Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16934


This item is only available as the following downloads:


Full Text
w seis ditos dem
Por um anuo idcm ....
Cada numero avuso, do mesmo dia.

-
PARA DEKTRO E PORA DA PR< _
Por seis mezes achantados............
Por nove ditos idem..............
Por um anno idem ...........
Cada numero avulso, de das anteriores ...'-.....
1305CO
200000
26^000.
0100
DIARIO
PERNAMBUCO
Tropriedade de Manoel 3nx/uroa dz 'Furia iII;os
AVISO
Rogamos
assig-
i
t

aos Srs.
bantes deste Diario que se
ptcham em atrazo o obsequio
de j uandarem a hozar s seu s
dbitos al o fira do correbte
mez, afim de uo soffrerem
Tnterrup^ao na remessa do
raesmo no principio de-Se-
tembro.
/*
TELEGRAHHAS
MUvi'j km
A"
$zm zm:
ROMA, 19 de Agosto.
S. M. El-Rei Humberto visitar a forti-
ficaeiio de Messiua e Tarento.
PARS, 10 de Agosto.
Os meares dos departamentos presentes
na capital foram recebidoa -hoje em audien-
cia pelo presidente da repblica.
BERLIM, 20 de Agosto.
O ministro da fazeuda do gabinote prus -
siano acaba de dar a sua demissKo.
Acaba de chegar Munich S. M. o
Shan da Persia.
PARS, 20 de Agosto.
Mr. Edison assistio hoje a urna scasao
da Academia de Sciencias.
Ageacia
20 de Agosto
flavas, filial
de 1889.
cm Pe mam buco,
INSTRDCCiO POPULAR
/
AS (BALDES IWEHflES
A^TIliAS B MODERNAS
AS
Sciencias. industrias e artel
POR
LU 2 S'S&UiLXR
XXIV
A iiliolociapliia
(CoatinuacSo)
O pintor parisiense cunseguio relacionar-se
com o inventor cbalonez, proproz-lhe o assoar-
se-lhe para continuar e proseguirem ambos jun-
tos a solugo do problema que haviam encetado,
cada qual em seu particular. A 14 de Dezembro
de 1829 lizeram para este efTeito escriptura pu-
blica em Cbalons.
Como Niepce communicasse a Daguerre o se-
greJo dos seus processos, Daguerre applica-se
logo a aperfeigoal os. Substue o bitume de
Juda pela resina que produz a distillacao da
essencia d'alecrim ; nao lava a chapa em eleo
esencial, mas expe-a aeco ao vapor que
eshala esta essencia a temperatura ordinaria.
Este vapor condensava-se smente nos pontos
que haviam ficado sombra e respeitava os cla-
ros, figurados pela resina branca.
As sombras cram representadas por urna espe-
cie de verniz transparente formado da resina dis-
solvida no oleo cssencial. Ao mesmo tempo.
Daguerre muda completamente a base do proces-
so de que Niepce liavia usado. Em quanto que
este nao fazia da chapa seuo um meio Je ene-
jar a gravara, isto procurava obterpela aeco
da lu urna chapa propria para dar estampas,
Daguerre, ao contrario, quer que o desenlio
definitivo fique na chapa. Portanto a imagem
ser formada {sobre metal, cm vez de ser ti-
rada para papel, como queria o primeiro inven-
tor Siepce : foi o systema de Daguerre que pre-
, valfceu.
Gk dous socios acabavam de substituir s sub
stacias resinosas o iodo, que d grande sensi-
Wiidade s chapas de prata, quando Niepce raor-
;u, aos 63 annos de idade. Depois de vinte
nnos de trabalho, morreu pobre e ignorado ; a
gloria nao devia raiar seno mais tarde em torno
do bomem que produzira a mais curiosa niven-
eo do seu seculo.
Continuando suas indagacoes, Daguerre leve,
jooc depois. a dita de descobrir a raaravilbosa
Influencia dos vapores de mercurio sobre a ap-
purico da imagem photographica. Reconheceu
(pe imagem formada pela aeco da luz sobre
lima chapa de iodureto de prata a principio,
"irisivel, mas apparece sbitamente Se estacha-
fr exposta aos vapores mercunaes.
Foi no dia 7 de Janeiro de 1839 que Arago
fcpnunciou publicamente academia das scien-
wiaes em Paris a descoberta de Niepce e Daguer-
Wk. A 19 de Agosto de 1839 os processos dos
k inventores, que ate ento haviam estado secretos
Moran i feitos pblicos. O governo decreten urna
hecompeusa nacional a Daguerre, assim como ao
^Bd de Nicephoro Niepce.
r Daguerreotypo ou photographia sobre chapa -
^l\'o processo de Daguerre, isto no daguerrep
typo ou photographia sobre metal, as images
iraam-se na superficie d'uma chapa de cobre
.rateada. Expe se esta chapa aos vapores que
ioda exhala espontneamente : este iodo com-
Jna se com a prata, forma urna tenue capa de
drelo de prata que excessivan ente sen3ivel
a aeco dos raios luminosos. olloca-se a chapa
iodurada no foco da cmara escura, e produz-se
obre esta chapa a imagem formada pelo objecti-
vo do instrumento. A luz, como dissemos, pos-
sue u propriedade de decompr o iodureto de
prato ; as partes vivamente Iluminadas da cha-
pa sITrem portanto aquella decora posicao-, em
guamo que as que estao na escuridade ficam
intactas.
"Retirada da cmara escura, a chapa coberta
de iodureto de prata decomposto pela luz, nao
moslra ainda traco algum visivel da imagem.
Subuiette-se ento a chapa, em urna caixa fecna-
da, aos vapores do mercurio, levemente aque.
cido.
Esta operaco faz apparecer a imagem. Cora
efTeito, os vapores vo condensar-se smente na*
partes que a luz impressionou, isto nos pontos
em que foi decomposto o iodureto de prata.
(Contina)
PARTE OFFIGIAL
Ministerio da Fazenda
- DECRETO S. 1 ,296 DE 10 DE AGOSTO 01 889
Permute que o sello adhesivo de varios docu-
mentos seja inutilisado por meio de carimbo
que imprima, alem da data o borne ou firma
social do signatario.
Attendenclo ao grande desenvolvimento que
tm tido as transacrocs roinrnerciaes e convindo
simplificar o modo de inutilizar as estampilhas
oppostas as letras e outros documentos, segun-
do o preceittndo no regulamento expedido por
decreto n. 8.946 de 19 de Maio de 1883, liei por
bem resolver:
A disposigo consignada n-> 5 2." do art. 17 do
predito regulamerilo lira extensiva e facultativa
4 aera restriccao aos tilulos majicionados nos ns. 1
(Letras de cambio ou da trra vista ou sobre
paiz estrangeiro), 4 (apolces de seguro), 5 (se-
foros maritimos), 7 (Facturas ou contas assigna-
19 de u-eneros vendidos, Crditos e outros titu-
los de obrigaco), 8 (Contrato? de fretamentos
de navios, confiedme-utos cfr navios carga, co-
lheita ou prueba), 10 (cartas de ordens eescrip-
tos ordem), 11 muiros ttulos sujeilos ao sello
proporcional, cheques sobre banqueiro da roes-
ma praca e recibos de 233 para cima)do 1."
do raesmo artigo para que possa ser inutilisado o
sello adhesivo por meio de carimbo que im-
prima no fecho do titulo ou documento, alm da
data, o nome ou firma social do siguatario.
O Viscoude de Ouro-Preto, conselheiro de Es-
tado, senador do Imperio, presidente do conse-
Iho de ministros, ministro e secretario de Estado
dos negocios da fazenda e presidente do Tribu-
nal do Thesouro, assim o tenha entendido e faca
executar.
Palacio do Rio de Janeiro. 10 de Agosto de
1389, 68." da independencia e do Imperio.
Com a rubrica de Sua Hagestade o Imperador
I 'isconde de Oaro Prelo.
Foram nomeados : inspector da Alfandega
do Espirito Santo, o contador da Thesouraria de
Sergipe Jos Goncalves Fraga, inspector da do
Rio Grande do Norte o 2. escripturario da The-
souraria da mesma provincia Luiz Vossio firigi-
do ; guarda-mr da do Cetra, Antonio Alfonso de
Albuqucrque, conferente da do Maraoho, o 1.
escripturario da do Rio Grande do Sul, Galdino
Cicero de Miranda Jnior, 1. escripiarario da do
Rio Grande do Norte o 2. bacharel Belmiro Mi-
lanez de Loyola; 2. da de Paranagu o oflcial
de desearla da mesma Alfandega Joo Regis Pe-
reir da Costa, eoflicial de descarga Manoel Gon-
calves Maia.
Foi deniittido de inspector dajdo Espirito-San-
to, Candido Vieira da Costa.
Foram nomeados : procuradores fiscaes :
da Thesouraria de Fazenda da Bahia, o bacharel
Francisco Liberato de Mallos Filho e da do Pera
n o bacharel Francisco da Cunba Brito; 1." es-
cripturario d do Cear o 2." Joo Augusto Car-
los de Saboia e 2. o oflicial de descarga da Al-
fandega desta provincia Julio Brigido dos San-
tos : 1.' escripturarios da de l'ernambuco o
inspector da Alfandega do Rio Grande do Norte
Luiz Emygdio Pinheiro da Cmara e da do Rio
Grande do Norteo 1."da Alfandega desta provin-
cia jo; id*;,, Ae M(,||n *,
I-01 exonerado n hachnn-i JoSo Tereira Lago do
lugar de procurador fiscal da do Paran.
Foi comeado membro do conseibo fiscal da
caixa econmica e Monte de Soccorro da Bahia,
Luiz de Oliveira Vasconcellos.
Foram aposentados : Alfredo Caetano Mu
nhoz, a pedido, no lugar de inspector da Thesou
raria de Fazenda do Paran : bacharel Gustavo
Anacleto de Souza, no de procurador fiscal da da
Bahia; e Romualdo de Oliveira ^eixas, no de
porteiro da Alfandega do Amazonas.
Foi nomeado ajudante technico do director
da Casa da Moeda, o Dr. Luiz Adolpho Correia
da Costa, que ha dez annos all servia de ensaia-
dor.
Foi nomeado agente externo do Diario Of-
ficial o Sr. Ral Lopes Cardoso
Foi nomeado lancador da Recebedoria da
Bahia, Antonio Ferreira de Barros Jnior.
Foi nomeado conferente da Alfandega do
Para, o chefe de scelo da de Santos, Arcuanjo
Leo Abran tes.
Por titulos de 14 do correte, foram nomea
dos ofliciaes de descarga da Alfandega do Cear
Arsenio Jos Pacheco c Itricleo da Silva Pam-
plona.
Foram nomeados para a Alfandega da Ba-
hia : inspector, o chefe de seceo da mesma Jos
Goncalves Martins; chefe de "seceo o lancador
da Recebedoria da mesma provincia Antonio Fer-
reira Je Barros.
Foram nomeados : contador da Thesoura-
ria de Fazenda das Alagas, e contador da do
Amazonas, Antonio Pereira Ramalho Jnior e da
do Amazonas o da das Alagas, Saturnino Anto-
nio de Carvaluo.
Foi exonerado o inspector da Alfandega de
Santos, Joo Francisco de Paulo e Silva.
Foram nomeados : inspector, o 1* escriptura-
rio d~ Thesouro nacional Saluatiano Jacintho de
Andrade Pessa; cbefe?e seccao, o conferente
da mesrna Francisco Alves da Silva e o confe-
rente da do Para Octaviano Esselin ; confe-
rente, o 1." escripturario da mesma Epiphapio
Pedroso.
Foi demittido o oflicial de descarga da Al-
fandega do Rio de Janeiro, Caelano Luiz Machado
Jnior.
O nome do praticante nomeado por titulo
de 31 de Julho ultimo para a Recebedoria da
Bahia Jos Antonio de Vasconcellos Costa e
nao Juao Antonio de Vaiieoncellos, como por en-
gao foi publicado.
Foi elevado o Baro de Caldas a visconde
do mesmo titulo.
Foram agraciados com os titulos :
De Baro da Abbadia, o tenentecoronel Fran-
cisco Dionysio ae Faria.
De Santo Antonio da Barra, o coronel Jos
Egydio de Moura e Albuquerque.
De S. Clemente, Antonio Clemente, Pinto.
De Maciel, o coronel Justo Maciel.
De S. Jos da Laga, o coronel Joo Guajberto
Martins da Costa.
De Araguary, o coronel Antonio Dios Maciel.
De S. Francisco das Chagas o tenentecoronel
Manoel Joaquim Cabral de Mello.
De Patrocinio, o leneute-coronel Joaquim An-
tonio de Souza Rabello.
De.Rapiruma, Anacleto Correa de Faria.
De Itapecerica, o teen te-coronel Francisco
das Chagas Campos.
Dos Domados, o tenente-coro iel Jos Luiz
Borges.
De Campias, c commendador Joaquim Pinbo
de Araujo Cintra.
De Aesis da Torre, o coronel Luiz Antonio Si
.nes Meireilt^
Fez se-flBrcc' do titulo de conselho, aos
Srs. i)r. Washington Rodrigues Pereira e Joo
Ribeiro Hondee.
Fui apn-sentado na cadeira da igreja paro
chial de.Nossa Senhora daffiosario da Cachoena,
nadiocese d Baha, o padre Heraclio Meudes da
Costa.
Foram condecorados: com a comraenda da
ordem de Christo os capites de fragata conse-
lheiro Julio Cesar de Ncronha e Fe.lro Benjamn
de "Cerqueira Lima e o capitao tenente Antonio
Quintiliauo de Castro e Silva.
Cora a commenda da ordem da Rosa o capito
de mar e guerra Antonio Bazilio.de Siqueira
Barbedo e o cpitotenente Manoel Pereira Pinto
Bravo.

Com o olieialato o cpitotenente Antonio
Alves Cmara.
Cora o grao de cavalleiro os l.M lenles da
armada Callos Vidal de Oliveira Freitas e Da-
vid Antonio Correa. *
Com o grao de cavalleiro da ordem de S. Benlo
de Avizn 1- lenle Joaquim Tliomaz da Silva
Coelho.
O Sr. Dr. Carlos Baplista de Castro Barao
de Itahybe e nao de S. Thiago, como foi pnbli-
cado.
Foi condecorado com o olieialato de ordem
da Rosa o chefe de seceo da conladoria de
manaba Antonio Babo Ribeiro d_e Souza.
Concederum se as honras de conego da
S de Olinda ao padre Cicero Joaquim de Si-
queira Torres, vigario collado da freguezia ilg
Nussa Senhora da Agua Branca, na provincia de
Pernambuco.
Foi nomeado secretario da presidencia das
Alagas o bacharel Jos (."arlos Mayrinck Pires
Nabuco.
Foi nomeado secretario da Presidencia da
Provincia de Goyaz o tenente-coronel Silvio
Mauro Muniz Barreto.
Foi nomeado o bacharel Eugenio de Bar-
ros /aja Gabaglia para exercer interinamente o
lugar de professor adjuncto de elementos de
sciencias physicas c mathemathicas da escola
normal da corte.
F'oi nomeado o engenheiro Viriato Belfort
Duarte para o lugar de lente substituto da l'
seceo do^urso de engenhoria civil da escola
polytechnica.
Foi nomeado inspector de hygiene da pro
vincia de S. Paulo o Dr. Sergio Florentino de
Paiva Meira, sendo exonerado o Dr. Marcos de
Oliveira Arruda.
Ordenou-se que fosse entregue ao thesoureiro
interino do Conservatorio de Msica a quantia
de 6:0004. importancia da nltima prestaco do
subsidio votado na lei do orcaraento para auxi-
liar a mantenca do dito conservatorio no exer-
cicio actual.
Foi nomeado o padre Antonio Jos de Sou-
za para um dos lugares de cupello cantor e re-
gente do coro da capella imperial.
Foram nomeados inspectores de saude do
porlo das provincias : do Piauhy o Dr. Joaquim
Eduardo da Costa Sampaio. sendo exonerado o
Dr. Joaquim Mana Marques Bastos; do Rio-
Grande do Sul o Dr. Jos Dias de Almeida Pi-
res, sendo exonerado o Dr. Custodio Vieira de
Castro e de S Paulo o Dr. Luiz Antonio de Fa-
ria, sendo exonerado o Dr. Silvano Martins Fon-
tes.
Foram nomeados.: 2" vice-presidente da
provincia do Para Jos Joaquim da Gama e Sil-
va, ficande sem elleilo a Hornearan do bacharel
Theotonio Raymuudo de Brjtto.
Io vice-presidente da provincia de Sergipe
Dr. Thomaz Rodrigues da Cruz, Rcando seraef-
feito a nomeaco para o 2' lugar e transferido
do Io para o i" o Dr. Joo de Almeida Lopes.
Concedeu-se niedalhas humanitarias de Ia
classe, designadas no art. 1" das instrueces a
que se refere o decreto n. 1,579 de 14 de Mar-
co de 185o, ao 2o cadete Io sargento do 10 re-
giment de cavallaria Candido de Serpa Pinto,
por ter salvado com risco da propria vida, no
jU 10 .i1r..iKo Ao aoo ., J.---------r4au.
Correia Marques, que e3tavapr9tes a afo^sr-se
no fio Capibaribe.
A James R. Beers, commandante do paquete
AUiance, por ter conseguido extinguir o incen-
dio que, na noite de 8 de Julho prximo findo,
se mamfestou a bordo do mesmo paquete.
Ao imperial marioheiro Manoel Flix, por ter
salvo no dia i de Julho ultimo, com risco da pro-
pria vida a do grumete Mathias Morel, cnido
ao mar de bordo da canhonaira Manos.
De 2* classe : a Flix Biall e Henriquo Can
dido da Fooseca, por terem salvo na uoite de
11 de Julho de 1887 a D. Clod Santiago de
Aleocar Araripe, esposa do senador Visconde de
Jaguaribe, a qual esteve prestes a seresmagada
por um trem da estrada de ferro de Pedro II.
Ao capito Carlos Alberto da Cunha, por ter
salvado diversos moradores das casas circum-
visinhas a de o. 27 da ra dos Andradas que se
incendiou na noite de 13 de Janeiro ultimo.
secca
Guia
la Goul
Hio de infjritaria Joaquim Bezerra da'Silva, fi-
cando aga# raSmo balaio o tenente-
coronel FrancL-c-i^i^taies Porlo :
O tenante-coronel oM^tandantc do 4' batalho
da reserva^oo Guiuierme-dc Azevedo Lyra, fi-
cando aggregao'o ao me.;rao batalho o tenente-
coron&Joaquiai Antonio Correia de Vasconcel-
los :
O -ii^joP'comraaiidnnts da 2a seceo de infan-
taria Ijuciarjo Jo Nogueira de Mello, licando
rudo mesma seceo o msjor Joo Fer-
Mello fcyra.
nomeado major commandante da '.)'
Jratalbao de reserva da comarca de
fdo Maranho, o capito Joo da Cos-
privados dos respectivos postos,
?m solicitado as patentes no prazo
art. 77 do decreto n. "i"l de 25 de
60. os seguintes ofliciaes da guai-
Ae PernambucoComarca de Igua-
ncisco Joaquim Cavalcante Galvo,
coronel commandante superior; Mathias Fran
ci-co Jayme Gilvo, major ajndante, de ordens,
secretario geral; Francisco Cokles Teixeira de
Araujo e Silva, tenente-coronel commandante do
67" balulhSo de infantaria.
Comarcas de Bonito e Bezerros : Joo Braulio
Correia da Silva, tenente-coronel commandante
do 301 liatalho de infantaria.
Comarca da Victoria : Joo Correia de Quei-
roz Monteiro, coronel commandante superior.
Comarca de Cabrob : Jos Mathias Dantas,
raajor commandante da 2a scceo do batalho da
reserva.
Comarca de Nazareth : Jos Lino Marques Ba-
calho, capito quartel-mestre.
------------------- -iz -O-------------------
Ministerio da Agricultura
Foi nomeado Ismael da Cunlm Couto
desenhista da commissito de trras nos
valles do Rio Pardo e Jequitinhon^ a, na
provincia da Bahia.
Foi removido o engenheiro Joaquim
Julio de Proenca de chefe de secjao da
festrada de ferro de Bag a Uruguayana
para o lugar de engenheiro fiscal da es-
trada de ferro de Taubata Ubatuba, pro-
vincia de S. Paulo.
Foi exonerado o praticante de 2.a
classe do corieio geral 'iustavo Rodrigues
Pacheco Tilla-Nova.
Foi declarada caduca a concessao fei-
ta companh a engenho central de Ara-
caty, provinci do Cear.
Foi exonerado do cargo de agente
oflicial de colonisac3o em Santos, provin-
cia de S. laulo, o bacharel Telesphoro
Gomes de Souza.
Foi dispensado o engenheiro Antonio
Candido Je Azevedo Sodr de chefe da
Jy<-*caQ-*fc >t*d^ d ierro ,e Porto
Itregrc iCacequy, lugar" qiie ficSTS'tincto.
Foi exonerado Arthur Trajano Ubatuba
de secretario da mesma estrada, sendo
noroead* jjara.estc cargo Ernesto Augas-
to Gernsgross ; e paia gumiiu n,.-,
derico Jos da Silva Povoas.
Foi removido para chefe do trafego
da estrada de ferro de Bag a Uruguaya-
na o engenheiro Henrique Christiano da
Silva Guerra, chefe de secc2o da estrada
de ferro de forto-Alegre aCacequy epara
chefe de secjo o engenheiro Gaspar Nu-
nes Ribeiro, ajudante daquella estrada.
Ministerio da dtastica
O bacharel Eneas Galvo foi removido do lu-
gar dejuiz substitnto da comarca de Vassouras,
na provincia do Rio de Janeiro, para o de 2o juiz
substituto da corte.
Por decretos de 10 do corrente foi removido
a pedido o juiz de direito Joodos Res de Souza
Dantas da comarca da Soledade para a de Santa
Victoria do Palmar, arabas de 1 entransia, na
provincia do Rio Grande do Sul.
Foi designada a comarca da Soledade de i*
entrancia, na provincia do Rio Grande do Sul,
para nella ter exercicio o juiz de direito Tilo
Livio Vieira d'Ortas.
Foi nomeado jais substituto da comarca de
Timbaba, na provincia de Pernambuco, o ba-
charel Antonio Cesario Cardoso Ayres.
Foi declarada especial a comarca do Rio
Piranga, na provincia de Minas-Geraes, onde ha-
ver um juiz de direito e um juiz substituto.
Foi reconduzido o bacharel Alvaro Barba-
Iho Ucha Cavalcante Jnior no lugar de Io juiz
substituto dacapital da provincia de Pernam
buco.
Foram nomeados juizes municipacs e de
orphos: do termo de Braganca, na provincia
do Para, o bacharel Antonio Augusto dos Santos
Porto; e do termo do Principe, na do Rio-Gran-
de do Norte, o bacharel Jos de S Cavalcante
de Albuquerque.
Foi declarado sem effeito o decrelo de 18
de Maio ultimo, que nomeou o bacharel Antonio
Jeronvmode Carvalho para o lugar de juiz mu-
nicipal e de orphos do termo do Principe, na
provincia do Rio-Grande do Norte.
Foi nomeado thesoureiro da Secretaria de
Polica de Minas-Geraes o amanuense da mesma
reparticao, Martinho Alexandre de Macedo.
Foi aposentado o amanuense da Secretaria
de olicia da provincia do Maranho, Maiioel An
tonio Soares Brasil, com o ordenado proporcio-
nal ao lempo de servico, nos termos do art. 22
do decreto 11. 1,746 de 16 de Abril de 1836, por
assim o haver pedido.
Marcaram-se os seguintes p(zos: de 5
mezes ao juiz de direito Tito Livio Vieira d'Or-
tas, a quera foi designada a comarca du Soleda-
de, no Rio-Grande do Sul, e de o mezes ao juiz
de direito Joo dos Reis de Souza Dantas Filno,
removido da comarcj da Soledado para a Santa
Victoria do Palmar, arabas no Rio Grande, no'
Sul.
Foi nomeado tenente-coronel commandan-
te para o 12" batalho de infantaria da guar-
da nacional da comarca de Tury-ass, na provin-
cia du Maranho, o capitao .Joaquim Melehiades
Correia.
Foram reintegrados, nos termo- do art. 0
11. i.l de 13 do mezfi.i .0 :
Pro*inct*4e PernaiiincoComarca de-Carua-
r-0 coronel commandante superior Liliz Pau-
lino d* Hollnnia Valeuca, licando aggregado ao
respectivo eslado-maior o coronel Anlouio da
Silva Florencio.
O raajor ajudante de ordens, secretario geral,
Joo Salvador dos Santos, licando aggreaado o
major Aurelio Florencio da Silva Lineira;
,0 tenente-coronel commaudante 1I0 2;i bata-
lho di- infantaria Braziliauo de Barros
ficando aggregado ao mesmo batalho o ten|HB^
coronel Joao Ferreira de Moraes;
O tenente-coronel coramaudaule do Vi9 bata-
Ministerio da Ciuerra
Por decreto de 10 do corrente mez
foram transferidos na arma de artilharia :
Para o corpo de estado-mwor o major
do 4.- regiment Francisco da Rocha Cal-
lado.
Para o 1.- batalho o capitao do4.- Al-
fredo de Simas ncas, para ajudante, e
daquelle para este corpo o capitao Jos
Elias de Paiva Jnior para e 4.a batera.
Foram transferidos na arma de ca-
vallaria: para o 2.- regiment, o alferes
do 10 Astolpho Epaininondas Pinto Ban-
deira; para o 6." regiment, o alferes do
2 Guilherme Alves da Silva, do 9." Pe
dro Pinto Peixoto Velho; para o 7.* re-
giment, o alferes do 4.' Alencastro Car-
neiro da Fontoura; para o 9.- regiment,
o alferes do 6.- Abel Nogueira; para o
10 regiment, o alferes do 6.- Gaspar
Adolpho da Fontoura Menna Barreto.
Concederam-se as honras do posto
de brigadeiro ao coronel honorio do exer-
cito Manoel Cypriano de Moraes, as de
capitao ao tenente tambem honorario Vic-
toriano Jos Centano de Alencastre e as
de 2.- tenente ao ex tenente de artilharia
Antonio Maria Quartim.
Foi mandado reverter primeira clas-
se do exercito o 2.* cirurgiSo do corpo de
saude Dr. Jos Antonio Ribeiro de Arau-
jo, visto ter sido julgado prompto para o
servico do mesmo exercito em nova ins-
pecco de saude. a que foi submettido.
Foram reformados : o 2. sargento
graduado Porphino Hemeterio da Nobre-
ga, o cabo de esquadra graduado Manoel
Jos Soares, o soldado Candido Manoel
dos Santos, todos do corpo militar do poli-
ca da corte, com sold de 1#700 diarios,
cada um d'elles, nos termos do art. 197
do regulainento n. 10,222 de 5 de Abril
do crranle anno.
Por portaras do 10 do corrente,
conceduu se exonerafSo ao brigadeiro Jos
de Almeida Barreto do lugar de coioman-
dante da 2.* brigada do exercito, sendo
nomeado para substituil-o o brigadeiro gra-
duado Autonio Jos do Araaral.
Foi nomeado o cirurgiSo-mor de bri-
gada do corpo de sade do exercito Dr.
Antonio de Souza Dantas para inspeccio-
nar as pharraacias e enfermaras militares
existentes as provincias, devendo ser
substituido, durante seu impedimento, no
hospital militar da corte, pelo 1." cirur-
giao do referido corpo Pedro Borges Lei-
tao.
Foram transferidos para o 2*3. ba-
talhao da infantaria o alferes do 18. da
mesma arma Antonio Monteiro de Albu-
querque, para o 2." regiment de cavalla
ria o alferes do corpo de transporte Joa-
quim Fenelon Borba.
Foi transferido para a segunda clas-
se do exercito, de conformidade com a im-
mediata e imperial resolu5o de 1 de
Abril de 1871, o tenente do 61 regi-
ment de cavallaria Edmundo Osorio,
ficando aggregado arma a que per-
tence, visto ter sido, em inspeccao de
sade, julgado incapaz do servico do mes-
mo exercito.
Foi nomeado o tenonte-corenel gra
duado do corpo de engenheiros Manoel
Gomes Borges, para servir na directoria
das ohras militares em substitnicao do ma-
jor Capitolino d'i Cunha.
Foram mandados por disposicSo
do Ministerio da Justica o major do corpo
de estado-mair de 1.* classe Capitolido da
Cunha e o capitao do corpo de estado-
maior de 2.a classe Joao da Silva Torres.
- Foi dispensado da commissito em
que se achava na escola de. aprendizes ar-
tilheiros, o tenente honorario do exercito
Emilio Carlos Jourdan.
Ministerio da Marinha
Por decreto de 10 do corrento foi exo-
nerado o 2." tenente George Americano
Freir do lugar de auxiliar da seccao gra-
phica da escola naval e mandada fazer ef-
fectiva a noraeacao de Pedro Alexandrino
de Ribeiro Duarte, para o referido' lugar.
Por decreto de 10 do corrente foi
reformado o machinista Jos Angelo Lo-
pes no posto de 1. tenente, corresponden-
te 1." classe, visto contar mais de 25
annos de servico e soffrer de molestia
chronica e incuravel.
Foi exonerado o 1. tenente Almiro
Leandro da Silva Ribeiro do lugar de aju-
danto da iuspccao do Arsenal de Mari-
nha da Bahia.
Foi exonerado Turibio Cardoso Mar-
ques, do lugar de secretario da inspecjo
do Arsenal de Marinha do Para."
Foi nomeado Sertorio Cezar Moreno
para exerce o lugar de fiel da escola de
aprendizes marinbeiros do Para.
Pas30u-se cartas de raachinistas de
barcas a vapor do commercio a Felismino
Soares, Jos da Rocha Freitas Paiva,
Paulo Ignacio Neves c Victorino Vogado ;
ao primeiro de 2.a e aos ltimos de 4.
classe, visto terem sido approvados no exa-
me que prestaram.
BESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 16
DE AGOSTO DE 1889 '
Abaixo assignados, moradores no exlincto en-
geuho, hoje Colonia Suassuna, freguezia de
Jaboato. Informe o Sr. engenheiro Gregerio
Thauraaturgo de Azevedo.
Antonio Vieira de Barros.-Informe o Sr. ins
pector geral da Instrucco Publica. ^
Anna Salvina das Mercs.Informe o Sr. di-
rector da Colonia.
Jos Joaquim de Azevedo.Informe o Sr. ins-
pector da Thesouraria de Fazenda.
Joo Ignacio Ribeiro Roma. Informe o Sr.
inspector da Thesouraria de Fazenda.
O advogado dos presos pobres Jeronymo Ma
temo Pereira de Carvalho.-Cerlilique-se.
Mananna Augusta de Mello Rodrigues.Infor-
me o Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Manoel Jos Pereira. Sim, mediante recibo.
Philoinena lernardina. Informe o Sr. com-
mandante da escola de aprendizes marinheiros.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 20 de Agesto de 1889.
O porteiro,
Francelino Chacn.
Repartieo da Polieia
2.a eccao.N.' 1,014Secretaria de Po-
lieia de Pernambuco, 19 de Agosto de 1889.
Illm. e Exm. Sr. Participo a V. Exc.
que foram recomidos Casa de Detengo,
os seguintes individuos :
No dia 17 :
A' minha ordem, Manoel Jos Ferreira da Cos-
ta, alienado, at que possa ser transferido para o
asylo da Tamarineira.
a' ordem do subdelegado do Recife, Lucio Pe-
reira de Souza, como vagabundo.
A' ordem do do 1" districto de S. Jos, Vicente
Ferreira de Britto Filho, Miguel Rufino de Car-
valho e Augusto Ferreira dos Santos, por em-
briaguez e disturbios.
No dia 18 :
A' ordem do subdelegado do Recife, Pedro Pe-
reira Pinto, por disturbios.
A' ordem do deS. Antonio, Quirino Jos das
Neves, Manoel Mximo de Souza e Joaquim Ba-
ptisla dos Santos, por disturbios.
A' ordem do do Io districto de S. Jos, Gal-
dino Rodrigues Ferreira da Motta, por embria-
guez e disturbios.
A' ordem do do 2o districto de S. Jos, Fran-
cisca Maria da Penha, por disturbios.
A' ordem do do lu districto da Boa Vista, Sil-
viano Jos do Nascimento, Jos Francisco da
ilva, Manoel Francisco de''livejra, Joo Clau
dio Joaquim de .>ant'Anna, Manoel Barbosa da
Silva e Jos Nunes. por disturbios.
- Gomraunicou-me o subdelegado do distri-
cto de S. Antonio do Tara, perteucente ao termo
de Buique, que no dia iO do corrente, s 6 1/2
uoras da tarde e no lugar denominado Prata,
l'ra assassinado Fraacweo Bernardo por Manoel
Paul) da Rocha.
Contra o deliuquente. que logrou evadirse,
procedeu-se ao respectivo inquento policial.
Assumiram os exercicios : de delegado
do termo de Timbaba, naquaii iade de i sup-
liente, o cidado Manoel Nunes Correia ; de sub
delegado do 3 districto do termo de Barreiros,
o cidado Luiz de Meudonca Vasconcellos: e de
sublelegudo do Io districto de Serinliaein, na
qualidade de 2 supplente, o cida io Jos Eu
genio acheco de Men
.Vi da 15 do corrente e no termo de Olin-
da. Nupoled Porto ue Holiaoda, estando arma-
do de um puiihal, ferio graveineU a Henrique
Bezerra.
Contra o delinquente, que foi preso era fla-
grante, procedeu-se nos ulteriores termos da
lei.
Deua guarde a V. Exc.IHra. e Exm.
Sr. Conselheiro Manoel Alves de Araujo,
inuito digno presidente da provincia.O
chefe de po!iei:t Gcroncio Das de Arrutt
Falcao.
Seceo 2\ N. 1,018.Secretaria de Polica de
Pernambuco, 20 de Agosto de 1889.Illm. e
Exm. Sr. Particino a V. Exc. que foram hon-
tera recolhidos Casa de liet nco os"eguintei
individuos :
A' nimba ordem, Augusto Joaquim de Sant'An-
na, alienado, at que possa ser transferido para
o Asylo da Tamarineira.
A' ordem do subdelegad o do Recife, Manoel
Machado da Silva, por crime de ferimentos.
A' ordem do de Santo Antonio, Joo da Silva
Ramos, por embriaguez.
.V ordem do do 1" districto de S. Jos, Manoel
da Gama Lobo Bento e Maria Magdalena Jorge,
por disturbios.
A* ordem do do 2 districto de S. Jos, Antonio
Jos da ilva e Jos Pedro do Nascimento, por
disturbios.
A' ordem do do 1" districto da Boa-Vista, Ma-
noel Elias de Sant'Anna. por olTensas moral
publica ; Maria da Hora Tavares, Luiza Antonia
de Souza e Maria Benedicta di Conceico, por
embriaguez ; Joo Hermino dos Santos Maria
Magdalena Libarua e Honorio Accioli Villar de
Souza, por disturbios.
A' ordem do do Poyo da Panella, Jos Carnei-
ro de Albuquerque, Jos Antonio de Sant'Anna
e JooTrajano, por disturbios.
' No da 17 do correte, fallecen, bordo do
vapor inglez Rioer Aria, o cidado Jos Alexan-
dre Venancio, residente na ra do Lima, do 2
districto da Boa-Vista.
A' convite do subdelegado do Recife foi o ca-
dver vistoriado pelo Dr.Costa Gomes, que de-
clarou ter sido a morte proveniente de cooges-
Uo cerebral.
ComnaunicoH-me ~o delegado do termo de
Jaboato, que uo dia 17 do corrente e no enge-
nho Caraussary, o individuo de nome Antonio
Jos, em estado de embriaguez, ferio gravemen-
te com urna facada a Francisco Muniz, que tam-
bem se achava embriagado* e com quemantes
travara-se de razoes.
0 delinquente evadio-se e a tal respeito pro-
cede se nos termos da lei.
No dia ) do corrente e no lugar denomina-
do Piranhira, do termo de Limoelro, foi assas-
sinado Manoel Ciementino de Hollanda pelo in-
dividuo de nome Joo Bezerrs da Silva, conlie-
cido por Joo Bezouro.
Contra o delinquente, que foi preso dous dias
depois procedeu o subdelegado do districto ao
respectivo inquerito.
Assumiram os exercicios dos cargos de
delegado dos termos de Taquaretinga e do Gra-
nito, os cldados Jos Manoel da Silva Teixeira
e Antonio Dias Prente.
Deus guarde a Y. Exc. Illm. e Exm. Sr. con-
selheiro Manoel Alves de Araujo, raui digno pre-
sidente da provincia. O chefe de polica. -Ge-
ronco Dm de Arruda FalcSo.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 12 DE AGOSTO DE 188tT
Julio da Costa C. A' Recebedoria.
Jos Daniel Pereira de Azevedo. Ao Conten-
cioso.
Jos Francisco cfr Wcffn Me^o h. d
4 CA* Contadoria.
- 16
D. Candida de Menezes Drumraond. A' Pre-
sidencia.
17
Joaquim da Silva Salaueiral, Joaquim Teixei-
ra Peixoto, Luiz Antonio Cavalcante de Albu-
querque, Ernesto Demetrio da Cosa Amorim.
Tude Guedes de Mello, bacharel Saturnino Octa-
viano de Santa Cruz Oliveira, Paulino Antonio
de Souza Ayres, Jeronymo Theotonio da Silva
Loureiro, compaohia de bombeiros, Goncalves
Irmo & C, Casa de Detenco, Miguel Ferreira
Velloso, bacharel Joo Vicente da Silva Costa
Adelino Celestino de Mendonca. Ao Conten'
cioso.
Companhia do Limoeiro.A' Recebedoria.
Francisco Josafante da Costa Granja.A' Con-
tadoria.
I
: ?
!
I-
de 1889
Recebedoria Provine!;
DESPACHOS DO DIA 20 DE AGOSTO D
Jos'Ildefonso de Souza Rangel, Julio da Cos-
ta iV C, Manoel (ornes dos Santos Jnior, Joa-
quim Innocencio do Espirito Santo, Antonio
Luiz dos Santos, Francisco Manoel da Silva k
C, Minervino Avelino Fiuza Lima, Enedino Gon-
galves Ferreira da Luz, Barbosa Castro & C,
Azevedo & Maia, Francisco das Chagas Silveiraj
Affonso Ernesto Mirial, Jos Cuperltno de Mo-
raes, Wilson v C, Desiderio Basilio das Cha-
gas e Dr. Miguel Joaquim de Castro Mascare-
nhas.Informe a 1.* secgo.
Joanna de Jess Neves Simes.A' 1.a seceo
para attender.
Catharina Maria do Nascimento. Ceitifi-
que-se.

lustrneco Publica
DESPACHOS DO DIA 14 DE AGOSTO DE 1889
Ceciliano Jos Ribeiro de Vasconcellos.
('orno requer.
- 15
Luiz Fernandes Caluete.Cerno requer.
- 16
Jos de Mendonga Mauritv.Como requer.
- 19 -
Manoel Figueira do Nascimento. Dirija-se i.
reparlico competente.
-.20 -
Clementina Elisa Monteiro. Cumpra-se e re-
gistre-se a apostilla de 19 do corrente.
EXTERIOR
noticias do Pacifico e Rio da
Pratfa
O paquete inglcz Neta, foi portadpr das se-
guintes noticias telegraphicas publicadas as fo-
Ihas da corle :
Buenos Ayres, iO de Agosto :
A cmara dos deputados approvou a nomea-
co de urna commis^o de limites par i o C.iile e
bem assim o crdito.supplementar de 200 000
pesos que havia sido pedido pelo governo.
A mesma cmara approvou a troca de ineda-
Ihss da carapanha do Paraguay com o Brazil.
Montevideo, 10 de Agosto:
Terminou o torneio do club de esgrima, ga-
nhan-lo a medalha de ouro o argentino Lan-
^evin.
Quatro dos individuos presos como cmplices
da conspiraco foram soltos sob lianca.
0 presidente do senado si livre de perigo;
entrou era franca convalescenca.
Vai fuudar se u:n club Gymuasio Colorado.
Bunios-Ayres, 10 de Agosto :
A cmara dos deputados votou um credu^H
200,000 pesos para custear os trabalhos de deli-
raitaco das fronteiras com o Chile.

**


0-
biario de PernarnbucoQuart-feira 21
fr u-ju-...
jueritoc soltou Saturnio >.*0 chefe de polica,,
pando chegou, eoltou o subdelegado. Reina
completa orem e proseguem as averguajes.
Telegramma do Amparo di que reina all
grande enthusiasmo na populacao por saber que
o governo agraciou com o titulo de Barao de
Campias ao commendador Joaquim Pinto de
Araujo Cintra, cidado all muito estimado por
suas elevadas qualidades.
' A companhia de bonds do Bom-Rctiro e a
corapanbM v Cuna de Ferro comejarain a as-
sentw a raesuie'ttMIWlMHtee novas na alame-
dh Jtf'Wo netw, effMna da ra Duque de Ca-
a coastrOMl da* estradas de torro as. A aova cempmtiia tinha trajado marcado
pelo engenlieiro da cmara. A directora requt-
aitou mandado de ombar
yres, 11 de Agosto :
fzendo diversas obras de seguranja
impedir inuodacpee nu
Boca do Ria:
Por cansa m novas
-larinHeiro
a stuajo atueifa prolongar-se.
Montevideo? 10 de Agosto:
E' provavel que o governo autonse a extra
dico do individuo em cujo poder foram encon
iradas notas falsas braaleiras. As notas appre-
heniidas foram remeTtidas ao ministro brazileiro
esta capital.
Valparaizo, 11 de Agosto :
A cmara dos deputadas approvou os crditos
uecessarios para a canatisa^ao do rta McaBach.
, Receia-se a quebra drsyndicalo americaaoque
tomn a
do Chile.
Buenos
Bsto s
afim de
chueU
Foi bem acceita, pela imprensa, a mea ae um
congreaeo americano de hygieue, que dever
realizarse nesta cidade.
Annuneia-se aqui a chegada do conhecido es-
grimista italiano San Malato.
Montevideo, li de Agosto:
O Dr. Palomeque offereceu um banquete aos
amadores que tomaram parte no torneio do Club
de Esgrima.
Valparaizo, 12 de Ag03to :
Ne primeiro semestre o valor da exportado
diminuio um inilho de pesos.
Capitalistas inglezes compraram as minas de
salitre de Atacama.
BuevM-Ayres, 12 de Agosto :
Em Coriova houve um duello, a sabr, entre
es jornalistas Troisi e Carozzi, ticando o pri-
meiro ferido.
O Club de Esgrima offereceu um banquete ao
presidente da repblica.
Montevideo, l de Agosto :
O presidente da repblica visitou a hospedara
de inmigrantes.
Buenos-Ayres, 13 de Agosto : ...
O presidente da repblica e o ministerio vii-
taram o novo mercado do Riachuelo, onde alrao-
Os ofliciaes de mariuha Martnez e Hene ba-
teram-se em duello, a sabr, ticando ferido o se-
gundo.
Fundou-se um rauseu Grevin.
Montevideo, 13 de Agosto :
Foi subscripto o capital do Banco Geral Lru-
guayo.
Buenos Ayres, 13 de Agosto :
Copiosa-s diuvas esto cahindo ha alguns diaa.
Receia-se um transbordaraento do Riachuelo,
que esta crescendo continuamente.
Mntiecido, 13 de Agosto :
O ministro do Uruguay, em Londres, acceitou
a misso que Ihe fra otferecida de representar
a repblica no Coagresso de Washington.
Estao se preparando brilhautes Testas para o
dia -la do corrate, auniversario da declarajao
da independencia deste Estado
Buenos-Ayres, li de Agosto :
O premio do ouro bancario 77,20 e parti-
cular 75,50 % j
Em Mendoza houve um encontr de tren, ao
qual resuliaram estragos materiaes e coutuses
sein gravidade.
Tem cabido abundante nev ao sul da provin-
cia de Buenos-Ayres, interrompendo as eommu-
^O sonado argentino adoptou o projecto do go-
erno para o estabelecimeuto de ama hospedara
e immigraites em Mendoza
Montevideo, 14 de Agosto :
A einbarcajo ingleza Igea dett.i costa perto
deMaldonado. O carreiMtnento 6 o casco do
navio estao perdidos e salvou-se a tripolacao.
INTERIOR
\e .is do sul do imperio
O paquete inglez eca foi portador dasseguin-
tes noticias.
U. Paulo
Datas at 14 do corrente :
No dia110 noite, em S. Jos do Rio Pardo,
o supplente do subdelegado Jos Honorio entrou,
acompanhado de pravas, no hotel Brazil, de pro-
priedade de Anias, onde se achavara o chefe
republicano Francisco Glycerio e varios raem-
bros dessa parcialidade, entre os quaes estavarn
os Drs, Mercado e Mumz de Souza ; travando-se
entre os dous lados conflicto, no qual foram des-
truidos movis etc.
De vanos teleg. ammas referentes a esta oceur-
reuci* oo se pode precisamente deprehender a
origera do conflicto, uem quaes foram os culpa-
dos!
Os republicanos prenderam Jos Honorio, o
chefe liberal Saturnino Barbosa e apoderaran!-
_ Jl Wifttt n Hj) iri'ii jniiT.rf i i|ir"T"hTT7^"
aaaaltado tres vezes, e que elles, em defeza de
suas vidas, prenderam o subdelegado ordem
do chefe de policia.
Infonuacao do juiz de dircilo diz que a popula
cfto est aferrada, que a? familias iogem e que
se receiam violencias contra os presos, pelos re-
publicanos.
Alnnam ainda outros telegrammas que os
jepuDlicanos reunidos a grande numero de pes-
soas tomaram posse da villa, debandaram a for
fl all 11 estacada e prenderam a varias pracas,
and vivas a repblica, e ameajara prender o
commandante Jo destacamento.
O leme commandante do destacamento de
Mogyminra parti no dia 11 para S. Jos do Rio
Pardo com 11 pravas de permanentes, e no da
seguinte de madrugada, em trem especial, foi o
Dr. Leo Velloso, chefe de polica, cora 30 pra-
vas decavaliaria bem rauniciadas, sob commando
do teneote Argeairo da Costa Sampaio, e lo
pracw de permanentes, sob o eoin.Bano do ca-
pitao M&noel Jos Brauco, que vai comini-ssiona-
do como sobd 'le-'ado Jaquella localidade.
Eircivavhent- liuvia chegado all no da 12 o
Br.Jchefe de polica com a torca, encontrando os
nimos calmos e ordem restabelecida.
A cadeia foi logo entregue ao destacamento ido
hontem de Mogyrairim.
Francisco Giycerio e Dr. Mercado ja se retira-
jam da villa eo Dr. chefe de polica comecou a
pydicar dos factos para informar ao goveruo.
Os jornaes da tarde da capital, dizem ser ori-
gem do* conflictos urna conl'ereacia republicana
recusada pelo Dr. Muniz de .S'ouza.
Consta que o chefe de polica levou eomsigo
tambem urna forca de polica ci Casa Branca, re-
quisitanl) niais da corte.
O Baro do Alto Mearim parti no da 13
Sara a corte, tendo sido aqui muito obsequiado,
o sabbadovo Dr Joo Antonio de Oliveira Cesar
offereceu-llie um banquete no hotel de Franca e
bontem o commendador Jos Duarie Rodrigues
offereceu-lhe tambara outro em sua residencia,
ao qual compareceu grande numero de amigos
4e todos os credos p brindes.
Chegou capital o Sr Baldomero Fuentes,
que segu amanha para .ampinas.
Est ligeiramente enfermo o engenhairo
Adolpho Pinto.
^^|pouvc hontem aqui urna reunio da colonia
hes'panhola para representar ao vice cnsul con-
tra os autores do ass .ssinato de Francisco Do
mingues e nomeou-se urna commisso para levar
a ga is es-sarepresentaco.
Abrio-se e n favor da familia do assassinado
nma subcripeo que attingio a 200*000.
M inifesou-se um pnneipio de incendio no
predio n. 3i da ra do Principe, arite-uoiitem,
noite. lima moija. assustando-se. atirou se da
janella 4 ra, fracturando um brago.
O i ig foi insiguficante e extincto por pessoas
do ;
Telegramma de 12, agora recebido de S.
Jos Rio Pardo diz que a origem do conflicto
oi ter o proprielario do hotel Brazil prendido o
cabo do destacamento por estar no quintal de
sua casa. Diz o cabo que por estar as imme
diayes do hotel. Conduzido o cabo cadeia,
foi maltratado assim como a sentlnella. Os sol-
dados tocaram a rebate e atacaram o hotel dan-
do tiros e quebrando movis
O ataque foi repellido cora garrafas e tiros.
Dizem os republicanos e hospedes que o subde-
legado animava os soldados. Diz o subdelega-
do que nao pode cooter a iusabordinaeo das
rajas. No dia seguinte, veio gente de varias
zetld a os republicanos prenderam o chefe
liberal Saturnino, assaitaram a cadeia, feriram e
desarraaram p rajas, recolhendo a cadeia Satur-
nino e o subdelegado.
Quando a ta rde chegou o novo destacamento,
sob o commando do lente Claudio, j nao en-
contrn os paisanos de guarda cadeia. Resta-
belecida a ordem, tomou conbecimento dos fa-
ctos. O delegado de Casa-Branca iniciou o ni-
O juta de direito da 2" vara despaehoa favora-
veimeate e a compaohia Carris de Ferro foi in-
(nada e suspeadea os trabarnos.
j A caawra nwaicipal em sesto votou unani-
flttimente embargas s mesmas obras e mul-
too a companbiti de Carrts era 303 Esta
companhia cansa que vai protestar.
A companhia Carris de Ferro embargou
tambem os trabalhos da nova companhia, por
mandado despachado pelo juiz de direito da i*
vara. Dr. Ferreira Alves. Consta que noite de
13 arrancaran! os trunos j assentes da nova
companhia.
Realisa-see ultima-se no dia 15, com gran-
de pompa, a festa de Nossa Senhora do Carroo,
promovida pela officialidade do corpo de perraa
nentes.
Esta em Campias o Dr. Corroa Dutra, que
'antos servicos all prestou por occasiio da epi-
demia.
Era esperado no dia 15 a extraordinaria
menina Dionesi. Consta que varios cavalbeiros
Ihe preparara exple.idila recepcao.
Casou no dia 14 o conceituado negociante
Henrique Bamberg dora, D. Martha Auerback ; e
no mesmo dia s 3 horas, o conhecido cirurgio
dentista Dr. Mesquita, ao tomar um bond, cabio
feriado-se no rosto e hombro, felizmente sem
gravidade. .
Tinha chegado de S. Jos o chee de polica ;
e sobre os acootecimentos que o levaram alli, o
presidente da provincia dirigir ao Sr. presiden
te do conselho os seguintes telegrammas em da-
tas de 12 e 13 :
Os repoblicauos de S Jos do Rio Pardo,
servindo-se de capangas italianos, prenderam o
subdelegada e debandaram o destacamento po
licial que eslava alli.
Fiz seguir o chefe de polica, em trem espe-
cial, e forja de lioha.
Nao ha inorte.
O chefe de polica estar l hoje.
Telegrapharei logo que tenba comraunicaco
deile ..'
Sobre S. Jos, o chee de polica diz que das
primeiras intorinacGes consta : ura cabo do des-
tacamento lo preso pelo proprielario do hotel
ande estavam os republicanos, por estar dentro
do seu quintal.
Pracas do destacamento foram tomar vm-
ganca atacando o hotel. Republicanos dizem que
o subdelegado eslava prximo animando o ata
que ; o subdelego nega, dizendo nao ter tillo for-
ja para conter os soldados. Republicanos tinham
prendido, ordem do chefe, o subdelegado e o
capito Saturnino. .
O chefe chegando fez cessar a priso. e abri
inquerito. Assumio logo o exercicio o delegado
novaraente nomeado ; bom militar. Tu do em paz.
Couto Magalhaes .
Rio de Janeiro
Datas at 15:
No dia 10. sob a presidencia de S. M. o Impe-
rador, tinha-se reunido, no pajo da cidade, o
conselho de estado pleno, comparecendo os ars.
conselheiros marquez de Paranagua Visconde de
S. Luiz do Maranhao, de Vieira da Silva e do
presidente do conslho, Paulino de Souza, Ole-
gario Aquino de Castro, Andrade Figueira, Cor-
reia e Dantas.
O Sr. Baro de Loreto, ministro do imperio, lea
a seguinte exposico :
O decreto n. 10,181 de 9 de Fevereiro do cor-
rente auno abri ao ministerio do imperio um
crdito de 5,000:00^, nao s para oecorrer a
despezas urgentes exigidas pela secca que asso-
lava algumas provincias do Norte, e ainda pela
febre amarella reinante nesta capital, mas tam-
bem para emprehender certas obras inaispensa-
veis ao saneamento da mesma cidade, como ao
serrica regular dos hospitaes destinados aos in-
dividuos acommettidos da epidemia
Pela demoastrajo junta, que vai at 30 de
Julho findo, verifica se, porni, que o referido
crdito nao foi sufficiente, pois nessa date as
despezas por coota delle reali.sadas j o tinham
excedido em 262:3935314.
SO a assistencia publica s victimas da sec-
ca absorveu a maior parte dos recursos prove-
nienlesjlu erudito, tmporUfldp^^^ppft^ij^^ ^t^r^aTTporque nao conhecia os effeitos
i^ff:3iiSJ97i. do absyulho. O individuo, porm, que o convi-
Os dispendios motivados pela febre amarel-
la e por raelhoraraentos sanitarios consumirn!
o demais dinheiro, sem que fosse possivel ini
ciar o t rabal lio da drena:? c oftt[as obra?, de
que se o.gkra no pedido eaa distriauco pri-
mitiva do crdito.
Ouraia entretanto, na regiad do norte os ef-
feitos darocca, e ainda com tanto rigor, que. ur-
gindo coitinuar a soccorrer os infelizes reduzi-
dos pela calamidade extrema penuria', o go-
verno, depois que e encerrou a dita demonstra-
jo, autorisou a abertura de crditos extraordi-
narios aos iiresideutes de provincia que instan-
temente solicitaran! t imperiosa providencia, a
aber: de 1.000:0004, ao presidente do Cear;
de o00:000 ao da Parahyba ; do igual quantia
ao do Rio Grande do Norte, c de 20J:000 a do
Piauhy.
Assim, pois, a importancia do mencionado
dficit accrescem as d'estes crditos, avultando a
sorama que o governo. pela forja das circumstao-
cias, foi obrigado aapplaar, seb sua responsa-
bilidade, aos soccorros pblicos alludidos.
Valiosas informacoes officiaes, comludo, fa
zem presumir que se" prolongar o estado lasti-
moso em qu'!. sob o flagello da secca, se deba-
t'em as populacoes do Norte, e que por conseguin
le ainda haver mister de repetir prestajo de
auxilio a que tem direito.
Por outra parte, vanas medidas tendentes a
melhorar o raeio sanitario do Rio de Janeiro an-
tolham-se como inadiaveis tanto mais q nanlo se
approxiraa a estaco em que a epidemia da iebre
amarella recrudesce entre nos.
Com o intuito de attenuar-lhe, seno de pre-
venir os estragos, releva prever, com a necessa-
ria antecedencia a servijos sanitarios de reconhe-
c.da efTicacia, dos quaes esto uns em andamento,
e oulros por ser comejados.
Isto supposto, calculando em 7.000:0004000,
segundo orjamento compativel com o carcter
imprevisto de rauitas d'ellas, as despezas apon-
tadas na presente exposijo, o governo pede que
o crdito exli ordinario aberto pelo decreto n.
10 181 seja elevado a 12.000:0004.
Para tal lira, em observancia do preceito le-
gal, recorre s luzes, experiencia e patriotismo
do conselho de Estado.
Rio de Janeiro, 8 de Agosto de 1889. Barao
de Loreto.
A rnaioria do conselho de estado votou pelo
augmento pedido.
O Jornal do Comnwrcio de 14, publicou o se-
guinte sobr% o attentado contra S. M. o Impera-
dor :
Perante o Sr. Dr. Hollanda Cavalcante, juiz do
7." districto criminal, contiauou hontem o sum-
mario de culpa de Adriano do Valle, indigilado
autor do attentado contra a augusta pessoa de S.
M. o Imperador.
Achavam-se presidentes o Dr. Julio Ottoni, cu
rador, Dr. Eunapio eir e Ferreira Lima, advo
gado do reo.
Adriano Augusto do Valle, natural de Portugal,
morador na ra de Tneophilo Ottoni n. 119, onde
resida ha tres mezes, ernpregado no commercio,
estava no theatro Santa Anua na noite em que se
deu o faci, interrogado sobre as relajes que
tinha com as testemnhas do processo, disse :
Conhejo o criado do hotel Provencaux, de
no me Antonio.
Conhejo de vista o Dr. Germano Hasslocker;
da mesma sorte conhece o Dr. Pardal Mallet:
quanto a Placido de Abren conhecia-o de nome,
mas ; ira-o pela primeira fez na polica.
*Conhecia tambem Arlindo Dias, com quem
tinha relajees de caxeiro oara caixeiro.
Nada tem a dizer contra as referidas teste-
mnhas. >
Interrogado em seguida sobre os pontos do
processo, disse : .
Attribua a denuncia s declarajoes do Dr.
Germano Hasslocker e Eduardo de Freitas.
- No dia 14 de Julho p-oximo passado, tendo
chegado a casa de seus patres um psuco Urde, I
com receiode soCTrer atguma censura, retirou se
para nao ser despedido.
No dia seguinte al ti voltou e dando urna ex-
plicajo sobre o occorrido, o chefe da caW nome Ferreira, respondeu-lhe que ftzesse o que
quizesse.
Tomou ento dous revolvers, um maior e
outro menor: levou-os e (o para a casa de seu
pai ; ahi chegando e nao o encontrando, voltou
para o centro da cidade, trazendo eomsigo os re-
volvers, os quaes nao actual prudente deixur
n'quelia casa, pwqae tatte sen pni nao- gos-
taaee.
Dirigio-se ettSft'ao theeWo Lucinda ende, en-
contrando Fono tfMfrita com que tem alajes
e outra pessoa a que* nao conlwce, convidou-o
para um passeio, a que Mesquita rewisou-se, pof
achar-se incomwodado.
D'alli sanio para o thettro Sant'Ama para
ouvir a violinista, que, segando for* informado1,
tinha obtido grande jecesso.
Chegando ao thwttro sentou-se a urna mira,
de onde levanlou se para beber absyntho por,
nao ter jantado e achar-se um pouco indisposto.
Vollando mesa de onde sahira, encontrn
junto mesma or. Germano Hasslocker e ou-
tras pessoas que nao conhece.
Entraran era conversa e nessa occasio,
por achar-se nm pouco embriagado, cahlo-lhc o
revolver da cinta, que apannxm ainda sobra os
joelhos.
Nesse acto, vendo que o revolver estava
descarregado, tirou nma caixa de balas, que des-
pejou, ticando com algumas no bolso e com ou-
tras carregou a arma.
Levantndose nessa occasiSo para verter
agua, notou, quando voltou, que o Dr. Hassloc-
ker estava com a caixa vazia as mos e con-
versava com os companheiros.
Momentos depois, terminando o espectculo,
quando retirava-se S. M. o Imperaior. o I)r.
Germano Hasslocker, em voz alta, convidnos
companheiros para irera para a porta ver sa
h i da.
Nessa occasio levantou-se e acoinpanhou o
grupo at porta.
Quando ahi estavam, na occasio passava S. M. o Imperador, olhando para o Dr.
Hasslocker, fez com os olhos um signal como
para perauntar se era aquella a occasio.
O Df. Hasslocker, olhando para o lado, fez-
ilie o signal e disse s pessoas com as quaes se
achava: E* agora.
- Ento, na presenja de S. M. o Imperador ti-
rou o chapeo e deu o viva ao partido republi-
cano.
Isso provocou algum (uraulto, dando lugar
a que urna senhora cahisse, indo elle em seu
soccorro, quando desfecharara-lhe urna cacetada
na orelha, plo que, fugindo, procurou entrar no
Maison Moderne. pelo lado da raa do Espirito
Santo, intento que nSo pode realisar, porque na
porta da casa da Maison Moderne havia muito
povo, de sorte que, seguindo pela ra do Espi-
rito Santo, foi postar se na porta da casa da Mai
son Moderne. no largo do Roco, pura esperar a
passagem do carro de S. M. o Imperador, afim
de dcsfecliar o tiro, o que de fado praticou, dau-
do, porm, o tiro para o ar, embora ua occasiio
houvesse urna pessoa que I lie pegassn no pulso
para abaixar a arma, nao sabendo se com o in-
tento de ferir alguem, o que a mesma nao con-
seguio, porque de facto desfechou o tiro para
o ar.
Tudo isso praticou em virtude de se achar
lonto pelo absyntho que tinha tomado, e ter en
conlrado fra 5o theatro Sant'Anna ama pessoa
desconhecida, de chapeo desabado que Ihe dis-
sera que tizesse tudo o qu praticou, sendo que
no theatro Sant'Anna, quando attendeu ao Dr
Hasslocker era porque sabia que este perlencia
ao partido republicano.
Interrogado para que lim tinha comprado 15
dias antes do acontecimemo os revolvers, de
ura dos quaes fez uso, respondeu que comprou
o revolver raaier, 15 dias mais ou menos, antes
do acontecimenio, por ser barato, visto que por
elle Ihe pediram 164. e esperou por ussa forma
fazer negocio, veodendo-o. Quanto ao menor,
comprou-o por achal-o bonito e pretender Coser
oresenie a urna pessoa do seu conhecimento. *
Pergunlado porque, tendo comprado os revol-
vers como j disse, declarou em varus interro
galorios do inquerito que recebera aquelle que
disparara das raaos do Dr. Mallet, s se retrac-
tando quando, interrogado o Dr. Mallit, disse na
sua presenja que para nao ter remorsos de
consciencia, confessou que ufio fra o Dr. Mal-
let quem Ihe tinha dado o revolver ?
? DefactoUfez essas declarajoes no io**^
para livrar-se da responsabiiidade do i
praticou; mas verdade c jura, se n^..irio
Sr, nao que individuo algum Ihe tivesse dado o
revolver, mas que^oj^nvjdr^pa^a..;*^
o serv
Acrosto de 1-89
L
queteUTIopor
.O director geral, Luiz Betim
dir para praticar o que praticou, era pessoa
3ue nao conhece e que apenas notou ter chapeo
esabado e achar se de grvala encarnada.
O juiz perguntou-lhe se depois de ter desfe-
cliado o tiro na porta da Maison Moderne foi
comprimeutado por pessoas que alli se achavam,
respondeu que depois de ter desfechado o tiro.
dentro da soleira da porta da Maison Moderne,
foi comprimeutado por diversas pessoas, que
Ihe disseram : ento sempre deu o tiro ?
Entre essas pessoas havia urna alta, que en-
trou para o interior da casa. Entrando tambem,
sentou-se a urna mesa, onde esteve mais ou me-
aos tres quartos de hora.
A's 8 horas da noite de 15 de Julho, procu-
rou un; quarlo no hotel Provenjaux, porque re-
ceiava que seu pai o reprehendesse, quando che-
gasse casa, porqaanto nesse dia tinha-se des-
pedido da casa onde estava ernpregado.
Veio de Portugal, ha 6 annos pouco mais ou
menos, sendo ernpregado por solicitajo de seu
pai em casa onde ganhava 354 por raez, aclian-
do-se depois disso ernpregado em diversas casas,
cora pequeos vencimentos at que empregou-
se na casa de Monteiro Hime & C, onde esteve
dous annos com 602 mensaes, e de onde sahio
doente por ser o trabalho excessivo, ficando
desempregado mais ou menos ura anuo, arran-
jando depois o novo emprego de caixeiro na ra
das Violas n. 119, d'oode sabira como disse no
dia 14 de Julho deste anno.
Nao sendo brazileiro e nada tendo' que ver
com as instituijes e forma do governo do Bra
zil, prestou-se a praticar attentado de tal or-
dem contra a pessoa d.* Sua Magestade o Im-
perador, por causa dos effeitos do absintho que
tinha tomado e em razo do abuso da pessoa a
quera se referi, conhecendo o estado em que
se acbava.
Sabia, como declarou no inquerito, que na
Maison Moderne tinha havido ura reunio de
pessoas, que tinham asseutado matar Sua Ma-
gestade o Imperador on contra Sua Magestade
praticar o desacato a que se prestou, porque ou-
vira dizer por urna testemunha, que depoz napo-
licia. nada tendo ouvido a tal respeito em outra
parte.
No inquerito policial a fl. 28, relativamente
parle do seu depoimento que diz que elle vio
m individuo destechar um tiro que falhou
Suando Sua Magestade eo'rou no carro porta
o theatr) de Sant'Anna, nao tem bem presente
se fez alguraa declarajo a tal respeito porque,
de ficto, nada tinha visto que tivesse relajo
com esto facto.
Confirma o que declarou no inquerito de ter
ouvido, na occasio em que disparou ura tiro no
carro do Imperador, urna pessoa desconhecida
dizer: Se escapou daquelle r o escapar des-
te, apantando para o revolver com que desfe-
chou o tiro.
No largo de S. Francisco de Paula, em pre
sanca de Belfort Quadros. Dr. Germano Hass
locker e Eduardo de Freitas, declarou que traba
dado u:i. viea ao par ido republicano e dispara-
do o tiro e que o fez devido ao estado em que se
achava, porquanto, se se achasse em sen estado
normal, nao praticaria urna aejo m e de tal
ordem e rauito menos ira fazer alarde della.
Interrogado, linalmente, sobre o que traba a
dizer em sua defeza, responden que para isso
pedia o prazo da lei.
Expedio a directora geral dos correios, a
30 de Julho, a seguinte portara aos chefes daa,
diyises da mesma directora e das secjOes do1
correio do Rio de Janeiro :
tiendo o servijo do correio de natureza a
nao ser adiado era retardado, e procurando
conciliar os inferesses do dito servijo com a li-
berdade de voar que a le garante a lodos os
cidados, determino aos chefes das divisOes des-
ta directora e das secj6es do correio do Rio de
Janeiro providenciem de modo que os em prega-
dos sob suas ordene possam exercer livremenie
aquelle direito, comparecendo depois as pas
respectivas sac^Oes, cabendo aos ditos chefes
dist
i aa>
enrp
to
A comraisfo parlamentar de inqaerito re-
atrio-se no dia 14. era urna das salas do senado,
afim de ouvir as informacoes do Sr. capito-te-
neate Jes Candido Brazil, director das ollicinas
dn construejo naval do Arsenal de Marrana da
corte.
A 13 de corrente pelas 3 hMs da tarde,
sob a presidencia de Sua Magestade o Imperador
a coiwfiissW' do cdigo civil t'ee a sua teroeira
conferencia fto pajo da cidade.
EMCuiuiw presentes os Srs. mtetfo da fus
tija, senador Dantas, conselhelw Olegario. Sil-
va Cosa. Coelho Rodrigues e Br*e de Sobfal,
participando o conselheiro Affrmse Penna fue"
coniinuava impedido de cofflitorccer.
Lula e appwvada a acta da seseao antertor, o
Sr. ministro da justija apresentou o ndice que
organisara do direito das successes, e o r.
conselheiro Olegario o plano do Io livro da par-
te especial, direito [das cousas.
Foram discutidos e approvados o referido n-
dice e os organisados pelo Sr. Baro de Sobral,
comorehemkmdo um titulo pretwWnar soW5 a
le seus effeitos e applicajo, e a parte especial
sobre os elementos dos direitos, pessoas, cou-
sas, factos e actos jurdicos.
Foi deeignado o dia 21 do corrente, s 2 ho-
ras da tarde, para exposijo e discusso do Di-
reito de Himilia, a cargo do conselheiro Peino
Rodrigues.
Sua Magestade o Imperador levantou a sesso
s 4 t|2 horas da tarde.
Sua Magestade o imperador, acompanhado de
de seus semanarios e ministro da mirinha, foi
no dia 13 a bordo do encourajado Riachuelo afim
de examinar as accomraodages que Ihe sao des-
tinadas, para a sua viagem Ilha Grande.
Foram-Ihe prestadas todas as continencias,
dando a fortaleza tiros.
Asaguarnijes dos navios de guerra surtos
no porto subiram s vergas e deram os vivas do
estylo.
S. M o Imperador, acompanhado de seus
semanarios e do seu aju lan'e de carapo o Sr.
Marquez de Taman lar. diz o Jo'ital do Commer-
ci, embarcar hoje 13 s 5 horas da tarde no
arsenal de raarinha, para bordo do encourajado
Riachuelo, onde pernoitara afim de seguir ama-
nha para a Ilha Grande.
O Riachuelo vai como navio capitanea da
esquadra, que acornpanhar Sua Mage-tade, sob
o commando do Sr. ajudante general da armada
chofe de diviso Luiz Mara Piquet.
A esquadra corapor-se-ha dos segrales navios
das duas divisoes; encourajados Riachuelo e
Aquidaban, corveta Nictheroy. cruzadores Parna-
hyba, Trajano e A/foaso Celso e canhoneira Cario-
ca e das torpedeiras n. 3 e 4.
A bordo do Riachuelo iro tambem os Srs. mi
nistro da marmha c do imperio, chefe de diviso
Carieiro da Rocha, commandante da diviso dos
enejuracados a conselheiro Nano de Andrade.
inspector geral de saode dos portos e 03 ofliciaes
alumnos da escola pratica de artilliaria.
A bordo da corveta yietheroy vai o Sr. chefe
de diviso Wandenkolk, commandante da divi-
so de cruzadores.
A esquadra far diferentes ejercicios na
roseada entre a Ilha Grande, Sepetiba e Angra
dos Reis.
S. M. o Imperador no.da 13 acompanhado
do principe D. Pedro, do seu ajndaute de carapo
almirante Marquez de Taraandar, camarista ba-
ro de Miranda Reis, medico Conde de Motta Maia
e ministro da raarinha. embarcon efTectivam'mte
s 31|2 horas da tarde, no arsenal de marinha,
e dirigi se na galeota a remos prra Dordo do
encourajado Riachuelo. S. M. a Iinneratriz e S.
A. Imperial, acompanhadas do veador Raro do
Ivinheima, acornpanharm S. M. o Imperador at
o arsenal, onde agu rdavam a sua chegada os
meinbros do ministerio, Conde de Carapebs e
Ilha
^^HHfa creada I
nte :
aVl
i" Se a scSpaororaomaerva. quem presi-
dir eleijao de 31 do corrente mez, visto que
nessa parochia ainda nao sa procedeu eleijo
de jnizes de paz, em virtude do aviso n. 109 de
Novembro de 1887, agora rpvogado ;
3. Se fr negativa, onde devem votar os
varias outras pessoas gradas e do povo.
Sua Magestade parti no dia 11 pan;
' ;i:de acompanhado da esquadra de evolujes,
gando a tarde alli, d'onde regressaria nodo-
ra a
Gra
che
mingo.
Reunio-se no dia 14. a convite do Sr. Vis
conde de S. Francisco, era urna das salas do
Beato do Brazil, 03 Srs. Marquez de Paranagu,
Visconde de Muritiba. conselheiro de Estado Jos
da Silva Costa, bares do Cattete, Paran, Lagoa,
Alto-Mearim, Ipancraa. Andarahy e Quartin, con-
dres'"amno da~ ,^vaa K1s7""gostfniio Mara
Coreia de S, Antonio Ferreira da Silva, JoSo da
Silva Monteiro, Hermano Joppert,Tobias Lauriano
Figueira de Mello. Jos Pinto de Oliveira, Jos
Luiz Fernandes Vileila, Antonio Teixeira Rodri-
gues, Antonio Jos Gomes Brando Fernando
Antonio Pinto de Miranda, Henrique Leuba, Al-
berto Tutal, Antonio de Castro, Alberto da Fon-
seca Guimares e Jos Mendes de Oliveira
Castro.
O Sr. Visconde de S- Francisco, assumindo a
presidencia da reunio, declarou que convidara
as pessoas presentes para consulta! as se con-
cordavam em urna manifestajo a Sua Alteza
o Sr. Conde d'Eu no seu regresso das provincias
do norte, acrescentanda que os importantes ser-
vijo prestados por Sua Alteza ao paizjustiflca-
vam plenamente essa manifestajo.
Concordram todos os presentes que se izesse
a manifestajo, deliberando-se que se fosse em
vapor esperar Sua Alteza fra'da barra, e que se
Ihe offerecesse um grande baile no Cassino Flu-
minense.
O Sr. commendador Jos Mendes de Oliveira
Castro propoz para organisajao dos festejos a
seguate comraisso:
Visconde de S. Francisco, Bares de Cattete,
Andarahy, Javary, Quartin, Rio Apa, Paran e
Alto-Mearim, e os Srs. Henrique Leuba, "Alberto
Taul. Olto Warlstoff, Joaquim Rodrigues Ferrei-
ra. conselheiro Carneiro da Rocha, commenda-
dores Correia de S, Paula Mayrinck e Malvino
Reis.
O Sr. Theodoro Duvivier e Baro do Ro Arfe
mandaram cartas pedindo desculpa por nao po-
derem comparecer, adherindo porem s resolu-
jes que fossem tomadas.
O Sr. '.onde de Carapebs justilicou o seu nao
comparecimento.
No dia 12 reunio-se, sob a presidencia do
Sr. ministro da marinha, o conselho naval, com
a assistencia dos merabros do mesmo conselho
e varios ofliciaes dos uiflrentes quadros da ar-
mada, para a exposijo de ideas relativamente
reforma por limite de idade .
A medida at ento proposta pela corporajo
e no parlamento pelo governo, nao abrangia to-
das as classes ; o actual Sr. ministre da mari-
nha, porm, desejando preencher a tal lacuna,
prope-se com inteira justija a amplial-a de for-
ma a aproveitar a lodos os quadros e assim rae-
Ihor attender aos inleresses do Estado.
Depois dessa exposijo de ideas, o Sr. minis-
tro da marinha encarregou ao Sr. vicealmirante
Elisiano Barbosa, que se achava presente, de
nomear urna comutisso para apresentor na pri-
meira reunio ura projecto de accordo com as
ideas apresentadas.
S. Exc, sem demora, nomeou a seguinte com-
niisso, composta dos Srs. cnefe de diviso
Eduardo Wandenkolk, capito de fragata Pedro
Benjamim de Cerqneira Lima, capito-teen te
Antonio Carlos Freir de Carvalho e olcial de
fazeuda de classe Jos Francisco daConceijo.
4ft^r' Visconde de Aruos, enviado ex-
traordinario ministro plenipotenciario do Bra-
zil em Londres, dirigi o ministerio da agricul-
tura, at do corrente, o aviso seguinte :
Illm. e Exm. Sr.-Accusando o recebimento
ao n. 8de5de Abril ultimo, no qual com-
municoaTV. Exchaver nesta data levado ao co-
nriecime|o dos presidentes das tres compa-
nliias, 3e que director ex-oliicio, a desisten -
ca que resolver fazer do subsidio que as ditas
compauhias costuraam entregar ao ministro do
Brazil em Londres em consequencia d'aquelle
cargo, tenho a satisfajo de declarar a V. Exc.
que o governo louva o seu digno proeedimento.
r Deus guarde a V. Exc. Lourenro Caval-
tantt de Atkuquerque. <
As coinpanhias de que se trata e das quaes
director ex-oicio, na forma dos contrae,
enviado exlaordinario e ministro pleMbten-
ciario da Braail em Londres das estradas de
ferro de Santos a Jundiatiy, Baha a S. Francisco
e Recifen S. Francisco,as primeiras que se or-
ganisaram mediante o systoma da garanta de
juro. .
Sobre eleijoes presidencia da provincia
de S. Paulo dirigi o ministerio do imperio o
seguinte aviso cora data de 7 do corrente mez :
., Consulta V. Exc. era oflicio n. 54 de 22 do
mez fmdo : ... ....
. i. Se o aviso deste ministerio, de lado
eleitores dessa parochia, composta de territorio
desmembrado de outras.
. Resolvendo estas dsvidas, declaro a V. Ex.:
Que o aviso- de 15 do mez findo, baseaa
de-se no art. 3o dO decreto legislativo n. 3,340 de
4 de Outubro de *IH7. s pode applicar-se s
ptrochias creadas por actos legislativo J previa-
cites at 3 de Dezembro de 1898 ;
Que assim resotvida a 1.a parte da consutta,
lita jirejudicada a %*, quanto eleijo a que V.
K\c. se refere ;
Que a solujlo 3. part? varia conforme a
eleijioe certas coniff$&fs relativas cotrstituijao
da nova parochia. Se a eleijo fr para senador,
deputado ou meinbro da assembla legislativa
provincial, os eleitores devem votar perante as
raesasjeleitoraes onde exerciam esse direito antes
da creajo da nova paroehia/x-tn do art. 17, Io,
n. 4, comt>iflad>) com o art. 27 da lei n. 3.029 de
9 de Janeiro de 188; se para vereadores b juizes
de paz, poder a eldjao faser-se na propria pa-
rochia, coraiaite qae os territorios que a forma
rara e3tejam dentro dos limites d'ura s districto
eleitoral (citado art. 27), observando-se, cora re-
ferenci nomeaj da mesa eleitoral a dispo-
sijo do art. 111, | 2' do decreto n. 8.213 de 13
de Agosto de 1881, e, em tal hypothese, se aquel
les territores pertencerem a mais de um muni-
cipio, o que determina o art. 215 qnanto a apu
raciodas clulas na eleijo de vereadores.
No dia li, pouco depois das 3 horas da tar-
de, houve lamentavel occurrencia na casa n. 32
da ru Luiz de Caraes, onde reside o Sr. Manoel
Jos Pereira de Sampaio com sua esposa D. Ame
lia Augusta de Sampaio.
Esta sunho.-a, indo acender carvSo em uti fo-
gareiro com espirito de vinho, esle fez exploso.
As chammas coramunicaram-se aos vestidos de
D. Amelia.
Aos gritos d'esta. acudi urna moradora da
casa, D. Gertrudes Mondar, a qaal^entoa abafar
o togo. # '
Vendo que nada poda conseguir, D. Gertrudes
tambera gritou, acudindoerarias pessoas que en-
to patsavara eque abaaram as chammas, que
cercavam o corpo de D. Amelia, a qual licou gra-
vemente queimada.
O marido de p. Amelia, que estava na visinhan-
ja, logo que soube do facto, acudi ao lugar, en-
contrando sua mulbrr muito queima.la.
Prestaram os socarros mdicos infeliz se-
nhora os Drs. Pereira le Barros, Ernesto Lacer-
dae um 6." annista de medicina.
O estado de D. Amelia, se bem que muito gra-
ve, nao 6 desesperador.
Esteve presente ao lugar oide se deu o facto o
Sr. Leite Borges, subdelegado do 1.* districto do
Sacramento.
Igualmente no dia anterior, a 1 1/8 hora da
tarde, a menor Jua de Souza, de 13 annos, filha
de Joaquim da S'lvi Ionio, morador na ra de
D. Feliciana t. 80 indo acender una lampada
de alcool, fel-o to desastradamente que o li-
quido derramou se e eommunieou fogo s rou-
pas. A infeliz crianca licou horrivelrente quei-
inada, e conduzida para a estalagem n. til da
mesma ra, falleceu urna hora depois do desas-
tre, a despeito dos esforjos empregados pelos
Srs. Drs. Luiz Ribeiro e Alfonso Nery.
O subdelegado do 1" districto do Sacramento
abri o inquerito.
No da 10 falleceu em Nitheroy. onde resi-
da ha longos annos, Jos Ricardo Moniz. era-
pregado na chancellara do consulado poru-
guez.
Jos Ricardo Moniz, portuguez de nascmeato,
veio para o Brazil .inda em verdes annos e aqui,
pela perseveranea no trabalho, conseguio con-
stituir posico nbtave! na sociedade e nome esti-
mado, fazendo parte da firma bancaria Fortinho
& Moniz.
Revezes da sorte, porm, reduziram-o vida
modesta, quasi ignorada que levava nestes lti-
mos annos e que reparta entre os labores do
consulado e o amor da familia e escrevendo de
vez em quando em alguns jornaes d'esta ci-
dade.
Sempre jovial, disfarjando em um sorriso ne-
muno a aiug.,., ^ ji-iirVimontr n volho JIOniZ,
como ochamavain, tinha nnquoilo oorpo alque
brado a alma de urna crianja boa, nao sendo
poucas as sympathias que contava entre nos.
Na cidade do Serr, provincia de Minas,
falleceu, no dia 3 do corrente, o Sr. Pedro Mana
Silva Brando, que foi deputado geral pelo 18
districto na legislatura (inda e em mais de um
biennio raerabro da assembla provincial mi
neira.
Em Nitheroy, falleceu na idde de 80 an-
nos, o Sr. commendador Manoel Fernandes Cor-
reia, Io offieial aposentado da Secretaria do Im-
perio e que foi vereaUor naquea cidade.
Falleceu repentinamente, na ra do Dr.
Joo Ricardo. Joaquim Malaquias de. Magalhaes,
cujo cadver foi remettido para o necroterio, cora
guia do inspector do 10 quarteiro do 2o dis-
tricto de Sant'-'nna.
Falleceu tambem hontem Francisco de tal,
caixeiro do ajougue da ra Estacio de S n. 62.
Os mdicos da polica tizeram o necessario
exame nos cadveres.
Falleceu repentinamente em Juiz de Fra,
o Dr. Ignacio Justo Ribeiro, conhecido medico e
geralmente estimado. Soa morte cansou pro-
fundo pezar.
A Gazeta da Tarde abri urna subscripeo em
favor dos futios d'aquelle tinado.
Baltia
Dalas at 18 do corrente.
Nesta provincia o pleito eleitoral. agitava os
nimos e a compresso offieial era ostensiva
"O cirurgio-mr do exercito Dr. Aristides
Americo de Magalhaes foi relegado para o Piau-
hy, e as demisses se succedem, como colbemos
dos jornaes que temos vista, sendo que as tro-
pcllias j se exercem mesmo contra os correli-
gionarios, segundo a segjjnte publicaeo do
Jornal de Noticias, sob o fiffik de Finalmente :
* Cbjgou boje o Illm. Sr. Dr. Manoel Jos
VieiraXrestimose chefe liberal de Una, comar-
ca de efs, e que vem tambera apresentar ao
governTa saa queixa contra o subdelegado, em
quem nao se encontia espirito partidario s, e
tambem o odio pessoal a todos os seus antipa-
tizados, que sao quasi todos, pois sempre con-
tou poucas sympathias.
Ahi tem agora o Sr. conselheiro Carneiro da
Rocha, o prestimo30 chefe, que elle tentou des-
prestigiar, e que vem com franqueza, que todos
Ihe reconhecem, protestar contra tal nomeajo e
pedfr a exonerajo d'essa autoridade que a falta
de forja policial lem sua disposijo doze ja-
gunjos retirados dos 500 ou 600 que esto aquar-
tellados no Salobre
Conliam sobre tudo no carcter integro do
Exm. Sr. consalheiro presidente da provincia.
Est j funecionando o novo machinismo
do plano inclinado, que liga a lioha dos Trans-
portes Urbano entre a Grae.. e a Barra.
No dia'lfealizar-se-iam nobairro do Cas-
tro Neves os festejos do Dois de Julho.
O carro triumphal sahiria s 11 horas do dia,
do largo da Boa-Vista, precedido de todas as
bandas de msica e batalhes patriticos, haveu-
do illuminajo durante tres noites.
O resultado da eleijo annual dos func-
ckraarios do cabido metropolitino foi o seguinte :
Prioste geralConego Dr. Joo Nepomuceno
de Souza.
Prioste annualConego Pedro dos Saitos Pe-
reira.
Secretario-Conego Antonio GonjaijM Corles.
JuizesMonsenhor Manoel dos Samas Pereira
e conego Francisco Vicente Simes.
ProcuradorConego Zacharias Lopes dos San-
tos Lfiz.
Apontador Conego Antonio Pedro Moreira
Rios.
Ajudante do apontador-Conego Jos da Co3ta
Serpa.
Fallecer na cidade de Caravellas o pres-
tante cidado Joaquim Jos dos Santos Oliveira,
chefe de familia exemplar e cidado que se re-
cqmmendava i estima de quantos o conheciam
pelas excellente3 quaHdades que possuia.
Militou sempre as lileiras conservadoras, que
com sua morte perde na cidade de Caravellas
um de seus mais dedicados alliados.
REVISTA DIARIA
..... Lf_
Acin ofllciacw Por actos da presidencia
da provincia de 6 de Julho :
Foi demillido o bacharel Joaquim Velloso Frei-
r de Mendonja do cargo de promotor publico
da comarca de Timbaba e nomeado para sub- J
stituil-o o hachare: Antonio Cleraentino Freir.
Foram concedidos professora Argemira Gui-
Ihermna Feitosa Breefcenfetd, da cadeira de Cha
de Capoeiras, 60 dias de licenja, com ordenado-,
para tratar de sua saude, oade Iheconvier.
Declron-se ser Saturnino'Octaviano de Santa
Cruz Oliveira o nome do bacharel nomeado pa-
ra o cargo de promotor publico da comarcad
Ingazeira, e nao como est escripto na" portara
de 5 de Jalho.
Foi conced la uo professor da eadeira de Ita-
pissnmn, Jo** Marcelino da Costa, a gratilicajo
de fiTrs servijos a que allule o art. 12o do re-
gularaento de 18 de Janeiro de 1888.
Eamolas S. Exc. o Sr. conselheiro presi-
dente da provincia teudo recebido de S. A. o Sr.
Conde d'Eu as petijes que Ihe (izeram mu tas
pessoas e bem assim a importancia de 3005000,
para attendetas, dirigio-se ao Exm. Sr Dr. go-
vernador do bispado, conhecedor dos habitantes
da capital, que se dirigirara a S. A., solicitando
sua intervenjao para a mais equitativa distribui-
Jo.
S. Exc. o Sr, Dr. governador do bispado pres-
tou-se bondosamente ao pedido que Ihe lzera o
Sr. conselheiro presidente da provincia que
hoje enviou a S. Exc. as petijes e a referida
importancia.
S. Exc. o Sr. Dr. governndor vista do co-
nhecimento e informajes que tiver, far a dis-
tribuico de modo o mais satisfactorio aos inte-
ressados e intenjOes de Sua Alteza.
o Obreiro Foi distribuido on. II desse
importante peridico semanal. Agradecemos a
graciosa offerta.
Director do aerrico .anuario-Para
o lugar de director do servijo sanitario da Santa
Casa de Misericordia do Etectfe, vago pelo falle-
cimento do Dr. Joao Pedro Madur da Fonseca,
foi hontem nomeado pela Illraa. junta o Sr. Dr.
Ignacio Alcehiades Velloso.
PasxeUiia iaifaniiiAnlehontein, pelas
4 horas da tarde, sabio a passeiata infantil da
Escola Normal, ron lo marcado para a reunio, a^
comprtmentar a S. A o^Sr. Conde d'Eu.
No Palacio da Presidencia da Provincia, em
presenja de Sua Alteza a alumna D. Alice Fra-
goso, depois de ter proferido um pequeo dis-
curso, offereceu ata, lindo carto todo desenliado
aquarella e bem preparado pela professora da
aula pratica do sexo feminino, D. Mara Candida
de Figueiredo ->antos, com as seguiuies pa-
lavras :
A infancia escolar pernambucana sada a S.
.1. o Sr. Conde d'Eu.
Em seguida, as ulumnas-raestras acompanha-
das com a mesma professora cntoaram ura hym-
no apropriado festa, qual comparecern!
amitos alumnos com os respectivos profes-
- ;'e-.
xervco militar-Esto designados hoje
para superior do dia o Sr. major Serra Mariins e
para ronda menor um subalterno de cavaliaria.
A guaruijo da cidade dada pelos corpOs
da guarnijo.
E' comraandada boje a guarda da Thesou*
i aria pelo Sr. alferes Adolpho Fernaudes Mon-
teiro.
Existem 31 pracas na enfermara em trata-
mento.
Foi mandada hontem pelo i" batalho de
intratara, para a villa de Iguaiass, urna es*
colta, alim de conduzir daquelia villa para esta
capital o soldado Manoel Vieira Sobrinho, que
achando-se ausente do quartel, fra preso pelo
sargento commandante do destacamento de poli-
ca alli estacicnado.
Ao 14 batalho de iufanlaria foram pedidas
cora urgencia, alim de serem reraettidas re-
partijo de ajudante-general, conforme foram
exigidas em oflicio n. 6,148, de 10 do corrente,
as certides de assentamento dos soldados An-
tonio Jos Pereira e Joo Pereira Lima.
Tiveram baixa do servijo por sub-luijao,
os soldados do 2* batalho, Tertuliano de Barros
Pimental, e do 14, Joo Jos Rebello.
Re visita IIlaatradaRecebemos o n. 559
dessa iraporlantissiina publicajo, sempre espi-
rituosa e ebeia de vene.
Agradecidos.
vuva^nr Bomnn reconliecidos fineza da
remessa do exemplar que nos foi offertado do
discurso proferido por occasiio do assentamento
da 1.a pedra do edificio da Faculdade de Direito.
Assa*.iuatoNo lugar Prata, termo do
'3onito e districto do Tara, foi assassinado no
dia O do corrente, pela tarde, Francisco Bernar-
do por Manoel Paulo da Rocha, que evadio-se
a pos a perpelrajo do crime.
ivrimciii. grave--Foi o que praticou
em Henrique Bezerra o individuo Napoleo Por-
to de Hollanda, no dia 15 do corrente etn distri-
cto de Olinda.
0 ferimento foi praticado com um punhal com
que achava-se armado o delinquente; o qual fot
preso em flagrante.
HazAew fatae Noengenho Camajary, de
Jaboa'.o. embriagados ambos, travarara-se de
razes um Sr. Antonio Jos e um oulro Francisco
Muniz, sahindo este ferido com urna facada por
aquelle, que evadio-se.
Homicidio-Em Pirauhyra do Limoeiro foi
mor'o no dia 9 do corrente Manoel Clementino
de Hollanda por Joio Bezerra da Silva, vulgo
Joo Bezouro, que foi preso dias depois do de-
licio, e esta era processo.
Loteras da corte Foi renovado, em
data de 12 do corrente, o contracto que existia
entre o governo imperial e o Sr. Luiz A. F. de
Almeida, sobre as loteras da corte, as mesmas
condijes, cora o referido Sr. Almeida e o Sr.
Francisco Antunes Nazareth, sob a razo social
de Almtida & Nazareth.
Remiaao de imposto -Em sesso do
tribunal do thesouro nacional de 8 do corrente.
o Sr. ministro da fazenda approvou a remissao
total do imposto de industrias e profisses, por
escassez de redditos, resolvida pela thesouraria
de fazenda desla provincia em favor de Joaqaim
Pereira Rege, estabeecido cora drogara em pe-
quea escala no povoado do Ribeiro,. munici-
pio de G raielleira i
Balisamento de portosPara ser api
pcado ao balisamento dos portos de Caraocim
e Fortaleza, na provincia do Cear, foi aberto,
na competente thesouraria de fazenda, por .uto-
nsajo do ministerio da agricultura, o crdito
de l:8925O0.
timicnro sanitariaForam assigna-
dos os decre'tos promulgando a convenjo sani-
taria internacional celebrada pelo Brazil e as
Repblicas Argentina e do Uruguay e o que
manda por em vigor o regulamento para execu-
jo da mesma convenjo.
Seciedade PUilomalica Fai sesso
amanh s lo horas do dia no lugar do cos-
tume.
Circulo CatnolicoAmanh, s horas e
lugar do costHme, ha sesso extraordinaria
Jesse circulo para eleijao do Io secretario e
tratarse de assumptos de urgente importancia.
Revista denegada Por carta particular
consta; que foi negada revista a re Tirso inter-
posto pelo Sr. desembargador promotor da justi-
ja da sentenja absolutoria em grao de appellajo
no processo instaurado contra o ex-inspector da
Thesouraria de Fazenda desta provincia, com-
mendador Antonio Caetano da Sil\a Kelly.
liinirrna MgicaEst em dislribuijaO
o n. 266 dessa publicajo dezenal. Agradece-
mos a visita.
Qaranhuns Communicam-no3 desta ci-
dade o seguinte:
O fallecimentodo major Laurenlino Jos de
Miranda, de que se oceuparara as folhas d'abi
em 5 do corrente, nao passoa desapercebdo em
Garanhuns. .
Na segunda-feira. 12 do mesmo mez, foi allt
celebrada missa do 7. dia pelo descanso de sua
alma, assistindo a esse acto as pessoas gradas do
luar c notando-se em todos o sentimento
pelo 'passamento de to distincto c prestimo30
cidado. ?
A memoria deste homem de bem nao pede
e nem ser esquecida pela gerajo actual, que
tem em muito valor o seu merecimento e servi-
jos prestados com utilidade publica e particu-
lar.
Voto livro de leituraDa corte rece-
bemos um exemplar do novo primeiro livro de
leitura, segundo o methodo do Barao de Maca-
hubas.
Agradecidos.
f
I
.





']


' \

Y IHITHADO
'*'
M


o

['*
X
>



e Recreativa Jiiveiiduii'
purertoria pura o
W*WO. e deu o resuli nte :
' i.ente Jos Gongalves Moreira de Men-
donga.
Viee-dito-Joaquim LoureDgo da Silva Olivei-
jTO.
1 secretarioManoel Joaquim Eaptista.
2' dito-Jos Domingues Moreira Jnior.
Thesoureiro Antonio Jos Ramos.
ViceditoMiguel de Azevcdo Andrade.
BibliothecarioManoel Francisco Gomes.
FiscalManoel Gaetano de Andrade FalcSo.
DirectoresAdriano de Medeiros Costa, Jos
Candido.Moraes Jnior. Antonio Ferreira Lopes,
Bernardino de Souza Matheos, Domingos Fer
reir N'eves, Antonio de Almeida Gomes, Cons-
tantino Pereira Ribeiro, Octavio llandeira Mer-
gulho. Jfts Nogueira da Silva, Ventura de Sou-
za Matnens, Antonio Florencio Gongalves Bra-
ga e Alfredo de Moura Rolim.
Coaimissao de .-ontas Jos Ferreira Lopes,
Bento de Aguiar e Jos Francisco Diis.
A sesso de posse ter lugar s 7 horas da
noite do prximo domingo, 23 do correte, por
oceasii da soire bi-mestral.
Directora da* Abra* d conserva
ae do Porto de Pcrnwniiro Reci
fe. 19 de Agosto de 1889.
Boletiin meteorolgico
PernambucoQuarta-feira 21 de Agosto de 188$
----------------------------------------------------------------------------------------- i W"
3
a
UDMftHA
I"


=====
1 ~"
! 5=2 Horas og i g -'- Barmetro a 0 Tenso do vapor 3 T3 a

i -~- .. . 3
6 m. 23"-2 762-22 18.13 87
9 23-8 761-03 1980 89
12 23'-9 763-30 19,01 76
37t. 23'-6 761"98| 19,67 80
6 24-9 762-301 18.57 78
Temperatura mxima27",25.
Dita mnima 22.73.
Evaporago em 24 horas aoaol: 3".l: som
ora: 2".2.
Chuva3,-0.
Direego do vento : SSE "de meia noite s 9
horas: S\V at 9 horas e 38 minutos da ma-
nfla ; SE at meia noite.
Calmara durante 3 horas a tarde.
Velocidade media do vento : 1",06 por se-
gar do.
Nebulosidade media: 0.80.
Boletim rio porto
a-a Horas 10-18 da manh J 50 l- tarde 11-3'J. 613 da manh Altura
P. M 19 ile Acost B. M -e. m. B. M 20 de Agosto 1 1-73 -,98 1-75 0-.88
Liiiefe&eciuar-ae nao os segrales
Q- Heje :
Pelo agente Stepple, a 1 hora na Cmara de
Olinda. de parles de engentaos de Goyanna e Pa-
ralaba.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 3, de fazendas de l e miude-
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra estrei-
ta do Rosario n. 8 de urna casa.
Pelo agente Modesto Baplista, s 11 horas,
ra larga do Rosario n. 18, de duas arniagOcs e
pertenec abi existentes.
^ "*Pe!o agente Brito, s 10 1 2 horas, ra da
Penha n. 5, de movis, lougas e mais ODjcctos.
Amanha :
Pelo airenleJMartins, s 11 horas, ra Velha
n. 92. de movis e crotons.
Pelo agente Alfredo Guimares, ao meio dia,
^ a bordo da barca Sampo. da mesma barca.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, a travesea
do Corpa Santo n. 27, de piano, movis, brin-
quedos para mangas, vidros. e!c.
MiMsan fnebresSerio celebra'das :
Hoje :
A's 7 horas na matriz de Pao d'Alho, pela alma
de D. Mariauna G. Yianna.
Amanh :
A's 7 horas, na igreja-da Madre de Deu?. pela
. alma de Idalina Brrelo Powell; s 8 horas, na
niatriz da Boa-Vista, pela alma*do Dr. Joo Pe-
dro Maduro da Fonseca ; s 8 hora~. na matriz
de Santo Antonio, pela alma de D. Mara Ade-
laide de Albuquerque e Mello.
PawMaselroN Chegados do sul no vapor
inglez eca:
Paulo Antonio, Arlhur A. Freir, Dr. Lisboa
Coutinho. Dr. Antonio Burlamaqui, Ado Al ves
Barbosa e 1 liiho, Severino Jos Mana, Justino
de Oliveira, C Duggf, Arthur Williara, capilo
Andersen e AutonioJos Cardoso.
SabidoS para a Europa no mesrao vapor :
Dr. Leonardo A. Cavalcante, T. Tayior, Henry
Ernest Lacee. F. J. Gieck, Joaquna Pereira, In-
nocencio A. Fernandes, Anders Tomassen, Mat-
ti Wittikba, Edward Bernhard Aaby, Erik Da-
nidsen, Vilhelm G. Johnsen, Severi Borc. Pe-
der i'edersen Amdal, Oleo Olsen Xordb, Hans
Albert Antonsen, Hanr Clirislian Andersen, Ar-
thur Gohz, Gustave Geskc. Robert Salisbury e
Jos Martins Taboas e sua senhora.
Chegado de ilacei no vapor inglez His-
torian :
Julias Von Shosteo.
Sahidcs para o sul no vapor brasileiro
Una:
S. A. Imperial Conde d"Eu, Baro de Corumb
e 2 criados e Arlhur B. Dallas.
Caa de UetenroMovimento dos pre-
sos da Casa de Detenco do dia 19 de- Agosto de
1889.
Existiam 132 ; entraram 17; sahiram 16; exia-
tem 433.
A saber:
Nacionaes 400; muliere3 23; estrangeiros 28.
Total 433.
Arracoados 406.
Boas 378.
Doentes 21.
Loucos 7.-Total 406.
Movimento aa enfermara.
Teve baxa :
Antonio Leandro Ramos.
Manoel J. dos Prazeres.
Tiveram alta :
Pedro Flix Antunes.
Joaquim Henriques de Lima.
Bento Jos Gabriel do Nascimento.
Antonio Jos de Araujo.
Hospital Pedro II -O movimento deste
pstabelccimento de caridade, no da 18 de Agosto
foio seguate:
Entraram 4
Sahiram 11
F eceram 2 _
Existera 629
Foram visitadas as respectivas enfermar!;;?
pelos Drs.:
CysneirosO 1|2, Barros Sobrinhos 9, Ferrei-
ra Velloso s 9, Malaquia3 s 8 1[2 ucras.
Nao compareceram os Drs.:
Sim6es Barbosa-
BeraTdo.
Ponina!.
Estevo Cavalcante.
Mostoso.
O cirurgio dentista Nnraa Pompilio nao com-
parecen.
O pharmaceulico entrou s8 l[2da manha e
sabio ;';s3 da tarde.
O aldante do pharmaceutico entrou s 8 1|4
da manh e saiiio s i horas da tarde.
Lotera do fram-Par-A Ia parte da
29" lotpria. dessa provincia, cujo premio crande
120:0007000, ^er extrabida hoje 21 do cor-
rente.
Grande lotera do Varanbo-A 5'
serie da 1 loteria. dessa orovincia, cujo premio
grande 300:00000 ser extrahida no dia 23
de Agosto.
Cemlterio PublicoObituario do dia 19
de Agosto: ,
Jos Mara da Silva. Pernambuco, 35 anuos,
solteiro. Boa-Vista : leso artica.
Francisca Candida de Mendonga Brazil, 24
nos. solteira, Graca ; Beriberi.
Antonio Botelho N'etto, Pernambuco, 28 an-
nos, solteiro, Boa-Vista ; pneumona.
JosS Cyriaco da Silva. Alagas, 53 annos, ca-
sado Boa-Vista ; insufcieneia mitral
Antonio Barbosa de Araujo, Sergipe. 21 au-
nos. solleiro, Graca ; beriberi.
Clara Teixeira Francisca Guimares, Pernam-
buco, 33 annos. viuva, Graca; tubrculos pulmo-
nares.
Francisco Pereica de Jess, Pernajnboco, 70
annos, viuvo, S. Jos; cachexia senil. '
Tribunal da HelacSo
SESSO ORDINARIA EM 20 DE AGOSTO
DE 1889
PRESIDENCIA DO EXM. 8E. COSELHED10
. QUINTISO DE HiSANDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costume, presentes os Srs. aes-
embargadore3 em numero legal, foi aberta a
sesso depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
J LGAMENTOS
Habeas corpus
Pacientes:
Joo de Souza OliveiraJulgou-se prejudicada
em vista da informaco doDr. juiz dedireito.
Jos Alves de Freitas Negou-sp a ordem,
unanimenle, recommendou-se ao Dr. chefe de
polica a prompta reraessa do paciente para o'
districto da culpa.
Recursos eleitoraes
De FlorestaRecorrenle tenente coronel Faus-
to Serafim de Souza Ferraz, recorridos Severia-
no de Souza Nogueira, Bento Jos Ribeiro, Jos
Lopes da Silva, Pedro Gomes dos Santos, Fran-
cisco Lopes de Carvalho Barros, Manoel Gomes
de S, Jos Eloy Gomes de, S, Miguel Freir da
Silva, Manoel Vicente de Barros, Pantaleao de
Souza Ferraz, Antonio Pires de Carvalho Joa-
quim Pereira da Silva, Faustino Freir da Silva,
Ado Goncalves do Nascimento, Manoel Annibal
Pires Canterelle e Jos Valerio de S Novaes.
Dea-se proviraento aos recursos para serem ex-
cluidos os recorridos do alistamento eleiloral:
decretando se a respensabilidade do juiz de di-
rito bacharel Alcebiades Cavalcante, orno in-
curso na3 penas dos artigos 29 3 e 129 8
do cdigo criminal.
De FlorestaRecrreme tenente coronel Faus-
to Seralim de Souza Ferraz, recorrido Alexandre
Gomes da Silva.Em diligencia.
Prorogaees de inventario
Invcntariante Bazilio Magno Serrano de An-
drade.Concedeu-se o prazo pedido.
AppellagOes crimes
De PalmaresAppeUante Jos Miguel da Paz,
appellada a justiga. Relator o Sr. desembarga
dor Toscano Brrelo. Conlirmou-sa a sentenga,
unnimemente.
De Campia Grande Appellantes Emvgdio
Alexandre da Silva e Geraldo Alves da Silva,
appellada a jusliea. Relator o Sr. desembarga-
dor Silva Reg.Mandou-se a novo jury, unni-
memente.
De Alaga do MonteiroAppeUante Luiz Ale-
xandre Ges, appellada a iustica. Relator o Sr.
desembargador Monteiro de Andrade.Mandou-
se arnovo jury contra o voto do Sr. desembarga-
dor Tavares de Vasconcellos.
l'e Garanhuns AppeUante Jos Dionisio da
Silva, appellada a justiga. Relator o Sr. desem-
bargador Tavares de Vasconcellos.Conlirmou-
se a sentenca, unnimemente.
De S. Bento-Appcllante Xisto da Cruz Vilel-
la, appellada a justiga. Relator o Sr. desembar-
gador Dellioo Cavalcante. Mandou-se a novo
jury, unnimemente.
Appellages commerciaes
Do RecifeAppeilante a Companhia Central
Sugar Faetones. Appellados o Baro de Pirangy
e outros. Relator o Sr. desembargador Monteiro
de Andrade. Revisores os Srs. desembargado-
res Alves Hibeiro e Tavares de Vasconcellos.
Conlirmou-se em parle a sentenga contra o voto
do Sr. desembargador Alves Ribeiro.
Do ReciteAppeUante Joo Goncalves de Sou-
za Beiro. Apoellado Gratuliano dos Santos Vi-
tal. Relator o Sr. desembargador Pires Gongal
ves. Revisores os Srs. desembargadores Alves
Ribeiro e Tavares de Vasconcellos.Foram rece
bidos os embargos unnimemente.
PASSAGEN8
Do Sr. desembargador Toscano Barrete ao Sr.
desembargador Deilino Cavalcante :
Appellago crime
De GuarabiraAppeUante Jos Firmo da Cos-
ta. Appellada a justiga.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade :
Appellago crime
Da EscadaAppeUante o juizo e o promotor
publico. Appellado Jo da*Rwha Guedes.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Appellago crime
De GamelleiraAppeUante Francisco Jos Al-
ves de Lyra. Appellada a justiga.
O Sr. desembargador Pires Goncalves como
procurador da croa deu parecer na
Appellago civel
De OlindaAppeUante Antonio Ferreira da
Rocha Leal. Appellado Affonso Ferreira da Ro-
cha Leal.
Do Sr. desembargador Oliveira Andrade ao
Sr. desembargador Silva Reg :
Appellago coinrnercial
De GoyannaA||>e!lante Jos Cavalcante de
Arruda Cmara. Appellada D. Hermelinda Ma-
ra de Jess.
Do Sr. desembargador Silva Reg ao Sr. des-
embargador Toscano Barrete :
Appellago crime
Da Palmeira dos IndiosJkppellante Manoel
Ladislao de Senna. Appellada a justiga.
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justiga:
AppellagOes crimes
De BananeirasAppeUante o jnizo. Appella-
dos Vicente Herculino e outro.
De CorrelesAppeUante Joaquim Ignacio de
Souza Cordeiro. Appellada a justiga.
DISTRIBUICOKS
Aggravos de petigo
Ao Sr. desembargador Silva Reg :
Do Recife. Aggravante Joaquim Cavalcante
de Albuquerque. Aggravado Antonia Luiz dos
Santos.
Appellages crimes
Ao Sr. desembargador Toscano Barrete :
De PiancAppeUante o juizo. Appelladoioo
Cassiano da Silva.
Ao Sr. deserabasgador Delfino Cavalcante :
Da Parahyba -AppeUante o juizo. Appellado
Manoel Ferreira Callado,
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :.
De GaranhunsAppeUante o juizo. Amella-
do Antonio Jos de Araujo.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Ansjrade :
Da PrincezaApellante o juiz. Apfellado
licitando a
-laMPMj eu ex-cai-
NHPftjbeHWHenifnStae a baha pe-
dida.
Da Companhia de Edificago, vinda em forma
ae officio, submettendo a registro copia do ba-
lango encerrado em 20 de Julho do corrente
anno, a lista dos accionistas e a relago das
transferencias.de aegoes de dita conipanbia.Sa-
tisfaga o parecer fiscal.
De Antonio Fernandes da Silva Beiriz e um
command tario, apresentando a registro o con-
tracto de sociedade que celebraran) sob a Urina
de Antonio Beiriz & C., com o capital de 2:2O0
sendo o fundo em commandita de 2:000J, para
compra e venda a retalho de gneros solidos e
lk|udos, guardando se o segrdo recommenda-
do no art. 312 do Cdigo Commercial. Faga-se
o registro pedido.
Nada mais ha vendo a despachar, o Blm. Sr.
commendador presidente encerrou a sesso s
10 1/2 horas da manb.
COMMUNICABGS
-*...........
Antonio Alves dos Santos.
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Da Gloria de GoitAppeUante Manoel Joa-
quim de Sant'Auna. Appellada a justiga.
Ao Sr. desembargador Tavares de Vascon-
cellos :
De NazarethAppeUante o juizo. Appellado
Jos Ezequiel da Silva.
Ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
De CaruarAppeUante o juizo. Appellado
Luciano da Cruz Cordeiro.
Encerrou-se a sesso s 2 horas da tarde.
------------
Junta Commercial da cidade do
Recife
ACTA DA SESSO DE 16 DE ACOSTi)
DE 1889 y
PKESIDKXCIA DO IU.SI. SB. COMMBNDADOR ANT0XI0
GOMES DE MIRANDA LEAL
Servindo de secretario, o Sr. deputado supplente
Paula Lopes
A's 10 horas da manh declarou,-se aberta a
180, estando presentes os Srs. deputados Olin-
to Bastos, Herminio de Figueirdo e supplente
Paula Lo|ics, faltando com participagSo o Sr.
deputado Beltro Jnior.
Lida, foi approvada a acta da precedente sesso
e fez-se a leitara do seguinte :
EXPDIE.STB
Officios :
De 13 do eorientc. da A3sociago Commercial
Benelicente. communicando a eleigSo dos func-
cionarios que teem de dirigil-a actualmente.
ResDonda-se e archive-se.
De 10 do corrente, da junta dos corretores
desta praca, remetiendo o boletim das cota-
ges ofbciaes de 3 a 10 do corrente.Seja ar-
chivado.
Diarios Officiaes de ns. 208 a 217.Para o ar-
chivo.
DESPACao*
Petiges :
De Carlos de Arruda 4 C, que foi ao fiscal
para informar, e em que pede registro de sua
marca especial de cigarros.Rcgistre-se.
A intriga
Desde que dos arraiaes conservadores sanio a
voz dissonante, que corporisou-se na imprensa
da provincia pb a denominago A Epocha, que
nao se tem cessado de glosar o phantasiado mol-
te : recommendago do Exm. Sr. conselhelro J.
Alfredo candidatura do Ilustre Dr. Joaquim
Nabuco, pelo 1* districto.
O nosso respeitavel correligionario, o Sr. con-
selheiro Portella, bem sabe que nao passa de
urna grande aleivosia semelhante historia, que
se repete propositalmente, com o fira de emba-
hir-se a boa f e credulidade do3 simples ou dos
3ue andam a cata de pretextos para, nesta hora
illicil, ficarem em quarteis de invern.
Entretanto, parece de simples bom seseo que
quelle nosso presmoso amigo corre o imperio-
so dever de vir publico, cora a 'calma e refle
xo que tanto o distinguem, referir a verdadeira
historia, que de modo algum fica mal ao chefe
do partido.
Est na honra do prestigioso candidato do Io
districto acabar, de urna vez por tedas, com se-
melhante intriga, sobretudo porque, alinal, re-
dunda em una explorago cusa do sen honra-
do nomo, sempre acatao pela direego do par-
tido.
O aleive tem assumido as mais assombrosas
proporges, pois at se. assegura que diversos
conservadores trabalham contra o Exm. Sr. con-
selbeiro Portella, em obediencia recommen-
dago do chefe Proh pudor'.
E'verdade que j tivemos um exemplo.no
nosso partido, muito parecido com este, que ora
se phaatasia : em urna eleigo senatorial, a ul-
tima procedida nesta provincia, um do3 cava-
lheiros, que com outros, recominemlou a chapa do
partido, cousentio sem a menor reclanarao, que
ibsse apresentado aos sull'ragios do eleitoradoo
sen neme ; e, embora ficasse muito distanciado,
na votago geral da provincia, aos candidatos da
chapa, foi grandemente estranhad o facto, que
incontestavelmeute enfraqueceu a recommenda-
go da direego, da qual, alias, continuou a fazer
parte o mesmo cavalbciro !...
Mas na presente occasio, nao nos consta que
baja conservadores trabalhando contra o Exm.
Sr. consclheiro Portella, que o candidato do
partido;; e, si um ou outro assim procede, mere-
ce as mais acres censuras como as em que in-
correu o alludido cavalheiro, no pleito senato-
rial.
Sem receio de conteslago procedente, pde-
se afirmar que nenhum conservador de certa
signilicago commette, na presente eleigo, ta-
manlio erro, pratica to l'eia ingratido para
com o candidato do partido.
Em todo o caso, sempre conveniente, era taes
assumptos, toda a franqueza. Porque no decli-
naros nomes dos conservadores, que procedem
to irregularmente ?
Digara tudo que sabem; deixera o expedien-
te das metas patarras, com que se tem feilo tan-
ta fortuna, eapontem, censura do, partido, o
amigo ou amigos della merecedores.
Si o nao fizerem, que desejam somen'e di-
vidir, pela intriga, o partido, sem se preoecupa-
rem e paiecemto at que} aproveitando o mo-
mento uiais inconvenienteo da adversidad'1:
quando 'so podera lucrar com isso os donos da
siiua gao. que logram juntar maistesta s im-
mensas vantagens de que j dispOem.
Si nao ha. pois, conservador qne trabalhe con-
tra o Exra. Sr. eoosilheiro Portella, e si este
foi indicado pelo partido aoa guffragios do elei
torado do Io districto, como dizer-se que o ehe-
fe recominendou o Sr, Nabuco, com pteterigo
daquelle amigo ?
E semelhante coarclada servio de fundamen-
to para i;naginar-se urna traigo e encontrar-se
um traidor 1...
E ao passo que todos os-dias amontoam arra-
soados contra os nossos mclhores amigos, pois
a traigio, se ouvesse. della seriara reos todos
os que collaborarara na chapa apresentada, ne-
nhuma palavra se articula contra as demisses
acintoBas feitas em raassa pelo Sr. de triar;
nenhum grito de angustia se faz ouvir,pelas vio
lencias de que, nesta provincia e em todo o im-
perio, vo sendo victimas os nossos amigo que
se conservara finm-s em suascrengas; BOiiuma
rensura se levanta contra o desbarato dosdinhei-
ros pblicos, postes em circulago para a con-
quista das urnas, sob o falso pretexto da steca ;
finalmente nenhuma palavra, nenhuma alDrma-
go que legitime a procedencia e sinceridade
das ideias de que se; dizem arautos e, o que mais
-His legtimos arautos em contraposigo dos
demais que denominara de falsificados !!
Traigo e traidor! Onde osba f Na cnlminan-
cia do partido ou no seio dos seus homens mais
importantes e devolados causa que defen-
demos ? I
Que o.responda a grande e sempre aguerrida
phalang conservadora desta provincia, que tan-
tas victorias temalcangado contra os adversarios
naturaes, sob a leal, solicita e prestigiosa di-
reego do seu honrado chefe.
Burke.
ra serem substiluidos por felizes protegido?,
reconduegao de jtiizes substitutos e
municipai-s, j assignados, foram cassados, sen-
do que alguns desses juizes j haviam presta-
do juramento e entrado em exercico, como suc-
cedeu com o de Timbaba. as estradas de fer-
ro foram substituidos quasi todos os engenhei-
ros, assim co:r:o as repartigoes de hygiene os
medleos respectivos, tudo com grave detrimen-
to doservigo e simplesraente para arranjos elei-
loraes I
. Si do governo geral, deseemos ao provincial
o que se v em toda parte 1 A mais infrene
reaego como ha denunciado a imprensas do
norte e sul.
Aqu, em Pernambuco, nao foram demetlidos
o inspector do thesouro provincial, o adminis
Irador do theatro, o director da bibliolheca, to-
dos os promotores, todos os officiaes do corpo
de polica, collectores, escrives de .'oecterias.
delegados litterarios, liscaea de empreza etc.,
etc?
E a isto que o auctor das Quotidianas chama
pequeo numero de exoneracw-s e estas mesmas in-
dispensaveis, porque o governo no deve entregar
seus destinse seussegredos a horneas du credo
contrario 1
Mas onde que cargos taes j foram conside-
rados de conlianga poltica ?.
Tera razo o articulista ex-adverso. Para se
fazer urna defesa situago actual prec-so ele-
var a mentira altura de um principio !
Lycurgo.
Recife, 20 de Agosto de 1889.
Dr.. Alvares Cfuintarles, negado da
corte, dedioa-se medicina em geral, e
com especiadade m molestias do cora-
cao, pulmcs, figado, estomago & intesti-
nos e tauabem s sJfecyBes das enancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. "46, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o sen
escriptorio a ra do BarSo da Vietoria
w
Air, AJio
dadJfWmmno, p&
Reparos necessarios
O escriptor das Quot'dianas, no Jornal do
Recife de honiem, procurando responder a urn
artigo da Xacao, transcripto neste Diario, pelo
valente jornalista. que se oceulta sob pseu-
dnimo de feaconsfield, sustenta que a mentira
pode e muitas vezes urna necessidade social, tis
to que a humantdade carece de um certo fundo de
Ulusiio que Ihealeice o peso da vida, e, como ho-
raem convencido, comegou logo a por em prali-
ca o seu exdruxulo principio.
Accusado o governo acta! da tremenda rer;.
gao que fez e continua a fazer em todo o Im-
perio, o nosso illu3tre adversario, vendse na
impossibilidade de oppor contestago seria, abri
as azas phanta'sia, pretendeu desnor'.ear o pu-
blico com urna chusma enorme de citages, e,
soccorrendo se mentira, que era, p.ahypotnfl-
se, urna grande necessidade para elle, concluio
oscu artigo com as segrales palavras :
A situago liberal tera-sc restringido a uto
pequmo numero de exonerages, estas mesmas
indispensaveis, desde que nao podia ejApIr
seus destinos e'seus segredos a bom
do contrario, que para beneficio de
trahil-as-him necessariamente.
- Felizmente nao temos a lamenta
dessas derrabadas geraes qua se do frequenlu
mente nos'Estados Unidos, e como se dea cora
a ascengo conservadora em 1883, per <|Hsia9
da qual, smente no Piauhy, foram dmtttil,.-
cento e sessenta e guateo empregados noprasu de
cinco horas
Demos de barato que effeclivamenle na Ierra
do Sr. Sygismundo tenha havido, em 1883, o
grande numero de demisses a que se refere o
escrinlor do Jornal do Recife; mas, perguntamos,
3ua;ilos d.'sses demeltidotfno seriara auctorida-
_^^^Baes ou exerceriim cargos nao remu-
?rad:;
Em todo caso a verdade e que, quaj o subi
ao posjWTem.1883, coaio em < poclw nlerior, o
partido conservador limitou-se a fajdaasde-
- indisoensaveis, isla ^me emprega-
dos de contianga poUlica, 'e tanto qe, para ex-
emplilicar, o articulista a quera jaspn i
foi buscar urna provincia remota, onde as pai-
xOes partidarias sao sempre multo ardentes.
Na situago actual, porm, u- tj oas-
saram de outro modo. A raa^^H
inspectores de iesouran;r
pregados, em summa. que foram se
Partido ct nservador
Blm. Sr.Os abaixo assignados, membros do
Directorio do partido conservador desta provin-
cia, por indicagSo de seu illustre chefe, o Exra.
Sr. conselheiro Joo Alfredo Correia de Oliveira,
organisaram e tm a honra de offerecer con-
siderago do eleilorado a chapa para .deputados
geraes, na eleigo a que se vai proceder no dia
31 de Agosto prximo.
Em tal organisago, o directorio consulteu,
com a mxima ponderag&o. e procurando u
maior ^actordo possivel, "nao s as legitimas
conveniencias partidarias, como as circumslan-
cias difficillimas em que seacha o paiz, eos ele-
mentos pessoaes de cada candidato.
Assim, maniendo os nomes que era anteriores
eleigOes j receberam a sagragao do partido,
com excepgao dos nossos prestrnosos amigos
Visconde do Rio Formoso e Dr. Alfredo Correia
de Oliveira, que ora se abstm espontneamente
e por motivos imperiosos de ordem particular, e
apresentando novos candidatos, que igualmente
se recommendam por seus servigos e talentos,
acredita o directorio que procura dotar a pro-
vincia cora urna representago digna de suas
honrosas tradieges, na altura das eircumstan-
cias e dos legtimos interesses do partido.
Embora, em vista de factes j occorridos nes-
ta provincia, como era tedas as outras, nao
possamos confiar na promessa solemne, feita no
parlamente pelo gabinete actual, da mais com-
pleta liberdade para todas as crengas, lera o
partido conservador o dever de mais urna vez
disputar as urnas a victoria to brilhantemente
obtida em pleitos anterieres.
Para a realisago desse resultado que, alm de
natural e legitima aspirago partidaria, se nos
alfigura imperioso dever no momento poltico
que atravessam as instituigoes do paiz, e para
conjurar as difliculdades que possam provir de
possiveis, seno provaveis pretenges da situa-
go actual de trauspor os limites legaes no pr-
ximo pleito eleiloral, o partido conservador tem
necessidade de manterse forte pela mais irre-
prehensivel coheso. pela mais severa discipli-
na e pela mais decidida energa.
Nunca tanto se impoz a inisso do partido
conservador! Nunca a ordem tanto precisou do
amparo e dedieagao de seus naturaes defenso-
res !
Os vencidos, nossos amigos, que tentarara, no
governo, como louvave! aspirago, urna poltica
de generosidade e tolerancia, esto sendo victi-
mados, com esquecimento das mais attendiveis
considerages e dos maiores reclamos da justi-
ga, aos golpes de desenfreada e frentica reae-
go, esse vezo antigo dos nossos adversar'103,
que perpeta os odios e a oppresso, porque
desalia reacgOes futuras, e que' tanto mais in-
toieravef'quanto podia e devia ser contida pelo
nico remedio eflicaza jusliga dos governos !
As condige3 difliceis da actualidade e as di-
versas aspirages e planos de reforma que se
agitam na arena poltica, esto reclamando a
naio circumspecro e a interrengo activa do
paralo conservador, para garanta dos princi-
pios de ordem.
A autonoma provincial e municipal, sob a
haseda maislirga desceotralisago, sao nece-
sidades que hoje mais que nunca se impSem,
como condigo de vida e desenvolvimento das
provincias e municipios e manutengo da inte-
gridade do imperio, que nao pode deixar de ser
" pirago de todo o brazileiro.
Com relago, e.-pecialmente, s ameagas que
se anuunciam contra o partido conservador do
norte do imperio, e, particularmente, contra o
desta provincia, mnis se accenla o nosso dever
patritico de organisar a resistencia, at porque
pelo actual syslma eloitoral a nenhum governo
possivel a conquista illegal das urnas. E des-
te modo, cumprindo o partido conservador o seu
dever, o gabinete actual, quaesquer que sejam
os seus planos de intervengo e corrupgo, nao
ba de poder resistir futura cmara, mxime
enfraquecido, como j se acha, no meio das di-
vergencias do seu proprio partido.
Em taes conj un duras, preciso que o partido
conservador, unido, disciplinado, preparado
para a lucia e cheio de patriotismo, se congre-
gue, como um s partidario, nos diverses dis-
trictos eleitoraes, em torno dos respectivos can-
didatos.
Confiamos em vos. Cumpri esse dever de
honra para com o partido, esse dever de pa-
triotismo para cora a nago !
Eis a chapa :
1 districtoConselheiro Manoel do Nascimen-
to Machado Portella.
-' ditoDr. Jos Nicolao Tolentino de Carva-
lho.
3o ditoDr. Felippe de Figueira Faria.
4 ditoDr. Joo Juvencio Ferreira de Aguiar.
5 ditoDr. Gaspar de Drummond.
6a ditoBaro de Suassuna.
7o dito-Dr. Jos Vicente Meira de Vasconcel-
los.
8" ditoBaro de Granito.
9o dito -Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado
Jnior.
10 ditoConselheiro Francisco de Assis Rosa
e Silva.
11" dito-Baro de Lncena.
12 dito-Conselheiro Antonio Gongalves Fer-
reira.
13" dito -Dr Jos Moreira Alves da Silva.
Recife, 31 de Julho de 1889.
Bardo de Lacena.
Visconde do Rio Fonnoso.
Alfredo Concia d'Oliveira.
Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
Felippe de Figueira Faria.
Joo Juvenciv Ferreira de Aguiar.
Barao de Suassuna.
Barao de Gi ailo.
Jos Bernardo G. Alcoforado Jnior.
Franciseo de Assis Rosa e Silva.
Antonio Goncalves Ferreira.
vados nos seus postes, viram se destocados, pa-' lepnone n. oOd.
INDICARES OTIS
Mdicos
Dr. Castro Jess medico e operador.
Platica a lavagera do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
3 da tarde em sua risidencia ra do
om Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.*
Ir. Telephone n. 389
Barretto Sampaio d consultas de
ffel-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
*rua do liaro da Victoria, n. 51. Resi-
dencia rua Sete de Setembro n. 54, en-
trada peja na da Saudade n. 25.
Lr. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Caxias n. 46, 1." an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
PDBLIG4C0ES \ PEDIDO
Rio Grande do Norte
A0 paiz e ao conimercio
O Exm. Sr. ministro da agricultura
acaba de praticar um acto de justiga, in-
deferindo a petigo do Romao tenente-coro-
iiel Jouo Pinheiro de Souza, na qual pedia
urna concessSo de 6 /0 de juros ao anno
para um engenho central no valor de
750:000->000, no municipio de Macahyba!
Quem conhce prfeitamente o valle do
Potengy daquelle municipio, seus enge-
nlios de fabricar assucar, e a posicDo d'a-
quelle Romao cacicato, nao pode deixar
de appludir a acto de verdadeiro patrio-
tismo do Sr. ministro, indoferindo tal pre-
ten?ao. ?
O tenente-coronel JoSo Pinheiro, ho-
mem de urna ignorancia crassa, que mal
sabeinetter canna no seu engenho Flores-
ta, no qual nnnea fez safra superior a
1.000 saceos de assucar, isto em annos re
guiares, que est com seu engenho hypo-
thecado a Paula Eloy & C. por somnaa su-
perior a vinte contos, quando nao vale
quinze contos, servio apenas de Romo do
habilissimo commendador Unibtlino Freir
de Gauveia Mello, chefe dos honrados Faula
Eloy & C, que procura todos os meios de
tentar fortuna, para salvar o barco, que se
acha irremediavelmente perdido, j servin-
do-se d'este ignorante tenente-coronel, j
pedindo letras de favor, quando ah esteve
n'esta praca,, aos distinctos agricultores
Tenente coronel Jos Flix e coronel Jos
Ribeiro, por intermedio de.Torguatb Dan-
tos, seu agente de compras no Cear-mi-
rim, a quem ficou a dever cerca de qua-
torze contos de ris, de assucar, que man-
dou comprar a diversos senhores de en-
genhos, para fazer os dous ltimos carre-
garaentos da safra passada; que tem em
seu poder cerca de dezesete contos de rs.
dos orphaos do finado Eloy de Souza, fra
os juros respectivos, e bem assim outros
dezesete contos de rs. da terca, da qual "
segundo testamenteiro ; procura portante
todos os meios 'para salvar se, nSo tendo
pressa de sacrificar a qualquer incauto,
que se Ihe deixe cair as garras.
Engenho central na freguezia de Maca-
hyba no valor de 750:0005000 urna des-
tas empresas absurdas; pois que o vale
do Potengy, a principiar de Utinga, e
afindar em Barreiros, dista duas leguas de
varzea estreita, tendo apenas mais largu-
ra no engenho Arvoredo, e Santa F, ter-
renos seceos, que produzem apenas era an-
nos muito regulares cerca de 16, a 20
mil saceos de assucar, repartido em cerca
de vinte e tantos engenbos de animaes,
t^ido apenas duas maquinas a vapor, que
sawos principaes engenhos do valle, tendo
cada um prepogSes para-3 mil saceos, ti-
rando estes, o que resta ?
Pequeos engenhos de animaes, qne a-
zera de 1,000 r*accos a 200 no meio dos
quaes se acha Floresta- do Romao tenente-
coronel Joo Pinheiro, e accresc^e que, ti-
rando se uns dois Senhores de engenho to-
dos se achain completamente arruinados,
tendo at alguns abandonado as proprieda-
deB, niXo s porque n3o r.cham quem lhes
adiante ainheiros, cerno tambem devido
s estagSes irregulares.
Portante foi de justiga negar a conces-
aao do Sr. Ministro d'Agricultura.

I
n. 51, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me-
dico crurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Pogo da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manhS e
tarde. Teleshone n. 392
Dr. Joaquivi Loweiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Cerqiteira Leite, tem o seu escripto-
rio na ra Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diante ra Banio
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de enanca senhoras e parto.
Telephone n. 326. da casa de residencia.
Occulista
Dr. Ferreira. cora pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os das das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia ra Larga do Rsari'> p- 20-
Ad rogad os
O bacharel Witruvio Pinto Bandei.ra,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, l. andar.
Silveira, advogado. Escriptorio ra
do Imperador n. 69.
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocacia, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1.a
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silua& C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas c medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Merraria a rapor
Serrara a vapor e officina de curapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petenciaPernambuco.
men-
recorlKa* 6 verba
toccorrob pblicos, que ef> dando para
omita cousa nesta infeliz prevmeia, j que
V. S. de ontra forma nSo pode salvar o
barco, que desastramente encalhou-o, e
sujeite-se aos agrrcultdles da provincia,
principalmente aquellos a quem o Sr. Tr-
quato Dantas comprou assucar, o chama-
ren! de fallido !' Outro officio celebrrimo
commendador.
At outra vez.
Ultima hora
Consta, que o hbil commendador Un-
belino de Mello est ageitando as eMsas
para dar urna botada nos cofres pblicos
em cincoenta contos de reis, a pretexto de
fazer em Macahyba urna eadeia, brrr o
rio, e fazer estrada para a zonado Serid!
Isto no so comenta! E' um horror,
urna immoralidade !
O presidente desta provincia segundo
parece entregou-se ao velho Tintureira, e
seus sequazes, e a provincia, qne gema,
corra o sangue dos pobres retirantes, mais
os dinheiros pblicos, que nao para os
bolsos dos que vestem casaca e luva de
pelica.
Basta.
Natal, 2 de Agosto de 1889.
Os indios d'Al ckia.
O Dr. Leite Velho e a sua
monographia
0 Dr. Leite Velho dignou-se dirigirme algu-
mas palavras sobre as observagoes me estoa fa-
zendo a sua monographia, e, classificando-as de
critica, considera-me : apparatoso e pouco ben-
volo.
Nao estou criticando a monographia eetou
apenas externando as minhas irapresses, sem
nenhum apparato, e com a maior temperaaga de
linguageni.
Si o Dr. Leite Velho. respondendo, convencer-
me de que ando errado, uao lenha receios: se-.
re piompto em peniterciar-me, porque em
certas quesles somenle lica vencido quem pro-
positalmente nao se convence
Magoou se o Dr. Leile Velho, porque assigna-
lei o seu apego, em certos pontos a Lobao.
Sem querer entrar na parte da monographia a
que nao rhegam as minhas observagoes, basta
ler os arts. Io e 5 para verilicar-se que foi exa-
cta a minha apreciago.
O Dr. Leite Velho faz valer contra mim a sua
qualidade de velho pratico.-
Respeiio, e muilo, os meus collegas vetera-
nos ; mas nao subscrevo os seos erros.
Citarei a proposito um fado, que deve pesar
no animo do Dr. Leite Velho, pois refere-ge a
um dos paranymphos de seu trabalho.
0 illustrado conselheiro Dr. Joo Capistrano
Bandeira de Mello, lente de pratica do proceso,
foi adrogado do Dr. Figueira de Meljo. no in-
ventario do commendador Francisco'de Carva-
lho Paes de Andrade, em cujo feito funecionei
como inventarame.
Promovendo-se, eml882, a desergo de orna
appellago, o illustrado conselheiro embargou.
arlicnlando que o julgamento da desergo so-
mente podia ser proferido pelo Tribunal da Re-
lago, mediante instrumento do dia de appare-
cer...
Impugnei os embargos e, a despeito dos ele-
vados eoulfcimentos e lonja pratica do conse-
lheiro Bandeira de Mello, nVpude' aceitar a no-
va Iheona.
Todos, velhos e mogos, podemos errar ; e pro-
cede bem aquelle que em todos os seus trba-
teos nao esquece lal verdade.
Kecife, 21 0 Agosto de 1889.
Dr. Vicente Ferrer de Barros W. Araujo.
Hospital Portugiiez de Be-
neficencia
Acha-se convocada para 25 do corrate, urna
reunio da asseniblea geral dos socios deste es-
tabelecimeato de caridade. com o fim de se tra-
tar da aposentadora pediua pelo seu medico 0
Illm. Sr. Dr. Pitanga.
Admittimos, que este distincto clnico, lenha
por rauitos annos prestado, embora remunera-
dos, seu3 bons servigos a este hospital. Admit-
timos, anda, que alm da remunerago qoe elle
percebe, o Hospital Portuguez o deva distinguir
com o titulo de Socio benemrito, se anda o nao
fez. O que, porm nao podemos admittir, que
se lhe deva conferir sua aposentadoria, salvo
sem remunerago a'guma ^pecuniaria, que im-
porte um onus para o hospital, que, se sustenta,
por assim dizer, da caridade de corages bem-
fazejos, ] portuguezes: j brasileiros ; de esmo-
las, emlim,
Julgmos fazer justica ao Illm. Sr.Dr. Pitan-
ga, acreditando, que elle pede sua aposentado-
ria sem onus algum para os cofres do hospital,
dando assim urna prova de desinteresse, e amor
instituigo ; principalmente, nao precisando
S. S., j pelo seu perfeito estado de saude, e j4;
pela sua posigo social, de desfalcar essas es-
molas que pertencem aos pobres.
Se, porm, nos engaamos, o que nao qaere-
mos acreditar, enlo, os socios do Hospital Por-
tuguez cumpram o seu dever.
Reciie, 20 de Agosto de 1889.
Um socio.
c>ooc< soo^c<>xccc0'.oocococc:
AO ILLM. SR. DR.
I Jlenrique 'lacijues ocluid
COMPRIMENTA
g Pelo seu anniversario natalicio |
A. P. M.
21 de Agosto. |
Vl
A franqueza e equidade
Sito fontes do bem moral!
D culto sempre a verdade,
Um coragSo liberal!
Cumpre ser conservador
De raz fundamental,
E tambem bom trovador,
Um corac3o liberal.
Batalhei, fui derrotado,
Por ser franco e crer em petas,
Para sempre condemnado
A ver buracos e gretas.
De mim me devo qucixar
Em desprezar as suspeitas;
Nao devo, pois, propalar
Entre buracos e gretas.
Nullo por ti fiquei
Sem Deus, sem amor.
Por teus affagos lutei,
Ingrata, jamis te vi.
sem ti
Cidade do Cabo.
O administrador do Cemitcrio.
SLYKIRA
. i ADV6GADO
'-'-BIJA DO IMPI:R4D0B


y
V '' .
mmafmiiatmi r



V.
Diario de Peraambuco-Quarta-feira 21 de Agosto de 1889
lTER)A)E,
BfiTDO
Eis o que em data de 10 de Junho de 1888 eacreveu o reputado clnica
Sr. Dr. rias A. da Silveira, residente em Barra Mansa, provincia do Rio de Janeio
ro, em relacSo a um precioso preparado, que grande tSo aceitacSo encontra hoje na
America do 9I.
* O Peitobal de Cambaba', importante preparado do Illm. Sr. J. Alves
de 8. Soares, de Polotas, possue. propriedades balsmicas pronunciadas, e exerce in-
fluencia benfica em todas as affecc5es catharraes, principalmente naa do apparelho
respiratorio e genito-urinario. As affecc3es catharraes do larynge, dos bronchios e da
bexiga, quando primitivas, cedem promptamente aa uso reiterado do Peitobal de
Cambaba'.
As secretes muco-purulentas, symptomaticas da tuberculose pulmonar,
modificam-se vantajosamente, tornando mais desembarazado o campo da hematose
pulmonar.
E', portanto o Peitbbal de Cambaba', um heroico meio preventivo e
um auxiliar no tratamento da tysica pulmonar, tad requente no Brasil.
Em nossa longa pratica temos tirado extraordinarios resultados da tintu-
ra do Cambar, no curativo das feridas recentes, obtendo quasi sempre uniao por
primeira intensSo, pelo que deduzo que o Peitobal de i'ambara' encerra principios
altamente anti-scepticos, virtudes therapeuticas procuradas, hoje, para combater-se
as molestias da causa parasitaria, como soem ser a maior parte das affeccoes broncho-
pulmonares e genito-urinarias.
Hiunlio eleitoral do Tigtpl
Nunca povoado lo humilde deu mais o que
fazer!
Os taes senhores soffrem da bicha mas nao que
rem dar o braco a torcer Caras duras !.....
E o Sr. Antonio Augusto nao tomou o pio na
unha ?!...
Quer ver se pesca com os da Rertholeza para
disfarcar o embarque da sua bisca; quer fazef
se valer de influencia no Tigipi, qnando ha de
votar de caixao (em qaem nao sei), por pelegas
de 100 e 200 (menos cifras, pouco importa).
E o diabo do homem com os seus nao 6 in-
lluencia local ? Quera dira !. ...
Pobre do conselheiro pobre do Dr. Nabu:o !
Vo se derrotados no Peres por causa da influen-
cia do d'Oliveira !... mas os diabos das pele-
3as... hao de abrandar os duros coracdes dos
'Oliveira, dos Aunes, Cimez, Couto, manetas ou
nao!
Srs. do Norte, acreditara nos Oliveiras e Cons-
tantinos ?
Siebel da R. Jnior.
4 districto eleitoral
Nao mandei publicado alguma para a folha
denominada Norte.
Recife, 20 de Agosto de 1889.
Jos Mara Ramos Gorjo.
til e agradavel
O Peitoral de Cambar, alm da sua
utilidade na cura das molestias broncho-
pulmonares, possue prazer agradavel e
bem .tolerado pelas creancas, em cujas en-
fermidades tambem se applica com gran-
de proveito.
iv. soo
leo puro medicinal de l'gadn de
Baralbo de Lanman A lemp
Nenhum chimico tcm podido at hoje dizer-nos
em que consiste os principaes curativos do Oleo
de Figado de Bacalho.
Porm nao importa, basta que se saiba que
um remedio seguro e efficaz para os pulmOes
debis e as gargantas enfermas, para as glndu-
las escrofulosas e os systemas extenuados. Po-
rm aqui deve-se fazer urna reserva distinctiva-
Deve ser puro e legitimo, pois que do contrario
para nada presta.
Se desejais ter neste particular urna completa
eguranca, confiai aos, unicatienteo que po-
jis fazer com toda a segurancu do Oleo Puro
Medicinal de Figado de Bacalho, de Lanman &
Kemp; extrahido de ligados frescos, a prova
contra todas as raudancas de climas, escolente
em todos os respeitos.
O agente balsmico pode ser iode, brome, ou
qualquer outra cousa.
Porm isto fica sendo um segredo da natureza,
sabemos, comtndo, que o elemento conservador
da vida, seja elle qual or: nelle existe.
Os doentes maclenlos e paludos, martyrisa-
dos pela tosse e extenuados pelos copiosos sao-
res nocturnos, devero desde ja hincar mao deste
especifico approvado, se que do o menor
apreco as suas saudes.
Porem, por amor de vos mesmos, nao perdis I
tempo, toda a demora c fatal.
Acha-se a venda era todas as principaes bo-
ticas e tojas de drogas.
AVISO A NUESTROS LECTORES
Los de nuestros lectores que vayan a
Paris mientras la Exposicin, saben ya que
podran leer los ltimos nmeros de nues-
tro peridico recibidos sea en casa de los
Srs. Amde Prloee y C, sea en
el gabinete de lectura instalado por dichos
corresponsales, en el Pabelln de la Repbli-
ca de Guatemala, en donde el comisario
general de Guatemala ha puesto graciosa-
mente a la disposicin de dichos Srs.
Amde Prface y C, una sala con
terrado.
Para evitar toda confusin, los amigos
nuestros que se hagan dirigir la corres-
pondencia a la casa de los citados Srs.
Amde Prlatce y C. debern hacerlo
36 ru Lafayette, en donde estar espe-
cialmente organizado ese servico. (2)

Leonor Porto
II
I!.
Ra Larga do Rosario nu-
mero 96 i (
SEGUNDO.ANDAR Y
Contina a executar os mais difficcis \
figurinos recebidos de Londres, Pariz,< >
() Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicSo de costuras, e 3 t
em brevidade, modicidade em precos ai
fino gasto.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Bario do Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas das 10 as 4 horas da tarde.
Ao eleitorado do &. districto
Com a serenidade de espirito que soem ter se
almas superiores retemperadas na adversidade,
declaro ao corpo eleitoral do 3 districto que,
rejeitando a deciso da coramissao executiva do
partido liberal que me.excluio da lista dos as-
pirantes a um lugar no seio da representaco
nacional, fuco appello d'eBsa deciso para o mes-
rao corpo eleitoral.
Nunca soube subscrever ao capricho e in-
justica.
No abastardamento geral dos caracteres nao
admira que aquelles a quera o acaso feliz ou al-
guma circunstancia extranlra poz testa dos
negocios polticos de urna circurascripgao pro-
vincial qualquer, coafundam o joio cora o trigo
e pesera inconscientemente a ouro e lio, era ba-
lauca falsificada pela bajulago e pelo capricho,
o mrito e o demerito, a corisciencia si eo es-
pirito destituido de brio; o patriota e o cory-
pheu de iodos os desbragamentos e de todas as
falsilicagees polticas.
Nao ser assim que se far boa poltica ; nao
ser com agreraiages as alturas sociaes de ca-
racteres disparatados em intuitos e sentimentos
e com a lia social guindada e lantejoulada por
lilulos obtidos pela subserviencia, pela perfidia
e pela venalidade que se firmar&o as instituices
j to profundamente abaladas.
Nao aecuso, nao rae julgo de momento com
direito de acensar o governo central; a genera-
lidade de scus actos deixa ver o proposito pa-
tritico de servir as aspiraces do" paiz, corri-
gindo especialmente os erres e desvos da ante-
rior administracao, mas a boa dnvivo du nao
do Estado nao depende semiente da bussola que
Ihe indica os pontos cardeaes, ero do rumo que
Ihe imprimem peritos palinuros; necessario
que toda a companhu opere harmnicamente
como peca de um machinismo correcto.
Nao ser com mercenarios e flibusteiros que
ella far rota segura de salvaco.
Fui substituido na chapa do partido em minha
natural candidatura pelo 3. distrreto por um
individuo que, aposentando camaua quatrien-
nal, ora sua maioria liberal, um diploma de di-
putado e sendo esse diploma aecusado de nullo
por falsificacao de acta eleitoral, nio o defendeu
nem perante a commissao de verilicacao de po-
deres, nem na imprensa, rimando d'esta arte
que a Cmara em sua justica se pronunciarse
pela aecusagao e que ticasse firmado contra si o
tremendo e aviltante cstygma de falsificador.
S um tal individuo pode ser representante da
Nafto por radicas*) de um partido que deve-se
ter em conta de moralisado e patritico, nao sei
o que deva caber em parlilha as grilhelas de
Fernando de Noronha.
Como programroa m apoie de minha candi-
datura aprsenlo em prioieiro lugar o meu pas-
sado, e no raovimento rpido de transformaco
que a nossa sociedadc vai levando depois da
aboligaodo elemento servil, pronuncio me pela
autonoma administrativa c poltica das provin-
cias ec grao que nao perturbe a marcha regu'
lar das instituicesv.nera faga perigar a uniao
nacional.
Kecife, 10 de Agosto de 1889.
Silcino Catalcanti de Albuquerqae.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de cnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meie da s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
se-
MaQ-~-
Estreitamento da urelhra
AO ILLM. SB. DR. CARLOS BKTTESCOCETi
Eu, abaixo assignado, declaro que, estando i
soffrendo de ura estreilamento da^urethra, acom-'
panhado de blennorrhea, recorr ao Illm. Sr. Dr.!
JJettencourt, por quera fui onerado pela electro- i
lyse sem dor, ficando radicalmente curado em I
curto espaco de tempo I
Ao muito digno Sr. Dr. Bettencourt os meus
mais sinceros agradecimentos.
Joao Rodrigues de Britto.
--------------^---------------
I
8 urdo s
Um^pessoa que foi curada da surdez e zui-
do de ouvidos, de que padeca ha 23 annos,
usando de um remedio nui'o simples, enviara
gratis a sua descripro a queni a desejar Diri-
ja-se ao Sr. .Mcholsn, 16U, Santiago del Esie-
o, Buenos-Ayres.
Vias urinarias, molestias das
nhoras, operaces elctricas
:i.:::,::: sittsstcoe:
ESPECIALISTA
com pratica de paiis e Londres
Estreitaraento da urethra curados ra-
dicalmeate |>ela electrolyse, sem dr;
hydroceles sem injeceo (cura radical);
feridas e ulceras chronicas, com garan-
ta de cura rpida ; pedras da bexiga,
fstulas efleraorrhoidas ; syphilis, go-
norrhas, pelo methodo das mstillacoes ; ,
molestias da garganta e do peito pelas ) i
athmospheras medicamentosas. <.on- \ }
sullas e operagOes das 12 s 3 horas da
tarde.
RA DO MRQUEZ DE OLI.NDA H. 3i,
2o ANDAR
Ri-Nidenria na Torre
CGM1ERCI0
Revista do Mercado
RECIF3. 20 DE AGOSTO DE 1889.
O raovimento foi quasi nullo, havendo peque-
;ias Iransacfes no mrcalo de cambios.
~
Advocado
0 Dr. Gomes Prente mudou seu escriptorio
para & ra do Imperador n. 34.
Bolsa
"AlUE3 OFFICIAES DA JDNTA DOS COB-
EETOEES
Uecife. 20 a Agosto de I&59
Nao houve cotaco.
O presidente,
Candido ''.. G. Alcoforario.
O secretario,
Eduardo Dubeux
Algodo
Cota-se o de 1" sorle do serto a 7^000 por lo
cilos.
A exportago, feita peU alfandega neste mez
e o da 17, attingio a 329.197 kilos, sendo-----
-295.849 para o exterior e 233.348 para o interior.
As entradas verificadas at hoje soben) ao.Ioo*
saccas, sendo por:
tarcaQas..... \:)7 Saccas
Vapores ..... 2.105
Ammaes...... 1.388
Via-ferrea de Caruai. 34 t
Via-ferrea ilf S. Francisco. 118 '
Via-ferrea de LiiLoeiro 2i
Soruma-
3.156 Saccas
Cambio
Po:-ser diti de mala para a Europa, o movi-
miento foi pequeo.
Os bancos continuaran! a saccar a 27 d.. offe-
recendo alguns 27 1/8 se apparecesse dinheiro.
Papel particular foi mu scasso a 27 1/4.
No Rio os bancos acharara pouco dinheiro a
27 /8.
Papel particular esteve escasso a 27 3/16.
_________ TABELLA8 AFWXAPA8
f |- f f I I i
I w s I
. a ,| .. -.
I T
a......
n
'". 3.....
. 2.....
<=
<-.
t
i
' s
i
*
Ao "corpo cleitora do 1 dis-
tricto
Apresento-me ao digo corpo eleitoral do 1."
districto desla provincia, solicitando a distineco
com que por mais de urna vez me tem honrado,
coocedendo me urna cadeira na Cmara dos De
potados.
Faco-o por forca das ideas que reputo conser-
vadoras, convicio de que ellas se impi'm ac
tualmente de modo imperioso e hao de prevalecer
alinal.
Sao as mesmas que, d.ida a mudanca da si-
luagao poltica, tenho manifestado particular-
mente ao ver apreyoar-se como vencedora a
baAdeira dafedracao. e ao notar o silencio
dos chefes conservadores di diversas provincias,
constando mesnio que a alguns era ella sympa-
thica.
Hoje que, felizmente, observo o pronuncia-
ment conservador em algumas provincias de
accordo com as miaas ideas, julgo-me mais
animado ao expol-as ao corpo eleitoral.
Anie a agibtco que vai pelo paiz era firtU'le
de manifeslacoes contrarias s instituicOes tjio-
narchicas, e das tentativas de reformas compro
mettedoras da integridad* do imperio, meu
dever, solicitando os soflragios do corpo eleito-
ral, definir bem a minha posico.
Convicto de que com as actuaes inslitui<;es
pode o Brazil continuar na senda do progres>o
que tem percorrido, confio que os partidos cou-
stitucionaes, inspirndose era verdadeiro pa-
triotismo, nao faltarao nisso que Ities pro-
Cria, conjurando os jieri^os que tantas appre-
enses desperlam.
D'cntre as reformas que se projecta sobre-
salte a da feder.ii;aa, a que homens de um e
outro credo poltico mostrara adherir, c cuja
realizaco tanto mais para recejar quanto em.
sua juslilicago nao fallara allegarles em yppa-
rencia seductoras.
A' ella opporei a mais forma! resistencia : e
far-lhe-hh a opposco que couDesse em minhas
forcas aioda quando alguns ou todos os chefes
conservadores, deixando-se deslumhrar pelos
attraclivos da celebridade, ou pela espectativa
de ascengao ao poder viessem a adoptal-a.
N2o nova a idea dafederaco. -
Agitada nos tempos calamitosos que succede-
rain ivvoluc&o de 7 de Abril de 1831, foi en-
lo acei;a pela Cmara dos Depulados no proje-
clo adoptado para a reforma da Constituieo ;
mas a sabedona do Senado oppoz-lhe resisten
cia em 1832, e as duas cmaras, reunidas em
assembla eral n'esse anno, n-jeitaram n'a
como incompativel com as inslituicOes monar-
cliicas.
Da discusso ento bavida no parlamento ve-
se com que fundamento l'oram combatidas esta e
outras ideas perigosas, consignadas no proje-
cto reformador eaviado pela Cmara ao Senado.
--
As entradas verilicidas ate- a data de hoje se-
bera a 3.741 saceos^ sendo por:
Barracas
Vapores ....
Ammaes....
Via-ferrea de Garuar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Lmoeiru
Sinii.u.
i.640 Saceos
Saceos
8
m , * -- C4 a. *3
<> W B i- <
-~- es w *~* g>
a
t& O.
ll os 2, 9
00 Hh * 5 : -.- ^
* !3 e -: -
rs ~. *

, . * w' %
te CJS M <
-^l es 19 ~< fq
5
=

f
o
- u
*a o
te *
3 9 i
Cota-se a 10501H, por pipa de- 48'> litros.
A leo o
Cota-se a 200>W por pina de 480 litros.
Mel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros saleados, 36S a 370 res, e os verdes e
210 res.
Pauta da alfandega
sbiiana db 19 24 ve agosto de I8S9
Vide o Diario de 18 de Agosto
Maio de 18 e nos se
mos o consslheiro Martim Francisco RiDeiro1
de Andrade :
Insistirei anda sobre a antinomia que se
encontra na noco complexa demonarcliia
federal.
Que suppe a palavrafederagoapplica-
da a qualquer Dac&O ? A de estados inde-
- pendenies unidos por um laco qualquer. E
monarchia ? Um estado compacto e unido,
regido por um s chefe.
Como possivcl combinar duas ideas ma-
nifestamente contrarias -compacto e separa
do- f
Eu pelo menos ignoro.
Agora pergunto ainda que vem aro Sr.
D. Pedro II era um tal systema de governo i
Una tautologa, ou petico de principio, ver-
dadeiramente irrisoria.
Se ento, de accordo com estas ideas, a sabe-
doria dos legisladores poude repellir a projec-
tada monarchia federal. cum|ire que hoje igual
resistencia ella encontr, o que de esperar do
patriotismo dos brnzileiius, recbnheceudoquan-
to emelhanle reforma perigosa para as ins-
tituicOes e sobretudo para a integridade do Im-
perio.
E foi sem duvida, attendendo u esses perigos
que. trazidade novo a Cmara pelo llustre de-
putado o Dr. Joaquim Nabuco em 1883 e em
1888, a idea de constituir o Urazil em -uionar-
cliia federativa -, licando- os Revernos provin
cines completamente independentes do poder
ceii'ral -, nao foi o respectivo projecto julgado
objeelo de deliberagau. Assim resolveu a e-
mar coaserradora era 26 de Maio de 1886 sob
o iloii.inio do ministerio 20 de Agosto, e em 17
de Agosto do anno passado sob o do ministerio
10 do Margo.
Nao vejo razfio para que a opinio conservae
dora, assim expres-a de modo tao tigmlMativo que iiem ao menos
julgou digna de discusso semelhante reforma",
deixe de subsistir.
A forca da coherencia, quando outras razes
nao houvessera faz presumir que no aceitar
hoje o que hontera rejeitou ni limine.
'retende-se que a tederacao contera o movi-
mento republicano.
Illudem se aquelles que assim pensam. Si
o nascente partido republicano, descreudo das
instituices, aspira outro rgimen, nao recuar
certameute de seus intuitos, c estes sero tanto
raais fcilmente conseguidos quanto mais en-
fraquerida eslivor a acro das instituices iio-
narchicas por forca d -federaco, dando-se
ento na evolucao de um para outro rgimen,
licar o Brazil na mais seriu e grave das lucias
entre o principio unitario e o federal.
O proprio autor do projecto. ao ju*tiIical-o
pela segunda vez. bem assiguulou o perigo com
as segrales palavras:
A repblica federativa, nao pode deixar de
ser um imraenso perigo, e as provincias sob
ella ver-se-hiam ameacadas ou de perder a
sua independencia legislativa ou de separar
se dacollcctividade.
Por outro lado allegase que ; urna questo
vencida, que e intil resistir porque a carda
prestou-lhe previa adheso, no se devendo ser
mais realista do que o ni. Mas nem o conse-
lheiro Saraivj, segundo referi ao seado, na-
uifestou coroa o pens.menio de realisar a-
federaco-. esiraestarinclinadoao votse
parado do Congresso liberal, e nem a resposta
da cora( o senhor sabe nielbor do que nin-
guem que eu nunca fui embaraco a vonlade da
dacio, expressamente manifestada ) expri-
me outra cousa senao louvavel disoosico de
conformar-se com a vontade da rucao, quanuo
manifestada expressamente.
E, quando assim nao fosse. nem por isto se-
ria menos cabivel a resistencia par.i bem ser-
vir no s a cora como principalmente a pa
tria, por cuja prosperidad':, dependente da
uniao devenios todos azer esforcos e sacri-
Scios.
Quando, onde e porque forma toi espressaJa
a vonlade nacional no sentido da^-federacao
para que se considere questo vencida ?
O que se observa que desde 1832 nem na
imprensa e nem no parlamento a idu da mo
narchia federativa-tai trama a discusso e
que 3alisfeitas as aspira$<-s das proviucia.5
cora a adopc/io do Acto Addicional, tem prom-
rado os adeptos das franquezas provinclaes pro
pugnar pela descentra I isaeo administrativa,
como muito interessa as provincias.
O que ainda se observa que os mais esfor-
gados propugnadores da fidcragomosfra1
nao tel-a ainda estudado bem quanto ao modo
ortico de constituil-a. E' assim que vernos o
voto separado do Congresso liberal commetter .
autoridadenacionala competencia de or-
ganizar o poder administrativo e legislativo as
provincias -e, o ilustre qon^ellieiro Prado em
seu manifest preiender que seja dacompe-
tencia das provincias organisarem-sc- poltica e
administrativamente !
Como esta outras questes praticas de mxi-
ma importancia surgt-riam redamando estudo
que ainda nao tiveram. como dos agentes a
quem o poder central ou nacional commelta as
provincias a.execuco do suas ordena c leis, se
especiaos ou provinciaes, os conflictos que po-
deiu surgir e o modo de. resolvel-os.
Diz-se que nao convm fazer questo de pala-
vras eque -sefederagoexprime mais do que
separago completa entre os interesses provin-
ciaes e geraes, para dars provincias, exclusiva-
mente, a direccao dos seus negocios, substitua-
se a palavrafederacoporautonomia=.
Mas aautouomia inlierentefederago,
e esta se lirmar desde que a provincias live-
rem competeucia para=;e organisarem politica-
mente-
Bem se podo avahar o estado a que ficar re
duzido o Brazil si as provincias se regerera por
constiluiges proprias ou dadas pelo poder cen-
tral, estando presas sme.ile pelo laco da fede-
rago. Bem o descieveu um dos Ilustres mem-
bros do coagresso liberal, o conselheiro Silveira
Martins, as seguintes palavras : Provincias fe-
deradas com governo imperial isolado no Rio
de Jtfiro se
nisapfc=ou
seria: icia rga-
ular, diz o ilus-
trado conselheiro Andrade Figueira: seria=
comprometter a integridade do Imperio, dis-
solvendo cunfrouxando os lagos de indispensa
vel centralisago poltica qie unem as provin-
cas ao governo central =.
Quando a tendencia geral das nag.Oes fortifi-
caren) se pelauniao. seria para lamentar que
'O Brazil, pela federago das provincias, vsse que-
brado este lago que tem constituido a sua forga
e ha de conduzil-o ao maior engrandecimcnto.
Assim me expressaiulo, nao posoo acoetar a
intimagao de que=ao partido do governo devem
filiar-se, pela conformldade de intuitos, todos
quantos adherem poltica da resislenc'a=. Nao.
Entre a poltica aventurosa dfederaco -, e o
programma de reformas adoptado pelo governo,
ha posigao digna para os conservadores,oou
soltar melbor os interesses das provincllis. pro-
raovendo, em vez de reformas na Constituigo as
de carcter administrativo que se harmonisarem
cora o peusamento do Acto Addicional, lirmaudo
ampia descentra^aco administrativa sem que
bra da centra I isugito politiea.
Assim, o partirlo conservador, resistindo ao es-
pirito innovador, poder cumplir a sua misso,
maniendo as instituigOea em que a ordem e a li-
berdade lera encontrado garanta, e satisfazer os
justos reclamos das provincias, fazendo cessar a
demasiada centralisago administrativa, que ha
muito as opprime sb o dominio de amb s os
partidor
N'este. terreno ha muilo a fazer e nao fatam
estudos e trabalhos a aproveitar quer era bem
da vida das provincias quer da dos municipios.
D'entre o ampio cathaiogo de reformas adop-
tadas pelo congresso liberal, o Ilustre Presiden-
te do conselho escolheu pencas como mais ur-
gentes e opportuuas para nrogaunna do gabine-
te, salienlainlo-se entre estas a da electivulade
dos presidentes das provincias e a do alarga
ment do voto.
Quando a esta, parece, me que a ampiitude Ihe
e" dada por tal forma que quasi constitoe o -vo-
to universal
Quanto aquella, comprehendo a conveniencia
de regular a nomeagao dos presidentes de pro-
vincias de modo' que baja garanta (le acert e
que taes funecionarios lenliam estabilidade.
Mais para conseguirse este resultado, o meio
por certo n2r> ser ffectindade desse agentes
do poder publico administrativo, e sim o cnie-
rio dos governos na escolha de taes funeciona-
rios preferindo os mais aptos, e ao inein lem-
po assegurando-lhes a precisa independencia
com relago aos interesses da comunho sob
sua jurisdiego.
A propria cmara de 1831 nao se lembrou de
consignar cm seu projecto de reforma da con-
stituigo a eleclividade dos Presidentes das pro-
vincias.
om toda a razio o Ilustre conselheiro Pauli-
no de Souza em seu recente manil'esto'se ex-
pressou a espeito nos segnmtcs termos: Nao
posso comprehender o rgimen Imperial na sua
accepgo con.-.titucional sem a ailribuigo do art
163 da constituigo.
Basta examinar as bases que o congresso libe-
ral adoptou, nao s reguladoras das-destituicSes,
suspenses e attribuices dos presidentes electi-
vos como lirectoras dos servieos gentes, para co-
nhecer-se os perigos a que Reara exposla a ad-
ministrago e os conflictos que ho de surgir
Diz bem esse Ilustre cooselheiro-que em sen
espirito nao se formula o modo praticode coope-
rago eficiente do Presidente da provincia elec-
tivo cora um poder gerai que lera por chefe o
monarcha hereditario. -
Acresce que. como bem pondera o conselheiro
Andrade Figueira em su i ultima circular.a
a clcctivi-.lade dos Presidentes de provincias
conduz federago c esta a renulica.
Creio ter dito bastante para patenteiar o meu
peusamento e determinara minha posigo.
Nao preciso fallar de mira e nem do modo por
que cumpri o mandato que 0 Ilustre corpo elei-
toral se dignou confiar-menas deiges de 1881.
1834 e 1886.
Resta-ora apenas aguardar o- julgamento do
Ilustre corpo eleitoral.
E' posslvel, e mesmo pro va vel, que a alguns
eleitores conservadores do I" districto n5o agra-
des) minhas ideas a respeito da federaco das
provincias.
Sentirei que por este dcsaccordo venha a per-
der a seus votos 'bem como os daquelles que,
levados por outros motivos, desejarcm favorecer
a eleico do meu Ilustre contendoresforcado
propugnador da federaco. O futuro se eucar-
regar de mostrar se erram ou se procedem com
acert.
Aos Srs. eleitores evo urna explicago. J os
tendo procurado pcssoalraente em pleitos ante-
riores, conhecem-me bastante para desculparem-
me se agora, pela estreiter.a de tempo, nao me
fr posslvel proceder do mesmo modo, e me per
mititrao ento que me limite a presente expo
i cao.
Da extrema benevolencia de que os Srs. eleito-
res me tem dado repetidas pravas, aguardo a
desculpa impetrada.
Honrem-me com seus votos aquelles que me
julgarem digno d'elles. A" estes os meus cor-
deaes agradecimentos,
Recife, 10 de Agosto de 1889.
Manorl do Nascimento Machido Porlella.
Quarto districto eleitoral
de Pernambuco
Illm. Sr.Pretendo a honra de ser depulado
geral por esta provincia de meu nascimento
pelo que rogo a V. S. o muito particular fa
de dar-me o seu voto e dos seus numerosos *"
amigos por esse quarto districto em a eleicao
de 31 do corrente mez ; anticipando Ihe os mees
sinceres agradecimentos.
Se eu merecer o obsequio que venho de soli-
citar, ser minha misso no parlamento braz i-
leiro sustentar o luminoso programma do pa-
tritico e venerando gabinete 7 de Junho.
Sou com a maior consideracao e- estimafa
V. i. venerador e criado oh.-igadissimo,
Jos Hara Ramos Gorjo.
Recife, 17 de Agosto de 1889.
/
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io and.
Consultas de 8 s 10 da maulla.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TEL.EPHONK N. 226
MEDICO HOMEPATA
\)l Balitar da Silveira
[ Especialidadefebres, molestias
das enancas, dos orgaos respirato-
rios e das sentaras.
Fresta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
|( 4VIM
i Todos os chamados devem ser di-
( rgidos pharraacia do Dr. Sabino,
H na do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia. M
Iriso aos aossos Icltores
Os nossos leitores que visilarem ?'ar'3
durante a Exposicao j sabem que pde-
nlo 1er os ltimos nmeros recein-cliega-
dos do nosso jornal que cm casa dos Srs.
Amde Prinee & O, 36, r Lafayette,
quer da sala de leitura pelos nossos cor-
respondentes estabelccida na exposico
no Pavilliao da Repblica de Guatemala
cujo commissario geral dignou-se de pCr
graciosamente urna sala com varanda
disposigao dos inesmos senhores.
Para se evitar qualquer eonfusao, os
nossos amigos que quizerem recetar a
sua correspondencia em casa dos Srs.
Amcd rince & '., devem mandar diri-
gil-a ra Lafayette, n. 36, por ser a
sede do servico especialmente organisado
para isso.

id
vocacia crime
RIUEIRO DA SILVA, defende perante o^
ury de Palmares, Agua-1'reta. Gamelleira,j
Jaboato, N'azareth, Victoria, Tim-I
comarcas visinbas s vias
( ljury de
(JEscada,
( bauba e as
fefrecs.
Pode ser procurado ra
" A. Livraria Parisiense.
l
de Margo) l
(j
PHOSPHATINAFflLIERES.AIimentotoCriaagas
Barca no>-ueguense Gtlead
Asaacar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a Associagiio Gommercial Agrcola, foram
os seguintes:
Branco..... 3*600 a 4*000
Somenos..... 2*700 a 3*000
Mascavado purgado 2*200 a 2*00
ruto (firme) 1*600 a 2*000
Rtame..... 1*200 a 1*400
A exporlagio l'eita pela alfandega neste mez at
o da 17, suoio a 1.011.4291/i kflos, sendo 520
para o exterior e i.OiO.909 i/2 para o interior.
.\avios descarga
ferragens.
Barca nacional Cecilia, varios gneros.
Barca hespanhola Progresso. carvo.
Barca allema/. F. Pust, carvo.
Barca norueguense Solid. carvSo.
Escuna hollahdeza Jan Smit, farinba de man-
dioca.
Lugar americano Hamah Me. Loen, farinha de
trigo.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar nacional Louo. xarque.
Lugar americano Belle llooper, farinha de trigo.
Patacho nacional Rival, xarque.
Patacho allemao Marie con Oidendorp, xarque.
Patacho nacional Regalen-a, xarque.
Patacho allemao Fredenck, xarque.
Patacho dinamarquez Jugor, xarque.
Patacho dinamarquez Geflon, xarqin.
Vapor austraco Ztchy, varios gneros.
Vapor inglez EUtow, carvo.
Vapor inglez Historian, varios gneros.
Vapor inglez Bellcna, vanos generas.
Kiporaco
Cira, 19 DB AGOSTO DE 1889
Tlxra n exterior
No vapor inglez listonan, carregaram ;

moda sem:
Do dia 1 a 19
dem do 20
Para Liverpool) Livramenlo & C. 110 tetela
das de ferro velho.
Para o tntenor
So vapor americano Fnance, carregaram :
Para Rio de Janeiro, Costa 4 Fernandes 4,000
cocos, fructa ; P. Valcnte & C. 100 saccas com
Sili kilos Je u.'trodo.
Para Santos, A. V. de Barros 200 saceos com
12,000 kilos do assucar mascavado ; Amorim
Irmos & G. DOO saceos cora 54,000 kilos do as
sucar branco e 610 ditos com 36,600 ditos de dito
mascavado.
No vapor nacional T. do GrCw Para, carre-
gou :
Para PeneJo, M. A. de Jess 9 garrafes com
108 litros de genebra".
No hiate nacional Camelia, carregou :
Para Paraliyba, M. Gong-uves da Rosa l,00u
saceos com farinha de mandioca.
Para Natal, M 'Jongalves da Rosa 1,000 saceos
com farinha de mandioca.
Nabarcaga TUerezinlu, carregou :
Para Parahyba, A. LemosSO saceos com 4.000
litros de milho.
Rcadasucasos pub!lco.
JUta DR AGOSTO
Alfanaega
43:8t676
24:548*259
Renda provincial
Db dia 1 a 19
dem de 20
50407i2i
2:569*8'*! '
448:399*930
52:977*265
Professora
Por casas particulares, na cidade ou nos arra-
baldes, offerece ee urna senhora para leicionaro
seguintc :
Portnguez, francez, italiano, geographia, piano
trahalho de agulha, bordados e llores.
Garanta.As discipuias effectivas que tem c
diversos altestados de pessoas Ilustradas.
A tratar na relojoaria do Regulador da foli-
aba, ra Larga do Rosario n. 9.
3 Hecif* Drairaage
Do dia i a 19 |i:8i2*T48
dem de 20 2:S 32 I
16:8933077
__
Mercado Sfunicpal e S. 4o*
O movimento deste mer-.'ado uo dia 19 jde
Agosto foi o seguinte :
ntrarara :
43 bois pesando o,',
316 kilos de peixe i 20 ria
9 cargas com fariu.'ia a 2CM) res
lditasdefructas diversas 300ris
9 taboleiros a 200 r. s
i i suinos a 200 r
26 matulos com legarais a 200 res
Poram oceupados:
26 columnas a COO res
i escriptorio a 300 cis
2o corapartimeutos de u..ir.haa500
25 ditos de comidas a 30fl ris
73 ditos de legumes ..... iss a
400 ris
15 ditas de suinos a 7001
7 ditos de fressuras a 600 ais
44 talhos'a^
A.dvogado
O bacbarcl Arthur da Silva Reg tem o seu
escriptorio de advocacia ra do Imperador n.
34, onde pode ser procurado para os misteres
de sua profisso.
632*
1*800
3600
1*808
2S200
5/200
152600
300
12*500
12*500
29*200
10*5:J0
4*200
88*000
Rendimento do da la 18 do cor-
rete
tomiaa total 501:377*200
Segunda secgao da Alfandega, 20 de Agosto
de 1889.
8thesoureiroKlerencio Domtogiies.
chefe dasecQ-Cicero Ii. de.sjello.
RecebeAorla di eral
Do dia 1 a 19 23'.227*037
dem de 20 3:752*962
26:979*999
Reeebedrla provluclal
Do dia 1 a 19 17:351*915
dem de 20 473*169
-----------------17:825*084
Foi arrecadado liquid
Precos do dia:
Carne verde de 240
Carneiro de 720 a t
Suinos de 360 a ;
r arinha de 480 a 7
Milho de 360 a 400
FeiiSo de 1*000 a i
193*720
3:822*820
4:016*530
Vapore a sabir .
MEZ DE AGOSTO
Cear e esc... Pirapama......... 22 Sul..........Espirito Santo.....24 Valparciso ... Sorata............ 25 Santos e esc. Ville de Balda..... 27 Norte.......Para............. 28 Sul..........Don.............. 29 as as as as as as 3 h. 5 h. 12 h. 3 h. 5 h. 3 b.
: 8 0 110.
Hatadoii'o y a#ilico
Neste eslabelecimento forera abatidas para
consumo de hoje 90 rezes r.-rteicentes a diver-
sos marchantes.
Vapores-a entrar
MEZ DE AGOSTO
Norte......... Espirito Santo..... 24
Europa....... Sorata............ 23
Europa....... Ville de Baha..... 26
Sul........... Para............. 27
Europa....... Don.............. 2*
Movimento do Porto
Navios entreds no dia 20
Buenos-Ayres e escala'12 dias, vapor in-
glez eca, de l."56 toneladas, cominan-
dante G. M. Kicks, equipagem 100,
carga varios gneros ; a Amorim Irinao
& C.
Macei1 dia, vapor inglez Historian,
1.201 toneladas, commandante Robe:
Buddle, equipagem 29, carga varios g
eros ; a Johnstou Pater & C.
Maco13 dias, hiate nacional Deas i
Salve, de 70 toneladas, mestre Antonio
Jorge do Nascimento, equipagem 5,
carga sal; a Bartholome Lourenco.
Baltimore4> dias, lugar americano Belle
Hooper, de 451 toneladas, capitao L.
P. Gilky, equipagem 7, carga farinha
de trigo; a Lopes Irmaos & C.
Liverpool54 dias, barca norueguense
San Luiz, de 278 toneladas, capitao B-
Gurdersen equipagem 10, carga varios
gneros; a Browns & C.
Navios sonidos no mesmo dia
Southampton e escalaVapor inglez Xei\i,
commandante G. M. Kicks, carga varios
gneros.
Hamburgo e escalaVapor allemao (
sius, commandante C. Rix, carga-varios
genero.
Elixir cabera de m-gra do Dr. Santa
Roa analyMado em f'arix e t\"
provado pela Inspectora fceral
de Hj'Sleue.
(Premiado na Exposicao)
Continuamos a prevenir o publico que o ve~-
dadeiro elixir caheca de negro o da formu.a
do Dr. Santa Rosa, que como garanta tera ea
seu favor os attestados passados pelos mais dis-
tinctos mdicos, desla e demais prorincias do *
imperio, por pharmaceuticos, desembargadores,
advogados, engenheiros, commerciantes, empre-
2ados pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
etc.
Fiouc, porumto, o publico sabendo que o eli-
xir fabricado na ra da Cadeta, pharraacia te
Hermes Souza Pereira, Succcssores, uraaimita-
co do nosso.
Deposito do verdadeiro, ra do Rom Jess n. i3
ADVOGADO
O bacharel Salusliano Jos de
Oliveira pode ser procurado para
os misteres de sua prolissdo.
ra Estrella do Rosario n. 10,1."
andar.

:
*,

r

i
fe

>


Diario de PernambucoQnarta 21 de Agosto de 1889
5
ti

dvosrad
o
eu
escriptorio de achocada ra to Imp
81, onde lo todos os das utei-
borts da 9 manila as i da tarde.
EDITAES
O Dr. Manoel Tobias do Reg Albuquer-
que, juiz de orphaos do termo de Ta-
quaretinga, por Sua Magestade o Inipe
rador, a quera Dous guarde, etc.
Faz saber a todos os que o presento
edital vircra e deile noticia tiverem, que a
este iuizo requereu e justiricou Jolo Go-
mes Barbosa, a pr.idigadadi de seu ri-
lho Vicente Ferreira Gomes, de maior ida-
de, casado, cora multar e filhos, e todos
residentes neste termo ; julgada por
sentenca a referida justificacto, foi no-
meado o justitieante Joao Gomes Bar-
besa curador de dito seu filho; pelo que
estando elle interdicto, e como tal inca-
paz de administrar seas bens e de fazer
qnalquer transacoao ; mandei passar o
presente que ser afixado nos lugare pu-
blicas da comarca e publicado pela im-
prensa da capital, para que chegue ao
conhecimento de todos.
Dado e passado nesta cidade de Taqua-
retinga, aos 1G de Agosto de 1889.
Eu, Jo3.<> Barbosa de .Souza, escrivfio
de orphaos, o escrevi.
Manoel Tobiax do liego AVju 3.' hccco.- Secretarla da Prealden-
cia de Peruambuco, I de Aguato
de ins
O Exm. Sr. conselheiro presidente da provin-
cia, de ordein de S. Exe. o Sr. conselheiro Vis-
conde de Ouro Preto, Ministro e Secretario de
Estado dos Negocios da Fazenda, faz saber ao
commerrio de Pernambuco e tnais interessados,
que nesta secretaria recebem-se at 31 do cor
rente reclamaces sobre a tarifa das Alfandegas
e regulamentos de 22 de Fevereiro de 1888, re-
lativos aos impostos de industrias e protisses,
Jfcu descrea consideradas na revisita a que
Tai proceder o Ministerio da Fazenda.
O secretario,
Francisco Leopoldo Mnrmho de Souza^
5.a seccao.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-preaidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Io da le n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, tendo-se concluido por meio de laudo
dor em 18 ce la visto deduzir-
Se da de 998:77', valiacao,
a importancia de 3:*'i*5000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnaa.c 5 bracos com lam-
peones, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretado interino,
Manoel Joaquim Silveira.
Empreza do%Gaz
AVISO
A empreza de illuminacao gaz desta
cidade por neo gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
cao do edital em que a presidencia da pro
vincia chama concurrentes paja o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisayo da empreza
actual a quantia de 998:7770^28. par
quanto foram avaliadas pelo arbitro Rieseis
patador as obras da mcBuia empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contract.-mte. vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaiacSo nao pode servir
de base para tal indemnisaeo, por ter
sdo legal c irrogiil.'trui'iute feita, ben
como que contra ella j protes ou, quer
peraute o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer peraate o juizo dos fetos da
fazenda,* tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr procurador dos feitos da
Fazenda Provnci-1, como representante
da ropvincia.
E como quer que de va em tempo op-
portuno fazer valer seas direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicacao para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
George Windsor,
Companhia Ferro Carril de
Pernambuco
Tendo a repartirao de Obras Publicas da pro-
vincia de proceder a reparos na poute de Afo-
gados, interrompendo o transito de vehculos e
animaes, declaro que do dia !2 do crrente at
a coucluso das obras os carros da linba de
Afogados furno ponto antes da ponte, permane-
cendo entretanto o mesmo horario actual.
Recire, 20 de \gosto de 1889.
Carlos Alberto Menezes,
Gerente. _____
Instlalo rcheologico e Geogra-
phico Pernambncano
Quinta-feira 22 do correte, hora do costu*
me, haver sesso ordinaria.
O Sr. Dr. Lopes Machado incetar a leitura de
urna serie de ionios, que interessam historia
tiesta provincia.
Secretaria do Instituto, 20 de Agosto de 1889-
Uaptisia Regueira.
t- secretario.
Convite
Sao convidados todos 03 directores e domis
socios das extractas sociedades abolicionistas,
para st reunir ra s 6 horas da tarde de sexta-
feira 23 do corrente.no caes 22 de ! I" andar, alim de se tratar da diitribuicSo das
medalbas da Campanha Abolicionista nesta pro-
vincia de 1&80 a 1888. As deliberares sero
tomadas com qualquer que sej.i o numero de in-
teressados que comparecer.
Reeife, 20 de Agosto de 1889.
Jos Mananno.
Joo Hamos.
Guilherme Pinto.
Dr. Barros Sobrioho.
DECLARACOES^
S. R. J.
Sociedade Recreativa iuvcntiidc
Sarao bimestral em 25 de Agosto
Convites em mo do presidente, ihgressos era
mo do thesoureiro. Nao se admitte aggrega-
dos.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juventude,
de arbitro desempatador, a questao de ava-1 jg de Agosto de 1889.
iacao do material da empreza de illumi- 0 2- secretario,
aaeao gaz desta cidade, fica aberta Antonio F. Lopes,
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zea, cordos da data do pi esente edital,
para contracto da dita illuminacao, me-
diante as'seguintes clausulas da citada le:
3. Nenhuma proposta qer recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000$
em dinheiro ou apoiiees da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao co contracto,
no caso de ser preferida a sua pro posta.
4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante senao lindo o contracto e
servir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel compri ment das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5. O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens offerecer
aa concurrencia.
I 6.1 A nao ser no cjwm do paragrapho
antecedente, a actual mpresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por torca da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacao ter lugar de accordo com
;ssa mesma clausula, e ficando o material
e obras da empreza bypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
I 8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
I 9." Opreco da illuminacao, quer publi-
ea, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
ae urna redcelo de mais de 30 j,,, para
'js estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartieses publicas.
10." O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
/3o do gaz.
11. A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias cstranbas, que possam pre-
judicar a illuminacao e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermacetc,
correspondentes a 120 graos inglezes.
13. As horas de illuminacao publica
serao fixadas pelo presidente da provincia
r.o principio de cada anno, nao podendo
-er em numero menor de seis, nein maior
de dez, devendo neste caso haver urna
reduecao no pre$o do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
% 14." O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para fratar e
definitivamente resolver as questoes que
se suscitarem, quer cmi o goverao,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis c regulamen-
?03 e jurisdiccao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
15. O contractante ser obrigado a
eollocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminacao pu-
blica c particular 6er feito em moeda do
paiz, sem atten$ao oscilla9ao do cambio.
\ 17. O contractante poder organisar
apanina, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigaySes do contracto.
j.*Para as desaezas eom a iscali-
saco do servico ce illuninacao o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
v de 3:000Q00, que serao recomidos ao
Thesouro Proviraw!.
6 19." O presiden^ da provincia esta-
beecer as multa e nJftis condicSes, no
ntuito de garantir a boa jexecuyao do con-
racto, quer com relac;5o\a illuminclo pu-
blica, quer com a particuriar.
Faz-se publico, finabneaite, que o novo
actual em
taima citado, a [
actante ter
reza, conforme
Hippodromo do Campo
Grande
Convido os possuidores de accfjes preferen-
ciaes, eraittidas por este Hippodromo, para re-
ceberem da mo do respectivo ihesoureiro os
juros correspondentes ao primeiro semestre,
que serio pagos ao portador, de segunda-feira
19 a quinta-feira 22 do corrente, das 10 horas
da ra;inii s 2 horas da tarde.
Escriptorio do Hippodromo do Campo Grande,
18 de Agosto de 1869.
O presidente,
/. /. Gomen.
Companhia Amphi-
trite
Paga actualmente um dividendo de 6i000 por
aceita, com referencia ao ultimo semestre lindo
em 30 de Junho prximo passado, cm seu
escriptorio a ra do Cornraercio n. 48.
Reeife, 6 de Agosto de 1889.
Os directores,
Antonio Marques de Amorimf
Manoel Jos da Silva Guimares.
Joaquim Onfo Das os.
Banco de Crdito Real
de Pernambuco
Nos termos dos art*. 8* e 6' dos estatutos, sao
convidade os Srs. accionistas realizarem at
o dia 31 do correte inez, na sede do Banco
ra do Cornraercio o. 3i, a 6 entrada de 10 o/0
do valor nominal de suas arces.
Reeife, { de Agosto de 1889.
Os administradores,
Manoel Joao de Amorim.
Antowo Fernanda Ribiro.
Luiz Duprat. _____
Recebedoria de rendas inter-
nas geraes
Imposto de industrias e proissOes
0 administrador da Recebedoria faz publico,
que llnda-se no dia 31 do corrente mez 0 praso
para o pagamento Lvre de multa do imposto de
industrias e profissoes .relativo ao 2 semestre
do exercicio corrente de 1889, e dopois desse
praso ser cobrado com a multa de 100.0.
Recebedoria, 20 de Agosto de 1889.
Alexandre de Souza P. do Carrao
Irmandade do Divino Espi-
rito Santo
Hesaseral
irao con1
25S
De ordem do irmo juiz de novcwcoovido a to-
dos os char83imos irmSos para comparecerem
em nosso consistorio quinta-feira, 22 do corren-
te pelas 6 horas da tarde, para em assembla
di? mesa geral elegennos o thesoureiso e mais
cargos que existem vagos, por no-terem acei-
tado oa que foram eleilos.
1 la irmandade do Divino Espirito
dos Santos Costa Jnior,
Monte-Pio dosTvpographo
de Pernambuco
A dinectbrk do Monte Pi dos Typographos,
de aceordo com os socios presentes em sesso
de H resolveu que licasse suspensa a mesma
sociedade por 60 dias. e faz um appello aos seus
lados para que entrera com ses dbitos
nesie [naso, sem o quo improrogavelmente sei
a dissoluco upresentada pela mesma directo-
ra.
Reeife, 11 de Agosto de-i$89.'
0 secretario,
Gustavo de Alcntara Den
Companhia Alagoana
de Fiac,o eTecidos
Convidamos ao. scahores subscriptores desta
companhia, para rie accordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, at o dia 10 de etembro prximo
futuro, realisarem sua stima entrada na razo
de 10 0/0 do valor de sosaacgOes, 410 Banco In-
ternacioaal do Brasil. Maceta, 10 de Agosto de
1889."Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Junuario P. deCarvalho.
Propicio Pedroso Brrelo.
Companhia de Edifica^a
A coinmisso liquidadora da Companliia de
Eifificaco, convida os Srs. accionistas da allu-
dida companhia a re\inireni c em asseiaUa ge-
ral, no dia 2 de Seteini.ro vindouro, no rnMO da,
no 1." andar do predio n. 77 ao Largo de
dio II. para o lim eon'as e 4. balanco encerrado em 20 de Jullio do
crreme'ino, e uuvireaa leitura do parecer da
comroissao fiscal.
NC la mesipa assemldoa ge.r*l se tratar acerca
do disposto pelo art. 94 do decreto 11. 8821 de 30
de Dezcmbro de 1882.
Escriptorio da Corapannia de EdiflcacSo em li-
quidaco. 17 deRgosto de 1889.
Jos Coma Ferreira Maia.
Joaquim de Otiveira Borges.
Bernardino da Costa Campos Jnior.
Ponte de Afogados!
De ordem do Illro. Sr. e-
genbeiro director geral fa^o
publico que tendo de pro-
ceder-se a execucao dos re-
paros da ponte de Afogados,
sobre o rio Capibaribe, fica-
r interrompido, por este mo-
tivo, a partir do dia 22 do
corrente mez (quinta-feira
prxima), o transito de veh-
culos e de anjmaes sobre a re-
ferida ponte, devendo estes
sesuirem pelas estradas dos
Remedios e da Magdalena
quando demandaren! a capi-
tal ou vice-versa.
Secretaria da direetoria
geral das obras publicas, em
17 de Agosto de 1889. O
engenheiro secretario, Luiz
Antonio Cavalcanii de yflb-
querqne.
HOSPM PKTOGM
Assombla geral extraordinaria
De ordem do Ulm. Sr. com-
m en dador provedor convido
aos Srs. socios a reunirem-se
na secretaria do Hosp tal
Portuguez no dia 25 do cor-
rente, s 11 horas da manha,
para se tomar conhecimento
de um officio dirigido a
assembla geral pelo nosso
medico o Sr. Dr. Pitanga, no
qual pede sua aposenta-
doria.
Previno aos Srs. socios qu
duas horas depois da mar-
cada nos annuncios se cons-
tituir a assembla, corn
qualquer numero de socios
que se ache presente.
Reeife, 17 de Agosto de
1889.
Cesario A. da Silva Papo u/a,
Secretario.
Recebedoria Provincial
O Administrador da Recebedoria Pro-
vincial em comprimento da ordem do Illm.
Sr. Dr Inspector do Thesouro, constante
da portaria sob n. 584 de 26 do corrente,
faz publico para conhecimento dos inte-
ressados que, de accordo com a rclacSo
abaixo, ser arrecadada nesta reparticao,
no espaco de trinta dias uteis contados do
Io de Agosto prximo, a contribuicao, livre
de multa, devida pelos servicos da Reeife,
Drainage '.ompany correspondente ao 1.
semestre do exercicio em vigor de 1889.
Recebedoria Provincial de Pcrnambueo,
27 de Julho de 1889.
O administrador,
Luiz Cezario do Reg.
Relagao a que se refere o edital supra
Freguezia do Reeife
Rilas: Mrquez da Olinda, Bom Je-
ss, Alves Cabral, Commcrcio, Bispo Sa-
dinha, Torres, Thoin de Souza, D. Mara
de Souza,- Vigario Thenorio, Barreto de
Menezes, Matizo Barros, Burgos, Amorim,
Moeda, Tuyuty, Companhia Pernambuca-
na, Domingos Jos Mrtir, il
Restauracao, D. Mara Cesar,
Itaparca, Pharol, Areial.
de Oliveira, Guararapes e B
umpho.
Pravas: Asse 1ro 1.
Travesn
lingos Jos Martina', Corpo
Antigo Porto, Bom Jess, Apollo,
Para Fundicao, Occidente, Guara-
rpVe'Praca'd& redro Io.
Largos: Alfandega, Corpo Santo,
Assembla.
fleceos: Abreu, Noronha, Largo,
Pindoba, Tapado e Paschoal.
Caes: Companhia, Brum e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
lisias: Imperador, Primeiro de Marco,
Duque de Caxias, Oabug, Bar2o da Vic-
toria, Trincbeims, Larangeiras, Larga do
liozari, Estr'eita do Rozario, Francisco
Jacintlio, Joao do Reg, 11 a do Carvallio,
Consalheiro Peretti, Nctto de Mendonca,
MajorjAgostinho Bezerra, 28 de Setembro,
Santo Amaro, -Pedro Ivo, Mathias d'Albu-
querqpe, Paz, Paulino Cmara, Fogo, Li-
vramito, Penia, Visconde de Inhama, Pe-
dro Anonso, Nova da Praia, MarcilioDias,
Henrbnu Dias, Lomas Valentinas, Co-
ronell Suassuna, Santa Thereza, 24 de
Maio' Felippe Camaiao, Mrquez do Her-
val, Cade i a Nova, e Barao de Villa-Bella.
-ICS: Vinte Dous de Novcmbro-
iBipo: Das Princezas.
iaressai* Cueimado, Cruzes, M. do
fe, rua-Bi:ila, Calabo$o, Matriz, Flo-
Carmo, Bomba, Bivramento, Arsenal,
1.a i 2.a travessa da Praia," Carcereiro, S.
Podro, Viracao, Lobato, Becco do Falcao,
Podnbo e Concordia.
argos: Paraizo, Carneo, Penba, S.
Pelro e PracGta.
Pracas : Pedro II e Independencia.
Beecos : da Ra Bella, Catabouco, Ma-
triz, I.- 2.' e 3.* Beecos da Crabos, Fal-
cao, !. e 2.' Beecos da Cadia Nova.
Freguezia de S. Jos
Rilas : Marcilio Dias, Lomas Valenti-
nas, Coronel Suassuna, S. Joo, Felippe
Camaro, Mrquez doHerval, 24 de Maio,
Dias Cardoso, Passo da Patria, Padre No-
brega, Victoria, Cadeia Nova, Vidal de
Negreiros, Frei Henrique, Dique, Assump-
q3o, UomingosTheotonio, Padre Floriano,
Cbristovao Colombo, Jardim, Forte, An-
tonio Henrique, Nogueira, Santa Rita, Pa-
dre Muniz, Praca de Santa Rita, S. Jos
dos Pescadores, Praia do Forte, Ipyranga,
Imperial, a Luiz de Mendonca.
Travessas: Martirios, Ramos, Poci-
nho, Caldereiro, Gaz, Forte, Prata, Seri-
rdo, Copiares, Ra Nova de Santa Rita,
Jos, Praia do Norte, Paixoto, Matriz
de S. Jos, e Lima.
Beecos : Palma, Caldereiro, Gaz, As-
sumplo. l.# Becco da Ra Nova de San-
ta Rita e Matriz de S. Jos.
Largos : Ferte e Mercado.
Freguezia da Boa Vista
Ras: Imperatriz, Conceico, V. de
elotas, Aurora. Capibaribe, Ponte Veiha,
Conde da Boa Vista, Riachuelo, Uniao
Saudade, 7 de Setembro, V. de Cmara,
gibe, CamarSo, Rosario, Gervasio iree,
Dr. Villas Boas, Socego, Principe, Santa
Cruz, S. Goncalo, Coelhos, Hospital de
Pedro II, Co'onel Lamenha, Alegra, Leao
Coroado. Barao de S. Borja, Desembar-
gador Nenes Machado, V. de Goyanna e
Attracjao.
Travessas ; Gervasio Pires, Atalhc,
Coelhos, Barreiras. Veras, Quiabo, Joao
Francisco, Mangueira, Campia, e Palacio
do Bispo.
Largos : Campia e Coelhos.
Beecos : S. Goncalo e Coelhos.
rra^ag : Conde d'Eu. e Santa Cruz.

CONTRA FOGO
The Liverpool & Lendon & Globe
HTSITRATTCS COMPANT
SLACSSBH, OHAU & C.
Ra do Commercio n. 3
Campanljia l>t stgpxos
CE37SA ::::
NORTHERN
de Loudres e Aberdaen
Posigao financeira ('Dezembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.134,348
Reeeita aimiial :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. Boxine.
Companhia de Seguros
AGESTE
Miguel Jos Alves
X. 9Ra do Rom Jesun-PI. 9
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhia
nesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
(2o de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados
SEGURO miU FOGO,
Royal Insurance Company
. de Liverpool
CAPITAL 2.000:000
AGESTES
R. DE DRUSINA & C.
13Ra Mrquez de Olinda13
ompslua
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercaderas
Taxas ba'xas
Prompto pagamento de prejuisos.
CAPITAL
116. 16,000:000^000
AGENTE
RROWXS A C.
>RA DO COMMERCIOM
'.......SMUKOS
MARTIMOS CONTRA FOGO
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre ascai-
xas do mesmo banco m Portugal sendo
em LisbGaruados Capellistas n. 73. VNo
Porto, ra dos Inglezes.
UVBEMIVSSADORA
CompaHhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
EK(al>eIecldaezn IS*5
CAPITAL 1,OOO.OOOJOOO
SLNISJROS PAGOS
At 31 deDezenbrodel884
Mariti mos.. 1,110: OOO^OOC
Terrestres. 316:000^000
44Ra do Commercio44
Martimos
Royal IVfeil Steam Packet
Companhy
O vapor Dod
Espera-s da Europa at o dia 30 de
Agosto, segurado depois da demo-
ra do costume para
Baha, Rio de Janeiro iloutevi
do e Bueuos-Ayrcs
Para passagens, rretese encomrncn se com os AGENTES.
O vapor Atrato
Commandante L. R. Dicknson
E' esperado do sul no dia 1 de Se-
tembro, seguindo depois da demora
necessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, Southampton e
Antuerpia
Reduecao de passagens
da da e volta
A-Lisboa 1 classe f 20 30
A' Southampton classe zS 42
Camarotes reservados para os passagei: os de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmo s & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
Companhia Brasileira de
Navegacao a Vapor
PORTOSDOSUL
Vapor Espirito-Santo
Commandante Carlos Antonio Gomes
E' esperado dos portos do norte at
o dia 24 de Agosto e depois da de-
,mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
As encommendas sero recebidas no trapiche
3arbosa at 1 hora da Urde do dia da sahida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
es trata-se com os GENTES. .
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do sol at o
da 27 de Agosto "segurado depois
da demora indispensavel para os
portos do norte at Manaos.
As encommendas s sero recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
-es trata-s com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMGELLAN LJNE
Paquete Sorata
Espera-se da Europa at o dia
25 de Agosto e seguir depois
tda demora do costume para Val-
araiso por
e Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
aheiro a frte: trata-se com os
AGENTES
Vilson, Sods i L Limited
14_RUA DO COMMERCIO14
Companhia Bahiana de Na-
vegacao a Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca- ,
j, Estancia e Babia
O vapor Sergipe
Cemmandante Rebello
E' esperado dos portos cima
at o dia 26 do corrente, e de
pois da demora do costume re-
igressar para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro' Okorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
CHARGEURS REUNS
Companhia 'rance
DE
Xavegaco a vapor
jinha regnlar entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville de Bahia
Commandante Houx
E'esperado da Europa at o di 26
de Agosto, seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desfc\ Jinha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das al varengas
qnalquer reclamar, o concernentea volumesque
porventura tenham seguido para os portos do
sul afim de se poder dar a tempo as provi-
p encas necessarias.*
Expirado o referido prazo a companhia nlo se
responsabilisa por extravos.
carga, passagens, encommi
Companhia Phenix
nambucana
er-
COMPHIA.\A PEBViHBICA A
DE
XaTeeaco coatlra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Araca-
* ty e Cear
O vapor Pirapama
Commandi* te Carvalho
Segu no dia 22 de Agosto s 5'
horas da tarde. Recebe carga at o
,dia 21.
Encommendas, passagens e dinheiro frete'
at s 3 horas da tarde do dia 22.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucau
n.12
LEILOES
Agente Silveira
Leilo
Da casa terrea sita ra do Padre Flo-
riano n. 3, em solo proprio
Quarta-feir 31 do corrate
A's 11 horas
Na ra Estreita do Rosario n. 8
0 agente silvestre, por mandado e com asss-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphos,
a requerimento do inventariante de D. Anna
Joaquina da Silva Freixo, levar a leilo a refe-
rida casa com 2 portas de Trente, 2 quartos, 2
salas, cozinha exlerna, 2 janellas no oito e por-
to que deita para o becco dos Carvalhos. Os
Srs. preteodentes podera examinar.
Leilo
De iustrumentos noves
Hoje. em continuaco
Na ra do Bom Jess n. 45.
Grande leilo
De fazendas de lei e miudezas novas, pro-
puias do mercado e sabidas agora da
Alfandega, constando:
De 1 fardo com 100 pecas de madapoln Boa-
Vista, 1 dito com 100 pecas de dito Beija-Flor,
2 ditos com 200 pecas de ditoFrancez, 2 ditos
com 200 ditas Romano, 2 ditos com 200 ditas
Italiano, 1 dito com 100 ditas MO, 2 ditos com
(99 ditas Pilar, 2 ditos com 198 ditas Monopolio,
1 dito com 'i ditas de bramante de algodo, i
calxa com 60 pecas de chitas de cores, i dita
com 58 ditas de dita toda preta, 2 ditas com 120
ditas de dita do cores, 5 ditas com 32o ditaa
de ditas brancas, li caixas com baptistas de
cores, 1 caixa cora collarmhos de algodo e li-
nho, 2 caixas com 100 pegas de lanzinhas, I.
caixa com 12 duzias de chapeos modernos, de
pelle de lebre, de cores, 1 caixa com rendas
brancas e creme de seda e algodo e titas, 1 cai-
xa com 48 pecas de brim nranco, preto e de
cores, de linho e algodo. 50 duzias de lengos de
linho, 1 caixa com 1,000 grosas de botOes de
madrepcrola, 120 duzias de escovas para dente3,
1 caixa com espartilhos, 1 caixa com calcados
para senhoras e meninos.
Quarta-feira, 21 do corrente, s 11 horas
No armazem da ra Mrquez de Olinda n. o
0 agente Gusmao, competentemente nutorisa-
oo ara leilo de todas as fazendas cima men-
cionadas, as quaes sero vendidas sem resorva
de Dreco e em lotes a vontade dos compra
dores.
Leilo
De partes de engenhos
Quarta-feira, 21 do corrente
Ao meio dia
\tt Cmara Municipal de Olinda
O agente Stepple, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz de orphaos, a requerimento
do Dr. Jos V'cente Meira de Vasconcelos, inven-
tariante dos bens deixados pelo linado coronel
Joo de S Cavalcante de Albuquerque, iear a
leilo os bens segrate :
As trras em que est constituido o engenho
Souza, urna parte do engenho Tabatinga, urna
dita do engenbo Itapirema.
Agente Silveira
Leilo
Da casa terrea, sita ra General Sera
(antiga do Jasmim) n. 1, em terreno
proprio.
Quarta-feira, 21 do corrente
A's 11 horas
\o armazem rua Estreita do
Rosario n. 8
0 agente Silveira por mandado e com assis-
tencia do Exm Sr. Dr. juiz de orphaos, a reque-
rimento do tutor do menor Alfredo da Silva
Braga, levar a leilo a referida casa.
A chave pode ser procurada rua de S. Gon-
calo n. 30.
Agente Stepple
Leilo
De partes de engenhos em Goyanna e na
comarca de Pitimb da provincia da Pa-
rahyba e urna fazenda denominada Ca-
tle, no termo de S. Joao de' Campia
Grande da mencionada provincia.
Quarta-feira, SI do corrente
A' 1 hora da tarde
Na Cmara de Olinda
0 ageole cima, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito e de orphaos, a
requerimento do Dr. Manoel Nascimento Fer-
reira Castro, inventariante dos bens do finado
coronel Joaquim Cavalcante de Albuquerque, le-
var a leilo os bens sesuintes :
Duas partes do ensenho Itapirema do Meio de
Goyanna.
Lma parte do engenbo Souza na comarca Pi-
timb da provincia da Parahyba.
Urna fazenda d criar em Campia Grande.
Os Srs. pretendentes podero ir examinar 09
referidos engenhos.
Le?lao
De duas armaces de araarello envernisadas e
envidragadas, 2 grandes fiteiros largos, 1 bal-
cao de amarello. 1 lustre de gaz. 6 cadeiras de
amarello, 1 berco, 1 candieiro de suspensQo e.
outros muitos movis que sero vendidos
Ao correr do martello
Quarta-feira 91 do corrente
A'S 11 HORAS
Na loja da rua Larga do Rosario n. 18
Pelo afete Martins
Agente Bruto
Leilo
de 1 mobilia de po-carga e 1 dita de mogno, 1
cama franceza, 1 lavatorio,. 1 mesa elstica, 1.
mesa de amarello, i aparadores, 1 armario, 1
commoda, 1 quarlinlieira, 1 cabide, 1 quartinbei-
ra de columna. 1 sof, 2 consolos, 2 cadeira-
bracos, 1 relogio, 1 machina de costura, 1 espe-
lbo, 2 marqeze?. 1 banca, cadeiras avulsas, i
i de ferro com lastro de rame, 1 marqueza,
Slieiros para kerosene, b
is, louea para almc
rem de co;
Quarta-f cra. 91 do corrente
/.--







wwvmmm




'







*J&
Diario de Pemambuco-Q^arta-feira 21 de Agosto de 1889
Leilo
Da barca noruega t Sampo
Quinta-feira, 22 do crrente
jk meio da
A bordo da mesma, fondeada no ancoradouro da
carga
0 agente Alfredo Guimares, autorisado pelo
capillo S. Soren9en, com liceoca do Sr. cnsul
e em presenga do empregado da Alfandega para
o fin nomeado, levar a leilo a barca noruega
Sampo arribada este porto por forca maior
ua sua ultima viagem de Montetido, tal qual se
acha. ancorada.
Em continuac.ao
Vender o mesmo agente, muitos objectos
pertencentes referida barca,
Leilo
De bons movis de junco de amarelo e
alguna cnotens
Constando de 1 bonita nrobilia de junco Gom
cadeiras de balanco e consolos de pedra, 1 ta-
pete para sof, 1 espelho oval, 1 dito comprido
para consolo, 2 pares de lanternas, 2 ditos de
jarros, 2 escarradeiras, i relogio de cima de
mesa, i candieiro belga, de suspensao, 1 cadei-
ra de junco para piano, i guarda vestidos, de
aniarello, 1 cama franceza, 1 colehSo, i cortina-
do para cama, 1 lavatorio, jarro e bacia.
i mesa elstica de 3 taboas, 1 aparador, de
caixa, 2 sofas de amarello, 1 consol, 1 mesa
redonda, 6 cadeiras de ainardlo, 1 quartinheira
de columna, i cabide de parede 1 banquinba, 1
mesa de cosinba, 2 jarrOes, i barril com tornei-
ra pra deposito d'agua, bacias de folba, 1 ma-
china de costura e outros muitos movis.
Diversos ps de crotons.
Qulnta-fclra, 99 do correte
A's 11 horas em ponto
. Na ra Velh n. 92Freguezia da
Boa-Vista
0 agente Martina anto"sa4,u p> om familia,
Jar leilo * eis cima existentes em diu
casa, todos muiio bera conservados. ,
AO CORRER DO MARTELLO
Agente Pestaa
Leilo
De 2 pianos, 1 mobilia de Jacaranda com pedra,
1 mesa elstica. 1 de amarello, 1 meia com-
moda, 1 caixa contendo brinquedos para crian-
cas; loucas, vidros e outros objeclos, que sero
vendidos por aulorisaco da Sra D. Magdalena
da Suva Pontes, ao correr do rnartello e a quem
mais der. no armazem travcssa do Corpo
Santo n. 27.
Quinta-feira 22 do correte, s 9 horas,
_________ emponto ____
Agente Britto
Leilo .
De movis, Zoucas, eepelho, ctc.s
Urna mobilia de junco quasi nova, 1 espelho
oval, 1 cama franceza, 1 mesa elstica, 2 apara-
dores, 1 commoda, 1 banquinha, 2 bahs gran-
des de folba, 1 relogio de parede, 6 cadeiras de
junco, 1 raarquezo, 1 cabide coberto, 1 lavato-
rio, 1 quartinheira, 4 cestas de rame, 1 sof e
9'cadeiras de amarello, 1 sof de Jacaranda, jar-
ros, quadros, candieiros para kerosene, lanter-
nas, facas e eolheres, louca para al moco e jan-
tar, copos, clices, garrafas, compoteiras, SO
lidos ps de crotons, bandeijas, tapetes, 1 jar-
ra, mesa e trem de cozinha e outros objectos.
O agente cima, aulorisado pela madame Ca-
rolina de Oliveira Barbosa, que se retira para o
sul, far leilo dos objectos cima
Sexta-feira 23 de Agosto, s 10 e meia
horas
Ra do Cotovello n. .'ti.
Leilo
Da barca allem Fritz
Wchiilifft
Sexta-feira, 23 de Agosto
A's 11 horas
Em frente a Associagao Com-
mercial
O agente Alfredo Guimares, autorisado pelo
capito Andr Schmidt, corn licenca do Sr. cnsul
e em preseoca do empregado da Alfandega para
o fim nomeado levar a leilo a barca allem
Fritz Schmidt. arribada a este porto por forca
maior, na sua ultima viagem de Montevideo para
Hamburgo, tal qual se acha amarrada e encos-
tada a barca dos Srs. Livramento & C.
Leilo
De terrenos proprios na ra Imperial
Sendo :
Cra excellente terreno com pouco mais de 200
Salmos de frente atravessando a estrada de ferro
e S. Francisco com fundo at a baixa mar de-
fronte da casa do Sr. Agostinho Bezerra.
Um dito cem 52 palmos, onde se acham edifi-
cadas as casas ns. 267 e 269, de Manoel Pedro.
Um dito com 30 palmos, onde est edificada a
casa n. 271.
Um dito com 2o palmos, onde est edificada a
casa n. 261.
m dito com 30 palmos, aforado a Lourenco
do Monte Bezerra.
Um dito devoluto com 25 palmos e fundo at
a estrada de ferro.
Um dito*com 22 palmos, aforado a Manoel dos
Santos e Silva.
Sabbado 24 do corrate
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 16
O agente Martins far leilo dos terrenos pro-
prios cima descriptos em um ou mais lotes.
O agente dar as informacoes necessarias.
Leilo
De fazendas
Constando
Da caixa n. 608 cora 30 duzias de camisas de
algodo para homem, caixa n. 1175 com 5 duzias
de meias de ir. compridas, 18 duzias de ditas de
Ja curtas, 12 duzias de ditas escossia. 3 duzias de
ditas de seda curtas. 4 duzias de grvalas de
seda para homem, 2 duzias de faccas cabo de
marfim, 1 par de trinchantes cabe de marlim. 1
apparelho de electro pate para jcij. caixa n.
119 3/4 com 25 pecas de brim de algodo de
cores, 10 pecas de casemira, caixa n. 713 com
20 duzias de cambas de algodo com peilo e
punhos de linuo, caixa n. 710 cora 100 duzias de
meias cumpridas de algodo, 16 duzias de ca-
misas de meia de algodo para homem, 12 du-
zias de camisas de l, 66 duzias de meias Sar-
tas de algodo, caixa 714 com cortes de casemi-
ra de l, caixa n. 712 com 23 pecas de casemira
de l, caixa 711 com 23 pegas de casemira de l.
carxa n. 709 com 240 duzias do meias curias de
algodo, parle da caixa n. 1163 com lcqucs de
seda cora rosetas dourada3, parto da caixa n.
1169 com 42 pegas de se lira lavrado.
Sabbado 24 do corrente
A's II horas
No armazem da ra Mrquez de Onda'
n. 5.
O agente tusmo autorisado por mandado e
-tencia do Exm. Sr. Dr. juiz dedireito do
coramercio e 'a requerimento do Dr. curador lis-
cal da massa fallida, de D. P. Wild & C. far
leilo das fazendas cima mencionadas s quaes
sero vendidas em lotes a vontade dos compra-
dore?.
ja-se a ca*a da ra
com 3 jQuartos ; a tratar na
loja.
dns Flores B. 18,
na Nora n. 38,
ALDGA-S u casa do pateo do
Terco n. 19, boje de Vidal de Negreiros,
com grandes accoramodacSes para estabele-
c i ment e mofadia para familia no andar
sijpenorda mesma; cata catada*e pinta-
da tem agua encanada A chavo est de-
fronte n. 32, a tratar na ra do Duque
de Caxias n. 45.
Precisase de um criado de boa conducta:
no becco dos Ferreirosn.6._________ ____
Precisa-se de urna ama : no pateo do Pa-
ralzo n. 20.
Pede-se pessoa que apprehender um ca-
vallo russo pedrez, andador em toda altura, an-
da uovo, que dirija-se ra do Visconde de
Inhama n. 65 quesera recompensada.
Xarope e Pasta
DESEWU pinheim martimo
IfnmiM pU JmU i Bu*-* 4
Pwnlar ha 30 auno, o nico
prtparado com a verdadeira
Selva de Pinheiro, extrabida
pelo vapor d'agua, logo depoU
de cortada a agor. Cora oa
defluxoa refciBii, a
aa grlppea, oatarrhoa, bron-
chtea, molestias da sror
ganta e ronquido**
Mm .PARS, 8, Kn. W>S1|

Para a festa.
Aluga-se urna excellente casa na Boa Viagem,
ra d'Aurora, com niuito bons commodos ; a
tratar ra Larga do Rosario n. 34, botica.
mammmmmmmmn*m
BarrHo PomvI
Io anniversario
O pharmaceutico Caetano Gomes Powell e sua
familia D. Maria Adelina do E. Santo e sua fa-
milia, convidam ios seus parentes e amigos para
a.-sistirem algnmas missas que por alma de sua
sempre chorada esposa e tilba Idalina Barreto
Powell, mandam celebrar na Igreja da Madre de
Deus, e matriz de Serinhaem pelas 7 horas da
nianh, do dia 2i do corrente, 1" anniversario de
seu passamento, protestando desde j eternos
reconhecimentos por este acto de rcligiao e cari-
dade.
E|S9
Dr. Juo Podro ladaro da Fomrca
Joo Narciso da Fonseca, Ephygema Elisa da
Fonseca, Joanna da Fonseca Figuciredo e seus
Albos, bacharel Affonso Gordilho Costa (ausente)
Antonia Maria da Fonseca Carvaluo, Maria Isabel
da Fonseca Pinto, Ricardo Narciso da Fonseca,
(ausente) Nathalia Benedicta Ramos e Silva, ba-
charel JefTerson Mirabeau de Azevedo Soares e
sua muiher, Miguel Antonio da Costa e Silva e
sua muiher, Igmv. llprtnina da Silva, Francelina
de Jess Cardso c Silva, Maria Isabel de Carva-
lbo Cunha, Joo Albino Al ves da Silva e seus ir-
mos, Carlos da Fonseca Carvalhoe sua mulber,
Antonio Jos Ferreira.Monteiro e sua muiher,
Jos Pereira Santos a sua muiher, Francisco Ca-
nuto da Boa-Viagem e sua muiher, Francisco
Pereira Lemos e sua muiher, agradecem do in-
timo do coraco s pessoas, que so dignaram de
acompanhar ao Cemiterio o cadver de seu sem-
pre chorado pai, sogro, av, irmo, sobrinho,
cunhadoe tio, Dr JooP edro Maduro da Fonseca.
e Ihes pedem a caridade de assistircm s missaa
que por alma do mesmo se ho de resar na ma-
triz da Boa Vista pelas 8 horas da manh do dia
22 do corrente, stimo do fallecimento.
Fazera extettsito este pedido s pessoas de sua
amisade, bem como aos collegas e amigos do
fallecido, empeohando desde j a todos o mais
profundo recoolicfimcnto.
f
1. Marn
.delaide de Mliiiiiiicrquc
e Helio
Jos Maria de Albuquerque e Mello e seus fi-
lhos, Ctirisliano da Gama Lobo. Christiano da
Gama Lobo Fillio, D. Maria da Soledade Gama
Lobo, Maria Luduvina Cysneiro de Albuquer-
que. D. Maria Josephina d Albuquerque e Mel-
lo, I). Anna .Anglica de Albuquerque e Mello e
Manoei Caetano de Albuquerque e Mello, man-
dam rezar missas pelo descanco eterno de sua
desditosa esposa, mi, lilha, irm, ora e cunha,
da D, Hara Adelaide do Albuquer-
que e Helio, na malriz de Santo Antonio-
pelas 8 horas da manb de quinta-feira 22 do
corrente, trigsimo do seu fallecimento, e para
assistir esse acto de caridade convidara os seus
parentes e amigos, confessando-sc summamente
gr.i'.os._____________________ ^^^___
i
D. Harianaa tlerlruile* Vianna
D. Marianna da Conceico Veiga, Miguel Ar-
cbanjo Fernandes Vianna, sua muiher e filhos,
Domingos da Silva Ferreira, sua muiher e filhos,
Elias baptista da Silva Ramos, sua mulber e
lilhos (ausentes), Antonio Teixeira Piraentel.
sua muiher e tunos e D. rsula Amalia de Car-
valho Vianna e seus filhos agradecem do intimo
d'alma a todas as pesoas que se dignaram acom-
panhar os restos mortaes de sua sempre chora-
da irm, mi, sogra eav, D. Marianna Gertru-
des Vianna ; e de novo as convidam para assis-
tirera as missas do stimo dia que mandam ce-
lebrar na matriz da Boa-Vista s 8 horas da ma-
nh do dia 21 do cerrente, e desde j se coofes-
sam agradecidos
t
5!
AVISOS DIVERSOS
Hila de a*Hin Ferreira da Cruz
Joaquini Monteiro da Cruz Jnior, Maria Rosa-
lioa Jorge* da Cruz, Jos Fernandes de Salles
Jorge, Maria Rita Monteiro da Cruz Jorge, agra-
decem a seus parenU-s e amigos que acompa.
nharam os restos mortaes de sfa prezada mi e
sogra sua ultima morada ; e de novo cpnvi-
dara-os para assi^tirem as missas que mandam
celebrar no stimo dia de seu passamento, sex-
ta-feira 23 do corrente. em Olinda, s 8 1/2
horas da manh na igreja de S. Pedro Martyr.
e em Palmaros, ns 0 horas, na matriz.
f
Custodia **>4t- Cioncalves Mcndes
Joaquini Aives Mendes Guimares, sua mu-
iher e lilho, jiossuidos de profunda dor pela in-
fausta noticia de haver fallecido em Portugal
.-eu sempre chorado pai, sogro e av, Custodio
Jos Goncalves Mendos, vem pedir aos seus pa-
rentes e amigos o especial obsequio de assisti-
rcm a missa que por elle mandam rezar na ma-
triz de Sanio Antonio, na sextu-feira, s 8 horas
da manh, e por esse acto do caridade desde j
agradecem a aquellea que comparecertrn.
t
GRANDE L1QIDACA0
Na Loja das Estrella*
56-Rt Dmjae de Cxs~58
Tclephone n. 914
EstflrDem conhecido estabelecimentoacaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todo os seus
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande II-
quidacSo de todos os saldos que
ticaram de balanco, por menos
50 [c do seu valor, cujos artigos
passamos a demonstrar :
Artigos de le
EsguiSo, peca, a 35500.
MadapolSo com um metro de larg|ra de
144 por 73000.
dem idem americano de 8(5 por 5(Jfj00.
Algodo marca T, especial, muito largo,
de 73 por 53000.
Bramantes, pecas, por 7$000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu-
ras, a 13 e 13200 o metro.
Guardanapos de 43 por 23000 a d
Estopa de linhepara bordar a 500 f
tro.
Bramantes de linho com 11 palmoi de
largura a 13500 dito.
Lencos brancos e com barras de c5r i 13,
e 13200 s duzia.
Toalhas de fustao, qualidade superior,a
33 e 43000 a duzia.
Crotones para coberta a 240 rs.
Colchas aoolchoadas, brancas e de coree a
23000.'
Lences de bramantes a 23000.
Chales escocezes a 13000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abatimento
Tecldos de alta novidade
PABA VESTIDOS DE SENHOBAS
Linhos pardos para (vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 13800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as
13200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 ra.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 re. .
Cretones claros e escuros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 ra. 1.800
PECAS!
Merinos de quadros, grande variedade d
padrSes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 ra.
pechincha !
FuatCes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 ra.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodto, linho, 12 e sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 |.
Confccco
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 803 por ^53 q 303.
Ditos para armar de 6^, 83 e 103.
Ditos brancos bordados em cartab, alta no-
vidade a 83 e 103.
GuarnijSes de colariuhos e punhos para
senhora por 13 e 13200.
Capotas (preparadas na corte) de 203 por
93 e 103
OollinhKa f punlinc para monino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para criancas, por
53, &, 83 e 103, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 23 e 33.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 53.
Luvas de seda meio braco e qualquer ta-
manho a 13500 o par.
dem idem de Escocia a 13 e 13500.
Sobretudos impermeaveis de borracha de
703 e 803, por 303 e 403.
Capas e pellerinas de c achemiras ottoma
na ricamente enfeitadas de vidrillios a
253 e 303.
dem idem de renda, seda, damasco e
gurgurao, tanto para phantasia como
cores, de.
co-
"lo
Aiua-;>e ,uma casa uo Monteiro,. muito

U,;
Al>
lellas para o
lia Pernambuia:
rnMkna i-
j Imperi; I
tratar no
D. Marianna i;. Vianna
Elias Baptista da Silva Hamos, sua molher e
filhos convidara ao3 seus parentes e amigos pa-
ra assistlrem aniissa do stimo dia que mandam
celebrar por arma e sua fogra, mi e av, D.
Marianna, Gertrudc no dia~21 do cor
rente, s 7 licras da manb, na matriz do pivinu
rito Santo de Pao d'Albo.._________
mnmmmmmmmmmmmmmKsmmmm
commodac
Tteleiporu Un|wi da Mll%a
lexta-feira 23 do correte, ma-
la matriz da Boa Viste, c
la se
para commodidade a 383 e 403.
Velludos de seda e algod3o de muitas
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
do e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 ra.
E muitos outros artigos de confecoSes
como sejam mantilletes de blondsj sabidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50
Para horneas
Casimiras inglezas com duas larguras, de
33500 por 13200.
Ditas cor de caf e azul, de 23500 por
800 ra.
Cortes de seda para collete, de 123000 por
33000 e 33500.
Ditos de velludo e fustao a 13 e 13200.
Meias inglezas com fio de seda, de 123
por 63000 a duzia.
Paletots, de 73 por 43000.
Camisas com um pequeo toque de-aiofo
a 13600 urna.
Collarinhos, modelo moderno,' a 53000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
363000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280, 320
360 e 400 ra.
Dito branco de linho n. 6 a 13200 a vara.
Lindos coTtes de casimira ingleza, de 6A
83, 103 e 123 a 43, 65, 83 e 103000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
horaens, de 703 e 803 por 303 e 403.
Ceroulas francezas, de 383 por 243000
a duzia.
Paletots de seda, completos de feitos
casemira, malas para viagem, e boleas e
tapete e um completo e variadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras francezas
inglezas, pretas e de cores de padrSes a-
teiramente novos e que se vendem com o
mesmo abatimento de 50 [,, de seu valor.
Re < albos **
Aproveitem a grande quantidade e
pelos preces, em sedas pretas e de odres,
gorgorSes, setins, las, merinos, zephyrosv
linhos. chitas, madapoloes e algodkosi-
E muitas entras pechinchas que so ae
encontram na
Loja das Estrellas
56, 58Ruado Duque de Canas56, 58
IMPORTANTE
REDCCO' DE PRECd
21-H4 DO CRESPO-21
OLVEIBA CAMPOS & 0. tendo de receber b-
vemente um sortimento e artigos novos d alta no vidade, resolvers^
fazer urna grande reduc^o nos presos dos artigos abaixo menciona-
dos, para os quaes chamara a attene,o das suas Exmas. freguezas.
Mantas lies palilas,

i
aphnos ravestidO padrSes modernos a 160 rs. o covado.
Cretones francezes, cores claras, -a 260 rs. o dito.
Merinos de cores, duas larguras, a 500 rs. o dito.
Ditos de cores, lavrados, de 23000 a 13000 o dito.
Las de cores, desenhos-de cachemira, de 900 a 600 re. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fustao branco de 400 e 500 rs. o dito.
Mursolina branca para casacos a 500 rs. o dito
Zephir de cor, listas c quadros a 500 rs. o dito.
Ditos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Ditos de listas* arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Etamines arrendados, de cores, de 800 a 500 rs. o dito.
F16r de Italia em quadrinhos, a 500 rs. de 900 rs.
Mursolinas de cor, de listas, a 400 rs. o dito.
Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de 153000
e 203000 por 93OOO e 123000 cada um.
Lin3o, padrones em quadros, a 440 rs. o covado.
BanzuJtes padroes mimosas, de 280 rs. o dito.
ercales miudinlia se pannos finos, a 200 rs. o dito,
[erin preto fino, de 23000 a 13000 o eovado.
Setim Maco de todas cores, a 900 rs. o dito.
Irim fino pardo para vestido, a 400 rs. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 33000 a peca.
33OOO urna,
de 43OOO, 5300,
de seda preta
Espartilhos, ao que ha de melhor,
73000 um. .
Fichs de cor arrendados, de' 13000 um.
Capinhs hespanholas de cor a 23000 urna.
Fichs de seda, muito lindos, a 33000 um.
Sargeli m diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 33000 e 4000 o yac?.
Luvas de seda, todos os tamanhos, de 23000 a 33000 *.-
Lenjes de linho do Porto, a 43000 um.
Ditos grandes para cama franceza, a 63000 um.
Colchas de c3r, de 23000 a 53000 urna.
Fichs, sortimento completo, de 23000 a 63000 um.
Lencos de linho com barrinha a 23000 urna duzia.
Camisas francezas, de 243000 e 363000 a duzia.
Meias cras para homen, de 43000, 53000 e 63000 a duast
Ditas brancas cras e de cores para senhoras.
Ditas brancas cras e de cores para criangas.
Chambres de crctone, de 53000 e 63000 um.
Cortes de casemira de cor, de 63000 a 83000 um.
Cortes de fustao para collete, de 13000, 13500e 23000 aoav
Camisas inglesas de franella, l pura, a 53000 urna.
Alm de outros artigos que deixamos de mencionar.
I
21-Ra do Crespo-21
Se soflres porque queros
CSA K CONVENCEB-TE-HA8
CURA RADICAL
SEM DIETA
DAS
Molestias de pellc
'SYPHI LITIO AS.
Darthros, sarnas, ulceras antigs, im-
pingens, bobas,
cancros, rheuma-
gommas,
tismo e morpha. \
Com os prodigiosos
XAROPE E UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
Applicacao fcilUso sem perigoEf-
feitos promptos, dieta razoavel.
Contra lacios nao ha argumentos
Estes remedios sao os mais commodos
do mondo. *--Bnvla-se gratuitamente, pelo
correio, direcgSes para uso d'estes medi-
camentos admiraveis.
Prego do ungento 13200 o frasco.
Prego do xarope 33000 a garrafa.
Preparados por Calazans & C. Phar-
macia Imperial, .Baha.
Deposito no Iteeife
. Francisco Manoel da Silva & C.
Ra Mrquez de Olinda n. 23
Cosinheira
Precisa-se de urna, que cosinhe bein e durma
em casa do patrio ; a tratar na ra do Cabug
n. 14, 1- andar, de meio dia at 2 horas.
Aos agricultores
Pessoa habilitada oerece-se para contrahir
emprestimos cora o Banco do Brasil, em favor
dos S. S. agricultores destu provincia, de Ala-
goas, Parahyba e Rio Grande do Norte, encarre-
gando-se de adiantar as quantjas necessarias
para pagamento de avaliaces e preparo de do-
cumentos, mediante mdica retribuico. Os
pretendentes podem dirigir-se nesta cidade ra
do Atalho n. 9, e por carta G. C.
Gaf
No armazem da bola amarella n. 36, junto
estacao do Caxang, no caes 22 de Novembro,
comprase e contracta-se grandes e pequeas
porcOes de caf produzido na provincia, a 8000
a arroba, at o dia 31 de Bez^mbro do corrente
anno.
Cosinheiro
Precisa se de um : a tratar
mercio n. 44, escriptorio.
na ra do Cora-
Aos amadores da boa pinga
Os proprietarios do armazem f.entrai ra do
Cabug u. 11, acabam de receber nova remessa
do especial vinho Santarm, da quinta ao Bar-
ral ; a elle, antes que se acabe!
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 16 a 18 annos
com pratiea de venda ; a tratar na ra de Hortas
n. 1.
Apolices perdidas
Perderara-se dez apolices da divida provincial
de Pernambuco, pertencentes a Manoel Pereira
de Araujo Vianna, de ns. 873 a 882, serie B, do
valor de 1:000* cada urna ; pede su pessoa
que as tiver adiado o obsequio de ir ou mandar
entregal-as a Henrique Bernardos de Oliveira.
procurador bastante do mesmo Vianna, no Re-
cite, ra do Vigario n. 1, escriptorio, que grati-
ficar
A LOJA MAIS BARATEIRA
PAMZ NUMRICA
AZEVEDO, DMaO & C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Telephone200
Tendo recebido directamente da Europ
grande sortimento de fazendas e modas
que ha de mais novo e presos sem coid
petencia.
A saber :
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de la e la seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 13000 e 1320C
Crinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 13500, com ll
palmos.
Toalhas para banho a 13000 e 1*500
Chachemiras com 2 largura* a 800 ri
Ditas de l e seda 2 largura* a 13000
MadapolSo trancado a 93000 a pega.
Dito globo a 73000 a dita
Dito camiseiro a 73000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 63000.
Fichs de la e seda 13000.
Brins de linho cies fixes a 600.
Espartilhos courafa a 43000 e 5300C
Colchas de fustao a 23000 e 3|000.
Capellas para noiva com veo bordado
63000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 1350c
Renda de 12, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 133000.
A verdadeira esteira para forro de sai
a 13000.
Camisas de flanella a 53000.
Cortinados de crochet para cama
103000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 13000.
Extracto Rita Sangal a 23000.
Velbutina de quadro a 800 e 13900.
Guarnieres, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 43000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 23000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de c6res para roupas.
I%nno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para snfeite" l
Grande sortimento de chapeos de
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortea de collecte de seda.
Dito de fustao de eSres.
Dito de casemira de cS
TELEPHONE
__________________
Precisa-se de urna ama para engom-mar e &
zer o mais servico de casa de pequea fari'ii.
na ra Coude d'Eu n. 32, 2- andar.
Ama

Na ra da Palma n i<>. precisa1de cnixsoB.-
para cosinhar e eomprar.
Ama
freeisa-se de una ama para cosinhar, jjsbi".
casa de familia ; a tratar na ra do Hosnic* 2a&-
aero 41.
Ama
Precisa-se de urna, para o servico doincsvjnn.,r
na ra larga do Rosario n. 38, 2- andar.
Ama

Precisa-se de urna ama para cozicnar, t9-
tar na Ra dos Guararapes n. 88. ^^^
Aluga-se
Por barato prero o Io e 2 andares do Cass fcf
Apollo n. 73, com muito bons c enmelo ; .
tratar na botica ra Larga do Rosario JS>
Aluga-se
'
Por prero baixo o 1" e 3" endares do Mltoafe
ra do Brum n. 84, com bastantes *s-
modos; a tratar ra Larga do Rosar*m. Kt
botica.
Alugam-se
As casas da ra do Lima ns. 18 e Ift r>
S. Amaro; a tratar na lithographia ra 3a*fs*
de Olinda n. 8. -
Alusruel barato
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. :8 e 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, arraasta.
Becco do Tambi n. 23
A tratar ra do Commcrcio n. S, i-
escriptorio de Silva Guimares & C.

Ti
gipio
Conftlanlino de S Barre
Convidase a este senhor a comparecer sas'
do Bom Jess n. 23, para prestar coalas 3**
cobrancas que fez no termo de Agua Prete, ss
Marco prximo passado.
Mi
O grande e importante estabelecimento -tfs-
Pocas Mendes & C, sito ra estreita t> Bta-
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de nrdt-
uma grande remessa do acreditado e especia)
Vinho Maduro .
m
".res.
2T00
^
0 nico que, sem a minima confeceSo, #1
portado neste mercado, e s se vende ne refer-
do estabelecimeDto. Este precioso neeto ae-
torna cada vez mais procurado aqu. QaezstBi
saber porque ? Vejam : o vinho Maduro, JtfrJt-
como feito nicamente da uva madura, >em
as seguintes vantagens que as outras quaii
de vinho nao tem ; facilita sem a menor ~
baco a3 digestes do estomago, anda
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois
aolhos vistos as pessoas debilitadas, e da "
s que as tiver arruinadas pelo uso d 1
viciadas.
Recebemos tambera
. !
Requeijo
A padania a vapor, do Ponibal, avisa aos seus em latas, de procedencia de engenhos.
".'evidade
da
PaHs o Lonirc.
1 tfftck (cei cartoe?. oUffantifts;
s| t- umi.uvo ,0 prc-j
' roporcicnando wn-kan::*
o, e \m\p- pxellnt6ag*a MtoacadrJ
. atoada fama imi.
afovmo*?* o RMriM a cut'i. e, copao r*frww
c*:i', niiperalOloriiiMtf>nco:
Y<.u.lo se om todas !:;'!;;:; mi.
tas, u;^ ni.


om negocio
Vendajtttoa-enda-sc ou bypothecase a me-
to ao termo 80
mero -
freguezes, que a farinlia de raillio e arroz em
pacotes de meio kilo encontra-se venda as
seguintes mercianas:
Bernardino Duarte & C, ra da Florentina
n. 2.
Zefi'rino Valente & C, caes 22 de Novembro
n. 4. r
Para papas, cangicas e cotrUs esta farinha
' tem tido grande aceitaco publica, e recebeu di-
: ploma de 1* classe na exposigo preparatoria
. jiura Pariz, em 1880, pela sua superior qualida-
de de milho escolhido.
Cofres de ferro
Carlos Sindcn tem para vender cofres de i
superior qualidade mais barato do que
em outra qualquer parte,
48Ra Barao da Victoria48
Boleira
proprietarios capricham em bem trabtrhar*F
artigo, afim de terem a priraazia sobrt'- taatav
outros similares, cuja composico duvtt|iea.
Em outros artigos como ementes de kertaKjm
e flores, linguas seccas do Rw Grande, ohjemv
rime e tamancos do Forto para homens e setW
ras, para isio tao pouco temos colnpetitlejr. Jk
uossa casa 6'especialista, e as pessoas que f
se queiram certificar rjodem comparecer,
o que muito nos honranio. Aps urna 1
dade de artigos de primeira ordeni, que ai
se era exposigo, acresce a amenidade d> tnft^
com que timbramos tratar todos os
honrara com a sua presenta, junto a raoi
de precos sem rivi.l.
Ra etreltar ** Bonnrio a. 9,,
a Igreja
Po^as Mendes & C-
Preclsa-se de urna muiher qu entenda bs-
tantele bolos ; a tratar na ru da Soledsde mi-
mero 5C.
Ania
Pn urna ama
Suussuna nu- tico : a ti
Nunca falha!
Os effeitos do peitoral de Cambar ma-
nifestam-s, na raioria dos casos, duraa**-
o uso dos primom-os vidros.
Este remedio/ eficaz para as enfnsa-
dadee do laryn#e, dos bronchos e palmC*-
l. da Suva & G~
1
i


.'
-
i _L\i*; i i j_j_.
Mm-^:'miri W. / .,
JUiario de PerambucoQuar ira 21 de Agseto del888
m
*PPR0tt$A0
da Junta m Hygiene
d Bio da Janeiro
HeroK*pen*m Ste t.OO franeo* m arocTie
ledalliMiOURO,
da Juma oa Hygiena
dt Blo de Janeiro
mmim MtdUhM.OURO,
to.
Aperiente Tnico Febrfugo, este producto de
um sabor agradavel superioratos vinhos de quinquina
contra as Affei$oes do Estomago, Febres antigs, etc.
VINOSO
O mesmo Ferruginoso muito recommendado contra
a Decoloraclo do Sangne, Chloro-nemia, as Coose-
quencias do Parto, etc.
PARS. 20 aa. ru Drouot Pnarmaclaa
IMADERMCAO MIRANDA
39-RUA BE DE CAXIAS-39 j
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
ca aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condijSes de executar qualquer
.3nafcaIho em
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartones de
cisfiexySes, mappas, precos correntes, acedes, bilhetes de loteras e rotulas do todas
calidades em preto, ouro ou cores.
%mmm mmmmi
no
A R A IV H A O
Approvado pelo Exm. Sr. presideate da piovincia
tochuras, cartonados, encadernacoes, livros em branco para o commercio e
leiar""-r, tendo para este fim urna exccllentc machina de pautar.
Variado sortimento em cartoes para visitas, participacoes||e convites de casa-
rneaste. bailes, menus, felicitaeSes, etc., etc.
Tivros de recibos de aluguel de casa, papel de impicssSo, tintas, vernizes e
atoe artigos para typographia e lithographia. .
Manoel J. de Miranda
Telephone 194
Alcateo G-uye
.9, x-iza. Jetooib, JP&.zriz-
Premios da lotera
1 premio de
1
1
2
6
10
approximacSes

c
2
2
2 t
9 Dez. do
9 t <
9 c
99 2 fin. t
99
900 term.
900 c
de
l.upr
2.
3/
1.
2.
1.
2."
intelra
. 300:000(5;
. 50:0000
. 12:500,?
5:0000 10.O005
m.
2:5005
1:5005
2:5005
1:5005
7505
7505
5005
2505
2605
2505
1255
1255
15*005
15:0005
5:0005
3:0005;
1:5005
6:7505
4:5005
2:2505
24:7505
24:7505
112:5005
112:5005
1
1
1
2
a
10
Premios da serle
premio de.....
< ,....
'.....
.
.
C .
2 approximacSes de
2 c c
t
9 dez. do 1. prem.
9 2."
9 f 3.
99 2 fin. 1.
99 t 2.
900 term. c 1. c
900 2.
2005
1005
605
1005
605
305
905
205
105
105
105
55
55
12:0005
2:0005
5005
4005
6005
6005
2005
1205
605
2705
1805
905
9905
9905
4:5005
4:5005
Para a aira tfllca* e protnpta da
Molestias provenientes de im-
pureza do Sangue.
E' urna lououra andar a fazer expe-
riencias com misturas Inferiores com-
postas de drogas ordinarias on de plantas
indgenas cnja eficacia nao 6 confirmada
pela scicncia, emqnanto que a molestia
cada vB vai ganhando terreno.
Lancem mi, sem demora, de nm re-
medio garantido coja eficacia seja fado
assignalado e inquestiona\%
O Extracto Composto Concentrado
I Salsapaubiljia de Ayer conhecido
e recommenOwio pelos mdicos mais in-
telligentes .dos paizc-s adiantados, ja
durante 40 pinos,
Centenas de militares de doeates
t5m colindo beneficios do sea emprego e
sao" outras tantas tcstemunnas da soa
efficaciaf>ositiva e incomparavcL
PREPARADO PELO
DR J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., 1 'st.-Upidos.
JJIiTiWlj 1ERA
INFALLIVEL e RADICAL
no curativo de todas as affecces bronchiaes :
Mal de Garganta, Vosee o Tieioa
c
FEZTOBAL
-
u^^
ryjgjiiSlfcjjg""*

OCUCR< M fY^Ti m pan pro
As CAPSU(,A3 GrOT CTiiem aira-
.. ll :,-.-:ir;t't ;i :..';:n ;,: r.v"'::\\d .' tT:iO (! > GSOC or-: Ci.;y r i tito ) aquatro capsoUc no momento das r-toi^oo.
r.i'-i i.- Ilui.JtHoi A A~SU"-";-.. 3-VCT isc jicmencSo-
i.inii:.::i,'X i:s > M OUM i-lionm :..: Kf MM :
l
PSLVe! AFSftKA
TOS2S TfesZES
I
r:: GT.?Fi?8 n.-:|!4 ^TISCAS, SKOf^IffTAS, ASTSMA
O eOUDaOM'OUVOT OBWtitoe na <: A CAPSCUS CYOT .So brancas
8ui --'nipoB do epidemias V e cada uuut iova iniyiMBa em pret a nr.a :
* bebida a:.....- i\ ienica. V
7 cLb.Jotaic^mcnte indispenastvel
exigir b. Firma
*:.?CZZIPTA *EM TRES CORES
Fabrica : Casa L. FRERE, 19, ra Jacob, PARIZ
ISA DE niMA
2052 premios no valor de 700:0005 2052 premios no valor de. 28:0005
Todos os premios sao pagos integralmente
Esta lotera composta de 10.000 bilhetes a 1005000, dividida em 25 series,
custando o inteiro da sarje 45000, snbdividido este em quintos da serie (1250B do
bilhcte inteiro da lotera) de 800 rs. cada um.
O agente desta lotera chama a attenc3o do publico para este importante
plano mais vantajoso pela sua boa organisacSo.
Com 45000 (5 quintos de que se comp8e a serie) recebe-se 12:0005000 e com
800 rs. (1 quinto) 2:4005000.
O menor premio d um resultado de 25 /# P0'8 custando o quinto 800 rs.,
recebe 15000 as termina5es dos 1. e 2.e premios.
Sao .premiadas as dezenas dos 1.. 2. e 3. premios.
As duas letras finaes dos 1. e 2., terminales dos 1. e 2, e as approxi-
xoes dos I., 2. e 3.; tendo alm cfisso premios de 2:0005000, 5005000, 2005000,
IOO5OOO e 605000.
EXTBAOCAO ENTRANSFERVEL
ioi
FEBRFUGO
tomas,
P'* ^LiEW Vende-se em tom a art
Onde mota
0 Sr. Francisco Raposo Falco at quandQ quer
que o doHO dos movis espere para ser entregue
dos mesmcs ; isto data desde que foi emprega-
do a primeira vez.
;occoc
Contrst
PALPITARES S&FF0CAQuE3
PERTURBARES da CIRCULA^
IITERMITTERCIAS ASfiMi
a todos os t;o!dmodos considerados como
preludios d.'^s
OUE3TSAC DO CORAQAo
O t/Kfocu MOonuIhMrr. o tmprno ot
De ANAC AHUIT A
Remedio Vegetal da Natureza para o alli-
vio e cura de todas as molestias
Do Peito e dos Puimoes.
Milita attengo
la ra de S. Jos n. 36 tem para vender os
afamados vinhos e licores de todos os fructos do
paiz, fabricados pelo finado Joao do Amaral Ra-
poso, como sejam: vinho de cai de 1.* e 2.*
qualidade, vinho de Abacagy, vinho de anipapo
composto e simples, hesperediua brasileira, la-
ranginha cordial, essencia de limo e cidra e
tres prensas para espremer os fructos, tudo se
vende por baratissimo prego para liquidacao
Assim como se vende um bom terreno na fjovoa
cao de N,*S. da Boa Viagem por qualquer prese
Caixeiro
Precisa-se de um, com pratica de padaria ; na
ra da Florentina n. 1.
Milita atten^o
A florista Luiza Sepomucena'Duarte avisa aos
seusfrcsuezes.'que est morando na ra Duque
de Caxias (Cruzes) em um sobrado de um an-
dar n. 24, onde contina a preparar com per-
feicao e gosto; bouquets para casamentos, ban-
deijas de bolinhos tinos, pao de-l, bolo e. pu-
dim de todas as qualidades; faz capella para
noiva de todas as qualidades de flores,, bordada
a ouro e prata.
Na mesma casa prepara-sc presuntos bara-
tos.
Granulos
REGENERADOR
DO
DOUTOR
J0HANN0
Quina, Coca, Extracto de Carne e Hypophospho
Kecommend&e-tio nos casos que neco9Sltao tnicos para reconstitu:1 e regenerar %;-,
o organismo arruinado poV molestias, excessos, nalurexa do clima, Anemia, Chlorusio
Amenorrhea. Oacnexla, riuso branco, que tanto arruinao a saudc das mulucres,
PflhMca dA Sanimp. frajmiu rflral. Ttnhiliflaflp. p.tv ^^
Pobreza do Sangue, rraqnem peral, SeblUdade, etc.
Zi. VT7I22T, Ercguista, 50, Boalsrarl de Strasoou?, em PAP.T' g
^oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo^ooooeoeoi



OsefceuBra de listras a 15000 o covado.
<3Ubm arrendadas a 400 rs. o dito.
Wkmtia branco lavrado a 360 rs. o dito.
Ta&s pardo a 360 e 400 rs. o dito.
BWim i vestidos era cartoes.
42rfe&ae de fust5o a 45000 nma.
TMf 1 para banho a 15500 urna.
airas lisas a 15000 o covado.
brancas a 300 e 15000. o dito.
liras de quadro a 280 rs. p dito.
SoriS para roupa, de 15000 a 700 rs. o
lElsJdhan de cores a 15800 urna.
Mtks preto e 800, 15000 15200, 1500
SJ800
C^fmB percales a 200 rs. o covado.
T jjreto (inglez) a 25000 o dito,
de quadro a 300 rs. o dito.
JBsna>s de cor duas larguras a '.440 rs.
sBaa&is hespanholas a 25000 o dito.
a 240 rs. o dito
H-aia Victoria a 25800 a peca.
OnCisn6 claros e escuros a 240 rs. o
devado.
aia bordada a 45000 a peca.
*iao de crochet a 75000 urna.
Wi WUkeka de retroz a 15000 um.
IWnn de anella a 25500, 45000 e
SdOOO urna.
: 4e cores a 25000 e 25500 a
felpudas a 45000 a duzi
para noiva a 75000 urna.
4tmmrt!m para homem a 65O0C-
JKb.'.'.-- ki.z'cEis para fcorr.ens .' 5-5000 a dn-
as de cores a 200 rs. o covado.
Mil .-.lira diagonal a 25000 o cova'lo.
fio da Escocia a 15500 o par.
m brancos a 15200 e 15800 a etusva.
^ftj--. preto a 35000 e 45000 o covado.
< n
(JUNTO AO LOVRE)
) a peca.
zia.|
Cachemira de quadro a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 15500 a 15000 o dito.
Baleias a 240 rs. a duzia.
Lences de bramante a 25000 um.
Cobertas de ganga a 35000 urna.
Tapetes grandes a 135000 um.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o covado.
Espartilhos a 55000 um.
MadapolSo americano a 65000 a pega.
Colotes de flanella a 25500 um.
Palitots de seda palha a 85000 um.
Lencos de linho a 55000 e 65000 a duzia.
Palitots de brim pardoja 45500.
Bolsas para viagens.
Casemira para costumes, corte.
Lnvas de seda a 25000 e 25500.
Guardanapos de linho a 25200 a duzia.
Gruardap para senhora a 105000.
Arcos cobertos a 120 rs. o metro.
Panno da Costa a 15000 e 1*290 o co-
vado.
Bramante de algodlo a 15000 o metro.
Algodlo branco a 45000 e 45500 a peca.
Cortes de fnstSo para collete a 25500 um.
Cortinado bordado a 75000 o par.
Zephyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 15200 o metro.
Peca de csguiao de algodao a 35500.
Regatas a 15000 e 15500 e 25000 Juma.
Palha de seda a 15000 o covado.
Camisas allemSes a 36600 a duzia.
Bramante de linho a 15800 o metro, 4
larguras.
Cortes de seda para collete a 55000 um.
Chambres para homem a 65000 um.
Setns d corean 800 rs. o covado.
Algodilo tran^aH 2 larguras, a 11< 0.
Cortes de casemiras, a 55500, t750CO, e
95000.
Brim branco, todos os nmeros.
Cretones franceses a 400 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 155000 a duzia.
Flanella de cor a 300'rs. o covado.
A S60 ~ lf2 &f.
A 800 K fe.
A melhor tinta de escrever a
TINTA VICTORIA
Vende-e nos depsitos:
LIVRARIA CONTEMPORNEA
DE
BA3.IS0::. mi i c.
Rna !.* de Marco n. 2.
LOJA DE FERRAGEM
ALBINO SILVA *SL C.
Ra da Cadeia n. 42

,
A 500 l[2gfa.A 800 1 gfa.
i

.nde sortimento de fichs, casemiras, Jbrim, algodao, camisas, cllarinhos,
jnr"* naeias, perfumaras, e bordados.
20Ra Primeiro de Marc,o20
AMARAL ;'& C.
Xarope b Pasta de Berth
i30i
Pharmaceutico, Laureado pulo Hospitues do Pmriz.
OXaropee a Pasta Berth de Codeinapura, possuem umaei'flcacia incontestavel
aas casos de Deiluxos, Bronchites, Catarro, Asma, Kolestias da Gar-
ganta, Insomnias, Toase nervosa e exhaustante das Molestias do Peito e
para acalmar at Irritacdes de qualquer natureza. As pessoas que usam do
Xarope ou d Pasta Berth experimentao um somno calmo e reparador que
zanca seguido de pezo na cabeca, perda de appetite, nem de constipacSo.
Mas receitas especifique-se bem Xarope ou Pasta Berth e como garanta exja-
os a Assignatura Berth e o Sello Azul do Estado Franoez.
P*mz CA8A.CLIW Ce por intermedia de qualquer pharmacia.
ADMINISTRAgO : *
PARIZ, 8, Bonlcvard Houtmartre, PARIZ!
pastilhas DIGESTIVAS fabricadas ora
Viohy coni os Saesexcrahuiosdas Pontes. Sao ]
de gosto agradavel o a sua iccao e certa con-
tra a Alia e es DigesSes difltceis.
SAES DE VICHV PARA BANHOS. Vm rolo para um banho, para as pessoas que nao podom Ir a Vicby.
Para evitar as imitacoes exigir em todos os producios a
MARCA DA COJMP. X>E VICHV
&n Prrnambaco. 01 Producto* acinm &chao-se em cens de SULZeR A KOCCHLIN,
S, n> di Cm> Auo. UABILLE.
EEHDCEBa
de FGADO FRESCO de BACALHO, NATURAL 8 MEDICINAL
Presenpto desde 30 AMMOa, em Franca. Inglaterra. Hespanha, Portugal. BraxU.
Repblicas Hispano Americanas, pelos rtmelroi medios manto, cetra a*
mmtwm**H HOQQ, a rae 0-tW fMOIllll 6EML
ILLSfTUnSOHSC.
44-BV4 um M TBWPBM4
Machinas a vapor.
Moendas. t-t----tiiii *--m
Rodas ^d'agua.
Taixas fundidas e batida
'jm Taixas batidas sem cravacao
Arados.
Riatoru! /coraovi <;.. a.un
rUA-K A AMi&RiiTL'RA C>
DMSttO |M : PB" F.50. 7. B Cnq-Hrtfi, PAIB ^
la Prnam0ua> : FRiK" K. ria S IVA O. 2
*aozaocaQOQQOB
SNDALO kMIDY
Supprime a Copahiba, aa Ca-
bebaa e aa Inleccoee. Cura em
48 horas todo a qualquer corrimento.
E' da maior efflcacia na afleccjDes da
bexiga, toma as urinas claras por
mate torvas <* sejao. Cada
capsula tova npresso em
negro o nome..............
Deposito em Pars, 8, Rae Vivienne.
0
o
lOOODOOOOOOOOO
ELIXIR ANTI1RV0S0
da BAUDRY, Pharmaceutlco
Este Elixir, que contera em aA ocmposico os bromuretos de potasslo.de sodio
e de ammonia, perfeitamente combinados, de um sabor agradavel e sempre
tomado cem prazer, mesmo pelas pessOas, que tenhSo um estomago delicado.
Numerosas experiencias vierao confirmar a sua immensa efficacia contra a
Inaomnle, as Enxaquecas, a Agitacao duraste a coite, e as Palpitacoes,
calmando immediatamente a xcitabiliade nervosa. Arc'.nistra-se tambern com
grande vantagem as convulsoe das creancas e as senhoraa que soflrem de
aepaamoB, desmaios e attques de ervos. Emprcgado convenientemente,
este Elixir um auxiliar poderoso e adansa de Sao Guido. A dc*e de 2 at 4 c. lheres por, pela marJia e tarde.
Dmpomito : Era PA.HIC, 8, Une Vivionne, e as priooipaam t^barmacias
>0<>-0<>OC*OOQOOOOOOOOOOCK><9
*
BRONZE
DE
CARDOZO 8- IRMAO

Ra do Bardo do Trimplio ns. 100, 102 e 104
Deposito rua do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para vender o seguate:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directpara o ou fogo de assea-
tamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRIVAQES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOOOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS- americanos.
MACHINAS de descarocar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e mandam bascar por encommen-
da, mediante ajuste previo ou urna mdica commissao qualquer machinismo.
OONTRACTM fornecimento de apparelhos para usiaas, garantindo a boa
qualidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultado
obtido com as dnas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.

i
" S


FNDCAO DB. SINOSEB-RONZB
DE
LUJZ D4 CRUZ MESaUJTA
66ma do Bar\o do Triumplio66.
Teixi para vender o seguinte:
Machinas de cobre para fazer espirito de dcstillar e restillar. V
Alambiques de cobre do ntigo e novo systema com esquenta gar;.
Serpentinas de cobre e de estanbo.
Carapucas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bambas de todas as' qualidades de repaobos, aspirantes e contin;
Torneirqs de bronze e madeira de todos os tamaqhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartdeiras, passadiraa e.escumadeiras de cobre e de ferro est^nhaib.
Cobre em lencol e arruelas.
- Sola ingleza e do R
CadinJlOS patente
iiodc
t


ci


irernaniuiicu
Agosto de 1889
VENDAS
Vende se no caes do i k urna ex-
celleote machina vapor de 30 cavallos, urnas
bombas hvdroulicusTIe grande forca, ura ferra-
dor, urna" tesouru para cortar (landres; arcos,
etc., trilhof e carros Decaurlle, apropriados
para transporte de caima, bomba d'agua mao
e \ ________ ______
Vende-se a averna sita .1 Praca do Conse-
Ihoiro Joo Alfredo n. 1 esquina (Magdalena),
ura dos melhores pontos para negocio ; a tratar
na me
----------' -------^
Alta novida.de
48 -Rna Buqne de Caxlas48
Por menos 30 01" do que em outra
qualquer parte
Merinos setins, lisos e de quadros com 2
metros de largura a 2)5000 o covado.
Renda hecpanhola rauito larga a 25000 o
covado.
Espartilhos, verdadeiros couracas, a 45000
55000 e 6,5000 um.
Lindos cortes de fustao para collete a
500 rs*, nai.
Cobertores de -13 a 25000, um.
Palitots de seda amarella e chumbo a 8r5
105000 um.
Redes fraaeezas a 4,-5000, 55000 e 65000
lima.
Organdis (fazenda de phantasia) a 400 rs.
o covado.
Enchovaes par* baptisados a 85 e 105000
Toalha? felpudas a 35000 a duzia
Meifs cruas para homem a 3>0Q0 a dita.
ransuks finas de 120 e 240 rs. o co-
vado.
Merinos lisos e de quadros 200, 24Q e
280 rs. o covado.
Cortes de linn e crotones com todos os
pisparos, a 55000 a 125000.
Atoalhado muito largo 15200, e 15500 o
metro.
Pannos de crochet para cadeiras a 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet, bordadas para noivos
81000
a 55000, 65000, 75000 85000 e
urna.
Cortinados bordados a 65000 o par.
Bramante liso e trancado de 4 larguras a
lOOOo metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 rs.
, o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica a
55OOO urna.
Saias ricamente bordadas, a 35000 urna.
-Luvas de seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Cretones claros e escuros e 200 c 240 rs.
o covado.
Zefiros de quadre-s a 120, 160, c 200 rs.
o covado.
Camisas finas de meias a 15000 um.
Leques de* perma, ultima moda, a 45000
e 55000 um-
Capellas com veos para noivas a 85000
urna.
Fustao de cores para palitot e cal ja &
500 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
collete a 25000 um.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
45000 a peca. ,
Bicos de cores e brancos a I9OOO e 25000
a pesa.
Collarinhos e punhos, borracha, a 15800.
Cobertas de ganga forradas com 2 pannos
a 25800 urna.
Lenos brancos a 15500 e 25000 a duzia.
Fichs de retroz, lisos e 4com palmas a
15000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
Algodaosinho com 20 jardas a 45 e 55000
a pea.
Assim como em sua officina de alfaiate
aprompta-se com perfeicao e elegancia
por prejos cominodos, de brim ou case-
mira, costumes para meninos e homens.
A Revoliicao
48Rna Duque deCaxias* 8
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
PECHMiS!
S-Rna Duque de Caxlas5
CasBinetas de cores para roupas de meni-
nos a 200 r3. o covado.
Meias casemiraa pretas e de cores idem
*i 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos do quadrinhos a 100, 160 f
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 e 240 rs. o di te.
Atoalhado bordado, quasi 2 metros de lar-
gura, a 15000-e 15200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a 800 rs.
e 15000 o dito,
dem de puro linio a 15600 o dito.
Riquissimas guarpicoes de crochets a 65 e
8*000.
Toalhas para maos a 15200, 35500 e
45000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 25500 e
35000 a dita.
Camisas superiores idem a 245 e 305000
a dita.
Seroulas bordadas a 125000 e 185000 a
dita.
Cmbraia Victoria e transparente a 25800
e :):>000, com 10 jardas.
dem bordadas chics a 45000.
Superiores algodSes da crtela 35000 e
b-oOO.
Madapolao americano a 65000,' coinn 24
jardas. ,
Fianelia di cores para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
15200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 15400
15800 e 25OOO o dito.
Para as Exmas. noivas
Lindissimas griDaldas e veo para 85000 e
1450OO.
Ricas colchas de crochets e fustao a 85000
e 65000.
Bonitos cortinados bordados a 55500,
75500 e 85000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 15000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 15000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lencos de seda e de linho para 25800,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante a 15800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 25500 e 25800 urna.
Colchas de cores a 25000 e 35000.
Tapetes para portas a 35500 e 55000-
Pannos 1 ara mesas, de cores modernas a,
15500 15200 e 15600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de Iabyrintho de 305 a
355.
Fustdes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
cheviots, merinos, damascos para
E' barato

prejos,
pianno, cobertores, redes a 45000 urna, e
urna infinidade de artigos que serlo lem-
brados na presenca dos dignos leitores.
LOJADE
PRRKIRA & MAGALHAES
Irrita^ao do Peito e da Garganta
Contra essas alTeicCes. a pasta PElTOBat. c c
XABOPE do NAF d DEUAWOREMIEB, de PAH1C.
possuem una efficacla f n:allivo: vcrlilcada pele:'
Siembros da Academia ue Medicina de Franca, t.: o
contendo opio nem tSo pouco saes de opio tr.cj
como Uorpluna ou Cc-l-ein^, csses producios m.
nistro-se com opmo ciito c seguran?- "
enancas soTrendo do Tosse ou CUftCtKtttBt
Depsitos as Parmacias lio Cundo wtelro.
Vende-se
Aos asthmaticos
Se padecis de asthma, usai o Peitoral
de Cambar,, que remedio de effeito
surprehendentes e duradouros.
Venham ao 45.ver como se \en
zendas com 50.f0 mais barato que em ou-
tra qualquer parte.
Corte de cretone, combinado, ultrma no-'
vidade, a 55*100.
Cachemiras, combinacSo com listas de sedi
a I54OO o covado.
Vestuarios de jersey, ultimo gtosto, a 105
e125000
Amor da China, cosa chic, a 200 re. o
covado.
Linons bordados com quadros, novidade,
a 800 rs. o covado,
Setins, qualquer c6r, a 800 rs.
Sargelins de todas as cores, a 200 rs. o
(11 vado.
Ylerins de cores a 500, 600 e 800 rs. o
covado.
Orinolines a 400 rs. o metro.
Vestuarios para baptisados, muito bonitos.
Guardanapos a 16600.
Cortinados para cama a 55500.
Sedinhas lavradas, o que ha de majs gosto.
Gambraia com salpicos a 45000 a peca
Cortes de casemira para vestido a 255000
Renda da China a 00 e 240 rs.
Tecidos arrendados, a 400 e 500 rs,,
Zefiros, grande v^riedade, a 160.
240 rs. o covado
Bicos de cores a 35000 a peca.
Madapolao muito lgo a GiOOO.
Luvas de seda a 25000, 255000 e 3^000.
Mantil as pretas a 45500.
Cattbna Victoria a 25800.
Atoalhado bordado, lindos gostos, a 15000
o metro.
Grande sortimentos em toalhas de rosto.
Espartilhos com couraea a 45000, 55000 e
(5000.
Nunzucks a 240 rs. "b covado.
Pannos de crochet.
Cretones para coberta, muito bonitos a
500 rs. o covado.
Cambraia suissa, fina e muito bonita a
75000.
Babados e entremeios grande sortimento e
barato.
Fichs do linho a 15000.
Ditos de seda a 45000.
Ditos de 13 a 15000, 25000, 35000, 45000,
55000 c 65000.
Grande quantidade em tapetes pequeos e
grandes.
Cretones muito lindos a 400 rs. o covado.
Chitas brancas, escuras e claias a 240,
280 c 320 rs. o covado.
Grande sortimento em colchas brancas e
de cores.
Objectos para homem :
Cortes de casemiras, finas, a 45000, 65000
e 85000.
Ditas de casineta a 1500 e 25000.
Collarinhos de linho e algodo a 45000 e
65000 a .duzia.
Meias para homem de todas as cores e
brancas.
Casemiras de cor a 25000, 35000 e 55000
o colado.
Ditas diagonal, lindos desenhos a 25, 35 e
e 45000.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
cavado.
Oassinetas, grande 'sortimento, a 400 e
500 ra. o covado.^
Bnns Angola, muitc^chiques e baratos.
Molesquins bons e bonitos.
Camisas de madapolao a 25000! !
Ditas inglezas a 45500.
Ceroulas francezas a 15600.
Fianelia azul a 15200 o covado.
Grande* sortimento em lensos de algodao
e linho.
Camisas de cretone, cousa boa [e barata
Alm de outros muilos objectos.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessa.
.." Ra Duque de Canias 55
Fernand.es Azevedo & C.
ra engenhos *
Lopes & Araujo, vendem
precos sem competencia,
jjarantindo a boa qualidade,
os artigos abaix mencio-
nados.
Gal de Lisboa.
Dita de Jagnribe.
Oleo de mocot.
Di lo para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixas
fe 10 e 25 kilos.
Cimento Porttend.
Graxa em bexigas.
Roa do Livrameiilo h. 58
Telephone 316
CARD ZO & IRHiO
A RA BARAO DO TRIMPHO
N. 100 A 104
Tem para vender tri-su'phi-
to de cal, que nao s faz alve-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gasto de
cal no fabrico do mesmo.
a 65000
Soya! Bieod marea VIADO
Este excellente Whisky Escocez pro*
ferivel ao cognac ou agurdente de can,
para fortificar o corpo.
Ver.de-se a retalho nos melfaores arma-
zens de molhados.
Pede Roy al Sil: o marca Viado,
cujo nome e emblema s3.o registrados pari
todo Brazi!.
BROWNS & C, agentes. *
Para os festivaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria e commodidade em
presos: bolo, p2o-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doce3 d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos c baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
Vende-se dous pianos na
ra do Bartholomeu n. 67,
sobrado.
ama das melhores tavernas ra Mrquez do
Henal, tem pouco capital ; a tratar La mesma
roa n. 143. p adn a F<>z-se qualquer negocio.
rOLFETIM
DECAPITADA
POR
Taverna
Vende-se ou a-iinitte se um socio
Pernambucanas n. 25-B, Capunga.
na ra das
Boa taverija
Vende-se a da rna Mrquez do Herval n. 29
(esquina da ra das Flores) ou adnritte-se um
socio com aplidio para a sua gerencia ; a tratar
na ra de Hortas n. 15.
assustada, vendo o filho entrar em sua
casa com urna mo<;a.
Ficou combinado qae se tornariam a
encontrar no caes, depois da visita.
Agostjnha nao estava muito socegada,
mas subi de boa vontade os tres andares,
apoiando-se ao braco de Vitrac.
O seu namorado precedia-a como ex-
plorador e,. como subisse os degros qua-
tro a quatro, chegou muito antes della
porta da casa oceupada pela viuva, que
veio mesmo abril-a, porque n&o tinba nin-
guem para a servir e que recuou de sor-
preza vendo o filho.
Bom dia, mamSi, disse-lhe Mea-
lheiro, tSo socegado como se tivesse l
ido na vespera. Trago-te companhia.
Que companhia? balbuciou a boa
mulher. Por urna vez que te recordas de
mim, podas perfeitamente vir s.
Mas a mai de Dangalas mudou logo de
tom assim que vio Vitrac, que desembo-
ava no patamar com a neta de Cor-
douan.
Vitrac era o seu Deus. Sabia que JoSo
lhe devia estar em carcinho de se tornar
um artista serio e a honra que o mestre
lhe fazia pela primeira vez, nchia-a de
satisfacSo.
O senhor aqui! exclamou tSo com-
movida como se o presidente da Repbli-
ca a visitasse.
NSo se atreven a perguntar o que faiia
alli aquella boniti mo9a, que n2o levanta-
va os olhos e afastou-se para os deixar
entrar.
Apresento-t(! a minha futura, disse
Joao, que n3o gostava e prembulos.
que elle ia tambem pedir sua mSi los-1 Tinha vontade de me casar. Encontrei a
pitaldade para urna moga abandonad. mulher que me convem e venho com ella
Demais, Dangalas nao estava inquieto | pedir o eu consentimento.
com o bom xito que ia tentar. Agost'inha nlo sabia onde se havia de
Sua boa mai no tinha pergaminhos de j metter : era tempo que Vitrac allasse.
nobreza, mas tinha coracao a fartar, e e I Fallou e fallou muito bem.
rapaz nSo duvidava eu/ernecel-a. Contou toda a historia e a mai de Mea-
A mai de Dangalas morava na ra d'Ar-
cale, na esquina do caes das Pires e em
frente do novo Hotel-Dieu, no terceiro
andar de urna casa de regular apparen-
cia.
Desta vez. toda a gente se apeou.,
Smente o capttSb declarou que espt -ata.
raria os amigos fumando caes. iea e pi
,kde, o capit3'
fue: m2 de 1
P. D BOISGOBEY
(ContinuacSo do n. 18 6)
XI
S o tempo podia vencer a ^resistencia
que a mai de Jonville nao tteixaria de op-
por s intencoes motrimoniaes do filho, que
nao tinha grandes esperan5a| de conse-
guir convencel-a.
Era preciso, pois, sem perder um s
dia, que se oceupasse de assegurar infe-
liz innil da decapitada, urna existencia
decente emquanto nSo era sua mulher;
e, antes de tudo, que a visse para tran-
quillisal-a mais o que o capito o tinha
conseguido fazer.
O fiacre poz-se de novo a caminho e Vi-
trac absteve-se de confiar no discpulo,
que nao estava socegado sobre o futuro de
Helena.
Receiava desanimal-o na occasio em
Pao centeio
Meilo & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa*
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
Libras sterlinas
Vende-se libras sterlinas ;4la ra do Com-
mercio, armwem n..
Vinho puro de Santarem
Da.quiata do Barra I
Os proprietarios do Armazem Central, ra
do Cabug n. 11, avisam aos seus distinctos fre-
guezes e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o .qual se
recommentta por ser puro da uva, e s se reta-
Iba em seu armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
GalSes, palmas rosas de vidri
Bicos de seda e de algodo com sen
vidri lho.
Mantilhas de seda e de algodao,
Contas lapidadas para vestido.
Franjas d^ seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 35000 e 450G-:
a duzia.
Bordados de camb aa tapada a 400 500;
600 e 800rs. dem com 3 e 12 metros, da qual que
argura a 15200.
Lencos de linho em caixinhas jh65000 i
dita.
Meias para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000*
Lindos loques transparentes de gaze >
00 um.
Grande sortimento de porta-retractos d;
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 45, 65 '
85000 o par.
Ditas de phantasia, gsto moderno, t
25500 a 35000 o par.
>'Cortinados todos de crochet para cama t
125000, 175000 e 195000 o par, alar-
de cores.
Ditos para janeilas a 750CO.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 t
15000.
Ditos para sof a 25000..
Plastons regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimen^
a 45000.
Capellas com veo para noiva
85000.
Lindos enxovae3 baptisados a 85 105
125000.
Toucas de setim para baptisado a 35, 45 <
55000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha d=
mellior.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 25000 a pejt
Ditos de seda branco3 e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car#
ritel.
Pastas a 15000 e 25000. .
Porta-lettras e porta-sedula* a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelinas *
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 :
par.
Ditas de seda para creanca a 15000.
Dita para moja a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados ^)ara segurar cabello
Ditos ditos para enfeitar cabeja e segura-
chapeo.
Espartilhos para creana a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 *
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200
15500 um.
Estojo com faca, gario e colher, propric
para creanca.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de 13 para hornera e senhoraa.
Linha doorada paca fiwer crochet.
Lindas fitas para lacha a 25, 35 e 450UL
o metro.
Lindos leques de setim para Basamento.
Grande sortimento de leques de setim *
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeira de J5, 2
3 e 35500 urna.
Ra Duque de CaxiasD. 103
e seguras, ;,
Tave
rna
Vende-se ou admitte-se um socio, n'um dos
melhores locaes do Recife ; informales na ra
do Bariio da Victoria o. 38.
lheiro escutou-o tem o interromper.
(uando elle acabeu declarando que ap-
provava o procedimento do seu discpulo,
a mSi de Dangame, em dizer urna pala-
estendeu a nlo orpha e, puxao-
vra
do-a para si com neiguice,
deu-lh
ro-
Agradece ao Sr. Vitrac, murmurou
a mamai, endireitando a touca, que ficou
toda desarranjada cem os furiosos abrafos
que lhe dera o rapaz que lhe devia a exis-
tencia.
Logo, piando elle te kouver expli-
cado, o que espero de ti.
Vitrac, obrigado a expor o caso, saho-
se muito bem.
Demonstrou clara c resumidamente que
a futura mulher de Joo, nao podia morar
senao na casa da sua futura sogra, at o
dia do casamento, urna vez que o nico
prente que ella tinha acabava de deixar
este mundo.
E para pintar a cruel situaco da or-
ph soube encontrar inflexSes, que arran-
carais lagrimas viuva Dangalas.
A causa de Agostinha estava ganha.
Insistir seria um desaso, e Vitrac nada
mais tinha de fazer do que retirar-se.
Dangalas faria o resto.
Dangalas j nao tinha precisao delle ,
portan to, n2o procurou demralo.
Vitrac foi-se pois e, descerni a escada,
nao pode deixar de comparar a sua fiorte
com a daquello rapaz.
Vitrac j nada esperava.
Tinha que recoaecar sua vida, e 0 des
cuidoso Mealheiro tinha iogo da primeira
vez tirado a sorte grande na loteria da fe
licidade.
Mealheiro tinha apontado* menos alto do
que seu mestre e Mealheiro tinha acertado
no alvo.
Tudo lhe sorria e Vitrac nao via senao
pontos negros^no horizonte.'"
PoHia invejar tambem Cavaroc, que
acabava de atravessar sem avarias aquelle
drama, em que tantos outros tinham per-
dido o repouso e compromettido o futuro.
Aquelle capitUo era ncouracado por to-
dos os modos, e as tempestades da exis-
tencia nao podiam com elle.
Sahindo da casa, onde deixava seu dis-
cpulo e a sua protegida, Vitrac encon-
trou o seu novo amigo muito oceupado em
examinar do alto do caes das Flores os
trabalhos de reconsiruccao da ponte d'Ar
col e a attengao que elle lhe dava deno
tava perfeita tranquiilidade de
retanto Cavaroc perguntou pe!
, visita mama Dangalas equan-
uheceu :
bem, disse elle phyloso
mente, aqui est urna cousa, que
mais urna vea que a riqueza e a nofcj
BARATO
Na Lija das listras zoes
A' RA DUQUE WOAXIAS N. 61
Vende-se fazendas finas mais barato e
d-se descont a quem comprar de 205000
para cima, troca-se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo no fr de muit
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes presos:
Cachemiras lisas e com lista d
seda de lindas cores, a 15400.
800 rs., qualidade superior.
Tecidos arrendados cor de creme com
matiz com duas larguras, a 600 rs.
Fazendas de phantasia e lindas cores
a 400 e 500 rs.
Tecidos, de linho, lindos padr3e3
grados, a 200 e 240 rs.
Zefiros lisos e de quadro, a 80 e
100 rs.
Setins de Maco branco, preto e de
todas as crt a 750 e 800 rs.
Celias de quadrinhos, a 900 rs.
Sedas lavradas brancas e de cores cla-
ras, a 15400.
Gazes de seda com fios prateados a
15000.
Cortinados de crochet, em peca, a
900 rs.
Cambra3S bordadas brancas e de
cores, a 450l> a pef-a.
Cortes de vestido bordados, brancos,
para noivas, a 165000, 185000 e 205000. ,
Veos para chapeo preto, branco e de
qualquer cor, a 15500.
Crep inglz para enfeitos de vestidos
a 15200 e 25000.
TECIDOS MAiS BARATOS
Percales e chitas claras, finas, ?.
180, 200'e 240 rs.
Cassas de cores ibas
120 e 240 rs.
52or-3m deiistras aznes muito lar-
gos com 20 varas, a 65000, a peca.
Sargelins finos, a 160, 180 c
200 rs.
Crinolina, qualquer cor, a 400 rs.,
o metro.
* Cinardanapos superiores a 15800 e
25000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 15000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 15000, o metro
Toalhas acolchoadas e felpudas com
listas de cores, a 45000 e 65000, a duzia.
Bicos hrancos francezes, a 600
e 800 rs., a pega.
Bieos finos, hrancos, cremes e ma-
tisados, a 25000, a pesa.
Baleias a 240 rs. a duzia, cobertas a
400 rs.
Liaras de seda, boj-dadas, brancas,
pretas e de cores, a 25000.
Leques de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 25000.
Leques de pennas o que ha de me-
lhor, a 55000 e 65000.
JSabonete grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
Extractos finos francezes e inglezes
a I50OO e 25000.
Bespertadores americanos, a 75-
Hosquiteiros americanos com ar-
macao a 105000e 125000.
Espartilhos americanos e inglczes.
a 45000, 55000 c 65000.
Capas de vidrilho e rendas, a 25500
e 305000.
Toalhas de Iabyrintho para bap-
tisado a 305000,405000 e 505000.
E muitas fazendas qne se d por todo o
preso na.
Loja das Listras zoes
Muita attengao
Na ra da Imperatriz n. 80,
de felpos para fri a 60 rs.
gas a 500 rs.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e d*
trra, garante-se a qualidade do leite.
nao d2o a felicidade. Se os avs daquelle
rapaz tivessem estado as 'cruzadas e se
a mai possuisse urna grande quinta na
Normandia, encontrava-se as mesiuas dif-
ficuldades que o nosso amigo Jonville e
arriscava-se muito a nunca casar com a
sua Agostinha.
E' verdade, murmurou Vitrac e po-
dia accrescentar, que q meu discpulo
mais feliz do que eu. Por que nao vivi,
como elle, na Bohemia, em lugar de me
apaixonar pela arte e de me affeisoarlon-
camente a urna mulher, que eu apenas co-
nhecia ? NSo teria despedayado a minha
vida !
O senher nao chegou a csse ponto,
meucaro. Primeiro resta lhe a arte. O se-
nhor j um mestre. Ha de vir a-~ ser
um grande pintor e depois... ha mulheres
que vem para bem. O senhor estava com-
promettido com a dama da ra Condor-
cet e talvez que tivesse difficuldade em
romper urna ligacSo que podia leval-o lon-
ge. Agora o senhor est livre.
E' verdade, grasas a Deus e vou
me aproveitar disto para sahir de Fransa.
Espero que nSo seja para sempre.
Nao, mas por seis mezes... por um
anuo. Nao volto senao quando tiver es-,
quecido e isso ha de levar tempo.
Quer que o leve sua casa ?
Nao, disse o capitSo, tenho necessi-
dade de andar.
E do dormir, creio... depois de
ama noite passada em claro...
Isso nao. Alm disso tenho osjneus
cursos da Escola de Guerra e de ha oito
dias para c, tenho faltado muito a elles ;
necessario que recupere o tempo perdi-
do. Paj-tanto, at vista, meu caro Vi-
trac, e cont commigo, como um amigo
i Ah urna palavra anda, antes de nos
separarmos... Se o senhor fosse Jonville
casava-se com Helena ?
Diabo o senhor poe-nie em gran-
des dniculdades. NSo sou Jonville e, em
um caso destes, o interessado o nico
competente.
Tem razio... mas se elle o consul-
tasse ? t v
Recusava-me a responder.
__E' o que hei de fazer, disse Cava-
roc, despedindo-se com um cordial aperto
de mao, do mestre da -praca Pigale.
pitao, ia-se tambem aquella alegre pbylo-
sophia que elle pregava com tanta grasa.
Estabelecera se o vacuo em torno delle.
Tinha como que um buraco na sua vida.
Depois de ter invejado a felicidade dos
seus amigos, invejava a sorte dos pobres
diabos que passavam, procurando o pao
quotidiano. A'quelles restava a espe'an-
Sa, qne consola e que ampara.
A Vjtrac nao restav, sen2o recorda-
Soes dolorosas e amargos arrependimen-
tos, quasi remoraos, porque a sua ligacao
com Irene tinha sido a causa principal da-
quellas horriveis catastrophes.
E desejava morrer.
Mas estava escripto que viveria e que o
trabalho, esse supremo recurso dos afilie-
tos, o salvara do desespero.
EPILOGO
Passaram-se nove mezes sobre esta l-
gubre historia e Pariz, a quem ella inte-
ressou durante oito dias, Pariz quasi que
a esqueceu.
Um ceime afasta o 4Mpo da memoria
dos homens e este anuo ^ crimes abun-
daran).
Os que nao terminam no tribunal do ju-
ry, fazem menos barulho do que aquelles
que mandam os criminosos morrer de mor-
te violenta na praca da Roquette.
Quando os assassinos fazem justisa por
suas proprias mSos, como um drama
commovente, ao principio, mas que nao
tem quinto acto.
A massa do publico nao fica contente,
mas os conhecedores tomam, muitas ve-
zes, mais interesse por elles, do que por
urna pesa architectada segundo as regras.
Aprcciam o imprevisto das situcSes e a
originahdade dos personagens.
NSo se encontram, muitas vezes, typos
como o daquelle pirata, mettdo na pellc
de um fidalgo russo, assassinado por elle,
recrutando em Pariz exemplares para, o
harem de um pacha turco, nem como o
tal Caritides, fgido da quadrilha de Ma-
rathn, decapitando a mulher, com um s
golpe de yatagn, a dous kilmetros da
prasa da Concordia.
E, desde os tempos legendarios, em que
um marido feroz mandou comer a Ga-
."ergy, sua esposa infiel, o cora-
* pagem que V^^^^H^Bhfi se
lie alegre ca-1 tinl
vende-se sapatos
o par, e de crian-
Arma^o
Vende-se a armacao da loja de fazendas da
ra Dnque de Caxias n. 73 ; a tratar na mesma
ou na ra do Livramento n. 22.
o ponto de lansar aos ps do amante a
cabesa cortada da amante.
Mas, como todas as cousus, as trage-
dias da vida pariziense tm o seu destino
e nao sao sempre as mais extraordinarias,
nem as mais delicadas, que mais barulho
fazem.
A da ra Berton foi representada muito
depressa e os actores nao eram muito co-
nhecidos na sociedade, para que fizesse
grande escndalo.
A cabesa nao fez seno apparecer e de*-
apparecer na Morgue.
Os amadores daquelle genero de espec-
tculo tiveram apenas tempo para l *
ver, e os jornaes comesavam a oceupar-
se com o mysterioso processo de Passy,
quando se soube que tudo estava aca-
bado.
A polica discreta por naureza e os
interessados nao cahiram em dizer o que
sabiam.
De maneira que ha muita gente ainda
que acredita que a scena do baile, em casa
de Viirac, foi mera brincadeira de atelier.
Deixou vestigios mais profundos e re-
cordas*e8 mais duradouras s pessoas que
nella se'envolveram.
Vitrac perdeu com ella, a mulher que
mais arnou, e levou muito tempo a esque-
cer aquelle desgosto, mas ganhou com.
isso, por ficar desembarasado de urna li-
gasSo indigna delle e por poder consagrar-
se inteiramente arte.
Vanda fez ainda algumas tentativas para
tornar a entrar em grasa, mas Vitrac re-
sisti e, para acabar com aquillo, depois
do Salo, em que o seu novo quadro te-
ve um grande triumpho, foi passar algun
mezes Italia.
L est ainda e l ficar todo o inver-'^
no.
Pode, antes de partir, servir de teste- ,
uiunha ao seu discpulo Joao Dangalas,
que se casou na marie e na igreja com
Agostinha Bernier.
O velho, Cotdouan, infelizmente, nao
teve a satisfaso de acompanhar o neta ao
altar ; mas a mai do noivo l estava, toda
orgulhosa da sua ora, que ella teve em
casa durante um mezf antes do casamen-
to, e de quem pode apreciar todas as qua-
lidades.
(6'on trio ra Duque de
"n &V

I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGLCTLTLF_LJ3NTV INGEST_TIME 2014-05-22T00:07:14Z PACKAGE AA00011611_16934
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES