a estaca*
de Ribeiro : quera pretendf r dinja-se ra da
Aln-rim o. 2, seguodo andar.
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro da li a 14 innoj.
que C fiador de sua conducta ; b ra Visco
de de Goyanna n. 72.
A o publico
O abaixo a. signaco, tendo perd.'o ?'.m: cas-
gao do Thesouo deste Estado, a-imporlai cia
de 400^000 do depo^ito que fez no m^-?'i o The
sourp da referida quantia, como BngaflaW-
minagao da vi !a de Iguarass> di qui' ellt
contractante ; roga a pessoa que acbar cuta caa-
fn que a rest podendo ser para < Pe fia?,
procurado no armazem de madeira do < i- ri
Climaco, no caes 22 de Novembro d'.-st c\d**.
Mnoel Clemeoiino orrea de Mrlio.

1
J
L-
Dse Nos primeiros seis das nms
collier das de cha pela manha e outra
noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-la para colhe-
.-es das de sopa para os adultos e me-
tade para as enanca1.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhs fros ou
mornos, segundo o estado da. molestia.
llPtUTO OIXTUL
Francisco Manoel da Silva & C.
Droguistas
23 Roa Marques de Olinda
Pernambuco
Engcnho Gwrivnwj
Arrenda se este engenho situado nr. romarea
de Jabaiao, distando da eslago d-; T -pi urna
legua : quem pretender dirija se ao largo da
Corpo Sudo n. 1 >, 1- andar.
. 1
Cosinheirsi.
Precisa se de un a cesinheira pnrt cosa em qM
s ha homens ) na praga dn'Independ^acia ni-
meros 22. 24 e 26 "_____
Aluga-se
a casa da ra Luiz do Reg n. 33, te u 6 quar-
tos, 2 atoe, cosiooa fra, ele ; a tralar no larga
do l'ombal n. t, ou na ra 13 .lttembro a.
45. I* andar. -
Alugam-se
as casas o. 63 rna da G'oria, boje Visconde d
Albu luerque, coli 3 quartos, 2 salas, qainUd,
apparelho e cacimba de muito boa : sua, e a da
o. 11 a travessa do Corpo Santo, atabas caiadM
a pintadas, por preces commodos ; a tratar M
ra Direila n. 45, sobrado.
Casa
Alaga se urna boa casa com bastantes comiM-
dos para pequea familia, agua e gaz, na mi
das tyropbas n. M : a tratar oa roa Conde i
Boa Vista o. 120, Cs'miDho Novo.


Diario de Pernambuco-Domingo 8 de Junho de f890
L
LOJA DO POVO
11Ra l, de MarcoH
Com este titulo.acaba da se abrir, ra 1." de Margo n., 11 umalojade fazen
a e seu proprietario convida o publico d'eata cidade e de fra a apreciar o sen
BELLO sortimento. Mu i tas de suas fazendas sao recebidas directamente.
GRANDE ItOVIDADE
Descont de 10o/ em compras de 2Q0OOO para cima.
Granadine, para seda, de 158C0 a 80) vs. o covado.
Taile, pura seda, de 15000 a 650 rs. o covado.
Ls eom listras, preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
Las aom prepare de cachemira a 240 rs. o covado.
Chitas de 200. 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de odres lindas a 300 rs o covado.
Zephyr largo de 800 n, a 320 rs. o covado.
dem idem a 200 rs. o covado.
dem dem a 160.rs. o covado.
Cortes, costumes de casomira inglesa, a 12000.
Ditos de casemira ingleza de 30500, 45000 e 60'00.
Ditos de fustao para collete de 600 rs. e 2^400
Cheviot de 300-<', a 2SO0Q o covado.
Casemira cor de caf de 3$000, a 1(5000 o covado.
Casacos de Jersy para senhora a 3K)oO e 61JOOO.
Merino preto a :>0 \ 700 e 1(5200 o covado.
Dito do c5r a 400 rs o covado.
Casinetas finas de 500 rs a 360 rs. o covado.
Colchas de c-ochet de 8000 a 3,5500.
Cortinados lindos a 6&000.
Bramante de 10 palmos a 1)5400, a vara.
Ver pnra crr s na
LOJA DOPOYO
VINHO DEFRESNE
TONI-NUTITIVO
con
wm*
PEPTONA
Completo sortimento de chapaos, capotae e gorros de fantasas em todas
qaalidades.
Pitas, rendas e bico de seda e algodSo de todas sedres.
Flores, plumas, passaros, aigrttes e bljoateries para enfeites.
Chapeos i feir.ro e castor, os mais modernos, para hornera e menino
Recebe por todos os vapores as primeiraa novidades de artigos de
genere de negocio.
Raphael Dias & C.
2 Ra do Barao da Victoria 2
se-
FABRICA DE LIMOS DE ESCRITURARIO
MMMMAfXO + MSTASAS &
fflANOEL J. DE ffllRANDA
? 39
RA DUQUE -*- DE -*- CAXIAS -* 39 ?
NUMERO TELEPHONICO ifr*
m i.
a
I I I I
Ja nao lia Repugnancia
PASA TOMA* O
ce POTASSIO
Al uguel barato
Visconde de Pelotas n. 5
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Largo do mercado loja n. 17
Rna do Bom Je.-us 3*. andar n. 47
Ra Aguazinhas em Beberibe n. 7
Ra Coronel Suassuna N. i*i, quar
Ra Iiaparica n 43 i." andar.
Travessa do 'armo, loja o. 10.
Becco do Tambi n. 21.
A tratar rea de Commercio n. 5, l* aua*'
-^pcnptono de Silva Guimaraes & G.
^tide/^
Costureiras
BPrse'sa-se de peritas costoieiras na casi di
Ma-iunie Paul Juliien ; trata-se na ra Barao da
Victoria n. 50.
Para enancas
Srasilkas L. POSSSON com Chocolata
."Z'- Fastiihas, &Q Ps::.''- finteo 28 ceairainas de Sal (Orna wOiert)
asm jbbal i \, POSON, phjlrmcvjt'oo
J 1C. jMm< t." CoMi-'Htroie, B, em A.HNISUFU* *m dt
"""r-.c! i<*<-rraraTM*r-***r'WmF'9i i|uii'f iu mili
rr*s.
maw
w *
AMMTTWA
..... IA MARIIHA I MI HMPITAK DE PARS
O Faa** Jasttama Defreite 6 o mala precioso dos tnicos, contenii
Obrm muscular, o ferro hematlco e o pbospbato de cal aa carne de vacca, e o nico
reconstltulnte natural e completo. ,_
jfcfc Mteitet* VUaJl que dasperta o appeUte, restltue as torcas ao esto-
mato e memora a dlgssUo, como reconstltulnte lncomparavel. qu e, por isso que
eacerra o elemento plstico dos msculo que susta a consumido, colore o
como
d^L^criancaycv5^^^su"em risc7--pelvcresclmento rpido; as mans
cuio Vigor coanVosaettMo pal-trabalho do aleltamento.
OWSISiEoprtmelr^epaViTor do Fa** <*> r9*^m.Oa\aAo com =. imlta<;ea.
YUMO: Bra UluuBtli aoro&Udu

RALMORAL
GLOSS
'%

A9S BfifPREBABOS
.

COMMERCIO




Desoobriu erras roatftes dos sertSes de S. Paulo, nm vegetal com euefea se
a p-< parado, que conhecido por=El xir M. Morato=propagado por D. Garios.
akt.- remedio indigna tem feito> ovras. que espantam e que mais parecem milagres.
A yplritis de qualquer narureaa, e per mais inveterada que seja, dsapparJe coni o
so d'esie preparadoo>houmatii>mo quor w*v% qutr ariico, cura se com este
mnadi-, e rom uma feli^dade espantosa. Ott* fectoa io ka argumentos, e, os
kenefi ios operados, s2o j tan'., s, que nS> ha mais o dreito de duvidar. Pracnrar :
Elixir M Mora'opropagado por D. Carlos.
Ageotea depositarios, am Pfcwawbnc : Franscicr M. da Silva C-. ua do
Msrqiica de Onda n 23.


Gotta, Rheumatismo, Dores
SoLugo do Doutor Clin
Lturttdo di FaeMid d Medidnt di Pul: Pftmh Montyon.
in
A V^rdadeira Soluc&o CLIN ao Salicylato da Soda emprega-se para curar:
As AtecQoes Rheumatiamaes aguda e eAronteo*, o Rheumatismo gottoeo,
as Dores articulares e inuteularcs^ e todas as vezes que necessatfo- calmar os
soffrimentos occasionados por eataamoisatias.
A Verdadeira Solucao CLIN crmcAhor atndio contra o Rheumatismo,
a Gotta e as Dores.
M13 (mi explicgio detalhada acompanha cada fratco.
\gir o Verdadeira Solucao de CLIN & C', de PARS, que le encentra em
ccaa m Droguistas e Pharmaceuticot.___

Cardoso & Irmo
Rui do Barao do Triumphons. i\rl 1^4
Recebram nevo sortireeito do vapores dos aerrditados fab-'czr*'"
Molnson para rabalbar eom fog* do asae'.taroento, moendas, taxa, rrm
anear e todas as mais ferraget r----:--~ agricultura.
Para os Cavaiios
1IC
; PaBBICA
OS
Erjrag-d i com j m&isr xito as oaTalnaricas roaes la SS. H. o T-iporailor do3rn-1l, o Pal da '
B&lf>ci, o Ral dos Pai.-,e3-Baixoe e o Rei da Stionia.
feppiesJio do tgogo
|E DA QUEDA "O PELLO
S ote precioso Xopoo onnlcoqne
i su -i.-iii uno caos tiro e cura radloalm .'illa
|en yioucos d\j as znanqaelras, navas
l :-Hiiras. as Torcednra, ContuiSa,
| To'Jiorea c XnebacSe? das pernos.
'Bspc.ravao. Sobre^Ccanas. l'r'iiieaa e En-
Isocltamento das pernos dos potros, etc., sem
occisinnar nenhuma *haa>\. n^rn jueUa do peio
| me rao uuranie o tra'.ameaU
35 (Apmos d (xito
SE3.VL RIVAL
03 resultados extraordinarios qac '.em
obtldo nag diversa> Afteccoes do I
Palto, <;s C 'Ytarrbos 3roncbitla,'
atolestlar 1 Oarrantr OpbtaJ- |
ma, etc., r.:o dio lojar coacurrencla,
A cura faz-se con a mi em S mttnutom, sem'
uor e sem coriar, nem rapar o peilo.
''-xittea Fatri: Phinaacia (Zr&Z'X'XiA.Ty, F.ua St-Honor, 275, e ti t.'hm rbumHiu.


PARA 0 CALCADO DE SENHORASE CRANLAS
M ONtk lu tetto Mm aleafeol, t imada o coura. Asplica-sa eam a ai*M|a atada i ralba
Nublan Manufg Co, Ltd, Great Saffron Hill, London England.
"Vndese em toda a parte.
Na. ra do Crespo n. 21
LOJADOCVMPOS
Chitas setim de ramagem. a 280 rs. o covado.
Linn com ramagem graiida a 400 rs. e lite.
Hito com.barnsV e ramagem, nm metro de largura, a 500 rs. o dito.
Etanvnes de cor- s, flores/ miudas e ramagem S 400 rs. o dito.
Cretonas, novidades en edres e pedroVg, a 36 rs. > dito.
Voile deJS, retiramos d'Alfandegn o mais tndo sortment de voile, em pa-
drees e ao preco de 800 rs. o dito.
Marin assetiaado de 12 com ramagem, a 500 re. o dito.
DamassS d'a'godSo com preparo de seda a gost) de voile a 800 ra. o dito.
Asaim como vanedade de artigas, tooo de phantasia e por preoos qne garant
mos sem competencia.
Na loja do Campos
RUADO CRESPN. 21
O NOVO THERMOMETRO
o FERRO
BRAYAIS
ISepinrioas fipTlunciai dos mii conhecidotmedlcoi '
"tem una icefXo mojediata tobr* a Eoonomi im qva
d'*bi resulte a menor pprturbafo. e do meermo puio
que rettltue ao ainrue a su* eAr natural da-lhe o Tigor i
Lseos*aroreconstituln(io-o.Outrat|*alldadetemUm-l
IbeaioferreBraTaisque e ee nloenejrecex oedeotea.l
Haj toda i cautl com ai ImitucS^* ov
Contrafatooti.
I Eadoir a flnna R-BRAVAIS.BprimidjiTWlfiolh
MPOaiTO HA U6*\&*XM DA* MaBMACUI
okAtacam: *0t 42,r.SUI^aara, Parts,
Bom emprego para
capital
Ytnde se o extensosrraazem n. 61, no raes do
Apollo, em fr*nle-da nova ponie Buarque de
Mactido, cora capaoi.'ade para recolber de 8 a
10,000 barricas de farinha de trigo ou outra
mercadoria em proporcn, e doos sobrados : on
liios cora frente para a ra Djminpos Jos
Martins, no tasto constituind j urna boa aeqaisi
ci : trata se cora Malheus Austn, A C, ra do
Commercio Jn. 18.
Cal virgern de Jagua
ribe
iiop< kilo nn Caesflo Apollo. 9S
Bala afama'i el, p opria para o.'ai'iii
de assucar, continuase a Tender pelo mes
mo prego e abatimento do costume. No nut
rio armazem vendem te todas as raaia' quuli
dades de cal d" Jafoaribe branca e preta, eni
li, assim como todos os materiacs proprir*
para coastrnrcOf 3 e rpConstru''c<>8 por prerf>
inennres d- qu- nm g :- qua' MEDICO de
LEN BLOCH
TODOS OS SYSTEUUS CONHECIDOS
Tc4o OS) MsMM instramfctoa I
falsss. saMlgnatura :
PARS, X.ruadtl'Entrept. 2, PARS J
NO sVTKUKKlBO. CH TODA* AS PRIHCIPAE8 CA8AS. I
O Peitoral de Cambar
Sempre foi, e aera o p; i cipal remediogarantido para as
molestias do larynge, brosebios e pulmoes.
A bronenite, astbma, mal do peito, rouqud8o, laryngite, coqe-
lucbe e qualquer tosse, por mais grave e antiga que seja, curam se esm
o Peitoral de Cambar, medicamento approvado pela Junta Central de
Hygiene Publica, premiado com duas medalhas de ouro de 1.' classe e
rodeado de valiosos attestados mdicos e de innmeros de pessoas cu-
radas. Exija-se a firma do antor.
/. Alvares de Sousa Soares.
Grande quantidade de redes de cores, par*
manyas, a 3A"00, grande e Taado sortimentf
de vestuarios de Jersey para meninas e meninos
de todas as idades. para 6 e 7 : e na loja de
Povo, roa 1 de Margo n. 11.
Gasa e sitio
Alupa-se a casa n. 1, na estrada ve Iba da Pas-
j agem, com baixas d( caplm e muito terreno
para |ilantaco, dous grandes viveiros e muitofl
la.voredos de fructo ; ofTerece muita vantagem 8'
ijuem liver negocio de vacas ou carrosas ; faz-se
I irrfndamento por tempo quu se ronvencionar:
i tratar na ra Visconde de Goyaona n. 187, os
ra da Madre de Deus n. 7.
Bom negocio
Admitte-se um socio com algum capital
averna ; a tratar na roa de Domingos Jos
tos o. 80
Pianos, orgos e rea-
lejos
Treise, artista j bastante coohecido, contina
com sua arte, e eacarrega se de concertar pia-
nos, reformar e por como novos, assim como,
org.tos, barrnoniuns, realejos, accordeons, coa-
cer'.inas, caixs de msicas e qualqner objecte
t( pbantasia, como boneca mechanicas, etc.,
ef. Fabrica cylindros para realejos, collocando
oS msicas a contento (nico neste genero era
todo Estado Unido do B -asil) promette bem ser'
vir ao que honrarem com sna conflanca ; 08
trabalhos iie bora- eoi diante e5o mais baratos:
p^jna da Impefatrii n. 58.
Aos agricultores
0 bacharel Petronillo de Santa Cruz Olivara
contina a encarregar- se de levantar empresa-
mos para auxilio da lavonra sob bvpotbeca de
propriedades e pennor de safra ; na ra do Im-
perador n.69, l_andar._____________________
Aos sapateiroff
Acaba de chegar pan a loja da ra do Livra-
mento n. 19, nm novo sortimento de formas
f-arrezas para calcados de bomens, senhoras e
meninos, fto mesmo estabelecimento os senho-
-res sapateiros encoatraro sempre nm completo
sortimento de aviamentos para fabrico de ralea-
dos e por recos sem competencia ; no Basar
do L vramento n. 19.
Criado
Precisa-se de nm criado ; na rna da Impera-
Iriz n. 54. ____________
Casa
Aluga-se a casa terrea sita ra Dr. Nabuco
n. 24 (Capnnga) -T a tratar no n. 38 mesma
rua^___________________________________________
Aluga-se
a casa n. 131 'a da Aurora, sos eoswodsa)
para rancie fa'uil'a, tendo agua, gaz, qnital a
jardim bem plantado ; a tratar na ra Duque de
Caxias n. 74,1- andar._________________________
Attenco

Os propietarios do antigo e acreditado arma-
em do Lima, site ra Barao da Ti -tona n. 3,
participara ao respeitavel publico e aos seus
distinctos fregueses, que trinsferram tempora-
-iamen sen armazem para a mesma ra n. 9,
contn nando da mesma forma a receberem suas
ordens para Ibes servir com o costumsdo e be
bitual desempenho.
Jos Fernandes Lina k C,
Roa Bario da victoria n. 9
Telepbone323
Ovo $ prab
Compra-se, comotambem
moedas, rua du Cabug
n. 9.,;loja de Augusto Reg.
Cautelas do Monte de Soc-
j orro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc-
corro de qualquer ioia, brilhantes e relo-
Aluga-se s grande casa e sobraao do Dr. aj l > _, ,
(Gama, na estrada de Joo de Barros, er?-1 P*> P-8e bem na rna do Cabng n.
dasestaoOes da En ruzilhada, di:s ferri-vias di -i n.14. Loja de reloioeiro.___________
Olmda e de Lmoeiro, com ioimensas acrommu- ; j7=s
Sitio
i*
0 preservadlo das enfermedades do ligado,
hepatites dos paites quantes, ipleen on hjpoeosy
ns, clicas bdiosmt, qne m
Parolas de Doranda do Br ClBrtan
(Ether therebinthlnado)
Segundo os teetemunhos dos mdicos mala
Ilustres.
c O Ether therebintUnado tem a indtscutavei
propriedade de acalmar ai alrota clica e m
vomito qve tdo frequentemente acompanham o eoi>
culos biliario t otbi neuralgia* heptica
(Trouaaeau).
Este antigo remedio de Durdnde, qut tem pre-
mettido dissolver o calculo* biliario, tem comprde
Uta prometa, pono affirmal-o (ProfessoT Bon-
Dote* : As parolas de Durande do Dr Ciertas
preacrevem-se em numero de 6 a 1C por dia, da
preferencia hora das refeices ou eom
chicara de caldo, tisana, etc.
Fabr.: Casa L. Frera, 19, ras Jacob, Paria.
ExceJIeute morada
dafnes, jnrdins, arvores frncliferS' da melho.'
qualidade e vasto terreno, qser para plantacoes,
qner para criaco ; a tratar no mesmo sitio.
4.isissos
S) Madalhas tt Ouro m ExposicSes Univers

niversJ.es
PARS O*
80 0a
asa
3
BRDEOS (FRANQA) 9*
**# DDosItos em todas 98 v$ndas de Comestves. #
Harhiuas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
iaxas fundidas e batidas.
Taxas baPtidas sem cravacf^
Arados
Elixir,
RR.
de
POR ME DO EMPBBQO DOS
& e Fasta, d.en.tifrioios
BENEDICTINOS
n
Aluga-se um bom sitio na travessa do Cal-
deireiro n. 4, com boa -'asa de vivenda, muite
bem arb irisado e com boa agua potavel.
O abaixo assignado resolveu participar
aos seus amigos e freguezes que contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de :
I COGNACS destacando o afamado
Pni, que um dos que mais ce pres-
jtam a tomarse com leite.
V1NHOSO Falhete sem prejuiao das
' outras marcas, especial'.sando ttmbem s
' mgnifico Bordeaux Republique Brtil-
' lienne.
LEGUME8em conserva, especialida-
1 des como nSo se encontram em qua'quer
r>A. ABBADIA de SOULAO (0-iK,03srrJE)
DOM MAGUELONHE, PRIOR
! ivfedallias de Ouro : bruxellas 1880 LONDRS3
AJt *AJM DiaTZKOTAS BECOMPENSAS
IIVV1NTAIJO m *3
casa.
PtLO PniOR
NO *NNO
Ven-e BOURSAUD
O uso quotidiano do Elixir Deatifricio do8tt.a*P.Benedietiiios, com dse
de algtrBMffi gottas com agua, prevem e cura a carie dos dentes, embranquec os,.
[i fortalecendo e tornando as gengivas perfeitamente sadias.
$restmo8 un>. verdaileiro servico, asaignalaodo aos nossos leilores este antigo e
utilissinio preparado, o melhor enratVo e o amieo preservativo conlrsabas'a
AffOc^oes deotsurlas. T. ,
auoctaTi i'se. f w. te. w *6 i'ns, m, rsi. sta : mi, vu.
agente geral :'.S'.36C tSrXJ X N, BORDEAUX
Aoha-sa. em toda* a JNai*/tfmmrt)*, rttmrmaeim a tr*0*tri*M aoradltadas do motado laaStVa.
CARNEA- em conserva, especises come
nunca vieram aqni.
PEIXEStambem o que ba de mais
[ variado.
CERVEJASonde se destaca a besa
' conhecida e digna de celebridade Paulin
\Bier.
CHARUTOS nm grande sortimento
das melhores marcas, por'presos muito
' commo dos.
Ale destes artges- acha se o sen esta-
' bebjcim'ento sempre supirido de tudo
qtranto se possa dse jar d'um bom esta-
belecimento d'aquelle genero
Rua do Imperador n. 28.
PetnUno de Olivara Moda.

I
"
*--

IB fl
9 Qn Hi
_ >jjK,^-afc.'*
r-v*.-iv t*M^fl'-T'" '*
1 i .J
r MMMMMm


8
Diario de -ambaco-.-Dooiingo 8 de Junho (fe ,1890
VENDAS
t
C-
,;







Engenho
Vencfe se urna parte cu a meia sccao de um
engenta) moente e torrente a agua, quatro
jegoa da estapao de Patinares, com cipaei Jade
para safr^ar mais de 8,G0 pat. poden 10 o
rnesmo comprador arrendal c ; a tratar na ra
rqii' i do Henal a. U4.__________
Livraria Contempora
nea
instrumentos de aanalca
EomDardao, bombardino, barytono, tromp
ir^obone, helicn, saxaphone. carrilon, bomlK
caisa, pratos clarinitas. nautas,rabecas, violoe
realejos, caixas de musica,_ etc., etc.
Papel pintado
para forro de satas, qoartos, gabinetes, corro*
res.
Molduras
aou.-adfB, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viaeem, diversos formatos, especlalmec
para roupa de senbora e camarote.
Novidades
pa*a presentes, escriptorio, toucador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA & C.
____Ba Prlmelro de Harc<
Vinho puro de Santarem
Di quinta do Barral
Os proprietarios do Armaiem Central, a rui
do Cabug n. li, avisam aos seus distinctoe fre
guezes e ao respeitavel publico que receberau
nova remessa oeste especial vinho, o qual s
recommenda por ser puro da uva, e se se reta
Iha em seu armaiem. .
Joaquim ChristovSo a O.
Telephone .447
Tayerna
Vende-se a taverna sita no pateo do Terco n.
53, bastante afreguezada, livre e deserabaracda;
a tratar na mesma. O moiivo da venda se dir
ao comprador.
Vendem-se os segnin-
ts livros
histrico por P.
Attengo
Vende se urna boa casa n. 168 E, de taipa,
livre e desembarazada, com taverna, bem afre
guezada, na Estrada Nova, multo perto da esta
ao do Cordeiro, e o motivo da venda se dir ao
comprador ; a tr itar na mesma com Jeronymc
de Hollanda Cavalcante Filho.|
barato
NA RA DO CRESPO 2
\a lojo do Campos
Cintas escuras cr de caf, 2CO.n. o
corado.
Ditas brancas, panno de cretone a 250 rs.
o dito.
Ditas de cores, finas, de 240, 280, 300
320 rs. o dito.
Baptistas de cfires de 160 rs. o dito.
Ditas idem, finas, a 208 re. o dito.
Nazuhus de cores finas, a 240 rs o dito.* -
Merino de cor, liso, 1S para, urna s lar-
gura, a 280 rs. o dito. *
Ditas lavrados duas larguras, boas cores,
a 500 ra o dito.
LSs de cores, lisas, listras e de quadros, a
200 rs o dito. v-e- -,
400
rs. o
Ditos com quadros de seda,
dito.
Ditas achamaloUdas, 500 rs. o dito.
Crotones lisos, a 200 rs. o dito
Sargelins trancados, todas as cores, a
200 ra.* dito.
Etamines de cores, tudo phantasia a 400
res o dito.
Zephiros de quadros, a 160 rs. o dito
Linho pardo para vestido, a 400 rs o dito.
Cambraia Victoria transparente de 30000
a peca.
Atoalhado para mesa, fazenda de gosto, a
1#400 ra. o metro.
Fichus de todos os tamanhos, qualidade e
presos.
Toalhos para mesa a 2J000, urna.
Colchas brancas, portogaezas, fazenda de
10*000 a 5*000.
Meias, Bortimento completo para homem,
senbora e crian gas.
Longos de algodSo, brancos e de cfires,
linho, e grande sortimento em seda.
Cortes de calca para homem, um corte
1*000.
Gravatas, fichus, voile e 15 o que ha de
mais em novidade.
Setins, surah, sedas de cSres e pretas,
merino preto, lisoo e lavrado, granda
quantidade de artigos que vendemos poe
todo prego.
LOJA DO CAMPOS
CRESPO21
Lourecco, jp-umance
Tavora, 1 vol. ene.
0 Malote, dito dito, pelo rnesmo, i
vol. ene.
Oj CavaJbeiros do Amor, romance em
4 os. enes.
Eubos ds>rooia, pelo padre Goilher-
me Dio?, i vol. ene.
D ccionario Biograpbico, por F. A. P.
Costa, 1 grjB80 volume euc.
Vos fcaros, versos por M. Barrete, 1
vol pne.
Flores FInctoantes, versos, 1 vol. ene.
Vo* e quedas, versos, ^ vol. ene.
Guimares, poema, 1 vol. ene.
Sons que paseam, versos por Th. Ri-
beiro, i vol. ene.
Alberto Pimentel, Cantares, versos, 1
vol. ene.
Julio de Castilho -Livraria Classica,
Estudos biographicos e Iliterarios,
3 vols. enes., fiuos
Castrioto Luzitano, historia entre o
Brazil e a Hollanda, 1 vol. ene.
fino
Biblictheca do Povo,|lS vols. enes.
Morte de D. Joao, romance, 1 vol.
ene.
Contos de Pedro Ivo, romance, 1 vol.
ene.
0 abandonado por Julio Verne, 1 vol.
ene
0 Proeesso Leronge, romance hist-
rico, i vol. ene.
Gabriel Malagrida romance, i vol.
ene.
Neto do Aceitado, romance histrico,
1 vol. ene.
Viagem no dorso de orna baleia, i
vol. ene.
Chiquinbo, Encyclopedia da Infancia,
por G. Bruno, 1 vol. ene.
Caricaturas em prosa, por Luis An-
drade, i vol. ene.
0 Pastor e a ovelha, obra rara e es-
gotada pelo finado bispo D. Joao, i
v. ene
Obirajara, lenda, i vcl. ene.
Arnaldo GamaUm motim ha cem an-
uos, 1 vol. ene., obra rara
0 Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene.
P. de KockJoao, 2 vol. ene.
As mil e urna mplheres, 4 vols. enes.
0 rei i.'andula, romance, i vol. ene.
Contos a Ninou, por E. Zola, 1 vol.
ene.
A caca de um baronato.l vol. ene.
Arraldo Gima0 fimo do Baldai, 1
vol. ene
Os berdeiros de Caramuru, romance
histrico, 2 vols. ene, finos
A igrefa e o Estado, por Ganganelli,
4 vols. ene.
Serpa PintoComo travessei a fri-
ca, H vols. enes, Hnos, com gravu-
ras
Ega de Queiroz0 enme do padre
Amaro
Caetello de oras vi lie, romance raro,
2 vol, ene. \
Leoaor, BflAmboise, 1 vol, ene T
As obras de Julio Verne, 42 vols,
enes.
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, t vol, ene.
Typos de cara dura, 1 vol, broch.
As viagen de Gonver, obra critica
. e jocoza (rafe,) i vol, broch. 3*008
Vozes da historia pelo Padre Gui-
Iberm'e Das, t voL broch. 2*500
Una mvsterio de familia por F. Tava-
ra, vol, broca. 2*000
Um casamento no arrabalde, 1 vol.
broch. (mesmo autor) 2*000
Gnarrgues breve leitnra sobre sci-
eucia, i vol, ene. 3*000
0 matadouro, historia da Lavadu-
ra Gervazia o 1. vol s. 1*500
Ponson do TerraU A berenga myste-
rioza o 2. vol s ene. 2*000
Repostas consisas e fimiliares por
Mr. Segar, i vol, ene. 1*000
Carta sobre a Companhia de Jezus,
1 vuf, broch. 2*000
Miscelanfa Religiosa por Pinto de Cam-
pos (obra rara) 1 v. broc. 5*000
Ao cidadSo Anicete, versos do Cigano
ao Dr. Cbioex (raro) 1 v. broc 1*500
Orago fnebre do bispo D. Vital, i T.
broc. 2*000
Propaganda religiosa Christo e Papa em
prosa e verss 1 v. broc. (raro) 2*000
DeseBeis de Maio, puemeto, 1 v. broc.
(raro). I*00
No escriptorio deste Diario se dir quem ven-
de todas estas obras, e faz se grande abati-
mento a quem comprar todas juntas
4*000
4*000
12*000
2*000
10*000
3*000
2*000
2*000
3*000
3*000
3*000
15*000
5*000
25*000
3*000
3*000
2*500
3*000
3*000
3*000
3*000
3*000
3*000
15*000
3*000
6*000
2*000
4*000
8*000
2*000
2*000
1*500
4*000
6*GO0
10*000
12*000
2*000
3*000
1*000
30*000
3*000
1*000
10*000 um.
de retro
Alerta con a
48Raa Duque de Caxlaa49
Surah de linho fazenda muito larga a 320
rs. o covado.
Etamines de cores a 280 e 300 rs. o co-
vado.
Zephires de cores a 120 e 160 rs. o co-
Lindaa'la de cores a 2:0, 240, 300 e
320 rs. o covado.
Cachemira de quadros com listras de seda
a 1<5009 o covado.
Merinos lavradoj a 500 rs. o covado.
Voile de algodSo a 240 rs. o covado.
dem de 12 ultima m da a 800 rs. o co-
vado.
Cortes de metim par vestidos de duas
cores a 6*000 um.
Ditos brancos bordados a 12*000, 14*000
e 15*000 um.
Ditos de cachemira bordados a 25*CO0 um.
Cortes de cambraia branca de quadros a
1*800 um.
Cort'nados bordados a 6*000 e 7*000 c
par.
Ditos de crochet a 8*000 e
Fecns de todas as cores
1*000 um.
Colchas de odres a 2*C00, 3*000, 4*000 e
5*000 urna.
Cobertas forradas para casal a 2*500
tuna.
Toilettes para baptisados a 6*000, 8*000
e 10*000 um.
Camisas finas de meias a 1(5000 urna
Toalhas para chanca a 100 e 120 rs. urna.
Ceroulas francesas, a 1*000 urna.
Pannos de crochet para cadeiras a 500
rs um.
Atoalhado de linho de 4*400 o metro por
2*400
Dito de algodSo a 1*200.
AlgodSo trancado para toalha a 1*0C0 o
metro.
Bramante de algoiao com 4 larguras, a
' 800 e 1*000.
Lencos de algodSo a 1*200 e 2*000 a
duaia.
Ditos de linho a 3*000 a duaia.
Batistas de'cores a 120 e 160 o
Crotones escaros a claros a 200
vado.
MadapolSo americano oem 24 jardas a
5*000 e 6*000 a peca
Cobertores brancos de 12 para acabar a
2*000 um.
Bramante de linho, faaenda de 3*000, a
2*000 o metra.
Panno para mes a 1*200, 1*400 e 1*600
o covado. ,
Brim pardo trancado, a 240 rs. o covado
Vestidos d Gersev para creaaga a 6*000
um.
Camisas de linho para homem a 2*000,
3*000 e 4*000.
Granadinas ultima roda a 360 e covado.
Costumes de cachemira fina para homem de
20*000 a. 15*000.
Cortes de cachemira de cores muito finos a
4*000 um.
Cortes de fustSo para collete a 800 rs. um.
Gnardanapes c m franja a 2*000 a duaia.
Espartilhos de todat as qualidades e n-
meros por preco laratusimo.
E muitas outras iaaeadas de lei e moda
qen vende por preto sem competencia,
em vista de seu projrietario querer acabar
com o estabelecimeato.
S na RevoluQao
HENRIQUE DA SILVA MOREIBA
E' tudo bom, parabem Fcrci a & ligalhta
Recebederes directos dos ver-
de todos
covado.
ry co-
Os abaixo assignados, tendo feito gran
de reduegao de preces as fazendas
existentes em seu estabelecimeato, convi-
dam o respeitavel publico e especialmente
a seus bons fregueses, a certificaren! se da
verdade que aqui fica dita e a aproveita-
rem a occasiSo de supprir-se de roupas,
para muito tempo, e por precos insignifi-
cantes.
Como sejam:
Voiles de 12 e algodSo a 240 rs. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
800 rs. por 320 rs. o covado, sephyros de
cores diversas a 320 rs. o covado, baptis-
tas republicanas (inteira novidade) a 200
rs. o covado, lSs de cores a 200 rs. o
covado, setinetas finas a 320 rs. o covado,
merinos de cores (12 pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o covado.
Grande quantidade de chitas finas, com
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
o covado.
Variado sortimento de voiles de 1S,
fazenda muita fina de gostos lindsimos.
Crep da China, idem, idem, cambraias
da China, com palmas solfas, completa
novidade, voiles com salpicos, idem, idem.
Chitas, chamalots, o que ha de mais
exquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas, cachemiras lavradas, pretas e de
cores, fustScs broncos, crotones pretos e
de cores lisos e com flores, baptistas de
cores, gostos delicados.
MadapolSo americano a 5*000 a peca.
Metins, idem variado sortimento.
Espantoso sortimento de crotones para
cobertas e chambres, esguiSo de puro
linho, costumeB de Jersey para meninos,
capas hespanholas, pura seda a 3*000
urna, cortes de vestidos de todas as qua-
lidades, fichus de 1S, linho e prateadoe,
o que pode haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linho
e flanella para homem, idem, idem de
punhos, collarinhos e gravatas e muitas
outras fazendas que seria enfadonho men
conar e que tudo vendem sem reserva de
precos.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1. DE MABQO N. 1
Bernardina Campos k G.
cades da Europa
Apresentan? os segantes artigos, sendo
alguna ainda do anno passado, razSo justa
para serem actualmente baratissimas.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado.
dem trancado, superior, a 26'J rs. o dito.
Cortes de fustSo para colete a 8i0 rs.
dem de casen etas a 1*000 e 1*200.
dem de casimira inglesa de cores a 3* e
4*0C0.
AlgodSo cru, marebetado para toalhas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para leoces, a 4* e
5*0C0 a pesa.
MadapolSo superior, com 24 jardas a 5*
e 6*000.
dem Boa-Vista, verdadeiro, a 5*800.
Cortinados bordados de crochets a 12*000.
Colchas dem a 7*000 e 8*000.
Grinaldas e veos para noivas a 8*000.
Espartilhos modernosa 4*000,
Percales claras e escuras a 240 o covado.
Merines de cores, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toalhas nacionaes a 2*500 a duzia.
Lencos em lindas caixinhas a 1*800 e
2*800 a dita.
Meias inglesas e nacionaes a 2*500 e
3*000 a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 12*000.
Cerolas bordadas de bramante a 12*000 e
16*000 a duzia.
Guardanapos com franjas a 1*800 a dita.
Pannos de cores lindas para mesa a 1*600
o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 2500.
Crotones para as mesmas, a 1*000 o me-
tro; o melhor.
dem mosaicos, idem, a 440 rs. o covado.
Bramantes franceses a 1*600 o dito.
Cesemiras de cOres, duas larguras, a
1*800 o dito,
Cheviot azul, cOr inalteravel, a 2*400,
3*500 e 4*000.
Merines para luto desde 500 rs. a 1*800,
duas larguras.
Sargelins de cfires a 200 rs o covado.
Mantilhas e fichus a 1*, 3*000 e 5*000.
Toalhas de labvrintho, riquissimas, a 25* e
30*000.
Vendas em grosso tem o descont de
V.
J
%\
2 -i
Alfafe
nova
Solta 30 re. o kilo, em fardos 60 re.; ven.
de se no armaiem ra da Madre de Deus nu
mero 10. ....
......* -- '
Farelo noro superior
Saceos de 42 kilos a 1**00
Vndese no Corpo Santo n. 8.
R. DE DRSINA & C.
Roa Mrquez de linda n. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phcenix de Dorjtmund
e da chocolate Ph. Su-
chard de .NecBBtel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposicao 'Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa?
brica de charutos Danne-
mann &C, S. Flix (Bahia).
Arados de Cuba
Ns. 1 e 2
Vendem-se
Na Fundicao Ceral
rOLHETU
POE
PAULO D tltREJlOM
RIMEIRA PARTE
A andorinha
(ContinuacSo do n
VIII
128)
MINO E 80DBIQETTE
e tua
E a que horas voltam teu pai
mami ?
__Smente s sete horas da tarde.
__ Seria esperar muito, se o teu irmio-
zinho e;t com febre. E' preciso ir cha
mar um medico, minha pequea.
Mas eu n&o conheyo nenhum.
- Aqui adiante, ra Bamey, ha um,
muito bom, muito gervical j vai la....
Corro a chamal o.
E ia sahir com a sua cesta a o brao, a
cesta das compras, quasi t5o pesada como
eUa,
A vendedora de vveres chamou-a.
O' Souriquette!... disse ella.
Senbora...
.. Por que nao vais prevenir a tua ma-
mSi?
A crianca ficou vermelha.
E:la acaba de restabelece: se de
molestia cruel, replicn ella. Mamli
ainda tSo nervosa, que, se fosse lhe*" di
Mauricio est peior, ella lecel
m
Superior vinho de Al-
cobaca
O acreditado e autigo armaxem do Lim par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamente pelo ctaefe desta
casa, tornando se recommendado por ser puro e
de boa qnalldade.
Jos Fernandes Lima & C, ra Barao da Vic
toa n. 9
Telephone 353
Urgente
Vende se um sitio arborisado e com boa casa
de morada, na estrada do Giqui ; trata-se na
roa do Imperador n. 61, i- andar.
WHISKY
Roya! Bleid larca ViADO
Este excellente Whisky Escoces; pro
ferivel ao cognac ou agurdente de
para fortificar o corpo
cana.
Vende-se a retamo nos melhores arma
zens de mol hados.
Pede Royal Bleud marca Tlado
cujo nome e emblema sao registrados par*
todo Brasil.
BROWNS & C, agentes.
uomisL
s#^
*5|E;RY ~~ Vnde-ie em toda a nar"
Farello superior
a 2^000 ; ao largo do Mercado, n. 13.
que
grande choque. N3o, nSo, eu trata-ei delle
bem ssinha at logo tarde e entSo ma-
ma! saber da cousa, naturalmente, sem
abalo.
E's na verdade urna menina adora-
vel, Souriquette, ajuizada como urna se-
nhera. Se precisares da mim, vem me
dizer, que eu subire ao teu commodo.
Obrigada, minba senhora, al o hei,
se for preciso.
O medico chegou casa dos Valla uris
meia hora depois.
Onde esto teus pas, mmha peque-
a ? perguntou elle a Henriqueta logo
entrada.
Na oficina, senhor.
Ah e quem que est doente aqui ?
Meu irm&o.
Mas quem vai assistir a minha visita
e ouvir as minhas instruccSes ?
Eu, senhor.
E como o medico olhasse para ella, ad-
mirad* daquella voz calma e seria em urna
pbyMonomia de menina tSo nova, com a
sua bella tranca de ouro, cahidi' as cos-
tas, o ampio vestido sem contornos e o
avntal preto, o olhar dos dous grandes
olhos da cor do c:, aqueile olhar do ex-
prsalo intensa, leal e reflec'id, tranquil-
lisou-o logo.
Bem, dase elle, mojtre-me o seu r-
mSozinho.
Ella fel o atravessar a sala de jantar,
asseiada c arrumada, o quarto do pai e da
m2i, igualmente limpo e em ordem ; de-
pois, em um pequeo aposento, situado
nos fundos, mas arejado e cheio de luz,
entrou na frente.
De ordinario Mauricio dorme na al-
cova da sal* da jantar. disse ella, e eu
aqui; mas pense: que elle ticaria melhor
po man quarto, estando doente.
Mais urna v.z o Dr. Ohauny arregalou
os olhos estupefactos.
Que pequea exquisita murmurou
elle.
E approximando se do leito de Mauri-
cio, muito vermelho, com os olhos temos
e o todo muito abatido, examinou-o.
Ent2o que isso ? perguntou.
O doente nao se mexeu.
A sua respirado um pouco sibilante es
capava-se lhe da garganta como se ella es-
tivesse quasi obstruida.
Vejamos o pulso, disse o Dr. Chauny,
tomando a mao de Mauricio.
As sobrancelhas do medico franziram-se.
Diabo! disse elle inquieto... Que
lhe de ? continuou.
A cabeca, responden a crianca com
voz rouca, que lhe sahia a custo dos la
bios ; urna voz toda particular..
E a garganta?
Eila nSo me doa at ainda ha pou-
co ; mas de alguna momentos para c sin
to me suffocar ; parece me que enguli al-
gnma cousa que nao quer passar.
E, ao dizer estas palavras, Mauricio te-
ve um accesso de toase muito rouca, ca-
vernosa, profunda, com guinchos penosos
na garganta.
D*-me urna colher de prata e urna
ve'a, disse o doutor a Henriqueta.
Esta aviou-se.
Um segundo depois, sem que se tivesse
ouvido o menor ruido no commodo, ella
voltou com os objectos pedidos.
Vire a cabeja para tras, disse o dou
tor a Mauricio, e abra a bocea. Mais ain
da : nao tenha receio, n"o lhe farei mal,
quero smente ver.
Teve que interromper o seu exame, por
haver Mauricio sido accmmettido de no-
vo accesso da toase mais ronco anda do
que o primeiro.
Tem ahi nma pena e tinta ? pergun-
tou o medico menina, que se conservava
muito pallida a seu lado.
8m, senhor, all na sala.
Engenho Santa Clara
Vende-se urna parte do engenho Santa Clara,
situado no termo de Ipojuca : quem a quizer
comprar dirjase ao engenho Genipapo. que
achara com quem tratar.
14/
59UVA DUQUE DE CAXIAS59
Vendem se duas casas
terreas
sitas na estrada do Hatumbo, em Beberbe,
tendo cada urna duas JaneUas e urna porta de
frente, 2 salas e 4 quartos internos, cosinba e
1 quarto fra, moro e pon o na frente, tudo em
bom estado, com sillo contendo algumas arvo-
res fructferas ; as casas estao alegadas e ren-
dem 301000 mensaes ; a tratar na ra do Com-
mercio n. 31 das 10 s 3 horas da tarde.
Patacoes velhos
Compra-se na relojoaria David, ra do Cabu-
gn li.
Taverna
Vende re a taverna sita roa da Hora n. 2
(Espioheiro), bastante afreguezada, livre e de
sembaracada ; a tratar na mesma. O motivo da
venda se dir ao comprador-
Cera
Vende se na ra do Cabug n. J, segundo a
qoalidade, de 1* a 1#500 a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se na de V o descont de
30 0/0, e na de 1.' de 20 0/0. rto mesmo esta
b-ilecimento tem machinas para costura e mesas
para as mesmas por 10* cadauma.
Vende-se
urna boa machina de numerar e diverso cofres,
sendo um muito grande, e que foi da antiga the-
Bouraria das loteras ; a tratar na roa Mrquez
de Olinda n, 1, 1 andar.
Bem, eu vou l.
Acompanhou-a sala de jantar, e, so-
bre a toalha de damasco cuidadosamente
estendida sobre a mesa, escreveu algumas
linhas.
Sabe onde a pharmacia da ra de
Custine? perguntou elle.
Sim, senhor.
Pois bem, v l e mande preparar
depressa o que eet nesta receita, e volte
a correr. Diga que eu estou aqui e que
espero o remedio.
Henriqueta foi tomada de grande an-
gustia.
Senhor, perguntou ella erguendo pa-
ra o doutor os bellos olhos che03 de la-
grimas, o meu irmSozinho esta entilo muito
doente ?
O medico sentio-se penetrado de grande
compaixo.
Aquella razSo precoce, alada a tSo ar-
dente ternura; n'uma menina tSo nova, o
impressionava extraordinariamente.
Nao pode resistir a tentacSo de
o fino rostosinho angustiado.
NSo, pequea, nao esta muito deen-
te... Alm disse, voc vai tratar delle
com todo o cuidado, nSo verdade ?
Oh sim, senhor ..
Pois bem, tenha confianca, nos o po-
remos bom.
Nunca a Souriquette correr tanto co-
mo para ir buscar os remedios que am
destruir o mal que fazia Mauricio s^ffrer.
Quando voltou, o Dr. Chauny tinha sa-
cado da algibera o sen estojo, e na extre-
midade de pincas finas e flexiveis colloca-
va pequeas esponjas redondas e do ta-
munho de urna noz.
J! exclamou elle, vendo entrar
Henriqueta com as drogas receitadas.
Sim, senhor, o pharmaceutico bom
homem e nao me fez esperar.
Bem, d me um pires, agua e um
copo.
AMLEJ8S
Para frente de casas, baobeiros
corredores, agongues, sendo de lindas
cosre, ?endem-se por 604000 o milhei-
ro, por f er um saldo, a Fraga da lo*
dependencia n. 40.__________________
Terreno
Vende-se por barato prego um bom terreno
no lugar loutinga (estrada nova do Casanga)
confronte a etta$ao do mesmo nome da via-fer
rea do Caxang, tendo 150 palmos de frente e
500 de fundo ; a tratar com a sua proprietaria
em orna casa sita no mesmo terreno.
Paraengenho
Vende-re urna roda de ferro, systema Lean-
dro, com tS palmos de dimetro e 7 de largura
(que se pode estreilar) com cubos e forro de
amaiello, em perfeito estado, Barilho de ferro
com 20 palmos de comprimento e mais um
acrescimo de sarilho com 10 palmos e pecas
para liaar, gigante de ferro, quatro rodetes an
guiares, tres de i pemos e um de 8, urna moen
da de 36 pollegadas por 21 e nm rodete pe-pen
dicolar de 8 palmos, tudo em bom es ado, e
vende se barato por se ter botado vapor ; quem
pretender dirija se ao escriptorio de Ribeiro de
Carvalho, ra eslreita do Rosario n. 19.
Peitos de celuloide cem bordado imitando
perieitamente linho.
Collarinhos modernos duzia 5)5000.
Para Irabalbo de croclat ele
Caixas de linh*s de cores com mesclado
dourado a 1(5000 e um novello 100.
Punhos para homem a 6)5000 a duzia.
Lencos brancos para creanga a 1)5000 a
duzia.
Para baile
Lindos ramos de flores artificiaos de seda
e com has tos de borracha.
Lindo e grande sortimento de sontache de
todas as cores para enfeitar vestidos da
creanga.
Para a* ttrmm, modistas
Bicos de cores brancos de algodSo a 1|5500
e 2)5000 a peca.
Bicos de seda de diversas cores a 5)5000 a
pega.
Porta tranga de prata, tartaruga e massa.
Punhrs e collarinhos de celuloide.
Erpelhos cara dura a 400.
Para liquidar grande quantidade de fitas
modernas abatimento de 25 |0.
Fitas n. 9 a 400 o metro.
dem n. 5 a 200 o metro. *'/
Lavrada para faxa a 2)5000 o metro,
dem para faxa n. 30 a 30000 o metro.
Espartilhos para 4)5000, 5)5000 e 60000.
Para nolva*
Capellas de cera,
dem de flores de larangeiras.
Ramos francezes e nacionaes, veos, loquea
e luvas. p
Enchovaes para baptisado.
Tocas e capotas para baptisado e paaseio. y
Cintos de chagrain para senhora, largos e
, estroitos a 1)5000. ( \
Grande sortimento de'galSes, palmas, ro-
sas, pingentes e guarnieres pretas da
vidnlho para vestido.
Lindas costureiras de velludo propriaa
para presentes.
Lindas boleas com estojo para costura. /,
Grande sortimento de caixinhas com ex-
tractos proprias para presentes a 20009,
3)9000, 40OOT, 5)5000 e 6)5000 orna. ,
Livros de missa, de madreperola e da
velludo.
Lindos objectos de crystal para presenta
como sejam: porta-relegio, parta-extra-
oto, porta-p de arroz de 4)9500 at
125000.
Finos alfinetes para gravatas.
Grande sortimento de broches americanos
para senhoras.
Caixas com msicas a 24, 3)5000, 4)5000
at 120000.
Grande sortimento de galSzinhos brancos
e de cores para enfeitar casacos e roupa
de enancas.
Porta-retratos a 200 e 300 rs. nm.
Grande sortimento de lencos de seda a
ldOOO, 1)9500 e 2)9000 um.
Guarnigoos para toilet a 6)9000 e 70000.
Lindos porta-pos de arroz a 1)9500, 2)9000,
30000, 40000, 50000 e 60000 nm.
Finas ligas com ramo de flor de larangeira
proprias para noiva a 10500 o par.
dem de todas as cores a 10000, 10200,
10500 e 20000.
Lencos de linho a 30000 a duaia, em cai-
xinha.
Grande sortimento de pulceiras ameri-
canas.
Cortinados de crothet para cama a 120000,
170000 e 190000
Ditos para janella a 70000. .;*
Guarnieres para cadeira a 60000.
Pannos de croehet para cadeira a 800 a -(
10000 : i
Grande sortimento de luvas finas para se- f
nhora a 10500, 20000 e 20500 o par.
dem para menina a 800 e 10000.
Linha de machina a 700 rs. a duaia.
dem idem a 60 rs. o carritel.
Toalhas para banho a 10500.
dem para rosto a 300 rs.
Babadores eom inscripgSo e paisagem a .
500 e a duzia a 4)5000. X
Grande sartimento de espelhos fines ovaai \
e de canto redondo a 40000, 50000 a
60000.
Bengallas de flauta n 10500.
103RA DUQUE DE CAXIAS103
Leituras Selectas
Pelo Dr. Joo BarbalUo
Acba-se no prelo e brevemente ser exposta a
venda, a 3 edicao deste importante livro para
leitnra e outros exerclcios as escolas.

mi
Cimento Portland
Vende se na ra do Padi e Floriano n. 74; pre
pos sem competencia.
beijar
Ella obedeceu prestemente.
Elle despejou no pires o contedo de
um dos frascos, misturou-o com agua e
embebeu na solugo urna das esponjas.
Agora, venha commigo, vai me aju.
dar.
Senhor.. disse ella com a voz sbi-
tamente trmula, o senhor vai por acaso
fazer mal ao meu irrnaozinho ?...
NSo, n2o, minha querida... elle n5o
sentir quasi o que lhe vou fazer.
Muito pallida, porm corajosa como urna
senhora, ella dispoz-se logo a ajudar orne
dico.
Voc vai segurar a vela e o pi res,
disse lhe ello.
Sim, senhor.
E nSo tenha receio... Tu, meu pe-
queo, abre bem a bocoa, nao sentirs
nada.
Com extraordinaria intelligencia, a me-
nina, qua comprehendeu logo, dirigi a
luz de modo a Iluminar bem a parte
doente, emquanto o pires, firme na outra
mo, conservava se sempre ao alcance do
doutor, que pincelava a garganta do doen-
tinho.
Muito bem, disse elle, finalmente ;
voc vai ser urna excellente enfermeira.
E' preciso conbervur seu irmao bem aga-
salhado. Fnga-o gargarejar de msia em
meia hora com isto que est aqui neste
frasco ; veja bem, este rameio que ver-
melho como vinho Bordeaux.
Sim, senhor.
Voc nlo se engaar ?
Oh senhor, esteja socegado.
Se elle ti ver sede, d-lhe a beber li
monada com bastante lim8o e pouco assu-
car, ou antea um pouco de xarppe de gro-
selha ; e se elle ficr mais vermelho, ap-
plique-lhe sinapismos as pernas. A pro-
posito, sabe fazer sinapismos ?
Sim, senhor, j a% appliquei na
mSi.
Jjf.*-
Iflft -

Vende-se
nm casal de cachorros de lina raga, proprios
para sitio; a tratar na ra de Domingos Jos
Marti os n. 96 ou 13fi.
ma
A que horas volta a sua mamSi?
A' noite.
Voltarei tambem a essa hora.
Quando Laura chegou, encontrou Hen-
riqueta no meio da escada, sua espera.
Meu Deus exclamou a pobre mti,
agitada por um estremecimento, Mauricio
estar entilo peior ?...
A menina estava j perdurada ao sen
pescoco e cobria-a de beijos.
Estava esta manhS, depois que sahis.
te, respondeu ella.
E accrescentou logo:
Mas agora vai melhor.
Por que nSo nos foste chamar ?
Para nlo te causar um choque, quie-
te faria ficar tambem doente.
Entao que fizeste tu ?
A taverneira me aconselhou que fos-,
se chamar um medico.
E tu seguiste o conselho 1
Sim, e tratei de Mauricio como elle
me disse que fizesse.
Ah! que boa, que exellente filha-
tenho em ti!... Abroga me, meu theaou- ;
ro, amo te loucamente 1... Hk
Ella nao se fez rogar, rotribuindo a
Laura a adorago que ella lhe votava.
Sobretudo nSo te inquietes ; o me- tj
dico nito tarda ahi, e elle me disse que o
poria bom, murmurou Henriqneta ao ou- ,*,
vido de sua mu, quando esta chegou ao
patamar da escada.
O Dr. Jliauny chegou efifectivamente
guns instantes depois.
Tudo quanto elle havia proscripto tiahl
sido fielmente executado pela menina, cot
a intelligencia de urna senhora.
Esta crianga e hem extraordinaria^
disse elle a Laura aa mesma tempo lison-
jeada e desesperada; Ha litou do irm3o
tSo bem como a senhora prpria o teria
teito. (Continuar-se-ha.)
Typ do Dtano, Ra Duque de Caxias n. 42


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJGT46CV4_IRLEHA INGEST_TIME 2014-05-22T00:13:56Z PACKAGE AA00011611_16997
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES