Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16949


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO L. KllERO 54 SABRADO 7 M MAR^O DE i874
M*l AtlflMLB LUGARES .'VIMS X.lO SEPACi* POEfE
Por tres mezes adiantadtti................ WOO
for seis ditos idem..................199000
4or um anno idem......... .......34*000
l. Minn
<:ada muaero avulso .

---------j------F-n----------1-----n-----------------------------------------------------.-----
FAR A DE%TBOE FOR4 1A PR4W1XC1A.
Por'tres meies adiantados................ 69750
.<'.'.,!, .'.i* l0T #!<* idem................. iSttoO
For nove ditos idem................. 900310
Por urn auno idea.................. 379000
MANOEL
'
______
]f*i
* -fin. tier&rdo Antonio Alves <* Filhoe. no Para; Gonr^ivea & Pinto, no MaranhAo ; Joaquim Jose de QiWaira d Filho, do Ceaxa | Antonio de Ln^, Braga, no Araaaty ; Jote Maria Julio Chares, no Assti; Antonio Marque* da Silva, do flat*!; Joed -hutino
Pereira d'AImeida, em Mamauguape ; Carlos Auiencio Monleiro da Franca, aa Parahjba ; Antonio Joed Gome*, aa Villada Penh*; Befarmino doe Santas BulcAo, em Santo Antio j Domiago* JoaA da Cosla Braga, em Hazaretftj
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; JoAo Antonio Machaeo, no Pilar dae Atafiiia Alves d C, na Bahia $ e Lefts, Cerqumho A C. no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
*
i
i
;

i
i
j

G over no da Provincia.
FALL A com que o Exm. Sr. commendador Henrique Pe-
reira de Lucena abrio a sessao da assembl6a legislati-
va provincial de Pernambuco no dia 1. de marco
de 1874.
(ContinuaQao do n. 82.)
' GUARDA NACIONAL
A lei n 5395, de 10 de setembro do anno proximo passado, alteroa a lei n. 605, de 19 de
setembro de 18S0. estatnindo os caws em que a milicia cidada pode ser chamada a servico, e es-
tabelecendo outran disoosicdes im sen favor.
A antiga lei, permitiindo a cadi instante ctiamar a servico os guard,u alistados, era antes
uma font" de abnsoi e atropello*, nma arm* tantas vezes posta em jogo pelas paixdes e pelas vin-
*aneas, do qne nma garantia a ordem e m =ervico publico.
A evperienria mostrou nop, quando foi preciso o esforcp do cidadao para repellir a aggres-
slo estrangeira, baMon qne o patriotismo nzesse oavir seu brado para, como por encanto, surgi-
rem essas briosas phalanges voluntarias, que rivalisaram em denodo com os soldados de linha nos
eampos de batalha. .... .
No qne dign nao se enxergue allimo algtima desravoravel aos guardas nacionaes que,
cumprindo o seu dever, mareharam em defeza da patria ; pois o que qnero significar e que tanto
servico prestaram os voluntaries, eomo os gnardas nacionaes, enibora aquelles nio tivessem a or-
Ianisacao que tinham estes.
Essa lei. toda favoravel ao cidada foi mais uma reforma, filha da opiniao reflectida e do
progresso, que execulou o governo actual, qne, s6 tendo em vista o bem publico, vai assira mos-
trando pnr art.): incnntestavei< qne so anhela o bem e n desenvolvimeatodo Brasil.
Muito breve sera dispensada a guarda national dot services nao especificados na cila-
u. lei.
Do quadro junto vereis mias o destac.imentos que actnalmente existem.
01,'AORO DA F0Rr.\ DAOTKltDA NACIOVAF, BBSTACAfl \ EM DIVERSAS LOCALIDADES
DRSTA PROViNCIA.
F0n$A.
t.OCALIDADEii
Officiaes Inferio-res Pra<;as Total
t 1 1 1 1 i ! 1 1 1 1 1 i 4 1 1 1 15 14 5 15 10 9 10 7 7 18 10 10 10 30 8 10 JO 20 H 10 8 15 15 6 15 10 11 11 7 8 19 10 11 10 30 9! 11 of :



Pao d'Alho. .....

Ronito.............

jTriumpho. *......... Moresta............ [Brejo................ Cimbres............ |Garanhuns. Panellas ...'.'........ facaratii........, .
0 271 29l|
UPKIMBNTIC DO DIA S3 DR 9BZRMBR0 DE 1873.
1.' $ecqao.
Offlcios:
mtA 0)2 wraata\
Aclia-se no ex-rcicio do commando das armas desla provincia, desde o dia 10 de abril do
anoo passado, o dinincto e bravo general Manoel da Cunha Wanderby Lins, em quem tenlio en-
COttrado valiosa e leal coadjuvat;ao. ..... ..
Ape-ar dos esfurcos empregados pelo coramandante das armas, ainda nao foi possivel obtet -
se uma casa nas condifdes desejaveis, alim de ser para ella reraovida a respectiva secretana, que
continua estabelecida em om predio em Santo Aruaro, que, alem da distancia que o sepaia do
.ejitro da capital, nio se presU convenientemente aquelle mister. -,,-.. ,
F.;se incoiivenienie, porem, dospparecera desde que o governo imperial decidir-se pela
couipra da casa, que Ihe fi ofTerecida, sita na rua do Hospioio, onde funcciunou outr ora o colle-
gio de S. Francisco Xivier, a qual couteui vaslas proposes para nella esUbelecer-*e o quartel
general e o quartel da cempanhia de cavallaria. _.,,_, ,,
K forc^ a.iui esUci-mada e a seguinte : os baUlhoei 2' e 9- de lnfantaria, este com IW
pracas e aquelle com 302, as companhias, de cavallaria com 68pracas, e de operanos com':) dita?,
prefazendo toila a forca o numero de 1,062. .
Dew forca qu^ se emprega na guaroicao e em outras diligencias do servico, aciiam-se
J^Ma,adas mo presidio de Fernando 89 pracas do e .*> do 9 batalhio de infantaria, ao todo 94.
Ho quadro infra vereis o movimento dos recrutas em deposito no decur-o ao anno nodo
Passaramde 1872 para 1873...... 6i
Entraram no anno de 1873...... 172
Soroina..... 536
EmbdTcaram para a cOrte...... 180
Alistararase no 2 batalbao..... 53
Alistaiam-se uu 9 batalha>..... 24
Alistaram-sena companbia do cavallaria 10
Sollos por incapacidade physica ... IOC
Soitos por iseu^ao legal....... 120
Remetlidos para a marinha..... 2
Reconbecido de.-ertor ... .... 1
Evadirarn-so do hospital militar ... 3
Falleceram............. 7
.>.,-;>
Somina................ 506
'assaram para o anno de 1874..... 30
Autorisailo pela lei n. 1,091, de 24 de abril nltimo, dei em data de I de Dovemoro ao
corpo de policia novo regulameal>, o qual, pr>:sumo, satisrara as exigancias do servigo.
Devendri no praso de an anno, a contar da publieacao da lei n 2395, de 10 de setembro
proximo passado, cessar, como ja live occasiao de dizer-vos, o servico da guarda nacional, e nao
podecdo lan^ar mio da forca da linha pora destacamentos, s6 teremos para esse e outros ser*
Si nao oustante o aoxilio que a guarda nacional e a forca de linha prestavam, considers va-se
lusuficiente a fon;a polijial, c de facil int li.ao o que nao succedera, quando a primeira deixar de
iirestar aquelle auxiiio.
Criroinosos audazes, isoladw on em grup^, iflronum a lei e as autondades em diversos tu-
,res as especulac/ws politicas, iuotas as jiaixoes que a malevolencia poe em ebullirao, exploran-
1 j o fanatisrao ou a ignorancia do povo ruslico, fazem com que seja preciso por a disposiQao da
tatoridade os meios sufflciintes paraconter a |uelles que quizerem perturbar a ordem publica, ou
attentar contra a seguran.a individnal, ou da propriedade. .
Convem, pois, que providancieis de modo a qne nas diversas locahdades da provincia n ija
una forca de policia, que, gnardandoas prisoes, faca as diligencias e opponha aos ataques do cn-
m-' o braco dos agentes incumbilos de fazer respeitar a lei. .
Sao sera com 800 pra?asr quanta* formam o actual corpo de policia, que sc conseguira isso,
'i !' mesmo com o dnplo. ,
Sendo ,1^ necessidade o augnwnto da forca de policia, e trazendo esse aagmento meviuyei
accrescimo de .lespezas, destinou o govern) imperial para f izer face a elle o sello e emoluments
las patenies da guarda nacional e o producto do imposto pessoal.
Creio, porem, que e insutilcwntissimo tal auxiiio, proveniente dos dous sobreditos itr.postos,
cuios rendimentos nao excederto talvez de 70.000*000 por anno.
F.stando, pois, eomo eslao, por demais onerados os cofres provinciaes, conlo que
Urg'a Talvez 4l; convcniente crcar na capitl utn eorpo de policia como hoje existe com um
dienor nunv.ro de pracas, e nas ontraa comareas companhias ou secgoes, qne, sem orgamsagao
taque
autoridade ^^ ^ ^^ ^ art. 3" da iei n. 436
de 26 d uiaio do 1858, que concede a aposentadoria as pra5as de pret do corpo de pohe^a^
GonsWeVando que essas pracas nao passam de meros engatados e nao podem ser conside-
r*Ax* Jm^adM iDiibKeos bem como qne as aposeniadorias que Ihes sao conced.das, de confor-
SuKteS? aaieiSnP "K de 7*S abril de 1851, muito o7*^.P^ sem p.aust-
vel razio nara i"so sou de opiniao que deveis revogar o art 3 aaqueiia let.
Quando mufto, 5 qnirJes ser equiutivos, podeis abnr excepcao para aquellas pracas
oaeseinbabiliuremporferimentosno servic.0 a qne se dedtcam. creando wmeate para estaso
dirertode^pos^Udor^ q Francisco de S^ueira Gaval^je
tenente d* ", o alferes Manoel Aprigio de Moraes ; da V, o enente aggregado Flavio Jose dos San-
tos e SHi; e alferes da 4', o inferior Manoe! Antonio Caralllo.
Suicidon se na villa de Flcres o tenente Numeriano ton de B;ri. .
( Continuar-se ha.)
aa e ncetamada f?egneia de Nossa SenhordjNoronb% com a condicao de regressor no mesmo
Ao Exm. brigadeiro commandaoie das ar-
mas. &rva-se V. Exc. do inauJa* nwr.^uo. la
berdade, visto ter provado isencao legal, o recrata
Angelo Francisco Pereira da Silva.
Ao mesmo. Approve a deliberagao que
tomou V. Exc, segundo consia do ofBcio de 22
do corrente, sob n 1215, de mandar que o tenente
honorario do exercito, Frederico Augusto Vellow
da Silveira, entrasse no exercicio do emprego de
commandaale do forte de Pao Amarello, e qne o
commandante desse forte, o tenente Joio Dioclecio
da Silva Paula, passasse a servir no deposito, era
Ingar daquelle.
Ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
por em liber Jade o recrula Joao Baptista de Si-
queira, visto nao ser apto para o servico do
exercito, por soffrer de epilepsia; seguudo o tennu
de inspeccao annexo ao seu offlcio de hontem
datado, sob n. 1310.
If secgHo.
Actos :
0 presidente da provincia, a vista do offlcio
do Dr. ehefe de poli.-ia, n. 2067, de 20 do corrente,
resolve exonerar, a seu pedido, o tenente-coronel
Thomaz Pires Machado Purtella do eargo tie
subdelegado da freguezia de Moribeea.
0 presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. ehefe de policia, n. 2067,
de 20 do corrente, resolve nomear subdelegado,
da freguezia de Moribeea o actual 1* suppleate
capitao Jose Caelaoo de Albuquerque.
Offlcio:
Ao commandante do corpo de policia.
Pode Vmc. eagajar, seodo idoneo, ne corpo sob
o seu commando, o paisano Autonio Mariano de
Oliveira, de quem trata o seu offlcio a. 711, de
18 do corrente.
3' ucqao
Actos :
0 presidente da provincia resolve exonerar
Miguel Ferreira de Mello de fiscal da coilectoria
provincial do municipio de Serinhaem, por assim
o haver pedido.
0 presidente da provincia resolve uonvar
Antonio Fernandet tie Albuquerque Camara para
o lngar de fiscal da coilectoria provincial de
Serinhaem, vago pela demissao pedida por Miguel
Ferreira de Mello.
Offlcios:
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmitto a essa thesouraria, para os fins con-
veniences, os preu inclusos especiaes, tirando
vencimentos relativos ao exercicio Undo de 1864 a
1873, a que teem direitoos musicos Mano^l Fran-
cisco da Purificacao e lose Izidoro da Silva e sol-
dado Joao Evangelista Vieira, todos do 9 uatalhao
de infantaria ; como solicit.in e brigaJeiro com-
mandante das armas em offlcio de 22 do corrente,
sob n. 1211
Ao mesmo. Teudo nesta ultimo a 2 do corrente,. dia promotnr teve sciencia da licenga que por e>t*
presidencia Ihe fora concedida a 24 daquelle mez ;
assim o communico a V. S. para os fins eonve-
uiuntes.
Ao mesmo Autoriso essa thesouraria a
pagar a Joaquim Elias de Carvalho Moura, arre-
raatante das oitras e reparos que se esta Haw)
na fortaleza do Bru^, a importancia da 1* pres-
tagao, visto ter cumprido a V condigao do c
tracto.
Ao mesmo. Ao tenente -coroael Sebastiao
Jose Basilio Pyrrho, que tem de seguir para o
presidio de Fernando de Noronba, alim de assmnir
o respectivo commando, para o qual foi nomeado,
mande V. S. ajustar contas e passar guia de
soccorrimento.
Ao mesmo. Nesta data aaprovei a deli-
beracao que tomou o brigadeiro commandante
das armas, segundo communicou me em offlcio
de hontem datado, sob n. 1215, de determinar que
entrasse no exercicio do emprego de comman-
dante da fortaleza de Pao Amarello o tenente ho-
norario do exercito Frederico Auuusto Veiioso da
Silveira, e que o commandante interino desse
forte,o tenente honorario Joao da Silva Paula, passe
a servir no cteppsilo, em lugar daquelle ; o que
declaro a V. S. para os fins convenientes.
Ao mesraoi Communico a V. S., para os
devidos fins, que a 10 do corrente foi pelo juiz
de direito interino da comarra de Flores nomeado
o Dr. Samuel Tertuliauo Henriques promotor pu-
blico interino, daquella comarca por ter pedido
dispensa o tenentffJose Francisco de Almeida.
Ao mesmo. -4 Communico a V. S., para os
devidos fins, que a 1 do corrente assumio o ba-
charel Joao Carlo3 de Mendonca Vasconcellos, juiz
municipal e de orpVa->s do termo de Barreiros,
o exercicio interino de jnrisdiccao da 1* vara de
direito da comarca de Pal mares.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os
devidos fi.ni, que a 12 do corrente entrou o bacha-
rel Joaquim Guedes Correia Gondim, juiz de direi-
to da comarca de Flores, m gozo da licenca que
Ihe foi concedida.
Ao inspector da alfandega. Providencie
V. S. para que sejam entregues ao director do
arsenalde guerra, que esta antorisado a recebel-os,
os dois caix5es vindos da corte no vapor Cruzeiro
do Sul, e que se acham nessa reparligao, segundo
consta de seu offlcio de hontem datado, sob
n. 42.
Ao inspector da thesonrana provincial.
Mande Vmc. abonar ao capitao do corpo do policia
Antonio Jose de Andrade, que segue desta capital
para Pajed de Flores, a importancia de ICOi como
ajuda de custo de ida e volla.
Mutatis mutandis mandando abonar ao
alferes Numeriano Jose de Barros, que vai de
Pajeu' de Flores para Ouricury, a quantia de
50*000.
st.* seci-ao.
Acto :
0 presidente da provincia, tendo era vista o
que expoz o director g-.-ral da instruccao publica
em offlcio de 2> do corrente, sob n. 362, resolve
conceder a exoneracao, pedida pelo' Jose Mendes Bastes, do cargo de delegaao litterario
da villa do Bora Conselho, e nomear para sob-
tituil-o o Dr. Fiel Vieira Torres Grangero.
Offlcios :
Ao Exm. Sr. presidente da profneia da
Bahia. Attendendo aoque me requerefto soHa
do do 2 batalbao de infantaria Feliciano 4a Silva,
rogo a V. Exc. se sirva de transmlttir-rae am do-
cumento coinprobatorio de haver a referida praca.
segnndo alloga, marchado voluntariamente para
a enerra do Paraguay, na qualidade de gaarda
nacional d. siguado nti municipio doRnro Jasditn,
nessa proviucia
Ao Exm. Sr. pre.-i.i.mte da provincia do S.
Paulo. AttenJendo ao que rcquereu me o cabo
de esqnadra do 9* batalha o de infantaria Jo A"
Balduioo Ribeiro, rogo a V. Exc. se sirva de trans,
mitiir-mc um documento comprobatorio. da alle-
i.cSo, que fax a referida prac>, de haver marc ha-
o em 18^6 para a guerra do Paragua,y na
qualidade do guarda nacional designado da 2'
secyaode artilharia des-a provincia.
Ao dirt ctor geral da instruccao publica.
E v. res^o-ta ao seu offlcio de Ju aa correule, sob
n. 361, propondo a remociodo professor publico
da 1' caiei.-a da cidaoe de Nazareth, Claudino requefeu
Graca 4a Caponga, vagas pelo fallecimento do
respeeBVo iwtentoario, tnho a dizer-lhe que
estas cadeiras ia se aebara preenehidas pelo pro-
fessor 4a Boa-Viagem, que para ellas removi;
poden4e e 4*. que trata Vmc. ser roraovido para
a Boa-Viajfem, si assim a elle cornier.
Ao mesmo.Fieo certo de haver o conselho
direct* de instruccao publica, em sessao de 15
do convnte, condemnado a Ires mezes de suspen-
slo e perda dos respectiros vencimentos o pro
lessor poblico da Camboa de Pao d'Alho Manoel
Felippe do Moate, de enja sentenr;. foi die iutiina
do em o dia 17; seguiido me communicou Vmc.
em offlcio de 19, sob n. 360.
Portaria :
M Illma. camera municipal dc Recife.
Recnetlo a Illma. camara municipal do Recife
copia da informar;ao que me deu o Dr. chi fe de
policia, em offlcio de 16 do corrente n. 2041, sobre
as madtdas a tomar-se relalivamente ao bom des-
empeoio do regulamento de 3 de fuvereiro do
anno proximo passado ; e recommend j-lhe qne,
em visia da referida inforraacio, formule as pos-
tnras que Jalgar convenientes p ra o fim alludido.
Tenho assim respondido o olll'io que roe dirigio
a Illma. camara em 5 do corrente, sob n. 118.
8\ uecao.
Offlcio* :
Ao engenhciro Joao Martins da Silva Couti-
nho. Accnsando recehi lo o offlcio de V. S., de 2
do corrente, en que me communica Ja haver le-
va otado a planta de todos os pvoados por onde
passa a linha de estudot para o irolongamento da
estrada de ferro do Recife ao S. Francisco, cabe -
me em resposta dizer Ihe que deixo de mandar
publicar, como pede, o offlcio da camara munici-
pal da villa de Garanhnns, e da qne trata V. S.,
por nao vir a respecUva cofia acompanhando
.f u dit'> offlcio.
Ao engeuheiro ehefe da reparticao das obras
publicas. Mande Vine, exanii lar o concerto de
qne precisa a coberla da gjmna>io provincial,
onde, segundo communica o rgedor interino da-
quelle estabeleciraeoto, em offlco de hontem, exis-
tem algumas traves estragadai
Ao capitao Joao Silveira Borges Tatora.
Verificandose pelo apnramento do censo da po-
pulacao da freguezia de Sauto Antonio desta cida-
de, proceJido na repartieio geral da estatistica
do impei io. que nao foram renettidas as listas de
familia relativas aos moradires da rua da Roda,
conforme c.uiimuuii-.ou a esut presidencia o Exm.
conselheiro director da luelli repartic^o, design.)
Vmc. para, de acordo com o ti.ijor f'andido Emyg
dio Pereira Lobo, fazer receniear todos os morado-
res da referida rua, nos ermos do decreto n.
4856, d- 30 de dezembro d> 1871. Confiando no
zelo e acttvidade que o cancterisara, esp* ro que
de-empennara satisfactorianeiUe esta nissao ;
remettendo me com a maior brevldade o resullado
desse trabalh para cujo (itn reuietto a Vmc. 300
listas de faonlia. Mutatis muttndis ao major
lindidi^Emygdio Pereira Lobo.
.JOse -iOjJT***..;.^ -^Aloaa ll.BM V. rrnau .. ...
SbrnmisK; a 1igencia, qne lt" fiz e.ta presiden
eia em mculai^e 27 *= uovembro ultimo, para
que reineUee"com tida a brevidade os elementos
originaes do recenseamento de que foi encarrega
da. vi censo da prpulacao desta provincia sem a pane
relativa a esta freguezia. Convem, portanto, que
essa commiisao nao continue a embaracar por
mais tempo a conclusao desse importante traba-
Iho, deixanlo de remetter com nrgencia a parte
que Ihe f"i jonfiada. Iguaes as commissoes cen-
sitarias das freguezias de Santos Cosms e Damiao
e Santo Antinio de Garanhuns.
SXPKD1KNTE DO SBCIUTARIQ.
/.* secqao.
V
Offlcio
- Ao Exm brigadeiro commandante das ar-
mas.De ordem de S. fixe, o Sr. presidente da
pmvincia, communico V. Exc. qne os prets es-
peciaes, a que se refere o seu offlcio datado de 22
do corrente sob n. 12 I, foram remeltidos a the-
souraria de fazeoda para os devidos fins.
2.' secriio.
Offlcios :
Ao Dr. ehefe de policia. De ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, transmitto a
V S. o titulo junto do nomeacio do subdelegado
da freguezia de Muribeca ; de conformidade com
a proposta de V. S. em offlcio n. 2067, de 20 do
corrente.
Ao juiz de direito de Itambe. 0 Exm. Sr.
presidente da provincia manda accusar o recebi-
mr-nt > do offlcio de V. S., de 10 do corrente, em
que participa tT nomeado o Dr. Samuel Tertulia-
uo Henriques promotor publico interino dessa co
marca.
Ao bacharel Joaquim Guedes Correia Gon-
dim. 0 Exm. Sr. presidente da provincia manda
accusar o recebimento do offlcio de V. S., de 12
doc.rrenle, em que particij>a ter entrado no gozo
da licenca que ihe foi concedida.
- Ao" bacharel Joao Carlos de Mendouca Vas-
concellos. 0 Exm Sr presidente da provincia
manda accusar o recebimento do offlcio de V. S.,
de I do corrente, em que participa ter nessa data
assumido a jnrisdiccao da vara de direito da co-
marca de Palmares, como 2. substituto, no im-
pedimento do 1.*. .
__ V) commandante do corpo de policia. s
Exc o Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. S, em resposta ao seu offlcio datado
de 20 do corrente, sob n. 715, que a thesouraria
provincial acha-se antorisada a abonar as ajudas
de custo de ida e volta aos officiaes desse corpo,
de nomes Antonio Jose de Andrade e NumerianD
Jose de Barros, que seguem para Pajeti de Flores
e Ouricury.
4.' seccao.
Offlcios : ..
_ Ao Dr. director geral da instruccao publica.
S Exc o Sr. presidente da provincia manda
commnnicar a V. S. que por acto de hoje foi con
cedida a exoneracao, pedida pelo Dr. Manoel Jose
Mendes Bastos, do cargo de delegado litterario da
villa de Bom Conselho, e Bomeado para substi-
tuilo o Dr. Fiel Vieira de Torres Grangeiro, a
quem deveraser entregoe o titulo incluso.
Ao regedor do gyranasio provincial. -S Exc.
o Sr. presidente da provincia manda declarar a
V S., em resposta ao seu offlcio de hont'-m data-
do, que fleam expedidas as convenientes ordr-ns
ao engeaheiro ehefe da repartican das obras pu-
blicas. no sentido a qne allude o seu citado offlcio.
BXPKDIEOTR 00WA 24 DS DEZEMBRO Ofc 1373.
1.* ucquo.
Actos'; .
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereram Antonio Gomes Senna e Manoel Rodri-
sneTw Nascimento, resolve conceder-Ihes licenca
u;ira irera ao presidio de fwnande de Noronha,
com a condicao de regresaa.ru no vapor imme-
diato ao que tem de seguir em Janeiro proximo
vlndouro, afim deliquidarem seua negocios.
o presidente da provincia, attendendo ao que
reqnereu Augusto Cesar Cousseiro de Mattos, apon-
udor dos operarios daa obras do melhoramento
do porto desta cidade, resolve prorogar por ires.
vapor que para aid tem de seguir era Janeiro pro-
ximo vmdouro, afim de toaiar de seue- negocio*, e
bem assim levar em sua companbia *caixoes com
fazendas.
Offlcio ;
Ao director do arsenal de guer/a* Mande
V. S. receoer na ageneia da companhia. brasileira
de navegacAo, onde se acham, 2 caixSes \indos da
corte no vapor Cruzeiro dSui, con tendo arma
meoto e cotseaaie com destino a esse arsenal.
2.* seccao.
Acto:
0 presidente da provincia attendendo ao que
requereu o alferes do 7* batalhao de infantaria da
Kuarda nacional do municipio de Olinda, Pergen
lino Netto de Azeredo Coatinho, resolve que se ihe
d a guia de que trau o art. 45 do decreto n. 1,130
de 12 de imrco de 185J, parao de Igoarassu on-
de passou a residir.
Offlcios :
Ao Dr. cbefe de po icia. Uaja V. S. de ex-
pedir ordem as autondades policiaes de Jaboaiao
no sentido de coadjuvarein os fiscaes da respecti-
va camara municipal, todas as vezes que assim o
exigirem para o boiu cumpriraento 4as posturas
mumcipaes, conforme soiicitou aquella corporar^ao
era offlcio de id do corrente.
Ao juiz municipal do termo de Agua Preta
Providencie Vmc, de acordo com o director
dos indios, em ordem a que se nao reproduzam os
actos de viuiencia pralicados petoe indios do ex-
tiucto aideamento do conde d'Eu, na propriedade
Fuudao pertencente a Manoel Francisco Gomes.
8.' seccao.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de bisnda.
Tendo nesta data aulorisado o engenheiro das
obras publicas geraes da provincia a mandar exe
cutar por adminislra^'ao a obra do asseio do tri-
bunal da relacao, visto nao ter apparecido quem
quiiesse arreuialar, como me communicou o re-
ferido engenheiro em offlcio de 22 do corrente,
assim o declaro a V. S. para seu conhecimento e
fins convenient-s.
Ao mesmo. Conformando-me com o pare-
cer deasa thesouraria exaiado em offlcio de 23 do
corrente, sob n. 269 serie E, sobre o pagatnento
requerido a esta presideuci i pelo fiel do almoxari-
fe do arsenal de guerra Jeronymo Odon Ferreira
Cabral, autoriso V. S. a mandar pagar ao mesmo
net a iinporlaoeia dos vencimentos a que tem di-
reito, por haver subslituido o almoxarife do mes-
mo arsenal, desde 21 de junho ate 25 de novem-
hr > do correule anno, excluindo desse pagamento
a quantia de 27/ 777, por ter cahido em exercicio
Ando.
Ao mesmo. Transmitto a V. S. o incluso
requerimeato de Joao Jacinth> de Medeiros Rezen-
de por esta presidencia deferido, para ser junto
ao prucessD existente nessa reparticao e passado
opportunamenle o titulo requerido do lerreno de
marinha u. 2,096 na conformidade das informa-
Soes ministradas por V. S. em seu offlcio datado
e honicm, sob n. 268 serie E.
Ao "Vsmo. *""' *!*.,.** "............
entregar u>'Brnneiro das obras militares a quan-
tia de i :3 9||050 em que importaram as obras
foito- ->. .-rjmoi luuiiirV, auiofi?auas por esta pre
sidencia
Ao mesmo. Remetto a V. S., para os hns
convenientes, copia do avi o que me dirigio o Exm.
miuiftro do imperio em data de 3 do corrente,
sob n. 10,399.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar ao capitao
Antonio Gracindo de Gusma* Lobo, ou ao seu
procurador, a quantia de 24*360 con:>tante do re-
eibo junto em duplicau, despendida pelo mesmo
capitao como deligado de Itambe, com o forneci
inento de luz e agua ao respectivo deslacamento a
contar de 19 de setembro a 15 do corrente, como
solicitou o Dr. ehefe de policia cm otteie de 23
deste mez, sob n. 2,077.
4/ seccao.
Offlcio :
Ao director do instituto dos surdos mudos
Accuso recebido o offlcio que V. s. me dirigio em
data de 7 de Bovembro ultimo, remettendo um
exemplar do regulamento desse instituto e algu-
mas notas impressas das declaraeoes qne devem
acompanhar os surdos mudos que para, alii se
destinarem.
Quanto ao convite que me faz para promover a
ida de alguns desta provincia, cabe me dizer-lhe
que tomarei na devida consideracao este objecto,
e era tempo opportuno tera V. S. conhecimento do
resultado.
Portaria :
A' camara municipal da villa de Jaboatao. -
Nesta data dingi-me ao Dr. ehefe de p dicia. no
sentido de que trata a camara municipal da villa
de Jaboaiao em offlcio de 20do corrente, que fl-
ea assim respondido.
5.* seccao.
Offlcios :
Ao director geral interino dos indios.Cora-
miinicanuo-ine o juiz commissario do municipio
de Agua Preta, em offlcio de a de noverabro ulti-
mo, conuuuarem os indios do extincto aldeiamenlo
do Conde d'Eu a praticar actos violentos e atten
latorios a propriedade Fundtlo, pertencente a Ma-
noel Francisco Gomes, reitoro a \ S. a recom-
mendacao, que llz em 28 de fevereiro Jese anno,
de providenciar em ordem. a evilar a repsoducgao
de laes abusos.
Ao engenheiro cbefe da repexticio das obras
publicas. De acordo com a sua informar.ao de
16 do corrente, sob a. 441, uou provimento ao
recurso interposto por Thomaz de Carvalho Soa
res Braudao Sobrinho, em requeriaaento que Ihe
devolvo, atim de q>e se leduza em seu favor da
importancia descontada a quantia de 57*500, cor-
respondent a 19," 50 cuueos de pedras extra-
hidas.
Ao engenheire das obras geraesInteirado
do que expoz em sea offlcio de 22 do corrent-j, re-
lalivamente a obra do asseio do edilicio onde lunc-
ciona o tribunal da relacao, autoriso Vmc. a man-
dar execala-U por adminktra^ao, como propde em
seu citado offlcio, que flea assim respondido.
Aos agentes da companhia brasileira de na-
vegacao a vapor. Podem Vmcs. entregar ao di-
rector do arsenal de guerra os doas caixoes que
se acham nessa ageneia, vindos no vapor Cruzei
re do Sul. con teudo armamento e correame.
Portaria :
Os Srs. agentes 4a companhia de braileira
de navegacio a vapor maudem transportar a
cone, por couta do unnislerio da guerra, no vapor
Ceara, esperado dos porlos do norte, os \.* cade-
tes, Joao do Rego Barros, Frederico do ^go Bar
ros e o 2 cadete Ednardo Frederico do Rego
Barros, os quaes vao reunir'se ao t. de artilharia.
a que pertancem.
a" ***sX
Offlaios:
Ao Dr. aaefe de policia- D orders de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, communico a
V. S. que expediram se ordeoi a ttewararia de
fazenda, no sentido de ser paga ao capitao Gracin-
do de Gusrai.) Lobo a quantia despendida pelo
mesmo com a fornecimento de Inz e agua ao des-
lacamento de itambe ; eomo V. S soUcitoo em -sea
offlcio de 23 do corrente, sob n. 2077.
Ao commandante superior de Olinda 0
tfa Preii,eate da provincia manda declarar
a V. S. que, per portaria de hoje, foi maadads dar
guia de passagem para o mooicipio de Ignarassu
ao alferes do% batalbao de roserva do de Olinda.
Pergentino Netto de Ateredo Coatinho, de qaem
trau o offlcio de V. S., de 7 do corrente.
Ao coronel Fraoci>co Manoel de Barros Wan
derley Lins.0. Exm. Sr. presidente da provincia
manda accusar o recebimento dus offlci> de V. S.
de 14 do corrente, em qne- participa ter nesea
data passado o exercicio do commando superior
de Seriohaem ao respectivo ehefe do estado-maior,
por ter assumido a preMdeacia da camara muni-
cipal.
Ao major- Caetano Corr4a de Queiroc on-
teiro.-O Exm. Sr. presidente ds provincia manda
acensar o recebimento do offlcio de V. S., de 21
do coi rente, em que participa ter procedida a qua-
lificacao da guarda nacional desse municiBio da
Escada. r
8.' seccao.
Offlcio :
Aos agentes da companhia bahiana de na- >
vegacao a vapor.S. Exc. o Sr. pre-ideute da pro-
vincia manda accusar recebido 0-eflbie Tv. Ss..
de hont-m datado, communinando que o vapor na-
cional Penedo, dessa companhia, chegou do porto
da Bahia e escalas, e bem assim que sahira para
o mesmo porto no dia 26 do corrente as 3 u-yrv
da tarde; do que tudo flea inteirado.
DESFACilriS DA PaESIDKNCIA, DO DIA 5 DE XAXC* DE
187V
Antonio Victor de Sa Barr to.Pague-se.
Domingos Antanes Villaca.-Indeferido.
Bacharel Felix de Figueinia Faria. -Passe por
taria concedeulo a prorogacao pedida.
Barharel Francisco Doiningues Ribeiro Viauui
Passe portaria.
Irmandade de Nossa Senhora do Livrameolo da
villa de Pao d'Ajho.'loncedo a aiUon-acao pe-
dida com a condicao de presiar contas ooporturu
mente na thesouraria provincial.
Major Joa > Jos6 Gomes.Forneca-sa.
0 mesmo. Forneca-se.
Josepha Maria da Annun-iacSo. Nada ha qne
deferir. visto nao ter sido multada asaoplieaate.
Jos6 Vicente Ferreira.Requeira a camara mu
nipipal respectiva, on ao deiegadft de policia
Lniz da Costa Porto (Urreiro, Jiaqoim Ferreira
Mendes Guimaraes, Manoel Alvds Karbo Antonio Moreira Dias. fMendo com offlcio desta
data, ao regedor do gymnasto pr< viueial
Martha. e*Tawa ita ..a. ii ***- -.'
%ow.K}}U... Snpojica-iio h .'iviiji juafa.
que deve ter lugar ei^ junho proximo 'ntoro
Reparltcao *u\ poliria
seccao__Secretana d" p^ilicia d" Pernambuco,
6 de marco de 1874. '
N. 324. film, e Exm. Sr. Partinpo a V. Exc. *
Sue foi hontem recolhido a detencao, a minha or-
em, Maria, escrava Aa D. Candida Goncalve* Fer-
reira, por andar fugida. ,
Em data de 4 do corrente, eomraunicou-me o
subdelegado de Muribeca, que ao dia 2. Jos*1 Fran
Cisco do E-pirtto Santo ferira a Ma Gom.alves de.
Siqueira, que o dclinquenie coaseguira evadir-se, /
que fez o respectivo inqueritu, remellendo-o ao Dr
juiz de direito do 6* disbicto criminal.
0 delegado do Rio Formoso, por offlcio de 2 do
correr.te, participou-me que em terras do eng ahi:
Mamucaba, daquelle termo, o pardo Bernardo, es
cravo do Dr. Manoel Xavier Pies Barreto, ferira
com uma facada a Geraldo, escravo do tenente-
coronel Thomaz Lins Caldas ; que o offenor for--
preso, e procedera ao inqaerilo, qne reraet.era k>
go ao Dr. juiz municipal a\' leiino, para cs devi-
dos fins.
Por offlcio de 3 deste mez, communicu-me a
delegado de Goyanna qjie pelas 9 1|2 ho.-as do dia
27 de fevereiro ultimo, Jose Pedro Cardoso, coabe
cido por Jose da Faustina, iudo premed:ladaicent>
procurar a Manoel Antonio Alves, pnr antoaoma-
ria papa missa rravararo e de ra:aes, ot> que
resultou fallecer Jose Pedro G-rdeiro, em conse-
qnensia de uma faeada qne Ihe dera Alves, o en-
minoso consegaira evalirse e contra t41e proce-
dera nos termos da lei.
0 delegado da Escada, par offlcio de 4 de cor-
rente, communicou-se que na noite de 2 para 3.
a rua da Bam, daquella cidade, doas individno?
travando se de raznos, resultou assassinarem am
a outro a facadas, bem como a um terceiro, qne
na occasiao alii coroparaeera para accommoda los.
sendo ss victimas Vicente lt>gino Ferreira, Joa-
qniro Lniz e Jose Severino Formiga. qne fez as
competentes vistorias e proseguia no* termos dc.
inquerito, para conhecsr da verdadeira causa des
ses crimes.
Deus gaarde a V. Exc. Illm. e Exm. Sr. com
inHidador Henrique Pereira de Lucena, digno pre
sidenie da provincia 0 ehefe de policia, Anfo
io Fmmisco Correia de Araujo.
INTERIOll
mezes, com oa respectivos vencimentos, a U*ei'4
que Ihe foi coneedida em 4 do setembro oximo
Ando para tratar de sua saude.
0 preaidente da provincia, aU'JDdendo ao que
lefau Manoel Gpmes da Cra2) reSolve conce-
I Gomes Barretio, para as prime'iras cade'lras diur- ider ibe licenga par> jr ao presidio de Feiq^ndo de
Offlcios.:
Aa Exrr^
mas, S. E
KXPKDIENTK
DO SECBKTABIO.
secfao.
brigadeiro commandante das ar
nmttoJfl v lr' Pre8'denle d* provincia man
aa uecia^ar a V. Er? Am resnnt ao am otnrl rl
/ 7c, em resposta ao seu offlcio de
5j,St^-'. que.ftcam expedidas as
a oS** aeas no ,enl'"'0 ae serem transportados
&,.<, no vapor.Ceard. os l.* cadetes, Joao do
.ogo Barros, Frederico do Reg > Barros e o 2." ca-
dete Eduardo Frederico do Rego Barros.
Ao lirector do arsenal de guerra.De ordem
de S. Exc. o Sr. presidente da provincia comma-
nico a V. S. que deu-se ordem thesouraria dc
fazenda para pagar a importance das obras feitas
no hospiul mpijap.
RIO BE JWHMO
14 de fecereiro it 1674.
A CARTA-ANTOKKLU
O Sr. bispo de Olinda ja teve o tempo necessa-
rio para roediUr sobre as tormos da lettra ponti-
licia que, de parte do. Sr. cardeal Aotoneili, Ihe
foi enireguo pelo Sr. iotemuncio apostoliro.
A solemnc afflnaacao do Apostolo veto dissipai
todas as duvidas de qne elk- proprio se sentira
salteado sobre este facto.
Que irapressao tera produzido a leitura desse
documenVi no robusto aninto do joven pr'lad"
para quem, segundo uma phrase que e sua, o que
vam do summo ponlinoe em relacio ao governo
da igreja vem directamenle do Espirito Santo *
Em que profundas cogitar;oes be tera mergulhado
aquelle inflexivel espirito nessa bora solemoe am
que a verdade se Ihe reveloa pela boeea do nto
padre? Como Ihe eritaria oa consciencia a tre
nienda responiabilidade de W-se lancado no ca-
minho de lnju?tificaveis"ieveridades, perturbando
?*z da igreja, levando o suslo o sew das farm-
Uas, difficultanuo a adininistracao dos sacramen-
t is, diminuindo a raageslade do cult) eempannail.
do-lhe o esplendor, apavoraado con-cieocias Umt-
tlas, e as maisresolulas fazendo porder a iraaquilh-
dade, dandoaindacaasaa tudo isto,que teroos
visto, de desrespeito ao dogma, aatvtatMenai mais
augustos, as instiluicdes mais /eUer.veis do ca-
tholecismo, e, dizcmo-lo coin o'maia profuudo pa-
ur semeiando em uma aociodade, ate euta> mm-
Uss'imo 4apreoccnpa4ja Subre os perigos de nma
luta rahftoea, o gernvn* fuaestos qne tarrri
ainda nao produziram senao fructos temno-
r5os ?
Absorto na sua obra de recoustrucfao. o
D. Vital nio linha aiada a.aliado c qne
truira.

Sr.
4e-
4-
i
c
1
/
\


1^
IQWJH

as
'.
ajaftM M T IHlimU*
,21mio de Potriambuco Sabbado 7 de Marco de 1874. ^; QHjy 1/ J U//A
A palam H SMI 91 M
mi\ revear*. Ul" ral" de.,n*JU
aotnbras quaijWfcafe'so *e, defamara era
R^peitmwftpdifJUDt^-uina- dor illnstre? qwl
deve a esta ftatMttgir coasciencia. do.jovan
V Nao 6 mesmo a'S."Exc. 'que vamos encaiiiinbar
as nossas reflexoes. Ellas se dirigem a imprensa
catholic*, aos defeasoya-^iisbo fld^lada,
seas coaselbeiros.
Ja se disse q
crelario de Pw I
vunl
Porane T
Disse-se ao mes^pjjrapAMporque a aecisa
da Santa ->' foi uadaaa ignoraiacia Jo proecs-> e
prisao do Sr. D. VU > Barque e*sa decisio e
ouramente cowUcionai, e a candiria esta axpresaa
naqueUas palatfps do aardaal Antoaalli :. #***-.
r a, per em, a Santa Si+tttgovetfomperi-ilcon-
correid pela sua parit a remover todos os ohsta-
caios tut poderem eutorpecer e promplo #**
mme/ao da desrjada concordia, e coadjuoam deste
) as benignas disposieoes da Santa Se.
?ao faiemoi ao Sr. TTvTial a injustice de sup-
l>or que lao iosolKa afflrroacao tenha sido de qual-
quer modo aulcrisada por S. Bxc Ao defender-
se peraule o qae cJiamoa tribunal do ttoin seiuo,
Sr. bispo de Olindu tiufia anlicipade a manfres-
tacao de seus sentimenius para com a Sanla be
por esias eiiiora-ve brasilriros oonhecom se os sens tispos sao guiat
seguros, imdngaennc ackam-se eltes sob a dueccao
4j viaario de Jesus Christo.
entfuderiam (pie os seus bispos nao sao guias se-
guros, se us vissem appeltar do papa mal infornia
ao para o papa bem niformado
O Sr. ?ftal'*, cerUnwnie, wtrasdo a uma tal
-Pr*cosoa p*rac. ., PqBMhJB ^
. Alaodao dri* 10 t../...:...<. '.*> per kf? tjMfctiM *
Alfodao
2' sorts.........
. .3'sone. ......
Assucar brulo 3e v qualidade...
Couros salgados.
a
30
m
83
520
WFJrTTfaTrS^
Antonio Gomes da Cunha e Silva
Me-ilu
Cunha L-agcs
.._ Rio de Janeiro
f-t *^JjMflo(Wff coin; seguuda IVira, 9do
I-otcria-A que se aclia 4 venda a 91.*, a
I beneftcio da igreja matrii da Vartea
3.~~
***
RE.VISTA DIARIA.
Assenablea provincial.ontem fuic-
ciouou com 29 Sr*. deputados.
Pelo St. s^cretario foi lilo o egainte expe-
dtHM
Uin offlcio do secretario do governo da provin-,
tit, rai>min proviaciaes do anno passado.Archive se.
Uma petig** *tsTegwora d innawiadeffe
Xo^s* Smhora do Busario do iiairro de Santo An-
tJra,:os nrasflelroi^OTtj0> pectinli -preferencra para ertraccSo dc ran
liarte ds lotsfias que UK foram cgnoKbdas.-A'
oumiBiisao de urcamealo provincial.
Uaira da -GwMieraiioa liasilissa de Oliveira e
Sila, profeasra jobilada, peJioio dnutriBa coo tambem o e ws eommenlarios que, ^ pa^ar os ordenados que se Ihe deve ate a 4
soWea cala AdtoneHi, eo-oca a wrealar ua im-
preasa, e e ie e die que nao contem taes
e lae paa*ra, que nao falia em interdictos, quo
ausoas rs le p^wnaes conselhos, ete.
Sao provawifneat* os eoofid.frtae'Sr. U. '
tal. os e se arr-isfu* W t, mm! prto>-/, qa*-, aiardCTB*. inlimidade,
coMBtMi'wara a rneia to, e em torn de re^er-
v.s e qe nao podiam ter ouvlde a nm mspo-dtf-
Seia.porem, como f<3r, o Sr. D. Vital terawtee-
:.*iae, aind* qando fosse licito attnbuira_banai
*< a raais absointa ignorancia dos lameHlafeis fac-
to* :jwsteriores a 27 de seteiubro, o nao compn-
menlo da decisao do santo padre seria um acto
fem pos*m'l juslilH-a^Ao.
Basta atfcuder a sua natureza. 0< interdict >s
*ao penas, e, ewno tola pena, sao nfnictivos. De
supariindo da igreja os paeienles, os prtva de todo
sfaicorrimeuto espirjtua), nao se segue que os ujler-
drctos seiani vans fornialiJades, iodifferentesA'^al-
va3o das almas. Biles fnhibenvo Comparecfraen-
t > das corpurajo.-* aos offleio? d'vino*, e tanto basta
para que vaiham como grave* |ienas.
Admiitida qotfo sauto padre os mandassc le-
vautar re-tituindo a essas corporacoes todos os
s^u* direitos, regalias e jracas, qual pier deniora
no fuaiprim-nto di decisao p ntilicia, prolon
garia os effeitos de uma condeinnacao reputada
Oquc K-;n o pnwesso d) Sr. D. Vila" 6n do Sr.
1). Antonio, o que te:n a prisao de u:n delies oil de
ambos, com os interdiclos e sua sa?iien*So f V us
estis pena* pareceriam ao sauto p-^dre jnstas p.ira
a< .oiifinnar, ou Injastas |>ara as revogar, seguudo
fosse o procedimeritO do governo doBrasil 1
0> .|ue duf<.-adoin a eruel alliiiujti-a, Oeviam iu-
I liritamente recmhecido que interdiclos e excom-
liuiiiUoes, de peoa* e.-piriiuaes te n apenas o iwn.?,
- 'o I > no ii:n de tuco ar:nas d< coinbate de que o
Vaticajl i usa ua fm>, .oino iiie esigeiu eir-
cjmslancias ii.ieiraiiK'iiie e.-trjn!us ao domiaio
twpinuiaL
Uir-se lia que as palavras acima traHeripta da
caru Anton^Ui CfiMmfitui uuia cindii*) ?
I^IJas sao Ui pou.vi ua.a ciuiiijao (juauM df-
ii'.-p*iibioui,acci>iBm''laiido-s nisto au* estyios pkiin iticos, as pa'avras que htolanun o wemarWr
dam: Por sen huh iv'io poupuni esfoyo o vermi imperial pant eeilar ie essas duueasfies,
tjiie Uoje diadem cm ustlroa paizes o pemio ds
fieis,venhamtui^iemsurgirn'Jtmio de urn pooa
e?senci:iliHeute c ititoliai, c m i1 o d* Mrastl.
Basta eootrapor o* dous pttriudtf para ver que a
SanM Se naose referio, e uio podia roferir.se, ao
erajireaodos meios leua(>> por parte do governo
do Brasi! para aeaateUar e resguardar os direitos
da sotierania nacional.
-----u... unnnj.inqje-js ualavras osl*v*>se uma con-
dioi) do iiualquer pr.'ceairncrrto Big'
. &. ,;lla ua-i podoria julgar se ^IW*W a suspen-
Peram soasjdera^ocs ae oruem temporal que
deteruiioaram a saspeusao d'^retada pela Santa
St. '
Ah reflicia o ?r. D Vital, e, ja respossavel por
uin anno de Iotas e estremeoimentos no scio da
igreja, elle nao querera accresijeotar a jiista ma-
gn que caiui.u ao santo padrji.
0 St. D. Vital scnlira que, se as su:s severida-
des foram au> aqui cxplieaiias cuuio o elleilo de
um ili-.-iiiedido e inopuorlABS zelo, nada explicaria
a rcsislencia <|ue Ihe anJain a aconselhar.
fyncao).
de sua" jubilacao. A' commissao de ordedados.
Dassaodo a ordem do dia, confciiuoa a l*fdis-
cussao do projeett* a. 31 do anno paisadn, que a-
lorjsa a coastf at(ao de adincios para' radeias.
Oraram os 8rs. BatU e i'ensui (duat votes cada
qm), licando adiscusmo adiada ^arMrido a
orovado o requerimenla ds Sr. JPeretti.
Foram rejeitados em 2* discuuao, o projecto a.
FSB do anno passado, .qae cooaedia lotems w.ra
tao .ne
f]U0. U!ll
brioso
Tiveram baixa
mB&mmi
r-
Francisco Pereira de Ljra. ^^.,_.. _
tos mlermedios no vapor nacienal Pirapama :
. JInaai**ito-ap^;.iD& .Meamd- Mairado
Rego Junior, Francisco Alves Continho. Joaiuim
ej, l7nlti*i' >! loio:wle CawatcanV. am
escravo. Dr. Joauuim M. Dinii e um ci iado, Ma-
noarNt* d> Aaatada, Uadoil ?Vraandes N*
Antonio Manocl de Siiuza, Gustavo dos Prateres
Btww, foaqnim'-Daoeleeiaao Manitoba, iose-Mo-
Tci%-Wdrcuianp Juko do o, o qae 6 mais miscra
ios aviltaotes, manda-lo
a imprensa com ac
improcedeute-. Poi
noral publica, ao mai
presidentos temos iffWyyExm. *Dr.
ceoa, ousou chamar preWrkldarl
f. e:gunta-lhe o bom senso, a ratao publica,
moral : precaricador porque ?
~ dem aqMp*r~aMIhislitgftn 4a
alcio rtiJnJTinJmliiii nejrejantes
irque o ^tm. Sr. Dr. II. P. de Lo-
(befe at mna vrptitigSo, die o
I, iirecto, dos nifcaanos all prM
tio tain lem a paellas da meara re-
uem pcsaval graves imputa^oes,
o a corporacjko inteira, os demais
sobre queraaio pesava a m.ns leve impattcio 111
rtinda nl: o presideale da pcotincVa, brame
o iiistrumataa de velhos odw* de aarios, e pre
varicadur, porque em sea relatorio de 187-1, guir-
as eamtemifMOKs sodms, empemnio v pa-
da anaWsMe it sumdtcancr* qm notmtra,
entara-re com dizer qae o gymoasio com a
da mil apoilhamaa, gaabnra an eco
ia e em moralidadt De sorte que o acto da
oaais lonvavel pMSleaeija, da mais digna decencia
e coaeniencia. y que 6 convertido em acto de
pntmriuMfao I Ea oaima, reprodoceao aaeoas
do monte dando a luz a um rato do vulcao es-
remeeendb a terra para exhalar um poaco de
fumo e p6, senao de lama, eis todo o resultado
ridicule qae tew ear vhu a -Proeineiu, orgao
preatiinoso de um parlido politico I
E issu se ~ve, tuleia-e", e nesse negro trama se
-qompraio orgij ppetunudD Lil*t al, a Prartacia,
tvio>pm^^Urc?iiu|,JWia ^cflm^iMW aum&tW* se*i
. CTiyos e tees .wjadoj, Jo^ijuV"'^4jt9'"tttfPh fl"m de> 1ue mais tristo. tentar elevar um ins
Pelippe Sl,'Bwrra e um escravo,' PMro ij^wfa* ifumento a posi^ao de martyr, -orafim fazer esca
de Afauje, Pedro Soares. da Atapuni, Maaoal G. S. par o verdadeiro crimino;n, o prevaricador, deter
de Ainoran, euiHjnel Jaano^J. Li^u Waadariay, Dr. tainado pelos (actos notorios das malhas da iustiga!
LiooCTu. Waoderlav, T-.'da Silva Aptujios, U. iSao,"flqnem certos os rancorosos in'imigos do meri-
Gomes de Sa o dous c'riado^, M. Menc, AJexandre tissimo patriodeo e honrado Dr. H. P. de La-
iesed* Silva,Mdaao3lideC^oM. GUud^jo Jasi cctw.qiie rrtohaode eonsegair seus nm sinistros
,D., io*) )Iarta Valje e Ires eiovtoi, Ma*el Aa-, le1. torpe* : fiouein certos que a opiniao publica ja
iooi* deAt#ijorFabi.> C- de GJSvair*e um tfiado, lajuwi doseflsptaoos tio negro* qtfto rediculos;
Jose-Keljppm d*j ^aacunanio, F- C d^ Aibaq^r- tjm certos de frae, s a impreasa nor moraen-
(|ae, >Jaoid.l|\ (Ja&atjAoa Po, HootA .fie'ifiPft las vai at6 a imrnoraftdade e Wrtta-iKj facclosa, tem
t^^S^SSf^Bs&USBSi
*entadas, fdlanda sobre esUs e o pwpcto os Sr*.
Cuuba aaJcante, Vieira de MeUa, Ratis e Silva e
Goes 0B\aloante ; eai I' o de n. 65 do l6l, aue ^.|lip. .
eud>elaea limiies a fregnezia de S. Pedro Martyr F,,,.io,,i"? v- ,8 K'.
SfflSST ebem assim o de n. 6 de VM, ue V**" V. M'
ttansferia a sede da freguezia da Taquarotuiga
para a povoagao de VortenwsB.deobiraafc o Sr
Gomes Parenle ter votado polo projecto ; o de a.
oi de 4868, que suppnmia um.dos lucares dees-
crwao da tenno de ipouaea; oco sae ra os
Srs. Umaunead. Aripio Costs Gomes Parents;
w dan.46 de 4871, aim auten*aa aaoxWedew
(50:030*000 annuaes, part ma Iiaba4d*grap*if a
do Kecifa a capital do impcrio ; o de n. 34 de
1868, qae ereanweui TacaBe-uiuaaeva freguetia ;
sani1 o de a r9 de 1460, que elevava a villa da
Efcaidi a eidade
*-i"
la Silva, Estuvao. Stlvesixe da-Coeta, Pedro VoUo o poder de etgner rasiante* ftra p^aco de po e
daAlbaqueiqueMaranhao, Df. Jose Cj.teoente- fomo, a imprensa imrahsada e jasta tem o poder
duradOWoile teetmtiecer o bem, espancar os in
redos e enredadores Tidicuios; Tulmmal-os e eon-
demnal i s".
0 bjvo crime do Exm. Sr. Dr. H. Pereira de
laicena, crime so existente em almas mcottscientes
DlALUU
iJEPERS^^IiiUOO
rweipg, i i)r: maiu:o he i87.
!Voticin tl nortc Amanhcceu luntein e:n noso porto o vapor
brasileiro Pirapama, Iraiondo jornaes do Ceara
ate 2"> do passado. o da !'ara!))ba ate ."> do cor-
reute, do* quae-. &)Uien)a< o ijue segue :
CI.AUA.
Lei.OnS na Constilai>;iio :
H Da Telha nbs escrevem em "i dj corronte :
No dia 28 do nv.-z proximo passado foi bar-
barameate espancailo iu sltio Darra o miueravei
irranci*L-o, iillio de Dionisia. 0 espancamento foi
p.ibhco e saus ant ires fjrani Claro Alves de Car-
vallio, filho do major Le mel, e Daus^el Bvrelo
de Carvaibo, Gllio do tenen'.e-coronel Caudido Bar-
reto.
A infeliz Dionisia .evou o filbo todj furido a
presenpa do promoter adjunct i, que a rcpellio,
dizeado que nao denunuaca, forqne tram miudos
ox espanr.adjres. A falra de repressno do* crimes
v.;s dao serapre rootivqs para os graves.
O Exm. diocesans, diz a Trihuna Catholica,
u-tn passado bem com o ameno clima do Baturite.
PARAlrVllA
Lemos no Jirnal :
Do niappa remettido p-lo ncarregado do tra
timento das p.assoas accommettidas da variola na
fr.ivoacao de Itabaianna, on-'.a 37 indigentes, dos qnaes 21 se restabi'loeeram, 15
ticaia-ii em tratamento e 1 falleceu. No numero
dos primeiros eram 20 homeas e 47 mulheres; no
dos segundos sao U bomaas e & mulheres, e no
dos terceiros 6 hosnens e 0 mulheres, ,eu'. do
#exo masculino a qae faileceu.
S. Exc o Sr. prestdente da provincia. tendo
"uvido o Sr. director da in-iruwjaopubjiea, e sob
proposta deste, creou nesta capital mais 6 escolas,
4 diurnas e 2 noctarnas. Daqoellas 2 sao para o
sexo masculino e 2 para o feminino n
< No dia 25 do corrente, falleceu nesta capital,
as .7 horas da ooite, 0. Candida Clementina de
Caldas Fraaea, virtuosa e digna esposa do aosso
stunaxel araigo, Sr. capUao Carlos Ausencio llon-
teiro da Franca.
* Succumbio quasi repenUaaraeate, pois que,
4Ddo atacada de uma ayncose as ll boras da
manlia, ao comeco da noito ja oao e:islia .'
a Sua in ifte toi uma sorpreta que, se possi-
-vel, augiii -ui u a dor e profundo seatimeuo de
todos os .jui'entretinlum relaroeseom t.io diai-ic-
ta, quaodelieada seiiliora.
iigfc'idade ejcellentes quahdades, sempre a/a
i e prH*tim"S,, irupunh,a -se_ a eslima e coqside-
racao dos que tiveram a fortuna de aproxima-ta
e apreeiar oa Jiellos predicados que oroayam sua
alma pura e siag^Ia
i Mas so'oretudo, recommendava-se como ma
idefamiiia : nesie particular-era um typo digr.j de
mltacao.
que foi arrombada a eadeia de Pombal, evadin
dVfe os prisos neila recolhidos, em numero de
i, entrv oi qoaes afgow de importance e ja sen-
teael*ifta.
denci >a incoftn>ipnle para 3 captura dews e dos
jni*s iTiniiiio-'in f^> jnfest;rnr o** tefRte^ iartdsn-
do *iiuir (>ara a'R fata a"TofC d ffnfta e*iteie
bps<* coital m tiffi-iaes, ree mm^ndan lo
aJaat-.rtil dei io-ticiiri.-H v policiaes, aos com-
*nan'l lite-sup-ri.ires da |nrda nacional, e v
comoaii' int-< dis dstacamentos de po'icia esta-
cionad >s em differentes Ingares, quo auxiiia^em
aethr.i < cfHcazinentB a referida fir^a Bas ditigen-
Jji .! qui- vai 'rwarregada, e r^iii*itando or-
cn* dos pre.-ideutes das provju^ias liniitr-ipnea
Eutrando em 4^ di6Cus*o o projocto o. ItiGR, ma orea uma ca 1-iira de imrtraofio pniaia-
ria e supprinie outra, fcraai mTerecidas diyersas
emeuJas e um requcrimento do Sr. ToleoWnoiaV
Cirvailt*,' ?a*diodo fiora -one e awjecte ira-u oour-
uiisaao do iastraeeao pabhea, para-sabre Me dor
seu pareoer, a qual ioi approvad*, em >viriude d>
que lii- in a diseussao adiada.
Finalmente foi HjaaMtida a 4'discawao o tyra-
jettt n. 72, tamaam de'4888, que maroa liwrtes
entre a* fregiiMias de S. Cfletwo da Kaaosa e
Noaaa Seuhora do 0' do AMinlw ; 'mastmanflaaBto
se n*o haver numero Je senhores #epatdos para
votar, o Sr. pre*deBte leranlou a sesaao e Awir
nou para erdeai do dia de hoje : eoatmuaofto da
antetedenta, 1.' ittseassiuj do*projctos as. 31 e
!I6 do W70, 80 de l7i, 10 e43 M 4873; 2- das
dc as. 3 e 'i'i de 1867,45 e 39 de 1872, 3i e 72
de 1873 ; e ds de n. 36 d# 73.
I-aivatioriii da tiiesottraa'la Io fa-
seiMtM. Nosta asUcao pagam-*e hoje as se-
^u nies f.,!has :
(luarda aaci ai, navios da armada e eraprega-
dos aitoseatadns.
esrcsso. Pedem aos a scguiute pubii-
esucao. '
<( Segue nestes dias para n Rio de Janeiro o Sr.
Aatoaio Joso Rodrigues de 01 ireira Filho, moc or-
nado de dittiiMtas qualidade* etaleoto. Veio a
esta provincia reeeber o grao de bacharei, que
acaba.de Hie ser dado justamente pela aossa aca-
demia.
Ainda no verdor dos annos com 22 ann<, o sr.
..i- tz*.oi:; PiUv, nuuistadu f '"bu-
na e na imprensa um nome qaeo tormi-re*petta-
'vcl KYn,nal*1 ''"-'* AnaraHfcftA a nutria OUe OOSSUe
taes ffljios. r
Nossos parabens aos seus extremosos pais, que
o esperam no aucsio da saudade, e ventos propi
i-ie* o condaiam a terra natal.
I'erra earril -Ac.hando -e approval!.i peio
poder ompetente a p'anta da direccao da nha de carris desta companhia. quo deve por em
cixnmunieacao a praca do Coade d'Eu eom Santo
Amaru das Salinas, pela rat do Hospicio, breve-
mente comecara otrabalhode niveHamento da rua
e nseentamenU) dos carris.
A^riiciit nuierieans*. ele^raphiea.
Aquellas pessoa? que desejarcm ser assign'antes
desta empreza, que brevoinente dara comeco a seus
tralial'ios, deverao qoanto antes irom iascrever-se
ua lista de subscriptores, que se acha exposta no
salao da Associacao Commercial Beucficeute.
A agencia americana telegrapiiica encarrega-se,
inediante a mensalidade de 30^000 por uessoa par-
ticular ou firma commercial, do fornecer uun
meuos de 1,800 palavras por mez ou 60 por dia,
o que equiva'e ao preco de I JOO'J diarios, quan lo
pela larifa ordinariada Western and BrasiUnn Te-
legraph Company, so por nm telegramma de 30
palavras de Pernamlmeo ao Para oa vice versa, e
paga iO/000.
A empreza promove de presents o estabeleni-
inenbi de agencias nos l-Mados-Unidos, Chile, Peru,
Bolivia. Confederacao Argentina, Estado Oriental,
Inglat'rra, Franca, Belgica, Allemanha, Hollanda,
Russia, k'spanha, Grecia, Italia e Portugal, do la-
turo em todos aquelles paizes que a experieneia
mostrar ser vanlajosa a ereavio di ftliaes.
0 pagan.ento das assigoatnras nao sera p ir me-
nos de ties mezes; aquellas, porera.queforem pa-
gas por um anno adiantado, gozarao do abate de
cinco por cento.
Vapores esperados. Amanha, o brasi-
leiro Hahin do sul do imperio, e o inglez Aconca-
gua, da Europa ; a* 40, o porlagnez AMI Diniz,
do Rio de Janeiro e Babia, e o francez ilendoza,
da Kuropa; ate 13, o ingle* Cotopasri oa Luzita-
ci". de Caibao peias e-calas
-Sociedjidt- Benefleenle Hegrodo e
Amor da Ordem.Amanha, as 10 horas- do
dia, d*ve realiar-se a assemblea geral dos mem-
bros desta sociedade, afim de proceder-ae a eieicio
para preenchimeiito das vagas existentes na nova
admmistracao.
Fcrimento, Em 2 de eerreute, Jo* Fraa-
ci-co do Espirito .Santo ferio a loan Goncaroes de
Siqaeira, no distneto de Mnribeca, e consegaio
evadir-se.
G inquerito que tal facto otcasionon, foi logo
remettido ao Dr jufe dedireito do respectivo di
tricto criminal.
Fa cad a -Em terras do engenho Mama cab is,
do termo do Bio Formoso, um escravo do Dr
Man lei Xavier Paes Barreto, pardo, de none Ber
nardo, em 2 do correate ferio earn uma lae.ida -a
Geraldo, escravo do tcoaate coronol Thomaz Lin?
Caldas.
0 ofleasor aeha-ie preso, e o inqnertto a que
sp prooedeu a tespeite. presente a re^pectiva auto
ridade.
Cemfliatm e ntorte.-Na eidnde de Goran
na, pela* 9 1/2 boras da ma nha da 27 do mez'uBi
mo, Jose Pedro Cardoso, ionhecido por Jose dfa
Faustina, fci premaditadaraente procaar.a Matioel
Antonio Alves, por aoloncrajsia Papa missa, e
encontraodo-o. pnoaocon-o a n eoaflicto, que
(erjauipu p-if Papa missa dar-lhe mna facada, de
-lie a sitoMNibir, Pvpa Mini eradtn-ee.
Kraiii f^om^.^yicente.llygino Ferreir* e Jea-
quftp l-uiz, trayajhla-M da raaoes an rua da
Barn;, da ctdade* da Escada, em 3 do sorrenic.
aesbarm por cozerem-se as fa^adase mail a Jo6
$everino Formiga, queprucurava aeoummoda-lo.',
resnttaado des*e cdndioto -.tree assassinad is
Camaramunieipnildo Recife.Esta
eorporafiio coineca sua primejra scssio ohlioaria
do corrente anno, no dia 41 (Jglijjrwnta.
pinfieiro. 0 vaparKr^omb, irouxe para :
Ctrtna-rrmaua&C. '
Jo->e Lnlzfl'.ncalve* Ferre:ra C
Silva & ,FrM*
Neves
aio Corroa, Sebastiao Alves do l\ogo Barro% Al-
fmso. EX. Ferne ra, Josquim lose de lima. Cassimi-
Alfredo Excelso de Oli-
no Ferreira daCoaia
Cmitboim, Francisco Cavalcaota de Altiuquerque,
Jose Uves Cavalcaate ,de Albuquerque, lgaacio
Gti-'icsda Silva Cibral, Joajuim Gomes da Silva
Junior Uosej. M. Rowloo $., Aagosto P. Loto e
tn srlado, Joaquira Fernandas de Carvalua, Jose
Antonio da liJUuda Chacon e 13 escravo* a en-
.ta'gar.
Ccinilcrio putilico.-OJJituario do dia 4
le marco :
i Rurino Jose Alve* branco, Pernambuco, 80 an-
,\uo% Ms-ad",..*Bea--Ti^a hospital Pedro H ; icsaj
jlaindrea do coracle.'
'..,^1 i'n..:*.- a.
flannel CarnViro tfa Cnnha, pardo, Pornambuco,
21 annos, soheiro, Boa-Tista, hospftjl Pedro II;
variolas cunflneirte?.
Ren'Tiict^.pretiJ.Afric!*, 70 arfnos, Solteiro, San-
to Arrtotno ; amolecmoritojcer!r)ral.
Airtqtth^ -trranco, rVrnambuco, 2 atmos, Boa-
VSrfi: anemia.
BMmira, parda, Pernambnco, 2 annos, S. Jose ;
b*xigaj.
Climerio, branco, Pernambnco, 7 meses, Boa-
Vi-ta ; menegite.
9 -
.ftfMirtho'fle'Smtfa'rraeha, branco, Pnrtafal, 17
aanw, scjUerro, U'Ta-lista ; fi'bre-amarella.
Tnome.Jo.se Rodritnes, preti, Pernambnco, 20
,aanos,ignora-soBrta-*ista, hospital Pedro II; va-
riolas.
Rarbow, preto,' Penatnftdeo, t8 mezes, S. Jose ;
u1.-rt1i7.to.
Au'.otiro'Ldizde Al.ifiifla, branco, ignora se, 38
aanos, ignorase, 8. Joie ; gsstro entero colite.
Jos^.Wancdj'Petnairidtd, 10 dias, Santo Anto-
nio ; *,ano.- ''-"
Marfn^anCT, Pernambnco, 3 annos, S Jose;
,varklas.
VarcoRna Bernardina Deolinda, parda, Parahy-
BS, 40 aimos; easada, S. Jose febre typbica.
Marcolina 'Jadibtho rh Sant'Anna, pardo, Per-
namburso, %8 annos, sohirb, Santo Antonio ; gas-
tro htpatite.
P1BTE
e miseranlas, rojara por terra ante's cotweiencia
publica, cotno os calcalos ridicnlos d aeas inven-
tores slntetros -Srs. da Prtvincih se, e certo qne
airossa imprensa prestes descera -*o tumolo, fazei
descela ao menos lastimada nela'ep'irriao sensata
eju ta ; fazei dcscel-a ao tumulo erguendo uma
mnica vezao menos a voz, pr Klaroando amoral,
a justlca e odireito.
G justns.
FUSUCiMSgES j ?3m
No trapiche.
Aos que nae strvam para modulo por ierem eb-
tido dos credores cerca de 50 Ojij de abatimento e
prazo.
Outros pelo-pouco que prezam sea eredito rae-
noscabando indignamente com 0 firn 4e fazer me-
Ihor negocio.
A todos estes, e aos mais que tesm dHoque 0
meu gaz tem so quatro gaioes e meio lembro
Ines que nao procedam assim, porque, os 00m-
pradores'pesando as latas e medtndo o liquido,
convencem-seque Vines, nao sao smeeros, eeai
peiores oondicdes se eollocam, e mars credito ma
propocionam.
' Todo 0 gaz qae teaho recebido e de 5 gaioes
ou peso 16 kilos cada uma hata, como n'pode ve-
rifiear pelas mesmas Itttas, eu'aianWt.'S e despa-
clios feitos e oanfervloe por diversos senlieres con-
ferentes na alfandega.
So me C'.nstou vio a este mercado latas eom 4
1|2 galoos, ha tempos, para dtias casas commer-
ciaas ; porem estoa convencido tme literam ven-
da da mercadoria na mesma condicSo que a rece-
beram.
Recife, 6 de marco de 487V.
Antonio Francisco Corga.
COLLEGIO
DA
Art. i3. A iostrujccao da* ammnas externa*,-
remunera-la segunjo a arligo jiiilecedonte,.e a.
dos arts 3 c 5; a* internas e ineio-pensionistas
teem direilo a Jos ahs. 3, i,'5, C, 7 e'8 ; podendo,
todaria, qualquer alumna extenia freqaeutar as'
aulas saperiores mediante a indemnisacao, que
a convencionar^^^ _. ^_.
Art. li. As despeza* com iivros, papal, etc' aio.
la competencia dos pais oa carrespoadentes das
aluninas, e bem assim a mat aria prim* d-; borda
ios, e estes executados aao profriedade das raes-
as. ^^ ,
Art. 15. As aulas no CoBagio da Santbsuia
niNDADE traballiam duas votes ao dia-de manha
ft* 9 as 12, e de tarde das 2 lfl as 5 1|2
Art. 15. 0 enxavai das inters as e ao gosto de
seus pais; assim como a nopa lavada, engomma-
da e pertences por elles serao fornecMos.
Art. 17. As poquenas indisposicoes e moleslias
das internas sao tratadas no Collegio ; nas graves,
poreia, a directora far avfear aos pais on corres-
pondents* para providenciarem bre 0 tratamen
to, qae podosern snas casas, on noCottegio.
Art. 18. Os feriados sad os das anlas publicas ;
salvo as quintas feiras que, no Collegio, fleam des-
tinadas a instrncc-lo de recreio.
Art. 19. Tcdas as materias leccicnadas no Col-
leaw da Santissuia Tulnoadh sao professadas pela
direetoni e suas irroias, ou oatras senhoras com a
aptidao precisa, e que a directora ju(gar necessa-
rias.
Recife, 30 U* dezombro de 4873.
miomena minervina de A. O'Conntll Jersey.
apApprovoDire^loria geral da instraogaf publica
Peruambu-o, 8 de Janeiro de iH74.
Joao Barbalho Uchoa Cavalcante.
Erratms.
Ni) tneu ai ligo, publicado no tOmUo.de Ptrmun-
buco de hoje, escaparam a eorfeccao typographi-
ca as exro*. que aao natadns e devem ser'cocregi-
dos, perqoe alteram e sentilo.
6 de marco de 187*.
Dr. J. tie Aquino Fonceca.
Na liuha 39 do ariigose encadeam ou nao es-
taleia-se : se encadeam, nao esta.
Na linha 45 do arligo Universidade da eicola
leia-se : I niversidade ou escola.
Na linlia 50 do artigo assislir ao* curses leia-
se : mas tambeni assislir aos cursos.
Na linlia 61 do artigo-saejitaria-leia-se : sn-
jjeilaria.
Na linha 85 do artigo comprados leia-se ;
oomprado
Na frnha 15 do artigo, f colHmnacontinuem
leia se : contiauam.
Na finha 1C do irtrgo, 2' coltimna sendo
leia-se : senao.
9-J499+* iyy'l'.lll|"l. P'" 0 Rk> da
Praia, caxBefiPU,: f- djawv.M a*. 250 birneas
cun 2V,lr!S vffis de.assucar branco.
- Nu palaclio ibtfet *M^ **'*. Pra o '>
da.Praia, rarrefno-: F. ti* Ramos 158 barri-
cas com 18.577.J|* i>iiM Para os pottos do ialnir.
- Para 0 Rio Grande do Sal, no paucho na
cional Btmfici, camegou : B Ou*mjra A <~ .-
saccoa aoin 3,7J03los da s*'J,"DCI?- ^
_ Para a BaUa, no ajjaor aadanal Dune*
Cartat, aarregoa : J. C & Rea ftntes 10 pipae
com MOO litros 4a agtdfKnle.
Capataiia da ALFAIWRGA
Kaodimento
dam do di;
4ia2aS
4:205i3i.l
935*571
a:
1401922
No dia 2 a 5
VOLUMES SAHIDOS
No dia 6
r*riaieira poru .
Jsgunda poru .
rerceira poru .
'Juarta poru -
(iapiche Conceicao
SERVICO MARITIMO
vl>rengas descarregadas no irar.'c
a'fandeea da dia 2 a 5
No dia 6
1a\iasatracadoa ao trap, da aika-legi
Alrarengas........
He trapieba Gcneoioao
8 622
24*
322
2,134
iijm
cte
25
aRCE8ED<*iA D8 R RAES DE PERtfAHBr o ,
tandimau> do du 2 a 5 'i:22*?il>
am :lo dia 6...... i.579*lti
"~13 9rt%,.4
CONSI'LAIK) PROVINCIAi.
R-iB-iimenio do dia 2 a
Mean io di?. 6 .
2i:*7l*.rt7
6.913d57fc
31.488*913
1*6 BMartn da?
Simleire Junior A Feroandes
anuel Jamfarin%>. Arj%da
Ifredn 4 C
Braga Gomes A C
Pereira da SHa ft HuimarSes
Iheiro, Ofireira & C
Alfredo Garcia & Irinio
RECFFK, 7 DE MlRfO DE 1374.
O iiavo crime du Exua. Sr. Dr. II. P.
de Luccna
'Si paixoes mais rasleir.is em ebulli;ao con*-
laiUe, e ,uuscaradas sob Cos polili.'os, Je tempo*
a it'iiipo* surgiin no dominio da opiniiu publi-
ca, fazeudo mal inJe evel, uii aquelles qtie sao
victunas incruentas, mas aim a nubiLssima in-
vencao que, oasceu, pode-se afflrra;u, com as
tranrformacoes politicas e sociaes do seculo XV.
Quando liuttemberg, com raro engenho, consa-
grava diaseannosa prol dessa ntilismna em-
preza, tendente a arrojar a haaianiiada a seus
lins iin norlacs, nao pensara por cerlo que dia
vim em que aens soecessores, do seu erangelho,
i'):i-'.ruri.i:n guilhotiiia armada a repatai.do, a
virtude, a honra, a vida social.
0* facto-, porem, justificam-nos, maxime em
Pernambuco, onde por vuzes, orgaos liber..es qae
se proclamam raios de lazes para iiluminarera 0
poder, esiMarecerem a democracia, advogarem a
justiv\a e 0 direilo, ao contrario diffundem trevas
ns espiritos, duvidas as coasciencias, tarvacoes
a razao, odios e rancores iujust is e ialuadados
ein a opinido publica.
' vetdade que a imprensa transviada de seus
Gns elavados e jJaTirm, nio ontem jaraais 0 desi-
deratum de seus intentos malevolos e regressis-
las, porque, se por iastantes tem 0 fugaz poder
ds erguer um potaco de fumo e po; em breve o
seoso commnm, 0 raiiocinio, a analyse logiea e
eorlata, teem felixmente, o poderio fulgente de
apagar 0 po e 0 fumo qae insiantes ousaram
erguer,
.Mas, antes qae isso succeda, derramaado-se a
luz da ver,lade das espheras doalas as indouias,
quern compensara a victima oh as Tiotimas da
imprensa li :enciosa, os thesoaros da paz, da tran-
quillidade, da forija moral, turvados pelo pri-
meiro energumeno que audaz ousou prevalecer-
se d > ndiilissiino invento de Guttemberg para
seus :in* sinistros, ou para desabafo de saas pai-
lV:s n 'fanJas I
Que IK'S reapondam esses, que a titulo de po-
litica, diariamenle ac iutam as reputacoes mats
bem tinnadas.
De um semeihante estado social, porem, resulu
tainhem qne atacado 0 cidadao, depots a familia,
depois a nutituicHO, os raaos qae facilmeate se
colligam e anxiiiam, sobe n como oadas espu
mosas e furibanftas, a embatarem incessantes,
embora condemaada?, de encontro ao roihedo
que se Ines antepSe a fnria, isio 6, 0 bem, 0 justo,
as leis, a moral.
E'verdade quaocorpo social e a luta atravei
dos seculos cntae o homem e a natureza, entre
a liberdade e a falalidade, entre a moralidade ilr a
eerropcao, entre a ordem e a anarohia, entre o
bem e a raa!; mas, como ser o estado social a
luta entre os principius na ordem physica, po
liti-a, moral, philosopnica, religiota, segue-se que
deva descer ella, como em tempos barborote
eelvageas, a dilacera.ao dos dagmaa monies e
latellectuaes encarnado* no cidaJao, na familia
no estado t
Que nos reapondam esses, que a tituKi do pe-
Ittka, acootara diariaaiente at raputacoos mais
bem nrmadaa.
. E' e.-sa a phrase do nosso estado moral a so-
cial ni unpr despeito de to da benemerencia, a.ilespeiio da tada
justi ;a, a despeito de ra-gjs nobre^. dignos e
meinoravcis a pr rial da lerra pernambnoahs, 'que tantas jezes
Mm exhibid) um adniini'tradojr da esphera do
Bxmv Sr. Dr. H P. de Latent, -vetsos em tanlas
cft'Uta.oes audaciosas a altuYa de saas pai'toee
iadveentes, desregrainentos frenelicos er^iidos a
quasi lououni, odios e rancores lao Irjsensatos,
que nos f.uem descrer do bem e d> SeBo da
Urra de nu-sus pais.
Mas, 11 a 1 : ainda nao chegamos ao ponto de
cl,iaarm*-eoa Gaborian, que evtamos en uma
poea am qiw na tratieam-'s uio fazem mais aos
tnnwns4 bsm nem a* hwas da lijpwisia,,
p>rinso, quo so Brazil fogom elles a responaa-
bili* .de em 111'into outros >e uccuitam lob etse prinaeirq
gfilpr/T euq J
U-.-tVle umv'arwaJaue so [ir.'sama tioaral, a
I';-jvnici'i, servinuo Hi-1 de escu >o am qiiataaer
pie a Ihe aoreseote '-. s 1 art i.v.- .1- ,,,de
Citbecas fu>ruaosas e elegtautesi !
Uma rica e resplandecente calieliadura pude-se
com loda a razao chamar formosa ; pois poucas
ohras da natureza pissuem flo grande poder at
traetivo e encaaUis.
No enianto uiu lustraso bigode retorcide ou
umas magnifios suiasss, nao deixaui de muitas ve
zes serein i: rosistiveis; poiem uuu elegante e
iurmosa cloeca de ir.ulb.er coroada de abundantes
e magiuiicas irausa* de cabellos respjandeceiues, e
um de.eneanirt mais exqaisitos qae Daus dapa-
rou a humamdade.
Para couaaiMM- *U button qaaado aaiste.e
obte-la quando falta, a melhor de toda* a* prepa-
ragoes eiwnso hoje em dia, e #or sem duvida al
guma 0 TbjK'co Oriental. A sua extraccao enor
mo ao pat-do seu cunlinuadno prograssiw aug-
mento de aao 1 em anoo, 6 prova possitiva, que 0
mundo peasa desta mesma forma.
?PMMFRS!e.
>0--Hna ios fiOclbs-20
A abaixo assignada, Hcenciada pelo Exm Sr.
president* da provincia, e polo 111 mi. Sr. Dr. direc-
tor goial da inslmc^ao publica, tem estabelectdo
na rua dns Coellius, n. 20, a jioucos passos da
igreja dc 8. Goncalo, um callagio para meninas.
sob a invocacao da SAitnasan Thinu.uie.
Aaxiliada por suas irmaas D. D. Landelina Jer-
sey e Olindina Jersey, amba* as quaea, em corn-
mum cam a abaixo assignada, receberam igual
educacio, durante quasi sate annos, em um dos
melhores collegio* trancezes da cidade do Porto,
esta por certo nabiliuda para transmiitir a saas
alumnas todos os conheciraentos adquiridos nesse
longo esaaoo de tempo.
Cbamandn a attencao dos illnstrados pais de fami-
lia, nacionae-i e estrangeiros. para os e-tatut -
abaixo, a anaunoiante espera merecer decidida
preferencia, pois 0 sea estabelecimento set distin-
gue, nao so.porque nada pagara em separido pelo
estado das art.s de reereio, como tainbempelo das
lingua* estrangeiras que, em geral. sqaiente se
ensina a truduzir, ao passoque noCotlegiBda Sa.n-
TissniA Trikoabs se aprendera a fallar escrerer
correctamenle ; 0 que se lornasom. davida de
uma vantagem e utilidade incoatestaveis. .
Invocaado, cheia de cnnAanoi, a proteccao de
seus eompatriotae, e de todos os estrangeiros illus-
trados, a annnnciante e suas irmaas, no cunipri-
mento dos sens deveres, esperam e prometlem en-
vidar todos oa esforcas, alim de provar qae, entre
nos, existem pernambuaanas sufDeieotemente ha
bilitadas para instruir 0 preparar nossas innocen-
e < amaveis patrieias, nio a6 a desempenharem
no futuro e nobre e respeitavel minaterio de
inSis de familia, eomo a-ae tomarem aqui. on em
qualquer paiz, onde se aeaaaero, 0 brilbante or-
namento da mais cuiu e distincta sociedade.
As aulas ahrem-se a 26do Janeiro.
Philotnena Mnwrpma dtp. 0' CotmHl Jersey.
KMfWW
too/
Collegio da SastissisX Triotade, sob a
direccao de Philomjeiia Minerviua d'AI-
buquerque 0' Conuell Jersey, ooadjuvada
por suas irmaas D.Landelina d'Albuquer-
que buquerque 0' CofhueU Jersey.
Art. 1.* 0 Collegio dirigido por BbiUanena Mi-
nervina d'Albuquenjue 0' Connell Jersey deuomi-
a a -ne -Collbsio oa Sx.n tissima Tbinja.uk.
Art. 2.* As ajumnaa reoebem nalle ia.-truccaoi
ptimaria, secundaria, religiosa, de civilidade, e de
recreio e pr-ndas.
Art. 3.* A instruccao primaria e-leitura, as-
cripta. eonlabeliaade (as quatro opeafde&) Bogdes
(gramujatica portugueza, costura cha e cro-
chet.
Art. 4.' A inslrucCrtO secundaria eoinprehende
-lingua nacienal, francez, iaglez, aaliaao, hisi*-
ria, goograAihla e arilhweUca
Art. 5. A iastrucciw religiosa e dada pelo ca-
ttlecismo ; as alumnas aprendem doutrina obris-
ta, e todos as deveres r*bgio*o*a cumprir para com
Deus, seus pals c parents, e era geral com a so-
ie4ade.
Art. 6/ A instcaccao do civilidade abrango to-
dos os actos da vida de uma seohora, em relacao
cam aspeisoas de oa familia e com a socie-
dad.
Art. 7. A ia^traCjio de recreio con3U de
desenlio, masica, piano e danqa.
Art.. 8." A instruccao do prenda* rcuoe todos
._/
n de
01 tranalfips de agufha, e toda a especie de bor-
dadpi, qufl deve saber uma senhora da melhor so-
cieaado,
W H
fafrt."9.,10'-;Co*c3gfrJ adiuitte alumnas internas,
meio ppnsionistas etWnws.
Art. I*. A lingua r/ue *& falla no interior do
fUo*egto 6 a fraaeezft ; ihifante as aulas do.inglez
e iuliano so se faltam estas tingnas.
Art. (i. As al^nodS.riue estndam franr.>z, in-
glez-e itabaao apfende** s Tallar, escreter a tra
ouzir es*a* idiomaa /{fnrninalicslmente
vrt. 42. A mensabdadt- para as inl-rns? e de.
40*000, para melo pensionistaa 2UIJ00, h para
as exteraas SfOOO, pagos adiantado* por Irune3
Jl!.NTA i-OS COKRETORES
Praca do Itecil'o, dc marco
de 1**34.
AP. 3 HORAS DA TaRDE.
Algodao Ue i* sorte 7AV00 por 15 kilos.
Algodio de Goyanna sem inspeccao 7{100 por
te kilo*.
As*ucar raascavado purgado 1*930 por 15
kilos. hontm.
Oambio sobre Lisboa e Porto a 90 d|v. II3 0|0
de premio, hootem.
Oambio -sobre 0 Rio de Janeiro a 15 d|v., ao par.
Cambio sobre a Uahia a 8 d|v. i|i 0|0 de des-
ceato, hontam.
.vrCOBS OHM1AES
" .t5. de Vasaonceilos
nesiaente.
A. P. de Lemos
Secreuno.
A'.PANDtfr.A
.ndimen d" a.:- z ;. '. .
Idem do dii '. .
497:1157/146
2M%l*Dt1
Descarregnm b>J* ? de marco de 1874.
Barca noruega C 'pella (atracada) mercado-
ias para alfandega.
Barca frnceza Minerva mersadorias para
alfandega.
Escuna ingleza Florence mercadorias par? al-
fandega.
Patactio inglez VJotfrille mercadorias para 0
trapiche Omceieao, para desnachar.
Patacho portuguez Graciosa -mercadorias para
0 trapiche Coneeicao, para despachar.
Barca ingleza /frrn'->nebacalhao ja despaehado
para 0 trapiche Conceicao.
Barca ingleza Paragero -bacalhao ja despaehado
para n trapiche ConeeicJo.
Lugre inglez Beltrees bacamao ja despaehado
para 0 trapiche Concelcio.
Brigue greiro Apostolo Paulo ferro ja despi-
cliado para 0 caps do Apollo.
Barca inglezaC-irrisbrook carvao ja despaeha-
do para 0 cae* do Apollo.
Brigue mglez Britescher cinza de ossos para
deposito no trapiche alfandegado do barao
do Livramento.
Vapor nacionai Pirapama generos nacionaes
para 0 trapiche da companhia pernam-
bucana.
Eiiiportai'tlo. _
Vapor naci3nal Pirapama, "entrado de Granja
em 6 do corrente e consignado a companhia | er-
nambucana de navegaeao costeira por vapor,
manifestou :
Algodio 485 saxcas a Mauoel M. I'mto, 56 a R-
L do Rego Barros, ii a 11. Saraiva, 3) a firaga &
Costa, 20 a L. A. Siqaeira, 30a Uoraeslrmaos.
Cafe 50 sacc s a J. Jose R. Meudcs, 23 a Bel-
trao A Fiho-, 25 a Antrim lrmaos Ji C., 20 a J.
F. dosJSantos Dastos, 15 a Manoel A. de Senna, 10
a M. A. de Andr.de Cera de carnaiiba. 20 bar-
ricas a Manoel M. Pinto. Couros salgados 177
ao mesmo. Couros cartidos 860, ao mesmo.
Esteiras 72 m-ilhos a Davia & Furuandes.
Louca 1 barrica a J. F. dos Santos Baslo*.
Mel de abclhas 2 caixinhas a Manocl M. Pinto.
Petes secco 5 garaiaos a ordem.
Sulla 5;9 meio* a Sa Leitao lrmaos, 514 a Mo-
raes lrmaos, 211 a ioncalves da S.lva A Pinto,
fSO a Foncalves Irnia.i.- i C, 76 a Manocl M.
Into.
Escuna iugleza Scotia, eotrada de Terra Nova,
na mesma data e consignada a Saunders Brothers
Aj C ir.ani.-fest r. :
Racallui) 2,576 ban-has, aos consif naurios.
ofiSPAuaos
DE EXPOU'i'ACAO
MARCO DE 1874.
.NO DIA a Uh
Para as tfortot 4o txttricr.
No vapor francez AseAir, para 0 Canal, car-
regou; II Scbmavdiau i Q, t.fJOO saccos com
75,000 kilos dasucar aoraenos.
No vapor inglez Arbitrator, para Liverpool,
carregou : VI LatUaa ik C. 4&6 saccas com 35,8i7
Jdlos de algodao. ,--------H
t- No brigue icglez Crjella, pai.. Lieruooi,
carregou ; M. Latliao & C. 747 saccos-com uC,025
kilos de assucar luascava-io.
Na griera portugueza India, para Liverpool,
carregou : A. Loyo 1,000 saccos coin 711,900 kilos
de asgacar masoavade.
No briaue inglez Jura, para New York, car-
regou : A, P. Balthar SobrinJaa 750 sa-tos com
56,250 kilo* de assucar maseavadou
Nopatacii'o americauo Adelaide, par* Li-boa,
carregou : A. Loyo ?00 saecos com 34,500 kilos
de assucar branco ; E. R BabctiV&.C. 425 dilos
com 31,871 ditis do dito e 50. Jitras com 3,730
ditOs dedito mas.-avad ..
Na galera purMg a Sua*?ie, ara Liiboa,
carregou : T. A. ftm-ca A C Successoie* 10'-
aaccos com 7,50u k>l.- *uw mascawdo e SO
4itos com 3,750 dit >* li- .1.11 .ran -.\
J Na barca puriogu-?. 'y-npatkla, para .> Por
to, carregou: a. Greic.ri A <;, 10J saecas coin
7,720 kilos de algod.iw.
Aiigttsl 1F. riOMn k C.
A casa commercial e bancaria de Augusto-
K. d'Olivcira & C, a rua do Co i.inercio m
42, encartvgn-se rie exerurao de or.ien
para embarquo de prodoctos 0 dc twin? -
mais uegocios de commissao, quer 00bMbW
ciaes, quer baucarios.
Decunta lettras, e toma dinlwirns a prf
mio, oompra carnbiaes, e saca a rista 1
prazo, a vuntade do tomador, sobre as
guintes |>raras estrangeiras e nacionaes :
liOiadrcsj. Sobre o union bask o
LOSDOS, 0 t-WTWW A^D BASSEXT1C BANK,
limited, e varias casas de i.* classe.
Paris. Sobre os banqueims koii.i
& C, MARCfAna AKDRE S C. e A. BLlCQir.
VIGNAL & C.
Ilaiubiir^o. Sobre os Srs. joa
SClif BACK Ai 11 Ul S.
Lisboa. Sobre os Srs. fo^ecas.
SANTOS & VIANNA, e SEBASTIAO JOdE M
ABKEL'.
Porto. Sobre o banco mmao d O Sr. JOAQt'lM PINTO DA FONSECA.
Pain. Sobre 0 BAXCO coimcui
do para, e os Srs. FRANCISCO gaudencio m
COSTA Ck F1LIIOS.
llaranlttto. Sobre 0 Sr. jost R*
REIRA DA SILVA JL'NIOR.
Ceara. Sobre os Srs. j. s. de va>
CONCELLOS & SONS.
IBahia. Sobre os Srs. marinho* dt c
Rio de Jaiaeiro. Sobre 0 fARCC
INDUSTRIAL E MERCANT1L, BANCO .NACIONAI '
BANQUE BRAfll.lF.SNE FRANCA1SE.
COMPANHiTALLIAHCA
seguros maritimos e terref*
tres estabelecida na Bahi
em 15 de Janeiro em 18 7 0.
CAPIT.\l'4,000:0005O00.
Toma soguro de mercadorias e dinheir-
ico maritirao em uavio de vela e vapcri
para dentro e I6ra do imperio, assim MM
vwtra fogo sobre predios, generos f*
ondas.
Agerite : Joiiquim Jose (ioncalves Belt**-
v.% do r.nmmereio n. 6, 1* andar.
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA "o FOGO
A companhia liidernnisadora, estabele-.-i.
nesta praca, toma seguros maritimos stb*>
aavios e seus carrogamentos e contra fof
en edificios, mercadorias e mobilias: r.
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo
COMPANHIA
Phenix Pernarabucana.
Toma riscos maritimos cm mercadorias,
(retes, dinheiro a risco e bliialmente de qcK-
quer natureza, em vapores, uarios va elk m
Oarca'-as, a premies muito modicos.
RIA DO f.OMMERCIO N. S*.
Seguro coHlra-fogo
THE LIVERPOOL A LONDON 4 (W <
HSDRAMX COMPANY
Azcntea
SIDRDERSBROTHERSA C.
li~Corpo Santo11
Capital,
ondo
NORTHERN.
.... 20,000:000.H't
ie reserra. 8,OOe:0009(HH
Agentes,
Mills Latham 4 C
RUA DA CRUZ N. 38.
II I II
flavios cnlrados no dia 6.
"dkJfur.d Haven 38 lia?, escuna ingleaa Flortnce.
de 134 loneladas, capitio J. C. Sloignan, equips
aern iv carga varios generos; a Johnston Pa*r
Terra Nova- 38 dias, esCuna iugltia Scctia, 170 tmeladas, caoitao P. <;. ?awnders, eqnipa-
gem 9, carga 2,576 barncit tool bacalhao ; a
Saunders Bri.lUera & C.
B..hia 26 dias, barca .-JWpaiai //, de 3IS tot.
ladas, eapitao Juao Ha'lins d is Santos, eijuipa
gem t2, em lastro de sal; a Euiebw Wtpb*
Rauello if..
Granj* e u..rt.- IntfJfrfle lios 10 dias, rapor aa
fii-nal rt-jpma, dfe 1lt tnteladaa, coaMTI
flante Silva, eii-aipajwui 3? carga vi
' ~ ; a n mp.'.'iia p'-rnanibucana.
Car-lilT 30 di I cli- Co*mm of De**,
d *3S toueb:^ ca^i tio Jjha l'lukbao, eaui-








------^


r
*
--<



.....
Bteio Fenftortmoo aw S^dof* drMtftjor $
pagem 9, casga, carvadl ,* or*** .
JapioVapor russo dejjuerra Pdjadmck, com-
i sun niinnmirr if r_; __ .
CaMt>-La*re mtolMMi^ *** DJaId-
son; earfa assucar.
04*eroapfio.
Sdspendeu do laraarao para Maceio o brigOe
iugiez Assyre, capitao Emelin, com o niesmo [as-
tro que trouxe do Rio de Janeiro.
Raa de-Saada Rite,
idem n. tt fotctim ...., MfMo
A camara municipal do Recife cmvida a
todos 0) seas municipe* a apre-entarem para ser
expostos no corrente anno, objectos de produecio
agnosias para a exposicao que pretende reilisar a
sociedade Doze de Seteoiaro, segnndo a partici.
pacao d) Exm. presidonte da provincia, da 16 do
corrente, com referencia a ordem do govomo im-
perial.
A' mesma camara espera no patriotistno, dadi-
cacae a zelode todos o bom exito da tal convite.
Pa?j da camara muniu-'pal d* Recife, 18 de fe-
vereiro de 187i
Theodora Maehndo P Pereira da Silva
Ptu-presidente.
Augosto ft. de Figoeiredo
Official maior serviado de secretario.
0 Or. Sebastiao do Rego Barros do Lacerda, juiz
de dlreilo especial do oommercio desla cidade do
Recife e sea tcrmo, capital da provincia de Per-
oambnco, por S\ JH. I. e constilffcional o Sr. D.
Pedro II, qae Deo< guarde, &c.
FaJjo saber aos qne o presente eiital virem on
deWe notteia tiverem, que pelos administradores
da massa fallida de Mendes & Carvalha me foi
apreseuta Ja a seguinte classificacao dos creditos da
dita massa-: nn^
Credores qne nab apresentarara titulosSilvfno
da Siva e Sonza 31*680, Francisco J. C. Martins
*rW608j Fraaeisco Barros Pereira N|M, Joao
Carrere 124*000; Pinto da Siiva & Cascao...
H 1*400, Adriaao Castro & G, 594*090, Costa Ir-
maos & C, por conta de liro 564*900, por letra
1:301**80, Robert Lightbom & C. 425*000, Jose
dos Santos Agniar 40JOOO, Jose Joaqoim Goncalves
Beltrao 105*600, Phipps Brothers & C. 180*000,
Henrique Leger 305*010.,
Credores ehirographariosJoao Rennos 3855800,
Carneiro & Nogaeira 178*740, Keller & C... .
3:363*44i, Eduardo Alexandre Bnrle or C, por
conta de livro 5:292*645, por letra 422*000 ; Au-
gusto Cesar de Abreu 1:571*910, Linden Wild-
maa livro 220*730, por letra 2.919*320, Mendes Aze-
vedo A C 6:701437.), Mills Latham 4 C.......
7:035*100, Cramer Prey & C. 6:321*510. Mo
nhard Meiller & C. 4:043*740, Antonio Vaientim
da Silva Barroca 383*870, Saunders Brothers &
C. 1:540*340, Pereira Viaaoa A C. 4:021*200,
Francisco Gomes de Ohveira Sabrinho, por conta
de livro 311*700, por letra 340*400, laidoro Bas-
tos & C. 340*800, Duarte Irmao 517*940, Alcofo-
rada Vireira & C. 3694300, Cunha & Manta.....
105*000, Pereira de Mello & C. 1:975*990, Mjn
teiro Cregorio & C. 2.042*275, Lemos & Guori-
neau 3:893*590, Alves A C. Mi*W0, Daniel Pan-
eracio, Wild A C. 2:347*000, I odrigo.es Irmaos &
Guimarass 6:623*240, Rocha E pjr e3te cdital sfto citados os referidos credo-
res para dentro docinco, dias contados da publiea-
cio do mesmo, dizarem sobre a classificacao. E
para que cbegue ao conhecirnento de todos man
dei passar o presente que sera pubicado pela im-
prensa o ifflxado no lajjar do costume.
Recife, 4 demarche 1874. Eu, Manoel Maria
Holrigues do Xascimento, esirivao, osubscrevi.
Sebastido do Rego Barros de Lncerda.
m
500*000
421*000
241*001)
241*000
4O:)JOO0
PATRMOim* ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Caia lerrei n. 16......
Becco das Baias.
iobrado n. 18......
RuadaCroi
Sobrado 14 (lechado).....1:000*090
RBh db Pflar.
Casa terree n. 100 i
Idem n. 103 fechada. .
Rua Velha.
Casa terea a. 44 (fechada). .
Rna d*s Larangelras.
Casaterrean. 17. 381*000
Qi pretendenlas deveriio apwaaatar no acto da
uTematacao as suas liangas, ou comparecareic
icompaanados dos respectivos tladores, devendo
oagar alem da renda, o premio da quantia em
jue for gegu> o prcdio que ceotiver astabeleci
-nemo commercial, assim como o servieo da Hm
peza e precos dos apparolhos.
Secretaria da sanla casa da oii.-erieordia do Re
:ife, 2 de mar<,.o o de 1874. ^^^
? ascfwfto
Pedro Rodripte* 4e Souza,
Arrnazens da companhia per
nambucana.
A companhia pemambucana, dispondo tfe ex-
cellentes e vastos arrameiw em sen predio a* for
te do Mattos, offerecaos ao commereio emgeral
para deposito de geaeros, garanlibde a maior con-
servagao das mercidorias depositadas, servi^o
prompto, precos modicos, etc'.
Tambem reeothera, meJiante prerio accordo, ex-
clusivamenle os generos de uma so pessoa.
fistes arrnazens, alem de arejados e commodos,
sad inteifamente novos e aspnaltados, isentos de
caplm, ratos, etc., etc.
As aaseeos qae qnirerem ntilisar-se destes ar-
maxatu, padarao dirigir-se ao escriotono da com-
panhia pemambucana, que acharao com quero
iratar.
anto A.ntoiik)
;
EHPBE2L&
Sabbado 7 0 drama em 4 ados :
UM NAUPRAGIO
WAS
costasm mnmk
e a opereta em 1 acto :
Sem fato e sem iwiva.
AS 8 1(2 DA NOITE.
k'ffcbcf.
'r*e%0 quej*% ti
A barRpirwfaBr. mrmenjf qaeja* tspera a
todo o momento do Rio de Janeiro, seguira poacos
dias innau da saa'chagadafaara os pbrios- acima-
para nae recebe ainda alguraa carga a frete ba-
a i tr.il a-se com Birra Gulmaraes A G., a pa-
a da Corpo Santo n. 6, 2.* andar.
Companhia Alliaa^a Mari-
?;> tima Portuense.
A galera portugueza Savdade, seguira em pon-
cos dias para o Porto, com eieala pbr Lkboa.
Ja tern eontratada gr?nfle par da carga ;
para o resto, trata-se coni os consignatarios e
agentes da companhia,
lo*4 da SilUa Lyo db Ftlho,
em seu e>ori|Bor1o a rua da Companhia Pemam-
bucana.
LIMB,
LEILAO
moveu
do
PftOGRESSO MARITIMO DO PORTO
Bmpreza porluensc de nnvcgtt-
co a vapor eutre Portugal e
Brasil.
0 vapor
A* fi* boras da tarde
O'^esMtrfspeelH^iiliLv.
Do ordem do lllm. Sr. inspector oa thesou-
raria de fazenda desta provincia, se faz publico,
para conhecirnento de quern interessar, que no
dia 18 do corrente mez, pelas 2 hora3 da tarde,
perante a junta de fazinda, ira a pra(;a para ser
irrematada, por quem mais vantagens offerecer a
fmpreitada dos reparos nocssarios a casa em que
nncsiooa a recebedoria.
Os proponeutes deverao, em carta fochada,
apre3entar suas propostas, devidameote selladas,
as.-ignaJas por elles e seus fladores; podenlo
desde ja examinar a rupectiva planta e orcaraen-
toque lhes serao franqueados nesta secretaria.
Secretaria da thesouraria de Pernambnco, 2 de
marco de 1874.
0 2.* escripturario, servindo de secretaiio,
Carlos J. de Souza Correia.
0 Him. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico que em enmprimento da
irdem do Exm. Sr. presidento da.provmcia de 7
le janoiro corrente, perante a junta desta thesou-
raria se ha de arrematar no dia 23 de abril pro-
ximo vindouro, a obra da poute dcnnminuda_ Pff)
Sangue sobre o rio ScrinhSeni. orcada em 9:570*,
pagosem apolices da divida 'provincial a juro de
7 por cento ao par.
As pe>soas quesc propozerem a esta arremata-
.;io comparecam na sala das sessoes da mesma
t'besouraria no dia indicado acim.t, pelo ineio dia,
i-ompetentemenle habilitadas.
K para constar so mandou pnblicar o presente
delo Diario de I'ernambuco.
Secretaria da thesouraria provincial, 20 de Ja-
neiro de 1874.
Victoriano Jose M. Palhares,
Official maior interine.
.i ,u.-ulas especiaes para a arrematacfto da ponte
deaominada Pao Sangue sobre o rio Seri-
nhaem.
1." A ponte denominada Pao Sangue tera exe-
.-utada de conformidade com o orcamento e plan-
ta approvados pelo Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, no valor de 9:570*.
2." 0 arreraatante dara pnncipio a obra no pra-
zo de urn mez e a coneluira no de 12 mezes.
3." 0 pagamento sera effectuado em 3 presta
fBus iguaes a propor^ao da label la exerutada.
4.* Paratud* 3 mais que nao se achar especifi-
ido sera regulado pelo que dispSe o regnlamento
da 31 do julho de 1866. -0 engenlieiro chefe, Jo-
' Tiburcio Pereira da Magalhaes.
Victoriano Jose M. Palhares.
'~ gECURACOjl
Manta Casa da Misericordia do
Recife.
A junta administratiza da Santa Casa da Misa
neordia do Recife, precisando fazer os concertos
de que necessita o predij que possue o patrimo-
mo dos orpbaos, a rua da Cruz, boje do Bom Je-
sus n. 12, contrata com quem se proponha a rea-
lisar dilos concertos, medianto certa renda e al
guns annos de prazo para desfructar ; devendo
Oi que disso se quizerem enearregar, apresentar
suas propostas em carlas fee.hadas, devidamente
seUadaa, acompanhadas do respectivo orcame ito
nesta secretaria at6 o dia 19 de fevereiro vin-
douro.
SecroUria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Bodrigues de Souza.
UeclaraQdo n. 1.
Pela contadbria da camara municipal desta ci
dade, sao chaffladbs a virem pagar a bocca do
cofre, d* d marco vindouro, lodas aquellas pes
soas que se acham sajeitas ao pagamento dos im
postos creados pela lei provincial n. 1126 de 18 de
junbo de 1873, relativaraente ao exercicio corren-
te de 1873 a 1874, cujos sao os segnintes : f6ros
e laudemios de terrenos mnnicipaes ; 2*500 sobre
estabelecimentes que vender espiritos; 3*- por
cada licenea que tirarem as boceteiras para ven-
derem dentro do municipio, e de 30* pelos mas-
cates ; 6* por cada carroca on vehieato empre-
gado nos servicos da cidada, villas e povoaedes ;
100 rs. por palrao da terreno dentro da cidade do
Recife e seus soburbios, que nao esteja edifisado
ou cultivado, embora se conserve murado ; 20*
por cada casa ae sobrado na cidade do Recife, que
conserwr taranla ou saeada de madeira ; 10*
por cada casa de sobrado, cujo exterior se conser-
var estragado, e S^jOO por cada casa terrea em
ijuaes circumstancias ; 10* por cada casa de so-
brado nas mas que ja foram calcadas, que nao
tiverem os passeios a ella correspondentes, feitos
no mesme mvelamento e alinhamento dos qne ia
tiverem sido executados de conformidade com as
posturas municlpaes, e 5* por cada casa terrea
nas mesmas condicSes ; 1 I por cada casa de so-
brado, cujos quintaes deitem para outras ruas e
nao estejam nuirado* ate o respaldo do pavimeoto
terreo em forma exterior de ediicio, e 5*000 por
cada casa terrea em identicas circimstanc&s;
60 rs. por palmo de terreno hos povoados da Mag-
dalena, Capunga, Chacon, Casa Forte, Poco da Pa-
nella, Caldeireiro, Monteiro e Apipucos, que nao
estiver murado ou cercado; 40 rs. por palmo de
terreno em toda a extencao da cidade do Recife a
Apipucos, qae n5o estiver murado, exceptuando-
se os terrenos que tiverem "ercas nativas em bom
estado de conservacao ; 20* por cada baixa de
capim dentro da cidade do Recife ; 10* por cada
macMna a vapor, montada na cidade do Recife
para qualquer mister ; e finalmente o iraposto de
45 por cada ca-a de negocio nas cidadjs, villas,
sobarbios e povoag^es, devendo, porem, os contri-
buintes, qnando tiverem de pagar este imposto, a
apresentar na contadoria o conhecirnento do im-
posto geral sobre indusiria e profissao, afim de
provar ter assim satisfeito o referido imposto
geral.
Declarafdo n. 2.
A mesma contadoria da camara municipal desta
cidade scientifica a todos os donos de diversos e3-
tabelecimentos de porta aberta, a virem pagar os
imposios atrasados que se acham a dever, dos
exercieins passadds, bem como 03 demais impos-
tos acima cspeeificados.
Contadoria da camara municipal do Recife, 27
de fevereiro de 1874.
0 contador
Hypoiilo C. de Vasconceilos A. Maranhao.
DA
ElfCRUZItHADA.
SOCIEDADE KWVriCtiLAR
RECREIO BMMATKO.
Sabbado 7 do corrente.
Subira a scena o mnito applaadido drama em 3
actos, do insigne escriptor Mendes Leal :
Abel e Caim.
Finalisara o espectaculo com a muito chistosa
comedia :
Resonai sem lormir.
Principiara as 8 horas em ponto.
Haveri trem depois do espectaculo.
Aviso.
Os Srs socios podem desdo hoje'.mandar buscar
os seus bilhetes no theato das 5 as 7 horas 'da
noute, salvo, porem, a restriccao do art 9 dos es-
lalotos.
PHEffl
mm
LIMA PENftNTE
Conimuiiduute Jt. J. Rodri^uct
tontcnt<>
Esperado dos portos do snl ate o dia 10, e de-
pois da lndispeasavel demora Deste porto, segui-
ra para os de Lisboa e Porto, tocaado em S. Vi-
cente.
Para passagens e fretes de carga, encommendas
3 diobeiro, tratam-se com os
AGE-NTffi
K. H. Habello '.
48 = Rua do Commerci6=48
Para.
Preiende segoir para o indicado perto, com pou-
ca demora, a barca portugueza Social, por ter
porcio da ;arga engajada ; e para o qae lhe falta,
trata-sc com os consignatarios Joaquim Jose Gon
calve3 Beltrlo & Filbo, a rua do Commereio n. '>.
vidros e uma pariida de ehapeos
palha paramen'raos, e Ama-
a teAdbs mm
No primeiro andar dcsijbrado da rua do Marguez
de OHmla n. 64.
As 11 horas em ponto
0 agente Dias, compel ntemedte autorisado,
veadera pianos, mobilias de jacaraada, ditas de
amarello, secretarias, guardaronpa, gnarda-Iou-
cas, commodas, consoles, marquezas, estantes' ap-
parelbcs para janlar, ditos para almoco, cadeiras
avuka's, sMlaario*. iavatorio* compedra, quadros,
cartiHras, maq*ezoes, maeas elastic as, espelbos,
candieiros a gaz, e muitos outros objectos de gosio
Nesta oooasiao sera vendida para so fechar
coritas, uma pirtida de ehapeos do Chile, ^eltro e
de palha para meninos, e Amazouas para sent.o-
rss, e qua tudo seta veadtdo pelo maior precb
que se poder obler. ___________________
Leilao
DE
4 casas terreas sitas na rua da Hora, travessa de
Santo Elias, no becco do Espinheiro, com 2 sa-
las, 2 quartos, cozinha fora, quintal e cacimba,
ullimamente acab .das e de solida conslruccao,
as quaes se acham ediOcadar em solo proprto.
HOJE
No primeiro andar do sobrado da rua do Marquez
de Olihda n. 64.
0 agente Dias, competentemenle autorisado,
vendera em leilao as mencionadas casas, em se-
gaida ao leilao de-moveis. _____________
c=s>
ssuidores de encarecerem a iaa grande utilida-
como melo de traaabort^ ecooomieo e comma-
do para os* engibirs> e toda sotia de proprieiade
afri ola on indtisfrial, qae disponha de plankies,
cuja situajlo dos respectiros ae|)itos oa arau-
zens fiquem distantes do lugar do prodaccao oa do
Lfabrico.
Estas machinas poduia Ir ibaHwr cono aaabi-
naslxas, para o que ten eompetentai voWW-
-vrvir para sen-aria-", infardasaento dSasfoAo^
fazer mover toda a sorts de apaarelMe, etc., etc.
0 materia 1 consta do seguinre :
2 laeomotoraa de forca nominal de 8 ravalio*
oada uma, con ealduiras ffrticaes e lornalha-*
quadradas e oval, podeud* rfaeimar carvio oa le-
nha, com famigadores e eiozeirus, disposloa de>
sorteqne se previne qualqner accidente de tacen-
dio. Estas machinas possawa HkJaa a* pMH m-
dispensaveia de sobresatantev e sao coaaaletas a
tod as os respeitos, esiao novas e em parfesto csu-
do de conser-avao, vi^to como, apeoas trabahia-
ram o tempo oecessario para se deatottstrar pra-
ticaroenta as soas vantages
6 carros soHdamente constraides, sinpeneos es
excellentes niolas, seado doas con: porta* lalo-
raes, dous com ditas na pane posterior e dous ra-
sos, proprios para iransporte deealdeiras, moeo-
das. etc.
O leilao sera effectuado pelo asrate Psato, a roa
d'Aurora n. 91, estacao das ditas macliiaas, e pe-
las II horas horas do dia 15 de abril.
Da-se todos os esdarecimeaios a rot do Boot
Jesus o. 8, primeiro andar.
^^L._gggggBggJLi-i.Ll. .iiiwm
moveis, cry sues, loucas, vidros, ouro, prata, per-
famarias e miudezas
Em continusQao ao leilao de quarta-feira 4
do corrente
COMPAMHIA
MESSAGERffiS HitBITIHES
I.inli: mensal
MENDOZA
E-pera-se da Eu.-opa ate o dia 10 do corrente,
seguhndo depois da demora do costume para Bue
nos-Ayres, tocaado na Bahta, Rio de Janeiro t
Montevideo.
Para passageiros, encommendas, etc., a (raiar
norn
OS AGENTES
Harismently A Labille
9 ttua do Commerteio 9
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
A directoria desta companhia, pelo pre-
sente declara aos senhores concessionaries
de pennas d'agua que se acham era atrazo,
no pagamento das mesmas ate 31 de de-
zembro do anno lindo, hajarn de, ate o ulti-
mo do corrente mez liquidarem seus debi-
tos, sob pena de lhe serern cortadas as pen-
nas d'agua, couforme preceitiia as condicOes
4.* o 10.* dos rospectivus contratos.
Escriptorio da companhia do Beberibe,
5 de mar^odel874.
- 0 secretario,
Luiz Manoel Rodrihues Valenga.
Sabbado.
Benefloio da AssociaciSo llene-
ttcenie de kEnfireg;ado.i no
C7oiunierefo e Indusiria Po-r
tagneza.
Representar-seha o primoroso drama em seis
actos:
SUZANA.
Principiara as 8 1[2 horas.
Domingo.
is 5 I\'i horas da tarde.
SUZANA.
As It horaa can ponto
.V RUA DO VICARIO THENORIO N. 11,
ARSlvjEM.
0 preposlo do agente Peslana fara leilao por
conta e risco de qrfem perteneer, dos moveis c
mais objectos abaixo mencionados :
Ricas almofadas de cores, bordadas, para sofas,
1 rica toilette de jacaranda, 1 excellente piano de
mesa, I elegante secreUria de amarello; I excel-
lente cama de amarello, entalhada, 1 Undo san-
tuario de jacaranda (obralde Remigio), t gutrda-
veslidos, 1 guarda lou?a, 1 guaidacomida, bancos
a Bismark para piano, diversas mobilias de jaca-
randa, com pedra, de amarello e de junco, tudo
de muito bom gosto e novo, que se vendera ao
correr do martelio, por se ter reiirado para a Eu
ropa o Sr. Dr. Alvaro de Meneies Moreira, dono
de parte dos obje:tos acima meaciunados
Sabbado 7 do corrente
AS 11 HORAS EM PONTO.
Pelo prepOsto do agente Pes-
tana.
Agente Dias.
C5
SANTA CASA DA M1SKR1CORD1A DO
RECIPE.
Veniia de preilios
A Mm*, junta administraiiva oe-ta Santa Casa.
levidamente autorisada pela presidencia, na sala
de suas sessoes, pe.as 3 boras da tarde do dia 26
df- corrente, venJe ou permuta por apolices da
divida publics os seguintes predios, pertencentes
ao legado de Joaquin da Silva Lopes, de que e
adtainistradora : Forte do MaUos, metade do so-
brado de 3 andares n. 17, por 5:5004 ; becco do
Abreu, 3* parte do sobrado n. 1, por 2:6664666
rua da 'Juia, sobrado de dous andares n. 69, por
6:0001 ; rua da 8. Jorge, casa terrea n. 92, por
1:400*. sobrado de am aailam. 30, por 2.0001,
dito raeia-agua por 5004 i rua dos Guararapes,
casa ta-rea n. 65, por 1: 005 ; rua d>s Acougui
nhos, cosa terrea n 26, por 6004; Largo da Gam
pi na, dita n. 3, por 4004 ; raa la S.ledaie, dita
a. 72, por 7004 ; becco do Teixeira, cita n. 5,
l>0.uJurfc ^i'^^^0*' PoMa% MarOWV(V
Secretaria da Saot* Casa da. ^Hserieordia4:
itatife, Ji de feverei/o. de 1W4: .
9 eacrivto
PtdrAfdf!t9'iesdmSt^a
SANTA CASA DA MJSERimrtyrA
RECIPB. ..
A Hlma-JaaJa administratrva da sanU^'CAsa dt.
Viwicoada-do-Racire, manda fa^rpiiMico qu>
oa saiandosragniassM, 5 do dia K raareo pe-
las 3 haraa-dswd, tern de ser arreaaattAu a
.jaaai Mala-^unaa.eiis offerecer, peM tempo; d#ay
mei annos, as rendas dos predios em SOW*
doearadoa.
ESTABtlECIKENTO DE CAHIDAOE.'
Trawssa de S. Jose.
IdeslaaMfaassan......r
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBAiNOS
Recife
DO
a Olinda.
Beherifce.
Havendo completa ausen-
eia de passageiros nos trens
extraordinarios das 10 1|2
hor?s da noile, que havia
nos sabbados e domingos pa-
ra Olinda, e nos das 9 1|2
da noite para Beberibe ; de-
liberou a direct ria que fossera supprimidos ditos
trens desdo o o dia 7 do corrente mez.
0 gerente,
Laurentino Jose" de Miranda.
Pela secetana da camara municipal desta ci-
dade, se faz poblico que a mesma camara principia
a sua primeira sessao ordinaria deste anno, em
o di 11 do corrente.
Secretaria da camara municipal do Becife, 6 de
marco do 1874.
0 official maior servindo de secretario,
Augusta Genuino de Figueiredo.
Personagens. Actores.
Imbert Sr. Flavio.
Montal Sr. Augusto Cesar.
Fonteaaelle .Sr. Penante.
Gontreau Sr. Silva.
Thuillot Sr. Lyra.
Hervier Sr. Joaquim.
Florent Sr. Braga.
Um caixeiro Sr. Vicente.
Um criado Idem.
Suzana Imbert D. Isabel.
Elisabeth D. Dorothea.
Suzana D. Philomena.
Bazina D. Maria Carolina.
A's 5 1|2 horas.
A empreza garaote a importancia do drama.
AVISOS MAStTSMuS
'-> Pain o Rio (iwiidc do- Sul
O patncho Itoinlica
aahir brevemente, recebe alguma earga a frete
s ejitarno cscrintorio de Balthar Oliveira Sc G.
Companhia ALlianca Mariti-
ma Portuense.
Empreza dc navrgafao ents*e
Portugal e Brasil.
A barca portugueza Joven Adelaide, recebe car-
ga a frete para os portos de Lbbna e Porto, de
vendo seguir com a maxima brevidsde ao seu
destino : trata-se com os respectivos consignata-
jios Jose da Silva Loyo A Filho.______________
Para o Part
Recebe carga o brigae portuguez Relampugo, c
pretende seguir com toda a brevidade per ter
grande parte da mesma engajada : quem no mes-
mo quizer carregar, irate com seus consignatarios
T. de Aquino Fonseca & C Succe.sores, a rua do
Vigario n. 19.
Rio de Janeiro
Para o referido porto pretende seguir cum pou-
ca demora o patacho brasih-iro Arabe, por ter a
maior parto de seu carregamento engajada ; e
para o resto que lhe falta e escravos a frete, tra
ta-se com os consignatarios Joaquim Jote Goncal
ves Beltrao & Filho, a rua do Commereio n. 5.
DAS
dividas pertencentes a massa fallida de Antonio
Jose dos Reis, na importancia de 50:259*880
SEGUNDA-FEIRA 9 DO CORRENTE
as 11 horas
No escriptorio da agencia, rna do Marquez de
Olinda n. 37, primeiro andar.
Por inlervenjao do agente Dias, que por manda-
do do lllm. Sr. Dr. juiz especial do commereio
levara a leilao, no dia e hora acima designados,
as dividas acima mencionadas
0 mandado com os nomes e quantias de cada
um dos_ Srs. devedores, sendo que a maior parte
drJIoo co po. tU..l..e ji vonpiHrtl ') i j -:.. pin QQ
der do referido agente, onde pode desde ]a ser
examinado pelos Srs pretendentes.___________
fttftSBS DtfERSOS
Programma da festa de N. 8.
das Angustias, em Santo
Amaro das Salinas.
Pelas 5 horas da manhi do dia 8 do corrente.
uma salva de 21 tiros annunciara aos fieis qae r
chegado o dia estivo de N. S. das Angastias.
A's 11 horas do dia enlrara a fesla da excetsa
Senhora, orando no Evaugriho o Itvm. padr Leo-
nardo Grego. 0 solo sera eantadu pela Exina.
Sra. D. Amelia Poggi, e uma variada phantasia
sera executada na llaula ptVi insigne Candido
Filho.
Terminada a fe.-ta subira ao ar um liado e uo-
vi>simo balao, acompanhado por unu salva de 21
tiros.
A' tarda havera bem ensaiadas cavalhadas, o
bem sorprehendentes equilibrios gymnasticos por
um habil artisla.
Duas bandas de musica tocarao nos iotcrvailo*
dos divertimentos, sendo que uma deltas e reco-
uhecida primeira da capital de Pernambuco.
A noite havera ladaiulia, depois da qua! se-
ra arreada.a bandeira e eoBduzida a casa da nova
juiza- .
0 grande fego de arlificio sera quernado na
noile do dia 9 do corrente.
A coramissao roga ao Sr. gerente da compa-
nhia de boads para que augmente o numero doa
carros da linha de Santo Amaro, alim de raelhor-
mente ser traniportada a popularao que a tal fes-
ta concorrer, visto como, de tal medida nio so
resultara maiores vantagens para a c xnpanhia ;
e PARA'
COMPANHIA PERIUMBUCANA t
DE
\a%egaesto coateira a vapor.
De conformidade com o art. 24 dos estatutos
dasta eompaniia sao convocados os Srs. accionis-
tas a reunirem-se em assemblea geral no dia 11
do corrente ao meio dia, em seuedificio ao Forte
do Mattoa, aQm de ter lugar a apresentacao do
relalorto snnue, proceder-se a eleicao da direc-
toria e da commissao de exame da contas.
Arrematacjio
Segunda-feira, 9 do corrente mez de marc,o, de-
pois da andiencia do Exm desembargador juiz de
orphaoa, va| a prac.3 de venda com o abate da
quinta parta 8804, um terreno com 53 palinos de
frente'e 2IH de fiindo. eom alicerces para duas
casas ouuma so, em altura de receber as soleiras,
o qua! foi aval1 ado por 1.100-., no Ingax deaomi-
nadj Estrada Nova do Cordairo, na freguezia do
Poco aa Panella, no sitio qae f.ii do Silva Compa-
nhia, que hoie esta retaltaado. ja com grandes pre-
dibs ediflcadbs, sendo dito terreno um doi.melho-
rea de diUj lugar p.ir est oerto da estrada real
da Casa r^orte, e deit\r os fundos para defronte
do sitio conhecido do Nuno Maria de Seixas, a re-
querimento da viava e inventariante dos bens do
casal do finado Antonio Francisco de Sahf Anna.
Sahe com mnita brevidade o hiate Joao Valle :
para carga, trata-se na rua do Vigario n 33, com
Joao Jos6 da Cunha Lages.__________________
Capitania do porto de
Pernan buco.
Aviso aos navegantes.
Por esta capitania se faz publico, para sciencia
dos navegantfs que sagundo oommunicou o lllm.
Sr. capitao do porto da provincia do Ceara, o pba-
rol de Mucuripe, em consequencia de se;ter arre-
bentado a corda que sustentava os pesos, nao gyra
ngularmente, e por conSeguinte a luz de systema
lenticular esta um ponco amortecida, e assim nao
funcciona como devera o mesmo pharol.
Capitania, 6 de marco da 1874.
0 secretario,
Detio d'Aquino Fonceca.
'ACIFIC STEAM KAV1GATIQN
M
ROYAL MAIL STEAMER
COTOPAXl
Segue com brevidade para o referido porto a
cuna Georgiana, tendo ja parte de seu carrega
mento engajado : para o resto, trata-se com Tasso
Irmaos & C, a rua do Amorim n. 37._____________
Para Lisboa
0 patacho portuguez Gracwsa, v.ii sahir com
brevidade por ter a maior parte da carga promp-
ta, e para o resto trata-se com os consignatarios
Silva Guimaraes & C, praca Jo Corpo Santo nu
mero 6.
Pacific Steam Navigation Company
ROYAL MAIL STEAMER
AC0NC\GU\
wpera-se da Europa ate o dia 8 do corrente, e de
oois da demora do costume, seguira para Bahia,
Rio de Janeiro, Rio da Prata e costa do Pacifico.
pars onle recebera passageiros, encommendas e
dinheiro a fretes.
Nao sahira antes das tres horas da tarde.
OS AGENTES
Wilson Howe A C.
14RUA DO COMMERCIOti
DE
louja, 1 Cifre de terra, candieiros a gaz, e mais
pertencas existentes no estabeledmento da rua
do Marquez de Olinda n. 25.
Terqa-feira 10 do corrente
&s 11 horas dn manha
0 agenle Dias, competentemente. autorisado por
mandado do Exm Sr. deserubargador juiz de or-
phaos, levara" a leilao no dia e hora acima desig-
nados, a louca e mais arligos exi-tentes no mesmo
estabelecimento, pertencentes aos bens do falleci-
do Manoel Vieira
0 baian^o existe em poder do mesmo agente, a
rua do Marquez de Olinda n. 37, onde pode ser
desde ja examinado, e garante-se o traspasse da
casa a qualqner Sr pretendente._______________
LEILAO
DE
moveis, louca, cristaes,
1 carro do 4 rodas, coberto, com arreios (em op-
timo estado), 1 carroca de 2 rodas e 1 boi
A SABER:
Urn piano forte e quasi novo, 1 mobilia de ja-
caranda com tampos de pedra, jarros e vasos pa-
ra flores, quadros, espelho3 dourados, 2 serpen-
tinas, 2 candieiros a gaz, 1 relogio, tapetes, 2
transparentes, lancas e cortinados.
PjUma mobilia de faia branca, cadeiras de balan-
ce, escarradeiras, tapetes, 1 machina de costura.
Um guarda vestidos, 1 cama franceza, commo-
das, lavatorio, 1 santuario, quadros com finas gra-
vuras, 1 marqueza.
Uma mesa de jantar, 2 aparadores, 1 sofa, 12
cad liras, quartinheiras, louca para cha e jantar,
copos, calices, garrafas e muitos outros objectos
de casa de familia
Quarta-feira 11 do corrente
No arma;em da rua do Bom Jesus n. 20.
0 agente Pinto levara a leilao, por conta de uma
familia que mudou do residencia, os moveis e
mais objectos acima mencionados, existentes no
armazem da raa do Bom Jesus n. 20, em frente
ao chafariz.
Principiara as 10 lj2 horas.
Terceiro e ultimo
CASA DA MWL
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
I' rtia Primeiro de Marco (oulr ora rua 4
Crespo) n. S3 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garaotidos
la 1' parte das lolerias a benelkio da matriz
da Vaizea (91*), quo se extrihira na sexta-feira,
13 do corrente.
PRECOS
Bilaeto inteiro 44000
Meiohilhete 24000
KM PORQaLO DE 100^000 PARA C1MA.
Bilhete inteiro 34500
Meiobilhete U75U
Manoel "artint Fiuza.______
C0ZiHEiR\
Uma escrava boa cn/inheim e lavadeira precisa
da quantia de cem mil reis p ra completar o are-
co dc sua alforria, sujeiundo -e a fazer kaajfto
de seus servicos : a Ifatar na nu da Sole lade a.
82, de 6 as 9 horas da manha de todos. n* dias
uteis _____
Francisco Jox* da .-iia Hrug.i, lem juswr-^
contratado acompra da Liver,a sita a rua do Linsa
n. 32, pertencenle ao Sr. Antonio Altw da C.-ta
Junior, livre e desemoara;adi de qoalqaer cna*.
Se alguem se julgar con direi'o .i meson qticira
dirigir se a rua do Pay-andii n 33 C, no prazo do
3 dias contados da data de.-te.
Recife, 6 dj marco de I87i._____________^
Sementes de horfctlices
vindas pelo ultimo vap r, a rua da Cadeia .k>
Recife n. 53 ; tambem na mesma lo|a recebem en-
commendas para 0 sitio do Abrigo eiu Olinda, d.
arvores fructiferas e outras proprias pira a:
da ruas e j:irdius, siTtimenio de palnxiras m
riae~ e de outras qaattdades ; as>in c raw pes da
flores para jardins e vasos, lodn p r mo Me < p-e-
cn e garante-se i-i:n>im ham enraizadas wiM a*
plantas como e de costumi'.
O
Fugio
escravo Juvenal.
ou
espera-se dos porta* do sal as*o dia 13 do cor-
rente, e depois da demora do contame, seguira
par_a Liverpool, tocando em S. Vicente a Lisboa,
para onde rucebaca paasageifios, eacommendas e
carga a frete.
OS AftENTES
^Vllsirm Rowe A C.
14RP^ l0 COMMBR :I0 14
Para o Afacaty eu> diraituVa sahe o novo e
superior pathabnte artionat tffhfim OtCrXif, ca-
pitao e pratico Manoel CaOrand dat CbsH, tem part"
de seu carregamento tngajado; e^pSra 0 resto que
falta, trata-se com o cotwfgnntarto-Antonto Alberto
de Souza Aguiar, a raa do Amorim n. 60.
coHPiumi brami11:ina
DE
VAVEGACAOAVAPOR
Prtn d* norte.
0 vapor
CommandajHI *aHaotenente
AntontnC. lVixira.
K esperadc dos portos do sol aid 8 do cor-
rente e seguira para os do norte depois da demora
ddjwstume.
Para earga; enoommondaa, valores, pajtageiros
e mais infbnnaedes, dirijam-se no escriptorio" da
agenda
7-RUA DO VlGARlO-7
Pereira Vianna C
Agentes.
LEILAO
No dia 20 do corrente vao a leilao todos os
objectos dados em penhor que estiverem vanci-
dos, salvo aquellas que ate aquella data pagarera
os premios vencidos.
Travessa da rua das Lruzes n. 2._______
Foi trajando ealea de brim da riaaado. cimisa do
chita de risoada e chapeo do paiiu de Italia; la
ror parda. idade de I* anno*, (o-.i falta d" nm
dento na frente, e e ba-tant'- paroMro : niga-ae*
apprthensao d) m-sino. e con lit i I a a rtaa ds
Ci ur. n. 3, ou Cou te da Boa- Vista no!, para srt"
gratiiicad >.
%m.
jgD. Bibiana Rosa de Moraes l^rwilh > cot
te AuacletJ Puidio de dories CarvsJho, inai .
filho da finado l.ourene> lose de Mora-s Carvaltw,
mandam resar mtsaaa pelo c-terno repouso to fal-
lecido, t* anniver-ario do seu naanaaeato. n di
9 do orrente, na ign-ja do (anno, das S hoi
7 da manha ; convi 1 mdo. porem, aos parente
amigos que queiram as-i de, que lhes licarao summamente 'zratos.
inajar flsa f~v^ggg/BmWmW^BmWm9tm99
Precisa-se de um amas-ador : nos Afaga I -
n 27.__________________________________
!ravo fugiilo.
Na st-xta fr-ira, a7 de fevereiro, *ahio da casa d
sua st-nhora o escra'o Vicente, pn to, alto. I
levaudo eakea e aamsaa de alg grossos.
LEHiO
0E-
locomotoras e rarros do syste-
ma rhoruBon, ou carros borracha
\o dita 15 ale abrll.
Em virtude de nao se poder dispor de boas es -
tradas de rodagetn nesta provincia, os possn;dores
do material acima menclcnado estao resolvido< a
vende-lo todb emleilio oa separadamente, confor-
nlese convencionar.
0 emprego destas machinas em grande nnm?ro
de patios da Europa, Asia, America do Norte.
onde elias tem suhstituido o' antigos systema^ de
transportar cargas pesadas, dispensam os seus
de algodi
riscadinho azul, ten Jo e^U a- mangas CtJrtM ;
cozinheiro, o que facilmente se enh^ce pelas m*os;
ia foi visfo na Var ea e consU que esta para a
lado dss barreiras do (]axanga re.-omm.n'
ao Sr. subdelegado da V .rzea a captura de lit
escravo, entregando o n i Recife ao capiiao ins-"
Laurentino de Azevedo. ______ ^_
Aula particular
0 abaixo assignsdo, professor particular de ins-
truccaoelemtntar, nio tenlo podido peruottvoa
de molestia, abrir sua aula no dia 12 de jaseiro,
c >m > tinha annuueiado, e com j ja se ache resta-
belecido, atisa ao raspeitavel pnblico e com e.pe-
cialidade aos seahores pals do familia, que no d.a.
9 do corrente estara aberta sua aula na rua d
P. nha n. 23, If andar, aonde conumia no exr
cicio de seu magisterio. 0 nesmo professor pr..-
ra. tie muito se esmera.- pelo adianlamento d.-
sens alnmnos. iims.
Secundin i i><6 do rana Mmoes.
Aiiciicao.
Fuaio di'nT-n'io Finneza, na tregaeaia a\
oeada, "" ,!' f ''"'',' escravo Alb'^.
eriuiilo, corn-OS segiuuies si^naes cor preta, id .^
it>f* ni, '" '" iegular, honita li-
oiios um pone : -1 s. tem de, din
da- flu r ir ii ili i .-i -iiellun^a dc aaii
Jab riicaba : ped^-se aiitorida'1 poiiciaes c ca-
pitals de campo a appr 'h"n pileod) antreja lo no liteogenho, oanarax
d-> Torres n. 12, e dara boa recompensa.


4

L
D


Diario de Perntmbuoo | Sabbado 7 de Mar
.
*
\\ Rua do Imperader
0 oovo prourietario deste acteditado e bern montado stabeleeimenu>, o* ofira *
conservar os creditos de uhioo nes'e genero, t rn ref"rmado e melhorado oo e mesmo em ordem a poder satisfuer qualquer pedido para as provincial do norle* i-
terior desta, garantindo perfeicaoem toa8sasprepra^oes, acuio e modicid#de> nos jwcos,
compativel com este genero de drogas.
Espera a todo aaomento uma grande rernessa de pharmacia homeopalhica de J.
Epss At, de Londres, composti de medicaraeotos, carteires, pocololes, Opodeldoc! de
Rbus, de Buvoiiia, de Arnica e de p6s especiacs para denies.
Tern i disposicio dos amantes da bomeopathia a exceUente, o'brado Dr. MirreaM-
Tern carteirasde glebulos e tinturas de 12 medicameatos ate 120, a escolba de-com-
prador.
Pleraeria, para morde lura de cobras.
Seracena (
< Para bezigas como preservative
Vaccina (
China cruzeiro, -para intermittentes.
Schynus, para anginas.
Calendula, par-uqueimaduras.
Tarantula, por-a poralysia.
Tintura mai d'arnica, paracontusdes, for-
tes, etc.
A CHEGAREM
Opodeldook d'Arnica.
Ditode HhiB \
\pararhfroatismo. i
Dito deBryouia) I
Uf>f* *
Chocolate homeopatbico.
Cafe homeopathic.
Elor cTararuta.
Pds para dentes, inglezes.
I
Jerioe, para rheumatismo.
Matta-matta ou jaboti, para loste$.
Espirito
ra.
de Haberoman on de campho-
Cactuc grande fldfus. para
tnoUslias decoracao.
pneumonias e
Acha-se constanlemente a testa do estabelecimente e inspec ionando todas as pre-
paracoes e Sr. Dr. Jesuino Augusto dos Santos Hello.
C0NSULT0RI0 HOMEOPATH ICO
DO
Dr. Santos Mello
Cansultas pela manha, e a noite ate 9 horas
Gratis aos pokes.
PREDILEClA
A.' rua do Cabuga n. f A.
A Gl.*. do Sup.*. Arch.', dotniv.'.
Tendo a Aug.-. Loj.\ Op.\ Segredo e
Amor da Ordem de preencher as vagas da!
nova administracao, convido, por ordem do ;
Ttesp.-. Ir.\ Ven.\, atodos os Obr.-. para a! proprietaries da Predilecta, no intnito dt
rpferida plpirao mip tera lntrar nn din 8 dn I conservar bum concetto que teem merecido dc
retenaa eeica^, que tera ugar no dwi a do respeitavel pnblico, distinguindo o sou estabeleci
corrente (domingo) as 10 horas do dia. | mento dos mais que negociam no mesmo genero.
Secret.-. d'Aug.*. Loja.'. Cap.1. Segredo veera scientificar aos seus bons freguezesque pre
e Amor da Ordem, em 4 de raarco de ven'ram aosseus correspondentes nas diversaspar
1874, E.'.W.
J. Ma\imiano|Pestana, 17.
Secret..
oas d'Enropa para Ihes enviarem por todos os pa
j quetes os objectos de luxo e bom gosto, que se-
: jam mais bem aceilos pelas sociedades elegantes
: daquelles paizes, visto aproximar se o tempo de-
festa, em que o bello sexo desta linda Veneza
! mais ostenia a riqueza de suas toilteltes ; e co
mo ja recebessem pels- paquete francez diverso
| artigos da ultima moda, veem patentear algunf
Prppisa-se ei m nrffprria dn urns ama d' d'enlre elles que se tornam mais reeommendaveis
trecisa se cc m urger.cia de uma ama de es-perando do respeitavel pnblico a eostumad*
leite, que seja s^dia, e que toe ha bom e concurrencia.
abundant? leite, pnra tomar conta de uma Aderecos de larlaruga os mais lindos qne teen
crianca de dias, daudo-se preferencia a" mu- vind ao mercado.
Iber do metto : quern, pois, c&tiver nestas
Atten^ao.
circumstarieias apparera no 'i. andar desta
typogr8pbia para tratar.
Inla particular.
ricas capas de madreper- la e de
diversos tamanhos e bariitos pre-
Albuns com
velludo, -mdn
os
Aderecos completos de borracha pr prfM para
luto, tambem se vendem nieios aderecos muito bo-
uitos.
Bot5es de selim preto e de cores para ornato de
vestidos de ser.hora ; umbem tern para collete
obtido lieenca palitoL
>.o~ nara sennoras, existe urn bello strtimen
poi
A 9:00*0
Bottnas para 1 jam era
dkeafcaai' de chegr frandes "fapflwris bm sor
M:i de bctinas di e*erro, de ^ovdario, de pelih
ct> ie, e com iltozefi a 11000 i*. .*c/iin r) pur ter
"iolo grande. quaiitttiade. pwc cARta e ordem dt*
hbricantes : ao anaazein do %-apar "francez, a rua
flo Batao da Vjctoria ("UtT'ora Nwa) n. 7.
ddpAi\
francez.
hoHMNMt.
I'urdavM. peHica, lustre
Lydia de Carvnlho Lima, lend.)
tem aberto sua anla do. mstruccao primaria para to de seda, de palha, do chagrins, etc., etc
o sexo femiiiino, desde o dia 2 de marc>, na ulti- barato prego.
ma casa do litdo esquerdo do Porto da Madeira,
na freguezia de Bcberibe, pela paga que se con-
vencionar cum os uais de famiiia ; e para aguel-
Jes que por seu cstado de pobreza, nao poderen
4>agar, sera gratis.
Alem das raaterias do eusino primario, tedo o
jrabalho de agulha e -de machina.
o

sTcr5
a
5 ?.

^5
>-1
GO
CD
2'
B S
p
CO
P
CO
^3
i i
"J
cp
ce
1|
o
o
o
c
c
3
O
QQ
P
CD
P
P
-i 3 O
a** a p
<
as ^; B
^ ,.M ^i
P
P
CO
CO
p
o
p
-
>l^
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de louca
como de c^ra, de borracha c de massa ; chama-
dkm a aitenrao das Exmas. Sras. para este artigo.
pois as vezes tornam-se as criancas urn pouco im-
pertinentes por falla de urn obiecto que as en-
tretenhara.
Camisas de linho lisas e com peitos bordado?
para homem, vendem-se por preco commodo.
Geroulat de linho e de algodac, de diversos pre-
gos.
Caixinhas com musica, o que ha de mais lindo.
com disticos u.is lampas e proprios para preen
tes.
Coques os mais modernos e de diversos forma
tos.
Chapeosparasenhora. Receberam um sortimenttr
da ultima moda, tanto para senhora, como pars
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Caljas bordadas para meninas.
Eniremeios estampados e bordados, de lindo*
des'nhos.
Escovas electricas para denies, tr-m a proprie-
dade de evitar a carie do^ dentes.
Frar.jas de seda pretas e de cores, exute um
grande sortimento de divercas larguias e baraK
preeo.
Fitas de sarja, de gorgurao, de seiim e de cr>
malote, de diversas larguras e bonitas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Fiores artificials. A Predilecta prima cm con-
servar sempre um bello e grande sonirnento des-
tas fiores, nao so para enfeile dos cbellos, comr
tambem para ornato de vestido de noivas.
Gaioes de algodao, de la e de seda, brancos, pre.
tos e de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senboras.
Lagos de cambraia e de seda de diversas cores
' para senhora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para cuvir missa, com capas de madre-
perol?., marfim, 6so e velludo, tudo que ba at
bom.
Pentes de tariaruga e marfim para alisar o* ca-
t'e! os ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de inadre-
peroia, marflm, osso e dourados por barato preco.
Perfuman'3s. Neste arligo esta a "
rnra
60T1NAS Je. *ezerro.
fabcicantes.
SAPATOES -de bejerro, de cardavan e de case
nun.
SaPATOS de lustre com salto.
SAPATOES ataraancad()S com sola de pao, pro-
prios para banhos, irtios e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranc*
francezes e portuguezes.
Para senhora.
BOfDfAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
-'APM'ISHOS de phantasia com salto, brancos.
pretos e de-cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninaa.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para menlnea.
BOTINaS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de diversa?
qualidades.
SAPATOS de tranga francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
Kolas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homen-, e meias pernei^
para meainos.
No armazem do vapor francez, a rua do Bari<
g- Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernieoes,
tons, jardineiras, mezas, c^nversadeiras e costu-
reiras, tudo jsto nmito bora por serem fortes t
levee, e t s mais proprios movpis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7, outr ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes t
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff & (1: no
vapor francez", a rua do Barao da Victoria, ou
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de nor de laranja. agua de toilete.
iivina, florida, lavande. po de arroz, sabunetes
cosneticos, muitos artigos delicados em perfuma
ria para presentes om frascos de extractos. cai-
xinhas sortidas f arrafas de oiffereiiies tama
nhos d'agua de cologne, tudo de priraeira qnali-
dade dos bem eonhecidus fabricanles Piver e Con
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Bara<
da Victo-i?, outrora Nova n. 7.
Quinquilharias.
ti'ti^os de iliflercntes gostos *
phantaxias.
.'^spelhos dourados para salas e gabinetes.
Leqoes para senhoras e pi-a meninas.
Luvas de Jouvin, de flu de Baeoda ede camnrca
(laixinbas de costura oroada e nr. !i"jsica.
Albuns <: :;:;; 1hm pa retraf.s.
Taixinhas com vmr .It ii^m^nUir ictratos.
Diversas ohras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaque muito bonitas para rel'.
gioa
Hn cc-s ,n:'ac;n- boiSes de pnnhos de pla
pae.
Bolsinhas e colres de eda, de velludo e de cou-
rinho de cdres.
Novos object'>. de phantazia para cima demes;'
e toilette.
Pincino. Ao .iron, dc prntd JnlirHH;S. fle aCO
le tartaruga.
Oculos de ai.o lino e de todas as guarnicSes.
Bengaias de luxo, canna, aim cashes de mar
Predilecta bete
, provida, nao so em extractos, como em oleos .*
I baabas dos meihores cdores, dos mais afamado?
j rabrieantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygienica.
njDdey, Gosoel e Rimel ; sao indispensaveis para
fes-ta.
Saias bordadas para seofcora, por commodo
preco..
.No dia 23 de fevereiro fngio a escrTva de nome, J^0*0* d de Setim bordados -Para baP-
Tzpetes. Receheu a Predileeia um bonito sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada de salas.
Vestimentas para, baptisado o que ha de melhot
gosto e og mais modernc f ,recebeu a Predilecta
de or ar;.to prepo, para Hear ao alcance
Rua do Cabugan. 1
Escrava fugida'^
No dia 23 de fevereiro fngio a escrava de nome
Vicencia, com "os signaes seguintes : baixa do
corpo, rosto bexiguento, faltam-lhe os dedos em
am dos p6s, e falta de dentes : pede-se as antori-
dades policiaes a sua apprebensao, e a facam can-
auzir ao pateo do Carmo n. i. que serao hem re-
compensados.
BIO 1.1:\11HQ~~
AoSriJose de Betsa e Menezes, pede'AGUAS ALCAUIxO-GAZOSAS DAS PED&AS
Jose Duarte das .Neves, a devida permissao SALGADAS
para dar publicidade a alguns trechos de \ villa pocca de agciar
stia correspondencia ; istoe, aquelles que se "rbonatadas-sodicaaj
unicamenle ao aviso de II de maio Analyse* do-Dr. Josi Julio Itodrk/ues, lenle
s; visto nada ter respondido aos' da esc*la polytechnica de Lisboa
que lbe foram enderftjados ora 18 de marjo, n,^-"c.',^,a^i ?:*d com vaptagem dos
^. j .-!. *. E* i i paaecjiDenios uas v as aiee.-liva* nrinartas do
2*do abnl 10 de maw e 6 de juafao pro- estomag,, etc., etc-. : vende se 0'a ph2"n"ia e
xinopassado, eparecer entregar tambem ao flrogaria a rga larga do R'.sario n. 34.
silerR'
m
Jengallas diversas f m grande sortimento par*
omens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qnalidade>
liversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
!*oriteiras de espnma para charutos e cigarra-
I'entes de tartaruga para desembaracar e nar
narba.
Ditos de marBm muito finos, para limpsr c*
^eca.
Escova para roupa. cahellos, onhas e oara deo
tes.
Carttirinhas de medreperola para dinreiro.
Gravatas brancas e de seda preta para homen?
9 meninos.
Campainhas de mola para ch-mar criados.
Jo?os da gloria, de dnma, de hagatellas, de do
nin6 e outros muitos differentes joguinhos alle
iiaes e francezes.
Malas, bol< as e saccos de \nagem de mar e ca
minhos .de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
rm, bom para os dentes.
Bereos de vimes para embalar criancas.
Cestinhas tie vimes para braco de meninas.
Garrinho* de qualro rodas, para passeios dt
rianca*.
Veoejianae transparent^ para portas e janella?
Reverberos transparentes para candieiros dt
gas.
Estereoscopos e eo-nnramas --om escolhida?
vistas.
Lanternas magicas om ricas vistas de cores em
Vidros.
Vidro avnijn? para wtmorama.
Globos de papel rie tUm para illuminacoes dt
fe?tas;
Baloes aereostaiioos de nape! de seda roui facil
Je suhir.
Hachinas d? varies systemac para cafe.
Espanadores de palha e de pennas.
Tesounnhas e canivetes rinos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanle-nay
Tiuteircs do loui;a branca, roodelo bonito e bom.
Tiras Je moldura? douradas e pretas pars
joadros.
Quadros ja promptos com pavsagens e phanU
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
H&Mi
Objectos de magicas para divertimentos em fa
milia.
Realejos pequenos de veio com lindas pecas
Realejos I'armonicos ou accordions de todos os
2raanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem de
vapor fraoeez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de iO a 100 metros,p4s e palmon para
medir temeoos.
Bnnqifcedns para nreninos
PENHORES
Na traves&a da rua
dasCruSes n. 2, pri-
meird andar, da-se
diuheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos raetaesepedras.
Offerecese a auantia aciroa, a pessoa que levar
a rua do Imperador n. 26, os objectos abaixo de-
clarados, desapparecidos de um guarda-roupa da
casa n. 13 da rua de Joao Fernandes Vieira, pro-
mettendose guardar seg'edo, e nao se fazer per-
Santas :
uas correntes de euro para relogio, compridas,
estando uma dellas quebrada.
Uma cadeia de ouro para relogio, tambem que-
brada.
Um bracalete de ouro com broche de esmeralda
com falta de uma esmeralda.
Um par de brincos de perola, para menina.
Um dito dito de esmeralda, sendo uma mais clara
do que a outra, tambem para menina.
Um relogio pequeno de ouro, para senhora, com
mostrador de vidro.
Um alflnete de peito de ametbista e perola.
Duas vollas de ouro, sendo uma com uma cruz
de coral.
Uma volta de ouro e coral com cruz scmelhant*
Um ar nel de brilhante.
Um dito de perola.
Um dito de esmeralda.
Um dito de amelhi-'a roxa.
I'm dito de esmeralda e perola-.
Tres pequenas crozes de ouro.
Um alflnete de ouro com perolas.
Uma cassoleta pequeoa.
Um alflnete pequeno.
Um par de brincos de ouro com perolas, estand
um delles quebrado.
Um par de brincos de amethisla.__________
Pede-se ao Sr. Joaquim Pires Ferreira, o fa-
vor de appareeer na rua Primeiro de Marco n. 7
A, i andar, a negocio de sen particular inte-
esse.
0 engenho Bonito, da comarca de Nazareth, pre-
ci-a de um feitor que seja portuguez e que tenha
hat.il itacoes para o dito emprego : quem preten-
der, dirijase ao escriptorio de Leal 4 Irrnao, a
rua do Marquez de Olinda n. 56.
Precisa-ee alugar um escravo para o servico
em casa de fan.ilia: na rua Primeiro de Marco
p. 23.______________________________________
Jose Joaquim da f.unha & C, para
evitar duvidas futuras, vem declarer que a
horanra que tem de haver Joaquim Elvirio
Alves da Nlva, esta' sujeita a execugao, que
Ihe tnovem os mesmos Cunba it C, no Rio
Formoso, e por isso com elle ninguem deve
conlratar acerca da mesma beranca.
Lindos chapeos para
senhora, chegados pelo ulti-
mo vapor: a rua Primeiro de
Marco n. 19, loja de Jose
Ferreira da Silva, successor
de Santos rfeves.
Precisa se de um crlade de Ha 16 annos^
prtferindo se portuguez : a tratar na rua Duque
de Caxias n. 41, seguudo andar.
CASA DO OURO
4ott 4:OOOrOOO
Bilhetes garantidos
nua do llardo da Victoria (outr'ora IS'ova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos seus
uuito felizes bilhetes a sorte de 700^ em urn
rueio bilhete de n. 2033, e um meio de n. 641
com a sorte de 100*000, alem de outras sortes
menores de iOa'OOO e 20*000 da loteria que se
acabou de extrahir (901 j; convida aos possuidores
a virem receber, que promptamente serai pagos.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeiu
'el publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
.irar qualquer remio, como prova pelos mc-mes
antiuncios.
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
antidos da 1* pane da loteria a beneflcio da
ipreja roatriz da Varzea, que se extnhira no dia
13 do corrente mez.
Precos
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De I0O&OOO parn ci-,i..
Inteiro ;i500
Meio 1*730
Recite, 6 de marco de 1874.
_____________Joan Joaquim da Costa Uitc.
Na roa larga do Rosano n. 21, loja dc cal-
tado, precisa-se de uma ama ijue saiba comnrar e
cozinliar.
Yernixes especiaes para carnia-
gens.
Este verniz, cuja fafta aqui tanto sentem
os Sre. fabricantes e possuidores de carrua-
gens, acaba de chegar para seu unico depo-
sito, das seguintes qtuiiidades.
VEItHIZ SUPERFINO PARA f-AIIAS DF.
CARRUAGESS.
E' um verniz muito claro e duravel para
as caixas de carruagens, pnra texlas as de-
mios, ou para a ultima somente, sobre
outros verniies. A siiperficie secca em 11
horas, depois das quaes se expoe ao ar por
algum tempo, o que fazendure-cer, e passa-
das 15 a 18 boras p6de passar-se caixa a
pedra pome e dar-lhe pm scghida outra de-
m5o. !)ao-s Jtsste veruiz sobre as tmtas, em tres diaa.
A primeira demao servindo de apparelho,
ajuda a seccar as ultimas demaos e produ2
um eicellente brilho.
Verniz superior aecennte para
earriiagens.
Este verniz 6 da mesma cor que o ante-
cedente, mas endurece e secca com mais ra-
pidez. Emprega-se com bom exito nas
obras urgentes, e p6de misturar-se com o
anterior. A duracdo do verniz permanente
diminue na proporcao da mistura.
V^ RNIZ SUPERIOR ELASTICCO PARA OS
JOGOS DAS CARRUAGENS
N8o e tao claro como o verniz para as
caixas das carruagens. Emprega-se nos jo-
gos das carruagens e tambem para as pri-
raeiras demSos sobre cdres escuras. P6de
passar-se a pedra pome passadas 10 boras,
podendo dar-se em seguida outra demio.
Verniz preto do Japan superior.
Para trabalhos em preto de carruagens.
Produz o preto mais escuro e brilhante, e
pode passar-se a pedra pomes 10 horas de-
pois. Deve dar-se duas demaos sobre um
fundo preto e cobrir-se com outras duas de
vprniz que emprega nas caixas das carrua-
gens.
VERNIZ PARA COLROS, -BRILHANTE E
KLASTICO.
Este verniz, contends na sua composicao
grande quantidade d'uma substancia muito
semelbante ao azeitc denominado/neeis ba>uf,
e o unico que di flexibilidade ao couro ve-
Iho envernisado. Em geral hasta uma de-
mao que deve ser applicada muito ligpira-
mente, com um pincel depois de ter limpo
o couro com agua-raz. Exposto ao sol sec-
ca em 1 ou 2 horas, e A sombra mas ao ar
secca em 4. Em tempo humido e inutil tal
trabalho, por que n8o e possival tr-rnar o
verniz elastico e seccante ao mesmo tempo,
Verniz para apparelho.
Depois de ter apphcado 2 ou 3 demos
deste verniz n'um intervallo de 8 horas, de-
ve-se deixar a obra intacta por 2 ou 3 dias,
no Dm dos quaes se pode pulir com extre
ma facilicidade. E' essencialmente neces-
sario cobrir este verniz com duas demaos do
verniz superfino para caixas de carrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
Mistura-se com as tintas de apparelho, e
sobre tudo com as tints moidas, para que
sequem mais facilmente e para lb.es dar
mais consistencia.
Graiiflca-se
Perdea- se na noite de 4 de- cwTente, m cayaila
de Santo Amaro das Salinas, unu volta e eaaan-
leta. sendo a volta dr nm tendo elastico e grossa,
e a eas-oleta de Hligr;iH> com am rubim no meio :
qui-m a achou e a qnizer i uiregar na roa Bella
n. -18, sera recoropeiisxlo. ^__^____
i:\s\s
Como n3o e* necessario dar lustro a ultimo
demSo de verniz empregado nas caixas de
carruagens e no dos jogos, convem da li
n'um local separado aonde nao haja pd
Quando a obra urge,- deve pdr-se a sombn
e ao ar livre depois de secco, isto e, passa
das 12 horas, lava-se e enxuga-se hem con
uma esponja humida. Quantas mais vezei
se fizcr isto, mais brilhante ficari o verniz
e mais deprossa ss terminara a carrusgen
(cm caso necessario tres dias depois da ulti
ma demao}. Durante as dues ou tres pri
meiras semanas deve-se lavar a carruagen
com agua fresca, depois de tor ser
dido. l
Os frascos devem. .trohservar-se sempn
hermeticamente ta'pados, o r^sto do verm's
nao se deve deixar_Bear no frasco, e pod<
usar-se para as primeiras demaos.
N3o deve misturar-se com este verniz no
nhum outro ingrediente, nem agua-raz, i
de nenbum modo com o saccante. E' pre
ciso limpar bem os vasos e os pinceis, e <
melhor e servir um piucel para cada ver
niz.
Depesito unico para o Brasil, Bartholo
meu A C, I'ernambuco, Rua do {{osa
rio n. 34."
. Alnja-se na Bo|-V|fta. roa de Caminho Novo,
junto a estate, a Am n ISS, torn mniuw emn-
modos para farm ia ; a 'have e.|a junto : .. nma
onira na Jipnnga, rua das IVmainborana* n. SH
a casa e nova, ,.ln foiha. n tem quin-al gr.nde : a
tra'ar no Kei-ite, rua da Cvk-u *. 3.
Ha para Vntar-se du:i- psrrava-, sendo nma
m<-e;a e '-ulr.. de idade, a qna^ ozinham e en-
goiiiinam perleitameute :a uaiar ua tua da A!e-
gria n 46.
100#000 de gratificacao
l-'naenho Sant'>s Mendes
Fugio no dia 20 de dexenilro, do engenho San-
tos Mendes, comarca de Nazareth, freguezia de
Tracunhaem, a escrava Maria, rrioula, 30 annos
le idade, pouco mais ou menos, baixa, grcssa, ^>-t
preta, rosto alquebrado, pes seccos e espanados.
dedos enrtos. cahellos braneos, canellas finas, tem
Jous signaes cabelludos no qaeixo, e 6 bem ladi-
na. A pessoa que entregar esta escrava ou ao seu
lono, que e o senhor do engenho acima, Lauren-
tino Gomes da Cunba Pereira Beltrao, on no Re-
cife, la-go do Corpo Santo n. 19, 1* andar, sera
ecompensada com a quantia de 1001.
Sociedade dos Henriques.
Sao convidados os Srs. sorios a compare^erem
no dia 8 de rmreo, na caoella imperial de Nossa
Seuho'a da K-tan-ia, afim de terem prmcipio n*
trabalhos da mesma as III horaa d<> lia
0 1* seerotario,
Gregorio Naziazneno Baptists Ntm
Allcncaa.
Fugio do engenho Firmeza, na freguf/ ua
E^cada, no dia II de fevereiro, o pscmy al-
bino, crioulo, enm os seguintes -ign -. etc
preta ulade de 20 anno^, alto, corpo regalar. bo-
nita figuia olhos um puueo esbranqui..ad', imji
de um lado das co.'tas um carecinho a seme-
lhan'.a de uioa jahaticaba. Pede sc as autorida-
des policiaes e capi'aos de rampo a appntu Mio
do dito escravo. poJendo entrega-lo no dito -n
genho no na roa do Turres n. 12, escri[ I
Roga-seao um >r. Al-xaudre de Soota Btr-
ros, morador em Gravata de Jahurii, qneira fazer
o favor de appareeer na rua do Livramento l 12.
a tra'ar de nepocios de sen intere?e.
Convida-se
aos serhrres escriplores, litteratos, rhefe* de- re-
particoes e commercianies a visitarem a
ENCADERNACAO BRASILEIRA
a rua Duque de Caxias n. 21, onde verao qne t
e.ste o cftaneleeimento qne dis;6e dos melh(rs
meios e procesos para hem servi los na arte d*
encadernar, e o uni<"o qne
POSSrE A MELHOR
machina para paut^r papel, riscar livros, mapr^
manifestos, folhas de empregadus, despacho*. fir
'uras, cuntas carrentes e de venda ; cojo liwulii
sera regtilado pela segninte tabella de preco?
Papel pequeno em caixinhas
Para paotar 1 caixa 1*0 0.
Idem 4 ditas a 501 rs. cada uma.
Idem 10 dita> a 'i(mi rs.
Idem 20 ditas a -Ki rs.
Idem oO ditas a 250 rs.
Idem 100 ditas a BOO rs.
Idem 20> ditas a 150 rs.
Mais ite 200 ditas a 100 ra.
Papel em taroanho Hume contas e dei-pai-hc*.
Por paular I resma 1*500.
Idem 10 ;i U20> cada ama.
Idem -0 a U.
Idem 50 a 800 rs.
Idem 100 a 600 r-.
Idem 200 a 400 rs.
Mais de 200 a 320 r.
Outros trabalhos conforme o a tiste.
A difference em preco do papel Hag j^ra .
pautado, no nosso mercado, e mnito superior a if(:
rs. em resma, sendo per is-o vantojoso ao Sr
IMI'ORTADORES DE PAPEL
mandarem vir o papel liso para aqnl ser pnutade
podendo assim venderem mais bafMo, ftaafeaadV'
mais dinheiro. para o que
GARA.NTE-SE
a bondade e limpeza do trabalho, entreganiio *e
os volumes de resma com a mesma pei f jio
igualdade que se liver recehido na
EN ADERXACAO BRASILEIRA
ii Una Duque de Caxias 21.
Pnra
a
>oacunservacao
DE
VOSSO CABELLO
PERFUME
iffiSSPk
\
T
i.
/Ill
VEfi
A maior variedade que sc pode desejar de to-
inquedo9 fafericados em differentes nartes
dos os brino
sUefT&M carta que um respeitavel amigo Offerece-se uma aenhora para coser por
!be d'rigio sobre [o meseno assumpto macblna, em qualquar easa de famiiia : qnero
nos primeiros^lias do presente anno. pretender djnja-se a rua do Imperador n. li, 3.
Uli^yeCe-Se u Sr. Jose Joaiuim da Sllva Araojo, niora-
a ma do leite, que o\tem bom e abundante: dor cm Beberibe, tem uma carta n$ praea da In-
a r na rua das Crazes n- 7, andar, dependeijcia n?- *8 c W,
-fferentes partes
da Enropa, para entr-esenimento das criancas tudo
a precos mais resumidos que 6 possivel : n'o ar-
mazem do vapor l*ranc, ma do Barao da Victo-
ria, outr'ora rua Nova o, 7.
Cestinhas para costura
Grande sortimento de bonHos modelos chegados
ao armazem do vapor fraesez, rua do Barao da
victoria, outr'ora rua Nova, n. 7,
iTTrMO
Precisa se alugar nm moleque 4e 42 a 13 an-
nos de idade, que seja fel : quem o tiver. dirlia-
e a roa estreita do Hosario, sobrado n. 38. K
mesma casa fornece-se coml-las para fera.
I'recisa-se
de um criado para J01J9 0 sefcyfco ; a trstar no
h9'e! Qordetn,
A Nova Esperanja, a rua DuqQe de Caxias n. 63,
apressa-se em cocvidar a seus freguezes. com es-
pecialidade ao bello sexo a virem apreciar os se
guintes artigos expostos a venda e todos por precos
eommodos, como ?ejam :
FINAS BONECAS mansas e choronas.
BONITAS E ENGRACADAS vistas para slcrios-
copiov
COMMODAS LATAS para guardar cha.
ELEGANTES ROLSAS para senhoras e meninas
BOX1TOS VASOS com fina banha e cheirosos
extractos, trazendo cada frasco um nome, umi ini-
cial ou um distico.
FINAS MEIAS D SEDA, vindo enlre ellas cor
de came.
Para quem goslar.
A' Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n
6^1, acaba de reeeber tentos e caixas para 0 logo de
Voltarelte.
Para queui si lire das pernas.
A Nova Esperanra, a rua Duque de Caxias n.
63, aeaba de reeeber as procuradas meias de bor-
racha para quem soffre das pernas.
FLORES ARTIFICIAES
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n.
3,'acaba de receber um lindo e completo sorli-
njenlo de fiores arlificiaes das meihores qne tem
vindo ao mercado
A ellas antes qne se acabem.
Costumes para crianca.
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n.
63, acaba de receber honiloa costumes para criaaca
0 esta se vendendo nor precos razoavcis.
AOS H3BKYOSOS
A Sva E*;cranci, a rua Duque de Caxias n.
63, rerebeu um pequeno sorlimento de anneis e
pnlseira eleciricas, procriaspara flnfm ^ffre dos
nervo, (Cruz
ESCRIPTORIO
COMMERCI L.
IM, Rua da Praia, 2.
LlSBOiV
Luiz Felippe Leite k Irnnlo
Executam por eommissao quaesquer ordens das
provincias do reino, ilhas e provincias nltrama-
rinas, bem como do Brasil e outros palzes estran
geiro?.
Recebem a consignailo genoros nacionaes. eo-
loniao1!, heepanhoes, francezes, inglezes, allotnaes
t do Brasil, ou mesmo de outros paizes, para se-
rem vendidos no reino ou fora dclle
Executam ordens para conipra e venda de fun-
los [ibblicos, nacionaes e estrangeiros. Tratam
la cobranc-a dos respectivos dividend->s.
Promovei,, no mesmo escriptorio, inventarios,-
aquidacoes, causas civeis e commerciaes, anpel-
'acoese rectiro de revista.
Tem os melliorea advo.gados na capital.
Para os negocios de natureza especial, como
sausaa forenses, administracJo de bens, etc., qtie-
rendo-se, pode procedor accordo previo conforme
i catur^za do negocio.
Solicitam-se dispensas matrimonia?s e quaes-
juer outros breves apostoliccs concedidos em Roi
ma ou pela Nunciatura em Lisboa, annnllacao
le ordens, e quaesquer outras dependenciiif dos
tribuoaes da Santa Se.
Tratam da arrecadacao de herancas e admims-
tracio de bens no contineote do reino.
Obtem documentos de qualquer diocese, distric-
w administrative, conselbo, ou freguezia do reino,
dbas e provincias ultramarinas.
Fa^ero adiantamentos sobre consignacoes de
piaesquer generos qne tenham prompta sahida
aos mercados inglezes ou allemaes. Tambem com-
pram aquelles que se offerecerem em condicSes
"antsjosas.
Fazem transacSes por consignacao ou compra,
*obre minerios, taes eomo de cobre, chumbo,
phosphatos, ou ontros quaesquer, se convierem as
rondifSes de qualidade e precos.
Dao-se boas refereneias em Lisboa e no Porto.
Esta ca-a tem correspondencias senas em todos
m pontos do reino, em Paris, Inglaterra e Ham-
burgo, na Africa nortugueza, em Macao (China
reino de Siao, ilnas dos Acores e Cabo- Verde,
e aceita as proposlas que do imperio do Brasil
Ihe forem feitas por correspondencia effectva o
event nal.
Xa modicidade de suas commissoes, na exacti-
lio de suas cuDtas e no credito longamente esta-
nelecldo faz consisllr tbda a garantia de bom aco
'nlmento.
Tem correspondentes em Sevilha e outras pra
i^s d Hespanha.
N. B. As commissoes sJo reguladas pela praxe
;tae praca.
Elle o nm preventive segnro p cprto ccri'
a calvice.
Elle <& e restaart forca o sanidadoa |mHc <*
oabee;a.
Elle de prompts faz rossar a qucda pteme-
tura dos cnbclles.
File <\& grande riquoza bellos.
Elle dotna e faz preservar 'is caboiios, Mi
qualquer forma ou posieao quo s? -!*>-
ie, n'um estado formoso, liso e macio.
Elle faz rreseer os cahellos bast<>$ e com]
P. i >5.
Elle conserva a nolle eo casco da "cab
li;:ipo e livro de toda a especie de CM
Elle previne os cabelloi de so. tornarem \m
C'S.
Elle conserva a aabeea n'nm aatade dp fr.-
c.irn rpfrigi?rante e agiadav. I.
Elle nao e dcmasiadainente oleoso, gor. .-.--
ronti ou pegadico.
File nflo doixa o menor cheiro deaagnd*
vel
Elle e o melhor artigo para os cahellos itaa
criancas.
F.Ile e o melhor e o mais aprasirel artif ;
para a boa conservacio e arranjo dot o^-
bellos das senhoras.
F.lle e o unico artigo proprio para o ponloe-
do dos cabollos e barbas dos spnhoree
N'ENHIJM T0LCA1I0R DE SEMIOR4 SR
PODECONSIDERAR COMO COM-
PLETO SEMO
TONICO ORIENTAL
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosw
*!
Precisa-se fallar ao Sr. Joajuitn Ribeiro da
; na rua do Amorim n. 3t,
Verdadeiroe
"* GRAOS DE SAUDE]
*do doutor frahci .
* 0 melhor e ais |
bUI <1o9 pnrgaatcs c
heridos. Hmmtm
tmtmtmrm^ti I
esiatca *' .
lean<-aEiitir.
m liola "M"Hf|
, o lelreiro, aqoi jaate,
to), IS, raa 4'Aatia.
' A- RECORD.

i
CM


J


! *


"
*wrt"
3&ario de Fwfcambuou SaBbado T tfe Marco *ie 1*74.



1
FU1WHJ1W MTOWIAN
1
1HA DO BRUM 1. 52
PEORH \OS Mntaores d ageuoo ontron agricoborra, e mpreB?^or.A o n,;
tfuntamo o tnor da tuna visiu a eu eettbeledaientu, p>4".rrem o L"*o ^UaieiWi
ompieto qtra ahi tem; tendo todo toperior em qoalidade e tortidlo; o quo >,om a ins
* nES'^iL'ATSSSb 40 NUMEftO B LUGAR DE SOA FUNWQAO fi
7onnwa SpOrOE 0 lOQaS U. agUa machos ooovemeotea par* tt, diverta*
{ft Rna (to InpsHlar 49
qoe aqoi
sltfcrimiancias dot eenborei proprietario Frl deecarow algodSo.
Jloendas de canna Ql lam,nh08' "'melDOm
Sodas dentadas p *"'"vpot-
Taixas ie ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fnndos de alambiques.
Kachinismos
Bombas
i^!inHl>>
part mandioca e algodao, I Podendo" todos
e para eerrar madeira. fter movidot a mio
/por agoa, vapor,
de piteote, garantidas........ Jon animaes.
TodaS a8 maChinaS ******* wcottnmapreci.tr.
Fas qualqner concerto de "***->- pr* mDi reroaid0
Form ftS d A fflrro tem me,horei e mail Dm,M *istentet no mer
VnAnmmAni4oo Incombe-te de mandir vir qoalqoer macbioismo a von
CtUl/ULUiiloiluas. tl(je jo, eiientet, lembrando-lbet t vantagem de fazererr,
ntt comprai por intennedio de pettot entendida, e qoe em qoalqoer oecettidtde podc
lu presttr toxilio.
Ardos americanes 6 iMtr^0lent0, ,ricolM
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
o
4' ma do Barao do Trinmpho (ran do Bruin) ns. 100a 101
CARDOSO IKMAO
RECEBERAM de Tnglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para et>
genhos, as mais modernas e melhor obra que tem vindo ao mercSdo.
VaporeS de force de A, 6,8e 10 cavallos.
OaiQeiraS de sobresalente para vapores.
jlOGnaaS mteiraS e meias moendas, obra como nonce aqoi Teio.
TaixaS fuildidaS e batidas, dos memores fabricants. ...-
rlOdaS <1 aglia com cubaje de erro, fortes e bem -aeabadas.
RodaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
RelogiOS e apitOS parawpores.
BombaS delerro, derepucho.
AjadOS de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCar grandes e peqoenas.
CoDCCrtoS concer^,ra com promptidio qualqaer obra ou machine, para e que teea
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOHimendaS mandam r por encommenda da Europa, qualquer machinismo.
para o que se correspondem com oma respeitavel casa de Londres
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO d IRMAO.
~ ODILON DUARTE k IRMAO
CABELLE1REIR0S
Premiados na exposieao de 1872
H riealti stab. -Ifjcimrriir. m n !bor kI"; im-lusViulnres.
como sao : U>rz, Pk-jd, Hop, <'>' Uiki"-^' ""i" m uiua .jimti-i.-vi.- .! ^imiua *>i\>'--
n..re>, wundmU* expressamentfi coiisinrir pf bnns pianos ?6 enconlrarfto nes-ta tnsn.
Becebenj-9o pianos u^ados em truce.
r.oncortm-se e afinnm-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs. -- -' "'' '
concertadores de pianos .
que ha sempre o mais completo sortimento de materials para concertar pianos, como
sJo: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, ctmursa, cordas,
maifim, etc., etc.
49 RCA IIO IMP Kit % If OR 49
Cf
C0ALTAR SAP0NINAD0
DE LE BEUF
DESINFECTANTE, ANTI-MIASMATICO, CICATRIZANDO AS CRAGAS.
Adoptado pctoi hoplt*i de Paris e pelo* da Marinha mliUr fraaeesa.
Esm otcelltnie tonico possoe nma efflcacia Terdadeiramenle martvilhosa nos ulcerai gangre-
nosas e etcrofulosas, not cancros ulcerados, no anthrax, na otorrhea purulenla, na ozena, no
crup, feridas pelas armas de fogo, enfermidaaet do utero, etc., etc.
Empre|a-8e, metelado com mais on meno a|to, em chnmajos, locOea, iajeccJes, gargarismos.
Como dentifrlcio ordinario (nma eolherada das de cha n'um quarto de copo d'agua) e muilo espe-
cialmente cfflcai para puriBcar o bafo, saoar as tenglras doentet e tornar Grmes oe
deataa eaeamadaa. 'X "
0 sen uso e muito hygienico, sobretudo em tempos d epidemia.
Uma oolicia circtrmstaDciada tae com cada fraseo. Exiga-se a firma do inventor.
Fabrica em Bayonna (Franca), em casa do Sr. LE BEUF, Pharmacentico de 1' class*.
Depositoi: Paris, 25, rua Reaumur; Pernambuco,k. RECORD, onde se encontra tambem a
Emulcao de Alcatrto veeetalde 1> euf para fazer a agua de AlcatrSo, a soica preparacao con-
cenlrada e titulada contendo em si o alcatrio sem ser alterado nem modificado. )
Na raa do Barao da Tict'.ri. n. 36 precia-*
altar ao Sr vigark) Andre Curc:.o de Araajo P
cira, % Degocio de sea interesse. ^^
s*m1%
^s**-
O mais poderoso e o mais agradavel de todos os ferruginosos recom-
mendado pelos Professores e Doutores : Piorht, Trousseac, Jobert (de
Lamballe), Malgaigke, Ricord, Nelaton, Chassagnac e muitissimos outros
contra as molestias de contumpfdo, clorosis, opilayHet, flora brancas, anemia,
su/focafdes, palpitafte$, rachitis, etc.
EM TODAS AS FIIAR1IACIAS DO HONDO.
Deposito geral no Pernambuco, A. R-EGORD.
PARIS, 25, rue de l'Entrepot, 25, PARIS.
AVISO.
Mao se prestando o pequeno espaco do armazem
n. 10 A, a rna da Madre de Decs, para um abaste-
cido deposito das diverts marcas de fumo, qae o
abaixo a9signado almejava ter, acha-se d'ora em
diante aberto ootro estabelecitnento sob a mesma
denominajao de
Armazem do fumo
A' rua do Amorim n. 41

*w

O baeharel Pedro"Gamtiano de Ratis e a*
Silva tem estabelecido sua *anca de ad- S
vocacia no escriptorio dos Sr?. Dra To- ?.
Ientino de Carvaiho e Oliveira, a roaJ-* 9
de Marco, outr'ora da Crespo, sobraoC ^a.
com
residencla :
com tudas as pr^porcSes desejadas, e onde pode-
rio os senhores fregoezes dirigirce, certos de
;']<. como ate aqui, acbarao sempre a par da mo- ] dicidade dos precos, a maior sinceridtde possivel. !^aj
Entre as differentes raarc;is de fumo da Babia e i
Rio de Janeiro, qae tern sido annunciadas, acaba
ue chegar uma encommenda especial, e que muito
dev conviraos sPBhores fregoezes. Consciente o
aba xo assignado de que neste genero de negocio; O
bso esta sem compeWdores, fara muito por evitar i r)
qne tamlif m o? tenha com rela>;io ao pequeno lu- i rt
;to que procurara obter da dita mercadoria. | M\
Jose Domingue; do Carmo c Silva. m
RUA
DA
1MPERATRIZ
N. 82
l. ANDAR.
far o lTSSMw c\nJ-"'^' "5-n '
M
wy
RUA
DA
IMPERATRH
{." ANDAR.
Acabam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o r.ns melhores con-
diccoes possiveis de bem servir ao publico desta iljustre capital, e a"s Exmas. Sras. n'a-
quillo ^]ue f6r tendeute & arte de cabelleireiro.
F8zem-se cabelleiras tanto para homenscomo para senhoras, tupete, chignon,
coques modernissimos, trangas, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulare6, flores, bouquets e todoo qualquer trabalho imaginavel em cabello.
O estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
geiros, xecebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e figu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 /o nienos que outro qualquer, gar8t)tindo
perfeicao no trabalho, agrado, sinceridade e preco razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fdra : vende-se cabellos em
porcao e a retalho e todos os utensilios pertencentes i arte de cabeUeireiro.
CHAPE0S DA ULTIMA MODA
Chegaram lindos ebem enfeitados chapeos do mais apurado gosUD, para senhora : d
loja das columnaa, de Antonio Correia da Vasconcellos, & rua Primeiro de Mar-
tja n. 13.
n. 18, 1.* andar, onde o poderio
curar os que o qaizercm bonrar
sua confiatiQa; ou em sua
"3S na rua Velha, casa n. 30.
gffffltffftimmftfffffm
fk Advogados flj
Os Drs. padre Antonio da Cunha Fi- 9t
gueiredo e Joao Augusto do Rego Barros, mk
mudaram osra escriptorio para a rua I.*
de marco, outr'ora do Crespo, n. 2, I.'
andar, junto ao area de Santo Antonio
entrada pelo la do do caes.
E. A. DELOUCHE.
49 Rna do Marque/, de Olinda48
Acaba de reeeber um grande sortimento de re
logios americanos para parede e mesa, de corda
de 24 boras e de corda de 8 dias, com despertadoi
dos melhores gostos e qualidade.
Relogios de ouro patente inglez verdadeiros, des
eoberto com ponteiro grande no meio, dos mais
modernos e do melhor fabricante de L< ndres.
Grande sortimento de relogios de prata, prata
duorada, cobertos e descobertos. Ditos de prata
foliada (plaque ), orisontal e pa|ente, de todi.
preco.
Cadeias de plaque e de ouro.
Lnnetos e oculos de todas as qualidades.
Verdadeiros vidros dc cbnstal da Kccha, para
vista cansada.
Vende-se tudo por preco' mais baratc que em
outra qualquer parte.________________________
Apreciem eomo sc \enilc baralu
So o u. 20
RUA-DO CHESPO
UNA DAS 3 PORTAS
DE
Guilherme & Qa
CASSA-LA
Acaba de chegar esta fazenda com bonitos pa-
drSes, e que se vende pelo diminuto preco de 200
rs. o covado 111
METIM
Metim trancado, padrdes bonitos, a 320 rs. o
covado I 11
ORGANDY DE CORES
Cambraia organdy de cores, fazenda fina, boni-
tos padroes, pelo diminuto preco de 320 rs. o co-
vado 1 11
LAS ESCOCEZAS
Xovo sortimento desta fazenda, com bonitos
padroes, qae so vende a 240 rs. o covado!!!
CRETONE
Gretone claros e escaros, bonitos padroes, e fa-
zenda I'm a, pelo diminuto preco de 400 rs. o co-
vado III
LAS MODERNAS
NOVAS PUBLiCACOES HUSICAES.
. J. d'AzevedoUna V>va u. tl.
!<;hant-se i
Wer-
29000
15500
1C000
irooo
IMMfi
Acabam de publicar se, e
venda as seguinlts musicas :
PIANO SO'.
Danse espanhola, por Ascher
Arabella, mazurka, por G.
theimer
Valsa do Fausto, por Croyzes
Sonho de lma viRCEM, por Alber-
tazzi
Anna la Prie, cavatina
AoClairdk. la I.i'.ne, por Bus^neyer 19S0C
KSTRELLA DO NOHTEJp |kfl hnl,Iinte g^a.
SAi'DAgAo ao Babia i
Cricket, por Seiias, gfferecida aos
ciirii k'ts club pernainhucsiiu e
bahiano 1CO00
PIANO E CANTO.
Desespero, muito liudo romance
por I. Smoltz it
Non m'amava, romance por Guircia 19000
Tambem recebeu da Furopa grand'
menide musica para piano, piano ;
antoudos, methodos, t tr. f-tc.
CH\MAI)().
Os Srs Jovioo Fernandes da Cruz e J >aqnim Ut
mente de Lnnos Duaite, sao rlMaWatH a rui &>
G>ronel Suas>uua n. 282, a ajarfe ie parliiiiiir
inteii'sse.
mwm
select a e .e timbigo
tEnxcrlaJas)
Sapotizeiroe
e sa|v leiros de II pslip' s (fin vases) e ue loj.
os tamanhos e preens mai* itommodos qor dan-
tep ; assim como 3s srguit.tes uutra, plant.i- dc
*
pro- ^S ^Completo sortimento de la de.todas.as qualida-
if
FIGIO.
Fugio no dia l. de marco, da casa de seu se-
nhor, a mulata de name Lydia, com as sigoaes
seguintes : baixa. {rorda, cabellos crespos, peitos
grandes e eara larga : quern a appre
ga-a .a rua de Santa Rita n. 5, entrada
Nova.
Oliapas e argolas ameri
canas
0 fabricante destas, tem a honra de participar
ao respeitavel publico que, tendo de retirar-se
para a eerie brevemente, so pode reeeber encom-
mendas at6 o dia 7 de bm*{0 ; porlanto Toga aos
senhores-q'ie qnizerem munir se de ditos objectos,
mandarem as suas encommendas com anteceden
cia ao bole) E'taminet, a raa do Imperador n. 32,
das 9 horaf. ao meio dia.
rim
apelarua;|^rea[i
aeri- % ?fu
Onstando aos abaixo assignado achar-s'e nes
4a prac\ o Sr. Manotl Fernandes de Carvaiho, ren-
deiro dos engenhos ftarra e Preguiija. em Ma
manguape, provincia da Paralryba, veem rogar ao
mesmo o obzcquio de vir entnder-se com os
abaixo assignados imiiiediatamente sobre negocio
tendente aes referidos engenhos. ISua do Amorim
37, escriptorio.
Tasso Irmaos A C.
Cozinliciro
J,
33
Constructor e afinador de pianos
-Rua do Imperador
33
Ex-afmador das anttgas e afamadaa easas Pleyel & Herz, e antigo director das offlci-
na casa Alphonse Blonde!.
Tem a honra de declarar ao respeitavel publico desta cidade, que tem aberto sua casa de
concertos a afinacdes de pianos, qualqaer que seja o esiado do instruments
A jaeama casa acaba de reeaber um grande sortimento de pianos dos melhores fabricantes
de Paris, eomo Erard Pleyel, Henri Herz e Alphonse Blonde!) todos os pianos sahidos da casa
Dhibaot sao garantidos.
Compra-w e receba-sa em troca oa pianos osadot.
Narua do Imperador
n.28
preeisa-se fatlar aas segniotes senhores :
Domingos Sfanins de Barros Mrmteiro.
Emigdio Marques de Santiago (Dr.)
Jolo Vai de Olfyeira. -
Jos* Praoci*co Lope." Liaja (fazaretb).
Haaoel Pereira BrandA.)
Manoel dos Psok Miranda.
Tbeotooto de Barros e Silva.
Franusco Pinto Pesaoa (Dr.)
Pranciseo de Paula Borges.
FraneiMo Antoaio Pontual Junior.
A* Torre
Aluga-se para pssara festa um sitio. com
excellente casa de habitacfio e banbo no rio
i frenta desta: quern a pretender, pode
procurar A rua de Gervasio Pires n. 24.
j Aluga-se um moleque optimo para qualquer
servico, de 14 a 15 annos da idade : a raa do
, BarAo da Victoria n. 22. ______ '
Offerece uma inufher viava. de boa eon-
' dueta, para a ma de casa de mooo solteiro, para
' servjeo inierno, a cozinha com perfeicr..) : quera
preteo Mr, dirija se a rua Augusta n, 149.
Aluga-se ou vende-se nm bom preto lie 40 a 45
annos de id;de, e tambem se troca por uma escra-
va engommadeira : a rua co Barao da Victoria
n. 22.
Consultas : Aos pi bras gratis, das 2 as
4 boras da tarde.
Manoel sapateiro esta fu-
gido.
De?appareceu do engenho Drangucza, na
dia 27 de ''everciro proximo passad o escravo
paeto, de nome Manoel, official de sapafeiro, ja
idoso, de na^io Angola, alto, de corpo regular,
tem falta de alguns denies na frenie, e baslante
ladino, rendido de uma verilha, tem uma das
maos ou ambas afoveiradas, e costuma a dizer
que e forro por algumas vezes que tem audad >
fugido. Levou com^igo uma troaxa de fazendas
e mais objectos que comprou na povoacao de Ipo-
juca. e julga-se ter elle fugido por ter achado a
quantia de cem mil r^if, que sed senhor havia
perdido, prwaado-e com a evasio sem outro mo-
tivo, e por ter tracado na mesma povoacao uma
nota de vinte, jpreseutando nessa occasiao maior
quantia em diversas sedulas : roga-se pois, as aa-
toridades e capitaes de campo que o encontrarem
a apprehen-ao do dit i escravo, assim como, do di-
nheinr qn> elle ainda liver em seu poder a leva-
lo ao diD engenho a sea prapnetario, a quern
pertenee ditn escravo, ou oessa praca ao Sr. An-
tonio Ciimaco Jinreira Temporal, e seu conductor
serarecompen.jMdo.
Aluga-se o 2 andar eaotao do sobrado sito
a rua da Iraperatriz n. 53, e a loja: a tratar no
2* andar do mesmo.
Attencao
l'recisa sc de nma preta, forra ou esera^a, para
vender taboleiro na rua; a tratar em Olinda, na
rna do Commereio, antigamente Qnatro Cantos,
caaa t rrea. Junta ao Sr. caoitao Lapa, a defronte
do "itA'i da botiea do Sr. Joao Raposo.
Aluga-se a loja de um sobrado na ma das
THn*,,'.i'MS, aonJe !eirt*artoii.) o escririo Brito : Oflterace-se nma ama de leite com fllho
a tratar a* rna do imperxjor n, 67, S widar. I tratar na rua da S Miguel n, 22, em Afogadoa.
CoBsnltorio medico
DO
Dr. Murlllo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde ire-
quentou oa hospitaes de Paris e Londres,
pode ser proenrado a qualquer hora do
dia ou da noite para objecto de sua pro-
fissao.
Consultas das 6 horas da manhi as 8 ho-
meio dia as duas da tarde.
aos pobres.
ESPECI ALIDADES.
...stias de senhoras, da pelle e de
O crianca.
AfTonso Jose de Oliveira professor jubi-
lado da cadeira de gepgraphia e bistoria
do ex-Lyceo desta cidade, autorisado
ptda direetoria geral da instrucclo pu
Uica, tem aberta uma aula part cular de .
lathn, na rua do Duque de (.'axis3 n. 61, \J
I." andar, onde esUra a disposifio d'a- Qt
quelles, que de seu prestimo sc quize
rum utilisar.
^ A.dvogado.
Obaoharel Joao Gitirana. advegado em
Pa I mares, e pode ser procurado na villa
do mesmo nome, outr'ora Una, alto da
Estacao, n. V.
% CoDSuHorio medico-cirur&ico |
A DE & %
% A. B. da Silva Maia.
ft. Rua do Visconde de Albuquerque n.
M 11, outr'ora rua da matrix da Boa-Vista
V n. 11.
Jf Chamados : a qualquer hora
1
I
ia m
tl
Ie a
-a
3-g

des, pelos dimTBtlfoTTrrp^tJs de 4C0 rs.TTtCWdo,
e pechincha 11 1
Cortes de casemira At cores, a 5(00.
("olchas estampadas e com barra a 32500 e
41000.
Cobertas de chita adamascada a 3*300.
Leui.oes de bramante a 2*000.
Ditos de algodao a 1*400.
Toalhas alcochoadas, duzia, a 3*800
Lencos de cassa com barra a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa ahanhados a 2*000 a duzia.
Ditos de esguiao abanhados, em caixinhas mo-
dernas, duzia, a 3*500.
Cambria transparente Gna a 3*000 a peca.
Chales de todas as qualidades e precos.
Bramante de algodao e linho a 1*600 a vara.
Dito de linho puro com 9 e 10 palmos de lar-
gura a 2*500 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, largo, a 5*000 a peca.
Dito domestico a 3*000 a peca.
Brim com listras, irlandez, proprio para cami-
sas, a 440 rs. o covado III
Madapoloes Irancezea de todas as qualidades de
5* a 8*590 a peca.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, pelo di-
minuto preco de 8*500.
Camisas inolezas, todas forradas, fazenda de
linho puro, a 41*000 a duzia ; e pechincha, so se
vendo.
Popelinas de linho e seda pelo diminuto pre.o
de 800 rs. o covado; 6 pechincha, e dao-se atnos-
tras.
S6 o n. 20 da rua do Crespo
Loja das ires portas
DE
Guilherme & C.
JUNTO A LOJA DA ESQULNA
ESCRAVO FfJHJDO.
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor
rente, do engenho Serigi, coraarca de Gnyanna, o
escravo de nome Jose Borges, mestre de assucar,
tendo os signaes seguintes : cabra, idade 30 an-
nos, poueo mais ou menos, boa figura, um tanto
grosso e cspad3udo, sendo o signal mais visivel
uma gomma na junta do p& esquerdo : roga-se a
todas as autoridades e capilaes de campo queiram
apprehender dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & C, lar
go do Corpo Sauto n. 19, que serao generosamen
recompensado3.
frucla e de oraalo :
Atecati.
Acacia.
Ariticura a pe.
Canella.
Casuarina.
Carolina do pnr.cipo.
Condeca.
Cora-.a'o da India.
Figueira.
Flamboyant.
Fructa jiao.
Irgado Para.
Jamlio.
Jasinim lar.'.nja.
LaraDja da China
Di!a do ceo.
E ou tras planlas :
ura n. 20.___________
Aluga se uma r
deireiro n. 21 : a '
*' .^ uo sol.
Laranja cravo.
Dita i'e laica do Para
Dita hn tea.
Dila tingrrina.
Liaaa da Penia.
Tita di> nml.igo.
Limao Iran -ez.
Dito doif, ;>\.;rtad
Oiticf ro
I'amrua iiopeiial.
Parr.'iri
I'inheira*
IV'ii.nras.
Ruidraa.
Itozoda.
t'Laia.
ua i apunga a rua da \<:D
i da PrajA j
rua do urtramento n
0F1NA
i
Esta Af?un nioR> ,11 (tctra dun
Tanto tla **ira.
Rnga-se ao lllm. Si .,.._. .
rrivao na cidade dc Nazareth desta prOTfcKJt
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a Ma-
emir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jrnal, em
dns de dezembro de 1871, e depots para janeir .
passou a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprk;
e por este motivo e de novo chamado para d:;
im, pois S. S. sc deve lembrar qne este negocio
le mais de oito annos, e qaando o Sr. seu lilho h
tchava nesta cidade.
Empreza do gaz
A empreza do gaz tem a honra de annunciar a
publico que recebeu uliimau.cnle um epl. l
soitiuento de lustres de nire, taaaWHa, aran-
delas e globos, cojas amo.-tras e>lao no escriptif.
a rua do Imperador n. 31, e serio vendiJ..* a.
sens freguezes pelo preco mai> razoavel po.-sivel.
Aluga-se o quarto andar do prcdio n. .' da
rua do Bom Jesus, antigamt-nte rua da ijuz : *
tratar na mesma ma n. 55.
Altiga se a casa da rua dc S Joao n. 79 : a
tratar na rua Duque de Caxias n. i4.
M ._.
LOAA
Aluga se a loja do .-ubrado n 9 da iua da Aa
rora : a tratar na rua do llospicio n. S6, tav..
ou na rua Ja fmperatria n. 10, taverna.
- Aluga-ee o 2.- e S:
andares do sobrado n. 47 da
rua da Impcratriz : na
do Hospicio 11. 33.
rua
ALUGA=SE
o 2* andar do sobrado n. 52 da rua Marquez de
Olinda : a tratargarmaz jt em do mesmo predio.
1
Attengao
Furtarara na noite de 27 para 28 de fevereiro
ultimo, do cercadc do engenho Santos Mendes, os
tres seguintes animaes : nm burro todo preto,
grande, com a sarneia ralada da cangalha e nm
calo, com dons no hospinhaco a ignorando-se o
ferro do mesmo ; outro de cdr melado sujo, de
meio, e estradeiro, tem signaes de cangalba, nma
das juntas dianteiras e mais grossa e as vezes
maoqueja ; e floalmente uma burra de cor casta-
nha, muito nova, com um ealo de cangalha em
um dos encontcos da pa, fncinho e rod.-is dos olhos
braneos. Os dous ultimos teem o scgumte ferrro
Q. Quem os apprehender, ou der noticia certa no
.mesmo engenho on na praca do Corpo Santo n.
|9. no Recife, a Oliveira Filhos A C, re-ebora a
gratifica(,"ao de I5C*. ou 50* por cada um.
Recife, 3 de margo de 1874.
melat-M de uma ama para casa de duas
pessoas, para eozinbar e engommar : na rua Di-
raita n 2, prinw'ro andar.
Aluga-se
0 armavcm no caes do Capibaribe
n. .
Aos senhores de engenho e
outros proprietaries
que pretenderem contratar ediflcacoes de predios,
asa s de campo, on chalets, demarcates de ter-
as, nivellamentos, assentamento de machinas a
vapor, plantas ou outros quaesquer trbalhos nes-
te genero, queiram dirigir-se pessoalmente ou p.r
escripto a A. Coutinho, a rua do Crespo n. 18, !.
andar, escriptorio.
SAQUES
Carvaiho & Nogueira, na rua do Apollo
ir. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agencies em todas as ci-
dades e villas de Portugal, 4 vista e a prazo
por todos os paquetes.
Na rua de Santa Thereza n. 60 se'dira quem
vende 60 palmos de terreno. em Belem.
301000 mensaes.
Uma familia de tres pessoas precisa de uma
criada para arrumagoes de casa e engommado,
pela qual da o alnguel acima : na rua de Santo
Amaro, n. 72, janto a estacio.
Alagam-se as casas do beeco tapado, com
porlao encarnado, no pateo da matris de Santo
Antonio : a tratar na raa do Rangel n. 34, 2 an-
dar______________________
Alngam-se o e 3* andares di> sobrado n.
47 da rua da Imperatrix : na rna do HVpicio na-
mro33.
Livros baralissiiims.
Vende se por todo preco algumas obras de di
reito, liUf-ratura, p .esia, bistoria e religiao, em
francei, inglez e portaguez : na rua do Cabuga n.
H, l"ja de j'ias.
Precisa-s* de am rait \r n 2 4 annos|
[qae tenha pratiea d.- padafi u m. -mo em eda:
na rua Due ta n. 26.
ALUGA-SE
nma caaa na Capuuga, rua
com coxeira e quails Ion
Vigario TeB^.rio n. 31.
las Pernml<:-cana-
: a i ..it in rw
hu
a ran nuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36. p: allar a"? Srs Pedm dta Rpo Chav- IVixotc t
ose Paes da Silva. a r">poci" de pai lo-iilar intc-
-sse
Precisa-se do uma mulher pjitugucza qu-;
queira ir para Portug;.! em compaohia it uma
familia : a que quizer, dirija e a rua Duque d^
Caxias n. 65, para tratar.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica d'
molhados : na rua do Rangel n. 37.
Coiiipauliia
Santi Thereza.
Sao convidados os senhor-s acciouisus para
reunirem em assemblea geral no dia 12 do cor-
reute, ao meio dia, no I* audsr da rua do Vigario
p. 13, alim de l< es ser prestute o relatoho e ba-
lau.o do anno proximo lindo.
De confonr.idade com o art 16 k- -tatotos a
reuniao tera logar defioitivameate nrrn ns senho-
res accionistas que cetnparecerem
Recife, 2 de maro de 1874.
O gerente
_________ Justino J. de S. Camp.*. ____
lioubo.
Na noite de 4 para 5 do corrrote roubaram da
raa dos Pescadores n. 19, toda ronpa as oao com
as iniciaes do abaixo assignado, inclusive I eba-
peo de feltro. 1 par de Lotinas e 2* em dinheiro,
o ladrio aproveitando a occasiio em %m as p-
aoa da casa dormiam no quintal, entron pete
frenta na alcova e alii pescou todo quanto eooaa-
trou nio so nas canastras por esurm at*ru
como f6ra; desconfia se de um vf qoe ha temp i
su-pendeii com 3*200 de urAarto da nv:
casa. Gratifica-se bem a pessdlque d*ooorir
der n<>t ciaa certas.
RcciiH, 5 de marco de 1874.
Laoriaae Jose

1
"mM.ntan.t.
dpV
i
ILEOlflL
I



'
*
JfotiG 4er?*&iBbuo Safcbado 7 de Maarcp de iitfl
. -
Barbcijcp
Precisa se da^om bora oflMal de barbeiro, da se
meiacao aw traBal'io ejijnwmentc a-otlBa : no
salao (Li run DAonc de-(axi<-n. T:, atidar.
N. 271.
Aanada.

Na rua do Barao da Vfcajoria n 36, precisa se
fallar ao Sr. 2.* tenente Jose Maria Pestana, a ne-
gacio de sen interesse.
Vende se oa troca-se uina grande cask de ta-
boa, na raa Imperial, com quintal cercado, com
grande aterro, portao de nra lado e nc quintal
que bot* para a linha ferrea, eon madeiras no-
vas, preferindo se a troca por uma nesta cidade,
o preco 6 muito co-nmod : qoem pretender di
rija-se a mesma casa, que achara com quern tra-
tar.
Funarara um eavallo de cflr rudado, m a
greirao, ciiuas para a direila, .pescoco pedrcz a
com dous ferres em seguida iuil- doi oairo emo
quarto esquerdo tem I, signal que lu.uxe de fa-
jeii, cujo cavaNo foi furlado no dia 16 do corren-
te raez, em um rancho da estrada nova do'Caxan-
ga: a pessoa que do niesmo dc r m.iicia a Ber-
nardo Jo?e da llorha, moradiir em Pajeii, ou na
rua Primeiro de Marco u. 18, loja, sera generosa-
mente cntila-ada.
Recife, 17 de ft-vereiro de 1874.
IW!
Rua 1. de Marco n. 23
O abaixo assignaJo te:a s;mpre exposto a ven
da bilhetes da loteria Jo Rio, cuja extracclo an
nunciara pelos joruaes.
Precos.
hit.iro 2ii000
Meii' 12*000
Quai to 61000
Manoel Martins FiuJa.
Preodsa-se de
duas am as para
casa de pouca fa-
railia, sendo uma
para cozinhar e Outra para engommar, pre-
feriudo-se escra vas, paga-se bem, se agradar:
a tratar no largo do Paraizo n. 28, 1 e 2
andar.
j Grande pechlodti
Em Hildas las
A Roza Branca, ja bem conhecida como a mais
barateira, acaba de receber las para 540 e 380 rs.
o covado, e um grande sortimento de las finas a 500
reis, faaenda que vale 800 : venham a Rosa Bran-
ca ver nara crer, na rua da Imperatriz n. 56.
A ma de leite
Precisa-se de uma aroade leite, sem filho
rua da Praia n. 53, 3." andar.
na
Precisa-se alugar uma aaa-escravS pa*a
comprar e cozinhar para uma paqttena familia
estrangeira : na rua do Marquez la Olindak'n 49,
bia.
_i___._________________ ------------------
Pr*ena cant de pouoa fadvffla, preferin-
do-se que compra"", agradando,
paga-se bem: na raa do vigarlo" n. 33, no i
andar, esqulna.___________________ ^
Precisa-se do uma ama que saiba coemhar,
AMA
Casa de campo
Atnsa se a ox me casa da trave&sa de Pay-
sandti h. 3, prosima a^ hospital portuguez, com
eomoiodos para grande famiKa : para tratar, na
na do Amorim n 86. andar____________
ATTENQAO.
Na riK estmttt do Rosario n. 35, sobrado de
uiii andr.r, aw-a-se a ttdos os freguezes que cos
lumam todas os anaos a mandar fazer flores para
aquaresma, que tem palma.- para sepulcrho, sipos
da flores para aajos, diadomas para capacctes, ro-
sas para euffe'tes ; Indo se faz por muito barato
preco : na rnesfBa-casa nz-ae bouquets para noi-
vos, para offerias cum titas bordada* a ouro e le
treiros a gi sto de sous d-ms, e faz se ricas ban-
dejas dc b.! para caramontos e bailes, tuio com
asseio e b.r.iteza._________________________
Aind -uinua- fuftido o preto Ignacin, d-
altura regular, seceo do Corpo, cabeQa e pes pe-
iiuonos. iaiia a.: denifs na- frente, deve ter M nos
d is de.ii'S das mao.i caieiados, doservico de padae
ria. i i) aaoi s ae idauV, fugi i em 4 de ja-
neiro |irxnnn passado, eonsta queanda no Barro,
on enlao fpjjuio para <> ser'ao : pedc-se as auto-
ridades ou ti^soas lora, e ieva-iu i rua do Luna n. 1i, |>adaria, em
Santo .'v:.:..iij das Salinas,
50*000.
quu .-e gr^tiucara com
iffoDSO
de
Aftoquerqne IJeiln
inenmbe-se C\.- promover obrancas arnigavel
ou juiii.;.-''... :;, nsia mno de oulmu negeeioB
ronfprn i :-ua profeSf, nos lagares prozi-
!:ics n |i-': i f rroa. e no= nulros lermoe proximos
a ps..... '" : para cofn auxiHo lr>m o annun-
i-anti' s i ires babiiitad' >abili.-ai; ':.' ii enlaaUc |i!a boa gestio e conta
iiq1 -'!: for nfi '
S. JlcJiCril ;;' -in 3COdC fli'S cb.'.. IS
Vara il,lqferi,*iij f|>ra da cidadeedo
rn, in y, ;,.. ,i;1 ,|,,|,,za 'e -^fllacoos ante
- Ir.h n d ::.-vi.i.
Eara casa de bomem solteiro
arao da Victoria n. 60.
a tratar na rua do
se estrangeira:
Precisa se de uma ama pa-
ra ^) servfeu ejfltfWde- casa
de pouea fatnflla, preferindo
na rua brfjie de Caxlia n. 65.
Precisa se de uma ami para coainhar e qae
compre : na travessa da' Corpo Santo a. 2ft
Salsa Parrilha
Vende se muito nova em r6los pequenos, che-
gada nltimamcnte : na rua do Bom Jesus n. 7.
*
ii
Vende-se uma escrava parda, de 25 annos,
perfeita engommadeira e eozinhcira, para fora
desta cidade : na rua de Hortas n. 96.
BO-DMioalrtttiAB
Vara rutituir procrnti**niefite aot cabellot
acoaSUl#>Po1>'MadasV*r
wrMUmtklor.
Air | Precisa-se de uma ama que
VI A cozinbeperfeitamente, pSracasa
1"X t\ de pouca familia, paga-se fteW:
a tratar na loja das 6 portas, em frente d Lrvra-1
mento.
ate
Na raalarga do Rbsarlo n. Jf, loja. ii al-
cado, precisa-se de uma araa que saiba cozinhar e
comprar. .......
Amn Precisa-se de uma ama para casa de
- vina familia de duas pessoas. para o servico
interno : na rua Direita n. 28, 2 andar.
ATTMCAO.
Antonio Jose Rodrigues deSeasa-, em seu s-
criptorio a rua do Crespo n 6, eoinpra, por boas
precos, escra7os das diversas cores, seXo* e
dades.
i Na rua do Corredor do Bispo n. t7, precisa-
se de uma ama forra ou escrava, que saiba eo
zinhar, comprar e engommar, paraa casa de fami-
lia de duas pessoas : paga-se bem gradaodo.'
Aloga-se
uma sala na rua Doque de Caxias u. 61, propria
para advogado ou cartorio : a tratar na lo]a.
Os abaixo a-signad s deelarara pelo pre-
seate, que amigavelmente dissolverem a soeieda-
de que tinham no armazem da rua do Imperador
n. 16, que gyrou sob a tirma de Silva k. Irmao,
ficando o socio Oljmpio unico dono do referido
estabelecimento e responsavel pelo active e pas-
sivo.
Recife, 28 de fevereiro de 1874.
Olympio da Silva.
Mauoel do Nascimento Silva.
fllptJbllfeaties e-'trtbtlartKBitaS:
Deraoe*ti -e a risWcratas. -
FfeHmddr* tottfeffertdds;
Commutialistas e communistas.
QMrMrlb#l0vi8ttt)s(i9i *mt&-
Tod ton detem ir
r;arii*w!oa,"nft) reonidei'
FfeereffratiiafrW^ antes -v
finals naanmmwiriig
U#e oabanoooii fubeja
) V
HA
LOJA DO PAVAO
HA
aw ibiinoct i
Rua da Imperatriz n. 60
PARA LIQUIDAR
(;rosdenaples preto a 1*200,29009 e
2fo00.
I
ti&S&rto (kv YktoFia b. 22.
A'- eale grande esWl*rleeimenM teVn che-
gadfj'tirfl bftm-soVflhlteritd de machia*s para
0 Pavao veude graodestwlimvoto do gixis-
denaples preto de pura sfida, rlBSOO-,
19800, 290b0 e 29500' a covado, tendo
tambem do mara largo e mais oncorpi>do,qoe
costuma a vir ao oaercado, e' vende por pre-
to em conta.
Granadioa preta a &OO rs. o
covado.
0 I'avSo vende granadina preta e lavrada
pelo barato prero de 500 rs, o covado.
GHALES PRETO DE GUIPURE A 49000.
0 Pa>ao vende chales de tres pontas, sen-
do de guipure verdadeiro, pelo barato pre-
^sys:fttaw0cl-u'--
coa*rBf delodoaos aatorea
dfts*;uWriiWBirttfha-*Europfl, cujas machines :j ,polllo
sio garaBlidas^ par uro'aRno, e tdido um
pelfe^Jartlate^perB'feBrtna^a^fljfeilas, em
qualqtt^r parte desla cidade, comb %em as-
sum~c ipSfn '0 i^ anno" "som; ds^nJioiifgi!r^-d-c<->Twpft8k>r.
rao preCOniSaUOS-i llfci^^stabeleeimento ta.-nbem ha perte*|as
pWata ioesmas macainas e se sup pro rtfll-
Fabricados a*Jfc7' q"s^*W*essArio. K^tas nla-
V&V******1* chtaaK ^rtf)54bawJtff'to6V a perfeigaoaWe
So^-^mSbtev.' ^ta; douSilwapontoarf** e borda Mtea
mnfem^>faf'\kaa^ip*w wa, s*>s
uiwwo
enfesiado
a pieca.
0 PavSo vendo pe^as de madapolao en-
festado, pelo barato preo de 39000 a pec,a.
Ditas sem ser enfestado, com 20 jardas, a
59000. Ditas com 24 jardf s muito boa
fazenda, a 69000, 69500 e 79000.
C*M SVS PRANCI-ZAS A 2*000, t9500'
39000 E 39690.
ALPACAS tRETAS A 500, 649 E 890 BS.
0 Pava> tem um grande sortimento Ae]
alpacas pretas, que vendea 5uo, 640 e 800
rs. o cofadd, assim eomo grande sotti-
4 m nfcTMHl o r tM* aW{tf3a.dahi jpiltl> qtwlidade : [iira ] t*3-' mento de eantoes, bombazinas, princeias
g' .*:-------^"i.-------^"-----fc-*- oaftaraaao de 399099/ 4O9O0G 459tt>&''pretas, merinos, e outras muitas fazendas
Pltthlllha gf%m/ GStf-. ClUfiK e-WJlWW, para*nrbattfar com o p<: sao*de!proprias para luto.
hraia 909000, 909000, 1009000, .no99tr
O PaVlo veade um bunito aoruaeeto ie
camisas frarwetas earn peito de algadio, a
29000 e 29500. Ditas com peito de linbo
de 39000 a 69000. Ditas bordadas moito
finas de 69010 a 109009; assim cWo
grande sortimento de cetoolas de'linbo e de
algodao, por precis baratos, e tambem ten
coiopleto sortimenlode punhos e collarinhos
t-nito de liiilio como de aigodao, por prer^o*
era conta.
KsunrtiTuoM a 39&00, 490 e
0 Pavao vonde um bonito sortinaeato de
espartiliios moderoos a 39500, 4*000 e
.ijowo, assim como um bonite sorOannto
desaias brancas, bordadas, a 59000 e 69000,
e ditas de lisinha de cores-* 39999: ^ p-
chincba.
CORTIXADOS BORDADOS PARAC4MAE
JANELUS, DE 79 ATE' 2i9000 0 PAR
0 Pavae vende um grand* sortimento de
cortinados bordados, proprio* para cama e
ja net las, pslobaMto ptocode 79*00,89009,
105000 atri 259000, assim como : eolxac
e damasco de la muito Una de 109090 a
l:'990t cada uitM.
t2O900O,l13090df 15J?000','-200^009
to** *>Lt^auaaffl^^aotje 80 cj^rjoO, emquaato aosTtutores -aid lia*l-
. loja. ** tres portas, do btMlberme AC,
I a loja da esquma._____________________
V^etid0^om babad' cres**|
?i

;i t.irde '-in
!e (i.ixi.is a. 37.
[ oue -1 r prucurao
sea
nntono
0 Extracto tompQ^
I
ae
Precisa-se fallar com o sr. Jose Maria Go-
mes Braga, filho de Joao Antonio Gomes Oraga,
natural da cidade de Uraga, e de D. Anna Emilia
Correia Braga, da cidade do Porto ; isto a negocio
de seu intereste : na ma do Conde da Boa Vista
n. 26, ou rua da Imperatriz n. 20.
"~MlBiT~
Para tranquilidade das pessoas que teem pe-
nhores em poder do abaixo assiraado, declara 0
mesmo, que os objectos roubados eram sens e
cstavam fora do cofro dc sua casa, onde estao
gnardados os objeetos dados em penhor, em cujo
cofre os gaiatos nao ousaram tocar. Recife, 2 de
mar<;o de 1874.
Julio Isaac.
Pit*
s rosabamar.a rua dWaipirati* o.6;-TeJa
edo."
teraQao de-precos, e osoorp jadore* -podimo
v bttarneata'' ostabaleeiaiento # quo- >a to. de-
ye?ao gostar pela variedade ds9*0fcjector' me
ha Sempra para vender, cdnso sejsyte ? cadfei-
rssparaviigem; rasfes pan*-*iagwo> caiei-
raypara salas, ditas-de bdtmeci) dilas pfra
crifta'(ahs)} dilaipars eseobay costotei-
tas riquissimas, para senhora, -docyonsOeis
-I r> at de ferro para homenLe cnancas, capacnos,
commenoa a 5#:
A rosa branca pede as pessoas que precisarem,
que venham ver as eal$apara se certiicarem do
qne dizemos : aaicua da Imperatriz n. 56, loja
do Azevedovi
PECHiNCHA
Cortes de casineta escura
a a^oo.
' Chfgou para a rosa branca, ca-inuta escura ca-
ra calfas ou paletots, fazenda superior a muitas
caeemiras, e pot este preeo-e dagraca -r tambjpa
5e da a obra prompta : na rua da Imperatriz n.
s&, loja do AwveoX_______________^^^^^
Attencao
0 Dr. Amaro Joaqoim Fonseca de Albuquerque
declara a seus devedores que se acham era mora,
que Ihcs concede 0 improrogavel prazo de 30 dias,
contados desta data, para virem saldar os mesraos
detritos, sob ppna de, sera excepcao alguma. tindo
0 inlicado prazo, ser promovidoo recebimento ju-
dicialmente. Recife, 6 de marco de t874.
ID{|
LSAPARRILHA
Do Dr. Ayer
PURIFICADOR DO SANGUE
/'ira curar cssas molestiai fpie prwem d i rtcio on 1 m-
&ure*a tto Sanyue,c da Eacrofula.
MOLESTIAS CUTANEAS. CALLOS, MANCHAS,
IRRUPCOES, ETC.
9
Rheurcatismo e Gotta, Dores o
Affeccoes dos Obsos, Mai dos Ol-
boa, liebilidado ou ffaqueza geral,
Dyspepsia, Incommodo do Flgado,
Cmt falta fjeral de saude e uma'
diapoeicao facil ao eoffrlmento, sem fallar de
rar'oa mttros ineiymmodot, alffumi peqttenost outros serios,
s5o o* roaultndos o oonsequeucias quo mais tatde ou mala
redo occorrem.
AS MOI.ESTIAS do que padoco o texo feminino, tam-
I>--- qunnl aempre sfio dovidas A mesma causa.
O unico tratamento efBcaz a unica.
maneira aogura de readqulrlr a saode a
de restabelocer o corpo, 6 mediaute o
emprego liel a conatanto deuni Puri-
ficador A.lterante como a
SALSAPARRILHA AYER.
!a sciencla medica apresenta eate rema-
dio ao povo como o melhor a o mail
aeguro quo oUa couheca para o flm
U-.'ejado.
Altm da ralzdu'Saltaparrilha ella t eompotla das prln-
cipaet subft'incUts medicinaes que a experimcia tem demoi*
trado lerem at melharet que fornect a natureza que a
arte t*rx descoberto para extirpar do ganyue a dos humores,
eum viciot e comprbts que >ao agermende tanlamolettla.
logo quo a Sat.saparrilha Atkr haja penetradono
eyatema, comeca enlilo a obra do restabelecimento.
KSo e n'uro momento nem em um dia
quo a molestlu doxapparece,
Pouco a pouco, degrao aobre degrao,
< sangue vaa readquirindo sua pureza, o
roal vac cedendo o a saude, o vigor a
robust ez, apparoaem!
Medicos do alta reputaclo concordam
no valor e utllidado d'eata lneaumavel remedio.
Todos os dias apparocem novas provas da auas vlrtudoa.
Todoa os dia- aiigmanta o eonsumo.
O poro todo. intelligente e obeervador Tt n'ello am melo
fidedlgno do Uvrar-se das anaa-prlnelpaea doencaa a da
rastaorar ana ssada e por cOBsegnlnte tornar mais alegro
sua eiiatomia e mi! duradoura a raa vlda.
B* vm Eipeeifico contra grande parte d' etna dotneat
ehrotiicas, BheiimaHntuf, moleeHat eutaneeu,*ta.,
que aao cauaadas ptla Itfectao venerea, ou antiga ou Htr-
dada.
f
A maior part daa moloatiaa
cbxontcaa, a mesmo das oulraa da-
quo aoffra o povo, ae orlginem
n'nm eetado doentio a morbido
do sangue.
Logo quo este alimento da nidfl
mV> estrVer pnro o oa qaa so
aohar canejads cam a hflacctw da rphilrs (taHves j4 da
anaoi paaeados), a molesUk ha d appareoar aot unra Ott
o"tr fonaa aprosentacdo dnerentaa s/mtomaa.
k k*Do POR
Dr. j; C. AYER A Ca.. ^^eu, turn*,
Watadoaj XJni&oa,
< rrottleot -ytUot,
ATTENQAO
Antonio Jose Rodrigues
de Souza, em seu escriptorio
ama do Crespo n. 6, compra
escravos das diversas cores,
sexos e idades.
* Frastes. |
Compra se e vende-se trastes novos ^
mmmk
Km
aV
m
u usado3 no armazem da rua do Im-
perador n. 48.
f
# # # ^) & # 9 9
E' na verdade bora ne-
gocio.
Compra se ou arrenda-jc um bom engcuho a
margem da estrada de Ferro que nao exceda da
estai;ao di Escada, que sija muito bom d'agua,
e terras de muito boa pruducQio, nau so duvidara
dar-se tres contos de reis de renda e coin vanta-
ge m ; e bom preco co.-no venda, mem o tiver e
quizer dispo.. pode entender-se com o Sr. Anto-
nio Climaco Mareira Temporal, em sen escripto-
rio. a iua do Bom J -sus n. 51.
Antonio Jose Rodrigues de Souza em seu
escriptorio, a rua do Cre-po n. 6, compra escra
vo= do diversas cores, sex-.s e idades.
Neste estabalecimento eoncertam-se chapeos de
palha, seda e velludo, para sentiuras e memnas :
sendo formas das mais mnd'-rnas at4 hoje chega
daa. Tambem se concertan chapeos de todas as
qualidades, para homens, garantindose a perfei-
cSo dos concertos.
No mesmo estabelecimento tem uin lindo sor-
timento de chapeos de paHia, dos mais modernos,
enieitados eom mutto gosto, e pelos precos de 16*,
18* e fO*.
Chapeos de seda e de ve'.lodo, f rows modernas
para 10* e 12*.
Para luto.Chapeos para senhoras a 10,5 e 12*,
e para meninas a 8*.
Vende-se o engeobo Rocas-velhas junto da villa
do Cabo, e perto la estacao da Iiha, uma leg.ia,
com a safra e bois, ou so o engenho, nioente de
agua, que pode safrejar de 1,300 a 2,000 pa?s de
assucar : atratjr n> niesmo engenho, ou a rua
Imperial n. 92, com Thomaz Antonio Coimt ra.
E barato.
Vende se metins de lindos padroes, fazenda
boa, pelo barato preco de 300 rs. o covado : a rua
do Crespo n. 25 A, loja da esquina. Dao-se amos-
tras,____________________________^__^
Vendem
Wilson, Rowe & 0.
Fm seu armazem'a rua do Trapiche n. 14, o se-
guinte:
Algodao azul ameriesno.
Fio de vela.
Carvao do peilra do todas as qnalidadc-'.
Tudo muito barato.
,Ti
ill
Compra-se um lustre de crystal pana gaz que
tenha de 4 a 6 bra?03 ; assim como nra outro pe.
qui-no de dous bicos : na rua da'Palica, ven
n. 71.
da
M.ll.iial

V*!N0Aff.
Pouco mofo.
lirim pardo muito fino a 400 r. o covado : so
na rua do Queimaaa n. 43-; afjrrrveitem que e pe-
hincha, aa loja de Gberra cS Ferirandes.
Neste estabelecimento vende-se milho nova en1
saceo com 14 cuias a 4*."WO.
Vend*-seia-ttveraa da ira VelhH a. 81, 4-e-
guezia da Boa*Vlrta, pa^iHa-paM qhalqu*er pftssoa
principiante
rne-ma.
por ter poucos fund is : a tratar na
Vaccina
VVnde se vaceina muito nova, chegada reao(e-
mente da Buropa : na Pharmacia americanaj de
Ferrelra Maia &C, a rua Duque de Caxias ou-
mero 57.
F.
Vende-se a taverna da rua da Penha n 6, bem
afreguezada p:n a terra; o motivo se dira ao com-
prador a tratar na mesmi.
Engenho a venda.
Vende-se o engenho Patajzo, sito na ilha de
Itamaraca, e levantado ha pouco tempo em terras
da sitio Soccorro Acha-e o referido engenho
moente e corrente e 6 a vapor, sendo o respectivo
terreno assas nroductivo de eanaa, mandioca, mi-
lho, ti\\ah etc. Alem dos terrenos de panta.ao,
ha uma boa solta para gado, mui'as arvores frnc
tiferas, inclusive coqueiros e optiraos lqgares para
grande* viveroa. A sitna^ao da casa ae vivenda
e agradavel, e clima e passadio da ilh de Ita
rnaraca sao muito apreciaveis, alem de outras
vantagens qua com a vista mplhor conhecera o
comprador, dinginito-se ao referido engenho, ou
informandii-ie ua rua do Atalho a. 9, freguezia
da Boa vista, junto a caixa d'agua.
Vende-se
nivtra sa ellas
duas escravas com
: na rua de Hnrtas n
habilidades
96.
Terreno em Beberibe.
N* rua do Imperador n. 57,' loja, se dira quern
vca*a-por precu cumaiodof, um terreno nm Bebe-
r.be. no lugar Aguarlnha, com mil palmos de
Irente e 88H de funlp ; tambem' e retains, se o
nnmero de preiendentes for snlDciente para todo
o terreno. ..... _____
Carro americano.
Vende-se um carro amercano de 2 on i assen-
k, a voutatle, em perfeito estado : para ver na
fabric* de carros a rue da Florentma n. 14, e para
trataii na rua Ni/rt n. <9, l. anlar.
Vende se uma preta, crwula. de :i6 annos,
que cozinna, .ng.nima e lava, beai sadia e sem
vitioi; 'uma1 parda vimTa 14 |o|te, eom todas
as habilidades, e urn *et dl SOamios, de boa
conducta : na rua de Hortas n. ^ 10
espe'.bos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para cha, fa-
queiros com cabo da-metal e de marfim,
ditos-avulsos, colhereade metal fino, condiei-
ros para saia, jarrca, guarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatories completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muttodevem agradar a todos
que Tisitafem este grande estabelecimento
que se acha aberto dsde as 6 boras da ma-
nbS ate as 9' boras da noutei
Rua doBaraoda Victoria n.
22.
Alvi^aras.
Venham todoa apressados
E com os bolsos reefceados,
Do Campos ao rtnazem ;
Venham, nao falte ningum
Ver o grande sortimanto
(Um verdadeiro portent")
Que para a quaresma tcP.i ;
Cmiprehendem ? ora bem !
E' com as tripas pulando de conteatnmento que
rae apresento ante a onda Raftrr-nomica das sa-
bias e illustres barrigas pernamhucanas, felicitan-
do-aspor ja se acharem livre da pena de ioterdic-
to e poderem sem receio da algurna indigostao ex-
coaimungada, comerem os mais finos e saborosos
cdmestives, coadjuvados por uma cawata de vi-
nhos de todas as qualidades, deixando a quem
dezejar o direito de gritar: viva o triumpho das
barrigas II..
Mas, como ia dizendo, nao podia deixar de
acontecer assim, considerando-se como foi sabia e
bem barrigalraente planeja to o ataquc das bar-
rigas grandes, contra a sucia dos bandulhos ca-
ninos, que ostrificados a idea ficticia do infer-
no bicho invpntado pelas grandes barrigas, pa-
ra horrori?arem as barrigas sem tripas, sustenta-
vam a mais ab?urda das monstruosidades : a
infallibilidade do principal bojo do amor as avessas
e de tripas dad is e a forea do tripadas qneriam
hypocritamente alimpntarem a pelludae famigera-
da ex questao do dia centopea negra que en-
rulada no capote chamuscado da iuquisicao, pre-
tendia assar o mundo das barrigas, privaudo an-
tes a humnnidade do ganhar dinheiro e de em
temp.s ctmo e-to de quaresma :
De fazerem prnitencias
Enchendo bem as narrigas,
Poi* nao e tempo de briga",
E sim e, de abstinoncias.
Mas, como ia contanio, custou, porem afinal,
depois da rasnrada que the passou no pescoco os
poden s podernsos, a cabeca foi parar no fun-
do do rio e o rabo, como ruim da esfollar, ficou
no secc> exposto aos pontapes de qualquer gato
pingado, deixando e verdade, magra as collegaa
barrigas, que despeitadas vao tratar de se nutri-
rem, vindo ao armazem do Campos, a rua do Im-
perador n. 28, on !e com certeza encontrarao alem
do que desejarein o seguinte : ova de diverts
peixes e de bacalhao ; peixes do vinte qualidades
em conservas, sardinhas em latas, camaroes sec-
cos, bacalhao, pescada, sardas, lagostas, salmao,
batatas, arroz, feijao, cebolas, aaeite, vmagre ;
mantpi.ja ingleza e franeeza; doces, frnctas e
cincoenta qualidades de vinhos finis do Porto e
outras tanta* d* outros lugares mais afamados de
Portugal, alem de um cnnpleto sortimento de ace-
pi jet raros, deliciosos e que
Cahindo em qualquer barriga
Faz a n>elhor digestao,
E nao faz mal a bexiga,
Como comendo, verao.
Has, como ia fallando, iamos entrar na vida de
ouir'ora. isto e, na epoca das festas, e portanto
vamo* ter festas, fostas e mais festas, e como todos
eomeuj das fcstas, visto que uma parte da para as
festas e tres reeebum para preparar as festas, 6
logieo que o bregetro dinheiro que anda tao vas-
queiro, saia dos cofres dos amantes orthodbros e
se va farmiianiondo com as alfibpiras vasias dos
necassitado*, e etw por sua vex venham ae arma-
zem do Campos a rua do Imperador n. 28, prepa-
jarem-e para a quaresma, tempo de abstfneceias
e no qua! come sem Iicenca, comprarem o que
ha de mai-gotoso, saboroso, cheirwo e lado que
acaba em ouso.
u
Dizer ao amantes
Dos goterss ospeeiaoi
Que se qu%r*m aerierizes
Venham la e quanto antes
Saber a causa motrrz
Drt Campos nao ter rivaes
R poder sd'-fornecer
Wlieias^ aesto e prazer.
i<\f
BRAMANTtS A UWW), 2>00 F; 2^500.
0 Pav3o vende bramantes para lengoes,
tendo 10 palmos de largura, sendo o da
algodao a 19800 e 29000 a vara, e de linbo
a ifinOO* 29600e 3j?000a vara: e pechin-
cha.
CASEMIRAS A 59000, 60OO E 79000.
0 Pavao vende curies de casemiras para
calcas, sendu padrdes modernos, pelo bara-
to preco de 59000, 09000 e 79000 o cdrte,
assim como: pauiius pretos dos melbores
que tem vindo ao mercado, de 49000, 89 e
109000.
R0UFAFE1TA.
0 Pavao vende uma grande porcAo da
roupa feita, sendo : palitots, i'rakes da ca-
semira preta e de cores, assim como : finis-
simos sobrecasacos de paano preto, e aal-
c,as de caseraira preta e de brim branco, col-
letes de todas as quaHdadas, por precos
muito coramudos, por qnerer acabar eon
Jtoda a roupa que tem era casa.
Acha-se constantemente aberto o estabelecimeti o do PAVAO, das 6 boras da manna
9. de noile.
LAZINHAS Df ORES A280,320 E 400 RS
0 Pavao vende bonitas laamhas de cores
para vestidos, a 280, 320 e 400 rs. u co-
vado tendo ate 19000, seni das nrns-lm-
das que tem vindo ao mercado, assim como
granadinas de seda com os mais delicados
padroes, a 640 rs. o covado.
Sedinlias a 19600.
0 Pavao vende sedas com listrinhas de
cores a 15600 o covado. Ditas com pal-
minhas a 29"0O. Ditas com toque d; niofo
a 19000 e 1J40O.
CAMBRAM VICTORIA A i$0OO, 49500,
09000 E 79000.
0 PavSo vende um grande sortimonto de
cambraia Victoria e transparente com
8 1,2 varas cada peca, pelos baratos precos
de 49000, 49500, 55000, 69000 e 7.000
a peca, assim como, ditas de salpico bran-
co, a 7)5000, e pechincba.
as
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
Querendo definitivamente liquidar este nogocio, vende todos os que tem, covoa t
isados, pelo preco do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
OLEADOS iDglezes para assoalho de salas, de muitos lindos desenhos de 11 a 38 palmoa
de largura e 100 de comprido, podondo forrar-se uma sala porgMMI qn
seja com oleado inteiro.
VIAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
1NNEIS electricos para curar dores de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas cor las, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com 18 ou seda.
VERDADEIRA agna de colonia om garrafas empalh.-das.
E muitos outros artigos, e por barato preco.
FUMO
2
PARA
0 verdadeiro fumo de Borba, em cliicote, picadrt, desfiado e crespo, assim
como cigarros do mesmo fumo ; na fabrica a v;'por, antiga rua dos Quarteis n. 21.
Na dita fabrica, os Srs. fumantes encontrarao os seguintes 9 bom conhecidoi
fumos manufacturados na mesma casa,
Ftor do Brasil
Novo Caporal
Bes Bird'sr-ye, ( Olho de Passaro. }
Vende-se a rctalho, e em grande quaniidade se faz grande abatimento.
ORASDE
b"""ii;hi
As unicas verdadeiras
Bichas hamhurgnezas Marqnez de ulii
oa rar
ie vera a este mercado
ada n. .11
AflU'S t|U8 SC 3CJJDCIII. Veaat*au* bonttoescrave.de 18'aaaosde
Veada-aa II de lindos padroes a-MO-rtv *eona- idade p*)rl:8*fc oatro paraeopelroouboleerr>:
fc : na/aa ii Crespan. 1-1 A( loja da esquina; wttatar w p*W0 Hibelra, no portao 00 ma-
dio se amosfras. meeiro.
Grosdenaple preto
Sendo lisos e de cordao, e o mais largo que
vem ao mercado, e qne se vende peloa diminutos
precos de 2*100, 2*^00, 3*500 e 3*800.
SO' HA RUA DO CRE3Pa. 20, LOJA DAS
TUBS PORTAS DE
Guilherme & G.
Junto a loja da esqwina
Nao ha nuns caiirllos
brancos.
TIITUlii aUPOHEZA.
S6 e nnica appretada pelas academtas de
iciencias, reconhecida superior a toda qpe
tem appareeido ate hoje. Iteposito princi-
pal ama da Cadeia do Recife, hoJa-Mar-
quex da Olteda, n. 81, 1. andsr; e* em
todas as- boticas e casas de cabellei-
reiro. _________________________
VENDE-SE
uma casa na villa da Barreiros, na raa do Cdm-
aercio, por preco roMico : a tratat cont sc
Irmaoa A C
Wll-on Rowe 4 L. vandem no seu armaaem
a rua dt* Cominercio n. I\ : f
0 verladeiro panno de algodao azul aoeneaao.
Bxcellente flo de vela.
Cognac de 1' qualidade
Vlnho de Bordeaux.
Carvao de Pedra da todas as qualidades
Farinha de mandioca nova.
RpcenterarBie chegada d Shoia Catharraa tea
para vender no trapiche Companhia, e para tratar
no seu escriptorio a rua do Commercio a. 5, Joa-
quim Jose fit ncalves Heltrao & Filho. Advert nd*
aos compradores qua Ceaejaudo aoabar, vendem
mais barato do que em qualqaer outra parte, tau-
to em grandes coao em pequeoas por^oaa.
Lindo chfariz.
Veole-ss Dor preco barato um rico chaarit
de marmore ornprio para jardim, o qual !
armado na offlcina de marmore do
rua do Imperador para- uein o
tratar na rua do Creepo, loja i
arco de Santo Antonio.
Atten^a3.
Vende-se duas eaa* contigoas, agna temcoa-
munieacao do a*w para outra na. 33a 38, ira*
c(e S. Micii'-l d'-s Ai'nifudos, coo*> site* aaraaa a
portao para a rua do Rom Ge*los tr*ta*a I
mas casa, das 9 as 10 horaa da, r
3r.
X
d P.isso iunto
Tanques dft fewo*
Vende-se dous. trfanguhre*, proa***ana.
vios : na rua da luiio a. 67.
L
^
-J



Diarto -de ftaofcmteuoo Sabbado **i*:MN$qfe -=
UMttS

jgjp rtredta i
tecssftrto$'
AO
DE

T0SA5
*
CORES

Macliina
1M'<'' < ti
nun
:xo.
'

Com as fah>ific*<^es que torn apparecido
....._-
DAS MACHINAS PARA COSTUBA
8
oo
Ncnhuma
chinaSirigerSlegi-
tima se nao
g esta marea fixa no
brsujo da machina.
f ill
o
Lourenco f erei-M fleniles Deelara aos seus frgguezcs que tern r*suli o faze iinw gmnje Uajaidaqio, atd o
dm do corrente anno. iji]
A SABER :
CAMBBAUS BRANC4S A acuOOj j 'fttos IfofalLa, *< *&*> *
Veade-se pecasde.cambr.aia hratica, tapa-J Ditos tie ukw-ji,-a490*T*>.
da e trtnsparente, a 3A, 3500, 49000.a I 1'IiRWMAKAAS.iBM LIQliiaAQAO.
59900. Vimt4aaidediersas larnanhoa,
LASINHAS A 200 R*. a i Mfc 2(io -aw) ie.BaO.HM.lodo boa.
Veade-se lasinhas para vstrio&, aiOO,' fta deism**,* 100, MO e 400 ra.
320 e 500 rs. o covado. r Frascos com aguade colonia.a *40 e 890
ALPACAS A 640 RS. | rs. cada urn. E aaUroa rouitos extrnctos que
Veudu-se alpacasde c6res com listras a 64<0 se veade ranito baratu para liquidar.
10ALHAS A 800 RS.
Veude-se toalhas felpudas, a 800 rs. cada
uma. Uncos braueos, a 29000 a duiia, t
39000 abaiabaftos, faaendn que vende-se
pdr69000. .1
GKAVATAS PREIAS A &0O RS.
Vende se gravatos pretas, a 500 rs. Man
tas de cores a 200 rs.
Chapeos para baplisados de meoinos, a
3JJ000.
BENGALAS E CHIGOTBS A 800 RS.
Veude-se bengalas e cbicotes, a 800 rs.
Para evitar falsi- X
i
fi canoes notem-se
bem todososdeta-
Ihee d? marca.
o
x
I
A dinheiro e a prazo!
A contento das Exmas. familias
MACHINAS DE SINGER
e 800 rs. o covado.
GRANADINE A 800 RS.
Vende-se granadine preta com listras de
cores, para vestidos, a 800 rs. o co-
vado.
POUPELl.NA JAPONEZAA 19800.
'Vende-se uma fazenda nova com lietas,
com o nomc de poupelina japoaez&, propria
para vestidos de senhoras, a 19800 oco-j
vado. Todas estas fuzeudss sSo vondidas no
Bazar National, a rua da Inpcr uriz n. 72. i
CORTES DE CASSA A 295 0, ,
"Vende-se c6rtes de cassa para vestidos, cada wma/ipara'ttqutdar.
com lOtovados, a 29500.
CHITAS LARGAS A 240 Rs. .GRANDE LIQLTDAQAO DE ROl'PA FEITA
Vende-se cbitasfraneezas, largas, de cOres; Vende-se ceroulas do algodao.a 19000.
R i
DO RAKGEL N. 3
Afmazens de seccos e molkados
TEM PARA DISTINGJIVODO ESTABELEClMENTO Ul GALLO BRAKCO, PINTADO,
PARA ALiliMA PESSOA OLE IGNORE A LKITL'RA.
JRodrigues^t Pirea.Tegrassados em Pernimbuco, cidade do Recife, sucmsores do
Larmazem do Gullo, a" r do Algibeves, em Lisboa, o mais afara do o conbecidn armazpm
Baquella cidade,-capricbam sempre em tor generosdeprimeira qualidade, il>>s quaes d*o
aos &eus numerosos fregaezes am conliecimento mais prolongado na relacAo abeiio de?
cripta :
0 qtie'd bom 6 caro
Palavra "bemdita que nunca faltou.
SSo maisjbaratas.
S5o de docs pospontos.
SSo simples. .
S8o rapidaf.
Sfto dnradouras.
MACHINAS DE
SSo de dous pospoutos.
.Abaiobam.
Franzem
Pregam trangas.
Mar cam pregas
Bordam de linba de seda.
Alcolcboatn.
Pregam cordoes.
UNICA AGE NCI A
EM
fias, a 240, 300, 320 e 3GO rs. o co-0
vado.
CASSAS DE CORES A 2G0RS.
Vende-se cassas francezas finas de cores
a 2G0, 320 e 400 rs. o covado.
SAIAS A 29000.
Vende-se saias brancas com barras de cd-
res,a2a000.
CHITAS PARA COBIiRTA A 280 RS.
Vende-se cbilas para eobertas, a 280 e
360 rs. o covado.
MEIAS PARA HOMENS A 69000 A DLZIA.I
Vende-se meias cruas verdadeiras, para
bomens, a 9000 a duzia, a qual val
89000.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de la, a 800 rs. cada
um.
CUITAS FINAS A 400 RS.
Vende-se chitas fines de campo largo, fa-J
zenda muito boa, a 400 rs. otovedo.
CHALES DE MERINO' A 2(5000.
Vende-se cbales de-mermd estampados, a
29, 39, 49O00 e 59000.
Ditos de listras a 59000 e 69000.
BRINS EM CORTES A 19500
Vende-se cortesde brim de cores e parde,
a 19500, para liquidar.
COBEHTAS DE CHITA A 19600.
j Vende-se eoberUS de cbila, a 19000 e
29000.
BRIM PARDO E DE CORES A iOO RS.
Vende-se brim pardo e de cores, para ron-
pa de bomens ejmeninos, a 400 rs. o cova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 29000.
Vende-secolxas de cores para cama, a 49,
6 49000.
TRANSPARENTES PARA CADElRASA
19500.
Vende-se transparentes para cadoiras, a
1950O, paraliqoidar.
1 BONETS A 500 RS.
Cba.perola fino, a 59006 a libra. .
Dit; mi'jdinbo super-fino, a49000ali-:
bra.
l'ito popular, flno,, a 39000 a libra.
Mar.teiga ingleza fior. em barril a 19600.
Dita ditafjua, em latas, a 19500.
l>it,dit, r'ita e dita, a 19400.
Aaeite de peixe baleia, a 60 rs a garra-
. |
Dito de cdco, flno. .a 800 rs. agarrafa.
Oil doce o carrapalo.
Ag-uardeote do :aldo da cauna, feitade!
ei. ommwxln, a 500 rs a garrafa.
I'lta fiojiular, a 330 e 910 rs. a garrafa.'
I'ita branca, a 200 rs. a garrafa.
Camaroes secet.s, a 500 rs. a libra.
Queijos frcs:os empellicad'.*, prejo com-
modo.
Coseasdo rOco para lavar asa, a 1G<
120 rs.
Farinha fiua de Muribeca.
Vassouras de piassava p^ira servi.;o ir.ter-
no, a 20 rs.
Dilas grandes a 500 rs
Mcs^as para sOpa de todas sp qi.a'jda-
dts
Vinho tiu to a bra i ico. sup'iior.s, n^ar-
rafadoseotn j-.i|>as. Eoutrosaiti'j I =>-xi
enfadonho annumciar, em Kccei i
lhados, por ser extenso.
C. Doyle.
A CASA AMEBICANA
RUA 1)0 IMPERADOR 45
Pech
iitA'ia
Cabriolet
Carabraia de cores, padrfies nraito lindos, pelo
t'aratissinio prejo de ttO rs. o cnva#o : na rna
nineiro de M*rjo lantiga doCoL'?po) n. 13, l-ja
S.t.% coiumuas, de Antonio Correii de Yascoasellco.
Vende-3e dous eabriolete de qnatro rodas, sendo
um pintado e (orrado de novo, tendo bolea fora,
varSes e Ian?a ; tambera se vende dons cavallos
e um arreio : para ver tudo na cocheira da rua
da itoda n. 60, e para tratar na rua do Marqaez
de Olinda n. 6, com Rodrigues Irmaos 4 Guima-
raes.
Ditas do linlio, a 19600 e -29000.
Camisas dc ebitas bees, a 19600.
Ditas de petto de cores,-a 29000,
Ditas brancas finas, a 29000, 39000 e
49000.
Gabjasde brim pardo e de cores, a '29000
629500.
Ditas de casemira de cores e preta, a 59,
69, 79000 e 89000.
Palitdts de alpacas de cores, a 29500.
Ditos pretos, a 39000 e 39500.
Ditos de casemira -de cores, a 49 e
69000.
Ditos ditos pretos, a 59000, 69500
89000.
Colletes de casemira de cores, a 29, 39 *
49000. i
Camisas dcOanella, de cores, a 99000 e
99500.
AlA.ODAO k 49000.
Vende-se peaaa'dealgod*, a ^9000.
a^EMlRA DE C'ORA^SOO.
Vende-se easemira de cores, a 29500 o
cOvado.
MADAPOUO A 33000.'
Vende-se pecas do madapolao erifestado^
a 39000.
Dito inglez; a iMOO, 59, fi9 e W00O a
peca.
BOTINAS A 49500.
Vende-se botinas para Sebbora e meoinos,
a49500, 89 e 69000.
Ditas do enfiar, a 29000.
Sapatos de "tapete, a 19300.
Ditos de Iranca, a 19800 e 29000.
j. BKKMANYE A WWOO,
Vende-se bramante com 10 palmo
larg4ira, para lencoes, a 1*600 e 2950
i metro. E outras muitas fazondas propria
j do mercado, que e Vende-se bonetB de seda para bomens, a prc^Oj para liquidar ate fin* d 1 corrente
500 rs. anno, porisso convem aos compradores sor-.
CHAPEOS A 29500. tirem-se de fazondas baratas, para a presen-
Vende-se chapeos de castor para rrortlnos'lefesta'queestdnB porta, Araadatiaperat-ria
e homens, a 29500 e 39000. 11. 72. Batu National.
Fogao de feno eeonomioo^Jp^ ^('IlimiirJ ;i 200 f8 ft
Vende se um chepado ha pencosdias, tendo for-
nalbaa para leniia e carvao, forno para assar,'
depoMto para agua quente e lugar para se guar- |
dar qnente as comldas depois de feilas; estes fo- \
goes toraam-Je reeofnmendaveis porqne !>ao de
terro natido, e fabrfcados coon perfeicao e coii-
nham com mai diminuta lenha : na rua de Apollo
n 20
3.0. ..
Irru para veji :
('.cognac Et Ueunessy, superior e verdadetrc
Vinti Xr*s dai ineibores qualidades.
bitters de Angostura.
whisky.
Cna.t.relo c-:ri laltas de. 10 libras.
Todas as preparaf5es ehimicas do Dr. Ayer
wmaiem da raa do Gouanercio a 38._________
Por metade de seu valor.
Vende-se. ricas sedas de diverts pad rues pelo
baratis>iroo.preco de 1<500 o covado, aproveitem
que e pecbiticha : a rna Duqoc de Caxlas n. 88,
loja'de DeriiWrl'l :Bastos._______^^___^_
s n. 3*. Ma
i ii rn! i i-
de earfn.
Os verdatfeiros
"Vinhos de Bourgogne
mfircas
Chamber*; n
Pommard
Virits
Vokiay
beanne
liouthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Vt^th'-se por terulrt'pit^o
PARA LaOUIOACAO DE CONTAS
NA
Rna Larjja do Rosario 34.
Rotica.
Oimento
Vende se na lua da Sladrj d I
men-tr pre^o pofsive!, o terdadeir
tlan.l, viudo pvlj uliimi) vapc-r ingi--?.
Barato que fttirmra.
Na loja das eis ftoria^, em Fml e & LivrUMav
to, ronlinua haver mn c.iiii,i..'l' < r'.-.:\ i i it It
fazenda* batata*, oimo M|ain :
Chilas inaii/adas a SiO u. o uv.ii..
Ditas de ol iuhos a JiO rs o cov.id-.
Diias de coberta mrdernas, a 280 r -
Las de cores a 320 n o covado.
Tudo mais em pioporcao. e aft a a vi-i
freguez podera avaliar_______________
I Lindas las escoceza?.
Ue varios pa.!r6e, e inteirarm.' ntot jn! i
360 rs o eorado : na rna Pr#n iri 8> Hart
antiga do Crespo n. 13, loja daa e<>lumaa>, de A
tunio Correia de Va*conce!k*.
MOTs..
GRANDE NOVIMDE
A' ruu
covado.
i'-issa 13, padroes novos, e de mais-gosto que
i vindo ao meroado, .-6 narua do Qaaimado
venoese
i3, loja de Guerra & Fernandas, pelo diminu ca?, esquina da
Sreco da 300 rs. o covado !
leguem fregueaes que se acaba
do Crespo si. ?0
Loja das 3 portas
1.A/.1NHAS
Cbeg'-n esta fceu novos, e. que se vonde pelo diiuim.V i n ;. H 16('
I rs. o covado : isto por ler gran>lt c,n: nti i: :
SO" NA Rf*A TX) CBSSiO N i
I.,j de
Guilhemie AC^jmrto ;i loja
da esquina
" lALCAMO
fHMB^kd.
Paris n'Amerion, a ruaDo-
que de i>ixias n. 59
primeiro andar, ara1>a de receh-r am rontf'
sortimento de calcados wtraatr*t>* rara li.imeii.
senbora, vlndo entre eHes oi Had* M>rliiueau> d*
elegantes eblajajMi sapatinho. <_ i Ul ai f-
Auaral Nabuco & U, vendem elegaatas ugoras crianCa8 que tudo vende por arcg..- razoaadi
de bronze e de percelana, jarros e porta cartoes
de porcelana, espelhos, atoalhado branco e de co-,
res, de linho e de algodao. guardanapos de lioho, i *\ r/ '4
grandes e peaneno!, e outros muitos artigos ne VJTciA X *M '
cestarios e proprios para decoro de uma casa: no
Bazar Victoria, a rua do_Barao_da Victoria n. 2. a iai3j j0 mclhor que vem a e-te mcr^aJo, da
ihapcos para sonhora.
A toja -do fttsso a raa Primeiro de Marco n.
7 a, rer-ebeu pelo ultimo paquete, um rico sorti-
mento de chapeos para senhora, ultima moda e
vende por preco commodp.____________________
Vende-se um rico pianno novo, muito forte
e de excellentes vozes, a tratar na rua do Barao
de S. Borja n. 29 ; na mesma casa teem para ven-
fler-Je nma boa mobilia de jacaranda, com ponco
uso erem nerfeko estado.
Bazar Victoria.
Gaz a 5*600
que vem
' a rca do Henr\' Former & C, com a qn^atidadt
Complela do liquito: uus armazen> d JjaeDo-
! mingues do Carmo e Silva, a ni" da Madre de
, Deua n. 10, e rua do Amorim n. \\.
Amaral Kabuco 4 C vendem bandeias de cha- -------r-i-------------- .----------------~
rao de 12 a 30 pollegadas e de gosto inteiramen- vdf:e tor"a s'
te novo ede metal, tambem bonita pintara e de R .diversos tamanhos: no baaar V.rtoria .. 2. Jm J F^lI^ ^
2 4.
uma taverna na rna das Carro- Travesw da Bomha n. 5.
rua de S. Joao, com boa casa de Beueo do Padre Lobato n 8 A.
vivenda e bastante- commodos par? familia : quern Bccco do caes da Cadeia-nova ns. 3 c 5.
pretende-la dirija se a mesma.__________________A triiar no Largo do Carmo n. \.
90
a
bOS PUL1110S DA
I.
PAKTE DAS LOTEK1AS CO.NCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. t8i, A BERfiFICPO DA 4GRELA DA CONCEICAO DE GARUARU', EXTRAHIDA EM C DE MARCO M I87i
f<. PRKMS.1NS. PI EMS.
I
13
ti
16
21
26
-20
46
52
71
76
80
04
98
JI9
31
02
37
il
43
7i
72
*,d
96
m
23
&
43
53
54
59
60
96
.&.
87
99
300
id
u
45
!>5
l!
301
9
15
25
42
50
36
75
77
83
400
I
9
16
21
31
33
39
42
52
55
i-r-
IS. PREMS.NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.'NS PREMS.
46
I 'SUB
l.a
in


70
7+ !
8
-| 89
98
310
$
26
29
44
54
G
67
71
~~
oa
4
fnf.cn
vta
46
1 _
*-
3S7
?8
!)0
96
09
600
2
9
II
JO
37
38
41
51
CO
68
00
'A
Vi
61
07
7
0
12
16
18

32
3S
42
44
52
56
61
63
68
85
4fi
Mm
46
66
4*
AOQ*
4d

6
46
-

4#a\
4*1
786
95
96
99
803
7
II
13
16
19
20
21
23
23
29
31
45
48
52
72
73
78
80
82
88
91
901
i 2 & H
2*
37
S8
49
61
62
70
72
79
90
1908
46
46
46
105
46

1032
48
54
68
80
83
87
1112
13.
25
40
42
53
55
57
60
65
94
126*
6
13
27
41
62
66
81
82
87
93
94
97
99
1311
i"6
20
'21
- 24
66
49 28
46
(16
4*
6
5
44
6
4*
1333
34
39
40
48
52
64
68
74
76
82
86
91
98
1405
16
28
39
45
47
48
57
65
67
68
73
82
91
Oft
1512
18
25
36
41
46
61
65
74
87
46
66
H
1592
1600
7
9
13
23
45
54
61
64
65
77
81
sa
87
92
96
1701
15
17
18
10
46
id 1798
1801
15
33
37
47
52
61
62
69
75
87
1905
*6
23
26
3k
35
40
48
57
46

NS. PREMS. NS. PRBMS.fNS. PREMS.
-
MM
_
__

2080
88"
94
2117
18
19
23
41
58
53
56
58
78
74
I*
46
166
46

2334
56
58
60
7ft
83
95
97
99
*401
4
46
66
46
..16*
46



66
v8
84
24 59
'26
a* i'41
41
49
54
55 '
nril^i
'ML- '' ">-uL
DO
57 -
6G
__

2002
6
"62 '
65
77
86
88
96
97
. r
96
98
22M-
4
12
14
84
I 1H
_
MM
88 : -
1G
20
25
30
33
37
43
33
60
68
~:> OM ooj
m
ft 666
46
66
G
11
12
18
* .
33
42
*3
48
54
53
Ml
2584
89
99
2605
8
12
14
f8
32
36
38
40
5t
46
06
46]
66
if
65
kill
92
4
-bo.
10.
_ 4
11
-t *s
4(6 SO ^ >o!ita *-<' S8
-M
~ :
16*
46
12'
19
23
34
h
Oil 08-6ll(jD
rn3 jnl u J

Wei v jjouf"- ...
ow'fc] o JJ5 latBruo eem ,57) ilo.T
.tfllnoD o oaoo^iadd o^.'OJ,
61 BCDO-a 1 ,0ft' ;p B -r o-'10
J0' ,ult b totibvm U*i> ft$i mo
89
90
304
14
18
19
26
31
33
51
52
. J5II
47 -42805
61 i 10
72 !i ^ 1'4
75 30
UM
Hi
U
66|
NS. PREMS.
-r^n
2835
37
46
59
6t
08
78
83
.86
92
197
2901
5
9
!6
22
26
^0.
38
39
43
44
m
"8
'%
72
M
46
NS. PREMS. NS. PREMS. 82
i .; 86
^
94
**g!
-!
__
pohaaaal
.all
3071
74
78
82
85
94
3103
9
49
20
21
23
27
36
41
43
44
46
47
53
35
65
74
3202
3
14
L-.-fti
46
6
46
'
41
81
96
3000
8
31
40
42
56

S9
33
35
44
47
51
65
0
6?
71

i
_
166
46
c
3293
95
3302
3
9
14
17
27
29
30
34
38
44
70
79
90
91
94
95
3403
10
12
15
24
2S
29
32
33
42
6*
68
7*
74
94
3502
8
29
33
46
66
46
4j?
49
3556
39
71
72
77
78
83
ftO
98
3601
4
13
14
20
33
3".
44
47
55
73
78
79
84
83
98
3702
18
24
27
32
39
44
45
50
54
56
69
66
6
46
NS. PHDiS
16 3783
ST
97
3801
a)
i
8
10
35
17
n
6ft
It
70
7:>

m
92
3906
7
46
1
hi
166
43
66
66
66
46
26
27
35
>
39
of)




74


hmwi'^j

m
8
%IP 4e PeAmkuod Sftbbadd 7 da Mar$) de IW4

URISPRODENCIA.
em
BHatorlo
A RESPEITO DO NKGOCIO DO MARECHAL BAZAINE
EX-COMMANDAMTE EM CHEt'E DO EXERCITO
DO R1IEXO.
ACDIENCIA DE 23 DK NOVEMBRO
(ContinuqQ&o}
A 3 de outubro, quiz lentar pela tercei-
ra vez, e o general Jarras encarregou-me
verbalmente do dizor ao coronel Tumier
qae se ia teutnr uma sahiJa do lado de
Thionville, e quo olle prestasse attengio
quando visse ehogar tr.p.i^. so essas tropas
eram, fr.mnzas ou inimig-is. Aproveitei
uaa sorti.ia par,i passar. A fniuha che^a la
a Thionviller o coronel Turni- r aprovcitou
a minha ausencia para o'.der de raiuha mu-
lher que ella destruisseos cerlificados que
comprovavaui estas .lifToretites raissoes.
P.Vistes alguem de Thionvillo
Melz?
R. Sim, vi urn ta] Risse, que me trou-
xe noticias de tuiubi mulher, e quo ma
disse que o oonnel Tumier u tinha man-
dado levar uma c rta ao marechal Bazaino
para o inforoar da concentragi j de vive-
res em Thionville.
Fez se a leitura d >s depoimentos da tes-
temunha Ant er met e de sua mulher, os
quaes falt-ivara ambos.
Anlertnel e musico em um circo, e sua
mulher e servente Ambos interrogados pe-
la commissao rogatoria em Jersey, decl.i a-
ram que de 13.a 15 de setembro tinham
sido encarregados pelo marechal Bazaine
de levar um despach j ao ministro da guer-
ra em Paris ; mas que, no obstante iietu
muuilos do un mandado de expulsio coma
wstrangeiros, tinham silo pres)s nas linhas
prus!.'"035' c c{',e P0i' consequeucia todos os
seus esfbrgos tininm fieado igualmento in-
fructuosos.
_---------------------5Z--------'----------------- ^ ==5
0**ngenhciro Bazaine, irmio do mare- Estava addido 4 reparticJo das iuforraacoes
3 como testemuuha, e a ti- no estado raaior general.

N esta qualidade
tulodeesdareciraento. fut encarregado de interregar os 600 prU
Ubr. querer m ouvir; teoio que o occttpar com tembro, e obtive d'elles, a respeito dos
as tentativas de coramanicdgio com Metz, acoutocineutaa a que tinham assistido in-
feitas pela familia do marecbil, de accordo forraagdes, que foram immediatamente
com o governo da defeza nacionl. transmittidas ao taJo maior general.
Dirigi tne a Tours no dia 20 de outubro,' Fui encarregado de trjuluzir os iornaes e
quando sube que o marechal fazia diligen- as cartas encontra las aSg prisioneiros, pav
cias para se dirigir a Metz. Durante mais ticularmeute depois da baUlha de Ladon-
de2 mezes, estivemos sem noticias do ma- champs. Aquelles iornaes .eram em geral-
rechal, e a m*r*chala. pir instigates do antigoi, e nio conuubam naJa de impor-
Sr. Thiers jnlgou nbfr do rei da Prussia tante ; quanto 4s cartas, vinhara da Alle-
autorisagio para se dirigir a Metz. manna, o nao tratavam senio de assuraptos
Foi escnpt* um a c*rta ao Sr. de Bismark, de familia
e essa c rta foi sub nettida ao Sr. Thiers, Presiiente.Charaai Beauce.
qu^fl -evio e corrigio ... 0 general Pourcet.-^O Sr. Beauce\ em.
A opmiAo do Sr Tbiers era de que n3o pregad > ua miaisterib da guerra, esta* ins-
so podia salvar Metz, senAo assignando um cripto no registo dos /undue secretos do
armisticio. marechal, como teudo recebido una sora-
0 Sr. Thiers estava entio de volta da sua raa de 2:009 francos. Desejava saber d'ello
grande viftgem ; conhecia a opiniAo das po- por que servi^o militarracebeud'elle aquel-
toncirts t-uropeas, e sabia qual era a situa- fa gratiheaQJo T
cJodopait: q Sr. Beauci. Mo frestei nenbum
0 Sr. Thiers disse-mo : se Metz se podesse servi^o ; estara em Metz, lotige da ruiulii
manter dez dias, otto (lias mt-mo, n6s ob- familia, sem rocursos ; 0 marechal teve a
teriamos uma susponsao d'armas, com for- bondade de me emprrt9tar 2:000 francos.
neciuienlo para Paris e para Melz. Con-' 0 marechal Bisatni. O Sr Beauce es-
vocar-se-hh n'este caso uraaassemblea, que tava addido ao eiercito- de MoU, por isso
constituiria um govern* legal. 'que tinha sido do exrerto do Rbeuo ; mas
0 Sr. (lambetta no ignorava as diligen-inio t.-ndo funcydis milhire*, nAo lbe era
cias que fazia a mar-^hah. 0 Sr. Gam- daio tieubum teucimantojerteodi, vendo-o
betta tinha estado co-n o general Bourbaki,' sem recarsos, dever concedi.T-llrtr uma in-
e sabia perfeitamcnto que Metz nao tinha demniaacio de 2:000 francos.
viveres senao para cinco ou set* dias. Presidmte.-Chamai o Sr Soal.
0 Sr. Gambetta tambain tinha recebido 0 Sr. Seal, ji tinha si )o ouvid'-x No
um emissario, que o poderia tar informado sen prii>eir* depotmento. eirtrou en* lar-
de viva voz gos pormen ressobreos recurs .s immensos
que as regioes- visinljas d^ Metz podiamrfor-
S6 o despacho cifrado do marechal ticou
como letra inorta.
necer, e dos qu^ies se ndo aprwveitbu. 0
SahindodeP^ris, a delega^aotinha-se es- Sr. Seal, na qualidade do empregado su^e-
quecido levar a cifra do exercito do Rbeno, i rior no caminhodkj ferro d'ester foi enca**-
oestava per isso impossibihtado de com- regad)de procedr a amnzenagem^ dos v*--
A' sua partida das linbas prussianas, onde municar com aquelie exercito por oaira
os retiveram durante tres dias, foi lhe en
tregue o seu mandado de expnlsSo; mas
tinha algumas linhas oscriptas em allemao
pelo proprio punho do principe Frederico
Garlos. Mais tarde. a mulher de Antermet,
fazendo-so passar por hollandeza, conseguio
ganhar a Belgica, e entrcgar um despacho
do marechal ao Sr. Taschard, ministro de
Franca. Aquella mulhr estava empregada
no serviyo especial do marshal Bazaine,
que depositava nel a grande conGanca.
A Ustemunha lloussau, coramissario de
conducgao em Metz procurou para o coro-
nel Laperche em setembro um emissario
chamado Matzinger, o qual nao tornou
mais a ver.
Ouviram-se depois os Srs. Matzinger, Oli-
von.Oussoy, Henri, Marc, Aallo, os quaes
deaam conta da missSo de que tinham sido
encarregados, j< polos commanJautes das
pro^as de Verdun, Thionvillo ou Longway, ji
pelo marechal Bazaine ; mas estes depoi-
mentos nflo fornecera ao processo nenhum
elemento novo.
0 depoimen o da testemunha Henry me-
rece comtudo ser mencionado. Feito pri-
sioneiro pelos prussianos, condemnado a
ser enforcado, salvou-se na noite que pre-
cedeu a* execucAo com o seu camarada
Marc, alcan^ou o Moselle que atravessou a
nado depois de ter lancado n'aquelle rio
uma sentinella prussiana, e chegou a final a
Montmedy, onde entregou o seu despacho,
cujo conteiido ignora, a um official, que
lhe ndo deu resposta.
Entrou de novo em M itz no mesmo dia
da capitulac.30. Henry, aproveitando-se da
situacAo. reunio-sc ao exercito do norte, e
fez-se incorporar era um regimento de dra-
g6es, ao qual ainda pertance. 0 conselho
felicilou-o por aque'le procedimento que
muito o honra.
A testemunha Marc repetio a narra^ao
que precede com a differenca de indicar o
nome do official a queiu entregou o despa-
cho ; esse official e o commandante Re-
bour, que o confiou ao tenente Aalis, o
qual recebeu ordem de a. levar iramediata-
mente a Lille. Henry e Marc esperaram
oito dias, mas, n8o tendo chegado nenhuma
resposta, foram autorisados a voltar a
Metz.
0 publico foi muito surprehendido quan-
do notou que aquelles valentes soldados
nao usavam nem a cruz, nem mesmo a
medalha militar.
0 cnpUao Aalis confirmou aquelles de-
poimentos.
AUOIESCIA DE 24 DE N'OVEMBRO.
Presidcnle.Mandai chamar o Sr. Ba-
zaine.
FOLHETIU.
L7CSECZA SQH&ZA
memori&s oe mini
POR
O. ilanoel Fernandez y Gonzalez
QUARTA PARTE
LUDOVICO ARIOSTO
VIII
Dfc COMO MICHELOTTO VIO COM ALEGRIA QUE 0
ACASO COMECAVA A FAVORECE L0.
(Continuacao do n. 53.)
0 Dr. Galofre esta" a" porta da ca-
wara da graduqueza para n3o deixar en-
trar pes?oa alguma, sob pretexto de que
.ssim o exige o estado da enferma. Com-
j-oz-se uma farga completa; ha quinze
dias que se tem ilo aggravando a enfermi-
dade.
Mas se o grao-duque receber essas no-
ticias?...
Occultaram-lh'as para o n8o affigi-
reoi; impoz-se silencio 4s pessoas que a
scrvem, as quaes julgam de boa (6 que
a iiA-duqueza se acha em perigo de vid.
0 apuro e terrivel, e Deusqueira que
i:ao t'-nba um resultado desa>troso. Mas
aSnal, o que foi que a gra-duqueza deu 4
luz ?
Uma menina.
Ah I que felicidade I exclamou Mi-
cbciotto com alegria.
Po-qoc chama a isso uma felici-
dade?
Porque sera* Wo formosa como sua
roai
Miior feliciJade seria que n3o tivesse
vindi' no mundo.
R, diga-me amig.9 Buotti, oSr. Arios-
to sabe nlquma cousa a cstc respeito ?
Nfio ; a do z gredo do qual tornou somente conbe-
cet'o is.il'r Gal fre, o senhur e eu. 0
8r, i.u lovico julga de boa fd que Lucrecia
el. uitrma, que elle Cihio cm des-
maneira qu^ nSo fosse os meios ordinaries.
0 Sr. Gsmbetta menos de que ninguem po-
dia alludir 4 sorte de Metz.
do vi que a capitulacao ser via detextopar#
veres quest; achavam uo> ca-ninbo, naepoca*
do cerco, A 23 soubo que os prussian>>*
tinham reunido no- camxiOo deseendente^
nas immediagoes de- Cou*eelles, uns- 2:000-
Qual foi pois a minha admira^ao, quan- carros de viveres, das quaes se tenain po-
dido facilmente apoderar^ Vreviiio a-admi-
uma accusaca) ultrnjante Seria pcrmitti- nistragao militar d'esta (rircuiustacrias, e
doesquecer os esforcos feitos pelo exercito- informou-a ao mesmo-tempo de quo-podia
io Rlicno, esquecer osgloriosos servios do
marechal ?
Dirigi me ao Sr. Fourrichon, que nio
tinha assignado a proclamacao deque fallei.
0 Sr. Fourrichon dignou-se dizer-me que
ha muitos dias que o governo esperava
aquella capitulago.
0 Sr. Gambetta tinha feito redigir um
relatorio pelos seus agentes, e lido esse re-
latorio em conselho, o Sr. Gambetta com-
municou imraediatamente o projecto de pro-
clamacao. Comeijava elle por estas pala-
vras:
Bazaine fora da lei; f6ra da lei os ge-
neraes...
Podia obter-se uma copia d'esse docu-
mento. 0 Sr Geaty, director de La
France, tinha um duplicado. Essa pro
clamagao nao foi aceita, e o Sr. Cremieux
re ligio a que appareceu, e que o conselho
conhece.
por as macbiuas & su disposicao ; isas-nio
se teve em nenhuma conta esta sua tndica
||o>
O Sr. Seal aecrescenta-:. Faltou se- muito
de accumulac.ao de furidus ; tenho a iazer a
este respeito algumas observacdes. Ok hos-
pitaes estavam, talvez, accumulados-; mas
a dedicac,&o da popula^ao- estava loags de
top desapparecido, e posso assegurar qjj um.
grande numero-de habit antes nao tor ia ro-
cu6ado receber em sua easa feriJos. Alem
d'isso terse-biam podido tratar aquelles
cujos ferimentos eram Kgeiros, nas povoa-
<;des immediatas, onde as condieSes sanita-
rias eram melhores, em S. Juliao a em
Quenlen. NAo se fez nada d'isso.
AlBIENaA DE 24 E MOVEMBSO-
Presidente. Mandai chamar o general
Scbmitz.
O Sr. Schmitz. Nao posso foraecer ae
conselho informagoes senao a respeito do-
Procurei entao ver o Sr. Gambetta, que j que se passouno esta li>;naior do governo,
tinha feito um acolhimento
sempre me
sympatico.
Eu estava f6ra de mim, e se tivesse na
mao uma pistola, teria feito saltar os mio-
losa mim mesmo.
Como e, lhe di-se eu, que podeis fallar
de semelhante modo de um exercito que
n3o tendes soccorrido ?Soccorrido ? res-
pon leu elle, nio o pude fazer. Ignorais
que o exercito do Rheno morria de forae ?
Teria querido, accrescentou o Sr. Gam-
betta, que abandonasse o
de Paris. 0 cuiiado de estabelecer cum-
municagoes com o marechal Bazaine in-
cumbia ao ministro da guerra e A preCeitura
de policia. Nao so passav< um unico dia
que eu nao visse o general Le Flo, o quat
me manifestava o seu sentimento por nao
ter noticias do exercito do Rheno.
P. Dignai-vosdizer-nos se b&oivestesm
decurso de setembro relacoes com o coaa,-
raandante Magnan ?
K. A 17 de setembro vi obegar ao es-
solo da patria, ia(j0 maior o commandanto Magnan. Jul-
9 guei que era um
juncando o caminho de cadaveres. Eis ^ guei que era um dos ofliciaes fugides de
aqui o que disse o Sr. Gambetta, como se Sedan, e como sabia que elle era muito
ignorasse quo a metade da Franca estava activo e intelligente, acolni-o com prompti-
transformada em., .carneiros. ]dSo. Fez-me saber que tinha sido eocarre-
N'esse momento, ja" eu me n3o occupava [gado pelo marechal Bazaine de uma missao
sanao de p6r a minha familia aoabrigodos para o imperador, e que ns seu regresso
odi 'S populares, que aquella proclamacao I uaaa encontrado a pra^a de Melz cercada,
tinha suscitido. Esta familia merecia mais, e que lhe tiha sido irapossivel reunir-se ao
ella, que havia quareuti annos servia o seu general. N'estas condigdos, vinha pdr
paiz com desinteresse e patnotisno
Agiadeco ao conselho terse dignado ou-
vir-rae.
A testemunha retirou-se.
Este discurso pronunciado torn voz fir-
me, eap'iiado por todos osgeitjs necessa-
rios, parece ter produzido um mediocre
effeilo no auditorio.
Presidente.Mandai chamar o Sr. Costa
de Cerda.
0 Sr. Costa, capit&o do estado maior.
graga, porque ha quatro mezes que a gra
duqueza o trata de um modo secco, e
se a" disposicAo do governo da defeza. Pro-
raetti-lhe de o collocar a*s ordens do gene-
ral Ducrot
.la me occupava em mandar preparar a
sua ordem de service, quando recebi d'elle
uma carta em que me annunciava que acaba
va de saber, que um individuo portador de
despachos muito graves do mareCbd Ba-
zaine, o esperava no campo de Beverloo, e
que por consequencia lhe era impossivel
pOr-se 4 minha disposicao. Fiquei muito
admirado d'osta raa.eira" de proceder, que
Se nio permittia uplisar o coinmabdbnte
ignau, nem mesmo de o encurregar de
uma missio para o marechal. Sa em vez
de me escrever, tivesse passadj ao meu
estado maiori eu o teria feito acotnpanbar
por um official, que eu teria encarregado de
me rtferir noticias sogurauieote muito gra-
ves, quo elle dizia ir buscar a Bsverloo.
Mas n8o o tornei a ver, uam recobi nenhu-
M* commuuicacA') d'elle.
Presiknle. Fazei chamar i coronel
Migciao.
Tesleinuaha.X. 17 de setcnbro toniei
a iniciativa pessoal de me dirigir a Paris,
para me pdr 6 disposicAo do govern'' da de-
feza nacioual Fui recebid pelo general
S'hmitz, ao qual commuuiquei o poucu- das
iufiwmu;o-s e dos boatos v.-ig>>s que possaia
a respeito do exercito do Hheii-^. Eo Farrs
u4o pirecia conbtrt'er-se a situagao crilica
J.> exercito id Melz. Daixei Paris na noite
de 18 para vir jnntar-me a um homem em
Numonr que vinha de Bruxallas, onde ura
interua lu llur tinha (Ijfco untrega de despa-
choa p ira mim Jii mo ako iembra do con-
teiilod'esses despachos, qjiw uaoera'in mui-
to imp ..-tallies, e nao proviiilwrn do mare-
chal,
P. 'I'rovaniste^ a tempo p;ira que r.i-
ni*tro d.r guerra e o governwdor de Paris
puJesseu ent.egar vos despacbos-e utifissr-
se vo"9a> viagem ?
R. la-pira Longw-ay,. afro de estar a-HS
junto dtvuwu marechal, e eomo o g- podia c-rniwuuiear c>>m- aquella praca, es- j
tava sempre prompto a receber *suas ins
trucgdes.
Presidinle.Chamai a-doutor Lefort.
Mr. L-ichaiti.-Senb^'duulor, ao' ti-
nbeis Bus priaeiros dias de setembro sido
prevenido peto- marechaP das informacoas
que like tinham situ forneci las pur an of-
ficial jfrussiaiit>r^yaiido esta^i junto de um
doeute- francez rseolbidOein" uma ara&ulan-
;oia in^'iiiga *
& tcjiemunha esplicou como os medicos
jtinha'nsido autbsTiSadosa afravessa- as li-
nbas para ver os seus coinpatn tas nas aai-
bul mcii .v. Tendo- ouvidi> &dlar da am
eombatedd i a 2-'deseleinbropelo exerjito
de-Chalons, o-doutof neferio esta uoiicia> ao
mar'icbaU
Os prussianos, ditse elle, as^iirain ".u
o>'-xerciU>se bateudo lado de- Chalons, >
q/e o mareebal replieuu': Seo exercito
se bateu, deve ser do lado de-Montino-,: j;v
porque est&em marclia para esta pr.tc..>
C^doutor Eefort compietou O'Settdepoiineu^
to, fazeiido um quadTO horriwl do estaile.
dl* feridos em Metz.
A. testemunha deu ao gen-.-ral Cofiinieceav
uaaa noiiei satisfactorta.co.n netacao 4 dat*
da capitulacao. Tbinos vivetes ate 29%
mas nos capitulamos- a 28 r disse ogeue-
raliCoffiuieres ; o inuiiiciameuto f>zer-sesenaoem< 48wboras, ^seesperannos
o-ultimo dia, a popu!ac4o corterd o novo
da-fugir.
O-capitZo Valdfjfi,. Wi afibii>l de oele-
uaugas do general de Failly, fetto prisiouei-
bo era Se ::ui ; trnendo a 20 de setembro,
ebegou a Metz a 21, e a 22' eulregoui *o
marechal um grande uumaro do joEnae*
corapradoti- em Moguncia. Disse (e a teste-
muuha qtie liilla : Os h*men< de de
setembro-nao formam um gpvcruo regular ;
a Prussia nao trair4 com essa gento;
Q Sr. Valdej) pretend ) tamb^m que o <
ofliciaes prussianos tinhain na maior esticna
o marocbiil Bazaute, mas que nao bebiam
um copo do cerveja sem dister: Sao Gam-
betta, orai por mis.
Presidente. Chamai .coronel Morion.
Testemunha. Fui eacarregado a 13 de
outubro de fazer o recoidiecimento da pas-
sagem do Moselle, e de construH" as pontos.
quo tinham sido arratadas na vespera, [>elai
cowente das. aguas.
A testemunha evpoa detalha lamente cotao
aquellas poutes tiulum sido reparadas. A
uma pergunta do c.-mmissario do govepno,
a testemunha declarou que a 4 de outubro,
o mareebal tinha tido tenci i do t'azer es-
tabelecer ponies de barcos em Mabroy.
A audiencia tbi interrompidt 4s duas ho-
ras e raeia, e recomego^ As trcs bo as.
Presidents. Fazei chamar o capitao
Cbasseloup-l.aubat.
A testemunha fez a narracio da batalha
de Ladoncbamps. Era official do 4. de
atiradores da guarda e vio com os seus olbos
o marechal debaixo de uma cbuva de ba-
las de obuz. Yum momento dado, accres-
centou o Sr. Cbasseloup Laubat, julgamos
que o mareebal tinha sido ferido, e qua
ludo estava acabado para elle.
0 capitao Gudin.A 6 de outabro, por
occasiao do combate da Ladoncbamps, o
mareuhal teve un momento de esperanca.
Uma bala de obuz veio ferir pete parte de
cima da sua cabeca a arvore contra a qual
elle estava encostado. 0 marechal raontava
a cavallo todos oi dias ; virftara os poslos
avansados, e avancava mesmo' ate 4s senti-
nellas. Disse-se que elle se o4o occupava
dos feridos ; eu provo o contrario.
Presidente.Chamai o capitSo Mdrney-
Soult.
Testemunha.0 marechal sahia todos
os dias, e conservava-se a cavallo ate' i noi
le. Nunca o mareebal ultrapassou os postos
avancados. 0 mareebal nunca sahio de
noite, por isso que o servico das sentinellas
estavam t4o bem estabelecido, qua nao po-
dia ter sahido sem ser vbto.
Muitas testeinunhas se succederam na
barra para depdr a respeito dos mesmos fae-
tos ; rmpossibilidade do mareebal ter podiio
atravessar os postos avansados. Foramo teneo
le Dous, otenente Lapoint; Cheval, sargan-
te1 referraado ; tenente Angely ; comman
diante I) an borne, general da praca, e o te-
oente-coronet Fabri.
O bttalo de q.ue o marechal se prestava a
sortidas de noiaj nunca correu no campo, e
nao podia ter origem senao en Metz, on-
de nio faltavam revolucionarios.
Ao gener d da praca q,je exaltava muito*
a exactidao e a severidade do sarvi^o, diri-
gio o presidenta algamas perguntas.
P.Como explieais a introducQao do 9r
jRegnier, que foi t4o- facilmente conduzr>iO'
au quarter-geueral t
K.^Nao-assisti a isso.
Mr. Lachaud.Permitti-me, Sr. presr-
ifente, que vos lembre que o Sr, Regnier,
depois de ter sido conduzido ao general de
Cissey, foi levado ao quartel geiieral pe-
lo eapitao (iarcin.
Pfesidente.E' verdade ; mas nao 6 me
nos-surprehendente que esse personagem,
que-,.alem disso, n4o tinba ueuhuiB- carac*
ter de parlamentario, nao tenba esperado
nos postos avancados, as ordens do quar-
tel-general.
Aqui comegou a ser ouvida outra- serie
du lesternunhas.
Presidente. Chamai o-Sr. Meyer.
0 Sr. M'cyei). Era official da guarda
DHciiHial de Metz. A 11 de outubro, de
uoiteP tendo me dirigido para o lado de
Frescati, ouvi passos de cavallo no raomen
to em que eu chegava joulu de passagera
do dmbI. Oceultei-me n'um fosso; tres
cavalleiros chegaram junto da passagem e
pararam a alguns passos donde eu estava.
Un* defies disse : E' aqui, mareebal,
que deveinos apeiar-nos.
Apeiarain-se, entreliveram-se por algura
tempo-, fallando em voz bixa, sen: que me
fosse possivel saber o que diziara. Dirigi-
rara se depois para o lado dos postos avan-
cados. inimigos, e dentro* em pouoo ouvi
o.rukkvde uma oarruagera Daquslles tres cav.dleiros, u.n esta-v.i 4 pai-
sana, e os outros dous uniformisados No-
te! lijie um defies era baixo e gro...
Presidente. Chamai tas emunba Paguin.
TesUmunheb.A 7 de setamVo, vi o-
marechal passar a cavallo, escoltado por
uin. clarim. S^gjii-o -. chegou aos posies
avancados, epassou para o outro lado dos
altemles. A 22 de setembro, tornei a ve-
l'j, compauhado pela. bandeira dos parla-
mentarios. Ainda desta vez passou para o
outre la io. A 6 de outubro, succeieu^a
mesma sab la. 0 marechal ia acompanha-
do de um official muito alto, e de outro ;
todos elles tinham binoculo.
0 gernral Pouroet. Fallastes no sura-
mario a respeito de urna. ordem parli-
A julgar pela luz neutra da noite, o pa-
lacio de Malalbergo podia tomar-se por uma
isto torna o inconsolavel, triste, pallido, bellissima obra grego-romana da renas
doente. E' para mim f6ra de duvida quo cenga.
Lucrecia n4o am4ra nunca antes de ter co- Os seus defeitos, se os tinha, estavara-oc-
nhecido esse homem. cultos pela sombra, e apenas se podia ava-
E dizer que foi um pobre diabo do liar a belleza do seu conjuncto.
um poeta que alcanr,ou essa felicidade Buotti aproximou-se de um postigo do
exclamou Michelotto.. As mulhere.*, Deus jardim, abrio-o e entrou com Michelot-
as amaldigde 1 sio unicamente vaidade.'to.
Tenho-a visto enamorada um tao grande Depois tornou-o a fechar.
numero de vezes, que n8o sei o que pen?* Avangaram ambos por uma rua tortuosa e
quando a vejofavorecer um nomem. Deuslemmaranhada, na qual as sombras da noite
livre o Sr. Ariosto de umdesengano, porque;eram augmentadas pelas ramadas dis arvo-
osdesenganos produzidos pete duqueza,sio 'res que se eatendiara por um e outro lado
geralmonte terriveis Parece-:ne, por^m, (da rua.
que j4 vejo ao longe o vulto negro do, Reinava um profundo silencio. N4o se
palacio de Malalbergo. V4 adiante, Sr.jouvia outra cousa senSo o leve rumor das
Buotti e avise a duquezi da minha che-/folhas das arvores agitadas pela ligeira brisa
gada. A d n>te- "
N4o posso adiantar-me ; necessito id- j Na extremidade da rua de arvores encon-
troduzi-lo secretamente no palacio, mas em traram um pequeno postigo situado no meio
todo o caso vamos depressa porque a senho- do muro do p laeio, cuja porta era chapea-
ra deve estar impaciente
Buotti e Michelotto chegaram esporas
aos cavallos e chegaram em breve a uma
da de ferro.
Buotti p ocurou por entro a verdura, e
encontrou uma chave enorme, com a qual
casa isolada, situada entre uma espessura, abrio sem ruido o postigo, e entra-
4 direita do camioho, e muito ,proximo j4jrara.
do palacio de Malalbergo. / Buotti fechou a porta e disse a Miche-
Paremos aqui, disse Buotti, e deixo- lotto :
mos os cavallos ; 6 necessario que nos apro- D6-me a mSo, se nio quer quebrar
ximemos do palacio sem que nos sin- a cabeca d'encontro 4s parades,
tam. Queira desculpar, Sr. Buotti, repli-
Os dous cavalleiros pararam, apeiaram- cou Michelotto, mas eu eonbeco o palacio
se junto da csa isolada, e Buotti aTancan- de Malalbergo tio bem como o senbor.
do para a ports, bateu a ella.
A dez passos, 4 esquerda, ba uma escada
A porta abrio se iramediat'mente e ap-' e no fim desta escada, 4 direita, uma ga-
pareceu um horn-m. '^ria; enco itra-se no priraeiro uma camara
Recolha esses cavallos e adeus, disie e depois outra. Em qual deltas est4 a du-
Buotti. jqueza?
0 homem sahio, tomou conta dos dons' Naprimeira.
cavallos, Buotti e Michelotto dirigiram se.
par i o palacm embugados nas capas, e com-
petentemente mascaradjos.
Fsta pr.'caui-io era ii.util ; a noit" estava
bastiiii- '-siurd
ii hi:; oude estiva situado o pal.i n, e naquelle estado I -'
o v itr i la lKr, davam a etfte* de A6sin| o requer o segredo do succos
iqu'j se'iifi eiicontriria por alii neolurn '; so. Ale'm disso tardei unicamente hora o
!habii-id -s n p vocao. *meia para if Wtar.
a araa ?
Na segunda.
Quera acompanha a duqueza?
Ninguem ; deixei-a fecnada.
E' uma mulher terrivel... fecbada,
R. Sim, a 24 em Ars, impedio-ae a cir-
culagiio. A. ordem tinha sido delacminada
ao maire uelo Sr. Arnous.-Riv.iere.
Mr. Lachaud.A testemunha disse co-
nhocer o marechal; onde o tiuaa conhe-
cido?
Jestemunha.Em 18'*.3, vim a Paris.
Um. camarada Loreno- pagou-mo um copo
de vinho, am um cafe na rua de LavileUe ;
o Sr. Bazaine estava A mesa do mesmo
cafe.
Presidente Fostes soldaJo, e desertas-
tes ; porque ?
R.Porque dei um soco no sargento
brigadas.
Presidente.Mandai chamar a testemu-
nha Fournier.
Testemunha, proprietario em Ars, quei-
Sim, mas bora e meia nestas circums-
tancias, p6do ser a morte.
0 diabo ajuda aos seus, Sr. Miche-
lotto.
Tem razao, Sr. Buotti, por isso nada
nos succedeu de grave ao senbor e a mim.
Apressemo-nos, porera, porque a senhora
deve estar cada vez mais inpaciente.
E comegaratn a subir por uma esdada de
caracol no fim da qual bavia uma ga-
leria que dava sobro um grande pateo.
Depois de avangar alguns passos, Miche-
lotto parou, e disse:
Eis aqui a porta da primeira cam ra.
Entremos.
0 refiexo de uma luz que ardia na cama-
ra, filtrando pela porta, illuminava a escu-
ra ante-camara.
Nao me disse que a duqueza estava
sem luz? observou Michelotto.
Esteve sein luz emquanto a assistente
permaneceu aqui. Quando a duqueza fi-
cou so comigo, accendi as velas, porque 4s
escuras parece o tempo mais longo para
aquelles que esperam. Entre.
Lucrecia, pallid a e profundamente triste,
estava deitada sobre um grande leito, com
as corlina? fecbadas.
A luz das velas que ardiara n'um can le
labro, sobre uma mesa proxihia, illumina-
va em cbeioo rost > de Lucrecia.
Bam vindo sejas, Michelotto, disse ella ;
Buotti, vai buscar essa desgraga Ia crea-
tura.
Buotti sahio.
Como se sento, minha senhora? per-
guutou Michelotto.
Muito bem, livre do terrivel peso
que me opprimio durante quatro mezes,
agora nio receio cousa alguma, j4 estou
livre. Acbo-nu} tio tio bem, que logo que
coinloinoi eertas precaugoes que quero
tomar, ponho-me a cami .ho. Quero estar
em Forrara, antes ;le am uihecer.
Nesse estado, uinba senhora ?
Eu sou de ferro, Micbolotto, tu bem o
tabes.
Buotti fallou-mo n'uraa menina disse
Micho'otto.
E' ver Jade, replicou Lucrecia; ba lW8
horas dei 4 luz uma tilha ; 6 necessario que
te cases Miehelotto.
Na minha idado, seuhora ?
' Quarcuta e cinco annos nao e mui-
to.
J4 completei cincoenta.
~ E' o mesmo ; tu es rico e nao i'alta-
rao por abi raparigas que te queiram.
Na minha idade, aqu -lie que se casa
deve ter a certeza deque a mulherfar4com
que fallem delle.
Quanio ba uma causa que uos eslor-
va, Michelotto, devemos livrar-nos delta.
Supponhamos que te casas e que legitimas
minha filha, creio que isto nio e exigir
muito de ti.
Por ceito que nio, visto que sou seu
escravo.
Uma vez legitimada a minha filha,
pelo ten casamento com uma joven pobre,
que ionsista em passar por mai dessa crea-
tura, p6des livrar-te de tua mulher quando
quizeres. Sabes perfeitamente que o
vinho p6de toruarse mais doce e mais
suave.
Sim, mas para preparar o vinho e
necessario um iugrediente que nio esti ao
alcance da minha mao.
Toma, disse Lucrecia tirando da es-
carcella um frasquiaho de ouro.
Obrigado, minha senhora j este frasco
vale um mundo.
Legitimar4s a minha filha ?
Sim, minha senhora.
Obrigadj, Michelotto; tu es nobre
em Hespanha e cm Roma, e eu te farei no-
bre em Ferrara. Apezar de que es rico,
nio ejusto que fagasas despezis da educa-
gio de minha filha.
Nio fallemos mais nisso, minha senho-
ra ; tu Io quanto teuho devo aos Borgias
que me recompeusaram sempre gonernsa
mente.
E tu, em Irjca, ser vista os sempre
con tod a a .icdieagao.
Fiz o que pule ; e agora que dosjque
veidadaJeiramene se polem chamar Bor-
gias, resti tao someute a s-'ilhora dudue-
za, estou completamebU; a tua disuoii--
gio.
xou-ie da roauetra porque em Ars tinha sido
abandonado, e nio explicou a razio porque
a engenharia militar nio fez saltar a pooto.
Apenas se fez saltar a ponte de Longway
do caminho de ferro, 6 todos sabem que nao
tinha utilidade. Fez-se salt:r aquella pon-
te so para proteger a fuga do imperador.
Nio tiveraos em Ars, desgra^adamente, -
nio ofliciaes prussianos, e foi da bocca do*
nossos inimigos que soubetnos da e-ipitula-
olo, depois de lbe ter visto levar em trium-
pho 53 bandeiras francezas, que nio Uve-
ram a patriotica idea de queimar.
Dt-pois da capilulagio, estavam muitos
habitaotes de Ars a conversar, quando am
criado do Sr. Cerny veio dizer-nos que ti-
nha visto o marechal em easa do principe
Fredonco Carlos tres vezes. 0 marecba!
tinha partido n'araa carruageui.
A uma pergunta d? Mr. Lachaud, a tes-
temunha promett :u der os nomas das cinco
pessoas com qe estava, por occasiio da-
quefia con versagao.-
Presidente.Fazei chamar o Sr. Ballot,
empregado da alfasdega.
Testemunha.Eirtavamos acampador so
fovte Muzet, e alguus soldados disseram-OM
qua corna o boato d que o marechal ti-
uha ido era diversas occasiees ao eao^pe-
prussiano. No mez dr outubro, ouvi sol-
dadoa que dmiam ter vieto o marechal.
Praidente*Chamai e guarda campestre'
HonseMe:
R Nas prosimidaJes de 18 de outu-
bro, pekas-cinco-horas da tarde, vi o mare-
chal, precedido1 de dous cavalleiros prussia-
nos, acornpnnbado de o!fici>es, e seguido de
quatro cavalleiros francez- s, os quaes toma
ram o ca niuho que con luz ao quartel-ge-
neral do principe Fredenco Carlos
P.Conhecieis o marechal ?
R. Muito bem ; conbecio do Mexico, e
trabaluei no seu jardim naquelle paiz.
A tes'.emunlia Steiff* domestico do pala-
eioda Coercy, vio uma vez vir uin parla-
mentario junto do principe Frelerico Car
ios. Ignora se era o marechal Baaaine, ou
o general Cbangarnier. A pessoa inlrodu-
sida tinha osolhos veadados, e uma manta
sobre os hombros, e era por isso diflicil
precisi-lo bem. Outra vet a testemunha
vio a car do parlamentario; era. disse tl-
lei-o mareebal Bazaine.
A testemunha Guepralte, residente em
Mbulins, vio- a 25 ou 26 de setembro o
marechal nos postos a^angados. Ia acom-
panbado de um oorceta e outnx Parou
no ceiniterio,. e fez tocar a corneta para
pass-tr 0 eorneta voltwu so ; eu mesmo
lbe offered nm cacbimbo com Uibaco.
0 commandants de artilheria Suget.
declarou que desde 7 ate 18 da outubro,
recebeu do quartel-geueral ordem para ces-
sar o fogo de bateria que disparava sobre
Frescaty. Gausou-lh-isso alguma admira-
Qao, porque era contrario is ordens que ti-
nham sido dad is primitivamente pelo gene-
ral Frossard, is ordeas de queir. estava o
sommandante.
aUMOMSai DE 25 l>K NOVE3a*0.
A. tcslttiuunha Delarnarro, quo uio linba.
sido citada em occasiio opportuu, foi ou-
vida ncste dia para esclarecime*to.
0 Sr. Delamarrs.Na primeira quiuze-
na de outubro estava eu de guarda do UJo.
de Saint-Privat. da meia noita para a uma
bora chegou uma carruagem que vinha de
Metz, e se dirigia para os postos avaugad s
inimigos. A ve-leta gritou quern vL*e!
Uma voz da carruagem respondeu : Nio
estamos hab tuados a ser presos.
Quiz abrir a porta pira ver quern esta-
va naquelte carruagem, mas em quanto eu
ir .l.-.va de manlar vir uma luz, o cocbeiro
fustigou os seus cavallos, c eu fui lancado 4
por terra pela portinhola.
Ordenei a vedeta que fizesse fogo, mas
ignore se ella acertou na carruagem que se
afastava a toda a brida. Era uma carrua-
gem particular, com arreios de cor parda.
P.Qual ora a vossa graduagio nessa
epoca ?
R.En quartel-mestre, no regimento
em qut estou ainda.
Presidente.Chamai o general Buyer.
0 general lioyer.Tendo de dar conta
ao conselho das missoes de que foi encarre-
gado no decurso de outubro, expoz o que
se produzio na conference militar de 10
de outubro em consequencia da qual todos
os ofliciaes generaes que es'.avara presentes
declararam, que nio roconheciam o go-
verno insurgento que se tinha estabelecido
sobre as ruinas do paiz, e que permanece-
riam fieis ao juramento que haviam presU-
do 4 dynastia imperial. ,ontinuar-se-ha).
Bam sei, mas nio importa; no dia
em que te casares, receber4s a nomeagao
de govetuador do castelio ducal de Fer-
rara.
Oh I isso e fazer-nw de um golpe um
grande personagem.
E porque nio ? Nao vales tu pelo ma
nos Unto como os mais altos dignitarios da
corte de Fe Emquauto a valer, minha senhora,
creio que valhomais do que todos elles jun-
tos ; mas sou muito couhecido e tenbo mui-
to ma fa ma.
Murmurio quanto quizerem, mas
diante de mini callar se-bio. Oh! rbivera
minha filha.
Na ante-camara ouvio-se o vagido de uma
crianga.
Pouco depois entrou Buotti com a peque-
nita nos bragos.
0 teu punhal corta bem, Michelo*') ?
disse Lucrecia.
Eu procure ter sempre as minbas ar-
.nas em bom estido ; com o men punhal
pode fazer-se a sangria mais delicada.
Buotti que se aproximava com a crianga,
recuoti ouvindo fallar em punhal.
Lucrecia adevinbou a causa da hesitagao
de Buott..
Milagre! disse ella.
A que chama milagre, minha senho-
ra? perguntou Buotti.
0 teres deixado de sir lobo por um
momento.
Oh I e cousa realmenle dura malar
ou deixar que matem um anjo como
este.
Qual e a mii que ra*ta a filha das >.
entranbas, insensate? disse Lucrecia
taulo-so no leite. Aproxima-te e da-
rn'a.
Buo'.ii aproximou-se e poz a crianga nos
bragos de Lucrecia.
Aquella olhou para ella prwfundamenU,
iuebnou-so e pousuu-Jbe nos olhos um beijo
ard-ut <.
- Kin so parece com elle, disse
cllj,
________________(Continuar-se-ha.
' TYP.iJODi.VUO. -RUA Dt'QUE DB CAXlaS^
1
i


-------
-
=--


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHPMRNZ61_MR08PV INGEST_TIME 2014-05-21T23:23:40Z PACKAGE AA00011611_16949
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES