Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16925


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXV
NUMEBO 178
1A
PARA A CAPITAL E LUGARE OXDE WAO SE PACA PORTE
Por tres mezes adiantados.
Por seia ditos idem .....
Por um aoao idem.....
Cada numero avulso, do mesmo da.
60000
120000
23,5000
0100
-FEB8A 9 DE )ST0 DE 1889
PARA DEYTRO E PORA DA PROVINCIA
Por aeis mezes adiantados..............
Por nove ditos idem...............
Por nm armo idem...............
Cada numero avulso, de diaa anteriores..........
\
1305C^
20,5000
26,5000
0100
DIARIO DE PERNAMBCO
Tropricdade de Mancd Svgmrca de Faria # dnfycs
TELEGRAMMAS
Sfia:ico sa asngia savas
LONDRES. 7 de Agosto.
Acaba do ser passada em Aldershot
urna revista das tropean honra de t. M.
o fmpcfiadbr da Allenwj^a.
INSTRDCqO POPULAR
AS tiLUDIS INVEHES
1NTIGAS B MODERNAS
AS
.acia;., industrias e artes
I3T.
nhatn em sentido inverso aos da ponte,
minios cabos de reteqcjio. Em virtude
eogoabosa disposicao, a resistencia do t
esforcos transmittidos pelos cabos adianto
rigida para o lado dos pontos de apoio
nao a tambal-os, mas acomprimii o? e esmagal-
os cousa que nao fcil. Os cabos fixam-se
unitivamente em subterrneos.
As pontes, pensis lujnca sao franqueadas cir-
LONDRF.S, 8 deT Agosto.
S. M. o Imperador Guilhcrrnc dcixar
a Inglaterra amanha, afim de voltar Al-
lemanlia.
tw
32K
Poiiic pensi*
(Contiunacao)
Quanlo mais obliqua ftlr a curvatura das ca
logrammas por moircflPftadWP''; ora a
gente apiohada na ponte nao produz, termo me
I dio, senao um pepo de 70 kilogrammas per me-
tro quadrado. e o furacao mais violento nSo cau-
sara maior damno do que urna carga de 88.
Comtudo, para nao cansar os materiaes de
PARS, 8 de
Agosto.
Principiaran! hoje os debates do pro-
i-esso do general Boulangcr.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
$ de Agosto de 1889.
relativamou?"ao'solo" tanto meoorTo es-1 construyo, permitiere por seis mezes ai passa-
forco que aquellas cadeas ou cabos teem de sup-1 gem pela ponte, depois desta hayer roflhdo um,
deias
portar. E' por esta razo que se fazem muito
altos os pontos de apoio das pontea suspensas,
afim de dar as eadeias a maior curvatura possi-
vel. Estes pontos de apoio sao torrees de can
taria ou columnas de ferro fundido. Em geral
ha dous em cada inargem e atgumas vezes um
terceiro. ao uo do rio, a qu se chama pilar.
Passados os pontos de apoio, dobram-se os
cabos para o solo e alli se acham presos a gran
des maricos do pedia. Estes cabos, que cami-
prova, metade da que referimos j, isto de.ha-
ver sido o faboleiro carregado so com 100 kilo-
grammas por metro quadrado. Mas passado o
lempo concedido, de lei o fazer-se a pro va in-
te ira.
Eutre muitas e bollas pontea suspensas da
Europa raerecem mencionar-se as de Friburgo,
Menay, Cubzac e Ruao.
(Contin'aj
mp.
PARTE OFFICIAL


Govemo da Provincia
LEI R. 2,019
ContinuacSo
5 45. Cmara Municipal de S. Jos do Egyptc
L Ordenado do secretario.
II. dem do porteiro ....
III. Idem do fiscal da villa
IV. Porcenlagem de 6 por cento ao procurador.
V. dem de 15 por cento ao aferidor .
VI. Aluguel da casa da Cmara
Vil. Kxpediente. jury e eleicao ....
VIH. Costas judiciaes......
IX. Obras e melhoramentos municipaes .
X. Aluguel da casa para acougue.
XI. Evenluaes........
5 46. Cmara Municipal do Floresta
I. Ordenado do secretario.....
11 Idea do porteiro.......
III. dem do fiscal da villa.....
IV. Uem do fiscal do 2 districto .
V. tete do fiscal do 3 districto -
VI Porcentagem de 0 por cento ao procurador.
VII. dem de 15 por cento ao aferidor. -
VIH. Expediente, jury e eleices ....
IX. Aluguel do ptego da Cmara ....
X. Obras municipaes .. .
XI. Divida passiva : pagamento da quaptia di
.1001 ao capitao Kirmino mes deTienezes
XII. Eventuaes........
g 4". Cmara Municipal de latob :
I. Ordenado do*ecretario.....
II. dem do porteiro.......
III. dem do fiscal do Jatob.....
IV. dem do fiscal da villa
V. Porcentagem de fi por cento ao procurador .
VI. dem de" 15 por cento ao afe-idor .
VII. Obras municipaes inclusive oa reparos que
devem ser fetos preferencia no travessao da villa
de Tacarat...........
VIII. Expodiente, jury c eleiejo -
IX. Custaa judiciaes.......
X. Eventuaes........
| 48. Cmara Municipal de Cabrob :
I. Ordenarlo do secretario.....
n. dem do porteiro.
III. dem do fiscal.......
IV. Expediente, jury e eleicao .
V. Porcentagem de 15 por cento ao aferidor
VI. dem ao procurador......
VII ustas judiciaes sendo paga de preferen-
cia a quaniia do 333*220 que a Cmara esta a dever
e custas ao escrivao do crime capito Antonio Jos
de Andrade.
VIHObras municipaes, sendo 1:000* para a
. do mi :vrn.........
IX. Eventuaes........
1
5 49. Cmara Municipal de Villa Bella :
i. Ordenado do secretario......
II. Idtm do porteiro.......
III. dem do fiscal......
IV. Porcentagem de 0 por cento ao procurador.
V. dem de 15 por cento ao aferidor .
VI. Espediente, jury e eleicao ....
VII. Aluauel da casa da Cmara ....
VIII. Eventuaes........
IX. Obras municipaes......
{50. Cmara Municipal de Salgueiro
Ordenado do secretario.....
II. dem do porteiro.......
III. dem do fiscal........
IV. dem do zelador do ccmiterio.
V. dem do coveiro......
VI. Porcentagem de 6 por cento ao procurador.
VII. Expediente, jury e eleices -
VIII. Custas judiegos, inclusive 220*" que se
dove a Galdino do Reg Pessoa de Mello -
IX. Porcentagem de 10 por cento ao afendor
X. Obras municipaes, sendo de preferencia fe-
tas os reparos de que necessita a casa do mercado.
XI. Aluguel da casa da Cmara ...
XII. Eventuaes e foros da casa do mercado.
151. Cmara Municipal de Leopoldina :
. Ordenado do secretario.....
II. Mea do fiscal.......
III. dem do porteiro.....
IV. Porcentagem de 6 por cento ao procurador-
V- Expediento, jury c eleices ....
fVI. Custas judiciaes .....
Vil. Aliitruel da casa da Cmara .
VIII. Limpeza das ras -;.:
IX. Porcentagem de 15 por cento ao aferidor .
j^Hm municipaes, aluguel da casa de tcou-
geeiafl .........
XI BWda passiva : pagamento de 30*000 que
ornara est a dever ao secretario artiniano da
Costa Agr, o t\r 605000 ao ex-secretaro Cbristiano
T%omaz de Aquino .......
! XII. Evemuaes ......
52. Cmara Municipal de Ouricuri:
i. Ordenado do secretario.
II. dem do porteiro.......
Ul. dem do fiscal da villa ......
IV. Expediente, jury e eleicao ....
V. Porcentagem de quiaze por cento ao aferidor.
VI. dem de seis por cento ao procurador.
' VII Obras e melhoramentos njnnicipaes .
VIII Custas iua'Ciai
IX. Em
250*001)
10 3000
404000
i
*
no*ooo
120 .,000
:to*OK)
3004000
60*000
20*000
920*000
200*000
40*000
40-5000
30*000
30*000
*
*
70*000
100*000
135*000
300*000
403000
98500O
15O00O
30*000
:o*ono
403000
40*760
33580
260*000
. 70*000
30*000
20*000
680/340
200*000
503000
100*00
704000
&
400*000
1:1105000
lOOiOOli
2:030*000
1805000
40*000
40*000
*
*
06*000
48*000
10*000
120*000
498*000
200*000
405000
70*000
60*000
30*000
*
70*000,
200*000
220*000
120*000
30*000
7740*00i
120*000
50 000
.10f 000
36*000
90*000
30*000
60*000
30-000
*
70*000
(JO 000
10*000
53. Cmara Municipal do Ex :
i. Ordenado do secretario.....
II dem do fiscal da villa ....
III. dem idem do 2 districtdf .
IV. Aluguel da casa da Cmara
V. Cusas judiciaes.......
VI. Jurv, eleigo e expediente ....
Vil. Porcenlagem de 6 por cento ao procurador
VIH. dem de 15 por cento ao aferidor.
IX. Ordenado do porteiro.....
X. obras municipaea e limpeza das ras
XI. Eventuaes .
54. Cmara Municipal de Granito
t. Ordenado do secretario.....
II. dem do porteiro.......
HI. dem do fiscal.......
IV. Porcentagem de 6 por cento ao procurador
V. dem de 10 por cento ao aferidor
VI. Expediente, jury c eleices ....
VII. Custas judiciaes.......
VIII. Obras municipaes, limpeza c asseio das
ras
ro
IX. Eventuaes
g 55. Cmara Municipal de Petrolina :
I. Ordenado do secretario......
II dem do porteiro. ......
III. dem do fiscal.......
IV. Porcentagem de 6 por cento ao procurador-
V. dem de 15 por cento ao aferidor .
>'L Expediente, juri e eleices *
vfl. Costas judiciaes..... .
VIH. Aluguel do acouguc e servico do curfal .
IX. Obras c melhoramentos municipaes .
X. Aluguel da casa da Cmara ....
XI. Divida passiva constante i respectivo qua-
XII. Eventuaes 9......
S 56. Cmara Municipal da Boa-Vista :
I. Ordenado do secsetario.....
II. dem do porteiro.......
III. dem do fiscal.......
IV. Porcentagem de 6 per cento ao procurador.
V. Expediente jury e eleigo.....
VI. Aluguel da casa da Cmara ....
VII. Porcentagem de 10 por cento ao aferidor-
VIH. Despeza com acougue e curral .
IX. Obras e melhoramentos municipaes
X. Custas judiciaes.......
XI. Eventuaes ........
200*000
60*000
90*000
48*000
30*000
70*000
*
30*006
200*000
10*000
698*000
80*000
30*000
40000
*
l
65*000
20*000
100*000
10*000
3453000
200*000
55*000
60*000
*
205000
50*000
50*000
60*000
392*984
15*000
982*984
200*000
405000
30*000
80*000
80*000
60*000
20*000
40*000
150*000
60*000
10*1.00
616*000
400*000
50*000
60*000
90*000
*
*
300*000
50*000
50*000
770*000
Art. 1* Para occorrer as despezaa decretadas ficam aa cama-
ras municipaes autorisadas a arrecadar no exercicio do !. de Ou-
tubro de 1889 a 30 de Setembro de 1890, os impostos e rendas es-
pecificados nos paragraplios secuintes:
1." Aluguel dos predios municipaes.
5 2. Foros e ladennos dos terrenos municipaes.
g 3.* Foros dos terrenos de marinha e accrescidos os daa ex-
tinctas colonias de indioa, ufio remides nos termos do art. !-
i.- da lei n. 2672 de 20 de Outubro de 1875.
4. Rendimentos dos mercados pblicos conforme as tabel-
las especiaes approvadas para os mesmos.
jj 5.* I \m\ dos matadouros e logradouros pblicos.
J 6. dem dos cemiterios conforme as tabellas approvadas
nos respectivos rogulamentos, vigorando para os que niio as tive-
rem, e seguinte : .
I Terreno perpetuidade (2 "86 de compnmcnto c 1 ,"J2 ue
largura). 60*000.
II. Inhumacao em catacumba particular ou de irmandade,
mausoleo, carneiro, etc., 5*000
III. Inhumacao em sepultura municipal reservada, Whk
IV. dem em sepultura municipal commum.
V. De cada anno que exceder de qualro, contados da inhu-
marlo em sepultura reservada, 2*000.
'% 7.* Investiduras de terrenos de ras, calculado pela cma-
ra na razSo do metro quadrado conforme o local.
8. Muha3, segundo o cdigo criminal, por nfracrao de pos-
turas e mais leis em vigor.' .
9." dem por falta de cumprimento de contractos munici-
paes.
S 10. Quebramento de llancas.
cj H. Emolumentos municipaes, conforme a seguinte tabella.
I. Pelos al varas de licencas, 4*000.
II. Pelos tilmos ou provimento de emprezas municipaes ou
de aposenladorias, de vencimentos at 4005,20*000. De 400* para
cima, 5 por cento.
III. Pelos ttulos ou nomeaces provisorias que derem direito
a percebercm vencimentos, meade dos preces cima mencio-
nados.
lV.*Pelas apostillas ou reformas de ttulos, 10*000.
V. Pelas noineaces de supplentes de liscacs, 20*000. m
VI. Pelas nomeaces de despachantes municipaes, 20*flW.
VIL Pelo registro de carta de auloris:ico do governo geral ou
provincial para se incorporar qualquer sociedade, 30*000.
VIII. reto registro de titulo de qualqnier privilegio ou empre-
1 za de qualquer natureza concedida pelo governo geral ou provin-
cial, 100*000.
IX. Helas portaras ou despachos de licenca, concedida pela
Cmara com venciiuentos, cada mes 5*000.
X. Pelas portaras ou despachos, concedendo licenca para se
patearen ttulos de aforamenlo de terrenos municipaes de mari-
nha e accrescidos e das extini-tas colonias Je indioa, 50*000.
XI. Por titulo de coucessao de trras, posse, etc., 10*000.
XIL Por medicos ou deraarcacea do9 terrenos de marinha.
conformo a tabella do 4 de Agosto de 1868, do Ministerio da Fa-
zenda, 31*000. .
XIII. Por cada certidao 2*, passando de urna pagina I*o00
por cada nma mais.
Por cada anno de busca, nao se contando alm de 10 ann i,
nem o anno corrente, *300.
XIV. Pelo registro de qualquer portara de nomtacao ou titu-
lo, 5#000.
XV. Pelo registro de carta* de maehinistas de estabelecimen-
to industrial, 10*000.
XVI. Por termo de lianca, responsabilidado ou deposito,
10*000.
XVfl. Por qualquer termo d" arrematacao de obras mumei
paes al 500*. 155000, e do ngis de 500* al 1:000*, 85*000;
mais de 1:000* at 5:000*. 50X e dmai* de 5:000 100*, a
dada gratuiamenti
XVIII. Por termo de arrem .
po-
100*,'l"
500*. 15
eimr
a.
sma proporco, e nao havendo valor, 30*000.
!e transferencia do ca.-a do mvocio para ou-
sistro de cada marca para qualquer especie de
fOoo.
gistro de titulas do mdicos, cirurn'ie.s, pliar-
iciras, 5*000.
tulos expedidos abolieiros, carroeeiros, joc
.000.
WpT tiiu!o expedidos a ->>O00.
n il)^ffi|jjBIMiili iiimr
10 por #hto perindevida retenco das renda
ios inOjkipaes.
fi. 2 por cento sobre o valor doa depsitos.
t 15. Multa de lO'por cento sobre os vencimentos dos empre-
gados municipatj que faltarem ao cumprimento de seua deveres.
g 16. Legados pios nao cumplidos nos municipios em que nao
ij instituico pa qual caiba sua arrecadaco.
g 17. eceiti eventual.
i 18. Divjda activa.
$ 10.-8aldo los exercicios anteriores.
S SD. 60 ri- dianos de entrada de cada rez recolhida aos
curraes'das Cajnjtras para serern abatidas para consumo.
5, 21. 6' rii d.- entrada de cada rez nos curraes das feiras,
os quaes gerSo exclusivos das cmaras municipaes.
f 22. 500 ris por cabeca de gado vaceurn e 200 ria por
suino, ovelhum t cabrum; talhados nos acougues pblicos ou par-
ticulares, paganjlo o dobro oa que nao teodo acouaues, abaterem
para retalnar por sua conta ou para arrobar (vender a terceiros
para estes retaliiarem).
S 23. 300 jis, pagos no matadouro da Cabanga, de cada rez
que ldfalli abatida, com applicaco exclusiva ao resgate das apo-
hces da Cmara Municipal do Recife, alm da laxa do S antece-
dente, e das qir sao arrecadadas por forca de leis anteriores pelo
servico da mattnca no mesmo matadouro.
i 24. dziio do gado suino, cabrum e ovelhum.
I 25. Taxts sobre passagem de nos nao excepeudo de 40 rs.
por pessoa e S 16. Pedagio das pontea o estradas que construircm custa
dt suas rpidas, com aa mesraas laxas do paragrapho anterior e
mais 120 rs. for carro o : carracas. ,
5 tf. Licencas para abrir ou continuar a tor aberta qualquer
casa de negocu,"por grosso ou a retalho, de gneros nacionaes
ou estrangtircB, de compra ou venda, ou de qualquer industria
ou prolissao, lalvas as excepces da presento le no municipio
do Recife: 3 '/ sobre o valor locativo do predio urbano ou parte
d'elle em queestiver estabelecido,*omprehe:id;do no lancaraento
da decima uriana: 63000 nos lugares nao comprehendidos na
dcima e as lomis cidades e villas, c 33000 nos suburbios de
ontros nunic'i's .
I. Wani o prodio fr perton-onl-.1 a o don do estaDeleci-
raonto swir^jde base para a cobranca do imposto o lancamento
da docirfla
ll" Slumazens alfandegados, armazens de recolber ou depo-
sitbs d8Smeradorias' e eacriptorios de coasigfiacoes de gneros
nacionaes.00 estrageiros pagarao 5 por cento.
III. Atingencias- ou companhiaa martimas, commereiaes ou
industriaejs,:dgencias de vapores, as casas de vender billietes de
loteras rflmrao 20 por cento.
IV. pi&stabeleciinontoa que ja exista ao tempo u:i proni-
bico das-ffosturas municipaes e que se tem conservado com O
memo neifocio depois da prohibicao pagarao 30 por cento.
V Oi bancos, as casas uaucarias, eacriptorios ou agencias d.i _
opeiS&es le crdito MtifiO, AseuiloJudividuos que disso fa-
ekm prolissao. laiendo operaPeaTm emprestimoa do dinheiroa a
iuros, lettras. hypothecas, penhor. (ancas e adiantamento de rea-
nimen de emprenados 200*000.
As casas de cambistas pagar 1005000.
VI. As agencias, subagenciaa, succureal. corupanlna, eucar-
regadoa. correspondente ou preposto de companhias nacionaes e
ostrangeiras de seguros, pagarao 200*000; sendo de seguros so-
bre vidas, tambera nacionaes ou estrangeiras 500400).
Este imposto ser cobrado anda quando os oteresaados nao
aanundera pela imprensa o local onde sao ffectuados os con-
t fie tos
Vli Oa eslabelecimentos de apostas sobre corridas de ca-
vallos garao 2005000 no municipio do Recife e 50.3000 nos on-
tros mSicipios. alora do imposto do 63.
VIIL Os estabolecimeotos de apostas sobre bngas de gallos.
pagariOOOOOO no municipio do Recife e 20.30t.Kl nos outros mu-
nicipios; alm do imposto do 63.
IX Oa pavilhes ou circos de cavallinhos ou de companhias
eauestres, acrobticas, gymnasticas, etc., pagarao 500*000 no mu-
nicipio do Recite c 50*o00 nos outros municipios, alera do m-
POStXdoJestabclecimentos de exercicios gymnasticos, acrobti-
cos, de esgrima, tiro ao alvo, bolla, eic, pagarao 100*000 no
municipio do Recife e 20*000 nos outros municipios.
XI Os eatabelecimentos que venderem madeiras de pinUo ou
nualuer outra de procedencia cstrangeira.. pagarao 200*000 na
cidade do Recife e 20*000 as outras cidades.
Sil Ateasas de exposi ao de vistaT lyvoly, theatnnlio de
nhaotasmagona. quadros-vivos ou qualquer diveriimento do mes-
mo generoTom entrada paga, pagarao 30*000 as freguezias do
Rpcife 10*001! nos outros lugares do municipio e nos demais, e
*.u'nasvi'las epovoasOes, e quando os diveriimentos forera
fiitos em theatro ou circo j existente, pagaro apenas o imposto
do 64 por cada noite.
pagarua
deacougue pagarao 80*000 as freguezias do
o, S. Jos, 1" districto da Roa Vista, l'dis-
fe. Santo A'.tonio, o. juu, .'M'" *-"-
triclo de Alogados: 30SIXH) nos deinais lugares do municipio do
Recife, menos S. Lurenco da Malta, onde, bem como nos deraais
municipios, pagarSo 10*000.
\IV Oa escripterios de mdicos, advogados, solicitadores,
dentistas, agentes de leiles, agentes de locaco de servicos, de
correctores e de qualquV-r outra industria ou proussao pagarao
53000. ^ fabgcas de fogos de artificio ou individuo que os fa-
bricar, pagarao TO3001 no municipio do Recife e melado nos ou-
tr0S xvllAs'casas que venderem plvora ou qualquer outra ma-
toria'intlaoraavel, em lugares permittidos pela Cmara, pagarao
alorada laxa deste- paragrapho mais 20*000 as freguezias da
cidade do Recife e 10*000 as povoacOes do mesmo e nos outros
municipios.a s casas de negocios, que Tenderem por atacado ou a
retalho fogia artiliciaes, nacionaes ou estrangeiros pagarao alm
data deste paragrapho, 5'l*OO as froguezias do Recife e M*
nos demais lugares do municipio e cidade, e villas dos outro*
municipios.
KVIIL As casas de negocios que venderem por atacado ou a
rptsfno hebftlas espirituosas, pagarao alm da taxa deste para
eranho 3i)*00o nai freguexias do Recife e 15*000 daa demaia fre-
eias do mesmo c nos outros municipios.
XIX As casas de deoosito do plvora, nos lugares permitti-
dos pola tomara, pagarao 303000 no muuicipio do Recife e 10*
as demaia cidades e villas. ,,, n
XX Os ranchos, paga-o, as fregbezias da cidade do Reci-
te n'oa" lugares qa Cmara permitr 0*000 e nos outros luga-
res d. mohicjpi6%omwuen-li tas na decima urbana e as 11a-
desdosdema mmiicipios 10*000 e as povoaeoea fe estradas
fora do p^iinetro da dcima 5*000. .
XXI As sarape ras, ineam as que forera estabelecidas naa
casas de micho, pagarao 10*000 lora do nerimo.n k d,ido do
Recite ,res permilUdoa pela Cmara, e oOOO na- duOWia
cidades. villas e novo; cues. .
As 'MMi-eir-.s, que continuareis no Chora M nmo (ra do
rmnaT"7 L- Pa5,agem da Magdal na no municipio do Recite,
parf iilHOlleasV^1' estabel.xidas naa proximidades
s estradas de forro pagarao 5*000.
3XX_ 1,. qU tanda de fictas, doces c loucaa de
barr pagarto .10 i.unic.ip do Rocif o 23600 n is ^oa-
#es oe, 11 les os de us mu n-ipi '3 nada pagan lo aa ouitan-
"Sai r-.ll .da uaa janellaa das e.i is na- o-tr-i las.
XXIII.
estallle
girdXx'iV ;111 '",:i '*W na
cida lo .1 .
vv 11:, 1 is as p dode-
creU)-, i4. pagar o 500*000 na ci-
dade ,
goqjas da cidade
j^MUbs- ddilt fctcipio e as
XX
|<4 Id--.
OiABiTai' s de vei i' ^e ier >- de qual juer especie,
Hfgeiu das estradaa de ferro em cjnstrucc..>, pa-
XXVHI. As casas de banhos pblicos pagarSo 20* na cidads
do Recife e 5* naa demais cidadea.
XXIX. Oa mercadores de kioaques, alm da taxa deste par
garo mais 15* quandaJvederem bebidas espirituosas,
NXX. Os notis, restaurantes, botequins,.casas de pasto e
estabeleciment03 de igual natureza que quizerem cooservar-se
abertos at qualquer horada noite, pagarao 10J3 alm do impos-
to deste ijaragrapbo.
g 28. I.icepca para mascatear fziJas. perfumarias e mie-
dezas, sendo nacional 503 no nWnicipio do Recife e 100* nos ot-
os municipios.
lindezas eperfeuu,
noa^Wros ^waicfp,^Hi^^,"^^^^^^' 9RB\
t 30. Licenca para mascatear quirmilbaiius, objocto de IoU..
tcobre, sendo apcional 103 no municipio do Recife e 5* nos de-
ss municipios : e sendo estrangeiro 20* no municipio do Reci
fe e 10* nos outrosmunicipios.
31. Licenca para mascatear objeclos de ouro e prata e pe-
dras preciosas, sendo estrangeiro, 500* no municipio do Recife e
100-> nos outros municipios; sendo nacional 100* no municipio
do Recife e 30* noa outroa municipios.
32. Po.r caixeiro, commissano ou representante da casa de
coramercio ou fabrica estabelecida ho estrangeiro que vier coc-
tractar vendas e remessa de gneros de sua casa ou fabrica que
representa 400*, ainda quando nao annuncie nem faca exposico
publica de amostras.
33. Licenca para vender pelas ras bilhetes de loteras
2 i, exceptuados as inulherea e meninos invlidos.
5 3i. Por amolador, engraxador. carroceiro, boleeiro de
bonds o carros, jockey, conductor de bonda, conductor de mar-
motas, realejos e outros objeclos de divertiraentos pblicos, ven-
dedor de figuras de gesso, bonecas, estampas, phosphoros. quin-
quilharias ou qualquer industria que exerca as ras da cidade
do do Recife e seos suburbios 65 e nos demais municipios 3*000
35. Por capataz 85, por magarefe 35 e por tathador 6*000.
36 Licenca para soltar fogos de vista 30*. na cidade d
Recife, as ras qua a Cmara designar, e metade nos outros lu-
gares do municipio e nos demaia municipios.
27. Licenca para soltar fogos do ar, 153 na cidale do Re-
cife. as ras que o cmara designar, e 8* nos outros lugares do
municipio e nos demais municipios.
38. LicencaTkra armar corlos, fincar postes para arcoi
ou embandeiramentOi para festas emquanto estes durarem, cum-
pridas depois as-clausulas das posturis, 5* as freguezias da
cidade do municipio do Recife e 2* nos outros lugares do mesme
municipio e as cidades e villas dos demass municipios.
39. Licenca para armar barracas em lempo de festas. em-
qnaoto estas durarem, 55 naa freguezias da cidade do municipio
do Recife e 23 nos outros lugares do mesmo municipio, e as
cidades e villas dos demais municipios, pagando alm disso o
imposto de n. 17 do 27, quando veodereni bebidas espirituosas.
S 40. Licenca para montar e ter guindastes nos caes de
qualquer freguezia da cidade do Recife, no3 lugares que a C-
mara permitr 10*000.
S 41. Licenca para armar barracas c quitandas, 8* as fre-
guezias do minicipio da cidade do Recifa e 100 rs. por feira nos
outroa tugases, cidades c villas determinando a Cmara os luga-
res e approvando os modelos, nao prejudicando a empreza de
kiosqoes.
S 42. Licenca para collocar taboletas ou inscripres (ne
comprehendidas'as pequenhas indicajea eacriptas ou postaesj
53 as freguezias da cidade do municipio do Recife, 3* nos ou--
tros lugares, cidades e villas.
S 43. Licenca para usar armas de defoza, ontida igualmente
a li enea da polica 205, multados no dobro os contraventores,
alm diis p>r/!r3 em quj ineorrerem
g 44. Licenca para edificar, tendo havido demolico com-
pleta, alm do imposto de armamento, quando fr dada cordea-
co 3'JO rs. por metro quadrado da rea oceupada, a razio de
cada pavimento, as Treguezias da cidade do municipio do Re-
cife ; 10) rs. nos outros lugares do mesmo municipio e as cida-
des villas dos demaia municipios, e 20 rs; as povoacOes dos de-
mais muuicipioc livre do imposto do 53.
?, 4j. Licenca para substituico de linha e travs as cober-
las das casas, 5* naa freguezias da cidade po municipio do Re-
cife. 25 nos outros lugares do municipio e as cidades e villae
do3 demaia municipios el* as povoages.
g 46. Licenca para fazer cornija, parapeito. reboco exterior
no predio ou internar as aguas, 4s as freguezias da cidade do
municipio do Recife, 2* nos outroa lugares do mesmo municipio e
as cidades e villas do outros municipios e -13 as povoaces.
47. Licenca para rasgar, tapar ou mudar varanda,. porta,
janella no exteflr do predio. 4* as freguezias da cidade do mu-
nicipio do Recife, 25 nos outros lugares^do mesmo municipio c
as villas e cidades doa demala municipio.
S 4. Licenca para mudar ou collocar soleira e degros, ver-
ga e bandeira d cada porta ou janella exterior, 2* as freguezias
da eidade do Recife.
I 4'.'. Licenca para construir muro, alm do imposto do ar-
mamento, quando seja preciso cordeacao, 80 ris por metro cor^
renle as freguezias da cidade do municipio do Recife e 30 rts
nos outros lugares, villas e povoacea, pagando as cercas apenas
o imposto de armamento.
g 50. Licenca para os particulares fazerem excavarles as
ruas'dus freguezias da cidade do municipio do Recife, para cana-
lisar agua ou gaz 45, devendo repor a ra no seu antigo estado,
sob pe 1a de pgarem a multa de 1O60O.
51, Licenca para qualquer obra ou concert nao especifica-
do nos oaragraplios anteriores, 3* as freguezias da cidade do
municipio do Recife, 25 nos outros lugares do municipio e nag
cidades e villas doa outros municipios.
52. Licenca para ler empanada. Revendo ser cojlocada de
modo que nao empate o transito pelas ealcadaa, se for lixa, 8* na
cidade do Rtcfe e 4.5 nos outros luyares do municipio e as de-
mais cidades, se for volante, metade da laxa.
53 Licenca para armar andames 55 na cidade do Recife e
2* as demais cidades.
j, 54. Licenca para collocar as ras 8 caes materiaes para
conslmcces emquanto se lizerem obras, 10*060.
g 55. 30' ris por metro corrente de arruamento, quando a
cmara tenha de dar cordeacao naa freguezias da cidade do mu-
nicipio do Recife. 200 ris nos oulros lugares do municipio e as
cidades dos demais municipios e 100 ris as villas e povoacfies-
56. 100* por casa de sobrado que conservar varauda oe
sacada de raadeira, as fregueziae da cidade do municipio do Re-
cife.
57. 20* para casa de sobrado cujos quintaes deitempara
entras ras, beccos. iravessas. pateos, prajas e largos, e naoes-
tejam murados na altura da pavimento terreo, e 10* por casas
torreas naa mesmas condices as freguezias da cidade do muni-
cipio do Recife.
Jj 58. 2 '* por casas naa ras j calcadas, as freguezias da
cidade do municipio do Recife, e que nao tiverem os passeios cor-
respondentes no mesmo aliohamento dos que j tiverem sido eje-
cutados de confjrraidade com as posturas municipaes.
jj 59. 500 ris por iiyitro corrente de terreno nao murado as
freguezias da cidade do Bunicipio do Recife, comprehendendo os
terrenos alagados.
g 60. 4005 por cada casa que se edificar ou reedificar contra
aa'posturas muuicipa>s naa freguezias da cidade do Recife, muito
embora a cmara nao tenha podido obrigar judicialmente a sai
demolico, 200* nos outros lugares do municipio e as cidades e
villas dos d Miis municipios.
61. 55 indcoendente do imposto do paragrapho anteceden-
te, por cada quarto ou habitaco das construe'ces denominada'
corcoa> na cida It do Recife, que sejiiu construidos as frentes,
quer uaa fundos ou no centro dos terreno, 3* nos outros tu^a-es
muuiciio e as cidades e villas doa outrus municipios.
'Todoa os corticos que forem edificados, a datar da presente
lei em diante, pagarao na cidade do Recife, alm do imposto de
57, 23 por metro quadrado de terreno oceupado .e uieade nos
outros lugares do municipio, e as cidades e villas doaoutnw
municipios. *
g 62. 50 por casa de ueiroeio de vender molbados 110 mura
, cipio do Recife, que conservar rotulas em qualquer de aua
P0P OJ 2d ueeala.comla noa eslabelecimentos de corridas
de eavall -. e le briga do gallos, e por ,sj*f
cavallml. s no 1 do Recife, 10* nos BemaM municipios.
Cbrs' 64 &r'ilf Sto -noucircft
com
2*11
cenca
- v



Diario*de Pemambueo- vta-eira 9 de Agosto de l*.S9


-;


1)IA
"6
Sr.
Sr,
DESPACHOS DA PEBSTBEHCIA DO
DE AGOST* DE 1839
Adolpho Firmo de ORwira. Informe o
director geral das obras publicas.
Conrado Francisco de Oliveira.Sun, pagan-
do as comedorias. ,
Joo Barbalho Ucha Cavalcante. Concedo.
Jaruaria Nunes de Oliveira. Junte certldo
de casamento.
Leonor Porto.Offlcie-se a companhia.
Maria da Conceigio Camello.-bsume
inspector do Thesouro Provincial.
V Euclides Alr Requiao.Sira, iBician
do-s Tbesouraria de Fazenda.
Joaquim Firmo de liveira. Ao Sr. inspector
do Thesouro Provincial para ordenar o pagamen-
to de|l:254 699.
Luiz Bernardo Castello Branco da Bocha.
Com o prazo de lO'-dias para a vendadas cao-
aas a que refere-sao suppiiraaie.
Lopes Ferrao 4 C da Alfandega atim de permittir a despachar as
1,000 caixas de farinha, encommenda do presi-
dente da Parahyba.
Manoel Antonio lAdmy. Exped hoje tele-
gramma ao Exm. Sr. ministro da fazenda de
harmona com o aviso de 10 de Janeiro de 1880
Secretaria da Presidencia de Pemam-
bueo, 8 de Agosto de 1889.
O porteiro,
Francdino Chacn. m
Fer-
da
Severino
lepartico da Polica
2. eccao N. 955S&retsjia de Po-
lica de Pemambueo, 8 de Agosto de 1889.
Ubi, e Exm. Sr.Participo a V. Exc
que .forata tontera recolhidoa a Caaa de D-
tencao, 03 seguintea indrooMOs:.
A ordem do subdelegado da freguezia do
Recite, Jos Joaquim de Sant'Anna e Jorge Arito
io. por: disturbios.
A'ordem do da rfreguazia de Santo Antonio,
Cvpniano Francisco Martins dos Santos e Anto-
io Jos dos Santos, como gatunos : Nicolao de
tal, por embriasuez e disturbios.
A' ordem do do 2o districto da freguezia de
S Jes^Manoel Jos do Carmo e Euzebio 1
reir do Nascimento, por disturbios
A'ordem do do Io districto da freguezia
Boa-Vista, Jos Francisco ide Lima
Caetano da Costa, por disturbios.
A'ordem do do 2 districto da freguezia do
Po?o da Panella, Joaquim de Menezes, por dis-
Communieou-rae o delegado do ter.uo de
Quipapa, que no lugar Estivas, daquelle ter-
mo travando-se de razoes os individuos de no-
mes Vctor Manoe! Mathias, Pantaleao de tal,
Anna Francisca da Conceigo. Candido Jos e
joaqmim de tal, resuitou da lucia sahirem gra-
vemente ferido* Atina Fraucisca da Conceigo,
Candido Jos e levemente Mara Francisca da
Conceigo e Joaquim de tal, logrando evadirem-
se o*enquentes. '
O delegado tomando cor.hecimento do tacto
fez proceder vistori* nos ofendidos e abri o
competente inquerito policial e diligencia cap-
turaros mesmos criminosos.
Deus guarde a V. ExcUlm. e Exm.
Sr. Oonselheiro Manoel Alves de Araujo,
muito digno presidente da provincia.O
ebefe de polica Geroncio Dias de Arruda
Foleto.
o Sr. conselheiro Francisco de Albuquerque; e
membros effectivqg, Ernesto Madeira Pinto, Agos-
tmho Lucio da Silva e Dr. Gabriel de Freitas;
supplentca, Joo Felippe Troca e Cesar de Oli-
veira.
Preside assemblea geral o Sr. conde de S.
Januario, tendo por secretarios os Srs. Jos An-
tonio Alves de Carvalho'e Annibal Arthur Mo-
raes Soares.
Diz o Jornal do unmerao, da corte, que a con-
ferencia martima-stnmninnai, que se reunir
a 10 de Outubroom Washington, por iniciativa
do governo dos Estados-Uaidos, enaqual sera
representado; o.Brazil porespeciaes delegado,
nameados de entre a classe da armada, ter por
tiur considerar as questoes seguintes :
I Rever e reformar as legras, rejulamentos
e praticas conceruentes aos navios oo mar e a
navpgafo em geral, bem oorao o codjgo inter-
nacional de signaos por rneio de bandoirasejde
aranaes de noiie;
II. Adoptar um systema uniforme de signaes
martimos ou outros meios de indicarem com
clareza a direccSo em que os navios se moverem
em nevoeiro, neblina, chuvade nev e mo lempo
e durante a noite;
UL Comparar e discutir os varios systemas
empregados para salvar de naufragio a vida e a
propriedade; para noticiar, assignatar e remo-
ver destrogos perigosos ou obstculos i navega
cao; para designar navios e traolmitlir aos na-
vegantes, e s pessoas interessadas, avisos de
tempestades prximas, perigo de navegaco, mu-
danca de phares, de boias e de quaesquer marcas
usadas de da e de noite, e outras informaces
importantes ;
IV. Organisar e submetter ratiticacao dos go-
vernos de todas as nac6es maritimas regulamen-
tos|internacionaes proprios para prevenir abalroa-
meatos e outros desastre martimos que possam
er%ritados.
Maisj?enero*p nao ptderia aer o programma
de conferencia.
O extraordinario desenvolvimento da navega-
ct nos ltimos aaaos torna do raaior interesse
para o bem da hanlaiiidade a adopeo de regras
e praticas ihternacionaes, que tendam a rodeiar
com todas as possiveis garantas c|precauc6es a
seguranca da vida e da propriedade a.todo o mo-
mento confiadas pericia dos homens do mar.
Acreditamos e vivamente desejamos que a utfl
obra da projectada conferencia nao ache oo seu
caminho susceptibilidades e divergencias capa-
zes de retarder-lbe ou embaragar-lhe a saudavel
influencia.
Vai n'isto interesse da humanidade, que todas
as naces devem aotepor questiuoculas de pri-
mazia e a todos impetos do amor proprio.
passarao a serude 7 %> p^ra o que sera augmen-
tada a verba respectiva.
Revogadas as disposicoes em contrar;
Paco da Assemblea Legislativa ProfiDcial de
Pemambueo, J9 de Junho de 1889. Sarao ae
taputumi, presidente.Francisco Phaelante da
Cmara Luna, 1 seereejrio.Jucaicio Tocia*
Mariz, J secretario.
azQHi 5o aunos que foi sanecionado e publicado casos terminantemente comprekendiios na legisla-
*\Acto Addicional a Cnstiluicao Poltica do Im- -
), le eminentemente liberal, que proQuroo
oeustituir o paiz as largas bases daSautonomia
das provincias, dando-Ihes vida propria e fo-
mentos de progresso.
Fasem tambem, no dia U do corrente, 22
Volte a Assemblea Legislativa Provincial. annos que se ferio no Paraguay o combate de
Anntveraario* No dia 12 do corrente mez
priscs. que nao devem effectuar-se seno nos
IMIISTRIAS E ABTES
Foi installada na corte urna
agronoma, que funecionar com o
FINABAS E C0M1ERCI0
0 commercio externo da Franca durante os
primeiros cinco mezes do corrente auno, e prin-
cipalmente no mez de Maio, tem tido urna dilie-
reBca extraordinaria para mais do que em igual
periodo do anno passado, como evidencia-se dos
seguintes dados:
Importarlo DilTerenca
em!889 para 18 88
Francos
Janeiro......... 30o. 183:000
Fevereiro--
Marco......
Abril.......
Maio.......
Janeiro
Fevereiro. -.
Marco......
Abril......
Maio
372.148:000
378.467:000
337.973:000
384.186:030
Exportaco
em!889
Francos
229 512:000
259.865:000
303-123:000
312.894:000
317.840:000
-1-
-1-
-1-
-1-
-I-
Francos
23.237:000
3.090:000
2.285:0 32.569:000
123.110:0 0
DifferenQa
para 1888
FranrosU
19-674:000
1.015:000
12-947:000
30.833.000
77.599:000
OU........... .^w.-~~ -------------- -
A importago e exportaco relativas ao mez de
Maio, pos. excedem os resultados isolads i
escola de
titulo
deAsyl de Orphaos Princeza Isabel
em homenagem a S. A. Imperial.
Os installadores est2o trabalhando para
ver se conseguem inaugurar a escola no
Ha 15 de Agosto.
*
Est funccionando com toda a regulari-
dade o engenho central de Paquet Na
visita ltimamente feita a este estabele-
cimento, pelos representantes da imprensa
da corte e muitos convidados, foi escol-
ente a impresso geralmente experimen-
tada, sendo effectivamente da melhor qua-
lidade os productos do engenho.
* *.
Em Friburgo, da Suissa, a vaccinacao
do gado contra o carbnculo symptomati-
co deu resultados muito apreciaveis de
1884 a 1888.
Estatistica organizada por Strebel pa-
tntela que, em quanto a mortandade foi
de 491, ou 2,34 em 21,000 animaes nao
vaccinados, nao excedeu de 15, ou 017,
em 8",641 vaccinados.
A media perda annual foi, pois, 14 ve-
zcs maior nos no-vaccinados do que nos
vaccinados.
Os nossos criadores ligarito sem duvi-
da a esta noticia o interesse que ella para
inspirar.
Contina em Pars, diz o Jornal do*
Commercio, de Lisboa, o leilo da nota-
vel galera de pinturas do banqueiro Se-
cretan, que foi victima, como se sabe, do
Nao consulla o estado llnanceiro da provincia
a maior taxa de juros que .nrecea a .jfaaeute
resoluco.
A provincia *nxigou-e,a 8avliar a estrada
de ferro do Riboiro a Bonito com a subvenco
kilomtrica de.WWOOBO.e pelo ultimo Eelaio-
rio publicado, ja, havia eUa-Mgo 117:O0ilMOa.e
agora que a le geral n. 33*7de;a4 de Noveorto
de 1888 em seu art. 7, l Io puxjurou proteger
emp-esa e alliviar os caires. provutfiaes, con-
cedeudo Ihe garanta de juros/nao wecajMlo
e opportuno sobre**reg% itiMniM^i itfaafl1
com pagamentos superiores scontnburOes-an-
teriores citada lei, obligando a a maior taxa de
juros do que a estipulada.
Palacio da Presidencia de Pemambueo, etn b
de Agosto de 1889. Manoel Alves de Araup.
Acto offlclaeaPor actos de 28 de Ju-
nho :
Foi reintegrado no cargo de ajudantedo pro
curador dos *utos da fazenda provincial no mu
nicipio de Nazareth, o bacnarel Jos Mara Car
doso, em substituico do haeharel A/thur da
Silva Reg, que foi exonerado.
Foram nomeados para igual cargo os muni
cipios de Palmares, Itamb. Garuar. Bezerros,
Cimbres, Barreiros, Rio Formoso, no d'Alho.
Escada. Cabo, Villa Helia, Garantais e Flores-
ta, os promotores pblicos hachareis Eutropio
Goncalves de Albuquerque Silva, Julio Pires
Ferreira, Ricardo Pereira de Faris, Jos da Sil-
va Ramos, Hettalano de Oliveir Torres Callin
do, Ayre* de#buquerque Bellp, Francisco San-
tiago Rumos, Marcolino Ferrewa lima, Sergio
Diniz de Mfllo, Severiano do Reg Claves Paixoto, Joa-
quim da Costa Ribeiro Filho e cidaijo Pirmino
Gomes de Menezes, na ordem de sua collocacao
ficando exonerados os que exerciam os mesmos
cargos.
Fi considerada sem effflito a portara de 28
de Maio do corrente anuo, pela qual foi Hornea-
do o hachare) Jos Carlos layrink Pires Nabuco
para exercer no municipi do Brejo o cargo de
ajudaute do procurador ios feitos da fazenda
provincial, nomeando-se pira dito cargo o pro-
motor publico bacbarel Eutropio Pereira de
Paria.
dem a 4 de Junho, peli qual foi nomeado o
haeharel Belisario Alves do Britto pata o cargo
de promotor publico da comarca de Boa-Vista
na qual foi reintegrado o edado Antonio Joa-
quim dos Santos Mangabeira.
Foi demittido o promotor publico da comarca
de Goyanna, e nomeado pai substitnil o o ha-
eharel Nilo Cahet Pereira di Andrade.
Foram demittidos os hachareis que exerciam
igual cargo as comarcas de Jaboato e Victo-
ria, Antonio Au4Tisto Cardos de Castro e Joo
Vicente^Pereira Dutra.
Foi reintegrado Antonio ic Lemos Vascon-
celos no cargo de collector provincial do muni-
cipio de Caruar, do qual foi aemittido Joo Izi-
dro Paes de Lyra.
Foram concedidos ao secretario do.presidio de
Fernando de Noronha 3 mezes de liceoga, com
vencimentos, para tratar de sua sade.
Foi nomeado o cidadao .n|onro Joaquim dos
Santos Mangabeira para o car|o d delegado do
districto ytterario ue Sania Mina dJJoa-Vista,
ficando exonerado do mesmo o cidadao Alcino
Kabello de Amorim.
Foram consideradas sem effto as nomeacoes
de auloridades policiaes para t disHicto de Ti-
gipi, do termo de Jaboato.
Creou se neste termo um 3."*districto de sub-
delegada.
cada um dos mezes precedentes do corrente anno u|tm0 desequilibrio que bouve no merca-
ii inrintim ao mesmo tempo um valor muito ,____,___^
e apresentam ao mesmo tempo
superior ao dos ali'arismo3 relativos a Maio de
Se examinamos agora o estado dos gneros
comrantados durante os cinco mezes chegamos aos
dous quadros seguintes:
Iinportaco
Fr.
587.969:000
905.462:900
-1-
Differenca
para 1888
Fr.
17.388:009
86 .-681:000
Gneros
Gneros alimen-
ticios ......
Materias primas
Productos fabri-
cados........
Outras mercadu-
ras..........
Total... 1.777,!).7:00;) -1- 119.253:000
Na rmportaco o augmento sente-se principal-
mente na cathegoria das materias primas; e quan-
to exportaco, temos o segante :
, Differenca
Exportaco para 18'88
Francos
293 343:060 -I- 9.932:000
* 49.183.000 -1- 5.252:000
303 804 000
301-869.000
-!-
723.533 000 -1-
-1-
41.338.000
27.290.000
63.410.000
12.000 000
Francos
Gneros alimenti-
cios..........
Materias primas -.
Productos fabrica-
dos ...........
Outras mercado-
as........... 90.328.000
% *
Realizou so a 31 de Maio a assemblea geral
dos accionistas do English Bank do Rio de Ja-
neiro, sob a presidencia do Sr. Charles Carring
ton. Espoz o presidente que, Murante o anno
transacto tinham sido importantes e lucrativas as
operaces do bauco, tendo os lucros lquidos ex-
cedido em cerca de 10.000 os de qualquer ou-
tro anno anterior.
JAchou, porm, prudente a directora a vista
da liquidaco D. C. A. Azambuja 4 C, reservar
mais urna quantia de 25,000, era previsao de
pendas possiveis. Ficando reduzida actualmente
a divida era questio a 32,000, era de esperar
nao se ouvisse mais fallar no anno que vernwa-
quelle malfadado negocio.
Com a addico actualmente effectuada de
110,000 ao fundo de reserva, eleva-se o dito fun-
do a 150.000, das quaes nao ha necessidade
delancar mo para conlrabalanear qualquer
depre.-iaco no capital empregado no Brazil.
Foi votado um dividendo de 10 bU, por aeco,
prefazendo 8/.ao anno.
#**
O Diario do Govemo de Portugal publicou os
estatutos da Companbia Portugueza dos Cami-
nhos de Ferro Africanos.
E' urna sociedade que tem por fin construir e
explorar o caminho de ferro de Bengalla e Ca-
tumbella com os direitos e garantas com que,
foi concedido ao Sr. Descree Eduardo L. Braga,
e outros quaesquer caminos de ferro e vas de
eommunicago em frica, cujaj concesso a
companhia venha a obter.
O capital social desta nova empreza de 200
contos. representado por 2:000 accoes de 100*000
ris cada urna, mas pode ser elevado at 8:000
contos. ,. .
A admiuistracao da companhia i composta de
um conselho de cinco membros, pelo meaos, ou
o mximo de treze, havendo um alministrador-
delegado em Lisboa e ostro em Benguella, es-
tando ja nomeados respectivamente os Srs. Jos
Maria Pereira Lima e Eduardo Bra,;a.
do ia cobre.
A importancia dos quadros vendidos na
terga-feira ultima, diz um telegramma,
subiu a 3,600,000 francos.
Um dos quadros vendidos original do
pintor francez Millet, e foi adquirido para
o musen do Louvre por 552,000 francos.
O museu fez um verdadeiro sacrificio
com a aequisijao deste quadro. Mas, afi-
nal, a obra prima do celebre pintor fran-
cez nao tica em Franja, apezar de ter
sido adjudicada a mr. Proust, representan-
te do governo d'aquelle paiz. A demora
do processo parlamentar obstou a que fos-
se approvado as duas cmaras o projecto
de lei apresentado pelo governo para se
adquirir o quadro, e eis quo vae ser en-
tregue aos americanos, e fica pertencendo
American Art Association, de Nova-York,
qual veio a caber a honra de dar pela
obra os noventa contos de reis da adjudi-
cacao.
Guardado est o bocado...
O ngelus vae ser posto em exposicao
durante dois mezes em Paris, antes de ser
enviado para a America.
A receita que produzirem as entradas
ser integralmente applicada a urna ins-
tituicao de beneficencia nacional franceza ;
ser esse o agradecimento da America
Franja por tl-a deixado levar o quadro.
6 coDseloo de at
Srs. conselheiro Bar
Alfredo de Oiiveir Souza I
Reis e Souza, Consta.
administradcres-delegadoi
do conselho Rae* azem par
dos
ito dos
REVISTA DIARIA

ii'in devolvidaDa Secretaria da Presi-
dencia nos foram remettidas para publicar as se-
guintes leis que nao mereceram saneco :
A Assemblea Legislativa Provincial de Pemam-
bueo resolve :
Artigo nico. Fica o presidente da provincia
autorisado a aposentar o empregado da Santa
Casa de Misericordia do Recife, Francisco de
Souza Reg Monteiro com seus actuaes venc
mentos.
Revogam-se as disposicoes em contrario.
Paco da Assemblea Legislativa Provincial de
Pemambueo, 29 de ,'ulho de 1889.Pardo de Ita-
pissuma, presidente.Francisco Phaelanle da C-
mara Lima, 1 secretario. Juvencio Taciano
Mariz. 2o secretario.
Volte Assemblea Legislativa Provincial.
A lei n. 581, de 9 de Junho de 1862, que ap-
provou o compromisso da Santa Casa de Miseri-
cordia, dispOe no seu art. 2o que 03 emprega-
dos di; qualquer cathegoria que percebem ou
perreberem retribuico annual, so sero admit-
idos por contracto e no art. 3o 3o que nao Ibes
sero applicaveis quaesquer disposicoes das leis
Sue coocedem aposentadorias e jubilaces aos
iioccionarios provinciaes.
Se a aposentadoria urna vantagem com que
contara os empregados provinciaes, nao podem
della socorrerle funecionarios. qoe encootram
positiva prohibico na lei orgnica que lfasdeu
existencia.
Palacio da Presidencia de Pemambueo, 6 de
Agosto de 1889. Manoel Alves de Araxjo.'
1 Assemblea Legislat, tal de Pernam-
resolve :
o unc. ^^B| que trata
Julho de 1885,
Foi exonerado o alferes comnandante da !.
estaco da guarda civica e reintegrado no mes
rao posto Joo Pi da Silva Valenya.
Foi reintegrado no posto de alferes coraman-
danle da 3. estaco da guardajsmca, que se
achava vago, o cidadao Franqueo da Co.-ta
Ferraz.
Foram demittidos os alferes commandantes
das 2.*, 4." e 5.' estajees da mesma guarda, e
nomeados para substituil-os os cidados Fran
cisca-LaurtntiWereira de Cirvalho, Manoel
Gomes de Figueiredo Castro e Manoel do Nasci-
mento Borges Leal.
Foram demettidos todos os ofuciaes do corpo
de polica, a cxcepco de Sebastiao Floro do
Reg e Francisco Pereira do Lago, que foram
reformados
Foram nomeados para o mesmo corpo os se-
guintes ofliciaes :
Estado-maior:
Tenente secretario, Francelino Manoel de San-
ta Rosa.
1." companhia: tenente Manoel Joaquim de
Mendonca; alferes Francisco dos Passos Bantista.
2." companhia: capito Jos Vctor de S
Brrelo; tenente Pedro Baptisla Carneiro.
3.' companbia: capito Jos Joaquim Kezerra
de Mello ; alferes Demetrio Herraili Ua Costa;
alferes Goncalo Accioly Lins.
4.* companhia: capito Antonio Carlos dos
Santos Mergulho; tenente Joaquim Mauricio
Wanderley; alferes Aureliano Cassiano Bezerra
de Mello; alferes Francisco de Oliveira Va-
lenca. (
5.* companhia: capitSo Joo Manoel da Silva
Carvalho; tenente Jos Ferreira Dotra: alferes
Elias Baptisla da Silva Costa ; alferes Wallrido
'.afheiro da Cunta Miranda.
6.' companhia : capito IldeShso Vieira da
Cunha ; alferes Carlos Lopes Nogueira Rosa.
7. coraprnhia : capito Antonio Cesario da
Silva Brazileiro Filho ; alferes Galdino Jos de
Mello; alferes Genuino da Oliveira Cavalcante,
Foram reintegrados nos respectivos postos os
seguintes ofliciaes :
Estado-maior :
Tenente-ajudaute Sezinando Carlos TArce :
tenente quartel-mestre Jovinano Jos de Albu
querque.
l. companhia : capito Jos TheotoniJ Perei-
ra de Carvalho; alferes Josino Alexandre de
Oliveira.
2.* companhia : al reres Jos Rabello Padilha ;
alferes Manoel Gabino da Silva.
3.' companhia : lente *>ao Pires Ferreira.
6.* companhia : tenente Antonio Jos de Sou-
za ; alferes Joaquim Eduardo de Godoy e Vas
concellos.
AMMOciacao CommercialBeneflcen-
leHoje, ao'raeio dia, devem reuoir-se era as-
semblea geral os membros da Associaco i:om-
mercial Benelicente para ouvirem a leiturado
relatorio da administraco actual e elegerem a
nova directora para o anno de 188990.
rdalas Mecbanleon e Llberaen
Hoje, s 7 horas da noite, os coorades da Im-
perial Sociedade dos Artistas Mechanicos e Li-
beraes devem reunir-se em assemblea geral
para tratarem de assumptos de interesses geraes
da Associago.
A Epocba-Com este titulo appareceu hon-
tem o primeiro numero de um jornal, que pre-
tende ser o genuino interprete dos sentimeotos
do partido conservador, tanto que se diz seu
orgo.
Nao traz, entretanto, nentmma indicagao sobre
o modo como se constituio orgao dosse partido,
nem ao menos faz connecida a sua direcco e
redaego, responsavcl peraote a opjnio.
Divergente da maiona daquelle partido, como
se deprehende do seu artigo de airesentago,
sua orientago fazer incriminacOep ao passado
gabineta de 10 de Margo, e especial c particu-
larmeme ao presidente desse gablnetLo conse-
lheiro Joo Alfredo Correia de Oliveira, digno
chefe do pariido em Pemambueo.
Tanto basta para que se coroprehenda ser um
frucio serodio, mal vindo, c fra de proposito,
guando ja nao governa aquelle gabinete e at j
foi apeiada do poder a situacao que elle cncar-
nava e representava. ^
Afora esses senes que osMsinam A Epocka,
inteiramente divorciada da epochs actual, o novo
jornal bem escripto e promette lutas \alentes
no campo poltico, flm exclusivo que parece
visar.
Que viva mais do que as rosas, queremos di-
zermais do que a campano eleitoraltal o
nosso desejo. saudando o novo collega.
Cora** Jurdico*Anjanh, 11 de Agos-
to, fazem 62 annos que foram creados os cursos
os de Olinda e S. Paul, hoje Faculdades
de Direito das mesmas denomtnaces.
-sa urna data sempre ooamente saudada
pela mocidade acadmica, que nella commemo-
ra o inicio da vida intellectual da patria pelo cul-
tivo da sciencia do direito.
Peribebuy, em que foram vencedoras as bostes
brasileiras.
(Htlciramm*-Fomos hontem obsequia-
Dos como seguinte telegramma :
Baha* 8 de Agosto, s 9 h. e 5 m. -Ua ma-
nna.
O J>r.>Seabra far sua primaira conferencia
no diadl-do coi rente.
Sua candidatura tem;deftpeftado uiaa syiu-
pathia.
THaaaro Nanfo AJUunioAiiianh A
sceua, 4MMSC theatro a knda opereta 0 Periqui-
to, que quando pela primeira vez foi representa-
da grande successo con:eguio, sendo agora nes-
ta repetigSo substituida a actriz D. Helena Bal-
samo no papel de Periquito pela Sra. D. Ali
vert, que saber-lbe-ha dar o devido desem-
penho.
loma pacle.no espectculo o Sr. Jtocia no
papel do Liborio, seudo assim de esperar urna
verdadeira noite de prazer para o publico e de
xito para a empreza.
Loja dan Entrenas Para'esse importan
te estabeleciraento de duendas, ra Duque de
Caxias, acaba de chegar urna verdadeira novi-
dade em objectos proprios para enxoval de bap-
lisaodos ; bem como um sorliinento explendido
de capas c visitas para senlioras.
E' occasiao de ser visitado o mesmo estabele-
cimento, cujo proprietario muito estimar.
O seaado Estados-UnidOs
N'uma folha^do sul l se:
- Cota assemblea foi osfceatro doua sceua
escandalosa coino nunca se tornara a ver depois
que o senador oSmmer, de Massachvselts fra
assallado e ospancado na sua cadeira, onde n
deixaram por morto, por ter atacado a institu
cao particular, termo eupliemislico com o qual
era designada a escravaiura.
O senador i.haadler, de New Hampshire, pre-
sidia e propunha que fosse lido um certo rela-
torio O senador Blackburn, de Kentucky, op-
punjia-se, apresentando duvidas sobre a veraci-
dade do presidente.
Nao me deixarei intimidar, disse o presi-
dente, por um guarda de escravos de Kentu-
ckyt
Blackbuin, livido de ira, dinge-se ao presi-
dente, e como este conlinuasse assentado :
Nio Ihe batere, diz elle, porque um co-
varde, mas posso mostrar-lhe como o desprso
dando-Ihe um puxao deorelhas.
E dito e feito.
Um senador ptssente :
J que o digno presidente nao teve a cora-
gem de.reagir, honra e a virilidade ordenara
ao Sr. Blackburn que se torne a assentar.
E a esso continuou socegadamente.
Kociedade Eitteraria Cioacalves
Dasoh a presidencia do Sr. Fonseca e Sil-
va Filho. funecionou hontem essa sociedade
Na hora do expediente foram nomeadas com-
misses para representarem a sociedade na ss-
so magna do Gabinete Porluguez de Leitura.
e assi8tirem ao desembarque do Sr. Conde d'Eu
em correspondencia nos convites daquelle Gabi-
nete e do Exm. Sr. presidente 8a orovincia.
Em seguida foi empossada a nova directora.
Depois teve lugar o jury histrico sobre..tfurta
Antomette, servindo de promotor o socio Jos
Wanderley e advogado o Sr. Araujo Filho e
em rebultado da discusso, foi absolvida a
personagem, havendo porm appellagao para o
supremo conselho, e levantndole a sesso logo
depois.
Juico do el velHontem assumio o exer-
cicio de juiz substituto dessa vara o Dr. Beni-
cio Tacares, cujo escriptorio ra do Impe-
rador n. 48 Io andar.
Bibllotneca 1,'iiivcrsalRecebemos a
Dama das Camelias, parle dessa biblioteca, que
o proprietaoio da Livraria Quintas dignou-se de
offerecer-oos.
Agradecemos o obsequio.
Tnesoureiro da Cmara Munici-
palFui nomeado para exercer interinamente
esse cargo o respectivo iiel Joo Antonio Mon
teiro. _
Club ,Ittterarlo Martn* Jnior
Funecionou hontem esse cliib, sob a presidencia
do Sr. Joo Monteiro, em sesso ordinaria.
Foram propostos e acceilos para socios efie-
ctivos os Srs. Genuino Amazonas de Figueiredo,
Arthur de Miranda Castro, Paulo o* Freitas Fra-
goso. Malaquias Gongalves da Rocha, Masoel
Paulino Cavalcante de Albuquerque e Paulino
de Souza Limeira.
Foi nomeada urna nova commisso para con-
fecgo dos estatutos, composta dos Srs. Miguel
Cysneiro (relator), Souza Filho e Ernesto Santos
(membros).
Foi levantada a sesso e marcada outra para o
dia 22, em qu tan de ser julgado o oersonagem
Scylla, sendo aecusador Joo Quental e advoga-
do Joo Pina.
CapturaNo lugar Mucurana, districto po-
licial da Boa Vista, fokreso hontem Joo Au-
gusto de Souza, contietido por Tingue-Tingue,
autor do assassinato de Marcellino Jos do Patro-
cinio, facto occorrido no dia 3 do corrente no
largo do Mercado de S. Jos.
Eimoeiro Escrevem-nes d'essa cidade :
Continuara as violencias da polica n'esta
comarca, onde toda a sorte de arbitrariedades
tem comraettido o actual delegado.
O infeliz que tem a desventura de acorrer
as suas iras, deshumanamente espancado e
depois de passar tres, quatro e mais dias n'um
troncoque ha no engenhoGuabirabare-
sidencia d'aquella autoridade, vem para a ca-
deia a pretexto de ser criminoso em comarca di-
versa I E' incrivel! I
Raro o dia era que nao apparecem graves
queixas contra esta polica, que abusa do poder
para desforcar-se de velhas e raesquiohas de-
saffeigOes! I .
Das 6 horas da tarde era diante quera faz o
policiamento da cidadeda qual morara mais
de 3 leguas o delegado, subdelegado e cora-
mandante do destacamento um sargento e
o cabo Amaro, celebre na hecatombe da Victoria,
ex-gals, mandado para fazer medo, visto estar
prximo o pleito eleitoral I
Cumulo de moralidade
O sargento, ha poucos dias, teve a bravura
de cercar e invadir, ferga armada, a casa do
cidadao Flix de Lyra (e o hornera J supplente
de subdelegado !!) para prender um individuo
posto em Uberdade momentos antes por ordem de
habeas-corpus II
O honrado Dr. juiz de direito, porem, to-
mando coohecimenio de semelhante facto ia pro-
ceder nos termos da lei contra o delegado,
ordem de quem tinha-se effectuado a priso,
quando elle, fugindo retponsabilidade do acto,
eclarou em juizo por termo que assignou, de-
sapprovar o procedimento do sargento e relaxar
a priso.
O digno magistrado nao quiz por benevo-
lencia processar"o pobre sargento, cuja culpa
o delegado, em vista de sua energa, procurou
anear o Acto criminoso, com tanto que se jvsti-
casse I
Incorrgivel, nao se emendou, entretanto, a
autoridade policial, que acaba de remetter para
essa cidade um pobre hornera que, chegando
cadeia iiumensamente espancado, requerera ha-
beas-corpus e devia ser vistoriado !
O Dr. juiz de dieeito immediatamente requi-
sitou por telegramma a volta do paciente, que
nao poda, como foi, ser subtralido sua pre-
senga desde que tinha impetradohabeas-cor-
pus I
Por este e outros factos quotidianamenle
praticados, se v em que mitos est a adminis-
go da polica d'esta comarca 1
Vagueiam diariamente pelas rua3 da cidade
poDres mulheres, que se lastimara e pedem vin-
ganca pelos actos de barbaridade commettidos
pela polica contra maridos e filhos 1
E' um horror I
Causava do ver a raulher e os tenros filhi-
nhos do infeliz, que espancado foi remettido
para essa cidade, quando s 2 horas da tarde
sahia elle escoltado sem saber.-se qual o seu des-
tino I O desditoso homem foi a p at Lagoa
do Carro onde tomou o trem na manh segua-
te, que parte d'esta cidade : fizeram-no Andar 4
leguas (I) em vez d/ o embarcarem ntPestacao
d'aquil I Por que torturas ter passado esse
misetavel ? I '
O Sr. conselheiro ministro da ju9tiga acaba
de recommendar por aviso aos presidentes de
provincia, que as autoridades policiaes e jndi-
'nte as leis relativas s
cao vigente, attendeudo que hoje o direito nSo
comporta o abuso que anda perdura de prisdes
para averiguacespoliciaes, cumprindo que as re-
feridas autoridades tenham muito em vieta o avi-
so circular de 2 de Janeiro de 1865 sobre prisoes
illegaes.
Pedimos, portanto, mais urna vez ao Exm.
Sr. conselheiro presidente da provincia, provi-
dencias coutra este estado de coasas que mere -
cera um sorrectivo seflio.
A populago. est justameote indignada e
com ella muitos liberaos sensatos.
O governo do terwr em todos os terapos e
em toda a parte desacredita as instituiges e
desraoralisa o .principio de autoridade.
su< i.-dude i aiao e EettuasComo ti-
nha sido annunciada,'funecionou houte,m ^m sua
sede, essa associaco era sesso ordinaria.
Foi submettido^julgamenlo o personagem
histrico Alexandrc'Magno sendo absolvido pelo
voto de Minerva. .
Serviram de advogados o Srs. Lessa Jnior e
Pedro Paulo.
Tribunal do Jury do Beclfe Deixou
de ha ver hontem julgamento neste tribunal
falla de jurados era numero legal.
As 10 horas da manh, presentes o Dr. Pra-
nnos Montenegro, presidente do tribunal, Dr.
Albuquerque Mello, 2o promotor publico c o es-
crivo interino Reg Jnior, fez-se a verilicago
das cdulas e a chamada geral dos jurados sor-
teados, dos quaes apenas 32 cempareceram.
Foram multados em 20< 03 jurados que falta
ram e adiados os trabalhos para boje, s 10 horas
da manh.
Faruidade de DireitoHoje, ao meio
diai o Sr. Dr. Machado Portella Jnior dar co-
raego s decanas era que t6m de lomar parte os
quinto annistas.
I'rrimcat! rases No luj^ar Estivas,
de Quipapa, travaram-se ne razes. ha dias,
Vctor Manoel Mathias, Pantaleao de tal. Auna
Francisca da Coaceigao, Gandido Jos e Joaquim
de tal, e passando a vas de facto, da lucta re-
suitou sahirem gravemente fendos Anua Frau-
cisca da Coaceigao, Candido Jos e levemeate
Mari Francisca da Conceigo e Joaquim de tal,
depois do que puzeram-se em fuga os deln-
queme*.
O respectivo delegado tomando conhecimenlo
do facto procedeu vistura nos ofendidos,
abri o inquerito competente e diligencia a cap-
tura dos criminosos.
Servico militarEsto designados para
superior do dia guarnigo, hoje, o Sr. raajor
Serra Martins e ronda de visita o Sr. alferes
Adolpho Mouleiro.
0 2 batalho dar hoje as guardas da De-
tenco, Alfaodesa, Thesouro Provincial e Thesou-
rana de Fazenda ;. o 14" as do Brum e EuCer-
mariae o destacamento de cavallaria os* ofliciaes
para a Thesouraria e a guarda de Palacio.
Pedio exoaerago do cargo de ajudante de
ordens interino e encarregado do dtalhe, o Sr.
tenente do 30- batalho de infamara. Jos Xavier
de Figueiredo Britto, sendo nomeado tambera
interinamente para esse lucrar o Sr. capito do
14 da mesma arma Jos Roma Abreu e Lima.
Directora das obras de conser-
c dos Portos de PemambueoReci-
fe. 7 de Agosto de 1889.
Boletn) meteorolgico
O ajudante do pharmaceutico entrn s 71 [i
da maubfi e sahio s 3 horas da tarde.
Lotera do ram-ParaA 4a parte da
29" lotera, dessa provincia, cujo premio grande
120:0004000, ser extrahida no dia 16 do cor-
rente.
Grande lotera do Maranbao A 4*
serie da 1* lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:u00000 ser extrahida no dia 13
tle Agosio.
Cemiterio publico Obituario do dia 7
de Agosto:
Joauna Cecilia da Coaceigao, Parahyba, 43 an-
nos, casada, Pgo ; hepatite aguda.
Mara de Araujo Oliveira, Pemambueo, 92 an-
uos, yiiwa, Boa-Vista; asystotia.
Alaria -do Carmo, Pemambueo, 41 anuos, sol-
teira, BaxVista ;. leso cardiaca.
>ilara. Francisca, da Coaceigao, Pemambueo,
80 annos, viuva, Boa-Vista; tubrculos pulmo-
nares.
Baruch, Pemambueo, 3 mezes, S. Jos : gas-
tro-enterite.
Guilhermina Maria da Conceige, Pemambueo,
18 annos, solteira. Boa-Vista ; tubrculos pul-
monares.
Nazaria Margarida da Conceigo, Pemambueo,
50 annos, solteira Boa-Vista ; beribre.
Petronilla Francisca da Costa, Pemambueo,
21 annos solteira, Boa-Vista ; tuberculose.
Flora Mara da Conceigo, Pemambueo, 38 an-
nos, Graga epilepsia.
CHRONICA JUDtCIARIA
Juizo do commereio
Na audiencia de hoje foram publicados os se
guiles autos:
Etcrivo Franklin
Acgo oidinaria de Gongalves Irurto,4r C
Recebio em ambos os efTeitos a appellagao.
dem, de Jos Antonio de Araujo Litramonto.
Conderanado o reo.
Vistoria a requerimento de Azevedo & C.
Julgado por sentenga.
Execugo do Baro de Nazarelh.Recebidos os
embargos.
Escrivaj Ernesto Silva
Fallencia de Martins Pires & C -Julgada ca-
sual.
Acgo ordinaria de Manoel Bernardino Vital.
Recebida em ambos os cHeitos a appellagao.
Fallencia de Jos Tavares Pinheiro.Respon-
dido o aggravo.
Prccatoria vioda de Alagas.Devolva-se. a
Horas Isa barmetro a O Tenso do vapor a r3 a 3
6 ra. 21-9 763-26 17,45 89
9 3i-2 764-42 19.04 83
12 27-3 764r25 19.39 70
37t. . 27-7 762-80 18 59 68
6 25-3 7I3-06 1817 78
Temperatura raaxnua18',00.
Dita minima-21.50.
Evaporago em 24 horasawsol: o-.8 ; som
ora: 2-.3.
Chuva 3,"6.
Direcco do vento : SSE, S e SSW alternados
de raeia" noite 1 hora e 37 mioutos; S\V at 9
horas e 25 mioul03 da raaoh ; S cora interru-
pgoes de SSE, SE e SSW at meia noite.
Velooidade media do vento: 1",82 por
^urdo.
Nebulosidade media: 0,64.
Boletim do porto_________
se-
a-a
M.
M
M.
M-
Dia
7 de Agosto
8 de Agosto
Horas
1-41 da tarde
7-47
223 da manh
8-23
Altur.
2-.06
0-.5)
2-1
U-.43
A, j(ii*vlT\
LetloesEflectuar-se-ho os seguintes :
Pelo agente Pinto, s 10 1/2 horas, ra Ba-
r2o de S. Borja n. 37, de boas movis, crystaes,
espelhos, quatro cavallos de corridas, telhas de
barro e zinco, varaes de ferro e muitos objectos
de jardim.
Pelo agente Martins, s 11 horas, defronte da
Alfandega, de um cofre.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra Mar-
cilio Dias n. 20, Io andar, de movis.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 5, de fazendas.
Amanh :
Pelo agente Martins, s 11 ho.-as, a ra do
Duque de Caxias n. 28, de movis diversos.
Pelo agente Burlamaqui, ao meio da, em Ja-
boato. de ferragens de engenho.
Missas fnebresSero celebradas :
Amanlia : ...
A's #1(2 horas, na Madre de Deus;e matriz da
Graga, pela alma de Manoel Marques de Lemos ;
s 6 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma de Antonio Rufino de Barros ; s 8 horas,
na Ordem 3 de S. Francisco, pla alma do ma-
jor Laurentiao Jos de Miranda.
PassageirosSahidos para o sul no vapor
francez Vitle de Montevideo.
Sabino Bento de Aquino, Jos Bernardo Iras,
L. Angelo, J. Correia de Araujo Vasconcellos,
Al tomo Pinto de Andrade.
operarse clrurglcas-Foram pratica-
das no hospital Pedro U, no dia 8 do corrate,
as seguales:
.Pelo Dr. Malaquias: ,-,,,
Talha perioeal pelo processo de Nelaton (em
crianga) indicada por calculo vesical.
Pelo Dr. Berardo:
Tarsonhaphia e exciso ovalar da pelle da pal-
pebra, indicada por trichiasis.
Pelo Dr. Pontual:
Duas posthotomias a bistur indicadas por
phimosis e cancros. ,
Hydrocele pela pungo e injeegao odada.
casa de DetencoMovimento dos pre-
sos da Casa de Detengo do dia 7 de Agosto de
1889. t L.
Existiam 472; entraram 10; sahirara 6; exis-
ten 476.
A saber:
Nacionaes 430; mulheres 19s estrangeiros 2/.
-Total 476.
Arragoados 406.
Bons 385.
Doentes 17.
Loucos 4.-Total 406.
Movimento aa enfermara
Teve baixa :
Manoel Vicente Ferreira.
Teve alta :
Antonio Ferrt ira da Silva.
Hospital Pedro Il-O movimento deste
estnbelecimento de caridade, no dia 6 de Agosto
foi o seguinte:
Entraram 24
Sahirain 18
Fleceram 0
Existem 638
Foram visitadas as respectivas enfermaras
i ""los Dr>
"Barros Sobriuhos 7, Berardo s 10 1]4, fer-
rara Velloso s 9 3[4. Malaquias s 10, Esteyo
Cavalcante s 8 li4, Sira&es Barbosa s 10 o-
ras.
Nao compareceram os Drs.:,
Cysneiro.
Pontual.
Moscoso. "
O cirurgio dentista Numa Pompio nao coa-
ritPPCf*Q
O pharmacealico entrn as 8 *i4 da manhi e
sahio s i da tarde.
mxime
das di-
f
j~inr


COMMUNICADOS
ParaJdo ct aserrador
lllm. Sr.Os abaixo assignados, membros do
Directorio do partido conservador destaorovin-
:ia, por indicagao de seu Ilustre chefe, o Exm.
Sr. conselheiro Joo Alfredo Correia de Oliveira,
organisaram e tm a honra de olTerecer con-
siderago do eleitorado '.a chapa para ;deputados
geraes, na eleigo a que se vai proceder no dia
31 de Agosto prximo.
Era tal organisago, o directorio consultou,
com a mxima ponderago e procurando o
maior accordo possivel, nao so as legitimas
conveniencias partidarias, como as circunstan-
cias difficillimas em que se acha o paiz, e os ele-
mentos pessoaes de cada candidato.
Assim, mantendo os uomes que em anteriores
eleicoes j receberam a sagrago do partido,
com excepcio dos nossos prestrnosos amigos
Visconde do Rio Formoso e Dr. Alfredo Correia
de Oliveira, que ora se abstm espontneamente
e por motivos imperiosos de ordem particular, e
apresentando novos candidatos, que igualmente
se recommendam por seus servigos e talentos,
acredita o directorio que procura dotar a pro-
vincia com urna representacao digna ds suas
honrosas tradiegoes, na altura das eircumstan-
cias e dos legtimos interesses do partido.
Embora, em vista de tactos j occorridos nes-
ta provincia, como em todas as outras, nao
possaraos confiar na promessa solemne, feita no
parlameoto pelo gabinete actual, da mais com-
pleta Uberdade para todas as crengas, tem o
partido conservador o dever de mais urna vez
(disputar as urnas a vlctori* to brilhantemente
obtida em pleitos anteriores.
Para a realisago desse resultado que, alm de
natural e legitima aspirago partidaria, se nos
affigura imperioso dever no momento poltico
que atravessam as instituiges do paiz, e para
conjurar as difliculdades que npssara provir de
possiveis, seno pro va veis pretenges da situa-
go actual de transpor os limites legaes no pr-
ximo pleito eleitoral, o partido conservador tem
necessidade de manter-se forte pela mais irre-
preheosivel coheso, pela mais severa discipli-
na e pela mais decidida cnergia.
Nunca tanto se impoz a misso do partido
conservador! Nunca a ordem tanto precison do
amparo e dedicago de seus naturaes defenso-*'
res !
03 vencidos, nossos amigos, que teniaram, no
governo, como kravavel aspirago, urna poltica
de genero3idade e tolerancia, esto sendo victi-
mados, com esquecimento das mais attendiveis
considerages e dos maiores reclamos da justi-
ga, aos golpes de desenfreada e frentica reac-
go, esse vezo antigo dos nossos adversarios,
que perpeta os odios e a oppresso, porque
desafia reaeges futuras, e que tanto mais in-
tolej-avel quanto poda e devia ser contida pelo
nico remedio efficaza jusliga dos aovemos !
As condiges difficeis da actualidade e as di-
versas aspirages e planos de reforma que s
agitana na arena poltica, esto reclamando a
maior circumspecgo e a intervengo activa do
partido conservador, para garanta dos princi-
pios de ordem.
A autonoma provincial e municipal, sob a
base da mais larga descentralisago, sao neces-
sidades que hoje mais que nunca se impem,
como condico de vida e desenvolvimento das
provincias e municipios e maautengo da inte-
gridade do imperio, que nao p*de deixar de ser
spirago de todo o brazileiro.
Com relagSo, especialmente, s ameagas que
se annunciam contra o partido conservador do
norte do imperio, e, particularmente, contra o
desta provincia, mais se accenta o nreso dever
patritico de organisar a resistencia, at porque
pelo actual systema eleitoral a nenhum governo
possivel a conquista illegal das urnas. E des
te modo, cumprindo o partido conservador o^j
dever, o gabinete actual, quaesquer que sejl
os seus planos de intervengo e corrupgc
ha de poder resistir futura cmara,
enfraquecido, como j se acha, no meio
vergencias do seu proprio partido.
Em taes conjunturas, preciso que o partido
conservador, unido, disciplinado, preparado
para a lucta e cheio de patriotismo, se congre-
gue, como um so partidario, nos diversos dis-
tnclos eleitoraes, em torno dos respectivos can-
didatos.
Confiamos em vos. Cumpri es|e deverde
honra para com o partido, esse dever de pa-
triotismo para com a nacSo!
i





MHHVBMHa^Bl
^MMMI
IM
^MpMma

Diaria de PernambucoSexta-fe ga 9 de Agosto de 1889
Eis a chapa :
Io districtoConselheiro Manoel do Nascimen-
to Machado Portella.
2* dito -Dr. Jos Nicolao Tolentino de Carva-
Iho.
3 dito-Dr. Felippe de Figueira Faria.
4o ditoDr. Joo Juvencio Ferreira de Aguiar.
5o ditoDr. Gaspar de Drummond.
6 ditoBaro de Suassuna.
7 dito-Dr. Jos Vicente Meira de Vasconcel-
los.
8 ditoBaro de Granito.
9* dito-Dr. Jos Bernardo GalvSo Alcoforado
Jnior.
10 dito -Conselheiro Francisco de Assis Bosa
e Silva.
11 dito-Baro de Lucena.
12 dito-Conselheiro Antonio Gongalves Fer-
reira.
13 Hito-D' Jos Moreira Alves da Silva.
Recife, 31 de Julho de 1889.
Baro de Lucena.
Viscoude do Rio Furmoso.
Alfredo Corveta d'Olivnra.
Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
Felippe de Figueira Faria.
Joo Jnrenciv Ferreira de Aguiar.
Barao de Suassuna.
Baro de Granito.
Jos BernardoG. Alcoforaio Jnior.
Francisco de Assis Rosa e Silva.
Antonio Ooncalces Ferreira.
riBLIpES \ PEDID
A eleieo no iO" districto
II
Em raeu artigo anterior tornci saliente a com-
pressao eleitoral, que ostentosammte se est
desenvolvendo no dcimo districto desta provin-
cia. Os escndalos, que ento artimlei, nao fo-
ram, era podem ser seriamente coate3tados.
Hoje recebi de Caruar diversas carta?, que
confirmam quanto expuz. Darei publicidade a
alguns periodos de urna dellas, para conhecimcn-
to da adraraistrago da provincia, a de S. Exc
o Sr. conselheiro Alvos de Araujo, novamente
reclamo providencias, no intuito do evitar con-
flictos.
Eis o que de Caruar escrcveu-me pessa fi-
dedigna, era data de 2 do crreme :
Nao ignora V. que para aqui fot enviado o
alferes Coelho dos Santos, nomeado delegado de
polica e temi ao sen commindo 20 praras do.ba-.
talho de Itnlia a que pertence. Este facto, que
por si s constitue ura atten'ado, ainda maior
vulto toraoa em virtude de duas declaracoes do
referido oflicial, urna ao capito F..., de que
o nico fim de sua commisso a esta ridade era
fczer a eleko do sea amigo otDr. Laureara de
S ; e outra ao tenente F..., de que no dia 31
de Agosto collocarseha porta da igreja (?!!J,
a/im de correr todos os eleitores '.!...
Se taes factos se do aqui, outros de nao
menor gravidado succedem em Carapots, se-
gundo acaba de informar-me pessa de toda
ccnfianga. Allio major Joao Manoel, capito do
polica, que tem o destacamento s suas ordens,
ameaca coUocar piquetes em diversos cammhos, no
da da rleiro, a fim de prender os eleitores e decla-
ra publicamente que ha deganhala, ainda que para
isso llie seja necessario derramar sangue !'.
Como se v, os factos denunciados sao bas-
tante graves c merecen) particular attenra da
admimstracSo da provincia. Radela S. Exc. o
Sr. conselheiro Alves de Araujo, calmamente,
sobre os acontecimenlos que se preparara, o re-
conhecer que da maior conveniencia para
todos a retirada da torga de linha de Caruar, e
do destacamento de polica d.' Carapots.
No 10 districto, depois do systema directo,
ainda nao tivemos forga do linha assistindo
elcigao de qualquer das secces, e nao ha nem
sequer um pretexto, que ao menos possa atle-
nuar a ida, presentemente, de um destacamento
de linha para Caruar, am de assistir eleiefio
de 31 de Agesto !
Por deficiencia de forga de polica, nao. Exa-
mine o Sr. conselheiro Alves de Araujo o qua-
dro da forga destacada, compare o cora o da s-
tuagao conservadora, e conhecer a causa real
da supposta deficiencia.
Domis, a forga de linha mandada para Carua-
r, pode perfeitamcnte ser substituida pelo pro-
prio destacamento de polica, que est era Cara-
pots, e cuja conservago all alm de intil
para o servigo, perigosa para a ordem publica.
Se a difculdade que encontra a administra-
gao da provincia para retirar o destacamento de
Carapots, a necessidade que tem o meu com-
petidor da presenga, naquella localidade, do ca-
pito de polica major Joao Manoel de Carvalho,
alim de pleitear a eleigo, o remedio fcil. D-
Jhe a presidencia urna licenga at 31 de Agosto;
mas nao conserve era Carapots, para firn pu-
ramente eleitoral, um destacamento desnecessa-
rio, s ordens de um chefe exa}(ado, que amea-
i publicamente vencer a eleigfto, anda que seja
necessario derramar sangue'.
r_Salvem-se ao menos as appurencias. O rgi-
men da conquista armada j paWm, felizmente.
A compresso provoca a resistencia, eesta
ura direito e um dever. Nao se esiwecam tam-
ben) de que incorrem era responsabilidade cri-
minal os auctores, mandantes ou cumplices das
violencias que se lizerem.
Para que ho de querer conflagar um distric-
to, onde as eleiges teem sempre corrido paci-
ficamente ? Para que levantar odios e provocar
represalias ?
Venga quem a maioria do eleitorado quizer
eleger. O raen competidor tem a vantagem das
poslges oliciaes, dos empregos pblicos; dei-
rote-me cora os recurses do poder. Estes teem
litado sua disposigo, e eu sei com que em-
peaho... Para que pois ha de querer recorrer
violencia ?
Um diploma manchado cora sangue a nin-
i.'uem eleva.
S. Exc. o Sr. Conselheiro Alves de Araujo fa-
r o que entender, mas lerabre-se de que o
presidente d provincia, e que cumpre-Ibe ga-
tir a ordem e a liberdade do voto. Quera
|, preside a urna eieigo tem deveres superiores a
quaesquer^exigencias partidarias.
J se foi o terapo em que os deputados faziani-
se em palacio: hoje elegera-se as urnas, cora
votos e nao com baionetas.
Est em prova a moralidade da administra-
rfio. A ordem publica periga no 10' districto,
s eso por causa da compresso ofciai, e pois os
priucipaes responsaveis, pelas oceurrencias que
se derem, sero : o meu competidor e o Sr.
Conselheiro Manoel Alves de Araujo I
r.ecrfe, 8 de Agosto-de 1889.
Dr. Francisco de Assis dota e Silva.

fos Hariauno e libello dlfa-
matorlo do Hr Ambrosio Ma-
chado
III
Km que, tendo eu declinado o nome do Sr. Am-
brosio c dos dous agricultores, seus compa-
nheiros de repblica, procurei expol-os aos odios
e insultos da multidSo que S. S. qualiUcou de
ignorante e inconsciente (para os dictadores o
povo nao passa mestno di3so) si est provado,
luz da evidencia que s depois da aboligo e
por causa da aboligo, se declararan) republi-
canos os senhores que perdern) seus escravos
e nao tiverara o despreudimento de fazer o pe-
queo sacrificio que a patria, a civilisago o a
humanidade Ihes impuoham em troca da explo-
ragSo de tres seculos de que foi victima a iufeliz
raga dos escravisados ?
5las, exclama acceso em furia o Sr. Ambrosio :
Protesto com todas as torgas contra seme-
lhante aleivosia e devolvo o insulto que nos
atira o Sr. Dr. Jos Marianno, contra o deraa-
gogo furioso, corruptor do povo. capaz dos
inais nefandos attentados contra as liberdades
publicas.
J o declarei urna vez por todas que os agri-
cultores republicanos desta provincia nao acei-
tara a indemnisago, mu que alias mngiem
ACBEDITA MA1S
Nao preciso mais nada ; bastara destacar,
as pnrases do Sr Ambrosio para tornar patente
qu3 da propria negativa brota a plena conlisso
do movel que tem impcllido os novos republi-
canos atravs de todas os desvarios.
Si nao reclamaveis a indemnisago, si pensaes
que affirmal-o vos fazer um insulto, dizei-me
entao, ex-senhores de escravos, porque vos irri-
tases contra a lei que libertou os infelizes que
gemiam no avtante captiveiro sera vos pagar
ludemnisago outra, e nao podia haver maior,
que nao fosse a prescripgb, o esquecimento da
explorago que tivestes do trabalho de creaturas
humanas, escravisadas pela barbaria e pelo des-
potismo ?
E si nao era por nao vos ter sido dada a in-
demnisago pecuniaria, porque vos bavjeis, en:
to, de irritar, si como medida humanitaria a lei
nao podia deixjr de tocar todos os corages e
de inundar de lagrimas de alegra todos os
olhos ?
E' preciso nao admittir tergiversages, quando
se tem de proferir a verdade que esraaga.
Reagistes contra a lei somente porque n3o vos
foi dada a indemnisaco pela dcsappropriago
que dissestes ter sofl'rido em vosso pretendido
direito; essa desappropriago s podia ser a
paga do valor dessa vossa pretendida propric-
dade; logo, reagistes contra a lei e contra quem
liomologou a vontade nacional expressa na
quella lei, porque nio vos foi paga a iuderanisa-
go a que vos julgaveis com direito: logo, sois
republicanos porque nao tivestes a indemnisa-
gao, pQK|ue sois uns despeitados !
Si agora nao a pretendis mais, ou pelo me-
nos nao continuaos a proclamar o vosso direito a
indemnisago, vos mesmos o confessaes :
PORQUE XELLA NINGEM ACREUITA MAIS
E como nao podis esperar mais a reiarg2o
do vosso damno; e como nao vos foi dada uem
\os pode mais ser dada a indemnisago; em
lugar de vos moslrardes generosos e desinteres-
sados; em lugar de vos lembrardes de que a lei
foi at benvola porque, apenas, nao vos indem-
nisou quando podia obrigar-vos a iodemnisar
apenas nao vos pagou, quando vos podia obrigar
a restituir (perguntai ao Sr. Maciel hnheiro si
elle ainda nao contina a pensar desle modo;;
em lugar de vos raostrardes homens de coraco,
procuraos reagir, procuraes vingar-vos da mo-
narchia que consentio, na vo3sa pretendida ex-
poliago, vos declaraos republicanos porque outro
meio nao tendes de tirar a desforra!
E o que tudo isso seno o despeito pela abo-
ligo e por amor da indemnisago ?
E como vos seutis ou vos fings insultados
por eu ter dilo que sois republicanos porque
sois escravocratas despeitados. cuja adhosao con
lamina, prejudica e desmoralisa a causa para a
qual queris o favor do povo ?
Dizei, confessao que S30 vos irrita, que isso
vos exaspera, porque debaixo dos VOH08 barre-
tes vermelhos eu aponto ao povo os algozes de
seus irmaos, e nioguem deixar de me acredi-
tar; dizerdes. porra, que eu vos insulto, que
eu vos calumnio, quando s digo a verdade que
todos vem e que v* mesmos sents, simples-
mente confessardes que, apezar de tudo, vos en-
vergonhaes do vosso papel de escravocratas in-
transigentes que fostos sob a raonarchia, de es-
cravocratas odenlos que passaes a ser na vossa
repblica dictatorial; confessardes que dese-
jaos nao ser bem conhecidos por este povo. ao
qual pretendis engaar cora falsas palavras de
liberdade para arrastal o a submetter-se dicta-
dura republicana de que o julgaes digno, porque
o consideraes um povo de iocapazes, cora os
sentimentos obliterados pela escravidSo, e sobre
o qual queris poder mandar cora o mando aD-
soluto e dictatorial cora que mandaveis sobre os
vossos escravos.
So vos serve quera esteja disposto a vos se-
guir cgamente, quem se**s entregue como in-
strumento dessa politica irapatriotica e retro-
grada que ousaes offerecer-nos sob o rolulo de
repblica dictatorial, que a repblica aatocra-
tica, em opposigo repblica democrtica que
nao vos couvm porque, bem o dizeis, queris
mandar e nao queris ser mandados, nao queris
tur senhor desdo que nio podestes mais ser se-
nhores !
Semelhante repblica deve ser repellida pelo
povo pernambucano, que at hoje tem luctado
pela conquista da liberdade, e por isso mesrao
nao devo consentir que sobre os destrogos da
baslilha da scravidao que elle Uerrubou se le-
vante esse arremedo de cstello feudal em que
tenha dr resuscitar o poder dos antigos bares
encarapugados de barretinas vermelhas.
Havia de ser bastante curiosa essa repblica,
no fundo de cujo escudo se destacara o tronco
e o carro do agoite vendo-se ao lado o bacalho
e os gnlhes aproveitados da extracta escravi-
do,symbolos desse poder que passou, no pro-
fundo ethargo da consciencia nacional, como
um pavoroso sonho povoado de espectros; desse
poder infamaute, de cujos odios, de cujos erros,
de cujos enmes, homeiis que se dizem de boa
f e de seatimentos democrticos pretendem fa-
zer o pedestal da repblica brazleira,pedes-
tal de lama, de podridao, de coalhos de san-
gue humano!
j|E' por isso que nao sirvo, por isso qe hoje
nao agrado aos homens da propaganda infiel e
at iiierego os seus baldes e improperios, aos
quaes rae conservo sobranceiro, porque nao sao
elles que me ho de julgar, o sira o povo, os
meus concidados, que nao duvidaro un ins
tanle da lealdade do raeu procedimento, da ali-
ona dedicago causa democrtica, da abnega-
go da minha attitude que se volta somente para
0 povo.
Tambem j houve tempo em que o Sr, Am-
brosio chegou a fazer de mim o mais lisongeiro
conceito. (ora.vejam s o que perdi,) suppondo-
me uai patriota sera jaca capaz dos mais gene-
rosos impulsos em deleza das liberdades pu-
licai.....
E sabem porque deixei de ser tudo isso t
Pensaro talvez q e tenha sido por eu ler
cado liberal quando o Sr. Ambrosio passou a
ser coaservador ? Nao j
Pensaro que foi por eu ter pretendido, como
elleoiz, fazel-o curvar-se a minlia dictadura?
Tambera nao, porque, nesse tempo u estava no
comego de miriba carreira poliiica.
E vejara que desde entao j o Sr. Arabrcsio
tiuha mente reposita A idea de sua futura dictadu-
ra.....
Deixei de ser tudo quanlo o Sr. Ambrosio
imagiuava de mira, ninguem ha de crl-o, so-
mente porque declarei-me francamente aboli-
cionista e nao obedec naquelle terapo ao ridi-
culo ukese desse grSo-sennor, do demcrata, do
philantropico Sr. Ambrosio que nao hoje repu
bcano pirque esteja despeitado pelo grandioso
acto da aboligo, mas porque sempre foi mes-
mo republicano, tanto assira que, sempre quiz a
escravido do negro e agora quer a dictadura so-
bre o bronco proletario e sobre o descendente
do escravisado, porque isso de governo nao
para todos, mas s para quem fidalgo, rico,
honrado e ainda hoje tem saudades do# bons e
buclicos tempos das senzalas e dos Pitos para
os quaes quer fazer a patria voltar.
E quando eu fallo as.-imidiz-me o Sr. Am-
brosio que, eu contino a plorar a mina da
aboligo!
Hei de tirar a limpo Isso, para mostrar quaes
o3 que tm pretendido explorar a mina da
aboligo em proveito da repblica da dictadura,
da repblica da escravido.
Recife. 8 de Agosto de 1889.
1 (Contina). Jos Mar:'
13 districto
Abaixo publico um communicado que, por
pessa de mximo criterio, me foi remettido de
SSdgueiro, urna das localidades mais importan-
tes do districto por onde tenho a honra de ser
candidato deputaco ger.il.
Os factos denunciados sao de tamanha gravi
dade, devem to de prorapto ser reprimidos, que
nao poseo deixar de vir, por minha vez, pedir
ao Sr. conselheiro Alves de Araujo as necessa-
rias providencias
Os raeus amigos nao podem e nao devera
continuar a viver sob o rgimen do terror inau-
gurado pelo vicepresidente baro de Caiara,
nem me licito consentir, sem os raais enrgi-
cos protestos, que elles sujam expoliados do |di-
reito de voto, sobre tudo depois da promessa
solemne feita. no parlamento, pelo Sr. presi-
dente do conselho de que as eleiges correriam
com a maior liberdade para todas as crengas.
Nao tenho, por ora, motivos para duvidar da
seriedade do Sr. Alves de Araujo, mesmo por
que nio sou fcil em formar juizos temerarios ;
mas, si S. Exc. crusar os bragos diante desta.
como de outras justlssimas reclamages, que j
Uve occasio de fazer-lhe, nao s ter mentido
sua misso, como ser o nico responsavel
por todas as violencias, por todos os crimes que
forem praticados no 13* districto.
Cumpra S. Exc. o seu dever, embora desagra-
de a amigos pouco criteriosos. Outro proce-
dimento nao pode ler um presidente que presa
os seus crditos.
J. Moreira Alves.
Recife. 7 de Agosto de 1889.
; SALGEIRO
20 DE AGOSTO DE 1889
Para S. Exc.o Sr. presidente da provincia
providenciar
Nao nos engaamos quando, em noasa ultima
missiva, dissemoa tjue a noraeaco de Joaquim
Ferreira Leitinho para subtWegado de polica
deste termo, embora residiudo na comarca de
Tacarat, era urna grande ameaga ao socego e
at vida dos conservadores
Homem de mos precedentes, capaz de tudo,
s ura administrador da estatura do Sr. Baro
deCaiar seria capaz de aproveital-o para exer-"
cer ura cargo que s prudencia e ao bom sen-
so deve ser confiado.
Veja o Exra. Sr. conselheirojAlyes de Araujo,
que a esta hora deve ter assumido a adininis-
trago da provincia, como se portou esse cele-
bre Ferreira Leitinho. mesmo antes de entrar
no exercicio na subdelegada, c forme o seu
juizo sobre o Sr. Baro de Caiar, providencian-
do, como Iho enrapre, para que os seus actos nao
surtara o damnado intento.
Estamos certos que S. Exc. o far. Homem
feito, conhecido no paiz, onde tem oceupado os
cargos mais importantes, nao podemos suppor
que o Ilustro conselheiro queira tornar se so-
lidario com o seu successor, que, durante os
poucos dias que se assenU u na cadeira presi-
dencial, nao pruticou seno desatinos sobretudo
para o 13 districto, por onde candidato um
seu sobrinho o Dr. Antonio de Sequera.
Em todo caso nosso doverlenunciar as vio-
lencias que se forem praticando e navemos de
cumpril o.
Oica-nos o Sr. conselheiro Alves de Araujo.
No dia 8 do correte, vindo de Tacarat, onde,
como j dissemos, reside, aqui chegou Ferreira
Leitinho acompanhado de 10 assassinos do Ria-
cho do Navio e Sorra Negra. Iramediatameote
ap3 sua chegada arraojou mais 4 rus de poli-
ca, aqui mesmo na villa, c, com elles, percorreu
as ras a dar vivas ao seu partido e a insultar e
descompor os adversarios.
Nao contente com isto, no dia seguinte, ou no
outro, tendo cnegado o estafeta com a mala do
Recife, e esperando, elle que viesse o seu titulo
de subdelehado, para coraegar a perieguigo
promettida a nos outros os parias da actual si-
tuago, dirigio-se para a casa do agente, e nao
tendo encontrado a joia exasperou se ainda
mais contra os conservadores, e comegou a dar
o panno de amostra.
Assira que, acompanhado sempre dos seus
casangas, foi casa do nosso amigo Josa Leo
nel ae Alencar, em cuja porta deu-duas descar-
ga ; descompoz omito a esse distincto cidado e
s o nao assassinou por ter elle tido a pruden-
cia de.no apparecer, Ahi mesmo, no meio dos
applausos dos seus sequazes. declarcu que se-
riam punidos com pena de raorte otx-promotor
Bomo Pereira Filgueira Sampaio, se appare-
cesse a villa antes da eleicao. e o capito Cle-
mentino Bezerra de Albuquerque se conti-
nuusse a exercer o seu lugar de tabellio, os
quaes. com effeito, se retiraran) para o centro,
porque nao tem nonhuma garanta.
O procedimento de Ferreira Leitinho causou
a maior indignago n'esta villa, onde nunca se
vira cousa igual, e tendo alguns liberaes obser-
vado-lhe que nao era conveniente o que estava
elle praticando, respondeu Ihes Leitinho'que tu-
do fazia por ordem do Sr. Baro de Caiar cora
quem havia conferenciado I
Estamos em vesperas de eleigo e se preten-
de afugentar os conservadores das urnas, para
se cumprir assim a promessa feita no parlamen-
to pelo Sr. Visconde. de Ouro-Prelo !
Aguardamos providencias de modo a ser ga-
rantido os direitos dos bossos correligionarios
O que se est fazendo aqui urna indecencia
que nenhum hornera serio pode tolerar, o temos
neata couta o presidente nomeado para esta pro-
vincia.
W.
i.sado ae nSo fosse pek> Sr. Dr. Jos Ma-
rianno obstado, se nSo fossem os manejos
postes por S. S. em pratica.
E, vejase bem; antes da ultima subi-
da de partido liberal, S. S. nao perda
azo, de,emseusroeen0 e conferencias fal-
lar favor do direito de reunido. as
uas conferencias, 8. S, descia a anatyscs
pessoaes dos maiores e mais respeitaveis vul
tos do partido conservador, atirando-lhes
vergonhosos epithetos.Quando foi depurado,
na corte, convocou um meeting e verberou
n'uma linguagem descomedida, virulenta,
o partido adverso, nao poupando mesmo a
familia imperial. Sacrilego! elle as suas
verrinas chegou at a revolver o tmulo
de D. Pedro I!
Hoje, S. S. procede como nos estamos
vendo.
P. S.-O promotor ncmeado para esta comar-
ca, cojo titulo chegou no dia em que era espe-
rado o do subdelegado, nao tem as habilitages
precisas para exercer o cargo ; luntico e foi
ura dos que andarara, em excesso de... enthusias
mo, quebrando garrafas as portas dos conser-
vadores f
E de gente assim que o Sr. de Caiar langa
mo para os cargos mais importantes I
Hontem e hoje
Anda deve pesar bastante no espirito
dos habitantes desta cidade o procedimen-
to incorrecto do Sr. Dr. Jos Marianno
por occasiSo do annunciado e malogrado
meeting do dia 22 do mez ultimo.
Nao sao, portante, faltos de opportuni-
dade, ex-temporaneos, os commentario3
que passamos fazer sobre o caso, mxime
agora qu a Provincia, a proposite doF
acontecimentos do dia 22, est desenvol-
vendo urna odienta campanlia de diffamacao
contra os republicanos de Pernambuco.
Desenganem-se, porm, todos quantos
tm interesse em alterar a verdade dos
factos. Elles ahi estilo no dominio do pu-
blico impondo-se pela sua evidencia.
E liquen) certos de que o nico causa-
dor das scenas de canibalismo de que a
nossa capital poderia ter sido theatro, j
recebeu da sociedade pernambucana o
castigo moral que o seu procedimento me-
reca, expresso na indignacSo com que
ella desapprovou a attitude hostil, revol
tante de baixesa, de covardia e de traicSo
aseumida por S. S., no dia em que devia
realisar-se o metting republicano.
' Precisamos deixar bem patente o se-
guinte.
O Sr. Dr. Jos Mariauno logo que aqui
oliegou o Dr. Silva Jardim, disse qife elle
era um propagandista consciencioso que de-
via ser respeitado, e que o governo era bas-
tante tolerante para nao desacatal-o. No
entretanto, poucos dias depois, foi S. S.,
o primeiro a insultal-o indignamente, gros-
seiramente, tanto na Assembla Provincial
como no local designado para a reunio
'projectada, debaixo dos applausos re-
commendados da capangagem do Poco e
Varzea, assalariada para o brbaro massa-
cre as pessoas dos convocadores do mee-
ting, caso elles tentassem realisal-o.
Sim 1 o me*' pacificamente rea-
o Sr. Dr. Jos Marianno ha de ar-
repender-se. Segu por um caminho falso
e convem retroceder em quanto tempo.
Nio julque S. S. que a opiniao publica,
que o povo pernambucano, o generoso e
audaz povo pernambucano seja e3sa turba
inconsciente, essa plebe ignorante que o
acompanha e que o victoria as suas inco-
herencias e desatinos.
Nao, essa claque baixa, analphabeta, de
que S. S. se cerca, s serve para despres-
tigial-o lo conceito dos homens de bem.
N2o! o povo pernambucano esse que
o tirou da obscundade, que deu-lhe nome,
nome que S S. sacriticou tantas vezea
quando commettia as suas tropelas pelo
collegio dos Jesutas, ora incendiando a
typographia Unido, ora em poca mais re-
cente insuflando sua gente a praticar os
assassinatos na matriz de S. Jos!
Hoje pornj, a opinio publica Ilustra-
da e sensata outra, o povo outro mui-
to differente do que S. S. o suppSe.
Voltaremos.
Pedro Ico.
Rio-Grande do Norte
O manifest do Dr. Amaro Be-
zerra provincia e particular-
mente ao 9" districto eleitoral.
I
Poucos dias depois de haver o partido liberal
galgado o poder, em 1878, o Sr. Ur. Amaro que
s apparece, na provincia, quando julga-se am-
parado pela forga do governo que pode dar-lhe
margem, para n'ella eslabelecer urna dictadura
lopesiana rompeu, desabridamente, cora amigos
e com o presidente, atirando logo aos ventos da
publicidade um manifest que comegava assim :
O pardo liberal do Rio-Grande do Norte
atravessa urna crise que nao se podia prever e
cujos resaltados ningsem podera calcular .
Agora que se acha novamente no poder o par-
tido liberal, o arrojado chefe desse partido na
quella provincia repele o emprego 4c compres-
so aos seus mais importantes amigos e exhbe-
se, na imprensa, com outro manifest, cujas pri-
meiras palavras sao mais ou menos as mesmas
do primeiro.
0 partido liberal desta proviacia passa por
urna crise dolorosa e funesta. Urna parle d'ello
por si mesmo se desmembra e pretende arras-
tal-o a desorganisago que ser suicidio .
Notavel circumstancia esta I
Por mais qiie o Sr. Dr. Amaro supponhi-se a
melhor cabes do partido a que pertence. ha do
ver, como hontem o boje, a justa repulsa de seus
actos de prepotencia praticada pelos caracteres
que s se cBrvam bem entendida e leal direc-
go dos negocios polticos da provincia.
Nentaum facto servira melhor para prova r o
que vimos de dizer do que esse que, por duas
o", do principio de urna situago. quando os
nimos devem estar dispostos para toda a ho-
raogeneidade de pensamento, completa harmo-
na d vislas e perfeita unio dos co-religiona-
rios, e praticado pelo Sr. Dr. Amaro Bezerra. que,
nem ao menos, em ura momento de calma, co-
gitou das suas consequeocius, alera da alarma
escandalosa, e inevtavel pelo qual seria elle o
nico responsavel.
Mas o que se deveria esperar do pretenso do-
natario da provincia do Rio-Grande do Norte ?
Se o que ahi tica, succintamente exppsto, nao
fosse bastante para ainda tornar saliente a raa-
neira desptica o altamente impoltica porque,
ha tanto tempo, pretende dirigir o partido libe-
ral d'aqdella provincia o Sr. Dr. Amaro Bezer-
ra, seria facil apontar um por um dos seus actos,
todos atlentatorios da autonoma dos seus ami-
gos, sacrilieados, velipendiados e arrestados ao
poste da iraprensa sempre que a S. S. convem
explorar vantagens 6m seu proveito.
E pena que tenha, talvez, por exemplos de
aboegago partidaria, sido algumas vezes bem
succedido!
Os tempos, porm, nao sao sempre, os meS-
mos.
Ha rasos era que, salvndose a honra, tudo o
mais pode perder-se.
o Sr. Dr. Amaro Bezerra
acaba de assumir na pro-
0 que espera hoje
com a attitude que
rinda i
Mais ura triumpho, depois da batalha do es-
candal o!
Est, perfeitamente, lludido I
0 honrado Sr. tenentc-coronel Jos Bernardo,
com o prestigio de que gosa no meio dos seus
amigos de toda a provincia e, principalmente,
no 5 districto eleitoral, com aquelle tino polti-
co que todos Ihe reconhecem e com aquella ac-
tividade invejavel, apoiando a candidatura do
distinctissimo Dr. Miguel Joaquim de Alraeida
Castro, combatida pelo Sr. r. Amaro Bezerra
por motivos que, mais tarde, sero apreoados,
ifn ceder de sua posigao, que certamentea
iiiis nobre e a mais correcta.
O Ilustre chefe pode comprazer-se de haver
abragado uina causa sympatbica a todos os res-
peitos.
Entre a imposigo de um candidato e a apre
sentagSo franca do outro, que rena alm dos
requisitos pessoaes, os elementos de estima e
.lito aprego de seus concidados por sua iaque-
brantavel 'houcstidado e dedicago politica, a
pronunciada aspirago de concorrer para a pro3-
piTidade e progresso da provincia, nao ha esco
u ;r e o ptestiiuoso Sr. tenente coronel JosBer
nardo nao teve, como nao podia ter, hesitagOes.
Esgote como quizer e entender o Sr. Dr. Ama-
ro Bezerra os seus recursos; repila tantas
imantas rezes Ihe parecerem necessarias as sce-
nas de reyolta centra os seus co-rellgionario3,
com a tristissima celebridade que o acompanha,
que, nests tempos, o merecimcnio que se im-
pe, ha de vencer.
Felizmente registrar o procedimenlo do hon-
rado Sr. teneoto-corouel Jos Bernardo fazer-
lhe o maior elogio.
Por ota somente Bto.
Depois haveraos de analysar delidamente, e
com o ais rigoroso escrpulo, todos os pontos
do celebte manitesto que oceupa a nossa alten-
gao, assijnado pelo Sr. Dr. Amaro Bezerra; e,
enlio. estamos certos, veri nao s a provincia
como o pjiz o que e o que vale ello politica-
Cincinato.
Aos eleitores do 7. districto
lua. Sr|>-Tendo merecido do directo-
rio do meu partido a distincQao de ser
apresentado candidato deputacSo geral
por este districto, si por um lado lamento
nao ser dos mais competentes para aspi-
rar a elevada misso de representar-vos
na eamara|temporaria, poroutro ^a^o^^^^^^^n WZ
me de ver que me oi designado no cam* m0 e arjg0 major Laurentino Jos de Mu-
do das pugnas polticas tSo honroso, quan-
to arriscad posto de combate.
Homem de partido, nSo tenho toda-
va me acostumado a subordinar s suas
exigencias, quando desarrasoadas, os vi-
taes interesses da patria e suas nobres e
legitimas aspirac/Ses.
Pens mesmo que precisa de ser corre-
gida a orientacilo dos nossos partidos con-
stitucionaes e assim me' exprimindo deixo
patente que a meu ver n5 escapa a esta
necessidade o partido a que pertengo, que
entretanto, devo dizel-o por amor ver-
dade e uem laivos de parcialidade, delles
o que com mais efficaeia e sinceridade tem
servido ao paiz.
Atravessamos urna quadra inteiramente
anorinal e em que a alma nacional parece
aecusar uiu grande mal estar e esforcar-se
por encontrar remedio a seus soffrimen-
tos.
Quem a esta hora auscultar o coraco
da patria, reconhecer pelo seu bater des-
compasfado que ha nella urna grave per-
turbacao do seu systema circulatorio poli-
tico-social, e quem tomar-lhe o pulso sen-
til-o-ha profundamente alterado pela febre
do desemhecido.
A par de algumas lisongeiras manifes-
tagOes da vida material da nagao, notam-
se grandes miserias, mesmo sob este ponto
de vista, e sobre-3ahem os desanimadores
symptoraa3 de urna enfermidade moral,
que atacou o carcter nacionalcentro
nervoso de todas as energas da naeao.
Entendo que em um tal estado de cou-
sas rigoroso dever do partido conoerva-
dor restaurar as suas forcas e trabalhar
unido para reerguer a nacao do seu aba-
timento e coiiduzil-a triumphante e sadia
s altas regiSes do seu engrandecimento.
Um s caminho se me affigura que p de
conduzir-nos a esse dwiideratumo das
reformas tendentes satisfagao de jus-
tas e conhecidas aspiracoes de grande
maioria da naco e da pratica sincera c
leal das instituieSes, o que quer d.zer urna
honrosa capitulado com a opiniao publica
do paiz, o respeito aos direitos dos cida-
daos c o imperio da moralidade na admi-
nistraco. .
Nao sou facil em tomar compromissos,
nem gosto de achar-me na contingencia
de faltar a ellea, quando tomados.
Sirva isto de justificacao norma de
conducta que neste momento me imponho
de nao descer especificajao de um pro
gramma, a cujo servio porei a minha
traca palavra e os meus convencidos es-
forgos, si for eleito vosso representante.
A nayo est sendo agitada por urna la-
boriosa evolug2o, cujos resultados se ac-
centuam na grande crise dos espiritos em
relaao descrenga as instituigocs que
nos regem e na grande crise da fortuna
publica em relacjlo desorganisacao do
trabalho, que levou a lavoura c com ella o
commercio e as industrias aos maiores
apuros.
Diante dessa evoluciio, um tanto pre-
cipite e agitada, parece que vai tornarse
necessaria a revisSo do programma do
partido conservador e esta ideia j despon-
toa no ospinto de alguns de seus chefes,
tendendo a generalisar-se.
NSo serei eu, portante, que por um fa-
ntico apego aos velhos moldes do meu
partido me prive desde j de adherir a
esse novo programma, que ao meu espiri-
to surge na forma de um arco-iris poltico,
que os chefes conservadores podem por
nos horisontes desse partido como um
.igual de suaallianya.
Si tudo isto falhar que do fundo do
co do futuro da nossa patria est para
surgir algum novo astro, que eu nao sei
si os mais aperfeigoados telescopios da
poltica j poderam alcanzar. E entao ser
preciso reformar o compendio da nossa
astronoma politica e nao ser o humilde
representante do 7. districto, si por ven-
tura me achar eu investido dessa honra,
que ha de emperrado como nm membro
do tribunal do Santo Ohiaietender que
a trra est immovel no centro do uni-
verso.
Para concretisar o meu pensamento em
urna s phrase, mais expressiva do que
tuqYi quanto deixo dito e mais eloquente
mesmo do que um manifest feito com
todos os preceitos da arte, eu vos direi
que na essencia o meu programma polti-
co se pode resumir as seguintes pala-
vras: trabalhar pelo bem do meu paiz
e particularmente pelo desta briosa ^ro
vincia, que me foi bergo e que est pre-
cisando de toda a boa vontade de seus fi-
Ihos para reconquistar a brhante posigao
que sempre oceupou nocongresso de suas
irmSs.
Espero que sabereis apreciar a fran-
queza com que acabo de fallar-vos e por
isso cont com o vosso voto c com o vos-
so valioso apoio em prol da minha candi-
datura.
Com estima e reconhecimento "assig-
no-me.
Vosso patricio e criado obrigado.
Jos Vicente Meira de Vasconcellos.
Recife, 5 de Agosto de 1839. .
ou
Guriosidade
Precisa-se saber que prerogativas tem,
ou que partcula de autoridade exerce o
official de gabinete da presidencia, para
andar de ordenanca?
Ser porque nervoso?
Esses iberae tem cousas....
O msica.
^*-
Embarque
Com destino provincia do Amazonas, seguoi
hoje no vapor Pernambuco, onde vai coramandar
as rias o Exm., Sr. Dr. coronel Antonio Flo-
rencio Pereira do Lago; a seu embarque, que
teve lugar s 6 horas da manh, compareceu no
Banto do embarque, que foi no Caes Vinte e
ous de Noverabro, alguns amigos de S. Exc,
notando-se entre este3 o Sr. Dr. Jos de Miranda
Curio, o Rvdm. Francisco Curio e outros. assim
como urna commisso do Instituto Beneflcente
dos Ofliciaes da Guarda Nacional, composta dos
Srs. capites Scbastio Pyrrho e Francisco Maga-
Mes e tenente Gaspar dos Res, in o estes of-
liciaes em urna bonita baleeira fazer suas des-
pedidas a bordo e signilicar-ihe a grande esti-
ma e elevada considerago que o Instituto tribu-
ta a S. Exc. pelo rauito que deve pelas consi-
deragOes recebida6.
S. Exc. agradeceu a esta prova de considera-
go, significando ao Instituto sua e'erua grati-
do e offerecendo seus prestimos alli.
Feliz viagem ao distincto militar.
Unjor I^am-enttao 4 O deserabargador (Juintino Jos de Miranda
respeitosaraente agradecido a todas as pessoas
seu ir
go major Laurentino Jos ae Miranda,
ue sabbado 10, pelas 8ho
rezadas missas era suffru
. ordem t. rancis-
_______
A mulher funda um dos seus principaes orgu-
llios na suave rotundidade das suas formas, e
quando. a natureza, que nao sempre favorece
medida dos humanos desejos, nega esta rotun-
didade, ou o que ainda peior, a troca por urna
superabundancia de ngulos, e ossos imperti-
nentes, ento s a modista pode acalmar o deses-
pero da filha de Eva.
Mas hoje nao ha porque desesperar: com o
uscrconstante de alguns vidros da legitimaEmul
sao de Oleo de Figado de Bacalho de Lanraan
& ?Kemp, segundo as instrueges que acompa-
nham a cada vidro, as carnes reapparecem, os
tecidos cellulares augmentan), a demacrago
cessa, e a desejada rotundidade natural das for-
mas obtida ao mesmo tempo que o systema
geral purilicado de todo elemento ou mi hu-
mor malsao, e os pulmOes fortalecem-se e ad-
quirera urna robustez excepcional.
Alm disto a Emulso de Lanman & Kemp,
que sem duvida a melhor de todas cura ra-
dicalmente todas as molestias do peito e da gar-
ganta e constitue o agente digestivo mais eficaz
em casos de dyspepsia ou enfraquecimento do
estomago ou da digosto.
Advocacia crime
BIBEIRO DA SJLVA, defende perante o{
i I jurv de Palmares, Agoe-Preta. 6amelleira,i'
( Escada, Jaboato, Nazareth, Victoria, Tim-l
' Ibauba e as comarcas visinhas s vas
(ferreos.
/ Pode ser procurado ra Io de Margo
j.n. 7 A.Livraria Parisiense.
Derby Club
Pergunta-se a digna Directora do Der-
by Club por que razao nSo multou o jo-
ckey Felippe que monta va na egua Diana,
no 4." pareo ?
Elle nao deu motivo para tamben) soffrer
qualquer pena ?!
Igualdade, Srs. Directores.
8889.
O justiceiro.
Leonor Porto
Roa Larga do Rosario nn-()
m

mero 96
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais difficeis
figranos rocebidos' de Londres, Pariz,<
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeigio de costuras, e3
em brevidade, modicidade em pregos e
fino gesto.
Maravilhosos effeitos!
Tendes tosse ou soffreis do peito?...
NSo percais tempo : tomai o Peitoral
de Cambar, que o nico remedio efncaz
para as molestias do larynge, bronchios e
pulmoes.
Com o uso deste poderoso mdicamente
debellam-se as tosses as mais impertinentes
e rebeldes e tambem desapparecem as op-
pressoes, dores do peito e alteragSes da
voz ;cessam as espectoragoe3 songinolentas
e os escarros de sangue; em pouco tem-
pe, desenvolve-se o appetite, as forjas
perdidas reapparecem, e em urna palavra,
oa enfermos sentem urna mudanga muito
notavel, por assim dizer, reanimam-se e
escapam de morte certa urna!
O governo imperial, depois daAPPROVA-
junta central de hygiene publica auctorisoc
o seu consumo em todo o Brazil por de-
creto imperial de 30 de Junho de 1884.
A academia nacional de Pariz e o jury
da exposicao brazileira-allemS, de 1881,
cenferiram ao auctor de tao grande e pre-
ciosa descoberta as suas medalhas de Ia
classe (de oui'o).
Examinai que a marca da fabrica e a
firma do auctorJ. Alvares de S. Soa-
res se achem nos rtulos que circulan) a
rolha e gargalo de cada frasco, como ga-
ranta contra as militas falsificajoes e imi-
tagoes que por toda parte apparecem.
Este precioso medicamento vende-se em
casa dos agentes Francisco Manoel da Sil-
va & C, A ra Mrquez de Olinda n. 23
ADVOGABO
O bacharel Salustiano Jos de
Oliveira pode ser procurado para
os misteres de sua prolisso.
ra Estreila do Rosario n. 10, i.
andar.
!*.
Um habitante do Rio de Ja-
neiro
O que se vai ler, e que recommendamos
attengao do publico, traz a assignatura
de um dos associados da firma Manoel Joa-
quim Moreira & O., estabelecidos com urna
importante fundigo, no Rio de Janeiro, a
ra S. Pedro ns. 302 a 312.
t lllm. Sr. Jos Alvares de Souza Soa-
res. Pelotas. Communico-lhe, com a ma-
ior satisfacao, que o seu xarope Peitoral
de Cambar remedio efficaz contra a
coqueluche, pois tive occasio de empre-
gal-o em fmulos de minha casa, que se
achavam atacados daquella terrivel moles-
tia e da qual ficaram, em poneos dias, cu-
rados.
F le V. S. fazer o uso que Ihe convier
desta minha communicag2o, para gloria e
renome do seu Peitoral de Cambar.
Americo Salvatori.
Aos Eim$. Srs. ministros. da
*ustl?a e presidente da pro*
vinoia*
Constando-me que alguem procura tirar
desta comarca, onde exergo o cargo de juiz mu-
nicipal, previno aSs. -Excs-, qb ibi
remogao, e nem pro
quer petigao qu

:
'
V
11


I
I

I
-f








-fera 9S de Agosto de
PHOSPHATINA FALIE1
> das Crianzas.
Professora
Por casas particulares, na cidade ou nos arr-
lateles, offerece se urna senhora para leccionaro
stguinte :
Portuguez, francez, italiano, geographia, piano,
yabalho de agulha, bordados e flores.
Garanta As discipulas effectivas que tem e
diversos attestados de pessoas Ilustradas.
A tratar na relojoaria do Regulador da Mari-
aba, rea Larga do Rosario n. 9.
EDITAES
9 Or. Jos Emigdio Goncalves Lima, jiflz muni-
cipal e do dvel do termo de Ipojuca da co-
marca do Cabo, por S. M. Imperador, a quem
Dens guarde, etc.
Fac. > saber a quera o presente edltal de praca
rirem oa delle noticia tiverem, que no dia 10 do
jrrente, as 12 horas do dia, serao arrematadas
a qnern mais der e mtior lanco offrecer, as par-
les do engenho Mercs, situado nesle termo, com
mas obras, utensilios, matas e logradouros, que
orara penborados ao Barita c Baroneza de Mer-
cs, por execuQio que contra os mesmo3 foi mo-
---riiJa pelo tinado Dr. Jos Domingos da Costa,
sojas partes foram adjudicadas ao Dr. Francisco
do Reg Barros de Lacerda, eiu qualidade de
jdqnerente c este no praso legal que Ihc foi as-
agnado nao fez o deposito do preco da avaliacao
^ne de 47:000*000, prego peto qual vai pti-
ja no dia, hora e lugar afia designado, de
jonformidade rom o art. 2 e seguintes do de
rotan. 3,272 de 5 de Outubro de 1885, maoda-
Jo observar pelo accordao proferido pela Rea
{So do aislricto era 24 de Agosto de 1888.
E para que chegue a noticia a todos, mantei
porteiro dojirizo affixar. o presente no logar
o costume, passando a respectiva certido.
Dado e patsado nesta villa de ipojuca, 1
de Agosto de 1889.
Lo, Jos Genuino Ferreira, escrivo, escrevi.
m Jos Smigdio Sonralves Lima.
3>seceo.Secretaria tia ('residencia de Per-
wrubuco em 10 de Julho de 1889 :
I or eslr secretaria se faz publico para conhe-
amento de quem interessar, qjie, a requerimen-
to de Jos Bernardiuo de Bourboni Arantes, li-
sa berta a concurrencia, com o praso de trulla
ms, contados dusia data, para o recebimento
e propostas referentes* fundaco de um enge-
ibo central le typo raaior, de que trata o art.
18 da lei n. 1863 de 11 de Agosto de 1885, me-
diante as condices do art.. 16 da mesma lei e
da de n. 1972 de 22 de Margo ultimo.
(Assignado).O secretario, Francisco L. Ha-
iho de Sonsa.
retara, da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. 8r. Dr. vice-presidente
da provinci e nos termos do 2o do art
t da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
3ue, tendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, a questSo de ava-
iacao do material da empreza de illuroi-
oaco gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis rae-
zes, contados da data do presente cdital,
para contracto da dita illumina^to, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3." Nenhuma. proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000)5
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacSo do contracto,
ao caso de ser preferida a sua proposta.
| 4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante senao lindo o contracto e
servir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
| 5. O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens offrecer
na concurrencia.
| 6." A nao ser no caao do paragrapho
antecedente, a actual mpresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
| 7.o O novo contractante sera obriga-
do a indemnisacao, a que a provincia
sujeita por ib rea da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
inderanisacSo ter lugar de accordo com
essa mesma clausfia, e ficando o material
paiz, sem at; oscillaca ibio.
'I 17.*" O contractante poder organisar
companhi, a qual ti cara subr i to-
dos os direits e obrigacies do contrete.
18. Para as despezas com a fiscali-
saco do servico de illuminacao Jo contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:0000000, que serSo recolbidos ao
Thesouro Provincial.
| 19." O presidente da provincia esta-
belecer as multas o mais condicSes, no
intuito de garantir a boa execucao do con-
tracto, quer com relacao a i luminoso pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:917(5528, de accordo eor
a avalia'cao feita pelo arbitro desempata
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir
se da de -998:7770528, total da avaliacao,
a importancia de 3:86O0QOO paga em-
presa em 1860, proveniente de202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peSes, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario intermo,
Manoel ioaqaim Siheira.
fSnip
reza do Gaz
AVISO
A empreza de iliuinincao a destegaz
cidade por sea gerente, tendo visto no
Diario aiS Perntrnibuco do hoje a publica-
rlo do edital m que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
Jnzo dos feitos da fazeada
nacional
BBCUVSO RECIO BARBOS
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos feitos da
/atenda, Smdolpho Hisbello Crrela de Araujo,
jodia 9 de Agosto correte, pelas 11 horas da
aanba, se vender em praca publica depois da
aadiencia do mesrao juiz. o bens seguintes :
Um carro de 4 rodas denominado Coup, em
boa? estado, que se acha em poder de Antonio
Sogneira, na cocheira sita na ra Duque de Ca-
rias n. 16, avaliado por 800-iOOO.
Urna machina a vapor, com todos os scus per-
vences, da serrara sita ao caes le Capibaribe n.
tX, perlencente a Francisco dos Santos Macedo.
avahada por 2:0005000.
i:ma armaco de madeira de amarcllo, com
arle envidracada, um balco com t mpo de
?edra e tres caixes tudo envernizado, exisleu-
jes no estabclecimenlo i!a ra do Rozario Larga,
r.efleacente a Jos Francisco Goilaco, avahados
-ditos bens por 80000.
Qua'ro espelbos grandes em moldura doura
ta, tres cadeiras de barbear e cortar cabellos c
ao relogio de parede que se achara na praca da
dependencia n. 28, pertencentcs a Joo de Bar
*m& FalcSo de Lacerda, avallado tudo em--
Bino.
Pma armai-Qo de pinho e louro' em bo:n es-
:ado.
Un balco, balanca, pe>os e medidas que se
acfcaai na casa n. ~\. na Estrada Hova, joolo
alarao do Zurabv, perlencente a Joo Custodio
Loafeiro, avahado tudo por I86J0O0, cojos bens
penborados s3o vendidos para pagamento da
ienda nacional e cusas.
Becife. t de Agosto de 1889.
ii solicitador,
Lniz Machaihi Botellio
COMMERCIO
Revista do Mercado
BMIUJ. 8 DEACOSTO DE 1889.
ovimento completamente millo.
Bolsa
JWtAgOES OFF1CIAKS DA JUNTA DOS COR-
RETOBES
Recu'e. 7 at Agosto de i#J9
Sa Uouve cotaco.
"o presidente,
'".andido O secretario,
Eduardo Dubeox
Cambio
Xereado apatliico. sendo as cotarOes nominaes
*27 d, bancario c 27 3 it particular.
'So Rio nao houve ulteraco nataxa bancaria,
aas nSo houve leltras purticulares cima de
e obras da empreza bypothecados pro- contracto da Ilumnag2o mediante as clau-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacao ou pelo, menos depositada a respecti-
va importancia.
| 8." O prazo do contrac'o nao poder
exceder a 30 annos.
9.:> OpreQO da illuminacao, quer publi-
e, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
e urna reduccSo de mais de 30 |0, para
os estabelecimentos de caridade e .benefi-
cencia, c repartieres publicas.
| 10. O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a niedi-
Cto do gaz.
| 11." A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranbas, que possam prc-
judicar a illuminacao e a hygiene publica.
| 12. A intcnsidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de esperniacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 grSos inglezes.
% 13. As horas de illuminacao publica
sero fixadas pelo presidente da provincia
Jt 'A S-
II 1
3 9
TABELLA8 AFFIXADAS

i 1
i I
3
&
c
O

O
a
09
m
no principio de cada anno, nao pudendo
ser em numero menor de seis, neic raaior
de dez, devendo neste caso haver urna
redueco no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
| 14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
leos e Ilimitados poderes para tratar e
efi/iitivamente resolver as questes que
se suscitarem, quer C">m o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos c jurisdiccao dos tribunacs judicia-
rios ou administrativos do paiz.
| 15. O contractante ser obrigado a
colloear e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
todos os melho-
designar, e a introduzir
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forcui descobrindo, urna vez adopta-
charel em sciencias jurdicas e sociaes, n-
sulas no mesmq enunciadas e servindo de
quanto foram ajaliadas pelo arbitro desem
patador as'^bras da mesma empreza,
base para a indemnisaco da empreza
actual a quantia d 998:777|j28, por
quantia essa que deyer ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para eyttar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacuo n3o podo servir
de base para tal indemaisacao, por ter
sido llegal e irregularruente feita, bera
como que contra ella j proles ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimido do mesmo
protesto' o Dr procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que de va cm terapo op
portuno fazer valer seus direits contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicacao para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
dtorgt Windsor,
5a Seccao. -- Palacio di Presidencia de
Pernambuco, em lo' de Julho de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm.- Sr. viee-presidente da
provincia, que, tendo Caetano da Costa
Moreira requerido a concurrencia publi-
ca para o estabelecimento de luna fabrica
de cimento preparado com materia do
paiz, nos termos da lei n. 1987, de G de
iaio deste anno, infra transcripta, fica
marcado o p aso de trinta dias, contados
de hoje, para p reeybiment de propostas,
em carta fechada, referentes a fkwdacao
da dita febric*. (Assignado) o secretario,
Francisco L. Marinho de Souza.
Lei n. 1987
Ignacio Joaquina de Souza Lelo, ba-
Iheir da Ordem da Rosa e vicepresiden-
te da provincia de Pernambuco :
Faco saber a todos os seus habitantes
3ue a Assembla Legislativa Provincial
ecretou e eu sanecionei a rcsolu<;3o se-
grate :
Art. 1.- Fica o presidente da provincia
autorisado a conceder, por praso impro-
rogavel de dez' annos, privilegio a qnem
mais vantagens ofFcrecer para montar, nes-
ta provincia, a prlineira fabrica de cimen-
to preparado cora materia do paiz.
Art.' 2." O cemento prodzido pela fa-
brica de que se trata niJo gosar de isen-
cSo de imposto algum era de quaesquer fa-
vores directos ou indirectos que tenham
por fin prohibir a entrada ou venda na
provincia de producto similar, nacicnal.oU
estrangeiro.
Art. 3.Se no fim de dous annos, a
contar da data la presente le, nSo esti-
ver a mesma fabrica funecionando regu-
larmente, a^actual conces.slo de privilegio,
ser ipso fado considerada caduca.
Art. 4. Ficam revogadas as disposi-
'ySe& em contrario. Mando, portanto, a
todas as autoridades a quem o conheci-
inento c execucao da presente Resolueo
portencer, que a cumpram o facam cura-
pr tao inteiraracute como n'ella se con
tm.
O Secretario Interino da Presidencia
d'csta Provincia a faca imprimir, publi-
car o correr. Palacio da Presidencia de
Pernambuco, G de Maio de SS'J, 68. da
Independencia, e do Imperio. (Assigna-
do).Ignacio Joaquim de_J3ouza Leao.
Sellada e publicada a presente Resolu-
eo, n'esta Secretaria da Presidencia de
Pernambuco, aos G do Maio de 1S89.
O secretario interino,
Jlanoel Joaquim Siiveira.
THEATRO
SANTA ISABEL
Empreza dos artistas ,
EDAUDD RODRIGUES JE HELENA BALSKHAO RODRIGUES
dikbjc;ao do
ACTOR
=##*=
ESPECTCULO EJI GRANDE GALLA
Para festejar o feliz regresso de Sua Alteza o Sr.
CONDE D'EU-
B COM A PRESEM9A DE SCA EXC. O SB. PBESIDESTE
.\"o dia da chegada de na Alteaa

PR0GR
BAFESTA
HYMNO NACIONAL
Cantado pelas actrizes D. IULSEMO c D. AIVERTI, e toda a companhi.
3."
Em seena aberta duas bandas de m'tsic.i sob a direcjao do maestro Sr.
CANDIDO F1LIIO executarao O Cl'.tRAXV
3."
Em scena aberta tocar urna brilhante ouvertura a banda musical do CORFO
D POLTOf A dirigida pelo hbil professor Candido f ho.
4.0
2? acto da comediaDOMINS t OR DE ROSA.
. **
3." acto da comedia D )MIS03 (OR DE ROSA.
de PernambncQ
De ordem do presidente do MonicPio dos Ty
pograpboi de Pernambuco, convido todos os Srs.
B8sociado8 a compareeerem oa sede social no dia
11 do comente, hora do cusiuuie. para tratar-st
(la dissoluy^io da aociedads, seos Srs. HaOCiados
em atraso nao se resolveren) liquidar os sen'
dbiles OU inelade delles, ai a sessio que. ora
convocada.
No caso de corapareciincoto de numero leal,
ser resolvida a dissotnco cora o numero que
comparecer.
Reeife, i de Agosto de 1889.
O 1." secrelario,
Gustavo de Al (Hitara Drio.
Imperial soeiedade
D08
Artistas MechaOicos* raos de Pernambuco
De ordem do couseliio director, convido a to-
dos os seobores socios, nos rosos de seus di-
reits, para a assembla ;eral na sexta-eira !i
do correnfe 7 horas da noile, devendo esta
etlectuar-se com o numero de socios que com-
parecer.
Reeife, 7 de Agoslo de 1888.
Lu/. Praicres
1- secrelario nterin.
Thcatro uina guarda
Nos intervallos tocarSo todas as bandas de msica.
. A' chegada de S.ia Alteza estar formada a porta do
de honra.
. Principiar as 8 e I j2
Os bhetes ua camarotes do 3.a ordem, cadeiras de 2.a, plateas e paraizo
venda desdo j na bilheteria do Theatro de Santo Antonio e no da do espectculo
no Tlieatro Santa Isabel.
i -----.
ilaver tcns ate Apipueos e bons pam todas as linhas.
PRECOS DO COSTME.

TH
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
p talchEnTopa._______________________
As entradas verificadas at hoje sobein 65.'!
saecas. sendo por:
'..rearas..... WO Saecas
Vapores ...
.njinaos..... Wl
...-frrea de Caruar.
v'ia-ferrea de S.Francisco.
Via-ferr.-a de Limoeiro
Somrna. 633 Saecas
Assucar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilo-. >
."jado u AS30ciago Comniercial Agrcola, foram
os seguintes:
Branco..... 3*b00 a 40O
Someuos..... :*000 a :t4(Ki
ascavado purgado 2*600 a JSOd
bruto (firme) 200 a 2*400
Ketame..... 1700 a U91X)
A exporlacio feila pela alfandega neste raez
at o dia 0, uDio a 11)9.732 kilos para o interior.
As entradas veriticidas at a data de hoje so-
bein 38i saceos, sendo por:
Barcacas..... 3SS Saceos
Vapores..... ...
Ammaes.... 24
Via-ferrea de Caruar. i
Via-ferrea de S. Francisco. 200
V'ia-ferrea do Limoeiro ....
dalgo
cavalheiro *da casa imperial, cava-
Somma.
581 Saceos

co
w
co

co
Ce
co
OS
3
I
8
t CC C rj
o o ex c* . tD O C- o* w

8

?
4
s x "

tta-se o de i"
ttks.
Mercado firme.
tlX
5 para o
AlVfMlO
%cunrdeaic
Cota-se a 1031M, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cota-se a 200000 por pipa de id litro.
Mel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros salgados, 360 a 365 ris, nominal, na
base de Izkiios.
Pauta da alfaudega
SBMJLNA BOA 10 DE AGOSTO DE 1869
Vide o Diarto de i de Agosto
\avlos descarga
Barca norueguense Arendal, carvao.
Barca norueguense (tirad, ferragens.
Barca norueguense Speranza, carvao.
Barca nacional Ctcia, varios gneros.
Barca ingleza Camelia, bacalho.
Barca nespanboia Progresso. carvao.
Barca aliemS/. F. Pust, carvao
Lugar americano llannah Me. Loen, farinha de
trigo.
Lugar nacional Tigre, xaeque.
Lugar inglez Danure, bacalho.
Lugar nacional Loyo, xarque.
Patacho nacional Atea/, xarque. ,
Patacho allemo Marie tym Oldendorp, xarque.
Patacho nacional Regulnra, xarque.
Patacho inglez klupren xarque.
Patacho allemo Frederuic, xarque.
Patacho dinaraarquez Jugor, xarque.
Patacho dinamarquez Ge/ion, xarque.
Vapor austrtaco Zichy, varios gneros.
Vapor inglez EUow, carvao.
Vafior inglez Historian, varios gneros.
Vapor inglez Bellena, vanos gneros.
Para Santos, A. V. de Barros 1.316 saceos com
78,3t-) kilos de asnear bramo ; i(. Burle & C.
1,40' saceos com 84,000 kilos de aseucar branco:
P. Carueiro C. 30 pipas com 14,400 litros de
alcool.
Para Rio de Janeiro. S. Guimaraes & C. 25
pipas com 12.00' litios de agurdente ; J. II-
Boxwell 30 i saecas com 42.69 i kilos de algodao.
No vapor austraco-Ziclin, earrcgou :
Para Kio de Janeiro. J. H/ Boxwell 00 suecas
cora 39,964 kilos de algodao.
No vapor nacional Jacuhipe, carregaram :
Para Penedo, F. M. da Silva & C. a barricas
Ctn 357 1/2 kilos de assucar branco ; E. C Bel
tro & Irmo 3 barricas cora 300 kilos'de assu-
car refinado. ,,j
Na barcaca Olivia, carregaram :
Pira Natal E. C. Bellrio & iruo O saceos
cora 1.200 kilos de* assucar refioado.
Na barcaca S. Catltanua. carregaraaa:
Para l'arahyba, Machado & C. 19 iuboas de
louio e J saceos com 1 000 kilos de milho ; t.
de Sonza Travasso 30 saceos com 3,000 kilos de
Companhi Amphi-
trite
l'.i^n ueta4>Bcnt- ucii divi acgo, com referencia ao ultimo semestre findo
em 30 de Junlio prximo oassado, cm seu
escriptorio ruado Coinmercio n. ib.
Recita, 6 de Agosto de 1889.
Os directores,
Amonio MSrques de Auiorim.
Manoel Jos Bu Silva Guimaraes.
Jna.|uim Onlo Has os.
1 escriptorio a 300 ris; 3iXi
26 compartimentos defrinhaafiOU
res' !3i000
26 ditos de comidas a 800 K-is 13*UUQ
71 ditos deleiuraes e faiendus a
400 ris 2S'i00
15 ditos de suinos a 700 ris 10*3 pu
8 ditos de fressuras a iiOu ris 4*80(1
4:t Ullios a 2* 86\S0
m
PROPAUSOADK K MPRKESA DOS ARTISTAS
ediaisdo mmmu e .iieloi kalseuao
DIRECQO DO ACTOR
C^. 18L* ? W& 1
Sabbad, 10 do Aso?
repreaentacao da oprela cm '> actos que
)StO
|
f.
A 1.
*do maestro A!varensa
tanto tem
agradado
msica
/
TDTh^TOTTT^O
.0S8tl0
1:272*580
I:I8U3S0
milho.
Diuhciro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Pernambuco,-
Natal
Cear
Maralo
Para

para:
9.0005000
8.847 3 30
1.2003000
3.0005000
Rendizneatos pblicos
HEZ DR AGOSTO
Alfanaega
Renda geral:
Do (lia 1 a 6 180:4S3J738
Idcn de 7 37.6585281
Renda nrovincial
o da 1 a 6
dem de 7
21 0365011
3.47**355
J:142019
24:3085366
.
Kxportaeio
Bicim, 7 di AeosTO M 1889
Para o ttcUrtor
noiive exportaco.
rara
! franc-
Somma total 242:6505385
Segunda sccgSo da Alfandega,' 7 d Agosto
de 1889.
8 thesoureiroFlorencio Domingties.
chefe da scccJo Cicero B. de Mello.
Reccbcdorla eral
Do dia i a 6 9.6415708
dem de 7 3685962
Rendimento do da 1 a 6 do cr-
reme
Foi arrecadado liquido at boje
Precos do dia :
Carne verde de 240 a 480 ris o k
Carueiro de 720 a I S res dem.
Sumos de 500 a 640 ris idcm.
Parinha le 800 a 800 ris a cuia.
Milho de 36) a 440ris dem,
feljlo de 15000 d 15200 Id. lU '
la:tdor publico
Neste estaDeleciinento foram abatidas
consumo de boje 76 rezos pcrtencenlesauiver
sos marcliares.
Vapores a entrar
KBS DE AGOSTO
Europa....... Nerthfi............
Sul........ VUle de Cear.....
Sul........... P. do Grao Para...
Norte......... Maritnlieiiw .....
Europa....... VUle de Pema/abHCO.
Haniburgo I 'alparaim........
None......... Maranltuo'.........
Sul........... Galicia............
Sul............Miae------.\. ...
Norte......... Financa ..........
Europa .-...... m, Piala..........
*ul. ......... Alagoas........... 17
pa'
?o
10
12
12
II
14
(4
14
13
15
16
Dlstribuleo
O Periquito, menino ranito tipaido.
Liborio, jardineiro d cOnrento
Lucas, mestre de danea ....
Carlos d'c Mello, militar ....
Antonio de Vasconcellos ....
Luiz de Mesqnifa, dem ....
Tiburcic, cstalajadeira ....
Um official ......
iSebastiana regent do convento ...
A madre abbadcss .....
Branca .
Camilla ... ....
Riiinba .......
Amelia, ctriz ...
AccSo da peca era Porturual.
Freirs^ educanda*, soldados, viajantes, etc., etc.
28" rmmoTos de linda msica
TTULOS DOS ACTOS
1.O ADEUS AO CONVENTO.
*.O PERIQUITO EM LIBERDAE.
M.^-O DLAB NO CONVENTO.
A empreza chama a attencjfy do respeitavel publico para esta peca que
posta em scena a capricho.
1). A Ll VERT
Sr. Rocha
0 C. Lisboa
E. Rodrigues
L. Teixeira
Bibiano
B Franja
Reis
D. Josephina
Angelina
" A. Franca
Virginia
Franca Brito'
i Anglica

. va
Sul..
Norle.........
Sul...........
Europa.......
eca
Espirito Santo
Para.........
Don.........
10:2105070
Recebedoria provincial
Do dia 1 a 6 9:5765969
dem de 7 1:3965972
------------------103973*941
o dia 1 a (i
dem de 7
Reeife Dralnage
3:0325374
1:5915119
interior
6:3235693
Mercado Municipal de don
O movlmento deste mercado no dia 3*e Agos-
to fot o seguinte:
Entraram :
39 12 bois pesando 3,472 kilos.
313 kilos de peixe a 20 ris 10*300
50 cargas cora farinha a 200 res 10*000
2 ditas com feijo a 200 ris 400
de milho a 200 ris U600
de fructas diversas & 300trls 3 5900
35000
25400
..os com legtunes a 200 ris 6*600
Fram>)ccupados:
96 columnas a 600
A UIWO
lilas
I ; -
Vapores a sahir
MEZ DE AGOSTO
Fcrnanuo una ___...... (0 as
Buenos-Avres. Nertke............ 10 a
RoKormoso Puapama......... 10 as
Havre eesc. VUle de Cear-:... 11 as
Sul.......... Maranhao......... 14 as
Santos e esc Vtlle de Pernambuco. 14 as
santos e esc.c Valparaiio....... 14 as
Liverpool Galicia........... 14 as
Buenos Ayrcs. La Piala.......... 16 as
New- York----- Adcanee.......... .16 as
Sul.......... Finonce........... 16 as
Norte........ 'lagoas........... 18 as"
Soutbampton eca............. 18 as
Sul..........Espii to Sanio..... tt ai
Norte.......Para............. 28 as
1S
i
27
i?
0 ii.
1 h.
4 h.
i Ii.
5 h.
3 h.
2 h.
11 h.
3 h.
H

PROJEGTO DE 2IVSCRIPCAO
Para a 2.a corrida a realizar-se no dia 15
h.
h.
h.
b.
h.
h.il
novimento do porto
yfnvios entrados no dia 8
Macao-9 dias, liiale nacional Joao Valle, de 50
toneladas, mestre Antonio Alves da Silva,
equip.ife'em 5, carga varios gneros: a Manoel
Joaquim I'essoa.
Natal7 dias, hiato nacional Giaquity, de 30 to-
neladas, mostr Joaquim 11. da Siiveira, equi-
pagem 3, carga varios gneros ; a Manoel Joa-
quim fessoa.
Navios saldos no mesmo dia
ParahybaPatacho allemo ,An*a, capito J.
Laarmann, carga farinba de mandioca.
BarbadosLugar inglez /diana, capitio J. N.
Jas tro.
ingles Flora, capitlo James
airo.
I*
) o
de Agosto de 1889
PAREO Consolaeo 800 metros. Animaes da provincia que arada nao
tenham ganho em 1889. Premios : 200)4000 ao primeiro, 40^000 ao
segundo e 20000 ao terceiro.
PAREO1. de lOsto1.260 metros. Animaes pelludos do paiz. Prs-
mios : 350i5O0O ao primeiro, 69^000 ao segundo e 35(5000 ao tercel; i.
3.a PAREO Aniniaco tOO metros. Animaes da provincia que nao tenham
gan'o em distancia, superior a l.OOO^metros. Premios: 2000O0 ao
primeiro, -lO^OQ ao segundo e 20|J000 ao terceiro.
4." PAREO Prado Pernambacano 1.609 metros. Animaes de qual-
quer paiz. Pr-.ruios: 500^000 ao primeiro, OUXHX) ao segundo e
505000 ao terceiro.
5. PAREOVeloeidade 1.300 metros. Animaes da provincia que nao te-
nham ganho em maior distancia em 1889. Premios: 200^000 ao pri-
meiro, 40000 ao segundo e 20#000 ao terceiro.
6.' PAREO Imprenta Pernambucana 1.400 metros. Animaes de qua'-
quer paiz que nSo tenham ganho n'estes ltimos 3 inezes n'este prado.
Premios: 4000000 ao primeiro, 605000 ao segundo e 40-5000 ;io
terceiro.
7." PAREOEmnlaeo 1.400 metros. Animaes da provincia. Pra
2500000 ao primeiro, 600000 segundo e 250000 ao terceiro.
Observacoes
S serad aceitas para cada pareo quinao propostas. Cada enveloppe dever
conter una s proposta, e caso appareca mais de urna, s ser acceita a primeira
que for #da, sendo recusada a proposta que n5o vier acompanhada da importancia
da inscripgSo.
Nenhum pareo se realizar sem que se inscrevam animaes de tres proprieta-
rios differentes.
A inscripcao encerrar-se-ha gabbado. O do corrente, s 6 horas da
tarde, na secretaria do Prado Peruambucano, ra do Imperador n. 83, l.anda-.
Rocife, 7 de Agosto de 1889.
Francisco de Souza Reis,
GERENTE. .


.



Diario de PernambucS<

'
gramma da 1.a corrida

^
m
o

QUE 8K H UALZAK
DoilllMO,
de Airaste
o
Xomc
dudes
PoUo*
^iaiiiral Id a- _
de. Pe*"

Cor da vestimenta
Proprietario.
1" Pareo 11 de .sonco8-*>0 metros.Animaes da provincia que nao lenham ganho em distancia superior a 1000 metros no
llippodromo em 1889. Premios: 200/000 ao Io, 40*000 ao 2 e 20*000 ao 3*
1
. .1
I
.3
6
7
8
9
10
II
12
13
Pombo-Prcto...
Boa- Vista......
Cndor........
Almirante...'-..
Alamor......
Tupy..........
Sneca .......
Dubliu........
General.......
Horcas........
VUlage.......
Corsario......
Cajurububa, ex
Pirraca...
anuos... Cachito......
Mellado.......
Baio.........
Alazo........
Mellado.......
Baio.........
usso-pedrez.
Cardo ......
Rosilho......
Alazo.......
Mellado......
Rodado ......
Pernambuc.
Castanho.
Vi
"i ."i
58
39
SS
53
58
SS
50
53
33
58
kilos.
Azul branco c cucaraJdo.
Encarnado e branco......
Azul e branco...........
Encarnado c branco......
Azul, encarnado e branco.
Preto, encarnado e ouro..
Azul e branco.
Coudelaria Victoria.
J. J. S.
EL Cardoso.
R. Cardoso.
J. L. S. F.
F. C. Rezende.
M. P.
Manoel J de Miranda.
Ninkilista.
Tallersal Pcrnambucano.
H. W.
J. F. S.

Coudelaria Depurativa.
-------------------j ___ ------------ _,___-------------------------
/ i" PareoPrado Pcmamburano-1SH) metrosAuiraas de menos de meio-sangue que nao 3ejara da provincia. Premios
230*000 ao i-, 30*000 ao 2 e 2.j000 ao 3-
1 Cometa
2 Val ano.....
i Favorita.....
i lAriBOr......
SiRecife.....
> annos.
3
6 ..
3
5 .
Alazo..

Zaina....
Castanho
S. Paulo
Rio de Janeiro-
S. Paulo......
11 o de Janeiro.
."ii kilos
48
52
54
54
Azul e ouro.
Branco c grenat ...
Encarnado e branco.
Verde e amarello.
Rosa eouro.........
Coudelaria Luzo-Branleira.
Coudelaria Fraternidade.
Maia &Chrysostomo.
A. M.
S. P.
o" Pareolr. Pereira Mimfipn
* l' turma)850 metros.Animaes da provincia que nio tenham ganho em maicr distancia
nos prados do Recife. Premios : 200JM)3U ao 1, 40000 ao T e 20*000 ao 3J
1 Boa-Vista..... 5
2 Zambo........ i
Sans-SeucJ..... >
1 Cam........ .
o Poiosi ..-..... \
6 Salomo...... 3
7 Guanay .. i
8 Bonapartc..... i
lOjl'ip............ i
11 Trnselas, ex-
Rocambole .. 5
12 Phariseu, ex
Orange..... 5
anuos.-
Mllalo......
Castanho......
Baio.........
Rusn-fycdrcz..
Castanho.....
Ilusso-cardio.
Rodado .......
Castanho.
Pernambuc
55 kilos.
53 .
53
53
53
50 .
53 .
53 .
53
53
55
Azul,'branco e encarnado-
Azul e branco............
Ouro e branco......*.....
verde e ouro.............
Grcnal e ouro.............
Verde e branco.
Azujfcncaru. c bonet preto.
J. J S.
F. R. R.
A. II. J. de O. II. de Mattos.
A. F. C.
Coudelaria Paysand.
J. Q. S. F.
"oudelaria Demcrata..
R. G. L.
s. B.
Joo Guimares.
J. S. S.
Tallersal Pcrnambucano.
V' Pareonippodronio do Campo tiran de1G09 metros.Animae3 de qualquer paiz.Premios : .'00.3000a"' 1", 100*000
ao f e 50000 ao 3
CastigUone..
Vesper.....
Fafjotlo
Apollo.....
Gallia... .
I)i a....
annos..
Zaino..
A laza..
Alazo.
Ataz .
Franca......
Inglaterra
Franca ......
Rio ila 1'iata.
Inglaterra.....
Franca.........
57 kilos.
32
57
56
35
51
Azul e grenat. -
Branco e ouro.
Azul e ouro ...
Branco c ouro.
Azul e ouro.
,F. Siqueira &. Bastos.
... Coudelaria Emulacile.
___Codelaria Hflernacional.
... Dr. Joo de S C. de Alb.
Coudelaria Emularlo.
... Coudelaria Internacional.
V' Pareolr. Pe re ir ttJrak"* (2* turma) 850 metros.Animaes da provincia que nao tenham ganho em maior distancia
nos prados do Recife. Premios : 200*000 ao Io, 405000 ao 2o e 20*000 ao 3o
I
5

I
:i
10
II
ES
Varal.........
Pctit-Mailre ...
Singapre ....
Pierrot .......
Cerbero......
Lucifer.......
Tyranno.....
Bonjour .....
Tenor, ex Pala-
dino........
Delegado......
Esquimo-----
Papacaceiro.ex-
IJarra.......
i anuos.
. 6
Rodado.....
"i * Russo.........
5 v Baio...........
"i Alazo.......
"i Rodado........
1 Alaste. .....*.
) Zaino.........
1 * Castanho......
"> Castanho escur.
1
Alazo --
Pernambuc.
55kilos..
55
55
55
55
55
53
55 .
53 .
35
35
55
Encamado e branco.
; Branco............
Grenat e ouro
Azul e grenat ...
Encarnado e branco.
Azul e branco......
Encarnado.........
Coudelaria Demcrata.
I.emos Duarte.
Jos Joaquim de Carvalho.
Coudelaria Progresso.
A. Oliveira.
Uchoa C.
M. A.
B.
J. Lyra,
J. Maia.
Augusto M.
Francisco Coellio.
IIa Pareolerfcy Club de Pernlimttuco
-900 metrosAnimaes da provincia. Premios: 200*00 ao 1, 80*000 ao2
.e 20*000 ao 3
Guarany.....
Sorpresa......
Cairas.......
Arumai y ... .
TemplaV......
anuos.
Rodado......
CaeCanh't....
r
Alazo......
Rodado......
Pernambuc .
53 kilos.
55
55
55
59
Azul e grenat...............
Azul, encarnado e branco....
Violeta e ouro.............
Coudelaria Demcrata.
Coudelaria Cruzeiro.
J. Bastos.
F. Siqueira & Bastos.
J. F. F.
7" PareoExtra -700 metros.Animaes da provincia.Premios : 150*000 ao Io, 30*000 ao 2" e 15*000 ao 8
1 l'mary... 4 annos. . i Carda........ Pernambuc------ 53 kilos. Encarnado e branco....... M. A.
i Stella. i - Zaina......... 57 . " B. Cardoso.
1 Marina... t - iCastanha...... 30 . Azul e branco..........,. II. A. D.
i Coruja... ..4-. 1 - Carda........ 53 Azul, encarnado e branco... Manoel J de Miranda.
1 Fantina.. 5 * 'Castaaha...... 55 - M. P. A.
(*) Montado po i amador.
OBSERVARES
Pede-sc aos Srs. proprietarios o obsequio de terem seus animaes s 1) horas da manliil no cnsilhamento,
visto como imprcterivelmcnte ser cuniprido o horario.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhaniento 1 hera antes da determinada
para o pareo cm que tem de correr. t .
Os jockeys que nao estivercm matriculados na secretaria do Hippodromo\ nao poderlo correr, cumprindo-lhes
apresentar; as respectivas cademetas na occasio da pesagem.
Os forj'aits serao recebidos na forma do artigo (32 do Cdigo de Corridas.
15000
2*000
2*000
Geraes..........
Entrada e archibancada ....
Entrada e cnsilhamento.....
Entrada, archibancada e ensilhamento
Candes de familia at 5 pessoas .
Dilierenca para ensilhamento
3*000
5*00i.i
1*000
HORARIO
Corridas
l.o
pareo
2/
3."
4."
5.
6.
7.
11 horas
;&
11 e 50 minutos
12 e 40
1 e 30
2 e 20 p
3 > e 10
4'
Recife, 8 de Agosto de 1889.
O secretario, Dr. Eugenio de Barros raleo de Lacerda.
Kecebedoria Pro\ri-
cial
,a seceo declara-se que pelo Sr. tanca-
luim 'ranquilino de Lemos Duarte loi
io Jos Rufino'Climaco da Silva para pa-
semestre do exer.-lcio correte de 1889
sto de 1:000* decietado pela iei n. 2009
I de Julho ultimo, por expr 'veDda ma-
straflgeiras em seu estabelecimento do
ie Sovembro.
ccAo da Recebedoria Provincial, 6 de
de" 188.-O cliefe, ">
C. de Barros Campello.
A
Secretaria da inilrnccao publica. 1
deAfoilode IS8
Eleico de um professor para membro do con-
sclbo litterario
N. 101 De ordem do Sr. Dr. inspector geral,
declaro aos professores pblicos ae ensino-pri-
mario eftectivos e vitalicios, qur de um, qur de
outro sexo, que tendo de proceder-se -a eleijilo
de um professor para membro do conselho litte
rario devem, na forma do art. i- das instruc-
ces de 15 de Maio de 1885 e art. 18 17 do
regalamento interno das euolas, remetterem a
esta secretaria at o dia R de Noaembro vin
douro os seas votos centidos em oflicio, na for-
ma do ait. 4- das referidas instrocyoes.
O secretario,
Perflenti' auio Gal vilo
Gabinete Portugnez
de Leitura
Scientilico a todos os socios desta instiluico,
que a directoria resolveu suspender o expedien-
te da blbliotheca, de 5 17 do corrente inclusi-
ve, era virtude dos preparativos para a festa an-
niversaria a realizar-se em 15 do mesmo.
Outrosim, rogo a todos aquel les que
obras em sen poder, a fineza de recoRV
bibliotbeca at o dia 13.
Gabinete Portuguez de Leitura, aos 3 de Ago^
lo de 1889.
i
' lo'
ira 9 de Agosto de 1889
o
BERBY m
wifi m
3.
F .-.. ---. --v
Para a 18.a corrida
A realiznr-se cm 18 do Agosto de 1889
i-0 $W&3 CONSOLACAO SOW metros. Animaes da provincia que nSo
tenham ganho nos prados do Kecife. Premios : 2U05O0O ao primeiro,
4000 a segundo c 20(JOOO ao terceiro.
' $VS)S OMNltJM I.IOt> mptros. Animaea de menos de meio san-
guc. Premios : "00^000 ao primeiro^ 6Qi000 ao segundo c 303000
ao terceiro
$V%"&IilPREXSA1.300 meros. Animaes d?. provincia quo nao
tenham ganho em maior distancia no Derby. Premios: 200(5000 ao
primeiro, 405000 ao segundo *e 205000 ao terceiro.
WAlftINTERNACIONAL 1. MM metros. Animaos de qualquer
paiz. Premios: 5005000 ao primeiro, 1005000 ao segundo e 505000
ao terceiro.
^Vfc1?, PROS^ERIDADE fMM metros. Animaos da provincia que
nao tenham ganho nesta ou maior distancia nos prados de Recife. Pre-
mios : 200500 ao primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao terceiro.
VMkitA COlfPESTSACO1.40O etre. Animaes de qualquer paiz,
que no tenham ganho em maior distancia no Derby n'estes ltimos '
mezes. Premios : 4005000 ao primeiro, 800000 ao seguodo e 405000
ao terceiro.
?1k"&1.9 PROVINCIA DE PERNAMBUC-!. metros. Animaes
da provincia. Premios: 2C05000 ao primeiro, 405000 ao segundo e
205000 ao terceiro.
Observacoes
S sero acceitas para cada pareo as 16 primeiras propostas.
Os pareos OMNIUM, INTERNACIONAL c COMPENSACAO s se realiza-
rlo si se inscreverem cinco animaes pelo menos
Cada enveloppe dever conter urna s proposta e ser recusada aquella que
n2d vier acompanhada da importancia da inscripcSo.
ni A' directoria reserVa-sc o dircito de alterar a collocacHo dos pareos na organi-
sacao do programma.
A inscripcao encerrar-se4ia scguncla-fcira, 12 do crente, s G horas]da tarde,
na'secretaria d>. Derby Club, praea do Saldanha Marinho n. 2, 1." andar.
Recife, 8 de Agosto de 1889.
O GERENTE,
Henriaue SchuleL
5.
a
%."
Banco de Crdito Real
de Pernambuc
Nos termos dos ar!s. 5 e G dos estatutos, sao
convidados os Srs. accionistas realizarem ate
o dia 31 do corrente inez, na sede do Banco
ra do Commercio n. 34, a 6a entrada de 10 ".'
do valor nominal dcr.as nrces.
Recife, 1 de Agosto de 1889.
Os administradores,
Manoel Joo de Amorlrn.
Antonio Fernandos Ritiiro.
Lniz Duprat.
CompanhiatU- Edifica cao
A comraissSo liquidadora da Companhia de
Edificaco recebe propostas para a cessao das
suas dividas activas no valor de 3:l42730,fcuja
lista se acha noescriplorio da Companhia Pra-
ea de Pedro 11, n. 77,1. andar disposiro dos
pretendentes. \
As propostas devero ser apresentadas em
cartas fechada at ao dia 10 do corrente, as II
horas da nianh, 0 serao abortas em seguida.
A rommisfo liquidadora.
Recebedoria Provincial
0 abaixo assignado tedo sido designado por
portara de 3 do corrente expedida pelo Illm. Sr.
coronel administrador desta repartidlo para
fazer a collccta da decima urbana, referente ao
anno de 1890, as freguczias da Boa-Visla e
(iraca, previne aos Srs. inquilinos que na sema-
na de 5 a 10 do corrente dar principio dita
collecla, pelas ras da Imperatnz, iraca Conde
d'Eu, Viscondc de Pelotas c Cooceico e por
isso pede que tenham seus recibos devidamente
legalisados para exliibilos no acto da coMecta,
sob pena de serem arbitrados de conformidade
cora o % i do art. 25 do regulaincnlo de 4 de
Julho de 4879.
1 seccao da Recebedoria Provincial. 5 de
Agosto (fe 1889.
O lancador,
Jos de Pinito Borges.
Derby Club de Per-
nambuc
Pela directoria foram impostas as seguiutes
penas :
Ao jockey Joo Carlos, qui> raoutou o cavallo
Maestro, no 2o pareo, a mulla de .'i-3000 por
ter aUnpellado os animaes Ruy-Blas e Corcovado
apellndoos de encontr cerca na partida ido
i pareo da 17* corrida:
Ao jockey Pedro de Souza, a multa de 1003,
por ter levado o animal Estt-pbanie, em qtre
montara, de encontr eijua Africana, seguran-
do na redea desta para prejodicar a corrida, c
suspenso por un oiez por ter chicoteado o jo-
ckey do referido animal Africana ;
Ao jockey Antonio Paulo, que montou o ani-
mal Ernani. a mulla de 503000. por ter levado
o seu animal de en.-ontro egua Eslepbanie, fa-
zendo-a desgarrar.
Pelo starter foram multados enf 103000 cada
um dos seguintes jockeys, pelo procedimento ir-
regular que tiveram as partidas dos 2 e 3o pa-
reos da 17* cernda : Henriquc Rocha, Luiz Pe-'
reir, Alexandre Sampaio e Joo Carlos.
Recife, 7 de Agosto de 1889.
O gerente.
It. Schutel.
Capitana do Porto
Aos proprietarios de embar
eaees
De ordem do Illm. Sr. CapitSo-teneuto
capitao do Porto, desta provincia, mav
se o prazo improrogavel de 20 dias, paia
3oe 8ejam satisfeitas pelos proprietarios
e todas as embarcares do trauco porto e de pequea cabotagem, as deter-
minag5es do artigo abaixo transcripto, do
regulamento d 1!J de Maio de .1846, fin-
do o qual licarSo os infractores sugeitui
s penas previstas no citado regulamento.
Art. 73. Pela Capitania do Porto, serSo
designados os lugares onde devam estacio-
nal as embarcajSes do trafico do porto e '
rios navegaveis ; todas serao numeradas
e marcadas com urna letra do alpbabetc no
costado e as velas (as que as tiverem),
para designar a respectiva estac&o.
Capitana do Porto de Pernambuc, ...
de Agosto de 1889.
O secretario,
Mario Chaves.
Recebedoria ProTn-
cial
O abaixo assignado, lancador desta reparlij-o,
faz 8cienle a quem intereasar possa, que ral
proceder aos lancamentos da dcima urbana nas
freguezias de 91 Fr. Pedro (ioncalves do Recife,
Var'zea e S. Lourenco da Malta, para o anuo li-
naneciro de 1890. Outrosim, dar comeco ao
seu trabalbo na prxima segunda feira, e pede
aos respectivos inquilinos para terera de pronip-
to os seus recibos, afim de evitar o arbitramen-
to e as reclamagOes dos proprietarios.
1.* seceo da Recebedoria Provincial, C le
Agosto de 1889.
'________Felinto do Reg Barros Pessoa.
Irmandade do Divino Espi-
rito-Santo do Recife
Conselho fiscal
De conformidade com o art. 68 do nossocom-
promisso convido aos charissimos irmaos i x-
juizes e bemfeitores a comparecerem^m o nos-
so consistorio domingo 11 do corrente pelas 11
e 1/2 horas do (lia, atim de dar-se comprimjnto
ao disposto na l' parte do arf. 83 e 2* do ar. 84
do mesmo compromisso.
Consistorio, 8 de Agosto de 1889.
Luciano Jos Dias Guimar.'.es,
___________ Procurador geral.-
Indemnisadora
Esta companhia de seguros est pagando um
dividen lo de 1540) 0 por aceao, relativo ao ulti-
mo semestre lindo em 30 deJunho prximo pas-"
gado, cm seu esc iptorio ra do Commercio
numero 44.
Recife, 24 de Julho ae 1889.
Os directores
Joaquim Ahes da Fanseca.
Antonio da Cimba Ferreira Baltar.
.Idministrac'o dos Crrelos de
Pernambuc. 1 de Asoslo de
1889.
Relafao da correspondencia registrada (sem ra-
lon que existe n'esla reparlco, por nao te-
rem sido encontrados seus destinatarios.
Alexandre Aires de Freias.
Arlhur Barbosa.
Andre Becerra do Reg Barros.
Avelino Freir.
Antonia Mara ca Cooceico.
Casimiro Itusmann.

S. R. C.
Recrealivn Commcrcial
e baile para solemnisar a ns-
Saciedade
Sesso magna
talafo da snciedade e abertura de sua biblio-
theca. em 7 de Setembro de 1889.
Participo aos senhores socios que quizerem
tomar parte oeste baile, que desde j podem
procurar a lista em mSo do Sr. luesoureiro.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commcr-
cial, 7 de Agosto de 1889.
O 1 secretario
Adolpho Mendes Torres______
J u izo dos Feitos daFazenda
Nacional
Kmcrivi) Boro Burro.
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos Feitos da
Fazenda Lindolpho Hisbello Correia de Araujo.
00 dia 9 do virwioun mez de Agosto, s 11 horas
da manh, depois da audiencia, se vender era
praca publica os bens seguintes :
Um sobradinho de tijolo e cal, com urna ola-
ria em seguimento sobre csteios de madeira,
coberto de telha, sito no lugar dos Coelhos n. 19,
freguezia da Boa-Vista, pelo prero de 990J, per-
tencente a Antonio Caroeiro da Cuaba, e penho-
rado para pagamcnlo da Fazenda Nacional e
outros.
Outra olaria sobre pilares de tijolo e cal, co-
berta de telha, de n. 23, sita nos Coelhos, fre
guezia da Boa-Vista, avahada por 1:5005, per-
tenecnte a Vicente Perreira dos Santos Barros, e
penborada para pagamento da Fazenda Nacio-
nal e cusas.
Recife, 30 de Julho de 1889.
0 solicitador da Fazenda Nacional,
Luiz Machado Botelho.
A' GI.\ AoSup.-. Arch.-. do
Un.-.S.vB.*. Cavallieiros
da Cruz
De ordem do liesq Ir. Ven int. uo-
vamente convido Iodo os O Op. -. d'esta Aug.\
e Resp. Olf. a se reunirem na sede damas-
ina na prxima segunda-feira 12 do corrente, s
7 horas da noile, atim de em num- leg. de
O Obr. procederr-se Ses. de Fin. .
Trnc. em meu gab. aos 8 dias do mez de
Agosto de 1889 V--.
0 secret. -,
Eduardo Goncalves 18
Estrada de ferro do
Recife a C aruar
De. ordem do Illm. Sr. Io engenheiro servindo
de director, fago publico, para os deriaos effei
tos e conhecimento de todas as partes interes-
sadas, que por aviso do ministerio da agricul-
tura, commercio e obras publicas, datado de 26
de Julho prximo lindo, constou. a esta repaiti-
r.o haver sido preferida a proposta do Sr. ba-
harel Joo Lins Cavalcante de Albuquerque.
para a construeco do trecho comprhendido
entre Bezerros, e Caruar, cujos trabalhos tero
comeco o mai? prximamente possivel. -vvt '
Secretaria do Prolongnmento da Estrada^
S. Francisco e Estrada de
Caruar, 6 de Agosto de
Domingos da Silva Guimares.
Emiie Billn.
Felismina de Carvalho.
Jos Antonio do Nascimento.
Jos de Jess Pimentel.
Jos Marques da Silva.
Jos de Pinho Pereira.
Jos Pereira de Castro.
Jeronvao Theotonio da Silva Lonreiro.
Jehnion. Pater C.
Levy.
Luiz Jos Pereira.
Levino Joaquim de Catro.
Luiza Pfeifer.
Manoei aroeiro Machado Freir.
Manoel Francisco'AIves Teixeira.
Maria Francisca da Conceico.
Maria Filomena da Conceico.
Peiro Cesario de Oliveira.
Pedro Domingos Correia.
Sebastio Alves de Oliveira.
O ofriciaf
* Antonio Uubeux.


fliciaf,,
I Ferro
. Ferro
1889.
do
do
Recife
Recife
O secretario,
A. G. de Gusmao Abo.
Club Internacional do Re-
cife
Conforme o art. 34 dos nossos estatutos, sao
convidados os soci03 deste club, allm de compa-
recerem no dia 11 do corrente, s 11 horas da
manh, na respectiva sede, para proceder-se
nova directoria.
Recife, 6 de Agosto de 1889.
Arthur de Souza Carvalho,
2 secretario.
Assoclacao Commcrcial Bendicen-
te de Pernambuc
De conformidade com o art. 15 dos estatutos
sao convidados os Srs. associados a comparece-
rem no dia 9 do corrente mez, s 12 horas da
i, para em assemblea geral, ouvirem a le-
do relatorio da presente admimstraco e
irem ora directoria para o auno de 188
Recife, o de Agosto de 1889.
O secretario,
Manoel da Silva >.
Recebedoria Provin-
cial
O abaixo assignado, tendo sido designado por
portara do Illm. Sr. coronel administrador, de 3
do corrente, para proceder o lancainento da de-
cima urbana e mais imnostos provinciaes as
freguezias de S. Jos e Atogados, relatiramente
ao exercicio de 1890, pelo presente previne aos
senhores inquilinos e dones de estabelecimentos
que tenham proraptos os seus recibos, afim de
evitar arbitramento e reclamaces dos proprie-
tarros. E dar principio ao seu trabalho na pro-
MMegunda feira, pelas seguintes ras : Mar-
. ._
*<'froiari ila instrucro pultlic-a. S
de Agolo dc'lSS
Prazo de 60 dias
ReinlegragOes
De ordem do Sr. Dr. inspector geral, fago
scienle aos professores que se seguem. reinte-
gres por acto da presidencia da provincia de 10
de Julho ultimo, que lhes tica marcado o prazo-
de 60 dias, a contar daquella dala, para toraarem
posse e assumirera o exercicio de suas respecti-
va* cadeiras.
Leontino Pimentel Angelim, ua de Pedro de
Ouricury.
Gesnol Ribeiro de Castro Feitosa, na cadeira
de ensino primario de Tabocas, em Exu.
Joo Silverio de Alencar, na de Granito.
Jos Francisco de Albuquerque Cavalcanle, na
deCaboclo, era Petrolina.
Severiano Rodrigues Coelho de Aacedo, na de
Pelrolina.
Francisco de Paula Freitas, na de Carahybas,
em Boa Vista.
Eduardo Monteiro de Moura, na da liba da
Assumpfo.
Canuto de Ponles'Simes, na da Bella Vista
do Ex.
Antonio Luiz Peixoto de Barros, na de Bella
Vista, em G-anito.
Rita Amelia Pimentel, na do sexo femraino
da villa de Ouricury.
Anna Francisca da ConceigSo Araariz, na de
Cabrob.
Maria Esmeraldina Emilia de Barros, na de
Villa Bella.
Qlacintha Candida de Alencar, na da villa de
Granito.
Joanna Moreira da Costa, na de ensino mixto
de Alagoas dos Cavallos, em Ex:
Juventina Florentina de Alencar, na de Bella
Vista do Ex.
Francisco Pereira Lima, na de Brejinho de
Fra.
Anna Euphrasia de Barros e Silva, na da villa
de Salgueiro.
Francisco Moreira da Costa, na da villa do
Ex.
O secretario,
Pergentino"Saraiva de Araujo Galvao.
S. R. J.
Sociedade Recreativa Juvcniude
Solemnisacao do 2o." anaiversario desua'ins-
tallaco^e 2." do da sua banda musical, em
14-dTAgosto.
Convites.pm uo do presidente ; a Ijsta os se-
nhores socios encontrarlo ero mo do thesourei-
ro ; nao se admitte aggregados.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juventude,
8 de Agosto de 1889.-0 2- secretario
Antonio F. Lopes.
--------------------------------------------
Quarta praca
Pela inspectora desta Alfandega se faz pa-
blico que asi! horas -dodia.U de corrente mez,
ser arrematada em praca porta desta reparti-
co, a merradoria abaixo declarada :
Amazem n. 4
Urna caita narca JJA, n. 34, rinda de Li\
pool no vapor nglez Scholar, entrado em i>
mez i .do, conteado cha da India (eom
pequea atara), pesando liquido legal
as, abandonada ac

i




\


mmss
2
Diario de PertiambucoS a-feira 9 de Agosto de 1889
Reebedaria Provincial
gTendo sido designado, por portara do lllm.
Sr. coronel administrador desta repartico, de 3
do corrente mez, para proceder as freguezias
de Santo Antpmo e do Poco da Panella, a collec-
ta dos impostos proviociaes relativo ao exerci
ci de 4890, a'ssim o declaro aos respectivos con-
tribuintes, que na forma do regularaento de 4 de
Julho de 1879 deverSo instruir as reclamacOes'
que fizerem em vista de documentos comproba-
torios. Darei principio ao trabalbo de que me
acfio Incumbido no dia 8 do corrente, pelas se-
guintes ras: travessa da Ponte de Ucha. bec-
co da Cruz.das Almas. Agua Fria, estradas do
Arraial, do Brejo, mas de Pedro Alera, do Costa
e de S. Joo, travessa de S. JoSo,* ras de Har-
mona da Bella Vista e do General Abreu e Li-
ma, pertencontes referida freguezia do Poco
da Panella.
i. secco da Recebedoria Provincial, 6 de
Agosto de 1889.O lancador.
Joaquim Tranquilino de L. Duarte.
banco naSB6SS~
DO
fcj JC~VvcV.>o X JL_
Capital.....20,000:0000000
dem realisado 15,000:0000000
A caixa filial deste Banco tuncciona
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
aprazo, contra os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
ParsBanque de Paris et des Pays Bas.
LondresLondon & County Banking Oom-
pany Limited.
AllemanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hvpothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Pqrtugal e suas agen-
cias. 1
Rio da PrataThe London & River Pa-
te Bank Limited.
Nova YorkG. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer pracar do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em nonta corrente de
movimento com juros na razao de 2 % ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, Irliam M Webster.
CHARGEURS. REUNS
Compannla Franrein
DE
Xavcgafo a vapor
uinha regnlat entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Babia, Rio; de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville de Pernambuco
Commandante Sebire
E'esperado da Europa 1*6 o dia 13
de Agosto, seguindo depois da in-
dispensaveV demora para a
Babia, Ri6 de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linba, qaeiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamacao concernente a volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
sul alim de se podei dar a tempo as provi-
p encas necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encomraendas e di-
nheiro a frete : trata-s com o AGENTE.
O vapor
Ville do Cear
Commandante Lainey
Espera-se dos portos do sul at
o dia 10 de Agosto, seguindo
depois da indispensavel demora
ara o Havre tocando em
MARTIMOS
United States and Brazil
M. S. S. C.
Ovapor Advance
E' esperado dos portos d;
sul at o dia lo de Agost
o qual depois da demo-
ra necessana s e g u i r \
'para o
Para, Barbados, Martlnlque, S.
Thomaz e New-York
Para passagens carga, encommendas e di-
nheiro a frete. trata-se : com os AGENTES.
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
norte at o dia 15 de Agos-
to o qual depois da de-
mora necessana seguir
_ para a
Baha. Ro de Janeiro e Sanios
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a lrete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
1* andar
Companhia Bahiana de Na-
vgacao a Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo1, Araca-
j, Estancia e Babia
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
at o dia 12 do corrente, e de-
-poisda demora do costume re-
ssressar para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
Lisboa.
Entrar no porto
Conduz medico a bordo, devmarcha rpida
e offerece excellentes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
mao.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes accommodaefes.
< Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o
% AGENTE
Angoste Labille
9-RA DO COMMERCIO-9
Companhia Brasileira de
Navegacao a Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Maranho
Commandante o eapitSo de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do norte at
o dia 14 de Agosto e depois da de-
mora indispensavel seguir- para os
portos do sul.
As encommendas sero recebidas no trapiche
3arbosa at 1 hora da larde do da da sabida.
/Para carga, passagens, encommendas e "7110
res trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Alagoas
Commandante Joao Mara Pessoa
E' esperado dos portos do su at o
dia 17 de Agosto e seguindo depois
da demora indispensavel para 05
portos do norte at Manos.
As encommendas so sero recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com 03
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Gommercio=6
1 andar
COMIVMIIA.
l'KHViMBKlM
DE
av'gacSo costelra por Vapor
Para Fernando de Noronka
O vapor Una
Commandante Scraphim da Silva
Segu no dia 13 de Agosto s 12
'horas da manh. Recebe carga at o
'dia 12.
Passagens at s 10 horas do di da sahida.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernanibucana
n. 12
Roy al Mail Steam Packet
Companhy
O vapor La Plata
Commandante A.JH. Dyke
Espera-se da Europa at o dia 16 de
'Agosto, seguindo depois da demo-
ra do costume para
acolo. Baha, Rio de Janeiro
Santos. Montevideo e Bnenos-
Ayres.
Para passagens, fretese encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Neva
Commandante G. M. Hicks
E' esperado do sul no dia 18 de
Agosto, seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, viso. Sonthampton e
Antuerpia
ReduccSo de passagens
Ida Ida e volta
A' Lisboa 1 classe t 20 30
A' Southampton 1' classe 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os ____
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
~ COMPANHIA PERXASIBCJCAVA
DE
Mavegaco costelra por vapor
PORTOS DO SUL
Rio Formoso e Tamandar
O vapor Pirapama
Command? te Carvalho
Segu no dia 10 co correu-
te "as i oras da, manba Re
cebe carga t 9.
lens at s
da sal
ESCRI
Ao Caes da Coma
Companhie de Messa<*eries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Camoin
E'esperado da Europa no
dia 10 de Agosto e segui-
r depois da demora ne-
cessaria para
Baha, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Prevne-se aos Srs. recebedores de mercado-
ras que so se attender a reclamacOes por fal-
las, nos volumes, que forem reconhecidas na
occasio da descarga, assim como devero den-
tro de 48 heras a contar do dia da descarga das
alvarengas, fazerem qualquer reclamacao con-
cernentes a volumes que porventura tenham se-
guido para os portos do sol, afim de poder-se
dar a tempo as providencias necessarias.
Eafe paquete iluminado a Iuk
elctrica.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
9 Ra do Commercio 9
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN UNE.
O paquete Galicia
Espera-se do sul ate o dia
14 do corrente e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool per
Usboa. Bordean* e Plymouth
Para carga, passageiros, encommendas e di-
aheiro a frete : trata-se cora os
AGENTES
Wilson, Sons k C, Limited
14RA DO COMMERCIO4
LE1L0ES
Sexta-fera, 9. o dos movis, lauca, vid
bilhar, jogo de bola, piano, seralioa, 1
outrosobjectos pertencentcs aociub C
"aiao de S. Bo;ja n. 37
de pois
Leilb
De movis
Ra de Marcilio Dias n. 20 Io andar
Heita-felra do corrente
A's 11 horas
0 agente Stepple levar a leilo por ordem
de urna familia que rettra-se para fra da pro
vincia, urna mobilia, camas, mesas, guarda lou-
cas e muitos outros movis que estarao patente.
Leilo
de fazendas, constando da caixa n. 1,173,1 con-
tendo 22 duzias de fichs de l, caixa n. 1,065
com 36 duzias de camisas de algodao, caixa
n l,0i4 com 36 duzias de camisas de 'algodo,
caixa n. 1,063 com 36 duzias de camisas de al-
odio, caixa n. 701 cora pecas de entretella de
retanha, caixa n. 1,174 com 23 duzias de fl-
chs de l( e de seda, caixas ns. 1,137 e 1,138
com cortesJde casemira de l, caixa n. 1,690
com 40 pega de ere ton es de cores, caixa n...
com duzias de dares de meias de algodo, di-
tas de l, ditasde Escocia, ditas de seda.
Wexta-feira. 9 de Agosto
A's 11 horas
0 agente Gusnio, autorisado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz do commercio, far leilo das
mercaduras cima, pertencentcs a massa fallida-
de D. P. Wd & p., cujo leilo ser effectuado
no armazem h. 5 da ra do Mrquez de Olinda.
Leilo
De cerca de 80 tenas de zinco -e vares de
ferro formando i; telheiro, cerca de mil tenas
de barro e travs formando um outro telheiro, 1
jogo de bolas com todos os seus perteuces, can-
dieiros gaz para o mesmo jogo, bancos de
t'ardim, objectos exUtentss e pertencentes ao
;iub Concordia! %. 3
Sexta-feira 9 do corrente
Por occasio do leilo de 1 billar, 1 serafina,
1 piano, mobilias, mesas de jogo, candieiros a
gaz e muitos outros movis.
Em tempo
Este leilo comecar s 10 horas em ponto,
pelos crystaes, louga e movis, devendo acabar
s 2 1/2 horas da tarde, afim de ser effectuado
A's 3 1/2 horas da tarde
No caes da Lingueta
Um outro leilo de^ cavallos de corridas e 1
com andares.
V's 4, 1/9 lloras da tardo
NA COUDELARIA PAYSANDU
Leilo de sellas, bridOes. cabegadas, escovas,
mantas, capas, 1 moinho, cochelras com telhas
de zinco e mais pertences.
Os concurrentes tero passagem gratis 1
bond da linha da Magdajena.
Leilo
Sexta-feira, 9 de Agosto
De bons moris, crystaes, espe-
Ihos. objectos de eleetro-plate.
carteiras. balco. mesas dejo-
so. 1 bflhar e pertencas, can-
dieiros e registro a gaz, 9 Jo-
gos de bolas e telheiros
CONSTANDO DE :
'1* sala (da frente)
l'ra rico espelho grande dourado e oval, jm
piano forte, de Pleyel, 1 mobilia de Jacaranda
com 1 sof, 2 consolos com pedra, 2 cadeirasde
bragos c 12 de guarnigo, 1 jardineira oval a 6
cadeiras de guarnigo, 1 lustre de crystal ora
6 bicos, o arandellas de crystal para velas, 8 jir-
ros para Adres, 1 tapete e 3 capachos.
2" sala (de leitura)
Um piano de canda, 2 cadeiras para piano, 8 f
), 4 ditas de bracos. 1 es-! De
Agente Burlamaqui
Leilo
Sabbado, I o do corrente
A's 12 horas da manh^
Da ferragens de engenho
Na Colonia Suassuna, onde ser effectuado
o leilo
O agente cima, legalmente autorisado e cem
assistencia do lllm Sr. Dr. engenheiro director
dos trabamos da referida colonia, vender em
leigo as seguintes ferragens e cobres : Urna
moenda em bom estado, 5 taxas de ferro batido,
3 ditas de ferro fundido, 9 ditas quebradas, 1
alambique, deposito para caldo e 1 bica, tudo de
cobre, 4 rodas de ferro e diversas pegas usadas
da antiga serrara. Todas as despezas do leilo
correm por conta dos Srs. arrematantes e o pa-
gamento em acto continuado:______________
Leilo
Do Hotel Globo
Constando de cadeiras de junco, mesas para
jantar, aparadores.banquinhas de madeira, di-
tas de ferro, armago, carteira, cabides de pare-
de, quadros, espelhos ovaes, elagres, jarros,
relogios de parede, qnartinhas, copos, clices,
louga, lavatorios de parede, camas de lona, mar-
quezo, talheres, mesas de cosinha, jarras, cai-
xas para conduzir comidas e outros muitos mo-
vis de hotel.
Sabbado. O do corrente g
A's 11 horas
Na ra Duque de Casias n. 20
0 agente Martins, competentemente autorisa-
do, far leilo do hotel cima em um so lote
Ao'correr do martello
Leilo
Ao publico
O abaxo assignado, caixero e socio interes-
sado da casa ccmmercal de Souza Travassos 4
C, protesta qualquer transaego que gueira fa-
zer a raesma.
Recife, 8 de Agosto de 1889.
Euphrasio Wanderley Lins.
No trem
Perdeu se hontem no trem de Caxang, tar-
dinha, um maco de papis contendo um balanca
de um estabelecimento ; pede-se, portanto, V
leval o
onde se
quem o achou, queira por obsequio
ra Visconde de Albuquerque n. 54,
gratificar.
Ama
Precisa-se
Olinda n....
de urna ama
2- andar.
na ra Mrquez de
Armago
Vende se urna bonita armagSo de amarello
envernisada ; a tratar na ra do Hospicio n. 6-
toju__________________________________
Sr. acadmico Alexan-
dre Moiira S rogado a procurar ra do
Imperador n. 39, urna encomtnenda chegeda da
Bahia, e nao o fazendo devolver-se-ha praalli,
dando-se a razo porqpe o mesmo senhor nao
procurou.
Precisase de urna ama para engommar e fa-
zero mais servigo de casa de pequea familia :
na ra Conde d'Eu n. 32, 2- andar.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinbar e maio-
servigos de casa, e que nao dnrma fra ; Da roa
da Unio n. 31-A.________________________
Ama
Precisa-se de urna ama que cosinhe bera e
durma em casa do patrfio ; a tratar na ra do
Cabug n. 14, primeiro andar, de meio da at t-
beras.
i i ... i. i i. m
Ama
Precisa-se de urna ama que cosinhe com per-
feigo e limpeza, para casa de familia ; a tratar
na ra do Hospicio n. 41.
Ama
Precisase de urna ama que seja boa cosinbei-
ra: na ra Vidal de Negreiros n. 130.
De movis, piano, espelho oval, guarda-rnupas
-^ com esperaos, bancos para jardim, louga, vi-
dros e trem de cosinha.
No 2 andar do sobrado ra da
Aurora n. 81
fegiinea-felra, 1* do corrente
A's 11 horas
CONSTANDO :
De urna mobilia de pao carga envernisada de
preto, com 12 cadeiras de guarnigo, 4 de brago,
1 sof e 2 consolos com pedra, 1 piano de Henry
Herse, 1 capa para piano, 1 estrado para piano e
cadeira, 1 espelho oval, 2 cadeiras para piano, 4
lanternas e castiges, 6 jarros, 2 escarradeiras, 5
qnadros. 1 tapete para sola, 1 relogio de parede,
i cama franceza para casal, 1 guarda-vestidos de
amarello, 1 toilet, 1 banco, cabeceira de cama, 1
guarnigo para lavatorio, 1 cabide de columna,
i guarda-roupas com espelhos, 2 marquezes
largos, 2 ditos estreitos, 2 camas de lona, 1 com-
moda inteira, 1 lavatorio de nogueira, 1 dito de
amarello, 1 secretaria, 2 mesa3 com estantes, 1
mocho para secretaria, 1 espelho, 1 guarda-louca
de amarello 2 aparadores com pedra, 2 ditos
torneados, 1 mesa elstica com 6 tabas, 1 sof
de vime, 12 cadeiras de guarnigo de Jacaranda,
6 ditas de junco, 1 mesa com gavetas. 1 espre-
guigadeira, 3 cabides, 4 cadeiras de junco com
balango, 1 jardineira de Jacaranda com pedra, 1
balaio para pepeis, 1 sof e 2 consolos pretos, 1
cesta para costuras. 1 machina para costura, 4
bancos para jardim, 1 mesa para cosinha, 1 pra
teleira, 2 tabas para engomado capachos, tape-
tes, lougas para almogojc jantar, copos, clices,
compoteiras, garrafas, galhateiros, bandejas, ta-
lheres, trera de cosinha e muitos outros objectos
do uso domestico.
0 agente Gusmo autorisado pelo lllm. Sr.
Francisco Augusto Pacheco, que retirou-se para
a corte com a sua Exm. familia, far leilo dos
objectos cima mencionados, os quaes foram
transportados de Olinda para o sobrado cima
referido.
Leilo
cadeiras de junco prelo
(ante envidracada. 2 coosolos, 2 mesas com ga-
vetas, 1 dita grande para jornaes, 1 panno de
mesa, 6 vasos para flores, 1 serafina, 6 escarra-
deiras. 1 esleir forro de sala, 1 quadro do prin-
cipa Henrique da Prussia, 1 collecgo da revista
dos Dous Mundos e outros livros.
3a sala (de jogo)
Dezoito cadeiras de junco branco, 3 mesas de
jogo, 1 relogio de parede, 4 mesas de ferro, 2
caixas com lixas, 6 sinzeiros e 1 esteira forro de
sala.
Toilette para senhoras
Um toilette de Jacaranda, 1 lavatorio com pe-
dra, 1 guarnigo. jarros para flores, 6 cadeiras
de junco preto, 3 cabides, 1 bidet e 1 mesa de
cama, esteira forro de sala e arandellas a gaz.
Pavimento terreo (sala de bi'har)
Um excellente bilhar c suas pertengas, 4 me-
sas para jogo, 12 cadeiras de janeo, 1 candieiro
para bilhar, 1 relogio de parede, 1 jogo de 31 e
3 capachos, 1 lavatorio cotn pedra, 1 guarnigo,
3 cabides, 2 consolos e 1 espelho.
Bouffet
Um balco' de amarello com 2 candieiros, 1
guarda-louga, 2 pratileiras, 1 relogio de parede,
1 campa elctrica, 3 mezas redondas de madeira,
15 ditas de ferro. 21 mochos 12 cadeiras ameri-
canas, 1 quartinheira, 1 jarra com torneira, co-
pos, clices, garrafas, chicaras e pires, louga e
porcelana, facas e garios, colheres, bandejas,
toalhas, guardanapos, 1 caixa para geld, 1 bom-
ba para cerveja, 2 dminos e garrafas com cer-
veja.
Duas carteiras, 2 mochos, 6 cabidis.
Dous jgos de bolas e pertences, 6 candieiros
pendentes, 2 rellexos e 1 registro gaz.
Um telheiro de zinco com columnas de ferro e
um outro de telhas de barro.
Seis bancos de jardins, 3 bicos gaz, 1 co-
lumna, i harpa e muitos outros objectos perten-
centes c existentes
No Club Concordia
Roa llarao (l1 S. Borja h. 57
Sexta-feira.9 do correle
O agente Pinto, legalmente autorisado, levar
leilo os movis e mais objectos cima men-
cionados, existentes no 1. andar e pavimento
terreo do sobrado da rna Baro de S. Borja n. 37,
onde funeciona o Club Concordia.
O leilo principiar s 10 1'2 horas em ponto,
por ter o mesmo agente de effectuar um ootro
leilo de 4 cavallos de corridas.
um
do fabri-
Leilo
deum bonito cofre americano, provade fu;
de tamanho regular e mais moderno que lem
vindo ao mercado..
Kexa-feira. 9 do corrente
A's 11 horas
Defronte da Alfandega
PELO AGENTE
Martins
importante piano novo
cante Kapps
Segunda-feira 13 do corren
A's 11 horas
Aro n. 81
Por occasio do leilo de movis do lllm. Sr.
Francisco Augusto Pacheco.
POR 1NTERVENCA0 DO AGENTE
Gusmo
Leilo
De 50 barris de 5. com vinho de pasto
perfeito e muito bom
Terca-feira 1S do corrente
Ao meio dia
No armazem particular n. 14 da Compa-
nhia Pernambucana
En lotes A vonlade dos Srw. com-
pradores '
POR LNTERVENCAO DO AGENTE
Gusmao
I
Asente Burlamaqui
Leilo
Terca-feira, 1S do corrente
A's 11 horas
No 2." andar ra da lmperatriz n. 20
De bons movis
0 agente cima por aulorisago de Jos Ven-
tura Raposo e outros vender em leilo urna bo-
nita mobilia de phantasla. guarda-roupa, cadei-
ras, quadros, espelhos, jarros, mesa elstica,
guarda-comida, apparadores, guarda-louga, eta-
gres e muitos outros artigos. que estar a vista
dos Srs. licitantes. \
AVISOS DIVERSOS
Leilo
De cavallos para corridas
A saber :
J)o importante cavallo castanho de meio san-
fte DTCloaal denominado C0R'X)VAD0. com 4
a.mos de idade. e de boa e conhectda liliagao.
Do cavallo POTOS, com 5 ancos a cora direi-
to inscripgo no Hippodromo do Campo Gran-
de, no prximo domingo.
Do cavallo FAGOTE, com 3 annos.
Do cavallo PARAN", com 5 annos.
De um bom cavallo alazo de sella andador
de baixo a meio, novo e som defeito.
Sexta-feira, 9 de Agesto
A's 3 1/2 horas da tarde
Agente Pinto
Em frente do Caes da Lingueta
Em continuago o mesmo agente vender seis
quartos de madeira, cobertos de zinco, proprios
sangue, sellas, bridOes, cabega-
s, moinho para millio,
da Coudelaria Paysandi, a qu
a sr examinada todos os dias, das 6 s
ila manh c das 4 s 6 da tarde,
Os" i tomar o bond d?. li-
nba da Magdalena, que dar paasageui gratis.
1{UU11V= Ul UMftUCU
Aluga-se o sobrado n. 46 ra da Roda
com bons. commodos e muito fresco, bem como
os dous pavimentos terreos ; quem os pretender
dirijas, ra do Cabug n. 16, loja da Ventu
rosa._________________________________
V- Aluga-se o sobrado da ra de S. Jorge n.
lid; com agua e gaz ; na mesma ra n. 131, ta-
verta. '_____
v Aluga-se um quarto na ra de Hortas n.
28, loja, por barato prego._________________
- Atga-se urna casa no lonteiro, mu.to
fresca por ter janellas para o rio ; a tratar no
caes da Companhia Pernambucana n. 6, escrip-
torie de Bastos 4 C. __________________
II" Aluga-se o 2o andar e soto da ra Impe-
rial n. 19, o qual tem grandes commo-.'os e apua:
a tratar na ra Duque deCaxias n. 119._____
Alugam-se as casas n. 4-A e 6-B na estra-
da real da Torre, as chaves as mesmas ; a tra-
tar no oitao do Corpo Santo n. 23.__________
Precisa se de urna cosinlujira ; a tratar na
ra Nova n. 3!), 2-. andar._________________
Precisa-se de urna boa coziulieira, na ra do
Vigario n. o. armazem.______
~~ Precisa-sc de um mninj de 8 a 10 anno s
para caixeiro de t iverna, com ou sem pratica ;
"a tratar ra do Jardim n '
Para en^enhos
Lopes & Araujo, veiulez
preqos sem competencia,
garantindo a boa qual idade,
os artigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Ja311 aribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco. ;
"Dito d*e carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Polassia da Russia em caixas
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttand.
Graxa em bexigas.
Ra do Livraniento n. 38
Telephone 316
r........................................A 2|500.........
Vende-se o frasco do Pcitoral de Cam-
bar, de Souza S >ares, em casa dos agen-
tes e depositarios geraes Francisco Ma-
noel da Silva, ra Mrquez de Olinda
n_J!3:___ __________
ligipio
< oiMinniiiio de H\ Brrelo
Convida-se a este senhor a comparecer ra
do llom Jesusn. 23, para|prestar contas das co-
brar gas que fezj no termo de Agua Preta em
Margo prximo passado.
Caiiiellas do oole de Soceom
Compra-se camellas to Monte de Soccorro ^
qualquer oia, brilhantes e relogios; paga-w
bem na Praga da Independencia n. 22, loja a*
relojoeiro.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Baro de Serinhent
A junta administrativa desta santa casa far
celebrar na igreja de N. S. do Paraizo, pelas 8
horas da manh do dia 12 do corrente, pela alma
do seu companheiro de trabalhos, Bario de Se.
rinbem, de saudosa memoria, urna missa de
rquiem, cantada pelas expostas, e convida a
Exma. viuva, prenles e amigos do Ilustre mor-
to, para que assistam a esse caridoso acto.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, C de Agosto de 18N
O escrivo.
____________ Pedro Rodrigues de Souza.
difc
Antonio Caimlro de Cionveiu
Francelina Filomena da Silva Gouveia e seus
lilhos, sua irm, Josephina Francisca Ferreira
da Silva (ausente), genros, ora e netos, ainda
sob a presso da acerba dor pelo passamento de
seu sempre lembrado esposo, cunhado, pai, so-
gro e av, Antonio Casuiiro de Gouveia, agra-
decera a todas as pessoas qoe acompanharam os
seus restos mortaes ultima morada; e de novo
coovidam aos sens prenles e amigos para as-
sistirem as missas que pelo repouso eterno de
sua alma-mandam celebrar no dia 12 do corren-
te, pelas 7 1/2 horas da manh. na igreja do
Espirito Santo, stimo dic do seu falleeimento ;
antecipando desde j os seus sinceros agradeci-
mentos.
Ama de cosinha
No sitio n. 5 da estrada de JoSo Fernaode
Vieira se precis; de urna cosinheira, prefeje-se-
a urna muiher qi e durma em sua casa.______
Aluga-se
1- e 3- andares do sobrado n. 35 da ra da
lmperatriz, com grandes commodos ; a tratar
na ra dolnperador n. 53, escriptorio de advo-
gado.
Aluga-se
a casan. 28, sita roa da Ventura, junto a pon-
te da CapUnga, com bons commodos para gran-
de familia : trata se no sitio junto a mesma.
Alugam-se
as casas terreas da ra do Lima ns. 18 e 30, era
S. Amaro; a tratar na lithographia ra Marques
de Olinda n. 8.
Ahiffuel barato
Kua de S. Amaro n. 14.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armazeas.
Largo de S. Jos n. 74.
O 2." andar da ra do Bom Jess n. 47.
A tratar ra do Commercio n. 5, I* anda?,
escriptorio de Silva Guimares & C.
1AIS DE 10:000 CIRAS
U03TE 10 32SUKATI3SSC
DORES E DeDENTES
PREPARADO TNICAMENTE
POR CALASAN & CNA BA1A
Medicamento heroico contra os rheinn-
tismos, inchajSes, dores aciaticas, neTn-
gias, dormencia, etc., empregando-se es
fomentaSes sobre os lugares affeelade*.
Cura o beri-beri, as paralysias e as dore
de dentes.
Todos os frascos levam direeeoes para
uso d'este medicamento admiravel.
Preco 1200. Descont de urna duais
em diante. 4
DEPOSITO NO RECD7E
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n.23
Gonvento do Carmo
Tendo fallecido o procurador do convento d
Carmo desta cidade o Sr. commendadorManoef
Camillo Pires Falco, que sempre se mostr in-
cansavel na defeza da ordem carmelitana, o vi-
gario provincial da mesma ordem, pede aos Srs.
foreiros do patrimonio deste convento, que te-
nham a bondade de mandar pagar o que (rea-
rara restando ao finado procurador, evitando
assim o trabalho de ir um proprio em suas ca-
sas com os d.'vidos recibos.
Ontrosim, avisa que o nome do novo procu-
rador ser publicado pela imprensa, para mais
fcilmente ser conhecido, previnindo aos mes-
mos foreiros que emquanto nao for apresentado
o alludido nome, os recibos levados pelo dicto-
portador sero assignados pelo proprio punno
do provincial.
Espera que nao se reproduzam os easos que
se deram durante a procuradura do commen-
dador Manoel Camillo Pires Falco, cuja inimi-
lavel rectido e probidade nao era suficiente
para evitar as innmeras desattences de mnitos
que se negavam a cumprir com 03 seus deve-
res.
Recife, C de Agosto de 1889.
Fr. Alberto de Santa Augusta Cabral de Yasam-
cellos, vigario provincial.
BUS3
LemoN
11.
"Precisa-se de urna ama para cosinhar;
rna Larga do Rosario n.,46.
na
Precisa-se de urna ama para cosinhar
ra de S. Joo n. 79.
Vende-se urna taverna sita estrada de
Olinda, perto do Hippodromo do Campo Gran-
ra ioforuiacoi's no pateo do Paraizo n.
nda de Franco Ferreira & C
Ta,cito Vida de Agrcola
traduzida iitteralmente esta
se venda na encadernaco Popu-
tManoel Affonso Rigueira, largo
a exe'mplar 2000
Kauoci Marquen de
4." 'ariniversario
Joo de Preitas Serpa BellarminaMaria Serpa,
sua lillia oenieados mandam rezir alghmas mis-
sas pelo reoouso eterno do fallecido Manoel
Marques de Leraos, s81/2 horas de sabdado 10
do corrent-. na igreja da Madre de Deus e na
matriz da Grsra, para o qu^-convidnm a -seus pa-
rentcs e amibos do fallecido assistirem a este
acto de religic e candade.
rtisumamaaBit non
f
Ovidio Saraiva de Carvalho
rveiva
Olegario Saraiva de Carvalho Xeiva e sua fa-
milia mandam celebrar missas por alma
chorado flllio Ovidio Saraiva de Carvalho Noiva,
no dia 12 do" corrente mez, s 8 horas da munh,
na igreja de Santa Rita de Cassia. tricsimo dia
de seu passamento, e convldam aos prenles e
amigos para ssistirem a esse acto de candade
e rejigio. .. a
uS^agrinttTcTr^otumtu^eGerudos^
F. da Silva, trigsimo dia de seu passamento.
Saudades de sua sobrinha
Francisca !
Attencai
O grande e importante estabelecimento de
Pocas Mendes & C, sito ra ostreita do Rosa-
rio n. 9. coLtiguo a igreja, acaba de recebe
urna grande remessa do acreditado e especial'
Vinho Maduro
O nico que, sem a minima confeegao, im-
portado neste mercado, o s se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
.saber porque ? Vejam : o vinho Maduro, sendo
como feito nicamente da uva madura, tem
as seguintes vantagens que as outras qualidade
de vinho n;o tem ; facilita sem a menor pertur-
bado as digestes do estomago, ainda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois nutre
aolhos vistos as pessoas debilitadas, ed torcas
s que as tiver arruinadas pelo uso do bebidas
viciadas.
Recebemos tambera
Requeijao
em latas, de procedencia de .eagenhosi cou-
vpropri.'tarios capricham em bem trablhar neste-
artigo, afim de terem a primazia sobre 'autos
outros similaros. cuja composigo e duvidosa.
Era outros artigos como semenhs de hortalif*
e flores, Hnguas seccas do Rio Grande, objectos ir
rime e tamancos do Porto para honiens e senho-
ras. para isio tao pouco temos competidor. A
aossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar pbdera comparecer, com
o que' muito nos honraro. Aps urna infiai-
dade de artigos de primeira ordem, que achat-
se em exposico, acresce a ameDidade do trato
oom que* timbramos tratar todos os que nos .
honram com a sus preseuca, junto a modicidade
de procos sem rival.
na entrelta do Rosarlo 11. V, jimt
a tgreja
.Po^as Mendes & C.
*,



.

f :

i.
1$


r

l

^


I
r
;
i



l
_ 7

\i
Diario de PeniambucoSexta-feira 9 de Agosto de 1888
EMlRNACAO MIRANDA
39--RUA BUQUE DE GAXIAS-39
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
a aperfeicoadas e movidas a vapor, acba-se em condicoes de executar qualquer
3rab*lho em *%
m
Cartas, rnemoranduns, recibos, circulares, memoriaea, despachos, cartees de
dicaces, mappas, prejos correntes, acetes, bilhetes de loteras e rtulos de todas
s qualidades em preto, ouro ou cores.
HW
Jrochuras, cartonados, encadernagSes, livros em branco para o commercio e
particoes, tendo para este fim urna excellente machina de pautar.
m^Iss ms raam __
Variado sortimeato em cartSes para visitas, participacSes e convites de casa-
mento, bailes, menus, felicitacoes, etc., etc.
B& Livros de recibos de aluguel de casa, papel de mpressao, tintas, venuzes e
artigo8 para typograpbia e lithographJa.
Manoel J. de Mirando,
Telephone 194
Oleo Figado Bacalhau
do X>T JOTTCOTT2K:
lodo-Ferruginoso de Quina e Casca de Laranja amarga
Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nauseas,
e de clieiro agradavel. Pela sua composicao, possue todas as
qualidades que lhe peraiittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, as AFFECCES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego faci!, da sua accao multiplcele
segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n o
de preferencia qualquer outro medicamento similar.
%mmm mmmssm,
DO
ARA3VHAO
Approvado pelo Exm. Sr. presideate da provincia
r=
Premios da
1 premio de .
1
1
2
6
10
approximaces
*
2
2
2
9
9
9
99
99
900 term.
900 t
Dez. do 1." prem.
* 2.
t 3/-
1.
2.
1.
2."
2 fin.
lotera Intelra
. 300:0004
. 50:000,5
. 12:5003
5:0005 10.O0OJ
2:5004 15:0004
1:5004 15:0004
de 2:5004 5:0000
1:5004 3:0005
7505 1:5004
7504 6:7505
5005 4:5005
2504 2:2505
2505 24:7505
2505 24:7505
1255 112:5005
1254 112:5004
700:0004
1
1
1
2
6
10
2
2
2
9
9
9
99
99
900 term.
900
Premios da serle
premio de
approximac5es de
dez. do 1."
t 2.
3."
1.
2.
t 1.
2.a
prem.
c
2 fin.
2005
1005
605
1005
605
305
305
205
105
105
105
55
55
12:0005
2:0005
5005
4005
6005
6005
2005
1205
605
2705
1805
905
9905
9905
4:5005
4:5005
2052 premios no valor de 700:0005 2052 premios no valor de. 28:0005
Todos os premios sao pagos integralmente
Esta lotera composta de. 10.000 bilhetes a 1005000, dividida em 25 series,
custando o inteiro da serie 45000, subdividido este' em quintos da serie (125' do
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada um.
O agente desta lotera chama a attencao do publico para este importante
plano mais vantajoso pela sua boa organisaclo.
Com 45060 (5 quintos de que se compSe a serie) recebe-se 12:0005000 e com
800 rs. (1 quinto) 2:4005000.
O menor premio d um resultado de 25 */o P's custando o quinto 800 rs.,
recebe 15000 as terminaeoes dos 1. e 2* premios.
Sao premiadas as dezenas dos 1.. 2." e 3." premios.
As duas letras finaes dos 1. e 2., terminaeoes dos 1. e 2., e as approxi-
xSes dos l.o, 2." e 3.; tendo alm disso premios de 2:0005000, 5005000, 2005000,
1004000 e 604000.
EXTEACfjO INTMN8FERIVEL
aiTO 01
PARS, 209, ra Saint-Dente, 209, PARS
VE*DOI-SS* T0D1S AS MUKCIPASS HURJUCU8 DO UNIVERSO
SCONFIAR D3 FALSIFICACOES E IMITA^OE
um di mu
/ ttttvtt/-* tn t nutro 17\ y
JUNTO AO LOUVRE)
Cachemira de listras a 15000 o covado.
Qaces arrendadas a 400 rs. o dito.
Fasto branco lavrado a 360 rs. o dito.
Toile pardo a 360 e 400 rs. o dito.
Cortes de vestidos era cart5es.
Colchas de fustSo a 45000 urna.
Toalhas para banho a 15500 urna.
Cachemiras lisas a 15000 o covado.
Pppeoas brancas a 300 e 15000 o dita.
Cachemiras de quadro a 280 rs. o dito.
Fawtio para roupa, de 15000 a 700 rs. o
dito.
Colchas de cores a 15800 urna.
Merino preto e 800, 15000 15200, 15500
14800
Chitas percales-a 200 rs. o covado.
?elbutma preta a 100 rs. o dito.
Crep preto (inglez) a 25000 o dito.
Metas de quadro a 300 rs. o dito.
-Merinos de cor duas larguras a 440 rs.
fcad hespanholas a 25000 o dito.
Setim do Japao a 240 rs. o dito
Qambraia Victoria a 25800 a peca.
Crotones claros e escuros a 240 rs* o
I covado.
Cambraia bordada a 45000 a peca.
Cruarnicao de crochet a 75000 urna.
Laques transparentes a 25500 um.
Fichs de retroz a 15000 um.
Camisas de flanella a 25500, 45000 e
54000 urna.
Ricos de cores a 25000 e 25500 a pega.
Toalhaa felpudas a 450, 0 a duzia.
Grinalda para noiva a 75000 urna.
Chiardap para homem a 65000.
Meias inglezas para homens a 55000 a du-
zia.
Sargeliiiri de cores a 200 rs. ocovado.
ifalitots de alpaca preta a 45500 um.
Caserna a diagonal a 25000 o covado.
Meka fio da Escocia a 15500 o par.
Lencos brancos a 15200 e 15800 a duzia. Ceroufts
"~eESvTStkjSto a 35000 e 45000 o covado. I Flaneja
f ^.____ *-- As* AnUiia stacatmraa. l
Cachemira de quadro a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 15500 a 15000 o dito.
Baleias a 240 rs. a duzia.
Lences de bramante a 25000 um.
Cobertas de ganga a 35000 urna.
Tapetes grandes a 135000 um.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o covado.
Espartilhos a 55000 um.
Madapolao americano a 65000 a peca.
Coletes de flanella a 25500 um.
Palitots de seda palba a 85000 um.
Lencos de linho a 55000 65000 a duzia.
Palitots de brim pardofa 45500.
Bolsas para viagens.
Casemira para costumes, corte.'
Luvas de seda a 25000 e 25500.
Gruardanapps de linho a 25200 a duzia.
Guardap para-senhora a 105000.
Arcos cobertos a 120 rs. o metro.
Panno da Costa a 15000 e 15200 o co-
vado.
Bramante de algodlo a 15000 o metro.
Algodao branco a 45000 e 45500 a peca.
Cortes de fustSo para collete a 2550U um.
Cortinado bordado a 75000 o par.
Zephyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 15200 o metro.
Peca de esguio de algodao a 35500.
Regatas a 15000 e 15500 e 25000 |uma.
Palha de seda a 15000 o covado.
Camisas allemaes a 360600 a duzia.
Bramante de linho a 15800 o metro, 4
larguras.
Cortes de seda para collete a 55000 um.
Chambres para homem a 65000 um.
Setins do cores a 800 rs. o covado.
Algodojtrancado, 2 larguras, a 14ICO.
Cortes ie casemiras, a 54500, 75000, e
9500f .
Brim bf anco, todos os nmeros.
CretoxpB francezes a 400 rs. o covado.
de bramante a 154000 a duzia.
de coi & -300-rs o covado
A 500 l|2 gfa.
A 800 ~ gfa.
A melhor tinta de escrever a
TINTA VICTORIA
I
Vende-se nos depsitos:
LIVRARIA CONTEMPORNEA
DE
um 1, COSTA & c.
Riia 1. de Marco n. 2.
LOJA DE FERRAGEM
DE
AI,RI\0 SILVA A C.
Ra da Cadeia n. 42
A 500rs l|2gfa.=A 800rs 1 gfa.
X tm rasa de todor os Fenumistaa e Cabelleireiros
da Franja e do Sxti-?ngiio
Crnlfrwmento de fichs, casemiras, bfrim, algodSo, camisas, collarinhos,
punhos, meias, permmariaBy fi_ bordados. J :
20Ra Pnmiro'cle Mar^o20
AMAAL &C.
^^
PKSPARADO COM ISSUTHO
For G'SEo 3!?,5.":5r, Ferfiimista
gornecedor de ff. %T%T.
o Imperador do Brazil e o Re dos Belgas.
A. VKRDA.DS1RA.
AGUA de B0T0T
f o nico Dentifrcio approvado *
pela ACADEMIA de MEDICINA os PARS
0 melhor calmante contra as Dores de Dentea
Recommendaclo especialmente com os POS de BOTOT osa. Oniaa.
para os cuidado* da bocea.
ZZ9. Roa St-Honor, Patria, todas u bou Dropriu. PufiMiM 11
1
.UOk.TmmmftdkawMJlmMi A "i* *'
Ji nao lia Repugnancia
%
0! n TSif
PUL TOMAH O
FOTASSIO
CCM AS
Past&uts L.aFOSSSOW com Chooolat*
Mci Pastllbas, de sabor agracevel, ettSo rigorotametiU iotatm.
Cid mica 25 tatema ie Sal (Osa nunto)
en u*&a. i POiStON, paAHMACvjr'co
|. VU A.B0t<*i de CourbevoU, it, em A.SXIEJSJSt>. trio di JPari*
V*ndMa M todas oa principa ~& ixaSEaf_^?, ^mtm
Grageas DemazireI
Approvadaa pela Xaapeotorla de Hyglene do Brazil
CASCARA SAGRADA
Vrd&dairo Remedio
Contra a Primio de Vaatra habituad.
Dwsita mi: mam 6. OWdM, 71. mm *mm,
MHHpjfjpai m inn.nu. IODURETO^FERROcCASCARA
O mala ateti-ro doa Ferruginoso
Ifao produMiodo a Priaio da Vaatrm.
MI
IfiAIHUU
UlUNTEBSON U.
44-BLi BAR40 li> TR1LMPH0-44
Machinas a vapor. \ ,
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados.
TJ E *
NBIAN
GR A XA LIQUIDA IMPERMEA\
BUPRBOA-8E: BSM E3COVAS
O magnifco LUSTRO d'esta rraxe
consarva-Bo durante urna sexnana,
aeja qoal tr o tampo.
BALNIORAL GL0SS Comino, lustrosa thslUa para as Ecltinatdas 5.nooroi.j
REMEDIO DO DR, AYER
NTEA
AS SEZOES OU MALEtTAS.
O Remedio do Dr. Ayeh, descobette
vegetal que nio contm a quina nem o
arsnico, nem to pouco outro ingrediente
nocivo, um remedio infallivel e prompto
para toda a qualidade de febret intermit-
entes ou malettas. Seus effeitos sao per-
manentes e certos e nenhura mal abso-
lutamente pode advir do seu emprego.
Da mesraa forma torna-se o melhor
remedio possivel para todas aquellas
doencas que provm dos effeitos dos
miasmas, que se desenvolvem nos lugares
pantanosos e infectados, e que geralmente
caracterisio-se pelas affeccSes do
Agrado e do baco.
O Bemedio db Ayer curar sempre,
mesmo nos casos peiores, toda a vez que
fr empregado convenientemente e se-
gundo as direcces.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AY12R & CA.,
JLoweLL. aXass.. Kst.-Unidos.
Casas noMonteiro
Alugam-se- duas casas noTtonteiro com ac-
commodac6es para familia regular ; a tratar na
ra Primeiro de Margo n. 20-A.
OOENpAS
DO
ESTOMAGO -
-E DO-/
FIGADO.
DElIBIi
PURAMENTE VEGETAE8
sao o melhor Purgante e o Remedi
aiai% efficaz contra es ditos males
Regnlaiizam a Digesto
PURIFICAP^l A BILIS
e curam radicalmente
A DISPEPSIA.
Apolices perdidas
Perderam-se dez apolices da divida provincial
de Pernambuco, pertencentes a Manoel Pereira
de Araujo Vianna, de n3. 873 a 882, serie B, do
valor de 1:000J cada urna ; pede-se a pessoa
que as tiver acbado o obsequio de ir ou mandar
entregal-as a Henrique Beraardes de Oliveira,
procurador bastante do mesmo Vianna, nojle-
cife, roa do Vigario n. 1, escriptorio, que grati-
ficar
Attenijo
OfTerece-se um senhora de meia idade para
tomar, couta de urna casa de homem solteiro ou
viuvo : a trtar na ra das Flores n. 5.
Cosinheiro
Precisa-se de um ; a tractar ra do Com-
mercio n. 4i, escriptorio.
Muita atten^o
Na ra de S. los n. 56 tem para vender, os
afamados vinhos e licores de todos os fructos do
paiz, fabricados pelo finado Joo do Amaral Ra-
poso, como sejam: vinho de cai de 1.* e S.*
qualidade, vinho de Abacagy, vinho de ianipapo
composto e simples, hesperediua brasileira, la-
ranginba cordial, essencia de limo e cidra e
tres prensas para espremer os fructos, tudo se
vende por baratissimo prego para liquidado
Assim como se vende um bom terreno na povoa
cao de N, S. da Boa Viagem por qualquer prego
>Zleendnopela Inspectora Geni
ie Hygine do Imperio do BruiL
Xarope-Zed
[Dt C0DEIHA TOLU,
O Xarope Zed emprega-se contr* m
Irritafdcs do "Pato, Tosst dos Tim, Ttats
tommlsa [Coq^lucbt)/BroiiMta,Constita(talf
Catarrbos e Insommat persi tena.
AJJS. JO. r Dromot, inillWII
Por 25000
Aluga-se a loja do sobrado n. 45 da ra Es-
treita do Rosario muito propria para qualquer
estabelecimento, por ser grande, e esta limpa
trata-se na ra Duque de Caxias n. 89 loja.
Reforma Eleitoral
Acaba a Lirraria Econmica, ra do Impera-
dor n. 73, de publicar a segunda ediccao da Re-
forma Eleitoral, correcta e augmentada pelo Dr.
Francisco Teixeira de S, com todas as altera-
ces das leis, decretos, regulamentos, avisos,
etc., publicados at o presente. A pessoa que
enviar um vale postal na importancia de 4000,
remette-se um exemplar brochado, registrado
pelo correio, ou 5000 encadernado.___________
Para os festivaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria e commodidadfi em
preco8: bolo, pao-de-It, cangica, arroa de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
Botica franceza
*t, roa da Cruz (Recife)
Precisase de um oflicial de pharmacia.
fk Urgencia
Na ra db Caldereiro n. 7A, precisa-se de um
menino que seja fiel e par fazer compras; da-se
roupa e bom Ordenado.
Protestamos ein tempo
Os abaixo assignados proprietarios do Res-
taurante Gomes, tendo deparado com um arti-
go inserido na Gazeta da Tarde de hontem, sob
e eptgraphe Ferimento leve, no qual se l, Getn-
lio Mavignier socio do Restaurante Gomes, a-
zem publico, que, o Sr. Getulio Mavignier nao
socio do dito Reitaurante.
Recife, 7 de Agosto de 1889.
Gomes & C.
Q melhor dentifrcio
*
^
?
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 16 a 18 annos
com pratica de venda; a tratar na ra de Hortas
n. 1.
f.} -raprogmm cora a
# Odontalina
W >-S' 8Eir>IIIA, TtUDtOElM CMIH Bt K"k
^L FARI5: EciEelJn, 24, m mgm jK-
f^^Attendite et vi-
dete!
Jos Samuel Botelho avisa ao resp eitavelpu-
blico que aioda contina a fabricar bouquets e
bandeijas para casamento ou outro qualquer acto,
assim como cape lias mortuarias de perpetuas :
a tratar nos seguintes lugares : ra Nova n. 20,
loja de miudezas ; ra do Cabug n. 3. segundo
andar e loja de selleiro ra da Cadeia n. 43.
Ao corpo commercial
0 abaixo assigoado scientifica que desde o
dia 29 do mez (indo deixou de fazer parte, como
socio solidario da firma Couto Santos & C. ; ou-
trosim, pede a todo aquelle que se julgar sea
credor, o obseqnio de Spr1 sentar suas contas
para serem logo pagas, na ra Duque de Caxias
numero 94.
I Recife. 7 de Agosto de 1889.
i Antonio da Silva Couto.
AOS Srs. PROPRIETARIOS de CAVAIIO
UNGENTO STEYENS
i O nico substituate a cauterlsacSo dos cavallos
pelo fogo. Ksto mara> tlhso preparado o nico
remedio verdadeirameute efflcaz para curar todas
e qunesquer Allectoes das pernas do latallo, l?;.imMitt t
lirgaata e Dislocares da toda a oatoreza. 40 annos de
ptimo e continuo xito em todas as cor-
ridas, hars i, a nos prlnclpaes estabelecl-
znentos de cavallos em Inglaterra e Europa.
Nunca delxa uodoa alguma. E' mster ciperi-
menta lo para car convencido do seu valor.
Vende-ae em caixaa oom as compecentes indicantes
para o slu emprego. em portuguez
Uaic&nwiU prepirado por H. R. STEVENS. m.dico-TeUE*Bm>
V, Park Lan, Londres (logUtam)
iUrios ea Pernambuco : Tt\" i. da SUTAflT
Ao commercio
Um msco de 18 annos de idade de naciona-
lidade allema, sabendo fallar a lingua franceza
e um pouco da portugueza, se offerece a urna
casa importadora para caixeiro, pois cntendo
com preciso de toda escripturagSo mercamil
quem de seus servicos possd precisar dirija-se
por carta fechada com as iniciaes A. B., ao ho-
tel da Europa.
APPUOA-8E EEM ISSOOTAB
BVW
APASTA UtICTUOSA. em oaxa de tolba de Uandres. tal quall
un ao i':-:erci;.') Ixgla*.
nueAN MA^urt com" i.j. sao, Moi.tr Unt, londci
Agsotet aeraet m PEIiNamboco
3LJ
Curados pelos CIGARROS ESPIG
QppressGea Totme Defluxo* Nevralgiaa
UCEKC1ADOS TUJ. lSl>BCTOIA DS BlTOtlKE DO IMPERIO OO DRAZIL
ignira-se a fumac* que penetra no pclto, acalma o systema nerroso,
tdSfcfa expectoradlo e feQna as funecoas doslorgsos respiratorios.
tVand. n MZmSaT. jTaSpicTcO, pos Sl-Loior., Par*. X*Va*a-tsta osua
GuimursM & Perrru^n.
DIGESTOES
DIFFICEIS
Dytyepsia
Parda
AppetitB
OOHIWS ESTOMAGO
ELIXiRGREZ
TONIOO-DHWSTIVO com QUINA. OOOA PCT
ms WiKflilria de Ouro e XWplma
i PAfli MZ, 9*. m ka Bruytrt. so odM M PktrwMM
GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos .
Dlarrtia
chrontca
FUNDIQAO DE SIN08BBR0NZB
DE
LUZ DA CRUZ MESQDITA
66ra do Barao do Triumpho66
Tem para vender o seguinte:
Hachlnas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
( ilautbiques de cobre do antigo e novo systema com esquentar garapa.
flerpenlinas de cobre e de estanho.
Carapacas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
I Bombas de todas as qualidades de repuchos-, aspirantes e continuas.
I Tornelras de bronze e madeira de todos os tamauhos.
\ Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
\ Repardeiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanbado.
Cobre em len^ol e arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
Cadlnhos patente e"de lapis.
1 libra at 110 arrobaa.
;ects j,*i
IE de qualquer concert i nda,
bilitado.
vwiiDE a praso on dinheiro con detconto. I
\
indo
garan
.31

.t
j


* ;
MUTILADO
atmu '.


10
de Per
le Agosto "de IS89

YENDAS
Vende-sWuma be ello,
propria para qualquer negocio, na na do Han
n. 6 ; a tratar na mesoia ra n. J9. Gnran-
te-se as chaves. ________^____________
Vn'de se no cae do Hamos n. 4, urna ex-
ente machina vapor de 30 cavados, urnas
bombas hvdiaulicas de grande forca, um ferra-
dor, urna'icsoura para cortar ilandrcs, arcos,
ote., irilbos aVarros iTauville, apropriados
para transporte de canna, bombas d'agua mo
. vapor.
TEOIIACHAS!
i-Rua uquc de Casias39
Cassinetas de cre3 para roupas de meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias casimiras pretas e de c3res idem"
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 o 280 rs.
o dito.
-Linhos de quadrinlios a 100, 160 e
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 o 240 rs. o dite.
Atoalhado bordado, quasi 2 metros de lar-
gura, a 15000 e 1-5200 o metro.
Bramantes. 4 larguras, superior a 800 rs.
e 15000 o dito,
dem de puro linho a 15600 o difc.
Riquissimas guarnieres de crochets a 0$ e
8-UOO.
Toalhas para inaos a 15200, 35500 c
4)000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 25500 c
35000 a dita.
Camisas superiores dem a 24)5 e 305000
a dita.
Seroulas bordadas a 125000 e 185000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 25800
c 35000, com 10 jardas,
dem bordadas chics 'a 45000.
Superiores algodoes da corte a 35'XX) e
35500.
Madapolao americano a 65000, com 24
jardas.
Flanella de cOres para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
152UO o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 15400
15800 e 25000 dito.
Para as Exilias, noivas
Lindissimas grinaldas e veo para M5000 c
145000.
Ricas colchas de crochets e fustao a 85000
e 05000.
Bonitos cortinados bordados a 55500,
75500 e 85000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 1-SOOO o
dito.
Popelinas de seda a 80O 15000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lencos de seda e de linho para 25800,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante a 15800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 2550O e 25800 urna.
Colchas de cores a 25000 e 35000.
Tapetes para portas a 35500 e 5500-
Pannos i ara mesas, de cores modernas a,
15500 15200 e 15600.
PARA BAPTISADOS*
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
precos, cheviots, merinos, damasco para
pianno, cobertores, redes a 45000 urna, e
urna infinidade de artigos que sero leni-
brados na presenoa dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHAES
ornas,
A Revoluqao de 48
A' roa Baque de Casias n. 4
* Em vista das niuitas pechinchas qne te-
mos recebido, viemoa por meio d'este cha-
mar a attenco dos nossos freguezes, pro-
vando ao mesmo tempo como vendemos
por menos 30 01 do que m outra qual-
quer casa.
Folardina, tecidos moderno, a 320 rs. o
covado.
Organdis (fazenda de phantasia) a 400 rs.
o covado.
Nansuks muito finas d 120 e 240 ra. o
covado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. o cevado.
Cortes de linn e crotones, todos os avia-
mentos/a 65OOQ;850O0, 95000 e 105000
um.
Ricos cortes bordados em cartao a 145000
Atoalhado para mesa, muito argo 15200,
e 15500 o metro.
Pannos de crochet para cadeira (a 500,
600, 700 e 80u rs. um.
Colchas de crochet com palmas para noi-
vas a 55000, 65000, 75000 85000 e
95000 urna.
Cortinados bordados, muito finos a 65000
o par.
Bramante liso o trancado de 4 larguras a
1000 o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 rs.
metro.
Toalhas do cores para mesa elstica a
55000 urna.
Saias bordadas, muito finas fa 35000 urna.
Luvas^de seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Seda alsacianas, novidade a 240 rs. o
covado.
Cretones claros e escuros de 500 rs. por
320 rs. o covado.
2efiros de quadros a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Pechincha em camisas de meia a 15000 e
15200 urna.
Loques de penna, o que ha de moderno a
45000 e 55000 urna-
Capellas com veos para noivas a 85000
urna.
Fustao de cores para palitot c falca a
500 rs. o covado.
Brins 'de linho, cores fixas e garantidas,
a 500 e 600 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
collete a 25000 o covado.
Cambraia de salpico* com 10 jardas a
45000 a peca.
Bicos de cre3 c branco a 15800 e 25000
de 145000 por 75000 a
OLERY Vcae-s eai toda cirU
Mui la aliene, o
Na ra da Imperatriz n. 80,
de felpos para Trio a (M) rs.
gas a 300 rs.
vende-sc sapatos
o par, e de crian-
Bahus
Vende se urna loja de bahus, bem afregnea-
da, garantindo-se a chave da casa : a tratar na
ra Vidal de Xegreiros n. 120.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas taurinas e ds
trra, garante-ee a qualidade do leite.
FOLPETHff
DECAPITABA
POR
F. BU BOISGOBEY
(Continuacao do n. 17 6)
IX
Havia razcs para admirar, e Cavaroc
admirou-se de tal modo, que suppoz que
Caritides, para decidir Vanda a recebel-o,
tinha vaginado imitar o modo de proce-
der dos representantes da autoridade judi-
ciaria.
Fosse o que fosse, era preciso abrir, e
sem se esqucer de collocar atrs da por-
ta moval, abri.
O que tinha previsto, aconteceu. Um
homem entrn de repente e atravessou a
ante-camara, sem se valtar.
Esse homem, que Cavaroc nao reco-
kecia, nao se pareca absolutamente na-
da com o retrato que Vanda tinha eito
do seu terrivcl amante, porque era raeao
ma altura e de apparencia bastante fran-
zina.
Dous homens de m catadora se-
guiam-n'o de perto e- ouvio-se passos no
patamar.
Cavaroc tinha percebido. Aquella gen-
te partencia realmente polica. Tinham
frejado a-visita de I vinhamuni
cntente para
sentasse, e esj
a pega.
Cambraia suissa
pe5a.
Collarinhos e punhos borracha a 15800.
Cobertas de ganga para cama de casal a
25800 urna.
Lenjos de cores, imitacao de seda a 15800
a duzia.
Fichs de rctroz, lisos e com palmas a
15000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a dnzia.
Algod.iosinho muito largo a 45000, 55000
e 65000 a peca.
Redes francezos a 45000, 55000 c 05000
urna.
Palitots de seda palha a 85000 c cor de
chumbo a 105000 um.
Cortes de casemiras ingleza a 105000
um.
Cortes de fuatao para collete a 15000 e
15600 um.
Cobertores de 13 com pequeo deeito a
25000, um.
Renda hecj>anhola larga a 25000 o covado.
Espartilhos finos a 45000 o 55000 um.
Roupa por medida, garante-se a perfei-
(;5o.
So na Revolado de 48
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
850 rs. a libra!
manteiga ingl
Pura manleiga ingleza
t.nii iiliilit
Guimaraes & Valente Corpo Santo n. 0
Pao centeio
Mello & Biset, avisara ao respeitavel publico,
qne todas as tercas e sextas-Qiraa, tem este.sa-
boroso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
Vende-se
ama das mclhores tavernas a na Marques do
Herval, tem pouco capital; a tratar t.a misma
ra n. 143 padaria F* z se qualquer negocio.
e nao procurou subtrahir-se a essa obriga-
580. Pelo contrare, appareceu, e sem se
oceupar com os agentes, que ainda nao ti
nham passado ante-camara, chamou :
Senhor, senhor !
O chefe, a quem elle chamava, virou-se
e voltou para tras. Os subalternos entra-
ram. Em um abrir c fechar de olhos o
capitao fo cercado e interrogado do se-
guinte modo, pelo homem que diriga a
exped cao :
Quem o senhor ? Que faz aqu '<
Nada. Estou aqu e nada mais, res-
ponden Cavaroc, e supponho que nZo a
mim que o senhores procuram. Pertenco
ao exercito e tenho a patente de capitao.
Pode justificar o que acaba de d-
zer ?
Posso, se me quer dar tempo. Dove
calcular que nao trago a minha patente de
official dentro do bolso.
O chefe, que nao era outro senao Gri-
saille, pareca pouco disposto a contentar-
se com aquella resposta ; mas um dos
agentes, que tinham entrado depois delle,
tomou a palavra para dizer :
Conheco perfeitamente este senhor,
servi debaxo das suas ordens.
Cavaroc olhou para o homem que vinha
em seu onxilio, e vio que esse homem era
o sargento Marchis, que tinha deixado
na ra Berton duas horas antes.
Cavaroc tornava-o a encontrar na ra
Condorcet.
tal Marchis, que empregavam em
das as expedicSes decididas, devia ser
agente de primeira forca e o seu testemu
n o tinha peso.
O Sr. Griailles tambem vinha da ru
Berton. Cavaroc tinha-o visto 14 e o
Grisaille nao tinha visto Cavaroc, q
nha tido o cuidado de nao
durante a visita domiciliara.
Entio, perguntou o chefe,
nhor efectivamente. .
apitto do 9o de
MAIS BARAT
Na Loja das Lislras zoes
A' ROA DUQUE DE CAXIAS N.
Vende-ae fiusendas finas mais bar
d-se descont a quem comprar de 205000
para cima, troca-se as fazendas -vendidas,
se por qualquer motivo nlo Or de muito
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes precos:
Cachemiras lisas e *com listas de
seda de lindas cores, a 15400.
Hf rlus de duas larguras, a 440 e
800 rs., qualidado superior.
TecJdos arrendlos cor decreme com
matiz com duas larguras, a 600 rs.
Fazendas de phantasia e lindas cores
a 400 e 500 rs.
Tecidos de linho, lindos padrSes
grados, a 200 e 240 rs.
Zeflros lisos e de quadro, a 80 <
100 rs.
Setins de Macan branot, preto e de
todas as cores a 750 e 800 rs.
Setins de quadrinhos, a 900 rs.
Sedas lavradas brancas e de cores cla-
ra%a 15400.
Ciazes de seda com fios prateadi
15000.
Corleados de crochet, em 1
900 rs.
C'anibraiaS bordadas brancas cores, a 4500 ^a peca.
Cortes de vestido lardados, brincos
para noivas, a 165000, 185000 e 205000.
Veos para chapeo preto, branco e de
qualquer cor, a 15500.
Crep inglez para ehfeito de vestid s
a I52OO e 25000.
TECIDOS J1AIS BARATOS
Percales e chitas clara?, finas, a
180, 200 e 240 rs.
Cassas de cores finas e securas, 2
120 e 240 rs.
Morlm de llstras aznes muito lar
gos com 20 varas, a 65000, a peca.
Sargclins finos, a 160, 180 <
200 rs.
Crinolina, qualquer cor
o metro.
Guardanapos superiores a 15800 e
25000, a duzia. ,
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 15000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e I5OOO, o metro
Toalhas acolchoadas e felpudas com
listas de cores, a 45000 e 65000, a duzia
Bicos brancos franeezes, a 6tt
e 800 rs., a peca.
Bicos finos, brancos, cremes e ma-
tisados, a 25000, a peca.
Baldas a 240 rs. a duzia, cobeftas a
400 rs.
I/Uvas de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 25000.
Leques de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 25000.
Leques de pennas o que h* de me-
Ihor, a 55000 e 65000.
Jabonete grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
Extractos finos franeezes e inglezes
a 15U00 c 25000.
Despertadores americanos, a 75.
Nosqidteiros americanos com ar-
macSo a 105000 e 125000.
Espartilhos americanos e inglezes,
a 45OOO, 55000 c 65000.
Capas de vidrilho e rendas, a 255000
e 305000.
Toalhas de labvrintho para bap-
tisado a 305000, 405000 e 505000.
E militas fazendas qne se d por todo o
prejo na.
Loja das Listras zoes
Vinho puro de Santa-
rem
Da piniu de Barrnl
Chegou a segunda remessa deste especial vi
nbo para o annazem centra' de gneros alimeo-
.icios ra do Cabug n. 11, o qual se torna
recomraendado por ser puro da uva.
Joaquim Christovao & C.
Telephone-IIJ
, a 400 rs.,
E' barato
Farinha a 560 ris a cuia
S no largo do Mercado n. 12, Gomes Ferrcira
porta-retractos di
A FLORIDA
ee, palmas e rosas de vidrilho.
i de seda e de algodao com sen
idrilho.
ntilhas de seda e do algodao,
Contas lapidadas para vestido.
Eranjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
CoUarinhos para homem a 35000 e 4500(
a uzia.
Bordados do camb aia tapada a 400 500'
600 e800rs.;apeca.
dem com 3 e 1[2 metros, de qual que
argura a 15200. '
Len$03 de linho em caixinhas a 35000
dita*
Meias para homem, duzia a 45000.
tem para senhora, duzia a 45000.
^Bdos leques transparentes de gaze t
' 35000 um.
Grande sortimento de
pellucia.
Finas pul se i ras americanas a 45, 65 -
85000 o par.
Ditas de pnantasia, gosto moderno, di
25500 a 35000 o par. .
Cortinados todos de crocaB para cama t
125000, 175000 e 195000o par^guD*
de cores. ,
Ditos para anellas a 75000.
Pannos de croehet para cadeiras a 800 <
15000.
Ditos pata sof a 25000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de compriment<
a 45000.
Capellas com veo para noiva a 65000 t
85000.
Ljndos enxovaes baptisados a 85 105 *
125000.
Toucas de setim para baptisado a 35, 45 *
55000.
Grinaldas c ramos de seda, o qne ha d
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 25000 a peca
Ditos de seda brancos o de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos cclluloide.
Grande sortimento de litas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricante*
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 15000 e 25000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 t
par.
Ditas de seda para creanca a 15000.
Dita para moca a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette
sahetuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos
Wtos ditos para enfeitar cabera e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 *
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 >
15500 um.
Estojo com faca, garfo e colher, proprii
para creanca.
Ber.gallas com flauta a 15500.
Meias de 13 para homens e senhoras.
Linha douradaa para fosar crochet.
Lindas fitas para facha a 25, 35 e 45001
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim t
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carie i ras para algibeira de 15 ?--'
3 e 35500 ama.
Ra Duque de Caxias n. 105
oval Blend marca YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Roy al Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema sao registrados par*
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
at o gabinete onde Vanda esperava, mais
morta que viva, a volta do seu defensor,
que ella julgava oceupado a explicar-se
com o temivel Caritides.
Os homens nao vram logo Vanda. O
lugar nao estava Iluminado senao pelo re-
nexo das velas acesas no quarto, e a mu-
lher estava no lugar mais escuro do (juar-
to de vestir.
Onde est ? gritn o capitao. Tra-
go-lhe este senhor, a/ie eommissario de
polica e que deseya fallar-lhe.
Aquelle peqscno discurso produzio um
eleito mgico.
Vaina levantou-se de repente e Cva-
lo... tinha algumaS reW'i'W reconheceu entao que, naturalmente
' para se esconder melhor, a mtilher tinha-
se sentado na caixa enviada pelo Sr. Ca-
ritides.
O nome nao dizia nada ao Sr. Grisaille,
porque o capitao nao tinha, bem como o
seu amigo JonviHe,' sido indicado como
tendo assistido ao baile de Paulo Vitrac c
a instruccao nao se oceupara eom elle.
Muito bem, senhor, respondeu Gri-
saille. Sabe em casa de quem est ?
Ora essa, em casa de urna mulher
bonita.
. Is8o quer dizer que seu amante ?
NSO, senhor. Podia ser, mas nao 6.
Entao sou obrigado a perguntar-lhe
por que est em casa della a esta hora?
E' a primeira vez que aqui venho,
disse Cavaroc decidido a nao mentir. Esta
moya recebeu urna carta de aneara, que
E' barato
Venham p SS ver como se vende fa-
zendas com 50 / mais barato que em ou-
tra qualquer parte.
L'ortes de creone, combinacilo, ultima no-
vidade, a 55000.
Cachemiras, combinacSo com listas de seda
a l400 ocovado.
Vestuarios de jersey, ultimo gosto, a 105
e125000
Amor da China, cousa chic, a 200 rs. o
covado.
Lifrms bordados com quadros, novidade,
a 800 r. o covado,
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Sargelins de todas as cores, a 200 rs. o
covado.
erins de cores a 500, 600 e 800 rs. o
covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Vestuarios para baptisados, muito bonitos.
Guardanapos a 15600.
Cortinados para cama a 55500.
Sedinhas lavradas, o que ha de mais gusto.
Cambraia com salpicos a 45000 a peca.
Cortes de casemira para vestido a 255000
Elenda da China a 200 e 240 rs.
Tecidos arrendados, a 400 e 500 rs.
Zefiros, grande variedade, a 150, 200 e
240 rs. o covado.
Bicos de cores a 35000 a peca.
Madapolao muito largo a 65000.
Luvas de seda a 25000, 255000 e 35000.
Mantil as pretas a 45500.
Caiabraia Victoria a 25800.
Atoalhado bordado, lindos gostos, a 15000
o metro.
Grande sortimentos em toalhas de rosto.
Espartilhos com couraca a 45000, 55000 e
65000.
Nunzucks a 240 rs. o covado.
Pannos de crochet.
Cretone's para coberta, muito bonitos a
500 rs. o covado.
Cambraia suissa, fina e muito bonita a
75000.
Babados e entremeios grande sortimento e
barato.
Fichs de linho a 15000.
Ditos de seda a 45000.
Ditos de ISh 15000,25000, 35000,45000,
55000 e 05000.
Grande quantidade em tapetes pequeos e
grandes.
Cretones muito lindos a 400 rs. o covado.
Chitas brancas, escuras e claias a 240,
280 e 320 rs. o covado.
Grande sortimento em colchas brancas e
de cores.
Ofojectos para homem :
Cortes de casemiras, finas, a 45000, 65000
e 85000.
Ditas de casineta a 15500 e 25000.
Collarinhos de linho c algodao a 45000 e
65000 a duzia.
Meias para homem de todas as cores c
brancas.
Casemiras de cor a 25000, 35000 e 55000
o covado.
Ditas diagonal, lindos desenhos a 2?), 35 e
e45000.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
cavado.
Oassinetas, grande sortimento, a 400 e
500 rs. o cfrado.
Brins Angola, muito chiqties e baratos.
Molesquins bons e bonitos.
Camfsas de madapolSo a 250001!
Ditas inglezas a 45500.
Ceroulas francezas a 15600.
Flanella azul a 15200 o covado.
Grande sortiatento cm lencos de algodao
e linho.
Camisas de cretone, consa boa [c barata.
Alm 3e outros muitos objectos.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessa.
.. Ra Duque de Caxias ..
Fernandos Azevedo & C.
Farello superior
Saceos efe 42 kilos
Vende-se em ptima saccaria, por prero sem
competencia ; no trapiche da Companhia, lartro
do Corpo Santo n. 19.
Mobilias austracas
Ycndem se mobilias completad e pecas avul-
sas, de difiranles modellos e cores^ lrualmeo-
te vendem-se camas de ferro para solteiros, ca-
sados e meninos, e bem assim cofres de ferro
de diversos fabricantes e tamanhosi por precos
commodos na ra Mrquez de Olinda n. 54.
1
Conhece essa mulher qu decapita-
ram
ainda est
unf]
fti-
appaafcer
.iroo
c3es commigo... correu minha casae
pedio-me que a acompanhasse aqui, jor-
que se nao atreva a entrar s>'-zinha. NSo
ha urna hora que aqui estaou.
Urna carta de ameaca, {7. o 1
nhor ?
Sim, senhor, de ut^jfenhor que foi
seu p.manlb e que est-mal com ella ; es-
crveu que viria a casa meia noite,
e ella teve medo'de urna scena... Se
elle tivesse vins'o seria eu quem o recefee-
ria... (uando o senhor bateu,julguei que
era elle.
Mas, ella... a mulher.
aqui ? -
- ^Est. nicamente o seu toque de
carjpainha assustou-a de tal maneira que
9e refugiou no fundo -da casa. .. no quar-
to de vestir.
Est bem', senhor. Vou mterrogal a
e desejo que o senhor assista ao interro-
gatorio.
Cavaroc fez signal, que era sso exac-
tamente o que elle quera.
O Sr. Grisaille Chamou Marchis de
.aYtc, deu-lhe baixinho instroccoes q
om a vigilar:
disse ao capitao :
a bondade de mostrar-^^H
O annuncio inesperado da chegada do
tal eommissario, em lugar de assustar Van-
da, tinha-a evidentemente socegado, e Ca-
varoc concluio dahi que a mulher prefera
ter de se haver com a policia do que com
sunca a vi.
is cinzas
ado pe-
Cavaroc
isaille :
sso elle
passou para a sala de i
gu ante-camara, e conduzk
saifle pelo salSo e pelo qu
o seu antigo amante.
O Sr. Grisaille, que querva claridade
para escrever, convidou Vanda a voltar
para o quarto de dormir, e a mulher nao
teve a menor difneuldade em seguil-o.
Nao lhe pergunto quem ... J o
sei, comecou elte encarando Vanda. Fia
muitos anuos que vive maritalmente com
o Sr. Vitrac, artista pintor, que mora na
praca Pigale.
Maritalmente nao, eu nunca niorei
eom elle, balbuciou a interrogada.
Pouco importa, a senhora c sua
amante encartada e foi a senhora quem
tez as honras do baile phantasia que
elle den no carnaval.
E' verdade, mas...
A senhora estava presente qua
homem, disfamado em carrega
lan^ju no meio to chao urna cabera cor-
mitos outros.
-escantar: este "senhor
mas Grisaille
ando
idor,
eu, mas
Eu exelamou Vanda.
Mente.
Nao, senhor. Juro-lhe pe
de minha fallecida mSi.
Aquelle juramento, muito apr<
las fiJhaa dt> peiteme, -ffetf' soiti
e ncolheu os hombros ao Sr.
Nada de phrases inuteis!
com severidade. A senhora connecr a
victima, urna vez que era amante do as-
sassino. Oh! nao se finja admirada Vi-
trac era o seu amante, mas nao era o ni-
co. A senhora tinha outro... um estran-
geiro rico.
Caritides Foi elle qnem matou essa
desgrasada !
Confessa isso ?
Mas eu nao sabia... nSo soube se-
nao hoje.
E guardou para si essa descoberta ?
Corri casa deste senhor... que c
official.. disse-lhe o que acabava de sa-
bea^e sppliquei-lhe que me acompanhasse
minha casa para me defender daquelle
hornera... qne devia vir aqui meia noi-
te... Ah .' se elle viesse agora, era bem
bom,.. o senhor prendel-o-hia.
Senhor, disse Grisaille, fixando' os
olhcs em Cavaroc, quando ainda agora
me fallou aessa visita esperada, tratava se
do assassino ?
Sim, senhor, respondeu o capitao.
O senhor sabia-o e nao m'o disse ?
O senhor nao deu tempo para isso.
la dizer-lh'o na occasiao em que me pedio
para o tra.ier aqui.
E esse homem bSo veio ?
At agora nao, e cornejo a acreditar
que ao vira. *
-^Eu estou certo que elle nunca teV%
tencacPdS c vir. Deve desconfiar que
foi denunciado e que esta casa est vigia-
da. Nao tao tolo que venha me1,
na guella do lobo. Deixe-me interrogar
esta rapariga.
' Vand
estorcia
A LOJA MAIS BARATKIBA
PARIZ FAMERA
AZEVEDO, IRMaO & C.
.16Ra do B. da Victoria16
200 Telephone 200
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortimento de fazendas e modas a
que ha de mais novo e precos sejn co
petcncia.
A. saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qnaiidades.
Etamines, pretos, de la e la seda.
Damassc d seda pura. ^ '
Merinos pretas de 800, 15000 e 1520C
Crinoline preta e branca a 400.
Sergelim, todas as c6res, a- 200 rs.
Bramante do linho a 15500, com 1C
palmo*.
Toalhas para banho a 150C0 e 1550G
Chachemiras com 2 larguras a 8(K) r
Ditas de l e seda 2 larguras a 1500C
Madapolao trancado a 95000 a peca.
Dito globo a 75000 a dita
Dito camiseiro a 7$000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichs de la e seda 15000.
Brins de linho cdies fixes a 600.
' Espartilhof couraca a 45000 e 5500G
Colchas de fustSo a 25000 e 35000.
Capellas para noiva com veo bordado
65000.
Toalhas do cores para rosto.
Rendas, comprimento de sala a 1560C
Renda de la, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 15000.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama
1050TJO.
. Chitas de cores a 200 rs.
Cretones eom 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbntina de quadro a 800 e 15900.
Guarnicoes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Oaixas com extractos para presente.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de c6co.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanella3 de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite?
Grande sortimento^ de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cSres.
TELEPHONE 200
Cal de Lisboa
a7$000
Vendem Lopes & Araujo
Ra do Livramento
_______n. 38.______
Cofres de ferro
Carlos Sinden tem para vender cofresde
superior qualidade tais barato do que
em outra qualquer parte,
48Ra Barao da Victoria48
Arma^o
Vende se um;'. arraaco usada : quem a pre-
tender, dirija-se a ra da imperatriz n. 37, pri-
meiro andar.
-----------------------------------------------------A I
Casa
Vende-se urna casa terrea com bons commo
dos, em solo proprio, na roa Vidal de Negreiros
n. HO: a tratar na niesma rus n. 34.
Ladrilhos de mosaico
Vende-se no armazem importador ra Mr-
quez de Olinda d. 34.
I
,'


*

commoveu Grisaille, que lhe disse com
dureza :
Escute. A instruccao a principio
transviou-se.. Accusaram um homem qne
tem commettido outros crimes, mas que
nao o autor do assassinato. Conhece-
mos o criminoso. E' o marido da victi-
ma. Foi seu amante. Sua^nAYnter"^!
amante de Vitrac. Csmides vingou-se
della e delle,. senhoaa ajudou-o, e esta
mufrr foi m sua casa que elle a matou,
depois de a ter chamado por um pretexto
qualquer.
E' inverosmil, murmurou Cavaroc.
Deixe-me acabar, senhor. Mataram-
n'a e cortaram-lhe a cabeca, que lanca-
rarn aos ps de Vitrac co meio de um
baile. Essa cabeca ninguqW a reconhe-
ceu e nunca se encontrou o corpo. Agora
sei onde elle est.
Sim? exclamn o capitao.
Est aqui, ueste aposento, que vou
examinar, se esta mulher recusar dizer-
me onde o escondeu.
Vanda n2o respondeu senao com um ge-
mido.
Estava aterrada ; e o capitao, impre3-
sionado pelas nformaSes precisas de Gri-
saille, j comegava a desconfiar de que
ella nao fosse innocente.
De repente acudio-lho memoria o tal
cheiro. Recordou-se da sensagao desagra-
davel que tinha experimentado entrand
com Vanda no quarto de vestir.
Grisaille, como se tivesse adivinhado o
que elle pensava continuou:
E o tal cadver nao est longet Nao.
negu. Eu o sinto. Teria feito melhor
em enterrar na adeg.
Ah! sei perfeitamente que se ia des-
enibaraear delle e que, se.eu tardaase a
vir, nilo o teria encontrado. Mas nSo ha
de ser muito difficil. Basta os meus ho-
mens levaotarem algumas taboas do soa-
lho, no lugar proprio... e o cheiro vai nos
conduzir.
arse-ha)



-
M


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKRJBTCG3_3NOMQA INGEST_TIME 2014-05-28T00:04:36Z PACKAGE AA00011611_16925
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES