Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16946


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*''
ANNO L. NIMERO Si
\M ojj
t
:^

i
U
I
V
-
f

-
PABA A CAPITAL K LUGAHE9 WUNB Vit
for tree meiM ediaotadoe. ......... ? a i
Por seiaditoa idem..............
Per una wao idea...............
.Cade nuroero avtiieo.............

DIARIO
/tl 11/ Iff

.HI ,
pwrnwaMi
-,/\ ob WMtm EEKA 4 DE MRC* K 1874
--------------- ..,.. ....
FAM* DfiWIIIO E FMA DA
Por tree WN ediantcd**. .......
For seie ditoa idem
no ditos idem
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUHROA DE FAHIA FILH05.
-*r
6i Sre. -Gerardo Antonio AJes 4 Filhos, no Pari; Goncaives 4 Pinto, no Maranhao; Joeqnira Jose de (Miveira 4 Pilho, noCeari; Antoj|fp de Leiuui Brajja, no Araeetj ; Joio Mria Julio ChaTesyoo Assii; Antonio Marqewe da- On, no Haul; Jose Jstin
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Carios Amencio Monteiro da France, ua ParaJajJae ; Antonio Jos6 Gomes, na Villa dj Pha; Be'armino dos- Santos Bulcio, em Seato Antao ; Bomingos Jos4 da Costa Eraga, emlfcmareth;
Autonio Ferreira de Aguiar, em Gojanna; Joeo Antonio Machaeo, ne>PilaxdesAl*ga||; Aires 4 C, na Banks e Leite, Cerquinho 4 C. no Rio de Janeiro.
PABTE OFTICIAL
Governo da proviucia.
EXPEDIENTS DO DIA 18 DE ?KZRM0RO DB 1873.
l.'tecrao.
Acto :
0 presidents da provincia, attendendo ao qae
i-.-luereu Quirino Joaquim Madeira, resolve con-
oeder-lhe licenca para ir ao presidio de Fernando
U> Noronba, sob condicao de regressar no vapor
lairaediato ao que tern de seguir em Janeiro pro-
ximo vindouro, afim de tratar da li luidacio do
seu estabetecimeato.
Offlcios :
Ao director do arsenal de guerra. -Deferin-
do, de acordo com a sua inforraaeao de 16 do
corrente, sob n. 546, o requeriroento de Rita Ma-
ria de Jesus, auloriso V. S. a mandar eliminar da
i npanhia de educandos artifices desse arsenal o
menor Antonio V >z dos Santos, lillio da supplicante,
uraa vez que e elle incapaz para o servico da mes-
ma companhia, por soffrer de asthma, segunlj
0 pvecer medico, annexo a eitada informacao.
Ao engenheire das obras militares. -Mande
Vmc proceder de conformidade eom o oreamento,
01 importancia de 3t>0f6t0, que veio annexo ao
seu offlcio de 29 de novembro proximo findo, a re-
constrnccao de uma parede no quartel dos Hospi-
cio, qae se acha desaprumada e ameaca desa-
bar.
Ao mesmo.De acordo com o qae Xau. so-
iicita em seu oificio de bontem datado, sob n. 46,
autoriso-o a incumbir o arreraatante dos concer-
tos da fortaleza do Drain. Joaquim Eiias de Carva-
lho Mi Lira, de renovar a pane, qae se acha arrui-
uada, do vigameuto da coberta da casa de rest-
deaeia do ajudante daquella fortaleza, sem accres-
cimo de despeza e mente com a condicao pro-
posta pelo referido arrematante de poder elle uti-
lisar-se de 6 traves, que forain sobstituidas no
soalho da mesma casa.
Ao commandante do presidio de Fernando de
Noronha. Tendo por despacho desta data ooace-
i..l i a Manoe) Gomes da Cruz licenca pra ir a
esse presidio, no proximo vapor, com a condicao
de voltar no mesmo vapor, no seu regresso para
esle porto ; assim o commanico a \ mc. para seu
tronhecimeoto.
2." secgao.
Actos :
0 presidente da provincia, attendendo ao qua
l'oquereu o capitao Antonio Jose de Audrade e
iaiorraou o Dr. chefe de policia em offlcio u. 2033,
de 15 do corrente, resolve conceder-lhe a exonera
cao que pedio do cargo de delegado do lermo de
Onricary.
0 presidente da provincia, de conformidade
coin a proposta do Or. chefe de policia era offlcio
n. 2033, de 15 do corrente, resolve nomear o al-
t'eres Nuineriano Jose de Barros delegado do tenno
de Ouncury.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o bacharel Jose M inoel de Barros
Wanderley, jaiz substitute do juizo dos feilos da
lazeuda, .esolve conceder the 30 dias de licenca
para tratar de sua saude.
Odicios:
Ao commandante do corpo de poljcia. Faca
Vmc. resolher a esta capital o capitao Antonio
Joaede AnJrade e 10 pracas do destacamento de
Ouncury, que deverao vir escoltando criminosos,
* hem assim mandar substituir o dito efflcial pelo
alferes Xunwriano Jose de Barros.
Ao mesmo.Transmitto a Vmc. os quatro
o: .c-essos juntos de julgamento de pracas do cor-
po aob o seu commando, afim de que tenham exe-
cacuo as decisftes da junta, que os julgou em ul-
lima inslancia.
3.' secrao.
Acto :
0 presidente da provincia, tendo em vista
O :.viso do ministerio dos n<*gocios da fazend', de
j de oulubro do correute anno, resolve conceder
N) dias de licenca ao 3 escripturario da recebe-
dona desta proviucia, Ad^lpho Gentil.com os ven-
cuiiontos que Ihe compelirem na forma da iei,
para tratar de n gocio de seu interresse na pro-
. >A-ia da Bahia.
Officios:
Ao inspector da thesouraria de lazenda.
(.^mmunico a V. S., para os devidos tins, que a 15
do corrente entrou o bacharel Joaquim Xavier de
Uma Miranda Couto, prumotur puhlico da comar-
<-a de Tacaratii, no gozo da licenca de 30 dias que
Ihe foi concedida a 10 deste mez.
Ao mesmo. Communieo a V. S., para os de-
vidua fins, qae a 1 do corrente entroa no gozo da
ticen'-a que lhe foi concedida o bacharel Jose
Maria da Rocha Carvalho, juiz municipal e de or-
nhaos do termo de Tacaratu'.
Ao mesmo.Ficam abonauas as fallas que
uo respectivo exercicio deu o juiz de direito da
i-. uurca de Tacaratii, ba:harel Luiz Ignacio de
de Mello Barret j, de I a 11 do corrente; o que de-
Clare a V. S., para os devidos fins.
Ao mesmo.Mande V. S. pagar a Augusto
Jose Teixeira a quanta de 805*374, constante da
eonta juuta, 2.' prestacao a que elle tem direito
oomo contractante do servigo da abertura de ja-
nelias, collocacao das grades 6 portao de ferro no
hospital mililar, visto fslar o servico coacluido,
come communicou a esta presidencia o engenheiro
da- obras militares em offlcio de 17 do corrente,
*:>b a. 45.
Ao mesmo. Tendo nesta data autorisado o
o director da obras militares a encarregar o ar-
i --iiatante dos concertos da fortaleza do Brum,
J d.|uim Elias de Carvalho Moura, de fazer a re
nova^ao da parte, que reconheceu-se estar arrui-
nada, do vigamemo da coberta da casa de resi-
doncia do aiudanle da mesma fortaleza, e que nao
foi contemplado no orcamento primitive, com a
- .u iicao soraente de poder elle, como prop5e,
iu. -ar-sfc de 6 traves que- foram sobstituidas no
sositio da referida casa ; assim o commuoico a V.
S. para seu conhecimento e direccao.
Ao mesmo.Tendo nesta data autorisado o
..i oheiro das obras militares a levar a effeito
jwia quantia de 760*6'0, em que esta or? ida a
reconstruccio de uma parede do quartel do Hos-
cip< >, que se acha desaprumaJa e aineaca desabar;
*s'.n't o communieo a V. S. para seu coahectmen-
lo. afim de que mande realisar o pagameutodessa
despeza sob responsabiltdade desta presidencia,
visM estar ella compreheodida na hypothese do
M* do artigo 3 do deereto a. 2884 de 1 de (eve
retro de 1862.
Ao inspector da thesouraria provincial.
MaT-ie Vmc. paga.'a Joaquim Luiz Vieira Junior
a .anlia de I.IGJJ800, importancia do pret, junto
v.. tuplicala, do destacamento da villa de Uarrei-
rc, relative ao met de novembro ultimo ; como so-
Ufrtt jfespectivti mttnafdenie su^ciijrciu olScio
'U 8 do curri'iili-.
Ao mesmo Mande Vmc pagar a Zachanas
t* Santa l-abel ou ao sea procarador a quantia
-i IttMOO, consume da relacao e conta juntas,
desoendida durante o mez de novembro ultimo
coat o sustento dos presot pobres da eadeia do
terrao de Garanhuns; eonforme sollciton o Dr.
!.)' de policia era offlcio de 16 do corrente, sob
n KM. .
Ao mesmo.Auloriso Vmc a pagar a Jose
Joauuim de Sanl'Anna Guerra a quantia de.....
fr'-*000, em que importon a despeza feita durante
o raea de novembro ultimo com o sjaMehto dos
pr*sos pobres da eadeia d.
.-. mo aoiictla o Dr. chefe de pehc>a em offlcio de
Ao mesmo.-Em respostt ao offlcio desia
thesouraria, datado de 15 do corrente, sob n. 859,
relativo ao pagamento da despeza feita com o sus-
tento dos dou criminosos vindos do termo de Villa
Bella, mande Vmc. a qaetneompetir autbentiears
respectivacoata, nos termos do artigo 111 do re-
gulamento dessa reparticao, sem o (|ue nao se ei-
fectuara o pagamento autorisada em offlcio desta
presidencia, de 24 do mez ultimo.
Ao mesmo. >)iifornan lo-me com a ma in-
formacao, exarada em offlcio de 15 do corrente,
sob n. 560, sobre n requerimnto do chefe da 5'
seccao dessa reparticao, Maaoel Jose de Campos
Birnosa, no qa.tl peda a esta presidencia lhe man-
de pigar os vencimentos de 1* official da secreta-
ry d'"sta presidencia, correspondentes aos dias 1 e
2 d->. novembro ultimo, autoriso Vmc. a pagar ao
supplicante os ditos vencimentos.
4.' JfCfW.
Acto :
0 pr sidente da provincia, em vista da pro-
posta do director gerai da instruccao publica, de
16 do corrente sob o. 357, resolve exonerar de
professora pnblica interma da villa de Buique a
Guilhermina Maria Padilha, e nomear para suhs-
tituil a no referido cargo a D. Francisca Tnereza
de Mello Bastus.
OiHcios :
Ao Exm presidente da provincia doCeara.
Rogo a V. Exe. que se digne expedir suis or-
dens ao delegado de policia do Aracaty, on a quem
julgar convenient" para receber alii e remet er
para essa capital trinta mil caituxos embalados,
cincoenta traumas eoxof mixtas que tern de ser remettidos em uma barca
ca para aquella cidade por intermedio do director
do arsenal de guerra desta provincia.
Ao director geral da instruccao publica.
Km p irtaria desta data demitti de professora pu-
blica interina de Buique, Guilhermina Mans Padi-
lha, e oomeei em lagar delta a D. Francisca The
reza de Mello Bastos ; ficando asssim respondido
o offlco de Vmc, de 16 do corrente, sob o. 257.
Portaria :
A' eamara municipal do Rio Formoso. To-
raando em consideiacao o que expoz a eamara
municipal da cidade do Rio Formoso em offlcio de
IS de novembro uliimn, sobre a variola, sarampo
e febres qae grassam actualmente naquellc ma-
nicipio, remetlo quatro collecfdes de 15 medica-
mentos homeopathicos cada uma, e as competentes
instru ;co para o tralamento de taes molestias,
afim de que tenham a devida applicacao; cam
prindo a referida eamara encarregar a pessoas
praticas do tratamente dos indigentes accommetti-
dos, uma vez que nessa cidade nao ba laculta-
tivo.
5". setqao.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
oublicas. Mande Vmc. orcar as despezas a fa-
zer-se com os tanques d'agua para Ja extinc;Ao de
incendios no theatro de S. Isabel, e de qae trata o
seu offlcio de II de outubro ultimo, sob n. 373.
Ao gerente da Western and Brasilian Tele-
graph &jrapany, Limited. Cumpre que Vmc
quanto an'es de as necessarias provideneias para
que tenha comedo, por conta dessa companhia, a
construccao do edificio que deva servir para labo-
ralorio pyrotechmieo, eonforme se obrigou a mes
ma companhia.
EXPF.DIKXTE DO SSCRRTARIQ.
/.- secfao.
Offlcio :
Ao engenlwiro d?.s obras militares. De or-
dem de S. Exc o Sr presidente da provincia com-
munieo a V. S. que a thesouraria de fazenda acha-
se aatorisada a pagar a Augusto Jose Teixeiia a
prestacao a que tem direito e a qual se refere o
offlcio de V. S., datado de 17 do corrente, sob
B. 18.
j- seccao.
Offlcio? :
Ao Dr. chefe de policia. De ordom de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, communieo a
V. S. que autorisou-sc a thesouraria provincial no
sentido de ser paga a Jo_-e Joaquim de Santa An-
na Guerra, a importancia da despeza feita no mez
de novembro ultimo com o sustento dos presos po-
bres da eadeia do termo de Caruani. eonforme so-
licita V. S. em offlcio de 17 do corrente, sob a.
2,049.
Ao mesmo. D Exai. Sr. presidento da pro-
vincia manda decUrar a V. S. qae nesta data ex-
pedio ordera para reeolherem-so a esta capital o
capitao Antonio Jose de Andrade e 10 pracas do
destacamento de Ouricury, que deverao vir escol
tando driminosos, e bem assim manda transmittir-
lhe o litulo junto de delegado do dito termo de
Ouricury, de conformidade com a proposta de V.
S. em offlcio n. 2.033 de 15 do corrente.
Ao mesmo. De ordem de S. Ex. o Sr.
presidente da provincia commanico a V. S. que a
thesouraria provincial esta autorisada a pagar a
Zacarias de Santa Isabel, ou ao seu procurator, a
quantia de 191* de que trata o offlcio de V. S. da-
tado de 16 do corrente, sob n. 2,046.
Ao c mmandante superior de Barroiros e
Agua Preta. De ordem de S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia communieo a V. S que expe-
dio-se ordem a thesouraria provincial para pagar
a Joaquim Luiz Vieira Junior a importancia do
pret do destacamento dessa villa, correspondente
ao mez de novembro ultimo, como V. S. soliictou
em offlcio de 8 do corrente.
Ao jaiz municipal de Tacaratu, bacharel Jo-
se Maria da Rocha Carvalho. 0 Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda accusar o recebimento
do offlcio d-i V S., do I do corrente, em quo par
ticipa ter n^ssa data enlrado no gozo da licenca que
lhe foi concedida a 10 de novembro ultimo.
Ao bacharel Joaquim de Lima Miranda Cou-
to, promotjr publico de Tacaratii. 0 Exm. Sr.
presidente da provin:ia manda accusar o recebi-
mento do offlcio de V. S. de 15 do corrente em que
participa ter nessa data entrado no gozo da licenca
que Ihe foi concedida a 10 do corrente.
KXPEWKNTR DO Dt.V 19 DE DEZSMBRO DE 1873.
I- secfao.
Offlcios :
Ao Exm. brigaleiro commandante das ar-
mas. Sirva-se V. Exc. de expedir saas orden3 ao
commandante d 9 bataMo de infantana para
que mande receber no arsenal de guerra, onde se
acha reeoihido, vindo da cdrte no vapor Ceard,
am caixio eontendo livros destiaados aquelle ba-
Ao masmo. Em aviso de 9 do corrente o
Exm. Sr. ministerio da guerra, dando solucao a pro-
posta feita por V. Exc. era offlcio de 12 de novem-
bro ultimo, sob n 1,105, do major reformado An-
tonio Dornellas Camara, e do tenente hooorario
Frederico Augusto Velloso da Silveira, para os la-
urel vag.is de commandantes, aiuelle da fortale-
L do Br^iu. 9 ';ic d fort-: do P;io Armrello, de
clarou-mc que i ap^ruvada a nomear^ao dosogun-
do e que, qianto a do primeiro, flcava scienle. O
que commuaico a V. Exc. para os flns cone-
nientes. ,
Ao inspector do arsenal de mannna.-Auto-
riso V. S., como solicit* em sen offlcio de hontem
datado, sob a. 787, a comprar 2V traves de 40 a 4o
palmos do comprimento e 8t de 30 a 35, as quaes
sao oflereciias por venda, as primelras a 15*000
as seguodas a 8x000, visto serem es-
respectivo aimoxarifado.
seefmo.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de policia. Remetm 4 eollee-
coes de moAoMfeMtw homepatfaicos para o-tra-
tamenio 4a variola, as re-jpattivas instrue^oss,
qae deverao ser aiii'i1 aeWajjat de Linaoai j.
segnndo solicita V. S. em sea offlcio de 15 ds tar-
rente, sob n. 2,036.
Ao command sow superior de Ganniai -
loforme V. S. o mothra peso qmd veW wmgnrtt
pelo capitao Thomaz Tinssea Siism trupo*u
annexa a seu offlcio de 30 de outubro ultimo.
Ao jaiz de dirsit > interiao de Tac-iratiL
Transmitting a Vmc. o offlcio, junto por eepia, do
juiz de direito dessa omaraa, caamj a atteo^lo de
Vmc. sobre as accoes de qae trata a asessoo-juiz,
recommendando-lhe qae traga ao men coabeci-
meut'i ii resultado deltas.
Iguaes ao promotor publico e ao juiz muni-
cipal.
a." sacfao.
Acto :
0 presidente da provincia, attendendo as con-
sideracdes feitas pelo inspector da thesmr.iria
provincial era offl:io datado de 3 do corrente, sob
a. 546. resolve modiftcar a porcentagem de que
trata o art. 8 do regulainento de 1 de abril deste
anno, determinant que nao devera ella nunca
exceder de 2:400*000 annual men te.
Offlcios:
Ao inspector da thesouraria de sszenda.
Tendo nesta data, da acordo com o parecer dessa
thesouraria, de 17 do corrente, sob n. 227, serin E,
abonado as faltas do juiz de direito da comarca de
Cabrobo, correspondente aos dias que gastou coin
a viagem a villa de Salgueiro, afim de presidir ao
jury, mande V. S. pagar the os respectivos venci-
mentos.
Ao mesmo.Mande V. S. pagar ao padre An-
dre Cursrao de Araujo Pereira, vigario collado na
freguezia de S. Vicente, a congrua correspondente
ao tempo decorrido de 1- de julho ao ulti n) de
svteinbro deste anno, visto ter cumprido os seas
deveres na respectiva matriz.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar ao bacharel
Jose Baptista Gitirana a importancia do aluguel da
casa que serve de quartel ao destacamento da vil-
la de Bonito, relativo ao tempo decorrido de 15 de
julho a 1j de novembro ultimo, a razao de 8*000
mensaes.
Ao mesmo. Nao havendo credito na verba
exercito -do ministerio daguerra, no exercicio
em liquidacae -de 1872 -1873, segundo a informa-
gao de V. S., datada de 17 do corrente, sob n. 232,
autoriso-o a pagar, sob responsabilidade desta pre
sidencia e nos termos do deereto de 1* de feverei
ro de 1862, a quantia de 802*250, importancia dos
Prets das pracas de guarda nacional destacados em
etrolina durante os mezes de Janeiro e fevereiro
deste anno.
Ao mesmo. A' vista dos prets e follias que
inclusos remetlo, mande V. &. pagar a quem raos
trar competentemente autorisado os vencimentos
das pracas de guarda nacional, descatadas ru villa
do Cabo do 1 de novembro ate o dia 11 do mes-
mo, assim como a importancia do fornecimento
d agua e luz, feito ao respectivo quartel
Ao mesmo.-Mande V. S. pagar acaixa da
eompaahia Beberibe a importancia da inclusa con-
ta em duplicata, proveniente da despeza d'agua
consumida no hospital mililar no trimestre decor-
rido do de julho a 30 de setombro ultimos, na
conformidade do que solicitou o brigadeiro com-
mandante das arraas em., offlcio de 18 do correu-
te sob n. 1,199.
Ao mesmo. -Antorisar-do nesta data o con-
selho do compras do arsenal do-guerra, a promo-
ver a acquisicSo dos objeclos constantes do peli-
do junto por copia, para supprimento ao respeeti-
vo almoxarifado ; assim o commuaico a V. S.
para os fins convenientes.
Ao mesmoTendo em vista as inclusas con-
tas que remetto, mande V. S. pagar a Augusto
Caors a quantia de 220*000 em qae importarara
tres ambulancias remeltidas pelo Dr. inspector da
saude publica para Exu", Escada e Varzea.
Ao mesmo.A" vista do attestado junto em
duplicata, mande V. S- pagar ao soldado do 9" ba-
tilhao de infantaria Manoel Joaquim do Xasci-
mento, o premio que Ihe compere como apprehen;
sor do desert >r do mesmo batalhao Joaquim lose
de Sant'Anna.
Ao mesmo. -Transmitto a V. S. para os do-
vidos fins, os decretos juntos de 29 do mez pro-
ximo passado, removendo. os juizes de direito An-
tonio Manoel de Meaionce Purtado, Joaquim Cor-
deiro Cnnha Couto. .
Ao mesmo -Teado nesta data autorisado o
inspector do arsenal de marinha a comprar 24
traves do 40 a i5 palmos de comprimento e 8.1 de
30 a 33, as quaes sao offerecidas por vend i, as pri
raeiras a 15*000 cada uma e as segundas a 8*000
precos esses que o mesmo inspector julga modicos,
assim o communieo a, V. S. para os nos conve-
nientes. .
Ao inspector da thesouraria provincial.to-
mando em consideracao o que solicitou o Dr. che-
fe de policia cm offlcio datado de 16 do corrente
sob n. 20i2, autoriso Vmc. a mandar indemnisar
ao cofre da reparticao da policia a quantia de-----
12*480 abonada aos criminosos Joaquim Jose de
Oliveira, Joao Francisco do Nascimento e Cypriano
Francisco do N issimeolo, que seguiram, o pri-
meiro para Bora-Conselho e os dons ultimos para
Floresta.
Ao mesmo.Man le Vmc. indemnisar ao co-
fre da reparticao Ua policia nao 6 a quantia de.
10*560 abonada em viagem aos criminosos Fran
ci-.co Barbosa da Silva, Secundiuo Jose de Barros
e Liberate Seares da Silva, que regressaram do
termo de Cabrobo como tamtam a de 6*400 abo
nada ao sentenciado Eiuardo Viceote que seguio
pira o mesm> teraio na conformidade do que so'i
cita o Dr. chefe de policia em sea offlcio datado
de 16 do corrente sob n. 2093.
Ao mesmo. -Mande Vmc. pagar a Renovato
Antonio da Cunha a quantia de 36*000 em que
importon o aluguel do semestre veacido cm 6 do
corrente, da casa que na pwoacao de Muribeca
serve de quartel ao respectivo destacamento ; se-
Sundo solicitou o Dr. chefe de policia em offlcio
alado de 16 do corrente sob n. 2039.
Ao mesmo. Attendendo a sua informacao
datada de 3 do corrente sob n. 546, expedi a ina
slusa portaria que remetto por copia a Vmc. par-
es devidos Bos.
Ao mesmo. Mande Vmc pagar ao tenente
quartel mestre do corpo de policia desta provincia
a quantia de 30*000 importancia da ajuda do cus-
to, qae foi abonada ao tenente do mesmo Anlonto
Francisco Cordeiro de Mello, qae por ordem desta
presidencia, seguio para o Limoeiro no dia 13 de
novembro ultimo, como solicita o respectivo com-
mandante em offlcio de 16 do corrente sob n.
70S.
sob n. IffJA, mande Vmc pagar ao theseureiro in-
Sarhsao da policia a quantia- de......
r sspendida com tres criauoosos que
ra o- termj de Triumpho, ali.ii de res-
ao jury.
lesmo. Remetto a Vmc. os inclnsos
que maude pag ir a qu^m se raostrar
menie autorisado a imporiancia dot
* das pracas de guard is nacionaes des-
villn de Iguirassii durante u mez de
.ultiuiki, segundo solicitou c respect*vi
.superior em offlcio ds ': do cor-
17 40 confute, sob n. J04D,
cada uma. e------._
ses precos modicos e ter esse arsenal precisao das
aMncionadas (raves.
-. Ao ootselhe de compras do arsmal de^aer
i mntt SCaraaifl' f ra. -Antoriso o oon&olho de eompras do arsenal
degaerra apromover.aacquUieao dos objectos,
4.' ucgao.
Offlcujp :
AW capitao Paulo Cavalcanti de Albuquer-
que, u plente do juiz municipal do Limoeiro.
aeudo mc supplente do juiz municipal desse
termo, tendo p-ir ito perdiJo o lugar de I.*
Jaiz de iaz da freguezia, em face do-aviso de 27
d sotei bro ultimo, av-ira o communieo para
mu goe ruo ; deveudo a proxima eleioao, a que
tsm de proceder nessa localidade, ser pre>idida
pelo 3.* oiz de paz, visto i.ehar-se o 2r* nas mas-
mas cot licdes.
Ai Sr. Jnse Antonio Pestana, supplente do
juiz inujicipaJ do Limoeiro. Consults Vmc em
offlcio df 2T de novembro proximo passado si, em
face juiz ddj paz, que tambem e supplente do jaiz rau-
n'CipaLtexereer as func^ies daquelle kigar, rela
tivameme a presidencia da proxima eleicao de
vereadoyes e juizes de paz, a aue vai-se proceder
nessa Ireguezia do Limoeiro. Km resputi, teuho
a dizcr $ie, segundo a doutrina do.citado aviso, o
juiz d1 pa'., em taes condicoes, tem.perdido o seu
lugar'L enraprindo que a eleig.io, alladida seja
presidiea pelo 3.* juiz de paz, visto serem o 1.* e
o 2 saeptentes do juiz ;municipal em exeici:io,
e pirtinto aehacem-se coinprehendtdis na hypo-
these iaqneHe aviso..
=> Ao 'i." juiz de paz da freguezia do Limoeiro.
-TVnio os I e 2* juizes de paz.dessa freguezia
perdido os referidis Ingares, por serem supplentes
do juiz municipal, s-gundo a doutrina do aviso de
27 de rtembru ultimo, a Vmc oimpete presidir
a eleicto de verealores e juizes de paz, a quo tem
de se proceder nesu freguezip ; o que Ihe com-
munieo para seu governo.
Pcrlana :
A* camara municipal do Limieiro Remetto
a r-auiira municipal da villa do Limoeiro, para os
fins coavenientes, copia da resposta que nesta data
dei a eonsnlta, que me fez era offlcio de 27 de no-
verabra ulti no o 2* juiz de paz dessa fr.'g le.'.ii,
Jose Antonio Pestana.
5.' stcgao,
Portaria :
0 Sr. gerente da companhia pernambucuna
mangle cuidu/ir para o presidio de Fernando, no
proximo vap >r. um :aixao> qae sera remettilo
para bordo pelo-directcc do arsenal de anerra,
eontendo balan^as, pesos e raedidas, det.naJe. ao
m.-smo presidio.
EXPEDIENTK DO SET-RETARIO.
/.* iecqno.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante las ar
mas.1>* ordem do Exm. Sr. presidente da pro
vin.-ia, leclsro a V. Exe qua a thesouraria de fa
zenda tem ordem pana pagar a importanna a agua
consumida no hospital militir no trimestre decor-
rido d) l. de jollio a 30 do setembro. ultimo ;
eonforme solicits V'. Exc. em offlcio n. *109.
Ao director do arsenal de guerra.S. Exc o
Sr. presidente da, provineia manda declarer a V.
S., em r-jsposta ao seu offl:io de 17. do corrente,
sob n. 548. qne ficam expedidas an necessarias
ordens. nao se para que o commandante do 9t*
hatalna mxn-ie receber nesse arsenal o caixan,
vindo da cdrte com livros para a raesmo batalbAi,
mas tambem. para qua seja condozido ao presidio
do Fernando, no proximo vapor da companhia
pernambucana, am outro caixao eontendo bUan.
cas e meilidas.
2." seccno
Ofilek* :
Ao Exm. presidente do tribunal da relacao.
-Deordem deS. Exc. o Sr. presidento da provin-
cia, envio a V. Ex'-, mais H exemplares (42 vo
lame?) da collecc.io das lei* do imperio e decisoes
do gi)verno, do anno de 872.
An Dr. chefe de policia0 Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda eommifflicar a V S.
que nesta data expedio as necessarias ordens a
tnesouraria provincial no sentido de qae trat3 o
sea offlcio datado de 16 do correol.\ sob a 2042.
Ao raesmo De ordem de 8. Exc o Sr. pre-
sidente da provincia, communieo a V. 8. que a the-
souraria provincial ja se acha autorisada para in-
demnisar o cofre da reparticao da policia da
quantia abonada aos criminosos, aos quaes se re
fere o seu offlcio datada de 16 do corrente, sob
u. 2093.
Ao mesmo. -S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. S, que por offlcio
desl i data expede as necessarias ordens a thesou
raria provincial, no sentido de ser pagi ao thesou-
re ro da reparticao da policia a quantia despendi
da com a remessa de 3 criminosos, qne seguiram
para o termo de Triumpho, afim do responderem
ao jury : segundo V. S. solicitou em seu offlcio
datado de 16 do cortente, sob n. $0i4.
Ao mesmo. -S. Exc oSr. presidente de pro-
vincia, mania eoramuoicar a V. S. qae nesta data
foram expedidas as convenientes ordens a thesou-
raria provincial, no sentido de ser paga a impor-
tancia do aluguel do semestre, vencido a 6 doe r
rent*, da casa que na povoacao de Muribeca serve
de quartel ao respectivo destacamento ; segundo
solicitou em seu offlcio datado de 16 do oorronte,
sob n. 2039.
Ao raesmo. -0 Exm. Sr. presidente da pro-
viocia manda dcclarar a V. S que foram expe-
didas as coavenientes ordsns no sentido de que
trata o seu offlcio n. 2057, de hontem datado.
Ao mesmo.De ordem de S. Exc oSr. pre-
sidente da provincia, communieo a V. S. que au-
torisou-se a thesonraria provincial a fazer o paga-
mento do aluguel da casa, qae serve de quartel
ao destacamento em Jaboatao, relativo aos mezes
de agosto a novembro ultimo, a que se refere o
offlcio de V. S, datado de 17 do corrente, sob n.
2050.
Ao commandante superior in municpios
do Cabo e Ipojnca. 0 Exm. Sr. presidente da
provincia manda ronmunicar a |v. S que por of-
flcio desta data expedio as lonvanieutes ordons]a
thesouraria de, fazenda, no sentido de serem pagos
os vencimentos das pracas destacadas na villa do
Cabo, de 1 a 11 de novembro ultimo, assim como
a importancia do fornecimento d'agua e luz, feito
ao respectivo quartet.
Ao commandante superior de Igaarassii.
De orde n de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
commanico a V. S. qae por offlcio desta data,
Cintra, do >ato, no Ceara, para Garanhuns.
- Igual ao bacharel Pedro Camello Pessoa, de
Pa) d'Allu para a 2." vara civel do Recife.
- Ao Commandante do corpo de policia De
ordem de & Exc. o Sr. presidente da povincia.
communieo a V. S. que a thesouraria provincial
esta autorisada a pagar ao tenente quartel-mes-
tre desse corpj a quantia d30*, a. que se rofere
o sen offlcio dd 16 do corrente, sob a. 708.
4.' iee0.
Offlcio:
- Ao Dr. iaspector da saide publica.-S. Exc.
o Sr. presidente da proviucia manda eomvunicar
a V. S. que expedio ordera a. thesouraria de fa
zeada para ser paga a Augusto Caors a importan-
cia das ambulaacias remettidts para Exd, Escada
e Varzea; segundo V. S. solicitou em seu offlcio
datado de 17 do corrente.
5.' seccao.
Offlcios :
Ao engenheiro fiscal intenn i da estrada de
ferro do Recife ao S Francisco O Exm. Sr. pre
sidente da provincia mauda.communicar a V. S.
que teve o couveniente destine o relatorio que
acorapanhou o seu offlcio de 16 .do corrente, sob
n. 146
Ao gerente da companhia pernambucana.
S Exc. o Sr. presidente da.provincia manda accu-
sar recebido o offlcio de V. 3., de hontem datado,
communican lc a parlida dos vapores dessa com-
deahia, ii 5 horas da tarde de 31 do corrente,
para os portos de seus destinos ; Jo que flea in-
teirado.
OKSfAOtOS DA
pbesidncia, do dia 2 oe m\bi,m
de 1874
Antonio Carlos Ferreira da Silva.Iadeferido,
atleata a improccdeucia dos novos aliegados.
Bernardo Francisco Santiago. Iadeferido, a
vista ie attcstado.
Francisco de Souza Ferra',. laf.irme o Sr. ins-
pector da thesonrana de fazenda.
Ignacio de Barros Barrelo.Inforroe o Sr. ins
pectoc da thesouraria'provincial.
Bacharel Joaquim, Ferreira. Chaves. Como re-
quer; devendo, porem, tirar e apresentar orespec*
tivu litulo no praso impromgavel de i.'i dias.
Josd Jacintho Paio. Iniorme o Sr. Dr. juiz de
direito da I.' vara.civel
Joao Luiz Cavaleante de-Albuquerque.Infor-
ms o Sr. iaspector da thescararia de fazenda.
Teaente-coronel Manoel Joaquim do Regoe Ah
buquerque. Informe o Sr. Dr. chefe de policia.
Q lintmo Jo-e de Miranda. -Sejam aboaadas.
Sn.-i 1.1 J.; Uuiai Cattioiica Orthodoxa Pernam>
bucana.Remettido ao Or. chefe de policia para
providenciar oino entemler convenieate.
Thoinaz de Carvalao Scares Brandao Sohriabo.
Nao temlo o augment sido autorisado, e uao
sendo de absoluta necessidade. mas considerando
que elle de algnms sopte concotre para tornar
a obra mais solida, segundo opina a reparticio
das ubras publica*, auloriso que se pague ao sup-
plicante nao a quantia, que pede, de 583*pio,
mas sun a de 30 )*0i0.
Cunuatzanilo das armas.
^UAATEL GEXERAX DO COMMANDO DAS ARUAS
DC PERNA.VBUCO, EM 3 DE MAHHO BE
1ST*.
Ordem do dia n. 80t.
0 brig-ideiro com-nandante das annas faz pu-
blico para os- lius convenientes, que segundo cons-
tou de offlcio da presidencia, de hontem datado,
foi por aviso do ministerio da guerra de 20 de fe-
vereiro ultimo, approvada, ficando reduzida a 2
mezes a licenca da 3 mezes concedida pela mesma
presidencia ao Sr. alferes ajudante do 9 batalhao
de infaateria Leueadio Alexandre da Conceicao,
para tratar de sua saude Faz igualraente publico
que i dia 28 do referido mezde fevereiro, seguio
para a provincia da Parahyba, ou cando dcsligado desta guarnicjio, o Sr. 2 eirorgiao
do corpo de saude do exercito Dr. Luiz Jose Cw-
rea de Sa.
(Assignado.) Manoel da Cuttha Wandtrley
tins.
Conforme. 0 alferes Jose RUziario dos Santos,
ajudante de ordens interino, encarregadc. do de-
talhe.
)
consuntes d pedido junto, para supprimepto do
Ao mesmo.-Mande Vmc. pagar a Bjrnardo foram expedidas as convewentes orrtens^the
Juse Pereira Bamalho, on ao sea procarador, pro-
prietary da casa qne serve de quartel no destaca-
mento de Jaboatao ao respectivo destacamento a
3aantia de 44*000 constante da eonta junta em
uplicata, correspondente a quatro mezes, a eon
tar do primeiro de agosto a 30 de novembro ulti-
mo, eonforme solicita 3 Dr. caefe de policia em oi-
ficio de 17 do corrente sob n. 2010
Ao mesmo.-Providencie Vmc. no sentido de
serem furnecido* ao administrador da casa de de-
lencao 2,272 metros de panno azul para duas mu-
das de rou a a 300 pessoas,
Ao mosmo. 'iooforrae solicitou o Dr. ch-f*
de policia em ^ea offlcio datado de 16 6c- correott
souraria provincial paca ser paga, a importancia
dos prets das pracas de ^urauX nacional desta
eadas n'essa villa durante t> mez de novembro
ultimo ; na conformidade 'do sea offlcio datado de
do corrente.
Ao baonarel Antonio Mraoel de Medeiroi
FurUdo.Por ^su secretaria se communra ao
Sr. bacharel Aritonio Manoel de Medeiros Furtado
aue nesta day., se remette a thesouraria de fazends
o d-creto d/j fg do mez oreximo paseado, qae o
rera a-.-u eomarca de Garauhuns para o Bonito.
VotWu mutandis ao xm, Sr. Francisco
xeia do 3^ ,j0 Lunoeiro pars Boyanoa.
-".al ao oaeharel Joaquim Cordeiro Coelh-i Prata.
Di\RiUUE?pNiMB'UOu
RECIFE, 4 DE MARCO DE 1871.
Noticing l< .sul do inaperio.
Hontem as 3 horas da tarde fundeou no lama-
rSo 0 vapor inglez Curco, com datas : do Rio da
Prata 19, do Rio Grande do Sul 18, de Sana Ca-
tharina 21, do Parana 16, e do Rio de Janeiro 2"i
de fevereiro e da Bahia primeiro do corrente.
Dos jornaes colhemos'o que segn? :
PAC1KIC0.
0 Tdegrapho Maritimo publica 0 seguinU1 tele-
gramma expedido de Valparaizo em 14 do cor-
rente :
Na Bolivia esta graverwmtc enfermo em pen-
go de vida 0 Sr. Ballivian.
t E' triste a situacio do paiz.
t Os partidos comegam a conspirar, e ha ja mo-
viraentos de tropas; os homens politicos atiram-se
a revolta; julga-se mesmo qne a esta hora ja re-
bentou a revolucao.
RIO DA PftSTA.
Em Buanos-Avres considerava-se extincU a
epidemia do cholera, e ja a muniiipalidade dis-
pensara os services de varios medicos paro-
chiaes.
Ten*j enconlrado no obituario desta corte um
caso de febre amarella, propuzera a junta de sau-
de ao governo qae se impozesse quarenteni de 13
dias a todos os navios procedentes do Rio de- Ja-
neiro, 0 que foi promptameate ordenado.
A|Pren*a, referindo^ie a recusa apresentada pelo
Dr. Elizalde ao convite para vir em missao ao Rio
de Janeiro, diz:
o Relativaraente a noticia que demos, de ter si-
do offerecido ao Dr Elizardo 0 cargo de enviado
junto do governo do imperio, noderaos affirmar
que este senhor respondeu nao poder aceitar 0
convite por motivos porticularos, e por julgar que
oestado de nossas relaQO>,s com 0 imperio nao t
tao grave como se jnlga ; se assim nao fora, nao
se nogaria elle a servir sua patria deserapenhando
esta misssao.
Constava que ia abrir-se era Palermo uma nova
escola de artitharia, que seria custeiada pela nacio
a principio, passando mais tarde a cargo do esta-
do de Buenos-Ayres. -
Em Montevideo foi eleito no dia 14 presidente do
senado 0- Jose immiogp Pinheiro e vice-prest-
dente D. Juan Ramon Gomez.
No dia 15 abrio-se a sessao ordmaria do cirpo
legislative lendo nessa occasiao 0 presideote El
latiri a sua mensagem. 1
. commlssao petmanenje dera 0 sou assenti-1
mento a nn propi va i negociafi" de um tratado de ettra^j-So e
e uma eonveocao postal com a repa^a da Para-
guay.
Ja estava estendido 0 do telegraphic^ cntre Mon-
ievid*o e Paysandu : dentro de poucos dias devia
effactuar-se a laaugnraeio solemn da linha.
So dia 16 chegara a M >nte<>d0, k corveu Si
theroy, levando a sen bord^ 0 gr. barso da Lagu
na, enefe de nossa ^tac^c naval no Plo da
0 OKA.IDEDOSl'I.
losallara-se no dia 3 de fevereiro. com toda *
solerantdade, o tribunal da relacio do distnelo do
Rio Grande deSoJ e de Santa Calbanna.
Nao se sabia com. que fundamenkt propaiara-se
o boato de tereowse manifestado alguns cases d*
cholera em Santa- Aooa do Livraraenio. Uma fo-
lia de Porto-Alefre r-hrgra mesmo a declarar 0
seguin'.a :
a O-'patrio do biate fiuilrjba, vintlo em direitu
ra de Pelotas, deciara que o pn-.-ideute da cams
ra daquella locaSdadB recebera offlcios do presi-
dente da camara de Santa A.TV d Livramento,
comnuinicanlo qne ebo era estara fiTnaio es-
tragos naqutlla viila
Pessoa ciiegada de Santa Victoria, ufjrmira na
capital que o commandant? da fronteira do Chu*
uiandara uma esc>ita Je seis pracas, em coadjura-
cao dos-ajuardas as. mesa de rondas-i|ue segiMram.
para arrecadar os sahrados de ui.: aarie que nan
fragara sobre a coU.
0 catregamenk>diRsse navio, cujo oorae era sia-
da ignorado, cooeisua, segundo as aoticiaj recebi-
das, em taboado de pinho.
0 mesmo infurmaute dissera quu se fallava mut-
to na. fronteira e na villa de Santa Victoria em
uma proxima revoloeio no Estaio^Qrrcntal.
Creecera ex'.raordiairiamente s arruiu Jaguarao..
solfreado a villa d Artigas, cwmo sempre, alguns
prejutoos.
Contiouavamas apprehea-jJas de contraban-
do na fronteira A 27 entraram ea Santa Amu
do Livramsnio quatro carr^'.as carregadas com
fazendas, aprisiooadas na direcca* do Passo 4u
Rosario. Este cumrabando e avaiisdn em 21 OCO*
e era. na ntaior parte pcrteacente-a casade IVH
chior Soares, na Rivera.
Nas visinhancas do rio Ii juh> lam bem foram
apprehendidas oulras quatro carretas.
Std) a epigraphe Scenic it otmirabando, rcsere
0 Di-irio de- tape :
< Em. uma parte da fron eira do maoicip^ dr
Santa Aooa, deu se ba poacps o\as, segundo no-
affltmam, um grave confneto enare 0 povo e Iro-
pa, por causa de am contrabands pelo que resal
ton a morte de alguus dus contendores, senio fe-
ridos graoise numero d'elles.
< Eis como nos contaraai 0 facie :
Tres carretas com fazendas do Estado Orion
lal, oonJaadase guardadas por 8 homes.*,, pre
teudenda uassar de contraba*io, avisiobataaase
da linha dWisoria, quaade presentidas por uosa
policia do destacamento mais proximo, foraa pot
esta ataeadas e intimadae.
< Contra a escolta, ana era de 4 ou 5 bouteos.
iiive-tir.un os carretekes, sustdo derrot^da, diri-
gio-se inc-intmenti ao destacaaeuto, de :ade vol
tuu k>go depots ref xctda coas S pracas.
Os carreteiros ja ectio Isnham rcce'.ido novits
coiabatentes, e feriose uma verdadeiia, batalha
ou gaernlha, sem poder se prohibir a nassagem
das carretas cujos condoctares. apro. conflicto, eflectuaramu iraneporle paraoste lado
a A pessoa qut nos deu este esclarecimenl-
nio sonbe, eutrelar.to, in/ormar-e ua resultado
final da accao, pois que recebeu esta acti-.ia em
caminno para esta cidade, de ura outre mdivi-lao
que por elle passou. a
A camara muaicipal Je Piratiny. em uma d.
suas ultimas sessoes. aaprovara a aafalnts aa>-
nACf 1
rroponho i^ae, pai- laxntaemocaf os impen-
Untiis sericos preslados ajpruvinc:*j<-.i...- o.o> .#.
luaes deputados geraes os Srs. Drs. Gaspar da 3*4
vein Martins, Floreacu) de Abreu e Stka, Lou da
Silva Flores, c cooselheiro Fraoeiaeo Carlo dt-
Araujo Braquc. principalmente dot oecasSo da
passagem do projecto Imje cottfeMsdoea lei, da*
e: trades do ierro para Beta pzovincia. mania a
camara collocar na >ala de saaa aeaadee nao 0
retralo daqu-jlles Sts. deputadoi como 0 d.i .vtual
Sr. presidente do eonsclho de ministr s, Vlsconde
do Rio Bai.nco ; e que s<;jam sMUeaito e cada
um dos districtos de munlsipio uma .ommis-
sao para agenciar quantia* para a ac|ui?icio
defies.
t Que fique destgnado 0 dia 3 de setcesbro ea
trante. dia em que 0 projecao teve a snac^ao im
perial, para a inauguracan dus retratoa.
Paco da eamara muiucipal da villa de Piraii
ny,5de de dezeinbro de 1873. Jc*' i'lrgWini
Gituiorl.
As ommissoes ja ha;oam sido noaeadas
Qeram-se em lVloU.*, na noite de 6, dou la
mentaveis conllictos eutre policiac:. a pracas Je li-
nha, que ii assim narrado pelo to nal de Com-
mercio de 7 :
Hontem deram se dous ^ra.^s conflirasesi
tre alguns soldadoc dos de^taca^neutos polio.l
de liulia. os quats inais uma vez den iUia a fait*
quasi total de seguranca publica.
Os dous cocflictos deram-se a tarde e a noiu
na rua do General Osorio, nas proximidades da
rua de Santo Aatonio.
Houve alguns feriacatos de parte a parte
eotre os conteadores, senJo morlo um soldado de
linha, de nomeGermano. As 10 horas da H
aiuda se acaava na rua 0 cadaver do infelis sol -
dado.
Os moradores daquelie situ etUfecaa e
constante alvoroco, veodo-se otrigado- a fechar
as portas. .
c A hora adianlada da noiie aao nos permiUi>
ohter mais inforaoies, 0 que faxem.-* hoje, pars
orienur os leitores sobre Uao desagridavel occur-
rencia.
L'ma carta com data do 8, escapee dsqu -tla ci-
dade para 0 Bio Grande, diz
t Como dove saber, deu se sa noite do sexta-
eira um serio conflicio entre a policia c aljiumas
pragas do lieslacaraenjo de lioha
E>te conflicto, que poz em sobresaltu a POP"1*
cao, so terminou com a morte de uraa pric* de U-
nha, e quaodo gravemenV feridos se achavmav
mais c'mco pra^s, inclusive tres policiaes
cO commandante do destacamento de linca, alfe-
res Mauoel Luiz dos R.eis, comparecendo, chamon
a ordem os sous eoraraandados. Esuria assim 0
conflicto terikinadp se oouvesse quem outro Xan-
te Gzesse pelo lado da policia
c Infelizmente, porem, asim nao aconteceu-
Entregue a seus iastinctos de ferocidade, a poli-
cia, que nao Umbra pela disciplina e que nio
crraposta de homens moderados. entenden qne
devia continusr sua obra. provocando eferinds
as pracas de linha qae se retiravam.
a Quando cansada de nfrimir, ou quaalo muitn
bem Ibe par*ceu, e qae a seu turno poz termo a
conflelo vvidalico qae provocara assassinando 0
soldado G'jrmano qae se achava ebri"'.
t Q facto e bastante ersve, s- de certo "fece a
atteo^ao das autoridades superiore*, _^-^
e le>de 0 dia 3 do cor entc due a policia, ame*>
5a etrna ds socego ptfoiteQ. est* emregne a
propria deliberar;.4o, ^ij^p tem um cM*J
deva obedienci-' e QnT conecaint prslica 0
umito bem ;M pare(.c e enteode.. Q c^"*".1"
^al dodVtacamento, !* .JKSSSt
'^SUdo parece, occupa esse cargo grainiremn-
U, por isso qu no mesmo d.a (J. -m qne Wfe
tonVm fontai seguto para 0 Rio Grande, M wn eoo-rw dol ^^ o Sf ^^ Theo4.
liod. "aiie f,i,scgan;o me conjta, chainalo por
Meeranwu qne en.ion-lhe n me
apitlo Tne-vlolindo sahto ae*tt ciAade,
dsr satisfacdes a niogaem pAis a TV{*"TZ
dadepuliciil.sejiuiJ'-'ouvi dlzer, ni-'S.ih- *
mu ausenciis* ia> na ofea*> d< '""'; Z,_
- Chagara a J ao R-.o Grande o tranp ft- N rr-


t



J




I

i
s
.1
M SWIM M t IJHH itSmito de Pernambuco Qn|rta felra 4 de Mar<;o de 1874. IS 0I3IFJA J O'/M
tuck, que ia segnir paw Porto .uMNV
Salcklrt*en> Pirating ="" aitQftl ScVe-
to MadrngaadnjRf1 rasado e.com '.iipns, Oipfe
1U saffria ffl HP meaul.
Noticifg mi0 & Baoi de ;
* 0 Sr iflfli Be*de pelicia-do terms interrefou
W***i
as
sabbado o parJc
dado como com
Crac.
Galvlo tento
fcfinal confessou
Qua no dia
de Manoel Borg
encontrou o fina
ximino Rami
bras.
t Ramircsa*> tendo inais dinneiro
ultimamente preso, fndi-
da
carpinteiros
patei
romiss
. Edua
lios
adores
time c
sacnii
dou o ]ogo
por Undo, e.nhinda.4 rua, convMou Galvlo ptra
1*0 qae loio da CruCss*isse, o irem mat r a sa-
?rtda do passo, o que edacordaram.
* Eritio, lalvao, uttatdo de uma pistota, men-
tion no cavallo da Maximino, indo este em ontro ca-
vailo e pur um alafha ao encontro de Gruc, do on-
t Galvao logo que o finado Joio da Cruc sahio
daVenla offereceu-se para acompanha-io, o quej]
foi accilo por este nao sem repugiancia, apezarj
daqoelle dicer1: lw que e--a brasileiio, e polia eoh
jiar delle : qae Ramires.podia ajaca-la, e .me ettc
o Aefeuderia !
Nesta Htaacao chegaratn ambos ao rio, e -lam
ja na saWfca do main, do outro lada, quando ap
pareoea Mxximio o Ramires, qae avancaodo subre
Saiubc. One, tirou-o da cima do ca valla, sem
resisteiicia, e deitou-o com a barriga para o
cbie.
' Wlpojs cpltocou um.joelrro ~se,bre as c-sstas do
sofelrZ sWeo, puxon-Ui-s pcfos CabeHos a cabepa
para '.rat, e mandou as-parda uaFvio qie o de-
gdtisset o qne esje fe*.
v-Tjruc, alem de io le-ar. arma algema, era um
niiseravel sem aniwo algum-; nao fez a raenorre-
Sfrsteaela 8 raorrea, segaclb dfz o prcprio Gattia,
.:lt,io u:n cordeiro.
'Ramires depot* Hcrta repUignante sceaa de
-anibalisma aceeden |inospb.nros-"cMn todo o san-
-fgne fno, ezam^ui o-* Urer para ver se estiva
-*eita etn;ri*gra*a onert'gao/e rauucou o morto,
3and0 ao-QaiTao diwts fibras e* conselho de reti
rar-se para bcm longs iftm de t) .nio compromet
'ler, e rnontbu a cavallo e retf:oa-*e com todoo
weego. '
t Pelizmeirte atham-se presos na cadeia desta
cidade estes dous nonsjios e a jasMpa vingaru
a sociedade oRertfida por tso hediondo crime.n
0 Jornul di Commerzio de Pdotas wferc;
tambem o ienuiEte crime :
c Juao f>!tei Mar^aes das JJsves-LobQ,-aa inaJragada de 1, fe-
ria gramentc, com Jete ?acadas, uma das quaes
mortal, o 'preto livre- sexagenarlo, I^e dos
Santos.
IMiciirco an Java fagido ha d'as tinha o
costume Wc >ir ao-eortame do 5r. Tlwijphilo Ja
collet, oade trabalaavs. e dormia o offendiJn, po
dirrlMe ijce'comer.EQ queera-juasi scmpre ser-
viio.
Na'f'irma da ccsturae, na r.cfte doTrkne,
Ftlieiaps as a'tas' licras, apreseat.?a-se a ports
durancho e peifoagizalriOj queihe foi contedido.
O asJaJiinodeitrtn-se no cliao; o preto ckIIio
Cormia R'uma Tuaiqaeza ; pouce depowaqU-'lle
PbdioTiiii cobertof; e*te naa a saiiifez, porera
finpreslalhe urajPijuetao para cobrir-se.
Tarde da1 notte, o preto vetho sentio pelo rostd
pesc de uma mac como procurando algcinacou>
-a. Ergueu se'e^rgnntou se, depow de dieter
dalo que cc>miT..'3ue vrstir e uuie dormir, ainda
ii iia.ria roulw.-"Joao Feliciaao nao profeiio uma
pafarra. Ferio roc Titinenii a infeliz prefa e 5a
qnecu-Wie a1 rrt'tr.ar T"Upa
0 otleudidat-ta eoi porigo de vida na Santa
Cam.
. 0 as^as-i'io ".em apeuas'2i> annos, e filho ds
M^;tardas. witftssa o "rime e i* sc acha recolhido
A prisao, graca* as acortadas }.iriwMi.vnci3s em-
;;r^.ida.s pirte"sribdelHgado de pdicia caoitao M.i
M3i Luiz d uudha.
- Na cidade do Rio Grande tanftsm ?e dera,
iDteliananle, ctro crime horrivd no dia i, que e
uisiin narndo pelo Artisla dc 6.
Ante hoSrtcm, das 10 para as 11 horasda toi-
\n, dea-se na casa do tabelliao Fernando Affonso
de Freiias- X ircnha o lamentavel fai'to que passa-
mas a referir :
Aqnelta-hcra, cb^gau a casa o escravo Nar-
>am, que ealroa imraediat:uwfite era altercacoes
ecm as pretas, na cozinha. G Sr. -Xoronha. que
tinha visitasem sua casa, dirigiese para o Ingar
do barulhoe admeestou Narcise, qae respondeu-
She asperamsnte. Se.aelhante dcsiibedisncia va-
Iheu IhH, ereir.os, uma admoestaciio inais severa.
< Foi qoac:e baslou ; o ioseleate escravo tnal
sea senhur ncoco vJra-se para reiirar-se.^precipi
m-M subr* o puitnao e-qaerdo. A victfnia pro-
urou log-) fefeo.lT-co, ,.uu si^urar traco rriin'!>ao, apenas ooasf.gue agwrrar a lami-
na da faca, o que origiaca Ihe graves ferimentos
ca maa direiie e iamb .-m na esqaerda I
A'.-uder.do a esposa d.i Sr. .Vjronha l uma
sem qua a eeniiora rect-feesse Hlguns ferimentos
era ambas s mSos.
Feito *to e Sr. Noroaha, que considorava le-
ve o ferimentc qa* trair.teirameatc recebera, sahe
para rhaiear cmapatrclha. Apjirees passos da
..ssa. st'iife-sc'rac.i, p.ln sangae q'uij tinha perdi-
do, e mal prjd<: foliar. Eutretarflo-' cem a^ns es-
f,rco congi ik -subir as escadas' onde foi tornado
e bvado para-': leitj do 9ffrimento.
0 esudu do Sr. Norosfaa-e gravissimc : a sna
existencia cerre imminent* perigo. 0 cr^minoso
foi nreso, a aclsa-se ree-athido a cadeia, cade de-
I'larou que o scu piano era e de malar a sen se-
nhor ntoco a sza sentwm, '.irtuo^a e^ndefeza
vellia, por 3c que i5 eega '.*
Cahira iw jui!i:icipio de S i,e >poldo terrivel
chuva do pedra,.co!Mpaal'.ada *? uma manga de
agua. SegMdo tsscvera o B&e, home pedaco
.de geto d.j Uunaofe) de uma il.iranja o-ainda maiorf
:''>, sendo i oak! peqaeaoa d- ^amanho de ovoi
de pom!:a.
Soff'erani x(r,*rdinariaaieirte as picadas 3
lose do HorttBBia, do (life e tinha JJiwa, qne
i -rara alcan.ida* par todo a furor da saraivada.
Haviara Umahto os seBtenciados Eleutherio
dos Santos e I'-dippe Garie. Este entron para a
cadets da capital a 13 de (teaembra de {8C6, para
mmprir a peaa de 12 anoos de prisao com tra
balho a qne fora c*ndemnado na L'raguapna a
16 de maio do meeixtp anno, pela naorte de Doro-
Ihea Vargas; c iyjaeile, a 48 de ?etembro de
1870 para cnmprir.2 pena de 4 anoos e jaeio de
prisao coni traualho c multa cer.'-espondeate a
metadedo tempo, qne Ihe fdra Jmposta no jury
ie Pelotas a 111 de Janeiro do mevmo anno.
Taa:bem faiieeera na enfernBaria da cadeia
if Porto Aiegre o pr&-,o, ex-major da guarda ca-
:ional Joe Pedroso de Lacerda. Esle preso en-
trara para a cadeia a -? de maio de *873, para
cumprir a pena de 2 aanos e 1 siec de prisao
com trabateo e multa a que fora condemnado
,ijeio Dr. juii de direito o Rio Pardo. p!o criae
de furto de gado.
Pallecerarn ainda : no Ris Grande o ^eteraB^
major Bernardo Jos^ Saares, brasileiro adoptivo.
maior de S!i annos ; e o oidadao oriental Loureoco
iBoteKio, ha muKo dorotediado em Pelotas.
srfjrra casiuiuna.
SSo de interesse local aa noticias ivcebidas.
Apenas en:ontramos digno de meni>ao osqguiuja
trecho, que trans ore vetoos do Cjnserccdor :
Te^os a satisfa;5n de aBcunciar aos nossos
Stores, aae o Sr. J. George Bapsold, engeoheiro
Steal da ',ompanhia Tel'^g'raphka Platino firasi-
:eira, acaba d proeeder aos estudos de aonda-
fern na costa desta provincia para a coiloca^io
iio fio sufcmarino, obtendo os aneihores re-alu-
dos, e enconirando um exceUeoce local entre a
'i'ta do Campeehe e o eostso da era qae -sta capital, onde em breve teremos oma esla |
lv que aos eoHoear* em rapida -caminuDioacac
-oitt'W-oarte e jul do imwrio e repoWicasdo
Prota.
E-'pera aquolle engenheiro qae per toio o
mez de abrH lenha principio o trabalho1 do mer
gulho do cabo.
rABAU*'.
Installiau se a 15 a assemblea provincial.
Hvt'wa coraecade no dia 12 os trabalhof.
L..aiODE^NlBO.
-r Pur carta iraporial de 81 de feverciro f jf
naturalisado o^ddaJao fraacez Marius Luiz Hy-
poiito Car.LV.za.
Por deereto-. de .14 de ferereiro (>i rcfj-
mado o ebefa de divisao FeJ.ippe J.s.j FeTreirJ,
no posto e com o soldo de cliefe de esquaflra.
Lemos na JoraaLdo Comihsr'io :
Por decretq .a. 8^38 de .11 da jiueirn, foi
concedido i compaulu'a que Augusto da Rocha
Fragoso organisar, privilegio por 60 annos, para
construccao de uma linha forrea de bftoia es
treita, qua, partlndo de S. Christdvao c passffldo
por Igaassu' e.retropojjs, vA terrainar em Agaar
Claras. A l'.sec^ao (de S. Ghristtv3o a Pctro
poles) develicar conciuida demro'do tfes annos,
e a 2- (de Petropolis a Aguas-Claras) dentre de
iaf* *mw+ a NRKM **
.Lc , Teioos u:n S. Francisco da Cul>T<'*"1
Uma nova Australia, na provlnria do" Rio'Gr
do Sul.' E' 'naa'lavraa He Ca;nqun e
pava, para onde-alTluc un pevo imraensoi
dianamente.
erarios
fai
ra
p
ilo
ezeMg In
inetaes, e co
.o JWapensara, com usura,
t Dieena-rae que elle vai mandar edlficar ttma
cam de cen nictros do i:ompriiQt*b e da dous
. i 6 qae admira e qua nm so ebrefw nSe se
queixe do trato, nem do pagamento, que anda
em dia.
i ds quo diziara%ao a'qsiga Master era vi-
sioaario, agora vein que se enganaram nas suas
* "prertsoes on propheeias nao e bem julgar -sew
lactos especincados.
BAIIIA.
No dia l" do corronte instaliou-se a sesslq
da asseinblea provincial.
Seguira para e Rio da Praia a caaboneira,
de guerra rutsa Hayimir.
Arribaxa, por ler partido o terse, a barca
ingleza Prmc Alfret, qua ia em viJ^etn delqdi-
que na Peru' para Lcscenttwn.
. A. alfandfga rondcu
607:686*738.
L nhcirn Chry.^lito Ferreira i i\xt\m
-rWrWf> 'nic o l-jgAr do pug.'it
fjrrjajL|Hci'.irl J F.aucisoo,
M'O! Carvalho Paes de Anii
'^Wwi'Ty^Ocute 'o dft ?JuJa;ite,
eMMt 4M awialo ba arfcmblea piovinciaf
engenheiro Ftdippe de Finueirda Farla.
pabll,
pravj
is
str
de
Bar
ernardi
Vda Barn
que.
se aos flMMSor^Bu
,la Silva Rrag*-e BMwaic
cadeiraa de-bage flW^P
parrautarera entre si as
portana}
rinaajent"
ia Bqt se^H-
nld&Gd^H-
oacao da Ven-
ira iipii
mjMia I
respectivas
no
Profok*
a prWIlcm
Forali
s. cadlra
inino':
iua da .
Grat
Machalo;
diAlb
Per;
Areha
Lett,
ainha, o
i^&ifckas.
Fra teniavida a prufessafa Maria-liQiygdia de
Almeida Monleiro, 3a cad-.ira do sexb feminino
de QiaTata da iabuid para a da cidade do -fiio-
Forraoso. ^^ r~. ^ nm~* *^^r % m rn
1 nstrar^aVo puaalica. Por partarras da
presidencja da prqvjucia, de 8 do corretAe, foram
notneados ; ilirccler geral Jnteriuo dainstrdecio
publica, u acharel Ezequiel Franco ija ~a ; di-
'fector Wlerino da escota normal, o Bacnare'l Ayrftf
ae All>u luer^ue-Gama ; e secrotarto Aaete esta-
ftcfeCimeid'S o profi*ssor Vicente de Monies Mello ;
aarante q tempo em que estiverera com assento
ffiez de fcviireiro aa as&emtd&a- provincial
balho (JcbOa Cavalcante
caute.
rsa*trt a thcsMirarladcfa
fe^so
dor
I'RRONH A J
m \vi. v
SaO l)E 3 UE \I VI
ci.v no exu. su. c
TAKO SAMTIA
Sevetario Dr. Vtrgilio
a man
Silva Gui
erque.
iias He
de dire
ndo com ca*
Saaliago, ab
Desejoque m^idigam ag..ra o qua pc-nin,.a
* a.,,t,0. a iOtiles qua conorreram, para a vo
a vista.
rfto se so* pa
comprar meo
cifei, e approva'rara'o '
JULGIBfTOW
Habeaa ciyrpft.
Ma^a Camel-
Sr. desenibarga-
-ca-t;-ao.
os-- bacfaaraia "3oSa-Bar>
e -Alffaro Ucb^ Cayal
ffmtera (2flJ realisou-se.'csmo estava annwa TmSgtianti *a thcsaurarla deta-
ciada, aafjertara do novo taerea'fo da rua' da 'c*a*. Nesta'eStaja^ p*gra-se bole as se-
Valla. gaiates folhas : Jhstija de" 1" iastancra, capltftnia
.Veil haras da macha foi o edincio ben- do poito, recebedqria, correio gerat, 'in^irega'dos
da estrada deferfo'.
zido, segundo. as prestr*;Ses do ritual romano,!
pelo'Uvm. coadjutor da ftvguezia da rua dj Pas-
so, depots'do que foi servldo umprotuso lurk*,'
aos diirerottt'cs corfviJados, entre os qttaas aoha-,
vara-se os Srs. presidente 'da provincia, general
commanaante das. annas, commandante superior
la guarda nacional, vereadores da camara uiuoi
cipal e oulrts pessdas distiactas.
0 St. commcodaipr Cruz Machate tomou as-
sotito no-cenlro da me/a, tenlo a sua dlrejta o
Sr. general Pedra, e a csqucr4a o Sr. conielheiro
Manoel Dantas.
t No correrdo lunch foram feitos difTsrehtesi
b indes, e entre elks os seguintes
* Do Sr. presidente da proviucia a um dos
emprezarics do mercado, Sr. tenettfe'corotiel llde
fonso Mbreira Sergio, que respondeu bFuidanflo
ao Sr. cotfln lador Cniz Mwlia
Do Sr. tenente-coronel HdeTonso a assemble*
prdrmelai
a Do'r. Tito Mello a camara munipal desta
idade.
* .Da Sr. presidente da c&tnura municipal aos
caipreaarios do mercado da Valla.
DoSr. .r. Leao'veJIoso aos c^labyradores do
progresso desta proviacia.
o Do Sr. Thome d Costa Paos aff Sr. con-
selheiro Manoel Dantas,
Oo Sr..conselheiro Dantas ao commereio da
Bahia.
E.do Sr. presidente da |rcvincia a sua ma-
geSada o Im;ierador.
x Do/ante o fesltm, daas musicas marmies
tocarara'difTereutes e esroihidaspecas do sen re'
perto.rio*
t Eis a lista dos pteroios maiores da 3." loteria
concadida a beoeficio da Mis- ricordia da Oliweira
dos Campinhos, a extrahida hoate"in :
<)/2.......... .";OfM)iOO0
3136.......... 800*001)
2-!i9.......... 500*000
2973.......... 200*000
361, 1029 e l?8..... 100*'30i
2378,2117, 82^ 2372, 2770 e
1513...........
1846, 1089, 1310. ?3i7, 3021,
2190, 1217, .'W89, t37 e291i .
3010, 2i98, 1220, 399, 3897
863, 173i, 2883, a 9, 2987,
1717, 211,300, 1738,9.78, 88S,
38, 1063, 2130 e 34 >9 .... U0*000
l:ilii lniz Sogundo tehJgVjtrnraa iq
Rio'de*Janefro,,deve saihlr dabi hoje !{'*) para;0
nbsse porto, pelo da BaBia o vapor ;pi'rtogaei
Julio DiKlZ.
Sanln V:nare das Salliwis, Come-
cou n-idomingo' a aoite d set nhora das Angustias,. que se venera na capella
de Saato Amaro das Salinas
.Vrrciuatapacs pruvinuiaes Pe-
raute a junta a^ thesouraria provincial vao a
j/rfja, amanhji:' r,s raparo's da coberta/ do jym-
uasjo proviridial orjados ^rn. oWjOOO ; os rfaros
da .-bouina n. 2'.no 7 tango da estrada do iil, or1
.^aJos era 1:015*000 ; os reparos da Cupua da
casa de .detcacSn, orjadds em I:i78*uOO ; Sl-0
)3 de empedrarafinta
10*000
20*000
EMAMBUCO.
ASSEMBLE! PROVINCIAL
SESSAO ORBINARIA EM 3 DE MARCO DE rS71
PTESIBEHCIA 00 SB. FICHREIRA DE AGUIAR.
Ao meia dia, feita a chamada, acham-se presen-
tes os seguintes Srs. depUladus : Ratis e Silva,
Arconcio, Peretti, .Alipio Costa, Camboim, Manoel
do Ri'lio. Felinn PiffnftirAa. r-*>oorjn, Porioira uc
.vguiar, domes Parente, Gaspar de nrummond,
Pinto Junior, Amiral, Mollo Rego, Tito Barros.
Scares, UcliCa Cavalcanti, Souza Leite, Guodes
G ndim, Travasso de Arruda, Tiburcio de Maga-
Ihads, Arruda, Nicolao T.ilentino, Vieira de Mello,
Goncalves Ferreira, Alvaro Uchoa, Goes Caval-
cante, Joaquim da Cunha, Oliveira Andrade, Dario
Cavalcanti e Pinto Pessoa.
Ahre se a sessao.
E' lida e approvada a acta da sessao anteri >r.
0 Sr. 1 SECRCTARIO da conta do seguinte
EXPEDIE.NTE.
OIHcio do -secretario do governo, remattenJo cs
originaes das resolucSes de ns. 1,109 e 1,127
sanccionadas no anno passado. A archivar.
Offlcio do nassrao Sr., enviando as resolucoes de
I de ntalo_ e de 3, 3 e 9 de juoho do anno" passa
do, que nao foram sancclmaJas. A' commissio
de constttuioao e poderes.
Reinerlmento do major Carlos Magao da Silva,
pediado para ser admittido no gymnasio, como
pensiuBbta da provincia, um seu fllho de n-jtne
Raymaado. A' commissao de peticSes.
6ROEM DO DIA.
Coirticria a eleicjio ^as commissoo's e sahem
eleitos os seguintes Srs.":
vauie publica
Joaqaim Arruda, Manoel do P.eio e VCell
Rcgo.
HHiqUes
Pi.ito Junier.iTiiode Barros e -Olvmpio Mar-
ques.
Lrgislarao
Alvara iUuhOa, Dario e Travaseos de Arruda.
Oid'Hodo*
Pinto lacior, Tiburcio de Magalhies e Travasos
de Arruda.
Form polictal \
Parente, liveira Andrade e Pinto Pessoa.
Eslando ajiora adiaaUda, o Sr. presidonte le-
vaata a sesao c ua para a ordem do dia seguinte :
coutinuaeao da anteeedeite e mais .i' di doLP^Viect',6 ns- 23 de 1857> 17 de 1861, 73 de
1866, 33 e 33 de 1873; dos de ns. U de 1836
W 1837 e 97 de 1867.; a 3" dos de ns. 70 de
1867 7 de 1873.
REVISTA DLiRIA.
Asseinblea provioeial.-Hontcie func
cionou com 35 Srs. deputalos, sob a preaidencia
do Sr. Dr. Aguiar.
Depoisde approiada a a;u da sestao antece-
dente, foram lidos dous offlcios do secretario du
governo da provineia, um remettendo os ato
gfaphos das resolu^oes da assembJea de 4 de
maio e de 3, 3 a 9 da Junlio do anno passado,
que nao foram saccionadas; e tairo remeUeadu
as sanccionadas plo aiesmo Exm. Sr., tambem
o anno passado, assim eomo uma petigao do major
Carlos Magno da Silva, solicitando a .admlssao de
sea (Hno Raymuado, no gymnasio, como peasio-
nistada proviacia.
Pafsaoio a oraem do dia oontiDnsu a elaicio
das comraissoes r-gim-ntaor e f..ram tleilos pa-a
a de
Saude pablica, os Srs. Arrada, Manoel do Rego
e M'.'lio Rego.
Peti coes, os Srs. Piato lunior, vigaria Tito e1
OlympiorMarques.
Legislacao, us Srs. Alvaro, Da/ie Travastps do
Arruda.
Ordenadas, osfifs. Piufc Junior,Tikurrij-e Tra
vassos de Arruda.
Forea polieial, os grg. Gonas ar-cn(ef O^vt'ira
AnJralea Piato Ptggoa.
Estando adiantaJa a hora, o Sr. prosi'iante de-
signou para or-tem dp-^UaMk^r^e : -eaaliouacao
da antecedeHte, 1= .li*-a*sae doa-proiacjoa .-23
do .1837, .de ;8ai,;73,le,8iJp\ M 0.33,-Ja >873 ;
f.dosdeM.ifc-d#i836, tO de lSv7.e,97 de
1867 ; 3- aos de na. 70 de 1867 e 7 de 1873.
Aeparlica-o |aa obras publicas -
Por pnjranas da presiJVnaia da. provincia, da 2 do
corrente, foi ujt- -
de LeoS cdfr""'
blic^Jr,' na vaga
tliier.
Vla-ferrea do- Recife a Fra
ciseo. Por portaria da presidencia da pro-
vincia, de 2 do corrente, foram n meados o enge-
a S. F,
..netros de etnp'edraraenVi na estrada de tW>0tra^
dlversos objectos dados era cotHumo plo corj(o
de polrciaq e a illunnnicao publica'Aa .cidaoe
.du Goyanna, s.Tvindo dc ba>e a offarla de. 280 rs.
diarioi-por cada lampeaq.
Cftmiaubl: Saat TUsrc/.a. SSo
se tendo reaiisado. a rQuniSo da assembfea geral
dos acciouistas desla companlua no 1* dia. marca-
do; s4o clles 1;'. ouvo convidados para o dia :2
do corrente. au mei i Ua, aTnn de approvarera o
relatorfo e o balaneo do anno'passado. A rudntao
realisar se ha Cora o numero d? accionistas que
comparecer,
ttenctlcio.-H jje,. dev.er'a realisar-se np thea-
tro Phenix Draraatica o especUculo embenedcio
d) i-iii.-t-lio superior da aociedade Propagadora da
lusjruccao I'ublica, ccmforme o aanuacto que se
le cm uutra parte.
Frei Luiz oe Souia e o drama, que ocoupara a
attencaa dos espectadores, terminatido o especta-
culo a aria camica-0 raascate italiano..
0 cun-flho superior espera tola a concurrencia
do respe.itavel publicp, em atten^lo aollm a que
lem de applicar o.produito do nemcionalo beue-
Qcio, Havcra um trem pelo Arraial e ojtro pela
linaa principal, chegande este a Caxangi Tam-
bem havera trem para Oliuda.
Para os Estadus KJ(lidos.-Die o Cor-
reio da Bahia qne, a bordo do vapor aiaericano
Merriinick, siinio para New York, o Sr. Dr Joa-
quira Jose de tempos da Costa Medeiros e Albu-
(jUerque, deputado a asjemblua geral legislativa
pela provincia do Maranaio.
A'au de'ixem de Ir.Amaiha uz beaeQ-
cio no Iheatro Santo Autonio Mr. Ciceri, eicefien-
te comico franaez, que tanto se tern feito applaudir,
onde quer que u uha representado.
Baldo de recursos para volcar a sua pairia, o in.
t.lligente artisfa recorre pela ultima vet agenafo-i
sidade do publi-o pe.'nambucano, que nan.dcsnien-'
lira pr c^rto as suas hoorusissim.is tra'dir^es.
Bam mer:ca Mr. Ciceri tao asj gnalado fav>r ;
pois, de quantos teem viado as nossas plagas, nao
conheceraos artista de mais real merecimento, no
genero em que tao bnlhantemente se exh'ba
Boaita figura, excellente caracteristico. jnasi in-
crivel ilexibiltdade de vox, conscieucioso estudo dos
homens e dos costumes, e sempre apropriada mi-
mic, Mi. ciceri sabe napriotir nos typos que re-
presenta o cuuho de verlaJ-iras cr'eaeoos artis
licas.
Vimo-lo pela priraeira vei no Vieux piv[esseur.
E' um trabalho admiravel de espirito e coneicao,
em que o distinoto artista crea o typo do injstre-
es.-ola, iuterrogando e ao inesraa tempo resp ra-
dendo por cada um de seus disdpubs ; fazendo o
que sechama era linguagem escolaiticauma sab-
batina.
Si outros muitos e valiosissimos titulos nao acrc-
ditassem Mr. Ciceri no conceito da cntica cincera
e conscienciosa, estamos que basttria este trabalho
para colloca-Io adireita entre os escolhidos d'arte ;
pois 6 de uma verdade surprehendente e ao mas-
rao tempo deslambrante. 0 espectador julga es
tar vendo as crianr-as, distinguinde as nao so pela
voz,como tambem e ate polo tamanho 1
E' pena que no ecolbido a variado prograrama
do espectaculo nao llgare Wo magniGco trabalho.
0 publico teria ainda uma vuz occasiao de exa-
mina-lo e verillcar por si raesmo a exactidao do
nossi juizo, applaudiudo-o.
Em compensacao, porem, da-nos o art sta o Chif-
fonier poete, scena comica e dramatica, por elle
mesmo escripta em, tnagoiucos versos, como live
mos occasiao de ver. 0 autor crea a realisa nella
o typo parisiense fotrapeiiv, am verdadeiro estudo
de costumes.
Era uma palavra : do respectivo prograrama,
publicado em seccio conipeteate, ve se que Mr.
Ciceri promette-nos uma ni-ite magnifica, e e de
esperar que veja os seus est'orcos coroadas. nio
so pelo publics em geral, como tambem por todos
aquelles que aroara verdadeiramente a arte, e que
de boa vontade concorrerao ao seu beneScio.
Iniiuerito poIieial.-Ja teve a convenien
te direccao o que se elfectuou contra Joao Maria
Ferreira Affonso, pela subdelegaeia da Magdalena.
!.<>j! das Calainnas -A' loja assim de
-uuiiiada, da rua l' de Marco n. 13 caegarain ul-
timamente da Europa lindos ehapeos e chapulinas
para senhora
I.nleria.-A que se acha a venda e a 90.', a
i*eneficio da igreja da Conceicao de Caruard, que
corre no dia .6.
JLeilao.-Uoje as ll horas do dia effectua o
agente Martins o leilao da tavernada rua Imperial
n. 133, em um ou raaia lotes.
Casa de deteiaeao.Movimento da casa
le detencao do dia 2 de marco de 1874 :
Existiam pr.sos 328, entraram 6, sabio I, fal
Ieeenii, exialem 332.
A saber :
Xacianaes 218, mulberes 9, estracgeircs 29,
e.cravos 44. cacravas 2.Total 332.
Arun)atai?os a cpsta dos c^Tres pcblicos 233.
Moviraento da eftformaria do dia ^ de marco
de 1871.
Treeram bauca :
Jose" Angilo de Sonza; pteH-o3inia.
Manoel. Ayatino da Crux Lima : febre.
F.IIeceu:
Justina Maria da Concei^So.
UaspUaX Portusuez. Mjvimenlo das
enfjmjrias no.jper.;defeycreiro do orreale anno:
CUnica, do;Sr, Dr. Pitanga.
Exlsii'am 21, entraramll, aahirarn 17, fallece-
ram 3, existera*2
Os fallecido8 faratn : 1 de telano traumailco. |
de febre amareDa el.de anerqia.
Clmitra, do Sr. Or. Curio.
Existiam 11, enlcaram 19, sahiram 16, fallece
ram 2, exj,*lcra 12, .
0> fa'!eid 4e anemia.
Tital: -Rxi-t>m 32, entraram 40, sahrrau 2
fall'ceraid 8, existem 34.
Pas;eiros -v'Jiegados do? portos do iifl
Jo vapor iiigfez Cuzctr:.
Frarieisco M. de'Souza LeSo e sua mulher. Ca-
rolina V. Barker, Luise F. Dageon, W. Harris.
Ceoilterlo public*.Obituario do dia* i
de hittrco :
Anifwo, pardo Pernambuco, ? annos, Retire c
asphyxia pnr snbtriersao. v
Josrinh Waria da Gbnceiefo, tm*fofa pela odli
cfa f falfeWed d# awrrala.' '-b f*
1 .i5* jmi/t i
__
-i -*tmI.-,: .
PacientfcHanoel Joa puirn do Na*cimeato.Con-
cederam.salRra. ^^ rVP ^*~M
Paciente Caetano Francisco de Oliveira.-Con-
caderatn ordem, oara o dia 7 do corrente.
Recursos crimes.
De Itamav.Reorrente"o |uii Pafccrrido Ante"
nio Correa de Araujo. Juixes os Srs, desembar-
gadores Domingues Silva, Almeida Albuquerque.
A^cWi e SrtVnOuirttfrae3.-ifJegou-se provimeuto.
De OlinJa.Recorrente' Aritonio Jose da Rocha
Braga, recorrido Manoel Jose de Uirani*. Jaiaes
os Srs. desembargadores Souta Leao, Silva Gui-
marifis e Almeida Albuquerque. Beu-se provi-
cueato para despronunciar ao recorrente.
- Oe Itainbe.Reeorreate o jaizo, recorrido Joao
Baptista de Araujo. Juices os Srs. desembarga-
dores Domingues Silva, Silva Guiinaraes, Accioli
e Alraeida ArtraqutTque.NEgou se provimeuto.
Appellacws ceaanerciaes.
Do Recife. Appellaala o bario de BemGca, ap-
poll.id js Jerouyuio Delsuc e outros. -CuaKrmada
a aenten'jia.
Do Hecife.Appellaiites SaLeUao 4 C, appel-
lados os admiaiauwdares de massa faMida da Ma-
oel Jose Mooieiro Torres. Coiitirraada a sen'
tenca.
Appellagao civvl.
Do Recife.'-ApiieHauta Francisoo Antanio de
OiWeira, appellade Aorelio dos Santos Coimbra.
Despracaraoiae auibargos.
PASSAOBNS
Do Sr. daieaabargalor Keis e Silva ao Sr. des-
Sr. desembaryador Accioli :
AppelUicoes crimes.
Appellaete o juizo, appellado Joau Maciuho da
Silva e ontro ; appeilaule Jose Vieira.da Sil a, ap-
p".llaJa a jusiica.
Appella;6es civais.
Appel!antes Hyppolito Robert e ontro, appellada
Hennqueta Elisa Banks de Miranda e seu inari-
do ; appellanle Jo^e Antonio de Suiua, appellado
Raymuado da Costa Bravo a outros.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. deseinbar
gador Domingues Silva :
Appellacao civel.
Da linperalriz.Appellanle o juizo ex-oflkio,
appellada 0. Alouica ifraocisca do BspiFilo Saulo.
Appellacao crime.
Da Iraperalriz. Appellante Bernardo Simao
Alsea, appeHada a jusuea.
Do Sr. Jusembargidor Djininaues Sii/a ao St.
desembargalor Souza Leao;
Appella>;ao crime.
De P.itos.Appellanle Aiilomo lose da Costa e
ouiro, appellada a jusliija.
Appel a.ao civel.
Da Atalaya.Appellaite Antonio Jose Telles,
appellado Manoel Joaquim Main.
Ua Sr. desembargador Siuza Leao ao Sr. das
embargador Pceitas Henriques :
Hevi-ia civel.
Recorrente o admmistrador dos bens da heran-
ca de Jose Alves de Ohveira Lopes, recurridos ua
dre Simpticio Sueoo de Siqueira e outros.
Diligancia crime.
Ao Sr. dasejal>agaior poora-itor da judtica :
Appellante o promator, appellado Antonio Per
reira de Oliveira.
DISTRIBUICOKS.
AppelUfOos crimes.
Ao Sr. desambargador Silva Gnimuraes :
Da tngaaeira. Appellante o juizo, appellado
Manoel Fernandas da Silva.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago
Da ViBWriai Appellantes Joa {aim Antonio da
Silva e outros, appellada a jastica.
Ao Sr.-desembargador tteis e Silva :
Do Bonito.Appellante Cjrtaco Jose da Stlva,
appellada a jusiica.
Ao Sr. desemevargador Almeida Albuquerque
De Palraares.Appellanle Antonio Thomaz Pe-
reira, appellada a justi;a.
AeSr. desembargador Accioli :
Oe Bezerros.Appellante o juito, appellado Va-
lentira Jose .de Sant'Aona.
Ao Sr. desembargador Damingnes Silva :
De R z-rros, ApDellant) o juizo, appellado Ma-
noel Marcos dos Santos.
Ao Sr. desembargador Souza Leao :
Do Inga.Appellante opromotor, appellaJo An-
tonio Ferreira de Oliveira.
Aggravos de petieao.
Ao Sr. desembargador Accioli:
A.'gravaute Jose Ignacio de A Vila.
Ao Sr. desembargador Domingues Silva :
Aggravante Manoel Basto de Abreu Lima.
Ao >r desembargador Souza Leao :
Aggravante Jos6 Goncalves da Cra.
Eucerroa-se a sessao a 1 bora e meia.
Balanco do \\ Baoeo de Per-
naiuoiico, eaaa liqiiidacao, aos
tS lc feverelro de I* J I.
AOTIVO.
****& "'* aipldma',- qua
caotid-^uan obstanle ter ete dado prbva, segnn-
0 "^Ulores citadiia ensua these, confuodindo o ome
de meu dislRto Bktre, Trousseau, l-ute ilfa-
culdade daV'Vedi^K de Paris, com o dflHum
'dos Rousseau* coofttetdos; e desejo mii< que me
digam se eslao dispostos a pfucedefem do radsmo
muJo com alguns qae se apresentarera com diplo-
mas similhantes; com o |tte, se o ftetem, 'concor-
rerao para'o reb :htamento da classe aedion, ja tao
rebaixada entre nosT
oa ma ima
, ofl-recu e
, como para
.jeti*miVM**o ne-te caso
ra (inter*, qar *<*'(>" ':iCiOO
A circun-tancia de ser o Sr. Manoel Sere Filho
mtMknoco,^nsuir>niMB 'he podess-m
ler dado renln avultad*, Ml haver recebido
heraneas p >rejw seus paes maraaVire? nesta cida-
de, fefiimenie rlvem.'nem constar qne bontwn
lirado premios de lotirte, conhecendu-se Ihe ape-
nas como recursos para a sna vida o emprfgo de
guarda livros da casa de seu conh.ldo em nma pe-
qu'ena cidade do Aala, onde oa ordenadis de taes
erppregados do commereio nio polem ser muito
avultados, e achar-se entre tanto mais rico do que
Com duzeatos rail reis podia ea tcr o diploma se patri0( em ^ja ca de doutor em direito -, ou em -mathematicas e
theulogia -, e ninguem poderia delle privar-me ;
mas me daria esse diploma a in pondeate ao litolo ? If an par certo ; e;se titulo se-
ria uma de;sas condecorac5e, tao barateadas,
fpdstas do peito de quern as'nao merece, mas Tern
dinheiro para compra las. Sim, comprem-se con-
decoracfles a titulos de nobreza, como se tem feito ;
mas nao diplomas scienliueos. E' verdade qne se
e trisfe ver individuos, munidos desses diplomas
comprados, excrcendo func^oes que Ihes sao iuha-
rentes, ainda mais triste 6 rer individuos encarre-
gados do exercicio de funoc;5es scientilicas, para
as qu'ae's hao tem habilitacao alguraa, nao apre-
s- nlando nem mesmo um desses diplomas com-
prados, em cujo numero se acham -atgtius enge-
uheiros do Brasil.
Seal pre provo o que aventuro, o sinto sempre
pr.izer quaudo o Consigo.
Recife, 2 de marco de 1871.
Dr. Joaquim de Aquino Ponseca.
A U.NIVEEtSIDADE DA PKNsYLVA.NlA
De vee am quando vemos nos jornaes do Brasil
Sue fulano e cicrano foram honrados com grios
e doutor em direito ou em melicina pela univer-
sidade de Philadelphia.
Aqui neste paizsabe se e sempre e s>ube que
a tal univi-rsidaJa era uma sociedade de ires su-
jeitos qne ^rendiam diplomas, e ultimamente toeai
fieado desmascarados os fins deasa iustituica/J
seientitica. E'ltretanto eomo ha em Philadelphia
uma universidade da Peu'itvania muito respei11
vel a inteiramente credora da titulo que lem, e
preciso que no Brazil *e un confun'a esta insii-
tuicao regular com a que existio aqui sob o uomo
de Philadelphia.
Um dos quatro esludantes brasiloiros que se-
guem o curso medieo da unica universidade alii
existente, nos estreve sobre isto, com data de 27
do proximo passado as seguintes I in has, que pu-
blicarioseom prazer para que no futuro se evite
qualquer equivoco.
Sei, par cartasd> Brasil, queummico ignorante
que nunca *ahi9 deuma das cidales de S. Pauli,
assigna-se doutor em direito posiue nm diploma
da nuiver-ida le de Philadelphia nos Ertados-Uni-
dos.
A sefficlhanca de nomes entre universidade de
Philadelphia e universidade de PensUvania na
me ma cidade. levaria muitas pessoas a um en-
Kauoso jin; j toare a ultima que p.>de ser do gra
ves consequencias.
Para eviUr qualquer confuaao a respeito destas
in-'tiuiii/ies de ensmo, direi que em lead decre
t'>u-se em Philadelphia uma esc -la com o nome
dj.caBegio e^elico de Philadelphia cujo noraa
deixou depois para tamar o le universidade de
Philalelpiiia.
Sib a diiec.ao djs Drs Payne e Juno Bu-
clan.u, esta imiversiduie venlia diplomas a 200
dollars a todae-aSipe-soas que lheaiiparuciaiH, e o
fez ate a criaHcas de dous aanos de dade, cuj"
nome Hies foi apres-mtado por terceiro.
A' vista da-tc triste estado de descredito o go-
renno neineoo uma c-uninissaa para examiuaros
livros desta nnivcrsidada, e aohuram os membros
da couunissio qua alia devia stir supprimida, o
que foi lev-.ido a effeito poi decralo do governo do
estalo da Pensy'.vania datado do anno de IS42.
Acha-se, pirlanto, extincla essa uuiver>idade
desde o anno pa--a.li, depots de vinte annos de
uma vergonhosa existencia.
A universidade de Pensylvania e uma instituieao
secular e vantajosamente conhecida nos Estados-
Unidos e na eitrangeiro.
Letras profesladas
Despezas geraes .
Caixa ....
p.vssivo.
Capital.........
Fundo de reserva.....
Massas fallidas a cargo do Bauco.
Dividendos........
Lucros e perdas......
S. E. e 0.
12.1:080*380
17:717*626
2ir80M090
160:611^096
13:975*300
101 :Wi 8190
6388787
3108600
15:241*719
I6O-.6115096
Balaacetedo Banco Coaiuaercial
de Peruaiubuco, cm 'iS de fe-
ver eirode 18f 4.
ACT1VO.
Aixionteus................... 4,200:OttOSOOO
Letras descontadas............ 1,383:488*231
Letras caucionadas........... 14:654*388
Valoree depositados............. 71:270*550
Despezas de installacao-----'.... 5:811 *505
Despezas geraes............... 3:770*8 0
Moveis...................... 6:281*733
Divorsas contas............... 431:1515913
Caixa........................ 341:017*039
6,662:470*181
PASSJVO.
Capital.......................
Fundo de reserva.............
Contas eurrentos por dinbeko a
juros........................
Contas correlates simple-*........
Letras por otahetrp & juroa.....
Depositos da directona.........
Caucues......................
Dividendos.....................
Dcscontos.....................
Diversas contas -..............
Lucxob e perdas................
6,000:000*000
8:829*000
199:831*390
31:079*700
17:033*310
21:Q-
19;379*n
.5i^tfj5
73:2^
230:74 .
' i21*!>2i6
,66.2:476*181
r' '
S. E. & 0.
0 guarda livros,
Francisco Jcagmnt tereka Pinto.
a en : ii tCQE .. . S A PE NO 0.
' -
sos pecuniarios, que e-te, ap-zar de negociar ha
tantos annos, nao podia cbter para remir o sej
crcdito, fazia natur Imente desconflar da sinceri-
dade desses dous seuhsres no negucio que vinham
propor; por mais desprevenido que ae ealivtsse
nao se poderia repellir a idea de ser a fortnna do
Sr Manoel Seve um simples ardil do Sr. Pedro l.o-
pos, verdadeiro possuidor dessa.
A' esta circarastancia ontra veio rcuuir-se. Ea>
tregue o balanco coin o fecho de 24 de Janeiro ul-
moa um dos eredores, e notando-se Ihe a grand*
divergencia qne havia entre elle e o de marco do
anno passado, o Sr. Pedro Lop-s nao hesitou em
dizer que era asneira quercnm facer jego core
dous, porque apenas possuiara uma copia do pn-
raeiro, tirada no escriptorio dos Srs. Goncalves Ir-
mao & C, sera a sua assignatura, pois qoe o ori-
ginal tivera a caatena le leva U> comsigo. Este
desplante aftgravou as suspeitas dos credore"1, *s
qnaes se convarterara em certcza, quando o Sr.
Pedro Lopes Irtstldo para expllcar a diff-renca
entre os dous balaucos, disse que era verdade
existir uma falta de 39:000*0 0 qne desapparteia
da forma seguinte : 10:000*000 cu-teio de ssacasa
em 9 mezes, 10 ditos que perdeu com um de seu?
devedores que tinha armazem de came, 8ditos qua
perdeu em precos de fazenJas, e quanto aos 11
quj faltavain, isso con-tava de sua escripta fa ta
com loda a reguUridade 11 I
Enlao os Srs. Goncalves Irmiio 4 C, em ci jo
pnder se achava o segundo balanco nio o qnuc
ram res'ituir ao Sr. Pedro Lopes, e tanto hhSl< a
para que este Sr. julgasse convenk-nte sabir i -
cipitadamente p.ucas horas depois de baver des-
embarcado, deixando o seu guarda livroi inr.:rn-
bido de ag-nciar os negocios.
Os Srs. Goacatves, Irmaos & C dirigira:n--e >
accordo com outros credores ao Him. Sr. Dr. ju.f
especial do commereio, a qu-.-m exposeram estaa
faclos, provaudo-os, ubliveram o maaddo de
detencao pessoal, expedndo-.-e carta ptacaloria
ao juizo do commereio de Mamanguape, para Ml
alii effect! ada a detaniaVi.
Um dos so;ios da flrma sfguio p>ra aqiieila
.hlade levanda comsigo a precaturia, e por m:< r
medio de um respeitavel cavalheiro o Sr. Dr. Ela*
Frederico de .Almeida e Albuquerque, fel-a apre
sentar ao Sr. Dr. Manoel Juvenal Ridrieaes ia
Silva, juii municipal e do commerci > do t-rtr.">,
para p6r-lhe o cumpra-se coin o s-gr jusiica exigido pela oalureza da iligtacia.
Teve isto lagar no dia 12 de feveieiro ui:.m>
as 2 para as 4 h-.ras da tarde.
Com gran-le sorpreca porem, vio o credor 4-
tar aqualle cav>liieiro sem a precaturia, diaebdo
que o juiz punha muitos obstaoulos ao cumpri-
mento della, pela razao de eniender que o ja especial do commercie desta udade B'-o era com-
potente para ordenar e depracar sem Inante d j-
goocia, uma vez que. o ifciinicilio dodevelr -a
Mauiaiijjuape e nao o Recife, mas qne ia >^;u<.r
a quastaa e a resolveria como Ihe parecesse :-.--.
acertado.
0 despacho appareceu quasi as 7 twras da
tarde, nos seguintes termos :
Que deixava de p"ir o cumpra-se na pr-ca-
toria, porqne adinittmlo que fosse cunpetenv
juizo depreeante, nao podia el!a ter lug.ar, fh*to
que, por s.-ni-iiea d^quella data, acabava de at r
a fallencia do devedor a reqaeriaeato praprio.
Ora, o Sr. Pedro I^ipes ignorava a expej
da pracatoria ; a olo linha alula a resolucau de
requerer a declaricao judicial ua quebri, pVrqua
esperava a solucao da sua proposta, e o guarda
0 Jormal do Recife de 28 do passado em sua
GazrtHka, sob a epi^raphe Lembrancada ura.
notfcla asttea das boinbas era constrnccSo proxi-
mo a pome dtinoraioalaTahyba na villa de Pao
d'Alhe que esta mui longe da verdade. Sri o des
puitode alguem pidiaproduair.tal.im6rftf<.
A verda le antes de tudo. Ei-la :
A bomba de que trata o notieialor esta sendo
construida de aeaordo com o projects e orcamento
respectivo confeccionado pe a repaiti<;ao das ubras
publieas. Essa construc^-ao e independente dos
pilares. A distancia do aixotda bomba a face in-
terna do uutro de testa da poute e de 19 e meio
ra tros.
Nao osta, pois, j inta de nenhura pilar e por
tanto nao nitw inlcnto ie oproveHir pilar al-
gum.
0 lo-al da bomba foi dfterminado pela reparti-
cao Jas-obr.s publieas com o que nada tem qne
ver o empreiteiro.
E' certo que o extrema da rua ornala de meia.
duzia de ve'has ca as de taipa e pela maior parte
arruiuadas nao corresponde por sna tortnoshlade
a passagem da bomba, porem e certo tambem que
nessa rua nao ha aliuharaento qua regale a eiill-
cacao. T-.davia a bomba esta collo'ada do melhor
raodo a Mtufiuer a conveniencia publica e nao a
particulares ; alera do q>ae esta ella bem collocada
em rt-lacao aos principaes eiificios, por quanto a
face iulerna dope direito esta em alinh.roeatn
com a frente do edillcio a que serve de cadeia e
era qua I'unc-i ,na a camara municipal, o eixo da
bomba se acha em frente a igreja matriz e proxi-
mamente parallelo ao alrahamento das frentes dai
oasas que Ocara ao lado do referilo templo.
Nio eexacto ter-se continuado o trabalho depois
de embargada a obra.
Appareceu uma ordem para se suspender a
oontinuacao dos trabalhos, mas como Ihe faltasse
o indispensavel cunho legal, nio podia e nem devia
ser recebidos como embargos e por isso nao foi
oLservado.
Nao e, como diz o noliciador, rachitica e tortuo
sa a bomba,. por quanto o seu eixo e recto e guar-
da entre os pes direitos a distancia livre de tres
melros, com altu.-a da quatro e meio.
Recife, 3 de mar.:o de 1874.
And-e de A. Porto.
i/iimara municipal da Becife
i'cl se a mesma camara para que nao deixe de
levar em prara os talhos 27, 28, 29, 30 do acou-
gue provisorio da freguezia deS. Jose, que nio dei-
xarao de render para os cofres da mesma nienos
de tres contos de teis em cmtsequencia de have!
muitos pretanlentes. Fazemos esta leaibran?a,
po>-que consta que os marchantes procuram illu-
dir aos Srs. camarisias.
Um prelcndeute.
ars. reaaaoies.-raojiquei.ha- paucotempo, no
Diario de Pernambuco, am artigo, em que me oo
cupei dos diplomas scieaulicos comprados, e indi
3uei a universidade de Philadelphia eomo proaa-
encia dessa tralicancia, que ia servindo aquall*
que queriam ter tftulo, seat irabalho. Meu arti
go, sendo iran-cripto na capital, da .Bahia, pro
duzio .cer^a- impretao, pois ^ue divul^ava am
Siaittauguape.
Como o Sr. Dr. juiz municipal, Manoel Jucmal
Hodriguet da Silva, adminislra jusliga.
I
Em um d-s nu:neros anlerjores desta Diurio,
queixando nos do prooedimento do Sr. Dr. juiz
municipal de Mamanguape, era relacao 4 detencao
que Ihe foi de;>recada de ura nosso devedor, o
.qual.eoatandp com o apoio de tao poderoso patrd-
no,.cnteudcu locap.Ictar-se a nojsa c,usta, promet-'
teraos que de.-ta vez seria trazido a luz da publicl-
dade todp o prov.-eJiu)entt> de S. S Po|s, bem, h je
vimos cumprfr nossa pr'omessa; pois se ja nos. nan
e dado eviUr a espolia^ao, nao estamos dispostos
a deisar impuces os seus autores, e os sens cuja-
pllces.
DIgte.-se c publico alfender para a qae passa-
mos a expor.
Os Srs. Gjn;a!vef Irmap.* C, negoeiantes desta
praca, reo,iiej-cj;a:n ao ll!m. Sr. Dr. juiz especial do
comnereio a detenjao p;ss ;al do Sr. Pejfo Lones
de Mi'ndonja, ne'goiiaute da cidade de Mamia
guape. que'l es e'tava a dever a quantia de.....
15:967*214. 0 que os levou a solicitar essa pro
videncia rigorosa foi o seguinte :
Em marj'O 3o anno passado o Sr. Pedro Lopes
veie a esla pr;.ca sotfcltar nma moratoria com 0
livros ignorando tambem a diligeocia requer 'a
peios credores, .---.lava descan<;adaiuenle ne-ta
praca, donde so vollou para Mamangnai- a
charaaao do Sr. Pedro Lopes depois de ah>rU
a fallencia.
0 credor nio wnra jnicou a ninguem em Ha-
manguape que lerava a pre^atoria, e o Sr Pe !r
Lopes advinhou tulo Como ?... uma de du-*
nu a pcticao para a f.illen-ua e-lava Je Mno
em poder do jiiiz, para o caso do uma so!.'
desfavoravel dos negocioo pendrnte-nesta prara.
ou o Sr. Pedro Lopes tove aviso de achar-se a
precaloria nas mi s do juiz....
A coinoidencia de chegar as mios do juiz >
petieao do fallido Unto aproposito, e o caprich*c
despacho lancado na precaloria, da muito
pensar acem da honestidadc do juiz....
Os entendid is na jurisprnlenia que Jigam-e
a curialidade no despacho do jui* Je Hainan-
guape qnando nas letras aceitas pelo Sr. PeJro
Lopes de Mendonca, e a vista das quaes tal a
detencio requeriaa, o devedor rouociava ex-
pressamente o foro de seu domi 'ilio, obriganil'1 *
a responder no do Recife.
Em outro artigo apreciareraos m-is detila.'ncuii-
aqu'-lle ceh'bre ucsiiacho do Sr. Dr. juiz municipal
de Maraanguape, inuti:isanlo a diligeneia decre-
tada p >r juiz ompetente, e que no casj era o
meio legal de aeautelar os nossos direitos e H't-
rasses.
Recife, 3 de marco de 1874.
iteall endorr*
\ camara luunicipal c as tallios no
mercado provisnrio.
Consta-nos que se prclende illaquear a boa k
da iltustrissima camara municipal desta rnL-'-
aflm de que nio sejam arrematados os quatrt u-
Ihos que estao feitos nos angulos do acsiugue
provisorio, trazendo-se ctm isso prejuizo an
rendimentos dos cofres municipaes.
Ora, quera como nos conhece os onus com qL
ficon srbrecarregada a municipali.la.le com a
tura do mercado provisorio, nao pode deixar 6e
solicitar da illnstrisflima camara qua faca com que
essos fcdhos sejam conservados onde estao e Ma-
bem sejam hoje arrematados por isso que pud';:
elles trazer para os cofres municipaes o rendr
to annual de mats de 2:000*XM), visto como '
muitos os prvtendentes a elle-.
O Az.ua in)
As pif|>nrard<\i dcatpreivel
Apenas de ordinario estao em Tiga p-.r
algum tempoi por^ra a sua prolungacio ge-
ral mente e de pouca dura, e em breve fos-
sa ; emquanto que, um grande anudoto p-r
excellencia como o Ptitoral de Anaakuita U
Kemp e nm eonstante e perpetuo ben<>flcio put .i
co, um verdadeiro tuesouro ine>golavel. Pode-
se asseverar como um axioraa inconteslaval
i|ue qualquer classe de tosse, consiipacio ou e-
larrho, se allivia e cura mediante o sen nso d a-
tra do espacp de poncos dias, e as vezes deniro
em poucas haras. As bronrhites dedaradas a-
i'uravi pelos medicos, sa aHiviam e as Xctet -
ruram en uma samanaenm esta preciosa excel-
lente preparacao vegetal: a melbnr e a nuis
excellente de todas quantas andam em voga Ro-
bustece e vigorisa os orgaos da re^piracao; fc
expellir todas as mucoridados e a pblegma ; eura
a a-t'ima chr nica ; n'uma palavra nao ha m n
existe um so caso de dasanaujo ou molestia d '
osgaas putmonares ou da garganta, .que nao sejam
curados lego a priraeira dose, e gcralmeate firaT,
nermammteinente curados.
eaMMwao.
JXNTA DOS CORUETORES
Praca do Recife, 3 de naareo
de 1894.
AS 3 HORAS OA TAMtt.
cot.cSes nrnrjuies.
\lgodao de Macao 1* sorte 7*80 par 15 kil-
Algodiio de Pernambuco sem inspeccio "Wi
par la kilos.
Assacaromenos 2*350 por 15 kilos, hootem.
_ itttare^ao, pots ^ue ~
weta censuravai, a'juai de raetis amijtas, Jistinctprofferecla. P dos os credores, entre'os quaes
leute da faculjaie de mudi.elna daqiielu provincia.]aqtwllcs'Sr?. Ganjalves frmio & C, nao dirvjda-
escrevendome, m djse ptie^Bp se jtiaiia oppostn ram concel.r o abaiimonto peJtdo, a praro de* *
a wrifl'iujjio do U'tufo.dB.-Doii'or -, a que en me '
^"foria.naas^: ajj^4,' apnesenlado' pelj aclor dra-
abatimeuto de *0por ceato Je seu delnto. apre- lAsste*r- brutobom 1*800-for !{?*, Janalen.
seutando no ^eu fcalangc re;arsos mirito aifneien-
tes para o |ej camprim-nto da e-ic-onTata qu.!
:lf-
0 erieito produziao agio ajwu *rtig6 ulo se'
tau. a-lsio, 0 *Yp.w JittdVperiod*iCo illu.stVa'iio e
publicada era'Ifew toik, era seu n. 40, de J3.de'
Janeiro do corrente anno, publica um artigo, que
Irala dessei diplomas, e confirraou o que eu havia
15 a 51 mez;s para pagamento.
0 Sr. r-ejn L-ipos, p>rem, tenl.o. pagoa prrrrrsj
.ra^ir^t^o^^j^eseiyoji^qie Lrm Janerrti ulrfmo''
!iVr>, 'o Sr irau.^ei
v.ntou se i
'i i, e Oiler'
noelSeve',r?llho, ^ea guarda'Iivi'os fe srt vimhadd.
Diziase esle Sr. possuidor de uma foriuna que or
Save Flit).,, = 'i'i.'.-iudo iicrro abati.npntrrle 60-^0.' J'*HMl>d^a>'. t^
e'eujp, eofrcreteTijo p-r ijalir, i .iw-.ao Sr. Ma
.ambio sobre Londws a W (Iff. ,IM|9.d.pur
1*|WO, hantwn.
z<< w-^MeeaeeMa-ti
Presidna
A. P. deLemos
* *** fleumiifU
. Si; SUO'iii S STShfcl ,
-'* AUtMffMIGA.
(HMRo do>W yp.- .
ff


'
\
I

'
t

I
"
I
^t .
-------------1----------------------.I--------------------------------------------



T"
MMo ftMttntfcc* **J*}eto*UeM MM^I fjMQ
iirfi^Htftftft de 187V
aetiar.
O^scarreg;
Barca traaceaa .<
0 aMfe'Cfloeeio,.f*ra
BarcjL ingleza-^fV*w*-toc<>nwtiva d*arva
Barca iugleza^lstjSMrA* NTOlftH- carvio ja
4-iNshfiM mt tarray.tr -t >nod->a.
BaioaBg!eaB7"** Ictjhcarvao ja tie
pachade* para terra.
Paiache inglea bzdy Mm n eajvao ja deeia-
obado.pea.torra.
------------ .H.jtvfW rm
lay*"
rigue inglez ifoi-y, entraJo de Terra Nova,
em 3 ia corrente e consignado a Sauad -rs Bro-
thers 4 C, manifestou :
Bacalhao 3,329 barricas aos consignatar.os.
MACHOS DJ^^Q SO DIA 2 OS
Para, os aortas do ezteriw.
No vapor inglei Arbitrator, para Liverpool,
catfdgou : A M. da Souza Machad) 630 saccos
com 13,000 kilos de assucar mascavado ; Carva
ltio Jtjgueu-a iOO ditos. com 30,000 ditos de dito.
No navio inglez Sofano, par%o Canal, carro
g : S Brothers 4 G. 4^00 aooos com 322.5W
kilos d* aisiicar inascavad j. -
No brigue inglez Ju'. para New-York, car-
regou,: H. Forstor.$ C 1,500 saccps com 118,3
kilos d as*ucr ma^cavajo ; A. F, Baltbar Sobn-
nlu 1,000. djlos com 73,000 ditos de dito.
No patacho americano Adelaide, para Lisboa,
carregou : A. Loyo 600 saccos com 47,000 kilo*
de a-suear mascavado.
Na galera portugueza Saudidt, para o Porto,
.-arreeoa: M M. Monteiro 113 saocas com ,iiS
kilos de algbdio.
*- Na barca portugueza Sympatkia, para o Porr
to, carregou : I. 6. de Bastes 1 barrica com 77
kilos de assacar branco.
No patacho inglei Little Annie, para o Rio
da Praia, carregou : F. P. Pires Ramos 3d0 barn-
cas con 37,839 1(2 kilos de assacar branco.
No bngue hespanhol Sjberano, para Barcel-
ona, carregou : P. M. Maury 96 saccas com 7,10*
1|! kilos de algodao.
Para os portos do interior.
Para o Rio Grande d Sul, no patacho nacio-
nal Francolin, carregou : Amorim Irmios & C.
475 barricas com 28,o44 kilos de assucar branco.
Para o Rio Grande do Sul, no brigue portu-
guez Dwid, carregou : Oliveira Filhos & C. 400
barricas com 43,412 1|2 kilos de assucar branco.
Para o Rio de Janeiro, no nav.o nacional
Abilio, c.rregou: F. R. P. Guimaraes 500 saccos
com 37,500 kilos de assucar branco.
Para PeneJj, no vapor nacional Dantas,
carregou : A. Carneiru 4 C. 1 volume com 7 kilos
de assucar branco.
Para o Natal, na barcaca Constancia, carre-
gou : L. F. Viauna 15 barricas com 450 kilos de
assacar refinado.
Para Mamanguape, na barcaca Flor de Ma-
ria, carregou : J. B. de Carvalho 8 barricas com
4^8 kilos de assucar reflnado.
dos lado.
al &
CaPATAZIA
fljndimentodo dm 2.
' i-'..n do dia 3 .
DA ALFANDEGA
.... 475*744
. l:55o*488
ditas Idem
:2S idem a
e 38. 7
2:031*232
VOLUMES SAHIDOS
So diu2
No dia 3
Pnraaira perta .
Segunda porta .
Tsrceira porta .
Quarta porta .
tiapichb Conee.ica-
3E1W1CO MARITIMO
aiMraagi? descarregadas no trapicbe
alfaadosa dj dia 2.
No dia 3
Mftl >s atraeados no trap, da a!!hai Alvarengas........
Ill trapicbe Gonceicii .
1,734
72
141
367
681
2 950
Mem di
n<. 61 e
Motla. _
Marca P O^nromr/LT) MS bai
dita idem idem na,vapor inglez La Plaa, jdam
7 de aMifw|Gi|f lAeirJrl7r.?
Idem M 4 C em cion e R em baixo, ns.
3.6^7, ID e II. '5 caixas idem Idem era 8 idem a
MoreiraMqniglro & C.
Hera u 6 4 C, n-.9, 10 e 61. J ditas ilerh a
Carvalho & Guimarjles. i*^^v*^2
N. *l08. 1 dita idem iden, a Elysio Alberto
Silveh-a.
Idem C G & C, ns."M, 32 e 39.
no vapor inglez Fire Qute*, ,deo|
Carvalho Guimaraes.
Idem idem ns. 30, 33, 34, 35,
dita* idem idem em 3ft idem idem.
Idem idem, O-'IW. 1 dita idem no vapor inglez
Student, idem em t de-iunho idem idem.
Ns. 3796 e 3797.. 2 ditas idem idem a H. Lei-
den & C
Alfandega de Pernambuco, 1 de lijarco de 1874.
0 inspector,
______________Fafrt'o A.de Carvalho Re is
Alf.tmle^ii de PerHaualmco
ED1TAL CUM PHAtO DE 3 DtAS M. 135
Pela iospectoria da alfandega d Pernambuco
se faz publico, que achaodo-se as mercadorias
cootidfis bos volumes abaixo meacionados no caso
de serem arrematadas- para consumo s termos
do I 3.* do art. iBOD Uwialaswplbge \9 de se-
temhro de 1860, oj saui doom oji. eoa^fgaalarios
deverao despachalas no praio de 3 dias, sob pena
de, finju elle, serem.vendidaB jor.so* oonta, sem
que lbe.Qtiua competlndo allegar contra os effeitos
desta veada:
Trapiche U)nceJtao.
Marca A L R, sera uumero. 1 caixa vinJa de
:S. Miguel pela barca. port.fgiieza Arabella, descar-
regada em 11 de deiembro.de 4833*
Idem J M M, sem numerp 1 dUavindadeLis-,
boa pelo vapor pprlugjigz .Alrneida garret, descar-
regada em 9 de Janeiro do corrente anno
Alfandega de Pernambuco, 3 de marcp de 1874.
0 rnspector,
Fnftio A. de C>rvalho Beis.
A camara municipal do Recife cmvida a
todos os seas manicipos a apre-entar ;m para ser
expustos no corrente anqo, objectos de produccao
agricolas para a exposigao que pretende reilisar a
suciedade Doze de Seterabro, segundo a partici-
pacio dj Exm. presidente da proviucia, de 16 do
corrente, com referencia a ordem do goverao im-
perial.
A mesma camara espera no patriotism), dedi-
cacio e zelo de tod os o bom exito de tal couvite.
Paco da camara munic:pal do Recife, 18 de fe-
vereiro de 1874
Theodoro Machado F Pereira da Silva
Pro-presidente.
Augusto G. do Figueiredo
_______Offlcial maior servindo de secretario.
Perante a camara municipal desta cidade,
eslarao em praca nos dias 27 e 28 do corrente, e 2,
3 e 4 de marco viudouro para serem arrematados
por quem maior prsco offerecer, os talhos ns. 27,
28, 29 30 do acougue previsorio da freguezia de
S. Josd, servindo de base para cada am talho a
quantia de 117*000.
As pessoas que prelenderem arrematar, compa-
recam no pa?o da mesma camara, munidos de
Qanca.
Pa^o da camara municipal do Recife, 26 de fe-
vereiro de 1874.
Maaoel Joaquim do Rego e Aloaquerque
Presidente.
Francisco Augusto da Costa
Secrelario.
i:;
R^CEBEDOSU DE
RAES DB
Seadimenib do dia 2
dim do du 3 -
REND AS INTIRNASGE-
PERNAMBrCv
. 4:1204590
3:099*517
7:220*107
C')NSULADO PROVINCIAL
R lOaimHato do dia 2 3:503*036
Id^oa do dia 3 12:28J*195
18:792i23i
.\avios enlrados no dia 3.
Terra-Nora37 dias, brigue inglez Mary,
de 237 toaeladas, capitao W. Burmon,
e^uipagem il, carga 3,820 barricas com
bacalbao ; a Saunlers Brothers & G.
Trra Nova1 10 dias, lugre inglez Bdtrers
de 373 toneladas, capitao P Skinner,
equipag'jm 12 carga 3,909 barricas com
bacalhdo ; a Johnston Pater & .
Liverpool46 dias, barca norueguense Ca-
pelia, de 292 tqr.eladas, capita) 0. A.
T.irresen, equipagem 10, carga varios
gen ros ; a Johnston Pater & C.
Rio de Janeiro e Bdiii5 dias, soudo do
ulti:no porto 2, vapor inglez Cuzco, de
2,436 tonelada-, comnan lanle W. H.
Tbomas, equipagem 106, carga varios ge-
neros ; a Wilson Rowi & C.
Assii5 dias, hiate nacional Leonilia da
Cruz, de 108 toneladas, capitao Manoel
Fc da Costa, equipagem 6, carga sal eou-
tros geueros ; a Thomaz Antonio Guima-
raes.
Navios sahidos no mesmo dia.
Kio de Janeiro Vapor franrez Henrique
IV, commandanto Capella, carga parte
da que trouxe dos portos da Europa.
Hampton RoadsHite americano /. P.
Auger, capitao Co)k, carga assucar
LiverpoolVapor inglez Cuzco, coraman-
daute Thomas, carga a meson que trou-
xe dos portos do sul.
Pela thesonraria provincial se communlca
quem interessar possa que Beam transferidas para
o dia 5 de mar^o vindouro as arremstaco's de 200
metres de empedramento na estrada de Limoeiro,
e dos objectos para o corpo de policia.
Secretria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 27 de fovereiro de 1874.
0 official maior,
Miguel Affonso Ferreira.____
concluira _,
pfes-
primelr% ^aando o con-
t tivar executado meude da ofera e a segpi
ois deicpncluida, que sera reeebida
mo. Wi -TiDCB oiiom
^ Para tudo mais qne nao vaL exncci:
nas presentes elansalas, se observara o que
poao regulamento de 31 de julho de 1866. R
Darticao das oDraa publicas 9 de fevereiro de 1874.
enheiro chefe, Jose f iborcio Pereira de Ma-
es- ".
Conforme.-M. A- Ferreira.
- 0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin
eial enanda fazer publico qua em cumprimento da
ordem do Exm. Sr. presideote da proviucia de 16
do corrente se ha de airemalar do dia 5 de marco
proximo futuro, perante a junta da mesma thesou
raria, por tempo de. ura appp, o, cosjew 4l-'1!ffn5f
nacao publica-o'a oidade aewyanna, sewinao oe
base a arremaiagao o preco de 181- rs. diarios por
eada lampeio, offerecido por Jo* Augusto de
Araujo.
As pessoas que se propozcrem a esta arreraata
MMlHn na sala das sessoes da mesma
japt^ial&a mdipa^ pelojnfilp. ^ia, fiomr
E para constar se inapgqo, publicar o presente
peb DiariQ de Pernamoiuo.
SecreUiia da thesouraria provincial de Per-
oamputto, 1M fowreir#ide 1874.
e
ira.
Perante a camara municipal desta cidade,
estara em praca nos dias 3 e 4 do corrente para
ser arreraalado por quern menor preco offerecer
a obra dos reparos que necessita a pontezinha do
Luca, orcados na quantia de 369* ; quem pre-
tender arrematar essa obra compareca nos indica-
J is dias no paco da camara municipal, munidos
de flanca idonea. 0 orciraento acha-se na secre-
taria da mesma, onde sera apre?ent os quizerem consultar.
Paco da camara municipal do Recife, 2 de mar
co de 1874.
Manuel Joaquim do Rego e Albuquerque,
Presidente.
Francisco Augu-to da Costa,
____________Secret.iri \_________________
0 Dim. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer pull.co que, era cumprimente da
ordem d > Exm. Sr presidente da provincia de 28
de Janeiro ultimo, se ha de arrematar a quem
por men^s lizer, no dia 6 de marco proximo fu-
turo, perante a juiita da fazenda da mesma the-
souraria, a obra dos reparos da coberta do gym-
naru provincial, oread t em 578^6' 0.
As pessoas qne se propuzerem a e.-ta arremata-
cao comparecerao na sala das sessoes da referida
junta, pelo raeio dia do dia acima indicado, com-
petpntemrnte habilitadas.
Epara constar se mandou publicar o presente
pelu Dinrio de Pernambuco.
Sacretariida thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de fevereiro de 1874.
0 official maior,
Miguel Affonso Ferreira.
Clausulas especiaes para a arrematacao dos re-
rus da coberta do gyranasio :
1.* Os reparos da cabeita do gyranasio provin-
cial se ao execntados, de conformidade com o or-
eamento orgonisado pela repartieao das obras pu
blicas, no valor de 578*600.
2." 0 arrematante dara comejo aos trabalhos
no praso de qumze dias e os concluira do de dous
mezes.
3.* 0 pagameDte sera effectuado em uma so
prestagio, depois de concluida a ob-a que sera
reeebida dcQuitivamente.
4." Para tudo o mais que nao vai especificado
nas presentes clausulas se observara o que dispce
o regulamento de 3i de julho de 1866. Reparti
cao das obras publicas, 9de fevereiro de 1874.
0 engenheiro chefe, Jose Tiburcio Pereira de Ma-
galhaes.
Conforme.-M. A. Ferreira.
SAUTA GAM DA MKERlCOtiDlA DO
RECIPE.
A Hlma. junta administrativa da. saata casa da
tfistricordia do Recife, manda fazer publico qot
aa sala de snas sessaes, 5 no dia de marco pe
las 3 boras da tarde, tem de ser arremaladas a
quem.mais vantagens oHerecer, pelo temp,o.de a r
i tr,s annas, as rendas dos predios, em seguid
EStABLLECIKENTO DE CARIDADE.
Travessa de S. Jos6.
Idem n. 11.......fl 2QWOO0
Rua de Santa Rita.
Idem n. 34 fechada o ... 261*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Pateo do Paraizo.
.andarp, 29. .00. 209*000
2. dito dito........ 300*006
Rua da.Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......209*000
Beeca das Boias.
Jobrado n. 18.......421*000
Rua da Cruz
iobrado 14 (fechado).....1:000*090
Ruodo Pilar.
Casa tprree n. 100......241*000
:dem n. 102 fechada......241*000
Rua Vellia.
Casa terea u. 44 (fechada). 403J0M.
Rua das Larangeiras.
Casa terrea n. 17......361*000
Os prelendentes dever in apresentar no acto da
irrematajao as suas flancas, ou compareceram
icompaahados dos respectivos fiadores, devendo
pagar alem da renda, o premio da quantia en
jue for seguro o preaio qua contiver estabcleci
nento commercial, assira como o servico da lira
peza e precos dos apparclhos.
Secretana da santa casa da misericordia do Re
:ife, 2 de mar^p o de 1874.
0 eacrivao
__________Pedro Rodrioues de Souza.
Capita ija do. porto de Pernam-
liiifo. ?> !<* fovereiro
de 19 4.
Por esta capitania se avisa aps senhores pro-
prietarios de canuoas e outras embarcacSes em-
pregadas no trafico do porto, nos navegavei-, na
pequena cabot^gera e na pesca, que nos termos do
art. 76 do regulamento de 19 de maio de 1846,
alem das matriculas que os respectivos indiviluos
deverao andar munidos, nao poderao empregar se
ditas embarcacoes em taes ^servicos sera li ;encas
por escripto, que serao reformadas no dm de cada
um anno, sob pena de multas marcadas era dit)
artigo ; asiim tambem que as referidas embarca
QSes serio numeraias e marcadas nos costados e
na> velas (as que tiverem) com as lettras e nume
ros que indicarera as licencas qne fcrem passadas,
como 6 expresso no artigo 73 do citado regula
mento.
0 secretario
Decio de Aquino Fonse^a.
posture Dwrurir,,,^ e M'rWt _
nai mesmas eoatfSm ; i*l brado, cujos qaibnea deftem para outras ruas e
B^U4a*Mdo*t*0na|ld 4a twimtato
M9M etMMM exterior de eMeio, e fi*Mer
ejMte. jeea terrea em identicas tirevnsUocias ;
60 ti. per palme de terreno nos povoados da Mag-
daleoa, Cpan|% Chaeon. Casa Forte, Poco da Pa
neria, Qildeiretro, Mosteiro e Aplpucos, qne d5o
estiver mnrado ou eereado; 40 .r*. por palrao de
terreno em toda a eHeacao da cidade do Recife a
Apipueos, que Bio estiver amrado, excepiuando-
se os terrenos qu* tiverem cercas nativas em bom
estado de conservacao; J* por cala baixa de
capim denlro da cidade do Kecife ; 10* por eada
machina a vapor, momada- na cidade do Recife
Sra qualauer mister ; e fioaliDente o imposto de
porcaaa ea?a de negocio aas cidadjs, villas,
soburbios e povoac^es, deven-lo, porera, os contri-
buinles, quando tiverem de pagar este imposto, a
apreseutar-M-contadoria o cMdMctetento do im-
peeto geral sobre industria e proftssio, afim de
provar tor. assim satisfeito o Mfendo imposto
geral.
Deolarapw n. 2.
A mesma contadoria da camara municipal desta
cidade -sciemifloa a todos os donos de di versos a-
tobelecimentos de porto aberta, a virem pagat os
impostos atrasados qae se acham a dew, dos
etpfcicfos passados; bem como os demais impos-
tos-acima especificados.
Ceojadoria da camara municipal do Recife, 27
de fevoreiro de 1874.
0 contador
Hypolito C- de Vaseoneettes A. Maranhlo.
TT'.------ -----
COST IS DA BRETANHA
Terminara o aepecUcolo
acto :
com a corned ia em 1
Os dous flmlilos.
Em ensaios opopulariisim.3 drama original fran
eez, traduc^ao do Dr Fellciano Praxeres :
Forca por twa.
A's 8 1]2 horas.
"
DOS
mmm urbanos
DO
Recife 4 Olinda.
Beberibe,
Havendo complete au-en-
cia de pa&sageiros nos trens
extraordinaries das 10 1|2
horas da noile, que havia
nos saabados e douiingos pa-
ra Olinda, e bos das 9 1|2
da noite para fieberibe ; de-
liberou a direct.-ria qua fossem supprimidos ditos
trens desde o corrente mez.
0 gerente,
Laurentino Josi de Miranda.
iCITAES
^l
Alfandega
de Pernambueo
EDITAL COM 0 PRASO DE 30 DIAS N. 134
Pela inspectoria da alfandega de Pernambuco
>e faz publico, que, achando-se as mercadorias
c ratidas nos volumes abaixo mencionados, no caso
de serem arrenatadas para consumo nos termos
do cap. 6* tit 3 do regalamento de 19 de setera-
bro de I860, os sous donos ou consignatarios de-
verao despacba-las no prazo de 30 dias, sob pena
de, findo elle, serem vendidas por sua conta, sem
q te lhes Dane eompetindo allegar contra os effei-
tos desta venda:
Armazem n. 5
Marca J L A R, sem numero. 1 caixa vinda de
Liverpool no vapor inglez Gassendi, descarregada
em 8 de Janeiro de 1873 e consignada a J. L. A.
Rondo.
Idem triangulo C J & C no centro e P em baixo,
n. 419. 1 fardo idem idem em 9 idem a Costa
Innaos AC ,
Idem C 6 & C, ns. 78, 89 e 150- 3 caixas idem
no vapor ingle* Student, idem em 1 de fevereiro
idem a Carvalho Gnimarae9 & C
Idem V f5 B em eima e M era baixo, n. 300. 1
fardo idem no vapor Inglez Oberon, idem em 14
de marco, Idem a A. V. Silva Barroca.
Idem C G & C, ns. 1. 8 e 4. 3 caixas Hem
idem em 15 idem a.CarvalhoGuimarae3 & C.
Idem idem, ns. h, 0 e 8. 3 ditas idem idem em
il idem.
Idem V-S ft on kna e M em baixo, n. 34*. 1
fardo idem idem a A. V. Silva Barroca.
Idem C G &,. 92, l caixa idem idem em 18
idem a Cax*alfcxA6tiuMai!ae*.
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico que, em cumprimento
da ordem do Exm Sr. presidente da provincia do
28 de Janeiro ultimo, se ha de arrematar a quem
por menos fizer no dia 6 de marco proximo futuro,
perante a junta da fazenda da me-ma thesoura-
ria, a obra dos reparos da boroba n. 2 no 7" lanco
da estrada da sul orcada em 1:012*000.
As pessoas que se propuzerem a esta arrema
tacao, comparccam na sala das ses5es da referi-
da junta pelo meio dia do dia acima indicado,
competeotemente babilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo Diario de Pernambuco.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco, 21 de fevereiro de 1874.
0 official maior,
Migu>l Affonso Ferreira.
Clausulas especiaes para a arrematacao da bom-
ba n. 2 no 7* lenco da estrada do sul:
1.* A obra da bomba n. 2 no 7.* lanco da es-
trada do sul, sera executada de conformidade com
o orcamento e planta.no valor de 1:012*000.
2.* 0 arrematante dara principio a obra no pra-
zo de 15 dias e concluira no de 2 mezes.
3.-0 pagaraento sera effectuado em duas presta-
o5es iguaes a proporcao do servico executada.
4." Para tudo mais, qua nao vai especificado nas
presentes ctaazalai se observara o que dispoe o
regulamento de 31 de julho de 1866. Repartieao
das obras publicas, 9 de fevereiro de 1874. 0
engenheiro chefe, lose Tiburcio Pereira de Ma-
gXTbaes.
Conforme.-M. A. Ferreira.
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico.que. em cumprimento
da ordem do Exm Sr. presidente da provincia
de 28 de Janeiro ultimo, se ha de arrematar a
quem por menos fizer, ao dia 6 de marco proxi-
mo futuro, perante a junta da fazenda da mes
ma thesaxraria, a obra dos reparos da. cupula da
casa de detencio, orcada em <: 478*000.
As pessoas que ae propuzerem a esta arrema*
tac.ao comparecam na sala das sessdes da referi-
da junta pelo meio dia do dia acima indicado,
cqrapetentemente habiHtadas.
iE para constar se maqdeo> puWicar o presente
palo Piario de Pernamb^m,
Secretaria da thesouraria provincial de Peroaro-
boco. 21 d fevereiro fle ,,
0 offlcia'-maior,
Miguel Affonso Ferreira.
Cteosates especiaes para a arrematacli doe re-
Santa Casa da Misericordia do
Recife.
A junta admiDistratiza da Santa Casa da Mise
ricordia do Recife, precisando fazer os concerto:
de que necessita o predio que possue o patrimo-
nio dos orphaos, a rua da Cruz, hoje do Bom Je-
sus n. 12, contrata com quem se proponha a rea
lisar ditos concertos, mediante certa renda e al
guns annos de prazo para desfructar ; devendo
os que disso se quizerem encarregar, apresentar
suas propostas em cartas fechadas, devidamente
selladas, acompanhadas do respective orcarae ito
nesta secretaria ate o dia 19 de fevereiro vin-
douro.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Rodriirues de Souza.
SANTA CASA DA M1SCR1COHIUA DO *
RECIFE.
Venda de predios
A Illma. junta admi .istraii' a ce-ta Santa Casa,
devidamente aulorisada pela pre.-ide.icia, na sala
de suas sessoes, pe as 3 horas da tarde do dia 26
do corrente, ven!e ou permuta por apilices da
divida publiea os seguintes predios, perlencentes
ao legado de Joaqui n da Silva Lopes, do que e
administradora : Forte do MaUos, metade do s>
brado de 3 andares n. 17, por 5:500* ; becco dc
Abreu, 3' parte do sobrado n. 1. por 2:666*666
rua da Uuia, sobrado #e dous andares n. 69, por
6:000* ; rua de 5. Jorge, casa terrea n. 92, pr.-r
1:400*, sobrado de um andar n. 30, por 2.000*,
dito meia-agua por 500* ; rua dos Guararapes,
casa te rea n. 65, por 1: 00* ; rua dos Acougui
nhos, cosa terrea n. 26, por 600* ; Largo da Cam
pina, dita n. 3, por 400* ; rua da Soledade, dita
n. 72, por 700* ; becco do Teixeir.i, dita n. 5,
por 250* ; largo das Cinco Poatas, terreno, por
1:000*000.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia dc
Racife, 14 de fevereiro de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigiies de Souza
COMPAN.BIA PERNAMBUGANA
DE
Kavegacfto eosteira a vapor.
De conformidade com o art. 24 dos estatutos
dosta coapanaia sao convocados os Srs. accioms -
tas a reunirem-se em assemblea geral no dia 11
do corrente ao meio dia, em seu edificio ao Forte
do Matlos, afim de ter lap ir a apresentacao do
relatorio annuo, proceder-sc a eleicao da direc-
toria e da commissao de exame de contas.______
Pela thesouraria de fazenda pagam se as
dividas de exercicios findps as pessoas constantes
da relacao abaixo transcripta.
Secretaria da theseuraiia de fazenda de Per
nambuco, 2 de marco de 1874.
0 2 escriplUiario, servindo de secrelario
Carlos Joio de >ouza Correia.
Relacao a que se refere a declar i-;ao supra.
Jos6 Jeronymo de Carvalho, sargento
do 4 batalhao de artiiheria a pe 253*100
Joaa Francisco dos Sant*. ex-praga do
2 batalhao de infaateria 451*3"<0
D. Maria Emilia de Meduiros Souza 85*704
Manoel C*rneiro de Souza Lacerda 49*153
Jose Felippe Nery da Silva 3*838
Franrisco Augustp de Almpida 20*731
Angelo Cu^tydjaRulrjgues Fran.a 17*703
Thomaz Lins oriano 17*608
Joao Soares daFon-eca Vellpso 17*9i9
Francisco Lopes Cardim 12*786
Jose Delfmo da Silva (^rvalho 12*248
Jose Mendes Pereira da Vascpncellos 11*244
CamiHo Lins Chaves 2i*8-40
Jose Joaquim de Souza Limoeiro 37*131
JosiS Theofloro de Sena 334010
Manoe! Jose Soares do Avelar 25*772
Manoel Antonio Ribeiro 11*747
Joiio dos Santos Porto 22^310
Ernesto Augusto de Atuayde 21*9'J9
Jose Joaquim Ferreira de Carvalho 13*434
Companhia da illuminacao publica 2:745*000
3:916*749
COiNSELHO DE COMPRAS DO ARSENAL
DE MARINHA.
0 conselho contrata no dia 10 do corrente mez,
a vista de propostas recebidas ate as 11 boras da
manhi, e sob as cindicoes do estylo, o forneci-
raento do trtmeslre proximo vindouro de abril a
junht>, para os navios da armada e ertabelecimen-
tos de marinha, de viveres, dietas b outrot objec-
tos de consumo, seguintes :
Assacar branco grosso, assucar branco refina-
do, arroz do Maranhao, aguardente de 20 graos,
azeile doce de Li-boa, alelria, araruta, bolacha,
bolachiuha americana, bacalbao, batatas, bois
vivos epast) para os mesraos, cafe em grao, cafe
in iJo. carne secca do Rio Grande do Sul, carne
verde, cha bysson, ccvadinha, carnauba em velas,
conservas preparadas, cebolas, doce, fcijao, fari
nha de man Iioca da terra, gallinhas, lenha, matte,
manteiga mgleza, manteiga franceza, milho pilado,
pio, sal, sabio massa, stearina em veUs, steari-
na em velas de 8 em libra, toucinho de Lis6oa,
tapioca, tijolos de alvenaria grossa, telhas, vinho
de Lisboa e vinagre de Lisboa.
Sala das sessBes do conselho de compras de
mariaha de Pernambuco,:/ de marco de 1874.
0 secretario
Alexandre Rodrigues dos Autos.
(inligi) Gyiiinasiii)
Smm ^4 PENAUTE
Quapter-feirtv 4 de mar^o.
BESK-FICIO BO
C.oiisilho superior da Socidade Propagadora
da Instruerao Publica.
Ilepresentar-se-lia o drama FREI LEU BE SOliA
Dara fun ao upectaoulo a aria comica :
Mascale ilaliano.
Depois do espetaculo,seguirao tres irras; um
ate o Monteiro pela linlia principal, outro ate Ca-
xanga pelo Arraial e o trrceiro ate Olinda
principiara as 8 1|2 horas.
THE1TR0
Santo Antonio
Quinta-feira 5 de mar^o.
Espectaculo extraordlnario em be-
nencio e para despedida do
artista francez
iE3GE9 CIGEBI.
Progranania.
1.* parte.
Tu vas me payer ga Nova canconeta, musica
de Offerabach, canlada por Mr. Ciceri.
Amor funesto. -Cantado pelo Sr. Vieira
2.' parte.
Pela companhia diamatica o 1. acto da
Pretende segoir pr o ii
ca deaora, a bito pertB|n
porcio da carga engateda ; e |
trata-se com os consHfiMtarios
calves Beltrio & Filbo, a Ma do
MESSAGERIES MAWTBIES
MENDOZA
Espora-se da fiuropa ate o dia 10 do correoto,
segumdo depois da demora do costume para Bmet-
dos Ayres, tocando na Bahia, Rio de Hiaeiru
Montevideo.
Para passageiros, encoraiueadas, dr., a
com
CSAGENTES
Harisniendy a Labillo
9 Rua do Commtr^io -*~ 9
Para o Rio Gnnde dn Sul
O paturlie Ilemfita
aaliir brevemente, re-.eb.- al-imn; i-wjia a fieto
ei|tarno escriptoxio de Balthar Ototaira A C
Armazens da companhia per
nambucana.
Ncguros contra o fogo
A compr.nhia pernamburana, dispondo de ex-
cellentes e vastos armazens era seu predio ao for
te do Matlos, offereceos ao commercio em geral
para deposito de generos, garantlndo a uiaior con-
servacao das merodorias depositadas, servico
prompto, precos modicos, etc.
Tambem recolhera, mediante previo accordo, ex
clusivamente os generos de uma s6 pessoa.
Estes armazens, alem de arejados e commodos,
sao inteiraraente novos e aspnaltados, isentos de
cupim, rates, etc., etc.
As pessoas que quizerem utilisar-se destes ar-
mazens, pederao dirigir-se ao es.-riptorio da com-
panhia pernambucana, que acharao com quem
tratar.
Declara^io n. 1.
Pela contadoria da earoara municipal desta ci-
dade, sao charr-ados a virem pagar a bocca do
cofre, do 1 de marco vindouro, todas aqnellas pes-
soas que se acham sujeitas ao pagamento dos im-
postos crealos pela lei prqvijicial n. 1126 de 18 de
jnnho de 1873, rtlativamente ao exercl6io corren-
te de 1873 a l7*,- eujos slo os segnintes : foros
e laudemios de terrains muaicipaes ; 4*500 sobre
estab'leciraenlos que vendjer espiritos; 3*. por
cada licenca que lirarem as bocete^as para ven
derem dentro^f^i muertipio, e de 30* pelos mas
eatM ; 6* por'eada earroea ca vekicalo empre
gado zvjs serytopa d oidade, villas e povoaifiea
100 rs. por palrap.dejteffenp.^efltrq^da cida
Recife e seas soDurbms, que nlo est od culftvado, embora !se eonierve MBbdo';
por eada casa de sobrado na eidade do Beetfe;
conservar varan la ou aa6ftd*gde.:mtdera ; W*
por cada sa de 80br^p^cuto.MtocuttJe consar^
var estragado, e 8*' ijuaes cireamstanclas ; W# per caida easa'aesof-
Correio geral
llelagao dos objectos registrados existentet
na administracao dos correios desta pro-
vincia, para as pessoas abaixo decla
radas :
Antero Cirneiro de Lacerda, Aimiro Leandro
da Silva Ribeiro, Aliredo Abdon de Loyola, Anna
Jeaquina do Sacramento, Albino Goncalves Meira
de Vasconcellos, Antonio de Souza Gouveia Filho,
Benjamin Constan da Cunha Salles, Francisco
Galloti, Honorio Barros da Silva Gulart, Jose Fer-
reira da Silva, Joaquim das Chagas de Jesus, Joio
Pereira dos Santos Farofa (2), Jose do Aguiar B.
de Barros. Lourenco Jose de Figueiredo, Manoel
L de Miranda Henriques, Manoel Francisco do
Rego Barros, Nicolao V. Chaves de Barcellos, Ur-
bano Jos6 de Souza (2), Vicente Fontonelle Be-
zerril.
Administracao do correio de Pernambuco, 1" de
mareo de 1874.
Jose Candido de Barros
Encarregado do registro.
3.* parte.
La complain te d'iafortunio !
Grande excentricidade comica, cantada pel)
beneficiado, musica do Nargeot.
4.a parte.
Pela companhia dramatica o 2. acto da
llahiln Criaoline
5.* parte.
Le chiff >nier poete. Scena comica e dramatica,
composta e executada por Mr. G Ciceri, e por
elle dedicada ao artista draraatico Vicenle Puntes.
Romance de Donizetti, cantado pelo Sr. Vieira,
L'enflamme
( A' PEDIDO )
Scena militar Com tambor, musica de Willebi-
chot, executada por Mr. Ciceri.
Principiara as 8 1|2 horas
0 beneQciado ira n'ura dos iutervallcs ao3 ca-
marotes agradecer aos seus convidados, e o mes-
ino faz desde ja a todas as pessoas que se digna-
rem honrar este ospectaculo em seu benencio.
Tendo de retirar-se no proximo paquete para
a Europa, pede aos cavalheiros que aceitarem os
seus bilhetes, o favor de lhe satisfazerera com
brevidade as respectivas esportulas,, visto o pou-
co tempo que deve ter d3 deraora nesta cilale.
Havera trem at6 A, ipucos.
THEATRO
DA
ENCRUZILHADA.
SOCIEHADE PARTICULAR
RECREIO DUVMATICO
Sabbado 7 do corrente.
Subira a scena o m lito applaudido drama em 3
actos, do insigne escriptor Mendes Leal :
Abel e Cairo.
Finalisara o espectaculo c m armuito chistosa
comedia :
ResoDtr sem toflur.
Principiara as 8 horas em ponto.
Havera trem depois d > espectaculo.
Aviso.
Os Srs soci >s podem desde hnjejuiandar buscar
os seus bilhetes no theato das 5 as 7 horas da
noute, salvo, porera, a restriecao do art 9- dos es-
tatutos.
comwu Buitm
\VVVApVI \o V VVPOR
LHRTABA
Macelo, Penedo, Aracaju
e Bahia.
E' esperado dos portos do sul ale o dia 6 dn
corrente o vapor Marquez de C inns, o qual sabiri
para os portos acima no dia seguinte ao da so*
chegada.
Recebe carga, encommendas, passageirus e di
aheiro a trete.
AGENTft
Antoaio Luiz do Oliveira Azevedo,
________57Rua do Bom Jesus-57_________
COMPANHIA PERN'AMBICANA
DE
H'avegacSo eosteira a taper.
FERIUNDO DE NOUO.NHi.
0 vapor Mandahn, coctimaa-
dante Julio, segnira para
o porto acima no dia i do
corrente, ao meio dia
Recebe carga ate as 10 boras,
encommendas, passageiros,
e dinheiro a frete ate as 11 bora" da m.inhi. do dia
da sahida eseriptorio no Forte do Mttos n. U.
GEAIIA
AdministraQao dus correios
de Pernambnco, 4 de mar-
co de 1871
Malas pelo vapor Mandahu da companhia
pernambucana
A correspoadencia que torn de ser expedida
hoje (4) pelo vapor acima mencionado para Fer-
nando de Norouna, sera reeebida pela maneira se-
guinte :
Macos de jomaes, impresaoa de qualquer na-
urcza e cartas a registrar, ate 10 horas da manha,
e cartas ordiparias ate 10 1/2.
0 administrador
Affonso So Rego Barros.
Sahe com mnila brevidade o hiate Joao Voile
para carga, trata-se na rua do Vigario n 33, com
Joao Jose da Canha Lages._________________
Companhia Allianca Mariti-
ma Portuense.
K!iiprey.a de nnvegacao entre
Portugal e Brusil
A barca portugueza Jot en Adelaide, recebe car-
ga a frete para os portos de Li-boa e Porto, de-
vendo scguir com a maxima brevidade ao i;
de3tino : trata-se com os respectivos consigiala-
iios Jose da Silva Loyo A F.h.o._____________
Pare o Para
Recebe carga o br.gde parfgnn Relampwp,
pretende scguir com toda a brevidade p r kr
granle parte da mesma engajada : quem no toes-
mo quizer carregar, trate com seur consignatario*
T. de Aquino Fonseco & C. Succe sores, a rua do
Vigario n. 1'.'. ___________^________
PARA:
0 Georgiana
E' esperado do Rio de Janeiro por estes dias
i segue com pouca demora para o Para, tendo ja
parte da carga engajada : trata-se cam Tasso Ir
mans A C.
Santo Antonio
IX I
Quarta-feira 4 de morex).
A'8 f f DA HQUTE
fFerceira recita de imporlante drama em qna-
tro actos :
Pacific Steaia Navigation Companj
ROYAL MAIL STEAMER
ACONCAGUA
ispera-se da Europa ale o dia 8 de marco, e de-
pois da demora do costume seguira para 6 s'il do
imperio, Rio da Praia e costa do Pacitico, part on-
de recebera passageiros, encommendas e diaheiro
a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A. C.
tirua DO COMMERCIO14
Companhia ^Jlia^ca Mari-
tima Portuense.
A galera portugueza Saudadt, seguira em pou-
cos dias para o Porto, com eseala por Lisboa.
Ja tern coniratada jWndfe terte da carga; e
para o resto, trati{ise,#ri ,fe consignatartos e
agentes da compattnia.
Jost art Silva Low em seu eseriptorio a ma da. Companhia Pernam-
bucana.
iiio de Janeiro
Para o referido porto pretende s>guir cm pou-
ca demora o patacho bra-il-iro Arabe, por ler a
maior parte de seu carr^gamento engajado ; e
para o resto que lhe falta e escravos a frete, tra-
ta-se com os consignatarios Joaquim Jose Goncal
ves Beltriio A Filho, a rua d) Commercio n. 5.
IfHOB
Leilao
ii.
I)E
moveis, loucas, crystaes, perfuniarias, obras d>
ouro, prala, onix, e 1 piano de u esa, ingWz, em
bom estado.
|HOJE
as 11 horas cm ponto.
A" RUA DO VIGARIO THENOlitO K.
AR.MAZKM.
0 preposto do agente Pestana fara leilao \< r
conta e risco de quem pertenear, dos moveia e
mais objectos abaixo meDciooados:
Uma mobilia -de jacaranda, nova, com tamp's
de pedra, I dita de amarello toda enlalhada. I ri-
ca toilette de jacaranda, com pedra, 1 dita de
mogno tambem ccm pedra, 1 liieiro de amarello
proprio para loja de raiudezas, I gnarda-ve5tids
de amarello (novo), 1 guarda-Luci. I c.stuHra
de mogno (rica peca para um presente de niva-
dc), 2 mesas elasticas, sendo uma de 6 taln'as e
oulra de 3, 1 silhao para montaria, 1 exrellente
machina de costura, arrerai cadeiras avulw, d"
junco e defaia, 1 balanca decimal, diversos mo-
Ihos de junco para empalhar perfumarias de di-
versas qualidades, vinh > do Porto e Xerez, das
docas de Londrss, 2 balcoes de amarello, noyes I
rico appar-lho bamburguez para jantar, 1 dito de
porcelana para almeco, e muitos outros objectos
que por se tornar enfadouho deixa de mencionar
ao correr do martetto
o preposto do age ate Pestaa*
LEILAO
D5
10 caixas com queijos flamengos, tendo cada uma
caixa 21 quei.os e 10 ditas com 12 queijos ca-
da uma, ultimamente desembarcados
Hoje
as II horas
No armazem do Sr. Anocs, defronte da al-
fandega.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quem p> iteacer, de 10 caixas
com queijos flamengos, tundo cada uma caixa tt
queijos e 10 djlas com 12 ditos cada uma, r -.
quaes serao vendidos em lotos de uma ou mais cai-
xas, a vontade dos compradoros.
QUARTA-FEIRA & DO CORRENTE
d> 11 boras em ponto.
No armazem do Sp. knae^ de DE
alguns moveis. louca, 1 scJim cam tola* aa per-
tencas, macbinas f>ara gaztaa e eajd, 1 fnga d-
ferro, tudo em peri'eito estado, e outros inuito-
artigos como abaixo se m>-nciHU.
No edificio da Companhia Pernambacaaa^'i
tern 2i
Era continuar;4o ao leilao do Sr Francisco
Ferreu'd Borges.
Vender-se-ha 5 guarlas vestldoa, 1 laraOm



J


DfsJt PiilM I -n Quria kit* id* Mm* A tMM

;

aomadn,iiniiijr ItMnlbMfMteon
tampo se psin, Lsmrtijilafc* gazoo, t diu
fan aapraster fc|hn#9 pan Jansllas,
)arn* pan omTTrefcfio de parede, porcelana
r, I tMhiPM ffti jumJ
MMMpeaHii^, Ifefaode.
ilva 4a *UI, t poru-licdc,
i de Ueas cam cabos de pra-
m
empqnlo.
agente r*into.
Em s eu escrtorio,*Waflo Bom Jeans 'a. At.
__-
^^r 'DA T
jrmacio, genera e pertenca* 4a taverna da, von
Imperial n.- 133.
Hoje
O agente Manias (ara leilfe 4a armacao, gane-
ros e mais perieneas da tavta acima, era onoi
nats loles a vontade dos compradoros, cnjo pro-
4oeto sera applicado para pagsmenti dos crede-
nt.
Em tempo
garante-se a casa a* comprador d'armacio.
O leilfto principiara as li
horas.
Agente Dias.
C=>
erca de 40 duzias de finissimo vinno Madeira.
1 boa mobilia de madeira branca, composta de 4
sofa, i mesa d- meio de sala, 2 consoljs, 4 ca-
deiras de bra.;o e 12 de guamicao.
1 poreao de cabas de liaho usados, a vergas para
navios e cerca de rail garrafas vasias e novas.
as 11 horas
^r edilicio l eompwuhii* per-
nambiicaiiii. nrraaiemn 'SO.
0 ageule Dias hvara a leilao, no dia e hora aci
ma desigiiados, por ordem do Mm. Sr. Adolpho
Pereira Carneiro, os differentes artigns acima des-
criptos, pertencenlees ao Illm. Sr. Francisco Fer-
reira Borges, ex-gerente da dita companhia.
Agente Dias
LEILAO
DE
ti barris com peisc
as 11 h ras da man hi
no armazem do Sr. Anne?, em frente da alfan-
dega.
O preposto do agente Pestana f.ira leilao, por
conta e risco de quora perieucer, de 6 barris com
peixe
MOJE
lo coi'i-cnte
AS 11 HORAS EM PONTO.
No armazem do Sr. Anno?, em frenle da alfan-
dega.
Leilao
De
1 banco e toda a ferrameata necessaria ao service
de carapina ou marcineiro, tude era perfeito es-
tado.
Quarta-feira 4 do corrente
No armazem da rua do Vigario Thenerio
D. 11.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de qnem pertencer, de 1 banco
e uma catxa com ferramenta para qualquer mar-
cineiro que se quizer estabelecer, na mesma occa-
siao, tambem vendera 360 pecas de papal francez
para forrar casa.
Quarta-feira 4 do corrente
AS U HORAS DA MANHA.
No armazem da rua do Vigario Tehnorio
n. 11.
duas fiasas de campo eom grandes sitins-em chaos
pn-prios aaabat pertu da estacia>da Gamari-
i nera
A aher:
Uma casa e*va na ma da Tamariaeca, n. 5,
com boas aooemtpodaroes para gcandeiamilia, e
sitio com 90palmos de frenle e 200 de fundo,
parte mnrado.
Umadila na(,rnz das Almas, em qn*-morou o
Sr. Jolo Mendebour, Com as aceommodacoes kn
nnnciadas nas joroaes ns. 34 a 44.
QuMita-fcir* 1$ de marco
*o meio dia
Por interrenfio do agente Pinto, rua do Bom
Jesns n. 43. II.Ii JI
Miff
LEILAO
DE
ljuea, armacan, I f Ire de ferro, randieiros a gaz,
e mais pertencas existentes no estabeleeimento
Kda rua do Marquez de Olinda n. 23.
Qiiinla-feira !j fa mwak
is 11 horas da manM
0 agente Dias, competentemente autorisado por
deepacho do Exm Sr. desembargador juiz de or-
pbaos, levara a leilao no dia e hora acima desig-
nates, a louca e mais artigos exhtentes no mesmo
estabeleeimento, perteneentes aos bens do falleci-
lo Manoel Vieira
0 balango existe em poder do mesmo agente, a
rua do Marqaez de Olinda n. 37, onde pode ser
Uosde ja examinado, e garante se o traspasse da
-asaaqualquer Sr pretendente.
LEILAO
DA
flHBae4o.de pinhc envidrcada.eom liteiros e mos-
tradoces, 2 banquelas para trabalho de charu-
tos, 1 eandieiro a paz tie 2 bieos, 1 fecretoria,
1 relogio e 7 mochos
Massa fallida de
JOAQLIM VIEIRA COELHO DA SII.VA
OOINTA-FEIRA 5 DO CORRENTE
O agente Martin? fara leilao, por mandado do
Wni. Sr. Dr. juiz de direito especial do commer-
ciQ, d'armacao e mai- portencas da'loja de charu-
los da rua do Coronel Suassuna n. 1, pertencente
a musa fallila de Joaquim VieiraCoelho da Silva.
Principiara as 11 hora-s."
Leilao
Quinta-feira 5 do corrente
^s a boras em ponto.
DA
.^macao, genero e mais ulensilios perteneentes a
taverna eita a rua Imperial n. 279.
" 0 preposto do agente Pestana, fara leilao por
sonta e risco de quern pertencer, d'armacao, gene-
ric e mais utensilios perteneentes a taverna sita a
rua Imperial n. 279/em urn on mais lotes, a von-
lade dos compradores. 0 mesmo agent? garante
a pafse das chaves da mesma taverna, as quaes
tie aetora desembaracadas de qualquer onus.
OUNTA-FEIRA S DO CORRENTE
A's 11 horas em.pooto
na rua Imperial n. 279.
Leilao
DE
I'azendas avartadas
OONSTANDO DE:
madapoloes, algoddes, chitas e saccos vasios
Ouinta-feira 5 de manco
A's 10 lr2 horas em ponto
Por intervencao de agente Pinto, era sen es-
cirptorio a rua do Bom Jesns n. 43.
Em eontinuacao
vendera tambem 6 pe?as de grosdenapie preto,
meias para homens e meninos, e outras fazendas
limpas.
Grande feira
DE
I mobilia dejacaranda, com
tampos depedra. 4guar-
da-loucas, guarda-comi-
das, carteiraspara escrip-
toriOjCaminhaspara crian-
qas, 2 pianos de armario,
machinas de costura, relo-
gios de algibeira, de ouro
e prata, ditos de cima de
mesa e parede, tambore-
tes-novos para lojas, quar-
tinheiras, objectos de ouro
e prata, latas com presun-
to, commodas, secretarias,
e infinidade de objectos do
uso domestico
QUINTA-FEIRA 5 DO CORRENTE
A's 1 I horas urf manhft
PEIttA SEMAN \L
M-ln fa Iinperaclor14
pelo agente Martins.
NapriaaeHe
Of*** *">
rendeca em leilao as man
gm^aaoleilae As moYftjs.


,

LB&AO
No 4ia 20 do corrente wio a leilao awdes M
objeens dados em peMbar que eftivenm ,Mei-
dos, satoo aquelles qne aae.aquctta data pag^iKam
os |iremioi ened's. 'w
"Trave^aa da rwfdaa Crm#.%. jm*
LEILAO
**;
iiia I hoinsuu. tm <';.rr*s ilt?
borruchH
\oliali -leahril.
Em -\rtude de nao se poder disp6rdeboae.es-
tradas de rodapm oesta provincia, oa poscnideres
do material acima mencirnado eslao resolvidos a
vende-lu todo em leilao ou-eparadamente, confor-
mese coavencionar,
0 emprego de&tas machinas em gran je numero
de paixee da Enropa, Asia, America do None,
onde alias tern suhetiluido es antigos systemas de
tranpoEtar cargas pesadas, dispensam os seus
possuidores de encarecerem a sua grande utilida-
de, come meio de transports-economico e commo-
do para os engenhos, e toda sorte de propriedade
agri ola oa industrial, que disponha de planicies,
cuja siiuai..ao dos respective^ depositos ou arma-
zens fiquem distantes do lugar de prodnecao on de
fabrico.
Estas machinas podem trabalhar como machi-
nas fix as, para o que tea corapetenter volantes, e
servir para serrarias, enfardamento de ajgodao e
fawr mover toda a sorte de apparelhos, etc., etc.
0 materia 1 consta do segumte:
2 lecomntoras de for;a nominal de 8 cavallos
cada uma, com caldeiras vf rticaes e fornalbas
qoadradas e oval, podendo qoeimar carvio on le
nha, com fumigadores e cinzeiros, dispostos de
sorte q-ie se previne qualquer arcidente de incen-
die. Estas macbinas possuetn todas as peoas in-
dispensaveis de sobresalentes, e s3o completas a
todas os respeitos^ esian novas e em perfeito esta-
do de conser acio, visto como, apenas trabalha-
ram o tempo necefsario para se demonstrar pra
ticamente as suas vantagens.
6 carros solidamente construidos, suspenses em
excellentes mnlas, sendo dons com portas lale-
raes, dous com ditas na parte posterior e dous ra-
sua, proprios pjra iransporte de caldeiras, muen-
das. etc.
0 leilao sera effectuado pelo agente Pinto, a rua
d'Anrera n. 91, estacao das ditas machinas, e pe
las II horas boras do dia 15 de abril.
Da-se t^dos os esclareciraentos a rua do Bom
Jesus n. 8, prlmeiro andar.
DA
casa terrea da Illia do Retiro, em Bemilca n. 8, a
margem do rio Capibarlbe, edificada en chaos
proprios, com 3 janellas e nma porta de frente,
com 43 palmos de largura e 300 tie fundo,
parte mnrado, com 2 salas, gahinete, 8 qn irtos,
sendo um fora, cozinha, estribaria e telheiro,
capiar na frente e atraz, sendo este coberto
Quinta-feira 5 tlo corrente
As tl |, horas.
Por intervengao do agente Pintu
NA RUA DO ROM JESUS N. 43
LEILAO
DE
3i barris de cal branca de Lisboa, I colre de
ferro, 2 carteiras, I balanca, brago Romito, 1 dita
romana, 1 dita grande de pesar couros, t mesa,
caixSes de pinho para assucar, cscadas, tabolei-
ros, repartimento de escriptorio, carteiras e ou-
tros objectos de escriptorio e armazem de as-
sucar.
Sexla-feira (> de lareo de I87i
as 10 horas da manha
f,!Hi!|);i!ilii;i
Sant i Thereza.
Sao convidados os senhores accionistas para ss
reunirem em assemblea geral no dia 12 do ccrs
rente, ao meio dia, no I: audsr da rna do Vigario
n. 13, afim de I es serpresente o relatorio e ba-
lance do anno proximo finde.
De conforu.idide com o art. 16 dos estalutos a
renniao tera lngar delinitivamente com os senho-
res accionistas que caniparecerem.
Recife, 2 de margo de 1874.
0 gerente
_________________Jnstino J. de S. Campos.
Natravessa da rua
dasOmzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pc-
nhopee de onro, pra-
ta e ibrilhantcs, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
A 9*00 I
500*0*0
Botinas para homem
, Acaham de chegar grandes factnras ben sor-
2 j tinas da beierro, de cordavio, de pellt-
ca, de duraque com l.iqueira, de bezerro com bo
toes, a com ilhozes a 9*00y (a escolu. r) por l*r
vindejrande qnanUdade por conta e ordem dos
rabricantes : ao armazem do vapor francei, a rua
do Baran da Victoria (outr'oea a'ova) n. 7.
Calcado
fnracei.
Francisco Marcelino Mon-
teiro.
Manoel Marcelino Montei-
ro, Antonio Marcelino Mon
ieiro, Francisco Marce lino
Monteiro, tendo recebido
pelo vapor Neva a infausla
noticia do fallecimento de
aeu prezado pai o Sr. Fran
Cisco Marcelino Monteiro, pedem a todos os sous
amigos a assi.-tir a algnmas missas qne os mes-
aos mandam celebrar na igreja da Madre de Deus
o dia 4 de marco pelas 7 horas da manha e por
tao religioso acto lhe ficarao mmmamente gratos.
Os caixeiros e ex-caixeiros da casa commercial
dos Srs. Johnston Pater 4 C, feridos do mais do-
Ioroso sentimento pela morte do sen prezado amigi
e velho companheiro, Claudino da Silva Ferreira,
mandam celebrar uma missa com memento pelo
reponso eterno de sua alma, na igreja da Madre
de Deos, no dia 4 do corrente, pelas 7 1)2 horas
da manha", para cujo acto convidam a todes 03
Sarentes e amigos do finado, dando assim mostras
e uma verdadeira caridade para com o finado, e
credore? dos ftneeros agradei-impntos diquelles.
Commendador Agustinho
Xavier Guerra
A mesa regedora da irmandade
de :\. S. do Rosario da Boa-Vista
manda celebrar no dia 4 do cor-
rente, pelas 7 boras da manha, nma
missa pelo repouso eterno de seu
charifsirao innao o commendador
Agusiinho Xavier Guerra, e para a
qual convida a Exma. familia, amigos e parentes
do fallecido.
*mmmmmammmmmm.i m
Attencao.
Pr^cisa-se c< m urger.cia de urns ama de
leite, que seja s'dia, e que tenha bom e
abundante leite, para tomar conta de uma
crianca de dias, dando-se preferencia & mu-
lher do .r.atto : quern, pois, estiver nestas
circumstancias apparec^a no 'i.' andar desta
typographia para tratnr.
Jose Miguel dos Santos, Joaqulna
Ross, Jose Miguel dos Santos Ju-
nior, D. Helena Perpetoa dos San
103 Machado. D. Senhorinha Maria
des Santos, filhos, netos e nora da
finada D. Maria de Jesus, fallecida
era Portugal, no principio de feve-
reiro proximo passado, mandam rezar missas pelo
eterno repouso da fallecida, na igreja da Madre
de Deus, na quinta-feira 5 do corrente, pelas 7
horas da mar.ha. Rogam aos seus parentes e ami-
gos que queiram asslstir a este acto de caridade,
que Ihes ficarao gummamente gratos.
Triumpho da
^M'%,
Por intervengao do agente
-NO ARMAZEM
no SOBRADO
N. 8
Pinto.
DA RUA 1)0 APOLLO
e
lo,
zas.
Leilao
DO
armazem da ruac>Lapa n. 15, edificado em chaos
proprios b paredes dobradas
QUINTA-FEttA 5 DO CORRENTE
a's 11 1|2 Jjoras em ponto
POR INTERVENCAO 0 AGENTE PINT<3
Rua do Bom Jesus n. 43.
DE
moveis e vidros
SEXTA-FEIRA Sendo mobilias completas de amar unco, mesas, um guarda ve-tiJos de amarr-1-
cadeiras, aparadoies, lavatorios, marqiie-
camas francezas de jacaranda e de ama-
rello, armarios, ber^os, camas da ferro. cabides
relogios de parede, mesa* redondas avulsas,
consoles de amareilo, /adeiras de ba'an.-o de
amarello. louga e vidros.
pelo agente Martins
\o armazem da rna ra As 11 horas do dia acima.
.Va mesma occasiao, cm continua;ao, irao a lei-
lao -eerca de 100 pares de botinas francezas e 9
pecas de chita Baptists, niolhada d'^gua do:e.
Manoel sapateiro estd fu-
gido.
Desappareceu do engenho Daranguoza, ne
dia 27 de fevereiro pioximo passad, o eseravo
pjeto, de nome Mauoel, official de sapafeiro, ja
idoso, de nacao Angola, alto, de corpo -regular,
tem falta de alguns denies na frente, e bastante
ladino, rendidu de uma verilha, lera uma das
maos ou ambas afoveiradas, e costuma a dizer
que e forro por algumas vezes que lera andado
lugido. Levou comsigo uma trouxa de fazendas
e mais objectos que comprou na povoacao de Ipo-
juea, e julga-se ter elle fugido por ter achado a
quantia de cem mil iei<, que seu senhor havia
perdido, provaado e com a evasao sem outro mo-
tive, e por ter tracado na mesma povoacao uma
nola de vinte, apresentando uessa occasiao maior
quantia em diversas sedulas : roga-se pois, as an-
toridades e capitaes de campo que o enconinirem
a apprehen-ao do diti eseravo, assim como, do di-
nheiro qu>- elle ainda liver era seu poder e leva-
lo ao dito engenho a seu propnetario, a quem
pertence dit-j eseravo, ou nessa praca ao Sr. An-
tonio Ciimaco Moreira Temporal, e seu conductor
sera recompen-ado.
Em tem pos modernos nenhum descuLn-
mento ope uromaior revolucSo no modo de
curar aiiteriormente em voga do que o
P
FlJGIO.
Fuiio no dia i. de margo, da casa de s>>u se-
nhor, a nralata de nome Lydia, com os signaes
eguintes : baiia, gorda, cahellos crespos, peitos
grandes e cara larga : qnem a appre' ender tra-
ga-a a rui dt Santa Rita n. 5, entrada pela rua
Nova.
LEILAO
leilao
DE
chapcos e fazendas
A SARER:
30* chapeds do Chile (i mct).
60 ditos pretos de seda (l caixa).
10 dnzias de bonets de sarja.
20 ditas de chapeos de massa li.
i> pecas de baeu de cores,
12 ditas de grosdenaples preto.
QIJINTA-FEJRA 5 1)0 CORRENTE
DE
roiveis, loaea, vidros e u:na partida de ehapeet
do Chile, feltro e de pallia para meninos, e Ama-
zonas para senhoras
SARBADO 7 DO CORRENTE
No primeiro andar do sobrado da rna do Marqaez
de Olinda n. 94.
As 11 horas em ponto
0 agente Dias, eompet ntemente aotorisado,
vendera pianos, mobilias de jacaranda, ditas de
amarello, secretarias, guarda-roupa, guaria lou-
gas, commodas, consolos, mar^uezas, e-tantes ap-
parelhes para jantar, ditos para almoc^-, cadeiras
avulsas, santuarios, lavatorios com pedra, quadros,
carteiras, marqoezoes, mesas elasticas, espelbos,
candieiros a gaz, e muitos ontros objectos de goslo
Nesta occasiao sera venJida para se feenar
sontas. nma pirtida de chapeos do Chile, feltro e
de palna para meninos, e Amazonat para seBho-
ras, a que tudo sera vendido pelo maior pree>
qpe se poder obter.
/Vtten^ao
jL
Furtaram tia noite de 27 para 28 de fevereiro
ultimo, do eereadc do engenho Santos Mendes. os
tres segnintes animacs : um burro todo preto,
grande, com a saraeia ralada da cangalha e um
calo, com dous no "hospinhaeo e ignorando-se o
ferro do mesmo; outro de cor inelado sojo, de
meio, e estradeiro, tem signaes de cangalha, uma
das juntas dianteiras a mais grossa e a; vezes
manqueja ; e tinalmente uma burra de cor ca^ta-
nha, muito nova, com um calo de cangalha em
um dos encontrosda pa, fncinho e rodas dos olhos
brancos. Os dous ultimos teem o segumte ferrro
Q. Quem os apprehender, ou der noticia certa no
mesio engenho ou na praca do Corpo Sant-j n.
19, bo Recife, a Oliveira Filhos 4 C, reiebera a
gratifieacao de 150*, oa 50* por cada um.
Recite, 3 de mat go de 1874.
AVISO
Leilao
DE
4 casas lerreas sitas na rua da Hora, travessa de
Santo Elias, no beoco do Espinheiro, com 2 sa-
las, 2 quartos, cozinha fora, quintal e cacimba,
ultimamente acab-.das e de solida construccao,
as quaes se achara edificadas em solo proprio.
Sabbado 7 do corrente
A redac^tto do eommercie a re-
talho.
Tendo de dwigir a assemblea provincial uma.
peticao no sentido de crear-se em imposto de"
6:000*000 sob casas commerviaes, que nao-tive-
rem exclusivameme caixeiros brasilefros, convi-
da a lodos qne se interessara pela causa, a cora-
pareeerem no escriptorio da mesma redaccaj, rua
do Imperador n. if, travessa do Marqaez do Reei-
fe n. i, para assignarem._________.
Ainda contintla lugido o preto Ignacio, de
altura regular, secco do corpo, caueca epespe-
Snenos, falta de deotes na frente, deve ter os nos
os dedos das mios calejados, do servico de pada-
ria, regula 40 annos de idade, fugio em 4 de Ja-
neiro proximo passado, const* qaeanJa no Barro,
ou enlio seguio para o sertio : pede-se as aato-
ridades ou pessoas que o deseubram, a sua cap-
tura, e ieva-lo a rua do Lima n. 72, padaria, em
SanloAmaro das Salinas, qtfe se fra.tWcara com
Aluga-M na Boa-Vista, rua de Caminbo-.Novo,
junto a estacao, a casa n, 155, com, muitos com-
modos para lamiiia i a ehave esti )nnto : o nma
ontra na Cipunga, rua das Fernambucanas n. 54;
a casa e nora, am folha, e tem quintal gr4n.de: a
tratar no Recife, rna da Cadeia n. 3,
TANTO NO TRATAMENTO
DA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thisica,
Ronquidao, Resfriamentos.
Rronchites,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expecturacao de Sangue.
Como em toda a grande serie de enfei mi
dades da Garganta, do Peito e dos
OrgSos da respiracfto, que tanto
atormentam e fazem soffrer a humanidade.
A maneira antiga de curar consistia geral-
mente na applicacSo de vesicatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente un-
guentos fortissimos compostos de substan-
cias vesicantes, afim de produzir empoluas ;
cujos differentes modos tie curar, n3o faziam
senio enfraquecer e diminuir as forgas dr>
pobre doente, contribuindo por esta forms
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fennidade a destruigao inivitavel de sua
victima Qaam differente e pois 0 effeito
admiravel do
nmui SE Alr ACASUITAI
Em vpz de irritar, mortilicar e cauzar inau-
ditos soflrimentos ao doente,
'alma, modifica e suavisa a dor,
Alii via a irritac,ao,
Desenvolvo'ejentendimento,
Fortiiica o corpo
e faz com que 0 systema
desaloje d'uma maneira-prompta e rapida
ate 0 ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da F.urapa, (os
entes dos collegios de medicina de Berlimj
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relagSes analogicas, e alem disso a expe-
riencia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
eete maraxilhoso remedio, sao mais que suffi-
sientes para sustentarem a opiniSo do
PEITORAL DE ANACAHUITA!
Deve-se notar que este remedio se acba
intoiramente isento de venenos, tanto mine
raes, como vegetaes, emquanto que alguns
destes ultimos, e particularmente aquelles
que sao dados sob a forma de opio, e aci-
do hydrocianico, formam a base da maior
parte dos Xaropes, com os quaes tao fa
cilmente se engana a crodulidade do pu-
blico. A composicio de anacahuita peito-
ral acha-s linda e curiosomente engarrafadr
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada aim, e como a dc*e que se
toma e so d'uma col her pequena, baeta
geralmeute a" applicae.ao d'um ou dous fras-
cos para a effectuado de qualquer cura.
Acha-se a venda em todas as boticas-
H, FroatersdC, agentes.
Unicos agentes pesta protincia os Srs. J
Para liomem.
BOTINAS de bezerro, ct.rdavi,., f,t\U^, lu,ire 1
de duraque coin biqueira, dos meihorc*
fabricantes.
SAPATOES de be-erro, de-eorda^ de case
mira.
SaPATQS de lustre com salto.
SAfATOES atamancados com sola de pao, pr<>-
prios para banlios, iitios e jardma.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e portuguezes.
Para senhora.
BOTtNAS pretas, brancas de cores differentes.
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATtNHOS de phantasia com salto, brancos.
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes.
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTWADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
ROTINaS de bezerro, lustre e de cordavio.
ABOTINADOS e sapatSes de bererro, de diversa.-
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
^ Botas de montaria.
F.otas a Napoleao e a Gnilherme. perneiras
meias perneiras para homen e meias perneira?
para meninos.
No armazem do vapor francez, a ma do BarV
g* Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de brapo, de gnerni'. 5e;
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes 1-
tev(..s, e is mais proprios moveis para saleias ega
binetes de. recreios.
No armazem do vapor franeei, a rua do Fiara-
da Victoria n. 7, ontr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bens pianos fortes t
de elegantes modelos, do? mais noiaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonst
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff \ C.: ni
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, on
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractos,'banhas, oleos, opiata e pos den
trifice, agua de flor de laranja. agua de toilete
divina, florida, lavande, pos de arrez, sabonetes
cosaieticos, muitos antigos delicados em perfoma
ria para presents om frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas f carrafas de differentes tama
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou
dray.
No armazem do vapor francez, a rna do Barat
da Victori?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Vrli jon de differentes gostos
phantazias.
lispelhos dourados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para m-minas.
Luvas de Jouvin, de flu de Kscocia e de camurca
Caixinbas de cistnra "rnada e >u". musica.
Albuns t ijualruu. i> pa a retr.it"-.
Caixinhas com vidro de augm-viar ictratos.
Diversas obras de ouro bora de lei g Correntes de plaque muito bonitas para relo
gios.
Bri-eo? .mifac&o e botoes de punbos de pla
que
Bolsinhas e colres de seda, de velludo e de cu
rinho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de meat
a toilette.
Pincinez de cores, de prata dotirado, de aco
de tartarnga.
Oculos de afo flno e de todas as gnarnicSes.
Bengalas de Inxo, canna, com castoes de mar
NB
ilengalias diversas em grande sortimettto pan
omens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de rr.uitas qnalidade-
diversas.
Esporas de tarracha para callus dp botas.
Ponteiras de espuma para charntos e cigai r?
Pentes de tartaruga para desombaracar e par
barba.
Ditos de marfira muito nno, para limpar ca
beca.
Escovas para roupa, cahellos, cmbas e para dpn
tes.
Carteirinhas de medreperola para dinheiro.
Gravatas brancas e de seda preta para bomen-
e meninos.
Campainhas de. mola para ch-mar eriadoa.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do
mind e outros muitos differentes joguinhos alle
mSes e francezes.
Malas, bolcas e saccos de viagem de mar e ca
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para u erlaaeas mnrde
rem, bom para os denies.
Bercos do vimes para embalnr crian^as.
Cestinhas de vimes para braco d' meninas.
Carrinhos de ipiatro rodas,' para pa*sios de
cnaneas.
Ve,neziana3 transparentes para portas e janellas
Reverberos transpareutes para "andieirr.s de
gas.
Estereoscopos e mmonmas in escolhtdas
vistas.
Lanternas magicas ooirieas risaw de eores en
vidros.
Vidros avulsospara ow)oras
Globos de papel de c"res para illsmioaedes dt
festas.
Baloes aereostaticos de pane dt n,ui facii
de snbir.
Machinas de varios systemas para
Espanadores de palha e de pandas.
Tesourinhas e canivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas
Tinteiros de Iou?a branca, modelo bonito e bom
Tiras de molduras dourada e pretas para
quadros.
Quadros ja promptos com paysagens e pbanta
ua.
Estampas avulsas de santos. paysagen? e phan
lazias.
Objectos de magicas para divertimento* em fa
milia.
Realejos pequenos de veto com lindas pecas.
Reaiejos barmonicos ou accordion^ de IpdW 0.'
amaiihos, e ontros mnitos arligos de quinquilha-
rias dilBceis de menctonar-se. No armazem dc
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros.pes e palmos
aiedir terrenos.
Brinqucdcs para ironings
A maior variedade que so pode desejar de to-
dos os Drinquedos fabricados em differentes partes
da Enropa, para entretenimenlo das crianjas, tudo
a precos mais resumidos que e possivel : no ar-
mazem do vapor francez, rna do Barao da Victo-
ria, ontr'ora rua Nova n. 7.
Cestinhas p;;ra tMsliira
Graqde sorlimento de bonitos modelos :hegados
ao armazem do vapor francez, rua do Barlo da
Victoria, ontr'ora rua Nova, n. 7.
A peesoa que qniier dar a preauo a quantia de
500J, pataudo-MosjaroadslOsiOMaes. de-
contasdo-se logo do capital os reapectivo* jaroa.
queira annuaeiar por este jersal pan ear pneo-
rada, on entJo dirija ae a rua Seta de Setembro
a. |4. que aeaara com qoesi tratar.
Roupa achada.
Acbon-se no dia it) de fevereiro dwte anno uma
trnnxa de roupa j 1 i:vada, dentro de om sacco de
estopa, na rua Inifwrial: quem fnr sen d->no, di-
rija se a mesma rua acima n. 31, qoe dando e-
signa^s certo* e pagando o prweWi annnncio lhe
sera ratregne.
0 bacharel Pedro Gaadiano de Ratis a *
"^J Silva tm etiheleeido sua baora de ad- JJ
-* vocaria no escriptorio dos Srs. Drs To- n-
** leiitimi ile Carvlho e OWw*a, a rna !. fl*-
* de Ma-5.1, Miir'i.ra do Cifpn, si.br^d.i
ti. 18, t andar, onde 0 puderao pro-
enrar os que 0 quizerem bonrar com
^ sna confianca; 00 em sua residencla : J
na rna Velha, casa n. 30. ZT
* Advogados
Wt Os Drs. padre Atonio da Cnnha Fi-
MC gneiredo eloio Augnsto do Regn Harms,
2 muaaram 0 sen escriptorio para a rua !.
9 de mirco, otiirYra do Crvs|m. n. *, I*
at andar, junto ao area de Santo Antonio
2 entrada pelo lado do caes.
3



Consnlforio medico
DO
Dr. Murillo.
Rl'A DA CRUZ N. 26, f ANDAJL
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quenton os hospita? de Pari< e L"ndr^,
pode MT prncurado a qnalqnnr hora do
dia on da noite para objeeto de sua pfo-
flmio
Censnllas das C horas da manhi as R bo-
ms, c do meio dia as dna* da tavAV.
Gratis aos pobres.
esPecialidadfs
Moirstias de senhoras, da pelle e de
crianca.
I
\
e>ooo i>?^ixhv *
Alfonso Jose de Oliveira professor jubi- ^
lado da cadeira dc gct-grrphia e hi-ttria ^
do ex-Lycen desta cidade,
pela diri'Cioria gnr.-il da in trui1
hlica, tem aberte uma aula p'nl 1
latim, na rua do Duqtie de Caxi: n. 61,
I." andar. onle cftira a dii;io d'a-
queJies, que de an presthsa se quize-
rem utilisar. Q
j Aivogado.
JJK Obacharel Joio Gitirana. advtgado em \g
j Palmares e pode ser procurado na villa Jgt
* do mesmo n in;e, ootr'en I'ua, alto da J
9 E?tacao, n. i. jj>
i
i
e hi-ti ria f.
? 111 irMso a
j'-cuo pu- m
t.cclar de jJ.
CMSBnorifl liihiico-ririrgiro 3
DE tj
A. B. da Silva Maia.
Rua do Viseonde de Albuquerque n.
II, outr'ora rua da matriz da Boa-Vista
n. tl.
Chamados : a quaiquer bora.
Consult.is: Am p hres gratis, dat 5 as
4 horas da tarde.
I
AO N. 9.
No progresso do paleo do Carmo vende e mui-
leiga ingleza muito boa a 14000 a libra, ass.tn
como contintla a ter bom sorlimento de raolhadj-
para qualquer chefe de familia fazer sua despen
sa : os pretendentes agradar se-hao da commodi-
dade de preco por ser tncnor que em qualquer Mt-
tra parte.
100
mil
,>00
Ullercce-se a auaul a -.<..na, a mm que I* -i
a rua do lm|icrador n. 20, os objectos abaixo de-
clarados, desapparecidos de um guarda-ronpa !a
eaaa n. 13 da rua de Jo.io Fernandes Vieira, pro-
met ten do se guardar seg edo, e nao se fazer p*r-
guntas:
Duas cufrentp.s dc onro para relogio, comprida-
estando uma dellas qm-brada.
L'ma cadeia de ouro pan relogio, t;,nibem SS8-
brada.
Um bra^alete de ouro com broche de esroeralda
com falta de uma esmeralda.
Um par de brincos de pm la, para menina.
Um dito dito de esmeraMa, sendo uma mais dan
do que a outra, tambem pan menina.
Um relopio peqnpno de euro, pan stnhora.
nostradt r de ridro
Um allincto dr ie to de ainithi>ta eperola.
Duas voltas dc onro, smdo uma com uma '-:.
de coral.
Uma volta de ouro e crml rem cruz semelhar .
Um ai nel de brilhante.
Um dito de perola.
Um dit i de esmeralda.
Um Jito de ametbis'a rdxi
Um dito de esmenlda e perolas.
Tres pequenas ernzes de onro.
Um aliinete d? onro com perolaa.
Uma oaaaoieta pequena.
Um nlfine!'' peqner .
Um pir de brine-is leburo eom perolaa, sMasa
um dellei qnt'hrado.
Hi; pat d. brincos .i<' am.ctnista.
Sociedade rropagadora da
Instruc^ao Publica.
Abrir se l,a regunda-lcira 2 de marco a au.a
priu urii do > in maseoliM da freguezia de ?.
Jos--. Os inteiesi-ados devem dirigir-?e ao profes-
sor, na casa d'.i la, a rua d^ il de Maio, outr'r-
ra Praia do Caldeireirn n. 21, ^u a rua do Ba:-
ihol meu p. 53.
Preeiaa-se de ama ama para casa de dua^
pessoas, para cozinhar e engommar : narnaD-
rei'a n 58, primeiro nndar.
tiar
AI
0 armajem
n. 13
uga-se
no cacs do Capibaribe
Roga-se ao um Sr. Alsxandre de Smza Bar-
ro, morador em Gravati de Jabnrd, qneira fazer
o favor de apparecer na rna a tratar de negocios de seu interesse.
30*
mensaes
Uma familia de ires pessoas precisa de uma
criada portugueza assim como de uma escrava
engomiaadeira, pelo aluguel acima: a tratar na
rua de S, Francisco n. 15.
0. p. Coyle, r 4q QoWrnerci9 a, 38,- j An(p0jo Jow l.opea, retinae para guropa,
m\ IU FORTiA.
AOS 4:O00)S000.
BILHKTKS (iAIiANTIDOS.
< rue Prirr.t'ro dt Marfo (outr'ora rua d
CrespoJ n. 23 e co-sac do costume.
0 abaixo assign.-do tendo vendido nos sens fe-
izas bilhetes, um meio n. 37 com 4:000*000.
um meio n. 316 com 700 J, dous mews n. 3591 eom
200/, dons meios n. 1219 com lOOi, e outras sor-
tes de Ml e 20/ da loteria qne ae aoabon da ex -
trahir (89"), convida aos possuidores a virem re-
ceberna conformidade do costume sem deseon-
to algnm.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garaatidoa
la { parte das loterias a beaeucw da irreja
da Conceirao de Orniru (90*), qua se ex trahir a
sexta-feiia, 6 do corrente.
PBEf^VS
Bilhctc inleiro 4/000
Meiobilhete 2/000.
km roagio DE f 009000 PAAA. CUl.
Bilhete inteiro 3/500
- Meio bilhete 1*710
Jranoai JfsrrstffMtn.
\
1
t
I
,
"^J


m*
- -.'!
<**m
yi>.

n '*
i>

?>
<>afed*l!*aifcbito*-u4uufc {tin 4 Hi S&l
para terrar madeira.
de patente, garantidas
Podeodo'lodoa
er moridos a mio
por agaa, vapor,
. oa animees.
e pe^ai de qoe ae eoetoau preciiar.
faris)
PEDEM. WS tenteret'de eogefihoe octroi afrtcoltofea, e,an> pre gd ..? de c
ajMnatto e favor de ana viaiuasea eetabeleciments para vr#m o w>- >>ruioDU
ottplei) ts abi tern; aeodo todo aoperior em qoalidade e tortidio; o que com a in>
aec*o pawoal pode-ie veriflcar. ,
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FCNDiCAo
tfftfanvuia a m<)oa dfarvna dM Buis oderno8 yrt**"'" e rm U
f AflUrtiO O rUttOB U HgUtl BaDbos convenientei pan diversat
ajtaajwtanciaa doe lenborei proprielroa e para deaearo$*r algodao.
Moendas de canna EJSE t,m,Dh0,' *"*"" q" "^
Eodas dentadas p *'*
Taixas de fen-o fundido, batido e de cobre.
Alambiqnes e fandos de alambiques.
Saehinismos pm Bwndi0M 6 ,lgodl0*
Bombas
Todas as machinas
Pas qualquar concerto de *"* pre< r*8aoid0
Form AS dA fflTTO tem melbore* 6 mai* btr,tas istontei no mer-
IZnAnmntanrloa fecambe-u de nundir vir qaalqner macbisumo a von-
aiICUlUllloUua,S. tt raac compru por ictermedto de pessoa entendtda, e qoe tn qoalqaer oeceuidade p6de
lei preetar raxilio.
iradoa americanos e in,lrnnBentM *ricolM
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUMHCAO DE FERRO
A1 roa do Bario do Triumph:) (ma doBrnm) ns. 100a 104
CARDOSO RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas pare er
enhos, as mais modernas e melhor obra que tem vindo ao mercado.
VapOreS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
<_-alCICli a,S de sobresalente para vapores.
ivlOenCiaS lllteiraS e meias moendas, obra como nunca aqui w>.
laiXaS IUndldaS e batidas, dos melhores fabricantes.
KOdaS U aglia COm cubaje de erro, fortes bem acabadas.
CLOClaS aentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitos para ,apores.
iiOmbaS de ferro, derepucho.
AraQOS de diverse* qualidades.
Formas para assucar grandes a pequeius.
C0DC6rt0S connprtam com promptidao qualquer obra on machine., para o qoe teex
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EQCOnillieDdaS man(^am v'r Por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com ami respeitavel casa de Londre*
t com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentat
dries machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDI^AO DE CARDOSO d IRMAO.
ODILON DUARTE k IRMAO
CABELLEIREIROS _
Premiados na exposieao de 1872
file
DA
IMPERATRTZ
H. 82
I.' ANDAR.
RCA
DA
IMPERATR1Z
N. 82 ]
1." ANDAR.
Acabam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores con-
dieeiesi possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e a"s Exmas. Sras. n'a-
qailto que for tendente a" arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homenscomo para senhoras, tupete, chignon,
coques aiodernissimos, tran^as, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalbo imaginavel em cabello.
O estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados cstran-
fe?iros, recebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e figu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 */0 menos que outro qualquer, garantindo
perleigao no trabalho, agrado, sinceridade e pre^o razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos em
j)orgfio e a retalho e todos os utensilios pertpnccntes a arte de cabelleireiro.
CHAPE0S DA ULTIMA M0DA
r.hegarsim lindos e bem enfeitados chapeos do mais apurado gosto, par8 senhora : a*
!oja das coiumnas, de Antonio Correia da Vasconcellos, a rua l'rimeiro de Mar-
vo n. 13.
J
33
Constructor e aOnador de pianos
Rua do lmperador-
33
Ex-aflnador das antigw e afairada? caws Pleyel & Herz, e antigo director das offlci-
ca casa Alphonse Bloodel.
Tem a honra 4e declarar ao respeitavel publico desta cidade, que lem aberto sua ea de
oncertos e afina$des de joianos, qualqoer que seja o estado do instruraento.
A mesma casa aeab* de reeeber um grande sortimento de pianos dos melbores fcbrleantes
de Paris, como Rrari Plepel, Benri Her% e Alphonse Blonde!) todos os piano? sabido? da casa
i'hibant rao garantidos.
Compra-se e recede--** em troca os pianos nsados.
Na rua do lmperador
n. 28
I'.'ecisa-se feilar aos segnintss senbores :
Domingos Martins de Barros Monteiro.
Emigdio Marques de Santiago (DrJ
Joio Vaz de OUveir*.
Jose Pranei*;o Lopes Lima V.izaretb).
Manoel Pereira Brandao.
Maaoet dos Pasos Miranda
Theotooio de Barros e gilva.
FraaAco Ptnto Pessoa (Dr.)
Prancisco de Paula Borgea.
Franeisiio Antonio Pontnal Ittnior.
4' Torre
Aluga-se para pssara festa um sitio com
excellente casa de habiiacao e banho no rio
\i frenta desta: quem a pretender, pode
orocurar i rua de Gervasio Pires n. 24.
* i i
""_- Dfferece-sa ami pessoa de nacionalidade
portu,XUk, muito babiiiuda para administrador
de enge^o : traur na rua da Madre de Debs,
casade t>aga & Rog^a. _______
_ Alnga ** onia ca-ia m 3 queno sitio, na /ua da Casa Fom i a tratar na rua
da Ponte-Velh>
LINHAS
CORES
AfiULSAS
llfl Hit \)if
,AKA
QUALQUER
PARTE
DA
Machina
k ml
Cora as falsificac,6es que tem apparecido
DAS HACHIHAS PARA COSTDBA
DE
SINGER
Porqu<
= Nenhuma ma-
00
china Singer 6 legi- fig
3 tima se nao levar
g esta marea fixa no ^^3^:
jg bra ParaevitarfaJsi- ^
OS
ficacoes notem-se g
bem todos osdeta-
lhes ds marca.
B
o
P
A dinheiro e a prazo!
A contento das Exmas. familias
MACHINAS DE SINGER
Sao mnisjbaratas.
S3o de docs pospontos.
S*o simples.
Sio rapida?.
Sao duradouras.
MACHINAS DE SINGER
Sio de dous pospontos.
Abainham.
Franzem
Pregam trantjas.
Marcam pregas
Rordam de linha de seda.
Alcolchoam.
Pregam cordfies.
UNIGA AGENCIA
EM
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPEMD0R 45
49 Rua do lmperador 49
Ha neste estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos mais afamades autores,
como sio : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riors, mandados cxpressamente construir para este clima, o qual os amadores dos
bons pianos ?6 enconlrarao nesta casa.
Recebem-so pianos usados em troca.
Concertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o mais complcto sortimento de materiaes para concertar pianos, como
sao: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, c^mursa, cordas,
marfim, etc., etc.
49 RUA HO IIIPERIPOR 49
^Alugam-se o 2* e 3" anlares do sobrado n. i
i7 da rua da lmperairiz : na rua do Ho?picio nn-
mer^) 33. i
CASA
Nao se prestando o pequeno espafo do armazem
n. 10 A, a rna da Madre de Deo?, para am abaste-
cido deposito das diversas marcas de famo, que o
abaixo a??ignado almejava ter, acha-se d'ora em
diante aberto ontro estabelecimento sob a me=ma
danominacao de
Armazem do fumo
A' rua do Amorim n. 41
com todas as proporcfag desejadas, e onde pode-
rio os senhores* freguezes dirigir-se, certos de
Sue, como ate aqui, aebario sempre a par da mo-
icidade dos precos, a inaior sinceridade possivel.
Entre as differentes marcas de fumo da Bahia e
Rio de Janeiro, que tern sido annunciada?, acaba
de chegar uma encomme:ida especial, e que mnito
deveconviraos senhores fregnezea. ConscieDte o
abaixo assigoado de que neste genero de negocio
nao esta sem corapetidores, fara muito por evitar
qne tambem os tenna com relacSo ao peqneno la-
cro qoe procurara obter da dita mercadoria.
Jose Dorcingue- do Carmo e Silva.
Aluga-se
Urns exoelldDte casa para familia, na Capnnga,
porio de Lacerre, a rna da Ventura n. SS, tendo
quartos f6ra, banbeiro, cocheira, etc. : a tratar na
mesma casa.
No cae i do Apollo n. 69
Precisa se alegar uma eseravinha de IS a ii
annos para servico de casa, on mesmo negoeia-se;
se for de condncta, paga-se bem.
Feitor
Em S. Jo.-e do Manguinho, sitio de Jose Doarte
ainda je precisa fie am on* seja eoidadoso e
enleiija taaibem de flore--. '
>.!n;a f o sobrado novo da rua Vidal de .Se-
Sreirosn. 149, defronte do chafariz, com commo-
os para ama grande familia, tem cacimba, gran-
de quintal com sahida para a rua do Nascente, a
loja aloga-se junto ou separado : a tratar na rua
do BarAo da Victoria n 3.__________
Chapas e argolas ameri-
canas
O fabricante destas, tem a honra de participar
ao respeitavel publico que, tendo de retirar-se
para a eorte brevemente, s6 pode reeeber encom-
! mendas ate o dia 7 de marco ; portanto roga aos
senhores qne quizerem munirse de ditosobjectos,
mandarem as suas encommendas com anteceden
! cia ao hotel Estaminet, a rua do lmperador n. 32,
) da< 9 boras ao meio dia.
ATTEHCAO
Constando aos abaixo asslgnado acharse nes-
ta praft o Sr. Manoel Pernandes de Carvalho, ren-
deiro dos engenhos Rarra e Preguiija, em Ma-
maDgnape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
raesmo o obitquio de vir entender-^e com os
abaixo assipnados immediaUmente sobre negocio
tendente aes referidos engeohos. Bua do Amorim
37, escriptorio.
______;___________Tasso frmios k C.______
ALUGA-SE
uma excellente casa construida de novc, sita na
entrada dos Afflictos, tem commodos para grande
familia, ?itio muito bem planUdo, iardim e banhei-
ro : a Iratar na raa Prlmelro de Marco rt. S. livra-
rla economica.
Terreno.
Reulha se a vontade dos corapraderes um ter-
reno na Torre, 50 passos da ffcha dos bonds e
perio da machambomba. Bate terreno esta collo
cado entre duai eslradae qoe vio ter a befra do
no : a traur na Torre com o Sr. Assis Pinto, na
rna do Arantes, e no Recite rna Ponnoga n. 37.
Offerece-se nma ama de leite com filbo a
iratar na ma de S: Miguel n, M, em Afogados,
L
J
r
Ma m deirao a Vietori. n. 36 precisa-v
allar ao Sr. ttgario Andre Cnrcuo de Araujo P-
elra, t negocio de s<-n inu-renw.
#

E. A. DELOUCHE.
49Raa do Marquee de Ollnda49
Acaba de reeeber nm grande sortimento de re
logios americanos para parede e mesa, de corda
de 24 horas e de corda de 8 dins, com despertador
dos melhores gostos e qualidade.
Relogios de ouro patente inglez verdadeiros, des-
cobertu com ponteiro grande no meio, dos mais
modernos e do melhor fabrirante de L< ndres.
Grande sortimento de relogios de prata, prata
donrada, cobertos e descobertos. Ditos de prata
foliada (plaqud ), orisontal e patente, de todo
preco.
Cadeias de plaque e de euro.
Lunetos e oculos de todas as qnalidades.
Verdadeiros Vidros de christal da Rccha, para
vista can?ada.
Vende-se tudo por preco mais baratc que em
onlra qualquer parte._______________
A preciem como se vende barato
<6 o n. 20
RUA DO OBESPO
LOJA DAS 3 PORTAS
DE
GuUherme & C&
CASSA-LA
Acaba de chegar esta fazenda com bonitos pa-
droes, e que se vende pelo diminuto prero de 200
rs. o covado I 1
METIM
Metim tranrsdo, padroes bonitos, a 320 rs. o
covado t I I
ORGANDY DE CORES
Cambraia organdy de cores, fazenda (ina, boni
tos padroes, pelo diminuto preco de 320 rs. oco
vado111
LAS ESCOCEZAS
Novo sortimento desta fazenda, com bonitos
padrSes, que se vende a 240 rs. o covado!!!
CRETONE
Cretbne claros e escuros, bonitos padroes, e fa-
zenda flna, pelo diminuto preco de 400 rs. o co-
vado III
LAS MODERNAS
Completo sortimento de la de todas as qualida-
des, pelos diminutos pre$os de 400 rs. o covado,
e pechincha 1 I
Cortes de casemira Ai cores, a 5JC0G.
Colchas estampadas e com barra a 34300 e
4*000.
Cobertas de chita adamascada a 3*500.
Lenroes de bramante a 2*000.
Dites de algodao a 1*400.
-Toalhas alcochoadas, duzia, a 3*800
Lengos de cassa com barra a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanhados a 2*000 a duzia.
Ditos de esguilo abanhados, em caixinhas mo-
dernas, duzia, a 3*300.
Cambria transparente fina a 3*000 a peca.
Chales de todas as qualidades e precos.
Bramante de algodao e linho a 1*600 a vara.
Dito de linho puro com 9 e 10 palmos de lar-
gura a *500 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, largo, a 5*000 a peca.
Dito domestico a 3*000 a peca.
Brim com listras, irlandez, proprio para cami-
sas, a 440 rs. o covado III
Madapoloes trancezes de todas as qualidades de
5* a 8*300 a peca.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, pelo di-
minuto preco de 8*300.
Camisas inglezas, todas forradas, fazenda de
linho puro, a 44*000 a duzia ; e pechincha, so se
vendo.
Popelinas de linho e seda pelo diminuto prei;o
de 800 rs. o covado ; e pechincha, e dSo-se amos-
tras.
S6 o n. 20 da rua do Crespo
Loja das tres portas
DE
Guilherme & C.
JUNTO A LOJA DA ESQUINA
ESCRaVO FUUIDO-
Desappareceu ao amanhecer do dia i do cor-
rente, do engenho Serigi, comarca de Gnyanna, o
escravo de nome Jose Borges, mestre de'assucar,
tendo os signaes seguintes : cabra, idade 30 an-
nos, pouco mais ou menos, boa ligura, nm tanto
grosso e espadaudo, sendo o signal mats visivel
uma gomma na junta do \i6 esquerdo : roga se a
todas as autoridades e capitaes de campo queiram
apprehender dito escravo e leva-lo ao referido en
genho, ou nesta pra^a a Oliveira Filhos & C, lar-
go do (3orpo Santo n. 19, que serio generosamen-
te reenmpensados.
m1 PUBLIC! CBtS MUSI CUES.
A. J.d Azovcflo (ti...-\nvit If
Acabam de publicar se, ? acham-se i
Tenda as se^uintbs musicas -.
P1AJJO SO'.
Dassf. espanhoi.a. por A*rher 2900C
Arabella, mazurka, dw G. Wt*.
thoimer 1JS500
Valsa do Fai'sto, por Crnyxm 1*000
Sosho de uma viRCEM, p'r Alber-
tazzi 15000
Anna la Prie, caratina 19000
AoClair nn la Lune, por Bussineyer ia>500
ESTRELLA DO >OBTEtpo|kabrilhante lf(KK,
SAUDAgAO ao Babia (
Cricket, por Seixas, ofTerecida aos
chrickets club peniambucatio e
bahiauo *0
PIANO I-CANTO.
Desespero, niuilo Undo romance
por I. Smoltz 2JK>0i
N'on m'amava, romance por Gui-rcia irOC'C
Tambera reccbeu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, mcthodos, rte. -tc.
:1I\MAIK)
Os Srs Joviao F.rnandi s da Cm/. 8 Joaquim Cl>-
rr.ente Je L-mo? Duarle, So rhamados a rn. 6
(xtronel ba<>un:i n. 28i; a negocio de particular
intrresse.
flLMLKH**'
MRWCEIMK
select a e e umbigo
(Enxeriadas)
Sapotizeiros
e napoteiros de 11 palmos (em rasoa) e de I
os lamaiihos e precjoa mai- e a......I s que din-
ten ; as?im como .if i rsmfa I outras planta* .:*
frut'ta e de ornato :
Ai>a'-ali. I.aranjj mm.
Acacia. Dita M Joce do Para
Ariticum a pe. Diia lir, nca.
Canella. Dita lanfrriaa.
Casnarina. Lima da Prrsia.
Carolina do prindpe. DJla d-- nrnbite.
Condeca. I.imao franrcz.
Coraeio da India. Mo iaee "nxertado.
Figucira. Oitieoro.
Flamboyant. Palmein imperial.
Fructa-pao. Parreirw.
lngado Para. I'inli iras
Jambo. Romalru
Jasmim laranja. Roietrls.
Laranja da China- Rozeda.
Dita do ceo. Ubaia.
E outras plantas : na Caanafa a rua da V.n-
ura n. 20.____________________
Aluga se uma oa>a a r,ia da Praia "dTCaT-
deireiro n. 21 : a tra'ar na rua do Livramento n
23 loja do Sol.
NA -
Esta encouraeado !! I
Agua inolo era pedra dura
Tanto da ale qne a fara.
Roga-se ao film. Sr. lynario Vioira de McH
escrivao na cidade de Naaareth desu provincia.
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a eon-
doir aquelle negocio que S. S. se comprometten a
realisar, pela terceira rh.imada doste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para janeirc.
passon a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio:
e por este motivo e de novo cbamado para ditD
f3m, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quando o Sr. sen tilno u
achava nesta eidade
Empreza do gaz
A empreza do gaz tem a honra do annunciar a<-
publico que recebeu tillimamente um esplcndido
sortimento de lustres de vidro. randieiros, aran-
delas e glubos, cojas amo.-tras esiao no escriptoria
a rua do lmperador n. 31, e serio vendidg a -
sens fregue?es pelo preco mais razoavel possivel.
Aluga-t-e o quarto andar do predict n. 53 S
rua do Bom Jesus, antigamente rua da Cruz : a
tratar na menna rua n. 53.
Precisa-sfl alngar um escravo nari o s- rfija
em casa de fan ilia : na rua Primeiro do Mar i
n. 23.
LOJA
* ABVO&ADO |
g AYRES GAMA
i RUA DO DUQUE DE CAXIAS &
% 9.
Primeiro andar.
ALUGHE
o 2* andar do sobrado u 52 da raa Marquez de
Qlinda : a tratargarma/ou em do mesmo predio.
Aos senhores de engenho e
outros proprietaries
qne pretenderem contratar edificac5e9 de predios,
asa s de campo, ou chalets, demarcates de ter-
as, nivellamentos, assentamento de machinas a
vapor, plantas ou outros quaesquer trabalbos nes-
te genero, qoeiram dirigir-se pessoalmente on por
escripto a A. Coatinho, a rua do Crespo n. 18, l.
andar, escriptorio.
SAQUES.
Carvalho d Nogaeira, na rua do Apollo
tr. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agencies em todas as ci-
dades e villas de Portugal, A vista e a prazo
por todos os paquetes.
Henrique Praxedes de Barros offerece se para
administrador de engenho e segue para qualquer
lugar, dando se-lhe condnccao para tna familia; o
mesmo, por ter longa pralica de engenho, da
conhecimento de sua conducta com attestados das
Srineipaes pessoas desta ci.lade : uuem preciaar
irija-se a travessa das Crazes n 4, que achari
com qnem iratar. __________ _
Na rua de Santa Thereza n &i se dira qiw-ro
yende 60 palrnoi $e terreno, em lixieui.
Aluga-se a loja do sobrado n 9 da rua da Au-
rora : a tratar na rua do Roepicio n. 26, tavcrna.
on na ma da Fmneratriz n. 10, tavern a.
Aluga-se o 2. e 3?
andares do sobrado d. 47 da
rua da Imperatriz : na rua
do Hospicio n. 33.
Precisa-se de um raixtiro de 12 a I'. jlkosJ
que tenha pratica de padaria ou mesmo
na rua Direit* n. 26
ALUGfSE
ama casa na Capnnga, rua das Pernsmbueani.-.
com eoxeira e quartos fora : a tratar na tua d
Vigario Tenorio n. 31.
Livros banilissiiiiiis.
Vende se por todo preco algnmas ohras dc d'
reito, litteratura, poesia, historia e religiao. en
francez, inglez e portuguez : na rua do Cabuga r..
II, loja de joias.
Alupam se as casas ns. 11 e 79 da rua~d;
S. Joao : a trat?r na rua Duqne de Caxias r. 44
Aluga-se nma grande casa com excellent^
commodos, drfron e do hospital Pedro II : a tra-
tar a rua do Hosano da Boa Vista n. 56.
Alnga-se um molequc npiimo para^ualqu-i
servicn, de 14 a 15 annos de idade : a rua d .
Barao da Victoria n. 22.
Attencao
Precisa sc de ama preta, forra on escra.a, para
vender Uboleiro na rua; a tratar em Olinda, na
rua do G)mmercio, anligamente Qnatro Canto*,
casa lerrea. junta ao Sr. capitao Lapa, e defronte
do oitio da botica do Sr. Joio Raposo.
Engo iii madeira.
Quem liver nm escrava de condncta, qne seu
perleila engommadeira, querendo negocia-la pode
dirigir-se a S. Jose do Mangninho, sitio n. 2 an
tes da ifreja qoe se dara bom preco, onmeami
por alagaer._______________________
Garanhuns.
Na rna do Barao da Victoria a. 34, nriinaa i
allar aos Srs. Pedro do Rejo Caavaa Pmaolc
o*e Paes da Silva, a negocio m part lir to- -
*ss
_ Preei.j M de :000l a pvmte solK :
thera em nm predto : a tratar aa rua I.,
at 227.

.
L
^--r--



)
JfcftM *%^Hfe*^4uAriMfcir^^
Barbeiro
FtottKi -se teaa bom oOeiai de barbeiro, da se
jswasia bo trabaiho e inntatnente mesa : no
S> da ma Duque de Caxias n. 36, < aDdar
NT27L "^
Vsaie se -aroea-se uma grande casa de ta-
tat, eta ruaImperial, com quintal nerctdo.com
5|Hb aterro, portae de am lado e no quintal
* t? P* a ltt* ferrea, com madeiras kh
aaw, ffefenndo-se a troca por uroa neaaa i cidade,
ojr^jo e rouito eonraodo : quem pretender di
P* mesma casa, que acbara com qusm tra-
Estrada de ferro do Recife a
Olinda e Beberibe.
Wda secretaria da coinpanhia dos trilhos tu*a
aua do Recife a OKnda e Beberibe, sao convida
sosenhores acciooistas, oon?tante3 da rela<,aoi
ataixo, para, com a maxima posslvel brevidade,
aaaaparecerem no escnptorio da mesma coinpa-
afaa, afim de se Ihes disiribuir suas respectivas
aojjees; e nesta occasiao se previne aos mesmos
awhores que possuirem aecoes do antigo padrao,
^?iraui recolhe las para serem restitoidas por:
aafiras do actual.
aa*el Martms Fiuza.
aaoei Ribeiro Bastes.
Maaoel Jose Dantas.
Barao de Tacaruna.
fcse Marcel ino da Rosa.
aiae de Sa Cavalcante de Albuquerque.
Msnoel Joaquim Baptista.
Or. Ctaudino de Araujo Guimaraes.
Joaquim Antonio Pereira.
Francisco Antonio de Assis Goes.
D. Joanna Augusta de Castro Pagels.
Francisco Gon^alves Neito
Jose Fortunate do? Santos Porto.
Or. Francisco do Rego Baptista.
Luir. Goncalves da Silva.
iese Maria Palmeira.
Francisco Jo.io de Barros.
Dr. Luiz Lopes Caslelio Branco.
Joaquim Francisco Lavra.
Jose Coeiho da Silva Araujo.
loaqnim Jo-e Goncalves Beltrao.
Antonio Augnsto dos San'os Porto.
Manoel Jos *os* Joaquim da Costa Leite.
Matuel Jose Tinoco de Souza.
Jose Alves da Silva Guimaraes.
Joaquim Jose da Costa e Silva.
fcrooymo Gomes da Fonseca.
Joiquim Candido da Cruz Siqueira.
Dr. Fabricio Homes de Andrade Lima.
H- rdeiros de R> drigo Pinto Moreira.
Dr. Manool do Nasciraento Machado Portella.
Joaquim Alves da Silva.
Antonio Jose" da Costa c Silva.
Antonio Joaquim Vaz de Miranda.
Jo;e Antonio de Almeida Cunha.
D. Anna Broigdia da Silveira.
D. France!ina Egydia Silveira.
D. Anna Joaquina Correia.
foao Pereira Moatinho.
Arthur de Si e Albuquerque.
J Diiarte Antonio de Miranba.
Dr. Feliciano Francisco toartins.
Antonio Alves de Moraes.
I>. Gailhermioa de Abreu Port).
Pedro de Alcantara Guimaraes Ptixoto.
Bseriptorio da companhia, 21 de fevereiro de
1871.
Jo5o Joaquim Aives
Secretario.
Aniriada.
Na rua do Bariayda VMa n 36, precisa-se
fallar ao Sr. 2. gws* J^JfggMf>gn4 ne-
dW^M**W. intl'JIIM. | jgl |i||> .itoa uiu
liVexiSA-.se tie
dnas amas para
casa de pouca fa-
milia, sendo uraa
para cozinhar e outra para engommar, pre-
form do-se escra vas, paga-se bem, se agradar:
a tratar no largo do-Paraizo n. 28, 1 e 8
andar.
Ama de leite
Preci.'asade
rua da Praia D.Jff*9*i
de lau>, .sen 61 ho :
:dar.
na
rravE pa a
na familia
lindjyj 49,
Furtaram urn cavallo de cor rudado, m a
io, c'.inas para a direita, pescoco pedrez a
; farris em seguida um do outro, e no
do tern I si.cnal que trouxe de fa-
ivallo foi furtado no dia 16 do corren-
i um ranchu rtaestrada nova do Caxan-
- la que do mesmo der noticia a Ber-
' da Piocha, morador em Pajeu, ou na
ira oe MaiQo n. 18, loja, sera generosa-
gratiBcada.
f". 17 de fevereiro de 1874.
:-.; 0 1 ami re sotao do sobrado sito
1 .':. 'liineralriz u. 33, e a loja : a tratar no
idar > mesmo.
CASA DA FiTiA
kl'-ai 1. de Marco n. 23
Ao.s mmm.
'co afsignado tem sempre exposto a ven
da loteria do I'.io, cuja extraccao an
. pelos jornaes.
Pre$03.
Inteiro 24^000
Meio 12j0( '0
Quarto 63OOO
Manoel Martins Fiuza.
( asa de campo
A v a ex .it-nte casa da travessa de Pay-
's n. 3. pr xima a hospital portuguez, com
para grande familia : para tratar, na
rim n 56, 1 andar
la roa estreita do Rosario n. 33, sobrado de
I -r, avi-a-se a todos OS freguezes que cos
'. ns annos a manlar fazer flores para
a, |ne tern palcuas para sepulcrho, sipos
11 Bur para anjos, diademas para ctpacetes, ro
uf ; ; tudo se faz p^r muito barato
: na mesma casa faz sc b>uquets para noi
(fl na- com ritas bordada* a ouro e le
; >st 1 de s.us donos, e faz se ricas ban-
dejas 3'i b 1 >- j'ara casamentos e biiies, tuio com
..r.U'.-.a.
Dtna escrava prccisando de quatrocentos mi-
rs para adjatorio de sua liberdade, offerece pagaj
com 0 seu trabalho : a pessoa que qnizer annunr
cic por ostc Di trio a sua moraJa para ser procu-
rada.
Graliflea-se
Ausentou-se da casa de seu senhor, no dia 26
4o corrente, a escrava Lourenca, preta, cabellosca-
:hados,. estatura regular, idade 42 annos, e
ma qneimadnra no pulso dircito, falla descanca-
:.'1 anda, balanca com a cabeca : foi
nhada com um preto, escravo, morador na
: pern a levar na praqa da Independencia
I -. H r; 2'>, sera rec^mprnsado.
"CASA DO OURO
A* 4:000-000
Bilhetes garantidos
Aua do Haruo da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
Aci,:.n -' a venda os muito feli es bilhetes ga
-antido- da 1' parte da Ioteria a beneflcio da
Sgreia da Conceicio de Caruaru, qu, se extrahira
o air. 6 do corrente mez.
Pre^os
Iutairo 4*00f
ieio 2#000
Jj>e t-lOaO0 para elm.
Ini-'iro 3*500
Mew 1*750
Heaft, 2 de marco de 1874.
_____________ Joan Jaww da Potty leite.
Pede-se ao Sr. Joaquirn Pires Ferreira, o fa-
*jr 4e appnreer na rw Priraeiro de Marco n. 7
A. t* an lar, a na^Mio de sen particular into-
ante).
Rio Formoso.
O Sr. F istinu Levequa dos Santos, que dirijgio
aasa cart. aoSr, Ueeiiio Laal H jbuim, dige-
e_lawr jwrjljp^r ojkd| *>|e ser. encwlrado/ou
rua-se a rua cstreita do Rusario n. 30, primeiro
___-------.
Jreci3a-9e afagax uma "ami
comprar e noaobar paw uma
estrangeira : na rw4o Miwu
IjJ?:_________________ >.
AlUa P'?cisa"M ^****"*;?ra ptflnena
loja.
ga
Salsa Parrilh
nova em rdlos
na rna do
AHHU
familia: na ra Duque de-Caxiasn. 54,
Ama de leite.
Preoisa-se de ama sem filhe, e
condncta : a rua do Visconde
129
afja-de boa
anna a
Alia k leite.
Preeisa se na B04-Vista, rna da Santa Cruz,
casa n. 66, aiada meemo qn&tenba tilho.
Precjaase team a*;qfe.iba,e*xu*
e engommar com perfeicao : a Iratar na rua de
Pedro Affonso, outr'ora da Praia n. 27.
\M i Precisa-6e de ama ama, part
A ill A casa de pouca familia, preferin-
n. ITA fl do-se que compre ; agradando,
paga se bem : na rua' do- Vlgano n. 33, no', 2*
andar, esquina _______________
Ama Preeisa-se de uma ama. para piaouOf
sxaim Da faDlj|a : a rua do Principe n. 20.
Amn Precisa-se de uma para cozinhar: a
-a-llia> tratar na rua do Iniperador n. 14.
Preeisa-se do uma ama que saiba cozfnbar,
para casa de bomem solteiro : a tratar na roa. do
Barao da Victoria n. 60. _________
Precisa-se de dnas amas, sendo uma para
engommar e outra para cozinhar para duis pes-
soas : na rua do Bom Jesus, a 9\ segundo andar
Ama Precisa-se de uma, para cozinhar para
-riluai para rapazes solteiree : na rua do Cres-
po n. 20, loja.
\rn> Na praga da Independencia ns. 14 e
ama 16, precisa-se de ama ama, para cozi-
nhar.
Precisa-se de uma ama para cozinhar em ca-
sa de pequena familia : a tratar na rua do Du-
quede Caxias p. 29.______
Preeisa se de uma ama para cozinhar e que
compre : na travessa do Corpo Santo n. 25.
Antonio Jose Rodrigues de SeDza, em sou es-
criptorio a rua do Crespo n 6, compra, por boas
precos, escrav-js das diveraas cores, sexos e
dades.
;2 Na rua do Corredor do Bispo n. 17, precisa-
se de uma ama forra ou escrava, que saiba eo-
zinhar, comprar e engommar, paraa casa de fami-
lia de duas pessoas: paga-se bem gradandt.
No collegio da Coneeicao precisa-se do nma
engommadt-ira perita. .
Aluga-se
nma sala na rua Duque de Caxias n. 61, propri*
para advugado ou cartorio : a tratar na loja.
Preeisa se de uma boa cozinbeira para comprar
eeozinharna mi V^slh* n. 71, l-ailir.
UUiuao.
Fugio do engenho Firmeza, na freguezia da
Escada, no dia 11 de fevereiro, 0 escravo Al-
bino, crioulo, com os seguintes sign; es; edr
preta. idade de 20 annos, alto, corpo regular, bu-
rn! 1 figuia, olhos um pouco esbranqui<;ados, tern
de um lado das coslas um carocinho a serae-
llian.-a dc uma jabalicaba. Pede-se as autorida-
des policiaes e capitaes de campo a apprehensao
do dito escravo, podendo entrega-lo no dito en-
genbo ou na rua do Torres n. 12, escriptorio,
Casa a veil
Nao ta na ______
Queun elegante eg
para viag.
CONTENDO
! 20 cadernos de papel b
ra doprada, inwcado com as
prafcfi-
2* 100 envelopes brancos
3* 100 pennas de aco, 1'
4* 1 eaixa de obreias de _
5* 1 tinteiro de vidro com
6* 1 areeiro dito dito dito.
7* Lnfr de lacre.
8" WPiivete de duas folt
9* i lapis.
10* 2 canetas.
Todop astes jbJectos reuni
Bua do Crespo n. &$

Veade-se por barato precp nmr bea casa 601
commodos para familia, sita a rna de Matbias
Ferreira, em Olinda, com qointal e
effort^, ejnu
trafaajn; naa
ir-
irande pechioeha
Em lindas las
A Roxa Branca, ja bem conhecida como a mais
barateira, acaba de.receber las para 240 e 320 rs.
0 covado, e um grande sortimento de I is flnas a 50Q,
reis, fazenda qne vale 800 : venham aftosflj-ajiis]
fA ver Dara crer, na rua da Imperatriz n. 50.
LHHfaUS' SSCflEBIAS '
A 900 rs, eovado
Rua.^QiQweimado -du 4S
Dgfronle da pracinha da Independencia.
E' para acabar
Lazinhas a qscoceza, pr--pria para vestides, pa-
drOes d etctcna, pekt diminuto preco de 200 rs. 0
covado, 6 para acabar : so na rua do Queitnftdo
n. .43. Dao-fe amsstras.
IIV1RSAL
lira do Barao da Victoria v. 22.
tarufifo Viaiiftti.
i
Ajaf|aj grande estabetecimento tem che-
RfiS dB liJj^.^i,'.' to
SO 0 MfAO


Vende fazendas para liquidar, por baratijimo preco come
abaixo se ve;
- Vende-se uma casa terrea sita a rua da Con-
cordia, hoje do Marqnez do Hcrvai, n. 93, para,
pagamento de legados edespexas, do* inveatarios-
dos finados Maria Antonia de Souza e seu raarido
Jose Francisco da Costa: a tratar com o commen-
dador Mauoel Alves Guerra, ou com o solicitador
Frederico Chayes. ,
Vende-se- Hmafc'sinivai parda, de:25 anhosr
perfeita engommadeira e cozinbltira, para fora
desta cidade : na ruad JUiirtas n. 96._______
das mais finas cambraias braaeas transpa-
rente, tendo 10 jarda*:cada pe^a, polo ba-
rato pre$o de 4, 4950*r'5, 69, tendo tam-
bern das mais finas que eustumaqi vir ao
mercado, aesi-n como um grande sortimento
de ditas tapadas e victoriaw que vende de i9
ate 89, scrrdo fazenda qua valle moho mais
dinheiro.
COM SALWCOS DE CORES A 6fl>.
d>Pavio recebeu ura elegante sortimento
urJbguT sortimento de machines parai^6 cambraias brancas com bonitos salpiqui-
costeiEft, de tddos os autores mais acredita- j *,?s nnudinhos de cores, tendo M jardas
dos nhinjamentena Europ, enjas machinas CTdt corte to*"*0 ?ende P*k> barato
$4p. garantglas por um anno, e tendo um P9^0 de 5*' Pr SOT pecbincha, ditas com
perfeitQ artista para ensinar as mesmas, em %"> lodo branco sendo fazenda finissima
qtiedquer parte desta cidade, como bem as- l
sim concerta-las pelo tompo tanbem d'um
Pereira da Siiva & Guirnaraiis tendo era ser um grande depozito de
tOB> resolvido fazer uma liquidacao das mesmas com grande abatfanento no* precjt
com o unico flm dj apurar dinheir.., para o .qe convidam -nJo so os sens numerofle*
freguezes, como o respeitarel puliiico, a vir surtir se do rnuhis itwgi\tf, boa ebarata-
no seu estabelecimento denominado o Pavaoa rua da Impevatrii n.-u.
CAMJRAIAS k.V$f.W(*, 5, 67. Jfrwjcez muito finoa35Q0, apeuas precif
O Pavao vende um magnifieo sortiraento '*#'/*' metro par* am len^ol.
anno sem despendio algutn do comprador.
VESTIDOSA US DA CORTE 199
0" PavSo vende um bonito sortimento
de
Neste estabelecimento.tambem ba pertencas M^ a* ^JaLL .
_____ ^._* ui ". .. v, icortes- de vestidosa uao da corte, trazondo
para as mesmas macmuas e se sonnre auai- j. ^_, i. *.-
*_._____ ___.________ V-. H i cada oorle todos os eniettes neeessartos como
quer pe^a que seja necessario. Estas raa-
sejam : babadinhos, entro-meios, rendas,
chinas traJwlham com toda a aerfeiicao deI^"fi,!J'TTTUJ'i ",,o;""i,,'i, T^2
Jw^ji n". I ree vende pelo barato pro$o de 129
cada um, assim como, di os a 2 dc julko
um e dous pespontos, franze e borda toda
^^SSSiJKInSriT "* TS com-todesoseafeitesa W, cortes de'cam-
1209000, 1309900, 1509000,980$000
2809000, emqnanto aos autores n5o ha al-
terajffo de pee/s, ecs compradorra podorao
visUar ester eftaealacananto, que muito de-
verao gostar pela variedade de objectoc que
ha seraph paraxveader, como sejam : cadei-
ras para viogem, malas para viagem> cadei-
ras para salas, ditas de balancn, dkus para
crianca (altas), ditas para escolas, costurei-
ras riquissimas, paraKsenhora, despensaveis
Vende 3 adioheiro ou a prazo, sendo qae se
de boa garantia, ou permuta-se por predios nestalpara crian^as, detodasasquajidades, eamas
Sra?i nun^? T arraba'de3> duas Partf no valor. fc ferr0 para.homfeai e orianeas, capachos,
de 14:000*, do engenho Novo de Serinhaem, lh ^ ^ ,^ ^f, '
moente e corrente, o qual moe com o riacho Cu- esPeUl0S aouraaos^ara sala, grandes e pe-
caU, e tem alem disto dous grandes a^udes, mui- [quenos, appacelBoa,de metal para end, fa-
tes varzeas de massape e corgos com proporcocs queiros com cabo-de metal e de marfim,
para safrejar de tres a qnatro mil pies de assucar,' distandodaestacaarf#^ait>*ir*dnalegoas, com i ;_-na .) mmi o melhor cercado^ae.p ]. gttara-com, casa de vivenda#nbja*osc#n9 jawltas ds fraite) ara, tampas para eobrir pratos, estetras
uma excetlente e rrca cap"e!la com muitas alfaias, para forrar salas, lavatorios complete*, ditos
grande casa de purgar, oleria, senzalla, sitios para' simples, obiecto*pfia teilette, e outros mui-
deiros tembem vendem suas panes: a tratrr na
rua do Caldeireiro n. 68, com Minervino Francisco
Lobo.
C ziiihf'iro
Aluga-se ou vende-se ura bom pret0 de 40a.45
annos Je idrde, e tambem se troca por uma escra-.
va engommaieira : a rua 'o Barao da Victoria
n..__________________________________
0ixeiro
Precisa-se deum caixeiro que teDha pratica de
molhados : na rua do Range) n 37.
Aviso ao commercio.
Gu abaixo assignado, com estabelecimento a
rua larga do Rosario n. 20, faco sciente por meio
desta folha, ao publico, queautorisei por uma pro-
cura.a.i bastante a Jo^e Maria Teixeira aOm de
dirigir o mesmo es'abelocimcnto, podendo desde
ja fazer quaesquer trausaccoes do luttras ou ou-
tras que se digam annexas ao mesmo cargo ; e
para que flque desde hoje conQnnaJo durante a
minha ausencia faco o presents avi.-o.
Francisco Teixeira Barbosa.
Aluga-se uma grande casa de pedra e cal,
com rancho e taverna, sltuada entre o Barro e as
Areia?, tendo na taverna 2:00 & de generos : a
pessoa iiie pretender, dinja-se a mesma, a enten-
der-se com o seu proprietario Felix Lias Caval-
cante.
- 0 Sr. Heitor Xavier da Costa sirva-se com-
parecer a rua estreita do Rosario n. i7, escripto
rio, a negocio de particular interesse.
Compra-se roupas servidas de mascaras e
todos os objectos pertencentes aos mesmo : na
rua da Roda n. 18.
Aproveitem o barato
Vende-se uma casa acabada de novo, com bom
terreno e boa cacimba, na rua da. Hora junto ao
becco do Espinheiro ; assim como o mesmo vende a loja de funileiro da rua da Imperatriz n.
79 : trata-se na mesma loja com quem pretender
fazer negocio.________________________________
Vende se por prego que ninguetn recusara
a armacSo e utencilios da taverna do pateo do Ter-
co n. 11, e garanteseas chavea da casa : a -tratar
na rua do Caldeireiro n. 6ft.
Vende-se o sitio de ileloes de Cima, entre os
engenhos Paulista e Fragoso : quem o pretender,
falle ao Sr. major MancuinJto, em Oltuda, que esta
autorisado a endA lo.
Leite liquido de vacca.
Do dia 4 do corrente em diante vende se bom
leite liquido, na fahnca de eignrros, a rua das
Trincheiras n. 43, ao v. Itar para o pateo do Car-
mo : os freguezes qujrt ndo apreciar o bi m leite,
aproveitem.
CORTES BORDADOSAJ209E359.
0 Pavao vende ricos cortes de eambraiis
brancas delieadamente bordados, pelo ba-
rato pre^o de 209 e 359.
GASSAS FRANCESAS
a 300 rs, o covado
0 PavSo recebeu um grande sortimento
dc cassas frsneezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato prego de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimo 616 branco liso e de salpkos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BORXOUS A 129.
0 PavSo vende um bonito sortimento dos
mais modernosbornous combonitas listras e
vende pelo barato prego de 129 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chalesdemerin6 e com listras de seda.
Ceroulasfrdncezas de linho e algodao, para todos os prejos e qualidades, assin
como grande sortimento de meias cruas, camisas, cclennhos, que tudo se vende p^
prejos muito razoaveis.
Vende-se o restanu dos terrenos, na povoacao
de Beberibe, por precos modicos, com fundos. para
o rio, perto da estacao : a tratar com o proprie-
tario U. Stepple.________________________
Por metade de seu valor.
Vende-se ricas sedas de diversos padroes pelo
baratissimo preco de 1*300 o covado, aproveitem
que 6 pechincha : a rua Duque de Caxias n. 88,
loja de Demctrio Bastos.
que visitarem este grande estabelecimento
que se acha aberto desde-as 6 horas da ma-
nhS ate" as 9 horns da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
22.
Alvicaras.
Venham todos aprcssados
E com os bclsos recr.eadon,
Do Campos ao rraazem ;
Venham, nao falte ningum
Ver o grande sortimento
(Um verdadeiro portento)
8ue para a quaresma tem ;
tmpreheBdem ? ora bem I
E" com as trlpss pulando de contentamenio qne
me apresento ante a onda gastr. nomica das sa-
bias e illu-tres barriga* pernambuitanas, felicitan I
do-as por ja se acharem livre da pena de interdic-
^^^X2&*! ft"** aefinitivamente.hqnidar este negocio, vende todos
eomestives, coadjuvsdos por uma cased i de vi
nhos de todas as qnaKdades, deixando a quem
dezejar o direito de gritar: viva o triumphodas
barrigas II..
Ma?, como ia dizendo, nao podia deixar de
acontecer assim, considerando-se como foi sabia e
bem barrigalmente planejalo o ataque das bar-
ClfALES BaRATSS
29, 250u, 49.
O Pavao vande chains a emha^ao de m*
tiu& a 29, ditos do merino Iisos de todas a:
cores a 29500, ditos demeritestampadas.
muito finoBra 49, 'ditos finisshnos-eom ha
tras de seda a 6950Q, ditos. muito itsos d
ere pom a f*9 129-
Algodao eafestado m 15 e Jfl 8#
O Pavao- vende algodSo eafestado earn *
palmos de largura, propric para lm^*
sendo do mais enaorpado que-toai vindo a*
mercado, hso a 19 a vara e trsncadoa.....
19280.
AT0AL8AD0 A 19600, 31, 59-
0 Pavao vende atoalhado traa^ade com a
palmos de largura a 19200 e 19600, di>
adamascado 29>, ^ito de linho adamasc*
do a 39 e5j5.
Hl PARA VESTIDO&
al96O0e29.
V 0 Pavio vende um boartn sortiaiento a*
sedas com Ustrinhas proprias para vesti
dos de meninasede-seuhara a 49690 oea
vado, drtaslavradirisjesa H?, ospadraes si*
muito bonitos e vende-se por este preao pas
acabar.
Botiaut* a i 5000
0 Pavuo tem um- compk-to sortimento d
botinas muito bem enfeitadas para senhora*
e vande pelo barato pneco Je 59, artigo qo-
em outra quelu* parte custa t,9 e 79-
LEW.OS BR.\!fCOS
'a 29000.
0 Pavao vende lencos brancos ab inh
dos, tanto p?ra horaens como paw senhoraa
a 29 e 29500 a duiia, ditos de esguilo
oambraia de linho ts-xben ab'inbsdos
39500, 49, 59, d tos fraueeze- escaros, pan
rape a 69, a duzia.
CAMISAS PARA BOMEM.
O Pa vio vende ricas camisas com peit-
de linho bordadas, proprias p ra noivo
lo rem bori^das a 49, 49500 e 59. ditas cor
peito de algodao muito fkias a 29, 39500
39, ditas dechita fina miudinha a 29,29506
e 39, assim eomo grande sortimento de ee
rculas francexns tanto de- linho como de a!
godao de 19680 ate 39, gr nde sortrneoti
de raci s cru s inglazas do 49 at^ 89000 i
duzia
AHTONIO JOSE DI- AZ'IVEDO.
Rua
H.
Pechinha grande em cam-
braia
famliraias tran>parentes, avariadas, a 300 e 800
reis e 1*000 a peca: so o n. 20 da rua do
Crespo, loja das tres portas, de Guilherme & C,
junto a loja da esquina.
asados, pelo preco do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
JLEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos liudos- desenhos de 11
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala
seja com oleado inteiro.
rigas grander, contra a tucia dos bandulhos ca- ^'vlc, espelhos ovaes para ornamentus de salas.
nnus, qne ostrificados a idea ficticia do infer 4NNEiS e'.cctncos para curar dores de cabeca. ncvralgins e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas corias, a 200 rs. a duzia
TALAGARCA e papel picado para bordar com la ou seda.
e de tripas dadas'e a forca de tripadas queriamj VERDADE1RA agua de colonia em garrafas empalhadas.
os que tem, onvos
S3 p">!mov
qr
a S3 p
por grar.Je
no bicho inventado pelas grandes barnga=, pa-
ra horrori;arem as barrigas sem tripas, sustenta-
yam a mais ab?urda das monstruosidades : a
infallibilidadc do principal bojo do amor as avessas
Precisa-s" de ura caixeiro com pratica de mo-
a,^raiar^afrua da,Rca a. Si, ar
.'ill
E ua venlade bom ne-
gocio.
Compra se ou arrepda-se um bom engenho a
margem da estrada de ferro que nao exceda da
estacao da Escada, que seja muito bom d'agua,
e terras de muito boa produccSo, n5o se duvidara
dar-se tres contos de reis de renda e com vanta-
gem ; e bora preco como venda, quem Oliver a'
qnizer disp^r, pode entender-se com o Sr. Anto-
nio Glimaco Moreira Temporal, em sen escripto-
rio, a rua do Bom Jesus n. St. ______
Antonio Jose Rodrigues de Souza em seu
escriptorio, a rna do Crespo n. 6, compra escra
vos de diversas cores, sexos e idades.
Len^os de labyrintho
Vende-se lencos de labyrintho muito finos: a
rua Duque do Caxia> n. 44.
Vende-se as easas terreas segointes :
Rua 24 de Maio (eulr'ora dos Ossos> ns. 2 e 4.
Rua do Fogo n. 2.
Rua do Padr.i Floriano a. 3S.
Travessa da Bombs n. 5.
Becco do Padre Lobato n. 8 A.
Becco da caes da Cadeia-nova ns. 3 e 5.
Vestidos com babado^ cres-
Vr:NDAS.
Barato que admire
Na loja das seis portas, era freote do Lhaafljen-
to, contiuua haver nm complete sortiment de
fazendai baratas, como sejam :
Chitas matizadas a 240 rs. o eovado.
Ditas de olMnhos a 240 rs o covado.
Ditas decoberta modernas, a 280 vi. o covado.
Las de cSfes a 320 rs awwjifoi.
Tudo mais em pr*KHt e .sjVcom a vista o
fraguez podera avaliar ~
Vende-se um sitio"na esfrada (fa Tbrre, coaii
muitos arvoredos fructiferos, granda baixa para
capinv e mmto grande, em terrehq nroprio, coIq
sitl*div^* com o do faffecjio'ifoip'fcsa da C^i:
tan aontendo miri? o dfto sitfa'
que so esta bso se faz hoje eom
tinida agua e tres lanqnes de p
por preco commodo : a trjiar cool..
des Cavalcante, na rua do Tuoop4e de Oavatina
16.
pos a
Ricos vestidos.brancos com babados a 8j ; isto
e s6 na rosa branca, a rua da Imperatriz n. 36, loja
do Aievedi).
Cal^as brancas, obra de en-
commeada a 5$.
A rusa braSf^ede as pessoas que psipisarem,
que venhan| w^a/ cajcas pare h certinnarem do
que dizemos.: a%,rua da Imperatriz n. K, loja
do Azevedo.
Cortes
de
a 3#000.
hypocritamente alimentarem a pelluda e famigera
da -ex-questao.do dia centopea nrgra gue en-
rolada no capote chamuscado da inquisicao, pre-
tendia assar o munch das barrigas, nrivando an-
tes a humanidade do ganhnr dinheiro e de em
temp.>s-cc mo e^te de quaresma :
De fazerem ponitencias
Enchendo bem as barrigas,
Poi* nao e tempo dc brigas,
E sim e, de abstinoncias.
Mas, como ia contanlo, custou, porem afinal,
depois da rasorada que ihe passou no pescoco os'
poderrs poderosos, a cabeca fui parar no fun- j
do do rio e o rabo, como ruim de esfollar, ficou '
no secco exposto aos pontapes de qualquer gato '
Eingado, deixando e verdade, magra as collegas'
arrigas, que despeitadas vao tratar de se nutri- j
rem, vindo ao armazem do Campos, a rua do Irn-
perador n. 28, on !e ccm certeza encontrarao alem
do que desejarem o seguinte : ovas de divercos
peixes e de bacalhao ; peixes de vinte qualidades
em conservas, sardinhas em Iata9, camaroes sec-
cos, bacalhao, pescadas, sardas, lagostas, salmao,
batatas, arroz, feijao, cebelas, azeite, vinagro ;
manteiua ingleta, e franceza; doces, fructas e
eincoenta quahdades de vinhos finos do Porto e
outrae tantas de outros lagare? mai? afamados de
Portugal, alem de um completo sortimento de ace-
pi pea raros, deliciosos e que
Cahiodo em qnalquer barriga
Faz a melhor dige E nao faz mal a bexiga,
1 Como comendo, verao.
Mas, eomo ia faltendo, iamos entrar na vida de
outr'ora, i^to 6, na epoca das festas, e portanto '
vamos ter festas, festas e mais festas, e eomo todos'
E rauitos outros artigos, e por barato preco.
FUMO DO PARA
0 verdadeiro fumo de Borba, em chicote, picado, desfialo e crespo, assin.
como cigarros do mesmo fumo ; na fabrica a Vtpor, antiga rua dos Quartets n. 21.
Na dita fabrica, os Srs. fumantes encontrarJo os seguintes e bem conhocidos
furaos manufaeturados na mesma casa,
Flor do Brasil
Novo Caporal
Bes Bird'seye, ( Olho do Passaro. )
Vende-se a retalno, e am grande quantidade se faz grande abatiraento.
GRANDE
HKHIHOU
PS\n\n&tsi aoonri comem das festas, vrsto qne nma parte da para as
wioiucwj t?OUld.(fesUs e trea recebwm para preparar as festas, 6
S j^'Ofi 0 jlogico qne o bregeiro dinheiro qne anda tao vas-
I qseiro-, saia dos cofres dos aroaates orthodoxos e '
Chegou para a rosa,branca, ca^ineta escura na- 'se va familiarisandp, com as algibairas vasias dos
ra calcas ou paletots, fazenda superior a muitas necessitados, e e3tel^or iua vez, venham ae arma-!
casemiras, e pot sle,preco 6 da graca ; tambem zem do Campos a rua do Itnper^dor n. 28, prepa-!
oeakiobra proripta : na rua da laiperatriz n. rare 8 ii ai3i Azf v q'______________________Ie ao aup' IWIBe **1 licenja, conjprarem o qne j
t>_i;i-i. 111 a de mais gostosp, saboroso, cheiro e tudo que 1
jrauliOLb. 11 acaba em ouso.
Em
Grosdenaple preto
Sendo lisos e de cordao, e o mais largo que
vem ao mercado, e qne se vende pekis dininntos
precos de 2^200, 23HK), 3^200 e 32500.
SO' NA RUA DO CRESPO N. 20, LOJA DAS
TRE^ PflRTAS DE
Guilherme & C.
Junto a loja da esqniim
Nioha mais cabellos
brancos.
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguezas qne vem a este mercaao
^ ende-se pahtotad brim branco, de Unho, fa-
zenda muito superior, e bem acaba dos a 21800
cada-um; ditos de casemira de oar >5f; Track '
de, panno fino preto par-15 | na tequina da rua
f^P9.JQJ!>qeRajaoTalripao-_
R6
a
'DOer.issismae* f>b
D o*; gaperos,, qsna,ciaes
Qitb se'queremser fe.Iizc=
Tenham Ja e quaatp.antcs
Saber a causa motriz
Do Campos n5o terrrivae
E poder s6*BOte|e|
Delicias, gosloV^ftSSr.
qn
na rnr Marqnez da ulinda n. 51
Lindas las escoceras.
De varios padrfiea, e inteiramente modemas, a
360 rs o eovado : na rua Primeiro de Marco
antiga do Crespo n. 13, loja das columnar, de An-
tonio CQrraia.;da.VMConcellos.
Wll-on Rowe 4 C vendem do sen armaxea
a raa de Commercio n. 14 :
0 wrladetro panno da algadaa acul amencsao.
txeellente lo d* vela.
Cognac de 1* qualidade
Vinbo de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qualidades
Farinha de mandioca nova.
Racentementc ehegnea da Saala Catbariaa Mai
pars vender no Mpkh Companhia, e para aatar
no sen escriptorio a rua do ComaaeraM n. 8, Joa-
quim Jose GoBcarves ^sUrao & Rib* Aavertiado
aos oompradows tgejlestiandn acabar, veodea
mais barato do que em qnalquer outra parte, un-
to em grandes como em paqueoas porcSes.
Lindo i?bfa?iz.
Venie-ss nor preco barato um rieo eaaEariz
. e urarmore sisbOh paa|tsTt, o qul sa asha
quei it ORnda, n. 81, 1, andar, e em r'r.ado na oflWsa^awftaSe do I
PRULdpSZIk.
So* e unica approvada pelas academias de
stiencias, reconhecida superior a toda qne
tem apparecido at^ hoje. Deposfto prinpi-
pal i rna tfe Cadeia do Recife, hoje Bar-
^
Cayobraia^y^VBSdBlaa mnoto Mndwr, pcfc Vande.M.um dmHo escravo de 18 annos de
****>: na. rha-idadeporArJfiM, tlm^la^acopetrooaJlel^O'
It doCaeso)n^l3, ^i.*raur no pateo da Ribeira, no sertao aa
) Lorreu de Vasconcellos. meeiro.
as boticas e casas de cabellei-
VENDE-SE
waatassna -villa de Barralros, na rua do Coo>
taercio, nor preoo modico: a tratar com taub
Trnues 4 C
IT,a do ImperadViOaaiB' onam o quinr var :
n-atarna rua do Crespo, tola d Ps*suato
areo de Santa I Aatonio.
Vende-se a taverna coi
voado do Barro, do lado j
qtjina, propria pan
aira ao comprador : a
Suassuna a. S96.
Attensja
csftwdas.

[V

i nag \
\
'

-
>**-


?


V
i Marie* JK>*JfcA rArtfcto- fra& -temp^WlM>l#^ *
ftXiLm 3 'JET.
moooi .lariat
matniid oeu
U i-tojs
fwallT
OIB|
id J-*^* Ui \mm -roq eel run lams*
[I'll!
ID* MM!
C aneq 't'0
I
i'! ob E
empregar aiguns ^os mactenifemos novos, o favordeappar-
rejc&ejft' h^t^taM^a^Ue Ihefe p6de: fcraetier os appare&bsJ
Hi99ap*(^ft(^;o6m%,Tmiiim<)'^ detepeza: e dispoe de
p ssbal haoifttaclo para montaJos devidimenteje niostrar
o "sym&a, Mais t5oinrti6do de trabaftoy |mta obter melho-
rahifciri ao< fabrieondo ssuar.
' U_-^- ________________ --:____II nmuu t- ll|i t.-ri-----L^_;-----------J
(1
^aoriolet
Vond*se doaa-eabrwlefc cfe^uMforoAas/jeado
HIU pintado e lorrado de nuvo, leu Jo b.,-iea fora,
varflese lahca ; lawbcra se'vende drjus cavallos
e tiWlSfeor pari'-veY rudo ha wchHra'ah rha
d*o*a4i. 60, trpiiro'lratar n raa doMarqoez
de Oiinda' h.6, com Rodiigues irarto* 4 GwA
Tattques deferto.
Vende se tout, '.tr'i'a'ruiuTar'es, prtprios para na-
VforVrfr-rtia Jatyttb'XittT.
AGUAS ALC.AQnO UXZOSAS DAS PEDKAS
SAI.OADAS
VILLA POCCA DE\*GtJIAR
Bicarlionatadas-sodicaa
-Cn^Zyses do fir. /ose' JiHio Rodriguest lente
daescola polyUchnica de Lisbon
1Es1a''excc1hAite igui, u-'iSa .cbtfl 'va'hfagitn nos
padecimenlos das vias!'WgfestW*s, w'Wartas,'do
estomag], etc., etc.: venae* rtapharmacfa e
djogaria a nta-towa-do R'|rfe 34-
L .onsJsOOl
hnbol oloUS b
-ooq ad o*-mntioue
-e^ui 'afe oniloiieq tnu
ttitug to oJuwjp
"*a*L
-nib ,eoJ'
"8
i


. Veadesd jasyeftruina da rna do S. Jp*o, o*n boa easa de
vivenda e bastanie* conn dodos para familia .qatm
p'retcftae la' fl'tHja sfe a'mesma.
i____L______: -'___ ________________________,_______.____.:..
Fegao de ferro 'eoononi-fco
Vende se'trni' cWir&srlrVba'fMttfrrt' fliW/tshdo" !br
^lh*fpar% 'l*nh"a e"crvaf>,' *>-rn<> pWrfc' *sar,
deposito- peipaapiia tittftite v-lopar para $0 guar-
<3ar qiwiMie as cciinuJas depors de feitaj>; e$le fo-
*oes tiirin'tn-se recomnieljflaveis porqwe ?ao de
Ferro baido, d'TaTiricados 'Cirtb 'jlerret^so e eoit-
nham cem mui dimmuta ldMa : nb rUfc de> r^(le :p^!nc1ui a 2150 rs o
'aw* II, pa'*rffes"(m)t' .'de'iais tvindoao BMikadBamMmi do Queicado
., U; kjja deGrrc'c;; & f arBathk^, ptlo diiaica-
^nrefjO 'jfceguerrrW3pare??!1qiiB'5 aVaba
:l.". sC/.tok
f, r% ?|ii f
Tem' para ve'id :
83niF! etttf*sT,i Sff^Har e VertkxJMro
Vinho Xeres da* melliores qualidadt*.
Brtteie de Avjspstura.
Whisky.
Cbi- pre*V) em: lattas de 10 libras.
Todas as prepartr^es efthrifcag'd6 ht.-jfi.fu
Vaccina
.
dcellene qoalid.tdj : vaodese no ceasuKorio
do Dr. Vfelloso, arna do Barao da Victoria n. io.
O Extract t'omposto oe
DE
fazendas fmas
lUia Prirneiro dAMarco n. tk
DE
Cordeiro Simoes^O.
E' esia ami das cttsas que bqje podo com pri-
maiia c aw aortiarthrio de. Catondoo fiaaa para gca*4e toi-
lette, e beri assirn para uso ordtoario de lodas as
class**, e ptor pre^os vantajosos, das qttaes fax am
pftqueho retUma
Maniam- faneirdas Is carts pant o que tem pessoai ne6ttsario, dao amostras
mrtliante p*ior.
Oortes de eda de llada* cores.
'Gro>deflaples de todaB'as Cores.
Gurfenrao Braiieo, lizo; de tistrae, preto, etc.
Setim Macao, preto e de-cdrest
Grosdetia^les preto.
TeTTadd preto.
Grarradibe de seda; preta e^Je cores.
Poptllnas' de'lihdds padres.
File d* seda/-biaoeo e pr UicaS' basfjnioas de seia.
Cajacos de merino de cores, 15, etc.
Jten'tas b'rasfleiras.
'Cbitds1 com cambtala brsmca com lindos borda-
des.
. llicas capellas e naatas para noivas.
lti-simo sortimento de las com listras de
seda.
CarrroralM Ae cores.
Ditas maripozas, brancas, lizas e bordadas.
Nanniqnes de lindos jadrde*.
Baptulas, padroes deiicados.
Percalinas dequadros, pretos e brancos, 4ista,
etc., etc.
-Brine de'tintio de 6r, proprios par* Testidos,
com balrra e lisiras. i
. Ricos cortes de vestido de linho, com infeites da
fiiesma cor; ultima moda.
Ditos de cambrala de core?.
Fustdo de lindas edres.
Jvsias bordada? para seohoras.
Caoisas bordadas para sechoras, de lioho e al-
godao.
Sortimento de luvas di Verdadeira fSbrica de
JoB^niparahomene e senboras.
Vestoarios paramenious.
Kitos ^ara baptkado.
Chapeo? para dito.
Toalhas egoardanapos adama*cados dc linho de
cdr, para mesa.
Colchas de 12.
Gortiaados- bepdAdos.
Grande sortimento de camisas de licho, lizas e
bordadas, para homens.
Meias de cores para homens, mesinos e meni-
cas.
iDiias esoocatas.
Completo sortimento de chapeos de-sol para ho-
mens e senhoras.
Merin6 decdr<:s para vestidos.
Dito preto, trancado e dito de "erso.
I Atoalhado de linho e algodSo para ;toalhas. .
Atwilhado pardo.
Da mas co de-la.
Brins de linho, branco de r6res e.preto.
Selim de Hndas cores com listras.
Ghales de merino de cores e preioc.
Ditos de oa-cmira.
Ditos de seda preta e de cores.
Ditos de touquim.
Gamisas de ohita para homens.
.Diias de llanella.
Ceroulas de liijlio e algodao.
Pannoi de crochet para sofa, citdeiras e conso
i .nmm bordado? e de labvrintbo.
:S de crochet.
w a de ;odas as wires.
I
iietMudtrto iornimfc*
siiirgU e^ oe^iaop
opm*ic.xl T ""*'" '!
"r-r ,iJMttKtk ff'l ey-ui)oaOT
i
::o
,/ &htK
UNICOS AGENTES
RnadoBar^/iVk?tria*.l8
Vtmais-fttoopleFA,' as mai,b*ratas'fefas'^ielh^re8 ^ftUifldo!
Ha e*poi$ao de Paris, em'iflflft," foi v.bncedido a
Eli* flowe Junior, ai8d*lk*.lle'Ottr6 %' cofadeeora-
fiio da Legilo deSottrt, f>ftr ge^r-m a&trtduoas mati pr-
bitj
r
,'
'Rttti da Imperatriz n. 72
UK
itthtnn p fen i r a mrtril e s u\ m a r a t*
^ecUra aos seus fregueies que 'tem resolvi > fazer uma gran !e liquida^a^
titti'llo com-iite anno.
A SABER :
CAMBIUMS BRANCAS A 300QJ I Ditos de palba, a 2, 39000 e 4****.
Vetad-se 'rfdHasfde ceaibraia branca, tapa- Ditos de massa, a 4J?00.
He\%tanspafente, a 9, 3$00, 4JW00 e| PERFUMARIAS EM UQLIDACiO.
SjeiOXt. Vende-se sabonetes de diversos Urnnhm
lAHNHAS A 200RS. a liO, 200 e 240 e 320 rs.,to Vhrjde.so lasiuhas para vestidos, a200,1 Frasco dcbanba, a 160, 320 e 4frs.
820 e 500 rs. o covado. i Frascos com aguade colonia, a 2b9 *
ALPACAS A 6i0 RS. rs. cada utn. Eoutros muitos extract o-qmr
i -VendL-se, alpacasdo coros com lislrasa 6*0 se ver.de muito Itarato para liquidar.
.eAVQ rs. o covado. TOALHAS A 800 KS.
GU wNADINE A 800 KS. Veade-sc toalhas felpudas, a 800 rK cad
25000 a dsaa. I
qua isvrfe-m
ffeitas d* -nuHdo.
. ., ,, ,.,_. ,. .. iii ,, i ,,Vende-se.cr-anadine preta cpm listras de' uma. I.encre brancos, a 2
Amedalhadeuilfo.-conferida A %-aowe Jatuor, ^^res^&r ^Jos, ^ 800 rs. o co-.aWBO .bainhados, fenda
Estdos4)nidt por ser o inventor da macbina dc coa- t>y*dQ
tura.

&
A n>deWia
^st*6 'Qacbiiras.
J
a 50'
de
co- rvatlo. por 59000.
PO.UTLLINA JAPO^tZAA 19800. GRAVATAS PRETAS A 50 I
Vende-se uma fazenda nova com listas, | Vende se gravatas pretas,
de ow> na iialQaot.davloodnea,acrediUuD com o nomc de pnupelina japoneza, propria ta3de cores a 200 rs.
para VStid$s de senhoras, a 1C800 o co-i Ghapeos para tiaptisados
, vado. Todas ustas fazeudassao veuliJasno 39000.
Razar Naciunal, a rua da Imper uriz n. 72.1 BENGALAS E OilCOTES A 800 Ok.
I ~mm r CORTES DECASSA A 295 0, i Vende-se bengnlas p chior**, a >.
Vcti !' --'- urtus de cassa para vestidos, 'cada uma. para liquidar.
flabe-nos odeer.^anunoiar ^u*,ai.corapanhiadasBeacbinas d'e Hove de flora- ,., u, ova,;,,;_ a -15500.
?r, tstahelecaa westa oidade rue ,aa Barao da Victoria -ji. 29i ,w. depusito a(agencia H: I .s I.AiH'.ASA 240 Rs.
aral, piiuii iiuTjimuipii r" r !"$ prorineiasae venderem as afafhadas nnchinas; de cos- \,.. ;e.s ,^.las fraUcezas, largas, de cdre*
ra A Sowe. 'StaaiacnBJas-^o juslameEte &jirecila pela. perfeiQao de seu trabalho, f.,iS> a Zi0t ;jyo, 320 e 300 rs. o co-0
?pfgaiido uma agufea mais carta com a mesma quali riaintrodudcao dos m^ aparfei^oados jcpparelhos, estamos actualtnTjntft habilUados a
frrp^er *f aTnK pubHco as roelbores nwciunss.do^wubdo.
A sr vaif^ms-dtstas-macki'nas mo as. rsegmntes:
frin>eira.-^-0 ^iiblico- sab*- qi>* ri?*s 560 duradfrnras; para isto prova incoutestavel, a |
rifttijQstahcia de -aunca ^ertm .Pi'"^i,lo no mercedo machinas d Howe em Mgnn-:
Segauda.r-^Cc/i:t Torccira.da iiellas menor ffic^ao entre as dwersasp^as, ^meoos^rapido.-aetBagoi
> <)iie ties dtieras.
' Oua'rta.Forraam 0 ponto como se f^ra-ferto a-'mao. |
.Qointa.-.P^rmitte que se e*amit\s,0 trabaiho deamb<>s os fios, 0 quesenioaenaefB
:ASSAS HLCORESA260RS.
Ven ie se cassas francezas fmas de cores,,
a 260, 320 e 400 rs. 0 covado.
SAIAS A 29000.
Vende-se saias brancas com barras de c6-
res, a 25000.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
GRANGE LIQL'IDACAO UK KUlTA r
Vende-se ceroulas de algodaVv, 3 lja^...
Ditas de linho, a 19600 e 2C0OO.
Camisas de ehitas finas, a 19600.
Ditas de peito de cores, a 2ii>00,
uitas brancas finas, a 25H>, &toHt a-
49000.
Cal^asde brim pardo e de cort-s, a iC'JiC
e 29500.
Ditas de casemira de cores e pfcto^ > itt.
69, 79 00 e 89000.
*s oatras.
Sexta.'Faxera ponto mitido em casemira, airaiassando Mate
irgO em s^guid* sam rnoiifiair-se a i-teiisaa dfe linha, ccaem a fazeada mai?
Vcnde-se cbilas para cobertas, a 280 e
360 rs. 0 covado.
1 MEIAS PARA HOMENS A 69000 A DL'ZIA.
,Vende-ae meia? cruas verdadeiras, pdra
homens, a 63000 a duzia, equal val
800 RS.
a 800 rs. cada
.
Setim.-^0 compressAr e letantado com *'-mwrtaoiidbe^qiiau4oiae.te daimadar
agalhaao corue^ar nova costura.
OiUvs.Mqitas compephias de jnachia'd">star*,aeajuda^iocas de. grde e
, eadencia. Machinas outrVra.populares, Sao hoje jusi.-duscunbeeidas dutras soffreram
*ndancaadicaesparapoderem su.bstituir: eBtw^qtoacampaiibiada&.maoBinasid&flowe
, 4opUndo a opiiriao de Elias "Howe, mestra e^ roecdwmu^,e4emP(M>BsUnteiente ^ ^^ ^.55000.
"^000V.HALES DE LA A
Vende-se chales de li,
um.
CHITAS FLNAS A 400 RS.
Vende-se cbjitas finas de campo largo, fa-
zenda rr.uito boa, a 400 .rs. 0 covado.
CHALES DE MERINO' A 20000.
Vende-se chales de merin6 estampados, a
a4aaentado 0 eu-fabricb, e boje 1180 attepde-* ppocrj.^ost ^ueywfaea
-r *ia.
tda machine acompanha iivretos com instruocftosv.ora peraafloex.
.!.':
SOMES,MM,IiOS
do Barao *4a'Victoria n. 2 8.
ALSAPA'RRaHA
Do Pr. Affer
0 PMF/CADOR DO SAWGUE
Para eurar eitat molettiat que prorem >U virio ou im-
purtua do /tongue, t im Btcrufula.
MOLESTIAS CUTANEA8'. CALLOS, MANCHAS.
IRRUPgOfS, ETC.
Rheumatismo Gott*, Dpres e
AffeccSes doe Oaaoa, Ml do* Ol- '
ioe, Dbilid Dyspepsia, Incommodo do Figado,
Una falta geral fle saude e uma'
dieposlcao faiill ao eotmmento, e foliar Tarlat oitTot incomnndoi, algumi jmguemot, qutrot urioi,
toq reullad* cou*equeaclM v mia Urde ou maU
cede ocoprrem.
AS MOt^STlAS^ que Mdece o lexo /c^ifiuao, tm.
tem, qiui sempre too derfdw i HBma caota.
O unko traUmeDto efflcas a unlcs
toMbttorti legira readqulrir a fudo
de tjesm^oei o corpo, xaodimit* o
myreg.ii) e constante de tmJ'ari-
flcador Alterante como '
($^SAeABRlJTHA AY.ER.
"dej^tte^loa.a^T^ppnU.eete ^en-
"lip ao poVo como o nidliot e o mat*
ee^B* ^'^na'eonftaee para o. tan
Tarlatan'
Ricos co
para cortes.
;;nalquer
A' Taa do CaiMiga n. i A.
. Os proprietarios da Predilecta, no jutuito it
conservar o bora concerto (jae teem mereeido do.
respeitavgl pnblrco, dlstingnrado o sea estabeleci-
tnenio doa mais veem saeutificar-,aos sens tons fregueies qe,nre-
veniranvosseus correspondentes nas diverstspar-
cas d'Europa para Ih'es enviarem por todes o? pa-
quetes os objectos de luxo e bom gosto, que se-
jam mass bem aceitos pelas sociedadesele^aates
aaqiieWes paixes, visto aproximar se o tempo de
festa, em que o bello sexo desta linda veneza
mais ostcnta a riqneza de suas toillcttes.; e co
Ricos CY)rtesde'vestidos de tarlataoa bordado9 mo jirecebessem pele paqoete francez diverso
Km de "* "ddas c6res-
5to para senhoras e menma9-
Rirat Scha?da sed e 1S Para ^"^as.
Sl^sStimemo le'lues d a^reperolas e
KS0.
KS^tfffhm^ Para senhoras, n.i
"^trapreue scores I
Chitas, madapofio, paaao fino preu) e azul, col-,
iarinbos. punbos,de linho e algodao, gravatas, la-
vas de fio de Eseossia, 'apetes de todos os tama-
onos, bofsas de viagem, peitos bortados para ho-
mens, leu? m detinho branco e de cores, loa a?,
piardaoapos, etcyetc.
eri* ten descoberto para extirpmr do taiwue e dos humorti.
, !* vitiet tf cornel* fitliS^enki^e kMUmoltitia.
Lofo qne a Sxlmpabrilb*. Ateb taja petrM CO
^Tftena, cornea ent^o ajobr* da j^aliclccjniaoto.
K5o fi n'mri momento netn em um dla v
EJuget^io ^ venda.
.Vende-se o.engenho .Pataizo, fito na ijba de
lumaraca, e levaaUtdo ha pouco tempo em terras
da sitio Soccorro. Ai-ha-se o referido engenho
moeute e correnie e -e a vapor, sendo orespectivo
terseno asaas productivo de canna, rnandioca,, mi-
4ho, f*iiao etc. Alem dos terrenos de^pianta.ao,
ha. uma boa,folU para gado, muitas arvores frac-
tiferas, inclusive coqoeiros e pptimos lugares para
crandes vive;ros. A eitua^ao da casa de wvepda
e agradavel, e o clima e passadio da illn de Jta-
Imaraca sao muito apreeiaveis, alem de.outras
I vantage'ns que com a vista melhor conhecera o
comprador, dingindo se ao referido eB|eabo, on
iriformando-se Sa ma do Atalbo n. 9. feaguezia
da Boa vista, jnnto a caiaa d'agua.___________
200 rs..
GRANDE NOMBApE
A' rua do Crepo n,0
i Loja :^&s Sportas
artig'os aa ultima "moda, viem patenlear. algwn--
d'entre elles qae se tomam mais recommendaveis,
esperando do respeitavel publico a costamada
concurrancia.
' Aderar^os de tartaruga os mais linJos que teeru
vindo ao mereado. (
Aibuae comj, ricas capas,4e madreper^ola e de
lludo, sendo diversos tamanhos e taratos
velludo.
pre-
os.
Aderecos completos de borracha.proprios para
9 or ar-tppr;efox para Bear ao alcance
tolsa.
Bua-do Gabugin. 1
(kmk reuniflo!
'Para (ados
Rppublicanos e monarchistas.
Democrntas e arisiocratas.
Eederados e confederados,
Communaliatas e communistas.
Catholicos veihos ou novos.
T.odos (lcvfiii lr
li.Minidos ou nao reuaidos
Eazer emquanto antes
Suas encommendas
Dos sabojpsos-.^lbds
Tiio ,p**ecooisados!
l-'abricados a ca^-icho
Dos pastejejros
So e someute
Ditos de listras a 59000 e 65000.
BRLNS EM CORTES A 19500.
Vende-se cortes de brim decdres e pardo,
a 19^00, para liquidar.
COBERTAS DE CHITA A 19600.
Vende-se cobertas de chita, a 15600 e
29000.
BRIM PARDO E DE CORES A 400 RS.
Vehde-se brim pardo e de cores, para rou-
pa de homens e meninos, a 400 rs. o cova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 29000.
Vende-secolxas de cores para came, a 29,
e 49000.
TRANSPARENTES PARA CADF.1RAS A
19500.
Vende-se trunspareutes para cadeiras, a
19500, para liquidar.
Bp.NETS A 500 RS.
Vende-se honets de seda para homens, a
500 rs.
CHAPEOS A 29500.
Jfl
icto, tanAem se vendem mwas adereosi muito bo- (^a confqitaria do CampOS
Botdes de setim preto e de cores para ornate dt 9 4.. Imperdor 3 1
vestidos de.sechora ; tambem torn para collete
palitot
Bolsaa.para senhQras, existe um, bellp si^rjinieii-
to de seda, de palha, de chagrin), etc., etc., por
baratp preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de loaca a Nova Esperanra, a ma Duque de Cnxias n. 63,
com de'eera, de borracha e.de massa ; chaaa- apressa-se em convidar a 8eus,freguazes. com.es
mos a attttDcio das Exmas. Sras. para este ytigo. pecialidade.ao bello bsxo a virem apreciar os se-
pois as veaes tornam-se as crian^as um pouco im- guint-es ar/^gos exnoetos a yppda e, mdo's por prejos
pertinentes por falta de um obiecfo'qae as en7 corhrnbdos, comb tejam :
VEfi
Palit6ts de alpacas de cores, a 2?5*#-
Ditos pretcs, a 39000 e 39d00.
Ditos de casemira de con-s, a *$ 69000.
Ditos ditos pretos, a >9l'0O, CfSd*
85000.
Colletes de casemira de cores, a 29, '?9 -
49000.
Camisas de flanclla, de cores, 3SM6*
2C500.
AL .ODAO A 49000.
Vende-se pecas de algo 65000.
CASEMIRA DE COR A 2C50*>l
Vende-se casemira dc c res, a 1: ,.
covado.
MADAPOLAO A 3500O.
Vende-se pcr;as dc- ma lapolae eafcat
a 39000.
Dito inglez, a i9500, 59, 69 e 7a-P *
peca.
BOT1NAS A 49500
Vende-se botinas para senh*T:.
a 49500, 59 e 69000.
Ditas de enfiar, a 29000.
Sapatos de tapete, a 19500.
Ditos de Iranra, a 19800 e -29O0O".
BRAMANTE A 15600,
Vende-se bramante com lO patta
largura, para leno6es, a 19600 e 295.
[metro. E outras muitas faz-udM fia^'it
j do mereado, que se vende scm restrra^ it
preco, para liquidar ate o fim ik> csn alt
! anno, por isso convem aos compradoatK^-
1 tirem-se de fazendas baratas, para a praeDr
Vende-se chapeos de castor para nreninos t te festa que esta" na porta, a" rua da imperaim
e homens, a 25500 e 39000.
n. 72; Baz.r Nacionai.


Attencao.
GALLO BRA\C
0
RUA DO RAKGEL N. 3
Armazens de seccos e molhados
TEM PARA DISTINCTIVODO ESTABELECIMENTO I'M GALLO BRANCO, PI31 I
PARA ALfrUMA PESSOA QUE IGNORE A l.EITLRA.
Rodrigues & Pires, regressados em Pernsmbuco, cidade do Recife, succe:; i -
armazem do Gallo, i rua do Algibeves, em Lisboa, oraais afana doeconhecido ariaa
naquella cidade, capricham sempre em ter generosde prinoeira qualidade, dos qi- -
aos seus numerosos frcguezes um conhecimento mais prolongado na rt-laeflo ab.
cripta :

0 que 3 bom 6 caro
Palavra bomdita que nunca faltou.
i um
> ncm i
rop a laoleMa desappaMMJ''
. Poaco a pouco, depao aOteB dgrat
-. txvgnc yu readauicindp ua jurcia,
mal rae oedendo e a eaude, o vigor a
I obuatez, apparecem 1
| MdM A*aiU HpaafQi ooacordam
^0 ralor e uUlldado d'itc ipeaUinavel remoJio.
T6ao o Sat apparecem riov'ai proras 8a,'fnu lrtndoa
Todot qi dlas aogmenta 0 poro lodo, mielllgenW^nhiaWaAff.Tfr a'ello um mi
'^efl^saalUaaisWhiidodMiaaaViaLt' eb eO j '*
JPum BiplHjieo c rhronlcai, Itheutnatlimo, moleitla* eu< fc 4*4^40 causcuku p%la ^tflff-fOffrfg^pf^Hgaou A,*'
"0 frMPffl'M M VlPI "
A malor paHe dw moleedai
bMtfldat, nMnaaartntraaU
S'Wlr^rsfrnfrV' #?*
do aangue.
b Logo quo oit aliwtenlo da vida
"'I'lllW n* eMtntr puro .* ou que m
. A#N cWetifro. fom ft Wk* d^ wpiiiiis (taiTM^jd*
annoi paaaadon), a molesKa ha de appareeeV sol um* pu
outra toma e apretentanao djfferentee ?mtoin,
J-BEPABADO PO
l>r. J. C. AYER A-CA^-l^owelV Ua,
astadcKTtrAIMfA-.r^ "r "
LA^INHAS
begon esta fazenda, com: padroes mleiramente
novos, 9 que se sepdp jelo diminuto pre^c de J0
r. o' covado : isto por ter grande quantidaae. ,
SO' NA RLrA DO CRESrO N. 90
JLoja de L
Guiiherme, & C, junto a loja
t. ii

da -sqiiraa
i
qr

',\
pmmmnfimF
n/ii

eslnwtgeiro.
JParis n'Airjitlqajd.^a.J
que de Caxias n. 59
primeiro andar, acabal'de reccber umeompleto
Sortimento de .sennora, vindo entre elles um lindo sortiujenif) de
cleianta* chjquitos, sapatinbos e botinaa para
crUnca". fV" tudo yende Por pretos razoivei:i-
(faz a 5*600
este mereado, da
a rca"'de" Hemy" foster *C, com WWMg*
cbmpleta. do Haul lo: ncis fc* ><$*
mingur" do Carmo e Bilva, 4 rna P mare ae
Dens n. 10, e rua do Amorim n. 41,
tretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem'Se por weco cornmodo.
Ceroulai te linho e de algodao, dfe. diversos pre-
cos.
Gaixjnhas com mnsica, o que *.a de mais lindo,
com distico&flAS tarapas e proprios para piegen-
tes.
Coques os mais modernos e de diversos forma-
tos.
Chapeos paca*enhora, Receberam ^m ^crtimenu
da u^ima, moda, lanto para senbora,, fiomo para
memnas.
Cap
Cal^-as bordadas para raeninas.
Capellas simple* e com veo para feofvas.
Entremcios. estampados e b^ds^e, nde, ltpdca
deaenhos.
pscovas electrify para denies, tem a propria-
dade deevitaraeartedbs denies. '
Franjai de aeda fretas e da i cores, ieate, am
grande aoc^immAft-4iyqeca^^rgmrs epba/ato
Titas de "sarja, deigorgurao, de sttim eae cba-
malote, de dWersas lasgnras a feooita* cores.
Pachas de gorgurao muito lindas.
fJores, arlificiaes. A PrediUicUt prlma em eon-
ser.var.iemnrepm bello e grand? sortimento des-
tas'flb'es'naq so para aofeHe'oos'c^BHldtv eotpo
tambeth para ornato de YeSttdo de noivas.
(MMs dealgodaOiide.U a,de.s*da,iMaagfs,,pr*'
tos e de diversas cores.
Gravatas deaedapara, homem e senhoras. ol
Lacos de cambrafae de seaa de' dwersfc eores
para sihora. "' P *loe ,
Ligai.de aeda de cores e braocaf- bprdf^aftsaf*'
nowa. o_ Ja "L
LiTQS.iiara;.o.ovir missa,_rcm capis aatliXdfi
r
oo
ej
FINAS B0>ECAS mansas e choronas.
BONITAS E ENGR^ADAS:*iita1par1ierios-
copies.
CAMMED AS LAT^VS para,,gqardar cha.
ELEGANTES BOtSAS para senhoras e menjnas.
B0N1T0S VA60S com fina banha e chalrosos
extractos, trazaado cada frasco nmnotne, uma ini-
tial ou um distico.
fmA#^ELAS,DSEDA,vujdo entre ejlas cor
de carhe.
fata,pp,|8laf. ,
A' Nova Esperanca a rua.Dnqne de Caxias n.
64, aah,d9'r6cehar,entQS a. caifas,para o jogo de
A'oJtarffte. ^.,. ,
Ym qiieiH s ffreias ^laas.
A,Novaf'EsperaBca,4raa-Duiiaede Caxias ni
63, aeaba de receber as uroenrada? mejas de bor-
pHrtWlrKko 6] em'e^rictis, rd*k* *m ?4
banhas dos melhores-odnres, dos mais. alama os
fabneantee, LoubiniJPiver, Sociedade Hygien ca,
Coudray, Go&ni p Bimel ; sao indispensayeja para
a festa.
' Silas boaJ? ^Sapatinbos de la eT. if fe.tim bordado ^aja'bap.
I \i nnf\c 1
'Tapeus. Receheu iffo'&M* nm bonfto sprti;-
meato de drvewos^tanranhos,- W*> P*rt;Sftft j:o-
mo para entrada de salas.
Vtimentaspira>bantisado o..qoe' hl?e4ffe'Lo1
^osto e os mais modernos, recebeu a .*Tweei
iit.r-
P!
;ra , MlsmWiciAEs
A Nova EsperaiKa, maOrjqae. de .Caxias n.
63,i.acabaide reeeber um Jindo e conRaieio^^arti-
mento de (lores artificiaes das melhores, i|ue .tem
.*yido ao, mereado
A eilas antes que se aeabem.
,$ostuft^pajii P^ae^9^ n
63,acaba de receberBonilos colluiBes para brlaoja
* -.endepdo por precos raxoavei.*.
S0BK1MJSO3
:
ot>
10
I
9 ^LtGll(J3ti)h>5
aaa&tna-') job iov la
Vende-se duaAcasas.coatiguas, e que torn com-
mnriicajao oPtM paWftjtra- n^ -33 e HP, a rua
de S. Miguel -dbs AWpdb*, com >i(ragrado a
portao para aipa-jdo Bom Go^to -.(Hata^iasmea-
aascaa,#ft.aAT.40hl^r.?d.<"aPha- >. r -w,
engffnrio ill
w-ob im
tendeisVi)*?. MolH *-f*fts in4lro^alvU^*
* cm; e%m? A^ti^omwa.+m\w+,
woto! a safra latwis, oupe o.ertj obante da
agtia, qne poda afi assucar : a Iratii, ho mesmq eng>php, ou a rua
'impenal fi; W,scomThomarA*oHif/Ooialbra,
Chi porola lino, aSjroO a libra. i CamarOes seccos, a 500 rs. a
Dito miudinho super-fino, a 4JS000 a li-1 Oueijos frescos empellicados,
bra. modo.
Dito popular, Qno,, a 3^.000 a libra. Cascasde edeo para lavar asa, i
Manteiga ingleza Qor. em barril a .19600. 120 rs.
4wa.<
Dita ditalina, un talas, a 1$500.
Dita, dita, dita e dita, a 1&400.
Aaeite depeixebaleia, a 6*0 rs a garra-
Farinha Una de Muribeca.
Vassouras de piassava para servl^i inter-
no, a 2V0 rs.
fa. Ditas grandes a 500 rs.
, J)ito de, c6co, fino, ,a 800 rs. a garfafa. Massas para sdpa de todas as qnatnte-
Dito doce e carrapato. des
Aguardentedo :aldo da canna, feita de Viuho tiuto ebrauco, aupcriorcs, cagar-
encommenda, a^OO.rs. a garrafa. rafadoseem pipas. Eoutros artigjsqserf
Ditapopqlar, a 320 e 210 rs. a garrafa.,enfadonho annumerar, em secco e Btv-
Dita branca, a 200 rs. a garrafa. | lhados, por ser extenso.
Os vertadeiros
Vinho^de Bourgpgne
das ipareas

Baiar Victoria.
Chambertin
PoBamard
Virata
ryVobiay
Be&rme
Monlbdiie
Dit Bonlaaia 4m< quartollas.
.is:
BAJU.^Ql7*M6A
e**-
Mll*|Bi,'.
> .1 mwa
:*------------
Amaral Nabaco A C., vendem eleKaaie? i%cr
,de brqnze e de porcelana, jarroa e pi>rta tart.?
de pcfcelana, espelhos, atoalhado branco e de ct-
. res, de linho e de algodao, guardanapoa dt liaka.
grandes e peqoenos, e aatree rouiloi artigas ar-
, cessarios e pr.prios para decOro de uma car a u
Bazar Victoria, a raa do Barao da Victoria a &
Bandejas.
. Amarai Nahu -o A C, vendem baudejac de cfea-
rao de 12 a 30 potirgaaas e de gosto frHeirirj;->-
te ncvo e de metal, tambem bonita piatara diversos tamanhos: no Baaar Victoria a X.
Qil^do barr-Jo
YetidetTse
pes de parreiras, abacate, sapotis, lorneiras, fi-
gaeiras, fracta-pio, roxeirss, an alias e outras (lo-
res, por preco comrhodo : ns. Boa-Vjsta, raa do
Visconde de Goyanna n. 101, outr'ora Mondego
Veade-se nm rioo pianoo novo, muito f<
e de exeellenles vozes, a tratar na rua do Bar;
\ de S. Borja n. i9 ; na mesrria casa teem para ven-
\ der-se nma bda mobilia 4$ Jacaranda, com ponco
1 uso e eo perfeite estado.
Loja do Arantes, j
Iudeperidencia
Botinas ingleaas de sola
Idem de eordavjo, Snas, 7
Idem de pellica a Euiz \\
8JA0O.
Idem pretas gaipeudjs,
3J00O.
Vende-se
outra sem ella;
dnas escrav.
na rua de Hori u> a
(fa
.**.
%
bta



8

tfrrigde fwfym Quarto Wa*,kik#mmteWL
\mm\
n__i
SINGAPORE.De uma carta dirtgtda de
Singapore a uma folha hespanbola por um
viajanle, extrahimos os sag uiates periodos :
Ocalorna cidade e tic forte como em
Ceylao e como nao pd*le ddxtr de ser a
^js grdos de latitude. Ao fin* da larde "di-
rigi-ifjto H0 jardim poblico ; o caminho que
a elle conduzv l,t'l!ci so' cliand ,-se de am
e outroladorodeaa*, ,,e cas,s Ingl*. tendo
ao fuodo jardins de* um JAslu e elBFanc exquisites. 0 jardim publico C"* si
mais grandiose que tenho vistt). Ton." a
SCioncia de jardinagem moderna, jogos de
agua, tabdeiros do reiva verdissima, flores
em macissjs de variadas cdres e com -ssas
immensas arvoresquo uropaso se a,i-
ada de fiiar o padrio monetario.
Osleoeosdo hospital de Santo Andre
sublevaram-se ha poa
uin periodico daj mes-
JL?!!\ "**'**r *> 'record! Ii.no Phmclsco Ptr.rca. P o caso qu.
seoSo deter ourido a to* de fogo, as de- admirador enthusiasta do cantor tV'
tooactodas*mingara^atercaiu*aeai|o pdJe conseguir nio sea ^HttmMain
arra^tado palo sea coripaiheWlWaV quisicao de alguns osaos do UfcXI
quer deu accordo de ter ou nio sido ferido, a para evitar que se desoobrisaao aau erii^ni?locaiidad71nraMntoVauTrdaV eatT
Mntindo apenas cah.r wore WU parto e remetteu-os para neapaaha, oo.'e. segundo fhaVS^/S^^^^il^m.
Jfce\a urn jotro de sangae queote man- uma carta receWdTpSoSr. SeWa JK jglgado* pacE aaUam Sto? diri
teve-se, quwto a contmuou o fuzilamento, mesmo Imparcial, public-, devem URe vrtm^S^^^Ti^
rowando aos sens oavidos as descarg-s que em uma urn* de marmore no real rauseu
lam acabando com a Tida dos seus compa- de Madrid.
nheirT0S- t No dia 80 de Janeiro morreu em Na-
lerminada a hecatombe, prmcipiaram poles, no seu palacto da Riviera di Chiaia
os verdugos a examinar as suas victimas, a Maria Victoria Loiza Felisberta de Sabavi
um dese cert ficaram sa tinham sido cer- Carignan, condessa dc Syracusa nascida
ros os tiros, morrendo todos ; alguns ti- em 1814, e viura de Leopoldo de Bour-
siiltos indi
ram alguma* armas e distribuindo-as pre
pararam-se para a resjstencia. Os empre
gad .s irataram de couvence-lus com ra-
zdes; porem, com tal infelicidade, que,
exasperados os loucoe, lancarj,u-se sobre el
les, deixando cinco mortos o dous per gosa-
mente feridos. Trataram entao do
* S^t in{f\ Prat'^ue w, bon J *> i"ri Francisco do" Napolesr [ios pealome,' poreTnT pTssTrTn s7 maSe"
nediataraente sue- Em Boveda del Rio (Salamanca (falleceu 48 boras antes qne os loucos ddxassera as
"-"stufas, e que aqui vivem ao ar,
_- oucontra n'este jardim. A isso reunem
se passareiras cheias das ayes mais raras e
de variadas cfires e macacos de diversas f6r
masetamanhos que saltam d* '.um lado
para 0 outro e aliiueutam-se Jo que ha no
campo.
A' noite assi.'ti a uma rcpresentagao de
opera chineza. 0 theatrn 6 rectangular,
com camarotes de um e outro lado ban-
quetas no centro. A rnusica aoba-se n j
palco, pjr delraz dos actores. Por cerlo
que nada comprubendi de t i.las as contor-
soes, movimt-nto de leqnes e t^das as re-
verencias d'aqut-lles S'-nhores Os trajos sao
riquissimos c os pipeis de mulher desempe-
nhados por di versos rapazes. Os filhos do
imperio do Meia-dia divertem-se, cumem e
bebem como n'ura tlieatro francez.
Nonhaoi gpsto inconveniente, nenhuma
manifestagao houve qusndo eutramos e sa-
liimos, sendo isso devido a estaa-m ja habi-
tuados n'este paiz aos barbaros europeus.
Fouco ten po pude assistir d represent i^ao,
em consequoncia do olor coin que se per-
fumam se;npre os Qlhos do celesta irnperio
e do barullio furmade pel.* musica, com
posta de pratos, bombos, gongs (ou caldei-
rlo pequuno sobre o qual tocam) e uma
especie de rabecss. Os cantos conssistiam
em uns gritos s6 comparaveis ao iniar
de gatos. No ontanto o povo cbinez gosta
tuuito d'aquella musica
Visitei um cemiterio chinez, o qual e
muito curioso pelo modo como estd forma-
do, pois os seus tumulos, que cobrem o
amphitheatro em que setd construilo, sao
todos de jwdra e teem pequenos altarcs para
se colloearem as offertas. Vi tambem um
enterro. 0 cadaver ia coberto de (lores e
os (ilhos do ceo adornados corn as suas ves-
tes de um branco purissimo, para elles sig-
nal de rigoreso luto, caminhavam atr z do
feretro.
ANTIGUIDADE BIBUOGRAPfliCA.-Aca-
ba de descobrir-se iia bibliotheca Vallicellia-
na, em Roma,entre outros documentos pre-
ciosos, um palimpsesto do X seculo. E' a
biblia authograpba de Alcuin, mestre de
Carlos Magno, a mais antiga que existo na
Europa depois da bibliotheca Laureaziana
de Florence e da do palacio do Escurial de
Madrid Estas tres biblias servirain no pon-
titicado de Sixto V A redacgao da Vulgata.
VIVER POR M1LAGRE.Urn diario de
Barcelona publica o seguinte :
Tivcmos occasiao de falla com um m-
dividuode quern pode cm verdade dizer-se
que vive por milagre. Chama-se Jo5o Prat
V Vinolas eera primeiro sargento da com-
paubia de voluntartos mobilisados de Roda,
cuja for<;aestava em Vich quando alii entra-
ram os carlistas. Estes fizerain-o prisionei-
ro com mais 10 ou 12 seus camaradase ao
chegarem ao sitio chamado Santo Andre* de
la Castana, o chefe mandou fazer alto e n-
solveu fuzilal-os alii mesmo. Maudou-se
avaucar primeiro uns venJedores de cafe, em
Vich, pai e filho, conbeci los por 0nclets,
e depois de ajoelbados, uma descarga aca-
bou com as sups vidas. Seguio, outra tur-
ma, que do mesmo modo foi immolada. To-
cou o turno d (crceira, da qual fazia p-.rto
0 refendo sargento Prat.
respira*. --------------------------x--------
runlbir; um s\i?iro do que lhe estiva pro- ha pouco uma mulher de H3 annos, a qual
ximo ba-\'ou Para 91** ^ Ooabassem com um casara cinco vezes, vivendo 18 annos eomo
tiro de rewolv"' disP1"'a,Jo s001"6 a cabeca, o primeiro raarido, dez, treze, quinze e vinte
que estava proxima sua, sentindo-se sal- cinco respectivamente com os restantes.
picado pelos fragroentos a !* cer A?" J!e_a!e filll?s'^e8flndo a ^a^r trinla e
quelle desventurado Osangueu.
tavam cobertos o rostoe a cabeca de ProV't05-
lizeram crer aos assassinos que estava raortoj', 1*0 dia 20 de Janeiro celebrou-se, co
recorda-se ate* de ter ouvido dizer : este mo lodos o annos, o bajle da sociedade
cahio redondamenle
taria foi boa. P/ira
deque nenburadTisfuziladossobrevivia, pas- acceadeu dcerca de 6,000 p^ssoas, achan-
s >u-se a tomarem-lbes o pulso. Fosse por do-se presentes todas as celebridades do
ftlta de siencia do facultativo, fosse por que; fogSo.
u5o circulasso n'aquelle momento o sangue Dizem de Yeddo ( JapSo), que foi
nas veias de Prat, o certo c^ que o deram praticada uma tentative de assassina o con-
como aos outros, por defunto. .traa pessoa de Irakura-Ndaidjin, segundo
0 pobre sa gent, que ainda n8o sabia presidente do conselbo de estado, o qual
se realmente estava ou nao ferido, assim que apenas ficou ferido levemente
que es- sete netos, seis bisnetos e dous tataran?-
ouviao uizer ; esie mo *uui" w ><., >...<, ua suuiouaur,
; atiroi-llie eu eapon- dos coziaheiros, oa salj V-lentino, de Pa
ra certificarem-se ainda ris. A concurrencia foiextraordinaria, pois
calr.ul u que os seus verdugos tinham raar-
cha li>, tentou levantar-se ou por outra, sa-
hir de debaixo do corpo de seu companhei-
ro, que em parte o cobria ; em p^- jd, cam-
baleando e pisaud um cbarco da sangue e
os cadaveres de todos os que foram seus
0 dote que "a filba do czar levou por
occasiao do seu casamento com o duque
de Edimburgo, diz-se qne 6 de 4 milhdes
Je rr>Wos.
Esti se preparando na Suissa a pro-
priedade de Areoembfcrg, qne Napoleao III
companbeiros, separou-se, cahindo aqui e herdou de sua ma* a rarnha Borteocia,
levantando-se acold ate que chegou a S. afim der,9er habitada pela imperatriz e pelo
Celoni.
MISCELANEA. 0 homem mais rico do
mundo e hoje o vice rei ou kbediva do
Egypto. 0 seu rendimento diario e apro-
ximadamente de 270 contos de reis Said-
Pachd f"i educado na Eschola Poljteehina
de Paris, falla bem o francez e o iogiez, e
usa trajo franzez e nunca o turco. E' com-
merciante laborioso eassuas riquezas exce-
dem as grandezas de Haroum Al-Rashid.
Tem 27 palacios esplendidos, quatro espo-
sas e um populoso harem : e apezar de tudo
ndo e feliz, porque scnJo mais rico que o
sultao de Constantinopla, este e seu suzera-
no. 0 khediva mandou fabricar uma pon-
te de ferro sobre o Nilo que custa fabulosas queiro Merton,
sommas. E' proprietario do eaminbo de
ferro do Cairo a Suez (75 rnilhas), e de
Alexandria ao Cairo (130). Agora, esta-se
construindo d sua custa outro em loda a
longi'ude do Nilo, desde o Cairo ( 200 a
300 milbas.}
No dia 21 do corrente celebrou-se na
capella expiatoria de Paris o inniversario da
morte de Luiz XVI, que, como se sab1, foi
guilhotioido. Assistiram ds raissas grande
numero de deputados, os ministrcs, a espo-
sa do marechal Mac-Mabou, os principes de
Orleans e de Bourbon, o a ex-rainba Isabel
de Hespanha.
Em consequencia deter sido suppri-
mido o cargo de vice-rei da Polonia, que
era exercido pelo Qnado priucipe de Berg, foi
nomeado governador geral de Varsovia o
ajudante do czar, general Kaotzebene.
O condedeChambord, que guarddra
completo silencio desde que se gorou o res-
taboiecimento di monarcbia em Franca,
aproveitou o anniversario da morte de Luiz
XVI para manifestar ao redactor d&Unido,
o Sr. Laurentie, como decano da impresa
franceza, a sua gratiddo pela defeza da
principe imperial no> dia em %ue, conclni-
dos os estados deste, possa transferir se de
Wolwich para a Suissa. A imperatriz de-
seja pormanacer no cantinente e nao loage
da Franca.
As notkias de Tutim poucas- esperan-
cas dao da cura da duqoeza de Aoste, cujo
estado, por effeitosda- phtjsica, se agfravara
coosideravelmente, nao podendo nor esse
motWo ser transferida ne para Niaa nem
para Falermo.
Morreu em S. Peteasbnrgo o field-
marechal de Berg, vice-eei da Polonia e o
primeiro personagem militor do imperio.
Falleceu tambem em Londres, tide
acabava de chegar de Paris, o rico ban
proprietario- do periodico
francez o Soir. Succumbio i> uma conges-
tao cerebral, sendo ella occanionada, segun-
do se diz, por estar fortemente oompromel-
tida a elevaclo do esprestiino francez, a
renla turca e as accdesdo caminho de fer-
ro de Saragoca- Tudo isto beixara muito.
Tinha uma gran 'e fortuoa, cootava 34 an-
nos e sua esposa tinha-lhe levado 50 mi-
lh6es de dote.
Na Belgica existem actua'mente 15
sociedades do corridas de eavallos. Em
1873 houve 90 corridas, nas quaes toma-
ram parte 370 civalloe, elevando-se a....
141,600 francos o^importe dos-'premios of-
ferecidos por todas as sociedades- hippicas
belgas.
A marqueza Maria Brignole Sale, ul-
tima descendente desta antiga familia, ca
sada com o duque d Galiera, fez ha pou-
co doa^do d cidade de Genova do histurico
palacio de Brignole Sale, eonnecido peio
Palacio Roxo, com a sua magaiQca galeria
de quadros e.a sua esplendida biblio-
theca
No dia 8 de fevereiro foi installada
em Paris, no ministerio dos negocios es-
armas. Seis do mais furiosos foram en-
cerradus em cellas, preparados com camisas
de for^as.
Em Inglaterra tern augmentado tao
extraordinariameiil'j o consumo do tabaco,
3ue a importatjdo dosto artigo no anno fln-
o ehvou-se a umasomma fabulosa.
Segundo as ultimas noticias recebidas
da ilba de Santa Margarida, a sauie do
ex-marocbal Bazaiue etd longe de ser boa
neste momento. O prisioneiro t^ra se tor-
nado profundamente sombrio, e a moral
reage sobre o pbysico. Aindo aaaira o seu
estado parece nao inspirar nada do- inquie
tad r.
As experiencias de artilberia que se
I'aziaro ullimamente em Calais, tornaram-se
particufares, em coaseqoencis de se ter uo-
tadj a presorty'a de muiios prussianos entre
a multiJdo de espectadorea que assist is- ds
referidas esperieneias.
O famoso fheaouro de gu rra allemaj
de via ser installado na semana passida na
torre denomiaada de Jullius, na cidadelfe
de Spandau. L'ma-eommissao- do Reichs-
tag visilou ha dias a referida torre, e en-
controu a em bom estado. Como 6 sabido
o thesouro e de GO m*lboos de tbalers- em
moeda cofrente.
Coutavam-se na aeademia fraoceza an
tes das ultnaas eleit;6es-, 13 historiadores, 9
sriticos ou bistoriadores da litteratnr:, 9
escrtptores dvj.naticos, romancistas e poetas
[yricos, 3 ontdon-s propriameute dkos, isto
er que nao teem feito sendo discurses poli-
ticos, 1 viajante, poeta a historiador, e Q-
nabnente s5 1 sabio, membro da Acadamia
daa Sciencias.
Victor Hsgo, ao regressar da Acade-
mia, onde foi exclusivarnente para votar
na eleii.ao de Dumas Filho-, encontrou em
casa um bilhete deste no qual lhe dizia,
que era a elle, seu mes'.ra, que enU>ndera
dever fazer a sua- primeira visita de acade-
mico.
Em Dieppe foi ha dias condemnado
pelos tribunaes a quinze diaa de pnsao, o
Sr. Morvan, capitdo de uma galeota. por
se ach^r embnagado na occasido em que
fdra encarrega I.) da conduced} do referido
navio.
quasi illimitada, podendo-se agora trans-
mittir telegrammas de 1,900 palarrai M
0,000 lettraa no eapa^o da um BAuto.
Aui agora a- velocidade, que se podia obter
nas distancias semelhantes por meio do sys-
tema automatics de Wneatstona aaMp^iatMlB
usado para o aerweo da rande vetoeida-
de pela reparticAo postal dos telegrapbos,
ndo excede de 200 lettras por minuto.
O novo iustrumento amertcano leta gr.n-
de vantagem pela extrema simplicidade de
sua construcQdo, ajudando o seu tnechanis-
mo aaccdo da chiraica.
L'm dos grandes resultados obtidos nesta
experiencia foi deixar pateute que ate aqui
a velocidade do tranamissao das correutes
electricas por meio de um conductor ra6-
tallico tem sido mais restringida por causa
das imperfdi^oes do macbimsmo no iustru-
mento que recebe, e que, com sobstituicAo
da decomposi^do cbimica pela acgao me-
chanica, poda-ae obter uma qujsi illimita-
da velocidade.
DIVIDA EXTER.N.t DO B^ASIL.I^raos
n'oma correspondenciade Londres:
0 meio de encetar esa correspondan-
cia de modo a torna-la mais- interessante
aos braaileiros, e t a$ar ura-quadrodemons-
trativo da diminoicio n* divida extierna do
Brasil, durante o anno de 1973 :
Ea^BESTIMOe- EM 31 BE DEZEM
s'ro oe 187 i.
banleiralegitimista, exprimfndoa esperancajtrangeiros, a conferencia monetaria, que
deque possa assistir ao triumpho da causa por intctativa do governosuisso devia reu-
quedefeiide nir-se naquella capital. Foram nomeados:
- 0 Impartial de Madrid suscita rm um'presidente o Sr. Dumas; vice-presidente o
dos seus ult.mo.s numeros uma questao mui-|Sr. Parieu j secretano o Sr. Clavery e se-
locuriosae nao indifferente para a historia cretano adjunto 0 Sr. marquez Latter, an-
da p-.esia.cvem a ser, se existem ou ndo em tigo auditor do conselho de estado e que
Madrid alguns ossos do celebrado poeta ita- foi tambem relator da commissdo encarre-
MLW)aAMEN.*10 DA lELEGRAMtiA.
Teve lugar na agenda telegraphies-, em
Washington, era II de iezembro de 1873;
uma oxperiencia em pr6senc,a do Sr. Oe-
sweL, director ger dos correios dos Esta-
dos-Uoido6 ; os resultados dessa experien
cia serai) d-^immensa vantagem para ofutu-
ro da te legraphia universal.
Nessa occasido transmittio-se a raansagfim
annual do presiilente, a jual constava de
11^500 palavras, de Washington para Nova-
Tork na distancia de 290 milbas, por meio
de um unfeo fio, em 22, e lj4 noiiiutos,
sendo a velocidade obtida raaior de 2,500
lettras por mi onto.
Em Nova-York tirou-se da machina au-
lomatica em presen^a do director fiscal dos
correios da mesrna cidade, a racnsagem jd
muito bem impressa. Este important^
aperfei^oamento na telegraphia, funda-se
em uma base que ndo o nova ; jd era. co-
nhecida em 1848.
As evperiencias que se Qzerara cntdo ndo
tiveram resultado pratico. Pelas nossas
combinacoes da chimicaoda machiua, fei-
tas por americanos, a velocidade tornou-se
F0LHETIM.
LUCSECIA SOS&IA
UEHQRIAS DE StflttZ
POR
l>. Ilauoel Feraaudezy GonzAlez
QUARTA PARTE
LUDOVICO ARIOSTO
VI
0 AMOR DE UM PAI PR0TEGF.ND0 OS AMORES
DE ARIOSTO E DE GESEBRA.
(Conlinuagao do n. 49. )
Ndo se assuste, respondeu branda-
mente Michelotto, disfarcando a voz ; 6 um
amigo que lhe traz uma carta, e nessa carta
noticias de Genebra. Ahi a tem.
E, procurando ds apalpadellas as rados
le Ariosto, poz nellas a carta.
Em seguida afastou-se rapidamente do
leito, desceu a escada de service, atravessou
o pateo, abrio uma porta que dava para os
jardins, e perdeu-se pouco depois como uma
ombra. na directs da ponte de Sant'An-
'6lo, desapparecendo no labyrintho das es-
curas ruas de Roma.
Ariosto levntou-se dommado por um
desses terrores que ndo reconhecem causa,
que sdo uma especie de presentimento, ne-
gro, indelerminado, terrivel.
Ao entregarem-lhe de um modo tdo ex-
tiaordinario aquella carla, haviam pronun-
ciado o nome do Genebra, a querida da sua
alma, a sua esperauca, aquella com quem
sonhava no momento em que fdra acor-
IjIo.
Quem quer que seja, espere, disse
Ariosto, explique-me, dig-me... Mas onde
estd ? Ndo me responde ?
O silencio respondeu tdo somente d per-
a'utiia de Ariosto.
A carta pesava-lho nas rados como uma
lj'.alidade.
N nessitava le-la e estava ds escuras.
l'ens>u em chamar alguem, mas ndo o
fez por timidez e por prudencia.
Foi abrir uma janella.
No horisonte via-se uma faxa esbranqui-
^ida.
- Come<;ava a amanhecer; porem a debit
lux do ere- u culo, ndo era bastante ainda
j ara distingulr as lettras
A carta estava unicam^nte fechada com
here, mas s-^ra sello, segundo Ariosto pode
varificar pelo tacto.
Cedendo i impaciencia, rasgou o sobrp'?-
cripto.
Dentro encontrou
cada um de per si.
Teve ie esperar, morrenio de impa-
ciencia, martyrisado por duvidas crueis,
que aclarasse a luz'do crepusculo.
Afinal pflde ler com muito trabalho um
dos padeis.
Era uma cerliddo em forma do casamen-
to de Genebra Malatesta com Luighi Bar-
thelemi.
Oh 1 mas isto e incrivel! eiclamou
Ariosto. Querem zombar de mim... Gene-
bra terd commettido algu.na iraprudencia.
Mas para zombaria 6 demasiado ; ndo se
tres papeis dobrados ceu; o que eu amava ndo era ella, era
illusdo minha, uma insensatez do
.lias para zuiuuana c uoilmhw uu -~-------------" .-----------'
teriam exposto para isso a penetrar, aqui ajnon a deitar-sc espintado da sua tranquil-
esta bora e com tal mysterio. Que serd hdade.
isto m u Deus. Era que a alttvez do seu amor sentira-se
E Ariosto passou a mdo pela fronte que ferida, e o seu amor, vendo-se escarnecido,
uma
meu espirito I Aos trinta e seis annos ama-
do por uma joven de dezeseis Loucura!
Ella amava o poeta e cancou-sedo homem I
Vejamos a outra carta.
E leu a de Luighi Barthelemi.
As duas cartas eram authenticas como jd
sabemos; mas a certiddo do casamen-
to de Genebra e Luighi era apocry-
pha.
Ariosto rasgou friamente em bocadinhos
aquelles papeis, entregou d mercS da brisa
os seus fragi.entos, fechou a janella, e tor-
l/f 0/0'...

0/0......
l/i 0/0...
0/0......
1862
1MB
18(50
1839
1853
1871
f,
612,600
763,800
87i,00
ii 1,300
1863 i 2-.6I9.900
6:193,000
3;159,60O|
15,461,700
AIIOBTI-
S.hf\0
EM 1873.
29,o00
66,90
47.90OJ
14.500
119,500 2.809,400
91800
36,100
409.300
empbbsti-
mokmJIdk
08Z. 1873.
613,100
696.900
8i,30
306,800
6,388,500'
3,423,20O>
J5O53.200
Esta reduci;ao da divida externa do Bra
sil 6 muito importante, por quanto dimi-
nue a totatidade dotcom prom issos arasilei
ros na Europa, como poucos estados pedem
fazer, e como esta totalidade seja menor do
que o reudtmento do imperio correspon-
dente a anno e meio, suas obrigacoes- nesta
praga estao mais desaffrontadas do que as
de qnalquer outro govemo e mais livre do
que qualqaer dos estados vizinboa .do
Brasil.
Por outro lado a divida intertva- do
imperio d consideravel e a ella se dove ad-
dicionar, naturalmente. a- moeda-pape! que
nao vence jucos, Toda-via o Brasil' aoba-se
em uma exceUente situacao para poder de
novo levantar um emprestimo, que serdv
estamos certos-, empregados era methora-
raentos utei*.
A sngunda secedo do- cabo transattanti-
co entre Madeira e S V-ieente ba da ser
collocada em fevereiro..
Ndo e impossivel que se ellectue algn-
ma mudanea no prolongamento da linha- te-
legraphica pre o Pard se se poder obter o
cancurso da Eran;a e ite Hbdanda. para.ella
pela. collocacdo de um cabo que partindo
do Bard, vd ter a C yena e Sunnao, a-subs-
tituir a ilha ingleza da-Trindade como pon-
to final'pel* ilha holUndeza de SvThomaz.
As duas ultimas jd se acham tigadas por
am cabo.
Ao reeeber-se a-noticia cW que a linha,
telegraphica da costa brasileira na extensdo-
de cerca de 2,800 milbas bavia sido inau-
gurada a Eastern FeLegrapk Company an-
nunciou que se achava prompta a receber
des|iacln>s para o Pard, Babie e Rio de Ja-
neiro, que seria-ra mandados pelo correio
de Lisboa para Pernambuco, edahia telegra-
phados para o seu destine lim despacho
de 20 palavras para o Pard e Bahia custard
2 12 sh. 19. d., e para o.Rio de Janeiro 3
< 14 sh 6 d.
URISPRUDENCIA.
Da accuuaula^ao das penas.
Arts. 61 e 62 do Coiigo CrimUtal cxarae e
discussdo.
I
Onosao codigo eruaia^ attiboiado a
aada crime uma paqa eaiaei^ o calpada
de muitas iafraecOaS laf*( Coto ^oaoto
fdr isso humanamente poaairal, incorrar
nas penas edictadas contra ttda uaaa d'el-
las. ran
Esta maxima de bom seoao era a do Di-
reito Romano :
Plura delicla concurrent ia non faciunl
ut ullius impunilas dttur ; neqiU enim
delktum, ob aliui delictum, mtnuit fM-
nam.
Era tambem a do direito antig) l>
das n nacoes; e a approvada sempre petoa
juriseonsultos de mais uomeada por aoaa
luzes e pela alt* raansuetude d suas deci-
soes.
Pederieoos, a tal respeito, *poiarmo-na*
rras mais rmpornerrtes autoridades : mas, tra
tando-se de um ponto i neon testa vel, limita-
mc-nos a disur que ar accuraulacdo das pe-
nas foi sempre a regra seguida.
jlecrescentamos que esta regra de eatricta
justica era sobffrtodo seaa' perigo, sob1 nma
legisla^lo que, deixando- em geral ao ym
uma latitude quasi arbitraria, lhe permittia
maoter-se sempra nos limites de uma ra-
pressdo geneross e proporeionada. E-
principle' era derrogado em- eases muito fa-
ros, onde^ tambem a pena era1 texetiva : ap-
plicava-se entdo a mais forteMajor posno-
absorbet mxnorem^PUnitw aolummodo
delinquent prena majoris delicti.
A accuraulacdo naV> pdde, cota effeito,
parecer de um rigor exeessivo seoao quan
do a pena e fita e i&vriavel.
Mas o nosso codigo, no sentido d*asta im-
portante questSo, reveron-se da um mode
pouco commum : foi cmisso em im ponto,
apar de tauta sabedoha*
Diz elle. no-art. 61 :
Quando e-reo for convencide u> mais
de um 'elicto, imp6r-se-&be-bdo a peoas
estabelecidas mas lets para cada turn 'elles,
e seffrerd as corporaes hams depois das ou-
iras, principiando e segain.lo da raaior para
a menor, com attencao ao grio da uslenti-
dadt, e ndo ao tempo da<#Mracdo.
Exceptua-se o caso de tar incorrido na
pma de morte, no-qnal nenhuma pena cor-
poral se lhe imperd, podendo sAmente an
nexr-se dqueila pena de multa.
K, no art. Gfr. diz:
- Se os delinquentes tiverem iacoarido
em duas ou mais penas qu* se la naa
possam impor uma dtpois de otttru, to
lbes impord no grae maxtmo a pena do cri-
me raster que tiverem commettido, ndo
sendo a de morte, em cuja- caso se Ihes im-
paraYa de gales- perpetuae.
Estas duas disposieoss differem entre si,
en-que o art. SI quer qua sejsm impostas
aereo, dexcepfdo da die morte, as penas
para eada um dos delictos de qua Ut con-
veneido ; e o art. 62 o maximo da do cri-
me maior qua tiver commettido, quando a.--
penas se naa-possam impdr uma depot*
da outra.
De modo que a grave questao da accumu
lacdo ou nio d muito para louvar-se-, abandonada intaira
naente ds vaiiaeoes successivas da jurispru
den cia I
Mas, para a soluoao de um outro ta< to qut
p6de occorrer, o vido destas. disposi^oes t
palpavel.
Exem plifiquemos.
Um individuo e accusado do crime dc
roubo. Na for mag do da culpa, sobre vem
contra elle muitss imputa^ rouboa qualificados e de iurto.
Qual e a pena em que elle inrorre e que
lhe pode ser applicada ?
Por um lado, a com iemna\ao em qut
veio a incorrer, nio p6de ser razoavelmenW
aggravada pelos factos novos judiciariaman-
te provados.
Por outrt) lado, todos esses novos. lac-
Los, se realmente d'elles (Or convevcido o
culpado, ficain complelamente amaistia-
dos.
A hjpothese do art. 62 Gca empre de
pe
Conttnuar~se-ka.
estava inundada de suor.
A luz do dia augmentara.
Ariosto abrio um dos outros papeis e sol-
tou um grito.
Naquelle papel acabava de reconhecer a
letra de Genebra.
Era a carta que jd conheceraos, escripta
pela joven, desesperada, no castello de
Cento.
Ariosto ndo podia duvidar.
Aquella carta revelava-lhe uma trai
infame,
fdra morto por uma razio de dignidade e
altivez.
Se Ariosto podesse saber que era pai, nio
ficaria tio tranquillo.
Mas Genebra occultara, por pudor, o seu
estado de maternidade.
No coracao de Ariosto imperou de novo.
ardente, terrivel, embriagador, divino, o
amor de Lucrecia.
E' o anjo das trevas, murraurou elle;
por^m sempre um anjo, sempre mais, in-
Ariosto nio sabia' finitamente mais que uma mulher
tinha
cio infame, porque *------.--------------.------
nem podia saber o que tinha aconte- poema do inferno, seauctor, cbeio ae nma
cido. j trresistivel belleza.de uma grandeza sem
Sobreveio om phenoraeno de todo o pon-. limites, dentro de uma formosura incom
to natural. 'pararel, illuminado pelo fogo de um
Ariosto sentio um frio desprez) por Ge-'amor inexlingmvel que 6 todo meu I Ah 1
nebra, e, se tivesse podido dominar o im- f Lucrecia I Lucrecia I meu archaDJo de
pulso da commodto interior, teria ficado fogo I
perfeitamente tranquillo. E Ariosto, nervoso, febril, transporta-
__ As mulheres 1 oi! as mulherest ex- do, levantou-se, abrio a janella, onda
clamou elle; esse ser todo voluptuosidade, entrara jd a luz radiante do dia, pe-
todo vaidade, todo materia, nio i o anjo gou na penna e escrereu a seguinte
que nds os loucos sonbamos; esse anjo e* carta :
um filho nosso ; existe unicamente na nossa Magnifica senhora.Supplico-lbe que,
imaginacio ; e elle o noss > amor que des' por candade inflda para com o grio-du-
prende as azas e vda para nio ter-se repre- s que, afim de que elle me exonare da
commissao qne tenbo em Roma. Nio
6* possivel saber as intenedss do santO
padre, nem, apezar de muito pratico
pureza, alma divina, o que nio e mais do que sou em negocios de estado, tenbo
que um accidente, uma harroonia da for-' o podido aorificar se sua santidade esti
ma ; e log ., d arimeira prova, ao primeiro' predisposto a f^vor dos francezes ou dos
sacrificio, vern.o, que tinhamos sonhado, 6 hespanhdes. Relatrvamente d Ploren-
que o sooho desapparecera com o desper-J ca nio dia coibeoor cousa alguma, o "
tar. E ha insensat s que se apaixonam laesmo aut-ce te com o que diz respeito
polo sonhn, esabem que e um sonho e moc-11 aos Teneziaflo*. Entretem-me, fatin-
rem 03 eulouquecem porquo r.Si polom' do-me ler vers.s, e sinto-me jd fatigado,
converter o sonho em oalilado. A! r n5o,. a porque sua saotid de e poucj apaixo-
eu ?ou mais forte, na.. essotarei j.; f; rca' nado pela poesia. Creio qua ami
qiim-ondo apanhar um phantasma, r.So der-' nha preseo^a aqui 6 completamente inu-
ra ii.rei lagrim'as porqu1? n phah'.a'rr.n q'i9 til. e entretinto sinto que se me dilacera
Ptitaia uma r^alidddc w (ksvane- j C*^, 0 me uevpra uma profunda
prende as azas e vda para nio ter-se repre- (c que, anm oe q
sentado on um corpo de anio, com u.a commissio que
coracio de Iobo. Ah quando vemos uma 6 possivel saber
creatura formosissima, reputamos candura,!
tristeza. Tudo quanto amo e tenho
amaJo estd om Ferrara, e a minha fami-
lia acha se orphi de mim. Rogo-lhe,
minha senhora, que comprehenda a si-
tuagdo dolorosa em que me encontro, e
que faca com que ella cesse quanto an-
tes, porque soffro muito. Seu humilde
Esta carta, cujo sentido duplicado s6 Lu-
crecia podia comprehender, encheu esta de
alegria.
Ah disse ella, era necessario que assim
succedesse a na > ser Ludovico in iigno do
meu amor. Acredita na traiijao de Gene-
bra porque ndo podia deixar de acreditar,
d<.sprezou-a e volta para mim, cheio de
amor. Ah I nenhuma outra m'o disputa-
rd mais, porque o enlooquece.ei comple-
pletameute.
Quatro dias depois, Ariosto recebeu
uma carta da gra duqueza que dizia as-
sim :
Meu bom poeta, raonte immediata-
mentea cavallo e venba a Ferrara. A su<
familia espera-o anciosa, e eu deso-
jo ouvir os versos que tem escripto ahi,
e que tio pouco agradam ao papa ; de-
vem ser magnificos. Nesta data escrevo
ao grio-duqu1, avisando-) de que o
raandei regressar de Roma. Tenho- que
a dar-lbe uma triste noticia. e facp-o para
a que ella nio o sorprenda quando che-
gar. Um inceadio, cuja causa nio foi
possivel averiguar, devorou uma grande
parte do palacio, e com ella os apo-
sentos que o senbor occupava. Sinto o
pelos seus magnificos livros gregos e
latinos, mas trataremos de obter outros.
Repito-lhe que nio perca mais tempo se-
nio o necessario para se despedir de sua
a santidade e partir.Lucrecia.
Sd entdo, quando souba que o incendio
devorara oa seus apotentos no palacio du-
cal. julgou Ariosto comprehender a ra-
zio porque Genebra ousara casar, sendo
casada.
Par:, elle era fera de duvida quo Luighi
Barthelemi lancara fogo ao palacio, incita-
do por Genebra, que sabia, porque elle
Ih'o revelara, que a certiddo que provava
o seu casamento com ella, estava n'ura
c*.'f.*e ii.tquello ap)sehto.
Oc:.-rria )h->, tambem que o marque de
Viati pobsuia um duplicido; ^orern o rnr-
qaez podia te lo aUaic^io. Ariosto ndo
pensou mais nisso ; p'^ra elle Genei.ra mor
rera. nio a conher^era, e ndo existia na sua
memoria seniq, como a record agio de u.n
sonho.
A te0>orosa lnlriga de Lucrecia n3o no
dia ter produzido um resultado mais com-
pleto.
VII
EM QDE MXBELOTTO ACABA DE 1NVOLVER NO
MYSTERIO A 1STR1GA DE LUCRECIA.
Luighi Barthelemi impacientava-se e
soffna de um modo atroz, encerrado com
Genebra nj castello de Cento, mantendo-a
incommunicavel com o oapitdo Rodol-
pho.
Tinham decorrido dez dias depois da par-
tida do mysterio.o mascarado.
Genebra era muito formosa para que
Luighi nao acabasse por so impressionar
gravomente por ella.
E certamente era um amor serio o que
comec,ava a despertar no coracdo daquelle
ate entdo infame explorador de mulheres ;
porque Genebra impunha-lhd respeito e de-
fendiam-n'a delle a sua dor e a sua desespe-
racda.
Barthelemi comejara a impallidecer, e
enfraquecera visivelmente.
Soffria como ate entdo nao soffrera
nunca.
Nem sequer lhe restava o recurso de fal-
lar com Genebra.
A sua couversacao fatigava visivelmente a
pobre joven que so tinha alma para o seu
pensaraento, e pensa nento s6 para Arios-
to.
Luighi, a execu^do das boras da coraida,
passava o tempo noaposento anterior ao
de Genebra, deitado, aborrecido, ou pas-
seiando de um lado para o outro, impa-
ciente e sombrio co;no um animal ferozna
jaula.
E cada dia Genebra lhe impunha mais
resp -it), porque cada dia a amava mais.
E cada dia tambem Luighi se tornava
mais insuppertavel a Genebra, porque nesta
augraentava a desesperacao e oaborrecimento
por tudo quanto nio era Arhsto.
Os dous prisioneiros passaram assim,
n'uraa agonia insupportavel, os dez dias que
durou a ausencia de Michelotto.
Na noite do decirao, Luighi ouvio, com
um estreinecimento de prazer, um ruido de
esporas na escada da torre ; devia ser o ho-
mem mascarado.
E nio se enganou.
Ao abrir-se a porta appareceu Miche-
lotto.
Venham alvicaras, men amigr>, disse
elle ; o^ seus soffrimentos vda acabar bre-
vemcnle ; mas, siga me, dosojo que falle-
iuos com liber >ade.
Michelotto sahio e continuou subindo a
escada. *
Luighi seguio Michelotto, e o capi'Jlo
Rodvlpbo fccbou a-porta Luighi e Michelotto chegaram era brw.
d plataforraa da torre.
Luig*hi aspirou com delicias o ar da noi
te, fresco e perfuraado pelo aroma eam-
pestre, e olhou com ancia para a paisa-
gem illuminada brandamente pela luz da
lua.
Ahi disse elle, avancandoo corpo poi
entre as ameias da torre e oihando para
a base da torre ; que rio o este meu ami-
go ? r+;.
Vd perguntar-lh'o, respondeu sombria-
mente Michelotto.
E agarrando-o pekis pes, precipitou-o ac
rio.
Ahi tens as cousequencias de ser ade-
vinhdo, meu amigo, murraurou Michelotto
Para que adevinhaste que tudo isto era obra
da magn lica duqueza de Ferrara? Vai re-
valla-lo ao Padre Eterno que nio precisa de
que Ih'o digas. Decididamente era necaa-
sario evitar que fall.sses, e sobre tudo.
servias-me de grande estorvo. E essa po-
bre raeuina ?... Diabo dar-se-ha caso qne
eu esteja apaixonado ?... Ora adeus, ao>
cincoenta annos e preciso ter juizo. Que se
amc um homem como o duque Valentino,
que se lhe sacrifjque a alma e a vida, com
prehende-se: mas enlouquecer por um*
mulher, isso pertonce aos fracos e aos to
dos. A mulher ndo e senao uma flor que
se aspira n'um momento, um calix de licor
suave que se bebe, e se passa a outro para
qne beba tambem I Coratudo, ha o quer
que seja nos seus olhos que fasciua e dee-
lumbra, e eu a modo que sinto essa in-
fluencia, mas fa rei por libertar-me dd-
la.
Em seguida a estes paosameotee suavas
Michelotto tomou a descar a escada, e ao
chegar d porta disse :
Capitao Rodolpho 1
Ouviram-se no fundo da escada os pas-
sos do um homem qua subta, % pouco
depois appareceu o governador da cas-
tello.
De-ma a chava e retire-sa, uaaa Mi-
chelotto.
E o outro ? perguutou a capita* Ro-
dolpho.
Ca.fe-se, replioou Michelotto, estoa
cheio de indigaa^ae ; quer aoreditor qua o
malvado fugio, atiran-lu-ae ao rio, logo qua
se via na plaUforma da torre ?
__ Srt** caso, fex-se nseeauriameuta am
pedacoj, disse o capitio com OS cahelkM
em |e.
{Continuar-H kaj
Tr*K,o;AtiW.-RUA fH^t'-J HE C.\\i.>S.

^
i



,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETLIEZ6AU_O094WG INGEST_TIME 2014-05-21T23:33:29Z PACKAGE AA00011611_16946
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES