Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16943


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXV NUMERO 198

PARA A CAPITAL E LIGARE O.YDE XAO SE PA0A PORTE
Por tres mezes achantados............... 60000
Por seis ditos idem................ 120000
Por um anuo idem ...............* 23|J000
Cada numero avalso, do mesmo da..... ...-.- 0100
SABBABO 31 AGOSTO DE 1889
__ -_ -_____________i i ii g
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados..............
Por nove ditos dem................
Por um anno idem........,...s.....
Cada numero avulso, de das anteriores .....
1M6CT.
200000
260000
0100
DE PERNAMBUGO
Trcpriedade de Manoel Svgueirca de Sforia # 3%fyos
tm
AVISO
Rogamos
assig-
aos Srs.
nantes deste Diario que se
achara em atrazo o obsequio
de inandarem abonar os seus
dbitos at o fim do corrente
ruez, afim de nao soffrerera
interrup^ao na remessa do
mesmo no principio de Se-
tembro.
INSTRUCCO POPDLAR
AS GRANDES iWEU'OES
NTICAS K MODERNAS
AS
artas
TELEGRAMAS
e
ssavijo fa&tzculu:: ::*:::
LIMOEIRO, 30 de Agosto, s 6 horas
59 minutos da manha.
Desde segunda-feira desta semana que o
secretario da presidencia da provincia, Dr.
Marinho de Souza anda a percorrer esta
comarca cabalando em pro do candidato
offieial.
NATAL, 30 de Agosto, s 8 horas e 30
minutos da manha.
Telegrammas recebidos de Mossor de
origem offieial, dSo noticia de que Candido
e Malaqnias por ordem do Dr. Pinheiro de
Castro atacaram um portador do Dr. Ama-
re, roubaram-lhe a3 cartas que trazia e o
conduziram amarrado casa de Veras.
Indagado por telegrammas o facto soube-
se que tud* foi inventado para produzir
Afeito. ?* sido Malaquias forjado a de-
pr n esie sentido.*'
?
BAHIA,430 de Agosto, s 11 horas e
30 minutos da manlut.
O Dr. Seabra fez urna nova conferen-
cia na praga do Commercio, recebendo
muitas saudacSes.
O governo faz pressao no eleitorado.
RIO DE JANEIRO,
horas da tarde.
30 de Agosto, s
Foram nomeados juizes municipaes e de
orphaos :
Do termo do Cabo, na provincia de Per-
nambueo, o bacharel Jos Gomes Villar.
Do termo do Conde, na provincia da
Parahyba, o bacharel Manoel Carvalho de
Paiva.
' Foi agraciado cora o titulo de conse
lho o Dr. Tarquinio Braulio de Souza Ama-
rantho, lente da Faculdadc de Direito do
Recife.
Embarcaram hoje no paquete nacio-
nal para o norte, os Drs. Democrito Ca-
valcante d'Albuquerque e Costa Nunes.
SESVIJO DA A&SSfSIA HA7AS
Saencias. industrias
POR
XXVI
O drcnamcnlo
(ContinuacSo)
Palladlo, agrnomo, que escreveu longo tempo
depois de Columella, deu tambem urna descripgo
dos fossos subterrneos. A drenagem praticada
por meio de fossos cobertos, contendo materias
perraeaveis. nao por consegrante um descobri
ment inteirarnento moderno.
Olivier de Serres, pai da agricultura franceza,
do qual o Theatro da agricultura foi impresso
em 1600, vai mais longe do que Columella. Di
urna descripgo completa da drenagem, quasi
tal qual boje se executa, e recommenda-a rauito.
0 capito Waller Bligli, em Inglaterra, repro-
duzio o principios expostos por livier de Ser-
res ; os seus compatriotas quizeram mesmo at-
tribuir-lbe a honra de barer sido o primeiro em
inverlar os vallados fundos. Outro inglez, El-
kington, praticoesclarecido e perseverante, usou
de um methodo que bem pouco ditTere do de
Olivier de Serres. O methodo Elkington consis-
te no emprego simultaneo de vallados obertos
e pocos.
Mas um invento de grande importancia, e cuja
honra pertence de justica Inglaterra a substi-
tuigo das telhas, e depois dos tubos, aos mate-
riaes que eram amigamente usados para encher
o fundo dos fossos de escoamento. A invengo
e emprego de instrumentos proprios para abri;-
os vallados, de machinas especiaes para fabricar
tubos, a mpidez e pouco uso das operaces exe-
cutadas com o auxilio de machinas, tem feto a
drenagem mais applicavel. e por consequencia
mais geralmcnte usada. Hoje, era quasi todos
os pontos de terreno inglez, se se abrissera,
achar-se-hiam tubos de drenagem.
A Blgica cabe a honra de haver propagado
pelo continente a drenagem, aperfeigoada por
processos invedtados na Inglaterra.
Em Franca, grandes proprietarios, entre oa-
tros o marquez le Byras, tem feito louvaveis es-
forcos para popularisarem a drenagem, e por
sua dedicago, pelo concurso das sociedades
sabias, pelo apoio e incitamento do governo, es-
pera se que dentro em pouco a Franca nao in-
vejar nada Inglaterra, nem a Blgica no to-
cante a esta grande operago, cujas consequen-
cias sao incalculaveis para o augmento do valor
das torras cultivadas.
Os terrenos era que a drenagem se applica
utilmente sao as tenas fras, isto que assen-
tam sobre um solo impermeavel, e as trras
fortes, ou em que domina o elemento argiloso.
As trras fras estac no caso de um vaso de
flores, cujo fundo nao furado. O seu constau-
te estado de humidade muito dcsfavoravel a
vegetago ; as raizes aprodecem ; pela mais
fraca geada prende-se urna crusta de gelo s
lanas tenras ; una evaporarlo constante es-
ria o solo : as plantas que nao foram destruidas
pela geada vegetara lnguidas, amadurecera mal
e as colheitas podem falhar completamente em
annos chuvosos.
As trras fortes, ou orgilosas, nao deixam assaz
fcilmente entrar a agua da ebuva e tambem a
detem de mais quando delta esto impregnadas.
Os ventos e o sol endurecem as e suspendem
a vegetaco. As chuvas accidentaes sulcam I he
a superllcie e expulsara os adubos : as chavas
continuadas erabebem-nas completamente, a
agua tica empresada, e o damno proveniente da
evaporarlo e das geadas grande. Sao alm
d'isso de grande difflculdade para a cultura-
Era sutema, todo o terreno em que a agua es
tagna, seja a flor da trra, seja a pequea pro-
fundidade, pede qne seja saneado, isto drena-
do.
Em todo3 os terrenos, diz M. Barral, onde,
alguinas horas depois de chover, se t agua que
tica nos sulcos : em todos os que forem de 'erra,
forte, licando presa ao calcado ; onde os ps dos
homens ou do< animaos df ixam pegadas funda*
em que a agua se estanca como em pequeas
cisternas ; era todos aquelles onde o gado nao
pode andar, depois do torapo chuvoso, sem se
atolar em urna como lama ; onde o sol forma na
trra urna crusta rija, algum tanto gretada, apor-
tando como em lomo as raizes das plantas; onde
se veem as depressOes do terreno notavelraente
mais hmidas que o restante, tres ou quatro
dias depois das chuvas : onde urna vara cravada
no chao at 40 eu GO centmetros forma urna
especie de poco, no fundo do qualapparecc agua
cstagnada ; em todos esses terrenos pode alian-
car se que a drenagem produzir Dons effeitos.
(Contina)
PARS, 29 de Agosto.
Corre o boato de que S. A. o principe
he,rde!ro da Russia, deve fazer prxima-
mente urna visita ExposicSo Universal
de Taris.
ATHENAS, 29 de Agosto.
Sentiram-se alguns tremores de trra
em diversas regiSes.
Os estragos sao consideraveis.
TDRIM, 29 de Agosto.
O Banco Tiberine suspendeu o expe-
diente do seu baldo.
' ROMA, 2!) de Agosto.
Consta que os directores dos principaes
Bancos da Italia reunir-sa-hao amanhS, em
Florenca, no intuito de procurar conjurar
os desastres fiuanceiros da praca de Tu-
rim.
Pensase que serao necesaarios cem m-
Ihoes de liras.
PARTE OFFICIAL
Agencia Havas, filial
30 de Agosto de 1889.
em Pernambuco,
Governo da provincia
EXPEDIRTE DO DA 7 DEJLLHO DE 1889
Oflicio : -
Ao commandante das armas.Sirva-se V. S.
de uar suas ordons parque amanh i 1 hora
da tarde se ache postada em frente ao paco da
Assernbla Legislativa Provincial a torga neces-
aria alim de solemnisar a abertura da'sesso
extraordinaria da inesma Assernbla ; providen-
ciando oulrosim para ser dada pela fortaleza do
Brum por essa occasio a salva do esiylo.
EXPEDIENTE DO DA 8 DE JULI10 DE 1889
Actos : '
O vice-presidente da provicua resolve nomear
Jos da Costa Pereira c capito Frederico Co-
lumbiano da Silva Guimares para o lugar de
delegado e de 1." -upplentc do termo de Olinda.
O vice-prpsidente da provincia resolve no-
mear Manoel Joaquim Botelho e Candido Guedes
Alcoforado para os lugares de subdelegado el."
supplente da freguezia da S do termo de Olin-
da. Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
O vice-presidente da provincia resolve
adiar para 90 de Setembro viudouro a eleigo
para preenehimenlo de duas vagas do vereado-
res do municipio do Brejo, que devia ter lugar a
20 do corrente mez, e determina que se expega
as devidas communicagoi'S.Fizeiam-sc as ne
cessarias communicu
U vicepresidente da provincia resolve ex-
onerar Jos Simplicio de Sa Estoves do lugar de
administrador de obras da Repartcao das Obras
Publican Provim-iaes supprimido peloart. 1.
47 da lei n. 2009 de 1 do corrento mez. Fize-
ram-e as necessaras coinmunicacoe.-.
0 vicepresidente da pioviucia resolve ex-
oherEr o hachar! E!pidi Jo Abreu Lima Figuei-
redo do cargo de promotor publico da comarca
de Limoeiro o nomear para subsluil-o o baclip-
rel Affonso de Albuquerque Mello Junior.-ri-
zerani-se as necessarius commuaicaei.
O vice-presiJenlo da provincia resolve ex-
onerar Eleuterio Vieira Correia L-.ma do cargo
de collector provincial do municipio da Gloria
do Gott, e nomear para substitul-o, Auto Bor-
ges Alves Jnior.Loramunicdu-se ao inspector
do Thesouro Provincial.
O vice-presidente da provincia resolve ex-
nerar Antonio Bezerra da Cunha e Antonio Ro-
drigues da Costa Revoredo dos cargos de colle-
ctor e escrivo da collectoria provincial do mu-
nicipio de Limoeiro.
O vicepresidente da provincia, tendo em
vista a proposta comida em ollicio do inspector
do Thesouro de 6 do corrente n. 398, resolve no-
mear Francisco Xogueira Pinto e Antonio Fran-
cisco da Silva para exercerem os cargos de col-
lector e escrivo da collectoria provincial do
municipio de Limoeiro, na ordem em que estao
collocados.
O vice-presidente da provincia, tendo eor
vista a proposta comida no officio do raspete
do Thesouro, de 6 do corrente, n. 398 resols-e
reintegrar Protogcnes Barnevelsic Marcos Cor-
deiro e Alexandre Francisco Freir de Carvalho
uos cargos, o primeiro de collector do municipio
do Brejo e o segundo de escrivo da collectoria
provincial do municipio de Caruar, (cando as-
sim exonerados os que actualmente exercem
ditos cargos.Communicou-se ao inspector do
Thesouro Provincial.
O vicepresidente da provincia, attendeodo
ao que requereu Jos Raymundo Ferreira de Mo
raes resolve exoueral-o do cargo de escrivo da
collectoria provincial do municipio de Gloria de
Goit e nomear. para substituil-o, Anido Benigno
de Queiroz Bezerra.Communicou-se ao inspe-
ctor do Thesouro Provincial.
Oflicios :
Ao Baro de Itapissuraa.Remedo a V.
Exc. a inclusa carta imperial de 22 de Junho tin-
ao nomeando-o para o cargo de 2." vice-presi-
dente desta provincia.
Igual ao Baro de Frccheira*, 3. vice-pre-
sidente Dr. Jos Hygino Duarte Pereira, 4. vi-
ce-presidente, Dr. "Jos Antonio de Pinho Bor-
ges, 3. vicepresidente, desembargador Hermo-
genes Scrates Tavares de Vasconcellos traufe-
rindo-o para o cargo de 6 vicepresidente desta
provincia.
Ao presidente da provincia da Parahyba.
Tenho a honra de transmittir a V. Exc, era res-
posta ao seu oflicio n. 992, de 28 de Junho lin-
do, a certido do processo do reo Tiburtioo Dias
de Mello e a petico por elle enderecaia ao po-
der moderador, para que, vista de taes pecas,
que ser-me-ho devolvidas, possa o juiz de di
reto da comarca do Pilar prestar a informarlo
de que trata o aviso circular do ministerio dos
nesrocios da justica, n. 287, de 28 de Junho de
1865.
Ao Io vice-presidente da provincia do Es-
pirito Santo.Pelo cilicio, a que respondo n.
44, de 18 de Junho findo, fico scicnte de haver
V. Exc. na mesma data assumido a administra-
co dessa provincia, na qualidade de 1" vice pre
sidente.Aprsenlo a V. Exc. meus protestos
de estima e considerado.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Para os lins convenientes communico a V S.
que o Rvd. Francisco Vieira. daa Chagas-viga-
no collado da parochia de Iguarss, enTrou no
gozo da licenga concedida ltimamente por esta
presidencia no dia Io do corrente mez, segundo
participon-me o Rvd. governador do bispado.
Ao engenneiro Gregorio Thaumaturgo de
Azeved.Declaro a V. S., para seu conheci-
raento, que em vista do aviso do ministerio da
agricultura, commercio e obras publicas, sob n.
i-A, de 28 de Junho ultimo, por portara d aquel
le ministerio, de igual data, foram exonerados
dos cargos de inspector especial de trras e co-
lonisaco nesta provincia, o Dr. Jos Osorio de
Cerqueira, edodeescripturariodamesma repar
tico Manoel Joaquim Ramos e Silva; declaran-
do, oulrosim, o Exm. Sr. Sr. ministro da agri-
cultura, Mear sem effeito a remogo do chefe da
commisso de medico de Ierras na ex-colonia
Santa Leopoldina, engenheiro Jacintho Adolpho
de Aguiar Panloja, para o cargo de auxiliar da
mencionada inspectoria especial que V. S. oceu-
pa interinamente.
Ao Dr. Jos Osorio de Cerqueira.Segun-
do o aviso do ministerio da agricultura, com-
mercio e obras publicas, sob n. 1-A, de 28 de
Junho ultimo, fsram exonerados por portara
daquelladata Vmc, do.cargo de inspector especial
de trras e colonisaco nesta provincia, e Manoel
Joaquim Ramos e Silva do de escripturario da
mesma rci>artigo, cumprindo que de conformi-
dade cora o rvcommendado em dito aviso, faga
Vmc. recolher Secretaria desta presidencia o
archivo da repartigo a seu cargo.-Communi-
cou-se ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Ao director interino do Arsenal de Guerra.
- Devolvendo a3 inclusas propostas que licam
approvadas, aceitas pelo conseiho semestral, se-
gundo consta de oflicio dessa directora, de 4 do
corrente, sob n. 379, para a acquisigo dos arli-
"os necessarios ao lornecimento do almoxarifa-
do deso Arsenal durante o semestre de Julbo a
Dezembro do corrente anno, autoriso Vmc. a
mandar lavrar o respectivo termo de contracto
na forma do regulamento de 19 de Outubro de
1872.Commucou-se ao inspector da Thesoura-
ria de Fazenda.
Ao mesmo.Fica Vmc. autorisado a man
dar satisfazer, vista da sua informado Jn. 384,
de 6 do corrente, o incluso pedido de diversos
artigos para a secretaria do Coramando das Ar-
mas.Communicou se ao commandante dus ar-
mas.
Ao mesmo.A' vista da informacSo d'essa
directora de G do corrente sob n. 583, autoriso
Vmc a mandar satisfazer o incluso pedido de
diversos artigos para a Enfermara Militar.
Communicou-sc ao commandante das armas.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Pal-
mares.Nao estando comprehendido na certi-
do do processo do reo Jos Francolino Gomes
da Cruz que por Vmc. me foi remettida com o
oflicio de 4 do crranle mez. a pronuncia, o ac-
cordo pelo qual foi o mencionado reo submetti-
doa novo julgamento; os quesitos propostos ao
do conseiho de senlenga e as competentes res-
oostas convem que Vmc. providencie para que
me sejam transmitidas por certido as referidas
pegas.
Ao Dr. juiz de direito da comarca do Flores.
Convem que Vmc nio preste, com brevidade,
as competentes informages, relativas a repre-
sentagao do reo Joo Ferreira Leite. o qne refere
o aviso do Ministerio dos .Negocios da Justiga de
28 de Junho findo, por copia junto.
Igual aos respectivos juiz municipal e pro-
motor publico.
Ao engeubeiro Luiz da Rocha Das.Se-
gundo telegrarama de 6 do corrento o Exm. Sr.
Ministro di Agrieuliura Commercio e Obras Pu-
blicas concedeu permisso a Vmc. para ir
corte. Communicou-se a Thesouraria de Fa-
zenda.
Portaras :
O Sr gerente da Companhia Pernambucana
do N mande, dar passagens gratuita* de
r at Aracajno primeiro vapor que seguir para
os portos do sota Joaquim Bezerra Possoa e sua
raulher D. Laurina Ribeiro Pessoa.
dem, idem at Aracaty a Virginia Meuron
de Paula Freitas.
dem, idem at Fernando^ Noronha no va-
por que segu a 10 do corrqBp11 Manoel Coelho
doiliranda.
Mera, idem com passagem de proa a Elvira
Olympia de Jess mulher do sentenciado Flix
de'Jesus Mariae a dous lillios menores, Herme-
negildo do 3 annos le idade e Jos de. 12.
dem, dem a Felismina Mara da Conceigfio,
mulher do sentenciado Manoel Jos co Xasci
ment e urna lilha menor de nome Josepha e urna
cunhada de nome Joaquina Leopoldina dos
SajtOT.
4*0 Sr. gerente da Companhia Pernambucana
dejlavegago expega suas ordens para que seja
trafcposias provincia conp.estino a presidencia, mil e vinte e tres
sacas de farinha de mandioca que se achara de-
poijulas no armazem de Arselino Lima 4 C, e
que' neram da corte no paquete Alagoas no dia
08 de Junho ultimo, devendo a despeza correr
pelo cofres da mencionada provincia.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO INTERINO
ffOcio:
. Ao Io secretario da Assernbla Legislativa
Provincial.De ordem do Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia remeti a V. S. 40 exempla
res do relatorio com que o Exm. Sr. "Dr. Inno-
cencto Marques de Araujo Ges paesou a adrai-
nislrapo desta provincia ao Exm. Sr. Dr. Ignacio
Joaquim de Souza Leo, no dia 24 de Abril do
corrente anno.
Ao gerente da caixa filial do English Bank
of Rio de*.Janeiro Limited, nesta cidade.De
ordemdo Exm. Sr. vicepresidente da provincia
aecuso o recebirnento do oflicio de 5 do corrente,
com o qual V. S. enviou o balancete das opera
g6cs effectuadas por essa caixa filial no mez do
Junho ultimo.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DlA 28
DE AGOSTO DE 1889
Barao de Muribeca.Informe o Sr.-
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Francisco de Paula e Silva.Informe a
Cmara Municipal do Recife.
Henrique Bernardes de Oliveira.N'es-
ta data dirijo officio ao Ministerio da Agri-
cultura acerca do que pretende o suppli-
cant
Lourenco Thomaz da Silva.Informe
o Sr. commandante superior dar guarda
nacional da comarca do Recife.
Alferes Miguel Gongalves de Castro
Masopenhas.Informe o Sr. inspector da
Thakiraria de Fazenda.
Mara Lydia do Sacramento.A cadei-
ra adiase preenchida.
Anna Xauza Penna.Requeira ao direc-
tor do Arsenal de Guerra.
Bernardo Jos Paea.Como icquer.
Pedro da Cunha Pedroza.Passe-se.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 80 de Agosto de 1889.
O porteiro,
Francelino Chacn.
Repartido da Polica
2.* ecco.N. 1058 Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 30 de Agosto de 1889.
Illm. eExm. Sr.Participo a V. Exc.
que toram hontem recolhidos Casa de
etencSo, os seguintes individuos :
A' mihha ordem, Joilo Theodoro da Sil-
va e Manoel Lima de Oliveira, vindos do
termo de Pesqueira como sentenciados.
A' ordem do Dr. delegado do 2. dis-
tricto da capital, Antonia Maria da Con-
ceijao.. por crime de ierimentos leves.
A' ordem do subdelegado do Recife,
AnAio Marques Porto, Francisco Manoel
da Silva e Henrique de Souza, por distur
bios.
A' ordem do de Santo Antonio, JoSo
Antonio de Lima e Antonio Pedro, por
embriaguez; Hippolito Antonio Maria da
Fon8eca e Eduardo Hortencio da Rosa,
por disturbios.
A' ordem do do 1. districto da BOa-
Vista, Donara Maria da Concec,ao, Joao
Francisco Reges GaivSo e Joanna Maria
da Conceicjo, por embriaguez e disturbios.
Assumio hoje o exercicio da subdele-
gada do 1. districto da Grasa na quali-
dade do 1. supplente o cidado Arthur
Augusto de Almeida.
Deua guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Conselheiro Manoel Alves de Araujo,
muito digno presidente da provincia.O
chefe de polica Geroncio Dias de Arruda
Falcuo.
--jocac^
Thesouro Provioclal
DESPACHOS DO DIA 2'J DE AGOSTO DE 1889
Jaronymo Theotonio da Silva Loureiro,
Joo1'Vicente da Silva Costa, Miguel Soa-
re* de.Azevedo, Dr. Feliciano Placido Pon-
tual, Gratuliano dos Santos Vital, Compa-
nhia do Beberibe, Bernet & C, Joaquim
ds Si\v& Salgueiral, Eugene Chaline, An-
tonia Duarte Machado e Maria Umbelina
do Re'go Pontes.Deferido.
Francisco Antonio de Meira Lima.
Nao ha que deferir.
Herbert J.Permann.- D se provimento.
Trujano da Costa Mello, Antonio Nobre
de Almeida Castro e Andr Avelino de
Souza Landim. Restitua-se.
Epitacio da Silva PcssOa, Procuradoria
dos feitos da Fazenda Provincial.Appro-
vado.
Jovino de Carvalho Cavalcante.Atten-
dido.
Instruccao Publica.Pague-se.
Joao da Silva Villa-Nova o Antonio Lo-
pes da Silva.Indeferido.
Allcmanbn
Como eslava annunciadoo imperador Francis-
co Jos da Austria chegou a Beriun s 5 horas
da tarde do dia 12, acompanhado pela sua comi-
tiva. .
Na estaefto era esperado pelo imperador Gui-
lherme, pelo principe Henrique da Prussia e ou-
iro-: merabros da familia real, pelo principe e
pelo conde de Bismarck, pelos ministros, aton-
dados militares e grande numero de membros
do parlamento. .
A gare eslava magnficamente deesrada ae tto-
Apenas o comboio que concluzta o imperador
Francisco Jos parou, o. imperador Guilherme
adiantou-se at ao wagn em que ia o soberano
austraco e arabos os monarchas se imprimen-
taram anortando a mo, e abracando-so em se-
guida.
O imperador Francisco Jos era acompanhado
na sua visita a Berlim pelo archiduque Fran-
cisco Fernando de Austria. Este pelo conde de
Kalnoky, presidente do conseiho e ministros dos
negocios eslrangeiros, pelo feld-raarechal baro
de Beck, chefe do estado maior do exercito aus-
traco.
Terminados os cumprimentos, que tiveram
um accentuado carcter de cordealidade, os
dois imperadores subiram a um coche descober-
to tirado por seis cavallos, a que se segua o
coche oceupado pelo principe Henrique da Prus-
sia e pela archiduque Fran.sco Fernando.
Logo despois iam os coches do principe de
Bismarck com o conde Kalnoky e do conde Her-
berto de Bismarck com o conde Szogyenyi, pri-
meiro chefe de secgo do ministerio dos nego-
cies estsangeiros de Austria.
A guarda de honra era formada de guardas do
corpo e couraceiros.
as ras era quasi impossivel transitarse, tal
era a allluencia do povo.
Os soberanos e as suas comitivas seguiram
pelo Thiergartens pela Porta de Brandeinburgo
e Uoterdir Linden, sendo constantemente accla-
mados com extraordinario enthusiasmo pela
multidao.
Os habitantes de Berlim manifestaram pelo
imperador Francisco Jos sympathia e interesse,
como ainda nao tinham manifestado por sobera-
no algum.
Quasi todas as casas das ras por onde os so-
beranos passaram, estavam adornadas de col-
chas e bandeiras.
O imperador de Austria alojou-se no palacio
imperial de Berlim.
A' chegada, as bateras dispararam 101 tiros
No da 14 de Agosto os dous imperadores,
da Allemanha e da Austria, foram pela manha
em trens a Spandan com o tira de presenciar
all algumas manobras militares.
A parte mais interessante destas foi o ensaio
que effectuuram varias divisOes fazeudo fogo
com cartuchos de plvora secca.
Os resultados tomm excellentcs. Apezar dos
amitos .miliares de tiros disparados, a athmos-
phera licou inteiramente limpa de fumo.
Depois das manobras, almogou-se no bosque,
e s o horas da tarde os imperadores vollaram
para o comboio e dirigiram-sc a Potsdam.
Na occasio era que entravam para os coches,
desencadeou-se rande tempestade, acompanha-
da de um forte aguaceiro.
Essa tempestade surprehendeu no caminho as
tropas que tinham tomado parte as manobras,
e que recomanlas suas respectivas guarnigOes
e quartels. Os ruios lizeram algumas victimas
entre a tropa.
De um destacamento de huanos morreu um
soldado e um cavallo e licaram mais quatro ho-
mens e quatro cavallos paralyticos.
O lira ta visitado imperador Francisco Jos a
Potsdam era apreseatar os seus respeilos ira-
poratriz av, augusta viuva do imperador bui
Iherme 1, e ver o tmulo do imperador Frede-
rico. ,
Francisco Jos cumprio primeiro o piedoso
deverderesar durante algum tempo junto do
tmulo desse que fra seu amigo. Sahio muito
commovido da capella e durante rauito tempo nao
descerrou os labios. O imperador Guilherme
respeitou aqueile silencio, comprehendendo que
o imperador Francisco Jos estava pensando no
seu desgragado tilho, o archi-duque Rodolpho.
Depois, ambos os monarchas se dirigiram ao
castello de Babelsberg, onde jantarara com a im-
peratriz Augusta. A' noite regressaram a Bcr
lim.
O Messager del'Empire, dirigi a segrate
saudago ao imperador Francisco Jos :
O povo allemo junta-se ao seu impera-
dor para saudar, na pessoa do imperador Fran-
cisco Jos, um amigo e um alliado do nosso so-
berano, o chefe de urna nago visioha, qual
estamos unidos pela tradigo histrica, pela
coramunidade dos iateresses e pelo amor da
paz.
As duas provages por que tem passado o
imperador Francisco Jos nao destruiram a sua
coragem heroica. A dr que encheu a sua
alma nunca dominou os seus deveres de monar-
cha, e elle d um exemplo brilhaule ao seu
povo.
A Aemaoha honra no seu hospede um
principe que, durante 40 annos, deu a felicida-
de a urna nagao amiga, e presta-lbe urna pro-
funda homeuagem.
Seja beravindo o imperador Francisco Jos,
o amigo da Allemanha, o nobre e poderoso ai-
liado Deus o conserve ao seu povo c a eos
A Gazeta da Allemanha do Norte termina do
segante modo o artigo em que d as boas vin-
das ao imperador da Austria :
A entrevista dos dous imperadores em Ber-
lim um testemunho evidente da indissolubli-
dade da allianga que une os dous povos ; sob
este aspecto, o encontr dos dous monarchas
ser saudado com conlianga, como proprio para
consolidar a paz da Europa.
O imperador da Austria Hungra parti a
lo de tarde para Ischi, perto de Salzbourg, e
ondo reside agora a imperatriz Isabel. As des-
pedidas dos dous imperadores na estago de
Thiergarten (Herlim) forara muito cordeles, nao
havendo comtudo nenhuma ceremonia offieial.
O imperador Guilherme partira para Bayrenth
em 17, alim de assistir s repre=eniagos das
operas de Wagner. .... ,
A Gazeta da Allemanha do Norte fallando
do regresso do imperador da Allemanha. a Ber-
lim, diz que a visita f.-ita por Guilherme II a rai-
nha de Inglaterra, te ve mais elevado alcance
do que a de una simples visita de familia.
Sob os auspicios das vivas acclamages, diz a
Gazeta, que acolheram o imperador as costas
de Inglaterra, e na ilha de Wight, fortaleceu-se
o lago de reciproco accordo e harmona, que
oxtstem eotre as duas nagOes de comraum or-
"GlD-
Ao mesmo lempo, o sentimento de solidarie-
dado que sobre tantos terrenos, une urna a outra
as duas migues, achara a sua exprcsso na-
tural. .
Fortificando e avivando as relacoes amigavois
dos dous paizes, o imperador croou novas ga-
rautias sob o ponto de vista da manutengo e
da salva guarda da paz internacional c deu ao
mundo urna nova garanta de paz.
Dizem do Vioaua que to las as noticias pu-
blicadas acerca de urna nova convengo cele-
brada entre a Allemanha o a Austria Hungra,
sao loverosmeio, 'undam-se em meras sappo-
sice. ,
O zoverno allemo concedeu a ordem da
Agoia Negra ao arclii-duquel-'nuiciico Fernando
siiccessur ao throoo da Austria.
KuMsia
O Dailc$ publica um teiegramma do S
Petersburgo dizendo que o czar addiou, a sua
viagom a Potsdam, ondo ia visitar o imperador
da Allemanha. ..
O Petetsbaurgsfoi Vedomosfi combate a opiniao
muilfs vezes invcala pelos adversarios de urna
approxirnagao da Russia com a Franca, de que
a instabilidade da situaglo interior desta ulli-
cnu oppo um obstculo a somelhante approxi-
rnagao o accordo.
Aqueile jornal declara que em muitas cir-,
cutustancias, e. ainda recentemento, as deroons-
trages de syrapalhia enypnra do general *?ou
| ciaji'-'n

nowsky, do gra-duque Constantino e dos m-
dicos russos, provavam que a syrapalhia oela
Ruasia nao o privilegio exclnsivo de tou
tal partido, nas que ella sentida por toda a
nagao franceza, e constue a vis predominante
da sua poltica.
E, assim, os russos devem considerar todas
as mudangas gnvernamentaes, que possam so-
brevir em Franca, como assumpto de ordem
puramente intenor, e de um interesse muito se-
cundario para a Russia.
Apenas contina o jornal niS30, urna resolu-
gao moaarcliica. ou imperialista, poderla fazer
excepgo sob este ponto ue vista levando ao po-
der o clericalismo catholico. antes prompto a
obedecers ordens do Vaticano do que s aspi-
rages naciooaes; mas o rgimen republicano
bastante forte para afastar similhante previso.
A imprensa em geral de S. Petersburgo analy-
sa a allianga da Allemanha e da Austria a pro-
posito da recente visita do imperador Francisco
Jos ; e zomba das fanfarronadas que elia pode
representar na Europa.
Servia
O rei Miln consentio que a rainha Natalia ve-
nha visitar seu filho o rei Alexandre, varias ve-
zes no anno, e resida no pago por algnm tempo
debaixo de certas condieges.
BulRaria
A Gazeta de Moscow diz saber de boa origem
que a Austria enviou raunices de guerra para
a Bulgaria.
Turqua
Foi proclamado o estado de sitio em Creta no
da 14.
Comegaram as negociages entre Clakir-Pach
e os cretenses.
Segundo noticias de Creta, o novo governador
Chakir-Pach attribue aos christos a actual si-
tuago na ilha, o reclama um reforjo de 40.000
homens.
A opiniao na Grecia est relativamente soce-
gada.
O Times publica um teiegramma de \ ienna,
dizendo que os condes Klusky e Herbert de
Bismarck. declararam aos erabaixadores turcos
3ue nenhuma das grandes potencias intenta o
ireito do sulto a restabelecer a ordem em Cre-
ta e que a Austria e a Allemanha animam assim
o sullo, cujas hesilages sao bem conhecidas.
NOTICIAS DA FRICA
Zanzbar
Dizem de Zanzbar ao Temps:
A esquadra alloma da costa oriental da fri-
ca vai ser diminuida.
O cruzador Moneth regressa Allemanha, e
o Leipzig vai para o Cabo.
Na costa de Zanzbar, licaram apenas trez
navios o farola, a Schicalbe e a Pfeii, sob o
commando do mais antigo dos seus ofliciaes.
Como estas trez embarcages nSo sao sufi-
cientes para assegurar o rigor do bloqueio, a vi-
gilancia d*uma parte da costa ser confiada aos
vapores do capito Wipmann
PALMEIRA DE GARANHUNS25 de
Agosto de 1889
Lemos com inexplicavel prazer a primeira
mimva que d'aqui enderegmos em dala de 25
do passado, qual deram Vv. Ss. pubhcidade
na secgo competente do Diario de Pernambuco
de 31 d'aquolle mez.
Mil vezes obrigados a essa digna e illustrada
redaego pela prova de considerago e aprego
com que bondosamente nos recebeu peraute a
opinio.
Gragas a Deus conserva-se inalteravel a ordem
e tranquilidade publicas n'esta localidade.
Permanece no commando do destacamento do
corpo de polica aqu estacionado o 2." sargento
Pedro Americo Bandeira, que tem sido um forte
auxiliar da administrago policial na represso
dos crimes.
No dia 20 do corrente, foi esta localidade tes-
temunha oceular de urna scena to revoltante,
que a todos, seriamente contristou, e, se nao
fosse a Intervengas benfica do capito Jos Paes
le Barros, teamos que lamentar um aconteci-
mento bem triste talvez.
Eis o faci tal qual se deu sem augmento nem
diminuigo de urna virula :
Achava-se Bemvenuto Ildefonso de Moraes,
conversando tranquillamente na casa commercial
de seu cunhado o Sr. Manoel Peixoto Pinto, 4
ra do Commercio. quando inesperadamente
o Sr. capito Jesuino Brazileiro de Veras, inva-
di o esiabelecimento e, em altas vozes. intimou
ao Sr. Bemvenuto de Moraes para entregar ao
seu lilho Osorio Paes de Barros, o archivo da
agencia do correio, sob pena de apanhar e en-
tregar Torga bruta, (palavras textuaes), res-
pondendo lhe calmamente o Sr. Bemvenuto de
Moraes que nenhuma duvida faria na entrega da
agencia se o Sr. Jesuino de Veras exhibisse o
novo titulo do agente para ella nomeado, com o
competentecumpra-se da aaministrago, forma-
lidade que, conforme verificamos, nao existia
no tal titulo, tendo apenas a assignatura do con-
selheiro presidente da proviucia e a respectiva
nota da secretaria do governo; no que todos
concordaram, menos o faminto que retirou-se
onvergonhado pelo procediraento iniquo e cri-
minoso que representava, custando-lho urna es-
trondosa vaia dos gartos.
l'assado este incidente, alias desagradavel, e
por todos condemnado, leve o Sr. Bemvenuto de
Moraes de convidar ao tenentc coronel Carvalho,
capito Jos Paes e ao lenle Satyro de Oliveira,
para lerem a seguintc circular expedida pela
digna administrago dos correios, e, ainda urna
vez, provar a sera razo de seu vil aggressor:
AdmimstrarSo dos correios. de Pernambuco,
em 13 de Jnlh'o de 1889.Circular Illm. Sr.
Recommeudo a Vmc. que nSo faga entrega d essa
agencia, ao agente para ella nomeado sem. que
aprsente novo titulo com o cumpra-sc desta
a iministragito, cabendo a Vmc. a responsabli-
de, pela entrada no exercicio do cargo sem o
preenchmento desta forraalidade indispensavel.
Deus guarde a VmcAffonso do liego Barros.
Ao Sr. agente do Correio de Palmeira de Gara-
iilmns.
Nao podia. porlanto, ser a agencia entregue
ae rocera nomeado, sem que primeramente fosse
ciunprido o exarado n'aquella circular, cujo
administrador s leve por fim nica acautelaros
interesses da fazenda nacional.
Consta-nos que diversas uessoas entre estas
negociantes, rao suspender a remessa de suas
correspondencias pa-a o correio d'esta locali-
dad, porque nenhuma confianga absolutamente
Ibes poda merecer o novo agente nomeado.
Sao IVuctos da poca.
Nao ha muito lempo nesta mesma povoagao,
foi na casa commercial do capito Jos Paes. trai-
goeiraraente augredido o tenentc Satyro Emyg-
dio de Oliveira", pelo mesmo Sr. capito Jesuino
i!" Veras, que teve em resposta de sua ma
criaco um jogo de supapos arremessados por
aqueile lente, c quejlinal nao foram corres-
pondidos.
Al a seguinte.
V
I

<^


2
Diario de PernambucoSabbado 31 de Agosto de l*H9
i
FINCAS E COMERCIO



Por no vacuo do contracto de 3 de Agosto do
ano prximo passado entre o governo e o banco
crdito agrcola do mesmo banco era suas ope-
ragoes regulase agora pelas clausulas seguintes
publicadas pelos jornaes da corte:
1."
Bmprestimos sobre hypothecas de proprieda-
des ruraes e peobor agrcola de accordo com as
leis vigentes ou por cauco de apolices da divi-
da publica, bilbetes do tliesouro nacional e le-
tras hypothfcarias, por letras cora duas firmas,
pelo menos, de lavradores abonados ou de mu-
tuario lavrador e outra pessoa abonada e por
acces ou ttulos de companbia8 garantidas pelo
Estado.
2.*
As hypothecas serao peto prazo de 5, 10 at 15
m**os, o penhor constituido em roiheitas pendentes,
frnclos agrcolas ou animies pelo tempo de um
atto. e de um a cinco anaos quando o seu obje-
cto consistir era ttulos e acetes deconiuauhas.
As letras serao a prazo de um anno e reforma-
veis a apraziraenlo das partes. A reforma da
letra, porra, ser obrigatoria at mais um anuo,
se o aceitante ou endorsante amortizar pelo me-
nos 2a /. do valor respectivo.
3.
O juro de qualquer destas operagtes nao ex-
ceder de 6 % ao auno pago por semestre ven
cido, sem nenliura outro orius para o mutuario,
alm das amortizacOes tic capital a que se bou-
ver obrigado, de accordo com os contractos ce-
lebrados.
>
No caso de mora coraprovada por intiraago
judicial, ao juro de 6 / accrescerao mais 3 /
a coatar da data da iuiimaco.
5.
O mnimo e o mximo dos emprestimos serao :
mediante hypotheea ou cauca) de ttulos d* di-
vida publica, accOes de companliias. etc., 2:0J0
at 12:0aJl e de 300 a 50:u00 para o penbor
ou letrj.
Xas hypothecas as araortizagtes, que sero
seinestraes e pugaveis por semestres vencidos,
poderao, a apr izimenlo das partes, ser impos-
tas do juro de 6 / e da respectiva quola de
amoi tizacao, calculada sobre todo o prazo da
divida o somonte do Juro durante o priraeiro
terco ilo prazo e do juro quota da araoitizaco
nos ltimos nos dous ltimos tercos.
Nesla ulma hypotliese, a quota de amortiza
cao ser calculada sobre os ditos dous tercos do
prazo de modo a operarse a exlincco da divi-
da no tm do prazo mencionado.
7."
Fica salvo ao devedor o direito de resgatar a
divida autes do prazo do vencimento.
8.
A zona das operages do banco comprehende
r o municipio neutro e as provincias do Rio de
Janeiro, S. Paulo, Mioas-fieraes e Espirito-Santo.
9.
A responsabilidade assumida por qualquer das
transaccoes autorisadas oeste contracto nao in-
hibe que os obrigalos sejam admiltidos a novas
operaces, desde que olTeregara novas garantas,
sempre no limite mximo de 120:00 .IJOOO.
10*
A coraegar do dia 9 do. corrente os proponen-
les eneontraro propostfs irapressas para qual-
quer das operaces constantes deste editai, fi-
cando desde esse dia cm execugo o accordo ce-
lebrado com o governo imperial.
Rio de Janeiro.5 de Agosto de 1889.O secre-
tario, Virgilio Ramos Gordillio.
A respeto d'essa uovac realisada no 1" do
expirante raez, diz-nos ura respeitavel agricultor
d'esta provincia.
No intuito de aproveitarmos os favores do
Estado para libcrtarms nossas propiedades
agrcolas ameacadas de completa ruina, em con-
sequencia dos baixos pregos de HOSfOS producios
elevado juro que temos sido obrigados a fazer
a nossos corresponden les e banqueiros, para fuu-
daciio das safras, dirigimo-nos agencia do Ban-
co do Brazil nesta provincia, para de confermi-
dade com o referido aanuucio apresentarmos
nossa proposta.
Qual, porm, nao foi nossa adrairacto e des
apontamento quando alli nos informaram que laes
favores erara smente para as quatro provincias
do sul; porquauto para a nossa nenhumas in-
stnicces haviara sido recebidas que reformassem
as anteriores, isto : hypotliecas para dous annus
* pemhor agrcola to smentepata seis memes!
Gusta a crer : mas pura verdade. Ha n'este
Imperio dous pesos e dtias medidas, as de ouro
para o sul, as de ferro para o norte !
Com aquellas, a lavoura d aquello lado se
reanima e prospera, e com estas a irm d'este
lado, assim ainesquinhada, continuar era deca
dencia at que seja aniquilada !
Esta or-siilkario nao deve continuar; sera
nina iajustiga clamorosa.
Confiando, porm, as boas intences dos
Srs. agentes, esperamos que explicages sero
pedidas com urgeucia, o que os Srs. direi;;.ores
do Banco se dignen' estender al esla provincia
os mesmos favores c condiges, que eslo ofle
receudo s qubiro do sul, erabora reduzido o m-
ximo daquainia para cada eraprestimo raetade
ou tenos, porque pobres como estaraos nao pre-
cisamos de tunlo dinheiro.
Por occasio da abertura do Congresso Chileno,
o presidente da repblica em suc mensagem fez
saliente que a prosperidaile econmica do paiz
ge accentuava, visto que oorgamento se liquida va
com quatro milhes de pesus de sobras.
A divida interna esi reduzida a 23.S3i:lSO
pesos: os bilhetes liseaes cm circulaco sobrein
a 23-065:016 dos quaes si- deven eliminar por
125.000 e inve.-ter-se K'.i):003 addiceionaes em
pesos fortes, ou barras de prata.
A divida externa de 30.748:000 pesos.
O commercio exterior, que em 18S7 leve o va-
lor de 108.180:820 pesos subiu em 1888 a......
133.81)8:633. delles 73 OS9:)3' pela exportaco e
60.817:698 pela importaco. Houve, porUn'o.
no commercio interno um excesso de mais de 23
milhes ora respeiioao anno anterior.
Em 1888 havia era toda a Repblica l:0."i > -
colas com 8V:38ii alumnos inscriptos e urna fla-
quencia media de 36.532:480 d'essas escolas
eram particulares e con'avam 27:031 alumnos.
Ornanizaran-se varios institutos de ensino su
perior, e em Santiago installou-ee em um novo
edificio o collegio de medicina.
Organisam-se o exercito e armada : as fortifi-
caces da costa armani-se cora canhes de grosso
calibre, e pretndese a construeco de um forte
e seguro porto naval em Llico, o qual, era tempo
de guerra, ser a base de operace3 para a es-
quadra do Cbe.
***
O deposito de ouro do Banco de Franca o
mais consideravel de todo o globo. Segundo um
especialista deste ramo da estalistija, Otlomar
Haupt, tal era no lira de Oulubro de 1888 o de-
posito de ouro dos principaes bancos do mundo
redu/.ida a uioi'da a francos) :
Banco de Franca 1.022:000*000
Banco da Russia 96i:iHX)0;)0
Banco da Allemanha 732:0004001)
Bao, da Inglaterra 514:000*000
Diversos de Nova York 462:000000
Banco dos Pa-zes aixos 20o:000*0i0
Banco Austro Hngaro 199.-000*000"
Diversos da Allemanha 192:000*000
Diversos da Ualia 149000OOO
Bancr. da Italia 128:001)5000
Banco da Blgica 86:<>"
Banco de Portugal 29:0004000
Total
4.682:000 000
Faltamji esta relacao diversos estabelecimen-
tos entre os quaes o Banco de Hespanha.
Na mez de Julho loram exportados pela barra
do Douro 6.120:554,81 litros de vinho, no Valur
de 1.029:626*000 fortes.
Em igual periodo de 1888 exportarara-se.....
3.922:964.41 litros, no valor de 597:83!*000, e
que pagaram de direitos 5:408*992.
Ha, por consegrante, urna differenca a favor
d'este anuo de 2.197:590,4 litros.
.%
O Banco de Hespaaha tera actualmente cm cir-
culaco 7il3.O0O:OOO pesetas em notas, em caixa
S1.0UO:00 pesetas em ouro e euahados 6.000:000
pesetas em bronze.
. TOBSTRIiS E \im
A Fosea, do nosso Carlos Gomes, realmente
um prodigio msica1, escreveu um nosso collega
do su!.
Nao urna opera : um livro da mais subli-
me poesa e do mai:i profundo estudo do cora-
cao humano ; urna these. eloqueule e brilhan
tmeme sustentada desde a priraeira ola do
preludio at a ulti na da scena final I
Principia e acaba pela mesma phrase ;phra-
se caracterstica de corsarios ; maritima, rude,
selvagem. com urna certa mistura de ferocidade
e de cavalheirisrao.
Que superabundancia de meloda e de har-
monas !
Que sobriedade em apresental as !
Onde outros s achariam urna phrase musical,
o inspirado maestro brasileiro exhibe tres, qua
tro, cinco e deixa o auditorio convicto que an-
da tinha, em seu cerebro infinito, innmeras
variantes.
Na Fosca impossivel encontrar urna s phra-
se trivial ou commuu: tudo nobre e grandio-
so ; quando nao absolutamente novo, sempre
superior aos parallelos que se passara fazer cora
seus predecesseres, ainda que sea timbara os
gloriosos noraes de ossini, de Veril, de Gounod
e de Wagner.
O final da Fosca principalmente adrairavel-
E' a synthese perfta de toda a partitura, ha
blmenle apreseutada pelas phrases carcteris.i
cas de todos os protogonistas do drama ; a mor
le da herona com a mesma phrase, com a qual
Cambro conseguio obler a ordem de matar Delta
e Paolo. um prodigio de msica dramtica,
que falta ao proprio Meyerb er.
E o que diremos do maestro brasileiro ?
Que incontestavelmente, o herdeiro prc-
sumptivo da sublime cora de Verd.
Debalde se oostin i rao os allemes pelo seu
imaginoso Wagner ; debalde appellaro os fran-
cezes para Gounod; os inglezes para Flolow; e
os italianos phvrrbonicos para Mtrchetti e Pon-
chtelt.
Debalde .'
O throno de Verdt pertence de direilo a Car
los Gomes.
E' de todos os maestros existentes o nico a
poder produzir, em Menos de oilo annos, quatro
partituras como Guorany, Fosca, Sallador Rosa
e Mara Tudor, alm de ucus actos dos Slosque-
teiros do Re, do Hymio do Centenario, etc.
E' o nico a competir com Giuseppe Vert no
amor da gloria, no ardor pela victoria e na de-
votaco ao trabalho.
Giuseppe Verd e Carlos Gomes, como o impe-
rador romano, descenam do throno para ireni
aos jogos olympicos denitnslrar ao n.undo que
tambera Ibes pertenciam as eoras da msica e
da poesa.
A viago metallica da provincia de Minas, se-
gundo o Diario de Mina*, pode se dividida em
4 grupos : estradas garantidas, cujos capitaes
ja eslao empregados o todo ou em parte es-
tradas garantidas cuja construeco ja foi inicia-
da estradas garantidas, cuja construeco pe
pende da approvaeo de estudos j entregues
estradas garantidas e contactadas, cujos eslu-
dos nao loram ainda apresentados :
1." grupo :
Leopoldina S. Geraldo i Itabira 7,000:000*000
Ramal do Manhuass 3,000:00040 1
Serrara a Uba 5.095:303*308
Jniz de Fura ao Piau Juiz de
Fra a Rio Novo
Oeste de MinasS. Joo d'EI Rei
Oliveira
Mogiana Jaguara ao Parana-
livba
2." grupo :
Oeste de Minas' Oliveira a S.
Francisco
Baha e Minas Aymors e l'bi-
laili'lplna
Jacotiuga a Lavras
Sapucahy
1,681:2205782
4,000:0004000
o 000.0005000
23,770:5265090
3." grupo:
Ponte Nova Natividade
4. fjrupo :
Pitanguv a Palos
Uiaraanlina ao Porto da Manga
3.300:000*000
7,000:000*000
S 338:3874611
10,000:0005000
27.858:3875611
10,000:iK)OSOOO
8.000:0005000
3 01)0:000.3000
11.000.0005000
Alm deslas, que se achara, por assira di/.er,
em andamento, eslo decretadas ostras estradas,
sobre as quaes ainda nao se tem firmado con-
tracto, por nao parecer opportuna a occasio,
nao obstante baver amitos concurrentes ou pre-
tendentes cada urna Bellas.
O compromisso da provincia, desde que sejam
execatadaa essas leis de concesso, finnando-se
contracto -obre cada urna dellas, subir a mais
17,200 contos. que reunidos aos 74,024:9135701
d'aqu'dlas outras estradas, elevara o compro-
misso total da provincia importante somma
91,834:1)135701.
____REVISTA DIARIA
4" dintricto O nosso estimavel amigo, o
Dr Joo Juvencio Ferreira de Aguiar, randiiiato
pelo 4o districto eleitoral desta provincia, diripio
liont'-m o seguinle lelegrararna ao l'r. Jos Mu-
reir Al ves da Silva :
Goi/aiinn 30 de Agoslo. ao meiO dia.
Re.ilisara-se as violencias e fraudes annun-
ciadas principalmenle em Tejucupapo, Itamb,
Timbaba e 2a scelo de Goyanna.
Diversos paisanos, cora fardas de soldados
do destacamento, seeoirata para Tejucupapo. O
ceslacamenio licuu fardado com as roupas de
I. riiu do uniforme.
Forarn sollos diversos criminosos, sendo um
reeoiMo por ordem do Dr. juiz muiiici|>al.
Ferio desta ciliado ha granae numero de
(apangas armados, ignorando se por hora o des-
tino qne tomaro.
Reclame providencias do presidente da pro'
\incia, e publique rute.- Jucencio de Aguiar.
Esse telegramma nao pode ser apresenlado ao
Bxm. Sr. i-onsellieiro presidente da provinci
porque o Sr. Dr. Mor-ira Alves, nosso distincto
amigo, acha-se fra do Recife.
Publicando-o, damos implicitamenle conheci-
inento do seucontedo quelle Sr. consellieiio,
t|ue de certo o tomar na devida consideraco.
;. (lintricio -Hontem, no trera da tarde,
seguio pam a Escada um novo troco de aman-
gas, dirigidos por um Sr. Torres. Esses capan-
gas iam todos armados de cacetes, e provavcl-
mente levaram as facas oceultas.
No mesmo trera seguio para aquella cidade e
Sr. Dr. chefe de polica, acompanliado de 5 pra-
E o curioso que lestemunha presencial nos
eferio que o lal Sr. Torres disse ao Dr. chefe
de poiicia, que recebeu com um sorriso a con-
fidencia : agora mesmo levo alguns amigos para o
r/M der e vier., -<:
Quera quizep'mais claro o qne vai ser a elei
cao de boje na Escada, ponha os pontos nos i i
a essa revelagdo.
Ja eslavam escripias as linhas cima,
rpundo, s 6 1/2 horas da tarde, recebemos o
seguinle telegramma do nosso amigo o Exm
Sr Barao de Suassuna, telegramma que confir-
ma o tacto referido :
Focada !(> de Agosto s 5 h. e 33 m. da tar-
de.
Estando nesta esfago com o Dr. chefe de
"kdicia, vi desembarcar novo e avultado redaren
de capangas. Calculo em 20 os bravi recem-
cheL'ados.
Publique este, e cemmunique ao presiden-
ie da provincia.
Fazemos essa communicago pela imprensa.
S. Exc. que a tome em consideraco.
Rio Crande d: \oricO seguinte tele-
gramma, que por um deploravel equivoco, foi
nontem publioade sob a rubrica Sercico partios-
lar (u Diano, ni u nosso correspondente do
fetal, e puis nao p r.ence quelle servico.
Bsse telegramma liaz por assignaturaO ofTi-
ciai maior Nv.nes Cavalcanti,o que indica sua
troceuencia da Secretaria do Governo da pro-
unca do Rio Grande do Norte.
Reproduzimolo, pms, aoui nesta seceo tom
as devidas correcces :
Natal, 29 de Agosto, s 2 b. 30-. da Urde.
A redaeco do Diario de Pernambw
Telegrammas de Mossor dizem que um
portador do Dr. Amaro Bezerra, vindo do Apody
para Pao dos Ferros e S. Miguel, foi atacado,
eudo-lhe tomadas as carias que oonduzia, por
Candido Gomes e Malaquias, mandatarios do Dr.
Castro, sobrinlio do Dr. Miguel Castro, conforme
conlisso de Malaqaias polica.
Consta ter sido assassinado dito- portador,
bem como ura estafeta.
O offieial maior, Nunes Cacalcanti.
#- Honiem o Exm. Sr. Visconde de Mecejana
recebeu o seguinte telegramma, que desmerte
o facto cima referido no telegramma de ante-
hontem : ,
jfosior, 30 de Agosto, s 8 h. 45-. da ma-
nb.
O portador do Dr. Amaro Bezerra erabria-
gou-se em caminlio ; perdeu ou Ibe furtaram as
cartas que conduzia. Aqu est sao e sem oT-
feusa.
A polica prevenida contra o Dr. Lastro So-
brinho. inventou esta farga le aggresso.
Nao ha tal desapparecmenlo de estafeta.
A luz se far.
Procurase por todos os meios prevenir o
governo contra o Dr. Castro.
A's 3 e i/2 horas da tarde recebemos o se-
guinte telegramma sobre os mesmos factos :
Mossoro, 30 de Agoslo, s 8 h. 50". da ma-
nha. -<^
Nao passa de larca indecente da po!icrf"rto
Dr. Amaro Bezerra o assassinato do portador de
cartas para elle.
Os amigos do Dr. Amaro lancam mo de to-
dos os meios contra a eleicao do Miguel Castro.
At calumniara !
Felizmente a luz apparece. Sou bastante
conbecido e conneco com quem vivo. Pego a
publicacao deste. Dr..'Francisco Pmlieiro de Al
meida Castro.
. wofit'tliiclc Prado Pernambncpo
Era sesso d'assembla eral dessa assfcia
gao realisada hontem, foi apresenlado o iflUo-
rio do (uovimento econmico linanceiro da mes-
ma pelo gerente Dr. Francisco de Souza Reis,
bem cornos parecer fiscal, sendo ambos appro-
vados, e o ultimo com restrieges.
Por essa occasio adoptou se novo codigI d i
corridas ; e procedendo-se a eleigo dos mein-
bros da assembla geral, directora e coramis-
so fiscal deu o seguidle resultado :
Amuelen geral
PresidenteBarao de Catar (releilo).
SecrelarioCoramendado'" Luiz Duprat.
Dmrtoria
Dr. Francisco de Souza Reis (recleto).
Eugenio Chalinc
resteda Costa R. Monleiro (reeleito).
Camm'sxo fiscal
Capito Joo Justiniano da Rocha (reeleito).
Claudio ubeux.
Ur. Carlos Alherlo de Menezes.
Circulo Catholico lo Beolfe -Rcali-
sou-se no dia 29 do expirante mez, a assembla
geral extraordinaria desse Circulo, sob a presi-
dencia doSr. Arthur Gomes de Mallos.
Ao abrir se a sesso. os Srs. presidente ethe-
soureiropropuzeramque se inserisse na actaum
voto de profundo pezar pelo passamento do so-
cio fundador Dr. B Tiiardino Joas de MaMo 8
Albuquerque, e que no 30' dia urna missa l'osse
rezada pelo seu repou-o eterno.
Foi isao jpprovado p>ir unanimidade.
O consocio Estevao Lellis leu um parecer so-
bre a creago de urna aula primaria para as cri-
ancas pobres.
O consocio Dr. Rodolpho Silveira como rela-
tor da commissSo, leu os estatutos da obra da
advogacia dos presos pobres, que o Circulo tem
i n vista crear qnanto anles.
Em seguida loi eleito por unanimidad'' de so-
los Io secretario o Sr. Dr. Joo da Costa Ribeiro.
* Foi en errada a sesso e convocada outra para
qninta-feira prxima futura.
Santa t'iiiai do Min-ricurdia Em
sesso da respectiva junta de 27 do expirante
mez foi nomeado o Sr. Dr. Jos Julio Fen.mdr;
Barros substituto de cirurgia do hospital Pedro
Lanli'rna Kanica-Est em distrbuico
o n. 267, anno 8, desse peridico livro e liurao-
l'Sliro. .
Agradecemos o exemplar que nos foi olfere-
cido.
UcclaracoA publicngo feila neste Dia-
rio em sua edigo de hontem. sob titulo 4" dis-
tricto e .'.ora assignatura Josr M. Gorjiio nao do
Sr. Dr. Jos Mana Ramos Gorjiio, e nem para
ella coiicorreu o mesmo Dr. de modoalgum.
Oii'ina de oontura* Pensa-seein mul-
tar na inleudeocia de marinhada corte uniajyli-
cina de costuras para o preparo dos nnUorTpCB.
constando que fra uomcada urna comraiasao
para orgamsur o respectivo plano.
*ova cMpinearda Acaba de apparecer
urna nova espingarda, de inveccao do lente
Marga, do exercito belga, segundo noticia a li-
rueda Cercle MUitaire, a qual accescenta que
a arma parece satisazer a todas as condites
requeridas, sendo do calibre 0m,08, de extrema
tmpUcidade o fcil fabrico, com o p;so de
3,500 g-aininas.
om disso, e urna arma que nao dispara an-
3 do cartucho licar perfeitamcnte ajustado, e
Je por minuto dar 40 tiros com cariuchos de
^raminas, a de papel plvora de Weleren sem
__reeer dTuraldade alguma na extraeco do
cariucho servido, era no seu apparelhar e des
apparcltiamento, que pode executar-se em um
minuto, sendo facilimo o respectivo manejo, que
toda seguranga ofTerece ao atirador.
Baudeira nacional do EMado*-
l'nidoM Tendo-se tornado Estados fazendo
parte da unio os terrilorios de Washington,
Montana, Norte e Sul Dahota desde 4 de Julho
ultimo, desta data lamb-m por diaite a bandei-
ra nacional dos Etados-Onutos da Amem do
Norte passou a conler 43 estrellas, em vez das
38 que antes continua.
FallecimenloHontem suecumbio na ;-i-
dadede Olinda o Sr. Jos Jeronymo deCarvailio,
que alli fra carcereiro e ha pouco exenerado.
Era maior de 60 anno, e sua falta 6 bem aen-
sivfl sua firailia.
Detento fallecido-Na Casa de Peloiro
falleceu o detento Manoel Jos Ferreira da Costa,
que solTria de alien. 15S0 mi'iiial.
PriKu e morle-Xa quarta-feira I.ini".
noile sendo preso Lino Pereira Pinto, sem mo
tivo que conste, pelo inspector de quarteiruo Ba-
doin e pragas da guarda cvica que o acompa-
nharam, resuilou nessa occasio ser o mesmo
Lino empuado violentamente a ponto de cahir
sobre a calcada e bater forteraente com a cabaca
sobre a mesma calcada ; o que sem duvi'da de-
terminou forte rommoguo cerebral, urna vez que,
poucos instantes depois de chegnr estago do
2. districto de S. Jos, para onde fra conduziao,
expiran.
Ahi licou o corpo al o dia seguinte, e s |e-
pois foi transportado para a propria casa, d'orjde
hontem leve lugar o sahimenlo para o cemiterio
publico.
Um facto desta ordem carece de ser averi-
guado com senedade, e si como causa da marte
os mdicos da poiicia do a congesto cerebral,
deve-se no caso tirar a limpo como foi ella de-
ti-r.iiinada; porque tudo se conspira a prior a
lilial-a pancada que soffrea na cabeca era ia-
zo da violencia que sollreu.
Nao ser de conveniencia publica que sejara
procedidos novos exames no cadver, para pu-
nir se o crime, si o ha *
Reclamarn-Um nosso asignante diri-
ge-nos a leguiate sobre o faci de que trata :
Srs redactores do Diario do Pernambuco.
Era seu conceituado Diario de boje disserara
Vv. Ss., noticiando a publieago era Roma, do
novo cdigo penal lali rao, que este era o pri
metro que arrojou a proclamar cima de todas
as exigencias socies a inviebtudade da vida
humana proscreveudo a pena de m n i
Ora isto inexacto, porque muito antes j
a pena de morte tinha sido abolida em Portugal,
tambera por disposigao de le, sendo minislroda
lusliga o notavel estadista Augusto Cezar Bar-
jono de Freitas ; facto este que mereceu a aiolo-
gia de Vctor Hugo.
Creio vista disto que Vv. Ss. nao deixaro
de rectificar a noticia n'esta parte.Um assig-
nante.
Lampru-Essa Sociedade Benelkente 24*de
Agoslo de 1836, tendo procedido a eleicaojle
sua nova directora, no da 2o do corrente. licou
assira constituida a sua directora
Pre.-ideute Joaquira Onofre de Mondonga Ri-
beiro.
Vice-presidenleDionisio Fernandes Dias da
Silva.
OradorMiguel Joaquim da Silva.
1." secretarioManoel Genuino de Santiago.
2." secretarioAntonio Rayraundo Rodrigues
da Silva.
ThesoureiroManoel Sevorino da Hora Mar-
tins.
1." procurador-Gerernias Jovino Raphael.
2." procuradorClaudiano Andr Gomes.
ConselheirosGaspar Antonio dos Reis, Mar-
celino da Costa Lima, Antonio Pedro Dionisio,
Amaro Joaquim do Espirito Santo, Felippe Eneas
da Costa e Manoel Guilherme do Nascimento.
Club Iliterario A; re* Cama-Reu
ne sojioje era sesso ordinaria no lugar e oras
do costurae.
D. Francisca de Paula de Vaiicon-
cello e Carvalbo-Em virfude da inter-
dieco langada na matriz da Boa-Vista, se resu-
rto boje, s 7 horas da manh, na igreja da
Sania Crux, as missas do 7o da, pelo eterno re-
pouso da alma de D. Franscisca de Paula de
Vasconcellos e Carvalho, que estavara annuncia-
das para ser resadas s mesmas horas naquclla
igreja
Hooicm mulber-Cerca das 9 e 1/2 ho-
ras da noile de ante-honlem foi visto prximo
ra do Imperador um qudam, que vestido de
mulher procurara oceultar-se s vislas de quera
o encontrava.
Perseguido por pessoas do povo e alguns guar
das cvicos, desappareceu ao entrar nesta ra.
nao sendo absolutamente possivel descobrl-o.
O que querera elle ?
Exercicio* do mez doloroso Cora
precedencia de uina missa resada boje na ca-
pella dos Milagre, em Olinda, coraegaro araa-
nba na mesma capella os referidos exercicios
0 acto religioso ter lugar diariamente s 5
horas da tarde.
MuflTragloN Na terga feira prxima na
igreja do Paraizo. manda celebrar a Junta da
Santa Cera de Misericordia urna missa de r-
quiem pela alma do maior Laurentino Jos de
Miranda, que da mesma junta lizera parte por
longos annos na qu.didade de (hesoureiro.
A missa cantada pelas edueuudas da casa
dos expostos.
Prado PcrnambucanAgradecemos
o relatorio, que foi apresenlado assembla ge-
ral dos accionistas dessa sociedade hippica pelo
respectivo director gerenle, Dr. Francisco de
Souza Reis, e do qual nos foi offerecido um ex-
emplar.
SubdelegadaAcha-se era exercico da
subdelegada da Graga o -ir. Arthur Augusto de
Almeida, na qualidade de supplente.
Crrelo da Europa Distribuio-se o
n. 17 den revista quinzenal, chegada hontem
de Lisboa.
ViigabundoM-Nas proximidades do ho-
tel sito no predio n. 8 do largo do Mercado, 1"
districto do-S. Jos, costuma reunirse urna tro-
ca de vagabundos que, de din, e principalmeu'e
noile, vociferara todo o vocabulorio indecoro-
so oHendendo a moral publica e as familias que
pir alli passam.
Chamamos para o fado a attengo da autorl-
dade policial competente.
Sociedade l.ild-r .ri;i Uoncalve*
Elias -Est convocada para am,inh urna ses-
so extraordinaria dessa associago adra de tra-
tar-se de negocios urgentes.
Realisar-se-ha ao meio dia na sede respectiva.
Cbapelaria Raoliael-Esto estabeleci-
raento, sito ra do Barao da Victoria n 2.
acaba de receber um importante e variadissimo
sorlimento de chapelinas, capolas para senho-
ras e meninas, chapeos variados para homens
e outros artigos de phantasia e de toilette, tu.lo
de bora goslo.
Reeoramendando essa casa aos nossos leitores,
eremos ser-lhes til e agradavel, tanto mais
quanlo alli eneontraro agrado, sinceridade e
baraleza.
Entro os artgos de toilette e pbantasia ha ob
jectos amitos curiosos e niteressantes, proprios
para meninos.
Hecebciloria ftseralAinda boje, apezar
dos trabalhos eleitoraes, ser cobrado sera mul-
ta, o imposto de industrias e prollsses alunen-
tes ao 2o semestre do exercicio de 1889. Passa
do o prasc com odia de hoje, cobrar-seha a di-
vida resultante desse imposto mediante lo 0/0
de multa, que tende ainda a augmentar cora os
15 0/0 e a execuco judicial, seuonver rerais-
bo da parte dos devedores da blenda publica.
(Xrertorla dan uDriw de coner-
cao dow Porto* de PernanbucoReci-
fe, 29 de Agosto de 1889.
Boletim meteorolgico
Horas lis Barmetro a 0 i
6 m. 23"-7 762-24
9 27-7 763-67
12 28'-7 762-66
371. 27-8 761-03
6 26 3 761-72
Tenso
do vapor
17 85:
18,76
19.09]
17.04!
17.96
r:
a
=
83
67
Di
62
71
Temperatura mxima29,00.
Dita miuim.a 23.2o.
Evaporago em 2i horasao sol: 8r.2 ; som
nra: 3".2.
Chuva Sulla.
Direccn do vento : SE com interrupces de
ESE e SSE durante todo o dia.
Caimana durante 2 horas pela manh.
Veiocidade media ao veulo: 2-.13 por se-
urdo.
Nebulosidade media: 0,32.
Boletim do porto
= a
I. M.
P. M.
B. H-
r\ M.
Dia
29 de Agosto
*
30 de Agosto
Horas
i) -'i3 d tarde
(i-il
951 da manh
6-51
Altura
0-30
-1- V.'l
0-,4l
S-,43
operace* cirurRica*-Foram pratica-
das vno hospital Pedro II, no dia 30 de Agosto,
as seguintes:
Pelo Dr. Pontual:
Extirpaco de kisto sebceo da parle lateral
da tace.
Extirpaco de um fibroma do lbulo da orelha
esquerda.
Pelo Dr. Arnobio:
Posthotomia a thermo cauterio, como trafa-
mento de cancros venreos e phimosis inflara-
m atonas.
Cana de DetencoMovlmento aos pre-
sos da Casa de Detcnco do dia 29 de Agosto dt
1889
Existiam 439 ; entraram 13; sahiram 8 ; exis-
tem 444.
A R3.hpr *
Nacionaes 393 ; mulheres 22 ; estrangeiros 28
mulher 1 -Total 444.
Arraigados 412.
Bons 378.
Doentes 29.
Loucos 5.-Total 412.
Movimeuto aa enfermara
Teve baixa :
Salviano Marques Costa :
Teve alta :
Francisco Liberato.
Falleceu :
Manoel Jos Ferreira da Costa (alienado).
Honpltal Pedro II -O movimento deste
astabeleciment de caridade, no dia 28 de Agosto
foi o seguinte:
Entraram 17
Sahiram 22
Fileceram 1
Existen) OH
Foram visitadas a3 respectivas enfermaras
pelos Drs.:
Moscoso s 8 l|, Cysneiro s 9 1|4, Barros So-
brnho s7 1[2, Malaquias s li 1|2, Ponual s
9 3|4, EstevaoCavalcante s8 i\i, Simoes Bar-
bosa s 10 1]4 horas.
O Dr Berardo nao coinpareceu.
Ocirurgio dentista fiurna Pompilio s 8 lr2
horas.
0 pharmaceutico entrn s 8 1(2 da manh e
sabio s 4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrn s 7 l]2
da marina e sabio s 4 horas da tarde.
Lotera do Maranbo Eis o resumo
da 5 serie da 1.' lotera dessa provincia, ex-
trahida em 30 de Agosto de 1889.
PREMIOS
.- 11S 300:000*000
5307 60:000i
2438 j. 12:500*
1857 fc 5:0)t0*
5347 W 5:000
EstSo premiados com 2:3005 os seguintes n-
meros :
2094 3236 6418 7327 7428 8771
Eslo premiados com 1:3005 os seguintes n-
meros :
973 4307 4397 6319 7369 7620 8822
9860 9822 9882
ApproximagOes
6417 2:5003 | 5306 1:300* | 2437 7505
3419 2:5005 | 5308 1:5005 I 2139 7505
Esto premiados com 7305 os seguintes n-
meros :
5411 5412 5413 5414 3115 3ilG 5417
3419 5420
Esto premiado^ cora 5005 os seguintes n-
meros :
5301 5302 5303 5304 33035306 5308 5309 5310
Eslo premiados com 2505 os seguintes n-
meros :
2431 2432 2133 ,2434 2435 2436 2437
i'm 2440
Todos os nmeros terminados em 18 esto
premiados com 2505, excepto o da sarte grande.
Todos os nmeros terminados em 07 esto
premiados cora 2505. excepto o da sorte im-
inediata.
Todos os nmeros terminados era 8 estao pre-
miados com 1255, excepto os terminados em 18
Todos os nmeros terminados em 7 esto pre-
miados com 1255, excepto os terminados em
07.
A seguinte lotera corre no dia 13 de Selembro
do corrente anno.
Lotera do C>ram-ParA 1' parle da
31" lotera, dessa provincia, cujo premio grande
250:0005000, ser extrahida no dia 4 do Setem-
bro.
(raade lotera do llaranho -A 6'
serie da 1 lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 30:o005000 ser extrahida no dia ..
de Agosto.
Cemiterlo Publico -Obituario do dia 29
do corrente.
Quiteria Maria da Concdco, Parahyba, 36 an-
nos. solleira. Boa Vista ; peritoniv. "
Maria da Gloria. Pernambuco, 9 annos, sollei-
ra. Boa-Vista: congesto pulmonar.
Francisco Jos Antonio do Nascimento, Per-
nambuco, 17 annos, solteiro, Grata : coininogflo
cerebral.
Antonio Pereira de Souza. Pernambuco, 69
annos. viuvo. S. Jos ; apoplexia cerebral.
Prisco da Silva, Pernambuco. 22 annos, soltei-
ro, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Maria, Pernambuco, 2 horas, S. Jos ; invia-
bilidade.*
Amia, Permimbuco, 18 mezes, Recife ; contu-
so por queda.
Hita Luisa, Pernambuco, 3 mezes, Santo An-
tonio : inviabiliilade.
Quintuan* Maria da Conceigo. Pernambuco,
36 annos. casado, S. Jos ; erysipcla.
Os peixes leem lastrados sociaes (os qne vivera
em companhia) e al sentimentos de familia.
Sabe e que alguns delles (os epinocoseos que-
ronocetas) construem ninhos em hervas, aseine-
lltaoca dos i issaros ; o macho que o arclii-
lecto desses ninhos leva comida femea, e
qu indo esta tem posto os ovos, os cuida, os vi-
ga e impede aos demais peixes se aproxi
marera delles.
Anda mais: durante os primeiros dias que
que segueaij sabida do ovo, se converte em
guarda dos m.iis pequeos preside s suas evo-
laces e aos seus jogos, e pren le os impruden-
les que se afastam para longe do niiiiio. lia
n'isto urna maoife*taan capaz de fazer crr qne
ha terna solicilude e carinho.
i;onliecemos raui poueu oscostumes dos peixes.
O que se passa no fundo do liquido elemento nao
e enlretaoto desconheddo.
Algomas observaces (citas as margeos de
lagoas de pouca profun lidade e A'aquanot per
miltem crer que ci-rtos peixes nao sao insensi-
veis nina especialidade de carinno mutuo.
Jesse, tendo pescado ura escocea fex.ea. vio o
mallo seguil-os al prximo da bera, e voltar
repetidas veses ao lugar don le lite arrebalaram
a sua corapanheira.
M. Ardeson citou o exem )lo de duas acaituu
cernaos que criava n'ura aquano e que pareciera
quererse muito; lanto assim, qu^ ao dar de
presente ura delles u urna pessoa de sua amisa-
de, o outro se entristecen, recnsou a comida, e
nao tardou a detinhar-se. Ao cabo de tres se-
manas, M. Ardeson, temendo perdel-a trouxe 0
que tinha dado de presente, e, quindo os com-
panheiros tornarara a ver-se, enlabolar.n as
mesmas relaces ioterrompidas e recobraram
sua passada alegra.
Os peixes famiarisam-?e logo cora o hornera
quando este sabe captar a sua conliauca, traan-
do-os bem.
A' llora em que me aproximo do vidro onde
ponho os meus peixiobos rseos no invern,
disse um naturalista, elles j nao l'ogera, pelo
.contrario, se Ibes dou moscas ou gusanos, os
devoram ranilla vista. Mello as raaos n'agua
sera que se assustera. (Juindo esto alegres
se deixara at locar, sem dar sigDi-es de temor
aera desgoslo .
Na costa occidental da Esco sia ha ura deposi
to d"agua salobra. que coramunica por meio de
um canal subterrneo com o mar.
Ha algnns annos visitei essa lagda, refere o
Dr. Franklin. Alguns amigos me acorapanha
ram a precedidos'da mulher do guarda, subi-
mos urna especie de escadaria que conduzia ao
lugar em que estiva a agua.
Anda bem nao nos trabamos apresentado
no alio da escadaria produzio-se urna especie de
revoluro entre os peixes. Vieram at a super-
ficie impellindo-se e atroaellando-se uus aos ou-
tros porlia para chegarem ao lugar on fe se
Ihes dava a comida, tal qual como se fossem
passarinhos ao verem a pessoa cncarregada de
sua alimeolago.
Achavam-nos prvidos de certa quantidade
de mexiihes assados de anterao e separados
das suas conchas. E' um alimento que appete-
ceu mulo os bacalhos e os deraais peixes dessa
laga.
Atirei o repasto aos peixes e pude cerliti-
car-me de que fui bem recebido. Os bacalhos
vinhara arrebatar rao das raaos. Ijuirtirar par
Uido da fomitiandade cora que me tratarara al-
runs de meus novos amigos para agarral-os com
a rao. Fiz varios intentos porm, escaparam
sempre. Comprehendi que preferiam os mexi-
ihes s minbas caricias. Taivez nossa amisade
fosse muito recente para inspirar-Ibes seguran-
ca completa as minhas ntenges.
> De fado, a mulher do guarda apanuou sem
nenhum trabalho um dos mais gordos. Acari-
ciou-o, abri Ihe a bocea e nella raetteu um me-
xilho que o peixe tragou dando mostras de sa-
tisfaco. Depois tornou a polo n'agua .
*
E' do Sr. Joo Nazareno :
AS TITAS TRANCAS
(M F. M. SJ
As las Irangas nesras, perfumadas
Sao como as matiasflrgcns tenebrosas ;
Onde boini era onda preguigosas
Es.quesita8 essencias delicadas.
as suas roscas puras, ondeadas
Habita o olor, o fresco olor das rosas ;
Que enlreabrem as pellas mimosas
A's caricias das brisas namoracas.
*
Feilas de mimos siderios
As tuas trangas sedosas,
Logas, escuras trevosas.
Como as noites hibernaes;
Encerram tanta frescura,
Derramara tantos odores, -
Qu'eu julgo que ellas sao flores
Das veigas celestiaes.
A
O que quero communicar hoje ao Bra
zil, escreveu o Sr. Alfredo Taunay, o
triumpho que acaba Carlos Gomes de co-
lher no grande concert dado pela orches-
trado theatro Scalade MilSo, no palacio do
Trocadro. Imagine-ee anteado mais urna
sala immensa, podendo conter mais de 6,000
fiessoas, parecendo pelas proporcoes singe-
as, apezar da riqueza de ornamentacSo, de
excellente acstica, unindo a elegancia
magestade, o apuro daperfeic^o em todas
minudencias nobreza de correccao das
linhas.
Figure-se agora naquelle salSo do Tro-
cadro a melhoriorchestra do mundo, como
eu ainda nao ouvira ignal nem approxi-
mada, composta de 114 mestres, dosquae
26 primeiros violinos, e ha decomprehen-
der-se o estreraecimento de enthusiasm
que me despertaran) os primeiros comps-
eos da ouvertura do Guarany.
Infelizmente, taivez fossemos nos os
nicos brazileiros naquellas 4,000 ou...
5,000 pessoas, que, affrontando a chuva
torrencial do dia, concorriam ao primeir
concert milanez.
A energa, firmeza, grandeza do es-
tylo, suavidade e delicadeza com qne fo-
ram interpretadas todas as bellezas da-
quella pagina inspirada de Celos Gomes,
passaram a minha espectago.
Deveras o met orgulho nacional ficou
plenamente satisfeito.
O xito foi completo.
Applaudimos com frenesi, fazendo da
maos verdadeiras manoplas ; e perto d
mim havia urna senhora de certa idade,
que exclamou em dous ou tres trechos.
Cest tres bien! Mais c'est superbe !
Nao pudo conter-me mais.
Este compositor Gomes, dissc-lhe eu, e
brazileiro, meu compatriota !
Je vous en fais moa compliment, respon-
deu-me ella, il a beaucoup de talent. Q'est
un maitre !
Tive impetos de abracal-a.
Podemos proclamar bem alto que a
syraphonia do Guarany significa ama gran-
de victoria nesse inmenso Pariz.
Segundo os mais recentes dados, esta
a populagao das cidades de todo o globo
que contam mais de um milhao de habi-
tantes :
De 1882 a 88 De 1800 a 62
Londres 4,084,000 2,803,000
Pars 2,260,000 1,954,000
Pekim 1,050,000
Cantao 1,600,000
P,erlim 1,315,000 525,700
Nova-York 1.206 000 814,000
Vienna 1,104,000 580,000
Pariz pois, a grande cidade onde me-
nor tem sido o augmento da populacao a
contar de 1860.
* *
O Anastacio dcueiu quanto teve
Madeixas dos cabellos s amadas.
Usa agora chine muitos tem,
De cabellos que pede s na inoradas.
Quem d o que tem
A pedir vera.
*
* *
Eduardo Watkin, celebre pelo pr.jecto
de um tunnel no canal da Mancha, oceupa-
se actualmente, diz umufolha estrangeira,
em concluir um projecto gigantesco, do
qual formar parte o referido tunnel. Tra-
ta-se de unir a Inglaterra com a India por
meio ac um caminho de ierro.
A nova linda, partindo de Londres,
aravessaria o canal da Mancha, e, urna
vez no continente, entroncara com as li-
nhas francezas e hespanholas at Gibral-
tar.
D'alli ura navio de enorme lotacSo to-
mara a b >rdo o coraboio e transportal-o-ia
at costa de Marrocos, onde urna l:nha
frrea tra9ada pelo litcoral mediterrneo
ira uto no Egypto e ao golpho prmico, e
d'alli a Kurrahie, centro das linhas do ca-
minho de Ierro que os inglezes pem na*
sua3 possestoes da India.
E' do Sr. Romeo esta poesa :
Amor e lluso
lA' J.....)
Eu amo-a, meu Deus, mas loucura
Declarar-lhe cora franqueza o meu amor,
E este impossivel, oh! desventura
Ale tein feito arrostar tSo cruel dor.
Eu amo-a, meu Dens, mas que martyri
Confessar este amor desventurado !
Sinto cm minh'alma um tal delirio
Que jamis viver posso socegado
Eu amo-a, meu Deus e amo-a tanto,
Como ama Jess a siip, igreja
(ue d'outro puro amor nao tem inveja,
Mas ser este amor tSo casto e santo
Por ella tao gentil bem acolhido ?
Ou acaso vivere sempre Iludido ?
i-
* *
Eis urna questao que causa extranbeza
a todos os que conhecem a influencia que
as grandes mnssas mctallicas em raov-
mento exercem sobre a carga elctrica das
uuvens tempestuosas, e de mais a mais
occorrendo l'requcntemcnte que o raio se
precipita sobre algum desgranado peo,
bastante mal avisado, para procurar sub-
trair-sc a tempestade correndo.
Esta apparente anomala explicase pelo
fdeto de que os rails, sobre os quaes avan-
^am os comboios, em virtude de sua gran-
de superficie de contacto com o solo, per-
mittem a passagem c diftusao da electrici-
dade sem grande difliculdade.
Os comboios veein a ser, portanto, para
os viajantes o mesmo que os para-raios
communs silo para os edificios que os teem.
As partes metallicns salientes do comboto
produzem o effeito das pontos; a armacio
de ferro da machina e os wagons, com os
eixos e as rodas, constituem um poderoso
conductor elctrico; e os railspodem con-*
iderar-se como urna placa de terra de
sonsideravel superficie-
c Apresentando os comboios muitos pon-
tos metallicos salientes, facilitam o des-
prendimento ou a combinacao lenta das
electricidades em tensao.
Assim que se tem podido observal-os
ao passarem por sitios onde a tempestade
se ae8encdeia, lanjando elles o fluido at
ao ponto de irem as rodas enviltas n'uma
aureola luminosa, ao paseo que o trovam
ruge inoffensivo em redor do cemboio.
Esta descarga lenta evita muito a des-
carga brusca e violenta a que chamamos
raio; mas ainda mesmo no caso em que
esta se verifique, a grande secgao dos
conductores metallicos condul-a terra,
sem detrimento do material, nem perigo
para os viajantes.

A directora do Hippodrotno suspendeu por t ,
mezes ao jockey Jos Mendes por falta de res-
peito para com o Juiz de partida na corrida do
dia iii deste raez de Agosto.

Foram multados pelo jujz de partidas na cor-
rida de 25 de Agosto expirante do Hippodromo
em razo de partidas falsas, os jockeys Hinds
Martins Ferreira, Jos Mendes e Camilla Silva *


Diario de PernambucoSabbado 31 de Agosto de 1889
^

m 20*000; e Francisco Marinho. Lote Pe
e Antonio Lui* de Franca cm K'JOOO.
A mulla inigida a tiste ultimo, i pren I
a fado du corrida do ultimo pareo, en que lon-
tou o mesan jockey o cavallo Delegado nao pri-
ma pela jasica, devendo ao em vez ser elle me;
Ihor garantido contra a colligago de que fe i
Tictima, com abuso de sua fraqueza de crianca,
atropello (a raia do animal em que montav.i
pelas forgas colligadas.

O Jockey Club e o Hippodromo Argentino de
Buenos A y res, estoem lula aberta, e tem dado
corridas nos mesmos dias.
A luta promette continuar.

Foram vendidas era Newmaiket, para Buenos-
Ayres, as eguas Sophonisba u Th Har.
*
M. Delamarr. vendeu a M. Goldschmidt, da
Inglaterra, o cavallo Vasistas, vencedor do Grand
Prix de Pariz.

Foi vendido para a America do Sul o animal
Tarn, pelo Roscraarie e Gracious.

Em Ncwmarket foram vendidos dous year-
Ung, ua por Galard e Tabord por 2t>:250i e
utro por Isonomy e Hermita por 31:300* ; e o
yearngs por Isonomy e Katrine, irmao de For-
midable e da couliecida Vanda vencedor dos
dous premios de animaes de dous annos, em
Ascot, foi eomprado por 3.00 > guineos, pelo ca-
pitao Macbell, cm Newmarket.

Ha pnuco a directora do Sport Club, do Rio
e Janeiro, mullou em S04 o jockey JoSo Fer-
nandez, que montando o Cnpdly, cbieoteou o jo-
ckey do cavallo /aire ; em 300* ao jocbey Fiu
za, "quando montando o Galopan, embaracou a
corrida do Cruzeiro ; e prohibi perpetuamente
a entrada no prado ao jockey Gustavo, por ter
desrespeitado o juiz do ensilhamento.
Igualmente a directora do Jockey Club ras-
pendeu por 6 mez<-s aos jockey Stougnell e Vir
gilio, por torea dispuudo irregularmente a vic-
toria de um pareo no mesmo prado.

Os commissarios do Jockey Club de Londres
prohibiram a entrad i no prado de Newmarket
e em todas as sociedades que obedecein ao Jo-
ckey Club, ao jockey Cnarles Wood e ao- m-
traneurs llenry Hdese} R. G. Sherrard aos
quaes retiraran] a licenga de entraineurs.
CHRONICA JDICIARIA
Tribiinal da ReEa?5o
SESS ORDINARIA EM 30 DE AGOSTO
E 1889
PRESIDENCIA DO EXM. SR. COXSELIIEIKO
QUINTIiO DE MIRANDA
Secretario, l)r. Virgilio Coelho
A's horas do costme, presentes os Srs. aes-
mbargadores em numero legal, foi aberta a
esso depois de lula e approvada a acta da an-
tecdeme.
Distribuidos e passados os feitos derara-se
< segrales
JULGAMEXTOS
Recursos elcitoraes
De Floresta-Recrreme lente-coronel Fatu-
lo Seralim de Souza Ferraz, recorridos, Amonio
Goncalves da Silva, Joao Jos de Souza, Amonio
Galdioo de Novaes, Jos Felippe Gomes Jnior,
Manoel Galdino de Novaes, Pedro de Souza e
Oliveira, Francisco Al vea de Carvalho Barros.
Aoreliano Pereira de Souza. Eneas Alves da Luz
Caniaivlle. Jos Cypriano de S, Tlieodoro Lo
pes de Barros e Antonio Lopes de Souza Barros.
eu se provimento aos recursos para se man
dar desalistar os recorridos, decretando-se a
responsabilidad!.' do juiz de direilo bacliarel Al-
cibiades Cavalcaote de Albuquerque, como in
curso as penas dos arts, 29 3o da le eieitoral
e 129 % %' do Cdigo Criminal.
Appellages crimes
De Bom JaritimUecorrente ojuizo. recoiri-
do, bacharel Hercilio Lupercio de 8onz.i. Rela-
tor o Sr. desembargador Alves Ribeiro.Ne-
gou-se provimento uuauimemente.
De AraRecorren te o juizo, recorrido, Ru-
fino Jos da Costa. Relator o Sr. desembargado/
Olivei.-a.An anule.Negou-se provimento, una-ii
memente.
Do Limoeiro-Recorreute o'juzo, recorrido,
Manoel Miguel dos Reis. Relator o Sr. dosem-
bargador Oliveira Andrade.-Neguu-sepro\ men-
t, unnimemente.
Agsravos de peticio
Do ReciteAggravaiiie o Banco Industrial
Mercantil lo Rio de Janeiro, aggravado, Dr. M.i
noel Polycarpo Moreira ile Asevedo. Relator o
Sr. desembargador Mooteiro de Audrade. Adjun-
tos os Srs. desembargadores Toscano Brrelo e
Silva Reg.Nejroa-se provimento unnime-
mente.
Do Recife-Aggravante Joaquim Cavalcante
de Albuquerque, aggravado. Antonio Luiz dos
Santos. Relator o Sr. desembargador Silva Reg.
Adjuntos os Srs. desembargadores Pires Fer-
reira e Alves Ribeiro. Nao se lomou couheci-
mento do aggravo, unnimemente.
Aggravo de instrumento
" De NazarethAggravante Dr. Francisco Gou-
veia de Andrade Lima, aggravado Joao Dias da
Cunha Coulinho. Relator o Sr desembargor
Toscano Brrelo.. Adjunlos os Srs. deserabar-
gadorea MIvaRego e Pires Ferreira. Negou-se
provimento, unnimemente.
Appellages crimes
De OndaAppellante Antonih Francisco do
Nascimento. appellada, a jnstiga. Relator o Sr.
desembargador Tavares de Vasconcellos..Con-
tirmou-se a sentenca, unanimcmenle.
Q! la EscadaAppellantes o juizo e o promotor
publico, appellado Jos, da Rocha Guedes Rela-
tor o Sr. desembargador Pires FerreiraMan-
dou-se a novo jury, unnimemente.
Da ImperatrizAppellante o juizo, appellado
Antonio Ribeiro da Silva. Relator o Sr. desem-
bargador Delfino CavalcanteMandou-se a novo
jury, unnimemente.
De Gamdleira -Appellante Francisco Jos Al-
ves de Lyra, appellada a justiga. Relator o Sr.
desembargador Pires FerreiraNao se tomou
conhecimento da appellacao. unnimemente.
Do CaboAppellante Heliodoro Baptista do
Rosario, appellada a justiga. Relator o Sr. des-
sembargador Monteiro de Andrade-Conlirmou-
se a sentenca, unnimemente.
De GaranhunsAppellante o juizo. appellado
Caetano Bbeiro da Silva. Relator o Sr. desem-
bargador Monteiro de AndradeMandou-se a no-
vo jury, unnimemente.
Da Princeza'-Appellante Antonio Alves dos
Santos, appelladc. a justica.
W8TRIDUigoES
Recursos crimes
Ao Sr. desembargailor Pires Ferreira :
Do BrejoRecorrente o juico, recorrido Anto-
nio Pereira da Silva.
Ao Sr. desembargador Delfino Cavalcante :
Do Pianc -Recrreme o juizo, recorrido Ar-
celino Barbosa do Nascimento.
Appellages crimes
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andra-
de :
De IngazeiraAppellante o juizo, appellados
Joaquim Baptista de Lima e Manoel Raptista de
Lima.
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
De Quebrangulo-Appellante o juizo, appella-
dos Juvencio das Chajias Leite e outro.
Ao Sr. desembargador Tavares de Vascon-
celos :
Da Princeza Appellante o juizo, appellados
Vicente Nogueira de Carvalho e outro.
Ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
De S. JoaoAppellante o juizo, appellados
Manoel Pinto e Josepha Mara ia Conceigao.
Encerrou-se a sesso a 11/2 horas da tarde.
JURISPRUDENCIA
%--------------------------------------------------------------------
Jurisprudencia
O juizo dos feitos da fa-
zenda nao tem competencia
para os inventarios em que
os lierdeiros sao necessarios
e sujeitos ao imposo de 1,2
por cento, ainda que nao te-
nham sido iniciados; dentro
de tnnla dias contados do
fallecimento dos testados ou
intestados.
PASSAGEN'8
Do Sr. desembargador Delino Cavalcante ao
Sr. desembargador Pires Ferreira :
Appellaco crime
VJDe PiancAppelldiite o juizo, appellado Ale-
xandrino Jos dos Santos.
Appellaco civel
De PalmarenAppellante D. Mara Joaquina
de Jesns, appellado Alfredo Alves ia Silva.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monleiro de Andrade :
Appellacao civel
Do Recife-Appellante Joo Gualberto de An-
drane Lima, appellado Joo Goncalves de Souza
Beiro.
Do Sr. desembarcador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Appellacao crime
f^e Barreiros-Appellante Manoel Lourengo da
Sva, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Pires Goncalves ao Sr.
desembargador Alves Ribeiro :
Embargos infringentes
Do RecifeEmbargante D. Ignacia Francisca
da Conceico Patricia, embargado Antonio Jos
Candido de Souza.
O Sr. desembargador Pires Goncalves como
procurador da coma den parecer na
Appellaco commercial
Da EscadaAppellanie Mana Angela de
Moraes Faleo, appellados Domingas Larouca
& C.
Do Sr. desembargador Oliveira Andrade ao
Sr. desembargador Silva Reg :
Appellaco (-rime
Do RecifeAppellante o juizo, appellados An
tonio Mathias do Nascimento e outros.
DILIGENCIA
Com vista ao Sr. desembargador promotor di
justica:
AppellacCes crimes
Da ParahybaAppellanie o juizo, appellaco
Manoel Ferreira Callado.
TRIBCNAL DA RELACAO
Conflicto de jurisdiego entro os juizes de direi-
lo de orphaos e dos feitos da fazenda desta ca-
pital.
Parecer do procurador da cora
Nao tem razao o Dr. juiz dos feitos da fazen-
da, considerando-se compleme para o inventa-
rio de que se trata.
O dee. n. 156 le 28 de Abril de 1842, bem co
mo. alm de outros, o de 4 de Juoho de 184o,
foi expedido para a arrecadago da ti xa de he-
rangas e legados, imposto vulgarmente conheci-
do sob a donominago de decima, e que, Ira-
do sido creado por lei geral, passou. por lei ge-
ral, a fazer parte das lendas provinciaes, sendo
a sua cobrangaou arrecadagao conforme os res-
pectivos regulamentos ; e do que se traa de
urna lieranca ,-ujos lierdeiros esto sujeitos ape-
nas ao imposto de 1/1 ",, imposto que foi crea
do por lei da assembla legislativo provincial.
O reaulamento provincial de 23 de Julho de
1874 (em vigor), expedido nao s para a arreca-
dagao da laxa, propriamenle dita, de herangas
e legados, como do citado imposto de 1.2 "/. se
bem que considerasse ambos os impostos sob a
denominago delaxa de herangas e legados ,
os distingui de alguma forma, cstabelecendo a
reapeito de um c de ou'.ro disposiges diversas.
Tratando da tasa, diz o raesmo regulamenlo
provincial que nos inventarios, em quefor devi-
do esse imposto, assistir o procurador fiscal ou
seus ajudantes por parte da fazenda, seja qual
for o juizo em que lenliam de ser feitos, consi-
derada a fazenda como herdeira (art. 20): que a
avaliago dosbens ser feita com inlervengao de
louvado por parte da fazenda (nrd. liv. 33 til. 47.
dec. n. 2,708 de 18(50 art. 101 temi se em vista
.. (art. 22i: que, se passados Irinta dias con-
tados do fallecimento do testado ou intestado, o
inventario nao livor sido iniciado em qualquer
dos juhos, que para elle tenha competencia na
conformidade da lei vigente, o procurador fiscal
obrigar os teslamenleiros, administradores e
cabegas de casal a fazel o no juizo dos feitos
da fazenda, deconlbrmidade com o disposlo no
mesmo regulamenlo, podendo, para raaior ga-
ranta do direilo da fazenda, requerer o seques
tro, nos casos em que a lei o permute (art. 38).
Tratando do irapo.-to de l i u, diz, no art. 53,
que nos inventarios em que houver lierdeiros
necessarios, sujeitos ao pagamento de 1 2 00. no
necessaria a assisiencia do procurador fiscal e
de seus ajudantes (art. 21 da lei provincial n.
1,141), observando-se o que est disposto...
nos s' do mesmo artigo, a saber, que, quando
forem feitos, quer judicial, quer amigavclmente,
se deduzr o imposto pelo valor que for dado
ao; bens, (cando obrigado ao pagamento o tes
tamenteiro ou inventarame, que o efectuara a
far constar por meio de conhecimento. para
que possa ser homologado por sentenga i Io);
que ($1 2o; se constar, porin, ao procurador
liscal ou seus ajudantes que as avaliages ?o
por tal modo, que importen) lcsao fazenda,
podero requerer o que convier aos interesses
da raesma.....; que t 5o) quando no lentia
sido dado comego ao inventario no praso de 30
dias, em qualquer dos juizos para elle compe-
tentes, o procurador liscal ou seus ajudantes re-
querero ao juiz competente a notilicSgo do
testamntelo, inventariante ou cabega de casal
para a desiripgo dos bens cun os respectivos
valores, sendo de cuforraidade com estes, sal-
va a disposigo do 5 2% deduzido c pago o res-
pectivo imposte .
Assim :
1\ Nos casos em que devida a taxa propria-
meute de herangas e legados, indispensavel o
inventario judicial, entra nelle um louvado por
parle da Kazenda e assisle o procurador fiscal
ou seus ajudantes, sendo a Fazenda considerada
como herdeira ; e si o inventario nao ini
ciado no juizo competente dentro de trinla das
contados do fallecimento do testado ou intesta-
do, o procurador fiscal obrigar a que seja feito
no juizo des feitos (no juizo dos feitos, diz o Re
gulamento crpressamentej.
2o. Nos casos em que devido o imposto de
1 2 "',. a Fazenda no considerada como her-
deira, pode o inventario ser amigavel, sempre
que a lei isso perm'llir; nao entra no inventa-
rio um louvado por parte da Fazenda, no agis-
te o procurador liscal ou seus ajudantes, e si o
inventario nao iniciado dentro dos tnnla dias,
o que cabe ao procurador fiscal requerer ao
juiz competente, ou seja o de orphos ou o da
provedona. ou do civel, quelle que for compe-
tente, a notificago do testamenleiro. inventari
aute ou cabega de casal para a descrpgo dos
bens com os resp. divos valores, sendo de con-
formidade cem ea es deduzido e pago o imposto
(salva a disposigo do 2o).
O Regulamenlo Provincial citado no pode of-
ferecer duvida ; e conforme se tem entendido
geralmente, e nao pode deixar de ser, e juizo
dos feitos da fazenda no tem competencia para
os invenanos em rpje devido o imposto de 12
7, embora no l.enMrn sido iniciado* dentro
dos Irinta dids ; e ueste sentido o superior tri-
bunal j decidi em um aggravo, em que foi ag-
gravante o procurador fiscal dos feitos da fazen-
da provincial, sen Jo aggravado o juizo de or-
phaos (ou o da provedoria) desta capital.
Para o inventario, po3. sobre que versa o
conflicto, a competencia do juiz de orphos.
E'esle o meu parecer, e o superior U"-
decidir como adiar de direilo.
Recife, 9 de Agosto de 1889.
O procurador da cora.
Piles Goncalves.
do cora
e intesti
IMDICAflJES DTEIS
Mdicos
Dr. Castro Jess medico e 'operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 a
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
andar. Telephone n. 380
Dr. Joaquim Louteiro medico e partei-
ro, consultorio na do Cabug u. 14,
1. andar de 12 as 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia as 3 horas no 1.' andar da casa
ra do Bardo da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden
dar a ra Duque de Caxias n. 46, 1. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o sen
escriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 51, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do trataraento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
Dr. Altares Guimaraes, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias
cao, pulm3es, ligado, estomago
nos e tambem s affeccSes das enancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na na do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. *45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (P050 da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manlia e
tarde. Telcshone n. 392
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio na ra Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diante ra Barao
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de crianga senhoras e parto.
Telephone n. 32d, da casa de residencia.
oculista
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clinica do Pars e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio o resi-
dencia na Larga do Rosario o. 20-
Advogados
O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.- andar.
tilcp.:ra, advogado. Escriptorio ra
do Imperador n. 69.
J. A. de Magalh&es Bastos. Duque de
Caxia3 n. 66, 1. andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocacia, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1.a
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro PorteUa contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ova ra da
Matriz d Boa-Vista). Telephone n. 3QBf
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva &C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
oas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas c por prefos sem dom-
petenciaPernamb uco.
das os ideas, mesmo as raais arrojadas politica-
mente fallando, sao publicamente expostas ?...
S urna liberdade cerceiada tica quando a si-
tuaco dominante a conservadora liberdade
da mnarchia, a livremanifestagao dos intuitos tur-
bulentos da garotada.
0 progresso sem a ordem o fumo que se
evola se nao est contido n'um aposento herm-
ticamente fechado, a bolfia de sabo que a
qualquer pressfio exterior, desapparece comple-
tamente ; o gaz que se inflamma !...
A
O que deven os, pois, fazer ?
Concorrer para a victoria do partido conser-
vador que representa a conquista das nossas as-
piragoes, levando de vencida em sua marcha
triumphai o cadver pestilencial da desordera
caracterstica do actual governo, derribar a se-
rie de revoltantes e desarrnzoadas pretenges
que arrastaro esso paiz ao aniquilamento com
pelo!...
Certos de que os espiritos cultos e os coragoes
honrados nao deixaro de attender ao estado
em que se acha o paiz e a que irremissivelmen-
te licar reduzido se continuar a dirigir-lhe os
destinos o partido liberal, nos esperamos con-
dados na victoria dos candidatos apresentado3
Lj>do partido conservador.
Para os noraes segrales devero convergir os
votos dos verdadeiros patriotas:
1." dlricto
Conselheiro Manoel do Nascimento Machado Por-
teUa.
2 > astricto
Dr. Jos Nicolao Tolenlino de Carvalho.
3.* distrteto
Dr. Felippe de Figueira Faria.
4. districto
Dr. Joo Juvencio Ferreira d'Agiar.
5. districto
Dr. Gaspar de Drummond.
6'. distrteto
Raro de Suassuna.
7. cistrictu
Dr. Jos Vicente Meira de Vascoucellos.
6.* districto
Raro de Granito.
9." districto
Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado.
10.a districto
Conselheiro Francisco de Assis Rosa e Silva.
11 districto
Barita de Lucena.
12." districto
Conselheiro Antonio Gongalves Ferreira.
13. districto
Dr. Jos Moreira Alves da Silva.
PIBLICMJOES A PEDIDO
COMMNICADOS
uibunal
Acordo
Acordo cm relago, etc.
Que. vistos, expostos e discutidos estes autos,
procede o conflicto suscitado pelo juiz de or-
phos desta capital com o dos feiior da fazenda
provincial, para o liin de declarar, como se de-
clara, competente o juiz de orphos para fazer
o inventario do finado Joo Mana de Albuquer-
que Oliveira, em vista do exposto pelo desem
bargader procurador da corda em o parecer a fl.;
porquanto, segundo precella o art. 35 doregu-
lamento provincial de 23 de Julho de 1874 tra-
tando-se do impo-to de l|2|nos inventarios
c-m que houver herdeiros necessarios, s incum-
be ao procurador fiscal, irados os 30 dias, de
pois do fallecimento, sem se ter feito o inven-
tario, requerel-o no juizo competente ( e no no
dos feit03), para ser a fazenda embolsada do re-
ferido imposto.
Recife, 13 de Agosto de 1889.Oumfi'no de
Miranda, presidente.Totcanf Brrelo.Delfino
Ccralcante.PireiiFtrreira.
O da de hoje
Hoje a nagao brazileira chamada a decid-
dos seus destinos.
Nunca seraelhante prelio assumio proporgOei
to gigantescas, nem se revestio de tanta solera
nidade e de tanta importancia.
E' que perante o actual estado de cousa:,
diante da vertiginosidade cora que caininha)
paiz para um desmoronamiento radical, quanib
todos os elementos de desordem e de anarch
se congregam para torcer a marcha ascencioml
e eminentemente ordeira do Brazil e quando w
altar da dignidade humana os caracteres impo-
lutos jurun defender a todo transe os uliinus
despojos da justiga, da verdade e do direito cor
spurcados, nos, todos aquellos que se sentep
possuidos de pezar e de magoa, devemos opptr
um dique acs desmandos da siluago e suraga"
as candidaturas conservadoras.
Todo o estado, regularmente constituido, i
possuindo funeges proprias basea-se era dous
principios que a ignorancia dos falsos politice
considera como oppostos, porm que, na rea
lidade, se completara e mutuamente se au
xiliam para a conquista do ideal dos povos >
felicidade e a civilsago.
A ordera e o progresso sao os lemnias das ag
gremiages politico-sociaes.
O primeiro sem o segundo o despolism,
o ultimo sem o primeiro a anarchia; mas
ambos conduzem um paiz prosperidade.
O partido conservador a ordem a que se ve submetter o progresso, porque este o des-
envolviraento d'aquella.
Se a submisso, o respeito, a obediencia f-
talidade do governo era cujas raaos se concen-
tra a autoridade urna verdade incontesle, deve-
mos pugnar para que nenhuma reforma se fa;a
que no esteja enraizado no espirito publicae
que no seja resultante das condiges meso.opi-
cas a que se subordinam todas as concepgs
sociaes.
O partido conservador i3to; representao
predominio do passado sobre o presente (per-
qu este o resultado daquelle); a garanta cfcs
iiberdades publicas cima dos interesses indivi-
duaos ; o respeito vontade nacional manifesb-
a poderosamente e em lempos diversos ; a a>
bordinago de qualquer plano reformador, Je
qualquer mutago polilico-social s condigifcs
sob o imperio das quaes, n'um oado momcito
histrico, um Estado, como forga, como agerte,
desenvolve-se e amplia os orgos pelos qnjes
raanifesta objectivamente as suas precises.
Nao ha, portanto, razao em aquelles, que, er-
rneamente, declaram ser o generoso e nob'e
partido conservador a forga que se oppe, qje
restringe o espago, impede as reformas e cercila
a liberdade.
Engao pronunciado !...
Falsa theorial... ^
Que reformas ha sidJBpraticadas no Brazil,
as quaes o partido cons^ador no represente
o principal papel e que por elle nao sejam f-
tas?
Que Iiberdades so cerceiadas por esse pari-
do, quando publico que sob o sen governo -
6." districto
Sao precisas paciencia e resignago evang-
licas para supportar os insultos a mim assacados
pelo honrado Sr. Baro de Suassuna I
J nlo admiro o que, de alguns dias para c,
(.ni esse Ilustre lidalgo mandado publicar ano-
nymamente.
Pasmo ante a sua coragem fazendo com sua
assignatura taes asseverages.
E' por deinais rcvoltante !
Amanh decidr-se-ha o pleito, e, eleito ou
derrotado, hei de confundil-o provando sacie-
dade, com o teslemunho dos inais conspicuos
innservadores das diversas localidades que cons-
lituem o 6." districto que S. Exc. afastou-se
(onipletamcnte da verdade, attribuindo a mim
tactos que somente S. Exc. seria capaz de pra-
car.
Comegam a cahir por trra, em vista das con-
tradieges as allirniativas dos conservadores e
republicanos.
O Xorle allirmou que para a Escada tinha ido
recentemente um destacamento de 40 pragas,
d'onde se conclua que esse contingente alli es-
lava alm do antigo destacamento.
Posteriormente disse que o destacamento alli
existente, compunha-se desse numero (portanto
D velko e o novo reunidos).
Hoje, com sua assignatura e em outro artigo
anonymo, assevera o Sr. Baro de Suassuna que
b destacamento compe-se de 30 pragas.
Quem respelta a verdade o Norte ou o Sr. Ba-
ro ?
Nem um nem outro : o destacamento de toda
.comarca da Escada e todos os quatro districtos
e paz. compOe-se apenas de 27 pragas que de
certo nao so sullicientes para lo vasto c popu-
loso territorio.
Provem me o contrario, se for eleito como es-
pero, resignarei a cadeira, como farei se algum
de reputago firmada, de Bezerros, Grvala, Vic-
toria ou Escada. aflirmar sob palavra de honra
que eu ou alguein que me represente lenho em
pregado para minha victoria a coaegio, o insulto
a ameaga, a corrupgo ou qualquer outro meio
menos justo menos digno.
Eu appcllo em bezerros para o chefe, o Sr. es-
crivo ue orphos Dr. Vieira de Mello, professor
Xavier Ribeiro e deraals conservadores de pres-
tigio ; era Gravat para o Sr. Dud, na Victoria
para o Sr. Dr. Jos Bezerra e Jos Xavier, e na
Escada para o Sr. Dr. Aquilino Porto, todos con-
servadores e procuradores do meu Ilustre com-
petidor.
Venham imprensa, confundam-rae, esma-
guem-me, se pooerem.
Que homens, Sanio Dcus f
A que leva a gana, a ambiguo I
No quereria jamis ser deputado se para con-
seguil-0 fosse necessario descer tanto.
E entretanto diz-se que eu sou homem cober-
to de crime3, o mais dfeituoso dos vvenles,
cheio de lepra e indigno e elles uns santos va-
res.
Deus os conserve assim e lance sobre mim
um raio de sua bondade para que eu melhore
raa3, por misericordia, afasle-me delles, que os
mos no se devem confundir :om os bons.
Pego islo como o mais humilde dos seres. E
licarei satisfeilo e dar-me-hei por bem pago das
injurias contra mim atiradas.
Eu perdo ao meu Ilustre competidor. Elle
no est reflectindo muito bem.
Cega-o o desejo de conlinuar a prestar ao paiz,
especialmente ao 6- districto, os assignalados
servigos que todos recenhecem, e abysmar o
mundo com o seu verbo radiante flavi movomo.
Deus se compadega do illostre e benemrito
cidado que se chamou Henrique Marques!
Entre Rombos e Victoria, no trem da linha
Caruar. 30 de Agosto de 1889.
Jos Mara.
de
Ao
eleilorado conservador
do 7. districto
E' hoje o dia da grande batalha que se vai fe-
rir nesse districto entre o candidato do governo
e os da opposieSo, um dos quaes o Dr. Jos Vi-
cente Meira de Vasconcellos, pernambucano dis-
tinctissirao pelos seus talentos e pelo seu carc-
ter selecto e que a tao elevados dotes rene urna
f de officio honrosissima, como poltico, pelos
assignalados servigos de imprensa e de tnbuna
prestados causa de seu partido.
Conservadores do 1" districto, esquecei as vos-
sas maguas, recalcai no peito os vossos desgos-
tos, uni-vos, arregimenlai-vos e marchai s ur-
nas, fortes pela consciencia de que ides cum-
pnr um dever de patriotismo para suffragar o
norae syrapathico do nr. Meira de Vasconcellos,
em quera tereis um representante digno de vos
e da briosa provincia que tanto estremecis.
No dia de hoje submetterdes ao adversario, que
corrompe as consciencias pelo dinheiro e pela
derrama dos empregos, creados, custa do voso
suor para ter indigeslao de votos, uro crime e
recolherdes vos a indifferenga. deixando que o
iniraigo vos tome commodamente todos os postos,
um crime maior anda.
A's urnas, eleitores conservadores Nao ab-
diquis o mais sagrado dos vossos direitos de
cidad2os de um paiz livre,
Recife, 31 de Agosto de 1883.
Muitos eleitores.
|Ao publico
Chamamos a attengo do publico para o caso
que passo a relatar, pois, vem patentear o revol-
tante e infame procedmento de urna mulher,
que, abusando da considerago do seu sexo, no
trepida em praticar miserias de ordem seme-
loante.
A' primeira vista deve parecer incrivel que
senlimentos tao baixos vo encontrar abrigo em
coragoes to clicios de virtudes, porm neces-
sario que se diga a verdade. Nao sao todas,
preciso reconhecer-se, eAttender que no ha re-
ara sera excepgo, e assim como em todas, as
classes sociaes existem bons e maus, nao para
estranhar que do mesmo modo se verilique com
essa classe que at hoje tem merecido a nossa
attengo e respeito.
E' laslimavel! Urna tal mulher merece a
co'.dsmnago da sociedade, deve &er olhada com
desprezo e a sua presenga deve causar nojo.
Eis o fado :
Constou-nos que a joven actriz Francisca de
Britto que trabalhava ltimamente na companhia
da qual directora a Sra. Helena Balsemo, fra
victima de urna cilada armada por esta com a
maior perfeigo estratgica de que se pode pre-
valecer o larapio mais audaz.
A insistencias da dita Sra. BalsemSo entrara
a jovem actriz para trabalhar em sua companhia.
Mal pensava esta que, falta da experiencia mun-
dana, tirilla de cahir traigoeiramente cm um lago
tao bem armado.
Contractada e sob um ajuste trabalhava j por
muito tmpo sem nada receber, quando a Sra.
Halsemo falia-lhe de novo (com certeza para
melhor assegurar o bom xito a seu plano de
gatunagem) prometiendo melhor salisfazer-lhe,
augmentando a sua gratifleago, e pedindo-lhe
desculpas de no j ter sido satisfeila na quan-
tia a que tinha jus.
Esta de mostr / Que cynismo !
Continuemos pois.
Mais tarde depois de alguns dias, para ani-
mal-a (e nao ser frustado o seu gigantesco plano)
prometteulhe um beneficio, o qual realisou se
na noite de 21 do corrente (sabbado). J de
posse a victima da quantia de 128000 recebida
do dito beneficio, anda novos e astuciosos meios
foram empregados para fazer chegar a quantia
supra s mos da sempre decantada Balsemo
Ella, coitada, inexperientc e de muito boa f
fez entrega do dinheiro, que disseram lne ser
para prestago d>. contas e averiguago do ren-
dimenlo, sendo isto attestado mais larde porum
documento do proprio punho da Sra Helena
Balsemo o qual se acha em nosso poder, no
deixando de serem transcriptas as partes princ-
paes em que devemos tocar no correr da nossa
aecusago.
Decrrerara alguns dias e nenhuma satisfago
houvera sido dada beneficiada, a nao ser a
carta de que j filiamos, que procurava haver
da nossa cliente algura dinheiro que dias depois
do espectculo sahira a receber, e que j por
desconfianga esta no consentir mais entregar
tal Balsemo.
Eis o documento :
Minha araiguinha Nao se trata de descon
lianga nem da minha parte, nem da sua. s o
que extranhei foi hontera o Reis vir dizer-me
que Francisquinha tinha recebido o dinneiro. e
que o guardava sem vir fallarme, quando ella
deve saber que primeiro que ludo se pagara as
despezas cuja nota envo. (On Senhor Deus,
esta creatura nao tem consciencia Ladroeira,
exorbitancia, e cara dura )
E continuando : O Reis ir buscal a quan-
do forem 4 horas, e ella vira para fazermos as
contas.
(Nada mais interessante !)
Assignada.Helena.
Nao alteramos, sao palavras textuaes e quem
duvidar pode procurar certificarse da verdade
na typograpliia d'A Provincia, onde deixaremos
o referido documento.
Quanto nota das despezas, est em nosso
poder, e so um desearamento sem qualilicativo
era capaz de tanto.
Melhor ser apunhalar as estradas.
Eis o que chamamos ara monstro femenino !
Agora mesmo acabamos de saber que nao
esta"a primeira esperteza, que esta mulher hypo-
crita tem praticado.
Seraelhante procedmento rcvoltante e digno
da maior c-nsura : e um ente que desmente o
papel que Ihe fra destinado representar no seio
dos seus scmelhantes, merece a nossa condem-
naco e desprezo ; devemos tcl-o por um ente
abjeclo.
A mulher que nao sabe prezar o seu carcter
digna de ser atirada 'ao lodagal immundo da
mais baixa carnada social, digna de ser es-
quecida por todos para sempre ; ainda mesmo
aquella que deixa-se levar pelos engaos da
vida e as riquezas do mundo.
O nosso nico intento levar ao conhecimento
do publico nao s pernambucano, mas do pu
bltco em geral esta infamia para que se previna
contra a Sra. Helena Balsemo, que nao impor-
ta-sede prostituir at mesmo o mais sagrado
sentiraento o sentimento da honra
Prevenimos dita senliora que a nossa posi-
go Mime e inabalavel emquanto no se der
cumprimento ao pagamento no s do benificio,
como tambem dos 2 mezes de trabalho.
Esperaremos.
Os amantes dajustira.
P. S.Alem deste documento existem outros
que estamos promplos a publicar, e melhor com-
provaro o nosso exposto. A carta transcripta
dirigida irm da victima.
Eleicao do 9o districto
Tenho at hoje guardado silencio sobre as
oceurrencias eleitoraes do 9* districto, embora
muito tivesse a dizer, porque entenda ser intil
reclamar qualquer garanta.
Recebendo porm agora de Canhotinho a car-
ta infra. julguei que devia dar lhe publicidade,
nao s atn de que o publico veja como se pro-
cura vencer a eleigo por toda a parte, como
para satisfazer ao pedido do amigo que me es-
creve para protestar e reclamar providencias ao
Exm. Sr. presidente da provincia, embora dessa
pubcagao no espere resultado algura.
Resigoem-se, pois, os meus amigos ao que hou-
ver, certos de que no os abandonarei e em
tempo ajustarei contas pelos meios legaes com
os que concorrerem para as violencias ou cri-
mes de que forem victimas.
Recife, 30 de Agosto de 1889.
Jos Bernardo G. Alcoforado Jnior.
Serinhaem, 22 de Agosto
de 1889
Illms. Srs. redactores do Diario de Pernam
buco.No tenho at hoje podido dar-lhe not
cas do velho Serinhaem por falta de assumpto.
A no ser a reunio da Cmara Municipal no dia
12 do corrente, de que mais tarde lhe fallarei
minuciosamente, nada por aqui tem occorrido
que merega menguo. Vv. Ss porm, e o publi-
co em geral se adrairaro do que se passou na
celebre reunio, cm qne se deram cousas do
arco da velha e que somente esta situago seria
capaz de praticar I !
Aqui esleve, pois, correado o districto eieitoral
o candidato lineral, Dr.-Ulysses Vianna. J se
v foi elle recebido pelos correligionarios com
abragos, foguetes, grande acompanhamcnlo de
distincios cavalheiros, iodos montados em bo-
nitos coreis. Pouco se demorando na casa da
recepgao, por ter de seguir para Santo Amaro, e
de l para aqui, e daqui para Ipojuca, mesmo por
que o eleilorado desta villa, j tinha a pedido
dos amigos liberaos offerecido seus votos.
O orgulheso candidato poz-se em marcha 1
tongeado pela declarago do delegado repu
blicano, de que elle tena indigeslo de votos.
Na sahida para montar, com os amigos houve
abragos, despedidas e promessas feitas sob pa-
lavra de honra, etc. etc.
Eis as promessas :
1.' Fazer do termo de Serinhaem comarca es-
pecial ;
2. Crear urna collectona geral, urna estago
telegraphica, urna cmara especial independen-
te da da capital, um bispado se lhe fosse possi-
vel, urna estrada de ferro da Escada Barra de
Serinhaem :
3. Conceder os 10 ensenhos centraes juros
de 10 / para fovorecer a lavoura e aos ami-
gos ;
4. Dar empregos de estrada de ferro quantos
fossem precisos aos eleitores, inclusive ao elei-
tor Paugareve, que ser chefe do prolonga-
vaeQlo ; _
5.t Fazer dous bares um de S. Braz e outro
de Rosario ;
6. Crear 3 caderas de instruego superior,
urna de francez, outra de inglez e outra de alle-
mao, para funecionarem no convento de S. Fran-
cisco sob a directora da raesma escola, frei
Barbadinho ;
7. Conceder um privilegio a o capitao Jos
Theotonio para fazer casainentos a SOO, um dito
ao capito Capa-Bode, por 10 annos, para fazer
caridade s raparigas honestas do neceo do Li-
vramento ;
8. Estabelecer na parte terrea do convento
de S. Francisco um ncleo agrcola em protec-
go lavoura ;
9.- Quando for deputado acabar com essa eor-
poragao de mo-morta distribuindo os predio
com os amigos cabendo o engenho Ubaca, do
frades, ao actual administrador Domiiiguinbos.
0 syrapethico candidato que na volta, antes da
eleigo, traria para distribuir com os amigos
com as familias delles bentinhos, breves, e r-
zanos, curdas, vernicas, registros e reliquias,
como j tinha feito em Caruar, quando preten-
deu ser deputado pelo 10 districto.
Serinhaem, 22 de Agosto de 1889.
Chico Lele.
Canhotinho, 28 de Agosto
de 1889
Comegam a realisar-se as violencias que re-
ceiavaraos e eram de esperar desde que foi no-
mearlo chefe desta estago e delegado de polica
o celebre Clemenlino, que tanto se distingu
as desordens de S. Bento em 1883, e o no
menos celebre Chico Doudo commandante do
destacamento, o qual foi, como sabe, demittido
pelos proprios liberaes bem da moralidad
publica por ter quebrado a urna da eleicao
daquella villa.
Apezar deachar-se doente o nosso amigo al-
feres Francisco Ignacio de Paiva, foi a sua casa
ameagada de cerco pelo delegado que quera
tomar os ttulos de eleitores e outros papis
existentes em seu poder, nao hivendo um con-
flicto serio pela prudencia desse amigo, feto
deu-se depois da chegada em trem expresso do
engenheiro Lustosa com grande comitiva e jun-
tamente com o engenheiro Piolo Ribeiro, amea-
gando cos e trra !
O padre Assis tambem aqui est conspiran-
do ..
Dizcm que ha planos tenebrosos, o que nao
de admirar desde que se achara encarregados
da conquista desta localidade noraens como Cle-
menlino e Chico Doudo.
Querem por forga vencer aqui a eleigo, onde
sempre tivemos e temos maioria. e receiaraos
que alguma cousa acontega, principalmente ao
nosso amigo Paiva, que o alvo de lodos os
odios pelo grande crime de exercer grande in-
fluencia poltica.
Em Lagdo, onde tambem contamos maioria,
os planos sao igualmente tenebrosos, e recela-
se, como aqui, serias desordens.
E' bom protestar pela imprensa e pedir pro-
videncias ao presidente, fazendo responsaveis
pelo que succeder, as pessoas que icam men-
cionadas e a Candido Severo cohid chefe polti-
co desla localidade. Nao tenho tempo para
mais.
Adeus, ele.
A o eleitorado do 2." districto
Cidado:
A repblica a mais legitima das aspirages
polticas de um povo. Chegado a um certo grao
de desenvclvimento nada mais natural do que
querer substituir o privilegio de urua familia, o
accaso do nascimento, a irresponsabilidade de
um poder perpetuo, pela adrainistrago tem-
poraria e responsavel de quem por suas virtu-
des, seu carcter e seus servigos puder conse-
guir o maior numero de votos de seus concida-
dos.
Por isso. e porque despertando de um lorpqr
de meio seculo a nago reconhece que a insti-
tuico monarchica no Brazil. avassalando os ca-
racteres mais altivos, tem sidqf a causa motora
de nosso atrazo, a idea republicana correndo de
sul a norte cresce, engrossa e se avoluma com
maior rapidez do que cresteu e fructificou a
idea abolicionista.
E' triste, re.lmente, o estado da patria. Rei-
na a anarchia e a mais complela desorientago
poltica. Na administracao, a centralisago su-
gando o ullimo alent s provincias desvalidas;
era poltica, o filhotisnio. a falla de ideas, a bas-
tarda dos caracteres ; em religio, a hypocrsia
substituindo a crenga ; em (nangas o dficit, a
miseria actual tendo como perspectiva a bancar-
rota futura !
Apresentado candidato pelo Directorio do Par-
tido Republicano, sem ler solicitado to grande
honra e sem nunca ter pensado mesmo em pre-
tender um lugar na representagao de meu paiz,
julguei do meu dever no recusar-me, porque,
convencido da superiondade da forma republi-
cana sobre outra qualquer para o governo dos
povos, e vendo o movimento favoravel que se
desperta co paiz em favor d'ella, entendo qne o
partido republicano deve organisar-se e prepa-
rarse para que o seu advento, tal vez prximo,
ao poder, no nos encontr desprevenidos e mal
preparados.
Amigo da ordem e tranquilidade publica, bo-
mem da paz e do trabalho, no posso desejar
urna mudanga rpida e violenta ; mas sira qne
ella se faga pela evolugo natural das ideas e d06
acontecimentos, de forma que se imponha como
urna necessidade para o heni da patria !
Si essa evolugo fatal e nec; ssaria, si a mo-
narclna tem os seus dias contados, indispen-
savel o esforgo de lodos os homens de boa von-
tade e patriotismo, para que a transigo seoperr
sem grande abalo para a ordem e tranquilidade
da nago.
Para esse tenlamen patritico, para a conse-
cuco de todos os melhoranientos moraes e ma-
teraes urgentemente reclamados e especialmente
para os da ciasse commercial, a que rae ufano
de pertencer, empregaria, si porventora bsst-
eleilo, todo o esforgo de que fosse capaz.
Parecendo inopportuno entrar em desenTOlri-
mento sobre a organisaco futura da repblica.
julgo, entretanto, necessario declarar, como de-
clarei, quando publicamente me confessei repu-
blicano, que conservo intactas todas as crengas
que formam por assim dizer o meu carcter;
sigo convicto os grandes, benficos e fecundo
principios do catholicismo cuja sombra e sob
qualquer forma se podem organisr governos li-
vres, fortes e honestos : sou catholico, apost-
lico, romano I .
Colloco as mos do eleitorado do 2." distneto
a sorte de minha candidatura ; a elle Curapre
resolver se devem ter entrada no parlamento as
ideas que represento.
No procurarei a cada eleitor pessoalroente.
Entendo que o pedido de voto urna desconsi-
derago era lugar de urna homenagem que se
lhe presta : porque, quem pede, considera o
eleitor incapaz de julgar por si qual o candidato
que mais convm ao paiz ou (o que peior)
suppe-se com forga para fazel o mudar de opi-
niao com o seu pedido.
O que pedira, com instancia, mesmo se me
julgasse com direilo a qualquer pedido, era qne
nenhura faltasse aos comicios eleitoraes. O voto
no s um direito de que se usa ou nao
vontade, urna obrisiagao que deve ser cum-
prida, e no regimen'das maiorias os que se ab-
stm e no votam, tomam parte na responsabili-
dade dos actos das maiorias que se formaran
pela sua e outras abstenges.
Recife, 7 de Agosto de 1888.
Manoel Gomes de Mattos.
-ag-mesia^'
Despedida
0 abaixo assignado, seguindo no dia 29 do
corrente, com sua familia, para o povoadoPre-
guigas,am de assumir, no 1. de Setembro
futuro, o exercicio de suas funeges magistracs
n'essa cadeira, para a qual foi removido por
conveniencia do servigo publico, (isto, poltico)
e no lendo podido despedir-se pessoalmenle de
todos os seus parentes, de seus dignos collegas.
dos pais de seus ex-discipulos, os quaes lhe pro-
digalisaram toda considerago e conlianga no
seu magisterio, por mais de oito annos, assim
como dos mesmos seus ex-discipulos ; e, final-
mente, d'aquelles que o honraram com sua ami-
zade sem distineco de cor poltica, o faz, jun-
tamente com sua familia, por meio destas pbra-
ses toscas, e, ternameote grato, offerece seus
tenues prestimos n'aquelle povoado.
Sitio em Caruar, 27 de Agosto de 1889.
O professor
Manoel Bezerra de Vasconcellos Cavakan


i
M


Diario de Pernambuco-Sabbado 31 de Agosto1 de 1889

Y
5
'

-
Ao publico
0 profeasor particular Thomaz Cavalcante da
Sveira Lins, declara que deixa de pertencer s
polticas de seu paiz ; continuando a ser biblio-
thecario do Club Republicano Fre Caneca, po-
rm, com toda a moralidade e respeito as leis e
as ideas contrarias.. -, e para que prove a mo
destia e independencia com que tem sempre
procedido, vai dar o seu voto hvre, na eleiao
que hoje deTe proceder-se : o voto da conscien-
cia, e, nao o voto do interesse proprio e dos ca-
prichos !... .
Recife, 31 de Aeosto de 1889.
Thomaz C. da Silveira Litis.

Ao publico
Declaro ao publico desta capital, que nao re-
cebi das mos da Sra. D. Helena Balseraao di-
nheiro algum do espectculo que ein meu bene-
ficio deu a mesma senhora ; espectculo esse
realizado na noite de sabbado, 24 do correte,
no theatro de Santo Antonio.
Ao mesmo tempo pego s pessoas que se dig-
naran! aceitar bilnetes e que aiuda nao satisfize-
ram sua importancia, o favor de o faierem em
minha mao nicamente.
Recife, 30 de Agosto de 1889.
Francisca de Britto.
Eleicao
DOS DEVOTOS E DEVOTAS QDE TEEM DE
FESTEJAR O MILAGBOSO SESHOB BOM
JESD8 DO BOM FIM EM OLIXDA, NO Io
DE JANEIRO DE 1890.
Provedor por eleicao
O Illm. Sr. Francisco de Figucira Faria.
Procurador geral
O Illm. Sr. Leoncio Feliciano Marques.
Primeiro procurador
O Illm. Sr. Joao Baptista de Oliveira Ferrer.
Segundo procurador interino
O Illm. Sr. Diogo Tnomaz Esleves Vianna.
Mezarios
Os Illms. Srs. i
Dr. Jos de Moraes Guedes Alcoforado.
Feliciano Candido de Aguiar.
Antonio Francisco Romo da Silva.
Jos Coelho de Carvallio Das.
Jos Joaquim deSanl'Anna Lobo.
Damio Pedro Celestino.
Antonio Simphronio de Luna.
Hortulano Antonio Ferreira da Silva.
Thesonreiro
O Illm. Sr. Joao Paulino Ferreira da Silva.
Provedora por eleicao
A Esma. Sra. D. Urcicina, esposa do Illm. e
Exra. Sr. Dr. Jos de Moraes Guedes Alcofo-
rado. I
Secretaria por elexo
A Exma. Sra. D. Ignez, esposa do Illm. Sr. pro
fessor Jos Candido da Silva Pcssoa.
Juizas por devocao
A Exma. Sra. D. Maria Thereza, esposa Jo phar-
maceutico Alpheu Soares Raposo.
A Exma Sra. D. Marra Ermelinda, esposado
negociante Jos Carneiro da Silva.
A Exma. Sra. D. Maria Jos de Medeiros Pal-
meira, esposa do negociante Jos Jo vino Pal
meira.
A Exma. Sra. P. Delmira, espora do capilo Li-
berato Tributino de Miranda locha Pitta.
A Exma. Sra. D. Olympia de Piulio Berges Vian-
na, esposa do Illm. Sr. Dr. Miguel Nunes
Vianna.
A Exma. Sra. D. Antonia Medeiros Gomes do
Reg, esposa do Sr. Jaclntho Dioniio Gomes
do Reg.
A Exma. Sra. D. Maria, esposa do Illm. Sr.
Francisco Gomes de Mallos.
A Exm. Sra. D. Maria, mai do nosso irmao cl-
rigo Juveoal do Coraco de Jess David Ma-
deira.
A Exma. Sra. D. Maria Clara de Mello Figueira,
esposa do Illm. Sr. professor Manoel Figueira
de Menczes.
A Exma. Sra. D. Thereza Francisca Montciro,
esposa do Sr. Eleuterio Jos Mouteiro.
A Exma. Sra. D. Philomena, esposa do Exm.
Sr. desera bargador Hermoneges Scrates la-
vares de Vascoucelios.
A Exma. Sra. D. Emilia, esposa do Illm. Sr. Dr.
Estevao Cavalcante de Albuquerque.
A Exma. Sra. D. Henriquela, esposa do Illm. Sr.
professor Custodio da Silva Pcssoa.
A Exma. Sra. Matildes Julieta, esposa do Sr.
Mariano Javme da Silva.
A Exma. Sra.'D. Aguida de Paria Pereira, espo-
sa do Sr. Manoel Joaquim Pereira.
A Exma. Sra. D. Joaquina Victoria Coelho Si-
mOes, tlha do Illm. Sr. Dr. Antonio Pereira
Simes.
A Exma. Sra. D. Clemcntina Bolclho, esposa do
Sr. alferes Jos Samuel Botelho.
A Exma. Sra. D. Josephina. espjsa do Illm. Sr-
Dr. Autonio Estevao de Oliveira.
Escrivaes por devocao
A Exma. Sra. D. Francisca de Salles da Assump-
cao, filha do negociante Lcpoldo Marques da
Assumpgo.
A Exma. Sra. D. Maria Matildes dos Santos Pe-
xoto. esposa do nosso irmao Manoel Marques
de Sautiago Jnior.
A Exma. Sra. D. Leopoldina Adelia Medeiros
Vianna.
A Exma. Sra. D. Francisca, esposa do alferes
Cmbelino Adonio Maciel Monteiro.
A Exma. Sra. D. Maria Julia, esposa do Sr. An-
tonio Firmiano Marques dos Santos.
A Exma. Sra. D. Elisa Marinlio de Araujo, filha
do Sr. Joao Marinho de Araujo.
A Exma. Sra. D. Maria Villar de Azevedo Amo-
rim, filha do capito Demetrio de Azevedo
Amorim.
A Exma. Sra. D. Bemvinda, esposado Sr. Primo
Vicente Borges.
Revista do Mercado
RECDT2. 30 DE AGOSTO DE 1889.
O raoviinento limitou-se a transaeges no mer-
cado de eambios c a venda de 43 apolices pro-
vienes no valor de 1.0005 cada urna.
Bolsa
OOTAgijES OFFICIAKS DA JUNTA DOS COB-
RBTOBES
Recife. 30 de Agosto de 889
Apolices provneiaes, juros de 7 0,0, valor de
l:0Al a9*W cada una.
Na Bolsa Vcndcrara-se
13 apolices nrovinciaes de 1:000*.
o presdeme,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
Algodo
Noconstou vendas, sendo a posirilo do mer-
cado a mesma de bontem.
A exportado, feita pela alfandega neste mez
at o da 8, attingio a 1.109.638 kilos, sendo-
707.4U6 para o exterior e 40123* para o interior.
As entradas verificadas at hoje sobem a 7.238
saccas, sendo por:
Barcadas. 810 Saccas
Vapores..... S.Tflfl
uaes..... I.OTl
Via-errea de Caruari. *1
Via-ferrea de S. Francisco. 148
Via--rva de Liiuoeiro 1.424 c
Somma.
7.233 Saccas
Camino
Os bancos conservaran! ainda no balco a taxa
de 27 1/4, saccando, porm. reservadamente a
27 S. 16:
Ha falla absoluta de pipel particular.
No Rio foram colados: papel bancario, a 27
1 i e particular 27 7/16, com tendencia para
alta.
A Exma. Sra. D. Joaquina, esposa do Sr. Marco -
lino Jos Medeiros.
A Exma. Sra. D. Cba.npita, esposa do Sr. capi-
to Joao Francisco da Lapa Jnior.
A Exma. Sra. D. Maria Firmina Marques de Gus-
raac, esposa do negociante Joao Evangelista
de Gusmo. ,
A Exma. Sra. D. Cosma do Espirito-Santo dos
Aojos, esposa do Sr. Silvino Miguel dos Anjos.
A Exma. Sra. D. Maria Anglica Monteiro de Li-
ma Botelho.
A Exma. Sra. D. Enedioa Matildes Leite, filha
do negociante Antonio Marques Leite.
A Exma. Sra. D. Ignez Maria da Hora, esposa do
Sr. Manoel Jos da Hora.
Juizes por devocao
Os Exms. Srs. :
Monsenhor conego Joaquim Arco-Verde Caval-
cante de Albuquer^ue.
Conego Manoel Joao Gomes.
Conego penitenciario Marcolino P. doAraaral.
Conego ihesoureiro mor Antonio Manoel da As-
sumpgo.
apitlj Florentino Nunes de Mello.
Negociante Joaquim Ferreira-da Silva.
Negociante Sigismundo Joaquim da Silveira.
Negociante Claudino Coelho Leal.
Negociante Mariano Francisco Ferreira.
Jos da Costa Ferreira.
Tenenle Fraziio Nunes de Alencar.
Euzebio da Cunha Beltrao.
Capito Frederico Columbiano da Silva Guima-
res.
Capito Antonio Martins Pereira.
TenenteJos Estevao Baptista.
Tenentc-coronel Henrique Gibson.
Dr. Ansberto Rodrigues dos Passos.
Dr. Manoel Antonio dos Passos e Silva.
Dr, Bernardino de Senna Das.
Negociaste Silvio Lucchetho.
Escrivaes por devocao
Os Illms. Srs. :
Antonio Rodrigues Tavares.
Tenente Thomaz Jos das Neves.
Tenenle Lucio Jos Monteiro.
Capito Manoel Alcantilado Torres.
Capito Jos Guilherme da Silva Doarte.
Joao da Matta do Reg Leite.
Professor Antonio de Almeida Nobre.
Professor Jos Augusto Porto Carreiro.
Aureliano Alves de Souza.
Ignacio Francisco Arruda de Mello.
Joaquim Candido de Sant'Anna.
los Marcelino da Silva Braga.
Capito Francisco Teixeira de Faria.
Consistorio da veneravelirmaudade do Senhor
Bom Jess do Bom-Fim em Olinda, 1 de Janeiro
de 1889.
O secretario,
Francisco.Xavier Pereira da Silva.
Nossa Senhora do Monte
Continuacao da subscripeo e receita de obu-
lo para as obras da capellarar da mesma Se-
nhora.
No mez de Julho prximo passado, subscrc-
veram se 37 assignaluras, resultando a somma
de 1094300.
Receita dos seguintes Srs.: nA,n Dr. Antonio Pereira SimOes .0um)
Major Joviniano Manta 20*000
Dr. Carlos Alberto 15000
Alexandre Feitosa (3* vez) /300o
Capito Joao B. Manguinho VSSSi
Antonio Joaquim Cavalcante A. JW
Francisco Jos Gome 2SS
Joao Antonio Cosa Pereira o5000
Joaquim Jos Goncalves Beltrao o0!
Manoel Alves Barbosa 5W
Urna devota o5(^,
D. Christina Fioravante 4*000
Miguel Motta, mais 45000
Pelo Sr. Jacintho G. do Reg 4>ooo
Arcelino de O. Souza 23000
(Jm devoto (por mez) ;2K
Jos Barcellos, mais 20X
D. Thereza A. V. |*Jg"
Ura devoto SSi
P. da Penha 25000
. Bernardina L. Lins v2' vez) 25000
Lauriano Jos de Barros, mais
D. Maria B. d'Assumpgo S01!
Tenente Manoel Eustaquio 23000
D. Mara R. Costa 23000
Professor Tertuliano Ernesto 2*i!
".onego arcediago 25000
Jos Figueira de Faria 25000
Manoel Barbosa 25000
Antonio Manguinho *?j)
Flix Cavalcante A. 25000
Domingos Miguel I ,25
Amaro Francisco de Paulo 25000
Jos Rayraundo de Moraes 2*000
D. Carlota A. R. 2<000
Miguel Reg 25000
Eleuterio Monteiro 250(X)
Dr. Braz F. 2*000
Dr.A. >"00
Pedro Ratis 'O"
D. Anna Reg r'mensalidade) 15000
Antonio Jorge l'KX)
Cordeiro Lima (2* vez) 150(Kl
Christovo Paulino (2* vez) i#W0
CapitSo Vicente Ferreira 1500o
Catharina lot.fi
Capito Joaquim da Fonseca 1500o
Antonio Matlos 25000
Um devoto 1*000
Concalves Filho 1*000
Pedro Guedes WW
Abilio Monteiro *500
Resultado das caixas do Monte, Vara-
douro e Aurora:
Da igreja do Monte, collocada no dia 6 11*270
Varadouro, dia 19 11*740
Aurora, dia 26 3*720
e fervorosos devotos daExGelsa Senhora do Mon-
te, que, alera de estar salva do abysmo que
ameagava urna contra verga, desde a noite do
dia 6 deste correnfe, est quasi terminada o con-
cert da talha. tendo-se collocado j as colum-
nas em seus lugares, na tarde de 23 deste ; como
esta mudada a ruina de muitas pegas, e trans-
formada a capel I a daquelle venerando templo.
Que de dilTerenga nao aprsenla hoje, para o
triste estado de oufrora ? 1 ?.
Era um dos artigos antecedentes, cu disse e
nadi que os devotos e aquelles que dcsejain a
i-eedilicago daquella capella, que v.o apreciar
o que se acha leOo e o que se pretende fazer;
c esta necessidade da visia augmenta, em ra-
zo de, augmentando o servico, augmenta a ne-
cessidade de recurso pecuniario par a realisa-
go.
Quanto nao deve ser grato a Deus e a sua v ir-
gem Mai, a provade f, amor e dedicaco d'a-
auelles que, nao obstante o mau tempo que ho-
diernamente atravessamos, e cora tu lo, sempre
se vai sustentando a obra comecada desde o dia
4 de Abril prximo passado!! 1
Bemdito reja Deus.
A religio, a f e a esperanga, sempre ha de
reinar ai o lim dos lempos ; e aquelles que
mais lizer, maior direito ter em recompensa, ^.e
quanto reservar o Justo Juiz dos vivos e mor-
ios ?!
Temos ainda muito reparo e raelhoramento a
fazer n'aquelle cemplo.
Nao se conseguir sein a quantia de 4 a 5 con-
tos de res. J dispendemos perlo de tira cont.
A obra que se est fazendo, boa e segura ;.nao
se poupando Irabalho nein Miga al o sacnli-
cio 11 porm. s a esperanza c coosolaco
de ver rcalisada Uko justa empresa, ha raoiiU'.iUH
de tanta consolago al as lagrimas...
Berna venturado o creute. Ilavemos OSwtWl
aquelle livmno inspirado nos Ambrosios e. Ages-
tinhos, po'uco depois de realisadas as obras; va-
mos tratar do throno em que ha de rece he r o
Deus tres vezes snelo ; e uc3se dia de eterna
recordago, pela prova de f e o triumpho da
dilculdude. Invenios de ir depor aos ps da
melhor das Mis, as nossas vassalagens e teste-
munhar nosaoamor, nossa gralido ; c ella. Be-
nigna, nos escutar, nos aprescutar ao Filho,
dizendo :
Eis aqui em redor de mim, os d.hos que
ainda me reconliece por sua boa Mii ; recebe,
Filho Meu, En fus apresento, abengi-os, da-
Ihe o sculo de paz, recebe os em 'ua amisa-
dc.... Ah ieliz dia, feli momento !
Prosigamos, nao eiinrecnmos.
Nao ser salvo, aquelle que legtimamente,
nao combater, disse o tilho de Deus.
Desde j vos asseguro que a obra daquelle
templo, hade ser um pregauor mudo, porem elo-
qucnlissimo do vosso esl'iTgo e piedade. Desde
a sua edilkaco do seculos pretritos, apenas
lizeram Ihe urna nova coberia e esta mi. porque
m, foi a drccgio ; nio ha exaggeragfio nesla
proposigo ; todos sabem, a necessidade de um
reparo nella ; e nao ser para menos de 4 a ."i
contos. Mas, islo pouco nos importa por ora, o
3ue queremos, segurar a capella-mr, tornan-
o-a digna de boa Mai ; considero assim : Si a
igreja do Monte, pelo despreso viesse s desap-
parecer, esta trisle circumstancia, causara um
clamor geral, e este subira al aos ceos !!!.. .
mas, nao Deus providenciou.
At outra vez.
Olinda, 24 de Agoslo de 1889.
O decoto.
n. 3ot>
Oleo puro medicinal de Ficado de
Bacalbo de Lnnman & liemp
Quando os org.'ios da reapirsgao sao demasia-
dos debis paiaexpellira macosidade engendra-
da pela enfermidade nllammatoria, nao ha as
arcanos da (ciencia medica, nada que se possa
como tnico, ao Oleo de Figado de Bacalho.
Porm ouviraos diaor que os resultados da sua
operago variara. Algunas sao coraposta--. ie
materias rangosas, oulr.isadulieradas, eraquiniO
que urna grande parte das conioosiges que ti-
mara 6 mesrao no.ne sao completamente sapo-
reas.
Volvendo de todas estas, o Oleo Puro Medici-
na! de Figado de acallio, de Lanman 4 Keni(i.
nelle temos um especifico de prima face c dv
urna reputagao universal, que al boje nuncj
desmentio as esp'-rangas dos.do n!es. a
Os mdicos o recomineiitlam, porque a sua eflt-
cacia est mais que prvida, nos peores casos
de affecge? pulmonares e e-crofulosas.
Outros leos de Figado de Bacalho, poden
ser puros, porm este iudisputavelmi-nte o .
Como soja um objecto da maior importancia
para aquelles que |ipdeccm los pulmes e da
garganta ; aqueile que for senhor de urna pre-
parago legitima, fard bem em confiar-se unca-
mente na de Lanman & Krmn.
A( ha-se venda era todas as principaes bo-
ticas e lojas de drogas.
Bacharel Antonio Wilra- {
vio Pinto Bamleira ,
Pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1 andar I \
EXPOSFFION Uftf VERSAL DE 1889
Segn nos escriben nuestros correspon-
sales, los Srs Amde Prinee y C.
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura de los
principales pridices de las Americas del
Centro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
dera, de las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano
derecha de la Torre de Eiffe!, del lado
derecho y en frente de la parte central
del Palacio de los Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
nes de las Repblicas de las Americas y
del imperio del Brazil, quienes han cons-
truido palacios que rivalizan de riqueza, y
que sern una de las mayores atracciones
de la Exposicin.
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en el Pa-
belln de Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestros corresponsales, Sirs. Am-
de Prlnce y C gracias a la amabili-
dad del senor comisario general de Gua-
temala.
AVEROADE/"
S. Bento
Chama-s a attenco de S. Exc. o Sr.
bi*p'> desta diocese para o procedimento
irregular e escandaloso do vicario de cer-
ta viila que com a maior ostentagao vive
com urna Julia de tal, na mais doce con-
vivencia, tendo-a tela c manteada ; cho-
gando a sua desfacatez ao ponto de l'a-
zel-a habitar urna casa contigua propria
matriz de que parocho, com a qual tem
communicacao pelo interior, atim de po-
der mais fcilmente fazer rasa oracoes
acompanhado.
No tempo do Sr. frei Vital foram sepa-
rados os dois pombinhos, c a bem da mo-
ral carece o sacerdote ientecoste de nova
corregi.
Que nos seja perdoada a indiscripg-lo
portubando a paz do lar do Sr. parodio.
Joao Galops.
Somma
2055230 i
Participase ao respeitavel publico de Pernam-
buco e Olinda, e em particular aos verdadeiros
TABELLAS AFFIXADA8
Lili lfN-
2 f a 5
* S -a o
.
~
oo
9
|.....
a r~
S
I
9
to 8
** o. fcl
#" eo ~>
O CJ <
, V. t O ^- r
t>
<_
t^ * b> 09 tn 3
CC ' t P
te 8
"- *- OJ ?
tr> -- < 5-
o: l " e *^
3
%
5. I
;jo >* ht> ta * * co t/>
co o g 9 co co O! t! o. s>
o 1+^. i *J C3 &a CJ *j
i o
^j
, m * . co c ^
" t s "^ 1 ^
;-
x
8



a-
a.1
i ffl
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela niversidade de Maryland nos ,
Estados-Unidos, tem aberto o sen cnsul-1
Victoria 13, Io an-
Regist.ro de marca
Xo 253
A marca consiste em ura quadrilongo
formado por urna tita grega d'j cor bran-
ca, sobre fundo cor de cat ; no centro de
um oval, duas creancas nuas, meio envol-
vidas em um manto rluetuante, tendo a
do primeiro plano um arco na mi direita
e urna seta na mao esquerda, sendo todo
este dczenlio ccr de carmim, no alto do
oval do lado de fra c formando canto
direita, um arabesco e o monogramma
C A., c esquerda outro arabesco e o
monogramma & C.; direita circulando o
ovala palavraCigarros; esquerda,
do ruesruo modo, a palavraEspeciaes ;
em baixo, a palavraDeliciase dois ara
bseos um de cada lado, formando canto;
todos estes dizeres em letras capitae?
brancas, com sombra branca, sobre fundo
cor de caf: ao lado, em letras capitaes
cor de caf sobre fundo branco, as pala-
vrasFabrica DianaCarlos de Arruda
& C. Ra de Marcilie Dias n. 17An-
tiga Direita telephone n. 341 Femara
bucoSeparando estas linhas arabescos
cor de cat.
Estava sellado com ama estampilha de
duzentos reis inutilisada da setjuinte forma.
Recife, 8 de Agosto de 1889.
i arlos de Arruda & C.
Certifico que a presente marca foi aprc-
sentada a registro s 11 horas do dia de
hoje.
Secretaria da junta commercial do Re-
cife, 8 de Agosto de 1889.
Em f de verdade.
Tetesphoro Fragoso.
Certifico que foi registrada sob o n. 253
em virtude do despacho da meritissima
junta emsessao de hoje.
, Pagou C$300 de sello, e addicional do
registro no segundo exemplar.
Secretaria da junta commercial do Re-
cife 1C de Agosto de 1889.
Em f de verdade.
lelesphoro Fragoso.
torio, na ra Balito do
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Barcacas...... JKU Saceos
Vapores..... >
Animaes.... 239
Via-ferrea de Caruar. W
Via-fcrrea de S. FranCisco. 3.23 .
Via-ferrea do Limoeiro 170
Somma.
4-1/2 Saceos
Assncar
Os pregos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
,;i;:idoa Associaco Commercial Agrcola, foram
as seguintes:
Sranco..... 3*600 a 45000
Somenos..... 25700 a 35000
Mascavado purgado 25200 a 25606
bruto. (lirme) 15600 a 2*000
Rtame..... 1*200 a 15400
A exporticao feila pela alfandega neste mez at
o dia 28, sunio a 1.791 746 kilos, sendn 93.520
para o exterior e 1 698.226 para o interior.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bem a i 172 saceos, sendo por:
tfel
Cota-se a 705300 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros salgados, 335 res, c os verdes a 210
ruis. ,
tscini'dentc
Cota-se a lOoOO, por pipa de 48" litros.
Aicool
Cota-se a 2005000 por pina de 480 litros. '
Pauta da alfaudesa
SEVATA OHS6 1 31 DE AGOSTO DK 18S9
Vide o iarto de o de Agosto
"Varios desqarga
IJarca no^ueguense Gtlead, ferragens.
Barca nacional C'citia, varios gneros.
Barca norueguense Soltd. carvo.
Escuna hollandeza Jan Smit, farinha de man-
dioca.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar nacional Loyo, xarque.
Lugar americano Bella Hooper. farinha de trigo.
Patacho allenio Muir ron OUendrp, xarque.
Palacho nacional liegaleira. xarque.
Patacho allemao Frederirk, xarque.
Patacho dinamarquez Jtuor, xarqne.
Patacho dinamarquez Ge/ion, xarque.
Vapor ioglez Historian, varios gneros.
esiporacao
RBCIF, 2SJ DB AGOSTO DE 1889
Para o exterior
jo vapor inglez lieolciiii, carregaram :
Para Liverpool, J. H. Boxwell 333 saccas com
26,353 kilos de algodo ; Black bura fc C. 83
saceos com 6,0io kilos de assucar mascavado.
No vapor allemao Tejuca, carregaram :
Para llaraburao, Borstelman & C. 832 fardos
com 141,202 kilos de algodo.
Para Lisboa, S. Guimares & C. 100 saccas
com 7,827 1/2 kilos de algodo.
Para o interior
No vapor nacional Sergipe. carregaram:
Para Villa-Nova, M. A. Senna 4 C. 4 barricas
com-346 kilos de assucar refinado.
A drogado
Miguel Jos de Alracidj l'ernambuco lera o seu
i-scripiorio de adocacia ra do Imperador n.
81, onde sera encontrado todos os dias uteis, das
hor.s da 9 maulla s 4 da tarde.
lurmA MTDO
Eis o que em data de 10 de Junho de 1888 escreveu o reputado clnica
Sr. Dr. rias A. da Silveira, residente em Barra Mansa, provincia do Rio de Janeio
ro, em relacSo a um precioso preparado, que grande t5o aceitacSo encontra hoje na
America do Sul.
O Peitokal pe Cambara', importante preparado do Illm. Sr. J. Alves
de S. Soares, de Polotas, possue propriedades balsmicas pronunciadas, e exerce in-
fluencia benfica era todas as affeceSes catharraes, principalmente as do apparelho
respiratorio e genito-urinario. As affecc3es catharraes do larynge, dos bronchios e da
bexiga, quando primitivas, cedem promptamente ao uso reiterado do Peitobal de
Cambaba'.
As secre5oes muco-purulentas, sympomaticas da tuberculose pulmonar,
modificam-sc vantajosamente, tornando mais desembaracado o campo da hematose
pulmonar.
E', portanto o Peitbbal de Cambaba', um heroico meio preventivo e
um auxiliar no tratamento da tysica pulmonar, tilo Irequente no Brasil.
Em nossa longa pratica temos tii-ado extraordinarios resultados da tinta-
ra do Cambar, no curativo das feridas recentes, obtendo quasi sempre uiiio por
primeira intensao, pelo que deduzo que o Peitobal de (.'ambara' enceiTa principios
altamente anti-scepticos, virtudes therapeuticas procurada, hoje, para combater-se
as molestias da causa parasitaria, como 3oera ser a maior parte das affeceSes broncho-
pulmonares e genito-urinaras.
ExposK'o l'uiversal de 1SS9
Segundo a carta que nos escrw'ern nos-
sos correspondentes, os Srs. Amde
Prinee & C, o PavilhSo do Guatemala
onde ellos acabara de organisar urna sala
de Icitura de todos os principaes jornaes
das Americas do Centro, do Sul, das An-
tilhas e do Extremo-Oriente urna cons-
truccao de madeira muito bonita.
- Este pavilhio acha-se situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito o de-
fronte da parte cental do ^alacio das Ar-
fes Libcraes. Est perto de todas as sec-
oes das Repblicas Americanas c do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
ho de constituir, por seiu duvida, urna
das raaiores attracgiJes da Exposifao.
Aos nossos patricios recomraendamos
encarecidamente que visitera no PavilhSo
de Guatemala a installaco dos nossos
correspondentes, Sra. Amde Prinee &
C, devida ao obsequio do Ilustre corn-
missario geral do Guatemala.
dvogado
O bacharel Arthur da Silva Reg tem o seu
eacriptorio te advocacia ra do Imperador n.
34, onde pode ser procurada para os misteres
de sua proisso.
m
i
i
Leonor Porto
R:ia lLarga do Rosario nu-
mero 2ft
',' SEGUNDO A.SOAB
( } Corilina a executar os mais difTiceis
( >liguriuos recebidos de Londres, Paria,
( jLisboa e Rio de Janeiro.
j Prima em perleirao de costuras, era
l Jera brevidade, rooaicidaau era precoa e
| I lino gesto.
i!
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do Burilo da Victoria46
(DEKBOJTE DA PHARMACIA PINHO)
Omle tem connultorio e resi-
dencia t podendo ser encontrado e
recehendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades : partos, febres, moles-
tias de senhoras e dos pulmes, syphilis
em eral, cura rpida o completa e ope-
races d.- estrcltamentos e mais sollri-
menios da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telephone n. 3S-1
Frederico Chaves Jnior
i!
I
(Dr. Baltiazar da Silveira j
Especialidadefebres, molestia;
das criancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharraacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
j
I)
I
J39RA BARAO DA VICTORIA 39H
) ( Primeiro andar ( J
u
V"
.
ADVOGADO
O bacharel Salustiano Jos de
Oliveira pode ser procurado para
os misteres de sua prolissao. y'
ra Eslreila do Rosario n. 10, 1. js)
andar.
Para B:i!iia, A, Oliveira Jt C. 2 barricas com
120 kilos de doce.
So vapor nacional Arlindo, carresaram :
Para PorM-Afogre, Amorim Irraaos & G. o
lipas ora 2,400 Ihros deagJardete, .170 saceos
ioiu 2?,7o0 kilos de assucar mascavado e 1,110
liios cora 83,230 ditos de dito branco.
Para Itio de Janeiro, F. M. de Moura 103 bar-
is com 6,080 litros de mel ; P. Carneiro & C.
100 saceos com 30,000 kilos de assucar brar.co.
Para Pelotas, Amorim Irmaos & C. 23 barri-
:as com 2,800 kilos de assucar mascavado e 4a
litas cora 4.860 ditos de dito branco.
Para Rio Grande do Sul, P. Carneiro & C. 18
lceos cora 13,300 kjs de assucar branco.
No vapor nacional Jncuhype, carregaram :
Para Penedo, P. Alves&0. 5 barricas co:n i"J2
tilos de assucar brar.co.
Para Macei, P. Alves & C. 2 barricas com 150
tilos de assucar refinado
.No hiate nacional Deus te Salve, carrega-
larrr:
Para Camossim, F. A. Monteiro 40 barricas
tora 402 kilos de assucar branco.
Cara Aracaliy, R. Lima & C. 1 barrica com "0
tilos de assucar branco.
Mo cufer Colombo. carregou :
: Para Rio Grande do Norte, J^ P. Leite 3 saceos
'lora 7o kilos de fio de algodo.
Rendimentos publico
Ocul
lista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
eculisia, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
y ( bro n. 34. Entrada peia ra da
Saudade n. 25.
Estreitamento da urethra
AO ILLM. SB. DB. CARLOS BETTENCOUET
Eu, abatato assisnado, declaro que, estando
soll'rendo de um estreitamento dajurethra, acom-
panhado de blennorrha, recorr ao Illm. Sr. l)r
Betlencourt, por quera fui operado pela eleclro
lyse sera do.-, ficando radiclmenle curado em
curto espaco de tempo
Ao muito diurno Sr. Dr. Betlencourt os meus
mais sinceros agradecimentos.
Joao Rodrigues de Britto.
< Advocacia enme
\ RIBEIRO DA SILVA, defende perante oJ.
. I jury de Palmares, A^ua-Preta. 6amelleira,i
i | Esc.ida, Jaboatuo, Nuzareili. Victoria, Tim- y
' >bauba c uas comarcas visinbas Svias|
i ferreos. *
Pode ser procurado ra Io de Margo
In. 7 A.Livraria Parisiense.
w
-jimia eral:
fc ti;i i a 29
lldea de 30
MEZ DR AGOSTO
Ali'umega
661:010*332
26:310*742
Renda provincial
rp dia 1 a 29 74:219*160
dem de 30 2:S66A43
687:321*274
76- 736*403
Somma total 764:107*677
Be^ninda seceo da Alfandega, 30 de Agosto
(U 1889.
O thesonreiroFlerencio Domingues.
O chefe da seceso -Cicero B. de AieUo.
Recebedoria Ceral
DD dia 1 a 29 61:839*808
dem de 30 14:367*348
76.227*336
Rccebcdoriq provincial
09 da 1 a 29 23 472*049
dem de 30 1:947*819
----------m 27:419*868
Recite Dratuagc
Do da 1 a 29 39:418*313
dem de 30 3:187*362
42:605*905
Itfnheiro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional .Para, para :
SILVEIRA
ADVOGADO
Hl'.i DO IMPERADOR-69
Elixir cabera de negro do Dr. Santa
ilota, annlyatado em Pariz c ap-
provndo pela luspeeloria Ceral
de Ilygiene.
(Premiado na Exposiro)
Conlinuamos a prevenir o publico que o ver-
dadeiro elixir cabeca de nepro o da formula
do Dr. Sania Rosa, que como garanta tem em
seu favor os atteslados passados pelos mais dis-
linctos mdicos, desta e demais provincias do
imperio, por pharmaceuticos, desembargadores,
advocados, engenheiros, commercianles, empre-
ados pblicos, lenles da Faculdade, artistas,
etc.
Fique, portanto, o publico sabendo que o eli-
xir fabricado na ra da Cadea, pharmacia de
Hermes Souza Pereira, Successores,umairaila-
gao do nosso.
Deposito do verdadeiro, ra do Bom Jess n. 1.
Parahyba
Cear"
Maranhao
Para
l.OOOiOOf)
8.766*520
1.500*000
206.000*000
Mercado Municipal de S. Jos
0 movimenio deste mercado no da 29 de
Agosto foi o seguinte :
Entraram :
'i3 I bois pesando 6.032 kilos.
305 kilos de peixe a 20 res 6*120
14 cargas cora farinha a 200 res 2800
2 dilas de mil lio a 200 ris 400
15 ditas defructas diversasa. 300ris 4*500
10 taboleiros a 200 ris 2*000
16 suinos a 200 ris 3*200
33 matulos cora legumes a 200 ris 6*600
Foram oceupados :
26 columnas a 600 ris 155600
i escriptorio a 300 ris 300
26 compartimentos de farinha a 500 1
ris 13*000
24 ditos de comidas a 500 ris 12*000
79 ditos de legumes e lazeudas a
400 ris 31*600
16 ditos de suinos a 700 ris 11*2 X)
8 ditos de fressuras a 600 r*is 4*890
45 talhos a 2* 90*00'i
Tijuta.............
Ilmidel............
Atrato............
Alagos ...........
Orenoque..........
Kerthe............
Villede Rosario... .
Mandos...........
Urub ...........
Ville de Pernambuco.
Cearense..........
Tagus ............
Sul...........
Liverpool .....
Sul...........
Norte.........
Europa.......
Sol.....:-...
Europa.......
-ul...........
Sul.........
sul...........
Norte.........
Europa.......
Liverpool..... Actor
Norie......... Pernambuco.......
Sul........... La Plata..........
Sul........... Maranhao..........
Norte......... Sacona...........
Borona..... MUlekowits......
Norte......... Para.............
Sul........... Espirito Sa.ito.....
Europa....... Trent.............
3
3
4
i
3
7
9
10
10
1.1
I i
14
13
17
so
22
24
27
28
204*120
Rcndimento do da 1 a 23 do cor-
rente 3:9475780
Foi arrecadado liquido at hoe 6:151 *900
Pregos do dia:
Carne verde de 240 a 489 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 1 ris idem.
Suinos de 560 a 640 ris idem.
- arrasa de 60J a 80) ris a cuia.
lliiho de 320 a 360 ris idem.
Feao de 1*000 a 1*200 idem.
Hatadouro publico
Neste estaoelecimento foram abatidas para o
consumo de hoje 82 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a enttvir
MEZ DE SETEMBBO
Europa....... Argentina......... 1
Vapores a sabir
MEZ DE SETEMBBO
Santos e esc.c Argentina......... 2 as 2 h,
Hamburgo ... Tnica............ 3 as
Soulhamptom. Atrato............ 3 as
Sul.......... Alagos----....... 3 as
Montevideo .. Orenoque.......... i as
Bordeaux-----Nertlie............ 4 as
Ceara e esc... Jaguaribe......... 5 as
Santos e esc Ville de Rosario----- 6 as
Bahia e esc... S. Francisco....... 7 as
Norte.......Minos.......... 8 as-
Havre e esc. Ville de Pernambuco 11 as
Buenos-Ayres. Tagus............. 13 as
Snl..........Pernambuco....... 14 as
Soutliampton La Plata.......... 15 as
Norte........ Maranhao......... 18 as
Sul.......... Para............. 24 as
Norte........ Espirito Santo.....28 as
Buenos Ayres. Trent............. 28 as
2 h.
2 1i.
3 h.
3 h.
fth.
h.
h.
h.
h.
h.
h.
3 h.
11 h.
5 h.
5 h.
S h.
5 h.
Hovinicaio do porto
Tavio entrado no dia 30
Rio de Janeiro15 dias, lugar portuguez Jocem
Alberto, de 403 toneladas, capilo Antonio Gon-
calves Molledo, equipagem 11, carga varios
gneros, a Silva Guimares & C.
Cear17 dias, hiate nacional Deus te Guarde,
de 60 toneladas, mestre Jos Antonio de Mou-
ra, equipagem 5, carga varios gneros ,a Bar-
tbolomeu Lourenco.
Navio sonido no mesmo dia
Camossin Hiate nacional D. Julia, mestre Lau-
rentino F. da Costa, carga varios gneros.



ihtiKi


'
Elixir de
Diario de PernambucoSabbaito 31 de Agosto de 1889


tivo vegetal.
Formula de Anselmo Jos
dos Santos Andrade
Approtmio pela Jr.spcctorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro era 20
de Julho de 18S7.
EMe depurativo de grandeelficacia as mo-
lestias syJ^H&s e impureza dosangue ; assim
como emHas molestias da? senhoras.
Tem commettidas da terrivel molestia heriber:.
MODO DE USAR
Os aaoi'os temario qu^tro colheres das de
sopa pela manli e quatro noite. As mancas
de-1 a 3 anuos omaro urna colher pela manliii
e outra noite. e os de 5 a 11 annos tomaro
duas colliercs pela manlia e duas noite. De-
vero tomar banlios fri ou momo pela inanha e
noile. aguardo recular.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco lia noel da Silva &C ra do Mrquez de
Oliniia n. 23.
O autor destc prcpnrado pooe ser procurado
na ra do Karo da Victoria n. 37, onde sera en-
contrado para dar toda e qualqucr explicacSo
que for precisa.
Cuidado rom u ral*iflcaooe
Beriberi
N 80
Illm. Sr. Angelina Jos dos Santos Andrade
Recite, 29 deXovembro de 1882.E' com a maior
satisfaco que comraunico aV. S. que sotirendo
por mito tempo de urnas empingens e sem ti-
rar resultado Jos remedios que foraiu recita-
dos, recorr ao seu Elixir Depurativo, preparado
por S. S. e liquei perfectamente curado, assim
- oino tive occasio de apreciar urna cura brithan-
te ein pessoa de minli.; familia, que solTrendo de
grande fraqueza e dormencia as pernas, bra-
co?, mos, falta de appette e anciedade (rcpe-
ueo de beriberi) com o uso de trez garrafas de
tao precioso Elixir est peiTeitamente boa.
Autorizando a V. S. a fazcr o uso que llie ap-
prover do cima mencionado. assigno-me
IV V. S. amigo, criado e obrigado.Elysio A.
da Silceira.
N. 81
Altesto que soffrendo de beriberi. fui aconse-
jado pelos III ms. S.s. Drs. Jos Flix. Maia e
M.itlieus Yaz, a fazer urna vingera embarcado, c
nao me sendo possivel fazcl a de prmpto por
falta de recursos, liz uso do Elixir preparado
pelo Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade. a es-
pera que houvesse vapor para Fernando de No-
ronlia, porm com a primeira garrafa que to-
mei fui sentin lo melhoras c com o uso de seis
garrafas liquei bo:n. e ta seis mezes nada mais
tenho soKndo, portanlo a este Elixir devo o
inca restabelccimento e para constar passo o
presente o qual o Sr. Angelino poder publicar,
merend.
Reeife, 2i de Julho de 1884.Umdiano Clinio
d/ Torres Gal! indo.
N. 82
Reeife, 30 de Dezembro de 1882. Illm. Sr. An-
getioo lit dos Santos Andrade.Proveniente de
molestias sypbiliticas fui atacado fortemenle de
ilieomalisuo e urna crupyo na pelle ; procurei
e usei todos os remedios para debellar o mal e
sempre sem resultado eram os meus esforgos,
quando a consellio de amigos usei do seu prepa-
rado e no lim de tres garrafas, vi salisfeito o
meu maior desejo, liquei bom.
Aceite portanto Vmc. as expresses sinceras
de agradecimento de quem ota toda estima.
De Vmc. alt. venerador e criado.Carlos topes
llnimarCie*.
Estavam selladas e reconhecidas as firmas pelo
abellio.
ar
Dr. Alfredo Gasp
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia roa da impe-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultos de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) quaiquer hora.
TELEPHOSE N. 226
EDITAES
a de
Edificio da Faculdade de
Direito
De accordo com a commissao nomeada pelo
Exm. Sr. conselheiro presideute da provincia
acha-sc aberta, com o prazo de 8 dias a contar
desta data, coacurrencia pablica para o recebi-
raento de propostas das pessoas que pretende-
rem forneeer para as obras do novo edificio da
Faculdade de Direito os matenacs abaixo desig-
nados.
As proposlas sero fistos em cartas fechadas e
entresues no da 2 de Selembro vindouro. s 11
oras da manlul, na repartigio de Obras Milita-
res, era palacio, obrigande-se cada preponente
a forneeer lodos os materiaesconjunctamente ou
.-oda classe que preferir.
O contracto vigorar al 31 de Dezembro des-
te anno.
O transporte dos matenaes ser por con la dos
fornecedores. ficando obrigados a deposi'al os
in largo do Hospicio e lugar indicado pelo en-
genheiro encarregado da construego.
O fornecimenio comegar a ser feito dentro
de 8 dias a contar da aceitago das propostas,
sob pena de 20 por cento de mulla, deduzidos
da nanea de 500000 previamente depositada na
Thesouraria, como garanta.
Arela d'agua doce, metro cubico.
Pedra granito de lastro, arrumada, metro cu-
bico.
Pedra granito em blocs (grandes pedamos) metro
cubico.
Cimento Porlland cm barrica de 6 kilogram-
mas, urna,
"al preia, hectolitro.
'fijlos de al venara grossa d'agua doce
I>,"J1X0,"1SX0,"'W3, milheiro.
Telhas convexas de 0,-57X0,10 de corda, mi-
lheiro.
Travede madeira de le po ferro, sucupira pre-
ia, snpucaia. itcberiba preta, pao d'arco, ba-
cury)'de 0.22 a .n,2a de face at u cumpri-
i nlo de 4" e de 0.-2S a 0,-30 sendo maior
de i, o metro linear,
i linchara* demadeira de lei, de 4" a 6'" por
O,'" 17X0 17, metro linear.
lio ile im a ti" pi r 0.14X0,li, metro linear.
travessa ci i a G, metro linear.
Jiro de madeira de G'" a ?dimetro, metro linear.
Uto de raaagtte de i"1 a G"X0 a 8 a 0,"H, me-
tro linear.
Hipas de 3,SXO,03 de largura, duza.
'Tainas de re/ucro. duzia
Cenia para andaime, pega.
Ferro forjado para arganeis, ponteiras, parafu-
$>s e porcas. ki.'ogramma.
Pr!03 grandes, dem.
ibraes francezc?, idem.
D -. idera, idem. ,
e, 25 de Arosto de 1889.
G. Thaumnturgo de Azevedo.
si eccao. Secretario da Pre*iden-
(ja d Pernambnra, lO de Agoolo
le I**.
O Exm. Sr. conselheiro presidente da provin-
cia de ordem de S.'Bxc. o Sr. conselheiro Vis-
conie de Ouro Preto, Ministro e Secretario de
stjdo dos Negocios da Fazenda, faz saber ao
coanjercio de Pernambuco emais interessados,
quonesta secretaria recebem-se at 31 do cor
ren)-1 reclaraac,oes sobre a tarifa das Aifandegas
e reglamentos de 22 de Fevereiro de 1888, re-
lativos aos impostor de industrias e prolisses,
^^H de aerem consideradas na revisao a que
*ai froceder o Minutario da Fazenda.
O secretario,
Francisco Leopoldo ilarmho de Souza.
* secgio.Secretaria da Presidencia
Pernambuco, em 21) de Abril de 1889.
ffor esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, tendo-se concluido por meio de laudo
de arbitro desempatador, a questo de ava-
iagao do material da empreza de illumi-
aa<;uo gaz -desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zes, contados da data do presente edital,
para contracto da dita illuminaclo, me-
diante as seguintcs clausulas da citada le:
| 3. Ncnhuma proposta ser recobida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Tiiesouro
Provincial deposito da quantia de 2o:0005
em dfiheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitac~io do contracto,
qo caso de ser preferida a sua proposta.
| 4." O deposito, a que se refere a p
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante seno lindo o contracto
servir de cauQao para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que furem estipuladas no mesmo.
| 5. O contracto s'i poder ser feito
com quem mcihores, vantageus offereeer
na concurrencia.
(!.' A nao ser DO w." do paragrapho
antecedente, actual wmjpresa nao ter
preferencia a quaiquer outro proponente.
| (. O novo contractante sera obriga-
do udemnisacao, a que a provincia
sujeita por for5 da clausula decima ter-
ceira do contracto cm vigor, devendo dita
indemnisacSo ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o mtenla
e obras da empreza bypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sac2o ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
| 8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
| 9." Opreco da illuminajao, querpubli-
ea, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o met<-o cubico* de gaz, fazendo-
e urna reduccao de mais de 30 [, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e reparticSes publicas.
| 10. O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a niedi-
cao do gaz.
11. A luz ser clara, brilhante e senta
de substancias estranbas, que possam pre-
judicar a illuminacao e a hygiene publica.
| 12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
13. As horas de illuminayao publica
serao risadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nein maior
de dez, devendo neste caso haver urna
reduccao no prejo do gaz correspondente
ao acrescirao de horas.
| 14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as quest5es que
se 8uscitarem, quer croi o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os sena actos s leis e regulamen-
tos e jurisdicclo dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to ee forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attengao oscillagao do cambio.
| 17." O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrgac3es do contrete.
18." Para as despezas com a fiscali-
saco do servico de illuminacao |o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:0000000, que serilo recomidos ao
Thesouro Provincial.
| 19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condigSes, no
intuito de garantir a boa execucao do con-
tracto, quer com relacao a illuminsao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:9175528, de accordo conr
a avaliaciio feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
Se da de 998:7770528, total da avaliacao,
a importancia de 3:8600000 paga era-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peos, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaqun Silveira.
1. seceo.Hccretaria lia prelden-
|cla de Pernambuco, 38 do Agomo
,de 198
Fajo publico, para os devidosRns, que nesta
data foi remetlida para a Thesouraria de Fazenda
a 2.* va da carta e pensao do soldado refor-
mado do exercito, Florentino Antonio do Espi-
rito Santo.
O official-maior,
Emiliano E. de Mello Tainborim.
BECLARACES
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminacao a. gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
9S0 do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:7770528, por
quanto foram avahadas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evita* duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliagao nao pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido llegal e irregularm.nte feita, bem
como que contra ella j protes"ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda,- tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicacao para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
George Windior,
Thesouraria de Fazenda
Emprestlmo de aoo.o0:4ou&
Em eump.'imrn'.o da ordem coolida em tele-
graiuma do Exm. te consellieirj ministro da
fazenda, de houtem. acn burla nesta Thesoura-
ria de boje at 10 de Setembro prximo futuro
cmque ser devidainente encerrada, a subsc'rip-
Cfio para o emprestimo de 100,030:0003000. au-
torisado pelo decreto n. 10.322, tambera de hon-
lem, sob as leguintes coriciices :
Os titulo serao de 50030b e 1:0001000 db'ci-
pila! inscripto ni baixa v nraortisac&.>OOao
portador, vontade do subsrrifMor; os juros de
4 o serao pagos triin-n.-aiinenle pbr meio de
ronpons; e a aaiortiaeao ik! 1 ao anno:
Os jures e a auiorlisajfa serao pagaveis em
ouro ou en: moeda oirr-e-k-ao cambio de 27 di
nbeiroj steriinos ppr liOOO noHtio de Janeiro,
Babia, Pernaint^sa, l*;ir. Mjr.mlio, S. Pedro
do llio GraiiilM do S+il. S. 'aulo. Cendres, Pariz,
Lisl.ua, Porto, IV-Iii. Amsierdam c New York.
0 |ireijo uiinim-i ili inserpeau sera de DO
que poder se dfvudo pelo subscriptor para ter
preferencia.
As entradas sero : no acto di assignalnra
lOOOOO e a quantia que mais se offereeer; 1901
era 30 de Outubro (este anno; 2003000 em 15
de Janeiro; oO-5 era i' de Fevereirc ; e 2005
cm 5 de Abril; sendo facultado ao subscriptor
anlecipar o pagamento de qualqucr ou de todas
as eutradas abouando-se pelo tempo que faltar
o premio correspondente a 4 / ao anno.
Outrosim, para maior esclarecimento dos in-
teressados vo abaixo transcriptos os arligos das
iostruccOes annexas ao decreto n. 7,381 de 19
de Julho de 1879, pelos quaes ser regulado o
processo para a subscripc&o, endosso, sorleio e
pagamento:
Art. 7." No acto da primeira entrada dar-se-ha
ao subscriptor um recibo, que, depois de termi-
nada a distribuicao do emprestimo, ST resgala-
do por um conhecimento em turma.
As outras entradas serao notadas nesse conhe-
cimento, que mais (arde ha de ser substituido
pelos ttulos e coupons.
Art 8. Os subscriptores que nao liz?rem ef
fectiva alguma entrada nos prazos determina-
dos-.. licaro sujeitos ao pagamento do juro de
10 se a mora for de menos de 30 dias, e per-
derlo o direito entrada ou entradas j realiza-
das, se a mora fr de mais tempo.
Art. 9 O recibo e o conhecimento de que tra-
ta o art. 1 sero transferiveis por endosso e o
titulo por simples tradieco.
Art 11." O sorleio mencionado no art. o' (que
vai tambem abaixo transcripto) do decreto 7,381,
se effectuar era presenca da junta da Caixa de
Amortisaeo tres raezes antes de ser devido o
resgate. Os nmeros sorteados sero publica-
dos, como de estylo, no Diario Oficial, e com-
municados immediataniente por tres vias s re-
particOes que as provincias e na Europa forera
encarregadas de altender ao servico do empres-
timo; as quaes por sua vez faro os necessarios
annuncios na folha ou folhas de maior circula-
Cao.
Art. 12 Os Juros das apolices sorteadas ces-
sarSo desde o da em que principiar a respecti-
va amortisaeo.
Art. 13. No acto do pagamento da apolicc
sorteada ou comprada, descontar-se-ha o equi-
valente de quaiquer coupon de juro ainda nao
vencido que baja sido corlado.
Art. lo Oilo dias antes de se vencerem os
juros devero ser apresentadosaos encarregados
do servico do emprestimo os respectivos coupons
por ordem de uumeracao e acompanhados de
urna declaraco assignada pelo portador ou pos-
suidor de ttulos.
Em* iroca daro os ditos encarregados um bi-
lhete ern que se determinar o numero de coupons
recebidos c a quantia que elles repieseniarem e
que se pagar se os coupons nao offerecerem du-
vidas.
Art. 5.- (do decreto 7,381). A amortisaeo ser
semestral c far-seha ao par por sorleio se os t-
tulos estiverera com cotacao cima de cem. e
por compra nn mercado se se acharem cotados a
cera ou abaiio de cera.
Thesouraria de Fazenda de. Pernambuco, 28
de Agesto de 1889.
O inspector,
Manoel Antonio Cardoso.
1.* ora$a
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do dia 2 do mez de Setembro
prximo vindouro, sero arrematadas porta
desta repartico, 75 caixas, marca HF e contra
marca fernambuc, ns. I 75, vindas de New-York
no vapor allemio Catania, entrado no corrente
mez, abandonadas aos direitos por Henry Fors
ter 4 C contendo obras irapressas (folhinhas
para 1890) e cartazos annuncios de urna cor,
pesando liquido legal 5,%7 kilogramraas.
3 sccco da Afandega de Pernambuco, 30 de
Agosto de 1889.
0 chefe.
Domingos Joaqit-n da Fonseca.
Instituto dos Advoca-
dos do Reeife
De ordem do Sr. Dr presidente, convido os
senhores socios do Instituto dos Advogados do
Reeife, a veunlrem-se na segunda-leira 2 de Se-
tembro, s ti horas da larde, ra do Imperador
numero 34.
Reeife, 30 de Agosto de 1889.
O l. secretario,
A. Estevo de Oliveira.
Obras Publicas
Utfule da Magdalena
De orra do Illm. Sr. Dr. engenheiro
director geral de conformidade com a au-
torisacao de S. Exc. o Sr. conselheiro
presidente da provincia, de 23 do corren-
je, faco publico que no dia 14 de Setera
bro prximo vindouro, n'esta direetoria
recebe-se propostas, em cartas fechadas
competentemente selladas, para execi^ao
dos reparos de que necessita a ponte sob
o rio Capibaribe, na passagem da magda-
lena, oryados em 9:587,5200 ris.
O orcamento c mais condicoes do con-
tracto acham-sc n'esta secretaria onde po
dem ser examinados pelos pretendentes.
Para concorrer praya cima devera >
os licitantes depositar no thesouro provin-
cial a quantia de 479)5360 ris equivalen-
te a 5 /0 do valor do orcamento.
Secretaria da directora geral das Obras
Publicas, em 24 de Agosto de 1889.
O engenheiro secretario,
Luiz Antonio Qavalcante de Albuqucrque.
Relacao dos novos estabelecimentos que no
exercicio de 1889 esto sujeitos ao im-
posto de SOre. por litro d'aguardente
ou alcool quer preso quer transformado
em licor, conforme a lei n. 1884, e veri-
ficada pelo lancador Izidoro T. de Mat-
tos Ferreira, na freguezia de S. Jos.
Lomas Valentinas n..39., Paulina
Alves de Oliveira 16-5000
Coronel Suassuna n. 146. Eduar
do Marrano 240O0
Dita n. lf>l. Mello C, 320000
Mrquez do Hrval n. li Sera-
tira Carneirb 8'e Araujo 40i>400
Dita n. 16 ). Marques c & C, -A^OO
Dita n. 141. Antonio Alves Pa-
checo 40^000
Travesea do Pocinho n. 31: Ma-
noel Goncalves da Silva Araujo 24^090
Cadeia Nova n. 33 A. Silva &
Alraeid*" 56000
Vital de "Xegroiros n. 93. Jos Ko-
f.irigue8 Lopes 165000
Dita n. 151. J. L. & C, 385400
Dita n. 115. Jos Di.u de Almeida 485000
Travos da Prata n. 20. Deme-
trio Carnciro 325000
Padre Floriano n. 41. Paulo Fran-
cisco ^de Souza 325000
Ohristovao Colombo n. 14. Jos
da Silva Percira 325000
Jardiinn. 11. Luzia dos C. Mello 245000
liua do Forte n. 54. Joo Cardu-
zo & C. 485000
Largo do Mercado n. 15. Manoel
Gregorio do Nasciraento 565000
Travessa do Peixoto n. 30. Ma-
noel Fernandes d'Almeida 385400
Ipiranga n. 13. Miguel Fernandes
dos Santos 125000
Imperial n. 99. Bernardino Jos -
Lisboa d'01 i ve ira 325000
Dita n. 133. Manoel Goncalves
Malheiroa 405000
Dita n. 153. Bazilio Baptista Ade-
no 245000
Dita n. 227. Casemiro A. Fiuza
Lima 405000
Dita n. 281. Joaquim Alves 32^000
2.a Travessa de Domingos Villaca
n. 2 B. Paulino Alves d'Olivei-
ra 245000
Via-Ferrea n. 5. Pergentino Pe-
reir Caldas 245000
Dita n. 21 A. Jos Trado da Costa 325000
Becco Azul n. 44. Odoneo Felicia-
no Branco 245000
Gamelleiran. 8. Manoel Coelho da
Silva 245000
Freguezia de Afogados
Ra Direita n. 1 A. Jos Joaquim
Fernandes de Mendon?a 245000
Motocolomb n. 51. Antonio Fran-
cisco da Costa 85000
Ra do Rio n. 9. Joao Henrique
de Souza Rangel 245000
Estrada Nova n. 11. Vieira Ir-
mao <& C. 325000
Dita n. 56 A. Joao Francisco de
Vasconcellos 205000
Estrada Nova n. 74. Joao Lourei-
ro & C, 325000
Dita n. 108 A. Jos Pinto de Fi-
guciredo 285000
Dita n. 116. Francisco Alves da
Silva 165000
Dita n.J40. Jos Monteiro da
Rocha* 325000
Dita n. 146 A. Antonio Lopes
Teixeira 165000
Dita n. 99. Joao Miranda & C. 245000
Giqui e Jaboatao n. 68. Joao
Manoel dos Prazeres 195200
Dita n. 128 C. Francisco & C. 85000
Dita n. 158 A. Joao Jos do Car-
ino 165000
Dita n. 242. Manoel Rodrigues 165000
Dita n. 35. Manoel Tavares &
C. 165000
Dita n. 220. Joao Pinto Machado 85000
Dita n. 233. Geraldo Jos de
Barros 165000
Dita n. 149 A. Cicero Gomes Pe-
reira Guerra 85000
Dita n. 313. Joao C. F. de Me-
nezes 165000
1.a 8ec$ao da Recebedoria Provincial
20 de Maio de 189.
O chefe,
Jefferton Mirabeau de Azevedo Soares.
Companhia Alagoana
de Fiac,o eTecidos
Convidamos aoo senhores subscriptores desta
companhia, para de accordo com os arts. 9 e 10
dos estatuios, at o dia 10 de -etembro prximo
futuro, realisarem sua stima entrada na razo
de 10 0/0 do valor de suas accOes, no Banco In-
ternacional do Brasil. Macei, 10 de Agosto de
1889.Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. de Carvalho.
Propicio Pedroso Brrelo.
Companhia de Edifica^ao
A commissao liquidadora ra Companhia de
Edilicago, convida 03 Srs. acciouistas da allu-
dida coranunhia a reuniremse em assemhla ge-
ral, no dia 2 de Setembro vindouro, ao meio dia,
no 1." andar do predio n. 77 ao Largo de le-
dro U. para o lira de tomarem conhecimento das
con tas e do bataneo encerrado em 20 de Julho do
corrente anno, e ouvirem a leitura do parecer da
commissao (iscal.
N'esta mesma assembla geral se tratar acerca
do disposto pelo art. 94 do decreto n,. 8821 de 30
de Dezembro de 1882.
Escriptorio da Companhia de Edificaco em li-
qutdaco. 17 deBgosto de 1889.
Jos Gomes Ferreira Maia.
Joaquim de Oliveira Borges.
Bernardino da Cofia Campos Jnior.
Club 1. de Fevereiro
Joaquim .lucirs. Lima
Por ler Tallecido o nosso consocio Joaquim
Audfax Lima resolven este ciub mandar rezar n0
trigsimo dia do seu infausto passamento urna
missa pelo seu descanso eterno; e convida todos
os socios e bem como a Exma. familia e amigos
do mesmo tinado .para compareccrem no conven-
io de N. S. do Carmo, no dia 2 de Selembro. s
7 horas da inanha.
Secretaria do Club 1.* de Fevereiro, 29 de
Agosto de 1889.
0 secretario,
_______Manoel Joaquim di- Sant'Anna '"aslro^
Santa Casa d^ Misericordia
do Reeife
A'REALISARSENO
Dia 1 de Setembro de 1889
Illms. Srs.
Juiz do enshanientoProfesor Francisco Carlos da Silva Fragoso.
Juizcs de pesagemDr. Manoel Gongalves da Silva Pinto e Arthur de Souza
Carvalho.
Juiz de partida -Benjamin A. de Freitas Pessoa.
Juiz do distanciadoRodrigo Carvalho da Cunha.
Juizes de chegadaJoao Raposo de Souza, Joaquim de Oliveira Borges, Fran-
cisco Floro Leal.
Inspector geral de raiaMajor Ernesto Vieira de Araujo.
Inspectores de raiaPolicarpo Layne, Thomaz de Carvalho Soares Brandao
Filho, Manoel Jos Fernandes Barros, Cuto Valeriano Pereira, Gedeo Forjas
de Lacerda.
Juizes de archibancadaBarao de Soledade, commendador Antonio Marques de
Amorim, Dr. Joaquim de Cerqueira Leite, Antonio Marques de Amorim Jnior coro-
nel Scbastiao Alves da Silva. Jos Eleuterio de Azevedo, Dr. Eduardo de Oliveira
e Dr. Jo3o Lins
I
Major I^nuresitino JoM de
Miranda
A junta administrativa desta sania casa far
celebrar na greja de N. S. do Paraso, pelas 8
horas da manha do dia 3 de Setembro vindouro
urna missa de rquiem, canlada^elas educandas
i dos expostos, pela alma do major tau-
rciiiiiiu dott de Miranda, que pormui-
los annos servio como thesoureiro desta corpo-
rago, c convida para assistir a este acto todos
os membros da familia e amigos do Ilustre
morto.
Secretaria da Santa Casa da M sencordia do
Reeife, 28 de Agosto de 1889
O escriuao,
Pedro Rodrigu's de Souza.
m
Vinc
/
Pello*
a
datura- 0
lid.
a

Cor da vetl-
meuta
Proprietario*
1." PareoAnimaro-830 metros-Animaes da provincia que nao tenham ganho no erby
em mair distancia. Premios : 200$ ao Io, 40$ ao 2u e 20 ao 3o.
1 Pombo Preto
2 Breas......
3 Sans-souci...
4 Hercules.....
o Mosquetinho.
6 Rio da Pra-
ta 2......
Corsario....
8:Bonjour... .
9 Esquimo...
Caxito.......Pern.
Alazao......
Baio........
Rodado.....
Castanho----
Rodado.
Zaino.......
Rodado.....
5o Branco..............;CoudelariaVictoria.
5o Preto, ene. e ouroTattersal Pernamb.
53 Ouro c branco......D. A. L. J. O. L. Matos
Verde e amarello.... Jos Caetano Pinto.
Preto e branco.......Coud. Camponeza.

:
58
55
55
Branco e encarnado..
Encarnado e branco.
Verdee preto.......
Felismino L. Rosas.
Joaquim T. Silva.
Coud. Bella Vista.
Augusto de Miranda
2. Pareo -Prado
da Estancia 1000 metros Aniraaes at meio sangue.
mos : 300$ ao Io, 60$ ao 2 e 30$ ao 3o.
Pre-
li Ruy-Blas....
2Cblron e x-
Corcovado.
3 Maestro.....
4 Man da ri ni...
5Aymor-----
6 Saturno.....
7Galilo.....
8iMinerva.....
9 Douro.......
10 Risetle......
7 Alazao
Castanho
Tordilho-----
Rosilho
Castanho

Alazao......
Douradilha..
Alazao......
Zaina.. .. ;
S. Paulo..
Rio de Jan.
S. Paulo..
Rio de Jan.
57
. *jf
55
Vi
53
55
50
51
I
Rosa e preto.
Azul e ouro..........
Encarnado e branco..
Rosa e preto........
Azul e ouro.........
Arthur Silva.
Coudelaria Pavsand.
Coud. Pernamiucana.
Coudelaria Cruseiro.
Nemo.
Coud. Internacional.
Preto e amarello..... Coud. Fraternidade.
Azul branco eenc...
Verde e amarello.....
Ouro e branco.......
Coudelaria Cruseiro.
Escrich.
Coudelaria Temeraria.
3." PareoAnimaro (2' turma)830 metros -Animaes da provincia que nao tenham
ganho no Derby'em maior distancia. Premios : 200$ ao Io, 40$ ao 2o e 20J ao. 3.
Sneca......
Potos.......
Pi ramn.....
Lord-Byron
ex-Leo___
Boa-Vista....
Uublin......
Elo........
Almirante...
iBonaparte...
Russo oedrez
Castanho
Pedrez......
Mellado.....
Cardo......
Castanho....
Pern.
Rodado
99
57
55
00
56
53
55
OO
37
Azul e ouro...
Azul e grenat.
Lyno.........
Branco e preto......
Branco e pavfio......
Branco e encarnado..
Azule branco........
Branco e encarnado ..
Urbano Pessoa.
Luiz Pereira.
Jos Coelho. Leite.
Coud. Basroaque.
Jos J. dos Santos.
Manoel J. de Miranda.
Jos Cavalcante.
Rufino Cardeso.
Rodolpho G. Leal.
4 Pareointernacional 1609 metrosAnimaes de quaiquer paiz. Premios: 500$
ao Io, 100$000 ao 2J e 50$000 ao 3".
Apollo..
Fagotin.
Derby-.
Ves per .
Ernn i .
Diana ..
Alazao......
Id. queimado
Alazao.....
Zaino.
Alaz.
R. da Prata
Franca -..
Inglaterra.
Franca
M
57
55
54
59
31
Ouro e preto-.
Azul e ouro...
Ouro e branco
Encarnado e branco..
Azul c ouro.........
Dr. Joo de S C. d'A.
oud. Internacional.
Coudelaria Temeraria.
Coud. Emulaco.
Arthur Silva.
Coud. Internacional.
5." Pareo -Provincia de Pernambuco1.300 metros.Animaes da provincia que n5o
tenham ganho em maior distancia. Premios : 250$ ao i", 40$ ao 2* e 25$ ao 3. .
Florete.....
Village......
Cndor.....
Good -mor-
ning.......
Lamego
Castanho
Mellado.-
Baio.....
- Rodado...
-Russo ...
Pern..... 58
54
* 54
64
54
Encarnado e branco
Grenat e ouro ..-----
Grenat.............
Azul e branco.
Azul e grenat.-
Francisco Freir.
Jos Joaquim Dias.
liulino Cardoso.
... Goncalves ft C.
6 o PareoCompenaaco 1.400 metrosAnimaes de quaiquer paiz que nao tenham
ganho em mair distancia no Derbv, nestes ltimos tres mezes. Premios : 400$000
ao i-, 80$000 ao 2o e 40$000 ao 3\
Ruy-Blas ..
Erani----
Josephus...
Estephanie.
Africana...
Brazil.....
Alazao...
Zaino
Castanho.
Zaina
Castanho
S. Paulo-
Inglaterra.
Franga. ..
Inglaterra.
R. da Prata
Franca ...
56
60
60
55
60
H
Rosa e preto.........
Encarnado e branco.
Grenat..............
Ouro e branco........
Branco c preto......
Azule ouro.........
7 o PareoEmulaco- 900 metrosEguas da provincia. Premios :
2 e 15$000 a 3'.
Coruja..
Marina.
Stella ..
Ida.....
Fantina-
Rodada.....
Castanha. ...
Zaina.......
Rodada......
Alaz.......
Pern..... 53
53

* oo
53

00
A. branco e encarnado
Grenat..............
Azul e branco.......
Azul eouro..........
Branco e azul.......
Arthur Silva.
* m
Guimares Oliv. & C.
Coud. Temeraria.
Coudelaria Riachuelo.
Coud. Independencia.
150$000 !, 30$
M. J. de Miranda.
H. Mitonio Santos.
Rufino Cardoso.
Rodolpho Pessoa.
M. P. d'Albuquerqut.
(*) Montado por amador.
Os animaes inscriptos para o Io pareo devem achar-se no ensilhamento s
9 lj2 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, deverito estar no ensih amento
pelo menos urna hora antes da determinada para o pareo em que tiverem de correr.
Pede-se atten?ao dos Srs. proprietarios para os additamentos feitos ao regi-
ment interno do Derby Club de Pernambuco e para os artigos 9, 10, 25 95 do
mesmo regiment interno.
O expediente destacorrda ene errar-se-ha Sexta-feira 30 de Agosto de 1889
s 3 horas da tarde.
A venda de paules encerrar-se-ha 20 minutos antes de cada corrida.
HORARIO
1. pareo.......
2." pareo /......
3. pareo.......
4." pareo.......
5. pareo.......
6. pareo......
7. pareo...... .
Reeife, 29 de Agosto de 1889.
O GERENTE, Henrique Schuei
11 horas e m.
11 e 50 s
12 > e 40 >
1 > e 30 >
2 e 20
3 e 10
4 0 >
Recebedoria de rendas inter-
nas geraes
Imponlo de induntrinM e proussdes
O administrador da Recebedoria faz pu-
blico que finda-se no dia 31 do corrente
mez o praso para o pagamento livre de
multa do imposto de industrias e profis-
ses relativo ao 2.- semestre do exercicio
corrente de 1889 e depois desse praso ser
cobrado com a multa de 10 0.
Recebedoria 28 de Agosto de 1889.
Alexandre de Souza Pereira do Carm*.
..

|




I
4
v


Diario de PernambucoSabbado 31 de Ag-osto de J889

mu
1 11 JI l \i im. il
PROJECTO DE INSGRIPGAO
Para a 3.a corrida a realizar-se no dia 8
de Setembro de 1889
1. PAREO Inicio 800 metros. Animaes da provincia que nao tcnham g-
libo premio nos prados do Recife Premios: 200|J000 ao primeiro,
40)5000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
2." PAREO Internacional 1.400 metros. Animaes estrangeiros que nao te-
nham ganho em 1889 em maior distancia. Premios : 4000000 ao pri-
meiro, 800000 ao segundo e 40-5000 ao terceiro.
3. PAREO Imprensa Pernambucana 1.500 metros. Animae3 da pro-
vincia que nao tcnham ganho em maior distancia. Premios: 2500000
ao primeiro, 500000 ao segundo e 250000 ao terceiro.
4. PAREO Ferro Carril1,400 metros. Animaes nacionaes at meio san-
gue. Premios: 3000000 ao primeiro, 600000 ao segundo e 300000 ao
terceiro.
b. PAREO Prado Pernamfoiicano 1.700 metros. Animaes de qual-
quer paiz. Premios: 5000000 ao primeiro, 1000000 ao segundo e
50000 ao terceiro.
6.'PAREOVelocidade1.000 metros. Animaes da provincia. Premios:
2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
7. PAREO ConsolaeSo 850 metros. Animaes que nito tcnham sido in-
scripto e qte nao tenham ganho premio. Premios: 2000000 ao pri-
meiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
Observacoes
S serao aceitas para cada pareo quinze'propostas. Cada enveloppe dever
conter urna s proposta, c caso appareca mais de urna, s ser acceita a primeira
que for lida, sendo recusada a proposta que nao vier acompanhada da importancia
da inscripcSo.
Nenhum pareo se realizar sem que se inscrevam animaes de tres proprieta-
rios differentes.
A inscripcao encerrar-se-ha terca-feira 3 de Setembro as! 6 horas da
tarde, na secretaria do Prado Peruambucano, ra do Imperador n. 83, 1. andar.
Recife, 30 de Agosto de 1889.
Francisco de Souza Reis,
GERENTE.
i
Em virtude do que dispe o artigo 66 do regu-
lamento que baixou com o decreto n. 9.554 de 3
de*Fevereiro de )&86, a Inspectora Geral de Hy-
gllue faz publico pido [>razo de 8 dias, que o
dado Octaviarlo Luiz Augusto de Lagos, lhe
dirigi a seguinfe p-tico com documentos que
satisfazem as exigencias do art. 63 do citado re-
gulamento
Diz Octaviano Luiz Augusto de Lagos, resi-
dente na cidade do Rio Kormoso. provincia de
Pernambuco, que tendo mais de 10 annos de pra-
tica de pharmacia, como provara os documentos
juntos, r.s. 1 e 2, e havendo necessidade de urna
pharmacia nesta cidade, como prova com o altes-
tado da cmara municipal, vera o supplicante
requerer a V. Ex. a graca de conceder-lhe li-
cenca para abrir e dirigir urna pharmacia nesta
mesma cidade do Ro Formoso, em vista do
art. 6o do regulamento que baixou com o decre-
to n. 9.554, de 3 de Fevereiro de 1886.=Xcstff
termos. -Pede a V. Exc. defer ment.E. R
Cidade do Rio Formoso. 13 de Maio de 189
Octaviano Luiz Augusto de Lagos. Sobre urna
estampilha de quatrocenlos reis.
E declara que se 06886 praso nenhum pharma-
ceutico formado lhe communicar, o i Inspecto-
ra de Hygiene da provincia de Pernambuco, a
resolucSo de estabelecer pharmacia na tciada
localiddc, conceder ao pratico licenea reque-
rida.
Inspectora Geral de Hygiene, 2 de Agosto de
1889.-Dr. Pedro rtffonso de Carvalho, secreta-
rio. ______________________
Banco Internacional do Brazil
Emprcstimo nacional Rs. 100,000'K)OOjf()00
O governo brazileiro abri subscripcao no
Banco Internacional do Brazil no Rio de Janeiro
para um emprestimo de cem mil contos de ris as
seguintes condicoes:
rreco 90 o-
Jiironmiual 4"0 a contar del deJulhodeste
anoo pago por trimestre, em
Outubro, Janeiro, Abril e Julho.
Amorlia<-o ancual 1 ",.
Juros e auiortisaco paga veis
em ouro no Brazil, Lisboa, Por-
to, Pariz, Londres, Amsterdam,
Berlim, Nova-York.
Titulo ao portador com os respectivos cou-
pons escriptos era portuguez.
francez e inglez, valor de 500
e 1: ('00 $000 e seus equivalentes
em libras e francos.
l'utaraciii em papel moeda.
10 /0 no acto da subscripcao.
15/o em 30 Outubro 1889.
20 % 15 Janeiro 1890.
25 / 15 Fevereiro
20 % 5 Abril
com a faculdade de antecipar os
pagamentos, descont razao
de 4 "'o ao armo.
Tero preferencia os subscrip-
tores que melhor prego oflere-
cerem.
Listas para subscripcOes acham-se na Caixa
Filial do Banco Internacional do Brazil nesta
provincia.
Recife, 28 de Agosto de 1889._____________
Obras publicas
1 adela da <-idade da Victoria
De ordem do Illra. Sr. engenheiro director
geral, em vrtude da aulorisacio de S. Exc. o
Sr. conselheiro presidente da provincia, de. .
do corrente, fago publico que no dia 14 de Se-
tembro prximo vindouro, nqsta directora ice-
be-se propostas em cartas fechadas, competen-
temente selladas, para execucio dos reparos de
que necessita o edificio da cadeia da cidade da
victoria, orgados em 951*800.
0 orgamento e miis condices do contracto
acham-se nesta secretaria, onde podem ser exa-
minados pelos prelendentes.
Para concorrer a praga cima dever o licitan-
te depositar no Thesouro Provincial a quantia de
474740, equivalente a 5 0/0 do valor do orga
ment.
Secretaria da directora geral uas Obras Publi-
cas Provinciaes de Pernambuco, em .3de Aeosto
de 1889.
O engenheiro secretario
___________Luiz Antonio C. de Albuquerque
SEGURO CMT1A FOtO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL, S.OOO.-OOO
AGESTES
R.DEDRSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
London & Brasil ian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa rna dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
IN DEMNISADO R A
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
EMalbelecida i *>."">."
CAPITAL 1.000:000^000
SXISTROS PAGOS
At3f deDezembrodel884
Martimos.. 1,110:000$OOG
Terrestres. 316:000#000
44Ra do Commercio44
SEGKOS
martimos costra fogo
Companhia Phenlx er-
nambucana
RA DO COMMERCIO N. 38
Companljia tic &e$axos
:::::,l ::::
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posigao financeira ("ezembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.134,348
Ke celia annnal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. BoxinelTm
Companhia de Seguros
AGENTE
Miguel Jos Al ves
H. Hila do Rom Jcmis s. t
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros c a nica companhia
nesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
go de pagamento de premio em cada stimo
auno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por canto em favor dos segurados
Conipanhia
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercader ios
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
Rs. 1 tt.OOO:000000
AGESTE
BttOtVXM *i C.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
MARTIMOS
CONTRA POGO
The Liverpool k London & Globe
SLACS87BV. SSS22A1 & C.
Ra do Commercio n. 3
COUrtVIllt PEHVUIBIKM
DE
Xavegaco costeira por vapor
PORIOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaju* e Baha
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 7 de Setembro s
o horas da tarde. Recebe car-
ia at o dia 6 .
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 2 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORK)
Ao Caes da Companhia Pemambucana
n. 12
Companhie de Messageries
Maritimes
LINEA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Camoin
E' esperado dos portos do
sul no dia i de Setembro
seguindo depois da demo
ra do cosiume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageires de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo
Faz-se abatimento de 15 0|0 em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepcao, os criados de familias que to-
marem bilhetes de proa, gozam tambem deste
abatimente.
Os vales postaes s se dao at o dia 3 de Se-
tembro pajios de contado.
Para carga, passagens, encommenda'3 e di-
nheiro a frete : traa-secom o /< GENTE.
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado da Europa no
dia 4 de Setembro e se-
guir depois da demora
necessaria para
Baha, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reseados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer temno.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercadu-
ras que s se attendera a reclamares por fal-
tas, nos voluntes, que forem reconhecidas na
occasio da descarga, assim como deverao den-
tro de 48 horas a contar do dia da descarga das
alvarengas, fazerera qualquer reclamado con-
cernentes a volumes que porventura tenham se-
guido para os portos do sul, afim de poder-se
dar a tempo as providencias necessarias.
Ente paquete llluminado & lus
eleclriea.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
9 Ra do Commercio 9
CHARGEURS REUNS
Companhia Francesa
DE
]WaTegaeo a vapor
.jinha regnlar entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville de Kosario
Commandante Portier
E' esperado da Europa at o dia 5
de Setembro, seguindo depois dain-
,dispensavel demora para a
Bahia, Ro de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reciamacao concernente a volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
sul atim de se podei dar a tempo as provi-
pencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsanilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a rete : trata-se com o AGENTE.
O vapor
Ville de Pernambuco
Commandante Lenormaml
Espera-se dos portos do sul at
o dia 10 de Set.-mbro, seguindo
depois da indispensavel demora
para o Havre tocando em
L.iwboa.
Entrar no porto
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece excellentes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
mo.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes accommodajes.
Para carga, passagens, encommendas e di-
oheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
Angoste Labille
9-RA DO COMMERCIO-9
COMPUIAMA PEKXAUBI t %\\
DE
.\'avegaeo costeira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Jaguaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 5 de Setembro as S
horas da tarde. Recebe carga at o
Encommendas, passagens e dinheiro frete'
at s 3 horas da tarde do dia .">.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucanu
n.12
Vapores
nacionaes
EMPREZA NORTEE SUL
Rio de Janeiro. Rio Grande do
Sul. Pelotas e Porto-Alegre
O vapor Arlindo
Seguir para os
portus cima
indicados ama-
nhfis7 horas da
manh.
ReceTe carga, passagens e encommendas a
tratar com os
CONSIGNATARIOS
Pereira Carneiro &C.
6RA DO COMMERCIO6
1- andar
Royal Mail Steam Packet
Companhy
O vapor Atrato
Commandante L. R. Dickinson
E' esperado do sul no dia 1 de Se-
tembro, seguindo depois da demora
necessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, Southampton e
Antuerpia
Reducco d* passagens
Ida Ida e volta
A* Lisboa 1 clagfce 20 t 30
A'Southampton 1-classe 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C
N. 3Ra do Bom JeguN. 3
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Alagoas
Commandante Joao Maria Pessoa
E' esperado dos portos do norte at
o dia 3 de Setembro e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
As encommendas sero recebidas no trapiche
Barbosa at i hora da larde do dia da sahida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Manos
Commandante o Io tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos portos do sul at o
dia 7 de Setembro e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte at Manos.
As encommendas s sero recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
lo andar
Leilo
i
A o commercio
LEILOES
Segunda fcira2, deve ler lugar o leilo da
barca Ctcilia arribada neste porto, sendo o casco
em um lote, as velas, ancoras rorreles e mais
pertenr.es em dillerentes lotes.
A's 10 1/2 horas em ponto encootraro os
concurrentes botes na caes da Companhia Per-
nambucana que darao passagem gratis aos pre-
tendentes'dos objectos do leilo.
De fazendas
CONSTANDO :
I)n caixa n. 1,169 com 48 pecas de fazendas de
seda para vestido, vai a leilo pela 4. vez, parte
da caixa n. 1.163 contendo 36 duzias de leques
linos sonidos vai a 4." leilo, caixas ns. 709 e
710 contendo 340 duzias de pares de meias de
algodo de diversas qualidades para homens e
senhoras, vai a leiio pela 3.* vez a caixa n. 711
com 22 pecas de casemiras de l, vai a leilo pela
3. vez, parte da caixa n. 712 com 14 pegas de ca-
semira, vai pela 3.* vez a leilo a caixa n. 1,193
com 25 pecas de brira de cores, vai a 3." leilo
I caixa n. 54 corn 41 kilos de cassas de algodo
bordado.
Terea-felra. 3 de Setembro
A's 11 horas
O agente Gusmo autorisado por despacho do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio leva-
r a leilo no armazem da ra do Mrquez de
Olinda n. 5, as mercadorias cima mencionadas
pertencentes inassa fallida de D. P. Wld 4 C,
que sero vendidas e:n lotes a vontade dos com-
pradores.
Jos Gongalves de Oliveira scieotilica .(jnt
pffofeu o seu estabeiecimento em Olinda, sito
ra do Coronel Joaquim Cavalcante (outr'ora d
Sol) 0. 14. sua lillia D. Maria Fdgueira Viann
livre e desembarazado de qualquer onns.
Olinda, 30 du Agosto de 1889.
Jos Goncalves de Oliveira.
Leilo
da barcaca Fnix, slidamente construida com
todos os pertences que conduz 430 saceos, esta-
cionada no caes do Ramos.
** A's llvhoras em pontD
Em frente ao caes do Ramos
O agente Gusmo, autorisado. far leilo da
referid Darcara por cunta c risco de quera per
tencer.
Leilo
Da barca Sicilia, arribada neste
porto por l'orea maior
CONSTANDO:
Oo casco e mais pertences em um lote e em de-
ferentes lotes as velas, ancoras^ correntes, es-
pas, phares. lanternas, globos, cadernaes, mor-
tes, tanque, pipas, escadas, sinos, bitacula,
agulha de marear. 1 fugo, trem de cosinha, en
cerados, ps, manilhas, macacos, cabos de li-
nho, lona, tinta, signaes, bandeiras. 4,000 achas
de lenha. 0 saceos com curvo. 1 relogio, 2 me-
sas, 1 bote grande, 4 remos. 2 forquetas, 4 ve-
las, 1 catraia com 2 remos, 2 forquetas. 1 vela e
outros objectos existentes a bordo da mesma
barca.
egunda-feira. 2 de Setembro
A's 11 horas
A bordo da mesma barca
O agente Pinto levar leilo por mandado e
em presenga do Exm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do commercio, a requerimento do capito
da barca Sicilia com licenga do Sr. Dr. ins-
pector da alfandega, com assistencia do empre
gado da mesma reparlico para este lim nomea-
do o casco e mais pertences da referida barca
em muitos e differentes lotes, no estado c lugar
em que se acha ancorada neste porto onde foi
legalmente condemnada por inavcgavcl.
Em tempo
A's 10 1/2 horas em ponto sero encontrados
na rampa do caes da Companhia Pemambuca-
na botes que daro passagem gratis aos concur-
rentes de leilo.
Leilo
Agente Britto
De urna importante armaco de amarello envi-
dracada, com balcSo, podendo servir para
qualquer negocio, sendo este o ultimo eilao,
pois se entregar pelo maior lance que se ob-
tiver.
Garante-se a casa.
Segunda-feira, i de Setembro
A's 11 horas
Praca do Conde d'Eu n. 18
Leilo
De fazendas. miudezas e objectos para sapateiro,
constando de madapoles, chitas pretas e de
corea, lans para vestidos, cambraia victoria,
bramante inglez de linho e algodo, brins par-
dos, camisas de meia. colarinhos, chales, es
partidlos, lichis, lio para sapateiro, botes de
madreperola, ditos de vidros c louga, ditos
para sapatos,' escovas para roupa, ditas para
sapatos, rame de lato, extratos, espelhos, la-
pes, perneiras, e muitos outros artigos de miu-
dezas e fazendas que sero vendidos em lotes
e ao correr do martello, por occasio do leilo
de fazendas da massa fallida de D. P. VVild.
Terea-felra. 3 de Setembro
A's 11 horas
Por intervencao*
Do agente Gusmo
No armazem n. 5 da ra Mrquez de
Otada
Leilo
Do cavallo de corridas denominado Falstaff ou-
tr'ora Meroreu, de puro sangue inglez e de pou-
co mais de 3 annos.
Um cavallo de sella, com andares.
Duas vaccastourinas.
Terca-feira. 3 de Seteni
A'S 11 HORAS
Agente Pinto
Em frente ao armatem da ra do Bom Jess n
45, onde haver leilo de movis, louga. vidros
quadros. espelhos e instrumentos.
Leilo
Agente Brito
Da armaco de louro envidracada com balco e
3 fiteiros para o mesmo, 2 "liteiros para porta,
grande sortimento de miudezas e qumquilha-
rias, porco de charutos e cigarros. 3 raixes
com rogos, 1 relogio de pande, 1 espelho ova!
grande, 1 sof, 1 cama franceza e 3 mezas de
amarello, joias de ouro e plaquet e muitos ou-
tros objectos existentes no estabelecimento
sito
Ra Direita n. 73
Garantem-se as chaves.
Terea-felra. 3 de Setembro
A's 10 12 horas em ponto por serem meitos
os lotes
Agente Pestaa
Leilo definitivo
Da casa terrea de azulejo sila a estrada do Re-
medio u. 76 com os commodos seguintes 3,
quartes 2 salas, cosinha, cacimba e quintal
murado, servindo de base a offerta de 600.
Terea-felra, 3 de Setembro
A's 11 horas
No armazem travessa do Corpo Santo
n. 27
0 agente Pestaa vender por mandado e as-
sistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orpbos e a
requerimento do inventarame Hermillo Lins
Chaves a quem melhor offerta fizer, no dia e
hora cima mencionado.
Agente Stepple
Leilo
De bons predios na comarca de Olinda
Terca-feira 3 de setembro
A's 11 horas
Xo edificio da cmara municipal de Olinda
0 agente arima por mandado e assistencia do
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphos
da comarca de Olinda, levar a leilo as seguin-
tes casas : 1 sobrado ra de S. Pedro Jfartyr
sob n. 30, a casa terrea ra de Malinas Ferra-
ra hoje Fernandes Vieira sob n. .">7. a casa ter-
rea na mesma ra sob n. 30, a cjsa terrea ra
do Amparo sob n. 3, a casa terrea ra do Al-
jube. hoje 13 de Maio sob n. 37. Todas estas ca-
sas na comarca de Olinda e pertencentes a me-
nor Maria, hrdeira instituida no lestamento do
linado domingos da Silva Torres.
"Ssim tambem um cavallo russo-pombo anda-
dor de baixo a meio.
Os Srs. prelendentes desde j podero ir exa-
minar as referidas casas.
AVISOS DIVERSOS
Aioga-se i casa da ra das Flores n. i8,
com 3 quartos ; a tratar na ra Nova n. 31),
loja
l'recisa-se de una ama para cosinhar para
tres pessoas ; no largo da Penha n. 8, laverna.
Precisa-se de un caixeiro com perfeito
conherimento de retalho e que d" conhecinento train n
idneo de sua conducta, para urna casa de mo-i
liados : quem estiver nestas condire?, dirija-1
se ra de Herclica n. 7 (Passasem), para re-
ceber informaces ou dal-as c tratar.
Ama
Precisa se de urna ama
com perfei'jo, para casa
na ra do Alecrim ?n 20.
que lave e engomme
de pequea familia ;
Cricket
tos particulares.
Faz-se descont em casa de
FAMA SOBRINHO & C.
Rua JSarqnez de Olinda o.
CyJindro para
Compra-se um cylindro americano ; a trata
na ruada Auroran. 8o.
pad;
Caixeiro
Prvate Frms V Public Precisa-se de um caixeiro que lenha pratica
i de moldados, dt idade de 12 a 14 annos ; na
Companies
A Cricket match will be played at Sant'Anna
betvveen thc above parlies n 7th. prximo,
commenr.ing at 10 a.m.
Tht Plice Band, conducted by Senr Candido
Filho, will play Selections at inlervals during
thc day. Entrance free, r'freshments to be had
on thelield.
BY ORDER
John II. boxwell Sob.
I Ion: secretan-.
I rua da Ponte Velha n. 77.
t
lom <'aplano de Carvalho
Luiz Leopoldo dos (uimares l'eixoto e seus
lilhos, tendo recebido a dolorosa noticia de fal-
lecimento na cidade do Porto, em o dia 8 do
corrente, do seu prezadissimo amigo e compadre
Jos Caetano de Carvalho, convidara aos seus
parentes e amigos e aos do finado para assisti-
rein as missas. que pelo seu descanso, mandara
rezar na ordem 3.' de S. Francisco, s 8 horas
da marina de segunda fe ira 2 de Sttembro, sti-
mo da do recebiraento da noticia. A todos os
que coraparecerem asradeccm penhorados.
t
Francisca de Paula de Vascon-
cello e arvallio
isnacio Ferreira Serrano, seus lilhos, genros.
oras e netos, agradecem do intimo d'alma a
lodos aquelles que acorapanliaram ao cemiterio
publico os restos mortaes de sua mu prezada
esposa, rai, sogra e av, Francisca de Paula
de Vasconcellos e Carvalho, e participara aos
mesmo3 e demas parentes e amisos, que as
missas do stimo dia pelo terno repouso de sua
alma, terao lucar s 7 horas da manh de sabba-
do 31 do corrente* na igreja da Santa Cruz.
Criado fiel
Na rua do Caldeireiro n. 7-A. precisase de
um menino de 8 9 annos, que tenha boa con-
ducta, para fazer oompras e algum pequeo
servigo da casa, paga se bem.
Edificio da Faculdade
de Direito
Pede-se comraisso que reduza a (anca do
forncimento de materiaes, de 50'3 para 300.
qne assim facilitar a concurrencia das pro-
postas.
nnmj
BRONZE

i i:
CARDOZO l IRMAO
ivo ou
asse
Rua do Baro do Trinmpho ns. 100, 102 e \U
Deposito rua do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para vender o seguate:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directpnra\o ou fogo de
lamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRrVACOES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
MACHINAS de descarocar al^od2o.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo Tencanamento e finalmtat
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e mandam buscar por encomien-
da, mediante ajuste previo ou urna mdica commisso qualrjuer machinismo.
CONTRACTM forncimento de apparelhos para usinas, garantindo a b
qualidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultad
obtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
Ao commercio
io sao mais empregados de nossa casa com-
mercial os Srs. Anatholio do Reg Monteiro e
Joaquim Machado Lima. Recife, 28 de agosto
de 1889.
Fonseca Irmos &.C
Camellas do Monte de Sceme
Compra-se camellas do Monte de Soccorro dt
qualquer joia, hrilhantes e relogius; paga-b
bem na Praca da Independencia n. 22, loja d
reiojoeiro
Protesto
ConstanJo-me que o Sr. Manoel da Paixo Ra-
mos, pretfl na cadeia do Recife, pede a divereaa
pessoas para lhe assiynarem um documento falso,
sobre a niinha visita dita casa de Detengo,
dizendo cous;.s nao reaes. apenas o fui visitar
por muito pedido que me fez seu irmiio Antonio;
creio que o documento tem por lira desmanchar
alguna testemunha, para o que cu nao posso-me
prestar. Venlio por este meio protestar contra
a falsidade que possa haver.
Recife, 28 de Agosto de 1889.
Manoel J. Hamos.
Professora de piano
Orna senhora perfeilamente habilitada e com /
piatica dt ensino. offerece s Exilias, familias
os seus serviros como pianista : pode ser pro-
curada rua do Queimado n. 71. _______
EJer depurativo vegelal ioadd
do medico Quittella
Este notabilissimo depurante que vem
precedido de tSo grande fama infallivel na
cura de todas as doencas syphiliticas, es-
crofulosas, rheumaticas e de pelle, como
tumores, ulceras, dores rheumaticas, os-
teocopas e nevralgicas, blenorragias agu-
das e chronicas, cancros syphiliticos, in-
flamacoes viceraes, d'olhos, ouvidos, gar-
gantas, intestinos, etc., o em todas a
molestias de pelle, simples on diathericas,
assim como na alopecia ou queda do ca-
bello, e as doencas determinadas por sa-
tura(;ao mercurial.
Diio-se gratis folhetos onde se encon-
experiencias feitas coni
este especifico nos hospitaes pblicos e
muitos attestados de mdicos e documen-

n. 41
tria h

Para eng"enhos
Lopes &c Aran jo, ^ endem
a presos sem competencia.
garantindo a boa qualidade.
os artigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Di I a de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato. o
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixas
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttend.
Graxa em bexigas.
Rua do Livramenlo n. 58
Telephone 316

i


"
Diario de PernamhucoSabbado 31 de Agosto de 188S
- MPOtlTANTB
REDUCCO DE PRECOS
21-RUA DO CRESPO-21 1
OLVEIBA CAMPOS & 0. tend. de receber bre-
veniente um sortimento e artigos novos de altanovraade, resolveram
fazer urna grande reducca nos precosdos artigos abaixd menciona-
dos, para os quaes chamam a attencaodas suas Exmas. freguezas.

aphnos revestido padrSes modernos a 160 rs. o covado.
Cretones francezes, cores claras, a 260 rs. o dito.
Merinos de cures, duas larguras, a 500 rs. o dito.
Ditos de cores, lavrados, de 25000 a 10000 o dito.
Las de cores, desenhos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fustao branco de 400 e 500 rs. o dito.
Mursolina branca para casacos a 500 rs. o dito
Zephir de cor, listas e quadros a 500 rs. o dito. -
Ditos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Etainines arrendados, de cores, de 800 a 500 rs. o dito.
Flor de Italia em quadrinbos, a 500 rs. de 900 rs.
Mursolinas de cor, de listas, a 400 rs. o dito.
Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de 150000
e 200000 por 90000 e 120000 cada um.
L-no, padroes em quadros, a 440 rs. o covado.
Nanzukes padroes mimosas, de 280 rs. o dito.
Percales miudinha se pannos finos, a 200 rs. o dito.
Merino prcto fino, de 20000 a 10000 o covado.
Setim Maco de todas cores, a 900 rs. o dito.
Srini tino pardo para vestido, a 400 rs. o covado.
Cambraia Victoria transparente, tina, a 30000 a peca

Mantas hcspnholas, de seda preta 30000 urna.
Espartilhos, ao que ha de melhor, de 40000, 5000, 60000
70000 um.
Fichs de cor arrendados, de 10000 um.
Capinhsj hespanholas de cor a 20000 urna.
Ficasde seda, muito lindos, a 30000 um.
Sargeli m diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 30000 e 4000 o par.
Luvas de seda,| todos os tamanhos, de 20000 a 30000 um.
Lences|dc linho do Porto, a 40000 um.
Ditos grandes para cama franceza, a 60000 um.
Colchas de cor, de 20000 a 50000 urna.
Fichs, sortimento completo, de 20000 a 60000 um.
Lencos de linho com barrinha a 20000 urna duzia.
Camisas francezas, de 240000 e 360000 a duzia.
Meias cras para homen, de 40000, 50000 e 60000 a duzia.
Ditas brancas cras e de cores para senhoras.
Ditas brancas cras e de cores para enancas.
Chambres de cretone, de 50000 e 60000 um.
Cortes de casemira de cor, de 60000 a 80000 um.
Cortes de fustao para collete, de 10000, 10500 e 20000 um.
Camisas inglesas de franella, 12 pura, a 50000 urna.
Alm de outros artigos que deixamos de mencionar.
a
21-Rua do Oespo-21
1O SE
INSTANTNEA
{N1RC1 KIXlSTKtltil
Tinta de copiar sem prensa
52Ra do Araorim52
ESNATY RODRIGUES & G.
Esla roaravilhosa tinta de copiar a MA1S
TIL descoberta americana, impreaclndli-el
a twdni n petioa* que eMrevem
que. sem oso da classica e tradicional prensa
de copiar, denejam nuardar copla n-
tida, inaltaravel de tieun lrabalhow
maniiHcrlptoM.
A i*nta*ta*ea o mais prompto auxi-
liar material para a Correspondencia Cora-
mercial ou particular, porque simplilicando o
trabalho, diminue-lhe tempo: oescripturario nao
neci'ssila sabir da sua carteira ou mesa para le-
var o raanuicripto a prensa de copiar, retralo
da raesma, voltar a carteira, etc., etc.
Os Bre. negociantes, usando da nsTAWi
NBA para a sua escripturacao do Diario, Caixa,
Gonta torrentes, Facturas, Contas de Vendas,
Precos Correntes, etc., podem obter duplicata
authentica. d'esses livros em papel de seda.
A i*ta:wta:%ea depois de dar copia
contena se inalteral, preta. ixa nao s no origi-
nal como na copia.
A IXNTAXTA^iKA nao oxida absolutamen-
te as pennas, assim como nao demanda penna
especial para com ella escrever se.
&> D& lEM^Sy^GAia
Com urna esponja, ou pincel embebido n'agua, hu
medece se ligeiramente o papel de seda proprio
para copiar, e enxulto com qualquer mata-bor
rao, colloca-se o uianuscriplo em baixo do papel
de seda e roesmo sem fazer presso corre-se a
mo rpidamente em todas as direcces, e a co-
pia 6 admiravei; ntida, l*STA*TA*EA.
Tambem d copia, correcta, sem molharopapel
de seda
Presos de venda a dinheiro
Um frasco.................... 1 -SoOO
VICTORIA
Especial tinta, garrafas a 800 ris, meias ditas,
a 500 ris.
Para a festa
1Aluga-?e uraaexcellente casa na Boa Viagem,
ra d'Aurora, com muito bons commodos; a
tratar ra Larga do Rosario n. 34, botica.
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira para casa de
pequea familia ; a tratar na praea de Conde
d*Eu n. 32, segundo andar.
IRA\DA
39-KUA BUQUE DE CAXAS-39
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
mais aperfc9oadas e movidas a vapor, acha-se em condicoes de executar qualquer |
traba!lio cm
r
r
e
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, meraoriaes, despachos, cartoes de
indica.,res, nitppas, precos correntes, acyoes, bilhetes de loteras e rotulo* do todas
a qualidades coi preto, ouro ou cores.
. mxmM
rochuras, cartonados, encadernaeoes, hvros em branco para o commercio e
repart!Oes, tendo para este fim urna excellente machina de paular.
'."n-ifldo sortimento em cartoes para visitas, participaroes|e convites de casa-
diento, bailes, menus, felicitacoes, etc., etc.
6Livros de recibos de aluguel de casa, papel de impressao, tintas., vernizes e
mais artigos para lypographfa e lithographia.
Manoel J. de Miranda
Telephone 194
A S00- 1|2 gfa.
A 800 1 gfa.
A melhor tinta de escrever
TINTA VICTORIA
Vende-se nos depsitos:
L1VRARIA CONTEMPORNEA
DE
::::::: ;:. costa a c.
Ra 1. de Marco n. 2.
a
LOJA DE FERRAGEM
PE
ALBINO SILVA
Ra da Cadeia n. 42
& C.
u=:*##=
A 500 ra- li2gfa.=A. 800rs 1 gfa.
\.
JUNTO AO LOUYRE)
Cachemira de listras a 1-3000 o covado.
Gazes arrendadas a 400 rs. o dito.
fustao branco lavrado a 360 rs. o dito.
Toile pardo a 360 e 400 rs. o dito.
Cortes de vestidos cm cartoes.
Colchas de fustao a 40000 uma.
Toalhas para banho a 10500 uma.
Cachemiras lisas a 10000 o covado.
Popelinas brancas a 300 e 10000 o dito.
Cachemiras de quadro a 280 rs. o dito.
Fustao p^ra roupa, de 10000 a 700 rs. o
dito.
Colchas de cores a 10800 uma.
Merino preto e 800, 10000 10200, 1(5500
. 15800
Chitas percales a 200 rs. o covado.
Velbutina preta a 700 rs. o dito.
Crep preto (inglez) a 25000 o dito.
Metins de quadro a 300 rs. o dito.
Merinos de cor duas larguras a 440 ra.
Rendas hespanholas a 2(5000 o dito.
Setm do JapLo a 240 r* o dito
Cambraia Victoria a 25800 a pega.
Cretones claros e escuros a 240 ra. o
covajdo.
Cambraia bordada a 45000 a peca.\]
Guarnicao de crochet a 7)5000 uma.
. Leques transparentes a 25500 um.
Fichs de retroz a 1(5000 um.
Camisas de flanella a 25500, 45000 e
55000 uma.
Bicos de cores a 25000 e 25500 a peca.
roalhas felpudas a 400' 0 a duzia.
Grinalda para noiva a 75000 uma.
Guardap para homem a 60000-
Meias inglezas para homens 50OOO> du-
zia.
Sargelins de cores a 200 rs. o covado.
Palitots de alpaca preta a 45500 um.
Casemia diagonal a 25000 o covado.
i Cachemira de quadro a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 10500 a 10000 o dito.
' Baleias a 240 rs. a duzia.
I Lences de bramante a 25000 um.
J Cobertas de ganga a 35000 uma.
Tapetes grandes a 135000 um.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o covado.
Espartilhos a 55000 um.
Madapolo americano a 65000 a peca.
Coletea de flanella a 25500 Um.
Palitots de seda palha a 85000 um.
Lencos de linho a 55000 e 65000 a duzia.
Pabtots de brim pardo a 45500.
Bolsas para viagens.
Casemira para costumes, corte.
Luvas de seda a 25000 e 25500.
Guardanapos de linho a 25200 a duzia.
Guardap para senhora a 105000.
Arcos cobertos a 120 rs. o metro.
Panno da, Costa a 15000 e 15200 o co-
vado.
Bramante de algodao a 15000 o metro.
AlgodSo branco a 45000 e 45500 a peca.
Comes de fustao para collete a 2550U um.
Cortinado bordado a 75000 o par.
Zephyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 15200 o metro.
Peca de esguiao de algodao a 35500.
Regatas a 15000 e 15500 e 20000 guma.
Palha de seda a 15000 o covado.
Camisas allemaes a 366O0 a duzia.
Bramante de linho a 15800 o metro, 4
larguras.
Corte de seda para collete a 55000 um.
Chambres para homem a 65000 um.
Setins de cores a 800 rs. o covado.
Algodao trancado, 2 larguras, a 101GO.
Coi-tes de casemiras, a 55500, | 75000, e
90000.-
Brim branco, todos os nmeros.
Crotones francezes a 400 ra. o covado.
Ceroulaa de bramant3 a 155000 a duzia.
Bill
FUNI(0 DE 8N08EBR0NZE
DE
LUIZ DA CRUZ MESQIITA
66ra do Baro do Triumpho66
Tero para vender o seguinte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systeraa com esquenta garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapucas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Torneiras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Reparlidelras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado
Cobre em lencol e arruelas.
Sola inglcza e do Rio.
Cadlnhos patente c"de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectes
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e obras d encommenda, garat
lindo presteza, perfeicao e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
vpIDE a praso ou dinheiro com descont.
Meias rio ta Escocia a 15500 o par.
Lencos brancos a 15200 e 15800 a duzi&.
Chevioth preto a 35000 e 45000 o covado. Flanella de cor a 300 ra. o covado.
Grande sortimento de fichs, casemira^Jbrim, algodao, camisas, collannhos,
punhos, meias, perfumaras, e bordados.
20Ra Primeiro|de Marco20
AMAR AL &jC.
AUANFATSBSON&C.
44-BU4 B4R40 DO TRIL1PH0-44
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
REMEDIO DO DR, AYER
0NTEA
AS SEZOES OU MALEITAS.
O Remedio do Db. Ayer, descoberte
vegetal qne nao contm a quina nem o
arsnico, nem topouco ontro ingrediente
nocivo, um remedio infallivel e prompto
para toda a qualidade de febres intermit-
ientes on maleitas. Seus effeitos sao per-
manentes e certos e nenbum mal absi>-
lutamente pode advir do seu emprego.
Da mesma forma torna-se o melhor
remedio possivel para todas aqueUas
doencas que provem dos effeitos dos
miasmas, que se desenvolver nos lugares
pantanosos e infectados, e que geralmente
caracteriso-.se pelas affeccSes do
ligado e do baco.
O Remedio de Ayer curar sempre,
inesmo nos casos peiores, toda a vez que
fr empregado convenientemente e se-
gundo as direcces.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AY12R & CA,
LowelL Mass.. Est.-nidos.
DOENpAS
-DO
ESTOMAGO
E DO
FIGADO.
BRIST01
PRAMESTE YEGETAES
sAo o melhor Purgante e o Remed
axiq efilcaz contra os ditos male
Rognlarizam a Dlgestao
PURIFICAM A BILIS
e cu rain radicalmente
A DISPEPSIA.
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar, para
casa de familia; a tratar na ra do Hospicio na'
sero 41.
Ama
Precisa-se de uma ama que saiba cosinhar 9
me durroa em casa do emprego ; na ra do
..oonceico n. 4, i- andar
Ama
Precisase de uma ama para cosinhar; na tra-
vessa do Pires (Geriquiti) n. 5.
Amas
Aos agricultores
Precisa-se de uma cosinheira e de uma cria-
dinha que lenha boa conducta, para andar com
urna crianca ; na ra Mrquez do Henal n. 61,
i sobrado.
Pessoa habilitada ollerece-se para contrahir I
emprestimos com o Banco do Brasil, em favor I
dos S. S. agricullores destu provincia, de Ala-
goas, Parabyba e Rio Grande do Norte, encarre-
gando-sc de adiantar as quantias necessarias
para pagamento de avaliacOes e preparo de do-
cumentos, mediante mdica retribui^ao. 03
pretenderles podem dirigir-se nesta cidade ra 1 por barato prego duas casas com bastantes com-
Ama para cosinhar
Precisa-fe de uma ; na praca do Conde d'Eu
n. 26, sobrado amarello.
Aluga-se
do Atalho n. 9, e por carta G. C.
Cosinheira
Precisa-se de uma, que cosinhe bem e durma
em casa do patro ; a tratar na ra do Cabug
n. 14, 1 andar, de meio dia at 2 horas.
DE
J A GU ARIBE
a 4$ a barrica
coin abate de 10 ^ em porgSes maiores de
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
O grande e importante estabelecimento de
Pogas Mendes 4 C, sito ra estreita do Rosa
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de rec ebe
uma grande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
1 modo3, a ra da Aurora ; trata-se com o Paulino
! ra do Imperador n. 28._____________^__
Aluga-se
o 1 andar do sobrado n. 24 ra da Imperatriz,
com commodos para familia, grande quintal 0
prego mdico ; a tratar na ra do Padre Nobrega
numero .'16.
lusa-se
a casa ra da Amizade ( apunga)
tratar na ra Direita n. 4o, sobrado.
n. 40; a
Aluga-se
Por barato prego o Io e 2 andares do Caes d
Apollo d. 75, com muito bons commodos ;
tratar na botica ra Larga do Rosario n. 34.
Aluga-se
Por prego baixo o Io e 3" endares do sobrado
a ra do Brum n. 84, com bastantes com-
modos ; a tratar ra Larga do Rosario n. 34,
botica.
Alugam-se
As casas da ra do Lima ns. 18 e 30, em
S. Amaro; a tratar na lithographia a ra Marque
de Olinda n. 8.
Alugue' barato
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Roa Viaconde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra da Palma n. 11
A tratar a ra do Commercio n. 5, i- andar.
0 nico que, sem a mnima confeceo, l,
portado neste mercado, e s se vende no referi
do estabelecim'jnto. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem;' esriptor de Silva Vimar'as 4 C."'
saber porque T Vejam : o vinho Maduro sendo l -----------------
como e, feito nicamente da uva madura, tem
asseguintes vantagena que as outras qualidades
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertur-
bago as digestes do estomago, anda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois nutre
aolhos vistos as pessoas debilitadas, eda forcas
as que as tiver arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambem
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
propriitarios capricham em bem Irabalhar neste
artigo, alim de terem a primazia sobre tantos
outros similares, cuja composigo duvidosa.
Em outros artigos como sementes de hortaca
e flores, linguas seccas do R w Grande, objecto's de
time e amneos do Porto para homens e senho-
ras, para isio to pouco temos competidor,
aossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar podem comparecer, com
o que muo nos bonrarao. Aps uma infini-
dade de artigos de primeira ordem. que acham-
se em exposigo, acresce a amenidade do trato
com que timbramos tratar todos os que nos
honram com a su.i presenga, junto a modicidade
de pregos sem rival.
Ra entlreita do Ronario n. 9, junto
a Igreja
Po Gasa na Capunga
Aluga-se a casa terrea n. 24 a ra da Ventura
na Capunga, prego mdico, e est limpa ; trata-
se no sitio ao p da ponte grande, com o Sr.
llenrique Lasserre.
Predios yenda
6 casas nos Afogados, sendo uma no largo
dos Remedios n. 62.
3 ditas na travessa de S. Miguel ns. 38, 40,
42, 44 e 46.
1 sobrado de um andar na ra dos Martyrios
n. 101.
1 dito na ra Thom de Souza n. 5, com dous
andares e sotao.
A tratar na ra General Abreu e Lima, antiga
Santo Amaro n. 8.
Compra-se
uma casa terrea em perfeito estado, com 4 quar-
tos ou 3 com sotao, no bairro da Boa-Vista e em
boa ra, podeudo a pessoa que pretender ven-
del-a. cleixar os esclarecimentos exigidos na
das Larangeiras, freguesa de Santo Antonio,
ofcina de ourives n. 5.
Banhos nos arrecifes
Completo sortimento de sapatos proprios para
banhos. receberam Jiaquira Pinheiro 4 C, roa
do Livramento n. 14.
Agrimensura
C. C. Carlini contina a encarregar-se de me
diges de trra, levantamento de plantas topo-
gr.iphicas, nivellarnentos, projeclos de parques,
jardins, chals, etc. ; na ra da Atalaia, na ci-
dade da Escada.
Ao commercio
Joaquim Dias da Silva de Azevedo Lemos
Jovita Goncalves da Silva, associados sob a ra-
zio Dias 4'Jovita, declaran) a quem interessar
posa, que em data de 12 do corrente mez com-
praram, livre e desemliaragado de quaesquer
onus, ao Sr. Francisco Jos da Silva Lapa, o seu
estabelecimento e oftinna de alfaiate, que gira-
va sob a firma Dias 4 Silva, sito ra 1." de
Margo n. 18.
Declaram tambem aos sus amigos e freguezes
que benignamente Ihes dispensaram suas atten-
gOes, durante o tempo que estiveram na extincla
oflicina de alfaiate, do finado Emilio Soares, que
se acham habilitados a continuar a bem ser-
vil-os, nao s em especialidades de todas as fa-
zendas para roupas de apurado gosto. como em
perfeigao de trcbalbo, porque o socio Jovita
(antigo mestre da oflicina de Emilio Soares) con-
tina a ser em nossa casa o mestre da oflicina,
garanta bastante para o desempenho de toda e
qualquer obra a capricho. Esperam, po;s, os
abaixo assignado* a protecgo do respeitavel pu-
blico, a quem antecipam seus sinceros agradeci-
mentos.
Reciie, 28 de Agosto de 1889.
Dias 4 Jovita.
Ibais delo:ooo Ciras"
Cosinheiro
Offerece-e um cosinheiro psra forno e fogo,
por prego commodo ; a tratar na ra da Santa i
Cruz n. 34._________________________
Aos plantadores
D. Jeronyma Cousseiro compra batata* de
araruta e matarana ; para explicages, dirijam-
se ra da Au ora n. 81 e Imperatriz n. 2 Ou
larga do Rosario n. 14 e em sua residencia ra
do Lima, travessa de Joao Veiga n. 19, em San-
to Amaro das calinas.
uom so nnsvwissKD
DORES E DeDENTES
ir *\. JC)u^&\.A_ dC ^5A>-cw
PREPARADO DNICAMENTE
POR CALASANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rfaeuma*
tismos, incha5oes, dores aciaticaa^ nevraX-
gias, dormencia, etc., empregando-se ea
fomenta5oes sobre os lugares affectades.'
Cura o beri-beri, as paralysias e as droi
de dentes.
Todos os frascos levam direc^Ses para
uso d'este medicamento admiravei.
Preco 1(5200. Descont de uma duz
em diante.
DEPOSITO NO RECDjTS
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez c!e Olinda n.23
Peitoral de Cambar
de S. SOARES sempre ioi, e ser o principal remedio para as molestias do larynge,
bronchos e os pulmSes.
A bronchite, asthma, molestia do peito, rouquidSo, coqueluche e qualquer tosse
sSo perfeitamente curadas com o verdadeiro remedio PEITORAL DE CAMBARA'i
de S. Soare-s, approvado pela Exma. Junta Central de Hygiene Publica do Brasil,
premiado com duas medalhas de ohto, e rodeado de valiosos attestados mdicos e de
innmeros* de pessoaa curadas, tanto nesta provincia como em outras do impeno.
Precos: frascos 20500, 1[2 duzia 130000, duzia 240000.
Vende-se em casa dos unicosagentes e propnetarios geraes Francisco Manoel
da Silva & C, ra Mrquez de Olinda n. 23.
1
m
j
m
hHlt lii'i


I^BJMW&BW**"*
Diario de PernambucoSabbado 31 -------------------------------------------- .___ o ____ ..... _____
k.
Tigipi
Conwtaniino de *i Bamlo
Convida se a este senhor a comparecer ra
do Bom Jess n. 23, para prestar contns das
cobranzas que fez do termo de Agua Preta, em
Marco prximo passado.
VENDAS
Vende se no caes do Ramos n. 4, urna ex-
cellente machina vapor de 30 cavallos, urnas
bombas liydraulicas de grande forca, um ferra-
dor, urna" lesoura para cortar flandres. arcos,
etc., trilhos e carros Decauville, apropnados
para transporte de canna. Lombas d'ajma mi
e vapor.
A Loja das Lisiras Azues
Est venciendo fazendas muito baratas
Gom descont
a quem comprar de 205000 para cima.
E VENDE PELOS SEGUINTE3 PRE9O8:
Madapolao lavado com um metro
de largura a G$800 a peca,
Morim das Lustras Azues com
20 varas, a 65000, a. peca.
Chitas percales finas, cures seguras a
180 e 200 rs.
C'assas de urna s cor a 100 e 120 rs.
com palminlis.
Lanzliihas de quadros a 160, 200 e
240 rs.
Cortes de Unnos com 16 1/2 ca-
vados, tecido phantasia, a 45000
Bordados finos com 3 metros a
500 rs.
Bleos brancos a 600 rs., a peca
com 9 metros.
Kargelim diagonal, todas as cores,
a 180 e 200 rs.
Crinolina de cores para vestidos a
360 rs. o metro.
Luvas de seda, lisas e bordadas a
15500.
Leques transparentes lindas cores, a
25000.
Grinaldas com veos para noiva a
75000.
Setim de Maco branco, e de todas
as c6res a 750 e 800 rs.
Cortinados bordados para cama ou
janella a 65000.
Fich* phantasia 800 rs.
Leos de seda a 500 rs.
E militas fazendas que se vende por
qualquer preco.
Troca-se a fazenda vendida se nao fr
de muito agrado para quem fr comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Surpma agradare!
UM RETRATO. ,
Que se offerece a um amigo no da do
seu anniversario
De 25SO0O at 100$000
Obtera-se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura fina dourada
em alto relevo, c com cordoes de lil c
seda ; trabalho feito nos Estados-Unidos
da America
POR FKED..PMTT
Qualquer familia que desejar um per-
feito retrato, bastante mandar um pe-
queo retrato em cartio de visita, nSo im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos olbos e do cabello, para chegar um re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
ao publico na
GERAL
das Lisiras Azues
RCA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Para as Exmas. familias verem o quanto
sao lindos, e muito fcil fazer encommenda.
aUALdUER ENGOMMENM
Por maior que seja se aprompta em me
nos de 90 dias, e restitue-se a importan-
cia recebida, se nao chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ou-
tras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO DAS
PER.XAHBLCO
Camisas de cretone, cousa boa [e barata.
Alfa novidade
4S Hua Duque de Caxias48
Por menoe 30 01 do que em outra
qualquer parte
Merino setins, lisos e de quadros com 2
metros de largura a 25000 o covado.
Renda heepai hola muito larga a 25000 o
covado.
Espartilhos, verdadeiros couracas, a 45000
55000 e 6,J000 um.
Lindos cortes, de fustao para collete a
500 rs-, um.
Cobertores de 13 a 25000, um.
Palitots de seda amarella e chumbo a 85
105000 um.
Redes francezas a 45000, 55000 e 65000
urna.
Organdis (fazenda de phantasia) a 400 rs.
o covado.
Enchovaes para baptisados a 85 e 105000
Toalhas felpudas a 35000 a duzia
Meias cruas para homem a 35000 a dita.
Nansuks finas de 120 e 240 rs. o co-
vado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. o covado.
Cortes de linn e cretones com todos os
prepares, a 55000 a 125000.
Atoaihado muito largo 15200, e 15500 o
metro.
Pannos de crochet para cadeirasa 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet, bordadas para noivos
a 55000, 65000, 75000 85000 e 95000
urna.
Cortinados bordados a 65000 o par.
Bramante liso e trancado de 4 larguras a
15000 o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 rs.
o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica a
55000 urna.
Saias ricamente bordadas, a 35000 urna.
Luvas de seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Cretones claros e escuros e 200 e 240 rs.
o covado.
Zefiros de quadres a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Camisas fina3 de meias a 15000 um.
Leques de penna, ultima moda, a 450C0
e 55000 um.
Capellas com veos para noivas a 85000
urna.
Fustao de cores para palitot e calca a
500 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
colleto a 25000 um.
Cambraia de salpicoB com 10 jardas a
45000 a peca.
Bicos de cores e brancos a 15000 e 25000
a peca.
Collarinhos e punhos, borracha, a 15800.
Cobertas de ganga forradas com 2 pannos
a 25800 urna.
Lencos brancos a 15500 e 25000 a duzia.
Fichs de retroz, lisos e com palmas a
15000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
AlgodSosinho com 20 jardas a 45 e 55000
a peca.
Assim como em sua officina de alfaiate
aprompta-se com perfeieao e elegancia
por precos commodos, de brim ou case-
mira, costumes para meninos e homens.
A Ilevoliicao
IS Itii Duque deijcaxlas1S
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Esto expostos
AGENCIA
F0LP5TIM
POR
H3U& inore
PRIMEIRA PARTE
(Continuacao'd o n. 195)
V
Fingirei urna sbita paixSo pela ca-
ca e ajudarei seu marido na guerra aos
Javalis.
__ Bem. Depois irei a Saint-Claude.
Vel-o-hei l. Teremos alguns minutos de
liberdade. Demais, minha familia habita
Besancon. Poderci, talvez, ausentar-me,
ir passar cinco ou seis dias nessa cidade,
e ahi o senhor me ir encontrar, dizendo
em Saint-Claude que parte para Pariz. E'
possivel ?
Sim. E para mais precaucoes, irei
realmente a Pariz. Urna vez em Be3an-
con, a senhora escrever para prevenir-
me e eu seguirei logo.
Entao, o senhor ama-me, ama-me
devras ?
Como um louco.
E assim ser sempre ; nao me dei-
zar, conservar-se-ha fiel a mim ?
Juro-o.
Calaram-se.
Ella tornara-se d repente pensativa.
O que tem ? perguntou elle admi-
rado.
Ella nao espondeu.
Quo pensameDto tere ? Pareco-me
PECHIMHAS!
59Ra Duque de Cavias5
Cassinetas de cores para roupas de meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias casemiras pretas e de c6res idem
a 400 e 500 rs. o' dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos do quadrinhos a \Q0, 160 e
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 e 240 ra# o dte.
Atoaihado bordado, quas* 2 metros de lar-
gura, a 15000 e 1500 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a S00 rs.
e 15000 o dito,
dem de puro linho a 15600,0 dito.
Riquissimas guarnicSes de crochets a 65 e
8000.
Toalhas para maos a 15200, 35500 e
45000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 25500 e
35000 a dita.
Camisas superiores idem a 245 e 305000
a dita.
Seroulas bordadas a 125000 e 185000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 25800
e 35000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 45000.
Superiores algodies da corte a 25000 e
35500.
Madapolao americano a 65000, coin 24
jardas.
Flanella de cores para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
15200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 15400
15800 e 25000 o dito.
Para as Exmas. noivas
Lindissimas grinaldas e veo para 85000 e
145000.
Ricas colchas de crochets e fustSo a 85000
e 65000.
Bonitos cortinados bordados a 55500,
75500 e 85000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 15000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 15000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lencos de seda e de linho para 25SOO,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante a 15800.
Cobertas de ganga, forradas, coin pannos,
a 25500 e 25800 urna.
Colchas de cores a 25000 e 35000.
Tapetes para portas a 35500 e 55000-
Pannos 'ara mesas, de cores modernas a,
15500 15200 e 15600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de Iabyrintho de 305 a
355. ,
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de core de todos os
presos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 45000 urna, e
urna infinidade de artigos que serao lem-
brados na presenca dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHAES

barato
A LOJA MAIS BARATO!

Farello superior
2:800 rs.
cada sacca de genero superior e de peso de 42
kilogramuias, vende-se no trapiche da Compa-
nbia, largo do Corpo Sanio n. i9.___________
Bom
negocio
Vende-se. arrenda-se ou hypothecase a me-
tade do engenho Fortaleza, "sito no termo do
Bonito : a tratar na ra Coronel Suassuna nu-
mero 232.
Casa venda
Vende-se urna casa terrea, sita a ra do Taro-
bi n. :, bairro da Boa-Vista, por commodo pre-
50, podendo os preteudentes desde j exami-
nal-a : trata-se na ra de Santa Thereza n. 20.
Muita attenqo
Na ra da Imperatriz n. 80, vende-se sapatos
de felpos para fri a 600 rs. o par, e de crian-
cas a 500 rs.
que a senhora empallideceu. Affasta os
olhos !
E' verdade, Francisco, veio-me um
pensamento louco...
Qual ?
NSo ; nao posso dizer isso...
Magdalena, supplico-lhe !
Urna loucura, digo lhe... comtudo !
Elle tomou-lhe as maos, attrahio-a para
si, muito perto, beijando com paixio os
seus olhos.
Falla, disse, nao me oceultes nada.
Tens qualquer cousa a pedir-me, o que
temes ? NSo sabes que te pertenco ? Tu
me dste tua vida, dou-te a minna toda
inteira tambem. O que queres ? Que sa-
crificio exiges de mim ?
E', cora effeito, um sacrificio.
Aceito-o j.
Escute ao menos o que eu quero...
O senhor medico, habita Saint-tJlaude
ha pouco. Deve fazer clnica. Ora essa
clnica, nSo pode vir senSo sendo o senhor
casado. Sen pai, seus amigos, tratarao,
em breve, no interessse do senhor, de fa-
zel-o estreitar relacoes com alguma moca
que lhe destinem para mulher.
NSo me casarei.
Obrigal-o-hSo.
A RA BARO DO TRIUMPHO
N. 100 A 104
Tem para vender tri-sulphi-
to de cal, que nao s faz alve-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gasto de
cal no fabrico do mesmo.
Venhana so 53 ver como se vende fa-
zendas com 50 /0 mais barato que em ou-
tra qualquer parte.
Cortes de cretone, combinacSo, ultima no-
vidade, a 55000.
Cachemiras, combinacSo com listas de seda
a 15400 ocovado.
Vestuarios do jersey, ultimo gosto, a 105
e125000
Amor da China, codsa chic, a 200 rs. o
covado.
Linons bordados com quadros, novidade,
a 800 rs. o covado,
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Sargelina de todas as cores, a 200 rs. o
covado.
Merinos de c6res a 500, 600 e 800 rs. o
covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Vestuarios para baptisados, muito bonitos.
Ghiardanapos a 15600.
Cortinados para cama a 55500N
Sedinhas lavradas, o que ha de mais gosto.
Uambraia com salpicos a 45000 a peca.
Cortes de casemira para vestido a 255000
Renda da China a 00 e 240 rs.
Tecidos arrendados, a 400 e 500 rs.
Zefiros, grande variedade, a 160, 200 e
240 rs. o covado.
Bicos de cores a 35000 a peca.
MadapolSo muito largo a 65000.
Luvas de seda a 25000, 255000 e 35000.
Mantibas pretas a 45500.
Cambraia Victoria a 25800.
Atoaihado bordado, lindos gostos, a 15000
o metro.
Grande sortimentos em toalhas de rosto.
Espartilhos com couraca a 45000, 55000 e
65000.
Nunzucks a 240 rs. o covado.
Pannos de crochet.
Cretones para coberta, muito bonitos a
500 rs. p covado.
Cambraia suissa, fina e muito bonita a
75000.
Babados e ntremelos grande sort ment e
barato.
Fichs do linho a 15000.
Ditos de seda a 45000.
Ditos de 13 a 15000, 25000, 35000, 45000,
55000 e 65000.
Grande quantidade em tapetes pequeos e
grandes.
Cretones muito lindos a 400 rs. o covado.
Chitas brancas, escuras e claias a 240,
280 e 320 rs. o covado.
Grande sortimento em colchas brancas e
de cores.
Objectos para homem :
Cortes de casemiras, finas, a 45000, 65000
e 85000.
Ditas de casineta a 15500 e 25000.
Collarinhos, de linho e algodSo a 45000 e
65000 a duzia.
Meias para homem de todas as cores e
brancas.
Casemiras de cor a 25000, 35000 e 55000
o covado.
Ditas diagonal, lindos desenhos a 25, 35 e
e 45000.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
cavado.
Cassinetas, grande sortimento, a 400 e
500 rs. o covado.
Bnns Angola, muito chiques e baratos.
Molesquins bons e bonitos.
Camisas de madapolao a 250001 !
Ditas inglezas a 45500.
Ceroulas francezas a 15600.
Flanella azul a 15200 o covado.
Grande sortimento em lencos de algodSo
e linho.
Alm de outros muitos objectos.
D-se amostras sem pennor a qualquer
pessoa.
3."> Rua Duque de Casias 55
Fernandes Azevedo &C.
A
\ Para os festivaes
A' rua da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria c commodidade em
iresos: bolo, pao-de-lt, cangica, arroz de
eite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
itoaroi
womAis,_
S*1* *5I_ERY -
Vende-se en toda a oart*
NSo, desde que conhecam minha re-
solucSo.
Medico, o senhor nao pode ficar sol-
teiro.
Porque nao ?
Seria sacrificar sua fama, crear obs-
tculos sua carreira, inspirar descon-
fianca. E'-lhe preciso urna cousa, um in-
terior, urna vida de familia.
Pois bem, o seu amor compensar
rodas as sat3fa3es que me forem recusa-
das. NSo p;*ocurarci clnica. Sou feliz-
mente rico bastante e por conseguinte
goso da mais completa independencia. O
numero de meus clientes ser, sem duvi-
da, restricto, mas nSo trabalharei menos
feliz por sab'er-me amado pela senhora e
de amal-a.
E nSo ter desgosto algum, inquie-
tacao ?
Garan;o-o, Magdalena.
Mas a severidade de seu pai ?...
NSo cederei nem severidade, nem casa.
aos seus rogos. Demais, meu pai, pode
estar certo, nSo me querer mal por isso.
Dar-lhe-'iei os motivos e elle achal-os-ha
sufficientes. Tranquillisese, pois, e so-
bretudo tenha confianca em mim.
Oh tenho confianca, disse ella. As-
sim, amar-me-has mais do que a tudo,
mais do que a teu pai, a tua irraa Suza-
na tua gloria, ao teu trabalho, aos teus
amigos...
Amar-te-hei, como queres ser a
da.
Sou muito feliz.
Tinham deixado o fundo da estufa e ap-
proximavam-se do jardim.
As nuvens dispersavam-se no azul do
co e a la brilhava agora, apenas.velada
por instantes por alguns vapores fugitivos
levados pelo vento.
As aleas do jardim estavam seccas; as
folhas das arvores nao sacudiam nais suas
gottasinhas em glbulos, as flores guarda-
vam perfumes penetrantes.
A mesma calma os rodeava, tudo em
torno delles dorma, o jardim e essa casa,
alyejada pelos raios da la, era que re-
pousava Gonssolin, confiando na honra de
sua mulher.
Abracaram-se urna ultima vez, nao po
dendo deixnr-se, como se se assustassein
com o ficar sos, com este amor e a certeza
dejnunca ser um do outro livremene.
Foi ella que teve a coragom da sepa-
ra 5S0.
Ella desprendeu-se, depois de um ultimo
abraco.
Ver-nos-hemos' amanha, disse ella,
aqu mesma hora, queres ? Quanto tem-
po conta teu pai ficar em Bouchoux ?
(uinze dias.
Entilo, serao quinze noites em que
nos veremos. Adeus, deixa minhas mnos,
ordeno-te. Devo ser prudente, sabes.
SSo duaH horas. A's tres horas, o dia
desponta. E' preciso sepa-ar-nos. Fica.
Contina a oceultar-te. Yon partir em nri-
meiro lugar.
Elle acompanhou-a com o olhar, vio-a
desapparecer atraz das arvores, espereu
alguns minutos e, por sua vez voltou para
PARIZ N'AMERIC
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Rua do B. da Victoria16
200 Tdephon6~200
Tendo recebido directamente da Europ
grande sortimento de fazendas e modas >
que ha de mais novo e precos sem cotr
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, aiversas qualidades.
Etamines, pretos, de S e la seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 15000 e 1520L
Crinoline preta e branca s 400.
Sargelim, todas as cores, a 209 ra.
Bramante de linho a 15500, com II
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 15500
Chachemiras com 2 larguras a 800 r
Ditas de l e seda 2 larguras a 15000
Madapolao trabado a 95000 a peca.
Dito globo a 75OOO a dita
Dito camiseio a 75000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichs de 1S e seda 15000.
Brns de linho cies fixetj a 600.
Espartilhos couraca a 45000 e 5500C
Colchas de fustao a 25000 e 35000.
Capellas para noiva com veo bordado i
65000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 15500,
Renda de 13, preta, para qaresma.
Pao verde para buhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de sal
a 15000.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama
105000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
GuarnicSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de sol
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustSo de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
sea
Taverna
Vende-se a taverna sita estrada de Luiz do
Reg n. 47-D. propria para principiante por ter
poucos fundos ; a tratar no Caminho .Novo nu-
mero 87.
A 2$500
Vende-se o frasco do Peitoral de Cam-
bar, de Souza S jares, em casa dos agen-
tes e depositarios geraes Francisco Ma-
noel da Silva, rua Mrquez de Olinda
n. 23.
VI
Conforme o combinado, viam-se os dous
todas as noites. *
De dia, nada parecia mudado as suas
relacoes, as suas maneiras, teria sido im-
possivel, mesmo, a quem estivesse preve-
nido, moamo ao mais attento observador,
adiviuhar na sua attitude, nos seu3 olhares,
nos seus gestos, o menor signal dessa
ardente paixao, que os havia unido um
ou outro.
Era urna seguranja completa.
Gonssolin, conservando sempre o mes-
mo amor sua mulher, estava a cem le-
guas de qualquer desconfianca do crime
dos dous.
Qualquer outra que nSo Magdalena, pa-
ra Uludir a sua vigilancia, teria dobrado
de cuidados, do attencoes. Assim se passa
o facto de ordinario, e a ternura apparen-
te ta mulher culposa, por seu marido,
augmenta medida que o affastamento se
accentua e se approxima a queda.
A Sra. Gonssolin era muito dissimula-
da, principalmente demasiado prudente,
para testemunhar, entao, ao madeireiro,
mais affeiQao, do que a que havia recebido
della desde o seu casamento.
Ella se conservara em urna reserva ex-
trema, evitando oppr sua vontade a de
Gonssolin, justamente quando este fazia
apparecer todas a3 occasioes de satisfazer
as suas mais caprichosas phantasias.
Desde aquellas irrtantantes discussoes,
que hav-iam perturbado os p.-imeiros tem-
pos de sua instailacao em Bouchoux, a
moja tinha opposto urna physionomia de
marmore, urna glida indifferenca aos tes-
temunhos de atteicSo que lhe prodigalisa-
va Gonssolin.
Os annos se passavam sem diminuir
esse rancor.
Ella nSo amava a Gonssolin, nao podia,
pois, perdoar-lhe.- *
A obstinacSo do bom homem tinha dei-
tado por trra seus sonhs de moca boniti
o todos os projectos de futuro que sua
fortuna sbita lhe tinha inspirado.
A lembranca dessa decepcao ficava vi-
vaz e cruel.
Depois de muitos mezes de p.iz profun-
Libras sterhnas
Vende-se libras sterlinas ; na rua do Com-
mercio, arraazem n.o.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os pronrietarios do Armazem Central, rua
do Cabug n. 11, avisara aos seus distinctos fre-
guezes eao respeitavel publico que receberara
nova remessa deste especial vinho, o qual se
recoimnendapor ser puro da uva, e s se reta
ha em seu armazem.
Joaquim Christovao & C.
Telephone 447
I
Boyal Blend marca VIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Viado,
cujo nome e emblema sio registrados pan.
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
A FLORIDA
GalSes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodSo com
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodSo.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 35000 e 45000
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 500'
600 e 800rs. Ja peca.
dem com 3 e 1[2 metros, de qual quo
argura a 15200.
Lencos de linho em caixinhas a 35000 fc-
dita.
Meias para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Lindos leques transparentes de eaze
35000 um.
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 45, 65
85000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
25500 a 35000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
125000, 175000 e 195000 o par, algn
de cores.
Ditos para fanellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
15000.
Ditos para sof a 25000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 45000.
Capellas com veo para noiva a 65000 e
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105 e
125000.
Toucas de setim para baptisado a 35, 45 t
55000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 25000 a peca.
Ditos de seda brancc3 e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car-
ritel.
Pastas a 15000 e 25000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelinas s
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 o
par.
Ditas de seda para creanca a 15000.
Dita para moca a* 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 e
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 a
15500 um.
Estojo com faca, garfo e colher, proprio
para creanga.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de 1S para homens e senhoras.
Licha dourada para faaer crochet.
Lindas fitas para facha a 25, 35 e 4-3OC
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeir de
3 e 35500 urna.
Cofres de ferro
Tarlos Sinden tem para vender cofres de su-
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parte. Rua Barao da Victoria u. 48.
da, durante os quaes nem urna nica allu-
sSo lembrava o passado, de repente'urna
palavra, por acaso dita por Magdalena,
rebentava imprudente e de novo mergu
lhava o velho as nceetezas de seu amor.
Agora que ella tinha um amante, agora
que ella amava com paixSo, que era obri-
gada a continua prudencia, nao seria para
despertar desconfiancas de Gonssolin, tes-
temunhar-lhe urna sympathia qual nao
estava acostumado ?
Inebriado, nos primeiros dias, por essa
apparicSo sbita de affectos, nSo acabaria
o madeiriro por admirar-se delles, nSo
tentara urna investigado de suas causas, e
assim nSo cercara sua mulher de urna es-
pionagem tanto mais para temer quanto
Magdalena acreditara ter adormecido o
3eu ciume ?
De sorte que mais hbil era, e mais
convinha tambem aversSo da moca, aco-
lher com a mesma rudez, com a mesma
seceura, o mesmo rigor, a dedicaSo sem
limites, a ternura inquieta de Gonssolin.
A menor suspeita nao entrara ainda
nessa alma recta, euibora um pouco vul-
gar ; mais docura o deslumhrara, urna
revolucao o inquietara.
No meio dessas refireles, conserva va
Magdalena a mais completa tranquillidade
de espirito.
O sacrificio de sua honra est feito, de-
finitivamente.
Ter-se-ha mostrado publicamente nos
bracos de Francisco, se este houvesso exi-
gido tal prova de amor.
Mas, pois que competia-lhe prever tu-
do, como um acaso tudo podia descobrir,
por isso que, no fundo de seu eoraeSo,
ella sentia-se amedrontada da violencia de
seu marido contra seu amante, se soubes-
se desso ultraje, prefera cercar de mys-
terios a sua nova uni'So e pesava com inau-
dito sangue fro as probabilidades maiores
ou menores do xito das precaucoes que
deviam tomar.
Thomaz Lhoir era quem mais a inquie-
ta va.
Perguntava a si mesma se o contra-
mestre nao seria mais perspicaz do que
Gonssolin, se elle nao sentira suspeitas e
Rua Duque de Caxiasn. 105
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lc
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.
Pao centeio
Moli Se Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa
Doroso pao; rua larga do Rosario n. 40.
se nao vigiara suas relacoes com Fran-
cisco.
Certamente que isso devia temer-se.
Entretanto, correram em absoluta tran-
quillidade os quinze dias que a familia
Hormais passou em Bouchoux e nada fa-
zia crer que os dous amantes previssem inr
quietacoes futuras.
Francisco e Magdalena tornaram a ver-
se, depois, com intervallos, ora muito pr-
ximos, ora affasttados, sem nunca esque-
cer as precaucoes que deviam empregar
para garantir a seguranca de seus amo-
res.
Magdalena nao quizera alterar em cousa
alguma as relacoes de amisade e de ami-
liaridade que exstiam entre ella e Tho-
maz Lhoir.
Comquanto seu coracao se oceupasse in-
tero de Francisco, ella tinha bastante pre-
senca de espirito e imperio sobre s mes-
ma para oceultar ao leuhero, cuja vio-
lencia e cujo ciume temia, a paixao que a
absorvia.
Seus passeios contiruavam, mas havia
menos expansao em suas conversas e, se
Lhoir testemunhava a mesma admiracSo
por esse idolo, cuja belleza escaldava-lhe
o sangue, Magdalena, de seu lado, come-
cava a experimentar, escutando-o, fadiga
e tedio.
Outr'ora tinha-a distrahido ser assim
amada, ella havia-se interessado pela aven-
tura ; agora, as effusoes do camponez a
enervayam, pareciam-lhe onfadonhas.
Outr'ora Lhoir correspondia-se com ella,
quando o rao tempo forcava Gonssolin a
ticar em casa ou quando o madeireiro o
encarregava de um negocio que o affastar
va de Bouchoux. Se elle a nSo via
antes pe partir, tinha meios deTazer che-
gar-lhe s maos urna carta, que elle pro-
prio langava-a em seu quarto e se ia ela-
bora depois menos desgo3toso com esia
ausencia.
Agora, ella nem mesmo lia o que elle
lhe escrevia.
(Continuar-se-hd)
Typ. do Diario rua Duque di


f
i
______4___S__\,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKHV8M0U3_ZXJSPP INGEST_TIME 2014-05-22T00:06:58Z PACKAGE AA00011611_16943
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES