Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16815


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AUNO LIIJJMEBO'118

PARA A CAPITAL E LICARJKM XWE S E PAGA PORTE
Por tres mezes adfantados............... 6000
Por seis ditos idem. <...... ...... 120000
Por um atino idem................ 23)5000
Cada numero avulso, do mesaio dia............ #100
!*

PIA--MGA 26 DE MAIO DE 1881

PARA DESTRO E FORA DA PRO VISC1A
Por seis mezes adiantados..............
Por nove ditos idem................
Por um anno idem................
Cada numero avulso, de dias anteriores..........
13,5500
204000
27,K.O0
100


Praptieitate i>e Manoel Xtgurira t>t Jara i tyos
c
agentes
v
O* Srs. lmode i'rinve A
le Pars, sil* os n^ssos
.xc'i-vo-j de aaoaaeios e pu-
blicbaos na lYaaca e Ingla-
terra
ELEGRMMAS
: j*
2A 23CU
tauscial para o Diario)
27S
BliCX ELLAS, 25 de Maio.
.1 oekves de Cliarlerol e de Mona
ouiiuuam a aujcmcninrem graode*
proporren.
t agora niiu me deram Uesonlens
(rateN, visto que o goerno tomn
grande* preraucoew
de evtala.
iiiililarc alim
PARS, 25 de Maio.
O prewidenie da repblica olYere-
ceu ao Sr. Charle Floqnel preulden-
te da Cmara do* Depatado* a mi
Nao de formar novo gabinete.
O Sr. Floquet deve dar a reuposta
amanhil.
LONDRES, 25 de Maio.
.1 Cmara do Commnn adiou a
u; i'oc at o dia de JiuiIio.
RIO DE JANEIRO. 25 de Maio, s 4
horas e 55 minutos da tarde.
Km repoia a urna interpellaco
frita no Senado pelo Sr. Candido de
Olivelra o i:\in. Sr. miinlro da fa
zenda exfflicoa a* Iraimacrde de
cambio t'ffeelunda* pelo Ihexouro.
Agencia liaras filial
2b de Maio da 1887.
em Pernambuuo,
INSTRDCgiO POPULAR
BIOLOGA
DAS ESCOLAS E
lExtrahido)
DA BIBLIOTHKCA DO POVO
INTRODUCCAO
No estado actual da sciencia aJinitte-se como
grande resultado final d'ella, o axioma j boje vul-
gar:A materia e o movimento nSo ae crian,
nem ae destroem ; trausformain-se.
Vemos a cada passo, em todos os tactos, a con-
firmagao desta verdade.
O animal que morre, vai com a materia do seu
corpo fecundar a trra e traufjrraar-se mais tar-
de as cellulea dos vegetaes que all creacera.
E' por isso que sobre as sepulturas dos cemite-
rios se levantam tufes de hervas uiais altas e des-
envolvidas que as do terreno em redor. E' a ma
teria animal que se tiansfouna lentamente na ma-
teria vegetal, que, por seu turno ingerida pelos
auhaies herbvoros vai novain-ute tian>forniar-se
em ceulas animaes. A planta e o anio il que
nascem nao sao materia n va, creda ; sao urna
nova forina ou nodo de Ser da materia prc-existen-
te cuja sonrosa constante.
Nunca o homein consigui crear urna porgao,
por mais limitada que fosse, de materia ou de mo-
viment'. N i :ca v.o realiaar-se na natureza essa
creacao ou des'ru-^ao.
O que vemcA sil iiformhc5es : a apparencia,
a foima aob a q-i bjecto se uos apreseuta.
muda : misa im:: rea.
Comtudo frequ a'. ..na nvsvros scientificos
VCrmOS emprega I i lavra cre.c I.
Sgnifica-se p.r ull.. uj a creago da materia (o
que irrealiaa/vl), mas a creagao de urna certa
forma que esaa materia costuma affectsr, em vir-
tude das suaa pnipriedades.
Aasim diz-ae a creagao dos organismos,iato
, a creacJo da firma com que a mat-ria se apr-
senla nrasses corpos que asaim denominamos ; a
oreacio da trra, isto o ppir> cimento da mate
ria sob a forma que caracteriaa o planeta que ha
bitamoa, etc.
Muitas tbeorias teem sido aprea.utaaa para
explicar i creacao das formas da materia ; algu-
mas at pretender explicar a creagao das f jrmas
da n ateria. Vo, porm, filiar-se no sobrenatural
creando forcas ideaes o desceuhecidas serviudo de
base a tudo quanto existe.
Em todas as epocbas se apressntaram face a face
dnas doutnnas acerca da ongem das especie ani-
maea e vegetaes, irte dos organismos tu seres
vivos. Uns dominados pelos preconctos de tra-
dicao, e pelo orgulbo de pretender explicar tudo,
fundaran) as theorias baseadia no sobrenatural.
A mais importante d'ellas, filiada nos escriptos
de Moiss, perpetuou-se at ao sceulo XVIII, em
8ue defendida poi Cuvier na academia franceza,
ai reconhecida e acceite, gracas enorme antori-
dade adquirida por aquello eminente naturalista.
Affirmava a existencia de urna harmona immen-
sa em toda natureza, 1.03 vemos apenas a desor-
dem e a luda.
Averiguando ae por fin, que a formaco da crus-
ta da trra fSra executada por periodos, cm que oa
seus habitantes vegetaes e animaes apreseotavam
' caractersticos diversoa, appareeeu a tbeoria geo-
lgica dos cataclysmos, suppondo que no fim de
cada periodo urna catastropbe sbita vinha extin-
guir todos os seres e que no periodo seguinte se
eectuavam novas crea yo es. O homem, u-i em tan-
to, completamente distincto dos outres animaes,
assistia tranquillo a estas mutacoes de scena, li
mitando-se a registrar os factos sem Ihe compre-
hender o alcance.
(i'jtntinua.)
MRTE OFFIClAi
toverno da Provincia
EXP1DIBSTE DO OU 13 DE ABRIL DE 18S7
Actos :
O presidente da proviocia, attendendo ao
que requeren o promotor publico da comarca de
Tacarat, bacharel Tito Celso Gorreia Cesar, re-
sol ve conceder-lhe 3 mezes de licenca com os ven-
cimeutos a que tiver direito, para tratar de sua
aude, devendo entrar no gos* da citada licenca
no praso de 35 dias.
O presidente da proviucia resolve, de accor-
do com o expendido no ofScio do inspect.tr da Tha-
souraria, de 6 do correte, n. 543, exonerar Cbris-
tovao de Hjllanda Cavalcante do cargo de ajudan-
te do procurador dos feitoa da fazenda proviucial,
ni distriito da collectoria de Seriuha.m, visto ter
aceitado o lugar de procarador da Cmara Muni-
cipal da villa do uieo.no noma e nomear para sub-
stituil o ao cidadao Ridjlpho Ricba.Communi-
cou-se ao Theaouro Provincial.
O presidente da provincia res-ilve, de con-
tormidade c m o dispoato no art. 5o 6 da lei do
3 de Outubro de 1831, nomear o padre Francisc i
Adelina de Brito Dantas para servir interinamen-
te o lugar de capellao e profeaaor de primeiras le
traa do presidio de Fernando de Noronha, com os
vencimentos de l:70:)(XX>, cujo pagamento fica
dependente de ulterior approvaco do govnrno im-
perialCommunicou-ae aThesouraria de Fazenda
e ao director do preaidio de Fernanda de Noronha.
Officbs :
Ao brigadiiiro cominandaute das armas.
Em reapoata ao officio de V. Exc, de 5 do corren
te, sob n. 190, attinentca ao reparo na enfermara
miliar, declaro-lhe que segundo informa o engo-
nheiro dao obras militares, em of&cio u. 123, de
11 deste mez, nao so trata aimpleamente de tomar
gouiras, mas de completo retelhamento do edifi
co, na importancia de l:301'3l?3.
Por esta razao j ae requiaitou do Ministerio da
Guerra o preciso crdito, que se aguarda, para
ievar a Se entretanto at eutao for miater a substituico
de algumaa tel'.ias quebradaa onde as chuvaa cau-
aam maior damno,'o refer lo engenheiro ser cu-
carregado de o fazer, retirando para isso opera-
rios de outra obra qualquer em andamento.
Ao mt amo. Nao podendo, vista do que
expoe V. Exc. ni iafjrinaeo de 11 do correute,
aob n. 198, ser aatisfeito o pedido que faz o com-
mandante da fortaleza de Santa Cruz, na Ilho. de
Itamarae, attineutes a remeosi de pra5ta invali-
das para all, toruecimento de utensilios e reparos
na mesma fortaleza ; aS8m o declaro a V. Exe.
para seu couhecimento e afim de o fazer constar
ao referido commandante.
Entretanto, ao conhecimento do Ministerio da
Guerra submetto, nesta dita, o assumpto de que
se trata.
Ao procurador da cori, soberana e fazenda
nacional interino.Solicito o parecer de V. Exc.
sobre a cinsulta tufa pelo promotor pdico da
comarca de Ouricury uo otiicio, aqui junto, de l
de Marco fiudo.
Ao proveJor da Santa Casa de Misericordia
do Kecife.Sirva-se V. Exc. de informar se no
hospicio da Tamarineira ha as accommodacoes
neceasarias par all aerem roeebido3 nove senten-
ciados aliena Jos, que ae acham actualm.nte uo
presidie de Fernando de Noronha.
Ao Dr. chefe de policia.Em reapoata ao
officio de 26 de Marco ultimo, n. 3J2, Iqclaroa V.
S que nao tendo sido autoriaada ncm feita em
proprio previncial a despeza com oa coucertoa da
que trata o delegado de polica de Tacarat, exe-
curadoa no predio alujad' para cadeia e quartel
no povoado de Jatob, nao pode ter lugar o paga-
mento da importancia de 32JO0O correspondente
a mesma deapeza, conforme poniera o Theaouro
Provincial em aua informayao de 2 do corrent', n.
540.
Ao inspector da Theaoararia de Fazenda.
Sirva-se V. de providenciar para que aejam
deapachados na Alfandega, livre do pagameuto do
impoato provincial de gyro, oa objectoa constantes
da relaco junta, chegados no vapor Oratjr, para
o servico da Companbia Recite Oraina^e isenta
pelo seu contracto, do onus de i npostos provin-
ciaes. Commuuicou-ae ao fiscal da Companliia
Recife Wraiuage.
__ Ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar iu-
demnisar aos interessados constantes da iucluaa
re laca > oa valorea de cinco eacravoa Iibertad03 no
muuicipio de Garaahuo8 por conta da 7a quota do
funio de emancipaba i, em audiencia especial no
respectivo juiz de orphiis de 23 de Fevereiro ul-
timo.
Ao mesmo.Sirva-ae V. S. de mandar indem-
nisar ao interesa ido o valor de urna escrava cona-
taute da iucluaa relaeo libertada em 9 de Dezein-
bro do anno passtdo no municipio de Boa Vista
por conta da 7a quota do fundo de emincipijao.
Cmmunieou-ai a juiz municipal e de orphlis do
termo de I! .a-Vista .
Ao mesmo.C^mmunico a V. S. partos fiuB
e-uceiiientes que por aviso de 31 de Vine i ultimo,
n. 533 counruiju o Exm. Sr. Vlinistro da Marinha
o seu telegramma da mcama data approvanJo a
resolucao deata presidencia de mandar adiautar
seis mezes de sold aos nufragos do vapor Balda
portencentes a marinha.
Ao m mu). -Commuicoa V. -^ para os lina
convenientes, que o baehtrel Joo Baptista Correia
de Oliveira, em 6 do c irrentu mez, assumio o exer-
cicio do Cfrgo de promotor publico da comarca de
Iguaraso.
Ao mesmo.Recommcndo a V. S. em solucao
de seu of&cio de 1 do correntc cuez, sob n. 203, que
providencie para que sejatn foruecidoa por Bartfio-
lomeo Si C, Successores, oa medicamentos e di-
versas artigoa, constantes da proposta que devoivo,
por elles apresentada aceita pela juata de fa-
zenda d'-stiaadoa phirui.. i do presidio de Fer-
nando de Noronha, devendo eutretanto aa 200
grammas de acafetida ser tornecido pelo pre^o de
3400;), as 500 grammas de extracto fluido de sal-
aaparrillia por 8000 e cada sacco de carvao con-
ter quantidade equivalente a de tres birncas daa
que uo mercado desta capital servem para medir
eaae artigo, conforme suppde o inspector de Hygie-
ne uo ofticio por copia de 9 do corrente mez. sob
n. 51.Commun ;ou ae uo Dr. uspector de Hy-
giene Public.
ko inspector do Theaouro. ProvincialRe-
commendo a Vmc. em resposta ai seu of&cio de 5
do corrente mez, sob n. 544, que mande fornecer
ao Dr. chefrf de polica, conforme requisitou, um
lvro le 300 f ;lb is p ira a escripturaco.da entrada
e sabida de presos da Casa de Detencio.Com-
municou se ao Dr. chete de polica.
Ao inspector do Theaouro Provincial.Sirva-
se Vmc, informar me se existe em deposito nesse
theaouro qualquer quautia com destino especial
Compaobia de Bombeiroa ou a aervico de incen
dioo.
Outro]sim, se em algum tempo foi arrecadado
imposto com esse destino, convert lo mais tarde
para outro servico, quanto produzio, emque peno-
do e sobre que pessoa ou objecto se tributou, bem
como quaesquer outros esclarecimentos que, em
relaeo a este assumpto, coDste eu possa essa re-
particao fornecer-me.
Ao director do Arsenal de Guerra.Kemctto
a Vmc. para os devidos flus, os inclusos termos
de came e consumo de divera.s artigos perten-
centes ao 14 batalho de infantera. Commuui-
cou se ao brgadeiro commandante das armas.
* Aos membros da junta classificadora de es-
cruvos do municipio do Recife. Em rficio de 11
corrente consultam Vmcs. si: tendo sido litoerta-
dos por conta da 6a quota do fuudo de emancipa-
dntribuida a este municipio os iv-cravos, Digna de
25 annos de idade solteira, Mam de 25, solteira,
Aquilina, de 24, solteira e Francisco, de 15
annos, filhos legtimos de paca igualmente li-
bertos pelo fondo de emancipayo do municipio de
Igaaraas, podem ser classificados por essa junta
para sercm libertados por conta da 7* quota, os
escravos, Quiterii,de 19 annos solteira, Athanasia
de 21 annos solteira e Firmino de 21 annos sol-
teiro todus de propriedade de Manoel Correia de
Arsujo, e filhos de Damiana que como oasada f .i
libertada pela quota distribuida a este municipio
em 1880 e que se acham as mesmas condifoes
daquelles.
Em respoata declaro-Ihes que quaesquer que
s>jarn as regularidades das clasaificagea anteriu-
rea, nao autorisam a sua reproduc^o presente-
mente.
U cacravo ira.or de 21 annos deixa a clasae de
familia entra na de individuos, (viso de 19 de
Janeiro de 1883).
O pr. cedimeuto dessa junta deve ter pir base
a matricula e respectivas annotacoes at o primei-
ro dia de sua reunio, nao attendendo a altera
(33 posteriores, salvo o direito de reclam icio por
parte daquelles escravoa, cuja classificaco for
pri-judicada, por falta de registro de factos ante-
riores (nviao de 20 de Junho de 1883).
Eui primeiro lugar, para a classific^cao, eato
as famiias, sendo alforriados os eajravoa na or-
den) seguinte :
Io Oa casados com pesaoaa livres e em igualia-
de de circumstancas :
(A) as eacravas caaadas com homena lvrea, te-
nbam ou nao filhos.
(B) os escravos as mismas condigoes.
Os conjugas eacravoa de diversos 8<>nhore3
embora separados.
3o Oa conjuges que tiverem filhos ingcuuos me-
nores de 8 (tunos.
4o Os conjuges que titerem filhoa livres meno-
res de 2\ annos.
5o Oa conjuges com filhos escravos menora de
21 anuos.
(5 Aa inea viuvas ou solteiras, com filb.is es-
cravos menores de 21 annos.
7" Oa conjuges sem filhoa ou com estes, maio-
res de 21 annoa.
A coudico, numero e dade doa filhos, inrluem
na classificagao dos conjuges, seus pas. (Aviso
de 31 de Maio de 1884).
Emquanto residirem no mesmo municipio, em
estado de aolteiro os escravos menores de 21 an-
nos, tendo pas legitimis ou mi eacrava, deveui
ser sempre clasaificadoa conjunctamente com elles,
embora para a libertario de todos a quota nao
baste, a preferencia igual de scua pais : os
irais mocos preterem os mais velho9, uo aexo te-
minino, por onde ae comeca a classifiearao, e o
inverso no sexo masculino. (Aviso de 14 de No-
vembro de 1882).
Na falta de familia s^guera-se individuos uesta
ordem :
1 A mi viuva ou solteira com tolos os filhoa
livres.
2o O pai viuvo cm filhoa livres.
3 Os escravos sem filhoa, preferindo as eacra-
vas, e neata elaase as maia mocaa.
Por estas iaatruecoes se dever guiar essa jun-
ta nos seus trabalhos, por isso que est de accor-
do com a lei e diversos avisos do Ministerio da
Agricultura, Commercio c Obras Public'8Re-
xetteu-se copia ao Dr. juiz de direito e de orphoa
deata capital.
A o Dr. juiz de direito da comarca de Tim-
baba. Scente do que expoz Vmc. em officio de
29 de Marco prximo findo, recommendo-lbe que
f.-.ca subir para o Tribunal da Relaeo.. em grao
de appellayo, os procesaos dos reos Eustaquiliuo
Paulo de Lima. Antonio Francisco Borgs e Epa
m iiondas Seraphim de Mello, visto ser o referido
Tribunal o competente para tomar conhecim uto
das circumstancas occorridas, e de ver se atten
der que se tracta de presos pobres, e ao que dis-
poe os arts. 5t e 59 do decreto n. 4,824 de 22 de
Novemb.o de 1871.
Ao juiz municipal e de orphos do termo do
Cabo. Nao podendo ser autoriaalo o pagamento
doa valores dos sete escravos libertados uessa ter-
mo por c na da 7a quota do fundo de emancipa-
eo, conforme a relaco cm duplicata, ann-xa ao
of.'io de Vmc. de 2*i de Marco ultimo, recebido a
do corrente, por seren exagerados esses valores,
mxime os dos libertos Antonio e Joo (77.000
cada un) neata data determino que o olkctor ge-
ral respectivo requera sem perda de tempo ao
juiz competente reforma as avaliacoes, no senti-
do de aerem reduzidos os presos ai tiver havido
sentenca e nao estiverem findos os prazos regula-
res para embargos, e, caao eatejam, requera o be
neficio de restituido in iiUegrum, de que goza a
fazenda, (Perdigo, procasso dos feitea, 44, e
instrucces de 10 de Abril de 1851, art. 17) para,
em virtude desse beneficio, embargar as seuten-
cae, meamo fra do prazo, de vendo quer embar-
gue dentro do prazo, quer fra delle, appellar daa
aentencas para os juizos nu tribunaea superiores.
Oficiou-se oo collector das reDdas geraes ueaae
sentido.
Ao juiz municipal e de orphos do termo de
Garanhuns. Nesta data autorisei o pagamento
a a senhorea doa escravos libertados em audien-
cia especial desse juizo, de 28 de Fevereiro ulti-
mo, segundo a relaeo em duplicata, annexa ao
otiicio de Vmc. de 30 de Mareo finde, por conta
da 7a quota do fundo de emaocipa^o.
Outrosim, ver ticando-se ser o saldo da presen-
te distribuidlo da quan'.ia de 234680 e uo de
233780, como se vjda mencionada relaeo, boje
deterniinei a reunio da junta desse municipio,
afim de classificar o escravo de 18 annos de idade,
filho de Joaquina, agora alf irriada, para 3er liber-
tado as forcas do referido saldo. Officiou-se aos
membros da junta classificadora de escravos do
municipio de Garanhuns.
Portaras :
Recomuien.lo Cmara Municipul de Palma
ras, que remetta Secretaria a'esta Presidencia,
afim de terem o conveniente destino, os documen-
tos comprobatorios da desp-za de que faz menea i
o balanv enviado com seu officio de 5 do corrente
mez.
Em virtude do que representou-me o Di.che-
fe de polica, recommendo a Cmara Municipal de
Garanhuns providencie para que o servido da illu-
iiim i cao da cadeia dessa c: dade e f irnecimeuto de
agua aus presos, seja f ito com toda a promptido
e regularidade, devendo a Cmara, se julgar in-
sutlicieute o crdito consignado pelo art. 51
da lei n. 1,882 e de 10 de Setembro de 188G, en-
viar me, com urgencia, urna demonstrarlo da
quantia precisa para occorrer a despeza at o fim
do corrente exercicio, afim de reaolver-se a rea -
p. ito.Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
O Sr. gerente da Companbia Pernambucana
mande conceder passagens de r, por conta das
gratuitas a que o governo tem direito, at o pre-
sidio de Fe-uando de Noronha, a Alfredo do Valle
Cabral e Francisco Augusto Pereira da Costa.
providenciando sobre a volta dos mesmoa opportu
mente. Communicou-se ao directorr do pre-
sidio.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco sirva-se mandar couce
der oassagens por conta das gratuitas a que o go-
verno tem direito da estaco de Cnco-Poutas a de
Una, em carro de 1* classe f.o Dr. Joaquim Cor
deiro Coelbo Cintra, sua mulber, 2 flbos menores
de 7 annos e urna ama, e de 3a classe a 2 criadas,
com direito bagagetn at 75 kilos.
EXPEDIENTE DO SECBET4BI0
Officios :
Ao Io secretario da Assembla Legislativa
Provincial Dr. Francisco de Assis Rosa e Silva.
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia,
levo ao conhecimento d'essa Assembla, que nao
foi possivel eflectuar-se o accordo autonsado pela
le n. 1,850, de 21 de Julho de 1885, com a com
panhia dos Triihos Urbanos do ftecife Olinda e
teberibe, pur nao ter esta querido reduzr conve-
nientemente os precos de transporte nos carros de
1* e 2* classe na conformidad da mesma lei, mas
nicamente em oitras eoudicoes, como melhor se
verifica das pecas officiaes que incluso remetto
precisa deliberaco, e que serio opportunamente
devolvidas.
Ao Dr. chefe de polica.De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia communico a V. S.,
que na seu otficiu de hontem datado, sob n. 343,
pruferio ae boje o seguinte despacho: Ao r.
director do preaidio de Fernando de Noronha para
aatisfazer a requiair;o.
Ao inemo. De ordem de S. Exe. o Sr. pre-
sidente da provincia tranamitto a V. S., copia do
commandante do corpo de polica, de 6 do correa
te, a.lin de dar sciencia do assumpto do meamo ao
subdelegado do Io distrieto do termo do Cbo, que
fes a reclamar) coustante do telegramma tambera
por copia, de 2 do citado mez.
Ao engenheiro encarregado das obraa gc-
raea.O Exm. Sr. presidenta da provincia prufe-
rio hoja no requerimento de Antonio Pereira de
Carvalho, a que se refere a inform jo de V. S ,
de 6 do corrente, sob n. 17, .o seguinte despacho :
Indeferido, em vista das informaces.
Ao engenheiro fiscal da estrada de fjrro do
Limoeiro. O Exm. Sr. preaidene da provincia
manda declarar a V. S., que neata lata tiveam o
conveniente destino oa documentos que acompa-
nharam os seus officios de 9 e 11 do corrente, sob
ns. 839 e 811.
Ao gerente da caixa filial do Engliah Bank
of Rio de Janeiro, neata cidade. -S. Exc. o Sr.
presidente da provincia manda aecusar o recebi-
mento do officio de V. S de 6 do corrente, aom
panhndo do balancete das opcraces d'eata caixa
filial, durante o mez de Mar^o ultimo.
Ao Dr. juiz de direito da cimarca de Boro
Jardim. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. que~fica aeiente do deapa
cho que V. S. proferio nos papis que allude no
oficio n. 3, de 6 do corrente, nada ten lo a deter-
minar Ibe, p >r se traetar de assumpto iutoiramen
te de sua competencia e attribuico.
Ao Di. juiz de direito da comarca de Cim-
bres De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia communico a V. S. que no seu offioio de 4
do corrente mez proferio o seguinte despacho :
Ao Sr. Dr. chefe de polica.
EXPEDIENTE DO DIA 14 DE A 1110 DE 1887
Acto :
O presidenta da provincia tendo era vista o
ifEcio do inspector da Thesouraria de Fazenda, de
boje dtalo, n. 221, resolve, de cont'ormidade com
o dispoato no decreto n. 2884 do 1 de Fevereiro
de 1862, abrir, sob sua reaponsabilidade, um cr-
dito da importancia de 7:2O000 a verbaAju-
daa de custoio Ministerio do Imp-'rio, exercieio
de 18361887, afim de occorrer ao pagamento das
ajuias de cusf.o a que tem direito os deputadoa
geraes constantes da religa) annexa ao citado offi
ci, residentes nesta provincia.Reraetteu-se copia
ao inspector do Thesouraria de Fazenda.
Officios :
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Pira os Sns convenientes remetto a V. S., acom
panhadaa da iuforinacao, por copia do engenheiro
das obras militares de 11 do corrente aob n. 121,
as inclusas notas do gaz consumido com a nluini-
naco doa quarteis da companbia de eavallara,
doa batalhoa 2o e 14 de infantaria e na enferma-
ra militar, durante o mez de Marco prximo fiudo.
Commuuicou-se ao brgadeiro commaniante daa
armas.
Ao m 'sino.Tendo approvado o contracto,
constante do termo junto em original, de locaco
de predio para a sede da inspectora de hygiene
assiin o declaro a V. S. para os devidos effeitoa
em reaposta ao aeu olSeo n. !79 le 22 de Margo
findo, prevenindo o de que o aluguel dever su
pago a contar de 15 de Dezeinbro doanno paasa-
doCom.nuuicou-se ao Dr. uspector da hygiene
publica.
Ao momo.Communico a V. S. piraos fius
convenientes e em additameuto ao meu officio de
24 de Margo fiudo, que em 9 de Fevereiro foi exo -
uerado a pedido do cargo de promotor publico da
comarca de Cimbres o ba.harel Alfredo Seraphico
de Assis Carvalho.
Ao coronel Herraogenes Braulio Farreira da
Cunha, presidente do coua-llio de reviata da guara
nacional da coinerca de Panellas.Iuteirado do
que expoz V. S. em lucio de 4 d) corrente decia-
ro-lhe em so'ucao a coasulta que fiz no final do
citado, que deve proc-der de accordo com o 6'
do art. 43 do decreto u. 72 de 25 de Outubro de
1850.
Ao inspector do Theaouro Proviucial. Re-
commendo a Vmc. que por conta da verba do
5 art. lu da le do ^rgamento vigente mande abj-
nar ao 3o offieial da secretaria deata presidencia,
Francisco Augusto Pereira da Csata, a quautia
de lOOOOO, que dever ser cou3derada gratifica-
c.o extraordinaria pir aervigoa do gabinete, nos
termos da portara de 3 de Janeiro ultimo.
Ao mesmo.A' vista do allegado no requeri-
mento a que allude a intormaco dt.ase Th-s.uro
do n. 556 conced ao thesoureiro daa loteras do
fundo de emaueipaco a permisso que aolicitou
para adiar para o da 19 do crlente a xtracco
da 22a parte de taea loteras.
O que declaro a Vmc. para os devidos fins.^
Ao director do presidio de Fernando de No-
rouba.-----drva-ae Vmc. de prestar o auxilio qus
eativ^r ao seu alcance para o bom leaempeuh) da
commisso dos Srs. Frauciaco Augusto Pereira da
C iata e Alfredo do Valle Cabral os qaaea vo a
ease presidio tomar notas epigraphicis e c.lher iu
formacoea de intereaae hiatirico e scieutiico.
Ao m-'smo Faga Vmc. rrgressar para esta
capital o seuteuciado Jos Domingu-'S da Costa
que por decreto de 8 do corrente rn-z fui perdoado
do resto da pena de ga'a perpetuaa que lhe foi
impasta pelo jury di Recife,Communicou-se ao
Dr. juiz de direito e das execugea crimioaea da
comarca do Recife.
Portaras :
O Sr. agente da Comptuhia Braaileira de Na-
vegago a Vapor faga tranaportar pravincia do
Cear, por coata do Ministerio da Guerra, no va-
por Pernambuco o alferga Dominios de Mello Cas-
tro, que pra all segu, jafim de reuuir-ae ao IIo
bataib&o de iutantaria a que perteoce.
O referido otficial lev coaiaigo aua familia com-
posta de sua mulher D. Francisca Avelina de
Caatro, sua irm de nome Julia, cora dez nios de
idade e um filho de nove inezt>3.Communisou-ae
ao brgadeiro comojan laute das armas, e ao ua-
pector da Thesouraria de Fazeuda pira ajustar
contas ao dito offieial.
O Sr. gercute da sompanhia ?eru inbucana
faga transportar ko presidio de Fernando da No-
ronha, por coata do ministerio da guerra, no va-
por Oiquio o soldado do 14 batalho de infan-
tera Horaeio Nunes da Silva, em substituigo ao
de nome Joo Pereira de Alenear, contemplado
na relago nnexa a portara desla data.
Ao referid soldado Horario ucompauha sua
mulher Jovina Traquiliua BezerraCommuui-
cou-ae ao irigadeiro commandante das armaa.
O Sr. gerente da Crmpanhia Pernambucana
faga transportar ao presidio de Femando de No-
ronha, por conta de ministerio da guerra, no
vapor Giqui o offio'ial e pragas e paasoas
de suas familias, constantes da inclusa relago
nominal assignada pelo secretario da presidencia,
que para alli segu afim de fazer parte do respec-
tivo destacamento.Officiou se ao inspector da
Thesouraria de Fazenda pira ajustar contas ao
referido otficial.
__ O Sr. gerente da Coinpanhia Pernambucana
faga tranaportar para o presidio de Fernando de
Noronha, p;r conta da provincia os deteutos be
riboricos Joo dm Cruz e SouZa, Alexandre Auto
io Tavares de Almeida e Rodomarco escravo do
Baro de JundlCommunicou-se ao director do
presidio de Fernando de Noronha.
O Sr. gereute da Compauhia Pernambucana
faga traueportar do preaidio da Fernando de No-
rouba para esta capital, por conta dos passes gra-
tuitos a que a provincia tem direito, o ex-guarda
d'aquelle eBtabelecimento Joo Jos da Fonseca,
aua mulher e 3 filhos.Commuuicou-se ao director
do presidio.
EXPEDIENTE DO DR SECRETA 10
Officios:
Ao brgadeiro commandante das armas.
De ordem do Exm. Sr. presidente la provincia, de-
claro a V Exc. em reaposta ao officio :e hontem,
s .b n 202 que ficam dadas as providencias atti-
uentes ao assumpto do citado officio.
Ao agente da compauhia Brasilcira de nave-
gago a vapor. De ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia, aecuso o recebimento do othcio de
houtem, no qual V. Esc. participoo que o vapor
Para" ehegou dos portos do Norte s 4 horas da
tardee seguir paraos do sul hoje a mesma hora.
Ao Dr. chefe do polica.De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, couimuuico a V. S.
que rovidenciou-se sobre o transporte para o pre-
aidio de Fernn\* de Noronha doa 3 deteutos di-
que trata o seu officio n. 313 de hout'in datado.
Outro sim o mesmo Exm. Sr. manda recoui-
inendar a V. S. que facen seguir para o mesmo
presidio, o sentenciado Jos Paredes Garcia, ao
qual refere-aea ordem couataute do fficio Je 11
de Marg findoCommunicou-se ao Dr juiz de
direito daa exeeugoes crim'naes do Recife.
- Ao secretario da provincia de Amazonas Dr.
O. Giffeug Non NiemeyerPelo i fficio de 23 d
Margo findo, fieo inteirado de hiver V. S. naquel
la data prestado juramento e asaumido o exer.cic;
do cargo de secretario dessa presidencia.
Apresento a V. rt. os ineus protestos de estima
e eonaiderago.
Ao directir do preaidio de Fernando de No-
ronha.De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
viucia communico a V. S. que conccdtu-se aute-
riaago ao alferea do 2- batalho de infantera
Manoel Qaui.iuo doa Santos para couduzir para
esae preaidio oa gneros constantes da inclusa re-
lago.
Unlatis Mu!indis ao gerente da compauhia
Pernambucana de navegago a vapor.
UM AUDirAMUNTO AO EXPEDIENTE DO IHA 14 DE AltltlL
DE 1SS?
OfficiOS :
A'brgadeiro commaniante das armas.
Sirva-ae V. Exc. de providenciar para que parte
da forg* que .- 'gu e araanh para o preaidio de
Fernando de Noronha escolte at hi 4 presos que
se achem recolhidos na Casa de Dcteugo.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.Sir-
va-se V. Exc. de pruvidenciar para que aijam
ama-h transportados 4 presos e a respectiva es-
colta da casa de dcteugo at a bordo do vapor
Giqui.
EXPEDIENTE DO DIA 15 DE ABRIL DE 1831
Actos :
O presidente da provincia, de coutormidade
com a proposta do Dr. chefe de polica em -atliei >
de 13 do correute mez, aob n. 351, resolve exone-
rar Juvmal Antonio de Castro c Silva do lugar
de 1" supplente do delegado de teimo de Ourieu-
ry, por ter sido pronunciado como incurso as pe-
nas do art. 2J. 8' da lei n. 3,029 de 9 de Janeiro
de 1881, combinado com o art. 233, |j 8 do regu-
lamento de 13 de Agosto do meamo auno.Cim-
munieou-se ao Dr. chefe de polica e ao Dr. juiz
Je direito da comarca de Ouricury.
Officios:
Ao brigadeiro cominaudaute iaa armas.
Deferin.do o requerimento do soldado do 14" bata-
lho de infantaria Seraphim Jerooymo da Costa,
autenao V. Exc, de accordo com a sua iuformago
de hoje datada, aob n. 203, a conceder-lhe baixa
do aervigo do exercito mediante aubstituigio.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Para esta presidencia poder resolver sobre o aa-
suuopto do officio de V. S. do 1* do corrente, n.
208, torna-se precian queeaaa inspectora me infor-
me em que condigea, a respeito de vencimentos,
i-.cha-sa fra de exercicio o lente cath dratico de
plnloso.ibia do curso uAuexo Facuid>.de de di-
reito.
Ao mesmo.Communico a V S., para os
fina convenientea, que p r aviso de 4 do corrente
declarou me o Exm. Sr. miuistro da guerra ficar
approvado o abono de 7 mezes de sold ao capi-
'o de engeuhciros Agrcola Ewertou Pinto e aoa
2* teneutea do 3o batalho da artilharia a p
Vctor Hugo de Paula e Francisco Bapti-ta da
Silva Pereira, que couseguiram salvar-se no nau-
fragio do vapor Baha.
Ao mesmo.Mande V. S. relacionar uos ter-
moa do aviso, junto por copia, expedido em 31 de
Margo ultimo pelo Ministerio da Marinua a im-
portancia d: 271/64, de vi la a Conatantiuo Al
ves da Silva pelas obras de que traeta a informa-
gao dessa Thesouraria, de 9 do citado mez, n. 142,
executadaa na cacla de aprendiz* s mariuheiros,
providenciando le irodo a ser cua.pnda a exigen-
cia contida na segunda parte do referido aviso.
Remetto o certificado a que se refera a menciona-
da iuformago.
Ao meamo.Providencie V. S. para que, nos
termos da oua iuformago de 5 do corrente, n.214,
seja entregue pelo almoxanfado do preaidio de
Fernaudo de Nerouha o peculio a que tiver direi-
to o seuteuciado Manoel Henrique Villa Real, em
vista da respectiva caderueta.
Ao inapeetor do Theaouro Provincial. De-
volvendo a petigio e documentos a que allude a
infurmago d'ease Theaouro. de 17 de Janeiro ul
timo, n. 374, recommeudo a Vmc, que vista da
iuformago junta por copia, ministrada em 23 de
Fevereiro finio pela Cmara Municipal da villa
de Iguarass, mande pagar a Manoel Clemeutino
Correia de Mello, a importancia que lhe for devida
peio aervigo da illumiuago da mesma villa, du-
raute o trnneatre de JuIuj a Setembro do auno
prximo passado.
Ao meamo. Por despacho de hoje concedo
o theatro de Sauta Isabel a Adelaiie Naghel, ar-
tista de canto para fazer trabalhar dorante o uiez
de Maio prximo, urna compauhia lyrica, mediante
Contracto e Condigea constantes do regulara uto
de 16 Je Margo de 183oCommuuicou-se ao ad
ministrador e directora do theatro Santa Isa-
bel.
Ao commandante do corpo de polica.Res
poniendo ao officio de Vmc, dat Jo de 17 de Mar-
go ultimo, n. 4,024, declaro-llio que, de accordo
com a inforinigo do inspector do Thesoaro Pro-
viucial, de 31 do alluddo ra.'z do Margo, n. 537,
juuto por copia, permitto que ; s quautias resul-
tantes de ndemnisago de fardameuto uaa cndi-
goes expostiS em aeu meneiouado officio, fiquem
em deposito no corpo aob seu commanio, por meio
da eacripturago especia!, afim de que co-m ease
recurso, e precelendo ordem deata presidencia te-
uba lugar o novo fardameuto s pragas que ae
ahatarem em subatituigo.
Do estado de taes quantias, entretanto, Vmc.
dar couta circumatanciada por trimestre vencido.
Communicou-se ao Theaouro Provincial.
Ao engenheiro encarregado daa obras ge-
raes. Inteirado do que Vmc. informa no officio
de 13 do corrente, sob n. 18, aeerea dos reparos
de que carece a ponte da Boa-Vista em todo soa-
lho e parte do taboado do calgamento, de modo a
abaorverem quasi todo crdito dispouivel de.....
8:00J, destinado taiubem aoa reparos e piutura
das outras duas, declaro lhe que concern atteuder
a que estas foram piuladas h* mais de 2 annoa, e
tendera a arruinar-ae.
Ao juiz municipal e de orphoa do Urmo de
S. Bento.Nesta dsta ordenei o pagamento doa
valores dos tres escravos libertados nasse termo
por conta da 71 quota do fuudo de emancipago
couforme a relago em duplicata aune ao officio
de Vmc. de 1 do corrente.
Declaro-lhe, outro sm, que sendo de 1:068837
a quota distribuida a tsse muuicipo o ajndem-
nisago da libertago dos escravos de 1:050*010,
o saldo respectivo de 18#837, reunido ao da t.*
quota na importaucia de 256/5910, eleva-se a de
75*747, que dever accrescer distrbuico fa-
turt,Officioa-se ao inspector da Tbea.arara de
Fazeuda para mandar pagr os valorea de d!tos
escravos.
Portaras :
Declaro a Cmara Municipal de Villa Helia
que nao podem ser approvadas aa arrematagoes
dos impost08 constantes do termo annexo ao seu
officio de 8 de Fevereiro ultimo, porquanto, se-
gundo iuformagea que collii a resp ito, nao fo-
rano ellaa procedidas com a devida publicidade
exigida peloa artigos 43 e 14 da lei de 1 de Outu-
bro de 18^8; accreaceudo que do referido termo
cousta que forain arrematados os impostes san-
gras e chao di feira, de que nao trata o artigo 57
da lei a. 1,8^2 de 10 de Setembro d) aono pas-
sado e que os arremitantes nao pr staram a res-
pectiva nanga.
i'or isso, deteimmo i Cmara que sem perda de
tempo ponha notamente era praga os irapostoa de-
crvtados pela citada lei u. 1,882, que devero ser
arreeadadoa do corrente exercicio finauceiro mu-
nicipal de 18-;6 a 1887.
Os imp jatos serio arrematados cada um de per
ai, menciouaudo-se nos termos a sua taxa e a lei
que os iecrciou, c. uforme tem esta preai enca
inultas vezes recomraendado.
Se nao appar cerem licitantes devero aer arre-
cadados administrativamente.
Outro sim, declaro C.mara que se es arr. ma-
tantes uo fiaerem deposito de ijuautiaa pecunia-
ii :i ju d titules de divida publica para garanta
de seus J hitos dever exigir que essa garanta se
effectue por meio de hypotheca legalmeutc consti-
tuida pelos meamos arrematantes ou seus fiado-
ica.
Respondeuilo o officio n. 16, de 2 de M&'t,
lido, declaro Cmara Municipal do Recife,
vista do que iufoi mou me o Dr. chefe de polica
que s r restabeleci la quando for possivel a guar-
da policial do mrcalo de S. Jos, cabendo-mc en-
tretanto observar segundo consta de officio desta
pr.'oideucia de 7 de Maio de 1333, que acamara
alera de 28 guardas fiscaes tem 8 especialmente
para o mercado cuja polica ihes cumpre fazer.
conf rme prescreve o artigo 4 da le n. 1,3)5, de
ii de Margo Je 1379.
O Sr. gerent- da Compauhia Pernambucana
de uaVegago faga transportar para o presidio de
Fe.naudo de Noronha, coufoiini requisita o juiz
de direito das exeeugoes criminaos c por couta da
provincia o sentenciad) benberico Autouio Fr-.u
cisco de Paiva. Coraraunicou-se ao Dr juiz ic
direito das exeeugoes ciiraiiiaes do Recife.
O Sr. gerente da Cjiopauhia Pernambuc .na
faga transportar na primeira opp3rtunidade a nro-
viucia das Al .goas, por conta do ministerio da
guerra, trea caixes mediado todoa 1,270 decme-
tros cbicos, coutuudo varios artigos de fardameu-
to com dc;tino a coinpauhit dcinfantaiia daquel
la provincia.Communicou-se ao director do ar-
senal de Guirra.
EXPEDIENTE DO SEOHErAKl'J
Officios :
- Ae 1" secretario da Assembla Legislativa
Provincial. De ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia traLisraitto a V. Ec afim de que se di
gue subraetter consiclerago Jeasa Assembla, o
iucluso officio por copia do 28 Jj Margo fiudo, da
Caaara Mun'CiDil do Altinho; cumprindo-rac de
clarar que coru officio de 9 de Fevereiro. sob a.
17, enviei a V. Exc. o orgaraeuto provisorio de
receita e dosp-.za para o correute exercicio da re-
ferida C .niara, o qual pede para que seja o mea-
mo para o etercicio vndouro.
Ao Inspector da Thesouraria de Fazenda-
O Exm. Sr. prosidente da proviocia manda remet-
ter a V S. as iucluaai ordens da Theaouro Nac:;
nal de na. 43 a l.
Ao engenheiro ueirregado das obras mili-
tares. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
man Ja accuaar o recebimento do officio n. 125 de
13 do c rrente, em que V S. participa cataure
c ncluidos os trabalh)3 que estavam sendo exe-
cutadoa no quarlci do 14 batalho de infantaria.
Ao Dr. juiz de direito do 1 diatricto crimi-
nal lo Recife.De ordem do Exm Sr. presiden-
te da pr-viucia communico a V. S., que no aeu
officio de b,ntein profeno-ae o seguinte despacho:
Ao Sr Dr. chefe de polica pira providen-
ciar.
Aos Srs. vereadores da Cmara Municipal
do Muribeca.De ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia transmiti a Vv. Ss., em solugo do
officio de 17 de Margo rindo, copia do de n 352,
le 13 do urente m-"z. d) Dr. chefe de polica.
Ao ajudante do procurador dos faites da fa-
zeuda'provincial no diatricto da collectoria do
Cabo. Da ordem deS. Exc. o Sr. presidente da
provincia aecuso o recebimento do officio de 12 do
corrente, em que V. S. participi o roubo praticado
no dia anterior na collectoria dessa localidade.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Inga-
zcira.Da ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia corarauuieo a V. S., cor resposta ao seu
officio de 12 de Margo fiud j, que provideneiou-se
quinto a retirada do cabo coraraandante do desta-
camento deasa villa.
O que V. S. participar ao promotor publico
des3a comarca em solugo do aeu officio que eae
fuuccionano dirigi en igual data.
Ao Dr. juiz de direito di comarca de Cim-
bres.De ordem do Exm Sr. presidente da pro-
vincia communico a V. 8., era respoata ao seu otii-
cio de 4 do corrente, que o cilado Duartc Fran-
cisco dos Santos foi exonerado do lugar de 1 aup-
pleota Jo del gado Jo trras de Alagoa d: Baixo.
ein 2 do referido mes.
Ao promotor publico da comarca de Cimbres.
De ordem do Exm. Sr. preaideut- da provincia
declaro a V. S., era reapoata ao seu officio de i do
corrente raez, que logo que liaja forga ser aug-
mentado o destacamento ah existente.
Outro3ra, eouvra que V. S declare quaes os
presos que isflo em coudigoea de ser retirados da
cadeia deasa ciiade.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 21 US
MAIO DE 1887
Amaro Francisco Pereira. Iufonne a
Cmara Municipal do Recite.
Caetauo Cyriaco da Costa Moruira A C
Informe o Sr. inspector da Taesouraria
de Fazei... ..
Horacio Barbato A.cyoli. Informa o
Dr. chefe Je polica.
Heorique Vianua da Paz.Deferido
com'o offieio desta data a Thesouraria de
Fazenda.
Julio Correia da Silva. Deferido com
otiicio de hoje ao brigadeiro co umaadaa-
te das armas,
Jos da Vasooncellos. laforme o Sr.
inspector da i tiasouraria da EJaz-nla.
Juild Lourengo de Coas Vasconeellos.
Esperado, para quaudo houver opportuui-
dade e puder ser atteuddo.
Pedro Ivo da Silva. Iuforme a Cmara
Municipal de (jraranhuas.
Secretaria d* Presidencia de Pernatu
buco, 25 de Maio de 1887.
O porteiro,
F. Chacn.
ilcp;irtI?o da Polica
2' seaca. N 484.Secretaria de Po-
licia de Pernambuco, 25 de Maio de 1887.
Illa. 9 Esm. Sr. -Participo a V. Exc.


nsi


Diario de eroarabuco(luinta-lcira 26 de Maio de 1887
i

que! hontem neDbum individuo loi recolbido
Casa de DetencSe.
Ce amenicen a>e o delegado de Agua Preta em
tflicio datado de 21 do corrente ter nsquella data
feilo a visita da cade i a publica, na qual enconirou
19 individe* pronoseiados em diverso crimen,
o ntDburca Mcfcttaiao fisersm ditos presea do
atamente que recebism.
Pai ticipouH-s o cidadao Jote Francisco Pinbei-
to Ramos, iTofficio de 23 deste mu, ter na-
qnella data pactado oexeicicmdo cargo da dele-
gado do turto de Pi q'Albn ao alferes Francis-
ca Ignacio de Lima Cabial.
11. i.tem. por volta de 7 horas da noite e na
occaaiSo un que passava pela ponte de Afogados
um carro da Compaubia Ferro Carril, do qual
era cocheiro o inoividuo de neme Francisco Fer-
nandea de Farias, foi atropellada urna mnlber de
cor pieta, que por se acbar embriagada, proeuia-
va stravetsar a pinte por ma doa trilho*, a
qual sindo ueste acto apencada, por urna das ro-
t s do vehculo, ficcu com um dos oraecs trac
IU Conparecendo ao lugar o subde'egado daquelle
disiricto fea prender em flagrante o cocheiro,
que prestando fi-nca pr. visoria foi posto em 1.-
rdade, e mandou recolher ao hospital Pedro II
a ofendida atlm de ser convenientemente tra-
tada.
Sobre o facto procede-se a n.querito.
Deus guarde a V. Exc lilm. e Exm.
Sr. Dr. Pedro Vicenta de Azevedo, rouito
digno presidente da provincia. O chele
de polica, Antonio Domingos Pinto.
Thesoaro Provincial
DESPACHOS DO DA 24 DK MAIO DE 1887
Bernardino Pereira KamoB e contas
do collector de Caruaru'. Haja vista o
Dr. piocurador fiscal.
Joao Nepotnuceno da Costa Monleiro,
vicario Augusto Kraikn Moreira da Sil-
va e officio do Dr. ebef'e de polica. In
forme o contador.
Viuvae Ser* tiro deSouzaJorge. En-
tregue-se pela porta.
Officio do Dr. procurador dos feitos.
Informe o Sr. Dr. administrador do Con-
sulado.
-20
Anna Valenca do liego Medeiros, Vi-
cente de Moraes Mello, Victorino Jos da
Soue, Joao Antonio de Miranda, Grego-
rio Tbaumaturgo de S LeitSo, Manuel
Collueo & (.'., Olinto Jardira & C. e Jos
de Souza & Informe o Sr. contador.
Antonio Jos Barreiros. Informe o col
lector de Palmaras.
Dr. Pedro da Cunha Souto-Maior. Fa
yam-se s.s notas da' portara de Henea.
Amorim Irmaoa C Haja vista o Sr.
Dr. procurador fiscal.
Au'onio de Souza Pinto. Eatrcgue-snj
Maris Jacoroe de Araujo Maia, Luciuda
Mercedes de Meilo Reg, Thomaz Antonio
Maciel Monteiro e Poblmun C CSatisfa-
ga a exigencia da contadoria.
Jos Ftrrcira da Cota. Junte conbe-
timento de decima do uitiino semestre e
prove a desoceupacao.
darioj; perhaslco
RECIFfc, 26 DE MAIO DE 1887
Policas da l^uropa
Eis o conp'i ininto das nctidas trazidas pelo
\apor ingez Ta, :
KuU
Dizem cii ?. Peti isbuigo que o prco-sso dos ni-
hilistas que atti utan-ui cunta a vid do ciar no
qii 13 di- Mano uiiimo, continua a permanencia
no mais absoluto mysterio
AlguuB generis nao poderara obter accesso na
ala da audiencia.
O moao porque fui divulgado recentemente pela
iuopiensa estraugiira o theor do acto acc-usatirio,
provoeou un itquerito : evero para descubrir as
pessoHS que eoinnuniearam aquelle documento aos
correeponcentcs das foibas estrangeiras.
Diz-se que o gcueral Orschevski, que deu re-
centemente a dcmibsode director da polica se-
creta, spresentou urna memoria ao czar, na qual
cen.-ura cem cmrgia o systema g 'Vernativo ac-
tual e a aibitranedade das autjndades adminis-
trativas.
Accretcents-E' que o czar, longe re se mostrar
descontente tim aquella frnnquiza do general, de-
claiou que paneia que realmente a ixperieocia
dos ult mos anuos nao milita nada a favor do tys
tema govirna'ivo actual.
Segundo um despacho de S Petcrtburgo para o
Times, o g- v. rno rusto pr bibio o o mu de ini
ciati\as ce r- n stt< r o Shbre de h nra ao general
Bcnlanger, (Orque itsa dt n.< nstrscilo poderla ri;.r
logar a snpp corseri mas n respeito da p>, iti-
. a. estraDgeia da Russia.
__ Segn o teli.giau.mB d. S Petersburgo pu-
c e qninze secutados no procea
so relati\o o ultirno attentado centra o erar, sete
crini c ict n,i.i-o''B m, re; ob outres sero en-
viados para a S beria.
De Mi t" w dizim ttr ebegado aquella cidade
o u absrtji h ca Indias Dhu up bingb.
Tenciti a naturalisar te tuboito iu=so e passar
a n sidir n:i Kutsia.
Este nabarsjab provave mente o personagera
n ystnicso qti> a iu.prensa ingleza oizia andar
lisiando na Bnssia.
u> dispacb i;e Calcuta para Londres oiz que
i in 'nina cit Inoias c< at'r.bue nmr.uina m-
prtanciaaprsnH di Dhulup-Smgh-naquelle
pais.
__ Telegnmmas di S 'i tertburgo, -recibidos
tiltiSlBtnti m L nOrs, ccmnunic-am que 15 ni-
iccndenn o b morie pir terco attintado
, otra a vida do czar, teraoexecolados d< poisque
, berano tenba (rrpithendido a sua viagein, qne
estava marcada jira 15 di Maio.
A Kottia i ciu| a aitualmeLte na poltica curo
yin ddi uyar icepciorai c nico.
U Ktiabimento a abstmiao, tyntbetisa boje,
cen ba tunta ancos, a ncima poltica do impino
moscovita.
A d ffnnic, te a ba, que o retrahimento de
he je ir.ais activo e wcador, alm das serias
Bsnif'stato e da rpmiai publica e do mysterici
queenvilM c plnos uo erar.
Sirva de n. mclo a quislo buigara.
O impert-doi Ai'isncri tim pem.anocido indif-
lermtc, 1.5o obstanie todas as provocacois e tt-n-
tacoes.
A n gene a da Bulgaria interroga tmidamente
h tptynpe do > trantaccio qualquer, con viniente pura a Kus-
cia.
A netma atli'ude cbtervada peio geverno
mwo puante arcente rcv^lta dos gbizais no
Althanis'kn.
Jiao cbttente es pi r gos e os coi n ctos cem a
luglateira que p-diin tnigir diste estado de
o&uta na Asi, Rutsia msntim o teu mquebran
tavl letrab m. nto.
Nao sao, pois. fundados es beato que teem
corrido, de que a Russia eslava n.obilUando tro-
pas em vitia Cos ultin.es tuceessos d Asia.
A Kuetia limita-se a noonvir as ieclame;6ea
mm as ameacas do aovertanes, a adquirir al-
eumas vaniapens m vertarios rao eh. goim ao ten fim, e a manter-se
ness posico sim r. c-uar um passo.
E' no entantodifficii prtv.r at onde ehegana
ease retrabimcnto e qual si ja a soa medida exac
ta.
Fde-se afirmar que a Rutsia envidar os maio-
ris esfoicoB para manter a pal geral e o equili-
brio europeu.
Mas se a guerra rebentar em ^ualquer p nto da
Eun pa, a Rutsia percnanecei indifien nte T
Ccmecm i.qui as duvidaa ; nada pio.a todava
que ella vcolloear se entre os belligerantes.
as suas relaiiWs cem as outras potencias, nada
a desvia do seu modo de proceder ; retrabimento
8 liberdade de comjr.'tnissos para o futuro.
O nihilismo, cem as suas mais ou menos gra-
ves tentativas, uo influe na attitude do governo,
em a modifica.
No momento actual, a grande praocenpacio da
Bociedade russa, nao a poltica internacional,
nem o nihilismo.
K' o imposto sobre os passaportes.
Este imposto entrar tm figor brevemente, e,
etn virtude delle, a longa ausencia daquetle pal*
s ser permittida a quem for muito rico.
Quem quner ausentar-se, pagar palos primei-
ros tres mises de rublos em ouro ou duas libras
sterlinss approximsdamente.
Por maia tres meses o imposto se eleva n urna
progressao constante.
Este imposto i comparado epiritBOsamente por
um ehrenista muralha da China; e tem por r.m
obstar a emigraco, ferindo principulmente a clas-
se operara, os pequeos artistas e, em geral, o
ccmmerio e a industria.
O imposto sebre os passaportes esta excitando
vivamente a epiniao publica na Kussia.
8*gonk> o jornal i rHeial do ministerio da guer-
ra rnsso, effrcvo d'aeuelle exercite era o sogurn-
te no principio de 1886 :
Exereito 724:762 soldades e 30:6o5 generae e
cfficiaes. As tropas oa reservo representavam
um effeetivo de 1 (300:815 homens; e a priuieira
milicia 2 160:000 hemena Nesta afras nao fi-
guram os regimentos finlandeses.
Alguns j rnaes da Russia insinuam a ideia de
que a solucae do incidente Schoaebel nao exclue
a pi ssibilidade de novas complicacoes.
Um delles adverte que os funecionaries france-
ses devem abster-se de promover na Alaacia Lo-
rma ideias anti-alleros, mas qu nao tople
exigir que elles entreguem aoe allemes os pa-
triotas franceses que Ihe facain propostas que
constituam aos olhes da Allemanha um crime de
alta tiaico.
Pelos alludidos jornaes, vemos tambem que to
dos os reos, implicados na ultima tentativa contra
a vida do impeador. toram condemnados mortt;
espera-Be porm que o csar commutar a pena de
alfiuns, em trabalbos perpetuos.
Levanti u te agora acceta poiemica entre a im-
prensa allemi Os j rnaes de S PeterBburgo ac-
cusam Bismarck de ter cempellido a Austria a
oceupar a Russia e a Hersegoviua as caenpanhas
de 1877 e 1878. As folhas alleenaes contestara a
aovueacao, e sustentara que a oceupaco da Bjs
nia, pela Austria, foi urna ideia exciusivaineuto-
russa.
E do as razos. Mas parece que as^allegaco.-s
uiai.s seguras sao as da impreusa all>-ma.
E' um debate retrospectiva, que inir.ssa uo
entretanto a poltica geral contempornea.
Os circules polticos ccnsiderain a situacio
des Ba.kins melhurada a favor da Russia.
Os jornaes sstmngeirod do alguna porme-
nor. 8 interessantes da audiencia em que fjrain
julgadob os autores do ultimo atteutando contra
o czar.
A circumstancia dos reos serem muito novos
mpressienou profundamente o publico que euohia
a sala do tribunal.
Os aecuaauOB apresentaratn-se humildes e res-
ponderam em voz baixa a t.das as p.rguutas que
se Ibes fizerau.
O nico que fallou e proc!anicu em Voz aira as
doutrinus do nihilismo toi Oubauofi, coubiler-ido
como o ebele da ce ntpirracao.
Dubancfl c um estjdanfe iuteliig 'iitissimo. Ha
tempes t..i premiado na Uuiversidade com urna
meoalba de ouro, e este facto originjU um iuci-
deu'e muito curioso na audiencia.
Tcudo ihe o juiz perguntado se havia euvena
uado as bombas, icopoudvu SLCcameute :
S.m.
E sabia quai s podjam s.r as consequeacias
disso ?
Per oerto : te o nao soubiSoe, nem o teria
teito.
Eslava s quaudo envenenou as bombas?
I pois de olhr mi torno de si, Uubanuff res-
p ncieu com a maier prescuca do espirito :
Nao
-abemi s isso ; snbtmn que nao cstava s,
p sabcn.os t..mb m que o seu cumplice se evadi
Quem Ihi faiul en ob mei dr fu^ir ?
Eu I'ara esse fim, veudi a medallia de ouro
que me foi daois como premio no curso de chi-
unoa.
Mas, se tii.ha dinheiro, poique nao fu
tambem ?
Oh nspendeu mtao Dubaneti. com ar de
profunda couvicco, isso diz respeito mnihi
consciencia. N:io quis fugir ; prefer ei.,r a vida
pela causa que defendem. s.
ntreos eutroa accusadis, alguna havia p ir
qu< m o auditorio vivameute se in eressava. Um
delles, um estudante de th.elega chamado EiW<-
re.-ky'.ra o dilecto do prisidente do banto Sn-
nodo.
As uiulhi res implicadas no processo deram pro
vas d grande sereuid; de.
Urna dellas Kaita S hmidew lindissima. i'.jtao
o j )is Ibe peiguntasse que especie de relaces a
ligavam a um dos aecusados, Pilsonesoki, filho de
un. grande proprietario polaco, respouae :
E meu marido.
Mas a r n< casada !
O id t'eito, nao ?ou casada ; mas conside-
re-me Cimo tal, api zar di nao ter ido igreja.
D> h. 1' tertbuigo teiegraphar.im ltimamente
ai TrliKS, : PehaUW.-ky, um dos nihilistas, de-
clareu que tanto elle, cimoosseus cumpli-es, ha-
viam prcCedio im bainieuia c m as suas coa-
iccoes
>igumlo os depoimentos cousigoados nj pro-
cesso. ii oenhiciu-se a cxittencia de quatro cen-
tros nihilistas ou levnluoouarios, um ex S. I'e
tersbuigo, lUtro n. Wilua, um terc iro eniKrie
o qu-rto na Sibi lia.
A irxpciBtnz da Hussia pritenteiuo gene-
ral Gresser cem 1. :00' rublos, como recompeu
sa pela piito des iuuividuos implicados na uiti-
ti... c us] :i ci militar.
O czi.i ti-.tifii u luliim o general t. m mi
pi uif Leiecilaiia de (i GOO rublos aneuaes.
Orela
As cleicois ec rrpl'menlaies foram f'av. raveij
ao ministerio, Ctandc eloites todos os candidatos
niinirt* riaed.
^uj poe-te que a sgitac;o de Creta f .menea-
da pelo cnsul ingles, que deteja pn p rciunar ao
teu giverno umpettlt para temar | naillia.
A Giecia di teja a n.ai.utimao de statu-quo .
l'ui de> pacho cflicial d- Cunstantinepla aesegu-
ra qui as iiiiuins de Creta nao passaram de
B nplts rixas entre chritta.s e mu^ulmanos em
anas alceiae vitinbas de Canta e que tic-ou log
n Btabeh eida a oidem.
Os cucul nipii matices nao acrediiam qae a
una quena iaer proc Smai a indepeudea-
cia ii Cicla ob o (i.tictirado britannico.
rlenle
O c j< emente que n principe de Bismar. k apoie a eau-
oidamra do piincipe oe Nassau ao thn no da Bul-
garia, c diz que, ti gendo noticias de Ss fia, i s Cul-
gi rot i tio di.-pietes a elegcr um principe indi-
gi na. prevaV 'milite o txarch Alexaudre.
L-ti i a Ni tavisiima Bulgaria jornal of-
cial da re enca hu'gara, de 27 de Abril :
E' m cetsano que te reernhee que as forjas
nacioi ii t estau exhaustas, que o pas est real
ni i ti- fatigado, v que c imp s.-ivel contratar um
impietiimo 0;U piiii.itta a regencia continuara
luita. L gp, devi submetrir-se e nao cintinuara
animar este espirito de revolta, do qual nao pode
resultar senSu a ruina ci mpleta do pas.
Eit pr- duzindo pav r as rixas sanguinolentas,
que lebentaiam im Creta, eutre turcos e ebris-
i iilo s leligicsas p-rcorrem os camp >s, proo-uraii-
do apas'guar o nimos, mas debalde. O cbns-
ti.s ice nem as atufas eaesia h ira a formosa
iiha ci \e t< r sido tb' airo de horriveis luctas.
Acerca oa inturreiv-io em Creta de que tanto
se t- m ooeupado o te egraoho, podemos c iher em
aiversos (eruais s seguales uiloimafes, que co-
mo te \ attnbuem a diversas Causas aquelle es-
tado anormal.
Um teligramn.a Je Alhenas publicado pelos jor-
naes iiigi-ze*, o ss seguiutes ufjrmacjo.s sobre
a i rig. m do conflicto.
Um bando de torcos apoderou se de urna
creaiiya ebrista. Os chnstos atacaram os rouba-
dores, e um turco to i merto na des rdem. Cbega-
ram Mn turcos im soccorro-dos seus correligio-
narios, e st-guio-se urna verdadeira ba alba. Des-
de ento HDi-se r> novado todos os das as luctas
entre chrisiaos e turcos armados .
Pela sua parte o Tians publica o seguint
que Ihe ccmmuniuaram de Vienna:
Seguudn info maves recebidas em Vieotin a
respeito das pe rierb.\oes em Creta, os insurgen-
tes lutam pela indep< ndeucia da llia e nao pela
oa aouexacao Grecia.
All, tegund'i parece, o ->artido tavoravel a esta
san lacio muito fraca.
Affiuc-bi, que, ha j muitas semanas, o g >ver-
nador da ilba tinha pedidor, torejos, masem ons-
tam inopia nao -ttenderam ease peuido.
A* ultimas noticias de Creta sao tranquillisa-
doras ; continua tedavia a existir all urna sarda
agitaran, gaardando oa carinaos ama posico ex
peer ame.
A' imprensa grega er que o sult&o pd acal-
mar os nimos concedendo as innovados* admi-
nistrativas e financeiras, pedidas pelos deputados
ebristos a assembla geral.
A viagem do rei Jorge ao Peloponeso foi urna
verdadeira evacao.
Segundo as informacoss recebidas da Roumelia
Oriental, reina grande agitaco n'aquella provin-
cia. Essa agitago, segundo parece, fomentada
por agentes estrangeiros com o fim de proclama-
ren! a independencia do principe. A Porta encar-
regou Riga Bey de chamar a attencao da regencia
para aquelle estado de coisas, que poderia crear
peiturbaces na Maceionia.
Ao mesmo tempo, o ministro da guerra turco
ordenon pelo telegrapho ao com muid nte militar
da Macedonia que se dirigase a Prstina com urna
diviso de tropa* e estabelecesse urna goaruicao
n'aqueBa localidad?. Foram igualmente expedi-
das ordena aos commandantes militares de Janina
de Sestari para que tomaseem as pre/eoedea
ecesstarias para impedir que aquella* perturba
cues caegwem a fronteira do Montenegro.
O correspondente de Vienna para o Times ,
communicava-lhe a 25 do mes passado :
O que sobresai de modo evidente dos discur-
sos pronunciados na Roumelia pelo Sr. Stambou-
1.11' que o* regentea nao se retiraram antes que
si ja eleito um novo principe.
Deelaram elles que estilo encarregados da mi*
sao de manter a ordem no pas at se estabelecer
nelle um governo regular. Seria un absurdo por
a testa do governo um commissano turco, q ria por eerto impopular e que inuil) ditii jinneute
podeiia manter a ordem .
Asiegura-je que est para muito breve a
reuniao da assembla blgara.
A Russia persiste em pedir a retirada dos ra-
geotea.
Diz se que Mr. de Nlidof submetteu a Porta
urna nova proposta, que consiste no seguinte :
A Porta, ua sua qualidade de potencia Suzera-
na, enviar Sofa um commissario extraordinario
que deve exercer o poder conjuntamente com o
.iv.) ministro, at a eleicao desses pi incipeg.
Oe Vienna dizein que nao parece que a Russia,
que vio com mos olhes o enviado de Rig* Bey a
S lia. podesse piopor urna semelbante solucio.
A Gazeta de M^scow diz que ula-sia nao pro
cura nenhum alari^ameuto territorial na pennsula
dos BaikaOB. E'a cimmunidade de religiao que
all fez establecer a sua iuflaencin preponerante.
Esta iiiriicnoia ua i s.beria a Russia coucedel-a
a muguem, seria abalar os seus propros alicer-
jes.
Couota ao Times que a Sublime Porta desisti
de enviar d pjtencias urna circular sobre a qiies-
to blgara.
Oizeut de Cjnstantinopla que urna ordem do
govern i octornauo havia determinado directa
das Alfandegas que do futuro fiz ase su iin -tter
as bagageus d >s ch.-fes de tnisioes estrangeicas,
da s'ia comitiva e dos cnsules, i visita aduaneira,
tmio para a impsrtacaj como para a expjr-
tac;:ii i.
Tendo os enibaixaJoies p-oteatado vivamente
contra esta m"did., o governo turco alterou a ua
deciso, mas uoicameccu na parte reepeitante ao
imbaix ,d ires, os quaes c uno d'antes, sero iseatos
de quu.'quor exbioico das suas bagageus, qu;r
eotraudo, quer sainado do territirio oltOJiino.
Um correspoudente do Pnat, qoo teve a oeca-
siao de fallar ao general K.ulbars, refere que o
c neral protesta vivamente contra tu do o que se
dissese a nspeito da sua misso na Bulg.iri,
tanto i is jornaes ingleses com) nos austracos.
Oeelarju que nunca f z nais do q u ex -cutar as
ordens d czar c que nao tiuh.i u eesoiii ide ne-
nfiuma de pagjr com dinheiro ruaso as iusurrei-
c;.'S que. bastava a ucapaeieidade do gjvetuan-
te russos para fazT reoe.iar.
Qjant) ao principe Alexaudre.I o que Ihe cen-
8iirnii nao :cr combatido a iiifljenc'iu russi na
Bulgaria; mas sim ter oncebido o proj-'cto de
v ini'.r o tratado do Berlim, taz> udo-se proelamar
rei d' um estado que comprenendena toda a pen-
nsula doa Balk nis. A Ruaaia nao poda tolerar
semelbant i eoisa, que a Austria favorec i a m du
vida, mas cuja reahsae ij aoieac}ava a seguranc-i
da Kussia meridional.
O general Kaulbars est persuadido de que o
principe de Battenberg :ii renuociou ao seu pro
jeeto, e qualquer da a Europa saber que elle
voltov a iofia e renova os seus aud^zes e p-jrigo-
aoa manejos. Nease caso a Ku-ai.i nao li-sila .i
em publicar os docum ntos suihenticos que decidi-
ro as p tencias europeas a nao dar o seu apoio
aquelle ambici.iso rsuroaior.
Em Bucharest reinava grande aneiedade,
mctiva-la pela absoluta auaencia de i-oticias da
Bulgaria oude se suppo- (diz um telegramrna de
i de Maio) que ae esto daudo casos extraordina-
rio.
iiavia iilgun8 das que se acbvatn interompidas
as commuuicacoes coin Timova.
Tinha-se tentado, varias vezes, communicar
com aquella capital ; mus, todos os esforcos em-
pregados para o conseguir haviain sido iiiuteis.
i'.i.. ni .va ainda mais a attencao e contribua
para augmentar o susto, o saber-se de maneira
positiva que as linhas nao t ram interrompidas
pelos nturreztos, mas sim pelo proprio goveruo,
qu isolou completamente aquella cidade.
Euyplo
Dizem de Suakim que os desertores dos rebel
des do Soldo auuuuciam que estes foram comple-
tamente desalojados de Kiasala pelas tribus ha-
dendowa as quaes fzerain prisoneiro Oaman-
II...-mi.
As negociac;de8 entre a Inglaterra e a Tunquia
com respeito a evac-uaco do Egypto, assegu.a-ae
que esto no ponto de desojar a Turqua se fac;i
ao cabo de 18 mezes, e propugnar a Inglaterra
para que a oceupato ec mautenba ainla cinco
aunes. Se a negociado se conserva apenas en-
tiegue a estas duas potencia, natural que ellas
cneguem a accordar na epocha mais opportuna
para a ev.-ieuacao das f'orcas inglezas.
No Egypto, o esommiasKrio turco, Muktar
Paeli. tra'a de fazer substituir as tropas inglezas
per tropas egypcias, e, uesae seutido ee est or-
ganisando um tratado preliminar.
Diz um despacho do Ciiro para o Daly News
que o governo egypcio recusou acceilar o accordo
feilo mtre a Franca e Inglaterra para a abolic;o
do tr .bilho gratuito forjado.
Harrorus
O sultao Huley Ilassau acolheu cordialmente a
mistan ingleza. Nao exacto que o suit) m-.ii-
dasse cortar o cabo telegrapbico eutre Tnger e
G.braltar; as suas instruoi,oes foram mal com-
prehendidas pelo ministro dos negocias estrangei-
ros.
A C; lia instan
Diz um despacho de S. Petersburgo tiara o Daily
News que ha completo desaccordo entre es mem
hio ingleses e russos da c mmi.so incumbida df
procider a delimitacao da rwateira do Afghauis-
tau, e que provavel que a commisso seja dis-
so'vida antes de pansad.is quinze dias.
A 4 de Maio correte, a commisso anglo-rusaa
para a delimitar) da fronteira af'gban c.lebrn a
au primeira sesso em S. Petersbuigo, mas nao
t ,mou deciso alguna.
Era provavel sur disso'vida depois da segunda
tes8o.
Cintta que os rebeldes sfgbans victoriosos amea-
cam Candi bar e oicupam o desfiladeiro do Khy-
ber. Agilites rus oa excitam a populaco.
Preparam-se graves acontecimentos na A-iia
Central.
Noticias recebidas em Viecna diiem que as tro-
pas do emir de Caboul foram batidas yerto de
Gluzu que et sitiada.
Os insurgeuies ame.acJim a cidade de Candahar,
cujo governador pedi.i reforejos.
0 governador de ilerat tambem pedio refcircos
e participou ao emir que as trepas transpozeram a
fr jiiteira em muitoa ponto
Oa postes que baviam sido collocados pela com
misso das tronteiras afgh&ns, tem sido arranca-
dos.
Logo, a Russia comeca a sua marcha para a
frente Oppoi-se-ha a Inglaterra ?
O correspondente do A'ord em S. Petersburgo
diz que as negi.eiae.Oes augio russas temaram ha
poneos dias urna f. ico satisfactoria. Parece que
a solucao da questo afgh-.ii exerceri urna in-
Quenea favoravel sobre o desenlace de prxima
conciiUco da Iuglat-ra com a Russia.
Um despacho de S. Petersbnigo para o Times
diz o,ne a commisso anglo-rusaa, incumbida de
delimitar a fr .rteira afghao volta a reunir ae mas
em turnar nenhuma deiberaeo ; adiou o* leus
irabalhos para o dw 10. O Times prev que esta
quest) ser muito demorada.
Diz um despacho de f.kim para o Times que a
Chin de idio que toda* o* missionarios eslan
geiros deven apresentar-se munido* de paaaa por-
tea passados p lo* sen* respectivos governee e em
que ee designe a sua nacioualidade.
PERNAHBDCO
Assembla Provincial
31 SESSO Em 27 de ABRIL DE 1837
FBSSIDBHCIt DO BXM. 8*. Da. JOS MANUEL DE BAKBOS
WAHDEBLKY.
SummrioChamada e abertura da sesso.Lei-
tura e approvaQo da acta.Expodren-
te :Observacoes doa Srs. Jos Mara
e Joo de Oliveira.Discurso do Sr.
Jos Mara. 1 parte da ordei.i do da.
Discmso da emenda n. 107 ao pro-
jecto n. 22 deste anno e discurso do
Sr. Liurenco de S.Votacio e regei-
c;o da emenda. Approvacio era !
discusso do projectn. 41 e eos 3> do
prejecto n. 34 de 1886.Obwrvafe*
pela ordem do* Srs. Jlo dir Oliveira,
Costa Gomes e Jos Mara.Aporora
se em 1' discusso o projecto n. 40 des-
te anno.1* discusso do provecto a.
51 de 1886 e discurso do Sr. Jos Ma-
ra. Adiamento da 1' discusso do
projecte n. 49 deste auno.Eucerra-
ineuto da sesso.
Ao meto da feita a chamada, e verificando-se
estarent presentes os Srs. Soares de Amorim, Joo
de S, Antonio,Vctor, Joo Al ves, Ratis e Silva,
Constantino dn Albuquerque, Luiz de Aodrada,
Visconde de Tabatinga, Augusto Franklia, Bar-
ros Wanderley, Herculano Bandeira, Coeho de
Moraes, Oommgues da Silva. Rodrigues Porto,
Jo venci Mariz, Joo de Oliveira, Costa Gomes,
Baro de Itapissuma, Ferreira Velloso, Barros
Barreto Jnior, Goncalves Ferreira, Jos Mara e
Ferreira Jacobina, o Sr. presidente declarou aber-
t.i a sesso.
Comparecem dep>is os Srs. Sophronio Portella,
Gomes Prente, Andr Das, Rogoberto, Julio de
Barros, Prxedes Pitanga, Roaa e Silva, Affinso
Lustosa, Baro de Caiar, Lourenco de S, Re
gueira Csta, e Reg Barros.
Faltam oa Srs. Diummond, Coata Ribeiro, Aun-
ral, Soioni.i de Meilo.
E' lida e sem deOate approvada a acta da sesso
antecedente.
O Sr. 1 secretario procede le i tura do se
guinte
expedEKTK
Uu officio do secretan do governo trausmittin-
do o balando e oreamento 1* Cunara Municipal d-
Alag* de Baix;..V commisso de orciineuio
municipal.
Outro da Ciintra Mdulcipal de Ctbrib remet-
iendo copia de seu ornamento pira ser convert io
em lei A' eoinmisso do orcame.nto municipal.
E' lido e B:m dbale app.-ovaio o seguinte pa-
recer :
A commiso de petie;o:3 teaio em vista a le
Rodrtjo Jecimt Martin; Pereira, "2o escripturan i
do eJjnaulado Provincial, em qu requer a uit i--
pienejao e app'ieai,-Ij de artig i di Ida n tul.
I22 e 1682 s>bre aa qmes In perecers liv :-
geute* do Theaouro Provincial e d isptch i : i p
Sldencia, de parecer que s-j > dita petico cuvida
c.im.-niss) de legislaco.
30 le Abril de 1887.-Ferreira Vello*.- J i i.
da Barros
S)li tos, julgaios obj'fetos de deliberac ie pa
a imprimir oa seguiutes projeetos :
N. 6it. A commisso ele orcameuto provincial.
Muiran i > a peticlo Ja Cojipanlna de Santa
Tnereza, emprczaria do abasteenneiil ; igua i
gaz em Olinda, em qm pede ampliar-i pira li
anaos de pra^o marcuio na clausulas 7' e X* da
inniVM^-.i i de seu contracto, eflectiiadu etn vnfu le
da lei n. 1278 de'.) de Julho d* 1877 p.n am ni-
sii,a) do einpiestimo que a presidencia ili t-z :
Allega a pete-i man qae de e a nua iustalla-
c;o luta c nu diflieuldales oerias para a obtenga
de cipitaea. Stnio forcedo a recorrer a empiesti-
moa com juroa elevaioa pan dir execuco aos tra-
ballioi da empreza :
Qi. o espado financeiro da Companhia cb-'giu a
um p>nto tal que as acedes emettidaa baixaram
80 / de seu valor, sendo por sao iuip.ssrvel ali-
mentar a esperanca de emiltir o resto do capital
social que anda hoje existe ser.
Que atteutoeste estado de cou.-as a presidencia
Ihe tez um emprestimo de 80:000 em apolice de
7 /, cuj03 juros a componliia ecolhe em tempo
determinado ao Toeaouio :
Que dito empreatiin-ij i foi ern pirte ara irtiaad) :
Q ib as diffieuldades da empreza se tem augmen-
tado depois qae o Tbosouro deixou de pagir em
da o seiv'co da illummaco publica :
Que Ihe dirfieil actualment-t levantar na praca
um emprestimo, nem pode emittir as accoes dis-
p niveis, que anda figuram em seu activo, coutra
o que se levanta a sua coiac ainia abaixo de
par.
E attendendo que as razois justificativas do pe-
ddo sao em parte procedentes ; atteudeudo que
pagando a Compaubia, como paga os juros de em
prestimo nao resulta da mora impetrada pn juizo
para os cofres pblicos, de parecer qae se adople
o seguate projeo-t i de lei :
A Assembla L gialativa Provincial de Per-
nambuco resol ve :
Artigo nico. Fica o presidente da provincia
autor isado a conceder a Compaubia de Santa The-
reza urna proprogafo at 3 anuos do prazo mar-
cado as clausulas 7 e 8a da noovaeo do cou-
tracto, realisado em virtude da le n. 1276. para
amortis8cao do emprestimo feito pela presidencia
a mesma companhia. que coutinuar a pag ,r os
estipulados.
Revigadas as disposicoes em contrario.
Sala das commissoes em 21 de Abril de 1*7.
Gomes Prente.Coelho de Moraes.Goucalves
Ferreira.
A Assembla Legislativa Provincial de Peruain-
buco reaolve :
N. 7d.Art. Io Fica o presidente da provincia
autorisado a abrir concurrencia publica para a
construego de urna fabrica de, fiaco e tecido ua
cidade do Limeerro, onde sero recolhidos os or-
phoe meninos desvalidos, que recebem beneficen-
cia da provincia.
Art 2." O presidente da provincia poder pra-
ticar as operare de crdito que julgar necessarias
a tal fim, nao excedeudo de duzentos contos de
ri em cada exercicio finan-jeiro at a inaugura-
cao da fabrica.
Art. 3." A fabrica ter accommodasoca e capa-
oidade para 1,500 inenin i de aunbjs os sexos,
alm dos do pessoai indispensavel sua admiuis-
trage, trabalbos c instiucgo.
Art. 4.'' O governo provincial administrar a
fabrica e Ihe dar regulamentos.
Art. 5. Revogam-se as diaposicoes e.m contra-
rio.
Sala das sessocs em 27 de Abril.Dr. Costa
Gomes.Joo de Oliveira.-Luiz de Audrada.
Rodrigues Porto.
Aohando-ee sobre a mesa", vai aimpiiunr um
p.reeer da commisso de redaeco sjbre a do pro-
jecto ii. 12 dte anuo.
(Contina)
Conimisso de soccorros
Mubscrlp^o aos nufragos do
vapor Baha
RECIPE, 2t> DE ABRIL DE 1887
l.lm. Sr.^Em resposta ao officio de V. S. de
22 do correte, pelo qual, em vista do despacho
da presid ncia proferido no officio do mordouo da
t Jasa Imperial, em que declara que S.M. o Im-
perador desejar-fazer alguin beueficio meniua
Luiza, naufraga do vapor Bahia, pelos modas pjr-
qae proc-deu oor occasio do naufragio do mesmo
vapor, pede V. S. que esta commisso informe on
de pru essa menor, ministrando tcdoS os escla-
recimeutos a respeits ,das circumstanc.as da dita
menor.
A mesma commBao informa o seguinte :
A menor Lu.za b.-aail-ira, de idade de 10 an-
uos mais ou menos ; filha, segundo consta, de
Jos Aus -lino de Oliveira e Guilbermina Mara
da Conceico. Seus pas, com ella, e mais oito
tilo.ia vinham de pessagem do Cear para o Espi-
rito Santo no vapor Bahia.
Foram, portante, victimas do naufragio, sal van-
do-se os pas e seis filhos, entre elles a referida
menor, e pereceado tres da cataatropbe.
Vinham para a provincia do Espirito Santo,
ondeji em tempo viveram empregados em tra-
balbos agrie das. _
Sao poores e declararam a esta commisso ha-
ver perdido una seiscentos mil res, seus uuicos
haveres.
Todos os filhos sao analpbabstoi, e o* pas
mos'ram desejo do que. pelo menos, suas filhas
Luisa, Feliabella e Enedina tivessem auxilio para
receberem aiguma edneacio.
A toda esta familia suppiio esta commisso rou-
pas. calcado, cobertores, chapeo* e chales, e em
dmbeiro 40*00.
A's menina* toram feito* diverso* donativo*
particulares de roupa e dinheiro.
EsU commisse agradece a expontaneidade do
soccorro offerecido e applical-o-ha devidamente.
Com esta quantia tem recebido para o mesmo
hm at esta data a importaocia de 25:799*950.
Tem prestado os soccorros segu otes :
A i>2 nufragos salvos, em dinheiro
e roupa, 11:496*950
A quatro familias necessitadib, de
nufragos que pereceram 4:000*000
Contine
. 15:^96*766
a obter nforcoacoes para soccorrer a*
familias necessitadaa dos restantes nufragos que
pereceram. 6 '
Deus guarde a V. Exc.-Illm. e Exm. Sr. con-
selheiro Joao Cepistrano Bandeira de Mello dK-
nissimo presidente da provincia da Bihia.-l Jos
Joo de Amorim, presidente.S. de Barros Bar-
reto, secretario. Luiz Duprat, thesoureiro.
KtviSTA DIARU
Relativamente menina Luiza, consta e ella
contav* que, na occasio do naufragio e quando
dispersos boiavam nufragos c fragmentos do va-
por, ella, estando agarrada a urna taboa vio, pro-
xime a si, um moc que luta va com o mar. Ani-
mando-o, prestou-lhe o auxilio que estava ao seu
alcance. Salvaram-se ambos.
O moco era o estudante Jaaquim Raymuudo
Tires, passageiro do Maranho para Pernambuco.
A pouca idade da menina e a naturalidade iu-
nocente com que contava o facto, fizem ere.- a
esta commisso que ella incontestavelmente pra-
ticon um acto digno de admiracao e louvor.
Esta familia, asaira como a maioria dos nufra-
gos, seguirn* para o Rio da Janeiro no dia 5 do
crrente no vapor brasiieiro Ctar. Dalli deve
aquella familia ter seguido para a Victoria, na
provincia do Espirito Santo, para onde se dest-
nava e onde esta commisso er j deve estar,
esperando noticias d'ella a quem den o adresse
para as Ihe poler dirigir sobre um resto de gubs-
cripeo em favor das meninas, qne tem a mandar-
Ihe.
Deus guarde n V. S.
Illm. Sr. Dr. Antonio Domingos Pinto, muito
digno chele de polica de Pernambuco.
Jos Joo de Amorim,
Presidente.
S. de Barros Barreto,
Secretario.
Luiz Duprat,
Toesoureiro.
Pernambuco, 27 de Abril de 1887.
A' Mina, commissiio de soccorros aos nufragos
do vapor Bahia. Temos o prazer de juntar a
quantia de cem mil tis com que concorrem os
Srs. Nunes de Almeida efe C, do Para, para au-
tillo a esses infelizes nufragos.
Assirn, pois, temjs cumpndo fielmente o encar
g) dado por aquelles seiibores.
Soinjs, de '/v. Sa. atteutis e veneradores criados
Amorim irmaoa.
Cnuiiiasao de soccorros aos naufraga do vap:ir
Bahia. Pernambuco, 27 de Abril de 8i7. Illms.
Srs.Ae.b.mia da reeebjr a carta de Vv. Sa.
iatada de boje, acomoanhanlo a quantia de cem
m.l ris, com que oa !lma. Sra. Nunes de Aira i-
iie &C,d> Para, *! dignara c neorrer em auxiiio
da victimaa lio naufragio do r-f ri.l Vap >r.
Pedimos a Vv. Ss. para, era ruine d-rata CO n- mil ria, 10.1 de quatrocentos mil ris, deveudo
m sao, agradedecrm aos meamos senhores a es- effectuar se a respectiva umisso uos termos da
pintonea esraila cira que favorecem aquelles in- l.-i era vigor.
-ii que t demonstrad i o seu vivo reeouhe- -- Seguioovapjr Ilattie Futlerton, levando a
eiinaut) pelo auxilio que t.n re iebido d) generoso reboque duas chitas, afira de prestar auxilio ao
povo deste paiz.
Deu a
i ms. Srj. Amorim Irra
Autoridades policlaei.Por portara
da presidencia da provincia de 20 e proposta do
Dr. chefe de polica de 18 do corrente, foram no-
meados :
Subdelegado do distrcto do Lige-Graude, do
termo do Bonito, Joo olartins Ferreira Lima
Filho.
1- e 2- supplentcs do districto de Barra de
Jangada do termo do Bonito, Joaquim Lopes da
Silva e Jos Autotiio Rodrigues, na ordem em que
vo collocados.
uceara -Por portara da presidencia da
provincia, datada de hontem, foi concedida ao
profesor da C-sa do etencao, Joo F-rnaudea
Viauna, a lieeneja de tres mezes cora ordenado
para traUr de sua saudc onde Ihe convier.
?apor d norte -Desta procedeucia che-
g'l h utem o paquete americano Alliance.
Oa j.ruaoa de que foi portador pouco adianUm,
ap.-uaa ti vemos noticia do Para e Maraiiho.
O Cear n.io recebeinjs jornaes e dos do Para
trauserevemos u a guinte :
Por neto de i: do corrente mandou
de 6
a presi-
dencia emittir lili) apoces ao juro ae ti ,
auno na uportuie... i- 1 0:00 1*0 10, distribuidas
do seguiue ir. id i : 200 de um com i de ris eada
urna, Hd deoiticcntos mil ris. So des iaei
uarde : Vv. :.
S CR-cife.
Jos Joo de A u i ira,
Presid-iite,
L liz >ii ir.it,
Thesoureiro.
il- 23 in Vbril .1- 1887.Ilira. Sr. Cjiii-
priuio o .nei.rgo qiic rae foi dado pe 1' .
iblic* ii \i i -. -. I i leu i, re e-r-o
V. S aqiiii'ii O' 1,'il ") I), p i i i le livoi i
d n ;' v is que io rae u> j irn .' t > ,m di
ra b nefieiu ios nufragos Ij vapor H'i'iia. cn-
: : .. i lista i l loe 11 e iJU :ll I .....
i i. I la -i io.. : 11
Pr v ileqo- ne ... i p i irtu iiiids par t d
a V S., anu le q ic ae digne C un ou i i i'. i -
m -i i -i i n.n s i le aoje irr is, q i o Paiz ac l
uno neii, |ii ; > mu in r i ii i Iu t i
confelo, de receber e trauamif'ir tilaa .? ..
maco.-s, esclarecimentos e peric;oja que p
uteressar aos in'uitos da cmin:.-i le coufir.-
.i : ide com o annu icio que remefi aqo -il
e ej'ie ne i la t in sd) puoli.-adj g ef uit iu u .
Sju cora toda coi -.i- uel de Y S., atiento ve
-i ira ior e er. ido, bV'l irrn io 11 -n ir >
A) li ra. Sr, comiu ii.t.r L.iz liupr-i',
cife.
Commisso de soccorros a'is n ufragos lo vapor
Bahia R:cite, 2 de Maio de 1887.Iilin. .-.r
Cora a carta d? V. S le 23 do prixnno pass-id,
recubt a quantia O0, proluctj ile div-r-
aos donativos que a jornal t'ah t run ol-recidoa
era beneficio do nufragos do vapor li ihiu, coa
forme a liota q-i i liga u-s r.-ra--t" i-ur .
Uestes donativos, e bem cora) di incumbencia
que o ra sino j irnal, por iutermedi i .1 V. S tev
a ooudade de aceitar, a; receber e transmittir to-
das as inforniiicoes c eaclareeiraentos que possam
intereasar aes iatuitoS da commisso, ti sciente a
ui-sin i, que ro^a a V. S. o puri -ul ir favor da em
s u nurae agradecer aoa dignas representautea
daqu. lie importante orgo di imprensa d > Itio de
Janeiro, o grande auxilio que Ihe presta to gene-
rosamente.
Deus guar- a V. S.I Ira. Sr. Bjdarraiuo Car
neiro.Luiz Duprat, .heaoureiro.
Secretaria da Imperial Sociedade dos Artistas
Mechauicos e Liberaes de Pernambuco, em 20 de
Abril de 187.Iilma Srs.A Imperial Socieda-
de dos Arti.-taa Mechaulcos e Liberaes, nao seudo
indiflerente ao movimento que ten-se dado n 'sta
cidade, a bem dos nufragos do vapor Bahia, tem
a satisfaco de paaaar s raaos de Vv. Sa. a quau-
ta de 8COO, importancia esta, arrecadada entre
seus asaociados, conforme a relac) junta.
Aproveito tarabem a occasio para reitiar sua
estima e eonsideraeo s pessoas de Vv. Ss., a
quera Deus guarde. Illms. Srs, presidente e inais
membros da commisso c nfral d^s soeeorros p*ra
a naufiag)8 d) vapor Bahia. -O Io secretario, |
Jos Castor de A. Scuza.
va ni- E ias que se ach ene .lindo aa b-cea de
.1. i. c ntoiine |.i uotieiaraos.
l'ua cucoutrar-a.i as falhaa qie se da i fre-
puiiiin .i. 'U'.c uos c i. i ictor. a le agu i, o Sr. Pares
le A.ton e etv .il i : a itp nr! lio muito
iii
' ', e que c um
- 1.0 ij'lil li .1 luli i h'jir
ra m linead i,
i) ap|j lielii. c .rapo .-:- .i i
1 roata usa boi c j iu-
| i' ii aiHpensa VortUalinente >i ruina
.' I lemenl secco regeneravel, x> na
tupVi, uoi icuepi-.i nieo-i uin Cjutacto em
..... 'ra, ......| teixar ti irm .i p -ote
- it) o C.leii.O .i;.:.- ,; : 1.1 UO
Ipil tara 0 : pp ..
Il
..
10 i '
X.
.
' i ..:.. i i ; i dis-
P i e ij ii
11 ru p)di .u le r is
j di ciiialisicii-i no iut to: ca ca-
uiehir.-l J .1) Clima: Lobato,
para ju .. == iii i i, ::, |ivoea e d inirca-
nliiicipiu 1: 1' ut.t de P
S Cirg ,i : si-
R ico dos .^rs. sjo) da Imperial Sociedade I is a is am .dores de b..a msica, que tero assim
Artistas, que contribuiram cont bcus donativos
para oa nufragos do vapor Halda
Manoel Goue;alvea Agr. '.
Manoel doa Si.iitos Villa$a. 20*00 I
Guilherme Spicler 10*0 i l
Joaquim Francisco Collares 10*000
Jos Cas'or de A. Souza '') i)
Paterniano Cecilio da F. Barroso 2* 0 I
Jeronymo Jos Telles Juni,r
Nstor Lorbiuiaiio do Soccorro
Galdino Jos Peres Campello
Manoel Ignacio Torres Bandeira .. '
Ancelino Ayre3 de Azeredo OiH)
Joaquim Roberto Guimares 1*000
Belchior Miguel dos Santos 1*000
Francisco Augusto Pereira da Costa l-S'i i
Jos Antonio Vieira da Cunha I<000
Manoel Genuino Aives Santiago l'JOO
82*000
Jos Castor de A. Souza.
Io secretario.
Commisso de soccorros aoa nufragos do vapor
liahia. R-rife, 2 de Mo de 1887. Ilira. Sr.
Esta commisso reeebea o officio de V. S e cora
elle a quantia de 82*, importancia da subserip,! i
promovida ntreos digno socios desta associacXo
como da relayo que remetteu, em favor dos nu-
fragos do vap ir Bahia.
A commisso dar a devida applicaco a aquel-
la quantia e agradece a aquelles distinctos i-ava-
iheiros o 8'U earidi'3 i auxilio.
Deus guarde aV. S.Ilira. Sr. Jt. Castor de
A. Souza, dignissimol" teesetario da Imperial So-
ciedade dos Artistas Mechaaicos e Liberaes d-'
Pernambuco.Jos Joo de Amorim, presidente.
S de Barros Barreto, secretario.Luiz Duprat.
thesoureiro.
Palacio da presidencia da provincia da Bahia,
era 28 de Abril de 1887.1 Secco.N. 8G2.
Illms. Srs. Passo s mos de Vv. Ss. a carta de
ordem dos negociantes desta praca Con le, Filho
S C, contra oa Srs. Mendos Lima & C., d'essa ci-
dade, na importancia de 443*, producto de urna
subse-ripco promovida na cidade da Cachoeira
desta provincia, em favor dos nufragos do vapor
Baha aela commisso signataria do officio incluso
por copia, de 26 do correte, ao qual acorapanha a
lista dos qne concorreram com o seu obulo em prl
d'aqu ll'S iufelizes.
Deus guarde a Vv. Ss.Srs. Jos Joio d'Amo-
rim, S. do Barros Barreto c Luiz Duprat, mem-
ores da cmmi**o de soccorros aos nufragos do
vapor B.hia, em Pernambuco. O presidente,
Joo Capistrano Bandeira de Mello.
Commisso de soeeorros aos nufragos do vapor
Bahia. Recife, 3 de Maio de 1887.Illm. e Exm.
Sr.Com o officio que V. Exc. se dignou dirigir
esta commisso e data de 28 do passado, foi
recebida a carta de ordem contra os Sr*. Mendos
Lima & C, d'esta praca pela quantia de 443*000
(cuja cebranea acaba de ser realisada producto
de urna subscripcao promovida na cidade da Ca-
choeira d'essa provincia em favor dos nufragos
do vapor Baha, pela commisso signataria da of fi
co de 26 do dito mes, cujajcopia com ajista dos que
concorreram com o seu obulo em prl d aquelles
infeli*e8, teve V. Exc, a boadade de remetter.
i.a trra
... .
Va.
Voi Juitol) ilustrado nape torda ljstrue-
.''''" i in-n.inie .u.l i ao proiesa ir Vi
de Moraes Melio a uoil .. i >, ejuc cate C
ra S. .. 'i pre deii.e ii
i ..i .iIjiS) pjolie*d, i le inuit I: e. ,j
a > ui'-suio prutesser :
ip er iri g -r i! i i i i u -i i i piiiolie i.
Porii.imoue i, 14 le M lio d: lil. N. I > b s. -
I im. nr. C'juimuuicaujj \'. S.ajuodav'o |ae
. requei'iraeiito seu lli. foi coueejid.. p I, presi-
l;u'.e da provincia, p-r despicho o hontem, o-a-
oe coa ijuv.ei > que n* q i ilidide de or.feasor d au-
la ortica da EaeOia .N irmal e no enuellio littc-
n ) p.-. si >u ra aeraore V. .S.. eaporan i | le -. tra-
ii.eJ bjnroSit que i ixa u) magisterio orjal
seja u'outra esphera i aetividade continuide por
V. S. a.uda era be icteio d* iustrucyi popular,
i qu.il V. S. p r tanto tempo c Uo fructuosa nen-
ie aouie edie .r-e.
< Aoroaeutoa V. S. mu protestos de o-onaide-
i., a catiras.
Deua guarid a V. S. Illm. Sr. Viceute de
VI traes Mell >. O iospector geral, Joao BarUllhc
Uchd Oavalcaa'.e.
i'iuuiiKilH Acha-se nesta cidade, tendo
chegado bou'ciii da provine.a do Para, o Sr. Al-
berto Friedembal, eximio pianista e que podemos
considerar o^u ura.i celebridad* em viot.i do que
a respeito de sua tnaes'ria e talentos dizem oa jor-
iia -a do p-uz.es oude tuin sido admirad).
O Sr Kriedenthal toi discpulo dos grandes mes-
tres rhuodoro KilUk e Listz, coinecjou a estuda
quaod i .pena tiuha 11 auno do idade c aos H
conquista va j o premio de maestra.
Tora percorrido a fcuropa e America e agora
iiiig .-e ao rio de Janeiro, d. iiioiando-ac apenas
alguus di i aqu.
Atienta a sua pequea demora nesta cid-.de,
raeute ura nico coucerto pode ene proporcionar
oc-
easia-o de aprecial o c ouvil-o.
Brevemente puoiiear elle o prograinrao do ssU
-Jone-rio.
Jurdlm C'ein Je tS'liii E jar Jim que
fica no centro lia prac i d i ;i isin i n une serve de
ri ei ei i au= moradores d i lo* Vista, que all vo
sentarse, conversar e deseaacar.
Hoje j se nao presta a e^:e tira, pois oa lian
eos qu* al i esiatiam for m*se deteriorando POUCO
a p neo e como era temp i uo se cuidasse de re-
pual oa, o que pou';o cuataria a priucipi e u pro-
pire;o, que osrep.roa se t iiuaaaera precia s, agora
esto imprestaveis.
!' uco a piuco tem deb parecido as gu .rnicOes
de madeira dos bancos e a e aa armacoes oe ferro,
e se nao se cuidar j le nc rr .r o r.sto, que exis-
te, era pouco t-mp rjearatuellejardim completa-
mente privad i de ass iros.
Se nao u^s enganam a guarda e conservaco
dos jardins correm por couta da Repareo de
Obras Publicas.
Se assim podemos ter certeza : promptas
provideuc .s, pois o dgn i director d sta re-
paitifo, zeloso como se appreaaar era provi-
denciar, merec ndo a:s:iu na aoplausoa e agrade-
cimentes doa m irador-e* da Boa-Vista.
.\lrii-llttua*iilii V -1' e -1 s i.it -in por voita
de 7 horas da unte i: na Occasio em que nas-
sava pela punte ci Afogados ura cirro do (Jim-
p.uhia Ferro Cirril, do qual era cocheiro o indi-
viduo de neme Francisco Fernandea de Farias,
foi atropellada uina mulber de e.- preta que,
por se adiar embriagada, procurava atravesaar
a ponte por c-im i dos tr Ihos, a qual sendo nesse
aeto apanhada pir u na da rodas do vehculo, fi-
cou c'm um di br-ie; >s fracturado.
('. iinp.reCeo io no lugar o suble! gado diqo.'lle
distrcto fes prender e i ti .granee o cocheiro, que
prestando flanea provisoria foi posto em liberdade
e raaudou recolher a offoo lida ao hospit il Pedro II
a fira de ser couvenienieracue tratada.
Sobre O taco est se procedendo a inqueritc.
UifaC'i inamos a atiene;!) dos Sis. fiacaes
p*r* a postura municipal c intra a colioeaco das
rifas de foguetiuh.is as esquinas daa ras
Ponto de reuna) para Vagabunios que se dis-
trahem em pers- gnir oa trauseuutea con os innf-
fensivos buscaps sao estas ritaa, oiigem de des-
ordena e lugar ene muita palavrinha baixu i
proferida pilos S'us treguezes.
i' p s, ae Justina que ahi apparec^am es en-
carregados da cobibico de um tal abuso.
Assim o cspi-ramos.
^Pero Americo L-se no Paiz :
Por carta receb a da Italia, sabemos q-re o
nosso glorioso piutor est vivamente emponhad*
no trabalho que tem entre mos e de que foi en-
carregado pelo govmi brasiieiro : o seu grande
quadro, o Brado do Ypiranga ou 7 de Setembr*
Petto Americo urna celebridade incoutestavel
nao s no Brasil mas em toda a Italia, onde o seu
trato como se sabe, figura na sobe.ba galena
de bellas artes de Floreuca, a pedido do governt
' *r"!'*na Italia que elle Um feito as suas obras
primas, sendo para o Quirinal o Anjo de Saboym
Heloesia e o colossal quadro arada mcompleto a
grande Batalka de S Martimho, etc. Pedro Ame-
rieo possue em Florensa um aelter magnifico.
O Brado d Ypiranga estar po**pto daqui a
<
r
UEGiVEL


Diario de ParnambncoQuinta-feira 36 de Maio de 1887
um auno ; assim pelo menos o ffinnou '>L
mente o artista ao Sr. Cond. d. M.ttosiohos, que
durante a sua decora n'aquella c.dsdo U mais de
urna vei por dia paitar o dis'meto protessor. Me-
de esse qu.dro 10 metros de eompndo por de
largo. Est completo o esboce, que j d ama
idea perfaiU daqael.a maravilba artstica.
Bati comeadas toda a. figura do priawiro
pintadoa o imperador Pedro I, o nriga-
deiroJod&o, Paulo Bega.ro, major Antonio Ra-
mos Cordeiro, uin caipira de 8. Paulo, Jlo Car-
lota e Joao de Carvaiho Raposo, criados particu
lares do principa, todos montados a cava lo. Car-
iota e Raposo sao portadores dos otfiuios de Jos
Bonifacio, carta da princesa D. Amelia e dos de-
cretos das cortes de Lisboa, que reduiiam o Bra-
sil condico de colonia.
Pedro Americo confessa aos que visitam o seu
atelier que lena recebido toda a aorta de elementos
e auxilios para a execuco da eua monumental
obra. Affirma que d.mtre as pessoas que mais o
tem obsequiado neste sentido esta o oo primeiro
plano o coinmeudador Uhilovi, bibliothecario da
biblioth-'ea de Floreica ; bario Podest, o conde
StuiDffl da bihliothecade Viennai William Huant,
da da Londres ; Paulo Porto Alegre, cnsul do
Brasil ein Lisboa ; e particularmente o actual mi-
nistro da querr em Portugal, viscoude de 8- Ja-
noario, que, no intento de facilitar as suas pes-
quisa histricas, lhe mandou, expressamente com-
posto e iinpresso para esse tim, um trabalbo es-
pecial de texto e desenho, que foi dirigido e coor-
denado em Lisboa pelo general Claudio deChaby.
Figuran nessa obra urna eolieecao de figurinos
militares portugu-'zes destacados para o Brasil
desde 1815 a 18.'. desenliada e colorida por um
babil Quicial portuguez, e urna grande colleccao
leuniien oclaeHa boje aa segain-
tes
Do Instituto Arebeologico e Greogri-phieo Per-
nambocano, em sessao ordinaria, hora do coa-
tome.
Do Recreio Infantil Nove de Agosto, no respec-
tiva sede (Instituto Acadmico) s horas do cos-
tume.
ftjeliJtaaEttectaar-ae-Mo:
hoje :
Peto agente Burlamaqui, as 11 boraa, na roa
do Imperador n. 30, de assucar, aira dente e mel.
Amaoha :
Pelo agente Stepple, s 11 horas, rna do Im-
perador n. 2, de predios.
Peto agente Bnto, as 10 1/-' horas, 4 ra da
Princesa Isabel n. 12, de movis importantes e
loucas.
Peto agente Pestaa, a 11 horas, na roa do
Vigario u. 12, de um terreno e predios.
Pelo agente Pinto, 4a l horas, 4 ra do Bom
Jess n. 43, de urna borra de ferro, faxendas, mio-
dezas e ferragens.
Peto agente Martina, a 11 horas, na na do
Imperador n. 16, de dividas.
Mi*i fnebre*. crao celebradas:
8abbado:
A's 8 horas, na matriz di Boa Vista, pela alma
de D. Rosala Maria Martina ; ? 7 1/2 horas, na
ordeui J* do Carmo, p:U de D. (Juinermiua dja
Passos Figueiroa.
Pannageirox Chegados dos portos do norte
no vapor americano Aliiauca :
A. Triedental, J. Colares Moreira e Arhur Co-
lares iMoreira.
8ahi Jos para o sal no mesmo vapor :
Manoel Antonio E. da Cjaba.H. J. Hanapchire,
tambero de coadecorac-s e inedaluas portugue- frei LHdovice, Carvalhj de Mori.es, Kvd. A. L.
Sua Alteza a princeza imp-rial foi ao atelier de
Pedro Americo,'a quem depois visitou em sua casa,
e com qu in esteve conversando largamente.
liiiluna-O estudaute Francisco Magalbaes,
foi hontem victima da gentiles* praticada por
urna parda de noine Rosa Maria, esciavisada de
D. Herculana Ramos, que entrando em sua resi-
dencia para vender bolos, subtrahio dos boisos de
urna calca a insignificancia de 25200.
Sendo presa e recolluda estacao da guarda
cvica, negou o crime, qu- t em cxininho para a
detenefto descobrira tel-o commettiJo, enterrando
o diuheiro em casa de eua aenh ira.
Para alli se diriginJo a autoridade competente,
encoutri-u, nao mais os 252^000, porm 24850 0,
tendo j a innocente e leviana Maria Rosa com-
comprado um vestido por conta do seu peculio.
Patenten de laivenco Do Diario Of-
Blanckford, coronel Ernesto Silva, Joio Luiz dos
autos e sua senhor*, padre Paulo e Augusto Ro-
drigues da Costa.
Sabidos para o sul no vapor franeez Ville de
Cear :
Jos Vctor de Oliveira, Firmina Maria da Cori-
ceicao, Clarindo Jo3 do3 Santos, Eduardo M.
Touns, Jos Touns e Rossi Umberto.
Latera da provincia No da, ..
do correte, s 4 horas da tarde, se extrahir
I' part; das loteras, em beneficio da ina'.ri z
de Itamb, e, nj cousistorio dn igreja de Nossa
Senhora da Conecico dos Militares.
No mesmo coosisrorio estarlo expostas as ur-
aue as espheras a upreciac) do publico.
.olera da corteA 204* lotera da cor-
te, pelo novo plano, cojo premio grande de....
30:000* 000 ser extrahida no dia .. do cor-
rente.
Us bilhetes acha:n-se venda na praca da ln-
ficial trauscieveraoa :
Relatorio a terca do processo para fabricacao dependencia ns. 37 e 3a.
e acondiciinamento de goiabada retinada e iualtc Tambem acham-se venda na Casa da For-
ravnl, pjr lajecco, evaporiaacao a vapor e em la- tana ra Primeiro de Marco n. 23, de Martina
tas hermticamente techadas. i Fiuza & C.
Fabricacao Latera doCiro-ParaA lotera desta
Descasca-se a goiaba completameute, extrahe- | proviucia, pelo novo plano, cujo premio grande
se o caroco e laucase o fructo a9sim preparado | 40:000000, ser extrahida no dia .. do cor-
ea urna solacio de agua acidulada com limos, | rente.
para evitar por este modo que o fructo tome Bilhetcs venda na Ca9a do Ouro, ra do Ba-
uma cor roseada, devido ai tauuiuo que con- rao da Victoria n. 40 de Joio Joaquim da Costa
tm. I Le te.
A g apparelho ovoide e com movimeuto circular e per- tuoa ra Primeiro de Marco n. 23, de Martina
forado, por cojjs orificios pissa a icjeccio de va- Fiuza & C.
por que deve eosinbal-a. Latera da provinciaA parte das
Depois do fructo cozido, devido ao movimento loteras em beneficio da matriz da villa de Itam-
crcular do appart-lho e preaao exercida de den- b ser extrahida no dia do corrente, s 4 bo
tro para ra, a masaa esca-se atravz dos on ras da tarde.
cios xistentes em suas paredes, misturan Jo-se Os blhetes garantidos acham-se ven i > na
asaim com assucar liquido e levando a evaporisa- Casa Felia na prca da luiependeacia s. 37
Cao a vapor at obter-se a eonaiatencia desejada, ] o 39.
Tambem acbam se venda na Casa da Fortuna
ra Primeiro de Marco n. 23 de Martia F.u-
za& C.
Latera da ParanybaEsta lotera cujo
premio grande de 20:0J00JO ser extrahida ho-
je 'J'\ x crrente 's 3 horas da tarde.
Os bilhetes acham-se venda na Casa do Ouro
ra J i Bario da Victoria n- 40 de Joio Joa-
qnim da Costa Leite.
Luteria do Eapirito AantaEata lote-
ra cujo preooio graude 69:0004000, ser extra-
hida ni da 28 do crrente.
Os bilhetes acham-se venda na Roda da For-
ticamo por este processo um producto rosiico,
expurgado de toda a impureza e trauspareute.
Conaervaco e acondiciouaineoto
O producto assnn preparado acondicionado
em latas hermticamente fechadas, qu^ so abrem
por meio de urna cinta soldada em volta, evitndo-
se por este meio o emprego de instrumento corlan-
te para abril-aa.
Eslas latas sao cheias pelo fundo e este com-
primido ao producto, e convenientemente soldadas,
ficando por esta maueua lora do contacto do
ar, e ao abrir-so eoontrar-se-ha marcada, em alto
relevo, oin a marca que for adoptada e regis-
tra ia.
i Aasm preparadas suj'tam-se-as injaccio de
vapjr afin de que o pouco ar n'ellas coutido aeja
aqueci Jo e cou ie;i3a io, evitauio-se por este meio
a deteroraca >.
< Caracteristoos saj :
Soluc.io de agua acidulada com limoes.
Injeceao de vapor.
Evaporisacao a vapor.
Conservaco em latas hermticamente fecha-
das.
t A 8o!ucio de agua acidulada com limoes serye
para evitar que a goiaba tome uta cor roseada
afeando o producto que toma urna edr escura
tuna ra Larga do Rosario n. 36.
Tombem achato ae venda na Casa Feliz na
pra(a da Iudepeudeueia ns. 37 e 30.
Lotera da provincia do Paran
A 13a lotera desta provincia,pelo novo plano, cu
jo premio grande de 15:000000, ae extrahir
no dia 27 de Maio.
B:lhtes a vouda na Casa da Fortuna, 4 ra
Primeiro de Marco n. 23, de Martina Fiuza & C.
Lalerla de llagoanA 17 parte dusta
I >rena, pelo novo plano, cujo premie grande
de {5:00OjO, ser extraida no dia .. do cor-
rente.
Os bilhetes acbam-so venda na Cas Feliz
. PA88AGEN8
Do Sr. desembargador Buarque Lima ao Sr.
desembargador Toscano Barreto :
Appella?oes crimes
Da ParahybaAppellaate o juzo, appellado
Joio Alvos dos Santos.
De OuricaryXppellante o promotor publico,
appellados Joa Alexandre de Oliveira e outros.
Do BonitoAppellaote Antonio Francisco do
Carmo, appcllada a justica.
De MaceiAppellante Joio Flix Cobrinha,
appellada a ustic i.
Da MaceiAppellante Manoel Ferreira de A!-
buquerqje, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Toscano Barreto ao Sr.
desembargador Delfioo Cavalcante :
Appollacoes crimes
Da Parahyba| Appellante o juizo, appellado
Martinbo Francisco Pereira.
Do ReciteAppellante o juizo, appellado Joa-
quim Pereira da Silva.
Do Sr. desembargador Del fino Cavalcante ao
Sr. desembargador Oliveira Maciel :
Appellacoes civeis
De Ouricury Aupeilante Antonio Jos de Ma-
galhaes, appellada a justica.
De MaceifAppellaate o juizo, appellado Fe-
lippe Nery de Sjuza.
De Alaga do MonteiroAppellante o juizo,
app"l!ado Antonio da Silva Campos.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andr^de :
Appellacoes crimes
De foyanna Appellante o juizo, appellado
Joio Flix Correia Lima.
De NazarethAppellante Joao Pedro de Sou-
za, appellada a juetica.
O Sr. desembargador Pires Ferreira mandou a
mesa para providenciar a
Appellacao civel
De Palmares Appellantes Dr. Laurndo de
Moraes Pinheirc e sua mulher, appellados os suc-
cessorea de Joaquim Jos Cavalcante.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade ao
Sr. desembargador Al ves Ribeiro :
Appellacoes crimes
Di CaboAppellante o juizo, appellado Anto-
nio Lourenco.
Da VictoriaAppellante o juizo, appellados
Jos Francisco Pedrosa de Oarvalho e outros.
O Sr. desembargador Pires Goncalves como pro-
curador da corda e promotor da justica interino
deu parecer nos seguintes teitos :
Appellacoes crimes
De GravatAppellante Antoaio Pereira da
Silva, appellada a justica.
De Mace Appellante Manoel de SouzaLsao,
appellada a jus'ica.
Do IndependenciaAppellante o juizo, appella-
do Valdevino Jos de Barro3.
De 8. MiguelAopellante o promitor publico,
appellado Autonio Ral dos Santos.
De S. Joao -Appellante Manoel Rodrigues da
Silva, coohecido por Manoel (iraca, appellada a
justica.
Da IndependenciaAppellantes Joao Gomes
Pereira e outros, apoellada a justica.
Appellacao civel
Do RecifeApoellants Antonio Jos de Lemos
e outros, appellado Antoaio de S mzi Braz.
O Sr. desembargador Pires Goncalves mandou
a ovsa afim de ser designado promotor da justica
ad hoc as
Appellacoes crimes
De Gravat Appellante Mano) Magdalena da
Co3ta, app -liada a justica.
De S. MiguelAppellante o juzp, appellado
Francisco Quiriuo de Menezes.
Ee^Bezerros -Appellante o juizo, appellado Jo
s Alves Barbosa.
DILIGENCIAS
Mandou se dar vista ao Sr. desembargador pro-
motor da justica nos 8''guiutes feitos :
Appellacoes crimes
De IguarassuAppellante Vicente Ferreira de
Araujo, appellada a justica.
Da Palmeiro, dos Injioa Appellante Manoel
Victorino de Souza, appellada a justica.
Appellante Laurindo Josi! de Franca, appella-
da a justica.
DISTUIBUI^UES
Recursos eleitores
-vo Sr. deaembartrador Tavares de VasJoncellos:
Da Paulo AffinaoRecurrente o juizo, recorri-
do Mano-I Vieira da Bata!ha.
De Soiza Keeorreute Leandro Constant.) de
Albuquerque, recorrido o juizo.
Ao Sr. conselheiro Qoeiroz Barros :
Da Campint Grande ttecorr-nte Francisco
Domingos da Cruz, recorrido Joio Marcolino
Soares de Andrade.
Le Souza Recorrente Joao Evangelista da
Souza, recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Buarque Lima :
10 a 12 horas da man ai. Especialdadee
eperagSes, parto e molestias de a-nhoras e
ajeniaos. Ra da Gloria n. 39.
Dr. Barreto Snmpaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1." andar da casa
a ra i- Bario da Vietona, n. 51. Resi
deacia raa Seta de Seterubro a. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
O Dr. Castro Jess tem o seu consul-
torio medico, ra do Bom-Jesus n. 23,
sobrado.
Dr. Qama Lobo medico operador e par-
teiro, residencia ra do B. de S. Borja n. 26.
Consultorio : ra Larga do Rosario n. 24 A.
Consultas das 11 horas da manha a 2 da
tarde. Especialidade : molestias e opera-
res dos orgaos genito-urinarios do homerjj
e da molber.
Dr. Joaqaim Loareiro raaliao e partero
Consultorio na ra do Cabug n. 14, 1.-
and-u1, de 12 s 2 da tarde ; residencia no
Monteiro.
Dr. Manoel Argollo. Residencia e con-
sultorio ra Duque de Caxias n. 86, 1
andar. Consultas das 11 horas s 2 da
tarde nos Hias uteis. Telephone n. 283.
Dr. Seve, medico, parteiro e operador,
ra Princeza Isabel a. 7.
( oiiNiiiiorio Homfleapatica
O Dr. Miguel Tkemudo. raedioo ho-
mceopatico, tem o seu consultorio raa do
Barao da Victoria n. 1, 1. andar, onde
d consultas diariamente das 12 s 3 ho-
ras. Chamados por escripto a qualquer
hora do dia ou da noite.
O Dr. Marrn l.iiiniiiraes
Pode ser procurado no esjriptoro deste
Diario das 11 horas da manhl s 5 da
tarde, todos os dias.
Promator publico
O l.o promotor publico. Dr Freitas
Henriqu's, mudou-se da ra da Aurora
para a da Unio n. 5
O Dr. Milet rauiou seu es;riptorio de
advocacia para ra do Duque de Caxias
n. 50, 1. andar.
Drogara
Francisco Manoel da Silna fe C. dapo-
utaiios de todas as especialidades pharmi
ceuticas, tintas, drogas, productos chimicu
e medicamentos hoinceop.iticos, ra do Mr-
quez de Olinda n 23.
Drogara
Paria Sobrinho & C- droguista por atta-
cado, ra Mrquez de Olinda n. 40.
Serrarla a Vapor
Serrara a vapor e ojicina de carapina
de Francisco dos Santos Macado, caes
de Capibaribe n. 23. N'este grande esta
belecimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra-se e vendo se madeiras
de todas as qualidades, serra-se madeiras
de conta aiheia, assim como se preparam
obras de carapiua por machinas e por pre-
co sem competencia Pernambueo.
ri LiatOhS \ peuio
do engenho ; e na se quaror expol-os in-
justamea'e a um juizo menos recto.
Do resultado da revista ficou patente
que 61 alumnos obveranj not.is ptimas,
sendo que alguns a obtiveram em tres e
quatro classes.
Antes de finalisar a revista, qual esti-
veram presentes a Es-na. Sra. do Sr. pre-
sidente, e outras que estavam de visita na
Colonia, assim como todos ns mais convi
dalos o Exm. Sr. Dr. Pedro Vicente,
oon ajocundia que Ihe propria, impro-
visou animadoras phrases, nao s excitan-
do os alumnos a que se aproveitaasem dos
inmensos favores que a Divina Providen-
cia Ihes havia prodigalisado com generosa
mo, dando-Ibes em substituidlo dos pto-
genitores que Ihes faltaram em tempo em
que delles mais necessidade tiaham, novos
pas animados dos mais piedosos sentimen
tos de fazer-lhes o bem de que elles ne-
oassitava n para salvarem-se do principio
do vieio e do crime, em que infallivelTien-
te se desbaratara aqudles que nao tem
inSos protectoras.
Terminou S. Exc. o seu jloquento e
e lili jante discurso fazendo elevados enco-
mios ao Revra. Sr. Frei Fidolis Mirii do
Fagoano e sius conpinhairos, qua cada
dia se empenham com mais forja para sus-
tentarem o elevado posto de honra e sabe-
doria em que se acha collocado o estabe-
leeimento que tem sibre seus hjmbros.
Nos ilias 19, 20 a 22 os alumnos repre-
seutaram duas indas coaediaa e doua pi-
queos dramas, desempaando alguns,
seus papsis de modo a serem debidamente
apreciados, visto cerno nao tioeram pissja
habilitada para os guiar nos ensaios.
Durante os dias que Ss. Excs. estiveram
na Cdona, foram-lhes ser/idas as rafei-
(3es nscessarias; sem fausto neo grande-
za, mas em compensacao con o mimo e
cuidado qua merecer suas elevadas poli
50as. Fez-se o que humanamente era po3*
sivel, atienta a falta de recursos do
lugar. Nao faltou boa vmtade e ruuito
boas esforeos da parte d s Rjvns. paires
e das pessoas que por ellei f jr.im inium
bidas de prestar servidos a tSo distinctos
hospedes.
No dia 23 retiraram-se Ss. Exes. e sua
respeitacel comitiva, seado acompanhados
at estacao pelo director Fr. Filelis, re-
ligiosos, empregados e alumnos, preced
dos pela banda marcial da Colonia, daixan-
a para fazer valer mea contracto movo ac-
cSo pelo juizo civel, r-scrivao Cunha, e pe-
rante o juizo do oommercio farei valer o
raeu direito, e desde j protesto contra o
esbulho judicial que se me quer fazer.
As bixas nao pegaram como nao pega-
ra m as anteriores...
A prac, so verificar se ser radicalmen-
te nulla, se nao aqui, inctabitavelmente
alli.
Previnam-se, portanto, os pretendentes.
Reiife, 25 de Maio de 1SS6.
Francisco Gaspar de Pinko-
Logogrlpho
OFFEKECfD l AO ATOB DO LCKJOGBIPHO
COMPRIMENTO A FAMILIA
Esta meniaa meu anjo 1, 9,5, 6, 7,8,7.
Fallou-rae comprim'.ntan io 3, 2, 8, 6, 7.
De un homem que aqui se v 6, 5, 4, 8, 2, 9.
Com os santiahos mnalo, 9, 5, 6, 9.
Embircan lie,vai pescar, 1, 7, 3,4,6,5,9.
Quaodepo3tc-rasmuianc.'3,7,5,'j,7,5,7,!
Nao bebas da tal cirvoja 1, 9, 5, 7.
Onda ella ha houve allianja 8, 9, 5, 7.
Coaceito
E' f-icil nao tem qu3 ver,
Para o mestro que bem sabe,
O dicipulo que v aprml:r,
Pois isto aqui nao lhe cabe.
E' um nims proprio e nao raro,
V procural-o raeu caro.
O Silvano.
.4 nra;i un vernal
A iojeccSo de vapjr serve paro cosinhar o .
fructo, evitando por esse modo ser couzdo em P'*f Independeucia ns.^37 e Jj
agua e a togo n e de acontecer a queimar, eco- Tambem acham-se venda na Casa da Fortu
nmia ce tempo no cosimento e economa de a ru Primeiro de Marco n 23, Martn,
tempo na evaoorisacao do producto. Serve ain *> <-., e na Esmeralda, ra Larga do Rosa-
da para aquecimento e coudensa^ao da peqnena r' n- "
quantidade de ar contido as latas. ^^^^^^^^^mm^m^
A. evap risaco a vapor serve para dar pootoou
consistencia ao producto, com um calor certo e i
moderado, evitaud os grandes golpes de fogo que,
quasi, sempre queimam o producto ou obnga o em-
prego de maior quantidade de assucar, o que torna !
O orodueto assucarado e tira-lhe o sabor do tructo,
augmento de fabricacao de 307%. tomando, por-
tanto, o prottucto mais barato.
Cinservafo em latas hermticamente fecha das,
evita-se a deteroraco do producto no fim de tres
a quatro mezes, pelo mofo e bo'or, fazendo com
que muitos industries e negociantes deixem de
comprar o producto, quer para consumo a aqui,
CHRONiCA JDDICIAR1A
Tribunal da Rela^o
SESSO ORDINARIA EM i DE MAIO
DE 1887
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
QINTINO DE MIRANDA
Secretario Dr. Virgilio Coelho
A s horas do costume, presentes os Srs. desem
bargadores em nume.-o legal, foi aborta a sessao,
quer para o das provincias do sul do imperio e depois de lida e approvada a acta da antecedente.
Repblicas do Prata, diminuindo portanto a sua
exportacao devido deterioraco em to curto es-
paco de tempo.
Aqnelles, porm, que empragam seus captaes
nesta industria vun-se f.jrcadus, qoaolu o pro-
ducto se deteriora, u empregar m?ios aiiti hygie-
nicos para salvar em parte os seus capitaea que
se acham empregados nessa mercadona. Eutre
esses meios empregados um dos menos ofensi-
vos a saie publica consiste em levar o producto,
depois de deteriorados, caldeira, juntando-se
nessa occario assucar e anilina para dar cor ao
producto, fazendo chegar essa mistura ao ponto
neeessario e entregando aos consumidores como
goiabada ; prejudicando assim em suas qualidad s
substanciaes e primitivas. *
Directora dan obran le conaerva-
f dos porloaBoletim meteorolgico do
di* 24 de Maio de 1887 i
41 >
a-s o
lloras o a -o 32
_ z \c
>
H
6 m. 23-2
9 26'7
12 294
3 t. 29'I
t 27-5!
Barmetro a
0<
761"3I
762-25
761n>6
J60-I73
760">81
Trasao
do vapor
20,27
22,36
22 82
20,92
21.01
-3
-c
1
3
=3
91
80
74
88
77
leuipcrntura uiaxiiua J \ >.
Dita mnima23*,20.
Evaooracao em 24 horasaotol : 4,"8 ; K oui-
bra: 2,"6
Chuva0,m9.
Direccio do vento : ESE demeia u-itr at I hora
e 32 minutos da Urde ; SE e ESE alternados at
3 horas e 30 minutos ; ESE atA 7 horas e 15 mi-
nutos ; E ate 8 hras c 32 minutos ; ESE at
meia uoite.
Calmara durante 2 horas pela manha.
Velocidade media do vento : 110,07 por segundo.
Neouloaidade media: 0.37.
B 'lerim do porto
Dia Horas Altura
O. o 0,4l
B. M. 24 de Maio 1131 da mamila
P. M. a * 538 da tarde 2 ,m3
B. *. m 1130 * 0,n>55
P. M. 25 de Maio 554 mauha 2,-44
iiperniiir CirurglcaMruraui planea-
das no hospital Pedro 11, no dia 25 do corrente, as
segaiu es:
Pelo Dr. Pootual :
PoKhoiomia pelo processo de Ricord reclamada
por phimosis.
Ezth-pafao de kiste sebceo da face.
Peto Dr. Malaquias;
Amputacio de tres dedos supra numerarios em
ama enanca.
Distribuidos e passados os feitos deram-se os
seguintes
JLGAMENTOS
Habeas corpus
Pacientes .
Antonio Goa.es de Amorim Maudou-ee ouvir
os Urs. chefe de polica e iuiz de direito de Ja-
boa to.
Manoel Ferreira dos Santos.-Mandou-se ouvir
o Dr. juiz de direito do 4 districto criminal.
Recursos eleitoraes
Da Campia OrrandeRecorrente Joaquim Ma-
ria dos Santos Torres, recorrido o juizo. Relator
o Sr. conselheiro Qoeiroz Barros. Negou-se
provimento, unnimemente.
De GaranhuusRecurrente Agostinho Jos de
(jes, recorrido o juizo. Relator o Sr. deesm-
bargador Toscano Barreto.Negou-se provimen-
to, unnimemente.
De AtalaiaRecorrente Joao Correia de Lima,
recorrido Manoel Aurelisno de Araiij Cabral. Re-
lator o Sr. desembargador Monteiro de Andrade.
Dea-se provimento, unnimemente.
De Bom ConseiboRecorrente o promotor pu-
blico, recorrido Antjnio Francisco Taveira. Re-
latar o Sr. desembargador Alves Ribeiro. Ne-
gou-se provimento, unnimemente.
Appellacoes crimes
De Pao d'Alho -Appellante Ignacio Leopoldo
de Albuquerque Maranbo, appellada a justica.
Relator o Sr. desembargador Pires Ferreira.
Anoullou-se o processo e mandou-se instaurar no-
vo, unaumemeute, decretando-se a responsabili-
dade do 1 supplente do ja z municipal, Joao
Francisco Regs, contra os votos dos Srs. desem-
bargadores Mjuteiro de Andrade e Tavares de
Vascoocellos.
De NazarethAppellante Bernardno de Arru-
da Senna Filbo, appellada a justica. Relator o
Sr. desembargador Pires Ferreira.Confirmou-se
a seuteuca, unnimemente.
Da Paimeira dos IndiosAppellante o juzo.
appellaio Joao Bernardo Correia. Relator o Sr.
deseabargadot Pires Ferreira.Confirmou-se a
sentenca, unnimemente
Do LimoeircAppellantes Francisco Antonio
da Silva e outro, appellada a justica. Relator o
Sr. desembargador Buarque Lima. Confirmou-se
a sentenca, unnimemente.
De Oiioda Appellante Francisco Nery Fer-
reira, appellada a justica. Relator o Sr. desem-
bargador Monteiro de Andra je Confirmou-se a
sentouca, unnimemente.
De filesAppellante Agostinho Ribeiro, ap-
pellada a justica. Relator o Sr. desembargador
Monteiro da Andrade.Mandou-ie a nova jury,
unnimemente.
Do TraipAppellante Antonio Isidoro de Oli-
veira, appellada a justica. Relator o Sr. desem-
bargador Monteiro de Aodiade. Annallou-se o
processo da denuncia inclusive em diante, unni-
memente.
De Bom JardimAppellante o juizo, appellado
Clemeutino Lina de Araujo. Relator o Sr. des
embargsdor Monteiro de Andrade.Mandou-se a
novo jury contra o voto do Sr. desembargador Al-
ves Ribeiro que conlrmava a sentenca. '
De Campia GrandeRecurrente Manoel Cor-
reia Nobrega, recorrido Autonio Joaquim Cm-
deias.
De SouzaRecorrente Antonio Jos de Maria,
recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
De Campia Grande Recorrente Francisco
Domingos da Cruz, recorrido Avelino Tiburtino
da Costa.
De SouzaRecorrente Elias Duarte Ferreira,
recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Delfino Cava'cante :
De Campia Grande Recorrente Francisco
Domingos da Cruz, recorrido Galdino Coelho de
Moura.
De Porto CalvoR:corrente Mauricio de Quei-
roz Buarque, recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Oliveira Maciel :
De Campia GrandeRecorrente Manoel Fran-
cisco de Salles, recorrida o juizo.'
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
De Campia GrandeRecorrente o promotor
publico, recorrido Antonio Francisco Guim raes.
Ao Sr. deseabargador Monteiro de Andrade :
De Campia GrandeRecorrente o promotor
publico, recorrido Feliz Ferreira Gmmares.
Ao Sr. desembargador Pires Goncalves :
De Campia GrandeRecrtente Jos Correia
de Mendonca, recorrid j o juizo.
AoSr. desembargador Alves Ribeiro :
De. Campia Grande Recorrente Theophilo
Jos de Oliveira, recorrido o juizo.
Ue'-ursos crimes
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
Da logaRecorrente o juiso, recorridos Manoel
Francisco de Mello e oulros.
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Da Palmeira dos ludiosRecorronte o juizo,
recorridos Espendio Ctneca Sampaio e outros.
Ao Sr. desembargador Tavares de Vascoocellos :
De AreaR crreme o juizo, recorrido Dr.
Jos Antonio Maria da Cunha Lima.
Ao Sr. conselheiro Quuiroz Barros :
De MamanguapeKecorrente o juizc, recorrido
bacharel Pedro Vdho do Reg Mello.
Ao Sr. desembargador Buarque Lima :
De Porto CalvoRecorrente o juizo, recorrido
o escrivao Hermenegildo Jos Tavaies.
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
Do ttecifeRecorrente o juizo do commercio,
recorrido Joao Gonc*l ves Ferreira de Souza.
AggraVO de petico
Ao Sr. conselueiro Qoeiroz Barros :
Do RecifeAggravaute Francisco Ferreira da
Silva, aggravadu o juizo.
Ag^ravo de instrumento
Ao Sr. deseuiDirgador Buarque Lima :
De GarauhunsAggravante Pedro Ivo da Sil-
va, aggravado Autonio Mana de Figueiredo.
Deuuncia
Ao Sr. desembargador Delfino Cavalcante :
Do Sr. desembargador procurador da coroa fa-
zenda e soberana nacional contra o bacbarel An-
tonio Ferreira de Souza Pitanga, juiz de direito
da comarca do Limoeiro.
Conflicto de jurisiiecao
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Eutre os juizes de direito da comarca de Cama-
ragibe e o dos teitos da fazenda provincial de
ALgoas.
Appeliaco civel
Ao Sr. desembargador Buarque Lima :
Do Passo de CunaragibeAppellante B nedic-
t) Benmbi, por seu curador, appellado Antonio
Gomes de Mello.
Appellacao commercial
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
Do RecifeAppellante Fioriano Passos, appel -
lados, Moraes & Marques.
Encerrou-se a sessao s 2 huras da tarde.
INDICARES OTIS
Medican
O Dr. Lobo Moscoto, de volta de sua
viagem ao Rio de Janeiro, conntia ne
oxercicio de sua profissao. Consltuas daa
Visita episcopal e presidencial
Colonia Orphanologica Isa-
bel
No dia 17 do crrante era esperado n?s-
ta colonia o Exm. Sr. bispo D. Jos, as-
sim como o Esm Sr. presidente da pro-
vincia De. Pedro Vicente com sua Exm*.
familia.
A's 2 1|2 horas da tarde chegou com of-
fe-ito o trem que devia conduzir to impor-
tantes hospedes, cheganio com effiito S-
Exc. U '.iiii. e a Exma. familia do Sr.
presidente da proviacia, uo pdenlo S.
Exc. acompaolial-a nesse dia por aflliien-
cia de negocios que exigiam a presens* de
S. Exc. ua cidade.
Ss. Ex :8. f'oram recebidos na estacao da
via-ferrea com grande manifestado do
prazer pelos R'jvds. que fazera parce da di-
rectora, empregados, alumnos e grande
numero de peasoas de ambos os sexo3 das
circumvidinrjanyas que, jubilosos viarara
receber a benco do preclaro e digo j che-
fe a igreja peruambucana, que to rele-
vantes serbos lem prestado.
Logo que S. Exc. Revm. tomou um
instante ae repouso, comedn a receber as
pessoas que o piocuravain, dispensando a
todos as mais cordeaes e delicadas demons
trai;o--d de sua proverbial amabilidade.
o dia 19, das 11 para as 12 horas da
manha, chegou o Exm. Sr. Dr. Pedro
Vicente do Azevedo, presidenta da provia-
cia; acompanhado dj seu digno secretario
Dr. Pedro Correia e m?is alguns distinctos
amigos que quizoram ter a honra de fazar
parte da sua comitiva.
S. Exc. tendo chegado nspera lamente
aquella hora, pois o telegrapho annunciou
a viuda de S. Exc. no da seguate, foi re-
cebido ao porto do Iasttuto por S. Exma.
esposa e tilhos e mais pessoas que ainda se
achavam em amistosa conversago depois
do almoco e tendo S. Exc. feto urna
frugal refeicao, sabio a percorrer todo o
eatabeleennento, que mesmo que se nao
espere algum visitante, acha-ae sempre no
maior estado de asseio, quaato permittem
suas apouoadas posses.
S. Exc. examiuou tambem a escriptura-
cao, que feita por partidas dobradas e
com a maior limpeza e perfeicao.
Durante os dias que Ss. Exjs. se de-
moraram na Colonia o Exm. Sr. bispo dio-
cesano oceupou-se muito tempo em admi-
nistrar o sacramento da confirmaco do
baptiaaio a avultadiasimo numero de indi
viduns de ambos os sexos e-de todas as
idades que concorreram a receber esse
consolo da religio de nossos pais, assim
como deu lcenga para effectoarem-ae mais
de cem casamentos, e nesse trabalbo foi
coadjuvado pelos Revms, padres da Colo-
nia a pelo distincto vigario de Palmares.
No dia 19 co.-iferio S. Exc. Revma. or-
dena de dicono ao seminarista da Arcbi-
Diocese da Baha, Paulo Rodrigues, e no
oia 22 conferio lhe as sagradas ordens de
presbtero.
P. las 2 horas da tarde desse mesmo dia
22, Ss. Exea, assiatiram revista e dis-
tribuidlo dos premios que mereceram
os alu noos que mais se distinguirn], nao
s por seu comportamento e como por sua
applicacao aos estudos e trabalbos do offi
cias, e que haviam sido precedentemente
8ubmettidos a exames.
O resultado destes foi o seguinte :
Premiados em aulas 4.
dem em catbecismo 5.
Approvadol com distia cilo 16.
Approvados plenamente 33.
Approvados sinplesmente 41.
R-provadoe 11.
Deixaram de prestar exame 17 alumnos
por torera estado muito tempo oocupados
com os urgentes servicos da eongtruccSo
do gratas reeordayois pela afabilidade e
distincgo que dispeusaram a tolo o pes
soal da Colonia Isabel.
Colonia Isabel, 24 de Maio de 1887.
Eutropio.
O vigario Francico Rayinun io da
Cunna Pedrada ao tiguoi paro
cnlanuN do islario de boje.
Ein ntceu^io ao respe.itavul publijj, mixime ais
qua ai) me coohecem, dou ligeira resposta a es-
ses Alguns oarochianos u que me eeusuram e*>
subdelegado deste districtj, o r. Aijlphj Tac-
ques.
Cortamente sao alguns despei'adis por haverem
enco'i'.radc barreira r.e-tas Iiberdadea...
Seja como for, restabeiec^-se a verdade. Aeha-
se encarregado de fazer o sauo exercico do in"z
de Mariauesta matriz o Rvd. Fiel Pedro, eu nem
sempre assisto em virtuie de outros trabalhos a
meu cargo. Entretanto quando posso sempre vou
matriz e tenbo procurado manter a boa ordem,
acata ueuto e respailo que todos deven) observar
no templo" do Seub.ir e efectivamente tudo tem
corr Jo bem ate o pra.ente.
O -ir. subielegajj nao a m u pedid), mas por
acto seu, tem comparecido igreja e pir sua vez
tem p>r bous modos e sem aeeepfio de pessoas,
feito affastir das rcalas inferiores aquellos que
alli se collocam em contacto com as mulheies, afim
de evitar qualquer acto inconveniente e desres
penoso que pjr vez-?s tem infelizmente se dado da
part de ertos micos qui nao se pirran bem.
la le ir;s .. .
v *44
km todas as re'0 >s e -ntre as pessoas da todas
as regioea c entre as pessoas de todas oceupacoes
e prifijioas, prevalec-'in as onf-rmidades pnlmona-
res. Portanto, o grande e admiiavel remedio con-
tra ellas e que priduz a sua completa aniqulacao
o Peitora de Anacahuita o qual as deve perse-
guir, c em seu devido tempo as perseguir ndefec-
tivelmente at nos raau remoros confna de todo o
orbe.
soldado nos acompamentis. o mineiro as mi-
nas Je ouro, o colono as fronteiras, o lavrador, o
viajante por mar e por trra e especialmente todas
as pessoas sujeitas padecerem de tosse, consti-
pacois, resfriamenroa e eatarrbos, bronebites, as-
thma e outras affeccoes nao m^nos fflictivaa da
garganta e dos org.lis di respiracio e i] c to fa-
uilmente se desenvolvem e propagam ujs lugares
hmidos, inclemencia da atmospbcra. acharan
com amis ^rata satisfaco no Peitora de Anaca-
huita, um remedio irresistivcl c absoluta para o
completo subju^.ime.ito de raj perijosas eufenci-
dades. Compre-ss em tempj, pjia bom estar-se
prevenido.
Con i gabaxtia contra as falaifieaeoes, obsrve-
se oem que os nomes de Lanman Se. Kernp venham
estampados em Uttras transparentes no papel do
livrinbo que serve do envoltorio a cada garrafa.
Encentra-se venia em todas as pharmacias t
drogaras.
Agentes em Pernambueo, ilaury Forster t C.
ra do Oommercio n. 8.
Constancia de Santa Risa Trindade, acbando-
se habilitad a a leccionar prim 'iras Icttras, msi-
ca, p ano e trabalhos de agulba, offerece ais se-
nhores pais de famdia os seus prestimos mediante
urna mdica retribu?io : a tractar a raa de ;S.
Tnerczau. 17.
XOTirE
Nao ha pjis injustici alguma da parte da que n
quer que seja, nao taco excepcoes odiosas, e s dis-
l:ngo quelles que sabem cumprir os se-is deve-
res religiosos acbando-se preseutes em Ue3 exer-
cicios : mis essa diatioeco 6 eomoium e serve
tao so O'nte da cstim lio para os que se pirtam
mal afim de se corngirein. Na igr ja reputo no
mesin > grao de igualdadeao rico o o pjbre, ao sa-
bio e iguoraute, sem distinefo algumi e disso
podem dar testemunhi os meus bous parochianos,
quelles qje sabem fazer justica.
I'enho respondido.
Afigados, 25 de Maio de 1887.
Vigario Pedrosa.
PREITO
AO TALENTOSO POETA E DISTIMCTO DKAMA-
TURO RIBEIRO DA SILVA
Recitada por ocaaiido de ser representado o sea
mimoso drama abolicionistaCora, A Filha de
Agar,pelo Grupo Fraternidade.
Quem diz que tu s pobre Se o talento
Aumliou-se em teu cerebro pissinte,
Qual o cndor jue va ao firmamento
E se esonle entre as nuvens, offegante ?
Qum diz que tu s pob'e ? Qaaodo cant3
Hymoos mil de poesa natureza ?
Quando harmonas puras, sacrosantas,
I'ua lyra transpira com riqueza?
Quem diz que tu s pobre ? Se bem vs
O pivi te saudar ; e nis teus ps
Cahiodo em ebuvas sublimados louros?
Qaem diz que tu s pobre ? Se na historia
l'eu nome vai cahir coeio do gloria.... ?
Tu nao s pobre, tu possues thesouros !
Recife, 22 de Maio de 1887.
Misael de Souza.
e seno
II je foi obstado a hastea publica, conforme os
editaes a dias publcalo dos concertos no merca-
do da Boa Vista pelos celeores Srs. Oliveira Cas-
tro A C- Nao sabem >s se digao de elogios esta
cerporacio por adiar urna pra a por urna offerta
em um requerimento de pessias queso desejam
embarazo a concurrencia publica.
Se os Srs. Oliveira Castro tem dinheiro para
fazer os reparos do mercado da Boa-Vista com o
nico fim de excluir a concurrencia, outros tan
tos ferio para nao t reagir este abuso, mas
tambem offerecer grandes vantagens a munieipa-
lidade. Portanto, a esta digna corpiracao os pre
judicados pe lem que de couformidade com a lei
e eom oseditaesj publicados aceitem as melho-
res offertas.
Os prejudicados.
(Continuar se-ha).
Th-> unl'rsgn^d, her majesfys cnsul, has tli'_
bonour to iovile the Brtish rasidents in Pern .m
buco to meet at the telegraph stiflf quarcers, ou
monday th. 30 th; instaat, ar 8 O' el ick p- ">
to ousidcr solieili r aay steps shoul 1 be tak :u to
celbrate the Qieeus jubilee.
Pernambueo May 1 1887.
A. Cohn.
Em homenagem verdade
Aconfecimentis se iX) na vi la humana qu:
comquanto relativos a um s individuo, inters-
sam, todava a todos, em geral.
Nesta ordera de factos, est indubitavelmeute
adstricto o da conservaco da vida, isto c, da vida
cem sade.
Ha quem diga, de si para si, que a nica con-
viecao firme aquella que sa funda as provas
que cada um adquirc p'ssoalmente e nao aquella
que se transmitte ao individuo pir factos que se
do com outrem. Mai, essa asserco, sobre nSo
ser mais do que um paradoxo iuacceitavel, mais
do que isso, pois significa a expressao mais anti-
p .tilica do egoism'i.
Pois justo e admissivei qua s acreditemos
era nos mesmos ? Pois nao haver, u'aquelles
que nos rodeiam, pessoas que merecara tanta con
fiaoca como a que temos no que experimentamos
ou no que presenciamos ?
quelles que lerem estas liuhas, far nos-hao a
justica de crer na sincerdadu d'ellas : nao as-
sim ?
Pois ahi est.'. a respo-ta mais lgica aos argu-
mentos capciosos dos que nao crem nos eloquen-
tes attestados passados em favor dos prodigiosos
effeitos do Peitora de Cambar, preparacao cujas
materias componentes nao sao, em nada, nocivas
sade e, alm disso, permittem que esse reme-
dio seja o preferido pelas senhoras, creancas e
pessoas de paladar delicado.
Em homenagtm verdade, pois, rigoroso dever
de quem, como nos, sabe das innmeras curas
pmduzidas pelo Peitora de Cambar, apressar-se
a fazer publicas essas mismas curas, a6m de, com
isso, prestar relevante ervic< a humanidade.
A voz da verdade.
Recife, 11 de Abril de 1887.
bulista
Dr. Ferreira da Silva, consultas
das 9 ao meio dia. Residencia e
consultorio, n. 20 ra Larga do
Rosario.
\DVOG\DO
DR. CLODOALDO LOPES
RA ESTREITA DO ROSARIO N. 4
Attenda-se
PRACA PUBLICA DO SOBRADO N. 12 A' BA
DE DOMINGOS THEOTONIO
Apezar de annunciada essa praga por
edtae8 publicados na Provincia, jornal nao
offi nal e de limitada circuLcao; a despei
to de na > se publicar hojo, vespera, como
devera, todava n3o me passoa desaperce-
bida como talvez esperassem
Annunciam na para aroanha por forga
de urna simulada execugio pelo juiz do
commercio, de Liuriano Rodrigues da
Costa contra Francisco Pacheco Gomes,
outr'ora proprietario do dito predio.
Bate me pertence por compra, que fiz,
a Pacheco Gomes, que receben sea preco,
Dr. Guio Leits
Hcdiro, parieiro e operador
Rmdencia ra Bario da Victoria n. 15, 1- andar
Consultorio ra Duque de Caxias n. 59.
D consultas das 11 horas da manha a 2 da
tarde.
Attende para os chamados a qualquer hora
telephone n. 449.
Clinicamedlco-cirurca
DO
Dr, Alfredo Gaspar
EspecialidadePartos, milestias de senhotas e
crianzas.
Residencia Ra da Imperatris n.J4, segunda
andar.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico ocu-
lista, ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, d consultas de meio dia s
3 horas da tarde, no 1.* andar da casa
n. 51 ra do Bario da Victoria, ex-
cepto nos domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setembro n.
34. Entrada pela ra da Saudade n. 25.

4


4
Diario de Pernambuco---Quinta*-, cira 26 de Maio de 1387
idvogado
O bacharel Julio do Mello Filho tem o
seu escriptorio do advocacia roa Pnmei-
ro de Marco n. 4, Io aunar, onde pode
ser encontrado drs 10 horas da manha s
3 da tarde
Medico
Dr. Silva Ferreira, de volta de sua viagem
Europa, com pratica dos hospitaes de Paria, Vi-
enaa e Londres, onde dedicou-se a estudos de
partas, molestias de senh iras e da pelle, oficrece
os seca servicos mdicos ao respeitavel publico
desta capital eora d'eila, padeni) ser procurado
no seu coaaultoriora da Cadeia n. 53, de 1 as
3 horas da tarde, ou em su* residencia tempara
ria Ponto d'Ucha 55.
MEDICO HOMEOPATHA )i
"Dr. Balthazar da Silveira j]
Especiali dadesfebres, molestias das n
enancas, dos orgos respiratorios e das \
senhoras.
Preata-se a qaalquer chamado para
fon da capital.
i
1}
VIMO
II
Todos r-s chamadas devem ser dirigi-
dos pbarmacia do Dr. Sabino, ra da )
Bario da Victoria n. 43, onde se indicar
sua rcs'lo'.ieia.
Advogado e professor de linguas
O bacharel Eduardo Alfredo de Oliveira tem
aberto o seu escriptorio de advogadi ra 1 de
Marco n. 4, onde tambem pode ser procurado pra
leccionar o ingles, francez e allemio, pratica e
theorcamente, uos collegios e casas de familia.
Tambem para a commedidade dos estudantes
e empregados do commercio, reso^veu abrir um
curso nocturno das ditas linguas. A tratar no
escriptorio cima referido.
Leonor Porto
Ra do Imperador u 4.
Primciro andar
Contina a executar os mais difficeis
fignrinos rebebidos de Londres, Paris,
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeiciode costura, em bre-
i. i da le, modicidade em preco> e fino
[^ osto.
Advocad
(Foro civil c ecclesiastieo^
Bacharel Antonio d L-lha e Sonza
Pontea.
Ruado Imperador n. 37 1.- andar.
Dr. espira Lie
MEDICO
Tem o seu escriptorio ra Duque da Casias
ii. 74, das 12 o 2 horas da tarde, e desta hora
em diante em sua residencia ra da Santa
Cruz n. 1.
Especialidadesmolestias de senhoras e crian
cas.Tolephone n. 326.
Dr. Mello Gomes
Parteiro
Ra de Paulino Cmara (antiga da Camba do
Carmo) n 36, 1" andar.
Onde pode ser procurado a qaalquer hora do
da e da noite.
Especial id lies; Pebres, molestias das senh ;
ras e do polmia, sypbilis e soffrimentos da ure
thr*.
Acode tambem a qaalquer chamado para fra
da capital.
Dr. Joo f'aulo

1* prara
De ordem da Illia. S. Dr. inspector se fax pa-
blico qae s 11 horas do dia 28 do correte mes
sero vendidas em praca no Trapiche Conceicio
16 caixas, marca FI&C, na. 86 a 101, viadas de
Hamburgo no vapor ailemo Uruguay,Centrado em
Abril ultimo, contendo 3232 kilos, peso liquide
real, de papel para cmbrulb), abandonadas aos
direitos por Fonseca Irmios 4 C.
,-3> seceo da Alfaodcga de Pernambuco, 25 de
Maio de 1887.
O chefe,
Cicero B. de Melh.
* prsra
Da ordena do Illm. Sr. Dr. inspector se ftz pu-
blico que as 11 horas do dia 28 do correte mez
sero vendidas em prac no Trapiche Cooceicao
as seguiutoa merca lorias:
Armacem n. 3
Urna caixa, marca diamante R de um lado, W
do outro e T em baixo, contendo catlogos, obras
impressas em ama cor, pes indo liquido 46 k'los,
vinda de New-York no vapor americano inance,
entrado em 27 de Fevertira do crreme auno,
abandonada aos direi'oa por Adamson Hjw" 4 C
Armazem n. 4
Urna caixa, marca CGV, n. 3145, contendo 130
k'los, peso liquido, de etiquetas de mais de duas
cores, vinda de Hambnrgo n- vapor allemao Pa-
ranagu, entrado em 15 dem idem. abandonada
aos diri.'itos por Amaro de Barros Correia.
Urna caixa, marca A94C, n. 14117, contendo
2 kilos de cartazes de urna cor, vinda do Havre
no va p-.r francez Vlede Pernambuco, tntrdo em
9 de Marc' idem, abandonada aos direitus por
Alheiro, Oliveira & C.
Armazem i). 6
Uuia caiiH, marca Browns & O, sem numero,
contendo 17 1/2 kilos de a'mauaks ou folhinhas
de duns cores, vinda de Southampton no vapor in-
gle* Mondigo, entrado em 11 de Novembro do
.un i passado, abandonada aos direitoa p;r li; >
wns fc C.
3* seccio da Alfaudega de Pernambuco, 25 de
Maio de 1887.
O ebefe.
Cicero B. de Helio.
Concomo para o protlmento deca
delras de enttino. primario
De ordem do insp-ctor geral la inst ruceis pu-
blico se faz saber a quum couvier que em virtude
de determinacio do presidente da provincia de 6
de Dezeaabro di auno passnd ', e para execucio
d > disposto nos artigos 70 e seguintes do regula-
memo org mico da instrucuo publica, acha-ae
po9to em concurso o provimento das cadeiras
c nistant 3 da relacaa abaixo publicada, e das que
concurso,
nada Emilia da gonceieio Gomes, vai na di* 26 parii gao achu-se aberta nesta secretaria a
do corrente, depois da audiencia, em hasta publi- nscripcao dos candidatos a este pro-tinento, com
HEDICO
Especialista em partos, molestias de senhoras e
de enancas, com pratica as principaes enterni-
dades e hospitaes de Paris e de Vieona d'Austria,
faz todas as operacocs obsttricas e cirurgicas
concementes as suas especialidades.
Consultorio e residencia na ra do Bario da
Victoria (antiga ra Nova) n. 18, 1- andar.
Consultas das 12 s 3 horas da tarde.
Telepbone n. 467.
Consultorio medico-
cirurgico
O Dr Castro Jess, contando mais de 12 annot
de escrupulosa observacao, reabre consjltorio nes
ca cidade, ra do iiom Jeaus (antiga da Crui
n. 23, I. andar.
Horas de consultas
De dia : das 11 s 2 da tarde.
De noite : das 7 s 8.
as demais horas da noite ser encontrado ni
sitio travessa dos Remedios n. 7, prim-'iro poi -
to esquerda, alm lo portao do Dr. Cosme.
EDITES
O Dr. Jos Antaoio Correia da Silva, ca-
valheiro da r en de Cbriito, juiz de
direito de orphaes e auaautes da comar-a
de Olinda, por Sua Magestade a qnem
Deus 5uarde, etc.
Fa^o saber aos que o presente edital virem,
que ajequerlmnto do curador do espolio da fi- vierem a vagar atea terminacho do
i, vai na da 26 para sao achu-se aberta nesti
ca por venda e arremataco, a q-iem mais der e
melhor lanco oU'ere -:-r. os bens seguintes :
Urna casa terrea de taipa no lugar Porto da
Madeira, em t berib -. em bom estado, com 2
o praao de 40 dias a contar do 1* do corrente, ob
servadas as seguintes diaposicoes do regiment
doB concursos :
Art. Io Os pretendeatea ao magisterio, que nao
janellas e 1 porta de frente, 2 salas, 2 quartos, tiverein as isenco.'s do regulamento orgnico da
costaba fra, quintal com o fundo para o rio [ insruccao publica, deverao submetter se a exame
Lava-Tripa, avaliada em 300OOO |de habilitaco para pruva de capacidade profissio-
(Jma dita dita no m-smo lug^r, outigua a pri- ,,,1^ n08 term>s do presente regiment.
meira, tambem com 2 janellas e 1 porta de frente, ^rt. 2o A inscrip9ij para este exame, dentro
COMMERCIO
B.i*>a 4'4/uiiuert*laL
C'OTAf K8 offjciaes da junta dos cor-
rectores
Refe 25 de Maio de 1887
Cambio sobre o Rio Grande do Sui, 60 d|v. com
2 0|0 de descont.
Oa'n-'-in sobre lndres. il d|v. 22 1|8 d. por l,
do bi'ico, hontera.
Canvi'i sobre o Porto, 90 d|v. 138 0/0 de premio,
particular.
Descont de letras, 9 0 0 ao anno, hontem.
(t preaiaente,
Antonio L -u..,.- i, Rodrigaes.
U atsoeuiho,
Eduardo Dubeux.
uvlmeuio banoarlo
BECIFE, 25 DB MAIO DE 1887
Os ba icos h.ije abriram o mercado de cambio
com a taxa ue i 1/8 d. s >bre Londres, sobre a
qua) fiz ram transac(des, sendo s 10 horas subs-
tituida pela de '2 d.
Esta taxa, porut, s vigorou oficialmente at 1
hora e 25 minutos da tarde, em que estabelece
ram a de 21 3/4 d. sobre Londres e as relativas
obre as damais pracas, conforme as tabellas se-
.guintes :
Do Internacional:
Sobre L..odres, 90 d/v 21 3/4 e 4 vista 21 1 2
Sobre Pars, 90 d/v 437 o a vista 441.
Sobre Italia, vista 441.
Sobre Hamburgt>, 90 d/v 511 e vista 546
Sobre Portugal, DO d/v 244 e vista 24K
Sobre Ntw-York, e vista 24320.
Do London Bank :
Sobre Londres, 90 d/v 21 3/4 e vista 21 1/2.
Sobre Pars, 90 d/v 437 e vista 441.
Sobre Italia, vista 441.
Sobre fiamburgo, 90 d/v 541 e vista 546
Sobre Portugal, 90 d/v 244 e vista 246.
tiobre New-York, vista 24320,
Do EnglUh Bank :
Sobre Londres, 90 d/v 21 3/4 e viata 21 1/2.
Sobre Pars, 90 d/v 437 e vista 441.
Sobre Italia, 4 vista 441.
Sobre Hamburgo, 90 a/v 41 e vista 546
Sobre Lisboa e Porto, 90 d/r 244 e vista 246
Sobre New-York, vista 24320.
Sobre as principaes cidades de Portugal, vista
251.
Sobre liba dos Acores, vista 251.
Sobre Ilha da Madeira, vista 251.
Mercado de asmacar e alitoduo
RF.C1FE, 25 OB MAIO DB 1887
Astucar
Os preces deste artigo, pagos ao agricultor, fo-
ram os seguintes :
3.* regular, por 15 kilos, de 24000 a 24100. "
3. boa, por 15 kilos, de 24200 a 24300.
3. superior, por 15 kiius, de 24400 a 24500.
Branco turbina pul venando, por 15 kilos, de 4200
a 24300.
Smenos, por 15 kilos, de 14400 a 14500.
Mascavado, por 15 kilos, a 14100 a 14200.
Bruto, por 15 kilos, de 960 a 14UO0.
Relames, por la kilos, de 700 a 800.
O mximo ou mnimo dos prego sao obtidns
,>-n forme o sorti ment.
Alood&o
Foi cotado o de Pernambuco e boas proceden-
cias, em trra, a 74000 por 15 kilos.
Vaporea e navio deapacbadost
Vapor ingles Boshena Buy, sahido hontem para
Liverpool, levou a carga seguinte :
iecebida aqu :
'317 saccas com algodio.
195 saceos com assucar mascavado.
2,566 ditos com carocos de algodo.
Em Maeei :
S39 S8ccas com algodo.
13,833 saceos com assucar mascavado.
Jarregou J. Boxwdl.
Vapor francez Ville de Cear, seguio hontem
para os portas do sut, conduziodo ;
Para Baha :
30 saceos com 1,500 kilos de cera de earn&ba.
Para Rio de Jane'ro :
130 pipes com aguardante.
2 salas, 2 quartos, cosit,ba fra e quintal, cjoj
o fundo para o rii Liva-Tripa, avaliada em
1504000.
Um terreno no lugar Aguazinha em Beberib'',
ra Longitudinal n. 2. no sitio Lava-Tripa,
com 2 0 palmos de frente e os fundos por indi-
viz ., avallado em 2034OO0.
E nm terreno pequeo, contigo j ao im smo, ava-
llado em 50*00)
Convido, pois, os pretendeatea ditos bens,
para cemparecerem no dia e hora cima mencio
nados, ufm de t r lugar a alludida arrema-
taco.
E para que chegue ao conhecimenta de todos,
mandi-i pasaar o presente, quo ser afiliado lo
lugar do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, aos 17
de Maio de 1887.
Eu, bacharel Francisco Lins Caldas, escrivo
O subscrevi.
Joti Antonio Correia da Silva
do pr .so annunciudo por edital, requerer-se-hu
ao inspector geral, instruida a peticao cuic -8 do-
ciimenti.s comprobatorios do* requisitoj legaes, a
saber :
i 1 Vfaioridade legal.
S 2o Moralidude, e
3o Is^nco Je culpa
\rt. 3o Os reqnesitos da artigo antecedente de-
verao ser provad is :
O do Io por certida.' de baptismo.
O do 2' por attestado do parocho ou de quaes-
quer autoridades do lugar onde rea'dir o coneur-
rent-.
O d> 3' pela exhibicao de folha corr ia.
Art 4o Sao dispeusados :
1* De exhibir certido de i-ladoOs candida-
t .s que forem ou bouverem s^o funcciomrioa pn
blicos e oa que apresentarem algum t'.tulo ou di-
ploma que nao obteriam sem a maioridade legal.
2* De apresentar folha corridaos que exhi-
birem attestados de procudimrnto civil e moral
Para Santos :
2,700 saceos com assucar branco.
3,300 ditos com dito mascavado.
5 pipas com agurdente.
Carregaram di veis is.
Vapor americano AUianfa, sabio hontem para
os portos do sul. levaudo a carga aeguiute :
Para Babia :
7:) barricas com assucar branco.
Para Rio de Janeiro :
1,797 saceos com assucar brinco.
142 ditos com cocos (fructa).
6 caixas com cajurubeba.
30 votames com fructas.
10 pipas com alcool.
Car.-egaram diversos.
Patacho allemao Calo, 8"guio hoitem para o
Rio Grande do Sul com a carga seguate :
4'J0 saceos com assucar branco
1,375 barricas com dito dito.
1< 0/2 ditas com dito dito.
100/4 ditas con, dito dito.
Carregaram J. da Silva Loyo 4 Filho.
Entrada de aosnear e attmlai.
MEZ DB MAIO
ENTBADAS * 5 S 2 1 1 .2 -
^ -/) -j Ji
Barcacas . 1 24 32.172 1.90!
1 4 24 2.861
atrada de ferro de Ca
ruaru ..... l 4 24 3.870. 40
Aoimaes ..... 1 4 25 2.664 5.355
listrada de ferro de S.
Francisca .... 1 4 23 36.719 2.492
estrada de ferro de Li-
1 4 23 1.740 77.165 1.8*1
14.628
Arroz com casca (kilo)
Algodo (kilo)
Assucar refinado (kilo)
Borracha (kilo)
Couros seceos salgados (kilc.)
Couros verdes (kilo)
Cacao (kilo)
Cacbac,* (litro)
Caf bom (kilo)
Caf restolho (kilo)
Carnauba (kilo)
Car icos de alrodao (kilo)
Carv.o de pedra de ("ardid (toi.)
Couroa seceos erpichados (kilo)
Fariuba de mandioca (litro)
Fumo restolho em rolo (kilo)
Kuino restolho em lata (kilo)
Fuini ooja (kilo)
Fumo em folha ordinario (kilo)
Ocnebra (litro)
Mel (litro)
Milho (kilo)
Taboados de amtrello (du^la)
Iitiporta^o
65
386
145
1426
500
270
400
077
460
320
366
014
16/jOOO
585
u50
400
5H0
720
400
200
040
040
1004000
passados pelas cmaras municipaes, autoridades
judiciarias e policiaes das localidades em que ho.i-
verem residido nos dous ltimos anuos; os qae
se achando no exercicio de emprego publico, exhi-
birem attestados do respectivo chefe ; e as edu-
caodaa do collegiode orpbas e casa de expostos.
3 De examo de habilitaco os candidatos qae
exhibirem :
I. Diploma conferido pela Escola Normal da
provincia ou de qualquer outro curso norn al pri-
mario do imperio.
II. Ttulos em gr os scientificos pelasfaculda
des do imperio.
III. Diploma conferido pelo Gymnasio Pernam-
bucano ou pelo imperial collegio Pedro II.
Art. 5a O inspector geral, se o candidato satis-
fiser aa exigencias legaes, ordenar por despacho
a inscripeo, a qual se effectuar oelu saignatura
do candidato em livro competeu-e.
Art 6* Findo o praso da inscripeo o inspector
geral remetter a lista dos inscriptos ao director
da Encola Normal, afim de all realisar-se o exame
de habilita cao.
Socretaria da Instrucco Publica de Pcruam-
bu co, 1 de Maio de 1887.
O secretario,
Pergentino Saraiva de Arauja Cal vio.
RELACAO A QUE 8B REFERE O EDITAL 8UPRA
Localidades
Masculino
Bethlua. ,
Couro d'Anta.
Carnxhyba.
Pedra de Buique.
Bnjo do Santa Cruz.
Suuto Antonio.
S. Benedicto.
Campo Alegre.
Queimadas.
O.ho d'Agua dos Bredos.
Serra Branca.
Cabrob.
Mimoso.
Santa Cruz de Siti03 Nvns.
S Vicente da Serra do Vento.
Rio 3oce.
Cachooira do Roberto.
NossaSenbora das Dores dePov'So.
Volta.
Fi minino
Pedra do Buiquo.
Santa Cruz.
Afogados de Ingazeira.
Agua Branca.
Serra Branca.
Brejo da Santa Cruz.
Cha do Estevo.
Alagoiabas.
Ex.
Pindoba.
Mixta
Lagedo.
Riaeb i Doce.
CaValh. iro.
Santa Cruz.
Tu caico.
Pao de Assucar.
Calcado.
Jatob.
Secretaria da Ios'ruzcao Publica de l'eni-.i.
buco, 1 de Maio de 1887.
O secretario,
Pergentino Saraiva de A-a.'.jo Gilvas.
Comarcas
Cabrob
Brejo
Flores
Buique
Garaohuns
Baique
Paueilas
Bom Consclho
Pane-Has
Cimbres
Ouricury
Cabrob
Bezerros
Ouricury
Brejo
Ueua
Petrolina
Cimbres
Tacarat
Buique
Brejo
Ingazeira
Pancllas
Ouricury
Garaiihuus
Ingazeira
Cimbres
Ouricury
Tiuabauba
Caruar
Br-jo
Bom Cousclho
li.nque
l'ac-arat
Cimbres
Caruar
Tacarat
acba vago por ter passado a cathedratico o Dr.
Jos Hygino Duarte Pereira.
Pelo qae, todos os pretendentes ao dito logar,
podero apresentar-se desde j. nesta secretaria
para assignar seus uomes do livro competente, o
que Ibes permittido fazer por procurador, se es-
tive>-em a mais de 20 leguas desta cidade ou ti-
verem justo impedimento.
Dcvem, outrosim, apresentar documentos que
mostrem sua qualidade de cidadio brasileiro e que
eslo no gaso de seas direiios civis e polticos,
isto certido de baptisioo, folha corrida no lugar
de seas domicilios e mais o diploma de doutor ou
bacharel por urna das faculdades de direito do im-
perio, ou publica forma justificando a impossibi-
lidade da apresentaco do origioal, e na mesina
ocoasiao pedero entregar quaesquer documentos
que jalgarem convenientes, ou como titalo de ba-
bilitaco como prevas de servicos prestados ao
estado, 4 humanidade ou siencia, dos quaes se
Ibes passar recibo, tudo de eonformidade com os
arta. 36 e 37 dodec. n. 1236, de 28 de Abril de
1854 e 111 e seguintes do de u. 1568, de 21 de
Pevereita de 1855.
E para que chegue ao conh. cimeuto de tolos
nvindou o mesmo xtj. Sr. cooselheiro director
interino affixar o presente que ser publicado uas
folbas desta cidade enas da corte.
Sec.etaria da Faculdade de Direito do Recite,
29 de Novembro de 1886.O secretario, Jos
Qorio B. de Mi'nezes.
2. directora Ministerio dos Negocios do Im-
perio.Rio de Janeiro, 29 de Outubro de 1886.
Deca-o a V. S. em resposta ao aeu officia de 5 do
corrente, que se deve proceder u concurso ua cen-
formidude dos vigentes estatutos para o provi-
mtuto dos lugares de lentes subst tutos qu se
acbarem Vagos nessa Fauuld.tde e djs que vierem
a vagar.
Declaro, outrosim, a V". S. que deve considerar-
se valida a inscripta) dos caudidatos que se tr-
uhana inscriptos para o concurso qu I nao SO reili
sar, annun siado por edital de 18 de Maio do auno
passado, e quelram concorrer do que se vai abrir.
Deuj guarde a V. f".Baiao de Mamor.Sr.
director lutertao da Faculdade uc Direiio do Re-
cite.
Conforme.O secretario, Jo= Ilanoro B. d.'
Menezes.
Secretaria da Faculdade de Direito do K cife,
20 de Maio d 18S7.
O secretan >.
Jas Honorio 0. d. Metieses
ECLARCOES
V
de hrii e tecidos de
Pernambuco
Sao convidados es senh ires accionistas a cona-
paiecerem no dia 28 do corr-nte, As 2 hora-i da
tarde, no edibeij di AssociicSo Commercial Be-
nefieente, para apreci ir os ornamentos da nova
fabrica e aut .risar o rerido contrato. RuCfe,
25 de Maio de 1887.
Manoel J .a de Amjrim.
Presidente da asscubia geral.
Jos Adolpbn ileOveira Liisa,
) teerelario
Dividendos
Estilo sendo pagos os seguintes :
O 1. do BAUCO OE BED1TO KAL a raza., de 4
por aeco ou 10 0/0 do valor realizado de uaua
urna.
O pagamento faz-se na sede do banco, das 10
horas da manh s 4 horas da tarde dos das
uteis.
O 78. da COBPANHIA DO BEBEBIBB, na D-op;rCO
le 54000 por accao ou 10 0/0.
Os interesaados devem ir ao escriptorio da com-
panhia, das 10 horas da manb 1 da tarde, dia-
riamente at o utirno do c n rente mez e ao de-
pois aos sabbados
A 16." disrribuiclo das cau'ellas de juros cor
respondentes ao semestre findo em 31 de Dczem-
bro do anno passado, da companhia gueat wbs
TEBB OF BBAZ1L BAILWAT.
E' no escriptorio central da companhia, das 10
horas s 3 da tarde, que s.- eff-c.ua o pagamento.
Memorial
A companhia de EDiFic'ACAo est fazendo o re
colhimento da 7.' prestago de seu capital social,
na razio de 10 0/ J do valor das respectivas ac-
cXies, o qual dever r':alizar-se at o dia 14 do me-
vndouro.
No dia 6 de Jnnbo vndouro termina o praso
para entrada da segunda prestacio das aeces l-
timamente emittidaa pela comparbia do dbbebibf.
O recolhimen'o de notas dilaceradas do The-
souro, faz-se na thesoubabia db fazehda, as ter-
cas e sextas-feira, das 10 s 12 huras da manha.
As notos do Theaouro de 24000 da 5." estampa,
54000 da 7.' e 104000 da 6.',' serio substituidas
ua TiiESooRARiA db fazebda at o fiua do mei de
Junbo com o descont de 2 0/0, o qual sera eleva-
do a 4 0/0 a contar do l.< de Julho a 30 de Se-
tembro do corrente f.iuj.
Pauta da Alfandega
SEM NA DE 23 A 28 DE MAIO DI 1887
Assucar branco (kilo)
Assucar mascavado (ktl-jj
Alcool (litro)
126
066
218
Barca noruegu*nse Stanley, entrada dn Ham-
burgo em 25 do correut- e cousignada a Fouseca
Inr.ioa & C, manifestou '
Armas 1 caixa ordem.
Amostras 5 volumes a diversos.
Aleatrao 15 barns e 15 I|2 ditos a Beltrio t
Costa.
Barras de ferro231 teix s a i erreira Omina-
rais & C-, 727 a Albino Silva C., 1,000
ordem.
Bitrer 5 caixas a ordem.
Bahincaa 2 caixas i ordem.
Ci.nenio 3,100 barricas jrdein, 550 a Anto-
nio K.Jngues de Souza & C, 3oO a Prente
Viauna fe C, 50 a Affoiiso Oliveira & C.
Canela 5 caixas a Joaquina Ferreira de Curva-
lho&C.
Cevadioha 10 garrafes ordem, 10 a Francisco
Cueles de Araujo, 10 a Gouvalvcs Rosa & Fer-
nn des.
Cerveja 80 caixas a Soares do Am iral Innaos.
30 a Joaquim Ferreira do Carvalbo t C, 30 a
Costa & Medeiros, 10 a Djmingos Ferreira da
Silva & C, 70 a G.mvalves Rasa cz Fernandea
| 100 a Souza Basto Amorim <-.. 305 crdem, 4U
a .loo Fernaudee de Almeida 50 a Fraga Racha
l'ereira.
Conservas 2 caixas i ordem.
Candieires 2 caixoes a Deodato Torres & C.
Drogas 4 volumes a Francisco Manoel da Silva
& C.
Ervilhas 10 garrafas ordem.
Graixa 2 caixas a W Halliday & C.
Ferragens 71 volumes a Ferreira Guimares &
O, 2 ordem.
Genebra 25 caixas a Silva Marques & C, 50 a
Fraga (tocha & C., 20 a Ferreira Ralrigues &
C-, 50 a Fernandes da Costa & C 20 a Joaquina
Ferreira de Carvalho & C, 145 ordem, 150 a
Ferdaodes -V Irmio.-, 10 a Affonso Oliveira C,
110 a Joao Fernn les de Almeida, 50 a Souza
Basto Amorim & C.
Lauca 15 grades a Joaquim Ferreira de Carva-
lho & ,C 12 a Ferreira Rodrigues & C, 9 a
Fernandes & Irmios, 7 u 1 o*ixa a Deoiato T..r
res, 47 e 3 bar:leus ordem.
Machinas decotura '0 grades ordem.
Movis 5 caixoes ordena. 2 a T. Just.
M-rcadoiias diversas 2 volumes a Nones Fon-
seca & C- 3 ordem, 4 a Conrad Wacherman, 1 a
Beltro S Coita, 1 a Pfente Viauna <% C*.
Papel para impressio 15' fardos a Monhard Hu-
ucr 4 C.
Pimenta 10 saceos a J. da Costa, 5 a Fernan-
des & Irmos 10 orJeu, 10 a Souza tfisto Amo-
rim & C, 2 a Affouso Olivurafc C, 20 a Joio
Fernandes de Almeida.
Plvora 200 bar.is ordem.
Pia .os 2 caixoes a H. Vogeley.
Parafina 15 caixas ordena.
Pbosphoros 40 eaixoes a Stares do Amaral Ir-
mos, 5 a Sodr da Motta & Filho, 5 a J. F. da
Cana, 5 a Costa t& Medeiros, 30 a Fernandes &
Irmiis, 10 a Fernuodea da Costa & C, 35 a Af-
fonso Oiivrira & C-, 16 a r'rag Rocha 4 C, 20 a
r-'ouza B*to Amorim & O, 175 ordem, 5 a Jos
quin? Felippe & Aguiar, 20 a Joti Fernandes de
Alm ida, 20 a Rodrigues & C, 10 a Rodrigues de
Paria i L'., 20 a Ferreira & Irmaos.
Papel 2 fardos a C nrad Wachsman, 19 ordem,
1 a Affooso Oliveira & C, oito psra embrulbo 21
farde; a Fraocisco Guedes de Araujo, 25 a Costa
& Medeiros, 500 a Soasa Basto Amorim & C, 521
a Aff.aso Oliveira &C, 00 Goms Pereira.
Faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. conselheiro director ule
rno e de contormdade com n art. 119 do Regula-
mento complementar, se repele o edital relativo a,.
coLCurso cuja inscripeo sei encerrada s 2 horas
da tarde do dia 30 do corrente, por ser domingo
o dia 29 em aue deveriu terminar o praso para .-.
referida inseripcio :
De ordem do Exm Sr. conselheiro director inte-
rino, de eonformidade com avn > do Ministerio
do Imperio, n. 4655, de 29 de Onnbio ultimo,
(abaixo transcripto) faco publico que tica marcado
o oraso de 6 mezes, contados da data deste, para
a inscripeo dos que pr< tenderem coucorrer ao lu
gar de lente sabstiluto drsta Faculda ie, que se
110 a J> aquim Felipp- & Aguiar, 400 a Jo-quim
Duarte Simes & C, 1519 ordem.
P.ehe 2 barra a Beltrio & C ista.
Rotu 2 fardos & ordeaa.
Sag 10 gurrrfoos ordena, 10 a Gancalvea II .aa
t Feua ules.
Sebo 20 barricas ordem.'
Tintas 40 barricas a Francisca Manoel da Silva
t C,
Vidros 8 volumes a Ferreira Guimaries A, C,
10 a C. nrad Wacbsman, 1 ordem, ditos pira
vidracas 91 eaixas a Ferreira Gnmari'S & C.
Vela 30 caixas a Affmso Oliveira & C, 4''
ordem.
Vapor americana Allianca entrado de -Niw York
e esc la em 25 do correte e consignado ;a H.
Foster & C, manifestou :
Agua fl irida 25 caixas a Nunes Fonseca & O
Amostras 1 caixa ordem.
Thesouraria de Fa-
zenda
O coaselho pfira f.rneeim-uto da vveres, frra-
meos fer.iioui aos uorpos desra g.iaruicao e
eufermari. militar, receba prop is'a iii dia 6 de
luuho proxiiiio futuro, s 10 h .ras da manha, no
ojiiart 1 geu-ral do c>min>iidj dis armas, onie
f.iiiccioia o m-smo conse'ha, para eontractar o
tornecimento de g. n-ros aiiinenicios s prucas d
gutrine,;!., forr^g-ns e ferragens para a cavaMada
luante o setneiTie de Julho a D sombro vn-
douro
Aroz, k'logruin'n i.
A--"icar tiraoe.-i r-'finado, dJ 1* qnalidtie, idem.
Assucar refinado de 2a dita, ideiu.
mmmmw* ^ii i mi ibh ^
'ara Bulla, C- Burle 711 volumes com 4,082
kilos de asssuiar brinco.
= No biate nacional D. Antonia, carregaram :
Para M 08 or. E. C. BHiiai Iina 13 barri-
cas com 3 2 kilos de sssOCar refinado, 33 saceos
com 2,475 ditos de dito branco e 14 volum-s com
931 ditos de. dito m iscavado.
No h ate nacional CumWa, carregaram :
Para Maco, E. C. Beltrio & Irmio 10 barricsa
com 1,031 kilos de asrucar bruuco e 1 dita c un 90
ditos de dito refinado.
No hiatc nacional Crrelo de Natal, carre-
i;:ir .ua :
Para o Natal, P. Alvos &, C. 21 barricas com
l,3.r,0 kilos de assucar refinado.
>i tus & cura
Estio sendo despachados os seguintes :
Barca portugueza Alhanco, astucar, para Lisboa
e Porto
A|sucir mascavado refinado, de 3> dita, idem.
Azaite doce de Lisboa, litro.
Alfafa, kilogramma.
Baealho, idem.
Batatas inglezas, i iem.
Caf em grao, idem.
Carne de porco, idem.
Carao de vacca, idem.
Carne secca do Rio Grande, idea.
Cbft verde da India, idem.
Cb da India preto, dem.
Cevadinha, idem.
Cravos, cento.
Chocolate, kilogramma.
Capi n, dem.
Kariuha de Ia qnalidade, litro.
Farinbade 2* dita, idem.
Feija preto, idem.
Fejii mulatinho, idem.
Fructas, ama.
Farello, kilogramma
Ferradura, numero.
Leoba, acba.
Macarrao, kilogramma.
Maicena, idem
Manteiga inglesa de 1> qualidade, idem.
Marmelada, idem.
Mi'bc, idem.
Pi, idem.
Sal, idem.
Toucinho de Minas, kii.:gramma.
Temperos e verdras, racio.
Viubo de Lisboa, litro.
Viuno do Porto, dem.
Vinagre tinto, idem
Ltvagem de roupa passada a ferro peca, urna.
Agurdente, litro.
Aletria, klli.gramn i.
Auj"ix*8 passalas, idem.
Araruta, idem.
Ili.-c .ut, de araruta, idem.
Caf moido, dem.
Figos passados, dem.
Frangos, um.
Gallinba, urna.
Passas, kilogramma.
Tapioca, idem.
Car vio vegetal, sacco.
Dito kack, k-logramma,
Sabio commum, idem.
Vassouras de piassava (grandes), duzia.
Pifel pautado fiume, resma.
Uito m-.ta-borrii, f ,lha.
l'ciinaa de ajo P, rry, caixa.
Gomma arabict, frasco-
Tinta preta, garrafa.
Celas de madeira, duzis.
Lap-s preto de Faber n. 1, idem.
iaaha de p reo americana, kilogramma.
Carne de carneiro. dem,
'ioiabada em Lila, idem.
Ovo?, hu.
Vinlia branco, litr ..
Vinagre d* Lisboa, idem.
Velas de era, k'.logramm i.
'hrosphoros americanos, groea.
S ingiiexogas pela applicacSo de, urna,
vledicimeutos pura eavalbada, numiro.
Enterro por cavalio, um
Condicoes
1 Todos os gneros sera, de Ia qualidade, e
os fornecedores deverao satisfazer os p-"ddo den-
tro dos prazos marendos uos respectivos contrac-
tos, entregindo os mcsm,s geu-Tos nos qnarteis
ou fortalezca e enferm iras, e depositario na The-
souraria ci- Faseuda uma quantia, como cauciio
que sera arbitrada pelo conselho de farueci-
uaento'
2* As propostas deverio canter a declaracao
expresse de sujeitar-se < proponeite a multa de
5 ,o da importancia a que montarera os viveres
ou artigos que forem aec-itos. se deixarem de
comparecer para assignar o respectivo contracto,
dentro do prazo que far n .titioide psloa jor-
uaes.
3a S poder concorrer aos fornecimentos
candidatos que se habilitaren) na forma do a't.
do decreto n 7,0S5 de 6 de Marco oc 1880.
41 Da falta de fiel cuinprime.oto de qualq
das abrigaces contrabidas, os fornecedores ti
Breu 100 barricas a Manoel dos Santos Araujo, Barca^norueguenae or, algodio, para o Havre.
30 a Vianna Castro & C
Bombas 1 caixa or Iem
Banba 25 barns a Silva Marques 4 C 50 a
Domingos Ferreira da Silva & C., 50 a Paiv
v'alente C C 50 a Joaquim Duarte Siu.o ;s C C,
50 a Jci Fernandes d'Almeida, 50 a J.aquim
Ferreira de Carvalh i 4 O, 55 a D;iniogis Cruz
& C, 5 barnces a Carvalho & C.
CapsuUs 1 ctixa ordem
Canos de ferro 2 Mzes A ordem.
Cartoes 1 caixa ordem.
Candieiros 2 volumen t jFerreira Guimaries 4
C, 7 a A. D. Carneiro Vianna.
Drogas 1 caixa a Para Sobrlnbo & 0.
Estopa fardos a Beltrio & Costa.
toso da China lo amarrados a Costa Lima
4C.
Farinha de trigo 250 barricas a Pereira Cir-
neiie j C i
Frrxageus 1 valume ordem, 3 Albino Silva
Graixa 5 caixas a Costa Lima & C.
Barca inglesa Punce Arthur, assucar e algodio,
para Liverpool.
Barca nacional Mara Angelina, asar car, para o
Rio Graude d.< Sul.
Lugar iiorneu'ueuse stabil, assucar, para O Rk
'rand, do Sul.
Lgir iugiez JAaggie, ascuca, para os Eslados-
Uudos.
Patacho nacional Mara Augusta, assucar, para
Montevideo.
Patacho ingles Kathleen, assucar, para 03 Esta-
das Unidos.
Patacho nacional Audaz, assucar, para M ante-
vi do.
P.itacho nacional Andaluza, assacar e outros arti-
gos, para o Rio Graude do Sul.
Vapor nacional Mandahu, varios gneros, para
Maeei e escala.
Vapor ingles Neto, algodio, p.ira o Bltico.
Vapor inglez Cearcnse ( chegir), algodio, para
Liverpool.
\atio< & descarca
Jo i as 3 caixas ordem.
Kerosene 50 caixas a Alheiro Oliveira t C, 50 Barca noruegaense Stanley, vonos gneros.
Eniraram :
41 bois pesando 6,463 kilos, sendo de Olivei-
ra Castro, 29 ditos de Ia qualidade e 12
ditos particulares.
921 kilos de peixe a 20 res 1S420
105 cargas de farinha a 200 res 21*000
7 ditas de fructas diversas a 300 rs. 2100
6 taboleiros a 200 ris 1*200
9 Sumos a 200 ris 1800
Forara oceupados :
25 columnas a 600 ris 15*000
22 compartimentos de farinha a
500 ris. 11*000
21 ditos de comida a 500 ris 10*500
84 ditos do iegumes a 400 ris 33600
17 ditos de suno a 700 ris 11*900
10 ditos de rrcssuras a 600 ris 6*000
10 talhos a 2* 20*000
10 ditos a 1* 10*090
A Oliveira Castro 4 C.:
54 talhos al*
Ueve ter sido arrecadada nee'f b di'.s
a quantia de
51*000
216*520
4:832*800
5:049*320
a Fraga Rocha c C.
Machinas 2 eaixas a Miranda & Souza.
Madeira 500 p. ca aos consignatarios.
Maizena 20 caixas a Alheiro Oliveira 4 C., 50
a Carvalho 4 C, 100 a Joo F. de Almeida, 30 a
Silva Marques 4 C 74 a Fraga Racha, 50 a Pai-
ra Valente 4 C.
Merca ion diversas 1 volme a R. A. Dru-
inac C-,2 aos consignatarios, 1 a Manoel da
Ciiuha Lobo
Objectos para dentista 2 caixas ao Dr. S. R.
Wmg. .
Ps de ferro 32 teixes a Ferreira Guimaries
&C.
Preg ;s 10 barris a Albino Silva 4 C.
ltetratos 1 caixa a Jos Alves Dias.
Kelogijs 11 voluua.es ordem, 3 a Bedel 4 Da-
vid.
Rtiscs medicina- s 10 tardos a Francisco Manoel
da Silva.
Tecidos de algodio azul 2 caixas a Cramer Frey
ia C, 3 a Narciso Maia or C.
Toucinho 25 barns a Silva Marques 4 C, 90 a
Paiva, Valente 4 C, 20 a Domingos Ferreira da
Siiva t C, 20 a Gomes & Pereira, 40 a Joo
Fernandes de Almeida, 10 ordem, 5 a Alheiro
Oliveira 4 C-
Vidios 1 barrica a Vianna Ctstro 4 C-, 4 a
15-rnar-aino Duarte Campos c O, 108 grades a
\V Haillday & O.
agorara, 24 DB MAIO DE 1887
Para o exterior
Na barca portugueza Allianca, carrega-
ram ;
Para o Porto, J. S. Loyo 4 Filho 2,000 saceos
com 150,000 kilos de assucar mascavado.
No patacho nacional Audaz, carregaram :
Para Montevideo, Amorim Irmios 4 C. 2,310
barricaa com 241,348 kilos de assacar branec.
Para o interior
Na barca nacional Mara Angelina, carre-
garam :
Par. o Rio Grande do Sul, J. S- Loyo 4 Filho
4(K) barricas com 42,127 kilos de assacar branco.
No patacho nacional Andaluza, carregou :
Para o Rio Grande do Sul, T. A. de Azevedo
500 barricas com 46,000 kilos de assacar branc e
50 ditas com 5,125 ditos de dito mascavado.
No vapor americano Allianca, carregaram :
Para o Rio de Janeiro, L. A. da Oosta 5,000
cocos, fructa ; F. de Moraes 10 pipas com 4,800
litros de alcool. '
Barca iugleza HeUne Isabel, baealho.
Barca inglesa J. B. D., carvio.
Parca nacional limosa, xarque.
Lugar allemo Gazelle, trigo.
Lugar nacional Marinho VII, xarque.
Patacho nacional 6". Bartholomeu, xarque.
Patacho noruegaense Sif, varios gneros.
Patacho nacional oouen Correia, xarque.
Patacho nacional Rival, xarque.
Vapor nacional Jacuhype, varios gneros.
Vapor nacional Ipojuca, varios gneros.
Dinbelro
O vapor nacional Jacuhype trouxe :
Do Aracsj paia :
Seixas Mendes Lima 937*850
De Maeei para :
Jos Candido de Moraes 1:350*000
Rendlmentos pblicos
MEZ DE MAIO
_ Alfaniega
Renda geral
Ue 2 a 24
dem e 25
Renda provincial
De 2 a 24
dem de 25
580:3021636
42:356 680
78:2821411
3.356 .i 423
622:659*316
81.638*864
e 2 a 24
dem de 25
De 2 a 24
dem de 25
o 2 a 24
dem dt 25
tecebedoria
'Jonsitlad. r, ovutda
Recite Drainag
704-298/180
30:031497
1:4121587
Rendimento dos dias 1 a 24
Foi arrecadado liquido at boje
Precns do dia :
Carne verde de 200 a 400 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 800 ris idom.
Sumos de 56u a 640 ris idem.
farinha de 200 a 24-> ris a cia.
Milbo de 26 > a 320 ris idem.
Feijao de 640 a 1*000 idem
Maiatlouro Publico
Foram abatidas no Matadouro da Cabanga 98
rezes para o eonsumo do dia 26 de Maio.
Sendo: 67 rezes pertencentea Oliveira Castro,
\t C, cola diversos.
Vapore* e navios eaperados
VAPORES
Gold H.lldo sul boje.
Argentinade Hamburgo boje.
Bkau.enyde Trieste boje.
Merchantde Liverpool boje.
Sergipedo sal boje.
Manosdn sul a 27.
Arlindodo Rio Grande do Sul a 27.
Junbo
Ville de Maeeido sul a 2
Campiasdo sul a 2.
Cearense -de New-York a 2.
Paralo norte a 3.
Girondeda Europa a 4.
Ville de Babiado Havre a 5.
Pernambucodo sul a 6.
Ni!e-do sul a 6
Tamar -da Europa a 10.
Espirito Santodo norte a 13.
Mondi-godo sul a 14.
Manosdo norte a 23.
Nevada Europa a 24.
Parado sul a 27.
Taguado sul a 29.
31:444084
33.703*134
1*890780
34:739*914
4:710915
*
4:710/915
Mercado Hanlclpal de 9. Jos
O movimento deste Mercado no dia 25 de Maio
foi o seguinte :
Hovlinetito do porto
Navio entrado no dia 25
New York s escala 24 dia, vapor amcricauo
Allianca, de 2,20 a toneladas, commandante Ja-
mes K. Beers, equipagem 67, carga vanos g-
neros ; a Henry Forster 4 C.
Maco__8 dinp, lyate nacional Deus te Guie, de
90 toneladas, mestie Joi> Sabino Antunes,
equipagem 5, carga varios gneros ; a Bartho-
lomeu Loureuci.
Hamburgo44 das, barca noruegunc Stanley
de 480 toneladas, capito I. B. Johnsen, eqni-.
pagem 11, carga varios gneros ; a Fonseca Ir-
mios t C.
Port-Elizabeth30 dias, lugar inglez Eva Lynch,
de 462 toneladas, capitio James Sutherland,
equlpagrin 10, em lastro, ao capitn.
Navios sahidos no mesmo dia
Llverpool=Vapor inglez Boshena Bay, oomman-
daute William Legg, carga algodio.
Santos e escala-Vapor franges ** *C
commandante J. Simanst, carga varios gene.
R^Grande Bul-Patacho allemao Cato, capitSo
Antonio Jos do Nascimento, carga van ge-
SantoTe escalaVapor americano Allianca, com-
mandante James R. Beers, carga vanos gene-
roa.

' IRNB
-


Diario de Pernambueotyu.nta-fcira 26 de Maio de 1887


-

;
nTsujeitos a psgar o valor do genero registrado
ou nao reeebido ein te jipo.
5 Os concurrentes to obrigados a apresentar
as amostras dos gneros ou artigos que forem jul-
gados preeiios pelo conseilw.
6" As propostas serao apresentadas ero dupli-
cara at as li horas do re rido dia 6 dr Juuh>
em que all serio abertas e apuradas em prsen-
ea dos p-opouentes, sendo que na mesoia occa-
ii-Xo se acceitaro propostas para a venda de es-
trame des aidinaes da companhia de cavalh.ria.
7" Fnaalinenti ts forneeedures que requererem
a re>ciso de seu .ontraeto, e fjrem att-ndidos,
acam sujetos a multa de 10 0|o sobre o total do
rneciuiento do semestre anteriur.
Tn-.'sjurarit de P.rnamb neo. 20 de Maio de
1837
O secretario,
Luu Emygdio Pinhe^ro da Cmara.
,VS0
O London & Brasian Bamk, liraitfid,
recebe dinlviro em corita corrente simples
com os uros de 2|0 io anua, capital-
dos de. ti ero 6 mezesJunho 8 Dczetn-
bro.
R-cbi tambero dinh:irj em deposito.
cora aviso previo de 30 diaa, ou fiso a pra-
Z' do 3, 4, 6, 9 o 12 inuzes, as UXas d
juros, quy forem conveucionadas entre as
partes.
As cutas j existentes, vencendo juros
por differentes tasas, ti am sera alteracito.
Bticife, 24 de Maio de 1887.
II'. II. BU ton.
"fflil nternacToaaT li Regatas
Tendo sido marcada para o da 5 de Juoho a
tTceira regata dest-- club, de ordem do onsellio
d.ui.iislraivj cmvido a quern quizer ss inserever
^para est-, comparecer na sede do mesmo club,
todas as noites, das 7 s 9 h-iras, a contar de h >je
at 31 do crrante mez, quanto definitivamente
tcm de s-r encerrada a referida inscripeo
Secretaria do Club Internacional de Regatas,
23 d Maio de 1837.O 2- secretario,
Pomp i C. Casanova.
A. F. C. '.
A*oolioao do Emprestado* de
Commercl em Peruambaco
Communico aos senhoies socios que a no3sa sede
aebasc mudada para s rna do Imperador d. 31,
primeiro andar
Recite, 21 de Maio de 1887.
Ildefonso de freitaa Pinheirj,
2* secretario.
Sant^Casa_dc_M8ercordla do
Recite
Na secretaria da Santa Casa arrendase os se-
guintee predios :
Ra d> Bom Jess n. 13, 3- ai:dar.
dem dem n. 44, l" andar e loja.
dem do Vigirio Thenorw u. 2, l- sndar.
dem idem n. 25. sobn-.do.
Iiem do Mrquez de O'inda n. 53, 8" andar,
dem do Apollo n. 24, 1- aniar.
lie ii da Moda n. 45
Ipem idem n. 47.
dem idem n. 4h.
dem idem n. 37.
dem da Lingcta n. 14, l* a-idar.
Boceo do Abren n. 2, 2- andar.
Secretaria da Santa Casa de Misercordia d
Recife, 25 de Ma:o de 1837.
O escrivao intrino,
Francisco (oines Castellao.
Devora deJ. S. da
Coneei^o
De ordem da mesa regedora, convido a todos
os iruiaos admittidos nesta devoco desde sua
tndanlo at o anno do 1885, a apresentarem suas
cartas patentes ao irino tbesoureiro, ra de
Santa Tbereza n. 58, das 4 s 6 horas da tarde,
com todos os esclarecimentos, de idade, oslado,
natur&lidadc e residencia, afim de seren (aneados
uo livro de matricula geral dos irmaos, o para
este fin -?sf marendo o pruso de 30 dias, canta-
dos da data da presente publicacao,
Consistorio da devoco de N. S. da Conceicao,
erecta no cjnvento de S. Francisco do Recife, em
l de Maio de 1887.
O escrivao,
Octaviano Alves Monteiro.
anta Casa de Misericordia do
Recife
Por esta secretaria sao chamados os parentes ou
protectores da menor Sopbia, tilha legitima de
Jos Pedro Ribeiro r-Jonnua Xavier de Maraes
Pessoa, para, at o iia l1) de Ju :ii pproximo,
apresental-a no COllegio das orphas, afitri de ahi
ser admit'ida, visto ser a priuieir. inscripta uo
respectivo quadro.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recite, 2.'. de Maio de 1887.
O escrivao iuterino,
Prnnei8Co G "mes Castellao.
Socedade Recreativa Juventude
fiarn bimestral
El 12 He Julia
SANCO INTBMACIOML
DO
BRASIL
Capital
Iiicm rcalisaio
30.000:000 $
S.000:000
A caixa filial d'es e Bauo funcciona.ndo tem-
piranamenti 10a do Commercio n. 38, saca,
vista ou a praz >, c ;titr i 03 6!guiates correspon-
dentes uo estranjeir-:
Lmdrea......... s/N. M. R .thschil A S na.
Pars...........
Himburgo.......\
Berlim..........|
Uremt-nre........
FrakMrt s/ Main >
Antuerpia.......
Roma........
Genova......
Napolcg.......
Miiio e mais 340/
eidudes de Ita
lia..........
Madr.d..........
Barcelona.......
Cdiz...........
Malaga.........
Tarrago!!!"......
Valencia e outras(
cidadea da Hes |
[j.'panha e ilbas I
Canarias......f
Liba.........\
Porto e mais ci-f
dades de Por-/
tugal e ilbas. .. )
: leuu- Ayr-a----- )
Montevideo......)
Nova York......
De Kotbschild Frrcs.
Deutsche B iik.
Banque d'Anvera.
Bunc Genrale e a
agencias.
Banco Hypotccario de
Espaa e suas agen-
cian.
Binco de Portugal
suas agencias.
Scientifco aos Srs. secios que "3 convites para
este sarao podem desde ji ser pncuradoa ein po-
der do Sr. vicc-preaidente, e os ingressoa em mo
do Sr. thtsoureiro.
^Secretaria da S 'cieiade Recreativa Juventude,
18 de Maio de 1887.
Joa Je Mediis,
2o secretario.
Eug'Ui ii-.uk ot tbe Ri-
ver Pate. Limited.
G. Amairk & C.
Compra caques sobre qualquur praya do impe-
rio e do estrangeiro.
Rjcebe dinheiro em couta enrreute de movi-
rrjento com jurra a razao de 27 o anno e por le-
tras a prazo a juros convencionadoa.
gerente,
__________________Wiiliai.i M Webtter.
Thesouraria de Fa-
zenda
Subatituicao de notas
Para conhecimento do publico se declara que as
notas do Thesouro de 2<)00 da O estampa, 5
da 7 e 10 da 6 sero substituidas nesta repar-
ticao at o fim do mez de Junho vindouro com o
descont de 2 0/0, o qual ser elevado a 4 0/0, a
contar do 1" de Julho a 30 dj Set- moro do cor-
rente Mino, na irma do disposto no urt. 13 da
lei n. 3313 de 1686.
Theaourari de FznHM d P rnimbuco, 5 de
Ma Luiz Emycdio P. da Cmara.
V.s Sao convi '.ido) oa Sr8. accionistas da Campa-
nilla de K liticaci i a reunirem-se no da 8 de
Junbn praximo tu Mira ao ineu da na sede da so-
ciedade, largo ae i'edro II u. 77 Io anda-, para,
ni ass'-uibia geral di.cutireui e approvarem o
trabalho da c immissao unmeata pira a reforma
dos estatutos.
A asaeuibl s -e julgar constitoida ci in a
piesenca de acctuiiistas que represeutem doua t.-r
Cos do capital social na forma do art l5 do de-
creto n. 3.821 de 30 de D;zembro de 1882.
Recite, 24 aa Maio de 1887.
Gustavo Antones,
Diri'ctor secretario.
Companha do Beberibe
Previoe-se aos senhores subscriptores das ac
coes da oltiaia emissil^. jue o praso para o paga-
mento da sepuu'ia prestac^o termina no dia G do
mz prximo vindouro Pecif-, 21 de Maio de
1887. O director secretario,
Ji.f Eustaquio Ferrein Jacobina.
IRMASDADE-
no
SS. Sacramento de S. Jos' do
Recife
De ordem da mesa regedora deota veneravalir-
nandade, de aecurdo com o nesso comprometo,
convido a todns os irmaos para no dia 29 do cor-
rente, s 10 bnras da manh. comparecercm no
nosso couaistorio, afim de se proceder a tleicao da
nova mesa regador para o auno prximo futuro.
Recite, 25 de Maio de 1887.
V. Cimba Sobiinbo,
Eacrivao.
Companha do Beberibe
Convida-ae aos Srs. accionistas a virem receber
o 78 iividendo na proporcao de 5000 por accilo
ou 10 por cen'o cujo pagamento se effectuat n'es-
te eacriprorio das 10 horas da manh a 1 hora da
farde, diariamente at o ultimo d'este mez, e ao
depcis aos aabbados.
Eacriptorio da Compaahia do Beberibe, 14 de
Maio de 1887.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
Director secretario.
Monte de Soccorro de
Pernambueo
LEILO DE JOIAS
De ordem do conaelho fiscal taco publico que o
I i tilo de joiaa deste estabelecimento, snnunc ado
para o dia 24 do correte, fica transferido para ef-
fectuar-se, no dia 15 de janho, por ii5o convir ex-
por venda o grande numero de cautelas anda
nao reagatadaa ; podendo oa Sis. interesaados res-
gafar ou reformar at a vespera do leao as res-
pectivas cautelas, abaixo deseriptas.
Oa ohjectos- estarn exposico trea dias antes.
12107 Um annel de ouro c.m 1 br i. han te escuro,
3 dit08 c:;m ditos, 1 pulacira com ditoe, 1
C'irreuto de ouro, 1 correte e medalha de
onro com platina, 1 gargantilha,' 1 pulacira,
2 broches, 2 pares de briucoa e J elogio,
ouro de lei.
l'525 Urna crn de ouro com brihantea e 1 volta
de tranceln), ouro de le.
1310'J Ura par de brincos de ouro, cravejado de
brilbantese diamantes, 1 pulseira, 1 br, che
e 1 par de roetas, ouro d lei.
13110 Urna cruz de ouro com brhantes e 2 pu!-
eeiras, ouro de le.
13111 Ura pulseira de ouro coro brhantes e I j 13741 Um annel de ouro com brilhante.
correte para relogi", ouro de lei. 113777 Urna medalha de ouro com um brilhante, 1
13112 Urna pulseira ouro de lei, con'.cndo bri- par de brincos com dito.
liantes. 113783 Um par de brincos ouro de lei, 1 salva e 1
13128 Duas volta de trancelim c um alfiuete, ou- l paliteiro prata baixa.
ro de lei. 13789 Urna crrente dupla com medalha para re-
13143 Um alfinete, 1 par de brincos e 3 aunis, logio e 2boto's ouro de lei.
noro de le. 13802 Urna corrente dupla com medAlha para re
13143 Urna corrente de ouro para re'ogio e 1 'ngio, ocro de lei.
relogio de ouro de lei. 13c05 Um pequeo fruneelira com chive, 2 boes
13146 Um relogio, ouro de lei. e 2 anneis nuro de lei.
13150 Una pulseira de ouro com pedraa. 13809 Quatro botes de ouro e 1 annel contendo
13158 Dois anneie, 1 brinco e3 botes, onro de; brhantes.
lei; 1 cor i, 1 bandiira, 1 colher e quatro 113815 Um par de rosetis de ouro com brilban-
resp'andores, prata baixa. tea.
13159 Una volta de trancelim, 1 par de rosetas, 13819 Um relogio de ouro.
1 annel e 2 teteias, ouro de lei: 1 cruz, i i qook tt i tu
ouro baixo Urna corrente pira rslogu e 1 volta ouro
13174 Dois caaticaes, prata de lei. lfiqfi tt .i^--. j i
i'jnii ir ic i j u a i i tooo Um relcgio ouro de le.
!dl t > iooio um annel de ouro com um brilhante. 1 cor-
corseao em ouro, onro de le. Hs i i a '
tacna n i i ic j i da0 e I relogio de ouro.
io.OJ L na pulseira e 1 alfinete, ouro de le : a iqsiq n.a i. i j- i c j
,. r ., .'. o io843 Uma pulseira, 1 cordao e 1 figa ouro de
13522 Um alfinete de ouro com brhantes. /
13523 Um paliteiro e 13 colher es de prata da lei.
13524 Um annel de onro com brhantes.
13546 Um par de rosetas de miro com brhantes.
13561 Urna corrente e medalh* para relogio, ouro
de lei.
13564 Uma pulseira e 1 par de brincos, ouro de
lei.
13565 Uma pulseira, 2 voltas de trancelim e um
par de brincos, onro de lei.
13568 Urna volta de cordao, I par de argollas, 1
figa e 1 teteia, onro de lei.
13577 Um par do brincos e 1 cordao, onro de lei.
13583 U castiio, onro de lei.
13597 Um par de brincos de onro cravejado de
brhantes.
13598 Palseira de onro com rubina e perolas e 1
alfinete onro e lei.
13601 Djus grampos de ouro, 1 agnlbeiro, i vol-
ta de trancelim, 3 chaves, 1 dedal, um pss.
sad r, 1 medalha, 3 bollas de ouro, 1 cora
e 3 rsaplendores, ouro de lei; nm paliteiro,
14 colherea, 3 resplendcres, 2 dedaes, 1 cruz
1 prqnrma peca de prata.
13604 Um relogio ourc de lei.
13605 Urna pulseira, 1 trancelim, 1 cordao, 3 an-
neis e 3 botoes ouro de lei.
13609 Dons anneis de onro com pequeos brhan-
ts e 1 broche onro de lei.
13623 Um par de rosetas de ouro cravejadas de
brilhante.
13637 Uma chapa de ouro (condeeoraco) crave-
jada de brhantes e diamantes e 3 botoes
oro ditos.
13643 Um cordao e 1 cruz ouro de lei, 6 calheres
prata baixa-
13645 Uma vita d onro. 1 medalb. 1 trnnen- |
lim e nm lelcgio pasa seuhora, ouro de
lei.
13650 Uma salvs. 6 colberes para soa, 20 ditas
para chA, 3 ditas para tirar sopa, arroz e
sanear, prala baixa.
I365 Uma volta ouro d'> I 13664 Uma pulseira ouro de lei.
13678 Doua sn-jeis com brhantes.
13686 Um par de rosetas com dous orhantes, 2
anneis com ditos,l par de brincos, 1 annel,
2 pecis de brincos e 1 csrtS'i ouro de le.
13'395 Uma corrente e medalha para relogio ouro
de lei.
13697 Uma cruz de ouro ern brhantes.
13707 Duas medalhas e 1 annel com diamante
''nro de le.
13708 Duas niilseiran, 1 trancelim, 1 par de brin-
cos, 1 dito de argo'oea e 2 anneis de ouro
de lei.
13712 Uma volta de onro, 1 dita trancelim, 1 par
de brincos, 1 medalha, 1 emblema do E8-
piriL,o Santo, ouro de lei.
13723 Um annel de onro com um brilhante.
13724 Um relogio onro de lei.
COMP4XHI* PEMAMIC-. 91A
DE
Vavegaco Costelra por Vapor
PORTOS DO SUL
Rio Forni so e Tamandar
vapor Giqui
Comandan te Lobo
Segu no dia 26 de
Maio, pelas 4 ho
ras da manh.
Recebe carga at o
.. dia 25.
Enabmmendas, paasagens e dinheiros a fretc
at s 4 horas da tarde do dia 25.
ESCkPTORIO
caes da Companhia Peraaofftn
cana n. t'i________
OMP\\HE DE BEe*A-
IlIES MARI-TIME*
LINEA MENSAL
O paquete Gironde
CoTimandantc Minier
Espera-se da Eu
ropa at o dia 3 di
Junho, seguin
do depois da de
mera do costumt
para Buenos-Ay
rea, tocando na
Bahia, Rio de Janeiro e Msae
video
Lembra-se ao3 senhores p:i3sage:ros de todat
as classes que ha lugares reservados para rgt
agencia, que podem tomar em qualqner tempo.
Previne-se aos senhores recebedorea de merca
dorias que s se attender as reclamaces por fal-
tas nos rolumes que forem reconhtcidas na occa
siao^da descarga, assim como deverao dentro de
48 hiras a contar do dia da descarga das alvarn
gas fazerem qualqner reclamaco concernente a
volumes qu-> piverntura tenbam seguiio para os
portos dosul, afim de poder-ac dar a templas
providencias necessarias.
Para carga, passagens, encommendas dinhoir-
\ fretc: tracta-se com o
AGENTE
Agente Pinto
Na casa do Caminho Novo n. 90, entre as es-
ta co s da Solidade e Caminho Novo.
Os concorrentes que tomarem o trem das 9 e 45
terao passagem gratis.
O lei 12o principiar s 10 1|2 hiras.
Agentes Buriamaqui e
Gusmao
3 leilo deOoItiro
No armazem ra do Imperador n. O
Quinta feira do corrente
A's 11 horas era ponto
ASSUCARE3, AGURDENTE E MEL
Oa agentes cima, por mandado e assistencia do
Exai. Sr. juiz do commercio, levar a leilo defi-
nitivo os Hssucarea, agiiardebte e mel, doa enge-
nhoa centraea, pelos maiorca prec >s que f^r possi-
ve| ene mtrar-ae, sondo no acto de entrega facul-
tada toda a fiacalisecao ais int-ressidoa.
jcilo
De 160 saceos com f ijilo mnlatinfao. de Lisboa.
mzen:i c cognac.
Quinta-feira 26 do corrente
A's 11 horas
No trapiche do Sr. Annes, defronte da
Alfandega.
Auguste Labilie
9 RA DO COMMERCIO 9
ISt
. pulseira, 1 cordao" e 1 figa ouro de
c.nheres para cha, prata baixa. i r ^ 6
13204 Uma pulseira, 1 cruz, 1 figa e 2 anneis, ou- oor,! iT i j .
ro de lei ; 1 volta e crd, ouro bailo. Ht* "m reIr.flr.ode ouro para senhora.
13206 Um annel d-. ouro com pequeo orilbaute o \1^t \\' "nnrl f.e ouro cora um brilhante.
j___ j: .. j_____ ___ 7.. i.i .__ j.j ioooo Um trancelim grosso onro de le.
13891 Uma corrente e medalha para relogio ouro
A GI \ do Sup.\ Arctv.
do Un.*.
Mol.'. Loja Cap.*. Conc-iilaco ao
val*, da rna do Cabaga
De oidem do Resp.\ Ir.-. Ven.-, ea > cenvidados
todos os Ilr.-. desta Off.-., e bem assim oa de ou
traa, para a aess.-. mago.-, de pis.-. inic. e fil." ,
que se reabsar no sa'ob.do 28 do corrente, f 7
horas da imite. Os MM.\ a vulgos que nao tive-
rem reeebido convite especial, considerem-ae tam-
bem convidado.".
Recife. 25 do Maio de 1?87.
Fre Caneca 17. .
Secret.
THEATRO
Co^aiiauitt
dos Irilhos urbanos do lees:? *
Caxang
Aviso
Oa senhores aaaignantea deata companha silo
rogados a tirar suas asignaturas o mais cedo que
for posaivel, visto que ser cobrado a passagem
d'aquelles que nao possam mostrar o bilbete com
ptente.
A einUeao dos bilhetes de asaignaturas prin-
cipiar nos trer ltimos dias uteia de cada mez,
findando a 2a classe no prime eeguinto.
O escripforio est fechado no* domingos e dias
.santificados e n->s sabbados depois de z.30 da
tarde.
liga ae tambera ais srnhores pasaageiros de
conservar at o fim da viagem a parte do bhete
nao tirada pelo conductor, sendo es'e considerado
a ornea prova do pagamento da paseagera.
E< :ri>;.)rio d C"iupaii!iia, 23 de Maio de 1887.
A. W. Stooehcw-T Bird.
gerente
Mlisli Bani o Kn de teiro
Llldll
Capital do Banco....... 1.000,0:0
Capital reataado......... 500,000
Fundo de reserva....... 200,000
A contar desta data e at ulterior reso-
I0.9I0, conceder-se-ha juros de dou3 por
cento ao anno, sobre os salios de dinheiro
depositarlo era conta corrente de inovimen-
to no mesmo Banco.
Receb-8'* tambein dinheiro ero doposito
a juros par penlos determinados, oq su-
jeito ao aviso ptvio de trint das para ser
retirado, mediante as coodicS1 d- quo se
dura cmlicirnento aos i teressadus.
Peruarncueo, 23 de Maio de 1887.
Henry K, Oregory,
G'rente.
OC1ED4DE
Searedo AiBttr Ordoi
De rdein di irina> presidente, convido a todoa
es caros irmaos a comparecerern na sede social, no
dia 27 do corrente (sexta-ft ira), afim de sssisti-
rem a se-eai de tinancaa.
rkcre'aria, 24 de Maio de 1887.
O secretario,
Julio Cesar Cardoio Ayres.
EMPREZ.l
SARESDEMEDEIROS
Oiiinln-eirii. 26 do Maio
. Recita
da companliia dramtica de que faz parte a 1.
actriz ingenua brasileira
3>. Jswltna Mondar
Alta noTdade!
Grande succe sso!
nica repreaentacao ueata poca, do drama de.
grande espectculo, de grandes efivitos acenicos
em 5 actos e 7 quadr.e accommodado ao ihe:;tro
bradeiro porBAS DA FONSECA, e que nos
tbeatriM fi-nuceces bem coinn no^ tbeatros da cor-
te tem feito grande successo
.mu
dous ditos de ouro, ouro de lei : um dedal,
ouro baixo.
13222 Uma salva e 8 colhrea para sopa, prata I
de lei.
1323 Um trancelim, 2 pares de brincos, l dito
de argollas e 3 anneis,'ouro de le; 1 moe- I
diuha de ouro (meia com argolla.
13237 Uma pulseira, 2 ulfiuetes, 1 par de brincos,
COUIMXHIt l'KaXiasCAM
DE
Navegacao costelra por vapor
fORTOS DO SUL
Macei, Pcnedo e Aracaji
0 vapor Mandahu
Segu no dia 27 d
Maio, a 5 horaa da
tarde.
Recebe carga at o
dia 26.
Encommendas, passagens e dinheiros fretc ate
4s 3 horas da tarde do dia 27.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Prr.ambucaiui
n. 12
oe lei.
13894 Urna corrente e 1 relogio ouro de lei; uma
salva prata baixa.
13895 Dore colhere8 para pa e 12 ditas para
cha, prata baix ..
13897 Uma volta de trancelim com 6 teteias de
trancelim e 1 annel, ouro de lei. I ,wqq r,"ro' l ^alh e 1 annel ouro de lei.
13250 Uma pulaeira, 1 par de bol-s, our de le: 1*M ?"" far de Ur Cm dU8 bn"
6 m.edinhas de ouro em boto.s. ,,, "?H,,fe" &Ddea- .
13252 U.na pulseira, 1 alfinete, 1 par de rosetas, JgJJ ?/"*' '1- T P1 ch"' Prat a.xa.
1 medalha, 1 boUo e 3 ann, ia, ouro de ld909 U'" *"! \ PHT, T 2 ?"nelS de
I ouro e4 collierea de prata para topa.
13266 Doze colheres para cha de prata. 5" correntio para relogio, ouro de le .
13275 I).us alfinetea, 2 pares de brincos, 1 dito
de
13916 Um broch- de ouro com brhantes.
rosetas, 1 dito, de botes, 3 anneis e 1 figa, 13918 Uu' P" ,de br'ncOS: l Jl..de 1ros1e.taB. 1
ouro de. lei. ~u tr1n.celmi- 1 medalha, l hlfinete,
13279 Um relogio, ouro de lei.
UE PARS
A acio paasa-se em Pars.
E;> ca Dczembio de 1831.
Na imprenaa francesa cauaou grande sensncao
e promoveu escndalo a apresentaco em scena da
MORQUE (necroterio de Paria).
liliilos dos actos
1 Acto-O roubo dos brhantes.
2" DitoA auspeita.
3 o DitjO necrot.-rio.
4 DitoO espio de polica.
5 o DitoO collar da morta.
6. DitoOa Estranguladores.
7 DitoJustica.
Tudo o seenario apropriado e inteiraineute no-
vo o do 1 acto e do 3 quadro que representa
A MORGUE
(NECROTERIO DE PARS)
EnseenacSo a capricho pelo artista enaaiador
Soares de Medeuos.
A companhia tendo de retirar se brevemente
para a provincia do Oar, vai realisar os acus nl-
timos espectculos nesta capital.
Uonda pura todas as linhas e trem at Apipu-
cos.
Prlaclpiar &* S hora*.
13^94 Um trancelim, ouro de lei.
13303 Um par de rosetas com brilhatites e 1 an-
nel com dito,
13305 Um relogio, ouro de lei.
13309 Um cordao e 1 cruz, ouro de lei.
13311 Um relogio, ouro de lei.
13313 Win trancelim e 1 annel, ouro de lei.
13314 Uuia pulseira, 1 alfinete, 1 par de brincos e
1 dito de rosetas, ouro de le.
13320 Um par de bucos, 1 volta de cordao e 1
annel, ouro de lei.
13325 Uma corrente e 1 medalha para relogio de i
M'i.n jrn, 1 volta de ouro, 1 par de pricos
ouro de lei.
13327 Um alfinete de ouro para retrato c.m bri-
.n-.nte.
13331 Uma cruz de ouro com brhantes, 1 annel
com dito, 1 alfinete para manta, 1 dedal e
4 anneis ouro de lei.
13340 Um par de rosetas de ouro coro brilhante s
pequeos. 2 anneis com ditos e 1 dito de
ouro.
13354 Duas salvas prata de lei.
13365 Um trancelim e 1 relogio pequeo, ouro de
lei.
13389 Vina corrente para relogio e 1 relogio, onro
de lei.
13393 lm par de brincos, 1 volta de trancelim, 1
medalha, 1 cruz e 2 anneis, ouro de lei; 1
oulva, 3 colheres para cha, 1 dita para sopa
e 1 fivella, de prata de lei.
13395 Urna volta de ouro para senhora.
13396 Urna pulseira de ouro eom rubina, 1 alfi-
nete, 1 par de rosetas o 2 chavea para re-
logio, ouro de lei, 2 collares (moda), 1 bo-
tu, 1 relogio de ouro de lei.
13401 Um relogio, ouio de lei.
13404 Um par de rosetas de ouro com 2 rubios e
circuios de brhantes, 3 botoes de ouro com
3 perolas, 1 relogio de ouro, 1 corrente e
medalha para relogio ouro de lei.
13405 Um par de rosetas de onro com 2 brhan-
tes, 1 c. i rente e 1 relogio, ouro de lei.
13406 Um re gio, ouro de lei.
13416 K.ii annel de ouro com 1 brilhante.
13417 l .ii par de rosetas com brhantes e 2 an-
neis com ditos.
13427 Uma pulseira, 1 broche, 1 cruz e 1 cordao,
ouro de lei.
1343! Um paliteiro e 34 colheres para cha, de
prata.
13432 Dous pares de rosetas de ouro com 4 bri-
ih otea, 1 annel com 1 dito, 3 pares de
brincos, 1 cruz e 1 cordao, ouro de lei ; 2
salvas, 1 paliteiro, 18 colberes para sopa.
12 diUs para cha, 1 dita para arroz, prata
de le.
13413 Dous botes de ouro c.-m brhantes.
13444 l\ua trnneelins, ouro de lei; e 1 crucifixo,
ouro baixo.
1 1451 Urna conente para relogio, ouro de lei.
13458 Um par de rosetas de ouro com peque oa
brhantes, 2 pares de brincos, 2 ditos de
rosetas, 1 trancelim e 1 teteia, ouro de Ici.
13466 Um relogio, ouro de lei.
13472 Um trancelim, ouro de lei; el rslogio de
ouro.
13494 Um trancelim e l cruz, ouro de lei.
13500 Dous anneis de onro com brhantes, 1 vol-
ta de ouro, 1 pulseira, 2 medalhas, 3 tran-
celn.-, e 1 uuedinbi de ouro com laco, ouro
de lei.
fl3501 Hiu relogio, ouro de lei.
13513 Urna pulseira, 2 trancelins e 1 figa, ouro de
lei; e i roseta de ouro com brilhante.
13511 Duna moedas de ouro do valor de 104G00
cada uma, em botos, 2 ditas pequeas e 1
relogio de onro.
13518 Urna corrente e sinte para relogio, 1 vol-
ta de ouro, 1 par de brincos e 2 alfinetes,
our^, de lei.
13520 Uiu cordao, 2 cruces e 1 par de brincos,
onro de lei.
135i' 1 Mu par de rosetas e 1 annel de ouro eom
brhantes, 1 corrente e medilba para er-
logio, onro de le;.
2 anneis e 2 botes ouro de lei.
13715 Un aunal do ouro, 1 par do rosetas c^in
brhantes, 1 cruz dn ouro com topasio e
perolas e 1 par de brincos ouro de lei.
Recife, 5 de Maio de 1887.
O gerente,
Felino D. Ferreirn Cotlho.
Conapscieia Ilra.^Ileira de Xavc
Sacoa Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor Manos
Commandante 1- tenente Guilherme Wad-
dington
E' esperado dos portos do sui
at o dia 26 de Maio, e
l/L seguir depois da demora in
rV dispcnsavel,
do
para os porto*
norte at Man:-'os.
Agente Pestaa
Le'lo
De ura terreno da Estrada Nova de Ca zanga,
com 271 palmus de frente e 184 de fundo.
Uma parte da casa n. 25 meema estrada, com
32 palmos de vao e 66 'ie fun io pertencentes ao es-
p dio de Monoel de Jess Jordo Caldeira.
O ageute Pestaa autorisado por mandudo do
Exm. Sr. Dr. juiz de orpbaoe, e eom assistencia
do mesmo, vender uui erren.) e a paite da casa
cima mencionados.
Sexta feira, 3 9 do corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Vigario n. 12
Leilo definitivo
Agente Pestaa
Da um i parte da casa terrea sita ra
ilo Bcrnt^a n 2 (Passngem da Magdale-
na), pertenecute ao espolio de Ignacio de
-S Lopa8 FerDande8.
Hextn feira '7 do corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Vigario Tenorio
n. 12
O agente Pestaa, autorisado pelo Exm. Sr.
Dr. juiz de orpbaoe, vender n > dia e hora cima
mencionados, com assistenc a do mesmo senhor. a
parte da casa terrea da ra do Berafica n. 2.
Para carga, passagens encommendas e valoree
tracta-se na agencia
PRAGA DO CORPO SANTO N. 9

PS-sRBame
DampfschilMrls-GeselIschaA
0 vapor Campias
E' esperado dos por-
tos d > sul at o dia 2
de Junho e seguir d
pos da demora neces-
itara para
Lisboa e Hanibiirgo
Para pasairens. tracta-se. com 08
CONSIGNATARIOS
Borstelmann & C.
RA DO COMMERCIO N. 5
1* andar
Boyal Mb StiBH Fackat Goniiaiy
Vapor extraordinario
O vapor Nile
De 3,039 'oneladas de registro
Rio
1 de
Subir do porto do
de Janeiro do dia
Junho prximo com es-
cala para Bahia e Per-
nambueo, seguindo depois de pou,; de.Tio
ra cora malas < pasaageiros para
LISBOA E SOTHAMPTON
Desde j recbese encommendas part
camarotes na
AGENCIA
lina do commercio n. 3
1 andar
A damson Howie & C.
AGESTES
Companhia Haitiana tic navega-
cao a Vapor
Macei, Villa Nova, tenedo, Aracaj,
Estancia e Bahia
0 vapor Sergipe
Ccmmandante Pedro Vigna
E* esperado dos dj-.up aci
ma at o dia 29 de Maio,
e regressar para os mea-
mos, depois da demora docos-
tume.
Para carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete, trata-so na
AGENCIA
7Ra do Vigario7
Domingos Altes Matheos
mm KS KEl.Ms
ronapanhia Franceza deNaveaa
Cao a Vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lis
boa, Pernambueo, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
0 vapor Tille de Bahia
Commanlante Scbire
E' esperado da Europa
at u da 6 de Junho, se-
guindo depois da indirpen
savel demora para a le
bia. MI.i de Jaoeirn
e Sanio-"
Roga-se aos Srs. iir.portaderes de carga p^loe
vapores desta linha,aueiram apreaentar dentro de 6
iias a contar do da descarga das alvareng. > :ul-
quer reelamaco concernente a volumes, que po-
v ntni tenhain seguido para os portos do sul,afm
de se poderein dar a tempo as providencias neces-
iariw.
Expirado o referido praso a companhoa n se
responsabilisa por extravos.
Para carga, paesagens, eacommciHas e inhcir"
frete: trata-se com o
AGENT,-'.
0 yapor Ville SeMn
Commandante Panchvre
Espeiujae dos partos do sul
at o dia 2 de Junbo seg lin-
do depois de indispen8avel
d mu oHtl'RE, tocando
em LIWBO.-t havendo nu-
mero s'jtlL-ii nre de passa. el
ros de 1 classe.
O VAPOR ENTRARA' DENTRO DO
PORTO
Conduz medico a bordo, de marcha rpida e
uflerece excellentes commodos e ptimo passadio.
As pa8B8gens poderao ser tomadas de anteino.
Recebe cargs, encommendas e passageiros p:ra
os qases tete excellentes accommodaces.
Para carga, paisagjns, encommendas e dinhriro
a frete : trata se com o
AGENTE
Augusto Labiie
9 RA DO COMMkKCJO-9
O de moveis, tapetes, candieiros a gaz car-
bnico, loiit''., crystaes e mais objectos de casa
de familia annunciado pira quinta feira 26 deve
ter lugar na casa do Camiuho-Novn n. 90, para
onde partir s 9.45 um trem que dar passagem
gratis acs concurrentes.
Sexta feira 27, o de duas burras prova de
logo, carteiraB, repartimento de eneriptorio, mo-
veis o mai objectos existentes n 1 andar do
sobrado da rus do B na-Jeras n. 43.
De uma burra (cofre) e urna pratileira para
papis
Sexta-feira 27 d Maio
A's 11 horas
0 agente Pinto levar a leilo, a requeri.-nento
de Manoel Je Oliveira Fonsrca, e por despacho
do lilm. Sr. Dr. juiz do commercio, uma burra e
pratileira, arrestaaws a Joo Carrreem accao que
Ihe in o .--u a firma S Leitao & Coimbra, existen-
tes na ra do Bom Jess n. 43, onde baver um
outro leilo de moveis, fazendas, ferragens e miu-
dezas.
Grande c variado
Leilo
De fazendas, miudezas, ferragens, moveis,
vinhos, livros, pedras raarmore, papel,
candieiros gaz, arandellas e muitos ou-
tros artigos, que aerilo vendidos
Ao eorrer do martello
Duas caixaa com mariposa, 2 pecas do pellucia
de cores, 24 duzas de lencos de linho fines e 2
casacas de panno preto.
Liuhas, cabecadas, loras, rabichus, brides, pa-
pel pautado, papel furr< de sala, papel para im-
pressao e typigraphia.
D.iuB pianos, seudo um de meia cauda c outro
de armario, arandellas de bronze e mangas avul-
as, rpligios de parede e de mesa, jarros e vasos
para flores, machinas de costura de mesa e de
mo, bercos, commodas, mesas redondas, cadeiras
de junco, quadros, diversas camas de ferro, cabi-
des, cobcitas de metal, laofas pretaa e douraJas
filtros, taboletas e pratileiras.
Cinco foges de ferro, acudo 1 completamente
novo e nielado, barrio com pregos, g la vaneas e
trem dn coziuha.
Repartimentoa para escriptorio, caixaa de ma-
deira, carteirss para mrsa para duas pesseas, 2
burras prova de too, machina para copiar cartas
e para impar facae e paitas.
L. i ndic i ros gaz carbnico e kerosene, de crys-
tal e de bronze, arandellas e pendentes, rcvclvers
e espingardas.
Caixas com cognac, viuho do Pjrto, rhum.
champagne, bitter, caixas com latas de milho em
conserva.
Uma caixa com livroa cirurgicos, muitos e difl'e-
rentcs livros.
Pedras grandes para mesas e consoUs e muitos
i unos cbjectos, que estar.) patente ao exame dos
cencurentes.
Sexta-feira 27 do corrente
Na ra do Bom Jess n, 43
O agente Pinto tendo de mudar seu eacriptorio
da ra do Biin Jetus para o armazem da rna do
Mrquez de Jlinda n. 52, levar a leilo, por
ruta e risco de quem pertencer, e sem reserva
de preco, todoa os objectos existentes em seu
depoito, alguns dos qua^s desde 1860.
A entrega eff'etuar-s>'-ba em 21 heraa.
leilo principiar s 10 horas em ponto por
sercm muitos os lotes.
2- Leilo
Leilo
De moveis, 2 lustres do crystal, arandelas
Urna mobilia de Jacaranda, 1 relogio, 2 escarra-
deiras, 4 pea para piano, 1 tapete aveladadu, 3
t.i.percs de porta, 1 transparent-, 1 tapeto de l, 4
ca tictes e oitng., 4 jarros, 3 quadros, 3 etagers.
5 panuJS de crocbet, almofadas, 1 lbum de ma-
ireperola, 1 tupete forro de sala e esteira frro de
quartJS, louca, vidro e ryetaea.
Urna mesa elstica, apparadores, 2 fructeiras,
cadeiras de balanco, 1 apparador, cadeiras de
junco, mesas e trem de cosinha.
Uaia cama francesa, 1 mesa de cama, 1 lava-
f aric, 1 cclxac, i costureira, 1 cama de ferro, 1
marquezo, 3 quadros, 1 cama de Jacaranda, 3 ma
quina de costara, 2 cadeiras de balanco, 1 en-
deira de braco, i rewlver e muitos outros objec-
tos de caa de familia.
quinta feira. 3 do corrente
De dividas na importancia de 13:059^600,
sendo 8:7670700 em letras e 4:8910840
era conta de livro
Espolio do coronel Jos AntSo de Souza
Magalhaes
Sexta-feira 7 do correte
A's 11 horas
fio armazem da ra do Impera
dor n. Ifi
O agente Martina, autorisado por alvar do
Exm. ?r. Dr. juiz de direito do civel, tara leitj
pela segunda vez, com assistencia d-> mesmo juiz,
das dividas activas do espalio do corouel Jone Au-
ll de Souza Magalhaes.
Podem ser examinadas as Ierras e a reiaco das
dividas em poder do mesmo ageatc
De bons moveis e espelhos, etc.
Agente Brito
O ageute cima, autorisado pelo Illic. Sr. Ma-
noel Jos da Suva Mergulbo, iiu- retirou-se para
fra da provincia, levar a leo o saguinte : 1
importante mobilia de mogno, esm sof, 1 jardi-
neira, 2 consolos eom iiedri. 2 cadeiras de bracos
e 16 de guarmeo, 1 espelbo ova', 1 cama france-
sa de Jacaranda, 1 dita de amarcllo, 1 bidet, 1
toilet, 1 lavatorio com pedra, 1 sof, 12 cadeiras
de junco, quasi novas. 1 sof e 12 cadeiras de
amarello, 4 cadeiras de balanco de junco, 3 espre-
guicadeiras de junco e pao cirga, 1 commoda, 1
meia commoda, 1 cabide de columna, 1 qnarti-
nbeira, 1 mesa elstica, 1 guarda-louca, 1 guarda-
comida, 1 aparador de cai.v 1 marquesa'), 1 se-
nim
i


6
Diario de PeroamlMicoQuinta-feira 26 de Maio de 1887


Cetaria, 1 marquesa, 1 mesa com estante, 1 relo-
&0 de parede, jarros, tapete, candieiroo, bande
Jaa, lanternas, copos, clices. facas .eolberes, louca
Para almoco e jantar, trem de ccsmba e algamaa
"bras de onro de le e bnlhsnres.
Sexta felra. t do correte
As 10 li2 horas
Rua da Princesa Isabel n. 12
Ultimo 't'ililll
Sexta j"eir 27 do crvente
A's 11 11 hora*
No armazem da ra do Imperador n. 22
O agente St> ppie, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. jue de curato da provedoria de
capellas e residuos, levar a leilao a rcquerimeno
to do testamenteiro do espolio de Anua Buz.k as
casas segmntes a Ilha do Carvalho antiga ra
Bella ns. 20, 24, 21 e 28.
Para qualquer ioformaeSo o mesmo agente
dar. ____________________________________
Agente Pestaa
Leilao
De duas partes da casa sita ra de Luiz
do Reg n. 21
O agente pestaa, autorisado per mandado do
Exm. Sr. Dr juiz de crpbos e com assistencia
do mesmo, vender no da e boia acimu mencio-
nados as partes da casa j referidas, pertencentes
ao inventario de Mannel P< r. ira L-mos.
ttabbado *< do crrante
A'a 11 horas
No armazora da ra do Vigario n. 12
AVISOS VERSOS
Aluga-s.; casas a 8(MJ
Ihos, junt de S. Goneallo :
Imperatriz n. 56.
no Pecco dos Coe
a tratar v-. ra di
Precisa-se ulugar urna casa gran le prxima
da cidade com eoramodos para hotel, sendo prefe-
rida na ra do Paysandu' (Chora Meninos). Para
informad-Oes ra do Imperador n. -'.
Precisa-se de criad 9 para vender taboleiro ;
na rus da Matriz da Boa-Vista n. 3.
Precisa-se de urna cosinheira p ra casa de
familia, que seja de boa conducta ; na roa do
Imperador u. 73, '> andar.
Ignorndose a morada dos senbores abaixo
declarados se lhes roca de irem a> largo da Al-
fandega n. 7, armazem, negocios de seus inte-
resses :
Andr Avelino Pereira de MhIIo.
Jos Tavares Uarneiro.
Leedegatio de Souz Bai
Manocl Rodrigues de Mattos.
Aluga-se aa caaas terreas n. 4 i ra de An-
tonio Ilenrique, oulr'ora .Acouguinho, e n. 122
Coronel SuaseUna, outr'ora Horta ; a tra.ar cem
Pinheiro ra di Pa n. 42.
Precisa-se de urna cosinheira para casa ds
familia, qu; durma om cusa ; a tratar na ra do
Baio da Victoria n. 39, lija.
= ALUGA-SE a casa da tua do Marques do
Herval n 150 ; traase na ra da Imperatriz n.
16, seguudu andar. o
= Traopassa se a taverna da ra do Apollo n.
13 ; a tratar na mesina.
Aluga se o 2- andar do sobrado n 7 ua
Passagem, cem agua, bastantes cinmodos e com-
medo preco ; a tratar no u.t.-ini, com Looreiro &
Corrpanhi.
vigsimo n. 401559, da lotera de.....
2,OCO:Of0, pertence n Sra. D. Atina, que mo-
radora na trave-sn. do Kuposo, de sociedade com
urna seuhora Viova. A pessoa que delle estava
incumbida, tendo-o perdido, suppoe que salva
por este meio sua responeabidade.
AMA DE LBITE"
Precisa-se de urna que tenha bom e
abundante leite ; tractar na ra Duque
de C, xias n. 42, 3 andar.
O Vigor
do
Cabello
do
Dr. Ayer.
Preparado Sob
Bases Scientiflcas
E Physiologricas,
para o
Toucador.
0 Vigor do Cabello
Do Dr. Ayer.
Devolve, com o nrilho e ftnaaur da juventude, ao
r:ilii-lli. Rilsalho ou branco aro rica cor natu-
ral, castanho ou prcto, como Be desoja. Pelo sen
uso. ao cusco claro ou roxo pode dar-so una cor
escura, c urosfura ao cabello Uno, emqnanto que
frequentcmentecuraacahiiii-. (.(Mein aetn sempre.
Impvde a queda do cabello, estimulando o dbil o
enfermo a crescer vigorosamente. Reprime o pro-
KTcssoecura a tinhae caspa,curando cuasi todas ai
doenfas peculiares do pericraueo. Como Cosmti-
co para iiformosear o cabello das Senhora* p
Vigor nfio lem rival; nao conn-in ueHe ou tinta li-
gnina, torna o cabello suave, brilhanti
appan.Mi.-ia. c i-ommiinica-lhe un perfume delicado,
agraihvel e icrmaneite.
rKKI-AKAI'O PELO
DR. J. C. AYER b CA.,
Lowell, Mass., E. U. A.
A' venda nas priueipaes pliarmacias e drogaras.
u, commerao
Os abaixo assignado3 scientifieam ao commer-
cio ou a que-n intereesar possa que amisavelmente,
em 19 do coirente, disoolverain a sociedade que
tinham no estabeleci nenfo de seceos e molbados
ra do Conselbeiro Perette n. 48, sob a rszo de
Paulo Ribeiro 4 C, retirndose o socio Antonio
de Souza Duarte Ferreira pago e sa'isfeito de seu
capital e lticro9 ficando o activo e passivo a cargo
de Paulo Luiz Alves Rib'iro, de conformidade
com o balando que proceJcram para a dissolu^ao.
Recife, 23 de Maio de 1887.
Antonio de Souza Dusrt" Ferreira.
Paulo Luiz Alves Ribeiro.
AVISO
Concertara se machinas de costura de
qualquer fabricante, bombas e toda e qual-
quer quaiidade de machinas movidas a va-
por, ou gaz, etc.
PREQOS SEM COMPETENCIA
39-Rna Ao Bom-J8sns-39
Animal furado
Fnrtaram do cercado do engenho Santa Luzia
cu Contra-acude, termo de (iaineileira, PStacao
de Rib'iro, urna goa mellada, sern ferro, boa de
passo e baixeira, esta prenhe e ainda d leite,
puis deixou a cria ; quem a apprehender e lvala
ou der noticias certas no referido engenho s- r
bem recompensado. O furto deu-se na noite de
11 para 12 de corrente. Engenho Santa Luzia,
11 de Maio de 1887.
."
<
V
^

&m
Precisa-se de urna ma para lavar e en-
gomraar em casa de familia : na ra do
Riachuelo n. 13 se dir.
Na Praga do Conde
d'Eu n. 17 2o andiir,
precisa-se de urna co-
% i n lie ira para c?sa de
pequea familia.
Superior cognac
Msrca Goorges Scguin & C garantido legiti-
mo, de vinhos sem mistura algu a : venda nos
principaes estabeleci mentos de molbados
GKO^SO
G. Laporte & .
Ra do Imperadi-r n. 4b", primeiro andar.
"LEITE SATCOAr"
(Selva)
ALVLOZ
CONSERVADO LiyCIDO SEM ALTERAR SE
O ALVELOZ, planta da familia das euphorbia-
eeas, que habita os nossos sertoes, boje reconhe-
cido c-..mo um verdadeiro especifico para destruir
as epitheliomas ou cancroides, facili'.ando a reno-
vacao dos tecidos atacados, e trazendo afinal urna
cura completa, sem outro tratamento que a appli-
ca^ao tpica de sua seiva (vulgarmente leite) como
caustico.
Sao numerosos os casos de cura, alguns dos
3uaes j levadrs ao conhecimenfo do publico, em
iversas publC8y,oV, pelas Ilustrados clnicos
desta capital e no esfrangeiro, os Srs. Drs. Alci-
bindes Velloso e BanHeira, e ptimos resultados,
tambera fotam obtidos nas feridas e nas ulceras
chronicas de carcter fvphilitic8.
DEPOSITO ERAL
Pliarmacia e Drogara de Bartho-
lomeu X C. Successores
34, Ra Larga do Rosario Pernambuco
Vinho da ^lourisca
A delicia da para
Acaba de c-hegar nova remessa deste excellcnte
viubo de mesa, que se terna n c unmeidavel por
ser com ssnte a vide o deu ; vendem Justo Tei-
xeira c C. Successores, ra da Penha n. 8.
Silhlo montara ingleza
Vende-sa um silhSo de montaria ingleza com
p tico eso e com todos os arreics, por metade de
seu va !or
n. 5.
a tractar na ra da Mari re de Deus
Vinho da illourisca
Proprio para mesa
Ji" ma de Pedro Ivo n. 22
Romano & C.
Engenho Conceico Ve-
llia de Ipojuca
Tavares de MePo,
Genro & C, repetindo
o procedimento que ti-
veram o anno passado
por este Diario, pro-
testara contra toda e
qualquer transacc.o
que o Sr. te tiente-co-
ronel Francisco Ma-
noel de Siqueira Ca-
valcante, fa^a re ativa-
mente, s partes que
possue no engenho
Cncei^o Velha de
Ipojuca, ou de urna
hypotheca, celebrada
quando j estava ven-
cido o seu debito para
com os protestantes,
que ha mais de anuo o
eslao demandando ju-
dicialmente.
K^petimos este an-
j nuncio para que nin-
g-uem se chame igno-
rancia.
Recife, 18 de Maio
de 1887
Tavars de Mello Genro, & C.
i-*
BC
PASTILHAS
De AHGELIM & MEWTRUZ
Grande
ffc'uy
\rna
j.
Precisa-se de urna ama para eotinhar e m^ p
servicos don esticos de urna casa de pequea fa-
milia ; a tratar na entrada do Rosarinho, sitio n.
5, casa am .relia.
Harri^on Line of Stea-
Hicrs
Pede se aos recebedores das caixas marca cia OS
MN&C,
consignadas M. Northmann & C, descarrega
das do vapor inglez >*ariner a virem com nr
gencia tratar ae atsumpto concernente as mes-
mas calas, com o agecte dessa companhin, a tua
do Commerci n. 15
Reeife, 25 de Maio de 1887-
Phanata central
Haa ilolmiii'iiiilor n .'1S
Jos Kraucisco Bittencourt, antigo pbarmaceu
tico da i harmacia frar.ceza ra do Bario da
Victoria u. 25, avisa a aeus amigos e freguezes,
que se ai-ha na pbarmacia cima, onde espera
continuar a merecer a confianca que felizmente
depositaram eui seus trabalhos protessionaes.
Grandes Pcrh i relias
Cizacos bcriadi s finisaimes para se-
nboras a 54500
<'.h misas bordadas para sen horas a 4500
Sias bordadas o que ba de bom a 4500
Lans finas para vestidos modernas a 360 ris
o covado na ra do Duque de Caxias n. 49.
tuja do Triumph:
Hastos & C
Engenhr Dous Irmaos
A companbia do Beberibe arrenda a parte
agrcola do engenho D >us Irmaos, por praso de
seis annos, sob as condico para esse fim esta-
belecida, e que os prctendentes podem examinar
nesto escriptorij.
As propostas sera-) apreeentadas em carta fe-
chada n-i dia 30 ao meio dia, e libertas na presen-
ca des pretendentes, em s-guida ao receoimento
das mesoias.
Recife, 17 de Maio do 1887.
Jos Eustaquio Perreira Jacobina,
Secretario.
Criada
Precisa-se de urna criada que saiba engommar
e ensabear bem, dando fiador ds sua conducta ; a '
tratar na ra do Pro^resso n. 7, na Solcdade.
Caixeiro
Na ra da Palma n. 37 precisa-se de um cai-
xeiro com pratic* de molbados e que d fiador
sua conducta.
V-
sa
BE
BS
t-5

w
rz
a.
9?
0 Remedio mal efficaz e
Sefuro que se tem descoberto ate
^fl hoje para axpe'lir ds ion trigas.
11001UI1PI, HIERES
Fabrico de assucar
Apparelhob econmicos para o cozimeD-
te e cura. Proprio para engenhos peque-
?08, sendo modicH eni pre;o < ef-
l'eciivo em eperaco.
Pode-se ajuntar aoa engenhos existentes
do systema volho, roelhorando muito a
quadade do assucar e augmentando a
quar.tidade.
OPERA9O MUITO SIMPLES
L'zinas grandes ou engenhos centraes,
raajhinisrao aperfeigoa-io, systema moder-
no. Plantas completas ou machinismo
separado.
Especiicacoe8 e informayoe.s com
Browns i'.
5-RUA DO COMMERCIO-5
Urna pessoa que tmha 250*000 em seu poder
depositados, perdeu-os, e roga a quem es achou a
restituicao, pois o prejudicado pobre e nao pode
prestar contas, sao Jn*s sedlas de 1000 e urna
de OOOOO ; pede este grande favor de conscien-
cia, e gratifica generosamente ua ra de Hurtas
numero 36.
Aluga-se oor prreo muito commodo a um ps-
quena familia o suti do 1 andar da ra do Vis-
cende de Itapariea, antiga do Apollo n. 53. No
mesmo precisa-se de um menino par fazer com-
pras e um-* pretH para cosinhar para duas pessnas
da-se roupa e b m ordenado.
'Licenciadopela Inspectora Geral
de Hygine do Imperio do Brazil.
Xarope-Zed
[De CODEINA e TOLU)
O Xarope Zed emprega-se contra, as
Irritacoes do Teilo, Tosse dos Tsicos, Tosst
eomrulsa Coqueluche),'Bronchites.Constitiaca,
Calarrhos e Insomnios persistentes.
PARS, VI, me Drouot, c ra rcLOttaur
Por22 &
-"Aluga-se a casa n 2 bons ccmrnodng, bom quinta! e est linipa ; a tra- \
tsr na rua Du \r.e de Cmias n. 80, leja.
Terreno no Arraya
-jTendo sido annonciada a venda de om terreno
rua da Harmona, 11 1 Arr ya!, pertencente a
Rufino i'ruz Couceiro, previne ? a quem interee-
sar que a cerca ltimamente, fei'ii no< fondos do
mesmo terreno invadi os dos vizinb.is.
Sanh\. murad;!
Aluga-se urna biacata por prre> commodo,
na estrada nova di Caxinc, cando entro as
estaco: s do Zumbi e a de li nds ; a Tratar 110 si-
tio da viuva do ^r. Valencu. na nesma estrada,
on no eferiptorij deste Diario.
triados
Na rua da Uniao n. 13, precisa-se de duas
criadas e nm criado.
Tinia preta
INALTERAVEL
R
PH-\ii\UCIA CENTRAL
38 Rua do Imperador 38
Pernamburo
rf
S- rve para eseripturacao mercantil e
copias de uin.i vez.
d 3 ou 4
PEDIDO
V i.:ISO rs.
Jos Antonio de Albuquerque Pedroza pede ao
Sr. Jos Barrero Pacs de Mello, o favor de pagar
a importancia de sua letra j vencida ; Vmc. sa-
be que tanibem devo e qtii rj pagar aos meus ere-
don s. A ni'88* casa muito perto da do Sr.
seu socro Jos Ignacio Avila, uiarco-lbe. o prazo
de 8 diaa para este pagamento.
Recife, 24 de Maio de 1887.
Jos Antonio de Albuquerque Pedroza.
AMA
Precisa-se de urna ama para cosinhar em casa
de ponca familia ; na rua Augusta n. 274.
ga-se
urna casa c-Tn sato, edificada a moderna, com
accommodago para familia, sitio pequen 1, entre
as duas estar-oes Jaqueira e Tamarineira.
OITKt
Urna casa nova em frente do Sr. Thom, propna
para pequea familia, entre Jaqueira e Tamari-
neira ; a tratar na rua Pri neiro de Marco n. 25,
leja de j .lias.
JO
Preciss-se de nm caixeiro de 12 a 14 annos de
idade, com pratica de taverna e que d fiadjr de
sua conducta ; na rua das l'rinebeiras n. 23.
Ao publico
Joaquim Ribeiro Lauriano, morador no Peres,
3- districto de Afegsdos, no lugar rua do Fogo,
declara pelo presente, que nao Joaquim Jos de
Castro, e nr-m tem casas collectadaa e nao deve
nada, portanto, de impostas de decimas at a data
deste.
Sememcs e
carapato
rua do Hospicio
Caoelh
Compra-Be em grande ou pequea por,ao ; na
roa larga do Rosario n. 1.
\ttenQo
Jalroph
Manipocira
Compra-se na fabrica Apoll
numero TU.
Engenlio para arren-
dar
(oiabeira, d'agua, moente e correte, meia
legoa distante de Jaboato, eom trras para sa-
frejar 2.000 pes do assocar, e boa casa de vi-
venda ; a tratar na rua da Imperatriz n. 49, se-
gundo andar
Assi tente
Candida Firmina Tavares de Mello mudou-se
para a rua da Conceifilo n. 39. > resta-se a cha-
mados para dentro e lora da cidade a qualquer
hora
Deposito
Altiva-se
s caM torrea 4 roa do Haspioio n. 70 ; tratar
na ntearna roa n. 81.
M
Urna pessoa que se retira da provincia tem p>a-
ra vender orna casa e om tirio no logar Encana-
mento, freguezia d Poco, tendo a casa 12 palmos
de frente e 40 de fundo. 2 quartos. cosioba, 2
jam-llas nooilo, porta e janella de frente, caiada
e pintada, tendo o sitio tem palmos de frente e
60U de fondo, com excelentes arvoredos fructfe-
ros, carimba com ptima agua, todo cercado, fi-
cando o fondo para a rua de S. Joio ; quem pre-
tender, dirija-se ao rxesmo logar a tratar com o
done, oa nw do Vicaode de Goyanna n. 111.
Esse medicamento de urna cflicacia r conhecida
no beriberi e ootras molestias em que predomina a
hydropesia, acha-se modificado em sua prepara-
V". trabas a urna nova formula de um distincto
medico desta cidade, si neo que somente o abaixo
assignado est habilitado para prepaial-c de modo
a melhorar Ihe o gnsto e rheiro, sem todava alte
rar-lbe as propriedad-s medicamentosas, que se
conservara com a mesma actividade, se nao maior
em vista do medo por que elle tolerado pelo
est-mago.
I'nleo leponltO
Na pbarmacia Conceican, rua do Marqoex de
linda n. (il.
Becerra le Mello
Vende-se um deposito sito a rua I-nperial n.
153, urna arma^o toda nova, muito boa, o alu-
guel da casa f 8#000. tem poueoa fundos ; a
casa aufficiente paia familia ; ludo muito em
cinta a favor de qualquer principiante : quem
pretender dirija se ao m- uno para tratar, c se Ihe
dir na nrifivoa por oue fe vende.
r
SAUDE PARA TODOS.
I
UNGENTO HOLLOWAY
1
O ngnonto de HcJloway um remedio infellivel pan os males de pemas e do peito tambem pura
as feridas antigs chagas e ulceras. E famoso para a gota e o rheumatismo e para todss as enfermi-
dades de peito na* se reconhece egual
Para os males ds garganta, bronchites resfrlamentos e tosses.
Tumores nas glndulas e todas as molestias da pelle nao teem semelhante e para os membros
contrahidos e juncturas recias, ob>a -orno por encanta
Cssas medicinas sio preparadas smenle no EstabeJecimento do Profcssor Hollowav
78, HBW OXFORD STBEET (antes S33, Oxford Street), L0Nl>ES, '
E vendemse en todas as pharmaci: s do univen o.
taro
I
is compradores %Ho convidados respeitosamant* a examinar o rtulos de cada, caixa e Pr*ir> > i
direcio, 533. Oxford StW. *3 falsificaooea, "oic. nftp teem a
PHARMACIA CENTRAL
38itoi do Imperador38
Tendo passado por urna completa reforma acha-se montada a satisfazer
promptidao as indica^oss medicas, tendo para esse fi;u medicanuntos de primeira
lidade e especialidades phBrmaceutu'as dos priineiros fabricantes.
com
a4ua-
tK<>
**
,
HlWS DORES oe Ot,.
Elixir, P e Pasta dentifricios *CS 9
RR. PP. BENEDICTINOS
da Abbadia de SOULAC Gironde)
DOM MAGUELONNE. Prior
2 3VTEIDA.LIIA.S I3E OUEO
.! ma i h el eradas reeo tensa*.
INVENTADO A4M Pe o Prinr
so axso %9 S iWr Piei!DOURSAD
O Elixir
Sentitricio los RR. P~.Be-
Dedletlnos, ["'ini dose
i: ;i- : i!.i- .-i'iii .1 i. preven
ura los iicnli ~. en -
foi i ilccen

lucillo -i li i-
ii l'r.--i unos um ner
iialundoao> iio-m is
esto nli-'i e nlills [rui-itrailo, n melhor -
tivti e o unien ireserratiro con :
A/Jt'vres tienta fias.
Casada {andada en 1807
Anenlo^B ^A| I I Ik. 3. ROE HDGUERIE, 3
Geral : 9CUUIR BORDEAUX
Achi-se e/n todas as boas Perfumeras, Pharmacias
e Drogaras.
HR30

lu 1" de Marco .
Parli-ipam ao respeitavcl publico qu, temi riijitnentado seu
estab 1 i 111 ato do JOIAS eom mais urna seceiio, ni pavimento terreo,
com especialidades em artigos de ELECTRU-PLATE, convidara as
Kxicas. familias e seus numerosos freguzes para vi it ir estabele-
cimento, onde eii. ontrarao um riquissimo Bortimento i!;; ias do i uro e
pr.".ta, perol s, brilhantes c outras pedras preciosas, e n-logios de curo
pr..ta e nikel.
Os artigos q;fi if'-c'i-m diri'i'tainent'.; :> r lo'.>s ns vapor -'
:- f ;i 'os prcialist.'is f-ibric: lili-S d:. iv.ir
".xccitiuwa pelos nii!.- i
1.3t arlos- Unidos.
A p:.r lias joias de
le objcctis He ouro, pral
.'asamentos. bfiptisados e
Nem em relacito ao preco, e aera qualidadf
mencionados, enconfrarSo concurrencia n'esta "
0000000g000900000000d000000000o0000000000000000(
subido valor achar'io urna grande vario la le
el-ctru pate, pri-prios para pr s.mte.a de
anivers-'iiios.
is objectos r.ciraa
TNICO
FEBRFUGO regenerador
VINHOdootorJOHAI^NO
DO
'DOUTON
)una, Coca, Extracto ds Carne e Hypophosphito
Kecommendo-no us casos que DCCCSsHO tnicos
o organismo arruinado por molestias, xi -- -. nalureza
Amtrorrhra, Caiheiia, PIujo branco, 'JUO tanto airiiirii
Pobreza de Sangrue, Fraqueza geral, Debilidade, etc.
ara reconstituir e regenerar
lo Clima, Anemia, Cblorosis
nulo ilas mulheres,
H. VIVIE1*, Droguista, 50, Boulevari de StrasTsourg1, cm FAUZS
oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
C Mor ose, Anemia Catharro pulmonar, Bronchite c/tronica,
atharro da Bexiga, Phisica, Tosse conoulsa, Dyspepsia, Palide.
Per das seminaes, Catharros antigos e complicados, etc.
Soulerard Senain, 7. em P1SII. c nas prtacipat:K Pharmacins.
GONSTIPAGOES e MOLESTIAS
ANTIPHLOGISTICO
OE
PARS, Pharmacia BRIANT, 150, rua de Rvoli:
XAROPE
As celebridades medicas do Pars recomnienilao ha mals de 50 annos o
| XAROPE BRIANT romo 0 medicamento ncitOial de gosto maia aamdavet e
de efficacia mait certa contra os Derluxos. Constipaoos. Catharros. etc.
Este Xarope nuncf fermenta.Deve-se cxlirlr a Brochura em nove IfngUI
I eom .: ussib'naliird bem llslrel do inventor:
DEPSITOS BM I"1'- PAKS !!> M m.'AS
Z3MaWBBSBBZ:.
BOGO, Mar-maceutico, 9, rtt Carntialion*), PARS
OLEO FIGADO BACALHAO H0GG
Sem cheiro nem gosto dos leos deFigado deBacalhao ordinarios.
Kste Oleo natural e puro e de urna erfleacidade certa, contra as Molestia do Peito,
a Tsica, Bronchltl. Conitipacoe, Tosses chrnlcas, Tumores glandnlarlos;
tamben efficaz para fortificar as Crlancas Iraca e delicadas.
Deve-se exigir o nome de HOOO, e de mals o certifleado do 8r LESUEUR, Chele dos
Trobalhos C/itmicot da Facuidade de Medicina de Pariz, que val lmpresso no rotulo colado
em Cadr vldro triangular. O OLEO tt HOGS vende-se em todas as principaes Pliarmacias.
A USO. Earija-ae no rotulo o uelUt axul ao Ooverno Francex.
i^wBBBBnsiaD [ BRHMBnnati
(.ra'idlu
i
Ama
I'recifa-se de urna a>na de b.m conducta, para
casa de familia de duas pessoas, e que durma em
easa ; a tratar na Capunga, rua de Joaquim Na-
buco n. 10.
TRASPASSA-SE
nm importante est-ibeleeimento de molbados no
melbor local que ba na fregnetia de Santo An-
tonio, boa armaco, offerece todas as rantagena :
quem pretender, na fabrica Tigre informa.
AlcideN i'aiciiii
Goilhermina Falco, Alfredo FalcSo, Carlos Fal-
ciio, Argemiro Falcio e sua senh ira, Aiimbal Fal-
eo (ausente) Euclides F-lcie, .lberto Falco,
Sjlvia FalcSo C'assal e JoSo de Barros Cassal,
ni', irmil s e cunhado de Alcides Falco, fallecido
a 21 do corrente n'est* bidade, manif. sUm-sepro
fundamente agradecidos aoa prenles e amigos
que oa acompanharam no doloroso transe porque
acabam de passar, e Ibes solic'tam o caridoao
obsequio de assistir aos suffragios de 7- dia que
maodam celebrar na matriz ae Santo Antonio, a
7 Ii2 boraa da matih do din 27 do crrente.
Jrs Augusto Alvar< s de Carvalh i e seus inno-
centes filhoi, cuinpi.m u n dever ssgrado, vindn a
publico testeinunhar o seu sincero r-oiibecitnen-
to a tofos os amigos e narenres que l tri-nero-
saraente so dentiticaram c m a cruiielis-una dor
que es bfHitre no deloreso trsnse ria inerte de sua
sempre chorada panosa e n ae, faaenffo vot-s ao
Altissirno pira que. Ihos >.fl.is-te dos eens Inr-s tilo
tremendas provvOea.
E eit. 35 d.> Mxio r\e 1887.
ifim^aillia IWWh'J
,Jif
Pranclaro Amonio da "la
Catalcanie
Maria Rifa da Silva (.avaleante. Francisco de
Assis da Silva Cavulcante, Cordulina Ama ia Ca-
Talcante Lima, Delphi Margarida Cavalcaote
Toledo, Zulmira Asteria da Silva Cavalcante,
Francisca Anna da Silva C-valcanre, Antonia
Candido Guimaraes da Silva e sua espesa Fran-
cisca Juventina Guimar>i da Silva o netos, linda
sob a mais do'oross "inpieeao, agradecein o ci-
ridoso obsequio leanla* qu-Hoompaiiliaram ai
cemiti rio os n stos irorlaes io sen minio preundo
e salid, so rsp iSO. pai, fojro e av, Fnineisco Ao-
tonio da Silva CaVlante, e pedein s m-m.is
neseoas e !>03 parentes e ntnig s do fuwdo, i ara
que su dignem de assistir a ung-as que man I un
reaar pelo eterno repoueo de sua aliii, >eguu la-
feira 30 de Maio, as 7 hor-8 da m-.nh. na matriz
da Boa-Vista, stimo dia do sen |itwSaineuio ; p -lo
que se tonfcssain desde j ? ruan- ne arrale-
cidos
1 .iniiii i ruina don Pasmo*
l'iLiiiinia
Mara Joserhina de Queir.ga mauifesta-se pro-
fundxmente -gradecida a todos os cavalleiros que
se dignatam Mcompanhxr ao cemiterio publico oj
restos morta'S de sua id.la'rada tia, Guilher-
mina dos Paseos Figueiia ; e de novo roga aos
meamos e a todas as pessoas de sua xmizade o
cariduso obsequio de assistirem ha missas que
manda resar no stimo dia, na igreja da veneravel
ordem rerceira do Carmo, s 7 1|2 h ras da ma-
nh de pablado 28 do carrete, e antecipa a sua
eterna grat'da a fod >s que ccoiparecerem a este
acto de religiSo e carid.ide.
iinsniii Mnrin HartinM
"jAntonio Joe Martina, mtrgulhado n-i mais pro-
funda d ir pelo infausto pas-iam- uto de sua extre-
mea mili, Rosala Hara Martin, manda celebrar
misias na ma'riz ia 14--*- Vista, pelas 8 horas da
manda de eabbado 28 corrente, trigesm di
de sen passmento ; eonvida aoi sena amigos a
assistir a ate acto de reli'cio e can de.
que pe rnnf.-osa ptarn-mente grato
pelo
Peitoral ilc cambar
No armaiem de drogas rua do Mrquez de
OI'Dd8precos : Fraseo 2*580, 1/2 duna
13*000 dusia 24*000




-

Diario de Pernainlnico---Quinta-feira 26 de Maio de IS87
Alagase barato
Ra Visconde de Itaparica n. 43, nmuen.
Ba Corcnel Suassuua n. 141, quarto.
Raa de Santo Amaro n. 14, loja
Ba do Corredor do Bispo n. 18,
TraU-ae na ra do oinmercio n. 5, 1* andar
MOrtptorio de Silva tiniroHi-iie & C.
Advocado
O bacharel Antonio Ribeiro de Albuqoerqu
Jaraohio tem bu banca de advocada na prac
de Pedro 1 n. 75, no asesino eacriptorio do Dr.
Manoel Nt-tto Baudeira. ^^^^________<_
Manhiga ingl^za
Tem para vender em lataa eom meio kiU cada
urna a TU re. Aotcnio Duarte, ra dsUniao
n. 54 e Arfhur Goncalvee Macaea, roa da Au-
rora n. 85, confrontando-ae com a eitacao de
linda.__________________________.________
Par* mitmtmtem
Paitas de algodo ; na ra do Rangel n. o.
Ama
Precisa-se de urna ama para o servico do orna
cata de pouca familia ; na ra Nova n. 14, se-
gundo andar. ____________________^
Ama
Xarope de cambar guaco e bal-
same de Tol
reparado pelo pbarmaceutieo Jos Francisco
Biiteueourt
E' om poderoso preparado para todas as aff?c-
ndea doa orgaoa respiatorios, como catarrho pul-
monar, astbma, coqueluche, bronchite, pneumo-
na, tisiea, etc., etc.
Cada frasco 1*000
Deposito na Pharmacia Central, ra do Impera-
dor n. 36. Pcrnambuco.
3?=* Attcnditc
Jos Samuel Botelho, o bem conhecido fabri-
cante de bouqurts par caa.uientoa eoulros actos,
e capellas raortuari"s de pe. petUHg, tanto de rlj-
res naturaes como arlitciafa. offerece-se ao res-
peitavel publico para ser procurado na ra rsova,
loja de miudexas n. 20, e i a ra da Cadea do
Becife, loja de selleiro n. 43. promettendo todo o
usseio e promptido no seu trabalhe.
Precrsa-ee de utna ama para casa de peqaena
familia ; a traiar na roa do Payutnd n. 19, Pas-
aagem da Magdalena.________________
Ama
Precisa-se de urna ama para lavar e eogommar;
na ra Primeiro de Marco n. 16,
Ama
Precisa-se de urna ama que cosinhe e engomme
para marido e mulber sem filhos, e que durma em
casa : a tratar aa ra da Conquista n. 29, ou ra
do Amor ira n. 6.
Precisa-se de urna menina de 12 a 15 annos,
para andar com urna enanca ; na Casa Foite, a
ra Beal n. 20.
Ama para cosinhar
No largo do Uorpo Santo n. 19 2o andar preci-
sa-se de urna boa cosioheira que durma em casa.
Ama de leite
Precisa-se de urna na ra de Hortas n. 118.
IMcofero de Barry
Garntese que faz as
cerecrescer o cabe lio anda
aoa mais calvos, cura a
tinha e a caspa e remove
todas as impurezas do cas-
co da cabeca. Positiva-
mente impede o cabello
de cahir ou de embranque-
rer, e infallivelmente o
toma espesso, macio, lus-
troso e abundante.
4/MLjti
Agua Florida de Barry
Preparada segunda a formula
original usada pelo inventor em
1829. E' o nico perfume no mun-
do que tem a approva^ao oficial da
un Governo. Tem dos vezes
ruis fragrancia que qualquer outra
ednraodobrodotempo. E'muito
niais rica, suave e deliciosa. E'
muito mais fina e delicada. K
mais permanente e agradavel no
lenco. auas razas mais refres-
cante no banho e no ouarte do
doente. E' especifico contra a
frouxidao e debilidade. Cura as
dores de cabeya, os cansados e os
denmaios.
Xarope ie Tiia Je Benter lo. 2.
Ama
Para todo servico de urna familia de duas pes-
! soas, precisa-se de urna ama morigerada ; na ra
do Rangel n. 53.
Ama deleite
Precisa-re de urna ama de leite ; a tratar na
ruado isconde de Inbnina, antiga Rangel, n.
25, 2- andar.
Boa casa
i riado
Precisase de um criado : a atar na ra d
Paysand n. 19. Passagem da Magdalena.
Aluga-se sobrado n. 67 ru? do Bartholomeu,
confronte a esUcao de Ciruar, com bastantes
cemrcodos e b >a vista ; a tratar na ra larga do
Rosario n. 34, pbarmaci't.
Gapmga
Aluga-se a casa trrea n. 40. ra da Ami za-
de, est concertada e caiad ; a fritar ua ra %l!l;t |l i'lK'lll I'
relha de Snta Hita, s>hrado n. 14, da. S horas ao Aul particular rnixta, ra da Conceicaa nu-
aaeio dia, e daa 4 s t h ;as da tarde. mero 39.
UBI DE USA1VO. CIPOIS DE VSXL-.
Cura positiva e radical de todas as formas de
scrofulas, Syphilis, Feridas Escrofulosa.*,
Affeccoes, Cutneas e as do Couro Cabel-
ludo com perdado Cabello, e de todas aa do-
sncas do Mengue, Figado, e Rins. Garante-s*
que purifica, enriquece e vitalisa o Sangue
e restaura e renova o svstema inteiro. 0 <
Sabao Curativo ae Reuter
Precisa-se de udh cosinheira para casa de fa-
milia e qu- s-ja de boa conducta ; na ra do Im-
rad'T n. 73, 3- andar.
Para o Banho, Toilette, Crian
cas e para a cura das moles-
tias da pelle de todas as especie
em todos os periodos.
Appr-'Vni ia autorisidoa \> 'la insp
ria gend de iiygienno (Jo Rio de Janeiro.
Deposito em Pernambuco casa de
Francisco M.noel da Silva & C.
20-Roa \. de Margo (jsnlo ao Lonvre)20
Adimirem os precos
Bramante de linho, com 10 palmos, a 15900, o metro.
Bramantes de itlgnd&o, rom 4 1 .rguras, a 800 rs., 100 e l^lOO, o metro.
MadapolSes, a 3f)80, 4(5500, ^uOO, 5(5500 e 6(5000, a peca.
Ditos americanos, com 24 jardas, a 78U e 8&000, a peca.
Algoo5es, a i'-VMlO, -46000, 45O0, 5>UU0 e 55OO, a peca.
Crotones escuras, cores fixas. a 320 e 300 rs., o covado.
Ditos claros, liados pairos, a 280, 300 e 320 rs., o covado.
Percalas de cores, f^zeoda superior, a 240 rs., o covado.
Ditos de ; ores escuras a 200 rs o co?de.
Z^pbyres de cores, a 160, 180, 200 e 240 rs., o covado; muito largos.
Setinetas, de cores, a 320, 3'0, 400 e 440 rs.. o covado.
Creps de core, para acabar, a 3(J0, o covado
Batistes de tres, muito largas, a 160, 240, e 280 rs., o covado.
Cambraias brancas birladas, a 5)3500, a peca com 8 1/2 varas.
Ditas, em retalhos, a 700 rs a vara.
Alpa :s rii cores, lisas, de preco de 600 rs., o cavado, por 280 rs., o covado.
Sargeiins de todas ns cores, da nielhor quahdade, a 240 rs o covado.
Chitas tinas p-ra coberta, a 280 o 320 rs., o covado.
Ganges muito finas, com linios desanhos, a 280 e 300 rs., o covado.
Ksguiao pardo, para ^esiios e vestuarios ;! enancas, a 380 rs., o covado.
Pao da Costa, de listras, a 1)3100, o covado.
Dito dito, de qnadros, a 15-100, o covado.
Brins de cores para calcas, a 240 rs., o covado.
Ditos de linho de Dito de dito uraru-o u. 6, 2^400, a vera.
Casemiras de c:es, para costutues, a 10800, o covado.
Ditas em cortes para caljas, com listras de i-la, a 60000 e 100000, um.
Cobertas forradas, com dous pannos, a 30000, urna.
L'ncies de linho c algodao, a 20000 e >0OOO, um.
Cortinados de carobraia bordada, a 60)00 e 80000, o par.
Chambres para hornea), a 50000 e 60000, um.
Toalhas felpudas para rosto, a 30500 e 50000, a duzia.
Ditas grandes, para bauhus, a 105J'J, urna.
Espartilboa tinos de todos os numeras, para senhora, a 50000, um.
Babados e ntremelos bordados >e 503 a 20000, a peca.
Fi bus, de linho, rndalos, a 20000 e 205lO, um.
Ditos, d* la, felpudos, a 50(XX), um.
LeD90s bran:o8, a 10200, a duzia.
Ditos de esguio de linho, a 40500, a duzia.
Meias de (Ores, lisas, para homens, a 40800, a duzia.
Ditts de to de Es ossia, cruas, para Loncos, a 110000, a duzia.
Dit*s ditas, rendadas para raenines de 6 rnezes cima, a 500 rs., o par.
Ditas de la, de cores, para homens, a 10200, o par.
Ditas de algodao, de cores, com listras, muito tiuas para senhora, a 100000 e
140000, a c'uzia.
Camisas do lil, sera punho e sem collarinhos, porb-rato prejo.
Golletes de flanella com mangas e sem ellas, d* diff-rentes precos.
Costumes Ditos de dito, para homens, a 80000, um.
Ditos de dito, para meninos, a 50000, un.
.Sapatos para o mesmo fim de differentes tamanhos.
Grande s rtimento de artigos para homens, seudo : de > amisas de linho, uitas
e meias, gravutas, puuboa, collarinhos, ceroulas e muitos outros que lembraremos na
presenta a'aquell-s que se diguarem visitar o nosso estabclecimeuto.
A'ra Primeiro de Marco n. 20
le ephune n 158
AMARAL & C.
Tnico de mulamba
Comporto com quina e elvoc-
ria
COSTRA As CASPAS
22 = Rila Larca rio Rosario = 22
Deflux j Crlpne, BrcnohltB,
', Trritac5e3 do Paito.. XAlOPEcaP ASTA peitoral |
de NAF lo DELANGRENIER ?b> de urna cteaciacerta I
everiflcailai" Acnl.nii.iileMr .ciliadaFranca.I
Sem Opio. Vori hia cen Codrina .l-se sem receio s |
criaucas affeetsdaa ile Tosss on Coqueluche.
PARS, ra Vivieunt, 53, PA-
I TODAS AS 1-HARMAC1A8
Arrenrla-se o enpenho Mussabiba, urna Iegoa
distaatc- da cidade de JaboaiJo, e outra da esta-
tu ae 8. liurccfo, com extensas trras e matas.
Tambtin s-' vende ou re'alha-se em sitios von-
'ade dos compradores, todos com agua correntt
na freuie ; a tratar na ra Primeiio de Marco,
loja n. 17.
Criado
Precisa-se de um q-ie saiba ier e durma em ca-
' sa : a tratar a ra da Mal re de Deus n. 5 arma-
; zem ou Cjipo Santo n. 19 2o andar.
fTKINSON
FERrMARIA INGLEZA
Jamada ba mais e nm scalo; exrede todas
as outrasp^loaeu perTimedeli-a ior fxquiito.
TREZ MRDALHAS DE ORO
PARIZ 1878, CAI-Cl'TT.A 1KS4
pAia'-rira fiDI ''X1 '''li'iini de "ua nuilidade.
SPRI6 FLOWERS
JOCKEY CLOB | I1SMB
HEU0TR0PI0 HAG.10LI1
AKUa alunada LAVUNDA INGLEZA DE ATKINSOM
Outru< muitos C'Uih^cidos i>e.f jni" y*t IIU
quali fado e odor rJeleH** -'
PASTA ORIENTAL PARA DENTCS CE ATIIRSII
tem rival para alvejar e ein i 1 ei e precrvar a^ ^
beoaln-se 'i Caw tic ii4l t: .\sri:aitei
J. A E ATKIN30N
24, Od 5ond Strea*. Londres.
larca de Fabrica l":.:i lf ^l-raoca",
sobre urna Lyra Oiiro."
Si A i
Aluga-sr- o Io snlar do sobrado n.27 roa do
Imperador, pintad i de novo e com aua ; a tratar
na ra do Duque de Casias u. 47.
YENDAS
= Vende-se o eetab' 1< c>o.eotu da raa de S.
Joo n. 5, tem poneos fundos, e s ven^e por gen
done estar d'enr1 : a tratar no bu smo.
\


WrjirffiiYiiiiiiiiiiiniiniiTniiiHiiiiiiiiiiiMiiiiiiiiMiiiiiiiTrriiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiu
ANEMIA AS VERDADEIRAS CHLOROSE
PILULAS DE VALLET
NAO SAO PRATEADAS
O mam TALLET e mprecae em preto gj*K oada pilla.
A maior parla dos mdicos concomio con a ,4cctiewa de medscin* emqoe,
e|W rr>ererm a preferencia que se Ihes di sobre os oatroe ferrugnoiMa.
Exitlem numero$as imitaces das -^"
piiiik" ik v%i'.i.i-:t
Exiytr em cada exiremidade do frat-
o um *illo tmpreuo em qvatbo o0ub.
ASMQNATDBA
^^/,.
Raer
cachst o qi*a-
tie eeolsun,
f ii firuifci
'ripa
Jweb, Pufa.
Varada na maior parte das pharmaotaa
m..T.........,.......niMr,m.f.,....,.......,......ma
Vende-se na ph-.iff.aeia do Dr. Sabi:i ;, ruado
Rarao da Vi loria n. 43.
Cofres de fe ro
Carlos Sinden re-
ceben, em con!igna-
c,o, cofres de ferro
prova de fog-o. A ssim
como cha preto de su-
perior qualidade, e
vende por precos mais
barato que outro qual-
quer.
48-Ra do Baro da Yctoria-48
Cobrado a vender-se
Vende-se o (obrado n 87 roa da Aurora, em
frente a ponte d.- Santa Iaabel ; quem pretender,
f de enteoder-ae coui o 'orrector Pedro Jos Pin-
to, na praoa do Commerclo.
WHISKY
BOYAL BLEND marca V1ADO
Kate excellente Whisky Escessea r -erivi
o cognac ou aguardenvC de canna, part ortifica
) corpo.
Vende-se a retalho aoa ka Inores annasena
Bolhados.
Pede BOYAL BLEND marca VIADO cojo no
ose e emblema sao registrados para todo o Braat
BBOWN8 & C, afrentes
Cabriolets
Vende-se doas cabriolets, sendo nm descoberu
e outro coberto, em perfeito estado, para um ot
doas cavallos; i tratar raa Duque de Caxiai
* A7 Florida
Raa Duque de Caitas n toa
Chama se a attenyao das Exmas. familias par
oe prucos seguintes :
Ciatos a 1*000.
Luvas de pellica por 21500.
Luvas de seda cor granada a 24, 24500 e 3#
o par.
Fitas de velludo n. 9 a 609 rs., n. 5 a 400 rs. o
metro.
Albuns de 14500, 24, 34, at 84.
Ramos de flores finas a 14500.
Lavas de Escossia pera menina, lisas e borda
das, a 800 e 14 o par.
Porta-retrato a 500 rv, 14, 14500 e 24.
Pentes de nikel a 600 rs., 700 e 800 rs. nm.
Anquinhas de 24, 24500 e 34 urna.
Plisss de 2 a 3 ordena a 400, 500 e 600 ra
Espartilho Boa Figura a 44500.
dem La Figurine a 54000.
Pentes para coco com inacripcSo.
Enchovaes para batizados a 8, 9, e 124000
1 caixa de papel e 100 envelopes por 800 ri
Capelia e veus para noivas
Suspensorios americanos a 24500
La para bordar a 2*800 a libra
Mao de papel de cores a 200 ris
Estojos para crochet a ISOOO rs
Bico de cores 2, 3, e 4 dedos
de largura a 3*000, 4*000 e 54000 a peca
Lpques transparentes a 3*00**
dem {.reto a 2*000
Lindos Broxes a 3*000 1*000 e 500 ria
Leques para menina a 200 ris.
Linha para machina a 800 ris a duzia, iCKK
Bordados com doia dedos de largura 600 ris.
3 dedos 800 ria, 4 dedos ]*00.
Garrafa d'agua Florida 800 rs.
Leques com borlota a 8(10 rs.
Bicos branca p>:ra s fineta, cretone e chita pa-
ra correr babados a 1*000, a 1*50J a peca com
10 varas, barato.!
Albuns de chagrera, veludo e verbotina para
50 e 60 retratos a 6*. 7* e 8000.
Meias de Escossia para aenhoras, a 3 *500 o par.
Lencos de linhj em lindas caixas,
Bico das Iihas muito fino proprio para toalhas
c saias.
dem japonez proprio para alvas e roquets e
toalhas de altar.
dem brancos com 5 dedos de largura, a 3*000
a peca com 10 varas.
Caixas com sortea de jogo de mgica proprios
para aalai, a 5*000.
Sabonetes de deversas qualiaades.
Bolsas de courc para menina de escola.
Collarraho de linho a H0 ris um.
Grande peoiiincba em ewpartilbo
de linho a 3OOO. um.
BARBOSA & 8A0NTS
N0VI0ADBS
\a loja das Lislras Azues
A* na l>uqiie de Caxia n. 1
Telepkone 211
LEQUES TRANSPARENTES Aza de Mos-
ca ultima m>da, o que ha de mais lindo a 2*0. 0
2*5 .0 e 3*000.
LAS de quadrinhos tazenda escura liridas cores
a 36i ra.
SETINETAS de listras e quadrinhos de cores
a 320 rs.
FUSTAO braoco a 360 e 400 rs.
CORTES de vestidos brancos tazenda de qua-
drinhos com organdy a 5*000.
CAMBRAIA de salpico e bordada a 800 ra., em
peca 6*000.
SETI.SETA japoneza tazenda de liatraa largas
com lindaa corea a 4d0 ra.
MADAPOLAO americano igual ao camiseiro a
64000.
BKAMANTE de qnatro larguras a 900 rs.
CHITAS finas percales cr.-s seguras a 240 rs.
CRETONES fr-ncezes ultima navidade cores
seguras a 320 e 360 rs.
SAROEL1M rancez qualquer cor a 240 rs.!
MERINOS enfiestados todas as cores a 800 re.
RENDA be.panb"la preta urna guaroicao para
vestido a 3000 e 4*000.
BICCU ae cores e matizados a 4*500 a peca.
LUVAS de -eda pretas e de tudas as cores a
2*0 0 e 2*500.
RENDA DA CHINA fazenda branca aberta a
200 ris.
CORTES OE VESTIDOS BORDADOS cor de
cremo com mitiz a 9*000.
LEQUES DE FANl'AZIA de cores e para
meio luto a 500 ris.
BALEIAS PARA VESTIDOS rselbor qualida
de a 300 ris a duzia.
ESPARTILHOS couraca a 44CO0, 5) 00
6*000.
LENQOS brancos finos a 1*500 e 2*000 a du-
zia.
BORDADOS e entremeics tapados, tranparen-
tea, e de tuatao, todo o preyo.
MEIAS para senhora, para bomem c meninos,
todo o preco.
FICHUS de seda ccr de creme e pretos a
2*500.
MANTILHAS heapanholas ultima novidade a
4*000
E outras muitos fazendns novas que as Exmas.
Srss. podero ver na loja ou mandar ver as amos-
tras que se dao sem penhor na Loja dan
Lislras Asaea-de
Jos Augusto Das
De todas as tandas existentes na antiga casa de
i AWWAUtt D\Ct3NH\
Os segnintes artigos comprovaoi a realidade em vista dos seos preces
Cortes de fusto para coletea, a 10000, 1,5200 e 10800 !
dem de casemira de cores, a 20000, 20500 e 30000!
Casemiras pretas e-flanellas, a 800 ra., 10000 e 10200 o covado, urna largura
dem diagones, a 20000, 20200 o Sito duas larguras.
Brin3 de puro linho, de cores, a 800 rs. e 10000 metro 1
dem idem, branco n. 6, a 10500 o dito 1
Lis de todas as qualidades para Tstidos, a 200 e 240 rs. o covado em reta*
lbo para acabar.
Cachemiras dom, a 400 e 500 rs., o dito !
Setias de cores, a 600 e 800 rs. o dito !
Fust3e8 branco e de c0re3, a 250 e 320 rs. o dito I
Meias alvas para meninas, a 20500 a duzia I
Camisas inglezas, unas, a 360090 a dita!
dem francezas, branca e de cores, a 240000 a dita!
Guardanapos grandes e de linho, a 30500 a dita 1
Ceroulas bordadas, de 2000)0 ipara acabar) a 120000 150000 a dita I
Espartilhos, de 80000 e 100000 (vende-se- a 40000 e 50000 !
Madapolao americano, a 60000, p ;as de 20 jardas I
EsguiJes para casacos, a 40000 a lita de ditas I
Cambraias bra icas bordadas, a 50000 e 50500 a peca !
Grandi sortimento de chapeos para senhora, a 40000 e 50000 para liquidar.
Fichs e capas de la, a 20000, 40000 um !
Bramantes de linho puro, de 30000 (para acabar) a 20000 o metro !
Setinetas, a 280 rs de todas as cores.
Pannos para m^sas, atoalhados brancos, algudoss, e finalmente liquidam-*a
odas as fazendas por menos 40 8/0 dd seu valor as que stiverem abertas as pejas.
Antiga casa
DE
C MEKO DA CUMA
SORa Duque de Ca\iasS)
A REVOLUCAO
0 48 ;> Ra Duque de Caxas
Tendo recebido directamente um completo sortimento de fazendas
que venden, por prefos que admiran.
Lindas cachemiras bordadas a seda, a 700 rs., covado.
Linn com Balpicos, faz-Mida muito
a G'X) rs., covado.
.
DE
Fogos e sor tes
para os festejos das noitis de Sinto Antonio, S.
Joo e S. Pedro.
ultima iFioe
Vende-se por pr- c->s muiro rasoaveis e faz-se
grande differeDca em porgan.
I.Knadu Baro da Victoria el
Loja do Souza
Vende se
o bem afregoezado hotel, sito traversa do Arse-
nal de Guerra n. 13, com pequ-n^ eapital ; a
tratar no mesmo.
Terreno
Vende-se um terrino confronte a estaclo do
Principe, estrada de Jo5o de Batros, com 90 pal-
mos de frente e bastantes fundos, e com al i cercen
para 3 eaaaa; tratar na ra d'Apollo n. 30, pri
eira andar.
Clmenlo patente Portland, marra
Bobina1 Eiondon A .Xortbfeeld
Kent
Vendem Livrameuto t C no caes do Apollo
numero 45.
Receben Exposicao Central, ra larga do
Rosario n. 38. ____________________________
Li?ramento & C.
vendern cimento port'and, marca Robins, de 1*
qualidade ; no eaes do Apollo u. 45.
Las cora listrinbas, novidade, a 560 rs., covado.
Ditas rom qu-drinhos, a 400 r.; covado.
Lindas alpacas de cores, a 320 rs., covado
Ricas peyns (ie etamine, niodrnis, :> 1000 X', prta.
Cambraia bordada, a 50500 e 60500, peya.
Ricas gusrnieoVs dj viludilho, brdalas a vedrilho, a 60500, urna.
Lindos dama t, 320 rs., covado.
Gorgorinas de listrin! as, a 320 rs., covado.
Fusto-.s de cores, a 320 c 400 rs ovado.
Dito branco, a 400, 440, 500 o. 640 is., co.r.do.
Linhos escocez?s, a 200 c 240 rs., covado.
L?.s escocezas, n 120 rs., covado.
Setinetas finas, a 320 rs covado.
Veludilbos, lisj e lavrados, a 10000 e 10200, covado.
Ditos bordados a retroz ae sola, a 10800, covado.
Cortes de cachemira para vestido, gosto escoeez, a 200000.
Toilets para bjptisados, a 00000 e 120000, um.
K-nda do Japao, novi.iaue, a. 200 rs., covado.
Cortes de fuatao pira col-te, a 10000. um.
Camisas pr:t s.-nhira, "- -V!l)0 a 4S0OOO, duzia.
Cortinados bordados, n (05OO, 70000 e 90001, pr.
Espartilhos couraca, !in,s, a 40OO, 50000, 60000 e 70500, um.
C.'lcl.as d.- Oi-.-s, a 20000, 4080(1, 50500 e B0OOO. urna.
L-nv" de e^uiJto, h 20000, 20400, 20800 e 40000, duzia.
Fiob de retroz com palmas de sed a 10000 e 10500, um.
M-ias p-r- s nh ra, 30000, 400 0, 50500, 60000 at 150000, a duzia.
Ditas para hom m, a 20400, 20-00, 30000, 40000, 50500 e 70000, duzia-
Grande sortimento da raadapol5es e algodoes, brins de cores e brancos, case-
miras pretas e da cores, chviote e muitos outros artigos de phantasia.
SO NA REVOLUCAO
48R0 A DUQUE DE CAIIA-48
llenrique da Silva Moreira
LINIMENTO GNEAU
Para os Cavallos
URCA
ti MICA
OS
I Empreg-do com j maior xito as cavalharicas renes de SS. MM. o Imperador do Brasil, o lei da '
Belgloa, o Re dos Paizes-Balxos e o Rei da Saxonla.
uppres*ao do ,E DA QUEDA O PELLO
i S este precioso Top.co o nico que
' substitueocaustlcoccuraradicalmente
I em poucos dias as manquearas, novas
'e antipas, as Torce duras, ContusSes.
- Tumores e Xnchacoec das pernas.
1 Eiparavao. Sobre-Cannas, fraqnea c Bn-
| sorgritamento das pernos dos potros, etc., sein
'occasionar nenliuma chaga, nem queda lo pello
I mesmo uiiraiuc o traiauijiiU\
35 (Annos de (xito
SE.VE K.IV^.L
Os resultados extraordinarios que tem '
obtiuo as diversas ffeccSea do i
Pelto os Catarrhos, 3roncbltii,'
Molestia*1 -la Carpantr. Ophtal-1
ma, etc., riso dso logar a concurrencia.
A cura faz-s rom a m<") e, 3 minutos, sem '
tur e te .-i cortar, ne, r- tpar o pello.
Deposito em Paris : PinraucU G3VE^!lTT, Faa St-Honor, T.t: en tc'w as harmacias.
Lotera da Provincia
Srr brevemente annuiiciado dia que
dere ser extrahida a 4.a parte da lotera em
beneficio da matriz de Itamb, no consistorio
da i^eja deNossa Senhora da Conccfo dos
Militares, onde se aeharo expostas as urnas
e as espheras arrumadas en> orriem numeriea
apreciado do publico.
Capsulas
WIathey-Cayls
Preparadas plo DOUTOR CLIN Premio Montyon
As Capsulas Mathey-Caylns com Emolucro delgado de Gluten n5o fatigao nunca
o estomago e sao recommendadas pelos Professores das Faculdades de Medecina e
os Mdicos dos Hospitaes de Paris, Londres e New-York, para a cura rpida dos :
Corrimentos antigos ou recentes, a Gonorrhea, a Blennorrhagia, a Cystite
du Collo, o Catarrho e as Molestia da Bexigas e dos orgaos genito urinarios.
liitt Um upJiff thtslhtda acompanhs ctda Frasco.
Buitrr as Verdaderas Capsulas Mathey-Caylns de GLIN t C', ie PARS,
que a< och em casa do* Dreguistas e Pharmatmttioos.
*
W


8
Diario de PcrnambocoQuinta-feira 26 de Maio de 1887
-

RELIGIO

0 jubilen sacerdotal de Ledo VIII
%!>Iel!o ao brasileiros)
Para celebrar dignamente o jabileu sacerdotal de Sua
Santidade, o P->pa Laao XIII, forraou-se em Roma urna
commisso superior e central, sob a presidencia do Exm.
Sr. Oardeal S-hiiitfinn, o qual convidou a todos os Bisp ;s,
sacerdotes e catholicos do inundo, para se uniram mani-
festajo que vai ser feita, ao Vigario de Jess Ohristo na
cidade eterna.
Essa corainissao romana, a que ealo subordioadas
todas as outras, propoz quatro especies de offertas para
as bodas de ouro de S. Santd.-.de.
1.a Uoia pequea prt-.ce quotidiana ;
2. Urna dimiuuta esmola, como esportula da Missa,
que o Papa dir no dia 31 de Dazembro do anno crrante.
3.a Urna peregrinajito a Roma.
4.a Urna exposija no Vaticano de todos os objectos,
tfterecidos por essa occasio a Leo XlII.
Essa expoaijao vaticana, est chaman lo a attenjo
universal. Infrmaseles exactas, viudas da t>da a parte,
prometiendo, que, pelo seu caractar peculiar, multida,
varedade e riqueza de objectos, o pela sua munificencia
verdaderamente real, a dita expasijo vai figurar como a
mais grandiosa de tolas as que 3e tara visto em Rosa, no
correr dos seculos
Todos os Bispos, na s da Europa e da Amori.a,
mas tambem os das raissoes mais afastadaa appellaro para
a piedade filial dos catholicos e tem sido to prompta e
efficazmente correspondidos, que como por encanto, sur-
"em em todas dioceses commissSes, animadas de f viva,
de coragem pujante envidando todos os esforjos para offe-
recer ao Vigurio de Jess Christo o que de bello e da
Ut'd, especialmente em relajo ao culto divino, sabera pro-
duzir a industria e as artes, o gosto, prograsso e civilisa-
jo do secuto XIX.
Quantas vezes naa se tem dito o ainda se diz algures
ou por ignorancia ou por malicia, haver antagonismo entre
a religio e o progresso, e^tre a doutrina catholica c a ci-
vilisajo moderna.
Que refutujo mais cabal c pereraptoria de tamanho
absurdo, ver o mesmo progresso, coi Gado de louros pelas
suas sublimes invenjo'es, prostar se humildcm:ute ao ps
do represente da religio calumniada, e cntomar-lho no
sio, com profuzo os primores de sua industria, artes e
sciencia, qual homenagam devida aos Pontificas Ramonas,
factores perpetuos do progresso material e moral.
Que sublime espectculo comtemplar a civilissjo do
seculo XIX, revestida de todas as suas galas, refulgndo
com todo o brilho de suas riquezas apresantar-se Aquella
que faz as vezas de Deus na trra, e protestando contra
a ousaa da incredulidade e do materialismo, que pre-
tenden! agrilLala nos antros de suas tenebrosas civilla-
joes. proclamar que sua inaior gloria ser filha do Cea,
que o que em si ha de bello, sublime e encantador, par-
ticipajo da perfeijo divina, r^flaxo d'aquella luz dea-
lumbrante que forma o sol do erapyrio e allumia tolo o
homem que vem a este mundo.
Enibora apregoaJa pelos homens carao a maior das
maravilhas, nao deixa de reconhecer apesar d3so, qua
apenas una sombra da realeza aivua, e cheia da gratido,
vem submissa. render suas hamanagens e em signal de
vassallagem, c florecer os seus donativos mais preciosos
Divindadc, na pessoa de seu representante.
Que santo enthusiasmo nao ha de excitar na alma
do crente, que lagrimas de ternura e gratidao uo far
brotar de seus olhos essa rapar ijo da gloria divina, esse
triuinpho esplendido da religio: esse desmentido, u'o
com palavrus mas com factos, esse desmentido s'>!emn,
retumbante por todo o universa, das blaspheraias vomita-
das pelas fauces immundas do seculo de Voltaire, desso
carypheu da impiedade, desse Satanaz e:u cania humana,
que ceg de rgulho, p^ior que Juliano o apostata, exala-
mou : esmaguemjs o infame (blasphemia horripilante) o
arremetiendo contra o throao do Papa, para sepultal o no
esquecimento eterno, prophetisau que nao lava inais do
que vinte atinos de > xistencia ao chrstiaoisma.
Insensato! arremetteste contra a pedra, que Pedro,
e fiaaste esraagaa'o par ella, e bem poteras com o mesmo
Juliano exclamar, vencesta, Galilea! se te fosse dalo sur-
gir do selpulebro e v.r o extraordinario movimento reli-
gioso era honra d'aquello mesmo papado que tanto odiaste
p perseguiste !
E na verdade esse movimento religioso, s em toda
a extenso da palavra catholico, isto universal. Quem
o diria ? Al a Patagonia, povo quisi descoobecido, do
extremo sul da America Meridional, trabdha activamente
para enviar seus donativos ao P.ti cornmun dos fiis : nao
s centn res de Bispos, nihares de sacerdotes e religio-
sos, milhoes de catholicos, porra, at schismaticos, aaa-
tholieos, imgnates e todos os monarchas e chefes de re-
publicas (nao exageramos, veremos os factos) rivalisam
entre si, para oom os aeu3 donativos, venerarem o Pastor
supremo do rebanho de Christo, o Meatre infalUval da
verdade, o Vigario de Daus na trra; os outros, rende-
re m horaenagem ao representante da dyoastia mais res-
peitavel e antiga, do solio mais chivado e mais firme, da
forja moral mais poderosa do Universo. Que alegra nao
causar aos justos e que espanto e raiva aos impos, ver
essa forja moral resurgir em toda a sua pujanja no pon
tincado de Leo XIII.
Exereendo pro Hgiosaroente a sua activ dade, n(S tres
primeiros scalos do Cbristianismo, do funde das catacum-
bas onda religiosamente os succetsores de Pedro, essa
forja moral sempre creseeote, veneendo toJa a resisten-
cia das paixSes, entra e reina na conscieucia que conver-
te e par vontade de Constantino e mais ainda de Carlos
Magno, oecupa o throno dos cesares romanos na pessoa
dos papas Silvestre e Leo III ; essa forja acatada porum
Atila, o ti geilo fie Deus, que recua deante della ca pes-
soa de S. Leo Magno, r.speitudo na de S. Gregorio VII
deante do quem se humilha o prfido Henrique IV em
Canossa, da de VII, que embora prisioneiro de Napol^o,
faz extrerreaT o sea algoz, e
obriga o
confessar
se deve tratar ao tioberano Pontfice como a um monareka
a quem rodeia um exerco de cera mil baionetas; invencivel
na do. Pi IX, que entrinebeirado naquele non possumos do
principe dos Apostlos, faz desesperar os inimigos da Religio
e finalmente suave, mas enrgica e decidida na pessoa de
Leao XIII, a cuja sabedoria, pericia e alto tino poltico
rendein preito os sabios, sera distiejao de credos, distin-
guindo se entra elles o maior politico da actualidade, que
do viva voz e com factos tem Apregoalo as qualidaies
eminentes :"eate Pont i ti e considerando o nao j como urna
potencia inimiga e estrangeira, porra amiga e banefica e
de grande influencia, nao as cous-s eaclesiasticao co-
mo at inda cas civis.
Vamos aoa factos.
Io O aultSo rametteu a Santa S pelo patriarcha ar-
rneno um annel nngnifiao de brilhante, no valor de 250
mil francas.
2o A imperatriz da China deu a conhacer officialmen-
te o seu intento de enviar um presente de valor.
3" O imperador Guilherme j enaommeniou a um
ourives de Barlim, um joia de inestimavel valor.
4 A rainha Victoria pretende mandar urna Vulguta
(Biblia) luxusa e artsticamente encirdernada.
5 A rainha Cbristina de cujo filha padriaho S.
Sautidade, j mandou palo seu embaixador um annel va
loliosissimo com urna riquissiraa saphyra : e consta que os
soberanos da Austria de Portugal nao se fara esparar.
6o Quanto a Frenja, sabemos que o presidenta da
Repblica c florece a dois magnficos vasos da Svres, que
se aabam recolhidos a bibliotheca particular do Papa com
os demais donativos das monarchas. Os vasos sao da
mais fina porcellana branca, jaspeada de p da marinare,
o ornados de fiares varualhaa da aimiravel matiz, da ex-
trema dolicadesa, acompaahando-oa outro donativos que
um tinteiro que um primor d'arte, tambem de porcella-
na de Svres, azul ultramar com ornatos do ouro, enci-
mado de urna estatua de Minerva, homonagem espaaial da ,
Franja ponna mpr<*da de Laao XIII na sua Encycli-
ca: obilUsima Gallarum gen. Este acha se collocado
na mesa de escrever do Papa, junto a outro de malaehi-
tes, dadiva do Czar a 5. Santidade no dia da sua co-
ro a jao.
Quanto as Diocesaa qua3 em toda a parte, represen-
tar sa bao por urna oflerta collactiva, independentemente
daquellas que foram as diversas carporajSas, communida-
des e particulares.
Em Lyon, na Franja, preparara urna casula magnifica
da brocado e ouro sobra seda branca, com as armas da
mesma cidade e com as do Papa, acompauhadas das pa-
lavras do Apocalipse: Vicit Leo de tribu Juia.
A diocese do Dijon enviar urna estatua de marruo-
re de S. Bernardo, seu mais Ilustre iillu: a de Soissons
um producto precioso de suas fabricas da crystal : a de
Alenjon urna alva riquissiraa: a do Baauvais um tapete
de grande valor : a da Tarbes, baslica e gruta de Nos-
sa S^nhora dos Laurdes cm miniatura artstica : a soaieda-
de bibliographica de Pars far homenagem de urna obra
prima de sua typagraphia. As r ligiosas da abbada de
Nossa Senhora de Lsrins vao reunir em um s volumes o
Magnficat era 150 linguas, encandernardo em ebromo-
typia, com grasuras coloridas e desanhos magnficos
O bravo e valentc Charette, o ex-coronel dos zuavos
pontificios, appellou para os saus antigos companheiros de
armas, c certo de que essa nobre phalanga representar
na exposijo vaticana um pipel to brilaante como outr'-
ora nos campos do batalha em Castelfidardo o Patoy.
Pars finalmente, rosolveu apresentar como sua ofler-
ta principalmente uraa tiara de ouro o prata, cravejada de
saphyras e outras pedras preciosas
As 2,750 parochias da Blgica raaolveram offarocer ca-
da urna, um donativo particular, independente das offer-
t i das Dioceses, escolas, circuios, collegios; o mesmo
paiz prepara urna importante collecjo das obras dos es-
criptores catholicos belgas, publicadas desdo a proclamajo
de sua independencia : igual idea tiveram os cathclicos
d'AUemanha, constando que a collecjo nao contar de
menos vinte mil volumes.
A Hollauda entre outras ofFertas, trabalha activamen-
te num altar de madeira de carvalbo, obra admir-.vel de
moldura e entalha.
Seminaristas de quasi todos os paizes do mundo co-
tisam-se para a erecjo de um monumento a S. Thomaz
de Aquino na capital do Orbo Cbristo.
E as Filhas de Maria, pbalange predilecta do Senhor
o cora a mais bella e esplendida da Igreja tero inveja-
vel dicta de fornecer o frontal do altar em que o Santo
Padre hade celebrar a sua missa quinquagenaria alem de
outros presentes valiosos.
Quanto a donativos do particulares citaremos somonte
um rubim no valor de 50^000 francos, encerrado em mi-
moso estojo de marfim forrado de seda tendo a forma de
um ovo, joia esta olforecida por urna senha da alta aris-
tocracia iogleza.
Por estes pormenores poderao os leitores avaliar o
esplendor o munificencia que ba do abrilhantar o Jnbileu
sacerdotal de Leo XIII.
Passamos por alto, na qua3 rapossibilidade de des-
crever o numero infinito de objectos, cada qual mais rico,
pertencentes ao culto divino, destinados a maior parta
para as missoas, cuja prosperidado tem sido o objecto es-
pecial da attenjo do Papa, Que alegra para o Pae
commura dos fiis poder assira prover a tantas igrejas
nascentes dos objectoB necessarios ao culto religioso 1
Que papel representar o Brasil nessa pomposa ma-
nifestado ac Papa Lao XIII.
Nao sabemos dizer a julgar pela constituijo que pro-
clama, como religio do estado, a catholica, apostlica ro-
mana, essa manifesajo do nosso paiz deveria sor official.
Mas que importa a letra da lei quando nella fallece o es
pirito ? Muito poderio fazer as irmandades e corporajoas
religiosas sa om sua maioria nao esvessem desviados de
seus fiis religiosos- Comtudo ha verdadeiros catholicos no
Brasil, e esses, grajas a Divina Providencia somuitos, po
rcm em condijoes taes que pouca r xpanslo publica pode-
ram dar nessa occasio dos seus sentimentos religiosos.
Espalbados por um territorio immenso, confudidos entre
indiflarentes ou iuipios, com pouca industria, sem urna
dire-jo efficaz, nos brasileiros nao podemos igualar e
muito menor exceder as outras najSes na Exposijo Va-
ticana, mas nem por isso deixaro do ser vehementes ca
nossos transportes de jubilo pelas bodas de ouro de S.
Santidade.
A nossa orajao fervorosa pela conservajo d. pre-
ciosa sdude do Santo Padre nao deixar de penetrar o
throno de Deus ; e o Brasil pode concorrer quija mais
abundantemente do que os outros paizes com a esmola que.
vira juntarse a esportula da missa do Summo Pontfice,
que hade eertamente subir a millioes de francos, e que
distribuida com os pobres o gasta nc sustentamiento das
iniss3es far baixar as benjlos do ceu sobre os seus doa-
dores.
E' mais que proverbial a generosidad dos brasileiros,
que o digam tantos estrangeiros que tem aportado as
nossas plagas e aqu tizado ou nao a sua residencia : pois
bem, si nao nos dado podermos nos distinguir nos lti-
mos dous artigos propostos pela commisso central, pode-
raol-o nos dous prmeiros, e devemol-o, sob penna de
desmerecermos do norae de catholicos, do attrahirmos so-
bre n3 o despreso dos catholicos de todo o mundo e de
amargurarmos o corajo paternal do Leo XIII que ama
aos seus nios Brasileiros e delles nao podo deixar de es-
perar urna prova de amor e adlieso sua sagrada pessoa.
Racifo, 24 do Maio de 1837.
Conogo Vicente Sebastiao Wolffenbtel.
disse elle a
quem o Sr.
. falle-lhe.
- NSo Ihe deixou nenhuma ordem para
llie fazer ehegar s maos as cartas, se
algum negocio urgente se apresentas-
se ?. .
Nenhuma. .. se lhe eatou dizendo
que nem ao menos nos prevenio.
E' singular murmurou o deBConhe-
cido, desnorteado.
A porteira preseguio :
Se um aJvog.ido E que tinha
tanto que fazer Todos os seus negocios
ficaram parados... Nem mesmo aviscu
clientes.
E ae lha tiv.sse acontecido alguma
desgraja disse o nosso amigo. -
Ah I 8m, desgraja exclamou a
porteira. Acreditara antes no que dizem
os jornaes... Ello moco, nao ver-
dade ?
O velho approximou-se com o corajo
apertado.
Estava muito paludo. g
E que dizem os jornaes ? balbuciou
elle.
- Dizem qua an ia mulher nasta his-
toria.
O nosso hroe vacillava.
Urna mulher ? O que a faz suppor
isto ?
A porteira olhou para elle.
E' amigo do Sr. Fresairos ?
Sim... sou...
Tem-lhe interesse ?
O maior interesse.
Vou dizer lhe tudo qua ainda nao
revelo a ninguem. O sanhor parece me
um homem prudente o razoavel.
O velho approximou-se.
Falle, rainha sanhor?,
tremer.
Conhece a mulher com
de Fresneres parti.. Via
Ah! murmurou o velho.
Vi a tao perto como o estau vendo
Urna mulher soberba... Muito maja
primeira vez que se apresaotou, pedio
me inforrnajoes sobra o Sr. do Fresuieres,
sobre os seus negocios. Vinh, dizia ella,
para tractar de um processo.. mas se se-
par.u de mim, metteu-me um luiz na
mo... Ora, s os homens e as mulhe-
res apaixonadas distribuera moeda de ouro
com essa facilidade. Nao me enganei alm
disso, estava muito commovida.. So fos-
se urna simples cliente. ..
E essa mulher, perguntou o deseo-
nhecido que soffria todas as angustias, co-
nhece-a ? Dsse-lhe o seu nome ?
Nao me atrev a perguntar.
E era nova, bella, disse a senhora ?
Oh I senhor, bella como ainda nao
vi outra E que vestido 1
Cada detalhe dado pela porteira fazia
no nosso her3, o effeito de urna punha-
lada, que nos cravam no corajo.
Via Clara abandonada, desprezada.
J nao bavia esperanja do resttuir-lha
Jorge.
Jorge estava longe, nao pensava nella.
Apoderava-se delle um grande odio con-
tra o mancebo, e contra aquello missravel,
que tinha preferido sua filha aquella
aventureira.
Desfalleca.
As feijoas estavam por tal forma altera-
das, que a porteira notou ?
Mas que tem, senhor ?
Nada, nada, apressou se
responder.
E' talvez prente do Sr.
nierea?
Ello murmurou machinalmento
Sou.
Seu pai talvez, exclamou a
Ah I meu Deus. .
Este grito chamou a si o deaconhecido
Sacudi a cabe ja, encontrou aa forjas,
a energa.
N3o, mnha senhora, nao sou o pai
do Sr. de Fresnicres, tranquillise-se.
Depois nao podendo sustentar a conver-
sa por mais tempo, despedio-se da mulher
e afastou-3e.
Pelo catninho reflectia.
A desgraja de Clara era completa, sem
remedio.
ello em
de Fres-
porteira.
Ella nada podia por ella, nada, nada !
E a fataldide* quera que fosse testemu-
nba do seu desespero, que fosse elle quem
lhe dsse o ultimo g lpe.
Por que se encarregou daquella mis-
so ?
Que espsrava elle ?
Esperava quo Jorge da Fresnires so
conservasse fiel... descobrir o seu escon-
drijo, e trazer aquella a quem ama va, es-
ta boa noticia. E em vez d'isto...
Nao ; era horrivel 1
Que ia dizer lhe ?
Dizer-lho tudo, era fazel-a soffrer, Ma-
tal-a talvez...
Mentir Iba era deixar no bou corajo o
germen do um amor que j nao poda
mais flarescar.
Que razo hava de dar para impedir o
casamento com Roustan ?
J nao tinha.
E, entretanto, aquella casamento era im-
possive!, absolutamente impossivel.
Pareca lhe quo seria amaldjjoado pelo
co.
Urna nodoa de sangue separava as duas
familias.
A filha do assassino com o filho do as-
asssiuado I
Nao nao nao dovam pensar em tal.
Mas como impedil-o ? Saria preciso ento
dizer tudo? Confesso ?
O velho abatido, perdido, desejava a
morte. Veltava pira o palacio da Serves
o mais do vagar quo podia.
A entrevista que ia tar com Clara as-
sustava-o.
Que dr ia causar-lhe, quo lagrimas ia
vol-a derramar, dr que jo tinha o direi-
to de acalmar, lagrimas que nao podia en-
xugar.
s'unaa situajo mais horrivel sa hava
apresentado.
Elle, o pai, qua desajaria fazer os seus
filhos felizes, ia levar o desaspero ao co-
rajo de sua filha, que desojara ver a
mais amada, a inais feliz do todas as ma-
illeras.
Agora nao poda procurar enganal-a.
Nao poda encher-lhe o espirito de men-
tiras.
Nao podia dizer-Ihe que Jorge da Fres-
nires nao era culpado, que lhe tinha
acontecido alguma desgraja.
Acreditava agora na culpabilida lo de
Jorge.
Como poderia ser de outra forma ?
Dep >is das informajoes quo tinha rece-
bido daquella mulher, quo nao tinha ne-
nhum intere3sa em mentir lhe, tinha elle
o direito de duvidar ainda ?
Jorge era mojo.
Tinha suecumbido a um momento de
tentajSo.
Perdeu tilvez a esper inja de obter Cla-
ra, que sabia sar cortejada tambem por
iindr Roustan.
Este era mais rico que elle, era amigo
do irmo, pareca ter todos os trunfos na
mo.
Teve um acaesso de desanimo, e entra-
gou-se a um outro amor, para arrancar do
corajo o amor de Clara.
Por qua nao tinha o velho sabido d'a-
quillo mais cedo ?
Tel-o-hia amparado; teria trazido
novo a confianja ao seu corajo.
Mas agora era nuito tarde.
Estava todo acabado, consumado.
Pensaudo assim, sem dor por isso,
nha feito o seu caminho.
Levaotou os olhos.
O porto do palacio de Serves estava na
sua frente. '">
Estremeceu.
Clara I estava. Esparava-o com impa-
ciencia.
Por um momento, teve irapetos de sa
afastar, de fugir, de lhe deixar ainda as
suas illusoes ; raaa podia resolver se a
nao tornal-a a ver? E o outro casa-
mento ?
Fez um esforjo sobre si mesmo. La-
vantou os olhos para o co, e pareceu im-
plorad o, e perguntou-lhe o que de va fa-
zer.
A noite cahia.
As trovas estendiam ae sobre o bosque.
O co estava carregado de nuvens,
como quo prenhe de temaaatades... O
ar estava pesado, abafaS No poente
estendiam so compridas listfaa vermelhas.
O dia pareca acabar em um banho de
sangue.
O velho all estava immo.vel, nao se
animando a dar um passo para a frente.
Foi arrancado as suas reft'jsoes po
ruido quo fez o porto, abrindo-se.
Ia alguem sabir.
Quem?
Teve par um momento a esperanja de
que seria Clara, mas vio Carlos descer s
o entrar para a carruagem. Apenas tave
tempo de atrar ae para o lads, para evi-
tar ser esmagido como no primeiro dia e.n
que o apresentamos aos nossos leitores,
grudado s grades como urna caritide.
Carlos tinha-o visto, mas j nao lhe
presta va mais attenjo. Mal responda
com um movimeato de cabeja aos compri-
mentos qua elle lhe dirigia.
Carlos, mais indifferenta, mais preoecu-
pado, menos torno, nao tinha tido, com a
presenja do desaonhecido, as sensayoos
mysteriosas da sua irra. Era por con-
descendencia, por aquillo a que ella cha-
mava as suas mamas caritativas, que tinha
deixado tratar, e que anda consenta >m
sua casa o homem que, continuava a consi-
derar como um velho vagabundo, um in;n-
dingo qualquer.
Nao se preoecupava com elle, mal lhe
prestava attenjo.
^Contina.)
ASSEMBLEA GERAL

de
ti-
LITTERATbii"
nires, eemore apaixonado, sempre digno
della ?
Estava'persuadido que o mancebo nao
po lia ter trahido a sua noiva, ter deixado
de a amar.
Para elle Clara era to bella, to cima
de todas as outras mulheres, que 'pareca
lhe iniposBV-l que alguem 8_e lembrasae de
a abandonar.
Devia hver em tudo isso algum naya
terio, algum drama, algum crime talvez.
{Continuacuo) Sem conbecer Andr Rou8tan, sem sa-
ber se valia mais que seu pai, tinha con-
XX trs elle urna desaonfianja instinctiva.
Tinhu-o visto atravessar o jardim. Ago-
Quando so separou de Clara, o veh (ra se lembrava.
deixou cahir a especie de exaltajlo que Lembrava se do sea rosto, e achara que
OSEGREDO DE DANIEL
POR
J17LES DEGASTYINE
-(*)-
*egiinda parte
Nao devia amar a mulher com
quem
sustentara na sua presen ja. Acbou-se fa-
ce a face com a realidade. Como cumpri-
ria a promessa quo aeabava de. fz-r;
orno havia de restituir-lbe Jorge de Fre-
traba alguma cousa da falsidade, da per-
vsrsidade de seu pai.
Aquello boraem faria a desgraja de
Clara.
quena casar.
Era por interesse que procurava fazer
aquelle casamenta. E tocos os raeios de-
viam ter lhe parecido bons para ehegar aos
Beus fina.
Tal era a idea que domiuaVa o nosso
amigo, a dominado por essa idea poz-ae a
caminhar.
Era proeiso salvar o futuro, a fclicida-
de de Clara.
Foi primeiro ra de la Monnai?, ca-
sa de Jorge.
Interrogou a porteira.
O Sr. Jorge de Fresnicres, disse
ella- Ha perto de um mez que est au-
sente.
E sabe onde est ?
Eu nao... entretanto...
Parti a negocios, sem duvida.
NIo sei dizer.
FOLHETIM
JOSLARONZA
POR
IACQES D FLOT E PEDRO MAEL
TERCEIBA PAUTE
o abysho
(Continuajo do n. 118)
IX
llouve um silencio.
Stepban Rouval folheava rpidamente o
registro.
Agradam-me as suas rubricas. To-
das tm um sentido dupli. Admiro muito
esta : cmpr6go dos fundos da Sra. condes-
sa de T... Onde collocou voc esses fun-
dos ?
Oh I meu caro, onde os collocamos
todos, as mos habis o felizes do Ilustre
capito Laronza.
Rouval levantou-se um pouco paludo.
- Clanos, disse elle gravemente. Nun-
ca Dronuncies esse nome aqui. Nestes l-
timos dezoito meze8 elle adquiri urna no-
tonedade perigoaa. Mesmo nesto momen-
to, ba na Franja ou bem perto da Franja,
um bomem que o conhece e que conhece
tambem o dono.
Ah I Como se chama esse homem \
Joo de Treguern. E' tenente da
marinha.
Oh! oh! o mesmo que...
Sim, o mesmo; ma3 basta de fallar
nelle. Voc Agora deve comprehender por
que recommeodei que supprimisse o ju
deu.
Nao, ainda nao comprehendo.
Ento, perdeu a memoria, Clanos ?
Nao se lembra quo a mulher deste Jacob,
antes do acompanbar Laronza, foi amasia
de Stepban Rouval?
E o que tem isso?
Tea alguma cousa. E' muito fcil
de apanbar o fio e de Laronza ehegar a
Rouval.
CtHiRl DOS DEPITIOOK
SESSAO EM 13 DE MAIO DE 1837
PRESIDENCIA DO SR. GOMES DK CASTRO
O Sr. Viloiso Peana analysando
o acto da demisso do general Deodoro,
de presidente da provincia do Rio-Grande
do Sul, diz quo o governo nao teve forjas
para impedir as manifestaeoes instigadas
por um delegado de sua immediata confi-
anja ; e conclue declarando que o uobre
presidente do conselho attribuio ao Sr.
Affon30 Celso Jnior, o concitar a classe
militar revolta, quanio o que este nobre
deputado disse foi que a classe militar
estava no seu direito de reclamar, pelos
seus brios offendidos.
O Sr. Coalho Rodrigues (Io secretario,
pela ordem) requer o a cmara concedo o
encerramento da discussao.
Introduzido no r< cinto o Sr. ministro da
fazenda, a sua proposta o relatorio.
Em seguida entrara no recinto os Srs.
ministros de estrangeiros e agricultura,
que proceiem a leitura dos respectivos re-
latoros.
Entrando so na ordem do dia, o Sr. pre-
sidente annuncia que se vai proceder a
elejo da commisso da adminstratelo pro-
vincial e municipal.
Feita a chamada verificase nao haver
numero, pelo que tica adiada a eleijo,
sendo annunciada a 3* discustao do pro-
jecto n. 178 sobre reforma municipal.
O Sr. Affonso Celso Jnnior(pela ordem;
julga cssencial apresenja dos nobres minis-
tros da fazenda e do imperio na discussSo
de38e projecto, e por isso manda mesa
um requerimento pedindo o adiamento da
discusso at que comparejam os nobres
ministros.
Vai mesa, lido, apoiado e entra em
dseusso o requerimento.
O Sr. Heorique Salles faz algumas ob-
servajoes sobre a conveniencia do adia-
mento da discusso deste projecto, visto a
importancia da materia.
Tendo dado a bora e nao havendo nu-
mero para votsr-se, tica adiada a discusso
do requerimento.
Clanos abanou a cabeja em signal de
duvida.
Muita precaujo demais, meu caro.
Zelo demais prejudicial. Tome tent.
Esse judeu nao nas aborreca. Ora, estou
informado de que a sua morto despertou
suspeitas.
Ah I Ests certo disso ?
Perfeitamento certo. Pediram infor-
m8jo8S. E' preciso que um israelita te-
nba muitos remorsos para se atirar n agua,
ou muito pouca presenja de espirito para
se dxar cahir no Sena.
Quem procurou essas informaeoas ?
__Oh 1 ah que cessa a uainha inquic-
tajo. O homem que procurou as infor-
majSes nao tem nenhuma influencia e ao-
bretudo nao tem nenhum interesse era mo-
lestar-nos. E', o joven Darmailly, sobri-
nho da Sra. Francs.
Sim I disse Rouval desconcertado ;
mas por que procurou ella informaj3es ?
leso fcil de comprehender. Nao
foi esse mojo que defendeu Jacob, quando
i.-s o processamos ?
Sim, foi elle mesmo.
E' provavel que os parontes ou pelo
menos os... interessados do judeu recor-
rossera aos bons officios desse presumido.
Elle continuou o seu officio de advogado,
quasi de amigo, do defunto.
__ Tem razo, respondau Stephan. Por
esse lado nao ha nada que raceiar.
Depois, com urna insistencia particu
lar :
Mas, ao menos, podemos haver aa
tres letras que Jacob guardou ?
Clanos hesitan um momento antes de
responder.
Nao, disse elle em voz surda.
Stephan sohou urna exclamajo :
Ah! esse era o ponto capital. Quo
nos importa a sua morte sem iss* ?
O hespanbol julgou dever defeader-se.
Fzemoa o impossivel para isso. At
aqu as pesquizas tm sido infructferas.
Depois, puzeram os sellos. Espero que
sejam levantados para continuar aa nossas
pesquizas em casa delle.
Rouval estava viaivelmente preoecupado.
Precisamos della8, Clanos ; preci-
samos deltas a todocusto. Saria um des-
astra se nos poiessem Lujar em rosto,as
circumstancias actuaes, essa nomo de La-
ronza.
Treguern est a ehegar a cada momen-
to, e, quanto ao outro, ae escapar, e isso
nao impoaaivil, viato como mais teliz
sr o seu
do quo eu, polo tambem farnacar
quinhao de ioforraajoes funestas. Corapre-
henda-me bem, nada no mundo nos seria
mais funesto do que a rovelajo desse no-
me fatal.
Caanos pareceu recuar ante urna contis-
sao : mas, resal vendo se, da repente :
- Preciso confessar urna cousa.. .
__ Voc disso confessar ? Ento qua ?
Oh I urna perda que soffr.
Urna... perda... grave ?... Que
foi que perdeu ?
A voz. do representante tremeu.
As suas ultimas cartas, ambas ellas.
Stephan pulou. Segurou o hespanhol
pelo brajo :
Desgrajado 1 Ellas sao significativas
Ellas nos comprmettem.
Tentou attenuar o effeito deploravel da
sua c rafisso ?
Oh quando muito, aos olhos do Sr.
d'Isaac.
Rouval respirou.
Mas es3e nomo do Sr. d'Isaac tinha dis-
trahido a sua attenjo.
E' preciso achar essas cartas, Cela
nos. A proposito do Sr. d'Isaac, sabe al-
guma cousa de novo a seu respeito ? Elle
pagou o nosso celebre vale reformado, k
admiravel. Elle escapa-nos.
Pacheco deu urna risada diablica.
Oh I nao ser por muito t-mpo, se
soubermos aproveitar as circumstancias.
O nosso baro est em urna posijo terri-
vel.
De veras I disse Rouval admirado.
Cont me isso.
Sim, vou lhe contar ; mas antes pre-
ciso fallar-lhe com franqueza. Voc sem-
pre achou bons os meus conselhos.
Sem duvida. Onde quer ehegar '<
O hespanhol approximou-se do chefe e,
em voz baixa :
Ouve, disse elle lentamente, sabes
que eu sempre acreditei em presentimen-
tos Pois bem, tenho mos presen.timentos
agorn. <-
Isso parvoice. A respeito de que <
A respeito dessa paixlo que te inspi-
ra a menina d'Isaac.
_ Como assim ? Exphca-te.
_ E' difficil. Entretanto, te diroi, que
me parece, que neste negocio nao tens o
sangue fro, a calma, a perspicacia que re-
velas em tudo o mais. Creio que essa mu-
Iher to enfoitijou.
(Continuarse-Ka)
Typ. do Diario roa Duque de C*xiaa o. 42.
>.'
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7QSANP61_KP3IJH INGEST_TIME 2014-05-27T22:05:06Z PACKAGE AA00011611_16815
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES