Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16993


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO-LXVI NUMERO"125
RQA-FETU 3'DE JNHO HK )890
DIARIO
PERNAM
Propriedade de Manoel Fgueira de Faria
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE Qs SfS. Amecf Prince & C.
Por tres meses adiantados. .
Por seis ditos dem......
Por um auno dem......
Cada numero avulso, do mcsmo dia.
6*000
125000
23jKXX)
100
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios e publica-
FUhos
PARA DENTRO F0RA DO ESTADO
Por seis mezes adiantados. 134500
Por nove ditos idem...... 901000
Por um anno idem...... 260000
Cada numero avulso. de das anteriores. 4100
'JM
'>
TELEGRAflMAS

izm: ?2t:gub do iilii:
RIO DE JANEIRO, 2 de Janho,
horas e 55 minutos da tarde.
s 3
f
I.



'


:

II
1
Foi concedida
o Dr. Ravmund >
a exoneracSo que pedia
Bandeiro de 2." vice-
gobernador do Estado d Pernambuco.
Foi traoste.ido o Dr. Manoel Gomes de
Mattos de 3. para 2. vice-governador do
mesmo Ettado.
Foi nomeado escripturar o da repar
tieSo de trras e coIonisacSo do mesmc
Estado, JoSo Gosten.
-
--------------______
ubheo da ssicu mis
ROMA, 2 de Jnnho.
Na Cmara dos Deputad3 da Italia o
g.verno foi interpellado a rat-peito da vio
laclo do direito de reuniSo.
A discusslo da interpellacSo terminou-
se por um voto de confianza, approvando
por 329 votos contra 60 a conducta do go-
verno.
No decurso dcsta discusso o Sr. Crisp
pronunciou um importante discurso.
POVOA VARZIM, 2 de Junho.
Desordens de urna certa importancia
produziram se aqui entre guardas da Al-
fandega, pescadores e contrabandistas.
Houve oito mortes. *>
LISBOA, 2 de Junho.
Acaba de suicidarse o distincto romn*
c.;ta p,rtugu&z Gamillo Castalio Branco.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
2 de Junho do 1&90.
IRSTROCCiO POPULAR
kmumtmmwm
POR
os mormo irosair as
CAPITULO II
Pareceres moderaos Fealeaelle
Defender m pluralldade de aun
dos era Idea coreada de aerlffeo
Beoaaao do llvro de Foalenelle
(hrl-llano Hn.Tghem.
( Continu a? lo )
Em geral, todos quantos possaiam a neccessa-
ra instru :gao, e eram sequazes do systema pla-
oetario de Nicolao Copera ico, convinbam em que
os astros eram babitaveis, e raciocinavam do se-
guate modo :
Admittido que as estrellas fitas existe a
grandeza e -esplendor de soes, sendo cada ama
ellas o centro da revolncao de nm numero se
cidental de planetas, a semelbanca do nosso Sol;
e considerando que cada centro desles vinba a
ser nm mundo, oa a foroiar um hemispberio ce-
leste semelhante ao nosso em grandeza ; ponde-
rando, almd'isso, que um mundo inteiramente
deserto e rasio de habitantes era, at certo pon
c. urna idei iaadmisstvel. por se oppr ao fim
e objecto da creacao, forcoso coofessar qlie to-
dos esses mundos on hemispfcerios sao Sbila
dos. semelbanca do nosso.
m (Contina;
PASTE OFFICUL
Acta lo poder eiecuTo
Decreto a. 899-dej6 de Maio de 1890
Manda aceitar lettras bvp0ihecarias dos bancos
da Crdito Real as tiangas e cauc&es presta
das ao ministerio dos negocios da agneultu
ra commercio e obras publicas.
0 marecbal Manoel Deodoro da Fonseca, ebe
fe do governo provisorio constituido pelo exer
cito e armada em nome da n>( tendo ouvido
musiro e secretario de estado dos negocios
da agricultura, commercio e obrs publicas, e
reeonnecendo a conveniencia de promover que
as letras bypotbecarias. emitlidas por estabele
menlos bsnearios. possam collocar-se fcil
mele, de maaeira que se tornam ttulos cada
vez mais apreciados, e por este modo se alar
guem as utiiissimas operagoes que ellas repre-
sentara, resolve que as flaneas e cauces. que
tiverem de ser prestadas as repartieses depen
denles do aobredilo ministerio ou para servicos
da sus competencia, sejam aceitas as referidas
' atrs pelo seu valor nominal, mediante as con-
dicoes seguate:
I-As lettras sorteadas para resgate serio
iubstiloidas por ouiras, sem dependencia da
.atervencao dos emprestadores ;
OOs jaros vencidos pelas letras depos.ta-
nas sero sattsfeitos aos seus legtimos possui
dures.
0 ministro e secretario de Estado dos nego-
goclos da agricultura, commercio e obras publi-
cas a?sim faca exeeular.
Ssla ds sessoes do governo provisorio dos
Estados Unidos do Brasil, s i6 de Maio de 1890,
f da Repblica,Manoel Deodoro da Fonseca.
Francisco Glicerio.
iaJstr ria lo terlor
Foram naneados inspectores da bygieoe do
Amazonas, o Dr. Basilio Raymondo de Seixss ;
o Para o Dr. Cypriaso Jos dos Santos e do Rio
Grande do Norte, Dr. Manoel Augusto de Medel-
ros, sendo exonerados o do Amazonas Dr. Ar-
mar de Albuquerque Bezerre Cavslcante e do
Para, o Dr. Antonio Marea!.
Foi transferido o vke-governadar do estado
de Sergiee coronel Antonio de SiqutiraHorU do
lerceiro para o primeiro.legar da rwpwiw lista.
Foi nomeado 2' vice-governador o capilao
tenste Augusto Ce^ar da Silva e 3' o Dr. bylvto
Anacleto de Souza B i.-tos.
Foi dispensado do exercicio de suas func-
cOes do magisterio d fucutdade. de direito do
Kecift e lente cathedralico Dr. Jos HyginoD jar-
te Pereira, que ser subslitoido por um lente
substituto.
Foi exonerado o Dr. Francisco Doaingues
da Silva Jnior do lugar de memoro da inspe
doria de gygiene do estado de Pernambuco para
execucSo o art 12 n. 1 do decreto n. 169 de
18 de Jaeeiro do correte anno.
Foi nomeado o Dr. Augusto Lopes de Assump-
gio Pesspa para o lugar de ajudante do inspe-
ctor dF6ygine do raesmo estado.
Ministerio da filtica
Foram removidos os juizes de direito : Ju
lio Pereira de Carvalbo, da comarca de Jacobt-
na, de Ia entrela, para a da Barra do Rio de
Coritas, de 2a entrela ambas no estado da Ba-
ha ; Erancisco Carvalbo de Passos. da comarca
da Barra do Rio de Contas pira a de Entre Ros,
ambas do 2' entrancia. no mesmo estado, por
asslm o baver pedido.
Foram nomeados juizes de direito : da co-
marca do B jiu Conselho de 1* entraocia. no es-
tado da Babia, o bacbarel Francisco de Souza
Das; da do Andaraby, de igual entrancia, no
mesmo estado, o bacbarel Manoel Das Frates
dos Santos, e da de Jacobina, de igual en-
trancia. no mesmo estado, o bacbarel Alfredo
Cesar Cabuss.
Ficou sem effeilo a nomeaco do bacarel
Clodoaldo de Frenas para o cargo de juiz de di-
reito da comarca de Campo Maior. uo estado do
Piauby, sendo nomeado para essa comarca o ba
cbarel Manoel Florentino de Albuquerque Mon
teuegro, ficando sem effelto a sua nomeacao pa-
ra a comarca de Porto Nacional, estado de
Goyaz.
Fara a comarca de Pacto Manonal em Goyaz
foi nomeado o bacbarel Jos Joaqun Baeta Ne-
ves Jnior.
O Sr. ministro da juslica dirigi em 17 do
corrente aos governadores dos Estados o seguin-
te :
Nao exliado na secretaria de estado do mi-
nisterio a meu cargo, para o arbitramento de
ajuda de cusi aos hachareis nomeados jaises de
direito on mumeipaes, ni forma do decreto n.
260 de 14 de Marco do corrente anno, dados com-
pletos sobre as distancias e meios de viacao n'esse
Estado, rogo vos que, ao rcmetter requerimenlo
para taes arbitramentos, informis nao s quanto
ao numero de. pessoas de que se compuzer a fa-
milia dos requereotes^excluidos os aggregados
e criados, na forma do art. 11, 2.a parte do de-
creto n. 687 de 26 de Julbo de 1850, mas tam -
bem sobre os meios de transporte com declara-
cao da distancia klometrica das estradas de ro-
dagem.e dos precoi das passagens bavendo via-
gem por estrada de ferro ou embarcado.
ande e fraternidade. Jf. Feraz de Campos
Salles.
Arsenal de Mannba do Estado do Para, sendo
exonerado d'este lagar o cap So de fragata Jos
Igoacio Borges Machado.
(overno do Estado de Peroan
bneo
DESPACHOS DO DIA 31 DE MAIO
DE 1890
Baoharel Ascendiuo Lms de Albuquer-
que. Sim, com os vencimentos a que ti-
direito. ""
Antonio" Benicio Ferreira Lima.A pe-
tlcSo a.-qu alinde o requerente, foi sub-
mettida ao conhecimento e decsao do M.-
nisterio da Justiga, segundo consta de, des-
pacho proferido na mesma peticSo em 26
de Abril ultimo e publicado no Jornal do
Recife, de 33, n. 97.
Candido de Souza Banacio. Informe o
inspector especial de trras e colonisaclo.
Emilia Joaquina de ifedeiros Souza
Caldas.Como requer.
Francisco Jos Rodrigues.Informe o
inspector especial de trras e colonisa-
980
Francisco Pereira da Costa. Informe
o inspector especial de trras e coIonisa-
cSo.
Guilhermina Amelia Fernandos.En-
tregnem se, mediante recibo.
Marcos Jos & Silva, subdelegado do
2.. districto da "(Iraca.
Sajide e fraternidadeAo cidadSo Dr.
Albino Goncalves Meira de Vasconcellos,
governador do Estado. chele de poli-
ca, Ernesto dt Aquino Fcnseca.
21
EXTERIOR
Carvalho Gomes
os vencimentos a
Mlalsterlo da Fazenda
Foi nomeado praticanle da Tbesouraria do Ma-
ranaao Armando de Oliveira Almeida.
Foi aposentado o thesoureiro da Tnesou-
rarii do Espirito-Santo Antonio Jos Ribeiro dos
Santos.
Foi nomeado platicante Cleto Pereira Nunes.
O confere.;te da Alfandega do Para Albaoo
Hilarle Gadinbo foi nomeado ajudaote do inspe-
ctor da Alfandega do Maranbao e nao inspector
como foi publicado.
Foi nomeado inspector da Alfandega do
Cear o chefe de secc&o da do Para Luiz Carlos
da Silva Peixolo.
Foi nomeado guarda mor da Alfandega de
Masaos Alfredo Ferreira da Costa.
O conferente da Alfandega do Para, Albaoo
Duarte Godinbo, foi nomeado ajudante do inspe
eior da Alfandega do Maranbao.
Ministerio dos Negocios da Fazenda.Rio
de Janeiro. 23 de Maio de 1890.
Roy Barbosa, presidente do tribunal do The-
souro Nacional, attendendo ao augmento de veu-
cimentos que tm tido os empregados do Minis-
terio da Fazenda, depois da puDlicicao da ta
bella da ajada de casto de primeiro estabeleci-
menlo, mandada vigorar pela ordem do 1. de
Marco de 1861, resolve substituir a mesma ta-
bella pela segniote :
Quando o vencimento for at 1:000J
De mais de 1:000* at 2.0001
De mais de 2:0004 at 3:000*
De mais de 3:000* at 4:000*
De mais de 4:000* at 5.000*
De mus de 3:00* at 6:000*
Da mais de 6:000* at 7:000*
De mais de 7:000* at 8:000*
De mais d 8:000*
Ruy fttrvosa.
Bacharel Helvecio de
GuimarSes.Sim, com
que direito.
Izidio Cavalcante. Informe o inspe-
ctor especial de trras e coloaisagSo.
Joaquim Francisco da Silva*N3o ha
o que deferir, visto nSo ter o supplicante
concluido a pena.
Oompanhia Pernambucana de Navega-
cao Costeira.Certifique-se.
Bacharel 2 rancisco AI tino
Araujo.Informe o inspector
raria de Fazenda.
JoSo Joaquim de Menezes. Ene mi-
nha-se.
Jeronymo Pereira Lemoa.
Correia de
da Thesou-
NSo ba o
que deferir, visto nSo ter o supplicante
concluido a pena.
Lydia Alves da PurificagSo Bezerxa,
Requeira ao Thesouro do Justado e Ffce-
souraria de Fazenda, juntando o titulo.
Manoel Joaquim Cerqueira Informe o
inspector do Arsenal de Marinha.
Secretaria do Governo do Estado de Per-
nambuco, 2 de Junho de 1890.
O portedro.^
*~H.M. dX Sitia: '
150*000
200*000
300*000
400*000
500*000
600*000
800*000
1:000*000
1:200*000
Afriealtai
leccMp commii
irro 00 norte o aj
Ministerio da
Foi nomeado ebefe de seccMpt commissao de
ligacao das estradas de ferro 00 norte o ajudante
de 1.* classe engenbeiro Francisco Carlos da Cos
ta Real.
Foi removido o engenbeiro Joo Eduardo
Barbosa de engenbeiro de 2.a classe do prolon
famento da estrada de ferro de Sobral para o de
. classe da do Recife a Caruar.
Foram removidos:
O engenheiro Julio da Silveira Vianna, do la
gar de eugenheiro residente do prolongomeoto
da estrada de ferro do Recife ao S. Francisco
para o de chefe de scelo do prdongameato da
estrada de ferro entral da Babia e o engeaneiro
Jote de Barros Wanderlf'y de Mendonca, do lu-
gar de chefe de secc&o do proUwgameoto da es-
trada de ferro Central da Babia para o de enge-
nheiro fiscal da e.-trada de ferro do Ribeirio ao
Bonito, no Estado de Peruambuco.
Ao director da estrada de ferro do Recife
a Caruar e do prolonga ment da do Recife a S
Francisco, ambas de propriedade do E-tudo, di-
rigi o Ministerio da Agricultura o aviso segua-
te :
Sendo justificados os motivos que allegis
em officio de 23 de Marco ultimo, acerca da m
possibilidade de ter sido apresenudo at o dia 1
do referido mez o relatono detalhndo dos serv-
eos d'essas estradas no decurso do anno rJado,
vista do estado de desorganisacao em que se
acba essa reparticao, permiti demoris essa re-
messa pelo tempo oecessdrio execuco de tra-
balho completo que exprima com precisao o ver-
dadeiro estado dos negocios das referidas estra-
das, visto acreditar o governo que o vosso zelo
no repor aquelles servicos em estado regular,
corresponder conflanca em vi depositada.
Sande e fraternidade. Francisco Glicerio.
Ministerio da Marinha
Foram nomeados commissario? de 4.a classe
do corpo de fazenda da armada Alfredo Hippo-
Sw Acn, S*bati*o Gomes Pereira, Alberto
eengbalgh Barreno, Alfredo de Alvim, Fran
cisco Manoel Bettencourt, Laii Emilio Bolard e
Alfredo Magno Gomes.
Foi nomeado o capilao de fragata Antonio
Xavier de Castro para o cargo de inspector do
Repartleo da Folela
2.* scelo.N. 121.Secretaria de Po-
lica do Estado de Pernambuco, 2 de
Junho de 1899..
CidadSo GovernadorPartioipo-vos que
nos doua ltimos dias foram re.colhidos
Jara de Deten980 os individuos de nomes
Jos Joaquim da Silva, Manoel da Hora,
Francisca Rosa dos Pasaos, Amancio Jos
dos Santos, Mara das Dores do Espirito
S.nto, Jooepha Pereira, Theodora Mara
Gomes, Thereza Felicidade de Jess, Vi-
cente Francisco Bastos, Victorino Fran.
cisco Anaatacio, Mara Jos dos Paseos,
Jeanino Silveira Bandeira de Mello, Ale-
xandre Pereira de Jess, Jos Ignacio do
Monte, Augusto Florencio dos Santos,
Vicente Ferreira de Souza, Lola de Al-
meida Araujo, Caasiano de Almeida do
Rosario, Pedro Monteiro e Jos Francisco
da Silva.
Ante-hontem, a 9 1[2 horas da noite,
em ama taverna' sita estrad* de Jd >
de Barros, o individuo de nome Jos
A Jaeome Piros ferio com ama tacada
ao subdito portugus Manoel Rodrigues
Lopes, empregada na referida taverna.
Contra o flelinquente, qoo evadio-se,
procede ae na forma da lei.
No dia 24 do mes findo opresentou-
se voluntariamente ao delegado do termo
de Bom Conaelho e foi recolhido cadea
respectiva, o aliares Joaquim Antonio de
Sonsa Forras, pronunciado no art. 205 do
cdigo criminal.
No dia 28 apresentou-se tambem vo-
luntariamente ao delegado do termo de
Pao d'Alho, afm de ser submettido a
novo julgamento, o reo appellado Ordolpho
Francisco de Almeida.
No da 1. do mea findo foi captu-
rado no termo de Ouricury o reo Antonio
de Soasa, pronunciado no art. 205 do c-
digo criminal.
Tambom no dia 25 do referido mez
foram capturados pelo sargento Bartholo-
meu da Silva Fragoso, commandante do
destacamento estacionado no termo de
Bom Conaelho, os reos Antonio Joa
Duarte, Manoel Antonio Ferreia Duarte
e Joa Pinheiro da Silva, os dons primei
ros por se acharem pronunciados no art.
205 do cdigo criminal e o ultimo no art.
193 combinado com o 34 do mesmo c-
digo.
Pelo delegado do termo de S. Lou
renco da Matea foi remettido ao juizo
competente o inquerto policial a que pro-
ceden contra o individuo de nome Lua
Ferreira, como autor dos ferimentos cri-
ticados na pessoa do menor Alipio d Aa -
sumpelo Daltro.
Entraram em exercicio :
Joa Vicente Ferreira da 8ilva Jnior,
subdelegado da freguezia de S. Fre Pedro
Goncalves.
Alvaro Joaquim de Alero, subdelegado
do 1. districtode Beberibe, na qualidade
de 1." supplente.
Antonio Beserra de Abren, subdelegado
do 2. districto de Morbeca, na qualidade
de 2. supplente.
AMEMCiUDO SUL
Nos jornaas, hontem chegados do Rio
de Janeiro, encontramos estes telegram-
mas do
Pacifico e nio da Pinta
Vaiparaiso, 20 de Maio
Houve grandes desornens em Santiago
por iccasiao da abertura do Club Liberal,
a qual assistiram quatro ministros, mas
foram logo reprimidas.
Bftnos Ayres, 20 de Maio
Voltou o chefe da commissSo de limites
com o Chile muito satisfeito da recepcSo
que Ihe foi feila.
Montevideo, 20 de Maio
O commercio protesta contra o regla-
me to para a amortisacSo da divida.
Buenos Ayres, 22 de Maio
El Diario, folha conhecida pelas suas
aggress5es ao Brasil, annuncia que dous
estados do norte do Brasil revoltaram-se.
A cmara dos deputados argentinos ap-
provau, em terceira diicusBSo, opagamen
to en ouro da metade dos direitos da al-
fandega.
O relator da commissSo citou o exemplo
do Brasil.
Oldeputado Magnasco combateu o pro
jectok ^.
O mimKro da fazenda resp- ndeu dizen-
do (Me era isso indispensavle para o serv9o
da vida.
A varila est grassando no Rosario,,
com carcter epidmico.
Mkntedo, 22 de Maio
Michel Carnero fci nomeado cnsul para
I Lima.
Oa actores da companhia. Novelli recu-
sam Ir ao Brasil allegando que ah grassa
a feftre adfarella.
Valparaso, 23 de Maio
-Corre o boato de crise ministerial.
Foi preso em Arica um francs por ser
parecido com o assassino Eyraud.
Buenos Ayres, 23 de Maio
E1 Diario continua a insistir na noticia
que den, de que os estad >s de Pernambu
co e da Baha revoltaram-se, e affirmaque
as suas informacoes sSo < fficiaes.
O paquete inglez Ihames nio foi sub
mettido a qaarentena aqui.
Montevideo, 23 de Maio
Acha-se incommodado o
Repblica.
O Dr. Ramrez Barcellos
noticias de revolucSo nos estados
nambucu e da Baha.
Buenos'Ayres, 24 de Maio
A cmara' dos deputados approvou, em
all se acbavam, inclusive o Sr. capitao Cunta
Matto?. superior do da, quando no meio da con-
versa buviinos ter sido chamado o Sr. capilao
Cunha Mattos. e momentos depois voliar esse
offieial, dando ordem para q e ao reforco que
alli se achava fossem distribuidas munico^s e
em seguida eguisse para a ra d >s Andradas.
Sabimos e visamos u al^uns amigos do que
tinbames presenciado.
Esperamos a forgn oa esquina da ra da La
deira.
Vimos na frente della muitos officia? supe-
riores, alm do commandante c subalternos.
A forca seguio e feallo a 10 ou 13 passos
da esqnina da ra do Commercio.
presidente da
desmentio
de Per-
terceh-a diacusaftp, por 45 votos contra 20,
a proposta, apresentada por Mancilla e
sustentada por Olmedo, de reintegrado
de D. Bartholomeu Mitre no posto de te-
nente-general do ezercito.
24 de Mrio :, ,
Houve conferencia n% orcalo militar
fallaram o coronel Garmendia e o Dr.
Cunha.
Aiguos officiaes se destacaram della. para,
por meios suasorios, fazer dispersar o povo,
tendo o Sr. capilao Cuaba Mattos ido ao sal&o da
Unido, para fazer sentir ao presidente da a-so
ciacSo ou a que suas vezes lizesse a convenien-
cia de fazer retirar as msicas c de acabar com
os festejos em bem da tranquillidade publica.
Quer os meios suasorios parecessem fraque
za. \im03 que da Uniao Republicana desciam os
socios que se juoiavam ao povo. em frente forga
armada, e que ao romperem as msicas a Mira
Iheza, ama voz so fez oavirAcanca. e soore a
forca se atiraram.
O commandante desta linha dado a ordem
de cruzar bayonetas, e ao ser assaltada deu a
voz de carregar. e. acto continuo, seis ou oito
tiros se tiseram ouvr.
A forca era de 60 praca?. e se atirassem so-
bre urna massa compacta de povo que eslava 1
EDUC03 passos de distancia, a mortandade seria
jrrivel. como est ao alcance de qualquer leigo
reeoohecer.
Sustentamos que nao houve ordem de fogo.
e que 03 tiros nao. passaram de meia duza.
> Dispersado o povo com esses tiros, a forca
retiroa se para a embocadura da roa da Ladeira,
destacando se 20 pracas para ir guardar a casa
do governador o Sr. Dr. Silva Tavares.
ido postar na praga General Deodoro. em
frente ao palacio, onde se acbava o governador
com muitos officiaes superiores.
Alli entramos.
O governador achava-se em conferencia com
o Sr. general commandante das armas com os
commanaantes dos corpos aqui estacionados e
com o Sr. commandante da flotilha.
Retiraran se estes, menos o Sr. comman-
dante da flotilba que em palacio se conservou-
- Pas-aJa tal vez ama hora, regressou a pala-
cio o Sr. commaudante das armas e conferenciou
no gabinete com 6 governador.
Momentos depois soubemos que S. Exc.
dissera que tioba ido Escola Militar, e que se
bem encontrasse os nimos dos alumnos multo
exaltados tioba consegvido apasigual os e que
nada bavia delles a temer se.
Dez a quinze minutos depois, quando se Ira-
trava de mandar a tropa para os quarteis e que
alguns officiaes j se haviam, retirado, vieram
dizer que os alumnos estavam se armando e pre-
parando quatro pecas de arlilbaria.
t 0 Sr. general commandante das armas se-
guio incontinenti era nm carro para a escola.
Depois de urna longa demora, regressou S.
alacio, declarando ao governador que
aaarcbava sobre o. palacio com quatro
de aitilhana, que os balallies tiobam
com ella confraternizado e que acbava raelbor
para evitar derramamento de sangae que o Sr.
governador deixasse.o governo do Estado.
0 Sr. Dr. Tavares cbamou a todos os offi-
ciaes presentes, consaltou 03 sobre o que devia
\ fze> vista do que Ibe communicava o Sr.
commandante das armas, e. apesarde todos es
tarein'frdmptos a sustentar S Exc. disseram
. qu "se s,. Exc. nao tinha nenbum elemento de
ta asistencia senao aquel le que elles Ibe podiam
prestar, se quizesse evitar derramamento de
sangue. devia annuir exigencia qce em nome
da escola Ibe fl era o Sr. commandante das ar-
mas, passando o governoJdo Estado.
A' vista disso, o Sr. Silva Tavares declaran
que passava o governo do Estado ao Sr. comman-
oorpo guardava o palacio do governo.. fazia o-
tros servigos pela cidade.
ogo apos o conflicto, o i3 batalho, ama-
do previameute, eocaminhou se para a escoto
militar intunauao a ala do 30 a deixar sabir os
alumnos ou eniao a entrar com ella em luta, ce-
deado a ala, pois aeio com os alumnos, condn-
zindo quatro cannOjs.
Tuda a forga reunida tomou a direcco do
palacio, vm lo adiante o general commandante
das atusas, que panicipou ao governador que a
torga armada vinha com o tim de apal o do po-
dej*. declarando mais que, 00 da seguinte,
I 500 homeus toraanam a mesma resolugo, aflm
. TIC e.vitjr a effaso de sangue.
Assimjppido, o vice governador reuni a
10 ou 12 ffitaes que se acbavam em palacio,
coosultando-os se era poasivel a resistencia, e
esses officiaes declararam-Ihe que nao poda
coatar com o apoio da forca.
De posse de tal confrraago, o vice gover-
nador resolveu depr o poder na pessoa do ge-
neral commandante das armas, pedilo para re
lirar-se, ao que objectou aquelle general Jqoe S.
Exc. nao podia sabir sem que chegaslem os
commandantes e os corpos que vinbam depl-o. .
Resolveu -se o Sr. Tavares a esperar, lem-
brando se de passar telegramma ao generalissi-
mo chefe do governo provisorio, mais ou menos
n jsies termos :
Nesta occasiao, 2 horas da madrugada, per-
ante a officialidade e o general commandante das
armas, o governador deposto declara que ao lo-
mar posse da admioistracao. recommeodon cc
mesmo general e ao chefe de polica, aqu pre:
sentes, que a seguranga e policiamento ficavam
entregues exclusivamante a-Ss. Excs., recom-
mendajao que ratificou no dia aa sedic&o. -rrr=-
centando qiR nao se distnbuissem cartucuos
tropa, no que appel ava para o testemunno dos
Srs. geaeral Buten .ourt e chefe de polica, o'qu
l les con firma va m. 9Mdi
Por esta exposigo v-se claramente que o
vice gove< nador uenhuma responsabilidade tem
nos graws acontecimentos do dia 13, dD3 quaes
resultou o ferimento de alguns cidadaos, o qbe
alias servio de base para a deposigao. >
O iornal do Commercio de Porto Alegre pubii-
cou o seguale sobre as mesmas oceurrencias ;
Durante o dia 12 circularam pela cidade
boatos de que a 13 a L'nio Republicana faria em
commemoragao du lei urea da redempgao total
dos captivos urna proel- sao cvica.
Depo.s se soube que o coronel Rapbael Fer-
nandes Lima, chefe de polica interino, se dirgi-
ra de noite aquella associago e em conversa
com um dos rrembros da Uniao pedir que nao
se lizesse o passeio, ao qual Ibe foi replicado
que convertida em ordem a solicitago, obede-
ceran! intimativa da autoridade.
A 13 a L'mao embaodeirou a frente do edifi-
cio que oceupa ra dos Andradas, e de mo-
mento a momento fazia subir fognetes ao ar.
* Antes da noite para l encaminbaram se
las bandas de msica, ama das quaes licou to-
cando na roa para onde comegou a affluir povo.
inclusive muitas familias.
Estovamos convictos, apezar dos boatos
alarmantes que de bocea em bocea se ouviam.
de que qada de extraordinario succeden. quan-
do tomos sorprendidos pela detonagao e urna
descarga e atropello com que muita gente do
povo procurava correndo, escapar ao perigo.
Pomos entao informados e que a Uniao te-
cebera ordem de fazer recolher a msica que to
cava na porta e cessar a festa, alias pacifica, que
se effectoava.
Quando alguns dos seas membros procura-
vam dissuadir a autoridade do proposito mani-
festado e sem que precedesse nem desobedien-
cia daquelles, nem ordem da mesma autoridade.
deu-se a brutal descarga que ferio gravemente a
diversas pessoas, entre as quaes o Sr. Dr. JoSo
de B arros Cassai, lastiraou a outras, e cansn o
maior pnico nao smenle aos moradores das
circumvizinhangas como ao povo que descuidj-
samenle ouvia a msica e assistia a festa.
< O Dr. Cassai, recolhido logo coto varios fe-
rimentos em urna cxa pharmacia Ferro, re-
\ :
:,
aaate das armas e que uso mesmo fosse18. Exc oebea de varios mdicos amigos os .1 ;ieros
declarar aos alumnos, que, segundo S. Exc ja
vmhsnn em camioho do palacio.
ia o
T"*\ ..... fl 1__ .HStmento d sangue, ao passo que o Sr. Dr Ta
A colonia italiana ofteroeau um banquete Z!n,
annullou o
provincia de
naturalisado
ao seu ministro.
A familia de Quintino Bocayuva partir
no paque inglez Thames.
Montevideo, 24 de Maio
Acha-se gravemente doente o presidente
da Repblica.
O ministerio est disposto a redusira
despesa no orcamento que vai apresentar.
O ministro brasireiro, Ramiro Barcellos,
parte para o Rio de Janeiro no paquete
francs Htrthe.
Buenos Ayres, 25 de Maio
A cmara dos deputados
diploma de deputado pela
Buenos Ayres do paraguayo
Urbapileta, porque constou que tinha* to-
mado parte em actos polticos da Repbli-
ca do Paraguay. A sessSo foi tempes-
tuosa.
O dia de hoje foi solemnisado aqu. g-
Ilouve 2 Detra, espectculo de gala
illuminagSo da cidade noite.
A Nacin diz o commandante do vapor
Diamantino desattendeu a ordem de parar,
dada pelo commandante da canhoneira
Paran.
Montevideo, 2b de Maio
O juiz de pas dissolveu a empreza
Novelli por se terem recusado os actores a
ir para o Rio de Janeiro, sob o pretexto
de haver ah a febre amarella.
_ Sr. commandante das armas a principio
relotou, mas urinal aceitn o governo, tendo se
ama pequea questio sobre a redaegio do
ma que o Sr. Dr. Tavares pa3sava ao
mo, querendo o Sr. commandante das
que no telegramma se declarasse que
governo do estado para evitar derra-
INTERIOR
SUL DO BRAZIL
Os vapores Nerthe, Vaiparaiso e Duque de Ca
xias. entrados do sul troaxeram as segu otes no
ticias:
Estado e U. Pnlo
Datas a' 27 de Maio. m
0 Correio Paultstano fdi vendido aos negocian-
tes republicanos Manoel Lopes de Oliveira e
Vicionuo Precale#.Caruiello.
Trauva-se di. fazer nm grande congresso
repobltcano.
Fallecen o oaselheiro Furtado.
Eauaa* dotklS rascle do Sal
Ditas st 13 de Maio :
Sobre as oceurrencias do dia 13 oa capital
deste Estado traaserevemos do Mercaat de Porto
Alegre o segainte: ,
. A' hoite, paesavamos pela thesourana geral
da fsseuds, oonversavamos com os officiaes que
veres s quera declarar que passra o governo
Sor ter Ibe declarado o mesmo Sr. commandante
as ara as que elle nao podia contar com os dous
batalboes que se tinaam reunido escola e mar
cbavam contra o palacio.
O Echo do Sul publica o seguinte :
< Sem a menor alteracad damos publicidade
carta que recebemos pelo Agmor:
O movimeoto sedicioso que aqui se deu de-
via ter sido realizado loto aps a posse do Dr.
Tavares, isto antes de 13 de Maio. tendo abor-
tado por falta de qualquer providencia por parte
dos autores do mesmo movimento.
A's % oras da tarde daquelle dia foram pos-
tadas dnas bandas de msica, nma no interior e
outra fra do edificio da Umo Republicana, cir-
culando o boato de que, noite navena um pas-
seio cvico com o fim de depOr o Dr. Tavares,
destruir o Banco Emissor e aeclamar o general
Julio Frota como governador.
Em vista disto, o vice governador conferen
ciou largamente com o commandante das armas,
pediudo Ihe para que, de accordo com o coro-
nel chufe Se pulicia, tocaasse todas as providen
das atim de fazer ; Curtir o movimento sedicio
so ao que o general commandante das armas
responden que contara com o apoio das torgas
militares, que estavam todas as medidas toma
das e que nada podia receiar, pols conflava na
dedicago de todos os seas companbeiros de ar-
mas.
A' noite foi mandada vir ama forga de 3)
pracas, mais oa menos, aflm de guardar o banco
e ao mesmo tempo de policiar a cidade, assegu
rando a tranquillidade publica.
Nessa occasiao o coronel chefe de polica,
dirigiodo se i Uniao Republicana, instou com o
Dr. Cassai para que empregasse os meios para
nao continuar os festejos. 0 Dr. Cessal respon-
deu-lhe que nSo podia de maneira algamaimpe-
uir tao justo manifestagao popular, em honra ao
glorioso 13 de Maio.
Era plano assentado que, naquelia noite, se
deviara empregar os meios precisos para a dis-
cosigio do vice governador. Assim qoe o po-
vo reunido marchou em direcgso guarda que
se .chava postada em frente ao banco e que era
comraandada pelo tenente Ernesto Machado.
Yendo se confundida com a gente que par
lira da uiao Republicana, a gnaMa te ve ordem
de calar bayonetas e dispersar os populares.
c D ordem, mal ou propo'italmeate interpre-
tada, resalton a descarga que ferio diversos ci
dadaoso que sorprehendeu completamente o
vice-governador, que bavia combinado com o ge
neral commandante das armas que nio tosse
distribuido um uoico cariucho s pracas da gaar
Depois deste facto lamentavel, a escola mi-
litar foi armar se, no firme proposito de reagir.
EaiSo o vice-governador, de combinacao
com o geaeral comm-ndaute das armas, pro vi
dennou pa que ama ala do 30 batalho fosse
guardar a escola no sentido de impedir a sabida
dos alumnos, emquanto a ootra ala do mesmo WMW^
*
- ^^

m
i.-
curativos.
Henrique Navarro, nm pobre mogo caxeiro
de hotel, fal.eceu poucas horas depois.
< Antera Borges, ferdo em ama perna foi re-
colhido ao hospital da Santa Casa de Misericor-
dia, onde soffren corajosamente a ampotacao
necessaria.
Om moco, de nome Octaviano Silveira da
Loa, receben urna bala em um pe, e outros des-
astres se daram que opportuoamente serio co
nhecidos.
ODr. Cassai foi transportado antebontem
para a casa de sna residencia em asas^mai
dunda por seos amigos, que foram a
dos oesse acto por {consideravel nume
dadlos.
Na tarde de 14, fez a Unido o enterro do
desventurado Henrique Navarro, (toado antes !& ..
vado o cadver para a, sua sala de honra, de '
onde sabio a ser encommendado na capella do
Senbor dos Passos.
Correram as despezas por conta da socieda-
de, que na maioria de seus membros asjiao as
ceremonias fnebres e conduzio o caixao ft toao
at o cemiterio.
Para o acto selvagem da descarga da torca
publica contra os cidadao 1 rio grandenses, que
se entregavam a expansoes patriticas, e nao ti-
nnam, segundo nos affirmam, intencSo de des-
respeitar as ordens da autoridade policial, nio
temos seoio reprovagio. ,
A ninguem acensamos, porque ningneni
aceita a responsabilidade de to impensada me-
dida, que too grandes males causou, e maiores
anda poderia occasionar; o inquerto, a que a
polica est procedeodo, esc ia rece i tal vez o que
at aqui se nos aprsenla obscuro.
Anda do Echo do Sul traaserevemos s se-
guintes noticias:
Foram de facto presos : o cidadao tenente-'
coronel or be no Vasques (que estova em nm
velorio, albeiocompletamente aos aconiecimen-
tor), sendo posto em liberdade poucas horas de-
Bois; o nosso collega Daniel Job, redactor do
ercantil. e o cidadao Henrique Hasslocher, ge-
rente da Folha da Tarde, que cessou a publica-
gio em vista da violencia policial de que se oc-
cupou toda imprensa.
O teen te-coronel Salgado, que bavia segui-
do para Porto Alegre pouco antes do movimen-
to sedicioso, nio foi preso.
Foi tambem chamado polica Ernesto Ge-
ru8grass. queassumio a redaccao do Mereantif
durante a iriso de Daniel Job.
Esta mautida a ordem de prisao contra os
Srs. coronel Joaquim Pedro Salasdo, Drs. Ger-
mano Hasslocher e Antera d'Avila, que sao pro-
curados por toda a parte.
A casa da familia do Dr. Antera d Avila foi
varejada pela polica.
O Sr. Dr. Francisco da Silva Tavares publi-
cou no Mrrcanfi de Porto-Alegre o segainte pro-
testo:
t Repito mesmo a responsabilidade moral que
se me di nos successos lamentavels da noite de
13 do corrente.
Sem examinar antecedentes referirei o que
occorreu dar para s 7 horas da noite em mea
gabinete.
Presente o Sr. commandante das armas,
comparecen o Sr. coronel ebefe de pollas acorn^
panhado de um offieial. que nio,. caneco, e noa
commanicon que a Uniio Republicana estova em
I
.
i

ir



Diario de Pemambuco-Ter^a-feira 3 de Junho de 1890
w>~

i
m Respond nada lemos ccm as testas inler-
WIUI'OS-
Disee me o oficial que urna bsnda de mu-
tica toca va na ra m frente a Uniao.
esse caso, respond: peca para que are
olham
Ao qne respoudeu o Sr. commandante das- aeotem, da "-horaa da roanaai 3 da
armas :mas o official nao pode ir so precisa
levar forca para se fazer respeitar.
Retoiqui: sobre isso V. Exc. delibere com
Sr. cbefe de polica; aos aenborausesia con
iada a ordem pnbiica.
Eis a minba intercencao.
. laso mesmo refer em roda de ofliciaes na
madrugada de 14 e fot con firmado pelo Sr. cora-
mndame das armas.
Porto Alegre, 16de Maio de 1890 Franca
tuco da Suva Tavares.
Sobre o esiido. do Dr. Barros Cassal d a Fe-
tracao de 17 o seguate boletim :
, o estado tympanico .ssignalado no3 das
anteriores resisti medicacib, augmentando
sesmo.
O enferano nao cotiseguio conciliar o somoo
(faraute a noile passada, atormentado por col i
ase freoueatea e dyspepsia. Meihorou, porm,
de maulla, desses pbenomenos, conservando
anda estado aburra, e repugnancia pelos ali
Be utos.
A temperatura nao foi ales de 38',2, e h<>je
> maulla, s II horas, marcou o tnermometro
J7,7. As atores diramuirara alguraa cousa, ape
ar de cmser ar-se anda a regiao ferida bas-
taste tumefacta.
Porto Alegre, 17 de Maio de 1890. Protasio.
taante, Jotetti.
Sobre a cnegada ao Rio Glande do novo gowr
ridor general iludido Costa, diz* o Echo do Sal
e 23 do correte :
H tut- m. ao Hw Paran, que fundeou oeste
porto as 6 horas da tarde, chegou o general Can-
dido Costa, governador e comm?ndaote das ar
BH deste 'estado.
Esperavam S. Exc. os Sra. general com
mandante da guambio, commandantes e om
mes do 3." e do 12 batalh&ea aqu destacados,
commanantes do 29 (de rYfotaa) e do 4 e 5.
B*g), commaoJaate da Henriqae Das e da
fura j, onito do porto, commandante d i es
ota aeaprenditesmatinheiroa, delegado e sob
dele a Jo de puliera, e mullos cidados de di
veras claBses sociaes.
Tabem aguardava S. Exc. o tetunte-coro
el Abren Lima, ante-hoatem cnegado de Pirto
Alegre.
Una guarda de boira cora banda de urast
ea. eslava post da no ponto de desembarque.
< O illuatre governador, que veio cora sua ti
Iha, desembarcou era rorapanhia de toda a offi-
wliJadi-.
Eftteve algumas horas na cidade, voltando
para borlo.
Atoa i ta raesma folha extraamos a noticia
re sol) o Ululo Grande desgraca d de um des
earillamento no da 18 na estrada de ferro de
S. Leopoldo :
N i da 18, 5 e meia horas da tarde, pro
xirao Donlc do Gravataby, o comboio qu par-
tir de Candis, as 5 ho-os, trazendo carros fie
S. LeopotJo e Hamburg Berg, descarrillen, por
ter encontrado no leito da estrada um boi, qne
saltara de um barran o para este, sern dar tem-
po ao inachmisla de parar a machina.
Os oito carros que compuhim o comboio,
mais ou m nos de*pedacados, saltaran para
aVa do trilbo. formando, pela sua posicao, um
triangulo.
A noticia foi dada na cidade as 7 e mer-i,
por alguns cacadore3 que aqu che Jumeiatam ntc o Sr. Williain Twedce, super
intntente da estrada, e o Sr. Dillon, deram,
om toda a sollicitude, providencias acer adas
o sentido de serem avisadas as aotoridades
policiaes e seguirem mdicos com soccorros,
em como vaporea para couduzir os passagei
tos. Momentos depois, segu rara em um peque -
o tro'y. os Srs. Dr*. Barcetlos Filho e Sebas
So de Lefio, qu-, oor convite da direccio da
eBtrada de ferro, iam prestar os soccorros neces-
sarios. r
Entre o wagoae um dos trens foi enftontra-
do-cora i'.etamente despedacado o corpo de um
ipoco dwOrigem ailcraa. msico da Unth Br,,zt
letra. Parece que fui este o nico passageiro
qae falleeeu immediataasente.
Urna hora rtfpois de rbe ;ar o tro'y com
es meneos, comparecern! os Sr. Di'*. GjIjii,
befe de polica. Manante e Fayet. que segu
iam em urna laacha, cedida gentilmente pelo
ir: Cusas.
Pan esta lancha foram condnzidos s fcrt-
dos, em pa talas feitas de momento petos pro
prios mdicos, que foram eficazmente auxilia-
dos n'esse servido pelo D<". padre Lima, qne se
gnira a pe da cidade para prestar^occorrbs.
A' 1 e 40 minuras da madrugada de hoje
he.-ou a lancha cidale, sendo inmediata-
mente coad*08 os feridos para sust respe-
A's J hora-- da madrugada chegiva ao local
dotlesastre o vaporLtero, que fa recebar os
Sassageiros, era nunero superior a 200 e qne se
nhaiu recolhido ao statadoiiro.
Grande nmero de pesjoas, entre ellas a
familia do Sr. Boaveotnra Marques da Silva, se-
gatram a pe para a cidade.
En am dos trens que nada soffreram acha-
vam se os seguiu'.es feridos :
Maurie Ritter, cuahado do Sr. Campan',
empreaad do Sr. Lotbano de la Ru. Apresen
lava a per*af querda esmagada o urna ferida
entoat na perna direita. Em consequenci do
abalo nervoso e da abundante perda da san/ne
Me moco achava-se extremamente fraco. qoasi
em pulso, pelo qoe-o Sf. Dr. Leio iied!ata
mente f.z-lhe diveieas injeccoes excilantus. O
aeu estado grave, reclamando ampuu.o da
perna e.-magada.
Marin Pard ilhas, estabelecido com arma-
sen de mofearlos a ra Dr. Flores, apresentava
Ma forte eaiocfio medular.
Utrlins, msico dai7.) Bratr9. apre
sentav^ ferinas contusas em ambas as pernas.
Alm destes, existiam mais quatro feridos,
vj s nome* ignoramos, apresentando : om,
ontuso foKe no puobo,esqu*rdo. fractara snb
cutnea do perna direiis, ferida contusa no cou
M> cabelludo, bem como o Sr. Valenta Mencb.
MH'tnba diversas con'nso^s-pelo corpo.
Ouaras peWoastinUaBpetpwaovfertateftio
Bem importancia
Logo que circulou a noticia- na cidade,
pande massa de peseoaa affluie eetacao, ao-
ettWaa W'lasem averigu as minucias do des
aatre; victimas.
Felizmente a noticia era infundada, e ape
ar do desastre ter sido horrivel, al agora s
temos a lamentar urna morte.
Entre os passageiros que escapaiam incolu-
m sabemos que vinham os Srs. :
Carlos P.nto, sua senb-ora e quatro filhi
hos, Jobo Pimentel, Heorique Duplan, alferes
Be.-io Nelto e sua familia, Ricardo AlberUzzi,
1p. H.*Riedel, Frederico Pohlman e sua familia,
Jbs Aa.'vedo Sobrinbo e sua senhora, Aolpho
Tdigt, Antonio Eulalio Monteiro, Vicente Bar-
atlos Jnior, r Luiz Masson, sua senhora e
n (libo, familias Petersen e Cursios, Frederico
dfeel, 11): tencio Schmidt, Luis Bender, Guilher-
me Uhrig, etc.
Sao dignos de louvores os Srs. snperinten-
dente da eatfada de err, pelaa acertadas pro
videncia que tomn, e Drs. Sebasliao Leao e
larceos Filho, pela solicitude ooot- qm presta *
Mjnt aos feriaos os priaftirt toccorros medi
L se na Patria Nuca de S. Gabriel:
EBtamos informado de que deu se um fa-
grave sa pagadoria desta dade.
Appareceu ero cofre um desfalque superio
a lidtr, que o Sr. pagador atlnbuk) ao Sr.
AMibal 'Braga, esenvfio da meama pagadoria.
9 Sr. Braga comujunicou por telegramma o fa
ato a the30uraria e chamoo o *>r. pagador arjui
o} dando qseixa contra elle por crime de Ca-
lumnia.
C*ptUkl >>4lerl
-Batas at J8 de Mato :
Cncedeodo ao governador do Rio Grande do
JMlte o crcdHo de 200:000* que solicitou p ra
dcsf rer uo pagamento de gastos motivados pelo
Mcorrimeato de indigentes flageados pela
esa* cliaaav o minitarto do interior a alten
fi do mesmo goveroador para a circular de 28
Janeiro ultimo, declarando esperar do seu
tro-e parrotismoqueesspregari todos osesfor-
fd para Ittnr eessw as daspazu de tal natu-
0 facto deu-se do seguiote modc :
Mme. Alsxandrme-Ctiwrot Asry,' indo, como
de costume, faser a visita-daa doenles da enfer-
marla do estabelecimenu (anuaria Goulinho de
Medeiros, traba-, sem ordem superio', sahido do
atabelecimsiMB'e abaodoatde a enfermara antu
-- hHn no iomtt & Csmavrcto de tL:
Bontem, ponco depoia das 101
foi perpetrado uo brbaro crin
. 23, de gyoecologia, da Santa I
ordia, a cargo do Dr. Erico Coelbo.
Mme. Asty, diante de tfio grave-falta, chsmou
Januaria e, como era uatural, reprehendeu a.
Jaouaria respondeu-lue que nao reconliecia nella
auiondade para passsr-lhe reprehensoas e des
respeitou a.
Justamente indignada, Mu. Asty retirou-se
da enlermaria, dizendo que ia queixar se ao
administrador do estabelecimento, e dirigiodo-se
para o corredor, quando procurava abrir a porta
que deila para a escada, foi inopinadamente
segura pelo braco por Januaria, que armara-se
de urna faca de pona e correr ao seu encalco.
Vendo-se assim segura, Mme. Asty mal teve
lempo de pronunciar algumas palavas. Janua-
ria, como orna fra embravecida, brandio o ferro
6 vibrou varios golpes sobre ella, que cabio
prostrada e, bandada em sangue na porta da
escada.
Vendo a victima estendida no chao e desfal-
lecida, Januaria anda teve corag-m para vibrar-
Ihe alguos golpea.
Na enfermara acbavam se os internos da fa
culdade de medicina Maooel francisco de Aze-
vedo Juoior e Joao Ricardo Moate-Mr.
Aos gritos no coredor, o inierno Monte Mor e
o eufermeiro Antonio Luiz Ferreira para all se
dirigiram precipitadamente
O crime foi tfio rpidamente praticado, que
nao bouve tempo de impedil-o e, quando chega
ram, viram Mme. Asty estendida no chao e Ja
ouaria, co.n um olhar de fra, brandindo a faca
tinta de saogue.
Tentaram desarmal a, Hcando nessa occasiao
Monte Mor ligeiramente ferido em urna das mos
pela resistencia qne Januaria oppunha.
Neste interim chegon o Dr. A jgosto Brando,
adjunto da enfermara, e mimando Januaria a
eniregar-lhe a arma ella res.:ondeu :
Ao douior entrego e deu-lhe a faca.
D.riglndo -o depoia o Dr. B andfio para Mme.
Asty, qne eslava Cabida, balbuciou esta :
iataram me, douior.
CarreganJo a uo eolio, com o auxilio dos io
temo?, o Dr. Brandfio deitou a em umi cama da
enfermarla, onde a infeliz expirou momentos
depoia.
J..nuaria tentou fugir, descendo a oseada;
foi, porm, segura por um servente do estabele
cimento e peles internos, sendo presa em fia
.rant pelo Dr. Eduardo Augusto dos Santos,
subdelegado da freguezia de Santo Antonio, que
acnando-se oo pavimento inferior cora alguns
estudantas. acudi cora elles ao lugar do crime,
encontrando Januaria segura pelo servente e
h-Io internos, no meio da escada.
Jaouaria, vendo se presa e sem meios de fu-
gir, disse por varias vezea :
Consegu o mea desejo. >
Foi recietlida muito calma em ura cirro para
a repartici da poicia, onde foi apre3entada ao
Dr. Tnoraaz Delflno, V delegado, que iustaurou
logo o auto da fl.grante cjnlra ella por crime
de homicidio.
No chfio, perto da escada e junto de uraa pd{a
de sangue, (orara encontrados om grampo com
urna bola preU na extreraidade e os oculos da
as.-assiua.
Comparejeram no lugar 3o crime, alm das
pessoas j citadas, o Sr. administrador d Santa
Casa de Misericordia, o cbefe -da secretaria, di
versos acadmicos e alguos cariosos. .
Januaria era enfermeira da Santa Casa de Mi
serieo-dia desde Dazembro do aoao prximo
liado, ten lo sido antes applicadora de duchas
no Sanatorio de Barb .cena.
0 cadver de Mme. Asiy foi transportado para
o deposito do hospital de Misericordia.
- L se no Diario Oficial de 23 :
No empenhode contrariaros aclo^do gover
no, tem sido levntala contra a medida da co-
branza era ourode parte dos direilo de iraio"
taco uraa otj^cyo que carece de ser destruida.
Os adversarios do giverno procurara f-izer
crer que a cobranza da porcentagem em ouro po-
dei coincidir com a da taxa da tarifa movef.
Tal ficto nunca se dar, anda mesmo que
o ciado do cambio faga reunir as coodices do
decreto de 26 de Janeiro de 1889 cora as do de
crelo de 10 do correle raez.
As duaa medidas comidas netes acios tra
flus completamente diversos.
A priraeira pretenden, obedecentfo a um
p m:ipio proleccionista, compensaras vantagens
que a alta do cambio trouxease ao mercado im
portador.
A seganda tem por Bm, d-i previso econ-
mica, reunir as arcas do thesouro moeda metal
lica para as despezas dessa especie.
A priraeira providencia tem defeitos que em
lempo f rara apontdos e q-ie diminuem cobsi-
(eravelmente os seus resultados.
0 Sr. ministro da fazenda foi pressuroso em
fiz i a .cssai l.igj que dessap^eceratn as sua-
condicOes legaes,
Quando estas se verificaren! de novo, elle
juli.'1' em lempo opportuno, da conveniencia-
de adoptar urna das doas providencias, exclua
do a outra.
Os que tem por (ira nico enbaracar a mor
di i do governo nao podera admittir que nos actos
administrativos tuja plano asseotado ao qal obe
decem as i le is do mesmo governo.
Sr. ministro da fazenda j expedioascon
venientes ordena para a organisaco da tarifa
dasalfandegas.
N'e-sa occasiao serocoosideradas as neces-
sidades da industria fabril da repblica, respei-
tadoi sempre os interesses d i co oraercioimpor
tador.
Logo que for promulgada"i tarifa, cessar
nece.-sariaraente a cobranza da laxa raovel. .
Pretener, porra que o governo, incoaaide
ra Jmente, obaeca s sugdesloes alheias admi-
oistracfio, promulgndomelos sem estudo e sem
opporiunidade, querer deslocar a aeco admi
nistrativa, perturbando-lhe a marcha e tirando
Ihe a urientacao criteriosa.
Sob o litlo Medalhas da Campanki do Pa-
rat/nay. escreveu O iornal do Commerci de 26 :
Com a maior clemnidade realisou se hontwra
a entrega das medalbis que a R^publiea; Argen-
tina mandn judhar para conMHerabrar s cam-
panba contra o governo do Pvir*f5aiy.
Para o acto foi coBstruidoao ceniro d de S. Chisto vio ura elegante pivilho. que esta-
va decorado com simplicidade e gosto, destacan
do-se oo fundo um docel, oo qual se vio entre
lacadas sa nandeiras argentina e brasileira.
Na parte externa, viao-se : sobre a porta1 prin-
cipal, o Anjo da Victoria, cora a inscripco Cam
panka do Paraguay, sotoposta em volta es-cu ios
com os nomes dos mais nota veis combates de
tena e mar dessa campanba.
Desde cedo comegou a affljir gente para o
campo de S. Carstovo, sendo ..extraordinario
o numero de pessoas que para l foro a p,em
boods, em carros e a cavado.
A's II oras j apreaentava o campo bellissi-
mo aspecto, pela moitidfioque o oceupava inter-
meada de carros com senhoras e horneo e
grande numero de pessoas a cavallo, estando as
janellas e portas de todas as casas cheias de es
pectadores.
A's 10 i/1, as forreas que compoem as 1* e 2*
brigadas marcharan) para o campo de S Cb is
tovao, sob o commando do general de divisao
los de Al mal ia liar relio.
Pouco depois all chegou. sob o commando do
capiio de fragata Alexandnno Aleucar, a 3 br-
gida, composta da dous corpos de mariuheiros
uacionaes e do de fuzileiros navaes, que foram
do arsenal de marinba estaco central da es-
trada de ferro ahi tomaran! o trem que os traos-
poitou quinta de S. Christovo.
No campo formou tambema artilaria da ma
rinba.
A forca. que se apresentou muito bem farda-
da e equipada, foi assim disposta : os corpas de
infamara e cavaiUria e a arlilbaria de marinba,
no Iliaco direito ; eno esquerdo o 2* 'regiment
de ruinara.
No pavilhSo eatavam o miaisterio, granJff nu
'mero do generaos, officiass superiores e subal-
ternos das diversas armas, o consol argentino,
Dr. Berdier. muilas senhoras e representantes
de u-daa as elasses sociaes.
A' i ore e 20 micustos chegou o Sr. minis-
nisiro argentino, Dr. Enrique Moreno, acompa
nbado pelo Sr. ministro ds relaci3es exteriores.
Ao coupt seguiz um piquete de cavallarla ; im
mediatamente depois, em dous carros, o Sr.
contra almirante Soier e os etapregadas da le
gacio.
Ao passar pelas torcas, receben o Sr. minis-
tro sraeotioo as continencias devidas, salvando
a arttfbaria e tocando as bandas de msica o
mimo Mdooal.
foi o Sr. Moreno recebido pelo
.e. poffoffi-ioas do-exeicito e- dv ar
No pavilbo r
limbo
mu
mtdW
Poueo dbpis chefMimn or Sr* mifltaW)
Per, GJdJMaae, e sem>ueoislrio\ e o emJar
gadoxtedmldObs d^RepuWma Ortrjtasdu UnP-
A' 1 hora b 30 minutos chegou ao casapo o-
Sr. .eneralissiao chetV dogjverno provisorio,
acompanbado de ;raude e-laaida estado maior,
cranoslo de gnneraes, officiass superiores e su-
balternos engrande aula.
Ao entrar no campo, o Sr. generalissimo foi
recebido pelo commanianle geni das [oreas,
acompanhado dos cammaodantes de brigadas e
seus estados maiores, tocando as msicas o
bymno nacional e salvando a arlilbaria nessa
occasifio. "^
Em seguida, o Sr. chefe do governo proviso-
rio passou revista -s tropas, que lhe (ueran as
devidas continencias.
Finda a revista, dirigi se o generalissimo ao
pavilho, onde o recebetam .o'.mii.isterio, os
merabros do corpo diplomtico, os generaes e
ofliciaes presentes.
Depoia pequeo descanco, senlou se sob o
docel o Sr. chefe do goveruo provisorio, teodo
esquerda sua esposa e o S". ministro interino
da guerra, c direita os Srs. ministros argenti
no e da marraba, aeguiodo-se dease lado o corpo
diplomtico e do outro o ministerio, o Dr. aeere
tario geral, o almirante Solier e o estado maior
do generalsimo.
Levantando-se lodos ponco depois, proferio o
Sr. D Enrique Moreno o seguiote discurso :
Neste da de graade solemnidade para a
Repblica Argentina, que coramemora a sua in
dependencia, sinto o meo espirito vivamente
impressioaado pelo acto que se realisa.
Agradeco Providencia ter sido o escolbi-
do para colhoear no peito de tantos bravos a
meuaiha que commemora a Iota que sustenta
mos.
< Faz boje 25 anuos que era Corrientes, cor-
reu, pela primeira vez, misturado, o sangue ge-
neroso de liltios das duas uaees.
Dahi a Aquidaban, quantos aconlecimentos,
quanta bravura e quania conitaacia e patriotis-
mo 1
Nao lallarei dos vivos, mas cumpro ura de-
ver recordando os nomes de Osorio. Caxias,
Porto Alegre e Polydoro, e tantos cujas sombras
gloriosas e venerandas assistem a esta solemni-
dade.
.)irijo-rae agora, para saudar aos soldados
de liaba que tantos actos de bravura pralica
ram, aos cidados voluntarios da patria, que
tanto coniribuiri.n pata as glorias da campa-
nba ; mannha pela qual te.iho venerajo es-
pecial e cuja coragera indmita admiro; venJoa
collocada eatre cous abysraos, o co e a trra,
utr o..laudo impvida toaos os penaos.
General Deodoro, digno represenlanta do
exeretto brasileiro, que conseguistes o dora mais
apreciado que pode ser dado a um h Jineta, o de
dirigir os seus coacidados, perraiili que fa(ja
ura voto : para qu quando deixardes a p:>-i
gao que dignamente oceupais e voltardesavida
privado, se diga de vos o que se diz dr 'Wi
hingion, o primeiro na guerra, o primeiro na
paz, o pri uero no coragao de seus convidada: s.
Era norae do goveruo e do povo argentino,
teiiho a satisfaco de collocar no peito do illas
tre geoeial a medalba cora a tita das cores ar-
gentinas.
O Sr. ministro pregou a ineJalhajza peito do
Sr. generalissimo.
O Sr. raarecbal Deodoro.. agrad oendo a sig-
oilicativa manifestacu feta pela Repblica Ar-
gentina, diese que vinha. ella coraprovar mais
urna vez a amisale que Hga os dous paizea, e
que aquella medalha era a expreseao dos seati-
m .tilos de fralernidade entre as duas naco -s.
Oderecendo a medalha que o governo proviso
rio destinara ao Sr. Dr. Enrique Moreno, ac
crescentou : Permitli que, nio a mSo que em
punha a espada, mas aquella que s bbedece
ao- senubaoto^ n bres o corajo a coiloque
sobre vdlwfaiiio.
Dito islo^pedio sna espesa qae a collocassc.
Era seguida, o Sr". ministro argentino pregou
a medalba comurealorativa no perto dos segura
tes Srs.: general -de brigade Benjamn Cons
tant, vice almirante Wandenkolk, general Mi
randa Reis, almirante Barfio de Jacegnay, gene
>-ies de brigad i Clarindo de Qneiroz e Andrade
Pinto, coutra almirante Cameiro da R n:haT Bal;
ibaftr dn lveira e Cuoha Couto, eapllo de
mar e guerra Roliao, general de brigada Carlos
Pimentel, inspector do servico sanitario Or.
D ntas. general Dr. JoSo Severiano, coronis
Bernardo Vasques, Dyonisio Cerqueira e Jac-
ques Ourique, capiUo de mar e guerra Firmino
chaves, coronis Mallet, Freverico Soln e Es
teio Ferraz, contra-almirante Foster Vidal, ge-
neral de diviso Almeida Barreto, generaes de
brigada Tode Neiva e Carlos Rocha, coronis
Ewertou eLeite ds Castro e tenea te-coronel Sil-
va Porlo.
E u alguns pregaram 9 medalhas os S-s. mi-
nistros do Per e coatra almirante Solier.
Finda a entrega das medalhas, pronuociou o
Sr. Q ii uni Bjcayuxa,, ranuatro das relacOes
. xte lor.-s, o seguate UUCH
Senhdr mini-tra,
Por lndicajao uo illusfw" chefe da naeao,
em nome do governo e na certeza de que inter-
preta os senti ueutos de todos o povo da Rep-
blica dos Estados Unidos do Brazil. levanto.-me
para sandar a nago gloriosa que (So dignamen-
te representis.
Ao povo argentino cab; a gloria de ter sido
o apostlo da liberdade as reg.Oes eul amanea
uas, porque ao seu valer, ao seu espirito demo-
crtico, se deve terse ella Implantado em Cinco
povos da America.
Na* se pode esqascer a lata constante desse
povo pela liberdade, desse povo que derrarau
seu sangue em Salta, Tucumau, Cbacabuco a ou
tras bau1ba3,' pelo que conquistaram dirfto
estima e aira rice> de tolos.
Se Jurante a sna vida constitucional, tyra
nos poderam plantar barreiras de antagonismo
entre as duas nacs hoje que vigoram em am-
bas as mesmas instituicoes, tentto f qne a paz
eft? profunda para a onlem e progresso de atu-
tas, que a alliauc. i sar to -sincera e perduravel
como a existencia das auas nacOas.
, Concluido este discunso, que, como os dos Srs.
geherassimo e ministro argentino, foi muito ap-
plaudido tocando a rausrea do 24." de infama-
ra, que estava no pavilho, o byano argentino.
O Sr. general Deodoro, chamando' para junte de
si 03 Srs: ministros civis e o Dr. Sampaio Fer-
niz. errefe de polica da capital, disse Ibes que,
aproveitando aquoila soleraoldade e desejanlo
Jar Ibes uraa prova de reconlieeimento pelo con-
curso que lhe tra prestado e pelos servicos ao
paiz, resolver cocoferir aos Srs. ministros elvis
as honras de gen-ras de brigada e as de coro-
nel ao Sr. Dr. Sampaio Ferraz.
O Sr. Dr. Cesano Alvint, ministro do inte
rior, agradeceu em seu nome e no de seus col-
legas. '
O Sr. Dr. Guilherme Seoane dirigi depois
urna saudaco, conclundo-a com as segrales
palavras : as armas da Reonbbca Argenti
na ha duas mos aperladas, essas maos devem
symbohsar a amizade das nacOes sul-amenca
as, que fago votos se conserve inalteravel.
OS', encarregado de negocios da Repblica
Oriental do Uruguay tatnbem pronunciou ura
discurso de sauda$o.
Fioda a solemnidade, o Sr. chefe do governo
f previsorio, tendo sua direita o Sr. ministro ar
gemino, e cereudu do mtewterio"e de maltas
oulras pessoas, assis'.io, da entrada principal do
pavilbaa*- o d?tf?lar* das tropas, eu, contiue.n
cia.
A's 3 1[1 horae sabtrau as tropasido campo
para os seus quarteis.
Nao obstante ter sido extraordinaria a sgglo-
raeraco do povw, reinou a maior ordem.
Bm faomeoagem solemnidade-da entrega das
medalhas, foi assignado hontem um decreto que
indulta do crime de 1.* e 2.* deserefles as pracas
do exercito e armada.
Os navios de guerra eiabandeiraram, tendo no
raaslro grandeaa baodeira argentina, e com as
fortalezas salvaram ao nascer e ao pflr do sol e
l'hora da tarde.
A' noite fumioaram-se os difleios publieos e
alguns particulares.
Ar27 a mesma folha declaren saremv j)
guintes os decretos levados assignsturado gs-
neraHstmo presidente da R-rpnb(ic :
ViO generalissimo mareebsl Manoer Deodoro da
Fonseca. cbefe do governo provisorio constituido
pelo exerciW e armada em nome da naco-:
Considerando que ao patriotismo dos actuaes
ministros do governo provisorio na qotdra or -
mal que atrsvessamos, devoa naci extraordina-
rios e relevantes servicos;
Que a solemnidade de.hoje, lm de homena-
gem prestada a urna naco amiga, pela sua eman-
ciyafMP poltica, commemora os feitos militares
(ltSr campanba ferida na America doSul,
dW baflmidl tomaram parte, unidas, tres necoes Sul
AnMlcanas;
QMm as nonr8 militares constitoem u maiur
reiMMIraco que excepcional mente se pode
preima* aos benemritos da patria e que osml-
nistraa civis, por sua dedicago e amor a cansa
publica se tornara credores dessa disiinccio;
Considerando anda que ao cidado cbefe de
polica, Joo Bamiste de Sajapaio Perras, deve
esta capital asaignalados servidos em bem da
conservaco da ordem e da moralidade publica,
prestados com toda a abnegado, resolve :
Conceder as honras de general de brigada aos
cidados: Ruy Barbosa, ManoelFerraz de Cam-
pos Salles, Quioiino Bocayuva, francisco Glyce
rio, Jos Cesario de Faria Alvim e as de co
ronel ao cidado Joo Baptista de Sampaio Fer-
raz.
attendendo a perfeita comraunho de senti
memos co que hoje rejubilam-se duas naces
ara-gas, urna a Repblica Argentina pelo ani-
versario de sua independencia, outra a dos Es-
tadoa-Eniuoa do Brazil pela ine3timavel prova
de apreco que recebe cora a distribuico da me-
dalba cooferida aos bravos da campaoha do Pa
raguay;
Attendendo ara la que a presente data, inolvi-
davel para o exercito e armada uacionaes, que
to grandes pravas de patriotismo tem dado,
deve flear tambera assignalada por um acto de
clemencia do poder, resolve:
Usando das faculdades inherentes s funccOes
que exergo, de chefe do governo provisorio, in-
dulto as pracas do exercito e armada naciooaes
do crime de primara e segunda desercQo, de
vendo ellas apreseutar-se s respectivas autorida
dea d publicaco do pres30t decreto era cada urna
das comarcas da Repblica, atugiodo tambera
e^te indulto aquellas praga8 que se acharem
sentenciadas ou por sentenciar pelo referido cri-
me de deseici.
K'otndo da Balita
Datas at 30 de Maio :
O Dr. chefe de polica recebeu a 22 os
seguintes telcrammm :
QueiraadinhasDj Sr. alferes Paulino
Sim5o8, delegado d'Amargosa, offieial do
16." batalhao.
Criminosos cercados resistiram e fi
zerara fogo, matando o anspecada Viceute
Ferreira, ferido mortal mente o soldado
Eduardo, ambos do 16." batalhao, ferido
levemente cabo de polica Gamillo. Um
criminoso moro, outroa fe-idos.
forja.
Promettem ataq-.e. Peco-vos
Segas officio minucioso. >]
QneimadinhusDo alferes Aprigio Aa
tero Chave3, do corpo do polica :
Ohegnei fazenda Macacoa chamado
alferes Paulioo SimSes Criminosos ag
gredram forcamorto anspejada Vicente
do 16." soldado Eduardo mortal mente
ferido e-cabo Camillo- da polica, niorreu
crimi oso Eugenio.
Trato proceder na forma da lei.
Oiminosis tambera nova aggresBto
Corre grande p^rigo Dr Alvaro, proprie-
tario fazenda, peco providencias urgen
tes.
CannavieirasDo tenente Eagenio Tel
lo?, do.corpo de polica:
Acabo receber seguinte telegramma
pelo subdel-gado Commandatuba. Da 19
fai sciente houve Salobro espancamebtos,
ferimentos, mortes.
C>rveta Aetonro Seraphino, Marcello,
Amanciu, 01 ho de Grato, espancodo, JoXo
de Jos Vctor com diverso* ferimentos,
urna raSo cortada, providencia algufna deu'
subdelegado Una. i
Em vista disto von convidar promotoriaf
e sigo agora p?.ra logar conflicto com 6 I
prya,. t
Lalos no Diario de Noticia? de
27:
Na villa de Monte Santo, no.dia 9 do
correte, quatro individuos descoohecido,
dirigindo-se fazenda Flores, aggrediram
o in -ividuo de nome Antonio Pereira Bm
venuto e o assassinar: m com 17 facads,
ferinde em seguida a ^dous irmaos deste,
de nomes Joao Pereira Damasoeno e An-
tonio Moreira de Jess, que procurav^m
soccorrer o aggredido.
Esaes iodividuos, pelas averiguaedes
policiaes que foram feitas, fazem parte de
urna quadrilba de ladrtes.
< O delegado do Monte Santo acompa*
n ado de urna forca e do official de juati-
ea Manoel Ignacio, seguio so eacalgo dos
criminOBOb e sabendo que o de nome Ma
noel Rodrigues1 so achava na fazenda Lago
para ah se dirigi, e cercando a casa em
que elle se acbava, travou-se seria lucia
otre a forja e Maaoel Rodrigues, que
disparou um tiro sobre o official de jnsri-
5a, ficando este mortalmente ferido.
< O criminoso evafio-se logo d?pois.
< E' graade o terror que reina nos la-
gares por ond-3 passa aquello faccinora e
aeus companheiros. >
Falleeeu o negociante Domingos
Antonio Domingos Gjimar3;es. com 68
ano os de idadei
toneladas de canoas ou mais, sSo concedi-
dos todos os fitfferes constantes do regn-
lamento de engenhos contraes, approvado
pelo decreto n. 10,39-3, de 9 de Outubro
de 1889, do governo geral, exceptuados
os que envolvam responsabitidade de deS-
peza para este Estado.
Art. 4. Revogam se as disposicSes en
contrario.
Chegara o transporte Madeira, cuja
officialidade obsequiou o cidad'o governa
dor quando este o foi visitar.
Em retribuido o mesmo governador
offereceu ofiLialidade um jantar.
A' chamado do governo provisorio
seguir para a capital federal o majoc Dr.
Jos de Siqueira Menezes, director das
obras militares.
A' sen respeito escreveu a Gazeta de
Sergipe :
0 Dr. Menezes, como ji por vezes
temos nos d'aqui manifestado, um dos
mocos de educacao, talento, hrio e sobran-
eerla que-honra o corpo do exercito bra-
sileiro.
c Organisando o governo provisorio,
neste Estado, S. S. foi at o fm de sua
honrosa commissao, pautando seus actos
pelas normas do justo e do honesto.
* M050 apreciado e estimado em todos
os circulo desta cidade, oude a noticia
de sua inesperada partida foi recbida
com grande pezar, S. S. deixa profundas
e sinceras afFeicoes nascidas e cultivadas
pelo seu alevam>ado carcter, que o prin
cipal caracteriatico de seu espirito forte e
intraisigeate.
Tal vez por isso mesmo S. S. nSo
fosse agradavel aos dominadores actuaes
que o veem partir com ares de contcnta-
mento.
* Para nos e para o Estado de Sergipe
que assiste o seu desmoronamento, a via
gem de S. S. capital federal de bono
agouro, porque t ;r de por em evidencia
junto ao patritico governo provisorio o
que de irregular e aati sincero vai por
aqui-
1 Republicano sera jaya, o prmeiro
dentre oa primeiros, o chefe de facto e de
di^eito do grande partido que soube rein
vindicar em nome da p tria a liberdade e
autonoma usurp das polo poder raonar-
chico, S. S. tem o direito de mereceo; do
governo tolas as honras que s se podem
dar aos benemritos.
E so S. S. republicano de tempera
antiga e rija, tambera pertence a briosa
classe que tera em i essa mocidade cheia
d ardor e de esparancasa classe mili-
tar -a promotora do grande iaovimento
revolucionario.
c Sergipe tera, pois, muito a esperar
de seu digno filho junto o governo pro
visorio; e nos, que s fazemos justic* ao
merecimento real, abrcanos na hora de
sua partida o digno mojo, o henrado che-
fe republicano. >
Eatado de tlngoai
Datas at 30 de Maio :
O governaaor e o chefe d* polica, cora
s'i?.s familias, seguirn* 27 para a cidade
de Alagoas, onde tencionam demorarse
alguns diaa.
L-s no Diario das Alagoas de 29 :
Consta-nos que, falta de di.ib.ciro em
cofre, ainda nao foran p^go os venci-
mentos dos professores pblicos do centru,
correspondentes ao mes de Manco at esta
data! !
Qae horror! Que horror !
Por parte desses infelizes. pedimos pro-
videncias ao Sr. governador e ao Sr.
inspectrr do thesouro.
S quem nao sabe o que fome,
quem nao passa por ella
E quersm os empregados da capital,
que sempre estilo pagos em da, augmento
de vencimentos !
PERHAMBCO
Ktiadoit ttf HfrKtpe-
Da*at2*dMa:
; No da 21 foi creado um club miHtar.
Foi publicado o seguinte decrete do
governo local :
Art. 1. SSo isentos de qaatqOe* im
posto:
a) Os machinisdtos e quaesquer outros
materiaes que forera introducidos neste
Estado, com destino fabricas de assucar
aperfeicoadas, qualquer que teja a capaci-
dado destas;
b) Os productos nellas fabricadosAs
sucar, Agurdente e Alcool.
nico. Para effectividado deste favor,
mister que os planos das novas fabricas,
ou das que se transformaren!, sejam sub-
mettidos a-pprovacad do governo deste
Estado, que peder exigir as modificacSes
compativeis com a situacSo peculiar de
cada fabrica o conformes com os processos
da industria, dispensados desta obrigacao
os engenhos ceatraea contractados pelo
governo fedar*l.
Art. 2.a Em substituiefio do imposto de
exp-.rtacao e outros que ficara assim abo-
lidos, criado e imposto de 33 ris por
100 kilogrammaa de canoas trabalhadas,
por mez vencido,. 15 das depois do venci-
meoto, em vista do exame dos livros, em
que for escripturado o suppri ment de
caanaa, os quaes deverSo ser rubricadas
gratuitamente pelo thesouro deste Es-
tado.
nico. Aa fraudes contra a fazenda
publica, resultantes de falsificacjo na es-
cxiptqrajio de taes livros, sero punidas
eaaa mullas de 3 a 50 veaes a importan:
cea 9 imposto subtrabido, conforme a
graaidadedo casa; sanio, na reincidencia,
cassados oa favores constantes do presente
decreto
Art. 3, Aos engenhos caotraes que,
por s -a capacidade, intereasarem. a exten-
sa zona agrcola como sejam os de capa-
cidade, para (rabalhar diariamente 150
Caixa Econmica e Monte de Soc-
corro de Pernambuco
llalnneete em 31 de Mal* de
18f>0
CATXA. ECOSToMCA.
Activo
Thesouraria de Fazenda 1.07i:163*xt
Monte de soccorro 15i:8z3i
Caixa 2.767*000
Passivo
Depsitos em contaa correnles
MONTE DE-SOCCOBBO
Activo
Sknprestrno sobre penhores
Movis
Apolices a divida publica provm
cial
Despezas geraes
Caiaa-
^ .
rassieo
Capital
Caixa econmica c, passagens
Saldos de penhores vendidos
leijao
Saldo de penhores prescriplos
Lucros e prdas
Juros
Gastos com leiloea
l.i2o:753779
i,S5:755*779
15o:9i#716
6:Jz*6z7
1:000*000
8:5083120
5:7aOU80
renga, seguio bontem, acompanhado de seus se-
cretarios e alguns amigos, al a colonia o.-pha-
nologica Isabel, que Li visitar.
S. Pie. Revma. deve regressar d'ali amanhi
no trem da tarde.
cuequea riao ao Thesouro do
BasadoA folha official poblicou ante bontem
este seto do Governador do Estado :
0 Governador do Estado, attendendo qu
dos docuuoe.itos, exames e informaces, relati-
vos as conlas da extracta pagadoria do Thesouro
deste-Esiodo, abraogendo os mezes de Setem-
bro a Desembro de 1888 e Janeiro e Fevereiro
de 1889, verificase que a junta do mesmo The-
souro m ndou intimar o entao pagador, hachare!
Manoel Gomes Viegas, para rer.olher a quantia
de 9:741 660 Je saldo doa referidos mezes, sen-
do 7:781*981 de ealdo dos pedidos menaaes por
elle fritos, 864987 da arrecadacao de novos e
velhos direitos, 1:0751501 de arrecadacao da
contribuico de 5 '/ e 798*197 de diversos des-
cont; : como ludo se v da conia corrente ex-
tralilda pela commissao nomeada para examinar
(lilas c utas;
Attendendo que o pegador defendeu-se affir-
manoo nada dever aos cofres do Thesouro, e
que, se algum desfalque foi encontrado no exa-
me de suas contas, elle proveniente da inexa-
ctido da parte dos escrivaes seus auxiliares,
Silvino Antonio Rodrigues e Luz Epiphaaio da
Souza, consistindo dita inexiclido, na emisso
le cheques fra das prescripcoes legaes: e para
provar sua innocencia, requereu que fossem
examinados os cheques existentes em sen po-
der, e as cadernetas em que lauca va os seus
pagaineotos proporco que os ia realizando;
Attendendo que, decretado o exame e ten-
do se procedido a esle, veriheou-se tfftctiva-
mente a existencia de grole numero de che-
ques falso eminidoa por aqu-IIes escrivaes,
bem como de outros cheques, cujas quanlias nao
combinan) com as folhas de pagameulo por te-
rem sido angmenladas:
Alten-Jen'lo que, alem desses cheques fal-
sos, que foram exiibiilos pelo pagador, verifica-
se pelas c dernetas do mesmo pagador, que este
pagou effectivaraente outros muito i cheques ille-
gaes que, todivia, nao se achavara mais em seu
poder; *
0 que todo vislo e maduramente examina-
do : e
Considerando' que o valor dos cheques ille-
gaes aprr-senlados pelo pagador, imoorta em
5:164*536 e as.differencas para mais, que se
encontr;.m em oulros cheques, importara em
608()i)0, prefazenlo ludo a quantia de.....
5:77253tS; '.
Considerando que os documentos offereci-
dos pelo pagador, combinados coraos langamen-
tcs feitos era suas cadernetas e oulras circum-
SRunfas, eemWbem uraa verdudeira prova cir-
eumslancial de que foram extraviados cheques
falsos, or elle pagos, na importancia de-----
328S7G, conforme se v do relatorio da com-
misso incumbida do exame das contas da pa-
eadoria ;
Considerando que, ess.is diversas parcellas
prefazcni a quantia de 9:514*618 ; e
Considerando que, a vista da disposicSo ter-
minante do arl. 67 6 do regulamento de 2 de
Julno de 1879, compre o pagador effecluar,
simplesmente por forga dos cheques, passados pelo
escritao. os pagamentos dos vencimmtos dos
euiprtgados publico?, sera que lhe cumpra exa-
minar a rr-gutaridade ou exactidao de taes che-
ques : e que, portunto, elle nao pode ser res-
ponsavcl por quaesquer ioexactises que nos
uiesmos possam apparecer;
Considerando que, essa irresponsabilidade
do pa^ailor, alera de ser de direitc, tem sido
uniformemente eslabelecida pelos julgados em
casos idnticos, uraa vez que nuda faga descon-
fiar que elle contribuio para a perpetragao do
acto criminoso: mas
Con.sideiando que, o referido ex pagador s
sujustiiicou era relago a quantia de 9:5144618,
no passo que Ibe era cobrada a de 9:741*665,
ti .i ii lo portaoto urna iifferenca de 227*0i0,
acerca da qual nao fe juslificon ;
Considerando, finalmente, que os escrivies
s gnatarios dos ebeqa s illegaes, Silvino Anto-
nio Rodrigues e Luiz Epipbanio de Souza, pela
falta grave de exaecSo no rumpriraento de seU8
seus deveres, que assim revelam, uao podem
continuar, sem grave damno para o servijo pn;
biTfo: no <'xercic*o d^ tn-u4-cargue ;
., ttesclwe Thesouro ese Eslado. bacharel Manoel Gome3
Viegas, para recolher aos cofres do Estalo a ra-
nda quantia de 227*047, dan Jo-sc-Jlie q:>:tarao
Je tooo exceden! o b'-ra assira dem l'"r dos
cargos que oceupara no Thesouro deste Estado
os ooencionados escrivaes Silvino Antonio Ro-
drigele Luis EpifUianio de Soez. *
E como possivel que com (al procedimen-
to, aquelles escrivaes lenham commettido contra
a Pazende do Estado o crime previsto no art.
264 no Cdigo Criminal, ou outro aemeihante',
rentarme se verificar a boa ou m fe, enm que
procederam, resolve que sejam remetidos ditos
cntqws ao 2<" promotor publico da comarra para
proceder ermo for de dlreito.RemMteu wc-
pia ao inspector-do TnfeBoWO do Estado b:
Titulo de eleit rPelo ministerio do in-
terior fui expedido 0 segrale aviso :
Ministerio dos Negocios do InteriorI* sec-
co Rio de'Janeiro, 22 de Maio de 1890.
Era telegramma de 21 do corrente mez, con-
sultis se o titulo de eleitor deve ser assignads
pelo presidente da intendencia do termo onde se
reuflir a Commissao municipal revisora ou peta
do municipio onde o eleitor foi alistado*.
AopresiuVnfe-da cmara ou intendencia, ea
cada murricip o, compete assignar os ttulos dos
eleltors ah alistados, ainda que o af9tamento
de mun1c*pio tenha sido revisto pela commissao
rannicipil de outro a que elle esteja annexo.
Para este fira a comnrissSo municipal que
hoffver procedido revisSo, devera, observando
o disposto no art. 27 do regulamento de 8 de Fe-
vereiro ni imo, organizar separadamente a lista
dos efeitores do municipio annexo, remettend
copia respectiva c mar ou intendencia, para
ser affixada na conformidade do art. 45.
Igualmente remetiera os rivros de tales ne-
cessarios pora a assignalura e entrega dos ti-
to Irj. T '
O que io-deelatot rconrmuarJo a telegram-

f
em
176:659*545
13:161*668
151:825*540
3:896*982
16U603
797*630
6:767*100
49*000
176:659*543
r.

"rhidde.'fos Cesario de Farux
S. E. k O.
Pernambucor 2 de Junho de 1890.
O gerente,
Fetmo D. Ferreira Coelho.
REVISTA DIARIA
Aetoa ofldciaea Por actos de 30 de Maio1
8ndo, do governador do Estado :
Foi dispensado, a pedido, o Bario de Arariba,
de fazar parte da eommissao incumbida de ava-
har a nsina Ariprb e nomeado para substi
tuil-o o bacbarel Paulo de Amoro Salgado.
Foram concedidos 2 mezes de liceoca a pro
fessora de Barra de Jaganda Clemenlina Eliza
Monteiro.
Foi exonerado, a pedido, o lente Jos Rodri-
gnes Beferra, do cargo de intendente mnnicipl
de Limoeiro c nomeada para substiluil-o Jos
Pereira Cezar.
Foi nomeado o Dr. Joao Carlos Ballhazar da
Silverra-, para tratar dos variolosos na freguezia
de Afogados.
Foram concedidos Odias de licenca sem ven-;
cimentos, ao medico da polica, Dr. Belcbior da
Gama Lobo.
Por-acto de 31 ndo< masmo-gaseruadorTfo-
rara oaneedidos 3 mea de lieenca a peofessem
de Catando, Bmilia Joaqaina da Jaadetro.Sonsa
Caldas.
cmmtt ato pollel-0 Sr. r. Ecoessoae
Aquino Fonceca, ultimameate netaaaaatcaafaiiJe
polica deste Esta*, presto boaataanjuemneuto
e asaamio o exercieto-oesse cargo; -
Colonia abe 1 -S. Exc. Revma. o Sr. his-
po do Maranbao, 9. Antonio Candido de Alva-
ma destalditl .
Saude e fraiei
Alvim.
tonremolo d licenca-Ficou' hontera
registrada na secretatia da [nstrucjaO Publica a
portara, pela qual resolveu o cidadSo governa-
dor do Estado conceder dous mezes de licenca
a professora da cadeira mixta de Barra de Jan-
gada, Clemenlina Eliza Monteiro, afim de tra-
ctor de sua sade onde lhe convier.
* Para a EuropaNo paquete franceziVflr-
the, embarcou ffntwn para a Europa o Sr. Dr.
Manoel Argollo, que vai residir algum tempo em
Pariz, e alli seguir de perto os cursos screntift-
cos e praticos dos grandes mdicos.
Agradceselo lhe o caria 1 de despedida que
nos remellen, desejamos lhe prospera viagem.
Extracto importante* De urna cor-
respondencia da capital federal para o Corris
Paulistano-, publicada negte em data de 25 de
Maio nltlmo, extractamos os seguinte3 trechos,
cuja leitota recoramendamos por sua importan-
cia de assnmrtto e relevancia de adualidade :
Os horneros aproveltaveis do amigo reglmea
comecam J mover se, procurando ajuntar os
amigos que se acbavara dispersos, para orien-
tal os sobre a futnra poltica a seguir em frente
ao novo syatewa, masr-en atttudff patriotie|,
no causando nova silu;ao o menor embarac.
O governo, que a esta) hora deTre^ter-j per-
cehfdo com pesar o retratnmeoto, alias -natural,
dos anligos monarchistas, mesmo daquelles que
acceitam sera rebuco o systema repubncano, naa
pode deixar de alegrar-se com a attilude desses
patriotas que, com sua justa influencia, vem dar
alent i nova ordem de cousas.
j Sr. Joao Alfredo, ultimo presidente da
sitnseae conservadora, e o penltimo da monar-
cbia. com o patriotismo que o earaeterisa cele-
brou ha ponco tempo em Pernambuco urna re-
unan de seus amigos, i qual assistlram as sura-
midade8 d'aquelle partido.
< Essa cariaeasto sMadaa-, a faanataa a honra
de procurar em sea pernete, a roaidoMarquac
de branles, reeeeeaeue com muita coodiii-
dafle e, no correr aconverm, aiphcou mepra-
vocao por peoguata' minaa acerca daqaelii
renmao potinWBy qoe f6 a asa. ate psito moa-
ira r a seas arabos qae,- o aartia coaseiwada};
nao tioba o direito dea'iaaefaafreo ; qne a no*
oaatMtia para ser s a estowal, precieava da
ameiitolaaaem-vadar. DecUron-* fraacauMula
taderaMata.rSi aa posto a aooffeateem seas
lagos de obediencia e solidarledade que deviam
prender os Estados Unio, no tocante aos inte.
L


Diario de ^rDambiico-TerQa-feira 3 de Jimho de 1890
^^^i .. i
i
t -
restes conectivos e aos Tinclos da oacionali
dado.
A reunio mencionada realisou se com o
melhor xito, manifestando todos completa uoi
formidade de ideas e de intuitos e franco apoio
ao novo rgimen.
Esta attitode do chefe do gabinete de iO de
Virgo tem muita importancia. E' um toque de
rebate aos aotigos conservadores e quelles que
%uixerem sel-o agora para que Be congreguen)
nos seos respectivos Estados.
Acredito que o partido organisado com e3sa
bandeira corresp inder nos seu3 intuitos ao
grandioso partido republicano da Norte America,
aue tem comsigo o corago da patria, pelos re-
levantes servigos prestados causa publica,
especialmente no angustioso periodo da guerra
de successio.
Tendo ouvido a opiniao do Ilustre chefe
pernamhueano, tornei-me curioso por saber
qual seria a opinido de seo emulo tradicional,
apezir de correligionarios poli'icos, o honrado e
provecto Sr. conselhein Paulino de Souza. la
ijuerindo, porem. de um amitro de S'. Exc,
sobre a melber occasido para fallar-lhe, fui in-
formado de que se achava elle na sua aprazivel
faienda do Val de Palmas, sita pequea dn
tan;ia da eslaco do Macuco, estrada de ferro de
Cantagallo- Ah passa o conselbeiro no regaco
da familia seas dias felizes. na explcracao de
ma importante lavoura de caf.
Da um espirito de justica e bandade extre
ma para com os seus Raerlos, que o tratara com
o maior respeito como se anda fossem seus
escravos, a bonto de Ihe tomaran louvudo. o Sr.
Pau.ino de Souza prefere a vida calma e patriar
chai do lavrador fia niease a aatlvidade agita
da dos seus collegas do oeste de S. Paulo.
*, Alm dos ex escravos tem ainda a fazeoda
urna grande turma de italianos que se empre
fam na colheita do precioso innaceo. Perce-
em os primeiros um mdico salario, alem de
roupa e sustento; os segundos, urna diaria re
guiar, mas a secco.
Felizmente, poucos dias deoois fui informa-
do pelo distlacto Sr. Dr. Bezamat de que o coa
selheiro Paulino achava se na cidade, e que re
sidi i ra de S Clemente n. ISO foraei um
bond de Botafogo com o distico S. Clemente, e
preveni ao conductor de que parasse em frente
casa do couselheiro Paulino.
A residencia do conspicuo estadista brasi
leiro tem, como quasi todas dease impa tante
bairro, jardim na frente com um passeio nocen-
tro, sorapre Iluminado d noite.
Haveodo eu tocado a campaioha, appareceu
um criado que recebeu meu carto simples e o
apresentou ao d jno da casa. Inconim nti urna
figura respeitavel e sympath ca assomou porta
re d para a sala de visita, para rece be r me.
Exc. com a maior aHJbili.iade convidou me a
entrar e sentar me.
A figura do Sr. Paulino inspira a quem del-
le se approxima expontanea deferencia, e, ao
mesmo tempo, a mais viva sympathia. Sua na
tural iffabilida li1. a mtiguice de sen trato coa
trabalangara vantajosamente a forma ceremo-
niosa de suas maneiras; per isso, em vez de
affastar, attrah>*, encanta o interlocutor.
< Alto, poite sympatbico, feiges delicadas,
s proprias de descendentes de aatepassados il
lustres pela cultura intellectual; aspecto dis-
tinelo de horaem que tem o cerebro era estado
constante de exercicio ; olhar penetrante e ex-
pressivo ; cauteloso e prudente na emisso de
seu3 conceitos, porm prorapto e attencio30 para
responder as ohjecces que se Ihe fazein. A fl-
dalguia pessoal urna condigo innata no carac
ter de chefe fluminense.
O Sr. Paulino deve ter cerca de 60 annos ;
mas quem o contempla nao o considera um ve-
Ibo
Como agradavel ao mesmo tempo ed ti
cante, entre u<>, latinos, tendo se a honra de
urna p>lestra com esse distincto brasileiro, ou-
vil-o divagar sobre tolos os assumptos, com
raro criterio e proliciencia, e em tolo o correr
da conversa nao Ihe escapar urna pbrase banal,
um termo, sequer, que tuina a nenor sombra
de trivialidade I
Ao ouvil o cora mxima attengdo. lembrei-
me com desvanecimento daqaelles velbos e res-
peitaveis estadistas americanos como Everelt,
Emerson, Adams, Webster, Seynour, etc quaes
priscos puritanos, que pelo carcter, patriotis-
mo e indefectivel sobnedade de costumes, son-
berara plantar no espirito de sen povo esse cul-
to de respeilo a tudo quanto nobre, moratisa-
dor e patritico.
O Sr. Paulino de Souza, dentre os antigos
cheles, um dos que recebeu com mais sangue
fro o tnovimento de lo de Novembro. Para elle
era qae^tio de lempo a mudanza da forma de
governo.
Basta ler se o seu memoravel discurso pro
nunciado no senado a 13 de Malo de 1888, para
dal o como aquelle navegante que j nao er
mais na eficacia do leme do seu batel.
Os Sr. Paulino e Joo Alfredo sem nunca
terem se e tendido, pensara todavia do mesmo
uiodo. Sao ambos concordes em admittir a ue
cessidade de um partido reflectido, moderado,
na repblica, e que nao pode ser sendo o con
senador. A repblica, para ter um governo es
tavel, duradouro, nao pode prescindir de urna
constiiuigfio que nasse pelo cadinho dos moldes
conservadores. Desejam urna constituigdo que
d completa autonomia aos estados, para que
estes possara viver com a mxima independen
cia. Esse principio nao exclue o lago dn soli-
dariedade que deve prender todos os Estados
Unido.
Estou porm cansado da vida publica, dse-
jo descansar, porque (disse o conselheiro) s no
exercicio do cargo de deputado consum 24 an
nos de vida3Ctiva. Fui ministro urna veze
basa. Na ultima erise ministerial; nao foi meu
no me ap esentado corea, porcoicbnacao cora-
mum. -era o imperador queria me, nem eu
ueria o imperador. Me falta j o eothusiasmo
e mogo, para soffrer com a resignago as In
justigas dos adversarios e dos amigos...
Quando retor jui a S. Exc. que um bomem
da sua estatura poltica Ja nao mais se governa-
va, que a falta de horneas de merecimento ia se
tornando sensivel na vida publica activa no
Brasil, que entre tantos brazileiros to cedo
roubados patria, quanto era hoje principal
mente sentida por iodos a morte prematura do
pranteado flnanceiro Francisco .Belisario ; res
pondeu me triste, porm possuido de justo des-
vanecimento :
Diz o senhor muito ben morte sentida,
pelo muito que poda anda fazer pela paiz, gra-
gas ao seu espirito pratico e mvejavel talento !
> E fui eu, accrescentou, qu" n ensinou llie os
primeiros passos na poltica ; quem, emflm, o
educou-..
Indagan do illustre brasileiro, se elle pre-
tenda ajresentar urna chapa de amigos seus
por occasio do prximo pleito eleitoral Res
pondeu-me S. Exc, que nao poda anda lomar
deliberagao alguma ; pois nem eram coohecidas
as ifltengOes do grerno 'sobre a futura consti-
tuinte. Accrescentou que nenhnma authentici
dade tinna urna lela de nome* que circulava
pela imprensa como chapa por elle recommen
dada para a futura eleigao de deputado3.
Ao retirar me, o Sr. Paulino convidoume
amavelmente a que frequentasse sua casa, tanto
aqu, como em sua rateada no Macuco. >
Club Brpubllrano da atoa Vlata--
Reune-se boje em seseo ordiaaria esse Club.
Mu Paradlo le* Dame* Inaugurou se
bontem esse magnifi :o estabrlecimeoto de fa-
zendas, modas e objectos de phantasia a ra do
Baido da Vitoria n. 38, pertenceute a Arma so-
cial GuimarSep, Bastos C.
Julio dos casamento* Fol proel uni-
do bootera em 1.* pregio, na audiencia desse
tuizo, o casamento de Manoel do Nascimentc
lego Mooteiro com D. Anna Francisca da Cotta
Monteiro.
O nubente filho do capMao Francisco de
Souza Reg Monteiro e de D. Paula Gertrudes da
Costa Monteiro ; e a nnbenle de Antonio Tibur-
cio da Costa Monteirc e D. Annalgaez dos San-
tos Monteiro.
A c*o Recebemos o n de 45 de
Mato da Bikqo, jornal ce modas, qae se publi-
ca na capital federal. Est interessante, come
lempre.
Cara* to Be-Depois de amarfhi. 6 do
cofrente, *lebrr a iigrja cathollea a fett Botija GtHtU E' da santificado pela igfeja
Por ser o dia do seu Orago, na ver reata na
aalna de Santo Antonio desta cidade e ni S de
MaaWgMqMia-bemwOO JoriMi *UQom-
mercw do Rio de Janeiro, de W de Maio :
Haaoue de aate-bontwn, o Sr. Commenda-
or Carlos Monteiro de Sonta apreaentou ao ge-
eratlsdinio chefe do gttvemo provisorio, em
Ha iMIbo, no pataeene lumaraiy, o maravilbo
m plMMfrspb de Idkon.
Achivam-se all presentes, alm do genera
lissimo e sua esposa, varias senhoras e cavaihei-
ros, eolre os quaes os Srs. D. Hennqoe Moreno,
almirante argentino Solier, coronel Jacques Ou
riques, Dr. Ladislao Netto e Seve Navarro, major
Hermes da Fonseca e capito Clodoaldo da Foa
seca.
Depois de varias demonstragoes feitas pelo
commendador Monteiro. o ge leralissimo, saben
do que o apparelho tinba de seguir brevemente
para o norte, flxou, em um phooogramma, amis-
toso comprimento ao Dr. Chermont, governador
do Para ; em outro, sincera sauJagao aos esta
dos do norte pela importante e lealadhesao que
prestaram a causa republicana, e um terceiro
apreseotando ao dito goveroailor os Srs. minis-
tro argentino e almirante Solier.
Nos msenos phoaogrammas. estes seobores
e o coroinl Jacques Ounques regist.aram sauda
goes amistosas aos estados do norte e ao gover-
nador do Para, e as senhoras presentes os seus
Bornea.
Foi em seguida Gxado nm renhido dialogo
entre o commendador Monteiro e o coronel Jac-
ques Ouriqoes.
Ouvidos, em segui a, esses phoaogrammas,
pelas pessoas presentes, produziram ma-avilho-
-o effeito pea nitidez e lidelidade das vozes c
dOS 8008.
Aps essas experiencias, passsram as pes-
soas presentes para a sala de juntar, onde toram
servidos doces, champagne e o cha.
Ao champagne trocaram se brindes ntreos
Srs generalDeodoro, D. Henrique Moreno, al-
mirante Solier, coronel Jacques Ouriques, Drs.
Lid;slo Ne'.to e Seve Navarro e commendador
Monteiro. >
Klelcao de contrara -No domingo ul
timo teve lugar, em ass-rabla de confrades da
Santissima Trindade, a eleigao da mesa regedo
ra da mesma confrana, pira o anno corapromis-
sal de 1890 a 1891, sendo eleitos os Srs. :
I?rovedor e vice-provedor Antonio Barbosa
da Konse.ca e Francisco Lopes Guimares.
Provedora D. Rutiniana A. Dias Guima
raes.
Provedora da bandeira Unbelina Rosa de
Oliveira.
Procurador geral Rodolpho 0. Guedes de
Lacerda.
SecretarioJos Ramos de Oliveira.
Thesoureiro-Joo Alves da Silva.
Procuradores1. Agostinbo J. Bezerra Pes-
soa e 2.a Rufino Ferreira da Costa.
Consultores provectos Francisco Jos dos
Passos Cjimares, Maooel Gongalves Agr, Jos
Elias de Oliveira, Joo Jaciotno Guedes de La
cerda, lien.o Manoel da Josia Amaral. Manoel
Joaquim dos Pasaos Guimares, Maooel Alves
de S ma Auna, Silvino C. de Albuquerqne So
b'uira. Antonio de Azevedo Andrade e Joaquim
Ramos da Costa.
Consultores novosSebastio Lopes Guima
raes, Faustino Jos da Fonseca, ledro Ivo Rodo
vivo Gavalcanti, Ladislao Marques da Silva, Al
fredo Leal Res, Joo Sevenano das MercJ,
Leovigildo Gongalves Agr, Vicente Ferrer de
B. Wanderley Araujo, Claudino Henrique da
Silva, Domingos da Sil'a Boa Vista. Abel Perci-
ra de Cervalno, e Benjamn E. Pereira la Silva.
Irnaandado do Hantla*lmo Sacrar
ni-ni<> da tVeguesla de tsat* Anto-
nio Em reunido elfectuada no domingo ultimo
os (-(.nfrades da religiosa ostituigo do Santissi
mo Sacramento di matriz desta parochiS de San
to Antonio, procederam a eleigao para os cargos
da adrainisiragao da nova irmandade no futuro
anno de 1891.
Forain eleitos os Srs. :
Juizmajor Manoel Jos de Bastos Mello.
Escrivdo Alfredo Leal Reis.
ThesoureiroManoel Idelfonso Ferrera Maia.
Procurador geral major Jos Elias de Ol
veira.
Procuradores Antonio Augusto de Vtscon-
cellos, Rufino Susano (i .yo de Miranda, Joo
Alves de Frutas e Manoel Joaquim dos Passos
Guinar&es.
Definidores capito Jos Rufino Climaco da
Silva, Fraucisco Jos dos Passos Guimardes,
Graciliaoo Octavio da Cruz Martins, Manoel G.
Agrn, Miguel Arthanjo Mindello, Jos de Ateve-
do Maia e Silva Jnior. Pedro Barbosa da Silva
Netto, Antonio Lino Pereira Dulra, Antonio Au
gusto do3 Santos Porto, Victoriano de Arago
Ebla, Jodo Bento Monteiro da Franca e Antonio
Rodrigues da Silva Antunes.
o orijinal de urna corapos gao sua, ainda indita,
intituladaTobas Barreto commisso eo
carregada de commem orar o i.* anoiversario do
fallecimento d'esse sabio mestre.
No ca/lao que dirigi mesma commisso, o
Sr. Claudio authorisa a a mandar publicar aquelle
frurto de sua lavra, afim de occorrerem se com o
respectivo producto as despeas do acto de com-
m-mo.-ago, declarando ao mesmo tempo ceder
propriedade vluva do grande bomem.
E louvavel o proce ilmento do Sr. Claudio Ga
ma quer pela gentileza da forma, quer pelo peo
sameoto que a digna comnissfio acadmica ba
de fa*er fruclilicar.
Unta de suarda cvicoNo domingo
ultimo, na ra da Reslaurago, depois de pro70
car altercago e mesmo vias de facto, por nego-
cies seus, um guarda civico que all mora prea-
dea a viuva de Domingos Jos Machado e a Eduar-
do Ferreira da Silva Soares.de propria autoridade,
fazendo os recolher oslagdo, d'onde tb foram
sollos por intervengo do Dr. Faliciano Andr
Gomes.
Eduardo Soares que deu nos esta noticia, diz
que na prisdo fra maltratado.
Conviria syndicar-se do facto, para nio dei
xal o sem urna punigdo de que elle carega.
vacrlna publica -Hoatem vaccinanm se
na inspectora de bygiene 57 pessoas ; ness
servigo oceuparam se os Drs. inspector e Lopes
Pessa.
tiervlco militar Hoje supeiur do dia
o cidaddo capado Magalbdes, e faz a r nda
de visita o cidaddo alferes Oliveira.
0 2* batalbdo dar a guarnigdo da cidade.
CoaacleneioaoM -Ap esentaram se volun-
tariamente aos respectivos delegados policiaes
os Indiciados, alferes Joaquim Antonio de Souza
Ferraz, pronunciado no art. 205 do cod crim.
(Bom Conselho) e Ordolpbo Francisco de Almei-
da, reo appellado. afim de ser submettido a novo
julgamento ,Po d'Alho).
Importante* capiuraa Foram captu
rudos, em Bom Conselho. os reos Antonio Jos
Duarte, Manoel Antonio Ferreira Duarte e Jos
Pinheiro da Silva.
Taecinaco publica em o maA
Sociedade de s. Vicente de Paulo, em Olinda.
teve o seguate movimenlo com relagao vac-
cia :
Do dia 16 ao dia 31 de Maio foram vacunados
152 pessoas. Vollaram no praso indicado 68.
veriheaodo-se boa vaccini em 59, e revaccioa-
ram-se 9.
Existem vaccina las 93 pessoas.
Desias 61. esto dentro do praso consignado
para voltarem, e 32 ainda nao comparecern]-
Promotor publico Segu hoje no vapor
John Eider para o sul o bacbarel JoSo Madeira
de Frutas, nomeado promotor publico de Bene
vente, no Estado do Espirito Santo.
Desejamos-lhe boa viagem.
EmbarqueCom destino Capital Fede-
ral, onde vai a servigo, seguio bontem o honra
do director do Telegrapho Nacional, neste Esta-
do, Dr. Alvaro Vilbena.
Ao seu embarque :ompareceram os emprega
dos da repartigdo do mesmo telegrapho.
li ns veulos o conduzara ao seu desuno, e que
bem curta ,-eja a sua ausencia deste Estado
Prowidenclaa -Chamamos a atleiigo da
repanigo das Obras Publicas para o pessimo
estado em que se acha a grade de ferro que co-
bre a bocea do esgoto da ra da Paz. Ainda
ante bontem urna pobre muiher escapou de
quebrar urna puna.
Indnatriaa e proflases 0 langador
Manoel Antonio Ribeiro, addido Alfandega
deste Es Lado, omegou li men a col lenta do im-
posto de industrias e protis.-es e predial da
freuuezia de S. Jos, para o exercicio 'de 1891.
Intendencia Monlclpal do Herir
Renumienio de 1 a 31 de Maio de
1890 33:1864813
(dera em igual mez de 1889 22:1204477
Hortalidade No cemiterio publico de
Santo .- maro foram sepultados em Maio :
Corpos
^ eS*"t0rJ,a8para clmentagao do grande Jote Gauches, sua senbora e 1 filba, Manoel lias jo pareo-Jmcio-800 metros -Animaes de
epubhca brasileua, cootiderada ou-, toa-ds Mello, JoaquimSimOes de Freitas, Maooel.Penuoibuco que nao leuham gaoho premios nos
Otlua fina M l GnlMl llknpixmi^ f*nnnmti**n Phiihob.. n.-.~ __ .. i r.
ir ora urna utopia por todos quelles qae gyra Soares Albergara, Coertioo Guimares Bastos
vam em torno da esphera-facticia,, creada pelo3; e sua senhora, Izabelle S. da Silva, A. Oulaon,
CBrtezos para encobrir aos olhos da nagto, que gua senhora e 2 lilhos, Dr. Manoel Gomes de Ar-
a idea republicana estava prestes a se converter I gollo Perro, sua senhora, sua soera, 1 tubo e 1
n uva realidade. E coaoluio faseudo um appello criado, Autoaio Luige Sibonato, Guiseppe La-
a todos os cidaddos presentes para que Hzessem salvia, Aogelo Raphaele Pellegrino, Ferraro Car
Indulto a deaertorea do exerelto
ao Exm. cnmmaadaote das armas deste Estado
foi dirigido pelo Exm. aju lanle general do exer-
cito o seguinte telegramma :
Rio, 30 de Maio de 1890.Ao coraraaniante
das armas de Pernambuco.Chefe do governo
provisorio, por decreto de 24, indultou as pragas
do exercito do crime de pnmeira e segunda di
sergo, devendo ellas apresentar se s respecti-J^
vas autoridades dentro do praso de seis mezes
contados da data da publicago deste decreto em"j
cada nina das comarcas da Repblica : abrange
este indulto as praga3 sentenciadas e presas pa
ra sentenciar pelo referido crime de d/.sergo.
(assiguadoj general, Jote Simeao de Oliveira .
Iieg-acaodo Per no BrasilSssa le-
gagdo, cujd pessoal compO;-se dos Srs. Dr. Gui-
Ibermc A. Seoane, como enviado extraordinario
e mini-tro plenipotenciaria em missdo espedal,
Dr. Henrique Zeballos e Cisneros, secretario,e D
Boaventuta G. Seoane, addido, fez sua aprn-en
lago ao chefe do governo. em :ujas mos dn
poz suas credenciaes o Sr. Dr. Guilherme Seoa
oe
Este seahor por essa oecasido fez o seguinte
discurso :
Seor presidente.Mi gobierno, restabelece
la representacin diplomtica del Per en el Bra-
zil con el proposito, principal entre otros, de
saludar la bandera republicana del noble pas
que ayer, redima en masa a sus esclavos y cuyo
lema de orden y progreso no es tanto una espe
ranza como la realidad que desde tiempo atrs
se consolida ion firme y n flexiva mano.
En una nacin de instituciones liberales co
mo el Per, lgico era que se acogiese com agr
do el advenimiento de la repblica que perfec
ewm la homogeneidad gobernativa en el Nuevo
Mundo y cuyos principios ofrecen levantado con-
curso taolo en la comn obra del derecho iuler-
nacional moderno como en el impulso reciproco
de cohesin que coa3titye la fu rza y traza el
porvenir de la Amierica del Sur.
Estrchase asi con un viselo ms la no in
terrumnid cordialidad que entre ambos estados
mantienen sus aliuidade de raza, idioma, eos
lumbres e instituciones, asi como tambin sus
esperanzas analogasjdbdjpfcs feraces comarcas
amaznicas.
Cumplo en consequencia muy grata uosion
al dejir en manos de Vuecelencia Ta carta cre-
dencial que me inviste con el cargo de enviado
extraordinario y ministro plenipotenciario en la
Repblica de los Estados Unidos del Brasil; ex-
presando a la vez loa votos de Su Excelencia
el presidente el Per porla'Mlcidad de Vaece
lencia y porque esta nacin alcance de sunueva
forma de Gobierno toda la prosperidad que de
ella espera.
Teogo certidumbre, Sr. presideote, de qoe
mientras permanezca en esta cap tal, encontrar
merced al apoyo de Vuecelencia y a la tradicio-
nal hospitalidad del pueblo bratileiro. la acog
da que a mis p< edecessores halag y de que fui
presencial testigo durante algum tiempo de me
mora para mi inolvidable .
A este discurso responaeu o Sr. chefe do go
ver no provisorio do seguinte modo :
Recebo com particular agrado as creden
ciaes que acabis de entregarme s coasidero a
missdo que vos foi confiada pelo vosso governo
um acto significativo de boa amisade,
Posso assegurar-vos que os generosos senti
mentos que acabis de exprimir em oome do
governo e do povo da Repblica do Per sao
compa ruinados pelo governo e pelo povo dos
Estados Unidos do Brazil.
A reciprocidade de taea sentimentos torna
fcil o desempenho da misso coramum que es-
t virtualmenle indicada todos os povos da
America e assegura a inalterabilidade das boas
relacea entre oa estados do nosso-continente.
Interprete de urna poltica to elevada e de
entunemos to nobres e amistosos como os que
acabis de expressar, podis contar para o des-
empenho de vossa misdocom a mais leal coo
peraco do goveruo o qaal presido.
t Compra zo-me em reetmbecer vos como en
viado extraordioirio e mioitro pleoipotenciario
da Repdbhca do Per .
Tbldorw-Est m distribuigao o 5' nu
mero, cajo exemplar temos vista, e.'porUMe-
rtssante, recommendamol o a leilurt.
Agradecido pela viiHa.
vablaa bar oto 0 sttncto planista e
intel liten te compon tor GtaflWda Gama daba
d. jrnttear a acta*sre e gm-sg ftrttMo
De 1890 558
De 1889 331
De 1888 357
De 1887 406
De 1886 284
A media' diaria dos enlerramentos m Maio e
lindo foi de 18 corpos.
Os dias de maior numero de enterramentos fo
ram : 27, em que houve vuitee sete ; 7. em que
houve vinte e cinco; e 12 e 28 em que bouve
vinte e tres.
Os dias de m mor numero de entetranirntos
foram: 9 em que houve oito; 2 e 13 em que
nouve dez; e 21 em aue houve doze
Eapancamento -Antehontem, s 11 ho-
ras do da, a piaga do 2 balaluo ae iuiaotaria,
de nome Aotonio Jos Correia, que se achava de
gua:da Casa de Detengdo, abandonando o sen
posio foi para a ra de Lomas Yalentinas, e ah
espancou a muiher Isabu* Mara da Cocceigo,
ua propria casa de sua residencia.
A praga foi presa duas horas depois, na paro
cha da Boa Vista, por duas outras do referido
batalbdo e por ordem do respectivo comman
dan le.
atunagem O Sr. Manoel Gregorio da
Silva, guarda livros da casa dos Srs. Maia & Re
zende, foi ba dous dias vi i.ima de um gatuno,
que Ihe furtou a carleira canteado algum di
nheiro e diversos cartes de vsita.
0 larapio uzeiro e vizeiro nessas gentilezas,
e costoma servirse dos cartes albeios para ob
ter gneros em nome de seus dono.
Acautillem-se, pois, os que tem negocio pois
o caso para ter-se cautalla.
Porto e re rmenlo- Por volta das 2 ho-
ras da naile de domingo, atacaram 2 bandido) a
casa dos empregados da Compaohia Western
Brasiiian Telegraph, as immediages do Forte
ao Buraco, penetrando no aposento do Sr. James
B., aa qu>l ndo mataram e aera depeoaaram de
todo, por terem sido preseutidos por gente da
casa.
No entretanto o mesmo Sr. James foi victima
de 8 facadas. urna das quaes na regiSo do liga-
do, que foi considerada de natureza grave; bem
como da subtiagdo ae 20*0(0 em diobeiro e de
alguma* pegas de roupa, tendo sido deixado um
chapeo de feltro por um dos aggressorea.
Comparecen o Sr. Dr. Souza, a convite do
Sr. JoSo Nepomuceno, ao logar do delicio; e o
ferido sendo em seguida trans por lado para a
casa Mad. M.irsv-'-i. ahi foi entregue aos cuidados
mdicos do Dr. Bandeira.
Varila no BeelreDiz nos o nosso in
formante:
Nesta freguezia ja nao sao to numerosos os
necessitados que recorrom vaccinago. Toda
via ainda no sibbado e domingo ltimos vacci
non o Dr. Souza a 9 individuos que o procura
ram, parecen lo que elle ndo deixar essa em-
preada emquanto dominar a varila, a qual
ta bem j nao lao extena, embora apparegam
alguna casos fataes.
O tratamento tem sido de resaltado pouco
proficuo, nao obstante a profuso de seus meios;
e a hygiene que devia auxilalo tem se d'isto
afastado um pouco.
< Aestatistica mortuaria aproxima se ao alga
rismo de 100 de Margo para c, exceptuados os
individuos que foram para o hospital de Santa
gueda alim de tratarem se, e muitos dos quaes
l flcaram.
Por hoje s isto.
Club Republicano de CasangaA
convite dos Srs. Drs. Magalbes Bastos, Felicio
dos Santos, Jos Bento Nogueira Jnior e Luci-
dlo Altxaudre Marti os, teuoio se em Caxan-
g, em casa do primeiro desses cidadaos, grao
de numero de eleitoras, com o flm de se tratar
da fuodaedo de um Club Republicano que ag-
gremiasse todo o eleitorado e se tornasse o cen
tro director da poltica d freguezia da Varzea.
Nessa reunido o Dr. Lu idio Martins em nome
da commisso expet o motivo porque foi convo
cado o eleitorado da Varzea ; e seguidamente to-
mando a palavra o Dr. Martins, Jnior, durante
mais de urna hora, oceupou a attengdo do audi-
torio.
Cemagando por agradecer o convite qae a
co nmissdo Ihe fez para assistir a fundago do
Club de Caxang, cuja creagdo elle applaudia e
achava necessaha em orna fregueaia de tanta
importancia como a da Vanea, explicou o sen
modo de proceder em religlo potitica pernam-
bacaoa : imefpretou o manifest reontolicaao de
1888, cujas ideas sao fleje reanda.de; expoi as
cansas por que uto quera a federscio coa a
moaarebia, cousas verdadeiramante antafani
eu; analyson? emflm. a fraide mattonmoao
poltica to {fMamante feta em II de Novm
bro sem que do precioso aaogue brasileiro se
derramasse urna so ota,
Via com aeiiabsdaeiito. aereditaa cm* ttd
os cMados brasilairos concorreriam' na
do Clob nm centro do infornagesde intruege
e dos iotereaaes pblicos da freguezia, cuja nata
da populagio elle via diante de si unida com o
Uto patritico de solidificar a repblica brasi
leira.
Concluido o discurso do Dr. Marlios Jnior,
que diversas vezes foi ioterompido por sigaaes
de approvago e adhesdo, pedio a palavra o Dr.
Altioo de Aaujo que acclamou os cidaddos Dr.
Uorteuio Peregrino, Felicio dos Santos e Tbeo
domiro Duarte para provisoriamente dirigirera
os Irabalbos do Club at a primeira reunido em
que, sendo lida e approvada a coostituigdo do
mesmo Club, Hcasse delinitivameate eleita a di-
rectora.
A confeegao dos estatutos ficou a cargo dos
Sra. Drs. Horteacio Peregrino, Magalbdes Bas-
tas, Felicio dos Santos, Jos Beato Nogueira Ju
nior e cidaddo Pedro Francisco de Panla Ba-
utista.
Terminada a sesso, la 'rou-se a acta qae foi
assignada pelos segrales cidadaos : Fraaciaco
Altioj Correia de Acanjo, Aurelio dos Santos
Coimbra, J. a. de Magalhes Bastos, Braz Fio
rentino Henri jues de Souza, Hortencio Pe'egn
no da Silva, Lucidlo Alexandre Marlios, Jos
Bento Nogueira Jnior, Silvador Felicio dos
Santos, Tfiomaz Lins Caldas Filbo, Americo dos
Santoa Coimbra, Balthazar de Albuquerque Mar
tina Pereira. Luiz Baha, Theodomiro Duarte Ri-
beiro, Samuel Einaty, Antonio Bernardo Quin-
teiro, Pedro Francisco de Paula Baptista, Joo
Antonio Monteiro, Alfredo Cavalcaote Ribeiro da
Silva, Gustavo Adolpho Vollecbard, Ricardo B
Mooleir, Francisco Jos da Silva Braga, Frao
cisco Pereira de Lyra, Antonio J. Correia de
Araujo, Francisco de Paula Costa. Aotooio Bo-
dngues Ferreira, Joo Joaquim Ribeiro Pe83oa,
Antonio Patricio de Oliveira, Sabino O. de Pau-
la Baptista, Francisco Joaquim da Costa Gue
des, Francelino Pereira Lima, Manoel de Olivei
ra Amoriro, Jovino Cassiano Maia e Silva, Au
gusto de Araujo Ges, Manoel de Souza Baptis
ta, Trajano C. Rodrigues Campello, Jodo Herma
no Comino, Tnomaijde Pinho Borgea, Vicente
Ferreira da C. Miranda, Caetano Antonio da
Silva, Joaiuim Fraucisco Ribeiro, Ignacio de
Me lo Cavalcante. Antonio Jos da Silva B-aga,
Jos Joaquim da C. Guedes, os Miria Wgeiti,
Pedro Guedes Bezerra Cavalcante. Manoel Luiz
da Costa.
Hospital de varioloaoa 0 movimeoto
do hospital de Santa gueda (para variolosos)
nos dias. 31 de Maio e 1 do correte, foi o se-
guiste
sis lia
atrar
ihirai
illece
lSti'l
Tribunal do Jury do Beeire -Hontera
funccionou este Tribunal cora a presenga de 38
juizes de facto.
A's 11 horas da raanhd, presentes o Dr. Sigis-
mundo Antonio Gongalves, juiz de direito do 3
districto o Dr. Manoel Antonio Pereira Borba.
! promotor publico e o 2o escrivo do jury Jos
Joaquim Dias do Reg Jnior foi aberta a sesso
e submettido a julgamento o reo Isidro Ferreira
da Cosa, pronunciado por despacho do Dr. juiz
de direita do 5 districto. como ocurso no art.
221 do cdigo criminal e acensado de haver em
poca que se nao pode rigorosamente precisar.
no lagar Apipucos. freguezia do Pogo da Panel-
la. defl irado a sua propria alba Amalia Ferreira
da Gosia.
Oceupou a tribuna da defesi o Dr. Luiz Drum
raood.
O jury de senfenga compoz se' dos seguinte?
juizes de facto :
Hermelioo Eliseu da Silva Caneca.
Autonio Caetano de Oliveira Coragem.
Aotonio Soriano do Reg Barros.
Jos Joaquim Borgea U li.
Eparainondas Pinto B. Accioli Vasconcellos.
Flix Antonio Alcantnra.
Libanio Candido Ribeiro..
Manoel Augusto da Cuoha.
Eduardo Duarte Rodrigues.
Dr. Thom Alves Arxa.
Jos de Mello Albuquerque.
Manoel Gomes de Souza.
O jury negou por nove votos a autora do de-
licto. sendo em vista desta deciso absolvido o
reo e condemnada a municipalidade as cusas
do urocesso.
Foi levantada a sesso s 2 horas da tarde e
adnda para boje ii 10 horas.
prados do Recife e eguas de Pernambuco. Pre-
mios : 1504000 ao 1 334000 ao 2 e 154080
ao3.
Din 1, Ida *> e Fox 3o.
Tempo de corrida, 59'*.
Dada a partida, sabio Ida na pona, e assia
mino, Vio^oze Viscont Biagio i.ancbo, Eguio correu toda a gnnde curva, entEOU na recta*
/la Binan Hi/iklli D,lnmA, n U,Aln> A'Dtin ,, i j
n lla, ao fazer urna evolugo, leve de ver-se ex-
cedida e vencida pelo Diu, montado por Deolin-
Homens Mulkere Total
Existiam 94 67 161
Entra ram 15 5 20
Sabiram curados 4 3 7
Falleceram 8 4 9
Existem 100 65 165
de Biaso, Micbelli Filardi e Vctor d'Elia.
*- Cbegados do sul no vapor allemo Valpa-
raito :
Severino Torres e sua senbora.
Sabidos para o sul no vapor americano Pi-
onee:
Alfredo.T. de Moraes e 1 Albo, Antonio Ramos,
Daniel Antonio Pires, loo Flix, Aotonio Baptis
ta. Jos de Albuquerque, D Elizia Fonseca,- D.
Thereza Borges Dniz e 3 netos. Rosa. Alfredo
Jos Brazil e sua sedhora, John Krause e sua se-
nbora, John Gardner, Jobo Hiner, Izidoro Fer-
nandez Figueiredo e Francisco J. da Cruz (mari-
nheiro nacional).
Sahidos para o sul no vapor allemao Cam-
pias :
Baoto Jos Rodrigues, Manoel Roque, Francis-
co Lucindo, Jos Aotonio Kane Abonlaye, Dr. Vi-
Ihena e Dr, Gama Lobo.
Sihidos para a Eanopa no vapor alienado
'Valparaso:
ermine Ehrath, M-irgarethe Eckhoff, Antonio
Augusto Lera os.
Sahidos para os portos do sul no vapor
Jacukype :
Joio P. Araujo Silva, Gustavo Adolput, Au-
gusto Teixeira, Dr. Esperidido Tenorio de Albu
qu^rque, Joo Alfredo Soares Pinto, Joo Martins
e Jis Ferreira.
Caaa de Detenc&o Movimeoto dos pre-
sos da C*sa de Detengdo do Recife, Estado de
Pernambuco, em i." de Maio de 1890.
Existiam 487 entraram 16, sabiram 19, existem
484.
A saber:
Nacionaea 450, mulheres 22, estrangelros 12.
-Total .484
.ragoatio 400
Bous 369.
Ooentes 25
Lbucos 5.
Louca 1.
-Total 400.
Movimenlo aa enfermara
Tiveram baixa:
Joaquim Pereira do Nascimento.
BelUrmino Jos dos Santos
Sebastio Lopes Damasceno.
Manoel Vicente da Silva.
Tiveram alta :
Manoel Euzebio Ignacio dosfanlos.
Joaquim Jos de Santa Anna.
Pedro Vieira dos Santos.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
mfuto por 25G pessoas, sendo 129 mulberes e
127 homen?.
do, que no entretanto ndo tivera na sabida a van-
tagera de Ida, e simplesmente a prove ton se da
abertura na occasio esperada.
Na pbrase nova, que ora se affejgoa a taes si*
tuages turtica8, Alfredo de Freitas faciiitou, e
facilitando fes perder o favorito do pareo e dar
lugar urna tacada pyramidal.
Stela nao se moveu; parada estava, parada fi-
cou no ponto de partida. E os apostadores que
percam por alta recreiagio de um jockey, que
montando para correr o animal, Oca com elle
pregado na raia, e assim deu margena ao resul-
tado inesperado da corrida, o qual outro se/ia,
dada a concurrencia da -St la. bom parelbeiro
como .
Poules: de Diu em 1 1984000, em 2 244300:
de Ida em 2 94000.
A casa das poules emittio 395 poules e arreca-
dou no pa-eo 1:9754000.
2* pareoBattmulo1450 metros Ani-
maes de Pernambuco e pungas Premios : 2004
ao Io, 40000 ao 2' e OOOO.
Templar Io, Pindaro 2o e Faceira 3o.
Tempo de corrida, 109".
Pindaro teve a honra de puxar o corddo for-
mado de Arumary. Templar e Faceira, n'esta or-
dem de collocagdo; e assim passando todos a
recta na primeira volta, logo depois a Faceira,
fez a faceitlce de passar para o segando lagar, e
nao mais, correndo com o Pind?ro toda a grande
curva, at qae na recta se deixara ambos gracio-
samente alcangar por Templar, m:ntado por Jos
Marcelino, e ddo Ihe a precedencia na chegada ao
vencedor.
E' para lastimar, que por urna classificago
porventura incabida, o brioso animal t do sympa-
tbico aos f-equenta lores dos prados pernanbuca-
nos, esteja reduzido a ser objeco de .concesses
d'esta ordem e para satisfago de arrapjos a que
at o proprio dono extranho 1
Poules: de Templar em Io I14J00, em 2
74500; de Pindaro em 2 84700.
A casa das apostas emittio 226 poules, e arre-
cadou no pa>-eo 1.1304.
Hoapital Pedro u -O moviraento deste
stabelecimento de caridade, no dia 1 de Junho
foi o seguinte:
5
5
1
450
as respectivas enfermara*
nsrectorla daa obraa de eonaerva
eo doa portoa de Pernambuco11 eu
fe, 1 de Junho de 1890.
Boletim meteorolgico
a-a. 9> o
rlorasj Thermo tro cen grade Barmetro a O Tenso do vapor a 2
i a
6 m. 22-1 761-52 17,02 87
9 6 o 29\2 763-20 20,16 78
12 762-57 19.93 66
3 t. 29>,1 761-58 19.09 64
6 26,9 . 761-37 18,89 71
Temperatura mxima30,-00.
Dita mnima2,<00.
Evaporagdo em 24 horas : sombra2-,9.
Chura-6,>2.
Direcgo do vento : SE de tneia noite at 10
horas e 15 minutos da manh; 2SE at meia
noite.
Calmara durante 4 horas pela manh.
Velocidade media do vento1,"08 por se
gaste
Nebulosidade media0,"48.
Boletim do porto
Entraram
Sabiram
Falleceram
Existem
Foram visitadas
elos Drs.:
Cysneiro s 7 3/4.
Pontual s 9 1/4.
Nao compareceram os Drs. :
Estevo Cavalcante.
Raymando Bandeira.
Siinea Barbosa.
Berardo.
liaiaquiaa.
Moscoso.
barros Soarioho.
Ferreira Velloso.
O cirurgio dentista Numa Pompilio nao
comparecen.
O pnariaaceutico entrn s 8 Ij4 da manh e
ahio*s2 da tarde.
O ajudantb do pharmaceutico entrn s 8
e sabio s 2 horas da tarde.
loterlk do Eatado de Pernambuco
- A 5 serie da 1* lotera deste Estado, ser ex-
trahida impreterivelmenle no dia 7 do correte
(sabbado), 1 tan da tarde, no consistorio de
igreja de Nossa Senhora ra Rosario, de Santa
Antonio.
botera do ram-ParaA 4' serie da
37* lotera cujo premio grande de 60:0004,
ser extrabida no dia 7 de Janbo, (sabbado).
Loarla do Maranbao A 19* serie
desta lotera cujo premio grande de 300:0004
sera extrahida amanh 4 de Junho.
Cemiterio publicoObituario do dia 31
de Maio :
Yiceate Ferreira da Silva Leal, Pernambuco,
48 annos. casado, Afogados; insuffl.iencia mi-
tral.
Mara, Pernambuco 2 mezes. Graga ; coque-
luche.
Luiz Pedro de Franga, Pernambuco, Boa-Vis-
ta ; tubrculos pulmonares.
Jos Gaspar dos Reis, Pernambuco, 14 annos,
S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Fraucisco, Pernambuco, 7 dias. Recife ; ttano
doa recem nasudos.
Mara, Pernambuco, 2 horas, S. Jos.; inani-
gao.
Amelia, Pernambuco, 7 annos. S. Jos ; febre
perniciosa. -
Manoel, Pernambuco. 14 annos, solteiro. Boa-
Vista ; varila.
Manoel Francisco de Carvalho, Pernambuco,
36 anaos, viuvo, Boa Vista ; bronchite.
Mara do O'. Pernambuco, 40 annos. solteira,
Boa Vista ; tubrculos pulmonares.
Francisco Manoel da Paixo, Pernambuco, 64
annos. viuvo. Boa Visia ; ascite.
Manoel Roberto da Paz, Pernambuco, 73 annos,
casado. Sanio Antonio ; gastro entente.
Manoel Ferreira da Silva. Pernambuco, 38 an-
nos, casado. Boa-Vista ; diarrba infecciosa.
Amelia. Pernambuco, 18 mezes, S. Jos; vari-
las confluentes.

j-n i
Dias
1 de Junho
2 de Junho
Horas
826 da manb
3 6 da tarde
9-05
3-30 da rmnh
Altara
0',48
2-,43
0-45
2-.48
SPORT
Seguiram bontem para a
jockeys Gardner e Hinds.
Este ultimo vai contractado
Brazileira d'aquella capital.
rbeildea -EBectoar-se-bo os segrales:
Hoje :
Pelo aeente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez de piinda n. 18. de un sobrado de um
andar.
Pelo agente Martins, s 10 1/2 horas, no Ca-
minan Novo, hotel, de mobias e accessorios do
mesmo hotel.
' Pelo agente Brito, s 10 1/2 boraa, roa da
Imperatriz o. 13, da armago e resto de louga.
Amanb:
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra da
Imperatriz n. 54 A, de movis de difTerentes
usos.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, roa Duque
de Caxias n. 22, de movis, lougas, vid ros e
jotas ; e travessa do Corpo Santo o. 27, de urna
mei'agna. .
Pelo agente Britto, ra do Arago n. 22, de d esse prado.
movis, mugas e vidros.
Mtaaaa fanebreaSero celebradas :
Hoje:
A's 7 horas, ua capella de Belm, pela alma
de 1). Deooda Mara campello Rezende.
Amaab:
A's 7 1 2 horas, na igreja da Madre de Deus,
Pela alma de Jos Pereira da Costa ; s 8 hora-,
na matriz do Corpo Santo, peta alma de Jos Ao-
tonio Araujo Livramento.
Paaaasjelroa -Cbegados do sul na vapor
na onal Mrquez de axia :
Francisco Lobo, 1 criada e 1 menor, Argemire
Barroso, Jos Antonio Caldeiro, ssa tent ra, 8
Minos e 1 criada, Dr. Alvaro Telles de Meneos,
Manoel Pereira de Azevedo, Jala Martins e 1
criado, cadete Marcelina Barretlo de Saut'Ann e
Acaules dafteitas Oliveira.
Cbegados do sal no vapor fraacee Wetihe:
Dr. Vioaate Perrer Waaaertef Artajo. Dr Li-
ma Braga, Joio de Borras, Aatonia Canwtro, Se
raOM Dorange, Jote Talmtta. raclito A. MtftJM de Carvalaoe Plorre oifbt.
aatoom para a ropa .. **:
Jas SmcsIto PioU, m lusmsn 11 sn*av
Club Esgrima
Depois d'amanh a grande festa campestre
d'esse club, uo Hippodromo do Campo Grande.
O programma e a inscnpgo para essa festa e
corrida damol-os na secgo competente.
A natureza da festa e a diversidade de di ver
timentos que ella proporciona, convida por certo
a concurrencia.
3o pareo -Harmona -800 metros : animaos de
Pernambuco que u'estes ltimos tres mezes ndo
tenham ganho em maior distancia. Premios :00Jt
ao Io, 4''3 ao 2o, 20 ao 3o.
Talispber 1". Maurily 2o e Maranguape 3o.
Tempo da corrida, 59".
A' voz do starter, aahe Maranguape na ponta
coui pequea vantagea, sobre Maurily; este tor-
ga a sua corrida e passa aquelle, que alm da
lucia que tivera com Maurity, empennada era
nova com Malange. que procura passal o. N'esse
correr poruoso entram na recta de chegada, onde
Ibes surge entao, imprevisto, com forgas que nao
foram quebradas por lucta, Talispber, montado
por Antonio Meira, que o conduz ao vencedor
galhardamente e com sorpresa de todos, perden-
do Maranguape o 2 para Maurity por este atro-
pellal o de certo modo j quasi no poste vence*
dor.
Poules: de Talispber em Io 33400. em 2'
20600; de Maurity em 2 11*400.
A casa das apostas emittio 770 ponles, e arre-
cadou no pareo 3.850*.
5- pareo-3fe Maio1609 metros: animaes
nacioaaes que nSo tenham ganho premios em
1890. Premios 3004 ao 1, 60* ao 2', 30 ao 3o.
Torpedo Io, Maestro 2o e Cmela 3o.
Tempo da corrida, 120".
A' sahlda, Torpedo, montado por Alfredo Frei-
tas, galga a panta, sendo immediatamente se-
guido de Maestro, que consegue na curva fron-
teira archibancada tomar Ibe a posigo. Esia
vaatagem, porm, foi de curta durago ; porque
ao entrar da recta trocaram ae os pipis, sendo
reslabelecidas as collocages primitivas e che-
gando Torpedo primeiro ao vencedor.
Poules: de Torpedo era 1" 9*000, em 2 5*200 ;
de Maes.ro em 2 8*100.
A casa das apostas emittio 347 poules. e arre-
cadou no parea 1.735*.
6 pareoEstado de Pernambuco 1100 metros :
animaes de Pernambuco que nao tenham ganbo
premio no ultimo mez de Abril. Premios 200*
Io, 40 ao 2", 20* ao 3o.
Cauby Io, Maurity 2o e Colosso 3.
Tempo da corrida 84".
A' vos do starter, pula na ponta Maurity, aps
elle segu Colosso, e Cauby, que era o favorito
do pareo, montado por Luiz Pereira, vai em ter-
ceiro. Mas, na grande curva pela altura da ola-
ria, emparelba com Maurity, assim correm os
dous, e no fien quasi da mesma curva assoma
adianlado Cauby, destaca-se com vantagem, e
com algumas peripecias na recta toca o vence-
dor, seguido de Maurity embora prximamente;
porque nao animal para poder em tiros taes o
vencedor do grande premio Estados Unidos de
Brazil, salvo alguma facilitacao.
Poules : de Cauby em 1 5*700, em S 5*300;
de Maurity 6*.
A casa das apostas emittio 636 poules, e arre-
cadou no pareo 3.180*.
7o pareo -Etnulacao -800 metros : amimaee de
Pernambuco que nao tenham ganho nrem'o u'es-
tes ltimos seis mezes. Premios 150* ao l KSt
ao 2o, 15* ao 3o.
Maranguape 1*. Lucifer e Florete 2M.
Tempo da corrida, 58".
Na partida Ma-anguape tomou logo a pona e
nao Ih'a poderam tirar maia oa seus competido-
rea ; pagou-se dos atropellos por que passara na
competencia do 8' pareo.
Rio d'Ouro ficou parado na raia: o pactla
nao quiz manar sua lympba como no D.-rby a
desusara sub umbra.
E' notavel: urna estago no primeiro pareo
outra no ultimo. Si pegar a moda, deveui as di-
rectoras tomar alguma provindencia.
Poules : de Maranguape em i 13*700, em i*
7*200; de Lucifer em 2 7*400; de Florete a
2 8*500.
A casa das apostas emittio 548 poules, e arre-
cadou no pareo 2.740*.
Por forfaits feitos nao
deixando de ser corrido.
teve xito o 4o pareo,
Capital Federal os
pela Coudelarla
Embarcou bontem para o Rio de Janeiro em
servigo o Sr. Dr. Vilhena, digno director geral
d a lelegrapbo?. e presidente do Club Esgrima.
Foi eleito o Sr. Joaquim Lina Teixeira thesou-
reiro do Derby Club.
Prado Peraambncano
No domingo ultimo effectuou-se a 15 corrida
foi menos que regular e as
apostas estiveram pouco animadas, tendo o sea
r-sultado total ebegado apenas a somma de
14610*000.
No entretanto a jornada corren sem incidentes
carecederes de especiad mengdo ; pois as combi-
aedes, qoe s o o sal da sabedoria, foram lubrifi-
tatda* de modo a ndo provocar o estotro popular,
mesii.o quando troou a pega de Diu, que conver-
teu a ida em volta penosa quasi em cima do
poste vencedor.
Bem diz o estimavel sportsman Correia, que
o animal s do proprietario emquanto est ua
estribada, porque, sainado d'ella para a raia, o
sea dono o jockey, too completo e absoluto que
at fas rodar ao proprietario. A proposigo sera
porventura um tanta absoluta, mas com certeza
o que ella accentaa am producto do costme a
ane alsaram o jockey, que forga de oasatmor
Kr eatrem, ebega a asaaWaar por si 14 em um
m dia, sendo assim, o instrumento da lei das
WSo5wo%emooo asoalaram i boato*. ?
da referida corrida, cajo resultado foi a aa
falla) t
Igualmente no 6 pareo nao correa o Viliage,
cuja chegada ao ensilhamento foi posterior sa-
bida para a raia.
O Porto Alegre tambara ndo correu no 1 pa-
reo. .. o pareo da tacada.
PUBLICACES A PEDIDO
A Repblica Brazileira e
vista de Portugal
a Ra
(PBOTKSTO AO SR. FREDBRICO DE 8.) "
H fe
Para que a alma brazileira se deixass e .
sivel tyrannisar, seria preciso que estiv
morta. Mas ndo est, e nem agora ella abara;
como alguem poderia soffrer,-elguma catalepsr
moral que a tenha insensabilisado. Illa sent
e podemos affirmar ao Sr. Frederico de S. e aa
mundo inteiro, que muito rugido abalado oU
tem desprendido do peito por cortos tactos sjoa
ella sent monchar lbe a dignidade. E se a ea>
ploaio desses sentimentos ainda nao se proda>
zio com a fortaleza da recUmagao dos direil
nao por frunza ou por covardia. K' 01
cendo a st alimentos mais elevados. Ella i
liante e antes de tudo patriota. Tio pro
mada a Republici. Quer vel a con iderada.
criHca um pouco de seos melindras eekw
grande obra da reconstrnego. Se, porem,
conhecer, que em ves de a raconstrairem a i
rao-destratado om sua Bivihsajjo, sm seos >
rallos, ella ba de despir-se 4a loshi.a* i.
tagoes aimpor a sua vontode libertadora a-JB-
dos os Judas que a trairaas. todas aa pr
toadas serio frigeis lamia! da vidro dacndP
tro rocta de toas conviacaoa. TO< iplfiaa
I
Jk\W
Sr. Fradarico de i.,
oojpamaajK
*


'r
'


Diario de Peniambueo-Ter

0me6moaator '0$ contecimentos
diz reconbecer nos braiileiro9 urna dienta epi
Jemica. om nervosismo especial para manifesta-
rles e actos de entrelenimentos ; negando Ihe
a inclraaco para tomar a forma trgica san
renlas insurreicOes, nem a cansas de expo
soes de sentimentos fortes. Que essa doenca, pe
existe no Brasil, nao se indine ao sangue, s
vemos nisso motivo para alegrar nos.'
Nunca pretendemos, e Deus nos ltvf de vir
a pretender, a prole :cao dos phansegars da In-
dia, fanticos adoradores da densa Bowhania
E quanto a explosoes de sentimentos fortes,
ellas tein apparecido ; e o nervosismo especial
ao Brazil, nervosismo manifestante, como diz o
Sr. de S elle tem tambera se apreseotado mo-
vido por sentimentos mnito oobres.
Como explica se a corrate abolicionista, que,
parte ua certo numero de especuladores e
tratantes, relativamente pequeo, passou pela
grande maioria da nacaj e produzlo 13 de
Maio t' E o 15 de Novembro se broton de
una insurreijao dos qaarteis, foi porque es
tes j se chivara, revolucionados pela caudal do
sentimeoto republicano que ln alguns annos
lavrava pela alma popular. Os militares era 15
de Novembro foram o reflector do sentimeoto
Jo povo, foram o expresso exteotor da tacita
vontade de toda nacionalidade.
E eis como se explica a tranqoillidade e pla-
cidez em que recebeu a noticia d? proclamacao
da Bepublra. Mas esta serenidade transformar-
se ha em furor, quando um dia queirara roubar-
Ibe aquillo que ella a custo fes, aquillo que para
ella conquistaran os s-ras Hlbos bem intenco
nados e amantes
Pallou o collaborador da Revista de Portugal
Bessaesp ci de nervosismo especial ao Brazil.
para dizer-'.os um desaforo, deixando passar
desapercebido um soberb) assumpto, em que
diria verdades e mostrar se-bia unr escriptor
publico interessado pelos actos serios que in-
nuera no destino e vida dos povos.
Pallou em subscripcOes que se levantam no
Brasil, c incluio n'elias a que foi aberta para pa-
gamento da divida nacional.
Pois bem. Deixando de oeosurar a arrao ca
da de leo e parada de burro que se f z no
Brasil a respeilo da subscripto nacional,
pois que foi ridiculo o resultado obtido para
um fim to nobre e patritico, o Sr. de S.
dix com a maior desfacatez : -----abrem se
sub cripces, orgaoisam se kermesses, for-
mam-se bandos precatorios que percorrem as
ras a pedir esmolas; e multas vezes a pre
caria collecta do bando precatorio tem raya
tr >?o destino.
I-i qaer dizer, que somos ladrss. E isso
porque nao mandamos dizer ao Sr. Prederico o
que fajemos do producto das subscripces. Por
te mentiroso I Tri te calumniador '
Vamos transcrever um longo treclio do tercei-
io artigo do autor A'Os Acontecmentos di Braz,
vindo no n. 8, entre as paginas 216 e 248. Da-
mol o sem commentarios. Dizemo. (.orra,
quanto nos sena sympatbico o Sr. Prederico de
S., quanto recommeudar se-hia a todos os bra-
zileiros, se sempre escrevesse a nosso respeito
artigos como o que vamos citar, ou se ao me
nos nos nao calumniarse nos nioi isultasse.
Eis o que sor o titulo O Brazil Fastos da
Dictadura nos escreve o Sr. de S. :
Nao pois, extraordinario que, no da 15
de Janeiro, alguos officiaes brazilekos lenham
praticado mais um acto de ruidoso hachan lis-
> mo. Foram tiles, incorporados, frente de
gente do povo e de soldados, fazer urna man
feslaco ao Sr. Deodoro, salvador da patria e
dispensador de altos postos militares e de
commissOes. O ministerio rodeava o rhefc
definitivo do governo provisorio. Houve mu
' tos discursos ; e um dos oradores propos que o
Sr. Deoloro fosse proclmalo generalsimo
das tropas de mar e trra ; outro propoz pura
brigadeiro o teoente coronel Dr. miuistro da
guerra; e um terceiro, para nao ticar a raz,
leoibrou o posto de vice almirante para c ebefe
de divisao ministro da marraba. E, cena de
opereta, que seria simples nente cmica, se
nao revelasse um desgranado estado de coicas.
> os agraciados, cada um par eui vez apparece
ram as janellas do palacio Deodoro, e agrade
ceram commovidissimos, acceilando I 1>.0
ministro da guerra decarou que nao poda
resistir ao desej do povo, do exercito e - marinba: eos verno provisorio all reunid. >
" fez labrar immediatamente os decretos, absten
do se apenas e generosamente cada um dos
favorec los. de assigaar os decretos da sua
- propria exaltacSo. At que ponto podera con
duxir o paiz um governo que s-ibc ceder
' opiniao em casos destes ?
< Esta forca pretoriana e tumultuaria deve
entristecer muito os brazileiros que prezam os
r seus foros de povo civilisado. u titulo de ge
neral8simo, como observa o Times, o tulo
preferido dos tirannicidas railiuies da Ameri-
ca Central que o Sr. Deodoro, tardmente e ero
ponto gran Je, pretende imitar. Generalissimc
no um posto; os officiaes manifestantes que
- expuzeram levanamente a sua patria galhofa
- da Europa mostraram ignorar que o titulo d
generassimo assnmido, e (rnente em cam
' panba, pelo general que comraanda forras allia-
das eqne. das potencias unidas em guerra, re
< cebe esse titulo. Poram geoeralissimos Wallens
tenic, Mon ecuculli, o principe Eugenio de Sae
- boia ; o principe de Schwarlzenberg. Na Euo
ropa, boje, so lia um generassimo, que -
grao visir da Turqua. Nestc seculo, grandes
fceneraes, chefes de poderosos exercito* nao
loma ram o pompeso t lulo assumido e gnho
pelo Sr. Deodoro, na roa Larga de S. Joaquina.
Nao foi generassimo Wellingtoo, nao o fui o
velho von Molke, era o foram Mr. Ucllam, n rn
- Grant, bomens que estiveram a trente de mi-
COMERCIO
Revista do Mercado
Rkcifv, 2 DK JCNIIO DB 1810.
O movimento na praca limitou-se a transaeces
no Aereado de cambios.
Cambio
PRAQA DO BBCIFE
Os bancos manliverara a taxa de.20 3 4, fa-
xeodo pouco negocio.
O mercado fechou menos lirme.
Papel particular foi passado a 2)) 15 16 e
Iinalmentea20 7,8.
PRAfA DO RIO DE JANEIRO
O mercado abri 33 O 3 4 bancario nominal e
20 7/8 particular escasso.
Mais tarde os bancos retiraram para 20 5 8.
4 |
/I5
I
TABELLAS
r
3

AFFIXADAS
'_ X, .
rm
e
sr
a

1
8
i :
I *>
Si i
is M c fi S
lhoes de soldados. Poram, porem, generas- feaa; a discreta economa mSi da libe-
> simos 03 Rosas, os Lope*, os Barrio-i de Gua- ral.dad
tmala, os Daxa, os Melgarejo da Bolivia, os p -.,- -,( aa f,^\\'mm
. Gosman Blanco de Venezuela, e, no Mxico,! ,R bem- f*8" 8dZetM. 1u eJchiam
Sani'Anna, que tinha o tratamento de Alteza e colunfnas inteiras de merecido encoqwoa
que fes enterrar com supremas honras mili-o Ilustre governador, actualmente se con
tares a perna que perdeu no assalto do Vera- (tradizem com a sana facn de quem tem
: r^rftrQbS^%.^a^ff! p-- f-de "*te' p-
< no dia 15 de Novembro na la perdeu, a nao buco.
< ser a cabeca, quanlo 1 hora da tarde des I Fallam s assim, porque todos sabem
tbronou o soberano a quem dava vivas ao meio qQe das cinsas da Actualidade e do
' 'comprebende-se Bonaparte glorioso accla-1 f** Lux neeii a Democraoria, como
mado Le petit > aporal petas suas tropas victo-1 do centro e dos Lruzes nasceram os fede-
riosas, depois de Lodi e de Arcle ; mas quies rae*.
os novos feitoj dos Srs. Deodoro e Benjamn jj^g que motivos determiuaram a meta
Constant? Aquelie commandou urna revolta_____."* .-*-in =. u.;k.
. de que tirou honras e proveitos, e onde nao morpbose, converteodo as Iouvaminbas,
correu perigo algum a sua existencia; o le | ses incens de todos os das e a qual-
oente-coronel Dr. (boje brigadeiro) Benjamn quer propes to, em diatribes ferinas, que
Constant, emquanto os seus collegas se bat-|IieKam tu(j0 como tudo d'antes affirma
tiam no Paraguay, accumulava empregos no
Rio de Janeiro, ensinava o positivismo, e diri-
gi o Instituto dos Meoinos Cegos.
Quando o Brazil licar seriamente organisa
do estas promocCes tumultuarias, que impor
tam gravissimas pratencOes serio mantidas ?
Em Franca, depoiada ulraa guerra, as pro-
m rranea, aepoioa uiiiuis guerra, os iru- .. f
nwces feitas nvcampo de baialha, embora- que boje cobrem de vituperio o dolo que
_ maa a in.itilnmiJIri Af\ anlh lioi f a ti" A Hp'l hn. niin IvAptArA nianoO ITO rtl '
com a iostiricacSo do eothuslasmo pela bra-
vura, foram sajeites a urna commis;ao revi-
sora.
Depois deste escripto, pelo qual enviamos um
aperto de mao sincero e agradecido ao sen au
tor. passamos a analysar as suas criticas sobr?
os trabal>u)s diplomticos ltimamente edebra-
uos.
Recife, 315-90.
fyro de Leicben.
(Continn)
AdmQstragao do Piauhy
As ultimas noticias procedentes de Tbe
resina, acclaram a sitoacao poltica em que
all se ada o honrado governador, IJr.
Ti aumaturgo de Azevedo.
Essas noticias desmentem completamen
te os telegrammas paraaqu; passado i pelo
barSo de (Jrussuhy.
Foi urna farca ridicula, urna iaven^o do
odio partidario desse barSo o alarma que
procurou levantar com os seus telegram
mas.
O que houve de exseto foi urna informe
intriga, tramada Das trevas contra o illus
tre governtdof, que s teve conhecimento
por communicagoes, que amigos fizeram
lbe da capital federal.
A o paaso que os taes federalistas e n
pregavam a arma da calumnia e da intri-
ga contra o governador, perante o gover-
no provisorio, por meio de cartas e tele-
grammas, eram elles no palacio do gover-
no do Piauhy recebidos com a aflabilida
do, cavaiheirismo e lealdade que caracte
risam o iotegro Dr. Thaumaturgo.
Este, considerando os bomens de bem
abra lies a bracos com o desprendimento
e boa f, que possuem os caracteres supe
r.ores, ofF^recendo lhes fran:ament o pe
to onde os miseraveis revolviam o pnnhal
da difFamacSo o da traic-5o.
Informado do que se passava, nao foi
ditticil ao Dr. Tlisumaturgo pulverisar os
manejas e desmascarar os imprudentes que
com tamurias e bajulagoej que.-iam anal
tar o Tbesouro com contractos e siuecu
ras.
Repellidos em suas prctensSes, lanoa-
ram se na oppoiiclo, mas opposivo que
nao attingio, nem abalou os crditos do
honrado governador, qne contina a gosar
de toda e completa contianca do governo
provisorio.
O seg unte artigo, transcripto das o
luninas d'yl PkaUmg*, jornal de There
zin8, caracterisa bem a erigom e objecto
da opposicSo que os federalistas estilo fa-
zendo ao distincto militar, Dr. Thauma
turgo de Azevedo :
A Quem at os primeiros das de Marco
ultimo leu as gazetas Actualidade e Fiat
Lux, genuinas representantes das aspira-
c8es polticas desses grupos, que hoje for-
ma m o partido republicano federal do Es-
tadoteta ainda rupressos na memoria os
dithyrambos, com que os federaos de boje
enalteciam 03 mritos incontestaveis do
honrado Sr. Dr. Thaumaturgo de Azeve
da, cuja admraistrac&a promette ser urna
das rrais fecundas em beneficios., sem dei-
xar de ser sinceramente econmica, par-
que urna economa sordica irmS da ava-
vam?
Oremos que ado efse desconjuntamen-
to poltico, toda essa vozeria que notamos
nos arraiaes inimigoa, provm da urna cir
cumstancia com qne n2e contavam aquelles
Na Bolsa venderam-se
11 aeces da Comoanbia do Bebcribe.
o ore8idente,
Antonio Leona -do Kodngues.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
llsodo
N:to houv> vendas, manten lo se a cotaco de
0zO0 para o de i* sorte do serlo.
A t-xportaco feta nela alfandega em Miio fiado
constou de i9 967 kilos, sendo 188 439 para o
exterior e 111.518 para o interior.
\* entradas verificadas em Maio fiado, ja co-
nhecidas soera a 6.633 saccas, sendo por .
3irraca. 1 837 Saccas
Vibres .... 147
t itmaes..... 937
Vw-ferreadeCaruarn. 363
Via-errea de S. Pranciacii. 1.176
tta-fferrea de Limoeiro 2.73
Scum*.
6.63) Saccas

>

i
Bolsa
GJTAgOEi OFEICIAJE PA JDHTA DOB COB
BITOBM
Uta/e. i u Junho de 1860
-es da Companhia do Beberibe, do valor de
100/ a 105* cada ama.
Acucar
i ; rr-cos pa^os ao agricultor, per 15 kilos, se-
.coa As;ociacja 'oicnierciai Agrcola, foram
-* *.?t\uti-s:
-infc 3A700 a 4a>0
B-aii-o..... 3*.0J0 a 3.6 0
S lamsa. iASOO a 2#7oO
itjscavado ourgaao tiBX' a 1*700
Bulos..... 1*300 i 1*300
R^urot- litOO a UJW
A exporutcao feita pela alanuega em Maio fiado,
constou de 6.174 7i8 kilo?, sendo 1684 3i0 jara o
exterior e4.'j0 3.8 para o interior.
As entradas verifir-u'as em Maio fia Jo, j co-
nbecidas sebem a 51.707 -accos sendo per:
Jareabas .... 23.384 Saceos
/apores..... ...
unmaes. ... 1 188
Via-ferrea de Caruar. 2.32!
.'ia-ferrea de S. Francis/o 24 287 <
>"ia-forree do Limoeiro t26
que hontem incensavam
Quando o honrado Sr. Dr. Thaumatur-
go de Azevedo chegou ao Estado, oi as-
seniado por essa turba-multa de especula
dores polticos, que, quando ssntom fzer-
se em torno de si o vacuo, arrastam-se s
horas mortas da noite por fendas que le-
vam aoa gabinetes secretos dos presiden-
tes, e ahi, affectando dedicacSo pelo go-
verno do Estado, desfazem se em mesuras
e protestos de estima e apoio dtsinte'esBa
do, como soem ser quantos partem do
campo adverso.
O illuatre Sr. Dr. Thaumatu go ia sen-
do victima da desinteressada dedicacao dos
grandes patriotas que s descobriiam seus
merit.s e acertaram om o caminho de sua
casa, depois que S. Exc. assumio as re-
deas da administrarlo.
Alma sincera, S. Exc. suppoz-sa rodea
do de cavalheiros animados de bem coad-
j uva lo ; moa assim nlo o era ; e logo que
S. Exc. peoetrou suas intcncSes, conbe-
ceu'o movel de tanta zumbis, foi toman-
do outro norte, e tanto bastou para que os
honrados cavalheiros, cujos protestos de
inextnguivel adhesSo era diarios, inicias
sem a conspiracHo de que S. Exo. 60 teve
ciencia do tornaviagem.
Pegados em flagrante deicto de traisSo,
foram forcados a depor a mascara surgin-
do da noite para o dia as columnas da
Democracia essa opposicSo fsroz que bo-
qmaterto testemunhamos!
Estrada de Ferro do
liibeiro a Bonito
' Nao se persuada a directora d'essa- es-
trada de ferro, que ha de levar avante o
contracto monstruoso e, por assim dizer,
clandestino que celebro-a com Antonio
Duarte Machado para construic^o do ulti-
mo tr.-.cho.
Semelhante cjntracto, que a prova ia
coecussa de que a directora menospresou
os interesses da empresa, cm verganhoso
conluio com um extractante feliz, ha de
ser analysado, discutido, minuciosamente
esmerilhado at reduzir-se urna cousa
nulla. Expressar, apenas, inteira au-
sencia de escrpulo e os movis incontes-
saveis da parte d'aqueiles, que levados
por conveniencias miseras na trepidaram
em sacrificar interesses importantes que
lhes haviam sido confiados !
Felizmente, para tomar conta directo-
ra, ahi est o corpo de accionistas da em-
presa, c -nv.cto do que o c ntracto pura-
mente leonino.
Como o reo, que n2o tem defesa para o
crime. que commateu, assim a directora
ha de comparecer para ser j-ilgaia por
aquelles, que til > incautamente nella con
fiaram.
A attitude, louvavel e honrosa que tm
assumido os accionistas, o penhors guro
ie que tacar burlado o contracto, cahindo
em misero descrdito a directora, que com
tanta m f violou a contianca de que era
depnsituis.
Felizmente para proveito da empreza,
punicAo da culpa aKo se clever limitar a
nullihcflcllo da contracto, mas adestituicSo
de poderes, pois, um tal procedimento,
imposaibilita a directo ia de continuar
gerir os negocios da empreza.
-io se compromettem interesses de or
dem elevada, nSo se abusa da confianca de
outros, nSo se zomba do bom senso de
urna empreza~ importante, sem que mais
tarde snta-s--, com toda forca eunagadora,
a repressSo da ousadia.
Nem ha d$ attenuar o crime o anal
phabetismo da directora, pois, provar se-
ba at a evidencia, que o monstruoso con-
tracto, n8o somonte producto da igno
rancia, mais tambera de mais requintada
m f.
Convenga se o empreiteiro e a directo-
ra ce que os accionistas da Estrada de
Ferro do RibeirSo a Bonito, nem sao beo
cios, nem pactuam com contractis immo-
raes.
Mais escrpulo e menos ousadia.
Muitos accionistas.
Corrigenda
Por ter bavido algunas ineorreccGes typogra
phicas, reproduzimos boje o despacho do Dr.juiz
de direilo de Palmares, publicado oo Diario
de domingo ultimo.
Vistos. Don provimento ao recurso ex officio,
interpolo do despacho de lis. 30, para aonuilar,
como annullo, todo o presente processo por ha-
ver nelle infraccj de le, que constitue nulli
dade insupprivel. Houve iafracco de lei, na se
observando o seu preceilo, desde que na denun-
cia de folhas nao foram nomeadas as testemu
nhas, que tinham de jurar, corao imperaiivaraeu
te manda o art. 79, j 5 do cdigo do proc-s.-o,
nnllidade eta j deerteada pelo Accrrdao da Re-
lacao de Onro-Preto, em 24 de Maio de 1878. Es-
aa falta di denuncia, de algum modo deu causa
a outra mais grave, qual a de nao lerem sido ci
tadas as testemunhas. que depjzeram na firma
cao da culpa, e qne por esse facto, perderam o
seu valor jurdico.
A falta d i citago das testemunhas, coraprova-
da pela cerlido do offkial de justiga, a fli. 13 v.,
confessada par ellas. A-sim, a segunda, a fls.
19 v., declira que veio a juizo parque o subde-
legado de Mutuas, Joiquim Bezer -Cavalcanle
lbe dissera que viesse a esta cidade para diz r
o que tinha ouvido do aecusado Maaoel Vilella.
A terceira, a fls. 21, dcjlarau que o sub lele
gado Candido Fej de Mello lh disse que viesse
depor
A quinta, a fls. 24, coofrssou positivamente que
mague n a noticiara, mai que tomara a resolu
gao d>i vir depor. E*se modo illegal, porque
coo'pareceram as testemunhas, tanto raais dig
no de nota, quanio os acensados allegavam ter
soffiido violencias por parte do mesrno subdele
gado, que as mandara \ir ju'za. No animo de
quem respeita o direilo, fomente esse facto era
bastante para crear suspeicao acerca do qu> po--
ventura ellas depozessera. A falta de citacao de
lestemonhas nullidade substancial reconhecida
pe i lunspiU'lencja, porque a citacao 6 estabelc-
cidaem benefloda ordem e interesse publico;
caso em que a nullidade deve ser pronunciada
pelo ju'z, ainda que nSo argida pelas partes.
Por auto, dando, como j i disse, provimento ao
presente recurso, juUo era effeito o dcipacho de
pronuncia a fls. e aullo todo o prore:so. E man-
do que 8eji instaurado outro em que sero obser
vadas as prescrip^es e formuls naranliaora*
do dieito; pagas as rustas pete loteedenci.
I',i linares. 6 le Maie de IS90.Mamxl Caldas
Barrete.
E nada mais secontinha rm dita sentenca aqu
fielmente copiada do preprio original,-o qual
rae reporto e don f.
Subscrevo e assigno. Palmares, 23 de Uaio de
1890.0 escrevente juramentado, suhslituiudo o
escrivac, dou f.>ais FenandesCut'uHle.
A o Lixm. governador
e ao
:>nrnnia.
51 707 3 Cffi
(otire*
Oouros salgados 400 ris, e o verd-.' a 2\0
- ts
Kitardeaic
1 Cdtaie a %>(%, por pipare 481' litro.
AlMMi
. Cou-se a 190*000 por pipa de \Xt litros.
iel
CoUt-ae 133*000 por pipa de 480 iro-
Pauta da lfnadeea
SBMADA LE 2 A 7 DB JMMIO UB 1890
Vide o Diario de 1 de Juno
navios a descarga
Barca narueguense Cari llaarei, carvao.
Barca ooruegueose Oler, carvao.
Barca norueguense Galera fannlia de trigo.
Barca nacional Uarianmulia xarque.
Escuna no ueguensc Gefioa, x arque.
Lugar nactsnal Tigre. Xarqae.
Lugar dinamarqui'z Ai Icen, x^rque.
Luiar ballandez R. Leemhuis, varios gneros.
Lugar portugus Temerario, varios gneros.
Patacho porluguez Mundeuo varios genero?.
Patacho pa.-luguez Fresl. xarque.
Patacho nacional Marmita II xarque.
Patacho huliundez Voowaaits, xarque.
Pataclio liespaubol Joven Pura, xanjue.
Patacho allemao Ap-Al. xarque.
Patocho hespanhol Ballcsier, xarque.
Bxportaeo
aiM, 31 oa maio db 1890
k'ara o exttrtor
Sj vapor francei Nert^e, para Pars, carre
garaio :
Cousseiro Irm-io, 1 caixao com i,'170 gramraas
de ouro, 23 300 grammas de prata velha.
E. Gociche", 1 caixa co.n 8 kilos de casco de
tartaruga.
J. Krausr-, 4 caixas com 4 800 gramraas de
ouro velho e 200,000 gramraas de prata.
A. do Bego de ouro e 10000 uitas d- prta vellia, e 1 caixa
com jolas de ouro ao Yaljr Je 1:C00*.
- Novj,or ame icano Ado.ince, para New
Yoik. carregou
*. C. Lcvy, 45 246 pelles de eabra.
No vapor i.igljz Magd-j'eaa, para Minie vi-
deo, carregou :
A. C. de Bezende, 5.000 coco?, fructa.
Para Buenos Arres, i-arrecou :
A. C. de Bezende, 10,000 cocos, fructa.
o lugar portuguez Temerario, para Lisboa,
cam garatn :
Amorim /ruaos C 1,080 uceoJ coia 81.000
kilos de assucar braoco.
A. de Albuquerquc, 200 saceos cora 15.000
kilos de assucar nascvado.
Para o mieriot
No vapor allemao '.'amprnai, para Rio de
Janeiro, carregaram :
Costa & Pernandes, 10,000 coeo?, fructa.
M. Amorim, 10,000 CKOs.fru-ta
P. Pinto 4 C. 20 pipas cora 9,600 litros d
agurdente.
Para Santos, carrr-sarara :
. J. J. Moreira, 858 mccos eom 51,480 kilos.de
assucar roasiavado.
Amorim Irmaos 4 C, 20 pipas e 50 barril
can 14,400 litros de agurdenle.
N vapor nacional Jactthype, para Babia,
carregaram :
P. PiDto & C, 2 caixCes com 150 kilos de
ao'ce.
Dr. Martins Jnior
Jos (lenicutiuo c Anoulo
Candido em acea -^
Eises doas rnftores preparun um* tr pata
vi re in acorapanhados de vigabunios, mostrarem
sua influencia poltica anar. nica.
Cidanos.no vos engais cora o hornera das
las irmas e urna escrava. .. nem cim Jos
Pora U3.
O indgena de 85.
Povoado de Tigipi
A Inspectora de Hygiene Publjca deste
Estado, em oficio de di de Maio rindo,
communiceu a directora do Club Kepn
blicano Federalista 2 de Fevereiro que,
tendo tomado em consideracao a repre
sen'acSo por ella feita mesmo raez, sollicitara do governador
providencias afina de ser nomeado um
perito para vaccinar e tratar dos vario-
losos e tambem desinfectar ae casas e o
cemiterio daquelle povoado.
E' ouvavel e honrosa essa iniciativa,
tanto mais porque revelando nobilissimo
sentimentos de humanitarismo, estilo estes
de accorda com a beneficencia que se
iropea praticar o referido Club, porque
nao somente poltico, mas tambem be-
neficente.
Resta-no, porem, tornar publico que
desde 7 de Abril de 1884 foi nomeado
commissario vaccinador de JaboatSo o
cidad&o Abilio de Albuqucrque Cmara
Lima, que hoje reside em Tigipi, e cuja
nomeaeo foi feita por portara daquella
dita, acsignada pelo presidente de ento,
desembargador Jos tfanoel de Freitas,
de eterna recoidag o.
Subsistindo essa nomeacao, e havendu
prestado muito bons servicos nesse encar
g) o cidadao Abilio, esperamos que ser
elle o preterido para essa commissSo, que
depende para seu melhor xito de possoa
hab.litada e activa, tal como o esse an-
tgo vaccinador de JaboatSo.
Recife, 2 de Junbo de 1899.
Algn moradores.
Fallecimento
Em Serra Branca do Estado da Parahyba
fallece.i n > dia 21 de Maio ultimo o joven
Abi'io de Pa.va Javalcante filho do nogo
cianta Bernardin. de Paiva Cavalcante,
que ha annos tinha ido em busca de me
uaras para sua s*ude alterada, e nada
pdde conseguir, vindo a fallecer aos 26
annos de idade, quando a vida lhe era tao
doee e precisa, pois era casado e deixa
2 filhinhos na orphandaie e a teus paren-
tea e com especiahd.' de seus extremosos
pais e sua familia a quem apresentames
nossas condolencias.
Cidade do Limoeiro
Est se preparan 1o nesta cidade urna farca
digna das attences do governo : Jos Clementi-
no unido ao Amonio '-andido j conlractarara
um trem exprs o e andam reunindo matulos
para virem impor ao Dr. governador a demissao
de Walfrido rtoreira da Costa, do actual collec
tor e do Or. Esperidiao, promotor da comarca.
E' preciso que o Exrn. guvernador nao se il-
Inda cora esta maoilcstacao venenosa, atienden
do a sua origem.
Os que prepar m semelhante trami, illudem
a boa f dj governo e querera dar rassos no
sentido de anarchisar a comarca.
Liberdade oo caso.
O Cabellen-a.
Bom Conselho
Extenuado, per assiut dizer, das lucias
partidarias, na coiamcro-t de rain ha resi-
dencia, nesta data- tomei a resoluc3o de
retirar-me, de um modo absoluto, da po'i
tica activa de raeu paiz.
NSo terei direito as queixas o recrimi-
nacSes contra ucnium dos cavalheiro?
cora us quaes fraternisei e collaborei em
po'itica : esta referencia feita alguns dos
membros do antigo partido'liberal dessa
cidade.
Se um dia, porm, nm aojo roo qual-
guer tentar me para esquecer ou olvidar
este meu protesto, ticar-me-lia salvo o
direito e aos meus amigas, que me acom-
pan harem no ostracismo, de adherirmos
aquella das fraccSes que nais esnfianfa e
sympathia nos inspirar.
Por ora e do mou retiro, limitar-me.hei
a observar se a c falsa pedra preciosa
que se procura encravar no bastSo do
mando desta comarca, produzir a luz
irradiante alio-jada....
Em 1 de Maio de 1890.
Louren$o C. de Araujo Ypiranqa.
Muita atteo^ao
O abaixo assigoado. legitimo cessionario dos
bens deixalos por Jos Cord teF, fallecido cesta cidade do Recife, deparando
com nm annnncio ii.serio aouiaru ae 3 do
correnle, offerecend daquelles predios venda,
previne ao commercio e ao publico deste e dos
mais Est idos Unidos do Brasil qne nao fapam
iransaccao alguma com os bens abaixo declara-
dos, pertencenies ao mesmo espolio ; pois que,
os trlbunaes do paiz ainda nao se pronunciaran!
detlnitivamerJle a respeito, e por isso estando
disposto a havel os do poder de quem os tiver
por qualquer modo faz a presente declaracad
para que raais tarde nao se allegue ignorancia
ou boa f por quem quer que seja.
Os bens sao os segrales :
Urna casa terrea ra Imperial n 48.
U na dita dita ra do Nogueira n. 33.
Um soorado no paleo de S. Pedro n. 3.
Um dte na traTessa do Carmo n. 12.
Lembramos os cidadaos seguintes para depu-
lados :
t Dr. Ambrosio Machado da Curaba Cavalcante.
2 Dr. Jo3 Izidoro Martins Jnior.
3 Dr. Joo Augusto d Bego Barros.
4 Dr. Jaaquim Correia de Araujo.
5 Dr. Joao de Oliveira.
6 Baro de Granito.
7 Biro de Lucena.
8 Conselbeiro Francisco de Assis Rosa e Silva.
9 Dr. Jjs? Bernardo G. Al .oforado.
10 Dr. Augusto Coeilio de Moraes.
11 Dr Jo3 Vicente Ueira de Vasconcell03.
12 Dr. Jor Eustaquio Pcrreira Jacobina.
13 Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda.
14 Conselbeiro Dr. Antonio Goncalves Ferreira
15 Dr. Ulysses Machado Pereira Vianna.
16 Dr. Anaial Ealro.
17 Dr. Joaquim Jos de Almeida Pernambuco.
18 Dr. Bernardo Jof da Cmara.
19 Dr. Luiz Caldas Lins.
20 Dr. Manoel Gomes de Mattos.
21 Or. Raymundo Bandeara.
22 Dr. Arminio C. T. dos San'os.
23 Dr. Felippe de Pigueirda Faria.
Para senadores :
Conselbeiro Juo Alfredo Correia de Oliveira.
Conselbeiro Luiz Felippe de Souza Leao.
Um cleitor.
Despedida
F. Casco Filho, 50 bancas rom 6,017 kilos
de assucar branco.
No vapor tnglez Cornil, para Porto Ale-
grt, carretrari>m :
P. Uarneiro 4C, 12 saccas com 817 Kilos de
algodao.
No vapor americano Fmauce, para BjIi1' .
carregaram :
J. Borges, 1 caixao cora 40 kilos de queijos do
serta?.
C. M. da Suva, 40 saceos com 4,500 ki'os de
assucar branco.
Para Bio deJaneiro, carreaarara :
P. Valente a C 50 pipas com 24.000 litros
de agurdente.
rara Santos, carregou :
F. M. de Moura, 50 pipas com 15.80 litros de
agurdente.
No vapor allemao Argentino, para Rio de
Janeiro, carregou :
A. C. de Rezeode, 10,900 cocos, fructa.
No hiate Deus te Guie, para Araaity, carre-
garam :
F. da Costa k C., 4 garrames com 64 litros
de genebra.
tteudluieutos pblicos
MBZ D JUNHO
Alfandega
Renda eeral :
Do dia 2 47:288*574
Renda do Estado de Pernambuco :
Uo dia 2 4:794*513
Betiraadome temporariamente para a Europa,
em viagem de instruccao, e to podendo pes
soalmente despedir-me de todos os meus ami-
gos e clientes, peco lhes dcsculpa e offereco-lbes
raeu pequeo presumo era Pariz, onde vou
residir.
Recife, 1" de Junbo de 1890.
Dr. Manoel Argollo.
Somma total
52:183*087
Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco,
2 de Junho de 1890.
O tneeoureiroFlorencio Domingues.
0 ebefe da aeccaoCicero B. de Mello.
Recebedorla do Estado de
Pernambuco
Do dia 2 2:945*373
Recife Dralnagc
Do dia 2 1:765*399
Mercado Municipal de S. Jos
O movimento deste mercado no dia 31 de Maio
foi o seguate:
Entraram :
32 bois pesando 5,150 lulas.
676 kilos de peixe a 20 rea 13*520
29 i/S cargas com farinba a 300 rs. 5*900
5 ditas detractas J.versas a 300 m 1*500
32 1/1 columnas a 00 rs. 19*800
103 taboleiro a 200 rs, 20*600
16 sainos a 200 rs. 3*200
1 eacriptorio a 300 t. ^ 300
70 compartimentos cota farioha a 500
30 ditos de comidas a 500 rs. 15*000
97 ditos de legumes e faxeod as a
400 n. 38/800
17 ditos de sumos a 700 rs.
8 ditos de fressuras a 600 rs.
13 ditos de camaroes a 200 rs.
33 Uihos a 2*
Rendimento de 1 a 30 do crrente
11*900
4*800
2*600
66*000
238/60
6 920*320
7.158*940
Preyos do dia:
Carne verde de 280 a 480 ris o kilo
Suinos de 560 a 72) ris idem.
Curneiro de 640 a 900 idem.
Farinha *e 560 a 640 ris a cuia.
Hilho te 40) a 480 ris idem
Fcijao -i. 9J.I a 1*200 idem.
Demonstrado do Io fltpteatre de i de Dezem-
bro de 1^8S a 31 !Ilai d 1889. pela admi
nistraco pa-s di. e de 1 de Dezembro de
1889 a 31 do Maio de 1890, pela actual admi-
nistradlo :
. 1888-183'J
Dezembro...... 6.144*680
Janeiro......... 5.979*340
Fevereiro..... 5.495*640
Marco.......... 6 010*8oo
Abril............. 5.63 *440
Maio.............. 6.074*840---------35 3S0/940
18891890
Dezembro...... 6.835*660
Janeiro.......... 6.655*680
Fevereiro...... 6.279*560
Marco............ 6.964*100
Abril.......... 6.911*340
Maio............. 7.158*940-----
Ao commercio
Os abaixo assignados participan] ao pu-
blico e ao commercio em geral que o Sr.
Ignacio Maaoel de Carvalho Miranda
deixa de ser empregado em sua casa, a
comecar do l.de Junho em diante, agra-
decendo os mesm'os ao Sr. Carvalho os
servicos prestados durante 9 annos, mos-
trando em :odo esae tempo fidelidade,
dedicaclo e actividade.
Recife, 31 de Maio de 1890.
Esnaty Rodrigues & C.
Escola particular para me-
ninos
49-Rua da Glria-49
- O abaixo assigaado, tendo tomado a si
a regencia e direcc&o da escola primaria,
outr'ora mantida por ten irmao Julio
Soares de Azevedo, confia e espera me-
recer do Ilustrado publico, e todos os
seus compatriotas pemambucanos, a mes-
ma confianca e proteccSo quelle dispen-
sada : confirmadas pela matricula e fre-
quencia de avultado numero de alumnos;
em particular dos paes e tutorts das crian-
cas que desejam o real aproveitamento de
seus filhos ou tutelados.
Nao desconhece qu3o ousada esta
tentativa; mas, sobrar-llie hilo forca e co-
ragem para levar avante tSo sublimada
miSbSo.
Cada escola que se ergue um novo
centro de vida, e para elle pois, h2o de
convergir todos os seus esforcos e sacri-
ficios para dar bons cidadSos que venhara.
a ser o futuro sustentculo da patria e da
religiSo, da familia, da jastica e da liber-
dade, que sSo o tabernculo de todos os
progi'e8808.
Mantem o er.sino do catecismo cathoii-
co, porq e a educasSo religiosa tem sido
e a bane de toda a educaySo physica,
moral e intellectual.
Admitte igualmente alumnos internos c
meio-pensionistas mediante as seguintes
mensalidades pagas adiantadas
Alumno interno 351003
Alumno meio pendonista 150OCO
Alumno externo 20OCO
Raphael d* Azevedo.
Differenc para mais
40.805*280
6340
Vaporea a entrar
HEZ DB JUXHO
Europa....... Orenogue......... 3
Europa....... John Eider........ 3
Europa...... V. de Buenos-A^res. 4
8ul.......... Advance.......... 4
Europa....... Magdalena........ 5
Sul......... Tkames........... B
Liverpool..... Scholar,........... 5
Snl........... Para.............. 7
Norte......... Esparto Santo..... 8
t'apnrcs a saMr
HEZ DBJUNHO
Santos a esc.. Campias......... 2a 1 h
Babia e esc .. Mrquez de Canas. 3 as 5 h.
Babiaeesc... Guaky............ 3 as 4b
Buenos-Ayres Orenoque........ 3a Ib
Valparaso ... Joknlder........ 4 as 11 h
New-York.... Advamce.......... 5 as 3 h
Santos e esc V. de Buenos-Ayes. 5 as 4 h
Buenos-Ayres. Magdalena........ 5 as 12 h-
Boatbampton. Tkames........... 5 as 11 b
Norte.77..... Para............. 8 as 5h
Bio e esc .... Espirito Santo..... 8 as 5 b
Sul.......... Villede Cear....... 17 as 3 h.
Buenos Avres. Tagus............ 21 as 2 b-
Southaraoiou. Trent............. 22 as 12 h
llovluieuto do porto
Navios entrados no dia 1
Pelotas16 dias, patacho nacional Ri-
val, de 241 toheladas, capi lo Fran-
cisco Jos Fernand s, equipagem 9,
carga xarque; a Amorim IrmSo & C.
Penedo2 e 1/2 dias, vapor nacional
Mrquez de Caxias, de 500 tonela-
das, commandante Jos Bernardo de
Souza, equipagem 28, carga varios g-
neros ; a Pedro Osorio de Cerqueira.
Navio sahido no mesmo dia
Porto-AlegrePatacho portuguez Mon-
dego, capitao David Augusto Fernan-
dos, carga assucar.
Navios entrados no dia 2
Buenos-Ayres e tscala10 dias, vapor
francez Nertbe, de 2.132 toneladas,
commandante Lecointre, equipagem 121,
carga varios gneros; a Augusto La-
bille.
Santos e escala-9 dias, vapor allemao
Valparaso, de 1.543 toneladas, com-
in.ind.nte I. Schremier, equipagem 48,
carga varios gneros; a Borstclmann
4 0. _
Cardiffti dias, patacho ioglez Innis-
fal, de 199 toneladas, "capitao A. K>
ner, equipagem 9, carga carvSo de pe-
dra; ordem.
Naoios sahidos no mesmo dia
Bcrdeaux e escalaFap:r francos Ner-
the, commandante Lecointre, carga
varios gneros.
Hamburgo e escala Vapor allemao Val-
paraso, commandante I. ^siirenier,
earga vavioa gneros.
Santor e escalaVapor
nano, > commandante
carga vario* gneros.
Santos e escalaVapor allemao empi-
nas, commandante A. Barrelet,
varios gneros -
Baha e escalaVapor runinsM Jac
hypa.s commandante Joaqa(pP7os
teves Jnior, carga varios gneros.
h
V :





Diario de Pemambuco-Terca (eir 3 de Junho de 1890
e-
Ao commercio
O abaixo asaignado participa ao com
mercio cm geral que a cornecar do 1." de
Junho deixa de ser empregado dos Srs.
Eanaty R.drigues C, aproveitando a
occasio para testemunharlhes agratidSo
pela delicadesa o attencoes que os mea-
mos Ibes dispensaran! durante o tempo
em que foi seu empregado.
Recife, 31 de Maio do 1890.
Ignacio fanod de Carcalho Miranda.
Ao commercio e ao publico
Luiz Antonio Gomes Braga participa ao res
peitavel corpo commercial eao publico qne dVra
em diantc passar a a.-s'Knar-s
Luiz Jardtm Gomes Braga.
Recife, 30 de M.io de 1890.
A'S YIGTMAS DAS FEBRKS
Elixir aiiti-febril Cardado, appro
vado em 21 de Mi'co deste anno pela Inspectora
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vem hoje
apresentar-se a humauidade soffredora do mun
do inteiro. como taboa de saivacao que ao infe-
liz naufrago Ibe enviada pnrmo omnipatente!
O Elixir ami r bril Cardoiv, appli-
eado em muitissimus easos de febres, lem, como
por mibgie, levantado do leito da dor a comple-
tos moribundos.
I sol!na c Silvia*
Eis o que attesta un coiihecido mora-
dor -de Pelotas com referencia a dous ca
oa de asthma :
f Attesto que aa minhas nlhas Isolina e
Silvina soffriam, ha mais de tres annoa,
horrvelment3 de asthma, qn3 Ihea vinha
por accessoi amiud dos e tao fortes, que
eu julguei em muitos d'elles, ter ae appro-
zimado o termo fatal de suas pobres exis
ten ias. Dcpo:s, porm, que usarara do
Peitoral de ambara, pteparacSodo r. J.
Alvares de Sonsa Soares, a Silvina foi
atacada, ha quinze dias, de ura novo ac-
cesso, que ceden promptamente ao mesmo
peitora!.
c Miguel Antonio dos Santos.
(A firma est reconhecida.)
CLUB-ESGRIMA
U advogado L
escriplorio para
1. andar.
E. Rodrigue i Viaona raudou o
a ra 5 deNovembro n. lio.
Este remedio, cotrposlo somonte de vegetaes
inleiramente inoffensivo, anda mesmo na man
mimosa e ten-a crianca.
As senhoras, no estado de paridas, ou no pe-
riodo de incommodos naturaes, podem usai o
sem receio algum.
Depsitos
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da Silva
& C, ra Mrquez de Oiind n. 23.
Pharmacia Martins, a ra Duque de Casas
n 88.
Pharmacia Oriental, ra Estrella do Rosario
n. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do BarSo da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Imperatriz
n 49.
Para qnalquer explieago podem dirigir se ao
autor Manoel Cardoso Jnior, ra Estreita do
Rosario n. 17.
Dos innmeros attestados que temos, damos
cm segni la principio a sua publicacao ; e isto
bastar para que sejam -ronbecidas as virtudes
do Elixir anti febril Cardoso.
Attestados
N. 26
flecire, 21 de Marco de 1889.
Rlm. Sr. Minoel Caldoso.Tenho applicado por
diversas fes c a diversas pessoas o seu prepa
rado antifebril; sendo alguna dos casos classi
ticados da febre de mo carcter, e o resultado
ten sido sempre muito satisfalorio, porquanto
apenas com alhemas dosis a febra desapp irece,
nao voltaodo mata.
Pode V. S. fazer da presetffe o uso que Ibe con-
vier.
Sou rom estlmi amigo, criadj e obrigado.-
Miguel de Figiteiri Faria.
N~27
Rate. 53 de. Abril de 1S89.
Sr. Manoel Cir.toso. Permita que me sirva
d'esta carta para llie tt'stemanbar a gratidi que
Ibe devo, g.-alidao esta devida a cura radical de
urna febre de mo carcter que me accommelteo
por espaco de 3 dias.
Aconselhalo pel> S-. Manoel Viriato a fazer
uso do seu remedio anti febril, segui o conseibo
d'aquelle senlior, e boje gracas ao seu remedio
cjtou completamente bom.
Sino nao o conhecer pessoalmenle para raellior
IIm lestemoobar o que a pobreza do meu espirito
uo sabe dizer.
Acceile. puis. esta carta expressiva da verdade,
c o Sr. Manuel Viriato, por mim, perante o se
nhor, sabera. mellior que ea, agradecer quinto
Ihe devo.
Seu criado e obrigadoManoel Monteiro Lino
& 28
Sr. Manuel Cirdoso Jnior. Recife.
Amigo e Sr. -Fui feliz com > seuElixir anti-
i.-bnl.em boi hora ac*citei o para tratar de
urna pessoa d<: rumba familia que achava se com
urna febre palustre e j em adiantado grao (40);
em poucas horas vi com a d'ellaj que nenhum resultado tinba obtido
com o auiouio.
Dou Ibe m-os emboras e i si j i que em pro
veito dos soffredore?, pissa Vint. utilisar te
d'esta como Ihe convier.
Sou com eterna estima de Vm*. amigo, criado
e obrigadoSeraph m Ferreira J/ju.
H. 29
Recife. 7 de Mio de 1883.
Sr. Manoel Cardoso Jnior.
Amigo e Sr.No da 2 do correte adoecendo
o meu empregado Mano I de O iveira e Silva,
negado de Po lugal, su:i trra natal, no dia 4 de
Novembro do anno pausado, i h imei para exami
aal-o o Sr Dr Anonio J >s Ferreira Alvc?, este
me disse ser febre amarelUe aconselhoi me que
maniasie .-ui casa ver um fn-co de seu pre-
parado anti febril e que applicasse em meio
clice d'agua 10 ottas de duas e-n duas horas,
observou or meio do thermometro a febre, qne
attiogia a 39*,8, n'e-sse mesmo dia voltoa esse fa
cullativo nossa casi para ver o doen'e e j eu
teodo pplicado algumas doses de remedio, dis-
se mej vji nielbor; no segundo da veio duas
vezes, o que oa ultima disse me -est promaio,
continu a dar sempre o remedio at amanlia. o
que fiz. e no terceiro dia j se achava meo dito
empreg.do prompto.oque f esteve at hoje em
convalescencia e se acha restabelecido ; este o
segundo caso que lenho em rninha casi, ao que
a todos Jotti se tem salvado con seu anti-fear.
o que por mais una vez agradeco e me sub
>crevo com estimaseu amigo grato Manoel
Joaquim Alca Ribeiro.
H. 30
Recife, 10 de Maio de 1889.
Sr. Manoel Cardoso Jcoior. Present\
Amigo e S'. Venho pela presente agradecer
Ibe um humanitario fivor que de Vmc. acabo de
receber.
Adoecenio meo Qlho de norae Nicanor, estere
aos cuidados de um medico por espaco de nove
das, o qual no ul'imo me disse quo nao recei
tava mais, porque 03 recursos cstsvam esgota
dos ; Icmbraod me. por ter ouvido dizer, que
Vrnc. linha um spo preparado a que dava o nome
deanti febril, inmediatamente ped ao Sr Ma
noel Ribeiro, seo amigo, para, por intermedio
d'esle, obter um fejwco, o qne podeobler; tp-
pliquei o, e na lerceira doso j se achava meu
li'ho sem febre. o que continuel a dar, no se
i,-undo dia se achava elle como se nada tivesse
soffrido. Faltara a um devpr sagrado se nao
viesfce lesleuiunliar-lhe meu voto de gratido.
Subscrevo me seu humilde criado e obrigado
os Francisco Femanies Ribeiro.
(Estavam telladas c recoohecidas as lirmas).
\'m* lagrima
Sobre o tmulo
I)E
:::: iliva sos ?,e:s
No 7." dia de seu passimento
Derrama
F. d'ssis R. Pinto.
2690.
GRANDE FESTA CAMPESTRE
raimm u v connisA a mum-ti sro axppoMoao so campo mm
No dia 5deJunhodel890
Dia Santificado
Sero Jalzes senhoras e cavalhelros
Aionaea
Cor da v* II-
mriU
Praiirtetarlo*
pareoIS de M*lo-f,000 metros-Corrida raza por criancas de 8 a 12 annos. Premios : ma
joia ao Io e oni tbjecto d'arte ao 2*
Calulo...........i Bronco e encarnado-----
Visuvio.
Seguro.........
Deban..'.....
Cupim.........
Mercu-io.......
Lhimbuto......
Mscate........
Rranco e azul..
Brinco e verde
Uranco o ouro.. ..
azuI e encarnado-.
Encrnalo .....
Preto e branco.....
Encarnado e preto.
P. F. P;
A. M. L.
F. M.
J. M. Gondim.
A. Gcndim.
A. Meira.
A. B. G.
S. Vi. G.
em eontestaeSo
Principiamos a publicar hoje urna serie
de attestados em favor do Sr. Jos Alvares
de Souaa Soares, sobre as prodigiosas cu
ras que tem feito o seu acreditado e po
pular Paitoral do Cambar.
Ha tempo um dos redactores d'esta fo-
llia, sendo atacadado de urna forte e per-
tinaz tosse, e depois de ter usado diversos
xaropes sem resultado satisfactorio, fea
uso do Peitoral de Cambar e fcou com-
pletamente restabelecido de sua alterada
sade.
Particularmente nos disse o Sr. Dr.
Henriqeon, quando aqui estove ha pouco
tempo, que csse importante remedio era
muito procurado em Santa Victoria e que
elle receitava-o a seus doentes, sempre
com vantagem sobre qualquer outro, pois
que a cura era radical.
(Extr. do Diario de Pelotas).
*0
pareoiilppodromo do campo 3rande-700 metrosPequiras deste Estado, monta-
des por amadores. Premios : Urna joia ao 1" e um objecto d'arte ao i"
Bom Jardim
Borracho...
Bigle.......
Boulanger..
Caboclinho-.
Pataliva-----
Encarnado............i Alfredo Nogueira
Brando e encarnado |J. M. Abren.
Bran:o e azul.....
Azul e encamado...
Verde e amarello ..,
Branco e Rosa......
A. Moraes.
J. B. D.
J^o Antunes.
AnthenorNeto.
3a pareoAbollcfto200 metrosCorrida rasa para rapases at 16 annos.
ao 1* e um objecto d'arte ao V
Premios : Urna joia
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Dr. Ligarticha..
ir. Calangro...
Tribofeiro.....
Printemps.....
Gufaaboto.....
Taratatcbim...
Pega menino....
Embrulbado ...
Aguniado......
Harold.........
Verde e amarello......
Azul................
Branco e encarnado
Verde e encarnado
Verde..............
Rosa e branco.........
Encarnado............
Azul e branco..........
Amarello..............
Encarnado e preto.....
J. S.
V. P.
A. F.
K. M.
G. Arantes.
E. P. L
4.B.
D. G.
H. S P.
A. G. M.
EDITAES
0 cidadlo Dr. Joaquim Cordero Coelho
Cintra, juiz de direito do civel da espe-
cial comarca da Victoiia, Estado de
t'ernambuco, etc.
F.ico saber aos que o presento editul virem,
qne no dia 25 de Jnnho s 12 horas da manha,
na porta da sala das audiencias tem de ser arre*
matado a quem maior lance olTerecer o engeoho
Precioso, sito nota comarca, com casa de vi ven-
da, casa de engenho era esteios, casa de purgar
em mo estado, tanque de madeira. dcstillaco
oitendo alaabiqne, nove cobas, duas resfria
deiras e dons depsitos cinco taxas e duas bate
dei-aj, vapor em bom estado, moendas, trras,
casas de lavradorea, avallado por 10.0 OiOOO,
cojo engenho vai praca a requerimento d Ma-
noel Cruz &C, na execaca que movem a Ma
noel Antonio Ccbral e sna mulber.
E para qne chegue a noticia a todos mandei
este |ias3ar, que ser publicado pela imprensa e
aflixado no logar do costume.
Victoria, 2 de Uaio de 1890.
Eslava urna estampilba de 200 ri*.
Eu, Bellarmino dob Santos BoleoFilho, cscre-
vi.Joaquim Cordeiro Coelho Cintra Conforme.
O escrivio interino, Bellarmino dos Santos
BuIcSo Filho.
pareo-Club Esgrima800 metrosAnimaes deste Estado montados por amadores,
mios : Urna joia ao e um objecto d'arie ao 2
Pre-
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Treot.........
Rpido........
Manicoba.....
Lanceta.....
Sans Paraille.
andidato.....
Medroso.......
Flic Floc .....
ramberliqoe..
8ella-Vista
Encarnado e branco
Verde............
Branco e roza.....
Azul e branco.....
Branco e encarnado___
Vilela e ouro........
Azule branco..........
Preto e roza...........
Lyrio e ouro..........
'Atul e encarnado.....
Manoel Torres.
Manoel Francisco Barbosa
Anthenor Neto.
A F. Lapa.
Miguel Oliveira.
J. Braga.
Jos Luiz Si va.
Arthar Silva.
Joo Goimares.
Luiz Vieira.
5. pareo Claaae Calxelral 700
Premios: urna joia
rae'.ros. Animaes do Estado, montados por amadores,
ao !. e um objecto d'arte ao 2.
Aguaceiro........
Tarujo..........
Cacador.........
Cerbero.........
AllUnca...........
Vulcao...........
Camponez........
Azul......
Encarnado
Prelo.....
Verde.....
Amarello...
Branco.
Rosa.......
Alfredo Seve.
Alfonso Leal.
Olympio Borges.
Joaquim Aivim.
Francisco Maia.
Antonio Barros.
G. Campello.
6.
pareo15 de "Vovemiro-200 metros.Corridas de carneiros montados por criancas
Premios : urna joia ao i." e um objecto d'arte ao 2.
DECLRACOES
Sociedade
Propagadora do Poca da Panoli*,
em a de Juan de I S0
fr-o convidados todos os membros do conse-
Iho a renoirem se na da S do correte mez,
pelas 51/2 tura* di tarde, no povoado do Mon
teiro, sede da raesma sociedade, allm de tratar-
se em sessd de importante negocio.
O pre.-idente,
Celso Tertulian C Quintella.
Consulado da AUema-
nlia
Terminando no dia li do jrrente o praeo
concedido aos eslrangeiros para fazerera a de-
clararlo de que desojara manter a fui naciona-
lidadee facultand) o decreto de 15 de Maio, que
taes declaracoc possam ser fe i tas nao so piran-
te a intendencia, como tambern perante os es
crives de delegaras, subdelegacias e este con-
sulado, dtu prla presente sciencii de taes dis-
posic s todos os cidados allemaes.
Consulado da Allemanhi em Pernambuco, 2
de Junho de 1890.
P. Borstelmaon,
Cnsul.
Bebe
O fleo de ligado de bacallao
de Berlhe o nico cujos procseos
de preparaclo foram approvados pela
Academia de Medicina de Paria, dupla-
mente maisjjpo em principios activos do
que s oIcoBb bacalto prepa-ados por
outros modgpF
E' o 1 escuro qua deve ser em-
pregado em medicina eom exekialo dos
dous ontroa.i
Profaosor Trousseau.
Al criaocM;,babea fcilmente o aleo
arth e ebeaas at a pedil-o porque
n2o repognatrte.
Profcss.r Bouchardat.
rompa nh i a do
ribef
De accordo com o art. 16,
do decreto de 17 de Janeiro
docorrente anno, acham-se
do escriptorio desta compa-
nhia, ra do Imperador n.
71, para serem examinadas
pelos Srs. accionistas, as co-
pias^los balancos do anuo
financeiro at 30 de Abril do
corrente aano ; assim como
a relacao dos Srs. accionistar
e a lista das transferencias
de accoes.
O director secretario, a
Aurelio dos Santos Coimbr.
i
2
3
4
al
6
7
8
9
10
Village..........[Verde-ouro........
'.ioco Pontas.....[Azul e encarnado.
Ormonde........I (franco e aznl.
Col..........
Apcano......
Lweira.......
Uaplata ......
Templar......
Bmaparte-----
Apollo........
Branco e verde. ..
Rosa..............
Encarnado e preto.
Encara ido.........
Faena encarnada..
Azul.............
Escarate........
A. Nunes.
Ignacio Neves.
A. Pedro.
J. M. Gondim.
A.F.
G. D.
Gas:on G.
Jos Olivei.a.
F. Filho.
Ral G.
7. pareoTiro
P.deral 280 metrosCorrida rasa para iapazes de 20 annosPremios
urna joia co l. e um objecto de arte ao 2
Pardal.......
Bom Jardim-
Cucuruc -..
Bata tinga...
Pompador...
Azul............
Encarnado.......
Azul e branco'
Verde e branco. .
Rusa e b-anco.....
J. G.
A. S.
L. Galvo.
A. J. D.
L. J. G.
8.'
pareo.Experiencia -1.09 metros.Animaes deste Estado, em esquipado, montados por
amadores.Premios: urna joia ao 1. e nma ao 2."
IjPetropolis.
2iZinger__
3'Voidor...
Rosa.....
Encarnado.
Azul.......
los Mello.
T. Saldanba.
A B. G. Maraes.
horas
e a
Observares
As corridas principiarlo s 11 horas em ponto da manha e terminarlo s 4
da tarde.
As pessoasque inscreveram-se devem se achar na toilette s 10 horas da manh,
directora previne que devero Ber restrictamente observadas as cores do pro-
gramma, deixando de c >rrer com parda da respectiva inscripcSo aquello que nto se
apresentar com as cores nellc indicadas.
A directora previne que, aberta a vend das piules, s ter c publico 20
minutos para fazer as apostas em cada pareo.
Para maior facilidade encontrar o publico, na bilheteria da companhia dos
Trilhos Urbanos do Recife a O.inda, venda no dia da corrida cartSes de entrada
para esta festa.
Durante a festa tocar a banda da mucica do 2o. baUlhSo de infantaria.
Pre9os
Poule dos preos dos animaes. 5)5000
dem dos outros .... 2(5000
Entradas
Archibancadas 1)5000
Geraes..... 5O0
Entrada d s senhora- -gratis.
O GERENTE,
J. M. hemos Duarte.
Thesourria de Fazenda
FOBKECIMENTO GUAHXI9I0
O conseibo para o fornecimento de gneros e
forragens s pracas d'esfa guaroicao e aos ea-
vallos a cargo da 4' batera do 5" batalhao de ar
lunaria de posicao destacada n'este Estado, re-
cebe proposlas no dia 16 de Junbo prximo vin
douro, as 11 horas da manha.no qnartel general
do coramando das armas, onde funecionar o dito-
conseibo para contraclaro fornecimento dos allu
didos gneros e mais arligos constantes da rea
ca ofra, durante o semestre de Julbo a Dezem
oro d'esle anno.
Arroz, kilo.
Assucar branco refinado de i* qualidade, dem.
Dito dito de 2* dita, dem.
Azeite doce de Lisboa, litro.
Alfafa. kilo.
Agurdente, litro.
Aletria, kilo.
Ameixas passada?. dem.
Aramia. dem.
Bacalbao. dem.
Batatas inglezas, dem.
BSC00108, dem.
Banha de porco. americana, idem.
Caf em grao, dem.
Caf moido. idem.
Carne de porco, dem.
Oita de vacca com osso, idem.
Dita de dita sem osso, idem.
Dita eecca do Bio Grande do Sal, idem.
Dita de carneiro, idem.
Cha verde de India, idem.
Dito preto da dita, idem.
Sevadioha, idem.
Cravos, ceoto.
Chocolate, kilo.
Carvo vegetal, barrica.
Dito coke. kilo.
Canelas de madeira, dnzia.
EnterroB por cavallo, um.
Farinha de Ia qualidade, litro
Dita de 2* dita, idem.
Feljao preto ou mulatinho, idem.
Frucas, racSo (duas bananas ou urna laranga).
Farello, kilo.
Ferradura, par.
Figos passados, kilo.
Fraogo, um.
Gallinha. nma.
Gomma arbica, franco.
Goiubada em lata, kilo.
Lenba, acba ou loro.
Leile de vacca, litro.
Lavagem de roupa passada a ferro, peca.
Lapis preto de Faber n. 1, duzra.
Macarro, kilo.
Maizen?, idem.
Man iga ingleza de 1' qualidade, idm.
Marmelada, idem.
Milbo. dem.
Medicamentos para ca val liada, numero.
Ovos, um.
Pao, kilo.
Phosphoros aa encano?, grosa.
Pa?sa?, kilo.
Peonas de ac Perry, caixa.
Papel pautado lime. resma.
Papel mata borrao. folha.
Queiio de Minas, um.
Sai, litro.
Sanguesugas, pela applicacio de urna.
Sabao commum, kilo.
Toucinho de Minas, kilo.
Tinta preta, garrafa.
Temperos e verduras, raco.
Tapioca, kilo.
Vinht tinto, litro.
Dito branco, dem.
Dito do Porto, idem.
Vinagre tinto, dem.
Dilo branco idem.
Vassouras de piassava. grande^, urna.
Velas de ceis, kilo.
Condic_Zes
1* Todas os gneros serao de primeira qualida-
de e os fornecedores deverao satisfazer os pedidos
dentro dos prazos marcados nos respectivos con-
tractos, entregando os gneros nos qnarteis ou
fortalezas e enfermaras, e depositario oa The
fouraria de Fazenda urna quantia como caucSo.
que ser arbitrada pelo cons* lho de forneci-
mento.
2* As propostas deverao conler a declaraco
expressa de sojeitar-se o proponente multa de
$ 'I* da importancia a qne montarem os vveres
ou artigos que forera acceilos. si deixarem de
comparecer para aisignar o respectivo contracto
dentro do prazo que fr marcado pelos jor-
naes.
3* S podero concorrer ao fornecimento os
candidatos que se habilitarem na forma do art.
18 do decreto n 7085 de 6 de Maio de 1880.
4* Da falla de Sel cumpri ment de qualquer
das obrigacOes cont anidas, os fornecedores rica
rao sujeitos a pagar o valor dos genero* regeita
dos on no re. ebidos em lempo.
5a Os concurrentes eao obrigados a apresentar
as amostras dos gneros ou artigos, qne forem
julgados precisos pelo conselho.
6* As proposlas serio apresentadas em dupl-
cala at as 11 horas do referido dia, em que all
sero aberta* e apuradas em presenca dos pro
ponentes ; sendo que oa mesma occasiao se ac
ceitaro proposlas para a venda de estrume dos
animaes da p-ecitada batera.
7 Finalmente, os fornecedores que requererem
a rescisao de se contracto e forem altendidos,
fcarSo sujeitori a multa de 10 */, sobre o total do
foroecimente do semestre anterior.
Thesourria de Fazenda do Estado de Pernam-
buco, .10 de Maio de 1890.
O inspector,
Dr. D.mocrito Cavalcante de Albuquerque.
Recife Drainage Company
Limited
o primen o andar
9 Zeferino Jos Cardoso.
10 Genuino Amazonas Figueire lo.
11 Domingos Jacintho Tenorio.
12 Jos Soln de Mello.
13 Tbeodoro Jo da Silva Braga.
14 Joio Em.liano da Costa AlbuQuerque Filho.
15 los Corre de Amorim.
16 Paulo Hypacio da Silva.
!I nt08i Augusto Pereira da Silva Juaior.
18 Tiburcie Januario de Oliveira.
lj Aprigio Carlos de Amorim Garca.
20 Manoel Goncalves Nunes Machado.
1 Antonio Leonardo RoJrignes Filho.
22 JoE Frsncisco Martins Sobrinho.
23 Deoclecio Marinho de Campos.
24 Francisco Domingues C. Vianna.
23 Joo Baptita de Carvalho.
26 Gaspar Antonio Vieira Guimaraes.
27 Manoel Alves Pires Tojal.
28 Francisco Salvador dos Santos.
ti Jo- Helvecio e Souza.
30 Baz Carneiro fceao.
il Samnel Hardman Cavalcante de Albuquerque.
3 JoSo Paulo Carneiro Leao.
33 Alfredo Tarares Cardeiro Campos.
34 Manoel Tunano dos Res Campello.
35 Ascanio de Alcntara dos GoimrSesPeixcto,
36 Miguel Felippe Vieira de Barros.
37 Alfredo Geraldo Thimes Pereira.
38 Antonio Henrique Lopes de Barros.
39 Canuto Clemente de Oliveira Guimaraes.
40 Optato Nehemias Eustaquio Carajur.
41 Artliuz Bellegarde F. Mariz.
41 Ernesto de Lemos Duarte.
43 Virgilio Goncalves Torres.
44 Paulino Augusto Velloso Freir.
Arithmetica
1 Americo Campos de Medeiros.
2 Jos Eduardo de Franca.
3 Henrique Marques Pessoa Lima.
4 Hemeterio Macicl da Silva Jnior.
5 Joai Sabino de Luna Pinho Filho.
6 Izidoro Leite Ferreira.
7 Bemvindo Teixeira Lins de Larros Lo-
reto.
8 Joaquim Francisco do Amaral e Mello.
9 Aniano Bezerra Cavalcante da Silva
Costa.
10 Manoel Goncalves Nunes Machado.
11 Joo BaptUta de Carralho.
12 Ral da Silva Pinto.
13 ChriBtiano Carneiro da Motta Silvera.
14 Ignacio Francisco Barreto Lins.
15 Antonio Carlos da Silva.
16 Augusto Alvaro da Silva.
17 Francisco de Souza Nogueira.
18 Antonio Santino Araujo Guarita.
19 Ildefonso Arpheu de Moura Accioli.
20 Marcellino dos Santos Pessoa de Car-
ralho.
21 Eustaquio Daniel de Carvalho.
22 Vicente de Paula Cavalcante de Albu-
querque.
23 Misael da Cruz Ribeiro.
24 Anastacio Barros Valente.
25 Eulogio Epiphanio Antunes.
26 JoSo Idalino Reg Parias.
27 Felinto Elyaio Silveira.
28 Otton de Araujo Cesar.
29 JoSo Salvador de Miranda.
30 Antonio Jos de Souza Oellon Jnior.
31 Heraclyto Andrade Vaz de Oliveira.
32 Julio Vaz de Oliveira Ferraz.
33 Jos Ribeiro Martins dos Santos.
34 Isaac Duarte Pint".
35 Joaquim Daniel Pereira de Mello.
36 Fraacisco de Assis Montenegro.
37 Pedro Torres Leite.
38 Manoel Monte Falco de Cerquen
Bello
39 Ped o Ratis Azevedo e Silva.
49 Jos Goncalves Ferreira Costa.
41 Alfredo Vauthier de Souza.
42 EsterSo Noraes Castellao.
43 Alfredo Thiago Dantas Barroca.
44 Pedro Elysio de Macedo Franca.
45 Amaro Militino de Barros Correia.
46 Antonio de Padua Walfrido.
47 Carlos Angosto Firmino Monteiro.
48 Alnizio da Silva Porto.
49 Pedro de Barros Fragoso.
50 Jos Adolpbo da Costa Palmeir.
51 Ernesto Soares do Amaral.
52 Adolpho Carlos fox.
53 Osvaldo Marinho Vaz de Oliveira.
54 Franrisco Freir de Albuquerque Coe-
lho.
55 Euelides Deocleciano de Carvalho.
56 JoSo Pf 6soa de Albuquerque.
57 Antonio Freir Hughes.
58 Tito Livio da Silva.
59 Francisco Solano Martins Jnior.
^1





*
1* ,
.

.
I

MARTIMOS
Mudou seu escriptorio para
n. 75, ma do Imperador.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Perante a junta administrativa iesla saala
casa, deverao ser apresentadas propostas para o
arrendamento, por lempo da propredade Muuert; pertencrnle a mesma
anti casa.
As propoctas deverao ttt em vntM fechadas e
sellada e sera preferida aquella que me Inores
raatagens oflVrecer, toman por base o 1 reco
do actual arrendarreolo, que de 120*000 to-
naaes.
SecreUria da Santa Tasa da Misericordia do
Recife, 24 de Maio de 1890.
O f fcriTlo, Pedro Rodrijues de Souza.
J. e R. Consolato f Austria-
Ungheria ,
Terminando all 14 di giuogo proasimo il
lempo determnalo agli teraniOri per fare le
dichiarasioni, di che desederano mantenere la
sua naaionalit, e facoltaodo il decreto n. 395
del 15 del corrente, che simili dichiarazioni,
possono essere falte, non solanenti innanzi
le autorit municip. li, come anche innanzi gli-
scrivani delle delegazioni, eubdelegazloni e c >u-
solali, facciamo co la presente, noto, tull
sudditi Austro-Ungarici, riceveudo m quedo
Consol to, dalle ore 10 a p. alie 3 por en le di
rhiarazioni di tull quelli che desiderano mante-
nere la mzionalil austraca.
J e R. Consolato d'Austria Ungheria in Pe:
nambaco all 30 di Maggio 1890.
Goiseppe Saporiti
, Cancclltere e Reggente ad inler
L. J. c R. Conolito
d'Au.-t ia U 'gheria
Gabinete Portuguez
de Leitura
caalo do ronaolbo
Sao convidados os senbores membros do con.
seibo deliberativo pasa reunirm se em sesrao
odinaria, quo lera logar na sede desta gabinete
nodia 3 de Junbo prximo, s 7 horas da tarde,
para tomarem lonnecimento do que preceita o
art. 60 g 18 dos estatutos.
Recife, 30 do Maio de 1890.
Joio J. R Mendes,
Presidente,
Concurso para preenchimento de dous lo-
gares de praticante e um de carteiro,
2.' clas8e.
Paco publico qne durante 30 das, a contar
desia data, acha se aberta nesta administrccao,
das 10 horas da manha s 2 da tarde, a inser-
pcio para o concurso ao provimento de dou? lo
gares de praticaue e um de carteiro, 2.* classe.
De conformidale com os 4 e 6." do art.
166 do Kegulamento vigente, as provas ver-
sarao :
1.a Para os logares de praticante sobre as lin
guas portugurza e franceza, geographia geral com
desenvolvimento quanlo ao Brasil, e arithmetica
at a theoria das proporces inclusive, devendo
ser motivo de preferencia o conheeimento das
linguas ingleza e alterna.
2 Para os logares de carteiro sobre leitura e
escripia corneas e as quatro oper?cOes funda
mcniaes da arithmetica.
No acti da inscripcao o candidato apresenlar
com o seu requerimento, ceriidSo de idade, ou
documento que legalmente 6 substilaa, e bem
assim aticslado de que posa boa sade. de que
es' vaccinado, e que lem bom procedimento
passado pela anlondade policial do logar onde
residir.
Os candidatos os logares de praticante de
vero ter mais de 18 e menos de 25 annos de
idade. e os candidatos ao logar de carteiro mais
oais de 18 e menos le 30 annos ue idade.
Os candidatos podero apresentar documen-
tos que comprovem sna/ babiliujoes e aervicos,
sem o mtudo dispeasarem do ronco-so o candi
ato. quaesquer que sejam taes documentos.
Administraco dos Crrelos de Pernambuco,
em 7 de Maio de 1890.
Q administrador*
Borros
Affonso do Reg
Companhia Alagoana de
Fia^ao e Tecidos
Convidamos os senbores subscriptores desta
companhia para, de accordo com os arts. 9 e 10
dos e tatutos, realisarem at o dia 14 de Junbo
prximo futuro, a 10. entrada na raz&o de 10
0/0 do valor de suas accoes no Banco de Per-
namliuc.i. Macelo, 14 de Maio de 1890.
Os directores.
Jos Teixeir* Machado.
Jo t Januario P. de Carvalho.
Propicio Brrelo. -
Consulado de Portugal
Terminando no dia 14 de Junho prximo, o
praso concedido aos estrangeiros para fazerem
a declaraco de que desejam manter a sua na-
cicnalidade, e facultando o decreto n. 396 de
15 do corrente que tees declaraeOes possam ser
'eitas nao s pirante a mumeipalidade como
tambern perante os escnv&es de delegacias, sub
delegaciase consulados, dou pela presente scien-
cia de taes disposicOes a todos os cidadaos por-
luguezes recehendo ce.- le consulado das 9 ho-
ras da manha al s 3 horas alarde as deca
races de todos uquelles que desejarem manter
a nacionalidade portugueza
Consulado de Poriuyal em Pernambuco, 23 de
Maio de 1890.
A. J. Barbosa Vianna.
Kncarreaado do consulado
S.R. J.
Sociedade Recreativa Ju-
ventude
Sa-o bimestral em 5 de Junho
Convites nesta "secretaria, ingressos em mSo
do thesoureire. nao se admittem aggregados.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juventude,
2 de Junbo de 1890. 01 Secretario,
M. r. Baptista.
Pacific Steam Navigation
Compan\
STRATTSOFMAGELLAN LINE
O paquete John Eider
Espera-se da Europa at o 3 de Junho e seguir d|-
noia da demora do costume para.
Valparaso com escala por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommeadas e dj-
heiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons & C, Limited *
14RA DO COMMERCIO14 -
___ _, ^_
United States and Brazil
M.S.S.C. ^
O vapor Advance
E* esperado dos portos ,do
sul at o dia 4 de Junbo
o qual depois da de-
mora necessana seguir
para o
Jlaranho. Para, Barbados, 8.
Thom.i/. Martiajque e IVew-
Vork.
Para carga, passagens, encommendas e di-
abeiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
1 andar


V

Faculdade de Direito do Re-
cife
Lista dotxarainandos inscriptos de Philoso-
pliia em Maio de i9:
1 Alcebiades de Piva Martins.
2 Pedro Soriano de Sonsa.
3 Thcmistccllies de PaivaMaitin?.
4 Alfredo Aires da Silva Freir Jnior.
5 Vital Sonano de Souza.
6 Jos Dias.de Freit s Sobrinho.
7 Elias dos Santos de Azevedo e Silva Jnior.
8 Vasco da Gama Lamen ha Lins.
COMPANHIA PKKNAMIllCAXA
DE
larcearSo coslelra por vapor
POR'IOS DO SUL
Hacci, Penedo, Aracajfl' e Bate
O vapor Una
Cc-mmaiidantc Monteiro
Segu no dia 9
,3. horas da tarde,
ateo dia...
de Junbo ?
Recebe car-

Encommendas, passagens e dinbeiroa i frete
ESORITTORIO
o Caes da OonwanAin Pernambueami
n. 12




6
Pierio de Peraambuco--Terga-feira 3 ce Junho de
1890
Compante Maritimes
LINEA MENSAL
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E'esperado da Europa rx>
dia 3 de Junbo e segu
i r depois da demora me-
' cessana para
BMa, Rio de Janeiro, Bvenot-Ayre t
Montevideo
Lembra-Be aos Srs. passageiros de todas a*
oiuses que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatqner tempo
^revine-se aos Srs. recebedores de mercado
ras aue so se attender a redamacOes por fal
tu, nos volumes, que forem, reconheadas na
oxasiao da descarga, assim como deverao den
Ico de i horas a contar do da da descarga das
alrarengas, faierem qualquer reclamacio con-
ementes a wlumes que porventura tenham se-
guido para os portos do sul, am de poder-se
lar a tempo as providencias necessanas
*in paquetes UlaU
las elctrica.
Para carga, passagens, encommendas
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
9 Ra do Commereio 9
LEILOES
L#eilo
e di-
Roy al Mail Steam Fackei
Company
O vapor Magdalena
2L
k
De om sobrado de um andar com boaa
acommodacSes sito no pateo do Terco
n. 22, edificado em terreno proprio,
rende 40i> mensaes.
Terca-felra, S de Jaoko
A's 11 horas
No armazem ra do Mrquez de Olinda
n.48
EM CONTINUACAO
De i excedente cavallo proprio para sella ou
carro.
or intervenc,ao do agente
Gusmao
Leilo
Espera-se da Europa at o dia 5 d
'Juoho, seguiudo depois da demo
raindispensavel para
Baha, Rio de Janeiro, Monte
video e Bnenos-Ayrea
Para passagens, frete i e encommendas trata
se com os AGENTES.
O vapor Thames
E' esperado do sul no dia 5 de Ja
nho seguindo depois da demor ne-
cea saria para
S. Vicente, Las Palmas (Canarias), Lis-
boa, Vigo e Southampton
Reduecao de pauagens
Ida Ida 2 coltc
A' Lisboa 1 classe >0 30
A' Southampton i" classe z 28 u
Camarotes reservados para os passageiros ot
Pernambuco. .__
Para passagens, fretes. encommendas. trata-s
A morim Irmos & C
H.3Ru do Bon JeeuaN. 3
"Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Roberto Ripper
E' esperado dos portos do sul
at c dia 7 de Junho e se-
guindo depo? da demora india
pensavel para os portos do nor-
te ate Mauaos.
As encommendas so serao recebiuas na ageii
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens, e ncommendas e valo
res rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO SUL
Vapor Espirito-Santo
Km ooatlnuaco
Da armaco e resto A>- oucas da loja da ra
Imperial o. 13
Terca feira, 3 de Junho, as 10 1/2 horas
Leilo
Da 1 fogo ingle trine de amrelio i esp>lho com moldura a imi
tacao de bamb, 2 marqueioes 8 qoadros, 3 ar
n arios, i relogio de parede, mesas de diversos
tamanbos, diversas taboas de assoalho de pi-
nho, porcelanas, lonjas, copos, caliees, talbe
res, grande quaotidade de quarlinbas novas da
Babia, diversas qualidades de bebidas, 1 grande
trem de cczinba e muitos oulns objectos que
estarao patentes no acto do leilo.
Quarta feira, 4 do cotrente, 11 htras,
no armazem da ra da Imperatrtz nu
mero 64 A
O agente Gusmao, autorisado, fura leilo dos
objectos cima mencionados, es quaes sero
vendidos ao correr do n arteilo.
Entrega e recebimenlo em acto continuo.
de ter-
Leilo
Agente Pestaa
De movis, louca. vidroa e joias
Qiiarta-felra, 4 de Junho
A's 11 horas
No Io andar do sobrado, sito ra Duque
de Caxias n. 22
O agente Pestaa vender urna mobjlia de
junco, um par de jarros, 6 quadros, um pa. de
lanternas, 1 dito de escaraeiras, i tapete gran-
de, i meta redonda, i candelabro d- vidro, 2
candieiros de jarros para kerosn', 1 relogio
para cima de mesa, 2 machina? de costura, urna
marqueza. i cama de amarello, 2 fiteiros pro
prios para hotel, 1 cabide, 1 quariinheira, um
porta-licor, 1 lavatorio e outros objectos que es-
tarao patentes no acto do leilo.
Agente Pestaa
Leilo defin fivo
De urna meia agua sita ao caes do Capfbaribe
n. 6, teodo 1 sala e 2 quartos, rendendo men-
saes 1CJ0OO.
Quarta-feira, 4 do corrente
A's 11 horas
No armazem travesea do Crpo Santo
n.27
O agente Pestaa, autorzalo vender a quera
mais der a casa cima mencionada.
posteirc, cabides americanos, lavatorios
da.
Doas mesas elsticas, sendo uma de 6Mi-
tra de 7 taboas de amarello, guarda louea de di-
to, 1 aparador de armario com lampo de pedra,
3 ditos de columna, 60 cadeiras de junco e de
faia. 1 guarda comida de rame, 4 ricas froctelras
de electro pate e crystal. 2 galheteiros do electro
pate, 2 portas gelo, 2 salvas de metal, i dita de
electro pate, manteiguetras, grande quantidade
de pratos de porcelana branca, ditos dintados
para fractas, 30 casaes de chicaras, bules, sou
peiras, copos de crystal com p, ditos d baca-
r!, ditos communs, canees finos para vinho, di-
tOt para licor, copos para cei veja, compoteiras,
tacas para champagne, facas grandes, garlos
grandes e peqnenes de metal, facas pequeas/
colberes de metal para scoa, ditas para cha,
conchas de diversos tamanhos, colher para pe-
xe, trinchantes, argolas para guardanapes e ma-
china para arromar.
Um grande fogo inglez de ferro, trem de co-
zinba, vasilhas para cosinhar peixe.balanca de-
cimal, mesas de cesinha e i apparelho para gym-
nastica.
Colxas novas, brancas, para cama, pecas de
arrendado para cortinados, pega de bramante de
linho para lencoes, tolbaj grandes adamasca-
das novas para mesa, guardanapos de linbo ada-
mascado.
Vinho Bordezux fino, vinho Pigueira superior.
Porto tino, vinho legitimo de Xeres, Collares em
ba.-ris de quinto, vinho Medoc superior, Cham
Sagne, agua mineral natural, cognac, vinagre
raneo e conservas.
Lindos objectos de electro pate e bijonteria3,
casticaes de metal com mangas. 1 rica estante
para collecco de ioselos, atlas geograpbicos,
mappas e livros Ilustrados.
Nos dios 3e6de Junho prximo futuro
No Grande Hotel do Caminho !ovo
A's IO e l[t horas
Defronte da estacjto
O propietario deste hotel, retirando se para
a Europa fara leilo por interveaco do agente
Martins, dos movis e utensilios do referido ho
tel, o qual tem om esplendido sortimento de be-
bidas importadas directamente.
A's 10 horas e 14 minutos partir um-bond es
pecial da llnha de Fernandes Vieira at a entra-
da da Capunga, que dar passagem gratis aos
concurrentes ao leilo.
Em tempo, entrega e recebimenlo em acto
continuo, sem excepeo de pessoa.
Agente Stepple
L *>
eiao
De joias, movis, roupas novas e
e grande quanti de Angelina, diversa depsitos cheios
de liquido, rolos de salsa e barris cem
vinho do porto tino, e oufras mais be-
bidas
Scxta-felra, de funho
A's 11 horas
A' ra de Paulino Cmara n. 19, e as oflici
as ra da Fiores em frente Travessa da Pai.
0 agente Stepple. por madado e asistencia do
Exm. Sr. Dr. juii de direito de Orpho e ausen
tes, a requerimento do Sr. cnsul de Portugal,
levar a leilo os bens pertencentes, ao espolio
do finado subdito portugus Angelino Jos dos
Santos Andrade.
Os Srs. pretendentes desde j podero vir exa-
minar o mandado que aeha-e em poder do mes-
cm agente.
AVISOS DIVERSOS
Pl LULAS
Para o tratamtnte e pnmpto otra ios
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias do Agrado,
dispepsia, indigestOes, clicas,
nauseas, diarrhea, prisffo do
ventre, taita de appetite, incom-
modos depois da comida, enxa-
quecas e dores de cabeca chroni-
cas, rheumatismo e nevralgias,
molestias da pelle, molestias pe-
ridicas das senhoras, e, alea
destas, militas outras enfermidadesqne se
elassifleo debaixo de nma iuflnidade de
nomes, todas porm, orinndfl da misma
causa, a saber;
Desarranjos dos orgSos de di-
gestao e asstmllacao,
donde provro a impureza e o enfraqueci-
mento do sangue, com a debllidade e oon-
gestao de todos os orgo vitaes do sya-
tema.
Procurem-se
AS PIULAS CATHARTICAS DE AYER,
PREPARABAS PELO
DR. J. C. AYER & CA,,
Lowell, Mass., Est.-Unidos.
Dksposito Gkm '.
m nmn
DE
Murray i Lanman.
0 MAIS EXQUESITO
DOS
Perfumes do Touoador.
Perfuma o Corpo e
Vivifica a Mente
NO BANHO.
a Agua Je Celo-
deza
Superior
nia pela delicadeza de seu
aroma e a durabilidae de
seu perfume
HO LEHgO.
Alaga-se
em Afosados uma casa terrea, muiti limpa, com
bons commod >s para familia, na ra Direita,
junto a antjga eslaco daj diligencias ; a tratar
na ra estreita do Rosario n. 9, junto a igreja.
Alaga-se
um quarto e mais dependencias de uma casa de
pouca familia, a uma ou duas senhoras de bons
costumes ; na ra da Gloria n. 49. 4H
Aluga-se
Gom urgencia
Precisase de nma boa cosinheira; a tratra
na ra da Soledade

Q melhor aenttrlci
a
Ft
'seo de
Commandante Antonio
Ahneida
E' esperado uo portos do nor-
te atf o dia 8 de Juoho e de
poi8 da demora mdispensave
'seguir para 0f porto do sul
lineadas sero recebidas na agencia
at i hora da larde do dia da sahidn.
Para carga, encommendas, passagens e valo
res trata-se com os __
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
8=*=Rua do Commereio8
lo andar
co
IVUlt
PEK.V4MllCA.\t
^ DK
\avegacao oostelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Moeeor, Araea-
ty e Cear
Leilo
Agente Britto
De movis, rnucas e Tidros
Uma mobilia de amarello, i suarda vestidos,
i ccmmo'la, camas frngelas. 2 marqueioes, 2
toilettes de jicarand', 2 cabides de columna, 2
quar.inheiras de columna i cabide de p-.rede, i
marqueza, 6 ca ieiras de amarello, 1 cama para
menino, 1 lavatorio, i dito de ferro i guarda I ju-
ca, 2 aparadores, t'cama de ferro, 1 jarra, i tape-
te, 2 candieiros para gaz, lonja para alroogo e jan-
tar, copos, garrafas para vinho, 2 serpentinas
de 3 luzes e outros muitos objectos.
Um importante fogo de ferro.
Ra do Arago n. 22
Quarta-feira, 4 do corrente
A's 10 1|2 horas
AMA Precisa-se de uma, para casa de
familia : na ra da Palma n. 80^_____________
Precisa se de uma boa cosinheira i na ma
do Vigario n. S, armazem. ____________
Quera da-a informagOes do Sr. Joao Mari-
nho da Rocha Falcao e do Sr. JoSo Baptista Per
reir 1
Tnico Ju-Mutamba
Este tnico, preparado com plantas de pro-
piedades couhecidas pelo nosso publico, a
melhor de tedas as preparares at hoje deseo-
bertas para impedir a queda dos cabellos, dissi
par as cappas e (s conservar no mais farinoso
estado, alm de ser um magnifico perfume para
a to lete.
Enccntra-se venda f m todas as principaes
pharmacias e lojas de miudezas.
Duzia iOiOOO i Yidro 1*000
DepoHito
Pharmacia Martins. Ra Duque de Caxias n. 88
#
m
Pataco ,- e outras moedas
compra-se pelo maior pieco ;
merclo n 4.
de i uro e pra'a,
na ra do Com-
Leilo
Commandante Albino
Segu no dia 8 de Junho
horas da tarde.
as 5
Recebe carga at o
O vapor S.Francisco
^ Co
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
i s 3iwras da tarde do dia 6.
ESCRIPTORIO
Ao Com da Companhia Pernambucanu
n.12
CHARGEURS REUNS
Frareeia
rapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
Companbla
DE
\avegaeio
Linha quinzenal entre
Pernambuco, Baha,
Santos.
O VAPOR
Ville de Buenos-Ayres
Commandante Le Bourhis
E' esperado da Europa at o dia
4 de Junbo seguindo depois
da indispensavel demora para
Do casco da barca hespanhola qne se acha
em frente a c>ia de banhos, todo forra
do de cobre, com correntea, ancoras,
algumas madeiras e uais objectos tal
qual se acham.
Em um s lote
Sextvfelra, tt do corrate
A's 11 hora
Agente Pinto
No armazem a ra do Bom Jess n 45,
Os Srs. pretendentes podero desde ja ir exa
minar dito casce.
Leilo
2 crias
boi e i
te
Je-
Kio de Janeiro e Santos
Rtg-se aos Srs. importadores de carginslst
vapores desta linha, queiram apresentar oastre
de 6 das a contar do da descarga das alvarengat
qualquer reclamac.ao concernente a volumes qnt
porventura tenham seguido para os portos de
snl am de se peder dar a tempo as pro vi
dencias necesarias.
Expirado o relerido praao a companbia nao
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di
nfteiro a frete : trata-se com o
Angiste Labille
9-RUA DO COMMERCIO-9
^rpanhia Baha na de Na-
vegacao a Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
i, Estancia e Baha
O VAPOR
Jlrquez 4e Caxias
Commandante Bernardos
Seguir para os
porto* a c Un a
indicados no dia
do corrente at

Para carga, passagens, encommi mas flifliei-
r j a frete trau-se com o
AGENTE
Pedro Osario'de Cerqueira
17Um do figric^-f
De 2 vaccas tourinas boas leiteiras e
i garrota prenbe, i dita, 2 cavallos, i
carroca.
exra-Ielra, do eorre
A's 11 horat\
Em frente ao sobrado da ra do Bom
sus n. 45
Agente Pinto
Grande e variado
Leilo
DO
Acreditado hotel de D. Antonio
Canbo Noto
Constando de grande qnantidade de mo-
vis de amarello e junco, 1 piano de
Pleyel, 1 importante e esplendido sorti-
mento de bebidas finas, importadas di-
rectamente, e por$2o de ronpa de ca-
ma e mesa, toda nova.
A SABER
Uma mobilia de junco (encost alto ecom pa
Ibinba), i excellente piano de Pleyel, 1 cadeira
para piano, capa, estrado e ps de vidro i espe
Ibo oval, 7 quadros a oleo, 4 ditos a olecgra-
pbias, 4 ditos de madeira entalbada. 4 meda
fnoes, 8 etageres, 4 jarros para flores, vasos
para plantas, 8 langas para cortinados, diversos
lape'es, capachos, almofadas para sof, cortina-
dos para |anellas. 1 porta-cartes de alabastro,
6 cadeiras de palba da ilba, 3 pares de escarra-
deiras e 3 molduras douradas novas.
Urna meia mobilia de junco com encost de
Salhioba, conter.do 1 sof, 2 cadeiras de bracos,
ditas de balanco, 6 ditas de gnaroicao e i con-
solos com pedra marmore. i toilette de Jacaran-
da, i espelnos grandes, 2 commodas de jacaran
aa, 2 toucador de dito, 1 mesa redonda de dito, 3
veneiianas, i relogio e 1 bonito guarda vestidos
de raz.
Uma importante secretaria de Jacaranda, i co
fre ingles prova de fugo, i prensa Ingle deco-
piar cartas, 1 estante de amarello, 2 mochos de
palhinha, 1' carteira grande de amarello, i HU
menor, 4 canioneira9, i sof de amarello, 5 ca
deiras de mola. 1 banquinha de fantasa, i ca
dar cama de Jacaranda, I cabide bordado a
termmetro, 1 barmetro, i estante de
, oratorio com esa.
Quatro camas de ferro eom lastro de rame,
diversos marquertes para orna e anas pesaoaa,
com armaclepara moafseteiros, 3 guarda vest
dos de amarello, 3 cabides de columna. 4 bsn-
Btdoiw de costara, lavatorios de amarello, aa-
cas d JMfa, Jaldes de tinco pan agta, i re
Tendo se extraviado um conhecimento da quan-
tia de 1.330*000 correspondente a igual quantia
que retolhi ao cofre do Thesouro deite Estado
am de arrematar a obra dos reparos da ponte
de Afogados ; peco a quem o achar queira en
tregar ao abaixoassigoado que ser gratificado.
Joo LD8 Cavalcante de Albuquerque
Precisa-se arrendar um engenho
em bom estado e prximo a algoma
das linhas frreas. A tralar na travessa
da Madre de Deus n. 1.
Cimento Alsen,
ra do Brum n. 65.
dez kilos por 700 rs. ; na
Pennut-.-se urna casa sita ra de S. Bea-
to em ;iuJa, com'3 salas, 4 quartos, agua e
gaz, por outra em algum dos bairros do Recife :
e tratar na ra do H spici n. 15-
' "Sr" Costa Ferreira prometteu para o dia
S prximo. __________
"^ Pergunta- se ao Sr. Manoe To "quato Araujo
Sal lanba onde se pode encontral o, e o que diz
daquellts negocios, entre os quaes o da padaria.
lugam-se casas caladas e pintadas nos
undos de S Gonralo, a 8*000; a tralar na rus
a Imperatriz n. 76.
Precisa-se de uma ama para servico do-
mestico ; a tratar ni ra Mrquez do Serval
Humero 141. ____
mpragad* cor:
Odontalina
til KtlkHk TOM0MSCUSI9 t 6SW
Bom
Attenco
Os proprietarios do amigo e acreditado arma
em do Lima, eitc ra Bar&o da Vi :toria n. 3.
participam ao respeitavel publico e aos seus
distinct08 freguezes, que tr nsferiram tempora-
riamente seu armazem para a mesma ra n. 9,
con ti' uando da mesma forma a receberem suas
ordens para Ibes servir com o costumado e ha
oitual desempenho.
Jos Fernandes Lima k (',
Ra BarSo da Victoria n.
Telephune323
um grande terreno perto da cidade, proprio
para cocheira de gado ; na estrsda de Joo de
Barros n. 16 se dir onde .
Precisa se de uma ama para engommar e fa-
zer algum servico interno de casa de familia:
a tratar na pra{a Conde d'Eu n. 32, segundo
andar.
Precisa se dt uma
numero 1.
Ama
na ra do Camaro
ama
Ama
Precisa-se de nma arca para cesinbar para
pequea f;milia ; sssim como de uma menina
para andar com uma crianca
nnmero 37.
na ra Pormosa
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar e com-
prar ; na ra Velha 137. __________
Ma ra de Marcilio Dias n. 74,
cavallos de corrida.
negocio
vendem se tres
VERMIFGE COLMET
CHOCOLATE m SANTONINA
IUFALLITO. |an il-Xr u L0HBJUG1S
bU varmlAve i rtumaemiit pels
sei ukor tgnttvil etuerrtfit indenila.
Bxlir i auignatura :
Pars, 36. ma dn Tbmple t IM >rtnc1>M ttumtttt-

Ao commereio
0 abaixo assignado scientiflea so respeitavel
publico e ao corpo commercil de e continua a ser o nico responsavel da
firma que nesla praca gira na razo de Joa^uim
Fernandes Velloso 4 C, no estabelecimeLto de
seceos e mjlhndos, ra S. Jorge n. 56.
Recife, 31 de Maio de 1890.
Joaquim
Fernandes Velloso.
Aluga se o 1- andar do eobrado n. 8 ra
estreita do Rosario, com 2 salas, 2 quartos, co-
sinha ; a tratar na ra das Trincbeiras n. 17.
Aluga-se a casa da travessa de S. Jos n.
13 ; a tratar na ra da Palma n. 4.__________
Aluga-se ou vende se o filio do Caminho
Novo, muito fresco e muito bom local, com duas
casas para mear e as fructas de qualid.des; en
tre as duas linhas, b>nd o trem ; a ti atar no
raesmo sitio, cujo n. 128, deixando seus no
mes, depois das 9 horas da maob.
# es
w
Cimento Portland
Vende se na ra do Padie Floriano n. 74 ; pre-
cos gem cpmpetencia.__________________
A o commereio
O abaixo as&ignado tendo de retirar se para
fra desta cidade, pede aos sentires que teem
transa 'CW om elle de remetter suas contas
at odia 20 do correnta, ra do Imperador n.
15, 1. andar. M
Ariiur de Mello.
Aluga se um bom sobrado na ra Direita dos
Afogados n 23, tem commodos para grande fa-
milia, tem muito bonita vista, muito fresco e
saudavel e o alnguel barato ; trata se na mesan
rna n. 96.______________________________
Aos agricultores
O bacharel Petronillo de Santa Cruz Oliveira
contina a encarregar- se de levantar emprestl
mos-para auxilio da lavoura sob bypotheca de
prqpnedades e penhor de safra ; na ra do Im-
perador n. 69, 1 andar.
Aos sapateiros
Acaba de chegar para a toja da ra do Livra-
mento n. 19. um novo" sortimento de formas
fraucezas para calcados de homens, senhoras e
meninos, fto mesmo estabelecimento os senbo-
res sapateiros encoalraro sempre um completo
sortimento de aviamentos para fabrico de calca
dos e por recos sem competencia ; e no Bazar
do L vramento n. 19.
t
Jom Antonio de Araujo 1,1 vra
lo
A viuva, m3i, Albos, av, irmos, cuobado e
mais prenles do fioado Jos Antonio de Araujo
Livr;.ment mandam rezar no dia 4 do corrente
mei, s 8 horas, na matriz do Corpo Sanio, mia-
jas por seu eterno repouso, trigsimo dia de
eublijfin^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
^^^^7^e^T^rtrsma^I!mS^^^^
A directora do Monte Po wtuguez manta
retar uma missa por alma de seo finado congo
co Jote Pereira da Costa, quarta-feira 4 do cor-
rate, trigsimo dia de sea pwsamento, e oara
rio-acto, qoe tr lugar pelas 7 1/2 horas da
marmi, nalgrejadiMlidre de Deus. convida aos
Sensores socios, a familia amigos do mesmo
tinado.
Secretaria. 31 de Maio deis.
Domingos da Cunha GahnarSes Rocha,
1 vjeiiotSrTo.
Ama
Precisa se de uma ama para cosinhar e mais
serviros, para casa de pequea familia, a tratar
na ra Imperial n. 1,'sobrado. ____
Ama
Attenco
De Sorocaba
Declaro que soffri muito terxpo, fazendo
uso de medicamentos sem resultado, e,
usando tres dias apenas daInjeccSo M.
Morato sarei completamente de uma
chronica gonorrha que me atormentava.
Faca uso deste como convier.
Antonio F. Fontoura.
Est reconhecida a firma pelo tabelliSo.
Agentes depositarios em Pernambuco -
Francisco M. da Silva & C, ra M; rquez
de Ohnda n. 2^______________________
Casa e sitio
Aluga-se a casa n. 1, na estrada vflba da Pas-
sagem, com baixas di capim e muito terreno
para plantaco, dous grandes viveiros e muitos
arvo-edos de fructo ; offerfce muita vantagem a
quem tiver negocio de vacas oucarrocas ; faz se
arrendamento por tempo que se convenconr:
a tratar na ra Visconde de Goyanna n. 157, ou
ra da Madre de Daos, n. 7._____________
Dous milagres
Illm. Sr. D. Carlos Tomei o seu re
medio o Elixir M. Morato e foi com
elle que pude sarar das boubas qne soffria
ha muito tempo e que deecorocoava por
nunca melhorar ; um*roeu visinho que
tambem soffre j largou de tudo que Ihe
receitaram e est tomando o seu mesmo
remedio.
Agradecido pelo conselho e sou obriga-
dissimo.
Sntos.
Albino Jos Couto.
Illm. Sr. D. Carlos. Eu e todos de
casa, faz muito tempo, que sofiremos hu-
mores de boubas, com dieta sem resulta-
dos. Fizemos uso agora do Elixir M.
Morato, propagado por D. < arlos, e
aarmos completamente.
O remedio, alm de ser muito bom,
anda tem bom gosto, pois as coiancaa
bebiam com l'acilidade, misturado com
agua.
Sap.
Firmino Aguiar.
Precisa se de uma boa cosinheira para casa
de pequea familia, que durma em casa dos
patres e sej matriculada ; na ra de Fernan-
des Vieira n. 29.
Ama
CURA CERTA
ue to4B s AtTecQoes paliim.i*s
Todos aquclles que soffrem
Ido Dato, devem experimentar
|3S Capsulas do Dr.TouRifriB.
Depositarlos em Pcraamiiuoo
FRANCISCO M. U SILV* a
Compra-se, como tamben
moedas, ra do Cabug
n. 9.,;loja de Attgusto Reg.
IUAU
4EMPOI
ANEMIA, CHLOBOSE
JBPSCIIIENTODOSANGUE|
* CORES PULLIDaS, G0WALESCEUQA
4 Osao aos Bos$Uaes te Para
1 Biirir BITWHi di HOm.lHlrallS!
Precisa se de uma ama para cosinhar e fezer
mais servijos domsticos, que durroa em rasa
esteia matriculada ; tratar na ra Duque de
Casias n. 48
' '
Amas
Em Fernandes Vieira n. 60, precisase de
duas amas, eendo uma para cosioha e outra
para cuidar de enancas________
Ama para cosinhar
Precisase de uma, e que poss-, dormir em
casa do annunciante ; a tratar na ra de S.
Goncalo n. 8, ou ra larya do Rosario n. 46.

Criados
Precisa se de um criado
meia idade, para cosinhar ;
n. S, quinta casa.
e de uma ama de
no Pago da'Patria
CaixeirosJ
Precisa-se de dous caixeiros de 10 a 12 annos
de idadp, becco do Po mbo n. 7.

riano n. 43.
e na ra do Padre Flo-
--------
C osinheira
Precisa-se de un a cosinheira para casa em qne
s ha homens ) na praca da Independencia nn-
meros 22, 24 e 5 ________ ............___
Ao commereio
O r. Manoel A. Ferreira de Souza deixou de
ser empregado da lojaA Rainha das Flores
desde o 1 do corrente. Recife, 2 de Junbo de
1890.
rmac.o
Compra-se uma armago de amarello, envi-
dracada, propria para taverna ; a tratar com
Domingos Beirii, praca Maciel Pinheiro.
Santa C asa
SArrendc-36 pelo tempo de um a tres annos, o
armazem n. 64 da ra do Amorim, de novo coh-
certado, pela quantia de 30*000 mensaes, boje 3
de Junbo, peran;e a junta administrativa, em a
sala de suas sessOes.
.
:
lugam-se
< GOTTAS Concentradas
Mulaoononuflr,dirani 1 mas J
i VINHO ROBN
a Toi-*u/rrf/ro Hecont-
Vtuinlt
4 MUGAS ROBN
4 *
*
Kedilhu'.
' rii, Hirr j
Brcefcna
Sem sabor algum de
erro, esMaeiumaate J
U
uno
alm
___,Imf!al,n. cioD
Das pesas que nio se
pretm a qnaltiuer tra-
tamento lerruginoao, o*
r-suludo* o maii rpidos e
coactantes, itm uonca occa
nonar doree de eatomago aem
oonstipacao pnaao de *eatre).
leHUtopnl: Pba MED, mBht|M ^L i
Jos Pinto Tav&res
Albo da fregosla de Caneda 4j reino de Portu
gal, precisa ter noticias deste sensor cosr nr.
cenca para sen intereses ; aa raa Marques da
Olinda a. e3, 1- andar.
Attengo
Hdame Fanuy Silva, coftureira e
modista franeexa, :ef;ulndo brevemente v~
Pars, a faxernoas compras, vende por pregos
de liqu^dacSo, lindissimos vestidos feitos, ere
seda e 1 para baile e passeio, assim como ror
ti s de seda, damsss, foulards e murtas outras
novidades. LINDOS CHAPEOS E CAPOTAS
Convida as Exmas. familias a aproveitarem esta
occasiao nica de comprarem a prejos s competencia.
ContiwSa a confeccionar toda e quaiquei
toilette para baile, passeio e casameotos, com
mxima pontualidade, elegancia e preces mo
dicos Luto em 24 horas.
Ra Barao da Victoria n. 15.
sobrado
Telephone 193
Bom negocio
Admitte-se um socio cem algum capital para
averna: tratara ra do DewnffM Jet Mar
tjasao
as casas n. 63 ra da Gloria, hoje Visconde de
Albuquerque, com 3 quartos, 2 sa'as, quintal,
apparelho e cacimba de muito boa agua, e a.de
n. 11 S travessa do Corpo Santo, ambas caiadas
e pintadas, por precos commodos; a tratar na
ra Direita n. 45, sobrado.
Precisa-se
tria n. 54.
Criado
de um criado ; na ra da Impera-
.r- "
Paraengenho
Veode-;e uma roda de Ierro systema Lean-
dro, com 25 palmos de dimetro e 7 de largura
(que se pode estrenar) com cubos e forro de
amaiello, em perfeito estado, sarilho de ferro,
com 20 palmos de comprimento e mais um
acrescimo de sarilho com 10 palmos e pecas
para lizar, gigante de ferro, quatro rodetes an-
gulares, tres de 4 pemos e um de 8, uma moea-
da de 36 polie^adas por 2i e um rodete pe-pen-
dicular de 8 palmos, tudo em-bom esado, e
vende se barato por se ter botado vapor ; qnem
pretender dirija se ao escriptorio de Ribeiro de
Carvalho, ra eslreila dj Rosario u 19.
Taverna
Vende-se uma taverna besa locallsada, e assim
como lamberu vende-se o mesmo predio, sito ne
C*xaog, estrada das Barrciras n. W ; a tratar
na mesma ; e para informncao, no pateo do Pa-
raso n. 16, casa de Franco Ferr*ira- Attenco
Vndese uma boa casa n. 16S-E, de taipa,
livree desembarajada, eom taverna, oem tfrc-
gueaada, na tetrada Nora^atl*-erta de *
d| *
comprador a nter namesu
deHollanda CaTdlcanteWb'
Sr. X,\W reifciraSUsCr^s
KSte senbor tem levaddtT
rer pagar eua letra, estai m con^^H
tawl-o, assim como o acceitairta e o eaenor-


liiario de PerDamblwo-TerQa feira 3 de Junho de 1890
r
LOJA DO P0V0
MRua l. de Marco11
1
Com esta titulo acaba de se abrir, ra 1. de Marco n., 11 urna Ioja de
das e seu proprietario convida o publico d'esta cidade e de tora a apreciar
BELLO sortiaiento. Muitas de suas fazendas sao recebidas directamente.
GRANDE WOVIDADE|
Descont de 10J" em compras de 200000 para cima.
Granadino, pura seda, de liJSOO a 80 > va. o covado.
Toile, pura seda, de 1)5600 a 650 rs. o covado.
Las com listras, preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
Las com preparo de cachemira a 240 re. o covado.
Chita de 200. 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de cores lindas a 300 rs o covado.
Zephyr largo de 800 rs, a 320 re. o covado.
dem idem a 200 rs. o covado.
dem idem a 160 rs. o covado.
Cortes, costumes de casemira ingleza, a 12i5000.
Ditos de casemira ingleza de 30500, 4,5000 e 60COO.
Ditos de fustSo para collete de 600 re. e 2|5400
Cheviot de 3*5'(', a 2030 n covado.
Casemira cor de caf de 30000, a 10000 o covado.
Casaeos de Jers:y par* sen hora a 30000 e 60000.
Meriao preto a 50!, 700 e 10200 o covado.
Dito de cSr a 400 rs o covado.
Casinetas finas de 500 ib., a 360 re. o covado.
Colchas de crochet de 8000 a 30500.
Cortinados lindos a 6000!.
Bramante de 10 palmos a 10400, a vara.
Ver para crr s na
X^OJCA. DOPOVO
fazen
o sen
30(0
ESTADO DE PERNAMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Gasa de Misericordia do Rooifo
ENTEGRABS
A quinta parte da 1/ latera deste Es-
tado ser extrahida impreterivelmente sab
bado 7 do corrente.
Todo sos pedidos de bilh?tes desta lote-
ra devem ser dirigidos thesouraria ra
larga do Rosario n. 9. 1. andar.
PELOS CONTRACTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.
TE0T1NK!
E' hoje a casa que vende inais barato!
hzeifrs de novidade Variedades
DIGESTOES
DIFFICEIS
DOENCASdofSTOMAGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
VERDADEIROS
AGUAePb.BOTOT
Os nicos 3)enttrficios
approvados pela ACADEMIA de MEDICINA
Branqueaw os Dentes. Forticam as Oengivas.
DEPOSITO : 17, Ru de la Palx, PARS.
Antgammte : 89, Rae Saint-Honor .
INFIAR-SE DAS PAIBIPIOAIjAeS
MAS PH1NCIPII pROOARIA B flRUJMARUS.
Dyspspslat vmitos
Parda ti i 1 WMoiarrhia
\ds Appeute ^Jj^^j^J^J^J^J^ | chronlca
TNICO-DIGESTIVO oom QUINA, COCA PEPSINA
IOS OS HOSPITAXS mfmmlhma de Oaro Diploma* t"
1-cou.im c\ m WTA-liQ KM TODOS

fl. VAPOR
--------*--------

FABRICA DE LIVROS OE ESCR1PTURICA0
MOABIMAOAO > MVTAfAO

CANOEL J. DE ffllRANDA
g&OTlia ipam muras
*- 39 -# EA* DUQUE--DE*CAXIAS-*39H
KTJJvfERO TELEPHONKJO i4

. .


Vgf
(?t
MOLESTAS NtHVS Pei0
VsWhinas a vapor
Mocadas.
Rodas d'agua. ^
raigas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem erara $ac
Arados
aooooooooo oooooai
IWMOO*
CAPSULAS AZYMAS E. GORUN
OBREIAS
jAterr
TINTAS PRETAS
K DE CORES
Colla liquida a Fri
g JtJfl VJ.T ,-ffGIAD O
Bom exto verificado por 15 annos de experiencias nos Hospitaes de Pars
PLLA CURA l>
(JmnvuluocH, t'ertigeiis
. Crtoem tmrvtMm
/><*) r**t. Tbittrirnn
Comtjemfte* eeiebraen
Tiismiifi '
Spermatorrltn
Epilepsia- ftijs feria
Chorea
Mm>ero Epilepsia
Molestias do Cerebro
e to Espinhaeo
Diabete assucarado
Un Foltirto multa Importarte l dirigido gratuitamente a qualquer pessa que tpejlr
]HENRY MURE, em Pont-Saint-Esprit
VKNK-SE EM TODAS AS PSJNCIPAES PHARMACJAS B DROQAJUaS.
mi


Cardoso & Irmao
Ra do Bfcr&o ci Triumpbonsj nw -
rfcjebcram novo sortime-ito do vaporea dos acreditados fabcar4"
Mobinson para trabalhr com fgo de asseatamento, moendas, taxuc, tvuiw
anonr e toda* as mais ferfagena pieciaa agricultura.
\4
BRONZE
DE
11
.)
CAROZO IRMAO
Isa do Baro do Trmraplio os. 100, 102 e 104
Deposito ra do Apoik> ns. 2 e 2 B
Tea para vender o segafate:
VAPOSES de diverad* fabricantes para fogo dixeotpax o ou fogo de ass
lamento.
MOENDAS de todos os tamanhoi.
RODAS d'agua.
RODAS de espera e angulares.
CRTVACES de differentes tamanhos.
TArAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 eavaflo.
ARADO americanos.
BMBA3 de *odas as qnaKdades com o respectivo encanamento e finalmect
ircisas para a Sajriettltura desta provincia.
rAM'-SB de qnalquer concert e mandan) buscar por encommer
prerto ou urna mdica coimifc> qaaJbNter achmis*io.
I de descarocar algodAo.
J de1 ferro **d}do e batido.
fAM fornocimento de apparelhos para atlBAS, garantindo A bo
aftto dos meamos, o que podem provar com o bom reaultad
ISINAS montadas ltimamente a saber:
Saota Pilontlla e Joab Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro oom descont.
o. u. o>.
hraeoTtlvum si vw Wosm M4lnauiU>solides IqrdM,
tu*nmo: Oleo a Figado de Bacalhas, Oleo da Ricino,
Balsamo de Copanloa, Oplatoa. Alcatrio, ol.
TODOS OS MEDICAMENTOS EM P
M. BORLIH a FUi, 54, rea di leaile. eavPH. Ea Ptrntmbuco : rRUT" B*. da S XXVA a
MKMOOi
HOSTIAS
Pttes Axymos
pura Pbarmacias
HOSTIAS
Pan &Bf(arlas
Crep de algodao a 240 rs. o covado.
Cambraia branca com salpicos a 4d000.
Crep matisado a 440 o covado.
LS Amasonas a 400 rs. o dito.
LS escossesa a 240 rs. o dito.
Voile a 12 a 800 rs. o dito.
Linn de ramagem a 600 rs. o dito.
Zephyr com padrSes de voile a 640 rs.
Cretone voile a 400 rs. o covado.
Chitas percales a 200 rs. o dito.
Cambraia Victoria a 2)5800 a peca
Gazes arrendadas a 440 rs. o covado.
Cachemira de listra, duas larguras, de
2)9000 por 10200 o dito.
Vestidos para crianca a 4*5000 um.
Baptistas finas a 260 rs. o covado.
Setim do Japo a 240 rs. o dito.
Cortes de metim, em cartSo, a 70000.
Cortes de sephyr, bordado, a 10)}000.
Cortes broncos bordados a 18^000.
Casacos Jersey a 6)5000 um.
Popelina branca de Feda.
Setins de cores a 800 rs. o covodo.
Brilhantina de listra a 600 rs. o dito.
Atoalhado pardo de linho com matizes]
brancos a 3)5000 o metro.
Mantilha de seda, crerae e preto a 4)5500.
Capas, visites Pelerina e mantilhetes (ca-
chemira e seda).
Orinald para noiva a 1O0COO e 12(5000
Toalha felpuda para rosto.
[.uvas de seda a 2)5000 e 2500.
Palitots de seda palha.
Merm de duas larguras a 4)5000 o covado.
Ricas caixas para presente.
Corte de collete de fustSo.
Bicos de corea e brancos.
Extractos e leos.
Suspensorios americanos.
Camisas allemftes a 36)5000 a duna.
Cortinados bordados a 6000 o par.
Ceroulas de bramante a 14(5000 a duzia.
Meias para homem a 3(5500, 40500, 5(5000,
65O0O e 7)5000 a dusia.
MadapolSo trancado a 9(5000 a peca-
Mirin preto de 800 rs. a 2)5000 o covade.
FustSo branco a 380 rs. o dito.
Leques transparentes a 2(5000.
GuarnicSo de crochet com matizes a 7*90041
MadapolSo com nm metro de largura a
60500.
Camitas de flanella a a 40000 e 50000..
Bramante trancado de duas larguras A
500 rs. o metro.
Panno da Costa a 10200, 10400, 10600
10800 o covado.
Lencos, meio-linho, a 20500 a duzia.
Longos com barra a 10400 a dita.
Toalhas para banho a 10800 urna.
Esgui&o pardo a 360 e 400 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos.
Baleias a 40 ru. a duzia.
Colchas de c res a 20000, 30000, 40000.
50OO e 60000.
Colchas de damasco de 1S.
Sah'das de baile a 10000 urna.
Ramos para peito e cabello a 20000.
Esguio de algodao a 305 0 a pega.
Vasos para p de arroz a 10500.
Punhos e collarinhos de celuloide.
Abotoaduras americanas.
Palitot de alpaca preta.
Espartilhos a 50000 e 60GOO.
Baptiste de c3res a 160 rs. o covado.
Renda hespanhola a 30000 o metro.
Bordados e ntreme ios.
Escova3 e pentes.
Regatas e lagos.

Completo sortiment de cachemira
E OFFICINA DE ALFAIATE
20Ra 1. de Marco20
Amaral & C.
llllltMli pa iuaKttha ii Ijf4tu si Iaseri* i* IraiU.
QUINA E FERRO
Chlorose, Anemia, Debilidaie
Pura d.a.B Febres_______
i VJgjHOS "Sy0SS1AM HENBYl
"'


Vate Si ntat M M-lcim U gatii, atad ctliidntUo at finia it fjtMtmatkh
A feliz reunlSo, n'este preparado, dos dous tnicos por excollencla, a Qtrnra
o riaiao, constltuo um precioso medicamento contra a c/iioroso, 76i"*#
p'liUan, Anemia, Flores brancah. Coiatitnlcit fraea*, tAt.
PARS, fe.- t!i & FOtmiUIER, 43, ra d'Amsterdam.
D#poslerlos en Perwn uibuco j
FBAH" M. da SILVA DONTIN
SABO DBNTBrJRMO
io
1 DR; JAii^JJi^iifi
& melhor preparacao hygienica para clarear e conserva!
CS DES1TKS ^
AppYovada pela junta de hygiene do Rio de Janeiro, com a marca registrad
para todos se Estados Unidos do Brazil.
YENDE-SK AS SEGUINTKS EASAS:
Sobrinho & C.
Castro Medeiros & C.
Duarte & C. r \
Pedro Antunes & C.
J0S0 Bezerra & C.
Ntto Campos & C.
Sanoel Joaquim Ribeiro & C.
ala e Silva & C,
Barbosa 4 Santos.
Barros & C.
Numa Pompilio.
Nunes Fonseca ft C.
Manol Veira Neves.
Manoel Cardoso Jnior.
Manoel Colago & C.
Pajoula 6 Basto.
Ribeiro & Alineida.
Antonio D. de Lima C.
Sabino Pinho & C.
J0S0 Ramos.
. bjb
"i-T
pac
THE O. tf^S,I,
Largo doCorpo Santo
Grageas Dewazire
ALjppro-vaulaa Bala Iaotorii de Hysriene do Brazil
CASCARA SAGRADA
Vsrdadsiro Rimadlo
Contra a Primeo d Vtntrt bmbttaml.
Deposito geraf: PHRIACIH G. DEKIAZ1RE, 71, avenue de Vilers,
an/Vnuu7i4<.-rHAH,,-M. ds SILVA O*.
lODURETO^FERROcCASCJUU
O mala activo dos Ferruginoso*
Kio produzindo a Prlmo da VaaOo.
Pars
?
tea
MDI-flAo Dfi SINOS & Bft'-0N-Z*-
DE ***
mm r..
66-1raa do Barao do Triumpho&
iWu otra vender o seguinte;
achinas d cobre para fazer espirito de destilbtr e reatillar.
Alaaiblqacs de cobre do antigo e novo sptema com esquento garapa.
Merpeatlnas de cobre e do eatanht).
Campabas de cobre.
Taixas, taizos caldeiras de cobre.
BoatbaS de todas' as quadades de repuchos, aspirantes e oontmtias.
TOraelras de bronse e madeira de todos os tamanhos.
CWS de cobr, de chdabQ e de ferro.
Re|*l^a^i^I,pa8Ba*eWa 'e escuaadeiras de eo*re atabili e *Br*e
Cabro eai lengol e arruem's '
Ma'ingfeani e do Rio.
BOS patente e de blpW.
de 1 librat* 110 arroba?.
E'rD^toe'otrosobjectot. ^^ _."*'"!
EKCABlH2A|fW le qttalquer cetfcer'to 'e orjra#as''eiH!famendi grai.
rr^teza, perfeigd^ prtJgos WaHcs, pirra o qnr tem beo*l haWita*).
^TEUDE a praso ou a dinheiro oom descont.
O Peitoral de Cambar
Sempre foi, e ser o piucipal remediogarantido para as
molestias do larynge, bronchios e pulmSes.
A bronchite, asthma, mal do peito, rouquidSo, laryngite, coqe-
luche e qualquer toase, por mais grave e antiga que seja, curara se esm
o Peitoral de Cambar, medicamento approvado pela Junta Central de
Hygiene Publica, premiado com duas medalhas de ouro de 1.' classe e
rodeado de valiosos attestados mdicos e de innmeros de pessoas cu-
radas. Ex i ja-se a firma do autor.
J. Alvares de Sonsa Soares.

.
^ms^
.; paos CIGARROS ^3
V'C.
w
i.ic, nciim) Pili. mapxToai* de nvmgmi co isyf.mo C! : lll?!,1\
Aspira-Re a funiaca que puuetra no pello, acalma o sjtVeuw nervoso,
triiita 3 esp-H'ra-?.o e favt-rlsa os iuncc'6edos ore-os rcstnratorlos.
o-.nectio, J. EPIC,' ^O, ra Ct-t.mr, am Par. Bwa+a cata, aun
Pi.-,:dmto? : SBAUHa U. |
OS MEDrCOS SDBSTITDEM COM XITO
o OLEO de FIGAD de BACALH0 assim como o VINH0 de QUINA
I '-"..LO


C9I EXTRACTO DS F1SAD0 DE BACALHAO COAf 0WU E CAQAP
i-'se CBMMi de CACAO um poderoso Depurativo
e incomparavel Corroborante.
H0*'PrtAT*CABO': DCHAMP, 15, RU DE POITOU, PaRIS^
Depoaiurios m ftrmmmmeo: najr aa> a snv* a e*.

Aluguel barato
Visconde de Pelotas n. &
Pedro. Affonso, armazem n. 46.
Largo do mercado loja n. 17
Ra do Bom Jesos f. andar n. 47
Ra Aguazinhas em Beberibe n. 7
Ra Coronel SoassaBa N. 141, qua
Roa Itaparica n 43,1. andar.
Travessa do 'armo, loja n. 10.
Becco do Tambi n. 11.
A tratar a ra de Commerco n. 5,1* and)
wcnptoru de Silva Gnimares & C.
Bom empFeg'opara
capital
Venderse o extenso armazem n. 51, no caes do
Apollo, em frente da nova ponte Bnarque de
llacedo, com capacidade para rerolaer de a
16,000 nanicaa de fa naba de trigo ou outra
mercadoria em proporcao, e dous sobrados con >
i}08 com fren'e para a rua Domingos lose
Martins. notodo corretituindo nma boa acqnlsi -
c5e : trata-secom Matbeus Austiu & C, rua do
Commercio n. 18.
* Para crianzas
Oran ile' paotidade de redes de cores, para
crsfas, a3Hie0, grande e variado- sortimento
de vestuarios de Jersej para meqinas eijeniBos
de todas as idades, para feiS: s na loja do
Poto, a rua 1 de Margo n. 11.
Exeellente morada
Aluga-ft s grande casa e sobrado do Dr. y-
(iGama, na estrada de Joao de Barros, pera
das estacOes da Ea 'ruzilhada, das ferro-vias tfe
Ohnda e deLmoeiro, com immensas accomma-
daces, jardins, arvores frnctirers da melh*
qualidade e vasto terreno, quer para plantajCat,
qner para criagao ; a tratar no mesmo sitio.
Costureiras
^Prscisa-se de peritas costuairas na casa de
MaHame Pai Jullien ; trata se na roa Barao da
Victoria n. 60.
Cal Trgem de Jgua-
1.:
nbe
oeajoait* cae* anaua a
EsU afamada ca, propr^aam o fabris
de aaaucar, co^mm** nP4C- MSH
mo ,preco e abatimento do cosyjine. Ko '
m armazem vendem se todas as mais q__
dades de cal de Jaguaribe braasa e preta, ea
p, assim como todos os materiaes psepri"
para construcg6e3 e reconstruccoes por prej
menores do que em outra qualqier parte.




I
I
.
'

8
erpamlwco-lerca-feira 3 VENDAS

Vende Ee urna parte cu a meia acjO de nm
tngenno moente e torrente a agua, quatro
legoaa da esiacSo de Palmares, com cipaciJade
para safrejar roais de 2,000 pae, podeoio o
mesmo comprador am-ndal o ; a tratar na ra
Marquri do Henal n. 144.
Livraria Contempora^
nea
Inilramrutoi de mailrt
Bomnardao, bombardino, barytono, tromp
trombone, helicn, saxaphone. oarrilon, bomb
caixa, praios clarinitas. lautas.rabecas, violoe
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quartos, gabinetes, correa
rea.
Molduras
douradrs, pretas e douradas para quadrus.
Malas
para viacer, diversos formatos, especialmeni
para roupa de senbora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptono, teucador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA & C.
Bu Prlmrlro de Barco n. 9
Vinbo puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armasem Central, ru<
do Caoug n. 11, avisam aos seus dijtincto3 fre
gnezes e ao respeitavel publico qoe^eceberaiL
nova remessa deste especial vinbo, o qual s<
recommenda por ser puro da uva, e s se reta
Iba em sen armazem.
Joaquim Christovlo & C.
Telephone 447
Manequins de Bazar
Para modistas
Para familias
PRECO DOMANEQUIM COMPLETO
250000
Qualquer senbora por inais gorda ou
uiagra, alta ou baiza que seja, pode fazer
e s vestidos sem prova e sem auxilio de
outra pessoa.
VENDE-SE
Na loja das Listras Azues
A' roa Pugne de Caxias d. 61
AZULE jes
Pata frente de casas, banhairos
cndores, arengues, sendo de lindas
cosre, vendem-se por 6O000 o milhei-
ro, por :er um saldo, a I rafa da In-
dependencia n. 40.
Rendas
pretas, brancas, creme, beige e de cores
Chegou um esplendido sortimento deste artigo
rara a
Terreno
Vende-se por barato preco um boni terreno
no lugar I pu tinga (estrada nova do Caxang)
confronte a e.- tacao do mesmo nome da via fer
rea do Caxang. tendo 150 palmos de frente e
500 de fundo ; a tratar com a sua proprietaria
em urna casafsita no mesmo terreno.
Attencao
Vende se cm bom piano de Ooerne & Sobn
qnazi em perfeito estado; na ra da Imperatriz
D. 47, I* andar.
151000
540 0
254000
2^500
34000
14500
34000
34000
34000
34000
34000
134000
34000
64000
24000
44000
84000
24000
24000
14500
44000
64G00
104000
124000
24000
24000
14000
304000
34000
14000
c
era
Vende se na ra do Catinga n. 2, segundo a
qoalid.de, de 14 a 14500 a libra, e sendo de
arroba para cima, fax-se na de 2* o descont de
30 0/0, e na de 1.' de 20 0 0. No mesmo esta
belecimento tem machinas para costura e mesas
para as meemas por 104 cadauma.
Arados de Cuba
Np. 1 e 2
Vendem-se
Na Fundicao Ceral
Vendem-se os seg^uin-
tes livros
Loureeco, romance histrico ptr F.
Tatora, i vol. ene. 44000
O Matulo, dito dito, pelo mesmo, 1
vol. ene. 4JO0O
O Cavalhoiro do Amor, romance em
4 vols. enes. 124000
Ecbos de liorna, pelo padre Gnilber-
me DiuF, 1 vol. ene. 2O00
D ccionano Biograpbico, por F. A. P.
Costa, 1 grosso volme ene. (04000
Veos Icaros, versos por M. Barrete, 1
vol ene. 3JO00
Flores Floctuantes, versos, t vol. ene. 24000
Vooi e quedas, versos, 1 vol. ene. 2*000
Guimaraes. poema, 1 vol. ene. 34000
Sons que pasxam, versos por Th. Ri-
beiro, 1 vol. ene. 34000
Alberto Pimeotel, Cantares, versos, 1
vol. ene. 3*000
Evangelius e Syllabus, drama, 1 vol.
, ene. 34000
Julio de Castilho -Livraria Classica,
Estudos biographico8 e Iliterarios,
3 vols. enes., finos
Castrioto Lusitano, historia entre o
Brazil e a Holianda, 1 vol. ene,
fino
Bibliotbeca do Povo,|12 vols. enes.
Morte de D. Joo, romance, 1 vol.
ene.
Contos de Pedro Ivo, romance, 1 vol.
ene.
0 abandonado por Julio Verne, 1 vol.
ene.
0 Processo Lerouge. romance hist-
rico, 1 vol. ene.
Gabriel Malagrida romance, 1 vol.
ene.
Neto do Aceitado., romance histrico,
1 vol. ene.
Viagem no dorso de urna bajeia, i
vol. ene.
Cbiquinbo, Enciclopedia da Infancia,
por G. Bruno, i vol. ene.
Caricaturas em proza, por Luiz An-
drade, 1 vol. ene.
O Pastor e a ovelha, obra rara e es-
gotada pelo finado bispo D. Joao. I
v. ene
O birajara, lenda, 1 vol. ene.
Arnaldo Gama- Um motim ha cem an-
nos 1 vol. ene, obra rara
O Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene.
P. de KockJoSo, 2 vol. ene.
As mil e urna mulberes, 4 vols. enes.
0 rei i.'andla, romance, 1 vol ene.
Conto3 a Ninon, por E. Zola., 1 vol.
ene.
A caca de um baronato.l vol. ene.
Arraldo GamaO Albo do Baidai, 1
vol. ene.
Os berdeiros de Caramur, romance
histrico, 2 vols. ene., finos
A igreja e o Estado, por Ganganelli.
4 vols. ene.
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes finos, com gravu-
ras
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro
Castello de Grasville, romance raro,
1 vol, ene.
Leonor, D'Amboise, 1 vol, ene. t
As obras de Julio Verne, 42 vols,
enes.
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene.
Typos de cara dura, 1 vol, broch.
As viagens de Gol i ver, obra critica
ejocoza (rara,) 1 vol, broch.
Voz es da historia pelo Padre Gui-
lberme Dias, 1 vol, broch.
Um mysterio de familia por F. Tava-
ra, 1 vol, brocb.
Um casamento no arrabalde, 1 vol.
brocb. (mesmo autor)
Goarrigues breve leitura sobre sci-
encia, 1 vol, ene.
O matadouro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o Io o vol so.
Ponson do Terrail A beranca mvste-
rioza o 2. vol s ene.
Repostas consisas e familiares por
Mr. Segur, i vol, ene.
Carta sobre a Companbia de Jezus,
1 vul, brocb.
Miscelaoia Religiosa por Pinto de Cam-
pos (obra rara) 1 v. broc.
Ao cidadao Aoicete, versos do Cigano
ao Dr. Cbioez (raro) 1 v. broc
Orago fnebre do bispo D. Vital, 1 v.
broc.
Propaganda religiosa Cbristo e Papa em
prosa e veres 1 v. broc. litro)
Deseseis de Maio. puemeto, 1 v. broc.
(raro).
No escriptorio deste Diario se dir qoem ven-
de todas estas obras, e faz se grande abati-
mento a qoem comprar todas juntas
Alerta com a Revoluto
48Rata Duque de Caxiasa
Surab de linho fazenda omito larga a 320
a 280 e 300 re.
o co-
a 2 0, 240, 300 e
de seda
re. o covado.
EUminea de cores
vado.
Zephiros de cores a 120 e 160 re. t co-
rado.
Lindas lis de cores
320 rs. o covado.
Cachemira de quadros com lis'
a 1)5003 o covado.
Merinos lavradoi a 500 re. o corado.
Voile de algodSo a 240 rs. o corado.
dem de 1S ultima m da a 80J re. o co-
rado.
Cortes de metim par rostidos de du*{|
cores a 64000 um.
Ditos brancos bordados a 124000, 140OO re. o corado, lis de corea a 200 rs. o
curado, setioetas finas a 320 re. o covado,
e 150000 um.
Ditos de cachemira bordados a 25,5. 0 um.
Cortes de cambraia branca de quadros a
10800 um.
Cortnados bordados a 60000 e 701)00 o
par.
Ditos de crochet a 80000 e 100000 um.
Fecns de todas as coi es de retros :j
10000 um.
Colchas de c6res a 20COO, 30000, 40000 e
50000 urna.
Cobertas forradas para casal a 205OL
urna.
Toilettes para baptiaados 60000, 80OO'
l- e 100000 um., _^
34000 ^atoisaTBoas-|e"jnejra 1600 urna
Toalhai para crianca a 100 e I20rs. urna.
Ceroulaa francesas, a 10000 urna.
Pannos de crochet para cadeiras a 500
ra nm.
Atoalhado de linho de 40400 o metro por
20400
Dito de algodao a 10200.
AlgodSo trancado para toalha a 10OO c
metro.
Bramante de algodao com 4 larguras, a
800 e 10000.
Lencos de algodao a 10200 e 2000 a
duzia.
Ditos de linho a 30000 a duzia.
Batistas de cores a 120 e 160 o corado.
Cretones escuros e claros a 200 re. o co-
rado.
MadapoIZo americano com 24 jardas a
50000 e 60OUO a peca
Cobertores blancos de 12 para acabar a
20000 nm.
Bramante de linho, fazenda pie 30000, a
20000 o metro
Panno para mes a 10200,10400 e 10600
o oirado.
Brim pardo trancado a 240 rs. o corado
Vestidos de Gereer para creanca a 60000
nm.
Camisa 8 de linho para homem a 20000,
30000 e 40000.
Granadinas ultima moda a 360 o covado.
Costumes de cachemira fina para homem de
200000 a 150000.
Cortes de cachemira de cores muito finos a
44000 um.
Cortes de fustao para cohete a 800 re. um.
Guardanios c m franja a 20000 a duzia.
Espartilhos de todas as qualidades e n-
meros por preco baratsimo.
,J5 muitas outras fazendaa de jei e moda
qen rende por preco sem competencia,
em vista de seu propretario querer acabar
com o estabeiecimento.
E' tudo bom, para bem
de todos
Os abaixo assignados, tendo feito gran-
de sedcelo de precos as fazeodas
existentes em seu estabeiecimento, convi
dam o respeitavel publico e especialmente
a rous bons fregueses, a certificaren! se da
verdade que aqu fica dita e a aproveita-
rem a occasilo de supprir-se de roupas,
para muito teropo, e por precos insignifi-
cantes.
Como sejam :
Voiles de 12 e algodao a 240 ra. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
8C0 rs por 32i) re. o covado, zepbyros de
cores diversas a 320 ra. o covado, baptis
Perei a lagatbles
34000
24500
24000
24000
34000
14500
24000
14000
24000
54000
4500
24000
24000
14500
merinos de cores (13 pura) de urna lar-
gura a 280 rs o covado.
Grande quantidade de chitas finas, com
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
o covado.
Variado sortimento de voiles de 12,
fazenda umita fina de gostos lindissmos.
Crep da China, idem, idem, cambraias
da China, com palmas soltas, completa
novidade, voiles com salpicos, idem, idem.
Chitas, chamalots, o que ha de mais
exquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas, cachemiras layradas, pretas e de
cores, fustiga brancos," cretones pretos e
de cores lisos e com flores, baptistaa de
cores, gostos delicados.
M dapolo americano a 50000 a pee,*.
Metins, idem variado sortimento.
Espantoso sortimento de cretones para
cobertas e chambres, esguiSo de puro
linho, costumes de Jereer para meninos,
capas hespanholas, pura seda a 30000
urna, cortes de vestidos de todas as qua
lidades, fichus de 12, linho e prateados,
o que pode haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linho
e flanella para homem, idem, idem de
punhos, collarinhos e gravatas e muitas
outras fazendaB que seria enfadonho men-
cionar e que tudo vendem sem reserva de
precos.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1. DE MARCO N. 1
Bernardno Campos i C.
ILDB01WA4C."
Ra ttarquez de Ollnda n. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
0
Recebertores directos dos
eadfts da Europa
Aprsenlas os seguintes artigos, sendo
alguna anda do auno passado, raz2o justa
para serem actualmente baratissimas.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado.
dem trancado, superior, a 26 J ra. o dito.
Cortes de fustSo para colete a 8 0 ra.
dem de casen etas a 10000 e 10200.
dem de casimira ingleza de cores a 30 e
400 0.
Algodao cr, marchetado para toaihas, a
440 re. o metro,
dem nacional, largo para lences, a 40 e
500.0 a peca.
Madapol2o superior, com 24 jardas a 50
e 60O 0.
dem Boa-Vista, verdadeiro, a 50800.
Cortinados bordados de crochets a 120000.
Colchas dem a 70COO e 80000.
Grinaldas e veos para noivas a 80000.
Espartilhos modernosa 40000,
Percales claras e escuras a 249 o covado.
Merines de cOres, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toaihas nacionaes a 20500 a duzia.
Lencos em lindas caixinhas a 10800 e
20800 a dita.
Meias mglezas e nacionaes a 20500 e
30OCO a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 120000.
Cerolas br ruadas de bramante a 120000 e
160000 a duzia.
Guardanapos com franjas a 10800 a dita.
Pannos de cores lindas para mesa a 10600
o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 2500.
Cretones para as mesmas, a 10000 o me-
tro; o melhor.
dem mosaicos, dem, a 440 ra. o covado.
Bramantes franceses a 10600 o dito.
Casemiras de cores, duas larguras, a
10810 o dito,
Cheviot azul, cor inalteravel, a 20400,
30500 e 40000.
Merines para luto desde 500 rs. a 10800,
duas larguras.
Sargelins de cores a 200 ra o corado.
Mantdhas e fichs a 10, 30000 e 50000.
Toaihas de labyrintho, riquissimas, a 250 e
300000.
Vendas em grosso tem o descont de
icitand
UKfl
Peitos de celuloide com bordado
pereitamente linho.
Collarinhos modernos duzia 50000.
. Pa"a rabauo de crc*t ele
Caixas de linhas de cores com mejcladri
dourado a 10000 e um covello 100.
Punhos para homem a 60000 a duzia!
Lencos brancos para creanja a 10000
duzia.
Para baile
Lindos ramea de flores artificiaos de sed
e com hastes de borracha.
Lindo e grande sortimento de sotache
todas as cores para enfeitar vestidos
creanca.
Para as Sra, motlala*
Bicos de cores brancos de algodao a 1
e 20000 a pepa.
Bicos de seda de diversas cores a 50000
peca
Porta tranca de prata, tartaruga e massa
Punhr s e collarinhos de celuloide.
E pelhos cara dura a 400.
Para liquidar grande quantidade de fita/
modernas abatimento de 25
!o
14 Y
Fitas n. 9 a 400 o metro.
dem n. 5 a 200 o metro.
Lavrada para faxa a 20000 o metro.
dem para faxa n. 30 a 30000 o metro.
Espartiltos para 40000, 50000 e 60000.
Para noivas
Capellas de cera,
dem de flores de larangeiras.
Ramos franceses e nacionaes, veos, leque
e luvas.
Eccbovees para baptisado.
Tocas e capotas para baptisado e passeio.
Cintos de chagrain para senbora, largos
estreitos a 10000.
Grande sortimento de galSes, palmas, ro-j
pingentes e guarnicoes pretas d
sas
59BCA DCQCE DE CAXIAS59
Vendem se duas casas
terreas
servas, etc., etc. nico
S na Revolucao
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Alfafa nova
sitas na estrada do Matumbo, em Reberibe,
ttndo cada nma duas janellas e urna porta de
frente, 2 salas e 4 quartos internos, cosinha e
carmne amia mineral oc\n quarto fra, moro e porto na frente, tudo em
tugudt, rtgUd mineral, con- t bom estado, com sitio contendo algumas arvo-
res froctiferas ; as casas esto alugadas e ren-
dem 304000 mensaes ; a tratar na roa do Com-
mercio o. 32 das 10 s 3 horas da tarde.
A 500 rs. a pefa
Bordados e ntremelos, cambraia fina com um
pequeo toque de avaria de 500 rs., 600, 800 e
14000 a pega ; na ra do Crespo n. 21, loja do
Campos.
+ Patacoes velhos
Compra-se na relojoaria David, ra do Cabo-
? n 14.
deposito da afamada, cer-
y&ja Phoenix de Dortmund
e do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposigao Univer-
sal de Priz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Darme-
\
Mel
Vende se duzeniaa cargas de mei em perfeito
estado de conservaco, sem o menor toque de
de
Pao centeio
Mello 4 Biset tendo receido nova remessa de
farnba centeio, avisa aos seos freguezes que
continuam a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sextas-feiras ; na roa larga do
Rosario u. 40.
FOLHETII
POB
PULO ilCHEIO.M
RIMEIRA PARTE
A andorinha
(Continuadlo do n. 124)
vn
FORTUNA E DE8GKAQA
NIo ; mas os dias nlo se acabaram
aida. Amanhl recomecarei o trabalho.
Hoje nao estou disposto.
O amanha nunca chegou.
Durante esse tempo Roseln vagabun-
deava, attrahido por invencivel peder para
a estacO, onde as grandes machinas ne-
gras, de rubras fornalhas incandescentes,
chegavam a toda a velocidade para para-
rem arqoejantes e suarenus.
Oh 1 atravessar a Franca all dentro.. c
ver tenas emais trras sem dar um pas-
to... que sonho !...
E os olhos intelligentes do rapazito bri-
Ihavam como os de um febril.
Quero ir com o senbor, diase elle
um dia a um machiniata. Quer me levar?
Com certeza, responden o outro im
pressionado pala phrsionomia resoluta e
expresiiva do pequeo ; mas debaixo de
duas condioSas.
Vamos rer quaes alo ellas...
Superior yiaho de Al-
eo baca
0 acreditado e antigo armasem do I.im par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber nma nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamente pelo ebefe desta
casa, tornando se recommendado por ser puro e
de boa qualidade.
Jos Fernandes Lima & C, roa Baro da Vic
lorian. 9
Telephone 323
Urgente
Vende-se um sitio arborisado e com boa casa
de morada, na estrada do Gquia ; trata-se na
roa do Imperador n. 61, 1- anear.
O consentimento de ten pai e um at
testado de estudo.
N2o era nada difficil obter o consent
ment do pai Vallaaris, que nlo se pre-
oceupava nunca com o que o pequeo fa
zia.
Mas o at testado de estudo para qnem
nao sabia ier aosoar !
Que embaraco !
O pequea nao teve forjas para resistir.
No da seguinte entrara na escola; um
auno depois sabia o que outro qualquer
levara alguna annos a aprender.
Aoa quatonse annos a chava se em esta-
do de embarcar na sua machina como
aprendiz e fes a sua primeira viagem.
Esteve assim por eapaco de seis ou sete
annos.
Depois, morreado o pai Vallanris, e ten-
do Roselin tirado nm bom numero na cir-
cumscripc2o, foi esUbelecer se em Pariz,
onde entrou na industria, sempre como
machiniata.
Abi talvez se deixasse arraatar peio gos
to dos prazeres, como todo o bom meri-
dional impellido a fazel o, se na mesma
casa em qne elle foi morar nlo residisse
urna operarazinha, alguna annos mais mo-
9* do que elle.
Laura Baaset acabara de chegar de
Nancy com a mli.
E*ta, nma negociante de bordados, ti-
nha sido arruinada por desastrosas espe
culasoes do marido, que por isso morrera
de deagosto.
Sem dinheiro, sem forcas, pois a sua
sande nlo pudera resistir a dupla desgra-
oa, a Sra. Baaset vinha oocoltar em Pa
ris o qua ella chamara a sua decadencia.
Abi puzera se a trabalhar, sem treguas,
em obras de bordado com a filha, que ja
tinba os seus deseseis annos.
Mas a molestia do corelo que a accom-
mettera^fisera progreasos naquella vida de
trabalho e de sacrificios.
Solta 30 rs. o kilo, em fardos 60 rs.; ven-
de se no armazem a roa da Madre de Deus nu-
mero 10.
Farelo novo superior
Saceos de 42 kilos a 10800
Vende-se no Corpo Santo n. 6.
wiisif
loyal Bleed Barca YUDO
Este excellente Whisky Escoces pre
ferirel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar coreo.
Vende-se a retalho nos melhores arma
sena de molhadoe.
Pede RayaJ Mead] marca Tlade
onjo nome e emblema alo registrados para
todo Brasil.
BROWNS 4 C, agentes.
bcniRi
Hl__________
*- M todl I MI*
Farello superior
a 14000; so largo do Mercado n. 13.
Atacavam n'a demoradas sjnoepes, qne
enlouquectam Laura de terror e de des-
espero.
Urna noite, j tarde, Roselin, ao reco-
lher-se, ouno gemidos e lagrimas n'um pe-
queo com modo situado cima do sen.
Pos-se escuta.
Soccorro!... Soccorro !.... Minha
mli est morreado... ourio elle bem dis-
ti netamente.
O rapaz era de bom natural e dotado
do gosto expansivo de servir innato nos
provencav ; corren ao pequeo commodo,
cuja porta estava aberta.
Urna mulher jazia estendida n'um velho
canap.
Na mesa prxima estava um arsenal de
frascos, assucar, copos, ether.
Urna rapariga sustentara a doente nos
bracos, cobriedo de beijoso seu rosto mui-
to branco, solucando de modo a cortar o
corelo. #*
Minha senhora!.... disse Roselin
muito commovido, que poderei fazer em
sen auxilio ?...
Ella n3o era bonita, mas o seu rosto
magro, anmico e srmpathico era illumi-
nado por dous magnficos olhos azul escu-
ros, grandes, soberbos, franjados de ne-
gro.
Oh! obrigada, senhor!... disse ella,
erguendo para o machiniata o olhar desas-
socegado; abra prmeiro a janella, e de-
pois renha perto de mim.
Elle obedeceu.
Bem, tornon ella, agora ajude-me a
deitar minha pobre mli.
Elle obedecen anda, e fioou muito ad-
mirada de re a sahir-se to bem, pois nlo
era mais corpulenta do qne urna andori-
nha, mas poesuia intelligencia e destreza:
extraordinarias.
Dentro em pouco, grecas os cuidados
mann & C, S. Flix (Bahia). cimbucaeDgenh0 PocdAntas' es,asa
Agora sim! chegaram!
Os paletots americanos!
Si no 55 y$r para em
brim branco
Paletots americanosde seda.
c
c pardo,
alpaca preta.
c de cor.
flanella sueca,
esgnilo suisso.
ffanella-republica.
Chama-se a attencao do publico para o respeitavel sortimento que acabara de
receber de New-York de paletots americano,s o qne ha de mais novo
Fernandes Azeyedo & C.

c

t
c
c

c
c
c
t
c
c
c
f
*
t
f
55Roa Duque de Caxias55
ver
Nlo fiooo admirada de
lado da filha.
Ao contrario, o rosto moreno e sympa
thico de Roselin foi por ella immediata-
mente reconhecido.
Obrigada, disse, estendendo a mo
ainda gelada ; grecas ao senhor, vou me-
lhor.
O timbre daqnella vos, multo meiga,
do
o rapaz ao n'uma ondaqnente que Ihe subi do cora-
cao ao cerebro, toda a son de cousas
suaves, no meio das quaes appareciam
Laura e a sua torra natal, o presente e o
futuro!...
Agora que j nlo sahia nma nica rez,
que tinha esquecido o caminho do caf e
as trocas dos domingos com os camaradas,
essas boyas em que fice o salario de toda
a quinzena, o dinheiro abundara.
impreasionou vivamente o corac2o do pro
vencal, e o ar de honestidade, a ordeno, a Trate de collocal o em algoma parte,
decencia que se riam em casa das duas disse Ihe Laura, a qnem elle conton quan-
mulheres inspiravam-Ihe um singular sen-1 to elle estava rico.
timento muito profundo, mas nlo isento de' Para fazer o que ? pergunton elle
perturbaclo. I ingenuamente.
Voltou muitas vezes casa del'as e ha-1 E o futuro ?...
vidrilho para vestido.
Lindas costureiras de velludo propr
para presentes.
Lindas boleas com estojo para costura.'
Grande sortimento de caixinhas com ex
tractos proprias para presentes a 20000,
30000, 40000, 50000 e 60000 nma.
Livros de missa, de madreperola e de
velludo.
Lindos objectos de crystal para presente
como sejam : porta-relegio, parta-extra-
cto, porta-p de arroz de 40500 at
120000.
Finos alfinetes para graratas.
Grande sortimento de broches americanos
para senioras,
Caixas com msicas a 20, 30000, 40000
at 120000.
Grande sortimento de galoainhos brancos
e de cores para enfeitar casacos e ronp**
de crian jas. /
Porta-retratos a 200 e 300 rs. um.
Grande sortimento de lencos de seda i
10000, 10500 e 20000 um.
Guarnieres para toilet a 60000 e 70000..
Lindos porta pos de arroz a 10500, 20000 J
30000, 40000, 50000 e 60000 um.
Finas ligas com ramo de flor de larangein .
proprias para noira a 10500 o par,
dem de todas as cSres a 10000, 10200,
10500 e 20000.
Lencos de linho a 30000 a duzia, em cai-(
xinha.
Grande sortimento de pulceiras
canas. U
Cortinados de crothet para cama a 120000,
170000 e 190000.
Ditos para jaaelhra 70000.
GuarnicSes para cadena a 60000.
Pannos de crochet para cadeira a 800 e
10000
Grande sortimento de luvas finas para se* *
nhora a 10500, 20000 e 20500o par.
dem para menina a 800 e 10000.
Linha de machina a 700 ra. a doiia.
dem idem a 60 ra. o carritel.
Toaihas para banho a 10500.
dem para rosto a 300 ra.
Babadores com inscripc2o e paisagem a
600 e a duzia a 40000.
Grande sartimento de espelhos finos oraos
e de canto redondo a 40000, 50000 e
60000.
Bengallas de flauta a 10500.
103RA DUQUE DE CAXIAS103
Mercearia
Vende se urna mercearia bem localisada enro-
pria para principiante por ter poneos fundos ;
para informaces na roa Mrquez do Herral nu-
mero 73.
Leitura s Selectas
Pelo Br. Joo BaraalMa]
Acna-se no prelo e brevemente ser exposta i
venda, a 3* edicao deste importante litro para
leitura e outros exeretcios as escolas.
amen-
bituou-se a prestar-lhes urna multidlo de
pequeos servicos, que ellas aceitaram
com toda a simplicidadade, mas entretanto
oom urna reserva que a intimidade nlo
fez diminuir.
Assim, elle ia buscar-lhes agua, nao,
querendo que Lanra, to iraca e to deli-
cada, se fstigHsse nesse duro trabalho.
Aos domingos, de manhl, larara o pe-
queo commodo, e fasia com que os me
toes da cbamin, os caaticaes e os fechos
das portas ficassem tao reluzentes como a
sua querida machina, sempre to asseiada.
Em compensac&o, Laura quiz cuidar da
roupa do seu noro amigo, Remendn a,
pregn botSes na qne precisava disso e
obrigou-o a comprar a qne Ihe faltara.
Pouco a pouco elle se acostumon a con
sagrar as visinhas todo o tempo que Ihe
restara lirre das snas occupaoSes.
Aquelle quarto vasio, ao
mo terna e inteliigente de nma mulher
dera a nota de aaseio e de alegra, nlo Ihe
inspirava mais tedio; ao contraro, com -
prazia-ae em estar ali, gostava delle.
E um dia em que encontrn sobre a
oommoda urna jarra de Adres, semelhan
tes aquellas qne se colhiam nos jardins
Morrerei trabalbando, tenbo horror
ao descanso.
EHa corou um pouco, e, perturbada,
abaixando os olhos admiravelmente azues,
disse:
E a familia que o senhor talvez ve-
nha a ter ?
Elle comprehendeu e receben no cora-
cao golpe t2o profundo que quasi teve um
desfallecimento.
Ser ^ossivel ? balbucion elle.
O que? pergnntou ella to emocio-
nada como elle.
Que a senhora queirv crear commi-
go essa familia, para a qual trabalhar e
com tanta alegra ?...
Por que nlo ? o senhor honesto e
bom. Falle a mamai, o men corado Ihe
dos dous mocos, a doente ebrio os olhos.' embalsamados da sua cidade natal, sentio,
parausas.
Elle corren como nm louco para a Sra,
qual nunca a Baaset.
Mli, mli! .. exclamon desveirado,
ella quer, a adorada, ella quer!...
O que ?
Que eu seje sen filho le .
Oh! mais devagar, nlo to depressa,
atalhou Laura graciosamente, pasuda a
primeira emoclo, preciso esperar nm
pouco.
Ah! mi! Esperar por que ?... A
feheidade to rasa e a vida to corta 1...
Muito grave, com o seu bello olhar azul,
esse olhar ao qual, ao lado da sua moci-
dade, brilhava um mundo de pensamentos
e de reflexSes, ella rephcou :
Escnto, Roselin, voc fallava ha pou-
co de familia a crear. Espero, casando-me, '
ter bellos filhos, a quem amarei como ma-
mai me ama. Assim, o meu dever, o seu
igualmente, pensar nelles, antes mesmo
da sua entrada no mundo. Casar-nos-hemos '
qnando voc tiver junto dinheiro sufficiec- r>
te para n2o ficarmos merc de urna me- L
lestia ou de um revez. O seu salario
bom. Compete Ihe agora mostrar pela
sua economa se tem pressa de casar com- S
migo. f
O provencal, ardente e enthusiasta, te- ;/
ve que submetter se.
Recebido, porm, d'ahi por diante na
qualidade de noivo, partilhou quasi a vida
das duas mulheses.
| No cornejo do invern Laura Ihe disse :
Voc inteliigente; se eu estivesse
em seu lugar tera nma ambicio ?
Qual ?
A de tornar-me um homem instrui-
do ; a de adquirir o que me falta... a de
oonhecer a minha profisslo a fundo, em
vez de a saber sement pela rotina.
Pois bem. Mas as iices custam ca-
ro.
Nlo, ha cursos gratuitos noite.
E os nossos agradavei8 seroes em fa-
milia ?
Serlo mais curtos." Eu trabalho at
onse horas. Quando voltar, antes de de-
terse, venha-me diservo que apreadeu.
Elle obedeceu-Ihe como obedeca Ihe pm
tudo.
(Contimuar-H-ku.)
Typ do Piano, Roa Dafne aeaxias n. U

/.---'
:" I

!
*



T
T^T"


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E988GF3YC_F272RZ INGEST_TIME 2014-05-21T23:41:39Z PACKAGE AA00011611_16993
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES