Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16791


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AKKO LXVII
w

-
QNTA-MRA 28 DE JANEIRO DE 1892
NUMERO 22
> ? s: x
DIARIO DE PERNAMBUCO
PROPRIEDADE DE HANOEL FI6UEIR0A DE FARIA A FILHOS
PARA A CAPITAL E LCGAPES ONDE SE PAGA PORTE
Por tres raezes adianlados.
Por tres ditos vencidos.
Por um anno a lianlado
dem idem vencido.
6^000
7&000
241000
28^000
SAO NOSSOS AGENTES EXCLUSIVOS DE PBUCAgOES NA FRAN-
CA E 1NGLATERHA
Os Srs mede, Prince 5c C, resi lentes em Pars34 ru de
Provence.
PARA OS LOGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por seis mezes adianlados.
Por seis ditos vencidos.
Por um anno adiantado.
dem idem vencido. .
13500
15^500
271000
311000
TELEGRAMAS
sesvi;: Manrous so diasio
RIO DE JANEIRO, 27 de Janeiro, s
8 horas e 45 minutos da tarde.
Por Decreto do Governo Federal fo.
ram aposentados os Ministros do Supremo
Tribunal Federal, Bario de Lucena e
Triatao de Alencar Araripe.
Para subatituil-os foram nomeados ob
Desembargadores Esperidiao Eloy de Bar-
ros Pimentel e Antonio de Macedo Soares.
Foram sanccionadas as lea sobre o
processo eleitoral e sobre extradicjoes
entre a Capital Federal e os Estados.
Scguio para o Norte no vapir Ctyde
o Dr. Aristarcbo Lope?.
PARTE OFFICIAL
Governo do Estado de Peruan-
bnco
2.* Secgo.Palacio do Governo do Estado de
Peroambuco, em 22 de Janeiro de 1892.
A junta goveroativa do Estado de accordo com
a le ?. 15 de 11 de Novembro de 1891, resolve
conaervar os actuaes juizes snbstitntts e moni-
cipaes dos seguintes municipios:
Recife
3. jalz substituto bacbarel Felippe de Figuei-
ra Faria Sobrinho.
4.' juiz substituto bacbarel Antonio Pedro das
Mares.
j. juiz substituto bacbarel Affonso de Albu-
querque Mello Jnior.
Boqj J ir Jim, juiz municipal bacbarel Jos Ca
volcante Caldas de Aibnquerqne.
Bom Conseibo, juiz municipal bacbarel Ln ATonso de Oliveira Jardim.
Boa-Vista, juiz municipal ba'hare! Lourenco
de Mores Freitas Barbosa.
Cabrob, juiz municipal bacbarel Helvecio de
Car ,. reo Gomes Guimares.
Canbotinbo, juiz municipal bacbarel Joaquim
Anlr Beatzen.
Escada, juiz municipal bacbarel Jos Candido
Das.
Floresta juiz municipal bacbarel Antonio
Candilo Cor:<*i d Araujo.
Gloria de Goila, juiz municipal bacbarel Jos
Comelic Leito Rangel.
Panelias, juiz municipal bacbarel Jos Paulino
Cavalcanii de Albuquerque.
Iguarass, juiz substituto bacbarel Wulpiano
da Cuaba Reg.
Itambt, Juiz municipal bicba.-el Jos Mauricio
Borges.
Ipojuca, juiz municipal bacharel Joaquim Lau
rntino de Andrade.
Jaboato, juiz substituto bacbarel Manoel Jos
Rodnpups riatieiro.
Limoeiro, juiz substituto bacbarel Bernardo
Jos da Gama Lia?.
Nazsreib juiz substituto bacbarel Herculano
Bindeira de Mello.
Olioda, juiz substituto bacbarel Jos de S Ca-
v.caiiio e Albuquerque.
Petrolina, juiz municipal bacbarel Jos Morei-
ra de Pioho.
Timo >a, jais substituto bacbarel Samuel
Bnivindo Con l de Oliveira.
Taijuaretinga, juiz municipal bacbarel Fran-
cisco de Faria Castro.
Victoria, juiz subsiitu'.o bacbarel Vitalino Cor-
reia Lins
Garua. juiz municipal bacbarel Luiz Zaca-
ras de Lima.
Resolve ainda a me3ma jacti, de accordo com
a citida le ri mover os seguintes juizes substi-
tuto; e municipaes:
O juiz municipal de Goyanna bacharel Tobas
Gab-iel de Oliveira para primeiro juiz substituto
do municipio da capital.
O juiz municipal de Beserros bacbarel Jos
Francisco de Faria Salles para segundo juiz sub
atiioto cia cap.;'.
O juiz raonicipal de logizara bacbarel Firmi-
M-A-Biouio de Souza Vianoa para juiz substi
tu;c do municipio de S. Loureoco da Malta.
o |Dl< municipal do Brejo bacbarel Lupicino
Domiogu-'s Lias para o mnucip'.o de Pao
d'Alho.
O juiz municipal de Cimbre3 b chareI Alfredo
Serapbico de Assis Carvalho para o municipio
do Cabo.
O juiz municipal de Tacarat bacbarel Joa-
quim Agripnia Jo Meudonga SimOcS para o mu
mcipio de birreros.
O l." joil substituto do Recife bacbarel Fran-
cisco J.aquim da Rocha para juiz municipal de
Garaabaos.
O jciz Eoooicipal do Cabo bacbarel Jos Gomes
Villar par; o muoicio.o do Heserros.
O jniz rauicipal do Rio Formoso bacbarel Jos
F.iiii'-'.i:o do. Maraes e Sil Ya para o municipio de
G:mel!eira.
O juiz niunicpil de Gamelleira bacbarel JoSo
Lopes de Siqueira San .os para o municipio de
Villa Bella.
O juiz rnuaicipal de Grvala bacharel Manoel
Joaquim Machare p?ra o municipio de Alaga de
Baixo.
' ttO juiz municipal de Leopoldina bacbarel Faas
to Caval--irti de Albuquerque Gadelba para o
municipio e Villa-Bella.
O joiz municipal de S. Bento bacbarel Miguel
dos Aojos Barros para o municipio de Ouri
cu-y.
O jeiz municipal de Serinbaem bacbarel Julio
Cesar Furtado de Mendonca para o municipio de
raimares.
O Jl municipal de Flores bacbarel Flix Ca
fileaati v. C-inba Rpgo para o municipio do Rio
Forrnoso.
O ju;z mucicipal da Villa-Bella bacbarel Lou
renco Csetano de Albuquerque para o municipio
de Goyanna.
O pi municipal de Palmares bacharel Joo
Laude-lino ornellas Cmara Jnior para o muni-
cipio de Saljruetro.
O juiz substituto de S. Lcorenco da Matta
bacbarel Fian cisco Porfirio de Andrade Lima para
juiz municipal de IViurapbo.
Os juiz;s removidos era virtude deste acto,
overo entrar em exercicio no praso de ses-
sen'.a das ticam sujeitos juntamente com os
que sao consrvalos ao di3poato no art. 3/ das
disrosigO0.-" '.-ansttorias di mencionada lei n. 15
de 14 d Novnmbro de 1891.
Jos Vicente Metra de Vasconcellos.
Ambrosio Hachado.
--------------m-------------- y
2" SecgioPalacio do Governo do Eetado de
Pernambuco, 22 de de Janeiro de 1892.
A j'inta grv.-rnativa do Estado, de conformi-
dade com a lei n. 15 de 14 de Novembro de 1891,
decrctr.:
Art. i Ficarn tuppriaiidos os juiaados muni-
cipaes de Serinbaem e Belmonte, sendo estes
municipios annexadog o primeiro ao de Rio For
moso e o segundo ao de Villa-Bella.
Art. 2 Erjj todos os municipios aouiixos, bem
como n'aqnelles cujos junados mun cipaes se
acbam vagos ou vierem a vagar, enirarao em
exercicio, com as attribuicCes das leis vigentes,
os actoaes suppleiites d'aquelles juizes, emqoan
to nao forem substituidas.J. V. Mein de Vas-
concellos.Ambrosio Machado.
EXPEDIENTE DO DA 2 DE JAMIBO DB 1892
Actos :
A juma goveroativa do Estado considerando
que o serv.go a cargo da secgo provisoria de
estilstica, annexa Secretaria do Governo,
acha-se quasl terminado;
Considerando que o numero de empregados
da mesma, ss j nao fosse com essa demasiado
numereso. toroouse tal, em vista da reduegao
do servipo alludido ;
Considerando anda que os cofres pblicos
nao devem ser onerados com despezas exborbi-
tantes ou desnecessarias;
Resolve dispensar os auxiliares di Secco
Provisoria de Estatistica : barbareis Maximiano
Lopes Machado, Cicero de Vasconcello Cesar,
Manoel Alves Vilella, cidadaos Henrique Car
neiro Leal, Francisco Jos do Reg Bar-os. An-
tonio Machado Freir, AlTonso de Barron Caval-
cante de Albuquerque, Fabricio Ucboa. Rodol-
pbo ue Serpa BraudSo, Jos de Oliveira Santos
Joaquim Mauricio Wanderley Filho e Manoel
Martins da Cruz.
A junta governativa do Estado resolve con-
siderar de nenhum efleito a portaria pila qoal
foi nomeado o bacharel Salviaoo Corris, de Oli-
veira Andrade para o cargo de promotor pnbli
00 da comarca de Alagoa de Baixo.
A junta governativa do Estado resolve no
mear o bacharel Julio Tenorio de Albuquerque
para o cargo de promotor publico da comarca
do Bonito.Communicou se ao juix de direito
da comarca.
A' junta governativa do Estado, d accordo
com a proposia do Dr. qoestor policial resolve
nemear as segaintes autoridades polica para
o termo do Cabo, em substituido das actuaes.
que ticam exoneradas :
I- supplente do sobdelegaao do distticto de
Pcnte dos Carvalhos, Miguel Nunes Aojo do
Noscimenio.
i- supplente do mesmo subielegado, Firmino
Jos de Lima.
A junta governativa do Estado resolve no-
mear os seguiotes promotores puolicos, em sub
staico do actuaes, que ticam exonerados :
3ezerros, bacharel Joaquim Jos de Farias Ne
ves Sorloho.
Cobj, bacharel O.w.ldo Machado Perora da
Silva.
Grvala, bacbarel Faino Riso Filho.
Iguaras, bacbarel Manoel Antonio Accioly
Gomia.
Pao d'Albo, bacharel TiomEz Lins Caldas Fi-
lho.
Victoria, bacbarel Aosbcrto Rodrigues do
Passo.
S. Bento, bacbarel Salviaoo Crrela de Olivei-
ra Aodradp.
Itaab bacharel Joaquim Guedes CorrdaGon-
dim.
Alagoa de Baixo, bacbarel Artbur Barbalho
L'c-r.oa Cavalcante.
A' junta governativa do Estado resclve re-
mover c promotor publico, bacbarel Felip pe Au-
gusto Caroeiro Campillo, da comarca di; (tam-
b para a de Gamelleira.
A juola governativa do Estado resolve remo-
ver o promotor puDlico bacharel Francisco Tor-
gua'u Paes Brrelo, da comarca de Gamelleira
para a de Bom Consdrio.
A junta governativa do Estado resoive no-
mear o major Syro Ferre.ra Leite para o posto
de comrai-sario ca guarda local do municipio
de Pesqueira.
A junta governativa do EslaJo, t alado
termo de exame annexo por copia ao oflhio do
capHo do po:to, n. 1, de 30 de Dezerabro lindo,
do qual consta acbar-te habilitado Bemvenuto
Rodrigues da Silva, para servir de macbloista de
4* classe das barcas a vapor, de conformidade
com o decreto n 10411, de 36 de Outur.ro de
1889, tetcmina que se expeca ao mesmo a com-
petente caria de babilitae&o. Communicou se
ao capnao do porto.
Officios :
Ao inspector do Thesouro do Estado-De ac-
cordo com a vossa informacao n. 960, de 27 de
Novembro ultimo, deferimos o requerimecto em
que Mana Luiza Goncalves Lima pede inencao
uo imposto de dpcima para a casa n. 33 da ra
do Coronel Laraeah|, comprada pela peticiona-
na para seus lbosWnores e em que re.-idem.
Ao mesmo.A jantagovernativa do Estado
mana declarar ves, que, nos termos de vossa
iafonnacio o. 1007 de 30 de Dezembro Ondo,
indeleno hoje o reqoerimeato em qne Manoel
Clemenlioo Correia de Mello pede para ser com
cl.e celebrado o contracto para a llumina^o da
cidade da Victoria.
>.o mesmo.A junta governativa do Esta-
do em vista do vosso officio n. 10.8 de 31 te De-
zembro lindo, autonsa vos a mandarde9 eni.reear
ao tbesoureiro da Santa Casa de Misericordia a
quana ce C0:000i que se acba depositada oeste
Tnesouro, quo compete a mesma Saola Casa,
resollante da metade do Oenelicio da lotera ex-
traordinaria, uitimamtnie extrabida oeste Esta-
do em favor d.qceila institui^o e da colonia or-
pbmologica Santa Isabel. Jommuoicou-se ac
provedor da Santa Casa.
Ao mesmo.A jonti governativa do la o
communiC'. vos, para os devidos lins, que por
cilicio de boje dala lo, n 1, declarou o inspector
da Tbesourana de Fazenda naver providenciado
no sentido de cessar na Alfaadega e as Collec-
torias a arrecadao d-s rendas que de accordo
com o art. 9 da constiiuicao da repblica ^evem
perlencer ao Estado.
Ao inspector da instrucelo publica. A
jauta governativa do Estado leudo em cocside-
ra{ao o reqneritcento da professora Alexandrina
Marques Mascarenhaa de Souza, sobre o qual
versa a vossa informacao n 438 de 31 de Dszem-
bro de 1891, aotoris.-vos a conceder o praso
preciso ahm de que a mesma professora assuma
o exercicio da cadeira para a qual -a ulurai
mente removida.
Ao Dr. inspector de bygiene. -Ioformni so-
bre o pedido aqoi junto de medicamentos para a
pbarmacia do presidio de Fernando de 'loro-
una.
Portaras :
Os Srs. agentes do Lloyd Brasileiro f.iyam
transportar per coDta do Miuislerio da Mar uua.
a capital federal, para onde segu a dispoiic&o
do quartel goderjl da marinha qmenor desertor
Mananno Sevenano da Silva.Commonicc>u-se
ao inspector do Arsenal de Marinba.
O Sr. sopenatendenle da estrada de erro
do Recife ao S. Francisco d pa3sageui de vioda
e volta, por conta do E-tado, ero carro de 2*
classe, da esiatao da Escada a de Cinco Pontos,
a orna praga da .ra-da local que vem a esta ca-
pital por motivos de servido publico.
O Sr. superintendente da estrada de Ierro
do Recife ao S. Francisco d pa^sagens, por con-
ta do E-talo, em carro ue 2 classe, da esligac
de Una a de Claco Pomas, a 7 criminosos e a
torca que os escolta.
O Sr. superintendente
O 8r. superintendente da estrada de ferro
do Re :ite ao 8. Francisco d passagens de vinda
e volta, por conta do Estado, em carro de 2'
classe, da estacaode Gamelleira a de Coco Pon
tas, a duas pragas da guarda local e providencie
quanto ao transpone de um criminoso que ellas
teem de coa iuzr para esta capital.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagens por con-
ta do Estado, em carro de 2a classe, da estaco
de Cinco Pontas a de Una. a 3 criminosos requi
sitados pelo juiz municipal de Garantaos.
Mutatis mutand s de Palmares a Garanbuns.
EXPEDIENTE DO DB. SECBBTABIO
Officio :
Ao director da Secretaria do Senada do Esta-
do.A junta governativa do Estado manda de
clarar-vos que no officio n. 4 de 31 de Dezembro
lindo, com o qual remetestes o ponto dos empre
gado3 da Secretaria do Seoado deste Estado rtla
tivo ao mez sitado, exarou boje o seguinte des-
pacho :
Ao inspector do Thesouro do Estado para os
devidos lins.
Qnestura policial
SeccSo 2.N. 22Secretaria da Ques-
tcira Policial do Estado de Pernambuco,
27 de Janeiro de 1892.
Cidadlo.Participo-vos que foram bon-
tem recolhidos Caa de DetencSo os se-
guintes individuos:
A' minha ordena, Francisco Ferreira
Cavalcante, Jo2o Braz de Lyra e Ciernen
tino Antonio Bastos, remettidos pelo juiz
municipal do termo de Garanhuna como
sentenciados appellados.
A' ordem do subdelegado da ireguezia
do Recife, Mathildes Maa Isabel, por
offensas moral publica.
A' ordem do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, JoSo Cordeiro de Al-
meida, Agostioho Severiano de Souza e
Mtnoel Honorio Ferreira, conhecido por
Ferro, como gatunos.
A' ordem do subdelegado do 1* distri-
cto de S. Jas, Manoel Luis Pereira da
Silva e Euzebio Manoel de Assumpcao,
por disturbios.
A' ordem do subdelegado do districto
da Torre, Henrique Jos doa Santos,
como desordeno.
A' ordem do subdelegado do districto
do Pojo da Panella, Henrique Joa Fer-
reira, como desordeiro.
Os t -nenies Antonio Marinbo dos
Santos e Pedro Alexandrino Oorreia de
Mello assnmiram o exercicio dos cargos
de commissario dos municipios do Brejo e
de Taquare'.inga.
Entraram em exercicio as segaintes
autoridades policiaca :
JoSo Tiburcio do Reg Barros, subde-
legado do 2 districto de Maranguape do
termo de Olinda.
JoSo Manoel Wanderley Lins, subde-
legado do 1 districto do termo de Ipo
juca.
Antonio Marinbo dos Santos, delegado
do termo do Brejo.
A' Junta Governativa do Estado de Per-
nambuco, 27 de Janeiro de 1832.
O questor, Joaquim lavares de Mello
Barretto.
-------------?
Thesouro do Estado
DESPACHOS DO DA 25 DB JANEIRO
DE 1892
Companhia de Beberibe (2), Fielden
Brotbers (2), Padre Manoel Simplicio do
SacramenteInforme o Sr. contador.
Agostinho dos Santos Jnior (2)Ha ja
vista o Sr. Dr. procurador fiscal
Thom LeSo de Castro e outrosCer-
tifique se.
Maria Candida Tavarea :)de Mello, Jos
Ferreira Leite, Manoel Gomes de Souza
Ferraz, Francisco Joaquim Paz e Severia-
no Vieira da PazRegistre se e fajare-se
as notas.
Anna Maria de Souza -Iuforme o Sr.
administrador da Recebedoria.
Jos da AssumpcSo Oliveira. Ao Sr.
dorteiro para entregar ao interessado.
DIARIO BE PERNAMBUCO
Retrospecto poltico do
de lfi
ni
auno
da estrada de terro
do Recife ao S. Francisco d passagens de Ida e
velta, por conta do Estado, em carro de 2* clas-
se, ds estaco de Unco Pontas a de Gamelleira a
Jos de Souza Brazil e a duas pracas. e provi-
dencie quanto ao transporte de um criminoso
i dalli para esta capital.
POLTICA pabticclar
RUSS1A
O grande coIobeo que com sua approximacao
Franca fez mudar-se a lace da poltica euro-
pea, vio anniquilado, dizem os orgaos officiaes,
o nihilismo que ja nao conla mals symptomas de
vilalidadr.
A visita de Popen*, ebefe de polica rnsso
Pariz, deu aio.a que se conbecesse com exacti-
dao o estado do nibilismo da Russia.
Segundo a opiniao optimista de PopotT o nihi-
lismo est esmagado para sempre, nao so na
Rusta como em todas as diversas seccOes de
russose polaco: qu habitcm a Suissa, a Ingla-
terra, os Esc-da- Unidos e a Franca.
Nao ha mesmo metade cu terco... d'om nihi-
lista. O czar pode viver descancado so melhcr
dos mnnaos poasiveis, porque o ninilismo su
mio-ae couio urna pequea columna de fumo de
cbamin caseira, e que um p de vento espalha
nos ares. A Ru.sia vive feliz e contente, ado-
rando a sen sensor supremo, o imperador.
No emtanto o czar nao pode sahir do pnlacio
de invern sem urna escolta de 150 cossocos, de
lanca era risie, os 'omboios imperiaes atraves
sam m prov.ucid i mssas com. mil precaugOes,
quasl entre ihs ac gfcndarm?s, ns chefes de po-
lica coniiuam a ser assassinados regularmente
toda; a? semanas, o general SalisvertotT, porque
se achava em relacOes intimas com o imperador,
as?a8.sinado em Pariz, e o assassino encontra
logo proteceo por toda a parte; o proprio Po-
poff, que so presenta tao valente e tao bravo,
nao vai 4 rus sem um par de pistolas no bolso,
e apenas recebe as visitas em frente de dous se-1 tos de
creanos, que vigiam os movimentos do visitan-
te. O terrorteina na edrte de S. Petersburgo, e
as folbas revolucionarias russas continuaos,
como sempre, a ser expedidas de Londres e de
Genebra em direceo aos grandes centros de ac-
cao revolucionaria em Moscow e Odessa; Spi-
nak. Krapotkioe, Mendelshon e outros, dirigem
fra da Russia tolo o movimento, e o dinheiro
afHu da America da Norte, da Inglaterra e da
Allemanba, para os grandes preparativos das
explosOes dos palacios e assassinaios em mag.-
sa de chefes de polica, em todas as grandes ci
dades russas, assimeomo para a ajuda das eva-
ses da Siberia.
O nibilismo russo nao est vencido, porque a
Russia vive ainda sob o despotismo e o jugo de
ferro da mais terrivel das tyrannias. Um paiz
onde um hornero condemnado a 50 abites, se
nao se ajoelha na ra passagem do impera-
dor)
A iucta de merte ou o czar d a liberdade
aos rassus, ou toda a velha sociedade russa sal-
tar pelos ares em estilnas, sob milbares de ki-
los de dynamite e sob o ac agudo e bem aliado
dos punbaes nibilistas. E' um dnelo de morte
entre o czar e a Sussia de amaob.
Os jornaes annunciaram que Padiewishi
parti para Venezuela ou rio da Prata. Outros
affirmaram que elle se encontrava ainda em Ita
lia, e alguna ebegaram mesmo a airmar que o
famoso nihilista russo anda nao tinba sabido de
Pariz, o que era um cumulo t
Padlewlski eslava, porm, a caminbo da Ame-
rica do Sul, onde j a estas horas se deve encon-
trar. Esta que a inteira verdade.
Os manifestos nibilistas de Bruxellas, Londres
e Suissa, em que negavam toda a solidariedade
com o acto de Padiewiski, foi um rue como ou-
tro qualqoer para evitar perseguicOes e visitas
domiciliarias.
Como muito bem disse PopotT, chefe da tercei-
ra secco da polica ruesa. a prefeitura de Pariz
possue os nomes, adresses e photograpblas de
quasi todos os revolucionarios russos e polacos
que babilam Pariz.
Segn !o urna iuformaeSo remettida para a
Inpendance Belge, o nibilismo na Russia est pela
hora da morte. Ha alguns annos eslava a pro-
paganda em todo o seo vigor; organisavam-se
juntas revolucionarias instigada principalmente
pelo famoso Lavroff, redactor do Mensageire da
Vontade do Poto. Dlsiribuiam-se brochuras re-
volucionarias ; trocava se activissima correspon-
dencia entre a Ru=ia e a Franca ; eslava emflm
no sen auge o dominio do terror.
Hoje ja nada disto. Os chefss apodam-se mu
tuamente de incapazes, levando a indisciplina
partidaria a ponto de se denunciaren! uns aos
outros. Cahem por trra todas as tentativas de
organisar nevos gremios aoarebistas ; e as rela-
c6es entre os nihilistas russos e os seus corres
pondentesna Franca cncontram-se tambem ani-
quiladas.
As iaformac&es relatadas pelo jortal belga
parecem exageradas de mais, porquanto ainda
nao ba muito tempo, que o telegrapbo annun
va os mais temerosos projectos dos anarchistas
na Rnssia.
O Jornal de Sicilia disse que Padlewiki,
o clente assassino do general russo, embarcara
com destino a Malta.
O Xivosti um dos orgo3 da chancellara
de S, Petersburgo, fallando das consequencias
da recepcSo de Crons'adat, exprimi se nestes
termos:
A recepeo que a Russia faz a esquadra do
almirante Servis conutitue urna garanta deci
siva da piz, e importa nao contrariar a resolu-
gao moral e poltica que dabi se deriva. A
Franca est restituida cathegoria de grande
patencia e ao prestigio que exercia ante 1870.
O sen isolamento acabou; e as importantes
queetoes que ba a resolver na Europa, a Franca
e a Russia marebam de accordo.
< A siluaco poltica actual delicada, con-
fesemos ; sobre este ponto seriam perigosas as
lUusOes. O czar que officiamente conrmou a
entente franco-russo, tem as mos a paz o* a
guerra. Cremos que no seu coraco so existe o
sentimento da paz, e que se a sua espala sabir
da bainba ser para fazer continencia a todas as
demonstrares fostivas da amlsade entre as na-
goes. e nunca para para corrigir reptos insolen
tes.
Emflm, o accordo franco russo nao nada
mais do que o correctivo do accordo austns^al-
lemo.
O Gaulois, escreve o seguinte, n'um inte-
ressante artigo.
Quando o general Techernaisff levartou o
copo para brindar os raarinboiros francezes, dis-
se : Quando (os francezes) gritarem :A's
armas cidadaos: todos os nossos ba'alhOes
se levantarn do Vstula ao:Kimtcba.-ka.
O almirante Gervals responden: Depois ao
qne se tom pausado a nossos olbos a Franca
aguarda o futuro com varonil cenfianca I
> Com effeito a Franca tem direito a cenfiar:
forte; a sua causa justa ; to.-nou a encentra,-
a esperanca. Mas, satisfeito o seu legitimo or-
gulbo que deve compreheoder qne o momento
do supremo es/orco nao est talvtz muito longe.
Estudam as astucias e fabricam armadilhas-
na sombra e no silencio, o seu iniraigo medita
alguma obscura e tenebrosa conspiraco. Qual
ser essa armadilba? QnI ser a querelle dat
mane que se Ihe far 1 E' aqui qne oonvm at.
lentar no ponto de interrogaco. E' posivel
que o ouvido, o braco on o joelbo de Guubenne
II estejam em mo estado; mas os acontecimen-
Cronstadat seguramente, tornam mais
doente ainda esse imperador de trinta anno3, e praticaram os principes, permiltindo apenas, e
que s tem na cabeca um hroe: Napoleo I.
Mais do qae os curativos as viagens, os coa-
seibos da medicina, nma bea derrota dos fran-
cezes e dos seus amigos russos curalo-ha de-
pressal
Pona o Goulois o dedo na chaga, como vulgar-
mente se diz .'...
A cavallaria russa que foi augmentada com
dous regimentos de dragOes comprebende j 1
regiment de cavalleiros guardas, 1 de guardas
a cavallo, 2 de couraceiros, i de bussards, 2 de
uhlanos, 1 de dragoes e 1 de granadeiros a ca-
vallo constituindo o corpo da guarda imperial
de cavallaris e, alm destes como tropas de li-
nba, 49 regimuntos de dragoes, 17 de cossacos
do Oous, 2 de cossacos do Ourel, de coisacos
de Oaemoburg e i-de cossacos de Tereck. To-
dos estes corpos menos os dous couraceiros sao
sao a 6 esquadrOes.
Alm destas farcas em p de guerra, pode a
Russia mobilisar mais 288 osquadrOes de guar-
das e cossacos de 2* linba.
Com esees elementos podem de mos dalas a
Franca e a Rnssia decidir com vantagem os des-
tinos do continente.
O decreto do czar, prohibindo a exportaco de
trigo da Russia, prodazio grande alta de cambios
as pracas russas e estrangeiras; mas acalmou
a aguacho que bavta em muitas provincias do
imperio mosco via, onde a fo ne e a miseria es tao
causando grandes estragos.
A quedlo monetaria preoecupa pouco o gover-
no de S. Petersburgo; pois que, gracas s previ-
so do czar, o Banco do Imperio e as caixas do
Thesouro reuniram urna reserva em ouro, supe-
rior a 600 milbes de rublos.
O que inspira grande alarme a miseria das
provincias, sendo (al a caresta de trigo, que se
duvida que, apezar do decreto prohibindo a sua
exportaco, haja o sufficiente para o consumo
at a prxima colbeita.
Como os fros e as grandes nevadas tornam
difficeis os transportes, seoo impossiveis em
muilos pontos do imperio, receiou-se que duran-
te o invern perecesseni de fome muitas peesoas,
apezar da solicitude com que as autoridades aco-
dera aos povos, procurando evitar a rapacidade
dos acambareadores de cereaes, contra os quaes
se tem amotinado varias povoacOes ruraes, que
em algumas lm sido perseguidos e espan a-
dos.
As proporcOes que viam tomando a fome e a
miseria, que em muitas provincias foram alar-
mantes, e as soas consequencias, forcaram a veo
da, por quatquer prego, de fundos pblicos-
Os rublos cotavam-se pelo que se chama prefo
de guerra,ou seja nma das maiores deprecia-
ceg de que ba memoria neste paiz.
O Novo Tempo de S. Petersburgo commen
lando es artigos da imprensa allem e franceza
em qae se diz que o ukase de Alexandre III pro-
hibindo a exportaco do centeio. o primeiro
golpe vibrado coDtra a Allemanha affirmou que
a medida nao foi tomada contra ninguem e qne
seria absurdo attnbutr se-lhe o caraster de arma
de combate.
Essa medida adoptou-se depois das delibera-
cOes tomadas n'uma conferencia a que assistiram
os delegados do ministerio do interior, o minis-
tro da fazenda e os delegados dos dominios e da
intendencia militar.
Esses altos funecionanos, depois de examina-
rem as informacCes que provam a escassez da
colbeita de cereaes na Russia. accordaram em
que a exportaco devia prohibir se, por ser o
centeio um artigo de primeira Becessidade para
o p.vo, evitando-se dessa maneira o augmento
dos preeos, e os conflictos de interesses.
O Jornal de Sao Petersburgo affirmou que a pro
hibico da exportado do centeio nao foi provi-
dencia especialmente dirigidas contra a Allema-
nba.
Segundo elles o czar oppoz se-Ibe durante
muito tempo, e consentio en a decretar, a
instancias reiteradas dos governadores das pro-
vincias.
Diz o mesmo jornal que a prohibico ser re
vogada logo que estfji assegurado o abasteci-
mento das provincias em que tem bavido esca
sez do referido cereal.
(Continua)
apenas tolerando a existencia do parlamento.
E nesse mesmo conflicto, ira vado e reebide
entre monarebas e parlamento, se nao accentaa
as victorias deste a verdadeira reivindicaco da
aspiragao popular, perante a intervenco dos co-
bres.
Ao proprio Bill de Direitos, tantas vezes invo-
codo como base e fundamentos da actual consti-
tuigo ingleza, fallece completamente o carcter
accorde com instituicOes rudimentarmente de-
mocrticas, e nem a elle se pode attribuir, dentro
do qnadro das institoigbes monarchicas, regrae
bem ajuslada deoominago de lei.
A nago governada secularmente pelo poder
do soberano, sujeita desde remotos secnlos aos
dominios do privilegio nobiliarehico; dividida
constantemente, atravs de urna attribnlada pol-
tica, entre diversas dynastias, sempre apoiadas
nos representantes das casas nobres e dos anti-
gos seohores, se nao aprsenla em patente per-
sonalidade perante os lords e os principes.
Apoiamos as nossas palavras em filustre cri-
tico do Direito Constitucional Moderno, o qual
assm se exprime na parte em que estuda a or-
gem da Constluico da Inglaterra actual.
O segundo pacto o Bill dos Direitos.
Era 1688 Tbiago II =upeitado de querer *
restaurago do papismo na Inglaterra incorre no>
odio dos inglezes.
Parte da aristocracia chama ao tbrono Gui-
lherme, principe de Orange, emquanto o re
loge-
Convocadas as cmaras pela requisigo de
nma assembla de notaveis, declarara aquellas
vago o throno-
> A quem chamariam para occupal-o ?
Ao prncipe de Galles ?
E' elle o designado pela lei; mas a leiife
transgredida e como revogada.
A' falta do principe de Galles seria procla-
mada Maria, sua irm mais velha; e em falta
desta, Anna, sua segunda irm, as quaes sao
ligtimas herdeira.-". ?
A cmara dos lords, depois de pequea ne-
sitago, deroga esta ordem.
E' essa assembla dos nobres, oriundos dos
grande s senbores territoraes, privilegiados pe-
las tradiebes, notabilitados pelos monarebas e,
por vetes, derrocando o regio poder; essa an-
tinomia com todo o elemento democrtico e bi-
ce s asplrages libertadoras, essa aggreraia-
(o dos representantes do pariato qne anda ia-
terfere na constituico muoarchica do scalo
XVII.
Ella propOe conferir a dignidade regia con-
juoctamente a Guilberme e a Maria; mas so-
mente a Guilberme os poderes tffectivos do go-
verno.
A cmara dos Communs acceita sem difli-
culdade o principio e a formula; mas, por fir-
mar, a autonoma e individualidad? institucio-
nal, redige um texto em que enuncia e reivindi-
ca direitos e liberdades violadas por Thiago II,
e cuida de incorporar esse texto, a titulo de
prembulo e argumento declarago que cha-
ma GulInerme ao throno.
Quando se reflecte sobre esse periodo da mo-
narebia agleza ; quando se julga que a nacao
iuteira devera aqui resolver sobre a direcgc
dos seus destinos, transferida de mos a outras ;
quando se devera admittir, perante o preceito
dos direitos do Hornera e da delegago da sobe-
rana popular, que fossera todos os membros da
grande nago avocados a julgar e a escolber, ve-
mos qie julga, actoa, resolve e decreta a assem-
bla dos nobres, herdeiros das prerogativas, doe
privilegios, dos titulse eos poderes que se se-
param completamente da grande communhc
nacional.
TRANSCRIPCOES
Formas de governo
(Do Diario Oficial)
IX
Raz5es apenas fundadas no espirito nacional
teem historiadores e crticos, quando appellam
para a actual coostoigo poltica da monarebia
Ingleza, -.dando-a por norma das instituicOes,
que respeitam as hberdadas publicas e geram o
bero estar da nago europea occidental.
Affirmanio, como o fez o eminente Macaulay,
que a nacionalidade ingleza se conslituio, a par-
tir de 1264, com a convocagodo primeiro par-
lamento completo ; assertando que a essa data
assignala as iostituicdes do carcter e hbitos
peculiarmeme insulares, em toda a accepgo da
palavra, e concluindo que desee ponto e/ululo a
personahlade poltica do povo inglez,sob a
melhor das constituigcies a que se baja submetti
da urna grande sociedade, nao decorre desse
asserto do inexcedido critico poltico a affirma
gao de guardar a constituico ingleza os funda-
mentos, .que a democracia exige, ba seclos, e
ha seclos tem conquistado.
E' certo que aassembla dos communs,
com a sua .ppanco no mundo poltico, sellou
com certa feico democrtica as instituiges or
groadas da monarebia feudataria, e perturbada
profundamente pela lucia dos principaes com os
seus ficalgos.
Nao menos certo, porm, que alravs dessas
luctas, que a propria monarebia ferio, e sob o tj-
Bem asserta o cr.tico poltico quando, em refe-
rencia ao Bill dos Direitos, escreve:
Nada seguramente est mais distaute idea da lei do que esse acto e a sua forma
proceaaua!.
A lei um regulamento imperativo sobre
materia especil; a Declarago dos Direitos
vm verdadeiro caderno de protestos e dainos.
Duas cmaras, que se inlitulam Conveogo
e que carecem de um estatuto geral para ibes
conferir nome e direitos parlamentares, asse-
mam o supremo arbitrio.
Em vez dos tres factores constituciooaes que
devero livremente e soberanamente concorrer
em todo o acto legislativo regular, ahi esto ape-
nas condigOes apresentadas a um pretndeme a
tbrono.
A Declarago dos Direitos, em seus treze
artigos, traz irresistivelmente memoria a Iucta
travada pelos nobre3 e poderosos barOes con-
tra o rei e seus privilegios na Magna Charla, o
retemperada pela Proviso de jxford.
Si certo, como demonstramos, que nem a
Magna Cbarta, cem a citada e discutida Pro-
viso de Oxford representara, na historia pol-
tica, co;iqui8ta alguma nacional e popular sobre
as nstituigOes incompativeis com a democracia
e as consequentes victorias das classes ope-
rosas, certo igualmente que a Declarago dos
Direitos Iraz lndelevelmente esse mesmo sello,
gravado sobre as lettras de 1215 e 1264.
Confessemos, entretanto, que pelas brechas,
bem que estreitisslmas, feitas na massa do regio
poder e nos privilegios exclusivos dos senbores
territoraes pela Provifo, a cmara dos com-
muns conseguir nesta pbase, ainda bem diversa
do secnlo da instituigo parlamentar, langar bar-
reiras e oppor ,ead. s obi>'e3 ao poder sobera-
no, chamando ao parlamento a maior soturna de
prerogativas e de direitos pblicos.
Mas, si a esse parlamento, formado pela c-
mara dos lords que formularam e irapuzeram a
8olugo do problema monarchico, e pelos com-
muns que aceitaram-n'a, sobraram motivos para
arrancar das prerogativas reaes somma notavel
de poder; nao cultivou to notavel assembla
entre outros a defeza dos dous grandes direitos
a liberdade da imprensa e da consciencia.
E qnando aga oessa apparente independencia
e defeza de limitados direitos o parlamento autor
do bil de 1688?
Exactamente quindo o rei abandonara o tbro-
no, perante o odio dos sena subditos, arrastados
lucia em assumpto de conscieocla religiosa.
Nao se travara por essa occasio a mesma
Iucta que, em 1215 e ero 1264, se avigorara con-
tra o pjd< r e a pessoa do soberano; mas era
exercida a ilelimilaco ou a iovaso das attriboi-
g6es e prerogativtf reaes na ausencia do sobera-
no e perante pretenderles, provocados pela c-
mara dos lords era nome da bereditariedade
mooarcbica-
Aiuda assim, liv.-es de toda a presso real,
sem que ssciss :m constrangimento para a re-
orgamssgo nacionvl, somente das prerogativas
reaes transferidas ao parlamento cedou este,
nao ocanpvao a uaco. nato attendendo ao direito
da palavra livremoote escripia', nao desagui-
Iboando a consciencia da religio cfficial im-
posta.
As appareutes conquistas feitas pelo parla-
mento sobre as prerugaUvas e direitos reaes,
bem podem ver ju.gadas a lu da critica dessa
pnase damon&rcbt.. inglesa.
Paraanoiarmos esse asserto em autoridade re-
coohesida, tranerevernos aqu, termo a termo, a
opiniao de utu Jo> uiduibros do Iostituto de
Franca:
... Quanto s garantas estipuladas para
manutenco das llberdades conquistadas, ne-
nbnma so encontramos n?.
A.li pedem qtie os p.rlamentos se reunam
frequentemeute... Eistudo!
Ora. bem j se poder julgar da imporUnci-







rannico dominio de monarebas inglezes, essa fe-
go quasi anlqailou se; porque assim resolvern) "d I*1* ***** Kcomo oe 1664, que exi-
i




HMBMBMMM
gia ao menos urna sesso parlameatar em tres
anuos.
Qaanlo morrea Garlos II, ja mua 4 anaes
que se nao reunia o parlamento.
Que valor, pois, teria o simales voto, despro-
vido de tolas as conclicaes de mamtenao e
sancco .'
A verdadeira-garanti, igamol-o bem fran-
camente, esta va em ontra dautalai que raser-
vava aos subditos protestantes o direito de ar-
mar-se e, por ella nao 6 diflnil comptebeader
o reeurso forja em caso de oppresso.
Langava-se assim a quest&o de livre con-
sciencia perante o < Bill dos Direitos qae aos
protestantes dava meios de persegaicdes exter
minio dos membros e representantes de oatra
'crenca religiosa.
Muiio caracterstica na < Declaraco dos
Direitos essa absoluta ausencia de todo o me-
canismo sabio, de toda a coaobinaco estudada,
destinadas a assegnrar o respeto das liberiadea
por ella apenas declaradas.
A todos quaatos cuidadosamente lancatn ia-
vestisaiores olhares para a evolu^o poltica das
nagOes, e d'ellas vo apr^n leudo as conquistas
eHeetuadas eji nome dos Direiios do Hornera e
a aagraco das libe.-daies publicas, as declara-
fOes do Bill nao podem servir como prova de
Tictoria da intervengan pcpular na tiscalisaco e
na partilha do poder soberano.
AiuiaquanJo por menos reflectido, o estrilo
critico quizesse jalgar institu lo pela < Declara-
cSo a formula do governo monarcbco parla-
mentir, a evidencia dos factos, a auseacla do
parlamento o ineoor prejo que lhe votaram os
soberanos.a falta de garaullas palazra e ao voto
parlamentar annullanam promptameate esse
juizo.
Assim como a Migna Charlo. de John Lack-
land e a Provso de Oxford nao trazem a
nacoinglezaaessencia institucional le um povo
que se or'gamsa por si perante o murtdo, nem a
inlividualidade de urna grande e poderosa so-
ciedade no uso pleno d03 direitos individoaes,
assim tambern a Deelaraco dos Direitos > nao
fundamenta a norma parlamentar, to proclama
da pelos defensores dos movernos mohircbcos,
e tao desmoralisaoa por aquelles mesmos que
d'ellas se tem servido.
M\A\CIS E GOHHE01O
Carcter europeo do dficit
O Sr. Domenech y oell, iustrado pre-
sidente do Atheneu de Barcelona, em un,
trabalho sobre a questao do dficit, depois
de conaideral-o atravez da historia, pas-
sou a apreeial-o sob o carcter, que actual-
mente elle apresenta na Europa, aecen-
tuando :
c As outras naques europeas, ao menos
aquellas cu jos balancos financeiros conhe
cemos, nao se acham na mor parte, seoao
na totalidade, muito fartas de recursos
permanentes para cobrir as suaa despezas
ordinarias.
FRANA
Esse paiz, que mais alardea de prospe
ridade, satisfaz de prompto os respectivos
compromissos, e si aindr simula sobra na
liquidacSo dos seus ornamentos, nao chega
taes resultados senZo accrescentando a
sua divi la perpetua com algarismos ver-
dadeiramente inenveis.
Na verba da divida que emprehende
all como vitalicio o que equivale em
Hespanba s clasaes passivas, indicava o
crcamento de 1886 crditos era 1,195
milbes, em 1890 sobem estes a 1320,
cerca de 44 |0 do or$amento das despe-
zas ordinarias.
Leroy Beaolieu assegura,tomaado estes
dados do parecer da commiasao de orc>-
mento do ministerio da fazenda para o
anno de 1892, que no ultimo decenio de-
eorrido desde 1881, a Franca gastou an-
imalmente 500 milhSes de francos mais
do que recebeu pelas suas receitas ordi-
narias ; ou, o que o mesmo, que nesses
nltimos dez annos de paz armada, aug
mentou a sua divida com ama somma
igual que teve de apromptar para a
Alemanba depois da ultima guerra.
ITALIA
Nesse paiz, victima, mais que nenbum
outro, das exigencias u das preoecupa-
coeB que dominam a poltica internacional
de vinte annos a esta parte, nao sabemos
que admirar mais, si a intelligencia e pa
triotiamo dos seus estadistas, si a resigna-
yao patritica tambera dos povos, que sof-
frem pacientemente a miseria a qae os
condemna o peso de um ornamento com
despezas muito superiores s suas forcas.
Basta dizer qae nos ltimos dez annos,
a Italia tem visto crescer a despeza an-
nual que lhe impoo a manutenerlo de sua
forja em 250 milhSes de liras, que o or-
camento de 1890 se saldoa com o dficit
confessado de 56 milhSes, e que ella a
nacao que tem mais divida.
AUSTRIA
Nao podemos invejar a sua Btuacao
econmica, por a considerarmos mas com-
prommettida que a de Hespanha.
brigada a sustentar um numeroso ezer-
to, com urna fazenda pobre, dizem del la
os francezes, como t.mbem dizem de
Hespanha,que o dficit nao nos preoc-
cupa, porque estamos acostumado3 a viver
com elle.
Hoje o seu fiorim, que devia equivaler,
em ouro, a 2 francos e 50 cntimos, nao
tem outre valor que o de 2 francos, de
forma que o cambio para e'.les anda
mais vantajoso qae para a Hespanha.
A sua divida augmenta tambem de urna
maneira iucrivel, e, anda assim, as des
pezas do ornamento de 1881 ao de 1889
fizeram-a'a crescer una 45 milbes de do-
rms, equivale ites a mais de 112 milbes
de francos.
PORTUGAL
Desse paiz pouc j ha que dizer.
Est muito parto de nos esta irmS da
pennsula, a teve maitos recentes cou-
flictos fnanceiros, para que perguntemos
se padece, como a Hespanba da doenca
cuja cura desejamos.
PRUSSIA
Tambem d bem poucos indicios de
prosperidade.
Esta nacSo, ha muito organiaada mili-
tarmente, est convertida em um acam
pamento jlesde a sua altima guerra com
a Franca ; duplicou o seu ornamento com
despezas no espago de 9 annos, e poaco
menos qae triplicou a sua divida (1)
(1) No anno econmico de 1880 a
1881 as suas despezas ordinarias e ex-
traordinarias subir a 790 milhdes de
marcos e a sua divida a 86. No orna-
mento de 1889 a 1890 as despezas foram
calculadas em 1513 milhSes de marcos e a
divida em 210. '
RUSSIA
Da Russia vemos de sobejo que, para
sustentar, com algum decoro, o gos:o a
qae a obriga a posse do seu extenssimo
territorio e numerosa pepalacSo, contrae
dividas sobre dividas e paga aos povos
ricos, alem do juro dos seas emprestimos,
eom a esperanza da sua amiaade.
BLGICA, SUEJIA E INGLATERRA
Ha Europa alo embocemos outras na-
c5es que teuaam a faseada mais desafoga-
da que essas sema atadas.
A priateira nos ltimos dez annes nSo
elevou as uas despezas seoao com os
serrinos reclamados pala prosperidade do
paiz, e conserra a ana divida poaco mais
ou menos estacionaria ; de maneira que
Diario de Pernambuco Quinta-feira 28 de Janeiro de 189%
esta nao ligara seaao em cerca de 30
sobre o total do ^rgamento.
Os reinos unidos da Suacia e Nomega,
que tambem nao augmentaram as suas
divilas n;ste periodo. ^
A Gran Bretanha que apazar do aug-
mento de suas despezas, desde o anno de
18SI at hoje, pode diminuir a connigaa-
c,3o por meio de juros e aonrtisaclo de
su divida em l milhes de libras
sterliaas.
Deste rpido go'pi de vista pelos orja-
mentos das mais importantes najls de
Europa, podemos bem ded izir que o d-
ficit nao ejmente existe em Hespanha,
mas que enermidaie reinante e bastan-
te generalisada na Europa.
REVISTA DIARIA
Lju'u de Arte* e Offlclon-A congre-
gado los p.-oftssores desse estaoelecimento de
loslrucgo popular rt une se boje s 6 1/2 boras
la tarde, abra de deierminar o Horario das aulas
no correte anno, bem como de oceupar-se de
oatros assumptos disciplinares.
Vlteonde de PelotasEsse general fez
publicar a seguate deelaraco pela inprensa
Riograadense do Sul.
Resolvido a retirar-me da vida politiza, cer
to de oo causar menor embaraco ao par ido em
que militei, venbo agradecer penborado aos ineus
dignos co-religionanos as inequvocas provas de
ap-p(o e conflanja qae dispensaram-me Devo
anda declarar, que nao sou levado a esta reso-
lucao por motivos de desgostos com os meus
companbeiros polticos, tendo pelo honrado ge
neral governador desie Estalo, men velbc amigo,
a maior onsideraco pelo sea nobre carcter e
servigo3 patria; merecendome igualmente
seus auxiliares todo o apreco e estima.
Es>a deelaraco, que nao era eoperada, causoa
admirago.
Club Republicano da Torre-Rene
se noje s 6 boras da tarde esse Club em sesso
extraordinaria.
titulo d advsgados de H. Pau
loEm reumaj desse Instituto, no dia 10 do
correle, loi apresenta Ja pelo Dr. Joo lonteiro
proposta, para serem resolvidas pelo mes no
ln.-titu'.o estas questes :
i.* 4 vista do disposto no art. 83 da Constitu-
gao Federal, vigoran os decretos diclatoriaes do
goverao provisorio alterando leis antrlores t
1 que o Instituto examine a Constituico Fe-
deral, le do orcamento e regulameato de Estado
sobre a taxa do sello a&m de resolver se deve
ser exigido sello estadoal em papis do foro,
transaeces privadas por esenptara, lett-as, val
les, ebeques. etc., ou se deve continuar a taxa
do sello da Unio.
O Dr. Paalo Egydlo propoz qne se oomeasse
urna ccmmisso para estudr comparadamente o
Cdigo Commercial actual com o revogalo. Pe
dio tambem parecer sobre as seguiotes ibeses. i
1.* qual o espirito que di mina o novo systema
criminal penal do novo Cdigo '
2 em qne escola se inspira?
3.' qaaes ai vantagens sobre o Codiijo revo-
glo ?
4.' qu:e8 os seas defeitos ?
Prximamente reunir se ba o Institcto para
resolver sobre as questes apresentadas.
Superior Tribunal de JutlcaPelo
Sr. Dr. Ger>asio Campello Pires Ferrelra, presi-
dente do Superior Tribunal, foram nomeados para
a Secretaria do mesmo, os seguiotes emprea-
dos :
AmanoeneesAntonio Correia Gomes de M-
meida, qae exercia igual cargo no extneto Tri-
bus >l da Relacao e Antonio Pereira Cotrim, cojo
legar, foi Llanamente creado.
PorteiroMatbeas Eagenio Peixoto, antigo
continuo.
ContinuosVicente de Oliveira Lima, ex-con-
tinuo do antigo Tribunal, e Maximiano le Sjuza
Pim-ntel. que exercia ba 17 aanos o cargo de
omcial de justica deste Tribunal
fficiaes de-mstigaAllomo Sonto de Araujo
e Cnristiano Eagenio Peixoto, o primeiro dos
qaaes j exercia o mesmo cargo no extiacto Tri-
bunalie o 2. foi comeado na vaga abert;. por Ma
i; miao Pimentel, que passoa a oceupar o logar
de continuo.
a.* promotor! publicaO 3." promo-
tor publico do Recife pode ser encontrado ra
15 de Novembro n. 63. t.- andar, sa.a ca frente,
das 10 s 2 boras da larde.
I.* promotor! publica do Beclfe
0 !. promotor publico do Recife pode ser fn
contrado das 10 s 2 boras da tarde, no cartorio
do i.- escrivio do crme, ra 15 de Novembro,
n. 45, 1.' andar, sala de detraz.
FallecimentoEm consequencia de urna
gangrena fallecen hontem o babil :y;>ograpbo
Miguel Leoncio rereira da Silva que exjrcia em
nossas officinas, na mais de 20 annos, com In-
teligencia e pericia, os misteros de sua pro-
Beato.
Era solter), contava certa de 40 amos, e na
classe de que fazia parte gosava de inte ira syn-
pathia pela Ibaoeza de seu carcter.
Profaadatnetite penalisados pela perca de um
eompanbeiro que comaoszoparulbava as vicissi
tules da vida jornalista, cooperaado ce m o seu
traoalbo material para o progresso deste Diario
apresentamos familia do tinado os nossos pe
zames.
Outro No arraballe do Chacn fallecen hon-
tem D. Felicia Fooseca de Carvalbo, consorte do
Sr. Francisco Pialo de Carvalho, emprigado do
Gymnasio Pernambucano.
A este Sr. apreseutamos os nossos entimen
tos.
Reorganlwaro da* repan< oes de
Faieada tederaeaDiz o Templ constar,
que o Sr. mioistro da fazenda tem muito adan-
tala a reorganlsacjo das repariiOs le fazen
da, em virtule daqual sao supprimidas todas as
theaourarias dos estalos.
jEm consequencia dessa snppresso devem fi-
car addidos ao ministerio da fazenda mais de
quatro:enlos funecionarios.
Circular do Nlnlaterlo da Faienda
0 Sr. ministro da fazeada recomn odoa aos
Srs. inipactores das tbesoarariaa de fateala
que, com a maior brevidade enven secretaria
daquella minirlerio novas relacOes do.-i empre-
gados das mesmas thesoararias e d-as reparti-
ctOes que ibes sao subordinadas em suostituico
das que remetteram em cumprimento da circu-
lar n. 7 de 23 de Janeiro de 1899, as juaes de-
vero ser assignadas pelos respectivo cnefes e
conter as datas do oascimeato de cadaempre-
gado, das nomeagSes, posse, exercicio dos di-
versos logares que teaham servido, das liceo
cas concedidas, com declaraglo, e o_ dia em qu
principiaram a gosal as e da em qae -eassuni-
ram o exercicio de suas fanccO^s das commis-
sOes qae desempeabaram, dos actos qie os no-
mearam parellas, juando principiaran a exer-
cel-as e qaando as termiuaram; tinalaiente, das
demlssec, suspensojs e ontros quaesc;aer actos
occorridos durante a sua vida publica, at 31 de
deiembro prximo dado, qae possam .formar
urna verdadeira f de olfico, no3 tormos do
art. 6 do decreto n. 172 de 21 de jt.neiro da-
quelle anno, apresentando os empreados que
tenbam servidos prestados em outras mparticoes
geraes, provinciaes ou estaduaes e mnoicipaes,
e os documentos que provem taes servidos. ,
Igualmente recommeadoua fiel ot serva icia
da parte final da ctala circular, relativamente
s alteracpe que se forem dando no pussoal das
referidas repa tices.
Haectrno Levy-No da 17 deste mez
fallecen repentinamente em S. Paulo > Maestri-
no Alexaodre Levy, caja morte tem sido muito
sentida.
Era aater da Samba e de' outras composi-
coes mosicaes apreciadas.
lulso de Orpoaos e tan atea0
Dr. Francisco Al tino Correia de Ara ajo, digno
joiz de orpbos e ausentes, da as su;.s audien-
cias as tercas, s 11 horas do dia e despacha
diariamente em seu eseriptono ra 15 de No-
vembro n. 49, sala de trai.
Exeqaia Ell'ctuam-se boje, pelas 10
boras do da, o ofihio faaebre en memoria do
Sr. D. Pedro de Alcntara, na egraja parochial
da Boa-Vista.
Para este Um achase luxaosameate paramen-
tado aquelle templo que apresenta am aspecto
imponente e grandioso.
Para maior realce deste acto da piedade e ver-
dadero tributo a to illas re morto, a Associa-
gSo Comnercial pede e espera do commercio
d'esta praga o feehamento das portas.
t' esta a occasio das autoridades civis e mi-
litares d'este Estalo esqueceado por instante
certas incompatibilidades polticas, irem com a3
suas presencas render um ultimo e puro preito
de patriotismo a meuuria daquelie que, sobre
tu!o, foi amgranle amigo dos brazil iros.
Banco PopularAcbanJo se boje fecha-
da a Associajao Commercial Beoelieeate, resol-
ve esse Banco transferir para amaub s 11 bo-
ras i rranUo d^ assemla geral dos respecti-
vos accionistas, convocada para hoje.
firaduaede* de potitosPor le do Con-
gNMO, sanccionada no dia o do correte, e de-
creto n. 29 de 8, tamben do correte, sao con-
feridas aos ofliciaes da rmala abaixo mencio-
nados, as graduales dos seguin'.es postos :
almirante, os vicealmirantes baro do Lda-
no, baro de Santa Martba, Antonio Manoei
Fernandes, Fortunato Foster Vidal, baro de
Teff, Ignacio Joaquim da Fonseca e Basilio An-
tonio de Siqueira Barbedo. ^sjpj
Vicealmirante, os coutra-almiraotes Luiz da
Cunba Moreira, Jos Nolasco da Fontoura Perei
ra da Cunba, Salustlano Caetauo dos Santos,
Ji s da Cunba Moreira e Bernardiao Jos de
Qaeiroz.
Contra-almirantes, os capules de mar e guer-
ra Jeronymo Pereira de Lima Campos, iFellipe
Orlando Sbori, Jos Mana do Nascimeoto, Anto-
nio Joaquim Moreira Marques e Manoei Lopes
Santa Rosa.
Capitao de mar e guerra, o caplto de fragata
Tell Jos Ferro.
Quento do connul portogaea no
RioO conseibo da cmara civil do tribunal
civil e criminal proferiu o seguinte accorlo na
e^ecoco de Benjamn Lelte de Sonza, tutor da
menor Julia, contra o consulado portuguez :
Vistos, relatados e disentidos estes autos,
julgam improcedente olancamento requerido a
lis. 35 e annullam o processado le fh-; pois,
embora o cnsul, en muitos casos, possa ser
um depositario judicial, nao pode como tal ser
tirio, diante da bypotbese dos autos.
De facto, se Benjanio Le te de Sonza, como
tutor da menor Julia, nao se conformando com
a senlenga de lis. 99, que bomologou a c-nta
que o consulado portuguez aprese otou a tita
lo de despeas feltas com a arrecadac&o do es-
polio do subdito de sua naco Joaquim Ferreira
da Si va, della appelloo, seoappellado procu-
rando justificar aquella conta, arrazoou na corte
de appellacSo; se apezar dessa, aquelle tribunal,
dando provimento a semelbante recurso, refor
moa a sentenca appellada, se assim julgando
approvou a conta do appellaote alls. 90v.,e
coodemnou o consulado portuguez a entregar
dita menor a quaatia de 3:725i73, importancia
do saldo demonstrado; coocludente que, diao
te de taes factos, o cnsul portuguez nao p Je
ser considerado um depositario, e sim urna
parte vencida, contra o qual deve proceder-se a
execuco do accordo e a cujas consequencias
tem de sujeitar se, como qualquer outro execu-
taflo.
Visto como em materia de semelhante nature
za nao ba privilegios que exima ao vencido do
pagamento a que foi condemnado.
Por taei fundamentos, assim julgando, man
dam que o citado accordo seja fielmente cum
prido, pelo modo prescripto nos Caps. Io e 2* do
T. 3 do Dec. Com. n. 737, que trata dasexe-
cucGes da; seotencas, de vendo, entretanto, o
juiz da instroeco ter em vista o disposto no art.
49 do regulameato a que se refere o decreto n.
855' de 8 de Novembro de 1851; e, caso se ve-i-
que alguma das bypolbeses do art. 525 do j ci-
tado decreto, nao pode realizar a medida all
meemo indicada, seno que previamente solicite
do governo geral a necessaria autorisaco, nos
termos do ar. 18 do mesmo regulamento, de-
vendo a 80licitaco ser acompanbada da cert;
dio do accordo exeqoendo e de todos os docu
meatos qae possam servir de esclarecimento
verdade dos (actos e triumpbo da Justina, cas-
tas atinal.
Rio, 11 de Janeiro de 1892.Das Lima, pre
sidente.Lima Santos, Costa Franca e Ventura
Leite (/encido).
Hispo diocesanoComo annanciames an-
te-honiem a sua entrada solemne na Cathedral
de Oliuda S. Exc. Revma. D. Joo Esberard.
Na caplliuba de S. Sebastio no Varalouro,
foi-lbe entoado um Te Deum. dirigindo-se d'abi
S. Exc. para a S, acompanbodo procissional
mente por grande numero de irmandade e con-
trarias seguidas de tres bandas masicaes e enor-
me massa de fiis.
Ao ebegar na S foi S. Exc.recebi Ja com as
honras ecclesiasticas a que tem jus e abi o aguar-
davam o caoide e crescido numero de represen-
tante do clero secular e regalar.
A entrada solemne de S. Exc. na viainba cl-
dade deve-lbe ficar em memoria pelo muito qae
se esforgaram os habitantes d'alli para tornal-a
faustoa e magnificente. ^adS **
Instituto Arcbeologlco e Cleogra-
pbico PernambucanoEm sua sede e s
boras do costme reune-se hoje em sesso ordi-
naria esse instituto.
ClroeSegundo telegramma expedido do
Rio de Janeiro a agencia da Mala Real nesta ci-
dade, sabio esse vapor d'aquelle porto ante-
bontem s 4 boras da tarde.
Gremio Recreativo FamiliarAnova
directora dessa sociedade acha-se composta
deste modo:
Presidente e vice ditoAugusto Teixeira e
Pedro de Mello Mascarenbas.
SecretariosO iorico Alves da Silva e Jos
Bruno Los Wanderley.
OradorRodo! oho Pereira de Burgos.
JrocuradorManoei de Barros Queiroz.
Tendo-o elelto recusado p cargo de tbesou'-eiro
ser procedida nova eleico para sea preenebi-
mento em eesso marcada para amarina.
Assoclacao Beneflcente fttude e
PraternldadeRecebemos o retatorio an-
imal apresentado pelos trlamviros e directores
de sa associaco, acompaahado dos exemplares
dos decretos de ns- 1 a 4.
Agradecemos o obsequio do digno triamvirato.
Casamento el vil No juizo dos casamen-
tes do Io districto foi lido hontem o seguate
proclama:
Segundo
De Antonio Jos Bezerra Cavalcaute, com Mara
do Carmo Mello e Silva, solteiros, moradores a
fregoezia de Santo Antonio.
Villa de Corrate*Em data de 24 do
correte nos dtngiram a segainte local:
Teado regresado ao da 10 do correte para
o Recife o oosso amigo tenente Augusto de Mo-
raes commissaro aomealo para este municipio,
passoa o commaado da forga ao Sr. alteres Ma-
noei ftibeiro Pontea, que, por sua vez. tambem
retirou se para essa capital onde foi solicitar o
titulo de teoente do corpo policial para o qual
foi ltimamente nomeado.
Con a retirada do alferes Poates licou ace-
pbalo o destacamento aqu estacionado, o que
torna necessaria a adopeo de urna providencia
argente.
Os recem-nomeados nao tendo at agora tirado
03 respectivos titulas talvex nao aceitem no-
meaces.
bequesA casa Ramos Salgado* C.,
praga di Independencia acaba de recebor uns
lindos leques de papel bordados.
Acbam-se venda pelo prego de 1*000.
Agradecemos o mimo qae de um nos foi feito.
Deposita de keroseneSscrevem-nos:
Tendo de efectuar se at o fim do corrate
mez a remoco dos depsitos de kerosane para
as ilbas designadas na postara do 14 de Novem-
bro, conforme decidi a intendeacia desta cida-
de, os negociantes Ferrelra Rodrigues & C, Joao
de Aquino Fonseca e a Compauhia de Estivas,
grandes importadores, ttzeram recolher no tra-
piche do Nogaeira 17 mil caixas daquella mer-
itoria, havendo all deposito superior a vate
mil caixas.
aervrleo militarHoje superior de dia
o Sr. capito Leoncio, e faz a ronda de visita
am subalterno do 2* batalbo.
O 14* batalho de infantaria dar a gaarnicfio
da cidade, excepto a guarda do Thesouro, que
ser dada pela polica.
Faz dia ao quartel general o armouence Wan
derley.
Uniforme o 6.
Inspectora do 9. dlstrleto
timoRecife, 26 de Janeiro de 1892.
Boletim meteorolgico
marl-
o
1 Horas a a o tu au -o fio" Barmetro a 0 Tenso do vapor o a t 1 s 33
6 m. 27,0 757-61 13,42 70
9 28,-1 758-51 19.71 70
12 28. 8 738-11 20.24 69
3 t. 28 "6 755-86 19 M 67
6 28,3 756-49 19,50 68
Temperatura mxima 2V23.
Dita mnima -26,'50.
Evaporago ern 24 horas: ao sol7,"2;
sombra 5 -6.
uuva uuila.
Direcgao do vento: E e ENE alternados de
meia noite at 1 hora e 40 minutos da raana ; E
com mterrupges de ESE e ENE at 2 horas e 5
minutos da tarde ; E e ESE alternados at meia
noite.
Velocidade media do vento: 3,-77 por se-
gundo.
Nebulosidade media : 0.-32.
Boletn do norto
- -z |5 S s P. M. B. M. P. M. Das lloras Altura
6 de Janeiro 26 27 217 da tarde 841 253 da manb 2-08 0-63 2-12
LnilesEllectuar-se-nao os seguales :
Moje:
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra da Santa
Cruz n. 60, de movis, louga*, vidros, etc.
Pelo agente Gusmo, s 11 boras. praga do
Commercio (Lingueta) de vacca tourina com cria
e oatra da ierra, e de um rico escaler appare
Ihado de metal com seas pertences.
Peio agente Brit'.o, s 11 boras, ra do Ara
gao n. 17, de urna armago, balan gas e mais
objectos da taveroa ahi existente.
Amanh:
Pelo agente Stepple, s 11 boras, ra do
Dr. Joaquim N ibuco, de urna casa terrea.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, em Jaboato,
de am terreno e cavallos.
fissas fnebresSerio celbralas
Hoje :
A's 8 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma de D. Mara Emilia Bezerra Neves ; s 8
horas, na matriz da Boa Vista, pela alma de Jos
Francisco dos Sanios Almeida. -*& Jt
casa de Detencdo Movlmento dos pre-
138 da Casa de Detenco do Recife, Estado de
Jernambuco, em 26 de Janeiro de 1892
Existam 365, entrou 13, sahiram 17, exis-
ten 36.1
A saber :
Nacionaes 327, mulheres 11, estrangeiros 23
-Total 361.
Arracoados 307.
Bons 295. ,-*-
Doentes 11.
Lonco 1.
Louca 0.
Total 307.
Mov ment da enfermara
Teve alta :
Maooel Joaquim Ferreira da Silva.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
ment por 91 pessoas, sendo homens 34, emu-
lbere8 57.
Lotera do Estado do Maranbao
Por telegramma recebido pela Casa do Ouro,
I este o resultado da 13* serie da 6" lotera, ex
trahida a 27 de Janeiro :
Manoei Paschoal, Pernambuco, 50 annos, casa-
do. Boa Vista; alcoolismo-
Joao Francisco da Costa, Rio de Janeiro, 43
annos, Bolteiro, Boa-Vista; rneumatismo.
Mauricio Torquato D., Pernambuce, Graga ;
sypbile cerebral.
Um feto (eminino, Pernambuco, Boa Vista.
ssr.i
300:000*000
8454 12:500*000
9305 7:500 000
3949 2:500*000
5305 2:500*900
7016 2:500*000
3238 1:250*000
4732 1:250*000
4760 1:250*000
5633 1:250*000
5961 1:250*000
7558 1:250*000
8525 1:250*000
9969 1:250*000
APPROXIMAQOES
2858 1:500*000
2860 1:500*000
8453 1:000*000
8455 1:000*000
9304 500*000
93C6 500*000
Esto premiados com 375*000 os seguintes
nmeros :
2851 2854 2857
2852 2853 2858
2853 2835 2860
Esto premiados com 250*000 os seguintes
aumeros :
8451 8455 8458
8452 8456 8459
8433 8457 8460
Esto premiados com 125*000 os seguintes
aumeros:
9301 9304 9308
9302 9306 9309
9303 9307 9310
Todos os nmeros termmadose em 9 esto pre-
miados com 125, excepto a sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 4 esto pre-
miados com 125*, excepto a sorte immediata.
A seguate lotera corre no dia 3 de Fevereiro
de 1892 com o mesmo plaso.
Hospital Pedro IIO movimene deste
estabeleciraento de caridade, do dia 25 de Ja-
neiro, foi o seguinte
Existam 586
Entraram 23
509
Sabiram 5
Falleceram 4
Existem 600
509
visitadas as enfermeras pelos seguin-
A campanha da mentira
A Provincia de hontem veio em defesa do cor
respondente telegraphico do Diarto do Commer
ci por nos acensado como falsificador de noti-
cias, i
A conte3tago opposta ao nosso artigo symbo-
lisa urna especie de prova de atteogo para com
o referido correspondente, sobre o qual pesa a
macula de nao ser estricto respeitado: da ver-
dade.
E a propria Provincia nc3 fornece elementos
para a accasago qaando, defeadeodo o sea col-
lega correspondente, se pOe em contradiego
com os termos dos tetegrammas que ante-hoa
tem citamos.
Diz o telegramma:
----- as metralhadoras anda se conservam em
frente ao palacio .
A Provincia, porm, querendo defender a io-
verdale, mosfa a sua impossioilidade qaando
afirma.
.... se conservam no andar terreo do palacio
as metralbadaras ...
Ha ou nao contradiego palpavel entre o tele-
gramma, entestado e a sua defesa.
Faltam ou nao verdale esses bomeus que
nem ao menos confirmam as falsidades que in-
ventara ?
Mas alm d'esse tpico que a Provincia se en-
carregou de destruir, alm d'esse ponto de um
telegramma, refut-do pela propria folba que to-
mn a empreitada de defender o seu collega, cor-
respondente do Diario do Commercio, outras in
verdades existem nos telegrammas alludidos
inverdades que so para nao prodnzirem effeito
fra vamos boje apontar.
03 insultos pequenino3, caracte-isticos da he-
diodez de sentimentos da gente que redige o
Corsario, contidos no alludido artigo nao nos
attiogem, porque nao a baba dos mistins qae
consegae marear a reputaglo des qae tem di-
gnidade e carcter.
Mas, antes de tudo passemos deslruicao dos
referidos telegrammas:
Racife, 14.
Foi pouco concorrido o meeting realisado
bootem as Cinco Ponas, a convite do subdele-
gado de Santo Antonio, estando presentes inul-
tos soldados de liaba disfalcados .
Se porventura o bobo que se presta a mentir
to impudestemente j nao estivesse to identi-
ficado com certa .gente era o caso de o mandar
de presente, aos redactores do Corsario como um
til e aproveitavel elemento campanha da
mentira e dos boatos eocetado pelos despei
tados.
O meeting commemorativo do dia 13 n? foi
convocado pelo digno subdelegado de Santo An-
tonio, mas por diversas assncucGes repblica
as, no numero das quaes se achava a patritica
(/rucio Cvica, de que o referido cidadio um
dos directores.
Muito concorrido, o meeting foi puramente po
pular e ninguem a nSo ser o correspondente do
Diario do Commercio vio soldodos de linha dis-
famados.
Mas nao; os homens apelados do poder querem
a todo transe langar maculas sobre a farda glo-
riosa do soldado brazileiro, que nao serve de
instrumento e paixes polticas.
Alm de falsa a referida allegago calum-
niosa.
Outra mentira a segainte:
Segu amanb para o Cear a bordo do cru-
zador Liberdade o general Ourique Jacqae3 acom-
panhado de forra de linha. Consta que a ida d'es
se general para assumir o governo a'a juelle
Estado .
Mas... meu Deas, at qae ponto de rebaixa-
mento moral condazem o despeito e o odio ?
Onde e cono souberam o correspondente do
Diario do Commercio e seus companbeiros '.-l
Provincia que o general ia acompanbado de for-
ja, para assumir o governo do Cear ?
O que todos sabem, o que publico o qae o
brioso general Ourique Jacques foi ao Cear
simplesmente acompanhalo por seas ajodaates
de ordens para abalar a insubordinago de al-
gn s olliciaes do 11 batalho, os quaes desres-
peitaram urna ordem de um seu superior, o ge-
neral Boy s.
E anda no outro dia os escriptores do Corsa-
rio telegrapbaram para o Rio dizendo que o ge-
neral tora acompanhado de um forte contingen
te de linba 1...
Probpudor !...
PERNAMBUCO
Associaco dos Emuregados na
Commerelo de Pernambuco
BALANCKTE KM 31 D DKZEMBRO DB 189L
ACTIVO
Insignias. 44S80O
Movis. 2140500
Fianga. 100*000
Lustre e encanamento do gaz. 86,0000
Caixa. 5$990
Despezas geraes. 594041a
Letras bypothecarias do Banco
Emissor. 2550000 ''%
Banco Popular ens. conta cor-
rente. 1000000 .
1.4500700
PASSIVO
Capital. 5880700 ! 8
Diplomas. 33SOOO 4
Joias. 395$OCO
Socios remidos. 15,5000
Mensalidadee. 4190000
1.4500700
S. E. & 0.
Recife, 23 de Janeiro de 1892. 1
Servindo de 2." secretario,
Ildefonso Pinheiro. -
SPORT
A directora do Hippodromo do Campa
Grande multou, por irregularidades com-
mettidas na ultima corrida, aos jockeya
Deolindo e Balbino Benjamn, esta em
500000 e aquelle em 100*000.

Em Lisboa, o Hippodramo de Belem
fez a sua corrida no dia 6 docorrente com
grande anima<;So.
O dia esteve urna maravilha e assim a
concurrencia aquelle local foi copiosa e
por dos motivos attrahida : pelo diverti-
mento hippico e pelo bello panamorama
que d'alli se disfructa.
Foram vencedores; no 1. pareo, Ra-
kir; no 2., Almeirim; no 3., Laranja;
e uo 4., Othello.
A corrida desse ultimo pareo foi consi-
derada como urna das mais bonitas que se
teem dado em Belem, vencendo Othello
por meio corpo a Astro, e este por igual
distancie a Mondariz ; o que promoveu ca-
loroso enthusiasmo.
Na referida corrida tomaram parte Ra-
kir. do Sr. Jos de Castro e por elle
montado; Ready, do Dr. Antonio de Al-
meida e Lencastra e, montado pelo Sr.
Jayme Montaveme; Jack, do
Lobo de Vasconcellos e montado
Jos de Mello; Almeirim, do
capito
por D.
tenente
Teixeira Botelho ; Kilome1.ro do Sr. Lobo
de Vasconaellos; Isaac, que nSo correa,
de S. A. o infante D. Affonso; Laranja,
de Dr. Jos LeitSo de Serpa Pimentel;
Othello, tenente QalvSo e montado pelo
mesmo ; Astro, do conde da Ribeira Gran-
de e montado D. Vicente Zarco da C-
mara ; e Mondariz, do Sr. Jos Bergar*
e montado por D Jos da Sabugosa.

No fStud-book> das sociedades Jockey
Club, Derby-Club e Turf-Club acabara, de
ser inscriptos os seguintes productos, as-
cidos na estancia do Serr, no Estado do
Rio Gnude do Sul, de propriedade da
disticcto criador o Sr. Dr. Victorino Mon-
teiro :
Flor de Liz, Bonne Chance, Diplomata-
Tartufo, Cambor, Mentor Vaidoaa,Joan-
hisberg, Esperanja, Moema, Vespertina,
Girondina, Boceado Nacional, Bandeiran-
te, Tocantins, Nitouche, Pandeiro e Cas-
telhano.
Todos estes productos sao flhos do ex-
cellente garanho Emile II, por Contro-
versy e Emissa, sendo os tres primeiros
de tres quarto de sangae.
Brevemente serlo inscriptos oatros pro-
ductos do mesmo garanho.
UM POUCO DE TUDO
tes Urs.
Moscoso entrn s 81/2 horas da manb e sa-
1 bio s 9 1/2.
Pontual eatrou s 10 da maab e sanio s
10 1/2.
Sim.533 Barbosa entrou s 10 i/4 damanh e
sabio s 11.
Berardo entrou s 10 3 i da manhS e sahio s
11 1/2 boras.
Silva Ferreira eatrou s 103/4 da manb e sa-
bio s 11 i/2.
Mavignier eatrou s 9 1/2 da manb e sahio
s i i.
Fernandes Barros entrou s 9 3/4 da manb
sahio s 11,.
Arnobio Marques entrn s 9 3/4 da rnanha
e sahio s 11.
Andrade Lima entrou s 10 1/2 da manh e sa-
bio s 11 1/2.
Pharmaceuco eatrou s 9 1,2 da maab e sa-
bio s 3 horas da tarde.
Ajadanle do pbarmacentico entrou s 8 da
manb e sahio s S 1/2 horas da tarde.
Lotera do Estado do .rao Para
A 1.a sene da 51* lotera, deste Estallo cujo
premio grande de 210:000*000, ser extrablda
ao da 30 de Janeiro (saobado).
Lotera do Maraau -A 14* serie da
6a lotera deste Estado, cojo premio grande
de 300:000^000, ser extrabida no dia 3 de
Fevereiro (quarta-t'eira).
Cenalterlo PublicoObituario do dia 26
de Janeiro:
I .latina de Souia M-, Pernambuco, 59 aoaos,
casada, Boa-Vista; paralysia geral.
Luiz Cesario do Reg, Pernambuco, 74 annos,
solteiro. Santo Antonio; pneumona.
Aadr Jos Feliciano, Pernambuco, 70 anuos,
viuvo, Boa-Vista; artero sclerose.
Urna cranla do sexo masculino, Pernambuco,
Recife; ao oascer.
Baedma, Pernambuco, 3 metes, Recite; a-
threpsia. 5 _jfM
Outra mentira a allegaco de que a junta es-
t demittindo, em grosso, aos funecionarios p-
blicos.
A nao ser a detnisso de um ou outro faccio-
nario (eremos qae nao chega a 10) a junta se
tem limitado a reformar o pessoal policial (que
nao fuaccioualismo publico) e a exonerar ra-
ros promotores.
Nada mais.
Apezar disse, porm, a gente d'.l Provincia,
diz qae as folbas offieiaes tem vindo prenhes de
demissoes de funecionarios.

0 Corsario, indo em apoio do sea amigo, cor-
respondente do Diario do Commereio que se tem
tornado o receptculo de calumnias, affirma que
no dia 18 chegaram a esta capital levas de tra-
bajadores de engenho. '*5B <$BD
i.Quando fosse real essa allegaco devem os
demcratas saber qae am trabalhador de en-
genho, hoje, um cidado tanto ou mais patrio-
ta e honrado do que muita gente qae anda os
tentando fldalguia avariada;6 um homem que
a casta do seu auor anfere honostamente os meios
de subsistencia e qae nao sabe os meios de se
enriquecer du toir a malin.
Agora depois de talo isso diga o publico im-
parcial ge temos ou nao razo em fulminar com
o e8tylite de aossa acrimonia os tartufos ebis-
triOes que calcando aos ps a verdade querem
passa'r por gente honrada e criteri03a.
A opinio publica, cujo apoio nos serve de es-
cudo, que ajuite desses mercadores que a fortio-
ri, querem continuar a profanar o Templo de
Justica, da lei e da Verdade 1...
Est hoje s claras, diz a Reforma da
Roma, o insuccesso da to decantada pe
regrinagao internacional da juventude ca*
tholica.
Oa monsenbores da commisaao geral
julgavam que o numero dos jovens estu-
dantes peregrinos subase a cerca de....
10,000, e nao tinham nSo s '< nado a noti-
cia do Papa como tambem feito apregoal-a
por toda a parte.
Mas o resultado foi inte:nn>ente diver-
so disso, nao ezcedendo os peregrinos da
mocidade catholica de doas mi, da moci-
dade propriamente dita, pois que sobre
cem peregrinos, apenas se contavam sete
jovens.
Pela maior parte aiT.uiram a Roma oa
curas d'almas e os reitorea dos seminarios;
e estes procuraran! arrastar comsigo reba-
nho que lhe estava conado.
Estivo esta manhl com dous padres ita-
lianos, ou naacidos na Italia, os quaes
tendo em mim reconhecido>um jornal3ta
e por isao obrigado a tomar notas, me fi-
zeram primeiro mil confidencias.
Um delles de Catania, disse-me que a
peregrinando tinha completamente aborta-
do, e que fazia pena ver qae do restabe-
cimento do poder temporal do papa hojo
s se oceupassem os velhos pois que a
mocidade liberal at a medulla.
* A Sicilia, accrescentou, nem quiz de
forma alguma contribuir para a romaria.
De Catania nSo fizemos parte da pere-
grinayao se nSo eu, e um outro padre e o
reitor do Collegio dos Luigini: de Paler-
mo reuniram se s sete peregrinos e quasi
todos padres.
E depois continuou .* As Univerjidd-
des da Sicilia nSo deram aenhnm contin-
gente de estudantes perigrinosum s
professor veio o Carnnoaia De Luca.
E de facto o insigne professor da real
Universidade de Catania passeiara com-
pungido pela igreja em frak e gravata
branca.
E' de Adnilo :
VolnTel
(A'Julio Bello)
A' principio, Thereza, tu me davas
As roxas violetas do jardim.
Sempre olhavas sorrindo para mim,
Oa para mim sorrias qaando olhavas.

,


i



I
-
.
I






-
\
m
Diario de Pernambucb Quinta-feira 28 de Janeiro de 1892
Conmigo tu as vesos conversavas
Por oertoa signaesinhos combinados ;
Quando, porem, estavamos zangados
c Uro. riso por consol tu me davas. >
Mas como a borboleta descuidoaa,
Entre as florea do prado maia selectas
Vi vi beijando o clice da rosa,
Assim vives das flores predilectas
Escjlhendo as mais lvidas violetas
Para adornar as frontes dos poetas.

Urna menina obrigada a casar por im-
posicZe da familia antipathisando formal-
mente com sea noivo recebe deste nm
um bello presente rico e delicado.
Que bello Que rico Que deli-
cado, exclama a tontinha.
A m3i com ternura, aproveitando o mo
ment psychologico :
Ora vamos, ilha por que motivo nSo
has de gostar tanto do cfuturo* quanto
gostas do presente ?
O Bernardo calcava urnas meias.
Nao ves que ests calcando as meiaa
pelo avesso ? observa-lhe um amigo.
Bem vejo, homem e faco-o de pro-
posito.
Supersticao no caso, hein ?
N?o porque do direito ellas estSo
cheias de. buracos.
Um ex-empregado do foro foi antebon-
tem com a filha ao Jardim Zoolgico :
Chegados em frente de urna colleccSo
de jacu's e jaeuticgas, o homem excla
mov :
__ Minha flba, admira estas soberbas
aves.
E, voltandc-3e para o guarda aceres-
senta com ar de conhecedor :
Estas aves perteucem a familia das
gallinceas, nao verdade ?
No, senbor responden o guarda,
pertencem ao Jardim Zoolgico.
N um processo de adulterio :
Mariio. Ao terminar, pedir-vos-
hei, meus senbores, toda indulgencia para
o reo.
Juiz. V Um pedido destes, da parte
do marido ultrajado, pouco commum.
Marido, Vou lbe explicar Sr. Pre-
sidente ; nSo posso deixar da ficar igra-
decido ao Sr. X. por me ter livrado de
minha mulher... NSo podis imaginar
que mnlher ella ... portante nao posso
odiar aquelle que me prestou o servico
de me fornecer um pretexto para divor-
ciar agora .. portanto, meus senhores,
peco indulgencia, muitr indulgencia!...
Presente
E' tal a variedade, que se pede nada compra
rem para tal flm, sem primeiro visitaran.
Au Paradis des Dames
CORTES DE VESTIDOS
Em seda, l e cmbrala branca bord dos gran
de sortimento recebem
________Au Paradis des Dames
Chapeos e capotas-
Alia moda em Pars retiroa o'Alfandega.
Au Paradis des Dames
MEMORIAL
NNGUL.M D& VE COMPRAR
Artigos de cbapelaria ou flores, plumas, veos,
gases, rendas, etc.. sem fazer urna visita a Cba-
pelaria Rapbael, onde se encontra tempre todo
qnanto, nesses artigos, ba de melbor e mais
moderno.
2Ra do Barao da Victoria2
Rapbael Das C.
CORTES DE VESTIDOS
Em cacbemire
Voile de la.
Batiste.
Levantine.
Receben um chic sortimento a
LOJA DO COELHO
56 Ra ua Imperatriz
SEDAS SEDAS!
Acabam de retirar da alfandega om esplendi-
do sortimento em sedas prelas e de cores, ver-
dadeira novidade
Domingos Coelbo 4 Soares
LOJA DO COELHO
56 Roa da Imperatriz
_______
para senboras, meninos e meninas, novos mo-
delos.
Receben a
LOiA DO COELHO
________Ra da Imperatriz n. 56 _
RUJHES A PRINCEZA DE GALLES
Sao lindos os que receben a
LOJA DO COELHO
56Rua da Imperatriz 56
Mil III A* UB BAILE
Ecbarps de r oda de Bruxeilas.
Mantiihas bespanbolas.
Fichs de seda.
Receoeu a
LOJA do COELHO
Ra da Imoesatriz n. 56
CAPAS ODEIiOS
Em seda, renda e cacneoiire, receben um pri-
moroso sortimento a
LOJA DO COELHO
56 Ra da Imperatriz
I I Em ^aze, titas e plomas,
ecebeu a
LOJA DO COELHO
56 Rui da ImpTat iz
ESFAKTILHUS uK MADAMJi V_kT Ifc.
deb'ua ios a pelucia e setim, os mais co mmo
dos at boje con Heridos.
Recebeu a
LOJA DO COELHO
56 Ra da Imperatriz
PASSEMKNTERIES
Guarnieses para vestidos-
Gaioes de seda.
Gales de vidrllhos.
Gil6es de l. .
Recebeo a
L9JA DO COELHO
56, rua da Imperatriz
PELOS LTIMOS PAQUETES RECE-
BEU AU PARADIS DES DAMES
* _
_-_ a.
_
o
co
\<
13
a
a>
o
ta-
to
_5g
S. o
-
a .??
ci &.
a
I

s
p
= S
cu
' s-g-
o.
o i
m
?8
S S**
fi
~- f-s
t "o.
2t *
o a .
=0
?
te

o
s
S"
e
.?

1
t
9
-
9
m
9
m
Collannb03, grvalas, camisas de pbantasia
perfumaras, etc.
Mesas para joro e para fumantes,
Elagerea rhinezes e dourados
Cachepols.
S
Ao Paradla des Dans
Fazeadas e modas
Esplendido sortimento impossivel do descre
jav se tem recebido de Paris.
Au Paradis des Dames
- Rua Bardo da Victoria, 38
SEDAS
Brancas, pretas ke de cores para grande esco-
CAPAS, VISITES E PELE.NIES
De seda preta e de renda o que ba de mais
caic, recebeu
Au Paradis des Dames
Becebeu m Florida Rends com 70
eDtimetros de largura, bicos de tilo com um
palme de largura, idem de seda preta com 2 pal-
mos e mai 8.
103 Rua Duque de Caxias 103
Ckarnlot de Batana
Recebeu nova remessa a
LIVRARIA CONTEMPORNEA
Btalos
Grande sortimento de balaios para afeite de
salas, para flores, papel, costura e roupa, estan-
tes para msica, porta jornaes, mesas decbaro,
e magnificas bolsas para viagem-
BAZAR DA BOA-VISTA______
Objectos de Blsculti
I. ndos medalbdes em tino Bi.cuit para orna-
mento de salas e liodissimos objerios proprios
para presente.
BAZAR DA BOA-VISTA i
Obras de electro-pl;ut
Apparelbos para en, licoreiros, salv.s, lintei-
ros e portacariOes.
BAZAR DA BOA-VISTA______
Cha especial
Recebem mensalmente o cb especi il marca
Buil Dog.
BAZAR DA BOA-VISTA
Rua da Imperatriz n. 88
Alfredo Lopes & C.
INDICAQOES UTE1S
Ida.
AU PARADIS DES DAMES
edleos
Dr. 8 Pereira, rua da Impera ti-ii n. 8,
da consultas medico-cirurgicas todos os dias
das 8 ao meio da, menos nos domingos e
dias santificados.
Consultorio medico- cirurgicoDr. Sim-
plicio Mavignier, de volta da Capital Fe-
deral tem seu consultorio, rua d;. Cadeia
n. 27 1. andar.
Especialidade Molestias pulmonares,
tebres e da pello.
Consultas de 12 M 3 da tarde. Cha-
mados por escripto.
Telephonen. 392.
Dr. Temare de Mello, medico pelo Fa-
c) ldade do Rio de Janeiro, d consultas
das 12 s 3 horas das tarde, no largo de
Corpo Santa n. 15, 1." andar: recebe
chamado a qualquer hora na sus. residen
cia em S. Jos do Manguinho n 4. Tele-
phone n. 575. Especialidades : molestia
de pelle e siphilia.
O Dr. Lobo Moscoto d consulta en
sua casa rua da Gloria n. 39, das 1C
horas da manhS a 1 da tarde. Achando
se fra do servico publico otferecs-sc par
acudir a qualquer chamado com prompti
tSo para fon da cidade. Especialidades, dos pela polica do Brejo, da cidade d >
Vara de orphos da
capital
Acha se no exercicio deste cargo, ha
dias, e j ante-hontem den a primeira au
diencia o nos a o distinoto oo-estadano Dr.
Fsancisco Altino de Correa de Araujo,
a qnem o actual gorerno em boa hora
aproveitou.
O Dr. Altino de Aranjo comecou a for-
necer proras irrecusaveis de seu talento
e de suas virtudes, desde os totopos aca-
dmicos, deizando no animo dos collegas
e dos estrs a mais brilhante reputacSo.
Na Faculdade, nunoa experimentando o
dissabor de urna approvacSo simple, e,
ao contrario, conquistando na maioria de
suas approvacoes a nota dedistinccSo
salientou se anda como redactor de uos e
collabcrador de outros jornaes escreven-
do artigos polticos e litterarios de subido
valor, artigos que, como alguns da Es-
cela, mereceram as honras da transcrip-
c2o neste estado e na extincta corte.
Entrando na chamada vida publica est
na consciencia dos contemporvneos o
modo honrosissimo e Ilustre pelo qnal
exerceu por mais de 4 annos o cargo de
promotor publico desta capital, empeohan
do constantemente t>ua palavra cloquete
e criteriosa em favor da justica nos plei-
tos que se travavam entre o criminoso e
a le.
Chefe de polica, presidente de provin-
cia, juiz de direito de diversas comarcas, o
nossotalent080 conterrneo desempenhou-se
sempre da maneira a mais correcta, fun-
dando crditos qne nSo morrem, como os
do ebtudo, os da moralidade e os da in-
telligencia.
Congratulamo-nos com a benemrita
Junta Qovernativa por ter aproveitado as
aptidSes moraea e iotellectaaes do dis-
tincto magistrado, e ter por esta fo.ma
reparado a injustica atroz que se lho fez,
tirando-seo da comarca da Esoada, com
verdadeiro pasmo de seus comarcSos, e
se o desterrando para a fronteira no Rio
Grande do Sul.
*-_-_
Dr. Bastos deOlreira
Medico operador e parteiro
Tem o seu consultorio rua do Marque
de 01 inda n. 1, 1. andar, onde pode ser
procurado todos os dias uteis de 1 s 3
horas da tarde.
Chamados qualquer hora, rua do
Dr. Joaquim Nabuco n. 2 A. Capuaga.
Telephone n. 365.
-i-iS_-
A' MEMORIA
DO

mmi Mi tum u asso
MEU AMIGO, COMPADRE E CUNHADO
Hoje, 30 diado infaustopassamento daquellesin-
cero amigo, venho. sentindoa alma repassadade pro-
fundo pezar, desfolhar sobre o seu tmulo urna pun-
gente saudade.
Recife. 28 de Janeiro de 1892.
Muikm'I Tkyrso Cohete Ribciiv.
Taquaretinga, 24 de
Janeiro de 1892
Cidadas Redactores.Ainda que mu-
lher, como a natureza me fes, tenho cal
tivado 85 annos de minha bda idaie e
por iaso velha nesta trra conheco a fun-
do todos os io divdaos e typos desta co
maren.
Logo julgo-me habilitada a responder
p anonymo Chibarro do artigo Taquare-
tioga publicado no Jornal do Recife de 21
do correte.
A polcia pode saber e o publico nao
ignora que no p desta serra no lugar
Ver ten tes deste municipio ha una mezes
tem se formado um valhacouto, com posto
de vagabundos e bandidos ; entre os quaes
s3o de ridicula celebridade Fabricio
Chibarro, Climaco Chibarro, Man Ciry
Chibarro e Gnilherme Chimpanae, acossa-
operacSes, partos e molestias de senhora
e de meninos.
Dr. Joaquim Loureiro medico e pjcrtei
:o, consultorio rua do Cabug n. 14
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
ao Monteiro.
Oeenllstas
Dr. Fsrreira, com pratica los princ -
paes hospitaes e clnica de Part e Lon-
dres, d consultas todos os das das r
horas ao meio-dia. Consultorio e resi
dencia rua Larga do Rosario n. 20.
Dr. Barreta Sampaio, oceulista, d col
sullas de 1 s 4 horas no 1. indar d
casa roa Bario da Victoria n. 51. Resi
dencia a rua Sete de Seiembro n. 34,
entrada pela rua da Saudade n. 25.
Dr. Pereira da Silva recentemente che-
gado de Pars, com pratica as clnicas
de Wecker e Landolt, d consultas de 1
s 4 horas da tarde rua do Imperador
n. 63, 1." andar.
Telephone n. 588.
REZIDENCIA PACHANGA
Drogaras
Faria Sobrinho fe C, droguista s por ata
oado, rua do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, depos:
tarios de todas as especialidaet phanna
oeuticaa, tintas, droguB, producto chimi
cose medicamentos homeepatioos, rua de
Marques de Olinda n. 23.
PLBLlCAtOES A PEDIDO
Associa^ao Commercial Be-
neficente
A direcloria da Associago Comoiercial Bene-
Qceate tenio recibido convite aa commlss&o das
exequias solemnes, que tem ser feita amanba 28
do correte na matriz da Boa-Vista r or alma de
D. Pedro de Alcntara ex imperador do Brasil,
para se associar a essa manifesiacac de pezar,
solicitando da classe ccmmercial pan que n'esse
dia suspenda soae transaeces e fechj seus esta
belecimentoB; transmute o pedido ao corpo com-
mercial, e especialmente aos socios it'esta Asso-
cheo, aos quaes avisa que estarao manb cer-
radas as portas do edificio onde actualmente
sua sede provisoria, conservando apenas abenas
as qne do ingresso ao lugar onde acianba func-
cionaro os empregados da Becebec oria do Es-
tado.
Esta directora convicta de que a i lustre das
se commercial se actia igualmedte possoida dos
mesmos sentimentos de pezar, pela norte do il-
lustre ex monareba espera qoe o pedido ser to-
mado na coosiderac&o qua merece o motivo que
o determina.
Secretaria da Associacao Commercial, 27 de
Janeiro de 1892.
Clemenlino Tarares,
Secretario.
A' patritica Junta liover-
nativa ,
Convictos de que a illustre Junta Governava
nio eequecer os relevantes servicos prestados
pelo honrado Dr. Damazo, ao municipio do Re-
cife ; e muito actuara, no espirito de justica que
teem presidido todos os actos de tao patritico
governos nobres qualnades que exornam
pessoa de to nobre cavalbeiro; -deuda j felici-
tamos aos muniopes do R?cife pela eleico do
Ilustre Dr. Damazo para preleiio.
faites commeraiUet.
Limoeiro e da comarca de Cabaceiras por
onde vagueiaram em carreira vieram-se
refugiar em Vertentes onde estabeleceram
tenda de jogos prohibidos.
Assim nessa santa vida, faltando o ali-
mentar dos vicios, deram em solicitar ao
carimbo prelo e receiosos de seren apa-
nhados, voltaram de solicitacSo para es-
pecularen! com cousas de cabresto, e chi-
tre etc. etc.; cesta vida aventurosa, cheia
de peripecias policiaes esses cavalheiros en-
cheram-se de pedantismo a papagaio at
afinal que aprendoram de ouvido chamar
deleterio phrase que na moda do dia se
insDuam a poltica!
Nist j os Chibarros acreditaram achar
urna mina a explorar nos movimentos da
8tuac2o actual.
Eilsos no caminho do Recife a solici-
taren! cargos e a inventar descaradamen
te calumnias e mentiras contra os homens
de caracteres illibados que nesta trra
dirigem a poltica local com applauso de
todo o eleitorado e paz geral.
Eil-os a chamar de tyranno a quem
chamam de Feij o homem a quem ha
pouco rojavam se aos ps e misuravam
Ihe ^prestigio para os lvrar da cadeia
do Brejo e do Limoeiro.
Sao esses bandidos transformados a
sui generis em tartufos improvisados qoe
usam de abaizo assignados falsos para
impingir a Junta Governativa dar-lhes
forca para arvorados perturbarem a paz
de Taquaretinga !
Taes Chibarros usam do talismn de
chamar de lacaios do Dr. Jos Maria os
homens polticos desta iosalidade inten-
dende fazer vista com esses doestos,
quando o certo que os homens polticos
do Estado sabem que o coronel Jos Maria
nunca teve em Taquaretinga seu centro de
amigos polticos se bem que inimisade
tambem nao o tem, e sabem que o homem
poltico dessa capital que mais affeicoado
em Taqueriaga o Esm. Dr. P. Pi-
tanga que conta aqui numerosos amigos
polticos.
V portanto o publico que os Chibarros
qne tomei para contar-lhes as pelies sSo
fantarroes herradores ; pois dos uberes em
que mamaram tirei-lhes muito leite, cujas
alpacas eram de pello carapinhos porem
leitonas.
A velha Jovita.
Um grande viveiro de perolas.
Esto moda as perolas dizia nm dia
destes um amigo nosso, eiro sempre subindo
de preco se nao se descobrir novos viveiros.
Eu coabeco onde as ba, e das mais pre-
ciosas, responden urna pessoa mui sensata, e por
certo bem Daralas.
E' na India, nao?
Nao, seobor, na Europa, em Paris mes-
mo, em casa de L. Frere, A. Cbampigny e C,
successores, 19 rua Jaob, onde se fabricano as
Perolas de eesenciade terebenlbina do Dr. Oler-
an, que vaiem mais do que quanta perola ba,
visto que dio saude a quem soffre de enxaque
cas, de nevralgias, de sciatica e catarrnos enr-
meos da bextga.
Anecdota-funebre
Com 3ste titulo e para armar effeito e servir a
lius eieitoraea o Estado de Pernambuco m saa m-
gloria e mesquioba campanDa de deprimir cara-
cteres veio boniem. como sempre, atacando a
immaculada repotaco de individualidades distin-
rtltilmst
Hontem o pelourinho foi armado para o hen-
ate ito e imbaromsnel oernambucanu Dr. Martias
Jnior, cojo bniiio oflasca a negra consciencia
dos iue fazem da poltica um mercado e nao urna
nobre misso.
A lingu gem arruaceira do Estado no artigo
com o titulo que encima estas bobas indica (ver-
dadeiro ou naa o faci) a exploso de despeitos
e oJios mal cuntidos, pelo que nos dispensamos
de mais consideracOes.
lustitia.
A' sandosa memoria de Mara
Emilia Bezerra \eiva
FALLSCILt KM 28 DE JAKBIKO DB 18 Jl
Faz hoje um anno qoe nos deixastel Parece
que foi boutem, entretanto j tantoa das sao de
corridos I O coraco de leus pas ainda sangra
pelo eruel golpe que suffreu, e leus irmos que
te idolatraran), de quem eras a guia e consolo,
nao podem relembrar sem viva mgoa esse tris-
tsimo da, que Ibes arrebatou a mais estimada
das irmas, e a mim mais que uso, oois que alm
do affecto de irm me prodigalisaste os carinbos
de urna mi desvelada; en te serei eternamente
grato.
Deixa que sobre tua campa derramem lagri-
mas de infinita saudade leus Dais e irmos.
Recife, 28 de Janeiro de 1892.
F. B.
As labres typhoideas, intermitientes, as affec-
cOes ao fi:ado, que tantos estragos fazem, sao
terriveis sobretudo por deizar o doente em um
estado de completa prostraco. E' absoluta-
mente preciso auxiliar a marcha da convalecen
ca com um restaurador da forca muscular e do
sjstema osseo, e nao ba outro mais efficaz do
qoe o Xarope de Dusart. qoe ofierece ao mesmo
lempo a vantagem de ser urna bebida InofTensiva
e agradavel, com sabor de limao, e de calmar a
(ele abrazadora qoe devora os enfermos no es-
tado febril.
Ao respeilavel publico
A situacSo dos empregados, suas amar-
guras, se nSo encontram homens que sa-
bem dar valor ao mrito d'aquelies que
cumprem seus deveres. Embora quase
que analphabeto, conhe;o muitos homens
e suas tendencias sao para o bem de
todos.
Oonheca que neste valle de lagrimas
nSo permanece a ostentadlo do poder, e
que um dia ana remedio ser sepultada
no esquecimento.
Peco-vos permisslo para manitstar-vos
meus pensamentos as eleigSes vind< aras,
votando para senadores e deputados nos
seguintes senhores :
Para senadores e deputados
Visconde de Guararapes.
Barao de Arariba.
Or. Paulo de Amorim Salgado.
Dr. Felippe de Figueird* Farias.
Dr. Joao Augusto de Souza L. R. Barros.
Dr. Lourenco Augusto de S Albuquer
que,
Dr. Jos Antonio da Silva Mello.
Dr. Gaspar Drummond.
Dr. Silvino Cavalcante de Albuquerque.
Dr. Martins Jnior.
Dr. Adolpho Julio da Silva Mello
Coronel Bras Carneiro Lina de Mello.
Vigario JoSo Baptista de Araujo.
Capitao Vicente Cysneiro Cavalcante.
CapitSo Rotiliu Tolentino de Figueiredo
Lima.
TabeliSo Clarindo Ernesto Lins.
Mudanza de escrip-
to rio
Jos Godoy e Jo Hugo.
77RUA DO IMPERAD0R-77
Dentaduras artificiaes
Sob pressao elstica, e cpressao pneu
matica systemaa novissimos neste Estade
pelo cirurgiSo dentista Numa Pompilio,
A rua do Barao da Victoria n. 54 1 an-
;dadas 8 horas da manhS s 4 da tarde
Elei^ao municipal
Lembramos ao eleitorado de todos os
matizes do municipio o nome do Dr. Ma-
noel Pinto Dmaso, para o cargo de pre-
feito municipal.
*& actividade incansavel em bem do
municipio, eu zelo, a imparcialidade com
que trata todos os negocios, a justica e
independencia de seu carcter sao os t-
tulos que lhe diio direito incontestavel a
apresentacao de seu nome.
Lembramos portanto esse nome que
urna boa esperanca.
O ccmmerclo.
Almanack da Familia
PARA 1892
Acaba de sabir luz o Almanack da
Familia, interessante pnblicac3o, que con-
ten, alm do kalendario de 1892, urna
escolhida colleccSo de aoedoctas, pensa-
mentos, contos, poesas, receitas da maior
utilidade para as donas de casa, etc.
Vende se as ras a 40 re.s o exem
piar. Quem o quizer obter grateitamec-
'.e encontra-o na Companhia de Drogas e
Productos Chmicos, rua Marques de
Olinda n. 23, encarregada da distribu
5S0 do Almanack da Familia.
"1
Medico
DR.TAVARES DE MELLO
formado pela Faculdade do Rio de Jaeiro,
tendo-se dedicado com especialidade
therapentica moderna das molestias de
pelle e sjphills, na polyclinica geral, a
cargo do Dr. Silva Aranjo, onde servio
como sen ajudante ; d consultas de 11 s
3 horas no largo do Corpo Santo n. 15 ou
andar, e recebe chamados a qnalqer bora
em sua residencia, rua S. Jos do Mangoi-
>nbo n. 4.
Telephonen. 575.

Dr. Nunes Goimbra
ClnicaMedico -Cirurgica
Especialidades : febres, partos, moles-
tias de senhoras e de ereancas.
Chamados a qualquer hora na sua re-
sidenciaCaminho Novo n. 163, junto
estacao ; ou no seu consultorio, rua Mar-
Juez de Olinda n. 56, un te da consultas
as 11 s i horas.
Telephone n. 387
H
Dr. Mello G mes
ledico operador parteiro
57Rua do Barao da Victoria57
(defronte da roa DE 8. amaro)
Onde tem consultorio e real-
denciAi podendo sr encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles-
tias de senhoras e dos pnlmdes, syphilis
em geral, cura rpida e completa e ope-
racoes de e^treitamentos e mais solri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados ara
fra, a qualquer distancia.
Telephone n. 1
Dr. Silva Leal
Medico oceulista
Recentemente chegado da Europa e
com pratica nos principaes hospitaes e di-
oicas de molestias de olhos dePans. d con-
sultas todos os dias uteis das 11 s 3 ho-
ras da tarde em seu consultorio, rua
Duque de Caxias n- 73 Io andar, entrada
pela Praca de 17, n. 73, (antigo Largo do
ollegio).
Residencia a rua BarSo de S, Borja n.
16. Telephone n. 507.
Chamados por escripto, em seu cnsul-
rio, residencia, e na pharmacia Martina
'
lima luberculnse aguda
O facto em seguida narrando pelo Sr.
Joao Antonio Pereira Santiago, socio da
importante firma commercial Santiago &
IrmSo, do Rio de Janeiro, mais um va-
lioso testemunho da efficacia do Peitoral
de Cambar para a cura das enfermidades
pulmonares, das quaes constituio se o so-
berano debellador.
Lease o que diz aquelle distincto ca-
valheiro :
c Eu abaizo assignado, morador rua
S. Pedro, n. 20, no Rio de Janeiro, de-
claro que, tendo urna filha minha de 13
annos de idade, sido accommettida de
urna molestia grave, consultei es mdicos
de maior reputayao desta cidade, e estes
diagnosticaran! ser o soffrmento urna tu-
berculoso aguda. Por espago de quasi
dous mezes sujeitei minha filha ao trata-
mento desees Ilustres facultativos ; mas,
a molestia zombando de tudo, progredia
para o desfecho fatal.
N'essas ciroumstancia um amigo dedi-
cado aconselhou-me a experimentar
Peitoral de Cambar, medicamento do Sr.
J. Alvares de Sousa Soares, da Pelotas,
e, em tao boa hora acceitei esse conselho,
que no fim de seis dias as melhoras se
foram acceotuando, tendo' diminuido a
toase e outros phenomeno que acompa-
nham essa terrivel eofermidade.
Minha filha tomou desoito frascos de
Peitoral de Cambar, e hoje ple se con-
siderar completamente restabelecida. Du-
rante ci ico mezes e meio frequentou os
lugares mais recommendadoa pelos mdi-
cos, sen estado de magreza, era extremo e
a febre nao 0. deixava.
Convicto, eomo estou, de que o Peito-
ral de Cambar, um precioso remedio
para as affeceftes dos pulmoes, muito o
tenho recommendado s pessoas de mi-
nhas relaces.Joao Antonio Pere>'ra San-
tiago.
(A firma est reconhecida).
Dr. Freitas Guimarss
Participa aos seus amigos e clientes
que mudou o seu consultorio da rua Du-
que de Caxias n. 55, para a mesma rua
n. 61, I.- indar, onde contina a dar
consultas de 11 1 hora di tarde, e resi-
s.de no Cajueiro n. 4.
Telephone n. 292.
Consultorio Medir Oculista
O Dr. Berardo communici aos seus
clientes, que mudou o sea consultorio do
predio n. 26 da roa do Bom Jess para o
de n. 9 da mesma rua onde cootinaa.a dar
consultas de 1 hora as 3 da tarde.
ResidenciaMagdalena.
Telephone n. 366.


Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no 1*
andar da casa n. 51 rua do
Barao da Victoria, {excepto nos
domingos e dias santificados.
Telephone 285.
Residencia rua Sete de Setena-
bro n. 34. Entrada pela rua da
Saudade n. 26.
Telephone 287.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali
dade de molestias de senhoras e creanca
Consultorio e residencia rua da impe
-atriz n. 18, 1 andar.
Consultas de 8 s 10 da manhS.
Chamados (por escripto) qualquer hora
TKLKPHONS N. 226
Dentes
Termina a horivel dor de dentes usan-
do o excellente preparado de Manoel Car-
doso Jubior.
As cartas que lha tem sido dirigidas
pelos jornaes de maior circulacao, attea-
tam a efficacia.
Depsitos
Drogara de Francisco Manoel da Sil-
va & (]., rua do Mrquez de Olinda
n. 23.
Phrmacia Martina, rua Duque de Ca-
xias n. 88.
Pharmacia Oriental, a rua Estreita do
Rosario n. 3.
Pilara acia Alfredo Ferreira, rua do
BarSa da Victoria n. 14.
Pharmacia VirgilioLopes, rua Larga
do Rosario n. 31.
Insumi i!) de Abril
FUNDADO EM 1883
53 Rua do Husptclo 53
As aulas deste estabelecimenio de educaco e
de instrueco primaria e secundaria, acbam-se
abertas desde o dia 7 do corrente.
Brevemente sera publicado em avulsos o re-
sultado obtido pelos alumnos nos esames finaes
do anno prximo passado
0 director deste collegio exclusivamente de-
dicado profUsao qne abracoo, e tem auxiliares
habilitados, activos e moralisados.
ss m 10 nosnezo::
O direcior,
Luiz Porto Carreiro.
20Rua do Hospicio20
As aulas deste estaoelecimento de instrueco
primaria e secundaria para s sexo feminino
abrirse-bao no dia 11 de Janeiro de 1892.
Recbese alumnas internas, semi-internas e
externas.
A directora,
Maria do Qarmo Azevedo.











V*



.

Diario de Pernambuco Qcinta-feira 28 de Janeiro de 1892
De inters se
O Sr. Israel Antonio Cidade, resdente
SMS serros de Taquary (Rio Grande do
Sal), dirigi aos proprieUrios da Phar-
anacia Central, em Porto-Alegre, a segua-
te carta, que recommendamos a attenclio
loa interessados :
< Srs. Sonsa Soares & C' Porto Ale-
gre.Sendo atacada minha esposa de
una tosse desesperado e de carcter
grave, lancei mXo de diersca preparados
sen proveito algnm, e, tendo conhecimen-
to dos bons resultados do Xarope Peito-
ral de Cambar, do Sr. J. A. de Sonsa
Soares, mandei immediatamente comprar
doia vidros do dito Xarope, e, com o ubo
lo primeiro, logo a doeate experi menta
melhoras e, depois de ter tomado o se-
gundo, vio-se completamente reatabele-
cida.
Queiram, pois, acceitar a expressSo do
mea reconhecimento, que se dignarlo trac-
smittir ao fabricante de t2o benfico me-
dicamento, fazendo d'esta o uso que lhes
coovier.
Israd Antonio Cidade.
(A firma est reconhecida).
E' nico agente e depositario do Peito-
tal de Cambar ra Mrquez de Olinda
a. 32.
guiador da Marinfia
Concerta se relogios de algibeira, pn-
dolas de torre de igreja chronometros de
marinha, caixas de msica, apparelhos
elctricos, oculos, binculos, ocufos de al-
cance, joias e todo qualquer, objecto ten-
dentes a arte -mechanica.
9Ra Larga do Rosario9
Anacahuite Peitoral
As caras produzidas pela composicao
de Anacahaita peitoral, sao realmente mi-
lagrosas.
Dum Clemente Silva, que reside na ra
do Estado, Santiago do Chile, escreve aos
nossos agentes em dila cidade, que ha-
vendo soffrido atrozmente de asthmji, pelo
etpaco de mais de se:e annos sem que
medico algum jamis ihe hottvease propor-
cionado o menor allivio; deciiio-se final-
mente em tomar da Composicao de Ana-
cahuite Poitoral e depois de haver ipenas
tomado dous frascos dsseobrio com forpre-
za, que a grande oppressSo do peito havia
quasi completamente desapparecdi. No
em tanto foi continuando a fazer uso deile
e no fim de tres mezes se aohou perfeita
mente curado, com grande assonibro e
satisfcelo de todo os seus parentos 9 ami-
gos os quaei j haviam perdido as espe-
rances de jamis vel-o bom. Date tam
bem que desde entSo esta parte o tem
recommendado a em grande numero de
seus conhecidos que scffriam de- deferen-
tes affaccSes pulmonares t2o freqaentes
oas costas do mar Pacifico, na America
do Sul, e que seus boc resultados tem
sido univeraaes.
Como Garanta contra as f: '.siticacoes,
observe-se bem qne os nonies de Lunman
& Kemp veirbafn estampados em letras
transparentes no papel do livrinhs que
sirva de envoltorio a cada garrafa. Aeha-
se de venda em todas a boticas e droga-
ras.
febre, porquaoto tendo apparecido roeu lilho
Manoel com febre de carcter mao, e no sendo
possivel ceder da sna iatensidade, resolv a con-
seibo de um amigo a applicar o sea especifico, e
com multo prazer mea vi desapparecer em dous
das a febre, reslabelecendo-se .em seguida o
mea estimado filho.
Pode Vmc fazer oso do presente como Ibe
coovier por ser a verdade Dora.
Recite. 15 de Maio de 1889.
De Vmc. atiento, venerador e criado Florla-
? Marques Botelho.
N. 147
Ea, abalxo assigBado, negociante D'esta cida-
de. atiesto que tendo no dia 17 de iuabo do cor-
rente anoo, mea irmao e caixeiro apparecido
:om febre de 39 1/ graos, immediatmenle re
i'orri ao Llm. Sr. M. Cardoso e felizmente com o
seu preparado Elixir Anti-Febril, no fim de
dous dias linba desapparecido a febre completa
mente ; portanto nao posso dtixar de fclicitdr ao
mesmo Sr. M. Cardoso pela feliz, descoberta a
bem da bumanidade.
Recife, 22 de Junbo de 1889.
AlDio Fernandes de Azevedo.
E-3'.avam selladas e reconbecidae as firmas.
isa, botSes de'stodas a8 qaalidados, qua-
dros, espelhos, boleas, artigos para pre
sentes, objectos japoneses, albuns e qua-
dros para retrates, prepares para borda-
dos, linhas brancas e de cores para cro-
chet.
E muitoa outros artigos de miudesaa e
mais que nSo difficil ver.
A Nova Esperanza
65Roa Duque de Caxias-63
Pedro Antunes & C.
Consultorio Medico
O Or. Manoel Argollo com pratica nos
hospitaes de Pariz e Berlim, tem seu con
aultono na ra do Baro da Victoria n. 1.
Especialidades. Molestias dos appare
ihoe respiratorios, circulatorio e digestivo
Consaltas das 12 a 3 da tarde.
Chamados por escripto.
Telephone n. 586.
Advogado
Aquilino PortoEncarrega se de
qualquer trabalho de sua profissio as cu-
marcas : Escada, Ipojuca, Cabo, Palma-
rea, Gamelleira e Victoria.
Reside na cidade da Escada.
*&&=
D
r. Emygdio Monte
negro
Attesto qne tenho empregade com o
melhor resultado em minha clnica o Pei-
toral de Cambar, preparado pelo Sr. J.
Alvares de Soasa Soares, de Pelotas, nn
diversas affeccSes das viaa respiratorias,
3000 poderoso emoliente, principalmente
aa bronchite catharrhal das criancas quan-
o atravessam a crise da primeira denti-
f de mea grao.
Recite, 8 de Marco de 1891.doutor-
Emygdio Monten-gro.
(A firma est reconhecida. )
COMERCIO
Boina Coanmerclal de Peroam-
bueo
OOTACOES OFFICIABS DA JUNTA DOS COR-
BECTOBE8
Pra^a do Recife, 27 de Janeiro de 1892.
Nao bonve cotaco.
0 presidente,
Eduardo Dubeaax.
O secretario.
Augusto Pinto de Lemos.
Calo
' PKACA DO RECIFE
Os bancos abriram a 12 3/8, saccaado logo a
12 7/16 e depois de meio dia, a 12 1/2.
Papel particular foi negociado a 12 3/t.
PRACA DO RIO DE JANEIRO
Abri o mercado a 12 i/2, suindo a 12 9/16
e o Londoo offerecendo saccar a 12 5/8 sobre
aixa matriz.
Banco da Bolsa
RECIFK, 27 DE JANEIRO DE 1892.
Transacces effectuadas:
410 Let'ras byppothecanas
do ban:o de Crdito
Real 104O0O
32 Obrigaces preferen-
ciaes da Companhia de
Fiaco e Tecidos de Per
nambuco do valor de
200*000 de juros de 7o
ao anno 216*000
Cotacdes de gneros
A8SCCAB
Para o ag-imltor
A/s victimas dasfebres
A elixir mi febril Cardoso. appro-
ado em 21 de Marco deste anno pela inupecto
ia geral da junta de bygiene do Rio de Jineiro,
vem boje apreseotar-se bamanidade offredo
a to mondo inteiro, como taboa e salvaco qt
to infeliz naufrago Ibe enviada por mao omu:
potente.
Oeitxlr antl-febrll Cardoso, appl'.ia-
lo em maitissimos casos de lebres, tem comr
por milagre, levantado do leilo da dor a cDmpiL
os moribundos.
Este remedio, composto smente de vegetae*-
mteiramente tnoffensivo, ainda mesmo na maif
nimosa e tenra crianca.
As senhoras, no colado de pandas, ou no pe
".odo de incotnmodos nauraes, podem us ir MU
eceio algam.
Este elixir ja bem conbecido de algans Srs
oedicos de todo o paiz, o mais seguro e p:om
pto remedio contra as febres, e com especialida-
de contra a febre amarella, erysipella e bexigae
de qualquer qoalidade.
Modo de asar
A's criancas at um anno 8 gottas de '.'. em i
oras em urna colber das de sopa ebeia 'agua
fria.
De um anno a tres 12 gottas; de tres a dez 20
gottas; de dez annos em diante 30 gottas
Os Srs. clnicos podem augmentar ou uimnoi-
at 60 gottas por dose.
Recife :
Companoia de Drogas e Productos Cnim ros.
Santo Antonio:
Nacional Pbarmacia, roa Larga do Bosaric
a. 35.
Pharmacia Oriental, roa Estrella du Besar
i. 3.
Pharmacia Alfredo Ferreira, roa do Barao di
Vi-toria n. 14.
Pbarmacia Marti js, ra Buque d Canias D
48.
Vendas em grosso e a reUifto.
DEPOSITO GERAL
Boa Estrella do Bosario d. 17
PF.B>'.tHBl CO
X. It
Cidadao Hanoi Cardoso Jnior.
E' com grande satisfago que attesto o <'alor e
a eficacia do seu prodigioso especifico contra a
O juiz de direito Joao Baptista Gitira
ca Costa, encarrega se de contrabir em-
preBtimos com o Banco Emissor de Per-
nambuco, sob hypotheca e penhor de sa-
fra, para os agricultores e commerciantes
residentes neste Estado e os da Parahyba,
Rio Grande do Norte e Cear, njediante
mdica retribuijSo ; assic como encarre
ga-se de HquidagCeB amigaveis, em qual-
quer das comarcas dos referidos Estados.
Pode ser procurado em sea escriptorio
ra do Mrquez de Olinda, amiga da
''i, K'', n. 34, 1.' andar, das 11 horas *
i da tarde, e a outra qualquer hora, em
sua residencia, na Magdalena travessa da
fabrica deFiajao n. 1.
J
Curso Primario
Sob a direccao de
' i tas a
Acha-se aberto este curso
15 do corrente.
Admite por mensalidades-
tadas.
Alumno interno
Semi-interno
Externo
47Ra do Rosario
Vista4T
desde o dia
pagas adan
300000
15000
35000
la Boa
Ao alcance de todos
" !-' "
Agurdenle
for pipa de 480 litros 120*000.
At
oas.'
25 do correle toram exportadas 1191 pi-
Caroeos de algodo
Cota-se a 600 ris por 15 kilos.
Foram exportados at 19 io corrente l.'.O.OOO
kilos.
fABKLLA DA8 ENTRADAS DE ASSL'CAR S AL-
GODO
Met de Janeiro
Entradas
raneo por 15 kilos.
fomeno8 dem idem. .
Maacavado idem idem .
3rnto secco ao sol idem dem
Salame idem idem .
usinas idem idem. .
Mercado moiio animado.
4*600 a 5*200
3*600 a 3**0
3*100 a 3*200
2*900 a
2*t00 a
3*100
2*700
Jarcacas .....
Vapores......
nimaca.....
Sstrada de Ferro Central,
dem de S. Francisco
dem do Llmoeiro. .
Somma
Dias
1 a 23
1 a 27
1 a 27
1 a 27
1 a 22
1 a 25
Assu-
car
Saceos
125869
10'66
12997
85722
34719
270073
cceas
3363
1943
3168
373
745
S678
16i70
4*600 a 5*20)
A exportarlo at 25 do corrente coasta de-.
64227 saceos e 9952 barricas de assacar braoco,
oesando 3.382.656 tilos e 203.007 sacecs e barri.
casdeassaiar mascavadu pesando 17.531.176 ki-
los.
Algodo
Nao honve negocio.
At 25 do corrente foram xportada* 12326 sacc*.
3039 fardos te algodo pesando 1.448.875 kilos.
----- >
Borracha
Oota-se nominal a 23*000 por 15 kilos.
Carocos de mamona
Ceta-se a 1*900 por 15 kilos.
Coaros
Seceos salgados na base de 15 kilos a 660 ris.
/erdes nominal 360 ris.
At 25 do crreme foram exportados 19055 coa
ros e 82.680 1/2 de solr
3a grande procur?
Sel
?or pipa de 480 litros 60*000 ha falta no aer-
ado.
Aleool
for pipa de 480 litros de 21o*COO.
Foram exportadas at 23 do corrente 536 pi-
faa.
Importacio
Vapor americano cSeguranza entrado
New York em 26 do corrente e cons gna-
do a H Forster e comp.
Amostras 2 volumes a diversos.
Arcos para barrica 26 volumes a or-
dem.
Banha 100 barricas aos consignatiitioa.
Livros 1 caix'a a ordem.
Mercadorias 7 volumes a ordem, 3 aos
consignatarios.
Materiaes para fabrica de plvora 201
volumes a fabrica de plvora de Pontesi-
nha.
Toucinho 20 harria a ordem.
Tecidos 6 caixas a Mattos Caminha e
comp., 2 a ordem.
Vidros 1 barrica a ordem.
Vapor francez Corsica entrado do
Havre e Lisboa em 26 do correnta e con-
signado a Augusto Lbil le.
Carga do Havre
Alviiade 28 volumes a Companhia de
Drogas.
Amostras 2 volnmes a diversos.
Batatas 200 caixas aos consignatario!,
100 a ordem.
Clchete 1 caixa a Manoel Collago e
comp,
Chapeos 1 caixao a ordem.
Couros salgados 1 caixao a Joaquina
Pinheiro e comp.
Drogas e perfumaras 24 caixa i a
Companhia de Drogas.
Ferragens 1 volme a Miranda e
Soasa.
Gravatas 1 caixa a Guimaraes Car-
doso e comp.
Manteiga 40 barra e 80 meoj ditos ao
consignatario, 15 e 10 a ordem.
Mercadorias 1 volume a Manoel Cilia-
co e comp, 1 a Guimaraes Cardoe o e
comp, 5 a Albino Silva e comp, 4 a Pinto
e Silva e comp, 2 a Gomes de Matto Ir
mSos, 1 a Fraoc'BCO Gurgel e Irmion, 5
a T. Juit.
Vendas a dinheiro com descont de
10 por cento
A Nova Esperanca chama a attencSo
para o segainte :
Todas as quintas feiras vender se ha
qaalquer mercadura com o descont ci-
ma os saldos e retalhos por menos do
custo.
O grande sortimento das segaintes mer
eadorias convida a fazecem ama experreo
ca.
Fitas, Jeques, sortimento de meias para
senhoras, criancas e homens, rendas bran
cas, pretas e de cores, bordados, avene
taes para crianzas, costumes de brim, ca-
pas de felfro, enxovaes para baptiaados
bonecas, relogios, prepares para vestidos,
jarros, candieiros, lamparlas, gravatas,
ollarinhos, punhos, aberturas para cami
Materiaes para engenho 153 volumes a
E. Dol.
Objectos para escriptorio 1 caixa a F-
P. Boulitreau.
Qaeijoa 1 tina e 1 caixa a ordem:
Tapetes 1 caixa a ordem.
Tecidos 1 volme a Francisco Lau.
ra e comp, 2 a L. Maia e comp, 4 a
Machado e Pereira, 1 a Mattos Caminha
e comp, 1 a Olinto Jardim e comp, 1 a
Bernet e comp, 2 a ordem. '
Vinho 20 caixas a ordem, 10 a Do
mingos Fernandes e comp, 3 a C. Pluym,
2 barra a F. P. Boulitreau.
Vidros 3 caixas a Amorim Irmaos e
comp.
Carga de Lisboa
Alhos 3 canastras a Paulino de Olive-
ra Maia.
Azeite 50 caixas a Companhia de Es-
tiva.
Batatas 50 caixas a Paulino de Oliveira
Maia.
Ceblas 75 caixas a Silva GuimarSes e
comp.
Casanhas 1 caixa a J. M. Teixeira.
Chourica 1 caixa a L. MagalhSes e
comp.
Folha de looro 2 volumes a P. de Oli-
veira Maia.
Palitos 5 caixSes a Guedes de Araujo e
Filho. _
Vinho 8 pipas e 10 barris a Joaquim
Ferreira de Carvalho e co np, 2 a M. J.
Teixeira, 10 a L. MagalhSes e 2) a or
dem.
Kxporiacao
atara 2-J Da JANEIRO Da 18!>2
tara o exterior
Na barca portoguera N. Silencio, para o
Porto, carrexaram :
Lope,- Albeiro & C, 200 couros seceos salga-
dos com 2,400 kilos.
Para o interior
No vapor nacional Pernambuco. para Rio de
Janeiro, carregaram :
P. Ferreira at C., 50 pipas com 22,890 litros
de agurdente.
Para Bjnia, carregou :
M. Canna, 330 barricas com 28.400 kilos de
assucar brauco.
No vapor nicional S. Francisco, para Ba-
ha, carregou :
M. Caoba, 470 volumes com 36,150 kilos de
assacar branco, 20 barricas com 2.360 ditos de
dito c 30 ditas com 3,600 ditos de dito masca-
vado.
No vapor nacional Jaboatao, para Santos,
carregaram
S. Gaimaraes & C, 75 barris com 6,375 litros
de agurdente e 20 pipas com 9,200 li.ros de
aleool.
No vapor americano Segaranca, para San-
tos, carregou :
C. A. Burle, 500 saceos com 30,003 kilos de
assucar braaco e 500 ditos com 30,000 ditos de
dito mascavado.
No vapor nacional Arlindo, para Rio de Ja-
neiro, carregaram :
Costa Ferreira & C, 30 pipas com 13,800 li-
ras de agurdente.
No vapor nacional Apa, para Santos, car-
regou :
Elixir depura-
tivo vegetal
Formula de Angelino Jos
dos Santos ndrade
Approvado pela Inspectora Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Jalho de 1887.
Este depurativo de grande effica:ia as reo
lestias .ypniiiticas e impureza do eaneae; assiai
como em todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente muitas pessoas ac-
commettidas da terrivel molestia berioeri.
Rheamatismo syphililico ou gotozo. do: scia-
tica, erapcfle8 de pile, cancros, e cancros ve
nereos, fbres brancas, hy ervos, irites e outras inflammaces dos olhos,
molest.as d ligado, escronhulas, escorbuto,
soffriment s do estomago, ulcera?, gommas, lis
tota?, empingens, dar tiros, pannos e mancbae
da pelle, bobas e bobOes, sarnas, catarrho e
qaaesquer molestias da bexiga, entre outra&.
albuminuria, ourinas doces e sangainolenta?.
anemia, paralysia, erysipelas, e nflammace?
das pernas e pe, nemorrhoidas, asthma, hydro-
celles, tumores, nevralgia, e elephanliazes ou
morpha, as irregularidades da meastruacao
Prova-se com aquello numero de attestados ja
publicados e os que existem em nosso poder a
efficacia desle elixir rras molestias indicadas.
Naciona Pharmacia
35, RnaX.srsa do Rosarlo, 35
A' roa Bunio da Victoria n. 37 se dar toaa e
quol m-r explicacSo que for preciso acerca oeste
preparado.
Cuidado com as falsiflca^es
.VIodo de usar
Os adultos tomaro quatro colheres das de
sopa pela maoha e quatro a noite.
As enancas de 1 a 4 annos tomaro umi co-
lber pela manb e outra i noite, e ai de 5 a 11
annos tomaro duas colheres ptia mann e doas
a noite.
Deverao tomar banhos fras oa momos pela
manb e noite.
Resguardo regular.
EDITAES
Arrendamento de compar-
timentos do mercado de
S. Jos.
EDITAJs,
O Cooselho da Intendencia Municipal
do Becife faz publico qae, no da 30 do
corrente ao meio dia, co mercado de S.
Jos e com assistencia do Sr. presidente
e dos commissarios de polica e mercados,
ir em praca por pregao, o arrendamento
por am anno dos compartimentos destina-
dos carne aomeate ah existeotea,
mediante lianza idnea, pagamento adi-
antado por semestre, e obriga(3o de
entregar o compartimento pintado como o
receber, nSo podendo am s locador ar-
rendar mais de 7 compartimentos para o
mesmo fim, segando o art. 12 do res*
pectivo reguLmento.
Paco da Intendencia do Recife, 13 de
Janeiro de 1892.
Dr. Manoel Pinto Dmaso, presidente.
Franciaco Faustino de B.-ittu.
Joo Walfredo de Medeiros.
Albino Jos da Silva.
Dr. Augusto da Costa Gomes.
Francisco Gurgel do Amaral.
Antonio Machado Gomes da Silva.
Jos Xavier Oarneiro de B. Campao.
Dr. Joao Carlos Balthazar da Silveira.
O secretario,
Joaquim Jos Ferreira da Rocha.
DECLARARES
A agencia da Companhia de Seguros Aa-
sia.ica de Hamburgo ueuta cidace, faz sciente
qne leno sessado Boas operacOea de furos
desde odia 1- de J neiro if. 1891, e leLo be
Sodado no dia 31 de D<-zembro do mesmo auno
o prufo do ultimo contrato, sem que nouvesrie
uetihuma reciamago, pelo nresente declara que
desta data em diaute (lea completamente extiuo-
a a referida agencia.
Recife, 1- de Janeiro -te 189.
; De o^dem co lllm. Sr. Lr. oepector lotori-
no deste thesouro, fago publico que no da 4 ne
F:vereiro vindoo.-o ir praca por um armo a
arreroatagi do pedsgio d;< barreira riojaiy e
Uruan, pe.-ante a junta de F-zeiida rDmua em
sesj,;. serviudo de Dase para a primeira o pr*cj
de 821JOH), e para a segunda o Je 1:62W'.'00.
Os seuhores concu rentes se deverao haoilitar
na forma do regulaineatu e.a vigor.
Secretar: do Tliefouro do Esiado de Perca-c-
haco, em 26 de Janeiro de 1892
Servindo Ce secretario,
___________los Anastacio da Silv i Goimarae;.
Quaitica^aL) de estrangeiro
O presidente di Inteadercia Municipal
do Recite faz pub -o que, disooado o ar
tigo 92 da CoaadtaifSo Poiitiei desto Es-
tndo que ss.'Zo elector1's do cons-IIi) mu-
nicipal, alera dos cidadus alistados como
eleitores polticos, os estrangeiros que ti-
v menos tres annos e contribuir cota as
tuXfcS municipaes, eSo pe o presente convi
dad s os que, se aobaodo n'este caso qui
Vrem usar de seu direito, sem perda de
s a nacionadhde. a requererem titulo
dentro de trinta das, coudos da presen-
te udaia dco!arnd j ou patcjfo seu nome.
tiliarao, idade, eiiaio e aomciio, e tra-
zendo provada o timpo de residencia uo
municipio, segundo u artiga supra.
P..i;; da Intendencia Municipal do Rj-
cife, 1 i de J.reiro de IS9.
Dr. Manoel Pinto Dmaso.
Presidente
Joaquim Jos Ferreira da Rocha.
Hippodromo do Campo
Grande
Convida ?e 03 senhores pos^uidore? ae accoes
preferenciaes a virem rebeber os juros corres-
pondentes ao 2- semestre do 3o anno, aastO
horas da manta as t da larde, da ou 2i i. 3U
do corren1 e. na seivetaria do Hipoodromo i ra
do Imperador n. 55 1- andar.
Secutara do H'pnodromo do Camp. Grande,
22 de Janeiro de le92.
O tbesoureiro.
M. Lopes Vieira.
6,000 k.los de
para Cear,
C. A. Borle, 100 saceos com
assucar branco.
No biate nacional 1). Julia,
carrecou :
Compona de estiva, 2,000 sacos com farinba
de mandioca.
No biale nacoaal Septum, para Slossor,
carreearam :
S. Nogueira & C, 10 barrie com 750 litros de
mel.
No hiate Geriquity, para o Natal, carretra-
lam :
F. Rolrignes & C, 730 saceos com farinba de
mandioca.
Na barcaca /. Palne.ra, para lacei, car-
regou :
i. de Souza, 10 caixas com 1,150 kilos de
sabo.
Pauta da Aifaadeca
tBKNVA DI 25 & 30 D8 JANEIRO DI 18l. 2
Aleool (litro ...... 114
ilgoda em rama iko) .... 62 J
\rrox com casca t:.o) ... 80
tssucar retinado (aoj .... 380
issacar branco (kilm..... 304
issucar mascavado si[0) ... 197
Sagas de mamonas (kilo) ... 126
Borracha de leite mangab. (kilo) 1/600
Cachaca........ 220
Jouros seceos espichados (kilo) 654
Jouros seceos salgados (kilo) 594
>ouros verdes (kilo)..... 32:)
Courinhos (am)....... 1*870
arocos ae algodio (kilo) ... 40
Carrapateira (kilo)..... 133
:acao (kilo)....... 400
Xf bom (kilo)..... lilOO
Jal restolho (kilo)..... 900
Caf moido (kilo)...... 1*200
Carnauba (kilo...... 566
Jera vegetal (kilo)...... 56
Janna (li'ro)....... 220
Cal (litro)........ 10
Carvo de Cardiff (ten.) .... 30*000
?armha de mandioca (lito) r 5 3
ienebra (Otro)...... 440
<}raxa (sebo) ...... 483
laberandy (em folha) !:ilo 200
Leite de maagabeira (kilo) 1*466
ilel (litro)........ 131
Milho (kilo....... 70
Phoapnato ae cal da Una Ha.a (tone*
lada)......... UQiiQ
Pelle de cabra (cento)..... 187*000
Pelle de caraeiro (cento) .... 145*UO0
Sement de csrnaba (arroba) 53
5oa (meio) ..... 3*850
Sement de carrapaleira (kilo) 126
Sebo.......... 633
latajuba (kilo)...... 140
Taboas de amarello empranchei
(dum)........ 100*
Rendioaentos pablleo*
USZ 38 1A3EIBO DB 18-2
ALfanikaa
Um secretarla da lana Casa de Mi
wrlcordlaalugam te oa eKUlnte*
predio* s
Ra co acantamento loja n. 11 30*000
Ra do Amorim, aruiazem n. 26 luOO
Hem iJem 0. 64 30*000
Ra do Burgos n. 19 <2*<00
Seranea ueccao da AUaudega e feruamiina ,
27 de Janeiro de 1892.
O tbesoureiro,
Florencio Dominguea,
O chefe da seccao,
Feliciano Placido Pontual.
Rceebed*rf a do Estado de
PeroaHbuco
Do dia 2 a 26 138 094*394
'4em de 27 1:ij0z4
139:214*718
Thesouraria de Fazenda
De ordem do Sr. Dr. inspector e em
vista de talegramma do inspector da cai-
xa de amortiaayao, de hontem, fago pu-
blico qae conforme a deliberacSo tomada
pela respectiva junta administrativa, far-
sa ba nesta Thesouraria a substituicao das
notas do governo de cem e qoinhentos
mil res, da quinta estampa, at 31 de
Marco de 1892.
Em 15 de Dezembro de 1891,
O secretario,
J. Qornes da Silva.
Hospital Portuguez de Be-
neficencia
Assembla geral
S3 convidados os sennores socio3 a comrare-
cerem uomiogo 31 do correte, as 11 horas da
manli, na sede do hospital, para eUge-em os
funccionarijs npc^ssari03 para preeache." as va-
gas existentes Da junta ato iwrente atino.
Secretaria no ospital Portoea.-z de eneti
cenc;a, 26 de Jdnero de (892.
Manoi-I Lopes,
Secretario
Sania Casa da Misericordia do
Recife
Perante a juoia administrativa de.'a santa
casa, no dia. 3 de Fevereiro vinioaro, recebtm-
se propostas'para o fornecimento dos seeutntes
oaienaes 1<' que 1 Hj precisar p-.ra oa c^ncertos
dos sea? predios ci o in de junh> do corr ele
ao;'0.
Areia do rio. carroca.
Gal braoca, alajseire.
Di .1 [>rva, dem.
Ciiuros e qoalidade, aoi.
1'. ichzav de 22 palmos, um.
Dito e 30 dttus, m.
Cimento, bafrie>.
Cimento Po-tiand, tina.
Ripis. ( ato.
Traveta ae ;>0 o-mo-. urna.
Terga de 32 dito-", dem.
Travo de 22 ditos, id'ra.
I) la do 50 Mitos, idem.
T mas, c i e.
^l')io^ de alvenar a roasa, idem.
D:tos de la^riioo quadrado, dem
' Ditos de Jitocorapridj, idem.
Ditns de lapamemo, iaem.
i'ioca de Iju"o. aem.
D ta deamarelo. urna.
(Js materiaes s^ro coo^aziJo? para os .abares
in lica los, por coma do fornecedor.
a'ia da S>nta Casa da Misaricordia do
Recite, 26 de Janeiro de 1892.
0 escnv&o.
Pedro Rodrigues iie Sooza.
Reclie i>ralaag "
Da dia a 26 9:186*249
idem de 27 29*648
9:215*897
H*nda gere! :
Do da 2 a 26
dem de 27
565 8144662
25:645*846
Renda do Estado
Do da 2 a 23
dem de 27
99:920*433
5:506*518
Somma total
591:400*508
105:426*951
696:687*459
B01 incalo do porto
Navios entrados no da 27
Liverpool e escala, 22 dias, vapor inglez
M-rchant >, de 846 toneladas, commandante
H. H. Schair. equipagem 26, carga, gneros a
Blackburo Neeuoam & C.
Rio de Janeiro, 28 dias, pata:ho inglez Al-
dine de 344 toneladas, capito W. B. Law.-en-
ce, equipagem 8, em lastro, ordem.
Tamandar e Rio Formoso, 8 horas, vapor na-
cional Jacubype > commandante Carvalho, em
Idilio.
Navio sahido no mesms dia
Macei, vapor allemo < Cassias corxrain
Jante M. rvinck, em lastro.
Mrrcauo nunielpal de 9. dot
O i)v.-.mtno deste mercado no dia 26 d
Janeiro foi o sefruinte : Gntraram :
38 bota pesando 4 995 kilos.
328 kos de peue a 20 ris 6*560
7 1/2 cargas com farinba a 200 rs. 140C
8 atlas de fructas diversas a 300 rs. 2*40J
2 cargas com gal incas a 600 rs. 1*200
3 cassns com alunas a 400 r. 1*200
32 columnas a 600 rs. 19*50(
8 suinos a 200 rs. 1*600
38 taboleiros a 200 rs. 7600
48 compartimentos com taruma a 500 244000
34 ditos de comidas a 500 rs.
93 dilon e legucies e fazeudas
400 ra.
15 ditos de sumos a 700 rs.
8 ditos de frenaras a 600 ra.
3 ditos de camarOes a 200 rs.
43 U'lboj a 2*
Rendiraentos de 1 a 25
17*0(0
37*200
10*50t'
4*800
*600
86*Ot1!
221*560
5.769*940
o 991*500
frecosdo dia :
Carne verde de 20) a 640 T(SM o kilo.
Suinos de 64'J a 800 ris ideroi
Caraeiro de 640 a 800 ris dcmi
Farinba de 320 a 400 ris a cuia.
Milho de 300 a 320 ris idem.
Feiio de 1* a 1J200 idem.
Vapores a entrar
MKZ DS JANEIRO
Enrosa....... Magdalena........
Norte........ Pernambuco.......
Europa..... Merchant.........
Norte........ Goyania.
Sul.......
Sul.......
Sul.......
... 28
.. 29
. 29
.. 29
Cride............. 30
Adcance.......... 30
Porto Alegre....... 31
Hospital :*edrp 11
Aub de ibsteiricia
O De. director do servido sanitario da
Santa Casa ptrticipa, a quem icteressar
que a matricula para o curso da Obstetri-
cia abre se no dia 3 de Fevereiro.
SSo condicSes para a matrcula :
l.8 Ser maior de 18 nnes e msnor
de 40.
2. Saber 1er 3 escrever, ter nocoes do
systema mtrico decimal e as qnatro con-
tas fundamentaes da arithmetica.
3. Ter boa conducta civil e moral e
nao soffrer de molestias contagiosas.
Para mais informar,oes podem dirigir se
a este Hospital eos dias uteia da 8 as 11
horas da macha
Hospital Pedro II, 18 de Janeiro de
1892.
Dr. Ignacio Alcibiades Velloso.
Director do servico sanitario.
Gabinete Portug-uez
de Leitura
Na falta da presidencia do conselho delibera-
tivo, convido por ordem da directora todos os
senhores associadoi a reunir^m-se domingo 31
do correte, as 12 horas do dia, em assembla
geral. Da sede desta instituico, z&a. de proce-
uer se ao exame das contas, e eleigo da nova
administaco.
Secretan i do Gabinete Portuguez deLeitara
em Pernambuco. 26 de Janeiro de 1892.
Joao V. C. Alfarra,
I* secretario.
Irmandade
SS. da matriz da Boa
Vista
De ordem do irmao juiz, convido a icios os
irmosdessa veneravel irmandade para, encor-
porados, assistirem as exequias solemnes qae
pelo eterno repouso d'alma do ex imperador do
Brasil o Sr. D. Pedro de Alcntara, so celebram
na igreja matriz da Boa-Vista, s 9 horas da
manb do da 28 do corrente mez.
O esarivao.
Trajano A. Temporal de Mendonga.
Escola Normal do
Recife
De ordem do Sr. Dr. director desta
escola scientifco a quem interessar que de
15 do corrente at de Fevereiro prxi-
mo, eBtgro abertis as matriculas as
autsa dos tres ancos do corso ; e qoe de
accordo com o art. 26 do Rigulamento
de 27 de Dazembro de 1887 s serlo
ellas facultadas aos inaividuos qae preva-
rem:
Para a do 1 anno:
1. Iiade maior de 18 annos, as forem
do sexo masculino e de 16 sendo do sexo
teminino;
I. Isencao de colpa que motive a per-
da da cadeira de professor publico;
III. Ser de bons costumes;
IV. Nao soffrer molestias contagi^sap,
nem ter defeitos pbysicos qoe os privem
de bem exercer o magisterio ;
V. Habilitacio as materias professa-
d8 nos tres graos do ensino primarij ou
eos do exame que tiver feito na escola;
VI Vaccna recente ou re vaccnacSo.
Para a do 2. e 3 anuo :
Approvacao em todas as materias ense-
nadas no asno anterior.
Outro sim, fago publico que o mesmo
Sr. Dr. director temdea^uado odia 26 do
corrente, s 10 horas da maoha, para ter
comee/) o exame/ de hablitaco de qae
trata o art. 27 do regalamento vigente,
Secretaria da Escola Normai do .Recife.
7 de Janeiro de 189.'.
O secretario. F. Fragoso.

\
Tapores a sabir
HEZ DE JANEIBO
Sul......... laboatao.......... 27 aa 4b.
Sol......... S. francisco....... 28 as 4 b.
Sal......... Magdalena........28 ts 2 h.
Sal......... Pernambuco....... 29as 5b.
'Europa......CJyd............. 30 aa Ib.
Companhia
DE )
Tecidos Paulista
Os senhores accionistas sao convidados a rea-
lisar a terceira entrada do capital a razo de 20
0/0 at o dia 8 de Fevereiro prximo futuro das
11 horas do dia s 2 da tarde, a ra do Bom Jo-
sas n. i. pavimento terreo
Re,ufe, 7 de Janeiro de 1S92.
J. A. Saraiva Jnior,
Di-ector secretario.
'


.

-


H^^H^H
f
m

4

I
I


Diario de Pernambuco Quinta-feira 28 de Janeiro de 1892


Estrada ^de Ferro Central de
Pernambuco
HORARIO DE TRENS
A vigorar do dia 1 de Fevereiro de
1892 en diante.
Tren de suburbios
TftEOS OS DAS
MaNH
13 "O a J3
:3 "O
Eetafes o C Ertacoet so
- JE
J U
Horas Horas SI. He ras
........ ...... ...... Jaboalo Tigipi Area?. . "i'Jti 6.8
......
...... Re il'e . 6.44
S. 2. S. 3
Recife . 9.00 Jaboato
Areias.. 9.14 9 16 Tigipi - 1021
Tigipi . 9 21 9.23l'Ar*;ia<. . 10.2
Jaboato .l ......1 Recito. . 10.44
Hxiras
6.00
6.23
6.30
10.00
10.23
10.30
TARDE
Estafas
S 4
Recite. .
Areias. .
Ti-!pi .
Jaboat*
g. 6.
Reo
Areia. .
Tigipi .
Jaboato
S. 8.
:!'e. -
Areias. .
Tigipi .
Jaboato
S.E. 1.
Recif .
a reas..
Tigipi
Jaboato
;c I Mstaeies
Horas i Horas
"'.'i
5.21
3.41
7.2i
7 31
7.51
9.2i
9.31
y.ol
S. o
5.00 Jaboatdo
5 16 Tigipi
tretas..
Recife .
S.7.
Jaboato
Tigipi .
Arelas. .
Recife. .
7.10
7.26
7.33
9.(0
9.26
9.331
O
:3
:u '
C;
u
Horas
*6-3
6.38
.54
8.31
8.38
8.54

H ora
6.10
6-33
6.40
8.10
S.33
8 40
Empreza Costa & C.
G;MDE COMPAfTilM ItALIffl
DE
OPERAS CMICAS E OPERETAS
dirigida pelos artistas
ZUOCHI e OTTONELLO
KSTREA 8ABBAD0 30 ESTREA
eooi a preciosa oppereta em 3 actos do maestro 8UPPE
BOGGJK.GXO
Protojonista a EMINENTE trtista
Aimita Pavan Braiit$
de E c jacio
2.31
2.4!
3.01
DO MINGOS
II S 2"
2.20|j;iboato
2.36 iTigipio .
2 i6'| Veas. .
.....(Recife .
3.58
4.14
3.30
3.53
4.00
Giovani 3rcoaco
Principe de Palermo
Lelio (estudante) amigo
Randoipho (jarineiro)
Fromboli (tanceiro)
Qjiquibio (barbeiro)
Beatriz (pupila de Pandolfo)
Petronilla (muiher de Pande'.to)
Zanetta (mulber de Quiquibio)
Frisca (mn-her de Frjmboli)
1 estudante
2 estudante
Vende historias )
Ineogoito )
Checo (mendigo)
Contadiua
Armjiro
Estudante], Campesinas, povo etc.
Maestro concertador e directo:: da orchestra
Personagens *
Sra Anita Pavan BernJi
Sr. Felice Ottoneilo
Sr. O Ficri Ottoneilo.
Sr. Arthor Zuccbi. .
Sr. Job Beroini.
Sr. Antonio Frassini.
Sr.* Ida Giglioni SafSetti.
Sr,1 Luiza Rossel.
Sr* Roza Civallucci.
Sr. Cequinca Fiori.
Sr. Angelina Ubaldi.
Sr' Natalia Brairbali.
Sr. Cecre
Sr. Fornini.
Sr.a Bustaimnte.
Sr. Ferrbguti.
PAULO LANZN
Trens mixtos da Victoria
SOMENTE NOS DtAS OISH
IDA
V0LTA
attacoet t
3
M. 2. Horas
Recife...! ....
A'Pia^... 354
Tigipi * 4.01
Jaboat o 4 22
Morenos' 4.53
Tapera.. 5.4
\icloria. 6.00
"? Estardes
to
Hoias M. 1. Horas Horas
3.40 Victoria i .... 6 20
3.36 Tapera,.. 6 50 6.55
4.04; Morenos. 7.21 7.26
4.27 Jaboat 7.52 8.00
4.58 Tigipi. I 8 18 8.20
5.29jAiei-.s 8 25 8.27
...JRecife...: 8.42
rr =: <^ is Sr- > = _
a- s-* o ~= 3 ~ ~
F&"3 z 3-2.2.
..o
o O- **
o"
a-
co xac-i^i~j'
Chegada |
SitAsgiScii' " 1
- Q *o **e ip> co 9 ! | Partida 1
n t,35 == 2. P="oS3=-ri2.tc ; : o : -.. 5 1 1 1
*- ~ S-;:-- X. Z. J- 1 Cbegadn 1
------ItH.t----; x =. ~ X = li s ' I Partida
>
<
o
r~
H
>
* -i- ?- ~ > a
c o e*
M. e
Sab.,
>
09
> g
e s
n
5 8
o X
a
s
R
X
Carga
SE3USDAS, QARTAS SEXTAS FE1BAS
EHaifies
C, 1.
Recife...
A-eia '
T.^ipi
J boaio.
Moreno s
Tapen..
Victoria*
F. Gltc.
Russiaba
o
?
M

Horas
88
8.25
9.00
9 48
10.31
11.17
12.29
i 05
Estares
Horas C. 2.
8.00RossiDba
8 32 P. filie..
8.37. Victoria.
9.15'Tapera..
9.SS^oren
10.40 Jaboat #
11.49!Ti(fipi..
12.34Areirs. .
.....Recife. .
a
o
IS
eo
Horas
25,
3.00'
3.S'
4.47
3.27
6.05
633
Horas
1.50
2.20
3.20
4 09
4.54
5 42
6.08
OBSERVigOBSNos dias saattfictdoa oa de
festa nacional regular o horario dos dias otis
para os trens de suburbios. 0 trern P 2 dcs sab
bados ter maior demora na Victoria regulaodo-
senesse dia as partidas d'alli para o Recife pela
2* colomoa. A parada de Areias nao recebe e
aem expede cargas. Os asteriscos indicam os
crufameotos seguales do P. 1 cora o M. 1 em
Jaboaio. do P. 2 com o C. 1 em Victoria, do C.
1 cora o 51. 1 m Arpias, do C. 2com o M. 2 em
Morenos e coin o S. 4 em Jaboato e nos sabbadi s
sbente o P. 2 crusa com o M. 2 em Tigipi.
Recife. 16 de Janeiro de 1892.Inspector do
trafego, T:ieopb!!o de V?scensellos.
Dir^ilor,
Olegario He'culano da Silceira Pinto.
Companhia de Tecidos
Paulina
Segundo disp5e o art. 16 do decreto de
17 de Janeiro de 1890 da lei e regula-
mento dns bancos e sociedades anonymas,
acham-se no escriptorio provisorio a ra
do Bom Jess, n. 1, pavimento terreo,
copia do balance, relacao nominal dos Sra.
acsionistas, durante o anno lindo.
Recife, 19 de Janeiro de 1892.
J. A. Saraioa Jnior.
Director secretario.
Banco da Bolsa
Tendo es"e banco procedido a 'ncorporaco da
Companhia de Servicos Martimo* de Peroambu
co. e sendo o concurrente que mais vantagens
offereceu ao hoto contrato de illuminajao publi-
ca de?ta cidade, para a qual torna se necesario
fazer adiantamecto como seja o do deposito do
valor da avaliaco da empresa do gaz, para o
que nao bastante a 1* entrada dos accionistas
do meemo banco, previne-se aos senhores accio-
nistas deste banco, que sao convidados a fazer a
seronda entrada de 10 0 0 de suas aeces at o
dia 15 de Janeiro do anno que vem, e a 3 entra
da tambem de 10 OlO, 30 dias depois, como de
termina o art. 4.' dos estatutos.
Recife, 28 de Dezembro de 1891.
O director gerente,
P. J. Pinto.
Camarotes de 1.* e 2.'
Presos
ordem .
Cadciras de
3.a frente ,
3 lado ,
4.* ordem.
1.a classe .
2. dita
Pate*
Parf-izo
20O00
145000
12(5000
60000
4 $000
30000
2tf000
10000
".
na livraria
Fica aber 1 assignatura it 10 recital com abatimento de
CONTEMPORNEA.
NOTANSo s repetem pejas aos senhores assignantes.
A empresa tendo resolvido dar os dois primeiros cspect;cjlos extraordinarios
avisa aos ssnhores assignantes que terh a preferencia em estes dois espectculos e
demais extraordinarios que se darlo a auas localidades que assignarSo.
TCFDlLSr
Capital Reis 1.500:000$000
Dividido em 15,000 accSe* de 100:000 cada urna
, RA DO VGARO N- 2
(Esquina do largo do Corpo Santo)
Edificio da Junta Gommercial
Hora d* Bolsa
DE 1 A 2 DA TARDE
Compra e vende ttulos com cotacSo.
Liou da operacSes por corita de terceiro ou a prazo-
Faculta capitaes para comp-a e venda a dinheiro oa a prazo de quaesquer
itulca cotados na Bolsa.
Iategralisa convindo capitaes de Bancos e companhias econhecida atilidade.
Fas transferencia de opersc8es realisadas na Bolsa a prazo.
Auxilia liquidacSo de report e Delcredere.
Realisa operares bancarias relativas a sua natureza.
Encarreg-se de incorporales de Empresas.
Levanta-se prestimos.
Compra e vende metaee.
Encarrega-se da compra e venda de assucar, algodao, etc. etc.
20 de Marco de 1891.
0 director gerente,
P. J. Pinto.
Curso Annexo da Fa-
culdade de Direito
do Recife.
Pela secretaria do Curso Annexo se
faz publico de ordem do Sr. Dr. Direc-
tor, que se achara aberta a matricula
para as diversas aulas preparatorias do
mesmo curso a contar de 12 de Feverei-
ro prximo vindouro at o fim do referi-
da mez, devendo ter lugar a abert ira das
aulas no dia L.a de Margo de contormida-
de com o disposto no art. 451 do decreto
n. n. 1232 F, de 2 de Janeiro de 1891,
combinado com o art. 14 do decreto eu
mero 1075 de 22 de Novembro de 1890.
A matricula f.r te ha por s-ries ou por
aulas avulsas, tarta. 450 e 467 do citaJo
decreto n. 1232), sendo necessario que os
candidatos matricula da 1.a serie :
1'. t;nham pelo menos 12 amos de
idade;
2-. que exhibam certificados de estudos
primarios do primeiro grao, ou obtenham
no prjprio curso approva$ao cm tedas as
materias d'aquellee estudos ;
3-. provem ter sido vaccinados ( artigo
450 ).
A petigSo para a matricula dever de
clarar o nome, filiacao, naturalidade e
idade do alumno e s?r acompanh.ido de
conhecimento que prove haver J>ag^ na
alr'andega desta cidade a taje* annual,
Alfandegade Per-
nambuco
O inspector, segundo di9p6e o art. 9a do de-
creto n. 9766 de. 14 e Jultu de 1687, previot
aos Qleresaados que esta repariico. at o flm
do correle mez, far u cobranca a bocea do
cafre, do imposto dos fores vencidos.
__________________Buro le Souza Leo.
Companhia Recifense
de Panifica^o
Esta e.mpreza, tendo recebido oarte de seos
apparelhos que priocipiaro brevemente a fanc-
sionnr, e feto acquisicSo de 16 padarias toraa-se
loevfficteate as enas operafiSes o capital realisa-
jo, como ser detalhadamente demonstrado no
prox:tr.o rehtorio, por itsa, sao convidados o?
Srs accionistas a entrar mais enrn 10jo soare o
valor de suas aeces no prazo de 30 das da pre-
sente data, e cotrt-s 10 | 30 dias depois.
Recife, 3t de Dtzembro de 1891.
O secretario,
Joaqaiai M. G, Rosas.
A Equitativa
D IS
Estados Unidos
Sokiedade Mutua de Seguros de Vida
Tendo o Sr. JOS RHE1N3TR )M pedido a sua
demisso como correspoo nada 'uti.paabia oeste Estado, avisa se ao tu
bliCO qu>; yuilqusr iujjluu1 'iujcu em relac&o a
dita couipanliia deve ter Dirigida ao abaixo as-
sinado no sea escnptorio n. 18, roa do Com-
murcio, ou Caixa do Crrelo o. 115.
Pernambnco, 26 de Janeiro de 1892.
Hirolii Sorby.
Gerente para o Brazi 1.
SEGUROS
GONTBA FOCO
ffie Liverpool London Glo&f
IITSUHA1MCE GCMPAInTY
:::2srar, mim & c.
Raa do Bom Jess, n. 16
Companljia t ^egur0f
ccsrrsA ?:r.
Northern
de Londres e Aberdeen
'osijo tuanceira
Capital subscripto 3.780,000
Fundos accumulados 3.000,000
teeeita annual :
De premios contra fogo 626,000
De premios sobre vidas 208,000
De uros 155.000 '
Boxwell Willianu & C.
Responsaveis
Pelo presente sao intimados em cum-
primento da circular do Ministerio da Fa-
eendo n. 66 de 14 de Novembro ultimo
os seguintes devedores para no praso de
15 das contados de boje, virem satisfa-
cer a importancia de suas responsabilida-
des, conforme os termos que assignram,
median te, os quaes effdctuaram-se despa-
chos livrea de direito de importacjSo, sob
pena de ssr feita a cobranca execuliva-
mente :
Barllo de Serinhlem (re-
presentado pelos seus
her Jeiros) como gerente
da empreza Estrada de
Ferro de Ribeirlo a
Bonito. 2.4430420
Coronel Jos Bellarmino
Pereira i e Mello, idem. 1.3270730
Gaspar de Menezes D.-u-
mor.d, coatractacte da
usina Trapiche. 7.6780455
Dr. Jos Zafrin Paes
de Lyra, dem do enge
nho central da Palma-
res. 1.4150282
Lopes Magalhaes & C,
pelas machinan e appa-
relhos para/ a usina
Pirangy-Ass. 1.2O705CO
Os mesmos, pelas ferra-
idem, idem. 1838750
O vapor Clyde
demo-a necessaria para
w. Vicente, Lisboa,
E' esperado dos
portos 4o su! at
o dia SO de Ja-
neiro ae 1892 se-
guindoa depois da
Vigo e Hou
gens,
Os mesmos, pelas
pegas
idem.
SEGUB Cfll FOGO
Companhia \oi ii Brilish
Mercantil e Insurance
ita 1 subscripto 3 000 000 Ia 0*
Cido s accumulados 9.752,443 18 5
Fnn ====-===*
BECEITA ANNUAL
premios contra
De fogo....... 1.495,818 6 10
preaiios sobre
Devidas...... 992.379 6 1
2 488,197 12* 11'
que e :
Para urna aula 6IGO0
Para duas 9^000
Para tres oa mais 120001)
0 corso de estudos consta das seguin-
tes disciplinas:
Portagaez.
Latim.
Francez-
Inglez.
Mathematica elementar.
Phisica e chimica gral.
Oeographa.
Hisfiii.. natural.
Historia universal.
Historia do Braz. ~
Ha duas cadeiras de mathemati ca ele-
mentar.
O alumno matriculado no curso tem
preferencias, na admissao dos exames, n3o
tica obrigado a exhibir o curriculum vitos,
de que trata o art. 460 do regulamento
do pagamento da taxa de cinco mil res
pela inscripeo para cada prepatorio, pa-
gamento a que sSo abrigados os alumnss 1
estranhos. nos termos do art. 461 do ci-
tado decreto de 2 de Janeiro de 1891.
Secretaria do Curso Annexo da Facul-
dade de Direito do Recife, 25 de Janeiro
de 1892J
O secretario.
Joao Telesphoro da Silva Fragoso.
Banco popular
Assembla geral
Em observancia ao ait 2 ai s estalntos. con-
vido aos senhores accionistas a reun'em-se em
assembla ^eral ominara no di 28 do correte,
is 11 horas d;i manli;>, na AssociacSo Gcmtr.er-'
cial Beuelicctit-, uiim de ifarem conhecimento
do relatono. parecer Hieal e conttt do auno tin-
do, e proceder-re a elii^j da commissi) scal.
Recife. ll de Janeiro de 1892.
Albino N. Maia,
Director secretario.
N. B.A repartico de fundos accumula-
dos sobre segures contra fogo, nao se res-
poosabilisa pelas transaccOes feitas pela a
de seguro sobre vidas.
Agente em Pernambuco,
-V. J Lidstone.
N 10 ra do Commerclo.
SEGUKOS
martimos costra fogo
companhia Phenix. Per-
nambncana
RA DO COMMERCIO N.46
de machinismos,
idem.
Jos Adolpbo Rodrigues
Lima, pelas ferragecs
destinadas usina
Timb.
Manoel Antonio dos San-
tos Dias, idem, idem
UBina Sania Filocilla.
Cunha Vasconcelos & C,
pelas pegas de ierro da
usina Carsssu'.
Cunha Siqueira & C, pe-
Iob direitos de diversos
objectos para a usina
Trapiche.
Manoel Jos de Souza
Guimaraes, director da
Companhia de Fiacao
e Tecidos da Torre.
Bandeira Squeira, pro-
pietarios da n s i n a
Bandeira.
Manoel JoSo de Amcrim
presideett da Compa-
nhia Agrcola Mercan-
til, pelo material para
as usinas, Carase, Ba
deira e Trapiche.
Souza Pinheiro & C, pelo
material para a usina
Lactosa.
Dr. Francisco da Cunha
Beltrao, gerente da
Companhia Industrial
Assncareira, pelo ma-
terial para a metma
Companhia.
Manoel Joao de Amorira,
presidenta da Compa-
nhia A. Mercantil pelo
material para a usina
Ipojuca.
95300
3.2050650
1.4180450
6?0OOO
140175
11.8118048
500727
(hampton
Ssiiteco de pauageru
da IiaevoUt
t Lisboa 1 c!as38 i 20 30
A' Southamptoii l* classe a 28 i 42
Camarotes reservados para os passagelros de
(ircambucc.
Para pasi?.gans, fretes. encommendas, trata-pe
oa os
AGENTES
\morimIrmos & C.
K.3Rja do Bon JessX. 3
Loyd Braseiro
Sec^o de navegaco
DA
EMPREZA DE OBRAS PUBLICAS NO
BRAZIL
L'.KHA DO NORTE
PORTOS DO SUL
O paquete
Porto-Alegre
' esperado dos
renos do sul ate
o (Ha 91 de Ja-
neiro e eegnin-
do depoli da de-
onra do costnme para
Parabyba, Natal, Cear,
AmarraeS, Ma-
4.3970345
4.1850500
Companhia de Segaros
MARTIMOS E TiMvRESTRES
Estabeleeldaein 18SK
Catado flnancelro em St de le
zembro de 18 8.
Capital 1,000:0001000
Fundo de reserva 110:3761000
Sinistros pagos 1,776:6831000
44Ra do Commercio 44
2a Scelo da Alfandega
co, 21 de Janeiro de 1892.
O chefe,
Feliciano Ponlual.
2.7738500
5.0008000
47.1850132
de Pernambu-
ranho, Para, Obidos e Macaos
As encommendas ser&o recebidas at 1 hora
la tarde do da da saluda, no trapiche Barbosa
10 iaro do Corpo Santo n 11.
Aos Srs. carregadore8 pedimos a gna attencao
Dar a clausula 10 d03 coonecimentos. qce :
No caso de naver alguma reclamaco contra a
xinpanhia, por avara oa perda, deva ser feita
jorescripto ao agente respectivo do porto da
i'scarga. dentro de tres dias depois de tiaali-
uda.
Nao procedendo esta formalidade a companhia
5c i isenta de toda a reaponsabidade.
As passagens compradas a bordo e encom-
meodas all entreguespagaro mais 250/0 dos
preces de nossa tabella.
.-ara passagers, fretes e eccommendas tra
a-se com os
AGZNTES
Pereira CarneiroSc C.
S^mmJiua o.o Comturcioa*6
niiaiiii Mimtm li la-
Para Fernando de Sorocha
O paquete Una
Commandante Monteiro
Segu at o da 31 do
correte as 4 horas da tar-
de.
Recebe carga, encom-
mendae. passagens e di-
nheiro a irft?ats 2 hor*^' da tarde do dia da
partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucano
u. 12
foipte FinnuinH ii Ba-
martimos
Banco de fernambnco
DIVIDEiNDO
Sao convidados os snhores accionistas a vi-
rem receber no eecriptorio des e banco do dia
25 em diante o 4o dividendo de suas aceOes, na
raan de 8 0/0 ao anno, correspondente ao 2o
semestre findo em 31 de Deiembro de i891.
Recite, 23 ae Janeiro de 1892:
- Jos AiorliD Rodrigues Lima
Director secretario.
Curso annexo Faculdade
de Direito do Recife
De ordem do Sr. Dr. director, fago publico que
devendo ter lugar na segunda quinzena de Fe
vereiro prozimo vindouro os exames de suffi-
ciencia, e os lioaes para os exudantes que por
motivo de molestia provada. cao tinbaa podido
comparecer s nrovas do fim 4o anno preceden-
te, nos termos do nico do art. 4ol do decreto
n. 1 232 F de 2 de Janeiro de 189l,sero admit
nH03 a esta ultima classe de exames todos a-
quellesquo inscriptos em NovemDro findo, dji-
xaram de comparecer, devendo os que se acha-
rem nesias coedices aireseatar ao mesmo Sr.
Dr. director de Io a H de Fevereiro prximo
suas pccoes devidamente instruidas com attes
tado medico.
-Secretaria do Curso annexo Faculdade de
Direito do Recife, 25 de Janeiro de 1892.
O secretario,
Joao Telesphoro da Silva Fragoso.
THE IMPERIAL INSURNXCE COMPANY LIMITED
22 2aQMdDRES
Estabelecido 1803
lAI'lTtl- 1,900,000
(na. t4.oooioooooo)
8EG0BA BDIFICIOS E MEHCADOEIAS
CoDtra o fogo
TAXAS BAIXAS
rompi .usanipnlu i- prejulzon
SEM DESCONT
AGENTES
1IROWKS & C.
SEGURO CONTRA FO!
Roy al Insurance Compaa
de Liverpool
CAPITAL, 9.000:000
R. Drusina & C.
nl-R ilarnnezdOilnd o
Companhia de Segaros
UtliMz it pisbi
Miguel Jos Alves
!V. VBa do loa JesniVi, W
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRE3
Nestes ltimos seguros a unicr compannn
i esta praca que concede aos Srs. sega ados semp
;ao de pagamento de premio em cada setime
inno, o que equivale ao descont annual de ce
a de ISpor cento em favor dos segurados
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as mh
cas do mesmo banco era Portugal sonde
jm Lisboa ra dos Capellistaa n. 75. H<
Porto, roa dos-Ingleses.
Porto e Lisboa
Segu com brevdade para os portos
cima abarca pertugueza Novo Silencio*
para o resto da carga que falta, a tratar
com Jos Baltar 4C, largo do Corpo
Santo n. 17, andar 1.
l'ara a Ilha de S. Mi-
guel
A escuna portuguesa Feticeira. e-perada da
Figueira nestes poneos dias, seguir para o por-
to cima depois da demora indispeosavel. Para
o resto da carga, trata-se com An onio Mana da
Silva, ra da Compagina Pernambucana nmeros
rom panilla Peroamburana de
?signte
Esta companhia mantem as seguintes liahai
egulares de navegacao:
'forte, tocando nos portos da Parahyba, Natal
ly... -a. Uossor, Aracaty e Fortaleza, partindr
leste porto um paquete a 11 e 26 de cada mex
Sul, com escala pelos portos de Macei, Pern-
io, Aracaj, Estancia e Baha, sahindo des ti
lorto a 14 e 29 de cada mez.
Femando de Noronha, partida no meiado :
nez.
Rig Formoso e Tamandar, sabida a 28.
Rio de Janeiro, (directamenie) parte o paquet
ib 25 a 30 do mez.
Rio Grande do Sul, (vagem directa) sane di
5 a 20 do mez.
Tjdos os paquetes sao novos, tem excellentei
i-co-nmodacoes para passageiros e para carga
i 3- precos sao muito reduzidos.
Os passageiros encontram, apar do bom tra
amento, todo o conforto desejavel a bordo
m paquete.
Os paquetes que tazem as viageas ao Rio di
laneiro, alm de terem tndo o que se encontn
ios paquete? modernos, accresce que fai a va
;em em craatre dias e o prego de passageni
la 1.a classe 601000.
0 paquete empregado na viagem para o Ri*
rande do Sul e smente para carga, e tem i
.-alado adequado a entrar no porto dquello Es
ado em qualquer occasiao.
Recebe se engajamento de carga por quanti
lade lixa para todas as viagens.
Outro3im, a companhia expedir paquetes ex
uordinarios desde que haja carga para o enga
ment completo de um paquete.
Swn crio, da Comnannia Pernambucan
a i\._____________________________________
Boyal Hall Sien ffi Com-
pi
O vapor Magdalena
ff esperado da Europa at o
dia as de Janeiro seguindo
aepois da demora necessaria
Viagem directa antus
O paquete Jaboato
Commandante Pereira
Segu no dia 3O de Ja-
neiro as o acras da tar-
de.
Recebe carga, encom-
mendas, passagens e di-
nbeiros frete, ato s 2 oras da tarde do
dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Companhia Pernambucana de Na-
vegado
PORTOS DO NORTE
P.trahyba, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Cear
O paquete Jacuhype
Commandante Carvalho
Segu no dia t do cor-
rente s 4 horas da tarde
para os portos cima indi-
cados.
Recebe carga, encommendas, passagens e di
oheiro frete at s 2 horas da tarde do dia da
partida-
ESCRIPTORIO
AoCa.s da Companhia Pernambucana
n.12
Companhia Pernambucana de Na-
vegado
PORTOS DO SUL
Macei, Penedo, Ara^ajo e Baha
O paquete
S. Francisco
Commandante Estoves
Seguir para os
port03 cima In-
dicados no dia
i28 do corrente s
4 horas da tarde.
Recebe carga, encommendas passagens, e di-
nheiros a frete at s 2 horas da tarde do da da
partida.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12
'Tsr w
Jara
Bahia, Rio da Janeiro, Montevideo e Bue
nos-Ayres
Para carga, encommendas, passagens e di-
nheiro a frete, trata s com os AGENTES.-
The United Sraies and Bra-
sil M. S. S. C.
O vapor Advance
E' esperado dos portos do
sul at o dia ao de Janeiro
seguindo depois da demo-
ra indispensavel para o
naranbo. Para, Barbados, S.
rhoraaz t Xewlork
Para carga, passagens. encommendas e di-
aheiro a frete : trata se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
iRa do Commercio8
Io andar

'-

T
-


6
Diario de Pernaiubuco Quinta-feira 28 de Janeiro de 1892




Imh Haritlies
O vapor A.dour
Commandante Foarnier
Leilo
E' esparado dos
8ul at o dia
portos 6o
1 de Fevereiro de tHH'i
segnlndo depajs da demora necessaria para
jjfe Patatas, Lisboa e Bordean*
Este vapor entrar no porto e tem p-
timas aecommodacBes para passageiros de
l1 claase.
O paquete Equateur
Comandante Moreau
E' esperado do
sul at o dia t
de Fevereiro, se-
guindo depois da
demora necessa
ria para
Dakar, Lisboa e Bordeanx
O vapor Congo
Commandante. C Vaquier
Sabio de Lisbca
no dia 23 do cor-
rente e espera
Ido neste porto
'at o dia 3 de
Fevereiro seguindo depois da demora lndispen-
pensavel para a
Babia, Rio de Janeiro, Montevideo e Bue-
noa-Ayres
O paquete Mdoc
Commandante Dupont
E' esperado da Europa at
o da -I de Fevereiro e
entrar ao por!o para re-
ceber carga para
Rio de Janeiro, Montevideo, Buenos-Ay-
res e Rosario de Santa F
Previne-sp ainda aos Srs. recebedores de mer-
caduras que -o se attendera a redamacoes por
fal.as, que lorem reconbecidas na oscasiao di
descarga dos volumes ; e que dertro de Who
ras a contar do dia da descarga das a.varengas,
devero faier qnalqner reclamaco concernen-
te a volumes qne porventura tenbam seguido
para os portos do sal, atim de serem dadas a
tempo as providencias necessarias.
Roga-se aos Srs. passageiros de se apresante
rem na vespera da cbegada do vapor para toma-
rem as suas passagens.
Para carga, passagens, encommendat dj
QQeiro a rete: trata-se com os
AGENTES
H. Burle & C.
42Ra do Commercio4
De 1 terreno na cidade de Jaboatao a margen:
da estrada da Lu e do rio Ca perto da estacao
com 2 otarias, boa situaco, rea 8900 metron
quadrados, tendo estrivana e casa para moradiu
:0,000 tijollos que estio na estacao, 40000 tijol-
los que eslao as darlas, 1 bom cavallo melado
e 1 dito escure.
Sexta feira, do corrate
A's 11 horas
Km Jaboatao
O agente Gusmao. autorisado fara leilao do
terreno, otarias, tijollos e cava I los cima meo
cionados, cojo leilo ser effectuado em Jaboatfb
e as otarias.
U. leilo
De 1 sitio com 400 palmos de frente e 300 ditos
de fondo, com casa fe taipa coberla de telbaa,
na estrada de Belm. freguetia da Graca, e
prximo casa da viova do D-. Feitosa, per-
tencente aos berdeiros de Uroano Vicente Fei-
tosa.
Sabbado, 30 do corrente
A'S 11 HORAS
No armasen) ra Mrquez de Olinda
n. 48
O agente Gusmo. autorisado por mandado e
com assistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de dire.to
de orpbaos, levar a leilo o sitio e casa ci-
ma mencionados, perlencenies aos berdeiros de
Urbano Vicente Ferreira.
arla Ensilla Becerra Nelva
Frederico Augusta Neiva Jnior, e sua familia
Jos Bezerra de Barros Cavalcante, Anua
Eupbrosioa Bexerra Cavalcante, filbos e genros
anda sentidos pela morte de sua idolatrada mu-
iher, tilba. irm e cunbada. Mana Emilia Beserra
Neiva, convidam aos seus pareles e amigos
para assistirem as missas que mandam celebrar
no dia 18 do corrente, s 8 horas da manba, na
matriz de Santo Antonio, 1 anniversario de sen
fallecimeeto, e desde j se confessam agradecidos
por esa << de religio e caridade.__________
.EILOES
O de urna secretaria, mobilias, movis, loa-
cas e vidrosaonunciado porlnterveocodo Aeeo-
te Pinto, deve ter lugar quinla feira 28, ne so
brado da roa de Sania Cruz n. 60
Leilo
Agente Brito
De 1 armacao, 1 batanea, pesos e med
das, bons gneros, 1 candieiro belga,
canteiros armac&o inglesa, 1 deposito
com torneiras e outros muitos objectos.
tuiuta-feira. S8 do corrente
Ais 11 horas
Ra do AragSo n. 17
Qarante-se a chave da nasa.
AVISOS DIVERSOS
Precisa-se de urna pessoa que entenda de
cosinba ; no pateo do Terco n. 31
Compra-se cnumoo velbo a i5() rs. o kilo
na roa do Brum n. 79.
Precisase de om bom cosiobeiro ou co.
nneira e de um copeiro; a tratar na ra Mar-
quez de Olinda numero 38.________________
Precisa-se de urna criada para ccpea e
mais servico de urna casa ue familia ; a tratar
na ra da Soledade n. Si.
Precisa se de duas amas, sendo ama para
engommar e cuta para cojeira e servico de
casa, paga se bem ; a tratar na ra Baro da
Victoria D. 60,1- andar.
Eogommadeira e criadop : recisa-se na
Ponte de Ucboa n. 49.
Auseniou-se da casa de sua familia, resi
dente em a ra do Bartbolomeo, no da 31 do
corrente o desascisadj Antonio Balbino da Silva,
de 17 asnos de idade, levou vestido caiga e pa
letot o> brim de cor e tamancos nos ps ; quem
delle souber far ucea obra de caridade avisando
a sua mi D. Tberesa Mara de Jess Silva, a ra
do Bartnolomeo, ou no areial das Cinco Ponas,
em casa da vid va do capito Aurelio.
Vende te urna parte no eDgeobo Desterro,
freguazia de Iguarass. e com a renda animal
de mullos aonos equivalente a mesma parte ;
tratar do Corredor do Bispo n. 9.
Precisase de urna cosiobeira e de urna eo-
gommadeira ; na ra do Ho.-picio n. 20.
Pr-cisa-fp de um c&ixeiro com pratica ou
sem ella, de taverna ; a tratar na ra de Aguas
Verdes n. 21, taverna.
Precisa-se de um bom cosiobeiro ou cos
nbeira, e de um copeiro ; a tratar na ra da Im
peratriz n. 3.
Feitor
Precisa se de um feitor ;
Paysando n. 19.
a tratar na ra de
Leilo
de movis, loucas, vldros e ou-
tros objectos
Quinta feira, 28 do corrente
Agente Pinto
No sobrado na ra de Santa Crus n. 60
A saber :
Urna mobilia com um sof 2 consolos com
pedra, i cadeiras de bragos e 12 de gnarnicao,
1 linda secretaria, graoae, 1 mesa jardinein, 1
candieiro de suspeosao, belga, quadros, etta
geres e espelbo.
Urna commoda, 1 cama, 1 lavatorio, 1 guarn
cao, 1 mesa de cama, 1 marquezo.
Urna mesa de jantar. 1 aparador, 1 sof, 12
cadeiras, 1 relogio ce parede, louca para cb
e jantar, compoteiras, copos, garrafas e mais
oDjectos de casa de familia, existentes no sobra-
do da ra de Santa Cruz n. 60.
Caj
Compra-se em qualquer porco.
vinhos de caj, ra da Aurora
horas da maob s 3 da tarde.
na fabrica de
n. 111, das 6
Fabrica de frelo
tgnas e limonadas gasosas di
tedas as
Soda water, ginger, ale, mSo, laranja, ex i
cao. abacaxis, granadina, grosellas, ranboiM*
oauoilha, bnrtel-pimenla, etc., etc.
12 ACAES DO CAPIBARIBE-12-A
Casa
Aluea-ss urna exceHente casa sila ra Impe-
rial n. 279, propria para familia por ter 4 quar-
tos. 2 salas, cosintia (ora, tem agua encanada e
bom quintil murado ; a tratar na mesma ra
numero 31.
Criado
Precita se de um criado que d coohecimento
da conducta ; na roa de S. Joo n. 17, fabrica.
3ll llllllllii mu ii une
Leilo
De 1
rico escaler apparelhado de metal
com todos os pertences
Quinta-feira 28 do corrente
A's 11 hora
Na praca do Commercio (Liogueta)
POR 1XTERVENC0 DO AGENTE
Gusmo
Leilo
De 3 vacias tou'inas preenbe, 1 bezerra ton-
ria e 1 peca com cria.
Quinta-feira, 28 do corrente
A' 11 horas
Na Praca Commercio (Linguta)
POR INTERVE.NCO DO AGE.NT
Gusmo
t
n Mara Beso de Barro* Han
dcrley
Jos de Barros Los Wanderley, bacbarel Mi-
guel Arcbanjo Pereira do Reg (ausente), Joa-
uim Pereira do Reg, Jjs Joaquim Pereira do
lego. Auna do Reg Brrelo de Almeida e rifan
cisco Luiz Barteto de Almeida, ainda pungidos
do mais vivo pesar pelo fallectmento de sua que-
rida esposa, irm e cunbada, D. Mana Reg de
Barros Wanderley, agradecem cordialmente ais
amigos que acompaobaram o eeu corpo ultima
morada, e de novo Ibes rogam o carioso favor
de assistirem as missas que serao celebradas por
alma da finada, na igreja matriz de Santo Arito
nio, s 7 1,2 horas da manbi, e na matriz da
cidade da Escala as a esmas horas, no sabbado
30 do corrente. stimo dia do fallecimento.
Ama
Precisa-se de orna ama to somente para cosi-
nbar : a tratar na roa do Alecrim n. 22.
Ama
Na ra da Matriz da Bja Vista n. 2$, 1' andar,
precisa-se de urna ama que cosinbe bem.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar ; na
(ravessa da Praia do Forte b. 6.
^ma
Precisa se de urna ama para cosinhar e mais
servico para casa de pequtna familia, preferin-
do se crioula e de meia idade : a tratar na na
do Livramento a 1, sobrado.
Ama
Para cosinhar precisa se na caa n. 85, segn
do andar da roa Mrquez do llervai.
Ama
Precisase de urna ama para lavar e engom-
mar ; na ra do Rangel n. 9, padaria.
Amas
Precisa-se de deas amas, sendo urna para en-
gommar e outra para cosinhar ; a tratar na loja
das Estrellas, roa Duque de Caxias n. 56.
Patacoes
Compra-se de todas as naces ; na roa do Ca
bug n. 9, loja de Augusto do Reg.
Patacoes
Brasileiros
Marcados. 2*000 no centro, compra se por
maior prego do queem outra qualquer parte: no
armaz-m a ra uo Commercio n. 4
Criado i eosinheiro
Precisa se de um cri do fiel e um cosinbeiro
rfeeito ; na ra do Paysand n. 19.
Cosinheiro e criado
Precisa-si de um cosinbeiro ou cosiobeira,
para casa de familia, e tambera de um criado: a
tratar na ra do Cabug n. ti, de meio da al 2
horas.
Criado
No espinbeiro ra de S?nL Elias n. 8, pre-
cisa se de um criado que d fiador de 3ua con-
duela, pagase bem.
Ouro, prat -i e brilhantes
Compra-se na ra do Eartbolomee n. 69, casa
particular.
LUZ
Leilo
De um lindo cavallo castanbo andrino con: 7 pal
mos de altura, andador de baixo a esquipar, 1
dito castanbo andador de baixo a meio, 1 dito
preto bom baixeiro.
Sexta-feira, 29 do corrente
A'a 11 horas
Em Jaboallo
Per occasio do leilo do terreno, tejcllos e ca-
vallos. na estrada da Luz na cidade de Jaboatao.
POR INTERVENCAO DO AGENTE
Agente Stepple
JLeilo
De urna casa terrea com sota sob n. 20
solo pro-rio, ra do Dr. Joaquim Na-
buco (Capunga esquina da ra das
Crilas).
A's '11 horas em ponto
Mexta-feira 99 do corrente
Nj armazem ra do Imperador n. 39
O prepesto do agente Stepple, competentemen-
te autorisado, levar a leilao a casa cima, a
qoal acba-se livre e desembaracada.
Os Srs. prrtendentes desde ia podero ir exa-
Binar a dita casa.
rumana
A venda em todos os
armazems de seceos e molhados. Z
T2 II lili IIIIIIIIII || || || 11 c
A o commercio
Os abaixo assi^nados participara a quem possa
in'.eressar, que desde o dia 31 de Dezembro do
anuo prximo passado. dissolveram a sociedade
que tinbam no estabetecimento sito ra de
Marcllio Dias n. 30, que gyrou sob a razao so-
cial de Pinto ft Ribeiro, relirando-se o socio
Pinto pago Ce eeu capital e locros e desonerado
de toda a responsabilidade, ficando o soco Ri
beiro na po^sedo activo e responsavel pelo pas-
8ivo da mesma firma, e bem assim no mtsmo
gyro de negocio, sob a firma de Joo Ribeiro 4
i.ompanbia.
Recife, 26 de Janeiro de 1892.
Jos Joaquim da Costa Pinto.
Joo da Matla Ribeirc.
Armazem para enchimento
de agurdente
Aloga-se o grande armazem n. 57 sito ra
do Padre Muniz, proprio para enchimento de
agurdente por ser este lugar designado pela
digna Intendencia Munic pal para dito fin, ten
do caes e guindaste ; a tratar na ra do Bom
fcWH n. 3. escrjptorio de Amorim IrmSos C.
Moedas brasileiras
Compra se de 500 rs., 14000, 8*000 no centrt
da moeda ; na ra do Cabug n. 9, toja de Ao
gnsto ao Reg.
Caderneta
Perdeu se urna caderneta da Caixa Econmica
n. 15119, periencente a Pedro Mui bo.
Criado
Prpcisa-se de um borneui de meia idade, para
criado ; a tratar oa ra t deMarjo n. 17J pri
meiro andar._________
Copeiro
Precisa-se de um bom copeiro de bons costu
mes, matricula-do e que d attestado de conduc-
ta ; no becco dos Ferreiros n 8
Ao
commercio
0 abaixo asignado, socio ebefe da firma An-
tonio Joaquim CascSo 4 C pelo presente decla-
ra que ficam interrompidas as transaegoej a
crdito da mesma firma at segunda ordem.
igualmente pede a todos os credores da refe-
rida firma o especial faror de apresentareu as
suas contas ate a presente data com a maiot ur
gencia.
Recife, 26 de Janeiro de 1892.
____ Antonio Joaquim Casco.
Feitor
Precisa-se de um feitor perito e paga e bems
no Eepiobeiro ra de Santo Elias n. 8.
Criado e cosinhtiro
Na fabrica de vinhos de caj, ra da Aurora
n. 111, precisa-se de criados, serventes e cosi-
nheiro.
Gompra-se
Quem tiver e queira vender urna ca?a que g(ja
em ra bem localisada, dirija-se praja Conue
d Eu n. 32 terceiro andar.
Costureias
Precisa-se de peritas cos-
tureiras em casa de mda-
me Paul Jullien, ra do Ba-
rao da Victoria n. 50.
Engommadeira
Precisas* de urna eogommadeira ; a tratar
na ra Duque de C xjas n. 86, loja.
Precisa-se
De urna boa cosiobeira e de um homem para
tratar de um sitio e de um jardim, para casa de
familia ingleza ; a tratar na ra do Commercio
n. 20, das 9 horas da manba s 4 da tarde.
Sitio na Magdalena
Aluga-se, vndese ou permutase por predios
nesta cidade, um grande sitio na Passagem da
Magdalena, todo murado, com diversas arvores
frugferas, jardim, casa com 3 salas, 2 saletas,
5 quartos, cosinba, despensa, coebeira, estriba
ria, 2 quartos assoalhados, agua e gaz encana-
dos ; a tratar oa roa i- de Margo n. 17. loja.
Prata 1 pratal
No armazem de Olinto
Jardim e comp., ra do
Mrquez de Olinda n. 16
compra-se moedas e objec.
tos usado; de prata.
Aproveitem, que
se melhor que em
qualquer paite.
paga-
outra
Fitas lavradaa para faxas n. 80 com man
de om palmo de largara a 20000 re
o metro.
Gregos, galoes, trancelins e regentea
brancos e de cores, para enfeitar ve
tidos e roupa de c.-eaoca, camisas, to>
lettes de senbora.
Collarinhos para homens a 200 res un
Grande e variado sortimento de caixas di
msicas a 20000, 30000 e 50000 re
cada urna, proprias para presentes.
Espelhos mgicos a 500 res um. Dniit
40000 reis.
EBpelhos com tres palmos de altura, coa
moldara de doarado fino, oVal a 80OOf
reis.
dem, idem a 60000 reis.
dem quadrados a 5f 500 reis.
Ventarollaa de palha branca a 1 $000 re
ama.
Leques de papel a 500, 600 e 800 reu
Rendas sbicos de cores, branco, de ai
godSo e linbo de cores e pretos.
Bolsas 9 balaios de palha, para comprai
viagens e passeios,
Capas de 12 e casemira para senhoras,
Perfumaras, leos, extratos, cosmtico*
dos melhores abrigantes.
GalSes, palmas e pingeBtes de vidrilhov
Bolsinhas para passeio, de chagrn e pe-
lacia. (
Albina de pellacia, couro e chagrn.
Var ..do sortimento de brinquedos.
Pulceiras, voltaa, cacoletas, anneis, ot>
deiaa de plaqu americano.
Caixas de msica para presente a 7$0OC
81000, 91000 e 12$000 res.
Meias, leucos, collarinhos e paahos par
senhoras e homens.
Oculos, pincenes, navalhas e caivete.
Capellas, veos e ramos para casamento*
Toucas e enxovaes para baptisadoi.
Corxetes em fita para metros.
Gtaloes brancos para roupa de crianca.
NA
FLORIDA
03-Rdj Doqee de Caxias-10
NA^ASTHMA
Opprensdo, Catarro, cota O
IC> C3X_33Tr. _
Oblere as mais altaa ncomp*aaa.
Deposito em loJas as Pliarinaclaa
asa
_ Aluga se urxa exceliecte casa sita a rui da
uetencao o. 33 F. com bons comraodos para
grande familia tem um grande solio e quintal
murado, tem deus ps de coqueiros e diversas
frucletras a tratar na roa Imperial d. 31.
Administrador de eri-
ge aho
Precisa se de om habilitado para dirigir todos
os respectivos serTicos paga se ordenado e
d-se porcentag^m nos lucros. Para informar
os Srs. Artbur Garvalbo efe C, ra da Cadeia
do Recife n. 40, on era Palmares (tngec-ho Japa
randnba) o Sr. Jo.qo m Ribeiro da Silva.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 14 16 aonos
que tenba pratica de taverna e que O abono
sua conduela ; na ra Imperial n. 59.
Fejo imilatinlio
Vendem
Guiflares k Valenle
4 e 6-Corpo Sano-4 e 6

Brancos e de cores
A15#, I8$e20$
VENDE-SE
LOJA DAS L1STRAS AZUiS
61-Rua Duque de Caxias-61
Estantes para mu-
sicas
Para amadores
Fecha e Oca do (nmanho da
msica
Prer^o 7&000
Loja das Listras Azues
61-Rua Doqoede Caxias-61
Fazendas baratas
Para o Carnval
Velludo, Velbutinas, Gazes prateados
tarlataoas, las e merinos de todas as co
res, vndese por todo o preco
NA
tojas das Listr s zoes
Ra Duque de Caxias n. 61
LOJA DO POVO
Esto estabelecimente acaba de fazer grande melboramento para melhor asp*-
icio de sea explendido_sortimento.
Tendo grande deposito de faienaaa que nao pagoa imposto de oaro, res
por prego s bar a t asimos.
Lies cont de 10 jo de 20$000 para cima
Voiles liaos e com* flores a 240 rs. o covado.
LI de listraa a 240 rs. o corado.
Chitas de cor escaras e claras de 240 o covado para cima.
Crotones franceses claros e escaros a 320 e 400 rs. o cevado.
dem em cortes com barra por 50000 e 80000 o corte.
Granadino de seda, com listraa a 800 rs. o covado.
Crep com desenho preto e branco para vestido 500 rs. o covado.
ferinos de cores lavradas. 1
Cachemira de seda e 12 com 1 metro de largara a 20000 rs. o covado.
Madapolao superior com 20 varas a 60500, 70600 e 80500 a peca.
Dito francs com 20 varas a 100000 a peca.
Capas pretas para senhoras ultima novidade.
Grande sortimento de meias de cores e brancas para homens, senhoras e mrnrn>r
para todo prego.
Brins de linho de cor, finos.
Casemira preta, diagonal francs de 60000 rs. por 40000 o corte.
Extracto fino ingles a 10500 e 20000 o frasco.
Roapaa de banho para homens e senhoras.
Camisas brancas francesas a 20500.
Btamines arrendados com 3 lj2 palmos a 200 rs. o covado.
SO 3NTJV. X,0TA. DO DPOCVTOl
11-Roa do Crespo11
l:
GARDOSO IRMAO
Ra Baro do lriumpho ns. 100 a 104 e ni
doVisconde de Itapanca ns. 22
DR. 3S G X ;F 36
Tem sempre em deposito :
MACHINAS a vapor de 4 a 8 cavallos dos melhores fabricantes.
CALOEIRAS moltitabalares para 4, 5, 6 e 8 cavallos.
MOENDAS as mais solidas e melhores do mercado.
TAIXAS de ferr batido cravadas e caldeadas, fundido de todos os tamanho
SRODAS'AQUA psra cubos de maaeua e todas de ferro.
ODAS DENTADAS de espora e angulares de diversos tamanhos.
CRIVACOES duplas e boceas de fornalhas para assentamentos.
BOMBAS DE REPUCHO sem sola, vlvula de bronse.
CHUMACEIRAS parafusos e o mais que Be opsa desojar para engenhos, esto-
as de ferro e Obras Publicas.
FAZEM E CONCERTAM toda e qualquer peca de machinismo tanto de fem
andido como bstido-
EN AKREGAM SE de mandar vir da Europa por encommenda, mediante na
oommissSo rasoavel, qualquer machinismo e CONTRACTAS! apparelhos para D
oas, para fabricar de 100 a 300 sacos de assucar em 24 horas.
Obrigam-se a montagem dos meamos e respoosabilisamse pelo bom trabis
ara o que tem um hbil engenbeiro ingles muito pratico, alm de dos om aocie*
casa que tambem engenheiro.
?

O
PERNAMBUC
BnaDnqne de Caxias n. 73 i. andar
Entrada pela praca 17
ANTIGO PATEO DO COLLEGIO
T3eai,S3P3HC3D(3Nr ONT.
Consultas todos os dias uceis, das 8 da manba
s 5 da tarde.
Chamados a qualquer hora do dia ou da
noite.
A CARGO DOS DRS :
Ribeiro de IlrUto Medico e operadorEspecialista as molestias fstV
monares, cardiacas, nervosas, de criancas e febres.
Nllva LealOculistacom pratica nos principaes hospitaes e clisieea i
molestias de olhos, de Paris.
TTfcossiaz de Carvalho Medico e operadorEspecialista as molestias m
apparelho digestivo, cutneas e syphiliticas. Cura da Elephantiasi dos rabe, peb
Eletrotherapia. OperacSo rpida e sem dr dos estreitamentos da uretra pela Ele
trolyse. Applicacao da Electricidade nss paralysias de qualquer nstaresa e as afea
e8es articulares agudas e chronicas.
AVISO
A Polyelinica tem contractada a bem acreditada PHARMACIA DOS POBRES
do pharmaceutico Maia e Silva, a ra Larga do Rosario n. 28, afim de abrir a qoal
quer servico da mesma.
t
Liquidamos os seguintes argtigos'por precos queadmira na epocha actuad-
Casacos brancos bordados para senhoras a 20500 e 30 um.
Vestuarios Jersey e Malha para meninos e meninas de 60, 70 e 80 um.
Percales brancas para vestido a 24C rs. o covado.
Wltons a ramagem, lindos desenhos a 240 rs. o covado.
Chitas escuras bom panno a 280 o covado.
Crotones de cores boa escolha a 320, 360 e 400 o covado.
Ditos modernos, ultima moda a 320 o covado.
Etamine de cores unas de 400 e 500 o covado.
Lea de cores, gosto de caxemira a 600 o covado.
Brim pardo para vestido a 360 o covado.
Dito a imitajSo de fustto para roupa de criancas a 500 o covado.
Setinetas lizas .francesas de todas as cores a 500 o covado.
FuBtao branco fino, a 500 o covado.
Linn de cores ltimos desenhos a 640 o covado.
Mirin de cor, liso, la par-J a 320 o covado.
Cretone liso de todas as cores.
Casemiras pretas diagonal fina a 2.400 o covado.
Cheviots asul fino para costme a 30000 o covado.
Brins de cores para roupa de 360 e 500 o covado.
Sargehm de todas as cores.
Bordados e entremeios baratissimos.
Flanells de cores para vestido a 440 e covado.
Alm de muitos outros artigos em fazendas que liquidamos por todo e qnatyr-
"bado crespo
1T.21
*

y
i


a-
!
i
-
~"~" '+MUl'vZ''
Diario de Pernambuco Quinta-feira 28 de
e Janei
* DELICADO *
at~\ AGUA
o FLORIDA m
< o vm SEN "TI m
ce , RICA I RIVAl CO
< O
s^s/a 1 1 ^m/ >
L 3 MIRRA Y 2
u. s LAN MAN ni
M mtcm '-en;; re r. sua popu-laridade. Cautela com as m
IMITAfJoES.
> DURADOIRO V
ro de 1892
PABA EIEHHOS -
Gaimares & Yalente
Participam aos seas freguezes, e bem
asaiai aos Srs. agricultores, que conti-
nuara a ter grande deposito dos artigos
abaEO mencion&dcs, garantiodo talo de
1.* qualidade e sem competencia em pre-
sos, visto como recebem os meemos arti-
gos directamente e terem constantemente I
?altados depsitos.
Cai de Lisboa.
Dita de Ja^uaribe.
Cimento Portland He-
moor.
Qleo de mocoto.
Dito mineral [( para ma-
chinas).
Dito de linhaca.
Dito de ricino.
Dito de peixe.
Dito de coco.
Pixe em laias.
Azeite de carrapato.
Graxa em bexigas.
Caxeta de linho.
Potassa da Russia (em cai-
xas, barricas e latas).
G a z inexplosivel Dia-
mante.
Trisulphito de cal (aovo
preparado para clarifica i
o assucar)
Formicida Capanema (o re-
medio mais efficaz para
a completa extinecao da
formiga sauva)
o" Corpo Sanie- 6
Cusinheira
Precaa-ae de urna cosinheira
Aaiericana.
na pharmacia
MARAVILHA eURATI*
DO CELEBRE
Bt. Humohreys e Nova Yom.
A Verdadeira Maraviiha do Seculo.
APPROVADA E LICENCIAI-A
<9?la Iimprcior'm Oral de Hygeue 'o
Imperio <1 Qrazil.
A MsraTlha Cnratv* remello prompto
para a* Pisaduras Macl.ueaaura, Contuso*.-. 1 ov
lluras. Cortadura, uu Laceraco^s. Alllv. a dr,
i o sanguo, faz parar a udan.ina^an. rrdus
a 3--ia<;o, tir. o (e*c-_r-nu-uto, e faz s&rar a fcrida
jyauo por encaato.
A Jimravilha Cavaliva 5 allivlopromptoo
-rara rpida pura vucuuaduras. Escaldaduras, e
Vwlmatlura du bol, e bupe-rlur a uu-luuur ucro
A Maraviiha Curallva Impniravol par
'odasasHi niun-Dagla, seju* Nariz. iia.--'cniva,
l. i'utaii.Vs. do Estonia.;. <.u as hesai irrhotd _
AlBjorr,;iir.a,-ura sc-nipn: aunca aiha-
A Maravilbar-u. c*TaumaIvloprompto
Twi ** du Dentei, de ^uvuo, :' Kuce, -Buhavo
..Ja Pace e Sevralgia.
A Sfaravilha C nrativn orpcCTso prompte.
mendoso para Df*res rhrtiM.tari AlPiiffti Pfli*,'
g^rliJex as Juiitas <>u I'eruas.
A MaraTllia t'arallva o rranne remedio
oaca Buqu'oencia, Angina. Amjgaala nu-nadasou
rWuaaraadas'rnpre seguro, seuipre emeaz.
A Maraviiha Cnrativn de .oito valor
enio (Mkvcao imra o Catarro, a Iyucorrhea 011 a*
noces francas, e outros corrlmentot debilitantes.
A MaraTilha^CnrallTn irr.pagavel para
-1.1 'nagas anilina, Apostemsts. Panart-
*je. Callos, Frieiras, Juanete e Tumores.
A MarnTilhn Carativa remeuloprompto
r^ra rucrrhea ttlmpies, e de Dtarrhea enrocK'a.
A "llar.nill.a Curativa i exee;lente na
Estrilarlas e CaTallarleas. para Torcednrus. Dores.
"J*adurasf Esfoladuras. Contaaoes, Lacravoes. c
2rp8daaaa3s do Dr. HuaiphreTS.
fiteineaias Especificosi
l'affBento MuraTlhow,
Ui-medio >, lihilitiro.
Remeaios Veterinario.
Baermldades v mododeeural-asse cagratis, pedo-
4oao sea boticario ou
II! JIPHBEYS' MEDICINE CO.,
109 Fulton Street, NEW YORK.
Deposito ger&l na Companfaic
de Drogas e Productos chimicoi.
Gernnte Francisco Manoel da
Luiz Vemet levan
ta emprestmos de
qaalquer quantia sob
cau e pedras preciosas e
tambem compra cau-
tellas do Monte de
Soccorro, cautjoes do
Banco Popular, joias
e brilhantes.
Pode ser procurado
na su a reloj oaria ra
do Baro da Victoria
n. 53, das 8 horas da
manh, as 8 da noute.
Rosa de Ouro
O proprietarios deste bem conhecido eatabelecimento resolvern definitiv
mente .aeer grandes redueles de presos no grande deposito de fasendas de qae se
aobam sapridos e para conseguirem urna liquidafSo completa e to rpida como
deeejam, avisan? aos seus numerosos fregaezes e as Ezmas. Familias afim de virem
de preferencia aqui suprirem se, por diminuta quantia, de lindas fasendas
A saber:
Vestidos de cambraia bordados em cartSes. ChapoB de sol e tombrinhas de
seda. Vost^inhos de cachemira, cambraia e de fustSo, para criangss.
Merino lavradas e liso cores linaissimas.
Luvas de seda. Lencos de linho em caixinhas. Meias de cores. Collarinhos.
Punhes. Gravatas e tacos de seda.
MadapoISo fino de 13()00 por lOfCOO de 15(5000 por ^rOOO.]
Dito lavrado americano de 12.J00, 14)J000. 15*)C0 e 16*000.
Cachemiras com quadnchos de seda Je 2*500 por lJ500.
Setins de cores a 1(5000. Gorgurica e cretones muito largos a 500 e 6C0.
Voiiesde s-da de 1(55C' por 1(5200 e 10000 res o covado.
Cambraias de carocinho. Baptistas e brim de linho para vestido.
Setinetas de todas as cores e voile asaetinado o que ha de mais chic
Merino preto de l(56CO por 1)5200 e alpacas de cor de 1)5000 por 6C0 e 500.
Pantazia branca rendada por 1$200. nrtA
Chapeos de sol de fina seda cabo de nikel e castSo automato por 15*000 e
outros de 9*000 e 10*000. Sombrinhas de seda 12*, 10*, 6*000, 4*500 e 2*000.
Carnizas francezas de 70$000 a duzia por 4*500 e 4*000.
Ditas da flnella, cretone e de meia.
Tapetes para sof, de 25*000 por 209000.
* Ditos mais pequeos.
Grande sortimento de casimiras e cheviotes.
Calcas de casimira de 18*000 por 11*000; de 1' *000 por 6*000 e 4W00,
pechincha.
Cortes finos de casimira dos quaes em 24 horas se faz ama caiga por 20*000.
Brins e cassinetas para roupas e muitos artigos cuja enumerajSo se tornara
difficil para nos, quanto massArte aos leitores.
Faz se roupas por medida, precos commodos.
N3o se esquecam das nossas
Machinas de costura
que continuamos a vender por prego Bem competencia.
Progresso medalhaImperialExpresao e aSinger americana.
Se queris comprar em conta neate mez dirig voa a
kJez~tf^^%.7A'*?i. *


.A
--*--'-'I:
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIZ *j-J
Sao recommeQdadas para curar a Chlorose, a Anemia, ai
Perdas de mingue, as Perdns hrancas e todo e qualquer ^
estado de esfalfamento e fraqueza geral.
AVISO
Jlm PI LULAS DE VALLET sao branca
urna d'ellas esta impresso o NOME
> em cada
VALLET.
Parlz, na JacoD, 1! Casa l. FRERE A. Champigny e C", soct -19. ra,
8 NA MAIOR PARTE DAS PHARMACIAS DE TODOS OS PAIZES
mi
Exposigo
MEMBRE du JURY
Universal
de
de 1 3^^

LIOUDACAO
POR TEMPO DETERMINADO
Tecidos americanos com abatimento
de 50 por cento
A leja das Estrellas ter do comprado diversos fardos de fazendas de proct
dencia americana, com abatimento de precos, vem a presenta das Ezmas Famlia.
e de todos os seus freguezes em geral, com os pregos de diversos artigos:
A saber:
Madapol&o com quasi um metro de largura a 6*00
AlgodSee superiores, com a mesma largura e 7*000 e 8*000
Cretones americanos a 240 reis o covado.
Voiles de lindissimos deaenhos a 160, 200 e 240 reis o covado.
Lis e seo as e zas, bonitos desenbos a 240 e 320 reis o covado.
Faille de linho com um metro de largura, lindos desenhos a
covado.
Setim de cores a 800 e 1*000 o covado.
Merinos de urna so cor a 20 o covado.
Fichusa 400, 500 e 1*000.
Pelerinas de II a 1*500 e 2*000.
Brim para roupa de meninos a 240, 320 e 400 reis.
FustSflB de core8 a 160 e 200 reis.
Foile de vichy a 100, 140 e 160 reis.
Espartilhos a 4*000 um.
Casemiras pretas e de cores a 2*000 e 2*500.
Casimiras Felipinas duas larguras a 1*200, 1*400 e 1*600.
Colchas de fustSo brancas a 2*000 e 2*500.
Luvas de seda a 1*000 o par.
Bramantes com 4 largura 600, 1*000 e 1*100 o metro.
Seda olindinas a 240 e 320 reis.
Riquitsimos cortes de cambraia branca bordados a 1*000 e 1*2C0
Ditas em pecas a 5*000 e 6*000.
Meiaa de cores sem costuras para senhora a 6f 000 e 7*000.
Toalnas felpudas e alcoxoadas a 300 reis urna.
Fronhas ricamente bordadas em cambraia de linho a 16*000
EsguiSo a 4*500 a pega.
Bramante com dez palmos de largura a 28000 e 2*200.
Lencos brancos e com barra de cor a 1*200, lf400 e |600.
Cortes de casimira a 3*500 e 4*000 .
Cachemira preta lavrada com duas larguras a 500 e 600.
Meias de cores para meninos a 18200 a duzia.
Chapeos de sol de seda psra hornees e senhoras a 108000.
Brim branco de linho a 1$500 o metro.
E muitos outros artigos que se vendem com igual sbetimento.
Grande quantidade de retalhos de 13, seda, cambraia, chita e cretones.
X^OJaA. ID(aA.S SSO?3B.aA3X,aLA.S
56- Rita Bvqw Telephone n. 210
Sab5o.......:......
Extracto...........
Agua de Toucador
Lo cao Vegetal.....
Oleo...............
P de Arroz.......
RS ||
...MiZA DE PERSE
...MEIZA DE PERSE
...MEZA DE PERSE
...MEIZA DE PERSE
...MEZA DE PERSE
..MEIZA DE PERSE
'WI EallT
Innntordo SABAO REALcte THRIDACEarfoSABO VELOTINE
Pars -* 29, Boulevard des Italiens, 29 Pars
CHO^E AS PR1NC1PAES CASAS DE PERFUMARAS DA EUROPA S DA AMERICA
9
1
CURA CERTA
tfa, MOLESTIAS NERVOSAS Pe,o
XAROPE HENRY MURE
Bom exto verificado por 15 annos de experiencias nos Hospitaes de Pars
PELA CURA DE
Epilepttia-HtjHteria 8 Convulnic. Verfigena
Chorea Crine* nervosa*
HijHtero Epifepsia Eacaqueea*, Tonfeiraa
Jlotestias to Cerebro Congente* eerebraea
e to Eapinhaco limntnia
Diabete aaauearado Spermatorrlia
Um Folheto muito importante dirigido gratuitimtnte i qualquer pessa que o pedir
HENRY MURE, em Pont-Saint-Esprit (Franca)
s
fSS
VtM)E-SE KM TODAS AS PaiNCIPASS PHtaM.i-.ita K UAOQABIMS.
)OOOO0OOOOOOOOPPOOOPOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOPO|

o par.
LOJA 90 (LOBO
Pede atten^ao ao publico, para o sortimento de fazeD-
zendas que annuncia, por presos commodos
Merinos de cores com duas larguras.
Nanzuks de todos oh precos.
Lana de cores, sortimento c -mpleto.
MadapoloeB de todoe, oa pre$os.
Sargelina de todas as cores.
Grande sortimento em chitas e cretone.
Visites de seda e merino, novidade.
Bramantes de linho e algodSo.
Voiles de algodSo, baratos, censa chic
Merinos pretos, lisos e lavrados.
Grande Bortimento em brins e cassinetas.
Fichiu pretos, de cores e praiados.
Amor da China, lindos padrSes.
FustSes brancos e de cores. \
Mariposas de cores, barato.
Cambraias Victoria e transparente.
Creps voile, novidade.
Colchas de ceres, lindos padrSes.
Vistuarios de Jersey para crianzas.
As fazendas que annunciamos assim como outras maltas que seria enfadan*
encionar, vsnem-se por preos razoaveis e ha sinceridade na medida.
VER PARA CRBR
A LOJA DO GLOBO
55Ra Duque de Caxias55
Antonio Pornaitdis 4o Azorlo
VINHO QUINA PYROPHOSPHATO FERRO
PREPARADO NA
MEMBRO DA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIZ
sta preparaco proveitosa s Crianza* fraca e rachttiea, e favorlsa-rhes o crescl-
mento; eonvem tambem as SrnOT- /rucan ou ancniica, as quaes facilita a Jtcna-
truafdo e previne as diUlculdades da idade critica, activa o restabeleetmento da
saude depolg do parto. Resta:<'ece a forra viril dos homens enfraiinecldos e faclil-lhes
as Digentcti laboriouas, esperta o appetite sem produzir os ardori.V> proprios s outras
preparaces. nao da lo^-ar a prisao de v^itre, diarrhoa ou fatliga do estomago.
E' por lsto que (leve ser cons'do como o meltior Serenerador do gmrae.
Am a $ittr ii Imitacficn r balKiflracoc* fraudulentas, txija-m a AnitntUin
da BICNSE, nico ffueMor ra Kobif/uet A Mjcvasmeur
PHARMACIA KOBIQUET. 23, rna de la Monnale, rA.RXac
Deposlurla. farnambuco i Franca M. da Silva Jb <
>,'*fteceeg.?5j>5>^^^^^,^,"*eggeyyyy.
SANTISEPTIOO ANTIEPIDEMICO
ABO B. BAIN
TJaade no Ho.nita.
1 ir. d'atte SABAO acutala a IB" SO de A C I DO HENICO
Multo apreciado pelo corpo medico, este sabio de toilette, cuja base e o Jfaphtai corleado, lndls-
pensavel contra os perlgosdasmolestlasconUgrlosasouepidemicas.e/ dual ftr a niUrezad'aiat. Cura
rpidamente as Impigena, Robores, Verroalhidoos. Eczma,etC. assim como as comixSes da cabeca.
K'op timo para os cuidados ntimos da toilette, contra as Flure iranm e os Flmoi de qualquer natureza.
PARS ? 34. me t'Ainsierriam- BAHf vovsxtsa, 34, rae d'Amstenlain ? PARS
DrposftaMem Pernambuco : Trsi" J*. da Silva 4t C e ns> principstn phanns*=.
afalBW^aaiWflflMl^^
N 47:T30
Chama se attencao do Sr. Manoel da Silva Cas-
tro guarda da casa de Dptenc.Sc, para vir pagar
o sea debito do anno passa lo, ao centrarlo co
bra-se judicialmente, ra Ma-qaez do Herval nn
mero 29.
Sloedas de prata
de todas as qualidades, antigs e modernas, de
20O, liiOOOe 500 s., assim esmo toda a es-
I p ce de moedas ettraogeirss de curo e prata,
I Daga se bom pref#. Compra se tambem ouro e
prata vaina ; na relujoaria David, roa do Cabu-
g n. 14
" pTi FRASCA, -i AVBRir.', &
HES^'NHA, no B. -. W
onde sao auomafl->s o/i .' n!i de Higiene \
a-i-L-t^-\->-. xi-\t ~
Medlcaco Di-ijuv, va e Re- ^
5 Isa '
?i 4 Gr.ios, uosaiios segundo aldade, con- ?
ril rtm cspccldimcntu n8 Molestias tr,
Cbrnleas. \fi
Extracto concentrado dos Reme- e-
dios lquidos podendo subStltu-OS. Vi
para as pessoas que tfverem ropo p
gnancia para os pur^anl-s llquidus.'
S3c> InfalllVL'is contra : if/nnii,!
Catarrhu, Tuttt'ircs, Vl<'er4is. Venia do -;
appette.Fehres, t^ntgestiien. ?/- ?'
lestias do fiando. Im/tiaena, V:
I eriitelhides, Heiiojiatisa, etf
S NAO SE DEVE ACEITAR'
qnalqnT prii-Iu^ to i|uu n.It) KivBf o Mitl'reco iJa .
' to"* COTTIN, genro do sr. le Rov
S Ra do Seine, SI, PARS *l
'-m DKPOSIT'* EHI TOBAS A PHABMACUB +,
*^9*9999***9****W9*4
Xarope Pbenico
de VIAL
Pharmaceutico em Parit
0 acido phenico o principio ac-
tivo dos alcatrdes expurgados de todo
quanto torna desagradavel a sua ab-
sorpcao, e se digere com difBcultade.
Sob a forma de xarope. um espe-
cifico efficaz contra as Doencas do
peito, Bronchites, Asmas, Ron-
quidoes, Tosse, Coqueluche e
Grippe. Produz los meluores resul-
tados para as pressoas obrigadas a
fallar muito.
Deposito em PARS, 8, rae Vlvienne
t em tod/u at pharmacitu
ExcBllentlsslmas Senhoras, Queris
conservar a alvura da cutis, o avelu
dado da pella, evitar as racha assim
como as Picadas dos Mosquitos ?
EIPRECI COI TODA SEGURABA
o reme Espumoso
GLYCYA
DE ______
EL BA7NAT7D
FerTMmiarta-Ch.'jrrriiao
Este Cretne superior aos Cold-
Cream, A Glueerma liquida e muito
prefervel A todos os sabonetas por sua
espuma leitosa que reetitue Apelle toda
a sua flexibUidade.
Illustrisslmos Senhoras, queris
evitar as affeccSes que podem atacar a
pelle ? Aceitai smente para os cuidados
do rosto, pora a Barba, o Cretne
espumoso GJjTCTA, incompa-
ravel pela sua unctuosidade, de
E. RAYNAUD, perfumista-chymico.
O Crtsnte GLTCYA. conserva-se
sob todas aa wmperaturaa, nunca fiaa
rancoto e nlo perde seu perfume fino e
agrada vel. ,
Dttttit.ftfil PARS, 16,riidirEciiuier
Em PERHAUBUCO: JTi's-M.dM SUva O"
DU prloripi ~~
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases scientilicas
f Pkys'olosrioas para o lm de
beneficiar os cabellos, restaurar
a edr, impedir a queda, e promo-
ver seu vico e abundante cresci-
mento.
Esta apurada e escolente preparacao,
sem duvida o melhor remedio at hoje
conhecido para os differentes defeitos da
eabclladura, merece a ntima attencao de
todas as pessoas que tm tldo a infelict-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physlonojnia.
Com o seu empreo intelligente tem-ss
eonaejguVio resultados realmente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porCm nao
f-empre, a propria calvicie tem sido curada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
dos cabellos; emquanto que para opentea-
ao das senhoras, o objecto mais til
mais agradavel que se pode empregar.
FBEPAHADO rELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-UnidGS.
A'venda as lejas de armarinho e per-
famarias.
Da'OStTO OEKAJI .
DISCOIDES MIDY
L. MID Y, ,iirifii Pastllhas mathematlcamente dosadas com os
Alcaloides os mais usados para a preparacao
Instantnea das solupoes hjrpodermloaa.
Com os meus estojos encerrando urna Seringa
Pravaz, um Vidro ae agua disliilada e urna
cpueco dos Discoides com as doses e com os
alcaloides os mais usados na medicina humana
e na veterinaria Os Srs.
MDICOS e ALVEITARES
teem immediatamente na sua dlsposicSo urna
soluco fresca de qualquer Alcaloide, dispen-
sados assim da obrigacao de empregar solucOes
preparadas de antemSo, e, portante, multas
vezes descompostas e at nocivas.
IttMUfiM liUlftlrU J0 mili BOUTll MHIiM
l U Biltai irHftii Medidla.
Vl*i por lUcac: : H. WtMMM, 1!, ne risit, MSI
jtfnh jj rerntmbtico: f S Drifai k TnitetM
Licor depurativo vegetal iodade
do medico (luintella
Este notabilissimo depurante que ven
precedido de tao grande fama infallivel aa
cura de todas as doencas sypbiliticas, es-
crofulosas, rheumaticas c de pelle, cobm
tumores, ulceras, dores rheumaticas, ot*
teocopas e nevralgicas, blenorragias ago-
las e chronicas, cancros syphiliticos, i-
damacSes viceraes, d'olhos, ouvidos, gt*-
yantas, intestinos, etc., e em todas a*
molestias de pelle, simples on diathericas,
assim como na alopecia ou queda do o
bello, e as doencas determinadas por aa
uracao mercurial.
Dao-se gratis folhetos onde se enooiv
.ram numerosas experiencias feitas co
;ate especifico nos hospitaes pblicos o
muitos attestados de mdicos e docume
os particulares.
Faa-se descont em casa de
FAMA SOBRINHO A C.
Hua Mrquez de Ollnda n. II
MARAVILHA CURATIVA
DO CELEBRE
Dr. Humphreys de Nova York.
A Verdadera Maravilna do Seculo.
APP ROV ADA LICENCIADA
pe Ir. Inspectora Geral de Hygtene da
Imperio d Braztl.
A Marsivilha Cai-aiira remedio prompto
jara as Pisaduras, Hacbucaduras, Coniuses, Tor
ceduraK, Cortaduras, ou Laceracoas, Alllvia a dor-
estanca o mangue, faz parar a loflammaco. redus
a lncbai^o, tira o dericor&meritu, e fazsarar a erld
como por encanto.
A Maravilha Carativa allivloprompto
cura rpida para Quelniaduras, iwraldaduras, o
*Vuf lniHdura du Sol, e superior a qualquer uutre
remedio.
A MnrnTilhn Caratlva ImpagaTel para
odasasUentorrbaslaii, seja i\o Nariz, danGensivaa
dos Pulmea. do F-Atomago, ou as liemnrrholuas ou
Uniorreima-cura sempree nunca falba.
A Maraviha para Dor de l>entes, oe OuTidoe, da I ace. uicha^ao
da Face e Newalgia.
A MarnTlIha CuiTitlTa#orrnrBc prompto
e precioso i ara Dures rheumaticas, Aleljao, Dore
Rigidez as Juntas ou Fernas.
A Maraviiha Curativa o grande remedia
Iinra Esquinencia. Angina, Amygdalas inchadasoi
uammadarisempre seguro, sempre efflcaz.
A Maravilha Carativa 6 de muito valor
romo lnleccao para o (>.tarro, a Leucorrbea ou aa
Flores Brancas, e outros TOtTimentos debilitantea.
A Maraviiha Oarativa Impagavel para
curar Ulcerar, Chagas antipas, ApoFtemas, Fanari-
eJoa, Callos, Frieiras, Caetes e Tumores.
A MaraTha CaTaiiva fi remedio prompto
iiara Dfarrbep simples, e de Diarrtea chronica.
A Maraviiha Curativa exrnente na
Fstrebarias e iavallaii^as para Torceduras. DOreo,
FVadurase sfoladuraa, Contusoes, I^ceravoes, &c
Especialidades de Dr. HamphTeys.
Remedias Especifico,
, ii.'dio MaravilhcMis
Remedios Sypfciltico*-,
Remedios Veterinaria
O Manual do Dr. Humphreys 144 p:
Snfermidad'. e ruododscural-assc-
SO ao seu boticario ou
__ sobre aa
gratis, pedo-
HUMPHREYS' Mlill' I N E CO-,
109 ruliou Street, NEW YORK.
NICOS AGENTES
Para rendas em grosao c-t Fa-
nambaeo
Faria Sobrinho & G.
DROGARA
A' Ba Marque* de Olinda n. 1
Fairr^a i* lavas
DE
Roa Raro da Victoria n. 61
Loja do Espelho
Madame Qerard avisa aos seus nume-
rosBmos fregueses, que recebeu de Pars,
im grande e variado sortimento de pelli-
cas de primeira qualidade de chevreirux,
uede. castor etc.
Gaf 4o Estado
Compra qualquer porjao
A
Companhia Iedastrial e m-
niercio de Estiva
Hoyal
WHISKY
Blend marca VIADO
Este excellente Whisky Escoces pro
erivel ao cognac ou agurdente de cania
para ortificar o corpo.
Vende se a retalho nos memores arma*
tena de molhados.
Pede Roya! Blesd marca Viada,
sujo nomo e emblema Bao registrados pas
todo Brasil.
BROWNS & C, agentes.



-


i Jtm. \



8
Diario de Pernambuco -- Qmnta-feira 28 de Janeiro de 1892
AOS FUMANTES
Deseja^s nao ter azia qaaadb fnmaes? '
SAe por algara tempo os apreciaveis cigarros denominados MINHA ESPERANZA, quer picados, qaer desfiados.
saboroso fumo desfhdo intitulado Hygienico Naeional e os cigarros do mesmo fumo.
"V ejfOific 01 nos-hei se foi ou nao til o conselho.
Cumpre notar que os Bvgienicos sao fraqninhos e os ESPEPANAS sao fortes.
A fabrica MINHA ESl'ERA.NQA situada na ra Laiga do Rosario n. 21 .
Usae tamm o aromatice be
Um apreciador.
VENDAS
i
Ra do Amonm n. 66
Vende se despachos para imporugo, expor
tacSo e cultos mlsteres, pspel para impressao de
diversos formatos e por preco comtnodo.
Sitio
Vende-se o fitio da estrada do Arraial, na es-
cicao da Mangabeira de cima, que foi do tinado
bapitao Viaona, com grandes propor^Oes, tam
cem permuta se por predios na praia ; assiro
domo veude se um terreno arborisaao nos to-
nos do mesmo tilia, com a frente para o enea
amento : tudo para ver e tratar no mesmo.
Povora
Sem competencia ; no largo da Alfandega m
mpro 4.
Taboas de cambio
i De 12 3 pence : vende-se por 6J00O na ra
do Bom Jess n. 8,1" andar.
Piano
Vende se por barato preco, por ter alguno usos
um piano rio hom fabricante Blondei : a tratar
na roa de S. Goncalo n. 29.
rrT
&&&lh:
-
T
-
-
^fer f
hcpdTido reso deparatTo
i
-)
-*
-
-s
-
i
-:
-:
Approvado pe!i Illn?irada inta da
Eytfene Puoliea da Certa.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 20 de Junho de .1883.
COMPOSICO
de
firmino Candido de Figueirsdo.
TEEO. JUST.
Gasa de commisses e repre-
sentares
aa-aisa m 311 aggp-sa
EXPOSIQAO
DE M COMPLETO SOBTIMENTO DE
de innmeras fabricas de lodos os paizes da Europa t
das duas America?, de toda especie de mercadorias, *
machinas e materia prima.
OepoMt. > <)( afamado CREOLM o melhor det-
nfectane conhecido.
Deposito da broa conhecida cODONTINA de
Dr. H. Rirde.
62-Rti v #tm Jesns82
Chapeos e capotas
Ultimas novidades de Patii receben o
Loavre
Oapas, jersey s e visitas
Gostos ioteiramente novos acaba de re-
ceber o
x^otJVDaoe
Cortes de l,linho, seda
e algodo
Ricamente enfeitados, tem recebido l-
timamente e
LOVRE
Emprigado com a maior efficacia no
rheiitnatismo de qualquer natnrera,
cm todas as molestias da p-ru* "ias
teucorriuas ou floras ranev nos
.sofirimentosoccaiionadospela impureza iji-
da sangue, e tr.r-imente :ias crata k
formas da sypkilis.
Dse Nos priaieiros seis das urna
-j| cullicr das de cha pela marina
^' a noite, puramente ou diluida e:i
Ip e cm seguida mudar-se-!ia para 1
jjl ,-es das de sopa para os adultos e me-
+<: tade para as crianzas. J_
3 \
3 i Rgimen Os doentes devem ab- jfi.
ster-se apenas do aumento acido e gor- J
duroso; devem usar dos banhos trios oa
momos, segundo o estado da molestia.
DSFOSITO CEKTEAL
Francisco Macoel da Silva & C.
Droguistas
23 lia a Mrquez de Olinda
Pernambuco
-?^r^ra^^^^wtp
So' quem vende
ilbo r?ro a 28o is a cnia e 0 rs. o kilo ; no
Largo do Mercado a. 12, Gomes Ferreira.
Libras sterlinas
Yeade-se na !oja de jo'aa de Aogusto Rege
* C, ra do tactea o. 9.
Consttui^o
DO
Estao i$ Poram-
too
Vende-se a 400 re**
cada exemplar, no
escriptorio do Dia
rio.
Livros de recibos para
alugueis de casas; vende-se
no escriptorio des te Diario.
Sec as brancas, pretas e de
cores
Novos padrSes e para grande escolha
foram despachadas nestes ltimos dias
para o
LOUVRE
SABAO RUSSO
Maravilhota e$aencia preparada por
JAIME PABAUEDA
APPROVADA PELA EXM JUNTA DE HYGINE DESTA CAPITAL
numerosos certificados de mdicos distinctos
e da pesaos s de todo o criterio attestam e preconisam
o SABO RUSSO para curar
Queimaduras.
Nevralgias.
ContusSes.
Darthros.
Empigens
Pannos.
Caspas.
Erup^oes cutneas e mordedoras de insectos venenosos, etc.
A nica e a melhor AGUA DE TOILETTE, reunindo em si
todas as propriedades das mais afamadas.
VENDE-SE nos estabelecimentos de Pedro Antunes & C. a
Rodolpbo AntuneB A C. ra Duque de Caxias n. 63 e 65.
Espichas.
Dores rheamaticas.
Dores de cabega.
FerimeDtos.
Sardas.
Chagas.
Rugas.
Grinaldas, lepes e chpeos
de sol
De phantasias tcabam de chegar para o
LOUVRE
Costumes para crea ocas
De toj&s as idades encODtra-se grande
sortimento no
Louvre
)s proprietarios deste acreditado est.beleci-
mento de modas tendo concluido o seu balando, resolve-
ram liquidar com differenga de 50 r#, grande quantida-
de de sedas, fantasas e muitos outros art'gos de moda
e delei, cujaJVjuidaQao principiar na prxima segun-
da-feira 25 do corrent .
ARMAZEM JS LOJ
DAS ESTRELLAS
56 58-BM piw fie Gaxias--56 6 5S
Telephone i. 210
FOLHETIM v
JULIO MARY
OS DOIS INNOCENTES
SEGUNDA PARTE
(Contlnaario do n. SI)
XI
PELAS GRANDES ESTRADAS
Nao teas que fazer aqui... vai-te,
vai-te...
Porque ?
Nao quera que nos acompanhes...
Mci lug3r junto do ti.
Nao, vai! Se nos aconteee des
graga...
Pois eu nSo dsse sempre que se al-
gum dia tu soffresses. eu partilharia a tua
dor 'i
NSo, na?, retira-te, ordeno-te...
Se queres qae en me retile, n2o me
deizes r, anompanba-me.
Impossivel.
Ests Tgiando, nao ?
Sim... Se elles fossem presos pc-
diam aecusar-me de os ter denunciado...
E teriam razSo...
Oh meo Charlot, ouve-me... dei-
za-os commetter o crime, roubar como
quiserem... mas n&o eejas tu ladrSo,
Charlot... E' mal feito, muito mal feto...
Bertina 1 cala-te Retira-te !
Nio... ficarei... para onde i ores,
CUBAS DOMS
PEQUEAS PlLIAS de REDIEB
PARA
FIGaD
Figado entorpecido enrame poeitivameot com e^tas
pllafis. Ellas sio nm remedio purgativo llvredc peri-
go para o hom*u> S^aa fraco, lo oem como bastante
activo para o homem mais forte, e nao constipao de-
poia; pela accogeral agradas toaos qne a# usam. Sao
a>* pulaa euandarte* da profiwSo medica dos Estados
Unidos. Sao as menores e mala facia a tomar.
Ousjenta em cada fraseo
{jbjectos de ^osto para
presentes
Ha neste artigo grande escnlha no
LOUVRE
TECDOS )E PHAN-
TASIA
Ssndo impoBBivel de se de.'crever a
grande variedade de tecidos de diversas
qualidades proprios para a estagao actual,
roga-se ao publico em geral e principal
mente s Ezmas. familias a fioeza de vi-
sitaren! o
LOUVRE
Ra I. de Marco n. 20 A
ira cisco Gurgel \ Irmo
T2LEPHONB N. 158
^ntiga fabrica Caju-
rubeba
Vende-se urai cachina americana deaplainat
i outras de trurr, espremer fiuctas, ei<:, urna
xeellente caldei'a de cobre estanhado para co-
er no vacno, grandes depsitos de foina pan
ilcool ou qualquer misler, urna boa armacao in-
:t-ia, grande qnanlidade (' rolhas ioglezas,
Ilquidos e uos outros obiectos, turto tnnito
l^m conta ; na ra Lua do Reg n. 4. Santo
Arr.aro. das 8 s 10 horas "da manba e das ida
; ?t4p pip liante.
NOVOESTABaECIMENTO
Receben um lindo sortimento de
CAPOTAS
Se rendas di cores e pretas para senhoras.
de renda e de palha para senhoras e meninas.
SABO CURATIVO de REUTER.
MEDICINAN
Y PARA 0
TOILETTE
Tnmores, cravoe, pelle vermelha, aep^a e oleosa Impldido oa
carado por o mais-grande de todos os aformoeadores da pelle, o
sabo Carativo de Kenter. Prodaza a pelle formoea, branca e
clara e mos brandas ; absolutamente puro, delicadamente med,
clnado, extremamente lncomparavel como sabao para a pelle
bem como do toucador, do banho e do quano das crlancas.
CAUTELA.Nao genuino sem cada envoltorio tff
marca reentrada de Barclay S Co., New Tork._ ;
Vende-e e
tRICOPERO deBARRY \
-------------------------------------------------------- .----- BABA ^
Cita lateras nuito af.egnezatia estrada de
uUiz do Ri go n. 19, por a dona quprfr re irar se
por uicomnjodo de sade : a iraiar na mesma.
Cal virgem le Cotunguba
A pnnii-ira por sua preciosa composicao cbi
mica para o fabrico do assucar, riquissiraa de
saes de po'assa e soda, adapiavel perfeitameBte
i explorado da industria de saboneles, f le etc
Superior a de Lisboa vende se cada barrica com
60 kilos a 8000.
Agente nesta capital Manoel Jos de Araujo,
roa larga do Rosario n. 24 A
de palha e de seda para enancas.
CHIPIOS m FELTBO
>ra homens s rapazes, dos fabricantes FRANCEZES, INurLEZE S E ALLEMAE8,
CHAPEOS
e teda para homens.
GRAVATAS DE SEDA
FORMAS
le palha para chapeos de senhoras e meninas.
ieaxrGK3aA.X3as
sretes e de cores.
Fitas, Gazes, Rendas, Veos, Azas, Passaros, Flores.
Plumas, Aigrettep eGrampos
ara chapeos e outros artigos da fantasa.
tilia do Baro da Victoria n. 42
M LICIO MARQUES
Telephone n. 560
Urna preparacSo elegante extremamente perfumada,
remove todas as impurezas do crneo, preservativo con-
tra calvicie e cabello cinzer.t
PARA O
CABELLO
A PELLE
ESTABELECIDC EMI8 j
> cinzeuto; faz o cabello crescer ee-
,.__eo, brando e hermoso. Infallvel pra curar ernpeflea,
doencas da pelle, fjSZMkf e msculos, e cara rpida-
mente cnrta CAUTELAWi e eenalno ssm cada frasco I
ter a marca reaistraaa de Barclay & Co., Nw York.
depositarios destes PB0DUCTO8.A companhia de Drogas e Pro-
ductos chimico?.
Ba Marques de Olinda n. 23.
Papel-forro
irei... Se te tornares ladrao, tambem
eu... Se matares, matarci... Se fores
condemnado l estarei juuto de ti, porque
tambem terei merecido a condemnago...
Se fores" ao patbulo, l subirei em pri-
meiro lugar onde ou loga em seguida a ti.
Reflecte Charlot... quero ser honesta,
tras nao quero aer soainha... oomrigo, s
comtigo...
Bertina, ato doudice !
Tu que estavas doudo esta noite
meu Oharlot Foste desencaminhado.
Bebeste de mais Tambem fumaste !
Tudo isso transtornou-te NSo s culpado !
NSo podas refiectir, mas agora s senbor
de ti, a embriaguez (distipou se ; reflecte
NSo tica. Vera. Pois devera. nSo me
amas mais ?
Oh mioha Bertina Minha Bertina !
exclamou elle em prunto.
Tambem Berlina chorara.
Apoiara a sua linda cabeca, convulsio-
nada pelos solucos, sobre o seio do rapa-
aioho e enreg-iva se ao seu deseipero,
balbuciando :
Vs como me entristeces Vs,
mi, como me magoas !
El. Charlot aperta-a nos bragou, cobe a
de beijos, repetindo :
Perdi Perdo .' minha Bertina...
Eu esteva ?ouco..- Agora o rinto...
louco e embriagado...
Vem, daixa os teus amigos comple-
taren] a sinistra tareta.
Sim, sim, tens raaSo.
Fajamos !
Fujsmos !
E levantam-su, segurando sa pela mSos,
vSo partir, qua.'do de repente doui vultos
pulam das janellas da casi o pjtsiam cor
rendo junto delles ?era vel c.
SSo Btrouile e Criquet.
Deixemos que elles se adan tem !
disse Bertina-
E j elles estavam longe quando a casa
desperta, portas e janellas abrem se e urna
voz grita :
Pega ladrSo !
A' vista disto tambem os dous correm.
Mas detraz delles ouve se as aleme-
das passoj precipitados. SSo perseguidos.
Ao mesmo tempo reboa um tiro, o clarSo
parece surgir da propria noite que os
cerca e Charlot aolta um gemido.
Est ferido.
Meu Deus! Meu Deus diz Berti-
na, ebtamos perdidos!
Entretanto Charlot nSo para e arrasta
Bertina.
Alcancam a porta do jurda, tranEp-
em-na e Charlot tem a feliz idea de em
parral a e ella fecha se.
Ouviram nma praga que parta do ou-
tro lado.
Ah tratantes Falta me a chave !
O muro alto de mais para ser encala-
do sem urna escada.
Partera anda dous til os do iada da
casa.
E' o general quem atira sobre elles.
As bailas passam zuniudo sobre as baas
cabeyas e ^So perderse no nistto, para
aili que correm sem parar.
Qoando o transpuzeram e chegaram
outra extremidsde prestam cuvidts. Es-
tarSo perseguidos ? Teriam dasjoberto os
8eus rastos ?
Sem duvda nSo, porque nada aevem.
Ficam entSo mais socegados.
Soffro dase Charlot.
Onde ests ferido ?
No hombro...
Vem, estamos justamente perto de
Vence, vou lavar o leu ferimsDto. laso:
te far bem.
Nao, nSo, fajamos, fujamos! N<
rancho cuidars em mim.
Eccosta-te a mim!
E, tendo o vento appsrecido, a la por
Grande reme3sa, infiaitam?nte variada, eai
:ores edesenh"^. Os precos ? basta dar a se-
{Uinte idea : ue 340 a 1*000 a peca : na casa
sspeclsItoUi deste genero, ra da Madre de
Deus n. 30 (Recite).
I. T. Carreiro.
Prensa de copiar carto-s
V*nde-se nina, perfeila e quasi nova ; na ra
de Hortas o 17.
ios-antes eteurece-se e protege os pobresi-
Dhos.
Sem durida taharu perdido os vestigi-
os da sua fuga porque nSo tveram nec-
hum alarme. Nao gaataram muito tem-
po para chegsram ao raucho, cuja porta
eslava entreaberta. O interior pareca
deserto e reinava nelle completa escu-
tidSo.
Eatraram e Bertina necendeu urna vela.
Adim que a luz se irradiou, elia ouvio
urna graute gargalhada no fundo do ran
cao, que paresia sabir debaixo da palha.
Era realmente d'ahi que sahia
Surgi Barouille que comecou a dar
pulos de contentamento em volta de Char
lot c~~Ber ina Entregava-se todo sua
alegra.
O ger.eral foi embrulliad > !.. O
repaci es' no sacco :... A ccl'eita de
diegos e amarellas foi b6a Vou j mos
trar-he*, meus amores!.. Isso que
regalorjo! Temos milho para mezas e
raeze !... Fecha a pjrta, Bertina.
N'es^p momento, porm, Ch^rfot caba
sobre a palha.
O que aquillo? Est virando o
olho '(...
Charlot e&t ferido...
Ah! v
Bsrtina apresseva-se em tirar-lhe a
bloaa *> cortsva a maoga da casis*. O
bfl-> jsiava cobe.to de aaague entrataato
o frrihiento nao era grave. Perder mui-
to 8*;ig-ii; durante a carreira o o movi-
mcn'.o do braco tisera inflammar-se a fe-
rida qie nlo era senSo um arranh3o.
barloi nao corra pango.
Beniua, a/uda que com pouca pratica,
logo iwrcebeu isso mesmo. Lavon bem e
ferimeoto com agua fresca que foi buscar
no Vence e atou o braco com um pedaco
de Unco.
Charlot f'jou logo alliviado e, sobre-
Afisiguam-se naLIVRARIA BOLITREAU
rtia do Imperador n. 46 todas as Revistas
scientificas e litterarias, Jrnaes de moda e fi-
g-urinos publicados na EUfOPA e no BRAZIL
com distribuiQono dia da eheg-ada de cada
mala.
Pretpos reduzidos de accordo com o cambio
PAGAMENTOS AMANTADOS
Rea do Imperador ns. 46 o 48
LIVRARIA BOLITREA
N. BPara nao haver interrupeo preciso
pagar quanto antes jis assignaturas.
vndo o relazamento de saus ervos poz-se
a chorar.
O que que tSns ? Diz {Barouille.
Tens dode ? Consola te, isso nao nada !
Vamos todoe beber um trago, que bem
merecemos, nSo Criquet ?
E', dissa o a!oijado...
E, voltando-3e para Charlo, apontando
Barouille :
Est aqu um que nSo peco!
Charlot j na > chorava. Eslava som-
bro e com a sobrancelha carregada.
Barouille cao tioba largado na fuga
nem a garrafa de Malaga, nem a de cog-
nac. Era um rapaz cuidadoso e ve-se
que nSo Ihe faltava audacia nem sangue
fri.
Encheu um clice de Malaga e offere-
ceu-o com um biscoutn a Bertina.
Honra ao sexo! diste galantemente.
Obrigada, Barouille, disss Bartina,
mas nSo tenbo cede.
Para um brinde ?
NSo, obrigado!
E tu, Charlo*. ? Um bisaoutinho e
um pouco de Malaga ?
NSo.
O que tem voc ? Ests to exqui-
sito ?
No tenbo nada! NSo te impor'es
c;mmigo!
A fortuna que te transform ? A-
posto em como ests pacsando no que vai
azer das pettegat t
Charlot nSo respondec.
Barouille passou um calix a Criquet.
Acceito com muito prazer, disse o
coso.
Oh I tu s amigo velho. Nos nos
eotendemos...
Criquet rio-se lisongeado por ser assim
distinguido por aquello a quem dedicava
tanta admiracSo.
E' dece de mais, disse Barouille.
Vou reservar o resto para os senhores !
, Quero, porm, dizer duas palavras ao ceg-
|nac do goneral. Sempre tive nm fraco
pelo no champagne. E tu, Criquet ?
Eu tambem, disse Criquet, que na
sua vida nunca tinba bebido.
Encheu um copo e fea estallar a lic-
gua.
Caspite disse elle depois de ter be-
bido. Passas c por dentro que parece
velludo !
E seus elhos brilhavam j, secesos pela
embriaguez.
Bertina nSo se encherga aqui n'esta
espelunca... Accende outra vela !
Bertina obedece.
. Duas nao sSo de mais para dividir
o saque...
Senton-se no chao, limpou o com as
inSoB e difse:
Criquet, trai para aqui o embru-
lho.
O coxo atirou diante de Barouille
embrulho que deu um som ruidoso.
a prata roubada na sala de jantar.
Vs, Criquet, disse Barouille em
tom contidancial e amigavel, esta prata
nos intil por emquano. Seria peri-
goso dispormos d'ella agora, porque s
colhres e os garios estSo eom certera
marcados e as outras pegas tambem. Eis
o que vamos facer ; Bertina empresta nca
urna cacarola, onde tuniiremos tudo, isto
esconderemos a brrra em qualquer sitie.
Ser urna reserva para os dias infelices.
B3a idea! exclamou Criquet, que
schava engenhoso tudo quando dzia Be-
rooille.
( Continuar *f6-ha)
Typ. do Diario, roa Duque de Caxias o. U.
nm
Era
1
f i
i
-
,r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEMU9L2X2_75W3P5 INGEST_TIME 2014-05-27T23:50:43Z PACKAGE AA00011611_16791
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES