Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16945


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\

r

ANNO L NUMERO SO
fillS
N& HE r AttA P*BTH.

tPor traa acea adiantaoos. .
#W.Mfe4flMldem......... ..... 12000
r urn anno idem.................. 349000
-Cada numaro ulso( -. .............. 9930
V
THtSA FEIRA 5 K MARCO DE 1874
DBMT||:VNM DA rWC1A-
For tres mezes adiiMBI. -...... *#TS0
For sets ditos idem................. 139&<)0
For note ditos idem.......?.......... 900110
For am anno idem........?.......... 179000
DIARIO DE PERNAMBUCO
PROPRIEDADE DE MANOEL FICUEIROA DE FARIA FILHOS.
ft Sr. Gerardo Antonio Ahead Filhos, no Par*; Goncahes 4 Pinto, no Maranhio; Joaqnim Jose de Oliveira4 Filho, no Ceari; Aflto^M de Lemm Braga, no Aracatj ; Joao Maria Julio Chares, no As*4; Antonio Marqaes da Siha, no Batal
Beaeira d'Aimeida, em Mamangnape ; Carlos Auxencio Monteity^ Franca, aa Parahyba j Antonio Jose" Gomes, na VUli Antonio Ferreira de Aguiar,em Goyanna; Joio Antonio Macnaeo, no Pilar das Alafoaa; Aires 4 C, na Bahia; e Leite, Cerqoinho 4 C. no Rio de Janeiro.
; Jose Justino
PARTE OFFICIAL


i

.
%
\

Governo da Provincia.
FALL A com que o Exm. Sr. commendador Henrique Pe-
reira de Lucena abrio a sessao da assemblea legislati-
va provincial de Pernambuco no dia 1. de marco
de 1874.
Srs. membros da assemblea Ugislaliva provincial.
lira duplodever raetrax hojecheio'de jubilo a este recinto felicitar-ves pela vossa escolha
para merabros desta distincta assemblea e curaprir o preceito constilucional que rae impoe o de-
ver de instruir-vos do eslado dos negocios publicos e das provideacias precisas ao mclhoramento
da provincia.
Peco-vos, pois, que acceiteis as minhas congratulates por ver em cada um de vos urn es-
forcado companhein da graude cruiada de honra e trabalho, que devemos emprehender em prol
dos interesses sagrados da terra abencoada que nos foi berco, e bem asim que rae concedais to-
da a vossa iodulgeneia para a esteril leitura com que por niomentos vou occupar a vossa precio-
sa attencao.
Nenhuma alteracao sofTreu a saude de SS. MM. Imperiaes no correr Jo anno passado, e
assim continua gra<; is, a Divioa Providencia.
Na Augusta Farailia Imperial temos, nao somente um grande exemplo de virtudes civicas
e moraes, corao tambem a seguran.-a inapreciavel das garantias coostitucionaes que decorrem de
aossas iostituicoes politicas.
0 pat-iotismo nunca desmerecido do Primeiro Cidadao do Imperio em lisongeiro amplexo com
as beneficas e notaveis disposigdes que nobilitam o eeracao de S. M. a Imperataiz sao penhores
do magno valor para todos os bra>ileiros e motivos justifleativos de um bem entndido orgulbo
nacional.
A Serenissima Princeza Imperial, em companbia do valoroso Principe, seu digno consorte,
o Sr. conde tt'Eu, acha-se na Eutopa com licen^a de decoito mezes, coacedida por S. M. o Impe-
radar.
Sua Alteza o Sr. duque de Saxe, ligado aos nossos interesses pela lembranca de sua vir-
tuosa esposa, de saudosa memoria, e pelos lacos paternaes que o prendem a quatro iltustres prin-*
cipes brasileiros, acaba de prestar um relevante servico ao pan. presidindo a commi-sao que nos
representou na exposicao international em Vienna d"Austria.
A refonna que os poderes do estado tratam de dar ao actual systema de eleicoes rai
abrir aos nossos pleitos eleitoraes uma phase conciliadora dos exaltamentos politico*, expurgan-
do-os quanto e possivel da perniciosa cbicana partidaria, cujas consequencias repetidas veies
tern sido tragicas.
Duranle o anno passado tiveram lagar na provincia as seguintes eleirjoe? :
Era Sao Beut'i de eleitores, de juizes de paz e vereadores.
No Limoeiro de vereadores.
No Bonito de juizes de paz e vereadores.
Em Jaboatao, Gamelleira e F! a Vista de vereadores.
Em toda a provincia a de deputados provinciaes, excepcao feila dos collegios de Sao
Buuto, Cabo e Plores, e da parochia de Una, cujos eleitores nao se achavam reconnecidos pela
j iiara dos Srs. deputados.
Correu sem incidente o processo eleitoral em todos os lugares
l-'ulgo de, ainda uma vez, podSr dizer-vos que nao solTreu altera>;ao a tranquillidade publi-
i-,'i ao anno Undo.
m outra cousa se devia esperar das bons instinctos do povo pernamstucano.
E' hoje uma verdade reconnecida que da turbulencia e das latas civis so prejuizos e atra-
zos resultant. .
Para que a rlqueza publica se desenvoiva, e com ella p bem ea^i j de cada cidadao em
particular, 6 preciso que a paz e o sorego publico garantam o trabalho individual; lei iupoata
por Deus, e de cuja observaucia depende a nossa felicidade.
Si corapararmos o estado actual de Pernambuco com u que era antes de 1850, conhecere-
raos quanto tem elle progredido moral e materialmente.
Esse progresso, devido a boa indole do povo, nao se explica menos pela tranquillidade de
que temos gozado.
Para que o povo manifest* suas opinioes sobre a causa publica, nao sao precisas as agi-
tacoes e as lutas. nao ; o socego publico se mantem, respeitando se as instituicoes e z*lando ca-
da" cidadao seus direitos e regalias, formando a^sim a opiuiao publica, que vela sobre o liel cum-
nrimento da lei.
Possuindo nos livres instituicoes, desenvolvendose, como vai sendo, a instrn:r;ao, mantma
a iiberdadeda imprensa, tendo os partidos a tolerancia que lanto se coaduna cOiii o nosso carac-
ter e indole, e de esperar que j imais se reproduzara essas lutas lamentaveis, que tanto retarda-
ram no passado o desenvolviraenlo desta provincia, cujo brilliante futuro so depende do esfor(;o
e congracamento de seus filhos.
Zele o povo os sem direitos, ame a respeite as instituicoes, busque pela instruccao e pelo
trabalho augmemar sua moralidade e bem estar, que tudo ira bem ; porquanto, sinceramente
posso assegurar vos, o governo actual nao tem outro pensamento senao observar a lei e dar o
maximo deseuvolvimenloa todos os elemenlos quetragam em resuladb o engrandeciraento e a h-
berdade do pair.
8M1TMHM aBlDttTHIDlM 2 0)3 HTJ?aaaa)AlD3
E' para sentir que Hao seja raais liscngeiro o quadro da seguram.a individual e de propne-
dade t
Os erimes nao teem decrescido corao era para desejar ; antes apresentam um augmento, con-
frontados com os dos quatro annos anteriores.
Quanto a raim, nao indica isso maior perversao no povo mas sira que hoje os factos
eruninosos tao facilmente nao escapam, como outr'ora, ao conhecimento e acijao da justica.
Alem disso. si nossa ponulacao tem augmentado, nao 6 de admirar que na mesma pro-
porcao seja raaior o numero dos delinquentes.
Demais, acluam para e-se resultado causas ja apresentadas e reconhecidas corao occasio-
nadoras do crime.
0 analphabetismo e ma educacao dos habitanles do interior, a falta de ensiuo religioso, sao
indubitavelmente as principaes causas da raor parte dos crimes, sempre Glnos das impetuosas
paixoes de homens pouco esclarecidos e educados.
Tambem o prejuizo que ainda perdura, em menor escala, e verdade, de indebita proteccao
a criminosos; a falta de meios de que se re^entem as autoridades do centro pira perseguicao
e captura dos delinquentes ; a pouca seguranga das prisoes e o ser esta provincia o receptaculo
de todos os seeleralos, qne cumprem as suas penas no presidio de Fernando, sao outras tantas
causas da reproducQio dos crimes, tao prejudiciaes a sociedade.
E' para desejar que melhore a seguranr;a Individual e de propriedade, e pela minha par-
la nao lenho poupado, nem pouparei esforcos do intuito de couseguir esse grandioso deside-
ratum.
0 quadro seguinte mnstra quaes os crimes commettidos no anno findo, comparados aos
dos annos anteriores:
CniMES.
Annos em que (oram
perpetrados.
Resisteucia......... .
Tirada on fuga de presos, arrombamenlo de cadeia.
Moeda falsa.
Oesobddieneia......
Contra a liberdade individual. .
Homicidio........
Tvniativa de homicidio. .
Infaoticidio.......
Aborto........
Ferimentos o oAVnsas pbysicas.
Ameacas.......
Entrada em casa albeia. .
Estopro.......
Rapto........
Calumnia e injuria. .
Furto........
Bancarota, estelionato, etc..
Damno.......
Roubo .......
TenUtiva do roubo.
Offensaa a moral.
Ajuntamentos illicitos. .
Uso de armas defezas.
T5nrTiN!T?nTr?o?aTuTp7irTr^ o row 51 deplore-, do
sxercrt? e 8 do marioha.
qtiaes 3! do
ft
Bntre as diligeneia* effectuadas, relava notar apprehensio de mais de 72 contos de rais
em aotaa falsas de 30*000, com a dos apparelhos e material apropriado ao fabri;o deltas, e bem
u-im a captura de quasi todos oj indlciados nesse crime, que estao sendo processad s.
TJo imperunte diliteneia foi effectuada pelo digno ehefe de policia actual, auxil.ado pek>
dlegadodo is distrteto e pelos sabdatagado. de Boa-VWa e Santo Aotonio, os quaas nessa
oceasiao mostraram grande actlvidade, Uoo e zelo, merecendo por isso ser louvados e dut.nguidos
polo gorerno^imper^ ^ ^ cimbres importantes dilieencias foram igaalmeota teitas, resultan-
do deltas a apprebensao de notas falsas de padrio Ifaal as appreoeodida-s nests <-*P'\J-
Alem disso, tonm tomadas ceataoares de armas dafoxas, que sa achlm raeolhtdas ao arse-
Suranw o anno deram-se os seguintes factos notaveis : W teatatiras de sutcidio ; 11
mortes e 32 teriroentoi casuaes. ,. ,
Conhnuar-se-ha.
EXPKDIENTE DO DIA 17 DE DEZEMBSO DE 1873.
1.' secgao.
Offlcios :
Ao Exm. brlgadeiro eommandante das ar-
mas. Sirva-se V. Exc. de mandar p6r era liber-
dade os recrutas ioao de Freit s Roldao, Joau Fer-
reira do Nascimeuto e Joao Luiz de Franca, visto
serem incapazes do servico militar, segundo os ter-
mos de inspec^ao, annexos aos seus offlcios de 18 e
16 do corrente, sob ns. 1187 e 1194.
Ao director do arsenal de guerra. Mande V.
S. ferropear os senteneiados, pracas do 9s batalhao
de infantaria, Jovino Alves Barbosa, Manuel An-
tonio de Albuquerque, Manoel Fernandes da Silva
e Hanoel Ignacio de Lima, logo que forera man-
dados apresentar pelo eommandante daquelle ba-
talhao.
2.* seccao
Acto:
0 presidents da provincia, a vista do offlcio
do Dr. chefe de policia, n. 2055, de IS do corrente,
resolve conceder ao tenente Joao Pires Ferreira a
exonecao por elle pediJa do cargo de dclegado do
termo de Buiqae.
Offlcios :
Ao Dr. cbefe de policia. -Tendo eu aesta data
recommendado a Illma. camara municipal desta
cidade o fiel cumprimento de minha ordem conti-
da em offlcio de 25 de novembro ultimo, no sen-
tido daquella corpora;ao m indar cassar as licen-
cas, qua houver concedido para estabelecimentos
de servico raorluario, afira de que possa ter exe-
cucao o contracto feito pela Santa Casa de Miseri-
cordia com Agra & C.; assim o communico a V.
S. para que preste auxilio aquella Illma. caraara,
caso ella o requisite, no desempenbo da minha re-
ferida ordem.
Ao juiz de direito da comarca do Buique.
Inteirado do que participa Vmc. em seu offlcio de
11 do corrente, lenho a dizer Ihe que para essa ia
mandei seguir 1 official suballerno e 15 pracas de
1* iinha, sendo que ao promoter publico respective
mandei que procedesse do conformidade com a lei,
contra o vigario dessa freguezia pelos factos a que
allude o seu dito offlcio.
3.' seccao.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazeuda.
Communico a V. S, que a 30 do mez proximo pas
sado assumio o cidadao ieae Bczerra de Vas-
concellos o exercicio do cargo de juiz municipal
do termo de Bezerros.
Ao mesmoCommunico a V. S para os de-
vides 6ns, que a 9 do corrente assumio o bacha-
rel Jose Julian Regueira Pinto da Silva o exercicio
do cargo de juiz municipal e de orpbaos do Rio
Formoso.
4.0 mesmo.Communico a V.S., para os de-
vidos fins, que de.-do 1 do corrente foram despedi-
dos, por ter findo o seu engajamento no 1* batalhao
de artilharia da guards nacional, os tambores Jose
Belchior Ferreira da Costa, Joaquim Gaudencio de
Saiit'Aona e Manoel do Nascimento de Jesus, e
do 2s de infantaria o de nome Jolo Ferreira de
Lima
Ao mesmo.Mande V. S., pagar sob respon-
sabilidade desta presideucia e nos lermos do de-
creto do 1* de feverejro da 186a, o dc3r-nbarga.
do, suvorjo fernanrfgj de Araujo Jorge, w>movido
para a relagao da Foiwieza, a ajuda de custo ae
3:000000, que Ihe foi arbitrada pelo governo im-
perial.
Ao mesmo.Dando provimento ai recur3o
interposto por Jse Lourenco de Sant'Anna, no re-
querimento que Ihe devolvo e a que sc refere sua
inform icao de 15 do corrente, sob n. 207 serie F,
autoriso V. S. a mandar releva lo da multa em que
incorreu por nao haver dado a matricula no
praso legal a menor Rita, filha de sua escrava
Joanna.
Ao mesmo.Mande V. S. pagar, nio haverulo
iuconveniente, a Francisco de Paula Mindello a
nuantia de 3824800, importancia do pret, junto em
duplicata, dos venciraentos do destaeamento da
guarda nacional na cidade de Nazareth, corres-
Kindentes ao mez de novembro ultimo, como so-
;ita o rcspeetivo eommandante superior inlerino
em offlcio de 2 do corrente.
Ao mesmo. -Na conformidade dos inclnsos
termos de arremalacao em duplicata, mande V. S.
pagar a Joviniano Xavier de Souza a quantia de
1.099*000, importancia pela que foram cnnlracta-
dos os melhoraraentos precises no hospital militar
e que ja tiveram execucao, segundo asscvera o en-
genheiro das obras militarts em seu offlcio dalalo
de lo do corrente, sob n. 44.
Ao mesmo.Transmitto a V. S., para os de-
divos fins, as inclusas con'as de iransportes dados
por conta do governo da estrada de ferro do Recife
ao S. Francis:o, relativos ao mez de novembro ul-
timo. Igual a thesouraria provincial.
Ao inspector da thesouraria provincial. -
Tendo nesta data approvado o ore,amento das obras
accrescidas e supplemeutares na reconstruccao do
theatre de Santa Izabel na importancia de.......
18:126*874, orgamsada pela reparti^ao das obras
publica?, e bem assim autorisado o respectivo che-
fe a dar ao empreiteiro da referida obra o compe
tente certificado; ass'm o declaro a Vmc. para seu
conhecimento e fins convenientes.
Ao mesmo.Tendo nesta data approvado o
orcamento, junto por copia, no valor de o72i-i40,
organisado pela reparticio das obras publicas para
a obra da reconstruccio da galeria destlnada as
senhoras, no pa;o da assemblea, de modo a near
cellocada na altura do pavimento superior do mes-
mo edilicio ; assim o communico a Vmc. para seu
conhecimento e fins convenientes.
4." seccao.
Offlcios :
Ao Dr. inspector da saude publicaRemetta
V. S. a secretaria desta presideucia e com ende -
reco ao delegado de policia de Limoeiro, seguudo
solicita o Dr. chefe de policia era offlcio de 15 do
corrente, sob n. 2036, uma carteira homcepathica,
apropriada ao tratamento da variola, e as respec-
tivas in>truccdes para a applicaQao dos reme-
dios.
Ao president* da camara manieipal da villa
de Serinhaem. Fico certo de ter Vmc. deferido
juramento aos respectivos vereadores c installado
a camara do novo municipio de Gamelleira
no dia 13 do cerrente, segundo me comrau-
nicou em offlcio dessa data, que flea assim res
pendido.
J*ortaria :
r- A' Illma. camara mnnicipal do Recife.Com-
uiunicou-me a Illma. camara municipal do Recife
em offlcio de 3 do corrente que, tendo rocebido
intimacao de um mandado de manutencio expedi-
do pelo juiz substituto da I' vara civel desta cidade
em faror de Paula 4 Mafra, eoncedendo-lhes a fa-
culdade de contiouarem no goso da liceoca, que
haviam obtido, para se eacarregarem da uonJue
.-ao de radaveres ao cemiterio, resolvera a mesma
Illma caraara crestar obedi^n'i^ a esse mandado,
ficando assim prbjudicado o offlcio"desia prs.>idea-
cia, de 25 de novembro ultimo, em que determine!
que a Illm camara isesse cassar as lieencas para
aquelle mt-ter eoncedidas, vi.-to como a Saata
Casa de Misericordia, firmada na lei provincial n.
!12<, de 17 de julho deste anno, havia celebrado
contracto, que teria de vigorar do 1* do corrente,
com Agra iC, e o fizesse de modo Qne deste dia
em diante -6 s concessionarios podassem fazer o
servico mortuario, na conformidade da lei e do
contracto refcrido.
E tendo recebido do juiz a quo as informaeSea oe-
cearia.,rejpwndo a Illma. camara municipal do
Rocife, rei*rando-l>ie a ordem contida no offlcio
do 25 de tuivembro aciroa alludldo, e recom
mendando-ftel e prompta exeeucio dessa ordem.
Releva Bonderar a Iliraa. camara- que, carecen-
do aquclfe juiz de competenci* legitima para ex-
pedir Mmelhaaie mandado, nao tioha ella o dever
de obedeeel o, faltando ao curaprimento de minha
ordem, basaada em lei express*.
t ma ve: uue o coatracto celebrado pela Santa
com Agra > C. e o resultado neosario e iuirae-
diaJB dfe :itada lei provincial, na> pode elle ser offlcio d 15 do corrente.
coarctado em suai estiuulacftes sera gravissiraa
offeosa dTfesrespeito aos precertos da raesraa lei.
As leis provinciaes, (eitura de um poder sobe-
rano e legitirao, ^6 podem ser revogadas ou sus-
pensas em sua publicacaj, nos casos e pda forma
estabelecida na lei di lz de agosto de 1H34, parte
integrante da constituicao politiea do imporio ; e
someote uesUa casos devem cessar os seus ef-
feilos.
Desta doutrina, aoalcance de todos, resulta que
ao poder judiciario.nao i licito oppor obstaculos a
execucao das leis provinciaes, liraitando ou sus-
pendendo os seus elieitos ; e dest'arte torturar o
peusamento do legislador ou restringir a espbera
constilucional de suas.altribniQ5es.
Nao attendeu a Illma. caraara'a que, sendo cor-
poracao de natureza administrativa, segundo o
raechaaismo de'nossa legislagao, so recebe ordens,
no tocante a actos administrativos, do presideute
da provincia, unica autondade corapeteute para
homologar ou nao as suas re>olucoes. Demarca-
da coioo esta na coustitui;.io a orbita de ac;ao de
cada ura dos poderes, nella. creadus, 6 intuitivo
que o judiciarij invade a espbera do administrati-
vo, expedindo raandados revogativos de actos de-to
poder.
D'ahi o dever de n dado, sob pena de demitlir-se a Illma camara de
suas atiribuii.ods leeaes, que estariara sempre va -
cillantes, como nuliificadas seriam suai pesturas,
e o que e mais, todos os actos do poder adminis-
trative, cad* vez que o juiz do civel quizesse ex-
pedir um mandado revugativo. Conceder, negar
ou cassar liuenca para ter aberto um ettabeleci-
mento e acto que pertence exclusivamente a Iliraa.
camara municipal, e, qoando delle haja recurso,
mnguem dira em direito patrij que seja para o
poder judiciario.
Importantes como sao as attributes qae ca-
bem a Illma camara, e de esperar que as mante-
nha intacias, para assim as transraittir a sua suc-
ee>sora ; notando-se que nenhuma autoridade no
exercicio de suas funccdes tem a faculdade da
exonerar-se das respeclivas attribui(5es, cumpri-
das por lei.
Assim, pois, nao devendo deixar correr a reve-
lia a plena e livre execucao de uma lei provincial,
quan lo a ella se oppoen indebitos obstaculos, e
para que se tome effective o couracto que da
mesma lei deeorre, haja a Illma. camara municipal
do Recife de dar cumprimento ao que Ihe orde-
nei no oirhi taudo o auxilio, si tanto for preciso, ao Dr. chefe
de policia, a quera nesta data e ubre este mesmo
objecto me dirijo.
A' caraara municipal de Gamelleira. -Accuso
recebido o offlcio de 13 do corrente, em que a ca-
mara mnnicipaJ da villa dejiamell'-ira mAj'jpmmu-
aioa a aoiojo sua iustalia$r., que teve fdgariia-
ri.i?He dia- FeliciUn'o a mesma camara por se
melhanteTJbntecimento, que abrio para esse novo
municipio uma era de prosperidades, resta me re-
commeodar Ihe que me remetta copia authentica
daquelle acto, segundo preceitua o final do ar-
tigo 4 d> decrelo de 13 de novembro de 1832.
5." secgao.
OBato: -
Ai engenheiro chefe da reparticao das obras
publicai-Approvando o orcamento das obras ac-
crescilas e supplementares na roconstruc^iio do
thealro de Santa Izabel, na importancia de-----..
18:126<87t, e que veio anuexo ao seu offlcio de
12 dowrrente, sob n. 433, explicando detalliada-
ruente as aileracdes que deram lugar a esse aug-
nieoto de despeza, autoriso Vmc. a mandar passar
.ertifiealo ao respectivo empreiteiro, como solici-
tou em seu citado offlcio, que tica assim respon-
dido.
At mesmo. -Approvo o orgamento que veio
anuexo ao seu offlcio de hontein datado, sob n.
440, no valor de 562*540, para a obra da recons
trucglo da galeria destinada as senhoras, no paco
da asseoiblea, e que deve ser collocada na altura
do pavioento superior do mesmo ediOcio.
Portaria :
Os Srs. agentes da companbia brasileira de
navega^ao a vapor mandem transportar a provincia
d;- Maranhio, por con'.a do ministerio da guerra,
no proximo vapor que se espera dos portos do
sul, a ex-praca do 9 batalhao de infanteria
Thoniaz Villa Nova, que se recolhe a provincia
do t'iaubv.
EXPEDIENTS DO SEC.RETA8IO.
/. secgao.
Offlcios :
AoExm. brigadeiro eommandante das ar-
mas.S. Exc. o Sr. presidente da provincia man
da declarar a V. Exc. que nesta data sc providen-
ciou no sentido de serein ferropeados os quatro
senteneiados militares, de que trata o seu offlcio
de hontem datado, sob n. 1193.
Ao engenheiro das obras militares. De or-
dem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, com-
munico a V. S., em resposta ao seu offlcio datado
de 15 do corrente, sob n. 44, que loram expedidas
as convenientes ordens a thesouraria de fazenda
no sentido de er paga a importancia pah qnal
foram contractados os melhoramentos precisos no
hospital militar, e que, segundo V. S. assevera, ja
tiveram execucae.
2.* secgao.
Offlcios :
Ao Dr. ch9lede policia.0 Exm. sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. que
por portaria de hoje foi concedida a exoneracao
3ue pedio e tenente Joao Pires Ferreira do cargo
e delegado do termo de Buique, segundo offlcio
de V. S., n. 2035, de 15 do corrente.
Ao eommandante superior inlerino de Naza-
reth.-De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, communieo a V. 8. que autorisou-se a
thesouraria de fazenda a pagar ao oegociante Fran-
cisco de Paula Mindello a quantia de 382*300, re-
lativa aos vencimentos dos guardas oacionaes
de.-tacados nessa cidade durante o mez de novem-
bro ultimo ; como solicita V. S em seu offlcio de
2 do corrente.
Ao 2* supplente do juiz municipal de Be-
zerros, Joao Braz de Vaseoneellos.O Exm. Sr.
presidente da provincia manda accusar e recebi-
mento do offlcio de V. S., de 30 do mei proximo
passado, em que participa ter nessa data assumi-
do o exercicio do cargo de juiz municipal e de or-
pbaos do termo de Bezerros.
4.' secgao.
Portaria:
A' camara municipal de Gamelleira.-De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia, remetto
a camara municipal da villa de Gameleira um
exemplar da colieccao das leis promulgadas pela
assemblea provincial em 9ua sessao ordinaria deste
anno.
5' seccao.
Offlcios :
- Ao ttiagenbeiro cheta da reparticao das obras
uolicas. -S. Exc. o Sr. nresidente da provincia
manda communirar a V. s., para sen connecimen-
lo e fins convenientes, qne nesta data approvou as
ilaatas e orcauMato de que traU a clausala quart*
do co..t..to celebrado paraoeon>-truccao da as-
trad., de ferro do Bebedouro, e sobro c,ue ver-
.-ou 0 corrente, sob
n. 437.
Ao-superioteniente da estrada de ferro do
Recife ao S. Francisco.De erdem de S. Exc. o
Sr. presideate da provincia, communico a V. S.
que remetteram-se as thesourarias de fazenda e
provincial as eootas de transporles d tdos nessa
estrada do ferro no mez de novembro ultimo
por ceou do guneroo ; as quaes se rafere o sea
DRSP.XCHOS 0\ PBSSIDSNCIA, DE 28 DC f KVERKIBO DE
1874.
Antonio Braga. -Aguarde o supplicanle a reu-
uiio la junta que dave ter lugir era juuho proxi-
mo futuro.
Francisco Augusto Pereira da Costa I ilorme
0 Sr. engeuheiro das obras militares.
Galdioo Antonio Alves Ferreira. Dirija se a
thesouraria de fazeuda.
Jose Peres de Carvalho. -laleferido a vista da
informacao da thesouraria provincial de 2o do cor-
rooie sob a. 104.
Jesuina Alexandrinade Car>tlho Pedrosa. Pas-
se portaria com ordenado somente na forma da
lei.
Joao Braz da Lu:. Indoferido.
Maria Coelho da Silva. Deferido com offluo
desta data dirigido ao Sr. director geral da ins-
truccao publica.
Manoel Gomes da Cruz.Passe portaria na for-
ma do estylo.
Bacharel Migael dos Anjos Barros. Inf jrrae o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Silvestre Pores de AteveJo. -Iuleferido.
Severiano Vieira da Paz.Nesta data expeco a
convenient-) ordem no sentido de serem abonados
ao supplicanle d us mazes de seus vencimen
to*.
Repartt^iEo da policia.
2.' seccao.Secretaria de policia de Pernambuco.
2 de marco de 1874.
N. 300. -Illm. e Exm. Sr.-Participo a V. Exc
que foram recolhidos a detencao os individuos
seguintes :
No dia 28 de fevereiro findo, a minha ordem,
Honoria Porcina do Nascimento, presa em flagran-
te, por crime da ferimentos graves, a disposigio do
Dr. juiz de direito de Olioda.
A' ordem do subdelegado de Magdalena, Felis-
mina Joanna Baptist* da Conceieao, por distur-
bios.
No dia 1* lo corrente\ a ordem do subdelegado
de Mem, Casiiniro Fernandes, preso em Qagrante,
por crime de resistencia e amea^as.
Por offlcio de 26 de fevereiro findo, communi-
cou rae o delegado do termo de Itatnbe, que na
inanh.l do dia 24, no lugar denominado Aeude
Grande, daquelle termo, fera assassinade Alexan-
dre l'eiro por Jose d i Silva ; que 0 delinquent-
conseguira evadir-se ; que fez a compelente vis-
toria e ia proceder ao respectivo inquerito, afim
de remette-h ao juizo competente, para os devidos
tins, do que rae daria sciencia opportunamente.
0 del-^ado de Goyanna, por offlcio de 29 de fe-
vereiro tradOjOarticipou- me que o subdelegado du.
manicipai' o iniueri'to a ^^proGeni^*0"" 1
Clsmente, escravo, por crime fR rnm^ptos.
Nesta data communicou-me a subdelegado da
freguezia de Santo Antonio, que na noite do dia
28 do mez proximo findo, os ladroes ponetrarara
no primelro andar do prcdio sito a ma das Cra-
zes, daquella freguezia, onde tem escriptorio de
penhores Julio Isaac, arrombaram a porta da en-
trada da sala e d'ahi subtrahiram varios objectos
de ouro e prata ; que procedera a competente vis-
toria e diligenoia a descobrir os antores desse cri-
me, afim de contra elles proceder na forma da lei.
Deus guarde a V. Exc.-Illm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira dc Lucena. digno pre-
sidente da provincia 0 chefe de policia. Anto-
nio Francisco Carreia de Araujo.
DIARIO UE PERN AMBUUU
RECIFE, 3 I)E MARCO DE 187.
\oticias do sul do imperio.
Chegou honlera ao meio dia o vapjr americano
Mernmack, adiantando um dia do Rio de Janeiro
e dous da Bahia ao vapor Douro, chegado domin-
go, sendo as datas de qae foi portador 24 da cor-
te e 27 e 28 da Bahia.
Eis o que colhemos do. jornaes e cartas:
BIO DE JANEIRO.
Por despachos de 14 e 21 de fevereiro foram
naturalisaaos:
Os subdilos portuguezes Carlos Antonio Xavier,
Domingos Viegas, Fraucisco Pinto de Oliveira, Joao
Teixeira Machado, Joaquim Dias Duarte, Jose Alei-
xo Gomes Marques, Manoel Antonio Pereira, An-
tonio de Oliveira Maia, Joaquim Felippe, Jose
Goncalves de Castro e Manoel Agostinho Maia ; o
subdito alleraao Carlos Huogaro e o cidadao hes
panhol Sebasliao Mot.
Foi nomeado cavalleiro da ordem da Rosa Fran
cisco Jose de Farias Reys, subdito de S. M. Fide-
lissima e chanceller do consulado geral do Brasil
em Lisboa.
Tiveram merce:
Do titulo de eonseluo o desembargador Ermano
Domingues do Conto, presidente da relacjio de
Bel6m.
Do foro de lidalgo cavalleiro da casa imperial
o marechal de campo reformado conselbeiro Jo;e
Joaquim Rodrigues Lopes.
Declarou-se que a pensio concedida por decre-
to de 6 de agosto de 1873 ao soldado addido ao
asylo de invalidos da palria, Agostinho Bazual de-
ve ser considerada como conferida ao soldado do
24.* corpo provisorio de cavallaria da guarda na-
cional da provincia de S. Pedro do Rio G-ande do
Sul, addido ao dito asylo Agostinho Bazualdo.
Por decre to s de 21 de fevereiro foi removido
o juiz de direito Miguel Arcbanjo Monteiro de Au-
drade da comarca de Jaicos, de I.* entrancii, na
provincia do Pimhy, para a do Bonito, de 2.* en
trancia, na provincia de Pernambuco ; ficando
sem effeito o decreto de 29 de novembro do^ anno
passado, que o removeu para a comarca de Santa-
rem, na provincia do Para.
Foram declarados sem effeito :
0 decreto de 20 de dezembro do anno passado,
que nomeou o bacharel Francisco de Paula Penna
para o lugar da juiz da direito da comarca do
Crato, de l. entrancia, na provincia do Ceara,
por nio ter aceitado a nomeacao.
0 decreto de 9 de agosto do mesmo anno, que
nomeou o baenanl Frnetuoso Lias Cavaicante de
Albuquerque para o lugar de juiz municipal e de
orphaos dos termos reunidos da Independencia e
Principe Imperial, na provincia do Piauhy.
Foram nomeados juizee munieipaes e de or-
phaos:
0 bacharel Raymnndo Joaquim Ewerton Maia
do termo de Alcantara, na provincia do Maranhao.
0 bacharel Plaeido Pintw Pessda do termo de
Tamboril, na provineia do Ceara. ^
Foram removtdos, a pedido, os juizes munici-
cipaes e de orphaos, Amador Alves da Silva e Jo-
se Ferreira Brant, este do termo de Car veil-j para
o de Sahara, e aquelle do de Sahara para o de
Curvello. ambos na proviocia de Uinas-Geraes.
Foi concedida ao aapitio secretario ueral da
commando snperiot da guarda nacional Ja capital
da provincia do Piri, Adio Floreocio Nogueira,
paissgem para a reserva, f cando aggregado ao I.*
batalhao do raesnao servico.
Koran, perdoados :
0 reo Antonio dos Santos Rosa, do resio da pe-
na de oilo aoous de prisao com trabalho e mulu
eorrespondente a metade do tempo, imposta em
viriude de decisao de jury do termo do Cabo-Frio.
aa provincia do Rio de Janeiro, por crime de feri
laentos graves.
O reo Francisco Joaquim do Espirito Santo, d .
resto da pena da 13 annos e quatro mezes de ga-
les e multa de tres e um terco por cento, imposts
em virtude de decisao do jury do termo de S. Ro-
que, ua provincia de S. Paulo, por compli^dadV
era crime de homicidio.
Foi corarautada era 3 annos e I raez de prisao
com trabalho o resto da pena de 12 annos de pri-
sao com trabalho, imposta ao reo Floreatino Ber
nardo Francisco, em viriude de decisao do jury
do termo de M iragogipe, na provincia da Bahia,
por crime de Ihimicidio.
Por decrelo de 3 de fevereiro foram prono-
vidos os seguioles offlciaes generaes e offlciae*
suporiores do ex rcito :
Corpo de estado maior-graeral. -Tenente gene-
ral o tenente general graduado Francisco Antonio
da Silva Bittencourt.
Tenente general graduado o marechal de camp*
barao da Gavea, de conformidade com o j i*
do art. 22 do regularaento que baixou coo o de-
creto n. 772 de 31 de marco de 1W1.
Marechal de campo o brigadeiro Joaquim Jov
Goncalves Fontss.
Brigadeiro o coronet eommandante do '. bata-
lliao de artilheria lie mes Ernesto da Fonceea.
Corpo de engenheiros.-Brigadeiro graduado
coronel do mesmo corpo Innocencio Vellozo Peder-
neiras, de conformidade corn o 2.* do art. 22
do regulamenlo acima citado.
Por decretos de 21 foram nomeados
Conselheiro de guerra o marechal de campo
Jose da Victoria Soares de Andrea.
I.* official da secretaria de estado d >* negocios
da guerja o 2.* dito Modesto Benjamin I.ins d-
Vasconcellos.
2.* dito da mesma secretaria de estado o ama-
nuense Jose Alves Visconti Coaracy.
Por decreto de igual data :
Foram eoncedidas ao 1.* sargento do 3-> corpo
de voluntarios da patria, Manoel Francisco Mo
reira, as honras do posto de alferes do exercito.
em attencao aos bons servicos que prestou aa
eampanha do Paraguay.
Conceded-se ao tenente do 3 batalhao de in
fanteria Jose Lourenco de Vaseoneellos Chaves a
demissao que pedio do servicoo do exercito.
Pasaaram a aggregados as armas a que perten
ceui, de conformidade com a imperial res. lucao
de 20 de julao de 1870, tomada sobre eoosulta d->
conselho supremo militar, o I' tenente de I.*
batal lio de artilheria a pe Honorio de Souza Lima,
e o alferes graduado do 11* batalhao de infanteria
Joao Antonio de Barros Lacerda.
Por portaria de 16 foi nomeado o alferes
honorario do exercito, Antonio Cbrispim de Oti
veira Fernandes, para o lugar de ajadante do di-
rector da colonia militar do Jalaby na provineia
"lO ra/HMl n in mii wiirtl loiaul I.UUU-,...
.^guintes lieencas: .
Ao brigadeiro reformado Luiz MM Monteiro
para residir na cidade da Campanha, provincia de
Minas geraes.
Ao capitao reformado do estado-maior de 1."
classe, Antoaio Mascarenhas Telles de Freitas.
para residir nesta corle por tempo indeterminado.
Ao professor do franc*z do curso preparatorio
da escola militar. Dr. Manoel Gomes Bel fort Duarte.
por 40 dias, para trot ir de sua saude, com o
respectivo ordenado.
Por portaria de 18 e 20 foram iransferiJos
0 alferes Thomax Rodrigues da Fonceea do 8.'
para o 2. batalhao dc infanteria.
0 alfejes Luiz Vieira Machado do 2.' para o 8
batalhao da referida arraa.
0 I." tenente graduado Jose Alberto Rodrigues
do 3." para o 2." batalhao de artilheria
0 I.* tenente graduado Joao Pedro da Silva
Am
excitararo
vivas demons
Affonso do 3. para o 4.* baulhao da mesma
arma.
Realisou-se uo dfa 23, estando presente
Sr rainistro do imperio, a decima quarta coofe-
rencia, na qual o Sr. Dr. Joaquim Jose Teixejr*
expos alguns de seus pensamentos, mui
quaes, por sua justeza e actualidade.
da parte dc numeroso auditorio
tracoes de assentimento.
No dia 21 falleceu. victiraa do MM
grave que soffreu, o Sr. Julio Langkus Nasser.
A alfandega da coorle arrecadou de I a *
dc fevereiro 2,697:883*527
BAHIA.
Em cumprimentc de requisicio do de^embar
gador chefe de policia da corte, foi preso a bori-.
do vapor inglez Douro, o commendador Joao Piato
Ferreira Filgueiras, indiciado era crime de este-
lionato.
No dia 26 cahio sobre a capital un lerte
lufao, causando graves desaslres no ancoradouro.
Falleceu, em Santo Araaro, o profesor Joao
Augusto Gomes de Menezes.
Procedente de eernambuco chegara a canho
neira de guerra franceza Lamothe Piquet.
Do Rio Janeiro tinha chegado uma band* 4r
musica allema.
A alfandega arrecadou de I a ii de feve-
reiro 573:416*294.
^ERNAMSUCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL
SESSAO ORDINARIA EM 2DEMARCODE 187*.
pbxsoxncia do Sr. tEniuira de aci'iar.
Ao meio dia, feita a chamada, acham-se presen-
tes os Srs. Ferreira de Aguiar, Machado PorteUa,
Oliveira Andrade, Dario, Aotonio Attlco. Arconcio,
Gaspar de D. ummond, Antonio Paulino, Lacerda.
Mello Rego, Figueiroa Faria, Goncalves Ferreira,
Alipio Cosu, T.u Barros, Amaral, Pinto Pesso*.
Ratis e Silva, Manoel do Rego, Peretti, Toleotia*
de Carvalho, Tibnrcio de Magalhaes, CavalcaaM
de Alouquerque, Alvaro Ucoo.a, Guedes Gondiot,
Soares, Firmino de Novaes, Joao Barbalho, Joa-
Jnim Arrnda, Camboim, Vieira de Mello, Gomes
arent', Oiympio Marques, Goes Cavaicante e Tra-
vasso de Arrnda.
Abre-se a sessao.
E' lida e approvada a acta da -e.l anterior
aXPEDIEJTI.
0 Sr. secretabio fcprocede a leitora dos aa*
guiotes offlcios, que vao arcaivar : _t_
Illm. e Exm. Sr. Em desempenbo da cornnaiv
sao que V. Exc. incumbio aos Exms Srs. I
Antonio loaquim de Moraes e Silva e Prancm
Raphael de Mello Rego. e a mini, lenho a Maas
de passar as maos de V. Exc. aer cop tea an.
1 2. a fjUcitacao que, por parte da assemMealia-
gislaUva provincial dirigimos a S. Exe r. e
selheiro Joio Alfredo Correa de imran.t arw
poiuque S. Exc. aanave dar-aos, atlm de
V. Exc. se digne de commumca-tes a eau inn
blea
r>us cuardoa V. Exc. Ptrnasnbnco, 2 4e Mar-
co da 1874.-Illm. e Exm. Sr. Dr. Joao Jos* Frr-
raira de Aguiar. dignisimo pre-idente da aaJMa
blea legislative provincial de Pernambueo. -Fran-
cisco Jo R-go Bar.-tis Barrato.
His. c Exm. Sr. -Cb**os a honra de irrac



'

. MiTILADO
mU
-"
i_


#t W iftfMt M J- MI31 Aflfclo de Pemambuoo Ten
feira 3 de Martjo de 1874.
0,1317/ j orM
cm commissao transmiltir a Y.
gens que, por naria<>a nossa
rige a assemSiV^ftisIa i pruvinci
perumbneaolof*12 c*rca de tre:i aBDlJ5> eeB<'
4 pasta dos aup do ipiperip cqm tat.ta .in' .
rexa, eriterio^kflgufcado empenho em prov^ Wj
reclamos da opTmla publica.
As reforroas ja operadas sob o ^
nete de 7 de marco a^av ^3,
adopjao nas camaras^^J^k ^
ojnito -a de npsso_ rtAmPa^j|0l
nedidas tom^j &*|*nlojBSnondir
# P ...ra, A) 'ertteps d lievancia
*9;*smbrea legirfaliVtJv.-ovlBctal de P
^lo podiam passarfl I desanarem-lhe
(fiofe o reconhecioieirta.
E' a maDifesiiiL-Ao destes sentlmentos que viemos
uetfi
\
em nome daqnefla asseinblda/iraier i presenra de
V. Exc, o qus'fazemos com tanto tnelhor vontade,
qnaato ella exprinie, tambem, um voto de adhesao
a politica do gahinete de 7 demarco, ao qud no*
os rnembros desta commissao, temos prestado
oosso franco e dedicado aporo.
Digae se, pois, V. Exc. de aceilar esta manifes-
table, que sao, a um tetrpo, a expressao dos nos-
80s *e dos sentimentos dos nssos comprovincianos.
"Rio de Janeiro, 13 de setembro de 1873.Illm.
Exe. Sr. conselheiro Br. Hap Alfredo Correa de
tJlivcira.Assi.'tiados: Francisco do Rego Bar-
os Barreto. Antonio Joaqaim de Moraes e
Silva.Francisco Rarfhael de Mello Rego.
Illms. e Exm*. Srs.A felicitacao que por inter-
medio de Vv. Exes., em commissao nomeada pela
assemblea legislative provincial de Pernambtico,
me dirigiram os reprosentanfes do rhinha provin-
cia natal, e mais am favor de samtna importanm
que devo a geueresidade ineansavel do? meus com-
provincianos.
Sem titulo atanta bonra e ao lisongeiro concei
to em que sou tilb, tenho neste facto mats um
mcebtivo pr dedicaf-me ao service da palria.
no qaal n*o tenho esquecido e nsm equecerei
nunca que^ou pernimbucano.
A minha cooperacdo para as rftfotmas realisa-
las pelo gabinet* de 7 de marco e o esforco quo.
farei pelo melliorameniv donosso syslema eieito-
ral, assim como os meus rictos e constants empe-
nho pela Ciffusao da instruccao pnWIca, sao ser-
vicos, ccra que na proporeio de minlias debeis
forcas, proenro correspond^ a conffanya da nobre
provides, que por seus vutis collooou^mem po-
sicio de me ser ulil, servindo a patrii e os rnte-
rosscs-geracs do Brasil. .
Bego & V. Exc. que tr?nHfitta a assembly le-
giMstiva provincial aa Pe-rhambuco estas -minlias
palavras cm respoStt a -sna felicita..*), e os meus
proteMis de profundo rectnttecimento da mais
elevtda coniderarao.
flio de Jark'iro, 1-! de setembro de 173 -
Itimt. e Exms. Srs. ronselheiro Francisco do Rego
Barros Barreto, Drs. Antonio ioairnira fls Moraes
eSHva e Francisco Raphael de Mello Bego.
AsSignado.Joao AWredo Gurrea de Oliveira.
Rio tie Jancrro. 13 de ottttibro de 1873. -Illm.
>e Exm. Si Au-ciiso o reeebimetfto do olflck) de
^W de juiiho do cirrenie anno, em que V. Exc. 'fn-;
communica a resolncao tomada a nreu'fespeito
pela assemblea legislath'a deSta province, 'em
sessSode 7 daquelle mez.
A'eomm'tssao que V: Exe. nomeou, nsando da
atrteftJ.icjSo coiKeiida p--.la m>ma assembltVi,
coTimonieara a r.-sposta q*e dei as snas bene-
volas palavras.
Ueus gnar'dea V. Exc.-111 m eExm. Sr. Dr.
Jnao Jo.-i: Fi-rrerra d-vAgaiar, djgno presideute
da assemble i legislativa provincial de Remain
buco.JoS) Alfredo Orr*i de Oliveira.
Lii se mais um oillcio do Exm. Sr. presidents,
eoviando um. coilcc-Ao das leis geraes de 1872.
A aichivar.
Ap'M^M no D1A.
Procede se a eieicU das commissfle* e *;:he,n
< leflos os soguintes ?rs.:
CoHSiitHiwo-e fndrves.
AU'aro l'ch('ia, Antonio Paulino e does Caval-
c^*tj;e.
} tzertili e crfriinenti.
<-tlo Re?o. (ion?alvesFeirreirae Tolenttno.
Coiit'iS -e (lespezm procincines.
Alipio (!osta, Peretri e Areoncio.
CoHtMercio e ngricultura.
Figueiroa Farii, RitiseSilva e Tiburcio dp Ma-
p^lliaes.
Redaci?io ik leis.
J.iai Barbalh >. Parent"! e Camboim.
fn Portella, Joio UarOalho e Pinto PessOa.
VsMtiiHca.
Ti!o Burros, Areoncio e Attico.
Jtstir-a cicile-criminal.
GoMdes ipindin, Gaspar de Drummond
Vieira de MellOj^,_____
Scare-, Cuchs Cavalcanie eFirminode Novaes.
U.T.nme ile-pestwns.
Amia!, Manoel do Rego e Attico.
'Rtnd-.s miiaicipaes.
Goes Cavakante, Lacerda-e Amaral.
Tendo dado a liora, o Sr. presidents
sessao, e desigr.a para a ordem do dia
leilura de parecores, indicarj^s e requerimentos,
rtoniiuua *5o dos [rec8res adiados.
i ajsassjna evaffli^s
tioyanhveoutra o- escravo-Clemento. por crim
ferimentoe....... j '
Estrada de'Ferro de Olinda e Bebe
ribe.A respectiva directoria, deliberou sup
prtmir* trpaf*X1wipiBdas det;e rneia
Uoras 4a, majK pa^Bind^B dias de sabhado
e domafeo,7m notegmefWras ttoito para'
Bebertbe ; por nao errcr' aos mesraos passa-
Elef^ao de Ifaiantlade Sin virtude
da demissao, que pedlo juh da irmandade de N.
Seahora do Tbrco, proeedea-se a nova eleicao e
foi eseoftido o Sr. Lwirenjo BibeiM da Cunha
Oliveira, que aenlo procurador goral da mesma,
tkott substiturda pelo-*r. Dioniiio Hllaiij Lopes,
igualmeute eleito na mesma occasiSo.
Faculdade de Hreito% 0 service das
aulas desta faculdade, \\it se ibriflo em i6 do
corrente, foi disiriftnlflo eregttla-lo 'do spgliinle
modo: -^
!. anno : 1" cadeira, conselheiro Silveira ae
Suuza, das 9 as 10, na primeira sala ; 2* cadeira,
Dr. Pinto Junior, das 8 as 9, na mesma sala..
2. anno : l caileira. Dr. Figueiredo, do mcio
dia a I hora, na primeira sala: i' cadeira, Dr.
Belfort, das II to ineio dta, na mesmi s"ala
3.' anno : I* cadeira, Dr. Tarquinio, das 9 as
10, na terceira sala ; 2' cadeira, Dr. CoelBo Ro-
drigues, das 10 as It, na mesma sala.
4. anno : I' cadeira, Dr. Drum mood, das 8 as
9, naqnarta sala ; 2" cadeira, Dr. Graciliaiu Bap-
tista, das 9 as M), na mesma sala.
o." ahno : 1* oaleiri, consellielro Baptisia, das
9 as 1ft ; 2" cadeira, Dr. Attrigi .'Galma'raes, das
10 as 11; 3' cadeira, Dr. Pereirado Rego, das 8
as y todas na mesma Mia.
Actos academlebs.Para os alumnos da
fssuldade de direlto, que" requef eram pfestal-os,
aHiam-se deslgnalos pela fespertiva 'congrega^ao,1
C\ dias 6 o 7 do presents mez.
Dcfcza dc theses E lentes que de'vera arguir na? theses dos baehareis
Ulvsses Segismundo de AWujo Batinga, Luiz de
Araujo Cavalcanie e Almeida, e Antonio HeWu-
lano de Souza Bandeira Filho ; e fetam mareados
para os actos : do primeiro o d a 9, do seguftdo o
dia 11 e do terceiro o'dfa 13, tildo'do mez cot-
(iamara municipal dl'Bteeile.-if)e
rante esta corporate vao a prS'.-a, hoje e Smanlia,
orf reparos de tfue precisa' a pontezinha d6 Liica,
orcados em 360*000.
Conscllio Supremo MilltaP.5Sa ses-
5o de 23 de fevereiro acharam-se pfesentes os
Srs. couselheiros'de guerra duque de Gaxias, ma-
rech.il Bittencourt, visconde de Tamaniart^ barao
de Itapagipe, vice-altniratfte De Loniare, visconde
de Sania Tfiereza, barao deiAhgra, barlo da Gafea
c o cmseMielro vogalbrigadeiro Beanrepaire. 0
>eerelario de guerra leu o expedients; Wraffl-*e
tambem e approvaram se as consnltasa respMt >
dasseguiutes pretences: capitao Autonki Noguei-
ra Pinto, reclamrtndo contra a sua eo lecacSo uo
almanak miritar; alf res do natalhao de iafan
tfria Amahcio Angusto de Oliveira e "caplta6' ho-
norario do exercito alfcres'eff'Ciivo do mesrno Ar-
thur Silv*ein da VAgaj pedindo tempo derservifo
inilitar ; 2- cadete do 1* MRatMfl do artilheria a
pe Bernardino Alves de Castro Rosa, que se acha
cumprindo sentenca em^Santa Cruz, pediudo o pa-
g.nnento d gratilicatio diiita de 140 feij.J coro'
rml doestado maior de arlillteria Jpse Joaquim de
Lima e Silva, pedindo a medalha de mer to mili-
tar ; oiBcios do commandants das armas do Rto-
Gr<.ude d i Sul, pedindo para qua ly.uein sem elTei
to os louvores dados ao'tenente Esfevao Ribciro
ilos Santos Montoiro na.ordem do dia do 3* bata-
lliao de infanteiia.
fl.titeria do B.to de Janeiro. Resu-
mo dos premies da 78* loteria f PJ6), em benefi-
cio das matrizes da provincia do Rio de Janeiro,
extrahila a 23 "de fevereiro :
X 969...................... 2'1:00?500G
x. mt...................... lo-.ooi'iQoo
X. 2154..............1...... i:C0050(W
X: 2831..................... 2:GO0jSO00
Xs. 549 e 4299 1:000 .i ca'da um.
Ms. T83, 2867, 3477 e 4268 -'803^ a cad a um.
Xs. CO. 1488, 1302, .40 ft, 186-5, 2228, 2S34,
brigar com suas
^*|o^;l(o se pods desaur 'o
mrel;i)siij/rde cliogar a um modus
cafi Ivao 'so li'vc a qucstao mutto lo1
je'rWalWnflc d> clero brasileiro
f*JtfH*iOaricrJtii o estaJo : dos onae
brasileiros, sete parecem nao dosejar muito isso ;
os sentimeutos das esposas, filhas, av6s .e netas
fasileilW faHatto muito aim sem
ptvor dolima^^HjiacaoJjntre o estad
It maijr parle da populacio docil Ao
eSfcir convonclda de que a igreja romaBa 9
unlca, pelo menbs actuahriette, que pode fornew
os meios djeasino religioso-so pain, e ojmM
imperial dClxAi exclusiramcnte Ver ao pajp, dj|
era a politica que seguia e ao episeopado brasi-
leiro os limites denlro dos quaes ge da?e^ontex ;
a corte de Roma n5o torn, e obvio,'vontade algn-
ma de leww tio longe suas prelenjles ecetesfeS'
ticas que provoque uma revolta eoutra ella, e o
pa (em, nao ba dnvida, bemveki. Hrteneoee
ra com o Brasil. iT
A' vista disto, pois, e de crer que Os bfspos
recalcitranies sejam moderados e pradentes, e,
preslando respeito a lei fundamental do paiz,
cooperem para ternUnar' nm Incidente reliposo,
que iamais devera ter occorrido, e o povo os
auxiijara a sahir dessa siluacan, e se elles "fize-
rera, sera bom esquecer e perdoar.
BemafOnturados os roansos, rforque deUdstTo
reino do ceo.
Gemtudo ate agora, como dlss, nada arnda
transpirou a re^peito da neirociacao em Roma;
e de_ esperar lodavia quo tenna sortido effeito
conciliatorio. .
I/itcria do Rio. Esta loteHl, ti. 498,
orre qnarta feira. 4 do eorrtnte.
I,o ter la. -A que se acha a vehda e it 90.', a
beneflcio da Igreja da Conceii;.5o de CafOard, qtie
correnodia6.
Lelloes. -Hoje, 3, eflecliii o agente Pinto o
leilao de differences obiectos de escrfplorio ar-
tnazem de assacar, tia ra do ApoHo n, 8 .
Quinta:fetra, 5, vendera bmesmo agents W-
feTentos faieadas limpas" e avariaflas, assim cemo
dirferefttes prodios, conrorme esta annunel.do. '
Casa ite 'detencaOiMovittfento da casa
de detencao do dia de mareo de 1874 :
Kxistiam presos 327, entrou 1, cxistem 328.
' A saber *
Xaeionaes 247, rnutberes 10, estfangeiros 20,
e'ctavoS %1. tscrava I.Tdtal 328.
Alimentados a custa dos cofres publieos 254.
'''Movfmento da eiirermaria do dia 1' de 'tnarco
dte 1874.
Teve alts :
UinbeHno PeJn. Alexandrlno.
Hospital Pedro HV 0 mcrrtmento deste
e-tabelecimento, de' 23 de fevereiro ao flia 1 de
mhrgo foi o seguinte : existiain 344, crtlrafam 44,
saliiram 37, fallereram 11, existem'3i0, seii'do :
226 homeris
ongenheiro civil Dr
coinmunicando a
os nan pode fazer parted
examinar '
nteirada.
( jtiiz uk8tituto, 2 su^Mlo AJolpho
iqueira Gavalcante, communicando haver as-
jumido oexercicio do mesmo cargo.-Inleirada.
que por
Ammissio
ifco desta
Ojlro do jate'de paz, 2vTotad*a-freguMia da fevereiro de 1874- -Joee" Pedj^as Nem > -Ap-
_oa-Vfeta, tamtit'iii commairlcandbliver entrado
em efBrrio do ear^o. -InKirada
itrp d > procurador, remdtteuiBo" a rolaejk) das
multas' impoalas pelos liscaes,- a eontar do I.* a 18
do cortenlo.Inteirada.
fevereiro de 1874. J..s Pedr das Xeyes.. periodo drfWH f*WnpBM4^aus i
3.* Requeiro qne no orcamento vindouro gue
tein'dc ser apresentado 'a ajsetnblea' provincial,
s>rj:r creado 0 seguinte imposto : Tods a casa que
vender bjrrachi par* faier kraa^ pagOe o> impos-
lode200i annualmenle.
a Pago da camara municipiv do Recife,
c'PAV d
d/Was
18 de
pois no
Pat soldad *
leraaa as-
:ijio, 4362 e 4789 -2004 a cada uui.
Xs. 23. 38J, 802, 893, 900,. 1021, 1321, 1339,
1CI3, 2101, 2i84, 3332, ^907, Mil, 4200, 4429,
4320, 4836, 3222 3236 -'JOO* a cada um.
Ns. 4, 38, 43, 73, 104, 173, 400, 554, 918, 994,
1033, 1289, 1306, 1377, 1388, 1522, 1631. 1744,
1742, 1920, 1944, 1983, 2213, 2241, 2293,2476,
leva-it.i
seguinte
REVISTA DIARIA.
\ssimu?>.' ;t proviwHal.-Ilontem fanc-
rioaou coin ;iS- deputad*:, sob a presideBoia
do Sr. Dr. *gnir.
Depots do expe^imte, o -fir. presidente deelara
que a com:uitk) nomeada pe!a as-enibhia na see
sis passaila, para felicltar o Exui. Sr. minietre'
do imperw desetnpeiihou o seu mandato, pro-
uunciatido o wu relator "aia alloCTK-ia, enja
copia fji erniiatU a assemb^a e d.iqu?i lez a
ieitura o Sr. 1' ee^retario, asslra como da fesposta
dada pelo tne-itvi Rcnr. Sr. tntuistm.
Passattdo a oprfsni de dia, pr<*edeo-se a leicaoJ
das seguintes coraartMCoa, postas :
Constittiiji-i e |--iili'res Alvaro Ucnoa, Anto-
nio Paulino *-.-Goes Cavalcante.
Orearnenlo provjieial MeBo Rego, ffimgabm
Ferreira eTotentina tie Garvaibo.
irovinoiaeB Alipio Cosia,
Gontas e despeza-
Peretti e Gondim.
Commercio e ohras publieas Figueirua, Ba-
ns e Tiborcio.
Redae^ao de Im Joao BaiJylbo, Pareate e
Camboim.
Instruccao puhii ,: Portella, Joao Barbalh* e
Pinto Pessoa.
Eslalistica e divisao rivil Pito, Areoncio e
Attico.
Jnstica eivil e criminal Gondim, Drummoud
e Ernesto Vieira.
Megoeios ecclesiastkos Vigarios Soares, C-
nha Cavalcante e Novae*.
Exame de posturas Amaral, AUiso e Manoel
do Rago.
Orcamento mnnieita: Goes tJaAiaieante, La-
ei\j,i e Amaral.
Esiando a hora adiantada, o Sr. presidente
ievantou a sessao, dando para ordeoi ij dia de
boje : continaaclo da ele^ao das connnissSss ;
leitura de pareceres, indicates, projeetos e re-
queriment is e discussiio de pareceres adiados.
Colleelortas provuiciaes. Por por-
lartag da presidencia da provincia, de SB de feve-
reiro, foram nomcados: fiscal interino da col-
lectorla de Pao d'Albo, bacharel Jose1 da Cunha
Teixeira ; flsral inlerino i eollectoria de Bom
Jardim, bachsrel Thomaz Argerairo Ferreira Gha-
ve; collector do monicipio de Jaboatao. Philo-,
rueno Getulio Correia de .\raijje, ficaado sem
ilbrto a sua nomeacao bara o de Ipojuca
Autoridades policiaes. Por poi(arias
da presideneia da provtnei3, de 20 de fevereiro,
?oram nomeados: Joaquim Gome* Ferreira de
>a LerSo e Wanoel de Almeida Lima 2* e 3*-9irp-
iilu.nja? do s-tbdelegadc do 2* districta da fregueaa
de S. Jose.
Tele^ramma da Bahia. Sahio bo
doraingo a tarde, e nao no sabbad^ a t?.rde, comb
Jiontem dlssemos, o \-apor mgfer 'Cuzcj, tin liuha
do^Pacitico.
Se amanTic^or dm nosso port), n5o sahira antes
de meio dia.
Ajffenela teleg-rapblea amerieana.
A' bordj in MemmacH chegou hontein a esta
ciifade o Sr. JoSO de AIMefda, representaate da
Ageusia '.Acgrnpidm Americans, qua se aeaba de
i4ibe\ac-:r n) Rio de Janeiro, com o fim de
trahstnittir, a .'emdhartca das acencias Havi c
Renter, exLt^tcs ria Euroaa, os factos.e ocenr-
rencias que 'se derem nos diVersbs patees do
Wo ulrem let^gnphns.
J-Sr.'JoSo de AfmWda, dtsffft'ctb ca\-a1helro,
beni cuali^cido aa irnurensa fluminense, ouds
figurou por muito i^mpo, e digno daimportante
Pa^adorfa da 'tliosocraria de. fa-
senda. Ne'sta ettacio pagam-se hoje as se-
guintes folhas : Tribunal do ommcrcro, pess^al
da p'Jicia, consigna^oes dos ofQciaes do exercito
e ouiros, juizo dos feitos, marinhagem e guardas
da alfandega.
Associafao splrltlea brasilejro. -
Recebemos da Babia e agradecemos urn-exemplar
dos estatutos e regiment j inlorno desta awociaiao,
fundada na ca|)i!al dessa provincia
Tbesourorias de fazenda. Em 24
de Janeiro foi exjiedida, pelo minislerio da fazenda
circular as presidencias de provincias, recommea-
dando quo, attentos o limitado nnmero dos empre-
gados das thesoararias de fazenda e as multipliea-
da obrigaQoes que I e ao prescriptas, nao dis-
traiam das mesraasuhesouranas emprsgado algum
para quaesquer trabalhos eslranhos a ellas, ainda
quantlo se trate de objecto de iuteresse provincial,
sem que sejam taes trabathos urgeBtes e extraor-
dinarios: pfecedendo alem disso, audiencia do
inspector da me*ma repaftiea > e dando Immedia-
tamente eonta ao thesouro todas as vezes que
assimi proceder.
Seoioes Softre alfande^es. Pel)
minlsterio da fazenda, e;n 22 de Janeiro, foi
communicado a Hiesouraria de Perflarn-buco
que, tenlo sid> presente ao tribunal do the-
souro <> recurso interposto por Juaocini Lopes
Machado & C, da deelsao da mesma tnesonraria,
eonfirinando a apprer.ens.to, feita pela alfandega,
de uma caixa vindatie Liverpool no fapor Men-
ikza e o sapradito tribunal :
Gmsiderando qne a^firma commercial recorren-
;te goziMi sempre do cnedito de liBara e boa fe",
como aMestam a thesotsraria e a alfandega, qne
jutgaram procedente a alludida appreteensao, ere-
ditoesao^jae da-lhes direito de serem attendidos
em suas a#serc5es, <}ue todas parecem verosi-
meist;
G*nsideraniij que a dedara^io aes recorrentes,
de tgnorarem o conteudo da eaixa, deterrainara a
indeelinavel necessidade da abertttra desta, e
subsequente exame das ciereadortas que eon-
tinoa ^
CoBsideranioque, a visca da differeoga notavel
que a commisso nomeada pelo inspector da al-
fandega verilirou, pola coaip.iracao dev fundo do
primeiro compariimento da dita caixa com o ta-
aianho do volume, era impoosivel nao se dar pelo
segundo eompaftimento, goe era vMivel, facto
este que exclne a intencao argnida de cue a
segonda divisao fatso, desttnadoa sitblrahir a*s direitos as aer-
cadarias nelle contisks;
Consideranao que as daa? divisiJes da -ciixa,
qpsim como as merradorias acondicionada9 em
oada utha d?Ila, virlhanr d-Ncrip^s na fietura, a
qua! afflrma os rejorrerfre.-. terem reeebfdo em
ejiora posterior a ver.Ja da moenn caixa ; e,
segundo se fSriffca da cjmparaeao das dat&s,
nao podia ser fabricada peios xportadores de-
pois'que setere conhecimento da appreneisao ;
Resolven, daado prortoientd teenrso, inan-
Jar julgar nulla a ajiprehnsao, e eritregar aofl
recorrentes as mercaaoriasj Oagos oe fespeetivos
direitos.
En)-27dese mez-sf cwmmanieoa attteson-
f rarfa de' Pe'rnambue1Wt* a^piicivatb a portarftr
que;elpedlra a affatt^ega; erplicando-!he > verd*-
ileiro sentido do art II do'decreto n. l,5IB de
20 de abrilde 1870, visto eV-
do tdrh fl'peir?affr?nt') do ci'.adj'flwreto e im
tie ott!ttbro de 1873': pels, aijaelle artigo TiRo fez
mais do que e!eV,ir a um mer o prazo de ma
semana estar/eleeldb no art. 6*2,''f #. dd regirla-
mentQ de 19 de setembro de 1860, flcaudo curt**-
quealementeo esfKrlafldr da ierWrdaPf*''SttfehV.
do
issaj de due so adra mcarregado.
findo u)3 thrdrrVUi erte Sr., aempred etrvraa
\ esf6r?ospara encetar ft'trm"eert5 praz'o os sem
\ traballios.
\ Assassiuato.EA 24 do mez proximo
liado, Joe da Silva, asiassiaou a Alexandre Pedro,
e l'(4 mnmores.
Atvertenda.
Foram visitadss .-is enferminas nestes d'ras t as
9. 8 fi2, 10, II. 8'li2, 8, 7; pelo Dr. Beftrao ; as
12 112,1, I2l]2, ii, 12; pelo Dr. Sarmento ; as
9, 9 l|, 10, 11, 8 fi4, 9, 9, pelo Dr. Malaqtflas.
FaUecidos.
lose Rodrlgn3'de Figueiredo ; febre amarella.
Joanna Maria dj Espirito Santo ; metro peritoriite
Irtum&tica.
Paulo ; ih'feccilo puTUlenta.
Jia'na; mi-tritechfoniea.
A'nna'MMria'da 6oftCe1C3o ; brohsh'ite senil.
M.tnoel Alexandre monia du'pla
Manoel B*nto da Saude; diarrhea chronica,
Manoel Comes; variolas hemorrh-agicas.
Pedro; hemorrhagia eercbral.
Manoel f.ama do Nasefmento ; tubercttl'W pulnio-
nare-.
Anna Maria ; variolas confluenles.
Hospital Pdrttiguer.. Movimento das
enferraarias na semana de 23 a 28 de fevereiro do
corrente anno:
Ficaram exitlndo 29
EOtr'aram 13
Sihiram curados- 6
Fa'.leceu 1
Ficim existlrido 33
Esli do semana o Sr. mordomo Cesario A. da
Silva Paponla.
: ^Passaffeiros. Saliidos para os portos
sal no paquete national ZkiMM :
Paulo i uhen. Valdevlno Honorio Sumino, Gu-
pdrtino Guimarftes Bastos, Jose Alves da Cruz
Oliveira, Dr. Silvo Peuse e 1 criado, Anna Maria
da Conceieao, Fraecisco L. da Silva, Sabino A. de
Souza, Gh'ristianno de Almeida Maciel, Leopoldo
GuiaKno, D.- Americ-rMoreira de Almeida e 1 cria-
d), Januario Peres de Q'.iveira, Jose Joaquim Pet-
xoto. Busk e I Ultio mtnor.
Tinffos dos porter =ol no portttaoriono
Merr Smack :
Antonio S. Perreira Jnaior, D. Josep&ta C. da
Silva, Jos6 Maria Met^ilo, Jose Gaelano Metello,
JoSo de Almeida, Alfredo Alvos Matheus, ,.uiz An
tonlo P. do Garvallio Aibnijuenjae, Amlrosio E.
de Senna, Eduardo F. P. VeHoso e 1 criado. Manoel
P. Soares, Migliacio Pasquele, Antonio Piph.
Sahidos para os portos do norte no mesmo
vapor :
Henry II. Hitch e Luiz Antonio de Siqueira Ju
nior.
Cemiterio puMleo.Obituario do dia 28
de fevereiro
Manoel, pardo, Pernarabuco, 3 raezes, Bja-Vis-
ta; entente.
Francisca, branca, Babia, 14 mezes, Recife;
denliQao.
Henriquela, branca, Peraambuco, 2 mzes, S
Pedro Urrtyr ; congestao
Mathias Cesario Valerio Corrtia, pardo, Parnam-
boco, 20 anaos, solteiro, Boa Vista ; asphyxia
por sobmersao.
Manoel Bertto dos Santos, pardo, Bakia, 50
annos, solteiro, Boa-Vista, hospital pedro II
diarrhea chronica.
Pedro, preto, Africa, 53 annos, solteiro, Boa-
Vista, hospttal Pedro II.; aemorrbogia cere-
bral.
Manoel Alves de Albuquerque, branco, Perl
nambuco, 26 annos,.>ult"iro, Boa-Vista, liospita-
Pedro II ; plenro pneumonia.
Maurieia, branca, Pemambuoo, I annti, Santo
Antonio; convulsoes.
Pedro, braaco, Pernambuw, 5 mazes, Santo An
tonio ; splenite.
Florencia Maria da Conceiv-ao, branca. Per-
nambaeo, 8 annos, viava, Boa-Vista ; bydroperi
cardio.
Emilio Fiburoio Castro, 18 annos, solteiro, Gra-
;:i ; bexigas.
Ignez, eserava, preta, ilaranhao, igoora se a ida-
de, Gra^a^ hepatite chronioa.
1* de mareo.
Manoel Vicente Martnho, pardo, Peroambueo,
21 annos. militer, fioa-Vista, *ospitaI militar;
bexigas.
kiSepha, parda, Peraambuco, 3 mews, S. Jose;
convulsSes.
Maooel Gama do Nascimtnto, preto, Pernam-
boco. 28 annos, solteiro, Bja-Vista, hospital Pe
dro II; tuberculos pulmonares.
Aaoa Maria, parda, Buique, 46 annos, viuva,
Boa-Vista, hospital Pedro II; variolas.
Antonio Rufltio da Silva, pardo, Permmtmco, 38
anaos, Maaeel Peres annos, solteiro, Eos-Vista : oongestio cerebral.
Loita de Mlraada Pinto, toranca, if aora-se a na-
tura'idadc, 13 annos, so!ielr3. Santo-A*tonio ; obn-
gesiio cerebral.
Floraneio, kranco, Peraambuco, f> dias, Santo
Antonio ;tetano.
Maria, branca, Feraambaca, 4 annos, Boa-Via
la ; H;0nv'uft8ee.
Stignel, dranco, P-eraamoaco 8 roezes, S. Pedro
Martyr; eonvatsoes.
Jaciatha Januaria ; :n?s. par Jr.. Percanbaco,
29 annos, solteira, S. Jose taliercuios puimo-
ares.
Maria, parda, Pernarabco, s dias. Gmn; m-
-gssmo.
i Maria panda, Pernambiico, 18 roezes. ftraea ;
laentieio.
CAMARA foTSRTPAL.
ao Mga"fncnto da a'ff'rtartt-'iled'i'eHbj!, s* a'lrou-
xera pbate, pan b irtftar'que, no mez segnlhle
3D do de.^nicfio.
.Hlssao ldfler!Kl. Lem?s n'trrfli erVes-
pondenrfa de Londres :
s, Alnda qne uao tenna irsffspirado por aqui,
iual fbi o resoltado da missSo especial eaviads
j)elogoverno*t)rasileiroa Roma-; ScYwfita se toda,-
via oue sea dvsfcchn foi favoftiW. A^ e'wttandaS
ficc1fslat!cas par-;-rn-*e com 'IiHgas fle muWier,'
fanlmente se eacpera e azeilnib-se; as tiiqSw
prud*trtes ^vitam cohtendas "feom o elern. do
mestno modo que os homen* prudeotes evitara
SESSAO EM 18 DE F3VEREIR0 DE 18T4.
PRESI6BNMC1A D" Sti. Tftjion-itlo '.!LV\
Ao meio-dii, presentes os Srs. Xeve?, Gameiro,
Cuhha- GnimaraTies, Dr. Moscoso o Loyo Junior,
alert^-se a sesslo, 6 lida e approvada a ae-ta da an-'
teeetWnte,
Le se o aeguinte
' EXPttMENTE.
Dm offJcjo do Exm. presidente da proviaefa, IM1
commetidanJo a camara innnicipa! quo pretnova
pelos meiofc *bt se aleanen, entre o seas rttini-
cipes, objectOs'dWflroaeeo* a'gricoN'pgra a eTfpo'-
sjcSo que :iiKte|e reafWir no coiYente allflo a
Ouiro do mesmo, tambem femeKerfdo a relaflo
das pessoas aralladas pelos liseaes deste muaicipio,
a eontar da 19 de margo de 1873 a 31 de Janeiro
de 187i.-IBlfada.
Outro do llswil da fregdezla de 8. Frci Pedre
Gonoalves, remettendo a relai;ao das multas im
peatas poraauella Ikcalisacio, drtt a !8 do cor-
rente, na Imponaneia de 3MO00.-^Ao procurador.
fjntro do fiscal da"freguezla do S Jose, tambem
remettendo a relaeao das pesseas multadas, de 13
a 18 do corrente, na importancia de 86J0O0.Ao
procurador.
Outro do fiscal da freguezia de Nossa Seahora
a Graoa, fazendo igual remessa das multas ira-
uostas a diversos na importancia de 144000. Ao
prcfetiradur.
Uma net.cao do conlratanto do novo mercado
puftrlco, Jose Angusto de 'Aranjo. -^-A' commrssao
respectiva.
Poi apresentado nra parecer da commissao en-
carregada das obras do novo mercado publico,
tcerea do barracao ha pouco ctmsiruido no largo
da ribeira da freguezia de S Hose.
Mercado publico. -0 parecer do engeneiro desta
camara so.bre o Celebre barracao defl-.oeOJOOO que
foi subit>ctlido'a apprbva^ao 'da commissao no-
meada part velar pela c0nstrocc5o do mercado de
S: Jdso, 6 uma eoarctada de natureza tao repug-
bante que"provdea alaqnes nelrvosos.
'Oti o engefrTreiro eiifendo qne os vereadbres e o
publico sao completamente obtasos do entetrdi-
m^nto, qae n5o comprehendam a mais cha das
myxtitica^ues, ou'qne, como e!1e, sao tao facets de
se deixar ifludir.
De outra forma o ettgenheiro teria algum a;a-
nnameato de apresentar a esta camara a itiforma-
,c3o de 24 de Janeiro, da qnal r6<;nma sotnerrte o
pouco escrupulo com que elle trata dos negocios
da camara e da contfanca nelle deposilada.
Os precos porque orcou o engenheiro as madei-
ras, que, a vista !de todos, esSo emprCgadas no
fallado barracao ou tellrerro, s5o de tal forma exa
gerados qftecftusam e;'carMalo I
'Mesmo qae fossem eflas da mfilhor qnalidade
talvez nao custassem tanto como Toram orcadas,
excepluando as taboas de amarello, que o enge-
nheiro esqiifeceu-se de angmentar Hies 'prtritenfe-
fricnte o Valor.
Paos rotters de tonro de 30 palmos a 940C0I 1
Caibfos de ttfogoa 800 rs.
TraVetas a C4000.
Metro de frexal a 14260.
E' preciso Oma coragftm sansonlca para apre-
sentar se'raelhante 'orcamento,; sCnietttanies pre-
ijos 1!
"A' commissao faltajporem.'nm pouco do mat*
tiraHao'V&lofpara fallar do ihttro'^whftVrfdo -de re-
paracuo do calramento com uma cdmada de ci-
t/uriifopW-'20/iir)0l t
"FWjflftts'AoiTor! I .
0 p6 da eal que Csta' suffdeando cortipradores,
t.ilhadores e marcliante?'ahJ'e'sta para'jnstificar o
cimento Invemadd jJelrt'ttffitmheiro.
A cbmmh'sao nao pode Oefxar' de ft'diiiirar-se dc
que oengettheironao se lemtrasse -que o arre-
matante constrniiido um lemerro pira durar am
anno someute, deixasse Hi apYoveitar a telha do
apougue que ia desmanchar e comprasse telha
nova para esse lim ; penSOn "larvez'fne a telha
velha devesse apeaas ser aproveitada para o
aterro : '6 Csse na veMade ttm'esquedmento digno
de lastimar-se! I
A commissao deixa de entrar em outras mate
uiiudas observacoes para nao bicommodar p en-
genheiro, e me mo porque nao ha aeCessidade
disso, tendo-se a Vista o bfc>mento ; nao pooe,
por6m, escmsar se'de'frisar bem a verba insepara-
vel dus orcamentos, os 10 por centopara_ admi-
nistraQao e feTeatoaes que da 80i<800, nao obs-
tante os nreijoj exorbitahtes dc Wflas ias verbas,
n3o obs^fante os 5004000 para mao dVibra, officiaes
e seVve'iltes, e nio obstante os Mes 1: IO0400O
para tepatos do Calramento.
Adraira, jentretanto, que na construccao de um
temeiro qae deve" durar um anno, sem dnvida a
bbra dsse genero mais gigantestico que se tdnha
construidd neste seculo das fuzes e do pfogresso,
e para cpja administracao o eventuaes foi precisa
a somMa10'"0331' de 80i'480;^ nao houvesse ne-
c = .-; i-ar-lit' am engonfeuirn l^ giuudc dota, para
o qual se pedisse am honoraria na proporcSa do
orgamento das outras verbas. _
Assim nao seria necessario tao descoromnnal es-
forco para fazer chegar a conta a 8:9524800, fal-
tando apenas 474200 para 9:0004000, calculados
com profunda mestria para se fazer o monumental
telheiro queesta a vista do public i para bem ava-
lia lo.
Por semelhante modo podia-se elevar o ore,
menlo a 90:0004000, sem mais trabahodo que
accrescentar uma cifru a cada parcella I
A informayao do engenheiro vem mais uma yez
confirmar o juizo que a commissao tern emittido
nos antcriores pareceres que tern sido reeon'ie
cidos e approvados por wta camara, como'lie!
apresentacao da verdade.
Pago da camara municipal do Recife, 18 de fe-
vereiro tie 1874, Jose Pedro das Neves. Dr.
Pedro de Attahyde Lobo Moscoso Approvado.
Foi igualmentc apresentado outro parecer da
commissao de saude, relatlvamente a petiqao do
recurso da companhia pernanrbucana.
A commissao de saude a quern foi presente
a petigio de recurso da compadhia pernambuca-
na e o olHcio do Exm. Sr. presidente da provincia,
man dando de novo ouvir a esta camara sobre a
mate.-ia, e de parecer que se informs a S: Exc.
!. Que a esta camara nao compete procurar
ou indicar lagares onde cada nra possa funlar
eslabelecimenlos, qualquer; que seja sua natu-
reza ; e quanto aqnelles que sao reputados in-
commodos ou prejudiciaes, as suas posturas de
longa data tern marcado lagares fora dos centres
populosos, onde elles podem fandar-se.
2.* Qae a camara ja iaformou a S. Exc.que
a companhia pernambucana pedio licenca para
co'nstruir um telheiro provisorio para depositar
materiaes deseus vapores, e depois abusou da bf)a
ft aella depositada, raandando fazer alii deposito
de carvao ; ao que de certo a camara nao daria
seu eousentimeuto por conheccr quanto e nocivo
as pessoas e as cousas o p6 do CarvS > de peira.
at 3.' Que a pass a r o precedonte de se Cbter
da camara licenca para um fim ficito, e depois ap
pli a-Io a um mister pernlcioso e coniemnado
Eelas posturas e pelo regnlamento da aygtene pu
lica, e ficar a camara tolhkla dc fazer valer a lei,
seria aniquilar completamentc a sua acgao e pre
rogativas.
4.' Que o recurso que concede o art. 73 da
lei do 1 de oututiro 1828 versa unicamente sobre
materia merameate economka e admnistrativa e
nao sobre malarias de contratos e obrigacSes con
(rabidos em termos competentemente lavtados c
assignados pela? paries, qne tern de ser cumpri
dos por forca das leis em vigor no paiz, c qae no
casa vertente ainda mais obrigatorio se torna, por-
que a companhia applicon os armazms a nm osq
prejudicial a sadde, em cuja hypothesemesmo qne
a camara houvease concedido a licenca sem pen-
sar nos inconveniences posteriores, estava dentro
da leltra da lei raandando remover o eefaheleci-
memo para f6ra da oidade, a vistaf das posUtras e
da termioante dispodeao dos arts. 49 e 49 'do. re-
gnlamento de 29 de setembro de 1851 da dou-
trina do art. 66 2* da lei do 1 de outubro do
1828, a qual constitue a camara na obrigaeao de
extintrnguir as causas que pessamaKerdr e nr-
romper a saubria4e < Aesim julga a ommiia-qu a camara dew
re*peUo9amente, como serapre oostnma fazer, levar
ao eonheeimemo do Bxtn 8r. presMeate da pro-
vincia qne a companhia pefr.ianJbQcana deveser
eoaeida a enmprtr ocontraio-^oe awigaon, remo-
vendopara logarandeflfidpos^a-itooaimotiar nem
prejudicTr aos habitarrtes 'tie ana vizinhan^a, o
ieu fanesto deposito de carvao de pedra.
Pago da camara municipal do Recife, 18 de
provado.
0 Sr. verea-lor Lobo Moscoao, tardBenapren-
teu o seguinte lequeriment j :
t Tendo sldo encootwdo ttt requerimento do
qiie se achata archivadfls sem M estaaipllhas, re-
(jueiro tjue a commissia de policia examine se
eesa falta e casaal ou proveaiente de algom abuso.
Paco da camara municipal do Reeife, 18 de
fevereiro de 1874-Dr. Lobo Moscoso. Appra-
tido,
Poram despachadas as seguinles peticoos : de
Antonio da Silva Azevedo, Antonio Josd Leite Bas-
tos, Bernardino Candido de Carvalho, Bernardino
Jos Pereira, Elias Baptista da Silva, Francisco Jo-
se Alves Guimaraes, Piancisco Jose de Araojo (2>,
Francisco Joaquim Gomes da Silva, Hermenegildo
Eduardo do Rego Monteiro, Joao Pelix do Nasci-
mento, Jeroqvmo Gomes da Fonseca, Leonor Mu-
niz de Almeida, Manoel PranCisco Ttrxeira, Maria
Francisca Pereira dos Reis, Manoel Jose Carneiro
Guimaraes, Maria Francisca do Rosario, Oscar
Destibeaux, ReginaldoFrancisco das Uhagas e The
reza Antonia Ferreira dos Santos.
Nada mais havendo, o Sr. presidente Ievantou a
sessao as 2 horas da tarde.
Eu, Augusto Genuino de Figueiredo, official-
maior, servindo de secretario, a escrevi.
Manoel Joaquim do Rego Albuquerque, pre-
sident?. Josii Jfana Freire Gameiro. Jose
Pedro d'is yrces.Jeronymo de Sonza Leao.Josi
Cesario de Mello.-Joao da Cunha Soares Guima-
raes. Tlieodoro Machado Freire Pereira di Silca.
Jose da Silca I/jyo Junior.
de maneiras .lae*, pi* i
te terrilorio.
Os setis amigi-Hie dao os rhetwi-los parabew
e rogam a Ded?,' 0 ConseT'W' ieittpre eaerfieo e
rijo no desempenho de sea* deveres, e e heaver
nesta localidade algum desailccto a elle, qae lb
queiratMar algara fcfeito por aid ter transtgNW
com traftcis policiaes, eaa o atgara ao des-
prezo, euo se oatMroa cuiar m os trarw.
etc.
n
s cao nne uretepae reaa-tar no corrente anno a I'aco aa camara municipal, ao necif
slicWdaae Doze delSetBralfl't< BegWrto'a partidnl^ feVetetre fle 1^7't Josi'Peilrb"9af *e*>5.
fe-verelrb de 18fi. -Jae Maria Freire Gameiro.
Dr Pedro de Athavde Lotw'Moieese. \pi>ro-
vada.
0 Sr. vereallor Veve- *pres*4loa es Segnintes
reqnerimentos :
!: Hejueiro qne o-prt'eora**1 dsta fllastrt-'
aamara M o aiolivo peT(Jae, *e acham etn sen 0o
der trlnla e-awve tempos d? 5i*f*aeca) de postn
a, e ffne-aihdfc nlo Wa'm-'dW-rfaftw.
;o da camara inanicioal &Q Hbclfe, WJdc
;cio-do Bxm. preslflBBtS.'de W'ia-MWrreate, Coh*
referenda a brdem do gpvenio imperial.Intei-
rada, e neste senltdd mahdoti a eamara afflxar
editaes.
Ao publico.
0 capitao honorario do exercito e do corpJ de
policia, Antonio Gracindo de Gusmao Lobo, res-
pondendo ao periodico intitulado Provincia, com
o n. 225 de 20 do corrente mez :
Vindome as maos aquelle periodico, deparei
em sua Chronira, sob a epigraphe Um tfalentdo
de potpa, com um trecho qne me diz respeito, ca-1
lumniando-me como delegado de policia deste
termo.
Sou pomhto, for{ado a vir a im(n-ensa psra
dar cabal resposta as ragaseimprovadas aceusa
roes qne alii me fazem, cumprindo assim urn de-
ver, tlao so para eom o publico, a qoern devo
obediencia e respeito, como para as autoridades
superiores que se dignaram confiar-me a com-
missao que procuro desempetihar com a meliu.r
boa vbntade possivel. Para os qae me cahhe-
cem de perto, e sabem qual tem sido o meu
comportamento nas diversa* commis5es de que
me tenho enc&rregado, "escasado se fazia qual-
quer protesto meu com relacao a aaaelias accu-
sacoes, g^rque as recebetta, como ellas exacta-
mente sao, giitas des^onipassadas de desconten-
tes aos quaes nao posso e nem mesmo devo agra
dar no desempenho de minhas funccoes, sob pena
de decahir de minha dignidade pesscal: mas,
para os que Dao me Conhecem e necessario que,
defeudendi-me, diga o seguinte: Que.no des
empcuho do cargi qUe exerco- desde 6"de junho
do anno Cndo, tenho procurado pautar o meu
proce'dimenio pelas regras da Justma'e tnodora-
Icao, mantendo-nie com a independentia que se
Ifaz precisa.
As vagas accusa^Oes que me fazem, e o ridicnlo
a que me atiratn, Pio me obrigam uma jus-
tilicacao, e para destrui-los appello tao sonentt
para o eohceito que' fazem de mim os habitantes
honesto< deste termo, e as pessoas mais gradas
delle, que tendo o que perderem, dao-me su-
bidas provas de apreco c coasideracao, com o
que muito me desvaneco. E como o infonnante
da Procincia refere o facto de uma diligencia
que Ik no lado da Parahyba, e necessario dizer
o que a respeito se den. Estando em nossa
casa, na noite de 8 do corrente, alii me procu-
rara as 10 horas pouco mais on menos, o subde-
legado do districto de Pedras de Fogo, pediudo-
me auxilio alim de podcr captorar'-am soldado
de sua policia, que o tinha -maltratado, e anindo-
Be a outros resistira as suas ordens. Em rcs-
posta ao seu pedido, em caso tao grave e melin-
drosn, disse-Ihe que prestaria algumas pracas
para auxilia-lo cn> ^a jliligen.-i.-i. diricin4o-me
Elle o ofilcio que abaixo'.pnblico con| on- t- (*)
Tendo efle asim proceaido, prestei-lhe seis scl-
uatlos de policia, e a seu convite ollk'ial, h em
caracter lodo particular, o acompanhei ale o,
lado dr. Parahyba, o:ide por occasiao de ver se
podia ser reallsada a pris.io do delinqnente, que
a ella resistira, appareceram alguns tiros que
foram desfachados sobre mim e a -forca, mas niio
consta que alguem fosse ferido com bala de re-
volver, e apenas um inenino, que por curiosida-
de foi levado a aquelle iugar, recebera um feri-
mento de chumbo, como se verifica do corpo de
delicto qne se procedeu.
Eis tao somente o que se deu na cilia oisinha,
a que se refere o informants da Provincia, e que
e de notoriedade publica nesta localidade ; sendo
que depois do facto a que alludo, procurei en-
tender-ine com os Drs. juiz de direilo e promo-
tor publico da respectiva comarca, que bem sa-
bem como me conduzi a respeito. Mai pensava
eu, que, prestando-me tao de boa von lade, ami-
lianda uma diligeacia que procurava fazer a au-
toridade de um districto limHropbc, fosse tao
censurado ou antes calumniado !
0 informante da Provincia nao procure trevas
para offender-m? ; .-e nao receia a luta, porque
so diz verdadeiro, qne se deseobra, e aecuse^me
de oiteirn ergHida ; qnero saber quern me accuaa
para tambem salnsr se me mereco as bonras de
uma resposia.
Tudo serve para olqectos de eeasuras, e para
commentar-se tjuando uma opposicao politica e
desleal e mesquinha ; os factos mais ionocentes
Bab alterados e pintados com cores negras ocar
regadas. Nao admira que assim se proccda para
coratgo, qnando ate ousam calcnladamente ma-
rear os brazoes de honra, dignidade e illnstracao
dos Exm. Sr. presidente do conselho de miuis-
tros e presidente desla provincia ; e de um modo
tao ridjcolo que nao assenta por certo em nra pe
riodrco que se diz orgao de nm parltdo.
Espero, Srs. redaclores, que Vv.- Ss. far.io pu-
blicar em sua conceituada folha estas poucas li-
nhas em resposta ao flae disse o fnformante da
Provincia, na pub!ica;ao a que alludi, e a qucm
deqlaro qu -nao mai Teftarei a hnpfensa, se as
acjBsae^es que me lizerem forera sob a capa do
landjBymo, porque com um iuimigo cobarde que
asskri apunhala as recuiacoes albeias, nao se pole
e nem se deve disoutir, S neste caso sera o des-
preao a unica resposta cabivel.
llanibe, 26 dc fevereiro de 1874.
Antonio Gracindo de Gusmao Lobo.
(*) N. 1. Sublelegacia de p.ilifia da villa de
Pedras de Fofo, Sr.Existitido r.o qartel desta villa cinco pra-
cas do corpo de policia, que vieratn conduzindo
um preso a requisicao do Dr. juiz municipal desla
mesma villa, a onv,-.e que, acliando-se uma dessas
pracas'insnnordinada. e sendo disto avisado pelas
8 lp horas da noite de hiije, immediataraente
ifui; alii Cheguet, achei reatmente dita praca
corap um possosso e mandaado que se recolhesse
a bin quarto da mesma casa que s<'rve de cadeia,
est| desoBfdecera-rae e arremessou-se sobre mini,
com uma faca> quo, a nao ser uma rede que se
.acltava armada em minha frente, teria sido victi-
imat'e como conue'.esse que o proprio cabo e seus
corllpanheiros o fespeltavam a vista do estadoda
means praca, peco a V. S., como autoridade visi-
nhj, o auxilio (fe 6 a pracas, afim de me acorn-
paithaxem at'' alii para por termo, e chamar esta
pollnia a rrder.i, advirtindo porem, a V. S. que
estas pr.ujas veuham com bom inferior de onii
anjitte V. S., e mesmo ouso convida-b para me
acaltrp-tnhar nossa ditigeacia.
eusgnardoa V. S.-Illm. Sr. capitao Antonio
Gracindo de Gnsmao t.oho, mnito dtgao delegado
da villa de Itainbe. 0 subdelegado, Joao Baptista
do Rego Cavalcanie.
COLLEGIO
DA
SWTISS1MV TR11ADE
iO-Rua das Gorihos-20
A abaixo assignada, Hcenciada pelo Exm Sr.
presidente da provincia, e pelo Illm. Sr. Dr. direc-
tor geial da instruccao publica, lem e>Ubelecido
ua rua dos Coelhos, n. 20, a poacos passos da
igreja de S. Goncalo, um collegio para meninas.
sob a invocacao da Santissima Trinhadf.
Auxiliada por suas irroaas D. D. Lan lelina Jer-
sey e Olindina Jersey, ambas as |uaes, em conv
mum com a abaixo assignada, receberam igoal
educacio, durante quasi sete annos, em um melhores collegios francezes da cidade do Porto.
esta por certo habiiiUda para transmiltir a aau
alumnas todos os conhecimentos adqmridot Basse
longo espaco de tempo.
ehamando a attencao dos illastraaos pais de tami-
ha, nacionae3 e estrangeiros, para os esutahs
abaixo, a annaneiante espera merecer decidida
preferencia, pois o seu estabelecimeato se dutia-
gne, nao so porque nada pagain em separado pek/
estudo das artes de revreio, como tambem pelo dir
linguas cstrangeiras qae, era geral, s.mente *
ensina a traduzir, ao passoqne no Gdlegioda San-
tissima TaisoxBt se aprendera a fallar e screw
correclamente ; o que se torna sem davida a*
nma vaatagem e utilidade inconteslaveis.
Invocando, chcia de eonSanca, a proteeca* d.
seus compatrious, e de todos os estraogeiros iHtis-
trados, a annunciante e suas Irmaa*, no cnnlpri-
mento dos seus deveres, esperam e prometleai en-
vidar todos os esfon;os, afim de prnvar que, eatr^
n6s, exislem pernambucauas sufflcientemenle t.a
bilitadas para instruir e yrcpirzr nossas innoeea-
i amaveis patricias, nao 6 a desetnpenhartn
no futuro o nobre e rcspeitavel mimsterice*
mais de familia, como a se tornarem aqni, on eir.
qualquer paiz, onde se acharem, o Lrilhante W-
natnento da mais cnlta e distineta sociedade.
As aulas abrem-se a 26 de Janeiro.
Philomna Minertina de A. 0' Connell Ji
*i
ESTATLTOS
DO
Collegio da Santissima Trisdade, sob a
direcCao tie Philomena Minervina d'AI-
buquerque 0' Connell Jersey, coadjurnda
por suas irrnaas D. Landeliua d'Albuqutr
qae 0' l".onnell Jersey e I). Oliadma d'Al
buquerque 0' Connell Jersey.
Art. !. 0 Collegio dirigido por Philomeaa M-
nen'ina d'Albuquerque 0 Gnnnell Jersey denwt.
na-seCoLLEfiio da Sastissiva TbcoaM.
Art. 2.' As alumnas recebem nelle instrucci..-
primaria, secundaria, rtlrgiosa, de nvilHtaae,'**
recreio e pr.ndas.
Art. 3.* A instntcrSo primaria e -defton, *"-
cripta, contabelidade"(as (juatro operacSes) noeo
degrammatica potlugueza, costura cha e cro
Miet.
Art. 4.* A instrnccao secundaria comprelieB**
fingua national, francez. Inglez, italiane, b
ria, geographia e arithmetica.
Art. 5.- A instruccao refigiisa e dada pelo a
thecismn ; as alumnas aprendem dontrina cbr.--
ta, e todos os deveres religiosos a enmprirpara
Dens, seus pais e parentes, e em geral com a
ciedade.
Art. 6.* A instruccao de cinlidade abrang-
dos os actos da vida de oma senhora, em relai.
com as pessoas de sua familia e cam a nce-
dade.
Art. 7. A instruccao de recreio consta de
desenho, mnsica, piano c danca.
Art 8." A instruccao de prendas reaoe t-d'
os trahalhos de agolha, e toda a especie de bor-
ilados, que deve saber nma senhora da melho* -
ciedado.
II
Art. 9.' 0 Gdlegio admitle alumnas iaternas
meio pnsionistas e externas.
Art. 10. A lingua qne se falla no interior s<
Collegio e a franceza ; e durante as aulas de ing.-1
e italiano so se fallam estas linguas.
Art. II. As alumnas qne estudam franc-7. m-
glcz e it.ili.tti> aprendem a fallar, escrever e tra-
duzir estes idiomas grammaticalmenle.
Art. 12. A mensahtlaJe para as internas e #
104000, par., as meio pen-ionistas 204000, e para
as externas 54000, pagos adiantados por trimes
tres line, oma vez comet;a<<. consideram se vn
cidos.
Art. 13. A instruccao das alumnas externa*.
remunerada segnndo o artigo antecedeole, e a
dos arts 3 e >; as internas e meio-pensioni'U-
tssm direito a dos arts. '', 4, 5, 6,7 e 8 ; peaea*
todavia, quaiquer alumna externa freqneutar a'
aulas snperiores mediante a indemnisacao, far
os convencionar.
Art. 14. As despezas com livros, papel, etc' sa-
da competencia dos pais ou eorrespoaJeotes alumnas, e bctn assim a materia pnma d<*borda
dos, e estes execulados sao propriedade das tn*-
mas.
Art. 15. As aulas no Collegio aa Santis-iv.
Trinoade trabaiham duas vexes ao diade mart "
das 9 as 12, e de tarde das 2 l>2 as 5 l|2.
Art. 15. 0 enxoval da* internas e ao goslo C-
seus pais ; assim como a roupa lavada, eogomnu
da e pertences por elles serao foraecidos.
Art. 17. As pequenas iadisposiooese noles.A-
das internas sao (ratadas no Collegio ; na grave-
porem, a directora faz avisar aos pais on corrt>
pondentes para providenciarem s lire o tratam-r
in, que pode ser em suas casas. ou no CoUagk>
Art. 18. Os feriados sao os das aulas paatieas
salvo as quintas feiras que, no Collegio, ueaaadr*-
tinadas a instruccao de recreio.
Art. 19. Todas as materias leccirnadas no 0.4-
legio da Santissima Trindabe sao professadas |*
directora e suas irrnaas, ou outras senhoras MB a
aptidao precisa, e que a directora julgaraeces *a-
rias.
ltecife, aO do deaeatbro d* 1873.
Philomena Minertina de A. 0Connell Jcruy
opApprovoDirectoria geral da instruccao pnblxr
Pernamba-o, 8 de Janeiro de 1874.
Joao Barbalho Uchoa Catalcante.
Vrtc
Srs. redttcrores do Dtoria de1 ^irnambuco.Tlio
bode nassar silencio^o, aquillo que por um dever
rig iroso se' d ire p'l Hear.
"imirdu-si? 'l&'x freguezia de Gra^t.i, com 5
seu destaeameato no dia 28 de'fovereiro, d maitb
pigno Sr. alferes Jr.io Ribeiro Montarroyos, por tor
tidu ehamado pelo^ governn, pira o seu corpo na
capital, deixanfo seus'arajgos petaYBsos e com
ba.ta'ritn s.iiidaaes, nao S* poV.jne, rhmb cfifaMil i o
nlu-ini spi"
Rio Grande lo
PROTESTO.
Procedendo-se ao inveniario do acerva de mru
linado sogro, Ignacio de Albuquerque Slaranh.V
no tenno de Papary, comarca de S. Jose de .V.i-
jtibii. apresenlei me dispqtaodo a inveaUrianca
de que fui iliegalmente espoliado, nao jbstaale ha
ver com provas robustissimas destruido perante
respectivo juiz de orphios os calumniosos faada
mentos, em que se firmnu b te-tamenuiro, com-
mendador Henrique Bernard-s de Oliveira poi
sen proctirador Jc-aquim Ignacio Pereira e este
por seu advogado bachareQHorcira Brandao,pr
alcan?ar, como alcanc^oa saavemeote a preferen-it
apesarde nai residir no domicilio do inveala
nado I I I
Assim tendo aon'.ecidb dom violacae de
os |irincipi.s de direilo e aspecialmente das
qne regem o processo 'brpaanologico on divisa
para mimosear-se ao dito testamenteiro
posse e adrrHnistraoao de uma fortatu, em
nao tem a minima parte, saKo a elastica vinleaa.
teaho sido testemunha ocular dos mais escanda
losos esbanjamentos, extraoiJdinaras delapidacflfc.
multiphcados extravios e furtos incessants, oft
debalde hei levado ao conhecimenU do Dr. Jp
de orphios, hni; Antonio Ferreira Samoa JanMr e
este vai sanccionando tudo ao meio de irregularj-
dades> preterigoes, erros e vtcios, d-j qua se mm
inquipado o dito invontario.
E porque ultinnmeiuVcm n .me fosse' teta-<
menteiro, sc tivesse rcqaerido autorhacio tfaTi
yen tor o sitio Santo JAmaro, na cidade do R>
sem qne fosse eu auvido ate hoje, para dar
parecer, que'fi'contrario a fal venda, Titto'T
con.:tando-me valer so o. roqaeredte de uma '.
test.tmenwria, qne fecWta dt*p6r do referido site.
ventlca se da dita vertu, que o te>tador aMM
res Iv-eu espetific^^iVrrtrnlfi'para a defers, i
rabir, era uoi mogodelicado para com os Jentacio de outras questoes, como se re^an Wt-
seos a nfgrtH, m'orafi-ado. he.mizeJtVe nm dithif.t) pre-^oi
f'tte^oeiro qoes^eonsigoe na 4Cta um vo-
'to de lotivar'ao vex secrelatio desta tS**rara, Dr. iai de fainilu ; mas lib'm porque como militar, 1
Pedro de Albiq .lwqne Autran polos bt>ns ?ftfvi- pois que ht*an, -oulw- IJtP-A .etidar a tarefa de[
^os que prestou no respectivo eraprego.
ao de outras questoes, como se'
ic segnintes :
Declaro que o* Bncitrg.Vs da casa de
Lni< de Albuquerque Maianhio, mandadoa
ijoe foi'mcarregado (-el j giverno, no espaco de J | pnr pir ordem da herdeira D Luzi*

hi
llJBl!iLJ
t*

a
I
4
i


X
BkSft mrmmmc& ^ei^feirar awRMm^P j*Hfr#G
3

_
Albuquerque AfifWtOidf*irt,^^^^^^_
me foi.ap reseiuada dk
onia, .eft eaweqwwtia
ra a oiruter W3, one
lovedM Wraro*
rros Lette. do qaal. sot
eiro : estas liqdidagoes nao estSo ultiruadas,
por qui as pines nao me teem procaraJb, entre--
gando tudo ao fularo, para, fioar duvidoso .
c Declaro mais, qne para o men primeiro tes-
taaienielro fiear rannido de dinheiro para o que
eocorrer, vendera o meu sitio Saato Amaro dessa
cidade ( Kecife ), daodo se-lhe o valor, que elle
mereoer ; own tanto quo defends de qnalquer
epposicao que te faja aocumprimento desta minka
verba e autoriso o meu testaraenteiro a fazer as
despezas com o advogado e procurador e oatras
quaesquer judiciaes qne lhe serai levadas em
conta no iuventari o, sem que dependa de appro-
vagao .
Nao se tralaudo de taes qdestoes, e obvio, que
u testaraenteiro ne:n mesnto em hasla publica
t nuico raeio legal) jarnais podera obter a licenga
reqaerlda, eonira a qual venn> protestai, para
que ningaera fagi negocio a tal resveijb) ; pois
sera de pleno direilo uulla a venJa, como todas
as oulra< que nesle termo tern havido e ate clan-
destinamente.
Engenno Bethlem, W de fevereiro do 187L
Antonio Felippe de Albuquerque Maranhdo.
A^ua Florida de Murray e
I.amuiin.
(tap os poetas embora fallen dos'-arcs odorifa-
ttK da bakamica Arabia -porem apezar de tadb
podo-se muito bem por em duvida, se jamais ul-
gum desses floresceates bosques de canelleiras ou
liranjaes produzirao ou derraraarao in-enso e
perfume mais refrigerants e deleilavel do qua
aquelle delicioso e delicado aroma que exhata 8
drawn* desta admiravel e&sencia colhida nos cam-
po> virginaes de Flora. A atmospbera, a qua!
rouba e diveste a fragrancia a quasi todas as
mais aguas chei.\sas, parece produzir bem ponco
effeiio sobre a exquisita raridade d'este aroma, a
qual pertence por exeellencia a esta preparacao
sublime e refrigerante. Ellaencerra em si, por
assim dizer, o condeosado respire e vida das Hikes
as mais exquisitas e odoriferas do reino vegetal e
ua fragrancia parece ioexhaarivel, ioesgotave ,
mesmo depois de ter sido exposta a uma prolonl
gada evaporacao ou diffusao. Neste respeito ella
se asseraelha a. original Agua de Colonia de Fari-
na e e preferida por to.la America do Sul e nas
Aolilhas, nao ob.-tante o valor e custo dobrado
daquelle outro perfume.
A. Foots
Affoaso.
10 a
a Bastos Oliver
inarae?. 4 e 12
4
80MMEBCIS,
JL.MA DOS 0OKIIETO11ES
Praea do Recife, 3 de niarce
de 874.
AS 3 HORAS DA TARDE:
COTaQOES OKFiCtAES.
Aigoao de fsorte 7*700 por 15 kilos, sabbado.
Alji'Mlaode Penedo sem inspeegao 7*100 por 15
kilos, sabbado.
oambio sobre Londres a 90 drv. 26 1|8 d. por
1*000, sabbado.
Mo sobre dito a 90 div 26 d. por 1000, do
banco, hoje.
Heseonto ae letras 15 OiO ao anno, sabbado.
3. de Vasconeellos
Presidente.
A. P. de Lemos
Secretario.
3 e a Domingd
arceyp Monteir|
r5wi^%eira yithos & C.,
C, 2 a Jose" uailherme Go
ae.-v 4 e 12 ancoretas a Avelino A. Mapiues,
. ai liss flrraka da Cui*a> Sia**
Qlivaiu & C. Vinagre 10 pipa* e 50 bavu-aLulz
Jose 4a Goal* Awawrn 4\(L 9 Urio*,, 4 5 s, DqmiBgi* Afroow, S3 toawisa An-
tonioFraotisco Corga,Ma Joan de Bnto.
8 FEVEREIRO DE 1874.
Para os portoi do exterior.
No vapor inglez D$uro. parr Southampton,
carregou : A. M. Machade Janisr t caixa com 18
abacachis ; Otto Boheres 1 dita com 25 kilos de
doce, e I barrtca com 20 abacachis ; G. Neesen
& C. 151 saooas com 31,035 kiUs de algodio :
para Liverpool', M. F^ Pinto 1 barrica com 2) aba-
cachis.
Na barca ingleza Petchelee, para o Canal,
carregou : R. Schmmeltau 4 C. 250 saccas com
'W,"47ff kilos de algodao : para Liverpool, Keller
k C. 231 ditas com 17,761 dltos de dito.
Na barca ingleza Lavine, para Liverpool,
carregou: L. J. S. Guimeraes 2,000 saceos com
150,000 k los de assucar mascavado.
No navio france* S. Louis, para o Canal,
carrepBi: Keller & C. 169 saccai com.12,101
!os de algodld.
No brigue hesfianho! Roma*tico, para Bar-
cellona, carregm : R. Schtmrretlan k C. 211 sao-
cas'com'16,683 kilos do atgodifc
No brigm portugctM Odarense, para Lisboa,
carregou: f. P. Pires Ramos 400' saccos com
SO.OW'Wlos de assnear brsneo.
m galera port jgnera Saudade, para o Porto,
carregou : P: P.' Pires- Rames- 880 saccos com
60,094 tils de atsucar branco.
Na barctt4wrgueaa-*mpo<*Mi,. para o Pon-
to, carregoa-: *J J. d***a-288- saecrjs com
15,009 kilos de aaaaoar branw; Pi* Corderra 66
couros salftariwooB' 74t Wosi-
Para os prto* do interm.
Para o Rie Grande d Sul, no paBctio natio-
nal Francolin, carregou : Amorim Irmios & C.
35J barricas com 51,02* 1(2 kilos de assucar
branco.
Pa o Rio Grande do Sal, no patacho nv
cional Bemfica, carregou : A. F. de Barros 300
barricas com 26,950 1*1 kilos de assucar branco e
200 ditas com 16,500 ditos de dito somenos.
Para o Rio Grande do Sul, nonavio national
Abilio, carregou: L. J. Silva Gmmaraes 50 barri-
cas com 3,262 li2 kilos de assucar branco : para
o Rio de Janeiro, f. R. P. GuimarSes 500 saccos
com .37,500 ditos de dito. .
Para o Rio de Janeiro, no patacho -brasileiro
Maria Isabel, carregou : J. F. Meades Guiraaraes
800 saccos cam 60,000 kilos de assucar brance.
Para Maceio, no vapor national Dantas,
carregou: S. Junqueira k C. 1 barril com 96 h'tros
de alcool : para Fenedo, A. Carvalho k C. 1 bar
rica am 60 kilos de assucar refiaado.
, ue Hies serio franqueados nesta #eret:
Secreliria da tlieaooraria dB'Pemambuc
imrco de 1871.
0 2.* escripturario, servindo de aeeretaxio,
Carlos J. de Souza Correia.
CAPATAZIA
^eadloiento*' dia 2.
DA ALFANDEGA
No iia 1 a
VOLUMES
27.
SAi4U)08
No dia 2
ALFANDEGA
:wadimento do di 2. -
49:305*401
m CO ^4
494*400 4:207*305 7:190*398 273*500 444*8)0 32*500 1:289*390 33*920 4:718*173 10:214*103 529*650 996*750 62*000 1:310*980
13:9325293 17:864*976
Dsscarregam hoj3 de marc) Je 1874.
Vapor inglez- Arbitrator (atracado) raercado-
rias para a fandega.
Barca franceza -Minerva racrcadorias para al-
fandega.
Hiate americano B. L. Eaton varios generos
para o trapiche Concei;ao, para despa-
enar.
Patachoinglez Wolfrille varios genoros para
o traaiche Concei?ao, para daspachar.
Brigue grr-jo Apostolo Paulo ferro ja de-pi-
cliado para o caes do Apollo.
Barca ingleza Witck of the Teigncarvao e coke
ja de-pachados para o caes do Apolb.
Barca ingleza Crrisbrookcarvao para terra.
Barca ingleza Margarethe Wtffaj-carvao para
terra.
Mriine nationalDeus te Giediversos generos
nacionaes para o caes do Barao do Li-
vramento.
Hiale national D. Luiza diverse* generos na-
cionaes para o caes do Barao do Livra-
mento.
SMtacho portnguez Graciosa varios gener>s
para o trapiche Concei'.ao, para despa-
char.
HENDIMRNTO DA EMPREZA DAS OBRAS E
CAPATAZIA DA ALFANDEGA DE PERNAM-
CdCO.RELATIVO AO MEZ DE FEVEREIRO DE
1874, COMl'ARADO COM 0 DE FEVEREIRO DE
1873.
Vjerbas de reeeita
laxa de embarque
Dita de desembarque
Dila de armazenagem
Dita de embarcacSes
Dita de alvarengas
Dita de bagagens
l'ta de diversos
Total
Thflsouraria d;i emprcza das obras e capatazia
da alfandega de Pernambuco, 2 de marco de
1874.
Antonio Jose Leal Rois Filho
Fiel do thesoureiro.
jjJConfornii\Francisco Jose Galvao
Ajudante auxiliar mtorino.
l3Uportucfi.
liiate nacional Deus te Guie, cntrado do Assu
urn { do corrente e consignado a Bartholomeu
Louren?o, manifestou :
Algodao 91 saccas a P. da S. Guiraaraes, 50 a
Moreira Reis & C, 42 a Leal & Irmaos, 36 a Go-
mes de Matlos Irmaos, 9 a Guillierme da Costa.
Cera de carnaiiba 32 saccos a Jose Lourengo
tioncalves.
Penna de eraa 2 pacotes a P. da S. Guimaraes.
Sal 310 alqueires ao consignatario.
Iliate national Deus te Guarde, cntrado do Ara-
aty em 2 do corrente e consignado a Bartholomeu
Lourenco, manifestou :
Algodao 200 saccas a Antonio Alberto deS.
Aguiar.
Cera de carnauba 27 saccos a Davim & Fernan-
dos, 55 e 8 fardos a Domingos Alves Matheus.
(jhap*os de palha de carnaiiba 2 pacotes a Cosme
j da S. Catado.
Esleiras de palha de carnauba 10 rolos com
jgO ao mesmo.
Mor5es de carnaiiba 2iM) a Tasso Irmao k C.
Pennas de ema 1 caixa a Gomes de Maltos Ir-
rnios. Ripas de carnadba 100 a Tasso Irmao & C
Sal 280 alqueires ao consignatario.
Patacho porluguez Graciosa, entrado de Li3boa
na inesma data c consignado a Silva Guimaraes i
C, manifestou :
Azeite 40 barris a L. Jose da Costa Amorim &
C. Asal^jes 40 caiKas a Manoel Jo6 M. das
Neves.
Cantaria 3 caixas a Francisco Nunes da Silva.
Cal 100 barris a J. P. da Foaceca. Cevada 24 sac-
cos a Soares do Amaral & C, 10 barricas a Luiz
J-is'- da S. Guimaraes. Cera 36 caixas aos-con-
signasarioft. Dita 4 C. Chouricas 60 ancoretas a Francisco Guedes
de Araujo. Cebolas 25 caixas a S. do Amaral &
C, 23 a A. D. Simoes, 23 a Domingos J. Ferreira
Cruz, 50 a Joaqoim Joa6 de Azevelo.
Erva-doce 50 aaccos a A. D. Simoes.
Farello 100 saccos a Antonio A. Jacome, 300 a
S Leitao Irmaos 50 a A. D. Sim5s, 25 a Tasso
Irmao & C Feijao 150 saccos a M. M. A. Bar-
hoza. Floras 2 fardos a A. Caors.
Gomma 1 fardo a Bartiiotomea A C. GrSos de
petra 1 caixa aos mesmes. Gesso 1 barrica a A.
Gaors. _^
ledrae-363 volumes e 88 caixas a los6 Augusta
da Araujo 8 caixas a Francisco R. P. Guimaraa*.
^ardmbas iti bams-a Lima Maura-&C.
loacinho 50 barris aos coosignatarios, 30 a Lniz
Umt da i.osta Amociin A C, 20 a Leao Ra-
cha 4.C
Velas steM-inas 100 caixas a J. DuarW, 80 a Li
ma Moura & C. Vmho 20 pipas e 25 barris a A*
tooio Frani*ro Corga, 17 ella Joaquim Jo6
rnnc>rTv- BehrSo yFflbo, 19'"*> aThoma* *
ftuneua poru .
5egonda porta .
Terceira porta .
juarta port*.. .
rrapiche Concoitiio
SERVICO MARITIMC
kbaOMfM descarreg3das no tragic-*
alfaadeea d) dia 2. .
iavus atraeados no trap, da sifaaddga
Alvarengas........
lo trapiche Conceicao.....
475*744
37 78J
61
56
95
1,322
1,734
tt:.CEBEDOP.iA DE RENDAS INTFRNA-GE-
RAES DR PERNAilBU',",
vecdimento do dia 2 4:12J*a90
CONSULADO PROVhNCL^u,
RiuJimeulu do dia 2 3.302#037
xmrnimrn m mm
u
Faculdade de Direito;-.
De ordem do Exm. Sr. director, faco pnblico
que, em stssao da congregagao de hoje, depois de
veriiicada a presenca dos lentes, foi distriboido e
regolado o aervijo das aulas desta faculdade, que
comecarao a ter exeracio no dia 16 do corrente,
peio modo seguinte:
!. anno.
1." cadeira, cooselbeiro Silveira de Souza, das
9 horas as 10, na 1." sala.
2 cadeira, Dr.. Pinto Junior, das 8 as 9, na
inesma sala.
2. anno,
4/ cadeira. Dr. Figuetredd, da* 11a 1 bora,
na 1.* sau.
2.* cadeira.. Dr. Belfort, das 11 at 12 boras,
na 1.' sala.
3* a mo.
1." cadeira, Dr. Tarauinao, das 9 ae 10 h )ras,
na 3*9la.
2." cadeiavDA G4URodrigfe,das 10 as 11
horas, na 3.' sate.
4*-anno-.
I' caieica. Dr. Brnmaiond, das 8 as 9 horas,
na i. sala.
2." cadeira, Dr. Graciliano Baptista, das 9 as 10
boras, na 4.' sala.
5. anno.
1 h,lcadeira, conselhei/o- Baptista, das 9 as 10
boras.
T.' cadeira, Dr. ApTfglo, das 10 as 14'-lions.
3!1 cadr, Dh-RefO, daj-8 as 9'hbras, todas
nal^flah.
Paraos-altrnmrs qne requereram ado, foram
marcados os dias 6 e 7 do corrente.
Procedeu-se ao sorteio dos lentes, que devem
acgoir nas theses dos bachareis Ulysses Seg^s-
mundode Araijo B itraga,, Lui de Araujo Oavsl.
cante Almeida e Antonio Herculano d* Souza
Bandeira Filho, e marcou-se para a defeza de
theses do primeiro, o dia 9, para a do segundo o
dia 11 e para a do terceiro o dia 13 do corrente
mez, as 10 horas da manha.
Sendo cada nm dos referidoa candidatos obri-
gados a comparecerem nesta secrelaria tres dias
anies (as 8 boras da manhi), do em que deve ter
ldgar o respectivo acto, para tirar o poato de
dUserUcao, perante o leote mais antigo, dos sate
sorteados; cabe-para este fira, ae primeiro can-
didate, o dia 6; ao segundo o dia 8, e ao terceiro
o dia 10.
Seeretaria da faculdade de direito do Recife,
2 de marco de 1874.
0 secretario,
JosiHonorio Bezerra de Menezes.
0 Him. Sf.'inspector da theseuraria provin-
cial manda later pnblico que em enmprimento da
jrdem do Bxm. Sr. presidento da provintia do 7
ie Janeiro corrente, perante a junta desta thesou-
raria se ha de arrematar no dia 23 do abril pro-
ximo vindonro, a obra da ponte denominada^ Pao
Sangoe sobre o rio Serinhaem. orcada em 9:570*,
pagos em apolices da dlvida provincial a juro de
7 por cento ao par.
As pessoas quese propozerem a esta arremata-
;4o comparecam na sala das sessoes da mesma
tbesouraria no dia indicado aeima, pelo men dia,
competentemente habilitadas.
E para constar se maodou pnblicar o presente
delo Diario Seeretaria da th'seuraria provincial, 29 de Ja-
neiro de 1874.
Viclorlano Jose M. Palhares,
Offlcial maior interine.
Clausulas esneciaes para a arrematajao da ponte
denorninada Pan Saagu* sobre o rio Seri-
nh(tem.
!. A ponte denominada Pao Sangue sera exe-
cutada de conformidadc com o opcamento e plan-
ta approvados pelo Exm. Sr. presidente da pro-
vintia, no valor de 9:570*.
2.* 0 arrematante dara pnncipio a obra no pra-
zo de um mez e a concluira no de 12 mezes.
3." 0 pagaraento sera effectuado em 3 presta
r.5es iguaes a proporcao da label la execntada.
4.* Para tudo o mais que nao se achar especifi
cado sera rpgulado pelo que dispoe o regulamenlo
de 31 de julho de 1866. -0 engenheiro chefe, Jo-
se" Tiburcio Pereira de Magalbaes.
Victoriano Jose M. Palhares.
=
"f!W
srtlnSo
ra
e a concluira ao de 3 mezes.
3." 0 pagamanto serf etfectuadftem duas pref-
tacoes iguaes; stnde a prhneira quando o con-
trataute tiver ecoedtado metade dlobra e a segun-
da depois de concluida, qne sera recebida delini-
Unmeale.
*.* Para tudo mais que nao vai expeclfieado
nas presentes clausulas, se observara o que dia
pde o regnlaraento de 31 de julho de 1866.-Be
particao das. bras publicas 9 defevereiro de 1874.
0 engenheiro chefe, Joss Tiburcio Pereira de Ma-
galhaes.
_ _______Conforme.-M. A. Ferreira.
0 Illra. Sr. inspector da tbesouraria provin
cial manda fazer pnblico que era enmprimento da
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia de 16
do corrente se ha de arrematar no dia 5 de marco
proximo futuro, perante a junta da mesma thesou-
raria, por tempo de um anno, o custeio d nacao publica oa cidade deGoyanna, servindo de
base a arreniatacao o preco de 280 rs. diarios por
cada lampeao, offerecido por Jose Augusto de
Araujo.
As pessoas qne se propoiorom a esta arreniata-
cao, compere^m na sara das sessoes da mesma
junta no dia acima indicado, pelo melo dia, com-
petentemente habiliiada?.
E para consur se maudou ppbiioar o presente
poL Diario de Pernambuco.
Secrelaria da theaonraria provincial de Per>-
nambuco, 18 defetereiro dei874.
0 oAtial-mator,
M. A. Ferreira.
Sft!P|A GASA DA MISERICOrVtlA DO
RECIFE.
A Hliua. junta administrativa da santa casa da
iliserioordia do Recife, manda fazer pnblico que
aa sala de suas sessoes, 5 no dia de roar^t pe-
Ias 3 horas da tarde, tem ide ser arrematadas a
]uem mais vantagfns. offereeer, pelo tempo de a-r
i tres annos, as rendaa-doe-predios em seguid
leclarados.
ESTABLLECIKENTO DE CARIDADE.
Travessa de S. Jose".
Idem n. 11.......| 201*000
Rua de Santa Rita.
Idemn. 3i.fetiiada 264*000
PATRIMON10 DOS ORPHAOS.
Pateo do Paraizo.
l.raadar n.ift. .00.. 209*000
2. dito dito .... 300*000
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea a. 16.......209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. IS.......421*000
Rua da Cruz
Sobrado 14 (fechado).....1:000*090
Ruo do Pilar.
Casa terree n. 100 -. 241*000
Idem n. 102 fechada......241*000
Rua Velha,
Casa terea u. 44 (fechada). 4O0SO00
Rua das Larangeiras.
Casa terrea n. 17......361*000
Os pretendentes deverio apresenXar no acto da
irremalacao as suas fiancas, ou comparecererc
icompannados dos respectivos fladores, deyendc
pagar alera da renda, o premio da quantia en.
pie for seguro o prcdio que contiver e3tabeleci
nento commercial, assim como o servico da lira
peza e precos dos apparelhos.
Seeretaria da santa casa da miserieordia do Re-
cife, 2 de marco o de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
-----
ft' WAvOha dV' ilttNinV _
....ftabwlo, Almeida & C, conr o capiulfle
M llfffly|W6 para a fabricajao de pio e massas,
sendo o estabelecimedto soeiaf nesta eirjale a rua
dd marquez de Herval n. 57.
De Antonio Joaquim da S:lva Pote e Jose An*
gusto Pinto que gyrou nesla praea sob a flrraa de
Jose Augusto Pinto & C, ralirando-se o segundo
socio com o sen capital e Incros, e ficando o acti-
vo e passivo do eslabeiecunento a cargo do socio
Pote. ILA
De lose Lopes Alheiro, Manoel do Na3eimento
Cesar Burlamaque e Manoel Jose de Araujo ctija
sotiedade girou nesta praea sob a flrma de Burla
maque, Araujo & C., ficando o activo e passivo a
cargo dos ex-socios Alhciio e Araujo, ffretirando-
se o terceiro inteiramente pago do sen capital e
lucres.
De Francisco Jose Leite e Antonio Goncalves
da Silva, que gyrou nesta praea sob a firma do
! & C, retirando-se o ex-socio Leite pago do sen
capital e lucres e licandc o activo e passivo social
cargo do ex-ssocio Silva.
De Josd Lopes Alheiro* e Manoel Jos6 de Arau-
jo sob a firma de Albino & Araujo, com o capital
de 7i:820*720 para o comraercio de eompra e
venda de miudezas e ferragens em grosso e a re-
talho nesta cidade do Recife.
De Joao Pereira dos Santos Farofa e D. Antonio
Casademunt associados no notel do Caxanga, sob a
firma de Joao Pere-ra dos Santos Farofa & C, com
o capital de 20:000*000.
Seeretaria do tribunal do coramercio de Per-
nambneo, 28 de fevereiro de 1174.
0 nffitial-maior,
JuBo Guimaraes.
C0MPANH14
DOS
TRELHOS URBANOS
DO
' Quarta
A**l
Terceira tetita da
tro actotl^
de marco.
em qua-
UM NAUFRAGIO
MAS
mm mwmm
Terminara o espeetaeulo com a coroedii
aeto :
Os dons timidos.
coroedia flB
.\avios sahidos no dia l. de mar&o.
Lisboa Lugre portuguez Cidral, capitao J. A.
da Silva ; carga assucar e outros generos.
Bahja e port is iitermelios Vapor nacional
Danlas, commandante Peres; carga varios ge-
neros.
Navio enlrado no dia 2.
Bio de Janeiro e Bahia 6 dias, vapor americano
Merrimack, de 2,200 toneladas, command inle
W. Weir, equipagem 60 ; carga varios generos
a Henry Forster k C.
Lisboa 30 dias, patacho pertugnez Graciosa,
de 180 toneladas, capitio Thadeu Fernandes,
equipagem 10 ; carga varios generos a Silva
Guimaraes & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Mew-York, S. Thomaz e Para Vapor americano
Merrimack, commandante W. Wfe : carga a
mesma que trouxe dos portos do sul.
New-York patacho americano Adelaide, capitao
Horaeio Hall ; carga assucar.
Havre barca franceza Guillauine Tell, capitao
Lamaistre ; carga algodao e outro? generos.
EMI
A camara municipal do Recife cmvida a
todos os seus municipes a apre.-entarera para ser
expostes no corrente anno, obje;tos de produccao
agricolas para aexposi>;ao que pretende reilisar a
sotiedade Doze de Setembro, segundo a partici-
pacao do Exm. presidente da provincia, de 16 do
corrente, com referencia a ordem do governo im-
perial.
A mesma camara espera no palriotismo, dedi-
cacao e zelo de todos o bom exito de tal convite.
Paco da camara municpal de Recife, 18 de fe-
vereiro de 1874
Tbeodoro Machado F Pereira da Silva
Pro-presidente.
Augusto G. de Figueiredo
Official maior servindo de secretario.
Perante a camara municipal desta cidade,
eslarao em praea nos dias 27 e 28 do corrente, e 2,
3 e 4 de marco vindouro para serem arrematados
por quem maior praco offereeer, os tal hos ns. 27,
28, 29 e 30 do acougue previsorio da freguezia de
S. Jos6, servindo de base para cada um talho a
quantia de 117*000.
As pessoas que pretenderem arrematar, compa-
recam no paco da mesma camara, munidos de
Han ea.
Paco da camara municipal do Recife, 26 de fe-
vereiro de 1874.
Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque
Presidente.
Francisco Augusto. da Costa
_______ Secretario.___________
Pela thesonraria provincial se communica a
quem interessar possa que ficam transferidas para
o dia 5 de marco vindouro as arrematacoes de 200
metres de empedramenlo na estrada de Limoeiro,
e dos objectos para o corpo de policia.
Secretria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 27 de fevereiro de 1874.
0 official-maior,
Miguel Affonto tferreira.
0 Him. Sr. inspector da tbesawaria provin-
cial manda fazer publ.co que, em compriraente da
ordem do Exm. Sr presidente da provincia de 28
de Janeiro ultimo, se ha de arrematar a qnem
por mems Ozer, no dia 6 de marco proximo fn-
turo, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, a obra dos reparos da coberta do gym-
nario provincial, oread* em 578*6i 0.
As pessoas que se propuzerem a esta arremata-
cao comparecerao na sila das sessoes da referida
junta, pelo meio dia do dia acima inJicado, com-
petentemente habilitadas.
Epara constar se mandou publicar o presente
pelu Diario de Pernambtteo.
Sacretariida thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de fevereiro de 1874.
0 official maior,
Miguel Affonso Ferreira.
Clausulas especiaes para a arrematacao dos re-
ros da coberta do gymnasio :
1.* Os reparos da cabeita do gymnasio provin-
cial se.ao execulados, de conformidade com o or-
camento orgonisado pela reparticao das obras pu-
blicas, no valor de 378*600.
2.* 0 arrematante dara comeco aos trabalhos
no praso de quinze dias e os concluira ro de dous
mezes.
3.* 0 pagamente sera effectuado em uma so
prestagao, depois de concluida a ob-a que sera
recebida defiuitivamente.
4.a Para tudo o mais que nao vai especificado
nas presentes clausulas se observara o que dispoe
o regulamento de 3i de julno de 1866. Reparti
fao das obras publicas, 9 de fevereiro de 874.
0 engenheiro chefe, Jose Tiburcio Pereira do Va-
galhaes.
Conforme.-M. A. Ferreira.
Capitania buco. 85 de fevei'ciro
del*? 4.
Por esta capitania se avisa ana senbores pro-
prietarioi de can6oas e outras erabarcaroes em-
pregadas no tranoo do porto, nos navegaveie, na
pequena cabotagem e na pesca, que nos termos do
art. 76 do regulameato de 19 de maio de 1846,
alem das matriculas que os resprftivo* indiviiuos
deverao anditf rauoidos, oao podarao emprogar se
ditas einbarcacnes era taes '.servicos sera li:encas
por escripto, que serao reformadas no fim de cada
um anno, sob pena de multas matcadas era dito
artigo ; ajiira tambem que as referidas embarca-
g5es serao nnmeradas e mareadas nos coslados e
nas velas (as que tiveremi com as lettras e nurae
ros que ir.dicarem aslicehoas que fcrc-m passadas,
como 6 oxpresso no artigo 7ado cUad] regula-
mento.
0 secretario
Deeio de Arinino Fonseca.
Santa Corn da Miserlcordia do
Recife.
A junta administratiza da Santa Casa da Mise
rioordia do Recife, precisando fazer os concertos
de que necessita o prodio que possue o patrimo-
nio dos orphaos, a rua da Cruz, hoje do Bom Je-
sus n. 12, contrata com quem se proponha a rea-
lisar dilos concertos, medianle certa renda e al-
guns annos de prazo para desfructar ; devendo
os que disso se quizerem encarregar, apresentar
suas propostas em carias fechadas, devidamente
selladas, acompanhadas do respectivo orcame-ito
nesta seeretaria ate" o dia 19 de fevereiro vin-
douro.
Seeretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Snnza.
Perante a camara municipal desta cidade,
estara em praea not dias 3 e 4 do corrente para
ser arromaiado por quem meoor preco offereeer
a obra dos reparos que necessita a pontezinha do
Lnca, r>r$ados na quantia de 360* ; qnem pre-
tender arrematar e-sa obra eompare;a nos indica-
do* dias no paco da camara municipal, munidos
ds fianca idonea. 0 oifiamento acha-se na seere-
taria da mesma, oade. sera apre-euivia aos qua
os quizerem consullar.
Pago da camara municipal do Recife, 2 de mar-
co Tie 187.
Manoel Joaquim do Rego a Albuquerque,
Presidente.
Peanciseo Ka$fi*a da Costa,
Secretario.
0 Ulm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico'que, em enmprimento
da ordem do Exm Sr. presidente da provincia de
28 de Janeiro ultimo, se ha de arrematar a quem
por menos fizer no dia 6 de marco proximo futuro,
perante a junta da fazenda da mesma tbesoura-
ria, a obra dos reparos da oorcba n. 2 no 7- lanco
da estrada da sul orgada em 1:0123000.
As pessoas que se propuzerem a esta arrema-
tacao, comparecam na sala das sessSes da referi-
da junta pelo meio dia do dia acima indicado,
competentemente habilitadas.
E para constar ?e mandou publicar o pre-ente
pelo Diario de Pernambuco.
Seeretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco, 21 de fevereiro de 1874.
0 official maior,
Miguel Alfonso Ferreira.
Clausulas especiaes para a arrematacao da bora-
ba n. 2 no 7' lenco da estrada do sul:
1." A obra da bomba n. 2 no 7." lanco da es-
trada do sul, sera executada de conformidade com
o orcameBlo e planta, no valer do 1:012*000.
2.' 0 arrematante dara principio a obra no pra-
zo de 15 dias e concluira no de 2 mezes.
3.*0 pagamento sera effectuado em duas presta-
goes iguaes a proporcao do servico executada.
4.* Para tudo mais, qua nao vai especificado nas
prescntes clauzulas so ob*ervara o que dispoe o
regulamento de 31 de julho de 1866. Reparticao
das obras publicas, 9 de fevereiro de 1874. 0
engenheiro chefe, Jose Tiburcio Pereira de Ma-
galbaes.
Caufarme. M. A Ferraira.
De ordem.do ILlm. Sr. inspector da II
raria de fazenda desta provincia, aa faz puWioo,
para eonhecimemo de quem interessar, qne no
dWU'db coTflenterass; pelav* horas da tarde;4 jparos da capella. da caja de deteoeao.
arremaffris, "for q^em irhds vantages offereeer a
0 Mm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda iazer public) que. em cumprimento
da ordem do Exm Sr. presidente da provincia
de 28 de Janeiro ultimo, se ha de arrematar a
quem por meoos fizer, no dia 6 do marco proxi-
mo future, peraota a junta da fazenda da mes
ma thesouraria, a obra dos reparos da cupula da
casa de delencao, orgada-em <: 478*000.
As pessoas que se prepuzarem .a_esta arrema-
tagao comparweaw na sa das sess^s- da referi-
da junta pslo meia>dia do dia aairaa indicado,
competentemente habiliwdas,
Bp*raeonstar se^mandon paWtear o p?erente
pelm Drario Pernambvco.
Seeretaria dH ottco, U de fevereiro de W4.
"Ooffltisl-maior;
Wiluel Affonso. Fe/rdfa.
CISasnjks espeetaes para- a arremata$5o lJttTe
SANTA CASA DA MISEIUCOIUHA DU
RECIFE.
Venda dc predios
A Uuna. junta administrativa cesta Santa Casa,
devidamente autorisada pela presidencia, na sala
de suas sessoes, pe:as 3 horas da tarde do dia 26
do corrente, venle ou pcrmuta por apolices da
divida publica os seguinles predios, pertencentes
ao legado de Joaquin da Silva Lopes, de que e
administradora : Forte do Ma'tns, metade do so-
brado de 3 andares n. 17, por 5:500* ; becco do
Abreu, 3' Dartc do sobrado n. 1. por 2:666*666
rua da (iuia, sobrado de dous andares n. 69, por
6:000* ; rua de S. Jorge, casa terrea n. 92, por
1:400*. sobrado de um andarn. 30, por 2:000*,
dito meia-agua por 500* ; rua dos Guararapes,
casa te-rea n. 65, por 1::00* ; rua dos Acougui-
nhos, cosa terrea n. 26, por 600* ; Largo da Cam-
pina, dita n. 3, por 400* ; rua da Soledade, dita
n. 72, por 700* ; becco do Teixeira, oita n. 5,
por 250* ; largo das Cinco Pontas, terreno, por
1:000*000.
Seeretaria da Santa Casa da Misericordia do
Raeife, 14 de fevereiro de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza
Recife a Olinda.
Bcheribc.
HavendO complota ausen-
cia de passagsires nos trens
exlraordinarios das 10 1(2
horas da noite, qne havia
nos saabados e domingos pa-
ra Olinda, e nos das 9 1|2
da noite para Beberibe : de-
liberou a direct ria que fossem supprimidos ditOB
trens desde o corrente mez.
0 gcrente,
Laurentino Josi de Miranda.
Declaracao n. 1.
Pela contadoria da camara municipal desta ci-
dade, sao chamados a virera pagar a bocca do
cofrc, do 1 de margo vindonro, todas aqnellas pes-
soas que se acham sujeitas ao pagamento dos im-
postos creados pela lei provincial n. 1126 de 18 de
junho de 1873, reiativameole ao exercicio corren-
te de 1873 a 1874, cujos sao os seguintes : fores
e laudemios de terrenos municipaes ; 2*500 sobre
estabelecimenlos que vender espiritos; 3* por
cada licenea que tirarem as boceteiras para ven-
derem dentro do mnnicipio, e de 30* pelos mas-
cates ; 6* por cada carroca ou vehiculo empre-
gado nos servicos da cidade, villas e povoacoes ;
100 rs. por palmo de terreno dentro da cidade do
Recife e seus soburbios, que nao esteja edilbado
ou cultivado, oin\ora se conserve murado ; 20*
por cada casa ae sobrado na cidade do Recife, que
conservar varanla ou sacada de madeira ; 10*
por cada asa de sobrado, cojo exterior se conser-
var estragado, e 5*1-00 por cada casa terrea em
Uuaes circumstantias ; 10* por cada casa de so-
brado nas mas que ja foram calcadas, que nao
tiverem os passeiee a ella eorrespondentes, feitos
no mesmo nivelamento e aliuharaento dos que ja
tiverem sido executados de conformidade com as
posturas municipaes, e 5* por cada casa terrea
nas mesmas condicoes ; !'* por cada casa de so-
brado, cujos quinlaes deitem para outras ruas e
nao estejam murados ate o respaldo do pavimento
terreo em forma exterior de edidcio, e 5*000 por
cada casa terrea em identicas tircum3tancias ;
60 rs. por palmo de terreno nos povoados da Mag-
daleoa, Capunga, Chacon, Casa Forte, Pogo da Pa-
nella, Caldeifeiro, Monteiro e Apipucos, que nao
estiver murado ou cereado; 40 rs. por palmo de
terreno em toda a extencao da cidade do Recife a
Apipucos, que nao estiver murado, xceptuando-
se os terrenos qne tiverem sercas nativas em bom
estado de conservacao; 20* por cada baixa de
capim dentro da cidade do Recife ; 10* por cada
machina a vapor, mmilada na cidade do Recife
para qualquer mister ; e fraalmente o imposto de
4$ por cada ca?a de negocio nas cidadas, villas,
soburbios e povo^goes, devendo, porem, os contri-
bnintes, quando tiverem de pagar este imposto, a
apresentar na contadoria o-conheciuiento do im-
posto geral sobre industria e profissao, afim de
provar ter assim satisfeito o referido imposto
geral.
Declaracao n. 2.
A mesma contadoria da camara municipal desta
cidade scientilica a todos os donos de diversos es-
tabelecimentos de porta aberta, a virem pagar os
impostos atrasados que se acham a dever, dos
exercicios pas-ados, bem como os deraais impos-
tos acima especificados.
Contadoria da camara municipal do Retire, 27
de fevereiro de 1874.
0 contador
Hypolito C. de Vasconeellos A. Maranhao.
Correio geral
llelacdo dos objectos registrados existentta
na administracdo dos correios desta pro-
vincia, para as pessoas abaixo decla-
radas :
Antero Carneiro de Lacerda, Almiro Leandro
da Silva Ribeiro, Alfredo Abdon Je Loyola, Anna
loaqoiaa do Sacramento, Albino Goncalves Meira
de Vasconeellos, Antonio de Souza Gouveia Filho,
Benjamin Constan da Cunha Salles, Francisco
Galloti, Honorio Barros da Silva Gulart, Jose Fer-
reira da Silva, Joaquim das Chagas de Jesus, JoSo
Pereira dos Santos Farofa (2), Jose de Aguiar B.
de Barros. Lourengo Jose" de Figueiredo, Manoel
L. de Miranda Henriques. Manoel Francisco do
Rego Barros, Nicolao V. Chaves de Barcellos, Ur-
bano Jose de Souza (2), Vicente Fontonelle Be-
zerril.
Administragao do correio de Pernambuco, 1 de
marco de 1874.
Jose Candido de Barros
Encarregado do registro.
Era ensaios o popularissima drama original
cez, traduccio do Dr Feiiciano Prar '
Forcn- [M f.rci.
A's 8 1|2 bom.
TUE.ITM
MWICA
(\nlig; Gyinovb)
JMPREZA :=Ip PENtUTE
Quarta-feira 4 dc marco.
BEMEFICIO DO
Consellio superior da Socidade l'ropagadora
da Instrucgao Pu: Una.
Representar-se-ha o drama em 3 acto* :
FREI LUIZ DE S0H.\
Dara I:m ao cpectaculo a aria comiea :
M4sca(e iliiliiino.
Depois .pectaculo havera doas treat at-
Caxanga, seudo um pela linba priucipal e omro
pelo Arraial.
principiara as 8 1|2 horas.
THEilTRO
DA
ENCRUZILHADA.
SOCIEDADE PARTICLLAR
RECREIO DKAMATICO.
Sabbado 7 do corrente.
Subira a scena o muito applaudiio drama em 3
actos, do insigne escriptor Mendes Leal :
Abel e Cairn.
Finalisara o espeetaeulo em a muito chistosa
comedia :
1mm um torn.
Principiara as 8 horas em pom j.
Havera trera depois do espeetaeulo.
Aviso.
Os Srs socios podem desd-i hojejmandar buscar
os seus bilhetes no theato das > as 7 horas da
noute, salvo, porem, a resiriegao do art 9* dos es-
tatutjs.
Rio Grande do Sul
Para o referido porto pretende s< siiir c m mui
ta brcvidade a barca portugueza Arnunda, !>or ter
a maicr pane do ?eu carregamento irat.ido,
para o resto que lhe falta. trala se com os eoMg-
natarios Joaquim Jose Gongalvis '
a rua do comraercio n. 5.
Bcllrao i Fillm.
PARA'
0 Geofgiai.ii
E' esperado do Rio de Janeiro por estes dia.*
a segue com pouca deraora para o Part, tendo ja
parte da carga engajada trata-se cam Tasso Ir-
maos & C.
Para.
perante a Janta delazwfa, ira a praea para set*,' L* Os reparos da capella da casa de detencao nemo n;'86.
serao eteeutalos- de' contormidade corn o orga-
Armazens da companhia per
nambucana.
Seguros contra o fogo
A companhia pernambucana, dispondo de ex-
cellentes e vastos armazens em seu predio ao for
tedo Mattos, offereceos ao coramercio em geral
para deposito de generos, garantindo a maior con-
servagao das mercadorias depositadas, servigo
prompto, prefos modicos, etc.
Tambem recolhera, mediante previo accordo, ex-
clnsivamente os generos de uma so pessoa.
Estes arraaiens, alem de arejados e comraodos,,
sao inteiramente novos e asphaltados, isentos de
cupim, ratos, ete., etc.
As pessoas gue quizerem utillsar-se destes ar-
mazens, pederao dirigir-se ao pscriptorio da com-
panhia pernambucana, que acharao com quem
tratar.
"Tribuual do commercio
Esta seeretaria faz publico que nesta data toram
archivalos os segnmtes contnlos e distratos de
sociedades eommercfaes:
De MigueUoaquim do Rego Barros e Bernardi-
no Alves Btftysfi. aqb.a Ji^fna Hejltejo Barros &
C., com ocapital de rlOWOOOpara' o coramercio
de generos de estiva, fazendas e miudezas em Ma-
cacos na &** do Raeja da PaneUla, e em Ta-
batinga freguezia de S Lourengo da Malta.
De^Manoel do Nascimento Cesar Burlamaque e
Jose-'Alves Matmado Guimaraes, sob a firma de
Manonl Burlumaque.dt C.oosao capital da......i
ISiflOOiOOO para p qommmertio de fazendas so
eslabelecimeuta sit'o nesta cidade a rua da Irppsra-
De Pimentel, Braga & te ctfja flrma faun
amiJtmM SUtvimmM, UvClemfw^-
aga emu commwditeiiooi oom o^WpM <*>'
mento sfto neifTcwadp a ma do'Livra-
THEATRO
De Jose de Almeltfa RaUeHb, Atrtonio tfe Scran
EjMPREZA
Hoje
Terqa-feira 3 de margo.
Terceira reprcsentagao do muito lindo e frene-
ticamente applaudido drama-sacro, ornado de raa-
chinismo e musica:
fflLAGRES
DE
IS. DA APPARMA
A's 8 1)2 horas da noite.
Precos.
Camaroteade lado com 4. eptradas
Ditos de frente com 5 ditas
Cadeiras e platdas, pr? c**tome.
Nos domingos, porem. nJo bavetoo cimarotes
e qualquer pessoa pdJe seatar-se na* galerias do
tbeatro pagtndo t*OQ0 |os entrada.
IHMTRO
Santo Antonio
KIHPBKKA
Pretende seguir para o indicado porto, cum poa-
ca demora, a barca portugueza Social, per ter
porgao da sarga engajad--.; e para o que lhe falta.
trata-se com os con-ignatarius Joaquim Jose Gon-
calves Beltrao & Filho, a rua do Commercio d. 5.
Pacific Steam fttYigaii w dm^M)
ROY4L MAIL STEAMER
AC0NC\GU\
aspera-se da Europa ate o dia 8 de margo, e de-
pois da demora do costume seguira para o sul d<">
imperio. Rio da Praia e costa do Pacifico, para oa-
de recebera passageiros, encommondas e dinheiw
a fiete.
OS AGENTES
Wilson Rows- A C.
liRUA DO COMMERCIO14
8*000
10*000
COM P 4."% III -\
MESSAGERIES MARITIMES
1-inlia mcusal
MENDOZA
Espera-se da Europa ate o dia 10 do corrente.
segui-ndo depois da derwra do costume para Boa-
nos Ay res. toeaudo na Babia, Rio de Janeiro
Montevideo.
Para passageiros, eneommendas, etc, a MM*
com
CS AGENTES
Hiirisiuomly A Labille
9 Rua do Commercio t

Companhia Allianca Mari-
tima Portuense.
A galera portugueza Saudade, seguh*i em iwa-
cos dias para o Porta, com escala por Lisboa.
Ja tem conlrauda grande parte da carja e
para o resto, trata-sa com os cuusignatarios a
agentes da companhia,
Jost da Silva L-jt> Filko,
em seu escriptono a rua da Companhia rernam-
bncana.
a Para o Rio liranie do Sal
O patacho Remlea
sahir brevemente, recebe alguma carga a frela
a tratamo escriotorio de Balthar OHveJTl k C.
4-
v
}


Diiffe de PmtMboeo ^e*$a feira & de &r


COIfAN1IA BAHUHi
UrfUA -TnTT
HiiD'irt, I'enetlo, Arucajti
Hahia.
E* esperad j dos portos do sul art o dia 6 do
corrente o vapor Marqutz deCaxias, o qual sahira
pan os portos acima no dia seguiule au da sua
cbegada. *
Recbe carga, eneommendas, passageiros e di-
nbeiro a Irete.
AGENTE
Antonio Luu de Oliveira Atevedo.
__________57Ruado Bom Jesus57 .________
COMPANHIA PEfcNAMBUCAM
DE
ftiavegaeao eawsteira a vapor.
FERNANDO DE NORONHA.
0 vapor Haadahu, commaii-
dante Julio, seguira paia
o porto a-jima bo dia i a<
corrente, ao cieio dia.
Recebe carga ate as 10 horas,
eneommendas, passageiros,
dmheiro a frete art as 11 horas da manha do dia
4a sahida: eseriptorio no FortedoMttosiLll.
aa naoi flam petodjeata c isetafede eonsr
cio qne se acham, per oreem *$o Sr. Alfredo Pris-
co Barbosa, que vai Europe., aa Passagem 4a
Magdalena, casa contigua a do Sr. Kruckenbctf.
Partira as i 1 horas da manl li, da respectiva es-
la<;5o Perto CawiLojui bond oan uma baadeira
para coudozir gratis aos Sri. jonewpenles._______
LEILAO
DE
uma r*ea victoria nsova, com botea tina, lanja e
Urantes, 1 cabriolet usado, t rica pet*ttude ca-
xrattos radados (>*o eohsiderados priweiros des-
u prowncia.)
JHOJE
por erw>iao de etfectaar-se o leilao i moveis do
Sr. A-YriscolBarbosa, na Passage*! "da Magda-
kraa.
0 ageute-I'inho Borges, autorisado, levara a lei-
lao o qne acima -se declara.
A's II horas da manhi partira da.stacSo da
rua do flrum, um bond expresso para condazir
gratis *s conearpentes ao leilao.__________^_
CEAHA'
Sahe com mnita brevidade o Mate Joao Valle:
para carga, trata-se na rua do Vigario n 33, com
Joao Jose da Cutrha Lagos- _________________
Companhia Allian^a Mariti-
ma Portuense.
Empreza de nave^aeao enlre
Portugal e Brasil/
A barea portogueza Joven Adda- cebe car-
ga a frete para os portos de V Horto, de-
vendo seguir com a maxima bi, ^ade ao seu
destino : trata-se com os respectivos consignata-
jios Jose da Silva Loyo & Filho._______________
Para o Para
Recebe carga o brigiie portnguez Rriampago, e
l>i'etende seguir com toda a brevidade por ter
grande parte da mesma engajada : quem no mes-
mo quizer carregar, trate com seus consigoatarios
T. de Aquino Fonseca & C. Sucee? sores, a rua do
Vigario n. I'J.______________________________
Rio de Janeiro
Para o reierido porto pretend* seguir com pou-
ea demora o patacho brasiloiro Arabe, por ter a
maior parte de seu carregaraento engajado ; e
para o resto que Ihe falta e escravos a frete, tra-
ta-se com os consigoatarios Joaquira Jose Gon^al
ves Beltrao & Filho, a rua d j Commercio n. 5.
IEIL0ES
DA
armarao, generos e mais utensilios pertencentes a
taverna sita a rua Imperial n. 61
Hoje
As 11 horas era ponto
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
eonta e risco de quem pertencer, d'armacao, ge-
neros e mais utensilios pertencentes a taverna si-
ta a rua Imperial n. 61, em um ou mais lotes a
vontade dos compradores; o mesmo agente ga-
rante a posse da chave da mesma taverna, a qua!
se acha desembaracada de qualquer onus.
TERGA FEIRA 3 DE MARCOJ
as II horas em ponto
na rua Imperial n. 6t.
Leilao
DE
uma burra (cofre), 2 carteiras, copiador de cartas,
e ontros objectos de eseriptorio, caixoes para
assucar, taboas e repartimentos proprios para
armazem de assucar
HO AMAZE* DO SOBRADO DA RUA DO APOLLO
N. 8
Por intervencao do agente Pinto
as 11 h ras da manha
Agente Dias
LEILAO
DE
tres relogios
Hoje
A's 11 horas
?io armazem da rua do Im^erador n. 18.
0 agente Dias levara a leilao, a requerimento do
Sr. Dr. curador geral de ausentes, e por despa-
cho do Exm. Sr. desembargador juiz de orphaos,
3 relogios aesconcertados, pertencentes ao espolio
6> Jo?6 Victorino das Neves.
Importante
LEILAO
DE
nooveis, lou^a, viJros, erystaes, joias de euro
brilbanlps
won:
A's II Ii horas.
Um rico adere^o de brilhantes, 1 cruz com vol-
ta de perola, 1 allinete de brilhantes para retrato,
1 par de roseta com circulo de brilhante, 1 par
de botoes de brilhantes para camisas, 1 annel de
esmeralda e brilhantes, 1 abotoadura de ametbis-
ta, 1 relcgio de'ouro com corda para 13 dias e i
corrente de euro para relogio.
Moveis
Um piano novo e forte de A. Blond & I Wignes,
cadeira de jacaranda para o mesmo, 1 estante pa-
ra rnusica, 1 mobilia moderna de jacaranda, com
sofa, i consolos com tampos de pedra marmore, 2
xadeiras de braco, 1 ditas de balan;o, 2 ditas de
faia, de balan;o, tapetes grandes e pequenos, ricos
jarros dc porcelana, bolas de vidro, figuras, redo-
mas com (lores, escarradeiras, 3 porta-flores com
Fuspensao para janellas.
Gabinete da toilette.
1 toilette de jacaranda com tampo de pedra mar-
more.
1 guarda vestido de amareilo raiz.
1 favatorio de mogno, com marmore.'
Pertencas para o dito, de porcelana dourada.
4 coitureira de mogno.
1 espelho dourado.
Cadeiras.
2* e 3 quartos.
i rica cama de jacaranda para casal (nova).
1 lavatorio de amareilo.
Pertencas para o mesmo.
J mesa redonda de ferro.
1 meia commoda de amareilo.
1 cadeira grande de braco.
Saladejantar.
1 goarda louca de amareilo, 2 aparadores com
marmore, 2 ditos de aroar )llo, com pes torneados,
1 mesa elastiea de amareilo, de 6 taboas, 2 cadei-
ra* (espreeuicadejras), 24 cadeiras de guarnijaof
1 machina de abrir latas, copos para aguav
champagne, calicei, cempoteiras, apparelbos paa
almoco 6 jantar, l machina de cosiura com mane
vella, i revolver para 10 tiros on balas, 1 banhei-
ro de folha, e outros artigos qua estarao patente'
aos Srs. concurrentes.
0 agente Pinho Borgcs, vendera em leilfto, ao
-orrer do marjeljo, os referidos moveis e joias que
DE
moveis, loucas, erystaes, perfumarias, obras de
oaro, prata, onix, e 1 piano de mesa, inglez, em
bom estado.
Quarta-feira 4 do corrente
an 11 haras em ponto.
A" RUA DO yiGARIO THENORJO N. 11,
ARMAZEM.
0 preposto de agente Pestana fara leilao por
conta e risco de quem pertencer, dos moveis e
mais objecto.s abaixo mencionados :
Uma mobilia d jacaranda, nova, com tampos
de pedra, 1 dita -de amareilo toda entalbada, 1 ri-
ca toilette de jacaranda, com pedra, 1 dita de
mogno tambem com pedra, 1 fiieiro de amareilo
proprio para loja de miudezas, t guarda-vestidos
de amareilo (novo), 1 guardalouca, I eostureira
de mogno (rica pe^ja para um presente de noiva-
do), 2 mesas elasticas, sendo uma de 6 taboas e
ouira de 3,1 silhao para montaria, 1 excellente
machina de costura, divursas cadeiras avulsas, de
junco e de faia, 1 balani;a decimal, diversos mo-
Ibos de junco para empalhar, perfumarias de di-
versas qualidades, vinbo do Porto e Xerez, das
docas de l,on ir -., 2 balcoes de amareilo, novos, 1
rico apparelho hamburguez para jantar, l dito de
porcelana [iara almeco, e muitos outros objectos
que por se tornar enfadooho deixa de mencionar
ao correr do martetto
o preposto do agente Pestana
LEILAO
DE
10 caixas com queijos flamengos, tendo cada uma
caixa i\ queijos e 10 ditas com 12 queijos ca-
da uma, ullimamente desembarcados
QUARTA-FEIRA 4 DO CORRENTE
as 11 horas
No armazem do Sr. Annes, defroute da al-
fandega.
0 preposto do agente Pest7.ua fara leilao, por
conta e risco de quem pertencer, de 10 caixas
com queijos flamengos, tendo cada uma caixa 24
queijos e 10 ditas com 12 ditos cada uma, os
quaes serao vendidos em lotes de uma on mais cai-
xas, a vontade dos compradores.
QUARTA-FEiRA 4 DO CORRENTE
ai 11 horas em ponto.
No armazem do Sr. Annes, defronte da alfandega.
DE
alguns moveis, louga, 1 seiim com todas as per
tencas, machinas para gazosa e cajii, 1 fogao de
ferro, tudo em perfeito estado, e outros muitos
artigos como abaixo se menciona.
Quarta-feira 1 do corrente
No edificio da Companhia Pernambucana, arma-
zem n. 20.
Em conlinuagao ao leilao do Sr Francisco
Ferreiia Borges.
Vender-se-ha 2 guardasvestidos, 1 lavatorio
com pedra, 1 toueador de mogno, 1 banqueta com
tampo de pedra, 1 machina d agua gazosa, 1 dita
para espremer cajd, transparentes para janellas,
jarros para (lores, 1 relogio de parede, porcelana
para almoco e jantar, 2 cadeiras de ferro, 1 mesa
de charao, 1 selim com as pertencas, 1 fogao de
ferro (pequeno), 1 salva de Tieta!, 1 porta-licoT,
1 espelbo, 1 1(2 duzia de facas com cabos de pra-
ta e outros muitos artigos.
armacao, generos e pertencas da taverna da rua
Imperial n. 133.
Quarta-feira 4 de margo.
0 agente Martins fara leilao da armacao, gene-
ros e mais pertencas da taverna acima, em um ou
mais lotes a vontade dos compradores, cujo pro-
ducto sera applicado para pagamento dos credo-
res.
Era tempo
garante-se a casa ao comprador d'armacSo.
O leilao principiara as 11
horas.
Agente Dias.
2
cerca de 40 duzias de finissimo vinho Madeira.
1 boa mobilia de madeira branca, composta de 1
sofa, 1 mesa de meio de sala, 2 consobs, 4 ca-
deiras de braco e 12 de guarnicao.
1 porcao de cabos de linho uados, 5 vergas para
navios e cerca de mil garrafas vasias e novas.
QwHa-feira 4 do correnle
as 11 horas
\< edlflcio da coiupanhia per-
uanibucaua, armazemn 90.
0 agente Dias levara a leilao, no dia e hora aci
ma designado3, por ordem do film. Sr. Adolplio
Pereira Garneiro, os dilTerentes artigos acima aes-
criptos, pertencentees ao Illm. Sr. Francisco Fer-
reira Borges, ex-gerente da dita compan'iia.
e Dias
Agente
LEILAO
DE
lou;a, armacao, 1 cjfre de ferro, candieiros a gaz,
e mais pertencas existentes no estabelecimento
Sda rua do Marquez de Olicda n. 25.
Oiiinla IVira o do corrente
ds 11 horas da manha
0 agente Dias, competentcmente autorisado por
despacho do Exm Sr. desembargador juiz de or-
phaos, levara a leilao do dia e bora acima desig-
nados, a louca e mais artigos existentes no mesmo
estabelecimento, pertencentes aos bens do failed-
do Manoel Vieira.
0 balance existe em poder do mesmo agente, a
rua do Marqaez de Olinda n. 37, onde pode ser
desde ja examinado, e garante-se o traspasse da
casa a qualquer Sr pretendente.
LEILAO
DA
armacao de pinho: envidrcada, com titeiros e mos-
tradoces, 2 banquetas para trabalho de charu-
tos, 1 candieiro a gaz de 2 bicos, 1 secretary,
1 relogio e 7 mdchos
Massa fallida de
JOAyUlM VIEIRA COELHO DA SILVA
QUINTA-FEIRA 5 DO CORRENTE
0 agente Martins fara leilao, por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz de direito especial do commer-
cio, d'araqaeio e mais pertencas da loja de cham-
9bmsqm a. t, peTieoMBte
i maaiiil de lo^mm. Vieira CoWho.4aSihra.
Prancipiara as llporan.
Leiiao
Quinfca-feira 5 do -corrente
as 11 horas em ponto.
DA
armacao, generos e mais utensilios pertencentes a
laveroa sita a rua Imperial -n. 479.
O fireposte do agente t'estana, fara leilao por
com^sco de qnem perte<^r, d'armacao, gene-
ros euis ulensiliiis pcrteooent** atUwerna sita a
rua Imperial n. 279,'em uw uu mals-!. tade a po*te das chaves da mesma taverna, as quaes
se aehwi desembaracada* dc OII.MA-FEIKA 5 DO <:OibUEM'K
A's 11 boras em imuia
na rua Imperial n. 279.
leilao
DE
ehapeos e fazendas
A SARER:
302 ehapeos do Chile (t micos).
60 ditos pretos de seda (1 caixa).
10 duzias de bonets de sarja.
20 ditas de ehapeos de massa e la.
6 pocas de baeta de cores,
12 dftas de grosdenaples preto.
QUINTA-FEIRA 5 DO COftRENTE
A's 10 1{2 horas em ponto.
Por interven?5o do agente Pinto.
Em sen eseriptorio, rua do Bom Jesus n. 43.
For occasiao e em continuacao do leilao de fa-
zendas awariadas.
Leilao
DO
armazem da rua daLapa n. 15, edificado em chaos
proprios e paredes dobradas
QUINTA-FEIRA o DO CORRENTE
as 11 I|2 horas em ponto
POR INTERVENCAO DO AGENTE PINTO
Rua do Bom Jesus n. 43.
LEIL40
DE
duas casas de campo com grandes sitios em cbaos
proprios, ambas perto da estajao da Tamari-
f,nera
A saber:
Uma casa neva na rua da Tamarineira, n. 5,
com boas accommodates para grande familia, e
sitio com 90 palmos de frente e 200 de fundo,
parte murado.
Uma dita na Cruz das Almas, em qne moron o
Sr. Joao Mendebour, com as accommodates an-
nunciadas nes jornaes ns. 34 a 44.
Quinta-fcira 5 de mar$o
ho meio dia
Por intervencao do agente Pinto, rua do Bom
lesus n. 43.
Leilao
DE
lazendas avariadas
CONSTANDO DE :
inadapoloes. algodoes, chiias e saccos vasios
Ouinta-leira 5 de marro
A's 10 1 [2 horas em ponto
Por intervencao de agente Pinto, em seu es-
cirptorio a rua do Bom Jesus n. 43.
Em continuacao
vendera tambem 6 pecas de grosdenaple preto,
meias para homens e meninos, e outras fazendas
limpas.
LEILAO
DE
locomotoras e carros do sjste-
raa Thomson, ou carros de
borracha *
\o dia 15 deabril.
Em virtude de nao se poder dispdr de boas es-
tradas de rodagem nesta provincia, os possuidores
do material acima mencionado estao resolvidos a
vende-lo todo em leilao ou separadamente, confor-
mese convencionar.
O emprego destas machinas em grande nuraero
de paizes da Europa, Asia, America do Norte,
onde ellas tern suhstituido os antigos systemas de
transportar cargas pesadas, dispensam os seus
possuidores de encarecerem a sua grande utilida-
de, como meio de transDorte economico e commo-
do para os engenhos, e toda sorte de propriedade
agri ola ou industrial, que dispoaha de planicies,
cuja situa^ao dos respectivos uepositos ou arma-
zens fiqnem distantes do lugar de produccao ou de
fabrico.
Estas machinas podem trabalhar como machi
nas fixas, para o que tern competentes volantes, e
servir para serrarias, enfardamento de algodao e
fazer.mover toda a sorte de apparelhos, etc., etc.
0 materia 1 consta do seguinte :
2 locomotoras de forca nominal de 8 cavallos
cada uma, com caldeiras verticaes e fornalhas
quadradas e oval, podendo queimar carvSo ou le-
nha, com fumigadores c cinzeiros, dispostos de
sorte qije se previne qualquer accidente de incen-
dio. Estas machinas possuem todas as pecas in-
dispensaveis de sobresalenles, e sSo completas a
todas os respeitos, estao novas e em perfeito esta-
do de consertacao, visto como, apenas trabalha-
ram o tempo necessario para se demonstrar pra-
ticamente as suas vantagens.
6 carros solidamente construidos, suspensos em
excellentes molas, sendo dous com porlas lale-
raes, dous com ditas na pane posterior e dous ra-
sos, proprios para transporte de caldeiras, moen-
das, etc.
0 leilao sera effectuado pelo agente Pinto, a rua
d'Aurera n. 91, estacio das ditas machinas, e pe
las II horas horas do dia lo de abril.
Da se todos os esclarecimentos a rua do Bom
Jesus n. 8. priraeiro andar.
feiMSOS DtfEBSOS
Coinpaohia
Santi Thereza.
Sao convidados os senhores accionistas para se
rennirem em assemblea geral no dia 12 do cor-
rente, ao meio dia, no andar da rua do Vigario
n. 13, afim de lhes aer presente o relatorio e ba-
lanco do anno proximo flnde.
De conformidade com o art 16 dos estatatos a
reuniao tera lugar deGnitivamente com os senho-
res accionistas que cemparecerem.
Recife, i de marco de 1874.
0 gerente
JustinoJ.de S. Campos.
PENH08ES
Na travessa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qua! for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
CASA DA FORTiA.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARAIMTIDOS.
i' rua Primeiro de Margo (outr'ora rua a\
Crespo) n. 23 e casas do costume.
0 abaixo assignado tendo vendido nos seus fe-
llies bilhetee, um meio n. 37 com 4:000*000,
um meio n. 546 com 700*, dous meios n. 3591 com
200*, dons meios n. 1219 com 100*, e outras sor-
tes de 40* e 20* da loteria que se aeabou de ex-
trahir (89*), convida aos possuidores a virem re-
ceberna conformidade do costume sem descon-
to algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidor
la 1* parte das loterias a beneflcio da igreja
da Conceicao de Caruard (90"), que se extrahira
sexta-feira, 6 do corrente.
PRECOS
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
EM PORgAODE 1009000 PARA CIHA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuza.
Francisco Marcelino Mon-
teiro.
Manoel Marcelino Montei-
ro, Antonio Marcelino Mon
teiro, Francisco Marce lino
Monteiro, tendo recebido
pelo vapor Neva a infausta
noticia do fallecimento de
seu prezado pai o Sr. Fran
Cisco Marcelino Monteiro, pedem a todos os seus
amigos a assistir a algumas missas que os mes-
mos mandam celebrar na igreja da Madre de Deus
no dia 4 de marco pelas 7 boras da manha e por
tao religioso acto lhe ficarao summamente gratos.
Os caixeiros e ex-caixeiros da casa commercial
dos Srs. Johnston Pater & C, feridos do mais do-
loroso sentimento pela morte do seu prezado amigo
e velbo companheiro, Claudino da Silva Ferreira,
mandam celebrar uma missa com memento pelo
repouso eterao de sua alma, na igreja da Madre
de Deos, no dia 4 do corrente, pelas 7 i|2 horas
da manhi, para cujo acto convidam a todos os
parentes e amigos do finado, dando assim mostras
de uma verdadeira caridade para com o floado, e
credores dos sinceros agradeciment03 daquelles.
3
aqi
ommendador Agustinho
Xavier Guerra
A mesa regedora da irmandade
de N. S. do Rosario da Boa-Vi3ta
manda celebrar no dia 4 do cor-
rente, pelas.7 boras da manha, uma
missa pelo repouso eterno de seu
chanssimo irmio o commendador
Agnstinho Xavier Guerra, e para a
qual convida a Exma. familia, amigos e parentes
do fallecido.
II
Jose Miguel dos Santos, Joaqulna
Rosa, Jose Miguel dos Santos Ju-
nior, D. Helena Perpetua dos San-
tos Machado, D. Senhorinha Maria
des Santos, filhos, netos e nora da
finada D. Maria de Jesus, fallecida
em Portugal, no principio de feve-
reiro proximo passado, mandam rezar missas pelo
eterno repouso da fallecida, na igreja da Madre
de Deus, na quinta-feira 5 do corrente, pelas 7
boras da manh3. Rogam aos seus parentes e ami-
gos que queiram assistir a este aeto de caridade,
que Ihes ficarao summamente gratos. _______
0 INEXTW6UIVEL
eclekre
Florida
Atten^ao,
Precisa-se com urger.cia de uma ama de
leite, que seja sadia, e que tenha bom e
abuodante leite, para tomsr conta de uma
crianga de dias, dando-se preferencia i mu-
lher do matto : quem, pois, estiver nestas
circumstaociss appare^a no 3.* nndar desta
typograpbia para tratar.
Vend-ie duas eseravas com habiiidades,
outra sen alias : na ma de Hortas n. 96.
Vende-se uma escrava parda, de 28 ajihos,
perfeita engommadeira e cozinheira, para fora
desta cidade : na rua de Hortas a. 96.
apa
DE
HI Hit IV <& I.AVIA\.
Uma pura distillacao das mais raras fla-
res dos tropicos. Conte'm, para assim ui-
zer, quasi o odOr odorifero das flores do
tropico da America, e sua fragancia e quas
incxhausta ainda mesmo por continuada
c/aporacao e diffusao. N'este respeito 4
i icomparavel a qualquer outro perfume
qne ha de venda para :
DESMAIOS, ATAOUES NERVOSOS, DOR
DE CABECA, DEBILIDADE E
HYSTERICOS.
E um certo e ligeiro altivio. Com o bom
.in, tem conservado sua iuQuencia para
cima de vinte e cinco aniios sobre todos os
^.erfumes, nas Indias Occidentaes, Cuba,
ulexico, America Central, e do Sul e n6s
torn toda a confianija o recommendamos
como um artigo, pelo seu aroma muito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, n3o
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMPOLAS,
QUE1MADURAS DO SOL,
SARDAS E BORBULHAS.
Sendo reduzida com agua, se torna uma
excellent^ mistura para banhar a pelle,
dando um aroseado e cdr clara a complei-
cSo nublada, sendo applicada depois d
barbear, evita a irritagfio que geralmentt
occorre, assim como tambem garganteando-
se, o cheiro do cigarro desapparece, e me-
lhora a condigae dos dentes e gengivas.
Como ha muitas imitaroes, as quaes nao
possuem nenhumas d'estas propriedades,
deve-se tomar cuidado e contar somente o
o famoso perfume e cosmetico do sul da
America, cham
AGIA FLORIDA
DE
MURRAY LAMMA1V.
Sj acha & venda em todos odrogu
perf umari as da moda.
A 9:060
Botinas para homem
Acabam de ehegar grandes facturas bem sor-
Udas de lrotinas ds bezerra, de cordavio, de pelli-
ca.de doraque com biquerra, de beierro com bo
t6es,'eom llbozes a 9#6O0
vindo grande quantidade por conta e ordem dos
fabricaes : ao armazem do vapor francez, a ma
do Batao da Victoria (oulr'era Nova) n. 7.
Calcado
fraocez.
Par* bomem.
BOTINAS de bezerro, cordavao, peHica, lustre >
de dura^ae cum biqueira, dos uieibore*
fabricantes.
SAPATOES de beerro, de cordavao e de case-
mira.
SAPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, sitios e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranc*
franceies e portuguezes.
Para aenhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes.
hsas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos.
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para menlnaa.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes.
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatdes- de bezerro, de diversa*
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
Lotas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homens e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor francez, a rua do Baric
g- Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanjo, de braco, de guernitoes
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes t-
levos, e os mais proprios moveis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor france?, a rua do Bara'
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de ehegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Aiphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff & C.: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, on
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractos/banhas, oleos, '.opiata e pos den
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arrez, sabonetes.
cosmeticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ria para presentes om frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas f carrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Baric
da Victori?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
4r(igos de differentes gostos e
phantazias.
Espelbos dourados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, de flo de Escocia e de camurQa
Caixinhas de costura orcada con; rnusica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaque muito bonitas para relo
gios.
Rriiicos .niifaeao e boiSes de punhos de pla
que
Bolsinhas e colres de seda, de velludo e de eon
rinho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de mes
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de a?o
de tartaruga.
Oculos de aco fino e de todas as guarnicoes.
Bengalas de luxo, canna, com castdes de mar
: ai .
Bengallas diversas em grande sortimento para
omens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para sal tos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros
Pentes de tartaruga para desembaracar e par
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
tes.
Carteirinhas de medreperola para dinbeiro.
Gravatas brancas e de seda preta para homem
e meninos.
Campainhas de mola para chamar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mino e outros muitos differentes joguinhos alle-
mies e francezes.
Malas, bolcas e saccos de viagem de mar e ca
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
rem, bom para os dentes.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Cestinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
criancas.
Venezianas transparentes para portase janellaj
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e I'osmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas magicas om ricas vistas de cores en:
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para iiluminacSes de
festas.
Haloes aereostaticos de pape! de seda mui facil
de subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de pallia e de pennas.
Tesourinhas e canivetes finos.
Tapetes com \idrilhos para mangas e lante-na.s.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
qaadros.
Quadros ja promptos com paysagens e pbanta
na.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa
milia.
Realejos pequenos de veio com lia'das pecas.
Realejos barmonicos ou accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros,pes e palmos para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos
A maior variedade que se pode desejar de to-
dos os brinquedos fabricados em differentes partes
da Europa, para entretenimento das criancas, tudo
a precos mais resumidos que 6 possivel : no ar-
mazem do vapor francez, ma do Barao da Victo-
ria, outr'ora rua Nova n. 7.
Cestinhas para costura
Grande sortimento de bonitos modelos chegados
ao armazem do vapor francez, rua do Barao da
Victoria, outr'ora rua Nova, n. 7.
Alfredo Prisco Barbosa vai A Europa e dei-
xa por seus procuradores, em i* lugar o Sr. Fran-
cisco Allemao Barboza, em f o Sr. Jose Correa
Braga, em 3* o Sr. Alfredo Henrique Garcia ;
igualmeale os abaixo assignados esclarecerio
qualquer duvida com referenda aos aegocios do
mesmo senbor.
Jose Correa Bi ag:
Alfrsio Henrique Garcia.
Grande liquidaqao de
ehapeos de todas as qualida-
des, a rua Direita, outr'ora
Mareilio Dias, n. 61
i Na rua do Corredor do Bispo n. 17, preciia-
M de uma ama forra ou escrava, que salba co-
zinhar, eomprar e engommar, para casa de fami-
lia de duas pessoas: paga-se bem agradando.
500*000
A pessoa que quizer dar a prania a quantia St
8001, pagando-se os juros da lOOffrao mas, ds-
contaodo-se logo do capital os respectivos jam,
queira annunciar por esie jornai para ser proca-
rada, on entio dirija se a rua Seta de Setembro
n. Si, que achara com quem rraur.___________
Roupa achada.
Aebou-se no dia :8 de feveseiro de*te anno
trouxa de ronpa ja Uvada, demtso de um sacco de
estopa, na rua Imp* rial: quem for seu d>no, di-
rija se a mesma rua acima n. 34, que dando os
signaes certos e pagaodo a presente annuncio lb*
sera entregue.
*# 0 bacharel Pedro Gaudiano dV Ratis e 2 Silva tera estabeiecidi sua banca de ad- JSf
4S vocacia no eseriptorio dos Srs. Drs To- a>
9 lentino de Cirvalho e Oliveira, a rua f. *>
3 de Marf, outr'ora do Crespo, sobrado Jt
au. 18, 1.* andar, onde o podtrao pro- *
eurar os que 0 qnizerem bonrar com #S
3t sua confianca; ou em sua residencla : 3=
"Si na rua Velha, casa n. 30. .
Advogados m
# Os Drs. padre Antonio da Cunha PI- 0
& gneiredo eJoio Augusto do Rego Barros,
2 mndaram 0 seu eseriptorio para a rua !.
Wt de marco, outr'ora do Crespo. n. t, !-
mt andar, junto ao area de Santo Antonio
entrada pelo lado do caes.
***** ****** **1
? Consulforio medico
i
DO
Dr. Miirillo.
RUA DA CRUZ N. 26, Z. AiNDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quenton os hospitaes de Paris e Londres,
pode ser procurado a qualquer hora do
dia ou da noite para objecto de sua pro-
fissao.
Consnltas das 6 horas da manha as 8 ho-
ras, e do meio dia as duas Gratis aos pobres.
ESPECIAL1DADES.
MoiesUas de seuiioras, da pelle e de
rrianca.
I
Alfonso Jose de Oliveira professor jubi-
rj lado da cadeira de gepgraphia e historia
0\ do ex-Lyeda desta cidade, autorisado
M pela direcioria geral da in-truc^ao pu-
' blica, tem aberlo uma aula particular de
latim, na rua do Duque de Caxias u. 61,
!. andar, onde estara a disposicio d'a-
,ZJ quelles, que de seu prestimo se quize-
Q rem utilisar.
AO IS. 9.
No progresso do paleo do Carmo vende se raan-
teiga ingleza muito boa a 15000 a libra, assim
como coutiniia a ter bom sortimento de molhados
para qualquer chefe de familia fazer sua despen-
sa : os pretendentes agradar se-bao da commodi-
dade de preco por ser menor que em qualquer ou-
ira parte.__________________________________
Precisa-se de duas amas, sendo uma para
engommar e outra para cozinhar para duis pes-
soas : na rua do Bom Jesus n. 9, segundo andar
Precisa-se de uma, para cozinhar para
Ama
po n. 20, loja.
para rapazes solteiros : na rua do Cres-
1005)000
Offerece-se a quantia acima, a pessoa que levai
a rua do Imperador n. 26, os objectos abaixo de-
clarados, desapparecidos de um guarda-roupa da
casa n. 13 da rua de Joao Feruandes Vieira, pro-
mettendo-sc guardar segiedo, e nao se fazer per-
guntas :
Duas correntes de ouro para relogio, compridas,
estando uma deltas quebrada.
Uma cadeia de ouro para relogio, tambem que-
brada.
Um brac.alete de ouro com broche de esmeralda
com falta de uma esmeralda.
Um par de brincos de perola, para menina.
Um dito dito de esmeralda, sendo uma mais clara
do que a outra, tambem para menina.
Um relogio pequeno de ouro, para senhora, Ml
mostrador de vidro.
Um alfinete de peito d<^ amethisia e perola.
Duas voltas de ouro, > ndu uma com uma cruz
de coral.
Uma volta de ouro e coral com cruz semelhante
Um arnel de brilhante.
Um dito de pprola.
Um dito de esmeralda.
Um dito de amethisia roxa.
Um dito de esmeralda e perola>.
Tres pequcaas cruzes de ouro.
Um alfinete de ouro com perolas
Uma cassoleta pequeaa.
Um allinete pequeno.
Um par de brincos de ouro com perolas, estandc
um delles quebrado.
Um par de brincos de ainethista.
Sociedade Propagadora da
Instruccao Publica.
Abrir-se-ha scgunda-feira 2 de marco a au'.a
frimana do stxo masculino da freguezia de S.
ose. Os inletessados devera dirigir-se ao profes-
sor, na casa d'aula, a rua de 24 de Maio, outr'o-
ra Praia do Caldeireiro n. 21, ou a rua do Bar-
tholomeu n. 53.____________________________
Precisa-se de uma ama para rasa de duas
pessoas, para cozinhar e engommar : na rua Di-
reita n. 28, primeiro andar.
Parts, 38, Rua Vivienne, D
[h:m.,m mfdecw spkciil
US ESirrnMHitD'S MS sexuaes, kS APVKfMS
ALTEIIICOrS DO SARCCI.
OEPURATIF
*
au SANG
rua-. c utlr
in.OOOcuras dai imptm-
I :cnr,puslulas. herpe$,
turna, comixott, aeri-
I monia, r. allercoet, ri-
r.iosas do sangue, ri-
iangue. Xarope TegeUI
sem merenrin). BepnriilxtA bikhM mkebses tomao-se dons por
semana, seguindo 0 tractamento Depurativo: i
mprega-!" n is mrsmas mulestias.
I Cste Xarope Citracto dc
I ferro de CHABLE, ears
mraidiatamenie qual-
I (iier purgacao rtla-
\xaeao, e debiU&ade,
k iHualiueuiu o jiuxos e forts brancas da*
raulheres. Ksta iujeccao benigni tmpregisM
com 0 Xarope de Citracto dt ftm.
Hraaarroidan Poraada que as enra emi dias.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: nas ajfeccoes cutaneas comixott.
P1LULSS VEGETAES DEPURATIVAS
do >r ohafele, cada frasco vrai accufflpahade
de um folheto.
AVISO AOS SRS. MEDICOS.
PLUS DE
COPAHU
Sirop du
DrFORGET
Can calarrhoi,
coqueluckti, imiafdm
ckiot 1 ttdms as i
lta
ama colhe rchdea dwU xarop* D* Foacrr.
Or. am ParU, wmm Tlitaaaan,
Deposito botxa Franceza
22 Rna da Cruz 22
ij^Q9(XIQQlDti
A Consnllorio medlco-cirorjjico
% DB
A. B. da Silva Mala.
Rua do Visconde de Albuquerque n.
11, outr'ora rua da matriz da Boa-Vista
n. tl.
Chamados : a quaiqaer hora.
Consuitas : Aos potores gratia, das I as
4 boras da tarde.
l\X\\\\l

MuTllMO


mmm



I

-<
;
i
i
k.
yjiio de Pernambuoo Ter^a feira S de Marqo de 1874.

FORBICAO DO BOWMAN
BOA DO BRUM 1. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS lenborea de engenbe ontroa agricoiiom, emprepad..r' Ac tr.
ifeiaMmo o favor de cm* vi&iu wu esftbelecimeatu, pra verem o iiuvy to.umtuft
MMiplet) qae abi ten; aendo tndo luperior em qualidade e fortidlo; o qne com a im
eccio pesioa! pode-ie verificar. ... ^-^t-
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAQ
7onnioa a ..Jaa *Io/n doB ma'8 mo'5ernos y*ten>a eem t
V HpOiCS fj rOuaS Q. mbu& miribos convenientes para us diversat
draantaociat doa aenborei proprictariot e para deacarocar algodao.
Moendas de canna ^ "um,Dh08' ":mdborei qoi ,qa'
Sodas dentadas p *"e"pr-
Taixas de ferro fundido, batido e de oobre.
Alambiqnes e fundos de alambiques.
Machinismos
Bombas
LINHAS
DE
RETBOZEDKaLCO
IUO
DE
para maodioca e algodio,j
e para cerrar madeira.
Podendo1todoa
' ser movidoa a mio
jpor agoa, vapor,
de patente, garantidas........ |ou animaes.
Todas as maehinas *m**m> *********
Fas qualquer concerto dem"hifti8mo' w^ mDi re,Dmid0
Pormas de ferro ^mmm^mktTTimT n mer"
IhiAnmmanilaa Incambe-se de mandar vir qaalqaer macbinismo a von-
QUl/UUllUUUUctS. tade dog dientei, lembrando-lhea a vaotagem de fazerem
mat comprai por intermedio de petsoa entendlda, e qae em qaalqaer necesiidade pdde
na prestar anxilio.
Arados americanos 6 in,lramen,0, >*Tk0]u-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
5
4 rna do Barao do Triampho (rna doBrnm) ns. 100 a 104
CARDOSO 4 IEMAO
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e maehinas para eD
genbos, as mais modernas e melhor obra que tem vindo ao raercado.
VaporeS de for$a de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
OaldeiraS de sobresalente para vapores.
SlOCnQaS int6iraS emeias moendas, obra como ounce aqui veio.
laiXaS IUnaiClaS e batidas, dos melhores fabricantes.
KOdaS u aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
rtOdaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Rel0gi0S e apitOS para vapores.
DOniDaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qaalidades.
PormaS para aSSUCar grandes e pquenas.
C/OncertOS concertam com promptidS qualquer obra ou machina, para o que teea
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS man para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londreu
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentaj
dates maehinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
0D1L0N DUARTE & IMAO
CABELLEIREIROS
Premiados na exposicao de 1872
RUA
DA
IMPERATRI7.
N. 82
1/ ANDAR.
RUA
DA
I0DAS
An
CORES
A&ULHAS
E
Accessaries
PARA
PARTE
DA
Machina
Com as falsifica?6cs que tem apparecido
DAS MACHINAS PARA COSTUBA
DE
SINGER
Porque?
Na rua do Barao da Victori d. 36 precisa
allar ao Sr. vigario Andr* Curcmo de Araujo Pe-
eira, t negocio de sea, intense.

o
QO
ci
X
B
o
Nenhuma ma-
china Singer e legi-
tima se nao levar
esta marca fixa no
braco da machina.
Para evitar falsi- S
ficacoes notem-se
bem todos os deta-
iner da marca.
o
a
'ci
o
B
o
c5
A dinheiro e a prazo!
A contento das Exmas. familias
MACHINAS DE SINGER
Sao maisjbaratas.
Sao de doos pospontos.
Sao simples.
Sao rapidaf.
S4o duradouras.
MACHINAS DE SINGER
Sao de dous pospontos.
Abainham.
Franzem
Pregam trangas.
Marcam pregas
Bordam de linha de seda.
Alcolchoam.
Pregam corddes.
UNICA AGENUA
EM
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR 45
IMPERATRIZ
N. 82,
1." ANDAR.
Acabam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores con-
dic^oes possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e as Exmas. Sras. n'a-
quillo que fdr tendente a arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homenscomo para senhoras, tupete, chignon,
coques modernissimos, tranijas, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
O estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
g-iiros, recebe directamente por todos os vapores da F.uropa, as suas encommendas e figu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 /o menos que outro qualquer, garantindo
perfei^ao no trabalho, agrado, sinceridade e pre?o razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-sc cabellos em
porcSo e a retalho e todos os utensilios pertencentes a arte de cabelleireiro.
41) Rna do lmnerador 49

amadores dos
Ha neste estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos mais afamados autores,
como sao : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riores, maud ados expressamente construir para este clima, o qual os
bons pianos sd encontrarao nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca.
Conccrtam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o mais completo sortimento de materiaes para concertar pianos, como
s3o: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
marfim, etc., etc.
49 RUA UOOIPJGR.1JIOR 40
CHAPE0S DA DLTIMA M0DA
Chegaram lindos e bem enfeitados cbapdos do mais apurado gosto, para senhora : a"
loja das columnas, de Antonio Correia da Vasconcellos, a rua Primeiro de Mar-
go n. 13.
J
i
Constructor e atina'dor de pianos
33Rua do lmperador-
33
Ex-afinador das antigaa e afamadas casas Pleyel & Herz, e antigo director dai offlci-
Bi casa Afpbonse Blondel.
Tem a honra de declarar ao respeitavel publico desta cidade, qye lem aberto sna easa de
concertos e afinajoes de pianos, qualquer que seja o estado do instrument.
A mesma casa acaba de receber um grande sortimento de pianos dot melhores fabricantes
de Paris, como Erari Pleyel, Henri Herz e Alphonte Blondel) todos os pianos sihidos da casa
Dbibant sao garautidos.
Compra-se e reeebe-se em troca oe pianos usados.
Na rua do lmperador
n.28
precua-se Mar aos seguintes senbores :
Domingoa Martins de Barros MonWiro.
Emigdio Marques de Santiago (Dr.}
Joio Vax de Otiveirav
lose Franchco Lopes Ltoft (Vazarelb).
Maaoal Pereira Brandao.
Maaoel dos Passos Miranda.
Tbeotonio- de Barros e Silva.
Praaefeee Pmto Pessea (Dr.)
Francisco de Paula Borges.
Pranelfco Antonio Pontnal Junior.
A' Torre
Aluga-se para pssara festa um sitio com
excellente casa de habita^ao e banho no rio
i frent* desta: quem a pretender, p6de
procurar i rua de Gervasio Pires n. 24.
Offerece sfl uma petsoa de nacionalidade
rrogueza, muito babilitada para administrador
engenho : a tratar na rua da Madre de Deos,
casa de Fraga k Bocba.
Aluga-se uma casa com 3 quartos e um pe-
raeno sitio, na rna da Casa Forte: a tratar na rua
ja rSmle-Veflja n.8*.
Alugam-se o 2* e 3 antares do sobrado n.
47 da rua da lmperairiz : na rua do Ho=picio nn-
mero 33.
CASA
Nao se prestando o pequeno espaco do armazem
n. 10 A, a rna da Madre de Deos, para um abaste-
cido deposito das diversas mareas de fumo, qne o
abaixo assignado almejava ter, acha-se d'ora em
dianteaberto outro estabelecimento sob a mesma
denominaclo de
Armazem do foaio
A' rua do Amorim n. 41
com todas as proporcoes desejada9, e onde pode-
rJo os senhores fregaezes dirigir-?e, certos de
Sue, como ate aqui, acharao sempre a par da mo-
icidade dos preeos, a inaior sinceridade possivel.
Entre as differentei roarcas de fumo da Bahia e
Rio de Janeiro, que tem ado annunciadas acaba
de ehegar uma encommenda especial, e que muito
deveconviraos senhores freguezes. Consciente o
abaixo assignado de que neste genero de negocio
nao esta sem competidores, fara muito por evitar
qne tambem 01 tenna com relacio ao pequeno lo-
cro que procurara obter da dita mercadoria.
Jose Dominguee do Carmo e Silva.
Aluga-se o sobrado novo da rua Vidal de .Ne-
greiros n. 149, defronte do cbafariz, com commo
dos para uma grande familia, tem cicimba, gran-
de quintal com sahida para a rua do Nascentc, a
loja aluga-se junto on separado : a tratar na rua
do Barao da Victoria n 3.
E. A. DELOUCHE.
49Rua do Marquee de Olfnda49
Acaba de receber um grande sortimento de re
logios americanos para parede e mesa, dc corda
de 24 horas e de corda de 8 dias, com despertador
dos melhores gostos e qualidade.
Relogios de ouro patente inplez verdadeiros, des-
eoberto com ponteifo grande no meio, dos mais
modernos e do melhor fabricante de 1/ ndres.
Grande sortimento de relogios de prata, prata
doorada, cobertos e descobertos. Ditos de prata
foliada (plaque ), orisontal e patente, de todo
preco.
Cadeias de plaque e de ouro.
Lunetos e ocnlos de todas as qualidades.
Verdadeiros vidros de chnstal da Rccha, para
vista can-ada.
Vende-se tudo por preco mais baratc que cm
onira qualquer parte.
NOVAS PUBUCW MUS1CAES.
i. J. d AzevedoRua \oa nil
acham-se a
W
er-
Allier-
19500
15000
15000
19000
1*500
Acatam de publicar-se, e
venda as scguintes musicas :
PIANO SO\
Danse espanhoi.a, por Ascber
Arabella, mazcrka, pur G.
theim'er
Valsa do Pavsto, por Croyzcs
SONHO DE UMA VIRCEM, por
Ussi
Anna la Prie, cavatina
AoClair de la Lune, por Bussmeyer
ESTRELLA DO SORTE[ro|kj, bfilbmUi lf00C
SaudaqAo ao BahiaI
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickets club pcruambucano e
babiauo
PIANO F CANTO.
Desespero, muito Undo romance
por 1. Smoltz
Non m'amava, romance por Gucrcia
Tambem recebcu da Europa grande sor
menide musics para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc
ItM
2900<
l?00t
CH\MA!!0.
Os Srs Jovino FVmanies da Cnu 3 Joaquim BWatB de l.nmo* Dnart*. (jjronel Suassma n. 'Jtii, a Mgncto iBtereate.

q**
m\mm
selecta e i'e umbige
(Eoxcrlada?)
Sapotizeiroe
e sapoteirot de II paknoa (en va os lamauh(..- c precoa mais emnmndet que dan-
tee ; ain como a* ssgnintea wiirai planta< 6i
fructa e de omato .
Abacati.
Acacia.
Anticum a pc.
Canella.
Casuarina.
Carolina do principe.
Condeca.
Cora'.-ao da India
Figueira.
Flamboyant.
Frncta-pao.
loga do Para.
Jambo.
Jasmim laranja.
Laranja da China
Dita do ceo.
K outras planlas :
ura d
20.
Laranja cravo.
Dita lie doce do Para
Dita fan nca.
Dita langi iina.
Lima da Persia
liia d.' nmtiifa.
Limao Arancac
Dito J"i. rnxertaJo
Oilicoro.
I'alm< ira imperial.
Parreirto.
Pinhi-iras
Ronearas.
Roaeiras
ktatia.
I'baia.
na (apucga a riu da Vaj>
Aluga se uma cisa aa ria da Praia do ijI-
deireiro n. 21 : a traiar na rua do I.ivramento n
23 loja do Sol._________________________
A
Aprecicm eomo se vende tanto
S6on. 20
RUA DO L'liESFO
LOJA DAS !] PORTAS
DE
GuUherme & Ck
CASSA-LA
Acaba de ehegar esta fazenda com bonito? pa-
droes, e que se vende pelo diminuto preco de 200
rs. o covado I t I
I. METIM
Melim trancado, padroes bonitos, a 320 rs. o
covado 11 1
ORGANDY DE CORES
Cambraia organdy de cores, fazenda Tina, boni-
tos padroes, pelo diminuto preco de 320 rs. o co-
vado (I!
LAS ESCOCEZAS
Novo sortimento desta fazenda, com bonitos
padrSes, que se vende a 240 rs. o covado!!!
CRETONE
Cretone claros e escuros, bonitos padroes, e fa-
zenda fina, pelo diminuto pre^o de 400 rs. o ee-
vado III
LAS MODEBNAS
Completo sortimento de la de todas as qualida-
des, pelos diminutos preeos de 400 rs. o covado,
e pechincha I t I
Cortes de casemira dj cores, a 5JC0O.
Colchas estampadas e com barra a 3/500 e
4/000.
Cobertas de cbila adamascada a 3/500.
Lencoes de bramante a 2/000.
Dits de algodao a 1/400.
Toalbas alcocboadas, duzia, a 5/800
Lencos de cassa com barra a 1/000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados a 2/000 a duzia.
Ditos de esguiao abanbados, em caixinhas mo-
dernas, duzia, a 3/500.
Cambria transparente fina a 3/000 a peca.
Chales de todas as qualidades e preeos.
Bramante de algodao e linho a 1/600 a vara.
Dito de linho puro com 9 e 10 palmos de lar-
gura a 2/500 e 2/800 a vara.
Algodao marca T, largo, a 5/000 a peca.
Dito domestico a 3/000 a peca.
Brim com listras, irlandez, proprio para cami-
sas, a 440 rs. o covado III
Madapoldes Irancezea de todas as qualtdades de
5/ a 8/500 a peca.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, pelo di-
minuto preco de 8/500.
Camisas inglezas, todas forradas, fazenda de
linho puro, a 44/000 a duzia ; e pechincha, so se
vendo.
Popelinas de linho e seda pelo diminuto preco
de 800 rs. o covado; e pechincha, e dio-se amos-
tras.
S6 o n. 20 da rua do Crespo
Loja das tres porias
DE
Guilherme & C.
.11 XTO A I.O.I A DA ESQUINA
ESCRAVO FUGIDO.
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, comarca de Gnyanna, o
escravo de nome Jose Borge?, mestre de assucar,
tendo os signaes seguintes : cabra, idade 30 an-
nos, pouco mais ou menos, boa figura, um tanto
grosso e espadaudo, sendo o signal mais visivel
uma gomma na junta do pe e?querdo : roga se a
todas as autoridades e capitaes de campo queiram
apprehender dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & O, lar- precisa-se de um caix>-iro de 12 a ti anm-J
que tenha pratica de padaria ou mesmo "m e!la:
na rua Direita n. 26
Esta encouraqado 1! !
Agua mi!- <" podra dura
Tanto da aM iguc a fura-
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de IM
escrivio na cidade de Nazareth desta prnvincia.
favor de vir a rua luiqae d>~ Caxias n. 36, a con-
cluir aquelle negocio qne S. S. se compronetten a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depots para Janeiro,
passon a fevereiro e abril de 1872, e nada cunprio.
e por este motivo e de novo cbamado para dix
Sm, pois S. S. se deve lembrar que este negoeio
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu filbo m
vhava nesta cidade_______________^__^_
Emprcza do gaz
A empreza do gaz tem a honra de annnnciar an
publico que recebeu uliimamente um esplendie'o
sortimento de lustres do vidro, ciadieirna, aran-
delas e globos, enjas a mo-Iras Mio no escriptorio
a rua do lmperador n. 31, e serio vendid^
seus fregue7e? pelo pfflo mais raziavel possivel.
Aluga-;e o quarto andar do aredft n. ". 1 da
rua do Bom Jesus, antipamente rua da Cruz : a
tratar na menu rua n. 55.
Preci?a-?3 alugar um rscravo para o terrtya
em casa de fan.ilia: na rua Primeiro de Marco
n. 23.
LOJA
Aluga se a loja do sobrado n 9 da rua da Au-
rora : a tratar na rua du Uuspicio n. 26, Uveri-s,
ou na rua da lmperairiz n. 10. taverna.
- Aluga-se o 2. e 3?
andares do sobrado n. 47 da
rua da Impcratriz : na rua
do Hospicio n. 33.
go do (lorpo Santo n. 19, que serao generosamen-
te recompensados.
Aluga-se
Chapas e argolas ameri-
canas
0 fabricante destas, tem a honra de participar
ao respeitavel pnblico que, tendo de retirar-se
para a cdrte brevemente, so pode receber enconi-
I mendas ate o dia 7 de marjo ; portanto roga aos
I senhores que quizerem munir-se de ditos objectos,
mandarem as suas encommendas com anteceden
j eia ao hotel Estaminet. a rua do lmperador n. 32,
: dat 9 boras ao meio dia.
A iiENCAO
Gonsiando aos abaixo assignado acharse nes-
ta pracA o Sr. Manoel Fernandes de Carvalho, ren-
deiro dos engenbos Rarra e Preguica, em Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
mesmo o obztquio de vir entender-se com os
abaixo assignados imraediatamente sobre negocio
leodente aes referidos engenho?. Rua do Amorim
37, escriptorio.
Tasse Irmios 4 C.
Uma oxcellente casa para familia, na Capanga,
porto de Lacerre, a rua da Ventura n. 22, tendo
quartos f6ra, banheiro, cocheira, etc. : a tratar na
mesma casa.
No caes do Apollo n. 69
Precisa se alugar uma escravinha de 12 a
annos para servico de casa, ou mesmo negoeia-se;
se for de condncta, paga-se bem.
14
Feitor

Em S. Jose do Manguinho, sitio da Jose Duarte
ainda se precisa de am que seja cuidadoso e
emenda Umbem do doxo-r.
ALUGA-SE
uma excellente casa construida de novo. sita na
entrada dos Afflietos, tem commodos para grande
fatmlia, 'itio muito bem planlado, jardim e banhei-
ro : a tratar na rua Primeiro de marjo u. I, Irvra-
ria economica._______________
Terreno.
Retaiha se a vontade dos compradores um ter-
rene na Torre, 90 passos da linha dos bonds e
perto da machambomba. Este terreno esta collo
cado entre duas estradas que vao ter a beira do
rio : a tratar na Torre com o Sr. Asais Pinto, na
rna do Arantes, e po Recife rna Formosa n. 27.
Offerece ae tuna ama de loite com filho : a
iratar na rua de 8. |R|Wl B-M, e Afofados.
ADVOBaaDO
AYRES GAM A
DO DUQUE DE CAXIAS
ill. 9.
Primeiro andar.
ALUGA-SE
o 2 andar do sobrado n. Si da rna Marquez de
Olinda : a tratarEarmazou em do me?mo predio.
Aos senhores de engenho e
outros proprietaries
que pretenderem contratar edificac^ies de predios,
asa s de campo, ou chalets, demarcacdes de ter
as, nivellamentos, asseotamento de maehinas a
vapor, plantas on outros quaesqner trabalhos nes-
te genero, queiram dirigir-se pessoalmente ou por
escripto a A. Coutinho, a rua do Crespo n. 18, |.
andar, escriptorio.
SAQUES
Carvalho d Noguetra, na rua do Apollo
B'. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agencies em todas as ci-
dades e villas de Portugal, a vista e a prazo
por todos os paquetes.
AlleDcjo.
Henrique Praxedes da Barroi offerece-se para
adminbtrador de engenho e segue para qual juer
lugar, dando se-lbe cooduccio para sna familia;
mesmo, por ter louga pratica de engenho, da
conhecimento de sn conducts com attH^udos dw
Srincipaes pessoas desta CTlR4e : qn<"m precisar
inja-se 4 travessa das Crozes n. 4, que aebara
com quem tratar.
Na rua de Santa Theivza n. 6" se Jiri quem
vende 60 paints de terreno, em Beiero.
ALUGA-SE
oma ca=a na Capubga, rua dr.s Pern: ml ocaaa
com coxeira e quartos fora : a tratir na rua d.
V'igario Tanorio n. 31.
Livros baralissiiuos.
Vende se por todo preco algiwa': obras de di
reito, litteratura, poesia, historia c rei |
francez, inglez e portuguez : na rua do C&bngft n.
II, loja de joias.
Alugam se as casas ns. 77 e 79 da rua de
S. Joao : a traUr na rua Duque de Caxias n. 44.
- Aluga se o 1* andar n. 12 na rua oe M
lio Dias, aotiga rua Direita : a tratar no segondi
audar.________________________
coin
Aluga-se uma grande casa
commodos, defron e do hospital Pedro II
excellente
a tra-
tar a rua do Rosario da Boa Vista n. 56.
Aluga- so um moleque
servico, de 14 a 15 annos
Barao da Victoria n. 22.
optimo para qualquti
idade : a rua d.
de
AttenQao
Precisa sc de uma prela, forra ou escrava, par*
vender uboleiro na rua; a tratar em Olinda, na
rua do Commercin, antigamente Qnatro Caatoi.
casa terrea, junta ao Sr. capilio Lapa, e defrost*
do oitio da botica do Sr. Join Raposo.____
Eogoinmadeira.
Quem liver nm escrava de eoaducla, que *>*
(rleila eogummadeira, qnerendo negocia-la poo
d'rigir-se a S. Jose do Mantuinho, sitio n. 2 an-
tes da igre^a qne se dara bom Preco, oameam)
por aluguer._______________________-
Garanhuns.
N -rna do Barao da Victoria n. 3, pr. --
War aos Srs. Pedro do Refo Cbsves P<
ose Paes da Silva, a negocio oe paroeoi* *
7



"7"
6
I
'
Jtm *3RrifiMc(4^!Xeo9B^ira 3udtafJfarpH to UBiSC
a loja da Psquina da Kin
tratar ao care Imperatriz.
Ja Impt^VtB n. I : a'
oarbeiro
Preeisa se de urn bom official de barbeiro, a se
meiacio no trabalho juntamente a mesa-: no
safio da rua Duqae de Caxias n. 3, andar.
N. 271.
Vende-se ou troca-se uma grande casa de la-
boa, na raa Imperial, com quintal cercado, com
grande aterro, portio'

quo bota para a linha ferrea, eom madeira* no-
vas, preferindose a troca por uma nesla cidade,
o preco e muilo coaraodo : quern pretender di
rija-se a mesma casa, que acnara com quern tra-
tar.
Estrada de ferro do Recife a
Olinda e Beberibe.
Pela secretaria da companhia dos trillios urha-
nus do Recife a Olinda e Beberibe, sao convida-
dos os senhores accionistas, constantes da relacSo
abaixo, para, com a maxima possivel brevidade,
coroparecerem no escriptorio da mesma compa-
nhia, afini de se Ihes distribuir suas respectivas
acjoes; e nesla oceasiao se previne aos mesmos
senhores que possuirem accCes do antigo padrao,
qneiram recolhe las para serem re*lituida? por
outras do actual.
Manoel Mai I'll- Fiuza.
Manoel Pibeiro Bastos.
Manoel Jose Danlas.
Barao de Tacaruna.
Jose Marcelino da Rosa.
Joao de Sa Cavalcante de Albuquerque.
Manocl Joaquim Baptista.
Dr. Clandino de Araujo Guimaraes.
Joaquim Antonio Pereira.
Francisco Antonio de Assis Goes.
D. Joanna Augusta de Castro Pagels.
Francisco Goncalves Ne'to.
Jose Fortunato dos Santos Porto.
Dr. Francisco do Rego Baptista.
Luiz Goncalves da Silva.
Jose Maria Palmeira.
Francisco Joao de Barros.
Dr. Luiz topes Caslello Branco.
Joaquim Francisco Lavra.
Jose Coellio da Silva Araujo.
Joaquim Jo-e Goncalves BeltrSo.
Antonio Augusts dos Santos Porto.
Manoel Josfrue Souza.
Jose Joaquim da Costa Leite.
Mancel Jose TinSeo de Souza.
Jose Alves da Silva Guimaraes.
Joaquim Jose" da Costa e Silva.
Jeronymo Gomes da Fonseca.
Joaquim Camiido da Cruz Siqueira.
Or. Fabricio Gomes do Andrade Lima.
Herdciros do Rr.drigo Pinto Moreira.
Dr. Manoel do Nascimento Machado Portella.
Joaquim Alves da Silva.
Antonio Jose da Costa e Silva.
Antonio Joaquim Vaz de Miranda.
Jose Antonio de Almeida Cunlia.
D. Anna Emir;dia da Silveira.
D. France'ina Sgydia Silveira.
D. Anna loaqnina Correia.
Joao Pereira Moutinho.
Arthur de Sa e Albuquerque.
Joao Baptista de Castro S:lva Junior.
Duarte Antonio de Miranda.
l>r. Feliciano Francisco Marlins.
Antonio Alves de Moraes. .
D. Gui!!ier:nina de Abreu Porto.
Pelro de Alcantara Guimaraes Peixoto.
EseriptoriO da companhia, 21 de fevereiro de
1874.
Joao Joaquim Aives
Secretario.
Furtaram urn cavallo de cor rudado, m o
. >Iir.i.i, elinas para a direila, pescoco pedrez a
Ions firms em seguida urn do outro, e no
iii esquerde tern I. signal que trouxe de Pa-
ei cavallo fui fartado no dia 16 do corren-
,i om rancho da estrada nova do Caxan-
a pessoa que do mesmo der noticia a Ber-
i iu$6 da Rocua, morador em Pajeu, ou na
:i Primeiro do Marco n. 18, loja, sera generosa-
ute gr&tifirada.
lircife, I" de fevereiro de 1874.
Aluga-se o 2" andnr e BOtito do sobrado sito
! Imperatriz n. 3.3, e a loja : a tratar no
dar d(> mesmo.
cm da mm
Rua L de Marco n. 23
Aos 20:000^1100.
U abaixo assignado tern sempre exposto a ven
., bilhetes da loteria do liio, cuja extraccao an
;iara oelos jornaes.
Precos.
Inteiro 24 000
Meio 12^000
Quarto 6*000
Manuel Martins Fiuza.
isa de campo
Aluga ''-. a oxcellente casa da travessa de Pay-
landd n 3, pmxima a-'hospital portngnez, com
eoaunod ..- para grarde familia : para tratar, na
na do Amurlm n 56, 1 andar
\tteneao
i
Awgam-se os vastos arma'.ens dos predios sitos
i raa do Viseonde de Itaparica n. 26 (outr'ora do
Apollo) e ea do mjsmo Dome ns. 2o e 27 : a tra-
tar na rua do Bom Jesa?, to escriptorio de E. A.
urle.__________________________________
Preclsa se de 1:000.1 a premio sobre hypo-
tbecs em um predio : a tra;ar na rua Imperial
227._______________________________
ATTEMCAO.
Na raa esireita do Rosario n. 35, sobrado de
am andar, avisa-3e a todos os freguezes que cos
lumam todos os anno3 a mandar fazer flores para
a quaresma, quo tern palmas para sepulcrho, sipos
da flores para anjos, diademas para capacetes, ro-
gas para enfeites ; tudo se faz por muito barato
preco : n.i m'-snia casa fazse bouquets para noi-
ros, para offertas com fitas bordadas a ouro e le
treiros a gostj de sous donos, e fazse ricas ban-
dejas di- linlis para casamentos e bailes, tuio com
i-seio e barateza.
Uma cscrava procisando de quatrocenios mi-
rs. para adjulorio d9 sua liberdade, olTerece paga|
com o sc; trabalho : a pessoa que quizer annunr
cie pof-?ste Diario a sua raoraia para ser procu-
rada.
Ainada.
Gralifica-se
Ausentou-se da casa de seu senhor, no dia 26
do corrente, a escrava Lourenra, preta, cabellos ca-
rapiDhidos, estatura regular, idade 42 annos, e
uma queimadura no pulso direito, falla descan^a-
da, e quando anda, balnea com a cabeca : foi
acompanhada com um preto, escravo, morador na
Torre : quem a levar na pra^a da ludependencia
a-. 24 o 25, sera recsmpensado.
CASA DO OURO"
Aos 4:000$000
Bilhefces garantidoe
Aim do HarSo da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
Acham so a ventra os rauito feii'-s bilhetes ga
.Iflteria a baneflcio da
:, ^ue se extrahira
Na rua do Barao da
fallar ao Sr, teneate
gacio de seu interesse.
ttoria n 36, precisa-ie
|6 Maria Pettana, a ne-
PrtSstsBesi die
duos amas parti
casa de pouca fa-
milia, sendo uma
para cozinhar e outra para engommar, pr-
ferindo-seescraTas, paga-se beta, se agradar:
a traUr no largo do Paraizo B. 38, 1 e J
andar. | _____
Ama de leite
Ptecisae de uma ama de leite, lem
rut da Praia n. 53, 3. andar.
aiho
AMI
numero 3:
r^
Precisase^e nmSWia paja coz|-
nhat ecomprar para casa de pouc
familia : a tratar na rua da Prai
Precisa-se de ana ama qoe saiba < eozioha'
e engommar, para daas pessoas : aa raa Direil
n. 10.
Preclsa se alugar nma ama ecraa para
comprar e eotiohar para nma peqMna familia
estrangeira : na rua do Marqnez le Olinda n 49,
1 )ia.
Precis*-se de um* aaia na pequenk
familia : na rua Duqae de Caxias n. Si,
hja
Ama
loja.
Ama de leitw
Precisa-se de uma sem.EHie, e nde jeja defeda
conducla : a rua do Visco'nde de Goyanna n.
129
Ama de tdM.
Precisa-se na Bda-VTsta,' raft da Santa Crat,
casa n. 66, ainda masmo que tenha fllho.
Precisa-se de uma ama qne saiba cozinhar
e engommar com perfeicio : a tratar na raa de
Pedro Affonso, outr'ora da Praia n. 47.
AMA
Precisa-se de uma ama, para
casa de pouca familia, preferin-
do-se que compre ; agradando,
paga-se bem: na rua do Vigano n. 33, no 4."
andar, esquina
AtTII Precisa-se de uma ama, para peque-
2\.ui(i na faiBi|a : arua j0 princ|pe n. 20..
Ama Precisa-se de ama para cozinhar: a
j^-liloi tratar iia ma do Imperador n. 14.
Precisa-se dc uma ama que saiba cozinhar,
para casa de horaem solteiro : a tratar na rua do
Barao da Victoria n. 60. .
Antonio Jose Rodrignes de Senza, em seu es-
criptorio a rua do Crespo n. 6, coinpra, por bods
precos, ejeravos das diversas cores, sexos e
dades.
lOOPOOdegratificaQao
Engenho Santos Mendes
Fugio no dia 20 de dezembro, 4o engenho San-
tos Mendes, comarca de Nazaretfi, freguezia de
Tracuuhaem, a escrava Maria, crioula, &} aOflds
de idade, pouco mais ou menos, baixa, grossa, Mr
Sreta, rosto alquebrado, 'pe"s secebs e espanados,
edos curtos, cabellos braneos, canellas finas, tem
dous signaes cabelludos no queixo, e e" bem ladi-
oa. A pessoa qne enlregar esta' escrava ou ao seu
iono, que e o senhor do engenho acitna,' Lauren-
tino Gomes da Cunha Pereira Beltrao, on no Re-
cife, largo do Corpo Santo n. 19, 1" andar, sera
ecompensada com a qusntfa de lOOS-
Ahga-se
ama sala aa rua Duque de Caxias n. 61, proprta
para advogado ou cartorio : a tratar na loja.
hiim,
Continiia estar fugida desde o dia 11 de Janeiro
a escrava de nomc Bernarda, idade 30 annos, pou-
co mais ou menos tem 03 olhos um pouco abotoa-
dos e 0 andar moderado, traja vestido e chale
pretos, costuma mudar trajos, tem nma cicatriz na
perna esquerda, anda dizendo que o senhor mor-
reu e deixou ella forra, esta la para 0 Cabo por
ter la um filho de nome Felix : e por isso roga-se
as autoridades policiaes ou aos capiiaes de campo
a apprehensao da dita escrava, levando-a ao Ca-
mmbo-Novo, a suasenhcra, sitio n. 110, ou na
rua daCacimba n. 1, que se recompensara gene-
rosament'.'.
No collcgio da Conceigao precisa-se de uma
engommadeira perita.
Rio Formoso.
O Sr. Faustino Leveque dos Santos, que dirigio
uma carta ao Sr. Benedicto Leal Romano, digne-
se faier publicar onde pode ser encontrado, ou
dirija-se a rua estreita do Rosario n. 30, primeiro
andar, na cidade do Recife.
Cozinheira.
Preclsa se de uma Mb cozinbeira para comprar
ecozinhar .11 n V:i 11 1. T|, Pailir.
Fugio do engenho Firmeza, na freguezia da
Escada, no dia 11 de fevereiro, 0 escravo Al-
bino, crioulo, eom os segnintes sign c?; cor
preta idade de 20 annos, alto, corpo regular, bo-
nita figuia, olhos um pouco esbrauquicados, tem
de um lado das costas um carocinho a scme-
Ihanca de uma jabaticaba. Pede-se as autorida-
des policiaes e capitaes de campo a apprehensio
do dito escravo, podendo entrega-lo no ditcr en-
genho ou na rua do Torres n. 12, escriptorio,
Ciizinheiro
Aluga-se ou vende-se um bom preto cie 40 a 45
annos de id.de, e tambem se troca por uma escra-
va engommadeira : a rua co Barao da Victoria
n. 22.
tvi'ixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratioa de
molhados : na rua do Rangel n 37.
Aviso ao commercio.
Eu abaixo asslgnado, com eslabelocimento a
rua larga do Rosario n. 20, faco sciente por meio
desla folha, ao pnblico, que autorisei por uma pro-
curacao bastante a Jose Maria Teixeira afim de
dirigir 0 mesmo es'abelecimenlo, podendo desde
ja fazer quaesquer transacjoes de leltras ou ou-
tras que se digam annexas ao mesmo cargo ; e
para que fique desde hoje confirmado durante a
minha ausencia faro 0 presente aviso.
Francisco Teixeira Barbosa.
- Antonio Jose Rodrignes de
ua do Cre-po n. 6,
Icores, sexos e ida<|
Souza

' Salsa Parrilha
Vende se muito nova em rolos pequenos,
gada nitimamente : na rua do Bom Jesus
Nio ba nada \A feralo
Quo un elegal
para via^
CONTENDC
r 100 enveioi
1* *> cademos de papel
ra douraoa, marcado com
prador.
2* 100 envelopes bram
mas de aco,
. obreias
...de vidro
6 1 areeiro dito dito dito.'
7* 1 pao de lacre.
8* 1 canivete de duas folals
9* 1 lapis.
10 2 cane"tas. '
Todos estes objectos renawpt MRre
boniu eaixa, feita para este flm, cristam
Us. tt^OOO
apenas
RMdd bsp&nc9.
Cksa & veiii
Vende-se por barato prego uma boacfla'coA
commodos para familia, sita a xua d^>latbia3
Ferreira, em Olinda, com quintal te portSo, e mnito
perto dos hanhos salgados : a tratar na rua do
Imperador n. 22 (drogaria ).
Bazar Victoria.
AmarSl" Nibnco & C, tedderrf elegantes figuras
de bronze e de poreelana, jarros e porta eartoes
de poreelana, espelhos, atoalhado branco e de co-
res, de linho e de aigodao, guardanapos de linho,
grandes e petadendi, e ontros mnftos artigos nd-
cessarios e proprios para decdro de uma casa: no
Bazar Victoria, a raa do Barao da Victoria n. 2.
Bandejas.
Amaral NaboW &'G, vendem'baridejas de cha-
rao de 12 a 30 pollegadas e de gosto inteiramen-
te novo e de metal, tambem bbnita pintura e de
diversos tamanhos: no Bazar Victoria ti. 2.
Grande pechlncha
S!rh' lifidas las
A Roza Brancayjibem corihecida comoa -mais
barateira, acaba de'Jreceber las para 240 e 320 rs.
0 covado. erum grande ^oitimento de I4s Urns a 800
r6i, fazenda que vate 80 : ve*ham aRosafirtn-
ca ver oira cfet, nart* darlmperatriz n. J6.
~ u::m: escoceias
A SOO rs, e covado
Rua do Queimado n. 43
__________ IBHJIS
Rua 4 lmperatm^.60
Vende fazendaspam liquidaF,por baratissimo preco come
abaixo se ve:
Pereira da Silva & Guimaraes tendo em ser um grande depozito de
lam resolvido fazer uma liquida^ao das mesmas -com grande abatimento not
com o unico fim da spurar dinbeiro, para o 'que- convidam nao so os seus numeroso*
freguezes, como o respeitavel publico, a vir snrttr-se de muitas fazendas, boas ebarita*
no seu estabelecimento denominado oPavao a rua dr!mpertWifc*iK 60.
mm
M do Barao da Victor^ n. 22.
DE
Carneiro Vianna.
i
> A* cste grande estabelecimento tem che-
gfdo ttn bom sortimento de macbinas para
costura, de todos os aqtores mais acredita-
dos ultimamentena Europa, cujas macbinas
sio garantidas por um anno, e tendo um
perfeito artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte desta cidade, como bem a*-
sira concert*-las pelo* tom'po tambem d'um
anno sem despendio algum do comprador.
Neste estabelecimento tambem ha perten^as
para as mesmas macbinas e se suppre qual-
quer pega que seja necessario. Estas ma-
cbinas tnlbalham' com toda a'perfeigio de
um e dous pospontos, franze e borda toda
qualquer costura-por fina quo aja, seus
Erecos sJo da seguinte qualidade : para tra-1
alhar a Wio dd 300000, 400000. 4500001
t^^'SSi,!^^^^ ll^LieibMiabrancacomlistrasde cores, para aca-
800000, 900000, 100^000, l 10^000, bar 3*500 x Dechincba
12OJJ0O0, 1800000, 1500000, 2000000-e '
CVMBRAIAS A 40, 40900, 50, 60 70.
0 Pav5o vende um magniflco sortimento
das mais Gnas cambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardls cada peca, pelo ba-
rato pre?o de 40,405OO, 50, 60, tendo tam-
bem das mais finas que custumam vir ao
mercado, assi-n como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 40
ate 80, sendo fazenda que valle muito mais
dinbeiro.
COJISALPICOS DE CORES A 50.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonitos salpiqui-
nbos miudinbos de cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido e vende pelo barato
preco de 50, por ser pecbincba, ditas com
salpicos todo branco sendo fazenda finissima
a 70500 e ditas a 50000.
VESTIDOS A USO DA CORTE 120
0 Pav3o vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
cada c6rte todos os enfeites necessarios como
sejam i babadinhos, entre-meios, rendas,
reqaefifes, e vende pelo barato preco de 120
cada um, assim como, di'.os a 2 de julho
com todos os enfeites a 100, cortes de cam-
braias brancas abertas, com listras e laores
a 60, ditos finissimos a 80, ditos de cam-
Defronle da pracinha da ludependencia.
E' para acabar
Lazinhas a esceceti.-propria para vestidos. pa-:.
AlltsJ a n^j^tL*^ut0 ^a denS0(^ rs,! waa,e Uimnat para cobrir pratos, esteiras
covado, 6 para aabar : ?> na-rdft do Qaeimado nmn *i.S i,:_ !;^..' J;...
2500000, emquanto aos autores nao ba al-
teracSo de precos, e os compradores poderao
VlsHar este estdbelecirnentg", que muito de-
verao gostar pela variedade de objectoc que
ha rsempc9 para vender, como sejam: cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balancp, ditas para
crianca (alt&s), ditis para escolas, costurei-
rds riquisiimas, para senfcora, despensaveis
para criancas, do todas as qualidades, camas
de ferro para ho mem e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelbos de metal para cbi, fa-
queiros coin cabo de metal e de mar fim,
ditos avulsos, colheres de metal fino, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
spar;
n. 43. Dao-se amostras.
Gaz a 5X600
a lata, do melhor que vem a este mercado, da
marca de Henry Forster A C, com a quantidade
completa do liquido: nos armazens de Jose Do-
mingues do Carmo e Silva a rua da Madre de
Deos n. 10, erua di Amorim n. 41.
Calcado barato
Loja do Arantes, praca da
Independent a n. 15.
Botinas inglezas de sola grossa-180000.
Idem de corJavao, finas, 70 0.
Idem dc pellica a Luiz XV, para senhora,
80000.
Idem protns gaspeadas, para senhora,
3^000.
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectbs para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito deVem agradar a todos
que visitarem estegriride estabelecimento
que se acha aberto desde as 6 horas da ma-
nha ate as 9 horas da noutea*
Rua do Barao da Victoria n.
22.
Alvi^aras.
Venham todos apressados
E com os bolsos recheados,
Do Cami>os ao Tmazem ;
Venham, n5o falte ningutn
Ver o grande sorfftamto
(Um verdadeiro portento)
Que para a quaresma tem ;
Compfehendem ? ora bem I
ATTENGAO
__ | E' com as trlpas pulando de contentamento que
j me apresento ante a onda gastronomica das sa-
I bias e illustres barrigas pernambucanas, felicitan-
l do-as por ja se acharem livre da pena de iaterdic-
| to e poderem sem rtwek) de alguina indigestao ex-
Vende se a dinhofW' on a prazo, sendo que jc ; commungada, eomSrem os mais finos e saborosos
de* boa garantia, oil p%rmuRi-se por predios nesta comestives, ceadjuvados por nma cascata de vi-
praca ou em seus arraoaldei, duas paries no valor nll0S &e todas ?s qualidades, deixando a quem
de 14:000*, do engenho Novo de Sennhaem, j dezejar o direito de gritar: viva o triumpho das
raoente e corrente, o qual m6e com o riacho Cu-! barrigas I I..
cad, e tem alem dito dous grandes agudes, mui-! Mas, como ia dizendo, nS& podia deixar de
las varzeas de tnassapfi e corgos com proporcoes acontecer assim, considerando-se como foi sabia e
Sara safrejar de.tres a qualro mil paea de assucar, bem ban ivalmente planejado o ataque das bar-
istando da estacao de Gameleira duas legoas, com ri6as grandes, contra a sucia dos bandulhos ca-
o melhor cerCadO que se pode desejar, tem optima ninos, que owincados a id^a ficticia do infer-
casa de vivenda (sobrado cam 9 jauellas de freate) no bicho inventado pelas grandes barrigas, pa-
uma exceilente e rica capeila com muitas alfaias, horrorisarem as barrigas sem tripas, sustenta-
grande casa de purgar, oleria, senzalla, sitios para vam a ""ais ab.-urda das monstruosidades : a
lavradores, etc., etc. ; tudo foi avaliado por infallibihdade do principal bojo do amor as avessas
45:000* ; e pode-se amrmar que os de mais her- e ^e Tipas dadas e a forca de tripadas queriam
deiros tambt m vendem suas paries : a tratrr na hypocritamente alimentarem a pelluda e famigera-
rua do Calleireiro n. C8, coin Minervino Francisco da -ex questao do dia centopda negra que en-
Lobo. ; rolada no capote chamuscado da inquisicao, pre-
---------t-------------r~------------j--------7----------| tendia assar o mundo das barrigas, privando an-
AprOVeitem 0 DaratO ',es a uumanidade de ganhar diaheiro e de em
Vende-so uma casa acabada de novo, com bom \tempJS Ctmo e terreno e boa cachnba, na rua da Hora junto ao
becco do Espinheiro ; assim como o mesmo dono
vende a loja dc funileiro da rua da Imperatriz n.
79 : trata-se na mesma loja com quem pretender
fazer negocio.
CORTES BORDADOS A 200 E 350.
0 Pav5o vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordado*, pelo ba-
rato preco de 200 e 350.
CASSAS FBANCEZAS
a 300 rs, o covado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
do cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimo fil6 branco liso e de salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BORNOUS A 120.
0 Pavao vende um bonito sorlimeuto dos
mais modernos bornous combonitas listrase
vende pelo barato preco de 120 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales de merin6 e com listras de seda.
francez muito lino a 30000, apenas precu
1, '/* metm para um lencel.'
CHALES BARATOS
a'20, 205OO-, 40,'
0 Pavao vende chales a emjta^ao de -
riu6 a 20, ditos de merino lisos delete at
cores a 20500, ditos de merino efitampafew,
muito finos a 40, 'ditos finissimos com lis-
tras de seda a 60500, ditos muito iuoe 4
ere pom a 100 e 180.
Algodtto enfeatad* 10 e U*9*
0 PavSo vende algodlo eufeelado com I
palmos de largura, proprio para len^oei
sendo do mais enforpado qne-*eta vrndo m
mercado, liso a 10 a vara e trancadoa.....
10280.
ATOALHADO A 10600, 20, 50.
0 Pavao vende atoalhado trancado com I
palmos de largura a 10200 e 10000, dtu
adamascado a 20, dito de linho adamasc*
do a 30 e 50.
SEDA PARA VESTIDOS
a 10600e20.
'' 0 Pavio vende um bonito sortimento d
sodas com, listriuhas proprias pare vesti-
dos de meninasede seuhora a 10600 o co-
vado, ditas lavradinhas a 20, os padroes sic
mnito bonitos e vende-se por este preco par*
acabar.
Botinas a ojOOO
O Pavio tem um completo sortimento d
botinas muito bem enfeitadas para senhorat
e vende pelo birato preco de 50, artigo qm
em outra qualqwr parte custa 10 e 70.
LENCOS BRANCOS
a 20000.
0 PavBo vende len^os braneos abainha
dos, tanto parahomens como para stnaoras
a 20 e 20500 a duzia, ditos de esguiio
cambraia de linho tambem abainhados i
30500, 40, 50, ditos francezes eicuros, par
rape* a 60, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas camisas com peit
de linho bordadas, proprias para noivo
10|$e 120 cada uma, ditas de linho sen se
rera bordadas a 40, 40500 e 50, ditas Ma
perto de aigodao muito Gnas a 20, 20500
30, ditas de chita fina rniudinha a 20,20600
e 30, assim como grande sortimento de ce-
roulas francezas tanto de linho como deal
godao de 10600 ate 30, grande sortisnenu
de mei3S cruaa inglezas de 40 ate" 80000 :
duzia.
Ceroulas francezas de linho e algodio, para todos os pregos e qualidades, assin
como grande sortimento de meias cruas, camisas, colennhos, que taio se vende po'
precos muito razoaveis.
Vende se por preco que ninguem recusara
De fazerem penitencias
Enchendo bem as Darrigas,
Pols nio 6 tempo de brigas,
E sim e, de abstinencias.
Mas, como ia contanlo, custou, porem afinal,
Na rua de Hortas n. 43 ha uma ama para
engommar : a pessoa que preeisar, queira procu-
rar. Garante-se o engommar perMramente bem.
Aluga-se uma grande casa de pedra e cal,
com rancho e taverna, sltoada entre o Barro e as
Areia?, tendo na taverna 2:00">#' de generos : a.
pessoa que pretender, dinjase a mesma, a en(e>-
der-se com o sea proprietario Pellx tins Caval-
cante.
a armacao e uteneilios aa tavetoa do pateo do Ter- depois da rasorada que Ihe passou no pescoco os
co n. 11, e garante- se as chaves da casa : a tratar [ poderes poderosos, a cabeca foi parar no fun-
na rua do Galdelreiro n. 68.________________ j do do rio a o rabo, como ruim da esfollar, ficou
Vende-se o sitio de Aloises de Cima, entre os n. se^co e/P08'^ ao? pontapes de qualquer gato
engenhos Paitlista e Fr'agoso: quem o pretender, PIDSaa. deixando e yerdade, magra as collegas
falfe ao Sr. major Manguinho. em Olisda, que esta i barr'8as. V despcitadas vao traUr de se nutri-
autorisado a ende lo. irem vindo ao armazem do Campos a rua do Im-
"ytr----f: ---------------------: perador a. 28, onde com certeza eoconlrario alem
Leite IlQUldO Cie VaCCa. Id0.1ae desjarem o seguinte : ovas de diversos
AHTOMIO JOSE DE AZIVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Ouerendo definitivaoiente liquidar este negocio, vende todos os que tem, novos
asados, pelo preco do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
3LEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos lindos desenhos de 11
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
VNNEIS electricos para curar dores de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas corias, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com la" ou se VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalbadas.
E muitos outros artigos, e por barato preco.
a 33 palmot
por grande que
Do dia 4 do corrente cm diante vende se bom
leite liquido, na fabrics de cigarros, a raa das
Tridcfielras n. 431, ao V. Itar para o pateo-do Car-
mo : os freguezes qtiarendo apreciar o bem leite,
aprbteitom.
I
I
Vende-se u rel;mte dos terrenos, na povoacao
de Beberib'Sj ptr precos modicos, com fandos para
orio, peirfda estacao : tratar coal'-o proprie-
tario U. Se&s**'.
0 Sr.JIeitor Xavier da Costa sirva-se com-
parecer a rua estreita do Rosario n. 17, oscriplo-
a negocto de particular interesse.
no.
'antido' da 1* parte
igrera da Ccmcaicao do
n dis 6 do corrente mez.
Irrteiio 400o
Meio 2JO00
De 10^0000 para i-imu.
Inteiro 3*300
Heio 1^780
KT
l.i
Kecif*, 1 d3 mr|ofd| I8^i
tn d>i C.-'j Lei'n.
zmmt

- Compra-se roeeas serViaas 8 mas^arasji
ua.ig os objectos perfencentes aos nws ii:o:Bt
rua da Roda n. 18.
E' na mtlade bom m-
|(tcio.
peixes e de bacalhao ; peixes de vinte qualidades
em conservas, sardinhas em latas, camar5es sec-
cos, bacalhao, pescadas, sardas, lagostas, salmao,
batatas, arroz, feijao, oebolas, azeite, vinagre ;
manteiga inpMza e franceza; doces, fructas e
cincoenta qualidades de vinhos Gnos do Porto e
outras tantas de outros lagares mais afamados de
Portugal, a!6m de um completo sortimento da ace-
pipes raros, deliciosos e que
Cahiodo em qualquer barriga
Faz a melhor digestao,
B nao faz mal a bexiga,
Como comendo, verao.
Slas, como ia fallando, iamos entrar na vida de
capim, e muito grande, em; terreno proprio, cujo outr'ora, isto 6", na epoca das festas, e portanlo
sitio divide com o do fallecido Diogo Jos6 da Gts-. vanWs'ter festas, fostas e mais festas, e como todos
ia, contendo mat's o dito sitio um grande p6co contem das festas, visto qne uma parte da para as
que s6 este alo.se faz iioje com 1:000*080, exis- festas e tres recebem para preparar as festas, e
tindo aguft e tres tanquts de pedra de Ltsboa, logico q&e o bregeiro dinhelro q;ue anda tao vas-
por preco corrimodo : a traar com GaMtdo One-1 quelro, sala dos cofres dos amaotes orthodoxos e
des Cavalcante,- mi rua do Visconde de Goyanna se va farailiansaado cemasjlllibeiras vasias dos
n- 1ft. r -______' uecessitadoj, e eites for stta'^ef venham ae arma-
T >h'> J i A-', > i t 'item do Campos a rua do Imperador n. 28, prena-
rOT mei&(l6 Cle;seii ValOr. [xumm para a quaresma, tempo de abstinencias
iVende-so rib sMS de mWJbl tfa'drSes oeio ? a'tW_8 wme sem Rcen?a, cotnprarem o que
MrukMinro precede 1*600 o covadA, apro'veiffim w?ft'm*l goifciso, saBoroso, cherrosb'B tudo que
Vende-se unx sitio, na estrada da Torre, com
muitos atvotedos irdctfferos, grande baixa para
FUMO BO PARA
0 verdadeiro fumo de Borba, om chicote, picado, desfiado e crespo, assim
como cigarros" do mesmo fumo ; na fabrica a v*por, antiga rua dos Quarteis n. 21.
Na dita fabrica, os Srs. fumantes encontrarao os seguintes e bem conhecidos
fumos manufacturados na mesma casa,
Flor do Brasil
Novo Caporal
Bes Bird'seye, ( Olho de Passaro. )
Vende-se a retalho, e em grande quantidade se faz grande abatimento.
GRANDE
Em
que
qimieifeebiiielu': & tan Du'qtte de Ra^tas
lifrlb Oeoirtri*S!'i*>.
aprc
rxfas
eiram Wliae'",| goswso
gy .acaba em ouso.
- Pede-se.ao Sj. Jo^pigi Pir*ferreira.-o fa-
vor de apparecer ua.rua Primeiro de Marco n. t
A, 1 andar, a negocio de seii particular inte-
-se.
Uf *i i^ ZSi bf' 9WmOP, Mi* duv^ara GrBSBfl|JJo]a **V(>rWW Uirrrerrntt-&
eto c6rno venda, wm ^tapr, .e fJftWftk ^i lix&izalxJliL
niftl ; e bora p'refe
quizer dispor, pode entender-
nio CKmaco Moreifa TI"*
rio, a rua dcfioitl lesaS'K '8
Afn^*-SdawMp ffi.nao excJm-Am \ .(Ssstfcrais*
M-wrt* torn; Bgav&un
Peehinhar grande em cam-
braia
*ar8%tes, avflria'das, a'SOtf'e
86#rH. 0 da rua
bizer absaaraates
Oo'generos especiaes
Qiie -e-qu Venham ja a qaaoto suit.-s
oHBw ft csusft motriz
Do Camnps nao tor rivaes
Delicias, g%sV^fltte/.
- veuMfse-mfl
idade-jyift-fifOO*
finos': A-a tratar no pa
'meelro.
Grosdenaple preto .
Sendo lisos e de cordao, e o mais largo
vem ao mercado, e qae se vende pelos diminuPcrs
preQos de 2!00, 2*S00, 3**00 e 3*300.
SO1 NA RUA DO CRESPO N. 20, LOJA DAS
TBES POffl'AS DE
Guilherme & C.
Junto a loja dia e~ra|uiiia
Naoha mais cabellos
braneos.
TINTUaMiJAPlEZil.
Sd e nnicaappftwwli pela* academias de
laciencias, reconhecida superior a toda gue
tem appal-ecido at6 hoje. Deposito ,6riixci-
; pal i tai da'Cadeia do Recife, Boje atar-
quez de Olinda, n. 51, 11 andar, e em
todas as boticas e eases de eabellei-
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburgoezas qne vem a este merea4o
na rur Marqaes de olinda n. H
Lindas las escoeezas.
De varkis padrSei, e inteiraraeote modernas, a
360 rs o, covado : aa rna Primeiro de Marco
antiga do Crespo n. 13, loja das columnas, de An-
lonio Correia'de Vt iconcellos.
Wilon Rowe & C vendem no sea armaxea
rua de Cemmercio n. li :
verdadeiro panno da algodle azul ameneane.
ccellenie fio de vela.
Cognac de 1' qualidade
Vinfco de Bordeaux.
Carvao de Pedra de togas as qualidadas1
Farinha de mandioca nova.
Recentetilente cftegada de Santa Catharina Om
ipara vender htf'frapictte Companhia, e para tratar
no seu escriptorio a rua do Comtnertfo n. 9, Joa-
troita Jos*f%mjalves Belrrso <$ Filho. Advertmeo
aos compradores qnp fesejiudo acabar, easts*
mais barato do que em qualquer outra parte, tan-
to em grandes coma sot pequenas poccdes.
oltD-eBtnrro d* IS annos de
iitto paWcOpeiK) ailiqteeiro-:
a Ribeira, ttd pbttifl ma*-
Lindo <5b(iariz.
Venlo-ss
............--------------------------
BBSJ
mm
nttta casa fla villa cte Barreiroft, aa raa do Gom-
tercio, por preco modico: a tratar com Tasso
irmiee 4C
^ Pr/CQ barato um rico^chahrti
de marmara[J$ffiJ^*'mVSS?1'
armado na omejaa oe marraore do bten,
rna do Imperafloi- p&n quem o aotter wr :
tratar na coa do Crespo, Jrjja do Paaso-fttoaj
arco de Satfro Atrtbnk).
in in i mmli
At^ri^fto
Vende-se a uverna'4eD>esHdsae-f-
voado do Barro, do lado.4frsgi*jav tswasMifaai-
nuina, proprianwr* irtmaoaK aimtmrn
dira ao comprador : a tratar na rua do CorosM
Suassuna n. W6.
-------- .... Mini r i i


I
-



/
k
v>
Dtofa 46 tyniamtHico ^re^Jfein &> Slol
1 OfeB
L
0SRBB3L
'.?f
i
IMG95 AGEKTES
Ruadollarao da Victoria. 28
Bu* Aa Iiopeiriati,M5' 8,7:575
mm
Uitoi$o- P&reif a llendes Guimaraes
Is mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
:rHa xpBi$8o de Paris,-em 186T, foi concedido a
Elus Howe Junior, a sted&lha de ouro e a condecora-
Legiao de Honra,' par serem as machiaas mais :per.
' feitas d-^iaBdo.
-A medalha deouro, flonferida' a E. -Ho-we Jutaior, bos
Estados4Jnido por ser o inventor da machiaa de
Declara aos sous froguezes que tern resoUiJo fazer uma gran 'e Jiqujdagjo, ate o
fira do corrente anno.
.AinSMKR
tara.
A medalh* de ouro na exposicao
*Ht* Tiachinns.
008-
de Londres acreditam
A
CAMMAIAS BRA-NCiS A 3$00Q2
Vende-se pecas de cambraia branca, t*pa-
da e trausparetite, a 39, 3#500, 4000 e
*?9oo.
LAtSIJSHASAaQORS. .
Vende-se 4asiabaa para vestidos, a-200, j
820 e 500 rs. o covai'.o. \
ALPACAS A640RS.
Veudo-se alpacasde cores comlistras-a 6*0
e 800 rs. -o covado.
GlUNADlNi:A800 rs.
Vende-se granadine p#eta com listras do
e6re6, para -vestidos, a 800 rs. o co-
vado.
POUPEUNA JARONEZA A 1*800.
Vende-se uma lazonda nova i com listas.
Ditos de. paUv,, a ^3p00 .a fO00,
Ditos dc raassa, a 4^,000.
PERITMARIAS EM LIQUlDAgAO. ''
Vende-se. sabenMes, de diversos tamapMs,
a 120, 200 eiO o 350 rs.,.toda from,
Frasco de banha, a. 160, .320 e 400 rs.
Frascos xiora sguado coloaia, a 240 e 320
rs. cada um. E outros muUos extractos que
sc vende muito baratopara 'liquidar.
TQALHAS 800 RS.
Vende-se toalbais fclpudas, a 800 rs. cads
uma., Lencos brancos; a 28000 a duzia, e
3&000 abaiohfldos, fazeuda quo vende-se
por 3#000.
GRAVATAS RRETAS A 500 RS.
D6 BHfl
Passando o thafariz.
RogaHBe aos senhores de engenho que pretendem
empregaralguns dos machinismos novos, o favor de appa-
recerem nesta fabrica que lhes p6de fornecer os apparelhos
rnais.apropriados com o minimo de despeza: e dispoe de
p ssoal habilitado para monta-los devid mente, e mo&trar
o gystema mais commodo de trabalho, para obter melho-
rajn^nto no fabrico do assucar.
VHtlAZIH
fazendas finas
n.
7 A
Rua Pcimeiro do Margo
DE
Cordeiro Simoes Cabriolet
Vende se dous cabriolets deqoalra rodaa. nm pintado e forrad de novo, tendo bolea tdfa,
vardes e lanca"; unban s* tends d"BS c.r
e um arreio : para ver uid- na cochetra na rua
; da Koda n. 60, e para IraUr na rua d-j Mm:
' de Olinda n. G. com R jdrigucs Irinaos 4 Guima-
j r5f.______________________________
Tanques de ferro.
E'tsla'nfna ds caaas que hoje pode com pri-
nHiwa rtfToreceraos seas fregueies um variadwsi-
iiiu scrliuiento de fazendas flnas para graude toi-
Vende se gravatas pretas, a 500 rs. Man-
com o nomo de poupelina japoneza, prppria: tasde cores a 200 rs,
para vestidos de> seoboras, a 19800-e-co-1 Cbapeos para b^ptisados de meninos, a j lettc, e bent a^im para uso ordinarrio Se'todasas
vado. Todas estas fezendas s5o vendidas not 89000. '-lasses, e p*r pre^os vantajosos, das quaes faz urn
Razar Nacional, a" ma da Jmper ariz n. 72. i BENGALASTTCRICOTES A 800 llS. i^n.uetioresumo.
Vende se dous, triaugulares,
vius : ua rua da Luia<> u. 67.
proprius ps.-a d.-
II AS
Cab-nos o'dever'deacnunciar que a companhia das machinas deBowe de Wova-
erk, estabeleceu nesta cidade i rua flo.'Bfrlo' da Victoria n. 28, ura depo'sito e agencia
ral, para em Pernamburo o maisprovinciasse vendetem as afamadasmacbinasde cos-
vra ^* Howe. Estas machinas s8o justamente apreciadas pela perfeiffio de seu trabalho, g '
r jiregaudo uma agizlha mais cutta com a mesma qualidaae de linha que qnalquer outra, j vad'r
i *iida introduccao dos mai? aperfeicoados apparelhos, eStamos actualmente hubilitados a
'farecer aff-exam^publicp as methores macnkias do mnndo.
As vantagensdestas machinas sao as seguinUs:
frtaJWwi.-^-O pM*licosa*eqw*M'w sao duradouras,'para isto-proT* iacontestavel, a
'rtjinistaHrCla'de nnca tafem'WW"*>"Jo no raercado-'meehinas d Howe emsegun-
'*Mo.
Segunda.f-ocitm o materiel>preciso'paT!rreparar qaalquer dosarranjo.
76r^cerra.'Ha nella* menor frrc^So entre as diversappecas, e menos rapido 'estrago
>*'toenaa'eutras.
Quarts.^Potmam Oponto oomo se ttra feito ABio.
fUnita.-^Permitto que'se eraniBte wabalhodeambos os rfidctras.
''{fotta.Pazem ponto miodo emicaseiaira, atravessando o fio de am i outro lado,
Sogo em sfgui-1, shm modificju^se a tensao da iinha, cozem a fawnda mai
yetima.^0cornp*ssO>i^'teWntado'cotna maiorfacHrdade,quando se temde mwdar'
a'gulha ao comc'car'nova costUra.
(Jitavs.Maitas cbrapatmias" deroftehmas de costura, tem tido epocas de grandeta e
cadencia. Machinas outr'ort- poptrlares.sao hoje quasi descoehecWas, outras soffrertm Mndamiuto boa,^a 400 re.tt covado.
nianja'st'arHcaespara^prjdei'em suBsKituir entretantoacompatthia'dasmachmasde'Howe )0-
W6ptando^a'opinlSo oe'fiHas'HWwe, mestreiem artefmeehanicas, tem coBstarVtMBeote
ipcentadb 0' sett'fabrico, d'hoje riio' attend a procura, 'posto que -faca' 600 'ma-chinas
r tia.
Cada tnacWna actt
'4 '
CORTES DECASSA A 295 0,
Veude-se c6rtes de cassa. para vestidos,
com 10 covados, a 298,00.
CHITAS LARGAS A 240 Rs.
Vende-se chitas Crancezas, largas, de.cdres
a 240, 300, 320 e SCO rs. o co-0
vado.
CASSAS DE GORES A 260RS.
Vende-se caseas francezas finas de cores,,
a 200, 320 e 400 rs. o covado.
SA1AS A29000.
Vende-se saias brancascom barras deed-
res, a2000.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chitas para cobertas, a 280 e
860 rs. o covado.
MEIAS PARA'ttOfMENS A 6900O A DUCTA.
Vende-se meiascruas TOfdadeiras/part
homens, a 09000 a duzia, a qua! 'val
85JOOO. *
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de la, a 800 rs.cads
'CHfTAS FIXASA400RS.
Vende-se chitas Unas de Campo largo;'fa-
^taha Kvretos conl instrac^Sesjemporrugrjei.
do Barao da Tictoria
Hi
de or antoprefo, para near ae iicance
qnalquer bolsa.
Rua do Cabugan. 1
pre-
A' rua du Ciibugii n. 1 A.
Os proprielarios da PredilecU, no intuitd dt.
conservar o bom couceito que teem merecido do'
respeitavei publieo, distingulodo o-aea estabeleci-
rneato dos mais que nogociam.no mesmo genera,
veem scientificar aos-^eus bons fregueiesiiue pre-
veniram aos sens correspondentes nas diverSas par- j
cas d'Europa para lhes enviarem por todos o*pa- \
quetes os objeoio? de Imto e bom gosto, que se-
jam mais Item aefiitos palas sociedades ejegautes
laquelles paizes, visto, aproximar se o tempo de
festa, em que o bello sexo desta Fmda Veneza
mais ostenla a riqueza de stias toilteUes ; e co
mo ja recebossem pela paqaete Irancez diverso
artigos da ultima moda, veem pate&tear aigun-
d'eotre elles que se tornam oiais recommendaveis.
esperando do respeitavel publieo a costumada
coneurrencia.
-Aderecos de tartaruga os mais lindos que teem
vinde ao mercado.
Aibons com ricas capas da madreperola e de
velludo, sendo diversos tamanbos e Daratos
os.
Aderecos completos de borraeha proprios para
Into, tambem se vendem meios aderecosimsito bo-
nitos.
BotSes de .=etim preto e de cores para ornato de
vestidos de sechora; tambem tem para coltete
pant.
Bolsas para senhoras, existe um bello surtimea-
10 de seda, de paiha, de chagrim. etc., et:., -< nor
barato preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de loufa
cotno de c6ra, de borraeha e de massa ; chama-
roos a attenrao das Exmas.Sras. para esteartigo,
pots 3A vexes tornam-se as criancas um pouco ira-
pertinentes por falta de umob|eelo.queas en-
iretetham.
Camtsas de lhrho Usa? e com peitos bordado?
para homem, vendem-se por preco commodo.
Ceroulas de lintio e de atgodic, de diversos pre-
oos.
com distieos n^s rampas e proprios para 'pre'seu*,
Ms.
Coquet os mais modernos e de diversos forma-
ts.
Chapeos pira senhbra. Receberam'Um sortimento
da Bltima moda, tanto para Senhora, como par*
memo as.
pellas simples e com veo para noivas.
s bordadas para meainas.
re'meios estam'^dos e bordados, de lindoi'
Eeeovas etectricas para fleates, tem aproprie-
dade.de.evitar a carie dos dentee.
Ftanias-de seda pyetaa e de cores, exijte um.
grairaeWtmiento de diverts largnrsrs e bafato1
Atas de'sarja, dc pargurao.de !setim ede ohi-
ma[ote, de diversas largaras-.e bonitas cores.
Pachas de gorgurao muito lindas.
Flores artificiaes. A Preditem pTima tfl Con-
erv*f"settpre tna beflo'e (frahde sorlirnento des-
las flores, nao so para eaMWides cUwllw, como
lambea para ornato. de vesikkj.de aovva*.
Galoes de algodao, da la e de seda, francos, pre-
JOlf'e'de flrversas cWeS.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lafee'de eambraia e de seda de diVasas core'
para 9enhora.
Ligas de seda de cores e'braocas'bbicfedastnars
nOiva.
JUrt#'afa oovlr,trl!*a,''d*i cgfrMfii frndre-1
HOroJa^ marflm, 6s* vBUpdo> md>,^uefe de
Pentes de tartaruga e marfim pafa,*li*ar os-ca.-
?#*. H9? M^^^^^S^ rhadre-
pfcrela,; lBaVrli, oW" f flolfHs PKttriib'ifre^.
Perfumarias. Neste artigo esta a Predilecta be*j
pfowUjjplD.eo ,pm^xtractbs,;wiSQ em oleos t
banfias dos melhores odpi^^iW *&>>&>*
fabricantes, Loabin, Ptver, Soeiedade nygienica,
Condray, Gosnel e Rime) ; sao indfepensaveis para
a festa.
Saias bordadas oara senhora, por commodo
Pfeeo.
SapatlMWd*B de'setim bordados .para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predfleeta um bonito sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada de saias,
Vestimenta? para, baptrfado o due ha de melhoi
gosto e os maii moderpos, recebeu a Predileeta
Grande reuoiao!
Para todos
Republicanos e raonarchistas.
Uemocratas e aristocratas.
Federados e confederados,
Communalistas e communistas.
Callwlicos velhos ou uovos.
Todos deveni ir
Reunidos ou nao reunidos
Fazer emquanto antes
Suas encommendas
Dos saborosos filhos
Tao preconisados!
Fabricados a capricho
Dos ipasteleiros
Sd e somcote
Na conieitaria do Campos
94, Imperudor 94L.
VENHAM VEE
A Nova Esperaoca, a rua Duque de Caxias n. 63,
apressa-se em corividar a sens freguczes. com es-
pecialidade ao bello sexo a virem apreciar os e-
guintes artigos expostos a venda e todos por preeos
commodos, como sejam:
FHS'AS BONECAS mansas e choronas.
BONITAS E ENGRAgADAS vistas para sterios-
copios.
COMMODAS LATAS para guardar cba.
.ELEGANTES BOLSAS para senhoras e meninas.
. BONITOS VASOS com fina banha e cheirosos
exfractos, (razeniio^suft frasco um nome.umiini-
cialou Um disiico.
FINAS MEIAS Dfi SEDA, vimiu- - de carne.
Para quem goslar.
A" Nova Esperanca a rua Duqne de Caxi^
163, acaba de receber tentos e caixa9 para j
Voltarette. f\*
Para aueni ss ffre das Jpenias.
A Nova Esperanca, a rua Dn jue de Caxias n.
163, acabi de receber as proeuradas meias de bor-
raeha para quem soffre das pernas.
FLORES ARTIFICIAES
A Nova Esperanga, a rua Duqne de Caxias n.
63, acaba de receber Um Undo e compJeto' sorti-
mento de flores artificiaes das melhores que tem
viado ao mercado
A eHas antes que se acahem.
Costumes para crianca.
A Nova Esperanga, a rua Duque de Caxias n. i
63, aoabade McaberfcoDitos oasramespara crianca
eeslise Rendpndonor precps razpaveis. .
kmmmmm
A N>va Esperanca, a rua Ducrbel,S'Ca*ras b.
03, rWebett um pequeno sortimeow a Wltk e
Mgfeira* elettfteas, pMprias nerv6.
6 .r.
''tt-
VdnueJe'arJaS casas contifenas, e qttelem com-
munieaew iM ama para outra ns. 33.-6-3S, area
de S. Miguel dos Afogados, com silio murado e
portao para a rua do Bom Goato : trata-se nas met
mas casa, das 9 as 10 horas da manha.
Vende-se chales de merino estampados,'a
29, 89,^000 e-99000.
Ditos de listras a 59000 e 09600.
BRINS BM CORTES A 19500
Vende-se cortesde brim decdres e pardo,
a 19500, para liquidar.
COBERTAS DEGHITAA19600.
Vende-se cobertss de cbita, a 19600 e
2900O.
BRiM.PARDO E DECORtS A,400,RS.
Vede-*so brim pardoe-de cores] pare rou-
pa de homonse meninos, a 400 rs. o oova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 29000.
VoRdersecolxasde cores,para cama, a 29,
e 49000.
TEANSPARENTES PARA GADF1RAS A
19500.
Vetide-se transpareutes para cadeiras, a
19500, para liquidar.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets de seda para hemens, a
500 rs.
CHAPEOS A 29500.
Veude-se chapeos de castor para neninos' te festa que esta* na porta, a* rua da Imperatrij
e bomens, a 29500 e 39000. n. 72. Bazar Nacioual.
a 800 rs.J
Mandam fazendas as casas dos pretendentes,
i.patta.oi.^ue.tpm pessoal, neeessario, ed5o amostras
I fiiedtanio t.euimr.
Vende-se bengalas e chicOtes,
cada uma, para liquidar.
Cb'rter >'e seda de linda- cores.
Grosd.-naplr-y'df.- tMii as cores.
OAftirle tir;i!ii,.lii. de listras, preto, etc. -
Seun .Mac;'*;.! pre/o e de cores.
(Jroidi-oaples prtto.
\ elln-'" pri'tn.
Grairatime du seda, preia e-dc cures.
Popchnas de lindos padroes.
Fiw (l! seda, bruueo e preto.
Ric^sbasquinas de seda.
Casac is de merind de cor
Vantas hra?ilfiras.
Ditas de caseraira .de cores e preta, a; jS, j.do?,,w cumeftmbrala brapca eom lindos borda'
Ricas capellas c manias para noivas.
GRANDE UQL'IDACAO DE ROUPA FE1TA
Vende-se ceroiilas de algodSo, a 19000.
Ditas de linho, a 19600 e 27000.
Carhisas de chitas" finas, a'*9600.
Ditas de peito de cores, a 29000,
Ditas brancas finas, a 29000, 39000 e
49000.
Calcasde brim pardo e de cores, a 29000
e29500.
cores, la, etc.
69, 79^ 00 e 896OO.
Palitots de. alpacas de cores, a 29500.
Ditos pretos, a 39000'o 39500.
Ditos de cascmira de cores, a 49
69000.
Ditos ditos prelos, a 59QO0, 69500
89000.
Colletes de oasemira de cores, a 29, 39
4900.0.
Camisas de flariella, de cores, a 29000
29500.
ALwODAO A;49000.
Verxle-se.pecaVde.argodao, a ,'49, 59
69000.
'CASRM4RA- DE 0 A'89500.
'Veft^e-^e casoBirrB'tde erres; a 29500 o
covado.
uMAffiWOfiAO- .4-89000.
VieWdel^pwjasiide'rn*dapel8e eftfestado.
a 39000.
Ditb-inglezv* WSOO,'l5f ,'9 e!T90O0'a
pec a.
Ik I TINAS A 49500.
Vende-se botinas para senbora e menmos,
a 49500, 59 e 69000.
Dita* deenfiar, a 290C0.
Sapatos-de-laruite, 9500.
Bitos de traBca,*'9600 e 29000.
BRAMANTE A 49600,
Vende-se br-amante com 10 palmo
lengura, para lencoes, 19600 e 8950
metro. E outras muitns fazeades propria
preco, para:4iqoidar; dtei o fim d* corrente
anno, porisso convemraos'oompradores sor-
tirera-se de fazendas baratas, para a presen-
soi-timento de las com listras de
Riquissimo
seda.
Cambraia? de oores.
Ditas maripows, branra?, Hzas e bordadas.
Napmques de lindos padroes.
Baptistas, padroes deiicados.
Percalinas de quadros, pretos e brancos, listras,
etc, etc.
| Brins de linhu de. cor, proprios para vestidos,
com barra e listras.
Ricos cortes He vestido de linho, com infeite? da
' mesma cor, ultima moda.
j IHtode eambraia-dcoSres.
Fustao de lindas cdres.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho e al-
godao. \
Sortimento de ravas da verdadeira fabrica de
Jouvin, para.homene senhoras.
Vestuarios para meninos.
Ditos para baptizado.
Chape\is para alto.
Toalhas e guardanapos adaraascados de linho de
cor, para mesa.
Col.r.li.v de U.
' Cortinados bordados.
G^Jnde sortimento de camisas de liuho, lizas e
bordadas. para homens.
I Meiap da c6res para homens, meninos e meni-
nas.
Ditas escocezas.
Complete sortimento de chapeos de sol para ho-
mens e senhoras.
'Merino d* ceres para vestidos.
Dito preto, !ran$ado e dito de verao.
Atoaliiady de linho e algodao para toalhas.
Atoaitiado par do.
Damasi-o de la.
Brtos de linho, kranco de cores e preto.
Setimde liadas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos.
Ditos de casemira.
Ditos de seda preta e de cores.
Drtfe de tonquim.
Camisas deehiia para homens.
Ditas de flaaella.
Ceroulas de linho e algodao.
Pannes de crochet para sofa, cadeiras e conso-
AGUAS ALCALLNO GAZOSAS
i SAI.GADAS
j VILLA POUCA DE ACI-IU
Biottrhonatadas-Kodirns
Analyses do Dr. Jofd Julio lfodriqun,
da tteola jwiylecliHua 4t /.'/
Esta excellcnte agu-, o.-ada r :., rpntafrni
paiecimentiW d..s vias dif.-.t,- .s, ufiaarus, -i.
eatomag), i-v. tie. : vende te. m um .- r.
di-,'j.':ina a ru.i larga da Ri.saii-.. n "V
Venfie se uma uvenri u !.a das Carro-
1 gas, esqoina da rua de S. J io run boa eaaa de
; viwnla e bastantc-" commodos para fbmilia : euea
pretvuue-la diiija je a mesiua.
Fogao de ferro eeoncjnico
Vende se nm chegadoha pftuc".- i!i;. t.n) i
na'.has para lenha e cara.., f, r. para a--ar.
deposito para apM qu^ntp c lupar par.i sc- t ..
dar qtiente as comidas d<-pois da feitas; estoi to-
goes tornam-se ncuuiUK-udavt U por|u rin d.-
ferro batide, e Takricados com r'<.:.r'.-< ta'-
nham com mui diminnta lenha : n- ma da A
n 20
inmdc peeiiiiuiia a 200
covado.
rs u
lassa la. padrOes uovos, e dc nais gi^sto \at
Kviudo.io mercado. so na rua do Queirrado
*3, loja de Guerra A Fernani>e.. p*lo dim to
prpfCi de iOO rs. o covado I
Cheguem fre^uezes quo se a,-aL.i
J. 0. c
Ttm para ve i :
Cognac de Heonessy, superior e v
Yiahu Xercs das mciborea quaiiti^J- -.
Bitters de Ang, -tara.
Whisky.
Cha preto em lattu de 10 libras.
Todas as preparacdes ohimicss do Dr A,,
armazero ifa hi.i Ho rnmmerrin n SK
Vaccina
de excellente qualid; d : venJc-se no consu
do Dr. Veilosu, a rua do ilarao da Viet >na n.
O Extracto toniposto ae

G^LLO
RUA DO-RAMrEL N. 3
Armazens ide seecos e moiliados
TEM PARA :DISTlNCTIVODOESTABy.ECI*!ENTOUMALEO.BRAiiU), PUSTADO,
PARA ALGUMA PESSOA QUE IGNORE A LEITL'RA.
Rodrigues & Pires, regressados em Perinmb'uco, cfdade do Recife, successores do
arrnazem do Gallo, a* rua do Algibeves, em I.isboa, o mais aJaiBadoieconbeoido armazem
naqiiella cidade, capricbam sempreemter generosdeprrfDeira'-qualidade, dos ijuaes dao
aos seus onmeroaos freguezes um conbecimento mais* proiongado na relacao abaixodes-
cripta :
Leneos bordados e de labyrintho.
(jjlchas de crochet.
Tariatifla de todas as cores.
Rieos cortes de vestidos de tarlatana bordados
I para cortes.
Espartjlhos lisos, bordados.
Foulard de seda, liddas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Rica? faunas de seda e la para senhoras.
Rico sortimento de leques de madreperolas e
osso.
Damasco de seda.
Ricdschapeos e chapelinas para senhoras, ulti
ma. moda.
Casemira preta e de cores.
Cbilas,' roadapolao, panno fino preto e azul, col-
larinhos, punhos de linho e algodao, gravatas, lu-
vas de fio de Escossia, 'apetes de todos os tama-
nhos, bolsas de viagem, peitos bordados para ho-
mens, ler)e)8 de Hnho branco e de c6res, toalhas,
goardanapos, etc. etc._______________
0 que e bom e caro
Palavra bemdita que nuncai'altou.
Chd peroia lino, a 3J0OG a libra.
Dito miudinho super-flno, a 49000 a li-
bra.
Dito popular, flno,, a 39000 a libra.
Manteiga ingleza fior. em barril a '18600.
Dita ditafina, em latas, a 19500.
Dita, dita, aita e dita, a l9i'00.
Azeite de pfeUte baleia, a 640 rs a'garrd-|no, a-<240'rs.
Camerdesseoces'.a WO rsj a libra.
QueijosfrescosempeHieado8, 'precooom,-
modo.
'Gescasdecdoo'para lavar rasa, a 100e
120 rs.
Farinha fina de M/uribeea.
iVassouras de prassava paraservie.o iuter-
:a.
Dito de edeo, fino, [a 800 rs. a garrafa.
Dito doce e carrapato.
Aguardentedo caldo da canna, feiti de
encOtomendav, i 500 rs. a garrafa.
Dita popular, a 320 e 2iO rs. a garrafa,
Ditanranca, a 200 rs. a garnafa.
Ditas grandes a 500 rs
Masses para s6pa de todas as qualida-
_
Os verrfadeiffts
VinhosJ'de Bourgogne
marcas
Charhbertin
Pommard
Tints

"Beahne
Monthelie
D.'lo Bor'deeV^era quartf'l)?-.?.
PARA tlQUIDAjCAO DE C0NTAi'W
> eJ-q
PI
dee
Vinho tinto e branco, superiores, edgar-
rafadnseenvpipas-. enffWknibo annorperar, em secco e-rao-
lba*09j -gor ser extenso. t-
^_^_______________________- _____;-!
Ceroulas 4e faparoaute, iran-
.ceaajs^.wpe^lqites, a S#
Venbam admiraiiniUf soRfW cejfonla/dehxa-
maBte. da iinho. a^* : naoadfljira. q areco .porque
Qs'naate ae menos; 'admirae a rfnalidaBe, e'Veu-
Ber'-se1 j)6rT affateWafqoe v*M>.. Ba'*aja;:da
R8b Branca, ma da lapwatria, n.ffl6/ e Aaewdo
fdjiCtompaobia.
QnaiiiMb ha^oq>de soly^e a
A ,Row .Jteapca A^w^vpndo, Mad
Baa
;tt.
ati
argi
-.# *

AVISO
Vende-se o engeoho Rocas velbas junto da villa
do Cabo, eperto Ha estacao da liha, nraalegoa,
com a safra e bois, ou ho o engenho, raoenie de
agna, qua pode safrejar de. 1,300 a 8,000 paes de
a-sacar : a tratjr n > mesmo' engenho, ou a rna
1 Imperial n. 92, com Thumaz Antonio Coimbra.
d tto*arU *#. 1
Rotica.
Vende-se
pes de parreiras, abacate, sapotis, romeiras, fi-
gueiras, fructa-pao, rozeir>, dhaiias e outras flo-
res, por. preco. commodo ; na Boa-Vista, rua do
Visconde de Goyaana n. 101', o Venae-se uin rico, pianno hovo, mn
e de excellentes vozes^ a tifetar na rpa db^BarSo
de S. Borja n. J9 ; na 'me*ma easa1 teem para ven-
der-se nma. boa mobilia de jacaranda, com ponco
uso e em perfeito estado.
sahirya |)asto-'e4evarBa
mao o seu chapelinho de sol, e por este pri
JBBMjilHeft>dM w 4a,Iiparii n.
joja iakievefa & C.
Chitas escuras 'finas
A Rosa BraneB 'W^e objus ,aMurs da novoi
rMe^q
fan*
Engenho a venda.
Vende-ge o engenho Pataizo, sito na ilha de
IiamarScA, e le'vjtntatlo ha ponco tempo em terras
da-sitid -Soceorro Acha-se o referido engenho
moente e corrente e e a vapor, sendo o respectivo
terrenaassas productivo de canna, mandioca, mi-
Iho, feijao etc. Alem dos terrenos de plantacao,
ha uma boa solta para gado, muitas arvores fruc-
tiferas, incl.isive coquciros e optimos lugares para
grandes yiveiros. A situaeao da, casa de vivenda
e agradavel, e o clima e passadio da ilTii de Ita
maraca sao muito apreciaveis, alem de outras
van^agen? que com a vista 'tnelhor. conheeera o
comprador, dirigindose ao referido engenho, ou
iaforaando-se na rua do Atalho n. 9. freguezia
da Boa vista, junto a caixa d'agua. ___
200
rs..
GMWNOWOADE
%' rua do Crespo n. *0
Loja das 3portas
.:LAZ1NHAS
^Legv.J Jbi fazejjd*, com padroes inteiramente
novos, e upe se vende pelo dfminuto weco de 400
n. (^ rttvado : hte per ter grande quantfoaide.
.'.'SOS NAJRUA DO CBB8PO Nw: JO
Ikaja de
Gurlheftne '& !C> junto fe bja
da esquina
^ostos e pann^ operiorgue vilem ii
aproveiteni que 6 pechiocni : na fria
triz n. Sfl, de AzevedWCl ">
"' -,'""--------^- Con:
^para
jVBBferios
dos finados Maria Antouia de Sobza e sen marido
j6dPranci8C6'dCosti a Hater com o coqamen-
dador Manoel Alves Guerra, du Com dsoiicnaaor
Frederico Chaves.
Patis fc'Amerltfa, a rua Du-
Aue'de ("Wias-n.'-Sd
prfaieiro iftdar.-- acaba de receber um compieto
sortimento dawtleidos estrangairos para horhem t
aiohoray.viado eotre dies um Undo sortimeato'd
elegantes chiquitos, sapatinhos e botinas para
.'w r.; jeriafltas, que tudo vende por preeos r
razoaveis.
Ao n. 9
.- No Progresso do pateo do Carmo vende-se man-
teija ingleza muito boa ail; assim como conti-
niia a ter bom nrfimento para qualquer ehefe de
farm'lia fazer sna de>p-nsa, que encontrara preeos
mais commodo- do quo em outra pane.
A! SAPARRILHA
Do Dr. Ayer
0 PURIFICADOR DO SANGUE
Tara curar cssas motestias gut prortm ilc riei<>
pureua do Sangut,i da Etcroful-/
MOLESTIAS CUTANEAS, CALLOS. MANCHAS
IRRUPTS, ETC.
Rheumatlamo Gotta, Dores e
Affeecoes doe Oeaos, Mai doa Ol-
hos, Debllidada ou frag,uesa serai,
Dyspepsia, Incommodo do Flirado, I
Uma falta geral de saude a uma'
dlspoBl(;ao facll ao aoOrimanto. ttm JbUmr
rarioi outni iteommodo; alfumi ptqwnot, outran ti w.
i sao oe roealtados e coafteqnencUa que maia tar.!
cedo occorrem.
AB MOLKSTIAS de qne padece o tio fimivinn, \
bem, quasi aempre tao devidai i metma caota.
O. tolco tratamento efflcai a n:v, *
raanelra tegura de readquirir a sauJ^
de Mftabeleoer o eeipo, e mediant? t
emprego fiel e conatante detun PuH-
ficador AUtrmnt* como a
SALSAPARRILHA AYER.
eclenma modtcaapweeiita eate reme-
'dio ao poto como o melhor o o mav
seguio que ella conbece para o am
flesejado.
Aim da talc in SatHyHrrlltia etfo t etupoitn rial prim-
tipatl tubttancit? mttUtimaaoueatTperUncin tt-n dtmof
trado itrtm at tntlhertr artt ttm dacobtrtopara eztirpar do ou*u< e dot kumortt,
esso$ viciol e corrupfott que ioo agcrmefde tantnnalaHm
Logo qne SXtSAPABBiLBA ATE* haja penetrado
ytroa, comeea entXo a obra do xattabelecimeolo.
Klo e n'ura momento seta em ura dia
4oe a.moleatia desapparece.
Ponco a pouco, degrao sobte degrao,
e eangtA'Tat readqatrtsdo ana pureaa. o
. *al *! oedando a aaude, o vigor a
pparecem!
ledJcoe de alta repntaclo coneordam
"'"-""".....'Tl liuilMnllil !!
Todoe oe dias apparecem noraa provaa da aaai Tirtu.i.>.
Sodoeaa.diaa augmenu o conaumo.
povo lodo, tttelBgente e obaerrador ri n'eUe um axie
fidedlgno de livrar-ie das laae prinrtaaai *r~ e .
TMaanrua f auae e por coaaaguintc tornar maU alegrr
ua eodsteucia c mais duradonra a ana rlda.
** fj*tyfia> contra frond* pmU m" tutu <
caronicot, fihcanoHnu, wtoletHma nuiiw.w.,
ft* eaumda$ ptla TVVta. mra, ea mmtiya n ktr-
A (WMlor parte da moleaUw
chrotiicaa, e mwn a ** tra*
que fcbffra o por0! r "rt^nrt
a>Hi eatad.- <<- I
daaaagoe
Logo qu. > > .
oaO esttrrr ir f ,
Infeeeao da .- ,
aaaoa paaaadni); a meteaUa aa de -k,
ouua iotma e apreaoDtaado dlfferci, t
Debar
FBXPAJLADO Pu'
Dr. J. C AYER & OU ot .' M~
EstaUou Ui
CAtmtovf fratW -




J-



t
Diane de PemambucO t* Ter$a feira 3 de Marqo de 18?4

DBISPBODEflGIA.
MSCURSO PRONUNGIADO PKLO EXM. PRK3IDEH-
TE DO TRIBUNAL DA RELAg.VO DE S. PAULO,
. CONSELHEIRO TR1STAO UK ALENCAR ARA-
RIPE, NO MA DA I3STAI.LAQ.l0 DESSE
TRIBUNAL.
(Conclusfio)
* Se a perfeigfio da lei njuda-nos nos in-
trincados arcanos do foro, o execuplo
de magistrados veneranlos incita-nos ao
cumprimento do dever. Quebrar essa ca
deia tradiccional*le lionra, seria um crime
duplo : faltara/conseienoia o raacular uxa
ciasse. /
S4bia 6 roth effeito a iustituiv'So da judi-
ga no Brasir;
0 nosso obdigo fundamental fez do juiz
o intelligonte applicador .ia lei, a qual fir-
mou princlpios saos. protectores dos direitos
privados/e sociaes.
Publieidade do processo, defeza Iivre,
discussao ampia, serrtenga motivada, juiz
responsavel, taes sdo as bas-s cardeaes da
nossa judicatura. Com estas bases a justi-
ga ser4 sincera e imparcial porquedas partes
pende a maoiffstngao da verdade e o julga
dor nao tem arbitrio.
Eis quanto as- nagdas cult is aspirem ;
eis quanto u Brasi( possue !
N8o ha obstaculo ao esclarecimento dos
litigios; s1, porem, prepondera o erro, s6 i
propria* incuria o impulem os contendo
res.
0 jr.iz, possuider da facnldadB'da analy-
se paca tudo decompor e alcannar a verda-
de pojMvel, tem no esforgo dos iirteressa-
dos os e'omentos do acorto e na lei c* cri-
terio pete, u julgamento ; tudo elle conse-
guira", neordando quo o vcrdadeiro sa-
cerdote dr justiga e o prim- iro servo da
lei : Mu-jna fortuna, magny servilus
Eiemplcs animadores n^o fallecera. A
magistratura-brasileiraoeoinvoja na abne-
gaga e no valor civjeo a nenhuma magisS
tratura eslranha./'
Se a Frang.vgioria-se coin o seu Matheus
Mole, que, na phrase do autor do Plutar-
Cho francez, aprendeu nos tribunaes a pra-
ticar essa coragem austera, que satisfaz se,
affrontando a morte para cnmprir o dever ;
se a Inglaterra re;}istra a memoria do seu
chancellor Thomar Moore, como emblema
da coragem civica, despresando os furores
atrozes de um rei, no menoscabe aos bra-
sileiros comprazer-se com a magistratura
nacional. ja" t5o enriq'jecida de caracteres
que a nobilitam.
Algumas vezes o roagfetrado brasileiro ha
iido victima da calumni3 eoutras oba feri-
do a violencia do poder j-'mas nam por isso
jimais faltou no paiz a sua cevotagao 4
causa publica.
Ahfstoria patria abona a nossa assergao.
Se.'na effervescencia das lotas da inde-
pendencia o patriotismo de Gngalves Ledo,
Mendes Vianna, Cunha Barbosa, Luiz da
Nobrega e outros atletas dessa'nobre causa
soffreu ingrata retribuigao ; senesses dias
nem Jose Bonifacio, nem Josa Clemente,
notaveis entre os principaes protogonistas
da luta libertadora, escaparam 4- deporta-
e cert> que todos elles nos tribunaes
rinnos, quando qiietem sangue, deepedem quelles quo, como diz Dupin Aine, nunca
a toga enomeiam comttisaces anilitaras: eif falum para a defeza do um direito often -
o elogio supremo da mtgbtMtara do nosso dido.
como de todos os paizes. E' mediante a eloquencia falminadora de
A justiga do Brasil nasceu independente Demosthenes, que Tamos no igora de
para constituir um elemento de protaccao e Athenas condemnado Eschioes, traidor i
de grandeza : corresponda a relagio de S. patria. E no Forum de Roma, diante da
Paulo a Uo grandioso pensamento. Taes inexcedivel facuMia de Marco Cicero-, que
5o os meus sinceros anhelos. vemos expulso Verres, o proconsul preva-
t ricador o ladrio ; 6 pelo nobre officio da
Nesta cidade, onde tantos cultores ha "dvocacia, que em todos os tempos vem
da sciencia que fdrma os codigos dos So-. 'eslaurada a lei e restabclecidos os di-
lons dos Justinianos, do.< Fredericos da Prus- reitos-
sia e dos IS'apolooes da Franca ; nesta cida-' A ciasse dos advogados esse honroso so-
de, dig'), a6s os fllbos de Themis, mais um minario, que a todo o mundo da* estadis-"
incentivo nos deperta o bom desempenho tas, diplomotas, legbladores, e que aos
da missao de quo nos investio o legisla- Estados-Unidos ja" deu 10 dentre os seus
dor. 15 prcsidentes, manteri no distrhto da re-
Ante a immediata censura de tantos e lagao de S. Paulo os altos predicados que
tao conspicuos mostres, brilhantes orna- a eunobrecem, e sabera guarJar as regras
inentos do templo de Minerva, procurare- do seu instituto, aconselhando com since-
mos alcancar para os nossos actos esa ap- ridade e d'scutiado com sciencia.
provagSo dos doutos, que sera" titulo abona-' Eis quanto deila cumpre esperar em
dor do acerto e criterio das nossas deci- bem de seas creditos e dos creditos da jus-
sdes. ti<;a da uossa terra.
A magistratura nao desmerabra-se do; %
quanto deve ao magisterio. Nesse corpo' Caros e illsstres cofiegas-.Um-Rei sabio
docente co-necam os futuros magistrados ; e amestrado pelas ligoes do iofortunio, fal-
e a cssa fonte do ensino constantemente re- lander ao seu paiz, drsse so subir ao throno
correm os magistrados- do present**, porque a fe vous promets,- qus dorenavant la
alii aprendcram a grande maxima, que os justice xra rendue avec fermeli, el surtout
chamo a incessan'e esludo : Scire leges non qu'il y aura sinceriti dans Vapplication,
hoc eat verba earum lenere, sed vim ae des lots.
poleslatem. Adopte o novo tribunal por rfforisa estas
Disse um dos nossos aftelisados juriscon-ipalavras ; e eu vos fio, que, com1 o auxilio
judi'ciarios afcanc.aram a justittcaQao, que,
se os nao isentou do padecimento, quo foi
obra alheia, lavou-os da macula da iraputa-
r-io \os olhos da postendade a justiga
do Brasil exhibio os benemeritos] da inde-
itdndencia, estremes do labeo de facciosos,
para deixar transoarecer o ardente patnota,
merecedorde encomios.
Na epoca regencial, foi a magistratura
uuem amparou a innocencia de respeita-
veis cidadSos, a quem resgardou da perse-
guigao e dos carceres, preparados pela ver-
tigem politics.
F n3o vemos agon mesmo como nobili-
ta-s'e a iustiga do paiz, antcpondo o nosso
raais elevado tribunal judiciar.o a sua au-
toriJade para vindicar a magestade da lei,
insultada por inqualilkaveis pretengoes de
decrepito fanatismo ? .
Assim revola-se ao paiz essa justiga, que
e um poder do etado. eminentemente be-
uefico e capaz de solver pela legahdade os
mais difficeis problemas da ordem social,
iera commogoes nem abslos
Exemplos taes abonam o fnluro.
Relies acherf cada um dos membros da
nova relagaoo incentivo do bem servir.
Em todas as Spoeas os magistrados o-
ram elementos de paz e seguranga ; os ly-
surios : 0 cidadao 6" a- tei e a lei i a
sua execugfio.
Ora dependendo a execugSo da lei da m-
telligeucia qaejse Ihe di, rnanifesta 6 a in-
Quencia que deve no espirito do magistrado
exercer a li<;a dos mestres, qper ensiaem
nas cadeiras officials, quer nos- livros, quer
!nas consultas.
A elles, pois, mniias vezes pediremos o
auxibo de sues profeeuas luzes.
0 dever de instrnir-se e" para c* jaiz um
preceito divino. Enufimini vos, qui ju-
dicatis terram, Taes- sao as palavras do
legislador infallivel, palavras que eoosti-
tuem ma regra tao respeitavel eomo a
propria verdade dwinameote enunciada.
0 magistrado, que-nao possue os prioci-
pios da sciencia, acorapauhando os- sens
progresses, nao p6de ser o sacerdote-sin-
cere da lei : sacrticar* nas arassen>cotn-
prehender os inysterioss
0 magistrado e o jurisprudente pradeo ;
a magistraiiira, pois, e oonsocia e amiga-
magisterio. (
ji
Ha uma elasse, da qual dwemos esperar
efficaz coad|JBvaao.
Os advogados too aft/tigo* eomo a juMti-
ca, segundo a exprpssao do chanceller Hen-
rique d'Aguessau, teem intinw ligacao eom
a magistratura^. cuja raiiieia auxiliar for-
mam.
Sao cooperadores dos magjstravdos no> ad-
ministragao daipstica.
Da sua scieaeia, da sne- probidade e d
seu zelo depend* grandemeote o bom exito
da judicatura.
Honestos, naa aconselfeerao iuijustas- de-
mandas ; sabios encamiaoario -com acerto
os litigios; diHigentes, nao deixai'So pericli
tar os direitos dos seus ciientes.
0 trabalho do juiz facilita-sflj com o ar-
razoado dos patronos, qua e/*cogitam. as
questoes serias e as diseutenu \ Ahiencon-
tra o julgador os elemeatos sao.
0 advogado-sincero e illustrado prepare
pela discussaoo que ojuii complete pela
decisao.
Bem diverso do advogado. burlao e tra-
passeiro, que s6 levsuta tricas para pertur-
bar a augusta screnidada do fdro, o advo-
gado serio aproveita ao direito das partes e
dignifica a sua ciasse-.
No exercicio da saa proGssao, lembre-
se o advogado, que ftlWj e o amigo, a qnem
se confia o socego e a, t'azenda das familias,
bem como a vida a a honra dos cida -
daos.
Foi por isso que a nossa lei tao foraval-
mente recommendl'iu, que elle, aleo,das
lettras e sufficieecia, seja bomem da boa
famaeconscience.
0 fdro do Brasil exorna-se com o, nome
de distinctisspjios advogados. Q saber e
da Divina Fwvidencia,- faremos db dia de
eloquencia de ura Acaiaba de Moatezuma, a
espbera e proSciencia de um Teixeira
de Freitas, glorificam a egregia ordem da-
hoje uma data proficna e de reoordagao
grata.
Ao entrar no' exeroicw dos nossos eargos,
cada um de neV proferio ante Deus eosho-
mens esta solemne formula1: Juro servir
bem e flelmente-o- cargo die- desembargadur,
administrando jastiga com boa e sa coosci-
eneia. r
9im repitamos boje esta Mesma formula
em-nossos coragoes, e sirva ella de penbor
dos nossos actos perante uma' populagao ja
engrandecida pelo esforgo propiio, pela cul-
ture da razao, pelo roerito do trabalho e pelo
adiantamento das virtudes sooiaes. .
A um povo illustrado nSo- se response-
corn oerro ; dd-se- a satisfa^fo- intima ila
verdade;
Incsmbido pela eoofianga imperial de
dirigir os traBalhos- deste respehavel tribu*
nal, ev duvidaria do exito do deseinpeuhc,
se nao eontasse com o leal ooncurso ea
complacencia de ta esclarecidos compa-
nheiros*-
Se a lei constituio-e primu*'inter pa-
res, new por isso prejudicou nossa pose-
gao de perfeita igualdade, pela mutua bena-
volencia- e pela conformidade de- sentimen-
tos entre bomens votodos Mia seculto, o
do dever, a uma seV aspiragaor a-da honra.
Nestas-condigoes emtro animoso do encargo
da direegao, da qua) se vos nao compete a
fadiga, importa-vos a dignidade e o acerto
com quo deve ser deaarapenbadft.,
Assim.' teret eximios oooperadores, que m
facilitarao a tarefa de fazer observar a lei
neste tribunal entre a inflexibUkliade do de-
ver e a temperantja. de amenas e cordiaee
relagoes.
Deva.terminar ^ mas nao serao minbas
Gnaespalavras um contrite ao.cumprimento
dos nossos deveees.: con Go assaz na vossa
illustragao e por demais (wobego o vosso
patriotismo. Convido-vos, sim, neste mo-
mento, a saudac a Sua Magestade o Impe-
rador, honra do- principado e digno chefe de
um povo livre-:. a facilitar os paulistas e
papanaenses pelo melhoraaaento agora ini-
ciado na sua vida civil ; apalmente a. diri-
gir supplicasao Altissimo, para quo as ben-
(^aos do ceo sagrem nossa missSo neste au-
gustrj tribunal.
Esta installada o rel^;ao.
Terminado o que, foi pelo respectivo se-
cret >rio lavrada a acta. que segufr :
Aos 3 dias do roea de fevereieo do anno
do naseimento de Nosso Senhor 4esus Christ*
de 1874, nesta imperial cidade de S. Paulo,
na case dostinada para os trabalhos da rela-
gao da mesma cidade, presentee os Srs. de-
sembargadores Ezm. conseiheiro Tristao de
Alencar Araripey presidento da mesma rela-
gio ; Joao JoseV de Andrade Pinto, procuca-
dor da corda e promoter da justiga ; lose"
Noberto dos Santos, Frederico Augusto Xa-
vier de Brito, Olegario. Herculano de Aquino.
e Castro, Antonio de Cerqueira Lima e Agos-
jinho Luiz da Gama, comigo secretario
abaixo assignado, abi, pelas 11 boras da
.nanha, depois da bengao do edificio, pra-
ticada com as ceremonias religiosas pelo
Revm. monsenbor Joaquim Manoel Gon-
galves de Andrade, compareceu- o Exm. Sr.
presidente da provincia Dr. Joao Theodoro
Xavier, o qual foi recebidd a* porta do saldo
das conferencias do tribunal por uma com-
missdo composta dos dous mais modernos
desembargadores e de mim secretario, e,
dingindo-se todos i mesa collocada no
mesmo salio, o Exm. Sr. conseiheiro presi-
dente da relagao deu assento na oabeceira
da mesma, em cadeira deespaldar, ao Exm.
Sr. presidente da provincia e occupou a sua
sede i mesma cabeceira da mesa, sentando-
se os demais senhores desembargadores
nas suas se"des, conforme a ordem das suas
antiguidades.
Em seguida, estando occupado o recinto
do salao pels dignidades ecclesiasticas,
deputaiios provinciaes, lentes da faeuldade,
juizes de la instancia, cbefe de policia ad-
vogados, autoridades e mais pessoas grades,
devidainente convidadas, assim como par
numeroso concurs de cidadaos, o dito
Esm. Sr. conseiheiro presidente da relagao
mandou proceder-a leitura dos decretos ira-
periaes de nomeagdo e remogao dos minis-
Iros deste tribunal e proferio um discurso
aaalbgoaesta solemnidade,- Gndo equal,
d5e : Esti installada a relagao.
immndiatamento prestou jaramento-a Sr.
desembargador Agostinho Loir da Gama,
ponelO' a mfio direita sobre o Trvro'dos San-
tos Erongelbos e proounciand a s'-guinte
formal" ; Juro servir bem e Gelmente
o cargo de desembar^ador, noantendo a-
constituigSo e-mais leis do Imperioe admi-
nistrando justig. com boa e s3 coascieucia,
Assim Deus-me- ajude.
Nio prestarana iuramentt>os demais mem-
bros do tribunal por j& o baveram feito
como desembargadores daa relagdes a que
perteiicism, em consequencia do que o
Exm. Sr. conselbeiro presidente da relag3o
declaro* todos os- membros do tribunal \ em -
possados dos seus eargos e n* exercicio dasi
suasfuncOes.
I G porqpe de nen&um outiro objecto se
hoavesse de- tratar,. nem caaaa- alguma ju-
dkiaria taouvesse a.decidir^ deu o mesmo
Earn: Sr. eonselhetro presidente d? relagSo
o acto por Imdo a-eabado, a mandou la-
htit esta aeta dee'.arando qua na proxima
sexta-feira-, as 10 boras da-mauha, tafia
tugar a pitmeira oooferencia- ordinaria do
tribunal. Para constar, .eu Joao B;>pt*sta
de Moraes,secretario da relagao, lavr6ijesta
aeta.na qual comigo-iassignamos merabaos
do tribunal e pesaoas grades preserttos ao
acto.
muitas vezes a fazer a lettura dellaa aos ju-
rados. Posto que os jaizes kiglezes repro-
duzam as proves com a maior imparcialida-
de, o resumo deltas nao 6 a parte mais im-
portante do relatorio, porque os jurados
prestam a maxima attengao i discussio da
causa.
A parte mais importante do relatorio e* a
que tem por fim instruir os jurados sobre a
decisao qua devem proferir, explicando-lhes
o juiz as regras da prova con applicagSo &
especie sujeita, analjsando os preceitos juri-
dicos applicaveis i causa de que se trata, e
chamando-lhes a attengao para o ponto de-
cisivo da questao.
As opinioes dos juizes nao obrigam os ju-
rados a decidirem em corrformidade com
ellas ; o jury tem complete independeocia,
mas a respeitabilidade da magistratura in-
gleza, a grande autoridade de qjuegoza, e a
conSanga que nella depesita o povo inglez,
faz com que o relatorio do presidente inftua
poderosamente no ammo dos jurados para
proferirera o seu veredictum.
No dia 15 dejaaeiro Mr. Haakins,
advogado da accusagao, foi apupado e se-
guido por um grande oumero de pessoas &
sahida do tribunal.
No dia 16>, a-penas Mr. Hawkins sahio do
paiacio de Westminster foi rodeado por uma
muftidao compneta, que comegou a gritar :
Hawkins I Hawkias I e tres ou- quatro ho^
mens de pessime apparencia se- langaram a
elle:
Acudiram os policias vestidos ipaizana,
que, armaados, vigiav-am nas circumvisi-
nhangas-do tribunal, e seguio-se uma luta
terrivel' por dous ow trer minutos, em que
os policias ficaram vencedores, prendendo
quatro dos amotinadores.
A multidao continaava dando gritos sel-
vagens, e- no entretanto Mr. Hawkins- pdde
jentrar n'uma carruagem a escapar-se prote-
igido por algons centos de policias.
Os horse guards estao-parto de Westmins-
ter, e p.trece que estao de prevengSo nos
dias de audieneia.
Mr. Hawkios mora proximo de S. James,
e- 4*-sentinellas do palaeio observam a casa
do'advogado d4 corda.
Se o processo nao acabar antes de 5* dd
fevereiro, di.t marcado para a abertura das
camaras, sera diflicil aos membros do par-
limeoto romper por meio-da multidao qae
rodaia nos dias- de audieneia o paiacio de
Westminster.
No dia 17 cemoareceram perante o jtarz
iasttuctor Ryan.-negociarrte, Booty, pttttW)
Doaavan, lithograpao, e Kinds, inercador
ambaiante, accusados de paovoearem no dia]
VARIEDADE
dizia qae eatava coareoeido qae Joao Luie
tinha dito verdade ao tribaoal Queen's
Beneh, e qae at ietlaracoes foitas ao tri-
bunal de Bow street nao abalavam a sua
convicgao.
0s juixes de Qmm't Bench, qae eatao
no juigaaaento do preteodeote Tienborae,
usando do poder qae tem oe jaizes de fazer
comparecer ante elles, e de julgar todos
aquelles qua os offenlerem. oa atacarem as
suas 'deeisd:*, ou apreciarem a justice ou
injustiga das causes pendentes, citaram M.
Whalley para a audicacia da *3 de Janeiro
para responder pela correspondencia refe-
rida.
0 advogado de M. Whalley declarou t
que nao era intengao do seu constitainte
offender os juizes ; que mandou a carta ao
Petei borough Times atim de se justiGcar
para com os seus coastituintes da accusa
eio de ter concorrido para o falso depoi-
menlo de Joio Luie } mas que nao auto-
risou de maneira alguma a publicagao da
cSta carta em ontros jornaes.
0 tribunal, attendeado a que o accusado
ji foi- con/iemnado em uma pena leve pelo
mesmo deliclo de offeosas aos juizee, aendo
advertido para nio reineidir, condemnou-e
na multa de 250 libras sendo preio ate
pagar.
M. Whalley recusou-se ae pagaasento da
quantia em- que foi multado, seado por
,conseguiMe encareerado na prisioaa Hal-
loway.
No dia seBuinto-sua irmi r*Ku *la'u
elle foi solto.
TftaBALBOWB: WSTRL'CCIO'.O- Mu-
nioipto de Rapeting* publica o segumte,
que e digno de ser lido :
- Um dos advogados do fdro foi consul-
tad-sobre o que segue-se :
Eu e meos irmaos Manoel e Antonio,
obrrgamo-nos a- plantar ires quartae de algo-
lao, entrejando em peaiodaescolber, para
o Sr.- Joao Franco ensinar-nos a lar e a es-
crevar por espaco de am anno. Assim fo
feito uontrato* .nao eseripto, em presenea
de t-istemunha. OSr. Joio Franca-coane-
gou a ensinar; ea e meus irraaos planU-
inos o algodoal.
a Antes de Bade o anoo^ Hepois de feiu
a colkeita, o Sr. Jeio Franco, pereebia a
vantagem, nega-se ao cumprimento daeon-
trato. ofierecendn indamr.isagao pecuaiaria.
Meus iruoaosacekaram ; eu naO'aceitOs Tra-
balbet para adqairir instroegao e naa acbo
possivel indemnisagao em dinbeiro. OiSr.
Joao Branco dev ser cOHStraogido a-ensi-
nar-oae. Estou paompto a desper.der o
anterior 4 desordera e um tumulto em lugarlque for preeiso para obriga4o ao euaapri
-----. j------..* m*. icmxq dinbeiro
0 PRETENDENtE TICHflKMlNE.l)ia a
Illustraga* de Loadres qa o julgaweato
do prete'adente Ttekberne esta no principle
do Gm, dando nctieia de baver comegado o
seu relatorio o preside me do tribunal.
No dia i9 de Janeiro, oa.na 1G8* audien-
eia, Mr. Hawkins, advogado da accusagao,
Urminou o seu discurso, comegadc uo dia
15, na. 159* andiencia, tendo falUdo dez
dias. Mr. Hawkins foi applaudido na sua
peroragao exaltaodo as virtudes da magis-
tratura e da advocacia de Inglaterra, e fa-
zendo votos pala coucordia que sempre en-
tre ellas reinou.
No dia 20 de Janeiro, na 169? audieneia,
Mr. Alexandre Cockbarn, presidente do tri-
bunal, come$ou o sou relatorio, que deve
occupar algous dias.
0 relatoaio. do juiz. presidente da audien-
eia de julgamento eom jurados, segundo a
lei ingleza, 6 muito diverso do relatorio que
pela nossa lei deve fazer o juiz de direito,
que preside is audiencias geraes com jury.
Em Portugal o juiz resume o ficto, e
aponta eom rigorosa imparcialidade as prin-
cipaes provas, assim a favor, como contra
os reos, devenido abstee-se de maaifestar a
sua opiniSo, e de influir por qualquer modo
na decisao do jury.
Em Inglaterra o celtatorio do presidente
esclarece e guia os. jurado, o exerce uma
grande inftuencianas decisdesdo jury.
0 presidente resume as provas produzidas
segundo as notas. que tomou, limitanio-se
F0L.HET1M.
LUCUBCIA BOft&I
mm de smw/j
POR
it. Mauoel Ferno.'adezy Gonzalez
QLARTA PARTE
LUDOVICO ARIOSTO
VI
O AMOR DE UM fkl PROTEGENDO OS AM0RES
DE ARIOSTO EDEGENEBRA.
(Continuagao do n. 48.)
Estou dispostb a unir-me com a se-
nhora Genebra Malatesla, respondeu Barthe-
lemi, pensand} nos milhoes de esovtdos do
rnarquez de Aquaviva.
-- Isto e" um trama infernal 1 exclamou
Genebra. Mou pai matar-me-ha 1 E o meu
fdbo, o meu pobre filboT '
Nlo a matard ; escreva-lhe, previ-
ais o, de lhe tempo para reflectir e para que
se desarme. Alem disso, tem o dever de
djr noticias suas a sou pai, que esta ater-
rado, enfermo, deiesperado com o seu des-
appsrecimenot.
E que escreverei eo a meu pai T per-
Kuntoa Genebra aturdida.
Sente-se, pegue na penna e escreva
o quo lhe eu dictar. .
Genebra vacillou e sentio uma agonia m-
anita ; depois, brilheu em seus olhos uma
resolugao desesperada, sentou-se, pegou na
penna e collocou-a sobre o papel.
Meu pai, disse dictando Michelotto,
pcrdoai-me se cedi a um amor irresisti-
\o\: fui certamente victima de ura male-
Guio Eu odiava Luighi Barthelemi, por-
que julgava amar um ootro ho' e,
comtudo. esqueci ess3 bomem e adoro
a Luighi Barthelemi. NSo receie cousa al-
guma, senhor, pela sua honra. Luighi
Barthelemi e1 meu esposo. Quando de-
< pois de obter o vosso perdao, apparecer-
< mos d* novo no mundo, saberio todos
a que Genebra Malatesta nao fugio com om
\ispero o seu nobre perdao para me ir
Vingar nos seus bragos, o que far* com-
pletamente ditosa a sua Genebra.
__ Visto que fui vilmenle vendida e aban-
donada, disse chorando Genebra depois de
ter eseripto o que Michelotto dictara, que
seja eu a unica victima ; que meu Glho te-
nha um nome, e que me-i pai conserve a
sua honra.
Entretanto Michelotto fechou a carta,
Ponha o sobrescripto em nome de
seu pai, disse aquelle.
Genebra escreveu.
Agora pertence a si, Sr. Luighi Bar-
thelemi, disse Michelotto } sente-se e es-
creva.
Luighi sentou-se.
Sr marquez de Aquaviva, dictou Mi-
tt chelotto ; os feitigos ou maleficios de que
Genebra falla na sua carta, sao os do im-
menso amor, os da paixao desesperada
que desde que a conheci sinto por ella ;
arrastei-me aos seus pis, e foi indexivel.
N5o me restava outro meio senio morrer
ou obter Genebra a todo o transe. ilia
publiso.
Mr. Pinkey, inspector da- policia, eaicu-
loo qae os ametioadores eraro em nurauro
de iiOOO, e prenduo os accusados que que-
nam Unpedir Mr. Hawkins- de entrar na
carcuagem.
Outros agentesJa .policia. aorroborarana a
aceusagio feita aos reos.
0>julgaraento> noou adiid para o dii-se-
gwnto, faltando-iuquerir algamas testeoau
rtbas presenciaesv
0-tribunal nao os julgou culpados por
orfonsas cor pones, mas attendendo a que
toma-ram parte na desordem, gritand, as-
sobiando, e escitando oatras pessoas- para
insultarem a um fanccionario publia qpe
cumpria o seu dever, foaam obrigados a
prestar Ganga, sob pena do prisao, *m ga-
rantia do seu bom- conaportamento futuro
por. espago de tres mezes.
A dous dos-accusados fei arbitrada a fian-
ga.em 10 libras, e aos outros dous din 30 e
50 libras. Dous prestaram Gauge, e dous
foram para a-cadeia.
Outro incidente notavel. no processo Ticb-
borne foi a condemnagao de M. Whalley.
M. Whalley era membro do parlamenlo,
e e" dos mais decididos protectcres do pre-
tendente.
A testemunha Jcao Luie, que disse'ter
salvado o pretendeote do naufragio do Bel-
la, o qual navegava do Brasil para a Aus-
tralia, foi declarado perjuro pelo tribunal
Queen's Bench, e estd sendo-julgado so tri-
bunal de Boicstreet.
Joao Luie confessou a ura inspector da
policia que o seu verdadeiro nome era Joao
Lundgren, que oseu depoimento tinha sido
falso, e que lhe havia sido suggerido pelos
araigos e protectores do pretendeote.
M. Whalley publicou uma carta no Peter-
borough Times, eno Daily News era que
---------------------
foi menos cruel do que o senhor, e a mi-
ce nba felicidade sera inaudita, se me per-
doar tudo quanto
contra si tenho feito
a desesperado^ e mechamar seu Glho.
Luighi Barthelemi.
Michelotto fechou aqoe'la certa e Luigbt
poz-lhe o sobrescripto.
Perfeitamente, disse Michelotto; estene-
gocio vai sabindodo melhor modo possivel,
e vou levar sera perda de tempo estas duas
Ob I isto e om sonho.l A nossa si-
tu igao, Luighi, nao variou, nAo node va
riar, eu n8o posso ser sua, mesmo sendo
sua esposa, sen3o depois de que tenha mor-
to Ariosto.
Genebra cedia a um momento de deses-
peragao e de loucura.
Mata-lo-bei ou perderei a vida, re
plicou sombriamente Barthelemi.
Cinco dias depois, pela noite, Michelotto,
mascarado, estava em Roma n'uma taverna,
na rua dos Quatro Santos Coroados, beben
do com um joven que tinha no gibao o
escudo de armas do papa Julio II, o que
revellava ser elle um pagem do Vati-
cano.
Os dous questionavam no raoraento em
que os apresentamos aos nessos leito-
Que empeoho e" o seu, dizia o pagem,
de ser o senhor mesmo quem eolloque essa
carta no aposento de Ariosto? Nao se 6a
em mim?
Receio que nao se atreva a faze-lo,
com raedo de se comprometter.
Nlo sou eu o unico pagem que suasan-
tidade mandou por as servigo do Sr. Ludo-
tico Ariosto: o rei de Franca o5o seria mais
bem tratado ; tem a seu servigo um grande
numero de pagens e lacaios, carruagem e li-
teira. Ja ve, portanto, que 6" muito obse-
quiado, ao ponto de lhe darera os aesmos
aposentos em que esteve o gran-capitao, e
em que morreu Affonso de Aragao, terceiro
marido da gri-duqueza de Ferrara. Como
pode, pois, o Sr. Ludovico Ariosto averi
mentodo contrato. Nao
quer instruegao.
9-facto e verdadeirot Esta moo dis-
tincto, que trabalhou para aprendar,. e
quer obngar o mestre a aasinar-lbe, cha-
ma-s Salvador da Meira, Glho de Luiz de
Meira. Tem 16 anaos da idade.
Procedimaato dasta- ordem revella o
caracter deste desgragado povo di^so de
melbor sorte e de melhor destino. Nao
se contents aa querer iaastrucgoes-; faz
mais, trrbalba.para adquiri-la, e teaia de-
mandar para obrigar o ensino.
A consult* e original, mas hobra-uos.
Salvador de Meira, pretendendo obrigar
por uma a$ao ao irvestre que caotratoa
eosinar-lhe, merece appiausos e !uvor, e
deu um examplo e uma ligao.
Exemplo de amor extreme i instruc
jao, a pooto de trabalbar, de de^amar u
suor do rosto para, adquiri-lo. Ligao ac
governo que teme obrigar os pais a mandar
ensinar os Glhos, quando os Gibus, que n&p
tiveram escolas aos-7 annos de idade poi
descuido e deleixodos pais, pretendem aos
18, quando ji pensam e reflectam, deman
dar, tentar uma.acgao, trabalbar por e~
cola.
PfteCESSO-GUBJOSO.No dia 0 da Se-
vereiro proximo principiaram as audiencias
solomnes do-tribunal de appellagio de Pa
ris. A primeira causa a julgar e a do>
doscendontps de Naundorff, os quaes pra-
teodem que este era o verdadeiro Lui/
XVII e reivindicar o appellido de Barbon
e a successao de Luiz VVI. 0 Sr. Julio
Favre, o celebre demosrata, stisteutari a
defeza dos descendeotes de Naundorff. 0
primogenito deste individuo e teueute ao
cxercito hollandez e intitula-se Adalbertc.
do Borbon.




cartassoSr. marquez de Aquaviva; nio'guar qual foi o criado queipoz essa carta no
uI impacientemse eu Urdar. Seu pai. mi- seu aposento T Que moUvo ha par. ter
Sa3^JtlWd.^S|^ cart. um. nobre d.m.que sU
e o mais provoTci de conUs' cearaente apaixonada pelo Sr. Ludovico
San^faSl nor cede? Adeus. grande conhdencia. eeu necessito presen-
W E M chelotto sahfo deixapdo aturdido, ?iar que oSr. Ariosto leiaesta carta; final-
ii .-nibueiwuu h mente. se nlo quer servir me, p^ior para
"ftaX^l^^-p^.^*.^ ^VmJ.TmrlceC "
a porta quo comaunicav. immedistamente'qualquer se daja preesa em receber
om a e2.il.. bateu, a port, .brio se. tor-, fi Di.bo\ *W. o casog que
fecbar-se, c duranto alguns segundos me faziam muita conta.
do MichaUto Fais entio a cette esU bolsa que contem
1 mais de ceni ducados.
nou a
nuvio'so o tinir das esporas
qii'i
d.scia.
( uani<-, mas sim com
< nh. r. Seja. geaaroso,
o seu esposo e
men pai.
se-1
Qna'ndo tudo Gcou em silencio, Ce-] 0 pagem pegou com aacia na bolsa, e
,xclamOu: diss:
Muito bem, tenha, a certeza de que
penetrarA na camara do Sr. Ludovico
Ariosto.
Quando?
Apresenta-se-rae uma boa occasiao
esta noite ; ouvi dizer & um gentil-homem
de Sua Santidade que elle devia ir ler
as dez horas, alguns contos do seu Or-
lanlo Furioso ao Papa, e n'esse caso in-
troduzil*o hei no quarto do Sr. Ariosto,
por uma escada que dd para o segun-
do pateo, para que o n3o vejara entrar
Pois entao vamos, lisse Michelotto
levantando-se e pagando ao taberneiro a des-
peza que tinhara feito.
Em seguida, sahio da taverna cem o pa-
gem.
Quando chegarara ao Vaticano depois
de terem atravessado o segundo pateo e
subido uma pequena escada de servigo
disse o pagem apontando para uma por-
ta :
__ E' alii o quarto do Sr. Ariosto.
Pois entao cspera-me aqui, replicou
Michelotto.
Esperar I
Simnioqueroquevejas onde ponho
a carta, porque receio que lances m8o
d'ella.
__0 senhor e" muito desconnado ; va-
mos, entre e saia depressa.
E o pagem abrio a porta com uma cha-
' Michelotto entrou e correu o fecho pela
parte de dentro.
Assustado com isto, o pagem bateu im-
paciente 4 porta, mas foi o mesmo do
que se tivess batido nas portas da eterni-
vlade.
Michelotto conhecia perfeitamente o lu-
gar onde se achava, apezar de estar is es-
curas
Atravessou com seguranga um pequeno
reciuU), abno utra outra porta, procurm
plpn-k u.i parede a porta secreta por
on* havia ntrado IV ra da Naples* pa<*
assassinar seu irroa Aff^nsO, csrregou n'u-
ma molata porta abrio-seyentrou, tomou a
fechal-a e sperou.
Entretanto, 0 pagem cangado do ba-
ler, o cuidad.,80, nio sera razao, por isso
que n8g conhecia Michelotto, 0 porquo
n'aquelle tempo bavia que receiar da tu-
do, desceu rap id am en to a escada, deu
volta, entrou nos aposentos destinados a
Ariosto, pela porta principal, pegou n'u-
ma vela, penetrou na camara e nao vio
nada.
Nao estava alii nioguem
Examinou debaixo do leito, por detraz
dasj cortinas, abrio os armarios e as janel-
las, e nfio oncontrou alma viva.
Provavelmente sahio peto outro lado,
raurmurou elle. Porem, como se atreveu
elle a atravessar por meio des criadost
0 caso e" que n3o esta aqui, Nao tem que
ver, sahio pela porta de servigo em quanto
eu dei volta.
iE 0 pagem indo recoahecer a porta, vio
cqra terror que estava fechado por den-
trO).o que provava que por alii nao sahira
ninguem..
E' fora de duvida que se retirou ja,
murmurouelle, e, coraoninguem nse vio en-
trar na sua companhia, nao estou exposto
a cousa alguma. Mas, onde estari a car-
ta?
0 pagem procurou por toda a parte e nao
a encontrou.
Ora deus I exclamou elle afinal Que
me importa 4 mim a carta I A verdade e
que possu cento e tantos ducados e que
estou rico.
E sahio da camara deixaodo-a 4s escu-
ras.
Michelotto ouvio successivamente no re-
logio do Vaticano, as onze, a meia noite 0
uma hora, sem que se sentisse cousa algu-
ma na camara.
Afinal, i hora e meia, atravez de unsbu-
racos praticados na porta secreta, vio qua
entravam dous pagans com dous candela-
bros, que punham a mesa, e que outros pa-
gens servism uma ceia.
Era seguiJa entrou Ariosto ; ceiou par-
camente, conforme 0 seu costume, aepzarde
que a mesa estava servida com profusao, os
paijens levantaram a mesa e Ariodo despe-
di sc ate ooctro dia, dizendo que se reco>
Iheria muito tar lo.
Michelotto teve que esperar aioda duas
boms e meia.
Ariostosent4ra-se a escrevur. .-
Provavelmente compurdn versos.
Micheloto assistto tm^cloote 4 olabo-
ragio de parte da um canto do Orlan-
do.
Ariosto recitava com athusiasmo os oer-
sos que escrevia.
De vez em quanto levantava-se, pas
seiava, parava, gesticulava, dectaoaava
com ardor cs seus versos, e muita. ve-
zes, entre uma torrents de pocsia, ouvio-0
Michelotto pronunciar 0 nome de Gene-
bra.
Que bomem tao eitraordiaario dis-
se Michelotto n'ura momento em que, ape-
zar da frieza do seu coraeio de lobo, o n-
thusiasmou uma maguiGca oitava reoitada
com grande calor por Ariosto. Que tem
de estranho que ella 0 ante ? Elle acoo-
trou-a com a alma virgem porqu a qua
ella sentia por aquelle pobre diabo do prin
cipe de Napoles, foi uma fascinagao, um
sonho, uma formosa mentira, que toda via,
foi causa da dasgraga do duque de Valenti-
no. Ella e tao poeta como esse bomem ;
e verdade que nao faz versos, mas cmpoe
tragedias que 0 Dante nio desdenhira can-
tar. Assim e melhor, esperemos am anno
apoz outro anno, e chagara 0 dia am que
srras vingado, C*ar Borgia, comoo foi nun
ca bomem algom.
A's tres horas e meia, Ariosto guardou as
seu? papeis e deitou-st.
Dez minutos depots .brio-se port, se-
creta e a ella assomou a cabeca de Miche-
lotto.
No quarto ouvia-ae unicaraente ratpira-
gao do Ariost > que dormia.
Michelotto tiroa as esporas, avangou si-
lenciosamente par. formosa magoiGca
mesa de raosaico que estava no meio da
aposento, e pagou unica vela que Arietta
deixtra accesa.
Em seguida aproxiaaou-se do leito, sacu-
dio suaveraente Arioso este acordou ao-
bresaltado.
Qaara esta ahi ? exclamou a poet, lav
vaotando-se Tiolentaraente.
1 Cor*tmua4-*$-4m.
'1
"!>) D-.vi 10. -au a Dual's oe c^us.
r
n

\
1


iaa.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM0NR3VWV_RQBDWK INGEST_TIME 2014-05-21T23:01:50Z PACKAGE AA00011611_16945
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES