Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16783


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AlfoO LXVI
TERCA-FEIRA 19 DE JANEIRO DE 1892
NUMERO 14
\
H
DIARIO DE PERNAMBUCO
PfOPRIEDADE DE MANOEL FIGUtitROA DE FARIA & FILHOS
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por tres mezes achantados.
Por tres ditos vencidos.
Por um anno a iiantado .
dem dem vencido.
6$000
71000
24&000
9f
SAO NOSSOS AGENTES EXCLUSIVOS DE PUBLICAQOES NA FRAN-
CA E INGLATERRA
Os Srs Amede, Prince & C, resi lentes em Paris34 ru de
Provence.
PARA OS LOGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por seis mezes adiantados.
Por seis ditos vencidos.
Por um anno adiantado.
dem idem vencido .
13500
15&500
271000
31&000
v
V
*

TELEGRAHHAS
SSS7IJ3 PABIICULAB 50 SIAfiZO
RIO DE JANEIRO, 18 de Janeiro.
Foram nomeados ajudante do inspector
da Alfandega de Alagfas, I.uiz Emygdio
Pinbeira da Cmara; el." escripturario
J de S Peixoto.
Foi nomeado 1. escripturario da The-
ouraria de Fazenda de Pemambuco o ba-
eharel Thomas de L?mo3 Daarte.
LISBOA, 17 de Janeiro.
Orgaaisou se o gabinete portugus, fi-
cani > constituido deste modo :
Reino e presidente do conaelho de mi-
nistros, DiS Ferreira;
Fazenda, Oveira Martina;
Obras publicas, Visconde de Chaniel-
leiros ;
Guerra, general Furtado ;
Justina, Bispo de Bethsaide ;
Marinha, Ferreira Amara!:
Estrangeiro3, Lobo.
Foram assignadas aa seguintes promo-
gSes na arma de infantera :
A coronel, o tenente coronei JoSo Ma-
ciel da CoBta ;
A tenente-coronel effeciivo, o graduado
Fillomeno Jos da Cunha ;
A eapites, os tenientes, Antonio Jos
Pinheiro Tupin.moi, Jos Quirino Villa-
rim, JoZo Carlos Galhardoe Crispim Que-
des Ferreira ;
A tenentes, os alferes, Jos S >ares de
Mello, Jos Francisco Pereira de Campos,
'Jassiano Pacheco de Assis, JoSo de Lo-
mos, Getnlio Simoes doa Reis, Carlos Ira
cama Gomes e Antonio Oyriaco de Castro.
(.orerno do Estado de Periambico
4.' SeccSo.Palacio do Governo do Estado de Per
nambuco em 18 de Janeiro de 1892.
A Junta Gobernativa do Estado, em additamento ao
regulamento expedido a 9 do corrente mes, para as elei
cSes a que te tem de proceder prximamente,
Decreta :
Art. nico. Nos municipios em que nao tirer sido
possivel aos presidentes das Intendencias fazer o convite
no dia a que alinde o art. 5. do mesmo regulamento,
ter lugar esse acto no dia 4 de Fevereiro vindouro, de-
vendo neste ultimo caso faier se o convite para o sexto
dia, a contar da data do respectivo editai.
J. V. Meira de VasconceUos.
A.nbrosio Machado.
PARTE OFFICIAL
Ministerio da Fazenda
Foram concedidos 60 das de licenga
ao 1.* esenptorario da a'.fandega do es
iede de Pernambuco, Clito Valterino Pe-
reira, ao guarda dessa alfandega, Manoel
Jos de Oveira Lima, a Joaquim Felicio
Antunea de Almeida e Castro, procurador
fiscal da Thesouraria de Fazenda do es.
tado do Rio Grcnde do Norte e a Cyr
Pedreta, 3 escripturaiio da aifandegado
estado de Pernambuco,com vencimentos e
para tratarem de saude onde Ihei conviero
Esped- -se a seguate circular em data,
de 31 de Dezibro :
Commumco ao Srs. inspectores das
Thesourarias de Fazenda, em confrmalo
do meu teiegramma desta data, que a exe-
cu55c do decreto 169 de 25 de Abril
ulmo, sobre facturas consulares, foi adia-
da pelo de bontem. sob n 705 para o dia
1." de Maio de 1892.
Mlnlnteri > da Inatrucco Publica,
Corretea e Telegraphoa
Foi exonerado o bfcoaaxel Joaquim Ma-
ri:; Carneiro Vsllela do cargo de bibliothe-
caric da Fcudade de Direito do Racife e
nou:eado bacherel Manoel Cicero Peregri-
no da Silva.
Foram dcsgn&dos: para tomar conta
da estaca o telegraphica de Villa Izabel, a
telegrr.phist* de 3.* classe, Maria Flora
de Vaaconcoilcs e para a esticSo do Re
cife, como addido, o adjunto Eneas do
Reg Barros Falcao.
Mlntaivrio da Mariana
Expediotte ordem pora que sejam crea-
das biblioibecas nos estabelecimentos e
navios da armada, para uso dos marinhei -
ros.
Com o fim de crganisar eesas bitlio-
tbecas oonveuieteaoente, .i nomeada urna
cotDiBif>a'i composta dos Srs. capitio-te-
nenn Vidal da Oveira Freitas, 1. te-
nentes Eurieo Lafayette e, Joffrey, para
coneccoaarsm o respectivo regulamento.
Ao Sr. coatra-aimiraot! chele do Es-
tado maisr general da armada dirigi o
segoiote aviso .
:'; aro v:s, para os devido* etleiios,
que resolv iucumbir ) cintra-almirante
Felippa Firmino Rodrigues Chaves de
exami-r nos estados do norte e sul da
Repblica os estabolecimentos e navios da
armada da Record com as iostrucco'es
qao ora Ib* > nb.i o, na qu.lidade de secretario, um
ofnj;*l qae po oB ser proposto.
Vialalerio da Guerra
Foram refirmados, a seu pedido, os
coronis Manoel Francisoo Soares, com-
mandaote do 3." bata'.hao de infantaria,
que conta ma.s de 40 anuos de servico
militar e o do quadro extranumerario
Manoel da Silva Rosa Jnior, que conta
m*is de 35 annoB tamben do servico mi
litar.
A o general sjodant"-general decla-
rou-ss para es tns convenientes, que se
permute ao Club Tiradentes levantar en
tre os 3eua asseciadoa nm corpo de volun-
tarios para a defesa da Repblica Federal,
devendo o referido corpo ser armado e
municiado a cusa do jwibo Club, con-
forme pede o respectivo presidente.
Deo!arou-3e aos co malandantes das
guarn';o^a e fronteirai desse Estado, que
a ,-;ia j-.-nediccSo sobre as seguintes
He :
Frontam do Rio GrandeRio Grande,
Pelotas, Piratiny e H. Jos do Norte.
Front:ira de JaguarSoJaguarlo, San*
ta Victoria, Caagosfd e Cscimbiabas.
Fronteira do Ba| Bag, D. Pedrito,
S. Gabriel e L'vrftn-eoto.
Fronteira d Uriguayaoa Urogayana,
QuThy, Itaqui e Algrete.
F.onteira de S BorjaS Borja, S.
Frao5 3Co, Snto An.jel > e S. Luis.
Foram promovidos a tenente do estado-
maior os 2'' tenentes de artilharia, Eu-
cline R>:dr gnes da Cunha e Odilon Be-
nvolo.
to de Afogados, JoSo Pedro,
por Tota, por disturbio e uso
Queatura policial
SeccSo 2. N. 14 Secretiria da
Questura Policial do Estado de Pernam-
buco, 18 de Janeiro de 1892.
CidadSos. Participo vos que foram
recolbidos Casa de DetencSo os segua-
tes individuos :
No dia 16 :
A' ordem do subdelegado da reguezia
do Recife, Jos Francisco Domingues e
JoSo Ridrigues do Monte Mourt., como
cumoces em crime de roubo.
A' ordem do subdelegado da f -eguezia
de Santo Antonio, JoSo Damace dos San-
tos Fragoso, por crime de tentativa de
morte.
A' ordem do subelegado do 1. districti
da Boa Vista, Joanna Maria do Rosario,
por crime de furto ; Manoel Iniocencio
de Oveira, alienado com dettino ao asy-
lo da Tamarineira ; Izidera Maria da
ConceicSo, Maria Leopoldina de Sant'Au-
na, Silveria Maria da Conceicio, Joaquim
Francisco de Souza, Rod: Ipho Munoel da
Rosa, Francisco Ignacio de Olivenra, Braz
dos Santos Mello, Joao Frncis3o de Paul
e JoSo de Salles, por embriaguez, dis-
turbios e offeusas moral publica.
No dia 17 :
A' ordem do subdelegado da fieguezia
do Recife, FranciCJ Ferreira Fernandos,
por crime de ferimentos.
A' ordem do subdelegado do 1.- distric-
cenhecido
de armas
defezuo.
Honteoj, por volta de 11
manhS, o trem da via-'rrea
que conduzia pasageiros para
dromo do Campo Grande atropellou o in-
div: luo de nome Manoel Joaquim dos
Santos, o qual fcou com o braco esqner-
do esmagado.
O sub^elegido do dstricto de Belm
tomou coohecimenta do fa to e mandou
recoiher o offendido oara o Hospital Pe-
dro II
Communica o delegado do t armo de
Rio Formoso que no da 12 do corrente
foram recolhidos a cadeia respectiva os
criminosos de morte Joaquim Manoel da
Trindade e Luiz Gomes da Costa, pro-
nunciados no termo de Canhotinbo.
Em data de 15 do corrate o alfe
rea Joao Caroiino Gss Cavcant5 assu-
mio o exercicio do cargo de sub commis-
sario do municipio da Victoria.
Tambem no dia 13, assumio o te-
nente Antonio Luiz do A isr.-l e Silva o
exercio do cargo do commisario do mu-
nicipio de Limoeiro.
- Ectraram em exeroicios as seguin
tes autoridades policiaes :
Manoe! de Medeiros l'avares, delegado
do termo de S. Beato, na quadade de
1*. supplente.
Jo2o David Mideira, delegado do ter
mo de Palmares.
Tenente Jo. Ignacio Ribeiro Roma,
subdelegado do 1.* diatricto do t'rmo do
Cabo.
A' Junta Governativa do Estado de Per-
nambuco, 18 de Janeiro de 1892.
O qtiestor, Joaqui,n Tavaret de Mello
Barretto.
DIARIO DE PERNAMBUCO
horas da
de Olinda
O Hippo
Hetrospeclo poltico do anno
de ISO1
III
POLIIICA PARTICULAR
AL EM AMIA
(GontinoacSo)
O anno de 1891 comeccu tristemente para o
Pariido Catbolico allemao que perdeu o seu ioti-
merato chefe Luiz Windldorst.
Eite notavel hornern pobUC cuj m>rte lo.a
a AIU mauhi deploroa nascea KtfMlMb, em
1912.
Doulor em direito exerceu com distinec-uo a
advocada e eiois diversos cargo cli; aes im-
portantes no reino de Haosvel.
Em 184a9 t 1863 foi variar vezes depaUdo, e
em 1859 foi eleito presidente da asea tola dos
estados daqueile reino Poaco depois foi no-
meado ministro de estado, cargo qao exercen
desde 1831 ate 1832 e desde 1832 at 1 68.
De 1866 at 1871 foi memoro do reicbMag
oosiltuciooal, e do da Allemanba do Nc-ie. Des-
de 1871 foi-o do reicnstag imperial, onde veio
a ser chefe do partido catbolico ou ultramonta-
no, qua corjtue o centro daqnella assemblea.
Orgaoisado- e lu'ador infatigavel sustentou
contra o Koveroo prusiiaao a loia do Ka'.iueka-
np, nome pelo qudl coubeciuo o cuntlicio re
ligioso, que durante alguns annos tanto dea que
fazer ao principe de Bismar.k.
Era bomem de temperamento vivo, orador de
palavra fjcil, e organisador de primeira ordem.
Discalindo com o cnanceiler, leve arte de o ir-
ritar, e de Ibe provocar grandes exploeoes de
colera.
Foi um dos mais temiveis adversarios que
Bismarck eicontrou no parlamento. Contrasta-
ra, quanto ao pbysico, com o adversario. Em-
quanto Bismarck de alta estatura, musculoso e
robusto Winltborst era baixo, secee e nervoso.
Fogoso urnas vezas, ootras suave e insinuante,
frecuentemente epigrammatico, ternvel sempre
qaaodo lutava com Bismarck, havia quem o
:oaparas?e cem David atacando Galias.
O gigante Foi derrubado antes que baixasse ao
sepul:bro o seu terrivel adversario. Hoje, por
certo, Bismank lamentar que o velao ebefe do
partido catbolico nao possa j dar ao novo chao
celler Gaprivi os mies qnartos de boraqae elle
be faz pascar.
A 8inceritala de suas crenca?, a energa in-
domavel do seu carcter acham ee pbotograpba-
dos oo seguiute Tacto :
Em tins de 1890 quando Goilberme II pro-
nunciou p rao'e a comrnissao dai .eformas esco-
lares um famoso discu-s oem que tanto se falloo,
e em que condemasva os estudos classicos, cor-
reu a noticia de que o Sr. Gopter ministro dos
cultos e andigo servidor de Gailberme I sabiria
do ministerio, porque professava a tal respeito
ideas diametralmente oppostas s do soberano
como por vezes manifestara.
O imperador, porm, apressara-se a dexana
trar qu o sen ministro nao seria deitado e mar
gem, dando !h: diversas demooslracOes de apre-
so e crniaog-j. Nao se oppanba conservago
do Sr. G pler a divergencia de doutrina entre os
dois, porque na Al.emanba o imperador quem
manda e en a responsabilidade do que ordena
peran'.e o paiz, e nao oa ministro?, que so res-
pondpm pura com o ebefe do Estado.
Contineu. poi?, no governo sq elle ministro;
mas todos virsm que a sua autondade poltica,
apezar de tu .o tiaba H:a1o profundamente aba-
alada.
Entrara em discu3^o no landtag um prometo
de lei, qu'-era o resultado de urna Iransacgo en-
tre o governo e os prelado'.
Esse prrjeclo manuava dar deslino aos fondos
uceumuluios pela Upen-ao dos vencimentos
de urna grande parte do clero catbolico, tm-
quanto durou o conflicto religioso conh cido pe-
la designagao de Kylturkimpt. Segundo elle, es
t-i fun los licariam capitaltb^dos as ruaos do
governo o qua i distribuira os respectivos rendi-
mentos pelas dilTercntes dioceses, para serem
applicados a diversos fins relativos ao culto.
Levantouse o ebefe do partido catbolico, o
Sr. Windsbortb, c querendo ser mais exigente,
do que a propria igreja e dar urna ligao ao Va
ti:ano por este ha ver em lempo tratado directa
mate com o principe de Bismarck o apoio elei-
lora! do clero catbolico passando por cima do
partido ultramontano apresentou urna substitu
gao, pela qual os fundos de que se trata seriara
pura e simplesmen'.e restituidos aos clrigos
que tinbata estado (i-ivados dos seus venci
meatos.
O centro ultramontano to landtag, dirigido
pelo Sr. Windtborst, era nm grupo poltico, sem
cojo aexili o govrDO nao poderia ter maiora.
Por isso o projeeto d'-iqulle bomem poltico
foi admlUido e enviado a urna commissSo, jal
gando se por iesc p;ejaui.a terial.
0 Sr. Gopiur, que tirante muito lempo 86 cp
Dsxera a tal reivQd)c(to, leva que engulil-a o
fazer-se patrono da nova Sjlago. Uas a soa se-
hedade poltica e a tua autoridade ptrante o
l>ar! tillo e peame o pata, fl^araui to mal fe
rMa, que a eua exoLeragjo de ministro tornou-
se indis peosvel.
Essa victiria de W:ndhnnst foi commentada
em todos os circuios e dorante mullos das trou-
xe o espirito publico vivamente preocupado.
O funeral d'^sse dislcto politice de ideas e
entimi'utos oi uiuito eoncorrido.
Em volta da urna que eucerrava os restos
mortaes do bomam, por tanto lempo alcunbado
de inimigo do imperio, nao se viam smente os (
seus amigos polticos; estavam l tambem um
representante do principe regente da Baviera e
do erao duque de Badea, o chanceller de Capri-
vi, todos os ministros prnssianos. e os secreta-
rios de estado imperiaes e at o ex ministro Gos
slcee cuja exoneracao f:a o ultimo triumpho po-
ltico do fallecido Wiodtborst.
E" isla mais urna prova de como esta mudada
a atmospbera oflicial da Allemanba, da altera-
Cao protanda que soffreram os seus interesses
politicoi.
Que contraste com o modesto enterro de Er-
nesto Gerlach, fallecido em 1877, iniciador com
Stahi, da politica militante conservadora, oa
Prussia, fundador da Gazeta da Cruz*. A in
humago deste tz se quasi a orcaltas, sem re-
presentagao alguma oQi;lal I
Gerlach. apezur de protPtaote e t:ilz al por
isso mesmo, havia abragado com eatbusiasmo a
causa da liberdade rehgicsa por occasiSo do
kulturkampf, e proceda de accordo com os
seus alijados calbolicos contra o inimigo corx-
raum. Foi um rude adversario de Bismarck e
este nunca l'-e perdoou. Apezar de bomem emi-
nente, e de elevadissimos dotes, fez se o silen-
cio mais profundo a seu respeito, mal desappa-
receu do mundo.
Outra sorte coube agora ao fallecido Wmu-
tnorat, ;.5o obstante ser um catholico fervoroso,
um bannovenano, que at o flm da sua vida .-e
conservou o bomem de conbanga da dynasfa
guelfa. Esse foi conduzido a sepultura acompa-
nhado de um cortpjo de representantes das ca-
sas reinantes.
Pode ser que Guilberm III e os seus coose-
Ib iros taato se eapenhassem em tornar pompo-
so o funeral de Windtboet, por quererem si
multaneamente celebrar o Dm do poder, da un-
dade e da cobesao do centro ul tramontano par-
lamentar, qui tanto deu que fazer ao governo
imperial.
Ardua tarefa ter que desempenhar quem
addir a beranga do fallecido. Ter que usar de
grande babilidade e diplomacia para conservar
reunido o dualismo que coastitue o partido ca-
tliolico, manteado concilladas a parte conserva-
dora e proteccionista e a liberal e democrtica.
Difficilmenle8e encontrar bomem que para iseo
techa talento e ap'.iio iguaes js de que deu
provas 9empre o Sr. Wicdibouste
Um dos acontecimentos que nj mundo po-
li i i -o e administrativo mais prenden as attecgOes
ger^ea foi a nomeago do successor do general
Waldersee na direcgo superior do grande esta,
do-matar allemo.
E' o r-rimeiro dos stus auxiliares o conde Al-
fredo Scheffea, tenente-general como elle, e
teodufeifo toda a sua carreira militar oo estado-
maior.
E' em leda a extenso da palavra, ao que di-
zem os jornaes de Berlim, um self mandman'
quer dizer. o filho das i-uas proprias acg6es. At.
tribuem-lbe muita franqueza, espirito caustico,
as ve>es inccrxmodo, opiniOesmuitas suas, um
carcter integro e austero. Bepresenta sobre-
ludo as tradiges. A ua nomesgao causar
menos attritos de pessoa e de escola que a do
general Witticb ; mas. por oulro lado, alimen
tara meos esperangas.
Nao deve esquecer-se de faci, pondera o
Temps, que a queda do general de Waldersee
produzio certa espectativa n'uma parte do exer
cito allemo.
De diversos lados se sustenta que esta mudan-
ga nao devida inteiramente a divergencias po-
lticas ou olidariedade compromettedora do
aotigo coefe de estado-maior general com a ten-
dencia ecclesiaslica e religiosa dos Stoeker, He.
irtl, e consortes. A causa immediata foi, ao
que parece, ama divergencia radical de principies,
em materia de tctica e de estrategia.
Mas o facto principal, o grande assomptos de
todos oa momeniop, a fonte vivados mais desen-
contrados commeotarios centinuou a eera posi-
gao do principe de Bismank, do grande J|Jitico
que ap>- a victoria de sua aspirego, a uniea-
gao da Allcmanba toi apeudo inslitamente do
poder.
Para Bismarko ex chanceller de ferro, mas
anda um poltico ie ferrocootinuam a estar
voliadas as visias aliemos, inquerindo do futuro
da luta gigantesca, entre os dous Tilans: Gui-
Iherme II e o principe de Bismark.
A sua campanba contra a politica imperial
coolinuou viva e encarnigada.
E nessa pugna elle nao e.t e : conta com
um grande numero de bomens polticos preemi-
nentes, que nao perdoaro nunca ao imperador o
crime de querer fazer urna polica moderada, de
paz e dacoociliago.
Como urna advertencia disse o imperador lti-
mamente :
O duque diminuea sua gloria, e engrandece
a do seu augusto e venerando a' Guilberme I;
accelera a obra de instiga da posteridade q e
saber, com o tempo, deOnir a parte que meu
ave leve na direcgo dos acontecimentos de
1870.
Depois accrescentou :
< Simo o profundamente, porque lenco a mais
sincera admirago p-lo duque, a mais real arri
zade por elle... mas...
A pbrase, v se, n5o foi concluida.
espantan
As ultimas informagesque alcangam o reeul-
laao da subscripgo publica do empreatimo, com
pletamente totalidade de 52milb0es dv pesetas,
faltando muito para ficar coberta a somma per
dida. O resto foi coberto por baoqueiros.
Este resultado nao pode ser mais desastrosos
especialmente depois das jactancias dos conser
vadores.
Os erleitos sentiram-se j na bolsa onde os
fundos obtiveram urna oaixa accentuada apezar
da subida dos cambios.
O interior deseen 70 cntimos e as aegoes do
banco baix.ram & pontos.
O baoqueiro Abquijo entregou em 31 de De-
zembro passado nn banco de Hespanba 5 mi
lhoes de pesetas, como adiantamento aos prasos
da subcripQao do emprestimo.
Hcuve em 31 de Dezembro passado conselho
de ministros, no qual o Sr. Cnovas deu conta
das tendencias do Japo para a politica colunul
assegurando a proposito do governo de velar in
legridade das posses?5es bespanbelas no Ocano
Pacifico.
Para se fazer economas, sao supprimidos
no orgamen'.o do ultramar de Cuba dous insti-
tutos de 2 classe dous tribuoaes o doutorado de
Habana, contadoria, thesouraria inspecgo e
intendencia geral.
- Diz-se que vai ser augmentado o descont no
sold dos empregaaos militares de Cuba de dez
a vinte por ceoto.
A rainha regente assignou em 31 de De
zembro a lei de novas pautas aduaneiras, que foi
publicada na Gaceta de Madrid.
Todos os direitos sao augmentados nomeada
mente os dos alcools,
A base com que assentam as novas paulas sao
as seguintes.
Io O rgimen aduaneiro tem por base o esta
belecimeoto de tarifas de dnas columnas: a pri-
meira mxima a segunda mnima.
2* A primeira tarifa servir como base geral
do contracto para todas nagOes que nao offere-
gam a Hespanba condigoes espetiaes. A segun-
da applirar s-ha aos tratados com as nages que
offerecam a Hespanba condigOes de reciprocida
de acceilavis.
3* Todo o producto extra-europeu que for im-
portado em Hespanba por urna oago europea,
com a qual baja tratados soffrer os augmentas
correspondentes a differenga de tarifas que vi-
goram para cada uuia das duas nages.
4* Oonttnuam em vigor as tarifas 1 e 2 da an-
tiga pauta para os productos metlicos e para a
importago do material de caminbos de ferro.
3a O governo tica autorisado para augmentar
os direito, ou prohibir a imponaco de certosar
tigos, quando julgue que a medida pode ser fa-
voravd aos interesses da prodncgo nacional.
Na pauta daa exportases nao ba variantes,
nem se aggravaram os direitos da exporlago
universal.
A capella rdeme armada em Toledo para
exposigSo do cadver do cardeal Paya, tem sido
muito visitada.
Foram a Toledo urna commisso do municipio
e o parocbo Besejame trra natal do fallecido com
o tioi de tributaren) ao cadver as ultimas borne
nagens de sen ida saudade.
Tambem ah foram o arcebispo deSevilba, an-
tigo discpulo do morto, o duque de Medina Sido
oa, o ministro da guerra e os bispos de Madrid
Alcal e Siguenza.
O corpo do fallecido prelado foi sepultado no
carneiro da catbedral de Tcledo.
A ceremonia religiosa realisou-iede mannl.
Terminadas aa turas cannicas, o cabido diri-
gi-se a capella arde ote. e em seguida pz-se a
caminbo o fnebre cortejo que abra por orna
forga de cavallana, e um] grupo de alumnos da
academia.
Seguirn) depcis prccessionalmente os pobres
dos asylos, corporagOes religiosas, semisaristas,
clero paroebial, be leticia Jos", collegiada, e cabi-
do caibeiral.
Seguin o fretro, levado aos hombros por d ?
saceraoles. Loso atraz do cadver o celebrante
o arcebispo de Sevlba a presidencia em que a
fizeram representar as autoridades civil, militar
e ecclesiasiica ; as corporagOes ofliciaes e os
convidados particulares.
O conejo era fechado p >r um piquete de alum-
nos da academia com banda de msicas sob a
commando de nm tenente coronel.
Na catnedral antes do cadver ser descido a
seal lora foi celebrado um officlo.
No numen c em que a uroa era depositada no
sarcopbaco os alumnos da acadamia deram no
pr-ga do Ajnotamento as descargas do e-iylo.
A Correspondencia Poltica de Vienna,
receben de Berlim taformag6e>*de3men!indo que
o principe Alberto di Prussia fasse encarregada
de captar adhesii da Hespanba trinlice allian
gj, e aliiaoga commercial das nagOes da Euro-
pa central.
O principe n3o lioba miseo politica de qaali
dado algum?.
Franca
EXTERIOR
EUROPA
Pelo Tient tivemos as seguintes noticits, alm
das que ja demos na caria do nosso correspon-
dente de L'.sboa, sobre differetes nigoesdo ve
Ibo 3ontioente,alcaacmdo (odas kan corrente:
Em 31 de L'ezembro passado fez 9 annos que
morreu, pela noite,em Franga.o notavel patriota
francez, Leao Gambeiia, depois de urna agona
de 2 horas, conservando todos os sentidos.
Leao Gdmbetta nascera em Cahors a 30 de Ou-
tubro de 1838. Formado em direito, exerceu a
advocacia em Cahors e em Ponz.
Prestou relevantes servigo3 a Franca durante a
guerra e dermis d'ella.
A Libert insiste em que, se o parlamento
franctz cocesder Suissa, a Blgica e Hesoa-
nb?, cartas facilidades comrnerciaes, nao ser
isso um damno causado fortuna da Franga
pelo contrario, a si^gurauga que lbe dar a neu-
traiidade sympaibica da Hespanba, permittir
realisar importantes economas.
O conde de Pariz escreveu ao conde le
Haus8onolIle a respeito da morte do bispo Frep-
pel. dizendo que os grandes interesses da Fran-
ga nao acharao jamis garantas sob o governo
da repblica; pois a reconcilingo nunca ser
sincera, e o desenvoivimento do sentiioenlo re
ligioso pode conter as paixoes ardentes que
ameagam as sociedades; mas, para esse deseo-
volvimento, a igreja precisa da verdadeira liber-
dade, que ; a monarebia pode dar.
Os jornaes affeicoados ao governo revelara
a maior eiergia na defeza d'este, em frente das
oxageragOes ultra-proteccionistas, reinvidicando
o direito ; que tem o poder execntivo, de cele-
brar traucos de commercio com as potencias es
tr; ngc.ras, sem preju z> '.-a sujtigo a'elles ap-
pr..vacuo definitiva das cmara*
Sem embargo, os ultra-proteccionistas rusten-
tam que, promulgadas que sejam as novas pau-
tas, u geverno smente peder negociar sobre a
base da pauta mnima.
A noticia puolicada ltimamente pelo Sicle,
de que o governo vai entrar em negocagoes acii
va com a H-spaaha para um accordo commer-
cial, alvarogou es Reputados do departamentos
viticolar, do tul, os qnaes, reunidos ana da Ar-
gelia, Iratam de promover ruidosas maoifestagdes
para i r pedir que se conceda aos vinbos hespa-
nt.es, vuniagem alguma superior da pauia m-
nima.
Paree, que o partido monarclii :o fraucez
est resolvido a promover a eleigo de um bispo,
como deputado pela Finisterra, em subs.ituigao
do falecidoSr. Freppel. bispo Ue Angers.
D 7,-se que ser escolbido mouseobor Trgaro,
bi-po de Suez, para aqu-lla candidatura. Alguns
exaltados penearam em fazer eleger o arcebispo
de Ax, ha pouco condi maado pelo tribunal oa
nena ae molla pelo modo rxeaos respeitoso pelo
qual se dirigi n'uma carta ao ministro dos col
toa ; mas, essa idea foi abandonada e muito sen-
satamente.
Tal eleigo iria juntar urna nota irritante ao
conflicto, ainda nao desvanecido, entre o clero e
o governo.
A proposito do anno bom, o presidente Car-
oot receneu em 1 do corrente o corpo diploma-
tico, em nome do qual o nuncio lbe apresentou
os S--US votos de prosperidade pelo presidente da
Repblica e pela Franga.
0 Sr. Carnet agradecen, accrescentando : O
anno de 1892 ser, assim o desejamos e espera-
mos todos, um asno pacifico e fecundo, durante
o qual os governos podero consagrar os seas
esforgos e a sua actividade ao estodo dos inte-
resses econmicos, e dos problemas sociaes, que
se mpCem cada vez mais sua solieltude.
Se a Repblica tem a consciencia dos seus
direitos e das suas tradigOes, a Fraaga nao est
menos firmemente aferrada politica de paz e
de concordia internacional.
Renoval esta affirmativa aos vossos gover-
nos.
B*lglca
Os telegrammas que se recebem de varios pon-
tos da Blgica sao unnimes em que a opioiao
publica d'aquelle reino se pronuncia contra o tra-
tado germano-belga, fundndose nos projoizos
que causar industria do paiz, sem compensa-
ges verdadeiras.
A maior parte dos jornaes belgas mostram
grande desgosto e dio a en ten 1er qu? as nagOes
f'aca-i saem sempre prejudicadas nos tratados de
commercio com os estados poderosos, porque,
no fundo de ludo, ba sempre a questSo politica.
D'aqui deduzem que o melbor que podem fa-
zer os paizes de segunda e terceira ordem es-
tabelecer tratados com os das mesmas condigoes,
e fugir de todos os compromissos com as gran-
des potencias.
Cresce no parlamento a opposico contra
os tratados de commercio. Depois das reunies
que tiveram diversos grupos politicos, parece
provavel que o tratado com a Atlemanba nao
ser votado.
N'esse caso, o rei estaa resolvido a dissolver
a cmara.
Um meeting organisado pelo syndicato geral
dos caixeiroa viajantes, e patroes, effectuou se
n'um d'estes ltimos das, e bavendo acalorada
discusso, e resolveudo-se que orna delegago
entregasse ao governo a seguinte moco, que o
meeting approvou :
O syndicato, apreciando a importancia da
coocluso do traa lo de commercio, com a Alie-
manba, e lamentando que certas industrias se-
jam to maltratadas, convida o governo a abrir
novas Eegociages para obter e transformar em
direitos especficos os direit03 ad valoren, ou
pelo menos admittir os direitos fixados para os
artieo3 reservados em o novo tratado, approxi-
mandse o mais possivel do s y tema da recipro-
'lu.ue commercial para o estabelecimento d'ei-
ses direitos.
talla
0 Messaggiero, confirmando o boato da
demiseo do ministro da justiga, diz que o mar-
qutz de Rudini tomar interinamente conta des-
sa pasta.
Diz o flfoniieir de Rome que o conde de Pa-
ris, identificando a monarchia com a causa da
igreja, est no sea papel de pretndeme; mas a
igreja nao pode acceitar semelhaote solidarie-
aade.
Falleceu em 31 de Dezembro ultino o car
deal patriareba Agostin.
O rei Humberto, ao recpber a ctaputago
das cmaras legislativas, os ministros e autori-
dades, exprimi a sua confiaoga em que os tra-
tados de commercio darao um feliz resultado
para os interesses da Italia.
A situagao poltica permute crer na manuteo-
go da paz.
Santa S
O lournal des Debats publica o seguinte te-
legramma a respeito dos assumptos religiosos
no Brazil.
< O papa araba de tomar graves medidas re-
lativamente aos assumptos religiosos no Brazil.
E' sabido at que ponto Sua 8antidade se
acbava uesgotoso pelo modo como o governo da .
repblica traten o ;l"ro ; uo so a separago da
igreja e do estado tinha sido decretada brusca- j
mente, sem compensago aiguma para os pa-
dres ; mas os bens das ordena baviam sido pura
e simplesmeute confiscados.
Este faci provocara no Vaticano urna profun-
da indignago, e contava se cem o protesto das
ordens interessalas para se obter, pelo menos
urna restituigo parcial, ou urna indemnisagao.
Em todoo case, Leo XIII pejsava que es re-
ligiosos espoliados nao acceitariam benvola-
mente 03 fados coi'.sumrxados, e que mostrariam
ama aitude digna para com o novo governo.
Ao que parece, succedeu o contrario.
0 abbade dos benedictinos parece que se
mostrou de urna complaceac a exagerada, e o
internuncio apostlico no Rio de Janeiro, mon-
senbor Spolverici. nao defendeu com a precisa
energa os interesses da igreja.
As informages que a este respeito chegam a
Leo XfH pareceram-lbede tul modo grave, que
lancou a excommuobao maior contra o aborda
dos benedictinos, e mandou voltar para Roma,
em manifesiago de desagrauds, monsenbor
Spolvenni.
Contina sendo objecto de lo as as conver-
sages, as tristes consequencias que podem re-
sollar da attilude do governo francez a respeito
da Santa S, emquanio a trplice allaga Intriga
sardamente.
Sua Sanlidade Leo XIII. com o seu grande
espirito poltico, e o seu amor desinteressado
pela Franga, foi o primeiro a recelar essas con-
sequerucias, e ainda ba poneos das manifestava
os seus sentimeato? por urna obsemgo que tem
bastonte profundidade.
Repetidas vezes, diz o Santo Padre, os c r-
deaes ioglezes, allemes, austracos e italianos
me procuram e consultan) sobre os neg.cios do
seu paiz; alguns d-. lies residem at prximo do
Vaticano.
Mas a Franga, qual o principe da igreja que
a representa 1
Sao para meditar esia3 palavra3 do pontfice.
E' um erro que a Franga pratica, permanecen-
do indiffereate ao couei eravel inovimento de
que o Vaticano presentemente tbeatro.
A Allemanba, a Austria, a Inglaterra e a Ita-
lia esto representados junto d S?.nta S. e.ao-
breiudo do sacro Coliegio, por cardeaes de re-
sidencia fixa.
A Allemanba, a Inglaterra, a Austria e a Rus-
3la teem em Romo bit pos da sua aacioaalidade
junto dos cardeaes, estimulan lo os e foi gando os
a iniervr nos negocios da sua patria.
Os franceses probibem os teas buoos de se
app-ox:mre'n de Rema.
Elle3, que sao os mais directamente iateres-
sados na tu'cia eleigo do poititice, nao teem
em Roma um representante da sua aacu-nalida-
de.no meio das in rigas iiaiianj; e da acgo in-
cessante uos prelados da trplice allianga.
E' do conbecimrnto de toJos que n'uma
das ultimas sus*oes do mez de Novembro na
cmara frinceza, Floqnet dtsse que Pi IX per-
lencera uiagona.ia.
Edlo affirmgao levantou grande tumulto ; e
Cassagnac e oatros membros da J'.reita invecti-
varan) furiosoj o ore8flanie.
Em ama carta de Roma ore upa se o corres-
pondente da IMependence Buge aa incidente ;
porque, assevera, no Vaticano evou se essa in-
dignago a rir; isio pela naturallssima razc de
que toda a corte pontificia sabe dessa historia.
.---------


Diario de Pernambuco Terga-feira 19 de Janeiro de 1892
t
i Banal, per eno^o diz o
que iniciegao do neopbyto Mastai Perretti se
effectaou na loja de Sauigaglia,.inMulada Alba.
Nocetla a qual )4 nao-existe, omi cujosar-
chivos se cooaervou por muito tempo *proves
cripta, de que oipaaa defauct,.antos de amatar
a carreira i-cclanaatica, acceitra eiptafesjara a
doctrina maconiML
Posso aindaeot rescala r que, ohmio daaois
de baver abju alo essa aoutnoa, gaaodou pela
sociedade a qua perteooeu un saaiiaientO'de
respeito inalterwei, a ai ponto, ]us una auiz
publicar ca enuveUjaoontraaooBm dos fran
macos, a despeno ta* instancias dos jesutas, e
que acoca excitou o episcopado braziteiro, de
ama forma apaixoaala.a sustentar a guerra que
a maconaria ibe movec.
ctra circums.ancia a asaigualar que o
principe Luii Botiapare, que depois foi Napoleo
Ili, e Felici Orsini, perteaceram a essa loj de
Senigaglia, na quai o jeven Masiai Ferretli pres-
tou o juramento sioi sabia perfeitameate qUe a loja de Se-
nigagla, contara Po 1K ente os seus alberen-
tes, elembro-me perfeitaaenie deln'o ter ouvilo
dizer na mioha preseaga, en Ni ce, pouco antes
da conspirago qae Ice custou a vida.
Do cerlo, a prova docuineatal d'este lacio im-
portante, nao foi inteiraineote destruida.
No reinado de Po IX fez-se luJo quanto hu-
manamente foi possivel para a destruir : emissa
ros secretos, nao por ordem do papa reinante,
qae seimporlava pouco com sso. mas pela Com-
panbia de Jess, consegciram iniciarse n'esea
loja, com o lim de subtrahir o registro das ns-
cripges ; mas tolos esses projectos aabiram go
rado-, e o registro conservou se iatacto, at qae
a loja feciou ; os archivos, porm, foram para o
Grande Orate de Roma, onde Cassagnac se po-
aera convenir de que Fioquet sabe mais que
elle da motidade do pontfice., em cujas mos se
qnebroc o sceplro temporal do papado.
Disse cu que ao contrario do qae qusi sen
pre suecede aos qae abjurara urna reiigio, Po
IX nao mostrara nanea animosidad contra a
franca-magonaria: mduor anda, testemunrira
cm. symptnia franca e benevolente pelos que
pertenciam a essa sociedade, e qcem sabe, se,
tratando a d'essa sorte, nao tinfaa um prazar se-
creto ein molestar os jesutas ?
Ouvi cjntar a este respeito ama aoedocta,
qae vale a pe.:a reeditar.
Conta-s que, d'uma vez, entre os visitantes,
qae o papa devena reoeber, em audiencia publi-
ca, se achava Heitor Malot, entao redactor do
Sicle, que uio era tido em ebeiro de santidade
no Vaticano-
Como far Vussa Santidade para Ibe nao
dar a bengao. se elle Ib'a pedir f pergcnlou o
carde'l Aaioaelii, qae n'essa occasio se dava
ares de puritano.
Po iXconteutoa-se em sorrir maliciosamen-
te, sem responder.
Na reeepgo, qaando os visitautea, segundo
o cosame ira lccional se ajoelbavam em duas
filas, por entre as quies o papa atravessou a
pasios lentos, cada cm d'elles a fazendo um pe
dido, ou apresenUva um objecto para aben-
COar.
Pi IX parava.e estisfaziaa reclamago com
a saa benevolencia habitual.
Ao chegar liante de Malot. que all fra ape
as levado por anca cariosidade artstica, e que
permanece de joelbos, sem filar o papa, para es
conder o sea erabarago, Po IX olbou-o Bxamn-
te. com esse olbar ebeio de bondade, que le
can ivoo tantas sympalhus.
& vos, nao pretendis nada ? perguntoa
elle aa mesmo tempo mofadora e cariciosamente,
sonando com disttncgo.
Ni o, Santidade, obrigado... Respondeu
Malot u:n tanto atrapbalo.
Poi3 bem, replicou Po IX, apesar d'isso,
qaero dar vos alguna cousa.
E, levantando a mao direita sobre a cabera
do jornalista iivre-pensador, deu-lhe a benco, e
paasou adiante
O papa receben para as felicitagoes do novo
anno, os representantes da Franca, de Portugal,
da Baviera, da Colombia, de S. Domingos, e o
encardado de negociacbes da Blgica.
Os representantes estraugeiros trajavam de
gala,e eram acompanhados pelo pessoal das eaas
legages.
Todos ..estes diplmalas ficaram maravilbados
com a lucidez do espirito de Sea Santidade, e
vivacidade das suas ideas.
A entrevista com o representante da Franca
durou 6o iniuutoe, e foi particularmente cor-
dea!.
O novo consistorio realisar-se-ba provavel-
mente no prox.mo mez de Marco.
O papa crea- seis no .os cardeaes, entre o
quaes dois para a Frang, e cm para a Ir-
landa.
jnlaaaawi eoaveawate cae aao.coaaarie a S.
Paulo Railwiy, com o plano proposto .
^-p'**inlainMriif *V* r"Tifunh'!' t"g'"*" '('g-
Tea** a Itua Jtaairr oofcio dana di-
raoria4e 4 da cmala, m Taa#03!a ao deatt
BapTiitaadeaott do da 13. naal f. S. aa
dipnou wiaraaafme daqua aata conpiahuti-
nfea retauMOidabrarM-siiaa late), a cenagar
daade ji aelo'.tfaciio aaire.iaadiaaf e C uojMc.as,
ioaerc^aado em cala liona largi uui i:jmpl.eta
va- le ottala da un metro.
No lia 46 reaaatti copia da cooinuaicago de
V. S. a mnH*a directora em Londres, para seo
coohecimento, e loga que tiver resposti apvs-
sar me-nei em leva! a ao connecimet to de V-
S.
Capital Federal
Datas at 10 da Janeiro.
Leos no Jornal do Commsrcio do dia
INTERIOR
SLL DO BRAZIL
Pelo piquete nacional Brazil recebemos bon
tem as seguin.es noticias:
iMiii" de Govaz
J chegou ao iongiquo E*aoo de Goyiz o mo-
vimento revoiu:ioaano de ti de N'ovembro.
Um telegramma de liberaba. receb:do e publi-
cado pelo senador Paranbos ao Jornal do Cox-
mercio diz t s guinte :
Povo Je Catalao depoz a intendencia, o jtitz
de direito e o promotor publico. Nova intea-,
dencia acclamada fnnecioaa. Canuto L pes.
Ojuiz do ireo denosto, cegando nos i a
form;an, o Dr. ArihurRebougas, que mandara
inserir ni protoco! o as audiencias um voto de
louvo: uo marecba'. Doloro por tsr diss^lvido o
Corigreso Nicioasl .
i:st de anta Catbarina
Mostrararo-aos, diz o Jornal do Com.aercio o
seguinte teiegramma :
Desterro.Contra-almirante Mirquns Gaima-
res e Dr. Bayosa.lateadencias deposias por
iostrucgOS do goveraador deposto camegirara a
hmecona; clandestinamente. FaIso3 eiegram
mas alversarioi junta. Tolo o Estado *!
dj a junta. Na imprtanla cidade de Joinvillc
ba apenas meia duzia laacistaa. A populago
iosa de reposigao levantoa-s: je na
prenden houtem hiate que ia sahir com hrfi
telera!. Mjor Firmino tem o-tem general
Moura para repor intendencias. Publiquem.
Elyseu.
Estado de S. Paulo
Os of&ciaes la guarda oasioaal, reunid-03 sob
a presilencia do coronel Mirqae Cou'.infio. de
liberaram cuaiprimoniar o goveraador do Esta-
do, notneando para isao ama commisso que
tamDem vai pelira naOKacio de conmaadanta
superior, organisago des batalhOs e armam^n
to, pan qu a guarda possa, qaaoio preciso for,
prestar servigo em defoza da instituicao repuoli-
ca::a e da ordem.
Grande numero de magistrados, reunido:
sob a presidencia do juiz le direito Cirios jouzi
Lima, delibera-am. aps oavirem o juiz Frfara
Alves, nonear ama commissoparaeatenier-se
com o goverao sobre cnoliliaagio na tabella de
vencimentose oc'.ros pontos da reforma da ma
gi.v.-atura. Ficju invocada nova reauiao para
as ferias la semana santa, em qae ser ouvidaa
commissao quj vai t-a'.ar com o governo, deven
do nessi occasio resolverem negocios de inte
resses da etaae.
A Companbia Panlista de Vias-Ferrea3 e
Fluviaes, desejando desenvolver os meios de
transporte entre o nter or do Estado e o porto
de Santos, diripio ltimamente superintenden-
cia da Companbia Iogleza o seguinte cilicio :
Em niega* ao objecto do officio de V- S.
datado de t' Jo cor. ente, cbenos communicar-
ibe. para os devidos fins. que esta companbia,
tendo en coasiderago o extraordinario deseu-
volvimento que u.tmamente tem apresentado o
movimeato de cargas em suas vas frreas.
acba-se resolvida a Sobral-as, a comegar desde
ji p:lo trecho ente Jnndiaby e Camoina3, inter-
calando em Cud via larga urna completa via de
bitola de um metro, de modo a permittir que os
trena de bitola estreita venham ate JandiKby,
destinando-se orna das linbas para exportaco,
e outra para mportagao.
Mas, como bem comprebende V. S., para qae
este plano possa ser levado a efleito e prodaza
aompleio resaltado, indispensavel qae a s.
Paulo Railway por sen lado, de Jundiahy at
Santos, adopte alvitre equivalente.
Sendo esta medida de grande conveniencia e
de carcter argente, s6 esperaoai qae V. S. aos
oommuaiqae a formal resologo deaaa comea
abia a respeito, para inieiarmos os noaaoa traba-
Ibos aem perda de tempo, ou procedermos como
< Raapparecen bontem o Diario do Commer-
cio tolii* qu-o se pcolicava uesta capital, eque
ji conta cinco rnnos lo existencia.
Obedecealo 4 nova orieatago que Iba vem
imprimir o seu actual redctor clefe, c Diario
do Commcrcio em seu artigo-programna, diz
que do passado conserva ap-aas o t talo, que
traduzir perfdUameaw a natureza dos inters-
ses pelos quaes rehalera e cuja defeza reputa o
mais importante dos deteres da im[rensi na
aUualidade-
A mesma folba, no dia 6, escreve :
Em urna das saljs di Cunara dos Depnta
do3 reun:ratn-3e hontem muitos senadores e de-
putados da maioria, sob a presidencia do Sr.
Aristides Lobo, qae expoz ser o tim du reuoiSo
deliberar-se sobre a conveniencia da nomeago
de una commisso que ae incumbase le dirigir
as Cmaras e fosse a intermediaria entre o Go-
verno e o Parlamento
Usa-ara da palavra os Srs Gabino Besouro,
Zima, Serzedeilo e Glycerio, que sustentaran! a
oecessidade da commtsso, e os Sr;. Amiba!
Falco, Demetrio Ribetro e Ramiro Bircellos,
qae se manifestaram infersos idea p-ooosa.
Anal, por maioria de voto3, cou reioivido
que se creasse essa cemmisao, que 'icou cora
posta dos Srs. senadores Wandenkolk e Campos
Salles, e Jeputados Aristides Lodo e Serzedeilo.
A reunan lermioou s 10 1/2, tendo coaita-
do &s 8 horas da noite.
Leos n'O Paiz do dia 9 do corr n'e :
O decreto di 7 de Janeiro, que es-iioelecea a
liberdade de cencas no Brazil, foi aote-holtem
comuoemorado com om banquete pilitico. A
festa eff.-ctaoa-St no salo de boora do Globo,
paraesse tim espe:iaimente, delicadamente ador-
nado
Tropbos de bandeiras da? repblicas franceza
e soisia e de todas as republica3 americanas con-
stituam urna das partes salientes de semelnante
ornamentago. A mesa em forma de U eslava
quasi completamente coheria de flores, toda ella
profusamente illuminada era de magnifico effei-
to, ainda mais reaigado pelo finissimo lavor dos
cr vstaes.
Presidio o Sr. depatado Demetrio R.beiro, mi
nistro da agricultura do governo provisorio, ao
lempo em qce se decretoc a separarn da igr'ja
do Estado. A03 secs lados sentaram-ae os Srs.
canio leoejte Pinto de Si, represeoiando o Sr.
presidente da reoablica, e tenente Eugenio Bit-
teocourt, representando o Sr. general Jos Si-
meSo, ministro da guerra.
Os outros lagares da mesa foram oceupados
pelos Srs Dr. Prudente de Moraes, presidente do
Serado Federal, Dr. Bemardioo de Campos, pre
sidente da Cmara d03 Depu'ados, ssnador Ma-
noel Barata, diputados Malta Bacetlar Gongalves
Ramos, Victorino Monteiro, B irbosa Lima, Man z
Freir, JooLopes, Tboraaz Deltiao, .Nina Kihei-
ro, Oliveira Vallado, Urbano Marcoodes, Bezer-
ril, Bevilaqua, Anoibal Falco, Alen do Guani-
bara, Gabino Besouro, Dionysio Cerjueira, Se-
verino Vieira e Belarmino Caroeiro, Its. Teixei-
ra de Souza e Teixeira BrandSo, major Alcides
Broce, teoeotes Augusto de ViileroyeTasso Fra
goso, Francisco Kodrigues de Paivi, Dr. Jos
Carlos de Cirvalho, Dr. Pederneiras Jornal do
Commercio Carlos Xavier Gazela de Noti-
cias >, Jos Verissimo Jornal do lirazil A.
Pimentel Diario do Commercio e P. Rabello
O Paiz .
O banquete comegou s 8 horas da noite em
ponto. Durante elle, foram recebidas communi-
c^coes do nao compare:iment dos Srs. Rodri-
gues Alves, ministro da fazenda, Fernando Lobo,
ministro do exterior, Custodie de M2U0, minis-
tro da marraba, Anto de Faria. ministro da
agricultura, senador Guapos Sales deputados
Aristides Lobo, Serzedeilo Corris. Antonio Aze-
redo e Baptista da Molta. baro de j'alcnoiras e
Dr. A.fredo Madureira ebefe depolicu. do Esta o
do Rio de Janeiro. O aervigo, correctamente
feito merecen calorosos elogios.
Afina!, foi aberto o cbampane. n:o o Sr.
Annibal falco levaotou-se para brindar o Sr.
presidente da repblica. As situagOes novas re
querem frmalas novas, aflirmoc S. Ene. Por
e3se motivo, ao contrario dos estyloa at agora
adoptados, o primeiro briode naquelk banquete
republicano devia ser para o suprem magistra-
do da na.o.
Agradeceu o Sr. capito-tenente Pinto de S,
brindando ao congresso nacional. O Sr. tenente
Augusto de Villeroy brindou a Demetrio Ribeiro.
Houve muitos oniros brindes, dentro os qua.
destacamos do Dr. Prudente de Moraes, o digno
presidente do Senado que s.tu Jou imprensa
como o graoae exercito que pregou a Rep-
blica e que tanto contnbuio para a p-oclamar no
Brazil; o grande exercito invencivel de que se
deveesperar o msi.>r esforgo pela re:)nstrucgo
da patria, neste excepcionalissimo momento de
agora, em que todas as forgas se devem congre
gur ao redor da bandeira uesfruidada pela revo-
iugao de 23 de Novembro.
O brinde de honra foi levantado a Repblica
neio Sr. Dr. Demetrio Ribeiro. Nose discurso
S. Exs. fez o histrico de quanto se tem paisa-
do durante o goverao repuolicaoo ; illudio as
no'saa dirculdades actuaes ; cootou como no
tempo do governo provisorio bouve un miins.ro
que, sem cunseiho, sem exame, sem aitorisago
ios se-s i-ollegas, transfeno para o bneos urna
auionsigo que devia caber exclusivamente ao
thesoaro. E terminou affirnaodo que a questao
naaceira se hi de r:solver por esta formao
roo assuram lo a responsabilidad das notas
.le agora emittidas. O governo deve proceder
assim porque toltrou semelbantea eraissoes, e
porque, afina!, a e le que Un cabe a respoosa-
idaie de tuioquanto nessj assumoto se fez.
Algn5 trabalhos artisiicoi do nosso co-
es'adano Tellea Jnior esto txp03t0ii no salo
i'O Paiz que a esse respeito paol.cou o se-
guate :
Pintadas palo amador p?rnaabc 'ano Sr.
Je;ony,na Telle3 Jcnior, deputa lo ao Congreso
lo 33u E.tado, expnnis tres paisageni en teli3
de grandes dimeaaO s, duas adquiridas', pelo Sr.
F. R irnos e ama a esoe cavaltteiro offarecida
pelo autor.
A miior dessas paisag-ras representa um
ponto de vista de Campo Grande >, a nenor um
trecha da Migialena e a de tamanbo medio
reproluz u n sitio de Alagado1.
Tolos esses lugires sao arrabaldis de Per-
nambaoo.
Enfado da Eoplrito Santo
Di'as at il no corrate :
Limes no Estado do Esptnii Santo :
Cora a cbegaJa. d > digno coronel Gonve, dei-
xou a 26 dciie mez de fazer parte da junta go-
vernativa de3te Estado o nosso distio'to conter-
rneo, aleres Elgardo Diujub, que por eleigo
entre seus dignos cimaralas foi escjiiio para
Substituir aquelle lastre militar, i.cclanalo
membro da referida junta.
Nao poda a briosa corporacao militar federal
estacioaada neite Estado eacoatrar em sea seio,
na ausencia do seu reapeitavel com mananle,
qu m como elemento da ordem o rep 'esentasse
mais dignamente e com tniior brilt anliasimo
como o disiincto mogo espirito-santens t.o van-
tajosamenta coapecido pelos seas louvaveis pre-
cedentes, ^v
Pro.asdesii conceito deu as elle durante 03
das em que fez parte do governo deste Estado,
nao discrepan Jo um s instante da linbi da
jastica, da moralidade e da ordem. sentimsatos
esses, elie o pader attestar, qne semf re encon-
troc em seas companbeiros.
Retirando se ds junta governativa lado lva-
nos a desejar e esperar que o illusire patriota, a
continu, na eaphera de sua posigo, a prestar
os seus bona servicios na organiaac&o deste Es
talo qoe exige o sacrificio de todos os seus
fllbos.
A mesma folba escreve no dia !!9 do pas
aado :
No domingo estiveram em confeancia, em
palacio, os membroa da junta governitiva coro-
nel Ignacio Gouici, Drs. Galdino Loraio e Gra-
ciano Neves.
Caasta-ao que aps a confereucia, a junta
expedid telegrauaiis para diversos pontos do.
Estado, determinando, so o pena de desobedien-
cia, o;ae as autoridades demittidas pastara 03
rispeetivos exercicios aos cidaiios reeentemeate
no meados para auostiwil-aa.
O Commercio do B3pirito Santo pnol
con o segun te :
O Sr. aaraa de Bom Jardn resignau bontem
o carao de goveraador do Balado na pesaoa do
Sr. coronel Ignacio Hanr'qnea de Go:veia. con
forme cenata do documento qae foi entregue ao
mesmo Sr. coronel equeem s-gua publica-
mos.
[Ilustre cidado coronel Ignacio Henriqaes
Gouveia.A maioria da populago desta capi-
tal, iraposslbilttadi de effecuar a reuna) con-
vocada para boje ao meio da na Praga da Mi
tris, alim de reclamir de vos, na qnalidade de
representante do gov>rno federal neste Estado,
era prol do restabelecimento e protestar contra
a supposta acclamago de urna junta governativa
na madrugada de 19 do mez rindo, em desespe
ro de causa commi3aionoa-nos para scientittcar-
voa de que, appetlando para os sentimentos pa-
triticos .do venerando espirito santeuse baro
de Bnmjariim, ooteve deile a resigoagao do
cargo ae goveraador em vossa pesso, como
represntame do governo faderal neste Estado.
Espera a populago porqaei< somos commissio-
nados que daris conhecimento destes fados ao
marecbal presidente da repblica, atino de que
cease a anarchia sob que temos permanecido
desde o dia 19 de Dezembro rindo, e se inaugu-
re o auno de 1892 com a resiaurago dos direi-
tos coostitucionaes garantidos aos cidados.
Smde e fraternidade.
Victoria, i" de Janeiro de 1892.
Jos Feliciano Hirta de Araujo.
Aristides B. de B. Freir.
Capito Tito Livio da Silva,
Dr. Florencio Fraociaco Gongalves.
A commissao foi receida por S. Exc. o Sr.
coronel Gouveia, em sua casa s 4 horas da tar-
de. A conferencia terminou s o horas, decla-
rando S. Exc. que ia commrnicar o oceurrido ao
marecbal Floriaao 'Peixcto e comniaaiciria
commissao a deliberago qce fosse tomada.
A popnlago espa.a ansiosa a natural solu-
go. Qcando o Sr. coronel Gouveia no exerclcio
do cargo da governador do Estado, com o apoio
de todos os eapiritosanteosea.
O coronel Gouveia, parem, nao a:eitando a
investidura cooiinuou como memb'o da junta
acclamada pelo povo no 19 de Dezembro.
NORTE DO BRAZIL
Eetado do Amazona
Da as at 8 do corrente.
Lemos no Commercio do Amazonas de 6.
Os ofliciaes do exercito e armada, efectivos e
reformados, reuniram se bontem 1 bora da
tarde no palacio 00 presidente do Estado teen-
te-coronel Dr. Gregorio Tbaumaturgo de Azeve-
do, e deliberarara asaegurar de pleno direito a
sustenUcao da legalidade, manteado, a or-
dem e tranquildade publicas, a paz da fa-
milia amazonease e garanta ao commercio. que
andavam sobresaltos com os boatos de revolugao
propagados pele Amazonas com quem temo-nos
balido defendendo o principio que foi a base da
resologo militar. A sesao durou al perto le
3 horas da tarde, resol vendo se os distinct :s as
seguradores da forga publica, depois da adheso
legalidade passar um telegramraa ao Exm. Sr.
mareehal Floriano Peixoto, vice-presldente da
Repblica.
A acta respectiva foi lavrada desta forma:
Aos 5 das do mez de Janeiro do anuo le
1892, nesta cidade de Minaos, no salo de honra
do palacio da presidencia do Estado do Amazo-
nas, reunidos os ofliciaes do exercito e armada,
deliberaram sustentar o grande principio da le
galidade, manutengan da ordem e tranquillidade
puoiieas. asseguraudo a paz no seio la familia
amazonense e commercio, sobresaltados pelos
Doatos alarmantes de deposigo lo presidente
do Estado, tenente-coronel Dr. Gregorio Thau
maturgo de Azevedo, e passar um telegramraa
ao cidado Vice presidente da Repblica, mare
chai Floriano Peixoto, nos seguales termos:
Ao mareehal Floriano Peixoto, vice-presidente
da Repblica.Capital Federal.-Officiaes do
exercito e armada, efectivos e reformados, re-
unidos no palacio do governo, declarara qae es-
to promptos a sustentar a legalidade, manter a
ordem e tranquillidade publicas e a autonoma
do Estado, garanndo pela constituigi-o federal
reivindicada por V. ExcMinaos, S de Janeiro
de 1892.
(Seguem-ae as assigoatnras).
L-se no Diario de Mandos do da 8 :
Teve hootem lugar no oalacio da presiden-
cia o almogo para 5D taleres offerecido pelo
Exm. Sr. Dr. Tnaumaturgo aos seus amigos e
cmara Jas, capito de mar e guerra Lopes da
Cruz, ex-commandante danosaallotilbade guer-
ra, capito-tenente Valle Guimares, ex com-
maodante da canboneira Tranpe, e Alfredo Cruz
ex secretario da meama flotuba, que seguem
boje para o sul da Repuolica no paquete nacio-
nal Olinia; como prova do alto aprego e parti-
cular estima em que tem o seu merecimento e
relevantes servigos prestados a este Estedo.
Concorreram a esta alta sigoilicago de confi-
deraco dada pelo Ilustre administrador a esses
dignos ofliciaes da nossa marinha de guerra,
grande numero de militares de mar e trra, e a
imprensa desta capital, com excepgo do Ami
zonas, rep-eaentada da seguinte forma : Com
murcio do Amazonas pelos Sra. Dr. Lenidas e S
e Rjcba dos Santos; Estado do Amazonas pelo
Sr. Miranda Leo; Diario de Mandos pelo Sr.
Dr. Agesilo P. da Silva; Guttemberg plo3 Srs.
Uidoro Vieira e Viceate Galvo.
Trocaram-se muitos brindes durante o ban-
quete, sobresahindo o brinie de honra erguido
pelo presidente do Estado ao presidente da Re-
pblica, o que foi concebido nos seguales ter-
mos :
Ao Exm. Sr. general Floriano Peixoto, chefe
supremo a nagao, que elle considera com jnsto
titulo o mais esforgado defeusor das instituiges
republicanas, e por conseguate dessa mesma
ordem e legalidaae, sem as quaes nao se pode
conaolidar a Repblica, nem de3envolver-se c
prosperar a aosa patria.
Balado do Para
Datas at 10 do corrente.
Eicerrou-se a 8 os trabalhos do congresso es-
;i dual.
Eatado do Maranno
Data3 at 12 do corrente.
Xei-liuma noticia podemos colher dos jornaes
qne recebemos -Je3se Estado, digna de men-
Co.
Colado do Ciar
Datas at 14.
L se no Cearense desae dia :
A attitude patritica do brioso il' ba'albo
de infantaria em face da anarchia promovida
pelos (esarleiros liberticidas, provocou hontem
solemne e viva mamfestago de applausos e gra-
tido ao patritico batalbo.
A' note um simples annuncio de vi-a voz do
valoroso partido operario, reuni mmensa mas-
sa de povo, aa praga do Ferreira, d'onle partir
com msica em eothuaiastica passeiada, por a!
gumas ras da cidade, animando com patriti-
cos vivas a alma da patria, despertando oa bros
do povo cearense, to feroimante amelgados
pelos inimigos da autoridade e da le.
Durante o ootro trajelo, a grande onda popu-
lar avolumando-se a cada momento, a cada can-
to, por grandes contingentes de populares, diri-
gira-se ao quarlel do 11* batalbo.
A proporco que approximava-se da residencia
dos valorosos soldados, o fogo do enthusiasmo
abrazara o patriotismo do povo. que, formando
um nico e enorme carpo, am delirio indescri-
ptirel, saadoa com expaasoes vehementes de
jubilo e enihusiasmo, a brava e brilbante olli
clalidale brazileira.
Em nome do povo fallou com eloquencia o
nosso Ilustrado amigo Dr. Oliveira aobrinho,
qce fra calorosamente victoriado. Seguio se o
Dr. Ximene, qae applaudio a patritica attilude
da altiva oflicialidade.
Oaovo emocionado por to eloqaente confra-
ternisagu das forgas vivas do Estado, arda em
febre delirante.
Assomon ento a sympatbica e marcial ligar?
do brioso capitn Hemeterio, qne no laconismo
de enrgicas phrasds, prometteu solemnemente
defender a legalidade, a forma federativa do go-
verao brazileiro, cumprindo assim as doutrinas
do vice presidente da Unio, exarados em sea
manifest.
Um ruidoso estrepito de palmas e bravos co-
brla a tos uo orador, o d6tincto comnandante
dol- natalbo.
Em aoyoida appareceu eleetnsaado a raultidao
com sea valto at iletico, o bravo capito Gaspar,
que em Jmguagem de ago decarou defender ata
com o propno sangue a Repaalica federativa e
a autonoma do Estado do Gaat.
Imasansas e calorosi&siaos applaoso cob.'i-
rara a declarago do brioso sida lo.
Em acto continao, o noaso dii.iocto patricio,
alferes Minoel Onofre, em liagu-igam cieu de
cordiadade e patrioliamo, aaudou o povo rmao,
a patria cearense, para elle objecto digno de to-
do sea amor e uesvellados cuidados. Siccedeu
Ihe o patriota sargento Monteiro, que, n'am mo
ment de feliz impinga), pronuaciou brilhanti
idlocngo.digaa deseucorago patritico e de sua
inteligencia vigorosa.
As saudagoea, oa applausos, 03 vivas, eram
ininterruptos e calorosos at a retirada, saudosa
mente solemnisala por um cordial abrogo do
povo na oflicialidade.
Seguio o povo pira o quartel da guara cvi-
ca, onde levantardm-se pa'.rioticoa vivas e rui
dosas accIamagOes a oQicialidade e soldados
deate moralisadu corpo, fallando nesta o:casiao
o capito Francisco Pedro.
Dabi dl'igirj-se a grande marcha para a guar-
da do curpo de seguranca, onde fallaram elo-
quentemente 03 nossos amibos D.s. Oliveira So-
brinho e Antonio Pinto, sau linio o brioso cor-
po de segaraaci. Tambera fallaram o D\ Xi-
menes e alferea Eoiphanio, qae em nome de
seas cotlegas agradecec ao povo a honrosa ma-
mfestago.
Foram meito acclamadoa o esmmindaote, offi-
ciaes e soldado3 do coroo.
Encamiuhara-se o pavo para palacio, onie o
eulhuaiasmo em exploaes patriticas, aaudou o
geaeral goveraador, como o guarda da aos.ia
paz e dignldade.
Fallaram brilhantemenle o' noasos amigos,
senador padre Feraandes, Drs. F. Brito eXi-
menea.
S. Exc. o Sr. goveraador, em linguagem con-
cisa, mas enrgica e clara agradeceu as elo
quei4ie3 provas de apoio ao aeu governo e pro-
metteu velar pela salvago da patria. Vehemen-
tes applausos acolberam a promessa do illusire
general.
Dabi partiu o povo acompamelo a muzica
at o corpo de seguraoga, onde diesolveu se a
passeata, a mais expoatanea, a mais viva e ea
tuusiasiica que tem nestes ltimos tempos pre-
sen :eado a nossa formosa Fortaleza.
IMiS KEMIMSCEMI.4S
Todas as segantes aao da Gazeta de
Noticias em sua chronica da semana, da
27 de Dezembro prximo passado.
Mais um que despensou, 011 est des-
pencando: o governador de Santa Catha-
rina.
A semana alias foi frtil nesses frustos,
que cahem de maduros, da grande arvo
re da Legalidade, regada com o suor das
boas intencftds de nos tolos os que Iabu-
tamos nesta vida de imprensa.
Eaa Pernambuco nao foi um g>vernador
que cahiu, mas um vice-goveraador, que
nSo havia commettido o grande crime de
ricir quieto, silencioso, diante do golpe de
3 de Novembro...
Por esse tempo, de 3 a 23 de Novem
bro, as medidas repressivas eram taes,
que ninguem ousava tallar siquer.
Os jornaes tiveram de emmudecer, por-
que, seoao, i vinha a commissao militar
proferir a sentenja condemnatoria de de
portaySo para Fernando de Noronba, ou
para a Europa que rouito peior para
quem nao tem dinbeiro.
O povo deizava se minar por desgosto
profundo, nao podando proferir urna quei-
va ou um protesto, desde que o Estado de
sitio j sticava todas as violencias.
O Congresso Federalessa quint'essen-
cia da opiniaoigualmente nem protestar
poda, e tanto que o aeu manifest bri
Ibante, civico, indignado, s veio ao co-
nhecimento das populacSea embaabacadas,
depois que foi tirado de sobre a conscien
ca nacional o grande peso do terror cau-
sado pela dictadura.
Por toda a parte o silencio era asss
symptomatico ; e se alguna menos timara
tos faeram como o Congresso, qae nSo
protestou logo, outros mais tmidos disse-
ram que *a, que em aeus Estados reina-
va a ordem e a tranquillidade.

O governador de Pernambuco, alias
vice-governador, nao esta'va porm no ca-
so dos que acarara classe dos que disseram simplesmente
Amen.
Elle nao estava em exercicio ; nao foro,
ouvido nem chamado a depor; ne n se
cogitara de sua individualidade no mo-
mento referido.
Mas, por isao mesmo que elle nada
tinha com o caso, por isao mesmo que
elle era o corleiro da fbula, elle pagou
pelo que fizeram 03 seas maiore3. E nao
s o pagou elle, mas uns pobres horneas,
que hoja mortoa, assassinados ai Majaren
Dei gloriam, gozam debaixo da trra a
suprema paz, a completa tranquillidade,
e a enormo ventura promottida no da do
advento da Logalidade, na aurora pro-
missora da liberdade a ruis admiravel
para 03 povos do3 Estaos confederados.

No Piauhy taraobem despencou o go-
veraador ; e, como sempre, succedeu-lhe
um militar na alta governacao do Estado.
Em Minas, est no oratorio o condem-
nado ; expira o seus ltimos alent'.' o de
Santa Catbarina ; aqui um eseolho o sen
padre coniessor ; ali-prepara ae o corio
de seda que vhtimar um ostro at
que, pasaeaaioa legalidade o seu caminno
risoaho e sereno por toda a parte, haja
concluido a sua misso de paz e de amor,
a que se comproraetteu peranta o paiz
em brilhante manifest.
Exulta o Brasil, vendo como cura-
prida a Lai e como respeitado o princi-
pio da Federajao... Porque a Federac;Io
nao a dictadura imposta de urna s vez a
um Congresso ; F derayl > a dictadura
estabeiecida em todos os Estados gradual-
mente.
A Legalidad^ apoia-se em uns tantos
cadveres da individuos que nao sabam
dessas cousas e mettem-aa a sonhar com
urnas utopias que at acabam em ia :
com a soberana e com a autonoma, am-
bas estaduaes.

Vencedor o principio federativo, palo
3ual todos combatamos,exercito, arma-
a e pavo,s nos resta render graca* a
Deus, por vermos erigido no altar da Pa-
tria o culto supremo da Liberdade.
Ha, porm, mais um louvor a levantar
ao mesmo Deus, que na derrubada al-
guna escapam, e felismente os melhores.
D'esseB, forca oonvir que o Congresso
Federal est em primeiro plano. Urna
parte do Congresso apoiou, applaudio,
mas assentio pelo silencio e pelo mutismo
(forcad, certo) ao mesmo golpetanto
qae s protestou depois da victoria da Le-
galidade... Ou por outra : usa represen-
tados pelo governador Gongalves da Silva,
I
de Pernambuco; outros pelo vice gover-
nador barao de Canteadas, do meamo Es-
tado.
Pois bem, o Congresso ainia nao foi
deposto.
E resta ainda fallar do Sr. barao do
Rio Apa, que nSo s apoiou, maa foi o
ajudante-general dadictadura; eque hoja,
no dominio da Legalidade, promovido a
general de divisan, de graduado que era.
Assim, escapam alguns da derrubada
faro.
Felizmente, o governo central e3tra-
nho. inteiramente es'ranho, a esses ma-
nejos, qua s tem por intuito restituir ao
lemma da nossa bandeiraa ordem e o
progresso, que d'ella haviam sido ligera-
mente apag.ido3 durante a primaira dicta-
dura.
Que se o goverao central houveaae in-
ternado, capazos seriara os malvolas de
suspeitar que e3ta legalidaia nao era
rauito legal, e que a f'ederajao corra
grave risco de anabar por urna, tsica ga-
looante, cruel e incuravel.

Felizmente, repetimos, o governo cen-
tra!, inteiramente neutro, deixa qua por
si mesmos os Estados affirmem a sua au
tono ala, e manifestara a sua predilecto
pelo governo militar.
Qaando os vinte Estados houverera
constituido a sua uniformidade, remend-
se pelos mesmos pri.cpios, e creando
urna harmona de ha amito desejada,
n'esse dia o coro ser geral, e entSo ou
viremos o hosannah que elevar a ia pa-
ramos celestes os que dirigen a situagao
de hoje.
E' preciso, porm, que acibera de des-
pencr es governadore dos Estados; em
quanto houver um aagaro ao galbo, nao
ser altiva, exhuberante, magesttsa, essa
arvore da Laga'.idade, que todos nos os
da imprensa regamos com o suor das nos-
sas boas inteng5es.
A semana apenas registra tres governa-
dore3 qui j cahiram ;mas que fazem
os outros que nao cahem a tempo?
}. anpplen'e, Silvino Gomes de Aodrade
Para publicar-Da secretaria a en
em 28 de
REVISTA DIARIA
3.'
Para puiic--ua secretaria do coverna
remetteram noa aa segulntes pecas :
< Pronotoria pob.'ica de Tinbaoa,
Dezembro de 18.
Cidados.Sciente do conteio do vosso of-
fl.io de 18 do corrate mez, tenbo a honra de
felicitar vos pelo advento do regimea da legali-
dade, e fago votos para que este futoroao Estado
proapere e engrndela sob os bons auspicios de
vossa adrainis'.rag'n sabia.e honesta.
Sable e fraternidale.ia Ilustres membroa
da junta governativaGeneral Joaqulm Mendes
Oarique Jacquea, Drs. Ambrosio Machado da
Cuaba Cavalcantc e Joi Vicente Meira de Vas-
consellos.O promotor publico, Paulo Ananias
Silveira.
Jaizo de drito da comarca de Ticara'.,
de Jineiro de 189.
Eiras, cidados da junta governativa do Es-
tado de Pernarabcco.Acenso a recepgo de
vossa circclar de 18 de Dezemb-o, qae veio-me
hornera as mana, na qual vos dignaes commnai-
cir me haverdes assumido o exercicio do go-
verno d'esie Estado.
Aseguro vos, podis cootar com o meu fracn
auxilio em prol da vossa arfrniaUtraco.
Apreslo a junta governativa os meus protes-
tos de alta consideraco e respeito.
Sade e fratera 1 ia le.Exras. cidados gene-
ral Joaquim Mendes Ouriques Jacques e Drs.
Ambrosio Macnado e Joa Vicente Meira de Vas-
concellos mu digno membros da junia gover-
nativa do E3lado de Pernambuco.-O juiz de
direito, Tflomaz Soriano de Souza.
Juizo municipal 1 supplente em exercicio
do termo de S. Bento, 10 de Janeiro de 1892
A'Illma Jnn.a Governativa.Tenbo a honra
de communicar-voa que de poase da circular da
illu3tre junta governativa deste Estado na qual
faz sciente a este juizo que em data de 18 do
mez prximo passado, assumio as redeas do go-
verno deste mesmo Estado.
Scienticado tica este juizo e ao mesmo tem-
po congratuli-sa com a illustrissima junta por
ver a frente do3 negocios deste Estado homens
sensatos, criteriosos, sabios e doutos, fazendo
votos pela conservago da Ilustre mota.
Aproveilo a occasio para offere:er a illus-
trissima junta os meus servigos neste municipio
quer publico quer particulares.
Saie e fraernidade.-A Illma. junta go-
vernativa do Estado de Pernambuco.Joa Leo-
nardo da Costa. *
Reparligo Geral dos Telegraphos, 18 de Ja-
neiro de 1892.Recebido da estaco deltamb.
Janta Governativa, Recife.liambeeoses pa-
triotas (eliciUm a junta governativa deate Estado
qual sao solidarios.O delegado de polica,
Francisco dos Santos Neves. 1
V
Acto* offlciaee Por acto da Junta Gover-
nativa do Estado, de 14 do co: rente mez, foram
nomeadas as autoridades que se seguem, em
tubstnu'.go das actuaes que foram exoneradas:
Para os lugares de commissarioe sob corarais-
sario da guarda local do municipio de Bom-Con-
selbo, os cidados Pedro Urquiza de Carvalho Ca-
valcaute e Jos Segismuado de Albuquerque Ma-
ranbo.
Para o posto de alferes da 3* companhia do
corpo policial, o cidado Capitulioo Figaeira de
Far.a.
Em 15. foi nomeados para o lugar de
delegado do termo de Petrolina o cidado capito
delegado do 1- districto respectivo Joaquim Leo-
nel de Apencar, sendo o mesmo aotneado com-
misEario da guarda local do municipio de Petro-
lina.
Em data de 16 :
A Junta Governativa, attendendo a convenien-
cia do servico publico, determina que os mem-
bros do Superior Tribunal de Justiga do Esiado,
assumam o exercicio de seus cargos no dia 20 do
corrente, e que a installago do mesmo Tribunal
tenha lugar no referido da, is 11 horas da ma-
nila, na sede do extiucto Tribunal da Relago do
Recife.
Foi nomeado para o cargo de procurador ge-
ral do Estado o bacbarel Armiaio Coriolmo Ta-
vares dos Santos, que assumir o respectivo ^araeiro de Andrade
exercicio no da 20 do corrente.
Foi considerado sem effeito a portara de 2 do
corrate, pela qual foi exonerado o bacnarel Vir-
ginio Carneiro Mendes da Silva, lo cargo de pro-
initsr publico da comarca de Gravat.
Foi nomeado para o cargo de promotor publi-
co aa comarca do Rio Formse o bacharel Fabio
Rio Jnior.
Para o posto de commisserio da gnarda local
do municipio de Brejo, o cidado Antonio Mari-
nbo des Santos.
Para sub-commssario do 8- districto (Varzea)
da 1* regio da guarda locil o cidido Sebastio
Menezes Nobrega.
^Para os logares de delegado el." scpplen'e do
termo de Rom Conselrio os cidados Maooel Gon-
RepartiC/o Geral dos Telegraphos.Proce-
dente Victoria, data 8 Eudereco Recife.Junta
governativa.
Foi nomeado promotor publico desta capital
o bacbarel Deltiao Augusto de Paala. Peco-vos
comronoiqueis isso. Galdino Loreto, membro da
junta governativa. *
de
de
Calves de Mello e Pedro Urquiza de Carvalho Ca
valcaoti.
Para subdelegado e 1." supplente do 1." dis-
tricto respectivo os cidados Candido Avres Villa
Nova e Aribur Sergio Villela.
Para subdelegado do 2." districto (Prata) o ci
dado Hemeterio Pinto da Silva Santos.
Para subdelegado do 3." districto (Taquary) o
cidado capito Manoel Tenorio de Albuquerque
Madruga.
Para subdelegado do 4. di.-trido (Barra do
Brejo) o cidado Abilio Pereira de Avila.
Para snbeommissaro de Paud'Alho, Jos Dir-
co Paiilba.
Subdelegado de Calcado de Caohotinbo, Joa-
quim Ferreira da Silva.
1." Supplente, Thomaz Goncalve3 de Mello.
2.- uppleote, Antonio da Silva Caoral.
3 Sunplente, Fraacisco Tneodc3io de Car
vaitio.
Por portara de 13 do correute foi considerada
de nenhum effeito a aomeago de Alfredo Pessi
pan o posto de alferes da 3.' companhia do cor-
po policial.
Por portara de igual foi nomeado Capitulino
Figueira de Faria para o posto de alferes da 3.'
companhia do Corpo Policial.
Por portaras da junta governativa do Esta-
do de 13 do corrente, e sobre proposta do Dr.
questor policial, foram nomeadas as segu otes
autoridades poiiciass.em substituigodas actuaes
que fleam exoneradas:
Termo da S. Binto :
2.' districto (Cacboeirinha) subdelegado, Joo
Jos Pacheco.
i*/ supplente, Ltiiz Salustiano dos Santos.
2." Supplente, Ricardo Teixeira da Cama.
3." Supplente, Severina Mnniz de Mello.
Subdelegado do Arrayil, Miaoel Silvestre Fer-
reira Bastos.
I.- Supplente, LeovigLdo Samuel da Silva
Costa.
2." Supplente, Jo3 Joaquim do Reg Rirros.
3/ Supolente, Mano;l Ferreira da Costa.
i Supplente lo subdelegado do 1. districto
do Poco da Panella, Ju io Cirneme de Faria,
Em 14:
l.* Sunplente do delegado de S. Jos do Egy-
pto, Viciorino Jos anes.
1" Supplente, Manoel los Anjcs Pereira.
1.' SupDlenta do subdelegado do i." districto,
Paulino Baptista de Siqueira.
2.- Supplente, Antonio Anastacio Meades.
Sabdelegaio do 2 districto, Antonio, Flix da
Rocha.|
2.- Supplente, Joo Capistrano Leite de An-
drade.
3." Supplente, Luiz Pereira do Naacimento.
2.. Supplente do delegado do Brejo, Alexan
drino Jo3 Ferreira Cavalcaoti.
3." Supplente, Antonio lavares de Souza Fi-
Iho.
2. supplente do subdelgalo do i. districto,
Joo Marrano Tenorio.
3. supplente, Jos Marinho Birbosa.
Subdelegado do districto de Serra dos Ventos,
Joo Agr de Aranjo.
2. supplente, Joo de D3U3 da Fonseca.
Subdelegado do districto de Jacarar, Vicente
Ferreira Nareo.
i. suppleote, Clemente Baptista de Souza.
1 snpplent?. Antonio Cordelro dos Santos.
3.* supplente, Joaquim Alvea da Silva,
Subdelegado de Maoda-suia, Jos Mirlnbo dos
Santos.
1. supplente, Luiz Miguel da Paixo.
J supplente, Joo Mariano di Puriflcago.
, supplente, Theotonio Torres de Barros.
Subdelegado do districto de Jarema Candido
Ladislao Cordeiro Mergulho.
1 sapplente Pedro Firmino de Medeiros.
2. suppleate, Elias Prideote da Gama.
TelegrammaGoyanna, 18 de Janeiro
1892.
A' illu3tre e patritica Junta Governativa
Pernambuco
Os abaixo assignados nao tendo podido com-
parecer grande manifestago feila ao patritico
governo que salvan a Patria Peruatnbucana do
abysmo, associam se mesma mamfestago por
este meio. ^_
Urrab pela Patria. Viva a Junta Governativa.
Vivara os D-s. Martins Jnior e Joaquim Tavares.
Vivamo exercito e armada. Viva o povoPernam-
bucano.
Dr. Cunha e Mello, presidente a Junta Muni-
cipal, capito Jos Henrique Cesar de Albuquer.
Manoel Cesar de Albuqueraue, capito Manoel
Aure io, Octavio! Tavares, Iienr.que Tavares,
Francisco Tavares Rocha, Jos Tavares Gon-
ven, Antonio Cesar, Ignacio Rabello, Ame-
rico da Costa, P.nto de Abreu. Bernardo Pinto,
Manoeel Walcacio Camello de Antrade, Joaquim
Mello, Candido de Brito
Cofla, Candido Duarte, Manoel Telespboro, Hen-
rique Vieira Brnardes, Rosendo Vieira Beroar-
des, Antonio Pereira de Azevedo. Antonio M.
Rocha, Leonel Velloso. Evaristo Paraguayo. An-
tonio Pereira, J080 C. de Me lo, Manoel Victo-
rino, teoenle Trajano Medeiros, Joo Dornellaa
da Silva Filho, Antonio Bernardino. Luiz Stqnei-
ra, Antonio Bernardino Jnior, Gomes Dnarte,
Sympbronio Jos, Manoel Vicente Joo do as-
cimento, Francisco Lins, Joo Polycarpo, Bente
Tavares, Francisco Alves de>'.. Alfredo de S,
padre Manoel Cavalcanie de Assis B;zerra de
Menezes, Manoel Jos Vieira, Joo Antonio Go-
mes, JosCnnra, Lzaro Lereoo. Francisco Pedro
Antonio R. Conra, Birros Andrade, Joo Jos
Guedes de Albuauerque, Manoel Caoral da S.
Barretto, Benio Tavares Sobrinbo, Dr. Manoel
Polycarpo Mcreira de Azevedo, Jas Feliciano de
Albuquerque Mello, Francisco Gomes de Andra-
de. Joo Americo Tavares Mello Severiano de
Albuquerque Joo Pinto, Manoel Pinto, Urbano
Silva, Joo P. de Lyra, capito Francisco Umbe-
lino, Luiz Francisco de Aibuquerquj, Lourengo
Campos. Jos Elysio Tavares de Mello, Galdino
Noguei-a. Joo Flix de Mel'.o Azeveio, Joo Ce-
sar de Albuquerque, Nasen Coutinbo, Jos Fran-
cisco Pinheiro, Mathias Pinto Abreu Jnior, Se-
veriano Carneiro, Antonio Carneiro Guedes, Cos-
me D. Bimbertt, Joo A. Tavares F. Ti vares Mello,
Jos Antonio de Lima e Silva, Francisco Ta\ares
Mello Cavalcaate. Jos Cordeiro de Miranda, An-
tonio Olympio, Jos Rodrigues Peixoto Jnior,
Manoel Augusto Cordeiro, Joo Pergenno Tava-
res, Eduardo Cndido Paailbo. Ignacio M.rques
de Araujo. Ananias Pereira, Dr. Antonio Gomes
de Albuquerque, Dr. Luiz Gongalv-s da Silva,
tenente Juun lino Tavares, Eustacnio GUcerio,
Manoel Prestrello, Jos Carneiro. Anisio Tavares,
Salustiano Francisco Pereira, Joaquim Silveira
Mascarenhas, Bento Ribeiro da Silva, Jos Joa-
quim de Mendonga Furtaio, Joaquim Pires do
Sacramento, Manoel Chaves Montenegro, Julio
Rodrigues da Silva, Jos Joaquim do Espirito
Santo, Barbosa Filho, P^rgeatrao Olympio de
Gouveia Menezes, Henrique Ripead de .ello,
Honorato Guedes de Barros, Minoel Justino Pe-
reira, tenente pharmaceutico Fran"eliao Ferreira
Coelno, Alfredo Eugeaio Crespo. Joaquim Perei-
ra Maraes, Angelo Miguel de Souza, Bartbolo-
mec Gomes de Albuquerque.
Intendencia Municipal Bom Jardim, 12 de Ja-
neiro de 1892.
Illma. cidado3 membros da junta governa-
tiva.A Intendencia Municipal de Bon Jardim,
Interpretando 03 sentimentos dapopniago deste
municipio, vem raspeitosamente a vossa pre-
seoca dar-vo3 urna publica e solemne prova de
eoosiderago e alto prego pelo muito que, nos
poneos das de vosso governo, tendes feito em
prol do engraodecimeato e proaperidile da pa-
tria pernambucana, e pelo patriotismo e zelo
com que tendes procurado atteoder aos argentes
e palpitantes mteresses da ordem publica.
Esta Inteuiencia. porianto. satisfeito com o
vosso digno procedimento, vos sada em nome
do povo leste municipjo e vos convita a conti-
nuar a trabalhar pelo tuturo deste Eatado, para
o que vos oTeiece o seu franco concurso e de-
cilido apoio.
Outro sim, convencida de que o exercito e
armada muito tem auxiliado essa patritica
junta em a norma goveraamental que a si mes-
ma ijacou, pede voa que facaes extensivo a essas
deas briosas corporag?s, os seas agradeci-
mentos e louvores.
Aos Ilustres cidados general de brigada Joa-
quim Mendes Onriqne Jacques, Dr. Ambrosio
Machado e Dr. Jos Vicente Meira de Vascon-
celos, digno membros da junta governativa do
Estado de Pernambuco.Os intendentes. Hornera
Bom da Cunba Cont Maior, Joo Gailherme de
Moura Coutinbo. Francisco Ai ves de Salles No-
brega, Joo Antonio Duarte, Albino Severiano
de Souza Barbosa.
Manlfeniarao popular Amanhi da-
remos noticia das maufestages boatem reali-
sadas em sommemorago ao dia 18 le Dezem-
bro.
a*urapio* eleltoraesEm outra sec-
Co desta folba damos am decreto da junta re-
lativo a assumptos eleitoraes.
Para elle chamamos a attengo das pessoaa
interessadas.
Faiieeimeato-Victima de am insulto ce-
rebral fallecen no sabbado ultimo, em seu chalet
no Parnamerim a reapeitavel matrona Baronesa
de Palmares.
Contando 74 annos de idade a illas're finada
i

t
1
I


-

-
-H
I

Patrio de Pernambuco Terca-feira 19 de fafteiro de 1892

era maito apreciada pelos seus elevados dotes
moraes.
Erasogra do Bxm. Dr- Jos Hygino Duarte
Pereira, actual ministro da justica e dos Drs.
Lnli Jos Pereira SimOes e mil dos illnstres
Dre. bernardo Jos da Cmara e Joaquina Jos da
Camera, do sgricoitor Manoel Jos Cmara e do
intrpido e bravo patriota Paulo Jo da Cama
ra um dos primeiros dos voluntarios da patria
que seguio para defendel-a contra o dictador do
Paraguay, onde teve a infelicidade de mo-rer.
Ao eoierro da respeitavel sennora comparecen
numero conaideravel di pessoas, notndoseos
membro3 da Exma. jauta goveroativa, director
e lentes da Faculdade de Direito, fanccioaarios
pob'U'O, mdicos, advogados, eogeobeiros. etc.
A' tui Exma. familiae especialmente ao Or.
Bernardo Cmara apreseotamosas nossai since-
ras condolencias.
Club Dramtico Aofotlo Peres
Com esta denomioagao acaba de ser Fundada
ama sociedade. cuja sede e na Capunga.
A inaugurado ser a 20 dj correte e por es-
ta occasiao sero publicados os nomes dos socios
componentes de sua directora.
tu futro da capunNeste tbeatro
realisou-se a 17 do corrate um espectculo em
beneficio da actriz dramtica Josephiaa Ferrai.
ouve grande en:beate e os artistas desem-
penbaram bem o seu papel.
aneo de PernambucoPelo seu ba-
taneo fecbado em 31 de Dezembro fiado, vereti-
tou esse estabelecimento um lucro liquido as
transagOes do semestre ultimo de 180:8674 150,
que addicionado ao realisado nc semestre ante-
rior de Janeiro a Jaabo daqaelle anuo, babilitoa
a respectiva directora a distribuir deste mo-
do:
Lucros suspensos, saldo em 30
de Jurhj
Lucros lquidos em 30 de D.zem-
bro ultimo
1684194330
180:8674150
Tola! 349:286*480
Dividendo-Semestre de Junbo a
Dezembro ultimo 64:C00f 003
Fundo de reserva 150:000*000
Luco? suspensos para o semes-
tre de Janeiro a Juoho do cor-
rele anu 135:2864480
Total 249:2864180
O fondo de reserva, pois, acba se elevado a
30:0004000.
Promoco-Lexos no Jornal do Com-
merci :
Ha quem aua que maito breve tro--.i os
gilOes de coronel do estado-amor de aitiihana,
Frailesco Jos Teixeira, director do arsenal de
guerra de Pei-nambuco, em bordados de general
ue brigad i.
O canal de MancesterExisten? mui
tos CdmiubJS de ferro entre Liverpool e Man-
chs'.er. diz-nes o Sr. Venier; Liverpool recebe
Os algo oes e Maocrster os maofactura. Ha o ca
micho de ferru chamado Liverpool and Manches-
ler, na a estrada Liverpo.la ni Maiicbesier
parallelo ao pre.elen.e; a ferro via Liverpool
W w.'i.'tj-i and Garston *, e mais outros doos
t aosvers ii-s. Alm disto, existe um canal muiti
requntalo, o Bndewitn canal.
Parece que s'.o oa-ian para as ermnunica
C'es de Liverpool com Mancbester; mas as com-
panhias se syoiicariam em prejuizo de Man
chester, que se considera lo boa como Liver
pool.
Mauc'ijst-?r re sol vea en'ao entrar em lula com
Liverp'O', faaenlo os navios virem dire:tam80
te ao sea porto. Para isso vai escavar am canal
de grande secgao. am shipeanal.
Esta empreza gi^aitssca precisava de grandes
capiiaes.
Appareceram os capiae?.
Pediraui a principio 2uo milhes; os 200 m
lti5 s foram n^umcientes. Tiveram que tonar
emprstalo mais 100 milbes, em forma de de-
ben'.ures, as quies foram garan Mas pelo con-
seltio municipal de Manonester.
Recomtgaram os trbala is com actividide, e
espera-se ver em 1894a inaugurado desta gran-
de obra.
Partindo do vasto estuario de Mersey, a 91|2
kilmetros de Liverpool, o canal atravessa ier-
ras em urna exteoso de 57 kilmetros. IIi ciu
co eclusas e a doca terminal mede 46 hectares,
dispando de um caes com 8450 metros de des-
envolvimen'.o. A lareora media de 40 metros.
Salteadores da CalabriaEsse club
carnavalesco reuue se amaon as 6 1/2 boras da
tarde em su i sJe, atim de tratar de assumptos
que reapcitara aos rias do mesmo club.
Popular do Canad em ivu-
Conforme o "recenseamento eftectuado em Abril
ultimo, o algasmo total da populacho do Domi-
nion de 4.823.344 hibitaotes, tendo sido em
18S1 de 4-324.810 babitante3.
O augmento foi portin.o de meio milho. No
periodo de 18711881 tinba sido de 672.000 al
mas. Njmeadamenle, os caoadeoses francezes
qua em 1881 eram em camero de 1 07J.00J n
proviacia ds Qiebec ultrapassariamo algarismo
de 1.40J.010, .-i boBvessem conservado o eres
cimeoto de todas as saas familias ha 10 aonos.
O a, sito apenas msis de 1.200.OJO. o que in-
dica que sem duvida mais de 200.000 de entre
elles foram estaoelecerse nos Estado* Unidos,
eatretauto a populagao f.-a-.icj-,anadese, no sea
conjuncto, aprsente am augmento deU*/. ao
pa3SJ que os ioglezes nao augmeotaram sioao
de 5 %, N media o progresso de 9 %
Em summa, o ultimo recenseamento poz em
evidencia 03 seguiotes factos, qae affectam mais
a3 populagOes malezas do que as popalacOes ca-
na lenses : Io, que a emierago nos Estados Uoi
do; constante ; 2o. que a mnigraco europea
cal i vez mais se vai relazado as provincias
primitivas do Canad; 3o que a uatalidade tor-
na se cada vez mais traca tanto entre os mule-
les do Canad, como entre os dos Estados Uni-
dos.
O conjunclo dos francezes da America, cana
dense?, arcadios e laisianenses elevase a cerca
de 2 410000 almas, a saber: 1.450.000 no DoJ
minion: 400.000 no Estados Unidos da or-
deste; 35 J 100 nos Estados do Oeste e 200.00.X
no resto, inclusive a LuiMaota. En 1881 era
aoenaa I .iO>i 000.
Parabyba-Lc-se uo Estado da larahyba
sob o titulo de Seca :
Sin pavorosas e aterradoras as noticias qae
nos chega-n do alto sertao.
Nio teodo nav'd) quasi invern o anno pisi
do teodo tido maito escs*a ou iatelrameole
nolla a colbeita, ha 20 mezes que o povo estorca
se as vascas da miseria Begra, da teme.
A' anar;ha social segu be a inarebia dos
elementos.
Sao mducrip.iveis as sceaas de miseria que
ja se observam oas regioes do Plane, Rio do:
Peixes. Espinbaras e transas, mais de que
todas as ut-as associadas pela secca.
N-'s'a triste emergencia qnu providebit!
Si em lempos 4e normahdade poltica, as sec-
cas geravam perturbages da ordem, pelo levan
lamento de bandos de cangaceiros, o qne ser
boje, quando ninguem se entende, quando todos
mand-im, quaudo nao Sabemos a quantas auda
mo ?
(Jais providebit t
Promotor publico Foi nomeado pro
motor publico da comarca di Victoria, capital
do Estado do Espirito Santo, o nosso estimavel
co-estadano, Df. Delfino Augusto Ferreira de
Paula.
Brevemente seguir S. S. a tomar conta do
cargo qae aciba oe ihe ser confiado.
Cbegada De volta da Capital Federal,
acha-se entre nos o nosso collega da Patria, o
Sr. Fjrtunato Pinbeiro, a qu'ra agradecemos
am carlo de comprimentos %ue remetteu-nos.
HnpoNicode multa O Sr. subdele-
gado do Io ui^iricto da Boa-Vista fex recolher,
bOQleni, ao cofre municipal, a quantia de 1104
de mullas impostas a diversos infractores de
posturas mumeipaes.
Por este (acto aquella aatoridade foi leuvada
em seu zelo e actividade pelo presidente ca In-
tendencia-
Casamento dril Foram atusados no
dia is do correte editaes de proclamas de ca
smenlo dos seguintes contraheates oo segando
districto :
Segundos nroclamasCarlos da Silva Costa
com D. Ciympia Amalia da Silva Santiago, mo-
radores na freguezia da Boa-Vista-
Alfredo Joat com D. Elvira Pinto, moradores
a freguez.' da Boa-Vista.
Bacbarel T.-ajano Alipio Temporal deMendon-
iacoinD. Uaria D llores Sampaio, moradores da
regaezia da Boa-Vista.
BevlMta Aradt-mica Fui distribuido
bonten o a. 3, ano 1., d'esta revista da noisa'
escola de direito caja collaboragio um atiesta-
do seguro da sua importancia peridica o lite-
raria.
Agradecemos-lbe a visita.
Pelo* pebrea Urna pessoa retnettea aos
a qnantia de 104000 para ser distribuida en es
mola pelas cinco vinvas abaixo mencionadas,
pediodo-lhes qae rezem peta alma da tinada In-
nocencia.
Satisfaieado ao sen pi desejo, convidamos as
seoboras abaixo notadas a virem receber a sna
quota parte de mo do nosso administrador :
D. Rita Tberesa Alves dos Santos, raa do Ara-
gao a 59.
D. Herminia Sete, roa do Visconde de Albu-
qaerqae a. 64.
D. Mana Joannalda Silva, roa do Padre No-
brega.
D. Isabel Justina de Brillo Monteiro, becc.o do
Veras.
D Josepba de Castro, raa Larga do Rosario.
Blapo diocesanoE' esperado viudo a
bordo do Vigilancia S. Exc- Revdma.D. Joode
Esberard, nosso diocesano; o qual desembar
cando no caes da Liagueta, seguir pariaigreja
parocbial do Corpo Santo, onde ser cantado so-
lemne Te Deum em aeco de gragas.
Terminado esse acto religiosa, S. Ex:. Revd.
se recolber ao palacio da Soledade.
Eacala publicaA regida pelo professor
Lniz Marques Vieira acha-se faocciooar do roa
do Visonde de Inhauma n. 55-
Deaembarque de O. Esterald Para
assistirem ao desembarque do nosso diocesano,
o digno gevernador do bispado convida ao clero
secular e regalar desta capital e proxi nidades,
bem como a lodos os Albos da igrej i.
O mesmo Sr. governador determina ao uencto-
nado clero, que at a cbegada de S.Exc. Revdma.
e permittindo o a rubrica, C na missa a oragao
Pro navigaotibus em vez daPro Papa,
que iiepois ser reetabeleeida.
EnmagamentoNo domingo por obra das
11 boras ao dia o trem de Olinda atropeilando a
Manoel Joaqaim dos Santos, esmagou-IQt o Drago
esquerdi.
Pela subdelegada de Belm foi Santo? manda-
do recolber ao hospital Pedro II para ti atarse.
crvirn militarHoje superior do u.
o Sr. capito Magalbes.i e fax a ronda de visita
um subalterno do 14*batalb&o.
O 2* batalbo de infamara dar a guarniere
da cidade, excepto a guarda do Thedouro, que
ser dada pela polica.
Faz da ao qoartei general o Sr. cadete Fer-
reira da Cunb.
Uaiforme n 5
Operar!-* clrurclcas Foram oratica-
das uo hospital Pedro II, no dia 18 do correte,
as seuuintes:
Pelo Dr. Fernandes Barres :
Operago de Estlander, reclamada por fstula
tboraxica.
Extracgo de kisto sebceo da regiSo dor
sal.
Pelo Dr. Joao Rangel:
Amputago ao ante-brago no tergo inferior,
reclamada por eamagamento.
Inopeciorla do 2." dlatrlelo inari
timoRecite, 17 de Janeiro de 1892.
Boletim meteorolgico
0/ 0* a
55 . Barmetro Tenso do s
Horas - "O a 0 vapor 3
6 m. 27,0 757-64 18,74 70
9 28,',2 758-8) 19,08 67
12 28 8 758-45 18.77 64
3 t. 29 i 757-15 19,09 64
6 23,'6 757-86 18 93 66
temperatura mxima30,*50
Dita mi-iima26/25.
Evaporago em 24 boras: ao sol 7-3;
sombra4,*8.
ihu a~nulla.
Direcgo do vento: E e ESE ademados de
meia noite al 6 boras e 30 minutos d? manb;
E com interrungdes de ESE e ENE at 9 horas e
28 mnalos da tarde ; ENE at meia noite.
Direcgo do vento : ESE com ioterrupgOes de
E e SE durante todo o da.
Velocidade media do vento: o.'67 por se
gando.
Nebulosidad? media : 0.-42.
Boletim do Dorto
a- -a .-- -e a m Dias Horas 010 da tarde 6-31 0-44 da manb 710 Altura
B. M. P. M B. M. P. M. 17 17 18 t de Janeiro 0-60 2-32 0-52 2-10
Pauaiteiroi-Cbegados do sul no vapor
nacional brazil*.
Jos Antonio Benvria, Jacintbo P. de Mello,
Dr. J.) da Silva Ramos e sna senbora D Eu
genio Ramos Cirneiro da Rocha e 1 criudo, 2
irmes d candad?, Joo C. Pinto, Dr. Vicente
Pao o F. dos Santos, Angosto Bjmohao, J>s H.
C. de Albuqaerque, Philomena taimares, 1 ca-
dete, Manoel C. C. da Cunta, Jos M. C. de Albu-
querque, Adelaide Rosa, Fortunato Pinbeir j. Ra-
pbael Pelligrine, Sabine Santos, Augusto Para-
nbos, Jcaana Santos, Joo C. de Souza, K mae
Fernandes, Jos Veixeira. Joaqaim P. de oaza
Civahante, Lucia F. de Araujo, Victorino Itbei
ro, Antooio Ribeiro, Joo F. da Silva Manta, Joo
E. de Souia Vianna, Luiz S. Accioli, Aristides
Ferreira Bandeira. Jjuj B. B. Luna, Tooin U.
F. de Mello, Jos P. R. da Silva, Candido A. Boo-
dioe. Marcelino D. da Gama, Manoel de Mosqui-
ta, Sergio Loreto, Joaqaim G. dos Santos Bote
Ibo, M r,a B telbo e 2 tiinos. Mainel Joaqaim de
Oliveira, Jo'niano C. Ricaro, Francisco, Fer-
nando Jos da Silva, Joo E. Vendrunt, Menoel
Fulco, Joao S. de A. Galvo, Galdioo de A. Ta
veiras, Jjaqaim Lopes Pereira Pinto, Cunos Cor-
tella e 1 filo. Justino P. Barbosa de Minoda,
Joo Pereira, Auguato Cbapront, Lniz Pecbe-
nard, Firmino C. Souza e 40 immigraotea.
Cegac'o; do norte no sao: nacional
Ohnda.
Joaqaim Lemos, Dr. Manoel A. Pereira e sna
sechora, Leonila Pereira, Jo- Bernine e sua se-
nnora, A-mita Pavoni, Vigane Marcelio, Joa
Dias, Avelioo. Jos Mello, Argemiro P. Silva,
Fiora Costa, Jos de Araujo. major Ernesto A.
Pacbeco sua leobora e 1 fllhi. R. Pachico de
Souza e 1 cria o, Domingos Jos A. de Souza,
Gervasio J. Ferreira sua seobora e 3 filbos, Jor-
ge Alfra Lasiro Senences, Joo da Fonseca
Vrela, Heary Sulzer, Augusto de Figue redo,
Emilia Forster e 2 filnos, Mara da Costa Clima,
Marta das Neves C. Galvo e i filbo, Dr. Tran
qaelioo G de M. Leite, Dr. Viceate Neiva, Aoto
nia da Conceigo, An'onia, Mara J. Ramos U Ma-
noel Berardo.
Cbegados do norte no vapor naciona Des
teo.
Pampbilo Costa, Marta Nazareib, Anna Accet.e
Antonio da Caoba, Antonio Con :ia, Frac cisco
Gondin e Francisco Menezes.
Cbegados do sol to vapor nacional Jac
hype.
Matbilde e Luiza Villarouca, 1 preso e 4 pra
gas de polica.
IBilBErlecuar-se-nao os seguate:;:
Hoje :
Peio agente Brillo, as 10 1,2 horas, pra;a de
Maciel Piobeiro, da taberna ah sita.
Amanb:
Pelo agente Mitins, s 11 horas, roa 15 de
Novembro a. 39, de ama narelba de cavados
para carro.
* fnebreSero celebradas
Hoje:
A's 8 boras, na matriz de Santo Aatoaio pela
alma de Manoel Andr de Luua Filbo.
Amanda :
A's 8 boras, oa.igrja d Pogo, pela alma de
OJilon Clemeno de Aquino ; s 8 oras, o. mi
triz da Bi-Vieta, peta alma de Jos Boo lacio
Pessoa de Mello.
Casa de UrtencoMovlmento do pre-
ios da Casa de Detencaa4p Recite, Estalo de
Pernambuco, era 17 de Janeiro de- 18S2.
Existiam 373, entrn 3, sabiram 9, exis-
iene 367.
A saber :
Naeionaes 337, mulbere 8, Mtraageiroa 22.
-Total 367.
Arracoados 304.
Boos 291.
Coentes 11.
Loncos 2.
Loucas 0.
- Total 311.
Movimeoto da enfermara
Teve alta :
Vi eute Ferreira Honorato.
Foram visitados os oreaos desta estabeleci-
mento por 174 pessoas, sendo homens 83, e ma-
niere 89.
Hoapitu Pedro IIO movimenta deste
estabelecimento de caridade, do dia 17 de Ja-
neiro, foi o seguinie :
Eximam 564
Eatraram 6
------570
7
1
864
------572
pelos segoio-
Sabiram
Falleceram
Existem
Foram visitadas as enfermeras
tes Drs.:
Moscoso entrou s 8 1/2 horas da manb e sa-
bio s 9.
SimOes Barbosa entrou s 11 da manb e
sabio s 11 1/2.
Silva Ferreira entrou a 101/2 da manb e sa
hio s 11 1/2.
Mavignier rotrou s 7 da manb e sabio
s 7 3/4.
Arnobio Marques entrn s 10 1/2 da manba
e sahioi II.
Aodrade Lima entrou s 9 1/4 da manb e sa-
bio s 10 1/4.
Ajudanle do pbarmaceotico entrn s 8 1/2 da
manb e sabio s 2 boras da tarde.
Lotera do Estado do ro-Par
A 1.* serie da 51* lotera, deste Estado cojo
premio erande de 230:0004000, ser extrabiua
no dia 23 de Janeiro (sabbado).
Meterla do naranbo A <2' serie da
6* lotera destentado, cojo premio grande
de 300:000^000, ser extrabida oo dia 20 de
Janeiro (quarta feira).
Cemlterlo PublicoObituario do dia 16
de Janeiro :
Domiogo3, Pernambaco, 25 das, S. Jos al
trepsia.
Arthur, Pernambuco, 3 dias.Graga, gastro en
te-He.
Antonio Jos da Rocha,Pemambuio, 54 anuos,
casado, S. Jos, syncope cardaca.
Mariaona Ccrrea da Costa, frica, 80 aonos,
solteiro. Boa-Vista, anazarca.
Joo Joaquim de Souza, Pernambuco, 7o annos,
solteiro, Boa Vista, congesto cerebral.
Jos Pire3 Ferreira, Pernambuco, 40 annos
solteiro, Graca, cacnexia palustre.
Maria E. dos Sant.-s, Pernambuco, 29 annos,
solteira, S. Jo3, bronchlte.
- 17
Anna Joaquina C, Pernambuco, 0 aanos,
viuvt, Santo Antonio, senilidade-
Debora, Peroambuco, 10 mezes, Boa-Vista,
oephrite.
Baroneza de Palmares, Pernambuco, 74 anoos,
vinva. Pego hemorhagia cerebral.
Eduardo, PeroamDUCo. 5 annos, Recite.
Pbilomona Galbardo E., Rio Grande do Norte,
47 annos, casado, Boa-Vista, leso cardiaca.
Frgida Mara da Cmceigo, Pernambuco, 65
annos, solteiro. Bja-Vista, leso cardiaca.
S.lveria Hara do Monte, Pernambuco, 76 an
na, solletra, Santo Antonio, febre remitiente.
Victorioo Jos da Fonseca, Peroambuco, 25
annos casado, Graga, albummia.
Jos, Pernambnco 5 mezes, S. Jos. ga3tro
enterite.
Jos Pedro do3 Sant03, Peroambu:o, 21 aooo3,
solteiro, Boa Vista, escropholose.
Cultura ue trigo
(BODBIGDES DS FREITA8)
Na Fraoga, am ecrlptcr muito competente, o
Sr. L- Graodeau. publicon nos ltimos 2 auoos,
varios estudos sobre esta qoesto : julgamos
opportuoameote til compendiar ama parte dcl-
lea.
A produgo media deste cereal em Franga re
golou Dor 15.4 hectolitros cada hectare em 1880
1883; em 18281829 tinba sido de 11 80; nos
decenios segainles, at 1869 foi resnetlvamente
subindo a 12 3ii13,66 -13 83-14,36 ; em 1870
1880 atliogio a 14,46. U accrescimo. anda
qoe muito sensivel, deixou comtudo a Franga a
grande distancia de outras nagOes na prodogo
de trigo p:r uoidads de supercie ; aizem os
dados esointes:
Prussia
Dinamarca
Irlanda
Noruega
Hollanda
Saxonia 24 4
Blgica 25.1
Saxe Aitembery 25.
Baviera 215
Inglaterra 27,7
Hesse Dirmestell 33,2
O Sr. Grandeaa Do expe a causa destas dif-
ferengas to ootaveis do reodimeoto medio ; e
tambem pooco importa a ordem das considera-
gO.:s com que procura convencer o iavralor frao-
cez de que pode augmentar muito as colbeitas,
acresceataodo 'ambem muito os lacros lquidos.
Serve-se primeiro dos trabamos de Sir Bennet
Lawes e do Dr. Gilbert, agrnomos inglezes
maito bem reputados; os quaes desde loncos
annos fazem experiencias em Rotbamsled sobre
a influencia dos adobos na cuitara do trigo ; se-
mejan em Haba, cada parce.'la de terreno com
a mesma vanedade de semeate; o qae difiere de
parcclla para parcella, a qualidade dos adobos
os resaltados medios durante ons poucos de de
ceanios toram os seguales, por hectare, toman-
do para a unidade de peso o quintal mtrico :
Parcella
I 1
. 2
3
> 4
5
* 6
7
A 1' parcella nao
Pali>a
17,93
47 84
10 36
41,81
63.73
70 72
73,93
foi estrumada
Graos
8,62
22 51
10.(3
16,08
21.83
23 84
24,04
; a 2*
teve
a 3'
grande quantidade de adubo nao mineral
largou-se potassa no estado de sulfato e acido
pliosphorico no estado de soperpbosphato; a 4,
6* e 7* rea-berilo nao so o mesmo adobo qae a
3* mas tambem quantidades crescentes de azoto
ammoniacal ; a 5' foi tratada com a 4', mas teve
de mais um ponco de azoto ntrico.
Assim se venQcou por experiencias cuida-
dosas e sabiamente dirigidas que se poda qoaai
tiplicar o reodimeoto do trigo; restara, porm,
saber se l-s despezas com este enrequeciment
ao solo seriam mais compensadas pela receita
do excesso de preduego: Gaodeau fazo se-
guinie calculo para demonstrar que sim.
O asol mineo paga se a '288 rs. o kil > e o
ammoniacal a 30; a parcella a que se addlcio-
naro 96 kilos deste segundo adubo foi o. 5;
comparada com a 3* dea mais 46 qaiotaes de
palha e 118 de grao; computando a palba a 540
rs. eo grao a 1477 8, acha-se qae o excesso
de receita da parcella o. 5 sobre a 3* igual a
692444 ; diminnlodo lhe o accrescimo de gasto,
oa 29J376, ticaoi mais de 401000 como aogmsa-
to de lacro.
Fazendo onsiderages anlogas para o trato
de terreno adobado com azoto ntrico, arha-se
am accrescimo de producto liquido igual a
52432.
Ellas verbas referem-se ao bectare.
Sao considera cimente matares, portento, as
vmtagens do aperfeigoamento da cultora que as
da elevago do direito. Sopponha-ie que, por
exemplo, a taxa so je dous franco3 oa 360 rs. e
que o cereal augmenta de prego exactamente
esta quantia; como o producto actual par hela-
re se apprpxitna tu de 16 hectolitros e estes nao
costomam ultrapassar muito 1.2(0 kilogr. ou 12
quintaos, o lavrador receberia gmente mais 24
francos ou 4J32J ; por muito que boavesse a de-
ducir ac 40JOJ0 ou aos 521452 cima achados,
parece claro qoe pequeos meiborameotos cul-
turaes bastariam para dar maicr lacro do qae
aquelle qae poderla colher-se do referido aug-
mento da taxa fiscal.
O Sr. Graadeau exp6e factos aoalogos succe
didos em Franga.
Em urna quinta (Tantonville), por exemplo,
o rendimeoto medio por hadare foi 24,26 quin-
lae# mtricos, e o cufio de cada um uo exce-
dea 10 ir. 93; aste trigo otMeve eHo- pregonas
fabricas de moag^m : .oeste terreno ta empre-
gado exclosivamente o estrame ordinario.
Um proprietario de Tara obteve oprimes pro-
ductos, que Ibe caro ootre 9 fr. 50 a 18 fr. 10,
segundo as seme-ites qae empregou.
No departamento do Mease o reodimeoto me-
dio interior a 17 hectolitros por bectare, mas
oa escola aercola qoe all fuacciona, obtiveram
se, em 1885, desde 28 at 43 hectolitros; e attri-
bue se esta grande supenoridade sobre aquella
media nao so aos cuidados esoeclaes da cultora,
mas tambem ao emprego de muito adubo ordi-
nario e de Ditrato de soda (80 a 100 kilos por
bectare).
O Sr. Grandeaa ao diz qaal o custo da pro-
docgo ; o modo por qoe s- exprime deixa, po
rm, con :luir que bouve grande lucro da venda.
Na escala de Tomblaioe, a boa qualidade das
-ementes e o emprego de adubjs apropriados ti
zeram qae um solo dos mais mediocres fandisse
24 a 30 qaiotaes de trigo, com um lacro de 400
francos por hectare.
mm
PERNAMBUCO
Hocledade dos Artistas Mecha
feos e Liberaes mantenedora
do Ljcea de Artes e Offleios.
Acta da seisao magna cotnmemorativa do
50' annivertavio da ua installa^o
Aos (0 dias do mez de Jaoeiro de 1892, s II
boras da macha, oo salo de honra do Lyceu de
Artes e OQicios, acbaodo se presentes os mem-
bros da Exma. junta do goveroo du Estado, com
o seo secretario e ajadanie.de ordena, o Dr. che-
le de poicia, o director da Faculdade de Direi
to, capito de mar e gaerra inspector do Arseoal
de MariBba, coronel director do Arseoal de
Guerra, eogeobeiro em cete director das Obras
Publicas, olficiaes do exercito, armada e gua da
naciooal, ebefes de repartiges e corporagOes
diversas, magistrados, advogados, membros do
magisterio superior, secundario e primario;
commerciaote3, artistas e Industriaes, fuaccio
oarios pblicos, commisses do corpo docente
do Lyceu de Artes e OfBcios, da Associago dos
Empregad6S no Commercio, do losiiioto dos Of-
ticiaes da Guarda Nacional, do Atbeueu Musical
Purnamudc.no, do Monte Po Bom Successo e
do Centro Collectivo Liga Operara, graude nu-
mero de seoboras e de pessoas gradas, acban-
do-se lambem presentes grande numero de so
cios honorarios, ell'ecilvos e auxnaires, leve lu
gar o ac'.o solemne da bengo do estandarte da
Sociedade. ao qual assts'.iram os Exms. para
ny i litios que compareceram, sendoofliciante o
Revtn. Sr. vigario Francisco Joaqaim da Silva.
Terminado o acto, a banda do Lyceu tocou o
hymno das artes, e urna salva de vinte e um ti.
ros e grande numero de f guetes paudaram a
bengo do estandarte.
Em seguida foi celebrada urna missa em hon-
ra a Padroeira do estabelecimeato. durante a
qual a mesma banda execatou a bella ouvertura
Agos Sarel, de E. Marie.
Terminado o acto Ca missa entrou a sessfto
magna luterana, so o a presidencia do director
da tociedade o Illm. Sr. Dr. FraocicCo Augusto
Pereira da Costa, que pronuocioa o ceguinte
disenrso inaugural :
Extnas Sras. Mcus Srs.Sao deeorridos
50 annos, qae ama pleade de artsilas pernam
bucanos installaram urna modesta associago,
que boje aso;iedado dos Artistas Mecbaicos
e Liberaes, com o patrioiico intuito do aperfei-
goamento e illustrago da classe pela sctencia
e pelos estados protissionaes.
< Esta da.a memoravel nos anoaes das artes
em Pernambuco que am dia sel o-lia tambem
nos anoaes historeos do Estado, o dia 21 de
Outubro de 1841.
Srs. I No longo estadio de meio seclo de
existencia qae teta atravessado a sociedade, des-
de a sua origem, humilde e vacilante, at-boje,
graode e benemrita, pelos seos assignaladus
servigoe em prol da educago da graode classe
artistico-operaria. ella se tem orientado do ca-
minbo do bem, lluminado os borisontes da pa-
tria com o fogo sagrado da sciencia e procura-
do o bem egiar da classe pela educago e por
esse sentimeoto do mais elevado altruismoa
caridaue, a beneficencia.
Senbores..Nao me cabe neste momento so
lemue, em que a benemrita Sociedade dos Ar
tislas Mchameos e Liberaes se veste de galas
para celebrar a (esta do seu jubileo, tragir vos
o quadro esplendoroso da sua vida, da sua bis
tona; v* todos o vedes neste bello monumento
consagrado s artes, nes'a patritica institoigo
do Lycea de Artas e Odiaos, oade cenienas de
crianzas, de mogos e velbos mesmo, vem se
alentar uo fogo sagrado da instraego, quebrar
as cadeas da ignorancia e tornarem-se cidados
utels patria, a familia e humaDidade !
< E boje, que colbemos os fructos da beila ar-
vore plantada ha 50 annos por meia duza de
creles, nao esquegamos os seus Domes, os no
mes venerandos desses apostlos da santa cru-
za la da rtgeneri>gSo da classe artstico opera-
ra entre oes.
Honremos, pois, nesie dia solemne e festivo,
a graia memoria dj illustre artista qne inicwu
e praticou generosa idea da creago da Socie-
dade dos Amalas Mecbaoiccs e Liberaes o hu-
milde carpinteiro Jos Vicente Ferreira Barros,
coja pbysionomia se reflecte oa de am tildo sea,
na tela do sea retrato collocado neste salo,
peloa boas servigos que por largos annos pres
loa a fcsta associago; e glontquemos reveren-
tes os nomes dos seus nove companheiros da
cruzada emaocipacionisia da classe, que unidos
pela mesma idea e fortes pela mesma renga,
iagaram os faadamentos desta benemrita asso-
ciago.
Sim, seohores. Forao esses dez homens,
esses dez artistas, esses dez pernambncanos.
boje symbolisados as dez estrellas qoe contor-
nam, lecbando e defendeodo como que muratha
inexpagnavel, as armas da sociedade e do Lyceu
de Arles e Ollicios, os fundadores da Sociedade
dos Artistas Mecbaoicos e Liberaes.
E o legado daquelles artistas, tem sido reli-
giosa e pralicamente guardado pelos seus suc
cessores des le 1841 al boje. E'que o valor
dos her.-s se trausmit.e como o uido magoe
tico ; > que os homens da Sociedade dos Ar-
tistas Mecbaoicos e L'beraes eo bomens de f,
e a f realiza maravilbas, traospoe monta-
abas. >
Meus caros consociosA testa do nosso ju-
bileo, a celebrago do 50- anniversario da m-
stallagao da nossa sociedade, nm protesto
enrgico e solemne cootra o ind.ffi rentismo e
poaco espirito social, qae infelizmente, reina en-
tre nos.
< Trabalhemos e trabalbemos muito para maior
esplendor da oossa associago eda bella institui-
go do Lyceu de Artes e Officios cosso cargo.
E ambas estas iastituigOes, cada qual mais no-
bre, (da qual mais generosa, camlnbando por
veredas differentes. encontrar-se-bao um da e
teremrs erftao a perfectibilidade do artista pelas
luzes do cerer.ro e pela ccrrecgo e generosida-
de do corago.
Trabalbemos, pois, em p:ol da educago dos
artistas, que trabalbaremos lambem em prol do
futuro e engrandecirnenio da patria)
Est aberla a sess&o magna commemorativa
do 50- anniversario da inslallago da Sociedade
dos Artistas Mechanicos e Liberaes, e 11- do
Lyceu de Artes e Oflicics.
Declarada aberta a sesso, ao som do hymoo
naciooal, qoe foi ouvido de p por todos os es
pecladores, asaram successivameote da palavra :
o Sr. prote8sor Cyrillo Aogostoda Silva Santiago
como orador ohcial da sociedade; o Sr. Dr.
Laarentino Moreira de Azevedo, por parte do
corpo docente do Lyceu de Artes e Officios, e os
oradores da Sociedade dos Empregad s no Com-
mercio, do Atheneu Musical Peroambocaoo, do
Monte Po Bom Successo e do Centro Collectivo
Liga Operara, e por m o Sr. Amaro Pessoa,
que recitou urna bella roesia.
Fiado o acio, foi distribuido um folbeto de 40
paginas, 30b o titulo : Homenagem beneme
rite Sociedade dos ArliBtas Meehaoicos e Libe-
raes de Pernambuco mantenedora do Lyceu de
Artes e Officios no dia da celebrago do 50 an-
niversario da sea installago >, contando orna
syothese histrica da sociedade, trabalbo do Sr.
director o Dr. Francisco Augu3lo Pereira da
Costa, e mandado imprimir pela sooidaie para
8emelbaote Km.
Urna guanta do corpo policial presin as hon-
ras militares a sclemnidade, em cojos actoe to-
cou a baoda de mnsica do Lyceu, sob a direcgo
do consocio professor Faustino dos Santos Costa
qae assim estreoo com geral applauso de todos
qne concn eram a seletcnidade ca testa anni-
versara da sociedade.
A' 11/1 hora da tarde terminou a sesso lute-
rana, ao som do hymno das arles, execatado
pela mencionada baaua.
O qae pa a constar, en Sil vino Gomes Porto,
secretario da sociedade, lavrei a presente acta.
SPORT
Prado Pernanbacano
Realisou no Domingo a sua decima
corrida o prado do Lucca.
Houve regularidade, mas a concurren-
cia foi limitadistima.
Ieto r-se do resaltado do moviment
da casa das apostas, qae cifirou se na cir-
culagao de 1630 poules.
Todo o producto ioi de 8.150)91000
Eis o resultado das carreiras dos pa-
reos :
1. pareo Inicio800 metros. Ani
maes de Pernambuco qne nSo teoham ga
nho nes pradoa do Recite e eguas do Es-
tado. Premios : 250(5 ao primeiro, 505
ao segando e 25 ao terca iro,
Faotiaa, corrida por Luis de
Franca, 54 kilos l.
Velocipede, dem por Pe iro
Aleaandrioo, 54 kiloa 2.
Rio da Prata/ idem por Amaro
51 kilos 3 o
Tempo : 59"
Rateio das poules : Fantina em primei-
ro 23)5100 e em segundo 5)5800 ; Veloci-
pede em segundo 70600.
Movimento das poules : Venderam se
146, em primeiro 63 e em segando 83
na importancia de 7300C0.

2. pareo Imprensa1000 metros
Animaes de Pernambuco que nSo terham
ganho premios em 1891. Premios : 300*
ao primeiro, 505 ao segando e 304 ao
terceiro.
(Jalan, corrido por Alezandre,
54 kilos
Galette, idem por A. Meira, 53 kilos, 2.
Siogapore. idem por Amaro. 51 kilos, 3.
Tempo 58".
Itateio das poules: Tupy 2 em Io 194300 e
em 2* 64500 ; Galette em 2* 54700
Movimenio das pooies : Venderam se 329 em
1* 176 e em 2 153. na importancia de 1:6454.

2* pareoAnlmaco-f850 metrosAnimaes
de Pernambuoo que nao leobam ganho nestea
ltimos 4 mezes na Prado e Derby. Premio*:
20J4UL0 ao 1, 404000 ao 2 e 204000 ,ao 3.
Talispber, corrido or A. Meira, 53 kilos, *.
Potos, idem por Canavarro, 43 kifos, 2.'
Collector. idem por Amaro, 51 kilos, 3."
Tempo: 62"
Rateio das poules : Talispber em 1* 7.4900
em 20 64400, Polesi em 2 942v0.
Movimento das poules ; Venderam-se 526 en
1* 3U2 e em 2 224, na importancia de 2:6304.
3o pareoCoragem 1100 metrosAnimaes
pungas, e.de Peroambuco, podtndo entrar pella-
dos, que nao teoham ganbo em 1891 oos prados
do Recite. Premios : 3004000 ao i-, 60400 ao.2"
e 254 ao 3
Facelra, corrida per Joo Campo i. 54 kilos, l.
Morena, idem por A. de Frenas, 56 kilos, .2.*
Tenebroja. idem por Nstor, 54 baos, 3.*
Tempo: 77''
Rateio das pooies: Faceira em Ia 74400 e em
i' 54500 ; Moreua em 2 54900.
Movimento das poules : Veaderam-se 417, em
em 1" 305, e em 2 112, na importancia ae___
2:035 000.
*
4* pareoMil oitocenus e ooveota e dous
1000 metros-Cavados de Peroambuco qoe nao
teohbn ganno em distancia superior a 1057 me-
tros dos prados do Rente e esuas do Estado.
Premios : 200400J ao Io, 404000 ao 2' e 104000
ao 3
E3ie oareo veodeu 476 poules, seodo 251 em
e 225 em 2', foi ganbo por Lucifer; mas foi
1
aoouilada
partida.
acarreira por nae ter sido dada a
Galaor, idem por Manoel Mar-
ques, 54 kilos
1.'
i'.'
Hercules, idem por Manoel Sil-
va, 55 kilos 3."
Tempo : 7b"
Kateio daa poules : Galn em primeiro
145100 e em segundo 8^200; Hercules
em segundo 8)5300.
Movimento das poules: Venderam-se
228, em primeiro 109 e em segando 119,
na importancia de 1.140)5000.
*
3. pareoEstimulo1000 metres
Animaes de Pemacbaco qae nSo teoham
ganho em distancia superior nestes 6
mezes, e eguas dete Estado. Premios:
300$ ao primeiro, 60)5 ao segundo e 30)5
ao terceiro.
Mouro, corrido por Olympio,
60 kilos 1."
Des pota, idem por P. Figue-
redo, 58 klios J2.
My Buy, idem pzr Manoel
Marques, 56 kilos 3.
Tempo. 74"
Rateio das poules : Mouro em primeiro
19900 e em segundo 9)5000; Despota
em segundo 7>lOU.
Movimento das poules : Venderam se
324, em primeiro 159 e em segundo 165,
na importancia de 1.620)5000.
4/ pareoFerro Carril1.200 metros
Auim-.es naeionaes. Premios; 400)5 ao
primeiro, 80)5 ao segando e 40)5 ao ter-
ceiro.
Siroco, corrido por Balbino
Moreira, 56 kilos 1.
Theie opolis, idem por Ma-
noel ae Souza, 54 kilos 2.
Napolitano, idem por Jos
Mendes, 56 kilos 3.a
Tempo: 81"
Ra.eio das poules. Siroco em primeiro
9/5400 e em segunco 7,5000; Theresopo-
lis em segundo 165800.
Movimento das poules : Venderam-se
576, em primeiro 446 e em segando 130,
na importancia de 2.8Q|5000.

5. pareoConaolacao10C0 metros
Animaes de Pernambnco, que nao tenham
ganho premios em maior distancia nos
piados do Recife. Premios : 300)5 ao
prime ro, 605 ao segundo e 300 ao ter-
ceiro.
Despota, corrido por Pedro Fi-
gueredo, b kilos 1.
Marojo II, idem por Jos
Marcelino, 57 kilos 2.a
Galaor, idem por Manoel Mi r-
ques, 56 kilos 3.
Tempo : 74"
Rateio das peales: Dspota em primer
ro 170 e em segando 100900 ; Marojo II
em segundo 160500.
Movimento daa poules: Venderam-se
266, em primeiro 136 e em segando 130,
na importancia de 1.3.00000.

6. pareoPrado Pernambncano1609
metrosAnimaes de puro sangoe. Pre-
mios: 5CO0 ao primeiro, 100$ ao segun-
do e 500 to terceiro.
Gipsy, corrida por Black, 52
kilos 1.*
Rapid, idem por Jos Men-
des, 56 kilos 2.
Apollo, idem por Manoe 1 Silva
61 kilos 3."
Tempo: 108 li2"
Rateio das poules : Gipsy 60SCO, s
tendo havido jogo de primeiro.
Movimento das peales : Venderam se
90, na imprtatela de 450#COO.
5 pareoIgaaldade de-Haodcap1200 me*
trosAnimaes ae Pernambnco. Prenios : 3004
ao i* 804'JCO ao 2o e 234000 ao 3. '
Ida, corrida por Nesior, 4S kilos. 1.
Talispber, dem por A. Meira. 6o kilos, 2 *
Mouro, dem por Olympio, 52 kilos, 3."
Tempo: 88"
Raieio das poules : ida em 1" 3374300 e em 2
141 5C0 ; Tdlispber em 2- 64600.
Movimenlou das poules: Venderam-se 400,
em 1* 239 e em 2o 17J, na importancia de......
2.0C04000.
6o pareoExtra--850 metrosAnimaes de Per-
nambuco que nao teoham ganbo em distancia
sooerior a 1000 metros nos prados do Recite.
Premios : 2004000 ao 1. 404000 e 204O0O ao 3.
Flautista, corrido por J. Campos, 51 kilos, pri-
meiro.
Hercules, idem por A. Meira, 51 k los, se-
gundo.
Tudo idom por Ceciliaoo, 53 kilos, terceiro.
Tempo : 60"
Movimeoto da3 poule3 : Venderam-se 89, em
primeiro 55 e em segundo 34, na importancia
4454000.
*
Nao correram os deas ltimos pareos do pro-
gran na.
Derby Club de Pernambnco
Encerrase hoje a inscripgo para a 2 corri-
da do Prado da Estancia,
mingo prximo.
que lera lugar no do-
O facto de dar no dia 24 o Derby a sua corri-
da sem concarreociajjn'os outros, ser prdromo
da accordo sobre a distribnco das corridas?
Esta por certo de concurrencia reciproca.
A licSo ja o tem demonstrado.
Rateio das pooies: Flautista em primeiro
169200 e em segundo 124400 Hercules em se-
gundo 124400.
riBLlt \(MS A PEDIDO
Ao clero secular e re-
gular desta dio cese
Devendo aportar a esta cidade, abordo
do paquete c Vigilancia o Exm. e Rvdm.
Sr. D. Joo Esberard, nosso amado dioce-
sano, para assistir ao seu desembarque
convidado todo o clero secular e regular
desta cidade e sass immediacSes ; gual-
mante sao convidados para o mesmo firn
todos aquelles qae se prezam de ser filbos
da igreja, teja qaal for a posigad qae
oceuparem oa sociedade.
O desembarque do Sr. bispo ter logar
no Caes da Lingueta, donde seguir elle
para a matriz do Corpo Santo ; ahi ser
cantado solemne Te-Deum em acySes de
gragas, lindo o qual seguir o Exm. pre-
lado para o seu palacio na Soledade.
De hoje at a chegada do paquete tVi-
gilancia., todo o clero secular e regalar,
permittindo o a rubrica, d na missa a
oragao pro nivigantibu$. em ves de pro
Papa, a qual continuar depois.
soledade, 18 de Janeiro de 1892.
C. Falricio.
Governador do biapado.
HJppodromo do Campo raade
Anle-bon'.em effcclaoa a sna 3* corrida esse
prado.
Tudo correu ben. com regularidade e cma
certa anira icio relativa.
No parcelamenlo da concurrencia, a qoe all
regiatroa-se, excedea da nwtade dessa qae a
ordinaria das retundes que por uHine teai lugar
nos prados.
En seu movimento realmente apurado, pro-
duzo a casa das apostas 8:8054008, resallado
da emis8o de 1,761 poules.
Considerado, porem, o resollado do 4 pareo
c ja cairetra foi aonuMada, na importancia de
2:3804000 e o defalque de 124 poules reclitot-
das no 5 pareo dos aposta-lores no Maurity. se-
ria o referido movimento representado por.....
11:8054000.
Este foi o resoltado das carreiras.

1 pareoConclusao800 metros Cavallcs
de Peroambueo qne ao leanacn ganbo sos pra-
dos do Recite al 9 do correte, astro a corrida
de 8 de Feverelro de 1891 e agnas do Estado.
Premios 3004000 ao f, 404009 ao 2- e 2*4000
ao 2.*
Tupy 2., corrido por Jort Marwlm M Iril,
i.
Ao publico e Exma. Juuia <-o
vernatlra, ornis antlgo repu-
blicano do BrazllAffonso de
Albnquerque Helio.
Embora patritica, como se tem manifestado,a
Exm.. Junta Governaliva, lenho percebido como
ella se u1 embarazada por concurrentes prest-
rnosos e de mis prximos servicos a ama pre-
tendo mlnba em qne e com clamorosa injusti-
ja Darece-me poderei ser preterido.
Nao sabendo lazer amigos valiosos qae tomem
a sea cargo a proteceo de urna jas tica to gran-
de, quaolo tal a jolgo, minba pretengo. re-
corro a esie meio a ver se o senticnento da pu-
blica opioio escodar a Exma. Junta contra n
injusta exigencia de raeos competidores.
Carecera en de proteegao paraalcangar na re
publica a melhcra de minba sitnagao, mais que
teceundaria, de que na monarchia nunca pal
sahir ?
Eu que desde a adolecencia fago a propagan-
da da rtpublica e do commercio a relalbo ?
Eu que na monarebia .-eoipre ajuuundo o par-
tido da opposif ao, sem acompanhal-o, antes pro-
pagando sempre a repblica, nunca pode fazer
amigos pessoaes, nanea pote oceupar algima
posigo.
Ea que, em quasi todos os assomptes qae se
tem levantado de inleresses maleriaes oa mo-
raee, tenbo tomado sempre parte activsima pe-
la imprensa, qae ba mais de quarenia annos oe-
copo quasi sem interrupgao, sempre dominado
do espirito de justiga, sem interesse algum, e
levado pelo sentunento patritico qae nuuci al-
gera aqu o leve maicr ?
En que, combatendo a eleigo senatorial de
Cbicnorro e Ernesto, imposta pelo imperador a
esta ento proviacia, duas vezes escape de mor-
rer?
Eu que deputado provincial (2 snpplente)
ialiei 20 das atacando as miserias dos dous par-
tido?, ambos representados naqoella assembla,
levjotando os clamores e doestos de ambas as
partes, sem retaliago mioha, at emudecel as
por Qm. e t l ue expulsaren) por tato ?
Ea qae, sempre escreveodo pelo commercio a
relalbo para os naeionaes, levando a propagan-
da 4 praga publica, escapei. sem [agir, de ser
cvrtado como Borges da Fonseca, do qoe mor-
rera, e onUtos ?
En que por tato perli minha banca de advo
gado, que me dava folgada vida e reservas ?
Ea que. opposto a revolugao criminosa e im-
meral de 48, depeie|TO*lto leve nastyese vic-
ticas. adoptei a, serv a palo orgso d nevlo-
go (Diario Novo) qne proclamara a Constituirte,
estimulando eo Pedro Ivo a sustentarse as ota-



!-------




Diario de Pernambuco Ter^a-feira 19 de Janeiro de 1892
tas e avisando-o de ama traicio, sendo por isto
mandado prender por Honorio ?
En que s para salvar Pedro Ivo desaa traigo,
fug pela irapeira e pelo telbadodo 2 andar, pa
ra ir-me eacoitrar com elle as malas, nao ob
stante doen'.e e abatido como me acbava ?
Eu que por aqaella jornada de commercio
retalbo, fui preso com os oniros e processado, e
novameote processado e pre>o, responden jo ao
jury, e abiolvido unnimemente ?
Eu que ja tinba pausada uo Rio de Janeiro mi
anno escrevendo com Borges da Fonseca a Re-
publica, e propagando o commercio a retalbo,
pelo que fui preso pelo arbitrio de um inspector
e pa=sei, muito doente ama ooite na prisao, sen-
do aqaelle agente castigado pelo cnefe de po-
lica ?
Eu que cabiodo doente, passei l mais seis
meses, porm na cama, (assentado t) em Nittie
roy, sem recurso, esmolado pelo medico que me
tratava, despedindo a ama a quem cao poda
pagar nem sustentar, d-spedindo-a para deizar-
me morrer lome, o que so nao se realisou por-
que ella nao qois sabir, e cbegoa logo am ami-
go d'aqm que salvou me ?
Eu que, depois da j roada do commercio a re-
talbo na praca de S. Jos, (aqni) consumidas as
miabus economas, sem amigo em algam rtrs
partidos, nao tenuo do que viver, nem podendo
deixar-me morrer por ter mnlher e libes, em
seis -iagens que z ao Ro, s obtive do impe-
rador, que perguntou-me fe j iba acabado
com aquellas doudices (do commercio retalbo)
nm emprego de I50 mensies, porque nnaca
soube, como Salvador de Meadonca, a quem ele
dea am consalado, propasar a republicae lo-
giand o rei t
Eu que individua o-me, cou aquellas viagen?,
so nao fotlri depois execucao, porque mandei o
credor tirar o que quizease de miaba mobilia,
60 o que me relava sem fazer quetao e elle
ti' ar o que era de miabas Albas ?
Eu que s esioa ueste martyno de secretar
do Tnesoaro, porque am presidente careceu do
de biDlninec.no que eu exercla, para outrem ?
Eu que. durante todo o lempo em que lenbo
sido emprega lo publico, nao podendo propagar
a repblica noBrazil, nanea deixei de propagal a
geralmente, e as proximidades da sua procu-
maco eslava publicando pjr este Dtarw multo
exal ados aicos sobre a repblica franceza e a
revolucao de 1792 ?
Eu que no advento da repblica brazil :i:a.
combat com vehemencia o sea modo de se",
sem liberdade e sem Deus, a-ordem e progres
so do deas Goaite, deixando de continuar ne?ie
trabalbo a pedido do Dr. Martins Jun.or *
En qne. to aniigo e profundamente conven-
cido republicano que, preliro a repblica mo
narcba, anda que seia victima de sua raiodide,
fazendo todo a meo alcance para que ella se en-
direite, era para nao ser considerado na rep-
blica para cousa alguma, em nada servindo, nem
ao menos me sendo franqueada a entrada do
palaC'.o da repblica como j o lora ?
E' porque nao dito amem a todo o que faz-se :
Nao po8So, a minba alma jasta.
Nao posso cbamar patrios a D.-odoro porque,
de mos atadas, nao derramou saogue.
Quizera antes am grande exempio, dado com
ello e seus camplices, do qae o ou'.ro meio.
Anda agora acabo de fazer abonar urna folba
iiiiha ja composta, porque vejo opiniea de que
esou muito longe, comoo voto descoberto
que a annullaco de toda a Iiberdade,; mesmo
ocomtismo, quando era a seguinte a proclama
gao qae em saa '-ente se continba :
S ha um meio de salvar a patria :levan-
tar o patriotismo pelo escrutinio, to secreto,
qae o proprio eleiior nao possa provar em quem
votou e nacionalisar o commercio, o qoe re
algam deixar fazer.
So ba am meio de salvar a repoblica :i li
qoidagao dos banco que nao pigarem as suas
notas, condigo da emissao.
Sem isto a fome io povo condazir mona:
cha, que cabir levantando se a anarchia ou a
dictadura ou am.as e por fim sera a patria em
pedajes-
Pois bem, nao posso dizer em lulo amem, nao
posso ser ouvido; mas ao menos, com tamos
servaos como niacnem os tem a repoblica e
patria, nao me dado me.horar a m situacao,
a que chegue p'ila propagaco da propria rep-
blica e docominercio a retaloo?
Pode algoetu preferir-me nessa pre!eBsao,s;m
clamorosa injosticai
E' da directora ^eral da instruccao publica,
essapreteoso.
Oizem que eo bou to velbo qae nao posso
exercer por ter grande expediente esse cargo.
D:o que para quem coobece-me isto s pode
ser um erro cu am descarte ; qae trabalbo sem
enfado lsho'"s por da. S venbo iocommoda
do para o Taesouro quiodo passo trabalbando
at depois de orna hora da madrugada-
Depois desla expoicao que pegoao publico
e a Exma. junta que m'a desculpem, p..ts
pela necessidade sou obrigado afaiel-a:
pego mais, em falta di proteegao parcu ar. a
opioiao publica qae.se acbar que me assis: ealts
jdtica me sostente com a sua forg qua por
certo era a mais polerosa ante a patritica
junta goveroalia.
Recite, 15 de Janeiro de 1892.
Affonso de Albuquerque Mello.
Ao* illustre cidadaos da Jin-
ta Lrovernativa
O abaixo assignado, autorisado pelos cididaos
vigario Laurino Doutt'.es, O ympio Waudiriey,
Isidoro Jos da S. Maacarenbas, Macosl de Sou-
xa Monteiro, Jos L. 1a Silva. Francisco S. da
Silva Mafra, Joaquim uarte Pinto e Silva, Mar
colino B. da Silva, residente na cidaue do
Triompbo, veem protestar contra as indic.gje.-i
feitas pelo Sr. Loureiro ao iMustres memoro
da Junta Governativa, de cidados para orgos
policiaes e outros, visto este senbor acnar-se
ou'.ilisado e u'-eiramecte impa,sslvd de vive
em coBvivencia com aquelles eidadjs, e mes
mo esi rompido seriamente com elles.
S como acba-se de p-e^eot- ne?ta cidarie. pro
curando por todos o* ujris Iludir a bi-a ldo*
illusires e experiMlM membros da referida jan
ta, em tempo protes'.am p>r qualqoer inte-ven-
gao tomada rlo mesmo Loureiro em negocies
polticos do Triomphc.
All n'aquella cidade, ondeoSr. LowNiiro
urna nulljade iosanavel, ser urna inleiic dade
e v^riadeira anarcba se conseguir os seus mes
quitaos intentos.
O protestantes conbidos no? altos pind
pios de justigi qae revestem os ilustres e di
gaos membros da Jja'.a G.ve:nativa, espram
re] .m attendidos e aguarJam se.
Em to Doa bora assumo a respfinscbil iade
do preseote protesto.
At breve.
Kec;fe, 18 de Janeiro de 1892.
Joo B. Leite.
ama caldeira, qae produi 1.200 litros de
vapor por hora apenas suficiente para a
a quantidade de vapor destinado a extrac-
orto do Sndalo Midy. Mais do que nan-
ea insistiremos portante para qae se exi-
ja o nome Midy sobre cada capsula.
Clotilde
Por qae me foges ?Nao sabes que
cada vez mais ardente o affecto q e te
cjcsagro ?...
1-13-92.
D...
Attoacao
Nao gosto de subterfugios.
Somonte por engao do Diario sahio
publicado Qualberto e nao JoSo Qualber-
to. e assim publicou a Pr. vincia e o Jor
nil-
Para provar que JoSo Goncalves de
Souza BeirSo nS> pode alienar o predio n.
25 do pateo do Livramanto basta que
leia com cuidado os despachos da Secre-
taria do Governo em 20 de Agosto de
(891, publicados no dia 22 do mesmo mez
e srno.
Rocife, 18 de J&oeiro de 1892
Joao Gualberto de Andraie Lima.
Notice
Britisb sobjeets are inform.'d tbat three
Wdiks general moaong bas i>een commif,-
oed to b observed for tbe deatb of His
Royal Higbness tbe uk; of Clareoceni
avondale commencing on tbe 15 b. insit.ut.
Pernambuco, 18 January 489i.
By Order.
A. Cohn.
H. B. MS. consol.
Hotel Internacional
Victimas de urna falta de attengo que muito
non ruol-'-'ou. vimos reclama' centra o mcoser-
:.;>> do Hotel r-iternacional.
ilontem tendo us dirigido ao Lunch tioon,
nos servimos de daas garrafas de cerveji. Ha
vendo dado para pagamento ama nota He n, o
empregado se aegcu a efTectuar o troco, fleando
con a referida sfdnla.
Se o Hjtel no po-.iia confiar cm nos, es;irrai-
do que em outra oeaatio nos munissimos de se-
dulas miudas pira effctuar o pagameuto da
quautia de 3. '.ambem nos nao deviamos ser
ebrigados a eixar 175 em naos de pesseas es-
trdDba:.
Contra isso reclamamos e de fado artos
scieocia ao publico pata que este se previu.
Recife, 19 de Janeiro de 1892.
Carlos J. Iscrharst.
Christi.in Hdemauo.
Niels Ktourup-
As ir,nammag6es, os catarrho?, os cori'imen
tos da uretbra, amigos ou recentes, sao curados
dentro de poucos das com o emprego daii Pero-
las d'Essenca de Sndalo do Dr. Clertao
Este medicamento cao provoca nennurr cr-
arraojodos orgos digestivos, o que dj.i se d
com os outros remedios empregadoj atjagora.
COMMERCIO
Bulsa Commerdal de Pernam-
buco
COTAfiES OFFICIAES DA JUNTA DOS COK
RECTORES
Prosa do Recife, 18 de Janeiro de 1892.
Nao boove cotago.
O presidente,
Eduardo Dubeaux.
O secretario,
Augusto Pinto de Lemos.
Cambio
PRACA DO RECIFE
O mercado abri firme a 12 1/4, ofereceudo os
bancos saccar depois de meio da, a 12 3/8 e fi-
nalmente a 12 1/2, achando poneos tomadores.
Papel particular foi passado a 12 1/2 e 12 5/8,
exigindo os bancos ao fechar do dia 12 3/4.
PRACA DO RIO DE JANEIRO
O mercado subi para 12 1/2 em todos os bao
eos fechando firme.
Colar oes de gneros
ASSDCAB
Para o ag-indtor
raneo por 15 tilos. 4*400 a 4*900
lmenos dem idem. 3*400 a 3*6(0
Mascavado dem idem 3*000 a 3*100
Bruto secao ao sol idem dem 2*800 a 3*000
Rtame l%n idem .... 2*400 a 2*600
usinas idem idem..... 4*600 a 5*0)0
Mercado muito animado.
A exportago at 14 do corrate consta de..
31400 saceos e 1482 barricas de assucar branco,
oesando 1.694.284 Silos e 198.103 saceos e .. bar
cas de assu '.ar mascavadu pesando 13.952.250 ki-
los.
Os mdicos que visitam a fabrica de
Neuilly, onde sa distilla o Sndalo d3 Mi-
dy, admirm os apparelhos empreados :
Compra-s um enge-
nho perto de esta gao de
{^ualquer das lionas fr-
reas desle Estad) que possa
safrejat dous mil e tantos
paes de assucar.
O vendedor deixe de
carta a J. Pinheiro, ra
da Imperatriz n. 12, Joja,
com todos os esclarecime: -
tos : localidade, capacida-
da estaba > e pessoa com
quem se deve tratar.
Recife, 14 da Janeiro
de 1892.
segunda-feira, 18 do andante, das 3 s 6 horas
da larde, e continuaro nos demais das s mes-
mas horas.
A directora espera qoe todos os contribuales
concorrero para qae o servgo seja feilo com
toda wa regularidaae, dependeado someate da
lealdade com qoe todos deven) proceder, oas in-
formagOes qae tiverem de fornecer s referidas
commisEes,
Freguezia do Recife
Antonio da Costa Mello, presidente,
LiUiz Pinto Saraiva.
Antonio Gougalves Bateta.
Santo Antonio
Joo Alves de Frenas, presidente.
Maaoel Lopes Vieira.
Jos Gbngalves Das.
S Jof
Miguel Arcbanjo S. Santos, preeidente.
Jos Auacleto o N^scimeiito.
Joao Aosberto L3pes.
Aoel da Rocha Pereira.
Boa Vista
Joo Fernandos A. Valoageiro, presidente.
Jos de Soaza Braz.
Antonio Jos Martins.
Sede da Sociedade Uunio Commercial Bene-
ficente do Mercleiros, 16 de Jaaeiro de 1892.
Jos Fernandes Lima,
Director.
Adriano N Xaia,
1* secreano.
O Sr. F... bem cochecido nesta cida-
de tendo na manhS do dia 2 do correte
aparecido muito veichado na Tamarineira,
na taberna de Quedes de Araujo exigindo
de3ta a importancia do impoato de indus-
tria e profissSo, e depois de ameacar o
paciente reCebeu effectivamente (355000
importancia di referido imposto).
Embolsado prometteu levar o respectivo
talSo que serve de recibo.
E porque at o presente nSo tem rea-
lisado ; pelo presente lhe tica asaignado o
prazo de 3 dias para esse fim, ou pelo
meaos ir justificar-se de sut falta, sob
pena de se declarar por extenso seu nome,
sua morauia e recorrer se as aegoes cri-
minaes que se empregam contra taes arti-
ficios.
Felizmente exiatem 4 testemubas de
vista.
Recite, 16 de Jan? ro de 1892.
Foram exportados
kilos.
at 14 lo corrente 60 00)
CABELLA DAS ENTRADAS DE ASSDCAS E AL-
GODAO
Mez de Janeiro
Entradas
la.-cagas.....
'apores......
\mmaca.....
S.-trada de Ferro Centra!.
dem de S. Francisco .
dem do Limoeiro. .
Semina.....
Dias
1 a 16
1 a 18
1 a 16
Assu-
car
Saceos
93141
6734
7639
47254
21871
17663)
Algo-
dc
saceos
2264
468
:;;8
4i2
292
2S28
Associac,ao dos Mercieiros
A directora da Aesociagao dos Mercieiros,
se r.iili:a aos ceas associados, e aos demais
contnOuiotes da classe, das fregoezias do Reci-
fe, Santo Aatonio, S. Jos e lioa-Vis'a que, leu-
do de proceder a distribuigo do imposto de
classe, constante do art. 2* 17 da le n. 33, de
10 de Dezembro prximo passado, a que se re-
tere o edital a. 10 da Recebedoria do Estado;
tem nomeado para tal fim as commissas abaixo
designadas, pedindo encarecidamen e aos Srs.
,'u:i ribuir.tes, que prestem s commisses todos
os esclarecimenios por ellas exigidos, bem como
apresentar Ihes os conheclmentos referentes ao
imposto de 30|. (valor locativo) e industria e
protissOes, do exercicio ltimamente rindo, para
que se pos.-a fazer a classtficago o mais propor
cioualmente possivel; e nao ebrig commissoes a procederem de conformidade com
a lei em caso de recusa.
As commissOes devem principiar os trabalbos,
E elrao Muakipd
Sui cu;que tr-buere
Sem querer tffender a vultos proemi-
nentes, que bem podem, com patriotismo
e desinteresse, prestar serviros a este
municipio, nenhum delles se re:ommenda
com mais vantagem do qtie o Dr. Manoel
Pinto Dam&zo, que pelo seus feitos, tem
dado prova de que municipio muito ter
a lucrar si fr elle o Prefeitodo futuro
conselho.
Pira a Junta Governativa appella.
As Artes.
7939
Algodo
Nao consta negocio.
At 14 do correte foram exportadas 5176 sacets
de algodo pesando 388.200 los.
Borracha
-JoU-se nominal a 34*000 por 15 kilos.
Caroeos de Mamona
Cota-se a 1*900 por 13 kilos.
Coaros
Seceos salgados na base de 13 kilos a 660 r.
Verdes nominal 360 res.
At 14 do corrente foram exportados 11823 coa-
ros e 1.000 1/2 de sola.
Ba grande procara.
Hel
Por pipa de 480 litros 60*000 ba falta no aer-
ado.
Alelo
Por pipa de 480 litros de 215*C00.
Foram exportadas at 14 do corrente 292 pi-
sas.
Agurdente
Por pipa de 480 litros 120*000.
At 14 do corrente foram exportadas 439 pi-
M.
Caroeos de algodo
Cota-se a 600 ris por II kilos.
importaco
Vapor francez Ville de San Nicols f ntrado
do Havre e List* em lo e consignado a Aogus-
te Lab lie.
Carga do Havre
Amostras 2 volumes ordem.
Artigos para cbapos 3 caixOes a Cormanbla
Intustrl de Ciapos. 1 a Mauoel Licio Marques,
1 a Adolpbo e Ferro, 1 a Rapbael Dias e C.
Batatas 200caixas ao consignatario.
Chapees 1 caixo a C. Waebsziaao.
Corchetes 1 caixa a Nones Fonseca e C.
Confeitos 1 caixa a H. Borle a C.
Cachimbos 1 caixo a Manoel Collago C.
Conservas 2 caixas a L. A. Salazar Jnior.
Drogas 2 caixas a Compaobia le Drogas, 2 a
H. Rouquayrol.
Enveioppes 1 caixa a C. Wacbsmann.
Ferragens 17 volumes a Ferreira Gaimuries e
con pan ai.
Manteiga 60 barris e 120 meios dito; a Joa-
quim Ferreira de Carvalbo e C, 30 e 6i u Com-
panbia de Estiva, 30 e 40 a Joo Fernandes de
Almeida, 8 e 10 ordem, 12 caixas ao consigna-
tario, 15 a Compaohia de Estiva.
Mercadori is 1 volme a E Gongalves Casco,
2 a Manoel Collago e C. 1 a Olinto Jardnn e C,
6 a ordem, 1 a C. Wacbsmann, 2 a Companb.a
de Drogas.
Macboisiiis 1 caixa a C Macedo.
Materiaes para engenbo 30 volames a [i. Dol.
Macbinas 1 caixa a Ferreira Gulmari s e C
3 a Empresa de Obras Publicas.
Movis 2 caixas a Maia e Silva.
Papel 1 caixa a H. Borle e C.
Pe'fumar.a 2 caixas a Companbia de B.-jgas, 2
a E. Samico.
Queijos 20 caixas a Companbia de Estiva, 12 a
Joaquim Ferreira de Carvalbo e C.
Tecidos 2 caixas a Fraacisco Gurgel e Irmos,
1 a R. ue Carvalbo e C, 1 a Bernet e C, 1 a
Francisco de Azevedo e ..la C. Sinden, 2 i
Machado e Pe eir.
Vi Iros 9 caixas a Compaohia de Drogas.
Carga de L'sboa
Azeile 6 barris a Manoel Pires e C.
Baga; 2 barricas aos mesmos, 2 a Ferreira
Rodrigues e C.
Ceblas 100 caixas a Ferreira Rodrigues e C,
50 a Silva Guimaraes e C.
Cabos 13 rolos a Beltro e Costa.
Viobo 20 barris a Lopes Albeiro e (.',., 30 a
Olalo Jardim e C.
Vapor nacional Desterro entrado d >s Dor-
ios do sal em 17 e consignado a Pereira Caraei-
roeC,
Tapioca 25 encapados a Moura Borges e C.
Vapor nacional Mrquez de Casias entra-
do ..us portos do%ul em 17 e consignaa j a Pa-
dro Ozorio de Cerqoetra.
Coaros 929 a Rossback Brcihers e C.
Pelles 72 fardos ordem.
Viaho 33 barris a Figaeiredo Costa e C
Kxporcae&o
Hl -.' 16 IB JANEIRO DB (892
tara o exierior
No vapor inglcz Paraeuse, para Liverpool,
carregoa :
V. Neesen, 4 fardos com 544 kilos de trapos,
ICO ditos com 14.969 ditos de resiuuos de algo-
do, 160 ditos com 24,300 ditos de algodo e
50 saccas com 3,420 jilos dito
No vapor inglez Mariner, para Liverpool,
carregou :
J. A. Coato Vianoa, 88 saceos com 6,061 kilos
de cera vegetal.
No vapor americano Vtgilaacia, para New
York, carregaram :
Levj k Djlmiro, 40,000 pelles de cabra.
Rossbaca Brothers, 1.878 pelles de cabra.
Para o mtertor
No vapor nac mal Brazil, para o Para,
carregaram :
M. de Miranda Lima, 100 barricas com 6,i84
Kilos de assucar branco.
N. Martins do Eirado, 200 barricas com 13.275
kilos de assucar branco.
Amorlm Irmos 4 C-, 10 barricas com 1,430
kilos de carvo animaf.
Para Manos, carregaram:
C. Ferreira & C, 2 pipas com 920 litros de
agurdente. i
Amorim Irmos & C 95 barris com 8,550 litros
de agurdente, 143 volames com 10,194 1/2 kilos
de assucar branco e 4 barricas com 280 litos de
dito refinado.
No vapor americano Vigilancia, para o Pa
r, carregaram :
Amorim Irmos & C, 5 pipas coi 2.35C litros
de alcool.
No vapor fran:ez Ville de S. Nicols, para
Santos, carregaram :
S. Gaimares & C, 10 "pipas com 4 603 litros
de agurdente.
A. Labille, 300 saceos com 18,000 kilos de
assucar branco e 300 ditos com 18.000 ditos de
dito mascavado.
Para S. Paulo, carregaram :
M. Borges 4 C, 200 saceos com 12,000 Kilos
de assucar branco e 400 dit js com 24,000 ditos
de dito mascavado.
No vapor nacional Cometa, para Rio de
Janeiro carregaram :
C Gaimares Jnior, 50 saceos com 3,008 >
kilos de assucar mascavado.
P. Pinto 4 C, SO pipas com 23.0C0 litros de
agurdente.
Para Porto Alegre, carregaram :
F. Lemos 4 C, 40 latas com oleo de mamona
no valor de 400*.
No vapor francez Parahyba, para Santos,
carregon:
. L. A. da Costa, 7.(00 cocos, frucia.
Para Ro de Janeiro, carregou :
L. A. da Costa, 10,000 cocos, fracta.
No vapor nacional Alagos, para Manos,
carregaram :
P. Pinto & C, 46 barris com 4,14*0 litros de
agurdente.
Na barcaga Flor de Marta, para Mamangua-
pe, carregaram :
E. C. Beltro 4 Irmo, 6 saezos com 360 kilos
de assocar branco.
a barcaga Octavia, para Pilar de Alagoas,
carregou :
E. Lins Caldas, 1 pipa e 3 barris com 700 li-
tros de vinagre.
No cter Jaguarary, para o Natal, carre-
garam :
E. C. Beltro 4 Irmo, 20 saceos com 1,2(0
kilos de assucar branco.
Eduardo G Colombier, i volames com 30 kilos
de doce, 11 barris com 440 litros de vjnagre e 26
caixas com 214 ditos de ceneora.
A/s victimas das febres
O elixir antl-febrll Cardoio, appro
ra geral da junta de bygiene do Rio de Janeiro
em boje apresentar-se bumanidade offredo
-a to mundo inteiro, como taboa de salvagio que
io infeliz naufrago lhe enviada por mo omm
sotente.
o elixir anal-febril Cardoio, applica-
to em muitissimos casos de lebres. tem come
por milagre, levantado do leito da dor a compie
ios moribundos.
Este remedio, eomposto smente de vegetase
nteiramente Inoffensivo, ainda nifUfllO na ma.f
mmosa e tenra crianca.
As senboras, no estado de paridas, oa no pe
-iodo de incommodoB naluraes, podem usar serx
eceio algam.
Este elixir j bem conhecido de alguns Srs
Algodo em rana ikilo) 6:3
Arroz com casca 'kilo) .... 6o
assucar retinado (Kilo .... 380
*ssucar branco (bil) .... 297
Assucar mascavado 'si(O) 197
Bagas de mamonas (Kilo) 126
Borracba de leite mangan. kiloi 1*600
Cachaga......... 222
Couros seceos espichados {kilo) 654
Coaros seceos salgados (kilo) 594
Coaros verdes (kilo)..... 320
Coarinhos (am)....... 1*870
'trigos de algodSo (kilo) ... 32
Garrapateira (kilo)..... 133
Cacao (kilo)......v 400
jBf bom (Kilo)..... 1*000
Caf restoio (kilo)..... 800
Caf moido (kilo)...... 1*200
Carnauba (kilo'......' 566
Cera vegetal (kilo)...... 566
Canna (litro)....... 220
Cal (litro)........ 10
Carvo de CardifT (ton.) .... 30*000
Farina de mandioca (Uto) r 60
uenebra (litro)...... 444
Graxa (sebo) ...... 483
aborandv (em folha) kilo ... 200
Leite de mangabeira (kilo) 1*466
hfel (litro)........ 131
Milho (kilo....... 70
Phospnato ae cal da lina ria;a (tone*
Jada)......... tUHMO
Pelle de cabra (cento)..... 187*000
Pelle de carneiro (ceato) .... 145*000
Sement de carnauba (arroba) 53
sola (meio)....... 3*850
Sement de carrapateira (kilo) 126
Sebo........V 633
ratajaba (kilo) ...... 40
Faboas de amareo emprancaCet
(dual)........ iw>/*
itendlmentos publico
mdicos de todo o pafz, o mais seguro e prom-
pto remedio contra as febres, e com especialida-
de contra a febre amarella, erysipella e bexigac
le qualquer qualidade.
Hodo.de nsar
A's criaegas at um anno 8 gottas de 2 em 2
aoras em urna colher das de sopa ceia d'agua
fra.
De nm anno a tres 12 gottas; de tres a dez 20
pollas; de dez aonos em diante 30 goltas.
Os Srs. clnicos podem augmentar ou dimincir
it 60 gotia* por do
Recife :
Compannia de Drogas e Productos Chimicos.
Santo Antonio :
Nacional Pharmacia, raa Larga do Rosarit
a. 35.
Pharmacia Orientj!, roa Estrella do R
i. .
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Bario di
Victoria n. 14.
Pharmacia Marti s, rea Duque d Casias n.
<8.
Vendas em ?ros?o p a retalfco.
DEPOSITO GERAL
Raa Estrella do Bosario Q. il
peas*ubico
N. 148
CiJado Manoel Cardosu Jnior.
E'com grande SitUfago que a'.'esto o valor e
a eficacia do seu p'odigioso especico co.ira a
feoie, (.orquanio tendo appareciito meu filbo
Manoel com febre ae carcter mo, e nao sendo
possivel ceder da sua intensidad, resolv a c.-.n-
icJbo de um amigo a applicar o sea especiQco. e
com amito prazer tneu vi desnpparecer em dous
d.as a febre, resiabelecendo =e em seguida o
meu estimado lho.
Pode Vm fzer usa do presente como loe
convi Recife, 15 de Maio de 1889.
Da Vmc. attento, venerado.- e criado Floria
no Marques Bjielbo.
X. 147
Ea, abaixo assigaado, lie^iciaa".? u'-s'a cida-
de attes'o que tendo no na 17 le Junh j do cor-
renta anno, rcea i'mo a caixei-o ;.ppa:ec;dj
:_i f.'be de 39 1/2 graos, immediaumcnte re
co-ri ao I.lm. Sr. M. Cardoso e-felizmenie rom o
seu preparado Elixir Aftti-Febril, no lioi de
docs das tinha depapparecido a febre eompleU
mente ; portantoro po3so dtixar de id .citar ao
mesmo Sr. M. Cirdcso pea feliz descob.1 !a <
bem da bomamdade.
Recife, 22 e Jnnho de 1889.
Aibin.4 Ferntndes de Azrve'o.
Estavcm selladas e r-conaecida.- as lirmas.
Dr.
Lopes
JIEDI 0
P
essoa
Avisa pelo presente d-, qae mudoa a
sua rasideacia para ra de Mrquez de
Herval n. 4. onde ser encontrado iodos
os d>as das 7 s 9 12 horas da manh e
das 5 horas da Unie em a: .etc.
t^.'Ases
Collegio de Nossa Se-
nhora da Penha
FUNDADO EM 1876
Sob a direccHo de August". Carneiro
Raa f de Setembro a. 8
(Outr'ora becco dos Ferreiros)
Comecarao a 7 de Janeiro prximo to-
das ai ualas deste collegio para o sexo fe-
minino, onde as alumcaa, a par da conve-
niente instruccSo e bom tratamento, s3o
mentidas com cudalo e carinho.
De riteresse
O Sr. Israel Antonio Cidade, resdente
nos serroa de Taquary (Rio Grande do
Sul), dirigi aos proprietsrios di Phar-
macia Central, em Porte-Alegre, a segua-
te carta, que recommeLdamos atteccSo
dos icteresaados :
Srs. Souza Soarea & C.a Porto Ale-
gre. Sendo atacada teinha esposa de
urna tosse desesp.::..dor.. e de carcter
grave, ancai mao de dierses preparados
sem proveito algum, e, tendo conhecimen-
to dos bons resultados do Xarope Peito-
ral de C^mar, do Sr. J. A. de Sosza
S ares, mar.dei inmediatamente comprar
dois vidros do dito Xarope, e, com o uso
do prirr.er!), logo a doente experinentoa
melborus e, depois de tec tomado o se-
guedo, vio-se completamente restabele-
cida.
Queiram, poi3, acceitar a expresso do
mea reconhecimecto, que? d'gnarSotrac-
mittir a> fabricante de tSo benfico me-
dicamento, foseado d'esta o uso que lhes
convier.
lsra-l Aztonij Cidade
(A firma est recichecid:.).
E'-anico agente c depositario do Peito-
ia! de Cambar iu Mrquez de Olinda
n. 32.
Gcliegio de N>iSBa Sentiora das
Consultorio l deo Oculista
O Dr. Berardo communic* ao3 seas
clientes, que. mudou o tea consultorio do
predio n. 'Q da ra do Bom J:s.is para o
d". n. 9 da meim ra onde coutinoa a dar
consultas de 1 hora as 3 da tarde.
ResidenciaMardalna.
TelepLone n. 366.
Dssase^-
Ao publico
Os abaixo assigaados participam ao
commercio qne continaam associados na
lojl de calcad > a praga da Independencia
na. 31 a 35, sob a firma social Pilrao &
Maia como success res da extineta firma
de Jos Antonio Pilrao & Irmo ; espe
raudo continuaren! a merecer a mesma
confianca que sempre foi dispensada a sua
antecessora.
Recife, 14 de Janeiro de 1892.
Francisco de Azevedo Pilrao.
Joaquim de Oliveira Maia.
20Ra do Hospicio20
As aulas deste estaoeledcnerjto de inrirucco
primaria e secundaria para s sexo r-raioino
abrir se-bo no dia 11 de Jir.eiro de 189:'.
Recebe-Be alosmas internas, sezii-mernas e
"xiercas.
A directora,
Alaria do Carmo Azevedo.
Dentaduras artificiaes
Sob pressSo elstica, e pressao pneu-
mtica systemas novissmos aeste Estada
pelo eirurgiao dentista Numa Pompilio,
roa do BarSo da Victoria n. 54 1" ao-
:dadas 8 horas da manh s 4 da tarde
MU
tienda gere!
Do dia 2 a 16
dem de 18
DI JANEIRO DI 1892
tfandtga
282 85SJ384
22:053*701
Renda do Esta Je
D j dia 2 a 16
dem ds 18
48 9594826
4:1404768
Soxma total
304:910*288
3:100*594
358:0104882
Panta da Alfandeca
tUMVA Bl 18 k. 23 DI JANEIRO DI 18 2
Alcool (litro; i, ,; ;. 114
Segunda sec^ao da A.*ndeKa de Fernamiacc -
18 ae Janeiro de 1892.
O tbesoorelro,
Florencio Domingues,
O cbefe da seceso,
Feliciano Placido Pontnal.
Recebedoria do Estado de
PsraaMbueo
Do dic. 2 a 16 106:676/527
dem de 18 7:4414440
114:1174967
Do dia 2 a 16
dem da 18
Keeiac I>raJoafte
5:2624706
1:7514621
701443!7
nacional Brazil de ; 999 toneladas,
com manda 3 te Pedro Hypolito Daarte,
equipagem 69, carga varios gneros, a
Pereira Carneiro & C.
Baha e escala 6 das, vapor nacional
Jacuhype da 3S2 toneladas, comcaan-
dante Francisca Raymundo de Ca-valho,
equipagem 30, carga varios gneros, a
Companhia Pernambucana.
Natal 11 dias, hiate nacional Giriquity
de 45 toneladas, mestre Joaquim r. da
Silveira, equipagem 5, carga varios
gneros, a Manoel Joaquim Pessoa.
Natal4 dias, hiate nacional cCorreio do
Natal de 48 toneladas, mestre Jo3o
Quedes de Moura, equipagem 5, carga
assucar a Manoel Joaquim Pessoa.
East London37 dias, lugar inglez cFio-
rence B. Eoqett de 491 toneladas, ca-
p tao C M. Brid, equipagem 9 em las-
tre, a Henry Forster & C.
Sainos sonidos no mesmo dia
Porto Alegre e escala Vapor nacional
Cometo commandaate D. Ogg, carga
varios gneros.
Lisboa e PortoLugar portugus Costa
Lobo capitSo Jlo G. Marques, carga
varios gneros.
BsrbadcsLugar americano Benjamn
Fabens capitXo R. B. Cendon, em
lastro.
New-York por Macead Vapor inglez
Crownof Arragon commandente John
G. Dorward, carga varios gneros.
Navios entrados no dia 18
Manos e escala 10 dias, vapor nacional
Olinda de 1999 toneladas, comman-
daate De Lamare, equipagem 60, carga
varios gneros, a Pereira Carneiro & C,
Para e escala 3 dias, vapor nacional
Desterro de 718 toneladas, commaa-
dante Florindo Das, equipagem 46,
carga varios gneros, a Pereira Car-
neiro & C.
Navio sahidot no mesmo dia
Mantos e escala Vapor nacional Brazil
com mandante Pedro H. Daarte, carga
varios gneros,
Rio de JaneiroPatacho nacional Indus-
trial ctpttao Marianno de Andrade,
carga varios gneros.
Instituto Peraambu-
cano
63-RA DO HOSPICIO-63
DIRECTORES
Bachareis Virginio Marques e Ocncal-
vesMeUo
As aulas desse estabeiecitneato de ns-
trneco primaria e secundaria abriram-se
no dia 7 do corrente.
Collegio
m$ de Agosto
As aulas des'.e estobelecimento come-
carao a fraccionar no dia 15 do corrente
sendo que a matricula para os que pre-
tenderem frequentol-ss estar aberta des-
de o da 12.
Mudanza de
torio
escrip-
Jos Godoy e Jos Hugo.
77-BA DO IMPERAD0B-77
Sr.
da
Vaporea a entrar
HSZ DE JANEIRO
Sul.......... Vigilancia........
Enrosa....... Pernambuco......
Sorle....... Finance..........
Europa..... atapan.........
Sal.......... Montevideo.......
Sul.......... Galicia...........
Norte........ Pernambuco.......
Norte....... S. Francisco.......
Norte........ Goyanna..........
Sal .......... aboato ..........
Sal......... Espirito Santo.....
19
19
20
20
23
23
26
29
29
30
31
lloriniento do porto
Naviss entrados no dia 17
Rio de Jaaeiro e escala7 dias,
vapor
Vaporea a ahr
HEZ DE JANEIRO
Sal......... Desterro.......... 19 as 5 b.
Sol......... Olinda........... 19 as 5h.
Norte......Brazil............. 24 as 5 b.
Sol......... Pernambue....... 27 as 5 h.
Norte....... Espirito Santo 31 as 5 b.
Urna lberodlose aguda
O facto em seguida narrando pelo
JoSo Antonio Pereira Santiago, socio
importante firma commercial Santiago &
IrmSo, do Bio de Janeiro, mais am va-
lioso testemunho da efficacia do Peitoral
de Cambar para a cura das enfermidades
pulmonares, das quaes constituio se o so-
berano debellador.
Lea-se o qne diz aquelle distincto ca-
valheiro :
Eu abaixo assignado, morador ra
S. Pedro, n. 0, no Rio de Janeiro, de-
claro que, tendo urna filha minha de 13
a anos do idade, sido acoommettida de
urna molestia grave, consultei os medaos
de maior reputacSo desto cidade, e estes
diagnosticaran! ser o soffrimento ama tu-
berculoso aguda. Por espaco de quasi
dous mezes sujeitei minha filha ao trato-
ment desees Ilustres facultativos ; mas,
a molestia zombando de tudo, progredia
para .o desfecho fatal.
N'essas circumstancia um amigo dedi-
cado aconselhou-me a experimentar
Peitoral de Cambar, medicamento do 3r.
J. Alvares de Soasa Soarea, da Pelotas,
e, em tSo boa hora acceitei esse conselho,
que no fim de seis das as melhoras se
foram aecentnando, tendo diminuido a
tosse e oatros pheoomenos que acampa-
nham essa terrivel enfermidade.
Minha filha tomou desoito frascos de
Peitoral de Cambar, e hoje ple-se con-
siderar completamente restabelecida. Du-
rante cmco mezes e meio frequntou os
lugares mais recommendados pelos mdi-
cos, seu estado de magreza era extremo e
a febre nSo deixava.
Convicto, eomo eatou, de qoe o Peito-
ral de Cambar, nm precioso remedio
para as affeccSes dos pulmSes, muito o
tenho recommendado s pessoaa de mi-
nhas relajees.Jo3o Antonio Pereira San-
Hago.
(A firma est reernhecida).
.....

(
' I






Diario de Pernaubuco Terca-feira 19.de Janeiro de 1892


b

>
7-

)


I

I
>
Consultorio Medico
O Dr. Manoel Argollo com pratica noa
hospitaes da Paria e Berlina, tem sea con-
sultorio na ra do Bar-o da Victoria n. 1.
Especialidades. Molestias dos appare
lhos respiratorios, circulatorio e digestivo
Consultas das 12 a 3 da tarde.
Chamados por escripto.
Telephone n. 586.
sasu
Dr. Frailas Guimares
Participa aos seus amigos e clientes
que mudou o sea consultorio da ra Du-
que de Casias n. 55, para a mesma ra
n. 61, 1.' andar, onde contina a dar
consultas de 11 1 hora di tarde, e resi-
side no Cajueiro n. 4.
Telephone D. 292.
INSTITUTO PHIIMiTISO
Cursi) de instrucfo primaria
SECUNDARIA
Intrnalo e Extrnate
dirigido pelo hachar el
Olinto Vctor
As aulas oeste coilegio estarSo bertas
do da 11 do corrente em diante.
O juiz de direito Jo2o Baptista Gitira
na Costa eccarrega se de contrshir em-
prestimos com o Banco Emiasor de Per-
namouco, sob hypctheca e penhor de sa
ira, para os agrie altores e commerciantes
residentes neste Estado e os da Parxhyba,
Rio Grande do Norte e Cear. mediante
mdica retrbuicSo ; assici como encarre
ga-se de liquidaeCes amigaveis, em qual-
quer das comarcas dos referidos Estados.
Pie ser procurado em seu escriptorio
ra do Mrquez de Olinda, antiga da
Cadeia, n. 34. 1.* andar, das 11 horas
4 da tarde, e a outra qualquer hora, em
sua residencia, na Magdalena travessa da
fabrica de FiacSo n. 1.
tes e depsitos para estreo. N'eates ter-
renos apenas haver, alm dos estabnlos,
urna casa destinada a habitac.j do dono
ou encarroado do servico.
Pago da Intendencia Municipal do Re
cifa, 14 de Janeiro de 1892.
Dr. Manoel Pinto Dmaso.
Presidente
Francisco Faustino de Britto
Jo5o Walfredo de Medeiros.
Albino Jos da Silva.
Dr. Augusto da Costa Gomes.
JoSo Xavier Carneiro de Barre sCampelio.
Dr. JoSo Carlos da Balthazar da Silveira.
Antonio Machado Gomes da Silva.
Francisco Gurgel do Amaral.
O aecretirio.
Joaquim Jote Ferreira da Rocha.
Recebedoria do Es-
tado
Regulador da Mariana
Concerta se reiogios de algibeira, pn-
dulas de torre de 'greja chronometros de
marmha, caixas de msica, apparelhos
elctricos, oculos, binculos, oculos de al-
cance, joias o todo qualquer, objecto ten-
dentes a arte mechanica.
9Ra Larga do Rosario9
Dr. Emygdio Monte-
negro
Attesto que tenho empregade com o
meihor resultado em minha clnica o Pei-
toral de Cambar, preparado pelo Sr. J.
Alvares de Souza Soares, de Pelotas, as
diversas affeccSes das vias respiratorias,
como Doderoso emoliente, principalmente
na bronchite catharrhal das criancas quan-
do fctr vessatn a crise da primeira denti-
5S0. O referido verdade e o juro em
f de mea grao.
Recife, 8 de Marco de 1891. doutor-
Emygdio Monten gro.
(A firma est reconhecida. )
Anaeahuita Peitoral
As curas produzidas pela composic&o
de Anaeahuita peitoral, sao realmente mi-
lagrosas.
Dom Clemente Silva, que reside na ra
do Estado, Santiago do (Jhile, escreve aos
nossos agentes em dita cidade, que ha-
vendo soffrido atrozmente de asthma, pelo
espaco de mais de se te annos sem que
medico algum jamis Ihe houvesse propor-
cionado o menor allivio; decidio-ae final-
mente em tomar da Composicio de Ana-
cahuite Poitoral e depois de ha ver apenas
tomado dous frascos descobrio com sorpre-
za, que a grande oppressSo do peito havia
quasi completamente desapparecido. No
em tanto toi continuando a facer uso delle
e do fim de tres meses se achou perfeita
mente curado, com grande aBSombro e
satisfacSo de todo os seas pare o tos e ami-
gos os quaes j havism perdido as espe-
rances de jamis vel-o bom. Disse tam
bem que desde entilo esti parte o tem
recommendado a em grande numero de
seus coshecidos que soSriam de differen-
tes affecco'es pulmonares to frequentes
sas costas do mar Pacifico, na America
do Sul, e que seus bons resaltados tem
sido universaes.
Como Garanta contra as fulsificacoes,
observe-se bem qne es nomes de Lunman
& Ktmp venham estampados em letras
tra-sparentes no papel do livrinho que
sirva de envoltorio a cada garrafa. Acha-
ee de venda em todas a boticas e droga-
ras.
EDITAL N. 10
O administrador da Recebedoria do Es-
tado na forma das Iostruccoes do 27 de
Julho de 1883, convida as assoe:ac5es
Commercial Beneficente, dos Artistas M-
chameos e Liberaes, Agrcola, dos Mer
cieiros e todas aquellas que tiverem ezis
tencia legal e conhec.da, para que se in
cumbam de proceder a distiiboicSo das
taxas de reparticao, estabelecilas na ta-
bella do imposto de industrias o profistSes
a que se refere o art. 2. 17 da Le n.
. 3 de 10 de Dezembro ultimo de accordo
com os arts. 20, 21, 22 e 23 das mesmas
Instrucc5es ; devendo as mesnas associa
,os remett-r o trabalho, que fizerem, a
esta repartico no praso improrogavel de
30 dias, a contar di d^ta do presente edi
tl, sujeitando se em eseo z ctrario
destribuicSes que for feita por esta mesma
reparticao na forma das aludidaa Instruc-
cSes.
Recebedoria do Estado de Pernambuco,
2 de Janeiro de 1891.
O administrador.
Luiz Cesano do Reg.
Airen (lamento de compar-
timentos do mercado de
S.
Jos.
EDITAL
O Conselho da Intendencia Municipal
do Recife faz publico que, nc dia 30 do
corrente ao meio dia, no mercado de S.
Jos e com assis'er.cia do Sr. presidente
e dos commissarios de policia > mercados,
ir em praca por prego, o arrendamento
por um auno dos compartimentos destina*
des carne e a outros misteres ah exis
tecles, mediante flanea idnea, pagamento
adiantado por semestre, e obrigac2o de
entregar o compartimento pin:do como o
receber, nSo podendo um s locador ar-
rendar mais de 7 jompartimcuto3 para o
mesmo fim, segundo o art. 12 do res
pectiro regulamento.
Paco da Intendencia do Recife, 13 de
Janeiro de 1892.
Dr. Manoel Pinto Dmaso, presidente.
Francisco Faustino de Britto.
Jo2o Walfredo de Medeiros.
Albino Jos da Silva.
Dr. Augusto da Costa Gomes.
Francisco Gurgel do Amaral.
Antonio Mechado Gomes da Silva.
Jas Xavier Carneiro de B. Oampello.
Dr. JoSo Carlos Balthazar da Silveira.
O secretario,
Joaquim Jos Ferreira da Rocha.
DECLARARES
A agencia da Cotnpanhia di Seguros Au-
a'.ica de Hamburgo neata cidade, faz sciente
que tendo seseado saas operaefes de segaros
desde odia i- de J-neiro de it91, e tenao-se
Sodado no dia 31 de Dezembro c.o uiesmo aono
o praso do ultimo contrato, tem que bouvesse
aecbama reelamaco, pelo presente declara que
desta data em diante Sea completamente extinc-
a a referida apencia.
Recife, 1 de Janeiro de 189!.___________
EDIT1ES
Remano de mearas e est-
balos
Municipal
praso de
EDITAL
O Conselho da Intendencia
do Recife iaz publico que no
trinta diae, contados desta data, sob pena
de 3005000 rs. de malta, dever ser cum-
prido o art. 16 da postara de 14 de No-
vembro de 1989, que determiua o se-
guinte :
Oj estbalos de bois de carro e notada-
mente os de vaccaa leiteiras nSo serio
consentidos na cidade, senSo em terrenos
espaeosos, arborisados, em Santo Amaro,
rna do Principe, estrada de JoSo de Bar
ro3, Fernandos Vieira, Alto do Caminho
Novo, Manguinho, Baiza Verde, Barrei-
ras, e na ra do Imperial, alm do Vi-
veiro do Monis; devendo os estbalos
ser lageados com estrados de alvenaria
cobertos de asphalto, havendo escoadouros
de conformidade com as postaras existen-
Oe ordem dolllm. Sr. Or. inspector inte
rio deste tbesourc, e em virtote de reeolucao
da Exma. Junta Governativa do listado, e 7 do
corrente, sao de novo levadas praca no dia 21
deste mez e perante a junta da fa senda, reonida
em sesso as arrematacSes do pelagio das bar
reiras infra mencionadas, servindo de base para
cada orna o valor abaixo mencionado, j feito o
abate de 10 0/0 sobre o da primeira praca, ma-
xhbo do determinado em dita reoluco :
Taoacur l:UM00
Palnares 1:019*600
Morenos i:34i*800
S. JoSo l:71J*70O
Ooafseiro no Bonito 450*000
Magdaleni 2:160*900
Timb 945*900
Ponte dos Carvaihos 286*200
horma i:usoo
Tauquinho 1:800*000
Os senbores concarrenles se dverao brbilitar
na forma do repolamenlo em v;gor perante a
meema junta.
Secretaria do Tbesonro do Estado de Pernam-
baco, 12 de Janeiro de 1892
Serviado de secretario,
______J. A. da Silva Gakiares.______
De crdem do Illm. Sr. Dr. inspector
interino deste thesouro, e visto er sido
approvada pela Exma. Junta Governativa
do Estado, a arrematado fei:a palo cida-
d2o Jos de Azevedo Maia e Silva para
o fornecimento dos medicam(int06 e aten-
silios necesearios enfermara da Casa de
DetencSo, relativo ao actaal exercicio
com o abate de 6 i sobre os precos do
formulario, convido pelo prenente ao mes-
mo cidadSo para vir assignai na seeco do
Contencioso o respectivo termo do con-
tracto.
Secretaria do Thesouro do Estado de
Peroambuce, em 15 de Janeiro de 1892.
Servindo de seoretario,
Jote Anattacio da Silva CfuimarSes.
Pela secretaria da Junta Municipal
da Cidade de Olinda, se faz sciente a
3uem interescar possa que ica transferi-
a para o dia 30 do corrent-i a arremata-
cSo dos impostos manicipaes conforme o
edital publicado ; bem como quo as ses-
sSes da Junta Municipal terSo logar nos
dias 15 e penltimo dia de cada mez, e
so esses das ferem feriados serSo nos
dias immediatos.
Secretaria da Junta Municipal da Ci-
dade de Olinda, 15 de Janeiro de 1892.
O secretario.
Jos" Mareoftno da Fonte*a M anguinho
"De crdem do Illm. Sr. Dr. inspe
ctor interino des e Thesouro e em vk-tdde
de determinac&o da Exma. Junta Gover-
nativa do Estado, ir a praca no dia 21
do corrente, e perante a Jauta de Fasen-
da reunida em sessao o for nx1 cimento alimentacSo aos presos pobres da Casa de
DetencSo desta cidade dorante o 1. tri-
mestre do corrente exercicio, servindo de
base o prego de quinhentos res por dieta
ou racSo.
Os Srs. concurrentes se deverSo habi-
litar na forma do regulaimnto em vigor.
Secretaria do Thesouro do Estado de
Pernambuco, em 15 de Janei-o de 1892.
S-'rvindo de C"etarioJ
Jo< Anattacio da Siloa GuimarHet.
DERBY CLUB
DE
PERNAIVIBCO
De ordem do Llm. Sr. Dr. inspe
ctor interino deste Thesouro, so convi-
dados os possuidores de apolices deste
Estado, virem receber os juros vencidos
das mesmas relativas ao 2o eemestre do
exercicio prozimo pasaado, cujo paga
ment comecar d'amanba" em diente.
Secretaria do Thesouro do Estado de(
Perc&mbuco, em 15 de Janeiro de 1892.
Servindo de secretario,
Jos Anattacio da Silva Ovimard.es.
A jauta municipal governativa
da cidade de Olinda e seu
termo etc.
Faz constar a quem interessar possr que
estarlo em hasta publica noB dias 6, 13 e
20 de Jaoeiro vindouro, para Berem arre-
matados pelo tempo de om anno por quem
mais offerecer, os impostos seguiates :
Capim de planta sob a base de 2000,
40 res por p de c queiro de produeco
exc piuados 20 ps para uso de proprieta-
rio, por "9SS; 500 reis por cabeja de gado
vacum por 640$, 200 res por cab-ca de
gado sumo, ovelhum e cabrum por 1780,
40 reB por metro de rede de pesca, e
costa por 800 ; imposto de 50000 p-c for-
no e queimar cal por 900.
Os pretendentes podem comparecer nos
indicados dias habilitados na irma da lei.
Em firmeza do que se affixou o pre-
sente nos logaros mais p bucos desta ci-
dade e publicar pela imprensa.
Peco municipal de Olinda, 30 de De-
zembro de 1891.
Eu Jos Marcolino da Fonseca Mangui-
nho, secretario o escrevi.
J. Ferreira de Almeida Guimares.
Presidente.
liyniDasio Periiaiubucaao em .5
de Janeiro de 1892
Pela secretaria do Gymnasio de Per-
nambucano, e de ordem do Rvdm. cida-
dSo regedor, se declara aos paes familias,
e a quem mais interessar possa, qne a
abertura solemne do cirso scientifico e
Iliterario ter lugar no da 3 de Fevereiro
prximo viedoaro, e desde j se acha
aberta a inscripcSo da matricula psra
aquelles que pretenderem estudar as se
guintes disciplinas :
Liogua nacional.
Dita latina.
Dita fraoceza.
Dita ingleza.
Dita italiana.
Geographia antiga e moderna.
Historia sagrada antiga e moderna.
Geometra e trigonometra.
Arithmetica e algebra.
Philosophia.
Physica e Chimica.
Historia do Brazil.
Sciencias naturaes.
Esjriptur.cao mercantil. ,
O corpo docente do instituto e compos-
to de 17 profes3ores, oceupande-se cada
um deiles sement cm a materia enema-
nada em sua respectiva cadeira.
SerSo admittidos no Gymnasio alumnos
internos, meio pensionistas e externos.
Os pensionistas residirSo no instituto,
tendo direito de estudar a serie de disci-
plinas de que se compon o estadio scienti-
fico e litter.rio do Gymnasio, de confor-
midade com o programma estabelecido;
a ser alimentados sadia e abundantemente
e tratados em anas pequeas enfermida-
dades. O instituto fornecer anda me-
dico, melicamentos, cama mesa, cadeira,
luz, corte de cabello, guardanapo, lavato
ro, banho, msica e desenho.
Os meio pensionistas se apresentarSo
no estabelecimeato nos das lectivos, s
horas em que as aulas se abrirem, e
desde ento at sarem encerradas tarde ;
sSo equiparados aos pensionistas, qoanto
aos estudos alimentacSo e recreio.
Os alumnos externos s teem direito s
lices e explicares dos respectivas pro
essores.
A pensio annual de 3000000 qne pa
gam os alumnos internos do Gymnasio, se
cobrar pelo anno lectivo gmente, divi-
dida em prestares de 1008000 cada urna ;
comecando a primeira em Fevereiro, a
segunda em Maio e a terceira em Agosto
e terminar no fim de Novembro.
Para os alomaos de instracclo prima-
ria que devem se achar uo estabelecimento
no dia 16 de Janeiro a primeira presta-
co ser antecipada sem augmento de pen-
sio.
A pene&o annual dos me:os pensionistas
aera de 18O0OOU em tres preatjoes oe
600000 cada urna envernada a cobrauca
do Tcesmo modo que para o internos.
Os alumriDs n'.ernos ce qualquer ci he
goria, pagaro na entrado e por urna s
vez, urna joia de 200100; dous irmaos
300000, sendo 150000 por cada um e nZo
haver mais a gmento de joia crescendo o
numero destes.
O instituto encarregar-se-ha da lava-
gem da roupa dos alumnos internos que
nao tiverem quem os taca por fra, e isto
mediante 150000 em cada prestacao.
Este pagamento se far de modo idntico
o da penaSo e conjonctamente com elle,
dando direito aos concertos das peces ar-
ruiradas do enxoval.
As despesas com livros e mais objec-
tos indispensaveis para a eBcripturacao,
correm pir conta dos alumnos internos :
devendo seus paes ou quem o represen
tar deixar qoantia suficiente para este
fornecimento.
Os externos s tem direito s licSes e
explicacSes das materias ensinadas no
curso, quaes quer que ellas sejam, pa
gando apenas no acto da matricula a taxa
igual a que pagam os alumnos no Colle-
gio das Artes.
Ha t&mbem orna cadeira de instrnccSo
primaria para os alumnos internos e meio
pensionistas, em a qoai se er.sina segundo
o programma das escolas publicas, nos
termos do regiment interno.
O secretario.
CS9 Tertuliano F. QuinieUa.
j
ara a
>a
1.
PKOJECTO DE 1N80BIPCA0
corrida a realisar-^e no dia 24
de Janeiro de 1892
PAREO? onsolacao 800 metros, Animaes de Pernambuco que n2o
tenham ganho nos prados do Recife. premios: 2000000 ao pn-
meim, 500000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
2' PAREOAnimaco8C0 metros. Animaes de Pernambuco que nSo tenham
ganho premios at 8 de Novembro excepto a corriia de 19 de Julho
podendo entrar eguas. premios : 2500000 ao primeiro, 600000 ao
segundo e 200000 ao terceiro.
PAREO-PraflO PernamJmcano 1.200 metros. Animaes pungas e
pelludos, que nao tenham ganho em 1891 podendo entrar animaes de
Pernambuco. premios : 3000000 ao Drimeiro, 8O0COO ao segundo e
300000 ao terceiro.
PAREO -Voltod'Jade 800 cetros Animaes de Pernambueo que nSo -te-
nham ganho uestes 8 mezes nes prados do Recite, eveetuando a corrida
de 20 deDembro de 1891. fiEMlOS: 2500003 ao primeiro, 60$000
ao segundo e 250000 ao terceiro.
PAREODerby Club de Pernambuco 1.200 metros. Animaes de
puro aangue. premios : 50C|000 ao primeiro, 1000000 ao segundo e
5O0OCO so ter oiro.
PARE 3Prosperldade850 metros. Animaes de Pornambuco que n2o te-
nham ganho cm distancia 6"jprh~ a 1000 metros nes prados do Re
cife, podendo entrar eguaa. PREMIOS 3000000 ao primeiro, 8O0OOO' ao
segundo e 3C 8000 ao terceiro.
PAREOCompensaco 1.000 metros. Animaes de Pernambuco. PRE-
MIOS : 3000000 ao primeiro 100: OG ao segundo e 300000 ao ter-
ceiro.
PAREO-Prado da Estancia 1.200 metros Animaes nacionaes at
meio sangue. premios: 4000000 ao primeiro, 8O0COO ao segundo e
400000 ao terceiro.
3.
4.
o.
D.
Observac,es
De conformidade com o art. 5., do cdigo de corridas, nao poderlo
ser inscriptos no pareo AnimacSo os animaes Ida e Rosa Rranca, no pareo Prado
Pernambueano o Attlantico, no pareo Oompensaco o animal Piramao.
A inscripcSo ter lugar terez feira 19 d-> corrate as 6 horas da tarde,
na Secretaria do Derby.
Secretaria do Derby Qlab, 14 de Janeiro de 1892.
O SECRETARIO,
G. Guimares.
caJa urna
BANCO DA Bfl
Capital Reis 1,500:000^000
Dividido em 15,000 aceoes de 100:000
RA DO VIGAfflO N- 2
(Esquina do largo do Corpo Santo)
Edificio da Junta Commercial
Hora 9 Bolsa
DE 1 A 2 DA TARDE
Compra e vende ttulos com cotacao.
Liquida operacoes por conta de terceira ou a prazo- >
Faculta capitaes para comp-a e venda a dinheiro oo & prazo de quaesquer
.itulcB cotadoa na Bolsa.
Iategralisa convindo espitaos de Bancos e companhias reconhecida atilidade.
Faz transferencia de operacSes reaiisadas na Bolsa a prazo.
Auxilia liquidarlo de report e Delcredere.
Realisa operacSes bancarias relativas a sua natureza.
Encarreg-se de incorporacSes de Emprezas.
Levanta-se aprestimos.
Compra e vende metaes.
Encarrega-se da compra e venda de assacar, algodSo, etc. etc.
20 de Marco de 1891.
O director gerente,
P. J. Pinto.
Baitc do Brazil
Paga se o 76 dividendo das aceoes in
tegralisadas e o 5 das que realisarem cin-
coenta por cento, correspondente ao se-
undo semestre do exercicio rindo em 31
de Dezembro na razSo de vinte mil re i
as primeiras e dez mil res as segundas.
o escriptori' de Pereira Carneiro &
C, a roa do Commercio n. 6, primeiro
andar.
Escola Normal do
Recife
De ordem do Sr. Dr. director desta
escola scientifico a quem interessar que de
15 do corrente at 3 de Fevereiro prxi-
mo, estarao abertas as matriculas as
aulsa dos tres annos do corso ; e que de
accordo com o art. 26 do Regulamento
de 27 de Dezembro de 1887 s serao
ellas facultadas aos individuos que prova-
rem:
Para a do 1 anno :
I. Idade maior de 18 annos, ss forem
do sexo masculino e de 16 sendo do sexo
feminino;
II. IsencSo de colpa qoe motive a per-
da da cadeira de professor publico;
III. Ser de bons costomes ;
IV. NSo soffrer molestias contagiosas, proxEo reIalor0) por igsa, 8a0 convidados c
nem ter deteitos pnysicos que os pnvem i Srg accionistas a entrar mais com 10'[, soore o
de bem exercer o magisterio ; valor de saas aeces oo prazo de 30 dias da pre-
professa- ente data, e outros 10 "i, 30 dias depois.
Sedfe,3i de Dezembro de 1891.
O secretario.
Companhia Recifense
de Panificacao
Esta empresa, tendo recebido parte de seas
apparelbos que Drincipiarao brevemente a fonc-
ciooar e feito acquisico de 16 padarias torsa- se
iusomciente Ai saas operacOes o capital realiea-
' do, como ser detalbadamente demonstrado no
o magisterio ;
V. Habilitado as materias
d: b nos tres graos do ensino primario oo
DOS do exame que tiver eito On escola;
VI Vaccina recente ou re vaccinagSo.
Para a do 2. e 3.' anne :
Appr.vacSo em todas as materias ensi-
nadas no hnno anterior.
Outro sim, faco publico qos o mesmo
Sr. Dr. director tem designado odia 26 do
corrente, s 10 horas da manhS, para ter
comeco o exame de habilitarlo
Joaquim M. G, Rosa?.
Proposta
trata o art. 27 do regulamento vigente,
Secretaria da Escola Normai do Recife.
7 de Janeiro de 1892.
O secretario. F. Fragoso.
Companhia
E
Tecidos Paulista
Os senbores accionistas sio convidados a rea-
lzar a terceira entrada do capital a razao de 20
0/0 at o dia 8 de Fevereiro prximo futuro das
<1 bcras do dia s 2 da tarde, roa do Bom Je-
soJ o. l. pavimento terreo
Ee;ife, 7 de Janeiro de 1892.
J. A. Saraiva Jnior,
Di'eclor secretario.
Banco popular
Aasembla geral
Em observancia ao art. 25 dos estatutos, con-
vido aos senbores accionistas a reuoirem-se em
assembla geral ordinaria no dh 28 do corrente,
as 11 boras da manba, na Associacao Commer-
cial Beneficente, aflm de tomarem conbecimenlo
do relatorlo, parecer fiscal e contas do anno lin-
do, e procederse a eleijao da commissS) fiscal.
Recife. 11 de Janeiro de 1802.
Albino N. Maia,
Director secretario.
A Companbia Pernambacana de Navegaco
chama cencurrentes ao servico da remocSo do
casco do vapor Conde d'Eu, na praia de Santa
Rita.
Os proponentes deverSo apresentar soas pro-
de que postas em carta fechada, no escriptorio da com-
panbia, at o dia 23 ao corrente, 1 hora da
arde.
Recife, 13 de Janeiro de 1892.
Antonio Ulysses de Carvlho,
Gerente
Sociedade
DOS
artistas Mechanicos e Li-
beraes
Asseuibla geral de eleiclo
De ordem da directora, convido a todos os
socios effectives. para, de conformidade com a
primeira Darte do art. 50 e art. 51 dos estatutos
da sociedade, se reunirem em assembla geral
no lia 20 do corrente, s 6 horas da tarde, afln
de proceder se a eleicSo da directora que tem
de funciorar no exercicio de 1892 1893.
Secretaria da Sociedade dos Artistas Mechani-
cos e LiDeraes de Pernambuco, 15 de Janeiro de
1892.O 1 secretario,
___________ Silvipo Gomes Porto.
Hm Secretaria' da Santa Casa de MI
erlcardla alncana se o* egnlnte
predio*t
Roa do Encantamento, loja n. li 300i
Roa do Amorim, armazem n. 26 10*000
dem dem n. 64 30*000
Roa do Burgos c. 19 12*000'
Qualificacao de estrangeiro
0 presidente da Intendencia Municipal
do Recife faz publico que, dispondo o ar-
tigo 92 da ConstituicSo Potici deste Es-
tado que eerSo eleitor;s do conselho rna-
nicipal, alm dos cidad3os alistados como
eleitores polticos, os estrangeiros que ti-
verem domicilio no municipio, desde pelo
menos tres annos e contribairem com ai
taxas municipaes, sSo pelo presente convi-
dad s os que, se achando n'este caso qoi-
serem U3ar'de seu direito, sem perda de
sua nacionalidade, a requererem titulo
dentro de trinta dias, contados da presen-
te data declarando na peticSo seo nome,
filiacSo, idade, estado e domicilio, e tra-
zendo provado o tempo de residencia no
municipio, segando o artigo supra.
Payo da Intendencia Municipal do Re-
cife, 11 de Jsnero d*fe 1892.
Dr. Manoel Pinto Dmaso.
Presidente.
Joaquim Jos Ferreira da Rocha.
A New York Life In sa ran-
ee Company
A*tra aos poseoido^es dt- apoii -p? qae o Br.n-
co de Perrwmhuco recebe os prennos vencidos
em Jaciro e adianto.
Thesouraria deFa-
zenda
De ordem do Hlm. Sr. Dr. inspector deja re-
partida] faco publico que fica marcado o preso
di cinco dias, para os abaixo declarados assig-
oarem na scelo do contencioso desta thesoura-
ria o contrato para o fornecimento de madeiras
e materiaes ao Arsenal de Marinha, durante o
exercicio corrente.
Jos Silvioo de Albuqurqce Maranhao.
Manoel da Silva Faria.
Jos Rufino Glimaco da Silva.
Mar.02l Cavaicante de Albnanerque Lins.
Thesonrana ce Fazenda do Estado de Pernam-
cuco. 15 de Janeiro de 1892. -
0 secretario,
J- Gomes da Silva.
-\_____________________ ____________.
Thesouraria de Faznda
De ordem do Sr. Dr. inspector e em
vista de telegramma do inspector da cai-
xa de amortisajo, de hontem, faco pu-
bli;o que conforme a deliberado tomada
pela respectiva junta administrativa, far-
se ha nesta Thesouraria a subatituico das
notas do governo de cem e quinhentos
mil reis, da quinta estampa, at 31 de
Marco de 1892.
Em 15 de Dezembro de 1891.
O secretario,
J. Gomes da Suva.
Companhia
Fabrica de Yidros de Pemjm-
bnco
Assembla geral
Em observancia ao art. 17 dos estatuto?, con-
vido aos senbores accionistas a reumrem se em
assembla geral ordiaaria oo dia 27 do correte,
s 11 horas da manh, no escriptorio da compa-
nhia, roa da Aarcra n. 157.
Antcnb Miervino de Moura Soares,
Director secretario.
Banco popular
Scieutico aos enbores accionistas, que em
observancia ao art. 147 d) regulamento de 4 de
Julho de 1891 acbam-se a disposicao dos meemos
na sede social, a copia do balanco, lista nomina-
tiva dos accionistas e de transferencias.
Recie, 11 de Janeiro de 1892.
Albino N Maia,
_______________Director secretario.
Banco ae Pernaubuco
D accordo rom o art. 16 do decreto de 17 de
Janeiro de 1890, participamos aos Srs. accionis-
tas que se acbam na sede deste Banco, sua
disposicao, os segaintes documentos para serem
examinados :
1- copia des balancos.
2- Relacao mminal dos accionistas.
3- Lista das transferencia" de aceoes dorante
o anno.
Recife, 18 de Janeiro de 1892.
Jos Adclpho Rodrigues Lima, director-secre-
tario^________________________________
Alfandeg-ade Per-
nambuco
O inspector, segando dispOe o art. 9a do de-
creto n. 9766 de 14 de Julho de 1887, previne
aos interessades que esta reparticao. at o fim
do correte mez, far a cobraoca bocea do
cofre, do imposto dos fores vencidos.
Bardo de Souza LeSo.
Oorreio geral
Malas a expedir-se hoje
Pelos vapores brasileiros Olinda e Desterro,
esta admlnislracao expede malas para os por-
te? do sul, recebendo irapressos e objectos a
registrar al as 2 horas da larde, e cartas ordi-
narias a as 3 oa at a entrega das malas com
porte duplo.
tdministracao do3 Correios do Estado de Per-
-amboco, 19 de Janeiro de 1892.
O adninistrador,
___________ Rogooerto Barbosa da Silva.
Companhia Ferro (?arril de
Pernambuco
Aviso aos senhores accionistas
No dia 21 do corrente pagase o 19* dividen-
do de 64000 por aeco, correspondente ao 1.*
semestre do exercicio a finar em Junh) desse
ann. Os ttulos das aceoes registradas na sede
da companhia tem de ser exhibidos no escrip-
t >r o da directora, ra da Quitanda n. 131 ; to
das aeces registradas no Recife devem ser tam-
bem exbioidos no escriptorio a ra do Brnm.
Felippe de A-aujo Sampaio,
Gerente
Recife Drainage
RelacSo dos concertos feitos nos appa-
relhos no mez de Dezembro prximo pas-
eado de conformidade com a nltima parte
do art. 10 do contracto 2o do art. 15
do regulamento de 12 de Janeiro de
1872.
Recife
Mrquez de Olinda n. 38 50450
Dita n. 64 12080
Dita n. 51 7^540
Dita n. 53 20800
Dita n. 59 60190
Bom Jess n. 14 20900
Dita n. 16 20900
Dita n. 52 20800
Dita n. 21 20900
Jbmmercio n. 44 Dsh n. 11 70590
20900
Ditan. 17 40080
Largo do Corpo Santo n. 13 49670
Dita n. 21 40100
Bispo Sardinh* n. 3 40180
Torres d. 16 50360
Dita n. 20 401CO
Tbom de Souza n, 3 50920

:.







6
Diario de Pernarabuco Terca-feira 19 de Janeiro de 1892
Becco do Abren n. 2
Vicario Thenorio n. 4
Dita n. 5
Dita n. 23
Maris e Barros a. 6
Moeda n. 27
Companhia Pernambueana n. 30
Largo da Assembla n. 4
Dita n. 17
Madre de Deas n. 3
Domingos Jos Martina n. 14
Dita n. 28
Dita d. 42
Dita o. 48
Travesea do Campello n. 4
BestauracSo n. 28
Dita 48
Dita n. 56
Dita n. 17
D. Mara Cesar n. 10
Visconde de Itaparica ?. 43
Pbarol n 4
Dita n. 10
Dita n. 46
Areial n. 3
Pra9a do Chaco o. 6
S. Jorge n. 21
Dita n. 74
Dita n. UO
Dita n. 112
Dita n. 29
Dita n. 83
Dita n. 139
Travessa dos Quararapes n. 4
Santo Antonio
Imperador n. 42
Dita n. 46
Dita n. 43
Dita n. 54
Dita n. 35
Dita n. 45
Dita d. 77
Duque de Casias n 48
Dita n, 56
Dita n. 35
Dita n. 39
Cebug n. 11
BarSo da Victoria n. 42
D.ta n. 44
Dita n. 48
Dita n. 60
Dita n. 35
Dita n. 57
Dita n. 69
Trin:heiras n. 10
Dita n. 28
Dita n. 46
Dita n. 50
L&rangeiras n. 14
Travessa das Cruzes n. 16
Largo do Paraizo n. 29
Larga do Rosario n. 18
Dita n. 20
Dita n. 36
Estreita do Rosario n. 32
Dita n. 35
S. Francisco n. 10
Dita n. 56
JoSo do Bego n. 26
Dita n. 44
liba do Carvaiho n. 29
Dita n. 35
Dita n. 45
Bodan, 8
Dita n. 11
Trave3sa da Ra Bella n.
9
34
Dita dos Quarteis n
Dita n. 37
Paz n. 14
Paulino Cmara n. 9
Dita n. 31
2. becco da Camboa n. 2
Largo do Carmo n. 24
Travessa do Carmo n. 16
Dita n. 7
Travessa da Bomba n. 2
Travessa do Livramento n. 7
Penban. 11
Visconda de Inhama n. 2
Dita n. 18
Dita n. 62
Marcilio Dias n. 18
Dita n. 5
Dita n. 27
Travessa de S. Pedro n. 2
Coronel Suassuna n. 24
Dita n. 52
Santa Theieza n. 22
Dita n. 5
Travessa do Lobato n. 8
24 de Maio n. 13
Palma o. 17
Mrquez do HerAal n. 46
Dita n. 101
Quartel da Guarda Local
2. beoco da Cadeia Nova n. 6
S. Jos
Marcilio Dias n. 120
Dita n. 133
Coronel Suassuna a. 222
Dita ii. 115
S. Joao n. 31
Travessa da Concordia n. 19
24 de Maio n. 52
Dias Cardoso n. 54
Payo da Patria n. 53
Padre Nobrega n. 61
Travessa do Jaldereiro n. 10
Dita n. 1
Ditan. 3
Becco da Travessa doGaz 1 e 3
Vidal de- NegreiroB n. 196
Travessa da Patria n. 7
Travessa do Forte n. 4
AssumpcSo ?. 42
Domingos Theotenio n. 60
Paire Floriano n. 25
Dita n. 51
Santa Cecilia n. 14
Santa Rila n. 25
Dita n. 37
Padre Muniz n. 24
Dita n. 7
Travessa da ra Nova de Santa
Rita n. 2b
S.Jos n. 20
Dita n. 34
Dita n. 19
Pescadores n. 7
Dita n. .13
Fortaleza das Cinco Pontos
Imperial n. 35
Trav?ssa da Matriz n. 10
Mercado Publico
Ba-Vilta
Imperatriz n. 26
Dita n. 88
Dita n. 5
Dita n. 7
Praga de Maciel Pinheiro n. 2
ConceifSo-n. 4
Dita c. 10
Dita n. 56
Ditan. 13
Visconde de Albuquerque n. 82
209UO
100510
60230
20800
20900
20800
20900
20300
20900
60300
20900
20800
20560
20800
20900
20800
2$900
70500
20900
48930
2$3C0
25800
2800
70500
23CO
150iOO
50440
45080
20800
40080
20800
40180
20800
50920
20900
20800
20800
80400
40470
75500
20900
2 900
20800
20800
20900
40030
4,5230
50600
70230
20800
60860
160280
20900
20800
50360
40380
3$028O
40180
20800
208CO
506O(i
.110920
90150
80200
1,0460
1404'0
40480
90530
80660
280U
220290
90030
1003*0
20800
65710
4S780
4S780
90531
4548:)
210C6O
80050
20800
45.-80
2$ 300
20800
20800
80440
40480
2S300
50680
45480
40320
70330
208CO
20800
50700
20900
2590O
65160
20800
208CO
2800
20800
100300
140330
60800
60200
208CO
100320
20800
60230
40-280
190500
20800
20800
45280
100550
258C0
10S520
45280
20800
40280
40380
20300
120230
50250
170620
20>Oi>
48 i 30
20800
20900
203CO
45780
16$?30
208CO
48530
40580
40080
20800
50520
58350
1105ZO
40080
40080
60170
20800
40830
3*160
208190
40030
60880
Dita n. 57
Dita n. 93
Aurora n. 43
Ponte Velba n. 63
Conde de Boa Vista n. 18
Dita n. 7
Riachuelo n. 28
Hospicio n. 28
Dita n. 53
Dita n. 63
Ditan. 29
Gervasio Pires n. 56
Travessa de ra de Gervasio Pi-
29
Palacio do Bispo
do

res o.
Travessa
n. 26
Dita n. 13
Socego n. 19
Santa Cruz n.
Dita n. 26
Dita n. 70
Coelhos n. 22
HospiUl Pedro II n. 4
Barao de S. Borja n. 12
Dita d. 34
Dita n. 35
Dita n. 53
Soletado n. 39
Visconde de Goyanna n. 115
Recite, 16 de Janeiro de 1892.
J. F. Mackintosh
Gerente.
13J650
230410
4J080
45080
60880
130440
4,1080
2*1800
80350
4.1080
40360
2*800
4*080
4^1080
4 40080
20800
41080
4080
2*800
124850
4*080
541430
6,1340
4,1080
4 50960
aos Sr. carregadores pedimos a soa attenclc
ova a clausula 10* dos conhecimentos, que .
No caso de haver alguna reclamaco contra i
jompanhia, por avaria ou perda, deve ser feiu
por escripto ao agente respectivo do porto di
iescarga, dentro de tres dias depois de finan-
lada.
Nao procedendo esta formalidade a compaas
9ca isenta de toda a reeponsabilidade.
Para passagens, frotes e encommendas trt
ta-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro& C.
6Ra do Comm#rcio6
lo andar
uompntiia Bafiiana de ifo
MARITIliK
Para Rio de Janeiro
T-ndo j engajada a maior parte do seu car-
regamento, para abi segu, dentro de poneos
dias, o patacho nacional Annia ; para o resto
irata-se com Artbor B. Dallas, ou com o resoec
vo proprietario, ra do Commercio n. 4, ar-
mazem.
Porto e Lisboa
Segu com brevldade para os portos
cima abarca portugueza Novo Silencio*
para o resto da carga que falta, a tn.tar
com Jos Baltar & C., largo do Corpo
Saoto n. 17, andar 1.
.vmptnhla Pernambueana de
vegaco
Esta companbia mantera as segaintes liaba
egulares de navegngo:
tor/, tocando nos portos da Parabyba, Natal
w___o, Mossur, Aracaty e Fortaleza, partiade
teste porto um paquete a 11 e 26 de cada mez.
Sul, com escala pelos portos de Macei, Pene
lo, Aracaj, Estancia e Babia, sabindo dost*
jorto a 14 e 29 de cada mez.
Fernando de Norenha, partida no meiado d<.
nex.
Rio Formoso e Tamandart, sabida a 28.
Rio de Janeiro, (directamHiie) parte o paqtett
le 26 a 30 do mez.
Rio Grande do Sul, (viagem directa) sane di
16 a 20 do mez.
T-idos os paquetes sao novos, tem excellente
iccommodaces para passageiros e para carjga
d os precos sao muito reduzidos.
Os passageiros eocontram, apar do bom ti-a
amento, todo o conforto desejavel a bordo
m paquete.
Os paquetes que tazem as viageas ao Rio dt
laneiro, alm de terem tudo o que se encon.r
ios paquetes modernos, accresce que faz a va
;em em quatre dias e o prego de passagtm
la 1.* classe 60*000.
paquete empregado na viagem para o Hit
irande do Sul e somente para carga, e tem i
alado adequado a entrar no porto daquello Ks
ado em qualquer occasiio.
Recebe se engajamento de carga por quanti
lade lixa para todas as viageos.
Outrosim, a companbia expedir paquetes ex
isordinarios desde que baja carga para o enga
ment completo de um paquete.
sen orio. da Comnanhia Pernambocaiu
a 2t.
Itl
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Galicia
E' esperado dos
portos do sul a .e
o di *3 de Ja-
neiro seguindo
depois da indi.' -
peosavel demora para Liverpool com escala por
Lisboa. Bordeaux e iNymoutlt
Para carga, passageiros, encommendas e d
laeiro a freie: trata-secom os
AGENTES
WilsoD, Sons k ft, Limited
10RA DO COMMERCIO10
Mpia MMm ie Xi:
PORTOS DO SUL
Rio Grande do Sal, Pelotas
Ior o-Alegre
O paquete
Rio-Formoso
Commandante Azevedo
Segu at o da ** do
correte s 4 boras da tar-
de.
Recebe carga, encom
uu'odas e dinbeiro irete
.t as 2 hora da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambueana
u. 12
Lljd Brasileiro
Hecco de navegado
DA
HMPREZA DE OBRAS PUBLICAS NO
BRAZ1L
L'KHA DO NORTE
PORTOS DO NORTE
O vapor Olinda
Commandante o capitulo de fragata Vctor
Delamare
E' esperado dos
portos do norte
;it6 odia IB ds
Janeiro seguinde
indispensavel para
Victoria 'Rio de Ja-
neiro
depois aa demora
Macei, Babia,
Becebe aarga a baldear no Bio'de Janeire
para Santos, Canatia, guipe, Paraoago. Auto
nina, S. Praneisco, Itajahy. Santa Catbarlna, Rio
Grande do Sul, lelotase Porto-Alegre.
as encoflSmendas sero recebidas at 1 bora
la tarde do dia da sabida, no trapiche Barbos
30 largo do Corpo Santo n. 11.
Tapir
com 125 palmos de frente e fundo at a balxa-
msr.
Um dito dito n. 236 D, na estrada doMatadou-
ro, com frente para a estrada de ferro, com 90
palmos de frente e luido at a baixa mar.
Ter^a-feira, 19 do corrente
Ao meio dia
No armaiem da ra 15 de Novembro n*
39, antiga ra do Imperador
O agente Maitns far leilao por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz de orpbaos, en)soa presenfa,
do predio e terrenos cima descriptos, perten-
cenes ao espolio do Visconde de Bom Coose
Ibo.
Leilao
Maoei, Vila-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O vapor
Principe do Grao -Para
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
at odia tS de Janeiro re-
.gressando para osmesmos de
,pol da demora do eos turne.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nbeiro a frete: trata se :om o AGEETE.
O VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante F.-eitas
Segu no dia lt>
do corrente para
os porto cima
indicados as 4
horas da tarde.
Para carga, passagens, encommendas e dinbsi-
ri a frete trata-se com o
Pedro Osorio de Cerqueixa
17Ba do Vigario17
1' andar
United Staies and Brazi
M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
norte at o dia tO do cor
rente, seguindo depois da
indispensavel demora para
Baha, Rio de Janeiro e Santo
O vapor Vigilancia
E' esperado dos portos de
sul at o dia 3 de Janeiro
seguindo depois da demo-
ra indispensavel para o
Far, Barbados, Thomaz e
.\ew-York
Para carga, passagens, encommendas e di-
aheiro a frete tratase com os AGENTES.
Para carga, passagens, encommendas e di
heiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C
8Ra do Commercio8
Io andar
De predios e terreno
A saber:
A caa terrea da travessa da ra dos Guarara
oes n. 2, em chaos proprios, a casa terrea da
Palma n. 117,1 terreno, chaos proprios, entre a
estac&o de Sant'Anoa e casa perto, com 100 pal-
mos de frente e 300 de funio, com pequea casa
de taipa, cosiDba e frucuiras.
Terc,a feira 19 do corrente
A'S 11 HORAS
Agente Pinto
No armazem ra do Bom Jess n, 45
Unhn Bl-mensal
O paquete Matapan
Commandante G. Rossignol
E" esperado da Europa at
o da
O de Janeiro de 199
seguindo depois da demora necessana para
Rio de Janeiro, Montevideo, Buenos-Ay-
res e Rosario de Saeta F
O VAPOR ENTRARA' NO PORTO
Previne-sp anda aos Sre. recebedores de mer-
:adonas que u se attender a reriamacoes por
fal as, qne torem reconhecidas na oxasiao a:
lescarga dos volumes ; e que dentro de 48 ho
rasa contardo dia da descarga das a.varengas,
deverao fazer qualquer reclamacao concernau-
t a volumes qne porventura tenham seguido
para os portos do sul, alim de serem dadas a
empo as providencias necessarias.
Roga-se aos Srs. passageiros de se aprespntar
rem na vespera da chegada do vapor para toma-
rem as suas passagens.
Para carga, passagens, encommendas a d)
aaeiro a frete: trata-se com os
AGENTES
H. Burle & C.
42Ra do Commarcio42
mu. fu ti*
Para Fernando de Noronha
O paquete Jacuhype
Commandante Carvaiho
Seguir para os
portos cima ln-
9 dicados no da
19 do corrente s
4 boras da tarde.
Recebe carga, encommendas passagens, e di-
abeiros a frete at s 2 coras da tarde do da da
partida.
ESCRIPTORIO
Ao cae* da Companhia Pernambueana
n. 12
JU
E1L0ES
Terr3-feira. 19. leilao de duas casas terreas
e nm terreno em cbo proprio, perto da linba
frrea de Apipuco?.
Leilao
Agente Brito
Do estabelecimento de molhados sito
praya ds Maoiel Pinheiro n. 17
A saber;
Urna importante armacao de amarello envidra-
cada e envernisada. propria para qualquer ne-
gocio, 1 bonito fiielro, 1 balanza decimal, bons
gneros de molhados, 1 mesa redonda com po-
dra, 2coo8olos e 1 banca de amarello, 1 carteira
e muitos outras objectos que serio vendidos
Ao correr do martello
Terca-feira, 19 do corrente
' A's 10112 horas
5 Leilao
Do sobrado de quatro andares e soto da
ra do Torres n. 14 e dous terrenos de
marinba.
Sendo o sobrado de & andares e sotSo sot n.
li, na ruado Torres, fregueza do Recife reo-:
deudo maie de 10OJOC0 atensaes.
Um terreno de manaba n. 236 B, com frente
para a ra Imperial, na estrada do Maladouro,
Sania Casa da Misericordia di
Becife
f
Cuunelbrlro Qnfnlino 4oa de
Miranda
A jun'a administrativa convida a Exma. vinva,
fllBos, pareles e amigos co sen ex-vice prove-
dor conselheiro Quinlioo Jos de Miranda, para
se digoarem de asis ti r a mi esa de rquiem, can-
tada pelas educandas da casa dos exposto*, que
pelo descanco eterno de sna alma, far celebrar
na igreja de N. S. no Paraizo, pelas 8 boras da
manb do da 23 do corrente, trigsimo do falle-
cimento daquelle Ilustre cidado.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 18 de Janeiro de 1892.
O escrivSo.
Pedro Rodrigues de Sonta.
t
Ageote Pesian a
Leilao
De um sitio com diversas frnclelras, cacimba
com agua potavel. e de urna casa de taipa com
duas janellas de frente e urna porta, e dnas
janellas em cada oito, nma sala, dous qoar-
tos, cozinba, terreno proprio, margem da li-
nba de ferro de Limoeiro. confronte a ectrada
do Bartbolomen, servindo de base a tuerta de
300*000.
Terja-feira, 19 do corrente
A's 12 horas em ponto
No armazem a travessa do Corpo Santo
n. 27
0 agente Pestaa vender a quem mais dr.
por mandado e assistencia do Exm. Sr. Dr- miz
de orpbaos e ausentes, o sitio e a casa cima
meDCiooados, pertencentts ao espolio de Sabino
Gomes de Amorim.
Leilao
De urna bonita parelha de cavallos casta-
ohos para carro e 3 vaccas, sendo duas
de raya turina.
Qaarta-felra 90 do corrente
A's 11 horas
Na porta do armazem n. 39 da ra 15 de Nj-
verebro, antiga do Imperador.
Pelo a gente MdrtiQs
Agente Britto
Leilao
Urna mobilia de junco com encost de palba
(qoasi nova), 2 camas fraoceza, i commoda, i
bidet, 1 cabide, 1 berco, 2 consollos pretos, 1
sof, 2 marquezOes. 1 candii.heiro belga de sus
penco, 1 estante, 1 mesa redonda, 1 relogio de
parede, 2 bancas com gaveta, 2 eepelhos, 3
quadros, 8 panos de crochet, & etageres, 1 mesa
elstica, 2 apparadore:, 1 {tfarJa comida. 3
langas para cortinados, loucas para almor;o e
jaoiar, copos talberes eoutros muitcs movis.
Quicta-feira, 21 do crreme
Ra de Lomas Valentinas n. 78
A's 11 horas
Manuel Andr de Lima Fllbo
Maooel Andr de Uima (ausente), Manoel Joa-
quim de Arruda e sna familia, Flix de Arruda
Lima e Josepba A. de Arruda Lima agradecem
do intimo d'alma a todas as pessoas qoe acom-
panbaram os restos mortaes de seu prezadissimo
tiibo, neto, i mo, sobrinho e primo, Manoel
Andr de Lima F;lbo, e especialmente aos feos
collegas, pelo ioteresse qne tomaram durante o
periodo de sua molestia, e cenvidam de novo a
todos os seus amigos para assietirem a missa
que pira o descanso de sua alma mandam rezar
na matriz de Santo Antonio, s 8 horas da ma
nh i\e terca-feira 19 do corrente, stimo dia de
seu passamento, coafessando-se desde j eter-
namente erutos.
Cosinhera
Preclsa-se de urna bea cosinhera para casa
de pequea familia, que durma em casa dos
patroes, na ra de Fernandes Vieira n. 29.
Caixeiro
Precisa se de nm caixeiro com baslanie pra-
tica d seceos e molhados, qne d garamia de
sua conducta ; a tratar oa ra do Queimado nu-
mero 56.
l'rofessor publico
Joo Ferreira Vilella de Araujo, pede se a
este seihor o fav ir de vir roa do Coronel
Suassuna n. 218 cumprir a sua palavra. que j
al'.oo a ella doze vezes.
Ao eoninierciG
Urna pessoa babiliada offerece-se para fazer co-
brangas e coadjoavar em alguna escriptaraco
commercial; dando fiador de sua conducta.
Quem pretender derija caria para a ma Impe-
rial o. 19 1- andar, com as iniciaes J. M. S.
Frecisa-se
De cma ama. no pateo do Paraizo n. 20, leja.
t
Odtlon Cllmerlu de quino
Joaquina Gencalves de Aquioo. Atxion Amen-
co de A;uino, Cleodon de Aquioo, Etelvinade
Aqnino, Olivia Aquino de Oliveira, Francisco
Pedro de Oliveira e Toemistocles de Oliveira,
mi, irmSo?, cuohado e primos do rditoso Odi-
lon Climcrio de Aqumo, convidam aos de mais
prenles e amigos do tinado, par> acsialirem os
ltimos suffragios que por sna alma mandam
celebrar na igreja de N. S. da Sade do Poco da
Panella, na quarta feira 21 do correte, s 8
boras, stimo dia de seu (alledmento, pelo que
se ronfessaro eternamente eratos. _______
Feitor
Precisa se de um feitor ; a tratar na ra de
Paytandu n. 19.________________^_^^^
Moedas brasileiras
Compra se de 500 rs.. 1000, 2*000 no centra
da moeda ; na roa do Cabug n. 9, loja de As-
gusto do Reg.__________________________
Patacoes
Compra-se de todas as nagOes ; na ra do Ca-
bug r. 9. loja de Augusto do Reg.__________
Patacoes
Brasileiros
Marcados 2*000 no centre, compra se por
caior prego do qoeem oulra qualquer parte: no
armazem ra do Commercio n. &
a-se
Leilao
De movis, espelho, louca, mesa elstica,
cadeira e outros movis
Quinta-feira, 21 do corrente
A' 11 Jioras
Na casa terrea n. 207 ra da Concordia
O preposto do agente Stepple, aotorisodo pela
Exma. Sra. D. Lunada Auro a da S. Neves, que
se retira para o Estado, de Alagoas, levar a lei
lao os movis cima-
AVISOS DIVERSOS
- Precisa-se de um feitor habilitado, especial-
mente em jardim e que c informages de soa
conducta e prolisso ; a tratar na ra do Torres
n. 6, ou em Santo Asjaro cem o coronel Francit-
co Botelnu de Aadrade.___________________
Precisa se de um ora cosinbeiro ou cosi-
nneira e de um copoiro; a tratar na roa Mr-
quez de Olinda numero35.________________
Precwa-se de urna criada para ccpeira e
mais servigo de ama casa ce familia ; a tratar
na roa da Soledade n. 82.
f recua se de auas amas, sendo urna para
engommar e cut:a para cojeira e eervigo de
casa, pagase bem ; a tratar na ra Baro da
Victoria n. 50, 1- andar. _________^_
oSr. Julio Martins (capito da comnanbia
de bombeiros) e o professor interino de Olinda,
Joo da Silva, teeiu carta roa da Florentina
numero 26.
Paulina da Mona *lli a Caval
caate
Francisco Barbosa de Barros Cavalcante, seus
h'lhos, major Jos Carneiro da MotU Silvetra, sua
mulber e tilbos, Antonio Silvestre Lins, convi-
dam aos seos parentes e amigos para assistirem
as missas que mandam rtzar na sexta-feira 22
do corrente. pelas 8 boras da manb, na igreja
matriz desta cidade, por alma de sua sempre
lembrada esposa,tilbos.pa, irmos e cunbado de
Paulina da Molla Silveira Cavalcante, pelo que
se confessam gratos aos que acqniescerem a esse
convite, como j sao gratos a todo3 aquelles que
compareceram ao enlerrameoto.
Pao .fAliio. 16 de Janeiro de 1892.
0 grande armazem onde foi refinagao do Car-
pinleiro, cu para armazem de carros ou cochei-
ra, em vista fia Intendencia mandar retirar as
outras, pois o proorietano acaba de fa2er um
grande concert nelle ; est caiado e pintado de
novo, e entra carroga pela porta a dentro ; a
tratar na ra da Madre de eus n. 3, hotel Pi-
tla.
Cofcinheiro e engom-
madeira
Na ra Visconde de Goyanna n 207 (Mangni*
nbo) precisa-se de um perteilo cosiobeiro e urna
perfea eogomnjadeira. paga se bem.________
Aluga-se
O 2- tndar da ra daPenba n 23. limpo. cora
agua e gaz ; a tratar na loja da Magrolia n. 45,
Duque de Caxias.
Moedas de prata
O Dr. Manoel Po- eiia jusior n.anda celebrar
urna missj por alma de seu amigo Jos Bonifacio
Pessoa de Mello, quarta feira 20 do corrente, s-
timo dia do seu passamento, na matriz da Boa
Vista as 8 horas da manb. e convida s amigos
e parentes paraassistil-a
de todas as qoalidades, antigs e modernas, de
24(00, 14000 e 500 rs., assim como toda a ea-
prcie de moedas etrangeiras de ouro e prsta,
paga se bom prege. Compra se tambem ouro e
prata ve ha ; na relojoaria David, ra do Cabu-
g n. 14_______________________________
Eogommadeira
Precisa-se de urna ama que engomo:e bem,
ensaboe e faga maisalgum servigo de casa, que
durma em casa dos pairoes, para casa de peque-
a familia : na roa de Fernandes Vieira n. 29.
Caixeiro
Precisa ce oe um tosiubeiro ou cosinbeira;
a tratar na ra Mrquez de Olinda (antiga ra
da Cadeia) n 35.
Precisa se de um enano que emenda de
copeiro ; a tratar na roa da Cadeia n 35.
Aluga-se o 3' andar do predio n. 3 ra
da Imperatr'z, com bastantes accommodagfies,
bem como uto grande soio, agua e terraco, es-
tando caiado, pintada e lavado ; a tratar na ra
Duque de Caxias n. 60, loja.
Ven le se a cas > o. 12 a ra de Cbristovo
Colombo (Fregoezia ce S. Jas) livre de qualquer
onus, a qua! rende 154000 p -.r mea ; a tratar
no cartono do Sr. tabell:o Mergclbo o. 50
ma 15 de Novempro.
Precisa-se de urna crala para traio de casa
de duas pessoas de fam'.a ; na ra Coronel
Suassuna n. 151, 1- arelar.
Urna peesoa, em todo sentido Idnea, para
o ensiro de changas de ambos os sexos, em por-
inguez, latim, diversas liocuas estrargeiras,
piano e serafina, procura emprego, como inestre
em alguma f-senda importante, a curta distan-
cia desta capital, ou de urna estago. ptimas
referencias e excellentes attestados. Carta fecha-
da C. N. O., na redaego do Diario.
Amas $ triado
No Bjpinbeiro, ra de
Santo Elias d. 10, precisa-se
de um criado, de urna criada
e de urna cosinheira; dando
attestado de conducta.
Ama
Precisase de orna ama para cosinbar em casa
de nma familia ; a tratar na ra do Brum n. 53,
taverna.
Amas
Precisa-se de dnas amas, nma para cosinbar e
comprar e outra para engommar, lavar e mais
servicos domsticos, na ra velba de Santa Rita
numero 83.
Ama
Precisa-se de um caixeiro de 12 16 3nnos de
idade, qoe d fiador sua conducta, que tenba
pratica de taverna ; na ra do Motocolcmt n.
65 A, Afogadcs.
Caixeiro
Preeiea-se de urna ama para cosinbar ; na
travessa da Praia do Forte n. 6
Ama
Precisa se de urna ama para pentear urna 30-
nhora e que enteada de costuras : na roa do
Reachuello n. 51.
Caixeiro
Precisa se de nm caixeiro de 12 a U annos.
que d conbe:imento de eua conducta : a tratar
na ra da Santa Cruz n. 36.
Aluga-se
A parte da frente do 4 andar sito ra 15 de
novembro n. 43 ; a tratar m mesmo, parte de
detrsi.
Jrca
Precisa-se de nma ama para cosinbar e mais
servigo para casa de pequea familia, preferin-
do se crioula e de meia idade : a tratar na ra
do Livramento n 1, sobrado.
Amas
Precisa-se de duas amas, urna para cosinba e
outra para sala ; a tratar na roa Baro da Victo-
ria n. 5a, na antiga agencia de movis.
Ama
Precisase de urna ama para lavar, engommar
e mais algoos servigos ; na ra do Raog el n: 9
padaria.
Ama para crianza
Precisase de utia: na roa Mrquez do Herval
numero 10.
Precisa-se de um caixeiro com pratica de ta-
verna, de 12 14 anuos, dando fiador sua con-
ducta ; na roa Imperial n. 164 se dir.
Aluga-se
Urna casa cem accommodages para familia e
com grande sitio na margem do rio Capibaribe.
na Torre ; a tratar na mesma oa na estrada Real
da Torre n. 6 A.
Precisa-se
de nm mer.ino para criado ; na ra do Bom Je-
ss n- 4, escriptorio.
Yende-se
Urna taverna muito afreguesada estrada de
Loiz do 8ego n. t9, por a dona querer retirar se
por incommodo de sade ; a tratar na mesma.
Officiaes de carp na
Precisa-se de cfficiaes de carpina, tratar na
ra do Commercio n. 4, armazem.
Compra-se
Quem tter e qneira vender urna casa e que
sej-i em roa bem localisada, dirija se Prega
Conde d'Eu n. 32 3- andar.
N^ASTHMA
OppreasAo, Catarro, com O
Obteve as mth il'.as ncomptniat.
Deposito em todas as PharmacUa
Criado
Precisa-se de um criado que d fiador de sua
conducta ; na Capunga, ra das Pernambucanas
numero 58.
Criado e cosinhciro
Precisa se de um cri:do fiel e um cosinbeiro
rfeeito ; na ra do Paysandfl n. 19.________
Casas para alugar
Roa da Aurora n. 41, 2- andar.
Ra da Aurora n. 45, 2- andt-r.
Traveisada roa da Madre de Deas n 6,1- e
2- andares; a tratar na ra d j dom Je;us n. 1,
andar terreo, sala do fundo.
N 47:730
Chama se atttnco do Sr. Macoel da Silva Cas-
tro, gnarda da casa de Detengo, para vir pagar
o seu debito do anno passa lo, ao contrario co-
bra-ee judicialmente, raaJIa-qaez do Herval nu-
mero 29.
Ao commercio
O abaixo assigoado de:lara que nesta data
comprou ao Sr. Laorentino Antonio da Silva a
sua taverna sita ra Keal da Torre n. 6, livre e
desembaracada de todo e qualquer onus, e quem
julgar-se com direito a mesma qoeira apresen
lar os seus documentos no praso de tres das,
a contar de boje.
Recife, 19 de Janeiro de 1892.
Manoel de Freitas Serpa.
Feitor
Precisa se de nm feitor para sitio ; a tratar na
ra do Vicario n. 13.
Alfija-se
0 3- andar e soto do sobrado ra do Cabu-
g n. 16, com bons commodos, tem aua : a
tratar na ra Baro da Victo ia n. 3.
Olinda
Aluga-se a casa n. 30 ladeira do Varadouro,
boje roa do Coronel Jea, de Sa, com 3 quartos, 2
salas, cosinba externa, bom quintal com cacim-
ba, porto para o becco da Pceira e agua enea
nada : a tratar no Recife ra Direita o. S,
sobrado.
Liquidadlo 4$ ai-
fado
A FLOR DO BOSQUEa ra do L
vramento n. 10, chama a attengao de seui
rreg>ieBe8 para os artigos obaixo descrip-
toa, cjoB s2o nvendidoa por precos resma*
dissimoa para fechamento de con tas.
Grande sortimento de botinas inglesa*
ds diversas qualidadea a 9000, !0$O0C i
11*000 o par.
Botinas para homar, das meihores f
bricas do Rio, por precGs sem c mp
'enca.
Botinas de cordavSo, coru salteiras obr
forte e elegante, fabricadas especialment
para as Exmas. Sras. normalistas.
Sapatos braucos de setim o du raqui
oroprioa para as Exmas. Sras. noivas.
Explendido sortimento de botas oar
montara, tanto de oouro da Rnssia pret*
lomo braneo.
ChancoB e tamencoa portugueses para
averno.
BotocoB e cothurnoB proprios para cae
Botinas nacionaes impenneaveis, obn
solida e propria para o invern.
Lindo aortimentc de sandalias de toda*
aa quadades, tanto estrangeiras ooai
nacionaes.
Para oreancaa de amlws oa tezof ht
sempre nesta casa o mais completo e va-
riado sortimento de botinas, cotfaurnos
focos e sapatos.
A FlvOR DO BOSfUE
10 jRDA DO UWlAMJlvTO W
Costa Campos & C.
>\
i





;>


Diario de Pernambuco Ter^a-feira 19 de Janeiro de 1892
m'

\

^^^^^^MMWWM//MM%m?2i
YW''"
SAINT-RAPHL
'/M,
Depsitos em

wmim
Vinho fortificante, digestivo, tnico, reconsti-
tuinte, de sabor excellente, mais efficaz para as
pessoas debilitadas do que os ferruginosos e quinas.
Conservado pelo methodo Pasteur.
Recentado as Molestias do estomago, Chlcrose,
Anemia, Convalescencias; este Vinho recora-
mendado s pessoas j idosas, s jovens, mulberes
e s criancas.
Pernambuco: O da Dragaras e Producto Cbimices; FAIUA S03RHH0 C* e bu prfacj PiraafcU.
FIGADO
do
ISTas
Doencas do lw *Jsl \r Wj ^ f.fl Estomago
a DYSPEPSIA ATNICA, as FEBRES INTERMITIENTES,
as CACHEXIAS tie origem PALUSTRE
K CONSECUTIVAS A UM LONGA ESTAD \ [M PAIZES QUENTES
^^ Prescreve-se nos Hospitaes em PARIZ e em VICHY o
BOLDO-VERNE
ou EL.I2CIFI de BOLDO-VERNE
ItsMiUa: VXJtXTO.Professcr di Iseola Em PERNaMBTCq c* de l^fOOAS dt PRODUCTOS CHIM1COS.
SIMN ViOLET AIN & C" oalccs muum le VIOL.ET FRRI-8
-Km THTJIR (PyTene8-OrlenUai| VXmFQJL.
Gtsauiea para Q RV R RH C0B m l tm
O BYREH urna eluda cujas virtudes tornean tornoa-se
escazado assignalar.
Compsto com vinhos velhos de Hespanha excepcionalmente
jenerosos, postos em contacto com substancias amargas jodie iosa-
mente escolhidas, este Vinho contem todos os principios das mesmas
e nao tm no estomago aquella aegao corrosiva do alcool que oons-
tituea base damaior parte das especialidades offerecidas ao publico.
S?, ao uno tempo, rauito saboroso e absolutamente Tpre-
hsnsivel ao ponto de vista hygienico.
0 BYEEH pode ser tomado a qualquer hora, sendo puio na
dose de um clice de Vinho do Pcrto, como tnico; misturado
com agua, n'um copo grande, como bebida refrigerante.
EXPOIC.io UNIVERSAL DE PARS 1889---------------------
M2DALHA. ds> OURO (o mal alta, recompensa aoncedld.)
vssdss em hraimtine uanli fllJ- d. SILTi i. O nu priclpsa. cun.
NAO HA
MAIS
OOPAHIBAl
A ornea n<> munl q'i
INJECCAO PEYRARD DALGIER
ico, curando realmente eui i ou 6 das. Ri'Uiun
ir cu |" ni' ij'l*> aijfiiiii niiiiu iiiiu hii.im
ediCO'i de Argel tem experimental lo a WtJ+*f&4 fevninl em 232 Arabos padecido de bienn horraras t eceotes od
o i. kt, enire os qunes 80 han a mais de 10 annos. G0 desde & annos. 92 de*de 4 das at-- 2 anno ; o resaltado marsTilho^o fot
o Knt .asa do inventor K. VEYR IB, place du Capltole, em TOLOSA 'Franca) e em todas as pba; mac,'
J>pueitaziu9 em Pernambuco : Fran* M. da SILVA ss, C*.
\<-^ ^^ei^tp^-^
u I

ALIMENTO
s^~
doa tnaie agradareis e de fcil digestao.
Seu empreo precioso para as criancas, ilesdt
I a idade de 5 a 6 mezas, e mormonte nu momento
de dcsmama-los. facilita a dentico.
Anegnra a boa formaciia doa oaaoa.
l'rovru ou dte os defeitos do crescunca.
-~ __^____--------- __~~ w~^..^...
Pars, 6 Avenida Victoria e principaes Pbarmacias de Francia e Estrange.ro.
MEIO-SECLO DE XITO -*- 51 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra
AIiCOOIj
HORTELo'piHENTfi
RECOMMENDADO
peiis sais Afamados Meditas
Indigestoes,
Dores dt; Estomago,
di> Coracjo. dos ervos,
da C-Lcca, *tc.
DE RICQLS
INDISPENSAVEL
durante a alacio calntosa\
excellente;
TAMULM P*RA A
Toilette e os Deni.es
Gi ande Preservativo nos tempos le Epidemia
Fabrica em LYON. 9, eours d'Herbouville. ^ PARS, 41, rj Ri:her,
EXIGS C HOME CE UCQLS RECSiR S FLSiFICflCES
3EP0SITOS EM TODAS AS PSINCIPAES PHARMACIAS
ASHTMA & CATARRKO '|
Curados pelos CIGARROS ESPtC
OpitrcMsrn :KKf 1) Al'. :ici:nuiai.s i'Ki.A rifSPECI VYOleilft DO bi:.vz;l
VeDi emaiacWo .1. ESFic. c ni Salot-Laare em PARS. vi s etl mitnaturi.
^," I ....,.
Ji
n C 5 r is
"0NI-NUTR1
. '"'p- "' '-' b ; I.".
O melhor e mais agradavel dos tynicos, receicado pelos mais
illustrados facultaiiuo de Pasta, coa cuses ii.% ANEMIA,
CHLOROSIS, FEBRES de qualquer natareza, DOENf^AS
do ESTOMAGO, CONVALLCScbriGAE.
Se acha r.as prlncipass Pharmacias,
ymm
TOSSE PERSISTENTE, 3,R0NCHIIESC CATARRpS
DOENCAS DO PEITO
[cuffA certa peas.
CAPSULAS COG
i Xucalyptal
Pernamb
iodoiorm o- creosotado
---------PARS
LEBRUN
W tk BS^ds? balsamo
i Jk.1mn\JTmW sulfuroso de .
Balsamo de Tolu, Alcatro, Acnito e Monosulfuro de Soda puro para
2 a cura infallivel da Phlhisica, Bronchile crnica, Gatharro, Laryngile, Aphonta e
Doencas da pelle. Para o modo de emprego consultar o prospecto.
PARS, PHARIMCH CENTRAL, SO, faubourg Hontmirtre, eemiodis at phanuciu mugeiru.
Depositarlos em Pernambuco : tranco m. da SILVA & C"
9
U QUINA BA80GY
Sao as Fdntes do Estado francez
A.miDislrAfio :8. BODLCVARD kfONTMAATRC, PARS
CELESTIoS, Aris asomas, DotEtas ia Beiifa.
GRA H DE GR IL L E ,Iols lias i Finada e do ipparelho biliario.
HOPITAL, Doeacas do Estomago.
HAUTERIVE, iHecciei do Estomago e do ppartlbo innir.o.
Ua/CMI, CVjo nfttirrtftmtr.to fllcsl:tado Cor um fcoreUnUfit
do EttMdc.
MfttilM Pernanbuco iMU (t bKafil; lif. Ulilk
1 tu ariiOfan -uructi Incariu.
HAMWAM B0U0UT1
DE P'NHALIGON
Perfume celebre furnecido i Cama Real |
As Cortea Ingle A Kftrangelra e c Bllv- d Europ
Atacado: PENHALIQON de JEAVONS I
33, Saiat-vtanes1 treet, 33, Lona-e
a Da excellente resultados M
N em todos os casos de MEMA DEBELIOIDE J
% QUINA RAGOUCYj
AMnm rpidamente tu BORQAM Q
Mor COISTIPCO i DOKS o* ESiMtNk
5
pni ilU,lll wtmi- Uan, arm.
Frsa- M. da JLVA O.
I
SUSPENSORIO MILLERET
{rxjtanjti PA.RA. 90DRADDBA]
Elwtico, bi liRar. M^ nriooceleav rrocele. etc.
ExiJA-M o Simlte doiDvenlr imprtuotrr. cada sitptntono.
.succasaoR
rM*afc'e(udt
u* t~rl*ina-aa'ca!
-" 'tum '^*-' PPV
1*4 J^
i\m a cara Molestias provenientes de im-
pureza do Sangue.
E' ama limcnni ailar a fazr- expe-
rlenclaa co" mistaras inferiores com-
lOStas dedra nnlinariasou de plantas
indgenas (Tija oificada nao confirmada
pela sciunciu, cniquanto que a molestia
cada ves va: ganhando terreno.
Lanccm mo, sem demora, de nm re
medio garantido cuja efficacia soja l'actc
abSignalado e inquestionavcl 1
O E.XTItACTO COMPOSTO COXCEXTRADC
pe S-u-satajuiliia i>:: \...i: 6 conhedda
e recommendado pelos mdicos mais in
telligentcs dos paizes adiautados, j
arante -O annos,
Centcoas de milhnrcs de do<
un colhi.lo beneficios do seu emprego 6
Safo ontras tantas testcmunlias da su
cfllcacta positiva e incomparavel.
PKEl'ARADO PKLO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, 3Iass., EsL-Unidos.
DEPOSITO OHMJ :
DOEKCAS DA PELLE
VICIOS DO SAilGE
AFFECCOES SYPHILITICAS
Cura Crt-la polo
DRGIBERT
XAROPE E GRflGASi
Btpuralivoi loilurttad do f
(Preparados tor bou'iony-ha.mkl)
UNIVERSALIHENTE RECEITADOS
PELOS MAIS AFAMADOS MDICOS
Exigir at firmas (tinta encarnada/ do D*
GIBF.ItT t de BOOTIONY, o tello do Governo
Praneti e o da Unio dot Fabricantes
DESCONFIARSE DAS IMITACOES
Luiz Vernet levan
ta emprestimos de
qualquer quantia sob
eaucao de ouro, prata
e pedras preciosas e
tambem compra cau-
tellas do Monte de
Soccorro, caucoes do
Banco Popular, joias
e brilhantes.
Pode ser procurado
aa sua relojoaria ra
do Baro da Victoria
n. 53, das 8 horas da
manh, s 8 da noute
MARAViLHA CURA.'!.?
DO CCLEDRE
De. Humphreys lie Nova York.
A Verdadeira Maravilha to Scclc.
APPROVADA E LI0EV0IADA
pela TospoctoTia Grnl Imi>cr;o *:-. CKbu -
A Maravillir. CnnuiT* i
para as Pisad ara*. Haefeu .
ceduras, CortaduriT,, ja Ijctrj'. ... a
t*sianca rt sangut1. :
a incnaAo. cu _
como por c!:\
A Mnrav'iti C.r.-nf ;\ a
cira 1..1 .
Vueimadura Uu bo,a cnpcrlOZ a^3*J u '.tra
n iiu-tlo.
A BiarnTjl;a C'i'rn;ivn ; ira
todasasH^inori^HKit^. sejadoXj
i ...
Aiiiiorr:li..;:cota ipw l '-ia-
A ."i!::-ft.ir.i:' : i.. ;-;
par.J>orde emes.to ...\--l-, '- : i
da Face o Hem
A lavavlin (
_ i
roas.
A Morar
CUou
A lHnro
A >laravl!In iiirtlivn
curar Cl
co, Callos, Prieir c 1 u:iiores.
/ Ifi r.ri rapte
pan, Pirrncr. slra]
\ "ar; v':i Carmilvo naa
Pisaduras e l^loladuras.
23pecialldaS2s de Dr. EuiriEhrej:.
Remedios Especficos,
Unirnonto Mai*avi!hoso*
Remedin Syr>bIr*oi,
Rern('.Io? O Manual do Pr. Hi:mnhrcys 144 pronas :obreaJ
Eafer'. i>ede-
eaok'ii iiotv aroou s
HUMPIIKEYS' MEDICINE CO.,
-09 ijnltoa Strce, SEW YORK.
Deposito geni na Qoirpanhia
de Drogas e Productos chimicos.
Gerente Francisco Manoel da
Silva.
Engenho
Trasr>a?sa-3P o arreDdamento le om engenho
perto de Jaboatao. com capacidade pa*a drui
mil p-j, movido a agua, bstanles trras e ma-
tas, obra? em perfeito esta-Jo,' destilago. bom
cercado feito de novo e planlacOes ; a tratar na
livrarla do Sr. P. Boulitreau, ra do Imperador
numero 46.
Kerosene inexploslVa
Unicus recebedores
Fiuici Inaos & C.
t? DELICADO 1T
AGUA
o FLORIDA J3 m
< O PURA n V^5m\ SEM | n m
ce RICA RIVAL 03
< o
LU avm | HrSI va^ >
s 3 MURRAY z
cc & IANJMX m
L Q. Mantem sempre a ua popu- m
laridade. Cautela com as
IMlTAlVil.-.
pS DURADOIRO ^
ff.
"%



Brancos e de cores
A15, 18#e20#
VSNDE-SE
LOJA BAS L STRAS AZES
61-Rua Opquede Caxias-61
MARAVILHA CURATIVA
DO CELESRg
Dr. Humphreys de Nora York.
A Verdade;ra Maravilha do Seculo.
APPROVADA LICENCIADA
pela IoHp-ocforia i.i-ral de Hygicae da
Isst>cro do ItCdZl.
A Un (iTlia Cu niiva remedioprompte
jara ar Pisadui-hs, Machucaduras, Contavt>,Tor-
:eduras, Cortadnras, ou l^ceracose, Allivtaador.
.-rauca o ^aligue, nz i-an^ a tudamnia^io. redu*
a luoDac^o. tira o dudooriUBatitu, u Taz borar a ftrida
como jx>r e m-auto.
A Maravilha Cafar iva alllvlopromptoe
>-urti ra| ii!a pam (r. maduras, tbca load oras,
VJvi.'i,.s 'ura do bui,c. bopcrlor a qualQuer outre
A Slaravilha Cu rn ti va Impaga-rel par
todaaas ilf-m. irrliak'las.,.. a do Nariz, das Oeagivua.
d< a Fulm&es. do Rvwmiawro. ou a> Hero'irrhohlaj ou
AlrtiorTt-trnafrcunicmpre emnea Calba.
A 3Inravilia r'urniivn uinalllvionmmiito
para Dur do Den tes, de ouvidos, da Face, uicbaco
da Face e Nev-ralgia.
A Marpvllha Curativa t orecurwo prompto
o .rt-cioso para IW.rer, rbeumaticas, Aleijao, Dore
Klyidez uas J untas ou P-^rnas.
A .11r>i.i%iha Carat-va oRTande renedlo
E:ra Esquinencia, Angina, AmywdidaK lnchadasoa
ilammadussempre t-epuro, sempre efflcac
A Maravllfaa Cnrativa de multo vak
como nJcc^Ao para o catarro, a L-urorrhea ou as
Flores brancas, e outros coiTrentos debilitantes.
A Maravilha Curativa Irapagavei paro
curar i:iceras, ("hagas antigs, Apostemas, l'anail-
cloas. Callos, Frlelras, Jo?uetes e Tumores.
A Maravilha Coialivareinedloprompto
"para Dlarrae? slraples, e de Dlarrbea chrootoSL.
A Mara.ilha Curativa excellente na
F~;n iarif- < < avalbrlQaa, para Torce Pipaduras- Kstoladuras, CoutasOes. Lacera^es &c*
LOJA DO GLOBO
Ped.- attencao ao publico, para o sortimento de fazen-
zendas que annuncia, por precos coriimodos
Merinos de cores com duas larguras.
Nanzuks de todos os preos.
Lans de cores, sortimento c mpleto.
MadapolSes de todos os precos.
Sargelins de todas as cores.
Grande sortimento em chitas e cretones.
Visites de seda e merino, novidade.
Bramantes de linho e algodSo.
Voiles de algodao, baratos, cousa cbic.
Merinos pretos, lisos e lavrados.
Grande sortimento em brins e cassinetas.
Fiehs pretos, de cores e praiados.
Amor da China, lindos padro- s.
FustSes brancos e de cores.
Mariposas de cores, barato,
ambraias Victoria e transparente.
Creps voile, novidade.
Colchas de coree, lindos padrSes.
Vestuarios de Jersey para crianzas.
As lazendas que annunciamos assim como outras muitas que seria enadonha
encionar, vendem-se por preos razoaveis e ha sincerid&de na medida.
VER PAM CEER
A LOJA DO GLOBO
55Ra Duque de Caxias55
Antonio Fwitanfos do Axovodo
especialidades do Dr. Humpfcrcy!.
Remedios Especficos,
'offsento >Iiirnv!?ir.mi,
Kemedios 8yphlltcicot,
K medios Veterinarios.
O Manual do Dr. Humphreys 144 paginas sobre as
Enferniidadese mododicural-a^ae d gratis, pede,
se au st j boticario ou a
HUMPIIKEYS' MEDICINE CO.,
109 Fultin Street, NEW YORK.
NICOS AGENTES
Para vendas en grosso es* Pe
nambaeo
Faria Sobrioho i G.
DROGARA
A' Ra Marques de Olinda n. i
PAKA
ENGENHOS
Lopes e Araujo partici-
pam aos seus freguezes e il-
lustrissimos senhores de en-
genho, que tem deposito
constante dos artigos abaixo
mencionados garantmdo a
boa qualidade.
Cal de Lisboa.
Dita de daguaribe.
Potassa da Russia (en
barriquinhas, caixas, lata?
grandes e pequeas ).
Oleo de mocot,
Azcite de carrapato.
Dito de coco.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
Kerosene inexpJosivo.
Graxa em bexigas,
Gaxeta de linho.
Precos sem competen
cia.
i
Rva do Lmameiife
n. $8______
Gaf do astado
Compra qualquer por^ao
A
Companhia Industrial e Cem-
mercio de Estiva
NA
Rosa de Ouro
Qs proprietarios d&te bem conhecido estabelecimento resolveram defintiv-
mon#e .aaer grandes reduc^es de prejos no grande deposito de fasendas de que se
acham supridoa e para conseguirem urna liquidaslo completa e tao rpida como
desejam, aviam aos seus numerosos freguezes e as Exmas. Familias afim de viren,
de preferencia aqui suprircm se, por diminuta quantia, de lindas fazendas
A saber:
Vestidos de cambraia bordados em cartoes. Chapeos de sol e rombrinhas de
seda. Vosti^inhos de cachemira, cambraia e de fusto, para changas.
Merini, lavradas e lisos cores lindissimas.
Luvas de seda. Lencos de linho em caixinhas. Meiss de cores. Collarinhos.
Punhos. Gravatas e lagos de seda.
Madapol2o fioo de 131000 por 101000 e de 150000 por 12)5000.
Dito lavrado americano de 120000, 140000, 150OCO e 160000.
Cachemiras com quadrinhos de seda de 20500 por 10500.
Setins de cores a 10000. Gorgurica e cretones muito largos a 500 e 6C0.
Voiles de s-da de 10500 por 10200 e 10000 reis o covado.
Cambraias de carecinho. Baptistas e brim de linho para vestido.
Setinetas de todas as cores e voile assetinado o que ha de mais chic.
Merino preto de 106CO por 10200 e alpacas de cor de 10000 por 600 e 500.
Pantazia branca rendada por 18200.
Chapeos de sol de fina seda cabo de nikel e castao automato por 150000 e
outros de 90000 e 100000. Sombrinhas de seda 120, 100, 60000, 40500 e 20000.
Carnizas francezas de 70J000 a duzia por 40500 e 40000.
Ditas da flnella, cretone e de meia.
Tapetes para sof, de 250000 por 209000.
Ditos mais pequeos.
Grande sortimento de casimiras e cheviotes.
Calcas de casimira de 180000 por 110000; de V 0000 por 60000 e 40000.
pechincha.
Cortes finos de casimira dos quaes em 24 horas se faz urna caiga por 200000.
Brins e cassinetas para roupas e muitos artigos cuja eoumeracao se tornara
difficil para nos, quanto massnte aos leitores.
Faz-se roupas por medida, pregos commodos.
Nao se esquegam das nossas
Machinas de costura
que continuamos a vender por prego sem competencia.
Progresso medalhaImperialExpresso e Singer americana.
Se queris comprar em cunta neste mez dirig vos a
rUNDICAO RAL
L.MFA TIRSON & G
44BA BABAO 0 TBUMPH0--44
\lachinas a vapor
Moendas
Rodas d'agua
Taixas fundidas e batidas
Taixas batidas sem cravac,ao
Arados.
DE
Costumras
Precisa se de peritas eos-
tureixas.em casa de mada-
mePaul Jullien, ra do Ba-
ro da Victoria n. i>0.
PERNAMBUCO
RaDoque de Caxias n. 731. andar
Entrada pela praca 17
ANTIGO PATEO DO COLLEGIO
'T&JL,13 3PZ3:33JSr& 3NT.
Consultas todos os dias u^eis, das 8 da manh
s 5 da tarde.
Chamados a qualquer hora do dia ou da
noite.
A CARGO DOS DRS :
KJbelro fe Brjtto -Medico e operadorEspecialista ns molestia! pul-
monares, cardacas, nervosas, de criangas e febres.
Silva LealOculistacom pratica nos principaes hospitaes e clnicos d
molestias de oaos, de Pars.
Thomaz de Carvalho Medico e operadorEspecialista as molestias do
apparelho digestiyo^ cutneas e syphilticas. Cura da Elephantiasi dos rabes, pala
Eletrotherapia. Operago rpida e sem ddr dos estreitamentos da uretra pela Elec-
trolyse. Applicac5o da Electrioidade as paralysias de qualquer nstureza e as aira*.
g5es articulares agudas e chronict.8.
AVISO
A Polyclinica tem coatractada a bem acreditada PHARMACIA DOS POBRES
de pharmaceutico Maia e Silva, a roa Larga do Rosario n. 28, afim de abrir a qnal
quer hora da noite servigo da mesma -O







T



'
*1




8
AOS FUMANTES
Diario de Pernambuco Terca-feira 19 de Janeiro de 1892
Desejaes n5n ter zia quaado fnmaes ?
Usae por algum tempo os apreciaveis cigarros denominados M1NHA ESPERANZA, quer picados, quer desfiados. Usae tamm o aromatice* be
saboroso fumo desfiado intitulado Hygienico Naeional e os cigarros do mesmD fumo.
Depois disso dir-nos-hei se foi ou nao til o conselho.
Cumpre notar que os Hvgienicos s5o fraquinhos e os ESPERANZAS sao fortes.
A iabrica MINHA ESPERANZA situada na ra Laiga do Rosario n. 21 .
___^_ tlm apreciador. _____
VENDAS
Chapeos e capotas
Ultimas novidades de Paiis recebeu o
L o uv re
tapas, jersey s e visitas
Gostou iateiramente novos acaba de re-
erber o
Cortes de la, 1 i n lio, seda
e algodo
Ricamente afeitados, tem recebido l-
timamente e
LOVRE
Se. as brancas, pretas e de
cores
Novos padrees e para grande escolha
foram despachadas nestes ltimos dias
para o
LOUVRE
(innaliis, leques e chapeos
de sol
De phantasias acabam de chegar para c
L 0 Y R E
Assignam-se oaLIVRARIA BOULITREAU
ma do Imperador n. 46 todas as Revistas
scientificas e litteirarias, Jrnaes de moda e fi-
g-urinos publicados na EUJ.0PA e no BRAZIL
com dtribuicaono dia da cheg-ada de cada
mala.
Presos reduzidos de accordo com o cambio
PAGAMENTOS AMANTADOS
Ra do Im wraor ns. 46 48
i LIVRARIA BOLITREA
i
| N. BPara neo haver interrupeo preciso
;pagar quanto antes as assignaturas.
Costumes para crean fas
De todas as idades encontra-se grande
sortimento no
Louvre
Qbjectos de gosto para
presentes
Ha neste artigo grande escolha do j
LODVRE
TECDOS )I PHAN-
TASA
S rdo impossivel de se der-crever a
grande variedade de tecidos de diversas
qualidades proprios para a eatacSo actual,
roga-se ao publico em gerel e principal
mente s Exmas. familias a fineza de vi-
sit::rem o
LDUVKE
Ra 1. de Mhrco n. 20 A
Fra cisco Gargel ilrroOo
PEQUEAS PILMAS de RIUTER
PARA
FIGADO
Fin lo entorpecido cura-se positivamente com ests
pulas. Ellas aSo rnn remedio purgativo livre de peri-
eo para o honran. "-- fraco, t&o oem como bastante
activo para o taomem mal forte, nao conatipao de-
pois; lelaaccaogeralagradaatodoeqiie as usarn. Sio
as pIMae ealiindares da profisoio medica dos Estados
Unido i. 85o as menores e mai facia a tomar.
Qoar nta em cada frasco.
SABO CURATIVO de REOTER
d*
TSLEPHONE N. 158
Fabrica de gelo
igoas e limonadas gasasas
todas as qcaiidades
Sodi ater, grajer. ale, lisiao. iaranj, car
eSo. abacaxis, granadina, grosellas, ranboi8*<
baunin. !io,-ts!a-pinenia, etc., e'.c.
tl-ACAB8 DO CAPIBARBB-ll-A
Jcil virgem -ie Cotunguba
A primeira oo- sua preciofa composicao chi
mica para o fabrico oo usucar, riquissima.de
eaes de pontea e^otfa. sdjptsvel perfeltameate
a explorar.) Ja indnsir.a Je Embneles, tic. ele
Superior a de Lisboa vende se cada barrica com
60 kilos a 8 00.'.
Ageo'-.' res'j $*pUU M2?.1 loi'l t Ar~U'"'
roa argo do ft 'sarjo o. 2i A-
Tnmores, cravos, pell vermelna, spera e oleosa impidldo oa
enrado por o malf-grande de todos os aformoaeadoree da pelle, o
sabo Curativo d< Keuter. Produza a pelle formosa, branca e
clara e mos brandas ; absolutamente puro, delicadamente med,
cioado, extremar lente incomparavel como aabao para a pella
bem rtno do to icador, do banho e do quarto das criancas.
r4IITFLA,-No genuino sem cada envoltorio Wr
mire. strada de Barclaj 4 Co., New York.
MEDICINAL
Y PARA 0
TOILETTE
1RICOFERO de BARHT
PARA O
CABELLO
A PELLE
ESUKUCIDO EMIBOI
Cma prepar icao elegante extremamente perfumada,
remove todas 11 impurezas do crneo, preservativo con-
tra calvicie e tabello clnzeulo; faz o cabello creecer es-
pesso, brando i !hermco. Infallvel pwacurareropcOeB,
doencas da pe le, gs iulas e msculos, e cura rpida-
mente cortadu ras, queimaduras, feridas, torcednra*. &c I
CAUTELA."*-> genuino sB cada frasco I
I ter a marca re -istraa de Barclay & Co., Naw York.
i
depositarios DB8TE8 PBoDDCToa.A companhia de Drogas e Pro-
ductos chimicos.
Boa Marques de Olinda n. 23.
NOVO ESTAB 2LECIMENT0
Receben um lindo sortimento de
CAPOTAS
Se rendas di core3 e pretas para senhoras.
GX3CaA.^SOS
de renda e de palha para senhoras e meninas.
de palha e de seda para criancas.
Estaos para mu-
sitas
Para amadores
Fecha e do tamanho da
msica
Preco 7|000
L j.; J. s Li-tras Azaej
61-Rm Duque de Cxias-M
para homens o rapazes, dos fabricantes FRANCEZES, INiLEZS E ALLEMAEB
CHAPEOS
de seda para homens.
GRAVATAS DE SEDA
FORMAS
de palha para chapeos de senhoras e meninas.
SrsTGK3. AX5 as
pretos e de cores.
Fitas, Gazes, Rendas, Veos, Azas, Passaros, Flores,
Plumas, Aigrette?- eGrampos
para chapeos e ontros artigos de fantasa.
Ilua do Baro da Victoria n. 42
M. LICIO MARQUES
Telephooe n. 560
Pelo vapor Irancez Adour acaba de chegar de Portugal para este j bem
conhecido e3tabelecimento, novo sortimento de vinhos das seguintes marcas :
SANTAL, VrROEM, LAGRIMA DO DORO, MINHO, PASTO ESPECIAL,
CLARETE PORTQUEZ, MADURO ETC.
PAKAASPHAMACLAS
Superior VINHO 8RANCO DU PORTO, em decimos, sem competencia em
jaalidade.
PARA MIMOS DE FESTA
Encontra-se naADEGA PORTQUEZ Aos puros vi.,hos do Poto d.
MONTEIRO & IRMAOS das marcas segointes REGINA 1820RE 183X4-De
LIZ I DUQUEMOSCATELUMA DUAS E TBES COROAS-pre5os e qua-
lidades incontestavelmente sem competencia
Ennes Barbosa, Coover jr Comp
i,
m m&m i. ia
Papel-forro
Grande remee?a, infioilamRn'.e vanada, em
cores e desenhos. Os p-pqcs t ras-a dar a se
guete idea : de 340 a 4*000 a peca : oa casa
especialista desie genero, roa da Madre de
Deas n. 30 (Recife).
J. T. Canviro.
Liquidamos es "eaintes argtigos por pregoa queadmira na epocha actual
Caaacos brancoa bordados para senhoras a 2500 e 35 um.
Vestuarios ; Jersey e Malha para meninos e meninas de 6$, 7(5 e 85 um.
Percales 'raneas para vestido a 4G rs. o covado.
Wltons da ramagem, lindos deseuh.s a 240 rs. o covado.
Chitas escuras bom panno a 2*>0 o covado.
CretcD8 de corts boa escolha a 320, 360 e 400 o covedo.
Ditos modernos, ultima moda a 320 o covado.
Etamine de cSres finas de 400 e 500 o cov.-do.
Las de cores, gosto d caxemira a 600 o covado.
Brim pardo para vestido a 360 o covr.do.
Dito a imite^So de ustlo para roupa de enarcas a 5C0 o covade.
SetinetPs liza; fraacez6 c'e tod.ie as c3res a 5-iO o aovado.
Fs'So br&nco fino, a 500 o covoio.
Linn de cores ltimos desenbos n 640 o covado.
Mirin de cor, liso, la p-raj a 3i0 o cevado.
Crotore lis" de tod^s sscres,
Osseniras pretas diagonal filia a 2.400 o covado.
Cheviots ftu! fino para cosime :i 3^000 o covado.
Brins de cur.:s pra roupa de 360 e 500 : covado.
Sargehm de todas as cores.
Bordados e ntremelos baratissiicos.
Flanell? de cores para vestido a .A0 o oovado.
Alea de mu:tos cutres artigas ecn fazenrlas oae liquidamos por todo e quslqg-
preso.
Vende-s
Urna .asa de lapa com armaqSo propria para
tavems, ''om signos queros : a (ratar coso-
qneiros Tnodade. no 2- dlnricto de S. Jos.
I
FOLHETIM
JULIO MARY
QSDOIS INNOCENTES
conhecida por Jennekin, mas juljira que.os mesos singulares symptomas de ator-
n'aqaella noite co devia receial-.. i doameflo. Tinha se erguido, bapooco,
Foi o que o perdeu. para puxar Berlina pelo brac e tiral-a da
Nh sua foga, correndo, sempra com a sua inercia
sua carga s co>Us, esbarra-se e m Pim
perlgt. 0 embate fOra 5o imprevista, que
C cabo, s'rprso, rol no cb'o.
SEGUNDA PARTE
(Conllninrii do n. 13)
VIII
PELAS GRANDES ESTRADAS
Era exacto, Jennekin morrera Pm-
periot ficara ulo de raiva quaudo dec -
brira o cadver de Rocfl iud. Araava
aquella cao como amaria um homsm. A
raiva cegou-n, fel o perder toda a presen-
g* de espirito. Meiteu um cartucho na
espingarda, e vendo Papillon saltar a certa
distancia no matto, atirara. O i'.ao rolou,
E agora cedia tp,mbem ao cansado, e
grande fraqueza que sempre a OOose-
quencia das grandes eoio<,oes ; cedia a
Mas ergueu-se e feu fogo a> acaso,' noite que os envolva e os ame*cava com
quasi sem pontaria. o seu misterio ; ao exemplo de Berlina
A baia attingio Jennekin e esinigalhou
parte do crneo.
Cahio s.-m so'tar um grito, fulninado.
Papillon desapparecera, Jeac ciu mor-
to! Os dous jove-s, amedrontudos, re
petiaro-se Uso intimamente. Vii.m-se as-
sim, mo erado seu, atiradoa em urna se
re de catastrophes
Um pavor enorme apertav* lhai o cor-
9?o.
Quondo os guardas passaram e que nSo
se ouvia mais nada, Cbarlot mura uro-. :
Vem, Bertina, vem !
Mas a mocinha disse francamet te :
NSo, teuho muitj medo... Alm
disse esto.u descan>;aiido aqu deb-iixo da
oeve... Parece-me qn sinto calor...
Estou com vonade de dirmir... Sj eu
pudesse conciliar o soiouo, ficana m-.:s
disposta e (l'p'in cuminhuria mai* tempo...
Nao, nao dorje... li em uto liro
lavantou sa, toroou a rotar, e arrastaudo- qUe muito perigoso... Resiste... Vera...
se desapp^reoeu uivando.
Nio ha de ir onge poaderou Pra
perlot.
Epossegiudj cartuch> o-, eapi.'.gard.
Tiera tempo, apeaar da noitj, de reco
que
ciijo sornso expn-
Ouve-me, miaba Bertina, ouve-rm !
Nio, ass-giro-:e, m;u Char ot,
sinto-me b;m...
Deitara-s: na nev. As folhas cabidas
com o fri cobriam o seu corpo f r^nzino, j to voltaio para o espajo. Dir se bia que
que pareca gozar e
mia-lhe :
Deita-te ao meu lado. Imita me!...
Dormt !
Tornou a sentar-se e ccamene deiteu-
se junto mocinha. Ella procurou as
raaos u'tlle con alga roa dificuldade,
porqu j esta Va esta va entorpecida...
E conservaram se aisim.
Sim, dizia Cbarlot, bem bom
isto. .. Entretanto disem que a morte
vem bu8c::-30i na nev...
Pois q.'.e venha, meu Charlot; oem
por isso e .tamos satisfeito com a vidi que
tercos. Sempre luchamos com a miserta,
era toda a parte. N'io nossa a culpa-
Ni ca mereca nos tsio. Se morrermos,
"eramos socego. Em *'da mais pensare,
tnos. NSo uos darSo mais desgostos e nao
recpiaremos da mais nioguem. Queres
saber, Charlot, estou convencida que a
nossa vida ser sempre esta e ent > pre-
fio antei morrer j.
Sim, tal vez seja meihor, Beitina.
Apertsvam-se as mos. Tioham o ros-
IRMAO
Ra Sarao do rriumpho ns. 100 a 104 e rus
doVisconde de Itaparica ns. 22
Je jB t_> X jP jB
Tem sempre em deposito :
MACHINAS a vapor de 4 a 8 cavaos dos melhores fabricantes.
CALDEIRAS multitubularca para 4, 5, 6 e 8 orvallos.
MOENDAS as mais solidas e melhores do mercado.
TAIXAS de ferr* batido cravadas i caldeadas, fundido de todos os tamanhos
q RODAS'AGUA ptra cubos de raaaena e todas de ferro.
RODAS DENTADAS de espora e angulares de diversos tamanhos.
ORIVACOES duplas e boceas de fomalhas para assentamentos.
BOMBAS DE REPU'.'HO sem sella, vlvula de broaze.
CHUMAOEIRAS parafusos e o mais que se opsa desejr para engenhos, ostra >
as de ferro e Obras Publicas.
FAZEM E CONCERTAM toda e qualquer pe$i de machiaismo tanto de ferr
^udldo como batido-
EN ABREGAM SE de mandar vir da Europa por encommenda, mediante um
jorumiasSo rasoavel, qualquer machi.-.ismo e CONTRACTAM apparelhos para Ua>
asta, para fabricar da 100 a 300 sacos de assacar era 24 horas.
Obrigam-ae a montagem dos meamos e re<>ponsabilisaui'>3e pelo b'-m trabalb.
ara o que tem um hbil engenheiro inglez muito pratico, alm de dos um oci<*
casa que tambera engenheiro.
Fazendas baratas
Para o Garn val
Velludo, Velbutinas, Gazes prateados
tarli-.tscas, lSa e merinos de todas as co-
res, vndese por todo o preco
NA
Lojas das Listr s zoes
Ra Duque Je Caxias n. 61
So' quem vende
Millio novo a 280 rs. a rnia e 0 rs. o kilo ; DO
Largo do Mercado o. 12, Gomes Ferreira.
Libras sterlinas
Yende-ae na loja de jolas de Angosto Rege
k C, roa do Cabue d. 9.
^litiga fabrica Caju-
rubeba
Vende-se ama machina americana de aplainar
i outras de triturar, espremer froctas, etc., urna
-txeellente caldei^a de cobre eatanhado para co-
er no vacuo, grandes oepositcs de foiha para
ilcool on goalquer mister, urna boa arraaco in-
leza, grande quantidade de rolhas inglesas,
lquidos e a oitos outros objectos, todo mnito
am coota ; na ra Lniz do Reg n. 44, Santo
Amaro, das 8 s 10 horas da manb e das 4 da
'arde em diante.______________________
Vende-?e
Urna (averna nnito afreguezaca estrada de
Lniz do Reg n. 19, por a dena querer remirar se
por iocommodo de sade : a tratar na mesma.
Constitid^o
DO
Sstao buco
Vende-se a 400 re^
eada exemplar, no
escriptorio do Dia-
rio .
Livros de recibos para
*lugueis Je casas; vende-se
o escriptorio des te Diario.
Fabrica lnvas
DE
Boa Har da Victoria n. 05
Loja do Espelho
Madame Gerard avisa aos seus nume-
rossimos fregueses, que recebeu de Pars,
am grande e variado sortimento de pelli-
jas do primeira qualidade de chevreaaz,
uede. castor etc.
nhecer Papilloo. Demais os rastos veri-|e a neve continua, que 7nha do < mo da ja estavam sejutados, pois a ne.-e era tao
ficado La neve liaham no feuo suspeitar a'arVr0res, os sepultava pouco a p< uoo oojeipesaa que pareca nSo haver interr.pca
presenta de J.noekin. F.-, pois, Jeu- Beu >udario irnmaculaJo. Era exaco. jentro as arvorea e as nuveo*. As arvo-
nekm qnem m*ura Ronfltud-
O atrevido cootrabtnditta teria anda
Ella seatia um bem eetar ex ranh", como iros assemelhavam-Be a grandes phantts-
nnnea expariaenUra. Um balsa no sin mas brancos, estendendo p.ra o ar o seus
desta vez, escapado t.o> seus inimigos se gular invada todo o seu corpo. ,-e i i. (j br-.cos esquelticos. Estavam immo-
nSo eitivesae cercado. Os doue cordSas p8 maito quentes. veis. NSo soprav a menor ar^gera, e
de guardas apert*vam-ao um pela frente, j^j0 qQ1> moverse: na fl >resta, onde se realiza va esjs drama
oatro pela retaguarda. Era urna tctica 0 pr0pno CbsrLt oomeoava seatir da misen, nie se ouvia o canto un
paasarinbo ; o silencio era pesado como o
de um cemiterio.
Como bom isto!... murmurou
Cbarlot.
Na; ? Bem te dizia eu...
Parece que se esta em urna boa
caro 4.
E' e at aqu respira se meihor !
CaUram se. Mas nSo dormiam. O fri
pouco o pouco aniquilava-os. NSo tioham
oem mesrao a sensacSo de urna dor. d
mente urna excitacao singular invad a o
seu cerebro. Tioham sonhos que recor-
davam Ibes episodios do Beu passado, so
bretudo os que tinham deixado lembrfcnya
menos tristes. A existencia d'ellea tao
curta mas to ebeia de miserias, invoca
vam assim no delirio da imagicSo. Ber-
tina titubaou, com a iingua quasi que pa
ra'ysaca:
Oh meu Cbarlot, como vejo cousas
bonitas !
Eu tambera, Bartina... eu tambara.
Urnas colisas muto alvas e touito
doces, e estou ouviodo risadas em voU
de mira.
O que que vi, minha 3ertns?
E' na igreja que esiou. ta mui-
i i.a gente, muita mesmo... e no ceutro
ost.o rapii'-i e raparig-is ; as moyas estio
; tudas de braceo... brancas corno a cave..-
vestidos braceos, veos braino. ..
A primeira communhSo?...
Sim. Eu estou entre ell*. 0:brE
muici para mim qjnio sdbo a> 'Ur e
qu-nlo deso... Ouoa diier : Cj ao
bonita a pobres ha 1 As mSis par*'
cem ter ao mes ao tempo nveja e cm-
puixSo de mira...
ti cora a voz cala ves mais pastosa :
E tu, meu Cbarlot, o q je que vs ?
Taraem vejo muita oou-a branca...
E' as Ardeone* primeira trra para on-
de me mandaran), quaado sahi do hospi-
cio- 'O que vejo, bem perla da
mim, quando vigi as vaccas, planicies al-
vas. Havia tantas margahdas que pare-
ciam cibertas da neve... como hoje.
E o qne mois ?
Vejo tambem masieirai em flor.
Eoto tambem braceas como se a aeve
|cabisje e.'J cima deltas... brancas, como
'as arvores que nos rodeam...
ti o que...
Porm os la oos entorpecidos nSo ar-
ticulari-.m mais nenhum som. O proprio
Charlot nSo Liluu mais. No sea cerebro
agitavam ss pay^agens graciosas, ensola-
radas, cirsumdadas de mattas brancas;
as pflysagens, cheias de arvores carrege-
das, de fl res alvas, onde pastavam boni-
tas vaccas, onde brinca vara mocinbas qu
shiam da igr?ja, vestidas de branca tam
bem, emfra tudo b.-a >co como a neve. O
01 esUva q lente. Todos os qne va es-
tavam fehzes, as arvores, os prados, os
animaes, os homene. E de toda a parte
cahiam sobra elles flores brancas que o
co generoso enviava e que afinal cobriam
a trra. Charlot soltou um suspiro pro-
tundo, ticto i ergu sr-se e nSo se moveu
m>is... ao la o de Bertina immovel...
Os pequeaos fl >ccos de neve amontoi-
vam-ie p^uco a pouo sobre o misero cor-
po dos dous intelizes. Po-aspvam sobre
el.os coico a leve caricia de urna borbe-
leta branca, como se tiversom receio do
i.^soert: .--js. Um a um am se juntando
por todo o corpa relies, e sobre todas as
paites anda deacabertaa. Grudavam-ie
o seus caballos ohi resvalavam para
a trott) onde afnal ,j ntavam-je. Ktca
vam es Ikbios, faadiado se ao pri-neiro
coacacto, e triuropaodo por fim oom o
desapphreuimeato do calor. Pesavaut so
Ore i>b palpebras fechadas, como ee qu-
Baeseru impedir que jamis se abrisaem ao
grande da d vida, ao alegre sol e a< s
i>rnaos. ~^-.^ .
ffM
Royal Blend marca VIADO
Este excellente Whisky Escoces pre-
crivel ao cognac ou agurdente de cansa
jara ortificar o corpo.
Vende se a retalho nos melhores arm*
isns de molhados.
Pede Roya! Blend marca Vixd*
aajo come e emblema sSo registrados pan
todo Brasil.
; BROWNS & C. agentes
De; os, sob os floccos de neve, tudo
desappareceu, nada mais ficou visivel.
IX
NSo m lito dista- te, as moitas, arras-
ta-se um pobre bicho, feido e gemente.
E' Papillon.
A bala do cabo Pimperlot partiu-lbe a
perna, pouco cima da junta e por isso a
conservava encolhida.
Logo que receben o tiro correa qusoto
pode, apesar do sangue que jorrava, a-
zendo longos rastos vermelhos sobre a
neve ; visive'meote assignalando a ana
p.sssgem.
Depois a dor e o cancace d;minuiram
sua marcha.
Voltou atrs, aos saltos, sera cega-
nar-se, embora a neve apagasse as pe-
gadas.
Busca Jeom k'n. De vez em quando
detem-se, fecioho para o ar, aspira a bri-
sa como se quizesse achar emanado ;s de
seu dono, noi floccos de neve que prate-
am o seu rude pello. Nada, p^rn, pro
veoia o seu instincto. tint&o uivava do-
lorosamente, e de cabeca baixa, com o
fdcinho airastndo quasi na neve, tornava
a teguir na sua carreira, mancando. De
instante a instante caba urna gotta de
sangue oa ama rais prendia-se peros
ferida e elle chorava ; caba sobre a neve,
torcia-se e iambia demoradamente a ferida,
com uos pequeos lamentos sardos. De-
pois tornava a partir.
Pe roa de repente.
(Continuar -*-hn)
Typ. do Otena, ros Doqoe de Caxias n. II

*
'>
...


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6ZICEDDQ_DWJ1YO INGEST_TIME 2014-05-27T23:22:17Z PACKAGE AA00011611_16783
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES