Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16931


This item is only available as the following downloads:


Full Text
LV ~ NUMERO 184
\
l>i!U A CAPITAL E LAGARES U.\tf| !VAO SE PAGA PORTE
Por tres mezcs .viantidos.
Por seis ditos idem.....
Por mu tumo idcm .
Cada numero avulso, do mesmo dia.
60000
12^000
230000
0100
SABBADO 17 DE AGOSTO DE 1889
--j-i--------- -- -*-^ i
PARA DEVTRO E FOIU 1 'ROVI\t IA
Por seis menea adianlado...............
Por nove ditos idem........'........
Pornm auno idem. .............
Cada numero avulso, de dias anteriores *......
PERNAMBUCO
t Trcpriedade de 3\anoel fgueirca de Sfor 3%B?cs
Os is. Amede Prin-
ee & I'., 4e Pars, sao
3 xlgssos agentes ex-
clusivos d-3 annuncios
mblcaQoes aa Fran-
ca e Inglaterra.
!E
aaartiqa aaffflvff l a aa Milla
RIO DE JANEIRO, 16 de Agosto, s 3
horas e 10 minutos da tardo.
Um grupo de pesadas gradas, aqu resi-
dentes, deliberou ir, n'uma flotha de pe-
queos vnpores, esperar fradabarra.S. A.
o Sr. Conde d'Eu, c offereccr-lhe um gran-
de baile nos saldes do Cassino Fluminense,
ein attencao aos importantes serviros pres-
tados ao paiz por Sua Alteza.
Suicidou-se o conhecido e importante
capitalista, conselheiro Antonio Queiroga.
SS37S3 11 HISIA ZLU
CONSTANTINOPLA, 13 de Agosto, a
tarde.
O governo ottomano declarou que con
eideraria como Cam^-belli toda accao grega
na ilha de Creta.
PARS, lo de Agosto.
O general Boulanger foi tambera reco-
nhecido culpado de concussao dos dinhei-
ros pblicos, sendo repellida toda a cir-
oumstancia attenuantc.
' ... ,r ,, ./? droMartvr de Ges no lugar de commandante
O Conde D^lon e ilennquo .ochclort do 34 u batalIlio ^ iafantaria da guarda nacio-
foram reeonliectaoB cmplices do general*nal da ertlarc de Gewipc. i*/*e*B -
vincia, licando aggregado ao dito batair.ao o
tenente-coronel Antonio da Silva hemos; o coro-
nel Ernesto Lopes Rodrigues no axercicio do
lugar de commandante superior da guarda na-
f Foi em 1824 que Niepce resolvea o problema
de, que so oceupava, e que consista ca lixur a
Imagen) da cmara escura. O agente chimico,
impre.-v-ionavel pela luz, de que fez uso, foi o
bitume de Juda, materia negra, a qual ex
posta luz, se inodica chimicamente e perde a
sua solobilidade em lquidos espirituosos. Ap-
plicava urna carnada de bitume de Juda sobre
urna chapa de cobre praleada, e collocava esta
chapa no foco da enmara escura.
J Contina)
PARTE 0FF1C1AL
Hinlsterio da Instiga
Foram concedidas as honras de desembarga-
dor ao juiz de direito Jos de Araujo Koso Dn-
nim.
Foi declarado sem cierto o decreto de L>
de Junlio ultimo, que nomeou o jaiz de direito
Jacome Martina Bagg de Araujopara o cargo
de che fe de polica d provincia de Goya-:, visto
nao ter aceitado a nomeaco ; e nomeado para
csse cargo o juiz de direito'Antonio Jos Perefa.
Foram nomeados ]uizes munieipaes e de
orphaos:
Do "termo de Tee, na provincia do Amazonas,
o bacharel Alcides ltodrigues de Souza ; do Lo-
reto, na do Maranho, o bacharel Hygino da
Silva Guarni ; dos termos de Jardim e Acary,
na do lio Grande do Norte, o bacharel Aha>o
Fragoso de Albuquerque; e do de Paulo .Affonso,
na das Alagas. o bacharel Antonio Joaquim de
Albuquerque Mello.
Foram concedidas as exonerac's que pe-
dirn :
O bacharei Antonio Cesario Cardoso Ayres, do'
lugar de juiz municipal e de orpliios do termo
de Paulo Affonso, na provincia de Alagas, c o
bacharel Antonio Augusto de Araujo Jorge, do
termo de Loreto, na do Maranho.
Foram nomeados para a guarda nacional:
Provincia das .Magdas Comarca de Paulo
Alfonso: tenente-coroocl commandantc do l.
batalho da reserva, o capito Plinio Jos Vieira
Sandes.
Pmrtncia do Cearmarca do Ico : :
coronel commandantc do batalho de infantaria
n. 36, o niajor Jos Osorio Paes Boto; major
ajudantc de ordens secretario geni, o cldadlo
Joo Jacintho de Sampaio.
Foram reintegrados, no3 termos do art. .">."
do decreto n. 10,264 de 13 de Julho lindo :
O lente coronel Gonealo Martins Lisboa no
exercicio do lugar de commandante do 31." ba-
talho de infantaria da guarda nacional da co-
marca de Pao de Assucar, na provincia das Ala-
gas : o teoente coronel Mauoel Sertorio Fer-
reira Ferro, no lugar de commandante do 23.
batalho de infantaria da guarda nacional da
comarca do Penedo, ua raesraa provincia, ftcando
aggregado ao mesmo batalho o tenente-coronel
Manoel Antonio Monira Leraos ; o major Manoel
Caetano de Aginar Brando no exercicio de com-
mandante da 2.* secro do batalho de infantaria
da guarda nacional "da cmara de i &o ae Assu-
carj na mesma provincia : o tenente-coronel Pe-
dro Martvr de Ges no luirar de commandante
Jos Ricardo da Costa.- -Informe a seceo.
Antonio Joaquim Cascao'e Anna Maria de Me-
deiros llego.Deferido de accordocora as inl'or-
niacoes.
- 16-
Luiz Antonio de Siqueira-Moformc a 1- see-
I-abel Raymunda dos Santos l'inheiro.A' 1'
seccao para allendr.
EXTERIOR
Boulanger, pelo crime de attentado contra
r seguranca do Estado,
cional da comarca do Pilar, na provincia das
Alagas, ficando aggregado ao respectivo estado-
maior o coronel Candido Jos de Oliveira e
Silva; e o tenente-coronel Antonio Gomes de
Mello Lins no do de commandante do 6. bata-
lho de infantaria da guarda nacional d'aquella
, i j i au_ comarca, licando aggregado ao mesmo batalho
fort, acabamdescr condemnados pela Alta 7eanre^e.coroael ffvpmit0 Qassiano Lopes Ro-
PARIS, ,16 de Agosto.
O general Boulanger, assim como seus
cmplices o Conde Dillon e Henri Rocbe
Corte de Justica deportarlo n'uma praca
fortificada.
PARS, 16 de Agosto.
Chegou aqui boje o ministro da guerra
do gabinete russo.
CONSTANTINOPI^A, 16 de Agosto.
Acaba de ser declarado o estado de sitio
na ilha de Creta.
BERLIM, 16 de Agosto.
S. M. o Imperador da Austria-Iungria
deixou boje esta capital afin de voltar
jiara Vienna.
BERLIM, 16 de Agosto.
S. M. o Imperador Guilberme II partir
para Strasburgo na terca-feira prxima.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
16 de Agosto de 1389.
-. -
INSTRUCCG POPULAR
AS GLMDLS l\VE\0ES
ANTIGS K MOJBERMAS
Sciencias.
ULB
industria e arte
TOR
(Cottinuacao)
XXIV
A pliotoarnphia
A Jos Nicephoro Xfepee, nascido cm falons-
sur-Sonc em 176S cabe, a honra do descolnmcn
o da photograpbia. Aos vate e te annos, Jos
Niepce fazia. como lugar leoente, parte da cara-
panna de Italia ; e cm 1791 nfla ido nomeado
adminisirudor do districto to 'Nice. Em 18 2
regfwson a sita patri;/, e veio rennir-se a elle
senirmao Clrudio Niepce. Retirado em urna
pequea habitacao de campo as margens do
aOBe, as cercanas de Chalona, os dous irmos
occopavam se de fcdiutria e de sciencia apli-
cada. Os ciimecos das itivestigacts pbotogra
ptutas de N | ce remonu_fcio anno de 1813.
O rohiema que .S^ffaHneguia, era de lixar
aa ima;. a^BRrnra. Consta este ins-
tfcmento do urna c;ii\a fechada per todos os
lados, excepcao d'um pequeo orificio pe'0
nal penetrara os noa luminosos. Estes, cru-
zaado-se, vo formar urna imagem invertida e
inula do? objecto-. emum diaphragma situa-
do no lado oppoto da raixa.
"Torta, pbysicn napolitano, o primeiro que fez
Mico o pnenomeno que ?e produz pela cama-
; ra, imaginou coliocar urna lente biconvexa
le.or^icio deste instrumento. A imagem me
thorou-se muito mais em vigor, nitidez-e colo-
rido.
drigues.
Fram declarados sem effeito:
O decreto de 16 de nio do anno passado que
nomeou Domingos da Cunha Figueira para o
posto de tenente-coronel commandante do 10."
batalho da reserva da guarda nacional da co-
marca de Paulo ABonso, na provincia das Ala-
gas, vHo nao ter aceitado a nomeaco.
O decreto de 20 de Outubro do dito anno,
na parte em que nomeou Antonio Soares Porto
c Manoel Thiraoteo de Aguiar Brando, este para
o posto de major commandante da 2. seceo de
batalho de infantaria, c aquelle para o de te-
nente-coronel commandante do 31." batalho de
infantaria da guarda nacional da comorcade Pao
de Assucar, na mesma provincia.
Ministerio da Agricultura
Foi exonerado, a pedido, do cargo de director
geral dos indios, na provincia do Maranho, o
tenente-coronel Jos Carlos Pereira de Castro,
sendo nomeado Jos Joaquim Lopes da Silva.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 12
DE AGOSTO DE 1889
Abaixo assignados, alumnos do 4o 'anno da
Escola'Normal Informe o Sr. inspector da
instrueco publica.
Bacharel Antonio Caetano Rabello.Declare
qual o numero de pessoas da familia.
Digna de Santa Rosa.Informe a secretaria da
instrueco publica.
Jos Jeronymo da Silva.Informe o Sr. Dr.
juiz de direito do 2J districto da comarca do Re-
cite.
Lourenca da Silva Neves e Francisca da
Silva eves.Segundo consta de Aviso do mi-
nisterio da raarinha n. 1,331 de 2 do corrente,
foi indeferida a petigo das supplicantes, a vis-
ta do disposto no art. 68 do Reg. de 28 de Fe-
vereiro de 1854.
Maia e Silva C Informe o Sr. inspector do
Arsenal de Marinha.
Dr. Malheus Vaz de Oliveira.Informe o Sr.
inspector do Thesouro Provincial.
Alferes Manoel Jos Ferreira da Costa.Inde-
ferido.
Bacharel Marianno Auau.-to de Mcdeiros En-
caminhe se. pagan to o porte o supplicanto
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 16 de Agesto de 1889.
O porteiro,
Francelino Chacn. %
Thesouro Provincial
DESPACHOA DO i-IA 12 DK AGOSTO DE 1889
Jo AiitdBio Pilro. -Certilique-se.
C impanhia do Biberibe. A' contadoria.
Fausta Felicia da Cunha Rosal, Pereira Car-
nero & C. e Antonio Duarte Machado. -A' con-
tadura. t
Caetano Telle?. A' contadoria.
Reccbeilorla Provincial
DESPACHOS DO DIA 13 DE AGOSTO DE 1889
Pinto Cost e Andr Affonso de CarvalhoA'
1* scelo para os devidos m.
noticias do Pacifico c Rio da
Prata
Pelo paquete americano Adiancc recebemos as
seguintcs :
Pacifico
Datas at 21 de Junho :
A cmara dos deputados do Peni oceupou Ires
sesses com a di.-cu3so da clausula 7" do con
tracto Domoughmore. Tendo sido posto em u-
vi.ta que o Per podesee pagar a quan'.ia fijada,
affirmou o ministro da fuenda que o poda fozer
accr. scentando que sem aquella clausula nao
haveria contracto.
Foram approvadas as clausulas 21 e8, depois
de ter si.lo interpellado ministro da fazenda,
em sessao secreta, pelo depulado Denegr.
Em Callao fui proclamada a candidatura do
Er. Rosas presidencia da repblica.
Rio da Prata
Datas Uuenos-Ayres, at 3 de Agosto :
Na sua Revista geral, publicada no dia 1
do corrente. diz La Nacin, de Buenos-Ayres,
que as condices polticas em que o paiz sedes-
envolve nao podem ser mais iesfavoraveis. A
subversao das instituicOes, realisada de raaneira
inandita pelos que se apaderaram da forca, ac-
crescenta o citado diario, subsiste, tacto que im-
pede c aniquila a aeco ponderada dos partidos.
Na aclualidade ninguem vota livre e espont-
neamente em nenbuina classe de eleices. S
o presidente elege, exercendo assim d monopo-
lio absoluto do mando, a sumina do poder pu
blico equiparada por nossa constituigo ao cri-
me de traico A patria.
t Entretanto, um acontecimenlo polico sa-
se ltimamente em La Plata, e a proclamaco
popular da candidatura de D. Julio A. Costa
para futuro govemador da provincia de Buenos
Ayres no prximo periodo, acontecimento ge-
la'lmente considerado, apezardas circunstancias
desfavoraveis de sua origem, como um desper-
tar cvico, como urna vigorosa reaccao da opinifio
no sentido de reivindicar sua legitima interven
5S0 na direceo dos negocios pblicos.
Segundo a Nacin, a .-ituaco lnanceira nao
tem soffrido-nenhuina alteraco. As rendas pu-
blicas augmeniam ; mas se nao se reduziremas
despezas, haver dficit, e este desequilibrio fl-
nanceiro pode trazer seria perturbaco econ-
mica.
Na propost de orgamento para o exercicio
de 1889, apresentado ao congresso pelo poder
executivo, as rendastcalculadas excedem de
70,00J,t> () de pesos e a* despezas importam cm
71,378,272 ; dando-se a3?im consideravel aug-
mento sobre o orcauento ectuak
NotiCMBdo. a rctiraiU toa^onu-ia do .
Adolplio ETDavilada redacrao de La Prensa, diz
La Nacin :
Em tantos annos de trabalho, de luta ,ede
fadjgas, seguindo os mesmos caminlios ou ca-
minhando por viaeMistinctas ; discutindo inte-
reses, noyes, sentimentos, aspiraces ou ten
dencias ; de accordo algumas vezes, encontra-
das outras, fomos, ora companheiros de fileira,
ora adversarios, e trocamos j palavras de reci-
proco alent, j ataques, um dia saudages e
e outro dia censuras.
t Mas affastando-nos, ou approximando-nos,
combatendo juntos ou em campos oppostos, as
alternativas e nos vaivens da lula diaria, houve
urna cousa que umoeempre Prensa a Nacin
qualquer que fo3se o caminho que levassem :
o bem,publico, ideal commum ; urna cousa que
sahionit sa sempre do choque das ideas e da3
opinies : o respeito mutuo pelo respeito pro
prio.
Considerava-se como terminada em Monte-
video a pesquiza da'conspiraco contra o presi-
dente da repblica, por ter sido affectada a
causa aojuizo criminal, cessando as averigua-
res da polica.
Foi publicado na corte este telegramma t
Buenos-Ayres, 9 de Agosto
O premio do ouro bancario 75,20 % e par-
ticular 75 "/o-
Tem augmentado a epidemia, da varila na
provincia de Mendoza.
A parede dos marinbeiros tende a finalisar.
Fina corara i sso ir ao Rio de Janeiro buscar
os restos mortacs do general Paunero, que foi
ministro argentino nessa corte.
INTERIOR
Noticias do sul do imperio
O paquete americano Adcanee trouxe as se-
grales-noticias :
s. Paulo
Datas at 9 de Agosto :
Sob a epigraphe O tempo, diz A Provincia :
Contina a reinar estado meteorolgico re-
lativamente bom e (irme, conforme o tm pre-
nunciado os uevoeiros matutinos no solo e os
nocturnos no co..
Como sabido, o que mais caracterisa o es-
tado atmospherico entre n3; quando se produ-
zera taes plieuomenos aquosos, o firmamento
conservar se todo desauuviado e lmpido, desde
que se dissipa a bruma at ao anoitecer, quando
reapparece; o ar saturado de bumidade. em-
quanto persiste a neblina, e consideravelraente
secco, das II s" 4 horas; a temperatura em
graos baixos durante a ausencia do sol e altos
emquanto este astro estiver cima do horisoute ;
dias sem sent impetuoso .
No dia 7 andaram vagando pelas ras da
capital e dirigiram-se Presidencia para pecli
rem passes para o Ro de Janeiro, diversos indi-
viduos de cor bronzuada carregada. naturaes das
colonias asiticas da Inglaterra.
*Diz o Correio que alguns tinham a coi dos ne
'ns, sendo, porem, o nariz mais aquilino, e .
ufaysiooomia mais distinct.
#R- Proseguem esm grande actividade os tra-
balhos da companhia d'agua e esgolo de Gam-
pmi(s
B'overabro prximo X os chafjrize* da
cjdflde se rao abastecidos pela agua da nova ca
nalisacao.
O rendimento da agencia do correio do
Amparo n, raez passado foi de 725|^^H
o Asylo de Mendioidade dd capitl falle
ceu dverij das Neves, contand) apenas 120
annos.
F.ii p.iblicado na corte este telegram^na :
S. aulo, 9 de Agoslo.
Falleceu aqui ante-hontem o fazendeiro do
Casa Brati'-a.lpi Prudente Corroa, nraao do
Bario do RiaBHdo.
Foi.hoje ^htailn em leilo, na Alfandega
de Santos, ^f^fjOOtOi', o mauso'eu para o
velbo Jos BonifiHe.'obra de arte de R. Bernar-
delli. Umacommisso 8o commercioani
o dobro da quantia necessaria e arrematon-o.
E* urna vergonha "
Morreu em S. Roque Manoel Ro3a, irmj do
fallecido Baro de Piratlainga.
Acabou a testa de i'irapora qual cqBcurre-
ram cerca de 16,000 romeiros. As esmalas che
garam a cerca de 2O.00OS00. Os romeiros fi-
zerrn esplendidas raanifestaces ao juiz de di-
reito Dr. Ignacio Arruda, coronel Rodovalho e
sacerdotes.
Cbegou o Bario do Alio Mearirfl, Grande nu-
mero de amigos o esperavam na e3taco c o
Itaram at a casa do commcudador
Dad le Rodrigues, onde se bospedou.
nio le Jaii*tro
Datas atrio de Agosto.
Devia n unir-se nesse dia o Gonselho de Es-
tado njono, ob a presidencia de S. M. o Impe-
r:"lo:*
oi consultada a Presidencia da provincia
do PifiUhy acerca da conveniencia de ser cedida
ao J*h: teo da Marinha, para o servico da ca
jai^i do porto da mesma provincia, a lancha
do *^o, que outr'ora servio commisso, ha
restaurada, dos raelhoramentos do rio
l'irnayba.
A reslauraco dos uteis trabalhos da des-
! iistrUcco do Parnahyba cffectuou-se agora,
vista do crdito destinado a tal m pela !ei do
(.canwnto do actual exercicio.
Declarou-se ao actual presidente da pro-
vineS do Piuuhy que nao podem ser approva-
: )3s i^ntractos celebrados pelo seu antecess ir
1 ;ili Meyer e Antonio de Souza Mello
Netto para conclusao da rampa do riol'arnahy-
ba, ate o porto da Barreaba, e conclusao de um
talude e rampa em oulro porto de Tner-:zina,
por haviiem sido celebrados os mesmos con-
tractos indepeodentemeote de hasta publica, ao
contrario do que expressameute foi determina-
do poravis) do 27 de Abril ultimo.
- '."-se no Jurtvil do Commercio de 10 :
f Vimos liunlem urna lindissima pagina offe-
reeida a S. M. o Imperador, pelo Sr. Leopoldo
Hio, vicecnsul do Brasil em Yenezi.
Por occasio da morte do principe D. Af-
f.mso, Sua Magestade corapo,z um Vmeto repas-
sado do sentimento que o triste successo des-
pertara no seu corago de pai cariuhoso.
Esta produeco, que traz a dala de 11 de
Junbo de 1847, foi assim traduzida pelo Sr.
i;:j i:a 11 de Junho do corrente anno:
La cira estinta com ricordo pi
Vodi piltor nei quadri suoi risorta;
D'an casto bacio il memore des
La derelitta vedova conrorta;
L'acoieo il giprno deH'estremo addi
1 propri esempi ad imitar ci esorta.
Ma coi pu dir quelle che sent, o lddio,
I cuor d'um padre, che la fronte morta.

r
Bacia del ligliuol suo, se quando in croce
Per salvarci morrendo dal peccato
Pende va il Tuo del Golgota alia voce,
Trem la trra e d'un funreo velo
II sangue deirAgnelloimmaculato
Alia Sua morte ha ricoperto il ciclo!
>u pagina 03 dous sonetos sao reproduzidos
em caracteres gotnicos, cercados por desenhos
allegoricos delicada e vaporosamente aquarella-
dojv.A artista P. Maiuedi, qic reproduzo per-
principe D. Affonso, e:n um berro orlado fle IloreT
brinca depcuidoso e innocente coma'cora impe-
rial, que um dia devia cingir-lhc a fronte.
Dominando a figura candida do infante, em
urna penumbra suavissima, v-se o crucificado
agonisante, como a receber-lhe o ultimo alent.
Apaisagem delicada ornando o fundo do
quadro contrasta suavemente cora aquelle poema
ue dr e de innocenciaa que o pincel de Mai-
nelli e,a lyra do poeta regio e do seu traductor
deram/vida e realce.
A nagina que encerrada em urna capa de
setiur cor de rosa, pintada a gouache constitue.
um mimo de valor.
Babia
Datas at 13 de Agosto :
O Da-to de Noticias de 12, d extensa noticia
da primira conferencia realisada pelo Sr. Dr.
Seabra, sobre ua candidatura deputado ge-
ral.
Le se na mesma folha :
0 Sr. conselheiro presidente da provincia se-
guio hoje s 10 horas da raasha afim de visitar o
lazareto do Bom-Despacho, a villa de Itaparica e
a ilha das Canoas.
S. Exc. embarcou na ponte da Corapanhia
Babiana, a bordo do vapor Itaparica, acora pa-
nhado de seu secretario o Sr. commeudador Fa-
ria Socha, do ajudantc de ordens c dos Srs.
Eduardo Gordilho Costa, inspector da sade do
porto e outras pessoas.
O Sr. Alfredo Alves Portelia, secretario da
inspectora de saule do porto, seguio tambera
alim de inventariar os objectos do lazareto.
Alagas
Datas at 15 de Agosto.
Terminaram4a 10 os trabalhos da Assemblea
Provincial tendo sido votadas as leis de meios.
0 presidente da peovincia tem visitado os
seguintes estabelecimentos pblicos: artigos
bellicos, quartel de liona, cadeia, Asylo de Men-
dicidades algumas escolas primarias. Constava
que satura mais ou menos satisfeto de todas
cssas visitas
As folhas pubiiearam as seguintes listas dos
candidatos a assemblea gerai:
Pelo partido conservador:
Io districtoDr. Bernardo Antonio de Men-
donga Sobriaho, proprietario, residente em Porto
Calvo.
2o districtoDr. Affonso Joi de Mondn ja,
medico, residente em Camaragibe.
3dstrioto -raajorEpaminonaas Ilypolito (ra-
cindo, aroprietario, residente em Assemblea.
i districto-Dr. Manoel Octaviano Ouedes
N igurtira, proprietario, residente no municipio
de Barreiros. na provincia de Pernambuco.
5 distri to Dr, Miguel Novues de Mello, ad-
vogado, residente em Pao de Assucar.
Pelo partido liberal:
i districto-Bacharel Jos Januario Pereira
de Carvalho, advogado, residente em Macei.
2 districtoDr. Pedro Nolasco uuarque de
Gusinao, medico, residente em Porto Calvo.
3 districto-Bacharel Joo Lins Vieira an
ianso de Smirab Jnior, advogado residente
na coi'.e
4" districto-Conselheiro Lourenco Cavalcante
de Albuquerque, advogado, residente na corte.
5" districtoBachand Theophilo Fe.rnandes
dos Santos, advogado, residente e;n Pendo.
Victima de ura desastre succumbio horro
rosa e repeiitiuamenlo, no municipio da Paulo
Alfonso, o capiWo Fr-.mcisco de Oliveira Ribeiro,
irmo do teneiite coroucl Pedro Rodrigues de
Oliveira Ribeiro.
Em trabalbo n'uma terga de casa, no da 31 de
Julho ultimo despr gou-.-e a linha da comicira,
ahio ?obre o crneo da inditoso mdadao
: (iik; _
produzrado-lhe a morte instantneamente.
D.ixara a commisso de ajumante de ordens o
2o leuente Augusto Cacinatode Araujo. Seguir
liara a corle. '" _,
Kalleceram na capital: a 6 D. Afra Pereira
Branco, a 8 o Dr. Jos Augusto Marcio da Silva,
ex-depu'ndo gfflftt 8 membro prominente do
partido conservador ; a 10, <> archivista da As-
s, mul. Provincial. Francisco de Paula Pinheiro
d o capito Manoctde Miranda Sampaio, ea 14.
,..,111 78 rano- le elc/D. Senhorinha FratRUCa
ce Farias. .
da cidade de Alagas. na idauede ii^ annos,
ifljuse o nortugaea BernardJ Lipes Ferreira
Braga, antigo ne'goeiaute alli esUbelectdo.
RIO GRANDE DO NORTE-natal, 11
de Agosto de 1889
E* esperado neste paquete S A. o Sr. Conde
d'Iid, que de vQlta de sua viagem as provincias
do norte, pretndese demorar aqui alguns dia?.
com o intuito de conhecer a provincia percorren-
do alguns pontos do interior. S poderemos
dar noticia da chegada de S. A por telegram-
ma, urna vez que, esta carta serii posta no cor-
reio apenas faca sigaal o paquete, que ordina-
riamente nao se demora ueste porto mais que
duas horas.
Para se encarregar da recepeo de S. A., fes-
tejos publicos e preparar hoepedagem condigna,
nomeou o Sr. presidente da provincia, ama i ; u
raisso coiposta de 23 cidtdos em sua maioria
membros do partido liberal, incluindo apenas
pequeo numero de conservadores e havendo
algumas excepces que parecem propositaimen-
te t'eltas. Apezar d'isso, reuniram se os mem-
bros da commisso nomeada, na casa da cmara
municipal e assentiram nos meios c no modo
como devia ser feita a reepeo.
Acreditamos que S. A. tpra aqui recepeo na
altura de sua elevada posico e conforme as for
cas da trra, que se rejubila peta subida honra
que vai receber.
Daremos minuciosa noticia das manifestages
que se lizere u na nossa prxima missiva e pelo
telegrapho, como costumamos.
Seja bcmvindoa Augusto Princip, a nossa
estremecida provincia, que s ter a ganhar com
as observa;.es de S. \.t conhecimento que ha
de adquirir da nossa riqueza agricoia, balda de
proteceo dos altos poderes publicjs.
Contina aserassuinpto olirigado de todas
as conversaces, o proxiroo pleito claitoral de
31 do correntev< os differentes meios de cabalaJ
que se est deseovoivendo ostensivamente, por
parte dos agentes, do governo.
0 proprio seeretari da presidencia cabala
sem escrpulo, dirigindo se a todos 03 empre-
gados geraes e provinciaes. Por sua vez o ins-
pector da thesouraria de fazenda pralica o mes-
mo, e nenhum dos dous guarda a menor conve-
niencia.
A verba soccorros publicos o refugium pec-
cnlorum para onde correra todos, acommolan-
do se nos lugares de feitores smente aquelle^
que sao eleitores e que deixam empenhados o
seu titulo E' deraiis! !
Anda ha pouco ouvimos a um que foi chama-
do a secretaria do governo e que deixou de ser
arrumado porque se recusou a deixar o titulo..
Para rada parte se tem remettido farinha e di-
nheiro, que em lu;ar de servir para matar a fo
me do pobre liagellado da secca, serve smente
para os arranjos eleitoraes!
No segundo districto est empenhada renhida
iucta entre os Drs. Miguel Castro e Amaro, apre
sentando-se este ultimo por ambos os districtos,
com o tira de derrotar aqnelle.
No vapor costeiro que parti deste porto a 6.
seguio o Dr. Amaro, com o lira de se dirigir aos
pontos do serto, levando em sua companhia o
promotoi publieo do Natal, que se licenciou pa-
t*ar*Mnelh*rtwilr
Informaram nos larabem que ol)r. Amaro ro
portador de grossa snmma recebida na thesou
raria de fazenda a titulo de soccorros, para ser
distribuida pelas localidades e alm disto que
o Sr. presidente da provincia fez embarcar.em
aquelle vapor grande numero de saccas de fa-
rinha.
Seguio tambera no mesmo vapor o Dr. Olivei-
ra Santos, que se apresenta como candidato con-
servador pelo segubdo districto, tendo feito pu-
blicar o seu manifest na Gazeta do Nata1.
Por noticia telegraphica que recebemos de
Mossor, sabemos que era Caraubas onde se
reuniram as influencias conservadoras do se-
gando districto, concordaram unnimemente em
que fosse candidato do partido o Dr. Alminio
Alvares Affonso.
Assim, teremos em aquelle districto, dous can-
didatos conservadores, outros dous liberaes,
alera do republicano, o que faz o numero de 5
candidatos dos 3 partidos e uos parece inevita-
vel,haver alli um segundo escrutinio. E' cedo
anda para aventurarmos outros juizos de que
agora devemos nos abster.
Contina a nao trabalhar a assemblea pro
vincial por falta de numero legal.
Acabamos de ser informados que S. Exc. nc-
gou sanecao ao ornamento provincial, cuja re-
daceo foi ltimamente approvada segundo no
ticiamos.
Ainda nao tiremos occasio de ver as razes
em que S. Exc. se fundou para devolver urna
lei de tanta importancia e to endeasada pela
folha liberal.
Tudo quanto podemos afflrraar que a refe-
rida lei nao contm materia estranha a receita
e despeza da provincia e que foi votada pela
maioria liberal da assemblea, que ento a con-
sidera va como o -Sal"S populi suprema lex
mas, boje 03 lempos esto mudados...
Asseguram nos que, devolvendo e lei de or-
caraento, S Exc. pretende adiar a assemblea !
Falleceu nesta cuade, no dia 7, o capito
Jos Gabriel Gomes |da Sillva, que exercia o
cargo de l* escripturario da thesouraria de fa
zeuda. Era ora empregado bastante mtelligen
te, filho desta provincia e que deixa numerosa
familia em extrema pobreza.
O Dr. Nascimenlo Castro, que exercia o
cargo de director da instruco publica, pedio
sua exoneraco era consequencia segundo se
diz de nao se querer prestar a reuceo que se
pretenda fazer no segundo districto contra o
Dr. Miguel Castro, removeudo-se e talvez mesmo
exoneraudo-se prQfes,sores publicos. E' possi-
vei tambera que concorresse para esta resoluco
do Dr. Nascimedto, o facto de ter o presidente
da provincia mandado abrir bancas especiaes
de exames preparatorios, contra a expressa de-
terminaco do decreto que rege a especie, tendo
sido approvados em taes bancas, cinco hospe
des e aparentados de S. Exc. O que ceito,
que, o pedido de demis;o coincidi comaos
mencionados exames.
' Falleceu a 27 do passado, 0 padre Antonio
Francisco Areiis. que ha cerca de 14 annos
Itava suspenso d ordens pelo talle ido blspo
D. Frei Vital. Exercia o cargo de oVial da se-
cretaria da assemblea.
- Segurado nos kasega^uU S. Exc. o Sr. ir
sidenteda provincia iuodou inspeuder e
vico da estrada d,- rodase u ;.:o >s
ao ceairo e que estvala lusts adi idtaire
Este importautissiaio lUelti rame il i foi
do na administradlo do E\ a. ex pfre*idenie Dr
Rosa e Silva e r ^eralin-'e n.ihvalo como
o mais aesigaala lo i"'11 'i lisiado ao
commercio, sendo empr j lo i i traalhn
graude numero d fa aiotos.
12 de Ag.'Stode lM\t
Teud)O paquete dearara na saluda para
hoj,anda ptenos ^'"'r ilguoias iraii
b. o Sr. 'la-ie. d'Eu cott ia comitiva i -
embarcou hon:em. pelas 4 1/2 li iras da tarde,
sea,11 recebido no oaesPedro de Barros -pelo
Exm. Sr. presidente da provincia, a commisso
de recepcio que alli so achava reunida, todo o
funccionalisino e pessoas'gradiAalm de nume-
rosissnno concur.-o^e ppvo, ^aBfcenthusiasiica-
mente o saudaratu dom caloronKTivas^
Urna guarda di' nonia que se acnava postada
no-caes, fez-lhe as cooiinencia dev.das, e duas
subindo ao ar grande numero de girndolas ie
foguetes.
Sua Alteza, acomp;rahado do mesmo conecran-
de pessoas, encamrahou-se para o Palacio 4a
Presidencia, que foi previamente pTwarads a
expensas da commisso, para receber condigna-
mente Sua Alfeza.
Depois de descancar alguns* minutos, Soa Al-
teza sempre acompaahado de grande numero e
pessoai e do presideatc da provincia, visitn te-
dos os edificios publicos e repartices que se
abriram aquella mesma hora, regressando pan.
Palacio, cerca de 7 horas da aoite.
Durante o seu trajelo pelas ras da cidie,
era constantemente San Alteza entliusiastica-
mente saudado.
O caes onde leve lugar c desembarque e a rot.
I lin de Souza, o'ide o Palacio da Presi-
dencia, es'avam v.-fo-araente enfeitadas comar- -
eos de folhagera e bandeiras, e noite foram fi-
uininadas com lampeos de cre.s, assim cerne
alguns edificios publicos e casas particulares.
Durante a noite tocaram na porta de Palack.-
as duas bandas de msica, continuando pot
muito tempo o povo reunido dando vivas a ana
Alteza, quedas varandas,ondeappareciajgor'Pb-
zes, agradeca ao povo, agitando gentillnente o
lenco.
a commisso executiva. a quem exclua
mente davida a recepeo que leve Sua Alteei
cujos esforgos sao dignos de louvor, se con
dos seguintes cidadus :
Dr. Jos Calistrato.
i>r. Moreira Brando.
i):'. .1 ao Mcrant.
Capito Odillon Garca.
Coraraendador Umbelino Guedes.
Tenente coronel Jos Doraingues.
iljje, pela 5 horas da raanha, Sna AlteiE,
acompaohado do Exm. Sr. presidente e muiias
[efcoas gnedas, seguio em trem expresso cz?*a-
Iheiiosannte offerecido pelo digno superiatan-
denie Dr. Joo .Morarit. para percorrer os potos
da linha, pretendendo regressar s 2 horas 4a
tarde e embarcar s 3, no mesmo paquete Jfor-
nha proseguind sua viagem.
Galernos ventos couluzara o inclyto Principe
ao ponto de seu destino e ao seio da Augusto
Esposa, e nos rogaremos Providencia Divina
que Ihe prolongue a preciosa existencia, to-cz
nossa exlremecida patria.
aaaag
nnuicis E COMMERCIO
No toe irte ao commercio de vinhos em Frair-
ca, as compras no estrangeiro foram em 18861
importancia de 203.025.000 francos, e entlffav
de 192 661 000 francos, o que representa ejqe
diminuicode 10.964.000 francos.
O movimento de importaco dos vanos tm
seguinte
lm porta ces :
flespanha
Italia
Portugal
Algeria
tfapai-
7.P3
1889
llectol.
.348:550
41:432
'i 29:321
744:323
1888
Hectol.
3,129:867
1,006:219
O6.653
507:197
oiTreit 3.0OU
1887
HectdL
2,854:B
1,196.a?
290:3
76:53
Total 5,101:260 5,544:986 5,H5:H&
Francos 17M.544:100 194,074:510 179,039:4
* *
Coniralou o Ministerio da Agricultura, ceit
Carlos Celso de Moraes, a fundaco de um be-
cleo colonial era trras de sua propriedade^B
que para tal fim venha adquirir no municpa
de Alcntara, da provincia do Maranho, pa*
collocaco de 400 familias de immigrantes euro-
peos que Ihe sero fornecidos pelo governo im-
perial de entre os que forera iatroduzidosfor
conta dos contractos ltimamente celebrados. .
O ncleo ser demarcado e dividido em lotet
rsticos de 10 a 20 hectrea sendo reserveto
para a sede a rea de 200 hectares, a qual asi
dividida em lotes de 25,000 metros quadraof-
O contractante vender os lotes ans immigsac-
tes a prego r;o excedente de 23 por hectaR.
mediante pagamento era prestaces annuaes.ne-
cebendo o immigrante titulo provisorio quese-
ra substituido por outro definitivo aps o paga-
mento da ultima prestaco.
Ter o abatimento de 20 0 0 o immigrante car
pagar o preco vista
Em cada lote construir o contractante cega
provisoria do custo de 2005, bem como farTO-
gar um hectare para situaco da mesma cast*
para as primeiras plantaces.
Alimentar, outrosim, os immigrantes deno-
te um semestre, podendoempregal-es em traae-
Ihos do ncleo ou em outros, mediante saasrj,
do qual ser deduzida a importancia dos viso-
res fornecidos.
Construir sua custa caminhos vicinaesip
liguera os lotes entre si, devendo o ncleo actov-
se constituido dentro do prazo de 4 annos.
Da sua parte o governo, alera de fazer truir |e3tradas que liguera a sede do nuclet g
estradas geraes ou a porto de embarque, paga
ao contractante 3005 para alimentaco de ca
familia, composta de seis pessoas no mximos
2005 para a construcqo de cada casa proviso-
ria ; e 1003 por familia para sementes, fetca-
raenta" e preparo do lote. Ao todo 6005000 por.
familia. .____'
O contracto poder ser.executdo por espao-
za ou sociedade.
A exteaso total das linhas frreas da Repc-
hlica Argentina entregue ao trafego em 1887301
de 6.742 kilmetros, e era. 1888 essa extensai
elevou se a 7708 kilometrom,; resultando poiSns--
toa favor do ultimo anno an augmento deS*
kilmetros.
Actualmene esto em conslrucgo 4,/90Jpo-
metros. _
As estradas de Ierro argentinas tranportaajBi
8,373,500 passageiros no annO de 1888, e eH*-
terior de 1887 somente 7,173,500.
Quanto carga conduziram naquelle annCj
3,950 0 0 toneladas, e neste 3,896,528.
A renda da Alfaralega.de Belm, no sen
le Janeiro a Junho do corrente auno su
quantia de 2.742:1135162, e esta cumpa
,n a de 4 905:8645538, produzda era<
pe-iodo do anno passado. aprsenla para rrenafc,
no nlii no semestre, una differeocana mpofta-
ei iial de 1.223:75153/6.
Temos anda o seguinte qu; dro demonstsSW
, da Alfandega no 1." semestre aoe JufK
I
i seis annos:
1. -emeslre de
lHk-
1885.
ISHi.
iss;
. ....
18S.I.
Renda
4.805:15UHI
3 499:33
4 3:7 &m
4.8*9:3
4 965:
3.742:1
N i -enda provincial pserva-se o ms^M
lOii 'no de delinacao da arrecadacao :
\ Recebedoria Provincial, no
corrente anno, rendeu_938J
bandas de msica tocavam o hymno nacioual,
1.09:1:3135557
rao ps
I Se
A
ltimos
riamos!
anno pren-
7*450 do g< na
trptfiao
-sdfe-


''*--
Bal,
B
IH
"



2
-
L* semestre de Renda
1884...... 97*:36*HS
883...... 1.075:719*491
886...... 1-14422293
. 1.043:207*115
la' 1.090:313*557
m. '. 958:776*107
**#
Consta ao PaU que esto sendo iucorpo#dos
na Corte e em Londres dois Bancos de deacouto
c de emissao.
O primeiro Banco ter o capital de nove mi-
totes de libras e ser de emissao, tratando cora
o ThesouJ Nacional o rescate do papel-moeda.
O seguido Banco sera de descont, operando
especialmente em ttulos de lavoura.
A receila publica arrecadada no Tnesonr Pro-
Ticcial do Amazonas foi. em
1883-84. J.748:294*000
)84-85..... 1 604:606*430
1885-S..... 1-872:016*739
1886-87..... 2.713:686*081
Julno a Dezembro de 1887. 2 059:771*881
1888...... 2697:360*281
Sobre o rotado tivemos um excesso de recei-
883-84..... 230:842*000
1884 83. ... *
1885-86..... *
1886-87. ... 774:606*081
Julho a Dezembro de 1887. 1.090:231*861
1888. 630-120*461
Has a Assembla Provincial redazindo os ter-
nos das provaveis eventualidades, d'ora em
diante, tixou em seu ultimo orcamento o alga-
rismo da receita em 2.002:915*996, e o da des-
Seza era 1.873:049*000, dando margem grand-
es saldos, que, oportunamente, podem ser ap-
plicados novas fontes de riqueza publica,
protecgo as industrias, commer;io e navega-
cao. .
Em taes condigoes, a Assembla Provincial
eonsignou na referida lei do orgamento o se-
grala:-
Fica o presidente da provincia autonsado a
contraliir no paiz ou no estrageiro, am de coa-
solidar a divida da provincia, um emprestimo de
tres mil coutos de ris a juro nunca superior a
8 '/o'Pels typo que poder obter.
uoico. A amortisago deste emprestimo nun-
ca ser nieaor de 4 % ao anno, devendo os ju-
ros seren pagos por anno ou por semestre ven-
cido.
-
Diario Ae Pernambuco--Sabbado 17 de "Agosto de 1889
elementos proprios de vida autnoma e inde-
pendente
Esta condiciio i esscncial
tentativa de emigraeflo para
rio.
A situago dos mmigrantes aqu
ser intuitivamente mu divers oa
ao bom, xito da
o norte doirape-
localisados
multo me
INDUSTRIAS E ARTES
As amostras da seda produzida as colonias
do Cahy foram ventajosamente consideradas na
Europa; tanto assim, que os Srs. Schilling e ou-
tros exportadores se propoem pagtr 8*000 por
kilo de seda bruta em negamos, proa) asss
compensador, em producto de fcil labor e que
pode ser operado por mullieres e enancas, sem
prejuizo de ontros ramos de cultura, que recla-
mara esforgo bracal.
Accresce que a plantago da amoreira perfei-
tamente se adapta ao clima da provincia e con-
corre para a salubridade e embellezaraento dos
sitios em que cultivada.
Este ramo de industria divdese era dous pro-
eessos distiuctos : o primeiro, que termina na
ormago dos casulos, por sua simplicidade est
ao alcance de todos os agricultores, ao passo que
o segundo consiste na transformago dos casu-
los em negalhos, dependendo de determinadas
machinas e proficiencia dos operarios, reclama
emprego de alguui capital que a circumstancia
dos colonos, mxime na primeira phase do es-
tabelecimento nao comporta ; diOiculdade que
sera removida pela diviso do trabalho, median-
te os estabelecimentos centraes para o segundo
processp.
Dependendo esses commettimentos do alarga -
nenio da produccao, por seu turno preso ao es-
tabelecimento de fabricas para o processo do 2."
grao, nao sahireriiOs desse circulo vicioso sem
que o poder provincial veoha ao encontr dessa
nascente industria; e sem duvida um dos meios
de favorecel-a de modo a evitar as roystificages
que scra resultar do patrocinamento oflicial,
consiste em urna subvengao empreza que se
propnzer estabelecer nos centros productores,
fabricas para o processo de 2." grao.
Nao comportando os acanhados limites desta
notiwa o desenvolvimeotj que a materia recla-
me, para o quat nao nos jurgamos habilitados,
decliaainos dessa tarefa na proticiencia e patrio-
tismo dos competentes, sendo para desejar, no
entretanto, que os nossos agricultores, compe-
netra m! o se das vantagens do desenvolvimento
desse ramo de cultura, prestem Ihe a merecida
alteuco.
A boemeria nivea, tchountt dos chinezes, rheea
de Assam e planta cbineza denominada gras
elotk pelos ecriptores inglezes, um arbusto de
cerca de 3 ou 4 ps de altura, dando numerosos
rebeatos rectos, quasi da grossura do dedo m-
nimo e cobartos de pello curto e macio.
As folbas da boemeria nivea sao comprkias, de
peciolo pellndo, largaraeute cordiformes, tm
amas 6 pollegadas de comprimento sobre 4 de
largura, terminando em pona longa e afilad e
de bordos em forma de serra.
Sao verde escuras na sua face superior, mas
revestidas na face inferior de densa carnada de
urna pellugem branca, que Ibes d urna appa-
rencia de prata fosca.
O bello tecido ccnliccido em Inglaterra pelo
nome de grasseloth, que rivahsa com a melhor
cambraia frauceza pela maciez e belleza de tra-
ma, manufacturado com a fibra oblida da ca-
rnada interna da catea do arbusto, que origi-
nario da China e de Sumatra e ha muito tempo
cultivado nesses paizes e na India, onlefoiul-
timameute reconhecido como idntico rheea de
As s jai.
Os cbinezes empregam muito cuidado e muita
actiyidade no cultivo desse arbuslo e igualmente
na preparago de sua libra chamada rumie.
Elles obtm tres colheitas de bastes annual-
mente. sendo a seaunda considerada a melhor
dellas.
m-se a libra, lirando-se a casca, que se
divide em dous longos pedagos, e raspando-a,
conUfado, com urna faca, para retirar-se toda
a substancia intil.
^^Hb disso, amollece-se a casca assim ras-
iada e promove-se a sua separago em linos.fi-
^^^R ou pondo-a de molho em agua queaie
ou tratafldo a por meio de vapor.
A fibra le: i di Aeren tes graos de finura, segun-
do a idade da planta e segundo a parte da cas-
ca de onde foi ella extrahida ; a carnada interna
da casca das bastes novas, que cresceram de-
pressa, produz urna libra bonita e delicada, da
qual se Jabricam os melhores tecidos, ao passo
que a pprfio externa d smente nraa libra
groseewa, que s se presta para cordas, lona,
etc.
Sxperiencias feitas para conhecer-se a .torga
Ka provaram que ella possue forga qua-
iupls da resistencia que oferece o hnho da
^^^muria nivea d pcrfeilampnte nos estados
do l e sem duvida dar tres colheitas em um*
estaco.
O .ramie obstculo ao cultivo proveitoso da
hnta consiste na dilliculdade de separar-se a
bra de modo que se possa aproveital-a perfei-
n-eute.
*
so recente reiterou o ministerio da
raordens transmittidas telegraphica
Em de que se concluam as obras da hos-
Tba-eonstrucgao no sitio da Jaqueira
Talho provisorio deimraigrantes recem
. hospedara que fica em localidade
e pequea distancia desta cidade do
, qual se liga por meio de ferro-via.
JkQico do primeiro ncleo colonial
ptincia foi adquirida, ha tempos, a fa-
minada Suassuna onde existe de Ion-
reputado engenho de as suca r.
que, solcitamente administrado, e
pida permaturameute a tutela olfi-
projectado nncleo constituir cen-
roducro e d consumo, olere-
nploorganisagao de outros
ilicar como focos de tra-
tado o
las
:8-
e
i "que os
mago de
do-se para as nossas provincias meridionaes,
achain em antigos nncleos pequeas sociedades
.que, neta pela ngua nem pelos costumes. sao
estranha9 ao reeem-chegados.
Estesestabelecem-se no meio de conterrneos,
osufruindo-lhe8 a experiencia adquirida aju-
dando-se do seu concurso, ao passo que ao re-
.dor daqoelles tudo ser novo : natureza, lingua
e costumes.
Por elementar que seja, esta consideragSo in
dica ao governo a necessidade de nao aferir a
tutela da emigrago para o norte pelo sea typo
actual no sul do imperio.
As circumstancias divergera essencialmcnte.
No sul trata-se de obra em andamento, no nor-
te dos alicerces de obra esbogada.
Antes de, em qualquer provincia, metter hom-
bros empreza da imraigrago, convir deter-
minar com preciso o que na realidade temos
que afrontar.
O imprevisto nao sobrevir seno por falta de
exame acurado da real situago das cousas.
E' preciso contar cara sacrificios relativame :-
te avultados para que a sorpreza nao nos colha
a meio da execucao de projecto que merece ser
classih'cado entre os mais difflceis da adminis-
Irago.
#
O Sr. Dorda, oflicial belga, dado a estados me-
teorolgicos, observou as cercanas de Baillon
que o lodo (d alegas latifolia) da familia das
leguminosas, offerece indicagoes preciosas para
a previso do lempo.
Tem esta arvore a altura media de 8 metros e
as suas folhas, verdes na face superior, s5o
brancas na race inferior.
Quaudo as folhas se mostram inteiramente
brancas, pde'-se ter por certo que chover dea-
tro de horas.
Bevistas scientificas considerara esle pheno-
meno digno de ser verificado.
Tbeatro Santa Isabel Realizou-se, de
accordo com o programma publicado, o espect-
culo em grande gafa com que a roaipanhia do
Sr. E. Rodrigues festejou o regresso de Sua Al-
teza o Sr. Conde (TEu.
O theatro eslava completamente cheio, dando
h'elle entrada pouco depois das ojto horas da
nos suave do que a daquelles que, encaminhan-, noite Sua Alteza o Sr. Conde d Eu, acompanha-
do Exm. Sr. presidente da provincia, comman-
dante das armas e membros da comraisso, e
por essa occasio foi cantado era scena aberta o
hvraoo nacional pela companhia.
' A representaigo da comedia de SardouOs
domias cor de rosacorreu regularmente, sea-
do bastante applaudidos o artistas H. BalsemSo,
Aliverti, Lisboa, Rodrigues.
A 8yraphonia do Guarany. tocada pelas bandas
de msica do corpo de polica, 2." e 14. de in-
fartara, foi hbilmente executada, sob a regen-
cia do distincto professor Candido Filho, que
mais urna vez mostrou o seu bello talento.
As anas de Fedelio e La Gitain, cantadas pela
professora Mell. Hedwig Stelzle com acompa-
nhamento de piano por Mell. Paulina Doeder-
lein, foram executadas com mestria e seguran-
ga de voz, com agrado geral, que arrancou ap-
plausos merecidos s distinctas executantes.
Fez as honras a Sua Alteza urna guarda do 2.'
batalho de infantaria, postada em frente do
theatro. .
Dr, MaduroVictima de lymphalite perni-
ciosa, falleceu, hontem pela manh, o velho e
conceituado clnico desta cidade, Dr. Joo Pedro
Maduro da Fonceca, major honocario do exerci-
to, qu era quasi toda campanha do Paraguay
servio no corpo de sade, prestando excellentes
servigos
Nascido nesta provincia, o Ilustre imado con-
tava 67 annos de idade, e tinha 43 de trabalhos
mdicos, visto como lendo vmdo luz do dia em
9 de Junho de 1822, formou-se em sciencias
medicas,.pela L'niversidade de Bruxellas, em 17
de Julho de 1846, e defendeu these perante a Fa-
culdade de Medicina do Rio de Janeiro em 20 de
Abril de 1849.
Alm do posto de major honorario, que con-
quistou na campauha do Paraguay, tinha a m-
dalha geral dessa campanha com o passador de
ouro n. 4.
Exerceu o Dr. Maduro os cargos de inspector*
da sade publica e medico visitador das enfer-
maras militares no Amazonas, e partir de
1877 o do director do servigo sanitario do los:
pital Pedro II nesta cidade do Recife, cargo em
que prestou relevantes servigos. *
Hornera Ihano e alTavel, era geralmente esti-
mado nesta provincia e na do Amazonas j por
aquelles predicados, j pelo seu carcter hones-
to e serio.
Ao euterramento do corpo do Dr. Maduro, rea-
lisado no Cemiterio de Santo Amaro, hontem
tarde, corapareceram numerosos amigos e colle-
gas, que lodos se mostraram pezarosos pelo tres-
pasM inopinado de lo digno amigo, quo dis-
tincto cavalheiro.
A' sua familia apresentaraos nossos pezames.
Embarque-Seguio hontem para a Corte o
Sr. engenheiro Jos Joaquim Rodrigues Saldanha
Jnior.
Agradecendo Ihe a visita que nos fez, deseja
mos-lhe feliz viagem.
lgreja de *?. tmenlo-Amanha come-
gar, na igreja de S. Gocalo, o setenario do
Senhor Bom Jess djis Dores.
Recreativa CommercialHojc a Socie-
dade Recreativa Commercial faz o seu sarao do
corrente mez.
irniuiiiaili- do Espirito-Santo Ama-
rilla, s 10 horas do da, reunem-se em mesapgc-
ral os membros da Irmandade do Divino Espiri-
to Santo para elegerem o seu thesoureiro e pre-
encher outras vagas existeates naadrainistrago.
Tbeatro Santa Isabel Flz amanh
sua feata artstica, no Theatnrde Santa babel, o
actor Lyra.
Constar o espectculo das cTnedias Yindo de
Parts. Exemplo Casados, e Tichang Tiching-
Bung.
Recreativa Juvrnl udeAmaulifi, pelas
4 horas da tarde, funeciona era assembla geral
s Sociedade Recreativa Juvenlude para ter lugar
a leitura do relatorio da liada adrainistrago e a
eleigo da nova directora.
A Estaco Recebemos da corte o n. lo,
de 15 do corrente, do jornal de modas A Estaco
que, como sempre, traz excelicntee gravuras, e
escolhidos artigos sobre modaa.
AlliustracAo-Teraos vista o numecq
l, do 0o anno, d'A icluarorao, datado de 20 de
Junho ultimo. .Publicando-se em Paris. traz
gravuras e artigos sobre o assumpto do dia alli^
a Exposigo Universal.
FaiieeimentoXa freguezia do Pdcp da
Panelfa, para onite tinha ido, era procura de me-
horas a sua sade, seriamente coraproraettida
por soffrimentos cardiacos, falleceu no dia 14 do
corrente s 8 horas aa noite, a despeito de todos
os esforeps empregados e do; cannhos da fami-
lia, a Sra. D. Marianna Gertrudes Viann;'.,viuva
do antigo solicitador deste foro Sr. Miguel Ar-
chanjo Fernaodes Vianna.
A tinada que contava 67 annos de idade, era
filha legitima dos honrados portuguezes,. Manoel
Luiz da' Veiga e D. Aona Gertrudes da Veiga,
amigos possuidores do eoto denominado sitio
doArag, hoje a prospera e futura freguezia
de Santo Amaro das Salinas.
De um corago extremamente bondoso^ deixa
immersos na mais profunda dr, os seus o filhos,
24 netos e 1 bisneto.
Paz atsua alma.
o bispo do ParaXas folhas da corte
vera publicada a seguinte traduego de urna car-
ta que. era 21 de Julho lindo, o Exm. e Rvm.
bispo do Para, D. Antonio de Macedo Costa, di-
rigi a S. S. o papa Leao XIII:
Santissimo padre. -A apotheose da aposta-
sia, dos mais monstruosos erras, da immorali-
dade j n ais sera pudor, que a seita impia aca-
ba de celebrar em Roma, dia de Pentecosts, a
alguns passos do lugar de vosso captiveiro eri-
gindo urna estatua a um frade infameal aqui
sepultado no desprezo da historialevanta as
almas christs um movimento de indignago, de
execrago e de horror, que nao tem expresso
em nenhuma lingua.
Elles nao querem ento, definitivamente,
nada mais respeitar: nem a santidade da reli-
gio, nem e3se solo saajrado, todo embebido do
sangue dos matyrcs, nem a magestade dezoito
vezes secular do potitilicado,.romano, nem vosso*
cabellos brancos, santissimo padre, nem essas
nobres e meigas virtudes, essa profunda scien-
cia, essa admiravel sabedoria que nao sao s-
mente a cora de vossa gloria peranle Deus, mas
o esplendor e a honra da humaniaade neste se-
cuto E=merara-se, pelo contrario, em multi-
plicar cada dia novos insultos contra vossa au-
gusta pessoa e vossa dignidade soberana; era
saciar vos de amarguras, em propalar contra
vos infames calumnias, de sorte que j nao se
sabe o que mais de assombrar, se sua perfidia,
se sua audacia.
Os nossos selvagens ao menos matam, ou
deixam generosamente livres os seus prisionei-
res, mas nao se aprazcm em tortural os conti-
nuamente, cobrindo-o de ignobeis afrontas.
' Os procederes de que Vossa Santidade est
sendo victima em sua cidade de Roma, sao taes,
que nao podem deixar de arrancar Din protesto
indignado do peilo de todos os boraeus.
Ha de a Europa desengaada ver sgora, se
nao quer fechar 03 olhos, o justo valor das fa-
mosas garantas cora que elles promettiam cir
cumdar a dignidade pontificia; ha de ella agora
comprehender o que significavam aquellas pro-
teslagcs, reiteradas cora tanta emolase, que
elles s tinham que ver cora o poder temporal.
O que elles pretendem evidentemente, deschris-
tianisar Roma, envilecer, aniquilar, s possi
vel fosse, o pontificado supremo, estabelecido
por Jess Cnristo. Esta a obra era que estao
trabalhando em Roma, na esperanga de estabe-
lecercra por toda a parte as sociedades humanas
fra de todo iniluxo religioso. E esto traba-
lhando com um encarnicameuto iftcrivel.
Tatito assim que o mundo chn^slao indaga
comsigo mesmo, estreraecendo, a que novos ex-
cessos, a que extremidades lamentaveis pode
anda arrojar-se o odio satnico da impiedade.
03 justos alarmas que Vossa Santidade raanifes-
lou ao sacro collegio em sua ultima allocugo,
despedagam dolorosamcnle a al.ua, sa.itissimo
padre. Eu estdu certo que vosso :i!lios espar
sos era todo o mundo oirerQcaiq a Deus, neste
momento, sua vida, seu sangue, para que a me-
nor violencia e assim tambera novas injurias se-
jam poupadas vossa pessoa sagrada. E' o que
eu fago de todo o corago.
Pouco resta-me que viver; mas esse pouco
offerego-o, de boa vontade, em sacrificio pela
vossa incolutnidade, pela liberdade da Santa S,
S. A.> *r. Conde d'En-0 principe con-
sorte da herdeira presumptiva da cora prose-
guio ante-hontera e hontera em seus passeios e
visitas,
Ante-hontera, depois de ouvtr missa na ma-
gestosa igreja da Penha, que percorreo, foi S.
A. em visita sede da Associago dos Volunta-
rios da Patria, para cuja caira oSereceu 100*
Em seguida voltOu palacio, de onde, em pos
do alraogo, foi ao Gabinete Portuguez de Leitu-
ra, assistindo parte da sesso magna commetno-
rativa do 38 anuiversario da creago desse es-
tabeleciraento.
D'alli foi S. A. visitar a igreja do Paraizo, on-
de fez oragao, e a Casa dos Expostos, qae per-
correu, acompanhado por diversos meraoros da
junta administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Depois S. A. foi visitar o Azylode Alienados
da Tamarioeira, onde se deraorou algura lempo
em minuciosa ins?ecgo, e foi tambem ver as
obras era construego para alojaraeutos dos emi-
grantes.
Pouco tempo depois foi S. A. para Bebenbe,
em trem especial da ferro-via de Olinda, e all
exaunoa os lugares onde tiveram lugar os
acampamentos e eiercicios das tropas da guar
nigao, quando as commandavo o general Jos
Clarindo de Queiroz.
Regressando de Beberibe s 5 horas., S. A.
recolheu-se ao palacio presideacial; e, depois da
jantar, sahio a percorrer pe as ras que se
chavad decoradas e Iluminadas.
Ao recolher-se oovamente ao palacio presi-
dencial, tomou parte n'um sarao alli improvisa-
do, sarao que nos inlormam, esteve muito ani-
mado.
Hontem, s 6 horas da manh, S. A. acom -
panhado das principae autoridades da provin-
cia, de diversos funecionarios e outra3 pessoas
gradas, parti em trem especial da ferrovia do
Limoeiro at a cidade de Timbaba, onde foi re-
cebido com enlliusiasticas demonstrages de
sympathia sua pessoa e i causa monarchica.
Dal: regressou S. A, noite, cuegando ao Re
cife depois de 9 horas.
Hoje, em trem especial da ferrovia de S.
Francisco, S. A. ir al Palmares, edalli segui-
r em trem especial do PwHongainento at a Co-
lonia Izabel, qae S. A. vae visitar.
Actos otUciaes Por actos da presidencia
da provincia de 4 de Julho :
Determinou-se que o bacharel Jefferson Mira
beaux de Azevedo Soares, que exercia o cargo
de chefe da 1* seceo da Recebedoria Provincial,
licasse addido ao Tbesouro Provincial, passaado
a exercer aquello lugar Jos Xavier Carneiro de
Barros Campello.
Resolveu-se que fosse contractada com Can-
dido Dias e bacharel Olympio de S e Albu-
querque a construcgf.o de um engenho central
do typo menor no municipio de Ipojuca.
Foi reintegrado no cargo de agente do correio
da villa de Serinhem, Flix Pacheco de Mene-
zes, icando exonerada Maria das Virgens Rocha,
que o exercia.
dem em igual cargo na estaco de Freicheiras,
Joo Ignacio dos Santos.
Foi noraeado para igual cargo na povoago de
S. Jos de Be! monte o capito Antonio Gomes de
S e em Villa-Bella, Isaac Barbosa Xogueira de
Barros.
Dividio-se em duas delegadas o termo de Ta-
caral.
Foram nomeados o coronel Alexandrino Fer-
reira de Alcntara Miranda e capito Joaquina da
Fonseca Cavalcante Galvo para exercerem os
cargos de delegados dos districtos litterarios de
Itamarac e Maraoguape, na ordera de sua collo-
cagao.
Foram concedidos professora da catira de
ensino primario de Palmeira de Garanhuns, Ma-
ria do Patrocinio Cavalcante Ucha, tres raezes
de licenga cora ordenado para tratar de sua
saude onde Ihe convier.
Conseibo IliterarioReuni se hontem,
em sesso ordinaria, sob a presidencia do in-
spector geral, Dr. Arthur Orlando da Silva, o
Conselho Litterario.
Foram lidos os seguntes pareceres :
Da 2" secgo, relator o professor Augusto
W'aoderley, sobre a petigo da proLssora Miner-
vina Feitosa Brando, no sentido de ser-lne con-
cedida a permisso para submetler a exames do
Io, 2o e 3o graos algumas alumnas que pretendem
mudarse da sede de sua cadeira e outras que
se acham habilitadas, concluindo que em face
do regiment das escohis deve ser indeferida a
petigao.A pprov ado.
Da 3" secgo, relator o Dr. Cicero Peregrino,
sobre a petigo de Silvestre Antonio de Souza,
requerendo a sua jubilago, concluindo que me-
rece ser allendido.Approvado.
Da mesraa seceo e relator, sobre a petigio da
professora Josepia Prepedigna Rabello Padilha.
requerendo a gratilicagao de que trata o art. 2o
da lei n. 2020 de 15 de Julho ultimo, concluindo
que compete mesma professora a gratiticago
requerida. Approvado.
Da mesma secgo, relator o Dr. Regueira Costa,
sobre a petigo da professora Anna Laurinda
Varejo Barbosa, requerendo a gratificago a que
se refere a lei n. 2020 de 15 de Julho d'este anno,
concluindo que a peticionaria esta no caso de ser
attendtda.Approvado.
E' approvada unnimemente a seguinte pro-
posta dos Drs. Franco de S, Ayres Gama e pro-
fessor Fragoso :
Sendo boje a primeira sesso do Conselho
Litterario, depois de inspector geral m instruego publica o Dr.
Joo Barballio fcaoa Cavalcante, propomos que
ua acta seja langado um voto de agradeciraento
ao raesmo doutor pela maneira porque dirigi
este conselho na qualidade de seu presidente e
pela forma porque elevou a instruego puolica
nesta provincia.
E' igualmente approvada a seguinte proposta
do professor Augusto Wanderley.
No carcter de eleito pelo magisterio primario
para reprcnta-lo neste conselho, proponho que
na acta de reuniio de hoje seja langado um voto
de recenhecimento e iouvor, em nome do mes-
mo magisteo, ao ex inspector geral Dr. Joo
Barbafho Ucboa Cavalcante, peles relevantes ser-
vigos por elle ptestados ao professorado, infan-
cia escolar o astracgio publica em geral.
pela paz e mo triurapho prximo da santa
igreja.
Atraelle que poz um freio ao faror das on-
das, dizendo-lhes: Cliegareis ate aqut, encadeie
tambem a saoha e a malicia cresceotes dos ini-
migos do nome catholico.
Em minha diocese, onde espero estar era
breve de volta, restabelecido de longa enfermi-
dade, esforgar me hei por bera fazer connecer
a todos a verdadeira situaglo da S Apostlica e
as angustias que oppriinem o vigario de Jess
Christo. Apezar do estrago que vai fazendo tam-
bem era nosso Brazil a impiedade revoluciona-
ria, contar aqui serapre Vossa Santidade avulta-
do nunierq.de almas fiis, que compartilharo
em vossas maguas, oraro ardenteraeate por
vos, e faro votos incessantes pela independen-
cia e liberdade da igreja romana, onde est o
fastigio do apostolado, e a chave da aboboda de
todo o edificio da religio e da sociedade.
Emquanto prostrado era espirito perante vosso
throno, fago horaetiagetn Vossa Santidade, che-
fe, pastor e raestre infallivel da igreja, de minha
fiel obediencia, de raeu amor filial, de minha de-
dicago toda prova, pego a Vossa Santidade
deite minha diocese e a mim a bengo apost-
lica. *
Petropola, 24 de Jalho de 1889.Santissimo
padre.De Vossa Santidade, humilissimo filho
e obedientissimo servo f Atohio, bispo do
Para.
Carlos GomesA convite de Sua Alteza a
princeza imperial, reumo-se no dia 3 do corren-
te, no palacio Isabel, elevado numero de senho
ras da melhor sociedade fluminense, afim de tra-
tar-se da organisago de ura grande concert era
favor do maestro Carlos Gomes ; e ficou. combi-
nado que o festival pc realisaria no dia 19 do
corrente, nos sales do Cassino Fluminense, sob
a direceo do maestro Whte, tomando n'elle
parte os mais distinctos amadores e os mais no
taveis professores da Corte.,
Ao terminar a reuoio, Sua Alteza agradecen o
valioso concurso prestado pelas Exmas senhoras
presentes, que tambem se encarregaram de pas-
sar os bilbetes para o grande concert.
Instituto Technico Commercial Ba-
bianoFoi ltimamente sanecionada na Babia
a resolugSo legislativa, que estabelece na capital
d'aquella provincia urna escola para o ensino das
materias attinentes protisso commercial, pelo
molde das que exislera creadas nos paizes onde
a educago prolissional objecto da solicitude e
da boa vontade dos govemos.
Neste sentido j tivernos um corso n'esta ca-
pital, o qual foi extincto, devendo-se antes re-
formal-o de modo a dar os fructos aecessarios.
Hoje temos simplesmente, annexa ao Gimnasio
Pernambucano, urna cadeira de escripturaco
mercantil, ha pouco creada.
Capitana do Porto da Parabyba
Foi nomeado o Sr. Benjamn Constant Lins de
Albuquerque para exercer interinamente o logar
de secretario da Capitana do Porto da provincia
da I'arahyba.
Candidaturas Rcraes Pela provincia
de Minas-Geraes sao candidatos republicanos os
senhores:
!. districto Dr. Jos Tacares de Mello, medico
em Queluz ; 2." Dr. Joo Pinheiro da Silva, ad-
vogado em Ouro Pretc; 3." Dr. Jos Candido da
Costa Sean, raeaico na Conceico do Serr; 4.
Rodolpho Ernesto de Abreu, "commerciante no
Ro de Janeiro; 5." ur. Antouio Felicio dos San-
tos, medico. Rio de Janeiro ; 6. Carlos Justnia-
no das Cbagas, negociante no Rio de Janeiro;
7." Dr. Chrispim Jacques Bias Fortes, advogado
em Barbacena : 8. Dr. Antonio Dutra Nicacio :
9." nao {designado anda ; 10. Dr. Constantino
Luiz l'aletla,advogado era Juizde Fra; 11 Dr.
Paiycarpo Rodrigues Viotti, medico em Baepen-
dy; 12." Dr. Jo3 da Costa Machado de Souza,
advogado em Casa Branca (S Paulo); 13. Dr.
Joaquira Leonel de Rezende Filho, advogado em
S. Gongalo de Sapucahy; 14 Dr. Antonio Af
fonso Lamounier Goiofredo, advogado em S.
Paulo ; lo." Dr. Fraucisco Marlins de Andrade,
advogado em Lavras; 16." Dr. Adalides de Arau-
jo Maia, negociante no Rio de Janeiro ; 17." Dr.
Francisco Correia Rabello, advogado na Diaman-
tina ; 18 Dr. Pedro Carueiro Lessa, lente da
Faculdade de S. Paulo; 19." Dr. Francisco de
Paula JFerreira e Costa, advogado em Ouro Pre-
te; 20." o teoente-coronel Carlos S, fazendeiro
em Santo Amonio de Goruluba.
luesto das MissoesNo din 6 do cor-
rente, entre 1 e 2 horas da tarde, nolicia um
collega da Corte, esteve o Sr. ministro dos e>-
tren^eiros Da estac.'io do* telegraphoa em confe-
rencia telegraphica com o seu collega da Rep-
blica Argentina, o Sr. Dr. Quirno Costa, versan-
do a mesma conferencia sobre a questo das
Misses, que ser resolvida pelo arbitramento ,
O tratado ou os protocolos sobre as condigOes
e quesitos do arbitramento e a designago do
arbitro sero assignados em Buenos-Ayres. O
governo imperial nomear para esse hm urna
misso especial, que partir breve para aquella
cidade, lendo posteriormente, porem, constado
que o governo imperial deliberou nao mandar
misso especial a Buenos-Ayres, como a princi-
pio se resolver, para ultimar as negociages
relativas ao arbitramento da questo de Misses ;
as quaes negociages sero concluidas pelo Sr.
Baro de Aleucar, ministro plenipotenciario
naquella capital, que assignar os respectivos
protocolos.
Club Dramtico Apollo-Hoje d essa
sociedade dramtica o seu espectculo do cor-
rente mez.
Agradecemos a fineza do convite.
DiscursoRecebemos e agradecemos o que
com poz e recitou a Revra. padre Pedro da Puri-
licago Paes e Paiva, capello e preceptor dos
apredizes marinheiros do Arsenal de Mariana
nesta provincia, por occasio da visita de S. A
o Sr Conde d'tu quelle Arsenal.
Peiras atbmospbericasL-se no
Jornal da Commercw da corte:
Noticiamos, ha tempos, que o Sr. Dr. A.
Pimentel, combinando esforgos com o Sr. Dr.
L. Cruls, director do Imperial Observatorio, ini-
ciara nesta cidade pesquizas de micrograpbia
atbraospbera, mediante emprego de apparelho
idntico ao applicado as delicadas investigages
aesta natureza pelo eminente Sr Dr. Miquel, a
quem deve a scioncia, nesta esphera de observa-
ges, resultados dos maisj interessantes acerca
das bacterias do ar.
Gragas pericia do Sr. H. Morize, do Impe-
rial observatorio, os corpsculos adiados pelo
paciente investigador puderam ser graphica-
inente representados, dando assim testemrjnbo
cabal do bom xito daquetlas priraeiras tenta-
traas.
Estudos desta ordem ho de ser longos e
vagarosos, repetidos as raesras e em circum-
stancias diversas de tempo e de lugar, |coorde
nados, confrontados e verificados, para que pos-
sam prestar-se a concluses rodeadas da ueces-
aria precaugo scientifica.
O investigador isto conhece e nos artigos,
que na Revista do Observatorio dedicou ao objec-
to, deu prova de que apenas considera taes in-
vestigages nu seu prologo ou em phase de pro-
jacto, de experiencia ou de Jensaio.
Apezar disto, ou por isto mesmo, acabara
ellas de merecer do Dr. Mique'. honrosa referen-
cia e palavras de animago nos Anmes de 3fi-
crographia de qqe principal redactoi aquello
sabio, o qual faz votos para que s pesquizas
feiias no Rio de Janeiro outras venham juntar-so
que permutara comparar fructuosamente os re-
sultados simultneamente obtidos no ntigo e
novo continente.
Alegramo-oos toda3 as vezes que nos dado
registrar teetemunhos honrosos ao progressodas
sciencias no Brazil e seriamos felizes se estas
occasies se multiplicassem.
Nao regateando Iouvor aos nossos compatrio-
tas que Jtrabalha em lo diversas espherasjiara
elevar o nivel cientfico do Brazil, considera-
mos Sajvico prestantissimo sciencia a inicia-
go db e6tudo das poeiras athmosphericas.
Sociedad Recreativa juventude
Festejou essa sociedade o 25" auniver3ario de
sua iastallagao e 2 da creago da respectiva
banda de msica, abrindo os seus sales no dia
14 do corrente aos seus convidados ao baile,
com que solemnisou esse duplo facto.
B' justiga dizel-o, os estimaveis cavalheiros
que compera a actual directora se houveram
perfettaraente e devetn tambem ter a satsfago
de haverera os seus esforgos sido coroados com
um xito bem lisongeiro.
Com efleito, o brifho das luzes, o aroma das
flores, a harmona Suava da orchestrai o encan-
to das bellas que ornaram os sales e a amabi-
dade do3cavaltieiros,;iozeramem relevo oquan-
lo conceituada ta detracta associago, cuja
feata deixou grata recbrdages aos seus convi-
dados.
riafdol
essaoTito Landelino Modesto tentn,
rdf do Imperador, fenr nq domingo, pelas 9
hora3 da noite, a um msico do 2* batalho,
quando a respectiva banda voltava do Palacio da
Presidencia a recolher.
Pode, ra Duque de Caxias, ser preso e re-
colhido 1' estaco da guarda cvica, perse-
guido pelo proprio msico aggredido, pessoas
do povo e urna nraga de cavallaria, que passava
na occasio da fgida e perseguigo*do aggres-
sor mencionado.
Gabinete Por luanesXa quinta-feira
leve logar a festa anu versara d essa asso-
ciago.
0 acto qce foi brilliante, teve a assistencia de
S. A. o Sr. Conde d'Eu, sendo atberta a sesso
ao toque dos hymnos brazileiro e portuguez pela
banda marcial do corpo de polica e por meio de
um breve discurso do respectivo presidente, a
que seguio-se o do orador do Gabinete, que fe-
chou-o conj um appello aos seus compatriotas.
EfTectuod-se durante a sesso 6 entrega do
exeraplar da medalha comraemorativa d* lei da
aboligo no Brazil, tendo previamente sido con
cedida a pajavra ao relator da commsso do In-
stituto Archeologico, a qaem agradeceu a dis-
tinego o Sr. Dr. Jos d'Albuquerque.
Na constancia da sesso falla rain os oradores
de diversas associages presentes por suas com-
misses.
A' noite esteve a fachada do Gabinete bella-
mente Iluminada e o edificio aberto visita pu-
blica, tendo sido grande a concurrencia.
E' mais um anno de vida fecunda, que assig-
nala essa instituigo, que bem merece do paiz
certamente.
Domonstracao de pezar -O Monte-Po
dos Voluntarios da Patria, que se achava era fes-
tas, pelo regresso de S. A. o Sr. Conde d'Eu, ten-
do hontera a infausta noticia do passatnento de
seu socio Dr. Joo Pedro Maduro da Fonseca,
desceu inmediatamente sua bandeira meio pao.
e suspendeu todas as maoifestaces festivas.
Vapor \evaEste vapor, segundo infor-
magOes dadas pelo respectivo corresponden'.e,
sahio do Rio de Janeiro a 15, pelo que dever
araanhecer no nosso porto no dia 20.
Club Internacionnl do Recife-Ho-
je, noite, ter lugar a posse da nova directo-
ra do Club Internacional do Recife, bavendo de-
pois a reunio familiar docostume.
Ao terminar a reunio haver trem para Api-
pucos e. bond para a Magdalena.
CauivetadaAntehontetn, s 7 horas da
noite, na ra de Paysand. freguezia da Boa-
Vista, travarara-se de razes os criados Francis-
co Tavares Muniz e Vctor Prxedes Gomes, sen-
do este ferido por aquelle com urna canivatada
sobre o figado.
0 criminoso foi nrnso pelo respectivo subdele-
gado. Sr. capito Ficneiredo Castro.
O ferimento foi considerado leve.
VacadaAntehontem noite entrou no
hospital Pedro II, ferido cora urna lacada, Silvi-
no do Xascimento.
Disse elle que um individuo, qtte nao conie-
cefl, o ferira n'uraa das ras da freguezia de S.
Fre Pedro Goocalves.
O ferimento foi considera lo leve.
TiroAntehontem noite entrou no mesmo
hospital Florindo Duart Monteiro para se tratar
do ferimento que, depois de urna luta com di-
versos individuos, na ra de Joo do Reg, no
lugar Barraca de Sanio Amaro, recebera por um
(o de revolver qae he atngira o abdomen.
Nao sabe dizer tambera o nome de seu olfen-
sor.
llusica O eslabelecimento musical do Sr.
Antonio Jos de Azevedo, a ra Baro da Victoria
n. 13, acaba de pubiiear. arranjado para piano,
ura dos bons trechos musicaes da Geande Avcm
da, o coro dos Jocke ys.
Agradecemos ao Sr. Azevedo o mimo que nos
fez de um exemplar desse trecho irapresso.
"servico militarEsto designados hoje
para superior' do dia o Sr. major Alves, e para
ronda menor um subalterno de cavallaria.
A guarnigo da cidade dada hoje pelos
corpos da guarnigo.
Existem 37 pragas na enfermara militar.
Foram transferidos para ura dos corpos
desta guarnco o particular Joo Jos da Silva
Filho e soldado Josu de Andrade Bemlica. os
quaes foram incluidos no 2o batalho de infan-
taria, e deste batalho para o 11 da mesma ar-
na o 2 cadete Miguel Machado, que teve per-
misso para demorar-se na provincia do Rio
Grande do Norte por ura mez.
S. Exc. o Sr. commandante das armas per-,
mittio para usar dos disttuctivos de I" cadete
por 40 dias, ao soldado do 2 batalho de infan-
taria, Antonio de Barros Freir.
Aos corpos da guarnigo, destacamento de
cavallaria c mais repartigs militares, se distn-
buio os exemplaros das ordens do dia da repar-
tigo de ajudante sreneral. sob n. 2,269 e 2 270,
de 17 e 20 de Julho do corrente anno.
Ao 14 batalho de infantaria foi entregue
a relago de alterages occorridas com o Sr. al-
feres Jos Candido Bezerra da Trindade, que se
acha na provincia do Bio-Grande do Norte.
jv iiesEectuar-se-bo os segrales :
Hoje :
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, ra do Vi-
gario n. 7, de todos os objectos existentes no
escriplorio do fallecido Domingos Alves Ma-
theus.
Pelo agente Brito, s 10 1,2 horas, ruado
Rosario estreito n. 36, de movis.
Segunda-feira :
P-lo agente Gusrao, s 11 horas, ra dos
Prazeres n. 26, de urna mobilia de Jacaranda e
muitos movis, lougas e vidros.
Hissas fnebresSero celebradas :
Hoje :
A's 7 horas, no convento do Carrao, pela alma
de Antonio Jos da Silva Santos: s 8 horas, na
Conceico dos Militires, pela alma de Augusto
Cezar da Cunha; s S horas, no convento do
Carmo, pela alma de Balbino Jos de Andrade:
s 8 horas, na matriz da Graca, pela alma de
D. Amelia Alexandrina Cavalcante Luis.
Segunda-feira:
A's 7 e 8 horas, as matrizes de Sonto Anto
nio, Agua-Preta e Palmares, pela alma do Dr.
Joo Hircano Altes Maciel; s 8 horas, na igre
ja da Penha, pela alma de D. Maria Benedicta
Mattoso Leite ; s 8 horas, as matrizes do Mo i-
teiro, Boa-Vista e Quipap, e as igrejas da Con-
ceigo dos Militares e Collegio da Estancia, pela
alma do tenente Sebastio Jos do Reg Barreto.
PassagcirosSahidos para o sul no vapor
nacional Maranlio:
Francisco Carneiro, Antonio Joaquira de Mo-
raes, padre Zeferino Ferreira Velloso, Dr. Fran-
cisco Pinto Pessoa, Jos R. Pinto Ferreira, Dr.
Jos Joaquira Rodrigues Saldanha, sua senbora
e 1 filho, Joaquim de Amorim Garcia e sua se-
nhora, Joo Pedro dos Santos, Dr. Lafiayete Cha-
gas, Juiius Soh3ten, Jos Francisco do Reg J-
nior, Luiz C. de Cholonisk, tenente Jos H. de
Figueiredo Brito, sua senhora, 2 filhos e 1 cu-
nhada, Dr. Euclides Alves Requio, sua senhora
e 1 filho, Jos A. Siraes do Amaral, Antonio da
Silva Ribeiro, Joanna Jos Meodes da Silva, An-
tonio Cesar Campos, Ernesto Monteiro, Francis-
co Dhelia e sua senhora, JDesimani Vincenza,
Pinghals Guisipe Joo Soares Pinto, Anna Rosa,
Domingos, G. Martins, Arthur Lamber Pereira,
Francisco M. Vasconcello3, Antonio Marques Bas-
tos, Dr. Estevo Carneiro da Cunha e sua senho-
ra, 1 furriel e 23 apredizes marinheiros.
Chegados do sul no vapor nacional Ala-
gos :
Tito Livio da Silva, H. de Paiva, L. C. Fadila,
Evanglica Lisboa, Dr. Henrique Pinto Ribeiro.
Dr. Wanderley de Mendonga, Dr. Andr Roscler,
Jos Joaquim da Costa Maia, Dr. H. Alfonso de
Souza Gomes, Alcebiades de Paiva, Pedro Cu-
nha, tenente Joo M. Algmon Sdiney ShiefDer,
Eugenio Tourinho, (Paulo Ribeiro Mendes. Deo-
lindo Cardoso, Joo Anizio, Luiz Filgueira, Cas-
siano Lopes, Angelo Bittencourt, Jos Florencio
de Paiva, Antonio de Castro, John Benning, Pe-
dro Duarte Muniz, Raphael Archanjo Vaz. Aure-
liano Monteiro dos Santo*, Graciliano Galheiros,
Manoel Castro Calheires, Joo BernardiRda Cos-
ta, Agostinho Ferreira e sua senhora.
- Chegados do sul no vapor americano Ad-
vance :
Gastn de Poli, L. Keene, G. Tasso Junir, Jos
P. da Rocha. Rvd. Smith, sua senhora, 2 filhos e
1 criada..
Sahido para o norte no raesmo vapor :
F. B. Bloxham.
Chegados da Europa no vapor francez Ville
de Pernambuco:'
M. Objor, O. Anpr, 0. Juler, Mme. Lalouche
e Ernest Pinco.
Sahidos para a Europa no vapor inglez
Gallicia:
Venceslao Sacynan. Cyrillo Rodrigues da Sil-
?
va, Elvira Saujeao, Mara, t&iojean e Saraa Jane
Lear.
" Sahidos para o sol no vapor allemo Val-
paraizo :
Thom Nicolao, Dionizio Vieira, Justino Joa-
quim Ferreira, Paul Lafll, Dx. Joo de Barros,
sua senhora e 4 Sitios.
Directora das obras de conserva-
ra* dos Portos de PernambucoReci-
fe. 15 de Agosto de 1889.
Boletim meteorolgico
Horas 214 23-5 26"-l 27-3 26 -1
6 m. 9 12 37t. 6 '
Barmetro a
(y
Tenso
do vapor
761-68
762-55
762-07
760-91
761-72
8
O
'i
s
X
15.64
17,25
19,04i
19,22'
19.(14

7b-
Temperatura mxima28,75.
Dita mnima 21.50.
Evaoorago em 24 horasao sol: 4".7 :
ora: 2-.5.
ChuvaNulla.
Direceo do vento : SE de meia noite s 7
ras e 55" minutos da manh ; ESE at 9 horas
45 minutos ; SE at 2 horas da tarde; ESE at
8 horas e 48 minutos ; ENE at meia noite.
Caimana durante 9 horas.
Velocidade media do vento: 0",62 por ie-
gurdo.
Nebulosidade media: 0,46.
Boletim do porto
23
J.S -
P. M.
B. M
P. M.
3. M-
Dia
15 de Agosto

16 de Agosto
Horas
723 da manh
1-47 da tarde
7-45 *
1il da manh
Casa de UetencoMovimento aos pre-
sos da Cusa de Detengao do dia 15 de Agosto de
1889
Existiam 451 ; entraram 17; sahiram 3; exia-
tera J-65.
A saber:
Xacionaes 407 ; muiheres 29 ; etrangeiro3 29-.
Total 465.
Arracoados411.
Bons 378.
Doenles 22.
Loucos 9. -Total 409.
Movimento aa enfermara
Tiveram baixa :
Joaquim Domingos de Lima.
Tiveram alta :
Jovina Pereira dos Santos.
O edificio foi hontem visitado por 95 hornera
e 128 muiheres.
Hospital Pedro II O movimento deste
stabeieciiflento de caridade, no dia 13 de Agosto
foi o seguinte:
13
10
3
634
a3 respectivas enfermarlas
BBJ
'
Entraram
Sahiram
Fr.ileceram
Existem
Foram visitadas
.>olos Urs.:
Cysneiro s 9, Barros Sobrinho as 6 3|4 Ferrei-
ra Velloso s 10 1|4, Berardo s 11. Malaquias s
9 1|4, Pontual s 10 3|4, Estevo Cavalcante s
9 1|2, Simes liarbosa s 9 Ij4 horas.
O Dr. Moscoso nao compareceu.
O cirurgio dentista Nuraa Pompilio s 9
horas.
O pharmaceutco entrou s 8 Ij2 da aianb e
;ahio s 4 da tarde.
O aj ndanle do pharmaceutico entrou s 7 1|4
la maulla e sahio s 2 horas da tarde.
Lotera do tiram-C'ara-A 4' parle da
29' lotera, dessa provincia, cujo premio grande
IO:000000, .-era extrahida no dia 20 do cor-
rente.
Cirande lotera do HaranboA 5*
serie da 1* lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300.o0000O ser extrahida no dia 23
de Agosto.
Cemiterio Publico-Obituario do dia 1$
do correnle.
Fraocisco Sebastio do Reg Barreto, Pernam-
buco, 73 annos, casado, Pgo ; accesso perni-
cioso.
Maria Benedicta Mattoso Leite, Pernambuco,
58 annos, casada, Pgo: tuberculose.
Isabel, Pernambuco, 3 annos, Boa-Vista; me-
nengite,
Manoel, Pernambuco, 4 mezes, Santo Antonio ;
en te rite.
Siraa Maria da Conceico, Pernarabnco, 79'
anuos, viuva, Ba-Vista ; amolecimento cere-
bral.
Joaquim Francisco Bezerra, Pernambuco, 34
annos. solteiro, S. Jos; tubrculos pulmona-
res.
Raymundo Nonato do Nascimento, Cear, 3i
annos, casado, Ba-Vista; tubrculos pulmona-
res.
Joo de Deus, Pernambuco, 4 annos, Ba-Vis-
ta ; enterite.
Joviniano Correia de Abreu, Pernambuco, 28
annos, solteiro, Boa Vista ; anemia.
Rita Maria da Conceigo, Pernambuco, 21 an-
uos, solteira, Ba-Vist; enterite.
Manoel Francisco Barreto, Pernapa^co. 55 an-
nos, casado; ascite.
Maria Jos, Pernambuco, 2 mezes, Graca; con-
vulses.
Jorge, Pernambuco, 7 dias, Santo Antonio ;
espasmo.
^-14-
Isaac, Pernambuco, 2 mezes, Graga; atrepsia.
Luiza, Pdrnambuco, 12 annos, Graga ; febre
lyphica.
Um feto, Pernambuco, Santo Autonio.
Rellarmina Leopoldina de Lima, Pernambuco,
48 annos, S. Jos ; epithelioma uterina.
Jos Alves, Portugal, 18 annos, solteiro, Gra-
ca; Tsica pulmonar.
Noerai, Pernambuco, Pernambuco, 45 annos.
solteiro, Afogados; eclampsia.
Izidoro Joaquim de Sant'Anna, Pernambuco,
45 annos. solteira, Boa-Vista ; enterite.
Izidora Mara da Conceigo, Pernambuco, 43
annos, casada. Boa-vista; tubrculos pulraona-
res
Luiz, frica, 80 annos, solteiro, Boa-Vista;
eougesto cerebral.
Daniel Barbosa de Oliveiri, Pernambuco, 60
annos, solteiro, Graga; epilepsia.
Augusto, lirasiletro, 20 auaos, Graga: asphy-
xiado.
Um feto, Pernambuco, Boa-Vista.
Maria do Monte Campello, Pernambuco, 8 |
annos, viuva, Boa-Vista ; selerose.
Amalia Alves Cavalcante, Pernambuco, 30 an-
nos, casada, Afogados; arteri-sclerose.
Manoei Rodrigues Chrysostomo, Rio-Grande
do Norte, 53 annos, Graga; congesto hepa-.
tica.
Mara, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos; coa-*
vulses.
Germano Ramos dos Santos, Pernambuco, 22
annos, solteiro, Graga; epilepsia.
Joo Spmdola da Rocha, Pernambuco, 25'an-^
nos, solteiro, Recife; enterite.
Marianna Gertrudes Viann, Pernambuco, 67
annos viuva, Poco; leso do corago.
Jos Floriano Correia de Britto, Pernambuc
32 annos, solteiro, Recife ; colita.
Maria Francisca das Chagae, Parauyba, SO an-
nos, viuva, Boa-Vista; senilidade.
Antonio, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos; cout
Josepha Florinda da Silva, Pernambuco, 35
annos, viuva; leso cardiaca. -5
Honorina, Pernambuco, 9 dias, Boa-Vis
ttano "dos recem-nascidos.

^


UM POUCO DE TUDO
Um Sr. Tagarella de'um dos jornaes da Corte
escreveu em Diias palavras o seguate
O gosto pelas corridas tem tide ivofci
vimento nos ltimos annos, entre u
sentcmente cada fluminense ura sporttman, (
at j temos algumas sporlswown!
Que os cavallos tm vencido em te ia a un
prova-o a extinego completa das <
bpedes, pelas quaes o publico se creresse
primeiros tempos.
I

*L



-
m
-b
a
A pouie ava*- nente. J temos
um Book .emos book makers
-qs em profusSojj temos estabelecimentos
^^F& renda de poutes na roa do Ouvidor. j te-
18 tuilo o' que concerne ao turf mais desenvol-
vido e nais i ominador.
urna das ravs eloquenles proras d'esse do-
minio, que uns qualilieam de elegante e outros
de pernicioso. / a diffuso dos termos e das ex-
presses peculiares do sport por todas as cama-
das sociaes.
Montera, por exemplo. Uve occasio de obser-
var aqui da janella do Diario do Commercio que,
de dnzentas pessas, que eslavara de bocea aber-
ta, diante dos nossos boleins do resultado da
eleigo senatorial, mais de cem exclamavam ao
lf r os nmeros :
Andrade Pinto na ponta !
Bt-zerru na ponta '.
4 Castrioto na ponta '.
Chaves'na ponta!
Saldanha na ponta '.
Jary na bagagem!
Andrade Figueira na bagagem !
A principio erara' sempre a Pbrvna ou o Sal-
\atus que estavam na pona depbis a ponta foi
conquistada pelo Bendeg, do RecreioDramtico;
;. em seguida passaram para a ponta as Dotuo-
*a...
E ha poucos dias queni declarou estar na pon-
ta foi a Gazeta, cujo Jos Telha se vio pela pri-
meira vez na sua vida escarranchado no lombo
de um corcel!
P6de.il, porm, as Doitioras e a Gazeta recla-
mar quanto quizerem, era coisas de sport, no-
rtinas, inforrnagoes e annuncios... Em annuu-
l cios, informages e noticiasquem est .va tonta
o Dtario do Commercio .'
E quem o duvidar consulte o nosso Seabra...
a os nossos annuncios.
Apre!
Ni ponta r
## 6
, Que escolente per! que recheio que
sabor delicioso!... era enorme, e ticaram ape
as os ossos!... exclamava um gastrnomo em
da de anno novo.
E quantos assistiram ao festim ? Ihe per-
guntou alguera.
Eramos apenas dous : eu... e o per...
-replicou o gastrnomo.
**
Garrn !
^ Prompto freguez.
Vejo aqui ua lista do jantar: Bordeaux
1*000.
Sim senhor.
W, E Bordeaux o i. Que differenca ha entre es-
tes vinhos 1
Quatro mil reis.
Consequeocia: a novidade* sempre o melhorna trra do Re-
cife, que tem os seus Aymors, para mostral-o
pra tica mente.
Prado Prrnkmburano
Foi regular a concurrencia antehontem neste
prado.
Na ca$a das apostas foi arrecadada a qnantia
de 26:400*000.
Eis o resultado das corridas :
*
i. pareoContulacao -800 metrosAnimaes
da provincia que arada nao haviara ganho em
1889.-Premios : 300*. 40/ e 20.
Arreada a bandeira, Vida-Alegre pulou alegre-
mente na ponta, conservndose nessa posicao
at ao distanciado, pjando Phariseu napBtado por
Luiz de Franga, consegue adiantar-se, chegan-
do ao vencedor em 61".
Vida-Alegre foi 2o e Potos 3*.
Nao correram Pierrot e Lucifer.
Poule de Phariseu em Io, 255100 ; em 2o,----
11/708.
Poule de Vida-Alegre em 2o, 17,810o.
Movimento gcral, 4:576/000.
2/ pareo15 de Agosto1.260 metrosAni-
maes pelludos do paiz.Premios : 350/, 60/ e
35/000.
Gallileu tomou a ponta, que sustentou sraen-
tc at a distancia de 900 metros, quando foi ba-
tiera pelo Recife, dirigido por Hinds, que ebegou
ao vencedor em 97".
Cometa, que j nSo presenta o mesmo brilho
de outr'ora, foi 2o e Gallileu 3.
Nao correu Favorito.
Poule de Recife era 1". 17/800 ; em 2 9/000.
Poule de Cometa em 2, 15/700.
Movimento geral. 4:600/.
Dia^pk. de PernambucoSabbado 17 de Agosto de 1889

cias particulares e transitorias, em jvejuzo dos
interesses geraes e soberanos da sooiedade.
Se no da 4 a questo posta fra a do partido
conservador, ameagado com as instiluigoes pelo
espirito de revolta, nao ha duvida que o resul-
tado tea sido outro.
SEm vez de indemnisago, deviaraos fallar aos
iitores da necessidade radeclinavel de resistir-
mos unidos invaso da onda revolucionaria
CHRONICA JDDICIARIA
9
Tribunal da Rela^o
SESSAO ORDINARIA EM 16 DE AGOSTO
DE 1889
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
QINTINO DE BIKANDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho
A's horas do eostme, presentes os Srs. ues-
embargadores em numero legal, foi aberta a
sessao depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os segantes
JCL GAME NTOS
llabeas corpus
Pacientes:
Flix G'Des dos Santos. Mandou-se soltar o
paciente, ?.^animemente-
Pedro Pueira de Rarros.Exigise informa-
c 'S do Dr. juiz de direito da comarca de Pe-
uedo.
Manoel Ferreira Callado.Negou-se a ordem,
noanimemcute.
Recursos eleitoraes
De Floresta Recrreme o tenente-coronel
Fausto Serafim de Souza Ferraz, recorridos Vi-
cente Ferreira do Nasciraento, Jos Francisco de
S5, Manoel PVrcira da Silva Jos Jacintho de
S, Joaquim Francisco do Nasciraento, Manoel
Alves de Carvajho Barros. Angelo Gomes de S,
Hermenegildo Eduardo do Nascimento e Wal-
TeriDo UarWfe da Silva. De*-*tf provlmemo
aos recursos para seren excluidos do alista-
raento os recorridos, decretando se a responsa-
bilidade do juiz de direito hachare! A:cebiades
Cavalcante de Albuquerque, como ir.curso as
penas dos arts. 29 % 3- da lei eleitoral e 129 do
cdigo criminal.
Aggravo de instrumento
De PalmaresAggravaotes llerculano Ferrei-
ra da Costa e outros,- aggravados Tavares de
Mello, Genro & C. Relator o Sr. deserabargador
Delfino Cavalcante. Adjuntos os Srs. desem-
bargadores Pires Ferreira e Oliveira Andrade.^
Negou-se provimento, unnimemente.
Aggravo de peticao
Do Recie -Aggravante Joaquim Jos Gomes,
aggravado o juizo. Relator o {Sr. deserabarga-
dor Oliveira Andrade. Adjuntos os Srs. des-
embarjadores Toscano Rarreto e Dellino Ca-
valcante.Ne^oa-se provimento, unnimemente.
Prorogacoes de inventario
lnventanante Francisco Mendes da Fonseca.
Emdiligena.
Appellaco crime
Do CoodeAppellanteo juizo, appellado Joo
Al ves Gomes. Relator o Sr. deserabargador
Delfino Cavalcante.Mandou-se a novo jury,
unnimemente.
PASSAGESS
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
deserabargador Monteiro de Andrade :
AppellasOes crimes
Da EscadaAppellantc Francisco Jos Alves
de Lyra. appellada a justica.
De S. BentoAppellante Xisto da Cruz Vi-
leila, appellada a juatiga.
Do Sr. desembargador Oliveira Andrade ao
Sr. desembaigador Silva Reg :
Appellaco crime
De OlindaAppellante Antonio Francisco do
Nascimento, appellada a justiga.
Encerrou-se a, sessao a 1/2 hora depois de
meto dia.
3o. pareo Animacao 900 metrosAnimaes
da provincia que nao haviam ganho em distan-
cia superior a 1.000 metros em 1889Premios :
200/ 40/ e 20J.
Ao grito do tarler Tupy tomou a pnto, que
conservou valentemente ate ao distanciado, onde
Good-morning adianta-se, conseguindo ganhar
a corrida em 70".
Tupy foi 2o e Sneca 3.
Nao corrpu Pombo Preto.
Poule de Good-morning. dirigido por Pedro
Alexandrino, era 1, 12/000: em 2\ 6/000.
PotUe de Tupy em 2-, 5/900.
Movimento geral, 6:080/000.

4." pareo Prado Pernambucano1.609 me-
trosAnimaes de qualquerpaizPremios : 5005,
100J e 50000.
Depois de muitas sabida?, falsas, foi dado o
signal definitivo, pulando Diana na ponta, se-
guida de Fagotjn, Josephuse Apollo.
Cerca de 300 metros depois, consegue Apollo
emparelliara Diana, passandoem seguida para a
frente, tendo antes os jockeys Felippe e Tho-
raaz, guiza de comprimento sportivo, se mimo-
seado reciprocamente com algumas chicotadas.
Na entrada da recta de chegda Diana empare-
Iha por sua vez a Appollo, que a faz desgarrar,
levando-a de encontr cerca e assim seguem
at ao poste do vencedor, cabendo o lugar a
Apollo e o 2o Diana.
Tempo 119."
Os apostadores de Diana, como era natural,
protestaram contra a corrida, protesto deww-
cessarij. porque os dignos juizes de ebegada.
ex autoritale propru, j haviam de ante-mo la-
vrado a sentenca conderanatoria de Apollo, es-
crevendo uo cartao, em lugar da classificaco
dos animaes, a palavraNidia!
E' pena que taes juizes nao tivessem funccio-
^ado em urna outra corrida, realisada lia mees
passados no Prado Pernambucano raesmo, c em
que Apollo foi crucificado por Ernani e Africana.
*
5- pareoVelociiade1.300 metrosAnimaes
da provincia qne nao haviam ganho em inaior
distancia em 1889Premios: 200/, 40/ c 20/.
Florete, montado por Chrispira, tomou a pon
ta, cedendo-a 300 metros depois a Atheu, que,
fraquinoo como 6, Toi logo batido por Good-
morning.
Foi eiito quando.a corrida mais interessou ao
publico. E;n perseguicao de Good-morning cor-
riara Viilage e Florete e poac% -lpois estavam
todos tres emparelhados, < rendo a'essas
tou|i^Ss cerca de 400 tneTTosfquanilU CKiud
morning teve a infelicidade de cahir. Coube en-
to a Viilage collocar-se na vanguarda, conser-
vndole n'essa posicao al a entrada da recta de
chegad'i, quando Florete retoma a ponta e ganha
a corrida em 105".
Viilage loi 2.o e Iguarass 3.".
Nao correu Sneca.
Po-de de Florete em 1., 108100; em 2.",
55600.
Poule de Viilage em 2.. 55700.
Movimentr geral, 7.050/.
*
. 6 pareoImprensa Pernambucana1.400me
trosAnimaes de qualquer paiz que nao haviam
ganho nos ltimos tres mezesPremios: 400/,
60* e 405.
Ao grito do slartsr sabio Cynira escapada, se-
guida de Africana, Ernani e fctephanie, sendo
esta ultima, que nao leve vontade de partir, dis-
tanciada e parecendo nao fazer parte do lote.
Cerca de 200 metros depois Cyuira cede a pon-
ta a Ernani, retomando-a um pouco adianto para
entregal-a em seguida a Africana, dirigida por
Alexandre, que chega ao vencedor em 105".
Cyuira foi 2. e Stephanie, nao obstante a sa-
luda dcsfavoravel que teve, foi classilicada em 3."
lugar.
O publico reclamou pela nullidade da corrida,
mas nao foi attendido porque os dignos juizes de
chegada haviam se limitado d'esta vez a escrever
no cartao os uomes dos animaes na ordem da
chegada.
Nao correram FulstafT. Brazii, Gallia cFagotin
Poule de Africana em 1" 8/100; em 2.,
7/300.
Poule de Cynira em 2., 14/700.
Movimento" geral. 4.0935.
SPORT
EffectO o Prado Pernambucano no dia 15 a
sua seguida corrida.
NJo assistio a ella Sua Alteza o Sr. Conde d'Eu,
como eonstava do programma.
A concurrencia n&o foi m, e o servico foi como
de ordinario, regular tanto quanto possivel em
t-stabelecimentos de tal natureza sob direccao
cuidadosa.
0 calor que algunia vez tornou-se intenso.
Efleito atinospherico do desvio do carro de
poilo-o sol dos hippodromosque lomara urna
setfda divergente em odio merencoria Diana, a
rucm maltratou eomo vilao ruim, como amante
brota!.
Pancadinhas de amor, porm. nao dem, dizem
i s entendidos em materias erticas, accrescen-
lo que as frigideiras do amor dern-tem-te as
has do bem querer.
Et ainsi soit-il.
Urna observarlo.
procis'1 exonerar o Dncgado.
Mal pkkm li^la desta vez, revelando-=c
'..' w- lemco.
ro-
O-se, como no Hippodronw, abrln-
jisHfcieeph.ilia na ua poliria, nao deu copia
ao contrario; iliudio a toda ccnanra
ita como poder tuitivo.
^p que fez, nao soube evitar que sua
^^Bfer'' bzesse urna das suas costumadas
. era impedir que um Phariseu era trra
HPP?a. de religiao ollial. viesse propag-
ir vencedoras suas ideas subversivas das
beiras do prximo... dosarntes.
Meu dito,"mea feito.
O Yidcmo iiittU)u os papis : de malho tor-
roa-se safra.
;i elle fii-se vnnu> alma, iato o cobrinho
de rain na p
beio feito.
Quer.i mandoB metter-me com individuo que
muda de nome, tomando um outro que prenuncia
jjoffriraento. e por conseguinte prejuizo para
Kuelle que com elle se mettesse ?
*
r do\Vnkano no Gallileu, nada adiantou.
arto do epur se mouve do Gallileu,
typoao
Nao honve temoo
1 pareo.
de realisar-se a corrida do
COMMNICADOS
A seaten^a
O orgo conservador da corte, A NarSo, pela
amestrada penna do consclheiro Ferreira Vianna,
trarou com mo de mestre as seguintes linhas
sobre o pleito senatorial de 4 do corrente mez,
dizendo qual o veredictum da opinio nesse cer-
tamen constitucional.
Sao linhas cueias de ungo, e que reivindicara
glorias que andam malbaratadas pelos conceitos
dos imprudentes.
Antes da eleic&o diziamos :
as cidades e villas da provincia do Rio de
Janeiro, como na capital do Imperio, existe um
partido forte, pelas suas convicees e conscien-
cia de seu dever, que nao recuar diante do sa-
crificio necessario, para oblar que se "consagre,
como direito, a escravido depois de extinrta.
Quem neste mundo ter o poder de obrigar
a liberdade triumphante a pagar tributo escra-
vido abolida ?
Como persuadir consciencia christ que
da injustica supprimida resulta para aquel! ;
que a usuruiraro o direito de indemnisaco ?
As respostas estas mterrogaces foram de-
cisivas. A bandeira da iudemnisucao cahio ras-
gada Nao podia ter outra sorte
O partido republicano foi vencido.
A sentehij proferida pelo eleitorado fluminen-
se : nem indcnmisarao, nem repblica.
A eleigao do dia i urna grande licu poltica.
Os districtos agrcolas, indicados como os
tentadores da indemnisacao, preferirn) romper
a antiga disciplina partidaria responsabilidad^
de empanar o brilho da lei de 13 de Maio e de
se exporem ao vexame moral de contrariarem.
por amor de mal fundados interesses, o movi-
mento reconstituinte da sqciedade.
No lugar dos resentimentos. dos despeitos e
dos ciumes que dissipam asforcas em lucias es-
teris, devenios p6r a justica, o desinterese e a
nobre emulacao.
Todos os temerarios que se aventuran) em
torcer de sua direegao natural o curso dos prin-
cipios, expiam totalmente a sua imprudencia
Por mais poderoso que fosse o braco nSo conse-
guira dobror a consciencia publica conveniea-
Em. vez de indemnisacao, deviamos pedir apoio
para assegurar a indivisibilidade do imperio
posta em duvida pela influencia seductora da fe-
deracao. Era vez de indemnisacao, corria-nos
o rigoroso dever de esclarecer os aossos conci-
dadaos sobre os perigos a que serao expostas' as
instituigOes, se concorrerem para adopg&o das
reformas consagradas no programma do gabinete
actual.
E' exactamente em dias de crise, como infe-
lizmente sao os presentes, que o partido conser-
vador, fortalecido pelo poderoso vinculo da so-
lidariedade, pode salvar a ordem estabelecida.
Em verdade, dificil a missao do partido con-
servador, quando perseguido pelo proprio gover-
no, como se fra inimigo publico. Esta dillicul-
dade que poderia, talvez justificar a abstengao,
nunca excusara a responsabilidade de aligar o
incendio
Que proveilosa ligao e profunda sentengaa
do dia 4!
A Explosio
Sob esta epigrapbe a raesma penna langou o
seguinte urtigo doutrinario, em linguagem no
breraente elevada, que falla consciencia dos
bomens de bem e lhes irapOe o grande dever de
meditarem na situagao do paiz.
*
A seguranga do apparelho con3litucional re
presentativo est na delicada sensibilidade das
vlvulas.
A liberdade da iraprensa, do voto e da tribu-,
na sao as estaveis garantas da ordem eslabele:
cida. Urna opinio pode ser vencida e at con-
vencida por outra. mas nunca pela compresso.
O imperador Juliano empregou 'odas as Torgas
contra o christianismo pacifico, e na hora extre-
ma, exhausto pela lucta, se reconhecia o venci-
do do Nazareno t
A omnipotencia da tyrannia, tem, verdade,
approveitando de circumstancias extraordinarias
ou suscitando-as, conseguido irapr silencio a
seus contradictores.
Tanta tristeza causa a vacillago da increduli-
dade, a cumDlicidade do egosmo e o lerror da
fraqueza'. como inspira venerago a constancia
da e-renga, a altivez do desinteresse e a coragem
da fortaleza, nos dias em que a liberdade posta
em pro va. O que ao principio parece imposivel,
se roalisa com sorpresu dos oppressores e es |
panto dos opprimulos. A compresso vencida
pela explosao.
Nos governos Iivres's fortee duradouroo
poder fundado na opinio real ecoisciente. To-
do o esforgo deve consistid em augmentar e
manier as adheses pela excellencia das ideas,
melhor comprehenso dos interesses geraes e
importancia dos servigos prestados.
O voto deve exprimir a preferencia entre dif-
ferentes opinies ; um acto de liberdade, de
razo e de soberana popular. Sea liberdade foi
comprimida pela ameaga, se a razo olTuscada
pelo medo, na-sc um perigo.
As raniorias assim constituidas so'ephemeras
e indecisas; impeni muitos sacriticios ao go-
verno sem compensaco alguraa.
Representado o paiz licticio e nao o real, a si-
tuagao poltica sem base, uo pode resistir "fori-
rneira contrariedade.
Sem prestigio e autoridadft o voto da cmara
em vez de fortalecer, o governo antes oenfraque
ce. 03 actos legislativos, dimanando de uraafon-
te viciada e suspeita, nao impem o devido res-
peito. Surgera ento as revoltas, que forgara o
governo, u a suspender a execugo das leis,
exorbitando de sua competencia, ou a arriscar-
se em reaeges temerarias, em que peder per-
der tudo.
Nao sao raros os exemplos, na historia do go-
verno rppresentatio, destes conflictos entre a
opinio publica e o parlamento; e. se o che fe do
Estado nao scappressa em substituir a poliqa
fimnii.iflttf. n, app.iH.nr (jara o paii_eeaL njtflBtff
Histilugoes podera es-apar da cataslropb.
Diante dos estragos da explosao, s o insen-
sato aecusaria a machina; a culpa, toda a culpa
do machinista que em lugar de abrir fechou
as vlvulas, e por este erro, augmentou a eom-
presso raais do que podia supportar ff appa-
relho.
4* Sancgo de urna lei, atropelladamente vota-
da, pela assembla provincial, fxtraguindo duas
secgOes eleitoraes, no Brejo da Madre de Deus ;
3* Ordem reservada ao -coramandante do cor-
no de policia para engajar numero de pragas
superior ao lixado pela lef; c para graduar sar-
gentos a granel, o que j deu motivo ao Sr. Mi-
guel Reinaux declarar que s seria coramandan-
te serio depoif de passada a eh-igo ;
4" Consentir que as estradas de ferro tenham
sido admittidos empregados em nmeros de/.
vezes maior do que o marcado na tabella ;
5* Nomeages de colleclores que sao devedo-
res fazenda, estando muitos delles servindo
sem finura ;
6* Permittlr que sejam ministradas foihas de
papel assignadas por chefes de estradas de fer-
ro aos candidatos, para nomear e demittir em-
pregados, conforme as conveniencias da occa-
sio ;
.7* O facto a que j nos referimos, de nao le-
rem sido nullificados os actos do vice-presiden-
te, pelos quaes foram nomeados verdadeiros reos
de polica para os cargos de promotores, dele-
gados e subdelegados de polica.
E' nestas condiges, debaixo da mais insup-
portavel presso, que o partido conservador vai
comparecer s urnas. Nao ha garantas para a
opposigo, porque o governo quer a todo transe
conquistar o norte e principalmente esta pro-
vincia !
Estamos debaixo das mais trisles apprehen-
gOes. Quem sabe se estacidade, que se achaem
festas, para ^omm^raorar a estada nella de Sua
AUeza o Sr. Conde d'Eu, festas que applaudimos
muito sinceramente porque dellas rauito me-
pfecedor o Ilustre principe-consorte, nao estar
dentro em breve, coberta de luto pelos genero-
sos pernambucanos, victimas do bacamarte do
governo.
Deus queira que nos lludamos.
Licurgo.
Reciie, 16 de Agosto de 1889.

1871, 1872, 1873, 1874, e 1875, o Sr.
Dr. Tolentino de CarvsJho oceupou as
melhores posicoes na defeea- de qualquer
idea e na de 1882 1883 foi merecidamente
eleito presidente da Assembla, tendo si-
do injustamente* depurado pelos liberaea
em 1878.
Os annaes ah estad para demonstrar
a justesa dos nossos conceitos.
E nao tica ahi, como magistrado S. S.
deixoa um nome altamente recommenda-
vel.
A' admin8tracao geral do Paiz tem S.
S. tambem prestado os mais valiosos Bervi-
gos, tendo-a deixado com a inauguragSo
da ultima situagao liberal.
Em vista pois de tantos titulos eremos
que o eleitorado do 2o districto eleger,
para seu representante, o Sr. Dr. Jos
Nicolao Tolentmo de Carvalho.
Themis.
PUBLIC1C0ES A PEDIDO
Candidaturas e candidatos
i
, Approxiraa-se o dia em que a nagao vae
decidir dos seus destinos ; nao longe vem
o momento cm que o paiz declarar se ao
actual rgimen de Ilegalidades e injusti-
cas, de terror e escndalos prefere o go-
verno pacifico do partido conservador.
O dia 31 de Agosto marcar para a his-
toria poltica do Imperio sul-americano
urna data inolvidavel quer os seus resul-
tados sejam benficos com a victoria da
justica c da lei, quer desastrosos com a
manutencao do actual estado de cousas.
NSo ha pois justificacao para aquelles
que, scientes da momentosr. transigSo que
se opera, nao forem prestar o seu contin-
gente para a i^Wacao da'patria; nao exis-
te attenuaatepara o procedimeno dos que
se deixarem ficar em casa.
Todos aquelles que se sentirem possui-
dos de magoa perante o degradante es-
pectculo das orgiacae saturnaes, dosjo-
gralicos tripudios que offerece o paiz de-
vera concorrer poderosamente para o
triumplio, para a victoria dos candidatos
que o partido da tolerancia e da legalidade
e%cta as diversas circumscripyoes
Ambos os artigos merecem ser lidos pelos
nossos amigos, cada um dos quaes de certo
aecudiroas mesmas reflexOes que nos eslo
saltar do bico da penna, mas que preferimos
deixar que brotem expontaneas da consciencia
de cada leitor.
Recife, 16 de Agosto de 1889.
Bf.acoxsfield.
-*-SiSrS@Cl-~
O partido conservador perante
as urnas
11
Quem qur que teve noticia da escolha do Sr.
Alvos de Araujo para presidente d'esta provincia,
sabendo que S. Exc. j representara a nagSo na
cmara dos deputados, por diversas vezes, e oc-
cupra ura lugar nos couselhos da cora, deveria
esperar que os escndalos teriam um paradeiro i
que os actos illegaes praticados pelo Sr. B. de
Caiar scriam corrigidos.
Infelizmente essas previses vo se frustando.
O Sr. conselheiro Alves de Araujo l pela carti-
lha do 1." vice-presidente. O seu (im nico, a sua
suprema aspirago tambem vencer as eleiges.
Os factos ahi esto para demonstral-o de modo
inconcusso.
Nao queremos fallarnos planos de compresso
que todo o mundo sabe estaren assentados, nao
diremos com o apoio, mas com a tolerancia
da primeira autoridade da provincia, para quasi
todos os districtos eleitoraes e^prifttolmente
para o 3., 4.', 10. 13.. Aps a eleigo vero
mos si sao ou nao realisados os boatos que
cerrem com grande insistencia. Agara ser-nos-
lia impossivel oppor provada contradiga a qual-
quer contestago que, n'este terreoo, nos fosse
posta.
Nao queremos seno denunciar os fados at
buje praticados pela administrag&o c que nos au-
torisam a aflirmar que o seu Um exclusivo con-
quistar as urnas.
Todos 03 actos verdaderamente inqualificaveis
praticados pelo Sr. Baro de Caiar, e dos quaes
nos oceupmos era nosso artigo anterior, esto
produziiftlo todos os seus effeilos. Os criminosos
coutinuam no exercicio dos cargos para que fo
rain nomeados!
Ainda mais. OSr. presidente da provincia nao
sabe resistir aos candidatos seus amigos, e, me-
nos corajoso do que seu immediato antecessor,
arvorou em principio de governo o mais comple-
to segredo!
At agora, no dia seguinte aos em que erara
praticados, dava a impressa noticia de todos
os actos da administraco: hoje, em pleno rgi-
men liberal, s rauito tempo depois veem elles
luz da'publicidade, e isto porque preciso que
nao apparegazn as reclamaoes, a terapo de pode-
-er aUeadida8.com vantagera para a morali-
dad': da adfflrafetraro.
Passemos, porm. a examinar os actos de S.
Exc, qgveein mostrar a justeza do juizo que
acabamos de manifestar e so elles os seguintes :
1. remessade forcae linha para di versos pon- j
la provincia, embora o art. lo, 3. da lei de
9 de Janeiro de 1881 prohiba a pmeni;a ouiuttf-
rencao da forca publica durftntt ofyocesso eleito-
ral';
J num
boldado .disciplinado, disposto a despre-
zar as tragoeiras aggressSes dos despeita-
dotj'ns en8naremos ao povo, raystifi-
cado pelos falsos ouropeis de urna poltica
compressora, como se deve libertar do jugo
odioso que lhe querem impSr; nos mos-
traremos a essa massa anouyma, cujos di-
reitos os seus pse-do-advogados querem
usurar, como dever-se-ha conduzir no
prximo pleito eleitoral.
Em que pese portanto aos nossos adver-
sarios, vamos recommendar aos eleitores
de Pernmbuco os nomes d'aquelies que
merecem a honra de ser seus representan-
tes no parlamento, fazendo para isso um
exame dos servigos prestados ao paiz por
cada um d elles.
***
Um dos districtos em que a lucta mais
renhida pela forca e robustez dos gladia-
dores inquestionavelmente o 2., porque
se apresentam tres cidadaos proeminentes.
Mas a escolha difficil...
O candidato liberal, nao obstante o seu
prestigio (que, confessemol-o, j foi mais
solido) e apesar dos meios de aegao em-
pregados pelo seu partido que procura a
todo transe fazel-o deputado, o candidato
liberal, diziamos, nao pode merecer o suf-
fragio dos eleitores sensatos, criteriosos e
independentcs.
S. S. est filiado a urna politic^ que se
tem eclebrisado pelo desamor causa pu-
blica, pelo desrepito aos mais legtimos
interesses nacionaes c pela mais lerrenha
tyrannia.
Alal d'isso, a provincia de Pernmbu-
co nftito livre e milito cio6a de suas
gloriosissimas tradijfes e nao pode suti'ra-
gar o nome de um sectario enrag de um
governo que leva o seu absolutismo ao
ponto de impedir as reuniSes pacificas e
as manifestajSe ordeiras de urna propa-
ganda seria e respeitavel que s devia ser
combatida por urna contra propaganda.
O candidato liberal est, portanto, fra
de combate, apezar das sympathias que,
como particular, goza.
O candidato republicano um cidadao
prestigioso e honrado ; representa o esfor-
go, o rrabaiho consciencioso de um patrio-
ta que muitos servigos tem prestado ao Paiz.
Mas o seu partido nao tem elementos
sufficiente8 para elegel o ; para mandar a
Assembla geral esse cidad"o criterioso e
distincto.
Resta-nos, pois, o conservadoro Sr.
Dr. Jos Nicolao Tolentino de Carvalho.
Pernambucano cheio de amor ao pro-
gresso material e moral d'este Paiz, ta-
lento robusto e aureolado por urna j re-
prehensivel modestia, esse nosso digno
amigo e^)re9timoso correligionario merece
bem o sufragio do eleitorado do 2o distric-
to i|ue conseguir ter a honra de ser re-
presentado por urna intelligencia superior
que tem ao seu servico um corago ge-
neroso.
O Sr. Dr. Jos Nicolao Tolentino de
Carvalho um advogado geralmente co-
ndecido, cujas opini3es sao ouvidas com
respeitosa aquiescencia.
as lettras S. S. se tem imposto por
urna larga e fecunda orientagao.
Como politico sensato elle oceupa um
logar neltabilissimo.
oa legislaturas provinciaes de 1870
13. districto
Embora j sem esperaogas de que o Sr. Alves
de Araujo attenda as minhas reclaraagoes por
mais justas que sejam, continuare! a cumprir o
meu dever de inteirar o publico dos factos que
for.-m occorrendo as diversas localidades do
circuio por onde sou candidato, em ordem a que
seja infallivel a victoria do governo.
Acabo de saber que, no da 30 de Julbo, che-
gou Villa-Bella, acompanhado de 25' pragas de
polica, o bacharel Severiaoo Peixoto, promotor
publico nomeado pelo Sr. Baro de Caiar, de-
vendo estar assentado queseo candidato libe-
ral nao tivesse maioria n*essa localidade onde
enorme a torga de eleitorado conservador, a elei-
go seria perturbada.
Nao posso duvidar da exaclidao de semelhan-
te noticia, desde que vejo o grande numero de
pragas.que seguio para urna comarca, onde rei-
na a mais completa paz, e onde nao podia haver
receio de nenhuma perturbago, desde que o go-
verno deixasse correr livre o pleito eleitoral.
A conservago do bacharel Severiano Peixoto
na promotoria de Villa-Bella, onde foi juiz mu-
nicipal, urna ameaga constante aos meus ami-
gos.
Esse mogo, alm de partidario infrene, proce-
deu sempre irregularmente; consta que convi-
va com criminosos e chegou a ser processado
Cheio de odios e inimizades, bem de ver que
tem desforras a tomar e que nao perder lie
propicia occasio.
Si o Sr. Baro de Caiar queria dar-lhe urna
collocago, si, noraeando-o, nao teve simples-
mente era vista fins eleitoraes, porque nao lhe
deu outro destino ?
E o Sr. conselheiro Alves de Araujo, que co-
nhece todos esses factos,-crusando os bragos
deixa de cumprir o seu dever, e torna-se o res
ponsavel por tudo quanto dos seus ageolessof-
rerera os conservaoores.
/. Moretra Alves.
Recife, 16 de Agosto de 1889.
ieoulat
S. A. o Sr. Conde d'Eu, com louvavel
solicitude, tem visitado todos os estabele-
cimentos da cidade do Recife.
Antehontem, entre outros, foi visitar a
igreja do Paraizo e o collegio das orphas
annexo.
Pouco depois de ter all dado entrada,
chegou-lhe no encalgo o Sr, Dr. Jos Ma-
riano, que, nao obstante saber que S. A.
d'alli seguira at o^.Azylo de Loucos da
Tamarineira, que desejava ver, despedio
o carro que o- transportara.
Foi o inicio do triboffe.
Qnaatln n> nviaiahnva a tora da.-partida
para a Tamarineira, o tribuno approximou-
se do Baro de Curumb, que sempre
acompanha o Principe viajante, .e disse-lhe
(textual) :
Desejo acompanhar S. A.; mas nao
tenho carro.
Ao que retorquio o Barao :
Poder ir no de S. A., para o que
vou consultal-o.
Era o meio do triboffe.
Consultado, o Principe, depois de um
instante de vacilagao, acquiesceu.
E partiram no mesmo carro, o Principe,
o presidente da provincia, o BarSo de Cu-
rumb e o Sr. Jos Mariano.
O carro era descoberto, e tinha de pas-
ear atravs toda cidade.
E o Sr. Jos Mariano, todo repimpado
no carro, figurando de intimo do Principe,
passeiou sua personalidade republicano-
monarchista, pela cidade inteira !
Era o Jim do triboffe !.....
Tem graga, pois nao tem?
Que dir, porm, S. A. o Sr. Conde
d'Eu?
S. A. ha de refleetir, e chegar a con-
clusao de que est longe de erar n alguraa
cousa quem tudo finge, crer.
Mas a opinio dir diante da comedia :
Rira bien qui rira le dernier.
Sexxisella.
Pod'rVlho
k demlsso do eollector Aure-
Uano Eleutcrlo da Mil*a
No Jornal do Recife de 9 do andante mez, c
com a epigraphe que encima as presentes li-
nhas, appareceu o Sr. Joaquim Cavalcante de Al-
buquerque, cora mais um de seus libellqs difa-
matorios, procurando defender-se das justas e
graves aecusages que lhe teem sido feitas pelos
rniSos Stellianuo e Aureliano da Silva.
E, para que, nesse libeilo, n5o lhe faltassem
as negras core3 da falsidade, da mentira e da
calumnia, seu autor, julgou tambera ser occa-
sio asada para levantar se do chao viscoso era
que rasteja, e atirar sobre mira a argamassa com
que se reveste.
Nunca pensei que existisse na sociedade em
que vivo, ura homem bastante malsinador para
escrever contra mim tamanhas indignidades.
Quanto fl e quanta injuria alli derramada !
por esse individuo que, tendo fallido no anno de
1883, com trinta e oito contos de res, e havendo
concordata dos credores para serera pagos com
10 por cento a tres mezes vencidos, at hoje,
que seis anuos j sao passados, ainda nao rece-
beram um 6 real, como tudo consta dos respec-
tivos ajitos de fallencia existentes no carlorio.
Cumpre-me, pois, dar claresa aos factos para
que nao mais se teate especular com urnas tantas
baixesas e infamia?. Despresando os misera-
veis assacamentos que me atirou e q-ie s em si
re.letem, esplicarei ao respeitavel publico o pon-
to em que esse faminto, disse ha verme por umi-
tas uezes matado a fome.
Era tempos idos, o Sr. Joaquim Cavalcante, d-
zeodo-se-dono de urna taverna, sita a Praga do
Commercio desta ctdade, pedio-me que eu man-
dasse fazer nella as compras dos gneros neces-
sanos para o gasto de minha casa, allegando at
preferencia por sermos c-religionarios: acceden-
do a esse pedido, fui, como cormunRiente se diz,
seu freguez por alguns annos, fazendo-lhe eu o
devido pagamento no fim de cada mez ; e du-
rante esse periodo, lembra-me que, em urna
occasio mandei por. bliete ou cartao pedir-llie
vinte e cinco mif"ris em dinbeiro, quantiaesta
que, como a dos ceneres lhe foi paga no tempo
preciso. Em 1880 orm, sahentando-seofrac-
cionamento d partido liberal, ntirei-me de todas
as relages, quer politifBS, quer particular, do
Sr. Joapuim CavalcajPe, visto que, segurado eu
a fraeco leonina e eue a dos cacltvrros, era abso-
lutamente raposaivi i em taes re- \
lagOes ; e assim o faxendo mandei em acto con-
tinuado, por terceira pessoa, siidar a coate (tos
ltimos gneros fornecidos qne importavam na
3uantia de trinta e nove m'.l e oem ris, e dessa
ata era diante nao trocamos mais palavra. En
sin>, qne tenho direito de lzer, haver conear
rido com alguns ceitis para matar-lhe a fome,
dos lucros dados nos gneros comprados*!
Felizmente, para meu salvo conducto, anda
vive e gosa perfeita saude, a pessoa que, com
o Sr. Joaquim Cavalcante, liqnidou as minhas
contas ; pois que, se assim nao fosse, quem e
boa fe nao me dira que elle era capte de vir
noje pela imprensa, dizer que ea lhe eSdevedor
de alguma somroa de contos de ros ( Quem
sabe ?
Pois de tudo pode ser capaz o individuo que,
desde rauito tendo vida mysteriowtiue ihe faz
juz ao arrastamento de urna braga, tem aindara
coragem de vir pelo orgo da imprensa atirar
baforadas de honradez e probidade I
Quem sabe, pois ?
O respeitavel publico que d o sea veredictum.
Vou terminar, dizeedo ao Sr. Joaquim Caval-
cante que, despreso tanto as ameacas comidas no
ultimo periodo ae seu libello e a mim referentes,
3uanto despreso a 3ua mumica e parva indivi-
ualidade.
Louco que abeirando-se j da lage fria do ge-
pulchro, anda pensa e falla em alimentar-se
com o sangue humano Louco !
Pao d'Altn, 14 de Agosto de 1889.
Joaquim de Barros.
Proposla
A SUA ALTEZA SERENISS1MA O SENHOR
CONDE D'EU
Non era qua procudit enses,
F.t miseras nimicat wbei.
Horacio,
Odi XIV Livro IV.
Sua alteza vai ver o centro da provincia, mas
nao o Iluda a vista de seu apparente estado.
Existe ahi, cora effeito, um tal ou qual pro-
gresso relativo, mas em condiges mu preca-
rias para o agricultor, nico industrial em nossa
zuna assucareira. E' ainda assim o resto do
trabalho do elemento escravo que Sua Alteza
ahi v transformado em edilicios e machinas
que, na maior parte dos engenhos. sporne
se poder fcilmente conseguir m:hores, vo
servindo para moer as canoas, e todo o mais
meneio corresponde bem rotina dos tempos pri-
mitivos de nossa zona assucareira. No entre-
tanto nao deve Sua Alteza culpar ao agricnltr
d'aqui por tal rotina, visto que nunca foi aqui
conhecida a instruegao profissiooal, ao passo que
na sua ai^iga patria se tratou dessa necessidade
desde o reinado de HenriquaJV, e se comegon
logo a satisfazel-a, de conformidade com os vas-
tos planos do ministro Sully, e nos reinados se-
guintes pelos cuidados de outros ministros nao
menos dignos de governar um paiz que se quer
fazer rico, prospero e respeitavel, pela paz,
com o seu trabalho em condigOes favorave3 ao
agricultor. E' isso o que falta aqui, faltar/sem-
pte se os poderes do estado nao tomarem ir ini-
ciativa.
Se Sua Alteza Serenissima quizer se recordar,
lenao na historia do reinado do seu grande an-
tepassado llenrique IV. o que elle e seu ministro
Sully fizerara em prol da lavoura franceza, prin-
cipal teta do estado, como este a chamava, se
convencer da verdade deste nosso asserto.
Dessa historia qual nos reportamos, porque
estava ento aJFranga em condiges financeiras
e industriaes to precarias como a nossa actual
situagao, v-se que esse ministro das ti nangas em
12 annos fez prodigios de melhoramentos n'a-
quelle paiz. deixando paga grande parte da di-
vida publica, muito elevada em coosequencia
da guerra dos 36 airaos, (*) e 40 milhes depo-
sitados nos subterrneos da Bastilha. Mas o que
de melhor este legou aos francezes nao foi esse
ouro e sim os melhoramentos prolissionaes que
asseguram o bem estar e progressos do paiz,
ensinaado aos francezes a serem iniciadores
desses recursos do genio chamadosindustria,
artes, sciencia, etc.
E com effeito, assim foi que a bella monarebia
pdde ctie-rar ao apogeo da prosperidade, e se
muito abusaram della, ainguera poder culpar
disso a esses iniciadores patriticos, assim como
nao podemos culpar o nosso corpo pela falta de
sade.
Terminamos com este despretencioso trabalho,
o qual nao nos foi recommendado por estranho
senlimento. fazendo sentir ao Serenissimo Prin
cipe Consorte a necessidade que Sua Alteza tem
de tomar a iniciativa nos melhoramentos agrco-
las do paiz, tanto quanto for isso consentaneo
com os seus direitos de Consorte da futura Im-
peralriz, cujo reinado tao auspiciosamente en-
saiado em duas regencias, tanto promette ver-
dadeiros principios de equidade christ ; e tere
assim dao mais.'nma prova de sua dedicago
nova patria que escolheu, muito mais robusta
que a que deu nos campos paraguayos : on se
legitime par Festime et Vadmiration qu'on inspire,
disse alguem...
Continuaremos, se tormos bem acolhidos.
Olinda, 1S de Agosto de 1889.
Araroba Meirim.
(*) Houve depois desta a dos 30 annos, com
seus periodos diversos etc.
Ao amigo AuguMo Cenar da Cuaba,
ne tricsimo dia do pasaamiito
de sua idolatrada lima.
Dorme, innocente.xomo
a flor nos vallen
FELINO l.LEDBS.
Ha trinta dias que desappareceu d'en-
tre os vivos D. Izabel Honorina Bandei-
ra da Cunha!
Mais urna preciosa existenciaM
lei fatal e inevitavel!
Tao moga Nao podas niorrer
disse o poeta do D. Jaynie.
Como um desses meteoros, esplndi-
damente luminosos, que desapparqc
azul escuro do firmamento, clja.passou
veloce sobre a trra, deixando en, ina r-
pida trajectoria um trago de lnMa cari-
dade que tanta a distingua !
Longe, bem longe, por detraa de azu-
ladas serranas, foi repouzar para' sempre
no seio do invejoso sertao, que tanto a
ittrahia, promettendo-lhe seguro restabe
lecimento !
O Recife, o berro em quenas^B
cia-lhe estreito.
Procurou a vastidao do deserto,
erto, o sertao ainda lhe parecea

no. Voou para o iniinito .' E'que i
ta* grande nao podia conter-se
Teve urna vida de martyr e a
um anjo Mas, nao; entes assiz
ridos nao morrena, nao morrea
para aquelles de quem sito an
cuja lembranga nunca se apaga
canga cm paz, edorme, innocet
flor nos valhs; e l das regiC
conhecido, da mansao de Deus
nicos, mas sinceros tributos*
podem prestar aos mortos :
grimas e urna oracao!
Recife, 17 de Agosto de til
S. Kxe.
3lanoel
*'





4
Diario de Pernambuco--Sabbado 17 de Agosto fe 1889
Subdelegada do 9o districto
de S. Jos
r. lenle Frederico Tavora
Deixou hontem o exercicio de subdelegado
do t> districto da freguezia de S. Jos o Sr. t-
sente Frederico Hennqoe da Silveira Tavora.
Durante o terapo em que S. S. exerceu o eu-
frahosisgimo cargo, folgamos em registrar, re-
wlou-sfcim digno emulo dos bous conceitos de
guc sedm gospu neste districto. *
De tuX actividade ioe xcedivel e de urna ener-
ga a tora prova, o Sr. tenente Tavora prestou
servicos, de orderu a nao serem olvidados.
Sambas, batuques, ajuotamento de vagabun-
dos j se nao encontra no 2o districto, to fr-
til em desordens e disturbios. Hoje pdese
transitar all sem o menor receio de ser-se ag-
gredido ou desacatado, gracas enrgica auto-
dade.
Aceite, po's, a Sr. tenente Tavora os nossos
aceros parabens e desculpe, se com estas pou-
sas lincas offendemos a sua reconbecida raodes-
ia
Um amigo.
Jurema 6 de Agosto de 1889
Os fados de todos os das por si sos prova m
pe foi pessirna a escolha das autoridades poli-
jjaes, feita pelo goveroo actual.
Nao tendo um me:o eflicaz que salve-nos da
atoaco em que nos achamos, recorremos a im-
prensa para denunciar os factos Je selvageria
araticados pelos agentes do govemo a quera
pedimos urgentes providencias, visto ser o en-
arregado de velar pela effectividade de nossos
(Ureitos.
Nao exageramos e apenas com paludas cores
ramos tornar publico inais um facto escanda-
loso.
No domingo passado foi espancado e preso
peto sargento e soldados do destacamento o ci-
iadio Francisco Alexandre, estando presente o
ielegado que nenhuma providencia deu !
Estamos no rgimen do terror, prende se e
aspanca-se c< m a maior disfaeatez, e isto talvez
para que a elcico de 31 de Agosto corra Itvrc-
mente e possa ser eleito o candidato da go-
ruo!
Por falla de tempo guardarei para outra vez
fcversos factos que precisara fer publicados pa-
?a kmra e gloria da actual situacao, como por
xemplo a intervenco do subdelegado Calado
para obrlgar Manoel Ferreira a assignar um li-
ulo de arrendamento de Ierras, a tentativa de
aorte contra o fiscal Landelino. e o cerco c va-
rejoda casa do eleitor Manoel Joo, desappare-
cendo um relogio de ouro 0
Ate outra vez.
r^.
SILYEIRA
ADVOCADO
hi io ini'iit idok ;;
Belm de Mara
Dessa localidade escrevem nos cm dala de
42 do correte o segu ate :
Os conservadores desta localidade eslio sof-
>endo muitas perscguicOes do subdelegado em
ercicio, Francisco Ouintino das Neves, que
arende e espanca cidados inolTeusivos, cause-
Chores da propriedade em que elle mora para
obrigal-os a pagar foro !
Tem aculado de accordo cora o subdelegado
tfeUrucMiriro, a desordeiros para insultarera
as nossos amigos, sendo urna das vioiimas Pe-
dro de Albuquerque e sua familia, ebegando as
ousas a ponto de tentarse contra a vida de
Francisco Antonio de Abreu em plena ra !...
Peya providencias ao presidente da provin-
cia etc.
Kca formulado o pedido; u aguardamos as
yrnvi encas.
Justus.
Rcumo politira ein Tigipi
Notamente o futuros subdelegados de
Tigipi voltam falla ; mas d'esta vez nao
eonvidam maia o eletorado do 1. distric-
to, sim o da 3.a scelo ae Afogados; e
ad cautelan, fazem sentir que ha mister
da asistencia de gualquer eleitor do 1."
Nos esperamos que anda d'esta vez os
saldes da chocara do Sr. Chiquinho se ve-
rlo cheios de... ares.
Tenho paciencia Sr. Chiquinho.
Nos sabemos que V. S. um incommen-
suravel poder n. 1. districto, e qne
capaz de fazer sahir das urnas um Gamba ;
mas veja bem que dizem que o aurfero
poder de V. S. nem mesmo lhe garante
seu voto, quanto irais os dos seus Cons-
tantinos, Augustos e... et reliquia.
As de 100 e as de 200 bocea da urna
provar&o a independencia e influencia dos
signatarios e comparsas da tal reuniSo.
Quem nSo tem roupa na mochila nao se
mette em cabalas eleitoraes.
Deixem-se de bravatas, que o candi-
dato LIBERAL-CONSERVADOR de 1." distrc-
to est eleito.
Quem dinheiro tiver, far o que quizer,
Siebel da R. Jnior.
Comn o Sr. conaelbcli-o Manoel AI
vea de Araujo e*tu fnicndu a ele i
eo no 10. dlslrlclo.
Urna forca de linha de vinto pravas em
Caruar, sob o cpmmando do um official
do 14." batalhiio, cscolhido pelo candidato
liberal!
Um destacamento na cidade do Brejo,
s ordens de um chefe local, feito capitilo
do corpo de polica.
Outro em Carapatos, intil para o ser-
vico e perigoso para a ordem publica, s
ordens tambera do chefe local Joo Ma-
noel de Carvalho, igualmente feito capitfio
de polica !
Um ex-conderanado do hecatombe da
Victoria, feito cabo na cidade do Li-
moeiro !
RamocSes de professores e professoras
publiv'as j/or series !
Empregos as estradas de ferro, por
atacado at a eleic.t~ !
Engajementos e litas de sargentos no
corpo de policia, para quem metra votar
com o goveroo, at o dia 31 de Agosto!
Arbitrariedades, violencias e ameacas
publicas do derramamento de sangue !..
Suppressao de duas seccoes eleitoraes,
na paroeliia do Brejo ; fazendo-se p;issar
atropelladamente, em sesso extraordina-
ria, urna lei, extinguindo dous districtos
r
(""niflai q \rrea caiirli I Matbeus Vaz, a fazer urna viagem -embarcado, e s Rprito nadando 1
yUiaai a YOSd KUlCie. nao me sendo possivel farol a de'Dmmnin Wor -' '
Infelizmente bem commum uina- mo-
lesta tcrrivel, conhecida pelos Homcs de
Tsica, 6'onsump9So, doenja do peito,
etc.
N5o pretendemos affirmar que o Peito-
red de Cambar, cure aquella molestia,
porque at hoje icm sido impossivel cu-
ral-a quando chegada ao ultimo periodo ;
porera, podemos assegurar, que todos os
doentos que usarem do Peitoral de Cavi-
lar, no prmeiro e segundo periodos,
logo acharo, com toda 1 certeza, grande
nao me cendo possivel fazel a de'promototior ni ~ TT**n' '""
liz uso do Elixir preparado -fa, Bezerros
Cha Grande.,
, S. Caetan>>
ardim de 4 m #'
falta de recursos, .
pelo Sr. Anadino Josi'r dos Santos Andrade, a es- da Raposa e Bello
pera que houvesse vapor para Fernando de No- dias.
ronha, porra cora a primeira garrafa que to- S. Jos da Cora-Graiide, passando Po>
mei fui sentinJo melhoras e com o uso de seis T o 1 t>- A ii""u'.
-arrafas liquei bora, e ha seis mezes nada mais 1PJuca. berinhaem, Rio-Bprmoso, Tamai.-
soRndo, portanto a este Elixir devoojdar, Una e Barreiros de ^ em 4 das.
:neu rcstabelecimeiito e para constar passo o i Jatob de Tacarat, passando por 8.
presente o qual o Sr. Aogelino poder publicar, jBonto, Alagoinha. Fedra, Buique, Gamet-
uuerendo. 11 m ., j a- '
Kecife, 21 de Julho de l8Si.'-Urcelino Pimo leirAa e lacaratu de 4cm 4 das.
d Torres-CaUlndo. Alagoa do Baixo, passando por Pea-
1 N. 82 queira e Cimbres de 4 em 4 das.
Recife, 30 de Dezombro de 1882 lito. Sr Ab- : Altinho, pasando por Bonito, Bobedou-
J gclino Jss dos Santos Andrale. Proveniente allivio c depois a sua cura completa, por I moIesUafcavphilitieas fui alacayo l'orlemente d<^ ^ra a,as-
meio do um tratamente prolongado e per- rheumatlin.i e urna erupeo na pelle ; procurei n -L-eopoMma, passando por
sistentc.
O Peitoral de Cambar nao limita a sua a
acuSo benfica s doencas do peito cura
S. Jos do
umoooomc esoWQoeooeosc wagaacactciscoinc uxt.yxc I AO DILECTO AMIGO
JOO PESTERO
apresenta seus parabens por seu ti- ?
lulo de tarao de Po-Ramado o
Joao Ckibarro.
COHHERCIO
Revista do Mercado
RECIF2. 10 DE AGOSTO DE 1889.
Foi pequeo o movlmento na pra^a, limitndo-
se a IrasaccOes no mercado de cambio e 110 de
wronr
Bolsa
STAC5eS OFFICUES DA JDNTA DOS COR-
RETRES
Recife. Id ae Agosto de 1889
ipoliees proviunafes, joros de 7 0,0, valor de
i:000 a 'Mi cada urna,
letras bypothecarias com juros, a 100* cada
ama.
Na Bolsa Venderam se
i apolres Drovinciaes.
!/X) letras hvpotliecarias com juros.
o presdeme,
Candido ;. G. Alcoforado.
O secretario,
. Eduardo Dubeux
Cambio
6s bancos manliveram a laxa de 27 d., sac-
-ndo reservadamente a 27 1/8 d.
Papel particular eontinuou a ser cscasso a 27
Xa Rio a tzxa bancada foi 27 1/16, exigindo
js tomad. i\.- 27 1,8, que os bancos nao concede
am, em vista da escassez de papel particular a
i7 3/Ki.
.:;<- -M :^::c::>l.'C^K>oocoocOl:<^cv5coc.c:o:xc
Programma
da festa da gloriosa senhora Sant .Vjana da
igreja da Santa-Cruz do Recife
Hoje, sabbado 17 do correte, ao meio dia.
urna salva de 21 tirse diversas girndolas de
fogo feodero o ar, annunciando que, hoje ter
lugar a festa da gloriosa senhora Sant'Anna.
No domingo 18, pelas 4 horas da madrugada, a
respectiva irmandado mandar celebrar urna
missa em teaco de todas as devotas que con-
correram com suas esportulas para essa festa,
lindo o que urna outra salva aonunciar a auro-
ra do dia em que se celebra a festividade da
mesma gloriosa senhora.
A's 11 horas, depois determinadas as tercias,
entrar a missa solemne, executando-se o gloria
do maestro Gaspar, sob a regencia do nosso r-
mao ex-juii Lydio de Oliveira ; sendo os solos
cantados pelos distinctos professores Manoel
Vctor e Commoleti; orando ao Evangelho o in-
signe pregador Rvm. padre Pedro da Purifica-
i.o Paz e Paiva.
Cantar-seha antes do sermo a Ave Mara do
maestro Ch. Gounod e o Credo do maestro Oes-
ternold.
A' noute pelas 7 horas oceupar a tribu sa-
grada o distincto pregador da capella imperial
fre Augusto da Immaculada Conceico Alves ;
lindo o sermo entrar o Te-Deum Nossa Seoho
ra da Victoria, composujo dojimmortal maestro
Colas.
Tocar antes e depois de todos os actos urna
banda marcial.
E assim terminar a festividade, para a qual
sao convidados todos os nossos charissimos ir-
mos.
Secretaria da irmandade da gloriosa senhora
Sant'Anna, erecta na igreja da Saata Cruz do
ltecife, 15 de Aeosto de 1889- m
O secretario,
Antonio Alces VUltla.
de pa !!
A MORAL1DADE.
Massa fallida de Joo Moroi-
ra & C.
Os abaixo assignados, administradores da mas-
sa fallida de Joo Moreira & C, convidara aos
credores da raesma para no praso de oilo das,
a contar da data desle, a apresenlar seus ttulos e
documentos, aflm de ler lugar a classificaco dos
crditos, pudendo para isso cnienderem-se com
seu advogado Dr. J. andeira de Mello, rna do
Imperador n. 16.
Recife, 8 de Agoslo de 1889.
Joo Vctor Atas Malheus & C.
tambem muitos defluxos, bronchitcs e tos-
ses que, as mais das vezes, quando des-
presadas, sao a causa das affeccSes pul-
monares.
Este remedio acha-se venda em casa
dos agentes Francisco Manoel da Silva
& C, ra Mrquez de Olinda n. 23,
que o vendem a 2?Jf)00 o frasco.
TA
BELL.
AS AFKIXADA8
f 3
tS f
p <
a. o
m
tu
a
-'

a
s
J3
9
? K O
r 2- 5.

3
O
1
1
J>- s
: : : : Z S h -J <
I w
gl <

* iJ o ce
<*" v- *? "^

As entradas verificadas at hoje sobem a 1.093
saccas, sendo por:
iareacas..... 2o Saccas
Vapores ... 5.105
iinmaes..... 952
Via-ferrea ae Caruar. 34
Via-ferrea de S. Francisco. 70
Via-ferrea de Limoeiro 647
Sorama.
4.093 Saccas
X. 3K?
Oleo puro medicinal de Figaclo de
<:< alho de Lanman A liemp
Os doutores de medicina reconbeceram, ha
alguns annos, sem oceultar o seu assombro, que
as molestias pulmonares c hepticas, com ne-
nhuma outra cousa se podiam curar, mas sim
poderiato ser coiii|)lelamenle extirpadas com o
Oleo de Figado de Uacalho.
Apenas se annunciou um tal successo. quando
para logo o mercado se vio innundado de loda a
casta de composices de azeite de baleia, de
phoca, de raaos de vacca, de toucinho e um sem
numero de outras aos quaes eeajontoo o nome
do espi-cilico li'^'itimo, parm sem pos;uirem ne-
nhuma de suas reaes virtudes.
Purern agora temos no Oleo Puro Medicinal de
Figado de Bacallio de Lanman .V Kemp, um ar
ligo cuja perfeita lefitimidade de excelleucia se
acha comprovada pela faculdade medica.
Nos hospitaes militares, navaes e rivis dos
Estados-Unidos da America 6 elle to bem conhe-
cido como na platica particular Aos principis
mdicos.
Nenhuma ciasse de osse, resfriamenlo, a (lee-
r o dos bronchios, molestia dos polmese do
figado, ou afTeccOes escrofulosas, podem resistir
a sua maravilliosa acyo medicinal.
Sem rebalsar o merecimento de outras prepa-
raefies legitimaa da mesma natureza, pdese
arianfar que aquslle superlativamente excel-
lente.
Garanle-se a sua boa eonservaco em icios
os climas. ,
Acha se venda em todas as principaes'bo-
ticas e lojas de drogas. .
xir
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande cfficacia as mo-
lestias syphiiiticas cimpureza dosangue ; assim
como em todas as molestias das senhoras,
Tem curado radicalmente muitas pessoas ac
commetlidas da terrvcl molestia bcriben.
MODO DE USAR
Os aaultos tomarao qu-itro colheres das de
sopa nelfi manh e quatrd noite. As criancas
de 1 a 5 annos lomaro urna colher pela maohfi
e outra noite. e os de 5 a 11 annos tomaro
duas colheres pela manha e duas noite. De-
vero tomar banlios fri ou momo pela manh e
noite. Hesguardo regular.
Encontrn-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva & C. rail do Mrquez de
Olinda n. 23.
O autor deste preparado poae ser procurado
na ra do Baro da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qualquer explicara
que for precisa.
Cuidado com ax talKidcaroeM
Beriberi
N 80
Ilim. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade
Recife, 29 deNovembro de J88.l' com a maior
satisfaco que communico a V. S. que; soffrendo
por mullo tem|)0 de u.nas empiogens e sem ti
rar resultado jos remedios que foram leceila-
dos, recorr ao seu Elixir Depurativo, preparado
por S. S. e liquei pe lei la mente curado, as-qm
como live occa>io de apreciar urna cura brilhan-
te em pessoa de minha familia, que solrendo de
grande flaqueza e dormeiicia as pernas, bra-
Aceilc portanto Vmc as expresses sinceras
de a^radecimento de quem com toda estima.
De Vmc. att. venerador e criado.Carlos fjttpt
Ijuimarcs.
Estavam selladas e reconhecidas os firmas pelo
tabellio.
Estreitamento da urethr
AO U.LM. SB. DB. CABLOS 1JKTTESCOIKT
Eu, abaixo assignado, declaro que, estando
soffrendo de ura estreitamento dalureihra, acom-
panhado de blennorrlia, recorr ao Illni. Sr. Dr.
Bi'ttcncourt, por quem fui operado pela electro-
lyse sem dor, denudo radicalmente curado em
curto espaco de tempo
Ao muito digno 5r. Dr. Retlencourt os meus
mais sinceros agradeciment03.
JoSo Rodrigues de Dril lo.
Ao publico
Embr
m breve raostrare em juizo, que nao
sou um simples caixeiro da firma Souza
Travasso & C, e desde j responsabiliso
a quem, sem a rninha intervencao, com
prar qualquer objecto pertenecnte a mes-
ma firma ~^
Recife, 13 de Agosto de 1889.
Ei'frasio Watiderlvg I.ins.
Remedio soberano
O Peitoral de Cambar, do S. Soares,
cura de urna forma admiravcl qualquer
rouquidSo c perds de voz.
Os agentes
Fiinciso Manoelda Silva & C.
Una d* Mrquez de Olinda n. 23
EDITAES
AdinliiiMrai<*a<> doi Corroio de Per.
nambuenrm I5dc Agimlode l*S3
ABREM \TA(;AO DOS TIAXSPOTUKS DE
MALAS
O administrador, em observancia ao or-
denado cm circular da directora geral dos
correiosxn. $6 de 8 de Maio do corrate
aiui'i, faz publico que fica mareado o pra-
so de 30 dias, a contar desta data, para
G>is, mos, falta de appeliie e aneiedade (repe- recebiment d<; proposta dos particulares,
tieo de beriberi) com o uso de trez garrafas de que durante o ezercicio de 1890, quei-
tau precioso Elixir esl nerfeitainente boa.
Autorisando a V. S. a fazer o uso que lhe ap-
prover do cima mencionado, assigno me
De V. S. amigo, criado e obrigado. Elgsio A.
dm Siceira.
N. 81
Apontoque soffrendo de beriberi. fui aeonse-
Ihado pelos llims. S.s. Drs. Jos Flix. Maia e
Assiioar
713 Saceos

60 c
lii < '
1.030 m
48
1.913 Saceos
r
a

I> ^- ic CO u
lr^ O O *- "
C3
^
|

?
9
(i ^
Aia^r
* i

lO.Ci
ido-
mez
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a Associaco Commercial Agrcola, foram
os seguintes:
Branco..... 3*600 a MODO
Smenos...... 2*700 a 3*000
Mascavado purgado 2*200 a *600
bruto. ((irme) UtiOO a 2*000
(ttame..... 1*200 a 1*490
A exportaco feita pela alfandega neste mez
at o dia 12 subi a 696.153 ,"2 kilos, sendo 520
para o exterior e 695.633 1/2 para o interior.
As entradas veriQcidas at a data de hoje so-
bem a 1.915 saceos, sendo por:
Barcacas .....
Vapores.....
Animaes....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
Somma.
Agurdente
Cola-se a 105*000, por pipa de 480 litros.
. Alcool
Cota-se a 200*000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a JOOOO por pipa de 480 litros.
Coaros
Couros salgados. 365 a 370 ris, e os verdes a
210 ris.
Pauta da alfandega
iiiU.NA DH 12 k 17 DE AOOSfO DB 1859
Vide o Diario de 11 de Agosto
.\avios descarga
Barca nomegueose Gllead ferragens.
Barca nacional Cecilia, varios gneros.
Barca ingleza Cameli'i, bacalho.
Barca he.-panliola Progrcsso. carvo.
Barca alleraa/. F. Pust, carvo.
Lugar americano llannh Me. Lttc, farinha de
trigo.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar ingjez Damire, bacalho.
Lugar nacional Logo, xarque.
Patacho nacional Rival, xartpe.
Patacho allemo Marie ron tmiendorp,
Patacho nacional RegaleiraSxarque.
Patacho allemo Fredencl;, xarque.
Patacho dinaraarquez Jugor, xareue.
Patacho dinaraarquez lefion, xarque.
Vapor austrtaco Xichy, varios gneros.
Vapor inglez EUtow, carvo.
Vapor iirlez Historian, varios gneros.
Vapor inglez Belena, vanos gneros.
Importaco
Vapor francez Ville de Pernambuco, entrado do
Havre e Lislwa, em 16 do correntc e consignado
a Augusto Labille, manifestou :
Carga do Havre
Amostras 6 volumes a diversos.
Azeite 20 cairas a Goncalves Bosa & Fernan-
des. i
Agua .mineral 2 caixas a Francisco Manoel da
Silva 4 C.
Brinquedos 9 caixas orem, i a Maia Sobn-
nbo < C.
Batatas 50/2 caixas a Paulino de Oliveira Maia.
BotOes 1 caixa a Francisco Lauria C.
iomaz de Carvaiho & C,
/a Albino Cm k sar Lojfct-tC, 1 a
Joaquirn Pinheiro & C, 1 a Costa Campos & C ,
i a ones Fonseca & ... 1 a Maia Sobnuio & C.
Cbapjs I caixo a Adolpho Fcrro, 1 a Samar
eos t C... 1 a Carvalho 4 Irmao.
Carta para jogos 1 caixa a Maia Sobrinho
4 C.
Conservas 45 caixas ordem.
Cachimbos 2 caixas a T. Just.
Capsulas de estauho 2 caixas a Francisco Ma-
noel da Silva *C.
Cromos 1 caixa aos meamos.
Conl'eices 2 caixas aos meninos.
Drogas volumes a Bartholomeu 4 C, 2 a Fa-
ria Sobrin'iu 4 C., 1 a Bouquayrol Frres, 17 a
Francisco Manoel da Silva A U, 5 a a. M. Veras
< C.
Espelhos 1 caixa a Maia 8obrinho C.
Ditos e perfumarlas 4 caixas a Antonio Duarte
Carneiro Vianna.
Fitas 1 caixa ao mesmo.
Ferragens 3 caixas a Oliveira Basto 4 C
Joias 2 caixas a Arlhur Deziderio, 1 a Cou-
ceiro Irmos.
Livros 1 catxlo a Amorini Irmos 4 C, I a V.
P. Bohlreau, 2 a Bamiro M. da Cosa & C.
Ditos e lecidos 2 caixas a Joo W. de Medei-
ros.
Manteiia 45 barris e 50 2 ditos a Paira Valen-
te 4 C, 15 e 10 a Guimares Bocha 4 C, l-'i e O
a Joaquitu Ferreira de Darvalho, 30 e 50 ordem,
13 e 30 a Figueiredo Costa 4 C, 30 e 10 a Joo
Fernandes de Almeida, 5 e 10 a B. de Oruzma
4 C, 20 e 20 ao consignatario, 15 e 15 a Joaquim
Felippe 4 Aguiar, 20 e 20 a Sjuza Bas'0 Amoriui (
4 C, 15 e 30 a Domingos Cruz 4 C, 10 caixas a
Cuedes de Araujo Filho. 12 ao consignatario,
22 a Souza Basto Anurim 4 C, 13 a Domingos
Ferreira lia Silva 4 C, 9 a Fraga Bocij >* ('..,
16 a Joao Fernanles de Almeida, 13 a PaUa Va-
lente 4 C, 10 a Figueiredo Costa
Mercadorias diversas 1 volante a i>ni praies
l
103 a Joaquim Ferreira de Carvalho Domingos Cruz *C, 101 a Fernandes & Irmo.
Chapeos 1 caixa ordem.
Kunio 13 volumes a ordem, 3 a Paiva Valentc
* C., 50 a Azevedo ^ C.
vadeira 74 peras a 11. V. Perneiras.
Malas i volume a Maia Suhri.:ho C.
Panno de algodao 16 fardos, a Machado Pe-
reira. 6 a Ahus Rodrigues 4 C, 77 a Rodrigues
Lima 4 C, 49 ordem.
SardinliasoO barricas e 23 caixas a Souza Bas-
to, Auioriin 4 C.
soia 2 rolos a Augusto Labille.
Viuho I pipa e 5 barris a Albino Fernandes.
24 a Guiliienne L. Cruz.
Xarque 500 fardos a Maia 4 Hezende.
Vapor nacional S. Francisco, entrado dos por-
tal do norte em 15 do crrente e consignado
Companhia Pernambucana, mmiestou :
AlgOdiO 864 saccas a Pereira Carneiro 4 C ,
60 a Amorim Irmos 4 '... 10 a J. Oliveira, 41 a
Borsielmand 4 C, 80 a Rodrigues Lima Borracha 2 barricas a Bosbaek Brothers 4 C,
48 a Gomes de Mallos Imito*.
Couros seceos salgados 160 a Abe Steiu 4 C.
Carne 3 volumes a Cunlia Irmos 4 C, 7 a J.
Feijo 4 C.
Esleirs 14 rolos a Joaquim Duarte Simes
4 C.
Pellos de cabra 43 fardos a'J. Oliveira, 47 a
Bosbaek Krotbera 4 C, 39 a Abe Stein 4 C.
Pipas vas.as 2 e 19 barris aJ. UoJrigues.
Paquete nacional Alagos, entrado dos parios
do sul em L> do corrcitte e coasignado a Pereira
Carneiro 4 C, manifestou :
Carga do Bio de Janeiro
Botijas 29 barricas a Joaquim Duarte Simes
& C
Caf 200 saceos a David Ferreira Porto [Saltar.
62 a Lope* de Magailies 4 C, 109 a Alves Ir-
mos 4 C, 166 i Fernandes Irmos, 51 a or-
dem, 76 aos consignatarios, 50 a Ferreira Rodr-
gaos i C.
Fumo 50 volumes a Moura Borges 4 C, 2 a
Pereira de Faria. Foges- de ferro 7 volumes
a Albino Silva 4 C. 14 a Ferreira Guimares
11 C. l'arello 500 saceos a Domingos Cruz 4 C.
genlio 13 volumes a Jos Joaquim a : 1. l.ivros 2 caixas a Domingos Alves Bibeiro.
Maciiinas agrcolas 4 caixas a G Lo| Machinas 5 'aixas ao Dr. J. Maria de Albu-
Pecas para maciiinas 4 caixas a 11. Marques .!.' qtierque. Massas '59 caixas a Fernandes 4 Ir-
ram fazer por contracto o servico de con-
duccao de malas para o interior da pro-
vincia, partindo desta jepartigio para :
Xossa Sen1 do O' de Goyanna. pas
sando por Igiwrass e Goyanna de 3 em
3 dias.
No vapor francez VtUe de t'ernaiubw>. car-
regou :
Para Sanios, J. A. de S 113 saceos com 6,"80
kilos de assuear branco e 124 dita cora 7,410
ditos de dito mascavado.
No vapor nacional i', do Grao Paro, carre-
garam :
" Para Pcucdo, M. A. Sema *C. 5 barricas com
300 kilos de assuear retinado.
Na uarcaca Belleza da Fortuna, carregou :
Para Maceio, F. de P. A. da Silva 1 caixa com
60 kilos de doce de goiaba.
Dinheiro
RECEBIDO
Pelo vapor nacional Alagoas, do sul, para:
John II. Rbxwel 20.000*0 O
Pereira Carneiro 4 C. 17.980*000
Scixas 4 Irmao 4.466*000
Amorim Irmos & C. 3.000*000
HartiiU Fiuza 4 C. 2.000lMNi
Joaquim Pires da Silva 2.fKH)*0iV)
Maia v Bezeude 1.0)7*640
Bernardin Lopes Alheiro 1.000*000
Marcos de Paula Res 660*000
uangy de 4 em 4 dias.
Jabot do Brejo, passando por Podra
Tapada, Bom Jardiui, Vertentea, Taqua-
retinga, Santa Cruz e Brejo de 4 em 4
dias.
Petrolina, passando por Santo Antonio
do Pun, Floresta, Cabrob e Boa Vista
de 4 cm 4 dias.
Scrtaozinho passando por Palmares,
Villa d'Agua Preta e Campos i'iios de 4
em 4 dias.
Jurema, passando por Belm de Mari:.,
Lagoa dos Gatos c Pancllas de 4 em 4
das.
Itarab, passando por Iguarass c Goyan
na de 4 em 4 das.
Agua* Bellas, passando por Pahnein.,
Correntes e Bom Consclho de 4 em 4 dia.
urieury, passando por Olho d'Agiu.
dos Bredos, Villa Bella, Salgueiro, Gra-
nito e Ex de 5 em dias.
Gloria do Goyt, partindo de- Pao d'A-
ilio de 4 em 4 dias.
Kiaclio-Oce, partindo de aruar de
4 cm 4 dias.
As propostas devein ser apresentadas
at s 2 horas da tarde do ultimo dis-,
em carta fechada por duplcalas, com din-
crminacSo dos preyos de servijo de ca..
linha, sendo ana yia sellada e ambas a -
signadas pelos proponentes e seus tad"-
res.
Nao serio tomadas em consideraeSo as
propostas em que for ixado o prc90 do
mnis de urna linha englobadamente.
Tero preferencia as propostas mais
vantajosas em preyos e augmento de via-
gem.
O administrador,
Arfbnso do Reg Barros.
O Dr. Joaquim da Costa Ribeiro, juis de
dircit do civel desta cidade do Recift
<*. seu termo, capital, de Pernambuco, p>>"
."Sua Magestade Imperial o Sr D. Pu-
dro II, a quem Ijens guarde, etc.
Faro saber aos que o presente edita! virem
ou delle noticia tiverem, que lindos os pregos
o pracas do estylo, sera arrematado, depois de
audiencias desle juizo, por quem mais dr e
maior lance offjrecer o bem seguate
lima casa de pedra e cal sua na travessa ae
Motocotmib, freguezia de Afogalos, desla c-
dade, co u dezenove metros e setenta centme-
tros de largura e seis metros e setenta ceolirae-
iros de compriioeuto, tendo na frente seis jane-
las e duas portas, sendo que as portas do en-
trada para a sala de visita e de janlar e asji.-
nellas Hcam nos quatro quartos que so collt/-
ca Jos entre urna sala e outra c em ura outro
quarto coutup sala de jantar,. 110 fundo 110
qual e a cosrnha1 interna, aeliando-se ludo cm
uio estado : no terreno comprehendido Jem H -
Rendimento do ia 1 a 13 do cor-
rente 2:775."ii0
Foi arrecadado liquido at hoie 3:171
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 481. ris o kilo.
Carneiro de 720 a 15 reis dem.
Suinos de 560 a 640 ris idem.
t arinha de 480 a 720 ris a cuia.
Milho de 36o a 400 ris idem.
Keijlo do lOOO a 1200 idem.
i
Matadoiiro publico
Neste estabelecimento foram abatidas para
consumo de nojo 03 rezes pertencentes a diver-
sos raarchautes.
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Maranhlo. para
Rio de Janeiro
.0005000
1. 13 a Paia Va
a 4 C l
ne a Guiaarie*
.' .la Miguel
I T/lcirn
Irmos C, 2 a Manoel Collai
Izabella 4 C, 1 a Salazar < ., I 11 is terdeiros
de A. J. de Vasconccllos, 1 a I d'irff
t Irmio, i a ['rente Vianna 1 J. Be-
zerra 4 C, 3 a Guimares C > (.. 2,11
Francisco Lauria 4 C.. 2 a J. K
ordem., 2 a Nello Carvalho 4 C.
xo a Adolpho 4 Ferrao Mater: eu-
Rendimentos pblicos
HEZ DR ACOST
Alfanaega
RenJa geral
Do dia la 14
Idera de 16
337:91Si340
31:17699l
Renda provincial
Do dial a 14 38-131 780
dem de 16 4:1894813
de
369:0935340
42:3*21 613
Somma total 411:4163953
Segunda scccho da Alfandega, 10 de Agosto
1889.
SthesoureiroFlerencio Dorningues.
chele da seccao -Cicero B. de Mello.
xarque.
Hollauda Cavalcaate. Papel 1 caixa a Fran
Manoel da Silva 4 C, 1 a Goncalves Cunha & <'..
Pianos 2 eaixes a Francisca Manoel da Silva
4 C. Perfumaras 2 caix-is a .1. Rezerra 4 C., t,
a Salazar 4 C, 1 a Miguel Izabella c C, 2
mes de Mallos limaos
Qucijoa 16 caixas ordem, 20 a Goncalves
Rosa 4 Fernandes, 10 a Guedes de Aranjo 4 Fi-
lbjo, 10 a Souza Basto Amorim 4 C, 10 e I lardo
aijiguel Joaquim Carlos Cardse.
Rouna branca 1 caixa a Bernet 4 C.
Typos 1 caixa a Goncalves Cunha 4 C. TeciJos
diversos 3 vfumes a Bernet 4 C, 1 a X. Maia
t C, 2 a Francisco Gurgel Irmo, 3 a Rodri-
gues Lima 4 C 1 a A. Lopes 4 C, 1 a Monhard
iluber 4 C, 1 a Olinto Jardim 4 C, a Gu
4 Fernandes, 1 a Ferreira Irados, 1 a Joa-
quim Luiz Teixcira. 1 a Moura Borges 4 C. 2
i Francisco de Azevedo 4 C.
Vcilas 10 lardes a Joo Fernandes de Almeida.
Vermout 2 barris a Paulino de Oliveira Moja, %j I
caixas a Carvalho o C. Vidros 6 arrien a lier-;
nardino Duarte Campos 4 C, 1 a Francisco Ma-'
noel da Silva 4'., 1 a T. Just.
Carga de'Lisboa
Azeite 3fl caixas a Paiva Valenjpe ^ '
Batatas 100 caixas a Silva Gnimai
Ceblas 50 caixas aos raesmos. Cal
cas a Lopes 4 Araujo, 50 a Joaquim Fer:e
Carvalho 4 C, 30 a Pinto Alves 4 C.
Drogas 2 caixas a Graciano.Martms.
Ornraenlos para, igreja 1 Caixa a Francisco
Ribeiro Pinto Guimares 4 C.
Vinho 4 barris a Manoel Pereira da Silva.
lirios. Mercadorias 49fVolumcs Presidencia,
2 i Capitaniai
Panno de algodao 30 fardos a Rodrigues Lima
4 C, 30 a Machado 4 Pereira, 23 a Ferreira Ir-
mos. Perfumaras 2 caixas a Ribeiro & Al-
meida.
Tinta 1 barrica ao Dr. J. M. de Albuquerque.
Xarque 2G6 fardos a Maia & Rezende, 50 a
Amorim Irmos & l], 50 a Moura Borgea 4 C.
Carga da Babia
CaPjados 2 eaixes a Manoel Collago 4 C.
Charutos 1 caixo a Soares Guimares 4 C, 1
a ordem, i a Bernet 4 C, 1 a R. de Druzina
& C.
Chapeos 1 caixo a Antonio Pinto C. da Silva.
Fio 6 saceos .1J. F. Leile. Ferragens 4 volu-
mes a estrada de ferro do-Recife a Caruar.
Parafcsos 8 barricas mesar.!.
Panno de algodao <0 .fardos a Rodrigues
Lima 4 C.
Kxportnciio
-RSCIFB, 14 DB AGOSTO DK 1889
Para o exterior
I\o vapor americano drame, carregaram :
Para Se* York Rossback Brothers 2 fardos
com 221 kilos de borracha de mangabeira e
11,000 pelles de cabra; Aby Stein 4 C. 9,475
pellcs de cabra ; The Kein Sutterie 4 C. 11,100
pellos de cabra.
Para o interior
yo vapar nacional Maranluio, carregou :
ere Oliveira Maia 5,000
Bteccbedoria Geral
Do dia I a 14 17.96jjS250
dem de 16 :4*147
Vapores a entrar
MEZ DE ACOST
Norte.. ...... Fi.iaucc .......... i;
Europa ..... La Plata.......... i:
Sul.... ...... Nena............. IR
Norte. ...... Espirito Sa.ito..... 24
Sul.... ...... Para............. 27
Europa ...... Don.............. h
Vapores a sahir
MEZ DE AGOSTO
Santos e ac filie de Pernambuco. 17 as
Buenos Ayres. La Plata..........
Sul.......... Finance...........
Fernanuo___ S. Francisco.......
Norte........ Alagos........... 18 as
Southampton. Neva............. 18 as
Ceara e esc... Pirapnma......... 22 as
Sul.......... Espii ito Sanio..... 24 as
Norte.......Para............. 28 as
Su!..........Don-----.......... 29 as
3 h.
17 as '.'. n.
17 as 4-11.
17 as 12 r.
5 n.
3 ti.
5 n.
5 ti.
5 B.
3 t-
. 21:4205397
Rcccbcdoria provincial
Do dia 1 li 13:813*980
dem Je 16 7455758
--------------- 1 i: 559.5 738
Do dia 1 a 14
dem de 16
Recito D rain age
10:9585710
1:9915919
12:9505035
l'ara Rio de Janeiro, A.
Vapor americano .idrauv. enlrado do Rio de cocos, fructa.
Janeiro e escala em igual data e consignad
11. Forster 4 C. manifestou :
Amostras 7 voIurae3 a diversos.
Caf 87 saceos a Joo Fernandes d Almeida,
483 a Manoel dos Santos Araujo, 256 a Soaza
Basto, Amorim 4 C, 112 |a Paiva Mate & C
No vapor nacional nlagoas, carregaram :
para Tara, M. A. de Senna 4 C. 7 barricas
(j>mi,200 kilos de a.-sucar refina
Tara Man*, H. OKveira 2 barris cora 1,920
litros de agurdente ; P. Pin & C. 40 barris
litros de agurdente.
llcrcado Municipal de H. 0 movim oto deste mercado nos dias 14 e 13
deAgostofo: o seguinte:
Entraram :
71 1 2 bois pesando 9,878 kilos.
707 kos d peixe a 20 ris 145140
85 Cargas com farinha a 200 ris 175000
3 ilitas cora feijo a 200 ris 600
12 1 i dii;,s de milho a 200 res 11808
13 ditas de fructas diversas i 300ris 35900
* taboleiros a 200 ris 35200
ti sumos a 200 ris 7*200
60 matulos com legumes a 200 ris 125000
Foram oceupados :
52 columnas a 600 ris 315200
2 escriptorio a 300 neis 600
:'t compartimentos de farinha a 500
- ris 265000
'0 ditos de comidas a 500 ris 255000
101 ditos de legumes e fazendas a
400 res 64*400
30 ditos de suinos a 700 ris 21*000
16 ditos de fressuras a 600 ris .95600
78 tallios a 2* 1565000
396*340
Hoviniento do porto -
Navios entrados no dia 1">
Bio de Janeiro e escala7 dias. vapor america-
no Adcanre, de 1,902 toneladas, commandanu;
1). E. Gnlitz, equipagem 6I, carga varios g-
neros ; aHenrv Forster 4 C.
Havre e escala19 dias. vapor francez Viliee
Pernambuco, de 1,595 toneladas, commanda!-
te Lenormand, equipagem 38, carga varios
gneros ; a Augusto Labille.
Navios sabidos no mesmo dia
New York e escalaVapor americano Adv>u. c,
commandaate D. E. Grillits. carga varios gi -
eros.
M cei Vapor inglez Historian, emmandante
R. Buddle, carga'varios gneros.
Navios entrados no dia 10
Bio de Janeiro e escala 6 dias, vapor brasile-
ro Alagos, de 1,999 toneladas, commandar.te
Joo Mana Pessoa, equipagem 60, carga
rios gencroSulpr.Mra Carneiro 4 C.
Bnenos-Ayrovcescaia16*dias, vapor alie:
Ca-ssiMs.'de 1,791 toncadas, commandaate#1
Rix, equipagem 32, carga vanos gneros; a,
Borstelmann 4 C.
Parahyba9 dias, hiato brasilciro Camelia, ao
83 toneladas, me.stre Manoel Antonio da Si
equipagem 5, om lastro; a Manoel Joaq>
Pessoa.
Paspebiac (Canad)11 das, brigue inglez C.
li. C, de 248 toneladas, capito E. G. leC
tino, equipagem 10, carga bacalho; a Jobus-
ton Pater & C.
Navios sahidos no mesmo dia
Santos c escalaVapor allemo Valparaiz*;cdb-
mandante F. Rohlf, carga varios gneros.
CearaVapor inglez A ro, emmandante 1
maz Jenken, carga varios gneros-
Rio de JaneiroBrigue inglez C. R. C, cap
E. G. Le Contino, carga bacalho.
- Observociio
Procedente de Liverpool fundeou no lamarao
o vapor inglez Explorer e nao communicou com
a trra.
v
{ i_

/




Diario ufe PernambucoSabbado 17 de Agosto de 1889
tece1. vil, o qu il te 11 ci re i niltiva c
um madeira. existen) du.is cacimbas
i una dolas uui i ni |U(i .ni parte pos-
; oeiita pos di; coqueiros, diver-
Br ps de eajueiros e mangueira& sapoiiseiros
e outros arvoredos, ludo bstanle maltratado, e
io de mar W braj
quatro p.ilm is de ".mo un vivei
i'in pessim esta
no do reis, Penho-
eXcocao promo-
!-. no administra
albo Moura
0 raajer Munoel
ro que se ac la arroa
do; avahado todo pj
rado para p
vida pelo co isul de
dor do espolio de M
contra os berdeiros
Ferreira Escob
E para que eliegu v.o CMnementO de lodos,
mandei passar o. pnwiiit* que ser publicado
pela imprensa e aibxadb no fugar lo costme.
Rado e passadn nusU cidale do /tecife, aos
o de Julho de 1889
Eu, Pedro Tertuliano da Cunha, escrivo,
sub:crevi.
Joaqun da Cosa Ribciro.
9.' acceo. Secretaria da ^n-xidon-
cia de Pemil su huco, IJ ile ".soil
do IS.
O Exin. Sr. couselheiro presidente da provin-
cia, de orden de S. Exc o Sr. im-elheiro Vis-
tfpnde de Ouro l'reto, Mini-tro e Secretario de
TBtado dos Negocios da Fazenda, faz saber ao
comnierrio de Pernambuco e mais inloressados.
que nesla secretaria rceebcm-se at :il do cor-
rale rechimaees sobre n larifj das Alfaodegas
e regulaiut-ntos de 2 de Fevereiro de 1888, re-
lativos aos imposto* rte industrias e prolisses,
fim de seren consideradas na reviMkO a que
Tai proceder o Ministerio da,aienda.
O secretario.
Francisco Leopoldo Marmita & Soaso.
OECLABiCES
Monte-Fiordos Tvpograplios
de Pernamhuco
A directora do Monte Pi dos Typographos,
de accordo coni os socios presentes em sessao
de 11 resolveu que fleasse suspensa a mesma
sociedade por 60 dias. e ht um appello aos seus
associados para que entrem com seus dbitos
ueste praso, sera o que improrogavclmenlc sei
a dissoluco apresentada pela mesma directo-
Recife, II de Agosto do 1880.
O secretario,
Gustavo it Alcntara Dea.
'i
...*li
km
A'RE ALISAR SE NO
Da i 8 de Agosto de 1889
Di'.ya'h iadSrectanaAntonio Carlos Ferreira da Silva.
Juiz di rukatneutoProfesor Francisco Carlos da Silva Fragoso.
Jttixe di p &"jcmDr. Mar.oe! Gou'.alves da Silva Pinto e Artliur de Souza
Ca va! lio.
Jviz de partida Benjamn A. Frctas Pessoa.
Juiz de confinnacJU)Francisco Floro Leal.
Jais do distanciadoRodrigo Carvalho da Cunha.
Juizes de chegadaJoaquim de Oliveira Borges, Jos Peres Campello de Al-
meida e A. J. Machado.
Inspector geral de raaMajor Ernesto Vieira de Araujo.
Inspectores de, raiadito Valeriano Percira, Fabo da Silva Reg, Dr. Anto-
nio Tolentino Rodrigues Campos, Heitor de Souza, ManoelJ. Femandes Barros, Tho-
maz de Carvalho Soares Brandao Filho.
Juizes de archibancadaBaro de Soledade, commendador Antonio Marques de
Amorim, coronel Sebastiao Alves da Silva, Dr. Eduardo de Oliveira, Jos Eleuterio
de Azevfido, Dr. Joao Lina.
Irmandade do Senhor Bom
Jess das Dores em S.
Gonzalo
De ordein da mesa regedora desta irmandade
e em observancia ao art. "i cap. 2- do compro-
asso que rege a mesma, oavido a todos os
irmos para coniparecercm as 8 1, i horas da
manhadodia 18 do correte, alim de assislirem
a missa do Divino Espirito Santo, que ter lugar
s 9 lloras do mesnio dia, e sendo em seguida
procedida a eleiruo dos novos funecionarios que
lem de reger a mesma irmandade no anno com-
promissal de 188!* 18!K).
Consistorio eniesa, en 17 df Agosto de 1889.
O secretario,
I.-ioeo Manoel tnas.
Terceirri praca
Pela inspectoria d-sta Alfaiidega se faz publi-
co que as 11 horas do dia 19 do corrate mez,
erao arrematadas em praca a porta desta repar-
tieo, as mercadorias abasto decla'adas :
"Dons fardos, marca JP ns lOcll, vindos de
Liverpool no vapor injzlez Seholur, entrado em 3
do mez de Julho ultimo, coniendo sa eos de ca-
oliamaco, usados, pesando 899 kilonrammas,
abandonados aos direilos por Julio Fuerstem-
berg.
Cipco raixas, marca FSC ns. 3 a 7, vindas de
jew-York no ya por americano AUania, entrado
em 6 idem dem, contendo a de n. 3 urna estante
Je rnadeira ordinaria cora gavetas de papello e
as demais iivros npressos broelwdos, pesando
'iquido legal 546 kitogrammas, abandonadas aos
lireitos por Faria Sobriuho & C.
Trinta e seis grades marea AD e contramarca
OSP, ns. 1 a 18 21 a 38, vindas de Liverpool
10 vapor ingtez Delamhre entrado era 16 de
Abril do correntc anno, contendo botijas de
narro ordinario, vidradas, pfsando liquido real
4,896 kilogrammas, abandonadas aos direitos
por H. J. Perma^n.
3. secgao da Alfandega de Pernambuco, 16 de
Agosto de 18S9.~Ochefe
Domingos Joaquim da Fonseca.
Companhia Alag-oana
de Fia^o oTecidos
Convidamos u>a senhores subscriptores desta
companhia, para de accedo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, at o dia 10 de ^etembro prximo
futuro, realisarem sua stima entrada na razao
de 10 0/0 do valor de suas aeces, no Banco In-
ternacional do Brasil. Macei, 10 de Agosto de
1889.Os directores,
loflc Teixeira Machado.
Jos Januario P. de Carvalho.
Propicio Pedroso Brrelo. _
Prado Pernambucano
Por faltas eommetlidas na corrida de 15 do
orrente, foi multado o jockey Luiz Pereira que
montou o cavallo Fagotin. em 100*. e Toi sus-
penso por tres roezes o jockey Thomaz,que mon-
tn o cavallo Apollo.
Recife, 16 de Agosto de 1889.
Souza Keis,
pffiFi Gerente.
Correio Geral
Mala* a eupertir-ne lio.jp
Pelo vapor brasileo Magnas, esta adminis-
rayao expede malas para os portos do norte,
i-eebendo impressos e objeetOf a registrar at
i horas da tarde, e cartas ordinarias at 3 horas
ou 3 1.2 com porte (tir>i..
Adniinistrago dos corrcios d Pernambuco'
17 de Agosto de 1889
O administrador.
Adorno do Bego Barras.
Capitana do Porto
Aos propriearioK de embar
cales
De ordem do Jilm. 8r. Captao:tenente
capitao do Porto, desta provincia, marca-
da o prazo imprort"*:;avel de 20 dias, para
juc sejara satisfeiras pelos proprietarios
de todas as ombarcacies do trafico do
Torto e do peqfcena cAbotagem, as deter-
minarles do artigo abaixo transcripto, do
regulamento de 1'.' de Ma'i de 1841 i, fin-
do o qual ficarao os infractores.' sugeitos
8 penas previstas no citado regulamento^
Art. %p. Pela Capitana do Porto, serilo
gnados os lugares onde (kjvam cstacio-
as embarcacoe.s do trafico ftd> porto e
navegaveis : todas serJlo'ipiiumeradas
arcadas com urna letrado alpnabctc no
tado o naa velas fas que as tiverem),
designar a respectiva estajo.
Capitana do Porto de Pernambuco, ....
ie Agosto de 1889.
O secretario,
Mario Chaves.
VOIIIPH

=
c
-
Pellos
Cor da veatl-
menta
Proprietarioa
i." PareoConolaco-800
prados d Recife.
Bcrlim......
PP ........
Schilling.. .
Singa p o re,
ex Catle.
Snico.......
i lastanhola -.
Muscadim.ex
Bilontra...
Palermo.....
Voltajre.....
Soberano.. .
Tenor, ex:
Paladino(')
Cauby... .
Petit inailre.
Bonjour, ex
Duvido....
Conforme. .
Sans Souci .
I
V
5
I
:
3
3
5
I
I
i
4
a
'i
"5
3
Caxito...
Rodado .....
Castanho
Russo......
' ardo......
Baio........
lAlazo......
Mellado.....
Carda*......
Castanho
Rodado.....I
Castanho.... j
Russo pedrs]
Baio.........I
metros
Premios
Pcrn....
Animes da provincia que nao tenham ganho no3
: 200* ao Io, MJ ao 2 e 20< ao 3.
33
53
53
53
50
0
50
55
50
53
33
:t
55
53
53
33
Azul couro.....
Verde e branco..
Azul e branco...
Branco..............
*marello e encarnado.
Encarnadoe branco..
Azul c branco.......
Grenat......... ....
Branco..............
Grenat e ouro........
Encarnado e branco..
Branco,preto cene.
Azul c-grenat......
Brauco e encarnado...
Branco.............
Ouro e branco.......
Jos F. R. Cavalcante.
Joao Guimaraes.
Coud. Esterlina.
Jos J. de Carvalho.
Coudelaria Fragoso
Coud. Bella Vista.

i'iragibe Hagiss.
Rodolpho Jayme.
Manoel Correia.
Coud. Jockey Club.
J. B. Vieira da Costa.
Alfredo Marques.
Lemos e Duarte.
Carlos A. Barbosa.
Jos Valen te.
D. Anna L. L. Mattos.
2. PareoImprema- 1300 metros -Animaos da provincia que nao tenham ganho em
maior distancia no Derbv. Premios : 2005 ao 1", 405 ao 2" c 205 ao 3
i-ita n. 7 .
Dita n. 55
1). Maria Cesar n,.
Dita n. 16
Dita n. 18
Dita n. 19
Viscunde de taparica n. 3i
Dita 7
Dita n. 33
Dita n. 43
Dita n. 49
Dita n. ''.
Pfcarol
Dita n. 34
Da ii. 76
Areial n. 5
S. Jorge ,n. 84
Dta n. 96
Dita n. 23
Dita n. 85
Dita n. 141
(uararap'S n, 17
E suijo do Limceiro
Vital de Oliveira (apparelho publico)
Freguezia de Santo Antonio
Imperador n. 14
pita n. U
Dnu n. 54 .
Dita n. 'i7
Di la n. o.'.
Dita n. 73 .
Dila.u. 77
1" de Mareo n. 11
Dita n. 3
Dita n. 11
Duque de Caxias n. 22
Dita n. 49
Di la n. 56
Dita u. 00
Da u. 70
Hilan. 7
Man. 9
Dita n. 13
Hitan. 33
Dita n. 59
Cabog n. 12
Dita n. 16
Dita n. 5
BarSo da Victoria u. 32
Dita n. 44
Ditan. 45
Trincheiras n. 40
Travessa das Cruzcs n. 10
Dita n. 12
Larga do Rosario n, 10
Dita n. 20
Dita n. 11
Kstreita do Rosario n. 19
Dita n. 43
S. Francisco n. 2
Dita n. 11
Dita n. 13
Travessa da ra Bella n. 12
Dita dos Quarteis n. 8
Santo Amaro n. 6
Travessa dos Expostos n. 14
Dita n. 18
Vill-ige......
Good mor-
ning......
Florete.....
8 iMellado.....Pern......i 54
Rodado*^.....
Castanho...-
5f
56
trauco e ouro,
Azul e branco........
Encarnadoe branco..
Jos Joaquim Dias.
Rulino Cardoso.
Francisco Freir.
3. Pareo -Provi
arla de Pernambuco 900 metros Animaes da provincia. Pre-
mios : 1005 ao Io, 405 ao 2 e 205 ao 3.
ITransclavc
Templar.....
Viilage......
Tupy........
Talispher
5 Rodado.....
Mellado...-
Baio rxo...
Rodado .....
Pera ..... >
* ss
m 57
55
i 55
Verdee amarello... |J. Kogueira da Silva.
Branco.............[J. Franco Ferreira.
Grenat o branco.....[Jos Joaquim Dias.
Preto ...............Francisco Correia.
Azul e ouro..........{J. K. Silva.
4." PareoInternacional 1.400 metrosAnimaes de qualqucr paiz.
ao 1", 100*000 ao 2- c 505010 ao 3*.
Premios: 5005
Vesper .. ..
Derby......
Diana.....,
Apollo.....
Fagotin......
Erani .....
Gallia.......
Alaz.......
Zaino.
Alazi.
Inglaterra. 52
51
Franca ... l
R. da Prata M
Flanea ... 54
Inglaterra 54
i 55
Ouro e branco...
Branco e ouro..
Azul e ouro.....
Branco e ouro...
Azul e ouro.....
Rosa e preto.....
Ouro e branco ..
Coudelaria Emulaco.
Coudelaria Temeraria.
Coud. Internacional.
Dr. Joao de Sa.
Coud. Internacional.
Arlhur Silva.
Coud, Eiuulaco.
3. Pareo -Proaperldade900 metros. Animaes da provincia que nao tenham ganho
n'esla ou maior distancia nos prados do Recife. Premios : 200* ao !, 405 ao 2*
e 205 ao 3.

Bonaparte ex
Vagabundo
Phariseu ex-
Orange ...
Fsquimao....
Berlim......
Singapore -.
Rodado.....
Castanho ..
Rodado......
Caxito......
Russo.....
Pera.
55
55
53
53
Branco e encarnado..
B. ene. c bonet preto.
Preto e branco......
Aiul eouro..........
Branco..............
Rodolpho G. Leal.
T. Pernambucano.
Augusto de Miranda.
J. F. do Reg Cvale.
Jos J. de Carvalho.
6 o Pareo-C'ompcimaco 1.400 metrosAnimaes de qualqlier paiz que nao tenham
ganho em mair distancia no Derby, nestes ltimos tres mezes. Premios: 4005000
ao 1, 805000 ao 2o e 405000 ao 3"
liGallia.......
Falstaff ex-
Meroveu- .
Risette.....
Estephanic:.
Fagotin.....
Josephus ...
Urazil......
8 Africana.....
5 Alaza. ..
Castanho ...
Zaina.......
Castanlia.....
Atesto......
Castanho. ..
Alazao......
Zaina.......
Inglaterra.
Kio de J:i:i.
Inglaterra.
Franca. .
R. da Prata
58
C4
50
"i.")
60
60
54
60
Ouro c branco
Branco e verde
Grenat.............
Ouro e branco......
Azul e. ouro.........
Branco c preto......
Coud. Eraulajo.
A. F. de Azevedo.
Coud. Temeraria.

Coud. Internacional.
Guimaraes, Oliv. i C.
Coud. Independencia.
Coudelaria Riachuelo.
{*) Montado por amador.
Os animaes inscriptos para o Io pareo devem achar-se no cnsilhamento as
9 1[2 horas da man ha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, deverao estar no ensilhamento
pelo menos urna hora antes da determinada para o pareo em que tiverem de correr.
Pede-se attencSo dos Srs. proprietarios para os additanicntos fetos ao regi
ment interno do Derby Club de Pernambuco e para os artigos 9, 10, 25 95 do
mesmo regiment interno.
O expediente desta corrida encerrar-se-ha sabbado, 17 de Agosto de
horas da tarde.
A venda de poidcs encerrar-se-ha 20 minutos antes de cada corrida.
HORARIO
1889
;.s
l.o parco
2.u pareo
." pareo
4." pareo
o." par
t.0 pareo
11 horas e 50 B
12 > e 40
1 > c 30
2 e 20 1
3 e 10 n
4 e >
Recife, 14 de Agosto de 1889. '
O GERENTE, Henrique Sctiat(H.
Recife D
Pratj
a
No dia 22 do corrr-ntc mez, s 12 horas, pe-
rante o Dr. juiz municipal do termo de Ipojuca,
i praca por venda as partes do engenho
Mercs do mesmo termo, no valor de 47:0005,
com o abate da-lei, licando assim reduzidas
titas partea no valor de 42::i005, e v&o a praca
a execucSoque move D Enedina Marques \c-
:ioly da osta, viuva do Dr. Jos Domingos da
la, contra o terceiro adquerentc Dr. Fr&n-
o do Bigo Barros de Lai.-erda, visto nao ter
uavido licuante na prime* praca.
ratiage
Rdarao dos concertos jeitos nos apparlhos
no mez de Julho do corrvntt: ar\no, de
ronformidade com o art. 15 do contra-
cto e 2." do reg.damento de 2 de Ja-
neiro de 1872,
Fregaezi'i do B
Largo da Alfandeya n. 1
Mrquez de Obrada n 52
Dita n. 56
Bom Jess n. 6
Dita n. 10
Commercio n. lo
Dita n. 16 '
Dita b. 44
Bispo Sardioba n. 11
Torres n. 20
Vigario Thenorio n. 8
55130
25920
ii-5680
25640
35970
una
25640
45520
85740
45350
25700
Dita n. 26 25640
Dita n. 21
Dita n. 25 . 25640
Brrelo de Menezes n .8 35650
Mariz e Barros n. 2 25640
Amorim n. 32 * 2JW0
Dita n. 36 25640
Dita n. K 15320
Dita n. 18 4*520
Amor ni n. 33 25920
Moeda n. 23 a rojo
Tuvuty n. -Ij 25640
Madre de Dus n. 3 45000
Domingos Jos Martins n. 50 25640
Dita n. foi Becco LargO n, 3 W i 1680 95161)
Travessa para o Corpo Santo u. 13 25920
Travessa do antigoj'c Restaurado n. 54 * rio n. 6 25640
65650
Dita u. 3 25920
Mathias d'Albuquerqne n. 18
Dita n. 3
Dita n. 11
Dita n. 27
Pauiino da Cmara n. 3
Dita n. 9
Dita n. 29
Largo doCarmo n. 27
Dito n. 39
Travessa do Carino n. 10
Fogo n. 33
Dita n. 47
Livramcnto n. 25
Penha n. 19
Viscondc de luhauman. 20
Dita n. 63
Pedro Alfonso n. 43
Pedro Alfonso n. 69
Travessa do Arsenal n. i'A
1* Travessa da Praia n. 1
Travessa do Carcereiro n 3
Dita n. 7
Nova da Praia n. 6.
Marcilio Dias n. 5
Viracao n. 19
Dita n. 29
Dita n. 33
Lomas Valentinas n. 42
Da n. 3
Dita a.
Coronel Suassuna n. 38
Dita n. 48
Dila n. 58
Santa Tuereza n. 6
24 de Maio n. 24
Palma n. 30
Dita n. 48
Dita n. 45
Dita n. 47
Largo da Praceta n. 13
Nova da Praia (apparelho publicoi
Fregnezia de &'. Jo*r
Marcilio Dias n. 8
Dita n. 117
Dita a 127
Dila u. 141
Coronel Suassuna n. 89
Dita n. 175
Palma t. 82
Ditan. 113
liiin u. 119
Mrquez do Henal n. lio
Dita n. 134
Dita n. 145
Dias Cardoso n. 2
Dita n. 74
Padre Nobrega n. 2
Dita n 25
Dita n. 61
Vidal de Negreiros n. 32
Dita n. 62
Dita n. 126
Dila B. 158
Dita n. 164
Dita n. 178
Dita n. 212
Frei Henrique n. 26
Dique n. 3. .
Domingos Theotonio n. 32
Dita n. 52
Dita n. 23
Padre Floriano n. 18
Ditan. 5
Dita n. 59
Christovain Colomho n. 19
Janliui ii. 11
Travessa dos Cupiarcsn. 2
Santa Cecilia n. 33
Santa Hitan. 38
Dita n. 87
Nova de Santa Rila n. 46
Travessa de S. Jos n. 17 g
Itrgo do Forte n. 4
Imperial n. 23
Fregnezia da 16a- Vista
{fneratriz n. 2
Dita n. 4
Dita u. 54 A
Dita n. 23
Dila n i "i
Praca do Conde d'Eu n. 'H
Cor.ceieo n. 36
Visconde de Pelotas n. 0
Visconde de Albuqucrque u. 26
Dita n. 136
Dila n. 28
J)ila :i. .'.'i
Aurora n. 33
Dita n. .'i.'i
Dita n. 57
Ponte Velha n. 102
Dila n. 9
Dita n 21
Dita n. 27
Ditaji. 75
da Boa-Vista 20
n. 27
Dila ii
Hospicio ii. 4
Dita n. 6
Dita n.ll "'
Dita u. II
Dita n. 39
Rosario n.'22
Dita n. 29
Gervasio Pires u. 33
Traveseada ra-de o Pires n. 16
Dita o. 21
Santa Cruz n. 52
Ditan. 21
S. Goncalo n. 18
Hospital Pedro Un.l
ravessa des Barreiras n. 17
ravessa do Varas n. I.'i
Dila de Joao Francisco n. 18
Dita da Mangueira n. 9
55740
12 :0
255 0
3 640
256i0
45160
25640
,45240
4*350
95180
25810
2*9-20
35140
25300
264fl
-> 5* 4( i
25500
25640
1266-I
95110
y 5500
25500
25820
258'tO
95020
24700
25500
4*2i0
45160
45260
35040
45660
35890
25750
25300
4*46'
25640
21640
35650
45570
45150
25500
85640
45160
45980
2U380
45360
15520
185700
3J60
35650
125150
2*5580
2*64'
75160
25640
27532 i
25640
8440
55330
2550*1
115780
658811
65520
35650
155420
105080
25640
65030
65850
155160
45160
25500
25500
25640
2*308
35100
45530
65480
45600
25 00
25500
45360
35240
115540
35630
45(50
25:00
85250
55740
15585'
25500
25610
25640
"5340
65150
35650
55780
85780
25500
165870
95850
35630
105720
45690
25670
35650
55000
25300
45360
25500
205940
75300
25640
35950
25640
55340
45<'2<>
85120
115130
356)
15.'i'H
405340
25640
35850
25640
45800
25110
55020
25640
45460
35650
25300
25300
25640
45360
25500
205860
25500
25500
25640
35950
25640
85630
35650
95150
25640
2*640
225070
Leao Coroado n. 6
Dita n. 14
Dita n- 3
Dita n. 7
Largo da Campia n. 10
Barao de S. Jorja a. 40
Dita n. 50
Dita n. 41
Soledade n. 29
Travessa do Palacio dn Bispo n. 6
Dita n.27
Visconde de Govanna n. 27
Rectt, 13 de Agosto de 1889
K. F.t Maclanlus'i,
Gerente.
13110
25640
175900
35630
16-5800
35650
35750
Circulo Cathollco do Beci
CCBSO EUMKNTAR DE PHYSIC4 .EXPFIUW
Na secretaria deste Circulo, ra i
n. :i7. I. andar, est a/erta. a iscrif
as pessoas que quizerein seguir i
i que se encarregou o Sr. Dr. &u-los Allie
35650 Menezes. ex-professor adjunto da mesma i
25500 "a no '-[nP,;riul collegio de Pedro II, na corte.
35650 As ''S^3 ,sern semanaes, das 7 as 8 horas da
-iite, no salu-j c! Circu >. O dia*
3.5650
da abertura
Estrada de ferro de Pernam-
huco do Recife aoS. Fran-
fornecim de rarvo de pe-
CISCO "
Propoala para o
3.BOO Kincladiis
Ira
Esta companhia recebe propostas para o for-
neeimento de 3,600 toneladas de carao de pe-
dia por tempo de um anuo, mediante as seguin-
les coudicGes :
1* O carvao dever ser de alguma das espe-
cies contiendas por Cory Aberdaro Merthyr,
Piirikiber. Nixous Navigalion, Ocean Merthyr
ou lusies Merthyr Smokless SteanCpal, pri-
meira qualidad e double sereened provada
com certificado da mina, o qual para cada carga
de navio dever ser apresentado ao superinten-
dente da companhia.
1 A despezado dcscarregar o carvao do na-
vio e todas as nutras da alfaudega, etc.. serfio
por conta do contractante al a entrega no caes
da companhia, onde o carvao ser lirado das
alvarengas pela companhia c pesado no trapi-
che cm Cinco Pontas, facililando-se ao contrac-
tante todos os ineios de, por si ou pessoa de
sua co ilianga, inspeccionar e conferir o peso, o
qual ser aceito como definitivo por ambas as
partes, nao sendo depois attendida pela compa-
nhia reclamacao alguma.
3* 300 toneladas de carvao pelo menos, serao
mensalmente entreges em Cinco Pontas; mas se
por conveniencia propria quizer o contractante
entregar maior quantidade, a companhia sujeita-
se a rece bel a, contanto que nao Iseja apresen ta-
da para pagamento urna conta mensal de mais
de 300 toneladas durante o lempo do contracto.
4" i) contractante dever obrigar se ao paga-
mento de urna inulta de 1:0005 por todo e qual-
quer mez em que deixar de fornecer a quanti-
dade estipulada de 300 toneladas, assim como
se fr reconhecido que o carregamento ou parto
delle nao de alguma das qualidades mencio-
nadas na primeira (testas condicoes.
5' As propostas para este contracto devero
estipular o preco da tonelada d carvao em di-
nheiro sterlino, o qual para realisar-se o paga-
mento de cada conta meqsal ser reduzido a 15
ao combio da cotaco das transaccOes do Banco
ao tempo da partida do ultimo paquete da Real
Mala, que passar para a Inglaterra no mesmo
me; da conta
6" O contracto entrar em vigor no 1 de No-
vembro prximo vindouro e o primeiro suppri-
mento devera ser feito para o referido .nez.
/ Ser lavrado um termo de contracto basea-
do as condirSes cima estipuladas, o qual sei
assignado por ambas as partes.
8 As propostas devero ser lacradas e re-
mettidas ao superintendente da companhia, no
Cabo, antes do dia 30 de Setembro prximo fu-
turo, no qual tero de ser ellas abertas no es-
criptorio do mesmo.
A companhia declara que de modo algum fica
por este motivo obrigada a aceitar a proposta i
mais barata ou qualquer das que lhe forem'
apresentadas. |
Escriptorio da superintendencia, Cabo, 14 de
Agosto de 1889,
Wells Hood,
Superintendente.
5170 | ser annunciado lo^o que houver nume
' cjente de pessoas inscriptas.
Sendo a idea da creago destee de sos seinelhautes, procurar atteuder a dRessid-
de que lia de vuliiansar o estudo das sciencias
physicas e natures, previne^e que elle, sera
i'eiio ao alcance de todas as pessoas pem a pre-
pararlo scientifica que exige o estudo mais
aprofundado destas materias, e com um carc-
ter esencialmente pratico e attractivo, de for-
ma que todos po^sam acompantial o com fructo
e prazer.0 secretario,
Sansao Sampaie. _______
Club Internacional do Recife
Sabbado, 17 do coarente. ter5 lugar a sessao
de posse da nova directora, pelo que sao con-
vidados comparecerem na sede do Club, s 7
horas da noite, do referido dia. os socios elei-
tos.
Em seguida haver o sarao do costume.
Trem para Apipucos e bonds para igdi-
lena.
Recife, 13 de Agosto de 1889.
Arthur de Souza Carvalho,
Secretario.
S. R. J.
Asseiubla geral ordinaria em 18 de Agosto
Nocledade Recreativa Jnvcutude
De ordem do Sr. presidente convido a todos
os socios ah'm de se reunirem em assembla ge-
ral para ouvircm a leitura do relatono e proce
der-se eleigao da nova directora, no domingo
18 do corrente, s 4 horas da tarde.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juvcntude,
14 de Agosto de 1889.-0 2- secretario
Antonio F. Lopes
S. R. G.
Koeiedade Rerrealiva Commercinl
Sarao trimestral em 17 de Agosto de 1889
Scientifico aos senhores socios que os ingres-
aos para este sarao o recibo do raei de Agosto
Para evitar duvidas previne se que nao sead-
mitteni aggregados
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
cial em Pernambuco, 14 de Agoslo de 1889.
O i- secretario
A. M. Torres.
Irmandade do Divino Espi-
rito-Santo
MEZA GERAL
De ordem do irmo juiz convido a todos os
carissiraos irmos para se reunirem em o nosso
consistoriodomingo, 18 do corrente, pelas 10
horas da inanha, para em assembla de meza
geral proceder se a eleigao do the3oureiro e
mais cargos que existem vagos, por nao terem
aceitado os que foram eleitos.
Consistorio da Irmandade do Divino Espirito-
Santo, 14 de Agosio de 1880.
Miguel dos Santos Costa Jnior,
EscrivSo.
Domingo, 18 do corrente
Grande festa artstica en bene-
ficio do actor
LYRA
Depois que a orchestra tiver executado urna
das suas melhores ouverturas, subir srena
pola primeira vez a importante comedia em 1
acto, original brasileiro
VINDO DE PARS
Seguindo-se a representaejio da espirituosis-
sima comedia em 1 acto, original portnguez
* HLPPODROMO
(iinliuii
2
CORRIDA
de 1889
z.
45320
45160
45160
65180
54680
45160
65800
05620
35130
25500
15350
5480*
45160
65800
55000
65050
85340
55200
53560
75180
43320
1353r>Q
75180
55680
.13650
23640
'15160
65640
35650
25020
75000
35850
45160
45160
35650
3650
195490
45160
35650
35650
9J070,
3.
4.

Logo depots ser exhibida a nova e importan<
te ooimciIia um 9 uato. origiaal portu^-uez
BXKMPLD A CASADOS"
Terminar o espectculo com a represenlacSo
da engrarada e espirituosa comedia em Tacto,
ornada de msica, original braerc,
T GH; N. -1CH NG-oUNG
Tomam parte neste espectculo os artistas
A. Peres, Pacheco, Manhonca, Julio e as Sra3.
DD, Rosa, Honorina' Amelia |e Maria Carolina.
0 pequeo numero de bilhetes que existe en-
contra se em mao do beneficiado, e no dia do
espectculo no escriptorio do theatro.
Principiar s 8 jhoras,

A realisar:se no dia 25 de Agosto
P.4RHOENSATO 800 metros. Animaes da provincia, que nao tenham
ganho primeiros e'segundos premios no Hippodromo. premios:
200,0000 ao primeiro, 40^000 ao segundo c 20#000 ao terceiro.
P.IRKO AGRICULTURA 1.400 metros. Animaes nacionaes at meio
sangue. premios: 300^000ao primeiro, 70^000 ao segundo e 30|J000
ao terceiro. ^_
IA IllIO HIPPODROMO DO CAMPO GRANDE1.700 metros. AnimaeS
de (Jualquer paiz. premios: 5005000 ao primeiro, 100)5000 ao
segundo c 50$000 ao terceiro.
PARKO VELOCIDADE 1.300 metros. Animaes da provincia que nao
tenham ganho em distancia superior a ICO';) metros nos prados do
Recife. premios: 230^000 ao*primeiro, 50.5000 ao segundo M
25500 sk> terceiro.
5." PAREO COMPENSACAO1.400 metros.. Animaes de qualquer paiz
quo nao tenham ganho n'estes ltimos tres mezes no Hippodromo.
PRHfcOS: 3505000 ao primeiro, 805000 ao segundo e 3 .'i 5000 ao
terceiro.
O." PAHEO COMMER'JIO -1000 metros. Animaes da provincia. prkmioS
2005000 ao primeiro, 805000 ao segundo e 20$000 ao terceiro.
S. PAREO DR. PEREIRA SIMES 850 metros. Animaes da provincia
que nao tenham ganho em maior distancia nos prados do l'crit'c^g^B
mos : 2005000 ao primeiro, 405000 ao segundo e 20-5000 ao tercl
Observa^oes j
Nao se realjsaro os pareos-HIPPODROMO DO CAMPO E COJVI^H
C'O sem que se inscrevam e corram pelo menos 5 animaes de 3 p-oprotSrio- liffe-
rentes.
Os outros pareos nao se realisarao sem que se inscxev*m % animaes iJi pro-
prietarios differentes.
Ser recusada a proposta que n5o vir acompanhada da importancia ex Jns-
cripc3o.
A inscripyao aacerrar-se;ha segunda feira,
na secretaria do Hippodromo, ra do Imperador o. 5
Recife, 14 de, Agosto de 1889.
6 licra.^ la tard
O
ret
^i
>iiifr.........aimtti'a iiiMI
I
1










Diario de PernambucoSabbado 17 de Agosto de 1889
Arrematbalo
Sabbkl Exm. Sr. Dr. juii de direito do civel, sera ven-
dido em praga publica un sitio comfructeiras,
casa de vivencia, bao foreiro, avallado por
l:000f, por cxecucao do cnsul de Portugal na
Sualidado de liquidante do espolio de Manoel de
arvalho Moura contra a viova e herdeiros do
major Manoel Ferreira Escobar. Escrivao Cu-
nha.___________________________'
Prazo de 30 dias
' Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que, as ii horas do di;i 11 do mez de Setem-
bro vindouro, seraarrematados porta do tra-
piche Baro do Limmento e largo da Asseinbla
as seguinte3 mercadorias, contida3 fios volumes
abaixo mencionados, nos termos do titulo 5o, ca-
pitulo 5o da consolidacao das leis das alfande-
gas e mesas de rendas, se os seus donos ou con-
signatarios nao as despacharen! e as retirarem
no refendo prazo de 30 dias, a contar da data
deste edita!, sob pena de, tindo o mesmo prazo,
serem vendidas por sua canta, sem que Ihes fi-
que direito de allegar contra os effeitos desta
venda:
Trapiche Barao do Livramento
Marca F. te CDez pipas, viudas de Lisboa
no vapor inglez Martner, entradas em 20 de
Agosto de 1888, consignadas a Fernandes & Ir-
mo, contendo vinho tinto commum, mediado li-
quido ffigal 4 606 litros.
Marca F. & CDez barris de quinto, idem,
idem, contendo vinho tinto commum, medindo
liquido legal 882 litros.
parca C. A.Duas pipas idem, idem, consig-
nadas a Goncalves Rosa Fernandes, contendo
vinho tinto commum, medindo liquido legal 922
litros.
JJera.Vinte barris de quinto, dem, dem,
contendo vinho tinto commum, medindo liquido
legal 1,764 litros.
Marca M. 1.Um barril de dcimo, idem, idem
consignado a Joaquim Felisberto da Cruz Braga,
contendo vinho commum, medindo liquido legal
40 litros.
Marca S. L.Cincoenta e sete barris de quin-
to vindos de Lisboa no vapor inglez Sculptor,
entrado em 17 de Setembro de 1888, consigna-
dos a Manoel de Cannto Mediros, contendo vi-
nho tinto commum, medindo liquido legal 3,028
litros.
Marca S. B. A. & CTrinta barris de quinto
vindos do Porto na barca brazileira Marinho
H, entrada em 7 de Novembro idem, consigna-
dos a Souza Basto, Amorim & C, contendo vi-
nho tinto cummum, medindo liquido legal 2,646
litros.
Marca S. F. & CDezolto pipas vindas de Lis-
boa no vapor francez Ville de Maranhao, entrado
em 15 de Dezembro idem, consignadas aos mes-
mos, contendo vinho tinto commum, medindo
liquido legal 8,291 litros. m
demDez barris de quinto idem idem, aos
mesmos, contendo vinho tinto commum, medin-
do liquido legal 90 litros.
Marca A. R. e estrella em baixo-Dezeseis pi-
pas, idem dem, consignadas a Fernandes da
Costa 4 C, contendo vinho tinto commum, me
dindo liquido legal 7,370 litos.
demVinte barris de quinto, idem idem, aus
mesmos, contendo vinho tinto commum, medin-
do liquido legal 1,800 litros.
Marca C. P. t F.Oito pipas, idem idem, con-
signadas a Souza Basto, Amorim & C, contendo
vinho tinto commum, medindo liquido legal
3,683 litros.
demCinco barris de quinto, idem idem, aos
mesmos, contendo vinbo tinto commum, medin-
do liquido legal 450 litros.
Marca A. F.Dez inteiroB e 15 meios barris,
vindos do Havre, indem idem, aos mesmos, con-
tendo manteiga de vacca, pesando liquido legal
564 kilogrammas.
Marca D., contra-marca diamanto e B. ne cen-
troDez inteiros e 20 meios barris, idem idem
no vapor francez Ville de Pernambuco, entrado
em 21 de Novembro idem, contendo manteiga
de vacca, pesando liquido legal 644 kilogram-
mas.
Trapiche largo da Assembla
Marca A.Quinze barris de quinto, vindos de
Lisboa no vapor inglez Scholar, entrado em 13
de Outubro idem, consignados a Joao Fernandes
de Alenla, contendo vinho tinto commum, me-
dindo liquido li-zal 1,330litros.
Marca D. D.Dous larris, idem idem, or
dem, contendo Azeite doce, medindo liquido le
. gal 440 litros.
Sem marcaDuas mil oitocentas e dez boti-
jas vasias, vindas de Hamburgo no lugar norue-
guense Selma, entrado em 24 de Novem idem,
completamente quebradas, consignadas ordem.
3.' secco d'AJfandega de Pernambuco, 10 de
Agosto de 1889.
0 chefe,
Domingos Joapuim da Fonseca.
Companhia Brasileira de
Navegado Vapor
PORTOSDOSUL
Vapor Espirito-Santo
Commandante C arlos Antonio Gomes
E' esperado dos portos do norte at
o dia 24 de Agosto e depois da de-
mora n dispensavel seguir para os
portos iio sul.
As encemmenda s serao recebidas no trapiche
3arbosa at 1 hora iia larde do dia da sahida.
Para carga, pass agens, encommendas e valo-
es trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do sol at o
(lia 27 de Agosto e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte al Manos.
As encommendas s serao recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os.
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
[o andar
Pacific Sleam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LDE
Paquete Sorata
Espera-se da Europa at o dia
25 de Agosto e seguir depois
da demora do costume para Val-
'paraiso por
de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
abeiro a frete: tra'a-se com os
AGENTES
Terca-feira. do correte
A's 11 lloras
No armazem rua do Imperador n. 39
O agente Stepple, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphos, a re-
querimento da inventarame do espolio do seu
linado marido Joao Jos da Silva, para occorrer
s despezas do mesmo inventario, levar a leilao
a casa cima mencionada.
Os Srs. pretendentes desde j podero ir exa-
minar a referida casa.
- Aluga-se um sitio muito saudavel; com ba-
nho salgado e preco razoavel ; para informago,
ra Dnque de Casias n. 11, loja.
Cosinheiro
Precisa-se de um ; a tratar na ra do Cora-
nercio n. 44, escriptorio.
Leilao
de urna mobia de Jacaranda com tampos de pe-
dia, quadros dourados, espelhos, 1 piano, 1
guarda-roupa, mesas, cadeiras novas a 1*750,
instrumentos e outros objectos existentes
No armazem ra do Bom Jess 45
Terca-feira, do corrate
Agente Pinto
Por occasio do leilao dos dous cavallos de
corrida Corcovado e Douro e outros de sella.
Leilao
De instrumentos novos
Taes como
Pistes, tambores, barytonos, baixos, contra-
baixos, opbicleide, clarinetas, flautas, pelles de
bombos e rufoa.
Terea-feira, 8 do corrente .
A's 11 horas
Em lotes a vontade dos compradores.
Agente Pinto
Ra do Bom Jess n. 45
Babia,
Wilson, Sons & C. Limited
14RUA DO COMMERCIO14
Aos amadores da boa pinga
Os proprietarios do armazem Centrai ra do
Cabug u. 11, acabam de receber nova remessa
do especial vinho Santarm, da quinta ao Bar-
ral ; a elle, antes que se acabe t
Caixeiro
Precisa-se de um, com pratica de padaria ; na
ra da Florentina n. 1.
Boa taverjia
Vende-sc a da roa Mrquez do llerval n. 29
(esquina da ra das Flores) ou admitte-se um
socio com aptidSo oara a sua gerencia ; a tratar
na ra de Moras n. 15.
Attenc,o
Da estacSo de Allianga do Brum desencarai-
nhou-se do carro da 2.* classe da estrada de fer-
ro do Becife a Limoeiro, -tarde de 11 do cor-
rente, urna lata de tmaniio regular, contendo
um bahuzinho fechado a cadeiado de letras ; este
bahuzinho tem diversos documentos de interesse
exclusivo dfl dono da mesma lata, cujo nome
indica ; cinco attestados dn professoras, duas
boleas de viagem, pecas de roupa e outros ob-
jectos : a pessoa a quera por equivoco tiver sido
entregue essa lata, querendo restituil a, sirva-se
dirigir a ra das Calcadas, freauezia de S. Jos
n. 50, ou a estacao do Brum, certa de que, alem
de se lbe ficar em extremo agradecido, ser de
prompto recompensada. ^^
COHIMMIIA PEBNAHBLCANA
DE
Xavegaoo eostelra por Vapor
Para Fernando de Noronha
vapor S.Francisco
Commandante Esteves
O
Leilao
Dos animaos de corrida
Corcovado, de meio sangue nacional, castaaho;
com 4 annos de idade e boa e conhecida filiaao.
Douro, de meio sangue nacional, allaso com
6 annos de idade e boa e conhecida fiaco.
Terca-feira. do corrente
Ao meio dia
POB ESTERVE.NCO DO AGENTE
Pinto
Em frente r,o seu armazem ra do Bom
Jess n. 45
Em contlnuaco
vender o mesmo agente, 1 cavallo da provincia
grande, novo e gordo, andador de baixo meio
e muilos outros, sendo alguns para corrida que
estarao presentes na occasio do leilao.
Agente Stepple
Leilao
Royal Mail Steam Packet
Companhy
O vapor Neva
Commandante G. M. Hicks
E' esperado do sul no dia 18 de
Agosto, seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, Vigo, Southampton e
Antuerpia
Reducgao de passagens
Ida Ida e mita
A'Lisboa 1 classe 20 30
I A' Southampto" i classe to 48
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Rui do Bom JessN." 3
COMPANHIA
DE
ir
North British Mercantile
Insurance & C.
Estabelecida em 1809
2.500:000
sinistros t 1.842:544
Capital subscripto
Fundo accumulados
para
4.342:544
Ajenie em Pernambuco
N. J. LIDSTONE
O Rua do ConmercioO
MARTIMOS
Companhia Bahiana de Na-
vega^ao a Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
, Estancia e Bahia .
O VAPOR
Principe do Go-Par
Commandante Lacerda
Seguir
portos
para 03
cima no
dia 17 do corr'.-n-
Ite's 4 horas da
'tarde.
Para carga, passagens. encommendas e di-
nheiro a frete trata-se com o AGENTE
O vapor Sergipe
O em man dan te Rebello
E' esperado dos portos cima
at o dia 26 do corrente? e de-
-poisda demora do costume re-
jgressara para os mesmos
carga, passagens, encommendas e dinbet-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Rui do Vigario 17
CM.'IIIA^A PKtt.-VAMBlCA *
DE
Mawgaco eostelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyha, Natal, Maco, Mossor, Arwia-
ty e Cear
O Vapor Pirapama
Command? te Carvalho
Segu no dia 22 de Agosto s
horas da tarde. Recebe caraa
dia 21.
nimeiidas, passagpns e dinheir^ fr-te'
3 3 horas da tarde do dia 22.
ESCRIPTORIO
Ao Caes d Companhia Pernambuctmat
T.
Segu no dia 17 de Agosto as 12
'horas da manha. Recebe carga at o
*dia 16.
Passagens at as 10 horas do dia da sabida.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12
LEILOES
Terga feira 20, deve ter lugar o leilao de
instrumentos novos em lotes a vontade dos com-
pradores, bem cerno movis e dous*cavallos de
corridas, Corcovado e Douro, e outros com an-
dares.
Agente Pestaa
Leilao
De todos os objectos existentes no es-
criptorio do lallecido commendador Do-
mingos Alve s Matheus
Sabbado, 17 do corrente
A's 11 horas em ponto
No Io andar sito ru do Vigario n. 7
O egente Pestaa far leilao por mandado e
assistencia do E:cm. Sr. Dr. jaiz de orpnos, dos
objectos abaixo declarados, a saber: 1 cofre
prova de fogo, grande, 1 diio pequeo, 1 car-
teira grande, 1 dita menor, 1 secretaria, 17
caixinhas de nial jira, 4.* bandejas de madeira.
77 pegas de loun. para crianea, 15 vasos para
flores, 15 ditos iaiores, 2 caixas contendo 45
espadas, 2 livros em branco, 7 cadeiras, 3 mo-
chos e outros objectos.
Agente Britto
Leilao
De 1 mobilia de amarello, 1 cama franceza, 1
marqueza, 1 espei ho, 1 relogio, 1 lavatorio, 1
mesa elstica, 1 dita de amarello, 1 comuioda,
cadeiras avulsas, 1 cabide, 1 armario, i cama
de ferro, i jardineira, 1 colcha, quadros, jarros,
candielros para kerosene. loua para almoco e
jantar, copos clices, garrafus. facas e garrafas,
bandejas, bacas, trens de cosinha e outros ob-
jectos pertencentjs Sra. D. Tliereza Maria de
Oliveira.
Sabbado 13 do corrente
As 10 e meia horas
Rua Estraita do Rosario n. 36, 2o andar
Leilao
De urna mobilii de Jacaranda com 12 cadeiras
de guarnicaoi 2 ditas de bracos, 1 sof'e 2 con-
solos com ped1. 2 cadeiras de bataneo, 1 cos-
tureira de jacararid, 1 cadeira para costura, 1
toilette de Jacaranda com coramoda com tampo
de pedra e con um grande espelho, 2 figuras
de porcelana, i pares de lanternas, 1 cama
franceza de jacarando para casal, 1 cabide de
columnas, 1 ni amarello, 2 cabides de
parede, 1 mesa elstica de 3 taboas, 5 cadeiras
americanas, 1 quartinheira, 1 la\atorio de toa-
relie, 1 sof de amarello. 1 estrado para piano 1
bah de couro, 1 banco para jardim, i grande-
de ferro, 1 di o de madeira, loucas, vidros e
trem de cosinha.
Ncgunda-fclra 19 do corrente
A's 11 horas
Na casa sita ru <&.? Prazeres n. 26
POR INT.RVENCO DO AGENTE
Hiusmo
Agente Stepple
Leilao
De urna casa torrea, sob n. 5, com bastan-
te* eommodos, rua do Espinheiro e
perto da mesma estacilo, onde reside o
Sr. Auijelo Tavsr
Aos agricultores
Pessoa habilitada otTerece-se para contrahir
emprestiraos com o Banco do Brasil, em favor
dos S. S. agricultores desta provincia, de Ala-
goas, Parahyba e Rio Grande do Norte, encarre-
gando-sc de adiantar as quantias necessarias
para pagamento de avaliacOes e. preparo de do-
annontos, mediante mdica retribuicao. Os
pretendentes podem dirigir-se nesta cidade rua
do Atalho n. 9, e por carta G. C.
Licor depurativo vegetal ioaddo
do medico Quintella
Este notabilsimo depurante que vem
[precedido de t3ft grande fama infallivcl na
cura de todas as doencas syphiliticas, es-
crofulosas, rheumaticas e de pelle, como
tumores, ulceras, dores rheumaticas, os-
teocopas e nevralgicas, blenorragias agu-
das e chronisas, cancros syphiliticos, in-
flama5Ses viceraes, d'olhos, ouvidos, gar-
gantas, intestinos, etc., e em todas as
molestias de pelle, simples on diathericas,
assim como na alopecia ou queda do ca-
bello, e as doencas determinadas por sa-
turacSo mercurial.
Dao-se gratis folhetos onde se encon-
tram numerosas experiencias feitas com
este especifico nos hospitaes pblicos e
muitos attestados de mdicos e documen-
tos particulares.
Faz-se descont em casa de
FARIA SOBRINHO & t.
Rua Mrquez de Oilnda n. 41
Abuso de confianca
Um certe empregado licenciado, tendo rece
bido urna conta para fer entregue a outrem, e
nesta contendo u quantia de t5 em duas notas,
urna de 100* e outra de oOO. e at esta data
nao encontrado, e caso nestes tres dias nao
vier dar urna resolueo publicar-se-ha seu nome
para ser conhecide.
Ao publico
Jos Joaquim dos Santos declara que o cavallo
Boa Vista propriedade sua de3deodia 1- deste
mez, conforme consta no Stud-Book.
Novos e bonitos
Porte bouquets em seda, alta fantasa, e tam-
bem de papel ; receberam Pedro Antunes & C,
rua Duque de Caxia n. 63, Nova Espeoanc;'
Dr. Joo Ilirrano Alve Macief
1- anniversario
O coronel Thomaz Alves Maciel, ainda feria
pela perda de seu amado filho o Dr. Joao irea-
no Alves Maciel, mahda celebrar missas peW-
eterno repouso de sua alma, no dia 19 do cr-
rente, s 7 e 8 horas da manb. as matripes
SS. Sacramento da freguezia de Santo AhG"
desta cidade, e as de Agua Preta e Palmares..
E para assistirem a estes actos de relgiao eeai-
ridade, convida os parentes e amigos sease
linado, pelo que desde j ihes protesta sua eter-
na in-atido.
Precisa-se de urna ama para engommar e fa
zer o mais servigo de casa de pequea familia
na rua Conde d'Eu n. 32, 2- andar.
De partes de engenhos em Goyanna e na
comarca de Pitimb da provincia da Pa-
rahyba e urna fazenda denominada Ca-
tle, no termo de S. Jo2o de Campia
Grande da mencionada provincia.
I u a Ha-fe i ra. 1 do corrente
A' 1 hora da tarde
Na Cmara de Olinda
O agente cima, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito e de orphos, a
requerimento do Dr. Manoel Nascimento Fer-
reira Castro, inventarame dos bens do finado
coronel Joaquim Cavalcante de Albuquerque, le-
var a leilao os bens seguintes :
Duas partes do engenho Itapirema do Meto de
Goyanna.
Urna parte do engenho Souza na comarca Pi-
timb da provincia da Parahyba.
Urna fazenda de criar em Campia Grande.
Os Srs. pretendentes podero ir examinar os
referidos engenhos.
Grande leilao
De fazendas de lei e miodezas novas, pro-
prias do mercado e sahidas agora da,
Alfandega, constando:
De 1 fardo com 100 pecas de madapolao Boa-
Vista, 1 dito com 100 pegas de dito Beija-Flor,
2 ditos com 200 pegas de dito Francez, 2 ditos
com 200 ditas Romano, 2 ditos com 200 ditas
Italiano, 1 dito com 100 ditas MO, 2 ditos com
199 ditas Pilar, 2 ditos com 198 ditas Monopolio,
1 dito com 5 ditas de bramante de algodo, 1
caixa com 60 pegas de chitas de cores, 1 dita
com 58 ditas de dita toda preta, 2 ditas com 120
ditas de dita do cores, 5 ditas com 325 ditas
de ditas brancas, 14 caixas com baptistas de
corea, 1 caixa cora collarinhos de algodo e li-
nho, 2 caixas com 100 pegas de ianzinhas, f
caixa com 12 duzias de chapeos modernos, de
pelle de lebre, de cores, 1 caixa com rendas
brancas e creme de seda e. algodao e litas, 1 cai-
xa com 43 pegas.de brim branco, preto e de
cores, de linho e algodo, 50 duzias de lengos de
linho, 1 caixa com 1,000 grosas de botes de
madreperola, 120 duzias deescovas para denles,
1 caixa com espartilhos. 1 caixa com calcados
para senhoras e meninos.
Quarta-feira, 21 do corrente, s 11 horas
No armazem da rua Mrquez de Olinda n. 5
O agente Gusmao, competentemente nutorisa-
oo far leilao de todas as fazendas cima men-
cionadas, as quaes serio vendidas sem resorva
de prego e em lotes a vontade dos compra
dores.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 16 a 18 annos
com pratica de venda ; a tratar na rua de Hortas
n. 1.
Leilao
De partes de engenhos
Quarta-feira, 21 do corrente
Ao meio dia
\u Cantara Municipal de Olinda
O agente Stepple, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz de orphos, a requerimento
do Dr. Jos V'cente Meira de Vasconcellos, inven-
tariante dos bens deixados pelo tinado coronel
Joo de S Cavalcante de Albuquerque, ieiar a
leilao os bens seguintes :
As trras em que est constituido o eng
Souza, urna parte do engenho Tabaungj
dita do engenho Ilapitema.
AVISOS DIVERSOS
Reforma Eleitoral
Acaba a Livraria Econmica, rua do Impera-
dor n. 73, de publicar a segunda ediegao da Be-
forma Eleitoral, correcta e augmentada pelo Dr.
Francisco Teixeira de S, com todas as altera-
cues das leis, decretos, regolamentos, avisos,
etc. publicados at o presente A pessoa que
enviar um vale posttl na importancia de 4fi00f,
rmette-se um exemplar brochado, registrado
pelo correio, ou 5*000 encadernado.


Pesqueira e Bom
C'onselho
Miguel L. R. da Fonseca, estabelecido com
pharmacia e drogara na cidade de Pesqueira,
avisa aos seus amigos e freguezes que, tendo
de retirar se e transferir seu estabelecimento
para a villa de Bom Conseiho (Papacaga) deixa
[como seus procuradores nesta cidade para rece-
ber de ses frecuezes qu se acham em debito,
ao3 Srs. Ricardo CadulT'e Jos Fernandes Lopes,
os quaes podem passar recibo de quitagAo.
Aproveito a ocCasio para agradecer a todos
os Hesqueirenses que se dignarara depositar em
minna humilde pessoa sua contianga, e despe-
dfbdo-me por eate meio daquelles amigos, rogo-
Ibes enviar seas ordens para aquella villa, onde,
como serppre, tstrei s suas disposiges.
Pesqueira, 5 de Agosto de 1889.
O pharmaceutico- prat'co
Miguel Luiz Rodrigues da Fonseca.
Attenc,o
AlugaTe o sobrado n. 46 rua da Ro<
com bons commodos e muito fresco, bem com
os dous pavimentos terreos ; quera os prete
dirija-si rua do Cabug n. 16, loja da Ve
rosa___________
iuga-se urna casa no Monfiro, mflH
fresca por ter janellas para o rio ; a trataffra
caes da Companhia Pernambucana n. 6, eserrp-
torie de Bastos & C._________ _________.
Aluga-se o 2o andar e sotao da rua Impe-
rial n. 19, oqual tem gran.de coromo !os e apuaj
a tratar na rua Duque de Caxias n. 119.
Aluga-se um terreno na rua de S. Joo, de-
pois da estago de Caruar, tem um grande tftrj
lheiro, est todo murado e tem boa carimba'
prestndose a recolhimenlo de bois ecarroca3. -
Aluga-se urna boa ta de
Afogados, junto a ponte ; a tratar ha mesma
rua, padaria Imperial.
Alusam-se as
real da Torre, as
Ahica-se urna importante casa com bastantes
cmmodoi para urna grande familia, com um
IEPPrtailJ#JMd|K.*? travessa de Santa There-
a em OIr^HHlMftsa): a tratar no armazem
de movis rua do Imperador n. 39, das 10 s 5
b,oras_______________________________
Elixir cabera de negro do Or. Manta
Bonn, annljitaiio em Parir, e np-
provado pela Inupccloria teral
* Hygiene.
(Premiado na Exposigo)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadero elixir abeca de negro o da formula
do Di'. Santa Rosa, que como garanta tem em
seu favor os attestados presados pelos mais dis-
elos medio, desta e demais provincias do
nperio, por pharmaceutico*, desembargadores,
drogados, engenheiros^commerciantes, empre-
gados pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
te
Fioue, portanto, o pahlico sabendo que o eli-
il'i na rua da Cadea, pharmacia de
termes Souza i'ereira, Successores, urna imita
scasa.- tratSa t*o do nossu.
chave- nns inesmas; a IM." '> tto verdaaMro/rna do Bom Jcsns n. 19
no oitiiodo.Corpo Santo n. 5. T~
Aluga-se a casa jijnfcda Saud: do HT |4,
com boas accommodacjJlBptrafamiha. ter
e gaz ; a tratar na rua da Aurora r;
Offerece-se na rua otft^te San
55, urna senhora par:1 cosiflljaf e fazee
seryigo de ca-a de familia ou mesmo ^
rapaz solteiro.
Um mogo ultim.. o'a^Fopa
offerece-se para ser feitov ou aj le qual-
quer sitio, embcia gnlid pouc, do que tem
bastante pratica ; a tratar na rua de Detengo
numero 9.
do Impera-
No dia 15 do en
de curo com cagoleta. desde a rua
dor, Gabinete PortugUez e Campo das Princezns.
A pessoa que a acho, querendo entregal-a. di-
rija-se rua da Imperatriz n. o. i andar, que
ser gratificada.
Onde mora
O Sr. Francisco Raposo Falcio at quando quer
.o dos movis espere para ser entregue
nos ; isto data desde que foi empresa-
do a prmeira vez. '____________
ACS Srs. VX0PRXBTAXX03 (Jo CAVALLOS
NIGENTO STEVENS
O nico Fubs(ltulr..Vo a cauterisaeao dos cavaUoa
pclol'oo. E lioso preparado o nnlco
;-uno:itc clTcaz para curar tudas
e quaesqner AHec?5is dai firm do Tallo, Eotirmtdattt n
larjaata e Dislocares de toda a utareza. 4o annos de
ptimo o continuo xito em tedas as cor-
ridas, hars v e nos pi
ment? do cavallos
Nunca delxa ne
B'.nta lo para i
Vendc-se o
puro
liwcameatfl prernr.
f, P*rk Luie, Locdrw |
jUiUrtet ea Pcrna-
is estabelecl-
a e Bnropa.
6iister cxperl
. Oor.
niel mitlciv.iti
JllJHB
., ni -^irr-TilfTiains.
- rr)
s. njsavis.1-'
Ama
Anlonnio Jom da Silva SanCo*
O professor Joo Landelino Dornellas CaBara.-
e sua cnulher, o bacliarel Jos Landelino Dorad-
las Cmara Jnior, sua mulber e lhos (xaaot-
tes). Maria dos Anjos Dornetlas Cmara e A-
drelina Candida dos Santos agradecem cordial-
mente a todas as pessoas que se dignaran aeva-
panhar at o cemiterio publico o cadver deses-
I1 prezado sogro, av e pai, Antonio Jos da Sirva-
Santos ; e de novo rogam Ihes o' caridoso bse-
qoio de assistirem as missas que por sua atara
mandara celebrar na igreja de S. S. do Carrae,
peias 7 horas da manila do dia 17 do correle,
stimo do seu passamento, pelo que se cimrs-
sam agradecidos.
Precisa se de urna ama que seja boa C03inhei-
ra: na rua Vidal de Negreiros n. 130.
Ama
Ka rna da Palma n 40, precisa-se de urna ama
para cosinhor e eorapraiv_________^^^^^
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar, para
casa de familia ; a tratar na rua do Hospicio nu-
mero 41. _______
Ama
Precisa-se de duas amas, para comprar e co-
sinhar ; na rua Velhan. 117, Boa-Vista, e Pedro
Affonso n. Ii.__________________________
Ama
Precisa-se de tima, para o servico domestico :
na rua larga do Rosario n. 38, 2- andar.
t"
D. Hara Adelaide de Aibuquvnpw-
e Helio
Jos Maria de Albuquerque e Mello e sees fi~
lhos, Christiano da Gama Lobo, Christiaaod
Gama Lobo Filho, D. Maria da Soledade 50a
Lobo, D. Maria Luduvina Cysneiro de Albaqner-
que, D. Maria Josephina de Albuquerque eMel-
lo, D. Anna A cgelica de Albuquerque eMeHoe
Manoci Caetano de Albuquerque e Mello, man-
dara rezar missas pelo descango eterno de-saa
desditosa esposa, mi, tilha, irm.nora e cnaha,
da, D, Hara Adelaide de AlbiMiner-
que e Helio, na matriz de Santo Antonio-
pelas 8 horas da manh de sexta-feira 22 do
corrente, trigsimo do seu fallecimento, e para
assistir esse acto de caridade convidara os seus-
prenles e amigos, confessando-se summamfatc-
gratos.
Ama de cosinha
No sitio n. 5 da estrada de JoSo Fernandes
Vieira se precis; de urna cosinheira, prefere-se
a urna ranlhcr qi e durma era sua casa._______
Alugam-se
as casas terreas da rua do Lima ns. 18 e 30, em
S. Amaro; a tratar na lithographia rnaMarque
de Olinda n. 8.
t
Ahiguei barato
Rua de S. Amaro n. 14.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ba da Roda ns. 58 e 60. %
Rua Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Largo de S. Jos n. 74.
O 2. andar da rua do Bom Jess n. 47.
A tratar rua do Commercio n. 5, andar
escriptorio de Silva Guimares & C.
Cosinheira
Precisa-se ale Ba,que cosinhe. bem e-durrrja
emxasa do patro ; tratar na rua do Cabug
n. 14, 1- andar, de meio dia at i horas.
Tcito Vida de Agricola
Acaba de ser traduzida litteralmente esta
obra, e acba-se venda na encadernago Popu-
lar, do edictor Manoel Alfonso Rigueira, largo
do Paraizo n. 29.
Prego de cada exemplar 25000
Tratamento radical em 6 dias
DAS
BLENORRHAGIAS AGUDAS
CHRONICAS
(VULGO PURGAQO)
do non i: h ou n.t hilher
da leucorrha ou flores brancas
Pllulas Resino-Balsamlcas
E
InjeccaO Ant-BIenorrhagca
PREPARADOS POR CALASANS & C
PRODUCTOS APPEOVADOS PELA
INSPECTORA GERAL DE HYGIENE
Urna serie de brilhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bom xito
durante dez annos, as sgnala a estes dous
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens prescriptas, o primeiro lugar entre os
medicamentos estudados e preconisados
para curar estas terriveis molestias.
As pilulas so supportadas pelo estoma-
go o mais delicado, pois que ellas nao' im-
pedem nem difficultam as funcjBes deste
ergio.
A injecejio anti-blenorrhagica nao ab-
solutamente irritante e por isso nao tem o
inconveniente das actualmente empregadas
e n3o produz estreitamentos.
. Nao publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agradecimentos que te-
mos recebido para nao offender aos nossos
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mui-
to conhecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular exccllente preservativo contra as
molestias secretas.
Modifica e faz desapparecer o mo cheiro
das regras.
Preparados por Calasans & C, Phar-
macia Imperial, Bahia.
DEPOSITO NO RECD7E
Francisco Manoel da Silva & C, rua
Mrquez de Olinda n. 23.
E'.o meihor
Est-.reconhecido que o meihor e mais
seguro especifico at hoje conhecido para
combater as molestias dos orgaos respira-
torios o Peitoral de Cambar, de S.
Soares, de que sao agentes e depositarios
geraes os Srs. Francisco Manoel da Silva
<& C, pa Mrquez de Olinda n. 23.
Para os fcsvaes
A' rua da soledade n. G, preparam-se,
com limpesa, mestria e commodidade em
precos: bolo, pSo-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandejjas para casamentos e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas [uer para a
cidade, quer para fora d'ella.
Gasa
Vndese urna casa em solo proprio, junto ao
Hippodromo do Campo Grande ; a tratar na rua
da Roda n. 11.
liara Benedicta Hallooo f.eiK- I
Francisco Jos Leite e seus lilhos, pun^KiM
do mais profundo sentimento pela rborte s smt
idolatrada esposa e mi Maria Beoedicta Maltoa-
Leite : reconhecidamente agradecem aos seas-
amigos que, por convite verbal se dignara
acompanhar o corpo ao cemiterio publico ; e-
lhes pede ainda, assim como 8 amigas a fiea-
da, o seu comparecimento para as missas alo
stimo da. na igreja de N. S. da Penha, segm-
da-feira 19 do corrente, s 7 horas do dia, pelo-
que Ihes serao eternamente agradecidos.
*
Teeule
t
el les
SebaMtio Jos
Brrelo
Sua mulher, lilhos e lilhas, genros, oras, ar-
tos e sobrinhos, agradecem cord talmente a tcitf
os seus amigos e parentes qt se fgisaiaat
acompanhar at o cemiterio publico os redo
mortaes de seu presado esposo, pai, soso, vA
e to; e de novo os convi-a para assislire 4
missas que mandara resar por sua alma as
matrizes do Monteiro, Boa Vista, Conceifo dos
Militares. Collegio da Estancia e Quipap, se-
gunda-feira, 19 do corrente, pelas 8 horas i
manb, pelo que se considerara asss agradeci-
dos por esse acto de religio e Bandade.
t
Balbno Jo* de Aaidrade
Leopoldina do Reg Barros e Antonio de- S-
Andrade agradecem cordialmente a todas as
pessoas que acompanharam o cadver de sea
prezado irino Balb.no Jos de Andrade ao ee-
miterio publico, sssim como s irmandades eSo-
ciedade 2i de Agosto ; de novo as convidan e
a todos os prenles e amigos do finado a aess-
tirem s missas de stimo dia e memento q
sero celebrados no convento do Carmo, sabbad
17 do crreme, s 8 horas.
Augusto Cesar da Cunba agradece penfcwB
dissimo s pessoas que se dignaram dar-lbe pe-
sames pelo prematuro p^ssamentoN de sua Jde~
latrada lilba Isabel Hononna Banijleira daCn-
nha, assistindo ainda as missas que pelo e-
canso etemo da mesma mandou rezar ;eene-
vida-as de novo para assistirem as Missas o-
trigsimo dia, que sero. celebradas sibbado 17
do corrente, s 8 horas da manha, na igreja to
Conceico dos Militares, confessando-^e ilesda
j summamente grato.
4



,



t
Mura Francisca da Chaira
Manoel AlB de Menezes, Constantina
Alves de Menetes, Manoel Alves de Jess
zes e Joo Alves de Anacleto Menezes sinc
mente agradecem s pessoas que dignara
conduzir os restos mortaes de sua prezada
sogra e av, sua ultima morada; e de novo
convidara para assistirem as missas que manda
celebrar na matriz da Boa Vista, s 7 horas
manh de terca feira, stimo dia do seu
ment.
t
liara do Monte Campello
YiAiinn
Arcelina Carneiro Rodrigues Campello agra-
dece s pessoas pe acompanharam ao cemi-
terio o cadver de sua prezada cunhada D. Ma-
ria do Monte Campello Vanna"; e de novo con-
yla ros seus parentes e amigos para assiatirtnt-
a missas ao setno" dia que serao celebradas na
terca-feira 2o do corrente, s 8 horas, -na matriz
da Boa-Vista.
i-^lsa
Antonio Terencio de Cansino
Amado Times de Carvalho agradecido a toda*
as pessoas que se dignaram assistir ;ao enterra
de seu irmao e amigo Antonio Teitncio deCar-
valho. convida a toaos u; parentes c- amigos do
Uado para assistirem a missa do stimo dia do
seu passamento, que ter logar no sabbado 17
do corrente, s S 1/2 horus da manha, na mslrix.
de >' S. daGraca.
D. Amella Alejandrina tavaleantt
|I4m
Mai, padrasto, irmQos e cunhados de 1>. Aiuer
ha Alexandrina Cavalcanti Lins, convidan a
todos os parentes e amigos oara assistirem as -
missas que mandara resar por alma do seu pre^
zado lilbo, irmo e cunhado, sabbado 47 do an-
dante mez, s 8 horas, na matriz da Graga. e
desde j agradecem a todos os que
comparecer a esse actojje caridade e reig



t
\\\a\
y-
X
6*. -- v.

' ," '-i'-'

jtfiario de PernanibucoSbbado
p^p^
ENGADEBNACIAOMIRANDA
39-RUA BUQUE DE CXAS-39
Este nntigo estabelecimento, hoje completamente reformado'com machinas
mais aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condicSes de executar qualquer
trabalho em
f
Cartas, raemoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartoes de
mdicacoes, mappas, precos correntes, accoes, bilhetes e loteras e rotula do todas
-------- / i-----------/ i
adicaoces, mappas, pre^s correntes, accoes,, bilhete
as cualidades em preto, ouro ou cores.
wmmttfs
irochuras, cartonados, encadernacoes, livros en) branco para o commercio e
repartieses, tendo para este fim urna excellente machina de pautar.
Variado sortimeHto em cartoes para visitas, partcipac5es||e convites de easa-
jento. bailes, menus, felicitac5es, etc., etc.
Xivros de recibos de aluguel de casa, papel de impressao, tintas, vernizes e
nsais artigos para typographla e ltliograplila.
Manoel J. de 'Miranda
Telephone 194
%brnecedor de f$. gfjjf.
o Imperador do Brazil e o Re dos Belgas.
A VBRDADBIRA
AGUA de BOTOT
' o nico Dentifricio approvado *
pela ACADEMIA de MEDICINA de PARS
0 melhor calmante contra at Dores d Denles
Racommendado especialmente, oom os POS da BOTOT ootn Qnina,
para os cuidados da bocea.
329. Rae St-Honore, Hara, e em lorias as bou Drogar!. Itrftaumi e Ci1*b*1ii.
'
OeodeFigadodeBacalhau
ledo-Ferruginoso de Quina e Casca le Larojnja amarga
Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nr.usas,
e de cheiro agradavel. Pela sua. composicao, possue todas as
qualioades que lhe prmittem combaten :
a ANEMIA, a CKLOROSE, ss AFFECCES do BEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, aTYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego fcil, da sua accao multplice e
segura, da economa para os doentcs, os mdicos receitam-n o
de preferencia qualquer outro medicamento similar.
DEPOSITO OERAi =
PARS, 209, ra Saint-Denis, 209, PARS
TENDE*-SE tM TODaS AS PRMCIPAES PUARHaCUS DO UNIVERSO
DESCONFIAR DAS FAL8IFICACOES E IMITACOES
Agosto de 1889
sarasa Mfm
ARAN H
ONrqva dpx*ajnt.
Approvado pelo Exm. Sr. presidente da proVincia
O
r##=
Premios da lotera inteira
1 premio de.....300:0005
.....50:000,5
c.....12:5000
1
1
2
6
10
2
2
2
9 Dez. do 1." prem.
9
9
.
< .
C C .
approximacSes de
c
c c
99 2 fin. t
99 c
900 term. <
900
2.a
3/-
1.
2.
1.
2."
5:0005
2:5000
1:500
2:5000
1:5000
7500
7500
5000
2500
2500
2500
10:0000
15:0000
15:0000
5:0000
3:0000
1:5000
6:7500
4:5000
2:2500
24:7500
24:7500
1250 112:5000
1250 112:5000
2052 premios no valor de
700:0000
Premios da selrie
1 premio de .
2:0000
1 . v 5000
2 2000- 4000
6 . 1000 6000
10 . 600 6000
2 approximac es de 1000 2000
2 < < 600 1200
2 < c 300 .600
9 dez. do l." prem. 300 2700
9 2. < 200 1800
9 t 3.a c 100 900
99 2 fin. 1.a 100 9900
99 c 2.a C 100 9900
900 term. ti.0 50 4:5000
900 t 2.a c 50- 4:5000
28:0000
2052 premios no valor de.
Todos os premios sao pagos integralmente
Esta lotera composta de 10.000 bilhetes a 1000000, dividida em 25 series,
custando o inteiro da serie 40000, subdividido este em quintos da serie (125' do
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada um.
O agente desta lotera chama a attencSo do publico para este importante
plano mais vantajoso pela sua boa organisacSo.
Com 40000 (5 quintos de que se coinpo'e a serie) recebe-se 12:0000000 e com
800 rs. (1 quinto) 2:4000000.
O menor premio d um resultado de 25 "/o P'8 custando o quinto 800 rs.,
recebe 10000 as terminac'o'es dos 1.a e 2.a premios.
S2o premiada&,as dezenas dos 1.a. 2.a e 3.a premios.
Arduas letras finaes dos 1.a e 2., terminaces dos 1.a e 2., e as approxi-
x5es dMl', 2.a e 3.a; tendo alm disso premios de 2:0000000, 5000000, 2000000,
1000000 e 600000.
EXTRACTO INTRANSEEPJVEL

KM

arian
mwv
' PAR S
CASA DE (OnTUNCA
\
JUNTO AO LOUVI
Cachemira de listras a 10000 o covado.
Gazes arrendadas a 400 rs. o dito.
Fustao branco lavrado a 360 rs. o dito.
Toile pardo a 360 e 400 rs. o dito.
Cortes de vestidos em cartoes.
Colchas de fustao a 40000 urna.
Toalhas para banho a 10500 urna.
Cachemiras lisas a 10000 o covado.
Popelinas brancas a 300 e 10000 o dito.
Cachemiras de quadro a 280 rs. o dito.
Fustao para roupa, de 10000 a 700 rs. o
Odito.
Colchas de cores a 10800 urna.
Merino preto e 800, 10000 10200, 10500
10800
Chitas percales a 200 rs. o covado.
Velbutina preta a 700 rs. o dito.
Crep preto (inglez) a 20000 o dito.
Metins de quadro a 300 rs. o dito.
Merinos de cor duas larguras a 440 rs.
Sendas hespanholas a 20000 o dito.
Setim do Japao a 240 rs. o dito
Cambraia Victoria a 20800 a peca.
Orstof.es claros e escuros a 240 rs. o
oovado.
Cambraia bordada a 40000 a peca.Q
Leques transparentes a 20500 um.
Fichs de retroz a 10000 um.
Camisas de flanella a 20500, 40000 e
50000 urna.
Biooe de cores a 20000 e 20500 a peca.
Toalhas felpudas a 450< 0 a duzia.j
Grinalda para noiva a 70000 urna.
Guardap para homem a 60000
Meias inglezas para homens a 50000 a du-
zia.p{
Sargelins de cTes a 200 rs. o covado.
Palitots de alpaca preta a 40500 um.J
Casemia diagonal a 20000 o carado.
Meias fio da Escocia a 10500 o par.|
JLeneos brancos a 10200 e 10800 a duzia.
Cachemira de Auadro a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 10500 a 10000 o dito.
Baleias a 240 i rs. a duzia.
Lences de bramante a 20000 um.
Cobertas de tanga a 30000 urna.
Tapetes granes a 130OOO um.
Brim pardo a|280 e 32C rs. o covado.
Espartilbos ai50OOO um.
Madapolao atiericano a 60000 a peca.
Coletes de ftmella a 05OO um.
Palitots de ieda palha a 80000 um.
Lenos de ljnho a 50000 e 60000 a duzia.
Palitots de brim pardoja 40500.
Bolsas para viagens.
Casemira para costumes, corte.
Luvas de seda a 20000 e 20500.
Guardanapos de linho a 20200 a duzia.
Guardap para senhora a 100000.
Arcos cobertos a 120 rs. o metro.
Panno da Costa a 10000 e 10200 o co-
vado.
Bramante de algodao a 10000 o metro.
AlgodSo branco a 40000 e 40500 a peca.
Cortes de fustao para collete a 20500 um.
Cortinado bordado a 70000 o par.
Zephyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 10200 o metro.
Peca de esguiao de algodao a 30500.
Regatas a 10000 e 10500 e 20000 Juma.
Palha de seda a 10000 o covado.
Camisas allemaes a 36^600 a duzia.
Bramante de linho a 10800 o metro, 4
larguras.
Cortes de seda para collete a 50000 um.
Chambres para homem a 60000 um.
Setins de cores a 800 rs. o covado.
Algodao trancado, 2 larguras, a 101CO.
Cortes de casemiras, a 50500, 70000, e
90000. .
Brim branco, todos os nmeros.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 150000 %uzia.
A S00 ~ 1|2 gfa.
A 800 **' \ gfa.
A melhor tinta de escrever
TINTA VICTORIA
Vende-se nos depsitos:
r
e
a
LIVRRIA CONTEMPORNEA
DE


HAHID L COSA & C.
1. de Mar^o o. :
LOJA DE FERRAGEM
DE
ALBISO SILVA tfc
Rua da Cadeia n. 42
A 500 li2gfa.=A800rs 1 gfa.
c.
VIGOR DO CABELLO,
' DE AYER
Preparado gob bases scientificas
e physiologricas para o fim de
beneficiar os cabellos, restaurar
a edr, Impedir a queda, e promo-
ver seu vico e abundaste cresci-
mento.
Esta apurada e (xcellente preparado,
sem durida o melhor remedio at hoje
conhecido para os differentes defeitos da
cabelladura, merece a Intima attencSo de
todas as pessoas que tm tido a infelici-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o sea emprego intelligente tem-se
' conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porm nao
sempre.'a propria calvicie tem sido carada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
dos cabello; emquanto que para opentea-
ao das senhoras, o objecto mais til a
mais agradavel que se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-TJnidos.
I A' yenda as lojas de armarinho e per-
fumarias.
DEPOSITO GEKAJ .
OOEN9A8
-DO-
ESTOMAGO
-E DO~'
FIGDO.
Muita attenco
Na roa de S. Jos n. 36 tem para vender os
afamados vinhos e1icore3 de todos os fructos do
paiz, fabricados pelo finado Joo do Amaral Ra-
poso, como sejam: vinho de cai de 1.* e !
qualidade, vinho de Abacagy, vinho dejanipapo
composto e simples, hesperdiua brasileira, la-
ranginha cordial, essencia de limo e cidra e
tres prensas para espremer os fructos, tudo se
vende por baratissimo prego para liquidacSo
Assim como se vende um bom terreno na povoa
5o de N, S. da Boa Viagem por qualquer prego
s5o o melhor Purgante e o Remedi
roaQ efllcaz contra os ditgs male
Reuiaiizam a Digestao
PURIFICAM A BILIS
c curam radicalmente
A DISPEPSIA.
Apolices perdidas
Perderam-se dez apolices da divida provincial
de Pernambuco, pertencentes a Manoel Pereira
de Araujo Vianna, de ns. 873 a 882, serie B, do
valor de 1:000 cada urna ; pede se a pessoa
que as tiver achado o obsequio de ir ou mandar
entregal-as aHenrique Bernardes de Olivefc,
procurador bastante do mesmo Vianna, no Re-
cife, ra do Vigario n. i, escriptorio, que grati-
ficar
Caotellas do Monte de Soeeoiro
Compra-ge cantellas do Monte de Soeeoiro d
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-st
bem na Praga da Independencia n. 22, loia d*
relojoeiro.
Casa no Monteiro
Aluga-se urna boa casa no Monteiro, com com-
modos para urna familia regular, tendo agua da
companhia do Beberibe, bom banheiro, jardim
e muito fresca : a tratar na ra l* de Marco
n. 20-A.
UJA
Antigo estabelecimento de ferragens
DIJ
F1DNA0 (ERAL
ALLANFITERSONSC.
44-MJA B4R40 UO TRilHPHO-44
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
ASTHMA & CATARRHO
Curados pelos CIGARROS ESPIC
Oppressves Tese Defluocon A'evralgiaa
LICENCIADOS PELA INSFECTOEIA D* HYGIENE DO IMPERIO DO DRAZIL
* Aspira-se a fumaca que penetra no pello, acalma o systema nervoso,
facilita a expecloracSo e favorisa as nincces dos orgos respiratorios.
Venda m atacado, i. ESPIC.'EO, ra Gt-Uoznr, em Parts. Bxijase esta assgnv
XtaetnitmlMieo : rRAHC M. da SH.VA k Ca, km iuicjm i-iuuom test"
Cheviotb preto a 30000 e 40000 o covado. Flanella de cor a 300 r. o covado.
Grande sortimento de fichs, casemiras, brim, algodao, camisas, collarinhos,
punhos, meias, perfumarias, e bordados.
20Ra Primeiro'de Margo20
AMARAL & C.
L-!i rase, de oda- 03 Fenuisistas e G^ijelieireiios
. B Prioaca a do Extrangeiio
it 3rit (Atroz especial
MXPARADO COM BISMVTHO
Por CStt. E*A-"y, Perfumista
PASIS, O, TlixBr de la. ^ai^c, 9, ^A^XB^
DOENCASdiESTOMAGO
ELIXIR GREZ
0IGESTOES
DIFFICEIS
Oyspepsia
, Perda
ItYtf AppetB
TNICO^ *i
[adoptado sk TODOS OS HOSPITAU Mamltitm d
I PARS OMX. *h. ra La nrytra. GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos
Olarrha
_ enronica
mmA
Omr ZHptofn cto Honra
T
BRONZE
HE
CARDOZO IRMAO
Roa do Bario" do Triumpho ns. 100, {02 e (04
' Deposito ra do Ap'ollo ns. 2 e 2 B
Tem para vender o seguate:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directpara o ou fogo de assen-
tamento.
MOENDAS de todos os tamanbos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRIVACOES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
MACHINAS de descarocar algodao.
VARANDAS de ferro rundido e batiao.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENGARREGAMSE de qualqjwr concert e mandam buscar por encommen-
da, mediante ajuste previo ou urna mdica commissao qualquer maobinismo.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhos para usinas, garantindo a boa
qualidade e bom trbalho dos mesaos, o que podem provar cem o bom resultado
obtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a
r
ro com descont.
FERMN GMMES & G
86-Roa Dnque de Caxias86
(femtre soxtimtnto lbeftxva%ms, cntdaxiae,
c nmitutf ontrn artigos a saber:
Cobre em folha.
Ferro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta presso
Machinas e vapores
para algodao.
Candieiros elctricos.
Foges econmicos.
Este estabelecimento fundado em 1851, tem na sua
longa existencia a garanta mais segura dar os que pro-
curar em honral-o com a sua confianza.
PBEfJOS SEM COMPETENCIA
Descontos do costume
I.iWif Wifmrl iliil
""---"""
Ja nao ha Repugnancia
PAR touas o
de P0TASSI0
i
Pastillas L. FOISSON com Chocolate
Ect Pastilhas, de sabor agrauv-el, estilo rigorosamente
Casa fasSta ntn n taslgrammas de Sil (Urna eolW!)
^ rsposrro uerai. i r. POSSON, phariacfjt'co
1 SS. Avtsnue de (Jourbevoie, 26, em ASNlHJEb. parto d Paris.
M n^.n "^"^"^^.^.iiTfir tod-as as Prinoipat gharmaoiaa.
Xrr
\
i
ROBERTO WEISS ^^engenhetro e constructor
FRANePOMB^ffiNO ^T cMMvmnlm rei.no
Estabelecifcento especial por fornecimenlo de caminhos de
ac transportaveis, e dsos montados comrjletos para posicao e manpijo e rada
assim como
CADEIRINHA COM RODAS, VAGONETES, DE
TAIMES LOCOMOTIVAS, GRAS, ETC.
Para oso : agrigola, plantagoes, rameos, minas
musiras, selvas e campos militares, etc.*
EXPORT!
^i wr <.
Grageas Demazire
Approvadn i=ola In*xeotoria da Syeiene do Brazil
CASCARA SAGRADA
Vordadeiro Remedio
<2ontra a Pris&o ca Vontra habitual.
IODURETQhFERROhCASCAM
O mala activo do* Ferroginomom
Nao produsindo a Priaio d. Vmmrm.
bwmm mom%. puiaz^be, ** stmv^i
B- A -N N N; U-'B I
H
BALtfQRAL GLQSS r,
iPAS
GRAXA LIQUIDA IMPrMaVM
EKPHEOA-BE SEM ESOOVAB
O magnifico LUSTRO desta oraxal
oon*erva-ae curante ama sesiona,
saja qizal fr o texmto.
-cas do folha de mMttxmW. a ____]
> Sxercio Ingl .
amamam .
^Lm^ai^tMUMama)
POP


u
__roa i
propriu para qualqu


w
. 6 ; a tratar na me ,29.
I
ide
Tuque de Caxias-
' do que
cm

machina a vap< umat
Ibas bydraulicaa de grandi im ferra
ui:i" tesoura para rartar fl.mares, are^l
IrUnos e carros Dccifutffle, npropriadpP
^K(rensporte- de canna. LoriiDas d'a^ua a
na si'a (Taca do Conse-
ikeira.Joo Alfredo n. >, un.i (Magdalena),
um do ineihjures
a mesaia
>s jiara negocio ; a tratar
grande e importante esi;>belecimento d*
'Pojas Mondes i C, sito a ra estreita do Rosa
rio n. 9, coutigno a igreja, acaba de ren ebe
urna granee remessa do <-reditado e e.pecia!
Vi nho Maduro
0 nico que. sem a mnima coufercSo, iu.-
portado ueste mercado, e so se leo le no referi-
do i ment. Este precioso nectai
torna reda vez inais prorur.do aqu. Qurrem
taber porque ? Vejain : o vinho Maduro aetirtc
romo feito nicamente da uva madura, leo
asseur.intrs vaolagens que as oul as qualidadiv
de riuho nao lem ; fcil un or pertur
bat,ao as H > estomago, anda mesuic
oma i, dando-lhf viitor, poi mure
aolhos vistos as p< as deb'htada. e
as que as ther arruinadas pelo uso de bebiaV
viciadas.
Recebemos tambera
Retjueuao
c-m latas, de procedencia de enpenlm, cujos
propri.'tarioseapricham tn luin ir..l>. liar
artigo, afro de tertm > primara si bre tantos
ootros FJmilaifs, cuja romposican (fiivMoi
Em outro ailio> com' gementes de ho
e flores. Ungas sertas do Rto Grande, ahjmto* d*
rime e timrteos do l'ovto para humen-
ras, para isio tao pouco temos competidor." A
Bossa casa especialista, e as pessoas que di.-te
seqiuir.im cerlilicar podeni comparecer, couj
oque mui'o no< honrarao. A pos urna inlim
dade de artigos de prim.ira ordem, que achara
se em exp isic; o, acrsce a nmemdade do traii
rom que (irriiiiY.inon traiar lodos os que no?
bonrai^com a su;- nrese: ca, junio a modicidad
de pi'SfW -em ri\;.l.
Roa e*lrr i!a oxario n. O. junio;
n ii\j
Po<*as iMendes&C.
-#8
outra
qualquer par
Merino** setins, lisos e de quadros com 2
metros 4q largura a 2#0O0 o corado,
rienda hespanliola inuito larga a 2f?000 o
covado,. .
Espartilhos, verdadeiros couraas, a 4)5000
000 e 65000 um.
Lindos cortes de fustao para collcte a
rs-, um.
Cobertores e 15 a 2?J00Q, um.
Palitots de soda ainarelhy e chumbo a8#
KtOOO um.
Redes francesas a ,4*000, 5,5000 c 6,5000
urna.
Organdis (fazenda de phantaata) a 400 rs.
o covado,
Enchoraes para bapfvsados a 8(5 e 10,5000
Tullas felpudas a 3*000 a duzia
Meias cruas para homem a 3^000 a dita.
Nansuks tinas de- 120 e 2-10 rs. o co-
vado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. o covado.
Cortes de linn e cretones..ctfm todos os
preparos, a 5QQ0a 2*000.
Atoaado milito largo 1*200, e 1*500 o
metro.
Pannos ,de icroehet para cadeiras a 500,
600, 700 e 80> rs. um.
Colcjias de qrochot, bordadas para noj
a 5*000, 6*000, 7*000 8*000 e "
' urna.
Cortinados bordados a 6*000 o par.
Bramante liso e trancado de 4 largura? a 0 .ovado.
ae^i-
59Rita'Duque de,
CasBnets de cores para
nos a 200 rs. o covfcT
Meias casemiras pals cH idem
a 400 e 500 rs. fc dito.
Hollanda parda D/r vestidos a 280
dito.
Setinetas modernas idem a 2
o dito.
Linhos de /quadrinhoa a 10
200 rs. c/ dito.
Percales finas a 200 e 4^^^H
Atoalhadj bonlado, quasi 2 mi
gura, p. 1*000 e 1^200 o metro*.
Bramantes, 4 larguras, superior a 600
e 15000 o dito.
lucra de puro linho a 1*600 dito.
Kiquyssimas gnarnisSes de crochets a i
8 #000.
Tjslhas para maos a 1*200, -*500 e
.00 a dazia.
Mciiis inglezas pura homens a 2*500 e
36000 a dita.
Camisas superiores idem a J* c
Seroulas bordadas \ 12*0oJ
dita.
Cambraia Victoria e transparente
c 3*000, com 10 jardas,
dem bord\das cbics a 4*000.
Superiores algodocs da corte a 3*000 e
3*500.
Madapolao americano a* 6*000, com 21
;;rdae.
iFlanella do cores ra camisas a 280 rs.
MAIS BARATO
Ma Loja das Lustras zoes
lOOO o m tro.
Farol lo
superior
Saceos de 42 ko
Vende-so em ptima saccaria, por preco sem
compeiencia : no trapiche da Companhia, largo
do Corpo Santo n. 19.
Sanuel Smits
Vida Traba'h Obra escripia sobre
es mobles do Voder da Vontade. e do Carcter,
rontendo nimios exemplos njvosdoquanto pode
conseguir a honesia forca de vontade e a pyse
veranea, i \ol. 4 temporanei de
Ramiro M. Gosta&C.
Bu I.'' do Uarro n. 9
0 meitiui' enttrtcio '
i|l<
I
'.-7 tgmm com
Jahus .
*
Vende se'nmtloia de bahos. betn afrepoexa-
da, rarantindo-se a chav da casa ; a tratar na
na Vidal deNegreiros n. 120.
o ^ c
s H*H
-Sil
n
F0LF5TIM
DECAPITADA
POR
F. BU BOISGOBEY
(Con t i n u a c a o do n,
XI
18 3)
J o desconfiara.
E' urna pobre menina que elles te-
riam matado como mataram sua irma
Irene.
.Sua ifma !... Pois que !... Ella...
Entilo est explicada cssa prodigiosa se-
melbanga.
E' verdade e comtudo n5o eram ge-
meas. Helena tinha alguns annos menos
que...
Levaram-n'a comsigo ?... O que
feito dell* ?
E' anda um segredo, repondeu Ca-
raroc, depois de haver hesitado um pouco.
Era, com efieito^ ainda um segredo para
toda a gente... excepto para o capitao, a
installacSo de Helena em casa de Juliao do
Jonvillo, e Cavaroc nao cabio em dizer una
palavra sequer, a tal respeito, ao juiz for-
nudor da cuipa, ainda mesmo a G-risaille
bom entendido a Vanda.
Viria um da em que se poderia dizel-o
sem iaomveniente, quando a innocencia
da moca ficasse completamente demons-
trada : c Cse dia talvez nao se fizesse
esperar muito, porque o Sr. Franeastel
inclinarac a acreditar que aquella moja
aSo tiaha sido senao urna victima e que
talvee os sriaiinosos tivessem encontrado
moio de a luppniair, como tinbam suppri-
iaid a s'a i .ai,,
O capitao, a Callar a verdad, nao des-
tiara ae .naa nSo
aem t*
priawyal iclnressad
Bramante trancado de 2 larguras a 400 ra.
o metro.
Toalhss de cores para mesa elstica' a
5*000 urna.
Saias ricamente bordada*, a 3*000 urna.
Lnvas de seda, lisas e arrendadas a 1*000,
1*500 e 2*000 o par.
Cretones claros e escuros e 200 e 240 rs.
o covado.
Zefiros de quadres a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Camisas finas de meias a 1*000 um. .
l.eques de penna, ultima moda, a 4*000
e 50l>0 um.
Capellas com veos para noivas a 8*000
urna.
FustSo de cores para palitot e calca a
500 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
collete % 2t5000 um.
Cambraia ^3c salpicos com 10 ardas a
4*000 a peca.
Bicos de cores c brancos a 1*000 e 2*000
a peja.
Collarinhos e punhos, borracha, a 1*800.
Cobertas de ganga forradas com 2 parmes
a 2*800 urna. V
Lencos brancos a !*500 e 2*000 a duzUX
Pichas de rctroz, lisos e com palmas a
15000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
AlgodiWsinho com 20 jardas a 4* e 5*000
a peca.
Assim como em 6ua officina de alfaiate
apr-impta-se com perfeigao e elegancia
por procos coramodos, de brim cu case-
mira, costumes para meninos e homens.
A Revoluto
is lina Duque degCaiias4S
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
dem americana, azul, para palitots a
1*200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 1*400
1*800 e 2*000 o dito.
Para as Exmas. nolras
Lndissimas grinalds e veo para tK000 e
14*000.
Ricas colchas de cAchcts e fustSo a 8(500)
e 6r5000.
Bonitos cortinados bordados a 5*500,
7**00 e 8*000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 1*000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 l*000-o dito.
Setins Maco, toias as cores, a 800 rs. o
dito.
Lengos de Beda e i de linho para 2*800,
cm lindas caixinhas.
Lencea de bramante a 1*800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 2*500 e 2*800 urna.
Colchas de cores a 2*000 o 3*000.
Tapetes para portas a 3*500 e 5#00 Pannos ara mesas, de cores modernas a,
1**00 l*20p PARA BAPTISADOS
Fustoes bordados branco3 a 400 e 500 r3.
o covado.
Casemjms pretas e de cores de todos 09
procos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 4*000 maia, e
urna infinidade de artigos que serSo lem-
brados na presenta dos dignos lcitorcs.
LOJA DE %
PERJSRA & AIAGALKS
850 rs. a libra!
Pura manteiga ingleza
tarantidn
Guimares & Valente Corpo Santn. G
Viuho puro do Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central. ra
do Cabula n. 11, avisam aos seas distiuctos tre-
geles eao resneitavel publico que receDeram
ora reraessa ueste especial vinho, o qual se
recommenda por ser puro da uva, e s se reta-
Iba em seu armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
Arma^o
Vndese a armaco da loja de fazendas da
na Duque de Caxias n. 75 ; a tratar na mesma
ou na ra do Livramento n. 22.
Taverna
Vende se ou aHmitte se um socio
Pernambucanas n. 2o B, Capunga.
na ra das
j bastante embaracado com a falsa situa-
cSo em que os acontecimentos o tinham
posto.
Basta-nos saber que ella nao corre o
menor perigo, disse Vitrac.
Emquanto a isso, posso socegal-o,
responden Cavaroc. NJlo est no poder
dos taes patifes... e creio poder affirmar-
lhe que j se nao desconfia que ella tenLa
sido cmplice delles. "
Tenho grande satisfacao em saber
que ella nada tem que receiar... nem da
justica, nem dos assassinos de sua irmS.
Hei de ir felicitar Jonville, que, segundo
creio, se interessa muito por ella.
Arrisca-se muito a nSo o encontrar
em casa, disse logo o capitSo que calcula-
va que aquella visita podia por o amigo
em difficuldades. Meu amigo Jonville
acaba.de ser encarregado de um trabalho
urgente, que nao o defecar sahir esta se-
mana do ministerio.
Esperarei alguns das ; nao quero
por modo nenhum incommodal-o.
Eu mesmo, caro senhor, estou nesta
occasiao sobrecarregado de trabalho, co-
me o alfares de urna cangoneta que tinha
por estribilho: < Drin! drin / E que se
cantava ainda, quando eu eslava no colle-
gio. Desde o carnaval, que nao faco se-
nao faltar ao meu curso da Escola de
Guerra e, se coptinuasse assim, acabara
por chegar na bagagem. Fajo empenho em
o informar immediatamente do que se aca-
va de passar; agora permitta-me que me
despeca do senhor.
Espero que n3o me fique querendo
mal, por o ter informado sobre...
Sobre urna criatura que eu fiz mal
de associar minha vida. Agradeco-lhe,
senhor, e j nao pens nella. Nunca es-
queccre a pobre fallecida, mas nao quero
pensar senao em sUa irmS, que est viva
e que $er, sem duvida, mais felu do
qae ella.
O senhor nlo. ouvio fallar no palacio,
dessa outra moca qu& o seu discpulo, esse
maluco de Dangalas, tinha, segundo pa-
rece, tomado debis *> da sua protec^ao e
wue elle protegeu mil, viato que ella d
^iprecu ta*d>em ?*
Confesad que n5o me
Julguei v r
A* RIJA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Vende-sc fezeudas finas mais barato e
d-se descont a quem comprar de 20*000
para cima, troca-se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo n2o fr de muito
i agrado para quem for comprada e vende
pelos HKointea precos :
Ct.^hemlras lisas e com' listas de
MpVoe lindas cores, a 1*400.
Merinos de duas larguras, a 440 e
BWT'S., qualidade superior.
Itecdlof arrendados cor do creme com
matiz com duas larguras, a 600 rs.
* Fazendas de phantasia e lindas cores
400 e 500 rs.
Tecldos do linho, lindos fadroes
grados, a 200 e 240 rs.
ZeQros lisos e de quadro, a 80 o
wmrs-
SeJins de Maco branco, preto e de
Snun.'as coree a 750 e 800 rs.
Setins de quadrinhos, a 900 rs.
Sedas lavr.das brancas e de cores cla-
ras, a 1*400.
Ci'dzfeS de seda com fios prateados a
1*000.
Cortinados de crochet, em peca, a
900 rs.
. Cmbralas bordadas brancas c de
cCre6, a 4*00- a peca.
Cortes de vestido bordados, brancos,
para noivas, a 16^)00, 18*000 e 20*000.
Veos para mipo preto, branco e de
qualquer cor, a 1*000.
Crep inglez para enfeilos de vestidos
a 1*200 e 2*000.
TECIDOS MAIS BARATOS
Percales e chitas claras., tinas, a
200 e 240rs.#

Pao centeio
Mello 4 Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-tetras, tem este sa-
boroso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
Vende-se
uoNt das melhores taveraas ra Mrquez do
Herval, tem pouco capital ; a tratar La mesma
ra n. 143, padaria F z se qualquer negocio.
Vende-se !dous pianos na
ra do Bartholbmeu n. 67,
sobrado.
SI
uita atten^o
Na ra da Imperatriz n. 80f vende-se sapatos
de felpos para trio a 6u0 rs. o par, c de crian-
ras a 500 rs.
e seguras, a
Casss de cores finas
120 e 240 rs.
Slorim de Ustras azues muito lar-
gos com 20 varas, a 6*000, a peca.
ftargelins finos, a 160, 180 e
200 rs.
Crinolina, qualquer cor, a 400 rs.,
o metro.
CUiardanapos superiores a 1*800 e
2*000, a duzia.
Atoalbado lavrado, lindos dezenhos,
a 1*000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 1*000, o metro
Toalhas acolchoadas e felpudas com
listas de cores, a 4*000 c 6*000, a dozin
B^cos brancos franceses, a 600
e 800 rs., a peca.
BCOS linos, brancos, cremes e ir.a-
tisados, a 2*000, a pea.
Baleias a 240 rs. a duzia/-cobertas a
400 rs.
lesivas de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 2*00.
JLequeS de panel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 2*000.
Leques de peanas o que ha de me*
lhor, a 5*000 e 6*000.
Sabonete grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
Extractos finos francezes e inglezes
a 1*000 e 2*000.
Despertadores .americanos, a 7*.
Mosquiteiros americanos com ar
macao a 10*000 e 12*000.
Espartilhos americanos inglezes,
a 4*000, 5*000 o 6*000.
Capas de vidrilho e rendas, a 25*000
e 30*000.
Toalhas de labyrintho para bap-
tizado a 30*000, 40*000 e 50*000.
E muitas fazendas qne se d por todo o
preco na.
Loja das Lisiras Azues
E' barato
Farinha a 560 ris a cuia
S no largo do Mercado n. 12, Gomes Ferreira
4C.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo*
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os dtaleite puro de vaccas tourinas e da
trra, garntese a qualidade do leite.
dorma fra; mas contava explorar todos
os cafs, taveraas, tascas e cervejarias^do
bairro, onde Dangalas nunca deixava de
anparecer todos os dias.
Cavaroc tinha ido tarde ; j era hora
dejantar c Vitrac esta va decidido a nao
jantar em casa. ,
Mas nao sabia onde ira abancar para
encontrar o seu homem, que coniia mui-
tas vezes as taveraas e nem sempre na
mesma.
Havia tambem a cervejaria dos Marty-
res, onde elle tomava enuitas vezes ab-
synthio.
Vitrac dirigise para l e nao o vio.
O estabelecimento estava cheio de ar-
tistas, a quem elle poderia pedir noticias
do seu discpulo, mas nao etava disposto
a entrar em conversas e talvez em expli-
cares com pintores de meia tigela, que
elle conhecia muito pouco.
Foi, portanto, ao Faisao Dourado, res-
taurante que estava ao lado da cerveja-
ria, e levou muito tempo a jantar, por-
que sabia que, qunto mais tarde se pu-
iHsge procura de Healheiro, mais proba,
fel
NSo se trato diante de mim do seu dis-
cpulo c imagino que j se nlo pensa nelle.
Aqu para nos, o melhor que lhe poda
acontecei\
i At vista, caro senhor, concluio Ca-
varoc apertando cordalmente a mSo de
Vitrac, que o acompanhou at o patamar
da escada. como fizera com Borodino no
dia em que aqaelle acelerado tinha ido
praca Pigale com a sua pretendida sobri
nha, a quem tinha deixado na carrua-
gem.
Vitrac ficou s e pode reflectir as no-
ticias imprevistas que acaba va de lhe dar
o capitao* (Jomnioveram o, mas nao o af-
fligiram, Vanda agora causava-lhe hor-
ror. Lamentava que a nao tivessem pren-
dido c estava absolutamente determinado
a nunca mais a ver. hstava ao mesmo
tempo satisfeitissimo, por ter sabido que
a justica o deixaria em paz. Nao podia
restituir a vida decapitada e nao de-
penda delle vingar-lhe a morte. lhe
restava partir para Venea, onde torna-
ra a encontrar o socego que perder.
Recomeeou, entao, a pensar no bom<
Dangalas, que lhe era to dedicado, e a
quem elle, tantas vezes, recusara rec*ber.
Percebia que estas recusas tinham con-
tribuido para produzr as compheac^es
desagraduveis em que elle se debata des-
de a noite do baile. Se tivesse visto
Mealheiro, antes da visita do conde Bo-
rodino, Vitrac nao teria provavelm%nte
consentido ein fazer o retrato da sobn-
nha e as cousas leriain corrido de outra
maneira. Mas nao era nicamente pelo
sua interesse pes.^oal que se arrependia
de lhe ter fecha > o a porta e que deixa-
va agora velo. Tinha sincera amizade
ao seu discipuio e comecava a temer qde
lhe tivesse acontecido alguma deagraja.
Suppondo o e.iiitri.rin Dangalas, d
animado, forca de actiar a porta fechan #;i!"ceu
da. podia muito mn nao tornar a baterf Foi, em seguida, at ra Fontaine,
aporta do palaci.. i. prac PigalJk- Donde est situada a cervejaria dos Incohe-
Vitrac resolveu ,.r se a procura [j rentes, ornadas de frescos galantes e fre-
vestio-se para sanir, eo.u a firme tencSo quentada por poetas inditos e por mocas
de nao voltar par. a.-;i nem ter notici^MMf importancia.
querido 'i heiro, mesmo que 1 fcada de Mealheiro, apezar de Mealhei-
Ielle toda a taxi K.nm freguez do astabeleciment.
Ta noite. ^K acabou por. voltar para a praga
perav.. o seu do^^^^^HMide inspeccionou successivamente
a ra i -Mealheir i cafs em muda no lugar: a NovaJ
Venham ao 55 ver como se vende fa-
zendas com 50 lu mais barato qu em ou-
tra qualquer parte."
' ortes de cretone, combinaeao, ultima no-
vidade, a 5*000.
Cachemiras, eombinacjSo com listas de seda
a 1400 ocovado. .
Vestuarios de jersey, #himo gesto, a 10*
e 12*000
Amor da China, cousa chic, a 200 rs. o
covado.
Linons bordados com quadros,, novidade,
a 800 rs. o covado,
Setins, qualquer cor, a 800'rs.
Sargens de toda3 as c3res, a 200 rs. o
covado.
Merinos de cores a 500, 600 e 800 rs. o
covado. !
Orinolincs a 400 rs. o metro.
Vestuarios para baptisados, muito bonitos.
Guardanapos a 1*600. .
Cortinados para cama a 5*500.
Sedinhas lavradas, o que ha de ma3 gosto.
Cambraia com salpicos a 4*000 a pefa.
Cortes de casemira para'vestido a 25*000
Renda da China a 200 e 240 rs.
Tecidos arrendados, a 400 e 500 rs.
Zefiros, grande variedade, a 160, 200 e
240 rs. o covado.
Bicos de cqres a 3*000 a pera.
Mat'apolio muito largo a 65000.
Lusas de seda y000, 2*5000 e 3*000.
Mantii as pjet^V4*500.
Cambraia Victo/ia a 2*800.
Atoalhado bordado, lindos gostbs, a 1*000
o metro.
Grande sortimenTOs em toalhss de rosto.
Espartilho com couraga a 4/WXK),*-";000 e
6*000.
Nunzucks a 240 re. o cavado.
Pannos de crochet.
Cretones para coberta, moito bonitos a
500 rs. o covado.
Cambraia suissa, fina e muito bonita a
7*000.
Babados e cntremeios grande sortimento e
barato.
Fichs do linho a 1*000.
Ditos de seda a 4*000.
Ditos de la'a 1*000,2*000, 35000, 4*000,
5*000 e "6000.
Grande quantidade 'em tapetes pequeos e
grandes.
Cretones muito lindos a 400 rs. o covado.
Chitas brancas, escuras e claias a 240,
280 e 320 rs. o covado.
Grande sortimento em colchas brancas e
de cores.
Objectos para homem :
Cortes de casemiras, finas, a 4*000, 6*000
e 8*000.
Ditas de casineta a 1*500 e 2*000.
Collarinhos de linho c algodao a 4"*000 e
6*000 a duzia.
Meias para homem dfi todas as cores e
brancas.
Casemiras de cor a 2*f 00, 3*000 e 5*000
o covado.
Ditas diagonal, lindos desenhos a 26, 3* e
e 4*000.
Brim ide linho de cor a 500 e 600 rs. o
cavado.
Cassinetss, grande sortimento, a 400 e
500 rs. o covado.
Bnns Angola, muito chiques e baratos.
Molesquins bons e bonitos.
Camisas de madapolao a 2*0001 !
Ditas inglezas a 4*500.
Ceroulas francesas a 1*600.
Flanella azul a 1*200 o covado.
Grande sortimento cm lencos de algodao
e linho.
Camisas de cretone, cousa boa [e barata.
Alm de outros muitos objectos.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessa.
.. Ra Duque de Caxias 55
Fernandes Azevedo & C.
Para engenhos
Lopes '& Araujo, vendem
a precos 6m* competencia,
^arantindo a boa qualidade,
os artigos 'abaixo mencio-
nados. '
Cal'de Lisboa.
Dita de Jamiaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixas
de 10 e 2.5 kilos.
Cimento Portta nd.
Graxa em bexigas.
Ra do Livracnlo n. 38
Telephone 316
t licenciado pela Inspectora 6ert
de Hygae do Imperio do BisliL
arope-Zed
(Da CODEO/A e TOLU,
O Xasrop Zsd crepregz-se ccamaa
rritofis de "Peito, Tosse "jj /um, rU
onnulii ^Coqueluche). ronehiUi.Gmttipa0mt
Celarrtcs e Insomnios fersistenUs.
'tusa, S3, ros Drocot, a ra ninMM
CABDi-ZO tR^O
A RA BARAO DO TRIUMPHO
N. 100 A 104
Tem para vender tri-su^phi-
to de cal. que nao s faz alve-
x.
jar muito mais o as su car.
mo evita o grande gasto e
cal no fabrico do mesmo.

Tav
erna
Vende-sc ou admitte-se um socio, n'um dos
melhores locaes do Recite : informares na ra
do Bario da Victoria n. 38._________________
Libras sterlinas
Vende-ee libras sterlinas ; na ra do Com-
mercio, armazem n.6.
.bidade teria de o encontrar" em casa
porque Mealheiro era um ncorrigive-
noctambqjp.
* Eram quasi dez horas quando Vitrac
subi a ra dos Martyres para comecar a
insueccao das tavernas mais ou menos ar-
tsticas e litterarias, que abundam na-
quella locaiidade.
Coraecou pelo Gato Preto, arriscndo-
se a l encontrar Vanda, que all appa-
recia muitas vezes.
Essa uto foi naquella noite.
Nao vio alli senao jorhalistas, que o
recelieraiu com muito agrado, porque j
era celehre e os jornaes tinham ajudado
a sua c 'lobndade ; mas, por mais que
kpnversasse com elles, vealheiro nao ap-
patifaria. entrava BenSo
adarioRato Morto.
Em nenhuma parte vio a cabeca esto-
pentada do seu querido discpulo Danga-
las, e renunciou emfim a encontral-o.
Podia assim correr de taverna cm ta-
verna at madrugada e sentia-se can-
sado.
Por fim de contas nao preesava abso-
lutamente fallar-llio naquella noite, e para
evitar o trabalho de recomeear no dia se-
guinte, bastava escrever lhe.
O rapaz, admittindo mesmo que esti-
vesse zangado, iria ao chamado do mos-
tr.
Vitrac decidi-se, pois, a voltar para
casa.
Estava a quinze pasaos do seu palacio,
visto que acabava de passar por diante do
Rato Morto o bastava-lhe seguir o pas-
seio.
NSo ficou pouco sorprehendido, quando
vio um fiacre parar sua porta.
Acudio-lhe a idea que talvez fosse Van-
da c parou logo.
A perspectiva de urna entrevista com a
sur. autiga amante nao lhe sorria, e, pa-
rando* esperava evital-a.
O criado a porta e respondera que
elle tinha sahido.
Vitrac tinha-Ihe dado ordem para nSo
receber. ninguem. Com toda a certeza
nao deixaria entrar Vanda.
Cal de Lisboa
a7$000 '
Vendem Lopes Se Araujo
Ra do Livramento
______n. 38.______
Cofres de ferro
Carlos Sinden tem para vender cofres de
superior qualidade mais barato do que
em outra qualquer parte,
4Hlina Saruo da Victoria48
Raya! Blend marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre.
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vecde-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca vladoL
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C., agentes.
rar esta noite. Mas donde sahes tu, meu
Eeus ?... Ests n'nm estado !...
O vestuario de Mealheiro deixava, com
effeito, que desejar. Estava sem chapeo e
sem gravata, a cal9a chea de lama at o
joelho, pareca ter sido mettida e torcida
n'uma tina de infundir.
Saio de dentro do rio, disse o rapaz
c om voz encatarroada. Mas nSo se trata
agora disso. NSo estou s !
Bem o vejo. E com quem ests tu?
Com a minha futura.
Vitrac julgou que elle estava doude,
mas Mealheiro continuou:
O senhor nao sei se sabe que aquelle
canalha do Borodino tinha prendido urna
moca e que eu fui reclamal-a ra Ber-
ton.
Fallaram hontem diante de mim nes-
ta historia, mas...
Pois bem, acabo de livrar essa mo-
ca.
Onoo... cm. Passy ?
NSo... no Sena, abaxo do Poissy,
em urna barca em que aquelle canalha de
Borodino a tinha prendido. Tive que me
deitar ao rio, para ir ter com ella.
E-elle ?
Borodino, esse estava em um barce
Esperou, pois e poz-sc a olhar de Ion- a vapor... Quando se vio apanhado, dei-
ge. tou fogo a un3 barris de plvora que ti-
nha a bordo e foi pelos ares com todos os
patifes que o serviam. O senhor nSo cho-
ra por elle, hein ?
De certo que nao.
Infelizmente o avo de Agostinha foi
tambem pelos ares com elle.
Agostinha a tal modista que tu ti-
nhas acompanhado ra Berton ?
E com quem espero casar-me em
breve... sim, mestre. Ella nao tem nin-
guem no mundo que se interesse por ella...
mas eu c estou.
Seriamente, tu queres casar-te com
ella?
f
*

Um homem peou-se no passeio e ficou
com a cabe$;i mettida dentro da carrua-
gem, de maneira que Vitrac nSo lhe via
senao as pernas.
Evidentemente aquelle homem fallava
com qualquer pessoa que tinha ido com
elle o que nSo pareca com pressa de sa-
hir do fiacre.
O colloquio "prolongou-se, mas emfim
cessoui e quando o homem levantou a pa-
beca, Vitrac reconheceu logo Joo Dan-
galas.
lao valia a pena ter corrido tanto
atrs della para o encontrar por fim sua
pdrta.
for sua parte, Dangalas reconheceu
tambem Vitrac e veio ter com elle, sem
mesmo perder tempo em fechar a porti-
nhola.
Ora,at que te enconth), dissg-lhe o }
mestre. Tenho-me fartado de te procu-
(Continuar-se-ha),
ra Duque
Jt
i*
Mim h


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWVRKSP8C_OLSJ14 INGEST_TIME 2014-05-27T23:59:48Z PACKAGE AA00011611_16931
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES