Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16936


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
t
13450^
20,5000
2

Trcpiiedade de ZMatootl
i de 3 fcAVISO,
ityr-amos aos Srs. assi-
>sjt Diario que se
acliam em ai razo o obsequio
do manda rem abonar %^us
ente

$r. ministra ese
na Juslica. iOM-t
Jontio liada
mas i i
avale c,:\'.
gal exaspera a io
Igual aos promotores
deb tos ate o fimjd< xit
afim de nfn ^o!
M
etado dea1 Negocios
,.-' >r. praoK/Trimiuj!-
q :iiu!o le
i QeaU eidade.
iblicos'das demais co-
d-j ,hv-
*
mez,
i ir
mesmo no pri
tembro.
I 1H-^
uranio
X*
de
rom
Se-
me nun lu mu
RO DE JANEIRO, 22' de Agosto, s 3
horas e 2 minutos da tarde.
Foi nomeaJo lento substituto da Facul-
dade de Direito do Reeife, o Dr. Adelino
de Luna Freir Jnior.
' Foi removido do termo de Sant'An-
jia do Parnahyba, na provincia de Matto
Grosso para o Je Banaaeiras, na da Para-
Jiyba, o juiz municipal bacharel Iellino
Ilermillo Cavlcantc Souto.
:zm;: da hhza imi
CONSTANTINOPLA, 12 de Agosto.
-V sitiuuvio na
Ihor.
P.ERLIM, 22le Agosto.
Un de Creta est me-

Acaba de ser passada urna revista as
tropas, em Strasburgo, em honra da visita
de S. M. o Imperador idade.
PARS, 22 de Agosto.
her-
aqui
SS. AA. o principe e a princeza,
deiros de Portugal, acabara de chegar
para visitar a ExposicSo Universal.
Agencia Ilavas, filial em Pernambuco,
98 de Agosto de 1389.
INSTRUCCO POPULAR
AS GRAMS IPHCttS
ANTIGS E MODKftNAS
AS
Sciencias. industrias e artes
POR
xxiv
A photographia
(Coatinuacao)
Fica pois um desenlio, no qual as partes da-
a apparecein cm prcto e as sombras era bran-
co ; ito a que se rbatna imagem negativa.
Oue se colloquo agora esta imagem sobre una
folha de papel impregnada duin sal de prata, e
que sejam arabas expqstts ao sol ; as partes
brancas do desenlio deix-iram pn.-sar os raios lu-
a.jiosos, c as partes escuras nao : do que resulla
obre o papel assim cobalto pela prova negativa
r impregnado do sal de prata, urna prova cha-
mada positiva, sobre a qual os claros e sombras
lieam na posigo normal.
l'issemos agora ao orocesso mechanico.
Paraobter a prava negativa na cmara escura,
recebe-se a imagem sttbre urna folha de papel
coberto de iodureto de prata misturado com um
pouco de acido actico, a^ em seguida expoc-se
ao foco da cmara escara. Ao cabo, pouco roais
01 menos de roeio minuto, produi-se a aegio
Comtudo, quando se extrahe da cmara escura
a folha de papel, nao se v imagem algn: a.
Para fazer apparecer, mergulba-se a prova em
urna soluco d'acido galhico, que forma um sal
figro, galhato de prata, em todos os pontos em
que se formou oxydo de prata livre^isto Ni
todos aquelles em que deu a luz.
Lava-se a prova em urna solucao de hyposul-
lito de soda, para le tirar o excesso do sal de
prata nao atacado, e Rea prompta a prova nega-
tiva. Collocando finalmente esta prova obre
urna folha de papel impeegnada de chlorureto de
pnita, expondo-a ao sol jurante quinze a vinte
minutos, luz diffusa duflnte um espago de tern-
que varia de meia hora a 4 hora imagem positiva, que tcessario lavar, como
ba pouco se fez, c pelo mesmo motivo, com hy-
pOnHKo de soda.
Acrescentaremos que pode tirar-se grande nu-
mero de positivas da prova negativa, a que se
chima tambem clich'.
(Continia)
PARTE OFFICIAL
C!verno ria Provincia
EXPEDIENTE l>0 D.V 3 DE JILIIO DE 1889
uilidos :
Ao ministro plenipotenciario do Braz em
Londres.Tenho a honra de enviar a V. Exc.
o incluso saque de libra 10.17,6. tomado aoLon-
don of Brazilian Bank Limited sobre a casa Glyn,
Millo, Currie C. dessa praco, atln, de ser essa
gao indemnisada daquantia dispendidacara
a pnblicacao no jornal Times do edital chaman-
do concurrrentes ao novo contracto deillumina-
co a gaz desta capital, CDnforme solicita V.
era oflicio de 2'J de Maio ultimo.
Renov a v. Exc. meiis protestos.de elevada
na e dlstmcta conlderacSo.
Aos promotores pblicos do e 2o dispe-
lo da capitaLErn virtude do ordem do Extn.
. t e
Ka
Serra
io L'.Uera-
atado olli'.io.
mareas. Cnm(nuduu-so aoJaspect
giene e ao Dr. chefi: de pedifl
Ao inspector geral da stra;
lAccusand u re ebi.nento do off
Vmc. dirigi a esta prcsideucia c
bro do amo panado, tenho po
llie nos termos do art. .10 a. & das
44 de Maio (i
de Aditnor' 4>r* n
rteiras-I. en-iio orinam) de I i
Brau.M, ?. \..~u do parecer ; > ''. .
rio edocumentos aanexos ao seu
dos quaes se verifica completa incapacidade dos
supplteantes para o Magisterio.
Portara :
O Sr. gerente da Gompanhia Pernarahuca
na de Xavegaeilo, faca transportar para o presi-
dio de Fernando de .\oronha Da prxima riagem
do vapor Jaguan: cora passagem gratuiu de
re ao paire FraacisM Alelmo di BntO Minias.
oanetlao o prntessor de priraeiras lettraa do mes-
mo prendi,
EXPEME.YI'i: DO Dli. SECEEIARIn
Olldo: .
Ao cefe da directora da secretaria de Es-
tado da Agricultura Commercio e Obra* Pu-
blicas.S. Exc. o Sr. vice presidentente da
provincia manda remetter a V. Exc os seis
inclusos mnelos fmpressos, sendo tres das
razes pelas qoaes o Exm. ^Sr. Dr. Innocencio
Marques de Araajo Ges negou sanceao a le
de oreamento municipal, e tres do relatorio cora
3ue o mesmo Exm. Sr. passou a administraco
esta provincia ao Exm. Sr. Dr.Ignacio Joaquim
de Souza Lean.
BXPRDIFTE DO DA 4 DE JCLHO DB 18H
Actos:
O vice-presidente da provincia resolve deter-
minar que o bacharel Jellerson Mirabeaa de Aze-
vedo Soarcs, que exerce o cargo de caefe da l.'
seeeo da Itecebedoria. fique addido ao Thesou-
ro Provincial.RemeHeu-se copia ao inspector
do Thesouro Provincial.
O vico-presidente da provincia, tendo era
vista as duas propostas apresenladas pelos pro-
picanos agrcolas c agricultores Candido Iias
e o bacharel Olyrapio de S e Albuquerque e do
negociante prop'rietario capitalista (ratuliano dos
Santos Vital, de conformidade com o edital de 4
de Maio ultimo para a construeco e explorarao
de um engenho central de typ menor.no mu-
nicipio de Ipojuca, nos termos do art. lf> da lei
n. 1800 de 11 de Agosto de 1883 e lei n. 1973
de 22 de Marco do correnle anno, e considerando
que mais vautajosa a proposta de Candido Dias
e bacharel Oiympio de S e Albuquerque, resol-
ve que com elles se contrete a construeco e
exploraeo do menebuado engenho, sob as se-
gantes bases:
1.
Candido Dias e o bacharel Oly;upi de S e
Albuquerque por si ou com o auxilio de agricul-
tores seus associados, obrigam-se a construir e
explorar ne municipio de l[)0|cea desta provin-
cia, nm engenho central de lypo menor do custo
de 300:0005 ; com capacidaae para ssr'fejar em
cem dias uleis de moagem doze. mith&cs de ki-
lograramas de cannas, no mnimo.
i.
Os apparelhos e macliinisnios sero os mals
modernos e aperfeicoados, de molo a poder ob-
ter-se das cannas a maior porcentagem de assu-
car. a juizo da comraisso nomead de accordo
com o presidente la provincia.
3."
Serao submetlidos approvago do presidente
da provincia at odia :ldeSetembrodeste anno
o plano de todas as obras-projectadas, os dese-
nhos e relacao dos apparelhos, descripeo do pro
cesso de fabrico de assucar, a planta do local e
os contractos feitcs com os fornecedores de can-
nas.
4.*
As obras de construeco do engeaho depois de
feitas e approvados os exames de que trata a
clausula 2. ficaro concluidas em Setembro de
1890, salvo caso de forca maior.
5.*
Oa proponenk'3 (icario suieilos mulla de
3:OO0^0il(i :
l. Si as obras do engenho nao forem conclui-
das dentro doprazo estipulado. eabendaos for-
necedores de cannas urna indemnisaco pelas
suas safras, salvo caso de Ion a maior.
2." Si deixar do fnnccioiiar o engenho por es-
paco de um anno, salvo caso de forra maior.
Os casos de forra maior serao justificados e
julgados pela presidencia,
b
Os direilos e obrigac5es entre os proponentes
e fornecedores de canna sero regulados pelos
contractos entre tiles celebrados eescripturados.
7.
&A provincia concorrer a titulo de empre3timo
com a auantia de 100:000* era apolices de 7 /
ao anno sendo os respectivos juros recolhidos
pelos proponentes ao Thesouro Provincial no fim
de cada semestre.
8.
O pagamento da quantia de 100:000a ser
feito pela provincia em duas prcstac&es iaoaes
de accordo com o art. 16 da lei n. 1860 de 1885 e
artigo nico da lei n. 1972 do correte anno.
9/
A provincia ter hypotheca sobre o engenho
central e dependencias do mesmo para garanta
de suas apoliets, concedendo, porem, isencoes
de quaesquerimpostosprovinciaese municipaes,
exceptuados nicamente os de exportaco em-
quanto nao forem eliminarlos da receita provin-
cial nos termos do % 4. nico da lei n. 1972
deste anno.
10
A provincia ter as obras um engenieiro fis-
cal de nonieacu do presidente da provincia com
a gratificaco de 1:2003000 annuaes que correr
por corita dos proponentes.
U.'
O conlracto realisado pelos proponentes so po-
ner ser transferido a agricultores, precedendo
approvaco do presidente da provincia, con re
lago a todas as clausulas da cesso ou transfe-
rencia.
Poder.p, porm, os proponentes encorporar
companha.que love a effeito a fundaco e rxplo-
raco do engenho central e, depois que ella es-
tiver legallmente constituida, trinsfenr-llie todos
03 direitOs e obrigaces do allulido contracto,
precedendo, igualmente, anprovago da presi-
dencia.
Il
03 proponentes prestaraV) perante o Thesouro
Provincial Ranea que garanta a importancia dos
juros que tiver'de pagar a provincia pela emis-
so de aas apolices, codeado diminuir a referi-
da aqga a medida que realisar-se a amortisa-
5- : 13,
Nenium dividendo ser pago antes de serem
satisftiitos os juros das apolices emittidas pela
provinjeia e a quota da respectiva araortizagao.
Quajesquer duvldas que se suscitarera entre o
presidente da provincia e os proponentes sero
definitivamente decididas por dous arbitros no
meados, um pelo presidente da provincia e o-
tro pelos proponentes.
No/caso de desaccordo aotre os arbitros cada
um as a
HOlSC'^ e a
WXo. iufraQi_
seqt'
maro
obra
m>
nresili .
i valor rio contrae! > ser lixado p
feitos legaes, na importancia de 3W)0005000.
17. -
Os proponentes licam obrigados a emprestar,
sob sua responsabilidade, a prazos convenciona-
dos, a juro nao excedente de 8 ao anno, capi-
taes aos .plantadores e fornecedores de cannas,
como adian'amento para auxilio dos gastos da
produceo, nao excedendo o emprestimo de
dous tergos ilo valor presumvel da safra e de-
vendo realisar-se a lempo de poder ser utilisdo
desde a primeira culbeita: e bem assirh. nos
contractos celebrados para forneciuicnto de can-
nas, 'pagar nos primeiros quatro annos por cem
klogrammas de canoas, quatro kilogrammas de
assucar m'lscavado bom pelo prego correntc do
mercado, cinco do mesmo assucar nos dez an-
nos posteriores e seis de ento em diante, com
tanto que a canna encerr, pelo menos, 12 "/o de
saccharosc.
18.'
Dcduzidas as despezas do custeio do engenho
central, depoisde salisfeitos os Juros das apo-
lices c respectiva quoia da amortisara do divi-
dendo annual destinado aos interessados ou ac-
cionistas, se deduzir 2."> que sero reparti-
dos entre os fornecedores de cannas, cada um
em proporgo ao fornecimento que houver feito
durante o anno.
19.-
A amortisago ras apolices auxiliares de que
trata o n. o do art. lti da lei n. 1,860 de 18S3 se-
r feita de accordo cora o i? 2f do art. uuico da
lei ii 1.972 do corrate anno, nas razo de
12 */.Keraetteu-se copia ao inspector do The-
souro Provincial.
O vice-presidente da provincia d accordo
cora a proposta do administrador dos Corre'ios
em officio n. 6.V5 de 27 de Junho ultimo, resolve
reentregar no lugar de agente do crrelo da vil-
la de Serinhaem Flix Pacheco de Menezes fi-
cando exonerada Maria das Virgens Bocha que
ocxcrcia.Gommunicou-se ao administrador dos
Correios.
O vico presidente da provincia de accordo
^com a proposta do administrador dos Correros
em officio de hootera sob n. 671, resolve reintre-
gar no lugar de agente do correio da estago de
Freixeiras, na estrada de ferro do Recile ao S-
Francisco loao Ignacio dos Santos e nomear pa-
ra iguacs cargos na povoagSo de S. Jos do Bel-
lo-Monte o capito Antonio Gomes de S e para
Villa-Bella Isaac Barbosa Nogueira de Barros,
licando exonerado* os serventuarfrj?.Commu-
nicou se ao administrador dos Correios. *""V
O vicepresidente da provincia resolve de
conformidade com a proposta do Dr. chefe de
polica, em oflicio n. 731, de hontem datado, di-
vidir, por conveniencia do servigo publico em
duas delegadas o termo de Tacarati, sendo a
primeira, sob a denonnnago de Jatob, compos-
ta dos districtos de subdelegada de Jatob, Var-
zea Redonda c Volta, licando supprimidoo refe-
rido districto de Varzea Redonda, que ser reu
nido ao de Jatob; e a 2' do disiricto de subde-
legada de Tacarat e todo o territorio do dis-
tricto do Espirito-Santo. Communicou-se ao
Dr. chefe de polica.
O vicepresidente da provincia resolve no-
mear o coronel Alexandrino Ferreira de Alcn-
tara Miranda e capito Joaquim da Fonseca Ca-
valcante Galvo para exercerera os carg03 de
delegados dos districtos luteranos de Itaraara-
c e Maranguape, na ordem em que se achara
collocadcs, licando exonerados os actuaes
Communicou-se a Instrucco Publica.
O vice-presidenle da provincia attendendo
ao que requereu Maria do Patrocinio Cavalcante
Uchoa, professora da cadeira de ensino primario
de Palmeira de Garanliuns e leudo era vista a n-
formaro n. ICO de 25 de Junho tindo do inspec-
tor gefal da Instrucgo Publica resolve conceder
a peticionaria a contar de Ia do corrate :'. me-
zes de licenga com ordenado, para tratar de sua
saude onde ihc convier.
Ofilcios :
Ao Dr. Joaquim Jos de Sania Anua. 1." vice-
presidente da provincia de Minas Geraes. -Pelo
oflicio, a que respondo, de 18 de Junbo linio,
tico sciente de haver V. Exc. assumido, na mes-
raa data, a administraco dessa provincia na
qualidade de seu 1." vicepresidente.
Ao commandante das armas interino.Pro-
videncie V. S. para que soja posto disposirto
desta presidencia, para servico, ale ulterior de-
liberago, o tenente do 14 batalho de infanta-
ria, Francisco Evaristo de Souza.
Ao mesmo.Respondo ao oflicio de V. S.,
de hontem datado, sob n. 1,403, autorisando-n a
fazer regressar do presidio de Fernando de No-
ronha para esta capital o capello do corpo ec
clesiastico do exercito, conego Telesphoro de
Paula Augusto, visto ter de para all seguir, na
primeira opporiunidaJe, o respectivo capello
padre Francisco Adelino de Britto Dantas.
Mesta data expego as necessanas ordens para
o transporte do referido capello Telesphoro de
Paula Augusto.
Ao inspector da Thesouraria de Fazcnda.
Por aviso de 21 de Junho, n. 2,763. declarou-me
o Exm. Sr. ministro do imperio Bear approva-,
do, pela respectiva verba do exercicio de 1889,
o crdito de 600, que a presidencia abri para
paga nenio da ajada de custo de ida e volta ao
deputao Assembla Geral Legislativa pela
provincia da Bahia, Dr. Innocencio Marques de
Araujo Gees, na sessiio do corrente anno.
Ao mesmo. -Mande V. S. supprir o almo-
KariCado d<- presidio de Fernando de N0rooa*
com a cuanta de 1:99X4979 para a desneza do
pessoal e material do mesmo presidio, no mez
de Ago.Uo prximo futuro, conforme sua infor-
m igo do 1. ilo corrente, n. 239
Heicelto-lhe u demonstragc da mencionada
despeza. -Communicou-se ao director do presi-
dio de Femando de N'orunha.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os
fins convenientes, que o juiz municipal do termo
do Bonito, bacharel II letonso do Regt> Barros
e.n do corrente mez entrou no gozo de 30 dias
de licenga, que llie foi ltimamente concedida,
para tratar de sua sade.
Ao inipector especial de Ierras e colonisa-
Qo. Informe Vmc, com urgenda, em que va-
por dragaran] dous emigrantes importados por
conta do contracto de M inoel de Amorim Leo ;
qual a sua nacionalidade ; se veio rela^o do
cnsul respectivo e que destino liveram.
Ao mesiDO.Informe Vmc. sobre o que se
le no Jurml d> Reeife le hoj, sob a epigraphe
Para o Exm. Sr. presidente da provincia ver e
providenciar .
Ao juiz municipal do termo de Bom Jar-
dim.Hivouimi'udo -a Vmc, em resporv
lo Ando, que req
Auna, qi

is rerr
frocada. Commu-
BHI.
' irpo de fidieia.
i- irpb sob seu coni-
: oflicio U.
vrnaaibuci-
proiiucia da
la r.utjrra |,!
a .sua
n.Ki tnandar
s e commn
clores da Inslrucyao Publicae do Thesourt) Pro-
vincial.
J. ApBllonia ta Silva.informe o Sr. director
do Theatro de- Santa Izabel.
Maria l.ydia do Sacrameuto. lufo.'me o ^r.
Dr inspector da iustruceo Publica.
Reparllco da Polica
N. 1,034Secretariado Po-
la de Pernambuco. 22 de Agosto de lai).
Pvti no u V. Jjj/*,
2." secgao
(!
DuLm. dJIBLLj- Pa# gj
DetengVi, .ividuos:
4f AJflH
asa. di

nicou-uj aocommandante das armas.
O^r erente daCompanhia Pernambuca-
na de ?flvegaco faca transportar du presiflio
de FernjfJd de Noro'uha para esta capital, por
conta dj Ministerio da Guerra, o capello do
corpo diexercito conego Thclesphoro do l'aula
Augusta
lato a r. da Parahyba a esta capital a Ar-
thur Majiado e as suas nns, por conta das
gratuita a que o governo tem direito.
O jr. superintendente da estrada de ferro
do Recif ao S. Francisco d p issgens, por con
ta da prjvincia, com direito a bagagem, da es
laeo ddEscada e das Cinco Poetas, ao preso
Joo Thlribulo dos Santos, que tem de cumprir
ser.tengaoa Casa de Detenco, e duas.pracas de
polica jj o cscoltam.
EXPEDIENTE DO DH. SCCBETAB10
Ofliciik:
Aott" secretario da Assembla Legislativa
Provinci|l. De ordem do Exm. Sr. vice-presi-
dente daprovincia devolvo aV. S. iimexemplar
da Resolfo, enviada com o seu oflicio n.,68 do
mez lindi. a qual foi saneciooada sdb n. i.itn'j.
Aoinspector da Thesouraria de Fazenda.
O Exm. ir. vicepresidente da provincia manda
remeltera V. S. tres ordens do Thesouro Nacio-
nal de rf. 101 a 103.
Aocommandante do corpo de polica. S.
Exc. o !r. vice presidente da provincia manda
declarai i V. S. que fica inteiado do assumplo
icio n. 11 de 2 do correnle mez.
ngenheiro fiscal dos Trilhos l'rbanos
do Itedfla Olinda e Beberibe. De ordem do
Ex;n. Srlvice-presidcnte da provincia aecuso a
recepgo do oflicio Je V. S., de hoje, no qual
cominunea ter reassumido o exercicio o cargo
de engefieiro fiscal dessa estrada de ferro.
Aoierente da caixa filial do Banco Inter-
nacionalilo Brasil.- De ordem do Exm. Sr. vi-
ce presiente du provincia .aecuso o recebimen-
to do off :io sem da a de V. S., acompanhado do
balanceti das operages realisadas al o fim do
mez ultiuo, por essa caixa filial.
Aos agentes do Loudon & Brazilian Bank
Limiled.-j-De ordem do Exm. Sr. vice-presiden-'
le da praincia aecuso o recebimento do oflicio
de Vv. Si. datado de hoje, acompanhado do ba-
lancele las operages effeetnadas at o fim de
Junbo iflimo, por essa caixa filial.
L A" ordem do subdelegado do
Kj m
de seu o
Ao
*
DESPACHOS DA PP.fcSIDEXCLV DO DA 20
DE AGOSTO DE l 889
Abaixo assignados alumnos to 4 anno da Es-
cola Normal.Tendo os supplicantes, se maci-
culado na Escola Normal, vigorando o regula-
miHitojanterior ao de 27 de Bezembro de 187, e
em poca, era que contavam completar o curso
da-Escola en tres anuos, medindo na tentativa
de habililarcm-sc para o ensino, a somma de
sacrificios que Ihes era licito fazer. E, atten-
dendo a que o regulamento vigente mantem o
curso de tres annos em quanto nao for preenchi-
da a coudiccc H do dito regulamento.. como
preceitua o art. 72 das suas disoosic5es provi-
sorias ; Attendendo finalmente a deficiencia do
regulamento em vigor, que em suas disposiroes
transitorias e por detriais insulliciente, dando
lugar as dilliculoades, cuja solugo depende de
apreciagoes.em que, a equidade occorre a som-
ma dos esforcos empregados em boa f, e vigo-
rando o rgimen ainda tolerado na hypothese do
art. 72 do actual regulamento da Escola Normal,
resolve deferir a peiieo dos supplicantes, man-
dando que se passe o titulo de normalistas s
supplicantes, que liverem lido approvages re-
gulares nos tres anuos, e quaesquer outros que
se acnarem em idnticas condiges. Enve-se
copia do presente despw-ho ao Sr. director ge-
ral da Instrucco Publica para os (-(Yeitos legaes.
Abaixo assignados, proprietarios c moradores
establecidos na ra Imperial. Ao Sr. Dr. di-
rector das Obras Publicas aflra de providenciar
que nao fique inlerrompidoo transito
Antonio Pedro do N'aseimento.O supplicante
veio da provincia da3 Alagoas nao simplesmear
te. por denuncia de ser criminoso e sim pronun-
ciado por crime de morte no termo do Triumpho.
J ofuciou se ao respectivo juiz municipal e de
novo se o faz.
\baixo assignados, moradores neste povoado
de N. S. do O' de Maranguape. Informe o Sr
inspector geral da Instrucgo Publica.
Antouio Cesar Faria Valenca.Indeferido.
Augusto Juventino da Costa Braga. Entre-
gue se mediante recibo.
Chrispini do Atnaral.-Informe o Sr. inspector
do Thesouro Provincial.
Digna de Sauta Rosa. Concedo, sendo um
mez com metade do ordenado na forma do art.
131 n. 2 do regulamento vigente.
Francisco ilos Santos e Silva. Altenderei op-
portunamen'.e.
Fraucisco Antonio de Meira Lima. Nao
que deferir. ..
Bacharel Gaudino Eudoxio de Brito. Dirja-
se Thesouraria de Fazenda que se acha habili-
tada pela ordem do Thesouro Nacional n. 146.
Joo Guilherme Mariuho Falciio. Informe o
Sr. iuspec'or do Arsenal de Marinha.
Joo de Arroxella Jayme Galvo. Sim. na
forma da Id
Jacques Bonefon.A proposta do supplicante
lein escriplo no envcloppe parampruAo cntrala
nao usina. Se a essa proposta que se refere o
supplicante, proposta apresentada em terapo,
dedare o supplicante, 'indo Secretaria adra
.le recoabecer o enveloppe que apresentou, para
que se providencie no sentido lo edital para
usina. m a-
Lourenco Gongalv.. Aleixo. Informe o W.
inspector jeral da Instrucgo Publica.
Mana Francisca de Souza. Indeferido, por
n2u haver prova de ser casada e sera lia
,1ro Celestino Pereira ao alutar-ae i
dlSS?da estrada de ferro do ReciJ .
xaog.-efendo com a remessa de /3 pa.ses
i, engeiiheiro hscal r(,nform.
Manoel Com-s Manhoogai.-Sim, tle^conform
da le com a informacao do administrador do
theatro. -ir
Secretaria da Presidencia de Pernam-
baca^t2 de Agesto de 1889.
O porteiro,
Francelino Chacn.
ha
t>e
igual
Ca-
DIA
13
EJI ADDITAMESTO AO DESPACHO DO
DE AGOSTO DE 1
ados, pr
sio Pe
Recite. Antonio
scimento, por disturbios,
ordem do de Santo Antouio. Maria Francis-
ca da Conceico, Balbina Ferreira Saboia e Vi-
cente Ferreira de Paula, por embriaguez e dis-
turbios.
A' ordem do do 1.- districto de S. Jos, Maria
Josepba da Annunciago, por disturbios.
A' ordem do do 2." districto de S. Jos, Fran
cisco Ferreira da Silva e Manuel Francisco de
Araujo, por disturbios.
Assumiram os exercicios : de subdelegado do
2." districto da Boa Vista, na qualidade de !.
supplente, o cidatlo lysses Botelho de Andra-
de e de delegado do termo de Salgueirc. o ci-
deofio Clementiuo Alves de Carvalho e S
Deus guarde a V. txc.Illm. e Exm.
Sr. Conselheiro llanoel Alves de Araujo,
muito digno presidente da provincia.O
chefe de polica Geroncio Dias de. Amida
Falciio.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DA l'J DE AGOSTO DE 1889
Collictoria do Cabo.- Ao contencioso.
Procuradoria do Triumpho. Candido Thiago
da Costa Mello, Corpo de Polica, Maria Igoacia
de Jess, Baro de Petrolina, Jos Julio Reguei-
ra Pinto de Souza, Obras Publicas, Cas? de De-
tenco.A" couladoria.
20 -
Bacharel Alfonso de Albuquerque Mello J-
nior.A' conladoria.
Bacharel Arlbur Orlando.A' pagadoi ia.
-----------------^---------------
Ins DESPACHOS DOMA 20 DE AOOSTO DE 1889
Anna Senhorinha Monteiro Pessa.
Cumpra-se e registre-se a apostilla de ti
do corrente.
Joaquim Pedro da Bocha Pereira.
Cumpra-se e registre-se a apostilla de 16
do corrente.
Mara Clara de M. Figueira.Encami-
nhe-ae.
Manoel Figueira de Menezes.Encami-
nbe-se.
CORHSPOJDKICIAS
Do Diario de Pernanibuco
CARUARL" 21 de Acost de 1889
de Agosto
Hontem, s '.' horas da manh, o conselheiro
Francisco d'Assis Rosa e Silva chegou a esta ci-
dade. havendo desembarcado na estago da Rus-
Biaba no da anterior, onde alguns amigos j o
esperavm.
Os amigos polticos de todos os pontos desta
comarca o oraui encontrar; e hora indicada o
illustre conselheiro Rosa c Silva, acompanhado
por mais de duzenlos cavalleiros, e precedidos
de urna banda de msica marcial, entraran nes-
tacidade; ao apeiar-se o conselheiro Rosae
Silva em casa do commendador Manoel Rodri
gucs Porto, foram erguidos opthusiasticos vivas
ao conselheiro Rosa Silva c ao partido conser-
vador do 10 distrietc, subindo aos ares exces-
siva quantidade de girandoias de foguetes.
Ao mcio dia, nos salocs do Club Litlerario
desta cidaiie, loi Ihe olTerecido pelo partido con-
servador de Caruar um lauto e profuso almoro,
era que se servirara ceoto e vinte oito amigos,do
niesmu conselheiro. que' vieram a esta eidade,
de di\Trsos pontos do districto recebel-o c com-
primental-o; durante o almogo foram trocados
diversos brindes, que foram correspondidos com
enlhusiasmo. principalmente quando, s 2 horas
ta tarde, o conselheiro Rosa e Silva ergueu o
brinde de honra ao conselheiro Joo Alfredo,
chefe poltico desta provincia e do norte do im-
perio ; torava em um compartimento do Club a
banda de msica do partido conservador, sob a
direccao do professor Joaqun Jos Ue Mo-
raes- .
Esta eidade ainda nao havia presenciado urna
reeepco e urna manifestagao to esplendida c
enthusiastica como a de hontem, feita ao conse
Iheiro Rosa eSilva: e isto foi motivado to so-
mente por causa das anearas que faze.n os do-
minadores da situago actual, e que para ven-
cereal no da 21 do fluente, empregaram a frau-
de e a violencia; e como o partido conservador
deste districto eleitoral nao teme ameacas de
violencias e coaipresso, quiz provarhoniem com
a esplendida manifestagao, que votos nao se con-
quistara a ponta de bayonetas e proinessas de
empregos de estradas de ferro.
As 3 horas da tarde, quando ainda eslavam
presentes os amigos do conselheiro Rosa c Sil-
va, que de diversos pontos do districto vieram
para compnincntal-o, o delegado de polica des-
te termo, alferes do 14 batalho de infantaria,
Cudho dos Santos, com a forga sob seu com-
mando, durante hora e meia manobrou. fazendo
exercicio de fogo e evolugOes, como querendo
demonstrar por este facto que no da H, por
oceasio da deigko a sua aguerrida forja sabe
ria conquistar o que as promessas e a- mentira
nao teem podido conseguir. Kste procediraento
do alferes Coelho causou geral indignagao.
Como con plmenlo s manitestagOes feitas ao
conselheiro Rosa e Silva, hojeo partido conser-
vador desta eidade oll'erece a S. Exc. um sarao
dansante nos sales do Club luterano desta ei-
dade ; opportunamente faremos a descnpgao
lessafeata, e se o Sr. alferes Coelho dos Santos
nos offerecer alguraa rversao militar especta-
culosa a descreveremos.
MARANHAO
7 de Agosto
- S. Lcrz,
de 1889
Si o partido republicano, *em via de consti-
luir-se precisasse, aqui na provincia de propa-
gandistas capases de todas as dedicages o de
todos os sacrificios, corto, nao os encontrara
mais aptos do que aquelles, que afortuna acaba
- forntcer na pessoa dos chel'i-
js da inauguragSo di
r
I
Nelles predomina principalmente urna .qualida-
de, alm de um apetite insaciavel,essa espi-
de de corageni cynica, qUe* nada capaz de en-
tibiar, nenj mesmo o crir da bea
nova do advento do paiiido a que'acreditara
perlencer, caiiinm sobro a provincia como um
baudo de corvo.- sinistros. O seu primeiro
cuidado, bem de verloi Iralar de repellir
.'irrflelles de :-eus correligionarios que sabiam ler"
fte escrever, o sobre quera recahiam suspeilas de
rendor cul'o a essas anliquadas lieces que
edgnominmos de justiga, liberdade." direito,
< ir. i c Dtpois, trataram de dividir entre si
os seis districtos tleitoiaes. l'rinciiaraui pelo
i tilliu|^^j^^es~odara logo ao fillio do
no tej
Para que e.-se fillio de chefe empolgasse o
districto, foi preciso, verdade, expellir de l o
Dr. Jos Vianna Va/.; mas, afinal de co
que diabo preciso que um homem viva 1 e
oiri-receram aoJ)r. Vianna Vaz o.'!" districto,por
onde o tal lilho do chefe fura derrotado duas ve-
zes. em concurrencia com o Sr. Gomes de Cas
tro...
Mas. como o laclo de sor aposentado por um '
districto nao quer dizer cleigo certa, irata-se
de urraiyVir ".< n utas.
Nesse intuito pegou-se em um oflicial, quees-
tava subtnettido a coturlho de guara, e seono-
meiompmmandante fiscal de todos os destaca-
mentos do c." districto. Agarroo-se num irmo
deste mesmo oflicial, o deu-sc-lbc o commando
do destacamento da eidade do Grajah; coma
facoldade de chamar para esta eidade todos os
destacamentos do alto sertSo. O commandante
de lal destacamento era o capito Castello-
llrancofde quem j tive oceasio de fallar e que
levou ajeffeto a paciflcacao dessa infeliz comar-
ca, durante a adminisiraco do Sr. Moreira Al-
vos : pois bem, sem mais ceremonias, dernittio-
se, como j noliciei, esse oflicial do posto que
to brilhanteraente oceupou. Chama-so a isto
cortar um no yoriio, sera espada.
Para a comarca de Carolina tinha sido manda-
do o Dr. Adolpho Siqueira. que ah foi chefe de
polica. substituirn! no logo, afim de que este
uo podesse cliegar ao lempo da eleigo na co-
marca. I-" estapafurtlio isto; mas a verdade.
(itulo do Dr. asimiro Vicira nomcadopara
a comarca do Riacho, anda nao yppareceu, e
note-se que s S. liberal, mas como lora com-
panhoiro, na redaego de um jornal, do Dr.
Vianna Vaz. abafaram-lhe o tjtulo, e ao que di-
zem, s o entregaro depois do mez de Agosto f
Querem mais.'...
Mandaram vir do Para um ompregado que f-
rn deraittiilo pelos conservadores; reintegra-
ra m no em um dia, aposentaram-no no oUtro,
o tcnaram a reintegrar o empregado nomeado
pelos conservadores !!
Chega a provocar o riso ; nao ? Mas, nao
nos desviemos do nosso objectivo : a partilha dos
districtos.
Como o Dr. Vianna Vaz nao tivesse aceitado
o 3, deixaraui o '> sem candidato, afim de que
elle se apresentasse conjunctamente com o Dr.'
Custodio Alves dos Saiftos, tambem liberal.
ComprehoiiJe-sc : o primeiro tem por si o col-
legio do Codo, o segundo tem Casias: ambos
teem, pois, omitas probabilidades de ser derro-
tados.
Mas. isso que importa, si nao sao da familia ?
O i", ah o V I Essa joia de districto de
umtal Sr. Dr. Costa BodrigUcs, o mimo, a gra-
ea, a Horda gente do liberalismo niaranhense;
o mesmo que j alijou o Dr. Salustiano. e est
vai nao vai atirando cora o Dr. Vianda Vaz pela
lanella. Esse 'oi at corto terapo o pai; nao.
elle muito extremoso para ser s pai; ello foi
a roi do partido ; para todos tinha um sorriso
amavel, principalmente para o chefe, o Raro de
Grajah, cujas atlribnigoes e regalas atinal
usurpou, e hoje dizem que governa o partido de
sol II II z.
O 3 districto >' cao sem dono para os libe-
raes, porque nelle tem seu castollo feudal o Sr.
(ornes de Castro. -
O 2o foi arrebatado por um sobrinho do men-
cionado Baro. que muito tempo hesitou em
afrou\al-o a esse prente, por querer dal-o a
umoulro mais chegadoo lilho. Mas, afinal,
como o chote do districto oa tambem pai, foi
resolvido que o districto fosse dado ao fimo des-
teque tambem sobrinho do Sr. Raro.
E assim tudo tieou em casa. Ao Dr. Jos'Ro-
drigues Fernandos foi dado o 1 districto.
Quanto a este .. Talvcz me engae : mas
convieco minha que muito brsve ter tambem
de seguir caniinho do exilio.
Est j na administraco da provincia o Dr.
Beltro. mas. romo tambem estamos escrevendo
ha mais de meia hora, deixamos para a seguin-
te o que lalos a dizer sobro o novo adminis-
trador.
PIMAS E CfllIHERCIO
A Companhm Xnaonal de Oleo* acaba de eon-
irahircom um grupo de capitalistas da corte um
emprestimo de" tJOOrOOflOOO, dividido em 3,000
tlebentures de 200-5 Jo juro de se amortiza-
gao de 1 /. ao anno. nAn-onn
Essa erapreza tem o capital de 1.2(X):unv.ouw
e proprietaria das tres grandes fabricas de
oleo vegelaes o sabio perlera entes outr ora as
comDanhias Industrial de leos e leos MUa
Xta. sendo urna estabeledda nOsta corte e as
outras era Villa Nova de Sergipe e Penedo das
Magoas, com privilegio por :i() annos quanto as
margens binhadas pelo no de S. Francisco, dea-
tro do territorio das ditas provincias.
Sao directores da nova eompanhia os Srs. Ba-
ro de Mattos Vieira, commendador Pandi Calo-
geras e Dr. Jos do Castro Rabello.
V _
A exporlago directa do im-
perio no anno de 1888, para
paizes estrangeiros, de produc-
ios nacin aeau/ritos a direilos,
foi no valor dF
A exoortago de productos
sujeitos a t'treitos e licres,oi no
valor de ,
V renda da alfandega da curte, no mez de
JubO do corrente anno, foi de 5.0fii:992ii2o7,-
contra 4,781:2l9897 em igual mez de 1S88.
94.9o0:829,i938
S3:9i9t0|
Foi entregue Companhiafcional de Nave-
gnnlo a Vapor, no dia 12 do corrente. pela Com-
panllia de Navegaqao l'aulista todo o activo desta,
em virtude ta compra effectuada por 500;000.
Esta tuiantia.ser paga no acto de assigoar-i
a respectiva esrriptura ; o que dever realtzaf-se
al o dia 20 do corrente mez.
***
O Tlpsouro Nacional forneceu, no da 101 do
corrente, em dinheiro. ao Banco Agrcola do Bra*
ztl, 2.000:0003, por conta dos 10 000:<>00 qne o
Estado se obrigou a supprir a este Bao
As coiid'. suppriraenlo sao idej
s dos contractos ltimamente celebrado*<
abelecim.
i e rain a




1



2
Diario de Pe
*8
certa reanimaco e n'umi recrud e pe-
didos que nao pod 1 iouir de modo fa-
Toravel sobre os ptecos do genero.
A procura que actualmente comeca afmaai
testar -si; e devida, em grande parte, 8 osts no-
ticias que de varias resiOes constatn acerca da
futura rolhetta, a qual farece estar seriamente
comproractlida om cea* provincias de Hespa-
nha, bem como na at eai parle, na Ar-
^^B, pela invaso e pwos traaos do mildew.
Nos vinliedos portuguezes, grabas testpcra-
Hira favoravel dajue est gozaudo agora Por-
il, os estriges nao serio, felizmeule, to
COnsideravois como haum inez se receava,
Os embarques continuara alli muito regulares,
especialmente com destino a Bordeus; e para
bem avaliar a importancia desse mercado para
o coasumo dos vinhos portuguezes, bastar dizer
que s de Lisboa e receberam em Bordeus nos
sete meses lindo do a.no corrate nao menos de
61:323 cuscos cam vinlio.
INDUSTRIAS E ARTES
De urna revista semanal financeira da corto
colhemos o seguiote a respeito do caf :
O mercado de caf apresentoo, durante a se
mana ultima, algumi tendencia para saiiir do
, marasmo em que se tem encontrado.
Grojas ex-teta co nprehenso dos nossos in-
teres-es, os possuidoreJL confiando na exigui-
da-ie da colheita, sustentara cora firmeza as eo-
taces que porisso continuara nominaes.
Noticias colgadas do exterior, porem. dc'.er-
minaram algama pequea aniaiacao ao merca-
do, que vio melhoradas suas cotac,o2s, 3* bem
que era limitada escala.
Nos Estados-Jniaos, em Io de Julho ultimo, a
existencia total em ser e a cii .ir aos portos da
lo era de 397,000 sa>: is contra 37li,iM). aj
auno anterior.
Quanto s existencias da caf na Europa cou-
tinuavara, certo, a diminuir ligeiramente;
co;no, porem, o stock anda era avuliado, calcu-
lndole era cerca do millio e raeio de saccas,
os precos mantiohara-se ainda frouxos, mas
com-seiideucia pura alta.
E e padermos, durante mais um mez, sus
tentar a posiyo que assumimos, nenhuma du-
vida llavera que assistiremo a urna alia de pre-
sos que compensar os sacrificios a que 03 nos
sos mercados do Kio e Santos se tra sujeilado.
Da mesraa fonte temos as seguintes noticias
sobre o assucar:
As condices do morcado do assucar cm nada
foram alteradas durante a semana linda.
Nos mercados estrangeiros cada vez se ac-
centa mais a tirraeza dos precos, gracas a
constante diminuido dos stock* ; e j se previ*'
que, pelo esgotamento desles, a prxima safra
encontr vantajosa posteo, ainda mesmo no
caso de augmento de produego, qua, alias, 6
compensada pelo tambem constante augmento
de consumo.
Nos Estados-Unidos continuava o mercado em
excedentes candiles.
No principio de Julho as existencias, era pri-
meiras mos, de assucar do Brasil em Nova-
York, eram de 3o.5il saceos contra 599,038 em
Io de Jullio de 1S8S.
En tolos os partos da L'ailo o assucar de
todas as procedencias era avallado em 29,809
toneladas contra 144,337 em igual periodo do
annq ultimo.
*
as quatro colonias fundadas no Amnzon.it
acharase abrigados 4,317 ceareuses ; assim cla-
sificados :
Colonia S. Mara do Januc 335 ; Joo Alfre-
do 1,602; 13 deilaio 1,404; Oliveira Machado
739.
Para estabelecimento de urna hospedara des-
tinada as imraigraules recem ch 'aados a Per-
nambuco, diz o Jornal do Commercio, adquiri o

da Costa, e situado a pequea distancia de ci
dade do Recife, qual se liga por meio de ferro
earril de traegao de vapor.
As obrasen execagao pura o estabelecimento
da hospedara foram orcanas era 36:4085, alera
da despeza, j effectuada, de 10:799.4000.
Est tambera projectada em Perambuco a
undaco de um ncleo colonial as trras da
fazendu Suassuna, para esse lim adquirida por
conta do Estado, tendo sido oreadas em 60:68i
as obras necessarias.
Laucar as provincias do norte fundamentos
da obra da colonisaco estrangeira, consliiue
semduvida empenho de grandes resultados eco-
nmicos : mas ao mesmo tempo, preciso in-
sistir nisto, empreza sumraameute dilhcil, na
qual vai ser posta prora, por esto lado, a nos-
sa capacidadu administrativa.
Afundayo de ncleos esscoetal, mas nao
bastar collocar alli imraigrantes era lotes me-
didos e demarcados, foruecendo-lhes casas pro-
visorias, utensilio; agrarios, gementes, animaes,
.etc.
Taes ncleos ho de necesitar de direceo
activa, vigilante e duradoura at que os estabele-
ciraentos lenliara realmente adquirido condiges
devilaiiJ.ide. eouiras, que tornera disnensavel
a tutela offieial.
Ncleos randados as provincias do sul em
circumstancias muito mais auspiciosas, uns des-
orgamsnram se, ootros virara retardado o sed
deseuvolvimerito pela providencia prematura da
emancipado que delles retirou a inmediata ins-
peeco protectora de agentes do poder "publico,
antes que pudessera entrar no rgimen com-
mum da lavoura e da industria particular.
Esta experiencia para fazer-nos encarar a
immigrac&o para o norie como problema grave,
que exigir desvelos prolongados.

O engenheiro Jorge ftidemacker Grutiew-ld
foi nomeado para representar o Brasil no con-
gresso internacional de estradas de, ferro, que
se de ve reunir na Blgica era Setembro deste
anuo.

No dia 7 do correnle. tuna turma de engenliei-
ros da companaia Mogyana principiou os eslu-
do* definitivos do prolongaiuento da Penha do
Peixe ao rio Eleuterio. Cora este prolongamen-
lo icara ligadas as duas vias-ferreas, Mogyana e
Sajiucany.

A' presidencia da provincia da Bahia declarou
o ministerio da agricultura, por aviso de 10 do
corrate, que uo podendo ser aceita a propos-
ta do consfiiieiro Dr. Domingos Carlos da SilyjL
para venda da sua fazenda denominada Ttm,
3ero todava concedidos ao proponente/, caso
sjueira colonisar suas (erras, favores idnticos
l|s que a outros tem sido concedidos paVa se-
niefba..te Um.
J tivemos oecasio de dar conta dos resulta-
dos obtidos, no priraeiro semestre deste anno,
do servigo orgatnsaio na provincia de Mioas-
Ger- icio do gado bovino contra o
carb nptoraatico que all reina, ha lon-
gos aunos, db.iixo da vulgar denominago de
pesie i minqitfira. A'cerca dos mesmm resul-
tados, bera como quanto conveniencwflo alar-
gar o peri nelro era que laes vaccinages ln
sido efrectuadas, deliberou o Sr. ministro da
agricultura ou'ir a presidencia da provincia pa-
ra, por tal modo, habilitar se a providenciar
conforme reclamarem necessidades bem demoos^
Iradas.
-ira o ministerio da agricultura como o che
fe e inuiador daquelle servigo, Sr. Dr. J. Baptista
de Lacerda, tm recebido de varios pontos da
provincia de Minas-Geraes, nao comprehendidos
na rea dos dous actuaes distnctos da vaccina-
co, pedidos de materia vaccinal e de appare-
lh03 aprqpriados pratica das inoculagoes. Es-
te Tacto para registrar por que patenta inte-
resse da parte dos criadores.
REVISTA DIARIA
Acto* tSa Presidencia 4a Pro-in-
da idos os
!>aquim Bote!
bacharel Alfonso de'Alboquerque Mello J-
nior, promotor publico de Limoeiro ;
AnUo Borges Alves Jnior e Anto Benigno
de Queir*)z Bezerra, .colLector e escrivio da col-
lectora provincial da Gloria de Goit.
Francisco Nogueira Pinto e Antonio Francisco
da Silva, escrivao e coliector provincial de Li-
moeiro ;
Reintegrando :
F'rotogenes Barnavelsio Marcos Cordeiro e Ale-
xandre Francisco Freir de Carvalho, coliector
do Brejo o primeiro e o segundo escrivao da
collectoria provincial de Carnar, senoJ||Bxone-
raifos os que exerciam esses cargos,
aerando:
is Simplicio de S Esteres do lugar de ad
ministrador das obras publicas provinciaes, sup-
primido pelo art. !. 47 da lei n. 2009 .
O bacbarel Elpidio de Abreu Lima Figueiredo
de promotor publico de Limoeiro ;
Eleutherio Vieira Correia Lima, de codector
provincial da Gloria de Goit ;
Antonio Bezerra da Cunha e Antonio Rolri
gues da Costa Revoredo de coliector e escrivao
ua collectoria provincial de Limoeiro ;
Jos Raymundo Ferreira'de Moraes, a pedido,
de escrivao da collectoria/ provincial da Gloria
de Goit.
Ad ou-se para 30 de Setembro a ebjgo
para preenchiraento de duas vagas de verldo-
res do municipio do Brejo.
Itamiraco divorcio* no Esta
do* i.'uido*' Desde 870 a 1880 os Estados
tados
tfs-
i iqyieiraRetira-sc,
lng, na Parahyia, ejf5
tajdatfP. de,efwi
teuB-a-
is i'nali.
Gnidos receberam 2.812:191 inmigrantes
de 1880 a 1885 esse numero clevou-se a.
2.983:158 ; e no mesmo paiz o numen) de di-
veroios jndiciaes era ura periodo de 19 anuos.
I71886, elevou-se a 328:715; o que d a
media animal de 17:300.
Dr. AdolpJia de KiiajieiraRetirj'
parojKW coma rea do
:i' 1 uja vijita
do-lhe ao raesmo tempo '
tro os seus novos jurisdiccionads teu|i*acei-
tago de que merccediK pelas suas rraalidades
laes. I^t
TraUmcnio da varilaCora esta da
nominago recebemos e agradecemos um follieto;
que nosCfci enviado pela.pharmacia do Dr. Sa-
bino, no qual se precouisa as vanUgeas do sys-
teiua horuceopatilico no tratamento de urna tal
molestia.
Baro do Ex-Com bastante pezar rece-
bemos a triste noticia de que no dia 22 de Julho
ultimo fallecen, na villa do Ex, nesta provin-
cia, o coronel Gualter Martiniano de Alencar
Araripe, que por seus relevantes serviros havia
sido, ltimamente agraciado pelo governo impe-
rial com o litulo de Bario do Ex
O aado railitava as tileiras do partido con
serrador ; foi merabro da Assemblji Provincial"
de Perambuco e semjire se distingui pelos
seus sentiraeutos nobres e religiosos.
A' seus prenles nossas condolencias.
Ante* amaina-flontem, ao anoilecer e pr-
ximo ao quartel do destacamento da Passagem
da Magdalena, procurando duas pragnsde pohcia
canter a Lourengo Jos da Hora, que armado de
faca, ccete e pistola tenia va olTender a um in-
dividuo com quem travara-se de razes, foram
ellas aggredidas pelo mesmo Lourenro, que dis-
posto cora se achava a fazer KWf, perse-
guio-as al o quarte!, onde afina! foi preso e des-
armado, depois de urna pequea lucta, pelo sol-
dado Ate landre Nunca de Souza.
Sendo Lourengo conhecido como homcm de
raaos instinctos e perter.cenle alora disso fa-
milia do fallecido Manoel da Jacintha, de qu in
era sobrinho, espalhou-se desde logo entre as
pessoas presentes no lugar, que dentroem pou-
co apuareccria alli um trogo de desordi'iros da
Estrada Nova alira de tomal-o do poder das pra-
gas.
Sciente o Sr. Dr. delegado do 2' districto do
occorndo, incontinente fez seguir para "alli a!-
guinas prjas, as quaes reunidas a outras da
guarda civica, tronxeram Louren$o para a Casa
ile Detengan, onde se acha recolhido.
Ao lugar comparecern) o Dr. delegado do i"
districto da capital eos commandantes das 4* e
5" estages da guarda cvica.
" Felizmente o sarce* o foi sera consequencias.
Antea assim.
CongresNo Enmtructivo Pernambu-
canoFunccionou hontera era sesso ordina-
ria esta sociedade litteraria sendo discutidas al-
auraas theses pelos socios Luiz Gomes e Tito
Franco.
Era seguida foi reconhecido socio o Sr. Ma-
noel Tiburcio de Araujo Mello e proposlos ou-
tros, sendo tambem expedido o diplomo de socio
benemrito ao Rvdm. coneao Antonio Eustaquio
Alves da Silva, por seus valiosos ofTereciraentos.
Ter lugar na prxima 5* eira a asserabla
gerai.
Clnb Dramtico AnolloEsta sociedade
no dia 20 docorrente, depois de discutidos e
approvados os respectivos estatutos, procedeu
eleigio de sua directora para o anno social
1889lg9J, licando assim constituida :
Director Benedicto l/jiz dos Siutos Almeida.
Vice di rectorJoo Xavier e Silva.
Io secretarioManoel Joaquim de Barros.
2o secretario-Melchiades Souza Santa Rosa.
ThesoureiroAdalberto Jos de Paiva.
Orador-Dr. Quinliliano de Mello e Silva.
Vice oradorDr. Antonio Franktia Freir Ga-
meiro.
Director de scena.-Rodolpbo Jayme.
Secretario de scenaManool de Souza Mariz.
ProcuradorJos Carneiro da Caoba. "
Comnisso de contas-Mjor Joaquira Dorain
gues da Costa, major Jos Clementino Henri-
que da Silva e Joaquim Francisco Collares.
Sociedade Itineraria Cioncalvem
Uta*Fun cionou hontera esta sociedade sob
a presidencia do Sr. Jos Wanderley.
Foram aceitos como socios electivos os Srs
Joo V. Cruz, Lucena Jnior e Pires Tejis e re-
cebidas- diversas obras o.Terta las pelos Srs.
Henrique Pimentel, Alfredo dos Aojos e Rau*>n
da Costa.
Toraou posse o Sr. Arcaneo Peixoto.
Existindo um indiviluo a angariar obras sem
autorisago da sociedade, e tendo as recebido
de diversas pessoas, foi noraeada una coramis-
so para proceder a urna rigorosa investiga-
go.
Sociedade Pnilonantica Funccionou
hontem essa sociedade, na de do Instituto Phi-
lomatico, de cujos alumnos se eiia corape, sob
a presidencia do Sr. Martins Ribeiro, sendo lida
e approvada a acta da sesso antecedente.
Era s-guida leve lugar a leitura da chronica
geral pelo socio Alcebiades Paiva, dissertando
aps o socio Francisco imsta sobre a these
(nal a ongem da Ungungem. e discuti lo os so-
,cios Piiu Jordo e Auilio Vctor acerca do per-
Bonage.n histrico Hearkiue 3" da Franga; o
fjual foi conderauado.
' Acha n-se sorteados : Cbronista geral, Josino
de Araujo : dissertaute da these Quantos moci-
nuntostem a tena? Pedro Celestino da Silva ;
aecusador e defensor ,de Joanna d'Arc, Carlos
Pues e Jos Pereira; historiador de Soln, Dr.
Oliutho Vctor,
E levantou-se a sesso, sendo marcada a se-
grate para o dia 29 do correle s 10 horas.
Cidade de Caraarti Do Exm. Sr. cen-
selheiro presidente da previucia, em nome da
segurauga' publica, em nome daordem, recla-
mamos providencias que ponhara termo aos abu-
sos postos em pratica pelo alfere3 Santos Coe-
Ibo, comraawlaute do desLacamento de Caruar.
1.artas que viraos dessa cidade nos deixarain
seriamente aprehensivos sobre o estado geral
da comarca- Us nimos esto "alli muito exal-
e receia-se a cada momento graves o
dens, serios conflictos e derramamenfo de san-
gue.
t- o referido alferes Santos Coelho falla senso
e criterio para o desempenl.o do cargo que, em
m hora, Ihe foi confiad o alferes obede-
ce a algum louco varrido que pretende alli ga-
nbar a eleiGo a ferro e fogo.
N'uma ou neutra hypoiaesc, o ca30 muito
grave ; e o honrado Sr". conselheiro .Manoel Al-
ves de Arauj ra da ordem publica em
rifeo imminenle em CaBSar deve retinar d'alli o
indigitado alferes. mandan lo embora outro
cial de sua coofianga, e que seja lioniem pru-
rito.
E' teto o que reclamara os povos de Carnar,
e aos pirece d 10.
Torre Maravilfcoma Pomos* obse-
trario subdelegado que ao o pj ha
var preso. > ^rftt
*
O rectora da* onram de coai
do* Porto* de Pernambuco-
f: 21 de Agosto de 1889.'
Roletim meteorolgico
ubderesaein
distri
Andra
Deleitada de polica
ercicio de dele
Cleraentino Alvef ag Carvalho
Ciojanninlia 10 Di
na de 17 do Cor
Dous respeitavis e criterios
dessa Incalida'! ta r
sentar o cidal'o Olymplo Jo
brbaramente e-
dr tal, do dest 1 1 de GoyaHio
subdelegado o Sr. Anaoias de Barr I
de Araujo.
E' o terceiro lacio ce arbitraried Je policial
qe era pou leuunciamos, d'.quelta lo
'alidade, devendo-se notar que desta ^z a cousa
, siraplesmenleiscandalosa e absurda porque o
"ofjeodtdo na opimao de uina autorimde poli-
cial desta cidade, um hornea trabalhaor iu-
offensivo e foi uggredido pablicaratn'
linlia pela tet^nraga, a qual, sqenU do
seu crirae. evadi indo nos consa.
. Por mais que o desejosseraos nao toa^H
permtido dcixffr de censurar en t.k.iqj^^H
procedini#nto de una tal autoridade qiejT^^H
o Sr. Ananias, deixa que um seu subaHr:
panqu brbaramente a um cidada^
"n um lugar publico sendo qu
dida foi tomada no sentido le repr;
policial.
Viraos o olfendido- que apsre
rauitas contles na cabega e na paito, tn feri-
rnento 1 instrumeo
no punOo dirvito, e nra outro foriniento |or iqs-
Irumento perforante no braco direito, V
tos esta depois d"
e amatado o im' .0, o qual i sol-
d subdelegado, o energu:::-
r-
osto de 1

ras ; coquelu
igoas, 21 annos, Boa-
^^taambucdytl senos,
na.
a Cunta Olivelra, Rio de Janei-
pulmonare
)E TUDO
nha iffcer inaugurado, a dotw passos do
alarle, ra da Federaco ns. 18 a .
6 m.
9
12

2t"-6
26-2
277
27-i
26'-3
7G2-93
764-M
76:1*94
762-46'
7(52~8:j
19,81
20 16'
19,711
17 96
18.88
83
78
70
63
74
Tempcra'.ura nraxima28',23.
Da minima 24,00.
EvdporacM em 24 horasao sol: 6'-.2; som
ora: 2-,7.
Cbuval,"^.
Dlreceao do vento : variavel de SE a ESE de
meia noite s 10 horas e 40 minutos da idnh ;
S com pequeas interi upges de ESE at meia
noite.
Vetoddade media do vento: 2",13 pir se
Nebulosidade-mia: 0,56.
Boletim do porto
2 - >< a e. <-3 2 0 c
P. IS. f. M. M. M.
Dia
21 de 22 de Agosto Agosto
Horas
1-33 -13 tarde
7 40 .
213 da manila
fltura
1-83
.1-.88
1-,9'J
I,eil6esETectuar-se ho os segum;e :
Hoje :
Pelo agente Brito, s 10 12 horas, ua do
Colovelloii. 34, de movis, lougas, espelhoi, etc.
Pelo agente Alfredo Guiraares, s 11 loras,
em frente da Associago Commercial. daoarca
allem Fritz Srkmidt.
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra fetrei-
ta do Rosario n. 8, de predios.
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra de Boa
Jess n. 43, de predio, movis e mais objitos.
Araaaha:
Pelo agente Martins, s 11 horas., ra do Im-
perador n. 16, de terrenos.
Pelo agente 'Gusrao, s 11 horas, ra Mr-
quez de Oiiuda n. 5, de fazendas.
Pelo agente Peslana, ao meio dia,. travessa
do Corpo Santo n.
da barcaga fjs.i Fdha,
encalltoa as Camarinhas de Olinda.
Mimwam f uneoremSero celebradas:
- Hoje :
A's 8 1/2 horas, era Olioda. na igreja de S. Pe-
dro Marlyr e na matriz de Palmares s 9 horas,
pela alma de Rita de Cassia Ferreira da Cruz ;
as 8 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma de Custodio Jos Gongalves Mendes; s 8
horas, na matriz da Boa-Vista, pela alma de Te-
lesphoro Marques da Silva.
Araanh:
A's 7 1/1 horas, na matriz da Boa-Vista, pela
aima de Joo de Oliveira e-Silva ; s mesmas
horas e na raesma matriz; pela alma de D. Jo-
anna Pires Falco Marques : s 7 horas, na ma-
triz do Cabo, pela alma de D. Joanna Martins
da Silva..
Pa*saseiroM Sabidos pera os portos do
norte no vapor nacional Pirapamu :
Severino Jos Mana. Autonio Trajano de Sou-
za, Antonio Cesar de Faria Villaga, sua senhora
e 1 iilha, comraendador Joaquim Ignacio Perei-
ra, Adelaide Miranda Guunarcs, 2 lilhas e 1
criado. Elpidio Meleiros, Raymundo da Silva
Ramos, Alvaro Flores, Sebastio Braga, Luiz
Pauliuo de Figueircdo, Pedro Gongalves Barros
e Silva, Candido Manoel Oliveira, Alexaudre de
Souza Nogueira, Lauriano de Aguiar, Irineu
Machado, Pedro Gongalrss da Cunha, Jos Al-
ves de F.-eitas, 2 pragns de polica, Dr. Manoel
Feli% Gitirana, Dr. Jos de S Cavalcante, D.
Virginia Mana de Paula Freitas, Dr. Jos Aus-
tregesilo Rodrigues Lima Jnior e sua senhora.
Caa de DetencoMovimento aos pre-
sos da Cusa de Deteago do dia 21 de Agosto de
1889.
Existiam 4i3 ; entraram 8; sahiram 7; exis-
tera 416.
A saber : .
Nacionaes 397 ; mulieres 22 ; estrangeiros 27.
-Total lie.
Arragoados406.
Bons 383.
Doentes 16
Loucos 5.Total 406.
Movimento ca enfermara
Teve baixa :
Josepha Maria da Coaceigo
Teve alta :
Joao Francisco da Costa.
Uompital Pedro II -O movimento deste
estabelecimento de earidade, no dia 20 de Agosto
foi o seguinte :
Entraram 17
Sahiram 8
Frlleceram
Existcm
Foram visitadas
...' os Des.: ,
Moscoso s 8, Cysf eirc- s 9, Barro3 Sobrinho
s 0 3|4, Berardo s 11, Malaquias s U, Pontual
s 9, Sstavao Cavalcante s9 3|4, Simes Lurbo-
sa s 10 iioras.
cirurgio dentista Numa Pompilio s 8 4|2
horas.
.armaceutico entrn s 8 lri da manh e
ahtos 2 da tarde.
ajudante do pharmaceutieo entrn s 7 1|5
la manh e sanio as 3 Ij2 horas da tarde.
Lotera do 4Jr4in-ParttA 6- parte da
30" lotera, dessa provincia, cujo premio grande
6'J:00000, ser extrahida no dia 26 do cor-
rande lotera do Maranno -A 5*
i i".lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:O0000 ser extrahida no dia 30
de Agosto.
Ceniiterlo Publico Obituario do
do correnle.
ibuco
amb
re ps
4
CU
as respectivas enfermarlas
(ledo para cen
;ue os colb
istdme de 1er
ima late de ai
tar e a f:
que pe
e, e isto, qui'
aos seu* leitSr
ke da pallin I
#**
c Bfown, que eara'nararn o
.jncontrado no di 1 15 de Ju-
lho, pela manh/m Caste-Alley, Woitechapel,
declarara que o assassinato provea da mesma
mo que os prec'denles.
A victima iiarece ter quarenta anaos e perien-
perodica fetio
pensos semp
ras particu:'
perfeita re_^
que fazer per Jo
parbola da tr
Os Drs. Pliilift.
cadver estrp.id
ce classe que os 1
nismo ciaste dts /i
Grande emogo rei
parecer evidente que
volta.
amira por eupho-
3, por
st de
as senhoras.
e d.gmra>
1, na
rande cu:eo de corrida dK totinis. insultado
ra particatarmente notavel.
0 o cupa um terreno cuja cir-
le 100 metros de
<. cjncoenta par.i a arena e
tantos para os palanquest Ella comporta
-% separagOes para os touros, c'aval-
specto Interior da plaza soberbo
go primea yjpta estSo os paUinne qn*
rehondeijsA^w or leus de assentos a ctki
ilescob'.'rto.jjj Brlmciras flleiras
aiera.las e 4vfl brocutadas, porquos-
BnS d'rsta sorie muito pro-
!a urea 1 a ) tempo apa-
Na pri:
abertos, lugares
'nro a!u ;; e cl
,:naCol
aguoda ordem esto instaftiSm
189 canlfroTIs d.sete Ius irea cada um.
1 botequim haver no intcnor do re.":to
raantido pc;'a casa Hill's.
Algama noticias agor as repres
; f vo ser dad:. .oe.-bo qmOTo.
Os TvH&aXemi e os ciaras retiera e as cu arillos se langam arena. Bis um dos espect-
culos mais bellos que se pns-a imaginar : os
tomos cora os seus c istftaies de seda bordados a
ouro e praia desfliam arrogante.!) rale.
Ettes deixam iraraeditabehle suas ricas ca-
pas para tomar as de trabalho, porque o toaro,
ao toque dos danos, upresentase.
O foroouarte do toureador se divi le em 113
parles : o toreo de combate, sanguinolento e
brutal, hoje quasi abandonado, eo torco gra :
que agrada a matta gente.
O publico parisiense ver OM arenas da ra
da rederaco o antis celebre representante d'esta
arte, o toureiro Antonio Cunnona, appgiliialo
Gordito. que foi quera primeiro ousou collocar as
. Mis asseutado parle.
Kis a composigo exacta da quvJrilhu :
'nutriros espadis: Antonio (,ar.non (eH
dito). Jos Machio, Manuel Humiosil! 1, Fernn I1
Gomes (el Gallo). Juan Buiz (Lagartija).
Segunda tiftdas : H'.aymoud Rodrieuez (Valla
dolid), Manuel Dias (Lavi).
Cada ama com suas cuadrillas respectivas.
Nao se pode ainda reconhecer a id Uilid 1 i
raulhi'r assassiaada. 0 cuiaves- foi trarisaorta-
do ao nejroterw de Ajntasae-streeL
A polica vexa la p >f fed is #tes crimes rnpa-
nidos. p.trece recelosa da iraprensa e recuii
dar informa -jjs.
Tres homens fo los prDven'ivimente,
mas nada f.izia suopo^^^HLscm elles toma-
do parte no tjOhjici !o^^
O nssassiao devia estar p -l^kp^aa ortica
: jar a j^os pisaos d > nol-
cenwn de servjeoesqnin 1 de"\v*ejrtuor:litresl;
|!tntou-SB a fazer urna an irtura no umbigo
a cortar-Ule a ..'irumu !; una
ore! ba a outra.
notam que o a-sassinato
C Kdl os pac e lefil :s por urna
la fus pelo aborain-ivel li-
se iiiptisou Jack tte Rippcr.
*
*
0 patriarcha grego de Alexandria, moasen
Sophronius acaba di; celebrar no mesmo dia o
90* anniversario natalicio, o 70 auniversano da
sua ordenagao e o 30 anniversario da pre-
lado.
#-
* #
O Jornal do Comnmrio, de Lisboa, pub :a o
seguiute em 31 de Julho lindo :
Hoje de manfla segua Carolina da Concei
n'ura carro amerj^ano pela ra da Boa-Vis^a
N'isto, o carro sala i'ra dos ra'ls e Carolina
l'ssnsta-se, dando alli mesmo com o publico por
parteara, luz om forte rapagio.
A parturiente foi conduzida ao hospital de S.
Jos.
**
lia poneos dias foi publicada a estatistica pe-
nitenciaria da Russia no anno de 1837. Nao
pode dizer-se que apparecr-u cedo ; mas pr -
ciso, por outro lado, ter presentes as irame:;sas
dih*i;culdades encontrad s para recolher os la-
dos nccessani'S na Siberia e nosgovernos exire-
mos do imperio.
Eis os principae3 captulos, os dados mais
importante.-, dessa estatistica, que publicamos
porque hoje nSa^lia aprendiz de sapateiro ou
offieial de pharmacia, que nao goste um pouqui-
nho c sociologa.
No decurso de 1887 entraram em todos os
carceres e cstabeleciraentos do imperio 680,412
pessoas, e sahiram 677.384 No principio do
dito anno os detentos erara 103,817, dos (ftiaes
cerca de 9 por cento do sexo feminino.
Pela penalidade toi aquelte um mo anno : as
prises regurgitaran! de hospedes, foram insuf-
icientes aos presos, sendo preciso frequeates
Teses traasportal-os deutn domicilio para outro.
As fgidas entre os detentos foram mais nume-
rosas do que no anno de 1886, posto que a sua
cifre possa dizerse muito exigua, relativamente
outros pases ; as fugas foram apenas de 478,
dos quaes 260 fraiu logo agarrados.
As desordens entre os carceralo3 era todo o
anno foram 82-que povo tranquillo compre-
hendidos os muitos suicidios, dous homicidios
e as rebellies.
Era 1887 o estado d.^pendeu mais de 500,00 ">
rublos para a construeco de novos carceres em
Petersburgo, Moscou," Klimovitch, Irkutzk e
Bak.
Na Russia pralica-se em larga escala o pti-
mo systema de fazer trahalhar os presos afira de
que com a propria actividade saiblo prover ao1
seus meios de subsistencia. Todos os detenlos
trabalham com amor : os que nao conheciam
nenhum ollieio aprenderara um. Fez-se urna
reauegao nesta de 602 mil rublos por trabalhos
effecluados nos carceres, despendendo-se a d-
cima parte na acquisigo de material neces.-ario
para as industrias.
As condiges sanitarias teera sido exceen-
tcs : verificou-se entre um e oatro anno urna
constante diminuigo as doengas e as mortes
dos-delentos, de 9 10,%.
Porque respeita cidade, houve desde o prin-
cipio de 1889 at Julho 6,075 prises por sen-
tengas dos iuizes populares de paz ; e por causa
deltas a dama (con'selho municipal) teve de
despender 30,000 rublos, isto em media, cerca
de cinco rublos pela priso de cada individuo.
Diga-me, Sr. hospedeiro, porque chama o
senhor a este vinho vinho de Collares ?
O hospedeiro, com bonhomia :
Oh! nao fago nisso o menor empenho :
quando preciso chamar-lhe Torres, tambero
la'o chamo.
#
N'uma casa de correegao, que deve, ser in-
speccionada algumas horas depois, o director,
surpreheudido pelo estado de porcada da roupa
dos delidos :
vossemecs vo j todos mudar de camisa.
S temos urna.
E' o mesmo; raadem de uns para os ou-
tros !

Oalr'ora a palavra parlamentar empregsda
como quaflcativo de linguagem, queria dizer
conveniente, urbana, moderada. Hoje, se- se
quizer julsar por aquillo que se ouve todos os
ia Cmara dos Deputados de Franca, o
sentido do epitheto o opposto ao primeiro.
A palavra'attribuida Carabronne e repet a
pelo fallecido Margue n'uma sesso da Cmara,
e a de canalha dita pelo honrado Lejeune no
mesmo recinto ha pouco tempo, do urna fraca
idea da lraguagem florida de que se servem os
deputados as suas discussOes diarias. O jor-
nal oicial que reproduz em extenso o trabalho
das sesses os omitte por pudor e nisto tem
razo.
Foileau escreveu : Le latn en ses mots brave
l'honntet. Quena dizer que aquillo que n.o
podia dizer-se decentemente na propria lingua,
devia dizer-se em latim. Nao se podendo ira-
duzir na lingua de Virgilio e de Horacio algu
mas phrases que os deputados deixaram fuglr
e que o presidente da Cmara fingi se
mente nao ter envido apresentadas textualmente
em francez, como foram ditas, e isto para dar
urna idea dessa lmguagem parlamentar.
culpe-se a transcripgo fiel: Taitn becl
ta boite!... Vieux Maguer!... Tan de co-
SPORT
O Prado Ptrnarabucano anuunciadous grandes
premios em corridas a realizareis -se nos dias 49
de Setembro prximo e 1, de Janeiro do futuro
anno*
Grande prenvo l:nprens-iwfrnTnbuci:i'i ani-
maes d: provincia 1.800 metros premios:
1 -j, iOJje 6.'.Iftscripeo n, encer-
rand-se 110 dia 18 de Setembro."
Grande premio Pernambucano solemnisacSo
do i' anniversarifl animaos de qualqaer paiz
8.906 metros premios: 6:000j 1:3005,...
80-) e l" S.Iiscripgo 40^ em duas presta-
. encerrando-se a mesraa inserpgo "no da
d; De^embro.

O r, visconde de Arcozello montn oasna
blenda Monte Alegre', freguezia do l'aiy. uma
eoudelaria para a cnago de animaes de racas
apurada^, alqmriudo uHimamenle um magni
co garanho e 14 eguas, todos de siiisue puro,
'iptos no ltnd Book BfWilero : so
1 OtOfi: Phryna, Aspasia, WttdflOl
Diva, .Queente, Nameiesse, Blak-Salin. Dora,
GeooFeu (inglezas, Remise, Orange, Hdame e
Malicense (francesas), e o Butl, lho de Sky
lark e Zeneida.
anima!, tendo apenas cin:o anuos,
cujas liah.'.s e iime.nses s-ao eorreetas, i"!a no
symetria do seu tronco, que suppor'ado
,'oatro columnas perJHamenu! aprnmad :s
quer sejam consideradas de frente, qaer de per-
al, tem urna p -.; mu-culatura de espan-
toso desenvolvimento; a sua corcastanho ma-
duro tapado denuncia o temperamento san
guineo to apreciado pelos criadores ingleses.
Foi importado o anno paseado, trazendo com-
sigo, de Inglaterra, a melhor f de ollieio que
ivessado o Atlntico, porquanio. cootao-
. tenas dous anuos de darte, tooiou parte no
so de quatro mezes em dezeito corridas,
conquistando as classificasoes seguimos : quatro
veres primeiro. sete vezes segundo e qualro
terceiro. como se verifica do RulTs Guide de
; 587, oq fe encontrase tambem a noticia de que
lora rendido por 't70 guineos.
Sota tae- predicados deve o Butt ser conside-
o o melhor reproductor actualmente era ser-
vico activo as OOSSOS fazendas de criago-
Este magnifico speciraen de Corea muscular,
talhado para poder desenvolver a.ejaxima velo-
Bao pode, infeli/raaife, ser apreciado
nos nossos prados, por ter !: accidente que o inutilisou para corridas.
Alm lestes animaes. possj
ria a kacema e a Vale tea. ra
a egaa portngueza Linda
egoas peiiudas.
Para a criago de gado b
duzos dous purissiraos lou
um Jersey e outro Durhara,
dezoito vaccas tournas, que
escolhido lote de outras do p;
Cora laes elementos anda
tre nos estabelecimento al_
E' Je esoerar, pois, que den
nos venh-i elle a ser um al
melhoramenio das racas anira
o, raais a coudela-
aj do celebre Druid,
,11 bello lote de
fino, foram iniro-
ps inglezes, sendo
acorapanhados de
. encontraran! nm
\z.
nao monlou en-
|m deste genero
em poneos an.
auxiliar para o
Is do paiz.
A eoudelaria referida, da quft gerente o co-
nhecido sportman Sr. Narciso ok Barros, inscre-
ven no std book do Jockey Clua os seguintes
productos nascidos em Julho diste amo :
Jenny, meio sangue por Tangise e Valenga.
Goneril, puro sangue, por Tangible e Aspa-
sia.
Totonno, meio sangue, per Morvpin e egua pe-
luda.
Mazarino, meio sangue, por Mjorvan e egua
peiluda.

Consta-BOS que o Grande Premio ifo Prado Vil-
la Isabel ser este anno de dez coOtos de ris e
um objecto de arte, e que se realisar em Se-
tembro prximo.
Novo encontr entre Sota e Hugueno'.te. Prc-
parera-se os leitores.
#
No dia 20 do correnle o Derby Club, do Rio de
Janeiro, mcerrava a nscripco para o Grande
Premio Guinabara Animaes nacionlaeshandi-
capPesos comprehendidos entre 56 e 62 kilos
2,800 metros-Premios: 6:000.5, 11:200,5000 e
600*000,
A directora do Jockey Club resol ven crear um
pareo para animaes trotadores, de liliago co-
nhecida, que se realisar no dia 13 qe Julho de
1890Distancia 5,000 metrosPremiis : 5:0C0
i:000 e 3005- 1
Em Pars inscreverara-se 293 animaos para o
Grand Vnxde Paris, de 1891. \
Para o Derby de Epson de 1891, inseseveram-
se 209 animaes.
O conhecido sportman inglez M G. Honghlon
vai pura uenos-Ayres com os animaesl Belisa-
rius II, Hark. Tigunder e Daule, que cjpmprou
ltimamente ao Duke de Portland.
Leva cemsigo o jockey E. Martin. \
Parti para Bueuos-Ayres o jockey WJ

Sao as menos incivis, e nn
causa dos incrdulos reproduz-as
expressivas.
singular que o honrada Lejeu-
1 a palavra canalha se te
ssando ti do de
Olley.
a Bahi^, o jo-
Partio do Rio de Janeiro para
ckey EL Berry.
* \
Partiram a 7 do correte Agosto para a jSapu
caia fazenda do Sr. M. Lemgruber. o\s ani-
maes Sybilla e Salvatus.
#
M. Rotchschild comprou a M E. J. Lefevqc, 12
yearlings par 44:000*.
#
No dia 4 e Julbo abaleu a archibancada
Oklahona, nos Estados-Unidos, morrendo mi| tas
pessoas e ficando muita gente ferida.
No dia 7, tres dias depois, succedeu igual
astre no Mississipi, morrendo tambem ral
gente.
de
jes-
uta
INDICARES OTIS
TIcdicos
Dr. Castro Jestts medico e operador'
Pratica, a lavagein do tero quando e
mo aconselbsda. Consultas das 11
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.
andar: Telephone n. 339
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio na do Cabug u. 14,
andar de 12 s 2 da tarde ; residencia ,
Monteiro.
npaio d consultas de
meio-dia is o horas ao 1.a andar da casa
ra doS^^^Bs> Victoria, n. 51. Resi-
dencia ^^^^Hr de Sembr q. 54, en-
trada pe Ir Saudade n. 25.
'T. Ribeiro d*- Bruto d consultas d
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Caxias n\ 46, 1. an-
uo s%r procurado para chamados na saa
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
IJrphoue n. 803.
Dr. Alocare .. GuimargM, cLegado. da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade a molestias do oora-
cao, pulmBes, ^gado, estomago e intesti-
nos e tambem e affecco's das enancas.
Reside prega do Conde 'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, ondeJ d consul-
tas do mcio-dia s 3 horas. Teleohone
n. 381.
k O Dr. Mathcus Yaz. medico, tem o se
escriptorio a ra do Bario da Yictori
n. 51, 1. andar, onde d consultas, d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n.27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de-onias.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clinica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmcmares e partos. Ra do Mrquez de
OiniPfc.. 27, 1. sndar. Consultas das 11
a Forte (Poco da Pa-
ras da manh e
i. Teieshone n. 3i2
1: Cerqueira Lclte^em 6*s
s 2 horas
celia) das 6 a
tarde.
Dr. Cerquera Liicejlem TSen escripto-
rio r.a ra Nova ,naJ"i>, do meio dia s 2
horas e Cesta 4>jra em diante ra Bar3o
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de crianca senhoras e parto.
Telephone n. 328, da casa de residencia.
Oscilsta
Dr. Ferreira. com' pratica no3 princi-
paes hospitaes o clinica de Pars e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
hora8dao meio-dia. Consultorio c resi-
dencia ra Larga do R>sario v? 20-
A2Tg2os
'"'ileaira, advogado. Escripto.ri.0 raa
do Imperador n. Gd.
O hachare), Witruvio Pinto Bandeira,
pede ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.* andar.
J. A. de MagaUiaes Bastos. Duque de
Caxias c. 66, 1. andar..
O Dr- H. MUet contina com seu es-
"eriptorio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambera peder ser pro-
curado sobre negocios concementes 1.*
promotoria publica d'esta capital.
O consetheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 60. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr*oia ra da
.Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 3G2.
Irrogara
Faria Sohrinho & V., droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as eepecialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos china-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da .provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petenciaPerambuco.
_PDBLIC4C0ES 4 PEDIDO
A intriga
Em communicado sob a epigraphe ci-
ma inserto no Diario de Perambuco de
hontem, provoca-me Burhe a acabar com
a intriga, que diz terassumido as mais
assombrosas proporcoesde ha ver o Exm.
Sr. conselheiro Joiio Alfredo recommenda-
do a candidatura do Sr. Dr. Joaquim Na-
buco.
Apesar de nao ter eu concorrido para
aintriga -, e ser o mesnos competente
para responder ao appello, devo dizer que
nao me consta haver aquelle conselheiro
recommendado a candidatura do Dr. Joa-
quim Nabuco, sabendo, porra, ter mani-
festado desejo de ser facilitada a eleijilo
deste, caso fosse eu candidato por outro
districto.
Recife, 22 de Agosto de 1889.
Manoel do Nascimento Machado Portella.
1.
Ao eleitorado do 'i -' districto
E' chegada a oecasio de solicitar do indepeu-
dente eleitorado do 2o dislricto a renovaco do
honroso mandato de seu representante, cujo di-
ploma me foi arrancado pela cegueira partidaria
de mos dadas com o odio escravista na legisla-
tura que acaba de lindar com a dissoluco da
Cmara dos Deputados.
Tendo continuado a consderar-me o legitimo
representaate do districto, nao posso, por isso
mesmo aspirar simplesmenle a honra de ser o
deputado novamedte eleito; desejo que o pleito
de 31 de Agosto tenha tambera uma signieaco
especial : seja o protesto contra a espoliago do
meu direito de deputado duas vezes eleilo ; seja
a restauraco do meu diploma violentamente
rasgado ; seja a confirmagao de que nao tenho
desmerecido no conceito e na confianza dos meas
concidados,
Eu aguardava com anciedade a oecasio de
poder provocar uma manifestaeo clara e solem-
ne do brioso elilorado ao 2 districto. E' por-
tante, cheio de satiafago eje contianca que para
elle appello, sera a menor TOida sobre o julga-
meuto que tcralia de ser proferido, apezar de
todas as rnachinaces, pedidas e diffamacoes a
que recorram os meus rancorosos inimigos.
A manifestado franca e sem reservas de mi-
nhas ideias sustentadas nos meetings, as confe-
rencias publicas, na imprensa, na tribuna par-
mentar, bstanle para airmar os compromis-
sos por mim conirahidos para com o povo, em
cujo nome aspirarei sempre a honra de poder
fallar; ^ por oulro lado, accenta. de modo bem
claro e positivo o dever que me cabe de accei-
tar as soluces ainda as mais arrojadas do libe-
ralismo moderno, concilladas com os altos inle-
resses da patria que todos devenios fazer forte e
grande, prospera e feliz, uma s e iodirisivel
pela integridade;do sausoloe pelo lor,o comranrn
do amor nacional.
Nao me escusarei, entretanto, de mencionar
que, entre todas as reformas que o partido libe-
ral 6 chamado a realizar, devenios, antes de
tudo, trabalhar para que o povo lenha interven-
ga* mais directa e eflectiva na governaco pu-
blica pela ampliaro do direito do voto do qual,
em sua maioria .tem estado privado. llevemos
igualmente trabalhar para que as provincias e os .
municipios tenham a autonoma, entrem no iu-
teiro governo de si mesmas, para, independen-
tementede tutella administrativa estranl
rem seus negocios, anplicarem sua
us raelhoramentos, 1
ao mesmo tempo os inleresses peen
n
i


4
. \
. ama mmm


Diario de PefaAib
m
m
Se
-icird
23 de Agosto de 1889
3

i
A
cerem rival 4.
mecam a
dicarSo a
Recooli
bnete a xTe^prt^ramraa
inteirc de se partido; e por
que o Rabir.iite 7 de Junho erapSlWBB!
zacao d'aquellas duas reformas pitaes, a^par
de outras medidas de ordem differeote e .de
or importancia, como seja promover melhora-
mentos pblicos, auxiliar e favorecer as artes e
industrias nascentes e a lavoura que tao patrio-
tica quanto desinteressadamenle tem auxiliado
a transformacSo do trabalo nacional e por meio
' de medidas econmicas e financeiras impedir as
caprichosas oscillacoes do cambio, desenvolver
o credo, fazer a conversao o nosso meio cir-
culante depreciado, e assim concorrer para que
seja nieluoi aproveitada e desenvolvida a riqueza
publica e diminuidos os encargos da divida 8a-
cional.
Diz-me a consciencia que, mesmo proscripto
do pirlamenlo pela mais violenta das reaeces,
nao me deixei tomar de desanimo nem me con
servei em inactividade : en, ao contrario, conti-
nuei a servir, cora ardor, dedicocao e firmeza,
a causa do povo e da democracia. Posso ase-
gurar ao eleitorado do i" districio que, eleito
Bovamcnte seu representante, saberei honrar o
mandato que me fr conliado, nao trahindo os
eompromissos do meu passado nem iliudindo
as esperanzas do fuiuro: hei de sempre procu-
rar corresponder conliar.ca dos eleitores de-
fendendo os grandes interesses da tffciva pro-
vincia de que me orgulho de ser lilho'e baten-
do-me pelos direilos do povo.
Nutro a esperaiica de que o5o appellarei inu-
' tilmenle para o elrado do 2o districto e que
d'eile hei de receBr um diploma r vestido da
forca e do prestigio^ecessarios para no parla-
mento nacionai colloca>-tnf altura ;!a brande
missao de qaelenhade ser ftrVesiido.
Cada um dos Srs. eleitores do 2o districto com-
prehenier aimpossibilidade material ein que
me acho de procural-os pessoalraente para pe-
dir-lhes que me honrera com os seus votos e
com a sua franca adheso.
Sao bem conhecidas as rainhas Heas e a mi-
nha atiilude diante dos negocios pblicos ; e
quando os Srs. eleitores desejem mterrogar-me
tero facilid;ide de o fazer as reuniOes prelimi-
nares ao pleito que sero promovidas em pontos
determinados de cada parochia, por ser esse o
meio mais l'ac I de por-me em contacto com os
Srs. eleitores.
Espero, portanto, que isso nfio sera motivo
para que deixem de suffragar a minha candida-
tura e fczela subir triumphante das urnas.
Rece, 20 de Agosto de 1889.
Jos Marianno.
Ao sjovero imperial e ao
Excm. Sr. presidente da
provincia.
O abaixo assignado declara, alto e bom som,
que nao pedio, nao pede e nem pedir remo
cao ou demissSo do cargo de juiz municipal e
de orphios do termo de Boa-Vista, lugar este
que exerce bem contra goslo dos manda chava
oa trra.
Assim, desde j, protesta nao aceitar desti-
tuiconem transferencia e mui'.o menos permu-
ta de seu cargo, urna vez que ser sua rev-
liaqualquer sclicitaco neste sentido.
Fazen io publica esta declaraco. chamo para
ella a atteucyo do Sr. Baro de datar, quera
pede vt5ni:i "para dizer : a buon mtenAitor poche
Boa Vista, 8 de Agoste de 1889.
Benerides Moreira do Prado Jnior.
Companhia de Beberibe
ReriJiuk'e Jndevidas
Deixmos provado em nosso artigo an
tenor.
1.Que o gerente tinha feito divides-
dos indevidos ;
2.Qae, por isto, tinha infringido a
lei das sociedades anonymas, e estava in-
curso no cdigo criminal;
3.Que, nao tendo elle incluido cas
despezas semestraes os juros e amortisacao
do emprestimo das 100.000 para pa-
gal-os, tirou-os dos dinheiros destinados
para as novas obras;
4.Que a infraccao da lei, e distrbui-
c3o de dividendos que nao se podian fa-
zer, concorreram para elevar, artificial-
mente, a cota5ao das accoes da Compa-
nhia : o que tambem um crime.
as nos demos, porm, ao trabalho de
entrar na inve&tigacSo do que saldo li-
quido : porque i terpretatio cessat in cia-
rla.
As locucSeslucro bruto, lucro liquido,
saldo bruto, saldo liqw'do, sio expressoes
cuja antinomia comprehendida por finan-
ceiros, negociantes, e at pelo commum
da gente.
Ferreira Borges, om seu Diccionario ce
Direito Commercial, diz : (Chama-se pro-
ducto liquido ou valor liquido em contra-
posicao a valor e producto bruto, entea-
dendo se por este o captivo de despeza, o
que ainda as tem em si; e producto liquido
o que resta, dcduzidas ellas.)
Aulete (Dice.) [diz : (A palavraliqui-
do no sentido figurado, quer dizer : per-
feitamente determinado; apurado, ajusta-
tado, que nao tem j dedcelo a experimen-
tar.)
Um lucro, um saldo, de onde se deve
abater, deduzir alguma despeza, nao
mais um lucro, com saldo liquido ; sim um
lucro, um saldo bruto.
Diz o art. 10., 4., da le de 4 de
Novenr>ro de 1882 : (A porecntagem que
fr devida aos administradores, fundado-
res ou quae3quer empregados da socieda-
de, ser tirada dos lucros lquidos, depois
de deduzida a parte destinada a formar o
fundo de reserva )
0 art. 42 do decreto n. 8.821, de 30 de
Novembro de 1882 diz: (Quando pelos
estatutos, ou por deliberacao da assem-
bla geral, for devida aos administradores,
ou a quausouer empregados urna certa por-
centangem dos lucros lquidos, essa por-
centagem, salvo declarac2o expressa em
contrario, ser tirada dos lucros lquidos,
depois de deduzida a parte destinada ao
fvndo de reserva, quando por ventura ins-
titufdo.)
Pela lei e pelo decreto se v que a por-
ecntagem sempre tirada dos lucros Uqui-
dos, dos quaes pdese deduzir ainda o fun-
do de reserva.
O art. 43 dos Estatutos diz: (Repu-
tam-se Oquidos os lucros para os tns deste
artigo, depois de deduzidas as despezas de
manutencao e custeio da mesma Compa-
nhia, as qiiaes nao se comprehendeni a
quota destinada lormacSo do fundo de
reserva e os dividendos.)
Realmente, fundo de reserva e dividen-
dos nao sao despezas, cuja deduccSo total
seja unprescindivel para o saldo ser li-
quv
O pagamento dos juros e amortaa>.
emprestimo sao despezas de manutencao e
custeio.
Tanto assim que, depois de e3gotados
sos extraordinarios, donde o Sr.
tirou essa despeza, ella ha de ser
sita ordinarif.
etrbutS ao Sr. ge-
ao caixa dsvei. tendidos*
ios dedaztd*^ despezas com
iros e amortisacao de emprestimo das
- l
Ora, serldo os saldos les 4 ltimos se-
mestres, de 1 de Nevembro de 886 a 31
de Outubro de 1888, 32:451$3 10, o Sr.
gerente e o caixa :iveram amb 5, de re-
tiibuijSo, 32:6-iSl^9, era dois mnos, ou
cada unj.em um anno, 8:160i50O I.
Mas, esses saldon, d'onde fon n tiradas
taes porcentagens, nSo sendo liqullos, como
quer a lei, da qantia de 320:4ll|5390 de-
vem-se" abater, pouco mais ou enos....
180:000000 de juros e amorisacao nos
4 semestres. Restam 46:451)5330.
Smente desta quantia deiam de ter
sido tirados s 5 (|i; o que flaria, para
cada um dos iois,~*^32256y de retribui-
50 annual. i
Realmente mesquinha retafibuigao, so-
bretudo, para o Sr. gerente, a quem tan-
to deve a companbia, e que vi/e esmaga-
do por improbo trabalho.
Agora, qual deveriaser a r^tribuicao do
Sr. gerente no semestre ulMno, em qne
nio houvedividendjs ?
E' verdade que honve umjsaldo de....
74:511^330; mas desapparceu pela ap-
p]icac3o, que tevo, na tm-mina^o ds
obras (Re. de 1880).
Foi um saldo ; mas nao fii um saldo!
Anda nenhura financeird disse coisas
mais bonitas !
Foi um salda que desappaieceu, mas que
apparece por urna razo uiica, para oSr.
gerente deduzir a sua porce/ntagem !
(Como moral, isto?!)
Mas diante da lei que exige que os
5 0j sejam sobre os lucroa lquidos, o Sr.
garente nao poda ter, no ^Utiino semestre,
retribuiQSo alguma. /
A que teve, foi absolutamente indevida.
Dir que trabalhar sem ganhar um
canudo.
Concordamos que catktum de nos, deve
ter o sea ganhapao; map tambem nos pa-
rece muslo cruel que fiquem a ver navios
tantos orphaos e viuvas e gente que nao
tem senao aquillo, e oi Sr. gerente com
proventos pingues e indevidos.
O seu trabalho, por mais penoso que
seja, nao pode sotopor os trabalhos aecu-
rmlados que representapi os capitaes des-
ses orphaos, dessas viuivas, de todos.
O trabalhocapital etilo sagrado eme-
recedor de remuneracEf, como o trabalho
industria do Sr. geretfte.
A anomala, a exqt isitice, a irregula-
riedade do acto, e a t espiedade para seus
consocios, ah, ficam como padrSes de ho-
nestidade em cumpriipento de deveres.
Dr. Viremont.
ra da Silva
-
13. dfstricto
Tenho, embrra muit
escndalo praticado
denunciar ao publico,
te da provincia por
utna vez, nao teria a
Exc.
Presidente nomead
de Agosto, o Sr. Aiv
la da mao- custe o q
Prometiendo alte
a contra gosto. mais um
lio Sr. Uarao de Caiara a
io digo uo Sr. presiden-
itar certo de que, ainda
inra de ser ouvido por S.
para fazer a eleicao de 31
de Araujo ha de dar coo-
custar.
er as queixas da opposi-
co, affectando reuitar sollicitude em garantir os
direitos de todos, S Esc, nada faz. deixa as
cousas no mesmo pi em que as collocou o Sr.
de Baro de Caiar, m vicepresidente capaz,
como nennum outri/de cumprir as oruens do
Sr. ministro da just(ra, que, em materia eleito-
ral, e quem d actudimente o santo e a senta.
Continu o Sr. Altes de Araojo na sua inglo -
ra taina, certo de /queja nao llude a ninguem
cara as suas boas p davras. J n5 ha quem du-
vide de que S. Exc um presiaente impassivel.
ainda mesmo diant das mais serias e justas re-
rlamaces, um me-o continuador do Sr. Baro
de Caiara, pois naui ao menos se digna despa-
char as peligoes fjue llie sao dirigidas, como
succedeu com a dd Io supplente de jiz munici-
pal Teixeira Jacobina, que loe foi per mim pro-
prio entregue no dia 12 do corrente !
Leia o publico _a( publicaro abaixo, asssigna-
da pelo meu dislincto correligionario Francisco
Alves de Carvalho Barros, e veja como sao res-
untados a lei e os direitos do cidado n"esta ne-
fanda situaco liberal.
J. Moreira Altes.
Recife, 21 de Agosto de 1889.
Francisco Alvos de Carvalho Barros
no publico c especialmente a S. M.
o Imperador.
Lendo o /'ioVo de Pernambuco de 18 do cor-
reuic sob n. 159, pag. !.columna i.' que diz :
Despachos ba presidencia, do dia l de Ju-
lho de 1889.
Fraacisco Alves de Carvalho Barros.Predi-
cado. / '
Hermelindo 'de Almeida Alcoforado. Passe
portara provedo o supplicante.
Fiquei muii0 admirado de seraelhante nomea-
go feita pelo) vicepresidente Baro de Caiar,
que sem escrpulo, teve a sobeja coragem.de
nomear 2o tauellio deste termo, ao Sr. Herme-
lindo, requerando dito concurrente com data de
16 de Maio, quando o prasoda lei tinha findado-
se no dia 4 uo dito roez !...
Pois, istoj no meu entender e especialmente
apreciado por quem ler os Dees. 9 4 de 28 de
Abril de 188$ 3 322 de 14 de Julho de 1887. vi-
se que dita nomeaco foi injusta, porquanto foi
requerida 12 dias depois de liado o praso legal,
pois ludo ibto ('sta provado, nao s pela inror-
tnar.to dadi pelo juiz municipal deste termo, a
qual do theor seguinte:
Juizo municipal' e de orphaos dh termo de
Floresta, 28 de Maio de 1889.Illra. e Exra, Sr.
Era respbsta ao despacho de V. Exc. d^
corrente njez, exarado na petifo de Hermelin-
c!o de Almoida Alcoforado, a qual devolvo a V.
Exc, cab<-rae informar que o prazo do edital
que foi afllxado neste termo, principiou no dia
4 de Abrije liudou-se no dia 4 de Maio do cor-
reate, tenjpo este marcado concurrencia de 2o
tabellio. em vista do exposto, o concurrenle
Hermelindo de Almeida Alcoforado, requereu
fra do prazo marrado no edital, por este juizo.
Deus guarde a V.Exc-Illm. e Exra. Sr. Dr.
Ignacio Uoaquim de Souza Le, muito rfigno
vice presidente desta provincia.0 jutz munici-
pal edfc orpbos, Antonio Candido Corre'a de
Araujo.I
Conio amda v-se pelo editai publicado no
Diario 4c 3 de Maio do corrente anuo sob n. 99.
Em \jsta do que acabo de expor est bem
provad0 que foi o meu direito preterido, o que
em vista dos decretos j citados, appello da pre-
sente nbmeaco injusta apreciaco de S. M. I.
decidir, mandando dar o direito a quem fr de
i*** '".'"
Fcrfjta, :il de Jiiho de 1889.
Francisco Altct de Carvalho Barros
" -* -
-------------------?--------------------
Eleiro los j1i7.es e mais empresa-
do que tcem de festejar a Excel-
sa/ Padroelra >'ossa Senhora da
Pe ulia na nnatriz de fiamelleira
Juizcs por eleicao
03^llms. Sr^
Dr. 1 ntonio Venancio Cavalcante de Albuquer-
l_
CapitaO Feiix Ferreira de Morae
Capjto Jco Felippe de Souza L;
re Pereira da Silva (.
Juitas por ele:
Exmas. Sras. :
m
to Velloso da
el Wander-
ino Castello
ta da Rocha B.
Consorte do
queii
Consorte do Sr
Consone do Sr
Juizes
Os Illms. Srs.:
Dr. Joo Lopes de Si
Capjto Manoel Antonio dos S*
Capito Joo Alhanasio Cavalcante de Atbuqi
qae.
Joao Francisco de Olivera.
Juizas por devoco
As Exmas. Sras. :
D. Brites Sebastiana de M. Monteirt
D. Euthalia lsmenia de Mattos Lima
D. Arselina da Silveira AlbuquerqueT
U. Francisca Maria de Jess.
Juizes protectores
Os lllms. Srs.:
Rarao de Serinliera.
Dr. Leopoldo Schirraer.
Coronel Felippe Benicio Alves Ferreira.
Antonio Bertino Pereira de Carvalho.
Juizas protectoras
As Exmas. Sras.:
Consorte do Sr. coronel
Silveira.
Consorte do Sr. Dr. Fra
ley Lina.
Consorte do Sr. capitao^
Branco.
Consorte do Sr. major Joai
Lins.
EscrivSes por eleicao
s Illms. Srs. :
Lonrenco d*0 Pereira.
Teoente Victor Pereira de Carvalho.
Capujo BeJlamaino Dorotheo Rodrigues e Silva,
atino de Almeida Andrad.
Escrivs por eleicao
As Exmas. Sras.:
Consorte do Sr. capito Joaquim Antonio da
Fonseca Carvalho.
Consorte do Sr. capito Joo Manoel de Barros e
Silva.
Consorte do Sr. Jos Augusto de Barros.
Consorte do Sr. Sebastio Mendes de Hollanda.
Mordamos
Os Illms. Srs.:
Antonio Duarte Machado.
Joo Bicardo do Bego Gomes.
Trnente Jos Antonio de Castro.
Vito Sepulvedo Dinlz.
Possidonio Cardono Sobrinho.
Joao Luiz de Carvalho.
Antonio Luiz Gonzaga.
Manoel Hpllanda Cavalcante.
Manoel Tavares de Miranda.
Dalvino da~Fenseca Lyra.
Manoel Francisco de Mello.
Joo Tavares de Lyra.
Mordomas
As Exmas. Sras.:
D. Maria Marctonilla Pereira Lima.
D. Liberata Leopoldina Vital.
D. Anna Joaquina de Amorim.
Consorte do Sr. capito Sebastiae Brando.
Consorte do Sr. Antonio Feij de Mello.
Consorte do Sr. Joo Flix Cavalcante.
Consorte do Sr. Lvcurgo Geraldo de Aiencar.
Consorte do Sr. Jos .Moreira da Silva Dourado.
Consorte do Sr. Pedro Escolstico da Silva.
Consorte do Sr. Bernardino Jos Jeronymo.
Consorte do Sr. Jos Francisco de Paula Frazo.
Consorte do Sr. capito Seralim Tavares.
Procuradores
Os Illms. Srs.:
Manoel Alves de Araujo.
Amaro Marques da Silva.
Joo Baptista de Oliverra.
Graciano Felino de Vasconcellos.
Joaquim Pereira de Lyra
Thesoureiro
0 Illm. Sr. capito Manopl Gonealvcs de Olive-
ra Rocha.
Villa de Gamelleira. 9 de Junho de 1889.
O parodio.
Antonio Graciano de Araujo Guarita.
Aos Exms. Srs. ministro da justica.
e presidente desta provincia
O bachajel Augusto Frederico de Si-
queira Cavalcante, juiz municipal e de
orphaos deste terruo e Ex vem declarar
a-Vs. Exc8., para os fins convelientes,
que nao pedio, e nem pretende pedir sua
remogao ou demssSo.
Villa de Granito 1.- de Agosto de 1889.
Angusto Frederico de Siqueira Cavalcante.
O Sr. Dr. Serafina Araujo
Dr. Serafim Jos Rodrigues de Araujo,
formado em medicina pela Faculdade da
Baha, cavalleiro da ordem da Rosa, etc.
Attesto q^e o Peitoral de '-ambara, pre-
parado pelo Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, um excelente medicamento, em-
pregado com muto bons resultados, as
molestias broncho-pulmonares. E por ser
verdade, passei o presente, que as3gno em
f do meu grao.
Dr. Serafim Jos Rodrigues de Araujo.
Pelotas.)
Aviso nos aossos leltorc?
Os nossos leitores que visitarem Pars
durante a Exposcao de 1889 j sabem
que poderSo ler os ultimes exemplares do
nosso jornal chegados aquella cidade no es-
criptorio dos nossos correspondentes, Srs.
Amde Pr'ince & C, 36. ra Lafayette,
onde podem mandar dirigir qualquer cor-
respondencia, pedir quaesquer informajSes,
dar ordens de compras, etc.
Alin d'isso, levamos ao conhecmento
dos nossos patricios que afora o servido esta-
belecdo no escViptorio da ra Lafayette,
n. 36, os mesmos Srs. Amde Prince
C, acabam de organisar urna sala de lei-
tura e de informac3es na ExposigSo mes
ma, no pavilh2o da repblica de Guate-
mala cuio commissario geral dignou-se dr
por graciosamente urna vasta sala com
varanda s ordens dos nossos correspon-
dentes.
Aconselhamos mui vivamente aos nos-
sos amigos e leitores que se acharem em
^aris, que visitem a casa Amde Prince
& C. na sua sede social, 36, ra Lafayet-
te, bem como na installacao que possue na
Exposcao no Pavilh2o de Guatemala que
ha de ser, gracas s extensas relacSes dos
nossos correspondentes, o ponto da re-
uniao dos numerosos estrangelros residen-
es em Pars.
via Pinto Batiileira ,
; {Pode ser procurado ra do Imperador < /
\ [ *n. 7i, Io andar ( I
Advog-ado
O bacharel Arthur da Silva Reg tem o sen
escriptorio de advocacia ra do Imperador n.
34, onde pode ser procurado para os misteres
de sua profisso.
SILVEIRA
ADVOGA
rorado do 3. districto
^^werenidade de espirito que soem ter se
supriores retemperadas na adversidade,
orpo eleitoral do 3 districto que,
^^a decisao da commisso executiva do
al que me excluio da lista dos as-
HlBD lugar no seio da renresentago
>nal,fago appello d'essa deciso para o raes-
>rpaeleitoral.
NuncaSoube subscrever ao capricho e. in-
justica. ;
(o abtardamento geral dos caracteres nao
admira me atquelles a quem o acaso feliz ou al-
guma cijeumstancia extranha poz testa dos
nt'gocio|politicos de urna circumscripgao pro-
\indal ds-'lquer, confundam o joio com o trigo
e pesein ininscientemente a ouro e lio, em ba-
langa fagiticada pela bajulaco e pelo capricho,
o meritae o demerito, a consciencia s e o es-
pirito d pheu-deitodos os desbragamentos e de todas as
falsiticapes polticas.
Nao sir assim que se far bda poltica ; nao
jr con agremiaces as alturas sociaes de ca-
racteresdisparatados em intuitos e sentiraentos
e com alia social guindada e lantejoulada por
ttulos tidos pela subserviencia, pela perfidia
e pela vsnalidade que se (irraaro as instituigOes
j to fofundamente abaladas.
Nao iccuso, nao me julgo de momento com
direitode aecusar o governo central; a gencra-
lidadede seus actos deixa ver o proposito pa-
trjotic/de servir as aspiraces do paiz, corri-
gindospecialmente os erros e desvos da ante-
rior aiministracao, mas a boa direcco da nao
do Estido nao depende smente da bussola que
Ihe iijlica os pontos cardeaes, nem do rumo que
lae i/primetn peritos palinuros ; necessario
la a companha opere harmnicamente
de um machinisrao correcto.
So"ser com mercenarios e llibustciros que
ella far rota segura de salvaco.
Fii sibstitoido na chapa do partido em mnba
naturil candidatura pelo 3." districto por um
iodnfdtio que, aprosentando & cmara quatrien-
nal, m sua maioria liberal, um diploma de de-
puta o e sendo esse diploma aecusado de nullo
por: ilsificacao de acta eleitoral, uo o defendeu
nem perante a commisso de veriticago de po-
dere, nem na imprensa, deixando d'esta arte
que Cmara em sua justica se pronunciasse
pela iccusago e que licasse firmado contra si o
trem ndo e aviltante estygma de falsificador.
Sijim tal individuo pode ser representante da
Nac por indicago de um partido que deve-se
ter en conta de moralisado e patritico, nao sei
o qui deva caber em partilha as grilhtas de
Fernlndo de Noronha.
Copo programma em apoie de minha candi-
datnh aprsenlo em primeiro lugar o meu pas-
sado e no movimento rpido de transformaco
que i nossa sociedade vai levando depois da
o do elemento servil, pronuncime pela
mia administrativa e poltica das provin-
m grao que nao perturbe a marcha regu-
instituices, nem faga perigar a unio
al.
ifp, 10 de Agosto de 1889.
Silvino Caralcanti de Albuquerque.
Quaito districto eleitoral
de Pernambuco
IUm. Sr.Pretendo a honra de ser deputado
geral por esta provincia de meu nascimento,
pelo que rogo a V. S. o muito particular favor
de dar-me o seu voto e dos seus numerosos
amigos por esse quarto districto em a eleicao
de 3i do corrente mez ; antecipando Ihe os meus
sinceros agradecimentos.
Se en merecer o obsequio que venho de soli-
citar, ser minha missao no parlamento brazi-
leiro sustentar o luminoso programma do pa-
tritico e venerando gabinete 7 de Junho.
Sou com a maior consideraco e estimafre
V. S. venerador e criado obrigadssimo,
Jos Maria Ramos Gorjao.
Recife, 17 d^Agosto de 1889.
M.M*
Cem ditrerente* irailardex do Fi-
sailo de Bacaltao se vende como legiti-
mas-
Milhares de doentes sao deste modo Iludidos,
e o" melhor remedio que at hoje se tem desco-
berto para as uHecres pulmonares perde a sua
reputaco.
0 melhor meio de se evitar scraelhantes impo-
sigfics, nao comprarse o artigo, urna vez que
nao se ache elle garantido por urna casa respei-
tavel, e isente de toda a suspeita, que pode en-
gaar.
O Oleo Puro Medicinal de Figado de Bacalho,
de Lanman & Kemp, tanto branco como preto,
gosa de urna reputaco de superioriuade em todo
" mispherio Occidental, na Australia e na Eu-
composico nao s se Jaz uso dos figa-
dOtV peixe tresco, e pode-se conservar por um
lempo indefinido em todos os climas do mundo.
A perfeija pureza da preparaco, a que o
loma to admiravel e uniformemente efficaz nos
casos mais graves de hemorrhagia dos pulmOes,
bronchios, pneumona, tsica incipiente, conges-
tao, e a consumico do bofe, magreza e decaden-
cia corporal; e para toda3 as molestias dos or-
gos da res pira go e da garganta, complicadas
com affecces escrofulosas.
A(ha-se venda em todas as principies bo-
ticas e lojas de drogas.
Istreitamento da urethra
AO IlLLM. SE. DB. CABLOS BETTENCOURT
Ei, abaixo assignado, declaro que, estando
soffpndo de um estreitamento da^urethra, acom-
paniado de blennorrha, recorr ao Illm. Sr. Dr.
Betenconrt, por quem fui operado pela electro-
lysasem dor, ficando radiclmenle curado em
curp espago de tempo
Ap muito digno Sr. Dr. ettencourt os meus
mate sinceros agradecimentos.
Joo Rodrigues de Brillo.
'. m
0

fl
Leonor Porto
Ra L.arga do Kosa*i o t
mero 9S
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais difliccis
figurinos rcebidos de Londres, Pariz,<
( ) Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeigao de costuras, c=l
em brevidade, modicidaue em pregos e< >
fino gesto. {_)
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pe'.a Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra BarSodo Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas da* 10 s 4 horas da tarde.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, cx-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
BarSo da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
, hydrc
{ feridi
I ( tia d
Vias urinarias, molestias das se-
nhoras, operacSes elctricas
ESPECIALISTA
com pratica de pabis e londres
Estreitamento da urethra curados ra-
dicalmente pela electrolyse, sem dr ;
hydroceles sem injecgo (cura radical);
feridas e ulceras chronicas, com garan-
de cura rpida ; pedras da bexiga,
fstulas e heraorrhoidas ; syphilis, go-
norrhas, pelo methodo das instillagOes;
molestias da garganta e do peito pelas
athmospheras medicamentosas. Con-
sultas e operagOes das 12 s 3 hora3 da
tarde.
RA DO MRQUEZ DE OLINDA N. 34,
2o ANDAR
Residencia na Torre
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
[ae de molestias de senhoias e creanas.
ratz^tV'anlr6110^ "" ^
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
D. Carlota de Araujo Lobo
J PABTEIBA DA SALA DE MATEBMDADE
DO
HOSPITAL PEDRO II
I cicio de sua profisso su
dencia
59 -RA DA G
A coqueluche e o Peiloral de
Cambar
Dois netnhos da respeitavel matrona, a
Exma. Sra. D. Maria Jos Rodrigues Bar-
cellos, moradora em Pelotas Rio Grande
do Sul, estavam atormentados pela coque-
luche, sem obtterem alivio com o trata-
mento do seu Ilustre medico. Um dia a
dedicada av deu-lhes o Peitoral de Cam-
bar e ficou surprehendia com o esplendi-
do resultado do medicamento.
Chamamos a attenco do leitor para o
seguinte attestado firmado por aquella dis-
tincta senhora:
A abaixo assignada attesta, a bem da
humanidade, que tendo sido, em Dezembro
passado, atacados de coqueluche seus ne-
tnhos, Antonio e Dejanira, e sem terem
podido obter allivio com o tratamento de
seu Ilustre medico, deu-lhes o conhecido
Peitoral de Cambar do Sr. Jos Alvares
de S. Soares e, com quatro vidros deste
efficaz remedio, ficaram completamente
restabelecidos do terrivel soffrimento.
Maria Jos Jodrigues Barcellos.
Pregos : frasco 2^500; Ii2 duzia 13;
duzia 24jJ.
Vende; se em casa dos agentes Francis-
co Manoel da Silva & C, ra Mrquez de
Olindan. 23, e em todas as boas pharma-
cias e drogaras desta capital.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Baltliazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
\ da3 criancas, dos orgSos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharrnacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.


Aviso a nuestros lectores
Los de nuesfros lectores que vayan a
Pars mientras la Exposicin de 1889, es-
tan ya, avisados que podran leer los ttifi-
mos ejemplares, rcebidos en Pars, kde
nuestro peridico, en la oficina de nues-
tros corresponsales los Srs. Amde Prin-
ce y C, 36, ru Lafayette, donde pueden
hacerce dirigir toda su correspondencia,
pedir informes, dar ordens de compra,
etc.
Pero, avisamos a nuestros compatriotas
que. ademas del servicio instalado en su
oficina. 36, ru Lafayette. los Srs. Am-
de Prince y C. han orgonizado un otro
gabinete de lectura y de informes en la
Exposicin misma, en el Pabelln de la
Repblica de Guatemala, en donde el Sr.
comisario general a puesto a la disposicin
de dichos Srs. una grande sala cou ter-
rado.
Aconsejomos vivamente a nuestros ami-
gos lectores que vayan a Paris, de hacer
una visita a la casa Amde Prince y C,
tanto en su residencia, 36, ru Lafayette,
como en su instalacin en el Pabelln de
Guatemala de la Exposicin, que resulta-
r, ser pr el hecho de las extensas rela-
ciones de nuestros corresponsales, el cen-
tro de reunin de los numerosos estrange-
ros presentes en Paris.
Advocacia crime
RIBEIRO DA SILVA, defende perante o
jury de Palmares, Agna-Preta. Gamelleira,
Escada. Jaboato, Naxaretn, Victoria, Tim-
bauba e as comarcas visinhas s vias
frreas. ,
Pode ser procurado ra Io de Margo)
n. 7 A.Livraria Parisiense. ><
Elixir oafcpca de negro do Dr. Santa
Roa. analjsado em Paris e ap
provado pela Inspectora Geral
de Hygiene. .
(Premiado na Exposcao)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadeiro elixir cabega de negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que como garanta tem em
seu favor os attestados passados pelos mais dis-
tinctos mdicos, desta e demais provincias do
imperio, per pharmaceuticos, desembargadores,
i-____i onnunhui-iM i more-
Aos eleitores do 7. districto
Him. Sr.Tendo merecido do directo-
rio do meu partido a distinccSo de ser
apresentado candidato deputacao "geral.
por este districto, si por um lado lamento
nao ser, dos mais competentes para aspi-
rar a eevada missao de representar-vos
na Cmara temporaria, por ontro lisongeio-
ine de ver que me foi designado no cam-
po das pugnas politicas tao honroso, quan-
to arriscado posto de combate.
Homem de partido, nao tenho toda-
va me acostuinado a subordinar s sua
exigencias, quando desarrasoadas, os vi-
taes interesses da patria e suas nobres e
legitimas aspiracoes.
Pens mesmo que precisa de ser corre-
gida a orientacao dos nossos partidos con-
stitucionaes e assim me exprimindo deixo-
patente 4ue a ,neu v-'r D^ escapa a esta
necessdade o partido a que pertenco, que
entretanto, devo dizel-o por amor ver-
dade e sem laivos de parcialidade, delles
o que com mais eficacia e sinceridade tem
servido ao paiz.
Atravessamos urna quadra inteirament'e
anormal e em que a alma nacional parece
aecusar um grande mal estar e esforcar-se
por encontrar remedio a seus soffrimen-
tos.
Quem a esta hora auscultar o coracSo
da patria, reconhecer pelo seu bater dc3-
compassado que ha nella urna gra*-e per-
turbajao do seu systema circulatorio pofi-
tico-social, e quem tomar-lhe o pulso sen-
tl-o-ha profundamente alterado pela febre
do desconhecido.
A par de algumas lisongeiras manifes-
tacSes da vida material da najao, notam-
se grandes miserias, mesmo sob este ponto
de vista, e sobre-sahem os desanimadores
symptomas de urna enfermidade moral,
que atacou o carcter nacionalcentro
nervoso de todas as energas da nacao.
Entedo que em um tal estado de cou-
sas rigoroso deVer do partido conserva-
dor restaurar as suas forcas e trabalhar
unido para reerguer a nacao do seu aba-
timento e conduzil-a triumphante e sadia
s altas regiSes do seu engrandecimento.
Um s caminho se me affigura que pode
conduzirjnos a esse desidertumo das
reformas tendentes satisfaca de jus-
tas e coDhecidas aspirajoes de grande
maioria da nacao e da pratica sincera e
leal das instituiyoes, o que quer dizer urna
honrosa capitulagSo com a opiniao publica
do paiz, o respeito aos direitos dos cida-
d2os e o imperio da moralidade na admi-
nistracao.
Nao sou fcil em lomar eompromissos,
nem gosto de achar-me na contingencia
de faltar a elles, quando tomados.
Sirva isto de justificaco norma de
conducta que neste momento me imponho
de nao descer especificacSo de um pro-
gramma, a cujo servico porei a minha
fraca palavra e os meus convencidos es-
forcos, s for eleito vosso representante.
A nayito est sendo agitada por urna la-
boriosa evolucao, cujo8 resultados se ac-
contuam na grande crse dos espiritos em
rela5ao descrenca as instituigoes que
nos regem e na grande crse da fortuna
publica em relaao desorganisayao do
trabalho, que lvou a lavoura e com ella o
commcrcio e as industrias aos maiores
apuros.
Diante dessa evoluc3o, um tanto pre-
cipite e agitada, parece que vai tornar-se
necessaria a vevsao do programma do
partido conservador e esta ideia j despon-
toa no espirito de alguns de seus chefes,
tendendo a generalisar-se.
Nao serei eu, por tanto, que por um fa-
ntico apego aos velhos moldes do meu
partido me prive desde j de adherir a
esse novo programma, que ao meu espiri-
to surge na forma de um arco-iris poltico,
que os chefes conservadores podem por
nos horisontes desse partido como um
signal de sua al!ianc,a.
Si tudo isto falhar que do fundo do'
co do futuro da nossa patria est para
surgir algum novo astro, que eu nSo sei
si os mais- apei feieoados telescopios da
poltica j poderam alcanar. E entao ser
preciso reformar o compendio da nossa
astronoma poltica e nao sar o humilde
representante do 7. districto, si por ven-
tura me achar eu investido dessa honra,
que ha de emperrado como nm membro
do tribunal do Santo Officio pretender que
a trra est immovel no centro do uni-
verso.
Para concretisar o meu pensamento em
urna s phrase, mais expressiva do que
tudo quanto deixo dito e mais eloquente
mesmo do que um manifest feito com
todos os preceitos da arte, eu vos direi
que na essencia o meu programma polti-
co se pode resumir as seguintes pala-
vras:trabalhar pelo bem do meu paiz
e particularmente pelo desta briosa pro-
vincia, que me foi bergo e que est pre-
cisando de toda a boa vontade de seus fi-
Ihos para reconquistar a brhante posicao
que sempre oceupou no congresso de suas
rms.
Espero que sabereis apreciar a fran-
queza com que acabo de fallar-vos e por
isso cont com o vosso voto e com o vos-
so valioso apoio em prol da minha candi-
datura.
Com estima e reconbecimento assig-
no-me.
Vosso patricio e criado obrigado.
Jos Vicente Alea de Vasconcelios.
Recife, 5 de Agosto de 1839.
----------^sQsacg-----------
Professora
Por casas particulares, na cidade ou nos arra-
baldes, offerece-se urna senhora para leccionaro
seguinte:
Portuguez, francez, italiano, geographia, piano,
trabalho de agulha, bordados e flores.
Garanta.As diseipulas effectivas que teme
diversos attestados de pessoas ilustradas.
A tratar na relojoaria do Regulador da Man-
nha, ra Larga do Rosario n. 9.
AMOGABC
A
0 hachar'



I
-**S
-*H
i








Diario de P
xta-feira 23 de Agosto de 1889
K-^8 Gottas de Trouette Per-
ret bSo infalliveis para curar 03 defluxos,
bronquites, toases, tsica, catarrhos, asma.
Fazeni immediataniento cessar a tosse e,
gem cancar o estomago,, o fortalecem e re-
constituem. (12
Frederico Chaves Jmior |J
Homoepatha
[39 RA BARO DA VICTORIA 39 j (
1'rlmi'iro Andar ( j
Advogado
Miguel Jos de Almeida Pernambuco tem o su
escriptorio de advocada ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todos os das uteis, das
tiorts da 9 nianh as 4 da tarde.
li-
li'
EDITIS
O Dr. Manoel Tobas do Reg Albuquer-
qe, juiz de orpliaos do termo de Ta-
. quaretinga, por Sua Magestade o Irapc
rador, a quem Dens guarde, etc.
Faz saber a todos os que o presente
edital virem e del le noticia tiverem, que a
este juizo requereu e justiticou Joao Go-
mes Barbosa, a prodigalidade de seu fi-
lho Vicente Ferreira Gomes, de maior ida-
de, casado, com mulher e filbos, e todos
residentes neste termo ; julgada por
sentenca a referida justificacao, foi no-
meado o justificante Jo3o Gomes Bar-
basa curador de dito seu filho; pelo que
estando elle interdicto, e como tal inca-
paz de administrar seus bens e de fazer
qoalquer transaccao ; mande passar o
presente que ser affixado nos lugares p-
blicos da comarca e publicado pela im-
prensa da capital, para que chegue ao
conhecimento de todos.
Dado e passado nesta cidade-de Taqua-
retinga, aos 16 de Agosto de 188!*.
Eu, Joao Barbosa de touza, escrivao
de orphabs, o escrevi.
Manoel Tobas do Reg Albtiquerque.
SyiecfAo.-Secretarla la Prct cla d Pfrnambuco. IO de AkoMo
de 1 s.;
0 Exm. Sr. couselheiro prndenle da provin-
cia, de ordera.de S. Exc. oSr. cooselheiro Vis-
tonde de Our Prcto, Ministro e Secretario de
Estado dos Negocios da Fazenda, faz saber ao
commercio de Pernambuco e mais interessados,
que nesta secretaria recebem-se at 31 do cor
rente reclamaces sobre a tarifa das Alfandegas
e regulamentos de 22 de Fevereiro de 1888, re-
lativos aos impostos de industrias e prolisses,
fim de serem consideradas na reviso a que
vai proceder o Ministerio da Fazenda.
O secretario.
Francisco Leopoldo Marinho de Souza.
5.a scelo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, cm 20 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Io da Ie n. 1,001 de 4 de Junho de 1887,
3ue, tendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, a questao de ava-
iiacSo do material da empreza de illumi-
Bacao gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do presente edital,
para contracto da dta illuminacilo, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3." Nenbuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de baver feito no Thesouro
Provincial deposito da quautia de 25:000;$
em dinbeiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante senao lindo o contracto e
servir de caucHo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no ir.csmo.
1 5. O contracto s poder ser feito
com quem inelhores vantagens offereccr
na concurrencia.
6." A nao ser no cano do paragrapho
antecedente, a actual v'mprcsa nao ter
preferencia a qualqucr outro proponente
7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por forra da clausula decima ter-
jeira do contracto cm vigor, devendo dita
indemnisacao ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o material
a obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
I 8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 3Q annos.
COMMERCIO
Revista do Mercado
RKCIF2. 22 DE AGOSTO DE 1889.
Foi pequeo o movimento, constando apenas
le transacres no mercado-de cambios.
Bolsa
O0TACOK3 OFF1CIAES DA JUNTA DOS COR-
RETOBES
Reeife. 22 Oe Agosto de 1889
Acjes a Companhia de Fiaco e Tccidos de
Pernambuco, do valor de 1004, ao par.
Oesconto de letras, 9 0.0 10 auno.
Na Bolsa Venderam se
20 aeces da Fabrica de Fiacao e Tecidos.
O presidente,
Gandido :. G. Alcoforadc.
O secretario,
Eduardo Dubeux
Algodo'
0 de 1" sorte do serlao foi colado hontem
7*050 por 15 kilos e nao 7*100, como por enga-
o foi publicado.
Contina a mesma cotarao.
A exportaco, feita peU alfand.'ga neste mez
at o da 20, att'ingio a 7/1.013 kilos, sendo- ..
39197 para o-exterior e 211.846 para o interior.
As entradas verificadas at hojc'sobcm a 5.217
saccas, sendo por:
3arcacas.....
Vapores.....
Animaes.....
Via-ferrea ae Caruar.
Via-ferrea de 3. Francisco,
i deLimoeiro
460 Saccas
2.101
1.583

Ii8
862
Sorama.
.217 Saccas
Cambia
9." Opreco cia illuminacao, quer publi-
ca, quer particular, no poder exceder de
260 ris o metro cubtoo de ga, fazendo-
e urna reduccSo de mais de 30 [e, para
os e8tabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e rcpartic-Ses publicas.
| 10.? O systema mtrico, si for mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
11. A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranhas, que possam pre-
judicar a illuminacab e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por bora,
correspondentes a 120 grifos inglezes.
| 13.-As horas de illuminacab publica
serao fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nein maior
de dez, devendo neste caso baver Urna
reduccao no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
| 14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questSes que
se suscitarem, quer cun o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiccao dos tribunaes judjcia-
rios ou administrativos do paiz.
15." O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometroa, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
| 16." O pagamento da illuminacSo pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencao oscillacao do cambio.
17." O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigacoes do contrete.
| 18. Para as despezas com a fiscali-
sacao do servico de illuminacilo |o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:0000000, que serao r-colhidos ao
Thesouro Provincial.
| 19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condicoes, no
intuito de garantir a boa execucao do con-
tracto, quer com relacao a illumincao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:917)5528, de accordo con:
a avaliacao feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da de 998:777J528, total da avaliacao,
a importancia de 3:860)5000 paga era-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peSea, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Sveira.

Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuininacao a gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de boje a publica-
cao do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminaco mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777)5528, por
quanto foram avahadas pelo arbitro desem
patador s obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacao nao pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido legal e irregularm.nte feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesniu
protesto o Dr. -procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
, E como quer que de va em tempo op
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicaco para scieneia' dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
George Windsor,
DECLARAOS
Prado P ernambcano
Os jockey* que se acham ok
secretaria ilevem apresentar at o da 31 do cor-
rente me i de Agosto de 1889 suas (adern*
Aquelles que a tenhnm perdido d-verao apr;
sentarse alim de sprem ellas substiui.l
O jockey que n$o se apresentar neste prazo
determinado ser considerado coin^ nao matri-
culado. *'
Reeife, 21 de Aposto de 1889.
Francisco de Sovza ieis,
Gerente.
Governo do Bispado
e ordem do Exm. Revm. Sr. go^rnador do
bispado, convido as pessoas que d|igiram
tices ao Exm. Sr. conselheiro prtsidente da
provincia, solicitando esmolas da importancia
mandada distribuir aos pobres pors. A. o Sr
Conde d'Eu, a coinparecerem no pnlrCio da So-
ledade nos ias 22 (boje), 23 e 24, sjo ttras da* Jn! Ul
tarde, para sereiu altenJidas.
Soled ade, 22 de Agosto de 1889.
0 sccivtario do bispndi,
Jo.- A. de Lu
Recebedoria de rendas inter-
nas geracs
Imposto de industrias e proliss-is
0 administrador da Kccebcdoria fazbublico,
que linda se nodia 31 do correle mezJj praso
para O pagamento livre de multa do aif^sto de
industrias e profsses relativo ao mostr
do exercicio corrente de 1889, e doeois
praso ser cobrado com a multa de KO.'O/
Recebedoria, 20 de Aposto de 1889. .
Alexandre de Souza P. daGarmo
Socitfd de Agosto de
I836(Lampr)
De ordem ibla geral, fago constar a
oafatjos que em sesso do dia 20 do
corrente foram fliminaaos, a bem da sociedade,
os socios Olimpio Francisco das Neves e Secun-
dino Francisco das Neves.
Reeife, 21 de Agosto de 1889.
O 1 secretario,
'iisio F. i'ias da Silva.
Santji Casa de Misericordia
do Reeife
f
lr. Manoel Ferreira da Silva
^No dia 27 do corrente, polas 8 lioras da ma-
ba, na igrej de^N. S. do "araizo, mandar a
alim celebrar urna missa de re
pejs educandas da casa dos ex-
do x-mordoiDO Dr. Manoel
issisr a esse acto de caridade
9 mais paren tes e amigos do
guiem, ca
pos tos, pi
Ferreira da S]
Convida
a ExBa. Vil
fallecido.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do
Reeife, 22 de Agosto de 18-9
O escrivo,
Pi-di-n fndrigui-s de Souza.
Companhia de Edificagao
A cbmmissao liquidadora da Companhia de
Ediliccao. convida os Srs. accionistas da allu-
dida qmnanbiaa reunirem se em assemblea ge-
ral, n dia 2 d no 1." bndar ao predio n. 77 ao Largo de le-
dro II. para o lim de tomarem conhecimento das
con tas t do bataneo encerrado em 20 de Jullio do
corrent auno, e ouvirera a leitura do parecer da
comroisteao fiscal.
Ye t mesma asseojblca geral se tratara acerca
do disppsto pelo art. 94 dVdi-creto u. 8821 dulil)
deDezembro de 1882.
Escriplorio.da Companhia de Ediflcago em li-
quidaci, 17 de Bgosto de 1889.
I Jos'. Gomes Ferreira ilaia.
[Joaqtum de Olieeira Borgex.
iernardino da Cosa Campos Jnior.
S. R. J.
HocK ilade Bccaeatlva anveotude
irobimestr! em 25 de Agosto
Convitas em mo do presidente, ihgressos em
mao do tlesoureiro. Nao se adiuilte aggrega-
dos.
Secret*ia da Sociedade Recreativa Juventude,
19 de Aplato de 188'J.
0 2- secretario,
Antonio F. Lopes.
^
TABELLAS AFF1XADAS
a A J- -o r^ X j; ~z
n ~ -S "1, 3 P p O
-i o Cfi a o" O" o a C3 3 i
u OQ C9 O QD
' ,2
i t . 'P
-5 a o i
3.....
T.....
c
S


<

JO-
o
g


V.

? s s s
o_
o.
gf
-*1 OS
s
-S:
< i
5
s
5-
s

!i
I

8
OD (
5"
Assucar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
98 seguintes:
3ranco ..... 3*600 a
2*700 a
2200 a
(firme) 1*600
Segunda pra^a'
Pela inspectoria desta Alfandega st faz pu-
blico que as 11 horas dodia 24 de corre le mez,
serao arrematadas em praca a porta desl repar
tico, as mercadorias abano declarada: :
Armazem n. 1
Marca S&A e contramarca HP4C, 1 lixa n
8,449, vinda de Hamburgo no vapor llemo
Cear, entrado em 20 de Selembro de l 8, con-
signada a ordem, contendo tres pecas dtlraeriii
de l, pesando liquido 22 kiloprammas, b cinco
pecas de tecido de seda cuai toda trnu i de l,
pesando liquido 32 kiloprammas.
Armazem n. 3
Marca triangulo e no centro FMSifcC, i ciixas
i s. 4a 24. contendo elixir medicinal, esaudo
liquido legal 171 kiloarammas.
dem 2 ditas ns. 23 e 26, contendo pomada
medicinal, pesando liquido legal 10 k ograra
mas.
dem 4aitas ns. 27 a 3'. contendo li ros ira
pressos pesando liquido 360 kilogramu s. To-
tal 27 caixas. vindas de New-York n<( vapor
americano AUianca. entrado cm 27 d Abril
idem, consignadas a Francisco Manoel a Silva
& Companhia.
Marca AMV&C, 3 atados de caixas n. 1 a 3,
viudos de New-York idem idem dem ei 24 de
Agosto idem, consignados a Antonio M. eras *
C, contendo perfumaras, pesando 72 ki (gram-
mas.
Armazem n. 4
Marca M*C e contramarca R, 1 caixa n. 2.648,
vinda do Havre no vapor fianccz Vill te Bue-
nos Ayres. entrado era 5 d- Selembro idea, con-
signada a Altes de Brilo 4 C, contendo invelo-
pes para cartas ecm impressilo, pesam o 2
kilogra ramas.
Armazem n. a
Sem marca, 7.350 botijas de barro ord nario.
pesando liquido 8,078 kiloprammas, vin las de
Hamburgo na barca dinamar>|tieza Auna (aspar,
entrada cm 21 idem idem, consignadas drdem.
\rmazem n 7
Marca EFj1 caixa n. 2'J. vinda lo Havre no
vapor rranr Ville de Matei, entrada em 18 de
Outubro i!re*, ordem, contendo deis e meia
duzias de oculos de ferro, lixos, i kilograraraa
de plisses de alpod i e 4 kiloprammas, peso nos
envoltorio? de bijouterias.
Marca triangulo e no centro GJ, 3 calxas ns.
373 a 575, vindas de Liverpool no vapor iuplez
Author, entrado em 4 dem idem, Bao coasta a
consignacao, contendo parafnsos de ferro de
mais de 10 millimetros, pesando liquido 436
kiloprammas,.
Marca HSPC, 10 barricas ns 1 a 10, vindas
de Kew-York no vapor americano Finance, en-
trado era 28 de Fevereiro idem, consignadas a
Hermes de Souza Pereira & C, contendo tinta
preparada a oleo pera pintura de casas, pesandu
as latas 1,760 kilogrammas.
Marca diamante, 16 no centro, D S era cima c
G Pabiixo, 8 barricas ns. 8 13. viudas de Lon-
dres na barea allema Hagaretha, entradas em
23 de Outubro idem, consignadas ordem. con-
tendo ere, pesando liquido tegal 1,284 kilo-
prammas.
3. seccao da Alfandrga de l'ernambuco, 21
de Agosto" lie 1889.-0 caed
Domingos Joaquim,da Fonseca.
Convite
Sao convidados todos os directores e demais
socios das ext'nc'.as sociedades ab ilicionistis,
para se reunir ni s 6 horas da larde de sexla-
iira 23 do corrente,no caes 22 de Novcmhro, 30
1- andar, alim de se tratar da distribuicao das
medalhas da Zampanh* Aboliciomsla nata pro-
vincia lomadas com quulquer que seja o nuuero de in-
teressados que comparecer,
liecife, 20 de Agosto de 1889.
Jos Mananno.
Joao Hamos.
Guillicrme Pinto.
Dr. Uarros Sobrinlio.
As entradas vcrilicidas at a data de hoje.so
bem a 3.889 saceos, sendo por:
Barcacas, .... i.722 Saceos
Vapores..... ...
Animaes.... vo
Via-ferrea de Caruar. Via-ferrea de S. Francisco. 1.863
Via-ferrea do LLmoeiro 159
Ponte de Afolados
De ordem do I Um. Sr. en-
genbeiro director geral fa^o
publico que tendo de pro-
ceder-se a execucao dos re-
paros da ponte de Afogadps,
sobre o rio Capibaribe, fica-
r interrompido, por este mo-
tivo, a partir do dia 22 do
corrente mez (quinta-fe ira
prxima), o transito de veh-
culos e de animaes sobre a re-
ferida ponte, devendo estes
sesjuirem pelas estradas dos
Remedios e da Mngdalena
quando deinandarem a capi-
tal ou vice-versa.
Secretaria da directora
geral das obras publicas, cm
17 de Agosto de 1889. O
engenheiro secretario, Luiz
Antonio Cavalcanti de Albu-
querque.
Banco de Crdito leal
de Pernambuco
Nos termos dos arts. 5o e 6" dos estatutos, sao
couvidado. os Srs. accionistas a realizarem at
o dia 31 do corrente mvz. na sede do Banco
ra do Commercio n. 34, a 6 entrada de 10 .
do valor nominal le suas accoes.
Reeife, 1 de Agosto de 1889.
Os administradores,
Manoel Joao de Amorim.
Anlun-o F'TnaniIcs Uibiro.
Luiz Uupral.
(I' praca)
PcIa inspefto'ia desta Alfandega se las publi-
co que s 11 horas do dia 24 do coneute mez,
ser arrematado a porta desta repirtic&o o car-
regamento total do hiale n icional D.JHa, en
irado de Macao em 21 do cori-eute. constando
de 51.200 litros de sal, confo-me o manifestado ;
mas, qua. pela arqueaban, deve constar de
92 368 litros. c;rrepameuto este abandonado aos
direilos por Karihelomeu Lonrenco.
3 seccfio da Afandeaa de Pernambuco, 21 de
.i,, joon ~
O chefe.
Dominga Joaqnm da Fonseca.
Agosto de 1889.
Somma.
3.889 Saceos
Jmenos.
Hwcavado purgado
bruto.
UPO a i*i'Xi
lega ueste mez at
lo 520 para
Agurdente .
Cota-se a 103*000, por pipa de 480 litros.
Alconl
Cota-se a 200>000 por pipa de 480 litros.
IHel
Cota-se a 705000 por pipa de 480 litros.
Coaros
Couros saldados, 369 a 370 ris, e os verdes c
210 ris.
Pautadla alfandega
CXUANA i)R 19 A 24 DE AGOSTO DB 1859 i
Vide o Diario de 18 de Agosto
Savios descarga
Barca norueguense Gllead, rerragens.
Barca nacional Cecilia, varios gneros.
Barca norueguense Soltd carvo.
Escuna hollandeza Jan Sutil, farinha de man-
dioca.
Lugar americano Haniah Me. Lqi-h, farinha de
trigo.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar nacional Logo, xarque.
Lugar americano Belle tooper, farinha de trigo.
Patacho allcmao Marie von Oldendorp, xarque.
Patacho nacional Regalara, xarque.
Patacho allemao Frederick, xarque.
Patacho dinamarqus higor, xarque.
Patacho dinamarquez Ge/ion, xarque.
Vapor inglez. Historian, varios gneros.
importaco)
nacional Julia, entrado de
rada
Car vi
fl praca)
Pela inspectoria tiesta Alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do dia 2i do corrente mez,
ser arrematado porta dtsta repartido o carre-
gamenlo total do hi..te nacional tate Salve,
entrado de llacio em 20 do corren'e, constante
de 38,400 Uros de s.il. conforme o manifestado,
mas, que, pala arqueacao, deve constar de 50,057
lilros"; carrepamenlo este abandonado aos di-
reitos por Bartholomeu Louren^o.
3" seccao da Alfandega de Pernambuco, 21 de
Agosto de 1889.
0 chefe.
OoauHfM Joagmtmda Fonseca.
nixaasaBECtuBaaBaBDsaaB
s\por(aco
BBC1F. 21 ns.VfOSTO DE 18S9
Para o exterior
Xo vapor ingles Hubmm, carregaram :
Para Liverpool. J. II. Iloxwall 1,223 saccas
com 90.588 kilos de alpodo ; J. Pater & C.
1 240 sarcos com93,000 kilos deassucar branco;
. Cah A C. 133 saccas com 9,754 kilos de
algodo.
So vapor allemao Tejuca, carregou :
Para Bremen, V. Neeseti, 200 couros salgados
com 2,'.0O kilos.
I'ara o interior
Xo vapor nacional Espirito Santo, carre
gou :
Para Rio de Janeiro, M. Menezes 25 caixas
cora 700 kilos de oleo de ricino.
No vapor nacional Pirapama, carregou:
Para Macao, J. 1'. de Oliveira 2 barricas com
139 kilos do assocar branco.
No hiale nacional Aurora, carregaram :
Pata Gamosim, P. Carneiro & C. M barricas
com 1,500 kilos de assucar refinado e 20 ditas
com 810 ditos de dito branco ; E. C. Beltro &
Irmao 5 barricas oasn 450 kilos de assucar refi-
nado.
Para Maco, E. C. Beltro & frrao 13 barri-
cas com 1,320 kilos de'assucar branco e i dita
com 60 ditos de dito retinado.
No hiate nacional Camelia, carregaram :
' Para Cear ftf. Borges & C. 200 saceos com
farinha de mandioca.
No hiate nacional Coerci de Maco, carre-
garam :
Para Cear, M. Borges i Cr 400 saceos com
farinha de mandioca.
Na barcaca .lwora J.\ tarregaram
Para Cear. M. Borges & C. 1,400 saceos
farinha de mandioca.
Na barcaca Aurora, carregaram
Para Mossor, M. N'iegas o C. 20 caixas com
208 litros de genebra.
Para Maco, Fernandos elrmio 10 saceos com
600 Kilos de milbo.
I barcaca Loquinha, carrqgaram :
Para Natal, Oliveira & C. 1 barrica com. 116
kilos de assucar branco e 4 ditas com 224 ditos
i^l^H refinado.
rregou >
MfTiL FffilM
ssonMa geral extraordinaria
De.owlemdoIl]m. Sr. com-
mendanor proVedor convido
aos Srs./socios a reunirem-se
na societaria do'Hosptal
Portuguiz no dia 25 do cor-
rente, stl 1 lioras da manha,
para se tornar conhecimento
de uin ffcio dirigido a
assernble geral pelo nosso
medico o $r. Dr. Pitanga, no
qnal pelr; sua aposenia-
doria.
Pnk\"inoaosSrs. socios que
duas lioras depois da mar-
cada nos a nuncios se cons-
tituir a 'assemblea, com
qualquer numero de socios
que se acliejpresente.
Reeife, 1|T de Agosto de
1889.' |
Cesarlo i. di$ Silva Papoula,
Secretario.
Companhia de Seguros
Jt4*nfx4* 4e pisi05
AClSTE
Miguel Jos Al ves
X. 9Ra do Bom Jeiun-X. 9
SEGUHOS MAIUTIMpS E TERRESTRES
Nestes ltimos segufcs 6 a nica companhia
aesta praraque concede jos Srs. segurados isemp-
cao de pagamento de m-emio em cada stimo
anno, o que equivale arJdescontoannual de cer-
ca de 13 por ccnlo em favor dos segurados
SKEM ttBII4We&
Royal Insurance Company
de Liverpool
tMPITAL 8.000:000
AGESTES
R. DEDRUSrNA&C.
13Ra Mrquez tapanhia
Imperial
Seguros conljra Fogo
ET: 1
Edificio e merccifdorias
Taxas bax.
Prompto pagamento Oe prcjtuzoi
CAPITAL
Rs. fi ,OOO:OO0^OOO
AGENTE
mtoivxs Ol
N. 5RUAOCOMMEiCION. 5
Dinheiro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional "Pirapama, para :
Natal I.35a00
Mossor 13.000-3000
Aracaty 0.0003000
Rendlmentos putilicos
MU DB AGOSTO
Alfanaega
Renda geral:
Do dia 1 it 47:97l0o4
dem de 34:40*956
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool Hondn k Globe
cssss. miii & c.
Ra do Commercio n. 3
,307:374*010
11 un .
saceos
Barro prova de fogo 2
Tili'o^ nrov m\ foiT-i 3 00 I
Renda provincial :
Do dia 1 a t 53 C7U35
dem de ii 2:67i5ii
o8:343893
Somma total 6o:717*905
Segunda secco da Alfandega, 2* de Agosto
de 1889.
8thesoureiroFlerencio Dfciingues.
chefe da seceo -Cicero D.lde Mello.
Recebedoria Gen
Do dia la 21 30.UU832
dem de 22 2:343*765
2:455*617
Recebedoria proviulla
Do dia 1 a 21 18:63l2n
dem de 22 733118
li|:334412
Reeife Dralnagc
Do dia i a 21 18:296*908
dem de 22 3:077*718
21 :74626
Mercado Municipal de 8. iJ
O movimento deste mercado no da]
Agosto foi o segrate :
Eutraram :
42 1/2 boiSf pesando 5.583 kilos.,
956 kilos de peixe a 20 ris
114 cargas com farinha a 200 ris
8 ditas com feijao a 200 ris
le milho a 200
isa 300rii
iros a 100
t aiinrn a 900 v9
194120
11*600
11*000
34600
Compaa >t >e%uxos
mu roso
HORTHERP
de Londres e Aberdacn
Posifdo rJnancelra ^ezembro de 1885)
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.134,348
Receita annual :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGESTE,
Jokn 11. BoxineU.
Z^EMNZS ADORA
Companhia de Seguros
martimos e terrestres .
KHtabi-ieridaem 1955
CAPITAL l)OO:OO0|:00O
SLMSTROS PAGOS
Al 3 f d Dezembrodc 18S4t
Martimos.. 1,110:000$00G
Terrestres. 316:000$000
44Ra do Commercio44
London & Brasilian Bank
Limited
Rica do Commercio n. 32
Saeea por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa rita dos Capellistas n. 75. Jo .
Porto, ra dos Inglezes.
i SEGUROS .
martimos costra fogo
Companhia Phcnx er-
nainhucana
RA DO COMMERCIO N. 38
SANTA CASA
CASAS PABIA ALUCIAR
P.ua do Vigario Tenorio n. 27, loja 200*000
Idem idem idem. 3." andar 180*00.1
dem da Saudades n. ." 48040IH
Idem do Rom Jess n. 8. 216*000
Travcssa de S. Pedro n. 2, 360-t0
liccco do Abren D. 2. 1" anJar lOO'KKi
nua do Rom Jestis n. 29, loja 240*OlHt
Idem idem n. 89, I. andar 240*000
dem idem V andar 240*000
Bispo Sardinlia n. 3. loja 168*00
Idem ideii) n. 11. 2. andar 2400lK>
Itua da Moda n. 49 armazem SMfOQO
Idem do Mrquez de Olinda, n. 44, so-
brado 2:131*001
dem idem n. 33. idem idem 1:200*#0(>
Idem deThomedeSouza n. 14, Io
andar 200*000
Mein Imperial n. 151, caza terrea 360?''00
Hecco da Delenco tmeiarua) 96*000
Ambol (Varzia) 72*01* >
S Lourengo da Malla 6*O0n
Uecco das Boiaa n. 14, Io andar 180*000
Meo rariBSsows
DO
Capital.....20,000:0005000
dem realisado 1 15,000:000^000
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazi!.
ParisBanque de Paris ct des Paya Bas.
LondresLondon & County Banking Oou:-
pany Limited. #
AUcmanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hypothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
Rio da PraiaThe London & River a-
to Bank Limited.
Nova YorkGr. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente do
movimento com juros na razao de 2 /o ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, Milliam M Webster.
30 matutos com legumes a 200 ris
Foram oceupados :
26 columnas a 600 ris
1 escriptorio a 300 ris
26 compartimentos de farinha a 300
ris
2o ditos de comidas a 300 ris
72 ditos deleguines e fazendas a
400 ris
l.'i ditos de suinos a 700 ris
8 ditos de fressuras a 600 ris
44 tainos a 2*
6*000
i:*600
301
13*000
tttsoo
28*800
10*: m
4**00
88*000
232*820
Rendimeuto do da 1 a 20 do cor-
rente i:2o7*9*0
Foi arrecadado liquido at oie 4:490*360
Precos do dia:
Carne verde de 209 a 480 r3 o kilo.
Carneiro de 720 a 1* ris idem.
Suinos de 360 a 640 ris idem.
Farinha de 480 a 720 ris a cuia.
Milho de 360 a 400 ris idem.
Fe'iao de 1*000 a 1*280 idem.
Natadonro oublico
Neste estaoelecimento foiam abatidas para o
consumo de boje 76 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes. Hl
Vapores a entrar
MEZ DE AGOSTO
Norle......... Espirito Santo ....
Europa....... Sorata...........
Sul........... Sergipe.........
Europa....... Ville de Baln ....
24
2o
2.J
36
Vapores a sabir
MEZ DE AGOSTO
Sul..........Espinto Santo..... 24 as S b.
Valparaso ... Sorata............ 2o as 12 (.
Santos e esc.: Ville de Bahia..... 27 as 3 h.
Norte.......Para............. 28 as 5|r.
Sul..........Don.............. 30 as 3 b.
Movimento do porto.
Navios sonidos no dip 22
Cear e escalaVapor nacional Pirapama, coa-
mandante Fraucisco Raymundo deCarvalbo,
carga varios gneros.
Camossim Escuna hollandeza Jan Smil
tSo G. G. ,Boon, carga farinha de mane!
Cear Lagar ingle*v AWta S.. capiu,
Franc8, carga ferinha de m;
Irada
i hoave enfaad
.



_
-
I*.
f

Diario de PernambucoSe? eir 23 de Agosto de. 1889
o

DO
CAMPO-GRANDE
^3.aG-^.uft>.xyxxwx^. :o.a. 2 co:rjr.x:>q.a.
QUE SE REALZ
Domingo, 25 de Agosto
4
3
4
3
6
7
8
9
10
II
12
13
14
V
16
17
\onii's
Idades
Pello*
IValuralidn-
dea
Pesos
Cor da vestimenta
Proprietarl*
ParcoiMala (! turma)800 metros.Animaes da provincia que nao tenham ganho primeiros e segundos premios no
Hipnodromo. Premios : 200*000 ao 1, 405000 ao 2 e 20*000 ao 3-
Berlim.......
Conforme
May-pol.....
Potos ......
Salomo.....
Cerbero......
Bem-te-vi-----
Sans-Souci....
Phebo .......
Zig..........
Trnsela ve...
Capricho.....
Pao Brazil.....
Trigueiro.....
B..........
Sirius.........
Vida Alegre..
T annos..
O
> a
)
:t
5 .
o
a r
5 *
S
.>
a
a
. m
3 m
a K
a m
Hippod
Cacliito......
Rosso-pedres.
Modado ......
Castanho.....
Rodado.......
Alazo......
Castauho.....
Baio........
Castanho.....
Kusso-pcdrcz.
Redado .......
Cardo ......
Rosi'ho......
Zaino claro--
Rodado ......
Castanho.....
Russo........
58
u
50
o 55
R3

)>
* .,->
IB
1 55
.')!
* 55
* i,)
N
m -J-)

m >>
,)>
* )>
kilos
Azul e ouro..........
Grenat...............
Azul e branco.........
Azul e encarnado.....
Branco e encarnado...
Encarnado e amarello-
Ouro e branco........
Azul e branco........
Granate ouro.........
Branco..............
Grenat......
Preto e ouro.
Grenat..................
Branco................'
J. C.
J. Valentc.
C. Communa.
L.P.
Jos Luiz de Souza Filho.
J. B.
Rosendo F. Baptista.
A. H. J. de O. H. de Mattos.
Coudelaria Io de Junho.
Manoel Joaquin Ferreira.
Jos N. da Silva.
Jos J. Valente.
Candido H. Ribeiro.
Josu & C.
Jos Luiz de Souza Filho.
A. Wencromns.
Coudelaria Imperial.
2o ParcoAgrlruitura1.400 metros -
Animaes aacionaes de menos de meio-sangue.
io 2 e 303000 ao 3*
ti
3
4
o
Recife-----
Minerva...
Ruy-Blas..
Manda rim.
Cometa...
8 annos..
4
7
a
5 -
Castanho .
Douradilha.
Alazo... .
Tordilho...
Alazo.....
Rio de Janeiro-
S. Paulo......
53 kilos
49 .
54
54 .
54
Azul e ouro.....
Rosa e preto.....
Premios : 300*000 ao Io, 70*000
S.|P.
Coudelaria Cruzeiro.
Arthur Silva.
Coudelaria Cruzeiro.
Coudelaria Luso Brazileira.
3o Pareo-nippodromo do Campo Grande1 760 metros-Animaos de qualquer paiz.Premios : 500*000 ao Io
100*000 ao 2 e 50*000 ao 3" .
Gallia-----
VcspCT. .
Josephus-
Coupon ..
Apollo...
Africana .
a annos...
4
6
5
4
5
Alaz......-----1 Inglaterra.
Franca ...
Castanho
Alazo..
Zaini.
Rio daPrata.....
5a kilos.
52
57 -
57
56
53
Ouro e branco.
Azul e ouro....
Ouro e preto..
Branco e preto .
Coudelaria Emulacao.
*
Guimares Oliveira 4 C.
Dr. Joo Elysio.
Dr. Joo de S.
Coudelaria Riachuelo.
i" ParcoEi
salo (2- turma)800 metros.Animaes da provincia que nio tenham ganho 1- e 2' premios no Hippodromo
Premios : 200*000 ao 1, 40*000 ao 2o c 20*000 ao 3
1

3
4
5
i
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
Albatroz.......
Elo.........
Elhantc......
Azrael........
Breas .......
Pelit-Maitre....
Ja^ode ......
Radhamanto..
Pernambuco ..
Cauby.........
Marat........
Pintasilgo (ex-
Bolaclinha)..
Sport.........
Tenebroso.....
King.........
Cajrubeba
a Pare jCoi
a annos.
5
5
4
a
6
5
5
6
4
Alaza.........
Castanho.....
Mellado.......
Alazo.......
Rodado.......
Russo.........
Baio..........
Itu.-so-pedrez.
Castanho.....
Rodado.......
Russo___
Castanho
Alazo...
Castanho.
Pernambuco .
55 kilos.
55
88
53
50
55
55
55
55
53
55
55
55 <
55
53
55 .
Branco e encarnado ......
Encarnado...............
Grenat ..................
Azul c branco ........
Preto, encarnado e'ouro
Encarnado e azul.....-----
Branco, preto e encarnado.
Azul e ouro..............
Branco, preto e encarnado.
Encarnado e branco......
Azulc ncarnado
Grenat e ouro -
Ouro e preto ...

Manoel J de Miranda.
Jos R. Cavalcante.
Manoel Correia.
E.C.
Tattersal Pernambucano.
Lemos Duarte.
A. A. da Cunha.
Camillo Jos Gomes.
A.F.
A. Marques.
A. Amaro'.
Jos Maria B. Cavalcante.
Coudelaria Republicana.
Machado & c.
Osvaldo BrandSo.
Coudelaria Depurativa.
ipensaro1400 metros. -Animae3 de qualquer paiz que nao tenham ganho n'esles ltimos tres mezes no Hip-
' podromo. Premios : 350*000ai !, 80*000 ao 2 e 35*000 ao 3
Gallia.........
Castiglione.....
Rny Blas.......
Ernani.........
Africana.......
Cynira.......
o annos..
5
7
5 .
5
4
Alazo.......
Zaino.........
Alazo.......
Zaino.........
Zaina........
Alaz.........
Inglaterra.......
Franca...:.....
S.Paulo../.......
Inglaterra'.......
Rio da Piata.....
Inglaterra.......
62 kilos.
64
54
64
62
59
Ouro e branco.....
Encarnado e preto.
Rosa e preto.......
Branco e preto
Coudelaria Emulara.
Bastos 4 C.
Arthur Silva.
m
Coudelaria Riachuello.
A. Marques.
6' Pareo Commercio1000 metrosAnimaeis da prodjjpcia.
Pernambluco .
Branco preto e encarnado....
Premios: 200*00 ao Io, 80*000 ao 2 e 20*000 ao 3*
1 Arumary
Cabnoo.....
Guarany.....
Sorpreza.....
Templar.....
a annos..
5 .
4
5
a
Alazo........
Foveiro........
Rodado .......
Caatanbo......
Rodado .......
57 kilos.
55 -

55
5a
Violeta e ouro......
Encarnado c branco.
Azul e encarnado.-
Branco...................
F. Siqueira & Bastos.
J. Mello.
J. M.
Coudelaria Cruzeiro.
J. F. Ferreira.
7 PareoDr. Pereira Minino* -850 metros. Ajnimaes da provincia que nao tenham ganho em maior distancia nos prados
do Recife. Premios f 200*000 ao 1, 40*000 ao 2" e 20*000 ao 3o
l'.Bonapartc-
3'
3
I
5
0
7
s
Traviaia.
Hercules.....
Esquimo.....
Azarar......
Delegado
Bismrck.....
Breas.......
annos..
Rodado.
Russo
Rodado.
Mellado........
Castanho escur.
Rodado........
Alazo........
Pernammc
55 kilos
55
55
55
55
57
55
50
Azul branco c encarnado..
Verde c rosa..............
Verde c branco............
firenat.....................
Branco e azul marnho.....
Preto, encarnado e ouro
R. G. Leal.
Manoel J de Miranda.
Jos C. Pinto.
A. Miranda.
Jos Luiz de Souza Filho.
J. J. Mariz.
Francisco Gongalves.
Tallersal Pernambucano.
19
V
) Montado por araadorj
OBSERVARES
O Io pareo se i afian com o animaes que se acharem no ensilhamento s 10 hora* em ponto qu^ndo co-
necar a pesagem. |
Pede-se ac* Srs. proprietarios o obsequio de terem seus animaes s 9 horas da manha no ensilhamento,
visto como imprctcrivelmente ser cumprido o horario. #
Os animaes inscriptos pura os oitfrofe pareos devem aehar-se no ensilhamento 1 hora antes da determinada
para o pareo* em que tm de correr. /
Os jockeys que nao estiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nao poderao correr, cumprindo-lhes
apresentar as respectivas cadernetaa na occsiSo da pesagem.
Os forfaits serao recebidos na fnAa do artigo 62 do Cdigo de Corridas.
Genes. T. '........ 000
Entrada e arcjbancada........ IJ55
Entrada e cnsihamento......... *$
Entnda, archiliancada e ensilhamento .... 3*000
CartOes de fanliilia at 5 pessoas...... ?*^A
Differenca park ensilhamento....... 1*000
Corridas
1. pareo .
HORARU
2.* >
3. >
4.
5."
6."
7.*
11 horas
11
12
1
I
3
4
e 50 minutos
e 40
e 30 >
e 20
e 10
Recife, 22 de Agosto de 1889.
;cie, e Agosto e 1889. 1 -
O secretario, Dr. Eugenio de Barros Falbo de Lacerda.
dmln*"*raco do* Crrelos de Per.
naabncoem lude Agosto de 1899
ABRKKATAyXo DOS THAN8PORTE8 Di:
MALA8
> administrador, em observancia ao or-
ado em circular da directora geral dos
eios n. 86 de 8 de Maio do corrente
z publico que ca marcado o pra-
ias, a '.'ontar desta data,
VI!
bbi ment de proposta dos particulares,
durante o exercicio de 1890, quei-
fazer por contracto o servico de con-
i de malas para o interior da pro-
ia, partindo desta repartigao para :
jossa Sen hora do O' de Govanna^ pas-
ado por Ijjuarass e Ooyamia
Gravat, Bezerros, Caruar, S. Caetano
da Rapoaa e Bello Jardim de 4 em 4
dias.
S. Jos' da Coroa-Grande, paseando por
Ipojuca, SerinhSem, Rio-Formoso, Taman-
Alaga da Baixo, passando por Pes-
queira e Cimbres de 4 em 4 dias.
Altinho, passando por Bonito, Bebedou-
ro de 4 em 4 dias.
Leopoldina, passando por S. Jos do
JSgypto, Ingazeira" Afogados de Ingazei-
ta, Flores, Triumpho, Villa Bella ti S. Jos
po Bello Monte de em 5 dias.
S. Vicente, passando por Vicencia e
C-uancy de 4 em 4 dias.
\ Jabut do Brejo, passando por Pcdra
papada, l'om Jardim, Vertcntes, Taqua-
tinga, Santa Cruz e Brejo de 4 em 4
ias.
Petrolina, passando por Santo Antonio
lo Para, Floresta, Cabrob e Boa Vista
fie 4 em 4 dias.
Scrtaozinho passando por Palmares,
Tilla d'Agua Preta e Campos Frios de 4
em 4 dias.
Jurema, passando por Belm de Maria,
Lagoa dos Gatos c Panellas de 4 em 4
(dias.
Itamb. passando por Iguarass G oyan
pa de 4 em 1 das
Aguas Bellas, passando por Palmcira,
torrentes e Bom Consclho do 4 em 4 dias.
Ouricury, passando por Olho d'Agua
dos Bredos, Villa Bella, Salgueiro, Gra-
nito e Fx de 5 em, i> dias.
Gloria do Goyt, partindo de Pao d'A.-
lho de 4 em 4 di.s.
Riacho-Doce, partindo de Caruar de
em 4 dias.
As propostas devem ser a presentadas
at s 2 horas da tarde do ultimo da,
em carta fechada por dupheatas, com dis-
criminafSo dos prejos de servifo de cada
linha, sendo urna via sellada e ambas as-
eivjnadas pelos proponentes e seus fiado-
res.
NSo serao tomadas em consideracao as
propostas em que for fixado o preeo de
mais de una linha englobadamente.
Terfio preferencia as propostas mais
vantajosas em precos e augmento de via-
gem.
O administrador,
Affonso do Rugo Barros.
PRADO PERNAMBUCANO
Companhia Alag-oana
de Fiago eTeeidos
Convidamos ao^, senhores subscriptores desta
Icompanhia, pan de accordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, at o dia 10 de >etembro prximo
futuro, realisarem sua stima entnda na razao
de 10 0/0 do valor de suas aeges, no Banco In-
ternacional do Bnsil. Macei, 10 de Agosto de
1889.Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. dcCarvalho.
Propicio Pedroso Brrelo.
PROJKGTO m DSCRBPfJAO
Para o pareo
GRANDE PREMIO
Na corrida que devera ter lugar no dia 20 de Setembro.
de 1889
Animaes da provincia: l.SO metros. PREMIOS: 8005000 ao pri-
meiro, 200 Inscripco 60S000
No se realisar este pareo sem que se inscrevam cinco animaes de projrie-
tarios differentes.
A inscripco eneerra-se-ha no dia 18 de Setembro, s 6 horas da tarde, na v3-
cretaria do Prado.
Recife, 21 de Agosto de 1S89.
Francheo de Souza Res,
EREVTE.
Prado Pernambucano



O procurador dos feitos da fazenda pro-
vincial tendo recebido nesta data a rela-
5o abaixo transcripta dos devedores da
annuidades devidas Companhia Recife
Draynage dos predios situados na fregue-
guezia do Recife relativamente ao Io e 2o
semestres do exercicio de 1885 a 1886,
que deixaram de pagar no teinpo compe-
tente, declara aos mesmos devedores que
lhes fica marcado o prasode 30 dias, a con-
tar da publicaclo do presente edital, para
dentro delle pagarem a importancia de seus
dbitos, com guia da seccSo do contencio-
so* certos de que findo aquelle praso ser
feita a cobranga executivamente.
Recife, 18 de Julho de 1889.
JoSo Francisco Teixeira.
Relac/So dos devedores que deixaram de satis-
fazer o pagamento das annuidades devidas
Companhia Recife raynaf?e, dos predios si-
tuados na frcguezia do Recife, relativamente
ao 1* e 2o semestres do exercicio de 1883 a
1886.
Restaurajao n. 2. JoSo Jos Ruiz
Loffber
Becco do Triumpho n. 7. O mes-
l@93
ino
155090
Restaurado n. 34. JoSo Francisco
de Souza
Dita n. 9. Joaquim de Souza Ri-
beiro
D. Maria Cesar n. 12. Jos Leo-
poldo Bourgard
Pharol n. 14. Joo Joaquim da
Fosta Leite
Dita n. 40. Joaquim Duarte Ro-
drigues e outros 155090
Dita n. 70. Joao Gomes da Costa 155090
Dita n. 82. Jos Pinto da Costa
Sobrinho
Guararapes n. 46. O mesmo
Travessa do Occidente n. 13. O
mesmo
Travessa do Areial n. 2. O mes
mo
Dita n. 4. .loao de Souza Penna
Areial n. 22. Jeronymo Ribeiro
de Mendonca
Dita n. 7. Joao de Souza Pereira
Sao Jorge n. 62. JoSo Nepomuce-
no da. Silva e outros
Dita n. 55. Josepha Maria da
Conccicilo Vianna
Dita n. 83. Jos Goncalvcs Pe-
reira
Dita n. 115. Dr. Joaquim Elviro
de Mcnezes Carvalho
Guararaes n. 51. Jos Faustino
Porto*
Dita n. 0."). Jos Zcharias Ri-
beiro
Paco de Pedro I. Joaquim Ro-
drigues Duarte
Mrquez de Olinda n. 2. Joaquina
Francelina Bacellar Tavares,
(2/14) '
Moeda n. 10. Dr. Ludgero Gon-
calvcs da Sibja e oatros 685092
Dita n. 9. Os mesmos 155096
Pharol n. 40. Luiz Tbomaz
Franca
Dita n- 70. Lauriano Jos da
Costa
Commercio n. 34. Dr. Ludgero
Goncalves da Silva (3j8)
Bom Jess n. 40. Mosteiro de
Sao Bento
Alvares Cabral n. 1. O mesmo
Alvares Cabral n. 3. Mosteiro de
Sao Bento
Commercio n. 24. O mesmo
Dita n. 26. O mesmo
Torre n. 0. O mesmo
Thom de Souza n. 2.
Dita n. 4. O mesmo
Vigario Tenorio n. 24. .
Amorim n. 25. O mesmo
Domingos Jos Mart
mesmo
Sao Jorge n. 84. O meta
[Dita n. 8
|om Jess i
455289
155096
335960
485167
155090
155096
155096
155096
155096
151096
305193
155096
155096
455289
215789
155096
155096
55096
PROJECTO DE INSCRIPCO
Para o pareo
GRANDE PREMIO PERNAMRUCANO
]*a corrida que se realisar no dia I. de Janeiro de 1890
SEGUNDO ANNIYERSARIO
DA
NAUGRACAO DBSTE PRADO
9500 metrosAnimaes de qualquer paiz. PREMIOS: rOOO-OOO ao
primeiro, 1:5004000 ao segundo, 800O0O ao terceiro,
e 1 OO.SMM ao quarto.



Inscripco 400SOOO
Pagamentos em duas prestacoes, sendo a primeira no acto da mscripcao e a
segunda no dia 24 de Dezembro de 1889.
Nao sendo realisada a segunda prestoslo fica considerado como tendo feito
forfait, para o animal inscripto,
Nao se realisar este pareo sem que se inscrevSo cinco animaes de proprieta-
rios differentes.
A inscripco encerrar-se-ha no dia 5 de Dezembro as 6 horas da tarde na Se-
cretaria do Prado.
Francisco de Souza Reis,
GERENTE.
Recife, 21 de Agosto de 1889.


DERBT CLUB
PERNAMBUCO

me si HQjSRi

65474
de
15596
155096
125436
455289
155096
185453
155096
305193
455289
O mesmo 45529
455289
O mesmo 385378
455289
Para a 19.a corrida
A realizar-se em l, deSetembrode 1889
t. $^1>'ANDIACAO 8*0 metros. Animaes da provincia que nao
tenham Jganho no Derby em mair distancia. Premios: 2005000 ao
primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao terceiro.
* *$V&% PRADO DA ESTANCIA l.OOO metros. Animaes nacio-
naes at meio sangue. Premios : 3005000 ao primeiro, 605009 ao se-
gundo e 305000 ao terceiro.
*" *S1k^1> PROSPERIDADE l.OOO metros. Animaes da provincia que
nao tenham ganho no Derby em maior distancia Premios: 2005000 ao
primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao terceiro.
*' 'Vfcl INTERNACIONAL l.OOt* metros. Animaes at puro san-
gue. Premioa: 5005000 ao primeiro, 1005000 ao segundo e 505000
ao terceiro.
5.s $Sh!kfc PROVINCIA DE PERNAMBUCO -1.300 metros. Animaes
da provincia que nao tenham ganho em maior distancia Premios:
25C5000 ao primeiro, 505000 ao segundo e 255000 ao terceiro.
flkW&8 OOMPENSACO l.lOO metros. Animaes de qualquer paiz,
que nSo tenham ganho no Derby em maior. distancia n'estes ltimos 3
mezes. Premios: 4005000 ao primeiro, 805000 ao segundo e 405000
ao terceiro.
$^1$> EMULACAO OOO metros. Eguas da provincia. Premios :
1505000 primeira, 305000 segunda e 155000 terceira.
Observares
S serSo acceitas para cada pareo as 16 primeiras propostas.
S se realizarSo os pareos em que se nscreverem, pelo menos, cinco anini:
de tres proprietarios differentes.
Cada enveloppe dever conter urna s proposta e ser recusada^ aqu<
aSo vier acompanhada da importancia da mscripoao.
A' directora reserv doa pareo a
do programma.


Diario de Pematobuco-Sexta-feira, 23 de Agosto de 1889
2S
Derfoy Ciato de Permu_d-eo
Pela directora, foi addicionado ao re-
giment interno desta sociedade o se-
guinte :
Art. 59 A. Fita adoptada a seguinte ta-
bella de pesos para os animaes da provin-
cia que nao estiverem comprehendido nos
Poros SangueMeio Sangue ePe-
ludos :
1*. ClasseDistancia at 1000 metros.
Para qualquer idade 55 kilos.
2*. ClasseDistancia at 2000 metros.
, Para qualquer idade 54 kilos.
3a. ClasseDistancia superior 2000
metros.
Para qualquer idade 52 kilos.
nico. Ficam em vigor para esta classe
de animaes os do art. 59 do regimen-
t interno. ?
Secretaria do Derby Club de Pernam-
buco 22 de Agosto de 1889.
O gerente,
Hcnrique Sckutel.
THEATRO
Domingo, 25 do corrente
Grande festa artstica
HONRADA COM A PRESENTA DO EXM. SR. CON-
SELHEIRO PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM
FAVOR DA AL0MNA DA SOCIEDADE PRO-
PAGADORA
__ERC_I____ 'RA&
Depois que a orchestra, dirigida pelo babil
professor BAXDE1RA FILHO, tiver secutado
urna das melhores sympbonias de scu vasto re-
pertorio, subir pela primeira vez scena neste
tbeatro, a alta comedia em 3 actos, imitaco do
distincto escriptorportuguez AR1STIDES ABRAN-
CHES
OS FLHOS DE AMO
No fim da peca a beneficiada ir scena reci-
tar um monologo de agradecimento a todos
aquelles que se dignaram coadjuval-a, concor-
rendo para a realizaco desta festa.
Terminar o espectculo com a muito jocosa
e engrapada comedia em i acto
0 DABQ ATRAZ DA PORTi
Tomam parte neste espectculo os artistas :
Lyra, A. Peres. L. Ribeiro, Pacheco, Eduardo,
Julio e as Sras. DD. Rosa, Honorina e Othilia.
O pequeo resto de bilbetes que existe acham-
se em mo da beneficiada, e no dia do espect-
culo, no escriptono do tbeatro.
Duas bandas de msica tocaro nos interval-
los.
Trem pela linha principal at Dous Irmos.
Principiar s 8 horas

Avino
N'um dos intervallos a beneficiada ir aos ca-
marotes agradecer aos seus convidados.
Pacific Steam Nvigation
Company
STRAITS 0F MAGELLAN LINE
Paquete Sorata
Espera-se da Europa at o da
25 de Agosto e seguir depois
_da demora do costume para Val-
'paraiso por
Bahia, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, pas3ageiros, encommendas e di-
aheiro a frete: trata-se com os
AGENTE
Wlson, Sons C, Limited
14RUA DO COMMERCIO14
CHARGEURS REUNS
Companbla Franceza
DE
XaTegacao a vapor
uinna rcgnlar entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos.
. O VAPOR
Ville de Bahia
Commandante Koux
E'esperado da Europa at o dia 26
de Ago:to, seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-seaos Srs. importadores de carga pelas
tpores desta linba, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar dod* descarga das alvarengas
qualquer reclamarlo conccrncnte a volumes que
porventura tenhara segido para os portos do
3Ul atn de se podei dar a tempo as provi-
pencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa p >r extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
Qheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
Leilo
de fazendas
CONSTANDO DE
Ao eleitorado do pri- GRANDE LIQTUDACAOI
meiro districto Na Loja das Estrellas
calcados e artigos para Bapateiro, fazen-
das de lei miudezas
Sabbado 4 'de Agosto
A'S 11 HORAS
No armazem ra do Mrquez de Olinda]
n. 5
En lote* a voniado do comprado-
re
Em continuacao ao leilo de fazendas pert^n-
centes massa fallida de D. P- Wild & C.
POR INTERVENCAO DO AGENTE
Gusmao
22 de Agosto de 1889
SO candidato que nefiessitar de mais uarvoto,
dirija-se ra das Carrogas n. 28, que achara
com quem tratar.
Leilo
CAL
Angoste
9RA DO C0MMERCI0-9
De terrenos proprios na ra Imperia
Sendo :
Um excellente terreno com pouco mais de 200
palmos de frente atravessando a estrada de feiro
de S. Francisco com fundo at a baixa mar ie-
fronte da casa do Sr. Agostinbo Bezerra.
Um dito cem 52 palmos, onde se acham edil-
cadas as casas ns. 267 269, de Manoel Pedti.
Um dito com 30 palmos, onde est edificada a
casa n. 271.
Um dito com 2o palmos, onde est edificada|a
casa n. 261.
Um dito com 30 palmos, aforado a Louren
do Monte Bezerra.
Um dito devoluto com 23 palmos e fundo ai
t estrada de ferro.
Um dito com 22 palmos, aforado a Manoel do:
Santos e Silva.
* ahitado 4 do corrente
A's 11 horas
No armazem anta do Imperadorn. lf i
O agente Martins far leilo dos terrenos pro-
prios cima descriptos em um ou mais lotes.
O agente dar as informacQes necessarias.
DE
A4$OOOabarrica
com abate de 10 0\ em porcSes maiores de
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
Caitellas do Monte de Soecem
Compra-se cautellas do Monte de Soccorro d
qualquer joia, brilnantes e relogios; paga-
bem na Praca da Independencia n. 22, loja d
relojoeiro.____________________________
Boa cosinheira
Precisa-se para casa de urna famiiia nos Af-
ilelos : a tratar na ra Nova n. 13.
Leilo
De fazendas
LE1L0ES
MARTIMOS
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
Vapor Espirito-Santo
Commandante (.arlos Antonio Gomes
E' esperado dos portos do norte at
o dia 24 de Agosto e depois da de-
' mora indispensavel seguir para o?
'portos do sol.
As encommendas sero recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da sahida.
Para carga, Dassagens, encommendas | ".alo-
es trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do sai at o
, dia 27 de Agosto e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte at Manos.
As encommendas so sero recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-s com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio6
lo andar
Sexta-feira 23, deve ter lugar o leilo de 2,000
tamancos, forrados com papel, instrumentos no-
vos e movis existentes no armazem da ra do
Bom Jess n. 4o.
Agente Britto
Leilo
De movis, louqas, etpelho, ces '
Urna mobilia de junco quasi nova, 1 espelho
oval, 1 cama franceza. 1 mesa elstica, 2 apara-
dores. 1 commoda, 1 banquinha, 2 bahs gran-
des de folha, 1 relogio de parede, 6 cadeiras de
junco, 1 raarquezo, 1 cabide coberto, 1 lavato-
rio, 1 quarlinheira, 4 cestas de rame, 1 sof e
9 cadeiras de amarello, 1 sof de Jacaranda, jar-
ros, quadros, c.mdieiros para kerosene, lanter-
nas, lacas e colheres, louca para almoco e jan-
tar, copos, clices, garrafas, compoteiras, 50
lindos ps de crotn?, bandeijas, tapetes, 1 jar-
ra, mesa e tres de cozinha e outros objectos -
O agente cima, autorisado pela madame Ca-
rolina de Oliveira Barbosa, que se retira para o
6ul, far leilo os objectos cima
Sexta-feira 23 de Agosto, s 10 e meia
horas
Ra do Cotovello B. 34.
Leilo
Do sobrado da ra Velha n. 82, casa de
esquina
Sexta-feira 93 do corrente
A's 11 horas
Agente Pinto
No armazem ra do Bom Jess n. 45
Em eontinnae3o
Leilo de 2,000 tamancos em'lotes. vontade
dos compradores.
Leilo
Royal Mail Steam Packet
Companhy
O vapor Don
Espera-se da Europa at o dia 30 de
^Agosto, segnido depois da demo-
*ra do costume para
Bahia. Rio de Janeiro Montevi-
deo e Bnenos-Ayres
Para passagens, fretes e encommenda s trata-
Be com os AGENTES.
O vapor Atrato
Commandante L. R. Dickinson
E' esperado do sul no dia 1 de Se-
tembro, seguindo depois da demora
necessaria para
8. Vicente, Lisboa, Vigo, Soutliampton e
Antuerpia
ReducqcLo de passagens
Jda lia e volta
A' Lisboa 1 classe 20 i 30
A' Southampton classe t 28 i. 42
Camarotes reservados para os nassageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Ifmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
Companhia Bahiana de Na-
vegado Vapor
Maceio, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O vapor Sergipe
Cemmandant Bebe)
esperad!
No
45
De uira mobilia de Jacaranda, eandieiros a
gaz, quadros, espelhos, jarros, tapete para forro
de sala, piano, serafina e 2 cadeiras para piano,
1 guarda-vestino 1 commoda, lavatorio, camas,
cabides, mesas e cadeiras 1 apparador com pe-
dra. mesas para jantar, cadeiras avulsas, ma-
chinas d costura, copos para agua, vidros. 1
estante para livros, 6 bancadas e muitos outros
movis.
Ke&ta-feira, 33 do eorrente
A's 11 horas
Agente Pinto
armazem ra do Bom Jess n.
Em eontlnuaco
Instrumentos novos, 20 fardos de papel para
embrulho e outras mercadorias.
Agente Silveira
2. leilo
Da casa terrea sita ra do Padre Flo-
riano n. 3, em terreno proprio
Sexta-felra, 13 de Agesto
A'S 11 HORAS
\o armazem a ra Estreita do
Rosarlo a. 8
O agente Silveira, por despacho do Exm. Sr.
Dr. juiz de direito de orpbos e com a ua as-
sistencia, levar a leilo. a requerimento da in-
ventarame de D. Anna Joaquina da Silva Fer-
rla, a casa terrea ra do Padre Floriano n.
3, em terreno proprio.
Os Srs. pretendentes podem examinar
Leilo
Sexta-feira, 33 do eorrente
A's 11 horas em ponto
O agente Modesto Baptista, autorisado por
urna familia quemudou de residencia far leilo
do seguiste:
l'ma mobilia, 1 piano, 1 guarda-vestido, urna
cama de casal, 1 toilette, urna mesa de jan-
tar, urna commoda, 2 marquezes. 1 berco, ca-
deiras avulsas, banquinhas, mesas de cosmna, 1
santuario, bahus, etageres, quadros, jarros, louca,
trem de cesinha, passaros c outros muitos arti-
gos de casa de familia.
Leilo
Frz
Da barca allem
fccbmidt
Sexta-ferra, 2de Agosto
A's 11 ho:
Em frente a Associacao Com-
, mercial
0 aeente Alfredo Guimares, autorisado pelo
capo Andr Schmidt.com ligenca do Sr. cnsul
e em presenca do emprepado da Alfandega para
o Bu noaieado levar i leilo a barca allem
Fritz Schmidt. arribada.a e3te porto por forca
maior, na stiaultima viagem de Montevideo para
Hamburgo. tal *ual s
tada a barca do
imarrada e encos-
t 4 C.
Agente Pestaa
Leao

Constando
Da caixa n. 608 com 30 duzias de camisas
algodo para horaem. caixa n. 1175 com 5duzis
de meias de l> compridas, 18 duzias de ditas
l curtas, 12 duzias de ditas escossia, 3 duzias
ditas de seda curtas. 4 duzias de grvalas
seda para homem, 2 duzias de faccas cabo e
marlim, 1 par de trinchantes cabo de marlim
apparelho de electro pate para cha, caixa
119 3/4 com 23 pecas de brim de algodo
cresj 10 pecas de casemira, caixa n. 713 edm
20 duzias de camitas de algodo com peitt
punhos de linho, caixa n. 710 com 100 duzias
meias cumplidas de algodo, 16 duzias de ja-
misas de meia de algodo para homem, 12 c i-
zias de camisas de la, 66 duzias de meias ctr-
tas de algodo, caixa 714 com cortes de caserii-
ra de l, caixa n. 712 com 23 pecas de casemira
de l, caixa 711 com 23 pecas de casemira de B.
caixa n. 709 com 240 duzias de meias curtas le
algodo, parte da caixa o: 1163 com leques le
seda com rosetas douradas, parte da caixa p. i
1169 com 42 pegas de setirn lavrado.
Sabbado 24 do corrente
A's // korhs
No armazem da ra Mrquez de Olindja
n. 5.
O agente Gusmao autorisado por mandado e
assistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito do
commercio e a requerimento do Dr. curador fij-
cal da massa fallida de D. P. Wild & C. far
leilo das fazendas cima mencionadas as quate
sero vendidas em lotes a vontade dos compr-
dores^________________________________[
Agente Stepple
Leilo
de um importante sobrado de tres andares
e sotao, sito ra de S. Jorge sob
n. 72, freguezia de S. Frei Pedro Gon-
calves.
Terca-feira, 3? do corrente
A's 11 lioras
>o armazem na do Imperador
n. 39
O agente Stepple, por mandado e assisten-
cia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphos
e ausentes, levar a leilo o importante sobrado
cima, pertencente ao espolio do finado Manoel
Monteiro da Cunha.
Os Srs. pretendentes desde j poderao ir exa-
minar o referido sobrado.
Aos plantadores
D. Jeronyma Cousseiro compra batatas de
araruta e matarana ; para explicacOes, dirijam-
se ra da Aurora n. 81 e Imperatriz n. 2. ou
larga do Rosario n. 14. e em sua residencia ra
do Urna, travessade Joo Veiga n. 19, em San-
ta Amaro das Salinas.____________________
Ao commercio
Manoel F Tavares & C. avisam ao publico que
os Srs. Alvaro Baylon e Manoel Joaquim da Silva
Lohdellb nao sao mais seus caixeiros desde o
dia 17 do corrente mez.
Recife, 22 de Agosto de 1889.
Manoel F. Tavares & C.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com pratica de mo-
lhados, dando fiador de sua conducta ; na ra S.
Jorge n. 139. _______,______________
Cosinheiro
Oflerece-se um cosinheiro para forno e fogo,
por prego commodo ; a tratar na ra da Santa
Cruz_n. 34.___________________________
Para a festa
Aluga-se urna excellente casa na Boa Viagem,
ra d'Aurora, com muito bons commodos; a
tratar ra Larga do osario n. 34, botica.
Boa casa de morada
Aluga-sc urna boa casa com grandes accom-
modages e com ura sitio arberisao, na ra do
Mondego n. 58 ; a tratar na mesma._______
Gosinheira
Na ra da Saudade d. 27, precisa-se de urna
perita cosinheira. ^^^ _______
A o commercio
0 abaixo assignado, tendo vendido seu esta-
belecimento de seceos e molhados, sito povoa-
gao de Beberibe, declara que nada deve a esta
praga on fra della; aquelles, porm, que se jul-
garem seus credores queiram apreseBtar seus
crditos dentro do prazo de tres dias contados
desta data para serem indemnisados.
Beberibe, 21 de Agosto de 1889.
Jarintho Crrela Lobao.
Peitoral de Cambar
O Peitoral de Cambar est recoheci-
do como urna descoberta de magna impor-
tancia para a humanidade soffredora.
Sao numerosissimas as curas operadas
por esse maravilhosoro preparado.
o6-Ra Duqne de Cxis58
Tclephone n. 910
Este bem conhecido estabelecimento acaba
de "pasear por ama grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos os seuB
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu faaef grande li-
quidac-o de iodos os saldos que
ficaram de balanco, por menos
50 [. do seu valor, cujos arrigos
passamos a demonstrar:
Artigos de iel
Esguiao, pega, a 3jJ500.
MadapolSo com um metro de largura de
140 por 70000.
dem idem americano de 80 por 50000.
Algod2o marca T, especial, muito largo,
de 70 por 50000.
Bramantes, pecas, por 70000.
Atoalhados, lindos desenhos, Juas largu
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lenfos brancos e com barras de cor a 10,
e 10200 a duzia.
Toalhas de fustao, qualidade superior,
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores s
20000.
Lenges de bramantes a 20000.
Chales^ escocezes a 10000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abatimento
Tecidos de alta novidade
PAEA VESTIDOS DE SENHOBAS
Linhos pardos para vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 10800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de....
10200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PEgAS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padroes, de 500 por 240 ra.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fustoes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodo/ linho, la e sedas que se ven-
Precisa-se de urna ama para engoramar e fa
zer o mais servico de casa de pequea fraila
na ra Conde d'Ea n. 32, 2- andar.
Ama
Na ra da Palma n. 40, precisa-se de
para cosinbar e eomprar.
Ama
-Frecisa-se de urna ama para cpsinharv jw
casa de familia; a tratar na ra do Hospicio m-
mero 41. w __
Ama
Precisa-se de urna, para o servigo domestieo :
na ra larga do Rosario n. 38. 2- andar.
Ama
Precisa-se de u*aa ama para servico lomes-
tico ; a tratar na ra Baro da Victo? n. 54,
armazem de movis.
Aluga-se
Por barato prego o Io e 2 andares do Caes d>
Apollo n. 75, cora muito bons ccmicodos
tratar na botica ra Larga do Rosario -
34.
uga-se
Por prego baixo o Io e 3o endares do sobrado
ra do Brum n. 84, com tostantes com-
modos ; a tratar ra Larga do Rosario n. 34,
botica.
Altigam-se
As casas da ra do Lima ns. 18 e 30, b
S. Amaro; a tratar na lilhographia ra M'onpws
de Olinda n. 8.__________________________
Ahague! barato
BeccO da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 c 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armse_.
Becco do Tambi n. 23
A tratar raa do Commercio n. 5; i- indar;
esenptorio de Silva Guimares & C.
Gaf"
No armazem da bola araarella n. 36, junto i
estago do Caxang, no caes 22 de Novembfo.
compra-se e contracla-se grandes e pequeras
porgues de caf produzido na provincia, a 8J00O
a arroba, at o dia 31 de Bezomfrro do carrate
anno.
Se soflres porque qneres
CSA E C0NVENCEB-TE-3A8
CURA RADICAL
AVISOS DIVERSOS
Atuga-se urna casa no Monteiro, muito
fresca por ter janellas para o rio ; a tratar no
caes da Companhia Pernambucana n. 6, escrip-
torie de Bastos & C.
Aluga-se urna boa casa ra Bireita de
Afogados, junto a ponte ; a tratar na mesma
ra, padaria Imperial.
ALUGA-SE u casa do pateo do
Terco n. 19, hoje de Vidal de Negreiros,
com grandes accommodajSes para estabele-
cimento e moradia para familia no andar
superior da mesma; est caiada e pinta-
da tem agua encanada. A chave est de-
fronte n. 32, a tratar na ra do Duque
de Casias n. 45.
Alnga-se a casa da ra das Floresn.
com 3 quartos ; a tratar na ra Nora n.
loja.
Aluga-se a casa da ra da Saudade n. 34,
com boas accommodages para familia, tem agoa
e gaz : a tratar na ra da Aurora n'. 8o.
Precisa se de um menino com pratica de
taverna, na ra Joaquim sabuco n. 36, Ca-
punga.
Qual quer
Accesso asthmatico, por mais grave que
seja, cede promptamente ao uso do Peito-
ral de Cambar.
Boleira
ida
Precisa-se de urna mulner qu" entenfla bas-
tante de bolos ; a tratar na ra da Soiedsde nu-
mero 56.
Rita de Cansa Ferreira da Cruz
Joaquim Monteiro da Cruz Jnior, Maria Rosa-
lina Jorge da Cruz, Jos Fernandes de Salles
Jorge, Maria Rita Monteiro da Cruz Jorge, agra-
decer a seus prenles e amigos que acompa.
nbaram os restos mortaes de sua prezada mi e
sogra sua ultima morada ; e de novo-convi-
dam-os para assistirem as missas que mandam
celebrar no stimo dia de seu passaraento, sex-
ta-feira 23 do corrente, em Olinda, s 8 1 '2
horas da manh na igreja de S. Pedro Martyr,
e em Palmares, s 9 horas, na matriz,________
t
Precisa-se de urna
ra da Soledade n. 83.
cooeira ; a tratar na
Custodio Josu Concalves lleudes
Joaquim Alves Mendes GuimarSes, sua mu-
lher e lilho, possuidos de profunda dor pela in-
fausta noticia de haver fallecido em Portugal
seu sempre chorado pai, sogro c av. Custodio
Jos Gongalves Mendes, vem pedir aos seus pa-
rentes e amigos o especial obsequio de assisti-
rem a missa que por elle mandam rezar na ma-
triz de'Santo Antonio, na sexta-feira, s 8 horas
da manh, e por esse acto de caridade desde j
apradecem a aquellos que romparecorcm.
Pede-se pessoa que apprebender um ca-
vallo russo pedrez, undador em toda altura, ai;
da novo, que dirija-se ra do Viscende
Inhama n. 65 que ser recompensada.
Vende-se um bote gru de. concerlaaoM
novo, em boas condigOes : qoem pretender, dj
*
I).
rija-se ra Duque de < axia n. 11, loja.
Tavera
Vende-se a taverna sita estrada "dLtiz 4S
Reg n. 47 D. propria para principiante por te*
poucos fundos ; a tratar no Garmnho fltovb nu!
mero 87.
PARS 84,rnaLacoiifianlB8. o Sur.MALLET
deseja comprar sellos de
todos os paizes do mua-
to,esporla!meote o^ raros
e de cmisses antigs.
Bem como os sellos de
Portugal de 500 e 1(000.
Boga-se o faror de indicar os
procos c qnantidade na orea-
siao de remetter rwair.r
embrnlho e3tmpHrinao,ini_n|
Joanna Martins da Silva
i." anniversarlo
MaviaelTtaijtres da Silva e seus fllhos, ainda
pungidos pela perda de sua extremosa esposa e
|ni, 1). Juannu Martins da Silva, mandam cele-
Srar urna mis.-;i na matriz da cidade do Cabo,
s7 horas damanb ludia 24 d>>rrente, 1."
aimiversario do passamenfo da mesma.; e para
i_Bacto. convidan) os seus prenles e amieos.
____M__MBT~
Excellente acquisicao
Vende-se urna boa casa naBoa-Viagem, terre-
no proprio e bem collocada ; a tratar na ra da-
Concordia n. 34, 2- andar._______________
Veude-se
urna casa em Tigipi, de tijolo, e em '
proprio, com commodos para urna gr
lia, distante 300 a 400 metros
quintal (allis sitio), plantado d
inclusive coqueiro
t
m
\
b. Joanna Pires Flcalo Slarqups
1- anniversario
Alfredo Marques da Costa Soares ,e seus ir-
m03, lillios de D. Joanna Pires Falco Marques,
convidan) os seus prenles e amibos para assls-
tum a urna missa que por sua alma mandam
celebrar sabbado 24 do corrente, s 7 1/2 horas
da niaajMt, na igreja matri, da Boa-Vista, pelo
^^^^Hfrssam agradecidos.
Ca
asa a vem
Joo de Olveirs e Silvn
Francisco. te Oliveira Guimares e Davi#Go-
mes Ribeiro, irmao e amigo do finado Joo de
a e Silva, convidam os amigos do mesmo
finado para assistirem a urna missa que por sua
gima mandam celebrar na igreja matri da Boa
Sfala, sabbado 24 do corrente. s 7 1,2 horas,
ario do seu fallecimento, pelo que
^^^feaamgradecidp^^^^^^^^^^
SeTespboroMarque* da Uva
23 do c -a nia-
da Boa
giM^ro ___________
VBCicnpuv


e 1^600.
bwracha
de
minas ottoma
e vidnlhos a
dem como o mesmo abatimento de 50 \
Confec^o
Vestidos* feitos de Casemira ricamente
bordados de 80)5 por ^54 e 30$.
Ditos para armar de 6$, 85 e 10$.
Ditos brancos bordados em cartao, alta no-
vidade a 8 Guarn5&es de colariuhos e punhos para
senhora por 1# e 15200.
Capotas (preparadas na corte) de 20$ por
9,5 e 105
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para crianjas, por
55, 65, 85 e 105, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 25 e 35.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 55.
Luvas de seda meio braco1, e qualquer ta-
manho a 15500 o par.
dem dem d Escocia a 1
Sobretudos impermeave_
705 e 805, por 305 e 4
Capas e pellerinas de c aci
na ricamente enfeitadas
255 e 305.
dem idem de renda, sedi damasco e
gurgurao, tanto para ph ntasia tomo
para commodidade a 385 1 40&
Velludos de seda e aipodao < e nanitas co-
res. \
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de ) seda, algo-
do e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs. j
E muitos outros artigos de! confeccoes
como sejam mantillees de blonds, sahidas
de bailes, leques transparentes' e de phan-
tasia, e outros muitos mais, qup se ven-
dem com o mesmo abatimento I de 50 t0.
Para horneas 1
Casimiras inglezas com duas larguras, de
35500 por 15200.
Ditas c6r de caf e azul, de ?5500 por'
800 rs. T
Cortes de seda para collete, de la.5000 por
35OOO e 35500. \
Ditos de velludo e fustao a 15 |e 15200.
Meias inglezas com fio de seda,! de 125
por 65OOO a duzia. I
Paletots, de 75 por 45000.
Camisas com um pequeo toque \ de-mofo
a 15600 urna. 1
Collarinhos, modelo moderno, a 3>5000 a
duzia. I
Camisas inglezas com collarinhos J e pu-
nhos, sein collarinhos e sem p'Jmhos a
365000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280^
360 e 400 rs.
Dito branco de linho p. 6 a 15200
Lindos cortes de casimira ingleza,
^ 85, 105 e 125 a 45, 65, 84 e 10.
Sobretudos impermeaveis de borrachi
homens, de 705* e 805 por 305 e
de 38f por 2-1.5000
para
405.
Ceroulas francezas
a duzia.
Paletots d "seda, completos de feil os d
casemira, malas para viagem, e bol'ns e
tapete e um completo e variadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras france zas,
inglezas, pretas e de cores de padroes in-
teiramente novos e que se vendem pomo
mesmo. abatimento de 50 [0 de seu va lor.
Rctalhos
Aproveitem & grande quantidade'
pelos pre90s, em sedas pretas e de cS)|
gorgorSes, setins, 13s, merinos, zephyrl
linhos, chitas, qjadapoloes e algodSo
nhos.
E militas outras pecliinchas que s
enconfram na
T
__*M
SEM DIETA
DAS
Holestias de pelle
8YPHILTC.S.
Darthros, sarnas, ulceras antiga3, u_-
pingens, bobas, gommas, cancros, rhenn
tismo e morpha.
Com os prodigiosos
XAROPE E UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
ApplicacSo fcilUso sem perigoEf
feitos promptos, dieta razoavel.
Contra lacios nao ha argume-K
Estes remedios sSo os mais commoo
do mundo. Enviarse gratuitamente^
correio, direccoes para oso d'este^
camentos admiraveis.
Preco do ungento 15200
Pre$o do xarope 35000 a garrafa.
Preparados por Calazans & C. Phar-
macia Imperial, Bahia.
Deposito no Recife
Francisco Manoel da Silva C-
Rua Mrquez de Olinda n. 23
Cosinheira
Precisa-se de urna, que cosinhe bem e dona-
em casa do patro ; a tratar na ra do Cabg5
n. 14, 1 andar, de meio dia at 2 boraa._____
A padaria a vapor, do Pombal, avisa aos se_r
freguezes, que a farinha de milho e arroa em
pacotes de meio kilo encontra-se venda na
sefjuintes merciarias:
Bernardino Duarte C., ra da FIo?etoia
n. 2.
Zeferino Valente & C., caes 22 de 507(-&r>
n. 4.
Para papas, cangicas e cuscos esta '"winln
tem tido grande aceitaco publica, e rece-di-
ploma de i" classe na exposico prepajwena
para Pariz, era 1889. pela sua superior qaabda-
de de milpo escolhido.
Para engenhos
Lopes & Araujo, vendem
a presos sem competenciar
garantindo a boa qualidade,
os rticos abaixo mencio-
nados.
Gal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Ole^telnocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de pieixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Polassia da Russia em caixa
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttand.
Graxa em beMgas.
Ra do -trmenlo n. 5
Telephone 318
Tigipi
Constantino de S Barretn
Convida-se a este senhor a comparecer n
do Bom Jess n. 23, para prestar contas
robiancas que fez no termo de Agua Preta,
Marco pro-ximo passado.
Cofres de ferro
Carlos Sinden tem para vender co:
superior qualidade mais barato do
em outra qualquer parte,
48Ra Barao da Vfateia48
.




1
das
em
qac
Guarda-vestidos



.


,

i
ll


^prio de PemambucoSexta-feira 23 de Agosto de (883 ,ffi

PARS
, Avenue "Victoria,,
A
pHOS'
E^OTpkaiina Falleras
constite um AJ.imeTi.io completo
dos mais agradaveis e (Le fcil digssiao. Qseu emprego
preciosissimo para as creancas, especialmente no momento em que
deixam de ser amamentadas. A Pkosphatina Fares prevrm a .m occa*-
sionada, a mor parte das vezes, pela mudanza de alimentacao.
Facilita a dentico, abona a formac&o solida dos seos, evitando ou prevenitvdo as dceneas .
producidas pela erescenfa das Creatinas.
Dposrros bm toe>.a.s .a.s peincipaes ^^lj^^ousl^-ctj^s
O OLEO PURO'
-DE-
FGADOle BACLH
DE-
EMADERNACAO MIRANDA
39-RA PQE DE ^pUS-39
Este antigo esabolecimento, hoje complelpnent rr ornado cu
is aperfeicoadas e movidas a vgnor, acbifr
tfrabalho em
ipletoent
tmKtn coi
com machinas
condicoes de executar qualquer
DO
OT A B A N H A O
Approvado pelo Exm. Sr. preside ote da provincia
Cartas, incmorar.duns, recibos, circularas, raemoriaes, despachos, cartoes de]
Ecacoes, mappas, presos correntes, afcces, bilhetes de loterias e rotula de todas
j cualidades em preto, ouro ou cores.
Premios da lotera Intelra
1 premio de.....300:000^
1
1
2
6
10
brocharas, caronados, encadernacocs, livros em branco para o commertro e
cejjarfccies, lencl > para este m urna excediente machina de panar.
um
tos
2 appr IX nagoes de
2 i
2 o
9 Dez. du l.pi em.
y f c 2.a *
9 c I ?>:
99 2 fin c 1. c
99 c 2. <
,900 terna. a 1. C
900 a 2.
50:0005
12:5005
10:0005
15:0005
15:000,5
5:0000
3:0000
1:5000
6:7505
4:5005
2:2505
24:7500
24:7500
1250 112:5000
1250 112:5000
5:0005
2:5000
1:5000
2:5000
1:5000
7505
7505
5000'
2500
2500
2505
Premios da serie
premio de.....
1
1
1 c ...
2 ...
6 I c. .
10 a ...
2 approximacoes de
2
2 i <
9 dez. do 1." prem.
9 2.
9 c 3. c
99|2fin. t 1.
99: 2.
900term. 1.
900 2. c
2005
1000
600
1005
600
300
305
200
100
105
100
50
50
12:0000
2:0005
5000
4005
6000
6000
2005
1205
605
2700
1805
900
9900
9900
4:5000
4:5000
LAMA1T & SEMP
produz effeios anlogos a os ,da
El
m
28:0000
faado sortimento em cartoes para visitas, particiPacoeS||e convites de casa- 2052 premios no valor de 700:0000 2052 t-remios no valor de.
oaerito. bailes, menus, ehcitacoes, etc., etc. i rr j f. i
'\7"PT'P^<^'XP odos os premios sao pagos integralmente
2 i V ^*>***->**""->** Esta lotera composta de 10.000 bilhetea a 100500U, dividida em 25 series,
Avros de recibos de alugueUc casa, papel de impressao, tintas, vermzes e cugtando o intciro da serie 40000, subdividido esto em quintos da serie (125o do
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada um.
O agente desta loteria chama a attencap do publico para este importante
plano mais vantajoso pela sua boa organisacSo.
Com 40000 (5 quintos de que se comp5e a serie) recebe-se 12:0000000 e com
800 rs. (1 quinto) 2:4000000.
O menor premio d um resultado de 25 '/0 P's custando o quinto 800 rs.,
is artigos para Manoel J. de Miranda
Telephone 194
Plalas pui'lficao o Sangue, corrigem todas es Jcsordems ds Estomago s
dos Intestinos.
Fcrilecem a saude das constitujocs delicadas, e sao d'um valor inorivel para .odas as enfermidace f
pera liare; ao sexo feroinino em todas as edades. Parar.s meninos assim orno tarabem para ss {
pessoas de klade aVancada a sua efficacia e incontestarei
Essas medicinas sSo -r-oaiada* sfnente no EsCabcIccimento do Profrs^or Hollowa?,
78, HEW OXT02) STE3IT (antes 533, Orord Etrt), LCKBEE?,
E vcudemsc eui todas as pliarraaclas do universo.
J&TG& coc*.;.radores &! convidr.d^ respcitasmente a examinar o rtulos de oda caira c Pote se nao tZZZ 2
direcao, 533, Oxford Street, sio czt&incaCocs,
I
recebe 10000 as terminacSes dos 1. e 2. premjos.
Sao premiadas as dezenas dos 1.. 2. e 3, premios.
As duas letras finaes dos 1. e 2., termiaa95es dos 1. e 2., e as approxi-
xoes dos l.o 2. e 3.: tendo alm disso premios de 2:0000000, 5000000, 2000000,
1000000 e 600000.
EXTRAOCAO INTRANSEBBIVBL
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bates scicntiicas
e pnysiologlcas para o fim de
beneficiar os cabellos, restaurar
a cor, Lnpedir a queda, e promo-
ver sen vico e abundante cresci-
niento.
Esta apurada e excellente preparaco,
sera duvida o melhor remedio at fioje
conhecido para os differentcs defeitos da
oabelladura, merece a intima attencSo de
todas as pessoas qne tm tido a infelici-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o seu emprego intelligente tem-se
consefruido resaltados realmente sorprea-
dentes. Em muitos casos, porm nio
sempre, a propria calvicie tem sido curada
permanentemente.
Sempre se consegre fazer parar a queda
dos cabellos; cmquanto qne para opencea-
ao das sennoras, 6 o objecto mais nl a
mais agradavel qne se pode empregar.
PREPAHADO FELO
DR. J. C. AYER & CA.,
l.owell, Mas*., Kst.-l."uidos.
I A' venda as kyas de armariobo e p*r-
famarias.
dos mesmos sniores, no caso de
ser preferido o traotamento nesta
forma para o curativo dos inoom-
modos
do Peito, a Garganta e os Pahoges.
Caixei^o (~
Precisa-se de um, com pratlca de nadara; na
ra du Florentina n. \.
Onde mora
0 Sr. Francisco Raposo Falco at quando quer
que o doao dos movis espere para ser entregue
dos mesmos ; isto data desde que foi emprega-
do a priroeira vez.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 16 a 18 anuos
com pratica de venda ; a tratar ua ra de Horias
. 1.
DEPOSITO GK1UJ
- ti" (
*%
JUNTO AO LOVREi
Cachemira de listras a 10000 o covado.
Gaxes arrendadas a 400 rs. o dito. -
WmstSo branco lavrado a 360 rs. o dito.
Toile pardo a 360 e 400 rs. o dito.
Cortes de vestidos em cartoes.
Cocbas de fustao a 40000 urna.
Toado?, para banho a 10500 urna.
Cadiemiras lisas a 10000 o covado.
Popelinas brancas a 300 e 10000 o dito.
Cacbemiras de quadro a 280 rs. o dito.
FostSo para roupa, de 10000 a 700 rs. o
dito.
.Colchas de cores a 10800 urna.
Merino preto e 800, 10000 10200, 10500
1(5800
Chitas percales a 200 rs. o covado.
Velbut:ra preta a 700 rs. o dito.
Crep preto (inglez) a 20000 o dito.
Mrfifir de quadro a 300 rs. o dito.
Moraos < de cor duas larguras a ^440 rs.
Bandas hespanholas a 20000 o dito.
Setiat do Japao a 240 rs. o dito
Guabraia Victoria a 20800 a peca,
retoes claros e escuros a 240 rs. o
corado.
Cambraia bordada a 40000 a peca.
Guaniic3o de crochet a 70000 urna.
Leyes transparentes a 20500 um.
Fichas de retroz a 10000 um.
Caausae e flanella a 20500, 40000 e
S#000 urna.
Bieo* de cores a 20000 e 20500 a pega.
Ihalhag felpudas a 400(0 aduzia.
Crinalda para noiva a 70000 urna.
Churdap para homem a 60000
Meiaa inglezas para bomens a 50000 a da-
Cachemira de quadro a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 10500 a 10000 o dito.
Baleias a 240 rs.* a duzia.
I Lences de bramante a 80000 um.
| Cobertas de ganga a 30000 urna.
Tapetes grandes a 130000 um.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o covado.
Espartilhos a 50000 um.
Madapolao americano a 60000 a pega.
Coletes de flanella a 20500 um.
Palitots de seda palha a 80000 um,
Lengos de linho a 50000 e 60000% duzia.
Palitots de brim pardofa 40500.
Bolsas para viagens.
Casemira para costumes, corte.
Luvas de seda a 20000 e 20500.
Guardanapos de linho a 20200 a duzia.
Guardap para senhora a 100000.
Arcos cobertos a 120 rs. Jfcnetro.
Panno da Costa a 10OCXW 10200 o co-
vado.
Bramante de algodao a 10000 o metro.
Algodao branco a 40000 e 40500 a peca.
Cortes de fustao para collete a 20500 um.
Cortinado bordado a 70000 o par.
Zephyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 10200 o metro.
Peca de esguiSo de algodao a 30500.
Regatas a 10000 e 10500 e 20000 uma.
Palha de seda a 10000 o covado.
Camisas allemaes a 36|>600 a duzia.
Bramante de linho a 10800 o metro, 4
larguras.
Cortes tte seda para collete a 50000 um.
Chambres para homem a 60000 um.
Setins de cores a 800 rs. o covado.
Algodao trancado, 2 larguras, a 10100.
a 50500,70000, e
e
a
BUL. j
Sargens de cores a 200 rs. o covado. ^MlCiH'tafi de. Palitots de alpaca preta a 40500 um. XK3
Cemita diagonal a 20000 o covado.
Mena fio da Escocia a 10500 o par.)
Iftacos brancos a 10200 e 10800 a duzia.
Cherifa preto a 30000 e 40000 o covado.
A 500r8' .|2 gfa.
A 800r- i gfa.
A melhor tinta de es ere ver
TINTA VICTORIA
Vende-se nos depsitos:
l LIVRARIA CONTEMPORNEA
DE
ILZH S. COSTA & c.
Ra I. de Marco n. 2.
LOJA DE FERRAGEM
DE
ALBINO SILVA A C.
Ra da Cadeia n. 42
A 500rs l[2gfa.=A. 800rs 1 gfa.
1

SOLTJCAO e CAPSULAS
de Antipyrina do iy Clin
Laureado pela Faculdado de Mac'icina da Pariz. Frezaio Zor.tycn.
0 Melhor Remedio contra a Enxaquec;
A Verdadeira Solugo de Antipirina do Dr Clin possue urna poderosa
aeco para acajniar as dores de : Lumbar/os, TorticolU, Neorulijius, citica, ilens-
truaco difficil, Clicas violentas e os Accessos de Gota e de llheumntisnio.
mento mais poderoso contra a ddr. Hcsimitfo'Scienti.is.ses^odaisi'tbriidtissT).
Dose : Tome-se cada dia de 2 4 colhres da Verdadeira Solugao de
Antipyrina do Dor Clin.
NOTA. As Capsulas de Antipyrina do D* Clin sao destinadas as pessoas
que nao podem tomar a Solucao.
Casa Clin e Cu em PARIZ, e phahmacias.
Aos agricultores
Pessoa habilitada otferece-se para contrahir
empresiimos com o Banco do Brasil, em favor
dos S. S. agricultores deta provincia, de Ala-
goas, Parahyba e Rio Grande do Norte, encarre-
gando-se de adiantar as quantias necessarias
para pagamento de avaliaces e preparo de do-
cumentos, mediante mdica retribuicSo. Os
pretendentes podem dirigir-se nesta cidade ra
do Atalho n. 9, e por car: a G. O
M
UROPEnUCOES1
DE EHURE
Ht mais de cincoent tnnot qu j
i pntico a mtdicin*. jamis en-
contr! remedio mili etHztz que o
caracol contra as rrttacoes do peito.
D" OIBTIES, Este XaVopo, de sabor ex- I
colicnic. 6 de urna poderosa
efficacia contra as IrritafSea
da Garganta e do Peito,
PluseOes, Vj/m re bride,
Catarrho Agudo ou Chr-
nieo.
P MOKE. PMt-SiiBt-Eqrit (Frp)
A. Gaiagne, Genro Soccsoor
Depotitos em todas at srlnclptai
Pharmaoiat.
tmPtrnambuco: RAN" M. a SILVA & U*-.
Cosinheiro
Precisa-se de um : a tratar na ra do Cotn-
mercio n. 44, escriptorio.
Apolices perdidas
Perderam-ee dez apolices da divida provincial
de Fernambuco, pertencentes a Manoel Pereira
de Araujo Vianna, de ns. 873 a 882, serie B, do
valor de 1:000* cada urna ; pede-se pessoa
que as tiver achado o obsequio de ir ou mandar
entrgalas a Henrique Bernardes de Oliveira,
procurador bastante do mesmo Vianna, no Re-
cife, ra do Vigario n. I, escriptorio, que grati-
ficar
O grande e importante estabelecimento de
Pocas SIendes & C., sito ra estreita do Rosa-
rio n. 9, coLtiguo a igreja, acaba de rec ebe
urna g rande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
O nico que, sem a minima confeceo, im-
portado neste mercado, e so se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejam,: o vinho Maduro, sendo
como e, feito nicamente da uva madura, tem
as seguintes vantagens que as outras qualidade3
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertur-
baciio as digest6es do estomago, anda mesmo
o mais enfra'quecido, dando-lhe vigor, pois nutre
aolhos vistos as pessoas debilitadas, ed forcas
s que as tiver arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambera
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
propritarios capriobam eni bem trablhar neste
artigo, afim de terem a priniazia sobre tastos
outros similares, cuja composico duvidosa
Em outros artigos como sementes de hortaliza
e flores, linguas sectas do R10 Grande, otjectos de
vime e tamancos do Porto para bomens e senbo-
ras, para isto to pouco temos competidor,
aossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar podem comparecer, com
o que muito nos honraro. Aps urna infin-
dade de artigos de primeira ordem, que achara-
se em exposico, acresce a amenidade do trato
com que timbramos tratar todos os que nos
honrara com a sua presenca, junto a modicidade
de pregos sem rival.
lina estreita do Rosario n. f. junto
a igreja
Pocas Mendes & C,
Brim branco, todos os nmeros.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 150000 a duzia.
Flanella de er a 300 rs. o covado.
Grande sortimento de fichs, casemiras, ^brim, ^algodao, camisas, collarinhoi,
^onboe, meias, perfumarlas, e borjpioB.^^
20Ra PrimeirojdeMar^20
AMARALfl& C.
****$#****#**************^*****#**#
O
XABOPE DE PAGLIANO
Depurativo e Regenerador do Sangue
Privilegiado pelo Governo de S. M. el Rei d'Italia
XO PXtC FE690I
r.ir Q M&MAIO
wnleo 8ocoop do dafunto Professor JERONYMO PAQUIANO, m Flinajt
VEXDB-SE EXCLt.SIVAMANTE EM
aples, 4, Calata S. Mar,co (Casa propria)
A CASA DE FLOREZCA EST SUPPflMIDA. 01 Ser. ERNESTO PAGLIANO poue
todM as remitas escripias pea propria mo do deftApto Professor JERONYMO PAGLIANO,
su tit, outrosim um documinto qu o designa como) nico tuccesser :
ERNESTO PA GUAMO.
eoit em Pertusmbueo .- ntAJM* M. da liLVA a *y.
tWp 1NCIPAF.6 PHAh
AUANPATfiftSON&C.
44-BU4 84840 DO T8IIIPH0-44
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Tajxas balidas sem crava^ao
Arados.
O vxarH* ooa-M pwnnwm presencio Sasrucusn eom xito par* oumfctK dura "
mjurtTii mU, KMcsas as vtss npsmsrtM
idosrgBS vessJ.
tmaom xa tftmm/Vf u FNDCAO DE SNOSBBaONZB
DE
LUIZ Di CRUZ MESQUITA
66ra do Baro do Triumpho66
Tem para vender o seguinte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapncas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Torneiras da bronze e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, 'de chumbo e de ferro.
Reparlideiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado.
Cobre em lenco! 9 arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
Cadinhos patente esde lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectes
ENORREGAM-SE de qualquer concert 'obras de encommenda, garan
iindo presteza, perfe9ao e precos mdicos, para o que tem pessoa habilitado.
vwjsjde a praso ou dinheiro com descont. "
IHES0DR0 DAS MilS VERDADBIROS
COLLARES R07ER
1 uiihimww
B- **t*n* c vo*TiPiaajran k,
isrisi
Electro-Hagneticos
Dito "Collares anoymoj de Jeutifio" coolra as
CONVULSES
. PARA facilitar a dehticaq das crearlas
"Os COLLARES ROYER.conhecidos ha mais
Lile 25 anuos, sao os nicos que preservo
(realmente as creancas das CONVULSES
'ajudando ao mesmo tempo a dentiedo.
Para evitar, as Falslfioapoes e as lmlta^oes, exjase que cada
r,^,..,-.. ni.1i-jntatt''lta tenha a marca da fabrica i maraem e o verdadetro lume
PW VIDES CA du CREAhQAS HO YER, Pharmacouco, 225, ra Saint- Mar a.em PARS
LicanciAloi pela iaspectoria da Ij|iea i Imperio 4o Bruil.
EQUINA EFERRQ
Chlorse, Anemia, DebiJidade
Oura das Pebres
g TITUD'S
(a it M;lcta: i Motil, Asali cethiirzco ta iscots di 1
y-






I


8
nano
aoiuucosexia-ieirfl
Agosto de
YENDAS
4, urna ex-
macbina vapor de :!0 cavullos, umaa
UOtnbas hvdraucas de grande forca, um ferra-
jura para cortar (landres, arcos,
triOnparros Decauvillc, apropnados
irn? portfde canna, bombas d'ayua mao
*. vapor. *%_____________________
Alta no vidade
PECHlJiCHiS!
Duque de ftnJasts
s 30 01 do AWr'em oirfra
E'barato
4-Hna
L'or menos
qualquer part
Merinos setins, lisos e de quadros com 1'
metros de largura a 2)5000 o covado.
Renda hespanhola muito larga a 25000 o
covado.
Espartilhos, verdadeiros eouraoas, a 4)5000
55000-e 6)5000 um.
Lindos cortes de fustio para collete a
OOrs-, um.
Cobertores de la a 25000, um.
Palitots de seda amarella c chumbo a 8(5
10)5000 um.
Redes francezas a 4;5000, 55000 c 65000
luna.
Organdis (fazenria de phantasia) a 400 rs.
o covado.
Enchovaes para baptisados a 8,-5 e 10.5000
Toalhas felpadas a 3>000 a duzia
Meias cruas para homcm a 35000 a dita-
Nansuks finas de 120 c 240 rs. o co-
vado. .
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. o cavado.
Cortes de linn e crotones com todos os
prepares, a 5500 a 125000.
Atoalhado muito largo 1)5200, e 15500 o
metro.
Pannos de crochet para cadeiras a 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet, bordadas para noivos
a 55000, 65000,' 75000 S5000 e 05000
urna.
Cortinados bordados a 65000 o par.
Bramante liso e trangado de 4 largura? a
15000 o metro..
Bramante trancado de 2 larguras a 400 r3.
o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica a
5j5000 urna.
Saias ricamente bordadas, a 35000 urna.
Luvas de seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Cretones claros e escaros c 200 e 240 rs.
o covado.
Zefiros de quadros a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Camisas finas de meias a 15000 um.
' Leques de penna, ultima moda, a 45000
e 55000 nm.
Capellas com veos para noivas a 85000
urna.
Fustao de cores para palitot e caifa a
500 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
collete a 25000 um.
Cambraia de sa.'picos com 10 jardas a
45OOO a peca.
Bicos de cores e brancos a 15000 e 25000
a peca.
Collarinhos e punhos,,borracha, a 15800.
Cobertas de ganga forradas com 2 pannos
a 25800 urna.
Lencos brancos a 15500 e 25000 a duzia.
Fichs de retroz, lisos e com palmas a
15000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
Algodaosinho com 20 jardas a 45 c
a pega.
Assim como cm sua ofiicina de alfai
aprompta-se com perfeigao e elegancia
por pregos coinmodos, de br:m ou case-
mira, costumes para meninos e homens.
A Revoluto
48Ra Duque de*Caxias48
HENKIQUE DA SILVA MORE1RA
Farello superior
2:800 rs.
cada sacca de genero superior c de peso de 42
kilogrammas, vndese no trapiche da Cornpa-
abia, largo do Corpo Santo n. 19.
59-Rna Duque de Casias5
Cassinetas de cures para roupas de meni-
nos a 200 rs. o(covado.
Meias casemiras pretas e de cores idem
a 400 e 500 rs. o dito. '
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Seti netas modernas dem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos de quadrinhos a 100, 160 c
20O rs. o dito.
Percales filas a 200 o 240 rs. o dite.
Atoalhado bordado, qua2 magros de lar-
gura, a 150' 'J e 1/200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, supenbra 800 rs.
e 15000 o dito,
dem de puro linhc a 15600 codito.
Riquisstmas guamiles de crochets a 6)5 e
8QO0.
Toalhas para mSos a 15200, 35500 e
45000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 25500 e
35oOO a dita.
Camisas superiores idein a 245 e 305000
a dita.
Seroulas borthdas a :_';S000 e 185000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 25800
30QOO, cern 10 jardas,
dem bordadas chic a45000.
ores algodtJes da curte a 35000 e
35500.
Madapolao americano a 6500O, com 24
jardas.
Fl.nella dz cores para camisas a 280 rs.
o covado.
Idiun .;>:erioftn. azul, pr.ra palitots a
>200 o dil
Casemiras de todas ;.s qualidades a 15400
15SCK) e -J-yV.fyo dito.
Para as Kxma*. noivas
Lindissimas grinaldas c veo para 85000 e
11)000.
Ricas colchas de crochets c fustio a 85Q00
e 65000.
Bonitos, cortinados bordados a 55500,
7)5(500 o 8,5000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setira branco, superior, a 800 15000 o
dito.
Popelinas de seda a 200 15000 o dito.
Setins Maco. todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lengos de seda e de linho para 25800,
em lindas caixinhas.
Lenges de bramante a 15800.
Cobertas de gr.nga, forradas, com pannos,
a 25500 o 25800 urna.
Colchas de cores a 2-5000 e 35000.
Tapetes para portas a 35500 c 55000-
Pannos 1 ara mesas, de cores modernas a,
15500 15200 e 15600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de 305 a
35)5.
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
precos, cheviots, merinos, damascos para
pianne, cobertores, redes a 4)5000 urna, e
urna infinidade de artigos que serao lem-
brados na prevenga dos dignos leitores.
LOJA DE
PKREIRA & MAGALHAES
CARDM0 IRIttO
;a baro do triumpho
100 A 104
dertrr-strlpki-
to de cal. que nao s faz alve-
jar milito mais assucar, co-
mo evita o grande gasto de.
cal no fabrico do mesino.
Bom
neg'ocio
Vende-sc. arrendase ouhypotheca-se a mc-
tade o engenho Fortaleza, "sito no termo do
itonito ; a tratar na ra Coronel Suassuna nu-
mero 232.
F0LP5TM
g%JSf
1 ^rr-ftare
POR
iles im&i
PRIMEIRA PARTE
LQVcvsA si os. :2:s:-lis:
(Continuagao do n. 188)
I
Pois bem', Suzana nao me confessou
nunca inclinagao pelo senbor, a sua pre-
aenga nao a perturba, sen coragao nao ac-
celera suas pulsagoes e sua -physionomia,
quando ella olha para o senhor, conserva
sua calma serenidade de virgem. Se ella
amasse. nao tena hesitado em dizer-ni'o.
En sou o confidente de suas menores emo-
les ; sua vida um bello livro cujas pa-
ginas eu folheio todas,- nada li nelle que
dissesse respeito to senhor.
A medida que o general fallava, Dam-
pierre baixava a cabega ; um peso enor-
me se abatia sobre elle. Urna grande
tristeza, um aperto grande no coragao o
pprimia de repente. Elle nao menta
guando amrmava que aojava apaixonada-
mente a Suzana. Tinbi^fcomprehendido
tal qual a pintara o genWl. Vivor" a vi-
da inteira ao lado dessa crianga devia ser
ama desaas felicidades infinitas que apavo-
rain, porque sao por demaia completas f.pa-
1' injusto ter tanta ventura c
amento j um amargo que
ue viera ser jai de
t-Claude, havia dous
Para os feslivaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria e commodidade em
pregos: bolo, pao-dc-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos e baptisados^ etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, qner para fora d'ella.
KOlUAIS,
P OLERY Venie-se em tal oart
annos, esse amor tinha sido a constante
festa de seu coragao, para a qual reser-
vara todos os esplendores de sua imagina-
cao.
As palavras indifferente3 do general,
cahindo sbitas, haviam feitas desse sonho
um pesadelo e despertado rudemente o so-
nhador.,
Escate-me, Sr. Dampierre, disse o
general, eu vou dar-lhe urna grande pro-
va de estima e minha filha urna grande
prova de confianga. Desejo que o senhor
tenha com Suzana urna conversagao,
qual nao assistirei. Acanhal-os-hia. Diga-
lhe o que penaa. Sua franqueza respon-
dei- ao senhor. Qumta-feira teremos al
gumss pessoas para jantar. V o senhor
tambem. 8berei preparar-lhe alguns ins-
fcintes de conferencia.
Separaram-se.
Nessa occasiSo um homem muito baixo
e vermelho, Lestonnat, inanector das flo-
restas, approximou-so de Hromais.
General, disse elle, como possivcl
que seu filho nao esteja aqui.
Francisco foi chamado, s cinco ho-
ras, para ir ver um doente na povoagao
de Moussires. J devia estar de volta,
ha muito ;*coraego a inquietar-me com
essa ausencia.*
Naturalmente elle ter ido at Bou-
chorx fazer urna visita a Gonssohn, disse
o inspector das orestas, dando volta sobre
os calcanhares.
O magistrado passara para as salas da
ranea ; seu rosto cmmoldurado de suissas
castanhas, tinha tomado o aspecto de fra
indifferenga, que Uie era habitual.
Caminhava lentamente pa dar ternpo
de acalmar a ternp'jstade^vantada em seu
coragao. ^_
Distradamente respond quelles que
o interrogavam, vepdo-o preoecupado. (
O interesse que excitava nos outros sua
tristeza sbita o atormentava e, causava-
Ihe como que um aniqulamelo.
Alguem tocou-lLe no hombro e elle ou-
vio urna sonora e franca garg'alhada.
Lestonnat que acabava de deiaar o gena-
lal.
__Vou din ctor, con-
\ WWU*
MAIS
ti

Venhm ao 53 ver como" se vende fa-
zendas com 50 /0 mais barato que em ou-
tra qualquer parte.
Cortes de cretone, combinagao, ultima no-
vidade, a 55000.
Cachemiras, combinagao com listas de seda
a 15400 o covado.
Vestuarios de jersey, ultimo gosto, a 10)^
e 125000
Amor da China, cousa chic,' a 200 rs. o
covado.
Linons bordados com quadros, novidade,
a 800 rs. o covado,
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Sargelins de todas as cores, a 200 rs. o
covado.
Merinos de cores a 500, 600 e 800 rs.
covado'.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Vestuarios para baptisados, muito bonitos.
Gurdanapos a 15600. .
Cortinados para cama a 55500. -
Sedinhas lavradas, o que ha de mais psto.
Cambraia com salpicos a 45000 a pega.
Cortes de casemira para vestido a 55000
Renda da China a OO c 240 rs.
Tecidos arrendados, a 4'JO e 500 rs>
Zcliros, grande v. riedade, a 160, 00 e
240 r3. o covado,
Bicos de cores a 35000 a peca.
Madapolaomuito largo a 65000. '
Luvas de seda a 25000, 255009^ 30000.
Mantil as pretas a 45">00.
Cambraia Victoria a 25800.
Atoalhado bordado, lindos gestos, a 15C00
o metro.
Grande sortiraentos em toalhas de rosto.
Espartilhoscom couraca a 4)000,55000 e
65000.
Nunzucks a 240 rs. o covado.
Pannos de crochet.
Cretones para coberta, muito bonitos a
500 rs. o covado.
Cambraia suissa, fina e. muito bpnita a
75OOO.
Babado3 e entremeios grande sortinento e
barato.
Fichs de linho a 15000.
Ditos de seda a 45000.
Ditos de 13 a 15000,25000, 35000^45000,
55OOO e 65000.
Grande quautidade e:n tapetes penuenos e
grandes.
Cretones muito lindos a 400 rs. o covado.
Chitas brancas, escuras e claias a 240,
280 e 320 rs. o covado.
Grande sortimento em colchas brancas a
e cores.
Objecfos para homem :
Cortes de casemiras, finas, a 40OOG, 65000
e 85000.
Ditas de casineta a 15500 e 25000.
Collarinhos de linho c algodao a 45000 e
65000 a duzia.
Meias para homem de todas as cores e
brancas.
Casemiras de cor a 25000, 35000 B 55000
o covado.
Ditas diagonal, lindos desenhos a ?5, 35 e
e 45000.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
cavado.
Cassinetas, grande sortimento, a 400
500 rs. o covado.
Brins Angola, muito chiques e baratos. |
Molesquins bons e bonitos.
Camisas de madapolao a 25000!!, "
Ditas inglezas a 4600.
Ceroulas francesas a 15600.
Flanella azuj a 15200 o covado.
Grande sortimento em lgos-*de algodfio
e linho.
Camisas de cretone, cousa boa [e barata.
Alm de outros muitos objectos.
D-sc amostras sem penhor a qualquer
pessa.
.'> Roa Duque de Casias 55
Frnandes Azevedo & C
E
PARIZ NAMERG
AZEVEDO, IRMaO & 0.
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephone200
Tenda recehido directamente da Europc
grande fiortimento de fazendas e modas
que ha de mais novo e pregos aom o~
potencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda pseta,* diversas qualidades.
Etaminas, pretos, de 12 e la seda.
Damass de seda pura.
Mertad pretas de 800, 15000 e 152C0
Crinoline preta e branca s 400.
Sargelim, todas as cores, a 208 rs.
Bramante de linho a 15500, com 11
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 15500
Chachemiras com 2 larguras a 800 ri
Ditas de l e seda 2 larguras a 15000
, Madapolao trancado a 95000 a pega.
Dito globo a 75000 a dita
Dito camiseiro a 75000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 65000.
Ficfcis de l e seda 10000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Espartilhos couraca a 45000 e 55000
Colchas de fustSo a 25000 e 35000.
Capellas para noiva com veo bordado .
65000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 1550C
Renda de la, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
, Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de sai
a 10000.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama
105000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas seiu forro.
Seda de cores a 800 c 15000. .
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
Guarnieres, pretas, de vidiho3.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 450CK).
Capachos de coco.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para onfeite*
Grande sortimento de chapeos de sol
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fusto de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
sen

Boa taverna
Vende-se a da roa Mrquez do Henal n. 29
(esquina da ra das Flores) ou admitte-sc nm
socio com aptido para a sua gerencia ; a tratar
na ra de Hortas n. 15.
Taverna
Vende se una pequea taverna em S. Josc, a
qual retalha 1:0001 mensalmente : para infor-
maies. trata-se no pateo do Terco n. 21, ta-
verna.
urna valsa. Vem tambem ? <' senhor
est com una cara de en terrado. J
Maehinalmente Dampierre o- acompa-
nliou.
Xo salao a valsa comegava. I
O nedio Lestonnat correu ;t Sazna, re-
clamando a sua vez.
Qnasi que me faz esperar, dst
rindo.
E, com urna graga distincta, ella apoiou
sua m3o delicadamente calgada de lava
branca, no hombro do pesado cavalheiro e
langaram-:-e os dous no turbilho.
Ella tinha vinte annos, mas. ninguem
dar-lhc-hia mais de dezoito.
O brago do inspector, cuja r.iana preta
fazia urna mancha enorme na brancura da
toilette de Mlle. Ilormais, a dobravacomo
frgil junco e a longa cauda do sea vestido,
arrastando-se nas.voHasda oanj*. en
^ava-se as pernas curtas de iestonnat.
Ella era loura e seus olhos dnaSt centau-
reas, em que Deus fifeera cahir nm raio 1
do puro azul celeste. Divinal bondade
irradiava de seu olhar, illumiaaB
te clara, diminuida sob a
cabellos; o rosto alongado, tin
lidez delicada, e os labios, h
mente coloridos, cavavam-se n
duas pequeninas covas esquecj
sorriso, como um signa! dl^^L
Quem amava essa rrianga? Ou a quem
ia ella amar? Por quem batey a seu cora-
gao ? Que homem faria.com Beu olhar es-
tremecer os cilios que goaraeciam seas
grandes olhos, cheios de nterrog
misterios ? Quem teria a infinita vol
de aoffrer, sacrificar-se, morrer por ella ?
De repan,te. houvc urna con^Usao no
baile.
Vinte senhoras deram gritos de temor e
algumas correram.
A valsa parou ; no meio do salao, Lcs-
Libras sterlinas
Vende-se libras sterlinas ; na ra do Com-
mercio, artnazem n. !>.
-Vinho puro de Santarem
Da quista do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, ra
do Cahug n. 11, avisam aos seos distinctos fre-
guezes e ao respeitayel publico que receberam
nova remessa aeste especial vinhc, o qual se
recominenda por ser puro da uva, e s se reta-
Iba em seu armazem- j.
Joaquim ChrstovSo & C.
Telephone 447
Taverna
Venle-se ou a 'mitte se um socio : na ra das
Pernambucanas n. 25-B, Gapunga.
I,'
noval Olead marca, YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Viado,
cajo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
IM
Guios, palmas e rosas de viirilho.
Bicos de seda e de- algodlb com
vidrilho.
Mantilhas d seda e de algodao.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hesypnhola.
Collarinhos para homem a 3,0000 3 4500
a duzia. -
Bordados de camb aia tapada a 400 500-
600 e 800rs.tapeca.
dem com 3.e 1|2 metros, de qual que
argura a 1200*.
Lengos de linho em caixinhas a 3>000 1
dita.
Meias para homem, duzia a 4$000.
dem para senhora, dazia a 4f5000.
Lindos leques transparentes de gaze
34000 um.
Grande Bortimento de porta-retractos dt
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 4$, 6 8000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, dt,
2r5OO a 3C0b o par.
Cortinados todos de-crochet para cama >
126003, 175000 e JMjDO o par, algn,
de cores.
Ditos para janellas 75000.-
Pannos de crochet para cadeiras 1
15000.
Ditos para sof a 2(5000.
IPlastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprmante
a 45000.
Capellas com veo para noiva a 65000 t
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105 *
125000.
Toucas de setim parii Baptisado a 35, 45 <
5K)00.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha d
melhor.
Renda liespanhola de diversas cores- .
Bicos brancos e de cores a 25000 a pega
Ditos de seda branco3 e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricante*
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 15000 e 25000.
Porta-lcltras e porta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapos e chapelinas 1
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 1
par.
Ditas de seda para creanga a 15000.
Dita para moga a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette
sanctuario e consollos.
Lindos lengos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos
Ditos ditos para enfeitar cabega e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanga a 45 e 45500. '
Ditos para senhora a 45, 45500, 5500O f
6500.
Grande sortimento de sabonetes de 200 j
I55OO um.
Estojo com faca, gario e colher, proprit
para creanga.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de la para homens e senhoras.
Lnhas dooradas par fazer crochet.
Lindas fitas para facha a '2, 35 e 450Jl
o metro.
Lindos leques de setim para easamento.
Grande sortimento de leques de setim t
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarga,
Finas carteiras para algibeir de 15, 2-
3 e 35500 ama.
a Duque de Mas n. 103
MAIS BARATO
Na Leja das LislrasAzues
grupos, que cochichavam, seu gordo cor-
jp sobre as pequeninas pernas.
Elle nao teve farga para deixar o
salRo. calor abafadigo o incommoda#a
e a luz viva dos lustres fazia-lhe mal.
A .valsa interrorapida nao recomegava.
"Um murmurio se levantava cheio de em-
barago.
As mogas inclinavam-se urnas para as
outras e diziam nos ouvrdos phrases mali-
ciosas, depois, com o .rosto qceulto sob o
leque, espiavara por baixo para Suzana,
com olhares em que brilhavam urna malig-
na satisfagao.
I Sbitamente fez-se profundo silencio e
todos os pespqgos esticaram-se, em um mo-
vimentoile admiragSo e de curiosidade..
A filha do general se levantara, atra-
vessara o salao e dirigia-se para Leston-
nAt, cujo carSo trgido tornou-se li
peito da sua camisa e estend
las ahi pelo
t posse
balbuciou Lestonnat,
aos, lhe disse ella com um sorri-
ador, preciso acabar a valsa.
estou fatigada, e o senhor ?...
leudo piano retomado com enthu-
iino, ellos partiram enlagados, desusan-
do doceraente, com lentidSo agora, era-
qaanto q"ue Suzana, com sua pequenina
mao nervosa; guiara o corpulento cava-
lheiro e leste, com o olhar perturbado,
murmurava com hesitago manifesta de
videi Mlle.
tonnat acabava de
equilibrio e cahir
arraslando Suz
conduzram
, muito iraca.
stonnat, com
vermelhas como
envergonhado.
signal de precipitadamen
ar, perder o
te no cbo,
ram-n'a e a
^m que ella
do, as i
consternado e
nado
aeio dos
Leite puro
Na estrada de Joo remandes Vieira. sitio lo-
go depois das casas rJOtas da diivi'.ii, vende-se
todos os das leite paro e vaccas tourinas e ds
trra, garante-se a qualidade do leite.
Pao centeio
Mello & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tergas c sextas-feiras, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 6 i
Vende-so fazendas finas mais barato e
d-se descont a quem comprar de 20500
para cima, troca-se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo nao fr de muit
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes precos:
Cachemiras lisas e com listas d
seda de lindas cores, a 15400.
Merinos de duas larguras, a 440 e
800 rs., qualidade superior.
Tecidos arrendados cor de creme coa
matiz com duas larguras, a 600 rs.
Fazendas de phantasia e lindas cores
a 400 e 500 rs.
Tecidos de linho,- lindos padrSes
*grados, a 200 e 240 rs.
% euros lisos e de quadro, a 80
100 rs.
Setins de Maco branco, pret e de
todas as cre a 750 e 800 rs.
Setins de quadrinhos, a 900 rs.
Sedas lavradas brancas e de cores cla-
ras, a 15400.
GiXCB de seda com fios prateados t
1'500'j.
Cortinados de crochet, em pega, a
900 rs.
Camb ral as bordadas brancas e de
cores, a 450U1 a pega.
Cortes de vestido bordados, brancos.
para noivas, a 165000, 185000 e 205000'.
Vc-8 para chapeo preto, branco e de
qualquer cor, a 15500.
Crep inglez para enfeitos de veatides
a 15200 e 2-30O.
TECIDOS MAIS BARATOS
Percaes c chitas claras, finas, a
180, 200 e 240 rs.
Cassas de cores finas e seguras, a
120 e 240 rs.
3lorim delistras azacs muito lar
gos com 20* varas, a 65000, a pega.
Sargelins finos, a 160,' 180 e
200 rs.
Crinolina, qualquer cr, a 400 rs.,
o metro.
Gurdanapos superiores a 15800 e
25000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 15000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 15000, o metro.
Toalhas acolchoadas e felpudas com
listas de cores, a 45000 e 65000, a duzia.
Bicos brancos f rancezes, a 600
e 800 rs., a pega.
Bicos finos, brancos, cremes e ma-
tisados, a 25000, a pega.
Baleias a 240 rs. a duzia, cobertas a
400 rs.
lairas. de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 2;)000.
Leques de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 25000.
Leques de pennas o que ha de me-
lhor, a 55000 e 65000.
Sabonee grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
Extractos finos francezes e inglezei
a 15000 e 25000.
Despertadores americanos, a 75.
Mosquiteiros americanos com ar-
magao a 105000 e 125000.
Espartilhos americanos e inglezes,
a 45000, 55000 c 65000.
Capas de vidrilho e rendas, a 255000
e 305000.
Toalhas de labyrintho para bap-
tisado a 305000,305000 e 505000.
E muitas fazendas qne se d por todo o
prego na.
Loja das Lislras zoes
Muita attengo
Na roa da Imperatriz n. 80, vende-se sapatos
de felpos para trio a 600 rs. o par, e de crian-
ras a .jOO rs.
melhado, entjfcva e, vendo seu pai, vinha
a elle, com a mio estendida.
Estava inquieto, disse-lhe o anciao.
Sao onze horas e tema que algum inci-
dente te tivesse acontecido...
Elle deteve-se, ferido pela estranha
pallidez do mogo.
Francisco Ilormais tinha urna dessas na-
robustas peculiares aos paizes montanho-
sos.
Sua cabega enrgica apresentava um ca-
rcter rude que singularmente contrastaba
com a doce e encantadora figura de ;sua
irma.
Mlle. Horraais, a senhora muito
boa. S me rosta pagar-lhe o que acaba
de fazer. Tuda a minha dedicagao sua.
E o que. eu digo talvez ridiculo... Se
, perdoe-me e tenha em conta sroente a
intengo...
Nesse momento, o general Hormais, que
tinha ficado perto da janella, com os olhos
fixos na ra do Prado, dewttm suspiro de
satisfagao e deixou o seu posto.
__Emfiui, disse elle, ahi est meu fi-
lho?
Com effeito. um rapagao de, ceitea de
trinta annos, de largos hombros, de phy-
sionomia commum, com os labios som-
:i_biode de um louro aver-
notici para
mmar-se, elle era preso de urna emocao
violenta e oihava para seu pai com urna
especie de terror.
O general perguntou-lhe : 4*11
Que ha? Que aconteceu?
Francisco deixra-se cahir em tima ca-
deira.
Ouvindo a pergunta de seu pai, elle le-
vantou-se.
Gonssol n foi aasassinado ha pouco,
elle. O guardflhp#j-vqai|> encon-
0 meu caminbJjPBBV
a policia.
No primeiro momento de commog3oj
general nao teve nada para dizer, n
pode perguntar.
F.'ancisco nao parecia estar muito se-
nhor do si para poder dar pormenores.
Elle ia e vinha, dando poucos passos s-
mente, parando bruscamente, tpndo em
sua physionomia todos os signaej de visi-
vel soffrimento. 1
Assassinado murmurou Hormais e
por quem ? em que circumatancifis ? por-
que ? Falla, o qne sabes ?
Francisco levantou os hombros.
Nada, disse elle. Eu voltava de
Moussires, quando no caminho econtrei
o guarda Cuid. Por seu ar assustado,
eu vi bem que se havia passado alguma
cousa de exiraordinario. Interroguei-o.
n Goussolin foi morto I Um tiro de pis-
tula na cabega A senhora desmaiou, dis-
se-me elle ; vieram previnir-me. Eu par-
ti. Nao sei Hada mais.*
Toa presenga teria, talvez, siap til
Armae,o
Taverna
Vende-se ou admitte-se um socio, n'um dos
melhores locaes do Itecife : informages na ra
do Baro da Victoria n. 3f<.
nabat. O doutor estava talvez ausente.
E 8so explica a demora.
Francisco despecho se de seu pai.
-j Deixo-o, disse elle, tenho necessida-
de de repoueo. Amanha, mnito cedo, de-
vo ir a Moussires.
Elle deixou o salla e procurou alguns
de seus amigos, annanciando-lhe em pen-
cas palavras a noticia, fazendo acto de
presenga ; depois sahio da sub-prefeitura
e subi ra do Prado. A la illumina-
va ainda os tectos e o cimo das casas. A
nev, cahida de noite, sepultava sob a
tristeza e a monotona de sua brancura a
pequea cidade montanhosa, a esta hora
profundamento adormecida.
Quando elle chegou diante do chafariz,
que representa pequeninos amores, assen-
tados sobro tritoes, parou, encostou-se
parede, como se fosse tomado de um des-
fallecimento. Ao passo que elle manti-
nha-se com a mao direita, seu brago es-
querdo pendia inerte. Francisco Hormais
tinha o hombro deslocado e sem duvida
devia haver razilo bem grave para que
elle tivesse dissimulado esse accidente,
porque na sub-prefeitura elle nlo tinha
proferido urna queixa ; seu rosto estava
pallido, na verdade, mas parecia natural
que seu pai e os outros attribuissem essa
emogaq ao assassinato de Gonssolin, um
velho amigo da'familia.
Francisco parou, immovel, esperando
que este^atordoamento passasse.
(Contiuuar-se-ha)
iyp.~do ta ra Duque d

I
1 -
Vende-se a armaco da loja de fazendas da
ra Duque de Casias n. 75 ; a tratar na mesma
ou na ra do Livramcnto n. 22.

em Bouchoux. Como nSo pensaste em
ir t ?
Nao sou o medido de -GousBohn ;
meu collega Magnabat, que me detesta,
sabe-o o senhor, porque ^ em mim um
rival, podia tomar como desejo de fazer-
lhe sombra a minha interveagSo nesse ne-
gocio. Domis, o que urgente- adver-
tir a policia.
O juiz de instruegao est no baile e
nao vimos o guarda.
Talvez Cuid fosse procurar Dam-
pierre sua casa, depois ao palacio da
justica; nao o havendo encontrado, vira
sem duuida. eu aconselhara-o que prev-
Apezar dos esforgos que faziafcpara do^nisse ao mesmo tempo meu collega Mag-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE7TE7FPL_H1O8Q0 INGEST_TIME 2014-05-22T00:51:30Z PACKAGE AA00011611_16936
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES