Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16921


This item is only available as the following downloads:


Full Text
_--------, n.y, .

ANNO LXV NUMERO 174_______
PARA A CAPITAL E LLC1RE9 (IXDE NAO SE PACA PORTE
Por tres mezes adiantados...........,.... 61JOOO
Por Beia ditos idem................ 12(5000
Por nm anno dem .-. .... 23|JOOO
Cada numero avulao, do me&nio da..... ... 0100
DIARIO DE
DOMINGO 4 DE AGOSTO DE 1889

PARA DENTRO E FORA DA PROTEVCIA
Por seis mezes adiantados ....
Por nove ditos dem......
Por um anno idem. ......
Cada numero avulao, de dias anteriores
1305CO
20(5000
26)5000
5IOO
%
RNAMDUCO
Tropriedode de Manoel 9fyt fa de ^aria # 3%I^os
TELEGRAMMAS
ssavijo PAancuLAs so c:s:o
RIO DE JANEIRO, 3 de Agosto, 4a 3
horas e 20 minutos da tarde.
O delegado de polica da cidade de Cam-
pos, em sea relatorio acerca do assassinato
e Rayraundo Moreira, declarou incursos
no art. 192 do C'odido Criminal, Carlos de
Lacerda como mandante, e outros como
mandatarios d'aqucUe horrorosa curian
Foi adiada para 15 de Outubro pro-
xime vindouro a essao da Assembla Pro
rincial da provincia do Rio de Janeiro.

S
r
SSBtflJO U A&SN3IA HAVAS
LONDRES, 2 de Agosto.
A Cmara do3 Communs adoptou as do-
tacoes pedidas por mensagem de S. M. a
Rainha Victoria para os casamehtos do
principe Alberto Vctor e da princoza Loui-
se de Galles.
PARS, 2 de Agosto.
E' provavel que a data das eleicoes ge-
raes para a renovacao da Cmara dos De
putados seja fizada para o fim do mez de
Sctembro
APLES, 2 do Agosto.
Graves desordens acabam de dar.se aqui
a respeito das eleicoes provLciacs.
LONDRES, 2 de Agosto.
S. M. o Imperador Guillierme acaba de
desembarcar em Borne.
Urna revista naval ser passada amanha
em Spithead cm honra de Sua Mages-
tade.
NOVA-YORK. 2 de Agosto.
Acaba de fallecer o coronel Evaristo
Caraza, presidente da repblica do Nica-
ragua.
COPENHAGUE, 2 de Agosto.
Chegou boje aqui S. M. o Re da Gre-
cia.
NOVA-YORK, 3 de Agosto.
Foi nomeado presidente da repblica do
Nicaragua o Se. Dr. Sacasa.
CONSTANTINOPLA, 3 de Agosto.
louve em Creta graves desordens, sen-
do incendiadas duas aldeas.
Os mmulraanos invadiram Canda, com-
naettendo muitos excessos. -
O governo turco prepara-se para cha-
mar s armas oitcnta mil homens de re-
serva.
Agencia" Havas, filial em Pernambuco,
3 de Agosto de 1889.
INSTRDCqO POPDLAR
AS GRANDES \\m$S
ANTIGS S MODERNAS
HAS
Sciencias, industrias e arles
POR
XXI
Pocos artesiano*
(OontinuacSo)
Para encontrar, aguas jorrantes, diz M. De-
gouse, preciso procurar aquclles espacq3
tais ou menos encaixados em saliencias dorai-
antes, para as quaes as carnadas da planicie
se erguem algumas vezes, de forma a appare
cercm de topo. Resulta, com effeito, de tal dis-
sosic&o, que as aguas exteriores, infiltrando as
amadas permeaveis, sobem superficie, e
apoiando se s collinas que as lirnitam e aeeuin-
0 com aquellas carnadas as inflexoes do fundo,
sSo tanto mais susceptiveis de subir pelos bu-
racos de 3onda e dar origem a pogos artesia-
os,.quanto mais alto, estiverem os pontos de
jafilfrajao e mais aastdos os sitios por onde a
agua se vai gastando.
l:m dos mais notaveis pogos artesianos que se
tem praticado em nos sos das o chamado de
renelle, anMgamente s portas, boje no interior
da cidade de Paris. .s aguas que alimentam
esta magnifica fonte de repuxo, correm por de-
saixo de nma superficie goas di territorio, e, partlndo de Langres, se-
guem quasi a direceo de Bar-sur-Seine, Lusigny
Troves, Nogent-sur Seine, Provins. E' em Lan
gres que ajparece urna espessa carnada de areia
verde, essencialmente permeavel, situada Jpor
saixo de Pars e contendo urna grande porgo
de agua. Por baixo deste gres, sob Paris, acliam-
w carnadas de greda e arga impermeaveis,
s,ue se mostram cm Champagne, effl urna alti-
ude maior do que em Paris. A planura de
Langres aclia se perfeitrimente situada para fa-
vorecer o repuxo das aguas de que ponto de
partida, porque a sua allituue cima do nivel do
miar 6 de 4/3 metros, em quanto que a de Pars
10 de 60 metros.
Arago tinha calculado aproximadamente que
em Paris a espessura das carnadas que se tem de
atravWsar'para stlingir as areias verdea, isto o,
acamada aquiferada planura de Langres. era
de 460 metros. Secundo estes dados, M. Mulot
comeeou a perfumeio do poco de Grehelle a 3
de Novembro de 1863. Em 1835, tinba se che-
gado a urna promndidade de 400 metros por um
trabalho muito regular ; mas como ento urna
colher, que era um cylindro de um peso enorme,
cahisse ao fundo do poco, nao podo -ser tirada
senao aos pedacos e este trabalho, operado com
cinzeis climas a to grande profundidade, durou
quatorze mezes. A 26 de Fevereiro de 1841,
como o poco chegasse a 458 metros, sabio por
elle um volume consideravel d'agua.
Durante qnasi um anno o poco de Gronelle
jorrou una enorme quanlldade de saibro, prove-
niente das suas car" i"'- Euilim, des^iou-se-de,
aua prioiUidic^df^JMM^GHalMrf|lHKM
camjido, cin viott qnatro rroras *.wj:Ow li
te* de agua Ii<|0i.! 'e'mperatura era de
jW. O jacto desta arma attinge presentemente a
altura de trintametros cima do solo. Construio-
se no lugar da emergencia daquella fonte urna
elegante columna monumental de'ferro fundido
do alto da qual se langa a eonsidcravel massa de
agua que jorra das profudezas lo solo.
H. Hericart de Thury. na sua relaco de 8 de
Abril de i* 10, tinha aiinunciado qual seria o nu-
mero e natureza das ramadas de terreno a atra-
vessar c a que p-ofnndidade se havia do procu-
rar a agua. Elle ti iba dito : A agua vira dos
gres verdes a 560 outros, poucoimais ou menos,
e esta appareceu a 648metros : dar 4:000 litros
por minuto ; e com effeito d 4:000 litros por
minuto : ter a temperatura de 30*, ser doce,
dissolvei perfeitamente o sabao, e convir a to
dos os usos caseiros.. Todas estas prediceGes da
sciencia foram confirmada?.
(Cntma)
CORRESPONDENCIAS
PARTE OFFICIAL
ve rato da provincia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DA Io
DE AOOSTJ DE 1889
Augusto Pinto Vilella Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional de Born
Conselho.
Candida Maria Callado.-Informe o Sr. ins-
pector gcral da Instruceo Publica.
Caetano da Costa Moreira Acha-sc abertaa
concurrencia
Teneute Eduardo Di.oiel de Souza Fradique.
Indeferido, por nao ter solicitado a patente
no prazo legal o tenar-se nomeado outro" para o
lugar.
Brigadeiro Francisco Jjaquim Pereira-tobo.
Forneca-se.
Francisco de Salles Abrcu. Entenda-sc o
supplicantc com o fleenbeiro Gregorio Thauma-
turgo de Azevcdo que est aatorisado a vender
a quem mais vantagem offerecer.
Major Justino Rodrigues da Silveira.Forne.
ca-se.
Jos Lopes da Suva -Concedo a passagem.
Joao Muyrink dos Santos Cavalcante.D-sc.
Manoul Victoriano da Rqsa. Sim.
Tenentc Aureliano Xavier do Vali. A' pre-
tendo do suppljcante opp&em-sc as instrucjOes
annexas ao decreto n. 0197, de 15 de Janeiro
de 1887.
Bacharcl Saturnino Octaviado de Santa Cruz
Oliveira. -Informe o Sr. inspector do Thesouro
Provincial.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 3 de Aguate de 1880.
O porteiro,
Francelino Chacn.
SleparticSo da Polica
2.1 seccao.N. 932Secretaria do Po-
lica de Pernambrco, 3 de Agosto de 1889.
Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que form honteni recomidos Casa de De-
tencao, os aeguintes individuos :
A' minha ordem. Lucas Pomnilio Carneiro de
S, como alienado, at que tenha o conveniente
destino.
A' ordem do Dr. delegado do 1* districto da
capital, Silvino Cabral de Freitas, criminoso de
tentativa de morie, vindo do termo da Victoria.
A* ordem do subdelegado da fregnezia do Re-
cite, Miguel Antonio Pereira do Nascimento,
Otilia de Moraes Valenp, Jovalcina Leopoldina
do Amor Divino. Josepna Faustina, Antonia Ma-
ria da Coaceica. Alexandrina Maria da Con-
ceico, llermina Mara Jos e Rozalina Maria da
Conceicao, por disturbios e offensas a moral pu-
b.ica.
- A' ordem do da f-eguezia de Santo Antonio,
Manoel Andr Pere:ra da Suva, por embriaguez
e disturbios, e Jos Pereira da tilva, cooio ga-
tuno.
A' ordem do do 1' districto da fregueiia de
S. Jos, JoSo Jos Ponciano, por disturbios.
A' ordem do do 2* districto, Francisco das
Chagas Degond, por disturbios : Mariano Rodri-
gues de Carvalho, Antonio Alves Ucha, Tbere-
za Maria da Conceicao e Fortunata Mana da
Conceigo, por disturbios e offensas moral pu-
blica.
A' ordem do do districto da freguezia da
Boa-Vala, Paulo Jos dos Santos, Joao Carlos de
Ohveira e Florencio Jos de Souza, por distur-
bios e offensas moral publica.
A' ordem do do districto da freguezia de
Xossa -'"* ~r | rikaA c*Kam' Pereira dos
Sanios;-A*arol!onr1omeira, Jos Fionano
da Silva e Joao Augusto Pareira, como vaga-
bundos e turbulentos.
A' ordem do do V Jstricto, Jos Antonio
Dias dos Santos", llanoel Rodopiano da Cruz e
Donata Mara de Jess, por embriaguez e dis-
turbios.
Xo dia 10 do mez passado prestaram jura-
mento e assumiraoi o exercicio ios cargos de
suodelegado do Io districto do termo de Bonito,
o cidadao Joaquim de Barros e Silva ; do 2,
Manota Bezerra de Vasconcellos ; do 4o, JoSo
Crrela de Mello : do 5 Antonio Martins Chaves
c do 6 na qualidade de suppleute o cidado
Francisco Quintino das Neves.
Communicou uie o alteres Antonio Joaquim
Coel o dos Santos, ter no dia 29 do mez prxi-
mo lindo, assumido o exercicio do cargo de de-
legado do termo de Cantara.
O cidadao Manoel Domingues Dias de Quei-
roz, pariicipou-me ter no dia Io do correte as-
sumido o exereiejo do cargo de subdelegado do
districto de Tucbatiba.
A mesma autoridade communicou me que na
noite de i umbem doeorrontes os la.roes pene-
traram ein um anuazem que serve de deposito
de mercdorias pertenecnte a Izidoio da Cunha
Cavalcante i sublrulnram 58 couiinhos.
Acerca do facto abno-se o competente inque-
rito e deligenciu-st; descubrir o autor ou autores
do crime.
Deus guarde a V. Exc.lllm. e Exm.
Sr. Conselheiro Manoel Alves do Araujo,
muito digno presitite da provincia.O
chefe de polica Oeroncio Dias de Arruda
FaUao.
PE8QUEIRA, -23 de julho de 1889.
'.(ealisou se no dia 14 do corrente mez a inau-
guragfio definitiva do Prado Pesqueirense, com
enorme concurrencia.
lleinou Sempre gran.le ordem durante as cor-
ridas, cujo resultado foi o seguinte :
Io pareo600 metros.1" Araripe, 2" Baluar-.
te, 3o Salva-monte, lempo de corrida em 45
segundos.
2 pareo700 metros.-lProvete, 2o Sem-du-
vida, 3' Larangeira. Tempo de corrida 50 se
gundos.
3o pareo-1200 metros.Io Vapor, 2 Vcnflj, ara
na, 3#Boulanger.
4o pareo800 metro.Io lllusorio, 2o Pro-
resso, j^OiQ alapra
.> pareou
vento, 3Tveloe1Tel'f Terapo da corrida'45 se-
gundos.
6o pareoDesaQO-1200 metros; Gordiano c
Marru que venceram em 95 segundos.
7o pareo -1000 metros! Progresso, 2o Bar-
balio, 3o Duvidoso. Tempo da corrida 74 se-
gundos.
Foi esta a corrida mais importante do da,
pois que disputaram o premio, os tres animaes
cima descriptor, todos considerados bons.
8 pareo8";0 metros1 Floresta, 2cm-
duvida, 3" Normando. Terapo da corrida 65 se
gundos.
Assini terminou o divertimento. devendo re-
alisar-se a segunda corrida no dia 4 de Agosto
prximo futuro.
Nao podemos deixar sem reparo um lacto
para o qual chamamos a attenc/to do Dr. chele
de polica.
Queremos nos referir aos barbaros assassina-
tos dos mfelizes Antonio Guedes e sua mnlher
Umbclina, ambos encontrados mortos em urna
catinga, no lugar em que chamara sitio do Dou-
toi\ com os crneos esmagados, enl verdadeiro
estado de putrefaeco.
E' inegavel que existe ahi um crime, e crime
to serio, que o seu autor ou autores esto envol-
vidos no manto do mysterio, ou quic, protec-
jo escandalosa. "
A polica assiste impvida a todas essas ace-
as de baroarlsmo, e nem sequer promove as.
diligencias necessarias para a punico dos cul-
pados.
O delegado de polica, longe .de compenetrar-
se dos seus deveres, ameaca com a mais horro-
rosa perseguicio aos seus desafectos e vae dan-
kjtu execuco aos seus designios.
Tendo o ciJado Flix Gomes dos Sanios, ex-
uhdelegado de polica de Atogados de Inga-
zeira, sido absolvido unnimemente pelo jury
deste termo, pelo fasto de casualmente em urna
diligencia haver assassinado um soldado de
polica, foi entretanto conservado na priso.
porque era preciso, quej alter ego do delega-
do de polica satisfizesse suas vingancas ; era
preciso que seu mentor mostrasse seus instinc-
tos perversos.
Em vista de tamanha arbitrariedade, Flix
Gomes impet-ou immedialamente urna ordem de
habeos corpus ao Dr. juiz de direito desta comar-
ca, que indeferio o pedido, por nao estat prora-
da a identidad' de pessoa. O paciente obteve
um attestado jurado do coronel Pedro Pessoa de
Stqueira, 1* tupplente do juiz municipal do ter-
mo de Flores, e apresentando os nomes de ou
tras pessoasque o conheciam perfeilamente, re-
plicou, sendo dado o seguinte despachoreqSei-
ra em termos.
Em face de to lacnico, quo iacomprelien-
sivel despacho, pois que a petico eslava conce
bida em termos legaes, aindatreplicou o pac
ente, dando ento o juiz de uircito o seguinte
despacho :-tenho deferido ein vista desta, e da
pet'rao a que se refere.
Reconhecendo Flix Gomes que seria coner
vado na pnso apezar de deferido' sea pedido
de ordenj/de babeas corpus, comprehendendo a
m vontade do'juiz, em vista dos despachos
cima referidos e meramente protelatorios, di-
rigi urna quarta petico, con que requerco o
cumrlmento do art. 343 do cdigo do processo
criminal, isto que o juiz de direito expedisse
ordem ao carcereiro para apresectar o paciente,
e dar as razes do seu procedimento.
Estando esgotados todos os meios da mais
vergoohosa cliicana, e quando o infeliz Flix
es que poderSo ser exigiveis
ente que sao devras avultadas
do banco.
a dos juros recebidos c outros lu
1" sernos! re
561:9664837
69:I67886
distribuidos
reserva perma-
a variavel
do semestre
emestre
Gomes se preparava para requerer ordem de jjcdiemc:
babeas corpus ao Tribunal da Relaco, ] que
nesta comarca nao encontrava jusuca, foi logo
algemado, atado de cordas pelos bracos c pes-
coco, como um sicario, e retirado pora Casa de
Deten .ao !
Elle ahi chegar, e ento o Merelissimo Tri-
bunal da Ilelaco rcccnbecer a violencia de que
foi victima aquelle que; por militar as fileiras
do partido conservador, cahio as garras de um
mandao de atdeia.
O Sr. delegado de polica pode continoer na
sua obra, mas convem nao esquecer o seguinte
proverbio: bodi mihi eras Ubi.
FLUJOS E (MliEMi
Foram sorteadas 363 apolices no valor de
49.000 do emprestimo brazileiro a -, 0 de 1875.
Estas 363 apolices foram reembolsadas ao par
no dia 1* de Julho com o dividendo e vencido
n'esta dala.
Este emprestimo, na imporiancia de........
5.301:200. foi emitlido a 96 1 2.
Tem reglalo cima do par, e vale boje 103 a
105.
O ministerio da fazenda, em aviso de 19 de Ju-
lho ultimo, declarcu nao haver incongruencia em
serem os juros das lettras passadas nos termos da
clausula 1" do contracto de 28 de Junho anterior
incluidas as mesmas lettras, por serem pagos no
seu vencimer.to conjunctamente com a quantia
mutuada por ser mera qneatao de calculo, do
render no segundo semestre o juro vencido do
priraeiro, manlida a taxa de 6 /,.
Declarou igualmente .ser permitido aos Hiu
tuarios moverem, po rucio de conta corrente, os
crditos que Ihes forera 'abortos ern virtuile de
caugo do apatices publica, bilbete
thesouro c outros valores mencionados na s'i
citada clausula, sendo recprocos os juros de 6/.,
diiquanto o mutuario estiver em debito.
Do activo e passjvo do Banco de Portaje!
do mez lindo colheu-se os seguintes danos, que
consignamos leitur \ publica e ao conhecimeuto
da respectiva colonia n'esta cidade.
A existencia em caixa de es-
pecias metallicas eleva-se
quantia de
E as notas ora circulagSo
6.90i:O66l97
10.335:40.j
4!431:33S803
notas em circulaco e a
E 'aui um saldo de
entre o valor tofal das
reserva metallica.
A relaco das notas em circulaco para a
serva metallica de 44 "/., proporcio esta r,
superior que os estatutos delerminam n
do ai!. 13, que diz :
moedas e barras de ouro ser igual a u i
da importancia toial das nol
de outras responsabilidades exigiveis vil
a, addicionadas- au excdante da
obrigaloria, na importancia de 1.100 tonte-
492:7985951
da seguinte
24:639935
3i:4lfltMO
337:500*0- 396:635*845
96:
O Exm. Sr. conselheiro Pinto Jnior commu-
nica igualmente que a commisso incumbida de
receber e de cumprimentar, por parte do Insti-
tuto, o Exm. consocio Dr. Joaquim Pires Ma-
chado Portella, por occasio de sua chegada
esta cidade, desempenharase tambem de sua in-
cumbencia e que S. Exc, muito agradecer.
O Sr. Df. Lopes Machado propoz e foi unani-
raentc approvado que se manifeslasse por inter-
medio de urna commisso de socios residentes
na Corte a Sua Magestade o Imperador o senti-
inento de flpe se possuira o instituto ao ter no-
ticfi do mentado que contra a sua augusta
pessoa fra praticado na noite do 15 do cor-
rente.
Para essa commissfig>o Exm. Sr. presidente
nomeou os Exms. Srs. conselheiros Thcodoro
Machado Freir Pereira da Silva, Tristo de
"-ncar Araripe eFraiicisco de Carvaibo &
492:798*951
*
Segundo Orna correspondencia de Londres A
cotnpanh'uj Jo gaz da Babia propoz para o anno
de 1888 o qual dcixou um saldo liquido de
8.116,-^dividendo de 10 / ao anno para as
accoes orlnarias, passando 86 conta do
seguinte eferclcio.
O Joram
guintes n
As nosss
seatem-se n
gor-da le (
Cominercio, de
Lisboa, d as,se-
obre a situaco dbS vinhos :
rtacoes de vinhos ordinarios re-
naturalineaie al) ilio os dircitos do sbila.
J desdep principio do. mez actual ee notava
um certo Wtrahimento por parte dos exportado-
res, que esjerava a cada da a publicacaa da lei
nft Diario Goterno e agora que nSo sraente
esta publicuro leve lugar, como tambem se des-
vanecerarhjs duvidas que at antes de hontem
ainda se offtreciam acerca da sua entrada em vi-
gor, todos querem recuperar-4) tampo perdido.
Gracas nelhoria que tiveram os pre03 dos
vinhos em oeral nos mercados francezes, tambem
aqui a situaao melhorou un tanto.
A qncatac principal, comtudo, tica sendo a da
qualidade. Os vinhos regulares, betn tratados,
pode dizer-ie que obteem precos satisfactorios
lnfelizment.' constltuem estes a minoTia do que
est ainda favaer da ultima colheita
E. se fallimabs da colheila futura, ainda menos
auspiciosa io nos afigura a situaco.
Urna graide parte da regio vincola de Torres,
bam copoida Serra do Cadaval, tem as vinbas
atacada* pdomiVrfcr, cuja appariro tambem se
assiguaa] no Alcmtejo e Beira Alia.
#
i'areeqtc o companhiu
M'CahiHLimos, eontraliio
prestira* (b S00.000 kilos
da Estrada de Ferro
na Europa Ota ^nr^
esterlinos a juro de
D'eatpc i.rportancia urna parte destinada ao
resgat^la? deben tures emitlidas na cOrte pela
mesma conpanhia ltimamente na snmma de
l.oK):000^)0 e juro de 6 i 2 /o, e a outra ser
applicada coosUucro de raraaes.
*
O goverro imperial mandou abrir concurrencia
para o contracto dos servicos de assentamento
da via pernaiiente e da cons'rucgo ios edificios
da estrada (p ferro da Babia a s. Francisco, lo
caso- de iguiStade de condicOes, devero ter a
preferencia afc-emproteiros da mesma estrada,
que a prcten-iiam sem concurrencia. t
\SSOCIAgOES
Insoluto Archeologleo e G.q~
graphico Pernambncano
SESSlO OKDIKARIA EM 18 DE JULHODK
1889 '
Presidencia do Exm. Sr. desembargador
Manoel Clementino
A' 1 hora da tarde, presentes os Srs.- Drs. Ci-
cero Peregrino, Baptista Regueira, Io secretario,
Alves de Albuquerque, Lopes Machado, conso
IheiroQuiutino de Miranda e Pinto Jnior, Au-
gusto tbsta e major Codeccira, 2" secretario,
abrio-se a sesso.
Llda a acta da sesso antecedente foi appro-
vada
O Dr secretario mencionon o seguinte cx-
Cm ofBcio do Dr. Francisco Amynthas de Car-
valho Moura, de 11 do corrente, communicando
ter assianido o cargo de inspector do Thesouro
para o nal lora ltimamente nomeado Intei-
rado e que se responda agradecendo a commu-
nicafo.
Ottertas:
Pelo autor, Dr. A. Pereira SimOes, dous volu-
ntes encadernados: QuestOcs tecbnicas sobre
os caminhos de ferro em Pernambuco : Contin
gente para a construeco de nossas pontes eco-
nmicas ; e mais : Relatorio da Companbia de
Santa Threza, empresaria do abastecimento de
llumiuacSo e agua cidade de Olinda ; Precos
do camioho de ferro de Oliuda, por um accio-
nista da companbia ; Cartas ao Exm. Sr. con-
selheiro senador Jos Joaquim de Olivcira Jun-
queirav por um engenheiro civil ; Relatorio da
ompanhia dos Trilhos Urbanos do Recite a
Olina e Beberibe, apresentado pelo presidente
daTJirecloria*eni 1863.
Pelo consocio Dr. Alves de Albuquerque as se-
guinte brochras: .
linmlgragoProvincia de PernambucoBra-
zil, 3 vols., bm em po tuguez, um em fruncez e
outrom italiano; Esludosde economa poltica,
porM.rns lloyer,*t vol. : O Fim dos Tempos
ou o Imperio do Anti-Christo, sua destruico e
a prxima vinda do reino de Deus. 1 vol.; Por-
que somos caiolicos romanos ? por Fuger
Gllott, l vol ; Flores de meu caminho. por Fran-
cisco de ilacedo Costa, i vol-: Subsidio indus-
trial ou colleccao de mais de 30) tabellas, ta-
uoas, etc., hvoL.; Catliecismo social e politico
brazi AITonso de Albuquerque Mello. 1
\ qu vinhos Os vinhos falsilicadas,
pto pelo D.\ C-.muos da taz, 1 vol.; Sy-
n >psu ou deduco chronologica, por Abreu e
I vol. ene.
['lo Exm. Sr. deseaibargador Alves Ribeiro,
por intermedio do inesmo. Dr. Alves de Albu-
le :
. inferencias, por Lacordaire. 4 vols. enes.;
Algu ^ genealgicas, li\ro de familia/1
o Instituto BeneQcente ^los Ofll acs da
acioml, u'ii exemplar de seus esta-
tu >L
Dr. Al
cial do jornj
uiioiro.
Pe Livasredacces diversosjornaes
i e de ounas provincias.
rain recebidas cora agrado e man-
foram propostos e approvados
tivos do Instituto o Exm. Sr.
iing03 Alves Ribeiro e o Dr.
no Alberto de Castro Xasciraentoe para so-
:orresponde.ote o Dr Jo do Amaral B- de

() oj:munca que a c;m-
i para cuniprimentar e felicitar
o Ex -dente du provincia, de que
re, desempenhou-se de sua incuraben-
E igradecera c manifestara os
lesejoa em favor do Instituto.
;es Velloso, o numero espe-
iro II, impresso em perga-
Depois aislo rof aflfoTlsalRf o".
quantia de 1:000*000. importancia'de'impressOefi
de revistas.
Finalmente o Sr. Dr. Lopes Machado leu um
capitulo de sua obraHistoria da Provincia da
Pamhyba. '
Nada mais havendo a tratar-se foi levantada a
esso c designado o dia l" de Agosto para ter
ugar a primeira reunio.
Morledailc BeneOcente de Xa-
i-e|h
Te ve lugar as 7 horas da noite de ol
de Julho lindo a sessSo magna do 2." ani-
versario desta sociedade. O salo da b-
bliotheca em que funeciona a sociedade
eatava bastantemente Iluminado e ornado
de flores naturaes desta cidade. O numero
de familias foi inferior ao que se espera-
va, devido as chuvas que cahiram em
abundancia durante o dia, prolongando-se
at a noite : com tudo compareceram mui-
tos cavalheiros que deram aniraacao que
mereco festa desta natureza. Aborta
asessao pelo presidente, Dr. Manoel Ca-
bral de Mello, foi pela banda marcial22
de Novembro executado o hymno 31 de
Julho, sendo pelos que estavam presen
tes ouvido de p.
Passou o presidente i leitura do relatorio,
depois do qtfe foi dada a palavra aos Srs.
Rvd AnisioBandeira, orador da sociedade,
Vctor Vieira orador do centro Litterario,
Dr. 'favores Netto, Dr. Pessoa de Araujo,
Jordao Chaves e o mordomo Ignacio Viei-
ra que fallou emnomedos indegentes. To-
dos foram bem applaudidos, e saudados.
0 presidente deixando sua cadeira foi a
tribuna e invocou do Ilustre auditorio os
sentinlentos de caridade, em avor dos n-'
digente3, agenciando mmediatamente a
quantia de 14:500 e um billiete da lotera
do Maranhao. Em seguida, foi pelos so-
cios "presentes eleito unanimimente presi-
dente honorario desta sociedade o Dr. Ma-
noel Cabral de Mello.
Terminou essa festa de caridade as 9 lj2
horas da noite, ficando empossada a nova
directora composa da seguinte forma:
presidente, Dr. Antonio Miguel Pessoa de
Araujo ; vice-presidente, major Joaqnim
Nunes Machado Coutinho ; I.* secretario,
Dr. Antonio Cavalcante Pina ; 2.- dito An
tonio Benicio Bochedo ; orador vicario Ani-
sio Bandeira; thesoureiro Joao Clementino
de Hollanda c mordomo, Ignacio Vieira
de Mello (recleito).
Eiso relatorio.
Meus consocios
O | G.- do art. 8.* dos estatutos que nos
regem me obriga a apresentar-vos um re
latorio do movimento social que comeeou
no 1.' de Agosto do anno lindo e termina
hoje o! de Julho do anno filente.
Me agradavel dizcr-voS que esta so-
ciedrde modestamente festeja hoje o seu
r anniversario natalicio, porque urna
prova de que ainda nao arrefeceu a oham-
ma do caridade que ardentemente abrasa
os voasos corajoes, e a prova aqui a tendes
com essa concorrencia de senhoras e ca-
valheiros que brhautemente ornam este
salSo e a quem nos, em nome da sociedade
agradecemos o terem accedido ao noeso
convit.
Movimento dos socio3 contribuintes.
Existcm hoje mais ou menos 50 socios que
pontualmente contribuem com suas men-
salidades, o que devido a criso que atra-
vessamos, e niio por lhes faltar a boa von-
tade paraapratica dosse nobilissiino sen-
timcnt .
Socios Bemfeitores
Actualmente existem tros socios desta
cathegoria que conquistaran; seus diplo-
mas no corrente anno o so os Srs. artista
Joo Gomes Ribeiro que, viotu proprlo,
offereceu o producto de um espectculo
do seu circo Anglo Brazileiro aos indigen-
tes a cargo desta sociedade; engenheiro
Jasou Rigby, superintendente da estrada
de ferro do Limoeiro, que, accedendo ao
pedido desta sociedade, poz sua dispo-
iioao passos para os indigente* que fo
enviados as casas de caridade do Recffe,
e commerciante Diogo Carneiro Lins de
Albuquerque, qne expontaneamente doou
a sociedade urna casa na povoacao do
Trar-unhera no valor de 15Q0OOQ, A es-
ses distinctos cavalheiros mandou a socie-
dade passar-lhes diplomas de Socios Bem-
feitores que lhcs foram entregues.
Beneficencia
A sociedade tem ltimamente soccorri-
do de conformidade com seii3 pobres re-
cursos, seinaualineute, a 21 indigenes af
ra alguns adventicios.
Foram lemettidos pela via-errea para
os hospitaes da cidade do Recife no eor-
rente anuo 38 indegentes enfermos.
Esta sociedade, conseguio casar 5 or-
phans desvalidas, fornecendo duas mo-
desto enxival e obleado para a realisacao
-amento dts ontras os documentos
necessarioa as freguezias ;de Afogados,
Victoria^ Born Jardim, T n e Na-
1 zaroth, a cujos parodias a sociedade se
confessa agradecida por tao humnitariot
servigos.
Na sexta-feira santa mandn a socie--
dade por sen mordomo e doss socios mait
esmolar as ras desta cidade em favor
dos indigentes e presos pobres da cadesa.
Foram sepultados no cemiterio publict
desta cidade 56 indigentes, fornecendo a
sociedade mortajas a quasi todos.
Donativos
Foram feitos os seguintes, pelos Srs. -
Dr. Jlo Sabino f'inho, urna -cart'eira ho-
meopathica para curar os indigedtes ; con
merciante Antonio Jos Maia 6 chapeos ak
sa para o^sniesmos: professor de
o ol ao JUUTO
anniversario* desta sociedade ; I lima. Ca
mar Municipal desta cidade a quantia de
100)9000 annualmente para auxiliar a be-
neficencia da sociedade, e finalmente man-
tos outros distinctos cavalheiros diversas
pequeas quantias, roupa usada e outros
objectos que teem servido perfeitamente
a sociedade.
Esforcos da Directora
O presidente da sociedade nomeou am*
commisso para agenciar prendas e orgs.-
nisar un> leilo, que teve logar a 8 ae
Dezembro findo, rendendo 1225000 par
o cofre, pelo que digna de louvar a i<
ta commisso.
Instruccao
Ha actualmente a cargo desta sociedade
urna escola de instruefao primaria, fundi-
da na cadeia desta sociedade a 15 de Mas
50 lindo, e sob adireccSo do preso Joet
Ezequiel da Silva.
Recebem instruccao dez prezos, quatr?
dos quaes j lem e escrevem soffrive-
mente. A sociedade louva os patritico*
servicos do mencionado preso.
Servicos do sociedade
A sociedade confessa-se agredecida s 2-
lustradas redaccoes do Diario de Pernam-
buco, Jornal do Recife, e Rebate, pek
publicito de seu expediedte; aos distinc-
tos mdicos, Dr. Ferreira, pela operadla
aqui feita no olhos de urna crianca indi-
gente, livrando-a da cegueira, Dr. Caval-
cante Pina, e Dr. Pess6a de Araujo, pelat
constantes e promptos servicos prestados s
pedido da sociedade.
Cofre social
Xo corrente anno arrecadou-se 078:510,
despendeu-se 921:730 e fica em caixa a
saldo de 56:780.
Servico social
No dia 14 do corrente procedeu-se *
eleicao para a nova directora que tem de
de unecionar no futuro anno social q
corneja a l. de Agosto prximo e teraas-
nar a 31 de Julho de 1889.
Espera esta directora que a que Ihe swe-
cede faca o que humanamente estiver a sea
alcance para o engrandecimento social e fax
votos para que seja por ella exercida asa
mais ardor a rainha das virtudes, aCac-
dade.
A meus companheiros de trabalho se
aperto de mao em signal de despedida.
Sociedade de Beneficente da NazareSL.
81 de Julho de 1889.
O presidente,
Manoel Cabral de Mello.
Caixa Econmica lale de Sofr
corro de Pernambuco
Dlncele em 31 ae JijIo de
1689
CAIXA ECONMICA
Actiio
Thesouraria de Fazenda l,t"3:135Slj
Monte de soccorro c/ de passagens 146-
Caixa 31S*B
1,319:9S3/Sb1
Deposites em contas correnles 1,319:953*8
'*>.





Banco Internacional
do Brasil
Capital do Banco Es. 20:000:000*0
dem realiaado 15:000:000d0(
Fundo de reserva 350:000*01
Balando
DA CAIXA Fn.IAL EM PERNAMBUCO: "EJI tt
DE JULHO DE 1889.
^Icf'uo
Lelra descontadas 29S.780*891
Contas correntes caucionadas 1.387 091 M
Caixa?, Matriz e Filiaos 1 337.287fl3t
Diversas agencias 837.03SJHM
Valores depositados 993.094iSt
Diversas contas 40.07*3
Letras i receber 727.9569l
Em moeda corrente 883.470Jt
Rs. 0.303.7C373I
Passiro
Depsitos:
Contas correntes de
movimento......)l. 422.8925270
Ditas ditas rom'
SVisO...........I 349.243*470
Letras a premio... 1 2.3G6.8625130
-----------------4.138.999SS
Diversas garantas 99o.'i94*
Diversas agencias 51.120i9?l
Caixas Matriz e Filiaes 41D31M9I
Diversas contas 1 277.496*6


Rs. 6:o03.7637
S. E. & O.
Pernambuco, 3 de Asosto de 1889.
(Assignado) W. H. Welser,
gerente.
i .3. i-, Santot,
Ruarda-livros.
'
MUTHAIQ


*


Diario de PernambucoIJoining'o 4 de Agosto de 1*89
MONT! OBRO
.4*/
Empreti ii) .-obre penho
Movis
Apolicos da divida publica prona
ciai.
Desjjezas gera
Caixa
i
Patfitn
Capital
Gaixa econmicac dep
Saldos de peuhores vendido!
leilo :
dem iiiem presenptaa
Lucros e pardas
Juros
58.7T
6:126462"
1:000*000
11.148*295
1:396*320
178:442*158
17:
146:
2U
4B33t
au*s8
6:769930
3:788*010
17 S: 442*138
S. E. A O.
PeraauMuco, 2 de A
;osto de 1889
O gerente,
Felino D. Fereira Cotlho.
REVISTA DIARIA
K Jiiul D,i secretaria da l're.-ideaeia nos
foi remeltido para publicar o segniale aviso,
acoaipanhado do edita) do tbele de polica da
corte eobre crinas previstos ein diversosarti-
gos do cdigo :
. Cirsutur. -3' uefo. -mo de Janeiro, minis
feriados negocios da justic a, 17 de Julho de tfiSft-
Illm e Exm. Sr. Transmiltindo a V. Exc. a
copia junta do edita! hoje publicado pelo diere
de polica da corte a respailo da provoagao aos
c-iines- especifica lo?; nos arligos 68, 8o, 86, 87,
88 e 89 do cdigo criminal bem como do uso
de ar'aas aYfaaas. seiu licenca da competente
Mjto dos ajun'amenlos illicitos. recom-
mendo as necessarias providencias aura de se-
reiu prevenido-* r primides nessa provincia os
delicio* *-lvaios nos artigos 90, 297, 283, 286,
287 il.'; c Dlfcrt" i'-'"' r.ilu'1. lurounao
altea promotores pblicos, pura o dever
que llies iucatnbe de denunciar laes-dPimes, e a
das autoridades para a forma que Ihes cumpre
observar no aejo de dissolver ou desfazer as
reunin e ajontaniento* Hicitos, segundo foi
explicado e determinado na circular deste mi
.ni^terie, de 27 Deu< guarde a V. EneCandido Luz Ma-
ra de lUueira. Sr. presidente da provincia de
Peraamhu o
Polica di corte..Edilal.
. O Br. Jos Bisson de Miranda Osorio, ebefe
de p,licui da corte, etc., etc..
. Faz saber a todos que o presente cdital vi
rem oa dalle noticia tiverem que sero proces
gados pelo crime do artigo 90 do cdigo" crirai-
al os individuos, que na3 pracas, ras e outros
lugares pblicos, ou em preseoga dasaatorida
des deraoj riew repblica, morras manar-
ckia, vivas ao partido republicano, ou proferircm
ditos e phrases igualmente sediciosos.
Da mesma sorte sero ponidos com as pe
as do artigo 297 do citado cdigo aquelles que
forera encontrados com armas prohibidas, sem
que para uso dellas tenham licenca legitima-
mente concedida.
Finalmente se'o dissolvidos pela forma le-
gal os a junta meatos e reunies em lugares p-
blicos que tiverem por fim promover a realisa-
ftio dos actos comprebendidos nos artigos 28 >,
286, 287, 293 e 294 do cdigo criminal.
Df'tae, para (-(instar, se ex pede o presente,
quc-r anisado no lugar do costme e publi-
oado pela imprensa.
Corte, 17 da Julho de 1889. O chefe de po
licia, Jos Basson de Miranda Osorio.
Actos oflletaea Por actos da presidencia
da provincia de 22 de Junho :
Foi convocada extraordinariamente, por 30
dias, para 6 de Julho correte, a Assemblu Le
gislativa Provinial alim de tratar do projecto de
orgauv'to provin ial, que deixou de ser votado ni
sessao ila mesma Asseinbia, cujos trubalhos
terminara ni a 23 de Maio.
Foi reiulegrado oo cargo de prourador dos
feitos da azen la provincial o bacbarel Joo Fian
eisco Teixcira, sen lo do referido cargo exona
rado obacrfarel Miguel Jos de Almeida Pernam
buco.
dem o maior Leopoldo Borges Galvao Ucha
no de administrador da Casa de Detenco, (can-
do exonerado o lente coronel Agostiaho Bezcr
rada Silva Cavalcanle.
Foi noiueado o bacbarel Manoel Caelano de
Albuquerque Mello para o cargo de adjunto do-
promotores pblicos da capital, em substituigo
de Joaquim Thiago da Fonseca que foi exone-
rado.
Foi designado o 27 batalho de infanlaria da
guarda nacional da comarca doCabj para a elle
ser aggregado o alferes do extincto 54 da mes
ma arma.Maviael Marques da Silva
Foi prorogido por 30 dias o prazi para apre
sentaco de propostas para a fundacao de il en-
gentaos c niraes nesta provincia.
Foro nomoadas as seguintes autoridades po
liciais era substituigo das actuaos que licaram
exoneradas :
Fregutsia de S. Fre i'edro Goncalves do Rectfe
Subdelegado, Capito Jos Vicente Ferreira
da Silva Jnior.
Freguezia de Sanio Antonio
Subdelegado, Capitao Francisco de Assis Fcr-
nandes Van na.
Freguezia de S. Jos
l. districto
Subdelegado, Capitao Juvcnci i Aureliano da
Cuoha Cesar.
i." disliicto
Subdega lo, Capitao Joaquim Gomes Ferreira
de Sa Leilo.
Freguezia de Afogados
1." disfruto
Subdelegado, Hearique da Fonseco Coutinho
restricto da Magdalena
Subdelegado, FreJcrico Sodr da Motta ; 1."
suppleBte, Amaro Tavares Couliobo.
Districto do Peres
Subdelegado Luiz Bernardo Casteilo Branco da
Rocha. .
Comarca de taboatao
Districto de Tigipi
Subdelegado, Liberato Benicio da Fooseci
Lima ; Io. supplente, Audr de S Albuquerque.
Freguezia da Varzea
Subdeleaado, Francisco Goncalves Torres ; i*.
supplente Leopoldino Cesar de Souza Moraes ;
2. Eduardo Firmino da Silva ; 3'. Joaquim Fran
cisco Ribeiro.
TERMO DE IPOJl'CA
Delegado, capito Abdias Bibiano de Cunha
Salles ; i." supplente capito Augusto Cesar de
Andrade : 2. Ildefonso H.-nrique do Reg Bar-
ros ; 3." Felippc Manoel de Souza Leo.
1." districto
Subdelegado, lente coronel Manoel Felippe
de Souza Leao ; 1.* supplente capito Joao Leo-
poldino da Costa Albuquerque; 2 lente Emilio
de Mendonca Vasconcellos ; 3." tenente Joaquim
Julio Bezerra.
TEBMO DO CABO
Delegado, tenente coronel Braz Carneiro Lins
e Mello ; 1." supplente capito Leopoldo Augus
lo Cesar de Gusmo ; 2. Pedro Carneiro Leao :
3. tenente coronel Tliomaz Jos da Silva Gosmo
. districto
1. supplente do subdelegado, Manoel Fraucis
co de Barros Campello ; Manoel Caelano Gomes
Bom Jnior.
2." districto
1 supplente do subdelegado. Gandcncio Ro-
drigues da Cruz 2., Manoel Lourengo Alves da
Cunba.
3 districto
i # gupplente do subdelegado, Caetano de Car-
Taino Miraoda Vaiejo ; 2., Manoel Vicente de
Moraes ; 3.', Jos Pereira da Fonseca.
TEBMO DA ESCADA
i delegacia. Delegado, Romao Populo de
Andrade Lima; sapplenle, tenente Ar-
Tertuliano da Gama. .
. delegacia.Delegado, Dr Marciontllo da
Rocha Ferra* de Azevedo ; Io supplente, Ma-
noel Barbosa de Faria : 2.', Artbnr de Siqueira
Catalcante ; 3.', Domingos Regueira Pinto de
Souza.
I." districto da 1.a delegacia
Subdelegado, Sebastio Aires da Silva Filbo ;
I. suoplente, alferes Marcelino Peregrino de An-
drade Lima ; 2., alferes Bernardino de Senna
Ribeiro.
Districto de S. Jos da Boa Esperanca
Subdelegado, Jos Barbosa da Silva ; !. sup-
plente, Maooel Aires do Nascimento ; t.. Auto
nio C. \raujo ; 3., Miguel Bernardo Coe-
Iho (i
TBMO DE *AST0 AKTAO
I).-I-gado, tenente coro iel i'edro Secuadino
Barbosa da Silva ; i. supplente, Manoel Joa-
quim da Silva Cavalcante ; 2", SerahVo Wan-
derlev dH Silva Cavalcaide ; 3, Jos Maooel
de Mello.
1 o rlistiicto
I. iopplente do sQodelegado, Jos da Silva
Cavaloaate
! diUricto
SrtdWcgatlo. Jos Praxede* Xavier de Lima
3." di.-tncto
Sutdelegado alferes lom los Marques i
i." supplenU', lalio Pbssoi Gesar da CuiAa ; 2.*
los Cavahanle Je M
o. districto (Boto)
Subdelegado, capitao Maooel Felippe Santiago
Sinoru ; I-suoplente, Manoel Pasohoal de Li
a ; i.". J.jlUvJos Fraueisco de Albuquerque.
6. distrieto rrafwcura)
Subdelegado, alferes Jos Nunes i'avalcantc ,
1. suptrteote, Jos de Abroe Pereira ., Fran-
cised Tavares de Lima.
Foi anm-xa lo ao 4.' districto de Santo Auto,
denominado S. Joao dos Poinbos, o dislricto de
Cha Grande. i. do mesmo termo ; Qcando o 6
c 7.' com a classilicacilo de 5.' e 6.' e as deno-
ioorfcfl que ja leen de Boto e Tapacur.
Foi creado to termo de Liraoeiro om districto
policial com a denominacao de Cedro-, o qual
principia da pussagem Guia e pelo-rio Traca ,
iihem cima at ene mtrar a comarca de uonr; J
Jardnn, ratea lo parte de referido districto ledo Depots
o territorio pertencente ft mesma comarca ao
norte do Iludido rio.
Fontal nonieados para os lugares de subdele-
gado, 1." 2.- e 3. supplente d'aquelle districto
os cidados Florencio Manoel da Fonseca, Auto
nio Pereira da unha, Alberto Cesar Coutinho
e Jos Thomaa da Cunha Pedroza, na ordem ( ni
que vio col I oca dos.
Foram concedidos 30 tabellij da comarca de
Iguarass, capiio Luis B.indtira de Mello, 3 me-
ses de licenca para tratar de sua sade.
Para os ciistrictos Iliterarios uliaixo declara
dos foram Horneados os seguin^ps derogados,
taodo exoncradM* os atua -
Compota*
MWor Joao Manoel da Silva Carv'aliio.
Altmho
Teen i e-coronel Brasiliano e Barros Correia.
Floresta
Io districto '
Tenente coronel Fausto S.-raphico- de Souza
Ferraz.
Agua Preta
nandes, Guilherme Pinto
()/7Vi-aa-evido a gem
celn'ii -' l volume brocliatfl^
Jalio Pires Ferie
ii Sr. orador communicou que e
convite qua sociedade dirigi o
nefleente dos Officiaes da Guarda
Gabinete fez-se representar na 8
na deinstallai
Tratou se de Uversos asiumplns
fasta aniversarra h reaiiser-se
radte, en cerra nd*>ee a ?eeee *
tur.i .
e<'iirHrln dte Timunr*
ciaci no ultimo amt Wtdovt
amiivei-s.irio, por m% de ana


II
Basa jaso-
numero de earailMirM da
i|ue assistio gran N
11 le nazarena.
Foi presidida a sesso peto mep'-cMvr
lente. Dr. Maooel iMxaI d*lsy eni 8;M3-
raa eessao berta ir sem do liTBHW 31 tffr Jothj,
tocado pela banda marcial 22 de NV/vembro.
Apos a leitura do relalorio pelpcesi leij^, le-
ve a palavra o respeetivu orador: ao q
guiram se outros S'iihores na tribuna, teBBMMMJ
do a festiva solemnidade s 9 i/ horas da
AMnAMinato Moa tora, cerca di
da noite, Marcellino Jos do Patrocin
gusto, conhecido por Agostinho Ti
foram juntos beber na (averna de
deso da Silva, sita no predio n. 1-A <
uta Rita, canto do largo do Merca"
rio
co Lopes Crdirn.
Alvares Quental.
izio a accuL'-a;o o Dr, 2o promotor, Ma-
Oaetano do Albuquerque Mello, que pedio a
eoodemnacao do reo Cypriano no mximo do
art. 193 do cdigo criminal, e da r Antonia, no
mxime do mesmo artigo combinado com o art.
33 do dito codgo.
Oc.cupou a'lnbuna da defeza o acadmico Ma-
ooel Lopes Ferreira Pinto.
I) confuriuidade com as decisOes do jur?, fo-
bsolvidos, apptilando oDr. juiz de
direito, presidente do jury, da clecisao relativa
ao reo Cy] i.io, pira o saperior Tribunal da
Relaeao.
Ternn julgamenlo as i e mcia hars
da larde. -
i adiada a sesso para.amaflba.es li) horas.
llo.iifteajr-;jiiej|.aai--seaao osaegumies :

Ooaego IJaliuo Feraaales de Souza.
i" e 2o do Serlaozioho
Antonio Sergio Marroquim e capilo Manoel
de Souza Deo.
Helio Jiir-dim
Capito GauJencio Rodrigues de Araujo.
Foi exonerado do caruo de promotor publico
da comarca de Salgue i ro o cidadao Romio Pe-
reira Fdgueira Sampaio.
Foram nomeados para os cargos de promotor
publico das comarcas abaixo declaradas, os se-
guintes cidados, e.n substituido dos que exer-
ciam estes cargos, os qoaes ticam demitlidos :
Pao d'Alho
Bacbarel Marcoliao Ferreira Lima
Cmara
Bacbarel Ricardo Pereira de Faria.
tirejo
Racliarel Eutropio i'ereira de Faria.
Palmares
Bacbarel Eutropio Goncalves de Albuquerqtie
e Silva.
Foresta
Firmino Gomes de Menezes.
Borraire
Baeharel Ayres de Albuquerque B dio.
Rio Formoso
Bacbarel Francisco Santiago Ramos.
Taquarittnga
Bacbarel Tobas Gabriel de Olivira.
Cimbre*
Bacharel Herculano de (Miveira Torres Gal-
lindo.
Wubelesaciu de poliriu Enlraram
emexerciciodas subdelegadas do d stricto de
Timbanba c dos i", 2, 4* e 5o do Bonito, para
os quaes foram nomeados, os Srs. Manoel Do
mingues Dias de Queiroz, Joaquim de Barros e
Silva, Maooel Bezcrra'de Vasconcellos, Joo Cor-
reia de Melto e Amonio Marlins Chaves.
Delegad* de polica Tendo sido no
meado delegado de Caruar o Sr. Antonio Joa-
quim Coelln dos Sanios, assnmio o respectiva
exercicio oo dia 29 do mez lindo.
Furlo-EnTimbaoba, noite de 2 do cor
rente, penetraram alguos ladrOes oo armaiem de
di -psito de mercado ras do Sr. lzidoro da Cu
nha Cavalcante, e dVhi subtrahiram 58 couri-
ubos.
A autoridade procede diligencias para yeri-
hcar qual ou qoaes foram os autores do delicio :
pois, p-aticado este, poderam a salvo pr-se ao
fresco.
Cirande roncerloTeve lugar hontem,
nos sales do Club Carlos Gomes, o que foi pro-
movido pelo barytono Caraoletti
Fregueala da <-vista Na qualida-
de de 1 supplente, assumio o exercicio da sub-
delegacia dessa freguezia o Sr. capito Manoel
Gomes de Figueiredo Castro.
l'Hrinha de mandivoa S. Exc. 0 Sr
conselheiro presidente da provincia oacaba de
ofliciara ao Sr Dr. inspector do Thesouro Pro
vincial no sentido deste providenciar, para que
tenha despacho i farinha de mandioca, que
vinda de outras provincias com destino diverso
desta. lenha de ser baldeada ou depositada sob
esta clausula naslarraazens da Alfandega.
Visita presidencial -S. Exc. O Sr. COO-
selheiro presidente da provincia, acompanhado
de seuoflicial de gabinete, percorreu hontem, 3
ti horas da raanha, lodo o edificio da Faculda-
de de Direito.
Entende S. Exc. que o edificio est em mas
condicoes e sem accoaimodacoes apropriadas
para o importante fi:n a que se destina ; pelo
que de urgente neces rida le a costracco do
novo edificio.
Em seguida S. Exc, visitn a TbesOurana
Recebedoria, Correio, Caixa Econmica e Asso-
ciayao Commercial, onde assegurou a digna d|-
recloria que tomara provideucias sobre a sahi-
da de farinha vinda de outras provincias, faci-
litando o expediente que ficar a cargo do ins-
pectora daj Ifaadega.
Tambem visitou a Alfandega e dahi, com o
Exra. S*. BarSo de Sjuza l^o e guardamOr
foi ao forte do Picio.
Folgamos que S. Exc. procure por si exami-
nar easaa repartigSes e conhecer o modo por
que sao ellas dirigidas, raostraedo }lo e acti-
uidade.
Sobre encentaos centraesPelo mi
nisterio da agricultara foram a informar ao en-
genheiro fiscal do Io districto de engenb03 cen-
traes as petises do commendador Fructooso
Das Alves da Silva e tenente-coronel Jos Tlio-
maz Machado Portella, referentes a deste ga-
ranta de juros para o estbale cimento de ura
engenho central no municjjijo de Muribeca, e a
daqnellc a revogacio do decreto n. 10,260 de 28
de Juuho ultimo.
Igual.ninte foi informaco do eugenheiro fis-
cal do 3 dislriclo um requenmento de Francia
co Ignacio Ferreira, que nropoe-se a estabelecer
um eogenho central as freguezias do Engenho
Novo e Inhamas, no municipio da corte, sera
garantas de juros, mas mediante outros favo-
res. ,
Foi declarada caduca a concessao Julio Ce-
sar de Berenguer Biltencourt Jnior e Manoel
Mara Babiana para fundacao de um engenho
central no municipio de Santo Amaro, provin
ca da Babia.
Por decreto n. 10.271$ de 20 de Julho ultimo
foram approvados os contractos celebrados por
Joaquim Ignacio Pereira com.diversos plantado-
res de caonas aos dous engenhos centraes que
no municipio de Cear-minn, provincia do Rio
Grande do Njrte, devera estabelecer aquelie
coocessionario, na forma do decreto a. 10,235,
de 22 de Abril prximo passado. mediante a ga-
ranta de juros de 6 por ceato ao auno sobre o
capital de 1.150:0)0*000.
luattlnete Portuguez de Leltara
Na 13" sesso ordinaria da directora, realisada
no dia 28 do mez lindo, foram propostos e ap-
provados 18 socios, sendo :
AcctonistatOs Srs. Jos S. Cardoso Pimeolel,
AntonioC. Mello, Francisco A. Lopes, J. Ramos
d'Oliveira Jnior.
SubscriptoresOs Srs. Joo do Livramento, A.
Dallas, H. Permano, A. Monteiro A. .Sobrinho
F. Souza Nogueira, E. Dubeaux, F. Araujo,
Tenedora Just, E. KaufTmann, Ananias G. Coim
de terem saciado a sede c t
o b clio, sahiram ramaradescamentc. mas aubo
fortemente trucados. E, no referido largo do
Mea-nio. patarra nuxa palavra, travarara lu'
la, da qual sabio Marcelliiio Jos do Patrgfij
mortalmeute ferido cem urna eslocada
muerdo.
Agostiojio Tingue-tingue, o ci-i;iiin>
mora narua das Jangadas, da paroelria. le S.
Jo-, cvalSo-se apos o delicio.
i) ferido, Marcelliuo do Patrocinio, mjaidor
na ra Imperial, foi levado-Tiara a pharu^ "**
Visconde de Inbama n. i, oiide, 'n-
is de chegar, expiroo.eeclartndo ceies*,
perante diversas testemunhas, que mra
por Agostinno Tingue tingue, fllho de Jo-
_. bocio.
O corpo dd*iafoliz foi levado para a matriz de
S. Jos, onde tem de ser hoje vistoriado.
' A polica pz-se no encalco do assassino,
que. como a victima, pescador de officio
criados de servirO ministerio lo im
perio, em nprtaria de do corrale mez, de-
clarou & lilma. cmara municipal, em solijco do
ofllci de 10 do crranle mez, relativo coove
nieaelade ser qnapto antes approvado o Hoje-
lo de postura sobre ciados de servir.-Jrolmelti
do a consideraco do governo com omei de 17
de D.'zerabro do anaopissado, que e.Hea*sump
lo pende de parecer ais secces reurtilas do
imperio e justica do conselho Je estado, jonsul
tanas por avisodc 22 de Abril ultimo.
Revista Sportiva -Sabio luz c 1" nu-
mero dessa revista, propriedade do Sr. Manoel
Lyra.
A respectiva rednero d como niies ictuan-
tes do apparecimento da Recula Sportiva as fe-
guites:
Procurar inlroduzir nos nossos prlo as re-
fjrmas de que" elles Unto precisao ; dar una no
licia exacta e circumstani-iida dos foetcs roais
salientes do mundo sportivo; guiar os apostado
res da modo que elles possam contar cem o
maior numero de probabilidades em seu favor;
incutir no espirito dos criadores da proviic.ia as
vantagans sob todo potito de vista raultipUs, que
Ihes possam advir do cruzamento da racacaval-
lar c sobreludo salientar a conveniencia la mo-
ralidade das corridas, como ejemento majs favo-
ravel ao seu engrandecimeato: tal o noiso de-
sejo.e ser o nosso (lia si merecermos a eaAo do povo pernambucano.
Que consiga seus tins, ih'o deseja:nos, ainda
que tealiamos apprelieasOcs em coulrarb. No
eiilretanlo^ saudamos ao collega e agradceaios
o exemplar que nos fui otfertado graciosamente.
Club Republi<-ano Frci Caneca-Re-
une se boje e-se club, pelas 10 horas Jo dia,
para tratar de assumpt de importamiasocial
ra do Visconde d'Albuqucrque n. Vi.
Circulo CalholicoFaz hoje.. s i horas
da noite, a sua 6* conferencia es%B circilo, oa
sede social ra do Viscoode do Rio Branco n.
37, 1" andar.
E' orador o Rvm. vigario Augusto FnoRliu
Moreira da Silva.
A entrada franca.
Cousas do CorreioO digno SI. admi-
nistrador dos cerreios desta cidade._aejptiio
da noticia a que se refere, teve a bondade de
darnos a infbrm ico constante da carta, que
abaixo inserimos integralmente, e na qual ex
posto o que occorreu com demoustraso da cor-
reccao do procedimento daquella repartijo :
Administrarlo dos correios de Peroambuco,
3 de Agos'.o de 1883. Srs. redactores do Dia-io
Pernamfyieo.- Deparando era sua Revista de ho-
je, sob o tituloCousas do Correiocom a aecu-
saco que Vv. fazem por nao ter sido pago ao
Sr. Antonio Leonardo Rodrigues um vale postal
eraittido pelo Correio da Parahyba, da importan-
cia de 5#000 pagavel ao mesmo senhor, julgo
necessario esclarecer-llies a respeito, visto como
a injustica de que alvo esta repartic&o, creio
ser devida informacOes incompletas.
Eis as leas de araoha em que se erabaracou
esta re par ti cao: 0 correto, como nao ignoram
Vv., paga aos porta lores de vales, segundo os
avisos que Ihe sao enviados pelos correios qu
os emittem; o da ParahyDa emittio e expedio o
conveniente aviso, sob n. 312, de ura vale da
importancia de 50W00 pagavel a Geminiano
Monteiro da Franca, a quem foi paga hontem a
referida quantia; mai.s larde, porm, apresen-
ta se o Sr. Leonardo Rodrigues com um vale
lambem da Parahyba, com o mesmo numere e
da importancia de 53000. cujo pagamento nao
foi possivel realizarse, nao s por nao existir
aviso em duplicata, sob n. 312, em favor do
mesmo senhor, como porque o aviso n. 311, cu-
jos dizeres combinara com os do vale n. 312 em
poder do S-. Leonardo, se acha com o numero e
quantia em algarismo emendados.
Em virtude das condices era que s^acha o
mencionado aviso 31t, o pagamento s rodera
ser teito depois que o correio remetiente aer os
esclarecimentos que por telegrama Ihe foram pe-
didos.
PelagwHetu*iii"i:>,3 H awa, a ra Marqaez
fle OlinJe n. 5. de fazen las e camisas.
Terca-
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, na traves-
ea do Corpo Santo n. 27, de gneros de estiva.
Pelo agente Stepple.s II oras, ,rua do Im-
perador n. 39, de urna casa.
Palo agente Gusmao, s 11 horas, rma da
Saudade n. 3i, de piano, movis, espelhos"' etc.
Miaas fttneorns-Sero celebradas:
Amanh :
A's 7 horas, no convento da Carmo e s na
matriz de S. Jos, pela alma do commendador
>ul Gamillo Pires Fatco ; s 8 horas, na
Ordem 3' de S. Francisco, pela alma de Jo3
Antonio Vieira ; s 7 horas, na matriz do Cor
po-Sanlo, pela alma d.c Francisco Teixcira da
Silva.
Terca, foira :
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, pela al-
ma do bacharel Jos Eustapiio de Oliveira c
Silva; s 7 horas, na igreja da Santa Cruz,
pela alma de Emilio Carneiro Machado.
PasaagetroaSalidos pira os porlos do
norte no vapor nacional Jaguaribe : -
Dr. Francisco Xavier de Lima Borges, Manr>l
Bento Fernandes da Rocha. CassianoPereira de
"Castro Barbosa. Jo5e Goncalves Torres,jGurlps
M'dicl, Lulz Colho TWles, Miguel Fenrlndes
PimTJta, J. M. C. Bezerra Cavalcante e Francisco
B. Cavalcanle.
nlrectora das obran de eouser*a-
eodos Portdade Peraamhaco- Reci-
'K 2 de Agosto de 188?".
Bolelim meteorolgico
1 "a i'.as 3g Barmetro a 0 Tenso do vapor s o -3 5 X
ra. 9 <3 371. 6 24*-6 6--5 277 28' -1 2'- 4 762-90 7d3"G4 763-03 761-47 762"i8 18,73 18.57 18,76 1812 18 88 80 71 67 03 74
Temperatura mxima28,25
Dita mnima-24".50.
tvaporaco em 24 horasao sol: 7".6; a sona
ara: 3*3.
Cbuva Xulla.
Dlrecco do vento : SE de meia noite s 2
horas eoo minutos da tarde; SSE at 6 horas e
15 minutos*; SE at meia noite.
Velocidad media do vento : 3",25 por se
Nebulosidude media: O.oi
Bolelim do porto
SI L2 Dia -lloras Altur:
P. M l M. M 2 de Agosto 3 de Agosto 733 da -manb 2-19 da tarde 8 -19 221 da raanh 2-.2S 0-67 2-11 0~;55
Operacdes cirurfficaa-Foram pratica-
rdas no hospital Pedro II, as seguintes :
No diat*:
Pelo Dr. Malaquias:
Oscheotoniia e castraco do testculo esqoerdo,
indicada por elephantiasis e hematocele do les-
ticolo esquerdo.
No dia 3 :
Pelo Dr. Pootual:
Talha penneal pelo processo de Nelaton, indi-
tada por calculo vesical.
Ampulaco do pe.iis pelo processo de Guyon,
indicada por epitelioraa do penis.
Pelo Di. Berardo :
Extraceao de catarata seail dar pelo proces-
so de Wocker.
Pelo Dr. Aroobio:
Hydrocele pela punco e injecflo iodada.
Palo Dr. Fernandes Barros :
Hydrocele pela icjecco iodada e punjo.
Casa de DetencoMovimento aos pre-
sos da Casa de Delenco do dia 2 de Agosto de
Existiam 436; enlraram 28; sahiram 18; exia-
tem 446.
A saber :
Nacionaes 399 ; mulheres 21; eitrangeiros 26.
Total 446.
Apracoad08 390.
Bons 373.
Orientes 13.
Loucos 3.
Louca 1.-Total 390.
Nao houve alteraco na enfermara.
CenaHerlolpublicoObiario do dia 2
de Agosto.
Thoma* da rosta Ribeiro, Pernambuco, 36 an
nos, casado, Boa-Vista, meningo encephalile.
Vicencia Francelina de Lima, Rio Grande do
Norte, 36 aaiios, viuvo, Santo Antonio ; pneu-
morrhagia.
Manoel Jos MalheiroaBraga, Portugal. 52 an-
uos, soltero. Recife ; gastro hepatite.
de Mendonca Carneiro da Cunha,
Joaquina de Mendonca
a Vv. queoSr.Leo-^Krna^-^; ?s' ra8ada- Boa-Vista
i.,na,. mmn,j Pneumona tubercnlosu
nardo Rodrigues no se entendeu commigo a
respeito do assumpto. o que aliis teria o mesmo ,jf,! ,"',,,"l
"te!"nc?,%meSrabuco, 10 dias, Boa-Vis.a; ce-
Graciliaho, Pernambuco, 50 horas, S. Jos;
c obrigado criado. Affonso do Reg Barros
Reuiiiao social Ha boje asegnte:
Do Monte-Pio Typugraphico Peraamodcano, is
10 horas da manh, na sede social ra do Co-
ronel Suassuna n. 41. 2o andar, em assembla
geral extraordinaria,
Banco de Crdito Real de Pernam-
bucoEste estabelecimento baflteario esta pro-
cedendo realisaco da 6* entrada do valor das
respectivas acetes, razode I >%, a qual deve
ser recolhida ao mesmo Banco, no predio n. 34
da ra do Commercio.
raaandade do Espirita antePara
os (los do art. 83 do respectivo comprom;
ir.naiidade do Divino Espirito Santo rene
boje, s 11 hora3 do dia. no consiatorio^la mes
ma irmandade.
Correio da Europa Distribuio-se nesta
cidade o n. 15, de 17 de Junho, do Correio da
Europa, revista quinzenal que se publica om
Lisboa, e da qaal agente aqu a Livraria Con-
tempornea.
Tribunal do Jury do Recite -Func-
cionou honlera este tribunal sob a presidencia"
do Dr."Moatenegro. juiz do 3o districto, no jul-
gamenlo ilos reos Cypriano DilB do Espirito San-
to e Antonia Mara do* Nascimento, pronuncia-
dos, aquelie no art. 193 do cdigo criminal, e
esta no mesmo artigo combinado com o art. 35
do dito cdigo, por havero primeira, no da 6 de
Janeiro de 1888, no lugar Sallines; freguezia da
Boa Vista, ferido a Esteva) Freir da Boa-Morte,
que, em consequencia do ferimento fallecen dous
dias drpois, tendo a r Antonia coocorrido di-
rectamente p ira a pratica do ijrirae.
O jury de sentenca compozlfe-dos seguintes
juizes de facto :
Manoel Amando L-'bo Gomes.
Antonio Joaquim Lopes de Carvalho Jnior. ]
Antonio Pereira Bastos.
Joo Carneiro da Silva Reg.
Dr. Joo Vicente da Silva Costa Jnior.
Dr. Ovidio Ferreira da Silva Jnior,
(iedeo Forja de Lacerda Janior.
Dr. Jos Marcellino Rosa e Silva.
Jos Chrispiniano da Silva.
Epaminondas Pinto Baodelra Accioly de Vas-
concellos.
pbatomia.
Francelina Mara Vieira, Pernambuco, 40 an-
uos, solteira, Boa-Vista; diarrha.
Joaquim do Carmo Maciel Monteiro, Pernea)-
buce, 51 annos, solleiro, Boa-Vista; tubrculos
mesentericos.
UM POUCO DE TUDO
brar um espetho em presenga de .algumas teste
mnnhas.
Algumos tribus de in los da America costu-
ra! m nresenleafcora un urna va-a cada urna
das testiMiur.rfTs do seu matrimonio, bstanlo
quebrar esta3 vacas pira se eon8iderare.ni divor
ciados.
No Turcoraan, se ura rairi lo ao coaceder li-
cenja a sua esposa para sahir ra, nao Ihe
disser que esp.-ra o seu regresso, ella constde-
rase legitimaneate divorciada.
Ni Siberia, a ceremonia do divorcio consiste
en arrancar o veo ao cnapUpe un a m lh r.
Em Siam, perroitte-se o divorcio ; todava a
primeira espo.-a nio rile ser. vendida amo aa
outras, c lera o direito de ievar comsigo o seu
lilb) maisveilij; os outros perteTcora ao mi- i
riil i.
Entre os mouree, a roalher casa la fue ai l '
iiver lillios varOe.4 po le. sur repudiada po- seu !
eaposo, que pola coatrahir novo malriraoni >.
Os habitantes das regidas rticas, quan li qu ;-
rem divorciarse, retirara-se enfadados de suas
casai, e, se durante algosa dias tio regressam,
a mulher abandona o lar domestico, consideran-
do se divorciada.
Segundo a lei da China, tolo o caso de crimi
nahdade, desgosto mirtno, ciumes, incompatibi-
lidade de caracteres e demazia de loquacidade,
sao considerados cimo sufiicientes para ontorgar
o divorcio. .
posteriori veio a reconhecer, que o eclipse fra
determinado por inclinaco da trajectoria do
carro de Apollo n'aqoelle dia. De modo qae, fra
da sonda ordinaria, achou a nova obstruida pela
presenca dessa principe indio, cujo temperamento
asitico n5o aolfria a ausencia 'la princeza de
'ardoviile. a quam por al procurara, saudoso
da corada maguido Campo Grande
E clierchez la femtne, quem o t ribo fe victo-
rioso.
**
E pira a corrida de hoje no* tkrby, offereee-
mos ao publico os nossos
Palpites
1' preo1.. Esquimo-2. Humildeazar,
Siroco.
2." pareo1., Ruy Blas2.- Risette.
3." parco -1.-, Village-2., Snecaazar, Cy-

limites do
E' muito conhecida a queso dos
Brazil com a Guyana Franceza.
Para nao recordar successos mais remotos, li-
mitar-nos hemos a lembrar que, estipulados a
3 de Julho da 1841 entre o Brazil e a Franca o
slata quo a a stuago neutra do territorio liti-
gioso que demora entre o Anap e o Oyapock
debalde negociaces foram entaboladas de 1833
a 1867 para chegar coaiposigo definitiva, sen-
do represen alo o Imperio as conferen'iaa da
Paris^elo nosso eaBineote compatriota Visconde
de Uruguay, que altas provas deu ento do saber
e do patriotismo com que se esmalto! toda a sua
loriga vida publica.
Ha tres an ios. os goveru* do Brazil e da
r*"tgaca luweraui por jo;ipor;uuo considerar de
BOTO a rfiocrastinadapen deacia,
-ancez
Recebid do governo francez urna proposta,
offereceu o do Brazil coutra-proposta, a res- *e opposico ao governo liberal
peito da qual nao se pronunctou anda o da
Franca.
Tal o estado d'esta questo, na qual, como
se v, o governo imperial nao sC acha em mora.
*
#
E' do Sr. G. esta poesa
(a faxdekxo)
Delem teus olhos, mirena,
Que m'cnlouquecem demais I
Brilham, fascinara, e:i :antam
Olhos assim bem (Mane t
Eu era irisle, esquecdo,
Sem saber de parria e lar,
E tudo e lado aprend
as chara-nas d'u:n KM olhar!
Nao queiras, pe' Daus le peco,
Que me transime a razo
Este o'har que tu me laucas
Cneio de fasckwco !
Delem teus olhos, morena.
Ai teus olhares detem !
Pois que sino m'enlouiucces
Co n teus olhares, meu bem !

* *
El Guia de la Salud de Sevilha em um artigo
muito sensato, chama a" altengo dos cabelleirei-
ros e seus freguezes para um sera oumero de
enferinidade3 a que estes andam sujeitos, pelo
facfo de servirem a inuitos os instrumentos de
que aquelles se servem.
Reconhecoado quanto a lirapeza e o aceio vo
penetrando as casas de barbeiros e cabellei-
ros, comparativameate cora os velhos processos,
em que a cara doTreguez era uraa caveira que
o barbeiro cnsaboava cora a mo e rapava, niel
tendo-lbe o^ dedos aa bocea, nae podemos dei-
xar de confessar que no tocante farramenta
ainda muito pouco respeitada a hygiene.
Assim vemos, que urna navalha, um penle,
urna escova acabam de servir porventura a uai
tinhoso ou leproso, para servirem iramediata-
mehte aos outros freguezes.
E' essensialmeatc deste ponto de que o refe
rido jornal se ocenpa. Baora o m de evitar
os rainifestos inconvenisnles desta communi-
dade no servigo nos instrumentos aconselha o
referido peridico o seguinte meio alias facilirao
de por em pratica. Consiste elle em desinfectar
as navalhas, os pentes, as tesouras e as escovas
n'uma soluco anti-seplica todas as vezes que
acabam de servir; e indici as seguintes recei-
tas, que temos por convenientes e econmicas :
1 agua quente 1,000 grammas. acido brico
50 grammas; 2 agua 1,000 grammas. alcool 70
grammas, bichlorelo de mercurio 2 grammas.
Para obter a desinfeceo basta immergir os
instrumentos em urna deslas soluces por al-
guna segundos, eenxugalos depois em urna
toalha limpa.
*#
A populaco de Faris parece que augmentou
de melade, agora por occsiSo da exposico, as-
sim o leva a crer o accrescimo de consumlos
alimentos mais importantes.
Em 11 de Juaho de 1868 consumiram-se
109,000 kg. de carne de vaca e em igual dia
deste anno 158,800 kg.
Em relaco a outros gneros na anda as se-
guimos indicacOes que confirmam aquella con-
clusao :
Aves 29,900 kg. e 38,000 kg.
Peixe 28,900 kg. e 38,000 kg.
Leguraes 423,403 kg, e 1.051,600 kg.
O consumo dos ovos a da maateiga que di-
rainuo coosideravelmente, mas, em compensa-
rao a chaiculerie augmentou de 500|0.
Faci ainda para registrar o seguate : ape-
lar deste accrescimo aotavel da populacSo o
numero de obilos tem sido inferior aos occom-
dos em igual periodo do anno passado.
ciorre.
4." pareo 1."
Apollo.
. 5. pareo 1.",
Tiiisbe.
6. pareo 1.,
azar. Ernuni.
Diana 2, Vesper azar,
Bisraark 2., Breasazar,
a*
_
Sephan'e 2., Africana
7.' pareo1., Pilheria2., Borrachoazar,
Capeta.
Os
GOHMDHICADOS
O governo liberal
escriptores do Jornal do Recife, abusando
de una rhetorica alambicada que az recordar
antigs usancas, team frito cabedal de uns ba-
fejos da..imprensa neutra da rorle proposito
de algomas medidas administrativas, c teem
Hroado co e trra cora os seus bosanas falta
SPORT
do.ganho, 15o fagueira.serapre, I*-
Pois bem, mirera-se csses escriptores no es-
pellio que-'agora Ihes offere empreslirao ao Paiz da corte, de 27 de Julho, e
digam-nos depois que tal Ibes paree* a iraagem
que ah relectida.
No artigo do Paiz dase urna synlbese do que
tem sido e do que promelte ser o governo liberal,
e essa synlbcse nao precisa de commentarios.
Eis o artigo do Pan :
Beacoxsfisld.
E' conhecido o adagiose queris ver o vilo
ponde-lbe a vara na rao.
A quem quizar leruma nogo perfeita do modo
pelo qual se entende a liberdade no Brazil, bas-
lar-lhe ha vcl a praticada porum governo liberal.
O partido que assim se denomina s pode alle-
gar como nica virtude : a sua coherencia, isto
, a coherencia as suas incoherencias, na sua
perpetua negaco, quanclo no poder, dos prin-
cipios por elle proprio proclamados quando na
opposico.
O espectculo que hoje observamos o mesmo
que observamos hontem e que observaramos
ainda, no futuro, se nao fosse este o ltimo es-
tadio do partido, que se diz liberal, na evoluco
poltica da sociedade brazileira.
Fiel sua origem e s suas IradigOes, o par-
tido que, pela conspiraco ulica, fez a revolu-
ro da inaioridade, o mesmo que boje, ainda
inspirado pelos meamos intuitos, trama urna
nova conspiraco contra as liberd-dcs publicas,
fazendo urna nova revoluco em beiielicio dos
interesses dynastccs, aos quaes subordina todo
o programmii da sua nova poltica.
Nos dizemoso partido liberal e quasi que
nos arrapeademos de assim expor conde.i na-
co da historia a reprovago da consciencia
publica um grupo numeroso de ompatriotas
nossos, sobre o qual recae e tem recado a res-
ponsabilidade das diversas sitoates creadas ex-
clusivamente pelo pequeo circulo da olygarcbia
senatorial, onde se agrupam e aconchegam os
chafes ambieiosos ou trefegos, cujo nico ideal
a posse do governo, pelas boas gracas do su-
premo eleitor dos ministros, nao para realizarcm
ideas, mas para usufruirem e flistribuirem pelo
squito os proventos e os privilegios ligados aos
cargos pblicos.
Na larga historia poltica da nossa nacionali-
dade nao se aponta uraa s reforma liberal effec-
tuada por. liberaes! Em compensaco nunca,
sob o dominio dos conservadores, o espirito
autoritario e o conservatorismo reaccionario se
assignalarara tanto quanto se assigoalam e se
lera assigoalado nos periodos da governaco de-
nomiaada liberal.
Cada liberal do governo, ou exerceno qual-
quer parcela do poder publico, ordinariamente
o reactor mais violento e o corapressor mais des-
abusado.
Desde os ministros que pretendem annullar a
garanta do habeas-corpus at os subdelegados
que decretam a proacripeo das laranjas, como
fructos incitadores do espirito sedicioso entre os
estudantes, o typo liberal autoritario sempre o
mesmo.
Ao sul e ao norte a seoba liberal a da com-
presso da liberdade por todos os modos, desde
a araeaca pelos processos at s jornadas mas-
horqueiraa efectuadas por capangas assalaria-
dos, munidos de salvo-conducto fornecido pelas
autoridades policiaca, e utilisado como instru-
mentos de terror para impor-se a paz e a ordem
na Varsovia americana, ueste periodo critico de
agitago republicana" e da proximidade da elei-
go geral dos deputados que devem todos vir
convenientemente sellados cora a eatamprfua mi-
nisterial.
Tal a ndole do partido liberal no governo e
tal o programma que eat sendo desenvolvido
pelo ministerio actual sob a Presidencia do il'us-
tre Sr. Visconde de Ouro Prelo.
Desta vez, por conssSo do profiri eminente
estadista presidente do conselho de ministros, o
programma poltico do gabinete est reduzido a
urna simples empreitada dynasticaa de abafar
o espirito republicano, que, oa opinio de S. Exc.,
est lavraadacwn grande inlensidade como um
incendio e estendendo-se cada vez mais pela a*t-
A armada franceza, que se afundou na baha
de Aboukir em 4 de Abril de 1798, compunha-
se de muitos transportes, a bordo do3 quaes se
Espirito Santo rene se acQavam oa Ihesodros provenientes do saque da
lha de Malta, alm d 80 milhOes em ouro, des-
tinados ao pagamento das tropas francezas.
Estas riquezas esto ha noventa e um anno no
fundo do mar, mas a esperanca de as rehaver
nao se perdeu.
Uma companhia inglea acaba de se constituir
para as salvar, para o que adquiri urna con-
ceaso dada pelo governo egypcio a M. Abid, e
Irez hiates Vtolette, Whitworthe Lady Ambrodna
foram mandados p ra as aguas de Aboukir, com-
mandados pelo capitao Ponsoby, ex-ofBcial da
marioha ingleza.
As sondagens j comecarara. e^lorando-se o
navio almirante Orient, o Maza-Mmdo e a Junon
e j se encontraram caixas com aniBites, orna-
mentos de egreja marcados com a cruz de Malta
e urna magnifica espada de oficial superior, pela
qual um amador parisiense offereceu a M. Adib
2,500 francos.
O capito Ponsoby conta com um xito com-
pleto da empresa.
Offerece algutn interesse o conhecimento das
leis qua regulara' o divorcio etn alguna paizes
pouco civlisados.
No Indosto, por exemplo, a causa mais tri-
vial suficiente para promover o divorcio, po-
dendo os esposo tornar a casar.
No Tibetf Basta que ambos os esposos o dese-
jem, mas nao e ibea permute que tornem
contrahir matrimonia.
A esperanca ..
converteu-se no desengao da perda, to duro
de suoportar.
Em um instante a animacao ceden o lugar ao
desanimo to iotenso quanto o iosuccesso nao
era provavel; to acabrunbador quanto a perda
se eregia de sobre um ganho hvido por ma
tbemalico, impoesivel de flbar em condifies
oormaes e de moralidade vulgar.
E falhou I
E esse publico que to fcil em construir
castellos... em Hespeoba, nao se avisa d que
ha urna communa deamiidora dos raesmos caste-
los, n'um momento ou da ante-mi, cerno deu se
com esse apollineo contra o qual em buhares se
tramava e se assentava sobre os mejoe de der-
rocal-o !
Diana a cagadorafoi escolhlda para apanhar
a caca ; e bem a apanlnu, toda na toca, era re-
dea metallicas de 60Hos de poules.
Ser real que um s matou a dous, de embos-
cada n'um buhar, donde vieram 300# para com-
pra de armas fratricidas ? ,
Taetos banhos j se tem proclamado repetida-
meate Mais ara nao pode levar a esse extremo,
e menos produzir a aapbyxia por subraersao,
quando ao banhado nao falta o folego, tem trez
bofes, e os dias se saccedem, mas nao Be asse-
melham.
*
# a
no Pind hippico do Prado,
luz da constellacAo Diana-
0 louro .4po//o,
deixou-se offuscar
Stephanie.
0 sol do syalema planetario dos hippodromos
desta cidade, em seu gyro encentrou obstculo
no proseguimento delle, eatacou na carreira,
entrou n'uma penumbra e aasim cobrio a trra
do turf de sombras.
E fez se a noitea treva succedeu luzum
eclipse se manifestou. total em perda paraos
mortaes a quem illuminava no homispheno do
Prado. ,.
Os astrnomos, porm, em seua eatudoa nao
tinham alcancado esse phenomeoo sidreo hyp-
pico. Nem Ayer, nem Bristol, em seus alma-
naks, o tinham prenotadoa elle, o tal eclipse.
No entretanto, o reverendo Socchi, por urna
hincaioa a ceremonia consiste em que serie de investigacOes astronomico-bippicas
lodos' os mejoa
Para dar cbnta da mo que
esto sendo empregados.
Por maior que seja, e nos a reconbecemos, a
capacidade e a oosadia do Musir chefe do ga-
binete, duvidamos que o ministerio consiga a
realizacSo feliz do seu programma.
Longe diaso, e com sincera tristeza o diiemos,
o qne estaraos observando a temeraria aecu-
mulacao de elementos combustiveis, que mais
cedo ou mais tarde faro exploso cora damno
para a dynastia e para a nossa palriafadada
certamente a melhores destinos.
'"


Partido C nservndor
IHm. Sr.Os abaixo assignados, membros do
Directorio do partido conservador desta" provin-
oia, por indicacio de seu Musir chefe, o Exm.
Sr. conselbeiro Joao Alfredo Correia de Oliveira,
org.inisaram e ttn a honra de offerecer con-
sideraco do eleitorado a cbapa para deputados
geraes, na eleicSo a que se v.ai proceder no dia
31 de Agosto prximo.
Em lal organiaac4o, o directorio cousultou,
com a mxima ponderacao e procurando o
maior accordo possivel, nao s as legitimas
conveniencias partidarias, como as circumstan-
cias diflicillimas em que se acha o paiz, eos ele-
mentos pesaoaes de' cada Candidato.
Assim, mantendo oa ames que em anteriores
eleicee j receberara a sagracto do partido,
com excepeo dos nossos prestrnosos amigos
Visconde do Rio Formoso e Dr. Alfredo Correia
de Oliveira, que ora se abstm espontneamente
e por motivos imperiosos de ordem particular, e
apresentando novos candidatos, que igualmente
se recommendam por seus servigoa e lalentoe,
acredita o directorio que procura dotar a pro-
vincia com urna representago digna de suas
i i


k
/

*l
.
i
Diario de PernaoibueuDomUnro. 4 de Agosto de 1889
-

honrosas tradicgoes, na altura das eircumstan-
oas e dos legitimoainteresses do partido.
Embora, era vista de factos j oceorridos nes-
ta provincia, como em todas as outras, nao
possaraos con^pr na promcssa solemne, feita no
parlamento pelo gabinete actual, da mais com-
pleta lherdude para todas a3 -crencas, tem o
partido Conservador o dever de mais urna vez
disputarnos urnas a victoria to brilhanteraentc
obtida em pleitos anterieres.
Para a realisaco dcsse resultado que, alm de
natural e legitima aspirago partidaria, se nos
affigura imperioso dever no momento poltico
que atravessam as instituiges do paiz, e para
conjurar as difliculdades que possam provir Je
possiveis, senao provaveis pretencOcs da situa-
go actual.de transpor os limites legaes no pr-
ximo pleito eleitoral, o partido conservador tem
necessidade de manter se forte pela mais irre-
prehensivcl eoheso, petaroais severa discipli-
na e pela mais decidida ewrgia.
Nunca tanto se mpoz n misso do partido
conservador! Nunoa- a ordam unto precisou do
amparo e dedieacao de-seus naturaes defenso-
res -
Os. vencidos., nossos amigos, que tentaram, no
governo, como louvav'el aspirago, urna poltica
de generosiilade e tolerancia, esto sendo victi-
mados, com esqueeimento das mais attendiveis
consideraces e dos maiores reclamos da justi-
ga, aos golpes de desnfreada e frentica reac-
5o, esse vezo antigo dos nossos adversarios,
. que perpeta os odios e a oppresso, porque J
desafia reacefles futuras, e que tanto mais in-
toleravel quanto podia e devia ser comida pelo
nico remedio efficaza justiga dos governos !
As condigeS difticeis da actualidade e as di-
versas aspiracOes e planos de reforma que se
agitam ua arena poltica, eslo reclamando a
maior circumspeccao e a intervengo activa do
partido conservador, para garanta dos-princi-
pios de ordem. '
A autonoma provincial e municipal, sob a
base da mais larga descenlralisago, sao ueces-
sidatfes que boje mais que nunca se impCem,
como condigo de vida e desenvolvimento &s
provincias e municipios e manutengo da inte-
gridade do imperio, que nao pode deixar de ser
aspirago de lodo o brazileiro.
Com relacao, especialmente, s ameacas que
se annunciam* contra o partido conservador do
norte do imperio, e, particularmente, contra o
desta provincia, mais se accenla o nosso dever
patritico de organisar a resistencia, at porque
pelo actual systema eleitoral a nenhura governo
possivel a conquista Ilegal das urnas. E des-
te modo, rumprindo o partido conservador o seu
dever, o gabinete actual, quaesquer que sejam
os seus planos de intervengo e corrupgo, nSo
lia de poder resistir futura cmara, mxime
enflaquecido, como j se acha, no mero das di-
rergeociss do seu proprio partido.
Em i jos co.ijuucturas, 6 preciso que o partido
conservador, unido, discipulado, preparado
para a lucia e cheio de patriotismo, se congre-
gue, como um s partidario, nos diverses dis-
tnctos eleitoraes. em torno dos respectivos can-
didatos.
Confiamos em vos. Cumpri esse dever de
honra para com o partido, esse dever de pa-
triotismo para com a nago !
Eis a cbapa :
Io districtoConselheiro Manoel do Nascimen
Machado Portella.
2' dito -Dr. Jos Nicolao Tolentioo de acuu crujW.lo_e legalidade.
Iho.
3o dito-Dr. Felippe de Figueira Faria.
4" ditoDr. Joo Juvencio Ferreira de Aguiar.
5 ditoDr. Gaspar de Drummond.
6' ditoBarao de Suassuna.
7o dito Dr. Jos Vicente Meira de Vasconcel-
os.
8U ditoBaro de Granito.
9o dito -Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado
Jnior.
10 dito-Conselheiro Francisco de Assis Rosa
e Silva.
11 dito -Baro de Lucena.
12 dito-Conselheiro Antonio Goncalves Fer-
reira.
13 ditoDr Jos Moreira Alves da Silva.
Recife, 31 de Julho de 1889.
Bar So de Lucena.
Yisconde do Rio Formse.
Alfredo Crrela d'Oliveira.
. Miguel Jote de Almeida Pernambuco.
Felippe de Figueira Far'ti.
Joao Juvenci* Ferreira de Aguiar.
Barao de Suassuna.
Pardo di Granito.
Jos Bernardo G. Alcoforado Juntor.
Francisco de Assis Rosa e Silva.
An'onio Goncalces Ferreira.
i'IBLiC U.MS 4 PEDIDO
A eleie&o no lo i
Xo da 2<5 do me prximo passado, aempa-
nliado do meu amigo, o Sr. conselheiro Gongal
vea Ferreira, procurei em palacio S. Exc. o Sr.
presidente da provincia para fazer Ihe diversas
jeciamagoes, em bem da regularidade do pleito
eleitoral uo 10* districto por onde sou candidato.
Tpnho o direito de trazer para a imprensa a con-
ferencia que tive com o Sr. Conselheiro Alves
de Araujo, porque nao procurei S. Exc. para pe-
dir favores, mas sim para cumprirom devero"j
de levar ao couhecimento da presidencia a com-
presso eleitoral, que ostenlosamenfe esta sendo
preparada no 10" districto desta provincia.
Reclamei.
I," Contra a uppressao de dous ditrictos de
paz da comarca do Brejo (Serra do Vento e San-
-fta. Cruz), que estava sendo votada, -na sessao
/rtraorUara, da Assembla Provincial,precipi-
tada e irregularraenle, com o"fim nico de difi-
cultar o comparecimento, s urnas, do eltitores
deseas secges, que ao quasi todos conservado-
res" ; dndose a circumstancia aggravrate de
^aunexar se a seogao de Santa Cruz de Jatob,
onde na eleicSo de 4 de Margo teve-se o cynismo
criminoso de falsificar a acta da eleico. Os vo-
tos que all foram-me dados, (icaram pertencen-
jJo, pela acta, ao meu competidor, que n'ella fi-
gura com unanimidade !!...
2.* Contra o facto de estar destacado na cida-
de do Limoeiro o cabo Amaro, ex-conlemnado
da hecatombe da Victoria. Se o Sr. Baro de
Caiar tinha servicos a pagar-lhe, podia dar-
Mie outra collocaeSo. mas para o corpo de poli-
ca o cabo Amaro estava incompatibilsado, e
ao decente que esteta destacado em um dis-
tricto onde com ostentac^o se annunciam vio-
lencias.
3.* Contra a ida de um destacamento de lintia
para a comarca de Caruar, sem ha ver alli a
mais ligeira perturbago da ordem publica, o
que quer dizer qu*'a forga foi extmrvamente
para a eleico, isto, para fazar o eleitorado con-
servador acreditar c temer as ameacas de vio-
lencias, que se alardeara: Havemoj de vencer,
ninfa que tenliamos de empregar a violencia
para ganbar a eleicao, tal a lidguagem de que
sto usando, {feralmente, os govornistas do 10*
districto.
4." Contra a estala de dous capitaes So corpo
de polica, com destacamentos, em una mesmi co-
marca, a do Brejo da Ifadre de Deus; ambos che-
fes do partido liberal nos collegios em que esto
destacados. Declarei que nJo reclamava contra
o que est na oda le do. Brejo, porque o parti i
conservador tafnbem destacou oliciacs de poli-
ca, em identidade de condigoes, para as sde9
das comarcas e alli effectivamente necessario
um destacamento; mas o mesmo nao acontece
quanto ao de Carapots, onde nunca tivemos
otis de 3 a 4 praeas, sob r commando de um
nT rior; onde nao absolutamente necessario o
destacamento que l est, alm de me parecer
irregular que. so em urna comarca estejam des-
tacados dous capitaes de polica"!
Accrescentei que con?i1'?mva tanto mais fun-
dada esta miaba reclamagto quanto me constava,
por pessoas fidedignas, cujos nomes podere: de-
clinar, que o eapiHo de polica, major Joo Ma-
noel de Carvalho, que cm Carapots o chefe
liberal e est com a forja publi a sua disposi-
gao, declara que nao ha de consentir que o hefe
conservador, !. juiz.de paz, v presidir i! i-
Tenente-coronel Rufino Demetrio daPaixb e Sil-
va, est no firme proposito de nao recuar em
hypothese alguma, e conta numerosos.e dedica-
dos amigos'que nao o abandonadlo no exercicio
do seu direito, hoja o que houcer; mas por isso
mesmo era meu dever prevenir immediatamenle
a adinistraeao da provincia, que tera a obriga-
co de garantir a ordem e a liberdade eleitoral.
Foi o que liz e d'aqui a responsabiliso e ao meu
competidor pelo que acontecer.
A estada d"esse destacamento inteiramente des-
ULcessario, a menos de 3 legoas da cidade de
Caruar, mais urna prova de que nao foi "por
deficiencia de soldados de polica que seguo
para aquella comarca, em plena tranquitlidade, a
forca de linha, mas s e exclusivampnte para a
ele i gao !
S. Exc. o Sr. Consellieiro Alves 'de Araujo
dignou-se tomar nota de minhai reclamares,
declarou-me que esses actos nao eram seus, e
proraetteu-me dar providencias,- garantindo-me
do modo mais positivo que nao consentira- em
violencias e frau '.es, e recommendou me que o
avisasse do que soubesse a esse respeito.
No me consta, porm, que tenha sido dada
providencia alguma al hoje; as ameacas de
violencias continuara, e acabara de informar me
que S. Exc. sanecionou e fez publicar na se-
cretaria, logo no dia i.-umediato ao da votacSo,
r.pezar de ser domingo, a suppresso dos dous
\ttrelos de paz do Brejo da Madre de Deus,
votada em urna sesso extraordinaria, 34 das
antes da eleico, e nao obstante haver S. Exc.
raesraO declarado, na portara pela qual adiou
a Assembla Provincial, que nao conrmha crear
na opin ao a suspsila ile estar elli attendendo a
interesses meramente occasionaet I
Esta a quarta eleico que pleiteio e posso di
zer com satisfaco, sem temer ser contestado,
que. tenbo sempre combatido com o maior es
urna ciasse niteira, emquanto reeon
mantidus pelas leis do noseo paiz
Pedimos e pugnamos pela iiiJeinnisac
stitucional, comquanto podamos blela, a:
dos esbaojamenlos escandalosos, antes dos
saltos dados ao3 cofres pblicos, :para ^comprar
adhesOes monarchicas contra a repblica.
Etiveram ento do nosso lado muitos e ilis-
tinctos chefes liberaos. Saraiva, Sinimb, Mar-
linho Campo5, .Moreira de Biros, e muitos
outros.
Deputado, eleito por esta provincia, ODr J
Marianno farejju lo^od'O'ide podia soprar-ll
vento da fortuna. Vio, que contando os aboli-
cionistas cora o apoio da coia, a idea liberta-
dora nao poda deixar de ir-avante.
Poiia Ur sido umbomescravocrrUa, umindem-
ntsUta couforme me disse no sitio dos Qua'.ro
Lefs, si as cousas Ihe corressem de oulro modo,
quando etiegou corte.
Nao ihe pego contas do que fez cono auolicio
nista. Para mim urna questo vencida, e o
meu proceJmento actual, ligando me com os
mais distinctoa chefes abolicionistas, lioje c
do partido republicano, prova bera que da parte
do venado nao exisle;hoje a menor partcula de
odio, ojyteoutro qalquer sentiraento menos
nobre, Mitra os vencedores.
Mas jw'nteliz, o desastrado Sr. Dr. Jos Ma-
rianno* contina a explorar miseravelinente o
cadver do abolicionismo contra os agricultores
que nao se curvaram ainda ao seu jugo, nao
direi de ferro, mas de lamaepodrido.
De posse do poder desde que subi o gabinete
Joo Alfredo, dispondo largamente dos dinheiroa
pblicos, escravisando as arcas do tbesouro, tem
conseguido agrupar em roda de si urna recova de
ociosos, de preteudentes a empregos pblicos,
elementos dedesordem 6tte anarcliia, ao mesmo
lempo que faz acreditar aos libertos, q'ie foi elle
o seu nico libertador, e que contina a ampo
ral os contra a re escravisacao pelo seu yx-senhor.
Mas o-que mais revolta' o procedimento do
falso demcrata depois da ascenao do partido
liberal ao poder. Xo se coniiu mais ; lanca
para longe a mascara, e" declara-se francamente
o perseguidor feroz e sanguinario dos republica-
nos desta provincia. E ludo isto, grande Deus!
porque 1
Ponfue, ouvi bem leitores: porque a repblica
est contaminada por tres itgrteultoruArnriba,
Ambrosio e Marcionill, por estes eteravocratis des-
peadosmque s querem a indemn:sae4o.
Segundo o patriota, odtsinteressalopaidoVoco
da Panella, s esses trez agricultores sao cap
de absorver a repblica pernambucana, de cor-
rompel-a e aniqulala, sera levar era conta essa
plialange inmensa de horaens distinctos de todas
as classes, de mdicos, Politlc feroz
os ministros da coran conspirara
lonaaebia. A historia de todos os
i que a oppresso govern-'''
' derrocwnento das instituir/'
o os governos convertera as leis cm in-
cniel contra os povos, incitara a in-
' lica que produz as grandes expo-
ido pela justiga e equiJado se conso
orgamsagOes polticas,' as- inesmas se
ede8abimp"!j injustica e tyrannia
IOS.
nos aponlar os exemplos d*essa
encial, legitima defeza das nacionali
O governo que para viverjprecisa esmagar a
ncia poltica do pojb, impedindo pela
ncia a livre expansao do direito do voto.
Ira que Ihe falla n legi'.iraidade, que no
Vf povos Itvres a soberana vont de
f a personali lade poltica do cidado, cojo
gue prcciosissjmo vivlLa toda organisngao
nacional para dbilital-a ao extremo de profun-
da anemia, que a impossihilite de exercitar o
eito do voto com a maior firmeza e liberdade
8tacar criminosamente a soberana popular,
sem a qual somonte aspirara viver os governos
dspotas e ferozes.
Quando o ciddao, que tem a consciencia dos'
seus dreilos, illumnaJa pelos pro^ressos da
poltica dos povos livres e [>elas ligos da histo-
ria, assiste a essa cruel inquisigo em que con-
stituiose o ministerio de 7 de Junho, revocando-j
todos os instrumentos de tortura com que o
santo oficio buscava purificar a f religiosa, para
impor s urnas os votos de urna poltica bixa
men; au ica e ulicamente jrjronsciente, revol
tase contra o poder que Ihe comprjrac a crenga
oolitica. e levanta urna barricada em que se re
unem todos os opp'rimidoj para defeza commum
e hasteam una nova bandeira de cores difieren-
tes da que iremula as secretarias de Estado, e
yae de,via ser o symbolo resneitado da legali
lade e do reconhecimento ti el de loJos e* di-
reito3. '
No ministerio da marinha elcvou-se princi-
pio de governo o calabrote, e ri bjo da fragata
ministerial 7 de Junho loda a officialidade, todos
esses nobres e altivos cidados, que o pata esti
ma como urna gloria e venera como a mais es-
plendida synthese de palriotsm, sao destitui-
dos das suas honrosa* insignias, da> suas ines
ti-naveis devisas e considerados e tratados pelo
valentao daaimada nacional, o Sr. Ldano,
como simples e insubordinada maruja.
Do calabrote do estotra rergas da marinlia foi
i iiueduvidar : a machina' administrati-
va e govcrnamutal csi de parafuaos deaatarra-
chados, e nSo pode fiiaccioiiar regularmente.
Anarchiaem tud.t andar assim|que bom andar.
Registramos apenas os dous factos: o dado na
situago conservadora, que desappareceu pela
campanfia da diffamagao; e-o dado recentemente
pela situago poltica, da qual principal pro-
togonisla o Sr. deOuro l'reto, qu por wa for-
ma vai niprimindo a mora idade, a jutga e o
resprito le '. I
tal o descomediinenlo com que se lem bavldo
os dominadores da trra e os pseudos regenerado-
res, que s tralialliaui BU trovase nao ltn a cora
geni de fazer puBear os seus actos, que nao tem
visto a lu/. d urna cruzada das trevas,
que teera horro luz c fliibf<;kla>ic.
Nao recuerD, porque quaiilr) peior melhor; ahi
est a repblica que saber Assaa desmandos ti-
rar proveito para se uvolumar e apparecer eres
cido e forte.
Far a sua marcha tri amplia I por sjbre oa o-
ros da prestirte ailuagay polilica.
Deus queira que nos Iludamos, e que volle o
rgimen da legalidade, que o sustentculo das
oossasinslituiges, queconvm salvaguardar des
se lorvelinho immenso, que promette ludo ani-
quilar.
Natal, 26 de Juiiio de 1889.
0>- ind os da aldea.
rateos
Parahyba. 94 de lalho
.Cora o esmalte de seu titulo, que exprime o
galardao de suas altas virtudes cvicas e rele-
vantes semgos causa publica, o Exm. Sr Ba
r&o de Abiahy. nosso distinti chefe e prezado
amko, responde dignamente ao escripto, que
no Eiberal Parahgbano de 17 do corrente eslam-
jiou o seu successor na cadeira presidencial.
Desvanecidos de vermos as nossas columnas
edictoriaes honradas com os tragos firmes e lu-
minosos de tao ameslrada penna, pedimos aos
nossos leilores a mais acarada atteiigo para ar-
tigo de tauta monta
Sem mais prembulo damos a palavra ao il-
lustre titnlar parahybaiio.
ciantes.de'artistas, de mocos altivose indepen- ?XK?V,Smi.a-venerir,,0i v*?cond e
denles, que das academias e das escolas adhiera ,R ,,"snpfl"1" ''" -*- *"
todos os das, toJasfas horas, para fazerem a sua
prolisso de f republicana t
Protesto com todas as forgas contra semelhan
.' aleivosia, e-devolvo o insulto, que nos atira o
Nunca impuz um voto a
quem quer que fijase e jamis acceitarei posigSo
alguma, sem a dignidade que Ihe deve ser inhe
rente ; mas desdea declaro qne nao cederei
violencia, e que nao cox a forga publica, paga
pela i:aguo, que eu e os meas amigos havemos
de luctar.
Continuo esperando as providencias promettit
das pelo Sr. t.onselhoiro Alves de Araujo, no
interesse da ordem publica e dos proprio* cr-
ditos da administrago da provincia; e, con
cluindo, lembrarei apenas a S. Exc. repetindo
phrase alheia : que cima das conveniencias
partidarias e das exigencias comprometledoras
de amigos policos, existe alguma cousa que um
administrador deve em todo caso procurar zelar
e salvaguardara sua reputago de homem se-
rio e moralisado.
Ilecife, 3 de Agosto de 1889.
Dr. Francisco de Assis Rota e Silva.
:^*8fflae>-
Os agrlenltores republicanos c
o Dr. Jos 11 aria uno
O Sr. Dr. Jos Marianno na reuoio por elle
convocada no pateo da matriz de Santo Antonio,
para.se oppr ao meeting republicano do da ii do
corrente mez, houve por bem declinar o meu.hu-
inilde noiae, e mais os de dous respeitaves agri-
cultores republicanos, com a dainada intengo
de expor-nos aos odios e aos insultos de urna
inuliidiu ignoraute e inconsciente, queconstitue
o que elle chama seu poco.
Est na consciencia publica o principal moti-
vo, a causa nica, que raove o Sr. Dr. Jos Ma-
rianno' a insultar-,ue n'u.na i eunio publica. Eu
nunca curvei-me sua dictadura, hoje reduzida
vassallagem mais hunulde e vergonhosa ao
chefe lioerai, a qaem outr'ora appellidoa de
chefe de polka.
liouve terapo. ver lade, era que eu chegue a
lazer do tribuno do Poco da l'anella o mais li
songeiro conceito, suppondo o um patriota sem
jaga, capuz dos ini'is generosos impulsos, em de-
feza das liberdades publicas.
Esses lempos j t se foram.
Pouco a pouco os interesses indvdaaes foram
subsiituiua i os movimenios nobres e expansivos
do coracSo do patriot, e isto aconteceu justa-
mente qaaudo comegou elle a saborear as deli-
cias do poder.
A quesio abolicionis'.a deu Ihe ajada occasio
para deenvolvo jj 40u genio tr; fego e turbu-
lento, visaii'lo,*ao aiismo lempo, as vaotagens
e proveitos, que poderla tirar do movimento
auti-escriTits.
Fui d'aquellea que se oppuzeram a verligem
abolicionista. E entretanto, idea generosa e
humauitaria, a libertaco dos escravoa, dentro
decerto prazo, com a indcranisago conslituci
nal, nanea foi repelltda pelos proprietarios e fa-
zeadeiros brazilniros.
Questo social, antes detudo, no'podiadeixar
de irazer, como trouxe, a confuso de dous par-
tidos polticos, aos ex-senhores de escravos v-
r-.m-eeffargados.bem depressa a se uidrem em de-
feza, nao mais de seus direitos fmenosprezados,
mas de sras pessoas, de uas familias, de seus
lares.
A qaeaia > irlandesa nao deixa de ser taoibem
par* o mando civilisado uimaiquesto humanita
ria. de alta juetiga, e que tem merecido as sym-
paUms de todas as nages.
O misero povo irlands de facto o escravo, o
paria doa senhorea feudaes flo Reino unido, aos
quata pertonce todo o slo da infeliz patria de
O'ConnoU. E nem por isto deixa de existir na
Inglaterra um grande partido contra a Irlanda, o
partido tory, par* o qual se passaram dous dis-
traeros chefes do partido wlrig, Hartington e
Chamberlain.
E' que ua Inglaterra a questo da Irlanda
tambecn uma.questao apcial, em qne o povo inglez,
menos atiende aos interesses humanitarios do que
aos grandes interesses da nago, suaseguranca,
jsaa invulnerabilidade ero frente das potencias
continentaes.
Digo isto para provar que nenbum desar nos
adveto po- termos pugnado pelos nteresses de
te
Sr. Dr. Jos Marianno, contra o demagogo furio
so, corruptor do povo, capaz dos mais nefandos
attentados contra as liberdades publicas.
A nossa vida inteira ahi est. Honramo-nos,
gloriamo-nos com o que temos sido at hoje :
simples agricultores c nada mais.
J o declarei urna vez por todas que 03 agri-
cultoies republicanos desta provincia nSo accei-
tam a indemnisago em que alias ninguem acre
dita mais.
Pos bem, o Dr. Jos Marianno ainda contina
a explorar esta mina, que tSo abundante Ihe pa-
reca ser. _
Despeitados, porque?
Quem affrouta todos os raios de Jpiter, quera
nada pede, quem nao se abaixa, qnera nao se
curva, quem renuncia lodos 01 ouropis da" realeza,
quem se contenta em ser simples cidado, como
qalquer oulro, pode ser um despeitado ? Ah !
Si o tonfessai! um despeito muito mais no-
bre, muito mais honroso, do que suppondes.
Esse despert nao por cerlo, o scntiiucnto
baixoe vil, que vos guiou abrirdes lucia con-
tra os distinctoa chefes republicanos, contra es-
ses hooradissitnos cididos, que escaparam de
ser assassinados no infausto dia 22 de Julho.
A repblica crescia, nao era mais possivel con-
tel-a. Mas isto nao vos convinha anda, nao era.
chegado o terapo para vos. tartufos da democra-
cia Inventaslcs ento a meia-polilica, covarde
e corruptora, de republicanos aggregados aos li-
berats -. Querieis gozar os ltimos despojos da
monarchia, edepois, quando a visseis moribunda
earquejante, dar-lhe pelas costas o-ultirao galpe,
0 golpe de grart!
'Eis a poltica grande, nobre
Dr. Jos Marianno!
Cercado de elementos delelerio3, que Ihe for-
neceu a corrupgo monarchica, e que o tera
amarrado raontanha, como o Prometheu-da f-
bula, hSo de ser os praprios instrumentos da
sua vaidade dominadora, que ho de espicagar-
lhe o coragao, como abutres verazes e famin
tos.
A monarchia nao o leme mais; a repblica dis-
pensa 03 seus servicos e os seus favores. O que
Ihe resta ? Atirar-se, como raonarchista furioso,
contra propagandistas inoffensivos, e pacficos,
que se proem doutrinar o povo as grandes
ideas da liberdade, usando do direito, que Ihe3
garantera as leis do paiz. Para isto descabrio o
Sr. Dr. Jos Marianno um novo direito, cuja in-
veneno muito deve hnralo, o direito de fazer ca
Ur pelo punhal a miiwriagpcla maioria
J nao sou mogo e fui testemunha oceular,
come esludante, da grande agitagao poltica que
precedeu a revolla de 1848.
Vi o povo d'essa nobre e heroica cidade do
Recife, dirigido por alguna chefes praieiros, af-
Iluir por diversas vezes ao recinto, e ao3 salos
das conferencias, ou meetings boronistas, as ves-
peras de urna eleigo senatorial.
Vi Clorindo Cat&o apparecer, como delegado
de polica, n'um d'esses meetings, ra do Hos-
picio, c com a sua autoridade dissolver a reunio
presidida pelo Baro da Ba-Vista, como tumul-
tuaria e perturbadora da ordem publica.
Ento ergucu-se Maciel Monteiro e n'um im-
proviso de arrebatadora eloquencia convence a
Cato de que est commettendo um attenlado
contra a lioerdade de pensamerito, contra o di.
reito de reunio. Clorindo CStao manda retirar
o povo praieiro, que j investa as escdas e o
Ivinheima rudemenle despedido do Arsenal de
Marinha da corte e da ferocidade do rocano mi-
nistro, coudemnado po aquello acto pela im
prensa livre do paiz Iragou o Ilustre comman
(Unte do Almirante Barroso, Custodio Jos de
Mello, a vergonha de noienla vileza, que escan-
dalisou o Brazil em face da gentil e fina cortezia
com que a sociedade chilena acolheu-nos repre-
sentados na distincta officialidade desse vaso de
guerra da armada nacional.
Desse calabrote, que rebaixa a dignidade do
povo passividade de um rebanho de quadru-
pedes, e que o qualilicativo da situago engen-
drada pelo Sr. Visconde de Ouro Preto, soffreu
duro golpe a rija contextura moral do 1 teen-
te Costa Lima flora o desterro para Mallo Grosso
por que nao sujeilou o seu voto a cabotagera of-
licial dirigida pelo Sr. Ladario.
No rainisterio'da fazenda traballia a guilholina
cortando com injustas deinisses eremoges for-
jarlas a carreira de honestos e interligentes func-
cionarios, i|tie enfrentan) as amarguras de hon-
rada pobreza pela vil affronta de abjurarom a
sua f poltica.
O que ha de nobre e viril nessa corporago
de servidores do Estado ha de ser esrangado se
resist"" a marcha do carro .dos conquistadores
da consciencia nacional.
Mas todo este martyrio, que opprirac a tantos
cidados honrados, toda essa torrente de soffri-
raentos engrossada pelas lagrimas, santas de
tantas familias e suppartados petas anglicas
orages da lanas innocentes criancas quera
vao faltar e j faltam o pao, ha de inspirar c
hymno dos restauradores da patria livre.
">'o ministerio da justiga, da justiga tange-se
o guante de Ierro contra a face augusta da ma-
gistratura.
Os magistrados que nao sao alliados a poltica
do Sr. Candido de Oliveira, ou que nao se amol-
isa do *rf',llain ind'8na P*slg*o de cabalista*-Uo governo
sao fulminados com a pena do desterro, porque
convem rebaixar a magistratura instrumento
da oppresao conira a liberdade eleitoral.
A Ilustrada ciasse, que constilue um ppder
constitucional e soberano, to soffredora e pa
cente, ha de despertar um dia em defeza da sua
honra e mostrar ao governo, que bastante po-
deroso para conquistar a independencia promel
tida pela constitnigo do imperio.
Continuo o governo na vertigem de luJo de-
mohr, conspurcando os bjios da nago, vilipen-
diando os caracteres, torturando as consciencias
que assim alcangar nao a federago, mas urna
reforma mais radical.
O poder exocutivo j vai tendo as tristes ap-
parencias da bastilha, e a queda da bastilha que
Coi a victoria de um povo opprimido, urna li-
gio para todos os oppressores.
Quera nao livor coragera de soffrer para guar-
dar inmaculada a sua honra poltica tome posi-
ces nos arraiaes do peder; mas a gente que licar
hade ser bastante forte para libertar a patria do
jugo dessa situago tresloucada e dessa poltica
feroz.
>
Negocios do Rio-Grande do
Norte
PerJemos o nosso oleo e o nosso trabadlo : de
bakle appellmos para o Exm. Sr. Faus'o Bar
teto, que, contra a nossa espectativa, moatrou
se" correcto delegado do 7 de Junho.
Na situago passada, quando presidente desta
provincia o Exm. Sr. Dr. Antonio Francisco Pe
reir de Carvalho, que se revelou sempre na al
. tura do elevado cargo/que oceupava, pelo seu es
salo da conferencia, e o meeting se realiza, e os pinto de justiga, imparcialidade, e, sobretodo,
oradores baroniatas continuara a fallar no mero ppki extreme moralidade nos acios de sua ad-
dos maiores applauaoi dos seu3
ros
Vi n'uma bocea de noite a terrivel phalange
dos cinco mil, capitaneada por sub-chefes ojsor-
deiros, como (abo fio, Nove-horas, Segu
outros, correr furiosa para o bairro d ftecife.
alim de assaltar e incendiar a casa de M;
ebefe baroui3tad'aquella froguezia, cnitlealdad
e dedicago ao scj partido tinlian Ihe acabado
de dar o triuraplio as urnas. Cliegafafl S cin
co mil ao Arco da Concejgo, quando, dj repon
te, appareco em frente Fre Capistrano; exortu-os
e convnceos a voltarem para suas asi, stob
pena de passaccmi-pielo sou cadver, alli mesmo,
antes de transprem o Aro i
Nunes Machado, o rrere, o rnartvr pernamh/
cano, estava anda na Corte, quando o seu palti
do, dirigido por algnns chefes mais ardentoy. ja
tinliam dado coraego aos movimentos armados
n'esta provincia. Podia-ae dizer que' a revolta
estava j em campo.
Nines Maghado podia ter fica lo na Corte, bao-
donar o seu partido sorte cruel, que oiieuar-
dava, comw ontros o flaeram. NSo o fe. <5 son-
grande patriotismo, a sua lea Idade de chef<| n5o
Ihe pormitiem abandonar os co-religonj
Corre, va a abragar se com os revoltosos,
rigil os nos combates, e, traapassado de
mrre no campo da batalha.
Sao passados quarenia e um aanosJE
Mas hoje. hoje os lempos esto mudad-
Hoje o Sr. Dr. os Marianno renega a
cracia pernaaibucana, renega a repblica
banquetear se na mesa do orgamento da
eilia I
HojhSr. Pr. Jos Marianno rico, 04,
osbaojaudo ilinlieiros mos largas, julga
se de gloria e de trophos, convidando o te>
para ai-aassinar a pacicos e honestos pro
distas da repblica, a mandado e por ord
monarchia I
Hoje, emfim o.Sr. Dr. Jps Marianno, Jtr'ora
temido ^5o de lila, desello origado e de obele
levantado. < Loil mornt maintenaut, et ltete
baisse ianga-se, triste rafoiro, sob as ga| M do
Ibrir
[P(5m
kgan.
Im da
poderoso leo, que o. coatempla.submisso e ras-
teiro, afezer-lhe zumbaias emirante do alacio
da monarchia !
Como os lempo
Julho 18, de 1889.
Ambrosio Machi.1 ic Cunha CavalaJite.
co-religiona-oJflHistrago, dstituio do cargo de Io iuiz muni
cipal supnente' do Cear mirira, o cidadSo Joo
Victorji/o Ferreira Nobre, depois de ter ouvido
o Dc.-juiz de direito da respectiva comarca, por
tero jornal da opposig.o declarado que aquello
jjrfiz municipal nao podia continuar, vislo estar
incompatibilisado para o cargo, por ser prente
em grao prohibido da mulher dojuiz de direito.
' aerificada a verdade do tacto, o Exm. Sr. Pe-
reira de Carvalho nao attendeu a interesse parti-
lano, era a consideragOes de qalquer ordem
e fez substituir por outrera aquelle juiz muntoi
,nl, que elle proprio ha pouco havia nomeado ;
entretanto, o que presenciamos hoje em pleno
doininio'de moralidad e regeneraro administra
tiva, no dizer,dos tliuribularios da actual sita
gao politiea wTO que se acha diaructralmcnle
oppoato em prdcedimen'.o t
1) Sr. Antonio Basilio, que alinal o Sr. An-
tonio Basilio, guindado a adniinislrago desta
provincia por um simples telegramma, para ex
nilnose sectario da mxima : arrenego do poder
qtttno pode -, residilo na comarca de S. Jos
do Mipibft, onde tambera ba annos reside ees-
tabelecid comiaercialmenle o Sr. Manoel Seve
F1II10 ; sabendo que este casado com urna irm
do Io juiz municipal supplente do termo, capito
Joaquim Silvino Ribeiro Dantas, sendo a pa
rente dessa senhora, e sabendo que aquelle ci-
dado nao podia ser nomeado promotor publico
da mencionada comarca, por forga da incompa
tibidade existente por aquelle parentesco e de-
fluido pelo*feviso n. 153 de 30de Abril de 1*68 ;
sem altengSo a tudo isso, por escarneo a si pro-
pino e jsituagio da qual foi feito Io vice-presi-
dente, o nomeou, e fez-se surdo aos reclamos da
lumreosa nesse sentido.
Nao08 sorprendeu e3se modo de proceder da
Sr. Antonio Basilio, o humera do Chique Chique
da sitnago liberal Iransacta, c aguardamos a
chegada do Exm. Sr. Fausto Barrlo, de quem
esperaVaraps que nao enoarapasse o a -to Ilegal
e arbitrarlo dease 1" vioe-presidente, e levamos
%[acto ao seu coohecimenlo por artigo que foi
publicado no Diario de Pernambuco de 20 deale
mez; mas S. Exc, pelo que parece, ligando
mais importancia ao triurapho do futuro pleito
eleitoral, fez-se moita, e al hoje nenhuma oro-
videncia tumou, que nos conste ; delxando que
continu no poeto o promotoriacompatibilisado (
Onma in itillpnnta 9 t
orno isso edificante ? 1
Quede saltrtar exemplo a futuros administra-
dores i
AO EXM. SR. DR. MANOEL DANTAS CORHKIA
DE GES *
Dasde 1881, que o Jornal da Parahyba tem
mantido enf seus escriptes edictoriaea a maior
inoderaco, tolerancia, e at mesmo urna certa
generosidado com os seos adversarios polticos.
Tendo os nossos adversarios d'aquella poca
para c se resignado derrota, que teem soffri-
uo em todos os pleitos eleitoraes nos tres pri-
mero3 districtos desta provincia, cuja maioria
conservadora indisputavel, nada mais natural
do que a nossa conducta na impronsa, que nada
mais tem sido do que o trataraento correspon-
dente ao procedimento de nossos adversarios, a
saber : o devido respeito aos bossos bons di-
reitos.
Entretanto, a conducta reprovada do Exm. Sr.
Dr. Manoel Dantas antes mesmo de assumir a
administrago desla provincia no dia 22 do pas-
sado, na qualidade de 1. vicepresidente, j
tomando quasi de assalto as redeas do governo,
quando dever-me-hia officialmente cominunicar
o telegramma de S. Exc. o Sr. ministro do im-
perio, pelo qual era autorisado a tomar conta da
administrago por aquelle telegramma, inde-
pendento de exhibigo da carta imperial, alim
de seren expedidas as necessarias ordens C-
mara Municipal para aquelle Ora, evitando a ir-
regularidade de scmelhante conduela por parto
d'aquella corporago, que sem ordem do gover
rio imperial, a si dirigida directamente, ou por
intermedio da presidencia da provincia, nao po-
dia reunirse para deferir juramento aquello
vice-presidonte. como o fez ; j pela precipita
gao e irregularidade, com que mandou sustar
todas as inhibas ordens as duas reparti", 's
tiscaes, provincial egeral, anles sesmo de com-
municar o sea juramento e posse aquellas re-
partiges, para logo depois mandar cumpril-as ;
e j pelos actos de violencia, perseguigo parti-
daria e escandaloso esbanjamento dos dinheiros
pblicos, sob o pretexto de distribuigo de soc-
corros aos indigentes da secca, no intuito de
corromper e violentar o voto eleitoral no proxi-
rao pleito de 31 de Agosto prximo, obngava-
nos, como nos obriga, mais enrgica opposi-
gao, como um protesto vivo e solemne a tama-
uhos desmandos, nesta provincia.
Com effcito a Parahvba do Norte, desde esta
capital at o ponto mais remolo de seu territo
rio, assistio sorpresa a tamanhos desmandos e
violencias, sem poder bem avahar a audacia do
semelhante conducta adrainistraliva.
Se" S. Exc. nSo fez presente dos dinheiros pu
blicos a quem quer que seja, como diz, para a
satisfaco de suas necessidades particulares,
fel-o para a lonquisla a lodo transe do pleito
eleitoral, que se avisinha, commettendo duplo
crime, perante a sociedade, e perante os seus
superiores.
i'iz S. Exc. ainda que condemna o systema
por mim adoptado para soccorrer a populago
desvalida, sendo bem conhecido o seu modo de
ver, conforme se dirigi ao governo imperial.
Nunca disse que era aquelle o melhor systema
para soccorrer a populago desvalida ; mas era o
nico, de qne me podia prevalecer para salvar a
provincia de grandes calamidade3, e muito es
pecialmente esta capital, que tem bem presente
a calamitosa epocha da ultima secca, na qual abri-
r m se dive-rsos hospilaes com quatrocentos,
seiscentos e mais enfermos, que falleceram aos
montees, desenvolvendo-se terriveis epidemias,
que ceifaram vida3 preciosissimas.
Posso garantir aoExm. Sr. Dr. Manoel Dantas,
que, se nao fra a energa, prqmptido de aeco,
e sacrificios de minha propria ndividualidade,
que, durante quarenta e tant03 longos das, ape-
nas repousava de meta noite s seis da manh,
esta capital, teria lalvez presenciado sceuasmais
pungentes, que da secca anterior.
>lo creei cora as priraeiras remessas de gene-
ros e dinheiros ncleos de populago famin la,
conforme S. Exc. aprecia injustamente.
Obedecendo aos deveres mais imperiosos de
um administrador era epocha to deploravel, sa-
tisliz as exigencias, que de todos os pontos da
provincia se me faziain diariamente, pintando os
quadros mais ttricos de semelhante calami-
dade.
S. Exc. as miuhas condiges nao teria outra
conducta, o que confirma o seu procedimento nos
16 das de administrago, na qual proseguio em
todas as obras*por mira decretadas, e regula-
menladas, apenas elevando de mono sorpren-
dente e incoraprehensivel o numero de todos os
empregados, oceupadoa no servigo dos 90ccorros
pblicos.
Por exemplo, apenas nomeei para as obras pu-
blicas nesta capital e as ostra .as de rodagem
do Pilar, Mamanguape e '"onde, 12 fiscaes ; en-
tretanto S^Exc. elevou aquelle numero ao fabu-
loso ffe 7(Te tantos !
Os cjlldboradores na secretaria, que eram 11.
inclusive os 3, que sncontrei, despedio-os quasi
todos para nomear outros, elevando aquelle nu-
mero 18 !
Em Mamanguape, conforme denuncia a Gazeta
da Parahyba, de trmla c tantos empregados, que
erara, elevou-sc o numero 150 t
Ora, urna adrainislrago desatinada e esbanja
dora, como a de S. Exc. o foi em 16 das, nao
pode atirar a pedra outra. qalquer, e maito
especialmente miaba, que, si nutra virtude
nao leve, ninguem poder contestar a de ter
sido econmica.
Repisli aos melhores amigos e dislinctos para-
bybahos, que exigiam para as suas localidades
crditos superiores dous ceios ; entrntanto S.
Exc. o Sr. Dr. Ma.ioel Dantas, nao teve mos
medir, abrindo crditos de quantias avultadas !
E' que nao tintia, como nao precisava ter, a
mente presa i conquista eleitoral, attenta a n-
vencivel maioria, de que sempre dispoz o parti
do conservador nos tros priraeiros districtos,
onde ha vencido desde 1881, quando se poz em
exetugo a reforma eleitoral directa, alm de
que estava muito longe o pleito, que deveria ter
lugar no fim do anoo prximo fjturo, quando se
terminara a legislatura, o que foi alterado com
a mudanga poltica e dissolugo da Cmara dus
Depu'.ados, designando se a eleigo para o dia
31 de Agosto prximo fuluro.
No meio de rmritiplos affazeres, insuperaveis
at para qalquer horsem de rija tempera, pude
manter o servigo dos socorros pblicos nesta
capital da melhor forraa, iniciando as obras
mais necessarias, bem como por todas as loca-
lidades as que as eommissdes jnlgavam mais
convenientes, sen io os presidentes de duas, as
do Pitar e Guarabira, elogiados pelo Exm. Sr. j
Dr. Manoel Dantas em seu escripto.
Neste ponto foi S. Exc. muito pareo ou defec-
tivo ; visto como as outras commisses eram I
presididas em i seus jui-
zes de direito, sem differenca de cor poltica.
Semelhante conducta do minha parte mostra
evidencia o dosprendimento de quaesquer inte-
resses polticos na djrecgo de semelhante ser-
vgo, alm de que nomeei para 03 trabalhos das
obras publicas muitos adversarios polticos,
filhos, parentes e protegidos delle?, o que ainda
nao s fez depois da elevago do partido adver-
so ao poder.
Ao contrario tira sido .destituidos todos qae
se ho vendido ao pleito eleitoral, que so avisi-
nha, o atada .o conservara alguna sobre os
qaes ha ospenmeas, que votom cora os nossos
adversarios politicos.
E ento diz-sc com o maior desplante que to-
dos os empregados pblicos ho de votar com
o governo, sob pona de seren demitidos incon-
lineutt depois do da 31 de Agosto I
Com elleilo, ainda nao vimos maior dispudor
cm sKuarso alguma poltica depois de 1818.
Dis ainda o Exm. Sr. Dr. Manoel Dantas que
elle precisou. altenler s mltiplas necessida-
des creadas pela repartigo por mim engendra-
da, e que s por si oicupava a aclividade do
homem mais forte.
S. Exc' esl em perfoilo engao
Nao creei urna s repartigo de soccorros p-
blicos, e sim tres, as de obras publicas, depsitos
pblicos de gneros alimenticios e enfermaras,
no meto' de mil affazeres, qne sorprendiam aos
qua assistiam e sconipauharam de perto a mi-
nha adniinislrago em situago to melindrosa,
Se nao rcgulamentei aquellos servigos com
a perfegao, que era para desojar, o Hz do modo
que ora ndispensavel para resguardar os di-
nheiros pblicos dessas aves de rapia, que
cercavam S. Exc, e Ihe arrancavam aos quatro,
seis, oito, doz e mais conlos de ris, alm de
cenleuares de saccas de l'arinba, feijo, miiho,
arroz, e amarrados de carn?, nao para os reti-
rantes, e sim para preparar se o pleito eleitoral.
Termina S. Exc. com urna injustiga, que faz
uo meu carcter e benveonbecidos precedentes
nesta provincia, c para o querecorxo de S. Exc.
para si mesmo, quando diz que nSo salisfeito
de maudal-o insultar por este jornal, meus fi-
lhos e oulras entidades polticas desta capital
se encarregavara de vaiar nu3 ras- todos aquel-
los dos nossos adversarios, oj me cahiam no
desagrado. Wi
Desde a asconso do partido conservador em
1885, que entregueia outros a dirergo do Jor-
nal da Pmaliyba, em consequencia de meus ml-
tiplos affazeres na direcgo dos negocios polti-
cos dentro e fora da provincia.
Com a minha reiategrago no cargo de ins-
pector da alfandega, ento tornou-se impossi-
vel para mim semelhante servico ; pelo que me
conservo arredado da redacco do Jarnal, como
at hoje me tenbo conservado, e toda esta capi-
tal, gregos e troyauos. nSo ignora.
J v, pos o Exm. Sr. Dr. Manoel Dantas que
erra o alvo completamente
E' certo que depois de sua elevago i cadeira "
presidencial, com os seus actos de violencia e
perseguigo poltica, muitos correligionarios
nossos, nesta capital, de primeira plaina, mogos
titulados e amostrados na imprensa, s alista-
ram volulariamente na redaegao do Jornal da
Parahyba, e manlm este fog vivo e nutrido,
que deve ter incoramodado S. Exc. c a seus
auxiliares pelas verdades de publica notorif da-
de, que se contera em seus escriptes ; mas sibi
imputetur....
Se se limitasse S. Exc moulagem de seu
parhido pura e siraplesmente, demitlindo e
nomeando somente empregados de coutianga
poltica, o Jornal de. Parahyba manter se hia no
terreno, em que desde 1881 se ha mantido. nao
obstante o advento poltico de seu partido.
Quanto vaia de meus lilhos seus amigos
politicos, logo que semelhante tacto chegou ao
meu conhecimonto, roprehendi-os. seueramente,
declarando Ihes que os castigara, se por ventu-
ra reincidissem em conducta to reprovada.
J v, pois, que cumpri o meu dever de bom
pai de familia, nao me constando t"r elles rein-
cindido em semelhante conducta reprovada,
ainda que muito commum entre os mocos d*is
faculdades, lyccus, etc.
Nao voltarei imprensa, excepto se o Exrn.
Sr. Dr. Manoel antas, conira a sua declarago
na imprensa, voltar ella, e contestar as mi-
nhas palavras, inspiradas nicamente nos sen-
timentos da justiga e verdades de publica nolo-
riedade.
Parahyba 23 de Julho de 1^89.
Barao de Abiuhy.
(Do Jornal da Parahyba )

Excurso aerea
Srs. redactores :Pedimos para publicaren] o
sectate:
bella Falina entusiasmada pelo grande
fremio de belleza que obteve ltimamente em
aris, decidi se a fazer urna excurso aerea de
Franga a Pernambuco e resolveu como ponto de
descida a praia dos Milagres na velha e histri-
ca bella cidade de Onda, antiga capital de Per-
nambuco.
Domingo, 4 de Agosto, s 4 hoi as cm ponto,
sendo o signal um tiro.
C. I F.
Ao Exm. Mr. Dr. presidente da
provincia
Pede-se a S. Exc. que pelo, amor de Deus
mande emittir as apclices provinciaes que j
foram autorisadas por lei para pagamento dos
credores da provincia, pois algun3 dos quaes 4
esto to esgotados que nao leem recursos mais
para manterem suas familias, os quaes se conti-
nuaren! sem receber o que se lhes deve, morre-
ro deiome.
Um infeliz.
fe
Se considera hoje unnimemente o Eli-
xir de Trouette-Perret, com pepsina, como
o mais poderoso digestivo conhecido. Um a
corpo pequeo era cada refeigo basta para jfln
curar todas as doencasdo estomago c dos ~
intestinos. (6 T
re *
A Emulso de Lanman A Kemp preparadal
com o Oleo de Figado de Bacalho mais puro que|
produz a Noruega nao smente um poderoso
reconstitutivo das condige3 debis e um reme-i
dio seguro e infallivel contra todas as molestias
do peito, garganta e pulojes, e outras em que
se prescreve o uso do Oleo de Figado de Baca-
lho puro, seno que tambem em si o agenle
digestivo por cxcellencia para os e.-toms.go3 -
licadoa ou dyspeplicos.
Mica
Comploir Indnstriel Frane
O director nao seguindo pelo vapor Ci
partr no dia 10 pelo Yille de Cear. A
dala continta a receber ordens, pedindo
pa qaelles a quem peta gffluencia de serv,
ainda nao pode attender o que far com cer
at < quelle dia.
Ao publico
O Dr. Cerqu.'ira Leite, ltimamente no.
inspector da hygiene publica de Pernam
acha-se nessa repartigo. 32 ra Baro da .
loria das 11 horas do dias 2 horas da l
nos das uteis.
aijsxss-
y D. Carlota de Araujo Lobo
PARTEIRA DA SALA DE MATEESIDADE
DO
, HOSPITAL Pi;ilBO II
** Pode ser procurada para o excr'
1 cicio de sua profissSo sua rtm-
dencia
59 -RA DA GLORIA- 59 i
i

I MMK I


Diario de Pemambuc mingo 4 de Agosto de 1889
ELIXI

DEPURATIVO DO S4.NGUE
Approvado pela Exma. Junta de Hygiene e preparado por
tolajo aa.A. sax/v\A. sxol.'vkxdfij^
Cliiinico e Pharmaceilico
PELOTAS RIO-GRANDE BRASIL
Este elixir composto de vegetaes de reconhecido mrito, em-
preado com vantagens as molestias seguintes:
Escrophulas, rhe lunatismo, gonorrhas, rachitismo, impigens, ulceras, tumores,
sarnas, bobas, manchas da pe le, carbnculos, flores brancas, boboes, corrimcntos dos
uvidos, fstulas, cancros venreos, inflammacoes do tero, inflammac.oes de olhos, es-
pionas, affec^oes syphiliticas.
A sua efflcacla attestada por lllustres mdicos que o reputara superior ao raedicarafta-
los anlogos, l.ei:uu com altenco os ai testados mdicos que cm seguida puhlieanios e terio a
trova de que o nico depurativo infallivel do sangne oElixir de \oguelra, Salsa, Carona e
Cuayaco.
B ATTKSTADOS DO ILLSTRADO CORP0 MEDICO DA PROVINCIA
O abaixo assignado, doutor em medici- tonio A. Assumpclo. Est reconhecido precioso Elixir de Nogbira, Salsa
aapela faculdade do lio de Janeiro, con-1 na forma da lei pelo tabelliao Luiz Felippe Caboba e Gaiaco com muito bom xito,
decorado pelo governo portuguez, medico | de Almeida., e tenho aconselhado aos meus clientes qe
Depositarios na provincia de Pernambu-
co por atacado: Francisco M. da Silva & C.
navcidade de Pcrnambuco.
Vendedores retalho, na cidade de
Pernambuco, Bartholomeu C, J. 0. Levy
& C. A. M. Vera & C. Itouquayrol Fr-
res, Fnria Sobrinho (tC.eT. S. Silva;
em Palmares, A. C. de Aguiar; e em 8.
Joao da Igreja Nova, J. A. da CoBta e
Silva.
do hospital da Beneficencia Portugueza
iesta cidade, etc.
Attesto que as molestias de fundo sy-
ahitico, em suas diversas e variadas for-
TBas, a applicacKo do preparado denomi-
nado Elixir de Nogueira, Salsa, Caroba e
Gaiaco, do Illm. Sr. Joao da Silva Sil-
veira
o uzem com toda a confiarea c esperanea,
Eu abaixo assignado, doutor em medicina pois a sua preparacSo prcencho perfeita-
pela iaculdade do Rio de Janeiro, etc., nfente o nosso desidertum. Vou emprc-
ctc.
Attesto que empreguei
tem sido de maravilhosos resulta-
Jos. O referido verdade sob a f de
en grao.
rado pelo distincto pharmaceutico JoSo da
Silva Silveira, em um caso de ulcera sy-
philitica, dando este medicamento resul-
j tado o ni ais favoravel.
Pelotas, 30 de Abril de 18b6. Dr. I Pelotas, 5 de Maio de 1886.-Dr.Joa-
3arSo dos Santos Abreu. Est reconhe- ] quim Rasgado,
ido na forma da lei pelo tabelliSo Luis ma da lei pelo
Felippe de Ahueida.
gar as pilulas ferruginosas de meu grande
o Elixir de No- collega, em todos os casos em que se fi-
gueira, Salsa. Caroba e Gaaiaco, prepa- zer sentir a necessidade do emprego dos
errugino80s.
Continu V. S. a trilhar o mesmo ca-
minho com toda a dedicac-lo, para um dia
chegar meta dos seus desejoa e receber
o competente premio do seu insano e es-
Est reconhecido na fr- pinhoso trabalho.
tabelliJto Luiz Felippe de i Rio Grande, 8 de Abril de 1886.Dr.
! Nicolao A. t'itombo.Est reconhecido
na forma da loi pelo tabelliao Luiz Felip-
Eu abaixo assignado, doutor cm medicina pe de Almeida.
pela faculdade da Babia, membro da
Almeida.
sociedade franceza de ophtalmologia e
Attesto que tenho empregado na minha
da sociedade zoolgica de Franca, etc., clnica o Elixir de OGUtlRA, Salsa,
ctc i Caboba e Gaiaco, preparado pelo Sr.
Su abaixo-assignado, Dr. em medicina
Sela faculdade do Rio de Janeiro, con-
ecorado pelos governos de Allcmanha,
Portugal e Italia, medico do hospital de !
Misericordia desta cidade, etc.. etc.
Attesto que tenho empregado mu tas | Declaro que o Elixir de Noguciro, Sal- pharmaceutico JoUo da Silva Silveira, b-
reles o Elixir de Nogueira, Salsa, Caroba j sa, araba e Gaiaco, do pharmaceutico teudo semprc os mais brilhantes resulta-
* Gaiaco, preparado pelo Sr. Joao da Sil-Joao da Silva Silveira, prestou-me reacs 0B principalmente as molestias de orj;
v Silveira, como um poderoso agente em servieos nos casos de syphilis terciaria c gem syphilitica.
easos de infeccio syphilitica ldiathese em todas as affccc3es de fundo escrophu-j O referido verdude e por me ser pedido
eacrapEuIosa, parecendo-me supejior aos i loso. j passo o presente que aftirmo m ide mc-
aoalogos" que nos vem do cstrangeiro. Por | Porto-Alegre, 5 de Maio de 1856. c.
e ser pedido passo este cuja verdade Dr. Vctor de Brito^ Est reconhecido naj JaguerIo 27 de AbriI de I88t3.-Dr.
afirmo em f de meu grao. .forma da le. pelo tabelliao Lu.z Fel.ppe E|jte^0 dc Soma Liraa._Est;i reConhe-
Pelotas, 6 do Maio de 1886. Barao de Almeida.
dc Itapitocay Est reconhecido na forma :Eu abaixo assignado, doutor
cido na forma da lei pelo tabelliSo Luiz
i* lei pelo tabelli3o Luiz
aeida.
Felippe de Al
em medicina: Fel de Almeka>
irfirr* oto **
Gervasio Alves Pereira, doutor em medi- com magnifico
pela faculdade do Rio de Janeiro, etc.,
etc
Atesto que tenho empregado, memore' ?ba'xo fdignado, doutor pela fac.rik-u-
lifico resultado, e Elixir de de. Jan/iro, Io cirurgiao do cor-;
po de sade do exercito.
Attes.ta que tem empregado com exee!-
cina pela faculdade do Rio de Janeiro, Noqeira, Salsa, Carosa e Gaiaco, pre
eavalleiro da imperial ordem da Rosa,' parado do Ilustrado chimico pharmaceuti-I, Attesta empregado com oxee!
etc, etc. co Joao da Silva Silveira, nos casos de lentes quitados o Elixir de Nogukira
Attesto que tenho empregado contra a escrophulas e molestias de origem syphiliti-:j ,&A.LfA AK0?^E ^AIACO, preparado pe
crophula o Elixir de Nogueira, Salsa, ca, o que aifinno em f de medico.
Caroba e Gaiaco, preparado pelo phar- Pelotas,
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrad
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande eflicacia as mo-
lestias syphiliticas e impureza osangue ; assim
como cm todas as molestias das senfioras.
Tem curado radicalmente umitas pessoas a r
coinmoltidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os adultos temaro qu^tro collieres das di
sopa peli manila e quatro 4 noite. As enancas
de 1 a S annoo lomarlo urna collier pela mann
e outra a noite, e os dc S a 11 aunos tomaran
duas comeres pela man ha e duas noite. Dc-
verao tomar han los frio ou momo pela manha t-
noite. Kesguardo regular.
Encontrase venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva & C.. ra do Mrquez Je
Olinda n. 23.
O autor deste preparado pooe ser procurado
na ra do Harao da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda c qualquer explicaei
que for precisa.
Cuidado com a rulKiflcaeGe
Beriberi
, 77
Jos da Silva Rams Neves tendo sido aocom-
mellido em Dezembro de 1S82 da lerrivel moles
l\n BenbtTi, declarada e attestada por tres facul-
tativos do. mus distiuctos deti capital, como
sejam : os lms. Srs. Drs. Eriuirio Coulinlio,
Raymundo Bandeira e Pontual : gcado medica-
do pelos dous primeiros por mais de urna vez.
quaii sem resultado algum, no que ltimamen-
te resolveram clles, que eu devia fazer urna via-
gem por mar, o que efectivamente fiz, (iemo-
randome quasi um mez, o que ponco adiantei,
porque anda regressei com as ponas extraor
(linaria:ue;ite Iracas, um peso e prisao no andar,
COBIEMO
emBn ainda achava-rre incomraodado da infer-
nal molestia beribeii
Aconselhado porm, por alguns amigos a fa-
zer uso do .eu Elixir Depurativo .Nacional, pre-
parado pe> Sr. Angelino, romecei a tomal-o
em lins derevereiro do corrente anno, live um
pouco de constancia, que ao completar a sexta
garrafa j me aclmva quasi rcstabelecido, pois
em fias de Marco enlrei no exercicio do meu
emprego, doqual a chara-me licenciado e impos-
ibilitado de trabulliar, o que attesto por ser
verdade, que o Elixir Depurativo Nacional, pre-
parado pelo Sr. Angelino, um grande prepara-
tivo elficuz contra a lerrivel beriberi.
Recite, 5 de Abril dc 1883.
tote di Silva R Meces
N. 78
lllm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Tendo sido uccommctlido dd lerrivel moles-
lia beriberi, atacando semelhaute mal com dor-
mcucia desde os ps al os joelbos, bera como
appareceu me tambem inflammacao as pernas
e desanimo geral em todo o corpo; recorr
medicina, o que me disseram, sem perda de tem-
io fazer urna viagem para vetar um grande mal ;
lt-indo-mc os recursos priocipici a usar dos
remedias receitados pela medicina e sera resul-
tado algum; mas a conselo de um amigo re-
corr ao seu preparado elixir puricador do
saigue, com tanta felicidade que Bornate com
tres garrafas tiquei completamente restabelecido,
do que dou rauilas gracas a Deus, em adiar tao
grande aiivio cora o se maravilhoso remedio, e
ftlicito-o pela sua feliz descoberta que tao til
tem sido -buuianidade BOffredera.
l'oder fazer o uso que quizer destas poucas
linhas, que so contera a pura verdade.
Sou de Y. S. criado e obri gado
/ chaas da Coda Lrilao.
Recife 6 dc .Maio 1883.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiaJi-
dade de molestias de eenhoras e creanca>.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratri n, 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 d?. manh.
Cliamados (por escripto) qualqnorhora.
TKLKPIIOKE N. 226
drogaao
Miguel Jos de Almed Pernambuco tem o a
esenprono de advocacia d ra do Imperador u.
81, onde ser encontrado todos os dias uteis, da*
horts da 9 manh s 4 da tarde.'
N. 79
Sr. Angelino JoaMaybolog. Andrade. -Sen
lindme bastando ncbmmo rlieumailcas na caixa do pedo e tendo tomado
c!!vei\-"3 remedios e nao tendo melhora alguma,
resolv tomar o seu moito acreditado Elixir, c
apenas com urna garrafa iqnei completainente
restabelecido
Pode Viu<-. fazer desta minha declaracao o
uso que Ihc aprouver.
De Vmc. criado c obrgado
Recife, 23 de Julho de 1887.
Manoel Pinkciio dc ilsndonm.
Estuvam selladas e rjcoaiiocida as liradas
pelo tabelliao.
Advogado
O bacharel Joaquim Manool Vieira de
Mello, residente na cidade de Bezrroe
encarrega-se de caucas criminacs, civis e
commerciaes n'aquella comarca e as de
Bonito, Victoria e Caruar.
Revista do Mercado
RCIKZ, 3 DE AGOSTO DE 1889.
O movmeuto limitou-so a pequeas tran.ac-
ces no mercado de cambio c no de a.'godo.
Bols
a
lTayOES OFFICIAES DA JUNTA D08 COK-
BE TOKES
Recife. 3 ae Ayoslo de 1689
Nao houve cotaco.
o presidente,
Candido <;. fi. .'Icoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeox
Professora
Por casas particulares, na cidado ou nos arra-
baldes, offerece se urna senhora paraleccioOaro
seguintc :
Portuguez, francez, italiano, g-, rgraphia, piano
(ratKtlho de agulha, lioruados e ores.
Garu'.ia. As discipuias effectivaa que tem e
diversos alteslados de pe&oas ilustradas.
A tratar na relajeara do Regulador da Mari-
nlia, ra Larga do Rosario n '.
Cota-se a ItioSiM, por pipa de 480 litros.
Cota-se a 200S00-:) por pi a de
iSO litros.
Cirurg-io Dentista
DR. ROBERT P. RAVVLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tern aberto o sen cnsul-'
torio, na ra Barao do Victoria 18, 1* an- *
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
vire
co
Cambio
Por ser iiinanbi dia de mala para a Europn,
bouve pono moviinentc.
y'Qs bancos niantiveram a lasa de 25 7/8, ac
cando a 27 d.
Papel particular 27 I 8, exigindo o? bancos 27
1 : lti.
lo pharmaceutico Joao da Silva Silveira,
de Maio "de 1886.Dr. Ray- :Pcl 1ue considcra um cxcellente pre-
ceutcoo Sr. Jota da Siiv Silveira, mundo V. da Silva.Est reconhecido! Parado fuPenor ^s que importamos do
bom resultado e por isso o reputo na forma da le pelo tabelli2o Luiz Felip- (
O referido verdade pelo que pacsa o
presente que affirnia in fulo medici.
Joao da Silva Silveira,! Jaguarao, 5 do Maio de 1886. -Dr.
e chimico em Pelotas. Diogo Fernandos Alvares Fortuna.Est
subido prazer que veriho reconhecido na forma da lei pelo tabclliilo
jobo bom resuttaio e por isso o reputo na iorma ua e
3in excellente remedio para combaUr as pe de Almeida.
alestias de fundo escrophuloso. O refe-
rido verdade c por me ser pedido passo Illm. Sr.
j presente sob a f de meu grao. pharmaceutico
Pelotas, 29 de Abril de 1886.Dr. E' como mais
Gervasio Alves Pereira. Est reconheci- aecusar o recebimento do seu prezado la-1 Luiz Felippe de Almeida.
4 na forma da lei pelo tabelliSo Luiz Fe- vor de 5 do corrente acampanhando um j
Sppe de Almeida. frasquinho com 50 pilulas formuladas pelo Eu abaixo assignado doutor em medicina
consummado e distincto pratico, o Ilustra-' pela faculdade do Rio de Janeiro.
En abaixo assignado, doutor em medici- do comraendador Dr. Miguel l'odrignes j Attesto que tenho empregado ora mi-
sa pela faculdade do Rio de Janeiro, Barcellos, e preparadas com toda perfei- nha clinica, c sem com cxcellente resulta-
medico do hospital de Misericordia des- cao e nitidez por V. S. Na verdade nilo do, principalmente as affeccoes de ori-
ta cidade, etc. posso deixar de elogial-o pelo relevante ser- gem syphilitica, o Elixir DE Nogueiba,
vico que V. S. tem prestado e ha de pres-
tar sciencia medica. Eutendo que o
Separauo aouisuncio pr.armaceuiico joao meu nubre amigo digno de todas as
, Silva Silveira, nio s na clinica civil- attencoes e merece ser auxiliado por to-
clinicos desta proviucia e fra
Attesto que tenho em regado o Elixir
Nogueira, Salsa, Caroba e Gaiaco,
reparado do distincto pharmaceutico Joao
Silva Silveira, nao s na clinica civil-
samo na do hospital, com o mais espen, i dos os
ido resultado, o que aftirmo ser verdade.; de la.
Pelotas, 5 de Maio de 1886. Dr. An-' Declaro-lhe que tenho empregado o seu
.Salsa, Coeoba e Gaiaco, preparado do
Sr. pharmaceutico Joao da Silva Silveira.
O que affirmo sob a f do meu grao.
Jervai, 7 de Julho de 1886.Dr. Jos
Adolpho Rodrigues Ferreira.Est reeo
nhecido na forma da lei pelo tabeliio
Luiz Felippe de Almeida.
Amigo e
OO
5-
Sr. pharmaceutico Joo da Silva Silveira.Em contestacilo a sua pergunta, relativa aos resultados que tenho
Ltido com a~applicacao do ELIXIR DE NOGUEDA, SALSA, CAROBA e GUAYACO, tendo a satisfacao do communicar
ie o segninte : >.
Fazem seguramente cinco anuos que emprego na minha clinica o seu j to reputado Elixir em rauiaSvaffeceu s de
aatureza syphilitica e em algamas dc fundo escrophuloso, tornndose mus notorias as virtudes curativas deste -preparado as
prkseiras d'aquellas atlecyoes. V.
Com o seu uzo prolongado nunca observei as perturba9r3es gstricas qne sem npparecer qaando Rpp^camos outros\rao-
ficamentos congeneres, tornando por isso segura o fcil a sua administragao at as creancas. \
N.lo hesitarci em recommendal-o com confianza nos estados pathologicos supramencionados, sendo como a nobre mi
3o do medico contribuir para o allivio e bem estar da humanidade que soffre.
Autorizo o a que faca o uso que lhe convier d'esta minha declaracao o disponha do amigo obrgadoDr. Afees
[ y Eenito.
NICOS DEPOSITAMOS EM PERNAMBUCO
No Rio nio honre alteradlo no mercado.
TA1I.LLAS AKFIXADA9
1
rr

n.
s s
15
c
a M p O %
s B cr u 3. 3 *7
a 'i 03 dS
-J O "
9
3 O t
" a
9 *
o
a
" i ii tmi\
. I
i^ s
O n.
"p" c*s -I
o 04 <
CO




"t
I
J3
* t>
S
l* .-* co
O m -:
S
s
a
S3

Francisco Manoel da Silva I
23Ra Mrquez de Olinda23
esos: Duzia 303000--------Vidro .
i e> i
8 j 3)
el
Algodao
! soi le do sertao regula de G^iOO a "000
bor lo kilos.
3BOOO
mir um pouco, nenhum allivio sent. Logo
depos, o enfermo torna-se nervoso e iras-
civel, e o seu espirito nao v senlo tristes
presagios. Elle sent vertigensurna es-
pecie de ton tura na cabecaquando se le
vanta sbitamente. Ha prisSo de ventre ;
a pelle torna-se secca e quente alternati-
vamente ; o sangue acha-se espesso e iner-
te ; & cor do branco dos olhos amarelien-
ta; e a uriaa quasi nenhuma e muito
corada, deixando um deposito no vaso. O
afligido muitas vezes ebrigado a vomi-
tar os alimentos que toma, e estesvomitos
deixam-lhe na boca um gosto urnas vezes
amargo e outras A'ezes a estado de coisas irequentemente seguido
de palpitacSes do coraclo. Enfraquece a
vista do doente, e elle pai-ece ver nodoaa
diante dos olhos, sentindo um grande can-
caco e c.ebilidade. Estes symptomas ap-
parecem cada um por s ia vea. Dizem
queixa-se de um can-JqUe 0 terco da nossa populacao sofire da-
ENFERMIDADE E' ESTA QUE
NOS ACOMMETTE?
Como o ladrao que nos ataca noite,
acommette-nos s oceultas. Os affligi-
it desta docna tem dores de peito, de
iaos e, algumas vezes, de costas. NSo
irem fallar, e sentem necessidade de
r. Percebe se na boca um sabor desa-
vfil principalmente pela manha. Os
is cobrem-se de urna especie de ma-
viscosa; c o appetite desapparece. O
inte sent como que um grande peso
estomago, e, s vezes, urna sensacao
Ivazio no mesmo orgSo. Na boca do
ago ha muite fraqueza ; e a nutricio
produz satisfacJo. alguma. Os olhos
-se; e as maos e os ps esfriam,
proam-se viscosos. Algum terapo depois
pia urna tosse, secca no comeco, e,
ida com urna expectoracSo esver-
O doente
^Berminavel, e, quando pi-oeura dor-' ,jueua erfennidade sob alguma daa suas glaterra.
formas. Indubi avelmente, os mdicos sem-
pre s'enganaram sobre a natureza da cita-
da molestia. Alguns trataram-n-a como
affeccSo do figado ; e outros como doenca
dos rins; mas nenhum tratamento conse-
guio cural-a, porque o remedio devia sea
susceptivel de obrar harmoniosamente so-
bre cada um daquelles orgSos, e tambem
sobre o estomago. Nos casos de Dys;
popsia (sendo eate o verdadeiro neme da
enfermidade) todos os citados orgSos desor-
denam-se ao mesmo tempo, e pracisam de
urna medicina que possa obrar sobre to-
dos clles simultneamente. O Xarope
Curativo de Seigel produz um effeito m-
gico em esta elasse de padecimentos dando
um allivio. quasi inmediato. O Medica-
mento vende-se por todos os Pharmaceu-
ticos e Boticarios do mundo inteiro, e pe-
los Proprietarios, A, J. Wbite (Limited)
17, Farringdon Road Londres E. C. ln-
\ A exportacao, fcifa pe i alfandeira em 1 do
carrente. al tinglo a 63.102 kilos, sendo 30.03
pftra o exterior e Io.Ij para o interior.
As entradas verificadas at a data de boje, em
Jultio lindo, sobem a 8.013 suecas, sendo por:
aos.....

Anima
Viatferrea de Caruar.
7ia->ferca de S. Francisco.
Via-ferrea deLimoeiro

Somma.
AssBcar
1.268 Saccas
9*8
337
85 <
i87
i 708
8.013 Saccas
O i precos pa03 ao agricultor, por 15 kilos, se-
.Issocidio Coaimercial Agrcola, foram
guiutes:
...
jS.
ado purgado
bruto.
3J8O0 a Mu*)
3*000 a 3*400
24600 a 2*800
(firme) 2*000 a 2*100
1*700 a 1*900
A xporta'-io feita
corrente cr
ido, -
Barca cas
Vapoi es ....
Animaes....
Via-fi rrea de Caruar.
V'ia-frrea de S. Francisco.
Va-frrea do Linioeiio
Somma. .
- ela alfaadega em 1 do
.''"x kilos para o interior.
at a data de boje, em
u.utl saceos, sendo por:
2 331 Saceos
0.031 Saceos
el
.Cota-se 7<)U00 por pipa de 180 litros.
Congos
Oonroe salgados, 360 a 383 ris, domina!, na
liase le lkilos.
vui&i UAN i 3 i tO di: a- sr. un I6&
Ass.ucar rellriaflo (kilo) .... ;!0
Aasucar branco (kilo) .... t'
tsaocar mascavado (kilo) 153
.'.lcool (litro)....... 3.-.'
*rroz com casca (kil.o) 80
flgodo (kilo)...... 400
agurdente '..... 183
Borradla (kilo)...... 800
(kiur.">s seceos saiga-ios (kilo) 334
Cour?< seceos espicbados (kilo) itO
ouros verdes (kilo)..... 192
Cacao (kilo) ....... 400
i af bom (kilo)...... 000
Cal restolbo (kilo) ..... 400
adiara (litro)....... 80
Carnauba kilo) ........ 2G0
tarecos de algodiio (kilo).... lti
,' arviio ile pedra de Carditf tou.) 16*000
Farinlia de mandioca (litro.i 100
Fallas de jaiiorau.lv (kilo; ... 300
Gcnebra (litro)...... 200
Graxa......... 158
Mol (litro)........ 10
Milbo (kilo....... 120
Pao Brasil (kilo) ...... 33
Taboados de amarello (duzia.) 100000
[.%'avls t descarga
Barca ncueguense (lepen, virque.
Basca nsrueguense Arcn/lil. rarvo.
Barca norueguense Speranzi, ca-vao.
Barca nicional C-cilia, varios eeneros.
Barca allem/. F. Pust; carvo
lisruna alterna Friiz, xarqoe. .
i.^rar nacional Tigre, xarqoe.
Lugar norueguense Atta/ro;, curvas.
Lugar inglez Indiana, (rraxa
Lo^'.ir noiuesuenje ltoen, sebo.'
Lugar nacional Loyo, xarqne
Patacho nacional Rwal, xarque.
Vatacbo iuglez Hafrcii, xarque.
Patacho aliemao Mari con Oldendirp, xarque.
Patacho hollandez Broederiror, xarque.
Patacho ailemo Frclenck, xarque.
Patacho portuguez Ventas, varios gencro3.
Imjioia\io
Lugar americano lumnah M. Loon, entrado
de Bultimorc, cm 3 do corrente consignado a
Machado Lopes & C, manilestou ;
Farinba dc trigo 6,0J0 barricas aos consigna-
tarios.
Vapor aliemao Catama, entrado de New York,
cm igual data e consignado a t. Pater & C, ma-
nifestou :
Fannha de tr'go 4,000 barrica? a Machado Lo-
pes & C.
sxporiacao
RBCIF2, 2 DE AGOSTO DB 1889
Para o exterior
No vapor ailemo Cniguiij, cirregaram :
Para Hamburgo, V. Xccsen StHJ courog sal
gados com 2,400 kijos. *-.
No vapor inglcz Betene, carregaram :
Para Liverpool. H. Burle C. 732 saccas com
60,339 kilos de algodao, M. Borge3 & C. 200
saccas com 12,979 kilo3 d atirodao ; M. Lima &
C. 336 saccas com 22,549 kilos de algod.lo ; Ro-
drigues Lima 4 C. 150 saccas com 10.487 kilos
de algodo.
Para o interior
Na escuna allem Frit:. carregaram :.
Para Rio Grande do Sul. Amorim IrmSos &
C. 300 barricas com 28,980 kilos de assucar
branco.
No vapor nacional Manos, carregaram :
Para Rio de Janeiro, A. Maia 6,000 cocos,
fructa ; J. A. dc S 31 saceos com 1,920 kilos de
assucar mascavado.
Para Babia, M. F. Martin 30 barricas com
5,760 kilos de assucar branco ; J. T. Leite 2 ca
xas com 30 kilos de doce ; J. J. Fernandos 1
caixa com 168 espanadires de peuoa.
No vapor nacional Jaguarwe, carregaram :
Para Aracaty, P. AIve3 A C. 7 barricas com
333 Kilos de assucar branco e 10 barris com 960
litros de mel; J. F. Leite 10 saceos com 250
kilos dc fo de algodao.
Para Maco, A. Flores 6 garrafOes com 78 li-
tros de genebra.
No vapor nacional Jacultipe, carregaram :
Para Penedo, P. Alves 4 C. 9 barricas com
810 kilos de assucar refinado.
No cter Jaguarary, carregaram :
Para Natal, P. Alya <* C. 76 volumes com
4.000 kilos de assucar branco.
O r. Jos Lmigdio Goiicalvcs Lima, iuiz muni-
cipal e do civel do termo de Ipojuca da co-
marca do-Cabo, por S. M. Imperador, a quem
. us guarde, etc.
Fac sebera quem o presente edital de braca
irem ou delle noticia tiverem, que no dia 10 do
orrente, s 12 horas do dia, serao arrematadas
a oiiem mais dere mtior lauco offerecer, as pir-
le? doengenho Meres, situado neste termo, co'i'
sus obras, utensilio?, matas e louradouros, que
foram penliorados ao Barao e Baroneza de Me--
ci, por ejtecucJo que contra os mesmo> fui me-
vi.ia pelo linado Dr. Jos Domingos da Coste.
tujas partes foram adjudicadas ao Dr. Francisco
do Reg Bairos de Lacerda, eru qualidade e
adquerenle e este no praso legal que lhe foi as-
signado nao fez o deposito do proco da avalir&o
que de 47:0 0.000, prego pelo qual vai pin -
o.i no da, hora e lugar cima designado, e
conformidade com o art. 24 c seguintes do de-
Pelo vapc* nacional Jaguaribe, para :
Mossor 8.O0O-50 i)
ISendimeatos publico
Ki.z >K AGOSTO
ti'cebedorJa Geral
'Do dia f 1.3895428
dem de 2 t.483>9il
3:078*309
i&cehcb6>ria provincia!
Do dia 1 3:365*051
dem le 2 l:330ls9
4.696*1*1
Recife Uralnase
BO dia I 1.023*680
dem de 2 470083
creada Municipal Ue
O movimento Ueste mercado no
Agesta foi o seguintc .-
Entraram :
36 bois pesando 4.034 kilo3.
1103 kilos de peixe a 20 ris
30 cargas com foliaba a 2iX ris
3 ditas com fejao a 200 ris
H ditas de (metas diversas i 300ris
10 taboleiros a 200 ris
9 subios a 200 ris
31 matulos com legumes a 200 ris -
Foram oceupados :
23 columnas a 600 res
l escriptorio a 300 ris
23 compartimentos de farinba a aOJ
ris
24 ditos de comidas a 300 ris
86 ditos de legumes e fazendas a
4 ris
13 ditos de subios a 700 ris
8 ditos de fressuras a 600 ris
40 talbosa2*
lom
da 2
e
22*100
6*000
600
3*200
2*0(11
1 *800
6*2uo
Kv.l
300
12*3kJ
12*090
34*400
lOiMW
4*800
80!K)
Rendiraento do da
rente
1 do cor-
212*103
200*340
Diabeiro
EXPEDIDO
Pelo vepor nacional tManos, para:
Rio de Janeiro
3.000*000
o arrecadado liquido at boje
Precos do dia:
Carne verde de 20) a 480 ris o kilo.
Carneiro de 720 a la ris dem.
Suinos dc 500 a 640 ris dem'.
Farinba de 603 a 803 ris a cuia,
Milhode 300 a 440 r:3 idem.
Fe:;io de 1*000 a 15200 idem.
Vapores a entrar
MEZ DE AGOSTO
Sul........... EIbe\...........;.
Europa....... VOU de Montevideo.
Sol.......... Pernambuco.......
Europa....... Nerthe............
Sul........ Ville de Cear......
Sul.......:... P. do Grao Para...
Norte......... Mitranho.........
12*540
4
5
7
10
10
12
14
Sul........... Alagos............ u
Vapores a sahlr .
MEZ DE AGOSTO
Southamptom. Elbe.............. 4 as
dantos c esc.. Ville de Montevideo S as
Bahia e esc .. JaaiAype.......... 7 as
Norte........ Pernambuco....... 8 as
Fernando___ Una.............. 8 as
Bucnos-Ayres. Nertkt............ <0 a
Havre e esc.. Ville de Cear..... H as
Sul.......... Maranhao......... | as
Norte........ .-lagoas........... 18 as
12 n.
10 h.
r.
8 r.
5'n.
I ft.
4h.
5 c.
6 n.
ifOTlmeato do porto
Navio entrado no dia 3
Baltimore53 dias, lugar americano Han-
nacfo M. Loon, de 518 toneladas, capi-
tSo L. M. Bird, lquipagem, 8, carga
farinha de trigo: a Machado Lopes
Navios aliidos no mesmo dia
Hamburgo e escalaVapor allem2o Uru-
guay, commandante H. Mahlmaun, car-
ga varios gneros.
Cear e escalaVapor nacional Jaguaribe,
commandante- Alfredo Monteiro, carga
varios gneros.
New-YorkLugar nacional Duas Amen-
cas, capitlo Francisco G. de Mattos, em
lastro.
NatalHiate nacional D. Antonia, mestre
Antonio Q. da Silva, carga varios g-
neros.
BarbadosBarca norueguense Ferda, ca-
pitAo J. Nielsen, em lastro.
ObservacSo
Procedentes da Europa fundearam no
LamarSo os vapores aliemao Catania e in-
gles ElHow que nao eommunicaram com a
trra, e entram amanb para o ancora-
donro.
r
1
'
1:493*7C3 .


&



I
creto n. 3,272 de S de Outubro de 883, manda-
do observar polo u Hela
co do disinti em i de Agosto de 1888.
E para que chegue nolibia a todos, raandei
o porteiro do juizo sllixar a presente no lugar
do costume, passando a respectiva certido.
Dado e pateado ncs'.a villa de Ipojuca, 1-
de Agosto de 1889.
Lu, Jos Genuino Ferreia, escrivao, escrevi.
Jcs Xmigdio Gongalves Lima.
O Dr. Francisco ca Cunha i'astelh Bran-
ca, juiz de dimito especial do onunereo
da cidade e commarea de I.haoeiro de
Pernambuco, por &M Mogutad* Impe-
rial e Constttuciomil, o Sr. D. Pedro II,
a quem Deas guarde, ate.
Fago saber aos que o presenta edilal virem,
u delle noticia liver-.-m, que lindos os 20 dias
de prego e 3 presas, m lia de arrematar por
venda a quem mas uer e maior lance i.fferecer,
depois da andieocM deslc-juizo. urna casa em
arraazem. sita a ra da Auroran. 15, desta cidade
de Limoeiro, construida de alvenaria de lijlo
coc argamassa de cal e areia, medindo na sec-
co principal, de largura 1,720 centmetros e de
fundo 1,240 ditos, um grande telheiro de toda a
largura, annexo ao edificio, com 1,72 centme-
tros de largura e de fundo 1,439, construido de
paredes singellas, auoiadas em pilares.
Tein o predio um grande quintal de toda a lar-
gura, com 3,540 centmetros de fundo, leudo no
dito quintal lous ti -luciros, um de cada lado, so-
bre pilares, adan lo se n'uiu um forno para co-
sinhar pao e no outro um assentamento de alve-
naria com um tacho de cubre para apurar oleo.
Dentro do referido quintal lia uais u::i pogo
construido de alvenaria com 430 centmetros de
dimetro e 1,020 centimcltps de profuudidade,
com bomba e encanann-nto de ferro para aspi-
rar .agua e repuchal-a at a caldeira.
Todo o ediiicio ladrlhado, inclusive os. te-
luciros e puchadas; fachada elevada cora 3 por-
tas de frente, obra de ycada.
Na secgao princip/ e no cenlro do edificio
est o escripforio, tendo um vestbulo feito por
um biombo de madeira de amarello, enverni-
sado. Acham se montados no edificio, sobre
fundagao de pedra e cal, urna fabrica de desca-
regar algodJo com prensa, debulhar, moer e
peneirar niilho, quebrar e extrahir oleo de caro
co de algodo, aquecer, prensar, llrar e anurar
leo de mamona, tudo a vapor e com as seguin-
tes pegas: urna machina de vapor horisontal
com cylindro e caldeira niullibular simiflxa de
.'7 tubos i!e 6 centmetros de dimetro, aruiago
para receber as polias de tranrmissao, aguIhOcs.
correias, (falta urna) maicaes etc. Urna ma-
china de descarojar algodo, de 35 serras;
una macliina de ferro para debulhar railho;
urna prensa de madeira, systema ordinario,
para prensar algodao; urna dita com mus
le pedra em ponto gratule para moer milbo, com
os accessorios; urna dita de ferro para quebrar
.arocos de algodao, com 10 polias; urna estufa
le ferro para aquecer seasentes de (arrpalo ;
duas prensas hydraulicas com gavetas ou cochos
para extrahir leo de mamona; dous grandes
depsitos dt-Flandres para lillrar leos, com tor-
eiras de mi-tal para descarga ; um dito dito sem
:iltro; um deposito de ferro de 120centmetros;
urna cisterna construida de alvenaria com arga-
.nassa de cal; um cofre prova de fogo, de John
Tann's, de 50 centmetros >^67 centmetros-. As
machinas sao todas do fabricante Tangye Limi-
ied Birminghao ; tudo isto consta da escriptura
Je hypotheca fefta pelo escrutado Manoel Jos
Dantas ao Banco de i rdito Real de Pernambu
:o, no valor de 24:0003000, conforme a clausula
mencionada entre o hypotlx'cantt o o hypothcca-
io.
Dito predio, denominado Guarany, machinas,
cCcssorios c utencilins cima declarados, vao
praca para pagamento da execuguo promovida
pelo Banco de Crdito Real de Pernambuco, j
icnconado, contra Manoel Jos Dantas. Pelo
que toda a pessoa que em dito bem quizer lan-
;ar, o poder fazer nos dias da piara.
E para que chegue ao conhecimento de todos
nanuei passar o presente, que ser publicado
peta imprensa e aflixado no lugar do costume.
Dado e passad nesta cidade de Limoeiro, aos
i dias do mez de Julho de 1889.
Eu, Manoel Bernardo Gomes Silverio, escrivao
lo coramercio, que o esertvi. Limoeiro, 2C de
lulho de 1889.
Francisco da Cunha Cusidlo Bronco.
5.a secgao.Secretaria da residencia de Per-
nambuco era 10 da Julho de 188!) :
Cor esta secretaria se faz publico para conhe-
imento de quem interessar, que, arequerimen-
"o de Jos Bernardino de Bourbora Arantes, fi-
a aberta a concurrencia, com o praso de triuta
lias, contados desta data, para o recebimento
le propostas referentes a fundagao de um mga-
iho central de typo raaior, de que trata o art.
8 da lei n. 1865 de 11 do Agosto de 18i5, me
ante as condiges do art. 16 da mesma lei e
!a de o. 1972 de 22 de Margo ultimo.
(Assignado).O secretario, Francisco L. 3a
inho de Souza.
5.* scelo. Secretaria da Presidencia
'le Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
.-rdern do Exm. Sr. Dr. vicepresidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
3ne, tendo-se concluido por meio de lando
e arbitro desempatador, a questSo de ava-
iagao do material da empreza de illuini-
sacao gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zcs, contados da data do presente edita!,
para contracto da dita lluminaciio, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
? 3." Nenhnma proposta ser recebida
sem que o proponentc com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000$
em dinbeiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
4." O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante senSo lindo o contracto e
sirvir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5. O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
| 6." A nao ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponnte.
| 7. O novo contractante sera obdi^a-
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por forga da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
in lemnisacio ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o material
obras da empreza hj-pothecados pro-
vincia at que estela realisada a indemni-
-agao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8." O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
9. Opreco da illuminagao, quer publi-
-i, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fasendo-
e urna reduccSo de mais de 30 |0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartieres publicas.
O systema mtrico, si fr
3er em numero muaor de seis, nem malor
le dea, devendo testo caso haver urna
reduego no prego do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
g 14. O contractante ser Abrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente seuolver as questSes que
se suscitarem, quer cun o governo,
quer com os particulares, licando sujeitos
todos os seiss acto.} s leis e regulamen-
tos e jurisdiego dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
15." O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros-, no houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melbo-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, una vez adopta-
dos na cOrte do imperio ou era aigumn ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da Iluminadlo pu-
blica e particular ser i'cito em noeda do
paiz, sem attengac oscillaglo do cambio.
17. O contractante, poder organisar
companhia, a qunl fcar subrogada eTi lo-
dos o^ diroitos o o irigagSes do confnict.
S !:^:' '.irr. .is despozas com a fiscaii-
> ilo t-.-vioo do iilumiuayilo o contrac-
tante < iiieoric-r siiiiualinente com a quan-
tia de .T:0OQOCd, que scnlo recolhidos ao
Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
belecer as multa c mais condiges, no
intuito de garantir a boa execugao do con-
tracto, quer com rulacZo a illumingao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:9170528, de accordo con?
a avaliagao feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Margo ultimo, visto deducir-
se d de 998:777^528, total da avaliagao,
a importancia de 3:860)5000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bragos com lam-
peSes, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaqun Sveira.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminagao a destagaz
cidade por sea gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
eao do cdital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminagao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
quanto foram avalladas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
base para a indemnisagao da empreza
actual a quantia de 993:777(5,28, por
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pe presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliagao nao pode servir
de base para tal indemnisagao, por ter
sido Ilegal e irregularm'inte feita, bem
como que contra ella j protcs ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicagao para scieneia dos in-
leressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Georas Windsor,
Gerente.
Diario de Pernambuco-^Domingo 4 de Agosto de ,1889
SANTA ISABEL
Empreza dos arllsls
EDUARDO RODRIGUES KJUKLKNA BAI.SKMAQ RODRIGUES
DIREC^iOD ACTOR
DECLARCOES
Juizo dos Feitos da Fazenda
Nacion.il
K*rrlo Beso Barro
Perante o Sr. Dr. jniz substituto dos Feitos da
Fazenda LindoloO'llisbello Corrcia de Aranjo,
no dia 9 do viodouro mez de Agosto, s 11 horas
da manh, depois da audiencia, se vender em
praca publica os bees seguintes :
Um sobradinho de tijolo c cal, com urna ota-
ria em seguimento sobre csteios de madeira,
coberto de telba, sito no lugar dosCoelhos n. 19,
freguezia da Boa-Vista, pelo prero de 990J, per-
leucente a Antonio Carneiro da Cunha, e penlio-
rado para pogamenlo da Fazenda Nacional e
outros.
Outra olaria sobre pilares de tijolo e cal, co-
berta de telba, de n. 23, sita nos Coelhos, fre-
guezia da Boa-Vista, avahada por 4:C00., per-
tencente a Vicente Perreira dos Santos Barros, e
penhorada para pagamento da Fazenda Nacio-
nal c custas.
Bcciler 30 de Julho de 1889.
O solicitador da Fazenda Nacional,
Liz Machado Botelho.
28*800
329J82
1:8163720
16843O0
12:463*750
4:559*0 0
190*000
600*000
Thesouraria de Fazenda
De ordem do lllm. Sr. inspector, convido os
credores de dividas Je excrcicios lindos, abaixo
mencionados, a virem receber as respectivas
importancias.
"ompanliia Pernambucana
Manoel Joaquim Alvos da i'osta
Francisco Manoel da Silva & C.
Jos dos Santos Oliveira
Maia c Silva & G.
Joaquim Alves dt Silva Santos
Luixvehans
D. Mara da Motta Leal Loyo
Becife, 2 de Agosto de 1889.
O secretario
Dr. Antonio Jos a> Sant'Anna._____
Engeno central de S. Lou-
rengo da Matta
A companhia Toe North Brasilian Sugar Fac-
lories Limited acceita propostas para forneci-
mento de caiins Jao engeuho central de Tiuma
pela estrada de Trro do Becife ao Limoeiro,
mediante ajuste, e pede aos senhores que quize-
rem vender canoas que communiquem ao es-
criptorio no largo do Corpo Santo n. 17, primei-
ro andar, ott ao engenbo central, oide Ibes se-
rio fornecidas as necessarias explicagoes.
William Deir Hay
Representante.
ESPECTCULO EM GEANDE GALLA
Para festejar o feliz regresso de Sua Alteza o Sr.
CONDE D'EU
E COM A PRESENTA DE SI.' O SR. PRESIDENTE
So dia da chegada de Scia Alteza
PROGBAM3LJAHB8TA
HYMNO NACIONAL
Cantado pelas actrizes D. BALSEMO e D. AI VERT, e toda a companhia.
*."
O l.'1 acto da comedia em 3 actos de SARDOU
Os Dminos Cor de Rosa
3.
Em scena aberta tocar urna brilhante ouvertura banda musical do CORPO
DE POLICA dirigida pelo hbil professor Candido Filho.
4.
2." acto da comediaDMINOS COR DE ROSA.
*.
3. acto da comedia DMINOS COR DE ROSA.
Nos intervallos tocarao todas as bandas de msica.
' A' chegada de Sua Alteza estar formada a porta do Theatro urna guarda
de honra. ,
Principiar as 8el|2
=*#
Os bilhetes de camarotes de 3.* ordem, cadeiras de 2.a, plateas e paraizo
venda desde j na bilheteria'do Theatro de Santo Antonio e no dia do espectculo
no Theatro Santa Isabel.
=#=
llavera tens at Apipucos c bonds para todas as linhas.
PRECOS DO COSTUME.
HIPPODROMO ~
3000
(SIN
lili i aiwft1
2.
3.
4.
...
.
Obras publicas
De ordem do Illo. Sr. engenheiro director
J systema mtrico, si tOr mais ^,6 era virtude da anlorisa'co de S. Exc. o
ser adoptado para a medi-'^r. 1. vice-presidecte da provincia de 16 do
conveniente,
*So do gaz.
| 11.* A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranhas, que possam pre-
dicar a illuminacao e a hygiene publica.
g 12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
8 13.. As horas de illuminacao publica
serito fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada auno, nao podendo
presidente da |
corrente, faro publico que no dia 8 de Agosto
proiimo viridonro, ao meio dia, nesta directo
na recebe-se propostas em cartas fechadas,
competentemente selladas, para execucao dos
reparos precisos na ponte da Magdalena, sobve
o rio Capibaribe. ni importancia de 9:687*J00.
Para concorrar a praca acimao deverao os lici-
tantes depositar no Thesouro Provincial a quan-
tia de 479*360, equivalente a 5 0,0 do valor do
orcamento.
Secretaria da dircclona geral das Obras Publi-
cas de Pernambuco, em 80 de Jolbo de 1889.
0 engenheiro secretario
Luiz Antonio C. de Albuquerque
i; CORRIDA
A reaJisar-se no dia 11 de Agosto de 1889
1. PAREO 11 DE AGOSTO850 metros. Animaes da provincia, que nao
tenham ganho em distancia superior a 1.000 metros no Hippodromo
em 1889. premios : 2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e
200000 ao terceiro.
PAREO PRADO PERNAMBUCANO 1.400 metros. Animaes de menos
de meio sangue que nao seiam da provincia, premios : 2500000 ao pri-
meiro, 600000 ao segundo e 250000 ao terceiro.
PAREO DR. PEREIRA SIMES 850 metros. Animaes da provincia
que nao tenham ganho em maior distancia nos prados do Reeife. PEE-
MOS: 2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
PAREO HIPPODROMO DO CAMPO GRANDE1.009 metros. Animaes
de qualquer paiz. premios: 5000000 ao primeiro, 1000000 ao
segundo c 500000 ao terceiro.
PAREO EXTRA 700 metros. Egnas da provincia, pbemios : 1500000
a primeira, 300000 a segunda e 250000 a terceira.
PAREO DERBY CLUB DE PEBNAMBUCO 900 metros. Animaes da
provincia, pbemios : 2000000 ao primeiro, 800000 ao segundo e
200000 ao terceiro.
. PAREO EXPERIENCIA 700 metros. Pequiras da provincia com l,m28
no mximo.' premios: 1500000 ao primeiro, 300000 ao segundo
e 150000 ao terceiro.
' Observares
S serSo acceitas para cada pareo as 16 primeiras propostas abertas.
Nao se rcalisar o 4." pareoHIPPODROMO DO CAMPO GRANDE sem
que se inscrevam c corram pelo menos 5 animaes de 3 proprietarios difTerentes.
Os outros pareos nao se realisarao sem que se inscrevam pelo menos 5 animaes
de 3 proprietarios differentes.
Sera recusada a proposta que nao vier acomprnhada da importancia da ins-
cripsao.
A inscripsao encerrar-se-ha segunda-feira, 5 do corrente, s 6 horas da tarde
na secretaria do Hippodromo, na ra do Imperador n. 65, 1. andar.
Previno aos Srs. proprietarios de pequiras que deverao apresental-os na terca-
feira, s 4 horas da tarde* no ensilharaento do Hippodromo do Campo Grande, afim
de serem medidos.
Reeife, 1 de Agosto de 1889.
O secretario".
Eugenio de Barros
A' REALIS AR SE NO
Dia 4 de Agosto de 1889
A's 11 horas em ponto
Os Ulnas. Srs.:
Delegado da directoraAntonio Carlos Ferreira da Silva. -
Juiz do ensilhamentoProfesor Francisco Carlos da Silva Fragoso.
Juizea de petagemDr. Manoel Goncalves da Silva Pinto e Arthur de Souza
Carvalho.
Juie de partida Benjamn A. Freitas Pessoa.
Juiz de eonfirmagSoFrancisco Floro Leal.
Juiz do distanciadoRodrigo Carvalho da Cunha.
Juizes de chegadaJoaquim de Oliveira Borges, Jos Peres Campello de Al-
meida e A. J. Machado.
Inspector geral de raiaMajor Ernesto Vieira de Araujo.
Inspectores de IlaiaClito Valeriano Pereira, Fabio da Silva Reg, Dr. Anto-
nio Tolentino Rodrigues Campos, Heitor de Souza, ManoelJ. Fernandes Barros, Tho-
maz do Carvalho Soares Brandao Filho.
Juizes de archibancadaBarao de Soledade, commendador Antonio Marques de
Amorim, coronel Sebastio Alves da Silva, Dr. Eduardo de Oliveira, Jos Eleuterio
de Azevedo, Dr. Jo3o Lins -__________________________________________
Irmandade do Divino Espi-
rito Santo do Recite
looielliu liweal
2, De conformidade com o art. 68 do nosso com-
promisEo, convido ao3 canssimos irmaos, ex-
jsizes e bemfeitores, se reunirem era o nosso
consistorio, domingo 4 do corrente, pelas II
horas do dia, alim de reunidos, darem cumpli-
mento ao disposto na 1.* parte do art. 83 do
mesmo compromisso.
Consistorio, 1 de Agosto de 1889.
O procurador geral
Luciano Jos Dias Guimaraes.
Arsenal de Guerra
De ordem do Ulm. Sr. tenente-coronel direc-
tor deste arsenal, distribue-se costuras nos das
5, 6 e 7 do corrente mes, com as costnreiras
pos8Udoras das guias de ns. 667 a 689, de con-
iormidade com as ordens em vigor.
Secs&o de costuras do Arsenal de Guerra de
Pernambuco, 4 de Agosto de 1889..
Flix Antonio de Alcntara
Alteres adjunto.
Indemnisadora
Esta companhia de seguros est pagando nm
dividen lo de 15*OXjO por accao, relativo ao ulti-
mo semestre lindo em 30 de Junho prximo pas-
sad, em seu esc iptorio a ra do Commercio
numero 44.
Becife, 2* de Julho de 1889.
Os directores
Joaquim Ahes da Fonseca.
Antonio da Cunha Ferreira Saltar.
Recebedoria de rendas inter-
nas geraes
impostos de industrias e profisses e predial
0 administrador da Recebedoria declara aos
senhores contnbuintes dos impostes de indus-
trias e prossOes e predial, que lhes fiea marca-
do o praso de tnnta dias para apreseDtarem as
reclaroagOes, que por ventura tenham de fazer
cora relscao ao ultimo lancamento ; e bem as-
8im que termina no dia 3 do corrente o paga-
mento, livre de multa, do segundo semestre do
corrente exercicio do imposto de industrias e
profsBoes, depois do que ser cobrado com
multa de 10 OJO.
Recebedoria, 1 de Agosto de 1889. '
Alexandre de Souza P. do Carmo.
aomei
r.
j
i
Pelln
"Xalnra-
litl.
Cor da vesti-
menta
Proprietario*
Io Pareo Consolar* 800 metrosAnimaes da provincia que nao tenham ganho no
Derhy nesta u maior distancia e nos outros prados do Reeife em distancia superior
a 830 metros. Premios: 200* ao Io, 40* ao 2o e 20* ao 3o.
1 Biscoutinho.
Esquimo.
Zambo......
Tiranno
Circo....... 3
Pomboca ().
Trigueiro...
Paladino.....
Humilde.....
Sans Souci .
Bonjonr.....
Schilling-----
5
5
4
10
5
5
Baio...:-----
Rodado .....
Castanho
Alazao......
Cardo......
Rodado.....
Zaino claro..
Castanho ...
Russo pedrez
Baio........
Zaino.......
Castanho ...
Pern.
33
53
53
53
50
3o
33
33
55
55
I Azul e encarnado....
Verde e branco......
Encarnado e ouro
Verde e amarello.....
Encarnado c amarello
V. e ene. c facha ene.
Encarnadoe branco..
o
Brancoe.ene. lislrado.
Ouro e branco.......
Branco e encarnado..
Azul e rosa..........
J. M.B. Cavalcanle.
Augusto de Miranda
F. R. Bamos.
Manoel G. Araujo.
Coudelaria Fragoso.
Antonio B. de Araujo.
Josu A. da Nobrega
J. B. V. Costa.
Joo Pi Fonseca.
D. A. L. J. d'O. L. M.
Carlos A. Barbosa.
Coud. Esterlina.
2 o PareoPrado da Estancia 1.000 metros-Animaes nacionaes at meio sansue
Premios 300* ao i, 60* ao 2 e 30* ao 3.
Buy-BIas....
Corcpvado...
Hisetle......
Maestro.....
Alazao...
Castanho.
Zaina.. .
Tordilho.
S. Paulo.. 57
Rio de Jan. 53
54
S. Paulo.. 55
Rosa e preto......
Encarnado e ouro.
Azul e ouro........
Encarnadoe preto-
A. Silva.
Coudelaria Paysand.
Oliveira & C.
Svdronio I. de Mello.
3 Pareo Prosperidade-900 metrosAnimaes da provincia que nao tenham ganho no
Derby em maior distancia. Premios 200* ao Io, 40* ao 2 e 20* ao 3o.
Bolaxinha.
Villige.....
I.i mi nes.. ..
Cyclone
Sneca.....
Corsa rio()
Guerreiro..
Elo.......
Guarany ...
Almirante .
Pao Brazil.,
5 !Russo......
8 Mellado.....
5 'Baio.........
4 jRodado......
t Russo pedrez
Rodado
Alazao caxito
; Castanho
1 Rodado.....
Castanho
Rosilho -----
Pern.
53
55
55
53
55
53
35
55
55
55
33
Azul e encarnado..
Jos M. B. Cavalcanle.
Jos Joaquim Dias.
Coud. Vencedora.
Encarnado e amarello1 Coudelaria Fragoso
Encarnado e branco.. Urbano Pessoa.
.................... 1. F. Silva.
Grenat..............Coud. Progresso.
....................Coud. Biachuelo.
Encarnado e branco.. Coudelaria Demcrata
Grenat..............Coud. Independencia.
Verde e ouro........C. H. Bibeiro.
4." Pareo-Internacional 1.700 metros Animaes de qualquer paiz. Premios: 500*
ao 1, 100*000 ao 2 e 50*OC0 ao 3'.
Apollo..
Vesper .
Diana .
Fagotin.
Ernani .
Gal ta..
Alazao -
5 Zaino..
5 'Alaz..
R. da Prata
Inglaterra.
Franga ...
a
Inglaterra-
54
32
49
57
57
55
Ouro e branco
Asul eouro....
Rosa e preto...
Ouro e branco.
Dr, J. de Sa C. de A.
Coudelaria Emulaco.
Coud. Internacional.
W M
Arthur Silva.
Coud. Emulago.
3* Pareo-Consolaco (2* turma) 800 metros.Animaes da provincia que nao tenham
ganho no Derby n'esta ou em maior distancia e. nos prados do Recite em distancia
superior a 830 metros. Premios : 200* a<*4", 40* ao 2' e 20* ao 3.
Thisbe....
ed reir...
Guarany...
Bismarck.
Berlim ...
Sport. .
Singaporc
Phebo. ...
Breas
Delegado
At-chim. -.
a Pera..... 50
3 B. pedrez. . a oo
5 !>
4 83
4 53
3 Castanho ... oo
5 j 55
0 Castanho---- .)>
3 Alazao...... 50
5 Castanho ... I 55
4 0 | 33
Auri-verde...........
Grenat...........'.
Encarnado e branco.
Branco e azul marinho
Encarnado ........
Violeta e ouro.....
Azul e branco.....
Preto ene. e ouro.
Grenat e branco.
Ouro e branco.....
J. M. de Abreu,
Coud. Progresso.
Coud. Demcrata.
F. F. Gongalves.
Jos Cavalcanle.
Cond. Republicana.
I. I. de Carvalho.
Coud. 1 de Julho.
T. I'ernambucano.
J. Malito Mariz.
J. da C. L. de Mallos.
fi. Pareo-Compcnaco 1. WO metrosAnimaes de qualquer paiz que nao tenham
ganho em inair distancia no Derbv, nestes ltimos tres mezes. Premios : 400*000
ao Io, 80*000 ao 2o c 40*000 ao 3o.
Estephanie..
Falstaffex-Me
Josephus(rov
Gallia.......
Ernani.....
Africana.....
Castanha
Alaz.
Zaina.
Inglaterra. 52
a ' 51
Franga ... 57
Inglaterra. 33
87
R. da Prata 88
Ouro e branco......
Branco e verde.....
Grenat..............
Ouro e branco.......
Bosa e preto........
Branco e preto......
F. C. Rezende.
A. F. de Azevedo.
M. Guimaraes.
Coud, Emulagao.
Arthur Silva.
Coudelaria Riachuelo.
7." Parco-Mi ni i
tus 800 metros Pequiras da provincia
30*000 ao 2o e 13*000 ao 3.
Premios : 150*000 ao Io,
Boulanger
Borracho
Pilhera...
Primus. ..
Capeta.
Iracema-..
Alazao...
Pedrez...
Castanho-
53
53
:
J 53 .
a 43
53
Branco e preto
Azul e grenat. -
Encarnado ....
G. V: de Carvalho.
J M. de Abreu.
J. de Araujo.<
Dr. A. ,A. d'Almeida.
T. M. de*Abreu.
J. G. da Cunba L'Oia.
(*) Montado por amador.
Em virtude da applicacjlo especial dos bilhetes de ingresso, archibancadas.
ensilhamento e cartSes de familia d'esta corrida, a directora decidi nao dar convites.
Os cartSes annuaes nao dSo ingresso.
Os animaes inscriptos para o le pareo devem achr-se no ensilhamento s
9 Ii2 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, deverao estar no ensilhamento
pelo menos urna hora antes da determinada para o pareo em que tiverem de correr.
Fede-se attencSo dos Srs. proprietarios para os additamentos feitos_ o reg
ment interno do Derby Club de Pernambuco e para os artigos 9, 10, 25 95 do
mesmo regiment interno.
O expediente desta corrida encerrar-se-ha sabbado, 3 de Agosto de l9t
s 3 horas da tarde.
A venda de paules encerrar-se-ha 20 minutos antes de cada corrida.
HORARIO
l.o pareo....... 11 horas e m.
2. pareo...... 11 e 50
3. pareo....... 12 e 40
4. pareo....... 1 30
- 5.* pareo....... 2 20
6.o pareo....... 3 o- 10
7.o pareo....... 4 e
Reeife, 1 de Agosto de 1889. ^T ,
O GEREN TE,
Henrique Schutet.



I
i '



f^"- HaV*v



?a

De ordem do Exm. Sr.
dente da provincia acha-se aberta, com o i
de 40 aias, t contar de hojt!, a- concurrencia pu-
blica para o recebimeuto de proposts das pea-
soas que pretenderen! comprar as caimas <
tentes na colonia Suassun e depropr
E3tado, devendo os concurrentes emeuasp.
postas tixaropreco da totalidade dos caniiavaes,
op dos lotes que preferirem e o prazo dentro do
anal procedero ao corte e remojao dascanaas.
As propostas sero feitas era cartas fechadas
e entrems na casa da adininistrar,ao da col
nia at "as i horas do dia marcado, sujetndo-
se os proponentes ao deposo de lOOJOOO, para
"aramia immediata da propwta e a perda super-
veniente das cannas que, por nao terem sido
logo cortadas, tenham de sel o as picadas que
se abrirem para a demarcaiio dos lotes rsticos
e urbanos: pertencendo-lhes, todava, essas
mesraas que forem abatidas por causa dos rtfe
ridos trabalhos que r. quert ni urgencia.
Recife, 3 de Agosto do-4889.
Gregorio Tluiumalurgo de Axevedo.
(jrabinete Portuguez
de Le tura
Soientilico a todos os socios desta institui^ao,
que a directora resolveu suspender o expedien-
te da bibliotheca, de 5 a 17 do correte inclusi-
ve, era virtude dos preparativos para a Cesta an-
iversaria a realizarse em 15 do mesuro.
Outrosim, rogo a todos aquelles que teem
obras em seu poder, a fineza de recolhel-as
bibliotheca at o illa 43.
Gabinete Portuguez de Leiiura, aos 3 de Agos-
to de 4889.
O 8 secretario.
Joao V. C. Alfarra.
Banco de Crdito Real
deP ernambnco
Nos termos dos arts. 5o e 6o dos estatutos, sao
convidados os Srs. accionistas realizarem at
o dia 34 do correte mez, na sede do Banco
ra do Cornmercio n. 34, u 6 entrada i'p 10 '.
do valor nominal de suas arcOes.
Recife, 4 de Agosto de 4889.
Os administraJ' n-s,
ilanoel Joao de Atitorim.
" Antonio Fernandes RibtrO.
Luiz Duprat.'
Recife DrainageV
A companhia faz publico, para conhecimento
dos interessados, que collocou no mez de Julho
prximo passado, os apparelhos abaixo decla-
rados :
Recife
Ra Mrquez de Olinda n. 62, apparelho n.
8,07o, terceiro andar. .
Santo Antonio
Ra Nova da Praia n. 4, apparelho n. 5,729,
terceiro andar. J
dem, idem, dem, dem, n. 5,731, soto.
Ra BarSo da Vietorki n. 25, apparelho n.
5,730, soto.
Boa-Vista
Becco da Cacimba dos Prazeres n. 4, appare-
lho n. 40,997, casa terrea.
Recife, 3 de Agosto de 1889.
J. F. Mackintosh,
'________________________Gerente.____________
Verein Hamburger
A ssecuradeure
Havarie Burean
Socledade de segnradare* rnarltl-
mo de Hamburgo
Secco das ataras
Pohlman C. fazem publico que foran pekp
Verein Hamburger Assecuradeure nomeados para,
em casos de avaria, representar as corapanhias
de seguros martimos de lUmburgo, e que elles
em todos os casos de avaria, se o seguro for
feito em Hamburgo, devem sem falta ser avisa
dos e consultados pelos recebedores de merca-
dorias avariadas, e pelos capites respeito de
avaria de navios.
Companljta tst Seguros
cokta reso
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posicao financeira (Desembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.134,348
Recelta annual :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000 -
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. Boxine.
SEGUKOS
MARTIMOS contra fogo
CoMpanhia Phenix Per
nnmburana
RA DO COMMKRCIO N. 38
Diario
SEGIRO CONTRA FOGO
Rojal Insui fomp# de Liverpool
CAPtTAJL t.OftOOO
AGENTES
R.DE DiUSINA&C.
13Bna Mrquez de Olinda13
SEGUROS
CONTHA FGO
The Liverpool k London k Globe
ltua do Cornmercio n. 3
SANTA CASA :
CAMA! PARA ALUCIAR
Ra do Vigario Tenorio o. 27, loja 200*008
dem idem idem 1" andar 48OJO00
dem idem n. 22, *i. andar 480*000
dem idem dem, 3.- indar 480*000
Recco do Abre* n. 2. I" andar 400000
Ra do Bom Jess n. 29, loja 340*000
dem idem n. 29, 4." andar 240,5000
dem idem 2* andar 2404000
Bispo Sardinha n. 3, loja 468*000
dem idem* n. 41. 2. andar 2404000
Ra da Moda n. 49 armazcfb 280*000
Idem do Mrquez de linda, n. 44, so-
brado- 2:134*000
dem idem n. 33. idem idem 4:2004000
dem de Thom de Socza n. 44, !
andar 280*000
dem Imperial n. 451, caza terrea 360j< 00
dem Imperador n. 81- 2" andar 301*000
Becco daLpetengio miiaguaj 96I000
Ambole" iVarzia ) 72OOO
S. Lourenco da Mutta 60*000
Becco das Boias n. 44, l" andar 480*000
de Pernambuco- *JPomingo 4 de Agosto de 1889
RoyalMiiSteain 1
Companhy
O vapor El.be
Commandante Arras
ncrado d*
Agosto, seguindo
neceasaria para
-mora
S. Vicente, Lisboa, Vigo, Sou,tLampton e
Antuerpia
Reduccjlo de pamagens
Ida Ida i volt a
i Lisboa 1 clussa 20 -30
A' Southampton 1' claaee 4 28 4.42
Camarotes reservados para os passageiros df
Pernambuco.
Para passagens fretea, encommendaty Irata-se
com os -
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ba do Bom Jessifc 3
t'OHP.lMII.t l-niVAHBI CA\ l
DE
Xavegaco costeara por vapor
PORTOS DO .SUL
Macei, Penedo, Aracajo' e Babia
O vapor Jacuhype
Commandante Pereira
Segu no dia do 7 Agosto as
5 oras da tarde. Recebe car-
at o dia 6.
ST *
MARTIMOS
Companhia
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificio e mercadorias
Taxas baixai
Prompto pagamento de prejnwo*.
CAPITAL
Rs. 10,000:0004006
AGE.NTK
BMW.Vti A C.
N. 5RUADOCOMMERCION. 5 i
ronp\ai.iA PER\.inrtA.\i
DK
3 avegaeo costelra por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Una
Commandante Seraphim da Silva
Segu no dia 8 de Agosto s 12
' horas da manh. Recebe carga at o
Passagens at as 40 horas do di da sabida
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Londoo & Brasilian Bank
Limited
Rtia do Cornmercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo bar. 30 em Portugal sendo
em Lisboa ma dos Capetlistaa n. 75. N Poft, rt dos Inglezes.
im>EMNISAD OR A
Conpanhin de Segaros
MARTIMOS E TERRESTRES
RvlMhelcri'.iA osn !<(M
CAPITAL l,OOO:00O#OO0
SLMSTROS PAGOS
At 31 de Ur. mbro de f 881
Martimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316:000^000
44Raa do Cornmercio44
&
Companhia de Sepros
AGENTE
Miguel Jos Alves
SEGUROS SIAR1TIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica compannia
nesta praga que concede aos Srs. segurados isemB-
S*o de pagamento de premio em -oa4a sefimo
anuo, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 45 por cento te favor das segurado .
Companhia Bahi ana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
O VAPOR
Prinfipe do Gao-Para
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
at o dia 42 do corrente* e de-
pois da demora do oostume re-
igressar para os mesmos
Para carga, passagens, encornmendas e ainnei
ro a frete trata-se cora o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
________17Ra do Vigario 17
Companhie de Messageries
Mari times
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Camoin
E' esperado da Europa no
dia 40 de Agosto e segui-
r depois da demora ae-
cessaria para
Baha, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer lempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercadu-
ras que so se attedera a reclamacOes por fal-
tas, jios volumes, que forem reconhecidas na
occasio da descarga, assim como deverSb den-
tro de 4* horas a contar do dia da descarga das
alvarengas, fzerem qualquer reclamaco con-
cernentes a volumes que porventura tenham se-
guido para os portos do sul, afim de poder-se
dar a tempo as providencias necessarias.
Ete paquete c illuniinailu a lu
elctrica.
Para carga, passagens, encornmendas e di-
nheiro a frete: trata-se cora o
AGENTE -
Aligaste Labille
9 Ra do Cornmercio 9
CHARGERS REUNS*
Companhia Franaeaa
DE
- Wavegaeo a vapor
uinha regular entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville de Montevideo
Commandante Viel
E'esperado da Europa at odia 3
de Agoto, seguiago depois da in-
dispensavcx demora para a
Baha, Rio efe Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelea
vapores desta linba, queiram apresentar dentro
de 6 das a contar do da descarga das alvarengas
qualquer rec!amar,fio concernente a volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
mi afim de se portei dar a tempo as provi-
pencias necessarias.
Expirado o referido praw a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encornmendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o AGENTE.
O vapor
Ville doCear
Commandante Lainey
Espera-se dos portos do sul ate
o dia l de Agosto, 6eguindo
depois da indispensavel demora
para o Havre tocando em
Encornmendas, passagens e dinheiros a frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia, Pernambucana
_____________ u. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS 0 NORTE
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do sol at o
dia 7 de Agosto e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte ate Manos.
As encornmendas so serao receidas na agen
cia at 1 hora da tarde do dia da saluda.
Para carga, passagens, encornmendas e valo-
s trata-se com os AGENTES.
res
PORTOS DO SUL
O vapor Maranho
Commandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do norte at
o dia li de Agosto e depois da de-
mora indispensavel seguir para o?
portos do sul.
As encornmendas sero recebidas no trapiche
3arbosa at 4 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
rea trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6*=Rua do Commercio=6
1 andar
LEILOES
Leilo
De fazendas
Constando:
Da caixa n. 692 com 2i7 killos dc.brim de li-
nho para vestidos, caixas ns. 446 e 447 conten-
do sargelim de algodo de cores, caixa n. 3 cero
pegas de panno de la, caixas n. 448 e 449 con-
tendo sargelim de algodo, caixa n. 4 com 48
pecas de casemira de l, parte da caixa n. 699
com 20 pecas de setim da China, caixas ns. 1433,
4434 e 4435 contendo cortes de casemira dita
para calcas.
Segnnda-f elra 5 de Agosto
A's 11 horas
No armazem ra Mrquez de Olinda n. 5
O agente Gusmao, autorisado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do cornmercio e a
requerimento do Dr curador liseal da raassa fal-
lida de D. P. Wild & C. far leilo com assis
tencia do mesmo juiz das fazendas cima men-
cionadas as quaes sero rendidas em lotes a von-
tade dos Srs. compradores.
IdMM*.
Kmimrk no porto
Conduz medico a bordo, de marcha rapiaa
e offerece excellentes edmmodos- e ptimo pas-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
m3o.
Recebe carga, encommendas e passageiro''
paraosquai xcellentes acoflmotlacOes.
Para carga, passagens, encornmendas e di-
oheiro a frete: trata-e* eom 6
AGEUTE
. t Aligaste Labille
9RA DO COMMERCIO9
Leilo
De movis, importante piano, lindo espe-
lho oval, loucs, vidros e trem decozinha
TERCA-FEIRA 6 DO CORRENTE
A's ti horas
Na casa sita ra da Saudade n. 34
c onuiand*
De 4 mobilia de amarello envemjsada de preto,
com 42 cadeiras de guarnico, 4 ditas de bragos.
4 sof e 2 consolos com peora, 4 importante pia-
no novo do fabricante Kapps, 4 cadeira para dito,
4 lindo espelho oval, 7 quadros de molduradou
rada, 8 eiagers, 8 jarros para flores, 4 lustre se-
nolate para gaz carbnico, S pannos de crochet,
2 escarradeiras, 4 tapete para sala, tapetes para
piano, portas e janellas, I cama franceza para
casal, 4 guarda vestido de raz de amarello, 4
toillet com espelho, 4 banca-cabeceira de cama
4 cama para solteiro, 4 commoda de amarello, 4
cabide de amarello, de columnas, 4 marquezo
para solteiro, 4 cabide de parede, 4 cadeira pri
rada, 4 guarda roupa, 4 quadres, l marquelo
largo, 1 cam i para chanca, 4 cabide de parede,
4 estante com gavetinhas, 4 estante para papis
I mobilia de Jacaranda, 4 gmrda-louca, 4 mesa
elstica, eom 4 taboas, 2 aparadores com pedra,
4 quartinheira, 4 relogio de parede, 2 jarros para
flores. 4 vasos para ditas, 2 bancas de Jacaranda
para jogo, 6 quadros, 4 lustre de bronze para
gaz carbnico, o arandelas para dito, louca para
almoco < jantar, copos, clices, corapoteiras,
garrafas, porta-queljo, baaderjas, tallreres, oo-
llieres, 4 commoda com peura para coimna.
trem de cozinha e muitos outros ohjectos.
0 agente Gusmo, autorisado por urna familia
que mudou-se para fora, far leilo dos objectos
cima declarados, no dia e hora cima indicados.
Guia, n. 3i, pertencente ao inventario do falleci-
do capitrio de mar e guerra JoSo Bautista de
uveira Guimnraes, t> qual rende 8Q4000 men-
saes.
Quarla-fclra. 1 do corrate
A's 44 horas em ponto *
No armazm travesa do Corpo Santo
n. 27
O agente Pestaa antorisaUo por mandado c
com assietencia do Exm. Sr. juia de orphjos,
vender a quem mais fler o referido sobrago auc
pelo seu bom rendimento chama a attencao dos
Srs. compradores.
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se o sobrado n. 46 ra da Roda
cora bons commodos e muito fresco, bem como
os dous pavimentos terreos"; quem os pretender
dirija-s. ra do Cabug n. 46, loja da Ventu
rosa.
Aluga-se o sobrado da ra de S. Jorge a.
420, com agua e gaz ; na mesma ra n. 434, ta-
verna.
Aluga se a casa n. 83 da ra do Hospicio,
com grandes commodos para familia e bem ar-
boriada^______ _____________^^
Aluga-se ura quarto na ra de Hortas n.
88, loja, por barato preco.
Aluga-se urna casa no Mooteiro, muito
fresca por ter janellas para o rio ; a tratar no
caes da Companhia Pernambucana n. 6, escrip-
tori de Bastos C._____________________
Precisa se de urna cosinheira ; a tratar na
ra Nova n. 39, 2- andar.__________
Urna pessoa com grande pratica de molha-
dos, olferece setis servigos ao cornmercio, po-
dendo quem pretender, procrala nesta typo-
graphu pelas iniciaes F A. S.
Alugam-sc as casa? terreas de ns. 9 tra-
vessa de S. Jos ; pateo do Terco n. 90 ; eslSo
limpas : a tratar na ra do Pilar n. 56.
Reforma Eleitoral
Acaba a L ica, a ra do Impera-
dor n. 73, di' publicar a segunda' edcgocda Re-
forma Eleitoral correcta e augmentada pelo Dr.
Francisco Teixoira de S, com todas as altera-
ces das le, decreto* negidamentos, avisos,
publicados al o prestte A pessoa que
enviar mu vale posltl na importancia de 400',
rcmette-se um excmelar brdbhado, registrado
pelo eorreio, ou 550((0 encadernado.
AIS DE 10:000 CURAS
Precifa-sc de urna ama para engommar e fa-
zer o mais servico de casa de pequea familia :
na ra Conde iTE n. 31 2- andar.___________
Ama
Precisa-se de urna ama para engommar: a
tratar no largo das Cinco Ponas n. I8:______
Ama
Precisase de una ama para cosinhar e que
durma em casa ; na ra Jos Guararapes n. 86.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar e com
prar, na ra Nova n. 20, lojn.
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar e mais
servicos.de casa, e que nao durma fra ; na ra
da Uni& n. 34-A.

Deca ra 0 capito Jos Firmo Pereira r!o Lago, testa
menteiro de Joaquim Teixeira Bastos, tendo de
dar cumprimento :.os legados, conforme a re-
duegao constante- da partilha, convido a auem
t; ver direito a recebel os e passar o competente
recibo. Recife, 4- de Agosto de 4889.
Attenc.o
Offerece-se unii senhora de meia idade para
tomar couta de urna casa de hornera solteiro ou
viuvo : a tritar na ra das Florean. 5.
2/ leiUo
Da casa terrear ra dos largos n. 15,
fregnezia do Recife, em solo proprio
Ter?a-feira O do corrate
A's 11 horac
Ra do Imperador n. 39
O agente Stepple, por mandado e asistencia
do Exra. Sr. Dr. juiz de direito de orplios, e a
requerimento do curador da interdicta Francisca
Bernardina da Conceigao Camino, levar a leilo
a casa cima ; desde ja po lera examinar.
Agente Pestaa
Lieiio
De 130 latas com cha, 9 preauatos para fiam-
bre, 600 garrafas com rinho Bortaaux 30 cai-
xas com cidra.
Terea-fejra, H do rorrete
rA's 44 horasm ponto
No armazem traveasa do Corpo Santo
n. 27.
Ao correr do marello
?gente Pestaa
Leilo
Do importante sobrado de dou* andares,
soto, sito loa roa da RestaHraco, outr'or
Entre amigos
Por falta de -pagamentos deixa de correr com
a primeira lotera do Para do corrente mez. e
sim com a ultima, -n rifa de urna trompa de mi
bemol, em perfeito estado.
E' barato
Venham ao 55 ver como se vende fa-
nendas com 50 /0 mais barato que em ou-
tra qualquer parte.
Cortes de cretone, combinagao, ultima no-
vidade, a 55O00.
Cachemiras, combina^ao com listas de seda
a 1400 ocovado.
Vestuarios de jersev, ultimo gosto, a 10)5
e 12^000
Amor da China, cousa chic, a 200 rs. o
covado.
Linons bordados com quadros, novidade,
a 800 rs. o-covado,
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Sargelina de todas as cSres, a 200 rs. o
covado.
tferins de cores a 500, 600 e 800 rs. o
covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Vestuarios para baptisados, muito bonitos,
uardanapos a 1<$600.
Cortinados para .cama a 5)5500.
: Sedinhas lavradas, o que ba de mais gosto.
Carabraia com salpicos a 4*5000 a peja.
Cortes de casemira para vestido a 25)5000
Renda da China a -00 e 240 rs.
Tecidos arrendados, 400 e 500 rs.
Zetiros, grande variedade, a 160, 200 e
240 rs. o covado.
Bico8 de cores a 35000 a peca.
Madapoln muito largo a 65000.
Luvas de seda a 2)5000, 2>55000 e 3i5000.
Mantili as pretas a 4*5500.
Cambraia Victoria a 2(J800.
Atoalhado bordado, lindos gostos, a 15000
o metro.
Grande sortimentos em toalhss de rosto.
Espartilhos coto couraja a 45000, 5)5000 e
6*5000.
Nunzucks a 240 re. o covado.
Pannos de crochet.
Cretones para coberta, muito bonitos a
500 rs. o covado.
Cambraia suissa, tina e muito bonita a
7,5000.
Babados e entremeios grande sortimento e
barato.
Pichas de lnho a 1J000.
Ditos de seda a -4,5000.
Ditos de la 5f5000 e '6,5000.
Grande quantidade em tapetes pequeos e
grandes.
Cretones muito lindos a 4C0 rs. o covado.
Chitas brancas, escuras e claias a 240,
280 e 320 rs. o covado.
Qrande sortimento em colchas brancas e
de cores.
Ohjeetos para hooieo :
Cortes de casemiras, finas, a 4*5000, 6<5O0O
e 8.5000.
Ditas de casineta a 1*5500 e 2*5000.
Collarinhos de linho aigodlo a 4J000 e
6)5000 a duxia.
Veas para ho*em de todas as cftree e'
brancas.
Casemiras de cor a 2*5000^ 3*5000 e 5*5000
o covado.
Ditas diagonal, lindos desenhos a 2*5, 3*5 el
e 4*5000.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
cavado.
Caasinetas, grande aortimamto, a 400 e
500 rs. o covado.
Brins Angola, muito chiques e baratos.
Holesquins bons e bonitos.
Camisas de madapolao a 2*>000 !
Ditas ingleaas n 4*5OO
Ceroulas francezas a l#o00.
Flcnella azul a 1*52"Jtj o covado.
Grande sortimento em lencos de algodao
c linho.
Comisas de cretone, cousa boa [e barata.
Aleiu de outroa muitos objectos.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessoa.
o& Kiia Oaque d Caxlaa ai
Fernandes Azevedo & C.
Excur^o aeria
na Bella Patma tenJoadqnerido grande
successo tnaluwntc
e n, pretende boje (4 de Agesto) fazer
excurjao aeria na cidade de QtiMla, tendo
^^^H| como panto de descida a praia dos
i horas da tarde. Haver trens,
BBBBBBBBBlt t COOflOrfer.
Ama de cosinha
Precisase de urna ama que cosinhe bem e
durma em casa do patrao; a tratar na ra do
Cabug n 44, 4 andar, de meio Uia at ho-
ras.
Ama de cosinha
No sitio n. 5 da estrada de JoSo Fernandes
Vieira se preeis; de urna cosinheira, preferc-se
a urna mulher qi e durma em sua casa.
Aluga-se
o 1 andar do predio n. l ra B.irao da -Vic-
toria, e casinhas no becco Tapado ra da Pal-
ma : a tratar na ra do Vigario n. 34, primeiro
andar.
Alugam-se
-S casas terreas da ra do Lima ns. 48'e 26, em
as Amaro; a tratar na lilhographia ra Mrquez
de Olinda n. 8.
Aluguei barato
Ra de S. Amaro n. 44
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Largo de S. Jos n. 74.
0 2. andar da ra do Bom Jess n. 47.
A tratar ra do Cornmercio n. S, 4- anda
esenptorio de Silva Guimares & C.
Manoel Antonio Jezuino Marques agradece cordial
mente s irraandades que coadjuvaram 'para o
enterro de seu amigo e compadre. De novo
convida aos amigos do fallecido a assistirera as
mismas qne manda celebrar na matriz do Corpo
Santo, quarta feira 7 di corrente. pelas 8 horas
da raann, (cando desde j grato por esta fineza
e gralido.
' 1
"OSTS'Vo BSOTATIskc
DORES E DeDENTES
PREPARADO JJICAMENTE
POR CALA8AN8 & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheraetav ^
tismos, inchagSes, dores aciaticas, nevrml- ^
gias, dormencia, etc., empregaidc-sc em
fomentac8es sobre os lugares affectada.
Cura o beri-beri, as paralysias e aa Mrev
de dentes.
Todos os fiascos levam direccoes paa
uso d'este medicamento admiravel.
Preco 1*5200. Descont de urna das
em diante.
DEPOSITO NO RECITE
Francisco Manocl da Silva & C. nos ^
Mrquez de Olinda n.23
Milita attencao
Na ra de S. Jos n. 56 tert para vender] or
afamados vinhos e licores de todos os fructos do
paiz, fabricados pelo finado Joo do Amara! Ra-
poso, como sejan: vinho de caj de l.eS.*
quaiidade, vii,ho de Abacagy, vinho de janipape
composto e simples,-hesperedrua brasileir,la
ranginha cordial, essencia de limao e cidra c
tres pr< osas para es)remer os fructo?, tudo te
vende por baratsimo preeo para liquidac
Assim como se vende um bom terreno na povw
5o de .N_S. da Boa Viagem por qualquer prep>
Para en^enhos
Lopes & Araujo, vendem
a presos sem competen garanfindo a boa quaiidade,
os artigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia daHussia m caixa*'
de 10 e 25 kilos.
Cimento Portt* nd.
Graxa em bexigas.
Ra do LivraiiKMito n. 5^
Telephone 316
i
n*>?*
sl .a
Franviora Hnrl lo Barro
Corre i ti
Gcrcina M. de Barro3 Correia e suas irmes
convidara a seus prenles e amigos para assisti-
rem as missas que por alma de sua prezada e
estremec Ja mi, francisca M. de Barros Cor-
reia, mandam celebrar na matriz da Boa-Vista,
as 7 horas da manh de segunda feira S do cor
renra, 4- anniversario de seu infausto passa
ment. Antecipanvseueterno reconhecimento de
amuade a todos aquelles que comparecerem a
este acto de religi&o e caridade._____________
t
UiKliurel Jtt-t Eustaquio de
oiiveira e lita
Rotilio Jos de Oliveira e Silva" e Francisco
Antonio de Oliveira e Silva mandam celebrar na
matriz da Boa-Vista, s 8 horas da manh do uiu
6 do corrente, trigsimo do fallecimento de seu
prezadissimo irmao e primo, bacharel Jos Eus-
taquio de Oliveira e Silva, urna missa pelo re-
pouso eterno de sua airas ; e pura este acto de
religiao e caridade, convidam nao so aos seus
prenles e amigos, corao aos do tinado ; anteci-
pando-lhes desde j os seus cordiaes agradeci-
inentos.

f,

CURA CERTA
ne MH s Affsogoes polmj&res
fj/ CAP3U1AS
{-r- ^ so S OTAD as'
riEa

1 Caleu TrmimOi
Am Ctettijtt ittHrittm (tie ,
xij--* a r4?^4 r.m
s^*i7r?rrass
''/ti
i
Fodos iquelles que sofeem
!o cato, devem experimentar
Capsulas do Dr. Fourim.
Deposlir.os ein Permmb^jo
Fn!1CI5C0 NI. d SILVA *
>
^
:

t
Conameiulador lauocl Cantillo
Pirea Fnleao
Os religiosos carmelitas desta cidade convi-
dam a todos os parentes e amigos do coramen
dador Hanoel Gamillo Pires Falcao, para assisti-
rem as missas que celebraro e mandam cele-
brar pelo eterno repouso do seu fempre.lembra-
do confrade e verdadeiro protector da ordem, no
dia 5 de Agosto vindouro stimo de seu fallen-
mento, naigreja de N. S. do Carmo desta cid-
de, s 7 horas da manh, pelo que se confeseam
desde j eternamente agradecidos.
t
ComRienilador Manocl Cantillo
. Pire* Falro
Jos Francisco do Ri-go i arros. sua mulher e
fllhos convidam seus prenles e amigos e os (Jo
tinado para assistirera a missa que, pelo repou-
so eterno de seu finado cunhadj, irmao rio.
mandam rezar na matriz de S. Jos, s 8 horas
da manh do dia 5 do corrente, stimo do sem
passamento.____________________________
f
Frnariim Teixeira da Miara
Rogase s pesseas que acompan.hrara ao ce-
miterio os rt s:os raortaes da tallecida, e pede-
Ibes o obsequio de assistiresi as missas do s-
timo dia que se devem eelebrar na igreja do
Corpo Sanio, co da 5, pelas 7 horas da manila,
pelo que te flear snramaracnte agradecido.
Urgencia
Precisase de um criado que tenha boa c<
ducta ; a tratar no becco dos Ferreiros n. aV
Apolices perdidas
Perderam-se dez apolices da divida proriedar
de Pernambuco, pertencentes a Manoel Perra
de Araujo Vianna, de ns. 873 a 882, serie B, do
valor de 1:000/ cada urna ; pede se psjH
que as l i ver achado o obsequio de ir ou mana
entrgalas a Henrique Bernardes de Oliver,
procurador bastante do mesmo Vianna, no Re-
cife, ra do Vigario n. 4, escriptorio, que grati-
ficar

Caixeiro
Precisase de um caixeiro de 46 a 48
com pralica de venda ; a tratar na ra de Hortaw
n. i.
Caoleas do Monte te tew
f2ompra-se cautellas do Monte le SoccofT t-
qualquer ioia, brilhanes e relogios; paga-a
bem na". Praja da Independencia n. 28, loja da-
relojoeiro. ___
Farello superior
Saceos ds 42 kihs
Vende-se em ptima saccaria, por prug>
competencia ; no trapiche da Companhia,
do Corpo Santo n. 49.
t
Bmllio Carneiro Hariiad* talo*
A familia do mesmo convida:* todos Os seus
prenles eamigos eos do linado para assirem
a misM que pelo repouso eterno manda reaar
na igreja da Santa Cruz, s 7.horas, no dia 3 do
cori'fnlc, stimo dia do sen rassamTilo.
Joaquina d Meimouea Carneiro
da Cuaba
Antonio.Carneiro da i unha e sua liUia Rosa-
lina Augusta Carneiro da Canha agradecem do
intinfo d'alma a todos os prenlos e amigos que
acompanharam ao ceraiterio publrco o corpo de
sua mui idolatrada esposa e mi, Joaquoa de
;:oa Carneiro da Cunha, e os'convidara
(tara asaistircm a missa da seli no dia, que lera
Bgar na igreja de S. (Joagalo, no dia 7 do cor-
rente, pelas 7 4 2 antecipan-
- desde j 'cimenlos._____
Hiate Victoria
Aracaly e Cear*
Est i carga para os portos cima o refe
hiate ; a tratar no escriptorio ra do TtHtj,
liga ra da Lapa u. 44.
Casa para alugar
Aluga-se o 2 andar do predio n. i da ras e*
Vigario Thenorio ; a tratar no pavimento tensa-
do mesmo.
t&
>
KA
Blennoi-Jiayiu
(t radicalmente jiquiiado pala
IUECCA0CA1T
DEPOSITO GEIU.I.:
r^Jirm, nomlemra Stnaln. t, SA&JOi
Hit i Kfco/i Qi/9 ten* de emtru ho a oda
tMn da jMjeefdo Ctet.
aawv> *a uus ariad^M ratraana m anafe
li li .........I



-
A
;
I
h
i
lijarlo de PernambucoDomingo Jb Agosto de i
888
GUERLAIN DE PARS
#*# PERFUMARA DE LUX0, Ra ie la Paix, 15 ##*
______'Eam i MODA JPECAIHEMTE RECOMENDADOS
Aona a* CMonla imperial branca^aaJambreada, Aimlacarada, para lenco. Sapoceti, Sabao de toilette de espermaceta;
rame aponaca {Amronal crate) para a barba. Crome de Morango e Greme da Pepinos para dar a frescura e o aveludado
ESSfr
BU88A,
PHOSPHATINA FALIERES
i Mra
otoUSMe.
Omelto Alimento
Para aa CRIAWCAS
PARIA, G. A."V5iNTJSa VICTOR.tA,e, PAJlI
DtfMiWz em todas as nricei^s I irsiasiiev
JUNTO AO tOUVRB
E'ON.20
Tecides para vestidos
"CWaabraia Victoria a 20800 a peca.
Batiste finas a 240 rs. o covado.
Wmatta braneo lavrado a 360 rs. o corado.
Setim do Japao a 240 rs. o covado.
Cachemira de lfstras a 10200 o dito.
Las Amazonas a 400 rs. o dito.
Mecios lisos duas larguras a 440 rs.
Puco arrendada a 500 rs. o covado.
Ijatan percales a 200 rs. o dito.
Justina de quadro a 300 re. o dito.
Chatones claros a 240 rs. o dito.
{toadas hespanhblas a 2^000 o dito.
Setim Maco a 800 rs. o dito.
Popelina branc a 800 e 900 rs. o dit>
Seticeta branca lisa e- lavrada.
Merinos pretos (baratissimos).
Toile pardo a 3t0 e 400 rs. o covado..
Cachemiras lisas a 15200 o oovado.
-Cortes de vestidos era cartees.
Cachemiras de quadro a 280 rs. o covado.
Yelbutina preta a 640 rs. o dito.
-CSrepe preto (inglez) a 20000 o dito. -
AKTIGOS DIVERSOS
rticos para horneas
Cortes de casemiras, a 60, 70, 80 e 100.
Camisas allemSea a 36600 a duzia.
Paletots de alpaca preta a 40500.
Regatas de cores a 10 e 10500 e 20000.
Paletots de Beda palha a 70500 um.
Ceroulas de bramante a 150000 a duzia..
Paletots de alpaca de cores 40500.
Camisas de flanella a 40500 urna.
Guardap para homem a 60000.
Sobretudo de panno piloto.
Meias inglezas a 50000 a duzia.
Meias finas da Escocia a 10500 o par.
Lencos de linho a 50000 e GtfOOO a duzia.
Casemira em corte para temos.
Chevioth preto e azul a 40000 o covado.
Casema diagonal a 20000 o dito.
Brira branco, todos os nmeros.
Brim de linho, decores, a 10800 a vara.
Dubl-cafas de panno,
Casemiras pretas e de cores.
Bolsas para viagens.
Costumes para banhos salgados.
MAR
m ?aif ai^a
___________H A O
xsroeva 3px*ax*cv
Approvado pelo Exm. Sr. presidente da piovincia
==
Premies da lotera iatclra
1 premio de.....300:0000
1
1
2
6
10
2 approximacSes de
2
2
9 Dez. do 1." prem.
9
9 <
99 2 fin. t
99 c
900 term.
900
2.4
3/
1.
2.
1."
2.
50:0000
12:5000
10.0000
15:0000
15:0000
5:0000
3:0000
1:5000
6:7500
4:5000
2:2500
24:7500
24:7500
1250 112:5000
1250 112:5000
5:0000
2:5000
1:5000
2:5000
1:5000
7500
7500
5000
2500
'2500
2500
Premios da serle
premio de.....
1
1
le k .
2 t. .
6 .
10 .
2 approximacoes de
2
2 t
9 dez. do-1. prem.
9 t e 2."
9 t 3. c
99 2 fin. 1. c
99 2.a
900 term. 1.
900 t t 2." t
2000
1000
600
1000
600
300
300
200
100
100
100
50
50
12:0000
2:000p
5000
4000
6000
6000
2000
.1200
600
2700
1800
300
9900
990
4:5005
4:5000
28:0000
Cbpella* para noivas a 70000 urna.
.Baleias forradas a 440 rs. a duzia.
Larras de seda a 20000 e 20500.
JBieos preto de seda.
Toalhas para banho a 10500 urna.
Cobertores de 12 a 10800 um.
Seos de cures a 20000 e 20500 a peca.
Gsardanapos de linho a 20200 a duzia.
:ftol^- pretas a 240 rs. a duzia.
reos cobertos a 140 rs. o metro.
C*M,n de cores a 10800 ama.
flaruic3o de crochet a 70000
Fauno da Costa a 10000 o 10200 o co-
vado.
Tealhas felpudas a 400'0 a duzia.
Leajaes transparente a 20500 um.
Extratos, tnicos, entremeios, bordados e pos de arroz.
Roupas por medidas
20 Ra Primeiro de Marco -
CASA DR t 0\F!A\, *
Colchas de fusto a 35500 um.
AlgodSo branco a 30200 e 40000 a peca.
Colchas de crochet a 60500 um.
Colotes de flanella a 20500 um.
Tapetes grandes a 130000 um.
Madapolao americano a 60000.
Fichus de retroz a 10000 um.
Lences de bramante a 20000 um.
Cobertas de ganga a 30000 urna.
Lencos brancos a 10200 e 10500 a duzia.
Sargelins de cores a 200 rs. o covado.
Brim pardo a 280 rs. o dito.
Espartilhos couraca a 50000 um.
Fustao de cor para roupa de enanca a
800 o covado.
Seda palha 10000 o dito.
20
AMAEAL & C.
'EDALHA DE H0N7iA~
0 OLEO CBETRIEB
DIPLOMA DE BOHRA]
Jmala cta do o* W/i'co cj/M/ti co. o c muito
tugment* u eretrlMttd do
0 OLEO de FIGAOO
DE BACALAO FErrftbGINOSO
I j i/n/ca ortoaracAo qu* perm-f/e
mlmlrttlrar o Perro tem pro-
KKCSITAliO rui TODAS AI
Celibridad.es Medicas |
DA ni \M,\ E DAIl'ROVA
MOLESTIAS DO PEITO,
AFFECQOES ESCROFULOSAS I
CHLOflOSIS,
AKMlA, DEBUIOADE,
TSICA PULMONAR,
_uT MOHCHITES, RACHITISMO
SSSSELm- 9S&Bz8P' VinholeCoca
LICENCIADOS PELA. IKSPBCTORIA DB HTOIBSB DO IMPERIO IX) BRAZ1L._____________
EFERRUGINOSOl
i0 /LCAT^S
CHmw
duzir Prisco d Veatre. tm
Isocaunodo. ^ Q, *
?*<<&
VICTORIA
TINTA INALTKRAYKL
{Esta tinta recommenda-se pelas qualidades
seguntes:
1E' igual a melhor tinta Bluc Block inglcza.
2E' de urna fluidez extraordinaria, e torna-ge preta o jmo
carvao.
3E' de duracao Ilimitada, portanto para os livros do com-
mercio e para documentos, que oarecam de longa duracSo, nSo
Be pode desejar tinta melhor.
4 Nao estraga as pennas de ac.
Presos; garrafa 800 rs. \\l garrafa 1100 rs.
LIVRtRl.t |t'OHTEHPOR.41iE.I
' SAXISO X. COSTA & C.
PA l.6 DE MARC OP EElTAMBDCO
ALBINO'SUVA & C.
49Ra Marqiez|Sle Ollnda4
1
VERDADEIRAS PILLAS do D" BLAUD
Emoreaim-se com opUmo xito ha mili de so aman peU malor parte dos FacultaU-
o Francoiee e Egtrangelros par t cura da AKEM1A, CBLOMOSM (ena pmtUMmm) e a
mirmuifM *m menina. _
^Uiaerciooeboto (Mita Fruncei utroslmofActodahaver a 'rafea O* mtmm
eriflcado effloacsa d'eetai rualaa, M*tortMndo-Uies a venda, eaoow qualquer encomio
aananlim erra iiHlr tu mi m Utnur Mtt)i aurtat aa D&* ***
EEOOrtfriElVI-B DAS U/UTA90B8
ara. Yweiotm rutlu O 9' Blmu* te m nniltm to tm tntta M fricoiI
HMOim HhHu, mu fxtum fr aata*.
FABO, JA UTHHIt DBPOSrrOI BM TOCAS AS PaWOH A3 PfUMtalAS
\o
2052 premios no valor de 700:0000 2052 premios no valor de.
Todos os premios sao pagos integralmente
Esta lotera composta de 10.000 bilhetes a 1000000, dividida em 25 series,
custando o inteiro da serie 40006, snbdividido este em quintos da serie (125M do
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada um.
O ayn* desta 'ate-ia etapM attenel di jut!?"^ f ra esfp impo-rtante
plano m>'a cnaa*>i>au yaW hu bD> uagaHipayiti.
C" ^^000 (^ count^K de rio se ompSe n sr:e) rrc^be-se 12:0005000 s com
800 r. :. .[,.. 00'. ().
*' menor premio d um ra*u'*wli di 9b *'0 rois custando o quinto -'0 rs.,
recebe "000 as terminacSes ios l. e 2." premios. ,
ao premiadas as dezonas dos 1.". 2." e 3." premios.
As ditas letras fii-p.es ilos !." e C., toi-rninacScs dos 1." c 2", c as ;>proxi-
x5es ds 1. 2. c S."i tundu aui ^.o premios de 2:0000000, 500:X)0, 2>*3000,
1OO0O BXTRAOCAO INTMN8FEPJVE-L
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases scientficas
? Pbysiolojrlcas para o fim de
beneflciar os cabellos, restaurar
a cor, impedir a queda, e promo-
ver seu vico e abundante cresci-
mento.
Esta aparada e excellente prepara^ao,*
sem duvida o melhor remedio at hoje
conhecldo para os differentes defeitos da
cabelladnra, merece a intima attenco de
todas as pessoas que tm tido a infelici-
dade de perder em parte este mais tico
ornamento natural da physionomia.
Coai o seu emprego intelligente tem-se
conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porm nao
sempre, a proprta calvicie tem sido curada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
dot cabellos; emquanto que para o pernea-
do das senioras, o objecto mais til
maLs agradavel que ne pode empreffar.
PBEPAHADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
. Lowcll, Mass., Est,-Unidos.
< A' venda as lojas de annarinho e pet-
Aunarlas.
< Dxposrro axMAf .
Mili [UH
DE
Murray i Lanman.
0 M^IS EXQUESIT0
POR
Perfumes do Toucador.
Perfuma o Corpo e
Vivifica a Mente
NO BANHO.
Superior a Agua de Colo-
nia pela delicadeza de seu
aroma e a durabilidaoe de
seu perfume
NO LEHgO.
Casas noMonteiro
D0 MC
reguli
10-A.
Alngam-se duas casas no Monteiro com ac-
commodacOes para familia regular ; a tratar na
roa Primeiro de Margo n. 20-

Casa
Aluga se a casa n. 183 ra Imperial, com
muitos coirmodos, grande quintal com frnctei-
ras, agua encanada e gaz ; tratase no n. 181,
junto.
Cosinheiro
Precisase de um ; a tractar roa do Com-
mercio a, 44, escriplorio.
Casa de bahos salga-
dos
Chama-se a attenco das pessoas qae-conser- -
vam no estabeleciraento sito nos Arrecifes suas'"
roupas de banho, para o que preceira o n. 6.
do seJreguIamento abaixo transcripto:
Art. 6. As roupas de banhistas nao reclama-
das"ou retiradas do estabelecimenio dentro de
30-dias da data da ultima assignatura, serao
doadas Santa Casa da Misericordia do Re-
cife.
Hotel Globo
O seu proprietario tendo de vender seu esta-
belecimento sito ra das Crozes n. 28, chanta
todos os sens credores para se apresentar no
praso de tres dias, e todo e qnalqner que nao
comparecer ficar prejudicado. Recite, i de
Agosto de 1889.


YStERIA
i
V
>; .
MOLESTIAS Laroyenae
NERVOSAS
Cufa na. J st&prei
LOO AfiHERTOSl
BposAarloa n Pernamlm* .
tisstxsts
HBib, 7, Swlwrt Unto, 1, W
PIARHACU Bllll
** BXX.TA 4V O'-
FDNBISO GERAL
41X4NPATEBS0NSC.
44-UA B4B40 0 TRIUMPHO-44
Wachinas a vapor.
Moendas.'
Rodas d'agua.
Tai xas fundidas e batida.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados.
FNDICAO DE 8N08EBK0NZE
DE
' LUIZ U CRUZ MESQUITA
66ra do Baro do Triumpho66
Tem para vender o seguinte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Al.iarbiques de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapneas de cobre.
Taixas taixas e caldeiras de cobre.
r :, T;-s
Po''i
Ri .>
.s]r,- i..n..i/.'u>.
r.G o cobre c de fuAO esb. .:'-.i.do.
'''.i ;';r;-.* <<^ broceo e mud6iru<|o iwum im
CanOS d \bre. <\<* chnmho f re frrro.
Rparffnefra?, passaleisaa e eecnma
Cobre em len5ol e arruclas.
Sola ingleza e do Kio.
* ? '" l r rn :.tf 1U ITAha*.
i. :.l'itw* .nirot 'ih"'-!08
AvNljAlilJfcAM-3. de -r ooncrto e
indo presteza, perfei$ao e pre9os mdicos, para o que tem pessoal habilitado
'^SiDB a praso ta dir.heiro cm descanto.
obras de encommenda, r' ran

A 500 -' *i2 gfa.
A800r-.lgf
A melhor tinta de escrever
TINTA VICTORIA
Vende-se nos depsitos:
LIVRARIA CONTEMPORNEA
DB
SAliaO U. COSTA & c.
lm de larca n. 2.
LOJA DE FERRAOEM

oscoberia Ineressanissima
e
< PRIVILFQTADA)
PERFUMES JHItCA SOLIDIFICADOS
'.r.:;:.:;T.'.CG3 debaio da fork be u?.s ;: 2 afij -r si
.'?..;.ri csjrtgtft levemente os objetos paru perfuma}-os
(a Cutis, Roupa, Papel para Cartas, etc.)
-Ejse-
Id. LEGHAND, Fornecedor da Corte de Bussia
207, RA SAINT-HONOR, PARS
Vendase em todat as principia Ptrfumariat, Pharmaciat s Drogaras do mundo.
M.MDA-AK M PARIB O CATALOSO ILLOSTKADO FUABCO DE POBTB
T-----"
J
a
DB
ALBINO SILVA fc
Ra da Cadeia tt. 42
C.
==
A 500rs 1[2 gfa.=A. 800r9 1 gfa.
Molestias
Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Uurt*do d Ficuldtdt d* Ujdicina de Ptrlt. Pnmh MontiW
As Capsulas do Dotitor CLIN ao Bromureto de Caaphoi*a empregao-se
as Molestias, as de Cerobro <. contra as affeccoe seguimos:
Asthma, Insomnia, Palpitaodes do Coracio, Epilepsia, Hallucina$So,
jTonteiras Hemlorania, Atfecg-js das vas urinarias et jara calmar toda
I especie de oxcitagao.
[fga um explicado dtulhd swsaMaa sos Fnm.
tangir as Vordadeiras Capsulas ao Bromur-lto de Camphora de CLIN C1
de PRIS flVER n
*NWA PERFUMARA I/
m^&fcfrt
ENCADERMGAO \I1R4\DA
89-RUA DE DE CAHA8-39
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
mais aperfeicoada8 e movidas a vapor, acha-se em condicSea de executar qualquer
trabalho em ___
UTHKitriU
Cartas, memoranduns, recibos, circulars,\nemoriaes, despachos, cartocs de
indicasoea, mappas, precoa^Qwentea, accSes, bhetes de loteras e rtulos de todas
as qualidades em preto, ouro u cores.
1110
- Brochuras, cartonados, eneadernacSes, livros em branco para o commercio 0
repartieses, tendo para este fim .urna .excellente 1 lachlna de pftl ir.
Variado sortimento em cartSes para visitas, participacoes e convites de casa-
mento, tiles, menus felicitagSes, etc., etc.
ivros de recibos de aluguel de casa, papel de impressSo, tintas, vernizes e
mais artigos para typographla e llthographJa.
Manoel J. de Miranda
Telephone 194
CONSTJPAgFS e MOLESTIAS do PEITO
XAROPE pn" BRIAN
l PARS, Pharmui MIANT, 1. rut e Rimli, PARIS^
$m MatMeas Os mu fMtaim? fc."" ^. ". >
Lirr oomo o madSMaisB*isiwrai ^a.j^i a$wautt
i um% fonttt OS L
| tUtraK
mmm$mmmmmkMWkJkwmikmmmsBtjmtm^^
r
i
,
I
ti
\
i


8
I.


Tigipi
Constantino de M\ Brrelo
T^Convida se a este senhor a comparecer i ra
do Bom Jesusn. 23, para presar contas da co-
brangas que fe* no termo de Agua Pretu em
Margo prximo passado.
Para os feslivacs
A' roa da soledade n. >G, preparain-se,
aova limpesa, mestria e commodidado em
presos: bolo, pao-dc-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos e baptisados, etc.
Kecebem'-8e aB eneommnndas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
A Revolucao de 48
A' ra Duque ce Caitas n. 48
Km vista das muitas pechinehas que te-
mo; recebido, viemon por rneio d'este cha-
mar a attenyo dos nossos freguezes, pro-
vando ao mesmo tempo como vendemos
por menos
qut r casa.
Diario de Pernanib -Domingo 4 VENDAS
Vende-se nina boa armaco de amarello
propria para qualquer negocio, na ra do Kan
gcl n. 6 ; a tratar na mesma ra n. 9. Garan-
te-se as chaves. __________
Vende se no caes do Ramos n. 4, urna ex
eellente machina vapor de 30 cavailos, umae
t>ombas hydraulicas de grande forca, um ierra
dor, urna' tesoura para cortar flandres, arcos,
etc., trunos c carros Decauville, apropriados
para transporte de canna, bembas d'agua mao
e a vapor.
Vende se o grande silio do Arraial, que
foi do finado Francisco Jos Vianna, com toaos
03 commoaos e proporces pura a vida, na esta
So da Mangaheira de Cima; para ver e tratar
no mesmo sitio, das 6 as 9 horas da manha.
Vende-se
orna mobilia de junco com encost de palha. do
fabricante Tonel, com pouco uso e prego com-
raodo ; na ra Vidal de egreiros n. 57, so
brado.
Vende-se
urna das memores tavernas ra Mrquez do
Henal, tem pouco capital ; a tratar i a mesma
ra n. 143 padaria P z se qualquer negocio
ynho particular
No annazem da ra do Amorim n. 60, vBde-
se o que pode liaver de melhor, pelo moaicc
Sreco de 7$ o garrafao de tres caadas (volftn-
o casco).
Vende-se
a taverna sita ra da Unio n. 3, bem afregm-
zada; trata se na mesma e garante se a chave.
B
oa merceana
Vende-se a mercearia da ra Mrquez do Her-
val n. 29, esquina da ra das Flores, ou admitte
se um socio com aptidao para sua gerencia ; a
tratar na ra de Hartas n. 15.
O grande c importante estabelccimenlo de
Pocas Mendes & C, sito ra cstreita do Rosa-
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de rec ebe
urna grande remessa do :creditado c ctpecial
Vi nho Maduro
O nico que, sem a mnima confecgSo, im-
portado neste mercado, e s se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejara : o vinho Maduro, sendo
como feito nicamente da uva madura, tem
as seguintes vantagens que as outras qualidodes
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertur-
bago a 3 digestes do estomago, anda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois nutre
aoHios vistos as pessoas debilitadas, ed forgas
as que as livor arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambem
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
proprijtarios capricham < m bem trabilhar neste
artigo, afim de terem a primazia sobre tantos
outros similares, cuja composigao duvMosa.
tira outros arligos como gementes de hortaliza
r flores, inguas seceos do R to Grande, objectos de
time e amneos do 'orlo para homens e senbo-
ras, para isio to pouco temos competidor. A
aossa casa a pecialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar podem comparecer, com
0 que muito nos honraro. Aps urna infini-
dade de arligos de primeira ordem, que achara-
se em exposico, acresce a amenidade do trato
com que timbramos tratar todos os que nos
honram com a sua presenga, junto a modicidade
de pregos sem rival.
Ra estrella do Roarlo n. O, Junto
u ireja
Pocas Mendes & C.
Cofres de ferro
Carlos Sindcn tem para vender cofres de
superior qualidade mais barato do que
em outra qualquer parte,
48liua Barao da Victoria48
FOLPETIM
DECAPITABA
POR
P. MJBOISGOBKY
/
(Oontinuagito do n. 17 3)
VIII
Bom, mas eu fallo-lhe em um bote
e o senhor falla-me em urna moja... nma
cousa que nSo tem nada com a outra.
30 1 do que em outra qual-
Folardina, tecidos moderno, a 320 rs. o
covado.
Organdis (fazonda de phantasia) a 400 rs.
n covado.
Nansuks muito finas de 120 e 240 rs. o
(ovado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. o covado.
Cortes de linn e crotones, todos os avia-
mentos, a 60000,80000, 90000 e 100000
um.
Ricos cortes bordados em cartSo a 140000
Atoalhado para mesa, muito largo 10200,
o 10500 o metro.
Pannos de crochet para cadeira |a 600,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet com palmas para noi-
vas 'a 50000, 60000, 70000 80000 e
90000 urna.
Cortinados bordados, muito finos a 60000
o par. *
Bramante liso e trancado .de 4 largurar a
10000 o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 rs.
o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica a
50000 urna.
Snas bordadas, muito finas 'a 30000 urna.
L jvasjde seda, lisas o arrendadas 10000,
10500 e 20000 o par.
cda alsacianas, novidade a 240 rs. o-i
covado.
Crotones claros e escaros de 500 rs. por
320 rs. o covado.
Zetiros de quadras o 120, 160, e 200 rs.
o covado.
1\ chincha em misas de meia a 10000 e
10200 urna. .
Loques de penna, o que ha de moderno a
40jOO e 50000 urna.
Capellas com veos parr. noivas a 80000
urna.
Fastao de efires para palitot e calya a
500 rs. o covado.
Brins de linho, cotes fisas e garantidas,
a 500 e 600 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
colleto si 20000 o covado.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
40000 a peca.
Bicos de cores e branco a 10800 e 20000
e
suissa de 140000 por 70000 a
pega.
Collarinho8 e punhos borracha a 10800.
Cobertas de ganga para cama de casal
20800 urna.
Lencos de cores, imitacSo de seda a 10800
a duzia.
Fichs de retroz, lisos e com palmas a
10000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 60000 a duzia.
Algodaosinho muito largo a. 40000, 50000
e 60000 a peya.
Redes francezos a 40000, 50000 e 60000
urna.
Palitots de suda palha a 80000 e cor de
chumbo a 100000 um.
Cortes de casemiras ingleza a 100000
um.
Cortes de fistlo para collete a 10000 e
^ 10600 um.
Cobertores de la com pequeo defeito a
20000, um.
Renda heepanhola larga a 20000 o covado.
Espartilhos finos 40000 o 50000 um.
lio upa por medida, garante-se a perfei-
cSo.
So na Revoluto de 48
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
a peca.
Cambraia
A


-^Jorre^de Nesle da. ma BftbTr^ TOWlfa-
ram-na tril 'Bote, como o senhor diz.
Comprehende agora?
Pouco mais... e, primeiro que tu-
jo, como que o senho abe que a mo-
ca est l ?
Por urna carta que ella escreveti ao
ar, este senhor que aqu est.
Ento o mylord,
initte-lhe que cscreva familia ?
Nao, homem. A moya at-Dii a car-
ta por urna vigia do bote.... Tinha-lhe
atado um porte-monnaie para que ella nao
fosse levada pelo vento... o embrulho ca-
bio no caes... alguera, que passava, apa-
hou e metteu a carta no
douaa mtebeu-a esU\ manhS.
juntos e viemog logo para aqu,
feitamente que nos nSo somos t morco-
gos. .
E o que que ella lhe diz nessa
arta?
Conta como foi agarrada, amordaza-
da, arrastada por um ubtorranej e en-
:dc? Ea n3o sabe... em um
Boa compra
Travessa do Pora bal n. 11 (taverna) vende-se
a armagao, paranlindo ee a chave ; a tratar com
o tenente Evaristo de Souza^______________
Alcool
Vende se espirito de 38 graos Cartier; no ar-
inazem do caes Capibanbe n. 42.___________
850 rs. a libra!
Pura manteiga ingleza
Ciarantda
Guiraares & Valcnte Corpo Santo n. 6
quarto 6era janellas, onde e servida por
um moleque.
Conheco o tal moleque, tenho-o vis-
to andar no tombadilho do bote.
Portante, nito minto e o senhor j
nos prestos um serviyo sem saber. Che-
gavamos para procurar entrar na casa e
obrigar o homem, que o senhor chama my-
lord, a entregar-nos a moya. Julgavamos
que ella anda l estava e nao tinhamos a
menor idea do bote. Foi o senhor quem
nos abri os olhos fallando-nos no tal bo-
te. Tudo quanto acaba de nos dizer con-
corda com as indicaydes da carta. Para
que nao duvide, Cordouan vai lh'a mos-
trar.
CordoaflkJntteu a mSo no bolso, onde
a tinha guamado, mas antes que a tirasse,
o pescador que acabava de metter a mao
em um sacoo que trazia a tira-clo, apre -
sentou-lhe um objecto, dizendo :
Reconhece-o ? E' o de sua neta ?
O porte-monnaie! exclamaram ao
mesmo tempo Oangalas e Cordouan.
moya foi attrahida para aquella E' verdade, o porte-monnaie tinha
de^tro tres francos" e quatorze sidos.
Abra e cont. Eu n2o augmentei o capi-
tal, mas tambem nlo diminu.
Entao foi o senhor que...
Sun, senhor, fi eu que... Eu passa-
va alli hoatem (tardinha... ahei-o no
caes, mesmo em frento do barco : deria-o
levar casa do eommissario, mas eu nao
^"e ?,.ra,? 0l!; Per" po8so vor, nem a elle nem ao seu ca-
chorro... eutSo... metti no bolso... tinha
?ue fazer no alto de Passy\.. Passei pela
rento de urna cita de correio na ra
Gurin e raetti l a carta. Devia ter lido
o sobrescripto, mas nao me lembrei.
Aqui est o carimbo, disse o av,
reio. Cor- apresentando-lae o enveloppe.
Lemol-a
V per- de Maryo... ssactamente esta que eu
metti na caixa. Nao teaho precisSo de a
ler, acredito no que o senhor diz.
Eu sabia parfeitaujente que acaba-
ramos por nos cuteader, exclamou Mea-
Iheiro. E agora o senhor j nao rucusa
auxiliar-nos ?
A pr Isso 6
MAIS BARATO
Na Loja das Listas Azues
A' RA DUQUE DE GAXIAS N. 61
Vende-se fazendas fina mais barato e
d-se descont a quem comprar do 200000
para cima, troca-se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo nSo fr de muito
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes prejos:
Cachemiras lisas e com. listas de-j
seda de lindas'corea) a 10400.
Heraos de duas larguras, a 440 e
800 rs., qualidade superior.
Tecidos.arrendados efir de creme com
matiz com duas larguras, a 600 rs.
Fazendas de phantasia e liadas cores
a 400 e 500 rs.
Tecidos do linho, lindos padrSes
grados, a 200 e 240 rs.
Zeflros lisos e de. quadro, a 80 (
100 rs.
Setlns de Maco branco, preto e de
todas as cores a 750 e 800 rs.
Setln.S de quadrinhos, a 900 rs.
Sedas lavradas brancas e de cores cla-
ras, a 10400.
Cizes de seda com fios prateados a
10000.
Coriluados de crochet, em peya, a
900 rs.
Cambralas bordadas brancas e de
cores, a 40001', a peya.
Cortes de vestido bordados, brancas,
para noivas, a 160000, 180000 e 200000.
Veos para chapeo preto, branco e de
qualquer c6r, a 10500.
Crep inglez para enfeitos de vestid s
a 10200 e 20000.
TECIDOS MAIS BARATOS
Percales c chitas clame, finas, a
180, 200 e 240 rs.
Cassas de c6res finas e seguras, a
120 e 240 rs.
Horlni dellstras azuesmuito lar-
gos com 20 varas, a 60000, a peya.
Margellos finos, a 160, 180 e
200 rs.
Crlnollna,\qualquer cor, a 400 rs.,
o metro.
. Ciuardanapos superiores a 10800 e
20000, a duzia.
- Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 10000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 40000, o metro
Toalhas acolchoadas e felpudas com
listas de cores, a 40000 e 60000, a duzia
lieos brancos francezes, a 60
800 rs., a peya.
Blcos finos, brancos, cremes e ma-
tisados, a 20000, a peya.
Blelas a 240 rs. a-duzia, cobertas a
400 rs.
L-livas de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 20000.
Leques de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 20000.
I.eques de pennas o que ha de me-
lhor, a 50000 e 60000.
Jabonete grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
Extractos finos francezes e inglezes
a 10000 e 20000.
Bespertadores americanos, a 70.
Mosquil el ros americanos com ar
mayao a 100000 e 120000.
Espartilhos americanos e inglezes,
a 40000, 50000 o 60000.
Capas de vidrilho e rendas, "a 250000
e 300000.
Toalhas de labyrintho para bap-
tisado a 300000, 400000 e 500000.
E multas fazendas qne se d- por todo o
preyo na.
Loja das Listras Azues
A FLORIDA
sea
Vinho puro de Santa-
rem
Da quinta de Itarral
Chegou a segunda remessa deste especial vi
nho para o armazem central de gneros alimen
icios ra do Cabiy' n. 11, o qual se torna
recommendado por ser puro da uva.
Joaqum Christovao & C.
Telephone14*
E' barato
Faririha a 600 ris a cua
S no larpo do Mercado n. 12, Gomes Ferreira
as pernas,
l com os morcegos. A achar a sua ne-
ta nao digo que nao.
E' tudo quanto lhe pedimos. Que o
patife que a raptou, v ser entercado em
outra parto, isso para nos o mesmo. Nos
mesmos nos encarregamos, eu e Cordouan,
de libertar a prisioneira, sem -que o se-
nhor se envolva nissO. urna vez que tenha
mos apanhado o barco que a leva. Em
quanto a recompensas...
Nao follemos mais. nisib. Pagara a
despeza e nada ciis.
Quando partimos, catnarada ?
Mico!... O tempo necessario para
ir levar o nosso pexe ao cozinheiro da
Galeota.
Fazemos a catroanha
heim?
NSo ha outro meio. E' preciso se-
guir sempra a praia, e as jezes por cami-
nhos onde nao paseam carruagens.
O barco vai mais depressa do que
nos, murmurou Dangalas.
Nao... emquanto o Tapor o nSo le-
var a reboque, e o vapo* est abaixo de
Passy.
Ento apanhamol-o ?
A8sim o espero.... emquanto os mor-
cegos te amolara aqui a**sculhar a casa
de mylord... so qu^tnha muita gra-
ya !
Com relaySo polica o pai Asticot era
irreconciliavel. '
E Mealheiro, que nSo tinha votado um
odio to feroz aquella utft-^nstituiySo, nao
desgostava de pj-escindir do seu concurso
para encontrar Agostinha.
Naquella joocasiao nSo pensava senSo
nclla.
A historia da c^beya cortada nunca o
tinha preoecupado muito forya do se
nSo interessar por ella, tinha chegado
pouco a poucoja preocenpar-se com aijuilio,
como com a prirneira camisa que vestir.
Acreditava perfeitamente agora que Bo-
rodino havia sido pirata e que era capaz
de todos os crimes e desejava de todo o
corayao que elle acabasse 110 cadafalso,
mas nao fazia em mandar pa-
ra l.
Gal3es, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodSo com
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Cntas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e som vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 e 40001
a duzia.
Bordados de camb-aia tapada a 400 500' -
600e800rs.apeya.
dem com 3 e 12 metros, de qual que
argura a 10200.
Lenyos de linho em caixinhas a 30000 t
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques transparentes de gaze >
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos d
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, t
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama t
120000, 170000 e 190000 o par, algum
de cores.
Ditos para i'anellas a 70000.
Pannos de crochet nara cadeiras a 800 t
10000. *^
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto..
Espelhos com tres palmos de comprimentc
a 40000. *
Capellas com veo para noiva a 60000
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 t
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30, 40 t
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha di
melhor
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de c6res a 20000 a peya
Ditos de seda brancos o de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 10000 c 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano edmprido a 20000 c
par.
Ditas de seda para creanya a 10000.
Dita para moya a 10500 o par.
Grande sortimento, de jarros para toilette
sanctuaro e consollos.
Lindos lenyos de seda, gosto moderno.
Grampos honrados para segurar cabellos
Ditos ditos para enfeitar cabeya e Beguia-
chapeo.
Espartilhos para creanya a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40. 40500, '50000 i
60000.
Grande sortimento de sabonetcs de 200 >
10500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprif
para creanya.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de l para homens e senhoras.
Liabas dourada para faaer crochet.
Lindas fitus para facha a 20, 30 e 40OUI
o metro. 4r* *
Liados leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim t
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarya,
Finas carteiras para algibeir de 10, 2*
5 e 30500 nma.
Roa Duque de Caxiasn. 103
WilSKI
Boyal Biend marca YUDO
Este exeellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retamo nos melkores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado,
ouio nome e emblema sao registrados par*
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Outros se encarregariam disso c as des-
grayas do Helena, que elle apenas conhe-
cia tambem nSo o impressionavam.
O pai Cordouan nao dizia nada, mas
lia-se-lh#no rosto severo a resoluySo de
arrancar de sn neta ao miseravel qne lh'a
tinha roubado, ou morrer.
Os dena defensores de Agoatinha e o
seu gula* encamlnharam-se -juntos para o
restaurante, onde o pescador ia por, de
passagem, o seu peixe e os seas utensi-
lios. .
- E ante* de deixar a praya, onde aci-
barara de decidir aquella expediySo em
busca de urna interssante victima, pode-
ram ver de longe o juiz formador da culpa
e o seu cortejo desembocar da ra Ber-
ton, aborrecido e um tanto envergonhado
>r lhe harer.escapado o supposto conde
orodino.
- IX
Emquanto os agentes, commandados
por um antigo sargento do seu esquadrSo,
oceupavam militarmente a propriedade do
Sr. Borodino, qi desapparecera com to-
do o seu squito, Cavaroc tinha voltado
para o seu domicilio, com a firme tenyo
de se metter na cama para descansar das
fadigas e de fazer um somno at o da se-
grate de manha.
O homem poe c Deus disp3e,
quando o'h'omem capitao de couracei-
ros.
Chegando casa, Cavaroc eneontrou,
sentado na ante-camara o lendo" o jornal, o
seu grooui, que, por costume, passava as
noites fr.
Cavaroc era boamo e, como entrava
em casa sempra>nuito tarde, os criados
tinhara licenjfrat meia noite. Aprovei-
tavara-se dcpi para se espal nas, que fervilham as proximidades da
Escola Militar.
Se Mdard nessa noite, se tinha priva-
do de sahir, era sem duvida porque que-j
ra estar presente quando entrasse o ca-
pitao, c se quera estar presente quando
entrasse o capitao, porque tinha alguma
cousa muito imprtante para lhe dizer. '
O 59.
Liquidando os artigos se-
guintes !
Ra Duque de Casias
Merinos de todas as cores a 200 rs. 9 co-
vado.
Lindo sortimento de alpacas modernas a
400 rs. o dito. .
Zefiros de quadros a 80, 100 e 160 rs.
o dito,
Cretones francezas com 1 metro de largu-
ra a 80 dito.
Nansuks, cores filmes a 100 e 160.
FustSes brancos bordados a 360 e 440 o
dito-
Bramantes d.3 algodao a 700, 800 e 10000
metro,
dem de linho, superior a 10600 o dito.
Atoalhado bordado a 10200 o dito.
Superior madapolao americano com- 24
jardas por 60000 a peya.
AlgodSes da corte, o melhor a 30500
40000 o 50000 a dita.
Cambraias bordadas finissimas a 40000 a
dita,
dem Victoria cora 10 jardas a 20800. de
EsguiSo de algodao a 40000 a dita.
Ricas guarniySes de crochets a 70000 e
80000.
Cortinados bordados, novos desenhos a
60000 e" 80000 o par.
Toalhas superiores, muito grandes a40OOO
a-duzia.
Meias inglezas a 30&O, 40000 e 60000 a
dita.
Seroulas bordadas de bramante a 140000
a dita.
Camisas francezas e inglezas a 360000 a
dita.
Guardanapossuperiores a 20000 e 50000 a
dita.
Cobertas de ganga, 2 pannos a 20800
urna.
Lenyes de bramante a 10800.
Colxas francezas, de cores a 20000.
Mantilhas e fichs a 10000, 10200 e 10500
Chales de 13 a 20000, cachemira, grandes a
30000.
Redes de cores a 30000 urna.
Cobertores de la brancos a 20400 um.
Cassinetas para roupas de meninos a 200
rs. o covado.
Casimiras diagonal, 2 larguras a 10400
e 10800 idem.
Flanella azul ingleza a 10200 e 20000
idem.
Cheviots superiores a 30200 e 30500 o
dito.
Damascos de 12 para capas de pianos a
20000 o dito.
Pannos caja mesas, novo gosto a 10100
10300 e' 10800.
Espartilhos, luvas, grinaldas para noi-
vas, lencos de linho, baratissimos e muito
artigos que vendemos por preyos sem com-
petencia.
Ra Duque de Caxiasn. 9.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHAES
Pao centeio
Millo & Bisel, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
Atteno
Vende-se a taverna sita ra do Bom Jesua
(antiga da Cruz) n. 53, propria para principian-
te, bem afreguezada ; a tratar na mesma.
no mis,__
S/* OLRY -
v
A LOJA MAIS BARATEIRA
PARIZ N'AMBRICA
AZEVEDO, IRMaO & O.
16Ra do B. da Victoria16
> 200 ^dephone200
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortimento de fuzendai e modas o
que ha de mais novo e preyos sem com-
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 12 e 13 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 10200,
Crinoline preta *:e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com 10
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
. Qhachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
Madapolao trancado a 90000 a peya.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camseiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de 13 e seda 10000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Espartilhos couraya a 40000 e 50000,
Colchas de fut2o a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado a
60000.
Toalhas de c8res para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 10500.
Renda de 13, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama s
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de c8res a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
Guarniy5es, pretas, de vidrlhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40060.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapos de sol,
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cSres.
TELEPHONE 200
Muita attengo
Na ra da Itnperatriz n. 80, vende-se sapatos
de felpos para trio a 600 rs. o par, e de criah-
yas a 300 rs.
-?

t
Ta\
rema
Vende se urna taverna bem sortida e afregue-
zada, e em muito bom ponto, ra da Concordia
n, 1 ; a tratar nella cu no caes da Companta
Pernambucana n. 8.
Bahus
Ysirts-s* sm Mi a wrU
LO
A muita- acreditada Fa
brica de Gelo do Caes do Ga
pibaribe n. 14, esta venden
do dita mercadoria a 100 rs
o kilo.
Na estrada de Joo Fernandes Yieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.
Atten^o
A padaria a vapor do Potnbal previne aos seus
freguezes que vende farxnha do milho para ten-
der o pao, a 2JKKX) por 15 kilos. Telephone nu-
mero 96.
m
veio urna a hora

Este raciocinio, Cavaroc fcl-o logo que
vio, abrindo a porta, o seu groom, que ti-
nha ar de estar espera e nao perdeu tem-
po para o interrogar.
O que 6 que ha ? perguntou-lhe elle,
sem prembulos.
Meu capit3o, resgondeu Mdard,
elle n3o era militar, mas dizia : meu
capit3o como dira: #Sr. conde, se o
amo fosse conde,ha...
O que, com um milhao de diabos ?
Ha... urna senhora.
O que que tu me ests a contar,
perguntou Cavatoc. Que senhora ? E
para que tomas estes ares de mysterio, co-
mo no outro dia cm que
domeu ahnoyo?
Meu> capitao, a nieBma."
Pois que ?... aquella alta, morena,
que tu mandaste entrar no gabinete dos
fumantes ?
Sim, meu capitao, voltou.
Ah i... E entao, o que que ella
me quera?
N3o sei, meu capitSo.
Como... Foi-8e sem t'o dizer?
Mas, meu capitSo, ella nSo se foi.
Chegou s nove horas. Disse-lh que o
senhir t*ha sabido e que nao voltava se-
nao dejps da mii-noite, que talvez mes-
mo n3#voltasse. Ella respondeu-me que
mesmo tinha Hbsolutamente precisao de lhe fallar,
e que o esperara at amanhS se fosse pre-
ciso.
E tu permittiste lhe que ficasse ?
Nao me atrev a pGl-a no meio da
ra. E depois, ella nao ia assim com
duas razoes. sua ordem n3o chegava
at esse ponto. Eu poda muito bem ir
buscar o psrteiro, para me ajudar a por
fra da casa essa senhora, mas tive medo
de um escndalo.
. Muito bem .. Ponho-te na ra.
Oh! meu capitao, supplicou M-
dard, que gostava muito do lugar e tam-
bem um pouco do amo.
Exactamente !... o merecido. Eu
poda perdoar-te por essa vez, se estives-
sos a meu ser vi yo apenas oito das... mas
tu tens tido muito tempo para conheeer
Vende se urna loja de bahus, bem afregueza-
da, garantindo-se a chave da casa : a tratar na
ra Vidal de Negreiros n. 110.
Mot
eis
Na casa n. 183 ra Imperial, vende-se ba-
rato dous guarda- vestidos e urna cama para ca-
sal, tudo novo em folha, de superior qualidade
e estjlo moderno.
Leite puro
Bo
a acpmsiQao
Vende-se ou arrendase urna padaria sita a
p do Casanga, no lngar denomiaado Barreira,
com bons utensilios e bem afreguezada; a tratar
na recama padaria.
os meus hbitos... Quantas mulheres tm
vindo minha casa desde que me ser-
ves ?
Muitas, meu capitao.
E en recebi-as a todas ?
Nao, meu capitao, mas o senhor ti-
nha recebido aquella... na primeira vez.
Primeiro, isso nSo c urna razao...
muitas vezes basta urna vez para me abor-
recer de urna mulher... e depois, j viste
urna s dessas mulheres que tenho rece-
bido, atrever-se a entrar em casa na mi-
nha ausencia ?... Havia de ser bonito, se
todas as mulheres que conheyo, se reunis-
sem em meu aposento... s te faltava
era oflerecer-lhes refresco.
Meu capitao, eu liz mal... mas se
o senhor soubesse... se tivesse visto -a
tal senhora...
Muito bem, e qtando en a tiver vis-
to, imaginas que por causa dos seus bo-
nitos olhos me deixe persuadir?...
N3o isso, meu capitao, mas ella
cahio aqui com urna cara toda transtorna-
da ... com toda a certeza aconteceu-lhe
alguma desgraya... entrou aqui como ama
bomba.,. Dir-se-hiam que corriam atrs
dela para a matar. Estava t3o,assustada
que quasi nao poda fallar. Dizia pala-
vras sera nexo... preciso que o ve-
ja... se o n3o vejo antes de voltar para
casa, estdv perdida ... Eu n3o compre-
hendi senao isto, e juro-lhe, meu capitSo,
que ella nao veio aqu ec divertir... Eis
ahi o motivo porque nSo tive coragem
para a mandar embora... mas ainda
tempo... ella no o "vio abrir e .. se
quizer, vou lhe dizer que nSo dorme em
casa C3ta noite e que olla n3o pode ficar
aqui.
Cavaroc nao teve presas em responder-
As explicayoes de Mdard davam-lhe que
reflectir.
(Continuarse-ka)
i
o ra Duque de casias n. 42


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEM0KQEZR_3IH4BT INGEST_TIME 2014-05-28T00:17:10Z PACKAGE AA00011611_16921
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES