Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16937


This item is only available as the following downloads:


Full Text



ta
-

X
MEEO 190
Di
BAB0 24DE AflDST DB 1888
PiRA A CAl*ITAL E Ll ARI&?0\ DK NAO SE PACA JFOl
Por tres mezes adiantades....
Por seis ditos idem .....
Por um nnp idem ....
Cada nuil ero avulso, do mesnio dia.
23O0O
,5100
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis meze> adiantados.............. 1345CC
Por nove ditos idem................ 20*000
Por nm anuo idem... ...... ........ 26*000
Cada numero avulso, de das anteriores.......... (5100

cPrcpriedade de Manoel Fgueiroa de faria 3%?cs
**,
i
lia.
AVISO.
Roiiams aos Srs. assta-
liantes des le Diario r|e se
a c 11 a ni em at razo o ol) sequo
Je manuarem abonar os seus | *
dbitos ato o fu
WBEzg afim !
iterrupcao na remessa ao
mesmo no pvineipip de Se-Ital:
tembro.
baha",
-
li.-.u!jou,hantein sua*
poltica, oBi'. Jos
4sahio da tribuna cu
-----------
de Afoeto, s.U horas do ,contornos ntidos o n "^RTIPI
daphutographia 6 Ir remed
Bflferfeiyae, ^ermitlirtdo Obtererii-se d
i nos quaes*trn
Unta coaierencia Jnycntaio itor,M- Xa nt Vi
-
m


TELEGRAMMAS
S3S7ZC3 ?mWU3
s
<
I
1
NATAL, 2:i de Agosto,
minutos da manhit.
Aqu chegoa hoje, proce lente' di)
paquete nacional .-Espirito ,S'anro,,que
jrue para o suV boje raesmOj tarde.
' O presidente da provincia fez seguir
oceultamente para o sertao urna forja de
30 prajas, eomuiandada por um official, j
sem haver perturbajao da ordem publica,
que reclame essa medida.
s:
o oras
Lecce S. M. o Kci do
Principe de aples, onde fo-
,mente acclamados.
madurar amanha o monumento
em honra de sen pai o fallecido
Re Victor EminsBp.
; Hars, lial em Pernambuco.
fctoj di: 1889.-''
tm
irla
tu
os
o.
Seabra que fidcio consist em firmara nagem h#fti\a
" i obre a sia&entfeie perfeitamente igual ou poKda.
de uiua chapa de'- vidro ou crjft1
urr materia transparente, (al como albgina,
btem-sc assim urna superficie p.Tl'eitarnenle
plana c lisa quasi igual, sob este ponto de vrsa
chapa daguerreotypica, e sobre a "qual o d
ulio pt)UjjBriMJligase imprime como prova ie
ntidos e preci
Com eS* Mtivo eiri vWro, tf*am-se de
Jpois proras posteas sobre Mpel.
Eis. em resumo, as operacoes praticas que
serven* para se ohler urna prova por meio da
piMMpaphia sobre vidro.
o. urna chapa desta substancia derramase
flores.
247S

mi
0 POPULAR
A!PHllllJ|ld IT
STSAS S MODKRNA
AS
Sciencias. industrias ? artes'
POR
Coatnuacao)
* XXIV
A photograpliln
gularidade df massa do part uipede
-se sob're esta substancia, jprovas de
urna ligeira capa cl'albumina liquida, queno
mais.*) qae clara d'ovodiluida em agua,
se sejsar esta carnada transparente e
esta albmina iiouve cuidado de se
previamente una pequea pon;ao de
de potjpno.
Quaoco^e quer proceder operacSo, aM
lisa-sea albmina mer^ulando a chapa di vt
coberra da capa albuminosa, em urna sobc&p
azota'o de prata acidulado com.algumas fotm
acido actico Pela reaeco do iodureD de po-
tassio cora o aztalo de prata, produz-fe cerf
quantidade de aztalo de prata ; este f> agente
pbotograpliico, isto a materiajue va serim-
pressionadatoelos raios luminwRs.
nafa a
B\iIi!:;m

litado dc|
'ath:
superior.
* O \k
lili o DE Jl'1.110 DE 188D
^rsulcnte da provincia atteuden lo
^^feu o capito d. 'I campanilla >l>
^Bo ser vico actu da _i irJ nacin il
do R".fc, Felipp N i
ista, i|ua pro'vou achar-s
couti uaf ii ,i juvlfe
para a re
sibi-
- ilve
M
.CommuQicou-se u.i ominaniuate.
'i -J
Jmpi-egn
' o obBnn-
lisim de isiure de ptata, le|
a chapa a cmara csttMfeAde.recefec a accR
iluz que deve formar tfiai^em negativa. flB-
tirada ila cmara e-ni;,i. sdbcuete-sa prora s
operacoes ordinarias qne -revelati e lixan as
prosas negativas sobre papel, isto',' trat-se a
chapa pelo acido galhico para fazer jpparccer.a
inia-'eiu. e peto.liyfKtullilo de so la, para a Ifiar.
K-te clich negativo sobre vidro serve depos
pala se lirarem provas positivas sobre papel.

(Contina)

PARTE OFFICIAL
Govenio da Provmcia
f



*
. 11
!
* LE N. 2,016
Manoel Alves de Araujo, do Consellio de Sua Magestade. 6
Imperador, Bacharel formado e-n sciencias sociaes e jurdicas pela
Faculdade de S. Paulo, Commendador da Imperial Ordem da Rosa
e Presidente da Provincia de PernamBuco.
Faco saber a todcs os seus habitantes que a Assembla^Lepis-
laliva Provincial decretou e eu sanecionei a resoluyo segrate.:
Art nico. Ficam extinctas as execucOes Jae a Fazenda Pro-
vincial move ao major Hermenegildo Edua"do -dp Reg Montero
Selo accrescimo de.imposto de pedagio das barreiras de Cequia,
otocolomb e Casanga.
Revogadas as disnosicoes em contrario.
Mando, peiGnto,'a todas as autoridades a quem o amlieu-
ajento e execuco da presente resaluco pertencer, que acptn-
pram e facam camprir tao iBi*ramelteMvrfto se cont*.
O secretario da Presidencia da Provincia a faca mprinur^p a-
blicar e correr. .
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 0 de Agosto de 18*".'.
68 da Independencia e do Imperio.
i H. Ames d Aiui -o.
Sellada c publicada a presente rcsolucao nesta Secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos de Agosto def 1881.
( secretario,
Francitco L. Marmho de >ou?a.
LE N. 2,047
Manoel Alves de Araujo, do Conselho de Sua Magestade o im-
perador. Bacharel em sciencias sociaes e jurdicas pela Faculdade
de S. Paulo, Commendador da Imperial Ordem da R&sa e Presi-
dente da Provincia de Pernambuco.
Faco saber a todos os seus habitantes que a Assemblea Legis-
laura Provincial decretou e eu sanecionei a resolucao segrate:
Art. nico. Fica o Presidente da Provincia autonsado a apo-
sentar o ex esenvao da collectoria do Cabo, Firmino Evaristo Ki-
beiro Varejao, com os vencimenlos correspondentes a porcenta-
gem de 10 ., sobre a arrecadaco do exercicio correte.
Revogam-se as disposices em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conueci-
mento e execuco da presente resolucao pertencer, que a cuinpram
e facam curaprir tao inteiramente como ntlla se contera.
O secretario da Presidencia da Provincia a faga imprimir
pu-
Agcste de


blicar e correr.
Palacio da Presidencia de Ternarabuco, em 6 de
1889. 08" da Independencia e do Imperio.
L S M. ALvr..- dk AlUUic
Sellada e publicada a presente resolucao nesta Secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos fi de Agosto de 188.
O secretario.
Francisco L. Marinlio de bovza.
LE N. 2,048
Manoel Alves de Araujo. do Conselho de Sua Magestade o im-
perador, Bacharel formado em sciencias sociaes e jurdica.- peta
Faculdade de S. Paulo. Commendador da Imperial Ordem da osa
e presidente da Provincia de Pernambuco.
Faco saber a todos os seus habitante s que a Assemblea legis-
lativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolucao seguate :
Artigo nico. Fica o Presidente da Provincia autorisado a
contractar com o coronel Jos de Carvalho Araujo Cavalcante, ou
com quem melhores vantagens offerecer, a construeco de urna
estrada de ferro de bitola estreita, que partiodo da estaco de U-
nhotinho, no prolngamelo da de S. Francisco va terminar na
villa de Papacara, passando pelas povoados de Palmeira de uara-
nbuns, Correntes, Laga do Emygdio, otfsuas immediaeOesrfOS
termos da lei n 1,871 de 31 de Maio de 188G, que Hcar em inteiro
vigor para todos os seus tffeitos.
Revogam-se as disposires em conteario.
Mando, portanto. a todas as autoridades a quem o conheci-
mento e execuco da presente resolutao pertencer, que a cum-
pram e fagam cumprir tito inteiramente como nella se conten-
O secretario da Presidencia da Prowocia a faca imprimir, pu-
blicar e correr. gjju ,
Palacio da Presidencia de Pernaibbuco, em 0 Agonto de
1889, 68" da Indenendencia e do Imperio.
L S M. Alves db Ah.vujo. m
Sellada e publicada a presente resolucao nesta Secretaria da
Provincia de Pernambuco, aos 6 de Agosto de 1889.
O secretario,
Franci$a> L. Marinho de Souza..
LEI N. 2049
Manoel Alves de Araujo, do conselho de Sua Mageslad o
Imperador, Bacharel formado em sciencias sociae e jurdicas pela
Faculdade de S. Paulo, Commendador ta Imperial Ordem da Hosa
e Presidente da provincia d" Pernambuco : .
Faco saber a todos os seus habitantes que a Assemblea Le-
gislativa Provincial decretou e eu saifoeionei a resolucao se-
^"Ariigo nico. Fica o presidente da provincia autorist.do a
contracta,-, nos termos das le s ns 1860, de 1883 e 1971 do carrate
anno, um engenho de tvpo menor, no valle de Japarandut.i, co-
marca de Palmares, com o proprietano Pedro Affonro Ferrara e
ouiros que requererem : e um outro de typo maior, nos rraos
das mesmas eis, no valle de Tapicuni. ^z,a. ".^f11'"??;
comarca de Rio Formoso, com os proprietanos Antn 0 Accioly
Lins. Sebastio Wanderlev Lins Chaves, Joao Manoel d; Mes-
quita Barros Wanderley e Domingos de &ouza Leao Reg Barros.
Rvogam-se as disposices em co.itrano. ___ __
Mando, portanto. a todas as autoridades a quem o conheci-
raento e execugio da presente resolucao pertencer, que a cumpram
e facam cumprir tao inteiramente como nella se coniem.
O secretario da Presidencia da provincia a faca imprimir,
publicar e correr. ,oa
Palacio da Presidencia de Pernamuuco, 7 de Agosto de 188,
68.a da Independencia e do Imperio.
L. S. M. Alvks l Arau-io.
Sellada e publicada a presente rsolucao nesta^ecre'aria de
Presidencia de'Pernambuco, aos 7 de Agosto de 1889.
O secretario,
Franme-i L. Marinho de Souza.
LEI N. 20) >
Manoel Aiies de Araujo, do conreino de Sua MageUade o
imperador, Bacharel formado em sciencias sociaes e jurdicas peta
da Imperial Ordem da Rosa
sabuco :
habitantes que a Assemblea Le-
eu sanecionei a resolucao. se-
Fica
,1. 188o do !.
aio
Faculdade de S. Paule
e Presidente da pro<
, Fago sabeq 'a todos
gislativa Provincial dec'r
guate :
Artigo nico,
de 1887.
Revogam-se as dwposires' em contrario.
MandA'portante, a todas as autoridades a quem o conheci-
meuto e eipcacao da presente resolucao pertencer, que acumpnw
enaram compnr tao inteiramente como n'ella se contm
*0 sechtaVio da Presidencia da provincia a faca imprimir, pu-
blicar c correr. '
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 7 de Agosto de 1889,
68. da Independencia e do Imperio.
L. 6. M. Ai.ves db Aiao.
' Sellada e publicada aprsente resolugo nesta Secretaria da
Presidencia de Peruaanibucq, aos 7 de Agosto de 1889.
O secretario,
'* Ftmtcisco l. Mtrlnko de Souza.
LEI N. 51.
*noel Alves de Araujo, do conselho da Sua Magestade o
Imperador, Bacharel formado em sciencia- sociaes c jurdicas pela
Faculdade de S. Paulo, Commendador da Imperial Ordem da Rosa
e Presidente da provincia de Pernambuco :
Fago saber a todos os seus habitantes que a Assemblea Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolucao se-
grate :
Artigo nico. Fica concedido o abate de 10 por cento ao arre-
matante da barreira de Pontesinha e o de 20 por cento ao da bar-
reira de Tacaruna, em Olinda
Revogadas as disposiges em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conheci-
mento e execuco da presente resolugo pertencer, que a cumpram
e fagara cumprir to inteiramente como n'ella se contm.
O secretario da Presidencia da provincia a faga imprimir
publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 7 de Agosto de 1889,
68. da Independencia e do Imperio.
L. s. M. Ai.ves de Aracjo.
Sel ada e publicada a preseote resolugo nesta Secretaria da
Presidencia" de Pernambuco, aos 7 de Agosto de 1889.
O secretario,
Francisco L. Marinho de Souza.
LE N. 2,052
Manoel Alves de Araujo, do Conselho de Sua Magestade o
Imperador, bacharel formado em sciencias sociaes w jurdicas
pela F'aculdade de S. Paulo, Commendador da Imperial Ordem da
itosa e Presidente da Provincia de Pernambuco :
Fago saber a todos os seus habitantes que a AssemWa Le-
gislativa provincial decreto c eu sanecionei a resolugfto seguinte :
Artigo nico. Fica concedido a Jos Francisco de Lima Amorim,
arrematante dos impostes municipaes de Bezerros o abate da ter-
ca parle do prego por quanto arrematou ditos impostes.
Revogadas as disposigOes em contrario.
Mando, portante, a todas as autoridades a quem o conheci-
mento e execugo da presente resolugo pertencer, que a cum-
prar e fagam cumprir to ioteiramente como nella se contm.
O secretario da presidencia desta provincia a faga imprimir,
publicar e correr. _a
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 7 de Agosto de 1889,
68 da Independencia e do Imperio.
L_ s. M. Alves de Abacjo
Sellada e publicada a presente resolugo nesta Secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos 7 de Agosto de 1889.
O secretario,
Francisco L. Marinho de Souza.'
LEI S. 2 053
Manoel Alves de Araujo, do Conselho de Sua Magestade o
Imperador, bacharel formado em sciencias sociaes e juridigas
pela Faculcade de S. Paulo, Commendador da Imperial Ofdem
da Rosa e Presideote da Provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes que^a.Assemblea Le-
gislativa Proviocial decretou e eu sanecionei a resolugo se-
guinte : '
Artigo nico. Fica o Presidente da Provincia autonsado a
aposentar o cx-pagador dfReparligo das Obras Publicas, Vicente
Ferreira da Costa Miranda, com o ordenado que percebia.
Revogam-se as disposigOes em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o cauheci-
mento e execugo da presente rosolugo pertencer, que-a cum-
pram e facam cumprir to inteiramente como nella serontm.
O secretario da presidencia desta provincia raga imprimir
publicar e correr
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 7 d Agoste de 1888,
68 da Independencia e do Imperio.
L. S. M. Ai.ves ub Araujo.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta Secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos 7 de Agosto de 1889,
O secretario,
Francisco L. Marinho de Souza.
LEI N. 2,054
Manoel Alves de Araujo, do Conselho de Sa Magestade o
Imperador, bacharel formado em sciencias so aes e jurdicas
pela Faculdade de S. Paulo, Commendador da Imperial Ordem da
Hosa e Presidente da Provincia de Pernambuco :
Fago saber a todos os seus habitantes que a Assemblea Lffis-
lativa provincial decretou eeu sanecionei a resolugo segura'
Artigo nico. Fica o Presidente da Provincia autorisad
rescindir o contracto de arrematago do pedagio das barreiras
de Morenos, S. Joo e Couceiro, que termina em Dezembro de -
1891.
Revogadas as disposigOes em contrario.
Mand>, portante a todas as autoridades^ quem o conhecimen-
to e execugo da presente resolugo pertencer, que a cumpram
e fagam cumprir to inteiramente como nella se contm.
O secretario da presidencia desta provincia a fa^-a imprimir
publicar e corre.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 7 de Agosto de 1889,
68' da Independencia e do Imperio.
L. S M. Alves i>b Abacio.
Sellada e publicada a presente resolugo nesta Secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos 7 de Aaostn de 1889.
O secreta rio,
Francisco L. Marmho de Souza.
>tce-presidenle da
1 o fenente Vi
pOSto
luapra:
icife e pira o de tenente quartH-me
mu batalhao Severiano de ?aula Franco.Ccm-
municou-se ao commandante superior.
O' vice-presidente da provincia resolve exo-
nerar o bacharel Galdino Teixeira Lins de Bar-
ros Loreto do. cargo do 3" escripturario da 2
cgo do -Thesouro Provincial e uomjjar para
bslituil-o Laureotino Antonio Cesario de Aze-
ao.Comnaunicou-s'-ao respectivo inspector.
O vice-prsklent. da provincia atlendendo
0 ijue reqnereu Augusto Xavier Cariicro da Cu-
t resolve exoneral-o do cargo de tlicsoureiro
loteras da provincia e lomear para exerc-r
_ ditoeargo o tenente-corouel Francisco Gongal-
Jes Torres.Fizeram-se as necessarias comrau-
eacOes.
S o vice-presidenti da provincia resolve con-
|derar seareffeito a portara de 10 de Maio lin-
. p"Iu qual foi nomcado o bacharel Saturnino
fe Santa Cruz Oliveira para o cargo de promotor
publico da comarca de lngazeira e nomear para
aojstituil o o cidado Luiz Accioli de Godoy e
"Va;concellos.Fizeram-se" ae'necessanas cora-
mumeages.
.. O vicepresidente da provincia resolve no-
tiear o bacharel Antonio Sergio Lopes Lima pa-
ca o cargo de promotor publico da comarca de
Cimbres, em substitdico do bacharel Herculano
cte Oliveira Torres Gallindo que#nao aceiteu,a
Wmeago.-Fizeram-se as mcessanas eommu-
"a|caces.
() vice-presidente da provincia de accordo
m a proposta do administrador dos Crrelos
oflicio .de hoje sob n. 078, resolve nomear
a servir o cargo de agente do correio da ci-
daite da Victoria o lente Jos Esperidio Xa?-
vier de Lima e da de Rio Formoso Antonio de
Souza Carvalho, licando exonerados os actuaes
8erventuarios.Communicou-Se ao administra-
dor dos Correios.
0 vice-presidentefla proviuc^l resolve no
DKar o cooego Marcolino Pacheco do Amaral
ara o lugar de delegado do disjricto luterano
do Curato da Se^ em substituicao do actual que
tica exonerado.
O vicepresidente da provincia resolve no-
ibear o commendador Jos Pereira de Araujo
para o lugar de delegado do districto luterano
de S. Jos da Boa-Esperanca, ficando sem effeit
a portara de 1" do corrente na parte em que o
oomeou delegado litterario da Escada.Com
monicou se ao inspector geral da lnstrucgo
Publica.
O vice-presidente da provincia resolve uo-
jlear Araenco Forluuato de Souza para o lugar
.ld# Relegado do (Astricto erario da Eseattr.-
O vice-presidente da provincia resolve no-
mear o* ciados capitto-francisco das Chagas
iiv. ira, capito Joao Goocalves da Silva Bra-
sil, l'rsulino Antonio Rodrigues Mariz e capito
Domingos de Abreu Araujo Vascocellos para
exercerem o cargo de delegados dos di3trictos
lilterirlos de Nazareth, Tracunhem, Vicencia e
Allianca, na ordem era que se acham collocados,
licando exonerados os actuaes.Communicou
se ao inspector geral da lnstrucgo Publica.
O vice-presidente da provincia resolve
exonerar Aureliano Eleuterio da Silva e Joa-
quim Jos de Barros e Silva dos cargos de col-
lector e escrivo da collectoria provincial do mu-
nicipio de Pao d'Alho.
O vice-presidente da provincia resolve no-
mear Jos Ferreira de Oliveira e Estanislao Au-
gusto de Audrade Lima, para exercerem os car-
gos de collector e escrivo da collectoria provin
cial do municipio de Pao d'Alho, na ordem em
que se acham collocados.Communicou-se ao
inspector do Thesouro Provincial.
O vice-presidente da provincial, resolve no-
noraear para os lugares de i", 2" e 3o supplentes
do juiz municipal e de orphos do termo da Boa-
Vista, o alferes Marlinho Alves de Barros e os ci-
dados Jos Florencio de Souza e Klpidio Vieira
Tosa, aos quaes fica marcado o prazo de tres
mezes para prestarem o juramento do cstylo.
(Communicou-se ao inspector da Thesourana de
Faienda.
uffioios :
ao inspector daTucouraria de Fazenda
Ao escripturario da rcpar.icao especial do trras
e ooionisai "io Manoel Joaquim liamos k Silva,
mande V. "S. entregar a quantia de 4:lj2.279,
eonforme solicitou o respectivo inspector em of-
ficio de 1" do corrente e informou essa thesou
raria no de-boje sob n. t:>. para indemnisacao
do aluguel da casa que serve a raesma reparlico.
no. trimestre tindo em 30 de Junho ultimo e pa-
gamento do pi'ssoal que trabalhou n'.i Ncleo
Suassuda e na hospeJaria da Jaqueira na qnm-
ze\ia de 16 a 30 d'aquelle mez.Communicou-se
ao inspector de trras o eolonisago.
Ao mesmo.Mande V. S. entregar ao di
rector geral de obras publicas, engenheiro Fran-
cisca Apoligorio Leal,a quantia de 'itH), porcon-
credito de que traa a ordem do Tnesouro
Racional n. 64 de 11 de Abril do corrente auno.
i mesmo.Cpmmunico a V. S., para os
invenientes, que o bacharel Arthur da Sil-
va llego, em 1 do corrente mez, assumio o exer-
cicio do cargo de promotor publico interino da
comarca de Nazareth/para o qual loi nomeado
na mesma dala, pflo respectivo juiz de dlreito.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os
lins convenientes, que o bacharal Sergio Diniz
de Moura Mallos assumio, em 3 do corrente, o
exercio da cargo de promotor publico da comar-
ca da Escada.
Ao commandante do corpo de polica.Faga
^^Hir amanha. no primeiro trem,
^HBIs Escada 15 pracas do corpo de seu
^^^Kido as quaes icaro disposigodo res
pectbaUclegado de polici:.
lio llie a portara autonsan lo otranspor-
te dI referida- pracas.-Remetleu-se copia ao
Dr chefe de polica.
Ao uiesmo Ao Dr. chefe de pulida man
.:. presentar duas pracas afin de conduzi
remun preso para a comarca de Palmares.
Portaras : ... ,r.,.
Determin a Cmara Municipal de Villa
xpeca as devidas ordens, para que se
u/dta 1" de Setembro vindouro, a elei
unes de paz da parochia de S. Jos ae
Belmonte que deixou de ter limar na epocha te
'undo participoua mesma cmara era ofu-
^kS2 de Abril ultimo Communicou-se ao
di'-eito da comarca.
*^?Oi Srs! agentes da CompanhiaBrazileira de
Navegaco,'fagam transportar provincia da Pa-
rahvba por conta do Ministerio da Guerra o 2
dele 2o sargento Luiz Ignacio da Costa, tran-ie
rtflo pa'a o 27" batalhao de infantaria all esta-
cionado. -Coflaaunicou se ao commandante das
Mein, a proviocia do Cear, o 2^:adete Fran-
^^Hosta Fialho que foi transfe
[batalhao de infantera all exis-
licou-se ao commandante das
de Navegacao unible dar passagerad r, at a
Parabyba.oo vapor que seguir para o norte a 10
do corrate, a Augusto da Silva Noves, poreonta
das grajuitas a que o governo tem direito.
O Sr. gerente di Coiniwnliia Pernambucana
de Navfgaco mande dar passagens de proa at
o presidio de Fernando de Noronha no prximo
vapor a Mara Victoria do Xa'Sclaieio, raulher
do sentenciado Manoel Antonio da Assiimpco e
jdyas l'Ulias. Mura da AjBU'upgao (ie 1 airaos
e Ernestina de 11 airaos, por cauta dns gratuila-i
a qne o governo tem direit i.
3r. -uperinteudente da estrada de ferro
,^_ltJiv*or;;u- uuia.-
oriuisirc t. ICO ruma*
-eada, com direito a bai^gem e por conta
da provincia a quiuie pragas do-corpo de policia
jue vo destacar naquotla cidade.
O Sr. superintendente da estrada de Ierro
do
Sr. superintendente da estrada de ferr
Recife ao S. Francisco d passagens de ida
\olta, com direito"anbagagem por conta da pro-
vinciana estaco de Cinco Pontas a de Una, a
duas pragas do corpo de policia, providenciando
igualmente quanto ao transporte do reo ^Bellar-
raino Feliprte Daoiasceno que para "alli segu
alim de ser submettido ajulgamento.
dem de ida e da estaco de Cinco Pontas
a de Una, ao furriel e pragas do corpo de policia
de no mes Justino Jos Cavalcante. Pedro de Al-
cantara Muniz Sobrinbo, Jos Pereira de Mello e
Camilio|Borges da Silveira Tavora, que vo des-
tacar no termo de Bom Conrelho.
- Mulata lualnwlK ao eucarragado daestago
de Palmares d'ah at Garanhuas.
t Idem, idem, ao soldado do corpo de polica
Po AntoniOijOurenro, que vai destacar em Villa'
Bella.
Mutatis muandit ao encarregado da estaco
de Palmares d'ai at Garanhuns.
EXPEDIENTE DO BR. SECRETARIO
Officios :
Ao Io secrelario da Assemblea Legislativa
Provincial.O Exim Sr. vice presidente da pro-
vinciinauJa aecusar o recebimento do ollicio,
n. 70, de boje datado em que V. S. commnmca
nao poder ser installada amanha a sesso extra-
ordinaria dessa Assemblea, por nao haver nume-
ro de depulados necessario.
Ao administrador dos correios.S. Exc. o
Sr. vice-presidente da provincia licou inteirado
pelo oflicio ,d,e V. S. de hontera datado sob n.
677 de haver assumido o jexercicio de fiel do
thesoureiro dessa reparlico Antonio Pereira de
Araujo e Silva u'essa data.
Ao commandante do corpo de polica.S.
Exc. o Sr, vice presidente da provincia' recom-
mendo a V. S. que providencie para que o alfe-
res Jos Rabello Padilha v commandar o desta-
camento de Petroliua, para cujo termo foi aquelle
official nomeado delegado, hontem, por proposta
do Dr. chefe de policia
Ao mesmo.De ordem do Exin. Sr. vice-
presidente da provincia communico a V. S. que
sobre proposta do Dr. chefe de policia foi nomea-
do delegado do termo de Villa Bella, o alferes
desse corpo Joaquim Eduardo de Godoy e Vas-
concellos.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Naza-
reth. *S. Exc. o Sr. vice presileute da provincia
recommenda V. S. que declare a dataem que o
bacharel Arthur da Silva Iterfodewou 6 exerci-
co do cargo de promotor publico dessa comarca,
do qual roi.lmaiiiento venerado.
Ao promotor publico da comarca de Esca-
ria.S. Exc. o Sr. vicepresidente da provincia
inteirado do assumpto do cfiicio de 3 do corrente,
recommenda a V. S. que.remetta a certidao de seu
exercicio.
DESPACHOS DO DIA 21 DE AGOSTO DE 1889
Padre Antonio do Monte Silva.Deferido com
oflicio de hojajao coronel commandante das ar-
mas. .
Christovo Brehel'ert Corroa.Delerido com
oflicio de hoje ao coronel commandante das ar-
mas.
Domingos Jos F*onseea & C -Interine o Sr.
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Manoel Thoinaz de Albuquerque Mcranho.
Informe o Sr. Dr. director das obras publicas
geraes
Mara da Couceico Camello.Pague-so o que
fdr liquidado.
Mara Amelia Soares Carvalho.Inlorrae o
Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Baro de GranitoComo requer
Metido de Meira Lima.-Informe o Dr. juiz de
direito da comarca da Escada.
Romualdo Pereira Gomes.-Encarainhe-se.
Alheiro, remandes A: CEncaminhe se ao
Exm. Sr. miuistro da guerra aprsente petigo
e informago da Thesourana de Fazenda.
Domingos i'aulino Ayres.Informe o Sr. di-
rector geral da lnstrucgo Publica.
Izaac Esnaty Diga o -r. Dr. inspector do
Thesouro Provincial. ~
Th. Great Wesiern of Brazil Railway Limited.
Informo o Sr. Dr. inspector do Thesouro Pro-
vincial.
Secretaria da Presidencia de Pernara-
Me
cisco
rido
tente
armas.
O
ite da Companbia Pernambucana
buco, 23 de Ag
de 1889. .
O porteiro,
'Francolino Chacn.
Rcpartico da Polica
2.* Reccao.N. 1,039Secretaria de Po-
licia de Pernambuco, 23 de Agosto de 1889.
Illm. o Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que toram hontem recolhidos Casa de
Detencio, os seguintes individuos :
A" ordem do Dr. delegado do 1" districto da
capital, Victor Landelioo Modesto. Francisco de
tal, Jorge Francisco do Nascimento e Antonio
Francisco^lo Nascimento, por embriaguez e dis-
turbios. ,
A' ordem do subdelegado do Io districto de
S. Jos, Liberato Francisco de Araujo, Agostinho
dos Santos, Mara Antonia Calistra, Maria Salur
nina da Conceigo e Maria Rosa da Conceigo,
por disturbios.
A' ordem do do Io districto de Afogados, Fran-
cisco Andr Soares por crime de ferimentos.
disposig~.o do subdelgadodo 2 disvicto de S.
Jo-.
A' ordem do do 2" districto da Boa Vista,
Fructuoso Pereira de Moraes, por crime de feri-
merjfcs, a disposicftdto Dr. juiz de direito do
i' d'Siricte criminal.
Ceiununieou-rae o delegado do termo de
Flore!, que na noite d 9 do corrente evadiram-
se dacadeia d'alli, depois de abrirem a porta
priiicajial do edilicio com urna chave falsa, tosca
menie prepara la e de alacarem a praga que se
achara de sentinella. os presos de nomes Pedro
Gol de Vascocellos, Mignel God de Vasco-
cellos, Severino God de Vascocellos, Vicente
God, Pedro Luiz Alexandrino, Manoel llaptista
de Luna, Joaquim Baptista de Lima, Cypriano
Lopes da Costa, Manoel Jos da Costa, utonio
lienrique Joaquim Vianna, Martiniano Jos de
G es. Joao Ferreira de Lima e Manoel do Carmo
Feitosa.
0 delegado emprega diligencias para a captura
dos referidos presos, tendo j consegrado priso,
de seis d'elles.
No dia 14 do correte, e era trras do en-
genho Cabuss, pertencenle ao districto do
termo de Liaoeiro, foi encontrado, em urna cova
o cadver de urna creanca recemnascida, do sexo
feminino, lilha de Maria do .Nascimento da Con-
ceigo, que foi presa e conira a,uem abrio-se o
respectivo iaquerito.
."Comrauuicoume o capito Antonio Carlos
dos Santos MerguIhSo ter no dia 17 do corrente
assumido o exercicio (lo cargo ^de delegado do
termo do Brejo. .
Itontem, as 11 horas do dra. foi preso na
estrada dos Remedios quanto era perseguido
pelo clamor publico, o individuo de nome Fran-
cisco Andr Soares. por haver. junto ponte da
ferro-via de Caruaru, espacado a Jqanna Maria
do Espinio-Santot
U sDUL'iegauti mmrirrrtwsia m- _.o lavrar o termo de flagrancia e mandn recolln
o delinquente Casa de elenco disposigo
do subdelegado do 2" districto de S.Jos.
Deus guarde t V. Eic.Ulm. e Exm
3r. Conselheiro Manoel Alves de Araujo,
rnuito digno presidente da'provincia.O
chefe de policia Qeroncio Dios de Amida
Falcao.
Tbcsoaro Proyineial
DESPACHOS DO DIA 20 DE AGOSTO DE 1889
Justiua Auna da Silva Santos.A' pagadoria.
21
Joo Alfredo de Figueiredo Braga, Anna Ro-
mero de Albuquerque Mello e Mainel Gongalves
Braga.A' Recebedoria.. '
Oflicios das Obras Publicas, da Thesouraria de
Fazenda, do Dr. chefe de polica, Joaquim Flix,
Bezerra Cavalcante. Maria Franisca de Barros,
Anto Borges Alves Jnior, collectorias de Tim-
baba, Nazareth e Muribeca, Cotpo de policia,
Alexandre dos Santos Selva. Miguel de Figueira
Faria e Dr. Sabino Panno.A' contadori.
D. Maria Joaquina das Dores, Antonio Duarte
Machado, Antonio Jovino da Fonseca, Andr
Avelino da Souza I.andim, Conpanhia. Usina
Joo Alfredo, collectorias de Barreiros e Pal-
mares, Epitacio da Silva Pessoa, Gamillo Lins
do Amaral Arago, Francisco de Mello Caval-
cante de Albuquerque, Felippe Nery Collago,
llerbert I. Perman e Miguel Soares d Azevedo
Ao contencioso.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 22 DE AGOSTO DE 889
Thomaz Jos das Neves, Domingos Jos Fer-
reira & C e Joo Alfredo de Figueiredo Braga.
laformc a 1. seceo.
Francisco Botelho de Andrade Certitique-se
- 23
Jos Joaquim Goncalves de Barros 4 CA
1.' secgo para attender.
Anna Anglica do#Santos Rodrigues e outros.
Nao lia o que deferir em vista das informa-
gOes.
Guilhermina l.ins Wanderley.Deferido em
\ isla das nformaces.
Anna Romeiro de Albuquerque Mello e Manoel
GoncalveS Braga.T-Inform a t.-. af -----
Joo Joaquim 'da Cosa Lelte.Cupra-e.
miM IS E C01HEKCI0
A situagao monetaria dos principaes es-
tabelecimentos de crdito, europeos, l-se
no Jornal do Qommercio d Lisboa, est
intensivamente pesando sobre os merca-
dos financeiros, e dando margem larga
operacoes d'arbitragens, que derivara no
engrossamento da corrente de irnportacSo
de ouro que o Banco de Franc.i estabele-
ceu para os seus cofres a tim de se tornar a
primeira e mais proeininente potencia mo-
netaria.
Com esta febre de absorpgSo metallica
coinciden! as consideraveis ordens de ven-
da de stocks estrangeiros por parte do
Banco de Franca e de um grupo de ban-
queiros seus satellites, do que resulta aug-
mentare m-se os saldos credores as pra-
gas estrangeiras, que atnal sao cobertos
com remessas de ouro.
Como consequencia desta posic-So os ou-
ros dos cambios na divisa Pariz favore-
cen! ahi as arbitragens nao s pelas raz5es
cima indicadas, mais pela abundancia de
papel que os visitantes exposielo teem
tomado sobre esta praga.
Esta tensSo era que se encontra a pra-
ga de Pariz. tem suscitado graves appre-
hensoes nos mercados internacionaes,, por-
que, a nao ser a operagao para a conver-
sao da divida russa, ainda nao contratou
outra de certo vulto, pelo que tem perma-
necido n um longo repouso, que d certo
nSo tem sido para reparar torgas que o
krach do cobre Ihe fez abalar e perder.
Qual ser o objectivo da administragao
do Banco de Franja em accumular tao im-
portantes soramas de numerario^ para as
deixar iramobilisadas?
Qual ser a contra partida deste exces-
so de reservas metallicas para resarcir os
quantiosos encargos de sua immobilisaco ?
A estas perguntas quasi unnimemente
3e responde, que o Banco ,procede des
te modo para estar a abrigo de qualquer
eventualidade poltica que julga inimi-
nente. Esta opiniao q'u^si geral, traz
preoecupados muitos espirites lucidos, que
se deixam vencer pdf esta especie Ae
suggostao mental a que os especuladores
da bolsa teem dado vulto e expansao ;
mas se tizerinos i.icidir a nossa analyse
sobre tao importante questo, encontrare-
mos na perequagSo de todos os elementos,
que nao sao nicamente os receios das
crises polticas, que teem imperado para
promover a situacao defensiva do Banco
de Franja, porque^.esses raovimentos s
milito superficialmente atacara o seu func-
cionamento, que em breve trecho ser
restabelecido.
Os bruscos movimentos polticos podem
occasionar urna lesao de funecao, mas a
lesao orgnica, essa s a poderao produzir
os pioprios elementos ingnitos na insti- '
tu5o banftria, que sao os de ordem fi-
nancefra e econmica".
Querer attribuir s influencias de um
vulto poltico as subidas ou desodas dos
fundos, confessar a mais craw ignoran-
cia das leis econmica 08<5""




*




Diario de Pemarobuco- bbado 24 de Agosto de 1 *.S9
lacoes da bolsa sao antecipadamento pre-
Tistas, e determinadas com rigor eientifi-
co, em face das situacio geral do paia pe-
rantea circulacao internacional, embora
es especuladores abram flanco neste pria-
oipio fundamental, em curto treoho, a co-
tacSo inscreve o numero que a justa
exprsalo do crdito o do valor doa ttu-
los.
Feitaa estas previas explanares ni te-
mos duvida em affirmar que o plan fi-
aanceiro adoptado pelo Banco de Franca
se firma n'uma equacSo econmica de
grande alcance que ser discutida no con-
gresso monetario, e com o qual se rela-
ciona a expiracao do contracto celebrado
orno as na$5e i da uniXo monetaria.
O Banco de Franca, fortalecido com
ama reserva metallica que Ihe d a proe-
minencia a todos os bancos do mundo, ha
de, por certo, saber aproveitar-se da sua
excepcional posic&o para emendar ou con-
firmar as consequencias do bi-bjetallismo
que tantos embaracos est causando na
circulacao monetaria e na determinacao
do curso dos cambios.
Para demonstrar o theorema que de xa-
mes exposto, e para que delle se possam
tirar os corolarios, apresealamoa o segua-
te quadro da /feucao monetaria de ai-
gima dos mais importantes estabelecimen-
tos de crdito, alagando os ltimos balan-
cetes que forai publicados :______________
i
0t
T SO ff ^ t-l TI
o
** -* 3 -4 8 2. ?
so w
t":- 5
9 32,99
n 2.47
32,78
7,71
0,92
a * 1,62
MA.DEIRA MADEIRA
VEBDE SBCCA
Kilos Kilos
0 881 1,800
0.404 0.807
0,3fl 1,064
2,771 5.661
0,208 0 424
2.755 5,625
0,648 1,323
0,077 0,158
6,136 0,278
8,400 17,160
0.950 1,940
multo leve e coa-
Loso p<5 a a oo-
conserva mais de
' e _
"S-s-S?
i;??-
? :* s
: g :
. ""
>-* tG t&
4- ~ ~ IC
C5 i>- e so b> '-a
i^ os c Ctf a> t

COtCMU
o p o
** b fo o
Si w *-
O
s
s

O!


5
Cfi
3
ES
sr
o
**
Se* o
-1 ii. ^-1 O 33 J' i-
OOlSifll
Ca "^ t-d ** ^^ X. 'f^
?
A simples inspeccilo d'este mappa evi-
dencia o quanto se torna difficil e angus-
tiosa a situacSo d'aquelles bancos, cujas
cuusequeucias j cuio^arat a sentir os
New-York Associoled Banks, qu n ulti-
ma semana soffreram urna diminuicao de
5.420:000 dlllars na sua reserva metalli-
ca e nos depsitos, facto este que origi-
nou urna baixa as obrigacoes das linhas
americanas de carainhos de ferro. Se fi-
zermos um estudo. retrospectivo das con-
dicoes monetarias de quasi todos os ban-
cos, havemoa de verificar que em todos elles
e operou urna declinacao constante as
suas reservas metallicas, aa quaes foram
subtraidas caixa do Banco de Franca.
IMSTRI4S E ARTES
Estamos informados ]de que se aca organizada
em Parii, a companhia que tem de eslabelecer
nesta provincia urna Importan- issima fabrica
para explorago da industria do papel.
Segundo nos cenata, a fabrica ser montada
em condige* de funecionar era grande escala,
e pelo systema mais aperfeigoado e ecoBomico :
manufacturara papel desde inferior qualidade at
ao que ha de raelbor no genero.
Fabricara papel para escripia, enveloppes,
impresses, estampado para forros, papelo,
etc., etc.
Foi cncorporador da empreza o illuatre enge-
nheiro Luiz da Nobrega, que regressa novamen-
te Paria para concluir os scus Irabalbos.
O capital da companhia de rail contos de
ris- _
Foram remettidaa desta provincia diversas
qnalidades de vegetaes e madeiraa fibrosas, que
se prestara, como materia poma, ao fabrico do
papel ; e das experiencias qne se izeram, obte-
ve-ae o mais satisfactorio resultado.
Para edificago da fabrica, foram levantadas
diversas plantas em terrenos de Jaboato, Be-
beribee S. Courenco ; auuarda-se brevemente
a ebegada do engenheiro constructor da fabrica,
que escolher.a localidade que deve ser prefe-
rida.
#*
A quantidade de gaz vendida em 1888 pelas 8
Mricas da companhia de Madrid foi de........
17.051:647 cetros cbicos; o que representa um
augmento de perto d'um milho de metros cbi-
cos sobre a venda do anno anterior.
A receita correspondente foi de 6.159:177 fran-
cos, um augmento de 351:757 francos d'um anno
para outro.
A venda do ",okc elevou-se a 2.281:949 francos
ou 1.519:32tJ5U0 ris.
As despezus com o fabrico e materias primas
elevaram-se a 3.781:723 francos ; e despezaa ge-
raes, encargos sociaes, juros de obrigagoes, amor-
tisago de accoes, laBM*o da fabrica, etc.,
3.542:409 francos ; 0 que produz no total urna
despeza de 7.324:132 francos ou ris fortes
1.308:3434769.
O readknento liquida toi po:s de francos.....
1.119:893, ou 20i:a80*740 forte, permittindo um
dividendo de 22 fr. 50, ou4050 fortes, em lugar
de 20 fr. ou 3*600 fortes que se distribuiram em
1887.
* *
A cultura do algodoeiro (Gassipium arbortcens)
j contou entre nos dias de verdadeira proaperi-
dade, e isto foi por occaaiao da guerra de auc-
cesso. havendo at provincias qoe deram cul-
tura d'estamalvacea grande iflcremento.
Quaado, porm, voltaram os Estados-Unidos
paz e trabalho, pode reorganisar-se sobre nova
e solida base a produeco algodoe;ra ; comecou
a desawcer entrense este descrescimento che-
gou ao estado de verdadeira decadencia em que
anda boje se acba a cultura.
na o caso de perguntar : no meio da teme-
rosa crise por que vai passando a prodoacao as-
gucareira nacional e ao mesmo tempo em vista
do deaenvolvimento que nos ltimos tempos ha
tomado a industria dos tecidos. nao seria conve-
niente reergner a cultura da pianta textil do aba-
timento em que se acba on pelo menos produzir
o algodo de que carecem as fabricas, oacionaes
de nacao ?
i Respondam os de animad' sdecan-
, na, e por sua vez ta nben

Segundo b Sr. Pb. Boname, antigo director da
Estcfto Agronomic. de Pointe a Petre em Gua-
delupe, o grao do algodoeiro contera 20 a 30 /
de oleo e na media 3 "/ de materias mineraes e
3,3 /o de azoto, encerrando as cinzas do grao
em abundancia acido phosphorico e potassa, e
aellas tem se adiado na media 30,90 de acido
aosptoonco e 2o,4C de potassa.
Jinposiro centesnial das cnaas :
Ac. phosphorico
sulphurico
Ghlro
Cal
Magnesia
Potassa
Soda
Oxydo de ferro
Silica
Cinzas por 1,000 kibgrammas :
Ac. phospnorico
< sulphurico
Chloro
Cal
Magnesia
Potassa
Soda
Oxydo de ferro
Selica
Materias mineraes totaes
Azoto
A madetra do **o.loeiro e
(..mxciui uo 30o/o de agua.
Uieita, deseccada do ar, nao
10 a 15 ',,
Comecou io dia 1 do crreme o assen lamen-
to dos trilhos aa estri da de ferro oeste de Mi-
nas, a partir da cidads de Oliveira. Os prolon
gamentcs dirigem-st para o Alto do Rio S.
Francisco e a cidade le Pintauguy, na extenso
de cerca de 300 kilmetros.
Concluidos os prolngamelos, ffcar a estra-
da Oeste de Minas com 640 kilmetros de va
frrea e 500 de navegaco nos rios Grande e
deS. Francisco.
E' a estrada de ferro que no Brasil tem sido
construida com a maior rapidez.
O sal da America do Norte va i a ser monopo-
lizado por urna poderosa sociedade que acaba
de se constituir com o nome de North American
Sull Compatiy.
Esta companhia com o enorme capital de
2.200:000 libras propOt-se a adquirir e explorar
aa principaes salinas dos Estados-unidos e do
Canad, tirando deste nodo em sed puder aa
sete partes de toda a produeco do sal daquel-
las paizes.

IA se no Gnie Civil que, a 31 de Dezmbro
de 187^era exactamente de 207,939 kilmetros
o desenvolvimento total das estradas de ferro
construidas na Europa, sendo cst em que maior era o numero de kilmetros em
trafego:
Allemanba
Franca
Gran-Bretanba e irlrnda
Russia e Fin Un; i
Italia
Hespanha
No correr de 1887 foram
em toda a Europo, 6,471.
<
l'm verdadeiro relogio de;algil>eira, regulando
perfeitameote, indicando as horas e os minutos,
mas sera machinisrao alsiim.
Eis urna das ultimas ivences do fabricante
Armand Schwob.
Em um circulo de p*ata est engastado um
quadrante de vidro, eno centro deste movem-ae
como por ecanto dous (wnteiros, visivelmente
solados e sem commnDicago com mecanismo
algum.
0 relogio transparente, lmpido em todo o
seu circuito; o olhar apenas v os dous pontei-
ros e as horas do quadrante, sem divisar o m-
nimo apparelbo que sirva para a transmisso do
movimento.
Ei aqu o eagenboso dispositivo que produz
este surprendente resultado.
A raeio do relogio, entre o crystal do mostra-
dor e o do fundo, existe oatro circulo de vidro,
no centro do qual se acha fixado o eixo dos ion -
teiroa. O vidro medio que se move, levando
consigo os ponteiros. Carao, porm, o nosao
olhar nao distingue o disco vitreo do meio, pare
ce-nos que o movimento pertence aos ponteiros,
e, portanto, a illuso completa.
Mas quem imprime a rotacao ao circulo m-
Na parte superior do relogio, perto do boto,
o circuito exterior de prar.a forma crescente ; ro
acanhadisaimo espaco formado pela reentrancia
est alojado um machinisrao de relogio de pe-
quenissimas proporgoes; o disco raovel tem em
sua circumferencia, um circulo metlico denta-
do, que tambem nao visto pelo observador; es-
tes denles enlrozam-se com os de urna roda do
mecanismo oceulto sob o crescente, e a trans
missSo se opera deste modo, dissirauladaneute,
desafiando a sagacidade do espectador. O dea-
locamento do vidro mdh, que constitue o se-
gredo do apparelho, de todo imperceptivel.
L'm relogio espiritista como veem.
38,310
33.3U
31,375
27.698
11,178
9,309
abertos ao trafego.
.ano offlclaesPor actos da Presidencia
da Provincia de ante-hontem :
Foram reintegrados Jos Miguel de Lyra e Fe-
lippe Nery de Siqueira Salles nos lugares de
2.* e 3. supplentea do juiz municipal do termo
de Palmares.
Foi nomeado para o cargo de 3. supplente do
mesmo juiz municipal o bacharel Leopoldo Ma-
rinho de Paula Lins, passando 0^2." e 3., cima
releridos, para os lugares de ie e 2., na forma
da lei.
Foram reintegrados o bacharel Adotpho Nones
Lins e capitaes Jos Bezerr.i Cavalcante Macicl e
Jos Antonio Alvca Maciel dos logares de 1., 2.
e 3 supplcntes do juiz municipal do termo de
Agua Preta.
Prorogou-se por 3 raezes a licenca ltima-
mente concedida professora Francisca Lodo-
vina Ribeiro Bacellar, da cadeira de ensino pri-
mario de Sant'Anna.
dem por igual prazo a licenga em cujo goso
se acbava a professora da 2.a cadeira do sexo
feminido da Escada, Claodina Mara da Con-
ceicao.
Provincia do Maraa Sao os se-
grales os candidatos a deputado geral, na elei-
fo de 31 do corrente, pela provincia do Mara-
nho:
1. distrtc/o
Conselheiro Dr. Jos da Silva Maia (C).
Dr. Antonio Jansen de Maltos Pereira (C).
Dr. Jos Rodrigues Fernandez (L),
Teaente coronel Francisco Xavier de Carva-
lho (L).
2.' districto
Padre Luzitano Marcolino Barreto (C).
Arcediago Dr. Manoel Tavares da Silva -(C).
Dr. Antonio Joaquira de S Ribeiro (L).
3.' districlo
Conselheiro Dr. Augusto Olympio Gomes d4
Castro (C).
Dr. Joo Henrique Vieira da Mt(C).
Dr. Ricardo Henrique Ferreira do Valle (L).
4." distrito
Baro.de Penalva (C).
Dr. Manoel Bernardino da Costa Rodrigues (L).
5. dutrie o
Dr. Francisco Dias Carneiro (C).
Gustavo Gollaco Feroandes Veras (C).
Viriato Joaquim das Chagas Lemos (C).
Dr. Custodio Alves dos Santos (L).
Dr. Jos Vianna Vaz (L).
6. districk
Dr. Emiliano Jos Rodrigues (C).
Dr. Carlos Fernandes Vianna Ribeiro (L).
Inali(ato do advocad**No dia 19 do
corrente teve lugar a iastalla;ao d'este instituto,
depois do approvada a redacto dos seus asta-
tutos.
Da eleigo a que procedeu-se, para a respecti-
va directora, sahiram eleitos 03 Srs.:
PrfJideni
, Dr. Jos 03oriode Cer
no, Dr. Antonio Estevao de Oliveira.
2' dito, Dr. Arthur Orlaado.
The80ureiro,;Dr. Vicente Ferrer de Barros
Wanderley e AJaujo.
Membros complementares do coaselho diici
plinar, Dr. Minoei Pinto Damazo e Augusto
Vaz.
Sortearam-se duat tbeses para orden] do dia
da sessao seguinte.
Foi admittido un^ounemeiite mediante pro-
isia do Dr. Jos PtMflo, a Dr. Antonio de Souza
nto, como socio efJectivo.
Sao socios fuodadoVes do inatitnto, ulgra dos
que foram elwtos para os cargos, o conselheiro
Joaquim Correia de Araujo e Drs. Anioni Fran-
cisco Pereira de Carvalbo. Clodoaldo de Souza,
Duarte Estevo de Oliveira, Jos H. Date Ps-
reira, Temoleio r. de Albuquerqqa Mannhaa,
Jos Niiolo T. de Carvalbo. Antosio A, le At-
meida. Jos Vicente Meira de Vascoacelkfe, Jos
Eustaquio Ferreira Jacobina, Adelioo A. d Luna
Filho, Jos Joaouim de Oliveira Fcbseca,
Jos Dlniz iarretlo e Joo Francisco Teixira.
Est degnudo o dia de segunda-feiraJ24 do
corrente, para s 6 horas da tarde e no esiripto
rio ra do Imperador n. 34. celebrar-sj a 1.
sessao ordinaria do instituto, na qual sertb dis-
culidasas1hese3 apresentadas.
Digno de ImitacaoDa cidade di Cabo
enviaram-noa o seguinte em data de liontim :
lia dias o Sr. engenheiro Alfredo Vatts,
coulractante do engeoho central Santo Igiacio,
perdeu em cauinho desta cidade para ujuelle
engenho urna bolsa contendo. alm de ias e
oulros objectos de valor, sessenta e cinto rail
ris em papel moeda. I
Nao obstante os esforcos erapregado^pelo
Sr. Watts no intuito de encontrar a referid*bol-
sa nao foi possivel conseguil-o; hontem, pirm,
quando j nanHafia esperanca de ser jmj con tra-
ja a alludida bolsa, corapareceu em casado Dr.
juiz municipal do termo Manoel Thom de Je-
ss, homem pobre, que vive de almocrevar, e
declarou que indo cortar capim as proximida-
des do engenho Trapiche achara jonto a estrada
publica una bolsa, a qual apresentavu.
O Dr. juiz municipal, que j traba noticia
de que o Sa Watts havia perdido urna bolsa,
mandou, por intermedio do subdelegado, cha
malo e este comparecendo em saz casa receheu
do Sr. Manoel Thom de Jess a bolsa, depois
de verificar que nao falta va nenhum dos objec-
tos que ella continua.
Em vista deste acto de honradez de um ho-
rnera pobre, o Sr. Watts, que un distincto ca-
valheiro, entregou na mesraa occasiao a Manoel
Thom lodo o dinheiro existente na bolsa, isto
, 654000, praticando assim um acto digno de
todo louvor.
Vewlividade religiosa A irmandade
do Senhor Bora Jess das Dores era S. Goucalo,
celebrar araanb com a devida pompa, o seu
pauroeiro com missa solemne s 11 horas da
manila, e Te Deum a 7 horas da noite.
Sao pregadores do Evangelho o Revm. Frei
Pedro da Purificajo Paes e Paa e do Te-Deum
o Revin. Frei Augusto da Iramaculada Concei-
i;o Alves. t
t'rvloniiiimpnio da entrada de fer-
ro do Becife ao U. FranciscoA come-
car do dia 28 do correte, conforme se v do
respectivo edital, publicado em outra seceo
deste Diario, fica restabelecido o trafego defini-
tivo entre as estaces de Palmares eGaranhuns
no prolongamento.
Os trens partiro diariamente de conformida-
de com o horario j publicado.
Caixa de peiiwflk>s don empregados
da Imprema nacionalEm 12 do cor-
rente torara expedidas pelo Ministerio da F.izen-
da as instruegea abaixo, em observancia do
art. 15 do regulamento de 20 de Julho ultimo,
estabelecendo urna caixa de penses a favor
des operarios e empregados de nomeaco do
administrador da imprensa nacional, de que
tratam o art. 5 32 e art. 6 do mencionado re-
gulamento.
Sua Magestade o Imperador manda que, para
exeeucSo do art. 15 do regulamento approvado
pelo decreto o. 0,269 de 2o de Julho ultimo, se
observera as aeguinfces instrueces :
Art. 1. Sob a direceo e immediata (iscalisa-
cao do administrador, fica creada na Imprenta
Nacional urna caixa fue ter por fim garantir
pensOes aos operarios e empreados de sua no-
meaco, mencionados nos arts. 5* 3#, e 6* do
reuuiainento n. 10,269 de 20 de Julho de 1889.
Servir de tbesourero o da mesma improtua,
sob fiaoca prestada.
Art. 2." Os fundos da caixa sero constitui-
dos :
1 Com a contribuifio de um dia de venci-
mento de todos os operarios e empregados a que
se refere o artigo antecedente, descontado as
ferias ; exceptuaodo-se, porm, 03 apreudizes
que percebem diaria inferior a mil ris e os
operarios c empregados de que trata o art. 16
do citado regulamento ;
2." Com o juro das quactias arrecadadas ;
3. Com a importancia das multas impostas
por infraeces do regiment interno e das or-
dens da administraco.
Art 3 As quantias arrecadadas sero conver-
tidas era ttulos da divida publica, (cando em
conta corrente no Banco do Brazil, cmquanto
nao tiverem esse destino.
Art. 4. semestralmente ser reraettido ao the-
souro e publicado no Diario Offkial um batan-
ete da caixa, aasignado pelo administralor e o
Uiesoureiro.
Art. 5. As penses sero concedidas sobre as
bases e condiges augrales :
5 !. O empregadobu operario que contar 20
anuos de servico effectivo e se achar lmpossibi-
litado de nejle continuar, por molestia uu velhl-
ce, tem direito a urna penso igual a um terco
de sua diana ou vencimeoto. O que contar
mais de 20 annos ter direito mesma penso e
a mais tamas decimaa quintas panes quantos
forera os anuos excedentes at 30.
2.* O tempo de effectivo servigo ser conta-
do razio de 300 dias em cada anno.
g 3." Para obter a penso da claase a que per-
tencer preciso que o operario ou empregado
tenlia neila exercicio, pelo menos, de dous an-
nos ; nao o tendo a penso ser calculada sobre
o vencimento anteriormente percebido.
4." Aos operarios obreiroa. cujo vencimen-
tos sao variaveis, se contar o tempo de servico
que se liquidar e aquelle durante o qual tiverem
contribuido, urna vez que se sujeitem ao des-
cont do artigo antecedente.
Nesse caso o quantum da contri buico aera
por elles mesuras fixado, nao podendo ser infe-
rior a 1X000 e nem superior a 34000.
Art. 6.a O empregado ou operario que, duran
te o trabalho, for victima de desastre do qual
resulte leso que o inhabilite de exercer o ofti
ci ou i.esempenbar qualquer outro servico as
officinas, receber urna penso igual a dous ter-
cos do vencimento, qualquer que seja o tempo
de servico.
Art. 7. Ao operario ou empregado anda va-
lido, de reconhecido merecimento, que, depoia
de 30 annos de effectivo servlcu, continuar a tra-
balhar, poder o ministro da fazenda, sob pro-
posta do administrador,' mandar abonar urna
gratificago, em caso algum superior a ura ter-
co do seu vencimento. Esta gratificaso nao
ficar sujeita contribuico e era Ihe 9er com-
putada para a penso.
Art. 8. Os operario* e empregadoa actuaes,
qualquer que aeja o seu tempo de servico effec-
ttvo, nao tero jus penso se nao tivertm
tribuido para o fundo de pen3es ao meuos por
cinco annos. Ainda neste caso, concedida a
penso, continuaro a contribuir at o imple-
m-nto do tempo que lhes tiver sido contado.
Art 9.c 0 que fr dispensado, nao sendo a
dispensa motivada por falta grave, poder reti-
rar da caixa at dous tergos da? quanttaa cora
iridO ou i o dis-
12. As pens0e3eer5o-concedidas peto Mi-
nisterio da Fazenda, era vista de inforraacao
prestada pelo administrador sobre requeriraen-
to do operado ou emprela, instruido com do-
cumentos comprobatorios da idade ou invalidez
e terapo de servico effectivo.
Thesouro nacional, 12 de Agosto de 1889.
Visconde de Owro Preta.
Tbeatru Santa lxabelXo theatro San-
ta Isabel rcaliaa-se amaoM um espectculo
attraheotu, em ben'ticio da aluinna da Socieda-
de Propagadora. D. Hercilia Graga.
Cantaradas comedias Os Ftlhos d* Ado e O
Diabo airas da pjrta, sendo que a beneficiada
recitar no iotervallo das comedie.m mono-
logo de agradeciraento.
industrian e prolianf m Termina no
dia 31 do corren;' mez o prazo do pagamento
era multa do imposto de industrias e proflssoss,
relativo ao 2* semestre do crrante exercicio.
Os interessadoa devem realisar o pagamento na
Recebedoiia de Rendas Internas Geraes.
EspancaaaeiitoAnte-hontem, cerca de
meia noitejenroxiajo Campia do Bode e visi-
ohancas darerro-via de Caruar, 2. districto de
S. Jos, dous guardas cvicos encontraran! o pea-
cador/oaqfl! Hyppolito Nicolao, que, chamado
falla efcterrog'ado sobre o que andava fazen-
do, respradeu quellea agentes da segaranca que
eslava a apanhar isfa^ara os seus miter.'s de
pescador, o que fazia aquella hora, por que tinia
de sahir cedo, peb^ madpgada, para ir pes
ar.
Os taes agentes o correram ; e, no obstante
nenhum arma ou objecto suspelto Ihu terera en-
contrado, o espancaratn, deixando-o ferido com
dous golpes de faco no crneo e todo contu-o
-molesto pelas repetidas pranchadas que Ihe
deram.
Joaquim Hyppoto, releva dizer, hornera j
idoso, nada articulo que podesse' offender aos
referidos guardas cvicos; e, pois, estes nenhum
pretexto tiveram para o brutal procedimento
que empregaram contra o noffensivo hornera.
que refere serem taes guardas, um baxo, sera
barba, e outro alio, de bigodes e cavaignac, e
rosto largo.
umpre que o Sr. |Dr. chefe de polica tome
heciinento do facto e proceda como de direi-
to, afn de que nao passe em julgado que a po-
liciajpode espancar impunemente.
jaasociartio lo-, FuuccionarioN Pro-
vinriae* de PernambucoNo di 23 do
corrente rtez, sob a presidencia do Sr. Dr. Wi-
truvio. Pinte Bandeira, fuocciooou em sessao ex-
traordinaria a asserabla geral dessa Aaaocia-
gac
a berta a Seaso, lida c approvada a acta da
antecedente.
O Sr. prcsiJenle preliminarmente declara ha-
ver convocado extraordinariamente a presente
sesso, por rao ter havido a ordinaria no dia
proprio, faln do comparecimenio de numero
legal de Srs. associados.
Seguidamen'e entra aa exposico dos traba-
lhoa do coaselho deliberativo na vigencia do raez
social Ando, indicando que o mesmo conselho
funccioora em sesses econmicas nos dias 25
d Julho ultimo e 1 e 8 de Agosto corrente.
Desse relatorio constan:
Que na primeira sessoforara lidos officios do
Instituto 3eneficcnte dos Officiaea da Guarda Na
conal de Pernambuco e do Gabinete Portuguez
de Leitura de Pernambuco, convidando a assis-
tencia da Associago aos actos festivos que ce-
lebrariara nos dias 28 de Julho e lo de Agosto,
este em commemora^o do 38 anniversario da
tberlura de sua Bibliotheca, e aquella em instal-
meo solemne da sociedade.
O Sr. presidente providenciou para que losa
representad* a Asaociago nessas festat, no
raeando compisscs qu alli fossem correspon-
der aos ofliciosos convites com a sua presenta
e maoifestaco dos sentimentos da Associaco
para com os mencionados gremios.
Consignou-se, a requerimento do Sr. Alfredo
dos Aujs, na acta um voto de pezar pelo falle-
cimento do Dr. Ral Coelho da Silva, genro do
socio benemrito Felippe Emilio Menna da
Costa.
Que na segunda sesso foram lidas c manda-
das coramissao de syndicancia e. (naneas, urna
petico do consocio Francisco Antonio Brando
Cavalcaati. solicitando o auxilio social por ha ver
sido demittido de logar que exercia, e uraa pro-
posta do Sr. Alfredo dos Anjos indicando para
socio ao Sr. ManoelJos de Almeida Soares.
0 Sr. presidente nomeou o jury de syndican-
cia para proceder officialmentc a reapeito dos
consocios Thftolindo Augusto do Reg e Francis-
co Antonio Brando Cavalcante, (cando compos-
to dos Srs. Dr. Antonio Pernambuco, Dr. Lindol-
pbo Campello, Pedro Alexandrino Machado, Epa-
rainondas Pinto Bandeira e Lucillo Varejo, que
foi nomeado orador ad hoc, por impedimento do
funecionario effectivo.
Que na terceira sessao o jury de syadicancia
apresentou os seus pareceres declarativos de
falta de causa dada peloa indfciados ; e entrando
em discusso os meamos pareceres, sao approva-
doa e mandados archivar.
Presentes, lidos e entrando era discusso de
ordera oa pareceres da comraisso de "syndican-
cia sobre as petices dos consocios Theolindo
Augusto do Reg e Francisco Antonio Brando
Cavalcanti, solicitando o auxilio social, sao ap-
provadas para serem aubmettidas aasembla
geral.
Terminado o relatorio, entra se as materias
da ordera do dia.
Sao lidos os pareceres da commissSo de syn-
dicancia sobre o auxilio socialpedido pelos con-
socios Francisco Antonio Brando Cavalcanti e
Theoliodo Augusto do Reg; e entrando em se-
guida em discusso, sao approvados e concedido
o auxilio solicitado.
E nao havendo nada maia a tratar-ae, o Sr.
preaidente levantou a aeaao.
Evaoao de preooo O Sr. delegado d
Flores acaba de comraunicar que no dia 9 do
correte evadiram-se da cadela d'alli, depois de
abrifem a porta principal cora chave falsa, tos-
camente preparada, havendo atacado a senti-
oella, treze presos, cujos nomes se acham men-
cionados na parte policial, publicada na reapec-
tiva seceo
Seis dos evadidos j foram capturados por
aquella autoridade.
CadverEm 14 do corrente, em terraa do
engenho Cabuas, 2o districto de Limoeiro. foi
encontrado em urna cova o cadver de urna
creanca recemnascida, do sexo feminino, filha
de Maria do Nascimento da Conceico.
Foi esta preaa, abriodo se o respectivo in-
querito.
BapancamentoA'a 11 horas da manila
de antehootem foi preso na estrada dos Reme-
dios, quando era perseguido pelo clamor publi-
co, Franciaco Antonio Soares, por haver, ]uoto
ponte da ferro-viade Caruar, espancado a Joan-
na Maria do E3pirito-Saoto.
Lavrado pelo subdelegado da Magdalena o ter-
mo da flagrancia, foi o valento recolhido Casi
de Detenco, diaposico do subdelegado do 2
districto de S. Jos.
servico enlutarEstilo designados hoje
para superior do dia o Sr. raajor Serra Martina,
e para ronda menor um subalterno de caval-
lara.
A guarnicao da cidade dada hoje pelo 2."
batalho de infantaria. menos as guarda3 da En-
fermara e Theaouro Provincial, que aero dadaa
pelo 14 "-
Existem na Enfermara Militar 30 pracaa
em'tralamnto.
Commanda hoje a guarda da Thesouraria
o alferea Miguel Goncalves de Castro Maacare-
nhaa.
S. Exc. o Sr. coronel commandante das ar-
mas concedeu 10 dias de licenga, na forma da
lei, ao forriel do 2. batalho de infantaria, Adol-
j^^Hj de Carvalbo.
barcafa R
Pelo agente Pestaa, ao meio
do Corpo Santo n. 27, da barcafa floja Filha,
encalhada as Caaparinhas de Olinda.
MiNNan ranearesSero celebradas :
Hoje :'
A's 7 1/2 horas, na matriz da Boa-Vista, pela
aima de Joo de Oliveira e Silva ; s mesinas
horas e na mesma matriz; pela alma de D. Jo-
anna l'ires Falco Marques; s 7 liaras, na ma-
triz do Cabo, pela alma de D. Joanna Martina
da Silva.
PaeNaaptroft Chegaios de Fernaollj de
Noronha aO vapor nacional S. Francisco :
Jos de Pasaos Queiroz. sua senhora e 3 fi-
los, Manoel Anseirao Pereira, Victoriano da
Silva Costa, sua senhora e 1 filho, sevenno Cou-
tinho Lyra (expulso), Maaoel CoelliO d^. Miran-
da 4 pracaa, 2 umhieres e 3 lhos e 2 senten-
ciados.
oirectoria dan obra* de conaerva-
rolon Porta* de Peraaabaeo- Reci-
f. 22 d ?. Agosto de 1889. *
Bolfltim meteorolgico
2 =-S
Horas 8l
2
t-
i 21--6
6 m.
9 26'-2
12 27- i
37t. 28'-1
6 26'-6
Barmetro a
O-
Tenso
do vapor
763-18
764-67
763-55
761-87
762-15
-
-o
a
17,08
18,42!
18,74'
18.61!
17.65
74
73
70
66
68
7a'.7;isom
Temperatura mxima28,50
Dita mnima-24.00.
tvanoraco em 24 horasao sol:
ira : 3".5.
Chuva-N'ulla.
Direceo do vento : SE com pequeas inter-
rupces'de ESE de meia noite. aos 45 minutos di
tarde; SE. SSE e S alternados at 7 horas e 50
minutas : SE e SSE alternados at meia noite.
Velocidade media do vento : 2",75 por se
Nebulosidade media: 0.38.
Boletim do porto
l -----l'J-------------------------------
V
*~ ir
m a 2
-uoc
--------
M.
M.
M
M.
Dia
22 de Agosto
23 de Agosto
Horas
802 da manila
2 -38 da tarde
8 -26
245 M manb
Altura
0-69
1-.98
O-, 77
2',06
Operacen crurgieanForh^|f|Jica
ntc,
e
]U1Z0
e esta-
homens
das, no hospital Pedro II, no dia 22 d-
aa seguintes:
Dr. Berardo:
4 iridectoraias, sendo duas reclamadas por
leucoma aliiereute e outra por mancha central\
da cornea. I
PeloDr. Pontual:
Resecco de 6 centmetros da parte media da
oitava costeUa direita, com o Sm de permittir
larga dilalaco a um vasto empliimna.
Cama de DetencoMoviraeoto dos pre-
sos da Casa de Dctencao do dia22 de Agosto de
1889.
Existiam i'6 ; entraram 12; sahiram 11; exis-
tem 4'i7.
A saber :
- Naeionaes 398; mulheres 22 ; estrangeiros 27.
-Total 447.
Arracoados 408.
Boas 387.
Doentes 16
Loucos 5.Total 108.
Movimento aa enfermara
Teve baixa :
Jos Carneiro de Albuquerque.
Teve alta :
J. Babia de Mello.
Foram hontem visitados os presos
belecimento por 223 pessoas, sendo 93
e 130 mulheres.
Uonpital Pedro II-O movimento deste
estabelecimentodecaridade, no dia 21 de Agosto
foi o seguinte:
Entraram 16
Sahiram i
Fdlecerara f
Existem 610
foram visitadas as respectivas enfermarlas
petos Drs.:
Moscoso a 8 1[4, Cysneiroa91[4, Barros So
bnnho s 7,Malaquias a 11, Pontual s 9, Este
vao Cavalcante s 81|2, SimOes Barbosa.3 10 3(4
horas.
O Dr. Berardo nao compareceu.
Ocirurgio dentista Nuraa Pompilio 3 8 1|2
horas.
O pharmacentico eairou s 8 1(2 da mauh e
sahios4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrn s 7 1|2
4a manh e simio s 4 horas da Urde.
Lotera do rana-ParaA 6a parte da
30" lotera, dessa provincia, cujo premio grande
60:000*000, ser extrahida no dia 26 do cor-
rente.
Grande loteria do Haru.nlao -A 5*
serie da 1* loteria. dessa provincia, cujo premio
grande 300:o00O00 ser extrahida no dia 30
de Agosto.
Cemiterio PublicoObituano do dia 22
do corrente.
Victorino da Rocha Prato, Portugal, 25 annoa,
solteiro, Santo Antonio ; tuberculose.
Manoel Martiniano da Silva, ^Pernambuco, 19
annos, solteiro, Recife ; beriberi.
Tbomaz Jos da Costa, frica, 50 annos.
Vista; leso do coracao.
Manoel Silvestre de Albuquerque, brasileiro,
40 annoa, Boa-Viata ; hepatite.
Raymundo, Cear, 6 mezea, Boa-Vista ; diar-
rha.
Leovigildo, Pernambuco, 2 dias, S. Jos; t-
tano.
Boa-
que tiver entrado, em vala de despaheo do Mi- ^^Kram nomeados em commisso os Srs.
nisterio da Fazenda. sob inforraacq do admi
nistrador, urna vez que tenha concorndo para a
mesma caixa por mais de cinco annos.
Art. 10. Quando o operario ou empregado que
tiver direito penso vier a fallec r sem go-
zal- a, ou gozal-a por menos de uua aooo, a viu-
va ou lilhos menores recebero por urna so vez,
no pri peaso que competa ao operario ; no segundo
caso, quantia igual a tres mezes. Esta diaposi-
co vigora emquanto nao verilicar-se a hypothe-
se figurada no arf. seguinte.
Art. 11. Se no fA de 10 annos os fundos da
caixa permittirem, poder ser concedida penso
viuva ou aos ttlhos menores, ea'.es at 4 maior-
idade, do operario ou empregado que fallecer,
tendo mais de 20 anno3 de aervico effectivo. O
mximo desta penso ser de metade da que
apitSea Gelaaio Seretolo Alves de Araujo, te-
nente Leobaido Anguato de Moraes e alferes Ma-
noel Belmiro da Silva, para hoje, s 11 horas do
da, no quartel do .2. batalho de infantaria,
examinar diversos artigos perfenceatea ao mes-
ura corpo.
A presidencia da provincia, deferindo o re-
querimento do cabo de esquadra do 14. bata-
lho de infantaria, Christovo Rochefort Cor-
ris, autorisou a S. Exc. o Sr. commandante das
armaa a conceder-lhe baixa do servico do exer-
cito, mediante substituigao.
X Hoje :
Pelo agente Martins, s 11 ho.*as. roa do Im-
perador n. 16, de terrenos.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mar-,
quez de Olinda n. de fazendas.
Tribnnal da Rela^o
SESSO ORDLNARIA EM 23 DE AGOSTO
DE 1889
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEDIO
y i: IXTIS DE JIIUANDA
Secretario, Dr. Virgilio CoeMo
A's horas do costume, presentes os Srs. aea-
embargadorea em numero legal, foi aberta a
aesao depoia de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e paaaadoa oa feitoa deram-se
oa aeguintes
JULGAMESTS
Habeaa corpua
Pacientes:
Izidoro Ferreira da Costa. -Mandou-se oaviro
Dr. chefe de polica e o Dr. juiz de direito do
5." districto.
Prorogaco de inventario
Inventarame Joo da VeigaCabral.Em di-
ligencia.
Appellacoes crimes
De 1 tamb Appellantes o juizo e o promotor
publico, appellado Joo Sabino do Nascimento.
Relator o desembargador Silva Reg.Mandou-
se a novo jury, unnimemente.
De PanellaAppellante o juizo. appellado Pe-
dro Esperidio. Relator o Sr. desembargador
Oliveira Andrade. Confirmouse a sentenga,
unnimemente.
Do Cabo.Appellantes Maria Jos dos Praze-
res, Francisca Romana e outra, appellada a jua-
tjca. Relator o Sr. desembargador Toacano Bar-
reto.Mandou-se a novo jury a r Francisca Ro-
mana e conlirmou-se a aentenga com relaco a
Mara Jos dos Prazeres e a outra, unnime-
mente.
De Bom Conaelho.Appellante o juizo, appel-
lado Thomaz de Aquino, profeaaor. Relator o
Sr. desembargador Silva Reg. Mandou-se a
novo jury, unnimemente.
De Cajazeiras.Appellante o juizo, appellado
Emiliano Joa Felippe. Relator o Sr. desembar-
gador Toscano Barreto.Confirmou-se a senten-
ca, unnimemente.
De Banaueiras.Appellante o juizo, appellado
Jeronymo Jos Francisco. Relator o Sr. des-
embargador Pires Ferreira.Mandou-se a novo
jury, unnimemente.
Da Escada.-Appellante Jos Fortunato Fran-
cisco, appellada a justica. Relator o Sr, desem-
bargador Oliveira Andrade. Confirmou-se a
sentenca, unnimemente.
Do Recife.Appellante o promotor publico,
appellado Jo3o Francisco Bastos de Oliveira Fi-
lho. Relator o Sr. desembargador Oliveira An-
drade.Deu-se provimento appel'aco, unni-
memente, para se impor ao reo a peaa legal.
Appellasoes civei
De Csmaraglnu.Appellante Jos Correia de
Araujo Barros, appellado Manoel Ramalho. Re-
lator o Sr. desembargador Toscauo Barreto. Re-
visores os Srs. desembargadores Deltino Caval-
cante e Pires Ferreira.ConQrmou -se a senten-
ca. unnimemente.
De Aasembla.Appellantea 03 herdeiroa de
Antonio Letigard de Moura, appellado Jos Tho-
maz da silva. Relator o Sr. desembargador
Oliveira Andrade. Revisores os Srs. desem-
bargadores Silva Reg e Toscano Barreto. Con-
firmou-se a sentenca, unnimemente.
De Palmares. Appellante Jos Antonio de
Araujo Livraraento, appellado Dr. Pedro Alfonso
Ferreira. Relator o Sr. desembargador Silva
Reg. Revisores os Sra. desembargadores Toa-
cano Barreto e Dcllino Cavalcante.-Confirmou-
se asenteuca, unnimemente.
Appellaco comraercial
Do Recife.Appellante Bernardino de Miran-
da Albuquerque, appellado Francisco Ferreira
de Almeida Cruz. Relator o Sr. desembargador
Silva Reg- Revisores os Srs. desembargadores
Toscano Barreto e Delfiuo cavalcante.Conlir-
mou-se a sentenga, unnimemente.
PASSAGENS
Do Sr. desembargador Toscano Barreto ao Sr.
desembargador Deltrao Cavalcante :
Appellages crimes
De Alaga de Baixo Appellante o
appellado Antonio Bernardo dos Santos.
De Camaragi^eAppellaale o juizo, appellado
Joo Fxancisco do Nascimento.
Da Palmetea dos IndiosAppellante Manoel
Ladislao de Senrra, appellada a justica.
Do RecifeAppellante Antonio Francisco de
Araujo, appeliada a justica.
De Olinda-Appellante o promotor publico,
appellado Albino Pereira Coutinho.
Do Sr. desembargador Dellino Cavalcante ao
Sr. deaembargadot Pires Ferreira :
Appetlagocs crimes
De CajazeirasAppellante o juizo, appellado
Emiliano Manoel Felippe,
Da ImperatrizAppellante o juizo, appellado
Antonio Ribeiro da Si1t.i.
Appellaco civel
De CamaragibeAppellante Jos Correa de
Araujo Barros, appeliados Vasconceilos Guima-
res & C.
Do Sr. desembargador Prea Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade :
Appellaco errase
Da Imperatriz-Appeuaate o juizc, appellado
Antonio Ribeiro" da Silva.
Appeliago civel
De CamaragibeAppellante Jos Correa de
Araujo, appelladoa Vascoocellos Guimares & C.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade
desembargador Alves Ribeiro :
Appellaco crime
Escada-Apperiantcs o juiz de direito e o
promotor publico, appellado Jos da Rocha Gue-
dca.
O Sr. desembargador Pires Gongalves, como
promotor da justiga deu parecer nos seguintes
feitos :
Appellages crimes
Da ImperatrizAppellante o juizo, appellado
Henrique Sergio de Albuquerque.
De 'facarat Appellante o juizo, appellado
Francisco Soares de Qoeiroz.
De OlindaAppellante Candida Maria do Es-
pirito Santo, appellada a justica.
De CatnaragibeAppellaute o juizo, appellada
Maria Portiria de Albuquerque.
Do Sr. desembargador Tav?res de Vasconcel-
os ao Sr. desembargador Oliveira Andrade : ,
Appeliago crime
Da ImperatrizAppellante o juizo, appellado
Martioiano Jos de Mello.
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica:
Appeliago crime
De Caruar-Appellante o juizo, appellado
Luciano da Cruz Cordeiro.
Devolvidas ao juizo a qu :
Appellages crimes
De Aguas BellasAppellaute o juizo, appel-
pado Joaquim Fidels de Barros..
Com vista as partes :
Appellacoes civeis
De OlindaAppellante bacharel Manoel Anto-
nio doa Pasaos e Silva, appellada a Baroneza de
Taca runa.
Do RecifeAppellantea Joo Bezerra &
appellado Jeronymo da Costa Netto e Silva.
DISTBD3ICOE8
Aggravoa de petigo
Ao Sr. deaembargador Toacano Barreto :
Do RecifeAggravante Herculano Maria
Oliveira, aggravdo Vctor Neesen.
Ao Sr. desembargador Delfino Cavalcante:
Do RecifeAggravante D. Maria Rosa de Aze-
vedo Braga, aggravadoa Amorim Irmo 4 C.
Appeliago civel
Ao Sr. deaembargador Pires Ferreira :
D OlindaAppelante bacharel Manoel Anto-
nio dos Passos e Silva, appellada a Baroneza de
Tacaruna.
Encerrou-se a sesso 1 1/4 horas da tarde.
. Do S
D


C,
de
^1

SPORT
Chegaram do sul ao Para consignados ao Dr.
Phileto Bezerra. dous bonitos cavallos de meio
sangpe, um de quarto de sangue e urna potranca
de dous annos. Os tres primerosaniraaes eram
destinados a corrida de anniveraario do Jockey, a
15 de Agosto.
Sao todos muito conhecidos no Rio de Janeiro,
em cujos hippodromos um d'elles teve occasiao
de levantar afguns primeiros premios.
E' facto provado a sempre crescente animago
sportiva da sociedade paraense.
A coudelaria Hannoveriana que adquiri 'um
novo potro de 2 annos, filho do celebre Dollar,
annoncia por ultimo que vai vender em leilo,
que se realisar por estes dias, todos os seua
animaes.
Acham-se venda 03 animaes : Pastora, Mel-
ton, Embargo, Enrgico, Rondello e Condercet.
A coucelaria Nacional vende os seua animaes
Tic-Tac, Pierrot e Cruzeiro.
*
O Sr. Joa Fernandes do Valle est montando
urna nova coudelaria.
J comprou ao Sr. F. Schmidt o potro francez,
de 2 annos, Petropolis, e espera receber breve-
mente, da Europa, alguna animaes.

O Duke de Portland j gangou este anno. em
premios, 403:814^000.
#
O Hippodromo Argentino, de Buenos-Ayres,
esteve araeacado de ser desapropriado para que
o Parque 3 de Fevereiro ae estendeaae maia.
O Dr. Pellegrini, que eat na Europa, e que
o seu presidente, telegraphou ao Dr. Jurez, pre-
sidente, da repblica, pedindo-lhe a modilicago
do projecto e ao que parece 9 chefe da repbli-
ca, resolveu acceder ao pedido do Dr. Pelle-
grini.

A egna Calina foi examinada por urna com-
raisso do Derby, que verificou que a egua tem
3 annos.
*
O puro sannue Thochser, de que fez acqu3gao
Coude.aria Internacional, da Baha, ah tera de
correr sob o nome de Galopim.
4\
PGBLICACOES A PEDIDO
Ao^lO.0 districto
Cidadaos eleitores.Aproxima-se o da
31 de Agosto em que tendes de pronua-
ciar-vos nos comicios eleitoraes.
Se d'esta, como de outras vezes, vos
fosae permittida a hvre escolba, de anto-
mSo se ppdia assegurar que dos vossos
9uffragios resultara a consagrac eleito-
ral para o Exm. Sr. conselheiro Francis-
co de Assis Rosa e Silva, a quem jco-
nheceis asss, pelo seu carcter de rija e
fina tempera, pela sua brtatate intelli-


mmmmmi
Diario de PemambucoSdJbado 24 de Agosto de 1889
' mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm i^

geacia e finalmente pela ded
dde com que se tem devota
resses d'essa circumscripcao, confiada em
fc6 hora pelo partido sua solicitude e des-
velos".
bem hesitar, e ao contrario, com a
maior decisao e boa vontade- acceitou o
nosso distincto comprovinciano o posto de
combate que lhe foi designado pelo parti-
do, embora fosse geral a crenca de que te-
ria de btcr-se ^feom um formidavel re-
ducto liberal.
Nao ser preciso avivar a vossa memo-
ria, Srs. eleitores, para que vos recordis
perfeitaraente da grande tenacidade e dos
incessantes csforcos por elle empregados
para congregar todas as nos3as forcas at
entao dispersas e eliminar do corpo elei-
toral o elemento falsificado que o corrom-
pa, e desnaturava a sua legitima manites-
tacao.
Com effeito, sem desviar-se um% mtt
ment da linha de conducta de um homem
de beia e somente com os recursos faeul?
tado pela lei eleitoral, promovcu e conse-
guio libertar-vos da humilhante parccria
dos incapazes, gracas a justiea do Sifpe-
rior Tribunal da Relacao, proclamada por
accordiio unnimemente proferido ; justifi-
cando d estarte a Usura do seu proceder
anterior,^ sinceridade dos motivos, que o le-
varam Cmara dos Deputados em 18
onde apezar de haver provado a legitimi-
dade do seu mandato, vio-se d'elle esbu-
Jhado pela justiea partidaria.
No anno seguinte, consultado o paiz em
consequencia da mudan?* da situago,
quando S. Exc. poderia solicitar o emprc-
go dos meio3 officiaes por estar eutao o
seu partido no poder, fostes testemunhas
presenciaes da isenco com que elle sujei-
tou-se ao vosso vevedictum !
Quanto foi este imponente e significa-
tivo para S. Exc. dil-o a esplendida vota-
cao que recnhio no seu honrado norae;
affirma-o a espontaneidade dos voasos suf-
fragios; prociama-o a ampia liberdade
que honvo para todas as manifestacoes, a
ausencia absoluta da mais hgeira rec!a-
macao contra qualquer intervencXo inde-
bita.
Ainda mais recentemente, subiuettendo-
se nova prova, por ter sido chamado
aos consclhos da cor, e entao dispondo,
elle proprio, pela alta posicSo de que es-
tava investid^ de grandes elementos offi-
ciaes que poderia por em accjfco para faci-
litar a sua raeleico, vos bem sabis, e
So notorios, os exemplos com que aguar
dou a vossa manifestacao, que foi por ven-
tura mais expressiva e eloquente que
quell'outra; sem promover a mais in-
significante nomcacSo,. cujo alcance pode-
ria sor pela oppos9o exagerado; sem
o mengr movimento de >rga publica, que
com razao seria eotygmatisado e vos offen-
deria; sem a mais simples interferencia,
no pleito, por parte das autoridades locaes,
que nao foram mudadas para serem subs-
tituidas ad hoc, o que com certeza empana-
ra o brilho e o lustre da grand'j victoria,
com que houvestcs por bem corresponder
ao appello. que vos foi feito.
Sim, eidadaos eleitores; nilo ha duvida
que quem pude allegar tao honrosos pre-
cedentes as hitas eleitoraes *.m que se
tem empenhado, e alm d'e3te est sem-
pre prompto para defender e patrocinar
as justas pretencoes dos amigos e inden-
tificar-se com os reaes e legtimos interesses
do districto, a que se acha ligado, tem o
incontestavel direito de esperar que nao
lhe ser retirada a contianga que ha sabi-
do corresponder e honrar.
Entretanto, eidadaos eleitores, preten-
de-6e desvirtuar ate de vossas conviegocs,
suffocar a generosidade e lealdade de vos
sos intuitos e mDor-vos um falso repre-
sentante, tao falso como falsos foram os
meios de que se lancou mao na eleicao de
Marco nos collegios de S. Caetano da Ra-
posa e de Jatob, e nao foram devida-
mente analysados e verberados na Cmara
temporaria por terem sido soffocados pela
imponente e magestosa effusSo da vos-
sa livre e cordeal manifestacao.
E como se afiguram imponentes para
penetrar a couraca do fino ac de vossa
armadura, j as proraessas tao seductoras
quanto impossiveis de serem realisadas,
j a distribuigao granel dos enipregos,
cuja posse e gozo s ter a ephemera du-
ragao do periodo eleitoral e j finalmente
as tramoias e fraudes que se imaginam e
mesmo se apparelham, mas que podem ser
frustradas pela vossa vigilancia e a cir
cumscripgao procura-so recorrer a outros
lances extraordinarios, que j pareca: n
passados do seu tempo, no rgimen do
actual systema eleitoral.
Mas, se sao indispensaveis, para che-
gar ao fim a compressao e a violencia, qual
o estimulante bastante poderoso para nao
serem postas em pratica, por' gente tao
desembarazada e desabusada.1
Urna vez que nenhuma attencao mere-
cem para a administracao publica as re-
clamaces enrgicas, mas respeitosas, fir-
madas por quem tem responsabilidade,
contra a compressao que se annuncia os-
tentosa ej se manifesta por actos prepa-
ratorios, nao vo3 haveis de dejxar despo-
jar do direito, que a lei vos conferio e
garante!
S tendes um recurso que interessa ao
vosso pundonor e est dependente de v3 :
arniae a resistencia e desarmareis a vio-
lencia !
A's urnas, eidadaos !
Um Pernambucano.
los Harianno e olihcllo difa-
matorio do Sr. Ambrosio Ma-
chado
VI(.)
Somente hoje posso proseguir na larefa que
me impuz de refutar, um por um, os argos do
libello fulminado contra mira pelo Sr. Ambrosio
com o duplo lim de saciar o sen odio que nao
canija nem perda os castigos que lhe tenho in-
flingido, e captar as boas grabas da lavoura do
7o districto, que bem conhece o movel de S. S
e no dia 31 de Agosto, cortamente, pora cm re-
levo o pouco cas que faz d'essa defesa que nin-
guem lhe encommendou e que todos dispen-
san).
A lavoura que, prejudicada'cm seus interesses
pela humanitaria lei de 13 de Maio, que se impu-
nha fatalmente, longe de insurgir-se contra ella,
tem auxiliado, tem coacorrido para a transfor-
mago do trabalho nacional, de bamente ds-
pensava a compromettedora dafesa cheia de odios
e de despeilos que lhe pretefteu fazer o Sr.
Ambrosio, porque nao pode es^fr de aecrdo com
os sentrmentos pouco confessavis em que S. S
se tem inspirado.
i artigo anterior foi o V e nao IV, como
por engao sanio.
4ifcsavp;s e at mesmo
i timen tos,
i limitou-se a defenderse e
aos a injusta aecusago que por
ventura eu Ihes.honvease feito, nem a fazer a
critica de mens actos de poltico, ou a prova das
minhas incoherencias S. S. foi mais longe.
Para oh^iecer a esses sentimentos, que sao,
alias. oiraeagio das suas grandes virtudes, o
S-. Ambrosio Machado recorreu a diffamago
torpe e infame, sera outro lim que no o de tis-
nar a mioba^eputago, de macular a minha
honra. j
tabec^HPHe nio saDe um livro at"V> onde o povo iodos os dias l os
meus adoAj niuhas bdas aeges, como os
meus ej$os sem at hoje ter dtrvidado da minha
sinceriPlde, do meu esforco em inspirarme no
bem, da minha lealdade lin|ida como a propna
consciencia do dever!
Em sen impotente desespero, no delirio que
lhe transtorna as faculdades/qoe lhe tira a no-
cao do justo, que lhe oblitera a razio para
deixjir que as paixes sehagens e ferozes es-
tuefn eui seu cerebro transtornado, o Sr. Am-
brosio Machado atira se ceg de colera contra
mim, vomita as mais infames e torpes calum
nias.
E' assim que S. S., procurando tirar o mrito
do prestigio de que me tem cercado o povo, nSo
agora, mas desde que se convenceu.da," pureza
de meus sentimentos, da sinceridade com que eu
me apreseatava a defender a sua causa, ousa
dizer que eu de posse do poder desde que su-
bio o gabinete Joao Alfredo, dispondo larga-
mente dos diaheiros pblicos, escravisando as
arca- do Tliesouro, tenno conse;;uido agrupar
eui roda de mim urna recova de ociosos, de
retendentes a erapregos pblicos, elementos
e desordem e de anarchia, ao mesmo tempo
que faco acreditar aos libertos que fui o seu
nico libertador e que contino a ampralos
contra a re-escratisacao peto seu ex-senkor.
Nesse trecho, que acabo de reproduzir tix
tnalmente alterando lhe, apenas, a construyo
grammatical, o Sr. Ambrosio Machado injuria
de um modo descommunal o povo, os mens
amigos, o partido liberal que at hoje me tem
iLTC^do de prestigio e conOanga, classilican-
do a todos como uuia recova de pretendentes,
ociosos, anarcuislas. etc., e ao mesmo tempo ar-
ticula iu i-tos pe me deshoorariam si eu os liou-
vesse praticado.
Para os couceitos com que o Sr. Ambrosio M#
diado fulmina o povo, que se tem identificado
commigo, que se tem constituido a minha nica
forca, s ha urna resposta : o despreso. Quanto,
porm, aos factos infamantes por S. S. articula-
dos, tenho o direito de provocal-o a exhihir as
provas perante o tribunal da opiniao e os tr
bunaes judiciarios, e a tomar todos, os des-
furtos que a minliatlignidade ultrajpa exigir,
pirque ha urna cousa mais sagrada do que a
vida a honra, que deve ser salvaguardada e
defendida por todos quanto comprehendem a re-
ligio do dever.
Saio, portanto, ao encoutro do Sr. Ambrosio
para obrigal-o a dar as provastlas infamias que
articalou contra mim, e si o nao lizer, hei de
agrralo pela golla c. obrigal o a confessar-se
um miseravel colutnniador, indigno mesmo do
despreso publico.
Provocp o Sr. Ambrosio Machado a provar
como estive de posse do poder desde que subi
o gabinete Joao Alfredo ; qual o favor que obti-
ve para mim ou pura meus amigos, quaes os din
lieiros que recebi para manter a recova que me
aeorapanaa. N5o quero que s S. S. o saiba :
quero que tedo o povo tambera o saiba.
Que melhor occasio para S. S. aniquilar me
do que esta em que o provoco a exhibir as pro-
vas dessas torpezas que me attribuio com tanto
desassotnbro!
Eu bem afti que ainda as dobras dessa infa-
me calumnia est enroscada a serpe odenla da
escravidao...
Como applaudi a attitude do Sr. ronselheiro
Joo Alfredo na decretago dessa gloriosa lei
que faz esquecer todos os erros e todos os des-
tai lecimentos do benemrito estadista pernam-
bucano, os nnseravei, que se acostumaraui a
comprar carne humana, pensam que com a mes-
la facilidade vendem-se as conscicncias ss. e
nao acreditara que nos houvessemos deixado do-
minar simplesmente pela convieco, pelo sen-
timento abolicionista!
Como se engaara!
0> abolicionistas nada tiverarn de comraumcom
o gabinete 10 de Marco senoa abolicao. No dia
?>-uini; cada um retirou-ac para oj labores ta
vida quotidiana, sem pretender a mnima recom-
pensa, o minitno favor do governo, s pensando
no melhor raeio de continuar a servir patria
livr^, levando em seus coraees, certo. o sen-
timento indelevel da aduiirasio e do reconheci-
mento Dor todos quantos cooperaram ou levaram
a effeito a grande obra da regeneraco nacional!
A nosa devisa foi o desinteresse e o amor da
liumanidade. e no dia em que se fez a abolicao
nos -entimos exhuberantemente pagos, sufli-
cientenK'ate recompensados de todo3 os sacri-
licios.
Mas, o Sr. Ambrosio Machado, para desvirtuar
os meus sentimentos, allirma que estou no po-
der desde que subi o goVerno do Sr. Joo Al-
fredo, do qual recebi favores e dinheiro !
Ha a^eusage? que nao se fazem sem provas,
e pro\as convincentes.
X"'0 se trata da apreciaco de um facto, pura o
qual o :>r. Ambrosio poderia reclamar a liber-
aade de pensar conforme o processo critico que
liouvesse adoptado, nao I Tracta-se daarticula-
co de factos determinados positivos, cuja prova
eu exijo para a minha conderanacao, se ella for
dad i. pata a .oademnac/.io do Sr. Ambrosio si
S S. nao a puder dar.
Os favores de um governo nao podem ser fei-
tos em segredo ; os dinheiros pblicos nao po-
dem ser entregues sem.0 preenchiorento de cer-
tas formalidades. Nada mais fcil, portanto, ao
Sr. Ambrosio do que exhibir as provas que cu
exijo como um ultimo appello sua dignidade
pessoal.
Um homem que prese a honra propria, nao
ataca a de seus inimigo3, por maior e mais en-
carnicado que seja o odio que Ihes vote- porque
nao ha direito de violar impunemente as leis da
honra.
Homem publico, preciso dar coata3 de todos
os meus actos, e nao posso consentir que paire
sobn; elles a menor duvida, a sombra da menor
suspeita.
Poltico intransigente, que se tem acostumado
a nSo pedir a seus adversarios nem mesmo jos-
liga, eu jamis poderia receber e muito menos
solicitar favores de um governo contrario, e ja-
mis receberia de governo algura. mesrao de
amigos meus, o presente dos dinheiros pblicos.
El "na um pditico corrompido c venal ; se-
ria um also demcrata ; no seria emtim um
homem de bem, liouvesse siqur sonhado as
infamias articuladas pelo Sr. Ambrosio Macha-
do E bem sei que o povo, que at hoje rae
tena continuado a cercar de prestigio e me tera
dado as provas as mais incontestaveis de con-
liaoga ; aera sei que os meus amigos, que conti-
nuam a honrar-me com a sua estima, julgam me
superior a diffamacao do Sr. Ambrosio Macha-
do ; de modo que, eu me poderia dispensar do
appello solemne qne fago ao meu diffamador ;
mas preciso quebrar os dentes calumnia,
preciso lancar bastante luz sobre a minha
vida inteira para que amanh outro individuo,
tao miseravel e to audaz como o Sr. Ambrosio,
nao venha repetir-lhe as infamias e torpezas.
Esta lancado o repto ) Hei de obrigar o Sr
Ambrosio a provar o que disse ou a confessar
que um infame, um miseravel calumniador,
em cuja face desbriada nem se da a honra de
lancar o escarro do despreso publico.
Recife, 22 de Agosto de 1889.
Jos Mabunso.
(Contina).
Assim fe, para -efender-se das acometes
que todos os bons conservadores lhe fazem, de
nao criticar os ctos mos do governo, e de so-
mente oceupar se em dirigir apodos ao vei
do chefe do partieranservador e quelles con
quen a gente da Epocha manteve at hontem a
mais complera couesao de vistas; articula esse
orgo dos despojados que. quando appareceu, j
hia muito a derrabada eitava feita.
Isto simplesmente irrisorio !
Pode ser considerada seria essa tirada de un
jornal soi-dimut orgao dfc partido conservador,
que foi substituido no poder por effeito da dif-
famatorias alicantinas e da desleal eolligagao c-
nhecida de todo o paiz, esta sendo victima, ntf
pes'oas de seus membros, de toda- a sorte de
violencias e de alternados os mais inauditos ?
Se, como pensa a Epocha, nao mais oppor-
tuna a occasio de analysar os desvarios pratl-
cados peloSr. de Oaiara'na administracao da pro-
vincia, porqua nao aprecia os aclos teitos pelp
Sr. conselheiro Alves de Araujo, que se tem re-
velado, na presidencia, tao desabusado quanto 0
seu antecessort
Responda nos Entretanto a theona sustentada por esse jor>
nal, desde o seu apparecimento, accnselha-liif
procediraento contrario.
O publico tem visto que elle nao se cansa di
diffammar o Sr. conselheiro Jo&o Alfredo, attri
buiodo-lhe erros, no governo, que so existera ni
imaginacao dos redactores do pseudo orgocon
rervador, e procura analysar os seus actos pot
nieio da rritica ferina e mordaz, que tudo inven-
ta e adultera para formular argumentos.
1'js bem ; admitamos, por liynothese gratui-
ta, qne o Sr. conselheiro Joap Alfredo commeti
tesse os erros de qoe o aecusam.
S. Exc. j eslava fra do governo, hacia muitt
tempo, quando appareceu a Epicha e, portanto,
nao lia uiais razo de ser para as suas malsn*
fines ao referido conselheiro.
E' a conclusSo a que conduz a theoria ttae
jornal.
Mas a congruencia deve existir as thi orias,
sob pena de nao passarem ellas de enonciacOes
burlescas.
Como se v, ha a mai palmar conlradiccao
no procediraento da Epocha.
E' tarabem destituida de fundamento a coar
ctada qu^ se atira aos escriptores do Diario, de-
que a opposico feita por elles aos Hberaes li-
mita se a protestos de alguns caniidatoe oontra as
violencias commettidas dentro de suas arcumscrip
oes eleitoraes, eque os podeprejudicar.
Estes protestos, argidos pr distinctissimos
eidadaos, se bem que reliram-se a abusos pra-
ticados em certas e determinadas circumscripges
eleitoraes (por onde sao candidatos) no intuito
de prejudical-os em suas cleiyes, nao visam
somente aos interesses pessoaes de cada um
delles e sim causa comrnum do partido, em
nome de cujas ideas apresentara-sc no prximo
pleito.
Accresee que nSo se podfr legitimameute
contestar que os mesmos protestos sao outras
tantas accusajCes por actos, irregulares da ad
ininislracao provincial ; deveado-se alm disso
attender a que o Diario nao orgo do partido,
o qual, quando apparecer, saber cumprir intei-
ra e completamente o seu dever.
Demais, ahi esto os artigos limados peles
Ilustrados escriptore. qne modestamente se
oceultam sob os pseudonymos de Lycurgo e
Beaconslield. nos quaes, a par da elevac do
linguagera tera sido severa e magistralmente
verberados os aclos prepotentes das admioistra-
cOes geral e provincial.
Ainda desta vez espichou se a Epocha.
O velho soldado comentador
Recife, 23 de Agosto de 1889.
quanto se possa imaginar de cnicamente per
-o, feito em nome da lei, um facto que est
ao alcance de todo o mundo e que lava o parti-
do conservador de todos 03 erros commettidos
na passada administracaoleves culpas veniaes,
ante os monstruosos Mentados do liberalismo
moderno do Sr. Oaro Preto.
- Ao espirito do observador imparclal que noa
a coincidencia que lia entre a proximidade das
eleices e as scenas escandalosas de que foi
theatro esta cidade, scenas escandalosas que se
eslo repetiudopor toda a parteacode loso a
idea de que em tudo isso ha o plano poltico
previamente concebido.de afugentar das urnas
Pe|o tej* os eleitores mais tmidos que ainda
acrMfcm eaa e,ue a cadaia publica tambera nao
ro ferta pan ai autoridades criminosas que des-
honram o cargo de que acham-se investidas.
Quer parecer-nos que os acontecimentos de
ante-hontem serviro de pretexto para requisi-
tar-se nm grande destacamento para semen
eleitoral, mas acreditamos qoe o digno magis-
trado que exerce o cargo de chefe de polica
tara a hombridade necessarja para recusar-se a
semelnantes manejos e procurar reprimir os
abaso* im a*us deeponderados agentes.
Pebeira de Lyba.
(Do Diario de Goyanna.)
-ess^ss-
Candidaturas e candidatos
ii
Pela terceira circumscripco eleitoral de Per-
nambuco apresentam-se tres candidatos, sendo
dous Hberaes e um conservador.
Na organisago da chapa official do partido, o
directorio liberal foi umitas vezes injusto e aJ
prova est na escolha que fez do candidato para
o 3." districto cujo prestigio poltico absoluta-
mente negativo.
O Sr. Dr. Arminio Tavares, isto o candidato
imposto commissao executiva do partido libe-
ral, nao pode merecer as honras de representar
o eieiuirado do 3.' dirh;tn
Um seu correligionario j o julgou de um
modo pouco lison^eiro para os seus crditos e
para o seu valor intcllectual.
inhbil at para defender um acto cuja respon-
sabilidade nica lhe caba, o Sr. Dr. Arminio nao
aasceu para poltico.
* Anda mal portanto o seu partido querendo
forra torcer-lhe a vocaejio e aar-lhe um diploma
de posse do qual elle limitar-se-ha a vo-
tar!----
Por causa de S. S. hcaram esquecidos os enor-
mes e inolvidaveis servicos ao partido e ao paiz
prestados pelo honrado e Ilustre Sr. Dr. Silvino
Cavalcanteum poltico que por ser de lina tem
pera desagrada aos actuaes directores do paiz.
Esse nobre cidado. cujo carcter rijoe inma-
culado, pede servir de exemplo e cujos aclos,
pautados pela visliga, sao mananciaes de profun-
das licge3, mereca bera do seu partido a sua
apreSentaco pelo 3.* districto onde dispe de
largas influencias.
O candidato conservador contina a ser o dis
tincto pernambucano Dr. Felippe de Figueira
Faria, que na ultima legislatura deu tantas pro-
vas da robustez do seu talento.
Mogo sensato e Ilustrado, educado nos prin-
cipios inmaculados do amor patria e Msti-
ca, poltico moderado e ordeiro. incapaz de qual-
quer excesso e invencivel tas suas opinibwj o
s.r. Dr. Felippe de Figueira triumphar certa-
mente no pleito do dia 31 de Agosto.
O partido conservador unido pela eminencia
do perigo que assola o paiz suffragar unnime-
mente esse nosso digno correligionario, que
alm de possuir urna vida de funecionario pu-
blico digna de todo o respeito tem representado
no raovimento polttico um papel preeminente.
Na Assembla Provincial, era que servio as
legislaturas de 1870-1871,1872-1873 e 1874-
1875, deixou um trago luminoso.
Cumpre pois ao eleitorado do 3. districto le-
var s urnas o nome do Dr. Felippe de Figueira
Faria.
Themis.
Aposenladc-fia escandalosa
Amanha devem reunir-se os socios do Hospi-
tal Portuguez para deliberar sbbre o pedido de
aposentadoria que lhe foi dirigido pelo medico
daquelle estabeleci ment.
As aposentadoras foram creadas utiieamente
como remuneracSo aos bons funecionarios que
durante longos annos, com uiinguados ordeuado.;
dedicam-se ao servico publico e Hcaram impos-
sibitados de trabalhar.
Quando se d qualquer excepcao a essa regra,
5o geraes os clamores pela infrac^o da pres-
cripgSo legal.
Precedem as concesses de aposentadoria o
competente exame medico para verificago da
impossibilidade do peticionario continuar a tra-
balhar.
No caso vertente, porm, trata-se de um ho-
mem valido, bastante forte para andar agora em
grandes excurses a cavallo pelo serlao para
fina eleitoraes ; e bem longe de ser um funecio-
nario queoreeise de auxilio um homem rico.
O ordenado que percebia o peticionario nao era
minguado. pelo contrario era largamente cora-
pensador para o pouco tempo que diariamente
o peticionario empregava no hospital.
PergunLimos : os outros particulares de quem
era medico de partido e que ainda menos lhe
pagavam, v2u tambem aposntalo ?
O Hospital Portuguez urna importantissima
instituigo particular com o fira nico de exer
cer a caridad.- aos portuguezes desvalidos ou
prestar auxilio aos seus associados, sustentan-
do-se exclusivamente do obulo particular da ca-
ridade. ,
Como se pretender desviar para urna algibei-
ra rica o que destinado aos pobres ?
Semelhante pretengao se/ por certo repudia-
da pela nobre e altiva colonia portugueza, que
n2o consentir que os dinheiros de urna to Im-
portante instituigo vo encher a3 algibeiras
daquelle que est prestes a por-se em caminho
da corte para ir gosar o producto de sua fortu-
na e entregar se a outra vida.
Um poi tugue:.
Propaganda republicana
Desejando quanto possivel concorrer para o
triumpho da causa republicana, resolv realizar
urna serie de conferencias, em varios districtos,
comegando pelo 6o, onde candidato o nosso il-
lustre correligionario Dr. Martins Jnior.
Convido, portanto, no povo da Escada para as
conferencias que irei l fazer nos dias 30 e 31,
vespera e da da eleicao gcral.
Confiando na generosidade e no patriotismo
dessa populago, espero que nao levar a mal a
minha empresa.
Recife, Agosto de 1889.
Ricardo Guimaraes (brazileiro naturalisado).
A professora publica da 1.a cadeira da
Capunga, abaixo assignada, tendo sido,
seu pedido, jubilada por portara do
Etm. Sr. conselheiro presidente da pro-
viacia de 13 do corrente, vem pelo pre-
sento despedir-so de todas as suas alura-
nas, pdindo-lhes desculpa se algama vez
teve occasio de mostrarse um pouco
mais rigorosa no cumprimento de seu de-
ver, e agradecer aos paes das mesraas a
confianca que sempre lhe depositaram,
entregando aos seus cuidados a educacao
esoolar de suas filhas.
Aproveita tambem a epportunidade para
significar aoa Ulms. Srs. Dr. inspector
geral e delegados litterarios o seu reconhe-
cimecto pelas inequvocas provas
tinecao que por mais de
Ao eleitorado do districto
E' chegada a occasio de solicitar do indepeu-
dente eleitorado do 2o districto a reuovagao do
honroso mandato de seu jepresentante, cujo di-
ploma me foi arrancado pela cegueira partidaria
de mos dadas com o odio escravlsta na legisla-
tura que acaba de Andar com a dissolugfc da
Cmara dos Deputados.
Tendo continuado a considerarme o legitimo
representante do districto, nao posso, por isso
mesmo aspirar simplesmente a honra de ser o
deputado novamedte eleito; desejo que o pleito
de 31 de Agosto tenha tambem urna significago
especial : seja o protesto contra a espoliago do
meu direito de deputado duas vezes eleito; seja
a restaurago do meu diploma violentamente
rasgado ; seja a conlirmago de que nao tenho
desmerecido no conceito e na conuaiiga dos meus
concidados,
Eu aguardava com anciedade a occasio de
poder provocar urna manifestago clara e solem-
ne do brioso elitorado uo 2* districto. E' por-
tanto, ebeio de satisfago e de conlianga que para
elle appello, sem a menor duvida sobre o julga-
mento que tenha de ser proferido, apezar de
todas as.inachinarf s, prfidas e diffaraages a
qije recorran) os mens rancorosos inimigos.
A manifestago franca e sem reservas de mi-
nhas Ideias sustentadas nos meetings, as confe-
rencias publicas, na imprensa, na tribuna par-
mentar, bastante para alarmar os compromis-
sos por mira contrahidos para com o povo, em
cujo nome aspirarewserrrpre a honra de poder
fallar; e por outro nido, accenta, de modo bem
claro e positivo o dever que me cabe de accei-
tar as soluges ainda as mais arrojadas do libe-
ralismo moderno, concilladas com os altos inte-
resses da patria que todos devemos fazer forte e
grande, prospera e feliz, urna s e indivisivel
pela iute.'ridadr'.."dn u *ror..j
ao amor nacional.
Nao rae escusarei, entretanto, de mencionar
qne, entre todas as reformas que o partido libe-
ral chamado a realizar, devemos, antes de
tudo, trabalhar para que o povo tenha interven-
cao mais directa e effectiva na governago pu-
blica pela ampliago do direito do voto do qual,
Cm soa maioria tem estado privado. Devemos
igualmente trabalhar para que as provincias e os
municipios tenham a autonoma, entrem no in-
teiro governo de si mesmas, para, independen-
temente de tutella administrativa estranba, geri-
rem seus negocios, applicarem suas vendas, pro-
moverem os seus melhoramentos, concillando se
ao mesmo tempo os interesses peculiares cada
urna das provincias, de modo a fazer desappare
cerem rivalidades, ou antes, hostilidades que co-
megara a manifestar-se e que fatalmente preju-
dicaro a bomogeneidade nacional.
Reconhego nao ser possivel exigir de um ga-
binete a execugo, de'uma vez. do programma
inteiro que o gabinete 7 de Junho empreheoda a reali-
zago d'aquellas duas reformas capitaes, a par
de outras medidas de ordem differente e de me-
nor importancia, como seja promover melhora-
mentos pblicos, auxiliar e favorecer as artes e
industrias nascentes e a lavoura que tao patrio-
tica quanto desinteressadamente tem auxiliado
a transforraago do trabalho nacional e por meio
de medidas econmicas e linanceiras impedir as
caprichosas oscillages do cambio, desenvolver
o crdito, fazer a conversao do nosso meio cir-
culante depreciado, e assim concorrer para, que
seja melhor aproveitadae desenvolvida a riqueza
publica e diminuidos os encargos da divida na-
cional.
Diz-me a consciencia que, mesmo proscripto
do pirlamento pela mais violenta das reaeges,
nao me deixei tomar de desanimo, nem me con-
servei em inactividade; eu. ao contrario, conti-
nuei a servir, com ardor, dedicago e firmeza,
a causa do povo e da democracia. Posso asse-
gurar ao eleitorado do 2o districto que, eleito
novamente seo represenlate, saberei honrar o
mandato que"me fr confiado, nao trahindo os
eompromissos do meu passado nem illudindo
as esperangas do futuro : hei de sempre procu-
rar corresponder confianga dos eleitores de-
fendendo os grandes interesses da altiva pro-
vincia de que me orgulho de ser lilho e balen-
do-me pelos direitos do povo.
Nutro a esperarla de que nao appellarci in-
tilmente para o eleitorado do 2o districto e que
d'elle hei de receber um diploma revestido da
forga e do prestigio necessarios para no parla-
mento nacional collocar-me altura da grande
uno~"- J" inf t rada um dos Srs. eleitores do 2o districto com-
prehender a impossibilidade material em que
me acho de procural-os pessoalmcnte para pe-
dir-lhes que me honrem com os seus votos e
cura a sua franca adheso.
Sao betn mohecidas as minhas ideas e a mi-
nha atiitude diante dos negocios pblicos : e
quando os Srs. eleitores desjem interrogar-me
tero facilidade de o fazer as rcunies prelimi-
nares ao pleito que sero promovidas em pontos
determinados de cada parochia, por ser esse o
raeio mais fac-1 de por-nie em contacto com os
Srs. eleitores.
Espero, portanto, que isso nao ser motivo
para que deixem de sulfragar a miBha candida-
tura e fazel-a sahir triumphanie das urnas.
Recae, 20 de Agosto de 1889.
Jos Mananto.
urna vez
ram no longo curso de seu magisterio
diminuto
de dis-
lhe de-
of-
pres-
Eleicfio dos jaisea e mata emprea-
do* que teem de festejar a Excel-
a Padroeira eata Senhera da
Peaba na matriz de Uanaelleira
em 188*.
Juizes por eleicao
Os Illms. Srs.:
Dr. Antonio Venancio Cavalcante de Albuquer-
que.
Capitao Flix Ftrreira de Morae3.
Capitao Joo Felippe de Souza Leo.
Silvestre Pereira da Silva Guimaries.
Juizas por eleigao
As Exmas. Sras.:
Consorte do Sr. Jos Custodio Gongalves Quima-
raes.
Consorte do Sr. capitao Antonio Lopes de Si-
queira Santos.
Consorte dp Sr. Firmino Gomes da Costa.
Consone do Sr. Jos Nones Ferrera da Silva.
Juizes por devogo
Os Illms. Srs.:
Dr. Joo Lopes de Siqueira Santos.
Capitao Manoel Antonio dos Santos Ferreira.
Capitao Joo Ailianasio Cavalcante de Albuqaer-
que.
Joo Francisco de Olivetra.
Juizas por devogo
As Exmas. Sras. *
D. Brites Sebastiana de M. Monteiro.
D. Euthalia lsmenia de Mattos Lima.
D. Arselina da Silveira Albuquerque.
1). Francisca Maria de Jess.
Juizes protectores
Os Illms. S^.: -
i-ario de Serinheft.
Dr. Leopoldo Schirmer.
Coronel Felippe Benicio Alves Ferreira.
Antonio Berlino Pereira de Carvalho.
As Exmas. Sras.:
Consorte do Sr. coronel Cincinato Velloso da'
Silveira- w
Consorte do Sr. Dr. Francisco Manoel Waader-
ley Lins. -j *tj
Consorte do Sr. capitao Minervino Cattello
Branco.
Consorte do Sr. major Joo Baptista da Rocha B.
Lins.
Escrives por eleigo
Os Illms. Srs.:
Lourenco d'O Pereira.
Tente" Vctor Pereira de Carvalho.
Capitao Qellarmino Dorotheo Rodrigues e Silva.
Austricliano Pergentino de Almeida Andrade.
Escrivas por eleigo
As Exmas. Sras.:
Consorte do Sr. capitao Joaquim Antonio da
Fonseca Carvalho.
Consorte do Sr. capitao Joo Manoel de Barros e
Silva.
Consorte do Sr. Jos Augustojl Barros.
Consorte do Sr. Sebastio Mendes de Hollanda.
Mordomos
Os Illms. Srs.:
Antonio Duarte Machado.
Joo Ricardo do liego Gomes.
Tenente Jos Antonio de Castro.
Vito Sepulvedo Diniz.
Possidoaio Cardono Sobrinho.
Joo Luiz de Carvalho.
Antonio Luiz Gonzaga.
Manoel Hollanda Cavalcante.
Manoel Tavares de Miranda.
Dalvino da Fonseca Lyra.
Manoel Francisco de Mello.
Joo Tavares de Lvra. .
Mordomas
As Exmas. Sra3.: -
D. Maria Mrcionilla Pereira Lima.
D. Liberata Leopoldina Vital.
. Anna Joaquina de Amorim.
Consorte do Sr. capitao Sebastiae Brando.
Consorte do Sr. Antonio Feij de Mello.
Consorte do Sr. Joo Flix Cavalcante.
Consorte do Sr. Lvcurgo Geraldo de Alencar.
Consorte do Sr. Jos Moreira da Silva Dourado.
Consorte do Sr. Pedro Escolstico da Silva.
Consorte do Sr. Bernardino Jos Jeronymo
Consorte do Sr. Jos Francisco de Paula Frazo.
Consorte do Sr. capitao Serafim Tavares.
Procuradores
Os Illms. Srs.:
Manoel Alves de Arauio.
Amaro Marques da Silva.
Joo Baptista de Oliveira. .
Graciano Felino de Vasconcellos.
Joaquim m-eira de Lyra _
O I!lm. ?r. ..apito Manoel Gongaives ae unvw-
ra Rocha.
Villa de Gamelleira, 9 de Junho de 1889.
O parocho.
.Antonio Graciano de Aravj Guanta.
ferecendo a todos o seu
timo para o que lhe puder servir.
Capunga, 24 de Agosto de 1889.
Maria Solme de Siqueira Varejao.
-ess"
Falso procurador
A Epocha em sua edigo de hoje, no artigo
epigraphado fpni o titulo cima, mostrase eiva-
dn do mesmo espirito de intriga, cora que tem
procurado dar expanao ao odio gratuito que
seus redactores votam ao emrito estadista, *r.
conselheiro Joao Alfredo, e, inventando mais
urna artimanlia que nao arma ao effeito, diz que
a resposta nossa publicago feita sob o mesmo
titulo, prendendo-se ao assumpto da interpella-
cao teita por Burke, neste Diario, ao Sr. conse-
lheiro. Portel la, fica espagada at que esta seja
respondida.
No seu segundo artigo, porm. que se inscreve
A balela,procura responder-nos com subter-
fugios a que se soccorrem oste, ba#os pela
razo, fogem de disear com sfRedade,
doy anna, 18 delS^O
A moralidade administrativa vai resvatando
vertiginosamente pela lubrica e lodosa escarpa
do negro sorvedouro para onde a situago do-
minante vai atirando impiedosamente a nossa
desgracada patria.
O criterio, e dignidade, o respeito de si mes-
mo, o pudor at, tudo isso que devia refulgir na
fronte das autoridades encarregadas de manter
a ordem publica e fazer effectivas as garantios
constitucionaes dos eidadaos brazileiros, io se
encontra, seno excepcionalmente, wssa turba
incousciente e desbriada que o governo liberal
levantou da lama das ras para confiar a guar-
da das leis, a honra das familias, a vida, a pro-
pnedade dos eidadaos. /
Nao admira, portanto, que todos J3 dias este
jamos a presenciar as perseimiges J^ mais atro-
zes, as violencias as mais absurdas, as mais re-
voltantea, pralicadas pelos agentes da forga pu-
blica qu-; assim procedem por contarem com a
impunidade, se qne nao sao aculados or
quelles que altamente collocados na poltica da
situago e contando cora as boas feragas do ne-
fasto governo actual, teera carta branca para
tudo fazer sem responsabilidade.
Do chamrdio governamenlal emarg a cadl
passo a figura petulante de qualquer nullidade
empavesada a extravasar o furor monarchico
con'ra a imprensa imparcial, faue por toda a
parte vai sendo ameagada na; r/essoas dos seus
proprielarios ou redactores., Ninguem est
tranquillo, porque ninguem se pente ao abrigo
das perseguigCes prfidamente imaginadas tu
ostensivamente realisada3 pe()3 gabpins da po-
lica liberal. j
E tal a intensidade moofoida de3sesd/nona-
cos de nova especie que noniens, at hontem
considerados como sensatas e criteriosos, tor-
nam-se, sem o sentirem -talvez, comparsas as
scenas de canibalismo qde neste momento no-
doam o theatro poltico ,do imperio do Sr. D.
Pedro II.
Que todos os partido? monarchicos estejam
estragados, corrompidos, desmoralisados peran-
te a opiniao publica, nao ha menor duvida ; mas
que o partido Ubei-at. psteja excedendo a tudo
Programma
D_ FESTA DO SENHOR BOM .JESS DAS DO-
EES, EM A IGKEJA DE S. COSALO DA
FBEGUBZIA DA BOA VISTA.
No di 2i do corrente mez so raeio dia fende-
r os ares urna salva real acompanhada de gran-
de numero de girndolas de foges artificiaes,
annunciando aos habitantes desta capital que
chegada a vespera do dia em que a irmandade
do Senhor Bom Jess das Dores solemnisar com
todo o esplendor a feslividade do seu Divino Pa-
droeiro ; sendo saudada a aurora do dia 25 com
urna nova salva real aps urna raissa resada que
ser celebrada em intengo de todos os fiis que
concorrerain com o seu obulo para a realisago
da mesma feslividade.
A's 11 horas da manha comegar a missa so-
lemne precedida de tercias e denou.inada Santa
Cruz, acompanhada a grande orchestra confiada
ao rrao ex-provedor Marcos Evangelista Corris,
e"ncarregando-se do panegyrico o eximio prega-
dor padre l'edro daP. Paes e Paiva, tocando antes
depois da missa urna banda marcial, excellen
tes trechos do seu repertorio, diversos aerstatos
subirao aos ares aps os actos religiosos tendo
9do reservado maior numero para a tarde desse
dia em que no adro da igreja a mesma banda
executar raaviosas pegas.
A's 7 horas da noile entrar o grande Tedeum
"denominado Espirito Santo.ojcupaodoa tribuna
sagrada o Ulustrado pregadur da capella impe-
rial Frei Augusto da Iramaculada Conceigo Al-
ves, terminando o acto religioso coma bengao
do SanUsai no Sacramento.
Ter lugar no da seguinte (2G) urna missa s
8 horas da manha e noite ladainha, offerecida
ao Glorioso S. Goncalo a cargo daquella irman-
dade.
pesa regedora pede a todos os moradores
Ha de S. Gongato, c obsequio de ornarem e
illumiuarem as frentes de suas casas alim de dar
mais realce c esplendor a festa do Divino Re-
dera ptor.
O secretario,
n'wo Manoel Dios.
ao Exrni. Sr*. mlntatro da jnt<;a.
e presidente dota provincia
O bacharel Augusto Frederico de Si-
queira Cavalcante, juz municipal e de
orphaoa deete termo e Ex vem declarar
a Vs. Excs., para os fins convotientes,
que nao pedio, e nem pretende#pedir sua
remogao ou demissao.
Villa de Granito 1.- de Agosto de 1889.
Augusto Frederico de Siqueira Cavalcante.
Ao eleitorado do 3. districto
Com a serenidade de espirito que soem ter se
almas superiores retemperadas na adversidade,
declaro ao corpo eleitoral do 3 o districto que,
rejeitando a decisao da comraisso executiva do
partido liberal que me excluio da lista dos as-
pirantes a um lugar no seio da representago
nacional, fago appello d'essa decisao para o mes-
mo corpo eleitoral.
Nunca soube subscrever ao capricho e in-
justiga.
No abastardamento geral dos caracteres nao
admira que quelles a quera o acaso feliz ou al-
guma circumslancia extranha poz testa dos
negocios polticos de urna circumscripgo pro-
vincial qualquer, confundam o joio com o trigo
e pesera inconscientemente a ouro e fio, cm ba-
langa falsificada pela bajulago e pelo capricho,
o mrito e o demerito, a consciencia s e o es-
pirito destituido de brio ; o patriota e o cory-
pheu de todos os-desbragamentos e de todas as
falsilicages polticas.
Nao ser assim que se far boa poltica ; nao
ser com agremiages as alturas sociaes de ca-
racteres disparatados em intuitos e sentimentos
e cora a lia social guindada e lantejoulada por
ttulos obtido3 pela subserviencia, pela perfidia
e pela venalidade que se firraaro as instituiges
j to profundamente abaladas.
Nao aecuso, nao me julgo de momento com
direito de aecusar o governo central; a genera-
lidade de seus actos deixa ver o proposito pa-
tritico de servir as aspirages do paiz, corri-
gindo especialmente os erros e desvos da ante-
rior administrago, mas a boa direceo da nao
do Estado nao depende smente da bussola que
lhe indica os pontos cardeaes, nem do rumo que
lhe imprimem peritos palinuros; necessario
que toda a companha opere harmnicamente
como pega de um machinisrao correcto.
Nao ser com mercenarios e llibusteiros que
ella far rota segura de salvago.
Fui substituido na chapado partido em minha
catara! candidatura pelo 3. districto por um
individuo que, apresentando cmara quatnen-
nal, em sua maioria liberal, um diploma de de-
putado e sendo esse diploma aecusado de nullo
por falsificaro de acta eleitoral, nao o defendeu
nem perante" a cmnmissao de verificago de po-
dere3, nem na iniprensa, deixando d'esta arte
que a Cmara em sua justiga se pronunciasse
lela aecusago e que ttcasse firmado contra si o
tremendo e aviltante estygma de falsificador.
Si um tal individuo pode ser-representante da
Nago por mdicagao de um partido que devese
ter em conta de moralisado e patritico, nao sei
o que deva caber em partilha as grilhtas de
Fernando de Noronha.
Como programma em apoie de minha candi-
datura apresento em primeiro lugar o meu pas-
sado, e no movimento rpido de transformagao
que a nossa sociedade vai levando depois da
aholigodo elemento servil, pronuncime pela
autonoma administrativa e poltica das provin-
cias em grao que nao perturbe a marcha regu-
lar das instituiges, nem faga pengar a unio
nacional.
Recife, 10 de Agosto de 1889.
Suno Cavalcatti de Albuquerque.
X. 39.1
Olee pare medicinal de Finado de
Bacalbo de Lanman dt Kemp
Tanto o ligado como os pulmes acham-se ex-
postos e sujeitos a ser consumido por urna en-
fermidade e ambos estes orgaos podem ser cu-
rados mediante o mesmo trataroento.
Os jornaes de medicina nos asseveramque
nada ha como o Oleo de Bacalbo para as mo-
lestias do ligado.
Porm dado mesmo que a autondade raeatea
se conservasse muda, os factos fallariam por si
mesmo.
Dentro do espaco de mui pouco tempo, muitos
casos de consumigo do ligado, assim quahflca-
dos pelos priacipaes mdicos foram curados com
o Oleo Puro Medicinal de Figado de Bacalho, de
Lanman & Kemp.
Nao nos cabe, a nos. o decidir se nos casos
mencionados o figado se achava ou nao ulcerado.
O certo que os meuicos assim o certificronle
tambem que Os doentes se puzeram bons.
i omtudo aconselhariamos a todos que nao
deixassem para a ultima hora o lomarem este
remedio, em considerag&o das suas grandes vir-
tudes medicinaes ; sempre e todas as vezes que
se apresentem os symptomas de desarranjos pul-
monares ou hepticos, deve-se immediatamente
fazer uso delle.
Obrando assim pdese ahangar a salvago do
doente, e a cura ser rpida.
O Oleo Puro Medicinal de Figado de Bacalbo,
de Lanman & Kcmp nao se deteriora debaixo de
clima algum. f~ .
Arha-se venda em todas as pnncipaes bo-
ticas e lojas de drogas.
Entre amig
Como passas, minha aduga?
Vou indo bastante adoentada ; ha al-
guns dias que vejo-me atormentada por
urna forte tosse, que me desespera.
Ora, isso cousa que nao te deve
dar cuidado, principalmente so tomares o
Peitoral de Cambar, de S. Soares, que
o melhor remedio para as enfermidades do
peito e aquelle que mais J^Sp403 resul
tados opera.
O Peitoral de Cambar^fende-se em-
casa dos agentes Francisco Manoel da
Silva & C, a [ra Mrquez de Olinda
n. 23, e as prineipaes pharmacias e dro-
garas da capital.
AVISO A lUSTROS LECTORES
Los de nuestros lectores que vayan a
Pars mientras la Exposicin, saben yaq*e
podran leer los ltimos nmeros de nues-
tro peridico recibidos sea en casa de los
Srs. Amde Prince y C, sea en
el gabinete de lectura instalado por dichos
corresponsales, en el Pabelln de la Repbli-
ca de Guatemala, en donde el comisario
generalvde Guatemala ha puesto graciosa-
mente a la disposicin de dichos Sr8.
Amde Prlaec y C, una sala can
terrado.
Para evitar toda confusin, los amigos
nuestros que se hagan dirigir la corres-
pondencia a la casa de LwcitS S.
Amde Prince j t/debern
36 ru Lafayette, en donde estani
cialmente organizado ese servico.

I
i
!-
.. i


I


Diario de Pernambuco-Sabbado 24 de Agosto de 1889
Ao benemrito conselher Jo5o Alfredo
O" Patria minha, 6 meu berso egregio,
Pernambuco viril, sem par, histrico,
Porque tu gemes e porque tu choras,
Quando sorrir somente tu dorias;
Agora que da Patria o solosanlo
Livre, livre de todo j se mostra;
Agora que ella-r-a deusa Liberdade,
Do Brasil osculando a Up fronte,
Magestoso Ihe apona ouTro horisonte,
Pleno, pleno de luz jucunda, amena ;
Agora que o co, o mar, as lindas selvas
Desta santo cruzeiro abencoado
Hymnos entoam, hymnos festivaes
A bondade do Summo Omnipotente
Qae de escrava tornou raca proscripta
Livre, livre, to livre como somos
Entre risos e palmas, hymnos, flores ?!
Ah tu choras, tu gemes, Patria minha,
Porque teas filhos, teus ingratos lilhos
Que esteios ser deviam, ser apoio,
Poderosas peanhas dessas* glorias,
Desses fetos Ilustres, dessa fama,
Dessa crenca e valor, desse renome,
Dessa f que so ten ousados peitos
A's patrias liberdades consagrados ;
De todos esses doos que nos legaram
Esses vultos gigantes que baixaram
A' fria tumba, campa solitaria,
Co'a c'rda do martyno aureolados,
Com torpe menospreco vo calcando
Essas santas reliquias do passado.
Que sao o nosso honor, nosso apanagio,
E a mais fulgida, valen epopa
Da Patria de Arco-VerdO e Tabavrs I
Ah tu gemes, solutas, Patria miba,
Porque de Camarao a grande prole
Que forte ser devera, mas fraca.
Ota M/bnv4i> no liwlft 4 oihliji '
Ah tu choras, sotucas. Patria minha,
Porque se erguer-te quer algum teu iilho,
E de glorias cobrir-te immorredouras,
E de louros ornar-te a casta fente.
Surge logo medonha turba insana
De zoilos impdicos, petulantes,
E de zotes ignaros, aviltantes,
Qae julgando-se, loucos, potestades,
Novos deusos tonantes a arrojarem
Com a encendida dextra amientes raios
Ferir procuram peito adamantino
Que da Patria no amoracastellado,
E por palladlo leodo a liberdade,
Essa Vestal, por quem os Esparlacps,
Lenidas pujante, heroicos Graccbos,
Ousado Camarita, forte Vieira
Mais o Dias e o intrpido Negreiros
As espadas com denodo empunharam,
Impvido caminha c deixa impvido
Bramar o co, bramar a tempestade, ,
Como o arrojado nauta que alTrontando
Horrilicos bulcoes e jnar cavado
Gerto est de que sao e salvo aporta
Da amada Patria ao porto desejado.
Denodados vares, var6es Ilustres,
Inspirado Nabuco, Alfredo ousado,
E tu, Bonifacio, vulto ingente (#),
Que ao tmulo baixasle sen que visses
D'uma rara proscripta a liberdade,' ,
Liberdade que tanto, cjsne egregio,
Grandiloquo orador tu defendste,
Eque entre risos, palmas, doces hymnos,
Leda c bella surgi, surgi formosa,
Na patria historia inscriptos vossos nomes,
Aos posteros serio altos preges,
Exemplos altos de civismo egregio !
Becebei, o valentes, o meu canto,
Pobre cauto sem grata meloda;
Mas pelo patrio amor sacro inspirado
Verdadeira expresso desse amor
Qae doces carines lera tanto inspirado
Aos brasileos poetas maviosos :
Becebei o meu canto; homenagem
D'um Iilho dessas plagas tropicaes ;
Dessas plagas amenas, onde enloa
Sonorosa canro o sabia;
Dessas plagas formosas onde o co
Mais fulgido se mostra e magestoso ;
Onde o santo cruzeiro luminoso,
Symbl'o de paz, de amor e caridade,
De redempcao, de luz e de progresso,
Radioso futuro nos aponta !
(; nenio me no linado sonador Jos B. de
Andrada e Silva, eminente orador, istincto poe*
ta e natural da provincia de S Pauto.
--------------g^oesee----------------
Quarto districto eleitoral
de Pernambuco
Illm. Sr.Pretendo a honra de sor deputado
geral por osla provincia de meu nascimento,
elo que rogo a V. S. o muito particular favor
e a dar-me o seu voto e dos seus numerosos
amigos por esse quarto districto em a eleico
de 31 do corrente mez : antecipando Ihe os meus
sinceros agradecimentos.
Se eu merecer o obsequio que venho de soli-
citar, ser minha misso no parlamento brazi-
leiro sustentar o luminoso programma do pa-
tritico e venerando gabinete 7 de Junho.
Sou com a maior consideraco e estimaPe
V. S. venerador e criado obri-radissimo,
JM Marta Ramos Uorjao.
Recife, 17 de Agosto de 1889.
wm
18
O Sr. Dr. Luiz TreAraujo
t Tenho empregido em minha clnica
o Peitoral de (ambara, do Sr. J. Alvares
do SouzaSoares nos casos de molestias
broncho-pulmonares, colhendo sempre re-
sultados muito satisfatorios.
Posso mesmo, em virtude desses bons
resultados, garantir a efficacia deste me-
dicamento, principalmente quando estas
affeccfcs tiverem tomado o carcter de
chronicidade.
Isto verdade e o juro sob a f do meu
grao.
Anta (provincia do Riode Janeiro),
de Agosto de 1888.
Dr. Luiz Jos de Araujo Filko
Bacharel Antonio Wiru-
\io Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, Io andar
Advocado
O bacharel Arthur da Silva Reg tem o sea
escriptorio de advocada ra do Imperador n.
34. ondfi nrtdo ser procurado para os misteres
de sua profissao.
A dvogado
EDITAES
II
crural
Frederieo Chaves Jnior
Homoepatha
W 39 RA BARO DA VICTORIA 39
) ( Prlmriro andar
Estreitamento da urethra
AO ILLM. SR. DK. CARLOS BKTTENCOUKT
Eu, abaixo assigna.lo, declaro que, estando
soffrendo de um estrei tatenlo dajurethra, a cora -
panhado de bleonorrbi, recorr ao Illm. Sr. Dr.
Bettencourt, por quem fui operado pela electro-
lyse sem dor, ficando radicalmente curado em
curto espaco de tempo
Ao muito digno Sr. Dr. Bettencourt os meus
mais sinceros agradecimeotos.
Joo Rodrigues de Brillo.
Miguel Jos de Almeidi Pernambuco tem o seu
escriptorio de advocara ra do Imperador n.
y, onde ser encontrado todos os dias uteis, das
fibras da 9 manha s 4 da tarde.
SILYJfiRA
ADVOGDO
d60 Bli IMPERADOR
') MEDICO HOMEPATA
h Dr. Balthazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
} das enancas, dos orgos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVIS
Todos os chamados devem ser di-
rigidos phamacia d Dr. Sabino,
} ra do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
i
II
Leonor Porto
Ra Larga do Rosarlo nu-
mero %tt
SEGUNDO ANDAR
( | Contina a executar os mais dificeis
< Jfigurioos recebidos de Londres, Pariz,
() Lisboa e Rio de Janeiro.

0
Prima (em brevidade, modicidaae em pregos e
fino gesto.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLLNSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Barita do Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas da 10 s 4 horas da tarde.
Dr. Barreto Sampaio, medlcu,
eculisia, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meia dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barilo da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setcm-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Advoeacia crime
RIBEIRO DA SILVA, defende peraote o'
f de Palmares, Agua-Preta. Gamelleira.j
ada, Jaboatfio, Nazarelh, Victoria, Tim-'
bauba e oas coman-as visinlus as viasj
frreas. ]
Pode ser procurado ra 1' de Marco ]
n. 7 A.Livraria Parisiense.
Vias urinarias, molestias das se-
nhoras, operacoes elctricas
::,. cabios ::::ix::z:
ESPECIALISTA
com pratica de pabis e londb.es
Estreitamento da urethra curados ra-
dicalmente pela electrolyse, sem dr ;
hydroceles sem injeceo (cura radical);
feridas e ulceras chronicas, com garan
tia de cura rpida ; podras da bexiga
fstulas e heraorrhoidas ; syphilis, go-
norrhas, pelo methodo das nstillajoes ;
molestias da garganta e do peito pelas
athmospheras medicamentosas, i or-
sultas e operages das 12 s 3 horas da
tarde.
RA DO MRQUEZ DE OLINDA N. 34,
** ANDAR
Residencia na Torre
al) ; |
5; i I
Elixir cabera de negro do Dr. Sama
Rom, analyNado cm Parta e up
provado pela IiiNpectoria tcrl
de Hyficne.
(Premiado na Exposicao)
Continuamos antrwenir o publico que o ver-
dadeiro elixir cabeca do negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que como garanta tem em .
seu favor os attestados passados pelos maiajg-lno principio de cada ann^, nao poaendo
-**-----.---, -*--.- J,^_i_ r._ .fueras *00' ocl- < 3.* ecco. Mccrelaria da Hreniden-
cla de Pernambuco, lo de .%goto
de l*i*D.
0 Exm. Sr. conselheiro presidente da provin-
cia, de ordem de S. Exc.jpSr. conselheiro Vis-
conde de Ouro Preto, Ministro e Secretario de
Estado dos Negocios da Fazenda, faz saber ao
commercio de Pernambuco e mais interessados.
que nesta secretaria re.cobem-se at 31 do coi-
rente reclamacOes sobre a tarifa das Alfandegas
e regulameptos de 22 de Fevereiro de 1888, re-
lativos aos imposlos de industrias e prollsses,
.flmdeserem consideradas na reviso a que
n proceder o Mini.-terio da fazenda.
O secretario.
Francisco Leopoldo Marmho de Souza.
5.a seccilo.Secretaria da Presidencia
de Perdambuco, em 29 do Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-preaidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Pda lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
ne, tendo-se concluido por meio do laudo
je arbitro desempatador, a questao de ava-
iasao do material da empreza de illumi-
uacao & gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do presente edital,
para contracto da dita illumina^fao, me-
diante as seguintcs clausulas da citada le:
| 3." Nenhuma proposta ser recebda
jem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000)5
>em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitagio do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
4." O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo cc-ntractante senao tindo o contracto e
servir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel compriinento das" clausulas,
que forem estipuladas no mesino.
| 5." O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens ofFcrecer
na concurrencia.
6." A nao ser no ca" do paragrapho
antecedente, a actual mpresa no ter
preferencia i qualquer outro proponente
| 7. .0 novo contractante sera obriga-
do indemnisa5ao, a que a provincia
sujeita por torca da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisayao ter lugar de accordo com
essa luesma clausula, e ficando o material
e obras da empreza bypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia. ,
8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
9. Opreco da illuminacao, querpubli-
ea, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico do gaz, fazendo-
e urna reduejao de mais de 30 [0, para
os fstabclecimentos de caridade e bejeii-
cencia, e repartieses publicas.
| 10." O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
cao do gaz.
| 11." A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranbas, que possam pre-
judicar a illuminaSo e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
| 13. As horas de illuminacao publica
eio fixadas pelo presidente da provincia
tia de 3:000(5000, que serao recolhidos ao
\Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condicoes, no
intuito de garantir a boa exec^So do con-
tracto, quer com relacao a illuniincao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual cm
preza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:917)5528, Mjf accordo com
a avaayao feita pelo ai^V) desempata
dor em 18 de Marco ultinS visto deduzir-
Se da de 998:777)5528, tttal da avaliacao,
a importancia de 3:cS605000 faga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peoes, cllocados tora do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaqun Sveira. *
Empreza do Gaz
AVISO
2| secco.Secretarla da previden-
cia de Pernambuco. 22 de Afottm
de 18*9
De ordem do Exm. Sr. presidente 'da prov
cia, faco publico, para os devidos eireitos, que
ao provimento vitalicio dos.officios de tabelhSo
de notas e aical do registro eral de hypothe-
cas, da comarca desta capital, concorreram n
praso legal os Srs. hachareis Joaquim Theodoro
Cysneiro de Albuquerqu e Jos Mana d Arau
jo. mujor Joo Silveira Carneiro da Cunha. e :/-
pites Joo Theodomiro da Costa Monteiro. De'-
m Augusto RodriuesTa Silva c Jos da Cnsta
Reg Lima.
0 secretario,
Francisco Leopoldo Maiinno de Sjjmc.
Prazo de 60 dias
k^" "7" ~FlC.o sc?nte professora Anna Se-
de Carpida, que de ordem do Sr. Dr. inspector
geral Ihe dea marcado o praso de GO dias, a
contar dannella -.\':i rmi-j naonr;. .., ,.-.,,..,.,.
contar daquella dala, para assumir o exerci'cio
de^ua nova cadeira.
Secretaria da Instrucco Publica de Pernam-
buco, 22.de Agosto de 1889.
0 secretario,
___ Vergentino S. AruHfo GalrSo.
A empreza de illuminacao a gaz desta*S0Ceacie 24 de iOStO d
dade or sea gerente, tend visto no -J
1836
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da irape-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto; 4 qualquer hora.
TKLKPHONE S. 226
Revista do Mercado
RS^FZ. 2: DE AGOSTO DE 1889.
Omovimnito limitou-se a transaceos de cam-
bios, mantendo se os outros mercados na mesma
posicao.
Aviso aos uossos leftores
Os nossos leitores que visilarem Caris
durante a Exposicao j sabem que pode-
rao 1er os ltimos nmeros recem-chega-
dos do nosso jornal que em casa dos Srs.
Amde Prince & O, 36, ra Lafayette,
quer da sala de leitura pelos nossos cor-
resjxtndentes estabelccida na exposicao
no Pavilhao da Repblica de Guatemala
cujo commissario geral dignou-se de por
graciosamente urna sala com varanda
disposico dos mesinos senhores.
I'ara se evitar qualquer confusao, os
nossos amigos que. quizerem receber a
sua correspondencia em casa dos Srs.
Amd f-rince & C, devem mandar diri-
gil-a ra Lafayette, n. 36, por ser a
sede do servico especialmente organisado
para isso.
TABELLAS AFFIXADA8
imperio, por pharmaceuticos, desembargadors.
advogados. ensenheiros, commerriantes, empre-
cados pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
etc.
Fique, portanto, o publico sabendo que o eli-
xir fabricado na ra da Cadcia, pharmacia de
Hermes Souza I'ercira, Successorcs, urna imita
gao do nosso.
Deposito do verdadeiro, ra do BomWesusn. 1.
ADVOGDO
A 3 andar.
V^p^-v^^x v!? 0 bachdrel Salustiano Jos de
Oveira pode ser procurado para
os misteres de sua prolisso. O
ra Estreita do Rosario n. 10,1." ^s
ser obrigado a

O
-i
a
-o
a

-
1
Bolsa
TAC5e8 OFF1CIAE8 DA JUNTA
DOS COB-
BETORES
Recife. 23 ae Agosto de 1889
Nao noare; cotaco.
O presidente,
andido G. Alcoforado.
mt O sftretario,
Eduardo Dubeux
Afodo
0 de 1* sorte do serto fot colado a 7050 por
15 kilos.
_
A exportacao, feita peii alfandega neste mez
at o da 21, attin^io a 87l.:!s5 kilos, sendo___
29.339 para o exterior e 2'il.8i6 para o interior.
As entradas verificadas at hoje sobem a 5.712
idccas, sendo por:
Barcacas.....
Vapores .....
Ammaes.....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea deLimoeiro

s.
(B
so

a
3
o
3-
c
t
cr
o

o
O
3.
o
l
5
3.

1
i

1
p
m
Professora
Por casas particulares, na cidade ou nos arra-
baldes, offerece-se urna sfnhora para leccionaro
seguinte :
Portuguez, francez, italiano, geographia, piano
trabalho de agulha, bordados e flores.
Garanta.As discipulas effecti vas que teme
diversos attestados de pessoas Ilustradas.
A tratar na relojoaria do Regulador da Mari-
nha, ra Larga do Rosario n. 9.
g:

1
S
Somma.
l Saccas
'amblo
Jao bouye alterat So na taxa, que regulou an-
da 7 d., offer orra, todos os bancos
saccMafr i 8.
Papel partwHlar foi passado a 27 15/16.
No Rio a taxa Heneara ea geral foi 27 IM, nao
upparecend le 27 3/16.
Papel partu lar tJ


JO
o dia 21, subi a 1.212.923 kilos, sendo 9.1.520
para o exterior e 1.119.928 para o interior.
As entradas verilicidas at a data de hoje so-
bem a k.SM saceos, sendo por:
Barcacas, .... i.7:18 Saceos
Vapores..... ....
Ammaes. ... 110
Via-ferrea de Caruar. lii
Via-ferrea de S. Francisco. 2 '1*1
Via-ferrea do Limoeiro 130
Somma. i.^i2 Saceos
Assiicar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kllos^se-
guiidoa Associaso Commercial Agrcola, foram
os seguintes :
Brauco..... 3#600 a 4*000
Somenos..... 2*700 a 3*000
Malvado purgado 2*100 a 2*600
broto. (firme) 1*600 a 2*000
ReUme..... 11200 a 1*400
A exportacao feita pel.lalfandega oeste mzate
Agurdente
Cola-se a 103*000, por pipa de 180 litros.
AlconI
Cota-se a 200000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros salgados, 365 a 370 ris, e os verdes e
210 res.
Pauta da alfandeca
SEMANA n 19 A 21 DK AGOSTO DR 1859
Vide o Diario de 18 de Agosto
.\ijvios descarga
Barca norueguense Gllead, ferragens.
Barca nacional Ctcilia, varios gneros.
Barca norueguense Solid. carvo.
Escuna hollandeza Jan Smit, farinha de man-
dioca.
Lugar americano Ianiah Mr. Loen, farinha de
trigo.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar nacional toyo. xarque.
Lugar americano Belle Hooper, farinha de trigo.
Patacho allemao Uarie non Oldendorp, xarque.
Patacho nacional Regaletra, xarque.
Patacho allemao Fredenck, xarque.
Patacho dinamarquez Juyor, xarque.
Patacho dinamarquez depon, xarque.
Vapor inglez Historian, varios gneros.
Iuportaco
Barca ingleza Ranavola, entrada de Med-
dldesbrough em 2 do correte e consigna-
da ordem, manifestou :
maior
de de?, devendo neste caso baver urna
reduccito no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
| 14." O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questocs que
se suscitarcm, quer c>m o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiccao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
15." O contractante
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se bouver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melbo-
ramentos que durante o prazo o contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
| 16.a O pagamento da illumina5ao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attenco oscillacao do cambio.
| 17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada cm to-
dos os direitos e obrigagSes do contrete.
18. Para as despezas com a iiscali-
acio do servico de illuminacao Jo contrac-
tante concorrer animalmente com a quan-
Alvaiade 40 barricas.
Cadeiras 1 caixa.
Coke 40 '.oneladas e 20 quintaos.
(JyKndro para locomotivas.
Chapas de ferro 524.
Ferragens para trillios de ferro 13.222
volumes.
'Trapos 8 fardos.
Trilbos de ao 1.504 a estrada de ferro
do Recife a S. Francisco.
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
o do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminagao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777*5628, por
quanto foram avaliadas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
quantia C3sa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacao niio-pde servir
de base para tal iademnisa^ao, por ter
sido illegal e irregularni-rnte feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op
portuno fazer valer seus direitos contra
quera de direito for, deliberou fazer a
presente publieaeo para scieneia dos in-
teressados.
Recife, 1 de laio de 18S9.
Gerente.
George Windsor,
..... CLARARES
Prado Pemambucano
Os jockeys que se acham matriculados nesta
secretaria devem apresentar at o dia 31 do cor-
rente mez de Agosto de 1889 suas radernetas.
Aquelles que a teiihcm perdido deverflo apre-
sen tar se aliin de seren ellas subsliluidas.
O jockey que nao se apresentar neste prazo
determinado ser considerado como nao matri-
culado.
Recite. 21 de Agosto de 18S9.
Franciscade Souza liis,
Gerente.
GoTerno *do Bispado
De ordem do Exm. Rcvm. Sr. governador do
bispado, convido as pessoas quedirigiram pe-
ticOes ao Exm. Sr. conselheiro imsidentc da
provincia, solicitando esmolas da iaiportancia
mandada distribuir aos pobres por S. A. o Sr
Conde d'Eu, a comparecerem no palacio da So-
iKauu mu diu* (i.njf), SU < i. s ; lioras da
tarde, para seren attendldas.
Soiedade, 22 de Agosto de 1889.
O secretario do bispado,
Jos A. de Lima e Sa.
Recebedoria(lerendas inter-
nas eje raes
Imposto de industrias e prosscs
0 administrador da Recebedoria Caz publico,
que linda-se no dia 31 do corrente mez o praso
para o pagamento livre de multa do imposto de
industrias e profisses relativo ao i semestre
do exercicio corrente de 1889, e dooeis desse
praso ser cobrado com a multa de 10 0/0.
Recebedoria, 20 de Agosto de 1889.
_______Alexandre de Souza P. do Carino
Conipanhia de Edificacao
A commisso liquidadora da Coinpanliia de
Edificacao, convida os Srs. accionistas da allu-
dida corapanbiaa reunirem-se em assembla ge-
ni, no dia '2 de Setembro vindouro, ao meio dia.
no 1." andar do predio n. 77 ao Largo de ^>
dro U. para o m de tomarem conheciniento das
contas e do balanco encerrado em 20 de Julho do
corn-ntc anno, c ouvirem a leitura do parecer da
commisso fiscal.
N"e.ta mesma assembla geni se Iralar acerca
do disposto pelo art. 94 do decreto n. 8821 de 30
de Dezembro de 1882.
Escriptorio da Companhia de Edilicaco era -
quidago. 17 deBgosto de 1889.
Jos Gomes Ferreira Maia.
* Joaquim de Ulivetra Baratt.
llernardino da Costa Campos Jmiior.
De ordem do Sr. presidente, sao convidados
todos os irmos para assistirem a*iis?a do nos-
so padroeiro, na igreja de S. Pedro, pelas 7 ho-
ras da maulla, e tambera a'sesso magna as S
horas da noite, em nossa sede ra Corone!
Suassuna n. I i. I- auJar.
Recife, 23 dr- Agosto de l.s89.
O 1- secretario,
Dionisio F. Dias da Silva.
S. R. J.
.
*o<--da;2<' ECccroali v> Jui cnlu Sarao bimestral em 25 de Agosto
Convites em mao do presidente, ihgresscs em
mo do thesoureiro. Nao se adinitte aggreca-
dos.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juventuue,
19 de Agosto de 1889.
O 2- secretario,
Antonio F. Lopes.
S. R. c
Soc-iediMl<^ Recreativa Commercial
ASSEMSLI GEKAL EXTRAORDINARIA
Estatutos
De o^dem do Illm. S". presidente, convido a
todos os setilnroz associados a reunirem-se na
Me social, domingo 2o do corrente, s 4honiS
da tarde, alira de-ajiprovaram os novos estatuto*.
Secretaria da Sociedade. Recreativa Comme:
cial, 23 de Agosto de 1889.
O 1 secretario
AiJolnho Mendes Torres
Prolongamento da Estrada
de ferro do Recife aoS.
Francisco,
De ordem do Illm. Sr. Dr. primeiro engeoLeS
ro, servindo de director, fajo publico, para v-
nhecimenlo de quem interessar possa, que i:
addiiarneido ao edita! j publicado no io- o
de Pernambuco e no Jornal do Recife de 9 defl. C -
nho do corrente aooo, e outros nmeros f.os
mesmos jornaes, e a partir de 28 do corren:",
quarta ira da semana vindoura, lica restab-
lecido o trafi'go compreliendido entre as esta-
cos de Palmares Garatdius do Prolngamelo
da Estrada de Ferro do Recife aS Franci-:"
oariindo os trens diariamente, e de accordo cota
o respectivo horario j pubjjpado pela impreus;;.
Secretaria do Prolongamento da Estrada tle
Ferro do Recife ao S. Francisco, c estrada de Fer-
ro do Recife Caruar, 2. de Agosto de 188!>.
O secretario,
A. G. deGusmao Lobo.

r



<
Santa Casa de Misericordia
do Recife
f
Segunda seccao da Alfandega, 2:! de Agosto
de 1S89.
o thesoureiroFlerencio Domingues.
O chefe da seceo -Cicero B. de Mello.
Recebedoria Geral
Do dia 1 a 22 32:455*617
dem de 23 3:104*891
:jo.860JoC8
fsxporlaeo
KECIM, 22 DE AGOSTO DE 1889
Para o exlenor
No vapor inglez Historian, carregaram :
Para Liverpool, G. de Mattos Irmos 102 bar-
ricas com 6,260 kilos de borracha de manga-
beira, 10 barricas cora 879 kilos de cera de car-
nauba e o saccas cem 384 kilos de algodo ; J.
P. Lobo\80 saccas com 5,738 kilos de algodo ;
R. LimaJkC. 8o lardos rom 5.371 kilos de algo
do ; J. I'lter & C. 14 saccas com 805 kilos de
algodo f\. H. Boxwel^ 80 saccas com 14,136
kilos de algodo.
Para o tntenor
No itapor nacional Pirapama, carregaram :
Para Nafcil, Araorim Irmos tx. C. 400 saceos
com farinh)i de mandioca. ,
Para Aracaty, Amorim Irmos 4 C. 15 barri-
cas com 1,4J69 kilos de sebo.
Para Maco, J. J. da Silva Campos 19 barricas
com 1,620 kilos de assucar relujado.
No hia(e nacional Aurora, carregaram :
Para Camotesim, P. carneiro & C. 5 barricas
com 210 kilos| de assucar brauco,
Reudiuientos pblicos
\mkz di agosto
{ Alfanaega
.07-.374010
6:265*951
Recebedoria provincial
Do dia i a 22 19:334*412
dem de 23 $41*262
20:175*674
Recife Drainage
Do dia 1 a 22 21:374*626
dem de 23 2:273*025
23:647*631
Renda eral
Do dia i a 22
dem de 23
Renda Drovmcial i
Do dia 1 22 58:343*895
dem de 23 3:703*67
333:639*961
61047*368
l
Mona total 394:687*529
Mercado Municipal de 8. Jom
O movtmento deste mercado no dia 22
Agosto foi o seguinte :
Entraran] :
43 bois, pesando 5,489 kilos.
181 kilos de peixe a 20 ris
16 cargas com farinha a 200 ris
4 ditas de milho a 200 ris
15 ditas defructas diversas a 300ris
12 taboleiros a 200 ris
10 suinos a 200 ris
31 matulos com legumesa200ris
Foram oceupados :
26 columnas a 600 ris
1 escriptorio a 300 ris
26 compartimentos de farinha a 500
ris
24 ditos de comidas a 500%is
85 ditos de legumes e fazendas a
400 ris 34*000
15 ditos de suinos a 700 ris 10*300
8 ditos de fressuras a 600 ris 4*800
41 tainos a 2* 88*000
de
3*620
3*200
800
4*500
2*400
2*000
6*200
15*600
300
13*000
12*000
Dr. anocl Ferreira da Mil va
No dia 27 do eorrente, pelas 8 horas da ma-
pha, r.a reja de N. S. do i araizo, mandara a
junta administrativa celebrar urna missu de r-
quiem, cantada pelas educandas da casa dos e.v-
postos, pela alma do ex-mordomo Dr. Mauo'j
Ferreira da Silva.
Convida para assistir a esse acto de caridaciu
a Exma. viuva e mais prenles e amigos no
fallecido.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia o
Recie, 22 de Agosto de 18-9
O escrlvo.
Pedro Rodriguis de Souza.
Companhia A lagxmna
de Fiago eTecidos
Convidamos ao.- senhores subscriptores desia
companhia, para de accordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos. :>t o dia 10 de >etembro prximo
fuluro, realisarera sua stima entrada na razao
de 10 0/0 do valor de suas aeces, no Banco In-
ternacional do Brasil. Macei', 10 de Acost de
188'..Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. deCarvalho.
Propicio l'edroso Barreto.
Suinos de 560 a 640 ris dem.
Farinha de 480 a 720 ris a cuia.
Milho de 360 a 400 ris dem.
FeSo de 1*000 a 14280 idem.
Matadonro publico
Neste estahelecimento fbrara abatidas para o
consumo de hoje 92 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE AGOSTO .


.

V
-

'
V
f-
Norte.........
Europa.......
Sul...........
Europa.......
Sul...........
Europa.......
Espirito Santo
Soratu'...........
24
25
Sergipe.......... 2.7
Vle de Baha..... B
Para
Don-----
30
Sul..........
Valpareiso ..
Santose esc.;
Norte..
Vapores a sahir
HEZ DE AGOSTO
Espii ito Santo..... 24 as
Sorata .......
Vle de Baliia
Para........
o .
25 as 12 h.
27 as 3 h.
Bahia eesc... Jacuhype.....
Sul.
Don----
28 as
29 as
30 as
5 h.
5 h.
3 f>.
Rendimento do da la 21 do cor-
rente
liquido at hoje
200*920
4:490*360
4:691*480
BieTi
Caraetro
ris o kilo.
idem.
Hoviniento do porto
Navios sahidos no dia 23
Antuerpia50 dias, barca noruega Sps, de 427
toneladas, capito T. Gunderson, equipagem
10, carga ferragens, ordem.
Fernando de Noronha38 horas, vapor nacional
S. Francisco, de 382 toneladas, commahdante
Joaquim Jos Esteres Jnior, equipagem
em lastro, a Companhia Pernambucana.
Sahidos no mesmo dia
Macopatacho hollandez. Broedertrouw, capito
H. Cappon, m lastro.
CearHiate^nacional Aurora -J.; mestre Joa-
quim Jos Silveira, carga varios gneros.
CearHiate nacional Camelia, mestre Manoel
Antonio da Silva carga, varios gneros.
ObtervaoSo
Fundeou no lamarSo um vapor inglez e
communicou com a trra. '


k

-1

H
I '

sptl mmu
Assomba geral .extraordinaria
Deordemdolllm. Srl com-
mendador provedor convido
aos Srs. socios a reunirem-se
na secretaria(S do Hosp tal
Portu^uez no dia 2 do cor-
rente, s 11 lioras da raanha,
para se tomar conhecimenro
de mu officio dirigido a
assembla gera! pelo nosso
medico o Sr. Dr. Pitanga, no
qnal pede sua a posen La-
doria.
Previno aos Srs. socios que
duas horas depois da mar-
cada nos annuncios se cons-
tituir a assembla, com
qualquef numero de socios
que se achc present-.
Recife, 17 de Agosto de
1889.
Cesario A. da Silva lapoida,
Secretario.
Sociedade 24 de Agosto de
1836(Lampru) *
De ordera da assembla geral, fago constar a
todos os associados que em sesso do dia 20 do
correnlc foram llirniiados, a bem da sociedade,
os socios Olimpio Francisco das Neres e Secun-
dino Francisco das Jeves.
Beato, 21 de Agosto de 1889.
O 1 secretario,
Dionisio F. Das da Silva.
O procurador dos feitos da fazenda pro-
vincial tcndo recebido nesta data a rela-
5J0 abaixo transcripta doa devedores da
nnuidades devidas Corapanhia Recife
Draynage dos predios situados na frcgue-
guezia do Reaife relativamente ao 1 e 2o
semestres do exercicio de 1885 a 1886,
que deixai-am de pagar no tempo compe-
tente, declara aos mesmos devedores que
lhes fica marcado o praso de 30 das, a con-
tar da publicacao do presente edital, para
dentro delle pagarem a importancia de seus
dbitos, com guia da seccSo do contencio-
so, certos de que lindo aquelle praso ser
eita a cobranca executivamente.
Recife, 18 de Julho de 1889.
Joao Francisco Teixcira.
elaco dos devedores que deixaram de satis-
fazer o pagamento das annuidades devidas a
Corapanhia Rt-cife Draynage, dos predios si-
tuados na freguezia do Recife, relativamente
ao i' e 2" semestres do exercicio de 1883 a
1886.
Torre n. 12. Manoel Mara Tara-
res da Silva e cutro
Becco'do Abreu n. 2. Misericordia
de Olinda
Amorim n. 14. Manoel Jos do
Aguiar
Dita n. 38. O mesmo
Dita n. 31. Manoel Jos Luiz Ri-
beiro e outros
Tuyuty n. 7. Manoel Alexandrc
Vianna e outros
liecco Largo n. <>. Maria Josephi-
na Dubourcq
D. Maria Cesar n. 39. A mesma 500641
Travessa do Corpo Sante n. 14.
Maria Justina
Dita n. !). Manoel Antonio dos
Passos Miranda
Pharol n. 50. Manoel Geraldo dos
Santos e Augusta J. da Concei
cao e outros 150096
Areial n. 4. Manoel Gomes dos
Passos 15001)0
Guararapes n. 7. O mesmo 150096
Areial n. Marcelino Pereira
Soares 15)5090
Sao Jorge n. 20. Manoel Jos do
Nascimento 150096
Dita n. 72. 3Ianoel Monteiro da
Cunha 6407 <':.'
Dita n. 39. Mathilde Telles do
Barros Correia Lessa 150OU6
Guararapes n. 74. Manoel da Sil-
va Mendonca Vianna 1500%
Becco do Triumpho n. 08. Manoel
da Silva Mendonca Vianna 15->09-i
Dito n. Gl. O mesmo 150OS16
Dita n. G3. O mesmo 150096
Guararapes n. 17. Manoel de Sou-
150O9G
490605
600486
440460
ir>0O9;
58*826
15->097
>0o386
150096.
15*096
Narciso
za Ribeiro
Dita n. 07. Dr. Manoel Jovenal
Roiz da Silva e outro
Mrquez de Olinda n. 25
Jos Netto, (1/2)
Bom Jess n. 52. Ordem Terceira
de SoFrancisco
Bi8po Satdinha n. 2. A mesma
Largo doNCorpo Santo n. 21. A
mesma |f>O0325
Torre n. 10* A mesma 30011)3
Ditan. 18.: A mesma
Hiom de Souza n. 8. A mesma
liarreto de Meriezes n. 8. A mes-
30*193
22:S044
54*859
33*070
450231)
45*289
ma
Domingos Jos Martins n. 24.
150096
A
A raesma
15*0%
ir>*0xH
30*193
15*096
34*509
15*096
mesma
Kestauracao n
Largo do Corpo Santo n. 25. Or-
dam Terceira do Carao
Domingos Jos Martins n. 10. A
mesma
Travessa do Antigo Porto n. 8. A
mesma
Restauracao n. 19. A mesma
Commercio n. 2. Dr. Pedro Be-
zerra rercira de Araujo Beltrao 39*193
Bom Jess n. 57. Rosa Maria
Duarte
Tuyuty n. 9. Bita Maria dos San-
tos
Mrquez de Olinda n. 23. Santo
Casa de Misericordia
Vigario Tenorio n. 21. Vicente de
Paula Oiiveira Villas-BOas
Becco do Pindoba n. 4. Vicente
Ferreira Nepomuceno
Sao Jorge n. 48. Viuva de Jto-
nio Joaquim Ferreira
52*221
155C9G
15*096
63*263
15*096
15*096
Sec9ao do Contencioso 18 de Julho de
1889.
1." Oficial,
Manoel do Nascimento 8va Bast.
Diario de Pemambuco---Sabbado 24 de Agosto de 1889
5
DO
CAMPO-GRANDE
QB SE REAU&ASa
Domingo, 25 de Agosto
\ome
Idadea
Pelln
Xaliiralida-
Pi'ww C6r da ventiienla
Proprietario
Io Pareo-Kiwalo (1 turma)800 metros.Animaes da i
Hippodromo. Premios: 200*(
1
2
3
\
5

7
8
9
10
11
13
14
18
16
17
SI
n
\
9
Berlim......
Conforme
May-pol----
Potos .....
Saloman----
Cerbero.....
Bem-te-vi...
San8-Souci...
Phebo ......
m>-:.....
Transclave..
Capricho----
PoBrazil....
Trigueiro
R.........
Sirius.......
Vida Alegre.
annos..
Cachito.......
Russo-pedrez..
Rodado .......
Castanho......
Rodado........
Alazao.......
Castanho......
Baio.........
Castanho......
Russo-pedrez..
Rodado ........
Cardo .......
Rosilho.......
Zaino claro....
Rodado .......
Castanho.....
Russo.........
Pernambuco.
irovmcia
00 ao 1",
53 kilos
35
55 -
55
53
55
55
55 -
55
35
55
35 *
35
53
53
35
55 -
que n5o tenham ganho primeiros e segundos premios no
iOOOO ao 2" e 20*000 ao 3*
Azul e ouro.........
Grenat..............
Azul cbranco.......
Azal e encarnado..
Branco c encarnado.......
Encarnado e ama re I o.....
Ouro c branco............
Azul e branco............
Grenat e ouro.............
Branco ..................
Grenat.
Preto e
Grenat.
Branco.
ouro.
J. C.
J. Vnlente.
C. Communa.
L. P.
Jos Luiz de Souza Filho.
J. B.
Rosendo F. Baptista.
A. H. J. de O. H. de Mattos.
Coudclaria i" de Junho.
Manoel Joaquim Ferreira.
Jos N. da Silva.
Jos J. Valen te.
Candido II. Ribeiro.
Josu & C. .
Jos Luiz de Souza Filho.
A. Wen2romos.
Coudclaria Imperial.
Pareo-Asrirullura1. iOO metros-Animaos nacionacs de menos de meio-sangue. Premios: 300000 ao Io, 70*000
* ao 2 e 30*000 ao 3"
Recife........ 5 annos..
Minerva....... i .
Ruv-Blas...... /
Mandan ni..... o
Cometa....... 5
Castanho.....
Oourudilha
Alazao....
Tordilbo......
Alazao........
Rio de Janeiro...
S. Paulo........
33 kilos
49
3i
51
H
I Azule ouro...............
Rosae preto...............
S.|P.
Coudclaria Cruzeiro.
Arthur Silva.,
Coudelana Cruzeiro.
Coudelaria Luso Brazileira.
?,' Pareo -Hippodromo do campo Grande-I 760 metros-Animaes de qualquer paiz.Premios : 300*000 ao i,
lUOOOO ao 2 e 50*000 ao 3
Gallia........
Vesper.........
Josephus.vp.
Couon .......
Apollo........
Africana......
5 annos...
4
6
5
4
L5 .
Alaz..........ilnglalerra.......
Franga .........
Castanho
Alazao..
Zaina.
Rio da Prata.....
55 kilos.
32
57
57
36
53
Ouro e branco............
Azul e ouro..............
Ouro e prelo..
Branco e preto
Coudelaria Emulaco.
<
Guimares Oiiveira 4 C.
Dr. Joao Elysio.
Dr. Joao de S.
Coudclaria Riachuelo.
1
3
4
3

7
8
1
10
11
12
13
14
IS
i (i
Albatroz.......
Elo.........
Ethante......
Azracl........
Breas .......
Petit-Maitre....
Jagode .......
Had llamantn...
Pernambuco ..
Cauby.........
Marat........
Pintasilgo (ex-
Bolachinha)..
Sport.........
Tenebroso.....
King..........
Cajurubeba
5 annos..
5
5 .
4
3
6
5
5 *
6
4
8
a
5
5
4 -
5 ,
Alaz.........
Castanbn.....
Mellado.......
Alazao.......
Rodado.......
Russo.........
Baio..........
Russo- pedrez.
Castanho.....
Rodado.......
Russo........
Castanho .....
Alazao.......
Castanho.....,
Pernambuco .
i* PareoEnnaio (2- uirraa)-800 metros.Animaes da provincia que nao tenham gaahp 1 c 2* premios no Hippodromo
Premios : 200*000 ao 1, 40*000 ao f e 20*000 ao 3
Branco c encarnado........Manoel J de Miranda.
Encarnado.............
Grenat..............
Azul c branco........
Preto, encartado e or*.....Tattersal Pernambncano.
Lemos Duarte.
Encarnado e azul.....-----
Branco, preto c encarnido..
Azule ouro...............
Branco, preto e encarnado.
Encarnado e branco.......
53 kilo?.
33
35
XI
30
33
53
53
55
53
55
55
55
35
53
53 -
Azul e ncarnado...........
Grenat e ouro.............
Ouro e preto..............
Manoel J de Miranda.
Jos 11. Cavalcante.
Manoel Correia.
E.C.
A. A. da Cunba.
Gamillo Jos Gomes.
A.F.
A. Marques.
A. Amaro.
Jos Maria B. Cavalcante.
Coudelaria Republicana.
Machado & C.
Osvaldo BrandSo.
Coudelaria Depurativa.
8 Pareo-Compenaco-1400 metros.-Animaes de qualquer paiz que nao tenham ganho uestes ltimos tres mezes noHip-
* podromo. Premios : 350*000a* Io, 80*000 ao 2 e 35*000 ao 3-
Gallia..........
Castiglionc......
Rny-Blas.......
Ernani.........
Africana.......
Cynira........
5 aanos..
5
7
5 -
5
4
Alazao.
Zaino.-
Alazao
Zaino. -
Zaina..
Alaza..
Inglaterra...
Franca......
8. Paulo.....
Inglaterra...
Rio da Prata.
Inglaterra..
62 kilos.
64
54
64 *
62
59
Ouro e branco.....
Encarnado e preto.
Rosa e preto.......
Branco e preto
Coudelaria Einulcae.
Bastos & C.
Arlhur Silva.

Coudelaria Riachuello.
A. Marques.
6o PareoCommercio-1000 metrosAnimaos da provincia.
Pcniambuco .
Branco preto e encarnado-
Premios: 200*00 ao 1, 80*000 ao 2 e 20*000 ao 3"
Arumary...
Cabnon......
Guaran y.....
Sorpreza......
Templar......
o annos..
5
4
5
5
Alazao........
Fovt'iro........
Rodado .......
Castanho......
Rodado.......
57 kilos.
35
53
n
33
Violeta e ouro.............
Encarnado e branco
Azule encarnado..........

Branco..................
P. Siqueira & Bastos.
J. Mello.
J. M.
Coudelaria Cruzeiro.
J. F. Ferreira.
7' lilil Pereira Simoe*-850 metros.-Animaes da provincia que nao tenham gacho em naior distancia nos prados
rareo "r*rere doftscifc. Premios : 2005000 ao 1, 40*000 ao 2 c 20*000 ao 3
Bonaparte.....
Traviata.......
Hercules.......
Esquiraao......
Azamr........
Delegado.....
Bismarck......
Breas........
() 1
;> annos.
5
5

a
5
4
3 -
Rodado .......
Russo........
Rodado .......
Mellado........
Castanho escur.
Rodado........
Alazao........
Pernambuco
55 kilos
33
53
55
35 -
57
55
50
Azul branco c encarnado...
Verde e rosa.............
Verde e branco.....,-----
Grenat....................
Branco e azul marinho
PrctOjencarnado e ouro
,R. G. Leal.
Manoel J de Miranda.
Jos C. Pinto.
A. Miranda.
Jos Luiz de Souza Filho.
J. J. Mariz.
Francisco Gongalves.
Taltersal Pernambncano.
. -
ontado por amador. ^
OBSERVACOES
O 1' pareo se realisar com os animaes que se acharem no ensilhamento s 10 horas em ponto quando co-
mecara a F^f^ Sr3 proprietari8 0 obsequio de terem seus animaos s 9 horas da manb no ensilhamento,
visto como impreterivelmente ser cumprido o horario. ,. Ja
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensdhamento 1 hora antes da determinada
para o P^j^^^ ^estiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nao poder3o correr, cumprindo-lhes
a presentar as respectivas cadernetas na occasiao da pesagem.
Os forfaits serSo recebidos na forma do artigo 62 do Cdigo de Corridas.
Geraes............" J*0^
Entrada e archibancada........ Zlm\
Entrada e ensilhamento......... iK
Entrada, archibancada e ensilhamento .... '^nm
Cartes de familia at 5 pessoas ....... i Svo
Differenca para ensilhamento....... pow
CompMa de Segaros
AGENTE
Miguel Jos Alves
.\". -Bno do Bom deaM-TV.
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros, a nica companhia
nesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
cio de pagamento de premio em cada stimo
ann, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados
lonpanhia
Imperial
DE
Compaa to &t$vai08
mm fdgo
NORTHERN
de Londr*es e Aberdaen
Posigao finaoceira ('Dezembro de f 885^
Capital subserift '3.000,000
Fundos aecumutedos 3.134,348
Recelta annual :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas 191,(
De juros 32,000
6"1S
O AGENTE,
John H. BoxinelT
Corridas
l.o pareo
2.9
3.* t
4."
5.
6.
7."
HORARID
11 horas
11
12
1
2
3
4
o 50 minutos
e 40
e 30
o 20
e 10
Recife, 22 de Agosto de 1889. ^
O secretario, Dr. Eugenio de Barros Falcao de lMcerda.
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacea por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lbda rt:a dos Capellistas % 70
Porto, rw des Jngle^.
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool London & Globe
HTSURAKCE CDMPAUY
'Ra do Commercio n. 3 t
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercaderas
Taxas baixas
frompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
lis. ie,ooo:ooo$ooo
amorra
HKOIVVS C.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
INDEMflflSADORA
Companhia de Seguros
martimos e terrestres
Eittabelecida em 195K
CAPITAL l,00O:000#0O0
SINISTR0S PAGOS
At 31 de Dezembro del 8 84
Martimos.. ,1,110:000^000
Terrestres. 316:000^000
44Ra do Commercio44
"sramos
MARTIMOS CODTRA FOGO
Companhia Pbenix er-
nambueana
RA DO COMMERCIO N. 38
Prado Pernambucano
PROJECTO DE INSCRIPCO
Para o pareo ^
GRANDE PREMIO PERMMBUCANO,
Na corrida que so realisar no dia I.* de Janeiro de 1890
SEGUNDO AMIYERSARIO
DA
NAGRACAO DESTE PRADO
tdOO metrosAnimaes de qualquer paiz. PREMIOS: J:OO0#0OO ao
primeiro, I 50040U0 ao segundo, 8OO6OOO ao terceiro,
e 400&B00 ao quarto.
Inscripco AOOSOOO
Pagamentos em duas prestacoes, sendo a primeira no acto da inscripco e a
segunda no dia.24 de Dezembro de 1889.
N2o sendo realisada a segunda prestaco fica considerado como tendo fei*o
forfait, para o animal inscripto,
Sao se realisar este pareo sem que se inscrevao cinco animaes de proprieta-
rios diferentes.
A inscripco encerrar-se-ha no dia 5 de Dezembro as 6 horas da tarde na Se-
cretaria do Prado.
Recife, 21 de Agosto de 1889.
Francisco de Souza Reis,
EREXTE.
DERBT CLUB

PERNAMBUCO
lilff I ww$


3
..
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R. DEDRSDA&C.
13Ra Marques de Olinda13
Para a 19/ corrida
A realizar-se em 1. de Setembrode 1889
1." $V&1i&JANIMACAO 850 metros. Animaes da provincia que nao-
tenham fganno no Derby em maior distancia. Premios : 200^000 ao
primeiro, 405000 ao segundo e 20)5000 ao terceiro.
*.* ^^^^8 PRADO DA ESTANCIA l.OOO metros. Animaes nacio-
naes at meio sangue. Premios : 3000000 ao primeiro, 600000 ao se-
gundo e 300000 ao terceiro.
'SVk'&S PROSPERIDADE l.OOO metros. Animaes da provincia que
nao tenham ganho no Derby em maior distancia Premios : 2000000 ao
primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
^%^^8 INTERNACIONAL l.OOO metros. Animaes at puro san-
gue. Premios : 5000000 ao primeiro, 10000 ao segundo e 500000
ao terceiro.
$V&!>9 PROVINCIA DE PERNAMBUCO1.300 metros. Animaes
da provincia que nao tenham ganho em maior distancia Premios:
2500000 ao primeiro, 500000 ao segundo e 250000 ao terceiro.
'W&^SCOMPENSACO1.400 metros. Anima do qualquer paiz,
que no tenham ganho no Derby em maior distau/Ha n'esles ltimos 3
mezes. Premios : 4000000 ao primeiro, 800000 ao segundo e 40r>000
ao terceiro. v x
1." "SVlk^jS EMULAyOOOO metros. Eguas da provincia. Premios:
1500000 primeira, 300000 segunda o 150000 terceira.
Observacoes
S serSo acceitas para eada pareo as 16 primeiras propostas.
S se realizarlo os pareos em que se inscreverem, pelo menos, cinco animaes
de tres proprietarios differentes. '
Cada enveloppe dever conter urna s propo8||k e ser recusada aquella que
nao vier acompanhada da importancia da inscripco.
A' directora reserva-se o direitfde alterar a collocacao dos pareos na orgaar-
sacSo do programma. .
A inscripco encerrar-se-ha segunda-feira. 26 do correntias 6 horas da tarde,
na secretaria do Derby Club, praca de Saldanha Marmho n. 2, 1." andar.
Recife, 22 de Agosto de 1889. ^ ^^^
Henrique SchuieL





6
Diario de Pernambuco-Sabbado 24 de Agosto de 1889
Orrhj Club de PcnaMbaeo
Pe directora foi addicionado ao re-
giment interno deta sociedade o se
guinte: \
Art. 59 A. Fica adoptada a segumte ta-
bella de pesos paraos animaos da provin-
cia que nao estiverem coniprehendidos noB
Puros SangueMeio Sangue ePe-
ludos :
Ia. ClasseDistaHcia at 1000 metros.
Para qualquer idado 55 kilos.
?*! ClasseDistancia at 2000 metro.
Jara qualquer idade 54 kilos.
%i. ClasseDistancia superior 2005
metros.
Para qualquer idade 52 kilos.
nico. Ficam em vigor para esta classe
de animaes os do art. 59 do regimer-
.to interno.
Secretaria do Derby Club de Pernani-
"buco 22 de Agosto de 1889.
O gerente,
Henrique Schutel.
MCO MSACI01UL
DO
COMPAMIIt PEK\AHRICt>A
DE
Xaregaco rostelra por vapor
POR.LOS DO SUL
lacei, Pendo, Aracaju' e Baha
O vapor Jacuhype
Comm andante Pereira
Segu no dia do 29 Agosto as
3 horas da tarde. Recebe car-
a at o dia 38.
f i?
Encommendas, passagens e diobeiros rete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRDPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
.Leilo
Capital.....20,000:000*5000
dem realisado 15,000:000,5000
A caixa filial deste Banco funcciona
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra qa seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
ParisBanque de Pars et deB Pays Bas.
LondresLondqn & County Banking Oom-
pany Limited.
AllemanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hypothecario de Espi-
na e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da PrataThe London & River Pa-
te Bank Limited.
Nva YorkG. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente e
movimento com juros na razao de 2 /0 ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
clonados.
O gerente, JHUiam M Webster.
SANTA CASA
CASAS PARA .tLriR
Ba do Vigario Tenorio n. 27, loja 2003000
dem idem idem, 3. andar 180*000
dem da Saudades n. 5, 480*000
dem do^om Jess n. 8, 216-5000
Travessa de S. Pedro n. 2, 360*000
Becco do Abreu n. 2,1 andar lOOOOO
Ra do Bom Jess n. 29, loja 240*000
dem idem n. 29, l.- andar 240*000
dem idem 2 andar 240*0(10
Bispo Sardinha n. 3, loja '.68*000
dem idem n. 11. 2." andar 240*000
Ra da Moda n. 49: armazem 200*000
dem do Mrquez de Olinda, n. 44, so-
brado 2:131*000
dem idem n. 33, idem idem 1:200*000
dem de Thom de Souza n. 14, Io
andar 200*000
dem Imperial n. 151, caza terrea 360?i'OO
Becco da Detencio (meiagua) 963000
Ambol (Varzia) 72*000
S. Lourenco da Matta 60*000
Becco das Boias n. 14, Io andar 180*000
Ra de S. Bom Jess das Crilas a. 82 163000
MARTIMOS
Companhia Brasileira e
Navegagao Vapor .
PORTOS DO SUL
Vapor Espirito-Santo
CommanJante (.arlos Antonio Gomes
.' esperado dos portosdo norte at
o dia 24 de Agosto e depois da de-
'mora indispensavel seguir para es
portos do sol.
As encemm encas sero recebidas no trapich?
Barbosa at hora da larde do dia da sabida.
Para car-, oassagens, encommendas e vale-
es traa \: com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do sui at o
, dia 27 de Agosto e seguindo depois
fda demora indispensavel para os
portos do norte at Mauos.
As encommendas s sero recebidas na agen
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE
Paquete Sorata
Espera-se da Europa at o dia
23 de Agosto e seguir depois
g^da demora do costume para Val-
araiso por
e Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
aheiro a frete: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons k ft, Limited
14RA DO COMMERCIO14
CHARGEURS REUNS
Companhia Francesa
DE
Marcea? a vapor
jinha regalar entre o Havre, Lisboa,
Pernambnco, Babia, Rio da Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Vffle de Baha
Commandante Jioux
E'esperado da Europa at o dia 26
de Agosto, seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se ao3 Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 das a contar de da descarga das al varengus
qualquer reclamagao cono:rnente a volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
sol atim de se poder dar a temp as provi-
pencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e. di-
oneiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Angoste Labille
9BA DO COMMERCIO^-9
Royal Mail Steam Packet
Companhy
O vapor Don
Espera-se da Europa at o dia 30 de
Agosto, seguindo depois da demo-
ra do costume para
Baha, Ro de Janeiro MonevI
d e Buenos-Ayres
Para passagens fretese encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Atrato
Cqmmandante L. R. Dickinson
E' esperado do sul no dia 1 de 3e-
tembro, seguindo depois da demora
necessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vigor Soutbampton e
Antuerpia
Reduccao de passagens
Ida Ida e volta
A' Lisboa 1 classe t 20 t 30
A' Southampton classe 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3 ^
Companhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O vapor Sergipe
Cemmandante Rebello
E* esperado dos portos cima
at o dia 26 do connte, e de
pois da demora do costume re-
srressara para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario-17
de arroz e outros artigos avariados
HME
24 DE AGOSTO DE 1889
As 10 Ii2 horas
POR INTERVENg DO AGENTE
Alfredo Guimares
.No armazem dq,Sr. Jos Luis
Agente Stepple
Leilo
de um importante sobrado de tres andares
e sotan, sito ra de S. Jorge sob
n. 72, freguezia de S. Frei Pedro Gon-
calves.
Terea-felra. 99 do corrente
A's 11 horas
>< armazem a roa do Imperador
n. SO
O agente Stepple, por mandado e assisten-
cia do, Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orpbos
e ausentes, levara a leilo o importante sobrado
cima, pertencente ao espolio do finado Manoel
Honteiro da Cunba.
Os Srs. pretendentes desde j pdenlo ir exa-
minar o referido sobrado.
-\

LEILOES
Agente Pestaa
Leilo
Da barcaca Rom Filha, que acha-se em secco
as Camarinbas de Olinda onde poder ser esa
midada, a qoal ser vendida por conta e risco
de qusm periencer e a qvem mais der.
abbado 21 do corrate
Ao meio dia
Armazem travessa do Corpo Santo n. 27
Leilo
de fazendas
CONSTANDO DE
calfados e artigos para sapateiro, fazen-
das de lei e miudeeas
Sabbado 34 'de Agosto
AS 11 HORAS
Xo armazem ra do Marques de Olinda
n. 5
Em lote a vontade do* comprado-
Era continuaco ao leilo de faiendas perten-
centes massa fallida de D. P. Wild & C.
POR LNTERVENCAO DO AGENTE
Gusmao
Leilo
De terrenos proprios na ra Imperial
Sendo :
m excellente terreno com pouco mais de 200
palmos de frente atravessando a estrada de ferro
de S. Francisco com fundo at a baixa mar de-
fronte da casa do Sr. Agostinho Bezerra.
Um dito cem 52 palmos, onde f=e acbam edi-
cadas as casas ns. 267 e 269, de Manoel Pedro.
Um dito com 30 palmos, onde est edificada a
casa n. 271.
Um dito com 25 palmos, onde est edificada a
casa n. 261.
Um dito com 50 palmos, aforado'a Lourenco
do Monte Bezerra.
Um dito devoluto com 23 palmos e fundo at
a estrada de ferro.
Um dito com 22 palmos, aforado a Manoel dos
Santos e Silva.
Sabbado 94 do corrente
As 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 16
0 agente Martins far leilo dos terrenos pro-
prios cima descriptos em um ou mais lotes.
0 agente dar as mformacoes necessarias.
Leilo
De fazendas
Constando
Da caixa n. 608 com 30 duzias de camisas de
algodao para homem. caixa n. 1175 com 5 duzias
de raeias de l& compridas, 18 duzias de ditas de
15 curtas. 12 duzias de ditas escossia. 3 duzias de
ditas de seda curtas. 4 duzias de gravatas de
seda para homem, 2 duzias de faccas cabo de
marliifl. 1 par de trinchantes cabo de marfim. 1
apnarelho de electro pate para cha, caixa n.
119 3 i com 23 pecas de brira de algodo de
cores, 10 pecas de casemiru, caixa n. 713 com
20 duzias tle camiras de algodo com peilo e
punhos de linho, caixa n. 710 com 100 duzias de
meias cumpridas de algodo,. 16 duzias de ca-
mia? de iceia de algodo para homem, 12 du-
zias de camisas de l, 66 duzias de meias cur-
tas de algodo, caixa 714 cora cortes de casemi-
ra de la. caixa n. 712 com 23 pecas de casemira
de l, caixa 711 com 23 pecas de casemira de l.
caixa n. 709 com 240 duzias de meias curtas de
algodo, parte da caixa n. 1163 com leques de
seda com rosetas douradas, parte da caixa n.
1169 com 42 pecas de setira lavrado.
Sabbado c\ do corrente
As II horas
da ra Mrquez de Olinda
n. 5.
O agente Gnsmo autorisado por mandado e
assistencia do Exni. Sr. Dr. juiz de direito do
commercio e a requerimento do Dr. curador fis-
cal da massa fallida de D. P. Wild & C. far
leilo das fazendas icima menciooadas as quaes
sero vendidas em lotes a vontade do compra-
dores.
No armazem
Leilao
Da excellente e bem localisada cocheira com
importantes carros quasi novos.
Constando de bernnda, carro feixado, 1 dito
aborto com 4 ass< ntos, 2 victorias, 12 caballos
formando 6 excellentes parelhas, arreios eraper-
feito estado guarda roopa, fardamentos e uttnci
los da cocheira do caes de Capibaribe n. 16.
Qnarta-felra, >do corrente
A's 11 horas
O agente Gusmao, autorisado pelo proprieta-
rio da cocheira cima mencionada, far leilo
em um ou mais lotesjavontade dos compradores,
des importantes carros, cavados e mais objectos
existentes na mesma, estando tudo em perfeito
estado e de boa qualidade.
Leilo
De urna casa terrea n. 19 (antiga ra dos
Acbuguinhos) hoje Antonio Henriques
Quarta-feira, 98 do corrente
AO MEIO DIA
Mo armazem a ra ao Imperador
ii. 39
0 agente Stepple, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz da provedoria de capellas
e residuos, a requerimento 4o padre Albino de
Carvalho Lessa. testamenteiro de D. Antonia Ja-
cintha de Jess Carvalho levar a leilo a casa
terrea cima, desde j os Srs. pretendentes po-
dem examinar a dita casa.
AVISOS DIVERSOS
Aiuga-se urna casa no Monteiro, muito
fresca por ter janellas para o rio ; a tratar no
caes da Companhia Pernambucana n. 6, escrip-
torie de Bastos & C.
luga-se urna boa casa ra Direita de
Afogados, junto a ponte ; a tratar na mesma
ra, padaria Imperial.
Alnga-se a casa da ra das Floresn.
com 3 quarlos ; a tratat na ra Nova n.
loja.
Aluga-se a casa da ra da Saudade n*. 34,
com boas accommodaces para familia, tem agua
e gaz : a tratar na ra da Aurora n. 85.
Aluga-se a casa n. 11 ra do Calabouco :
tratar na ra das Trincheiras n 17, loja.
Precisa se de um menino com pratica de
taverna, na ra Joaquim Nabuco n. 36, Ca-
punga.
Precisa-se de urna copeira ; a tratar na
ra da Soledade n. 82.
Pede-se pessoa que appreheuder um ca-
vallo russo pedrez, andador em toda altura, ain-
da novo, que dirija-se ra do Viscoade de
Inhama n. 65 quesera recompensada.
Vende-se um bote grande, concertado de
novo, em boas condigoes : quem pretender, di-
rija-se ra Duque de < axias n. 11, loja;
Taveroa
Yende-se a taverna sita estrada de Lulz do
Reg n. 47 D. propria para principiante por ter
poucos fundos ; a tratar no Caninho Novo nu-
mero 87. .......
Excellente acquisic,ao
Vende-se urna boa casa naBoa-Viagem, terre-
no proprio e bem collocada ; a tratar na ra da.
Concordia n. 34, 2- andar.
Vende-se
urna casa em Tigipi, de lijlo, e em terreno
firoprio, com commodos para urna grande fami-
ia, distante 300 a 400 metros da estacao, tem
quintal (alhs sitio), plantado de diversas fruc-
teiras, inclusive coqueiros : quem pretender,
de ve entender-se com o professor da Boa-Via-
gem.
X !l1i
Clara Tcixeira Franco al-
ma rae
Joaquim Ferreira das Neves Guimares. Jos
Ferreira das Neves Guimares, Maria Ferreira
das Neves Guimares, agradecem a seus paren-
tes e amigos que acompanharam os restos mor-
taes de sua prezada mili sua ultima morada :
e de novo os convidam para assistirem a musa
que mandam celebrar na igreja do Espirite San-
to, s 7 horas da manh de segunda-feira 26 do
corrente.
t
Manoel 4o* do nom-Flm
Emilia Maria do Bom-Fim, Francisca Maria
do Bom-Fim e Alejandrina Maria do Bom-Fim,
Francisco Pereira Cardoso, agradecem a todas
as pessoas que aeompannaram o enterro de seu
filho, sobrinho e alunado ; e cora especialidade
ao Exm. Sr. commandante do Arsenal de Mari-
nha e seus companheiros ; e ao virtuoso sacer-
dote padre Pedro da PurificacSo Paes e Paiva,
professor deste ; e convidam para assislir a
missa que pela sua alma mandam rezar segun-
da-feira 26 do corrente. pelas 6 1'2 horas da
manh, na igreja de N. S. do Livramento : e an-
tecipama estes os verdadeiros reconhecimentos
da eterna gratido.
XSS!
b. Joanna Pire* Falcao afarejue*
l- anniversario
Alfredo Marques da Costa Soares e seus ir-
mos, ilhos de D. Jeanna Pires Falco Marques,
convidam os seus prenles e amk-os para assi-
t.rem a urna missa que por sua alma mandam
celebrar sabbado 24 do corrente, s 7 1/2 horas
da manha, na igreja matriz da boa-Vista pelo
que se confessam agradecidos.
t
Jomo de Olivetr* e Silva
Francisco de Oliveira Guimares e David Go-
mes Ribeiro, irmo e amigo do finado Joio de
Oliveira e Silva, convidam es amigos do meamo
tinado para assistirem a urna missa que ^^H
alma mandam celebrar na igreja matriz da Boa
Vista, sabbado 24 do corrente, as 7 1/2 horas
1 anniversario do $en fallecimento, pelo que
se conjessam agradecidos.____________
(1RANDE. L1QUIDAGA0
Na Loja das Estrellas
86-Rii Duque de Cxis-08
Telephone n. 2lO
Este bem conhecido estabelecimento acaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande II-
quldaco de lodos os saldos que
ficaram de balanco, por menos
50 t. do seu valor, cujos artigos
passamos a demonstrar:
Artigos de le
EsguiSo, peca, a 3#500.
Madapolao com um metro de largura de
140 por 7^000.
dem idem americano de 80 por 50000.
Algod2o marca T, especial, nmito largo,
de 70 por 50000.
Bramantes, pecas, por 70000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu-
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 509' me'
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lencos brancos e com barras de c5r a 10,
e 10200 a duzia.
Toalbas de fustito, qualidade superior,a
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores a
20000.
Lenges de bramantes a 20000.
Chales escocezes a 10000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abatimento
Tecidos de alta novidade
PARA VESTIDOS DE SENHOKA8
Linhos pardos para vestidos a 300 e 320
Sedas com-quadros e listras de 10800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as c6?es, de....
10200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PECA.S!
Merinos de quadros, grande variedade de
padroes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fustoes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodSo, linho, 12 e sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 \t.
Confecco
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 800 por 50 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados em cartao, alta no-
vidade a 80 e 100.
Guarnijoes de colariuhos e punhos para
senhora por 10 e 10200.
Capotas (preparadas na corte) de 200 por
90 e 100
Gollinhas e punbos para menino de 3 a
8 nnos.
Vestuarios e ronpinhas para crianfas, por
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 50.
Luvas de seda meio braco e qualquer ta-
manho a 10500 o par.
dem idem de Escocia a 10 e 10500.
Sobretudos impenneaveis de borracha de
700 e 800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de c achemiras ottoma
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
250 e 300.
dem idn de renda, seda, damasco e
gurguro, tanto para phantasia como
para commodidade a 380 a 400.
Velludos de seda e algodao de muitas co-
res.
Qazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dio e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de confecc&es
como sejam mantilletss de blonda, sahidas
de. bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 [0.
Para homens
Casimiras inglezas com duas larguras, de
30500 por 102OQ.
Ditas cor de cafle azul, de 20500 por
800 rs.
Cortes de seda para eollete, de 120000 por
30000 e 30500.
Ditos de velludo e fustao a 10 e 10200.
Meias inglezas com fio de seda, de 120
por 60000 a duzia.
Paletots, de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque
a 10600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
360000 a duzia..
Brins pardos de linho a'. 240, 280, 320,
360 400 re. '
Dito branco de linho n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes d casimira ingleza, de 80
80, 100 e 1&0 a 40, 60, 80 e 100000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
homens, de 700 e 800 por 300 e 400.
Ceroulas francezas, de 380 por 240000
a duzia.
Paletots de seda, completes de feitos- d
casemira, malas para viagem, e boleas e
tapete e um completo e vaiadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras francezas,
inglezas, pretas e de ores de padrees m-
teiramente novos e que se vendem com c
mesmo abatimento de 50 [0 de seu valor.
Retalhos
Aproveitem a grande quantidade e
pelos precos, em sedas pretas e de cores,
gorgoroes, setins, las, merinos, zephyros,
linhos, chitas, madapoldes e algodkosi-
nhos.
E muitas outras pechinchas que s se
encontrara na
Loia dasEstreJJ^^
Uia do Duque de Cjikij~-56, 58
Ao eleitorado do pri-
meiro districto
22 de Agosto de 1889
5SO candidato que necessitar dmais um voto,
dirija-se ra das Carracas n. 28, que achara
com quem tratar.
BAL
DE
A 4^000 a barrica
com abate de 10j em porches aiores de
10 barricas.
A RA DO BOM JESS 23
&
:s*f4*;
de mofo
^ ? folegam fragancia "?
FRANGIPANNI
Opopohaz -o- Fsidlum
, Oarlaalna ? Oeraia
Venie-i* em todas
< >-*^. cDrogarias -o*>'
!aos3
Boleira
Precisa-se de urna mullier qun entenda bas-
tante de bolos ; a tratar na ra da Soledade nu-
mero 56.
Precisa-s de urna ama para engonjmsr e fc>
zero mais servico- de casa de pequea atailia
na ra Conde d'Eu n. 32, 2- andar.
Ama
Na ra da Palma n. 40, precisarse de sasaa
para cosinhar e eomprar.
Ama ,
Frecisa-se de urna ama para cosinhar, i
casa de familia; a tratar na ra do Hospic
mero 41.
Ama
Precisa-se de urna, para o servieo doasalier
na roa larga, jo Rosario n. 38, 2- andar._________
Ama
Preclsa-se de urna ama para servico cae*-
tico ; a tratar na ra Baro da Victoria n. 5%._
armazem de movis.
.iGB Sr. VSOTH.ZSTAX.TOa de CAVAUOS
UNGENTO STEVEMS
O nico f,ubs;itnii.'io a cautcrlsa'-ao dos cavallos
pelofouo. Estu marav'.ihsq vreparado o nico
remedio Teriadei:.-iaie-.te i-rocaz para curar t.,da3
e quaesquOF-lbetcii Ais p.rnu i carilio, Eni.-md-jd i
[arail e Biil?Bes de toda a ntmza. 40 a*nos do
ptimo e continuo erlto oa todas as cor-
rl'ias. > baras ^ nos prlnoipaes esta'oelooi-
xnectus ic cavallns em Inglaterra e Europa.
Nunca elxa noUoa al^uma. E1 inlster experi
mi uta lo para flear convencido do seu ''or.
Verute-se cm rm-ras cor a* competentes indicacie,
para o 'tu tsnprtgo. em portugupt
Usicamtnu prtpjrdo por R. STEVEN3. m Jico-reUnsin^
, Pili Line, Ui: ;liigl.ti!.-i)
&V*iiros en Permmbuco : t%iV- H. da i'.1kkHa
Cura-se fcilmente *
As inflammagSo do larj-nge cra-se f-
cilmente com alguna frascos do Pcitoral de
Cambar.
Os agentes,
Francisco M. da Silva & C.
Bons resultados
Para provar os bons resultados do Pei-
toral de Cambar, basta apresentar os nu-
merosos attestados de curas firmados por
pessoas dignas de toda f.
Por barato
prego
Vende-se duas vaccas especiaes, urna carroca
e boi ; ama larga do Ro3ano n. li, 1- andar,
se dir quem vende. .
Ao commercio
Manoel F. Tavares & C. avisam ao publico que
os Srs. Alvaro Baylon e Manoel Joaquim da Silva
Lohdello nao sao mais seus caixeiros desde o
dia 17 do corrente mez.
Recife, 22 de Agosto de 1889.
Manoel F. Tavares & C.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com pratica de mo-
lhados, dando liadorde sua conducta ; na ra S.
Jorge n. 139. ___________________
Cosinheiro
Offerece-ae um cosinheiro para forno e fogo,
por prego commodo ; a tratar na ra da Santa
Cruz n. 34.
Para a festa
Aluga-se urna excellente casa na m Viagim,
roa d Aurora, com muito bou* iWaiJdos;
tratar ra Larca do Kosari* S4, bote..
Boa casa de morada
Aluga-se urna boa casa com grandes accom-
modaces e com um sitio arbari^ada, oa ra do
Mondego n. 58 ;* a tratar na meera*.
Gosinheira
>'a ra da Saudade d. 27,
perita cosinheira.
ufeitt-x e urna
Casa a venda
Vende se urna casa terrea, sita ra do Tan-
bi n. 3. bairro da Boa-Vista, por commodo pre-
go, podendo os pretendentes desde j exami-
nal-a : trata-se na ra de Santa Thereza n. 20.
Criado iel
Xa ra do Caldeireiro n. 7-A. precisa-se de
um menino de 8 a 9 auno?, que tenha boa con-
ducta, para fazer oompras e algum pequeo
servico da casa, pagase bem._______________
Canellas do lote de Soccom
Compra-se eautellas do Monte de Soccorro d
qualquer joia, brilbaates e relogios; paga-bt
bem na Praca da Independencia n. 22, loja d
reloj oeiro.
Boa cosinheira
Precisa-se para casa de urna famiiia nos Af-
flictos; a tratar na ra Nova n. 13.
Aos plantadores
D. Jeronyma Cousseiro compra batatas de
araruta e matarana ; para explicacoes, dirijara-
se ra da Aurora n. 81 e Imperatriz n. 2. ou
larga do Rosario n. 14. e em sua residencia ra
do Lima, travessa de Joo Veiga n. 19, em San-
tj Amaro das Salinas.
4 ANEMIA, CHLOROSE
EMPOBREC ment dosangue'
\ CORES PALUDAS, EONVLESCEHCA
Hospliaes de Pars
itrtfts
J SRiNDE DIPLOMA di HOHBA.UtirilMI
^ GOTTAS Coqc
Mol conomioa,dnmm I me
VIITEO ROBN
4 Totii-Nutritiro Recorta-
Z tituinto
4 GRAGEAS ROBN
4 .'X<
pmuito
Heda-hss ]
Psris.Hitre
Barcelona
Brutal' i
S-m sahornUnni '.* \
erro. 9ttiun,*BU
-'!'=-."V..ia i
.I M* M
Vtmeato crrugitr^
r-sufti<:ps (< ruis ra^tdr.t e j
contai.tes. sem nono* ooem-
dflre de stonago cm
consiipgfo (pililo_*% V*atn).
ttfClt (tn: P6' aOSIJ, n tMlfti-iPut, '
Em Pernambuco : Fr2~ S. ii SIlTi it C"
A padaria a vapor, do Porubal, avisa aos seus
freguezes, que a farinha de milho e an
pacotes de meio kilo eoenlra-se venda as
seguintes merciarias :
Bernardino Duarte 4 C, ra da Flortritina
n. 2.
Zeferino Valente & C, caes 22 de. .Novembro
n. 4.
Para papas, cangjcas e. cuscas esta -farinha
temtido grande aceitaco publica, e recebeu di-
ploma de 1 classe na exposico preparatoria
^Pariz, em 1889. la soa superior qualida-
Ifedeinilhif^scolhi..
riRuf
Ama
I
No entroncaraenlo n. 215, precisa-see
ama para servico domestico.
Ama
Precisase de urna ama para comprar e cas-
nhar : a tratar na ra Duque c Caxias b. 51,
segundo andar. _________'
Ama
Precisa-se de urna ama para comprar ees>s-
nbar ; a tratar na ra Duque de Caxias W,
loja.
Ama deleite
Prccisa-sl de urna ama de leite ; na 30* tos-
perial n. 4. junto ao sobrado do Bode.________
Alug-a-se
Por barato proco o 1' e2 andares ttoCMs*
Apollo mi. 75, com "muito bon3 coma des ;
tratar na botica ra Larga do Rosar n. 3fc
Ali
uga-se
Por preco baixo o 1" e 3o endares do scwaaS'
ra do Brum n. 84, com bastantes com-
modos ; a tratar ra Larga do Rosarle n. 34,
botica.
Aiu
gam-se

As casas da ra do Lima ns. 19 s 38,
S. Amaro; a tratar na litbographia rualazq
de Olinda n. 8.
Alusfuel barato

Ejjcco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, arsaast
Rua da Palma n. 11
A tratar ra do Commercio n. 5, i ssar,
escriptorio de Silva Guimares & C.____________
"Caf"
No armazem da bola amarella ti. 36, j&hb
esluco doCaxang, no caes 22 de Novem&ra.
comprase e contracta-sc grandes e pequeas
porcOes de caf nroduzido na provincia, a t9K>
a arroba, at o dia 31 de Bezemro do tsrreate=
anno.
A's maes de familias
QUERIS VOSSOS FILHOS SEMPBE SBSO*?
Administrae-lhes o xarope ou a
Pilulas Vermipurgativas
DO DR. GALASAHS
ptimas preparagoes de rnaatraa
e rhuibarbo, para a expulsad completa, sei
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
(DAS CKEANQAS E DOS ADLTOy
SEIS NNOS DE SUCCE3SO'
Estas excellentes preparacSes nao ys*
cessitam de purgativos como auxiarer
visto serem purgativas por si raesmas.
As pessoas que tm vermes sentens t\9~
licas, tem constantemente diarrba, iedi-
posi^ao, sensajao de corpos que se moma
nos intestinos, endurecimento do vear, o
s vezes, vmitos. Rangem os dente,
do dctrmem, algumas e pessoas
vermes com as fezes ou com as mates
dos vmitos. As crianfas apreseEtsai j
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o noms 4
DR. CALASANS e sao cor de rosa.
1 caixa de pilulas 1233D
t vidro de varope ] PH0
AS PRLNCIPAES DROGARAS E
_________ PHARMACIAS_________
Cosinheira
Precisa-se de urna, que cosinhe beui e
em casa do patro ; a tratar na ra do
n. 14, 1- andar, de meio dia at 4 horas--
V'
?!
1
Ti
gipio
Constantino de S Brrelo
Convida-se a este senhor a comparecer i re
do Bom Jess n. 23, para prestar contas dw
cobrancas que fez no termo de Aeua Preta, a
Marco prximo passado.
Cofres de ferro
Carlos Sinden tem para vende? cofres de
superior qualidade mais barato do ipw
em outra qualquer parte,
48Ra Barao da lectora4&
**********w
-PoBuhrcs na-fUtHCA. nn AUEP.I0A.
HESPUiHA, no B3AZ.
onit 53o autorhi'Jos os'3 Junti t3 Hfglsoe
Me:c:-.?,io Bopcrti-Ta e lie- I
constituibte ii. UiadoB
para se tratar s, ;K>r prOi'o uar^to, ejj
so curar cm poocoteiBpo. <
Ess-. espu! j ra
.. xsos vi- r
ciados que nscrvaoBaal
mulesl ..ledal
-.
41" .-rc-ji
I Cbi-nlca.
Extracto coacentrailo d-js Jlme- 4
|-Jtos liquS I para as possdas
gnancia vara os
-^**-.'*''.-.- ^*.-. -.
S5o infalliv is contra : AsthntOj
Catarrbo, tita, fiJieumrttii:no,^
Tumores, 1'leeritK, l'eri! npprtitr.it'ftn-ex. CoayeHtSen,Mo- f
lentins do fiya'lo, Mmpigena, I
Vssrinelhtles. J!- ote.;
SEDOE-i
(palrtwrprala^o qua oao tiver o endent &*%
Ph"* CGTTJH, oeiro do sor. le Roy
Roa do Seine, 51, FAtlS
DHTOITO V-i TODAS AS Vil
XXIXZUXXXXIiXI


1\
Diario de PernambiicoSabbado 24 de Agosto de!889
EMADIM4CA0 MIRANDA
39--KUA BUQFS DE CAIIAS--39
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condicSes de executar qualquer
l sfcn.ky em
r
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartoes de
JnBcacoes, mappas, precos correntes, acc/ies, bihetes de loteras e rotulas do todas
*M^(aJidades em preto, ouro ou ocres.
Jrocharas, cartonados, eBoadernacSes, hvros em branco para o commercio e
qwrtigo'es, tendo para este fim ama -excellente machina de pautar.
Variado sortimento cm cartSes para visitas, partcipacucjs[e convites de casa-
asesss. bailes, menas, felicitacSes, etc., etc.
Ijivros de recibos de aluguel de cana, papel de impressSo, tintas, vernizes e
ama artigos para typographia e lilhOjSraphla.
Manoel J. de Miranda
Telephone 194
w$m& m mmmm
DO
OTA RANHAO
Approvado pelo Exm. Sr. presidente da provincia
=#=
Premios da
1 premio de .
le < .
1 .
2 .
6
10
2 approxim
2 <
2
9 Dez. do 1.
9
9 < <
99 2 fin.
99
900 term.
900 .
2.
3/
1.
2.a
1.
2."
F
lotera inteira
. 300:000,?
. 50:000^
. 12:500^
5:000,5
2:5005
1:5005
2:5005
1:5005
7505
7505
5005
2505
2505
2505
de
em.
c
<
<
c
c

10.-0005
15:0005
15:0005
5:0005
3:0005
1:5C05
6:7505
4:5005
2:2505
24:7505
24:7505
1255 112:5005
1255 112:5005
Premios da serle
1 premio de.....12:0005
t.....2:0005
1 .
2 .
6 .
10 c .
2 approximacBes de
2 < <
2
9 dez. do 1. prem.
9 c 2.
9 3.
99 2 fin. t 1. <
99 t t 2." c
900 term. 1. <
900 t f 2.a t
2005
1005
605
1005
S605
305
305
205
105
105
105
55
55
5005
4005
6005
6005
2005
1205
605
2705
1805
905
9905
9905
4:5005
4:5005
28:0005
Oleo de Figado de Bacalhau
do X>r UCOUX
lodo-Ferrueinoso de Quina e Casca de Laranja amarga
Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nauseas,
e de cheiro agradavel. Pela sua composicao, possue todas as
qualidades que lhe penntttem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, m AFFECQES do PEITO
a BRONCKITE, os CATARRHOS, a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA. ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego fcil, da sua accao multplice e
segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualquer outro medicamento similar.
DEPOSITO QEF aT.
PARS, 209, ra Saint-Denis, 209, PARS
YE.NDUKI EM TODAS AS rr.l.\CII'.\ES PHARXACUS DO UXIVUSO
DESCONFIAR DAS FALSIFICACOES E IMITAC&ES
2052 premios no valor de 700:0005 2052 premios no valor de
Todos os premios sao pagos integralmente
Esta lotera composta de 10.000 bihetes a 1005000, dividida em 25 series,
custando o inteiro da serie 45000, gubdividido te em quintos da serie (125' do
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada nm.
O agente desta lotera chama a attencSo do publico para este importante
plano mais vantajoso pela sua boa organisacSo.
Com 45000 (5 quintos de que se cotnpo'e a serie) recebe-se 12:0005000 e com
800 rs. (1 quinto) 2:4005000.
O menor premio da nm resultado de 25 "/o P>8 custando o quinto 800 rs.,
recebe 15000 as terminacSes dos 1. e 2.* premios.
PETTORALdeCEREJA
Do Dr. Ayer.
ii rafcrmidadei nuua doloroan* da farptmia
t do polmGes, ordinariamente drnvolvem-,
irndn per principio bases pequeas, en Jos resulta-
dos nao sao diflicls de corar se promptamente so
trarao com o remedio conveniente. Os BeaTri-
ados e as Toases dio reciprocamente o resaltado
d Laringitis, AMhma, Bronahltl, Affec-
cao Pulmonar a a Tsica.
Todas as familias qne tem cribas devein ter O
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
n casa para o osar em caso de 'necessidade.
A perda de um so dia, pode em multo casos
accarretar serias consequenclas. Por tanto nJo
se deve perder tempo precioso, experimentando
remi-dios de eficacia duvldosa, emqnanto que
a enfermidade se apodera do systema e e arraiga
profundamente, entio que se necesslta tomar
nesse instante, o remedio mais certo e activo em
em eelto, e este remedio aem duvida aleum
o Pbrobai. de Ckbbja do Db. Ayer.
I'KEPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-Uuidos.
DEPOSITO GERX
DOEN9A8
-DO-
ESTOMAGO
E DO
FIGADO.
; de BRisTOL
PKAMESTE YEGETAES
sao o rnelhor Purgante e o Remedi
mais eicaz contra os ditos males
Reglaizam a Digesto
PURIFICAM A BIL^S
c curam radicalmente
A DISPEPSIA,
Apolices perdidas
Perderam-se dez apolices da divida provincial
de Pernambuco, pertencentes a Manoel Perea
de Aranjo Vianna, de ns. 873 a 882, serie B, do
valor de 1:000* cada urna ; pede se pessoa
que as tiver achado o obsequio de ir ou mandar
entregal-as a Henrique Bernardes de Oliveira,
procurador bastante do mesmo Vianna, no Re-
cife, ra do Vigario n. 1, escriptorio, que cate-
fiear
a*

0 rnelhor snutricio
a
Sao premiadas as dezenas dos 1.. 2. e 3.
As duas letras finaes dos 1." e 2.
premios.

fali
uu de hund
r.TTTNTO AO LOTIVRF^ >
de listras a 15000 o covado
arrendadas a 400 rs. o dito,
tranco lavrado a 360 rs. o dito.
pardo a 360 e 400 rs. o dito.
Csatua de vestidos em cartees.
CUUaas de fustao a 45000 urna.
TosAas para banho a 15500 urna.
CWfceajras lisas a 15000 o covado.
IVipaas brancas a 300 e 15000 o dito.
Cbdtestiras de quadro a 280 rs. .0 dito.
Fb& para roupa, de 15000 a 700 rs. o
ka.
Gridkos de creR a 15800 urna.
mu preto e 800, 15000 15200, 15500
UB00
Chite* percales a 200 rs. o covado.
TwaWfnii preta a 700 rs. o dito.
> preto (inglez) a 25000 o dito.
a quadro a 300 rs. o dito,
de cor duas larguras a J440 rs.
tmmmmB bespanhoks a 25000 o dito.
do Japao a 240 rs. o dito
raa Victoria a 25800 a peca.
claros e escuros a 240 rs. o
rada.
Ombraia bordada a 45000 a peca.
fenai$ao de crochet a 75000 urna.
Uammea transparentes a 25500 nm.
Keke de retroz a 15000 nm.
?rVwimn de fianella a 25500, 45000 e
S5000 urna.
le cores a 25000 e 25500 a pesa,
felpudas a 45000 a duzia.|
Cbiaala para noiva a 75000 urna.
hMnii[i para bomem a 65000-
ogiezas para homens a 55000 a du-
(JUNTO AO LOUVRE)
de cores a 200 rs. ocovado.fjg
de alpaca preta a 45500 um.
ta diagonal a 25000 o covado.
da Escocia a 15500 o par.|
braceos a 15200 e 15800 a duzia.
G**m*k preto a 35000 e 45000 o covado.
*3rande sortimento de fichs, casemiras, [brim, algodo,
raeias, perfumaras, e bordados.g^^l
|20Ra Primeiro|deMar<2020
AMARALQ& C.
Cachemira de quadro a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 15500 a 15000 o dito.
Baleias a 240 rs. a duzia.
Lcnces de bramante a 25000 um.
j Cobertas de ganga a 35000 urna.
Tapetes grandes a 135000 um.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o covado.
Espartilhos a 55000 um.
Mada polo americano a 65000 .- peca.
Coletea de fianella a 25500 um.
Palitots de seda palba a 85000 um.
Lencos de linho a 55000 e 65000 a duzia.
Palitots de brim pardo^a 45500.
Bolsas para viagens.
Casemira para costumes, corte.
Luvas de seda a 25000 e 25500.
Gruardanapo8 de linho a 25200 a duzia.
Guardap para senhora a 105000.
Arcos cobertos a 120 rs. o metro.
Panno da Costa a 15000 e 15200 o co-
vado.
Bramante de algodo a 15000 o metro
AlgodSo branco a 45000 e 45500 a peca-
Cortes de fustao para collete a 25500 um.
Cortinado bordado a 75000 o par.
Zephyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 15200 o metro.
Peca de esguiiSo de algodo a 35500.
Regatas a 15000 e 15500 e 25000 Juma.
Palha de seda a 15000 o covado."
Camisas alie mies a 36;'(500 a duzia.
Bramante de linho a 15800 o metro, 4
larguras. ,
Cortes de seda para collete a 55000 um.
Chambres para homem a 65000 um.
Setins de cores a 800 rs. o covado.
Algodo trancado, 2 larguras, a 15100.
Cortes de casemiras, a 55500, ; 75000, e
95000.
Brim branco, todos os nmeros.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 155000 a duzia.
Fianella de cor a 300 rs. o covado.
collarinhos,
camisas,
gornecedor de $$. $f$.
o Imperador do Brazil e o Re dos Belgas.
A. VSRDA.DEIRA.
AGUA de B0T0T
' o nico Dentifricio approvado *
fel ACADEMIA Di MEDICINA db PARS
0 rnelhor calmante contra as Dores de Dentes
Baoommendado especialmente com os >S de BOTOT com Qnlnm.
para o> cuidados da bocea.
2S9, Rne St-Honor, Para, e cm tadu ai bou DrofariM. Perfamarlai < Ctfcaliaaliui. _
ll
ASTHMA & CaTARSSHQ
Curados pelos CIGARROS ESPIG
OppreattOen To8e Defltiscos JVevral^ia
LICENCIADOS FB1_ iHBPECTOBJA DaiTYBIEMK DO IlfPElUO DO 3RAZIL
A8pira.se a fumara qne penetra no pello, acalma o systema mrroso,
facilita a espectoraejo e favorlsa as funcc&es dos orgaos respiratorios.
Venda atioado, J. E8PIC, ao, ra Si-Lazar, em **. Bx *mHrnucaCj ; FRAB&. M. da SILVA. O. M nacm mmw ""fn"
terminacSes dos 1. e 2.", e as approxi-
xoes dos l.o 2. e 3.: tendo alm disso premios de 2:0005000, 5005080, 2005000,
1005000 e 605000.
EXTRACTO NTRANSFBRVBL .


A S00 l|2 gfa.
A 800r" i gfa.
A rnelhor tinta de escrever a
TINTA VICTORIA
Vende-se nos depsitos:
LTVRARIA CONTEMPORNEA
DE
&A1.IQ 2.. COSTA & C.
Roa !. de Marco n. 2.
LOJA DE FERRAGEM
DI
ALBINO SILVA k.
Ba da Cadeia n. 42
C.
,
A 500rs li2gfa.= A. 800 1 gfa.
niIfllB I BiJhJaMaeSsaSai
J nao ha Repugnancia
PAAA TOMAR O
FIETO de POTASSIO
COM A!,
Pastilhas L. POSSSON com Cbooolato
2atas Pastilhas, de sabor agrausnel, exto rigorosamente rtfwmtasi.
j Cada PSlca cntem 2S esntgrammas de S.1 (Usa sollieraiti)
jj DKPOSiTO OERAL : f. POSON, PJfJJtUCf JTH30
J *, Ireniie de Cowrbevoie, 26, em AnXIB.Ek. jerto T______ VeadMt ara todas ar princirasB 3? bajar arrlei.
Iianuuiiiiiii un nfUMimur
FONNCAO CEU
ILUHFATtnSIMcC.
44-PIJ.4 BAR40 DO TRIliPHO-44
Machinas a vapor.
Moendas. %
Rodas d'agua.
Taixas fundidas ^batidas.
Taixas batidas sem crava$ao
Arados.
N TJ E 'I 'A T -N.U-B 'FA N N WB I -A N>
Aos agricultores
Pessoa habilitada otferece-se para contrahir
emprestimos com o Banco do Brasil, em favor
dos S. S. agricultores desti. provincia, de Ala-
goas, Parahyba e Rio Grande do Norte, encarre-
gando-se de adiantar as quantia necessarias
para pagamento de avaliacoes e preparo de do-
cumentos, mediante mdica retribuicao. Os
pretendentes pod<;m dirigir-se nesta cidade ra
do Atalho n. 9, e por carta G. C.
ft
Caixeiro
Precisa-se de um, com pratica de padaria ; na
ra da Florentina n. 1.
Ond
emora
O Sr. Francisco Raposo Falco at quando quer
3ue o doso dos movis espere para ser entregue
os mesmos ; isto data desde que foi empresa-
do a priraeira vez.
NBIAN
N IL..B. I... A N
GRAXA LIQUIDA IMPERMEAVEL\
SMPBOA"8E SM E8COVAA
O mainico LUSTRO d'esta g-raza y
coaMrva-9 dorante Tima seaaana,
aoja qual tr o lampo.
BALU0RAL GL0SS Gamma lustros* ilalica para as Boltims das Smboras.\
AI>LIOA-aB BEX OOVAB
PASTA UUCUOSA, em ooiza de tolhet. da flondrea, taJ quol\
autrogue ao .xercito Inglez.
THBAMUBIAN MANUn COMK.L', 0. Hol'VLtM, LONO.M K. O.
Agento, gara n PERNAMBUCO :
Qulniaraaa.a. Per man.
MLV B.I. A N
digestOes
DIFFICEIS
Oyspepsia
Pfirta
de
U0!NCAS*EST0JG0
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
omltos
Olarrha
___________________________________cornica
rv,JT',,PO-OICIBtlWO a ADOPTADO bii TODOS os HOSWTASfi Jfuralhss de Ouro Diplomzm d
pars hez- .mu nire. b teta as rasrsuciat I
Grageas Demazire
roTlJl pele. laejpeotoria. de Hysiant do JS
CASCARA SAGRADA I0DURET0FEHR0 CASCARA
Vrdd*ro Remedio O mate motivo doa VTruainomom
re a Pernio O* Ventre habitual.
mi
do Ferruginomo*
KT&o produMlade a Primeo lie Veotre.
i yiHiwt, pvit
emprcga&a cora
Odontaliaa
3Ta 0tum, HHOIDEIM CISJH 3 BMC.
PARS ;&nA, 24, ma S'EagMsn-
Attence
O grande e importante estabelecimento Se
Pogas Mendes & C., sito ra estreita do Rosa-
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de ree ebe
urna grande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
0 nico que, sem a mnima confeccao, im-
portado neste mercado, e s se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejam : o vinho Maduro, sendo
como feito nicamente da uva madura, tem
as seguintes vantagens que as outras qualidades
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertot-
bago as digestes do estomago, ainda mesac
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois nutre
a olhos vistos as pessoas debilitadas, e d Coreas
as que as tiver arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambem
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujm
proprietarios capricham em bem traba lhar neste
artigo, afim de terem a primazia sobre tantos
outros similares, cuja composicao duvidosa.
Em outros artigos como ementes de hortaHfa
e flores, linguas seceos do Rio Grande, objectos de
vime e tamancos do Porto para homens e senho-
ras, para isio to pouco temos competidor,
aossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar podem comparecer, com
o que muito nos honraro. Apos urna infini-
dade de artigos de prmeira ordem, que acham-
se em exposico, acresce a amenidade do trate
com que timbramos tratar todos os que nos
honram com a sua presenca, junto a modicidade
de precos sem rival.
Ba eatrelta do Boaarlo n. 9. i unte
a igreja
Pogas Mendes & C.
tElcenefadopel hapectorl* Geni
ieHygne do Imperio do Braxik
Caixeiro
Precisase de um caixeiro de 16 a 18 annos
com pratica de venda; a tratar na ra de Hortas
n. i.
Cosinheiro
Precisa-se de um; a tratar na ra do Com-
mercio n. 44. escriptorio.
XaropeZed
(Di CODEIHA TOLl/i
O Zarra* loa eraprega-se anas*
Irritares do Vtite, Tone ios Thimn, ,
tommlsa (Coqutlsut)/BrmMts,C Cmtarrbos t Ituommas Acrwfaata.
FAiua, ai.r
PNDCAO DE 8IN08EBR0NZE
LUIZ M CRUZ MESQUITA k
66ra do Baro do Triumpho66
Tem para vender o seguinte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
C'arapucas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Tornelras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartdelras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado.
Cobre em lencol e arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
Cadinbos patente e"de lapis.
Sinos ve 1 libra at 110 arrobas.
muitos outros objectos
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e obras "dt encommenda, garas
ndo presteza, perfeigSo e pregos mdicos, para o cue tem pessoal habihtado.
W?K0f<: a praso ou dinheiro com descont.
ROBERTO^ WEISS ^engenheiro e constructor
FRANCFORT S/MENO ^T cinmwunnBO
Estabelecimento especial por fornecimento de caminbos de
ac transportaveis, e fixos montados completos para posigSo e manpijo e rado
ass# como
CADEIRINHA COM RODAS, VAGONETES, DE
TADPAES LOCOMOTIVAS, GRAS, ETC.
Para uso : agrigola, plantajes, srmazens, minas]
1niastrias, sel' ampos militares, et<
k
|Wt

>


,*
aia




8
Diario de PernambueoSabbad 24 de Agosto de 1889

:
I


VENDAS
I Vende se no caes dolamos n. 4. urna ex
cellente machDa i vapor de :10 cava los, urnas
bombas bvdraulicas de grande forca, um ferra
dor urna" tesoura para cortar (landres, arcos,
etc', trunos e carros Decauville, apropnados
para transporte*de canna, bombas d'ayua nio
v. vapor." __________........__________
Muita atten^o
vcndc-so.s;ipatos
d pnr, c de crian-
ai-......
Arma^o
Vende se a armac&o da loja
ra Duque de Caxja
. .
ou na ra do Livraruento n. 2.
__ i
de fazendas da
n. "o ; a tratar na mesma
Taverna
Na ra da Im peral riz n. 80,
de felpos para fri a 0 rs.
jas a 500
M RETRATO M
Que se ofFerecc a utn amigo no da do
seu anniversario
De 2S$000 at iOOSGOO
Obtcm-se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura lina dourada
em alto relevo, e com cordoes de 11 c
seda ; trabalho fefto nos Estados-Unidos
da America
POR FREO. PATT
Qualquer familia que desejar um per-
feito retrato, bastante mandar um pc-
oueno retrato em cartilo de visita, nao im-
porta que soja antigo, basta dizer a cor
dos olbos e do cabello, para chegar um re-
trato perfeito, o muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
fMo exposto a o publico na
AGENCIA GERAL
Loja Ais Listras zoes
Rl'A DUQUE DE CAXIAS H. <1
Para as Exmas. familias verem o quanto
s3o lindos, c muito fcil fazer encommenda.
aUAmUKU ENCOMMENDA
Por maior que seja se aprompta em me
pos de 90 dias, e restitue se a importan-
cia recebida, so nao chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade c de ou-
cras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO PAS
PKIIXAMBLCO
A Loja das Listras zoes
Est vendendo fasendas muito baratas
Com descont
a quem comprar de 205000 para cima.
Troca-se a fazenda vendida se nao fr
de muito agrado para quem fr comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Vende-se ou adinitte-se um socio, n'udos
melhores lcate do Recite : informages na ra
do Bario daVictoria n. 38._______________
Alta novidade
4S -lina Duque de Caxias48
Por menos 30 l do que em outra
qualquer parte
Mcraa setins,' lisos c de quadros com 2
metros de largura a 25000 o*covado.
Renda hespanhola muito larga a 25000>
o.
Espartilhos, verdadeiros coura^as, a 45000
n>6000 e 65000 um. .
Lindos cortes de fu/t3o para colhlte a
500 rs-, um.
Cobertores de 15 a. 25000, um.
Palitots de seda amarella c chumbo a 9$
105000 um.
Redes francezas a 45000, 55000 e 65000
urna.
Organdis (fazenda de phantasia) a 400 rs.
o covado.
Euchovaes para baptisados a 85 e 105000
Toalhas felpudas^ 35000 a duzia
Meias cruas pare homem a 35000 a dita.
Xans-.iks finas de 120 e 240 rs. o co-
vado.
e
PECHINCHAS!!!
5t>Ra Duque de Casias5
Cassinetas de cores para roupas 4, meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias casemiras pretas e de cores idear
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Sctinotas modernas dem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos da quadrinhs a 100, 160 o
200 rs. o dita.
Percales finas a 200 e 240 rs. o dte.
Atoalhado bordado^Slasi 2 metrs de lar-
gura,
E' barato
i
i.
ara
engenbos
Lopes &. Araujo, vendem
a presos sem competencia,
garaotindo a boa qualidade,
os artigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribc.
Oleo de mocot.
Dito pata machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixas
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttend.
Graxa em bexigas.
lia do Lhramenlo n. 38
Telephone 316
Guarda-vestidos
Venfle-se um muito bom ; a ver, na ra do
Fogo, ofDcina de Joao Palbinba n. 'S.
Merinos lisos e de quadros 200, 240
280 rs. o covado.
Cortes do linn e cretones com todos o
prepares, a 5$000a 125000.
Atoalhado muito largo 15200, e 15500o
metro.
Pannos de crochet para cadeiras a 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet, bordadas para novos
a 55000, 65000, 75000 85000 e 95000
urna.
Cortinados bordados a 65000 o par.
Bramante liso e trancado de 4 largura? a
15000 o nutro. .
Bramante transado de 2 larguras a 400 rs.
metro.
Toalhas de cores para mesa elstica a
55000 urna.
Saias ricamente bordadas, a 35000 urna.
Luvas de seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Gratases claros e escures e 200 e 240 rs.
o covado.
Zefiros de quadres a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Camisas finas de meias a 15Q00 um.
Leques de penr.a, ultima moda, a 45000
e 55000 um.
Capellas com veos para noivas a 85000
urna.
Fustao de cores para palitot e calca a
500 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
collete % 25000 um.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
450U0 a pe^a.
Bico6 de cores e braucos a 15000 e 25000
a pesa.
Collarinhos e punhos, borracha, a 15800.
Cobertas de ganga forradas com 2 pannos
a 25800 urna.
Lensos brancos a 15500 e 25000 a duzia.
Fichs de retroz, lisos e .com palmas a
15000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
Algodaosinho com 20 jardas a 45 e 55000
a pesa.
Assim como em sua officina de alfaiatc
aprompta-sc com perfeic,ao e elegancia
por presos commodos, de briin ou case-
mira, costumes para meninos e homens.
A Kevoliicao
48 Hua Duque de]Caxlas48
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Farello superior
2:800 rs.
cada sacca de genero superior c de peso de 42
kilogrammas, vende-se no trapiche da Compa-
nbia, largo do Corpo Santo n. 19.__________
Bom negocio
Vende-se, arrendase ou hypotheca-se a me-
tade do engenbo Fortaleza, sito no termo do
Bonito ; a tratar na ra Coronel Suassuna nu-
mero 232.
a 15000 e 15200 o met
Bramantes, 4 larguras, superior a 800 rs.
c 15000 o dito. '*
Idqm de puro linho a 15600 o dito.
Riqujssimas guarnso"es de crochets a 65 e
8000.
Toalhas para raaos a 15200, 35500
450OO a duzia.
Meias inglczas para homens a 25500 e
35000 a dita.
Camisas superiores idem a 24) e 305C
a dita.
Seroulas bordadas a 125000 c lSjdJ^ll
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 25800
c 35000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 45000.
Superiores algodoes da corte a 35000 e
35500.
MadapWSo americano a 65000, com 24
jardas! *
Flanella de cre3 para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
15200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 15400
15800 e 25000 o dito.
Para as 12xmas. noivas
Lindissimas grinaldas e vo par 85000 c
145000.
Ricas colchas de crochets e fustao a 85000
e 65000.
Bonitos cortinados bordados a 55500,
75500 e 85000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 15000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 15000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 r
dito.
Lensos de seda e de linho para 25800,
em lindas caixinhas.
Lenses de bramante a 15800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a. 25500 e 25800 urna.
Colchas de cores a 25000_e 35000.
Tapetes para portas a 35500 e 55000-
Pannos rara mesas, de cores modernas a,
15500 15200 e 15600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de 305 a
355.
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cCres de todos oe
presos, cheviots, merinos, damascos para
pianne, cobertores, redes a 45000 urna, e
urna infinidade de artigos que serSo lem-
brados na presensa dos dignos leitores.
LOJA DE
PBREIRA & MAGALHAES
800 rs. o
C\RPZQ k 1RM0
A RA BARAO DO TRIUMPHO
|. 100 A 104
Tem para vender tri-sulphi-
to de caL que nao s faz alve-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gastb de
cal no fabrico do mesmo.
Para os feslivaes
Venham ao 55 ver como, pe vende fa-
zendas com 50 "/,, mais barato que em ou-
tra^qualquer parte.
Cortes de cretone, combinasSo, ultima no-
viade, a 50(>o.
Cachemiras, combinasSo com listas de seda
a 15400 ocovado.
Vestuarfc>s de jersey, ultimo gosto, a 105
c 125000
Amor da China, cousa chic, a 200 rs. o
covado.
Linons bordados com quadros, novidade,
a 80Q rs. o covado,
Setins,.qualquer cor, a 800 A
Sarglins de todas as cures, a 200 rs. o
covado.'
Merinos de cores a 500, 600 e 800 rs. o
covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Vestuarios para baptiaWos, muito-bonitos.
Ghiardanapos a 15600.
Cortinados para cama a 55500.
jeAinhas lavradas, o que ha de mais gosto.
'Cambraia com salpicos a 45000 a peca.
Cortes de casemira para vestido a 255000
Sen 1;< da China #200 e 240 rs.
Tecidos arrendados, a 400 c 500 rs.
Zefiros, grande variedade, a 160, 200 e
240 rs. o covado-
Bicos de cores a 35000 a pesa.
Madapolao muito largo a 6 5000.
Luvaa de seda a 25000, 255000 e 35000.
Mntil as pretas a 45500.
Cambraia Victoria a 25800.
Atoalhado bordado, lindos gostos, a 15000
o metro.
Grande sortimentos em toalhas de rosto.
Espartilhos com courasa a 45000, 55000 e
65000.
Nunzuck3 a 240 rs. o covado.
Pannos de crochet.
Cretones para coberta, muito bonitos a
500 rs. o covado.
Cambraia suissa, ria e muito bonita a
75000.
Babados e entremeios grande sortimento e
barato.
Fichs de linho a 15000.
Ditos de seda a 45000.
Ditos de la a 15000, 25000, 35000, 45000,
55OOO e 63OOO.
Grande quantidade em tapetes pequeos e
grandes.
Cretones muito lindos a 400 rs. o covado.
Chitas brancas, escuras e claias a 240,
280 e 320 rs. o covado.
Grande sortimento em colchas brancas e
de cores.
Objectos para homem :
Cortes de casemiras, finas, a 45000, 65000
e 85000.
Ditas de casineta a 15500 e 25000.
Collarinhos de linho c algodao a 45000 e
65000 a duzia.
Meias para homem de todas as cores e
brancas.
Casemiras de cor a 25000,35000 e 55000
o covado.
Ditas diagonal, lindos desenhos a 25, 35 e
e 45000.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
cavado.
Cassinetas, grande sortimento, a 400 e
500 rs. o covado.
Brins Angola, muito chiques c baratos.
Molesquins bons e bonitos.
Camisas de madapolao a 25000! !
Ditas inglezas a 45500.
Ceroulas francezas a 15600.
Flanella azul a 15200 o covado.
Grande sortimento jn lensos de algodao
e linho.
Camisas de cretone, cousa boa [e barata.
Alni de outros muitos objectos.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessda.
55 Ra Duque de Casias 55
Fernandes Azevedo & C.
t
A LOJA MAIS BARATEIRA
PARZ N'AMERCA
AZljJVEDO, IRMaO & C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Telephone200
Tcndo recebido directamente da Earop
grande sortimento de fazendas e modas <
que ha de ma8 novo pregos sem con
petencia.
A saber ;
Capas de srah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 12 e la seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 15000 e 10200
C'riaoline preta e branca s 400.
Sargellm, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 15500, com
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 15500
Chachemiras com 2 larguras a 800 ri
Ditas de l e seda 2 larguras a 10OGC
Madapolao transado a 95000 a pesa.
Dito globo a 75000 a dita
Dito camiseiro a 75000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichs de 15 e seda 15000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Espartilhos couraea a 45000 e 5500(;
Colchas de fustao a 25000 e 35000.
Capellas para noiva com veo bordado t
65000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 15530.
Renda de la, greta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de Bal
a 15000.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama
105000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
Guarnicues, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para bapnsado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para anfeite"
Grande sortimento de chapeos de
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TEyLEPHONE 200
sem.
FOLPSTIM
N0 11 UfBBQI
POR
\" 1 AIS MLAKY
PRIIRA PRTE
(Continuas a o do n. 18 9)
I
A brisa fria que soprava das montanhas
produzia-lhe tremores bruscos que agita-
ram-n'o da cabesa aos pos, coreo se elle
estivesse sob a accSo de urna corrente elc-
trica.
O surdo rodar de urna carruagem, que
corra sobre a carnada de nev da ra, o
espertou de todo.
Receiou ser visto e tomou por um bec-
co eatreito, onde apenas penetrava urna
restea do azul do co, pouco mais largo
do que um dedo, pelo estreito intervallo
que deixavam entre si as beiradas dos te-
Uiados, em balanco sobre as fachadas.
Umxabriolet passou rpido por diante do
boceo, com suas duas lanternas de vidros
brancos accesas.
Francisco murranrou :
Ah 1 o Dr. Magnabat, a quem de-
ram aviso. Elle corre a Boucboux...
O moco sahio da ruela, apertou 03 pas-
aos, chegou ra do Poyat e daas vezes
fea soar o martello do portao de urna des-
aascasas do reomemenio, escapadas por mi-
lagro ao incendio de 1799. Era ahi
morava o general Hormais, com seu filho
e sua ti'ha.
Francisco subi ao primeiro andar e foi
logo para o quarlo que lhe era reservado.
Apenas entrado no quarto, fe'chou a por-
ta chave, com um arrebatamento brutal
e deixou-se caliir em cheio Da primeira
cade ira que encontrou.
Depois, com difficuldade tirou o sobre-
todo, a sobrecasaca, mudou de roupa e
por fim, um pouco mais calmo, sem tomar
o mnimo repouso, nem pensar em dormir,
entregou-se a estranha bcdlac3U).
Abri, urna por urna, as'gavetas de sua
escrivaninha, tirou dellas liJtelots, trapos,
cartas, que ptiz em cima de urna mesa:
depois, puxando urna cadeir e sentndo-
se, poz-se a examinar todas essas cousas.
Tudo isso fazia febril, com grande pres-
sa de acabar.
E, entretanto, medida que o trabalho
adiantava-se, elle procurou recordar-se,
desejando nada esquecer, esquadrinhando
os menores escaninhos, pondo em tudo o
maior cuidado.
Havia cartas no monte, algumas tendo
ainda um leve e subtil perfume, muitas
vezes lidas, que elle approximou dos la-
bios e beijou com furia, antes de lansal-as
ao fogo.
Depois foi a vez da photographia, muito
grande, de urna mnlher, cujos tra$os phy-
sionomicos eram de grande pureza, olhos
negros, fendidos longamente e cheios de
vivacidade, foi a vez de urna mecha de ca-
bellos, presos em transa ; foi ainda a vez
de urna luva, um fragmento de renda, urna
fita,?flres murenas, mil ninhariasde amor,
cada urna levando comsigo a memoria de
urna hora de volupia e de ternura. Tudo
isso conftsameute, flores, fitas, rendas, lu-
vas, cabellos e cartas, ioi sepultarse rio
fogao; tudo isso crestou-se, pegou fogo,
produzindo urna charnma que lambeu a
fuligem da chamin e em breve extingui-
se.
^Francisco abri a janella e debrusou-se.
* Abaixo dille estendiam-se as profunde-
zas do valle do Tacn ; o rio corria mur-
murando para juntar-se um pouco adiante
ao Bigpp*. A' esquerda a la enviava
e ponte suspensa que liga,
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria e commodidade em
presos: bolo, po-dc-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos. vatap,
bandeijas para casamentes e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
IMMBI
IMUL
*5LRY Vende- e toda a sarta
a urna altura de mais de cincoenta me-
tros, a prasa de S. Pedro ao morro das
Etappes. E no taboleiro nao se via pes-
soa alguma em todo o comprimento, de
urna ponta outra.
Elle tirou do bolso um revolver, exa-
minou-o com repugnancia a que se junta-
va espanto, hesitou um segundo e depois,
de novo debrucando-se na janella, assegu-
rou-se se da ponte era possivel vel-o.
Estendendo o brayo no vacuo, deixou
cahir a arma que, no sop do rochedo,
mergulhou no Tacn.
Foi s entao que respirou.
Agora nada mais tenho a temer,
murmurou.
E fechou a janella.
Nesse instante o martello batia de novo
na porta da ra.
A porta abrio-se. Ouviram-se passos
na escada.
Era o general que voltava do baile da
sub-prefeitura com Suzana.
Quando a moca passou diante do jouarto
em direcsao ao seu, bateu de leve 6 Ctisse :
Ests dormindo, Chico ?
Nao.
Entao, boa noite e dorme bem.
Boa noite, maninha, dase o mo^o
com voz alterada, boa noite e obrigado !...
E, quando nao ouvio mais os passos le-
ves de Suzana, Francisco atirou-se ca-
ma, vestido, e longo soluco, s#m o roci
das lagrimas, convulso, encheu-lhe comple-
tamente o peito.
II
Quando deixa Saint-Cloude para ir a
Bouchoux, a estrada sobe primeiro cerca
de um kilmetro, margena direita do Ta-
cn, depois, deixando Septmoncel es-
querda, transpde.o rio.
O valle ao Tacn, que o viajante Begue
at Bouchoux, um dos mais pittorescos
do Jura.
Em todo o percurso cahem das monta-
nhas cascatas e torrentes que se lansam
no rio, com estrondo, em um fundo pe-
dregoso.
Gonssolin, um dos mais ricos negocian-
tes de madeiras do Jura, tinha sua resi-
dencia em Bouchoux, no lugar do antigo
sol
Boa taverna
Vende-se a da na Mrquez do Herval n. 29
(esquina da ra das llores) ou admitte-se um
socio com aptido para a sua gerencia ; a tratar
na ra de Hortas n. 15.
Taverna
Vende se una pequea taverna eai S. Jos, a
qual retalha 1:000* mensalmeote ; para infor-
inasOes, trata-se no pateo doTergo n. 21, ta-
verna.
prorado de Cuttura, de que apenas res-
tam hoje ruinas insignificantes.
Pertencia a esse negociante a importan-
te serrara hydraulica, e3tabelecida ao su-
deste de Bouchoux no Baume, no lugar
em que este se despenha do rochedo do
Couloirs.
Gonssolin, havendo perdido, mofo, sua
primeira mulher, que nao deixou filhos,
conservou-se viuvo at aos quarenta an-
nos.
Pareca nao se lembrar mais de casa-
mento, quando o acaso encarregou-se de
por no seu caminho urna mosa muito po-
bre, Magdalena Reynaud, cuja belleza pe-
regrina fez profunda impressSo no seu co-
ras ao.
O amor, que havia adormecido nelle
desde a perda de saa mulher, acordou com
"ntlrTiMT"" Logo veio-lhe a idea de ca-
sar com*Mjagdalena, e inuteis foram as
eonsiderasefi-tos receios, que um resto
de razio-lhe inspirou.
Pedio a mSW da mosa.
Gonssolin era feio e commum.
Quando* se soube da novidade foram
gargaihaaas gferaes em Saint-Glaude. Nin-
guem poda acreditar que Mllc. Raynaud
o aceitasse.
Todos estavam engaados.
Eaquecenno os seus vinte annos, os es-
plendores de sua adiniravel belleza e a
enorme desprodbrsao das Mades, Magda-
lena nSo duvidou dar a sua mao ao ma-
deireiro e ner aya mulher.
Houve expiWo de Vnexericos e de his-
torias inverosimeis, que passaram e nin-
guem se oceupou otis do casamento.
Magdalena e seu marido txaram resi-
dencia em Bouchoux, poucaa vezes indo a
Saint-Claude e levando v)a retirada, o
que fazia dzer a muitas amigas de Mme.
Gonesolin, que se lembravam della :
Como deve envelhecer e aborrecer-
se Magdalena!
. Assim se passaram dez annos.
Como se conserjava o amor de Gonsso*
lin por sua muliic
Subsista com-Iia* a vioiencia^no ob-
stante os cabelk ^^^HEa^Blka^B
Linras sterlinas
s sterlinas
n.5.
na ra do Com'
Vende-se librl
mercio, armazei
Yinho piuro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietariofe do Armazem Central, ra
do Cabug nv 11,/avisam aos seus disnctos fre-
guezes e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa deate especial vinho, o qual se
recommendapor ser puro da uva, e s se reta-
lha em sen armazem.
Joaquim Christovo & C.
Telephone 447
Taverna
Vende-se oua'mitte se um socio ;
Pernambucanas n. 25 B, Capunga."
na ra das
A FLORIDA
Galoes, palmas e rosas do vdrilho.
Bicos de seda e de algodao com
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para hornera a 35000 e 4JS000
a duzia. *
Bordados de camb aa tapada a 400 500*
600e800rs.-apfca.
dem com 3 e 12 metros, de qual que
arghr* a 1-5200.
Lensos de linho em caixinhs a 3^000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 4$000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Lindos leques transparentes de eaze
35000 um. B
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 45 65 e
85000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
25500 a 35OOO o par.
Cortinados todos do crochet para cama a
I25OOO, 175000 e 195000 o par, alguna
de 6res.
18 para anellas a 75000.
os de crochet para cadeiras a 800 e
5000. _
Ditos para sof a 25000.
Plasons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de compriment.
a 45000.
Caoellas com veo para noiva a 65000 e
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105 e
125000.
Toucas de setim para baptisado a 35, 45 e
55000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha de
incihor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 25000 a peca
Ditos de seda brancc3 e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos cclluloide.
Grande sortimento do titas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e olees de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car-
ritel.
Pastas a 15000 e 25000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 e
par.
Ditas de seda para creaba a 15000.
Dita para mosa a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lensos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitar cabesa e segurar
chapo.
Espartilhos para creansa a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 e
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 a
15500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprir.
para creansa.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de la para homens e senhoras.
Linha dourada para faaer crochet.
Lindas fitas para facha a 25, 35 e 40OOC*
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarsa,
Finas carteiras para algibeira de 15, 2j,
3 e 35500 urna.


Roya! Blend marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retaiho nos melhores arma-
zens de mol hados.
Pede oval Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema sao registrados pars
todo Brazil.
BROWNS & C., agentes.
T
velho com urna mulhsr mosa, a cuja belle-
za pareciam juntar-se, com os annos, to-
dos os ardores secretos de urna natureza
fogosa e de um corasao vasio ?
Um inferno.
Esse passado muito dramtico e sua
historia se aeha tao intimamente ligada
acsao desta narrativa, que conveniente"
dizermos alguma cousa a seu respeito.
Aceitando ser mulher de Gonssolin,
Magdalena s tinha pensado em urna cou-
sa : sahir, por qualquer modo, da miseria
em que se sepultava sua modidade.
' Filha de um sub-inspector das florestas,
vivia, com sua mi, da magra pensao con-
cedida pelo Estado, depois da morte de
JoSto Reynaud, seu pai, esmagado por um
pinheiro, sobre elle cahido por occasiao de
um furacao, cjos eeitos desastrosos es-
to ainda na memoria de todo Saint-Clau-
de.
Ella s podia aspirar, apezar de sua
belleza, a partidos, que sem duvida lhe
dariam um pouco mais de abastanca, mas
entretanto, a deixariam toda a vida em
posisao mediocre.
O pedido de Gonssolin, seu amor, sua
cegueira, cahiram uns aps outros con
os precursores de urna fortuna sonhad
mas sempre considerada impossivel.
Quanto, a amar a esse homem, que lhe
trazia a dedicas-o da sua idade, a recti-
dSo de seu corasao, as riquezas de urna
existencia de economas e de trabalho in-
sano, nunca isso lhe passou pelo pensa-
mento.
Amar Gonssolin, um typo alto como urna
torre, de cabesa chata, largo de hombros
e de cadeiras, supportado por enormes
pernas, inabalavel sobre ps tao solidos
como as pedreiras do Jura, isso seria aug-
mentar o ridiculo do casamento.
Nessa affeiso teria havido urna espe-
cie de abnegacSo, pela qual seu corasao
seria compensado com a paz ; mas, posto
que sua alma nSo fosse vulgar, ella n2o
era mulher para comprehender esta deli-
cadeza do sacrificio. Tinha admittido seu
casamento como urna porta aberta para a
felicidade. Era ainda um sonho que ella
tivera e de que a despertara bruscamente
Gonsaoli:


Roa Duque de Caxiasn. 103
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.______
Pao centeio
Mello & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as ter&s e sextas-feiras, tem este sa-J
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
No fim de alguns mezes, contando com
o amor de seu marido, ella havia'fallado
em deixar Bouchoux e ir para outro lagar,
para Lons-le Saulnier, para Besansop, para
Pariz.
Bouchoux, esse pai& montanhoao, em
que a nev estabelece residencia, oito ou
nove mezes por anno, era urna residenciar
soberba ; essa paysagem variada de pe-
dreiras, de florestas, de aldeias, de valles,
de torrentes, de grotas e de cascatas, era
um espectculo de urna belleza grandiosa j
mas, na verdade, dizia ella, com urna for
tuna como a de Gonssolin, isto com
mais de trinta ml francos de renda, era
razoavel passar os doze mezes do atino no
meio dessa monotona e dessa solidao ?
Nao quera ficar nelle mais tempo, porque
ahi definhava. Quando morreu Joao Rey-
naud, a pobreza impedio os de deixar
Sant-Claude, a ellae a suamai ; mas ho-
je, queo amor de Gonssolin a tornara ri-
ca, nao tinha mais que um desejo, um
pensamento : fugir de Bouchoux onde aba-
fava, como se a cadeia de montanhas t-
vesse cahido em cheio sobre seu peito.
Gonssolin, deixara fcllar, depois sacu-
dindo a cabesa, tinha respondido, lac-
nico :
NSo: nao quero deixar Bouchoux.
No primeiro da em que ella fez o pedido,
em que ouvio a recusa, insisti, julgando
que um signal de enfado de seus labios,
que urna supplica de seus grandes oihos
bastassem para vencer a resistencia de sen
marido.
Este tinha repetido :
Nasci em Bouchoux, fiz aqu fortu- >
na. Em qualquer outro lugar morreria
logo. Nao supportaria mais do que um
anno. Nao quero sahir daqui. P.ara que ?
Magdalena havia em vo hitado com
urna vontade immutavel.
Em vSo ella havia empregado as astu-
cias que sua imaginasao e-o ardor de seu "1
desajo lhe inspiravam.
Havia amotinado Gonssolin sem abalar
sua resolucito.
(Coniinuar-te-ho)
'
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8Y62M5OE_PQU718 INGEST_TIME 2014-05-21T23:25:09Z PACKAGE AA00011611_16937
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES