Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16992


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m ism
*- Propriedade de Mano el Figueiroa de Faria cfc Flhos.
191
'i-
Tt
'M.
--
PARA A CAPITALSiJiJGARES ONDE'"nO SE PAGA PORTE
Por tres meiea dkn&lic. 6)5000
Por seis ditos dem. ..... 12)5000
Por um anuo dem. ..... 23jKXX)
Cada numero avulso, do mesmo dia. 100
Os Srs. Amede Priiice & C.
de Pars, sao os nonios agentes ex-
clusivos de anriuncios epublica-
goes naJFrancae Inglaterra.
PARA LUSTRO FORA DO ESTADO
'-Por seis mezes adan tados.
Por nove ditos idem. .
Por um anuo idem. .
Cada numero avulso, de dias anteriora*.
13^500
20*000
260000

TELEGRAMAS
ssavxjc m&kcuiiJA so siasi:
RIO DE JANEIRO, 31 de Maio, s 3
horas e 30 minutos da tarde.
Foi hontem apresentado ao governo
pela respectiva omaiissao o projecto de
Constituicao para es Estados Unidos do
Brasil.
Foi designado o dia 10 de Junho prxi-
mo para ter log-ir a discussao desse pro-
;e*tO m eooerencia de ministros.
Foi nomeado juiz de di.-eito da co
marca de Turya>s, no Estado do Mara-
nbao, o bacharel Torqaato Tasso de Souza.
JToi nomeado medico adjanto do cor
po de sad do exercito em Pernambuco,
o Dr. Oscir Lamiguere, sendo exonerado
do mesmo cargo o Dr. Francisco Silveira.
SSS7I5C A&SSCI4 UUl
S. PETER3BRGO, 30 de Maio,
noite.
Chegoa aqu hoje S. A. o princ'po her-
deiro da Italia.
BERLIM, 30 de Maio, noite.
O aroebispo de Posen acaba de fallecer
sbitamente.
Agencia Ha vas,
filia!
em
uco.
31 de Maio de 1890.
ORINECIWLAII
a sbitabilibade ras Asaos
POR
OSMOa.XitQ iFtfJKHTfiS
CAPITULO II
PancRfi ---------
Befeader pluralidad* d aaaa
4oa era Idea cercada de perista
nana do IIvpo de Ponteadle
Chrlnt la no H ujaheni.
( Continuac^o )
1
0 resultado foi que para muitos succedeu a
orimeira hpothese para todos a segunda, US
que se persuadiram, iutgaram o mesmo fronte-
celle persuadido, e oab sem fun lameulo.
Era urna novidade pengosa para o seu autor,
e assim a prudencia, aconaelhava a publieal a de
?odo-que le dcasse o recurso para dizer que
tavia fallado por graca.
n
EfFectivamente, a idea era demasalo oosada
tara a epocha em que Fontenelle viva, porque,
se nouvessc consignado resolutamente no seu
Livro, sem a mostrar envolta em facenas e cousas
serias, se se houvessc enifim declarado decidi-
do dfensor d'aqi-ella. para nos, incontestavel
verdade, ter ee-hia atirabido muitts pezares. e
talvex.torriveis perseguiges.
Em todos os lempos certas noovagues foram
auito perigosas e graogearam aos sem oropa-
cradores. em premio das novas verdades que ao-
aunciavam. o odio e aaimadverso do rotinam
ao do erro e da ignorancia, ternveis moostros,
aue sempre foram. e sero, inimigosdeclarados ;
-emoras infatigavejs de toda a idea nova, de
toda a nova verdade. comquanto estas contenham
gravado em si o sello do justo, do equitativo e
racional. .
A habitabilidade dos astros contara, nao ob
*taate, na epocba em que Fontenelle escreveu o
seu livro, com bastaues bomens de sciencia
partidarios d'aquella ii-a. apezar de naofazerem
N publicamente alarde das suas couviegoes.
do de ser effectuado o pagamento do3 alogueis
vencidos.
Jos Alfredo de Carvalbo -Informe o inspe
ctor do Tc,esooro do Estado.
Joo Francisco da Costa Fialho.Aguarde a
reforma.
Jos Ferreira Campos.Informe o inspector
do Tbesooro do Estado.
Jos Francisco de Olive ira.Informe o inspe-
ctor especial de trras e colonisago.
Bacbarel Manoel Machado Teixeira Cavalcante.
Sim. provisoriamente e sem vencimenios.
Manoel Clementino Correia de Mello Remettldo
Intendencia Municipal delguarass para atten-
der ao peticionario, de accordo com sua infor-
macao de 19 do cadente mez.
Mana Magdalena da Natividade.Cumpra o
disposto no art. 185 3 do regatamento de 18
de Janeiro de '888.
Maioel da Paixo Ramos.Indeferido, vista
da^Miformt^^^yiratedor da Sania Casa de Mi-
sericortffr^rnWn. *
Alferes Miguel Goncalves de Castro Maacare-
nbas laforme o inspector da Tbesonraria de
Pateada.
Manoel Fernaodes Velloso.Informe a Inten-
dencia Municipal do Recife.
Man olmo de Souza Travaseo.Prove o peti-
cionario que a casa n. 1 do becco do Pccwho
nao augmentou em aloguel do ejercicio de 1872
em diante.
' Pedro Estellita Carneiro Lina.Informe o in-
spector da Tbesonraria de Fazenda.
Bacbarel Sebastio Ildefonso do Reg Barros.
Sim. com os venciraeotos a que tive: dir to.
Urbano Jos de Lima.Informe o comman
daote saperior da guarda nacional da comarca
do Recife.
DESPACHOS DO DIA 30 DE MAIO
DE 1890
Abaixo assignadjs, moradores no povoado e
freguezia de Belm do Cabrob. Informe o ci-
dado administrador dos Correios.
Dr. Antonio Joaquim de Barros Sobrinho. -
Informe o provedor da Santa Casa de Misericor-
dia do Recife.
Antonio augusto de Hollanda CostaAguarde
a reforma.
Antonio Olvmpio Lobo Bacalbo.Ioforme o
inspector do Thesouro do Estado.
Antonio Jos da Cesta Arauio.Nesta data so-
licito do Ministerio da Agricultura. Commercio e
Obras Publicas a passagem requerida pelo peti
donarlo.
Antonio Augusto de Oliveira.-Informe a In-
tendencia Municipal de JaboatSo.
Antonio redro da Silva. -Informe alntenden-
ciaSunicipal de Ouricory.
Bacharel Artnur Hennque de Albuquerque
Mello. D se.
Antonio Rodrigues Elvas.Informe o inspe-
ctor do Arsenal de Marioba.
Benedicto Marques Yleira.Indeferido, vista
das inTormacOes prestadas pelo Thesouro do
Estado.
Dr. Belchior da Gama Lobo.Sim, sem ?en-
cimentos. .....
Custodio Jos da Silva Pessoa.-Indeferido. i
vista das informacOes prestadas peto Thesouro
do Estado.
Candida Mana Callado.Aguarde a reforma.
Tenente coronel Francisco Goocalves Torres.
Informe o inseector da ThesouraH* de Fa enda.
Plora Augusta Brazleira de Mello.Informe o
inspector da Tbesourara de Fazenda.
' Francisco Casado da Canha Lima.Ioforme o
cidadao director engenheiro chefe do Prolonga-
mente ,
Gercina Mara' de Barros Correa.Informe o
inspector do Thesouro do Estado.
Jos Mauricio de Alencar.-Opportunamente
se resolver. .
Alferes Jos Xavier Faustino Ramos.Informe
o commaodante superior da guarda nacional da
comarca do Recife.
Secretaria do Governo do Estado de Per-
nambuco, 31 de Maio de 1890.
O porteiro,
H. M. da Suva.
(Contina)
forem portadores de um cartao fornecido por
esta repartic&o aos que se acbarem em condicOes
de implorar a caridade publica.
Da mesma data aci.ua, recommendando a un-
pratoosaD de todos os menores encontrados em
abandono, aflm de screm entregues aos juizes de
orphaos para dar-Ibes tuter e oceupaco.
De 12 do mez de Fevereiro lindo, jfta additaj
ment circular expedida em 22 deJaneiro, cha
mando a attencao para diversas disposic&es d
cdigo do processo acerca da vagabundagem
do modo de proceder contra a mesma.
De 23 do referido mez. recommendando aoS
delegadus que se abstenbam o mais jossivel de
intervir em assumptos de direito privado, de ira-
miscuiremse em questoes de trras, como abu
sivamente lOra alguns pratcado.com queixa justa
do paciente.
Da mesma data, recommendaalo aos del
dos, ebefes do serfio policial em seas ten
3ue ficam seus subalternos eufrar em exercicio
os cargos respectivos, visto ser do concurso de
todos que devem resultar vantogens para o ser-
De 6 de Marco, recommendando toda modera
cao no modo de tratar o ciJadSo depols de en
trege e sujeito a prisao. dispensando Ihe todas
as garantas possiveis aflm de que nada soffra.
De 17 de Abril, recommendando aos delegados
de polica e commandautes de regiao, que de
accordo com as autoridades judicianas providen
ciem no sentido de serem transferidos para a
cadeia da localidade mais prxima e que melhor
garanta offerega e d'ahi para as das sedes da3
regiOes ou dos pontos terminaes das linoas fr-
reas, os sentenciados que devem ser remettidos
para a Casa de Deteoco. attentas as condiges
de8favoraveis em que se aciam algumas cadeias
do centro d'este Estado.
Sa le e fralernidadeAo cidido Dr. Albino
Goncalves Meira de Vasconcellos, governalor do
Estado.O chefe de polia interino, Francisco
Xatier Guedes Pereira.
te e outras Masoas. parece- ter perdido a cjfarnm
ca do publrco : os directora achaafso na
oecesaidade du liquidal-o ; 1odas as pesso* que*
anda nelle liiliam dioheiro em Vfcpasro, forjm
" yjdadas a retira! o.
Poroocasiaj do julgaien.o do Shurif Flack
^os reporten do World, o Sr. D.lvortli Cnote
iro.luzo se clandestinamente na sala de. deli
i.nco do jury ; descobriram o'o oceulto em
IbaiX'- de urna mesa. ruz&o porque o f o civil
coideajQGu o a um mez de prisao e multa d
250 dollirs. sentenca que o supremo tribunal;
confirmou.
Tuda a imprensa new yorkina verberou com
^energa o procedimeoto da jusiica-.
A commissa'*" de orcameuto no congresso
de1 WasMajton resolveu conceder um crdito de
jO doMaiajiara reforjar as portas e paredes
fugare* WkSt& o thesouro dos Estados
INTERIOR
......... i. .
-*5----
rARTE OFFICIL
Terso lo Estado de Fernn.
baeo
EM ADDITAUENTO AOS DESPACHOS DO DU
29 Di-. MAIO DE 1890
Antonio Pe.-eira de Carvalha.D se por cer-
bacharel Braz Florentino Henrique de Souza.
Deferido com offlcio de boje Toesourana de
Fazenda. ,
Companhia Percambucana. Informe o inspe-
ctor do Tbesooro. lembrando quaesquer clausu
as novas que julgar ^everem ser inseridas no
novo contracto, n caso de ser este renovado.
Emilia Ltrlixurs.OfliSqne-se.
Firmino Jos de Lima.De conformidade com
a iQfurmaco do inspector do Thesouro do Esta-
do n 337. de 21 do correte, ser* escriturada
r. divida do supphcante para ser lhe paga op-
ortunamente, visto pertencer ella ao exercicio
"Se Praxedes.-Nos termos da informado do
iaspectur uo Thesouro do Estado, sob n. Ato, de
21 So ebrrente. sor escripturada a dmda do
supplicante para str-lbe paga opportunamente.
v:?to pertencer o exercicio Ando.
Jos Joaquim de Araujo.-Informe o ireclor
reral QO obras publicas. ,
fo Lopes Ferreira da Silva.-De conformi-
dade com a infermaco do Ttesouro do Estado
em officio 0. 338, de 21 do correte, deverao ser
^cripturadas no quaaru da divid passiva para
m pagas opponunaonte. visto Dertencerem
Kerdcio Ando as quantia de 70* e 820*000
requeridas pelo peticiooano.
Manoel Gomes da Cruz Villanm.Aao deven-
do er felio o pagameolo de qoe trata o peticio-
nario pela eol lectora das" rendas do atado, o o
anancpio de Tacaraifc em Ttata do art. 160 do
raralamento de 7 djBho de 1879. nesta data
expeco ordera ao TBSro do Estado no sent
Hepartico de PoUela
2.1 soccSo.N. 120.Secretaria de Po-
lica do Estado de Pernambuco, 31 de
Maio de 189!}.
Cidadao governador.Participo vos que f
ram hontem recomidos Casa de Detenco os
individuos de nomes Jos Diniz Portella. victo-
rioo Carido. Benjamn Alves de Miranda, Rosa-
lina Mara da Conceicao, Antonio Dionisio de
Sant"Auna, Avelino Joio da Cruz, Miguel dos
Santos Bezerra e JosTbomai de Oliveira, conde-
cido por Jos Egidio.
Commuoicou me o delegado do termo de
Bezerros. que no da 19 deste mez apresentou-
se voluntariamente A prisao e foi recolhido ca
deia respectiva, o reo Joao Alves Firmino, pro
nunciado no art. 205 do Cod. Crim.
Entrarara em exercicio as autoridades po-
liciaes seguinies:
Laurindo Marques de Souza. delegado do ter-
mo de Triuropho, na qualidade de 3o supplente.
Manoel Bernardo das Virgens, delegado do
termo de Sennhaero. na qualidade de sup-
Joo de S Araujo; delegado do di3trlcto de
Belm de Cabrob
Assignaram lermo de bem viver, perante
a delegacia do i districto desta capital, por se-
rem deeordeiros, Manoel Tavares Guedes Aleo-
forado, Raymundo zidro Pereira Jos Marlins
de soozj, Manoel Francisco do Naacimento, Ma-
ra Francisca|de Oliveira. Mana Cordolina do
Amor Divino e Thereza Mara de Jess.
Continuo a recommendar s autor dadesiio-
liciaes d'este Estado ) cumpnmento das ordens
expedidas as seguintes circulares por esta re-
particao: ... .
De 22 de D^zembro ultimo, recommendando
que tenbam muita attencao s disposicoes dos
art. 205e 2d9 da lei n. I,t29 das posturas mu-
nielpaes. empreando todas as diligencias neces
sanas para appreheoses das armas defesas,
3endo os seus possuidores punidos rigorosamen-
te de accordo com a let.
De 22 de Janeiro do correte anno, no sentido
Je promoverem por todos os meios a repressao
da vagabundagem. obrigando os vadlos e vaga-
bundos a terem urna profissSo decente e licita e
fazendo os que a isso nao se sujeitarem, assi-
gnar termo e bem viver para serem recolhidos
cadei no caso de infraccao.
De 8 do mez cima, recommendando a ma
xima brevidade na formacao dos inqueritos po
liciaes a que devem proceder sempre que oc
correr qualqoer facto delictivo, nSo deixando
em ta"8 caaos de effectuar o respectivo corpo
de delicio, sendo oa ditoa inqueritos remettidos
ao promotor pjblico por inier ne lio do juiz en
rainal a qnem compete cor-hecer da culpa, sem
pre que se tratar de um crime em que caiba a
accSo puMica. e mandan Jo archvalos qnaudo
se tratar ae crimes particulares p*ra serem en-
tregues aos interesaados e para que sejam pagaa
as costas.
De 31 aiiida de Janeiro, recommendando que
providenciem no sentiio de serem os mendigos
e especialmente os ogoa recolhidos ao Azyta de
Mendicidade ou outro qaalquer estabelecineoto
a cargo da Santa Casa de Misericordia, impe-
dlndo que ditos mendigos andom a estnplar pelas
ras e poetes d'eata capital, salvo aquelles que
Thesouro do Estado de
Pernambuco
DESPACHOS DO DIA 30 DE MAIO
DE 1890
Mara Adelaide Braga da Silva, Mara
Presciliana de Carvalho Paes de Andrade,
aria Rita de Moraes Pi uentel, Joaquim
Ferreira de Carvalho & C, Jeronymo Jos
Buatorff, Jlo Paea Barrete, Francisco
Soares Quiatas, Franciaca Marcellina de
Oliveira Souxa, Antonio Candido de OH
veira, Antonio Marques de Oliveira e An-
tonio Domingos de Lima. Informe a sec
cao do contencioso.
Jlo Jos dos Santos, Antonio Gomes
Pereira Jnior e Jcao Fernandes Ramos
de Oliveira.Informe o administrador da
Recebe doria. -
Jola ("arlos de Mendonca Vasconcellos
e sua mulhor, Lourenoo Fernn dea Braga,
Innocencio Mendes Lopes de Mendonca,>
Thereza Josaphioa da Gunha Salle*n
formo o Dr. contador.
31
Lucas Freir Mara Maraeaj.Sim.
Luiz Manoel Rodrigue Valenca e Se-
bastiao Jos da Costa Trigaeiro. Haj
vista o Dr. procurador fiscal.
Jos Faustino Barbosa de Queiroz e
Jos Felicio Buarque de Macedo.Regia-
tre-se e facam se as devidas notas.
Francisco Manoel da Silva & C.In-
forme o Dr. cantador.
Reeehedorfl do Estado de Per
Bambuco
DESPACHOS DO DIA 31 DE MAIO DE
1890
Conceicao Irmo, Antonio Luiz, Mara da Con
ceigo Doarle Fonseca, Prente Viaona & C e
D. Ismenia Goncalves Casco. Informe al.
sf* cefto
Joaquim Ferreira de Carvalho & CDeferido,
em vista das informac,633.
EXTERIOR
AMERICA DO NORTE
Encontramos na Provincia do Para as seguio
tes noticias dos
Estados Cuido*
A cmara dos repi-esentantes adopten o pro-
jecto de lei que autorisa a coostruecte de urna
ponte sobre o Hudson. entre os Estados de Vw-
Yjrk e New Jersey. .
A companhia concessiooana tomara o nome
de-Noith River Brirtge Compaay.
A propost estipula as condicoes seguiutes : a
ponte ser cortada, pelo menos, por seis vas
frreas, com a facilidade de serem abi eslabele-
cidas ulteriormente qmtro addlcionaes. Ter
ella 2.850 pi de comprimento, e os dous pila-
ras que sustentar lhe ho a parte principal ele
var-se-na 800 ps cima do mar. Para evitar
qualquer einbaruco ao livro curso dos naviqj,
prohibido fizer qualquer editicaco permanente
ou temporaria entre esses dona pilares." .A-ara.'
struco da ponte dever comefar dentro do
praio de 3 anuos e estar terminada em 10 anuos.
Os planos devem ser approvatos pelo secretario
da guerra. ...
O uso da ponte ser facultado, sen privilegios
nem preferencias, a todis as pessoas, compa-
nhias de caminaos de ferro ou de telegrapho,
que delta quizerem utilisar se, mediante coiidi
cC?s que deverao ser approvadas pjla commisio
commercial dos Estados de N;w Yoik e New
Jersey
j Aps haverem amordagado e amarrado o
respectivo guarda, evadiram-se todos os deudos
da prisao do condato de Spokane, em Spjkaae
Falles. Estado de Washington. ram 1!, e ne
nhum delles anda fflra capiurado.
~ De Buffdlo, evadio-se Charles Laocester,
thesoureiro do Ctub da Imprensa, levando urna
somma de 1.100 dollars e obandynando, quasi
sem rei-artOs, a mulber e. cinco lhoa. uppu-
nham haver-se elle refugiado no Canad, para
onue foram enviados agentes de polica no seu
encalle. .. _..,
Foi defliiitivamente transferido para Elles
lalaod o de*embarcadouro los imraiKran'es; a
liba Bdlu-w, onde est a estatua di L b dada,
foi recusada par tal lira e dispensado o Castle
Girden. onde at agora Jesembircavam-
George Pell, um dos individuos complica
dos no escndalo flnanceiro do sexto banco na-
cional e do Lenox Hill Biok, e que fra posto
em liberdade sob llanca, foi novamente preso,
devido a se haver relindo um dos s-ui tlidorea,
ignorando se por que rasao. Pell ja foi proaun
ciado como cmplice no crinw, e aguarda o jul-
gimento oa ptlp de Lulio*'Street.
0 EquItaBwBank, que. como sabem os le-
(ores, soffreu incidentes que aclarara lhe ocre-
dito e dos qaaes foram culpados o seu presiden-
As revelaeSes ferfis Fwaco. a respeilo da
facilidade com que os ladrOes de prorJsao pode
rim violar esae thesouro e apoderarse de todo
o ouro que quizeasem, causaram viva emo;o
nao so no congresso, como em toda a Unio
Americana.
A' primeira vista, pareca impossivel um rou
bo de tal natureza, visto coma o thesouro
guardado, noite e dia. por numeroso3 guardas,
postados em todos os corredores do ministerio
das rloancas e tendo ao alcance da mo os mais
aperfeicoados apparelbos elctricos para darera
signat de alarma polica, da qual ha um pelo
to especialmente encarregaio de velar as pro
ximidades do edificio. Todava, reflectiram em
que seria bastante um dos muitos ladroes de
proflsso, que infestam os Estados Unidos, en-
tenderse com qualquer policial ou qualquer
guarda, para que podesse deitar a mo a muitos
milb&es, e foi isso o que propellio a commisso
ao acto que praticou.
O Sr. charles Kaicald, correspondente do
JVm, de Louisville. preso por haver assassinado
em Washington ou ex congressman Taulbel, foi
posto em liberdade sob urna llanca de 2J.003
aoUars.
O presidente Harrisson, aconpanhado dos
ministros, do general Scholleld e d'omras pes-
soas pasBOU em revista as tropas federaes da
guarnicSo em Washington ea milicia do distric-
to de Colombia. Tal revista effectuou se em
honra dos delegados ao congresso das duas
America8. .
O Dr. Portar, de Louisville, chamado casa
de urna familia da qual todos os membros estao
soffrendo de doenca grave, porem de carcter
muito indettnido, pretende que o germen deasa
enermidade fcti levado a Louisville pelo cyclone
que devas'.oa parte da cidade, que parece refei
ta dos damnos que soffreu : urna grande activi
dade reina ua parte devastada pelo simstro,
onde centenas de pedreiros e carpinas occu
pam-se na repartico das casas destruidas e na
remacSo das ruinas. Tudo vottou aos sus eixos,
e menor do que se esperava a miseria entre
as victimas da catastropbe. O numero dos mor
tos e ferido3 muito menor do que dixiam,
secundo dados officiaes ; uns 100 feridos e 76
morios, simplesmente.
Dj8 terriveis cyclones desabaram no lili
oois : um do genero do de Louisville. sobre Ga;
lena, onde causou importantes urejuizos; foi
pcacedido de horriveis trovOes e anompanbado
de omachuva diluviana. Si beat-ojir ningneiu
aorresse. todava o aracSo arrwltou muitos
telhados in casas demoli parte de urna labrica
de movis e veneeu grande numero de chami-
nsj arrancn arvores, po3tes telegraphicos,
derrubou paredes, etc.
0 outro cyclone cabio sobre Prophct3towQ ;
nSo consta que morresse oinguem, porem fo-
ram enormes as perdas materiaes. Prophetstowa
urna cidadesinna histrica, situada no conda-
do de Whitesides, sobre o rio Roch, a V) milhas,
pouco mais on menos, da confluencia desse rio
com o Missisipe. Foi outr'ora urna aldeia india-
na, a que deitou fogo o general Whitesides, cojo
nome deram em seguida ao condado, durante a
Hiua camnanha contra o celebre chefe indiano
Black Havk.
Outros furacoe3 tm desabado em todas as
regiOes norte americanas, inclusive New York,
particularmente as de oeste fra enfadooho o
descrevei-os minuciosamente ; entretanto, dir
mos quaes as localidades que os ten offrido :
Roberts, anda no Illinois ; Norwalk, no Ohio ;
Charlotte, Allegan, Batble Oreek Kalamazoo, en
Michigan; Mount Ooraens; Staten lsland ;
Nyuck ; Orauzeburg; Sharon, no Ohio; Fort
Wayoe, na Indiana ; Pittsburg. na i'ensylvania,
ele
m consequencia de taes furaces, tm tran3
bordado os nos, principalmente o Missisipe, oc-
casionando mullos naufragios.
Alm de todos esses desastres, um turso de
poeira, cem toda a violencia de um verdadeiro
Wi3;ard cabio sobre Aberdeen, Dakota do sul,
abraouendo todos os arredoros. Nao bonve des-
gracas pessoaes, porem Hcarem inutilisadas lo
das as recentes plantacOea campestres.
Duem de Chicago, que o celebre engenhei
ro fraucei Sr. Eiffel propoz aos directores da
exposicao de 189 a cooslruccao de urna torre
do SYStma da sua, edificada em Pars, naquella
cidad- O Sr. Eiffel nao deseja mais que a auto-
risacao dos directores, e comprometie-se a ar-
raniar os capilaes necessanos. Para tal empre-
sa associar-se-ha com Edison, e a torre de Chi
cago ter mis quinhentos ps que a de Pars,
deveodo Edison illuminal a com um milho de
lampadas elctricas de diversas cores.
Resolveram cercar com urna grade de ferro
o mausulo do presidente Linete, em Spring-
tiuld, no llliuoia. para evitar o furou dos collec
cionadbres de variedades, que tin n o posto ul-
ilrhn mente em misero estado.
^Os delegados da coaferencia das uuas
huericas deram um graode ianlar ao presiden-
te Hirisoi. no hJtel Arlinglon, em Washington;
ao qual aasisliram O Sr. Levi t>. Morln, vice-
presiden'e dos.Eitadoa-Ji-idos, tolos os mem-
pros do gabinete, excepcao do secretario da
raa inh, os membros do corpo diplomtico, in-
clusive o Sr. Ronuatin, ministro da Franca, ea
maior parte dos juizes do supremo tribuual.
O matre de Chicago. Sr. Cregier, mandn
fechar todas as casas de jogj que na alguus ao
nos inf istavain cidade.
A gunas senhoras muito conhecidas reu
mram se, era Washington na casa do juiz Fiild,
e ecidiram abrir urna subscripeo eoire as mu
Iheres de todos os Estado.- unidos, a*n de ol-
ferecerem urna estatua Fraqca. como testemu
nho de Araisade. Esse projecto fra rormalo ha
alguus aooos pela Sra. Natnau Appleton, e ja
foi arrecadada a quantia de 6,000 doliar3, faltan-
do apenas li OOOdollar.- para a importancia ne
cessaria. _
Inceodiaram-se : urna das minas da Spnng
Valley Coal Compaoy, no Illinois; a bella casa
de reweiu de S-. Horace Greeley, Jodpr da
Tribune de.New-York, no condado de WeBtcnes
ter. arredores da capital, sendo muito impor
taoies os pr-juizos materiaes ; tres quartas par-
iea da pequea cidade da Harrodsourg/ Kn-
tu':ky, tendo coay,fiaido o fogo na Opera Houae ;
o hot^l WeBt, i Greenville Juactiou, no Mame,
o princip! hotel de See Breeze. perlde
Brilgeton^f m.N w Jersey, sendo de 80,000 dol-
Ur3 o^ prffisVo* Jeaie ulurao. -
Ni idJnVvleS anuos, morreu em v>as-
hinibn o Sr. Samuel Jack speaker; u|f dOVMajs conceituados membros do
coogresso waoem,muito considerado em toda
a Uni&qMl^^Kfc
NORTE DO BUAZIL
empaquete americano Finante, entrado Innteo
do noru?. trouxe as segninies noticias
Estado da Para *. '
Dalas at 34 de Maio :
Acerca do incendio da predio onde ram as
offi linas d'O Demcrata, escreveu a Provincia do
Para de 20:
la Iacend:ou 3e o predio n. 7. & praca Vteconda
do Rio Branco. em quefun^cioaavam asofficinas
e scrlptori03 d'O Demcrata, orgo do partido
republicano democrtico.
o\ & 1 hora da madrugada de hontem que
se aperceberam do fogo; avisado o coito de
bombeiros compareceu. Encontrn fechadas as
portas, ar ombaodo as a golpes. de machado,
vio o edificio completamente presa das, cuam
mas. "-"'
A espago?, ouvia-se estoiros semelhantes ao
de cartuchos embalados.
O fugo foi presentido pelos moradores do
hotel Hespanho1, junto ao predio incendiado, os
quaes, indo esugao central dos telephones. pe-
diram avisassem o corp.) de bombeiros.
O caixeiro da redaecto estivera no escripto
rio at as 2 horas da tarde de domingo, e, ao re
tirarse, fechara 'odas as portas.
E', pois, absolutamente ignorada a causa ori
gioaria do incendio
0 1 delegado de policia iniciou inqueritos.
ja tendo sido interrogadas duas testemuribae, cu
jos depoimentos nada adiantam.
< O predio incenliado, que totalmente o foi,
a excencSo das 4 paredes mostrar e de 4 bragas
de um llheiro nos fundos, propriedade do
Sr. Cesar Jos de Figueiredo. que ha pouco com
pra.-a-o i'o Sr. Dr. Tbeotooio de Brito. Este ha-
via-o seguro em 12:OJOO0) na Companhia Com -
mercial, porm,ao que nos consta,-o novo
proprteiario anda nao flzera a precisa transfe-
rencia
A typographia nao eslava segura.
t A casa immediata,na qual est estabele -
cido o referido hotel, de que dona a firma Ln-
vignard & Cportease ao Dr. Theotoaio de
Brito e soffreu avanas no telhado e no corredor
de entrada.
A' vista da adiantada marchado fogo, a mis-
sao do corpo de bombe ros limitou-se a refres-
car os predios visinbos. que. felizmente, nada
soffreram ; de ve-se a elle o naoter-se ioceodiato
o quarteiro.
A bomba a vapor uo teve precisode fanc-
cioaar, bem como as dos arseaaes de guerra e
mariDha.
O Sr. desembargador chefe de polica com -
parecen no lugar do sinistro, varias autoridades
estiverara pr^rentes. o commaodante do corpo
de policia, um piquete d'esse corpo, comman
dado por um ofcial, e piquetes do 4o e 18 bata-
IbOes, como m> lhor ver.io 03 leitores da parte do
commaodante dos bombeiros, inserta hoje na
lecgo official.
A's 8 horas da manha. estavam dominadas
as chuminas; o corpo de oombeiros retirou-se
e a casa tlcou guardada por urna torga de po-
lica.
O Dtarto do Grao-Par do mesms dia 38?re-
veu o seguate rugo :
A typographia d'O Demcrata foi hontem
incendiada, era 1 hora da madrugada ; a noite
fra urna das mais ebuvosa?, que temo3 tdo du
rante este invern.
Coincidencia extraordinaria! No mez de
Fevereiro, em noite igual, era arrombada a gol
pes de machado a porta principal da nos "a ofli
cma lypograpbica, onde imprima-se o Diario,
coja impresso fazia se I: avia poneos das, oa
ra da Triadade.
' Essa mudanca nao conhecida dos scelera
dos. dos vndalos, que s horas mortas da noite
vio'avam o direito sagrado da propriedade, foi
sem duvida o que salvou nossa officina de com-
pleta destraico.
Conhecido o engao, contentaram-se com
pequeos estragos no material.
Tempos depois encetaram os orgos gover-
oistas a mais immoral, a mais nojenta pomo
graphia contra a imprensa inlependente, com o
fim de amordacal a; e chagaram ao ponto de
pregar o assassinato dos sacerdotes da igreja ca-
tholica.
Agora, s horas mortas da noite, 1 hora
da madrugada, em urna praca, no coraco da ci
dade, n'um centro populoso, no largo, valgo das
Mercs. junto da alfanlega: totalmente devo
rada pelo incendio a typographia d'O Demcrata,
que tem feito ao governo urna opposicao. que
chamaramos cor de rosa. l&D comedida tem
sido! '
Temos consciencia de n5o ser bajuladj o
governo, que nao precisa para cu nprir o seu de
ver do poDre incens 1a bajulag&o, e so nos te-
mos permittido a critica licita na restricta es
phera da leglidade. sem nlirapassar os limites
da legitima liberdade ua imprensa
No entaato. coiacideacia extraordinaria,
n'uma noite chuvosa. s horas mortas, a ofli.; i na
do Demcrata, n'um domingo, quando l nao ha-
via operarios, devorada pelo incendio, e antes,
ao mez d Fevereiro, a officina do Grao Para
era arrombada a golpjs de macnado t
Sim coincidencia singular I As noites
ebuvosas sao fataes somente para o Grao Para e
o Demcrata!
O facto gravissimo; e3ti em jogo a
causa de urna de nossas mais preciosas liberda-
des publicas, a liberdade da imprensa.
E' esta a razio; porque nao queremos dei-
xar de consignar, para que fiquem archivadas
todas as circumstancias sobre a terrivel catas
t-ophe de incendio da officina typograpbua do
Demcrata. ...
E' difficll, e mui difll-il a explicagao d a-
quella catastrophe com a costumada chapa-fo
O'caixeiro da offina. que l e3tivra. a fe
chou pelo meio da, no domingo, e ninguem
mais penetrara no edificio durante o da, n--m
durante a noite.
Conced lo que na officina por descuido los -
se deixado o elemento faial, que deu origem ao
incendio, urna faisca, um phosphoro. urna pon-
a de cuaruio ou cigarro, o incendio nao H caria
incubado durante tantas horas, para s fazer ex-
ploso a urna da m idrugada t
Aleado o incendio, teve tode o tempo pre-
ciso, para devorar o predio, nao restando seaao
paredeS. ,. .
. Percebido, porm, o incendio, quando as
chammas haviam assuberbado o tecto do sobra
do, deram se muit03 signaes de alarma!!
Ante3 que a companhia de bombeiros che
gasse ao lugar do sinistro, o Sr. Alfredo S;uza,
como oo3 declarou. all passra, atlrahido pelo
clarSo do incendio.
Nos dase que. atravs de urna porta ja
abena, pudra observar os effeilos do incendio
dentro do edificio. Qaem tinha aberto a porta
da frente do predio ?
E' opoiSo grral, que o incendio comegara
na frente do edifle o; porquanto nos fundos do
predio meos yisivel o estrago das chammas.
O servico d*extincc8 foi mal feito pela
companhia de bombeiros, como nos informa-
ram; as uiaagas pareciam iotas e nao mpalliam
a agua com a orga precisa.
< Saj estas as ciroom8tancia3 pnacipaes e
que nos induzem a crer, que o incendio da ofn
cma lypograahica do Demcrata o tracto de
premeditado altentado.
.*?;
elle, portanto, chamamos a atleco daf,
jtro Benjamn Constant'. eal*egaoor,
nina A.-. H-n S .V
^ *ara
Sr/ mini
dos negocios do P'ar.
. Le se na mesma iolba de 23 :
> A casa n. 28 da ra do3 Martyres foi thea-
hontam, pela manh5. de um tacto altamente
trisrldor. "
O preto Domingos Pereira de Lenios, mar-
nhense. de 43 annos presuraivejs. carrgadoi.
suscitando de que Eugenia de tal. suaanusui
o tivesse enfeitigado, poz termo vida da "ma
neira a mais terrivel.
'eo irmo, Goncalo Pereira d Lemos, que
all fCra aquella hora, enconlrou o iafefic morto.
suspenso de ama corla de rCde, presa a urna
lu-
far. um compartimento o miseravelmente mo-
llado
Compacta massa de povo tstaciouava a
porta.
< D 'litro rumorejavam j Os mais curiosos,
ao redor do cada ver,.que traja va um temo com-
pleto de caaimira preta. anda em bom aso. *
Ektado do Huraubio
Datas at 26 de Maio :
Nada reterem as folbasque merega mengc *
Batado do Planhr
Datas at 14 de Maio :
Por decreto de 6 sob o n. 30 foi dissolvida a
companhia policial e creada urna guarda repu-
blicana.
Nada mais digno de nota.
SCIINCItS E LETTIAS
O Tfuyraky t
ESTUDO DA OBIGEM ASITICA, DA CniLIA-
ylo DO AMAZONAS NOS TEMPOS PREHIS-
TRICOS, POR J. BARBOSA RODRIGUES
(Continuago)
Os Kara e os Karaibas. O Muyrkyta
Veniio me occupir alada urna ves do monu-
mento arcbeologico mais raro do Brazal, e ao
qual nao se ligava, entre no*, a menor impor-
tancia, antes que eu lhe dsse a que tem boje.
Foi elle a chave para varias descobertas que
fiz, como fusse a da localidade em que habita-
ram as pretendidas Amazonas, e foi elle anda
quem veio me provar a presenga de um pove
de civisago adiantada no norte do Imperio, em
poca prehistrica.
N'outro escripto iratei de mostrar que houve
urna immigragao Scandinava, eivada de costa
mes Ariaaos; neste procararei, trataodo do
Muyrakyia. mostrar que muito anteriormente
bouve outra invaso de um outro povo de eos tu-
rnes mais adiantados.
Este, acossado pelos novos invasores, afugen-
tou-se, foi feito prisioneiro, mesclou seus cos-
tumes, ou fundi se n'uma ou mais ragas, que
se derramaram por lodo o norte, desde a Co-
lombia at ao Chile. Esse povo, fra de duvi-
da que foi o da Asia Central, que tantos lm
presumido, masque tambem tantos tm contes
lado, por falta de pravas; mas que o Muyrakyt
sustenta como testemonba contempornea. Ai
hoje, pens que, se nao for ella desmentida com
urna prava palpavel. mais autheotica. ,a nica
que nos diz a verdade. As.ua. natureza e a sua
patria nao admittem duvida.
Elle atravessou o Ocano Pacifico, aopescogc
dos invasores, chegoa s costas da California
atravessou para o Mxico, veio America ,Cen
tral e desceu ao Amazonas, protegendo os ousa
dos emigrantes; ou, tendo passado a novos pos
suidores. com o seu uso introduzio no valle do
grande no urna civilisago. que hoje s o ar-
cheologo descobre.
Pareceudu diilicil e impossivel a vi uda des
Asiticos para a America, por mar, nao o
porque ainda hoje vo dar a California os junco*
chinezes. O paire Brasseur de Bourbourg ii:
que estando em 1850 na california, foi condu-
zido para o porto de S. Francisco um junco chi-
nez, encontrado a 100 ailbas do pono, por um
navio americano. O teneote Maury, da marinha
americana, muito conhecido, diz tambem que;
por vanas vezes. marinheiros japonezes tm sido
arraslados para a costa da America. Estes fa-
dos sao confirmados pelo Sr. Brookes, que, se-
gundo os seu3 calculo?, aprsente desde 1782 a
1850, quarenta e urna embarcages japonezas
que deram costa da California trazidas pelas
correntes, com urna velocidade de 12 milbas por
hora.
Se no presente seculo do-se destes fados,
porque nao se dariam outr'ora ?
A fus) que se deu com povos de outra in-
vaso. ou mais tarde com os filhos de Odio, pro-
duzio essa raga valente. distincta e respeitada,
ulteriormente denominada dos KaraiDas, qae
sempre conservou mais ou menos a sua sude-
pend acia.
Modernamente os novos mmigrantes,
por
qualquer circum3tancia, estendendo-se para o
sul e ah encontrando um povo mais civiisado,
como navegantes famoso i que foram, se atira-
ram pelos mares e vleratn America do Bul.
O encontr, o commercio e as lulas proauz-
ram urna uniSo pacifica por um lado, e disper-
sou por oatro. Uns concentraram-se no Mxi-
co, Guatemala, etc.. outros aventuraran!-se aos
mares. 0 lo entre os povos separados pelo Pa-
nam participava de U303 differentes, era o re-
sultado de urna fuso ; era urna terceira raga,
cuja hypothese n5o fra de fundamento, como
veremos. ..
O karaiba, conhecido hoje, nao o tarama
ani-Oolombiano; o de hontem ad. coabocemos
senSn pel>s vestigios, porm o de hoje. j dege-
nerado, ain a asun os seus usos e eojitumes
mostram qo>'. se nao o resultado deuma uniac
asitico euroua. tem por urna Hotavel coinci-
dencia pontos de contacto na sua via, que par-
ticipa de Oiin e de Visbno ou Budna. Um dos
los dssa cadeia que o prende Asia o Muy-
rakyt. De ambos tratarei aqui.
Vejamos. Em 648 (i) appareceu na America
Cen'ral QuetzallO'iuii o genio do bem, trazen-
docom ^ pedias verdes, de jadeile e nephrite.
nova civ I saya-. Ei-iuon a lavrar a pedra tra-
balhar o ouro e a | lia e.n que era hbil, e lor
nou se o fin ador do I uperio dos Nahuas. Diz
a traliccao que al u as das pedras que irouxe-
ram se con^ervau> e j Cholaio, o que nos conhr-
un Humboldt. (2. fltterem outros que a vinda
desse enterante P"'* Amen- a om seos com-
panheiros fos-se, no domino dos Ouuecas e doa
X' -alancas. OLteota ou cem annos depois de
lerem chegado as set-i irious doa Aztecas (3)
sahidas das sets gruas, ou de Chicomoztoc e
de eslabelecida a monarchia dos Nahuas, esta
depois de lulas desastrosas, com os que encon-
traram. vencida teve de se dispersar para o sul.
(1) Alguns querem que fosse no anno 820 da
nossa era, comgn lo a disperao em 920.
i2) Vue des Cordilleres, pag. 318.
(3) Segundo FreiG^erfOio Garcia desceram
tribus na ordem seguate : 1 a dos Suchilme-
cas (gente das semeuteiras de flore*); 2 a dos
Cnatcis, agente das boc*); 3 a dos Tepanecas
(aente de Pan); e em 7* ultimo lugar a dos
C^icAinwca.
!-. -




Ji#ri




Diario de PemambucoDomineo 1 de Junho de 1890
\


i

?
i
De nina dellas, a dos Tlathaicas ge originaran)
es Karaibas, que, em pequeos grupo?, entra
rana no Amazonas, como conquistadores*, mpoa-
ao iis e costumes. Foi um grupo destae que,
naturalmente, se estabeleceu na ilba, entre o
ios Trombetas e Yassand, one boje esti liga da
a margem, e que tomoa depois de Oreiboa a
orne de Amazonas.
O mesmo nome, eom 1|ue as outras racas o
distinguen), nos mostra um povo especial O no-
me Karaiba, boje corromowio.no vaMe do Ama-
zonas, ainda o tapuyo o etuacejga, m con um
aignifcado bem caracterstico. Kirarba no Ama
tonas kariua. que no sul fazem kariba. isto :
o suprior, osenhor, o tlente, o ettrangeiro nota
vel, por cooseguinte o bronco, porque 6 o domi
mador, o eseravisador do indio.
Passo a mostrar ligeirameote como entendo o
laraiba, porque no* commentarios que adiante
arei s lendas amaronenses que aprsenlo, me
lbor me exphcarei.
O valle do Amazonas foi invadido por varias
eaigraces vindas do>Norte, urnas precolum
bianas e outras modernas, todas galbos de um
tnnco, ragas de urna s sement, oriundas
.-de om w6 berc->, que segundo o meio robustece-
ram-se ou degeoeraram-se, eofraquecejamse e
aecahiram.
Do seio da Asia partiram os primeiros invaso-
res da America, os que trouxeram as artes, a
industria e a lavjura os quaes, guiados por Vo-
lea ou Qjelxalcohuatl e seus descendentesen-
S-andeceram o Mxico, a America Cenan*, a
ova Granada e o Per. Foram esses os papei I.
ros Kara, depois Karaibas, os que origioaram
s Toltc.asoa Nabaas. Eites estenderam se pe-
lo Mxico, lutaram, dispersaran! se, formaram
novas nacoe-. que se sundividiran, e pelo cor-
rer dos seculos. desde os primeiros tempes da
poca Cbrista, foram deixando vestigios do seu
poder e do seu saber nos monumentos, ant as
ruinas dos qaaes hoje o arcbeologo pasma.
Foram eases os introductores das pedrat ver-
dea ; foram esses os que ensinaram a lavrar a
pedra ; foram esses os que iolroduziram a civi-
usaco; foram esses, emtim, os portadores do
Muyrakyta.,
MISTA DIARIA
aCBetlcsn dos da secreta-
do Estado, para ser publicado, o
Esses *ara*s, Albos do sol e das serp"ntcs, es
palharam na America as crencas de sua patria,
e, de genco em geracao, perpetuaram a tra
dico, apezar das lulas, dos crutamentos, das
invasOes, das persiguices, das dispereoes, e do
eufraquecimenio, soflreudo -ipeaas as modifica-
e6es prodozidas pelo solo e pela natareza.
Assim moliflcaram os oso3, a lingua e 03 eos-
lum;s, perpetuando-e; apenas aquillo que se
prenda sua theogonia, a crenca da conserva
fo da vida e ao maravilhoso, o Muyrakyi, que
pelas suas virtudes dava forca, sanie e poder e
pela sua nitureza incorruptivel, poude chegar
at nos, :omo reliquia, nao abundante como as
primeir.3 eras, po> faltar a importacu, mas ra
ra tendeo Jo desapparecer. As lutas occasiona
das peh8 aovas invasoes qne desciam para o
eul, iojvou o retalbameoto de nsces e d'elle
originaran)-se os Karatba, de Colombo, isto
08 que vulgarmente sao conhecidos as duas
Americas por essa denominacao, o ltimos por-
tadores do precioso talisma, que levaram para o
Amazonas, onde elle ja era coobecido, pelos des
cernientes d'aquelles primitivos qne tinbam mais
fresca s tradicOes de Votan.
Presa a mesma arvore genealgica, cujo tron-
co Nabua, comtudo o Kiraibi moderno, quasi
nada de commum tara com o K ira primitivo.
Aquelie berdou a ousadia, a coragem, o valor e
a independencia, porm j4 nao conheceu os mes-
tres das artes, porque uasxu no tempo da de-
cadencia, e fru-to que leve, pelas circumsUn
cas, de germinar em trras extranhas e em meio
totalmente differenle.
Atirando se aos mares e aos rios, fugindo an-
te povos ioimigos que os guerrearan), tiveram
de adoptar outra vida, outros usos e outras coa-
turnes que se fondiram com os dos povos con-
quistados, licando-lhe smente aquillo que reli-
giosamente coBdusiram ao pese-ojo, para os 1-
vrar das molestias, que Ihe a secura va a vida e
os livrava de ioimigos as trras de que se
aposaavam, garantindo lhes a supremaca, o
moyrakita.
Este m?smo. com as propriedades modica
das; de dolo, passou a talisra, para de um la
do apresentar virtudes medicinaes. de outro ga-
rantir pouVr e aqu e all se apresentar, sen-
pre, como jarantidor de felicidades e fortuna.
O non; Karaiba, para mim genero, por-
nue o empresto como invasor ou conquistador,
por ter sido sempre n'esse sentido empregado
pelos povos Americanos, que se resenlem dos
contactos asiticos.
Modificadas as propriedades do Muyrakyta,
segundo a poca e o local, nos o vemos perpe
toado, desde o Turkestan at ao Amazonas, un
do ao nome Karaiba que fot ao Paraguay.
5 Os cruzanentos e as iramigracoes nao foram
at la, mas o nome Karaiba, que era t-mido, foi
adoptado por todas as nacoes que fallavam o
abaoheenga.
T
fia do gov
arf ^Uftte 1
Rio, 31 de Maio, as 4 botas 35 mioutos da
tarde.Ao governador do Eado de Pernambu
co. A vista vosso teleramma de boje, autori
so-vos abrir verba soccorros pblicos crdito
vinte coutos, para despezas tratamento iadigen
tes aecoaamettidos varila.Ministro do inte-
rior.
Com este crdito eleva-se a quaranta conloa a
verba destinada pelo governo federal a soccor-
ros pblicos, neUe Estado.
Matriz da Boa-Vial Hontem, nessa
igreja, depois de terminados os pos exerci-
ctos do mes maria trio, que abi foram cele
orados este anno com desusado explendor. o
Exm. e Hevm. Sr. D.Antonio Candido da Alva-
renga, hispo da diocese do Maranbao, conferio
ordens de presbteros aos seminaristas, que j
eram diconos, Honorio Hermetto de Souza Al
buquerqne e Manoel D^osdedit de Araujo Perei
ra. naluraes deste Estado, e Gooho no da Cos
ta Cavaicante, do da Parabyba.
Em seguida, S. Esc. Revm administrou o Sa-
cramento do Cbrisna a grande numero de fiis
e ambos os sexos, que se baviam preparado
para esse acto.
S. Exc. Uevm., chegar igreja, foi recei-
do pelo respectivo parocho, Revd. padre Augus-
to Franklin Moreira da Silva, pelo reitor do Se
rninano de Olioda, diversos sacerdotes e semi-
naristas.
Ao entrar na igreja, que estava Int. ramente
ciea de liis, foi entoada a antfona Ecce Sacer
dos dagnus por um coro de senhoras. acompa-
nbado seratim.
Depois da oraco, S. Exc oceupou a cadeira
episcopal, situada s ib docel, e tendo be revs
i ido com os pa*amentos proprios de sua eleva
da posicao na igreja, den prin apio ao acto de
ordenacao de presbyteros, terminado o qual fes
S. Exc. Revm. pratica aos novos ordenados so-
bre os deveres dos sacerdotes calholicos, pren-
dendo por algum tempo a atteogao do s-agran-
de auditorio, qoe o escutou com religioso siten
ci.
Feaiu r>ligioaNa igreja do convento
de S. Francisco celebra hoje, com umita pompa
e explendor, a irmandade da Santissima Trinda
de a festa do seu orago, que constar de missa
solemne s 11 horas com sermo p?lo Revd. pa
dre Firmino Brant da Rocha ; e de Te deum, i- 7
horas da noite, pregando o Revd. fre Augusto
da Immaclada Conceicao Alves.
Na missa ser execntada a partitura Santissima
Trindade, e no Te deum a partitura Espirito
Santo.
A' tarde tocar no claustro do^convento a ban-
da do corpo policial, sendo que i 4 horas sa-
tura a procis;o, que percorrer o itinerario do
costume. ?
A' noite o claustro e a frente da igreja sero
lluminados a focos de luz elctrica.
Fruta no Monteiro-Ni igreja de S. Pan
taleo, no povoado do Mout.iro, encerrar se ho
boje os pos exercicios do mez mariano, haven-
do missa solemne s 9 1/2 horas da manhl ;
procisso, com acompanhamento de senboras e
enancas as 5 horas da tarde ; e, ao recolher da
procissa.), caaticos e ladainha a grrnde orches-
tra.
A' noite ser queimaJo um fogo de artificio,
sendo largados diversos aerstatos.
Em todos os actos tocar a banda de msica
do 14" bala I bao de infantaria.
Pelo Amazonas sabio o Karaiba moderno, e
dos Andes deseen o primitivo, e^te deixando
costo mes que aquelle nao conheceu.
Ambos trouxeram o Muyrakyta ao rei dos rios,
porm em pocas diversas, acompaohado de
crencas e costumes diferentes.
Os primitivos trouxeram as armas qne usaran)
ao paiz que abandooaram e vieram d'ellas fa
sendo uso c por isso si perpetuaram e os mo
demos as desconbeciam, pelo isolamento em
que ficaram. pela regio nao favorecer a perpe
tuidade d'ellas. por falta de material e por d'ellas
nao.baverem misler.
Os primitivos foram sempre selvicolaa e os ul
timos martimos e ribeinnbos. Aquellas que
pela subdiarao tiveram du gaobar o ceo'ro das
trras ainda as u-aram para mesmo mais tarde
abandonarem. Assim nao conheceramos Kirai
bas das Aotilhas a carabatana, e a estolica e nem
tao pouco aquelles q nas, mas conservaram todos os que das cordi
lbeiras desceram as serras e sabiram no Sol
atoes. Os serranos eram galbos de sement*
da mesma especie e os rioeirioho ramuteu
los atropbiados por enxertos em ramos j dege-
nerados.
Un* eram quasi puros Nabaas e Mayas, octroe
ilbos bastardos de erusaaeatos mu'aplicado. -
Uns tinam a tradico de Votan e outros a
desconbeciam; s os ligava um lo commum, a
pedra verde, a nepbnte na o muyrakyta
Os Nabuas, (Karas) origioaram varios tr bus
do Alto Amazonas, Per e Nova Granada, e os
Karaibas modernos concentraran)-se as trras
da margem sol sobindo o Tocantins, Ching e
Tapayos.
Torquemada (4) affirma que vio Nabuas com
muitos dolos com nomes de divindades, feiUs
de pedra verde eBrasseur de Bourbourg (5) Um-
aem os diz que os Quichs usaram a mesma
pedra como, talism.
O emprego da carabatana (carbacanei era
vulgar entre os .Sahnas e o sen uso, no Amazo
aas, s se esteode nela regio do muyrakyta.
v pastando ao BaJfe Amazonas, nem o resto
do Brazil. ^J
O nome Caraiba, ames Kariba ou Karina, (0
leva me a outras consideraces.
Ser o nome Karaiba dado pelos Tupis, que,
se estendiam pelas costas do Brasil ou veio com
os invasores ? Pens ser um nome bybrido,
composto de urna radical importada e de um
suffixo addicionado pelos Topis. Vejamos.
Sendo tupi pode ser: Kar-ayna, o mo que che-
bou. do verbo kar. chegar e. ayua mo, ha vendo
udanca de u em b pelo vicio portoguez, ou Ka
raraib. o muito hbil. Ambas as interpretacoes
bem exprimen) as suas qualidades, mas, suppo
Qbo que a otlgem vem do berco de seus ante-
passados. Brasseur de Bourbourg diz : Mais ce
i achve dlidentier cette race (Nabaas) avec
i Caraibes, c'est, ajoute Blas Valera, 13) que
toute cette gnratioa d"honneg si terrible et
al crois taient sortis da Mexique pour pleapler
ensuite celles de Panam, Daen, ainsi qoe tou
tes ees immenses contres qni vont d'un cote
jusqu'an Royaume de Grenaae et de l'aatre jns-
au'au de la de Sainte Martbe.
Ce sont les memos, en eflet, qn'on retroave,
alus bas, bous lea deuominaUons diverses qaoi-1
cae la traditon reor ait conserve goicalement
Ctlesde Cora, cari, coro, cali, etc. doBTla pre
tfre sjllabe eat demeoree atttcae aae foule
Tobas Brrelo -J noticiamos que a mo-
cidade acadmica resolver mandar tira-o re-
trato desse mal logrado bomem de lettras, talen
lo vigoroso e illustrac&o recoohecida, alim de
ser collocado na Facnluaie de Direito deata ci
dade, onde fura elle lente. E, pois, em comple-
mento desta noticia, daims pubcidade a se-
guinte carta, por interessar aquella deliberaba j
o seu objecto, e significar em ana referencia ao
pensamento da mocidade acadmica urna asso-
ciaco que honra ao nosso amigo, que firma a
al ludida carta :
lllm. Sr. Dr. Ttiomaz Gomes Viegas.--Acabo
. I de ler no Diarto de Pernambueo que V. S. e ou-
'tros collega', estudantes da Faculdade de Direi-
to desta cidade, resolveram dar urna prova de
saudosa e resnitosa recordacao memoria do
tifiado Dr Tobas Barreto, tao cedo roubado s
lettras e scieicia deste paiz e s sympatbias e
admirar&o de seas discpulos. Applaadindo com
enthusiiismo tio bella idea, qu falla muito alto
em favor dos sentimentos de seus iniciadores,
venho pedir a V. S. e aos seus collegas perrais-
so para a ella me associar, offerecenio lhes o
retracto a oleo d'aqu i le notavel meslre, atim du
ser collocado na galera da Faculdade~de Direi
to, de accordo umi deliberaco tomada por V-
S. e seos collegas.
Satisfeito por poder auxiliar o bello movi
ment de to dignos e reconhecidos discpulos,
no empenho de honrarera a memoria de uai
grande meslre, significo a V. S. as miohas feli-
citaces e rogo o obsequio de Iransmittil as aos
;eus companheiros por esse pi ocedimento que
muito 08 honra.
De V. S collega e amigo./. Juvencio Fer-
reh-a d'Aguiar. Recite, 31 de Maio de 1890 .
de loealts on ilf taolirent leur scjaar, soit a
aaasant soa'ane maniere permanente. >
(4) afeaoro. Ind. libr. VI cap. 41.
(5) Extt. a nat. cic. du Mu. I, pag. 109.
() Vtu its CorHOem, 1.1, pag.
carro* para varlolaaoaNo caes 22
de Novembro e no largo da Escola M dlo, en-
contrara se carros di-posicAo de quaesquer
autoridades ou particulares, para conduzir va-
riolosos ao hospital de Saol'gueda.
Eaeola waadenitoiiiCora essa honro-
sa denominacao inaugurar se ha no dia 11 do
correle urna ntilissima escola destinada in-
strueco dos misteres da vida martima.
Funcciooar no edificio do Arsenal de Marioha.
sob a direceo do capito-tenente Frederico Ser
rano, inspector do mesmo.
Haveri para cada cadeira 3 aulas em urna se-
mana ja se achando mal aculados oa 10 p ran-
eantes de Piloto e o Sr. Peitosa Jnior.
Eis i distribuico das aulas i
Curso preparatorio
(Arithmelica, Geoaaetrae Trigonometra, como
introdcelo ao estado de navt gacio e astrono-
ma.)
Professor :! lente Montiro de Barros :
Substituto:i lente Horacio Coelbo Lo-
pes.
Curso de pilolagem
1 cadeira
(Navegac&o e astronoma pralica).
Professor:Cap to tenenle Pereira de Souza,
com mandante do Ltberdade.
Substituto :V reneute Frederico Edel von
Hooboz.
2 cadeira
(Apparelhos e manobras)
Professor : Io lenle Rodrgui s Torres,
commandante do Guararapei.
Substituto : 2 lente Jos Joaquim Gnima-
res.
3 cadeira
(Pilolagem especial do porto de Pernambueo)
Profeesor:1* lente honorario Herculano Pi-
obeiro.
Substituto:!* teneote honorario Adolpho
Manta.
A secretaria da Escola est confia ia ao com-
missario de 3* claase Esnesto Leal.
Para a inauguracao que ser solemne e (eita
na presenca das autoridades civis e militares
deste Estado ts sido distribuidos muitos convi
tes.
Appiauodo a idea, desejamos muita prospe-
ridade
*'omeaco de delegado Iliterario -
Em cilicio de 29 do crrante mea communcou o
cW?d4o goveraador ao Dr. inspector geral da
Ioatrucco Publica qoe, por ac*o da mesma data,
nomeou o capitao Jos Geminiano de Araojo Pi-
nheiro. para delegado Iliterario da Luz, e e ba-
cbarel Luis Alonso de Oliveira lardim, para o
mesmo cargo, em Afogados de logazeira.
Coaoe Ib o literario Reonio se bontem
o Conseibo Luterano, em sessao extraordinaria,
eob a presidencia do Dr. inspector geral, achan-
do se presentes os Drs. Pinto Dmaso, Cicero Pe-
regrino, Regueira Costa, Jos Dloiz e os profes
sores Augusto Wanderiey e Fragoso. .
Pelo Dr. Jos Dob, relator d 3* seceo, foi
interrogado o professor Servihano Correa Mam,
no procesao disciplinar que me foi iostoarado
por denuncia de arversos cidadaos residentee no
povoado de Sertaoainbo.
Em seguida foram lidos os segeiotes pare-
ceres :
Da 9- seccao, relator o Dr. Jos DroU, sobre
processo iniciado contra a proressora Mara Prao-
dsea de Barros, couclaindo pela absolvico. -
Foi approvado.
Da mesma seccao e relator, sobre a petico da
profeasocaMarta" Aula de Jess Canpallo, ep
4aacficcusa>aiefaaeMBClivo o pasamento da
graUf caaac de qaa traa a lei o 2020 do auno
pTicn-'tf T' j Has bavia sido coatedida, oca-
clujaricaaaeapetisiooaria est oa caso de fer
attrndrJc.
ioarapai-Reaebemos um folbato, cujo
assumpto a biograaala do genaralicjpio Ma-
noel Deodoro da Fooaeca, chefe do guvfno pro
visorio da Repblica dosTRcsfos-nidos do
Brasil.
Publicado nu capital federal este traboiho por
Cr, que delle encarregou se, no lbum da Re-
pblica, elle agora reeditado nete Enado- pelo
cidado Fortunato Pinheiro, qdf assim procura
dar ampio conbecimento dos feitos dobiogra
phado e extendel o quanto possivel a todas as
classes da nossa sociedade.
Julio do* c. amento* A audiencia
desse juno tem lugar s segundas e quintes fei-
ras ao meio-dia.
Club atepubllcano Martina Jnior
Reutiem se boje s 7 horas da noule os socios
fundadores desse club, no Io andar do sobrado
n. 32 ra de Marcilio Das.
"Ltntprna aarlcaEst em distribuico
[ n.292, edicode hontem. v
o taalaa -E' mais um livro de sor-
tes para as noites de Santo Antonio, S. Joo e
S. Pedro.
Agradecemos o exemplar que nos foi fer-
iado. .
(becada No vapor americano, hontem en-
trado do norte, veio o nosao conterrneo Jorge
Vctor Ferreira Lopes, dislinclo professor de
msica, que Undo de fixar sua residencia neala
cidade, continuar aqu no exercicio de sua pro-
li8sao, proporcionando s nossas familias um
excellente professor para suas filhas.
O Sr. Ferreira Lopes poder ser procurarlo
ra do Barao da Victoria n. 13, estabolecimetito
de msicas do Sr. A. J. de Azevedo.
ote (i radaNo vapor a seguir para o sul
no dia 4 do correnle, embirca para a capital
federal o Sr. Dr. Joaquim de Almeida Pernam
buco, que viera* esta cidade, (ronde natral,
em passeio e visitaba sua familia.
Agr tocemos Ihe a visita de despedida com
que obsequioa nos ; e desejamos, que, aps fe
liz vlagem, tenha a sat.sfacao de chegar ao re-
gaco da familia encontrando a no gozo de todas
as prosperidades.
FiNcalalo do Poco da Panella Do
da 25 ao ultimo do mez de Maio lindo, o fiscal
municipal da mencionada parochia. impoz as
seguimos multas:
A' A'itonio Moreira, de 304000, por ihfracco
do artigo 83 da lei n 1,882;
A' Manoel de Carvalho e Francisco Das dos
Reis, 10*000 individualmente, por teremlnfrin
ido o dieposto no artigo 47 da lei n. 1,129 ;
A* Generlo Alves e Antonio Felizardo de
Araorim Jnior, de 60*000 cada um ; e a Luiz
Goncalves Lourenco, Domingos Francisco da
Silva e Manoel Goncalves Nogueita, d-'301000
individualmente, por contravencao do' artigo 3
da le n. 1,412 ;
A' Cassiano Rodrigues, finalmente, de 6*000,
por inobservancia do nico do artigo 1 da le
n. 1,412
Ciub t de FeverelroEm sua sede or
diara reune-se hoje s 4 horas da tarde esse
Club, em sessao ordinaria de assembla geral,
alim de tratar de negocios de in'.e esse social.
asedie Urainage-Essa companliia trans
ferio o seu escriptor.o para o Io andar do sobra-
do o. 73 ra do Imperador.
Club omitiere!uI Kilerpe -Hoje 00
ba o recreio ordinario, que essa sociedade pro-
porciona regularmente aos seus associados e
convidados.
Motiva esta interrupeo o sarao que a mesma
sociedade tem de dar no dia 7 do corrente.
A' digna directora agradecemos o convite
que leve a fineza de enviar-nos.
Vapor Uai(|u<-i de Caxiao Este va
por da Companhia Bahiana chega hoje ao nosso
porto e deve sabir depois da manh, 3, s 4 lio
ras da tarde para a Babia e escala.
ervteo militarHoje superior do dia
o cidado major Serra Martios, e faz a renda
de visita o cidado ajudante do 14.
O r b-italho dar a guarnico da cidade.
Amanh superior do dia o cidado capi
tao Carvalho, e.far a ronda de visita o cidado
alferes Odorico
O 14" batalho dar a guarnico da cidade.
Blevlaca de- PortugalRecebemos hon
temo ii. de Abril prximo nodo da Revista de
Portugal qoe se publica no Porto. Traz este sum'
mao :
Os Filbos deD. Joo I-Oliveira Marns.
O dis ci pulo Momz Barreto.
Tradueces do lomancero de H. Heine-Jos
de Souza Montiro.
Un romancista da CaliforniaIsabel Lei te.
As minas de salomo-Sider Haggard.
Novos factores da poltica portuguezaUm es-
pectador.
As UnaBCis e a administraco di Dictadura
Brazikira Frederico de S.
Mea amaraaamo-No povoado de Apipucos
eocerram se boie s 8 horas do dia os oblaos
consagrados a esse mez, com missa rezada pelo
conego Eustaquio.
Boa lembrancu Escreveram-nos lera
brando ao diguo ministro da mariuba a mudan-
ca do neme do cruzador Ueduza, que passou al
niamente para o aervico desse ministerio e a
sua aubetituico pelo de Brown, i m bomena^em
a memoria do distincto teneote Henrique
Cbristiaoo li ow.i, fallecido no naufragio do va-
por Baha.
Parece nos acceitavel a idea.
vacelua publica- Na inspectora da Hy
giene Publica foram hontem, pelos Drs. Cer
queira Lete e Lopes Pessoa vacciuadas 4o pes-
soas.
O BinculoRecebemos boje o n. 21 do
anno X des=e heodomadario noticioso e critico.
Boa medida0 zeloso director da Repar
tito do T< legrapho Nacional oeste Estado, tem
em vistas proporcionar ao publico ama medida
para oa interesses deste: a extioccao da laxa de
alto alcance de passagem paga pelo recebedor
dos despachos lelegraptaieoB e para isso se enten
panhias Ferro Canil, de Otinda e Caxang e com
dea com as como governo do Estado aflu de pro-
porcionaren) aos conductores de telegrammas,
quando em servico, passagens gratuitas. Cons-
la-nosmais que o honrado Dr. Pereira Simes
gerente da ferro va de Olinla, acqoiesceudo a
esee pedido, j conceden 5 passes.
C.ub Bepublicaao Pre I Caneca-
Funccionou ante hontem, sob a presidencia do
Sr. Rocha Lima.
O expediente consten de diversas pronostas
para socios, um tolegramma e um officio do
Club Tiradeotes, da Capital Federal e outros do
governador deste Estado.
A ordem do dia coostou de diversas reeolo-
coes, sendo designada urna commssio para agen-
ciar donativos alim de concorrer o club para a
uburipco nacional promovida ao Dr. Martinbo,
de accordo com a circular do governo deste Es-
tado, e outra para representar o mesmo club na
chegada a esta capital da sua oradora, D. Mana
Amelia de Queiroz.
Tigipto -Consta nos que alguos moradores
em Tigipi tratam de crear all urna sociedade
dramtica, com o tim de distrabirem assim os
babitautes daquelle arrabalde.
PalmarenEscrvem nos :
> O antigo Club Republicano de Palmares,
composta de cidadaos independentes e patriotas,
e que antes do auspicioso 15 de Novembro con-
stitua um ncleo de resistencia aos desmandos
e preponderancia lo nefasto gabinete Ouro Prt-
to, reolveu, com excepeo apenas de qualro de
sena membros, reorganisar-se com a denomina-
cao de Club Republicano Orittro de Palmara.
m Para esae nm, e por iniciativa do cidado in-
tendente Candido na Coala Brondo Cordeiro e
outros eocios, installou-se com grande numero
de novos assocrado?, no dia 23 do correte, na
sala da casa do memo Clob, formando urna ag-
gremiaco de demcratas, sincera e desinters-
sadamente dedicados cansa republicana.
Foi eleila a sua directora, pela forma se -
guite:
Presidente, o capito Manoel Jos da Cmara
1" vicepresidente, o capito Joco Dauiel Ma-
deira.
2 rice-presidente, o Dr. Manoel de Barros
Wanderiey.
1* secretario, o cidado Daniel Augusto da Sil-
va.
f secretario, o cidado Manoet
Oradores, o Dr. Jasaioo Ctaro <
va e o acadmico Manoel Caldas
Tnesooreiro, o tenente Antonio
Carvalho.
iite.
nloseoil
Meti.
teiro de
Procurador, o tenente Sydronio Sabino Mon-
tiro de Carvalho.
> Viada a eleico da mesa, foram unnime
mate proclamados socios benemritos, em no
menegem aos servico prestados ideia demo
cratiea. os chefes republicanos Dr. Jos Isidoro
Martios Jnior e Dr. Bernardo Jos da Cunara, e
mais o governador do Estado Dr. Albino Goncal-
ves Meira de Vasconeellos, ocfaefe de polica Dr.
Ernesto de Aquino-Fons'ta e o juiz de direito
Dr. Manoel Caldas Barretto.
vapor Thanaeo-Por telegramma da re-
spectiva agencia, sabe se que este vapor sahir
do Rio de Janeiro amanh, s 3 horas da tarde.
namb Commuuicam-uos dessa locali
dade:
Continua a fu iccionar regularmente e com
grande aproveitamento dos alumnos a aula no-
cturna aborta nesta cidade pelo digno professor
publico da 2* cadeira do sexo masculino Jos
Ignacio de Albuquerque Trindade.
Tema aula, de matricula 43 alumnos, regu-
lando a media de frequencia de 25 a 30.
0 zelo e a dedicaco pelo ensi.no primario
qoe sao innatos n'aquelle professor fazem com
que seja grande o aproveitamento de seus alum-
nos e que o numero destea cresca diariamente .
Rend ment pblicos As seguintes
estacoes arrecadaram em Maio :
Alfandega :
De 1890 944:261*7
1889 7o7:8S680
1888 904:280*756
1887 806:573*250
1886 711:480*2:6
Renda do Estado de Pernambueo :
De 1890 262:668*886
1889 93:351*737
1888 141:600*647
1887 159:068*095
1886 i 4:087*282
Tribunal do Jury do Becife -Hontem
nao houvi julgamento a'este tribunal.
Responderam chamada 35 juizes de facto,
sendo multados em 20*000 os que fa I tarara, e
soiteados os seguintes supplentes :
Freguezia do Recife
Augusto Francisco dos Reis.
Freguezia de Santo Antonio
Francelino Deodato Rodrigues Ferreira.
Carisio do Reg Barros.
Eduardo Pompilio de Albuquerque Maranbao.
"reguezia da Boa-Vista
Jos Paulo Maciel de Carvalho.
Ern-sto Jos Felippe Santiago.
Jos Marques Ferreira.
Jo.- Bi uno de Carvalho.
Eugenio Lauro Maciel Montiro.
Manoel Hugolino Pereira Geraldes.
Dr, Feliciano Placido Pontual.
Freguezia da Graca
Demetrio Accacio de Araujo Bastos.
Alfredo de Car 'alho Paes Barreto.
A sessao h'cou adiada para amanh s 10
horas.
Miuba aenbora-Rogamos a V. Exc. a
nimia bondade de lerna 3.' pagina o annuncio que
hoje inserimos = Ait Paradisdes Dames.
i.eiloea -EnVcluar-se-hao os seguintes :
Terca feira:
Per., agente Pestaa, s 11 horas, ra Duque
de Caxias n. 22, de movis, loucas, vidros e
joias. .
Pelo aeenle Gosraao, s 11 horas, 4 ra Mr-
quez de O,inda n. 18, de un sbralo de um
andar.
Pelo agente Martina, s 10 1/2 horas, no C-
ndano Novo, hotel, de mobilias e accessorios do
mesmo hotel.
Pelo agente Brito, s 10 i/2 horas, ra da
Imperatriz n. 13, da armaco e resto de louca.
Hiccaa fnebreSero celebradas :
Amanh :
A's 7 boras, na*.igreja da Madrede Deas, pela
alma de Francisca Tertuliana de Carvalho.
Terga-feira :
A's 7 horas, na capella de Belm, pela alma
de l). Deoiinda Maria Campeilo Rezende.
PaaoaaetroaChegados do norte no vapor
americano Finance :
E. D. Jenkim, Dr. Esperidifio Tenorio de Al-
buquerque, Jos Vctor Ferreira Lopes.
Chegados da Europa no vapor allemSo
Campias :
Adele Tiaim, F. F. Gie. k, Bernardino BapHs
la, Seratim Pino Airares de Oliveira.
iabrecterla da obra* de coaaerva
eo doa portoa de PernambueoReci-
te, 30 de Maio de 1890.
Bolettm meteorolgico
Horas
9
12
3

m.
t.
!'!
, fe
Barmetro a
O*
22'3
27,3
28',9,
28,5'
26,9
Tenso
do vapor
761-96
762-50
761-88
760*89;
761-35;
17,02
17,65
18,62
t,77
18,42
o
t9
87
65
63
61
70
-29 ,00.
sombra3",7.
Tempe
Dita mnima2,00.
Evaporaco em 24 horas
Chuvanulla.
Direceo do vento : SE durante todo o dia.
Veocidade media do vento2-52 por se
gando.
Nebulosidade media0,"24.
Boletim do porto
ti
ias
30 de Maio
U de Maio
Boras
1-48 da tarde
8-13
2-12 da menh
Alturt
2-,22
0-,59
2-,26
Intendencia Moalelpai do Becife -
Rendimeoto de 1 a 29 28:71 i *848
Da .30.
Mercado de S. Jos 216*440
Matadouro 178,*080
i Remite rio 61 #500
Diversos imposlos 1:376*805,
30.514*073
basa de Betencao -Moviment dos pre
sos da Casa de Detenco do Recife, Estado de
Pernambueo, em 30 de Maio de 1890.
Existaos 514 entraram8, sabiram 8, existem
514.
Naoonaes474, mnlheres 27, estrangelros 13.
-Total 514
Arraojoados 407.
8ens 371.
Doentes 28.
Laucos 5.
Loucas 3.
-Total 407.
Movnento da enfermarla
Teve baixa:
Matbias Pereira da Silva
Tiveram alta :
Eduardo Hortencio da Rosa.
Joo Galdino Moreira
Hospital de varloloao 0 movimento
do hospital de SanU gueda (para variolosos)
no dia 30 do corrente, foi o seguate :
Homens Sulktre
Existiam 99 68
Entraram 4 8
Sabiram curados 8 6
Fallecern) i
Existem 94 67
Hospital Pedro II-O movimento deste
tabelecimento de caridade, no dia 30 da Malo,
foi o seguinte:
Total
167
9
14
1
161
Entraran)
Sabiram
Fallecern)
Existem
Foram visitadas
etos Drs.:
Meacosoas8 1/4.
Cyane Berarao as 9 1/4.
Malaqniaa as 10 1/2.
Pontal ia 10 1/4.
Sstevao Cavaicante s 8.
BnyaaaaT) Bandeira As 40.
Simes iarbosa s 101/4.
Jtao coaJBareeeram os Drs. :
13
7
i
4B3
a respectivas enermartw
45*000
30*000
30*000
em 49, eslao
em 36 esto
Barros So or abo.
Ferreira Veltoso. > 4
O cirurgiio dentista Nnma Pompilio s 8 1/2
horas. {
u pbarmaceutico antrou s 8 1)4 da manh e
alio s 2 da tasan.
O ajudante do pharmacentico entrn s 7 1|2
esthioisoborac da tarde.
Lotera do Balado de Pernambueo
Eis o resultado da extraeco da 4* serie da 1
lotera deste Estado, em beneficio da Sania Casa
de Misericordia do Recife, em 31 de Maio de
189096U> 15.000*000 5447 120*000
4636 1:810 *000 9275 120*000
7463 600*000
Esto premiados cora 90/000 os seguales nu
meros :
1469 4879 5295 11039
E3to premiados com 60*000 os seguintes nu--
meros:
349 2215 3147
3211 5543^ 6318
6338 7861 7925
10719 11840
Estio premiados com 24*000 os seguintes nu
meroa:
9641 9642 96U
9644 9645 9646
9647 96i8 9630
Esto premiados com 18*000 os seguintes n-
meros :
4631 5632 4633
4634 46)5 4637
4638 4639 4610
Esto premiados com 12*003 os seguintes nu
meros :
7461 7462 7464
7465 7466 7467
7468 7469 7470
Approximacoes
968 604000 4637
9650 60*000 7462
4635 43^000 7464
T>. dos os nnmeros terminados
premiados com 12*000. ,
Todos os nmeros terminados
premiados com 9 003.
Todos os numero? terminados em 6 e 9 esto
premiados com 6*000, excepto os terminados
em 36 e 49. .
Ser extraliida a o' serie desta lotera no da
7 do corrente.
Lotera do tirio Par-Eis os premios
da 2.' serie da 37.' lotera do Gro-Par, ex
trahida tm 24 de Maio de 1890:
5955 60:000*0O)
2829 6000*000
'J31 3:000*000
5306 1:200*000
6629 1:200*000
approxmas5es
5934 600*000
5956 600*000
2828 300*000
2830 300*000
2930 180*000
2932 180*000
Esto premiados com 600*000 os seguintes
aumeros:
3873 5Q9 6587 6745
Esto premiados com 300*000 .os seguintes
nmeros: ____
153 436 2499 5586 6931
Esto premiados cora 120000 os seguintes
aumeros:
5931 5932 553 5934 5956 5957
5958 8959 5960
Esto premiados com 60*000 os seguintes n-
meros :
2821 2822 2823 2824 2823 2826
2827 2828 2830
Esto premiados com 30*000 os seguintes n-
meros :
2932 2933 2934 2935 2936 2937
2938 2939 2940
Todos os nmeros terminados em 55 esto pre
miados com 60*000, excepto o da sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 29 esto pre-
miados com 60*000, excepto o da sorte inme-
diata.
Todos os nmeros terminados em 31 estao. pre
miados com 30*000.
Todos os nmeros terminados em 5 estao
premiados com 30*000, excepto os terminados
em 5.
Todos os nmeros terminados em 9 esto
premiados com 30*000, excepto os terminados
A seguinte lotera corre no da 7 de Junho
com o plano de 60:000*000.
Lotera do Hilado de Pernambueo
- A 5 serie da 1* lotera deste Estado, ser ex-
trabida impreterivelmente no dia 7 do corrente
(sabbado), 1 hora da larde, no consistorio de
igreja de Nossa Senhora da Rosario, de Santa
Antonio.
Lotera do Bram-rar-A 4 sene da
37* lotera cujo premio grande de 60:000*,
ser extrahida no dia 7 de Jonho, (sabbado).
A 14* serie da 31' lotera cujo premio gran
de de 250:001*000 ser extrahida no dia .. do
correte.
A 1" serle da 36" lotera, cujo premio gran-
de de 120:000*000 ser extrahida no dia .. de
corrente.
Lotera do Maranb&o A 19* serie
desta lotera cujo premio ser extrahida uo dia 4 de Junho.
Cemllerio publico-Obituario do da 30
de Maio:
Mara Rosa Cavaicante de Albuquerque, Per-
nambueo, 86 anuos, viuva, Afogados; marasmo
senil.
Maria Rosa Dias, Pernambueo, 52 annos, viu-
va, S. Jos; melrite.
Isabel Maria de Jess, Pernambueo, 50 annos,
viuva, Boa Vista ; cyrrhose do ligado.
Delphina Candida Guimares, Pernambueo, 70
annos, golteira, Re:ife ; marasmo senil.
Minervino, Pernambueo, 3 annos, Recite ; va-
rila confluente.
Olga, Pernambu, 6 annos, Boa-Vista ; van-
la bemorrbagica.
Alfredo, Pernambueo, 3 annos, 8. Jos ; vano-
la confluente. .
Senhorinba Maria DorneHas, Pernambueo, 30
anno, solteira, Boa-Vista ; eclampsia.
Mana da ConceicSo, Pernambueo, 19 annos,
solteira, Boa-Vista ; angina galopante.
Capitalina Rosa Nones, Alagoa?, 70 annos,
viuva. S Jos ; aneurisma cartida.
Joanna Maria da Conceico, Prnambu:, 110
annos, S. Jos ; diarrba. .
Manoel Barreto, Peroambuco, 27 annos, soltei
ro, Boa Vala; varila confluente.
Angosto Jos de Siqueira, AlagOas, 25 annos,
solteiro, Boa Visto ; varila confluente.
Julieta, Pernambueo, 18 meses, Santo Amo
nio; convulsea. ._ ..
Justino, Pernambueo, 8 meae, 8. Jos ; diar-
rba
auimira, Pernanbuco, r8 meces, Recife ; va-
rila hemorrbagica. 2 _-
Josepha, Pernambueo, Graca ; umabiudaae.
Temos o Cabellara em casa, mas uo se as
sustem, de modo algum, ob meus amados leito-
res e nio tenham clennos as michas gentilissi-
mas leitoras ..
Nao foi o lendario hroe de diversos actos de
horror que rae fex ama agradavel viita, mas
simuma... obrinba feiuceira,-um Uvrinbo
de luxo, transceodente,em que podis sesta
entilo fagneirarisonbo consultar ...
O Cabelletra portento, um expandido e va-
riado recutil de sortee, receitas uleis, eoygmas,
contos, modinhas, epigrammas, poesas, etc.,
alem de urna linda, bnncalbona e saltitante pol-
ka -Os teus encantos- de Claudio da Gama, es
tejado compositor e applaadido pianista.
Os aaswnptos tem oom desenvolvimento, tra-
zendo o livro multas desopilantes piibeas,
ebeias de caustico e pimenta.
A parte misoellanica escomida, notando se
a Noite de S. Joo, cont, por E. Castellar, o
utnno dos milharaet, fantasa, por Franca Perei-
ra, o Rite, poesa, por GaJdino de Barros, Grati
dao, poesa, por D. Maria A. Queiroz, a Matute
(cntica do norte) de Franca Pereira, em ana se
versos como este :

Ba son Alba doa indios hroes
e das indias Uto bellas
un nobre ftiiBdor;
Mea oiaac stt < *^**1*lf
todo em mim, todo, lata
e b6 falla de amor f
Ai 1 viola
gentil
suspirai,
delira),
L bem subtil
meus amores
cantal I
Vt
o Matulo, de Th. Freir, onde se l :
< Son matulo, son cabra do norte
na faca de ponta
espero por nm t
Quera qu.-ersemetter,
sabir, sO vir I
Aqu estou
p'ra facel os fugir,
A viola gemer
como eu, quem fai ?
treme o chao
no redondo, s'-nh.
Hyn Rae, vigorosa poesa de Jaldino de Barros,
Semita e Nelsir, de Mar ins Jnior, Desenliando e
o Galope, de Tb. Fonseca e Desejos, de Dem. de
Olinda.
Bam bom portante o Cabelleira ; val a pena
possuil o- .

Um dos meus melbores amigos, professor
Freir Jnior, coobecido cantor dos Ritornello
Lyricos e seivoso autor da Patria .Vot-a, escreveu,
a proposito de um mogo esperancoso, as linbas
seguintes que nos damos pressa em publical as
aqui, mesmo por serem firmadas por um nome
vanidosamente coobecido e por visaren) a apre-
se ntaco de um mogo trabalhador e estudioso.
Spencer \eiio
L afgures que a critica para ser justa, deve
ser parcial e apaixonada. E' o que, tal vez, me
aecntecer, ao diter alguma eousa sobre a indi-
vidualidade Iliteraria do Spencer Netto, a quem
coobeco desde creanca ; e que, si nada houyesse
que o recommeodasse, tem ao menos o direito
de amrmar qoe subi por si, pelos seus esforeos
nicos, sendo um reagente, ou meio atrophiante
do nosso pequeo mundo Iliterario.
Estas refleiei me aceudiram ao Andar a lei-
tura de um seu livro indito, intitulado Contos e
Phantasias, que o dislincto mogo vai brevemente
entregdr luz da publicidude.
Ha um genero de litteratura que eu repute
muito fcil para queco quer somente rabiscar,
sem atUnder forma, nem se entregar a nenhu-
tna obsi rvago psycbologica ; mas que muilis-
simo difli'.'il para quem se propOe a observar a
pbeaomenlogia complexa do3 factos que todos
os dias se Ihe antolhatn.-e que procura estreo-
typal-os nos seus trabalho?, com todas as cores.
todos os relevo?, sera nada faltar ao coojunefe
do quadro.
E' o folbetim.
Resultado de urna observaco acurada e de
um golpe di vi la seguro, sao os Mhetins de
Goinnres Joiior, o festejado autor das Curva
e Zig zags, Filagranas e outros trabalhos, ora nc
too serio, ora no humorstico ; no entanlo um
vulente seguidor d'aquelles, com esta nica df-
ferenga :-0 que ha deobservaco nos priuei-
ros, no relativo ao lado cmico da vida, lia tam-
bera no Spencer, relativo a dr, ao sffriraento.
Parece que a sua retiua tixa somente o que ha
de affectiva na ar ou no pezar, deixando ao
lado o que fuz rir co o esta risada caustica c
desopillaute que se encentra a cada passo nos
es^nptos dos primeiros.
Esia cer tez i oblive-a ao lr -Ai victimis que
perdoasm, tentativa de romance, ura cont de en-
redo simpl s, mas desta simplicidade que traz
cima as dores escondidas nos refolhos da alma
e as lagrimas vertidas por causa destas paixes
profundas que nos apparecem urna sO vez na
vida, matando nos oseotimento.
Urna outra nota que se v nos escrifrtos de
Spencer a lyrica. um lyrismo resaibando a
amores passados, que dtixam na alma soleos
indeleves e dores prouffdas.
Esta escolaa lyrico romntica, o Spencer re-
duzio a a qua>i um imprtsswnismo ; elle tea
coocepjSo exacta do muude exterior, mas reduz
0 dominio artstico a um subjetivismo sensi-
tivo Esta especie de impressionismo, cuja de-
liiago ueai ao autor da Philocritica, 6 urna das
subaivki's do naturalismo ; o Sn.Dc.er uo se-
glo o realismo, com a sua eontprehenso*nwmm
das causis extertoies de nossas sensaces, coma
sua intuicao falsa da natureza.
Com algum estu lo mais ser um valente se-
guidor d'uquelld especie de naturalismo, sea
deleito ngobum que se aponte. E' trabalhir ;
tem elementos para ebegar a este resaltado.
Muitas sao as reflexes que teria a fazer so-
bre os Contos e Phantasias, de muita alma, de
muito ervo e sobretodo de urna individualidade
de estylo nica e exclusiva.
Falleceme, porm, o tempo para uto.
O que aflirmo que elle far urna bem rega-
lar estra no mundo litterario e que muita*pro-
teceo merece deste nosso publico que to pou-
co caso faz das lettras patrias
E merece por isto : Elle nao se aprsente
com carta offkial de nenburn dos Iliteratos da
Ierra, nem possue meios pecuniarios que Ihe
fornecam urna eJucaco ; apida e segura.
O que elle tem feito, o que elle deve o a si,
ao seu esforco pe-soal. lutando, acumulando
dia a da, parcella por parcella, a proviso de
seu farnel de dtiettantt das lettras, dividindo o
tempo en re as suas obrigacOes de bureaucratn
e os seus livros.
Lutou braco a braco contra o meio que o que-
ra asphyxiar; lutou e vencen. Que o futura
1 be faca jostica plena e recta.
Quanto a mim, limito me a dar Ihe os para-
bens pela prxima publicaco de seu livro, c
que Ihe ir dar o justo premio de suas locubre-
ges e o lugar que Ihe compete entre 03 poneos
cultores das lettras patrias.Tneotonio Freir.
#**
E por hoje-... ponto final !
Carfos d'Aubeville.
SPORT
Prado Pernamb
E' boje a corrida do Prado Pernambucano, a
cojos frequentadores e amantes das apostas of-
ferecemos os palpites ibaixo :
1," pareo-i.0 Ida-2. Stclia.
AzarTarujo.
2.' pareo1. Arumary-2.0 Pindaro.
AzarFaceira.
3. pareo1. Maran guape2. Maurtty.
Asar. -Tnp y.
4. pareo-rV Don lont-2.0 Paadego.
AzarZngara.
5." parea1.* Cometo2." Torpedo. ~.
AzarFluminense.
6. pareol.9 Caubj*. Colosso.
AzarMaurity
7." pareo4. Florete3 Maran guape.
Aaa--Gerfaat.
E' nosso deaejo que estes prognosticos apro-
veiiem aos que Ibes derem f.
Informam nos qne ser levantada a suspensas
infligida ao jockey Marlins Ferreira.
O punido ja soffna a pena que Ibe foi imposta
ba mais de tres mezes.
HBLKMflES A PEBIDO
Triumpho
Ab eldad* remador do Bs-
vgdo de PerBaBibneeeiopfiBil-
co cbb geral.
Ao comecar a ler o communicado firmado por
Jeronymo Tbeotenio da Silva Loureiro no Jornal
do Recfe de 18 de Abril ultimo, esperado ka
dias formei o proposito de nao Ibes dar respos-
ta alguma, tal importancia qne ligo aos es-
cripias banaes desse individuo, insaciavel no de-
aejo de fazer mal a tudo e a todos ; mas come
ena seu arancel invocou o testemunho de alguna
oanacBOtoc da praca do Recife, resolv mudar
o meo proposito e vir por meio da imprensa fa-
zer ao publico awrallaado e sensato a exposi-
co ftel e peafcda dos factos que me foram em-
prestados pelo referido Loureiro. Esse sennor,
tonO'semare abada a sua navalfea, e pron
aUanoar os seas ferinos golpes a todo o ci
ia,pj#qncom o sea nesdo cenrebau
deprocede.-aerante a sociedade, sem olbar
metoc, entre outros cidadaos deata cidade que
r
l

r
i




:.




Diario A Pernambueor-Dominyo l je Junho de 1890
H
:,
>
.4
1
roeorou atassalhar do dito comraunieadoT deu
lugar mu saliente a miaba humilde pessoa.
Di ase em priraeiro lugar, que em mea abono
podiam fallar alguna negociantes des?a praea
com quem tiTe transaccOes commerciaes. Va-
nos ao calo.
Ainda que o tal individuo, conhecido por Lou-
reiro, nao apontasse sobre isto um so faci,
quix, comtudo, persuadir ao publico, ou pelo
menos deixal o na llusSo, de que nao cosiumo
pairar os raeus dbitos.
Eu habito a 43 annos nesta localidade. desde
o meu nascimento, e negocio com a pracj do
Recife ha 18; rauilos sao os negociantes com
quem lenbo tido trasaces commerciaes, e du-
rante esse lempo, dois sao os casos a que o ex
delegado Loureiro parece referir se, os quaes
8&o seguintea :
Muitos annos fazem que tinba eu transagOes
commerciaes com a casa de Antonio da Fonce
ca e Silva, e baveodo occasiao de dar um abono
a um individuo, este deixou de satisfazer o seu
comproraisso, flcando eu na obrigacSo restricta
de pagar esse debito. Demorei algum tempo
Srocuraado meios de receber do meu abonado a
aportaocia delle, mas sendo infructferas todas
as minbas tentativas, tive de pagar de m nhaal
gibeira essa con la, quandoaquelle mandou por
procurador, liquidar dito debito, em cujo nego-
cio intermediou o mesmo Loureiro, dando o va-
lor que bem entenderam a um predi) que apre
sentei em pagamento, em o qual perdi de prego
a prec)8JJi, e embolsando lhe em Jinbeiro o
restante, n'aqjelle acto; aatisfeito portanlo, o
procurador do Sr. Antonio da Fjnseca e Silva,
nada miis fiquei a dever.
O segundo e ultimo caso, pode muito bem
ser, que o ex delegado Loreiro, queira que sej
o seguate:
Aconleceu fallir a casa do anligo negociante
Manoel Azevedo de Andrade, em occasiao que
eu me acbava a dever um resto de conta, tempo
em que tive tambem de dar bens a inventario
por falleciraeoto de minha mulber; e como se
prolongasse o processo de fallencia da casa An
drade, nao foi apresentado esse debito em in
ventario, apesar de ter eucommunicadoaquelle
sen no r. e nem tilo pouco pncurador para o re
ferido tim ; sendo que mais tarde tive de liqui
dar essa divida com o ar 'emtante da massa
fallida, dando Ibe em pagamente, por saldo, 2
cavados de sella bons ; t quartos c 13M era
dinheiro; tu io a contento da pessoa que veio
tratar da lquidaco.
Se c por esses dois factos que Loureiro recor-
re ao testemunho de alguna negociantes do Re
cife; nao precisa esse traoalho ; elles ah estao
patentes, e desde ja p-ovoco a quem quer que
seja para apontar me quaes os prejuizos que te
nho causado a praca de Pernambuco.
- Presente nente meus dab los n'aquella praca.
sao : um cont e tanto aos Sr*. Machado & Pe
reir um cont de res a Manoel Colaco *:., e
quatrocentos mil ris a Dlpniin Lopes C par-
te dos quaes ainda nao vencidos ; mas abi estao,
ao s em minha loj i, nesta cidade, mercado
rias sulli-lentes para>esses dbitos, como algons
E redios nesta mesma cidade. um sitio costeado
mil ps di cafeeiros de fructo, urna fazeoda
de gados onle se contam mais de IOj rezes,
alm deou ras sitn cOes menores, mm, garan-
ta segara para o meus compromissos; e tado
est conhecido e reconbecido em meu nome ;
nunca ti/, vendido o que possuoa pesso a alguma
em preiuizo de te.'ceiros.
Nunca (tz como o ex-delegado Loureiro, que
se diz lao honrado, que, quando em 1870 e tan-
tos devia a casa de Goncaives Irmos C, cer-
ca de 40 e tantos contos de ris, empenbou se
com o cidado Manoel Bizerra Leite para aceitar
urna escriptura de venda de todos 03 seas bens,
porque nesse tempo via-se em mas coodiees
commerciaes.
Nanea fiz como o celebre Loureiro, que versa-
do em trapazas, aceitou mahciosamen:e escrip
turas de 2 casas e 2escravos pertenceotes a Bal-
bino Telles de Menezes, com o tim de pdl o a
salvo de seus credores.
Nunca Hz como Loureiro, que, devendo ibe al-
gons individuos desta localidade nao pequeas
Juantias, mandou dar-lhes negocio no Recife,
e modo, que quando taes individuos cnegarara
a comprar a prazo por conta propria, tomou Ibes
as mercadonas e etc., pagoi-se dell3, e os ne
gociantes no Recife ficaro no desembolso.
Nunca fiz como Loureiro, que aconselhou a
um mogo nesta cidade para negar em juizo, co-
mo o fez, u l a divida da casa de Antonio Leore
& C, por occasiao de ser accionado em jaizo.
Teve ainda o descoco, o tal Loureiro, de sen-
surar actos meus quaudo, ha tempos, fui delega
do de polica.
Nao precisamos de commentarios; ahi estao
os documentos ns. 1 e 2 que fallam mais alto do
que eu poderia dizer. Este Sr. Loureiro 6 das
arabias ; vejam bem.
Diz no seu m lcente communicado que eu -
como delegado de polica no 7 de Jineiro de
Janeiro de 1889, e por meio de forca armada de
polica, capangas e criminosos de morte, prete
ri a cmara de fuccionar etc.entretanto nesse
mesmo dia, quando se acalmaram os nimos da
populaja, irritados pelas violencias e arbitraria
dades praticadas por esse genio do mal, man
dou elle, que se dizia presidente da cmara, In
serir na acta um voto de louvor ao delegado
(que era eu) o qual lerminava assim : e nao
realisaram os seas funestos intentos devido a
prudencia do delegado de polica. E como
agora fui eu o desordeiro? !-..
Ccrrija se Sr. Loureiro, desse inveterado ba
bito que tem de faltar a verdade sempre em tu
do.
O livro das actas est em poder da Inteoden
cia, e l est a de que fallo ; publica!-a bei s
for preciso.
Basta este facto para chegar se a conelusao de
que o tal homem anda sempre em contradicho
comsigo mesmo. E' singular, que se servase o
Sr. Loureiro das certidftes do escrivo de Pianc
para innocentar sua mulber e seu fllho Zinon
Juaodo notoriamente sabido que o assassinato
s seu ex-escravo Peiro foi feito com um clavi
note de um de seus cunhados, que. dias antes
desapparecera da casa de seu sogro, o italiano
Aogelo Abarlo da Costa, e que o proprio assas
Bino, apparecendo em ama fazenda do termo de
Vilia-B lia onde confesara quem foram os man
daoles de to brbaro crime, conduzia o dito cla-
vinote ; declaran lo cinda, que por tal servigo,
bavia ganho da mulher do Sr. Loureiro a quaa
tu de 50.000.
Querer ainda o dito Loureiro occultar o facto
de ter sea filho Zenon desfechado um tiro de pis-
tola em um ten trabalhador de nome Antonjo,
quando certo, que ordenando Zenon ao dito
individuo, que nao continuasse a carregar algo-
des em urna burra que eslava a eete servico,
mas que determinando sua madrasta o contrario
e proseguindo o lnfelii o'esse trabaibo com o
mesmo animal, irritou-se Zenon e tentn assassi-
nar o pobre trabalhador, em consequeocia de nao
obedecer a sua ordem e tim a de sua madrasta ?
Para esta cidade fizeram oceultamente trans-
portar o ferido, e na propria casa do Sr. Lou
reiro mellen se em tratamento.
Apesar de ser feito esse arranjo as sordinas,
teve d'elle cofihecimento o Dr. juiz de dtreito,
S[ue mandou proceder a corpo de delicio, o qual
oi remettido para o termo do Pianc, onde foi
praticado o crime.
Ambos os processos nao teem tido andamento
al boje, e as cerlidoes do escrivo do Pianc
dramt :num Zenon anda nao est denunciado,
e que D. Emilia Emiliana de Lacorte Loureiro,
nio est denunciada e nem pronunciada pelo que
constado* autos.
Logo, mulher e filho estio iniciados em taes
crimes. hivenio smente morosidade da parte
do fuaccionarios da justica.
O cidado governador do Estado da Parahyba
Dr. ebefe de policia, providenciem para a pu-
nico dos criminosos.
Em minha vida poltica tenbo oceupado por
diversas vezas, e desde mais de 20 annos os lu
gares de subdelegado e delegado de polica, sup-
plente de jais mnnicipal e vereador de cmara
nunca soffri nenhuma censara, e nem adquir
desaffectos ; entreunto o ex delegado Loureiro,
exercendo pouco dias o lugar de presidente da
caraira d'esla cidade, j foi processado por de-
oaacta de promotor publico da cemarca, cujo
processo est em grao de recurso na Relaco ; e
no oro criminal d'este juixo existe anda um in
a^ifc> contra si, pelo arrotubemento qw prau-
cara na porta do Paco Municipal no du 7 de Ja-
neien do hiimi peaaartft
Da anda o desalmado Uvsira, qae fei um
pocumenlo garantidor da orde Mblica, nos
poucoe dias que foMeafado de potfeia; chamo
aaitenco do peMca para o docasMoto n. 3,
tros, que provocaram geral iodigaaco, provam
o cumprimento de semelbante ordem.
E', com effeit), exacto o attestado do juiz de
direito d'esta comarca, porquanto todas as des-
ordens praticadas pelo ex delegado foram dadas
antes da chegada do Ilustre jais, que infeliz
mente nao foi testemaoha de seus desacatos.
Bem conhecidos sao os signatarios do mani-
fest publicado no Diario de 22 de Pevereiro, a
que se refere o commualcado do Jornal de 17 de
Abril; e d'entre o numero de mais de cem cida
oos que annairam ao manifest, achou o Sr.
Loureiro smente seis que lhe deramattestado",
porque em virtade da ma crise que atravessavam
viram sena contingencia de'constituirem se em
obrigago pecuniaria para com o referido Lou-
reiro, que os amaacava se nao Ihes fornecessem
laes atistalos, sendo que, mandava o pobre as-
tuto incauto assigoar em distancia tal que po-
desse depois augmentar, a seu bel-prazer, elo-
gios a sua pessoa.
Re tivamente ao meo particular amig> o cida
dao Olympio Elysio do Nascimento Wanderley.
limitou se o detractor a accusal o das scenas de
7 de Janeiro, a que elle proprio deu cansa for
gando a porta da cmara, chamando assim a at-
tenco da populagio, que espontneamente se
agglomerou para impedir semelbante absurdo.
O honrado negociaole Olympio Wanderley,
sempre teve a sua frojte sem mancha, e nunca
praticou em sua vida publica, e mesmo particular,
um acto siquer, que fosse digno ao meaos de li
geira censura ; e, em sen nome provoco ao ex-
lelegado Loureiro para provar o contrario ; e do
mesmo modo, que aponte e prove qual a delapi
daga j que fez o distiacto cidada Manoel de Ma-
ra e Souza Guerra, quando procurador da c-
mara na presidencia do vereador Manoel Antonio
de Souza Dinis.
lito posto, o Sr. Loureiro substituio na presi-
dencia da cmara ao vereador Diniz ; po'que dos
meios legaes em direito oio usou, contra o pro
curador Manoel Guerra, que contiauou a exercer
o mesmo lugar oa cmara a coatento do Sr. Lou
reiro?
O cidaiao Manoel de Mara e Souza Guerra
bemlahe^do o'esia trra, e doloroso que se
lli; impute factos taes, e taato assim que a In
tendencia d'este municipio, que composta de
tres membros de cxccplarissimo comporta nen-
io, Heis modelos de integridade, o nom.'ou seu
procurador.
E' bem de ver, que s um corago de ferro po
der atinbuir a um cldado em c:idig.'s taes,
factos que nuaca praticou.
As despezas da aatiga cmara feitas pelo dito
procurador, qua sempre preslou suas contas
inensalmente, eratn documeaiadas com os com
ptenles recibos e dentro da esphra das res-
pectivas verbas; tolos esses documentos foram
remettidos ao ciiado presidente da provincia, e
quem os examinar se convencer do contrario do
que diz o celebre calumniador.
Perdo me o publico Nao posso deixar de la
xar a esse ente abjecto, que acode pelo nome de
Loureiro, de infame, vil e mesquinho detractor
e calumniado" da repulago albeia, desde que re
ferrado-se ao cidado Jos- Balgabiao Googalves
Lima, diz que este anciopretende um lagar
de vereader da cmara d'esta cidade por meio de
urna fraude eleitoral, ridicula.
Onde est essa fraude, quanHo por nudanga
de domicilio do vereador Mmoel Jos de Almei
da Pimeatel, o Exm. Sr. presidente Araujo Ges
mandou proceder nesle municipio, eleigo para
a vaga deizada, designando o dia 6 de Maio do
aono passado para ter lugar a referida eleigo ?
Onde est ese ardente desejo do cidado Bil-
gabino de ser vereador, quando, sendo lembra-
do por maior parte dos eleitores para esse lagar,
empregou meios arlin de elegerem outro cida-
do, que nao elle, atiento o seu estado de sa le
e ida le a va ng ida cono foi testemunha o publi
co em geral desla cidaie 1 Que se examinem ua
Secretaria de Palacio as ordens expedidas para
tal eleigo, e se ebegar a saber quem o men-
tiroso. .
Sei que o ex-delegado Loureiro capaz de la-
do ; mas ser muito cara dura II...
Se um acto licito, mandado praticar por auto
ridade competente, como foi a eleigo de 6 de
Maio, Loureiro o cassifica de fraudulento, per-
ante o publico, que tu lo presenciou, como nao
lera coragem para dizer que o cidado Balea
bino falsificador de tirinas ?!..
Isto nao se commenta.
Nao preciso esforgar-me para tornar conbeci
do esse honrado cidado. O seu modo de pro
ceder, desde sua infancia, graogearam a geral
estima de todos que o conhecem. Que se re-
volvis os cartorios de Villa Bella, onde fui elle
tabellio e escrivo maitos annos ; que se pe
gara infnrmages aos homens de criterio, e se
ebegar a realidade de tudo quanto avaogo a seu
respeito.
Nao escapou da liogua viperina do sanhudo
Loureiro, o preslisnoso cidado Emilio da Silva
Costa, homem honesto, respeilado'-, de louvaveis
precedentes, que tem prestado causa publica
os mais relevantes srveos. Sinto qua esse
amigo dedicado me tivesse prohibido de tratar
de sua pessoa ; declarou me que as settas que o
sea detractor) Ito arremessava vinham de to
baixo que nao lbe tocavam o calcauhar. Nao
sei a que veio no pasquino do ex-delegado Lou
reiro, o nome do cidado Joo Bezerri Leite. Es
sedistincto mogo qnestiona, ha mais de 8 annos,
com o ref rido Loureiro sobre gados litigiosos
que eete comprara a sua madrasta; tem procu
rado na justiga o seu direito, sem asar de meios
frudulentos e illegaes ; e como a ningoem ve-
dado procurar na lei a segura garanta para fa
zer valer o sen direito, obvio que nao commet-
te, com esse procedimeoto, falta alguma perante
a sociedade; antes d ama prova robusta de
que amante da ordem, desde que s procura
por meio da legislago do nosso paiz, disentir
aquillo a que lera ras.
J me ia esqueceodo :
O publico deve estar lernbrado anda de um
artigete publicado no oraal do Recife de 15 de
Fevereiro de?te anno, p assigoado eos duplcala
por Antonio Benigno de Souza Ferraz, incensan-
do de adnlages ao ex-delegado Loureiro. Sa
bem quem esse A'nonio Benigno? E' o mes
mo que, ha bem ponco tempo, o dito Loureiro de
nuncios ao presidente da provincia como ladrfto,
por ter roubado, em tempos idos, a collecto-
ria da Villa de Flores.
Em meu poder se acba a copia desse precioso
documento de denuncia. E' deste modo; o Sr.
Loureiro sempre vive cercado de typos taes.
Escrevendo estas liabas para o publico sensa
to, nao tenho esperanzas que o ex delegado Lou
reiro raade de vida e se regenere, nem mesmo
as duas surras que levou as mas publicas des-
ta localidade o fazem mndar de rumo.
Se tosemos analysar os factos indecorosos
praticados pelo dito Loureiro, como bem sejam :
venda de escravas deixando tilhos menores-de 8
annos, contrabandos de gados e algodo do Es
tado da Parahyba, onde j tem perdido diversas
cargas por apprenenso, venda de escravos cri-
minosos, tentativa de enveoenamenlo a nma fa-
milia no Recife, espancamento feito em um cer
to velho, conhecido por Costa Caceto, por seas
escravos a sen mandado, por cujo motivo foi
mettido na euxoa da Villa .de Flores; emfim,
innmeros factos que taes, nao nos sobrara tem
po para tratadnos de nossas obrigages pes
90368
Eis o bomem que tem a velleidade de dizer
que o mais honrado e moralisado destaterra.
Ultimando declaro, que os signatarios do mani-
fest publicado no Diario de 22 de Fevereiro
deste anno, muito se regosijaram por ter o ex
delegado Loureiro os ciassittcado iguaes a um
Emilio Costa, e, respondendo por todos elles,
despego me, para nao mais voltar imprensa
sobre tal assumpto.
O publico em geral que pese as calumnias do
tal Loureiro, e confrontando as com a verdade
dos factos, Ibes d o valor que ellas merecem.
Queiram, Srs. redactores, dar publicidade a
estas lionas, que muito.ihe agradecer o seo
constante leitor.
Triumpro, 17 de Maio de 1890-Jiao*/ d*
Souza momUro.
Eslava sellado e reconhecido.
civil e
2. Se coasta a V. S de que forma procedu o
supplfcante no da 7 de Janeiro do anno passado
quando Jeronymo Taeotoaio da Silva Loureiro e
outros v 'readores, arrombaram a casa da 6a-
mir Municipal deita cidade eque sacrificio fez
o supplicaote, athn de nao haver um grave con
dicto.
3." Qual o conceito que do supplicanfe forma
o publico deite e dos visinhos termos, nao s no
carcter de empreado publico (quando o era)
como tambem no carcter de particular.
4o finalmente, qual o cornportamento
moral do suppcanie.
Pede que lhe atieste o que f.' justo, certo e
verdadeiro. E. R. Merc.
Triumpbo, 9 de Maio de 1890.
Mauoel de Souza Mrateiro.
Attesto que durante o tempo em que exerc o
cargo de promotor publico desta comarca de
Villa Bella a que pertencia a actual comarca do
Triumpbo, encoatrei no supplicaote, .urna auto
ridade enrgica, mo-alisada, cumpridora exacta
de eeus deveres, manutenedora da ordem e tran-
quillidade publicas, alem de um cavalheiro dis
tinctisiiao, e jamis vi ou me coostou que,
durante o exercicio do supplicanle como dele
galo de policia, andassem dentro da cidade do
Triumpbo criminosos armados, visto como o
moda digne e respeitavel pelo qual se porta va o
supplicanle nao dava lagar a laso ; bem como
que devido a attitude enrgica do supplicaote
nao nouve lamentar se, no dia 7 de Janeiro do
anno prximo pausado scenas violentas e des-
agradaveis na mesma cidade-
Al .esto mais por ser urna verdade incootesta-
vel, que o supplicante goza do melbor conceito
nao no termo de sua residencia como nos
demais termos, rom especialidade n*este de Villa
Bella, visto ser exemplarissima a sua couducta
civil e moral.
Villa Bella, 12 de Maio de 1890.
Landelino Cmara.
T1
Iilm. Sr. Dr. juiz municipal deste termo do
TnumphoMmoel de Souza Monteiro, nego-
ciante e residente nesta cidade do Triumpbo,
precisa a bem da verdade e da justiga, que V.
S. lbe atieste ao p desta o seguiute :
1.* Se quando V- S chegou o anno passado
neste termo, que assumio o exercicio do cargo
de Juiz municipal e encontrou o supplicante ao
exercicio de delegado de policia deste termo, se
V. S. vio a menos dizer anteriormente, que
transitassem as ras publicas desla cidade cri-
minosos armados e iucommodando o eocego pu-
blico.
2. Se consta a V. S. porque forma procurou o
suplicante no dia 7 de Janeiro do mesmo anno,
quando Jerooymo Tueotonio da Silva Loureiro e
outros vereadores da Cmara Municipal desta
cidade, arrombaram a porta da mesma, e que
sacrlBcio fez o supplicanle afim de nao haver um
grande conflicto.
3." Se na noite do dia 24 de Dezembro ultimo,
vio ou ouvio dizer que os soldados do destaca-
mento espancaram alguns paisano?.
4 Qual o conceito que do supplicante forma o
o publico desta comarca e das visinhas, nao s
no carcter de empregado publico quando
era), como tambam no carcter particular.
5." Finalmente, qual o cornportamento civil e
moral do supplicante.
Pede que lhe atieste o que fr justo, certo e
verdadeiro. E. R. Merc.
Triumpho, 14 de Maio de 1890.
Manoel de Sonza Monteiro.
Attesto sob a f de meu cargo que quanto ao
Io quesito, nunca vi nem ouvi dizer que o
supplicante no carcter de delegado de policia
deste termo consentisse que os criminosos tran
sitassem armidos pelas mas desta cidade e
sempre constou-me que era urna autondade
enrgica e garantidora da ordem publica ;
Quanto ao 2 que, estou informado j>or pes-
soas fidedignas que o supplicante como delegado
de polica, no diu 7 de Janeiro de 1889 procedeu
c dar um grande coaflicto, taato que lendo a acta
da extracta Cmara Municipal do referido dia, vi
o elogio que fez o respectivo presidente ao sup-
plicante pelo procelimento que leve ;
Quanto ao 3 que, verdade que na noite de
24 de Dezembro de 1889, oa occasiao que se
celebrava a miaja de Natal, foi eapancado um
individuo pelas pragas deste destacamento, e
chegando este facto ao meu conhecimento, im
mediatamente dirigi me a cadeia desta cidade e
vi om individuo pre30 e com urna das maos
cortada e ento censurei ao subdelegado e ao
cabo commandante do destacamento, que se
arhavam presentes ;
Quanto ao 4 que, o supplicante goza de muito
bom conceito do publico desta comarca e das
vi liabas tanto no carcter de empegado publico
quando era, como no carcter part miar, e que
um pai de familia exemplar ;
Quaoto ao 5 que, o supplicante tem ptimo
comportamoto civil e moral-
Triumpbo, 15 de Maio de 1890.
Maaoel Jos Rodrigues Pioheiro.
N. 3
desta
Cidado commandante do destacamento
cidade do Triumpho.
Oljmp.o Elysio do Nascimento Wandi/ley.
morador nesta "cidade precisa, que vos dignei
t testar ao p desta se. o d.degado de policia des-
te termo Jeronymo Theotonio da Silva Loureiro.
por occasiao de dar vos suas ordens, com rea
gio ao policiamenlo da cidade, vos ordenou que
preodesseis ou espaldeirasseis lo cidados que
se desviassem da senda d) dever on commettes-
sern qual quer infraego da lei.
Pelevos dignei alieslar na forma pedida.E.
R. M.
Triumpho, 11 de Janeiro de 1890.
Olympio Elysio do Nascimento Wanderley.
Atiesto que o cidado Jeronymo Tneotonio da
Silva Loureiro, chegando no quartel desla cidade
e estando o soldado da 4*. companhia por nome
Aleixo Monteiro Leite, sentado e na occasiao de
levantar-se a mesma autonda le, bradon que se
desobedecessem s ordens delle, que espancasse
e em ltimos casos matasse, que assumia a res
ponsabilidade.
Quartel do commando do destacamento de
Triumpho, 11 de Janeiro de 1890.
Hodolpho Lopes de Siqueira,
2* sargento commandante
(Estavam sellados e reconhecidas as firmas na
forma da lei).
Milita atteoqao
de !S90,-^-0 escrevente juramentido, substitui-
do o escrivo na forma da* ei, a sabsarevi.
Luiz Femondes Ca'uitt. O abaixo assignado, legitimo cesionario dos
Vistos. Dou provimento ao recurso ex officio, bens deixa los por Jos Cordeiro do Reg Pon
interposto do despacho de Rs. 30, para aanullar, tes, fallecido nesta cidade dd Recite, deparando
como annuilo, todo o presente processo por ha
4er nelle infraego de lei, que constitnisse nulli
com um annuncto inserto no uiarto de 3 do
corren te, offerecend- daquelies predios venda,
dades insupprlveis. Houv'e infraego de lei,! previne ao commercio e ao publico deste e aos
nao se observando o seu preceito, desde que na mais Estodos Unidos do Brasil que nao fagam
denuncia de jaibas nao foram nomeadas as trs- transaego alguma com os bens abaixo declara
temunhas, que tinaam de jurar, como imperati-! dos, pertejjeutes ao mesmo espolio ; pois que,
vamente manda 6 art. 79, g 5o do cdigo do pro-os tribunaerdo paiz ainda.nao se pronunciaram
cesso, nullidade esta j decretada pelo A'cordo definitivamente a respeito, e por isso estando
da Relaco de Ouro Preto, em 24 de Maio de, disposto a bavel os do poder de quem os ti ver
1878. Essa falla da denuncia, de ..Igum modo; por qnalquer modo faz a presente declarago
deu causa a oatra mais grave, qual a de nao te
rem sido ctalas as lestemunbas, que deposeram
na formagao da culpa, e que por esse facto, per-
deram o seo valor jurdico.
A falta de ciUcao das testemunhas, compro-
vada pela certido do oflicial de justiga. a fls. 15
v., confessada por ellas. Assim, a segunda, a
fls. 19 v, declara que veio a juizo porque o
subdelegado de Mutuas, Joaqaim Bezcrra Ca-
valcante, lbe disse-a que vieste a esta Cade
para diz-.r o que liona ouvido do aecusado Ma-
noel Vilella.
A terceira, a *. 21, declarou que o subde-
legado Lanlido Feij de Mello lhe disse que
viesse depr.
A quinta, a fls. 2'i, confessou positivamente
que uia;uem a notificara, mas que tomara a
resoluco de vir depr. > Esse modo illegal,
por que comparecern: as testemunhis, taato
mais digno de nota, quaoto os acensados alie-1
gavam ter soffrldo violencias por pare do me3-'
mo subdelegado, que as mandara vir. No am-
para que mais tarde nao se allegue ignorancia
ou boa f por quem queraue seja.
Os beos sao os segu o tes :
Urna casa terrea ra Imperial a 48.
Urna dita dita ra do Noguriru n. 33.
. Um sobrado no pateo de S. Pedro n. 3.
Um dte na travessa do Carmo n. li.
depu-
Lembramos os cidados seguintes para
tados:
1 Dr. Ambrosio Machado da Cunta Cavalcante.
2 Dr. Jos Isidoro Martins Jnior.
3 Dr. Joao Augusto d > Reg Barroj.
4 Dr. Joaqaim Correia de Araujo:
5 Dr. Joo do Oliveira. -j^-
6 Baro de Granito. 4
7 Biro de Lucena.
8 Conselbeiro Francisco de Assis Rosa
9 Dr. Jos Bernardo G. Alcoforado.
Sil
va.
AS YIGTIMAS DAS FKBRlt
O Elixir anti-rebril Cardaso. appr-
vado em 21 de Marco deste anno pela Inspectora
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vem boje
apresentar-i>e bumauidade soffredora do mun-
do inteiro, como tabea de salvacSo que ao infe-
liz naufrag lbe enviada pormo omnipotente!
O Elixir antf t. bril Cardlo, appli-
cado em muitissimos casos de febres, tem, coma
por milagre, levantado do lelto da dor a comple-
tos moribundos.
Este remedio, composto smente de vegetaes
ioleiramente iaoffensivo, anda mesmo amis
mimosa e tenra chanca.
As senhoras, no estado de paridas, ou no pe-
riodo- de incommodos naluraes, podem usal o
semTeceio algum.
*
Depsitos
mo suDaeiegaoo, que as manuara vir. o ani- ,0 Df AuKU9t0 <]oe!ho de Moraes.
mo de quem respeita o direito, smente esse fa u Dr j03 Vicente Meira de Vasconcelos,
cto bastante para crear suspeigo acerca do
porventura ellas deposeram- A falta de ci
qne porventura ellas depozeram- A
tago de testemunhas nullidade substancial re
conheclda pela jurisprudencia, porque a citagao
estabelecida em beneficio da ordom e interes-
se publico; caso em que a nullidade deve ser
pronunciada pelo juiz, ainda que ao argida
pelas partes.
Portan, dando, como j disse.jirovlmcnto
ao prsenle recurso, julgo sem effeito o despa-
cho de pronuncia a fls. e nullo todo o processo.
E mando que seja instaurado, em que sero ob
servadas as prescripges e formulas garantido
ras do direito ; pagas as cu stas pela la tendeo
cia.
Palmares, 6 de Maio de 1890. Manoel Caldas
Brrelo.
E nada mais se cootinhi um dita sentenga
aqu fielmente copiada do proprio original, ao
qual me reporto e dou f.
Subscrevo e assigno. Palmares, 23 de Maio
de 1890.O escrevente juramentado, substituio
do o-eacrivo, dou f.Lua Fernanies Calule
lo Dr.
*os Izldoro
Jiiulor
Mar/ ios
O partido republicano de Pernambuco estra
nbanJo que um correligionario, tal vez em mo-
mento de pouca reflexo, viesse imprensa de
nunciar as discusses intimas que se passam no
seio do partido, protesta contra a ordem que se
pretende impor.
J l se foi o tempo do rgimen ferrenho da
mona cha do perinde ac cadver.
Estamos no rgimen da liberdade.
0 direito de reunio nao pAde honestamente
ser posto em duvida por quem quer que seja.
Somos um grupo de homens livres promptosj
a fazer valer a nossa sinceridade poltica.
A reunio projeclada afim de ser arganisado
o directorio do partido, do qual provavelmente
faria parte o cidado Martins Jnior nao se real i
sar por emquanto ; flear ad ada para occa-
siolmais opportuna.
Nao porque seja temida a attitude hostil do
soi disant director, mas porque espera-se que o
digno governador deste estado, o illuslre Dr.
Albino Metra, de prova da sua conhecida ener
gia e autonoma reagindo contra a posicao hu-
milde a qne o querem reduzir^ porque espera-
se que o 3* vice governador acompanbe o pro-
cedime.nto altivo e brioso de seus dignos com-
panheiros, depois que' foi desautorado pelo lele
gramma do Sr. ministro da fazenda ; porque es-
pera-se que o cidado nomeado chefe de policia
renuncie o cargo incompativel com a sua digni-
dade poltica e pessoa!.
O partido republicano de Pernambuco fiel ao
manifest de 88, convencido de que o marecbal
Simeo era capaz de harraonisar a polilic deste
estado, lastima que o signatario da provocaco
ii conveniente de hontem tivesse sido o elemen-
to perturbador estabelecido entre o marecbal e
o governo provisorio.
O partido republicano de Pernambuco quer a
confraternisago de todos 03 bons brasileiros;
3uer a pax ; quer urna poltica larga e despren-
ida de odios e retaliage3; qaer o mais com
pleto esquecimento de lodos os desgostos em
proveiio da patria.
Do aesmo modo que depois de 13 de Maio
di3soIveu-se patriticamente o partido abolicio-
nista, depois de 15 de Novembro nao ha mais
razo para divergencias pueris entre republica-
nos e ex monarchistas.
De resto, o Dr. Martins Jnior, fllho do povo,
como nos outros nao infallivel e ainda meros
sagrado.
Recife, 31 do Mala de 1890.
O partdo republicano
N. 1
Iilm. Sr. Dr.jois de direito interino di co-
marca de Villa Bella.Manoel de Souza Monteiro,
negociante e morador nesta cidade do Trffcmpho,
[incisa a bem da verdade e da justiga, que V. S-
he atieste ao p desta o segrate :
9 Se no tempo qua V. S. exercen o cargo #e
promotor publico desta comarca fie este ter-'
oto era perteaceote esa* comarca, em cojo
lampo o supplicante exercia o tarto de delegado
de polica dette termo, vio, ou onvw toetr qtk
Mmufin as ras panucas desta cidade erial-,
Msot armados iacomawdeoea tiflwllid4*
- Palmares
Ao Jeronymo Paturat que, na Provincia de 17
do correte, sb o pseudonymo Veritas accu
sa o juiz de direito desta comarca, por haver
concedido nma ordem de kabeaicorpus a favor
de dous individuos, que se achavatu presos por
crime de furto de cavallo, offerecemos a certido
do sccordo do Tribunal da Relag2o, que contir
mou por uoaoimidade o acto profligado ; e bem
assim a do despacho do mesmo juiz, annullac
do o proces.o instaurado coaira aquelles indivi-
duos.
OUtras certides extrahidas de auto publica-
remos, si raister fr.
Maio, 27.
Accordo em Relago: Que foi feito o sortera
do esvylo, expostos e discutidos estes autos de
recurso crime da comarca de Palmares, em que
recorrente o respectivo juiz de direito e recor
ridos os pacientes Manoel Viltela de Lima e
Francisco Antonio da Silva; negam provimento
ao recurso e confirmam a deciso recorrida por
seus fundamentos e provas dos autos, e condem
nam o subdelegado de Mutuns, Joaquim Bemrra
Cavalcante, as cusas em tresdobro. flcaado
nesta parte reformada a deciso recorrida.
E verificando-se que os pacientes, depois de
illegalmente presos, foram espancaos pelo sub-
delegado em exercicio do districto de Mutuns e
de sua ordem, decretan) sua respoosabilidade
pelos crimes do art. 145 e 201 do cdigo crimi
naJ, crimes connexos, e mandara que para se fa-
zer effectiva a respoosabilidade, s remella c
pia conferida e concertada de toda o processado
ao promotor publico de Palmaros para dar a de-
nuncia. Emquanto aos demais co autores do es-
pancamento dos nacientes, tratando-se de cri-
me particular e aangavel, e nio ae lendo dado
a priso delles em flag.ranle, usem, os pacientes,
querendo de eu direito de de qpixa.
Recife, t da Maio de 18. QitMtno ie Miran-
da, presidente; Ptres ferrara, Monttin e A
drat, Atmttia Santo.
Est conforme coa o original, doa f.
. Subscrevo e aselfu* Palaure, 23 *! Ma
12 Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
13 Dr. Francisco do Reg Barro3 de Laerda.
14 Conselheiro Dr. Antonio Googalves Ferreira
15 Dr. Ulysses Machado Pereira Vianna.
16 Dr. Annioal Falco.
17 Dr. Joaquim Jos de Almeida Pernambuco. .
18 Dr. Bernardo Jos da Cmara.
19 Dr. Luiz Caldas Lins.
20 Dr. Manoel Gomes de Mattos.
21 Dr. Raymundo Biodeira.
22 Dr. Arminio C. T. dos San'ns.
23 Dr. Felippe de Figueira Faria.
Para senadores :
Conselheiro Joo Alfredo Correia de Oliveira.
Conselheiro Luiz Felippe de Souza Leo.
Um eleitor.
Ao commercio
Os abaixo assignados participara ao pu-
blico e ao commercio em geral qne o Sr.
Ignacio Manoel de Carvalho Miranda
deixa de ser empregado em sua casa, a
comecar do 1. de Junho em diante, agr
decendo os mesmos ao Sr. Carvalho os
servidos prestados durante 9 annos, mos
trando em :odo esse tempo fidelidade,
dedcacao e actividade.
Recife, 31 de Maio de 1890.
Esnaty Rodrigues & C.
Ao commercio
O abaixo assignado participa ao com
mercio em geral que a comecar do l. de
Junho deixa de ser empregado dos Srs.
Esnaty R-.drigues 4 C aproveitando a
occasiao para testemunhar-lb.es a gratidao
pela del i cade sa e attencSes que os mes
mes lhes dispensaram durante o tempo
em que foi seu empregado.
Recife, 31 de Maio de 1890. w
Ignacio Manoel de Carvalho Miranda
OGOOCXMK WC-COQ OOCOOC>X>OOOt>3<>X>>>XO0<^^
| i I
i D. Francisca Mara de Jess pelo seu |
| anniversario Datalicio
| Recife, 1 de Junho de 1890.
1 H L' I*
>eoooaooo oxkxkmcc< *mw xnax-yxoou.x/xc 0050 ooco*

Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
dade de molestias de senhoras e creanas
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, 1 andar.
Consultas de 8 aa 10 da manhl.
Chamados (por escripto) qualquerhora
TELEPHONE H. 226
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da Silva
* C., ra Mrquez de Oliodi n. 23.
Pharmack Martins, ra Duque de CaxJas
n 88.
Pharmacia Oriental, ra Estreita do Rosan
n. 3..
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Bare da
VlM>na n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Imperatnz
u 49.
Para qnalquer explicago podem dirigir-se ao
autor Manoel Cardoso Jnior, ra Estreita de
Rosario n. 17.
Dos innmeros altestados que-temos, damos
em segniia principio a sua pablicago; e isto
bastar para que sejam conhecida9 as virtudes
do Elixir anti febril Cardoso.
Altestados
N. 21
Iilm. Sr. Manoel Cardoso Jnior.-Declaro que
a sua tintura antifebril um excellente remedie
para curar febres, tenho experimentado em dif-
ferentes casos as cinco gottas de seu remedio em
quinze grammas d'agua para tomar esta dse de
duas em duas horas, nos casos de febres adyna-
micas, gstricas e inammatonas, em poneos das
licaram os doeotes completamente restabeiecidos,
pelo que lhe agradego a offerta que me fez de al-
guns vidros de sua tintara.
De seu amigo obngado Adtlpho Farias.
Recife, 28 de Janeiro de 1890.
N. 22
Iilm. Sr. Manoel Cardoso Jnior.E' com pra-
z:r que lhe participo que seu preparado denomi-
nadoElixir antifebrilapplicado pelo Sr. Dr.
Miguel Themudo Lessa na pessoa de oreo irmo
Jos que se achava atacado da febre amarella
confirmada por dous mdicos d'esta cidade, fot
de urna efficacia a toda a p'ova, pois conseguio
restabelecel o no espaco ds oilo dias.
Pode Vine, dar pubhcidade a estas liabas, easo
lbe conveoha.
De Vmc: ltenlo venerador e criado Joaquim
Antonio Ribeiro.
R'cife, 55 de Abril de 1889.
_
N. 23
Recife, 10 de Margo de 1889.
Amigo e Sr. Manoel Cardoso.-Grande salisfa-
gSo tenho em dar-lhe o presente certificado por
pensar que poder ser de benefi.io humanida-
de soflredora. Tomei smente quinze gramaas
do seuElixir anti -febril -administrado com as
prescripces exigidas-por Vmc., o quanto foi
bastante para curarme de urna febre intermit-
iente que ba cinco dias me persegua.
Pode Vmc. fazer d'esta o uso que lhe convier.
Sou de Vmc. amigo e criado altenciosoor-
berto Guimaraes Filho.
N. 24
Iilm. e amigo Manoel Cardoso. Recife. A pre-
sente tem por fias testemaobar lhe o meu grato
reconhecimenlo, por ler empregado o seuElixir
anti-febrilem urna menina de quatorze annos,
tutelada de minha familia, que sendo accommet-
tida de febre lyphoide apreesel me em chamar o
meu amigo e illastre clnico Dr. Miguel Themudo
que, com a attengo que lbe peculiar, adrarais-
trou to bem o seu poderoso invento qu no flm
de tres dias salvou a minha doente de lio hofri-
vel nial.
Pode Vmc. fazer em qualquer tempo o uso que
lhe convier d'este meu humilde attestado tribu-
to da mais alta gratidao.
Seu amigo e criadoJorge Cooper,
28 de Junho de 1889.
N. 2o

Todas aa nos
'Si* merca ao
riaa Ao rece-
bida directa
mente da Eu-
ropa.
1
Amanha, segunda feira
A's 6 horas da tarde
2 de Junho de 1890
* i
Eu, abaixo assignado, declaro que um meu fi-
lho de oito para nove annos, estando com. ama fe-
bre extraordinaria, e que disiam ser febre ama
relia, lhe appliquei oElixir anti febrildo Sr.
Manoel Cardoso Jnior e no (pago de seis horas
desappareceu a febre.sem mais remedio algum
: lhe applicar, dias depois deu a febre da mesma
r\_ j r-lil ^ :i; l forma em urna outra minha filha de quinze an-
Operador, parteiro trate com especalo-1 J pplicaado.lbe 0 me8mo- Elixir antife-
bril -do mesmo senhor, no espaco de vinte e
quatro horas ficou completamente boa, sem mais
remedio algom lhe applicar, pelo que em f de
verdade me assigno. .,. .
Pernambuco, 18 de Maio de 1889.-Leonardo
Jos Ribetro MagalhSes.
(Estavam selladas e reconhecidas as nrmaTS.
' ----- I II n
.4 pre $ atare-
moa quinze
' nalme n I e lo
daa aa novicia
dea que Parla]
nos caviar.
concernentes a urna casa
Abertura solemne deste estabelecimento, com urna expoeico geral de todos os artigos
este ge^ro o noMo prncpal cuiia(]0 apresentar ao publico d'esta capital a mam extraordinaria escolha de
TecWos, mudas obj$ctos d pkanasia
Emprehendemos todos os esforcos para que a senhora que visitar o
A PARADIS DES DAMES _.__
para os requintes da __
MODA ACTUAL tto
e obedecendo a este prfccipio, que now.por Nerths parte para alli o nosso eocio chefe, a efectuar compr* e firmar contracto,
para apresentarmos quinaenaJmente todas as novidadea que crear a babylonia da moda
PARS
satiafasendo nos por este modo o ideal phantasiata da mais caprichosa senhora. N eBtas cond55es o
espera merecer do publico de bom gosto e habituado a comprar por mdico, preco a confianca e a proteccao qua indiatinte-
mente dispensa a quem o erve com a mxima zranqueaa e com a maior daa atten$5ea. ____
1! PiMDIS ES JAMES
38-Rua Baro da Victona-o
GUIMARAES BASTOS & C.
_ PERNAMBUCO

-
:>.'
- j
y


i
I
I
I
I
Diario de Per^ambuco-Domngo I de Timbo de
1890
P
tio L
lo para
B. Rcir^ues Vimoa mndon o
a ra 15 de Novembro a. 45,
Povoado do Moateiro
Prograaaana da testa pela ter-
aalaaeo do mez Mariana aa
Igreja de S. Paataleo.
No domingo 1 do Junto ao alborecer, urna sal-
va real anuunciar aos hibitar.tes da locatidade
o dia festivo etn que se tem de celebrar os actos
solemnes em louvor a Excelsa Rainba dos Ao
jos. ~>
Ter eesaeco a missa sol-orne pelo Rvdm. pa
rocho is 9 1|2 horas da manba sendo encarrega
do da orchestra o hbil professor Jos Tavares
de Medeiros, tocando antes e depois do acto a
banda miliar do 14. baialbio de nfaotem.
A' tarde, aps a chegada da referida bina mi-
litar bem como a do Club Maibiai Lima,- tj ob-
seMiosamente se presta a^aarjiarte na feeMvi
dade por convite mei Marianno, ter logar f
to procissional, composto j|
cas conduimdo em apro
(inmaculada, e depois d
ras aajacentes recolh
moniosos cnticos por srnhora _
ment a piano, seguindo se o serma praP t$M (,^.
quente oregador Rvdm. padre Pedro da Purifl Ja-
gao Paes e Paiva, terminando etn a ladainhs
cantada grande orchestra e benco do Sao lis-
simo Sacramento.
A decoragao do interior do templo foi confiada
ao bom desempeabo -o artista Ago>liiibo Jacome
omotora do
do prest
la a Virgem mao
povoMo e fTle
ni d har
aomplnha
Beierra ; a fachada com illuminajao a gas e a
giorno. e bandeiras dispostas mtricamente,
correndo por parte da companbia da e.-lrada de
ferro do Recite a Oxanga o levantamento do
coito e embellesameoto do largo, devendo os
moradores por sua ver, illnminarem a frente dos
seos piedios.
Assim terminados os actos religiosos, se dar
cometo a queimar um lindo fogo de artificio es-
pecialmente preparado pelo bem conhecido py
rotechoico Tito Francisco de Helio, bavendo tanu
bem diversos bales intercalados nos actos.
A companbia da estrada de ferro proporciona
r os trens precisos, conforme a concurrencia.
Qaaataa vezes aeaatece ?
Urna pessoa muito coneeituada mora-
do ara na ci lade de Bag (Rio Grande do
Su],) achou ao gravementa doente do peito.
Foi chamado, para a tratar, o illustre
Dr. Penna, e mais tarde, o tambam illus-
tre Dr. Albano.
O doente cada ves ficava peior: a mo
lestia, Bombando do rat meafo medico,
segua sea fu esto curso.
Urna pessoa da familia, t.-ndo cenfi'nga
no Peitoral de Cambar, descoberta de J.
de Souza Soares, de Pelotas, lembrou ao
msdico a sua apnjJfoac5o.
Este, porm, que talvez nSo conheces-
se, por expe
propna, os effeitos de
tSo suberano reel^dio, recusou sa a recei-
tal-o, continuando com outras applicacoeB.
Vendo-Benque o doente nada aproveita-
va, e que a morte era inevitavel, man-
dou-se, em segredo, comprar um vidro do
as e ertatti dito peitoral e o doente priccipiou a to-
novo remedio e a melhorar, e no
aigum tempo achava se coropleta-
jente fwaabelecido.
Um bag use.
Revelaces e ereclaseatos
Poncas vezes temos experimentado urna tac
witima satisfaco; melhor diriamos um Icgitlm.
crgnlho por noticiar ao respeiuvel publico que
a cerneja La Rosa AUemana urna mensageira para
o eorpo tanto bebida como regalo que de 0
nissimo paladar, como infallivel na cura de
enchaqueca. ataques bemorrhoidaes, corrnen
los e flores brancas.
Nao alongamos consideragoes e limitamo-nos.
pois, a descobnr a riquesa da cerveja La Rosa
AUemana, j professada publicamente. A verdaie
i sempre verdade Alm dos estabelecimentos
j annnnciados est venda em outros im-
portantes estabelecimentos dos Srs Joo da Cu-
nta Vasconcellos, ra do Livramento; Antonio
Gnilbermino dos Santos, ra Direita, Moreira Ir
mao, ra de Pedro Affonso; Jos da Silva Perei-
ra usboa, roa do Imperador; Hanoel Martins
Lourenco, Jaboat&o; Francisco Mendes da Fon-
seca, Pilar de Alagas, Jos Domingos d'Olivei
ra e Maooel Ferreira Silva Veiga, Natal; Joao
Javenal Barbosa Tinoco, Baptista Jnior A C.
e Ismael Cesar Duarte Ribeiro, Macahiba.
Ao
commercio e ao
publi
co
Luis Antonio Gomes Braga participa ao res
peitavel corpo commercial eao publico que d\,ra
em diante passar a assignar-se.
Luiz Jarditn Gomes Braga.
Recife. 30 de M.io de lt>90.
CONHERCIO
Revista do Mercado
Rtcirs. 31 K iaio dk lS'.iO.
O movimento consten de transa'j63s no mcr
cado de cambios.
Bolsa
COTAC&KS OFFICIAES DA JUNTA DOS COK
RETOBES
Recife, 31 ae laio de 18.W
Algodao do J.imoeiro sorlc, 9100 por 15
kilos, em 29 do correte.
u oresldente,
Antonio Leona 'do Uodrimjes.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
raaifcia
PBACA DO BKCIFK
Os bancos adoptar ara a laxa de 20 3 4, sem
acbarem tomadores.
Papel particular fui asaea'e a II d. e papel
bancario foi repaesado a 10 II, 16.
PSAA DO RIO DB JANEIRO
20 3.4 bancario nominal e 10 7/8 al 20 IS, 16
papel particular escasso.
Programma
Da feata da celestial confraria da Santis-
sima Triudade no convento de Santo
Antonio do Recife, no dia 1- de Junbo
de 1890
Vspero
Ao meio dic, de 31 do correte, orna salva de
21 tiros aonunciar ao respeitavel publico, que
cnegada a vespera do dia da Santisma Trio
dade, tocando nessa occasilo a banda marcial
do corpo de polica diversas peca*-1*0 Su vas*
tissimo repertorio.
A's 6 1|2 horas da tarde diversas girndolas
de fogo e ao som da referida banda, convidaro
os devotos para astislirem a ultima novena, na
qnal o Revm. Fr. Augusto da Imraacuhda Coo-
ceigao Alves far un bello paoegytico, elevando
os dogmas do oosso padrociro.
Domingo, 1* de Jooho, ao romper da aurora,
ser resida urna missa em intencao de oossos
irmaos vivos e fallecidos, linda a qoal soltar
se ha urna salva de 21 tiros e diversas girndo-
las de foguet s, to:;mdo nessa occasiio a mes
ma banda m rcial.
A's 11 horas entrar a fusta, precedida de ter
cas, sendo celebrante o Revm. Fr. Paulino da
Soledade, digno guardiao deste convento.
Occupar a tribuna sagrada o Revm. padre
Firmino Branl da P.ocba, que cm eloquente
panegrico palentear os nvystcrios divinos que
se encerrain na Sanlissima Tnn Ja.le.
A orchestra est; connada dirergao do nosso
carissimo irraao consultor Joao Alves da Silva,
que executar a mise decomioadaSantissima
Trindadedo maestro italiano Cavalhciro de
Serruty, precedendo a importante ouve.lura de
Lauro Rossj, Celiog Aparagy. Os solos serSo
execotados pelos principies cantores deste Es-
tado.
Finda a festa a referida banda tocara brilhan -
tes pecas.
A's 3 horas da tarda a mesma banda marcial
tocara nos claustros da igreia tm um coreto
previamente armado para esse lim.
A's 4 horas em p nto sabir a solemne pro
ilsao que percorrt ra o itioera i j do cosame.
A's 7 horas da noite entrar o Te-D.um Lau
damus denominadoEspirit) Santo-, oceupan
do a tribuna sagrada o R*vm Fr Augusto da
Immacolada Conceigo Alves, lindo o qual ser
arriada a bandeira, que ser eutregue por urna
commissao oos?a digna irm provedora a
Exma. 8ra. D. Umbolma Roja de Oliveir, es-
posa do nosso digno itmaj Jos Elias de Oliveira.
Pedido
Sendo a festa da Santissim Trindade urna
das mais importantes das ordens trinas, e srnd)
tambem a confraria representante daquella que
foi instituida em 1190 pelos santos va roes que
tanto se esforcaram pela redempeac dos capti
vos, pede-se aos moradores da ra 15 de No
vembro que illumioem as frente* de s as casas
para maior brilhantismo da testa.
Illumnacao
Na vepera e dia o claustro e a frente da igre-
ja estaro Iluminados por dous lindos focos do
luz elctrica.
Agradec ment
A celestial confraria agradece ao Exm. Sr. Dr.
governador deste Estado o dignarse assistir a
nossa modestissima festa, assim como agradece
a todas as corporales religiosas que a honra-
rem com suas presencas certos de qne a sua
cratido ser eterna. E mais aiada : agradece a
todos os irmaos e irms que concorrerara para o
brilhantismo da nossa festivividade ; veneravt I
confraria de S. Benedicto, a nossa eterna gra-
tidao.
Consistorio da Celestial Confraria da Santsi-
ma Trindade, 30 de Mjo de 1890.
O secretario,
Joao Jffcintho Guedes Laceria.
r
Leonor Porto
O OH- l 1
Roa JLarga da Rosarlo
i aaero
!, SEGUNDO ANDAR
) Contina a executar os mais difficeist j
injuriaos recebidos de Londres, Paria,< :
) Liiboa e Rio de Janeiro. ()
Prima em perfeico de costaras,, em i i
em breTtdade, moaicidade em precos -'
fino k'osto.
Promptuario da le
DO CASAMENTO CIVIL
Acha-se prestes a sabir do prelo esta obra ee
guida da lei annotada onde se discutem diversas
quesioes pralicas e faz se um estudo compaia--
tivo con o direito antigo.
Como appensos, traz o livro as instruccOes
b'iixadas para a execug.'o da lei e mais actos
publicados a seo respeito e bem assim o regu
lamento do registro civil, como materia que se
prende ao assumplo.
O livro que se compara, mais ou menos, de
200 paginas, ofTerece utilidades quelles que se
dedicarem ao rstodo e exteugao ua mesma lei,
bem como ao publico em geral.
Sendo a tiragem de poucos exemplares visto
nao poder sen autor accarretar com dsspezas
superiores, se dar preferencia aos pedidos que
forem feitos, para o que se indica a livraria
Parisiense ra Io de Margo n. 7.
Prego do volume, pagavel entrega deste :
Brocbura 2*000
Eacadcrnado 300n
Cabera, de negro
Elixir sedativo e anti-rheumatico, formula
do pharmaceutico Hermes de Souza
Pereira.
SEM MERCURIO
Approv ado pela Inspectora Qeral de
Hygieme
Este poderoso medicamento j bem co-
checido ha mais de 10 anuos e cujoa ma-
ravilbosoa effeitos tem sido al 'estados por
muitOB mdicos e numerosos doentes, cura
radicalmente os bhecma'ISmos, erysi
PELAS, SYPHILIS S8CROFLAS -e todas ae
molestias que teem por origem a impuresa
do sangue.
O ?erdadeiro e mais antigoElixir de
cabecfl. de negro o da formula do phar-
maceutico Hermes de Souza Pereira, e
para a ras ta dos consumidores traz elle
em seus rotulo e envolueros o retrato do
autor.
Vende-se a varejo em todas aa phar
macias e em atacado na pharmacia Fer-
reira, praca de Maciel Pmheiro, n. 19,
(antiga do Conde d'Eu, e na drogara de
Francisco Manoel da Silva & C, rut do
Marque de Olinda, n. 23.-
A's familias
Ensino de primeiras lettras, por-
tugus, francez e inglez ; pelas
residencias dos alumnos, del tro
da cidade e em
a tratar na roa
75, 2. andar.
seus arrabaldes :
do Imperador n.
^Cirurgio Dentista
'tta. ROBERT P. RAWLINSON, for
aiado pela Universidado de Maryland noi
Estados-Unidos, tem aberto o seu cnsul
torio, na ra Baro do Victoria 18,1 an
Auxilios lavoura
Pereira arneiro & C. continuam, autorisados
rio Banco do Brasil, conceder emprestimoc
lavoura das provmcias de Pernambuco. Ala
goaB. Parahyba e Rio Grande do Norte, mediaste
as condigdea de que os interessados se rao infor-
mados no escriptorio a ra do Commercio u. 6
das 11 horas da inanh as 2 da tai de.
RestaurantPortu :uez
O prlmelro em Pernambuco
2123 RA DA8 LARANGEIRA8 2123
COSINHAS
Braaileira, Portuguesa e Franceza
Proprietarios: -Charles Bosier & C.
Ra da Gloria 39
Varila ou be viga
O Dr. Lobo moscoeo, todos os dias,/(
das 10 horas da manha ale 1 hora da
tarde, receita gratnitamc nte e d os re-
medios homeopticos precisos atlos
os doentes que o procuraren], para tra-
tamento das bexigas.

*ar.
Consultas da 10 a
4 horas da tarde.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bem a 50.197 rceos sendo por :
ttreacas .... 22 9.8 Saceos
Vapores..... '.'..
vnimaea. ... 1 l
Via-ferrea de Caruar. 2.322
Via-ferrca de S. Francisco. 2J 269 .
Via-ferrea do Limoeiro 426
f
3
&
2.
B
T
8
TBKLLS
I
o
n
a
a?
6
FFIXAD9
J -
c
9
Couros
ris
Somrua.
Couros
salgados 40J res, e
50 97 S eme
os verdes a 2t0
Dr. Bastos de 0 iveira
tem o sen consultorio medico-cirrugico
ra do Marquo* de Olinda, n. 1, l.8 an-
dar, onde pode ser procurado todos os
dias uteis das 12 s 3 horas da tarde.
Chamados a qualquer hora cm sua resi
dencia, ruado Hoepi.-io n. 46.
Telephone n. 365.
t

. 1
; ; p 1 8 53 2
M S <* tf : s 1 a> 3 5 % Si* 1 8
s
fv S

so
E.
Fi. \ I
^i B<
Algodao
Nao houve vendas.
Aexportaco fetta peta alfandega oeste mez at
o dia 28, constou de 299 '09 1/2 kilos, sendo----
488.799 1/2 para exterior e 110.7'.0 para o inte
rior.
As entradas verificada?, at a data de boje so
bem a 6.217 saccas, sendo por:
Barcacai.
Vaporea ....
Animaos.....
Via-errea de Caruar.
Via-ferrea de S. Franusoo.
Via-ferrea de Limoeiro
Somm.
1
047 Ss
147
6.2i7 Sacras
Agurdenle
Cota-se a 94*000, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cota-se a 190*000 por pipa de 480 litros.
Mei
Cota-ae a UfiOOO por pipa de 480 litros.
Pauta da alfaadexa
Mira di 2 a 7 os jjimio di 1890
Assucar retinado (kilo) .... 260
Assucar branco (kilo) .... 206
.'S8ucar masca vado (kilo) ... 39
agurdente ......." 170
Alcool (litro)...... 370
Arroz com casca (kil.oi .... 80
lgodo (kilo)....... 546
Bagas de mamonas (kilo) 120
Borracha (kilo)...... 960
Carocos de algodlo..... 16
Couros seceos espichados (kilo) 420
Couros seceos salgados (kilo) 360
loaros verdes (kilo)..... 215
'.acto (kilo)....... 400
Cef bom (kilo)...... 800
Caf restolho (kiloi ..... 600
Carnauba iko.....-.- 260
(arocos de algodao (kilo) ... 20
t arvo de pedra de Carui" (ton.) 16*000
Farinha de mandioca (Btro) ... 70
Folhas de aborandy (kilo) 300
Genebra (litro)...... 200
Graxa......... 350
Jaborandy........ ji o
Mei (litro)....... 80
ifilho (kilo........ 100
Pao Brasil (kilo)...... 35
Sola (meios) ....... 2/500
Navios a descarga
Barca nacional P. da Costa, familia de trigo.
Barca norueguense Galera farinha de trigo.
Barca norueguense Oler, carvo. ..
Barca norueguense Cari Haasted, csrvo.'.
Barca nacional Mariannmka, xarqoc.
Barca allemi Jfo io, va> ius gneros.
Brigie hcllandez Meidem, xu.-que.
Escuna Barueguense Ue/on, xa uue
Lugar portu^uaz Temerario, xar^uc
Lugar dioaHiarqurz Aike.a, x- /w.
Lugar nocional Duat int*ckast v^UiSe^W.
LOgar hotUnjpe H. R. oiObi, g'r
Patacho na^anel lijj-mko 2a, xaraut*.
Patacho ktflBSai Hennka, xarq^.
Patacho bew.BlflB Voowaaiti, varios gneros. ^
Patacho pastaguez SI*deao vinbo.
Patacho americano JoUh H. (orijpn, vares g-
neros.
Patacho bespaanoi Jorenfura, sarqne.
Kerosene 5,000 caixaa ordem, 10
barra aos consignatarios.
Machinas de costuras 6 caixas a Macha-
do & Pereira,
Maisena 50 caixas a Castro Lemos & C.
Mercadorias diversas 1 cixa a W. H:>l
liday 40, 1 or 'em, 1 a Abe Steii:&-
C., 4 a Salazar & C, 2 a Pedro d'Abe,
2 a Maia Sobrio ho & C, la Gomes de
Mattoa Irmios, 3 a Guimaries Cardoso
& (J, 3 a Viaana Castro & C.
Machinismos 117 volumea e p?gaa
ordem.
Perfumaras 46 caixas a Antonio Duar-
te Carneiro Vianua.
Teeidos divers.s 4 caixas aN. Mak
& C.
Tuucnho l^berria a Lopes Alheiro &
C, 20 a Cast'O Lems 4 C, 30 a Joio
Fernandea de Almdda, 'O a Paiva Valen-
te & C, 12 a Jos Joaquim Alvee & C.
Carga do Maranh&o .
Oomms 10 paneiros a Jcaquim Felippe
d Aguiar, 10 a Costa Lima &. C.
Fatinha de mandioca 1,000 saceos a
Gui maraes & Valen te, 3,000 a M. Con
g-.lves Rosa, 3' 0 a Dav4 Ferrjra Porto
Bailar, 20j a Moura Borgea & C, 400 a
Haia A Rezend', 3.0 a Baltar Olivira &
C, 1,700 ordem.
Milho 5.0 saceos a Francisco R. Pinto
Guimariea & C.
Tapioca 10. paneiros a Cost. Lima & C,
20 ordem.
Taea e taes doeaeaa...
Nao 80 dizer se : tal remedio cura taes e
taes detengas...
E' preciso que essas curas se provea) por meio
de altesiados Armados pelos proprios pacientes
e preciso que esse remedio seja consagrado
pela experiencia de Ilustres til ios da sciencia.
cima de todos quaotos se apresentam por
abi a reclamar a consideraco publica, podemos
boje apresenlar um remedio que foi approrado
pela suprema auioridade medica do paiz. auto
risada pelos poderes competentes e consagrado
nSo s por Ilustres facultativos oacionaes e es
treogeiros, como por um grande numero de pes
soas curadas.
Referimo nos ao Peitoral de Cambar, qus,
como mullo bem diz um Ilustre medico da ci-
dade de Pelotas, o Sr. Dr. Octacilio Cmara,
pelos effeitos que exerce sobre a mucosa das
vas respiratorias, cujas molestias cura e allivia,
goza actualmente dt urna crescente procura e
aceitagao, como anda nao leve producto algum
officinal n'estc paiz.
Os igentes, Francisco M. da Silva < C.
j Frederico Chayes Jnior jj
Homoepatha
(\39 RA BARO DA VICTORIA 391|
] | Prlmelro andar ( j
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do BarSo da Victoria46
(dkfeontk da piiabmacia putho)
Onde tem eonantforio e resi-
dencia i podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles-
tias de senboras e dos pnlmes, syphili
em geral, cura rpida e completa e
raedes de estrella melos e mais sol
inentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fura, a qualquer distancia.
Telepaoae a. 394
wivS* r ^
philis H
0^:
II
Medico
Dr. Bibciro de Brllo
participa aos seus cli-n'.es e tmigos que pode
ser procurado para os misteres de sua piofissao
4 la do Hospicio n. 81. e na pharmacia Miner-
va i roa ViJal d- N.greiros n. 7.
Telephone n. 303
Secunda seccao da Alfandega de Pernambuco,
31 deafaio de 1890.
O liiesoureiroFlorencio Domingues.
O chefe da secgaoCica/o B. de Mello.
Reeebedorla do Estado de
Pernambuco
Do dia 1 a 30 8lii*289
dem de 31 9 388J377
SO.B32t666
Kcclfr- I>rnlnage
Do dia i a 30 7:9li5el
dem de 3i 3U948
Aasaear
Os preco pagof ao agricultor, por 16 atloa, ae-
rando a Associagao Commercial Agrcola, foram
os aeguintes:
**( a 4
30X> a 3

Branco .
Saneaos.
Mascavado aurgado
Brnts U
Rtame .
Almeida, 50 a Caetro Lemos A C, 100
a Domiagos Cru* & C. 110 a 1'aJv Va-!
"late V., 10Q % Fernandos di irtulos,!
4J
lexaortacao feiU pela alfandega i
.constou de V 978 kilos
i .181.680 para o exterior e 4.S01
arfar.
latporlae&o
Vapor americano Finance, entrado
de New-York e escala em 31 do pascado
e consignado a H. Forster & C.
CVrga de New Y- ik
Arcos para barricas 50 fe i zea ordem.
Banha 10 barra a Djming s Ferreira
da Silva C, 110 a JoBj Fornaudes de!
a Castro Lemos
Expormeo
aacira. 30 o*, luto ua 1860
i*-a o exterior
No Te por americano Adcsnce, para New
York, carregoo :
Rjssbaob Brolher?. 48,700 pelles de cabra.
."r mterior
No vapor americano Finaucc, para Rio de
Janeiro, carregou:
J. H. Boxweil, 50 pipas com 24,000 litros de
agurdenle.
Para Santos, carregou :
M F. Leite, SOO saceos com (5,000 kilo3 de
assucar branco e 300 ditos com 2S.5 0 Jilos de
dito mascavado. -
No vapor nacional Jacuhype, para Babia,
carregaram :
Aniorim Irmios & C, 10 > saceos com 7,500
tiles.de aseucar branco e 60 ditos cou 4,300
ditos de dilo mascavado.
No vapor ingles Cometa, para" Rio Grande
de Sul. carregaram :
P. Alves &.., 132 barricas rom I i.004 kilos
de assucar branco e 68 ditas com 7,46o ditos de
-eito mascavado
C. U. da Silva, 803 saceos com 48,300 kiloc de
assucar branco.
A. de Albuquerque, 500 barricas com 5i,53#|
kilos de assucar branco e 100 ditas cciu 10,830
ditos de dito mascavado.
Amorim Irmaos a C 5 pipas com 2,400 litros
deJMfaardente.
rara Porto-Aleg, carregaram :
P. Carneiro 4 C, 400 saceos 'com 30,000 kilos
de assucar branco.
No hiate Deus te Guie, para Ara :at;\ carre-
goo :
. Flores, 34 caixas com 277 litros de ginebra.
Na barcaga Jnliela, para Macei. carregoa :
G. Flore?, 2 barris com 10 litro i de alcool.
Na barcaga lifoo, para Macri. carregou:
A, Flores, 10 garraloes* cim. l'J litros de ge-
I cebra.
7:9i3509
Mercado Hfnolclpal de s. los
O movimentc deste mercado no dia 30 e Maio
foi o seguinte :
Entraram :
27 1/2 bois pesando 4.210 kilos.
862 kilos de peixe a 20 res 17*240
10 cargas com farinha a 900 rs. 200
4 ditas de (rucias -J. versas a 300 rs. 1*2 0
34 columnas a 600 rs. 20 AOO
104 taboleiros a 200 rs, 2"800
8 fuinos a 200 rs. 14600
1 escriptorio a 300 rs. 300
56 compartimentos com farinha a 500
rs.
30 ditos de comidas a 500 rs.
98 ditos de iegumes e fazeodas
400 rs.
16 ditos de suinos a 700 rs.
8 ditos de fressuras a 600 rs.
18 ditos de camares a 20o ra.
31 (ibes a 24
28*000
15*000
394200
ll 0
4i8:i0
3iGO0
62*000
Culto Evangeli
Ha culto publico com leitura^e explica-
cao do Evaagelho, todos os Dopingos aa
11 boraa da manbS e s 7 horas da noite
e naa quintas ieiras s 7 boraa da noite,
na ra do Jmpetdor n. 71, 1. andar. A
entrada franca.
Convidam seas familias e o public "em
geral a atsistirem.
c FiZamnae as escripturas, pois julgaes
ter nellaa a vida eterna; e ellas meamaa
sao as que d3o testemunho de mim >
Ev de JoSo, cap. 5. ver. 39.)
Dr. Coelho Leite
participa a seus clientes e amigos que mudoa
sua residencia para a ra Baro da Victoria n.
61,1 andar, e contina a dar consultas de 1 s
3 horas da larde, no seu consultorio, rna Duque
de Caxias n. 57.
Dentes
Manoe! da
de Olinda
Duque de
ra Estreita do
Dr. Eusebio Martins
Costa
tem o seu consultorio medico e residencia roa
Baiao da Victoria q. 7 1- andar, onde pode ser
procralo liara 03 rasteres de sua proGssao.
Consultas de 1 s 3 horas da tarde.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Balito? da Silveira
Especial idadefebres, molestias
das criancaa, dos orgSoa respirato-
rios e das senhorae.
Presta-se a qualquer chamado pare
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados efevem ser di-
rigido* pbarmacia do Dr. Sabino,
roa do Bario da Victoria n. 43,
/ j onde ae indicar ana rasidenoia.
Dr. Silva LeaJ
clnica medico cibcrgica
Consultorio e residencia rna do Livramento
q. 6 1 andar. Consultas das 11 s 3 horas da
tarde. Chamados a qualquer hora, por eicripto
Rendimeato de 1 a 29 do Crrente
Readlaieatos pablleoa
UBI m ABRIL
Alffndega
Beoda geral
Uo dia 1 a 30
910:932*635
29*088
227*340
6.692*980
6920*320
Pregos do dia:
Carne verde de 280 a 480 reis o kilo.
Suinos de 560 a 720 ris dem. '
Carneiro de 640 a 900 dem.
Farinha de 580 a 640 ris a cola.
Milho de 400 a 480 ris idem
Feijo de 900 a 1*200 idcin.
Vaporea a entrar
MEZ DE JUSHO
' Su.......... Guahy............ 1
Europa....... John Eider..___ .. 1
Sul.......... Xertlie............ 2
Sul........... Valparaso...... 2
Europa....... Orenoque......... 3
Kul.......... -Adcance.......... 3
Europa. ----- Y. de Renos-Aves. 4
Europa....... Magdalena.......... i .
Sul........... Thames........... R
Sul........... Para........ ..... 7
Norte......... Espito Santo..... 9-
Vaporea a sahlr -
MEZ DK JCNHO
^ anlos e esc.. Finance. .......... las 3 h
Valparaso ... John Eider........ 1 as 11 b
Bordeaux ... Xerthe............ 2 as 4* h
Bahaeesc... Jacukype.......... 2 as. 3 h
han tos e esc.. Campias......... 2a ib
liamburgo Valparaso........ 2 as 12 h
Somma
1,116 2*7*944
JoTlaieato do porto
Navios entrado no dia 31
New Yoik e escala2) dlai, vapor americano
Pinance,. de 1,919 toneladas, commaodaote
E. C. Baker, equipagem 66, carga varios g-
neros ; a HenryPorster & <;.
liamburgo e escala 18 diis, vapor allemao
Campias,* de 1.634 toneladas, commandan
le A. Barreclet, equipagem 49, carga varios
genero*; a Borsielman & C.
Pelotas 3 dias, palhabote portaguez Pires r
de 138 toneladas. capitSo Andr Qniniino d03
Santos, equipagem P, carga xarque; a Joa
qim da Silva Carneiro.
New Castle16 dias, vapor nacional Jiboalo.
de 391 toneladas, commandante Joio da Silva
Pereira.equiptgem j, earga cartao de pe
dra ; Compannia Pernambucaoa. '
Navio sabidos no mesmo dia
Parlo Alegro e escalaVapor iogle Cometa,,
commandante D. W. Ogg, carga varios gene-
ros.
! CamoasimHiata naeioaal Dius te Guie.* mes
trS Pedro J. di Sitra, csfga varios gneros.
A praga ualvcrsal
Em todas aa regiSes e entre as pessdas
de todaa as occupacSes o profissoes, preva-
lecem as enfermidades pulmonares. Por-
tante, o grande e admiravel remedio con-
tra ellas e que produa a ana completa ani
quilacSo o Peitoral de Anacahuita, o qual
as deve perseguir e em seu devido tempo
aa perseguir indefectivelmente at nos
mais remotos confina do mondo.
O soldado nos acampamentos, o mineiro
as minas d'onro, o colono naa fronteraa,
o lavrador, o viajante por mar e por ter
ra, e especialmente todas aa pesadas au-
jeitaa a padecerem de tosse, constipaos :s,
resfnamentos e catarrhos, bronebites, asth-
ma e outras affeCjoes nSo menos afflictivas
da garganta e dos orglos da respirac&o, e
que tio fcilmente Be deaehvolvem e pro-
pagara nos lugares hmidos, inclemencia
da atmosphera ; acbarfto com a maia gra
ta satisfago, no Peitoral de Anacahuita,
um remedio irresistirel e absoluto, para o
completo subjugamento de tilo perigosas
enfermidades. Compre se em tempo, pois
6 bom estar-ae prevenido.
Como garanta contra as falsificaj3es,
oj "*-se bem que os nomes de Lanman
& Ae..., "enhaun estampados em lettra
transparen uo papel do livrinho que ser
ve de envoltorio a cada garrafa.
Acha-se de venda em todas as boticis e
drogaras.
Termina a horrivel dor de dentes usando
o ezcellente preparado de Msnoel Cardoso
Jnior.
As cartas que lhe tem sido dirigidas
pelos jornaes de m iorcirculacito, attest.-.m
a efficacia.
Depsitos :
Drogara dos Srs. Francisco
Silva & C, ra do Mrquez
n. 23.
Pharmacia Martina, ra
Caxiaa r. 88.
Pharmacia Oriental,
Rosario n. 3.
Phsrmacia Alfredo Ferreira, ra do
Baro da Victoria n. 14. "
Pbarmacia Imperatriz, ra da Impo-
ratriz n. 49,
PILULAS OPERATIVAS DA alAI
SEIGEL
CONTRA
Constipago inacgSo do ligado, etc.
Dessemelhantc a muitas outras medici-
nas catharlicas, estas pilulas nSo fazem
com que urna pessoa ser sinta peior antes
de sentir melhor. Produzem o seu effeito
com brandura mas completamente, nao
sendo acompanhado de accidentes desa-
grada veis, taes como nauseas, apertos do
ventre, etc., etc.
As Pilulas Operativas da Mi Seigel
83o a medicina de familia a mais til que
se tem descoberto. Limpam as entranhas
de todas as substancias irritantes, deixar.-
do-as em condicao saudavel. S5o o me-
lhor remedio que existe contra a peste das
nossas vidasConstipagao e inaccSo do
ligado.
Estas plnla6 mpedem febres e toda a
sorte de doengas, pelo simples facto de
expellirem toda a materia venenosa das
entranhas. Operam com vigor, inas sua-
vemente e sem causar dr alguiua.
Se urna pessoa apanhar um refriado e a
ameacar urna febre, e sentindo dores de
cabeca, costas e membros do corpo, una
ou duas dses das Pilulas Operativas da
M2i Seigel expedir o refriado, impe-
dindo a febre.
Lingua grossa acompanhada de um gos-
to salobro, e a causa de materia impura
no estomago. Urnas poucas doses das Pi-
lulas Operativas da Mili Seigel limparao o
estomago, removendo o mo gosto, res
taurando o apetite e com elle trar b6a
sade.
Muitas vezes succede que doenca ou ali-
mento meio apodrecido, causa nausea e
diarrha. Se se limpar as entranhas d'es-
ta impureza com urna do se das Pilulas
Operativas da Mili Seigel, estes effeitos
desagradaveis desapparecerSo, resultando
em b6a sade.
Aa Pilulas Operativas da Mi Seigel,
ipedem oa me effeitos que produ-
zem o comer e beber em excesso. Urna
boa dose ao deitar da cama torna urna
pesada hbil e inclinada para o trabalho do
da seguinte.
Como estas Pilulas sao cobertas de urna
carnada de assucar tomam-se com agrado.
O gosto desagradavel tSo commum maior
parte das pilulas d'esta forma evitado.
En tas pilulas recommendam-se especial-
mente s mulheres, podendo empregar-ee
para facilitar toda obra da natureza, e
para remover todas essas obstruccSes que
sao a causa de tantas doengas a que est
sujeito o sexo no mundo inteiro.
Acham-se venda em todas as botica
e lo jas de medicinas, em toda a parte do
mundo e em casa dos proprietarios A. J.
White, Limited, Londres. i
Depositarios na provincia de Pernam-
buco por atacado: Francisco M. da Silva
6 C, na cidade de Pernambuco.
Vendedores retalho, na cidade de
Pernambuco, Bartholomeu & C, J. C.
Levy & O, A. M. Veras & C. e T. S.
Silva; em Palmares, A. C. de Aguiar e
em S. JoSo da Igreja Nova, J. A. da
Costa e Silva
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultaa de
1 a 4 horas da tarde, no 1*
afldar da casa n. 51 a ra do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos a das santificados.
Telephone 285.
Resi dencia roa Sote de Setem-
bro n. 34. Entrada pela rna da
Saudade n. 25.
Telephone 387.
i
^
Dr. Joao Rangel
MEDICO
Pode ser procurado para os misteres de sua
proBsso ra do Bom J*-sus n. 45 1.* andar.
Consultasde meio dia at 3 horas da,tarde.
Chmalosa qualquer hora do dia ou da noite.
Telephone h. 160.
EDITAES
O cidadSo Dr. Josquim Cordero Coelho
Cictra, juiz de direito do civel da espe-
cial comarca da Victoiia, Estado de
lernambuco, etc.
Fago saber aos que o presett: edital viren),
que no dia 15 de Junho as 12 horas da manha,
na portada sala das audiencias tem de ser arre-
matado a qnem maior lance offe-recer o engenho
Precioso, sito oeita comarca, rom casa de viven-
cia, casa de engenho em esteios, casa de purgar
em mao estado, tanque de madeira. destilljgao
(ontendo alan biquo, nove cobas, duas resfria-
deiras e dous deoositos. cinco laxase duas bale-
deiras, vapir em bom estado, moenclas, trras,
casas de lavradores, vahado por 10:0004000,
cajo engenho vai 4 praca a requerimento de Ma-
noel Crus C, na execajai que movem Ma-
noel Amonio Cab ral e sua-mumer.
E para que chegue a noticia a todos mandei
este |tassar, qne ser publicado pela imprensa e
affixado no logar do costume.
Victoria, 29 de Maio de 1890.
Estar naa estampilha de SOO ris.
Et, Bellarmioo dos Santos Boleto Filhc, escre-
ri.-Aw>ai Corieiro Coelho Cintra Coafortie.
O esciivto ntorino, B*Iiarino es 'iatos
BulcSo Fiibc

1
n<*>>5
-

"-'



-
Diario de Pernambuco-Domingo 1 de Junho de 189(f
*
A
M
DECLARACOES
Consulado de Portugal
Terminando no dia 11 de Juoho prximo, o
praso coacedido aos cslrangeiros para fazerem
a dei-laraco de que desejam inanier a soa ni
cicnuiiudg, e facultando o decreto n. 3S6 de
15 do carrele qii3 Ues declarares possam ser
i'eila nao ; p-ranlo a nmaicipalidade como
iam era nerante os esenvaes de delegacias, sub
delegadas e consulados, dou pela presente aeien
ca de taes disposicoes a todos os cidadaos por-
tuguezes recebando oeste cotu'ado das 9 ho-
ras da untili a'. as 3 horas a tarde as deca
rajoes de lodos uquelles que destjirem tnaoier
a nacionalidade ponugueza.
Consulado de Portugal era Pernamouco, 23 de
Maio de 1890.
.1. J. Birbisi Vtanna.
Encarroado do consulado
Gabinete PortugueJ
de Leitura
Heiilinio do COnaelho
Sao couvidados os senaores membros do coa
seibo deliberativo para reunirern se em sesf&o
ordinaria, quo lera lugar na sede deste gabinete
co dia 3 de Junln prximo, as 7 horas da tarde,
para tomaren] ontieciraento dj que preceiloa o
art. 60 g 18 dos estatuios.
Recire, 30 de Muio de 1890.
Joo J. H Uendes,
Presidente.
Matriz de S. Jos
Veneravel Irmaodade do SS. Sacra
roto
E L E I C O
Pela segunda ve: sao convidados os carissi
nos irmoj a comparesereai nesta matriz ou
dia i de JuQtio prximo, pelas 9 horas da ma-
ib, para assistuem a missa votiva ai Espirito
anto, e em seguida t-leger se a meia regedora
para o anno de 1890 a 1891.
Consistorio v 30 de Maio de 1890.
Padre. Albino de Carvalho Lessa,
Presidente da coramissao.
Confraria
na iffreja da Manta Crus
De ordem do carissimo irmo provedor, con
sido a lodos os nos sos irmaos para comparece
rem em nosa igreja, paramentados de seas
habito.', no domingo 1 de Junho, pelas 3 horas
da tarde, atim de encorporados, acompaobarmos
a prosissSo da Santissima Triadade, que tem de
sabir da igreja do cooven o i!e S. Francisco,
para a qoal tiveraos o iioaroso convite.
Consistorio da confraria do Snhor fcom Jess
da Viasacra, :8 de Maio de 1890.
O escrivo iotetino,
M. D. da Silva.
Veneravel
trmandadr de IV. S. do Hoiariu da
matriz do Cora* Mani
De ordem do irmo juiz, convido a todos os
irmaos a compare domingo 1 de Junho. pelas 3 1.2 hor.s da tar-
de, atim de encorporado?, acompanbarmos a
p ocissio da Santissima l'riadade, para cojo
tim recebemos o honroso convite.
Consistorio da veneravel irmaodade de N. S.
- do Rosario da matriz do Corno Sant aos ti de
Maio de 1890
O encrivao interino,
Kuno Alves da Fonseca
Irmandade do Divino Espi-
rito SftuU do Recife
De ordem da mesa regedora convido a todos
es nos os carissimos irmaos a comparecerem
em oossa igreja, domingo", de Junln. pelas 2
i|t horas da tarde, alim de encorporados irmos
acompanbar a solemne procissao da Santissima
Trindade, que sahir da igreja do convenio dos
religiosos de Santo Antonio ; para o qne tive-
mos convite.
Consisto, io, 29 de Maio de 1890.
O escrivo,
Mgtiel dos Santo* Cotia Jnior
Irmandade
DO
SS. Sacramento do
Corpa Santo
De orlen) co irinao jaiz, convido a todos os
irmaos a comparecerem em o nosso consistorio
domingo i-deJunlr, as Unirs da manha,
aflm de proceder-se e leic&o de trovos (ncelo
nanos que hio de dirigir os negocios desta ir-
mandade dora te o mao zonpromiceal de 1890
i 1891. Recife, SS de Maio de 1890.
Uibrirl 1. das Ntvos Cardoeo.
Veneravel irmandade do Se-
nhor Bom Jess dos
Passos
Convido pelo presente todoi os nossos irmaos
a comparecerem na matriz doCorpo Sanio do-
mingo 1* de Jalao, pelas 3 horas da tarde, para
eacorporado acompanharmos a procissao da
Santissima Triadade que lem de sahir do con
vento de Santo Antonio. Reclfr, i) de Maio de
1890.-0 csciivao.
Odorico da Cmara.
Alfandeg de PernacgbucD
Pela inspeciuiia desta ilfaodega reitera se o
aviso feito aos donos ou consignatarios das mer-
eadoras depositabas nos trapiches alfandega-
dos Barao do Livramenlo e Lirgo da Assem
bla. administrados por J >* Luir de Sooza, des
pai harem ou retirarem dos mencionados arma-
zens as mercadorias all recolb'.d.p. no prafo
de oito das.
2 seceao da AKaodega do Estado de Per
nambuco, 29 de Maio de 1890. -O chefe.
Cicero B. de Mello.
Derby G lub
Tendo si lo autorizada em asemb!a geral de
I i do.correal i a emisso de debentures para a
consoidacao da divida desta sociedade, previno
em nome da ditectona aos Srs. accionistas que
acba-se encarregado dessa operacSo o corretor
geral desta praca Pedro Jos Piolo, com qoem
os Sfs. accionistas podem tratar- a espeito.
Secretaria do Derby Cub, J7 de Uaio de 1890.
O secretario,
Manoel Medeiros.
Conpanhia do Bebe-
ribe
De accordo com o art. 16,
do decreto de 17 de Janeiro
docorrente anno, acham-se
lio escriptorio desta compa-
nhia, ra du Imperador n.
71, para serem examinadas
pelos S*s. accionistas, as co-
pias dos balances do anno
finaoceiro al 30 de Abril do
rorrente a.ino ; assiin como
a relacao dos Srs. accionista
ea lista das transfereDcias
, de accoes. O
O director secretario,
Aurelio dos Santos Coinbra.
Thesouraria de Fazenda
FOBNECIMKSTO GL'ABSIfXo
O con sel i, o para o fornecimento'de gneros e
forrayens s pracas d'es'a gSiarnicao e aos ca-
vallos a cargo da 4* batera do5bataihao de ar
titilara de posicao destacada n'este Estado, re-
cebe propostas no dia 16 de Juoho prximo vio
douro, as II horas da manha, no quartel general
do commandodas armas, onde funecionar o dito.
conseilu paraecntractaro fo'necimeatodo^ allu
didos genoros e mais ariigos constantes da rea-
ai infra, durante o semestre de Julho a Dczem
ro d'eteanao.
Arroz, kilo.
Assucar branco refinado de 1" qnalidade, idem.
Dito dito de 2* dita, idem.
Atee doce de Lisboa, litro.
Alfafa, kilo.
Agurdenle, litro.
Aletria, kilo.
Ameixas passada-, idem. -
Aruruta, idem.
Bacalho, dem.
Ba'atas inglezas, idem.
Biscouios, idem.
Banha de porco. americana, idem.
Caf em grao, idem.
Caf moldo, idem.
Carne de porco, idem.
Dita de vacca com osso, idem.
Dita de dita sem osso, idem.
Dita eecca do Pie Grande do Su1, iJem.
Dita de carneiro, idem.
Cha verde de India, idem.
Dito preto da dita, idem.
SevaJinli?, idtm.
Cravos, cunto.
Chocolate, kilo.
Carvo vegetal, barrica.
Dito coke, kilo.
Caetas de madeira, dnzia.
Euterros por cavallo, um
Farinlia de qualidade, litro.
Dita de 2* dita, idem.
Feijao preto on mulatinho, idem.
Fruc as, racio (duas bananas ou ama laranga).
Farello, kilo.
Ferradura, par.
Figos paasados, kilo.
Frango, um.
Gallioba, urna.
Gomma arbica, frasco.
Goubada cm lata, kilo.
Lenba, acba ou toro.
Leite de vacca, litro.
Lavagem de roupa passada a ferro, peca.
Lapis preto de Faber n. 1, dtuia.
Macarrio. kilo.
Maizen?, idem.
Mant iga ingleza de 1' qnalidade, dem.
Ma-melada. idem.
Milho, dem.
Medicamentos para cavalbada, numero.
Ovo*, om.
Pao, kilo.
Phosphoros ai ericanos, grosa.
Pasas, kilo.
Peanas de ac Perry. caxa.
Papel patalo (ime, resma.
Papel nata borrao. fulba.
Queijo de Miaas, um.
Sal, furo.
Sanguesugas, pela app!icac5o de orna.
Sabao commum, kilo.
Toucinho de Mina-, kilo.
Tinta preta, garrafa.
Temperos e verduras, rajo.
Tapioca, kilo.
Vmb'j tioio, lilro.
Dito branco, idem.
Dito do Porto, idem.
Vinagre tinto, idem.
Dito branco idem.
Vassonras de piassava, grande-, cma.
Velas de ceta, kilo.
Condifle ^
! Tadas os gneros serao de primeira qualida-
de e os fornecedores deverao satisfazer os pedidor,
dentro dos prazos marcados nos respectivos con-
tractos, entregando os gneros nos quarteis ou
fortalezas e enfermaras, e depositario na The
ouraria de Fazenda ama quantia como cauc&o,
que ser arbitrada pelo consclho de fjrneci-
mento.
t> As propo3las deveao cooter a declaraco
expressa de sojeitar se o proponente multa de
S / da importancia a que motitarem os vveres
ou artigos que forem acceilo?. f i deixarem de
comparecer para astignar o respectivo contracto
dentro do prazo que fr marcado pelos jor-
naes.
3* S6 podero concorrer ao fornecimenlo os
candidatos que se habilitarem na forma do art.
18 do decreto n 7083 de 6 de Maio ce 1880.
4* Da f.Ha de el cumpnziento de qualquer
das obriga^Oes conl ihidar, os fornecedores tica-
rao sujeitos a pagar o valor dos genero* regeila
dos ou nao reccbdos em lempo.
5* Os concurrentes pao obrigado3 a apresentar
as amoctras dos gneros ou artigos, que forcm
julgados precisos pelo conselho.
6* As propostas serie apreeentadas em dupl-
cala al as li horas do referido dia, em que all
serao abertal e apuradas em preeeo4 des pro
pouentes ; sen 1o que na meema ocoasiao se ac-
ceitarao propostas pera a venda de eetrome dos
iu;raaes da p*ecilada batera.
7 Finalmente, os fornecedores que requererem
a rescisao de sea contracto e forem attendidof,
ucarSo sujito multa de 10 */ sobre o tctal do
fornecime.'.te do semestre antericr.
Thesouraria de Fazenda do Estado de Peruam-
boco, .H) de Maio de 1890.
O inspector,
Dr. D.mocrito Covalcante de Albttqueique
A Junta Coaimercial do Recife convida os com-
merciantes nacionaes matriculad osdeste districto
a comparecerem no dia 13 de Junho prximo vin
douro, as 9 horas da manha, no salao da Associa
o Commercial BeoeQcente, para a eleico de
um suppleote de depmado commerciante, em
substuuicao de Luiz de Paula Lopes, que foi elei-
to depuiado e cuj eleicao terminara a 31 de De-
z:mbro ao presente anuo de vendo o novo elel-
to, em vista da ultima parle do art. 4 do litlo
nico do Cdigo Commercial, servir gmente
pelo tempo que falta ao substituido.
E, para constar mandou dita junta fazero pre-
sente edital, que assipoado pelo seu presidente,
ser publicado no lornal io Rtcife, Provincia e
Diarto de Vernambuco, e affixado na praca do com-
mercio om.a lista de que traa o art. 5 do
Decr. n. 696 de 5 de Setembro de 1850.
Juata Commercial do Recife. 29 de Maio de
1890.
O presidente,
trbaguim Olinlo Bastos.
wmmwT GEiiri
DE
PERNAMBUCO
PROJECTO DE NSCRIPIO
Lista
-
&

Santa Casa de Misericordia
do Recife
Perante a junta administrativa lesta santa
casa, deverao ser apresentadas propostas para o
arrendamento. por lempo de om a tres annos,
da propnedade Mitueira, perteacente a mesma
santi casa.
As propostas deverao ser em carias fechadas e
sellada e sera preferida aquella que melbores
vaatageos ol recer, tomando por base o t reco
do actual arrendamento, que de 1200000 in-
ouaes. ,
Secretara da Santa rasa da Misericordia do
Recife, 24 de Maio de 1890.-
O BCrivfio, Pedro Rodrigues de Souza.
'Matriz de Santo Antonio
1 Antonio Gomes Miranda Leal.
2 Antonio Geraldo do Reg Barroca.
3 Antonio Luiz Teixeira Elias.
4 Antonio Valentina da Silva Barroca.
5 Antonio Rodrigues de Souza.
6 Anlonio Gomes de Mattos.
7 Antonio Seratiaj da Silva.
8 Autonio Machado l'ereira Yiama Jnior.
9 Anlonio da Cunta Ferr ira Bailar.
10 Antonio Vicente de Magalbaes.
11 Antonio da Silva Feneira Jnior.
12 Antonio Guiluermioo dos Santos.
13 Autouio de Oliveira Maia. ..
14 Anlonio Muniz Machado.
'5 Antonio Xavier Bezerra.
10 Adolpho Francisco Lavra.
17 Aureliauo Augusto de Oliveira.
18 Augusto U-iaviano de Scnza.
19 Alexandre de Souza Nogueira.
20 Alfredo Gibaon.
21 Alfredo Jos i Ferreira.
22 Aflfcnso Augusto de Brito Taborda.
23 Baiao de Petrolina.
24 Barao da Soledade.
23 Barao da Santa Crnz.
26 barao de Agaas Bellas.
27 Barao de Nazareth.
28 Corbeaiano d Aquino Fonseca.
29 Claud:o Jos de Sant'Anna.
30 Carlo3 Pinto de Lemos.
31 Carlos Jos de Medeiros.
32 Carlos de Paula Lopes.
33 Candido Jos da Silva Gcimaraes.
34 Candido Goncalves Ferreira.
3o Carlos de Moraes Gimes Ferreira.
36 Coperlino de Gaimardes Bastos.
37 Demetrio Acacio de Araujo Bastos,
38 Ernesto Arcelino de Bar os Franco.
39 Eanardo Candido de Oliveira.
40 Euzebio da Cuaba Beltrio.
41 Eoeis Americode Medeiros.
42 Eugenio Regadas.
43 Fr. ncisco Ferreira Bailar.
41 Francisco Antonio Gomes de Mattos.
43 Francisco Tneopbilo da Rocha Bezerra.
46 Francisco Apolonio Bezerra da Silva.
47 Francisco Gomes de Araujo.
48 Francisco Botelbo le Andrade.
49 Francisco Ignacio de Oliveira.
50 Francisco Ferreira Bailar luoior.
51 Francheo Jos da Silva Guimares.
i Fraacisco Gargel do Ama ral. '
Francisco de Paula Gomes.
54 Fraacisco Correia te Mesqoita Cardoo
53 Filix Pereira e Sooza.
56 Francelino Rodrigues de Moura.
57 Genuino Jos da Roca.
58 Gratuliaoo dos Sautos Vital.
59 Graciano Octano da Cruz Marlins.
60 Gabriel Ildefonso das Neves Cardoso.
61 Hearique Beruardes de Oliveira.
62 Henrique Xavier de Araujo Sarai va de Mello.
63 Hermiuio Enjlio de Figueiredo.
6i Ignacio Bezerra Pessoa.
65 Jos Antonio Pinto.
66 Jos Marcelino da Rosa.
67 Jos Francisco S Leitao
68 Jos Gomes Leal.
69 Jos.Adolpho Rodrigues Lima.
70 Jos da Costa Pereira.
71 Jos Fiuza de Oliveira.
72 Jos Braz da Concei^ao Silva.
73 Jos de Oliveira Castro.
74 Jos Moreira da Sil* a.
75 Jos Augusto de Araujo.
76 Joc de Si Leitao Jnior.
77 Jos Francisco do Reg Mello.
78 Jos Antonio Moreira Das.
79 Jos Ferreira da Silva.
80 J.s Feliciano Nazareth.
81 Jos Rodrigues da Silva Barro.
82 Jos Alves Barbota Jnior.
83 Jos da Silva Le yo Jnior.
84 Jo. Ferfrira Baliar.
85 Jos Candido de Moraes.
16 Jo da Aseumpcao Oliveira.
87 Jos Lua de Mello.
88 Jos Rene CliaMeo da Silva.
89 Jof Luiz Goncalves Fenna Juoisr.
90 Jote de Brito Bastos Filho.
91 Joa Ferreira Marques.
92 Jos Francisco Picheiro Ramos.
93 Jlo Ignacio de Medeiros Reg.
94 Jjao Baptista Gomes Penna.
95 Joao Pinto de Lemos.
96 Joo Manoel da Veigi e Seixas.
97 Joao Baptista Castanh?.
98 Joao Jote da Silva.
99 Joao Jos de Carvalho Moraes.
100 Joao Femandes Lopes.
101 Joao Walfndo de Medeiros.
101 Joo Rodngces de Moura.
103 Jjo de Aquino Fonseca.
104 Joao Ferreira Lomeiro.
105 Joao Pereira Reg.
106 Joao Joaquim de Mello.
107 Joio Chrjsostomo Galvao.
108 Joao Vctor Alves Malh.us.
109 Joaquim Olinlo Bastos.
110 Joaquim de Souza Silva Cunba. -
111 Joaquim Alves Garcia.
112 Joaquim Bernardo des Re.
113 Joaquim Lopes Macbado.
114 Joaquim Francisco das Chagase Silva.
115 Joaquim Mauricio Goncalves Rosa.
116 Joaquim Felippe da Costa.
117 Joaquim Nicolao Ferreira.
118 Joaqoli JoseGongalves Beilro.
U9 Joaquim de Oliveira Borges.
3
4.a
5."

Da 9.* corrida que realizar-sha em 8de Ju-
nho de 1890
UtrM CONSOLAQO SOO metros. Animaes de Pernambuco, que.
nSo tenham ganho premios nos prados do Recife n'estes oito meju^e
eguas d'este Estado. Premios: 200)9000 ao prmeiro, 4P)9fl6tao
segundo e 20i50O0'ao terceiro. 1*^*
t\1i^d ESTADO DE PERNAMBUCO l.iOO ejfo~s. AninS:
pungas. Premios : 200(J030 ao primeiro, 40(J000 r)T?gundo e
ao terceiro. j
V^1,S ANIMAQAO SOO metros. Animaes do Pernambuco que nSo
tenham ganho n'estes ltimos dona mezes nos prados do Recife. Pre-
mios : 200|}000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 20fjKXX) ao terceiro.
9\**9 PROdPERIDADE S&O metros. Animaes de Pernambu-
co que nio tenham ganho em distancia superior a 1.000 metros
no Derby em 1890. Premios: 201'dOOO ao primeiro, 40(5000 ao se-
gundo e 200000..ao .terceiro.
*\**9 PR VDO-CA ESTANCIA t.SOO metros. Animaes nacionaeB
at meiftistpBgue, que nHo tenham ganho do Derby no ultimo mez. Pre-
mios : 300(5000 ao primeiro, 600000 ao segando e 300000 ao terceiro.
" Vklrt.9 EXPERIENCIA SOO metros. Animaes de Pernambuco, que
nSo tenham ganho no Derby n'estes quatro mezes. Premios: 2000000
ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
*' MbtAt EFdULACAO 1.900 metros. Animaes de Pernambuco-
Premios: 2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 #ao
terceiro.
Observacoes
Nenhum pareo se realizar sem que se inscrevam e corram pelo menos tres
animaes de tres proprietarios differentes.
Fica reservado a directora o direito de akerar a collocac,ao dos pareos na
organisaySo do programma.
A inscripcSo encerrar-se-ha segunda-feira, 2 de Junho, as 6 horas da tarde,
na secretaria do Derby Club, ra do Imperador n. 22, 1 .* andar.
O SECRETARIO,
Manoel Medeiros.
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Lecointre
E' esperado dos pertos do
su I no dia 2 "re Junho
seguinde depoisj
ra do cosiume
deatlx, tocando ein
Dakar e Lisboa
e aos Srs. passageironf lodaa as
ha lugares reservados para, etrto
que podem tomar em qualquer tmoc
abaumento de 15 0]0 em favor daua-
tT\ pessoas ao menos, eTfue
ns inteiras.
ados de familias que to-
rda, gozam tambem deste
se dao at o dia 31 de Maio
Lanbras
. ir ex
rawrem b:
a jatimeni
Os rali
cobros
. sagens, encommendas e di-
rrata-se com o AGENTE.
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado da Europa no
dia 3 de Junho e segui-
r depois da demora ae-
cessana para
Baha, Rio ele Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercado-
ras que so se attender a reclamacOes por fal-
la 1, nos volumes, que forem reconhecidas na
o casio da descarga, assim como deverao den-
tr j de 48 horas a contar do dia da descarga das
a varen gas, fazerem qualquer reclamacSo con-
sernentes a volumes que porventura tenham se-
guido para os portes do sul, afim de poder-se
Jar a tempo as providencias necessarias.
sea paquetes
I aa elctrica.
ao lllnmlnado &

x

i20 Julio Cezar Paes BarreHo.
Frinandade do San- <-t Juvimano llanta.
1M Juvino Cezar Paes Birretto.
123 luviuo Bandeira.
124 Bacharel Laurino de Moraes Piaheiro.
Veoeravfl
tlssimo Sacramento
Pelo presente e de oonformidade com
as disposi^Ses do compromislp, -convido lis Leocadio Jos de Figuetredo.
irmSos. desta Veneravel Irmandade,
aos
a comparecerem em nosso coBftorio s
11 horas da manhS do dia 1." de Junho,
para o fias de pr. cedrr-se a eleicSo da
mesa regedora, que ha da dirigir irman-
dade no anno oompromissal de 1S9J a
1891.
Consistorio, 29 de Maio de 1890.
O escrivo,
Francisco Jos des Pat o Gumiaraes.
Oorreio geral
Malas a expedir-se ainanha
Pelo vapor americano Finencs. esla adminis-
Iracao excede malas para os portes dj Bvhia c i
Rio de Janeiro recebendo impressos e objeclos 149 M-jthias Tavares de Alneida.
a registrar at 10 horas da manda d j dia 2, e 150 Migu 1 Jos de Abr. a.
cartas ordinarias al ttss 11, ou at a entrega das
malas com porte duplo.
idmin'tstracao do Correios de Pernambuco,
i de Julho de 1890.
O administrador,
fftmso do Rife Barros.
12u Lenidas Tito Loureiro.
Vil Luiz AuionLe Siquaira.
(28 Luis Jos da Silva Guimares.
129 Luiz A fredo de Moraes.
130 Luiz Leopoldo dos Guimares Peixolo.
131 Ladislao Gimes do Reg.
132 Luiz de Panla Lopes.
133 LBdislo Jos Ferreira.
134 Leopoldo Marques da Assumpjo.
133 Munoel Ignacio Pessoa de Mello.
136 Manoel dos Santos Villaca.
137 Manoel da Sil.a Maia.
138 Manoel Jos da Silva Guimares.
139 Manoel Paulo de Alboquerque.
140 Manoel Moreira de Souza.
141 Manoel Pereira da Cuaba.
142 Manoel Bernardo de Oliveira.
143 liartiarel Mi oorl G mes de Mallo.
144 Manoel Jos Mon'eiro.
145 Man el Jjaquim da l>sta Carvalho.
l(i Manoel Honorato da Silva.
147 Marcelino Jos Ma ia 148 Marcelino Goccalves Rosa.
J. e R. Consolato l'Austria-
Dffheria ^
Terminando alli 14 di giango prossimo il
tempo determnate agli teraniri per tare le
dichiarazioni, di che desederano manlenere la
eua naxionalit, e facoltando il decreto n. 395
del 15 del correte, che simili dichiarazioni,
fiossono essere tatte, non solanenU mnanzi
e autorit raunicipi'li, come anche innanzi gli-
scrivaoi delle delegaziooi, subdelegazloni e on-
solati, facciamo co la presente, noto, tutti
sudJiti AastroUngarici, riceveodo in qoesto
Consolito, dalle ore 10 a p alie 3 por en le di
chiarazioni di lutti quelli che desideraoo manle-
nere la nazionalit austraca.
J. e B. Consolato d'Austria Ungheria ia Per-
nambuco alli 30 di Maggte 1890.
Guiseppe Saporiti
Caneelliere e Reggente ad nter
.___ L. J. e H. Consolato
______________d'Austia Uogheria
Centro Collectivo-Li-
ga Operara Per-
nambucana
Covido a todos os n3ssos associaios activos
ou nio, a compare :e rem a assem bla geral, que
ten logar boje, s horas do costume, aflm de
discurem 6) aieos da execoco parcial do
nosso programma, o que foco de ordem do con
socia presidente.
Secretaria da Liga Operara Pernambucaoa, 1
de Junho de 1890.
0 secretario,
Manoel Pioang Soare
Recife Drainage Company
Limited
Modo* sea escriptorio para o primen o andar
n. 7, 4 ra do Imperador. __________
SEGKOS
martimos contra foco
Cowpannla Phenix Per
ambueana
RA DO COMMERCIO N. 46
London & Brasilian Bank
Limited
Eua do Cammercio n. 32
. Sacca por todos os vapores sobre as cai-
cas do mesmo banco em Portugal sendo
m Lisboa ra dos Capelliatas n. 75. No
'orto, ra dos Jnglezes.
Para carga,
a eiro a frete
passagens, encommendas e ti-
trata-se com o
AGENTE
Au guste Labille
6 Ra do Commercio 9
Pacific Steam Navigation
Company
STRATTS OF MAGELLAN UNE
O paquete John Eider
Espera-se da Europa at o dia
3 de Junho e seguir de-
pois da demora do costume para
Valparaso com escala por
Babia, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
iheiro a frete: trata-se com os
AGENTES
TVilson, Sons k C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
Companliia AJagoaoa de
Fiacao e Tecidos
Convidamos os senbores subscriptores desta
com pan hia para, de accordo com os arts. 9 e 10
dos e.tatntos, realisarem al o dia 14 de Junho
prximo futuro, a 10.* entrada na razao de 10
0/0 do valor de snas accoes no naneo de Per
namhucD. Macei, 14 de Maio de 1890.
Os directores.
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. de Carvalho.
Propicio Brrelo.
Club Kepublieano
Marthis Jnior
Sao convidados os cid.dos, fundadores do
Club Republicana M-rtin* Junio,-, a comparece
rem a ra Mardlio Dios n. 31, 1 sillar, ir 7
horas da noile, uo dia S de Junno, aflm de rea
Usarem primeira sessao preparatoria.
151 Narciso JosManleiro.
loi Olympio Prcderico L*op.
133 Olympio G njalvli* Roca.
15i Pero J jaquim Vhiona de L:mJ.
153 redro Ozorio deGeftjtiiira.
130 tedio lorge da Stva Huios.
157 Pedro Alexan-liioo Maia e Silva.
158 Paulo Pereira Saco.-.
159 Phmenio Duarte Ribeiro.
Ll60 Saty-0 Serafim da Silva.
161 Thoma >. Teixeira Bslu8.
161 Tbomai Ferreira de Carvalho.
gecreltrla d* Junta Commercial do Recite,
'"-' 0 secrelaro,
Julio Augusto ia Cunka Guimaries.
Hospital Portuguez
de Beneficencia em
Pernambuco
ASSEMBLEA OERAL
Pos e da doy a jimia
Sao convidados todos os
Srs. associados a reunirem-
se domingo, 1. de Junho,
na secretaria do Hospital
Portuguez, s 11 horas da
manha,para sedar cumpri-
mento a que determina o
5 17^ do art. 39 dos estatu-
tos.
Secretaria do Hospital
Portuguez, 26 de Maio de
1890.
O secretario,
Cesarlo A H. Papoua
Companhia de Segaros
fidelidad* At JisiHa
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. t-lna do Bom esus-lt. 9
SEGUROS MAftfnkOS E TEHHESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhie
testa praca que concede aos Sis. segurados scmp
Ao de pagamento de premio em cada setime
iodo, o que equivale ao descont annual de cer
a de 15 por cento em favor do* sexurados__
SECl'ROS COMBA FOGO
EDIPICieS E MERCADORIAS
TAXAS BAIXAS
Prompto pagamento de prejuizo
SEM DESCONT
A COHPAIIIA
IMPERIAL
de iomiu;s
Estabelecida em 1803
CAPITAL Rs. 1,000:OOOAOOO
AGENTES BROWNS & C.
N. 5-RA DO COMMERCIO-N. 5
Companljia e &e$uto8
COSTEA FOSO
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Jos?o fi nance ira ('Dezembro de 1887j
Capital subscripto 3.000,000
Fruidos aecumulados 3.421,000
ecelta anana! :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros > 143,000
O AGENTE,
John H.Boxine.
SEGURO COMBA FOGO
lloyal Insurance Companj
Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
R. Drusna &. C.
13-Rna arouez deOllnda-13
AGENTES
Royal Mail Steam Packet
Company
O vapor Magdalena
m
Espera-se da Europa ateo dia S d*
Junho, seguindo depois da demo-
ra indispensavel para
Baha, Rio de Janeiro, Monte-
video e Buenos-Ayres
Para passagens, frete* e encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Thames
m........
E' esperado do sul no dia 5 de Ju-
nho seguindo depois da demora ne-
ces sarta para
m D EMItIS ADORA
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRF
Esiakelecldaem I8S6
Estado financero en 31 de De-
zembro de is.
Capital i,OO:000|000
Fundo de reserva 10:3J6000
Sinistros pagos 1,776:683^000
44Ra do Commercio44
SEGUROS
CONTRA FUGO
fbe verp##i k LoBff HTSUHAITCE CO.IPANT^
siAsasm. nusAV & c.
Ra do Coauaercie n. 3
MARTIMOS
COMPANHIA PER\iBlC.SA
DE
;avegacSo costefra por Tapar
P0R.10S DO SUL
Macei, Penedo, Aracaju" e Babia
viagem extraordinaria
O vapor Jacuhjpe
Commandante Esteves
S. Vicente, Las Palmas (Canarias), Lis-
boa, Vigo e Southampton
ReduecSo de passagens ,
Ida Ida e cotia
A'Lisboa 1 classe t 20 t 30
4.'Southampton i" classe i 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagenr, fretes. encommendas. trata-sa
n os
AGENTES
A morim Irmaos & C.
N.3Roa do Boa JessN. 3
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Roberto Ripper
E' esperado dos portos do su!
ate o dia 7 de Juolio e se-
guindo depois da demora indis-
pensavel para of portos do or
e at Mauaos. .
As encommendas s serao recebidas na agec
ia at i'horada tarde) do dia da sabida.
Para carga, passagens, e ncommendas e valo-
res rata-se com os AGENTES.
PORTOSDO SUL
Vapor Espirito-Santo
Commandante Antonio ^ Francisco de
Almeida
E' esperado dos pocios do nor-
te aw o dia 8 de Junho e de-
poi? da demora indispeosavel
seguir para os portos do sul
as eeommeudas serao recebidas na agen::a
at 1 hora da tarde do dia da sahidi.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
es trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6*=Rua do Commercio=6
\o andar
K S*
Segae no dia 3
-5 boraS da tarde.
.&> at o dia ...
de Jouho
Recebe car-
acommentlis, passagens a dinheiros i frete,
t as 2 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
4o Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
United States and Brazil
M. S. S. C.
Ovapor Advance
HaranhSo.
E' esperado dos portos do
sul at o ia 4 de Jacho
o qual depois da de
mora uecessana seguir
para o
Para, Barbados, 8.
fartlnlque e Nexr-
5T
Para carga, passagens, encommendas
abeiro a trote : trau-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Rsta do Commecior8
I" andar
edi:


.

.



I
-

CHARGERS REUNS
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro t
DE
Xavegacio
fijnh quincenal entre
Pernambuco, Babia,
Santoi.
O VAPOR
Ville de Buenos-Ayres
Commandante Le Bourhis
E' esperado da Europa at o dia
4 de Junho segurado depou
da idispensavel demora para
de Janeiro e Santos
Roga-se tos Srs. importadores de carga pele.
vapores desta linha, qneiram apresestafjjjptrc
de 6 das a contar do da descarga das alvgai
faalquer reclamacao concernente a Tolnmes que
iorveutura teabam seguido pan os portee de
tal tflm de se poder dar a temptg as previ
deacias necessanas. t
Expirado o referido prazo a companbia nao
responsabilisa por extravipo.
Para carga, passagens. eocomiWBdas e di
nheiro a frete : trata-se com o t
AGENTE
Aogiste Labille
9-RA DO? COMMERCIO-9
Rio de Janeiro, Santos, Kio Grande do
Sul, Pelotas e Porto-Alegre
O vapo- inglez Cometa
Seguir em pon
eos das para os
| por tos cima in-
dicados.
Sobre car ta-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro &C.
6RUADO COMMERCIO6
1* andar
Companhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante Bernardos
Seguir para os
portos cima
indicados no dia
3 do crreme s
4 boras da tarde
PanTcarga, passgens, encommendas e dinnei-
ti a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario- 17
fre inglez prova de fogo, i prensa inglesa de ce
piar cartas, 1 estante de amare!to, 1 noctes de
palhinha, 1 carteira grande de amarillo, i dita
menor, 4 canioneiras. i sof de amarello, 5 ca-
deiras de mola, i banquioba de faotatia, 1 ca
deirt cama de jacartad, bid Bordado a
matix, I termmetro, i barmetro, 1 estante de,
ra-i e 1 oratorio com mesa.
Quatro camas de ferro com lastro de rame,
diversos marqueies para orna e duas pessoas,
com armacio pare mosquetenes, 3 guarda- veeti
dos de amarello, 3 cabides de columna, 1 ban
q inha de costura, lavatorios de amarello, ba-
cas de louca. Daldes de tinco para a^ua, 1 re-
pos tei re, cabides americanos, lavatorios de fer-
ro e i cabide para roupa eogommada.
Duas mesas elsticas, se.ido urna de 6 e cu-
ira de 7 laboas de amarello, guarda louca de di-
to, 1 aparador de arottrio com lampo de pedra,
3 ditos de columna, 60 cadeiras de junco e de
faia. 1 guarda comida de rame, 4 ricas frncteiras
de electro platee cryolaK 2 galheteiros do electro
pate, 2 portas gelo, 2 salvas de metal. 1 dita de
electro piale, manteigueiras, grande quantidade
de pratos de porcelana branca, ditos dintados
para frnctas, 30 casaes de chicaras, bules, sou-
peiraa, copos de crjstal com p, ditos de baca-
rat, ditos communs, caUces finos para violto, di-
to* para licor, copos para cei veja, compoteiras,
tacar para champagne, facas grandes, garlos
grandes e pequeos de metal, facas pequeas,
colberes dalrnetal para eia, ditas para cha,
conchae de- divefsos tamanhos, colber para pe
xe, trinchantes, "palia para guardanapes e ma-
china para arrolbar.
Um grande fogo inglez de ferro, trem de co-
zinba, vasilbas para co.-innar peixe, batanea de-
cimal, mesas de ce sin ha e 1 apparelbo para gym-
nastica.
Colxas novas, brancas, para cama, pecas de
arrendado para cortinados, pega de bramante de
linbo para lengoes, toalha grandes adamasca-
das novas para mesa, guardanapos de linbo ada-
mascado.
Vinbo Bordetux fino, viobo Figueira superior.
Porto uno, vinho legitimo de Xeres, Collares em
ba-ris de quinto, vinho Medoc superior, Cnam
pagoe, agua mineral natural, cognac, vinagre
branco e conservas.
Lindos objectos de electro pate e bijonterias,
caslicaes de metal com mangas, i rica estante
para colleccSo de insetos, atlas geograpbicos,
mappas e livros illustrados.
Nos dio 3e6de Junho prximo futuro
No Grande Hotel do Oaminho Sovo
A's IO e 1)9 horas
Defronte da estacao
O propietario deste hotel, retirando se para
a Europa far leilao por intervenco do agente
Martins, dos movis e utensilios do referido no
tel, o qual (em nm esplendido sortimento de be-
bidas impo.tadas directamente.
A's 10 boras e 14 minutos partir um bond es
pecial da linba de Fernandes Vieira at a entra-
da da Capunga, que dar passagem gratis aos
concurrentes ao leilo.
Em lempo, entrega e recebimento em acto
continuo, sem excepgao de pessoa.
Diario de Pernambuco-DomiDgo 1 de Junho de
LEILOES
Leilo
Agente Pestaa
De movis, loucas. vidros o joias
Terca feira. 3 de fin uta o
A's 11 boras
No Io andar do sobrado, sito ra Duque
de Caxias n. 22
O agente Pestaa vender urna mobilia de
junco, um par de jarros, 6 quadros, um par de
anternas, 1 dito de escaradeiras, 1 tapete gran
de, 1 me.-a redonda, i candelabro de vidro. 2
candieiros de jarros para kerosene, 1 relogio
para cima de mesa, 2 machina; de costura, nma
marquezn. 1 cama de amarello, 2 fitairos pro
prios para hotel, 1 cabide, 1 quarinheira, um
porta-licor, 1 lavatorio e outros objectos que es-
larao patentes do acto du leilao.
Leilo
De nm sobrado de um andar com boas
acommodaedes sito no pateo do Terco
n. 22, edificado em terreno prprio,
rende 40 mensaes.
Terca-felra, 3 de Junho
A's 11 horas
No armazem ra do Mrquez de Olinda
n.48
EM CONTINUACO
De 1 excellente cavallo proprio para sella ou
carro.
?or intervenco do agente
Gusmao
Agente Stepple
Leilo
JEm coutlauaco
Da armacio e resto dn loucas da loja da ra
Imperial n. 13
Terca feira, 3 de Jnnlio, s 10 1/2 boras
Leilo
De 1 fogio inglez de ferro (quasi novo), 1 vi-
trine de amarello. 1 espelho com moldura imi-
taco de bambfi, 2 marquezoea, 8 quadros, 2 ar-
marios, 1 relogio de parede, mesas de diversos
tamanhos, diversas taboas de assoalho de pi-
nbo, porcelanas, loucas, copos, clices, talbe
res, grande quantidade de quartinhas novas da
Sania, diversas qualidades de bebidas, 1 glande
trem de oozinha e muitos outros objectos ene
estarao patentes no acto do leilo.
Quarta-feira, 4 do torrente, s 11 hera,
no armazem da ra da Imperatriz nu
mero 54 A
O agente Gusmao, autorisado. far leilao dos
objectos cima mencionados, os qnaes sero
vendidos ao correr do u. artel I o.
Entrega e recebimento em acto continuo.
-' ... .,.,,
Grande e variado
Leilo
DO
Acreditad* hotel de D. .latoalo
Noy
Constando de grande quantidade de mo-
vis de amarello e janeo, 1 piano de
Pleyel, 1 importante e esplendido sorti-
mento de bebidas finas, importadas di-
rectamente, e porcSo de roupa de ca-
ma e mesa, toda nova.
A SABER
Urna mobilia de janeo (encost alto e con pa
Ihinba), 1 excellente piano de Pleyel, 1 cadera
para piano, capa, estrado e ps de vidro. 1 espe
Iho oval, 7 quadros a oleo, 4 ditos a oleogra-
pbias, 4 ditos de madeira entalaada. 4 uta
lnes, 8 etagerea, 4 jarros para flores, vasos
para plantas, 8 tancas para cortinado, diversos
tapetes, capachos, almofadas para sof, cortina-
dos para jaoeilas, 1 porta-cartOes de alabastro,
f cadeiras de pama dt Moa, 3 pares de etcarra-
deiras e 3 moldo ras douradat atrs.
Urna meta ctobiha da junco com eooosto de
pajaraba, contendo 1 sof, 2 cadeiras de bracos,
1 dita de belaoco, dttas de gttfftucao e 2 con-
tlos com pedra marmore, 1 toilette de jeatee-
da, Infdtm graodes, f commedM de jaearan
44, i toacador de dito, i ama redonda de dito, 3
venetianai, 1 relogio el Imito gmtrda vettidos
eraiz.
Urna imponate secretaria de jacarnd, 1 eo
Leio
De joias, movis, roupas novas e usadas,
e grande quanti iade de garrafas de Elixir
de Aogelino, diversa depsitos cheios
de liquido, rolos de salsa e barris com
vinho do porto fino, e outras mais be-
bidas
Mexta-felra, 3 de Junho
A's 11 boras
A'ra de Paulino Cantara n. 19, e as oflici
as ra da Flores em frente Travessa da Paz.
O agente Stepple, por madado e asistencia do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito de Orpbo e ausen-
tes, a requenmento do Sr. consol de Portugal,
levar a leilo os bens pertencentes, ao espolio
do tinado subdito portuguez .Angelino Jos dos
Santos Andrade.
Os Srs. pretendentes desde j podero vir exa-
minar o mandado que aeha-e em poder do mes-
an agente.
AVISOS DIVERSOS
Precisa se de urna boa cosinheira ; na ra
do Vigario n. 5, armazem.
Quem dar informacOes do Sr. Joao Man
obo da Rocha Falco t do Sr. Jo5o Baptista Fer
reir ?
Patacoes e outras moedas
compra-se pelo maior piejo ;
merclo n 4.
de (uroe prata,
na ra do Com
Tendo se extraviado um coobecimento da quan
ta de 1.350J0OO correspondente a igual quantia
que recplhi ao cofre do Thesouro deste Estado
atim de arrematar a obra dos reparos da ponte
de Afogados ; peco a quem o acbar queira en-
tregar ao abaixo assigoado que ser gratificado.
Juo Los Cavalcante de Albuquerqne
Precisa-se arrendar tira engenho
em bom. estado e prximo a alguma
das linlias frreas. A tratar oa travessa
da Madre de Deas n. 1.
roa
Cimento Alsen,
do Brum n. 65.
dez kilos por 700 rs. ; na
Pera)uu-se urna casa sita roa de S. Bea-
to em Olinda, com 3 salas, 4 quartos, agua e
gaz, por outra em algum dos bairros do Recife :
e tratar na roa do M spicio n. 15.
0 Sr. Costa Ferreira
3 prximo.
prometteu para o dia
Pergunta- se ao Sr. Manoel To -quato Araujo
Sal lanha onde se pode eocontral o, e o que diz
daquellfcs negocios, entre os quaes o da padana.
Alugam-se casas catadas e pintadas no
undos de S Goncalo, a 8*000; a traur na ra
la Imperatriz n. 76.
Precisa-se de ama ama para servico do-
mestico ; a tratar ni roa Mrquez do Hrval
numero 141,
Aluga-se por preco commodoo sobrado n-
155 roa Imperial, por partes ou ledo, preferrn-
do se alugal-o todo : qu^m o pretender dirija ge
ra do Imperador n. 36, 1 andar, 4 dir^ita.
Aluga-se o i' andar do sobrado n. 8 ra
estrella do Rosario, com 2 salas, 2 qtartos, co
sinba ; a tratar na ra das Trincneiras n. 17.
Alaga-te a casa da travessa de S. Jos n.
13 ; a tratar oa roa da Palma n. 4.
Aluga-se oa vende se o litio do Caminbo
Novo, muito fresco e muito bom local, com duas
casaa para morar e as fructas de qoalidi.des; en-
tre doas linhas, bmd o trem ; a tratar no
mesroo sitio, cajo n. 128, deixando teas no
mes, depois das 9 horas dt manhft.
Carrinhos e velocipedes para
crianzas
Veraadeira novldade
_________ RnaNova n. 13
Alugam-se
as casas n. 63 roa da Gloria, boje Visconde de
Albuqaerque, com 3 quartos, 2 salas, quintal,
apparelbo e cacimba de muito boa agua, e a de
n. 1! i travessa do Corpo Santo, ambas ciaas
e pintadas, por procos commodos; a tratar na
roa Direita n. 45, sobrado. _________
Aos sapatiros
Acaba de chegar para a loja da ra do Livra-
mento n. 19, um novo sortimento de fdrmas
francezas para calcados de homtns, senhoras e
menes, no mesmo estabelecimento os senbo-
res sapateiroe encoitraro sempre um comateto
sortimento de aviamentos para fabrico de calca
do* e por recos sem competencia ; i no Bazar
do L vramelo n. 19.
Ow prata
Compra-se^como tambeft
moedas, ra do Cabug
n. 9., loja de Augusto Reg.
AO PUBLIC
O abaixo assignado retolveu participar
aoa teas amigos e fregueses que contina
a ter sempre o tnait completo sortimento
de :
COGNACS destacando o afamado
Pno, que um doa que mais se pres-
tam a tomar-te coa leite.
V1NHOS--O Palhete sem prejaizo das
outras marcas, especialiaando tmbem o
magnifico Bordame Bepblique Brsil-
lienne.
LEGUMESem conserva, especialida-
des como nao se encontram em qua'quer
cata.
CARNES em conserva, especiaes como
nunca vieram aqui.
PEEKEStambera o que na de mais
variado.
CERVEJASonde se destaca a bem
conaecida e digna de ceiebridade Paulino
Bier.
CHANTOS nm grande sortimento
das melbres marcas, e por precos muito
commodos.
Ale deates artigos acba se o teu esta-
belecimento sempre supprido de tudo
Suanto se possa dse jar d'um bom esta-
elecimento d'aqueile genero.
Ra do Imperador n. 28.
Paulino de Oliveira Maia.
Enana
dmimstrafio : FARIZ, S, Boulertri Montmartn.
BRANDE-GRILLE.- AITi'Cij lvmph.itii-ai, Dosn-
s das na s dijeslTas,ObstruccSc(la fipido p do lco.
Ibslruf 51) J vis-r.ies, Concreroe; ealculo&is da biie.
HOPITAL. A(Tci-ri-> dai vas duetliva, Inrnmmo-
, dps do estomago. Digsslio d.rci:, loaipetencia.
Gastralgias, Dy*pepsia.
CELCSTTN8. ABeccSos dos ros, da beiiga, Areiu,
' Gonrrfcdt'S das uannas,Gola, DiabeU-s, Aluminara.
HAUTERiVE. AIT,>C"omdusrtns, da betiga, Areias,
Coocretes das oa. in s,(ula iabele-, Albumiaaria.
EJJJA-SE 0 W2 Ha PONTE U CAPSDL4-
En Pemimbvco, t Agois das FontaH de Vlchy,
cima no mead as, acbio-te a.u casas de
SULZFB4KOECHUN,35.ruadtCru7; AnrjXABILLE.
Milito barato
NA RA DO CRESPO 21
\alojo do Campos
cor de caf, a 2C0 rs. o
250
rs.
Cintas escuras
covado.
Ditas brancas, panno de cretone
o dito.
Ditas de cores, finas, de 240, 280, 300 e
320 rs. o dito.
h'aptistas de cores de 160 rs. o dito.
Ditas dem, finas, a 200 ir. o dito.
Nazuhus de cores finas, a 240 rs o dito.
Merino de cor, liso, 1S pura, urna s lar-
gura, a 280 rs. o dito.
Ditas lavrados duas larguras, boas cores,
a 500 rs o dito.
L&s de cores, lisas, Letras e de quadros, a
200 rs o dito.
Ditos com quadros de seda, a 400
dito.
Ditas achamalotadas, 500 rs. o dito.
Cretones lisos, a 200 rs. o Mito'
SargeKs trancados, todas as cores, a
200 ra. o dito.
Etamines de cores, tudo pbantatia a 400
reis o dito.
Zephiros de quadros, a 160 rs. o dito
Linho pardo para vestido, a 400 rs o dito.
Cambraia Victoria transparente de 3>000
a peca.
Atoalhado para mesa, faxenda de gosto, a
liHOO ra. o metro.
Fichus de todos os tamanhos, qualidade e
rs. o
pr; eos.
Tal
oalhos para mesa a 25000, urna.
Colchas brancas, portuguezas, azenda de
10(0000 a 5,0000.
Meias, sortimento eomplto para hornera,
seohora e criancas.
Lencos de algodSo, brancos e de odres,
linho, e grande sortimento em seda.
Cortea de calca para homem, um corte
15000.
Gravatas, fichus, voile e 15 o que ha de
mais em novidade.
Setins, surah, sedas de corea e pretas,
merino preto, lisoo e lavrado, granda
quantidade de artigos que vendemos poe
todo prego.
LOJA DO CAMPOS
CRESPO -21
\
J
i
-7
i
-7
i
4
4
i
i
-)
-7
Preparado rise deaaratiro
Approrsdo pela niutradt Juta da
Bygiant Fnbllea da Corte.
Auc tomado por Decreto Imperial
de 2o de Junho de 1883.
. COMPOSICO
de
FtrmKrO Canuirfi) de Htntfrnlo.
Empregado com a maior eficacia no
rheumatismo de qualquer natureza,
em toda as moUstias da pelle, as
Itucorrhas ou fiares brancas, nos
soffrimentosGCcasionatiospela impuraa
do sangut, e finalmente as drffercntes
formas da syphilis.
INFALLIVEL RADICAL
no curtivo de todas as affeccoes bronchiaes:
Mal de Garganta, Toeae e Tsica
o
FEITOBAL
De ANAC AHUITA
Remedio Vegeta! da Natureza para o all.
vio e cura de todas as molestias
Do Peito e dos Pulmdes.
Com urgencia
Precisa se de nma boa cosinheira; a tratra
na roa da Soledade n. 82.
Costureiras
Precisa se de peritas costureiras na casi de
Hdame Paul Jullien ; trata se na roa B arao da
Victoria n. 50.
A's maes de familias
QUEBEIS VOS SOS FILHOS SEMPRE SADICS
Adminstrae-lhes o XAROPE ou a
Pillas Vermipurgativas
DO DR. CAL AS APIS
ptimas preparacSes de mastrua
0 rhuibarbo, para a expulsSo completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestinaes ou lombrigas
(DAS CKEANCAS E D08 ADDLTOg)
SEIS ANNOS DE SCCESSO!
t Estas excellentes preparacSes nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas. 1
As pessoas que tm vermes sentem co
licas, tem constantemente diarrhas, indis
posicao, sensacSo de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s veses, vmitos. Bangem os den tes, quan
do dormem, e algumas pessoas expeliera
vermes oom as fezes ou com as materias
dos vmitos. As creancas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o nome de
DR. CALASANS e sao cor de rosa.
1 caixa de pilulas 1200
l vidro de xarope 102CC
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS
Ao commercio
O abaixo assignado scientiflea so respeitavel
publico e ao corpo commercial de-ta praja, que
e continua a ser o nico respousavel da
firma que oesta praca gira Da razao de Joaquim
Pernandes Velloso & C, no estabelecimento de
seceos e molbodos, roa S. Jorge n 56.
Recife, 31 de Maio de 1890.
Joaqnim Fernandes Veiloso.
>3

q$A
de F
AHHIA.CHLORQSE
3 FEERO
0F9a1
Experimi-ntatlo pHos prmeiios iihiIkcs o mando,
pasa inunrili.itaKiTU.' na Erooomia &'iu ocrascar
I lOroTtmodos. nrslituc ao s^jpue a na cor. recunv ,
' lituintlo-o c (Jjmlo-lhe o Vigor n*^isario.
eseonfiar-se das hnilafei t Fahifica$ts.
Tf -At pt lUaJo ?a Parls,40 4 i 2.Ru 8t Lazare
I KM TODAS AS PBAICXAC1AS
Placas para predios
\o?a remessa
Ra Nova n. 13
Dote Nos priiaetros seis dias urna
colher das de cha pela manh e ouira
noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para colhe-
*es das de sopa para os adultos e me-
tade para as criancas.
Regnea Os doentes derem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devesu usar dos banhos fros ou
momos, segunde o estado da molestia.
BOMBO OBITBaZ.
| Francisco Manoel da Silva & C.
ragaltaa
23 Roa Marques de Olinda
Prnamboca
i
h
:-
f-
<
(-
t-
I:
<-
(-
t-
I
dono Barbssa dos Bel*
Os esludantes do curso annexo, tendo de
mandar rezar urna missa por alma de sea indi
toso collega, Joao Barbosa dos Reis, na matriz
de Santo An'cnio, s 7 boras da manbS de se-
gunda felra 2 de Junho, seimo dia de seu pas-
samento convidam para assistirem a esse acto
de earidade e religiao todos os seos n estrs,
collegas, prenles e amigos antecipando aeus
agradecimentos qaelles qut se dignarem com
recer.
Franriara Tertuliana de Car 1 lio
Avelino Taariano de Oliveira e sua molber
agradecem de coraco aos amigos que acompa-
nharam ultima morada a sua sempre lemb a-
da prima e afllbada, Franci.-ca Tertuliana r de
Camino ; e de novo convidam a todos seaspa
rentes e amigos e os da tioada, para assistirem
orna missa que mandam resar no dia i domei.
vindouro, stimo dia do seo passmenle, s 7
boras da manh, na igreja da Madre de Deas ; e
desde ] antecipam seos agradecimentos por esse
acto de caridad
t
aldino a Bona
Mara do Carmo Rosa, Hermelioda Francisca
da Rosa, Adelaide Macrina da Rosa (ausente),
itmos e sobrinhos do finado Galdino da Rosa
convidam a todos os seas parantes e amigos
para assistirem a missa do stimo dia, que ser
celebrada na matriz de Santo Aotonio, s 7
boras da maqhade seennda-feira 12 do corren-
to, agradecendo desde j a todos que se digna-
rem ae assistir a esse acto de earidade e reli
pi.___________________________________________
IHHHI'IM
Attenfo
antar.
t
colinda
arla Caaapello da
Beaeade
Jos Rotelbo de Rezeade Jnior agradece do
intimo d'alma a todas as pessoas que acompa-
nfearam es restos mortaes de eua sempre lem-
brada esposa, e de novo convida aos seas paren
tes e amigos para assistirem a missa do stima
di>, que lera lugar no dia 3 do crrente, na ca-
pella de Belem s 7 horas da manojo_______
do. e. Pereira da Coala
A directora do Monte PO ortuguez mana
,ar orna missa par alma de Sea finado conso
Jos Pereira da Costa, quarta-feira 4, do cor-
te, trigsimo dia de seo passamento, e para
d acto, que tri lagar pelas 7 i/i horas da
manbS, na igreja da Madre de Deas, convida aos
sebores socios, a familia e amigos do mesmo
finado.
Secretara, 31 de Maio de 189*.
Qomingoe da Caima GulmarSe Rocha,
1- seoretario.
uga-se
em Afogajos urna casa terrea, mult) limpa, coa
bons commodi8 para familia, na ra Direi
jnnto a antiga estsco das diligencias ; a tral
na roa estreita do Rosario n. 9, junto a igreja.
Am
a
. Precsase de urna boa cosinheira para casa
de pequea familia, que durma em easa dos
patres e sej i matriculada ; na ra de Fernan-
des Vieira n. 29.
Ama
Para a cura tfflcau i prompla da*
Molestias provenientes de im-
Q pureza do Sangrue.
E' nma loucura andar a fazer expe-
riencias com mistaras inferiores com-
postas de drogas ordinarias ou de plantas
indgenas cuja efflcacia nao confirmada
pela selencia, emquauto que a molestia
cada vez vai ganhando terreno.
Lancem rno, sem demora, de um re-
medio garantido cuja efflcacia seja facto
assignalado e tuquestlonavel I
O Extracto Composto Concentrado
de Salsapaiuuuia de Ayer couhecido
e recommendado pelos mdicos mais in-
telligcntcs dos paizes adiantados, ja
durante 40 annos,
Centenas de militares de doentes
tm eolhido beneficios do seu emprego e
sao outras tantas testemunhas da sua
efflcacia positiva e incomparavel.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
T.owell, Mass., Est>-1Jnldos.
xispoaiTo assBia
Tnico Ju-Mutamba
Este tnico, preparado com plantas de pro
prledades conhecidas pelo nosso publico, a
melbor de todas as preparacOes at hoje deseo-
bertas para impedir a queda dos cabellos, dissi
par as caspas ees conservar no mais formoso
estado, alm de ser um magnifico perfume para
a toillete.
Encontra-se venda em todas as principaes
pharmacias e lujas de miudezas.
Duzia 10*000 | Vidro 1J000
Deposito
Pharmacia Martins, Ra Duque de Caxias n. 88
Injec^ao
Se nao rrorri desesperado, soffrende
muito tempo urna molestia chronica que
ninguem podia curar; foi por encontrar o
santo remedioInjeccSo M Moratoque
instantneamente poz termo ao meu bor-
rivel soffrimento.
Taubat.
Augusto Cintra Magalhaes.
Agentes depositarios em Pernambuco :
Francisco M. da Silva & C ra Mrquez
de Olinda n. 23.
Precisa se de urna ama para cosichar e faxer
mais servifos domsticos, que durma em rasa
esteja matriculada ; .. tratar na ra Duque de
Caxias o. 48
Precisa se de urna ama para engommar e fa
zer algum servico interno de casa de familia:
a tratar na praca Conde d'Eu n. 32, segunde
andar.
Amas
Em Fernandes Vieira n. 60, precisa-se de
duas amas, endo urna para cosinha e outra
para cuidar de enancas
Criados
Precisa-se de um criado e de urna ama de
meia idade. para cosinhar ; no Paco da Patria
o. 5, quinta casa. ________
Pmisa-s$
De nm criado de 12 a 15
annos para o 3. andar da
typographia do Diario de
Pernambuco.
Attenco
Os proprietarios do antigo e acreditado arma
zem do Lima, eitc ra Barao da Vi :toria n. 3,
participan: ao respeitavel publico e aos seus
distinctos fregoezes, que trc nsferiram tempora-
riamente sea armazem para a mesma ra n. 9,
continuando da mesma forma a receberem suas
ordens para Ibes servir com o costumado e ha
oitual desempenho.
Jos Fernandes Lima & C,
Ra Barao da Victoria n. e
Telephone323
Aluga-se
um gran Je terreno perto da eidade, proprio
para cocheira de gado ; na estrada de Joao de
Barros n. 16 se dira onde 6. ______
Arados de Cuba
N?. 1 e 2
Vendem-se
Na Fundicjo Ceral
Cal virgem de Jagua
ribe
Deposito no Cace do Apollo n. 9 3
Esta afamada cal, propria para o fabrico
de assucar, continuase a tender pelo mes-
mo preco e abatimento do costume. No mes-
mo armazem vendem ?e todas as mais quali-
dades de cal de Jaguaribe branca e preta, em
p, as.-im como todos os materiaes proprio.-
para construc(oe3 e reconstruc^es por precoe
menores do que em outra qualquer parte,
Mel ~~
Vende se duzenlas cargas de mel em perfeito
estado de cooservacao, sem o menor toque de
azedo ; no engenho Poco d'Antas, estagao de
Cuyambuca. ^^_^___
Sr. Lula Ferreira da Croa
Este senhor tem levado em capricho nao que
rer pagar sna letra, estando em condiefies de
fazel-o, assim como o acceitante e o sacador.
Prta de lei
Compra se ra Duque deCaxias n. 91
Elixir M. Morato
FROPAGADO POR D. CARLOS
Depois de 6 annos de atroz soffrimento
da rheumatismo, estando verdaderamente
descorocoado, sarei completamente usando
o=Elixir M. Morato=que declaro ser o
melhor e nico anti-rheumatico at hoje
S. Paulo, 2 de Novembro de 1889.
Cetario Rodrigue Alvim.
Ao commercio
Os abaixo asignados declaram que nesta data
dissolveram amigav mente a sociedade com-
mercial que girava sob a firma de Pinto 4 Costa,
licando o socio Justino Antonio Pinto nico res-
ponsavei pelo activo e passivo da dita firma, re-
tirando se o socio Manoel Gomes da Costa pago
integralmente de seu capital e lacros.
Recife, 12 de Maio de 1890.
Justino Antonio Pinto.
Manoel Gomes da Costa.
ttenc,o
Aluga se um bom sobrado na ra Direita dos
Afogados n 23, tem commodos para grande fa-
milia, tem muito bonita vista, muito fresco e
saudavel e o aluguel barato ; tratase na mesma
roa n. 96.
Mestra de piano
Precisa se de urna mestra para piano, em um
engenho ao p da estaefto Ribeirao, na linba de
S. Francisco, atim de leccionar a urna menina :
quem quizer, entenda se com Leal & Irmao,
ra Mrquez de Olinda.
Aos agricultores
O bacharel Petronillo de Santa Cruz Oliveira
continua a encarregar-se de levantar em presti-
mos para auxilio da lavoura sob bypotheca de
propriedades e penhor de safra ; na ra do Im-
perador n. 69, 1- andar._________________
Precisa-se de urna casa
com gaz e agua encanada e
bastantes commodos para
pequea familia.
A tratar na ra do Mr-
quez de Olinda, n. 13.
Professor
Offerece-se um hornero solteiro, com 90 annes
de idade, para ensinar instruccao primaria em
alguma povoaco no centro do Estado, ou em
algum engenho : quem precisar pOde tratar na
roa Duque de Caxias d. 77, loja.
Bom negocio
Admitte-se am socio com algum capital para
(averna ; a tratar na roa do Domingos Jos Mar-
ti ns n. 80_______________________________
Pao centeio
Mello & Biset tendo recebido nova remessa de
farinba ceirteio, avisa aos seos freguezes que
continnam a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sextas-feiras ; na ra larga do
Rosario u. 40.
Cera
Para engentaos
QIMARES % VAEiENTE, parteci
pam aos Bens freguezes e Illms. Srs. dt
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados
garantindo tudo de primeira qualidade e
presos sem competencia a saber
Cal nova de iLisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito de petxe.
Pixe em lata.
(5 galSes.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa do Russia.
(em cantas, barriqumbaa, latas rrandti
e pequeas.)
Formictda Capanema.
6--Corpo-Santo--6
Vende-se na roa do Cabug n. 2, segando a
qualid. de, de I* a 1 #300 a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se aa de 2* o descont de
30 0/0, e na de l. de 20 0,0. No mesmo esta-
belecimento tem machinas para costura e mesas
para as mesmas por 10< cadauma.___________
Vende-se
urna taverna afreguezada e de pouco capital; na
ra Bario do Triumpho n. 62, amiga roa do
Brum. _____________________
A o commercio
O abaixo assignado tendo de retirar se pa
fra desta eidade, pede aos sent res que teem
transa -cOas com elle de remellar suas contas
al o dia 20 do correte, ra do Imperador a.
SI, 1. andar,
___________________Arthnr de Mello.______
rMNHODEQUINIUM
%gg. LABARRAQUE
approvado pela Academia de Medicina de Paria,
4 o resumo, a condensaefio de todos os prin-
cipios activos de quina. Algn* grammm
4 Quinium produtem metmo tffto qm
ario* Mm dm quina, (Robiquai, late di
laeola de pbarmacia de Paria).
Tmndo procurado por muito tempo um
torneo podoroto, eneontroi-o no **u auimmn
qumt mmsiori oom o rettanrador peo
fiafllllliil dm* ton*tUuic5*t exhatuta*
t D* Cabaret >
c O Vinho de Quinlum
Lsibarraque O mai* til oompio-
momto dm quinina nm tratamonto Amtfebrm.
O* ofoitoo oto vaiUmlunmiimt notmmmt
tuto fobro* antiga oeotuo nvcoehtmm
paladn. > (aaooaardat, late da AoadaadM
m iod*amtn*rm%rim Faar. U mre. m, iw
Xtofry----------------------
Urgente
Vende-es ora sitio arborisado e com boa casa
je morada, aa estrada do G^att; trata-se na
oa do Imperador n. 81, 1- andar.

I, ;
4,

"** j
'
-

T
,
.1
V
- .
*r


iario de Pernambuco-Domingo 1 de Junho de 1896



LOJA DO POVO
tRa l. de Marcot
Com este titulo acaba de se abrir, ra 1. de Marco n., 11 urna Iojade fajen
das e 8eu proprietario convida o publico d'esta cidade e de fra a apreciar o seu
BELLO sortimento. Militas de auas fazendas sao recebidas directamente.
GRANDE liOVIDADE
Descont de 10,/ em compras de 200000 para cima.
Granadine, pura seda, de 10800 a 800 rs. o covado.
Toile, pura seda, de 10600 a 650 rs. o covado.
Las com listras, preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
Las com preparo de cachemira a 240 rs. o covado.
Chitas de 200, 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de c6res lindas a 300 rs o covado.
* Zephyr largo de 800 rs, a 320 rs. o covado.
dem idem a 200 rs. o covado.
dem idem a 160 ra. o oovado.
Cortes, costumes de cisemira inglesa, a 120000.
Ditos .de casemira ngleza de 30500, 40003 e 60-00.
Ditos de fustao para collete de 600 rs. e 04OO
Cheviot de 305.0, a 20000 o covado.
Casemira cor de caf de 3,5000, a 10000 o covado.
Casacos de Jersey para senhora a 30000 e 60000.
Merino preto a 500, 700 e 10200 o covado.
Dito de cSr a 400 rs. o covado.
Casinetas finas de 500 is a 360 rs. o covado.
Colchas de crochet de 8000 a 3)5500.
Cortinados lindos a 60OO.
Bramante de 10 palmos a 10400, a vara.
Ver para crr s na
lojca. dopovo
LOTERA
rao
ESTADO DE PERNAMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa Al TRITJUMRi
E hoje a casa que vende rnais barato!
Fazts de no\1dsde
?*m
ISIAIS D<
w POR URfO DO E-PUK. ou
Elixir, e Fausta, dentifrioios
DOS
8R. PP. BENEDICTINOS
da ABBADIA de SOLAC (Gironde)
DOM MAGUELONNE, Prior
2 Mcdnlhaa de Ouro: Bruxelles 1880 Londres 1864
AS MAIS ELEVADAS RECOMPENSAS
nrvEKTADO 1474
NO AUNO I 9 M ^9
O uso uuntidinno do Elixir Dentifricio
dos RR. PP. Benedictinos, com doe de
alfumns pottas com agua, i'rovern e cura a cana
dos lentes, embranqueceos, fortalecendo e tor-
cando as gengivas perfeitamento sadiaa.
< Prestamos um vordadlro serrico, auifrna-l
lando aos nossos leitore este antigo e utilia-1
aimo preparado, o melhor curativo eo nico
Ereservativo contra as Aifeccdes dten-
iriaa.
Agente geral: SEGUIN, BORDEAUX
Acht-M em todas as Perfumaras, Pharmadas e Drogaras Pelo Prior
Fierre BOVBSAV1
INTEGRAES
A quinta parte da 1/ lotera des te Es-
tado ser extrahida impreterivelmente sab-
bado 7 do eorrente.
Todo sos pedidos de bilhetes desta lote-
ra devem ser dirigidos thesouraria ra
larga do Rosario n. 9. I.aadar.
PELOS CONTRACTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.
CAPSULAS
M ATHEY- OAYLUS
Preparadas pelo DOUTOR CLIN Premio Montyon
---------- ..
As Capsulas T.Iathey-Caylus com Envolucro delgado de Gluten nao fatigao nunca
o estomago e sfio recommendadas pelos Professores das Faculdades do Medecina o \i
os Mdicos dos Hospitaes de Pars, Londres e New-York, para a cura rpida dos :
Corrimentos antigos ou recentes, a Gonorrhea, a Blennorrhagia, a Gystite
da Gollo, o Catarrho e as Molestia da Bexigas e dos orgos geniio urinario.
itti Urna xplietcSo tktalhada acompanht cada Fraseo.


& YPOK
---------*----------
,>
FABRICA DE LIVROS DE ESCRJPTURICAO
MOADIMACAO -> FAUTAtAe
J^ANOEL J. DE QiRANOA
sa?iss $m& muqus $
39-*-KA--DQEh-DE--CAXIAS-.3^ '
NUMERO TELEPHONICO 1*4
Exigir Verdaderas Capsula Mathey-Caylus de CLIN & O, de
que as och&o em cota dos Droguistas e Pharmaceuticos.
HiNBI t AO EKAI
LUHHTERSDN

44-RIA BARAO 1)0 TR.lir.M4
fachinas a vapor
'-

Cura certa em 3 das sem outro medicamento
PARS 7, Boulevard Denuin, 7 PARS
Deposito* em todas as principaes Fbannaoias e Drogaras-
, _>!
Cardoso&frffla^
Rui do Baro do Triumpho ns. 100 a 104
Receb'ram novo sortiirie;to de vapores dos acreditados fabricantes Robee-
MebinAon .paca trabalhar com fogo de asseatamento, moendas, taxas, forma de assa
MCAf e [todas as mais ferragens preoisM agricultura. ^
ICIO BE FEESI
BRNZE
DH
CABDOZO ft IRMAO
loa do Birlo do Trumao os. m, m e i#4
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
TeMiara iremcr ngalato:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo dirv jtpara o ou fogo de asse*
Ote.
MOENDAS de todos os tamaitos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRIYACOES de differente tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOOOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americasos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanameoto e finalmente
aa ferragens precisas par a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM SE de
k, medisata
qualquer concert e mandam bascar por encomme?
previo ou ama mdica commissSo qualquer machiniamo.
AS de deaearocar algedlo.

Moendas.
Rodas d'agua,
f aixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacac
Arados mm_ .^,,
mmmmmmmmm
t Nenhuma prparaco superior a Quina Anti-Dlabeilc* de Rocher.
Io*zta DOl lOlATin) (D- DKUIla, 7 OUIN A DIABTICA
0 TNICO MAIS PODEROSO E RECONSTITUENTE
Contra o DiabstM, a Albuminuria, a Phospaatoria o todas as molestias que
influem sobre a nutricio e aquellas que resulUm da deblitacao das torcas,
Anemia, Fetoes, Convalesconclas fflcois.
Mandase gratis e sem despesas urna inlereuante Memoria indicando as tarUdades,
causas, symptomas e todas as conseqiuncias do Diabetes, que toda pessoa cutaaaosa de
sita sade deve ler com a maior atlenco.
ROCHER, PHARMACEUTICO, 112, RUEDE TU8EKNE. PARS
Evitar ai UbUtcaSk i Hlr i&re cata truca a Mam registrada R. F. aun emiMUA iiraatla
[wi mu w ^ Vniit0 aos fabricante,
ACMA-SC EM TOCJA A PMAKBAClAt
mmmtmsm
Crep de algodSo a 240 rs. o covado.
Cambraia branca com salpicos a 4|JOO0.
Crep m&tieado a 440 o covado.
LS Amazonas a 400 rs. o dito.
L2 escosseza a 240 rs. o dito.
Voile a 1S a 800 ra. o dito.
Linn de ramagem a 600 rs. o dito.
Zephyr com padrees de voile a 640 rs.
Cretone voile a 400 rs. o covado.
Chitas percales ;i 200 rs. o dito.
Cambraia Victoria a 20800 a peca
Gases arrendadas a 440 rs. o covado.
Cachemira de Hstra, duas larguras, de
20000 por 10200 o dito.
Vestidos para crianca a 40000 um.
Baptistas finas a 260 rs. o covado.
Setim do JapSo a 240 rs. o dito.
Cortes de metim, em cartSo, a 70000.
Cortes de zephyr, bordado, a 100000.
Cortes brancos bordados a 18r?000.
Casacos Jersey a 60000 um.
Popelina branca de reda.
Setins de cores a 800 rs. o covodo.
Brilhantina de listra a 600 rs. o dito.
Atoalhado pardo de linho com matizes
brancos a 30000 o metro.
Mantilha ce seda, creme e preto a 40500.
Capas, visites Pelerina e mantilhetes (ca-
chemira e seda).
Qrinalda para noiva a 1O0COO e 120000
Toaiha felpuda para rosto.
Luvas de seda a 20000 e 2; 500.
Palitots de seda pa!ha.
Merino de duas larguras a 40000 o covado.
Ricas caixas para presente.
Corte de collete de fustao.
Bicos de cores e brancos.
Extractos e leos.
Suspensorios americanos.
Camisas allemSes a 360000 a duzia.
Cortinados bordados a 60000 o par.
Ceroulas de bramante a 140000 a duzia.
Meias para homem a 30500, 40500, 50009.
60C0 e 70000 a dusia.
MadapolSo trancado a 90000 a peca-
Mrin preto de 800 rs. a 20000 o covade.
Fustao branco a 380 rs. o dito.
Leques transparentes a 20000.
GuarnicSo de crochet com matizes a 70009
MadapolSo com nm metro de largura *
60500.
Crnicas de flanella a a 40000 e 50000.
Bramante trancado de duas largaras
500 rs, o metro.
Panno da Costa a 10200, 10400, 10600 t
10800 o covado.
Ler sos, meio-linho, a 20500 a duzia.
Lencos com barra a 10400 a dita.
Toalhas para banho a 10800 urna.
Esguiao pardo a 360 e 400 rs. o covade.
Tapetes grandes e pequeos.
Baleias a i" 40 ra. a duzia.
\ Colchas de c res a 20000. 30COO, 40000.
1 5000j e 60000.
Colchas de damasco de 13.
Sahidas de baile a 10000 urna.
Ramos para peito e cabello a 20000.
EsguiSo de algodSo a 305' 0 a peca.
Vasos para p de arroz a 10500.
Panhcs e collarinhos de celuloide.
Abotoaduras americanas.
Palitot de alpaca preta.
Espartilbos a 50000 e 60000.
Baptiste de cores a 160 rs. o covado.
Renda hespanhola a 30000 o metro.
Bordados
e ntremelos.
Escovas e pentes.
Regatas e lacos.
Completo sortimento de cachemira
. E OFFICINA DS ALFAIATE
20Ra I. de Marco20

Amaral & C.

SAD PARA TODOS.
Completo sortimento 4e ehapoa, capotas e gorros de fantasas em todas
qualidades.
Fitas, rendas e bioo de seda e algodSo de todas ss cores.
Flore, plumas, pasearos, afgrttS 5 |>!fBt*a,le p*ra enfeites.
Chapeos da {fiara e castor, os mais modernos, para horneas e menino
Recebe por todos os vapores as primeiras novidades de artigos de
genero de negocio.
Raphael Dias & C.
2 Ra do Baro da Victoria 2
PILULAS HOLLOWAY
Ai; Pilulas purlflcao o Sanue, corrigen) todts as lesordems de Estomago e
dos Intestinos.
Fortalecen- a saude das constitajoes delicadas, e sao d'um valor incrivel para todas as enfer&JdadflS i
peculiar" ao sexo feminino em todas as edades. Para es meninos assim como tambem para as I
pessoas de idade avancada a sua cfficacia e incontestaveL
Siut medicinas sto pt^pandas smente no Esubelecimemo do Pro fes or UnuflUAt,
78,1EW0XF0BD 8TBT (antes 638, Oxford Street), L0HDRES,
E rendemse eoi todas as pharmacias do universo.
I fff Os compradores sSa covid?xlos respeitosamente a mraminar os rotula* de cada cauta e Pote te nao tCCH. S 1
diir=oao, 533, Oxford Street, sao aUilicacoes.
AOS ^MPRSCAOaS
COMMERCIO
Descobriu se as mattas dos sert8es de S. Paulo, um vegetal com que fez ae
um preparado, que conhecido por=Elxir M. Morato=propagado por D. Carlos.
Este remedio indigena tero, feito curas que espantara e que mais psrecem milagree.
A syphilis de qualquer natureza, e por mais inveterada que seja, desapparece com o
uso d'este preparadoo rheuinatismo quer novo, quer ehrenico, cura se com este
remedio, e com urna felicidade espantosa. Contra factos nao ha argumentos, e, 08
beneficios operados, sao j tantos, que nSo ha mais o direito de duvidar. Procurar :
Elixir M Moratopropagado por D. Carlos.
Agentes depositarios em Pernambucj: Franscico M. da Silva & C. ra de
Mrquez de Olinda n. 23.
CAPSULAS THVENOT
Molestias Condenciaes
I Copahm Copahiba e Cubaba.
Copahiha e Essencla de Sndalo.
Essencia de Sndalo a citrino puro.
Oleo Resina da Cubabas. _
! Oleo Resina da Cubabas a Essencla
Sndalo.
lodurato da potasslo.
emcheironeM SABOR
do
M. te
VT A Cha.
sei
Queris cura-vos prompta e radicalmente de vossa" enfermi-
pn'
tosse? Tomai o remedio garantido
dade pulmonar, bronchite, asthma, rouquidSo, defluxo ou de qualquer
0 Peitoral de Cambar
de Sonsa Soeres, de Pelotas, que se acha venda e as principaes
pharmacias e drogaras desta cidade, a 20500 o frssco 240000 a duaia.
Os agentes e depositarios
Francisco M. da Silva & C.
RA MRQUEZ DE OLDDA
Aluguel barato
Visconde de Pelotas n. 5
Pedro Affonso, armaiem o. 46. *
Largo do mercado leja n. 17
Ra do Bom Jess S*. andar n. 47
Ra Aguauuhas em Beberibe n. 7
Ra Coronel Suassuna N. 141, qaar
Ra Itapanca n 43 1. andar.
Traveasa'do (armo, toja n. 10.
Becco do Tanibia n. It.
A tratar roa de Commercio n. 8, i andu
esenptono de Silva Guimaraes & C.
Criado copeiro
Precisase de um criado para copeiro e outros
servicos iaiernos, sendo matriculado ; na roa
Mrquez de Olinda o. 84.
Bom empreg-o para
capital
Vende se o extenso armazem n. 51, no caes do
Apollo, emrtateda nova ponte Bnarquede
Maeedo, com capaci 10,000 barriejs de fanaha de tritio ou outra
mercadoria em proporcao, e doos sobrados con
turnos com frente para a ra Domingos Jos
Marlius, do todo con?lituindo orna boa acquvsi
cao : tratase com Hatbeus Austiu C, ra do
Commercio n. 18.
Para crianzas
Grande quantidade de redes de cores, para
crianca8, a 3JI0OO, grande e variado sortimento
de vestuarios de Jersey para meninas e menioog
de todas as idades, para 6# e 7 : s na loja do
Povo, a roa i de Margo n. li.
Excellente morada
AlrJga-se r grande casa e sobrado 4o Dr. Aj-
ctGama, na estrada de Joo de Barros, peno
das estacoes da En :rnzilbada, das ferr i-vias de
Olinda e de Limoeiro, com immensas acoommo-
daces, jardins, arvores froctiferis da melhor
qualidade e vasto terreno, quer para plantacoes,
qner para criacao ; a tratar no mesmo Bitio.
Criadus e cosinheira
Na roa Direita n. 74, i- andar, precisase de
criados que tenham pratica de vender, e de oaoft
boa cosinheira que saiba trabalhar bem em bo-
los e em outras iguariis de vendagem.
Caixeirod
Precisa-se de dous caixeiros de 10 a 12 annes
de idade, com pratica de taverna ; a tratar 00
becco doP-inho n. 7, e na roa do Padre Ro-
riano n. 43.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhes para uslaaa, garantindo a b6
Mvlidade e bom trabalho dos meamos, o que podem provar com o bom resultad'
S/io com aa duas DflTWAfi montadas ulrtmawnte a saber:
Santa FilolJa e JoSo Alfredo
Vandem a praao ou a dinbeiro com descont.
viv.eis?
com EXTRACTO db
FIGADO be BACALRAO
tW ttthmt ahtdu da qut a oleo tteuro. De to4'*
multo agraonl. Sem deJxar.Wt&ewmim4c$j3to.
6 receltado par todos os naetUcos pftra o
RaohrHsmo, Kaerophulas, Anenaia, Tlaloay
iaip>AMrt^yaiH^aOoitapaa%C%IoRM,
UtUslU do Palto, ele.
Sai toda* aa PJaraaacia
f*ARIS, DaMUvar*! da 8tf sbeurg, SO
*
'!


1:


l K
%
' I..
iaes
*tp



^^rss

;
-i
i I
I
de rcrnamhiico-Do*mDffo
Engenho
Vndese urna parle cu a meia acjo de om
engenbo mqrtiip e rorrente a agua, a qiatro
egoas da estacio de Palmares, mcanacidide
para safrejar mais de .00O pVHPaHo o
raesmo comprador arn ndal o ; iStar na roa
Marque do Herval n. 144.______
Lirraria Contempera
nea
iMlrumeutoi de asnaiea
Bomoardo, bombardino, barytono, tromj
trombone, helicn, saxaphone. carriloo, bomb
caixa, pralos.clarinitas. flamas,rabecas, violOe
reatejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de safas, quart03, gabinetes, correa-
res. -
Molduras
douradf, pretas e douradas para quadros.
Malas
para nacen, diversos formatos, eapecialown
para rcupa do senbora e camarote.
Novidades
para presentes, escnpiono. toucador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA & C.
na Prlmeir de narco n. 9
Vinho puro de Santarem
Da quista do Bar-ral
Os roprielario3 do Armazem Central, a ni.
do Cahug n. M, avisam aos seus di&tinctos fie
cnezes e ao respeitavel publico que receberan
nova remessa deste especial- tinho, qual s;
recommenda por ser puro da uva, e s se reta
Iba em seu armazem.
Joaquim ChrstovSo & C.
___________Telephone 447
Va coas tourinas
Vendem se vaccas tourioas com crias, dando
leite, por seu dono ter de retirar se para fra do
Estado por lncommodos de sade ; na cocbeira
da ra Sebasliao L pes n. 33. Para informaces
na ra do Pires n. 31, taverna, defronte da ami-
ga caixa d'agua.
Vlanequins de Bazar
Para modistas
Para familias
PRECO DO MANEQUIM COMPLETO
250000
Qualquer senbora por mais gorda ou
magra, alta ou baiza que seja, pode fazer
se a vestidos sem pro va e sem auxilio de
outra pessoa.
VENE-$E
Na loja das Listras Azues
A' ra Pugne deCaxias d. 61
AILEJ8S
Para frente de casas, banhairos
corredores, afongues, sendo de lindas
cosre, vendem-se por 6O$000 o milhei-
ro, por fer um saldo, a fraga da In-
dependencia n. 40.
Taverna
Vende se urna la-erna bem Iocalisada. e a-
sim como tambem vende se o mesmo predio,
isto no Casanga, estrada das Barreiras n. 19 : a
tratar na merma! e para informacao no pateo do
Paraizo n. 16, casa de Franco Ferreira C.
Rendas
pretas, brancas, creme, beige e de cores
Cbegou um explecdido sortimento deste artigo^
para a
Rinha das Flores
Ra Baro da Victoria n. 41
Na mesma casa encontra se urna variada col-
ercao de fitas de seda (mais de 500 nmeros),
bordados de cambraia, espartilhos, luvas, per
fumara, objectos para presentes etc., etc.
Precos baratos
RA NHA DAS FLORES
Baro da Vtrloria n, 41

Terreno
Vtcdive por barato preco uta bom terreno
.o lo;.' r Iiuiinga (estrada nova do Caxang)
coofrcMe u e tajao do mesmo nome da via-fer
rea do Caxang, tendo 150 palmos de frente e
500 de fundo ; a tratar com a sua proprietaria
era urna casa|sita no mesmo terreno.
Atteocao
Venie se rm bom piano de Doerne & Sohn
qoati en perfeilo estado; na roa da mperatrii
n. *7,M- andar, vJktBmkW*!^^^*
auein-se os segnin-
-*& teslivrotf
^^Hko, romance bistorico por F. .
Tavora, i vol. ene 4/000
O.Mutuio, dito dito,- aeta mesmo, 1
vol encv 4*000
O Cavalbeirc; do Amor,#omance em
4 vois. en Ethos de liorna, pelo padre Gnilber-
me Di", 1 vof ene. JOOO
D cdoriario Biograpliico, por F. A. P.
Costa, 1 grosso volume ene. (0*000
Voos Icaros, versos por M. Brrelo, 1
vol ene. 3*000
Flores Fluctoantes, versos, l vcl. ene. J*O00
Vocj e quedas, versos, 1 vol. ene. 8*000
Guimaraes, poema, l vol. ene. 3*000
Sons que passam, versos por Tb. Ri-
beiro, 1 vol. ene. 3*000
Alberto Pimeotel, Cantares, versos, 1
vol. ene. 3*000
Evangelius e Syllabus, drima, 1 vol.
ene. 3*000
Julio de Castilbo -Livraria Classica, .
Estudos biographicos e Iliterarios,
3 vols. enes., finos 15*000
Castrioto Lusitano, bistoria entre o
Brasil e a Holianda, 1 vol. ene,
fino 5*000
Bibliotheca do Povo.Jli vols. enes. 55*000
Morle de D. Joao, romance, 1 vol.
ene. 2*500
GontoB de Pedro Ivo, romance, 1 vol.
ene. 3*000
0 abandonado por Julio Verne, 1 vol.
ere. 1*500
O Processo Lerouge, romance hist-
rico, 1 vol. ene. 3*000
Gabnel Halagrida romance, 1 vol.
ene. 3*000
Neto do Acuitado, romance histrico,
1 vol. ene. 3*000
Viagem no dorso de urna baleia, 1
vol. ene. 3*000
Cbiquinho, Encvclopedia da Infancia,
por G. Bruno. 1 vol. ene. 3*000
Caricaluras em proza, por Luiz An-
drade, 1 vol. ene. 3*000
0 Pastor e a ovelha, obra rara e es-
polada pelo finado hispo D. Joao, 1
v. ene 15*000
Obirajara, lenda. 1 vcl. ene. 3*000
Arnaldo Gama- Um motim ba cem an-
nos 1 vol. ene, obra rara 6*000
0 Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene. 2*0i'0
P. de Kock-Jo&o, 2 vol. ene. 4*000
As mil e urna mulberes, 4 vols. enes. 8*000
0 rei Candla, romance. 1 vol. ene. 2*000
Contos a Nincn, por E. Zula, 1 vol.
ene. 2*000
A caca de um baronato.l vo!. ene. 1*5U0
Arraldo GamaO filho do Baldai, 1
vol. ene. 4*000
Os berdeiros de Caramuru, romance
histrico, 2 vols. ene, finos 6*C00
A igreia e o Estado, por Ganganelli,
4 vols. ene. 10*000
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes, tinos, com gravu-
ras 12*000
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro 2*000
Castello de Grasville, romance raro,
i vol, ene. 2*000
Leonor, D'Amboise, 1 vol, eac. f 1*000
As obras de Julio Verne, 42 vols,
enes. 30*000
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene. 3*000
Typos de cara dura, 1 vol, broch. 1*000
As viagens de Guliver, obra critica
ejocoza (rara,) 1 vol, brocb. 3*000
Voz-s da historia pelo Padre Gui-
lberme Dias, 1 vol, broch. 2*500
L'm misterio de familia por F. Tava-
ra, 1 vol, brocb. 2*000
Um casamento no arrabalde, 1 vol.
brocb. (mesmo autor) 2*000
Goarrignes breve leitura sobre sci-
encia, 1 vol, ene. 3*000
0 matadouro, bistoria da Lavadei-
ra Gervazia o 1. o vol s. 1*500
Ponson do Terrail A beranca mvste-
rioza o 2. vol s ene. 2*060
Repostas consicas e l.miliares por
Mr. Segur, 1 vol, ene. 1*000
Carta sobre a Companh de Jezus,
1 val, brocb. 2*000
Carta a Pae Tobas, 1 vol. brocb. 2*000
No escrptono deste Dtano se dir quem ven-
de todas estas obras, e faz-se grande abati-
mento a quem comprar todas juntas
o co-
ra, o co-
Superior vi olio de Al-
cobaca ,
O acreditado e autigo armazem do Lint par
ticipa ao publico e aos seus fregueze qtie acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamente pel ebefe desta
casa tornando se recommendado por ser puro e
de boa qoalidade.
Jos Pernandes Lima & C, ra Baro da Vic
toria n. 9
_____________Telepbone_--M3______________
Movis austracos
Ha um riqniss mo e variado sorlimento de
movis austracos de diversas cores, lisos, .tor-
neados e enlamados, para rendas earporco ou
as pecas avulsas, bem como ricos espelhos para
salo, camal de ferro com lastro de ac para
meninos, solteiros e para casal, e magnficos U
petes avelludados, os melbores que veem-ao
mercado ; no armazem ra Mrquez de Olinda
numero 54.
, Atera con a Revollo
* Oaqae de Caxlasa
Surab de linho fazenda muito larga a 320
ra. o covado.
Etamines de cores a 283 e 300 rs.
* vado.
Zephires de cores a 120 e 160
vado. ,'
Lindaa )3s de corea a 2 0, 240, 300 e
320 rs. o covado.
Cachemira de quadros com listras de seda
a 1(5000 o corado.
Merinos lavrados a 500 rs. o corado.
Voile de algodSo a 240 ra. o covado.
dem de 12 ultima m da a SO J rs. o co-
vado.
Cortes de metim par., veatidos de duaa
corea a 6O00 um.
Ditos braceos bordados a 12(J000, 144000
e 154000 um.
Ditos de cachemira bordados a 25/JC01 um.
Cortee de cambraia branca de quadros a
14800 um.
Coronados bordados a 64000 e 74000 o
par.
Ditos de crochet a 84000 e 104000 um.
Fecna de todas as cores de retroz
14000 um.
Colchas de c6res a 24CO0. 34000, 44000 e
54000 urna.
Cobertaa forradas para casal a 2450C
urna.
Toilettes para baptiaadoa a 64000, 80001
e 104000 um.
Camisas finas de meiaa a 14000 urna *
Toalhas para crianca a 100 e 120rs. ama.
Ceroulaa francezas, a 14000 urna.
Pannos de crochet para cadeiraa a 500
ra um.
Atoalhado de linho de 44400 o metro por
24400
Dito de algodSo a 14200.
AlgodSo trancado para toalha a 140C0 o
metro.
Bramante de algodSo com 4 larguras, a
800 e 14000.
Lencos de algodSo a 14200 e 2000 a
duzia.
Ditos de linho a 34000 a duzia.
Batistas de cores a 120 e 160 o covado.
'retoes escaros e claros a 200 ra. o co-
vado.
MadapolSo americano com 24 jardas a
54000 e 6400 a peca
Cobertores brancos de 12 para acabar a
24C00 um.
Bramante de linho, faienda de 34000, a
24000 o metro
Panno para mesa a 14200, 14400 e 14600
o c vado.
Brim pardo trancado a 240 rs. o covado
Vtstidos de Gersey para oreanca a 64000
um.
CamissB de linho para homem a 24000.
34000 e 44000.
Granadinas ultima moda a 360 o covado.
Costantes de cachemira fina para homem de
204000 a 154000.
Cortes de cachemira de cores muito finos a
46000 um.
Cortes de fustao para collete a 800 rs. um.
Guardanapos c m fraiija a 24000 a duzia.
Espartilhos de todas as qualidades e n-
meros por preco barattsimo.
E umitas outras fazeadas de lei e moda
qea vende por prego sem competencia,
em vista de sea propretaro querer acabar
com o estabelecimento.
S na RevoluQao
HENRIQUE DA SILVA MOREIBA
Alfafa nova
Solta 30 rs. o kilo, era fardos 60 rs.; ven
de se no armazem ra da Madre de Deas na
mero 10.
Farelo novo superior
Saceos de 42 kilos a 14800
Vende-ee no Corpo Santo n. 6.
E' tudo bom, para bem
de todos
Ob abaizo assignados, tendo feito gran-
de reducgSo de precos as fazendas
existentes em seu estabelecimento, convi
dam o respeitavel publico e especialmente
a seas bons fregaeies, a certificaren! se da
verdade que aqui fica dita e a aproveita-
rem a occasi2o de supprir-se de roupas,
para muito tempo, e por precos insignifi-
cantes.
Como sejam :
Voiles de 12 e algod2o a 240 rs. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
800 rs. por 32i) rs. o covado, zephyros de
cores diversas a 320 rs. o covado, baptis-
taa republicanas (inteira novidade) a 200
rs. o covado, I2s de cores a 200 rs. o
covado, setinetaa finas a 320 rs. o covado,
merinos e cores (12 pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o covado.
Grande quantidade de chitas finas, com
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
o covado.
Variado sortmento de voiles de 12,
fazenda maita fina de gostOB lindissimos.
Crep da China, idem, idem, cambraias
da China, com palmas soltas, completa
novidade, voiles com salpicos, idem, idem.
Chitas, chamalots, o que ha de mais
exquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas, cachemiras lavradas, pretas e de
cores, fustScs brancos, cretones pretos e
de cores lisos-e com flores, baptistas de
cores, gostos delicados.
Madapol2o americano a 54000 a peca.
Metins, idem variado sortimento.
Espantoso sorlimento de cretones p ra
cobertas e chambres, esgui2o de paro
linho, costumes de Jersey para meninos,
capas hespanholas, pura seda a 34000
urna, cortes de vestidos de todas as qua
lidades, fichus de 12, linho e prateados,
o que pode haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linho
e flanella para homem, idem, idem de
punhos, coUarinhos e gravatas e muitas
outras fazendas que seria enfadonho men-
cionar e que tudo vendem sem reserva de
precos.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1. DE MARCO N. 1
Bernardina Campos & C.
Perei a & Maga!
Kecebedores directos dos
cades da Europa
Aprsentarr os seguktes artigos, sendo
alguna anda do anno passado, rczSo justa
para serem actualmente baratissimas.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado
dem trancado, superior, a 26 J rs. o dito.
Cortes de fustao para colete a 8 0 rsf
dem de caseuetas a 15C00 e 14200.'
dem de casimira inglesa de cores a 34 e
440CO.
AlgodSo crd, marchetado para toalhas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para lencdes, a 45 e
540.0 a peca.
MadapoI2o superior, com 24 jardas a 54
e 640C0.
dem Boa-Vista, verdadeiro, a 54800.
Cortinados bordados de crochets a 124000.
Colchas dem a 74000 e 84C00.
Gnnaldas e veos para noivas a 84000.
Espartilhos modernosa 44000,
Percales claras e escuras a 240 o covado.
Mermos de c6res, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toalhas nacionaes a 24500 a dazia.
Lencos em lindas caixinhas a 14800 e
24800 a dita. *
Meias inglesas e nacionaes a 245C0 e
34000 a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 124000.
Cerolas brrdadas de bramante a 124000 e
164000 a duzia.
Guardanapos com franjas a 14800 a dita.
Pannos de cores lindas para mesa a 14600
o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 250O.
Cretones'para as mesmas, a 14000 o me-
tro; o melhor.
dem mosaicos, dem, a 440 rs. o covado.
Bramantes franceses a 14600 o dito.
Casemiras de cores, duas larguras, a
148( 0 o dito,
Cheviot azul, c6r inalteravel, a 24400,
34500 e 44OOO.
Merines para luto desde 500 rs. a 14800,
duas larguras.
Sargelins de cSres a 200 rs o covado.
Mantilhas e fichas a 14, 34000 e 54000.
Toalhas de labyrintho, riquissimas, a 254 e
304000.
Vondas em grosso tem o descont de
14 V0.
59BA DUQUE DE CAXIAS59
Vendem se duas casas
terreas
sitas na estrada do Matambo, em Beberibe,
ttndo cada ama duas janellas e ama porta de
frente, S salas e 4 qosrtos internos, cosinba e
1 quarto fra, muro e porto na frente, tudo em
bom estado, com sitio conferido algumas arvo-
res fructferas ; as casas esto alugadas e ren-
dem 30*000 mensaes ; a tratar na roa do Com-
mercio n. 32. das 10 s 3 horas da tarde.
K. UH MINAR
Roa Mrquez de Olinda a. 18
Armazem de cerveja, vi-
anos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phoenix de Dortmuud
e do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposicjo Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne- Caimiento Portland
mann&C, S. Flix(Bahia). ^mee4*l^ci,oPadieFlMla,lon-74;Pre-
A 500 rs. a pefa
Bordados e entremeios, cambraia fina com um
pequeo toque de a varia de 600 rs., 600, 800 e
liOco a pega ; na ra do Crespo n. SI, loja do
Campos.
Patacoes velhs
Compra-se na relojoaria David, ra do CabO'
g n 14.
Libras
Vendem se ra de h. Maria Cezar n. 26.

ttHlSIY
Rojal Blend marea TUDO
FOL^ETU
asa ss&ffls
POK
PAULO X M.HI tlO\T
R1MEIRA PARTE
A andorinha
(ContiDuaeSo do n. 123;
VI
KEGOCIO ARCHIVADO
0 juix que interrogou-a a sos, nio lo
grou arianear lhe urna palavra mais do
que a Sra. Roselin lhe aconselhara que
dissesse.
Mandaram n'a embora.
TSo infructiteraa como at enlao, foram
as outras diligencias feitas ao mesmo tem-
po pela instrucc&o e pela seguranca.
A bolsinha de ouro foi reconhecida por
i.i dos principaes joalheiros da ra da
Paz.
Tinha sido vendida, nao em Paria, mas
n'uma casa filial que o estabelecimento cos-
tnmava ter durante a poca dos banhos
de mar em Biarritz.
A quem tinha sido vendida ?
O livro borrador nfto declarara o nome
do comprador.
Era ama venda a dinheiro, como fazem
s cada instante as cidades de banhos.
As joiaa sao expostas na vidraja.
Os forfsteiros olham, ficam com vonta
de de comprar, entram, ajustam, pagam
vista e levam comsigo a sua compra.
Bom negocio
Na ra de Marcilio Dias n. 74, vendem se tres
cavallos de corrida.
O empregado tinha vendido talves du
zentas bolsas iguaes no correr da estacjlo,
era lhe impossivel e comprehende se
recordar-se das caras desBes fregueses de
paseagem.
Por outro la lo tentou se ama devassa
sobre as familias nobres e ricas que pos
suiam palacios ou mesmo aposentos em
Pariz e tivessem deizado a sua morada
para viajarem ^o sul pela estacSo de Or-
eans.
Mas estava-se no comeco da boa esta-
can, havia partidas tao numerosas, que foi
impossivel chegar a um resultado.
Ao cabo de tres semanas o procedo es.
tava archivado, isto com urna eterna
pedra em cima, e os esposos Roselin anto-
risados a conservar a orphazinha como fi
Iha adoptiva.
Esta, por nica heranga, recebeu o pe
queno cofre de ferro, mas sem as quatro
notas de cem francos, bem entendido.
Entretanto, as pequeas contas do bair-
ro e o producto das pipas de vinho tinham
bastado, junto s notas do banco, para li
quidar a situacao da pobre Clemencia ; e
se ella nada deizara, ao menos a sua me
mora tinha ficado muito honesta e muito
pura, como a sua vida, sem que ninguem
tosse lesado pela infeliz morta.
Entlo Roselin e a mulher combinaram-
se.
Iam declarar no bairrb que a menina,
sempre doente, nio ficaria boa naquelles
sitios em que escapara de morrer, que a
impressSo nervosa repetia se todas as ve
es qu^ ella va a loja, e que, para evitar-
lhe esses choques perpetuos, que impedam
que lhe voltasse a ssnde, iam partir para a
provincia.
Mas pan onde vai a senhora? per-
guntaram as visinhas a Laura, vendo a
oarroo de mudanca. ,'*
Para a pequea cidade de mea ma-
Este ezcellente Whisky Escoces pro
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar e corpo.
Vende-se a retalho nos melbores arma
sens de molhados.
Pede RQyal Blead marca Vladc
cujo nome e emblema aSo registrados par*
todo Brasil.
_ BROWNSJb O, gentes.
mmun
*0MAtS,_
S*1* *lERY vende-s sm todi a par*
*?

,
Agora sim! chegaram!
Os paletots americanos Z
S no 55T$r para r$rl
Paletots americanosde seda.
Farello superior
a 24000; bo largo do Mercado n. 1S.
rido, em Hyres, responden ella desemba-
racadamente.
E vai viver sein fazer nada ?
Ella sorrio.
Tivemos ltimamente ama pequea
heranca, continnoo sem pestanejar, e i,
na. trra do sol, nSo preciso grande cousa
pan viver.
NSo insistiram.
.Naquella grande Pariz trabalhadora e
atrefada, as pequeas noticias n3o consti-
tuem acootecimentos, como na provincia.
Mal os commentam.
E como se vm continuamente cousas
extraordinarias, a gente n3o se admira de
pouca cousa, arrastada como alias se
pelo'grande movimento, pela ftbre do dia,
pelas necessidades da vida) ou pelo pro-
prio futuro, que a ambicSo llumina com
os eeus clar5e8 de apotheose, tSo verme-
lbos que offuscam e absorvem todos as
demais preoccupagSes.
A carroca que carregava a pobre mo
bilia, n8o era do bairro.
Jalgou se que Roselin a tivesse alugado
as prozimidades da estacio, e nSo se tra-
ton mais disto.
No mesmo dia, a Sra. Varnet teve que
dispensar o seu machinista.
Apezar de toda a sua perspicaoia, el.a
acreditara na fbula da partida, como os
visinhos da ra Fonttine au-Roi, e Roselin
vio se livre.
A familia installou'-se na ladeira de Cii
gnan ourt. situada no comeco do declive
do morro de Montmartre.
0 pequeo commodo, no quprto andar
de urna antiga casa, asseiaaa e vasta, ti-
nha ar e luz em abundancia.
A vista era encantadora.
Descortinava-se nao swdfce um canto do
co, mas tambem parte da grande planicie
eme se estende ao longe, na direcelo de
Saint Denis.
Os precedentes locatario* tinham deiza-

c
c
i
X
c
c brim branco
< pardo,
alpaca preta.
e de cor.
flanella sueca.
eSgUSo 8U880.
ffanella-repblica.
Chama-se a attencSo do pblico para o respeitavel sortimento que acabam de
receber de New-York de paletots americano,s o que ha de mais novo
Fernandes Azevedo & C.
55 Ra Duque de Caxias5 5

*
c
c
t
do urna caixa no parapeito, na qual fuch-
sias e ervhas de cheiro baviam crescido
e entrelagavam se ; a ^crianga que d'ahi
por diaute devia ohamar se Henriqueta Val-
lauris, soltou gritos de alegra.
O' mamSi Laurinha, ezolamou ella,
lanyando-se ao pescoco de sua mSi adop
tiva, como nos ncamos bem aqui!... Lu-,
flores, tu, o papai, o Mauricio o parai-
zo !...
VII
POBTDNA E D5SGRA5A
O i Lelaurraintio e sobrinhotinham
tomado informafijs sobre os Roselin, que
conheciam j, como todo o bom commer-
ciante deve eonhecer o pessual e o mate
rial dos seus concurrentes.
Essss informaces tinham sido as que
pensava Roselin quando disse ao Sr. Le
laurrin tio :
NSo tememos cousa alguma !... Per-
feitas, mais que perteitas at.
Assim, pois, o rico negociante aceitara
todas as combinares propostas por Laura
to grave, tr.o refleetida, to seria, e cujo
bello oliur leal nio apresentava nunca urna
pertorbacao, urna reticencia.
Sim, d'ahi por diante o nome Roselin esta-
ra esquecido ; elles chamar-se-hiam o Sr.
e a Sra. Vallauris ; deste modo a Sra. Var-
net pelo menos por largo espaco de tem-
po, nio os atormentara ; e quando desco-
brisse a sua nova situacJo, se algam dia
descobrisse, elles estariam muito habitua-
dos sua nova casa para que aa sedc-
eles da hbil mulher ezercessem influen-
cia sobre elles.
A fabrica ticava a dons passos, a ra
Ordenar.
Roielin entrn logo. como machinista
chefe e Laura como directora da* offici-
nas de bordados e de acoadfcionamtnto.
Os salarios eram superiores aosjfue ga
nhavam om casa da Sra. Varnetf o com-
modo melhor, as criancas all cresceriam e
se fortificariam.
Logo que termnou a installacao na no-
va casa, Laura, qae era o braco direito do
lar e cuja edaoacao tinha sido muito cui-
dada, escrevea^ seguinte carta:
Senhor.
O triste negocio do incendio esfTcom -
pletamente terminado. Nao se descobrio
cousa alguma, e nio voltario cortamente
a tratar delle. Mudamo nos, como o se
nhor nos havia recommendado na sua car-
ta. Fizemos acreditar pela nossa antiga
visinhanga que voltavamos para a trra
de meu mando, e viemos installar-nos em
Montmartre, ra Chgnancourt n. 192.
c Ahi nos encontrar todas as noites ou
aos domingosfpois durante a semana, meu
marido e eu, trabalhamos em casa dos
ars. Lelaurrain, ra Ordener.
f Ah igualmente poder ver minha fi
la Henriqueta Vallauris, a quem adoro, e
que, gracas ao ar puro do commodo e sob
os effluvis da ardente afFeicIo de todos
nos, volta sade e vida.
t Receba, senhor, os protestos de pro-
funda dedicaclo de sua criada
* Laura Vallauris.
Na sobrecarta a mulher do provencal
escr<5veu :
SR. M. F. A.
POSTA RESTANTE
Ra de Clry PABI8
E esperaram, Laura muito pacientemen-
teo sen fim estava alcancado. Henri-
queta ficava em sua companhia ; -Rose-
lin, ao contrario, com grande impaciencia
secreta.
Nio depositava por ventara naquell*
desconhecido a esperanga de poder con~
Peitos de celuloide com bordado imitanda
perteitamente linho.
CoUarinhos modernos duzia 5\J00Q.
. Para trobalho de <*ri Haizas de iinhss de cores com meselad
dourado a 1)5000 e um novello 100.
Pnnhos para homem a 60000 a duzia."
Lencos brancos para creanca a ljJOOO
duzia.
# Fr baile
liindoa rames de flores artificiaes de seda
e com bastes de borracha.
Lindo e grande sortimento de seu tache de
todas as cores para enfeitar vestidos de
creanca.
Para aa Sra. modlataa
Bicos de cores brancos de algodlo a 15500
e 20000 a peca.
Bicos de seda de diversas cores a 50000 a
peca.
Porta tranca de prata, tartaruga e masta.
Punh' a e collar nhos de celuloide.
E pelhos cara dura a 400.
Para liquidar grande quantidade de fitas
modernas abatimento de 25 e.
Fitas n. 9 a 400 o metrd.'
dem n. 5 a 200 o metro.
Lavrada para faza a 20000 o metro,
dem para faza n. 30 a 30000 o metro.
Espartikos para 40000, 50000 e 60000.
Para noKae
Capellas de cera.
dem de flores de larangeiras.
Ramos franceses e nacionaes, veos, Ieqaea
e luvas.
Encnovaes para baptisado.
Tocas e capotas para baptisado e passeio.
Cintos de chagrain para senhora, largos
estreitos a 10000.
Grande sortimento de galSes, palmas, ro-
sas, pingentes e guarnieres pretas de
v.dnlho para vestido.
Lindas costureiras de velludo proprias
para presentes.
Lindas boleas com estojo para costura.
Grande sortimento de caixinhas com es-
tractos proprias para presentes a 20000,
30000, 40OOt', 50000 e 60000 nma.
Livros de missa, de madreperola e de
velludo.
Lindos objectos de crystal para presente
como sejam : porta-relegio, parta-extra-
cto, porta-p de arroz de 40500 at
120000.
Finos alfinetes para gravatas.
Grande sortimento de broches americano
para senhoras. -
Caixas com msicas a 20, 30000. 40000
at 120000.
Grande sortimento de galSzinhos branco*
e de cores para enfeitar casacos e ronpa
de criancas.
Porta-retratos a 200 e 300 rs. nm.
Grande sortimento de lencos de seda a
10COO, 10500 e 20000 nm.
Guarnieses para toilet a 60000 e 70000.
Lindos porta pos de arroz a 10500, 20000,
30000, 40000, 50000 e 60000 nm.
Finas ligas com ramo de flor de larangeira
proprias para noiva a 10500 o par.
dem de todas as cores a 10000, 10200,
10500 e 20000.
Lencos de linho a 30000 a duzia, em cai-
. zinha.
Grande sortimento de pnlceira* ameri-
canas.
Cortinados de crothet para cama a 120000,
170000 e 190000.
Ditos para janella a 70000.
Guarnieres para cadeira a 60000.
Pannos de croehet para cadeira a 800 e
10000
Grande sortimento de luvas finas para se-
nhora a 10500, 20000 e 20500 o par.
dem para menina a 800 e 10000.
Linha de machina a 700 rs. a duzia.
Idam idem a 60 rs. o carrito!.
Toalhas para banho a 10500.
dem para rosto a 300 rs.
Babadores eom inscripcSo e paisagem a
600 e a duzia a 40000.
Grande sartimento de espelhos fines ovas*
e de canto redondo a 40000, 50000 e
60000.
Bengallas de flauta a 10500.
103RA DUQUE DE CAXIASIOS
Mercearia
Vende se ama mercearia bem Iocalisada e pro-
pina para principiante por ter poucos fundos ;
para informaces na ra Mrquez do Herval nu-
mero 73.
Leitura s Selectas
t Pelo Dr. Joao Barlialho]
Actta-se no prelo e brevemente ser exposta i
vensM. a 3 edicao deste importante livro para
leitura e outros exercicios as escolas. .^
struir a machina, qae tanto lhe failava ao
coraclo ?...
Como o provenga! dissera nm dia Sra.
Varnet, em casa ao pai havia onze pes-
soas de familia... e elle era o sexto filho
de um pobre jardineiro da bella Hyres,
ainda mais bella do que o sea nome, se
possivel, que corneja na estacio do cami-
nho de ferro e que estende-se at Gapeaa,
passando pelo Bon-Prists, e que se chama
o bairro do Padre Eterno.
A pequea familia viva prsperamente,
quando um dia urna epidemia arrebatou
todos os filhos, um aps outro, excepto Ro-
selin.
A mli morren de desgosto.
O pai, ssinho no seu casebre, at en-
tlo cheio de alegra, aborrecea-se a ponto
de correr perigo de vida. -
Deixou-o para ir vaguear pelos campos
ou pelos arredores da estacio, nio tendo
mais gosto para cousa alguma, nem mes-
mo coragem de trabalhr no jardim, en-
tretanto to maravilhoEament bem trata-
do at alli.
Adeus primores que tinha n trazidocom-
sigo a abundancia!
Adeus belas alcachofras de ponas rozas,
morangos, ervilhas, vagens, cerejas e pe-
cetros
Adeus dias to agradareis e noites de-
masiadamente curtas para o bom soroco
reparador !
Todo o santo dia exposto ao sol, com
um pequeo cachimbo na bocea, Villauris
errava toa, comeado um pouco de po e
urna cebla, bebendo a agua clara dos re-
gatos.
O' visinho, perguntavam-lhe, voeS
vive entlo dos seus rendimentos agora ?
(Continuar-H-ka.)
Typ do harto, Ra Duque de Caxias n. 4*
/
f

Ss-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES79B2CE9_RCSR4T INGEST_TIME 2014-05-21T22:55:41Z PACKAGE AA00011611_16992
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES