Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16713


This item is only available as the following downloads:


Full Text


Hm XLIX. iVUBEHO 247
IMBA A CAPITAL LCOAatE. TE fflo
For tres mutes adiMitadoa.........
Por seis ditos idem...... (
Por um anno idem.......
Cda numero avulso ttorn
a*AG A PdBTM.
69000
ISH00
44*000
JiO
A pj;iRA 27 DC OL'TtBRO iE 1873
rao r6iiA a piti ixciA.
x
T7M
Por
Por uo
Por um

11
**.
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA 0E FARIA A F1LH0S.
A*
01 fa. Gerardo Antonio Alves& Rlhoj, no Part; Gon^ves 4 Pinto, no M.ranhao, Joaquim J de 0.',veira d FUho, nO Gear.; Antooio de Le^8 Braf,, no Aracat, ; doAo aria Mi. CW, no A*6; Amouio Ifcrqne, m, mn, no !Uul J* J*
lereira Almeida, em mamanguape Augusto Gome* da Silva, a Parahjba ; Antonio Jose Gomes, nt Villa da Peana; Warmino dos Santos floJcio, em Santo Antto ; Domingos Jo* da CostaBraga, em . Antonio Ferrcira de Aguiar, em Goyanna ; Joao Antonio Macnaeo, no Pilar das Alagow; AJves A C, na Babia ; e Leite, Cerquinlio & C. no Rio,'de Janeiro.
F'ARTE OFFICIAL
Miniwierio iuspnrlo.
Wo dia 3 d-> corrente d*clarou-sa ,i> prosi-
aante da provincia do Rio Gran Id do Nir!>: ter
--ido approvadoo acto polo qual a mesaa presi-
deaa-aanuiloaa elaicl. feita o mno oassado (ara voivad iras o juizo< da pat n.i
villa de Macao, fun lando-so na ra/.a> i|o ac!nr-se
falsifleado ealn eu.mdis c. r.up.vlaras o livro di
raalifieario do retaiite* quo servio para a mania
e.oicao e aleui dlsl) p ir n.i a c > n ,n ire n (i M...
mas nolle relaci.uu I > ,-n >> la eipi i .ni'i ui'i-i
remetlidi a presi leucia I provin -i i. aa n so vo-
nfiwa no exun* jaiiciaa em qae iji sua iijttiJ.) o
;i ' No dia 8 iMdar i>i >* ai prasi lento Ji pro-
in.'.iado MsiMii'iii, !eren sib doclaradas nultn
-is etoteoei q to eni lii.ilic.ita s! li'.-nr, na pira-
ehiad) Riai:lii>, ie!as segtiutej razdaj:
!. Q l ia',) a pre.ii Ii 11 p:l. I- jii, ,|.. pv. ^ ,1,.
<.oo.li) dc bi-.ui Miraah p ir t;r tmili uirts nx
ii afanii.il >
ins lugar is mi olitir iillodJi, c >>rra a es-
prem dis; >iij3dt art. ) di hi j.3 1) ,1; ;*><()
!. Por sex m lit >'iuferi ir i in H i le d i n-j k -ra
dascidali h i tilili;ili! ai nu-n'iia u In vi'.n
tos que coneunwam .i oluii-ai, circ.iii'tancia quo
nao pjd,- .dnixtr d> ind ilr pira nallidiJ) da
iloicai, sejarilj o avm n. I ;i do ii daAjto libra
io 1S30. -
K quant) a n itra ol 'oti, on>i li la p !o 2" jail
do pat, Gjm*) do Araiji Mutos, pela riianifosta
laompeteiioia dost.; pan prosidir ,tm trabalhos
Mcitpraa', risl.iWo ja tiuhrn silo inioiidn solt a
prosidoncM vi} raal ojcorrori .|ae pule^o juslilicar ta! proco-
com a prop),ta do Dr. eliefe do poliVia ota officio
n. l,*Tt, d) 12 i|< oorroir.o, rosolvo nomiar para
os ear^os do l o 2- .-mpplontos do suudologado do-
disunuo do Assurema os cidadios seguintes na
or-lon ilesat eoUuea^i. : Kda tocio Loitio de
Alh-iimriuoo Antonio Paoi Barroio do Albuoaor-
<|U0.
0 pro In Dr. cliefo W, pdicia n. U21. do ti d-a conen
to, resolv.. exoaorar, a sea pedida, do cargo do 3*
siipplPiiM Ii dilegado d) tormi do A^uas-Beilas
o cidadao Ignaoio Jom: da Silva, e do da 2--sap-
pl8nto Ia subdologad > da I'districto do dito tor
hi) a al.oros A lriao It, Irijtao- do Araujo.
0 p.-osid-Mito da provmcia, a vista do uilicio
do Dr. ohofo de polieia n. 1,4*1^ do 12 do currua-
Miitis^erio .1 i l',t/.-ii Ii.
EcptteiU*ik J dt ietem'uo.
A* At Ptirnuib-dcj idou quo o tribaaa! do
moiOitro rMoirMl dir pr.ivim sm *) nwurio io-
i.trpoao por II. T. Dittoi U.-.tlio.-j d v locisio J i
l7aii m .rim estam-
pado n lociJ i do algodfi) viud) da Liverpool no
vapor ingle* Vile of Lnton e polos roorraotw
Kiibinetti.lii a dospachu cam) ri>vida do.alga-
dao ^inanianio o respective tribunal winpro-
Uoader a it.-r.-a loria em qaosti) no art. 552 da
larifa em vigor, para pagar a tasa do ii')J n. > ki-
lograinoi).
on 3.
A'thojjiiraria do Pernania:> se onaiaaiiu
(Uo o tribjnal ic thosoaro roslve: no^ar pravi-
inonto la rei-ursi in'ornosta p>r Francis;i (Jmios
do Oliveim Sabrioho, da decis.io quo nogou-lho
a r-*tit=:i-l Ii qtfctatta do Stiiil), provon.onlo la
liffeiv it it; qulilidi voriii.rali em ana d-;spa-
cho do calvado, vista tcrom sido os diroitos ail-
calados esacta-noute em relacfi) a laxa corres-
jwndente .i iiaalideicao dadi a in ircaloria no actn
do dospacli >; Kan tor havid i violaca) d i art. 606
do renulaino Ho Je lit lo setenthM do t8ii, coma
ttuppoo o r.jcorreute, mas sonrnto apptlcaivt) do
ineuno artigia espooie vertertto, omproli'mJila
ua primsini parte deHe, e infortno ji ten sido ao-
pifcado poias onion* d; 23 do mir.;i e 7 de jalho
de IbVi!) o ft dj oatubru do IS W.
MA i.
A' thewararia do Ponnmoaoi se omnanica
.pia o veaciinml i do inactivfdi 1; quo canpoto ao
i.' conferente a> isentalo daalfan.lega da Jita pro-
vincia, Jose Tiionuz do Agijiar Pires Perreira, foi
pelo Ihesoaro llxado em (5714230 em vez do
&'i7f300 arbitrala provi-ori miento pela masma
thesouraria; nao so por.|uo o d:to empregaa i
etercara o lagat do V eanfer.Mio da allandoga do
Para, eainla po- inns 2 12 ann>s depois do
nolle rointe.jxalo, tendo assim tido miis do irei
annas do efijoUiva exercicio id lagar e.n que foi
aposental), can) parpii. ni> obstanta nai haver
gozaJ-) par Iros aaaos conpiui- do molli ramenta
doorJenada qao lite dea o artigo 33 do dooreto n.
4.310 J) "20 do ali.-il da 137:), esti rawlvido par
v.itia> duci-oos d.i liiosonr).
t'. i[;i3 o empr.'gili quo outa tros annas do
eifeilivo exorcioio ni Inga." em que e aposontado
torn diroit) ao orlonalodi dito lag ir, am la que
esto topha sido augmantad), o nia nija decorriJo
tres anaw dopas do aaginan, so esw aag-
inanto nio foi ara up m iaJ) do a >'as aUr.lioioios
c devcrea.
t>, quo a i emprega 1 o quo nao c.onta tros annos
do exeroieii> no lagar em quo 6 ap Keotado so ca-
bo o ordenado do lagar anterior, observada a most J
m^ regra acimi cilada.
lIJui-l :-1-3a Era II do corrente remeltease ao prosidente
daprovincia do Pornambaco a por tar ia da licenga
da juiz matiioiiial e de orpliaos do tormo de Flo-
ras, bacharol Jose Rodrignos do Passo lonior.
Em 13 appp vouse a decisai do presidonte
da provincia do Oio Grande do Norte, consiante
do offlcio n. 19 do 22 de agosto nltim), declarando
aa juit de direito da comarca de Caoguarelama
que o cidalaj Igiacio Bento de Avila Cavalcaute,
1* eupplente do juiz mani^ipal do respectivo tor-
iijo, nio iiicorrea m perda da cargo por tor esta-
do fora do exercicio, era conseqaencia de molestia
dtirantc raais de seis niezes, e devia teassumilo
I !3dc q:.c i!B330u aquclle impudiineuto, que 6 jus-
tificado, como o de lieen^a, e nau se com|ireheiide
r,a disposicio do art. 6* 1 do decreto n. i.82') de
22 dc novenibro de 1871.
te, resolve exoni'rardos cargo's Jo l e 2' sup-
pleni-s do snbJelcga 1 a d i district) do Assurema
os cidalias Igaacio Jose da Siha e Fraucisco Mar-
lins (.ivaloante.
OHoios :
Aojuiz do diioiu d) l.imaeiro.Pro;oda V.
S. de oifarniilalo com a lei quant) ai factu de
qao tratam ts pajMis juntos.
A) pro n )tir public> da oaiarca d) Limaei-
ro.Sera par-la do tempo earie Vm:. a esta presi-.
dai.;ia enpia Ji proeesso mstaorada contra D. Jo-
.1:1:1.1 in Siuza Gayao, de quenr trala 0 seu olllcio
do 5 da corrente.
Ao O'nmandantt' do corpo de polieia. -Fa>;a
IToae. reoatherae orpo sob o sou commando 3
pracis do desta.Mineato da ribeira de S. Jose. 3 do
hospital Podro II, 5 tl.i do S. LQorena), 5 da do
Fiorosta, 7 d) d.; Granito e 10 do de Ouricnry.
Ao mesmo.Daclaro a v*mc., em resposta a
sea oui-.io n. tS9, de 12 da corrento, que designe
um otlioial que possa substitair o alferes Joaquim
\|)rigia 11 a da C)sta, a quern allude 0 dito offl-
cio.
3" seeedb.
O.'flcios :.
Ao inspector da tlusouraria de fazenda.
Com nunico a Vim'., para os devldoi lias, quo a 7
do corrente roassumio o bicharel Manuel Annos
Jico.ne Pires, o exercicio interino do cargo dojaiz
do diroito da comarca de Palmaros, que por in*-
comm)da do satido deisara a 4 do corrente.
Aa mesmi. Attcadeado ao qne reqaereu D.
E uoreacianaJMaria da Piedado Gosta, na petifao
quo Ihe devolvo, e siibre a qaal versa sua infor-
maca 1 do 13 da corrente sob u. 8i3 serio D, auto-
riso V S. a in indar releva-la da inulta, cm quo
incorreu pir nto htver da la a mitricula no pra-
se Irfgal as duas criaavis.l) nomos, Dyonisia e Fe-
lismioa, liliias de suas nscr.tv.i-.
Ao mesma. Alioudond) ao que roquereratu
D. Ksmeria Prancisea Justfna e Luiz Vaa Salgado,
aa p:tii;lo que lha devolvo, e sobre a qual versa a
sua infor naoia de 13 do corrente scb n. 832 serie
D, aut-irisu V. S. a mandar releva-los das tnultas
em quo iucorreram por na) hiver dado a matri-:
cola 0 > praso legal os ingenuos .S^veriano e /Vn-
timio, lilhosdo suas escravas Adriana e Fran-
cisca.
donlo da provincia maoda declai ar a V. St que
nesta data manda recolher ao corpo de polieia
tres pracas do destacainento da ribeira deJS. Jose
e do hospital Podro II, cinco dos de S. Lotircuco
o Floresta, sele do da Granito e dez do de Oun-
cur y.
Ao mesmo.O Exod. Sr. presidente da pro-
vincix manda transmitlir a V. S os litulos juntos
dc nomeacao da !. supplente do delegado do ter-
mo do Bom Conselho, do 3. snpplente do delegado
0, do 2." supplonte do sabdelegado do primeiro
districto do termo dc Aguas Bellas, c do t. e 2.*
supplentes do subdelegado de Acureioa ; de con-
formidade com .1 proposia de V. S. em olflcios ns.
1418, 1421 e 1422 do 12 do corrente.
Ao mesmo.0 E*m. Sr. prosidente da pro-
vincia manda doclarar a V. S que ja foram expo-
didas as convenientcs ordens ao coinmaadante su-
perior da guarda nacional de Olinda, para dispen-
sar do sorvico activo o guarda do que trata o sea
olllcio n. 111!) de 12 Uo corrente.
Ao coinmandante superior da guarda nacio
nal do Recife.-0 Exra. Sr. presidente da provin-
cia manda declarar a V. S., para os devidos fins,
ae por portaria de hoj foi reformado no posto
rigiria 0 paiz n'om scnliikr ) d: qao csto
nao" ten* uma inteira conscieo.ii.
a A eaiisa dost a apathia, diz 0 Daily Jfem, e a
ausewja do iadicaclo precis:rs sobro os projeetos
fulnros do ministerio Gladstone."
0 citado ioroal dizj quo faiu so partido liberal
uma mreecoes, que as suas futoras victorias depeu-
dem i funiao ile todas as suas fbrcas em am thn
ido e coinprehendidi) por toitu os sens
qne 3 questSo d saber se 0 Sr. Gla-
dete:
mem
dsto.
de capitao, de conformidade com 0 disposto na se-
ganda parte do art. 68 da lei n. 6')J de 19 de so-
lombroile 1830. 0 tenente J036 Lucio Lias, de que
trata 0 sea oflieio n. 662 de 3 > do mez proximo
passado.
Ao commandanle superior de Garanbuns.
0 Extn Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S. que deixou de acampanhar an seu
offlcio de 21 de julbo proximo passado a proposta
a que allude o dito offlcio.
Ao bacharol Manoal Annas Jacome Pires.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S. que flea inteirado, pelo sea offlcio de 7
do corrente, de tcr nessa data reassumida 0 exer-
cicio interino do cargo de juiz de direito da co
marca de Palmaros.
Ao coinmandante do corpo do polieia. -De
ordem de S. Bxc, 0 Sr. presidente da proviucia^
communico a V. S., para os fins couvenientes, que
nesta data offlcion se a thesouraria provincial,
mandando abonar 0 soldo respectivo a ciaco pra
Cas inclusive um inferior, que via destacar para
S. Caetano da Raposa ; conforme solicitou V. S.
em seu offlcio datado do 14 do corrente sob n.
462.
4.' stecao.
Offlcio :
Ao Dr. director geral interino da inslruceao pu-
blic.!.Da ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, devolve a V. S., na eonformidade do que
precekua 0 art. 13 das Instructs de 11. de juuho
do 1839, as inclusas provas escriptas, dos Candida-
tos ao provimento de cadeiras de primeiras lettras,
que se submeiteram a exame em 13 de abril de
1871, e a que allude o offloio dessa direetorh, da
2(1 de maid daqaelle anno sob n. 183.
Ao nmraa. AUoaJoudo ao qao roauerea
Fran:isco de Paula aa pelican que In: devolvo, e
"
Goveraia da provinci.
BXPEIUSNTE J)) DIA 16 0E.AGOSTO DE 1873.
1.' secgdo.
Offlcio :
Ao Exm. brigadeiro commandanle das ar-
mas.-4*6 le V. Esc. mandar por em libordale o
rocrata Antonio Roberto da Silva, vislo ser iucapaz
lo tervico do e;rcilo, par soirrer do asthma, se-
ijaodo o termo do inspeccao annoxo ao seu offlcio
de 13 do Cirrente sob o. 811.
2.'ses$ao.
Actos :
-r 0 pre>idjnte da provincia, attanden.ldnJo ao
|H i requerou o tmente Jose Lucio Lin*, qne acha-
so aggregado ao 2 batalhao do infantaria da guar-
da naci'aia deste municipio, e a vista de sua fe
t\i officio c infiirnia^ao do commandanle superior
e.H officio a. 662 do 30 do mez proximo] passado,
i r.solve, 'I'. conformidade coai o disposto no art.
ft8, alUma parte, da tei n. 602, de 19 de sotembro
de 18o0, reformar o dito leneule no posto iccapi-
0 presidento da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de poli :ia] em offlcio
n. 1,418, do 12 do corrente, resolve uomoar para
o cargo de I'supplonte do delegado do termo do
B..m G-i!--i llio.o cidilao Seposianp Cavalcantedo
Albaquer^ic. .
0 presidente da provincia,, de 'confi)rmidade
com a propista do Dr. chefe do polieia em offlcio
u. 1,481, de II d) corrente, resolve noraoar para
cargo de 3 supplonte do delegado do lorrao de
Aguas Bellas o t> nante Saverina Rodrig.ies Lins
da Atbaquorquo Filho
O presidente da provincia, de conformidade,
aom a proaosta l-> Dr. chefe de polieia em offlcio
n. 1,421, da 12 do corrente, resolv-) nomoar para
o cargo de 2 saaa'enie do sablelegado do 1 dis-
tricto do tnrmo'ie Agaas-Bellas o cidada) Mauoei
arnrs de Albaqaerquo Maranhao.
9president da provincia, de coa'ormidado
a
. e
sobro a qual versa a sua inf>rmi;lo do 13 do
corrente sob n. 833 serie D, autonso V. S. a man-
dar releva-lo da multa em quo incorreu por nao
haver dado a matri sola no praso legal o' ingenuo
Jose, lilii j ild sa i escrava Luiza.
Ao mosmi. AUaodendo ao q.ic requerou
Fraiioisco Riposo da Cunha RegQ, na petijiio quo
Ihe dev ilvo, e sobre a qual versa sua informicio de
13 da corronso sob n. 8jS serie D, autoriso V. S. a
manlar relova lo di malta em que incor.-cu por
n.io haver dado .i maincula deotro do pra?o legal
a ingonua Secundina.
Ao mosmo. Altendendo ao que requereu
Mmael Carreia do Araujo, na pati^lo que Ihe de-
volve, e sabre a qaal versa a sua informa-jaa de
IA da corwate si!i n. 870 serie l>, autoriso V. S.
a maalar releva lo da multa e.n|qae incorreu por
nao haver dado a matricala denlro do praso le-
gil os daas meaores, fillios da suas escravas Ma-
ria c Romana.
Aolntpeetor da Ihesouraria provincial.
Min.le V. S. abaaar 0soldo respectivo a 3 pracas
di pjlicia iaclasive um mferior, qu v.i) dostaca-
das para S. Caetan) di P.apasa, a onlar da dia 11
do corrente : canformo solicit aa me ocommandarf-
te do corpo de palicia em olliaio de li do corren-
te sob 462.
Ao a Jministra lor do onsahd) provincial.
En rospista ao offl-.i) do 2 do iolno Dado, em o
qual, referindose ao dt agenle liscal de Giyanna,
repre pector da thesouraria provincial, cumpre declarar
a V. S. que a priraeira parte da representagao se
acha prejudicada. porque, segundo informou me o
mesmo inspector, ja f )i expedida a ordem para
quo prinoipiassem a funccionar os agonies fiscaes
de Goyanna e Peneda, por lere n sido romettidas
as guias impressas ; e quanto a segaada parte, que
os generos sujeitos a designacio dos agentes lis-
caes so podem ser impartados e expcrlados por
mar, nos termos da alludida p irtaria", resaltando,
a entenderse devidamenteqart. 12do regulamen-
to do 1 de abril dastc anno, grande vexame para
a agricultura ; o que se nao teve eni vista com a
croa^io daquellas agendas.
4.' secQuo.
Offlcios :
Ao Exm. Sr. presidente da provincia da Ba-
hia.Transmiito a V. Exc, em original, nao s6 o
requerimento qne me dirigio Francisco Cesar
M inteiro de Moura, empregado na seeretaria des-
sa presidencia, como tambam o resultado da ins-
pecQio por elle pedida no mon-.ionado requeri-
meuto.
Ao Dr. Gaetano Estellila Cavalcanli Pessoa e
conogo Siiuao dc Azvedo Campos. -Accuse a re-
copcao do offlcio que Vv. Ss. me dirigiram em 9
do corrente, na qaalidade de presidente c secre-
tario da commissao encarregaJa d.i aeqaisicao de
donatives para a edilicacao de casas onde func-
cionem as escolas dessa cidadc, e scieute do
quanto nclla mo ex poem, tenbo a dizer que, para
substituir os dous membros que nai acceitaram
aquella incambencia, acabo de noniear os capitaes
Caetano Correia de Queiroz Mooteiro e Antonio
dos Santos Pontual, a quoin me dirijo nesta data.
Junta acharao a planta pedida no citado offlcio.
Portaria :
A' camara municipal da villa do Limoeiro.
Declare a camara municipal da villa do Limoeiro
que, segunlo consta do aviso da 29 de jullio pro-
ximo lindo, junto por copia, foi sustcotado pelo
governo imperial o aclo desta presidencia aunul-
lando as eleicoes para rereadores e juizos de paz,
ellectaadas em 7 de setembro do anno passado
nas freguezias de Nossa Senbora da AprcsentaQlo
e de Santo Amaro de Tajuarelinga, pertencentes
a mesma villa. Designo, portaoto, o dia 5 de outu-
|*oro proximo vindouro para ter lugar a nova elei-
cao, guardadas as forraalidades (egaes.
6' seefdo.
' Acto :
0 presidente da provincia, atteniendo ao que
requereu a companhia Utilidade Publica, estabe-
lecida nesta cidade, e considerando queacba-se
ella deserabara^ada pelo meritissimo tribunal do
cammercio, do registro da reforma dos seus esta-
tutos, os quaes foram publicados na capital do
i nperio, e aqui por mais de quinze dias, resolve
dispensar-lhe o intersticio dos sesseuta dias da
kii, para poder prosegair em saas operacaaes.
XPB>nO(TE DO SECRETARIO.
2* secfSo.
Offlcios :
S- Ao Dr. efcefe de polieia.0 fixm. Sr. preai-.

despachos da presidexcta de 24 de 01tu8r0
ok 1873.
Arcbanja Maria da Conccicao. Informe o Sr.
dire:tor do arsenal de gueri-a.
Capitio Antonio Graaind) de Gusmiio Libo.
Passe porlaria, concedendo a pr)rogacao pedida.
Tenonte-coronol Bolmiro da S'lveira Lins.-In
forma'o Sr. inspector da thesouraria do fazenda.
Floriano Soarcs da Freitas. -luforme o Sr.' Dr.
chefe de polieia.
Fielden Brothers. Deferido com officio desla da-
ta dirigido a thesouraria provincial.
Felix Amador da Silva. Ficam cxpedidas as ne-
cessarias ordens para quco sapplicante seja traits-
poriado a proviucia da Banft no pnmairo vapor
esperado do norte.'
IzidoroEstevio da Silva.Seja pjsto em liber-
dade.
Jo.ao Moreira de Mendonc.a. Ao Sr. inspector
da thesouraria dc fazenda, para mformar.
Tenente-coronel Joaquim Cavalcantc de Albu-
querque Belio. -Forne.:a-se.
^ Jose Antonio Guedes da Trindade. luforme o
Sr. inspector da tbesonraria de fazenda.
Jose do Souza.Sim.
Maooel Franciscod) Nasci.nento.luformeo Sr.
Dr. chefe de polieia.
Manoel de Barros Barreto. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Murillo de Pontcs Lins -Sicapira. -Informe o Sr.
commandanle das armas.
Maria Jos6 da Camara Guedes Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel do Carmo Rodrigues Esteves. Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Capitao Manoel Antonio dos Santos Dias.-In-
forme o Sr. inspector da thesouraria do fazenda.
Pedro do Rego Chaves Peixota.Ao juiz de di-
reito de Gara'nhuns, para altender ao supplicantc,
como for de lei.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 23 de
outubro de 1873.
0 porleiro,
Siltnno A. Rodrigues
Commando superior.
au.UlTF.1, 1)0 COMMANDO SUPERIOR INTERINO DA
GUARDA NACIONAL DO MUNICIPIO DO RF.CIKE,
25 DE OUTUBRO DE 1873.
Ordem do dia n. 133.
Para conhecimenlo dos corpos da guarda na-
cional, sob meu commando interino, faco publico
que S. Exc. o Sr. commendador presidente da
provincia, por portaria de 23 do corrente mez,
transfeno para o servico da reserva, ficando aggre-
gado ao 2 batalhao delta, os Srs. capitaes do 1 ba-
talhao de artilharia, Joao Paulino Marques, Joao
Licio Marques Junior, Arrainio Pessoa de Albu-
querque e Manoel do Souza Cordeiro Simoes Ju
nior, que foram julgados ineapazes do servico
activo em inspeccao do saiile.
Rodolpho Joao Barala de Almeida,
Coronal commandanle superior interino.
DIARIQDEPERNA.MBUUO
RECIFE, 27,J,DE OUTUBRO DE 1873.
rVotickas da Ihiropn.
No sabbado as 2 horas da tarde fuudeou no la-
mario, dando a mala ao correio as 6, o vapor in-
glez Douro, da hnha da Soatampton, trazendo da-
tas de Lisboa ate. 13 do corrente, 6 dias mais mo-
derna* qne as trazidas peio Henri IV, chegado na
sexta feira. Eis o que colhemos de joruaes e car-
us :
LNGLATBRRA .
O Duly News de 29 de setembro publica am
longo artigo ao exame da sitaacao do partido libe-
ral em (oglaterra, que actualmente parece seria-
mente abalada. Ha algum tempo a administracao
do Sr. Gladstone so registra matlogros nas eleicoes
parciaes a que se tent procedido ; o desarranjo
amda seria maior se os eleilores de Taunton, de
Bath ii de Hull enviassem ao parlamento, deputa-
dos conservadoros.
0 Daily Newt exhorta os etaitores liberaes a fa-
zer o sea deveii, represenla-lhes com muita verda-
de que a abstencto equivale a am voto em favor
dos conservadores, e que no easo era que nas elei-
coes geraes, os liberaes mottrassem igual apatma
a de qua se tornarara culpados nestes ultimos tem-
pos, venamos apparajer am verdadelro tory.^tta
tomarla a dlreccao dos negocios por um tempo, de
qua seria impossiTtl precisar a doracio, e tie' _ inereceu do paiz uma daquellas a quo
a hi-donArespondcra por uma affinna;a> sent re-
servai sMo e emu am poulo hutoi ico irre sirfa-
zem eleifdjes.
A camara actual foi eletta para sustenlar a polt-
tica do primeiro ministro ; mas esta inaioria tinha
sido asoephida p.ira Ihe prestar o seu cancurso,
por isso ^ue" elle cerias refonnas que a nagao reconhecia como ur-
jrnntes e que so elle talvez estova entre tolos os
homens de esiado de inglatcrra, podia fazer trium-
phar.
0 8r. Leatham nm dos membros mais avan^a-
dos do Mrtido lilwral, em m diseirrso pronuneia
do em Widderstleld esboeou em tracos largos o
proiit-afriha do futuro.
A som voz nao tem caracter official, a como k
um doaliumeiis mais consideraveis dia panido, tu-
do iiidira que fosse o intorprete offtcioso do minis
teiio.
0 Sr. Ccatham dedarou que oa ires grandes
resultales a obter no stio do partido liberal,
eram:
Suppressia da igreja official;
LibeHaeao do irabalho ;
Aec#M> aberto a todos para a proprredade im-
mobiMMa.
Ee?prrgramma era raais que sufflcienie para
dar amninMerio Gladstone a pooularidade qae
tem perdido.
* Cnmeeaa tnmar grandes porporcoes a agita-
qia irUndeza de home rule. A adhasao do dero
catholioo a inn movimenio, para que ate agora
tinha aoaradn nm prudente aaastatnento, duplio.i
as fore** do partita separatisti. Este acha, ahjm
disso, am ponto de apoiu serio na reae^ao clerical
em Fraa^a.
0 psDorin Thtus afflnna a allian<;a intima que
reunecmum esforco eommum tuda a reaccaocle-
rical kuiio oa fraaca como na Italia, na Hespaaha
e na Irtaada.
A tfumatao do condc de Chamhord no thro-
no due un% ax0*, teria uma influaneia fatal em
loda a Europ* e ate mesmo na liberal Ingla-
terra.
t pio dia 29 de tetambro tcvo lugar em Lon-
dres*:le4e*o do novo lord maire para o anno de
A cereiuonia teve lugar com as anhgas formali
daJts, tendo os aldermen ouvido primeir < uma
mism Er^n candidatos os Srs Lusk o Stones.
V isajiari:\.
0 tei. viiituii a (^penhague da sua viagom a Al
lei-mnha oui a rairma, a princezaThyra e o pria-
eipc Taldcmar.
So dia 21 de setembro publicou imi docreto an-
nniii'iando que toroava a assumir o podor confe
rido duraute a sua auseitcia ao priucipe real.
Osdous chefos mais influenles das esquerdas
rettnidas no Folkething dinamarqitez, os Srs. Hin-
sem e do Berg, assistiramauma iinportaute ran-
nfao em Skanderborg, na Jutlandia.
Ambos aununciaram alii a sua Klenc^lo datra-
varera cam grande energia a sua luia eaatra o go-
verno, logo na coniego das sessiies parlamentarcs,
aiula que tivessem de rocorrer a regeic~ia dos or-
ramautos.
A prepiinderancia exclusiva do Folkething sobre
o p)dor executiva, e sobre o Lan l-ilui.j. e a these
das oaquerdis reuaidas, ecomo considerada polos
seus adversarios como oapai de altentar a consti-
tuicao para assegurar o dominio das aldeoes sobre
todas as outras classes da socie lade, podese cs-
per.ir na proxima sess.ao luia encarnii-ada d'uma e
d'oulra parte, c talvez que prodaza a dissoluc-lo do
Folkething.-
Diz a Corrrsponiencia Scnuduiava que o gover-
no esta decidido a servir-so de todas as annas que
foruecem as leis para combater uma doutrina qua
aboliria a constitaicao e mudaria a monarchia
u'uina republica que poria o esiado ,i mercii dos
trilmnos das massas,
0 governo dinamarquez acolheu favorave!menle
i padido dos .rlandezes. para que se Ihes dessa
uma constituicao aatonomica. Se a constitaicao
pedida poder entrar em vigor uo anno proximo, a
festa sera dupla ; porqae so Ihe ajuntara o centc-
simo anniversario da colonisapio da ilha.
A Islanla fii descobarta pelo dinamarquez Gar-
dar, que alii foi arrojado por uma tempestade
Pass iu alii o iuverao, e dou-lhe o name de Gar-
darshom.
0 uorueguoz Nadod foi impel ido para aquclle
ponto nor falta dagua, e em 868, o norueguez
Froke'desembarcoa alii : o parmanecendo em
terra daranta 3 annos, chamou-lhe islandia (torra
de gelo).
Foi o em 874, que am estabelecimento perma-
nente se ibstaltoa na ilha. 0 noruaguez Ingolf,
banido do seu paiz por araa serie de assassinatos,
foi se estabeiecer proximo ao cstreito, oaie esta
hoje a capital Reykjavik. Mas alguns norueguezes
seguiram o seu exemplo, e a Islandia foi, depois
iisto, povoada deotro em pouco.
Alguns d'a|uelies colonos deicohriram o Green-
land, e no decurso do anno mais de mil aventarei-
ros penetraram ate ao interior, cbamado na aciua-
lidade Maisachassitts.
A subscripcao que so abrio agora polo norue
guez 01" Bull, para se erigir um monumento ao
norueguez Leif Ericson, que descobrio a America,
nao deixa de ter justiflcaclo |histyrica, por isso
que Leif pison o solo amoricano 400 annas
antes de Colombo, e diversas indica5es mistram
que Colombo eonheceu as viagens dos oavegado-
res norueguezes na America.
E' isto que referea os iornaes em presenca do
que se esta passando em Dinamarca, cujo governo
consente attender ao pedido dos povos da Is-
landia.
NOaUBGA.
Na Noraega, pelo contrario do que acontece nos
oufros paizes, sao as povoaades ruraes que formam
o nacleo do partido radical, emqaanto as cidades
tem uma populacao em geral conservadora, mas
como esta nao elege senao um ter^o dos membros
do Storthing, esta constautemente em minoria.
Asultimw eleijoes, par^m, que acabam de alii
se realisar, no primeiro grao, porque o saffraglo
universal funcciona, mas por via de delegacies, e
com grandes restriccoos, pareeeram revalar uma
diminoicao nas forcas do partido radical, mesmo
nos district)? ruraes.
Os aldaos mais satisfeitos do que em cutros tem-
pos, com as vanlagens ratteriaos que torn conse-
guido obter, interessam-se meuos com as quoiloas
de priacipios sustentadas pelos seus o!\efes.
Alent disso, a reeente viagem do rei contribaio
tambem a dar mais pre;tigio a realeza, e as lostui-
coes qne nella derivam.
E' por isso que o Sverdross, um dos membros
mais Influentes do Storthing, autbr de uma propos-
ta de reforma eleitoral, foi obrigado a disculpar-se
contra a accusacao de qaerer o estabelecimento
de uma repobliea aa Noruega e que na uhristia-
nia as elei^pes. depots de uma lata muito viva do-
ram graadi maioria ao partido conservador.
AU.MAHHA.
Ofaverno prosaiaBo aa* se importa com as re-
quo eaeontra ealre o-clero cathelico na
oxecacao das leis ecetesiasticas.
Depois de ter prohibido aos padres recontemen
te nom^ados pelo arcebtspo de Posan, para oj ca-
rakM que se achavam vagos, sem notiflcai_!ao pre-
via a autoridade provinsial, de cumprir a's fanc-
c5*9 qne lha sao illegalmente conllaaas, airaba do
dar ordem de apprehender os regisiros a os sellos
da igreja em tola a narte em quo ot saeerdotes
tenhain sido noraeadas cmtrariamente as leis.
Estes registros serao conflados provisorramaute
a autoridade civil.
Quanto a a arcebispo, qua nao atlcada a ne-
niiunM dag intimacdes qua llwsao feitas para pa-
gar as mnltas, que Iho foram impostas, par suas
contrayenfoes as leis ecolesi.-tstioas, o govern.) re-
eorrera a uiu mei) muito siroplej: embargar os
Maamteotos quo Mr. Ladochcwsfa recabo do osta-
do. 1'al c a sotorao quo indica o Qstdttuch Lei-
turn/.
Di* a sTurafa de Spener que o bispo dos velhos-
citholie (anti-infallibilislas), Mr RJ.-inkens, foi in-
timado Delo governo a compareecrcm Berlim pra
prestar o juratuento prescriplo pefe lei ontro as
maos di imni-oro d-s cuitos. Depois dsU ceremo-
nia, que se deve ainda realisar em oatubro, o bis-
po Re'inkens lera o direito do crear, do accordo
com o governo, paroehias, e de n<>mear parachos
para cllas, quepoderat fazcr actos meio-civis e
meio religiMos, revestidos de toda a legalidade,
es como, autos de nascenca, de casataeuta, e de
obito.
Era virtu le das mesmas leis oeclesiaslicas, estes
mesmos diivitos |>oierao.ser relirados aos saeer-
dotes nomeattes en* contravene^) da lei, pelos bis-
pos caiholico-romanos.
-WSTaO-HU.XGHIA.
Kz a Pretse de Vienna que o reialeratb; quo
vai sahir das Mercoes geraes e direclas, tora de
drscutir uma serie da lets ecciesiastieas no nuin m
d;i quaes se acha) a uma lei sobre a fiscalisa<.Ao
da administracao dos bens e das insliiuicoes afU'C-
tas aos bwpados. Escandalosos abusos que se tem
Mitrodiuido- nes*as adumiiitraQdos puramente en
tregues ao clero, altriluram a intorvencao do go-
verno.
Cita-so am simples bispo supplenle, oa gover-
nador do bispado, qua aprovaitoa da sua admi-
nistraclo provisoria para fazar, contra as disposi-
(.oas de politica flirestal. cortcs de um valor de
30,000 florins uesse dominio episcopal da diocese
de l.eiback na Stjrria.
Esles fund is desviados do seu desliuo, vao para
a caixa do Dinheiro de S. Ptdro. Este.easo nao e
isolado: as imtueasas propriedades do clero-catho-
Ifoi estfw a disposifir dos bispos e por cousequen-
cia da curia romana.
Rata.
Otz a Qpinione qao o nwiistcna italiano se vai
ocenpar activametita da questao da reaberuira do
parlamento. A' excepgao da Napoles, o cholera
decresce em toda a parte.
Sl.'ISSA.
A commissao- in conselho aarioaal suisso encar-
regada de rodigir um novo projecto para a revisao
la consiiiuieiLo. ja terminou oa seus trabaluoi.
Parece, porera, quo nao conseguio conciliar as
preienCoas dos cum ihslre cwinn ill i raaaialii
las. Os primeiros linham comta.Io leito conces
soes import antes aos seus adversarios ; linham
condesceridido em approvar uma proposta daqael-
les que tmham por Ibn dividir as reforma* pro-
jectadas, em lugar de as propor em massa, em
seis grapos :
1 -Xegocios confessionaos e da instruc?ao pu-
blica ;
2. 0 domicilio, e o direito de resideneia ;
3. A linerdadc industrial e a abrogagao dos li-
tulos iiobiliarios;
4. Os negocios militares e financeiros ;
5." As refonnas ju-li :iarias o ad 6." Os direito? populares cas quesloes de eco-
nomia (wlitica.
Deste modo certis questoes e mesmo das mais
importantes, como os negocios do cultp e da ins-
trucQ.i i, estavam seguras de ter uma maioria con-
sideravel, em quanto que outras de interesse mo-
nos vital para a Suissa poleriam cahir na ultima
prova sem comprometler a obra toda i seu con-
junct. .
fKV.NCA.
As nolicias eleitoraes que se recebem quotidia-
namenla das daparlamentos francezes em que os
eieitores foram convocados, para 12 do outubro
teem um caracter tao proaunciado a favor da cau-
sa repuhlicana. que osjornaes conservadores prin-
ctpiam ja a preparar os seus leitores para a derro-
ta q)te elles presentem.
O que nas eleicoes quo se preparam faz sobre-
tad-1 a forca do partido repubiicano, e qua mostra
claramenie e com toda a franqaeza o sea pensa-
mento, o prograaima palilico; em quanto os can
didatos tcouservadores polo contrario receberam
instruccaaes fonnaes, para occultarem sob esta do
nominagao muito vaga as sa .s preferencias se-
crelas.
Apezar do partido que algumas folhas conserva-
doras iractam ainda de tirarda correspondencia
troeada entre o principe Napoleao e o redactor em
chefa do Avenir National, este incidente*ja foi
apreciado pelo seu justo valar, e nao exercera in-
fluencia alguma sobre a marcha dos acontecimen-
tos em Franca.
Todos os collaboradores polilicos de Mr. Portalis
sa sepafaram delle, a to Ja a iraprensa republicana
da provincia 'se junta hoje ao protesto que logo
no primeiro dia fez a Repabiique Frangaise.
Por sua parte o principe Napaleao, abandonado
e condemnado pelo Pay < recebeu da ex imperatriz,
do seu filho, e do conselbeiro destes, o Sr. Rou-
her, ama carla collecliva que acaba de o isolar
no partid*) bonapartista.
O conde de Chambord acaba de dirigir a um
deputado legitimista do Haraali uma carta qua
sera muito explorada pelos fusionistas; mas qac
nao resolve nenhama das quesloes que o- pianos
de restabeiecimento da monarchia lagitima em
Franca teem levanlado.
Nesta carta o conde de Chambord deplora a pro-
fiaganda revolucionaria, protasta contra a idea que
lie teem attribuido de querer rastabelecer os di-
reitos feudaes, ou de emprehenier ama guerra em
condicdas impossiveis apresent.vse flnalmenle
como "o representante, nlo do um partido mas de
um principio que s6 pode salvar a Franca, e as-
segurar a rcgeneratjio social. ,
li' sob este pent) de vista que se realisou a re-
conciliacao de 5 de agostc. Qaanlo a bandeira da
Franca, as suas liberdades, a sua organisacao p>-
litica civil e administrativa, o rei nao pensa cm
fallar pisso, e mesmo nos seas prolestos contem
uma volta as insiituicdes do passado, ovila cuidar
dosamente pronunciar-se sobre o seu mereci
mento.
As saas rezervas nao sao dictadas senlo por con-
sideracoes de inopportunidade. Sabe-so porem o
que ellas valem, e como um principio deve pro-
duzir suas consequencias fataes, sob pena de cessar
dan ser.
Q Jornal Official publica as decretos, creando
immediatamente desoito corpos deexercito destina-
dos a occapar alteriormente as desoito regioes
em que o territorto da Pranca vao ser diYi-
dido.
As trooas especlacs da Algeria (ormarao q 19
corpo. "S3o nomeados para o commando, d-**'
corpos: os Srs. Clinchaat, Moataadon. L>- ^os
hgay, BataiUo, Doaav q duque dQ A^i^It
do Cissev, Forgeot, Lallemaad. r,artipf'e'
Boar! -.-. .<. i".! "gne,_Picard,
0 geuerai Ladmiranlt i*>;a goveroador do Parif.
: fiommaadanie da primeira dtvisao militar.
SIHvei'sos ouiros decretos organisam novoare-
giraeotas do differentes annas para os corpos-de"
exareito.
A repeito do maiechai, els que aqualle-que'
so cliauia Bazaine vai coniuaFecerbravenieutcne-
raute o-primeiro conselho de guerra da 1* divi
sao rai!ir, quo tarn- a sua sede em Varsalbcs, no
palacio dti Trianon. Eis o libello respective :
0 Sr. Bazaine (Fraaciseo Aehilles) marechai de
Fransa, c accusado de se lor tofuido culpado em
28 de outubro de 1870* em Man;:
1 De ter capitulado com o inimigo e eutregado
a praea de Metz de que tinha o commando supe-
rior, sera ler esgotado todos os meios de defaz-i de
quo dispunhar a seat lor feilo tudo o que Ihe pres-
ereviam o dever e a boura ;
i.* De ter, como connnaudanle cm chefa do
exercilo da Matz, assignado.em campo aberto uma
capitulacao qae lave em rcsullado fazer depor as
armas as suas tropas;
& Da nao ter feilo, antes de trutar, verbal-
mente e por oscripto, ludoo qoelbe presereviamo
dever e a boura;
SCrimes pravistos pelos arts. 29 e 210 do coligo
de justica militar, assim concebrdos:
Art. 209. Incorre na pena de morte, com degra-
dacao militar, to Jo o govornador ou coinmandante
quo. sub matt ido a jusgamento em> virlude do man-
dato de um conselho de investigacao, fbrreconhe-
cido culpado de ter capitulado com o iniraigo e eu-
tregado a praca qae toe estava confiada sem ter
esgoiado todos os meios de defeza de que dispunlia
e sem ter feilo tudo a que Ihe prescrevlamvo dever
c a honra.
< Art. 210. Todo o general, todo o commando
de uma forca armada que capitula eu campo aber-
to, incorre:
1.* Na pena de mOrte, com degradacao railifar,
se a capitulacao teve era resultado fazer depor as
armas as suas Iropas, ou se, antes da tra&a ver-
balmente ou por escripto, na i fez tudo o qne Ibe
prescreviam o dever e a honra ;
> 2. Na deraissio em todos os ouiros casas. '
TIBOUIA.
A instabilidade do poder na Turquia tem passa-
do, de tal modo ao esiado 'chrouico, qua se nao
em dado attencao aos boatos de novas mudMcas
no alt.) pessoal do imperio otlomano.
Segundo o que escrevam de Couslantinapla a
Independencia da Belga, o unico boato quo se eon-
linnou, foi o da retirada do miaistro da justica,
Milhat-pacha. Nao podendo purse de accordo
com os seus collegas, e ousando mesmo algumas
vczes proteslar contra as ordens que recebhi do
paco, prefario trocar a sua posicao, pelo governo
do uma provincia.
A capaaidado administrativa do Midhat-pacha o-
a l'ndepundencia do seu caracter nfto tan contfsta-
das mesmo pelos seus adversariss, ma* estes
acham que pr.deria ulilisa-las melbor louge da
Couslantlnopla.
HESPASHA.
Acorca deste paiz escreve aosso correspondente
de Lisboa :
O general Moriones travou um terrivci corn-
bate c..m as faccoos navarras e alavezas, nos ar-
rodores de Paente la Reina.
; de rrW*? *- -ard> de S^W^c, Peaelon,
l-ne.
Ocxwcit9 0 despacho qua d i conta do facto, diz assim :
Tafalla, 7 0 governo militar ao ministro da
guerra.Exercito da operacoes do Norte.-Es
lado-maior general. -0 general em chefe ao mi-
nistro da guerra.As fae?5es navarras, fortes de
inn's de 6,0nO homens, ap'oiadas peia sua artilharia
e eavanarla, intentaram hontem defender as for-
midaveis posicocs de Sanla liarbara-, termo de
Paente la Reina. A's nove da manha principiou
o combate por um ataqac, sendo de tres batalhoes
carlislas contra o batalhao de' Ciudad Rodrigo,
e quatro companhias do do Alcolea ; estes valen-
tes nao so sustentaram o cioqae, senao que re:
pelliram victoriosamente o inimigo, dosalojando b
pouco depois de tolas as suas posicaaes, apoiados
pelos batalhoes de Castejana e Porto Rico.
Generalisado ja o combate, as faccoes foram
igualmente arremessadas de todas as demais posi-
coes que occupavam, tendo cabido a honra de o
fazer das suas ultimas, e a mais de duas horas de
distancia do ponto ohde tirincipiou o combate, ao
brigadeiro Dava cam os regimentos de Sevilha, da
Constituicao e um batalhao do de Africa.
t A's quatro da tarde, terminado ja o combate,
determine! as marchas das tropas para ptrnoitar
neste ponto. Para logo comprehendt que a faccao,
favorcciJa pela es;abrosidade do terrene, trataria
de piear a minba retaguarda para ver se podia
refazer-se n'um combate de noite da sua vergo
nhosa derrota duranle o dia; effeetivamenle, uraa
bora depois de emprehendido o movimento, rotn-
peu-se o fogo contra os batalhoes da brigada Dava
quo o cobriam. Escalonadas as forcas necessarias
para sustentaram a retirada, dei ordem aos bri-
gadeiros Catalan e Prielain para que se retiras-
sora a povoacao.
t Determinei quo tres companhias de enga-
nheiros sustentassem o combate de retirada, ate
que os rebaixasse o ultimo esealao da brigada
Dapa, emboscando ao mesmo tempo esealonadas
as seis compannias do batalhao de Ramales e sas-
tentando a esquerda na ermida de Santa Barbara
o regimento de S. Quintin e Castejana. Qaando
todas as forcas romperara o fogo, nos momentos-
que Ibes tiuham sido determinados, escarmeata-
ram de tal modo o inimigo, que no raais esca-
broso do terreno parou aqualle sem que nos tor-
nassem a molastar, apezar dc ser ja entrtda a
niite.
< N'este momeuio, que sao seta da manha, pre-
paro-me para fazer um reconhecimento no campo
da combate de hontem. As pcrdas do inimigo aao
posso flxa-las; nao obstante, conlaram-se mais
de 80 raortos entre elles o ajudante de Rada, cajo
batalhao licou hontem desencanlado dos seas ata-
ques a bayoneta. Levantaram-se varios feridos
carlistas com 26 prisioneiro* e moilas armas; as
nossas sao raais sensiveis do que grandes, porque
consistent n'um capitao, 2 suballeroos e 16 sol-
dados mortos; o coronel Infanzon, da constituic.i"
raais3 offlciaes sdperiores, 7 capitaes, 12 subal-
lernos e 140 soldados faridos, e 1 capitao, 1 su-
balterno e 36 solda los contusos.
A nossa artilharia ainda qae nao dea lugar a
qne funccionasse, os poacos tiros que fez foram
muito hem dirigidos econtiibuiram tambem para
o exito do combate. Tenho ama verdadeira satis-
facao ao manifestar a V. Exc. qua todos cumpri-
ram com o seu dever, leodo-se realisado feitos ne-
roicos que levarei ao sea conheciraepjo. Dovn
tambem consignar que se a comportamento das
tropas foi brilhanie no ataque, deixou-me alta-
mente satisfeito na retirada do noite, porque n'ada
tiva que deseiar nem da sua discipliaa nem da
sua seronidada. 0 mais deprassa que me for pos-
sivel darei a Y. Exc. os pormanores d'es.te bri-
lhanie feito d'armas, cojas satisfactor'ias consei
qaenciaj se conhecerao doutro de breves dias.
<^ Qaartel general do Puente la Reirtiti 7 de. 0a>
tubro de 1873,. Aforjones
mi %%3F-exsr r *-w-^ tei:
Rai)" uomens da reserva.
i .. u ama notavel reamao do partido radi-
... em casa do chefe Montesinos. Pelo qne se
diz, ajuellc partido torn p maior interesse em se
orgamsar, prestando o seu apoio ao governo actual
Parece que am das mais influentes em soa orga-
nisacao e o Sr. Fernandez de los Bios, que toi mi -'
nistro plenipotenciario em Portugal.
f Mais tarde houve outra roaniio de mais dc
100 tndividaes sob a presidencia d8 Martos deci-
ir ~

-\
-I
\
IsmWaaBaaWrsalaP



.
i
t8i au oaiii-jo
iJiM'tJiUiJMScrnambuco ~ Segimda feira 27 de Outubro de litt*t& ^ttJ/i /U/ tt/Zl'
diaJf que o partido asnima quo xnl#fltfM"*^flll4^nlaWWkt#t'Otrfc|l*
id i us pnn K'gna l.i-
9, con;
"evia mauler a sua repre-
ea e lomando parte ael
o"apoio ao governo. fleeidio
tambcm nauuar uma eommissao de 13 ineutbios,
orgamsasse, i
lia C m-Muic;
os inniios leg
.< DtCidio i
senlaciio na >
nesta ii prest if
para a reorganisacuc
Ht dias reunii
querd;, para ser
unpo^ta iclo coi
putadu Carrascc
Foi fcsolvi
ao poder execi
cada a pen
em quo aiiida vij
deputado (|tasc
neaie-coroQBe
* 0- insui
do
eccio d piHttido ewjado.
k ViosApuBptK
sentcnea do ii*irl
rra de Cadi* no de-
nil ir-se u;na r.-presenttcio
dindo qu ; in sej-1 appli-
ii luuiiil i o .-rome iia
a a lei d i ind'i i. AI e 1 I '
rabW) Coi 6 'ii I'M
liai-i* Sulcr.
laCai-tha-ena f..i\.m rcp-lli lo
I) .!'.
ca liz nial quo me nan ai-rane
t^ie id r il -a.
iaa ordan*. a culpa tl-Vi 6 m;
ns'fulnro esta's aMeiaVforem awoladas -pela
graca.a respnnsabilidade dislo cihir^ sobre i
tos e parlicularmenle sobre Domingo Nava Com
la tenbo a mo expr.ibrar ; minhas
TujflN sjnpro foram puras. vior.ro com prt-
vecdadi'.
O veli i chef
seal <> olh i |,Ien i p.-it).
moreeu iostan'.
nfft-re
tard; !u de r.-conV

.-') a
iuJio n"i i deixou que 11 i n las-
-. se de j "ilh is e recebeu as IaUs
Segundo o desejo quo ariieulara,
oeamenio N.i vespera da sua
!he perraitliss':'.i voltar
a pro
Algun- navies quizeram s'air, mas voltaram a loaf
a prtsa.
.< A desercao dos insugentes e quolidiana. *
As gucrrilhas de Savalls, forles do 1JSO0 ho-
uiens, t poyas e 100 eavallos, at icaram no dia 8 a
Junquella. nao comcguindo que se rendessem bs
seus 800 def.msorcs. O ataque principiou a* 10
haras da manha a durou ale as 7 da nolle. Os
sitiadVs tiveiam 7 morlus u oulroj Uutos fciidaf.
Nos siUante- houve tan.hem inuitas baixas, con-
tando-sc enlra cllas a de Carlaza, cuohado do Sa-
valls. Os guerrilhas carlislas fugiram da Inn-
queila quaikJo souberam qua se aproximavam
tropas em Keorro dos sliiad-is.
a &!,() saliifact : ias as noticias da Catalunha. Os
etomeiUos filBSfab-tain so dispersamlo, e aquellos
quo se mos^rava'm fav. ruveis ao movimenlo can-
tonal, iam lambem dofapparecpndo. Taes eram
as commuaieaeoes que cliegavam aa governo de
Madrii.
a Dizia se em Barcelona que os carlislas fuzila-
r.im e n Prais de Llusanos urn dos -ens oflleiaes-
chefef., aoeimi<) por dies de os ter atraii;oado no
, ombate da Granola. Pareee que o fnzilado era
o ge'i^ral P. anas.
Alguns jornaes fallam de uma conferencia do
Cabrera, como se elle viesse de Londres ou de
Paris aBiar:ilz, onde oerperavam alguns cliefes
mais giad'aados do carlismo. Viesse ou nao^ con
limia a asseverar-se que o vulho Cabrera niio
dusej.i fh>r i.iodo algum envolver-se aa.luta activa
do seu partido, empenhada na Hespanha, o que
pareee bem oolorio na Inglaierra.
i I). Carlos, sngunda as ultimas nslicias, havia
pass ii lo a A^nezcuas.
de Bilbaio algumas forjas cariislas, a (izerahl nu-
trido Togo por muilo tempo, ao qual respouderam
da praca.o
Esiao anciosos cm Hespanha pe!a chagaJa da
fm?ata Sar i./nza vinda da America. Sahio de
Now York n 20 de seU-mbro e deve estar a sar-
girno Tejo, onde dizain que vein receber as ordens
do sea governo.
i Da America taaihem vem ugthia da qao o
cefefcra ajitador cubanoCespedese seus com-
pa lheiros, padewi para se submetter, com a condi-
oao de ser I lies conservada a vida e livaatado o
seque;To dos m-.us bens.
Asseguia .?e nos circulos finamreiros de Ma-
drid quo ha sorias difflcnldade3 para realisar o
emprestimo dfi-iOO milhoes de real a* que se est;i
ejitralaudo era Landres. Os uiinistros, porom,
dismeatem esta noticia.
13is os uHimos ttlegramas:
'i Madri I, 10 da ouiubrois a lioras e 4"> minn
t is da tar Ir Os carlistas foram derrotados na
Manchai Muitis carlistas da Catalunha se refugiam
em Franca. Eni Clraaqdi licaram feridos* seta-
oantos CartaceVia es!:i completamante sitiad.i.
Umt la:n;i si lie de.vlon da costa o contra almi-
r.mte botio. n
Madrid, 11 de ontubro, as G boras d.i noite.
Os insjrgeutas d: Carta.'cna foram ropelli los. Os
navios leritaram sabir, mas raimgradiram preci-
pita lamente.
IMlITfCM.
Fallara-sp em amnistiaa os militares presos e
i':n via da.jn gan.'ii'.';, pelo proqesso da ravolta,
-j,:n prova il'1 ?iwi lai a divindade pela salvacao
da rai-iha e do se::; illh'o?.
No dia 13 iljv-ia inau'guraf-se o caminho de
fetrodqsul i!<*, Rxtrem iz.
Ibzia s> qrio o governo portuguez ia mandar
pira o Para u u navi > do gaerra, alim de trao--
plltai para Afr.'i a,;t:ol!as dos ooriuguezas alii
rcsidenles que desejaresn m.ilar de re.id ncia.
0 governo Jissolvou a eamara municipal de
L.'iria, pelas inuitas irregnlaridaies que prsticv.i.
Ainda -jrosaguiain oi Cestejos pelasala^ao
da raiuha a dos infantes.
Few logar no dia 8 a abertora solemna da
eseola malico cirurgica de Lisboj.
Ag dejiois pnblicaremos a carta do nosso
eoiresponqenVe de Lisboa.
fe-UM a carga para j'ernamljijco o briguc
"*Soli'/-i(iW. ,. .
Sihio, no tl'a ; Ingre Jn/ ..... a p frtng ieza Oespique If. proccJen'e
He Pwhambueo, 'rU fi?-r quarentanaa Vigo.
^'tHafiMM (lit .1 merica.
Pj; >-ia de l/'sfaw realftemos os seguintc3
Ifna ielegraphieos relatiro* a wise americana :
K d> seieiabro..-Ha cpnfianga e firme esperan-
;a ; approva se as recanlas providene.as adoptaJas
pela governo; a eondaoca renasce tambem em
Chicago, oalo ires bancosja recoraivaram os seus
pagamentos.
30 de setemibro.Ainda qua a situ a; ao finan-
eeira va meilioraado, continaa tod?via einiodaa
paria r. stagoapio do commercio. Pede-se aos ban-
aos q 10 compram lellras de cambio_ para 'irem
cm aunilio di commercio Jo exporta^o.
I." de ouUbro.<) ^r. Bidiardson recusa-se a
ornecor aos-'bancoj valores com cotacao para
omprar laltras la fambio. A repan.ieao das pos-
ias vai i Or e:n circalagaa iinmediatamunte valores
par tros milhSea !: dollars para pagar seus cun-
unlos, 0 c rnjin srcio de cereaes a do algodao vai-
seanlnando leptamento. A Union Ban!,- dz Chi-
cago suspend' a agora os seus pagamentos.
2 do oaiu ou0 governo envim 2 millioes da
iullar: em v .lures uionourios a Nova Orleans para
dar faailidado as speracoes d; commercio do al-
godao; o eiiv.ou analogos soccorrcs a C'nrlcitoa.
A s.tuayioeua complelamente restatelecida. Du-
rante- o mez d* setem'iro a divida publica dos Es-
, lados-llnido: era de 1:901,000 dollars ; no dia .10 de
.-.etembro as existencias no thesoliro elevav.im se
a 80,2'id mii dollars em oiro, a3.2S9 mil .em papal
moeda.
3 do outubro de 1373. A bolsa esta segura. A
casa Jay Ciwlte Cv C. faz proposUs para continuar
-oils negoeias, olfereeo loda a stii propriedade
particular como garantia aos seus credoees. 0
igio sobre o oiro ficava a 110 1/8; o cambio sobre
l.jndrosa MO 1/2.
Acriso porque pa-sa esse paiz determmou
a falleiim a suspeusa do pagauientoi dos saguia-
les baacos e banqueiros danuella praca :
Jay Cook a & C, n. 5 Nassau street, Fisk &
ilatciv While, Delrcitas Aj Haihborne, Bears &
Edwards, EagmoJ. Jackson, Thomas Head AC,
W. H Warren, (i-orgi Boiton, Alley & C, Green-
laef, >orris ,j C., Theodoro Berdell, Amos M. KiJ-
der, S. tt."Smith & Snaver, Day & Morse, Pay &
Warner, V#ra*m & H*y. P'teh 4 C., \V. E. Con-
i r. \WK< n ire A Anderson, Jacob Little ,S; C.,
E. a Raadi-hph AC, C. 6- White AC, Ket-
eawa k Bolknap, W. (1. Moorehead & C, Saxton
a Rogers, Will ams i Bostwicfc, Mi. lor A Walsh,
'. BidgtR w ''-, La-.vrenca Jose*pb, P. M. Myers
A C, r.Mi<%, Fisher A C, Fearing A Dunning,
C. G. White, Marvin A llrothors. Union Trust
Company, Nati mal Trusi Company, Bank of The
Commonwealth Bank of North America.
Em Philadelphia falliram :
E. W. Clarke & C, De Haven & Bro, Gel-
bough, Bond A Bro, George H. Norm, J. S. A II.
E. York's, Carlos P. Bayar, John P. Lloyd, Henrv
If Douglass.-II II. Bull, T. C. Knight, Henry L.
Pell, Union Bank C.
MEXICO.
AsfbFha* mexicanas dam-nos a noticia da
eaptnra e cxeeiicao' do mnito celebre chefe insnr-
gente mexicano general I.ozada, cuja crueldade
valera lha o a >pellido deTigre da Alica. Foi
fuzilacio em 19 de agosto. em Tepid), Conduzido
ao Ingar da exeTOjao, as 6 horas da manha, pelos
14." a 17 h italhws de infantana, p?dio esftbtevc
a pernis'Ao de proferir algumas p; iavras. Com
voz Urine e retmnbante exprimio-se assim :
M&ldadus dft faderaaao I
c Taimo a h ura de declarar-wa com a con-
sciencia ftrauquilla que daranta oj fteao'j annos
em q nai o psvo do Nayarit arocurai swa-
pre sun pre^rejso, sen eograndeeimBatJ e sua
Wunea (iz mal a nin^dera e 6 |om
alegri:, n.' Ion hoje raiuha vida pjlo povo qng;
govertiei. Pej > perdao pela?. victim i? cahidas nos
divers e*.obates sustentadjs cii'xa ;mm', e
supplii:o-v( s qiH roe'arremesseis voias .Ulas o-
bre mom. Id
meat?
para as montan'ias, paeiiicar o pate. Mas
p ista cr i lardia d ma.- para ser aceila
isji'u marrea um d i? vnli js mais euiaente.
(fa nistoria contemnoranea do M;xico.
Mi
a tambcm diz o Dlina h Gram
e autopjfes ital da raridade
anl jH :san;i 1) Sr. Dr. cliefo de po-
^iuticsn< ilu ilerte lo liHjinrio.
Am.uihecau hontein cm. nosio pjrta o yap-r
Cruzeiro do Sul, Irazendo dalas : do ,-unazonas l',
do Para 18 do Maranhio 20, do Ceara 19, do Bio
Grande 21, e da Parahyba 23 .Jo corrente.
Eis o que colhemos "de jornaes e. carUs :
AMAZOXAS.
Continua a variola a ilagellar a pcyalagao
fa eidade. Dos diversos pootos Jo interior, em
que a epidamia fez irrupijao, vem, com a noticia
de que progride a H)jsta, a noticia de qua a
caridada anua todos os eara'.aoes bam lonnados
para attenuar-l 'e as dures. Em Teffe appareccra
o mal com grande inlensiJade.
Por portana de 26 de soteoibro craoa apre-
sideneia no uiuuieipio da Serpa a Silvcs umi com-
paiilna avulsa de reserve da guarda naciunal.
A's K hi>ras da maulia de 3 do corrente
raorreu afogado no rio, em qua estava a banliar-
se, Julio Coblentz, cidadao fraucez a joa'.lieiro da
profissao.
No dia 3 abrio-se a 41 ses-aj judiciaria do
Jury da capital, que foi eucerrada no uiesuio dia
por nao haver processos para entrareiu em julga-
mento.
0 major Innocencio EusUchio Ferreira de
Araujo ao entrar no goso da uma licen;a que
Hie toi coucedida, passou no dia 4 o commando
do corpo provisorio ao Sr, major Manoel Ferreira
das Anjos. No ilia 3 efferecerara-liie os oflieiaes
a oflieiaes iaferiores desto corpo inn alinoco no{
Hotel do Commercio em qua compareceracn o
prasileute da provincia, coiumanuante das annas
priocipaes autoridades.
- Na estaeao da mis
- .vi estaeao da missa conventual, que teve
lugar no dia 3, leu o vigario geral o celebre breve
que o summo poutiliee dirigio ao bispo da Per-
nambuco.
Tiramos do Commercio do Amazonat :
a Existo no estabelecimento industrial do Fer-
reira & tlibeiro, a praca da Imperalriz, uma
cruz de ferro, exprassamonla co dedicala a Geralda Francisea dos Santos, de sau-
dosa memoria, com dous disticos, o primeiro no
ccntro da cruz onde se Id :
a 0' tu mortal que me v.'s,
< Hetleete bam comocstou !
t En ja fui o qua tu es .
E tu.... seras o qu'eu sou.
0 segundo no pedestal qae forma a base, onde
se Id :
Dedicudo a Geralda Francisea dos Sunlos, em
hoineiiagem a sublime virlude a'C">id As dijueusoes sAo as que se seguem :
Da Recta do pedeUal qua assenta uo solo ate
ao cenlro, 32 polegadas do centra ao lopo, e cada
bdo 14 palmos
Agora pedinms aqulles que ensinam a cari-
ilade aq proximo, que a far;a ooliocar no seu da-
viiio logar do l" de outubro em diante.
A racabedoria provincial arrecadou darante
o mez da set-'inbro ultimo lai-oS^'jil, sendo :
Pain a provincia 12:471.5608
Para a companliia fluvial
do Alto-Amazonas 2:787*0';:!
para'.
Nosso corresp mdenta de Belein escrevo saguiute :
Coaflrmaram-se hontem pelo aviso do 30 de
setambro ultimo, do minis!erio do I.nperio, as no-
ticias da approvacao da maioria das elei.oes da
camara municipal desta eidade de Santa Maria de
Batttn, cujo pleisbicito deu entrada .aos vereado-
res qua perteneem ao partido conservador.
" Era ha muito tempo a magna questSo entre
o partido conservador e liberal desta capital. As
eleicoes foram mui disputadas, accrescenlo a
eireumstancia de que os denominados dissiden
tes, votaram na totalidadc polos liberacs. Estiio
salisleitos os votos o annellos do partido, de qua
e chafe o conego Manod Jose de Siqueira Maudes.
Por emquanto estamos aqoi na iodeeisao so-
bre as tendeucias do Exm. Sr. Cunha Junior, em
roferenoia.no lad) para que pendq a sua admi-
nistra_j3o.
_ m; jornaes desla
t. verdade quo a paaioria u. f^m rcw
capital, lendo a [rente o Jornal d) u ..,;
vao-se tnanifesundo adversos a alguns dos so-
aclos, eoutrostem feito opposi^ao, sob o lunni
mento de que S. Esc. ha cinco mezes, nada por
cmquanto ha produzido em beneficio da provincia.
As inesmas- providencias que S. Exc. tomara a
principio arcspcito da carestia dos generos de pri-
raeira necessidade e da alimentacSo, nenhum re-
sUltado effkaz ha irasido a papula?;! >.
V A nao ser por em quanta, a apregoada.econo-
mia dos diuheiros publicos, dizem os desalTe:! >s
ou desgostosos dos actos administrativos nada
tarn apparecido de importanto I
i No meio de tr.do islo ha o jogo dos mteressas
partidarios, ou antes individuaes. Felizmente, a
prnsidancia por cmqnaiito tem-se maniido em uma
certa allura ; e occrto 6 quo ',os jornaes Dwrio
do GramPani e Diirio dr DeUm, ha tempos a
is'a oarte em luta, nis questocs de prepoderan-
cia e inlluencia no partido conservador, ainda nao
so mostraram hoslis a administracao ; e o mesmo
Liberal, npposto a situagao polilica do paiz, tern se
conservado em tignificaava memo, e a respeito
de alguns actos. antes ha elogiado a presidem-ia.
t Entretanto' eslo cstado de eousos nito piide
pcrdurar ; ae'eica) dos doputadas provinciaes
bsta a porta, e por cons'eguintc na escolha dos
candidatos, ru hade haver aceorflo com o parti lo
predominanle, OB MSaifBita divergeucia, o da
A iui a siguiflcativa marcha na diroccao dos m-
gocios da provincia.
S. Exc. estava ultiinamcnlo biManta incom-
meda lo em sua sadde, a panto de se tr en..rra-
lo e submattido a iratamenlo medico.
Sem duvida a estaeao e a das moledias ; S
quadra qije'se atravessa nao c das melhores, por-
que alem da variola que continua a grassar e a
fazer victimas, appareceu cntro varias pessoas s6-
ria enfarmidade, tenda alt) hontem perecido scis
iniividuos, entre maiores e men ire;.
Na opiniao da alguns medicos e o cholera sp >
radico que sa vai mantfestando em oulra classe d
pessoas, cm con?equencia da mudanca da estacJo
e da ma alimeniacaa,
Entendem outros facultativos que, os cases
morbidas o fataes occorridos nestas duas semanas,
foram occasionadps pela comida de peixo que aqni
costunia-se pescar nos ignipcs ecurrdes, por meio
de nma hcrva denominapa limbo, o que segundo
estou informado, tern alii o name de tingui.
t Esta herva,ou quer.que seji.conidm siibstan
cias vanenosas ; hio for com intento malefic > que
ope.cador assim procedeu, pordm, a facihdale d
nsar do uma suiostaneia para mais promptamente
poder conseguii a pesea de grande numero de
pelxes, (porque ostes costiimam ficar atordaados
ou como mortos a tona d'agua) tronxe cm resul-
tado 0 terror panico a populario, a morte a'seis
infelizes, e grave enfermidade a quantas com ra-
ram e comeram de semelhante peixe, que etava
exposto c se vendera em larga escala no mercado
desla ciuade.
Com tudo a opiniSo mais geral e que o mil
nao 6, o ch'ilera ; pois que al6m das couferencias
racdicai que se tern feito, uma deltas no palacio da
presidencia, a convile desta, ainda hontem prece-
des se a autdpsia n'um cadaver de. um dos me-
nores, qne su'eenmbio a cssa enfermidade.
Eis o que nosdisse o orgao official ha pou^os
dias e pona'nto a preseflte noticia deve sera duvi
da Irajguiliisar os animos, pois esta aycriguado,
que a nao serein os infelizes que comeram o peixe,
nada mais tern apparecido do semelhante molestia
na. populac.ao. V,
c Hontem ao meio dia, 15 do corrente, ren'nio
se no palacio da presidenm a rorporacao fncd^ca
da capital, a convite do"Bun. presidente 'da pro-
vince, para discntir qtial a origem da molestia de
que foi atacada.afamilia Araujo Baslos c oulra?
pessoas ; visto que dividiam se as opinioes a res-
pyito. dizendo nnr, ser cholera morbus europeu :
e outros wr envenenamento causado por peixe.
a Tendo cada um dos Srs. medicos emitlido a
sua opiniao, resolveu a maioria, que nao na entre
i)6s cholera europtu : e que os incommudo* <|ua
?offrera a fafnflia Baslos e out"*s, e dos qnaes re-
frultaram algunas) mortes,foran d?vidas a envene-
MlDiioto pelo peix".
i':;it"A la
i IWXMlHI dhi\:",i:ail ir q i
Vs *jH4t'v*e|i I8.').i, nao exisle.
< Tafia ram a.cooferoncia, por motivos plans!-
veis i dalcher, Lemos a Itricio ; de-
claraMB esltaajlMo, oi carla qua dirigio ao se-
cret irm da^HllenciJa i^Ksua "clinica na
tarcseiila qOB.menil Cisf^pervo i de choli-
\a mom
SohJj
P./.'YJ OC!
< N
foe-sa _
liiia. a aiHpsia no cada> i ir lta\inunlo,
da\faroj^Ba> Sr. Araujo Ba-tos, quotlo crnamen-
te^Jtem Wm> diziajjuajpis uJBPudtp. Os ma-
lic >s que procediTiima aut>;>-ia foram ,os Srs.
l)i. Joa) I'aulin ) de Souz i I'e'ija, Jose Ferreira
Canfio.Aoi-Ti.-o viarqae- da $A|n e Lodge-
ro Vitra il >. Azewdo. Assist! am os Srs. Drs.
Marcello Lobato le Ca$tro Ajitnnio Andres Cap-
per, Joao Chrysostom) da Malta llacellar o Anto-
nio Jese-Pinheua Tobinamn i,e os srs. pbarmacea-
tiaos Bernardo PaC, l!arn".j funror a Licinio.
t Narilieoa-sa uaaulo^sia que a muaosa do es-
tomago estava mui'.o inlliminada e conlinha um
hquido braae* e do ooosisioncia bulirusa. Este
liquid i foi jntregno ao Sr. ph..rmaceutico Bernar-
daPacs paraanalysa-lo.
0 figado, iiviilo augmentado de volume, apra-
sautava eeb' niosas. em diversas partes ; a visicula
btharia muitodestendida e da volume quasi duplo,
eominliiTin liquid) varda escuro, mui difference
da bilis normal.
Os intesliuos apresentavam tambem a mem-
brana mucosa muila cougestiouada.
f Diante desta analysa diviiiraiu-se as opinioes,
convindo entretanto dadarar que a maioria dos
medicos, presentes ainda esta vez mostrou.se in-
clinada a crar qao a morte dos infelizes membros
das fa.nilias Araujo Ba>tos a Manoel da SUva e de-
vida a iiigeslio de aliinentos allerados por raale-
i ias tovueas,
t A policia, por sua parte, tem da mosma sorte
proce lido as nocessarias ditigcoeias ; nos Diarios
to Gram-Para encontrarao seus leitores os inter-
rugalorios feitos a alguns doentese :utras pessoas
pela occurreueia do envenenamento por meio do
peixe morto com limbo.
Na) WO sorowue estes factos lamenuveis que
de-ta vez leva o Cruzeiro do Sul; & itdustria por
aqui vai'so aperfeijoaddo e progredindo em todos
os sentidos.
t Entre diffcrentcs e pequcnos roubos que neste
mez tern apparecido, com espacialidade nos su-
borbiod desta eidade, amanheccu hontem roubada
a casa da uoi dos prinaipaes joalh iros, sita a rua
dos Mercadores.
Eis como Qoticiaio os periodicos o facto :
Na noite de hontem para hoje, 18 do corrente,
appareceu a casa dos Srs. Levy Freres arrouibada
( roubada.
O caixeiro, inJo aferir o estabelecimento as
6 e meia horas da inanha, den pela falia do cadea-
do, e roconhecen ter a fecbadura sido violada e ar-|
rombada ; communicaad >-o aos palroes, veriQca-
ram esles terem sido roubados no valor de cerca
de triau aoiitos dc-reis ; pois o larapio, ou os la-
rapios, carregaram do estabelecimento cousa de
GO relogios de ouro, e outros da prat*, 80 corren-
les do ouro, 7 aderecos cam pedras tiuas, 14 pui-
seiras de pedras fluas, 30 pires de nrincos linos,
30 medalhas bam pedras liuas e letras, 110 anneis
ceoi pedras iiuas, boiues de ouro para camisas,
dedaese ouiros objoctos igualmenle de niatto
valor.
f A policia fez o competente exame, e procede
averiguacoes oecessarias para desoibrir os autores
do' roubo.
t Qs espoliados dao i:0-:X)l de preraio a quern
dosi-.ilirir os autores do roubo.
a A eomp.iuhia japoneza aqui se acha desde o
quo entao
s diarios; ii
era*; o*i1tyr%l c i
man so! i I
Jo (lia -22 o 23 de
iry la -ila lo de V
f^-jKry da -iila lo ila Via JC^ptnas aprc-
sentou-so a julgamcalo m# processo por
crime do ho niciilio, sendo o reo o inlio
llawique, qu^ na s^levriQao <\os ia-lio
Alto-1'mdare .mi I iii'lasorip.iivois ilivorjRtt mortos. Foi
conilivnnado ;i p.'na i;''
1" >i .etjeen alo om Jade setcmbro a
3' ses-ao do jury aja Pasl03-B ins qua foi
lomlo npanas adi) jolgnio um
crime de hoiassiuio.
vapor amcrica'no Smth.'America, onde veio.
Infelizmante nao po.le cdnseguir o theatro pu-
blico nem o- Chalet para os seus diveriimeatos.
Arranjou ura circo na praca ds Pedro II.
E-treou cm ma noite, cheia do chuva, de
forma que os artistas nao podondo trabalhar, de-
ram por Undo o espectatul) no segundo intervallo.
Isto mareceu-lhes uma tremenda pateada doalg.ms
rapasoias imprudenles, a ponlo de qu^brarem ca-
(iotas o damnilicarem o circo.
Os irabalhasestiveram interrompidos por dous
dias, e alinal, depois de uma satisfacao ptla im-
prensa dada ao respective director, a companliia
japoneza ha sido mui bom aoeita- e applaudida.
Breve teremos a festa de Nazareth, e, segund
consla, o director da cooipanhia pretende mudar
o circo para o respective arraial.
t Sa assim fizcr, pole auferlr nao pequenos in-
teressos, alem de mais esta diversSo para os con
currentes desla festa popular de Nossa Senhora de
Nazareth.
0 lambio fica sobre Londres a 26 1/4 e
2ii l/i.
'( Falleeeo, em Oeira?, o capitao Joaqnim Gin-
calves Bibeiro, Chefe do partido conservador.nesse
t ConstynoB do eartas recebidas do MojiS, que
"anoel Sehastiao Lobato, marador em Igarape-
rairy, lendo ida as caneceiras daquelle no a pro-
cura do riquezas, que se diz ter um cabano on-
lerrado, tivera wm KMiro hostil com os gentms
no dia li do pwtfdo. ?hna das cachooira^ rtn
que resultou Hear mono um indio o ferido outro.
Consla lambem que Lobato tratou logo de voliar
para Igarape-miry, sem dar a autoridade do lugar
o menor esclarecimenlo acerca deste lamenlavel
facto, quo' tern posto em sobresalto senio aterra-
dos todos os moradcrcs do alto-Mojii, pelas conse-
quencias das ropresalias que c de esperar dos
gonlios, cuja existoncia naquellas paragens nao
devia ser ignorada do fascinado explondor, por
terem sens lilhos ja o anno passado encontrado alii
objectos pertencentes aos indios.
t Da autoridade superior, a quem, segundo se
diz, o subdelegalo de Cairary participara o occor
rido, e de esperar toda a energia que o caso re-
qner. i
M.Vr.ANHAO
Do IHario do Maranhao trancrevemos
o scJtiinto resutno dos factos occorridos em
talta de missiva do nosso correspondente :
0 estado financciro da provincia c o
mais precario possivel.
I.uta elln com uma grande divida flue-
Uiante di0ic.il de ser salisl'eita, si, o que nao
a de esperar uiuilo breve, nao mudar a
face desua re.-cita.
-< 0 syslema de arrecadaQio pouco regu-
lar, fi sem duvida a principal, origem doste
estado de cousas, o que tem posto a pro-
vincia na impossibilidade de satisfrzer seus
compromissos.
Em vista do taes diflieuldades resolveu
n presidencia, para diminuir as dospazas da
provincia : f sobrestar os concursos para
preer.chimento das oadeiras do sexo mas-
culinj dus lugares Ig.irapi-assii, Axird,
S. Benedicioe Salgad), uUiaia.in.outo crea-
das ; 2" ^ubstituir por olHciaes do corpo
de p licia os commandnntos dos destaca-
menlns das cidales do Itapacurti-mirim,
Riacha'o, villa-nova do Pinheiro, e eidade
de Vianna para (onde foi destacado o com-,
[mandante do corpo), e.dispensou o offi-
cial do da eidade de Alcantara, cujos des-
tacamt'iitos eram commaodados por oflieiaes
da guarda nacional, 3 susj>eii'ler as assig-
naturas que tinha a sac-retana do governo,^
dos. jornaes publicados na provincia ; 4
dispansardo exercicio o auditor de gufirra,
o medico e o capellao do corpo de policia ;
5 mandar vender em basta publica os en-.
vallos pertencentes ao servico do dito cor-
po ; 6a dispensar o ajudante da onfermaria
da cadeia.
- Ordenou a presidencia da provincia I
quc.lbssnm .pagos pejqs c.i|fj-e,s geraes,,'ps'
ilesUQameutos do Brejo a Barra do.Corda.
aberta
procosi
.c Contiouan em audatriento as olras
para as casas em construccao para as esco-
las de primeiras Idtras do sexo masculine
da capital, em breve estarao nellas funccio-
nando as respectivas aulas.
Por intermo lio do Dr. Cesar Marques
foi offerocido para as obras das eseolas,
mais i3i?000 que obteve de D. Maria Joa-
quina Cnstanheira, o cem alqueires de cal
de la qualidade, do Sr. I.uiz Antonfo Pi-
res.
Para proenchimnnto das vagas do de-
putados do tribunal do commercio, foram
eleitos os negociantes common lador Candi-
Cesar da Silva Rosa o Jose Joao Alves dos
Santos, tendo silo este nomeado socreta-
tario.
No dia 11 desle, comecou a vagar pelas
ruas da eidade em calga e camisa e sem sapa-
tos o Sr. Jose" Carlos l'ereira de Burgos, que
havia perdido totalmeuto a razao: no dia. 15,
pore.n, ostaudo olle furioso a querer des-
truir os rnovoii da casa de sua fallecida
mai onde sntao morava, e a atirar A rua gar-
rafas e vidros, ordenou o Sr. Dr. chefe de
policia, quo fosse recolhido preso ao quar-
tel do corpo de policia, dondo depois da
inspecc3o medicafoi recolhido da Misericordia.
Foi provisoriamente nomeado para exer-
cer o cargo de tab lliao publico do judicial
e notas, e eserivSo das execucoes ctveis e
crimes do termo de Itapocurii-mirim o ci-
dadao Juao Barbosa Ferreira Sampaio.
Em S.Jose dos Mattoes foram capt irados
por ordem do Dr. juiz municipal, os crimi
nosos de morte, uo Piauhy, Benedicto e
seus lilhos Jose Candido o Joao flualberto,
teudo muito concorrido para estas prisoes o
inspector do quarleirao Hygino Gome: da
Silva.
0 commandante do deslacamento da Im-
peratri/., capitao Jose Paes do Azevedo,
tendo, segundo consta, mandado espaldeirar
6 guardas nacionaes pertencentes ao desta-
cameiil.) de seu commaudo, c iudo os offen-
didos pessoalmente ter com o juiz-municipal
Dr. Jose Clemente da Silveira ; o dito capitao
julgando-so por isso mais offendido para
com os roferidos guardas, maudou-o? pren-
der em um grande troneo. Por mais este
motive os guar las deram nova queixa ao
subdclegado, rcquerendo a formacao do
corpo de delictQ.
Quando este so dirigia a cadeia, tomou-
Ihe o capitao a frente, chanjou as arroas 11
pracas que tinha c mandou calar bayonetas
e avancar sobre o subdelegado se este nao
recuasse. Neste oc o o subdelegado deu-lhe
ordem de prisao em flagranto delicto por
crime de desobediencia, mandou chamaro
juiz municipal, que acornpanliado de dots
officiaes fez effectiva a prisao do dito capitao,
quo fugio daprisaoe voio para esta capital.
Contiuuava em andamento o processo
Pontes Visgueiro.
Depoz no dia il como testemunha o
capitao Basilio Magno da Silva Junior, quo
nada adianta com relacao a revelacao feitb
por Amancio Paixao ao fallecido capitao
Joflo'Lutz da Silveira na noite de 16 de
aposto ultimo.
Amancio Paixao no ultimo interroga-
tori >que lhe foi feito neste dia declarou nada
mais responder, o que se referia in tolum
aos seus precedentas interrogatorios. Em
vista do que o Sr. juiz de direito ordenou
ao escrivao que passasse portaria.deprisao
ao dito Paixao coing indiciado em crime do
morte, na pessoa de Maria da Oouceicao e
foi recolhido ao quartel de policia, por ser
negocianle matriculado no tribunal do com
mercio desta provincia; porem no dia 13,
mandou a mesmo juiz que fosse o reo reco-
lhido a cadeia da capital, onde oraso acha.
Acham-se d carga neste porto os uavios
Engracia e Maria Helena, vindos de Lis-
boa, e Humildade, do Porto.
Segue depois do amanha para Liverpool
por Lisboa o vapor inglez Brunswick ; e
hoje para New-York, em laslro o hiate 0
.If. Marrett.
De i a 15 deste moz sepultaram se no
cemiterio da Santa Casa de Misericoadia 50
cadaveres.
No mesmo p^riodo renderam as repar-
tiedes liscaes:
Thesouro .... 03:350,-Ji33
Thesouro provincial. 4i:788J?516
Us saques sobre a Euiopa lizeram-se
franco.
Thebargo.
deu-sc
i soffri lo de BlrenacSo mental d ponto de
tor sido posto em
tempo, u agora sen lo r.:: )!!iiJo d pi
pas-
sou, d'ortde so preSuuio que elle teve urn
forte access > de loucura.
cf.\U
No dia 17 do c nsente, reiinidos no
Club Cearense, accionistas cm numero suffi
cionte de votos para representar a associa-
cao, procedeu-se & eleigeo da co nmi98do,
que tem de examinar as contas apresonta-
das pela directorial c foram eleilos os Drs.
Jose Pompe.o d'Albuquorquo Civalcante,
4Jongalo do Lagos o Henrique
Soudo csse o motivo da retiniao,
por fiuda a sessao.
Peia lei provincial n. 1582 de 22 de
setembro foi concedida d companliia da
via ferrea do Baturite a faculdado do t-on-
trahir sob immeliata responsabilidade da
provincia em qualquer bauco nacional, ma
emprostimo de com contos de reis, exclusi-
vamonte para occorrer asdespczas da via
ferrea.
0 emprostimo serd ao par com o juro
uunca excedente de 8 % ao anno, pagos
em semestres, adiantados, sondo 6 reem-
bolso do capital em quotas annuaes de
10 ;o. Us pagameutos dos juros c das quo-
tas do amortisav&o sorao realisados pela
thesouraria provincial, no lugar do banco.
I'ara representar a provincia foi nomeado
pela presidencia o desembargador Trislao
de Alencar Araripo o d compmhia foi por
rregado o Dr. Liberato do Castro
Carrena.
Foi publicada a lei do orcamenlo pro-
vincial que dove vigorar no anno de 1874.
A roceita foi orcada em 846:S7i3>830 e
adespeza fiiada em 889:037-535i rcis.
Achava se no pcrlo da Fortaleia a ca-
nhonoira brasileira Araguary.
-^-Fallecera na capital. Anna Marih de
Jesus, com 1J2 annos do iiade. Eslava
barco para a eidade do Alcantara, %&y-
muodo Nopato Pad.Uha.c um m'enino', nau-
fragaram, e p^receram anibos, 0K caday^/;
do primeiro liou BContr4da. uas praias da
dita eidade, pe5m, nao se tern noticia do
do menino.
Lm 8 do correct
sideoto-da pruvinciVtuel
ponsionistas partieutares' da casa.
Londres 26 d.
Portugal 108.
Algoddo kil 600 a 640
Assucar bruto. 150 a 160
lia ties dias dou-se uo lugar Matinha
deste termo um barbaro assassinato, que
pelas circumstancias quo o acompanharam
so recoiihece que o agenlesollria de alieoa-
cao mental e nao teve consciencia do acto
que praticou.
\ndre" Corcino. Moreira, casado o com
filhos, vivia na melbor harmonia com sua
rnulher o nada havia occorrido quo alteras-
se essas boas dispo.ic com a familia visilar o sogro, quo mora em
algumadistan ia, e da volta d'alli, come-
cou cm caminho a mostrar grande impa-
ciencia para chogar d sua casa,' e apressava
a rnulher e filhos de forma quo os levava a
4narche-marcho o aoj empurrOes : em casa
passou a praticar os maiores despropositos
quo puzeram tudo em confusdo e temor, e
por dm encontraudo junto ao fogo um li-
Ihinho do oito annos pouco mais ou menos
langou mi3 de um ticio ou acha de lenha
com que o espancou do forma quo o dei-
xou por morto, em cuja occasiao acodindo
a rnulher, foi por elle tambem espancaja,
porem esta vendo que seria victima da sa-
nha do marido e dalvez coin ella todos os
lilhos, armou-se igualmento d'outra acha
de lenha com que se defeudeu e conseguio
No dia 4 do corrente, mdo em um dar lhe uma.pancadaqueo atirou em terra
completamente caduca, tcnlo vollado aos
habitos da infancia. Entre a doscendencia
deixou tros quarto -netos.
A Sra. D. Theroza Nunes do Mello,
esposa do negociante da capital Manoel Nu-
nes de Mello, conferiu carta de liberdade,
sem condicao alguma, d uma escrava ainda
moca.
0. Sr. Joao Nogueira de Queir6s mo-
rador no districto do Monto-m6r, concedeu
liberdade a dous de seus escravos Joaquim
e Maria, casados.
Escrevem do Aquiraz :
Dando-me ao trabalho do rover os livros
de baptisamento o obitos d'esta freguozia,
pude verificar que de Janeiro d'este anno ao
ultimo do setembro, foram baptisados 396
pessoas e falleceram 262, sendo adultas 76.
A mortalidade continua em grande escala,
e"mais seria, se n.ao fdra o tenenle-coronel
SimOes Branquinho, quo tJo rclovantos ser-
vicos nos ha prestado.
Chame para esso foc'o a attencao do
governo.
Le- mos na Constituifdo :
Sabbado, 25 do correnle, pelas 6 ho-
ras da manha, terd lugar a trasladacao dos
preciosos restos do illustre ccarenso, o bravo
general Antonio de Sampaio, da cathedral,
para o mausoleo, construido no cemiterio
publico desta capital.
E' o cumprimento dos votos ds todos
os cearenses. Vai ser assim satisfeila essa
divida sagrada.contrahida com obenemeri-
to general, quo, morrendo pela patna, le-
gou-aos esso exemplo heroico de patriotis-
mo, bravura e dedicscao.
Todo verdadeiro cearense concorrerd a
esse acto solemne, que serd precodido pela
celebraQao de missas ds 5 boras da ma.iha,
por alma do distincto general.
Eis o programma apresentado pela
commissdo encarregada do promover a
suhscripcao patriotica para a construcgao do
mausoleo.
A eommissao nomcada peio governo
para erigir o mausoleo, em que devem ser
dopositados os restos mortaes do illuslre ge-
neral Aot9nio de Sampaio, lendo conseguido
essa obra monumental, qoe^ )3vard d pos-
teridade o nome glorioso d'esso ceareuse:
de accordo com o Exm. Sr. vice-presidente
da provincia, tem rosolvido fazer transforir
no dia 25 do corrente (sabbado) da Sc para
o cemiterio, o caixao em que se acha encer-
rado o corpo do general Sampaio.
Acommissao, pois convida a todos os
cidadaos amautes das glorias da patria, a
concorrerem d Se ds 5 horas da manha,
para ouvircm as 3 missas resedas em suffra-
gio da alma de Atonio do Sampaio. Depois
das missas o Sr. padre Antonio proferird al-
gumas palavras. As tribunas csiarao d
disposicdo das senhorns.
Seguird o prestito para rj cemiterio,
sendo o caixao coberto com a bandeira do
legendario 26.
No largo da So estard foimada a bri-
gada commandada por qucm compotir.
Ella dardas descargasdo estylo, e a fortale-
za salvard.
Os Srs. senador Pompeu, consclheiro
Jose do Alencar, presidentes da assemblea e
camara municipal, o dous membros da
eommissao, irao aos lados do caixao, segu-
rando as fitas.
0 Exm. Sr. bispo dioccsano e os vice-
presidentes da provincia, chefe do policia e
os representantes da nagao o da provincia
dra presentes, c o vigario geral, tomardo o
lugar de honra. No cemiterio, subindo a
tribuna o presideuto da eommissao, lord em
um livro primorosamente encadernado o
termo commemorativo da trasladacao dos
restos morlaes do general: depois serd
assignado pelos chofes do todas as reparii-
coes o pessoas gradas, que se acharem
presentes : para o que eslard alii collocnda
uma mesa com os devidos proparos. Fiuda
a loitura do termo, subirao d tribuna
aquelles que quizerem render sua homena-
gem ao illustre finado.
Conclutdas todas* as ceromonias, serd o
caixao depositado no mausoleo.
A commissSo, em nomo da patria,
pede caridosamento a todos os sacerdotes, e
aos do seminario o seus discipulos, e aos
representantes da nacdo e da provincia, d
camara municipal, ao corpo consular, aos
niembros da associacao commercial, d
todos os negociantes e empregados publicos,
aos officiaes honorarios e reform ados do
oxercito e da guarda nacional, d garbosa
corapanhia dos aprendizes imperiaes, aos
medicos e engenheiros, a todas as i'rmanda-
les e collegiaos, p'aia que se^Jigrtem com-
parecer, d hora dita. alim de qne o acto se
,i!Onclua codo. 0 livro do termo, o outro
i nais conlendo todas as contai d*e recobi-
pr i-ttW4a>tf''aftJWff ^'"l -^ ^ii ir copia
^*ie* Uwuo-
i. lv' v.mv humoiiaganr 9e respoiji
piedade, quo Udoe os ceatabes quo t-st;-,;-
mecom pelas glorias da patria, devem ren-
dejkrnesse dia sdI";hu** a ^uelle quo se
olevou irr si rn^s no, q# muito hoprcu
a naca'j; c a que* o impe#*lor, na vida e
na morte, o torn consi-ljiajfl^m grao muilo
subidu. ?>
RI0-6BANDE.
Es veil .la capital o n >sso eOfrespondenio
Ja se .'.':<. comecj aos irabalhos da canalisacao
do rio C.'.uimerim, -eguadi o plain jlra^ada pek
habil engen'.ioiro Dr. Feliciaao -Fiaui-isco Mar-
lins.
Sstajpbra c uma das mais i.nportantes que se
torn de realisar na administracao do Exm. Sr. Dr
Joao Capi-drano Ban leira de Mello Fillio.
a Em breve se dara coineco a uma outra lie
nao menos valor, c de que, certameuie, hao d- re-
sullar grandes vanlageus para a tiqueza publica e
particular da provincia : reliro-me a ab-rtura do
rio Mossor.i, Ionian loo uavogavel ate a tl)r*jcen-
iicr immcrcial eidade do mesmo nome
t Para semelliaute fan $ Ex;, ji mandou pu-
bliear clita -, c'lamaudo a <: mcurrencia os qoe
se qniwrom constituir "emyresarios de tal obra,
gozando do pnvilegio concedido par nma lei pro-
vincial do corrente anoo
i S. Exc, justice lhe seja f ila, tem silo iwrac-
savel em pipmover a pro p ridade iIh prufinn .
que acertadkmento foi eonnala a sous caBal.-.
zclo e illustracao.
t Pouco imo >rta qua a^ folhis tiboraes d
terra deseor.Uo^am as bjas iuieuc.Kis e uAjfcip. r-
tanles servjijos d'apiel|e desvelado adoinisu-
dor.
Betn die 0 Conservador de hoje :E' o veiUo
offlcio de fazer opposicao, fechand) os ou idos a.>
grito. da prcpria cousciencia, e cerrar os olho* .
iuz da verdade.
N'o 1ia li do orrenle, in lugar Alagoi d) Si-
tio, do district) d o Juadiahy des e tern > J)se Ri-
beiro deu uni surra de peia on Ana Fraieis;*
daConcicso, viuva J-svalida, d; quo Iho res.ll-
taram diversas contusoes e uutras offensas pbysi-
eas. A oirundida coinparejeu uo dia 21 a reparli-
cao de policia e quelXoa-se conira o siu olTensor,
frazendo aiada bom salientes os veitigios da cri-
me. 0 Dr. chefe de policia' monlou procider a
corpo de delicto e as ddigeucias reoomiuendadas
por lei, audi de ter lugar o conapetonte processo
nos term os d) art. 73 do coligo do proce so cri-
minal.
Xi dia li fillecoa nacaleia da.ci.iid! diln-
pcratriz o pros) AiUooio Lope-t di C)-ti, queal'i
so achava c-.n cumpriuiiiilo da pma de triuU dias
de prisai a quo fdra condemnah pel) respoctkw
juiz municipal. Proeedido o auto de que trata o
an. 1BI do regalameato n. 121 de3l de Janeiro
de 1812, veriflwu se qua a'morte fora o^easioaa-
da.por uma lesao de coracao complicoda pelodbr-
ramamento de saogue nos pulmoes.
Entrelsnlo, dizem que a morte fdra o resulla-
ao de series incommodes moraes, de quo o reo
10 deixou possuir pela condemnacao que sourer a.
Pelo menus aQlrmam pessoas do logar qu o pa-
cientc era robustn o sadio, de nenhuma molestia
se queixava, e que julgaudo-se victima de run*
Sraye iiijusti;a, iicara sobre mode apprehensivo, e
'ahi as cmsequencias fataes que se seguiraml!'.
t 0 que por<5m, 6 verdade. e que Antonio Lo-
pes da Costa era um homem de bem, gouva de
repulacio e coneeito na eidade da .Imperalriz on-
de exerccra por diversas vezes, eargos publicos.
quer de eleic'ti popular, quer de nomea^ao almi-
nislrativa.
No dia 10 do corrente Joao Antonio do Frci-
tas, conhecido por Joao de Victor Cabore, expra-
ca de policia, foi a casa de Joanna Maria da Ccn
eefeae, residento nas circumvisinhaucas do povoa-
do de Utinga, e nao querendo ella satisfazer a
seus desejus libldlnosos, travou luta com a Victi-
ma de sua concupiscencia, quo se achava no 3"
mez de gravilez. Foram taes as sevicias e aper-
los que soflrera a queila pobre rnulher, que imm-o-
diatamente abortara. 0 respectivo subdelegado
de policia procedeu as competente* vistorias quer
oa offendida, qner no feto, que se encontron todo
arroveado com a cabeca esmagada. Consta que o
Sr. Dr. chefe do policia tomara providencias acer-
tadas, para que o anlor do delicto nao fique im-
punc.
r\RAHYBA,
So dia 17 do corrente assuinio as redeas da
preside ncia da provincia o Exm Sr. Dr. Silvin.
Elvidio Carneiro da Cunha.
A assembloa provincial, no dia 17jlo cor-
rente, approvou um parecer de eommissao inde-
ferindo a petigao de Josd Alves Barbosa Junior,
Alfredo Cardoso l'ereira e Antonio Barges da Sil-
veira Lobo, e desapprovando o coulrato eelcbrado
pela presidencia^da provincia em 19 de maio ni!i-
mo com esses senhores.
A coaimissSo da assemblea provincial, fn-
cumbida de felicitar ao conselbeiro DiogoVelho,
cumprio no dia 21 do corrente a sua missao.
Por acto da presideneia do 19 do concon-en-
le foi coijvocada a nova assemblea provincial pa-
ra o dia l de agosto do anno de Wi, e marcada
a terceira domiuga do mez de dezenibro (il) para
a reuniao dos collegios eleitoraes e processo da
eleicao dos membros da .inesma assemblea.
Forain sanccionados dous projeetos de lus
da assemblea provincial : urn, creaudo as cadeiras
do ensinc primario para o sexo masculine nas po-
/oaQdes deC-oried, do termo de S. Joao e de Mo-
reno, do de Banaaeiras ; e restabeleeendo as ca-
deiras das povoacdesde Pombas, S. Thome e Ca-
raiibas, do* termos de S. Joao e Cabaceiras Ou-
tro marcando o dia l" de agosto do anno vindoaro
para a rcnni..o da a?embl6a provincial.
i#iioj^s e adormecerart*fi*
eoconfraram e prenderam".
cujo
estado o
m sentidos, aproveitando o ensejo para ir
procurer soccorro a participar o occor-ido.
Consta, quefornando a si o dito Andre Cor-
cino, acabara dematar o filho, que alids
era aquelle que elle mais estimava, e de-
>nduzindo para dentro de casa se dei:,...
ara iualo a elle o do outros dous filhiuh'os; j.nentos do dinheiros e as despozas lettas.
IM
REVISTA DIARIA.
Ouanla nacional.-Por portaria da pr>-
"lepeis do dividamente examioadas, serSo
depositados no archivo da camara muniei-
sidencia da provincia, de 2i do rorrentef foram
nomeados para o 1. batalhao de artilharia do mu-
nicipio do Recife:
Estado-maior.1. tenente qoartel-mestre o 2."
Josd Francisco Cardoso Aryres ; 2." tenenle se>r.-
tario o guarda 1os6 Fiuza de Oliveira.
1.* companliia. -Capitao o 1. tenenle Francifc.)
Jo?6 Javmii Galvao.
2* dila.-Capitao o f. tenente Joaqnim PB8r<>
da Costa Moreira, 1. tenente o l- i aetano Jose
Goneabes da Fonte, 2." tenentes os guardas Jos'V
Antonio da Silva IjGuiraaraes e Antonio' Pinto da
Silva
3.'dita.-CapitSo o 1. tenente Francisco
Panla Cardoso Junior.
I." dita.-Capitao o 1. tenente Eustaqoio Kfe-
rino da Si'va rtraga.
5." diia.1." tenente o 2." Marcahno Jose G
salves da Fonte.
6." dita 1.* tcnento o 2." Paulo Pereira S'moe^
f. tenente o guarda -\(Tonso Fiuza de Oliveira.
Dcclsao conveniente.Tendo a irmanu;.-
de do Santitsimo Sacramento da malriz de San-
to Antonio representado ao Exm. Sr. presidenie
da provincia contra o procedimento do Rvm vi-
gario i.astilha, que so recusa a praticar name--
ma malriz os actos religiostis a que 6 oBrigado r
S. Exc. dirigio ao Sr. inspector da thesouraria de
fazenda o seguinte ollicio :
c Palacio da presidencia de Pernambtfeo em i5
de outubro de 1873.llltn. Sr. Tendo a irman-
dide do Santissimo Sacramento da matriz do San-
to Antonio mo representado conira o v.gario, co-
nego Antonio Marques de Castilha, por haver es-
te deixado de frequentar a mesma matfli e nella
praticar os actos religiosos a que e obrigali, prin-
cipalmento a celebracao da missa con\enluai, de-
termino a V. S. que nio p&gue a vigario algu.)
a respectiva congrua sem qne elle apresonte a:-
testado de frequencia, no qual eteja expreSss-
ment'e declarado haver cumorido os dever-M de
seu ministeriona igreja malriz e nella celebrado a
missa conventual. Deus guarde a V. S. Sr. ins-
pector da thesou-aria de fazenda. (\sli|iftdM.
Henrique Pereira de Lucena
Jury do RecifeDeixou de haver sessao
no sabhado por falta de numero sufflciente do
juizes de facto.
IMnheiro 0 vapor Cruzeiro do S(T tfonxe
para :
Keller & IftOBlMW
Gomes de Alattos 4 C. IrKOMOOO
Dr. Josd Rudrigues Elvas i:*'*!?
Fiorencio Domingues da Silva 40JJJH00
Oliveira Filhos & C W*6i
. 0 Parana levou as seguintes qaaotia* :
Pferah)ba 43.0004000
Natal' 5:000 000
HaranhSo 1:000*000
Para 8:0i0i0.'
Scrviyo -mortuaria. No Iugar3ifomp--;
tente vai priblicado.o edital, da Santa Casa de In-
I
1
'"^W
[_ILEdVEL \t

->:
4


1

Dfatio do Pejpn&tnbucd ^ Setftmiteitslra 2$>fe Outubro do HI 3.
seri.v-r In. ahrindo
mort-iaro d t-idgd
TriilltM ur-biilius' I
p*s**^.-iros de-ta empress, que nao reaovaraai
sum #jjgainra9 ate o dm 6 do eada mez, nao
po4r* Mis fazo-lo, e passarao a p:gar a
gens no:, trem.
* h;talliai lc Infantaria Consta
'ldrfque, pelo mmistorio da guerra maulou se ar
eblvar n cons-lho do investigacao a i tie r>s;>on
deu o Sr. teiiente-ooronel Frias Vilh.r commau-
Jante desse cjrpo, e foram "-expedida". orJens no
sentido do segiir* para a cdrte no primelfo vapor
iu." prfr aqui passar n mesmo Sr. tencnte coronel,
Mo que foi pouo em libeeuade na sexta-feira (24)
a time.
Rettntao de Irniandtule. ErTecluou so
no sabbado (25) a tarde a da Senhora Sain' \nna,
orerfa na igreji da Madid do Deus", para tomnr
ronheciuionto iia pena de interdicto que llic liavia
rtmbem imnos'.o S. Eve livni.i. e liav^ndo com-
pared do crtscdo numero do irm">
i-adti por uoiminidade que se de-/rJiVe?se ao
respective Tigirio a porta ria do S. Exe. Rvma,
declaran Jo ?e que a rccusaram, como acto illegal,
qrw era.
Adminisu-ayao doCorreio.- Em vis-
ta do re-ultado de eoucurso havido e de eonfor-
nidade com o 8 !. do art. 2. do rognlamento
approvado pole deereto n. 1,743 de 23 do junho
de 1871; por portaria do respectivo.admraistra-
3 23 do eorrente, foram nomeados. pratican-
tes dessa reparticao, Apt'nio Peregrino de Men-
lpura, Jose Carneiro Mheiel da Silva, Vicente Nu
nbs* da Serra Pilhn o America Wanderley Jacques.
SupttMladc IM'tterarla Amor ao Es-
tado Hoje haven scs.ao extraordinaria de.
Assemble* geral desta Sociedade, as 12 horas do
Ira, no lugar Co costume, para tratar se de de
goeios ni gentissimo?.
#HNViie. Segundo telcgramma do Para,
*ahfi Jjofltcni desse potto para o de Liverpool pelo
Oafra, o vapor inglez Jet vine.
Renriiirto social. Segunda feirn (27) deve
..tttjjr-se os mnmbros da Associa^io Portugueza'
!e' flfenclicencia dos Empregados no Commercio e
Industria, na rua do Imperador n. 35 priineiro
andar, as 7 horas da noite, afim de darse cuin-
priraento a dispesia > do art. 30 e seus :j.
.VssiM-iarao Commercial Ayjrieola
Terra-foira (28) deve realisarso, na sede desta
oeifdade, a reunion ia assembled geral dos socios,
,iara onvi 'em a leitura do relalorio annao, e pro-
cederetn ;i eleieao da nova directoria. -
Arreiuatac.oes provinclacs Foram
franferidas para o dia 30 do corrente (quinta-Ieira),
perante a junta da thesotiraria provincial : os re-
pifOS da some da Junqiieira avaliados em 5:720^ ;
<< a ven la do sitio dus Remedies, avaliado em
.1:7S*000.
Mntrlcula de esludantes. Pelos de-
cretos ns. 2127 a 2423 e 2437 foram mandados
admittir afazer acto do l. anPo da Facnldade de
Direito do Recife, os alumnos Joao (.indido de
iiiraes Rego Junior, Augasto Jose Teixeira do
Frettas e Perminio de Araujo Lima; e do !. anno
do'curso pharmac-^utico da Faculdade d; Medicina
tla Bahia, o aluinno Henrique de Morats Jansen.
Para o sul do impcrio. Com 1 rece-
bido em nosso porto lovou o Dom-o 338 passagei-
ros.
0 vapor francez Henri IV levou 328 passa-
getrns, dos quaes^ reeebilo em unsso po.-to.
Uludan^adc festa.A conTrana de ossa
aenhora dj Rxario do bairro de Santo An'onio mu-
dou a festa de sua padro-ira para um dos domin-
gosde novembro proximo futuro e faraaununeiara
dia certq, visto que por circumstancias que Ihe
lobi^ier.im nlo foi possivel effeclua-la no dia em
qoe os (kivotos a esperavam.
. Fiimlos brasilclros Eram a dos em l.ondr's:
He 1855 de 94 a 9G
1858 94 a 96
i860 92 a 94
. 1863 88 a 90
I86.*i 96'/? a 97/',
1867 96 a 97
cabo telcgrapliico Trans Pad-
O-A secretaria de mannha de Washington
jlfebeu uma carta, datada de 30 de agosto, do
amandante GeorgeBelknnp, do vapor Tuscarora
mnciando qne elle ooutava partir de San Fran-
co em 2 de setembro para determinar a via do
i submarino a immergir a costa occidental dos
Stados-Unidos e a China e Japao. O; Irabalhos
da exptoracio comecaram nas cercanias de Puget
Seund, por ondii o tuscarora voltou as ilhas Al-
imtianas. E* provavel, que, estando i comecar
o niau tempo, n5o fara muito a'expetHcan, e que o
Tuscarora aguardara a primavera, fazendo sonda-
,rens entre San Francisco e a extremilade da pe-
ntosuta californina, alim de determinar de mancira
Sta a natureza do leito oceanico. 0 coinmau-
dante Bel'vnap ha de servir-sc de um anparelho
tie sohdagem constrnido segundo o modelo inven-
rtdrt pOr ftr Wiliam Thomson, (jue foi ha tao pouco
rntapo nospede da familia paraens .
l ontjiitiv:i do morte. Por esso crime foi
jjteso em lagrante pelo snhdclngado da Boa-Vis-
ta, Afoj^ada. Communion o suhdelegado de
Apipacos que na manha do 23 do corrente, D. An
toftia Frj.ncisea do Albuquenme Cavatrantc, por
OCcasiiO de banhar-sc no rio Capibaribe, desappa-
-recera, daver.
Da vistaria .', que >e proredeu, veriticou-se tor
etia succumbido a asphixia por submer;ao.
Desastrc. -Na manha do dia 24 do corren-
te, o menor de 4 anno*, de nomo Joao, escravo de
Manorl 'Jaidas Sarreto, proprietario ok> engenho
SnpHrtta'a, do distristo de Beberibe, pi'ecipitou-so Recife, abrio-s? a sessao.
t9iialmcote dentro de um poco, do quo Ihe resul
fn a mcrte.
Prntcsto de letras.Ocscrivik' dos pro-
wstos l(t-A Marianno, esta de scmana, cartorio
-Hide foi a secretaria de policia, sala do lado da
msrf.
Ijrrcja ingdeza. Lom-is no Diarut Olfkual,
to Nio w! Janeiio :
Segdndo Imios no Anglo Drasituin Times,
houve *.i sem^na passada uma rounia, dos sub-
icriplores da igreja ingleza nasta cOrle, alim de
r (ida uma oiminanicacao do condo Granville.
Dessa communi-'acan resulta que o govcrno
malez resolvi'ri suspender a subvoucik que dava
as igre}a estalielecidas em cidades e.;'.rangeiras.
A do Rio de Janeiro recebia 400 annuaes. Me-
iade des'.a qua'itia. scr Ihe ha aiuda tnviada du-
rante o ,inno de 1874, cessando, poiem, no Hoi
dfesse anno, todo e qualquer auxilio.
Crieiket. Informam-uos qae no dia 1.* de
uovembro vindouro devo ser jogada na campiaa do
Santo Amaro das Salinas, uma partida de cricket
eatro os raemhros dos dous clubs desta proviucia,
Exctlsiar e Pernambticano.
tfapremo Tribunal de Justi^a. -Na
sKao do 4 dc corrente foi assignadu o seguiute
acordfto sobre a revista n. 8371, do Pernambuco :
Vistos, expostos e relatados os preseutes autos
de rtftitl* commercial entre paries, reiorrente o
capita) Eugenio Moreira da Silva e racon-ido o
administrador da massa faiiiiLi do Antoaio Jose de
Figueiredo : concedem a revista pedida por uulli-
dade minjfest,. do acordao de fl. 152 v., do que
se reeorre a Q too ; porquaoto, tendo a sentenca
exciniefcto pasodo em julgado, {tor tor sido nega-
da a revista, romo j;i era patente ao tribunal do
141, e eiddente que ja nao podia aquella sentenca
s^ aniuillada por embargo* a execu^ao, nem por
qai<| direito unlre estes litigantes, devia sor aeatada
<*mo a proprii verJade ; o o dito tribunal, pn.ee-
dewlo iiiversanente, violou de frente as disposi-
s>sdo art. 611. || 8. e 4.* in line do regula-
mpflto n 737 ilets de novembro de 'tttoO. Con-
cedem iwrtatito a ro*-ista pedida o detignam o
wihuual do commercio "da corlo para revisao e
aovo julgamet.lo. Rio era l. do outubro de 1873.
Srilo, pjwsldente.Barbosa.ltarSa de Montser-
rs4f,-~9'Ul'irer.Leao. Coilo. Sirnocs da Silca,
*8C>ido. Alb iqnerque. Mariani.Gtrqueira.
SldHaro.
Qazeta juridica. A' livraria franeeza
aralia ds cbegar o n. 39 desto jornal, conlendo :-
Gatftijuridical I.*, Fura do llagrinto delicto
pode o desembargador ou qualquer outro einpre-
gvi) do foro privilogiado, scr pre-o por mandado
de aotoridado incompetente para tormacJo da
tfjjlpa 7 2.", Em quejuizo dev. :n ser processados
Jrespottder o i coactores a apmpliccs que nao go
zen, do mesmo privUcgio ?
JuriH'icri'iQ civi' : 1.*, Ev falta de supplentes e
vsreadores*na cabeoa do termo, recorrc so ais do
termo riiaho: 2' lualienabiliJ ide de 'fideioimnis
*>; i.', Pod6*r intentadi a a*io deroivmJicacao
^m, vidft da fli'.uciaria ; 4.". e pel i segun 1 > marido
;. I.", Libcfi'ide c.mferiJa, en -nto, a
Wdos os escravos do te*tador, 3prJVelta apielles
^pie aiiteriormente haviam s*lo aiienados por (i-
tuto nullof 8', Sao compefentes para argair .
.daile do iilnlo os ipete a
isao de p
-ri ^liotrith, M(endc:se a mais inii i.
JULCVMBKTOS.
Recurso crime.
Do Recife.Recorrente Alberto B. Glieux, re-
corrido Roberto G. Suift. Juizes os Srs. desem-
bargadores Regueira Costa, Neiva, Doraingues Sil-
va e Almeida Albuquerque. -Improcedentc.
Appollaedes crimes.
De Caruaru.Appellante o j aizo, appellado M i-
noel Antonio de Barros.Improcedente.
Do Serido. -Appellante o juizo, appellado Ma-
noel Antonio F. das Chagas.A novo jury.
Do BonitoAppellante ojuizo, appellado Bene-
dict Pinto de Carvalho. A novo jury.
AppellacSes civets.
Do Ic6.Appellante Manoel Candida Martin.-,
appellado Antonio Joaquim de Figueiredo. Con-
firmada a sentenca.
Do Recife.Appellante Jose Antonio Moreira
Dias, appbllado Dr. RuQnu Augnsto de Almeida.
Desprezados os embargos.
Do Bonito.Appellante Dr. Nabor Carneiro Be-
zcrra Cavalcanti, appellado Manoel Felippe de
Mello Lios. ConSrmada a sentenca.
Do Cabo.Appellante Francisco B. C. de Me-
Dens, appellado Jose Romanzeira. Desprezados
os embargos.
De Camaragibe. -Appellante Antonio Alves do
Rego, appelladt's Bacellar &Irraao. ConQrmada
a sentenca.
tASSAOBNS.
Do Sr. desembargador Loureneo Santiago ao
Sr. desembargauor Almeida Albuquerque :
Do jury do Rio Fornsoso. Appellantes Manoel
Jose da Resurreicio e outro, appellada a justija.
Appellacao civel.
Do Recife.Appellante D. Hortencia Anna Al
ves Ferreira. appellado Jose Melehiades Bezerra
da Silva Costa.
Do Sr. desembargador Almeida" Albuquerque ao
Sr. deierabargagador Doria :
AppellafOes civeis.
Do Bom Jardim.Appellante Jos6 Pereira Fil-
gueiras, appellado Bernardo Gomes de M. Cotili-
uho.
Do Recife.Appellante Guilherme Augusto Tio-
drigucs Selle, appellados Jose Rodrigues de .Oli-
vdra Lima e outros.
Da Villa do Passo.Appellante o juizo, appella-
do Cesario, escravo de Francisco M. dos Reis.
Ao Sr. desembargador Domingnes Silva :
AppellacSes crimes.
Do Recife.Apoeljante o juizo, appellado Jose
Henrique de Azevedo.
De Campina.Appellante o juizo, appellado Ma-
noel Soares da Silva Sambofla.
De Barreiros Appellante o juizo, appellado
Joio Calisto de Mello.
Do Recife.Appellante o juizo, appellado Va-
lerian" Raphael dos Reis.
Do Sr. desembargador Domiugues Silva ao Sr.
desembargador Regueira Cqjtta :
ReviSta civcl.
Rocomaitri o admioistrador dos bens deixados
por Jose Lopes de Oliveira, recorridos Simpliclo
Bueno de Siqueira e outro.
Appellacio civel.
Do Recife.Appellante Jose Jacomo Tasso, ap-
pellajp Manoel Alves Barbosa.
Do Sr. dvemhargadoi- Regueira Costa ao Sr.
desembargador Neiva .
Appellaeio civel.
Do Recife. -AppellWe Dr. Luiz Rodrigo.sVii-
lares, appellados Francisco Maclwdo da Cunjia
I'cdrosa e oalros.
In, Wfrcit^fdj, Crodor^M fall Id..
ode iiitonVW: Ji parBor;oaljeoiMe grl-
uado seu|baditfJnl^ jnesnta-|ti aoiiticao de
1 ii!niM#. & JvMs e ia-
iativ"l com o credito do doi inio.
JurttdiecSo criminal: l., Os cinco dias para o.
recurso ut pronunoia dofrem da iolimagao do
dospa^ho, e nao do dia em que se requer fianVa,
eaibora o pronuneiado, em relaclo a.'este inci-
dentc, declare ji tec noticia da pruuuncia, 2.,
Procuracto geraf n5o basta para apreschtaca i e
Ju-tentacao da queixa ; 3., Tflesoureiro de com-
panhia nSo e competente para assignar, por si so,
procurac.i.i.E' condemnada o reo quando o jury,
por 7 votjs, respondc aOlrmalivameBle ao 1. que-
sito.
lustltulo dosbachareis eui lettras.
Na sessao desta sociedade, no Rio do Janeiro,
do dia 30 de setembro, o Sr. Pinto Aleixo, res-
pondendo as abjo;coes que em se-sues pa%sadas se
TizTam sobre a biographia de A. Fe.'ippe Cama-
rao, em relacao ao sou nascimonto, demonstrou,
baseado em locuineoios posittvos, que o lugar do
sen nasciiuento disputado entre as provincias de
Pernambuco e Ceara, pertence de direito a do
Rio Grande do N'orte.
I.oleriaA que se acha a venda e a 71' a
benelicio do collegio dos orphaos e orphas, a qual
corre no dia 29.
I.cilao.lloje efleelua o agente Pinto o lci-
lao de muilos e dlffirentes moveis, louca, vidros e
obras de prata do Porto, exis'entes ao armazera
Ja rua da Cadeia n. 24, esquina do becco Largo,
dando principio as 10 horas em ponlo. Vejam o
annuncio inserido no lugar competente deste
Diario.
Casa de delen^ao.Movimento do dia
24 de outubro de 1873 :
Existiam presos 340, entraram 2, existem 342.
A saber :
Nacionaes 247, mulberes 12, estrangeiros 39,
escravos 42, escravas 2 flfctal 342.
Alimenlados a cusfe dbs cofreB publicos 284.
Movimeato da rnf.-rmSfia' do' dia 24 do outubro
Je 1873 :
Tiveram baixa:
Galdino Bernardo da Silva, defluxo.
Manoel do Espirito Sartto e Silva, rhearttatismo.
PassfaseirosVieram dos portos do nor a?
no vapor Cruzeiro do Sul:.
Maria de Mello, Hermenegildo A. de Souza Ben-
tes, Jos6 Franciso de Olivtira, Alfredo Gonzaga
de Menezes, Joaquim Antonio Pedro Ferreira Li-
ma, Francisco Capaterra, Delmira Maria Pachecd,
Antonio da Sdva N'egreire, .Felieiano Pereira de Ly-
ra Tavares, Jos6 Joaquim N. C o o menor Sebas-
tiao, Theodoro D. Machado, Dr. Antonio Manoel de
Aragao Mello, Mariano da Silva Falcio, Jose Alves
Barbosa Junior, Julio. A. Teixeira de Macedo, Vi-
cente Augnsto de Magalhaes, Jose Maria Pinto.
Vierain dos portos da Europa no vapor in-
glez Douro:
Theoloro Chri?tiansen, sua senhora e 2 criados,
G. 0. Mann, JoSo Jose de Amorim, A. Vaz de Car-
valho, Jos6 Felippe de Souza Leao, Joaquim Anto-
nio de Carvalho, sua senhora o 1 tilho, Francisco
I. F. Pascoal, Jose Marqoes Ferreira da Costa e 1
fillio, Francisco Jc Assis Brito, sua senhora e 2 li-
Ihos, Jose de Almeida, Manoel de Almeida Rabello,
Antonio Martins, Antonio Euzebio Ferreira, Anto-
nio C. Martins Marques, Jbse dn Silva Loyo, Ben-
rique B. de Oliveira, Francisco Teixeira da Motta,
Abel Secco, Maria dos Prazeres, Domihgos Jose de
Souza. Peixoto, Anna Maria Peixolq e 1 filha, Ma-
noel Jo:to Vtegas e Seixas, Jos6 M. Saldanha, Al-
b.erto liodrigues Rranco, Manoel da Silva Santos,
Antonio Augusto F. dc Carvalho, Job's AnguSto de
Barros, Jose Augusto Vieira da Ciinha, Antcuio
JoSfi Mendes Pinheiro. Francisco Antonio Correia
Cardoso, Alexandre C. Picdade, Manoel Apolinano
de Oliveira, Firmtrio Viegas M; Guimaraos.
Sahiram para o Rio de Janeiro no vapor
francez Henri IV:
Pedro Bruno Sattpiquet, Maria Alvina da Concei-
qSo, Monica e 1 fftha, Antonio Alves do Couto e
Sa Jltnior, Sra. Porte, Manoel Mooteiro Alves Gar-
cia, Antonio Alipio Henrique Coimbra, Leom, Lop-
pi, Manoel Airoza.
Sahio no vapor ihglez Douro para o Rio de
Janeiro:
Francisco Jose Silveira.
Cemlterlo publlco.-Obituario do dia 24
do corrente :
Jose Eleuterio, preto, Bahia, 29 anuos, solteiro,
militar, Boa-Vista; tubctculos pulmonares.
Maria Rita da Conceicao, preta, Africa, 80 an-
aos, viuva, S. Jose ; velhice.
Antonia Francisca de Albuquerque Cavalcante,
branca, Pernambuco, 30 annos, sOlteira, Pojo ;
asphixiadas.
Antonio, branch, Pernambuco, 6 annos, S. Jose ;
estupdr.
Manoel, pardo. Pernambuco, 8 meze3, S. Jose ;
convulsoes.
Joaquim, preto, Pernambuco, 2 anno?, Boa-Vis-
ta : bexigas.
Elias Francisco Mindello, branco, ignora-se a
naturalidade, 6" annos, viuvo. Santo Antonio;
apoplexia.
i HftOMCA JUDfTIARIA.
TRIBUNAL. DA HEMCAO-
SESSaO DE 2) DE OUTUBRO DE 1873.
'EZalDKKCIA DO 8XM. SR. COXSELHBIRO CAIiTA.NO
SANTIAGO.
Sccrctario Dr. Virgitio Coelho.
A's 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
imbargadores Louren;o Santiago, Almeida Albu-
querque, Doria, pronurador da corda, Domingues
Silva, Regueira Costa e Neiva, faltando o Sr. des-
embargador Araujo Jorge, qne preside o jury do
n Af.i3jmmm*rtm:
AoSr. desembargador:arocurador da justica :
> Ai'UiiUi'W'i ^u^>4te^^^Bri^i^k9JUttthv^fl''~
fclda irjw^a; api^anU^5'l^IppBlalTD5o
M.nrinho da Silva ; appellante o juizo, appellados
Frtfti da Ponceca; appollaD'.e o juizo,
appellados Florencio Vieira da Cruz e ontro; ap
pellantes e appellados Bernardo Gomes de M.
Coutinlio c ontros.
Diligeaeia civel.
Ao Sr. Dr. curador geral :
.Appllante o joizo, appellado Joao, escravo ; ap-
fiellante Antonio Duarte Carneiro Vianna, appel-
ido Joao Baplista F. Ponna ; umbargantes Lino,
Pacifico, Lidia e outros, embargado padre Pauli-
no Villar dos Santos Barbosa.
Ao Sr. desembargador proenrador da coroa:
Appellante Francisco das Chagas Salgueiro, ap-
pellado Josd Jacomo Tasso.
Assignou-se dia para julgaraento dos feitos
seguinte:
Appellacaio crime.
Appellante o jub'o, appellado lose Alves do
Couto.
Embargos do juizo dos feitos.
Embargailte a faienda provincial, embargado
visconde de Valmout.
DISTniDUICOHs.
Ao Sr. desembargador Domingues Silva :
ReCurso de fallencia.
Becorrenle o juizo do commerclo, recorrido Joa-
fluim Ferreira Lobo.
Recursos crimes.
Ap Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
D'a Victoria.Reiofrentc o juizo, recorrido Flo-
riano Manoel F. de Souza.
Ao Sr. dfisemhargaaor Doirithjrties Siva i
DaEscada.Recorrente o juizo, recorridb Vi-
;cente Ferreira do Rego-Barros.
Appellacoes crimes.
Ao St. desembaTgaaor' Regueira Costa :
. De Itatnbe. Appellante o pTbmbtbr, appellado
Jose Joaquim Dias e outros.
Ao Sr. desemliargadar Neiva :
Do Nazareth.Appellante J. Ignacio Goncalvos
da Luz, appellado Jose Mariirtiano de Souza.
Ao Sr. desembar'gador Loureneo Santiago :
Do Sobral. Appellante Jose Alves TeitWa Ca-
jlabassa, appellado o joiao.
Ao Sr. desembargadoi1 Almeida .Vlbuquerque.x
Do Ceara.Appellante J. Francisco do* Santos
e outros, appellada a justica.
Ao Sr desembargador Domingues Silva :
De SerinhSem. Appellante o jute); anpoliado
Antonio Prtincisco da Paixao.
Ao Sr. desembargador Regueira Costa':
Do > uiqne. Appellante o juizo, appellado Joa-
quim Gomes da Silva.
Ao Sr. desembargador Neita :
De Borburema.Appell3iiW o juizo, appellado
J. Joaquim de Unto
Kneerrotr-se a sessio ao meio dia.
|ilva.-3ni.'Mwge**i.F
DeRracew49,llivaj,l
la-aoOMcao do M^ketf* ,iw*d*,Silxa"B ia-
Vista.0
Trilmnal do co mm or do.
IACTA DASESSAO ADMINISTRATtVA DK 20 DB
OUTUBRO BE 1873.
PRESIDE.NCIA DO KM. S3. jCONSBLHOnO AMSELMO
taAMCtSOO riRK-m.
A's 10 horas da manhS, presentes os Srs. de-
putados secretario 01 into Bastos, Lopes Machado
e supplentes Sa Leitao c Alves,. Guerra, tenio
tambem comparecido os Srs. supplentos EgyjliO" o%
'Figueiredo e;Medeiros Rego, S Exc. o Sr. conse-
Iheiro presidente declarou aberta a scss3o.
Foi lida e apprnvaJa a' acta da precedente
sessao de 16.
expeDibnte.
Oflicio do secretario do tribunal do eommercio
do Maranhao, remettendo a relacao dos couimer-
ciantes matriculados no* mezes de julho, agosto e
setembro proximo passado.Pata o archivo.
Offlcio do secretario da dlreifeio da Associagao
Commercial BeneBcente, remelrendo os documen-
ts que deviam tor acompanbado aos oflicios de 8
e 9 do corfent9. 0 tribanal resolv&u qne esses
documentos viessem na ptosftna seSsao annexes
aos olBcios qoe a 6tles se tefcrem.
Ollicio do presidente 6 secretario da junta dos
Corretores, parttcipando ter entrado o corretor Pe-
dro Jbt6 Pinto no exerciclo de soas func^des em o
dia 14 do corrente ntSz.Inteirado.
Dito de dtta, remettendo o bolethn das cotacftes
ofilciaes da semaha de B a 18 do correhte.Para
o archivo.
Foram a rubriea os segniutes livros :
Dous copiadores de Pereira & Carneir >, diario
de Jose da Silva Araujo.
debpachos.
Requcrimentos :
De Bastos & Silva, impetrantes de moratoria,
pedindo que a convocacSo de seus credores se
faca no prazo de sessenta dias.Nao tern lugar,
a vista do que dispoe o art. 700 do codigo com
raercial. Foi secretario ad hoc o Sr. srtpplcMe
Sa Leitao. .
Do gcrenle do English Bank of Rio de Janeiro,
pedindo dispensa da commissao de examlrtar o ba
laucj) de Bastos & Silva. -Como pede.
Do bacharel Francisco do Paula Penna, no nt*-
mo sentido. Como requer.0 tribunal, composto
dos Srs. Medeiros Rego, Egydio de Figtietretfo,
Alves Guerra, Sa Leitao e S. Exc. o Sr. conselhei-
ro presidente, resolveu domear syndicantes em
falta dos que pediram dispensa, aos credores Joa-
quim Narciso da Silva c Banco Commercial ; e
outrosim, que se participasse aos negociantes u>-
meados e ao Dr. juiz-de direito especial-do com-
mercio.
Do corretor George Patchett, pedindo exonera-
fSo do seu offlcio. Como requer, devendo o sup-
plicante recolher sens livros a secretaria do tribu-
nal, e ficando ainda em vigor a flanca do suppli-
cante pelo tempo qne a lei datermina.
De Jose Joaquim da Costa Fajoses Junior, para
dar se baixa em a nomeacio de seu caixeiro Sa-
lustiano Maximino de Lyra.Como reqaer.
Do barao de Bemtica,' no mesmo sentido rjuanto
a nomeapao de seu flltto Antonio de Oliveira Cas-
tro.-Deferido.
Dc Johnston Paler & C, para que um corretor
Ihe cerlilique qual o cambio sobre Londres em 29
de agoslo de 1872.Certifique a junta dos corre-
tores.
De Joaquim Dias dos Santos, salisfazcudo o pa-
recer do Sr. desembargador fiscal dado em peti-
cao que requereu o titulo de agente de bsildes.
Junte-se.
De Jose J-aquim Dias Fernandas Junior, reco-
Ihendo a carta ,do pajacho Veloz, por ter sido con-
demnado no potto daTlahia.Diga a secretaria.
De Antonio Castro' F-etreira da Silva, interprete
do commercio, inostrawb haver pago o seu im-
posto.Depois de registrado o conhecimenlo jun-
to, seja entregue ao supplicanto.
De Henry Adour, requcrendo seja registrado o
contrato quo celebrou com Eduardo Adour.Vis-
ta ao Sr. desembargador.
De Antonio da Silva Ramos, apresentando as
nomeaQoes de seus caixeiros Manoel da Silva Cod-
Iho e Antonio Francelino da Silva Ramos, afim de
registrar so.Rogistre-se.
De Antonio Domingues Pinto, para manjar-se
inscrever os seus caixeiios Urcino Gervasio da
Cunha Pingeto e Pergentino Ulysses de Oliveira
Lima.Seja registrada.
De Jose Francisco de Paula Ramos, solicilando
o registro da nomeacao de seu caixeiro Nuao Al-
ves Pereira da Foneeca. Sinu
De Joao Martins de Amorim, pedindo que orde-
ne-se o-registro da nomeacao de seu caixeiro Ber-
tholdo Beraldo de Lima.Como pede-
De Francisco Ribeiro Soares, para proeederse
ao registro da nomeacao de seu caixeiro Jose Ma-
ria Ferreira Franca.Na forma requcTida.
De Joaquim Jose da Costa Fajozes Junior, para
effectuar-se o registro da nomeacao de sou* cai-
xeiros Jose Alves da Silva Maranhao e Joao Fede-
ral i\o de Santiago.-Como requer.
Do Guimaraes & Luz, juntando a nomeacao de
seus caixeiros Manoel Carlos Maia, Jose Antonio
Carlos Maia e Cantionillo Firmo do Nascimenlo,.
alim de ser registrada.Na forma pedida.
De Joseph Krause 4 C, submotteitdo a registro
a inclusa nomeacao de sen caixeiro DomingosFre-
derico da Rocha Mello.Registro-se.
De Bastos Oliveira & C, trazendo. a registro a
nomeacao junta de seus caixeiros Amaro de Bar-
ros CorrtVa Junior o Francisco Joaquim Pereira da
Costa. Sim.
De Manoel An'.onio de Alcantara, oftereeondo a
registro ?. nomeacao du Francisco de Paula Tava-
res de Mello. Como roquer.
I)fl Jose da Rocha Siqueira Cavaleanli, sujeitan-
do a registro a nomeacao qne conceueu a setts
caixeiros Manoel Nunes Pires e Autooio Magaliiior
da Silva Fillio.Deferido.
De Andre Blanco, impetrando a registro da ne-
meacio do Manoel Materno da StlvaiSun.
De Antosio Jose Pereira da Cunha, t.mbem pe-
dindo se registro a no.seacao die seu caixeiro U>o$
Machado de Salles GuimarAes.> supplii;ante po-
nha de. accordo a proseate paticao com a iiowea-
piio junta, pois na(|uolla dtz veneer o sou caixeiro
20.)i, nUando nesta deolafa ser de 100S a respec-
tivo saUrro.
Dc Francisco Jose Germano, igua.knenta para
qoe registre so a nomeacao dc Jojb ftcoJtfsoda
^^piMWfisJaDi
Ja* supplicant* ponha de acovrdo a pr etigSo e a nomeacao junta, pratioaieHa declara
Jer do 300i o -saiarfei dj. caixeiro,. ao passo que
aaqiMlia csse salarlo e do oflDiOOO. v
Do Mar no sentido, sendo os
cairoirjs WM" P'itTy "1* Won IV. RM
Cisiro Itjbeifo.-pKistr- I I
Do >oW fjiia' i i Avila, registre da nomeacao do
sen caixeiro Manoel Marques Avila. -0 sunplicanta
declare se pretende o registro dj-nomeacaj junta,
pois nao e isto o que parece nella pedir."
Do Antmiio Felix Pereira Junior, registro da no-
meacao do seu caixeiro Antonio Emclalim;i:j Ita
bios.-Como requer.
Do Arruda sens caixeiros buU Jusimiano Perqira, Francisco
Vieira Leal Braga, Jose il-ria Mascarenhas Rosa-
do, Felix.de Arruda Lima o Jose Barbosa Vlantci-
ro.-Sim.
fioii o p.\Rar.En'n*(ilt.
Petiooes: .9mm mm P^ttti^i
Do Jo?6 Lonrenc Gon-ahes e Joao Pams de Ofl-
veira, registro do sen contrato. -Procoda-se ao
registro pedidj, segando disposto no decreed n.
De Maflftcl'G inealves de Barros A C. idem de
dito. -Registre se o contrato nos termosdo decioto
n. 4,39t.
De Joaquim Dins dos Santos, pedindo ser no-
meado agente do leiloes. SatUfaca o parecer
Igeal.
Summario ex-officib contra D. Viceoria Espin-
dolade Mendonca. nnhadora do niate M-ita-fume.
-Provese ale o dia 4 de novembro proximo, a
perda do n Ao meip dia, nib liavendo mais o que despachar,
fj. Exc. o Sr. coKiiolheirtJ .pnesidentti enterrou a
isessio.- ltf
SEiSAO
JL'DICIARIA EM
E 1873.
23 DE OUTUBRO
fRESIDSNCIA
Sure
uieio
00 bkm. m. COSSELHKIRO ANSEI.VI
i PKnETTt.
etario interim, o official Torres.
Ao Jteio dia; estando i*enmdbs os Srs. desem-
bargadbtSis Silva ttwraaries, Reis Silva e Ao-
cioli, s Srs. depntados e aoppleales Oimto
Bastos, Lopes Machado, Sa' Leitao e Guerra, S.
Exc. o Sr. eonseloeiro presidente abrio a sessao
Foi lida e appeavada a acta da sessio de 20,
menes na parle em qjie da eojao feita ao Sr. des-
enibantador A.-cioli a passagtem do feito em que
e appellante efribsrgada a companhia The Liver-
pool & Loridon and Globe Insurance, o qrtal
passon do Sr. desemhargadbr Silva Guimaraes
ao Sr. de>rib(ir^(kir Bels e SHVa:
aoooKOaos.'
Assign iram ie o* que ultimamente fram pro-
ieridos nos seguintes antos :
Appellantes Horniqab^Leifloil & C. por seu socio
e principal gerente ilenrijuo uuauz, appellado
Augnsto Kruss
Appellante embargante e embargaia D. Maria
Adelioa de Mello, appellados embargadis e embar-
jgantes os administradoros da massa fallida do An-
Itonio Pedro de Mello.
Appellante Antonio Joaquim da.Silva Brito, ap-
pelladu Jose Cypriano de Araujo.
Appellante Joaquim Francisco da Costa, appel-
lado Jacob Cahi'i, hoje sous berdeiros.
Appellante embargante William Fennely, appel-
lados os administradores da massa fallida de Fer-
nando Stepple da SHva.
Apjwliaue u fallido concordatario Joaquim Fran-
cisco do Espirito Santo, appellado o barAo dc Mu-
ribeca.
jn.GAMyros
Appellante Joao Jose de Carvalho Moraes, appel-
lados Jaymc Eneas-Gomes da Silva, Jeronymo Del-
sue o D. Ursula Cordolina da Rocha Almeida.
Juizes os Srs. Reis e Silva, AccioR,- Lopes Mateliado
e Sa Leitao. D--spreraodt s embargo'. Presidio
o iolgamento o Exm. Sr. desembargador Silva
Gnimaracs, como sabslituto legal 6*o Exm. Sr. con-
selheiro presidente, quo coutinuou a averbar-se
de susj-eito.,
Appellante Antonio Duarte Camoiro Vianna,
appellados Joao Baptista Gomes Penna e Antonio
Climaco Moreira Temporal, como administrador do
sua muHier, e outros. Juices, os mesmos senhores
acima mencionados. Rocebidos os embargos.
Propostos os safcu'hjbs feitos, deixarain do scr
julgados, em consetpi^ncia de ter sido pedido o
sou adiamento :
Appellante embargante Gertrudes Germana dos
Passos, appellado embargado Manoel Eduwiges da
Silva ; appellante AquiTino Bezerra de Menezes,
appellado Jose Cavalcanti de Albuquerque (tendo-
se procedido o serteio do Sr. supplente Guerra em
lugar do Sr. Sa F.eitao qae jurou suspeicio); ap-
pellantes Marques Santos & C cessionarios de
i iogo Pereira da Costa, appellados os administra-
dores da massa fallida de Silvestre Pereira ifci Cu-
nha A C.; appollante Gabriel Antonio de Castro
QuiiUaes, appellado o Dr. Nabor Carneiro Bezerra
Cavaleanli.
MA
Spado assignado dosui sessao para o julgatnen-
to do feito entre paries appellantes os administra-
dores da massa fallida de M-agaihaes & Irmao, ap-
pellado Antonio Machado Gomes da Silva, tutor
dos menores Aatooid e Jose, filhos de Bent) Josd
da Silva Magalhaes, feito o sorteio dos Srs. Sa
Leitao c Olinto Bastos, adiou-so a peuido de um
dos ditos senhores.
Nao tendo sido restituUlos petos Srs. juizes com-
mercianti's, eni cujo poder contiuuam adiados,
deixaram de ser pro ostos w feitos que sa -
guem :
Appellantes D. Anna Franeisca Tavares Braga e
sens fiihos, ajipeMados Severino, frmio & C. ; ap-
pellantes o kirai do Livramento e Jose Antonio
de Brito Bastos, appellados os administradores da
massa fallida de Fernando Stepple da Silva e os
herdeiros de Luiz Amavel Dubourcq e sua mu-
Iher.
DISTKIBUIOAO.!
0 Exm. St. conselheiro presideule fez as se-
guintes distribuicoes :
Ao Sr. desembargador Silva GuimaraesAp-
pellante Joaquim Antonio de Carvalho, appellado
Jos6 Joaquim Guerrciro.
Ae Sr. desembargador Reis e Silva. -Appellan-
te Machado & Brandao, appellado Francisco Anto-
uio de Albuquerque Mello.
Ao Sr. desembargador Accioli. Appellante
Joao Marques Fernandes, appellados Asevedo &
Maia.
Eiicerrou-sc a sessao a> i bora da tarde.
qac^M em Saat+Amaro.-f quo
pMfifeV. foram lovados us cadaver%i; ojo so pr
flue a populacao apn^eotaVa roptgnancia, sena)
porque os enterro*dixaA'am de ser feitos a noge,,
eomo cram, com ataaipaah.unento de padi
convididas munidos da branddo;. accosos causai
do isto prejuizo a.s vei*loees ;do cora ; e eu
mesmo pasiei por dsgotos, poisqije ate quizcram
levar para o corredor da easa, eai que residia, ca-
daveres que tinbam chegado ao Cemiteno depjis
das seis horns da tarde, e tint podiam scr aid re-
cebidos a vista do Regulam"iito ; e devo naj'omil-
tirqueai conhecimeuto da presidoncia da pro
vincii cliegou quo se prenndia domolir, em uma
noite, os mnns desse C -miterio, e que, sen*as
promptas e energicas provideneias quo foram da-
das, so teria passado por esse acto do violeucia.
Se ainda existuse men bm araigo, o commenda-
dor Manoel Figueiroa de Faria, conlirmaria o que
acabcrdo dizer.
Nao se suoponha quo alguos dos melhoramen-
toi qtwtotnos, foram realisados sem difDculia-
fle, c n ste numero entra a creacao e edjficac,to uo
Cemiterio Publico dosta zidade; e nao ede admi
rat isto, porquanto e sabido o que se prali;ou na
capital da Baliia, em rela^an ao priineiro Cemite-
rio Publici, que alii foi edilieado e depois arrasa
do por Innandados-reunidas, segundo consta.
Logo que fui nomeado presidents dj extincto
Conselho Geral de Saktridade Publica desti pro-
vincia, do qual tivo a honra de ser o inslallador,
occupeime das sepotoras existentes nas Igrej.s,
e eserwi um artigo que foi impresso e se acha na
collee;ao dos trabaliosdesse Conselho, datado de 13
(to setembro de 1845 ; e o projecto do Regulameu-
to desse Cemiterio, que foi redigido por mim, cm
vWottede ordem do Mat quez de Parana, que o dis
se em seu relatorio a Assemblea Proviocia, e de-
conlormidade com o dos cemiterios de Paris, con-
tent ideas consignadas nesse artigo. Ee Regula-
niento tem passado por diversas modificac^kis, sendo
uma deslas a ediScacSo de catacumbas, admitlida
ou introduzida pele Sr. Visconde das Tres Barras ;
,e, postoque eu nao seja partidario dc cataeumbas,
nio ignorfl quo ha cemiterios, em que eil.as eis-
;tem, nito era Paris, onJe nunca as vi.
Nesta provinela. om que tantas cousas inutois
jotl'saporOuas se tem creado, sempre com onus
Ipara a p ipulacia, ainda se nio cuideu do uma
modida de rigorosa necesstdade. Por vezes peli
a ereacao de lugares de medicos verilicadores dos
lobitos ; mas ainda se nao cuidou dis to. Ouant.is
uiortes violentas nao terao passado nor nalu-
;raes ? E' verdade que, se o servico- inhcrenie a
.esses lugares for feito sem s6ria attencao, mettior
sera que nao sejam creados ; tanto niis quanto
a eitperincia mo tem mostrado que se nao procu-
re os homens de- merito real para os lugares, mas
se cream os luearos para arranj>s do protogidos.
Em Paris esses lugares sao occupados por medi-
cos distiiictos, e sem que estes autorizem, depois
do v'wita, a romocao dos cadaveres, estes nio vao
as sepulturas.
Dr. Joaquim a"Aquino Fonceca.
25 de outubro de 1873.
?U8yQAC03 XKIMPO.
Lendo o artigo, que foi publicado na 8" pagina
do Dkivio de t'erwembueo de 24 do cot rente, c
tem por titulo Deposito dccadiceres nas hjrejas,
e males que dessa prat tea podem resultar para c*
cieo* julgo" quo devo dar alguns esclarecimen-
tos a respeito da creac4r>do Cemiterio Publico des-
ta cidade.
A idea da creacito de um Cemiterio Publico foi
suggerida ao benemerito e flnado Conde da Boa-
Vista que, em 1840, ndmcou uma commissao, com-
posta dos Drs. Enstaqaio Gomes, Moraes Sarmen-
to, do ahaixo assignado, e do engeniieiro fran-
cez L. L. Vauthier. director das Obras Publicas
desta proviucia, encarregan jo a de escolher uma
localidade qne fo>?e coiiveniento, e de apresentar-
Ihe um piano; e essa eonmissaodesempenlimi sua
missao, sendo a phn'a tragada por aquelle dis-
lincto engenheiro, qne foi qu-in deu o rbeo da ca-
pe!U qne^'xisle ;. mas ncahum triibalho de edifi-
cacao se emprehandeo.
Estando, e.u 1S49, na presidoncia desbt proviu-
cia o illustre cinselheiro de Estado, Cirueiro
Leao, Marquez de Parana, e tondo-se -desenvolvi-
do aipii a m amarella, que principiou era (las
desse anno a bor4o de navios fundeados no porto
desta ctttrtu, julgou e'te rjue devia reoJisar a idea,
e, recorrend*> aos, ineir.bros da refeciJa commis-
sao, a e\coj>-;ac. do engenheiro L. L. Vanthier, que
ja se tinha retirlao para a Europa e bavia sido
substituiL> pelo rtuado Jose Mamede Alves Ferrei-
ra, foi a plaiUa novamente aprescuiada, sendo subs-
tltuida a Uicalidado. porquo assiro o quiz esse ea-
genlittiri), sem me-iuo commuaiea lo at& seus com*
paulieiros; mas pouco se fez.
Sendu o Marquez de Parana substitnido na pro-
sidoagia desta provincia fielo.conselheiro de Esta-
dcSouwi Rnmos, Visconde das Tres Barras, o prift-
cipiando a manifestarse -cases da mosina t;bre
euwttB* do HI'*, en, r.juquakilade de presidente do
l^-xlinclri ''oa-elho Gaes) de Salubridado Wt!nca
tlesta proviucia, rciHiesenlei aquelle, d;udo Ihe
'HP*, estando as r>aJarumbas e covas das Igrejas
repi'ta- dc-''idvefes da ultima epideiuia, exisiin-
Uii flivorsas <\yn crmiinltam dous, o petli quo fos-
win adhntTiS-i? (s itvbalhos uo odifc.v;Ao, e qu
so no Csroitfrrio se dtsse sepultura aos cadaveres
Aitilictortii do corps de poltda.
_Teono, como promoter publico, exorcido as fuue-
coes dcaudicwr do corpo de polfcia ; pelo one
devo dizer duas palavras em relacio a- demora,
que tem havido na conclusao do alguns processos
alii instaurados.
Estiva com assento na assemblea provincial, que
encerrouse em 9 de junho deste anna. Apenas
entrei em exereicio, solicitei com empemo a erea-
cao de um segun lo lugar de promotor publico, a-
vista dooxoessivo ;rabalho iuherenlea promotoria.
bto nio obstante, e apesar das repetidas scssfies
do jury, eonecei desde logo a promover numero-
sas sessSos para os julgamenlos dos processos, quo
eacontrei fern numero de 13, segundo as infor-
raacoes-, quo acabo de receber na secretaria do
corpo de poh'cia ) c dos que foram accrescendo.
Quaudo eomeoou a presente sessao judiciaria do
jury, ja eu tinha feito um numero consideravel do
processos. Digo ja tinha feito ; porque o au-
diclor, como ninguem ign.ira, 6 quern escreve os
depoimentos, interrogatorios, seoteneas o lodes os
mais termos dos autos.
Ja estao julgados os seguintes reis:
Angelo Conolaiio da Motta.
Jose Valdevino do Souza.
Pedro Antonio da Silva.
Severiano Gorms da Maia.
Francisco dos Santos Lins.
Cabo Polycarpo Barbosa da Silva.
Jose Victor da- Silva.
Cabo Benigno Jose da Silva.
Cresoeucio Ladislao do Espirito Santo.
Manoel Aurcliano Cavalcante.
Henrique Car>lo>o Ja Criu.
Cabo Manoel Petronilto Alves de Figueiredo.
Julio Mauricio Ferraz.
Herculano da Paixao Ramos.
2/ Sargento Jesuina GonQalves do Azevedo.
Fui bontem (24) pedir ao Exin. Sr. presidente da
provincia, que a aadietoria do corpo de poliftia
( pela qual se rocebe uma giattftcaeao ) Ibsse con-
I'erida, ao Dr. a Ijunl > : mas, sabendo nessa occa-
siao estar creado o- logar Ue segundo promotor,
pedi que a este se concedesse aquelle cargo. Taf
e o meu desejo de conrorrer para o prompta jul-
gament-i dos processes do corpo de policia.
mais nao tendo feito, e porquo mais nao
Recife, 25 de outubro de 1863.
(Hiteira Fonceca.
Se
possivel.
Rio de Janeiro.
K.KK.l \ K S. SKBASTLiO, NO MOKRO mi IJiS-
TEIXO.
Tiveram lugar nos dias 28 e 29 do stlembro as
festas de Nossa Senhora das DAYes e S. Miguel Ar-
chaiijo conforme foram annunciadas.
Como sempre priinaram estas duas festividades
religiosas pelo grande numero de contissoes e com-
munhdes, pelo recolbiinento devoto e fervor de
piedade.
Em ambas estas festividades pregou S. Exc.
Rvina., o Sr. bispo diocesano c como sempre cap-
tivou o seu numeroso aoditorio com sua inchII.ia
eloqnencia e vasla sciencia das sagradas escrip-
ras c licc&o dos santos padres e doutores da
igreja.
O-sermao de S. Mignel sobretudo esteve doutis-
simo ;.crca da natureza, offlcio e excellencia dos
Santos Anjos, masime na inagnifica exposicao de
preeminencia de S. Miguel sobre todos os corns
angelicos, e das razoes desta superioridade -a pro-
fundissima huimldade de S. Miguel Archanjo, en-
eerrada neslas palavras legendarias : ii'mi.-cimi
MM ? Quis ut Deus f que, repetidas por milhares
de milhdes de Anios, alcam;aram omais estupen-Jo
triumpho sobre Lucifer e seus sequazes, que foram
precipitados no inferno, logo que, inchados de so-
berba, blasphemaram o seu inalditoNon ser-
viam ?
Apezir da chuva copiosa que na tarde de 29 do
setembro cahio, a igreja de S. Sebastiao cstava
cheia de povo ; e todo este numeroso auditorio,
quec letrado quer illetrado, teve muito que apren-
der sobre os Santos Anjos, materia quica a mais
ignorada o despresada atu por ficis catholicos !
Oh I se todos os pregadores tizessem assi n nos
seus sennoes, mais de apparato do que de do>
trina !-
Bera haja o nosso virtuoso, illustre e sabio pre-
lado que tao ii oral e frequenlemente reparjo- o
pasto espiritual das Santas Eseripturas, da Biblia
por suas ovelhas tao famintas e seqniosas da sa
doutrina Catholica.
Bern hajamos Rvds.missionacjos capuchinhos quo
tanto cooperam para alimentar e avivar a chamma
da fe eniro o povo lie! io Rio de Janeiro, fazendo
suas fostkidades religiosas com tanta devocao. sin-
gellesa e abundante uzo dos- sacramentos, semos
quaos toda a devocao se transforma em. esterco
pod re- nauseabundo ante a. face do Senhor.
Um.fiel oalliolico.
laracer, neia fi-f Hm/f fHM^WfWxprdicia nao
'ieiilo para fisali>a;
mento> desse devep; que todavia, nm stMU0^en
^uperiori-lalo do chefe do p-dicia, da natureza
IfflMBWt (quo tem uoi magistrado sobre os seus
qdli iif^, ram- i~neeessario quo elle use de expres-
es imperativas, quando ftwr aviso dos dias, em
que lam de tar a visiu dus prisoes. ou quando
por outro qualquer mojivtse,di/tg>r ao promoter
publico, ainda qiic sobre objoctos da rfiilricla
obrigacfio "deHte ; e quo .lioalmeut..- n;lo ebnrliu
que as autoriilades, cam sclmMbantes uuestSej de
tao pmca importanria," sb oiitraiarn de dererBs
mais importnitcs, ou tomem o tempo ao go^erBo
8 a seus defegados.
Dous guards a V. Ex.-.Palacio do Rio de Ja-
deiro, em o 1" de agosto do lW3:-^lWtorto-HeT-
mcto Carneiro Leio.-Sr. presidente da provincia
do Maranhao.
.1,
A* es*e duikliiMlaH.
As pessoas armadas coin a Sal3apanillia tristol, c que resided) nos distrietos em quo rei
dam as febras intermitte:itC3 o sesoes, podem real-
mente zombar dessa eufermi lade auuiquiiadora.
Um frasco deste poderoso toiiico- venelal afugenta-
os calefrios, e perseverando-se aft'Seti uso, as for-
jas se reslabelecem coinpletaraenle, e o .systeoa
se forr.11:-.; contra a miasimt gcra>lora da moks
!i i Ella tem sido universilineate experimenuda
pelo espai-o do 33 annos na* localidadoa inl'osladas
pelas S6soes e fobres intermitleutes. Porem os be-
eignos effeitos deste grande especilieo c^Kervador
da vida, nao se limitam a uu> sexla^Se de enter-
alidades ; a sua aceao medicinal mo a das proprias molestias.
As escrofula- de lypo m*is hwrtfiMl, o enmto
destruidor, as eontracedes dis jurfa>. b-nl^-s e
mnseulos, o cMorpecimentu e congeUdo d> gado.
o estado morbido do estomago e du vend
r asth-
ma, a tosse convulsa, as erup^Sos, rtloumatismo,
a debililade geral. sao subjugadas coin- uma- rapi-
doz o seguranca tal, qne assomhra os m(?i -os os
mais expori.nentados ; gra;as as suas qi.aodades
suavisadoras, curaJrva? e lortilieaates.
TriueitM da cabef*
Uma imperteila digestio, seg-.iida de to4a-*9W
invariavel comitiva, an> distufbi-> synpOUieiftlcr
figado e dos i-atestinos, e a eamsa t-xeitame das-diV-
res de cabeca nervosas.
Porque razao, pois, soffreis a sua alormentadora
agonia e desalinadas dores. quando Mm curso, o
em alguns cases, uma sodose das pilulag assuca-
railas de Bristol, nao so pods remover a causa, co-
mo tambem as conse mencias ? Dores de cabeca
cbrouicas, d'uui caracter o mais obstmsdo, iBwa-
riavolmente cdem a este remedlo db todos 0 m*4t
brando eo mais efflcaz do ipjant-is eutllartifos e
antibiliosas mediciuas exiMeim -as quaes nenhuma
enfermidade procodonte d'um estomago desarran-
jkdV, um estado morbo-o do figado, irrQguJaridadff
ou prisao do venire, on as difii -uldades itiheren-
tes ao bcllo sexo,podem rosistir por muito ton
po.
Em todos os casos em quo u ligado se Mho se-
riameute alTeetado, a salsaparritha lie Bristol; o
puriticador o mais potente dos llaidos animaej
qoe o mnndo jamais coulieccu, granJemonte faci-
Htara a cttra.
As pilulas acham se meltidas dentro do frasqui
nhos de vidro, e por isso conservar-se-hio- per11
Ceitae em todos es climas.
i <>
COMMf.Mltt
PKACA DO RECIFE 25 DE OUTCBRO
DE 1873.
AS 3 1/2 HOBAS DA T.VRD5.
Cotacoes offlciaci
Cambiosobro Londres a 90 dj v. 25-7(8 J. por
*(K)[);do banco.
Ouoourcq
Presidenlc.
i oal Seve
secretario.
AFL.NDAEGA
leadiraeaio do ds la 24. .
idem do dia 25
777:382*875
34:059**72
SH;45>047
Descarregam hoje 27 de outubro
Vapor nacional Goncahes Marlins (^sperado)
gtineros nacionaes para o trap&he da
companhia.
Barca nacional-S. JtSsi -xu-que ja despachado
para terra":
Barca mgteza Talisman f.rinha dc trigo ja
despaehada para o caes do Apollo e ba-
nha de porco ja despaehaila para o tra
piclie Concei'.ao, para confenr.
Barca franeeza Anne Marie ferragensja fes-
acha-Jas para o trapiche Conceicao, para
conferir.
lliate americano J. P. Anger vrios gaMn-os
para o trapiche umeeioao, para des-
pachar.
MiTKKAgAO .N.k PAUTA DOS PRKgOS DOS GfNBaOS
SUIKITOS A.mRBITOS DB KXI'OnTAyW), NA SRUAN'A
OB 27 DBurjTUBRO AO 1 DB NOV..MRRO DK 1873.
Algodaoem rama on 14 526 rs. o kilo.
Canrao de pedra estrangeiro, tonellada metric;*.
28*300.
Carocode algodao 20 rs. o kilo
AlUkloga do Pernambuco, 25 de outubro de
1873
O 1" eaofertMa -F. das Chagas GalvSo.
0-2* conlVn.Mite-Ernesto Augusto de Albayd -
Approvo, Allandega 25 dc outubro ite 1873.
o inspector da alfandega
Fubio Ale.candrino de Ciirralho Rtis.
>ESPACH03 DE EXPORTACAO NO DIA 24 DE
OUTUBRO DE" 1873.
Para os portos do exterior.
No vapor inglcz Cuzm, \ ara Liverpool, car-
regaram : 11. Schmnieltau 4: C. 147 saceas com
11,760 kilos d algodao.
N-o navio ingle/. Hac-'i; para o Canal, carre-
garam : J. Pater Jc C. 2,7011 saccos com 67,500
kilos de assucar mascav*ido.
Na sumaea hespanhola Qmmilnpt, para Bar-
cell-ma carregaram : B. Oliveira com 12,58-3 kilos de algodao.
Paro os portos do intertor.
Para o Rio de Janeiro, no vapor fraucer
Hemy IV, carregou : J. F. 4. Guimaraes 115 sae-
cos com 8,625 kilos do assucar branoo.
Para.o Para, no navio allemao Harrieta, car-
regaram : B> Oliveira & C. 300 barricas com.
2-1.493 kilos Jo assucar brauco ; P. Vianna &.<,.
60 ditas com 4,467 ditos do dito.
t- Para o Para, no vap naiui
carrogaram : Davim & Fernandas 20 barricas com
1,314 kilos de assucar br.-.nco. Para o Maranhao,
P. Vianna & C. 40 saccos com 3.0SO ditos de ditu ;.
J. 0. C. Doyle 20 barricas com 1,450 ditos de dito.
Par.r o Aracatv, no biate br.isilciro Dees- le
Gme, carregou : L. J. M. de Araujo 18 barricas.
com 2.l3Gkilos do ass:icar branco.
Para Miriii, na barcaca ConsHincia, carrega-
ram : A 6. Pires ti C. 1 barriea om. 60 kilo* b
assucar branco.
Para Mamanguape, na barca^a Bjaviayeai,
carregou : J. B. de Carvalho-4. saccos eom 300
kilos dc assucar branco.
uAPATAZIA DA 1LBANDBGA
aenduneaio do dia t a 24 *8t5538
Ide/n do dia 25..... eOOioi"
%ni potest eafaere, capiaA
^. 54.-Justica.Aviso do 1 de agoslo de*1843.
Ao presidente da provincia do Maranhao, de-
ciarando quo o chefe de policia c superior ao p0'
motor publico, porem. quo nSo, de.) uzar do e\-
pressSes imperativas,. qjiando se dicigir ao mesmo
promotor, ainda que- sobre objectos da restricta
obriga^ao deste.
tllin. e Exoi. Sr.-Sendo preseoie a Sua Mages-
tade o Imperadoc- o offlcio de V. BXc. b. 34 de
20 dc junho proximo passado, comas mat* peras
oiQciaes. relatives a queslau suscilada entre o
desembargador ehefe de policia dossa pjwvHu'ia e
o proinolor publico da capital, honve 6 mo*mo
augusto senhor por nem maudar qne se declare
a V. Exc, !>ara o fazer constar aos referido.s chefe
de policia, e promotor, quo e inaueslionavel a su-
perioril-vle, e raaior graduaea> do ehefe da poli-
cia, assim como a rigorosa obrigacai do promo-
tor publico de comparecer as visitas da cadeia,
nas. termos do art. 1150 do regulamentr. n. 12 i
VOLUMES SAMIDOS
So dia I a 24......
?nnieira porta no dia ill .
segunda porta.....
Tfcrceira porta.....
Quarta porta...... .. .
1'iApkhe Conceicao .
14:7661IS
34.78tv
124-
200
24U
3,890
IM9
SSRViCO MAIUT1MO
\l\arengas deecarrogaOAs no tranche
4 alfandega do dia I a 24.
Ditas ntas no dia 25..
Navus atracadosno trap, da allandega
\Jv.vrengaa....., v
Vo-trapk&a. ConcaicAo ,
52
55
do- SI dc Janeiro do anno proximo passado, todas
das pessnas qjte fosSem siic'cumbindn ;o a isto ss as vezes que' esliver n i lugar, o tElo teVkha legi,^
presVftdp boa vonteijee com onergia aquelle corv limo impedimenn, n.io podendo ded.zir-se Ja
wj*rr exnressao, devera, riue alti se empreg-i, que Qqoe
J(So f?.'i -"em. onnocao quo s? esubeleceu o Cb- a.djscricaMl-jme?m) promitoTo dohar d?-cotn.-
RtCkOaDOWA UE UB-NBAS INTERNAL GE-'
RAES DE PERNAMBUCO
ftoolnjaato do di\ i a "24. 8:lfl6ji;.>
'dNBda*2o...... 4:8rt6^3
7I.OT3,S2!:i
LiSKI

V rf





^... i.


Di-Ario dePernamouco Segunda feira 27 de Outuoro de 18*o.

COXMXADO PROVINCIAL
RMpiuonwdo iia 1 a 24. oI:"j29_9J4
utamdottaif. ..... 1:668*862
~5*:W8786
MOVIVEX ICO DA PRM^i DO COXMKRCIO DO RE*
~_lf_NA SEM.lNX DE 20 A 25 D_ OUTUBRO DE
1873.
Gambits.
Sobre Londres -a90 d/v, .6 d. 20 I/j) do banco.
26 1/8, particular.
Sobre Lisbea60 d/v, 10G 0/0 de premio, par-
ticular.
A' Detcontos '
Desconto de lotraj 10 0/0 ao anno.
Apo'iccs -de 6 0/0 da divida publica geral, 3 0/0
4c premio.
Venin de generos.
Algodio do Pernambuco i sorts 8*300 e
*800.
Dito da ParaliybaPosto a bordo a frete de 5/8
f 5 0/0 por lb. !>*0t or 15 kilos, 1* Kite.
Assuear mascavado do Rio Grande ilici Norte -
Posto a l>ordo a frete de 30| e 5 Of, 19M.
Genebia com mum:
De HamburgaJ-4300 a caixa. '
Genebia de laranja 6*o00 a caixa.
Millvywi saocos de 50 kilos3*000.
Aiijodaoe assuear.
Duranle a seinana entrarain :
Assuear 9,(i5i saccos.
Algoda >1,173 saecas.
Expmtdtfio.
Para New-Ytirk-5,600 saccos de assuear.
Para Liverpool -2,298 saccaa de algodao.
I',ui o Para-528 barricas de assuear branco.
MOVIMIENTO 00 PORTO.
dias, va-
comman-
:arga diffe-
R.
yccio entrado no dia 25.
Southampton j portos intermedios- 16
por inglez Douro, de 178o toneladas,
danle i. Thwaits, equipagera 116,
rentes gener )s ; a Adauison Howie A (.'..
Navies sakidos no mesmo dia.
BahiaVapor inglez Eotlun, coiumandanle
Rood.
Portos do* NorteVapor brasileiro Parana, com-
mandante Cvpriano Antonio do Quado, carga
differentes gennros.
BarcelonPatacho hespanhol Talia, capitao Pe-
dro Barbeta carga algodao.
Barcelona-Bngue hespanhol Marislaiy, capilao
Jeao Maristany, carga algodao.
Observacdo.
Suspeudeu lo lamarao para West Indies o pa-
tacho inglez Gio W. Hall, capitao Metehelj, com o
mesmo lastro aue trouxe do Rio dc Janeiro.
Idem para o Hio Grande do Norte o patacho
hollaudet Catharine, capitao Vfuldor, com o nios
mo lastp) que trouxe do Hio de Janeiro.
Navios entrados no dia 'J6.
Portos do Norte-9 dia?, vapor nacional Cruzeiro
do Sui, dc llll toneladas, comtnaodante 1* te-
nente G. Waddiuglon, equipagem 60, carga dif-
ferentes generos ; a Pereira Vianna C-
Bahia;i cias, briguc brasileiro Infeli:, do 2153
toneladas, capitao Santos Pereira, equipagem 12,
carga varies generos; a Manoel Teixeira Bas-
tos.
Rio Grande do Sal 21 dias, patacho brasileiro
Cardia, de '222 toneladas, capitao Joao Lopes de
Carvalho, equipagem 10, carp 12:350 arrobas
de carne; a Amorim lrmao & C.
Rio de Janeiro-16 dias, patacho sutco Uno, de
255 toneladas, capilao 0. P. Nordquirt, fquipa-
gem 8, em lastro; a Johnston Pater it C.
Noxios $ahid"S no mesmo dia.
Portos do Sul -Vapor inglez Douro, commandante
Thwaits, carga pane da que trouxe dos portos
da Europa.
Portos do SnlVapor francez Henri I\, comman-
dante Capella, carga parte da quo trouxe dos
portos da Europa.
Saranah, nos Estados-Ur.idos Vapor ingtnz Fire
Queen, commandante John CorbiskleyM em las-
tro.
co, ama eata terroa **m sotea
arrendada por
Marl* Barros.
V, 14. Candido Allierto Sodro daMot-
ta, urn* owa lerrea dividiJa ein
d-os armaiens arrendada por
Rna do Burgos.
N. 1. Jos* Joao de Amorim, um so-
Krado de dous andares e loja ar-
rend a do por
N. 3 Man-elHodrionesdaO'suM.v
gathaes um dito lija arrendado por
!f. 7. Miguel Joaquim da iWta, um
dito de dous andares e toja anwn-
l.ido por
N. 27. Elias Baptista da Stlv:i, um*
easa terroa arrendada por
Travessa da Vndro dj Dens.
N. 3. Luiz Jos6 da Costa Amorim,
um sobrado de dous andares e lo-
ja arrendado por
N. 7. Jose Mareelino da Rosa, nm
dito de dous andares e loja arren-
dado por
N. 9. Joaquim Ferreira Valenlo, uma
easa terrea arrendada por
Rna do Amorim.
N. 21. Candido Baptista de Azevedo
Maia, uma easa teri ea arrendada
por
N. 4. Henrique Bernardo de Olivcira,
uma dita arrendada p r
N. 28. Antonia Maria da Silva e ou-
tre, uma dita arrendada por
N. 38. Manoel Jose" do Aguiar, nma
dita arrendada por
N. 42. Joaquim Pereira Arantes,
ama dita arrendada por
X. 46. Feliciana, fllha de Joe Nu-
nes Vieira, nma dita arrendada
. por
N. 48. A mesma, uma _dita arrcn-
dda por
N. 50. A mesma uma dita arrenda-
da por
N. 3. Manoel Francisco Marques,
uma dita arrendada por
N. 27. Manoel da Costa Guede, um
sobrado de tres andares e loja ar-
rendado por
N. 29. Manoel Fernandes da Costa,
um dito de tres andares e loja ar-
rendado por
N. 31. Herdeiros de Jose Fernandes
Povoa, um dito de tres andares e
loja arrendado por
I.* seecao do consulado provincial,
bro de 1873.
0 chefe,
Antonio Wit ratio Pinto li e A. de
Consulado provincial
Para scieni ia dos contribuintes do imposto da
decima urb:v.: t o os eiTcitos kgaes, em seguida
publicam-so as altoracoes vi>iilicadas no lanca-
mento do nio.-mo imposto no corrente anno finan-
ceiro de 1873 a 1874, icando alierto o prazoas
feebunaijoes, iue pur veetura possaai ter a fazer
M intcrcssado- na Cnrnta da lei o r.;gulamentos
rcspectivos.
Altoraqoe* voivi.u i n ijc-Vi !:iii;;aJvr J".iO Pedro
de Jesus ds Malta, no laogameoto da decima
urbana da Ireguczia de S. Prei Pedro Goncalves
do Hecife, iue tern de servir* no anno de 1873
a 1874.
Hua do Maiqnei de Olind \
v. II. Caadkto Alberto Sodrd d
Motta, nm sobrado de utn andar 8
loja arrend:ido por
N. 27. Jos6 llarbosa de Mello e ou-
tros, um dito de dous andares e
lojas meiaguas arrendados por
N. 31. Henrique Bernardo de Olivci-
ra, um dito de ties andares e loja
arrendado por
Hua do Bom Jc-su^.
N. 32. Manoel Antonio da Cnoha,nm
sobrado de dous andares e loja r-
' "rendr.do por
N. 52. OMea tereeira do S. Fracis-
co, um dito de dous andares c lo-
ja arrendmio p?r
N. 36. Capella dos Praterel do Gua-
rarapes, utn dito de tre3 andares e
loja arrendado por
N. 6i. Antonio Goncalves de A.'.eve-
do, um dito de doiis antlares e loja
arrer dado por
N. 7. Bads do Morenos, an dito de
tres andares e loja arrendado por
N. 13. Elias Baptista da Silva, um
dito de qua-.i6 andares oioja ar-
rendado por
N. 39. Francisco Josa Rogalo Braga,
um dito di dous andares 8 loja
arrendado por
\. 28. Jo-i" loaa dc Amorim, um dito
de tres andares e loja arrendado
por
Largo do Corpo Santa.
N. 23. Caelano Cyriaco da Costa Mo-
reira, um sobrado de 2 andares e
loja .irrentt.ido por
Rua do Bispo Sardinho.
N. G2. Manoei Pereira de A.-aujo
Viaana, um sobrado de tres anda-
res e loja arrendado por
N. 1. Herdeiros de Clolides da Sii-
veira Bastes, nm dito do 2 anda-
res, sotao e loja arrendado tado
.por
Thome de Sonta.
N. 6. JoseJoigo Pinto, um sobrado
de Ires andares e loja arrendado
por
N. 3. Custodb Joso Alves GuimariL'-s,
um dito de nm .indar, soiao c lo-
ja, arrendado lode por
Vigario Tenorlo.
N. 10. Franc sco Ferreira Baltar, um
sobrado de dous andares e loja ar-
rendado prr
N. 16. Angela Maria de Azevedo
Viama. nn dito de dous andares
e loja'arrendado por
N. 24. Mosieiro de S. Bento, mn dito
de dous anJares e loja .wren kado
por
.V. 26. Luiz Jose da Costa Amorim,
um dito do tres andares o loja ar-
rendado por
N. 15. Herdeiros de Lauriana Itodri-
gnes Candida Regueira, um ditode
tres andares eluja arrendado por
N. 23. lose Joao do Aiuuii'm. um
dito de tre? andares e loja arren-
dado por
Barreto da
St 2. Itmand.ide do Sin
craraento do Recife,
de 2" andares o loja
por
N. 4. Ildefonsi, .Arliiur. U
tros, am dito (!^ tres an
loja arrendado p r
N. 6. Andre ie A In
to de 2 and ires e loja
por
N. 8. Ordem '.ereoira do S. Francis-
1:0C0/.0W
1:8004000
s^oaiooo
2:32040 0
1:200*000
1:9001000
-): 100*000
1:020^000
2:0rt0iODO
SOOiOOO
l:O0OJ0OO
1:3004000
1:108*000
1:1.0*000
8i'i
8oo/rtoo
1^004000
I 300*000
1:000*000
1:080*000
1:404*600
1:310*000
8o0*0G0
.776*00')
612*(HK'
400*000
800*000
408*000
'i3:*0(W j
328*000
i 16*000
1:080*000
1.280*000
600*000
3:000*000
1:800*000
240/000
324*000
200*0G0
130*000
150*0C0
150*000
3O0*C00
960*000
776*000
920*000
18 de outu-
Vasconcelios.
300 n. por 13 grammas on fraccao de :13 gram-
ma*, e estos a de 40 r*. por M gnnaaaa on irae-
eaa de 40 grammas, na prOflreMSo estabelecida
nas tabeilasC e I -annexa as instrue:"*? do 1*
de <:i O adninixtrador interino
Vicente Ferreira da Porciitncula.
AVISOS MARITIMCS
Dd ordem do lllm. 8r. Dr. director geral in-
terino, faco publico para conhecimento do profes-
sor publico de instru''cao primaria da cadeira da
povoayao de Vicencia, Henrique Clorindo Taylor,
a portaria abaixo publicada pela qual foi designa-
do o dia 30 de corrente, pelas 11 h iras da manha,
para o fim conslante da mesma portaria.
Secretaria da instrnccao publica do Pernambuco,
24 de outubro de 1873.
0 secretario
Aureliano A. P. de Carvalho.
Portaria a que se refere o edital acima.
Dircctoria geral da instrnccAo publica do Per-
naniliuco, 24 de outubro de 1873.
0 director geral intonn) da instruccao publica,
em vista da deliberaeao do eonsellio director toma-
da em sessao de 18 de setembro ultimo, resol-
ve designar o dia 30 do corrente, pelas 11 horas
da manha, para que o professor publico de pri-
mciras lettras, Henriqne Clorindo Taylor, compa-
rcca nesta directoria, peranle o conselho director,
afim de ser iuterrogado sobre a accusagao contra
elle Julgada procedente pelo mesmo conselho, de
vendo a presente portaria ser pnbPcada pela im-
prensa, visto continuar a ignorar-se a residencia do
referido professor, quo nao esla na sede de sua ps-
f0|a. (Assignado) 0 director geral interino Dr.
Joao Jose Pinto Junior.Conforme.
- 0 secretario
Aureliano A. P. do Carvalho.
DECt
KSTRVDA
. Recife ;
DE FERRO
DO
b Caxangd.
Pelo presente se avisa,
que deno\emhro pro-
ximo em dianto, os Srs.
assignantes quo nao rc-
novarem suas assigna-
tions alo o dia 10 de
caila inoz nao o poderao mais fazer, o paga-
rSo a passagem os trens.
Escriptorio da companhia, 25 de outubro
de 1873.
/?. C. BattPi-bde,
Gercnte.
Recife drainage.
Acham-se promptos para funccionar os appare
Ihos que forar? collocados nos predios abaixo de-
clarades. Os senhores proprielarins so deverio
delles fazer uso depois que reecberein um cartao
da companhia que os auloiisa para isso.
Rua dos Guararapes de n. 30 a 36.
Rua do Oecidente de 2 a 22.
Caes do Brum de 39 a 61.
Rua do Brum do 20 a 70.
Rua d j Commercio n. 16, 3' andar.
Itua do Amorim n. 16,1* andar e solao.
Rua do Vigario n. 3, 4 andar.
Rua da Sonzala-vclha n. 138, pavin.enlo terceo.
ilua da Cruz n. 13, 2' andar.
Recife. 27 do outubro do 1873.
0 geren'.c
Joban Rlount.
Associar;ao Portugueza de Beneticcneia dos
Empregados no commercio e industria
em I'ernambuco.
De-ordem do Sr. presidenle convido aos Srs.
associados a se rennirem nesta secretaria a rua
do Imperador n. 35, 1 andar, no dia 27 do cor-
rente pelas 7 horas da tarde, aQra de dar-se cum-
primento aa citado no art. 36 e sens paragraphos,
dos nossos estatutos.
Recife, 23 de outubro de 1873.
Salvador F. Ferreira Guimaraes.
Secretario.
4ssNia<;.ai) coiHiiicrciai agricola
dc Pernamiiiieo.
Sao convidados os senhores socios a reuniao de
assemblea geral, terga-feira 28 do corrente, no
ediiicio da mesma associacao, alim de assistirem a
leitura do relatono que Ihes tem de ser apresen-
lado pela directoria actual, c elegerem a nova
que a tiver de succeder.
Recife, 23 de outubro de 1873.
Manoel Baptista de Miranda
Secretario.
*
0 administrador do consulado faz publico
ijae, no dia 28 do corrente mez, a porla deste con-
sulado, pelas 12 horas, se ha de arremalar em
praca publica abarricas com cerveja.nacion.il,
aval)ados a vista do preco da panta semanal em
57*600, app'rehendidas a Alheiros Olivoira c^i C.
pelo feitor conferente Joaquim Pires da Silva.
Mesa do consulado provincial, 22 do outubro
de 18*73. -
A ntonio Carneiro Machado Rios.
Pela thesonraria provincial so faz publico
que foram transferidas para o dia 30 Jo corrente
mez as seguintes arrematacoes :
Rcparos da ponte do Junqneira 3:7205000
Vcnda do sitio dos Remedlos 3:730*000
Secretaria da thesonraria provin.-ini do Pernam-
buco 24 de outubro de 1873.
0 official maior
Miguel Alfonso Ferreira.
:t==4
('OllP.llillll
DE
NAVEGACAO BRASILEJRA.
Porto* da *!.
0 vapor Cruzeiro do Sul, chegado dos portos do
norte, teguira para os do sul no dia 27 is 5 boras
da tarde.
Para carga, enconraendas, valorcs, passageiros
e mais informacdes, dirijam-se a rna do Vigario
n. 7, escriptorio.
Pereira Vianna r c.
Ageotes. ____
COMPANHIA PERrUMBUCAlU
M
rire^i? eMk4elr i
MAMANGOJLPI.
0 vapor Ctlmrtpe, com-
mandante Santos, seguira para
o porto acima no dia 28 dc
corrente, as 5 boras da tarde
Recebe carga, encommen-
das, passagens e dinheiroa
frete ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
LEILOES,
Grande e variado
LE1LA0
Compnntiii) Franceza de Nawga
C*o a\apor
hivika mmsal entre o
Havre, Lisbon, Pernambuco, Bio de
faneiro, (Santos, somente na vol-
ta ) Montevideo, BuenosAyres,
(coin baldcacao para o Rosario)
STEAMER
Commandante Capelle
Segue viagem para o portos do sul Je sua es-
cal3, Uoje 2o do corrente as 4 boras da tarde.
Relativamento a fretes, encommendas, passagei-
ros, para os quaes tem excellentes aconimoda>;oes
por prccos reduzidos : trau-se cem
OS CONSHJaATAWOS
AOGUSTO F. D'OLIVEIRA A C.
i2Rua do CommercioEntrada pela rua
do Torres.
COMPAMIIA
DE
NAVEGACAO BAHIANA
LlillTADA
Maceid, Penedn, Aracajn
e Baliia.
0 vapor Goncalves Martins, e esperado dos
portos acima ate o dia 27, seguira para os mes-
mos no dia seguintc ao de sua chegada.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a irete : a tratar com os agentes Antonio
Luiz dc 'Olivoira Azevedo & C, rua do Bom Jo-
sns n. 57._______________________
Para
Sogue com muiia brevidad'e para o porto acima
a escana Henrielte, recebendo alguma carga na
caaiara e passageiros : a tratar com o capitao na
rua
do Commercio n. i.
COMPANHIA
PERNAMBUCANA
DE
.Havegactto costclra a vapttr.
?ARAHVG.V, .NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACi>
TV, CFAItX, MANDAHU'E ACARACU*.
- a, 0 vapor Ipojuca,
commandante Moura,
seguira para os por
log acima no dia 30
do corrente, as 3 ho
ras da tarde.
o dia 28 do corrente, encom
aiondas ate o'dia 30, pasiagens e dinheiro a frete
ate as 2 horas da tarde do dia da sahida : es
criptorio no F.irt" dc Vfatios o. 12
Recebe carga
P
Para
ara o
> 'em falla nestes poucos dias o patacho a lie
i ao B 'illinnte ; para a pouca carga que Ihe falta,
li.. 1*88 com \ntonio Liiiz do Oliveira Azevedo A
C., no seu e;-criptorio a rua do Bom Jesus d. 57
Real companhia de paquctee
inglezes a vapor.
At6 o dia 27 do corrente espera-se da Europa
o vapor iui'lez Douro, commandante Thwaites,
o qual depots da deinora do costume, seguira para
Buenos-Ayres, tocando nos portos da Bahia, Rio
de Janeiro e Moulevideo.
No dia 29" do corrente ospera-so dos portos do
sul o vapor Inglez Boyne, commandante F. Reck,
j qual depois da domora do costume, seguira
para Southampton, tocando nos portos de S. Vi-
cente e Lisboa.
Para fretes, passagens, etc., trata-se na agenda,
rua do Commercio n. 40.
COMPANHIA PEKNA.MBUCA1U
BE
\aves;ac>Xo costefraa vapor.
FERNANDO DE NORONIIA.
0 vapor Giquiu, com-
mandante Martins, segui-
ra para o porto acima
nj dia 4 de novembro
a) meio dia.
Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e di-
nlieiro a frete ate as 10 horas do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
Bahi
ia.
0 Mate Ganbalii ssgue em poucos dias para o
norto acima : para carga trata-sc com Tasso lr-
maos A C. a Ma do 4morim'n. 37.
AD.MI.N1STRACAO DOS CORREIOS UK PERNAM-
BUCO 27 DE OUTUBRO l')E ft/3.
Malas pelo vapor Cruzeiro do Sul da companhia
brasik'ira.
A correaaandencia que tem do ser expedida
hoje (27) peio vajior aei ma niencionado para os
portos do sul, s.'r;i recobida pela inaneira so-
guint
Macos de jornaes, impressos de qu.il.mer natu-
reza "e cartes a registrar ate 2 horas da tarde,
cartas ordiaarks ate 3 horas da tarde, e estas ate
3 1[2, pagandyporte duplo.
As cartas e Jornaes que se dirigirem ao Rio da I te ate as 2 horas da "tarde" do dia da
Praia, pagarao previamente, aqurtlas a taxa de' h ?orte 10 Mattos d. 12.
Para
Para j refejido porto pretende seguir com pou-
ca demora o brigne portuguez Recife por ter a
maior parto do carregamento tratado : para o
resto que Ihe falta trata-se com os eonsisjnatarios
Joaqnimlos6 Goncalves Beltrao A Filho, a rua ao
Commercio n. 5.________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
!\7avogacao eostelra a vapor.
MACEld, ESCALASE PENEDO.
0 vapor Mandaku,
commandante Julio,
seguira para os por-
tos acima no dia 30
do corrente, as' 5
horas da larde.
Reoebe carga ate o dia 28 do corrente. encom-
iffldas at6 o dia 30, passageiros e dintieiro a fre-
sabida :
m.
Aliiga-se
DE
moveis, piano, oiobilias, jarros, espelhos o
obras de prata do Porto
CONSTANDO. DE :
Um piano forte, 1 rica mobilia de jacaranda a
Luiz XV (nova), jarros para ftores, grandes e bo-
altos, espelhos, tapetes e escarradeiras.
Cm sofa, 1 jardineira, 2 concolos, '2 cadeiras de
bragos, 12 de guarnicao de jacaranda, 1 toilette, 1
lavatorio, 1 tocador, 2 commodas e cabides tor-
neados.
Uma carta franceza dejaearanda, I dita de
amarello, 1 dita de ferro, 1 toilette, 2 guardas-
roupa e 1 berco de faia.
Uma mobilia de amarello com tampos de pedra
marmore, eandieiros a gaz, casticaes e mangas, I
mobilia de mogno, cadeiras de mogno.
Uma mesa elastica, 1 guarda-louca, 2 aparado-
res, 24 cadeiras, 1 relogio de parede, 2 quartinhei-
ras, apparelhos para cha e jantar, copos, calices,
Sarrafas, cempoteiras, facas, garfos, colheres, ban-
ejas, jarras, mesas, marquezas, trem.de cozinha
e muitos outros accessories de easa de familia.
Hoje
No armazem da rua da Cadeia n. 24-
Esquina do becco Largo.
0 ageate Pinto levara a leilao os moveis e mais
objectos acima mencionados, pertencentes a easa
de familia, os quaes aerio transportados para o
armazem da rua da Cadeia n. 24, onde serao ven-
didos no d a segunda-feira 27 do corrente ao cor-
rer do martello.
EM TEMPO.
Desdeja previne-se aos arrem;itantes que a en-
trega dos ditos moveis sera effectuada nas 24 ho-
ras depois do leilao, tempo marcado para a entre
ga da chave do mesmo armazem.
0 leilao principiara as 10 horas em ponto por
serem muitos e differentes os lotes.
DA
loja chapelaria elegante, 4
rua da Imperatriz n. 3
Sexta feira 31 tlaeorreaate
as 10 1|2 boras.
Vtensilios, ar.nai;ao e iiiercvJorias
A saber:
UnUi armagao envernisada e envi Iracaita, 1
grnnde baicau. 1 llteiro do isnirolln envidr.ig.ido,
2 mostradores ik; mogno envidraradof, I anna
rio, 1 annaca/J ingleza, 1 carteira do amarello, 2
espelh's, utensilios para o fabrien do rhapeos,
eandieiros, arand<'llas para gaz, cabide*, bancas e
mesas, chapees do pelucia, cast.ir, frltro, la, pa-
llia, para homens e meninos, ditos de palha da
Italia, velludo, setim, sparterie para senhoras e
menioas. honets, plumas. (lores e ouiras miudezas.
0 agente Pinho Borges, antorisado, levara os
objectos e mercadorias acima declarados, a leilao,
os quaes o mesmo agenteuo acto rvtalharaos lotes
a vontade dos compradores, ou em nm so lote ha-
vendopretendcnle.
0 mesmo agente vendera na mesma easa, I pia-
no, 1 excellcnte mobilia de mogno, compondo-se
de 18 cadeiras de guarnicao. 2 ditas de bragos, 1
sofa com encosto de palbinha, 2 concolos com tarn-
po de pedra, t meia eommoda de amarello, 1 me-
sa e prensa para eopiar, cadeiras. avulsas, espe-
lhos, 1 secretaria, mesas, cabiJes, quartinheiras,
jarros para flores, quartinhas, I cofre de ferro,
e outros muitos objectos.
Grande e importaiile
a easa grande no Mooteiro, a margem do rio, epm
mailos commodos, quintal mnrado, haatoaw dis-
tante 80 palmos, e (resca : trau-se com Xt
renhas. no sitio jnnteV. ________________
Massa fallida de Duarte &
Mo 0 abaixo a>signa l\ 3dministradi>rdesta mas?a.
tendo de proceder a Verilicacao e classificacao
dos rrcditos, convlda pel > presente a quern so
jnlgar credor, a aprescntar sens litnlosateo ulti-
mo do corrente na rua do Marqu-.z de Oiioda Ik
43, para aQttt-lle fim.
Recife, 21 de outubro de 1873
Jon- rortunato dos S. Porto.
Leilao
DE
tinta violets para escrever, dita preta para
eopiar e dita preta dupla
Hoje
Ao meia dia
Nb armazem da rua da Cadeia u. 24, por occa-
siao do leilao de moveis.
DE
um magniiico sobrado de 2 andares so-
tao, em chaos proprios, com (rente de
azulejo, da rua do Bom Jesus n. 20.
TERCV-FEIRA 4 DE NOVEMBRO
as 11 horas.
. 0 sgenle Pinto legalmente antorisado, levara a
leilao o predio acima mencionado, o qual torna-se
recommendado por ser novo e edificado em chao
proprio, e em nma das mas mais enmroerciaes.
0 pretendentes poderao desde ja exammalo, o
coneorrer ao leilao que deve ter Ingar as 11 ho-
ras do dia 4 de novembro, no escriptorio do refe-
do agente, a rua do Bom Jesus n. 43.
Precisa-se
be n. 40.
n m criado
na rua do Capibari
Escravo fugido
300^000 degmtifieacao
Au.-entou-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfrede, representa ter de 30 a 40
annos de idade, e perfeito cozinheiro, alto bastante,
6 bem magro, pouca barba, olhos grandes, e mnito
ladino, conta quo tem pai no engenho do Sr. Lula
de Caiara, em S. Lourenco da Malta. Este prto
foi cozinheiro dos negociantes Adriano 4 Caslro o
Sr. Jose Joaquim Goncalves Bastos, e julga-se
que esteja alugado era algura hotel ou easa parti-
cular nesta cidade, como forro : pede-se a todan
as antoridades e capiiies de camp i, que o desco-
brindo, o trigain a rna Duque de Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival si m segundo, que serao gra-
tificados com a quantia arima.
AVISOS QVERSOS
Feitor.
ESPLENDIDO
DE
Moveis, lougas finas, erystaes, um rico faqueiro
de prata (lei) um apparelho para almogo de
electro-plate, joias de ouro e brilhante, uma
ricacruzcom brilhantes grandes, uma dita
com 8 brilhantes grandes e 140 perolas finas,
caixa de prata para rape, aderecos com.pedras
preciosas, brincos, pulseiras com camafeu e
mais objectos de gosto.
Um piano novo com ponco uso, de um dosyme
lhoms ftbricantes, uma linda mobilia de mngno
compondo-=e de 18 cadeiras de guarnigao, 2 ditas
de bragos, 1 sgfa, 2 consoles com tampo de pedra,
uma rica costu eira, 1 toilet de jacaranda com
pedra, 1 apparador de mogno com pedra, 2 ditos
pequenos, 2 consolos, 2 marquezas, 1 jardineira,
2 camas francezas, uma rica secretaria dejaea-
randa com gavetoes, uma dita do amarello, uma
eommoda de mogno, uma meia dita do amarello,
uma mesa elastica para 30 talheres, uma secre
taria de mogno, cabides, nuarlinheiras, iclogio, 24
cadeiras diversas, 1 guarda vestido, 1 guarda-
roupa, 3 quadro3 grandes com vidros ovacs, 3
espelhos grandes e*pequenos, lougas .para jantar
e almoco, jarros finos, liguras, quadros, cscarra
deiras, garrafas de erystaes, lanteruas, castigaes
do prata, um paliteiro dc dita, 1 salva, compotei-
ras finas, carrtnbos para criangas, bergos, uma
estante envidragada, garrafas com vinho. ditas
coai cerveja, trefn de cozinha, c outros_ muitos ob
je'etos que deixa de mencionar para nao se tornar
enfadonho.
TERCA-FEIRA 28 DO CORRENTE.
A's 10 1|2 horas
0 ageute Piulio Borges autorisado pelo Sr. Joa-
quim M. Marinho, o qual se acha ausente, fara
leilao dos moveis e mais artigos quo acima men
cionamos, e que serao transportados para o 1" an
dar da rua do Bom Jesus, outr"ora Cruz n. .'iO.
DE .
um excellente cabriotet de 2 asse ilos, lor-
rado do novo, com coH rta de vaquota
TERQA-FEIRA 2P DO CO .RENTE
No sobrado da rua do Bo i Jesus n. 30.
' Ao n eio iia.
0 agente Pinho Borges levara a leilao o referido
cabriolet, o qual se achara na rua da Senzalla no
dia do leilao, exposto a exame dos pretendentes.
DE
48 caixas com ccbolas muito novas, mar-
ca MRPGO
Tcr9a-feira *8 do corrente.
ASH HORAS EM PONTO.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por,
conta e risco de quem pertencer, de 48 caixa3
comcebollas muito novas desembareadas ultima-
raente
Terca-feira 28 do corrente.
A's ll horas da manha
AO CORRER DO MA41TEU.0
. no trapiche Conceigao. ______
LEILAO
DE
moveis, lougas, vidros, erystaes e prata
QLARTA-FEIRA 29 DO CORRENTE.
as 1ft bora eui ponto.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risco de quem pertencer, e de uma fa-
milia que so retiron para Europa, de 1 riea mobi-
lia de mogno-com tampos de pedra, 1 dita de ja-
caranda, nas niesmas condicOes, I dita de amarel-
lo, 1 dita de junco, 1 dita do oiticica, 1 rieo piani
inglez, 1 eommoda de jacaranda, 1 dita de mogno,
2 "ditas do amarello, i guarda-louca de dilo, 1
uarda-vestidos, 2 pares de aparadores, 1 berco
e faia, 1 carteira de amarello, 7 quadros a oleo
com ricas paisagens, 1 rico relngio de ouro pro-
prio para medico, 2 ditos para cima de mesa, 2
pares de jarros, cadeiras de jnnco, ditas de ama-
rello, ditas de jacaranda, eabidt-s, quartinheiras, 1
mesa elastica de 30 pa I mos, mesas redondas, mar-
quezoes, marquezas. camas francezas para casal,
ditas de ferro, sofas, cadeiras de balanco, ditas.de
bracos, guarda-comid*, e muitos outros objectos
que esiari) patenlejifilto acto do leilao.
OUARTA-FEIMMVDO CORRENTE
as It hora* em ponto .
ao correr do martdlo.
S^ pruneiro andar da rua do Commercio, antiga
rua do Trapiche, u. 15.
Attenejio.
Precisa-se alugaruma ama
demeiaidade, poremque seja
preta, que Daotenha vicios
nein achaque, e que afiance
suaconducta, para comprar
e cozmhar para uma familia
de 3 pessoas : a pessoa que
estiver nestas circumstau-
cias, appare^a no 3. andar
desta typographia para tra-
tar.
So engenho Bonito, comarca de Nazareth, pre-
cisa-se de nm feitor : a tratar com Leal .\ Irmlos
a rua do Harquez de Olinda n. 86.
GASA DO OURO '.
Aos 5:0?000
Bilhetes garantidos
Hua do Bardo da Victoria (outr'ora IS ova
n. 63, e easa do costume.
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
-antidos da,!2- parte da loteria a beneficio dm
orphaos e orphas, que se oxtrahira no dia 29 do
corrente mez.
Pre eoa
Inteiro 6i000
Meio 3*000
Quarto 1*500
De 1009000 para cima.
Inteiro 5*500
Meio 2*750
Quarto. 1*375
Recife, 21 de outubro de 1873.
Joao Joaquim da Costa Leite.
00 2*S> 300&@$0*tt
Casas para alugar para a fes-
ta ou por anno.
Um sobrado no Pogo da Panella, a rua do Rio
n. 5, com 4 saias, o quartos, saleta, cozinha fora e
qnintal mnrado.
Uma boa easa terrea nova com cozinha, estri-
baria, pequeno sitio, a margem do rio n. 35 da
mesma rua.
Uma easa pequena, poivm com bons commodos,
na Iravessa la Cruz das Afmas ao pe da easa ver-
melha n. 2.
Tulo a tratar Mfflf 0 commendidor t'asso.
Mancd Antonio Vital rk
Oliveira.
D. Adelaide Grega Vitil dc Oliveira, D. Joanna
F. de Gnsmao Lobo Vital, 0 Dr! (Jemeniano A.
Vital de Oliveira, Octaviano A. Vital de Olivcira
Augusto Cesar Pere:ra de Mendon;a, fazendo tras-
ladar para 0 cemilerio publico os preciosos restos
de seu sempre chorado esposo, lilho, irrrfio e cu-
nhado 0 capitao de fragata Manoel Antonio Vttal
de Oliveira, convidam a lodes os parenles, amigos
e companheiros de anna do mesmo tinado para
assislirem as missas quo se hio de celebrar por
sua alma na capella do mesmo cemiterio, lerga
feira 28 do corrente, as 8 horas da manha, mani
festando inteira gratidao as pessoas que se digna-
rein coniparecer a este a:to de amizade c religiao.
Casa (lecampo
OlTcrece-so a queui qjker fazer os concertos
necessaries, j arrendamento por alguns aunos, de
graga, da excellente casa sita na Porta d'Agua,
que foi do Quado Dr. Joaquim Pires Carneiro M in-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
ga. A localidade e muito salubre, e a casa muito
frcsca, tem magniiico banho de agua doce era
frente, e e muito rommodo visto que 0 irem passa
iefronte : quem pretender pode dirigir-so ao Sr
Francisco Carneiro Monleiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
ou ao Sr. Cannan, a rua do Commercio n. 40.
Pede-se aos Srs coronet Joaquim Cavalcaute
de Albuquerque, senhor do engenho Paulista, Dr.
Luiz Lopes Caslello Branco e Vicente Bacellar, 0
obsequio de apparecorom na rna Duque de Caxii?
n. 44 a negocio que ihes interessa.
AOS 5:000j000.
BILHETES GARANTIDOS.
(' rua Primciro de Marco-(outr'ora rua at
Crcipo) n. 23 e casas do costume,
0 abaixo assignado teudo vendido nos sens fe
Ilzes bilhetes, um raei? n. 2878 com 800*, nm
meio n. 843 com iOOjl a ouiras sorles de 40* e
20* da loteria mic se aeabou de extrahir (70*),
convida aes-possuidrres a virsm receber na con-
formidade do costume ^em desconto algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantido;-
da 12' parte das Toterias a benellcio do eollegio
de orphaos e orphas ("'"). tas S|! extrahira na
qqarta feira, 29 do corrente mez.
PRECOS
Bilhete inteirj 6*000
Meiobilhetc 3*000
Quario 1*500
EM rORC.lODE J 00^000 PARA fllAIA.
Bilhete inteir 5*5*00
Meio bilhete 2*750
Quarto l*37o
Stanoei Martins Fiuza
0
0
0
0
0
0
Medi
ico
Augusto Trajano de Hollanda Chacon,
Dr. em medicina pela faculdade do Rio
de Janeiro, chegado ha pouco da Europa,
onde nos melhores hospitacs dedicou-se
aos estudos de sua prolissao, e com es-
pscialidade as operagSes e as molestias
dos olhos, tem 0 seu escriptorio na casa
de sua residencia k rua Du iue de Caxias
(antiga das Cruzes) n. 9, 2 andar.
Consultas das 7 as 9 horas da manha
Gratis aos pobros.
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
&S0 0000#000*
Garanhuns.
.Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-so
allar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
os6 Paes da Silva, a negocio de particular inte-
^sso. ___________________
Continua a estar fugido o escravo parde, de
nome Trajano, 0 qual consta icr andado por Olin-
da, lleberibe, c ultiinamente foi vjslo em Iguaras
sd, intitulando-se de forro, e tem os signaes se-
guintes : falta de denies, pouca barba, bastante
amarello pir soO'rcr de lriaklad, falla descangado
e um pouco fnnh'i.Hi : r ea-se as ..uioridades po-
liciaes e aos capitiies de V.uiqio a apprehensao de
dito escravo, e 0 favor de 0 levarem ao abaixo as-
signado, a rua do Vigario n. 21, t" andar, qne
sera gratificado.
Doming^ Alves Matheus.
Escravo fugido.
1001000 de gratificacao
Desappareceu de novo, do bordo da barca bra-
siieira S. Josr^ o escravo Joaquim, preto de na-
gao,' 0 qual anda hem vostido e ealeada, deixan-
do crescer os cabellos a modo de meia cabelleira.
Ksse escravo portenceu ao fallecido Dr. Olyin
pio Uarcellino da Silva, que o havia comprado na
provincia de Mi nas (em S. Joao d'El rei Ou Our*-
Preto), c com elle seguio para 0 Rio de Janeiro e
d'alli para esta provincia, donde foi para Haceio,
tsndo 0 vendido alii .v Juslino Epaminondas Ne-
ves, a quem 0 compraram os abaixo essignados.
Sabe cozinhar, oceupacao a que estava dedicado,
e can he '0 se peh falla que 0* africano.
Offerece-se a gratilicagao acima a quem 0 ap-
prehender e roga-sc a todas as autoridades a sua
captura.
Recife, 6 de outuiro de 1873
Jose* da Siha Loyo A; Filho.
AG1.-. do Supr.-. Arch.-, do
Univ.-.
A Aug.-. L.\ t^ap.- Regeneracao convida pelo
prosente a lodos os ses Obrs.-. a . sessAo no dia 2b do *arrente, as 7 hora da tarde,
no lugar do costume, afim de otinrem a leitura
do novo codigo nllimameoie promulgado, e pres-
lar ca-ia um nessa occasiao o jnramento em taes
ca* is cxisri'ios para garantia dos associados.
Por ordara da An?.-. L Cap.. Regeneragao 25
de outubro de If t.\ V. de M. Mello.
CASA
Aluga-se a casa terrea n. 76 na rua de Santa
Rita: a chave para-ver esta defronte, na relina-
giio, e train-so no Recife, roi da Cadeia n. 3.
oOS de gratificado.
Fugio do engenho Arariba de Baixo, na fre-
guezia do Cabo, no dia 1 do corrente mez, o es-
cravo Estevao. corn os signaes Seguintes idade
de 40 annos, ponco mais ou menos, altura regu-
lar, marcas da designs no rosto, pis grossos e
com marcas do bichos, 0 parece soffrer calor de
figado. Quom 0 apprehender, levo-o ao referido
engenho, ao seu senhor Joao Luiz Goncalves Fer-
reira, ou no Recife, rua.da Madre de, Deus n. 30,
l. andar._________________
linda esla fngida
a escrava Matildes desde 17 do marco do eorrente
anno, de 32 annos de idade, preta criouta, estatu-
ra regular, cheia do corpos pernas Unas, tdm uns
carecos no rosto que parece espinhas, falta de
denies na frente da parte de cima, falla muito
mansa que as vezes desafia compaixao, boa cozi-
nheira e engommadeira, e filha do Para, foi com-
orada a sogra do Sr. commendador Lucena, a"
muito conhecida porterestado alugada em casa
da Manoella do inspector, no Monteiro, eHa intitu-
la-se de forra e lem sido vista no Pogo da Panella.
Monteiro, Caxanga, Magdalena c aqui no Recife :
pede-se cncarecidamente a todas as antoridades
policiaes 0 capitaes de campo a su apprebensio,
assini como se pede a quem tenha amas que to-
rilique nessas que dizem -cer forras. pois consta
estar ella dc arna que nao sahe a rua, que se gra-
tificara com a quantia de 100* a quem a levar a
en senhor, na rna do Livrnmento n. 1, a Antonio
de Paiva Ferreira ; e protestase baver os dias de
servico de tcda e qual |iier pessoa que a tenha
occnlta cm sua casa, na f6rma da lei.___________
Saques pr l;n!as "_s cidties e
villas dc Portugal.
Carvalho A P^ogneira, saccam' sobre 6
banco commercial dp Vianna, e soas agen-
das em lo:l.i5 as cidades 0 villas de Portu-
gal, qur.lquer quanlia a vista nu a.-praio e
por todos 05 poqiietcs a* rua do Apollo
n. _0.
1101a excellente casa na povoagio
Coelho, on Olinua, com bon< oomrno-
dos para familia ; ?ira'tar com Jorge Tasso, rua
n, 37.
7
1
i
*>.



k

.
/
J

Diano tie l*ernambucu Segunda feira 27 de Outubro de 1873.
A quefh intere$ar
Ptreira la .Srlva & ii-.iimaraos, pfopri-jlarios da
oja do P.ia<, prevmom pelo rrmcMfaspu* l>o
fuezes rtesta ; ra.a, quese aeharn leus dehitos
atrapdos, qm so nio uldarem os mtsmosat'*)
dia oil decntubro do enr-renfe anno, tralarao de
c-obnr jndicia'l'raeut^iu!) tendo eonlmmlarao cms,
nmjwn.
tVecifc, it tte -remlirn )c 1873.
Dooes, fructas e fioresT
!fa rtia da Crux n. 6 tem todos os dias sorvete
dat il*Acis em diante, gelad .s, refrescos e xaro-
peMto lodjis asqualidades.
?oiio da villa de. Pao d'Alho~iim 3 do c reHte, opnto cnotilo, de norne Jaquiro, que re-
preseata ter 38 a 10 annos, alto c c.neio do con....
nanz aliladoo pouca barba ; foi eneontrado ua
Estrada Nova em direecao para esta pra a, vos:i-
do de cali;a e jaqueta branca, camisa de mada-
polao, engommada e chapeo de baeta ; este es-
cravo v^ a villa de Ptio d Albo, em compa'nhia de seu an
tigo sonhor o caphao Jose Felippe; ha sete annos
pouco mais on raenos fez uma fusion igual a esla,
foi press em Iguarassu, do engeohd I ihaman, por
onde vagava : pede se as autoridades policiaes a
captura do loesrao escravo, e qaalqner capitao de
caropo qoe o capturar e eondnzi-lo a referida
villa de Pao d'Alho a seu senhor Antonio Antunes
da Silva, ou nesta praca a Nieomedes Maria Frei-
re, nt. Boa-Vista, travessa dos Pires n. 31, sera
bem recompensado.
ATTMC-fo
Preeisa-se do mn rriad-i para rasa .Je pequena
familia : ;-. tratar ua irav*ra do Vij-arto u. 1, a-
'riptorio.
Ae.ili.im .i<;".-in-;r-- ;:!> v;.;i>r :uiienc>n),de
Havana, tfoa suhdifu- he-qiniifi.ie.o, inii ik-ll-'-s &
professional em fun JssinMr e Agri-wlM*. ; .i nn-
Irn (' m.'if lnni-'.'l < l.iiiilir'iu ni!s:i i! :t>!i,\-.r : a
pessoa >|tM se i|iier :i:ifi-ar oV -..mis >.;r\e; i-, j..-
de dingir *o ao curteulado da Hespanha "que se
dira onde se acham.
Allenc-Ao.
Preoisa-s-j'de um criado para uraa casa de
pequena familia : a tratar na travessa do
Vigario n. i, escriptorio.
Aluga-se o sndar da casa da rua do Com
mercio n. 15, proprio para escriptorio pela locali-
dade, ou para familia pelos commodoa que offere
ce: a tratar com Antonio Correia di Vasconcel-
tos, na ma do Crespo n. 13.
100#000

OratiBea-se com esta qaantia a quern agarrar a
mulata escrava. Balbina, baixa, cbeia do corpo
cabellos cachiados e ralos, que tendo sido ha tem-
po cortiido, presentemente amarra, tem uma pe-
quena cicatrij. em uma das sobrancellias e oulra
em uma. das maos do dedo pela parte de dentro.
que priva do abn-la perfeitamente, o ja andou
fugida em Goyanna, Itamaraca, Iguarassu ; sendo
amasiada corr. um soldado do 2% foi presa na al-
deia da fortaleza das Cinco Ponlas: rjuem a pc-
gar leve-a ao Caminho-novo, em casa do Sr. Joa-
quira Luiz Goncalves Penna, ou a rua do Viscoudt
de Goyanna n. 89.
Aluga-se mn. eu-anaOqHinga, rua Ja Ven-
tura, com cominedns para familia, concerttda e
pintada : a tratar na rua Ouou de toxiaa nume-
roit.______________________________
RestauraDl de Bordeaux.
Rua Priinoiro de Marc*
n. 1 At 1* andar
Neste hotel onde se encontrara aposentos bem
mobillados, garante se as pessoas que o frequenta-
rem nio so a boa qualidade da cozinba, como
tambem o asseio e promptidio em srvir-se aos
concurrentes. Situado no melhor bairro desta
cidade, o hotel de Bordeaux offerece todos os com-
modos possiveis, quer com relajao aos aposentos
mobiliados com. gosto e asseio, e por modico pre-
eo, quer com relacio a sua posicao.
Almocos vim.os de todas as qualidades.
Lunchs conservas idem idem.
Jantares cervejas idem idem.
Ceias licores idem idem.
AUUA DE VICHY VERDADEIBA E NOVA a U
a garrafa.
Assignaturas mensaes
a 35^000
Do 1 de novembroem diante.
JIOFINA
Esta enecmraQado !! I
B..ijra-*e iU llliiu 5r. Ignacio Virtra l* Melto
e.vTivii na cidade de Naiarotfi ilesu prvin.-ia, i,
f..v.r da vir a rua Daque de I'Axia* i. M, > rim-
luir uqaelle begurio quo S. S. e OMuprameUra a
reaiisar, pela lerceira cbaroada deste jornal, cm
flns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou ifevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
a por este motivo e de novo chamado para ditu
tlm, pois S. S. se dove leinbrar que este negt>rio <*
Je mais de oito annos, e quandc o Sr. seu hlho sc
u-hava nesta cidade.
Aluga se o armazem de recolher na rua do
Uurgiy n. II : a tratar na ma da Praia n. SO,
i tratar com Jose Feliciano Nazareth.
Aos scnlwes vondeliioes.
Vejam que a liberdade do commercio deve ser
conservada, porque em algamas provincias ja e
uso antigo e n;io se queixam ; qual o motivo por-
que nao querem a lei de se fecoar o c immercio,
sera porque n;io vendem nada de manha aos do-
mingos i! dias antos ? Pois cremos que nestes do-
rningos ijue tem se fechado terlo vendido o mes-
nio. A d-fferenca apenas teia sido de 40 a 80 rs.
de canmi ; ora deixem-se disso, que torna-se em
prejuizo da popnlajao, pois bem e>tao vendo quo
estes poucos domingos que se tem fechado tem
estado socegadas as freguezias, e ja nossas fami-
lias podem pasnear com mais confianca do aue ate
agora. ^
Viva a libenlade do commercio em ceral desla
cidade.
Viva a naeao brasileira.
Diversos pais de familia.
Consukorio medico %
1
Casa.
Aluga-se o I* andar da casa n. 61 da rua do
Apollo : trata se na ma da Cadeia n. 3.
Aluga-se um dos melhores sitios da Torre,
com boa agua de beber, perto da capella : a tra
tar com o respective proprietario Caneca, profes-
sor de pnmciras letras do inesmo lugar.
O Sr. Antonio Luiz da Costa, que foi nego-
cinnte em Olinda, na rua de S. Bento n. 45, e
chain ndo a mesna cidade.a rua do ConmenMo n.
34, a negocio qne S. S. bem sabe.
O rclojoeiro e dourador Albino
Itaptista da Rocha, de volta da
Europa, continua a encarregar-
se de cencertar e dourar relo-
gios, bem omo outros obiectos
rogando a seus amigoi e fregne-
zes o obzequio de procura-lo na
travessa da rua das Cruzes-n. 14, !. andar, por
detraz da praca da Independencia, que o encon-
trarao prompto. A garantia de seus trabalhos e
o faze-los por precos modicos ; assim como tam-
bem .vende relogioa.
Boa casa para a festa.
Aluga-se uma excellente casa no Monteiro, tra-
vessa do Xisto, a qual se acha em muito bom es-
tado de fimpeza : a tratar na rua Primeiro de
fcarco. antiga ilo Cram n. SO A, loia de Gurgel
do Amaral & C.
Na ma do Barao da Victoria n. 36 precisa-se
fallar ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
reira, a negocio de seu interesse.
Andre Csrneiro Owlho Cintra faz sciente ao
publico e especialmente ao respeitavel corpo do
commercio que nesta data dissolveu a sociedade
commercial quo tinha com Henrique Ferreira
Ponies, licando este responsavel por teda e qual-
quer obrigacao ate cniao contrahida em noine da
mesma sociedade.
Recife, 13 de outubro de 1872.
I
i
DO
r. Hurillo.
RUA DA. CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os. hospitaes de Paris e Londres
pode ser procurado a qaalqner hoia do
dia ouda noute para objecto de sua pro-
fissao.
Consultas do meio dia as duas boras
da tarde.
Gratis aos pobres.
Especial'd'desMoksli'aS da pe!l?, de
erian.-a e de mnlher.
Krrprega no tratamento das molestias
de sua espesialidade as duchas frias e
banhos a vapor, para os quaes trouxe
os aoparelhos mais modernamente em-
pregad-'s na Europa.
Tambem anplica com grande proveito
no trai&meuto das molestias do utero a
electricidacle, pelp. processo do Dr. Tre-
pier. Cura p^.r am processo inteirarrente
!
I
1
Hotel chmez
21^Rua da Imperatriz21
Esta aberto a concurrencia do respeitavel pu-
blico este novo e bem util estabeleeimenio. Rece-
be se assignaturas meBsaes, e promotte-se ter
sempre sufflcientes comedorias para se fornecer
avulso. 0 proprietario deste n vo estabeleeimen-
io premelte servir o melhor que se pode desejar,
e por precos muito resumidos. O que se tema no-
tavel nestes caso3, 6 o asseio e oromptiao ; e nem
s6 se pode afflancar i?to, comi tambem se garante
as eomidas serem muito bem fellas, visto quo tem
um cozinhoiro de primeira ordem. Havera lodos
os dias sorvete das melhores fructas conliecidas
entrenos. Espera-se a concurrencia do respeita-
vel public.).
Cm homem portuguez, casado, tendo uma
menina, se offerece para caixeiro de alguma ca-a
de molhados, ou mesmo para caixeiro de engenho,
do que tem bastante pratica, o qual e bastaute co-
nhocido nesta praya : quern preci^ar annuncie.
0 Consultorio homeopa- 0
Aiiigam-se nestes proximo* dias duas boas
casas na Capunga, rua da Venture, com commo-
dos para fauvlia, as quaes forara concertadas, o
estio se pintando : a tratar na rua Duqae de C.ar-
xias n. 44.
MEURQN & C.
t-tH--------------------------------------------_--------1--------
aos eompradores do bem conheeddo e acre iitado rap^
AREA PRETA, que r^parem nos botes e meios botos,
pois que os ha de rap6 de outra fabrica o aome dive*-
so, e com papel da mesma c6r, cujo desenhc se pdde
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizsrem do veidadeiro AREA
PRETA. devem para jiSo serem en^anados
os botes tragam o nome de MEURON & 0,,
napao de AREA PRETA.

>o
**
ver quu
e a desig-
PrevenQao
Ab abaixo assignado deseneaminhou-se uma
carta li i madaem 10 do corrento roez pelos Srs.
Cunha & Irmaos, do Aracaty, capiando um saquc
maior do li:0004, e como se ignore contra q'uem
vein o dilo saque, e qual a quantia exacta ; vem
prevenir que ninguein o aceite, scm que seja apre-
sentado pelo abaixo assignado.
Recife, 24 de outubro de 1873. .
____________Antonio Alberto de Sonza Aguiar.
Aluga-se o 2* andar e sotao com lodos os
commodos para grande familii, do sobrado n. 12
siio a rua de Horlas : a tratar na rua do Trapi-
h<*. n. 13, armazem de assucar.
<*
thico
0
Do
P"
novo as blennorrhagias c sobre tudo a
1"
m n
\J (gotta militar) dispensando asinjeccoes.
1
i
HEDICO-CIRURGICO
DO
Dr. J. U. Cucio
Rua do Mirquez de Olinda n 25, pri-
meiro andar.
Consulta das 9 horas as 11 da manha.
Chimados a qualquer hora.
I
m
(Ilk -UA !T
*
m
Ausentaram sn do engenho Jaguaribe os escra-
vos seguintes :
Manoel, crioulo, de idade de 16 annos, baixo,
com todos os denies, ollios graiides e bonitos, na-
riz grosso, orelhas pequenas, tendo a csquerda
como que no cino della uma beira apar.ida, e na
face esqujrda ama cicatriz, bocca grande, pes
pequenos e feios : Hlho do Brejo de Areia, e foi
alii escravo de Antonio Isidoro Delgado Caval-
cante.
Luiz, cabra, baixo, cabellos carapinhos, testa
larga, olhos grande3, nariz grosso, bocca regular,
rosto oval, barhado, tendo as mesmas muito ca-
rapinhas, e pouco espadando e tem p^3 grossos
e curtos : e flltio da comarca de Pagei e foi es-
cravo do finsdo major Antonio Bernardo, sondo
depois de Vicente Ferreira Lima morador no Co-
queiro de Pajei'i.
Pede-se as-au'.oridades policiaes a apprehensiio
destcs escravos, e gratifiea-se bem a qualquer
particular que os apprehender e os levar no
dito engenho, ou na rua Nova n. 8.
0
m
0
:-t
Dr. Santos SSellu
41-------Rua do Imperalor-------11
Consultas todos os dias das 11 a I da
tarde.
Grati3aos pobres.
Besidencia a rua Nova d. 7, segnndo
andar. onde da consultas das 6 as 9 da
manha e das 3 as 5 da tarde.
Chamados a qualquer hora.
Aluga-se o 1 andar da casa n. 69 da rua do
Padre Floriano. proprio para pequena familia ou
homem solteiro : a tratar no 2* andar, das 8 ho-
ras as 4 da tarde.
I'ADABI
Para o dia de lnatfs
As flores naturae3 s3o as mais proprias |Vira
esse dia, e por isso todas as pessoas quo precisa-
rem degrinaldas muito bem feitas, devem mandar
suas encommendas na rua da Cruz n. 6.
, Doces, fructas e flores
Na rua da Cruz n. (5 apromptam-se encommen-
itk de banteijas com tiolinbo-. doce?, plo-de-lo,
Ijelos, pudins e presunto cm fiambre para casa-
memo, bailes e outros, doi-cs d'ovos e fructas :rys-
talisadas e de calda, pleas diferentea. dita de niao
de vacca, tudo muito hem feilo.
Faz-senegocio com a da rua de Vidal de Ne
sreiros n. 147, que foi do Campos, uma das me-
lhores naquella rua, ou tambem so admitte um
socio com algum capital ; o motivo' e porque o
encarregado da mesma tem de retirar-se para
Bra da orovitwia a trata.- Vigario n. 3.?.
CAFE DO RIO.
fem para vender .1. S. Carneiro da Cu-
nha, em seu escriptorio a rua do Eiieauta-
menlo a. o, 1." andar.
- 0 lllni. Sr. Dr. Leopold-) Cesar Uni|ue Estra-
da, .'ormado naacademia de I'ernambuco em 1873,
filho do Illm. Sr. Joaquim Leopoido de Figueiredo,
e ei;a;iiado a loja de Amaral, Kabuco & C, rua
Nova n. 2, a negocio que nao ignora.
Aluga-se uma boa/casa propria para passar
fesia, na povoacao do Monttiro, rua da Ponle n.
a Iratar na rn? Dnqn de f:axias n. 71.
ft.
01
f
i^ .
#^n*
Para
Pre'-isa-se de i
um Ktlin pequeno : a lallar r
1 audar.
St'Sk
si?io
trabalhador para tratr do
No a li U,
aoSr. J.-a.. do Coulo Alves da Silva para vir : ru
das Daai Ponlas n. 93, a legociodo tea par :,-i h
mleresse.
rua
ar
FUNDICAO DO BOWMAN
RUA DO BRUH N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS Beubores de engenho e ontros agricohorea, eemprepad >ros de m (^JM'llilS I.IU'llliil'JaS
ainismo o favor de oma visita a sea estabelecimento, para verem o di.vo eorlimtnto Para tumulos catacunibuN na
omplet'j qoe ahi tem; sendo todo superior em qoalidade e fortidao; o que cym a ins ilia te Onadox
lecfSo pess >al pode-s- veriGcar.
ESPECIAL ATTENgAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDigAO
(Tflnrtr'Aa A vnrloa A*aa-na dos mais modernos sy^temas eem ta
vapures o ruuas a u^aa maoh08 corjveDieDtes paia as dr.ersas
irenmstancias dos senbores proprietario? e para descaroyar algodao.
Soendas de canna de-lodos 08tamanhos> :menore8 qo0
existem.
para aoimaes, agua e vapor.
^odas dentadas
raixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiqnes e fundos de akmbiques,
Sachinismos
Bombas
para niandioca e algodao,j
eparaeerrarmjdeira.
a
11^
A.'.icvi sa uraa excelbrnte casa na Boa Via
!>e:r : a tratar na rua -la Ventura u. 21. Ca-
st unga
AM
Precisa-se de uma ama para
coztnhar : na praga do Corpo
Santo n. 17, 3 andar.
100^000.
Esta fugido o escravo Manoel, de Join de Souza
Dias Valladao, que esta, em Fernando de Noronha,
o qual tem os signaes seguintes : mulalo, andar
descaucado, altura regular, barba scrrada, e dizem
que anda &-m uns papeis falsos, e intittda-M como
livrc : qucm o apprehender e levalo ao largo da
A-sembk'a n. 17, reber.i a gratilicai;ao acuna.
Seria por engano ?
A pessoa quo honteoi levou do cafo da rua da
Imperatriz um pale.tot trocado, tenha a bondade de
mandar desfazer a traca no mesmo caft ate ama
nha as 3 horas da tarde, corto de que se a nao
lizer vera seu nomc estampado nesta foi ha como
autor dessa caridosa obra, pois se vio, quando aca-
J bou de jogar billiar, vestir o paletot rjae the nao
perlencia.
mk em oliIi
Aluga-se uma boa casa em Olinda, com bastan-
les commodo; para familia, na rua de S. Pedro n.
31 : quern pretender dirija-se a rua ilo Marquez
de Olinda (antijja rua da Cadeia) n. 20, quo aoha
ra com quoin tratar.
iOOS de graliiicarjo.
Au3eiitaram so do engenho Araquara, termo
dd Escada, desd j o dia 19 do carrente, os escra-
vos .Pedro, de- 23 annos, cijr fuia, alto, grosso do
corpo, p4s apalhetados, ladino, cantador de mo-
das, conifrado nesta cidade ao Barao de Nazare-
th ; e Antinio, de -lO annos preto, estatura e cor-
po regulares, com falta de dentes na frente, pes
tambem apalheados, tocador de viola, comprado
ao Sr. Leonardo Roiin. Suspeita-se que o pri-
meiro esieja na cidade de Olinda, em c-insnquen-
cia de ter sido escravo do coronel Passos, hoje
Barao da Tacaruna ; e que o scgundo aride pelo
Poco da Panclla, onde reside, o seu prioiitivo se-
nhor. A pessoa qoe os app/ebender dirija-se ao
Sr. Olympio de Skiuza Galvao, na estacao das Qn-
co-Ponta, ou a) dito engenho Araquara : a tra-
tar com Aatonio Jose Gome3 Junior, que sori re-
compensado con a quantja acima.
hmmlivvk ine(liec-cininjico w
- DE B V
Chanado;: : a qualquer hora.
Comiuitas : Aos pobres gratis, das 2 ta
4 tons da tarde.
Precisa se Ad uma ama
ama que saiba lavar e en-
gommar para duas pessoas:
a rua do Hespicio numero
50.
Alten(;ao.
20|000.
Precisa-se de duas amas, sendo uma pdra
comprar e cozinbar, e outra para engom-
mar para casa de uma familia de duas pes-
soas, preferindo-se oscrava, paga-sea quan-
tia acima: a tratar -na travessa do Vigario
Tenoiio n. 1, das 9 horas da manha ati as
3 horas da tarde, esetiptorio.
Podeodo todos
' sfr movidos a tuao
por agrja, v?por, .
de pateote, garaotidas....... |oa aDimaes.
P& 7l'f$k Chilli lift 3 P^as ^6 ^ae 8e coslama Prei-ar-
PoHu & Hastos, com l.ija ri- ral-
cadi a I'rava da [odependearia n.
39, atabain de receLrr da ITun-pa
novo sorlimento de eanell .- m -r-
tuari.is de lindissin.rf der-enlnw,
tqm as seguintes Ln*cript6e-,N js
aqoi I qnai's vendem por menos pri-co do
que em outra qualquer partc.
A Mpii Pai
A Mtitba |SiL
A Men Fsp..so.
A Mm'a li>p sa.
A Meu Fill,o.
A Minha Pilha.
Uma lagnma.
Aini-.-i Ir.
Saudades
PKAfJ.A
Faz qualquer concerto de macbii)i8mo' a pre?
Pormas de ferro
incommendas.
miii rceomido.
(em as molhores e mais baratas ezistentes no mer-
cado.
Incnmbe-se de mandar vir qualquer maobinismo i von-
tade dos clientes, Iembrando-lhes a vantagem de fazer-,tii
na compras por intermedio de possoa euteadida, e qoe om qualquer nec-;s8idi.do podt
ie prestar auzilio.
ir-dos american^s e iD3tronjeD,9 **a-
4 II A
Precisa-se de uma ama para
:oztnfaar e engommar : na rua
de Hortas n. 16, !. andar.
A inn Preeisase de uma livre ou oscrava :
~~~ na rua da Conceic4o n 45".
Ama
Precisa-se de uma que cozinhe
coin pre : ua rua do Crespo n. 20.
Precisa-se Je
Bruin n. 63.
Vma de leite.
uma ama de leite : na rua d-.
Precisa-se de un.a ama para co-
zinhar em casa de familia : a tratar
na rua do Hospicio n. 46, casa terrea
quetem bolas amarellas na cornija.
AMA
AMA
Precisa-se de uma ama es-
crava : a tratar na rua da
Aurora n. o, andar teirao.
Uma senhora de boa couducta
offerece-se para ama : no becco
do Peixoto n 7.
\lTlfl *>,a rua da Senza'a Nova n. 33 preci-
. viiioi cjFa.8e de ,jnia ama para cQjjnhar e
comprar para uma s6 pt-ssoa.
Precisa se de uu a ama para casa de rapaz
solteiro de tres pessoas, para comprar o cozinbar
na ma do Amorim n. 1C.
Para casa de pequena familia
predsa-se alugar uma negrinha de 15 i 18 annos
de idade : na rua do Dnque de Caxias n. 81. lo
dja e fazeudas.__________________
O conseiheiro Joo Silveira de Souza, de vol-
ta de sua viagem a Europa, continua a ter o seu
escriptorio de advogado na rua do Imperador n.
!i, no primeiro andar, entrada pelo becco. Pode
ser procurado tambem na casa de sua residencia
na rua da Saudadq n. 5.
Ausentouse da casa de sua senhora,desde o
dia 24 de agosto do carrente anno, a escrava Lou-
mnca. cabra, idade 42 amios, natural do Para,
falta de um dente na frente da parte de eima, tem
om talho no lado do queixo, e muito risonha e
esperia, falla nm tanto atravessado, foi comprada
ao Sr. Josi Francisco do Rego, morador cm Api-
pucos, quetem arma em de assucar no Recife,
e muito cenhecioa por nio ser a primeira fugida
que faz. mtitulase de lorra e viuva r pede-se en-
carecidamente a todas as autoridades policiaes e
capiiaes de camuo a sua appreheusao. Assim como
so pod:: a quem tenha amaaqne veriflque nessas
qne dizem ?er forras, pois'consta star efta de
ama que nao sahe a rua ; -jra bem recompen-
sado' quem a leva;' a sua senhora, Henriqueta
Francisca de Lima, na rua da Assumpcao nume-
ro 68- _
- No collegio da Conceicao precisa-se de um
criado para copeiro. qne d* ffador de sua con-
dn"M.
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFAI
FUNDICIO DE FERliO
I rua do Bar&o do Triuiupho (rua doBrum) us. 100a Wt
CARDOSO A IRMAO
RECEBERAM de Inglatcrra eompleto sortimento de ferragens e macbinns para en-
getibos, as mais moderuas e melhor obra que tem vindo ao rnercado.
VapOreS de forca de 4, 6, 8 o 10 cavallos.
vaiQeiraS de sobresalente para vapores.
MOendaS lllteiraS e meias moendas, obra como jiunca aqoi veto.
laixas llinuldaS c batidas, dos melhores fabricantes.
EvOdaS d aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
fciOdaS deiltadaS de todos os tamanhos e quabdades.
Rel0gi0S e apitOS para vapores.
OOmDaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
-* ^ A!uga-se uma casa com lions corprrmdc1, na
C OrniaS para aSSUCar grandes e poquenas. povnagao da Torre : a tratar na rua do-Imperador
OnriPPrffW concertam com promptidao qualquer obra oumaehiiu, para o que teem n-^2:-------------------------------------------------------
w ^ ? sua fabrica bem montada, com grande e bora pessoal. ~ aba assignado faz sciente aos cr< u.-res
^, i ijr ii_--;da taverns da rua larsa do Ros^no n. il.sob
EnCOmmendaS mandam v,r Por encommendada Europa, qualquer machmismo, ia ,irna ,,e Si,nlllS & Alfauj0j e a quem n)ai> liite.
para o que se correspondem com uma respeitavel casa do Londres ress^r que recolheu a deposito publico as chaves
e com um dos melbores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar da mesma tavema.
* 3
i> J -1-
i caa terrea na Una dos tiaios n. w, com a
fn-nte jiara a.estrada do Hospicio, com baiimite
coiiu/M.ii,. para familia : a tratar na rua do Mar-
que/ de Olinda n 4.
AlteiiQao
0 Rnriio de Bemfiea r;eti(ica o -eu avfuo ilas
wtw repelido-ju) Jor Pammbuco, deque nao altendera a rrnb.) al
gum -Mie in. dua 'v-peito, nao sondo passa. < pur
sou ill'ii- r-e de OHveira Castro ou tor Ai.t i.io
Joaqmm Brito de OHveira ou dilphu Heiiri|ue
Amanda Chvet, hmmms empregadew de sna cana
ci'ininer-;.aj.. Ningu--m, atom i!c-t.-, e3ia aut->ri-
sad" a linnii dot-nm-nto algum <|ue iinj^i w~<- ;e
neracin a qunn f..r passa'd iouohrigavao do qoil-
nii'-' n.-'iiirnzaaue >ei. ao nnnnnrianie
Precisa e de uma mnlln-r do meia ..taTe
que qneiri prestar algum service em uma i- sa
de dua< pessoas : a tratar na rua larga do It ,sa-
rio n. 3i>.
O abaixo assignado declara no respe:tr.vel
publi-o que tendo do retirar so para a Eun-pi a
negocio de familia, jnlga que nada dove a
esta prar;a ; porem, se alguma p-ssoa se ochar
com direit', apresente sent doenmentvs leg.^es no
prazo de oitn dias,"no pateo do Paraizo n. is.
Benfe, 23 de outubro de J873.
_____________Franci-co Antonio Gilfonif Filho.
Prcrisa-se de um esizeiro, prcfere se por-
tuguez : La rua Din ita dos AfogadpS n. 27. pa-
daria. Na mesma vende-se um cylindro ii-giez.
Vende-se a lav ina do pateo do ribeir;- -fe S
Jose n. 21, bem afregucada para, terra e r-utlo.
com poucos fundus, 'propria para algum primj-
piante, o motivo da venda se dira a quen; pre-
tendo-la : a tratar na mesma ou na rua Thome de
Soura n 3.
Precisa se de uma ensoinmadeii.i.
nheira e um criado para compras ;
Hospicio n. 40.
uma o it-
Da- r".;i d
- Quem liver nchp.do um maco de papel. cons-
tanle de redbos de doi-imas.de alugueis df ea-as e
umas cartas de flanga, e querondo cniregsr. pode
dirigir-se a rua da Crui n. 49, qne sera rt-Ljin-
pensado.
litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
______FUNDICAO DE CARDOSO A IRMAO.______
Carros de luxo.
E' inquestionavel que a cocheira da rua do Bom
Jesus n. 15, de Joaquim Paes Pcreira da Silva, e a
que tem as melhores Derlindas, calecas, meias ca-
le^as e victorias de luxo, proprias para qualquer
noivado, visitas do ctiqueta, bailes e actos da aca-
demia, sendo os mesmos-ajaezados de excellentes
parelhas de animaes, arreios luxuosos e boleeiros
com fardamentos do ultimo gosto, para o que sc
convida ao publico a vir por si mesrao scientific
car-se da verdade do que deixamos dito, certos de
que nao encontrario pomada, e sim realidade e
commodos precos.___________
Para banhos de mar.
Amaral,.Nabuco A C", recebern.n de Pa-
ris iiKeressantes costumes do ultimo gosto,
part homeus e sonhoras que desejarem to-
mar banhos salgados, alcm/ dn solidez da
fazen.la para resistir a agua solgada, a ele-
gancia dos tr-jos nada deixa a dese-
jar.
Caixeiri)
Preeisa-sede um menino para caixeiro de laver-
na, que tenha pratica : no becco da Carvalha n.
I. esquina daroa da AssumpcSo .
Capellas para finado
Na rua eslreila do Rosario n 35 tem ricss ca-
pellas para donzellas, anji-s e defuntos, com (Has
e letreiros, proprios de iembfanca de minha mai,
pal, esposo, espusa, lillio, filba, irmas, irmaos, avo
e ivd, todo por mui barato prepi de 3. 4*. 5* e
8^000. Na mcsina casa tem Modus bouquets de
cravos erosas para formatura dos senhores aca-
demicos, com fitas bordadas a onro ; a encom
mendt deve se fazertres dias antes ; e preparam-
se tambem bouquets para noivos, de cravos natu-
racs.
Precisa-se de uma ama frra ou escrava,
Recife, 21 de outubroo de 1873.
Joaquim Rodrigues da Costa Pantos.
Pede-se
ao Pr. Joao Goncalves Ferreira Lemos, para v:r a
rna da> Cin.-n Pontas n. 93, a negocio jp seu par-
ticular interesse.
/
\o commercio
lofto Francisco de Souza e Fredtrico Ah'es Pa-
feira Pinto declaram que de-de o 1 lie sei'-iul*0
dissoheiani ao-igavrlm-nie a tueJedade qoe ti-
nhaut na loja de f;.endas a rua do Ma:c;iu/ de
Oliiida n.411, que gyrava Sob a llnna de Fiedciico
Pint'i A ii-^n lu'todo o activo e pa>si\o a cargo
do Hx-M-rio Fivderico Pinto, e o socio ctiniiiiaa-
diinio Joao Francisco le Souza livre t -.'.a a
respo:.saliilidade. iti-cife, 2i d-- seterobro .!e 1873.
Sue saiba lavar, engommar e comprar para casa
c uma familia estrangeira compusia de tre* p-s- C1ico n A'< A>\ rna Ai\ Tr^c
soas: a tratar m rua do Vi>coode de Uo>anm- n. V>a.d II. DO U<1 TUd UO 110S-
157, fabrica de rape.
Doces, frfldas e llores.
Na rua da Cruz n. 6 tem todos os d:as
sorvete das II horas. em .liante, golad-is,
refrescos e xaropes de twdas as qualMadcs.
.Vende-se um sitio coin casa, rfmiendo 100
palmos de frente e 400.de fund >, iitna-io no lu-
pieio.
Aiuga-sp a 53 da ma do li< -ni-io
com comm ui'tide oai.i ama p-quena f*-tlil{
auainuri ,iri-teiidt-utu ;:6de dingir se :.o (*t(Slr-^t de S.. Genove.ra, na mesma rui. n S3", para
tratar do respectivo alnguel *
JEtjgouimadeira
Pre is-so de uma ama engomma-l--ira no eor-
leai-i de -aiiia Bunuvuva na ru du II'.spicm n,
gar do Fnndio : a tratar na rua do Hangpl n. 48. *'_______________I_____________^____________
Na mesma casa tambem se vende uma outra de- Ua.se dotrnia ama e.srtravA p,ra cozr-
fivnte do viveiro do M"uniz. inhar c "iisahoar : na rua da Penha n S3




.
awaMai



-

g
de FeraaiH'&uec* Segunda &4*a 27 (teXoiUriB^dft'lal&A-
-?

.- -in.
i>,'. i-Passo, _
t.'lli.)
1
.inn
1,1 uto An-
______
a l hradi (l.i nil l>.i, aa p. 82, prnpria
pi., i -. it Vt--t hi'..! p 11 : a tratar no arinazein n.
2j da iirfvc--.i
  • ima exce
    mcder
    urn gran I
    na margcm da eslr.ula
    'Mil Jabm _j^^_T^
    um grande si-
    SBr: ,< trataj
    -^_-
    Piv. 'i
    ca*-ie .In -
    da>le :
    Urgencia
    de mna ana de nvia ilale para
    ih>S80M| tuesmo coin pouca hahili-
    idfi TVrco n 21. i
    pugfenho Garapu.
    __ Di-saiwj.!" i u dn engenho Garapu, ii'eguezia do
    &S'"^" ''< Vjc-nti', pardo, sem bapba, um
    p !< a! 11. ehei i I'dcrpi e baixu, represeilta
    18 a ?., iii'i .. fa I la moderada, anda com a vista
    baua <( ivjto. E-le inulatu foi visto em
    C<\twgj (ir'iiio s rvente (! pedrcim, tein c mesmo
    crum :>.",< ; nit, imia fistula no queixo: qnem o
    Joy* i,-. ..- a-i dil > engouhn, oa a rua do Boni
    tB e ">('.. ,-u:i a boa gntificacao. _______
    IS ruardn (Stnpilvw do? Santos
    n na nia^ppil
    Vende >e uiii nhWilet ingle/, de duas rodas
    e (inm qualm assentus, c um exceilente cavallo
    para o mesmo : para ver, ua crheira a rua da
    ttoda, e a tratar, a rua Direita n. tO.
    MS\i\ (fe.
    Na rua do Vigario n. 23 ha'para vender-se fa-
    tas de oito libras eom torrcsmos, morcilhas e lin-
    g-uicas, caegadoa uiliinauunie da Una .de S. Mi
    gael_______________________________________
    LIQUID ICAO
    Joaqu Gon^alves
    escriptono a rua do
    seguinte :
    do 1. garrafas.
    idem,
    ite chegada.
    heinem e senhora,
    cabo
    .Na rua 38. Io encarrega de arioar
    lunniii- ,'acuinbas no cemiterio publico para
    o irf ue m, ainl'io, cnuirhemora_ao dos lieis de
    fUl'to..
    Apipucos.
    Ala^a-Mi ..,'- niivoacfw uiua boa casa nintada
    de n wo. en ii :n i)ii a de jacaranrta na sala da
    front'. i.-i'T.I mm art* e p-irtao que sp commnni-
    ca para n. 4, I.' aodir.
    0< mrailoms ffccae* da maa fallida de Al-
    bino Mar in* da Silva uorges, pelo presente rha-
    mam hMi lores da mnsma massa, para, mi p>a*o
    dv' oito di. auie-pritar 3 ro.o c.i.vsifi. a I is. dfvendo os mesirms titolos se
    rein ap'-'^i ui. ii,s em sou e Madiv dc iioi.s n. ...
    (\m
    I'l'Ci.-a-sc ahij.Mr um n'iradinho -d* urn andar,
    on _r*mt> uma casa terrei, om tanln qua tontia
    o? QOnunndoa s^uintcs 2 saias, i quartos.
    zinha f-r'. o ninlil cnm .TViiredon e seia mn-
    rarto, in-i'oii-.-.'-i- |in' M-ja na lloa Vista e em rua
    que pa*M3 < b'D-H : qoem irvef e qnizer alugar
    diriia-i-f ao "s(?ri|.urio desie Di-irio, das 10 bo-
    ras oa iraa ;: a< 4 da lardo, qae arhara com
    quer. tii'tar.
    ZWMLiA*
    latao.
    Cornc'ia-se a >re, latao o chumbo vellio :
    ao ariBi:'. ii (i i brila amarolla travessa da
    fn.i i!r !:n;i"r,i !(ir.
    Ci. .,ii.!- nma e>crava erioola oa africina,
    qo1' a:ba ojzmbar o ordioarid de uma casa : a
    irut.ar na rua Jo Alecrim n. *).
    t, mpra-so
    i.iti! usi) c quo (>stcjam am b : hi run (!u Barao da Victoria n. 5.
    Oompra-se
    i -
    - >
    ..rr.i! aidos .!*>sta oidade, onde pa>o
    t> ,.'iji : ;, tfatar na rua do Iniprrador n.
    , ..i.
    'mnpi -st- uma essravt de m^ia idadf, ijne
    r iigMHllMf c co7iiiIiar. que nao tenha
    fwm -ej, i-adia : qnem liter nessas eon
    i viT'l'-r. nnnnneie pnr este D>ario,
    i e ;, i-sir (*a di Joaode Karros,sitio n. 21,
    . .. c'."n i aem tratar, das 9 horas da ma-
    i da lard'.
    -.;_; ''-2._l'_*_
    Predios a venda.
    V.-nil's- a 'a^a n. '-'Si la rua Imperial, em
    i. -in i a gnadn quintal, que rende 183
    , ,i'S i ii> !'.* i'ii:ias-agu.cs em uma da tra
    a- 'la ii-rn-i rua (T. rto tiandeir.i) oliiicadas
    ba ;i nco c wi sola pruprio. Vende-se ma is 2
    easas na r ia >la Bmrn nat 23 e 25, que deltas s-
    portn 'a: r 'iUs giaiiil's 'a1 mazons, por terem
    fe.,~en> .-u'NMC-otr |>-'a i.-to i quern pret>'lldor di-
    .-.' a raa las f sneheiras n. ''\.
    Mnnojos Ti-iiimviraes ou seis
    de
    Fiiiidic&o da Aurora
    Grrandesortimento de:
    Moendas de todas as qualida-
    des e taraauhos.
    Tachas fundidas e bat-das,
    idem.
    Rodas dentadas e angulares,
    idem idem.
    Machinisino, idem.
    Varandas, gradeamentbs pa-
    ra jardim, etc, etc.-
    Tudo se vende por preoos
    muito em conta para aca-
    bar.
    N".B.
    G. Starr &C, em liquida-
    cao, na tundicao da Attfora,
    em Santo Amaro________
    Algiiiliio da Rahiii
    Ha para vendor das seguintes fabricas :
    S. Salvador.
    Concni'.ao.
    Valenca. .
    - Mrtelo.
    Xo escripiorio do Liiz Uupral,xua do Commer-
    cii n. '!-, I" andar._________________________
    Xarope d'agriao do Para
    Antigot! conceitnado fDedicaln4erTl6 para
    cura das Hiolcstias dos orgaos respiratorios,
    como a |iht)sica, bronrhites, asthma, etc.,
    applieauo aiiiJa com optimos resaltados no
    esi:orbuto.
    feem paw vo idol
    ^Bmineri
    AGUARDEWTE de
    i de larani
    ARC03 de pao para b;
    CAL de Lisbiia, rccentei
    CHAPE05 de sol, para
    de niailim a ftsso.
    FEIXB&fle fcrro, para.porU.
    FIO dealgodao da Bahiarda fabrica do coramen'
    mentfsdor Pedrozo.
    LIN HA de roriz.
    OBRAS de pal eta. .
    PAIWK) de algodao da Bahia, da fabrica do eom
    mendador Pedrozo.
    RETROZ de todas as qualidadcs, das fabrican de
    Peres e Eduardo Militao.
    ROLHAS proprias para botica.
    SALSAPARR1LHA do Para.
    VELAS de cera de todos os tamanhos.
    VINHO amarrafado do Porto, caixas de 12 far-
    mas,
    c dHo Moscate do Donro, idem idem.
    * dito Setubal, caixas de 1 e 2 dnzias.
    da Ratia engarrafado, caixas de 6 gar-
    rafas,
    de Collares superior, em annqretas.
    c de cajtt, caiias de 12 gar.aras.
    c Malrasla do Donro, caixas com 12 gar-
    rafaa. SA-
    < Carcavelios, idem idem. ,_______>t^
    mbfy)
    JiyiT
    Iiiejclopeilia moderna
    Piccionario das sciencias, lettras, artes, in
    dustrias*, agricultura o commercio
    30 volnies.
    A' venda por prer;o o inais commodo pos-
    sivel, na livraria Acadeiuica
    RU/V D0IMPERA80R.
    Formas para assucar
    Venlese em casa dos importadores Shaw,
    Hawks & C, rua do Horn Jesus n. 4.
    **na"w- _, _iiMyiia(
    JH6CaU!lll
    ^1 l'ara atlendor aos numero-
    sos pedidos esli resolvido a *
    vender sues afamadas machi- \
    nas do costura
    A
    iNA
    viagem
    mezes
    PELO
    I>r. i"nti5*> ifs:*rFi'Sr d Castro.
    Oi r., I'm!;: i;a e de ^engrapkia doscripl.va : na
    '.jpoK'-'i'liia OunineT'-ial do Mira, a rua estreita
    do Ros-rio, vi-iicj,sh por $& o volume.
    CASA AMEUICAM
    ',:; liiiii!.;!.i.i:.ra(liir V,i
    Cliapeos para senhoras.
    Amaral Nabaco 4 C. receberam nm completo
    sortimento de chapeos de palha de Italia, seda
    e voflndo, p^eto* par* Itttoi e de *Ws enfeitados
    com bonitas flores e fita : vepdem no Bazar Vic-
    toria, iroa do. Barao da Victoria n. 2, antiga rua
    Nova.______________________________________
    Asunicas Vei^faKfeifas
    Bichas
    na raa do
    ezas one vem'a este mereado:
    deuliorta _Sl.
    Rua tf KarllA da Victoria n. 22.
    DE
    mm umm w
    Os leqnes todos de madreperela,. brancos e de
    edtes e qne trazem o disticoUNIAO em lettras
    tambem de madreperola em alto relevo, tor-
    nando-se por isto apropriados para noivas, a1 NO-
    VA ESPERANCA a rna Duque de Caxias a. (J5
    (anttga do S&O' de tdrta/mga
    Oi brincos, brpche?, rrieios aderecos, crtrzes.
    eoracoes eessofetas, qne estao- o^oatara bo>
    escolha die Ixraas. (am|nte8 *iqtw' vende-se
    na Nova^ ftpetanca; a raa Daque de Caiias
    a. 83.
    k Nova Esperanca a rui Dnqne' de Caxias n
    6*3, acaba de r&etBb*r um nndo soJtfteento de bo-
    neoas de muitas qoakdades, vindo entre ellas a>
    engracadas bonecas de borracba, assim tambem
    nma pequena quantidade de' bonecas pretas que
    se tornam apreciadas pela sua novidadV.
    Ebeih Mil
    A Nova Esperanca a raa Duque. de Caxias a
    63, racebeu verdadeiro cimenfo ingTez, prepara
    55o para concertar pnrcelana-^-e" bem util.
    VeMtoperdddo
    Muitas vezes nm vostido torna-se inteiumenb
    feio, somente por estar mal enfeitado : a Iva Es
    peranca a raa Dnqnc de- Caxias n. 63, removi
    este mat; pomne esta bem pH>vida dos raelnorBt
    galdes e franjas de todas as cores, onde pode es
    colher-se a vontade sobresahitndo entre eatas as
    modernas franjas mesaicas, qne pela sua varieda-
    de de cores, flea bem em quasi todas as fazendas.
    A ellS antes qlie se ac_)m.
    Gabdfas brancos sdtein'QMerrk
    quer
    A Nova Esperanca a rna Dnqne de Caxias n.
    63, acaba de receber a verdadeira tintura de Des-
    nous para tiogir os cabellos, 0 que se consegnc
    (empreRando-a) com muita facilidade, e por este
    roouvo, cabeHos brancos s6 tern qnem quer.
    Estao na rnoda
    On cinturoes de couro, proprios para senhoi _>,
    erne receben a Nova Esperanca a rna Dnque de
    Caxias n. 63, estao, sim, senhora, estiona moda 1
    Se quereis ter ou preparar nm ramalbete de
    cheirosos cravos brancos para 0 vosso casamento
    ou para outro nm apropriado, e neeessario lr a
    Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n. 63,
    que alii encontrareis os memores ports tovquelt
    que se pode desejar.
    Bolas de borracha
    Vendera-se de todos 03 tamanhos a rna Duque
    de Caxias n: 63, na Nova Esperanea.
    nf.mu'ia.
    IVr-ri-r.-c le am oflicial com pratica : trata-
    en faria fechodi oesta typograpnta com a ini-
    dapga>:a n
    vrn-t- f na ma DiMU
    <<9S Pw'ro
    vapor, e da mais nova
    n. I'i, csquina do becco
    I
    I
    Fiado!
    Rua do Barao n. Victoaia
    n. 22.
    0 proprietary do estabelecimento BaKar Uni-
    versal tendo de tr.-insViir 0 mesmo para outro
    lugar e Mil 1 grande oepoeito de Machiaas de
    ruAtura de todos os autores, resolveu vender a
    PMAZO, mcdiante a eonvencio que se puder fa-
    zer eom r,s pretendeutes : a rua do BarSo da Vic-
    toria n. 24.
    Antonio Duarte Carneiro Vianna.
    Vende-se
    (1mm Vianna.
    A' este grande estabelecimento tem che-
    gado ttm bbn> Softirtfento de machines para
    costura, de todos os autores mais acreaita-
    dOs ultimamente na Europa, cujas macbinas
    sao garantidas por um anno, e tendo um
    perfeito artista para ensinar as mesmas, em
    qualquer parte desta cidade, como bem as-
    sim concerta-las pelo tempo tambem d'um
    and sera despendto algum do comprador.
    Neste estabelecimento tambem ha pertenr^as
    para as mesmas macbinas e so suppre qual-
    quer peca que seja necessario. Estas ma-
    cbinas trabalbam com toda a pcrfercln de
    um e dou*porpoatos, franze e boi9s: toda
    qualquer cdsWra'por Srla que Sfeja,- seus
    precps sdo da seguintc qualidado : p,ira tra-
    balhar a auo de 309000, 409000, >o900i)
    e 509000, para trabalhar com o pc sao de
    809000, 909000, 1009000, llOpOOO,
    1209000, 1309000, 1509000, 2005000 e
    -2509O0O, einquauto aos autores nao ba al-
    te^acao de precos, eos compradores poderAo
    viiitar' este.estabelecimerrto, quo muito dc-
    verSo gdstarpela vfiriedade de objectos que
    ha sempre para vender, como sejam : cadei-
    ras para viagem, malas para viagem, cadei-
    rafe para salas, ditas dc balango, dhas para
    crianQa (altas), ditas para escolas, costurei-
    ras nqnissiinas, para senhora, despensaveis
    paVa criangas, de todas as qualidades, camas
    de ferro para homem e criancas, capachos,
    espelhos dourados para sala, grandes e pe-
    ijueitos, apparelhos de metal para chi, fa-
    queiros com cabo de metal e de martini,
    ditos avufeos, colheres de metal fino, condiei-
    roS'para; sala, jartos, guarda-comidas de
    arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
    pdra forrar salas, lavatorios completoe, ditos
    simples, objectos para toilette, e outros mui-
    tos actigds qtie" muito devemagradar a todos
    que visitartem este grande estabelecimento
    qae se'acha abertode-.de as 6 horas da'ma-
    nha at^ as 9 bOras da noute &
    Rua do Barao da "Victoria n.
    22.__________
    Nao ha mais cabellos
    brancos.
    TINTURARIA JJMZA.
    S60 unicaapprovada pelas academias de
    seiencias, reconheeida superior a toda que
    tern apparecido afci hoje. Deposito princi-
    pal a rua da Cadeia do Recite, hoje Mar-
    quea de Olinda, n. 51, 1. andar, e em
    todas as boticas e casas de cabellei-
    Nenhuma macltina.
    SingeT e legitima se
    nao levar esta marca
    fixa no braqo da ma-
    china.
    l^a evrtar faicifi-
    aeoe& notes-^se bm
    todos osdetalhee da
    marca.
    nm Taper de^orea dc cineo caraHos, nevo, prqprio
    Torres n. 3i, 2i"ario"ar.
    \V l n iViw & L. vendem no seu armazem
    a rna > r,.>"i-:i' irio 11. \\ '.
    O v.v ',;. 1. 11 r"*d de algodlo azul americano.
    KX'-'Hi-:..!' tin \'la.
    I-, 7,,-m; ,|.. j qualidade
    Vin'-" il' i'l''aiu.
    C rvf-i. do i*"iir.i '! t' -la< as qualidades.________
    ~ V,Kni"--e rma i>ia.;tiina nova de costura fita*
    de sup ii :i fHi IMadA, [ior meiade de seu valor ,
    ? pp-<- nca.T'ga s de ensinar cm Ma per-:
    afrS'i : r nn X'idi*! d#NeaHlr*9 n. 9-"t.
    Novo estabelecimento de
    cera.
    Na cidade d? Victoria, a rua da Imperatriz n.
    IS A, vende-se e troca-se cera de toda qualidade,
    a qual se allian.a p.or ser feita na terra, e 0 seu
    rut' r foi premiado na exp f4n de 1869.
    rtvro.
    "SMDE-SE
    Uc nhr.i!o i ma de S Jorge oiitr'ora do Pi-
    iar 11 I", 'J > nm :mdar, coin (rente de azul'-jo, ca-
    einina qnioial muroo, que dr-i'a os funlos pa-
    r.-i a man' irJe : |nem 0 pretender dinja-se
    . rii'!' nu 'i 6. segniid-> andar, que se aeha-
    '-.) t.atar.
    Sitip a venda.
    n sftio perio da eMc*n in Charon c
    BctUi > n, .'Xir. niaiid'i eom 0 mOo de Prao
    ei-cn Aii'i'iiiTmi- Mello, eora-JWO palnms de
    1 e ;- S ()' frnte. din lia-ianles friu-tcinv* c
    .rn ii'.s : a tratar no largo da ribeira
    do ;"S H !.___________
    Rua do Cabugd n, 11 A.
    Vende-se nm escravo mflco proprio para enge-
    nho ou padaria, por preco muito em conta.
    Fazeitdas liafaias
    Bramamv de qnatrn largura* mnrto bom para
    lenciies a l600a vara.
    Brun Inna .-operior a I -5600 idem.
    Madaii'dao fiance:', a fifi a peca.
    PAR* TOALH.vS DE MESA.
    Vondo-so rico al lalhado com duas larguras e
    deseohos modernos a 1^60" a v.ira.
    PAH A VEST! DOS.
    Lazinhas de quadios azues a 400 reis.o covada.
    Sfatim. trangado, cores garantidas; a 400 refcj
    idem.
    I.azinhas com li.-lras de setim a.! idem.
    Prrthaniina a<-otinada, om duas laff uras, a
    300 rets idem. Dao s>' amistras : na ru* do Ca-
    buga n. 10 luja d' merica.
    Exinijrdinariapechincha.
    2#500
    Culcli." 94 n)fM\M adaraaseadas para cama
    X*\ i'.v .-iir'' ji.ei.<> tlo *_3i'0 na l"ja dos
    .*.!> Ainanl & C a rna Primeiro
    d M rr I- itija do Cn-spo, n 20 A.___________
    \* smigimcs!
    B-o aJKKto-&10$000.
    Para > ?.<.< ibani d.' roitclur Nonteiro
    _Ik.. hh "ial s iliHieiiin de rhapeos,
    j^j,; iin- da lilim.i |H_da. Sa-i
    pro l 'ii '
    ,i,I,, -se com os
    ffevO'iS
    Cu^: un ;,'J_40A0 a 10*000 (o c'vipeoa)
    .,, i_ixias n. ti6
    .,oni reiro k C
    dale tin Hio
    V-mde-se na rua do Marqnez de Olinda nume-
    io 66.
    20
    Rua do Crespo.
    f.onlMa a vender haralo para
    apiirar iiiuifo
    Brine de linho de cores (pechiaeha) a tJ2GO a
    vara.
    Fustao branco para ronpa do meninos a 569 rs.
    o covado.
    Lazinbas esccezas a 240 e 280 rs. o covado:
    Alpacas con nstras a 500 ts. covado.
    Brins pardi'S e de cftres a 400, 440 e 300-rs. o
    covado.
    Brin lona .brano a l|600a vara.
    Cambraias pretas para luto a 240 rs. o covado.
    Cretone da littras a 440 rs. o covado.
    Chitas roxas a 200 e 240 rs. o covado.
    Grordenapkii preto de cordao a 2*400 eovado.
    Cobertas de chita adamascada a 3*S00.
    Colchas braucas. e de cores a 34$90 e ifi.
    I.encoes de bramante a 2a.
    Ditos de algodad a i JliflO.
    Too*** alewclioalas a 6f a duzia.
    I.eiH;os de ca-sa cuia barra a ii a duzia.
    Ditos de dita abainhados a if.
    Ditos. do esguiao a 3i500.
    Cambrab lisa a 3* e 4*50r).
    DKa Vicleria-fina S 3*800.'
    Aloalhadua 2A a vara.
    Cortes de caseinira tina a Hfi.
    Fustoea de cores a \& o corta,
    ChaHes demeriao liso a 1#^
    Ditos de dito ostampado a 4jt, 44500; o 5^000.
    Esguiao Quo a ft a vara.
    " Brim preto trancado a it a vara.
    Bramante de aigodao a 12000 a vara.
    Dito de linho a 24S00 a vrfra.
    Cambraia de, linlio de cores a 360 rs. o covado.
    Alfodio T-a,5 a peca.
    Madapoloes baratos.
    Metins
    Proprio para vestides, o qua ha de mais gosto,
    padroes inteirameoto novos, pelo diminuio prego
    de '00 re. o covado : na rua do Crespo n. 20, loja
    de Guilnenne A C.
    De forca der dons a seis cavallos : a venda no
    arraazeio de Joaquim Lopes Macbado & C, tr-a
    vessa do Corpo Santo n. 2a.
    Galgado estrangeiro.
    Aproxiraa se o mez de dezembro, tempo em
    que o Paris na America, a rua Duque de Caxias n
    58, l." andar, tem de dar o seu balanco, por este
    motivo, os proprietarios deste estabelecimento es-
    tao reaolvidos-a vendercai sens calcidos pelo cus-
    to, afim de minorarem o trabalno ; assim pois os
    apreciadores do bom, e com especialidade o sexo
    amavet, para qnem o Part'.1! m America, conzerva
    con a devida deceneia) o seu gabinete reserva-
    do, para a escslha dc calcado, aproveitem e ve-
    nham munirem-se do que precisaram.
    Grande novidade.
    S para o 43
    Vieram no ultimo vapor, baptistas finas com
    bjrras, gostos cbinezes, peio diroinuto preco de
    500 rs. o covado : a rua do Queimado n. 43.
    Las com Ihtras assetinadas, ultimo gosto a
    I4O00 o covado : so o 43 a rua do Queimado
    DBo-se amostras.
    - VENDE-SE".
    uma casa bem construida de ferro e madeira,
    situada em Sant'Anna, pcrto.da estaijao da estra-
    da dc ferro : trata-se com os Srs. Shaw; Hawkes
    4 C, rua do Bom Jesus n. 4.
    Chegou este fazenda. sendo limlos padrOea, o
    Para 2 de noveinbro,
    ________________________,--------------_-, lherme (L
    So* na rua do Grespo n. 20.
    Loja 4o
    Guilheroie- &C.
    A 1 ja do
    _e ___i Jt
    mm
    i
    i>
    no riqirissimos corles de
    ii>ra bailes, fackai
    . dtwscis ii
    na-rua Pwme+ro^ de,Mar-
    - Ve pwuoo&,wpdps;
    baslar e au.gu-'. la para a ua^na, rua do Baa
    Ifcln il : a tratar p-i m,,suja.
    Banhosem Olinda.
    Camisas e ealcas defaaeade de boa qualidade.
    UTILIDADE
    Sondas de Benique.
    Sao estas as mclhores sondas para a dilatacao
    da urethra, nao so pela facilidale na applicacao,
    qomo tambem pelo pouco incommodo que produz
    as doenle, tendo a vantagem de uma longa dnra-
    cao. Encontram 50 a venda na pharmacia ame-
    ricana, rua Duque do Caxias n. 57.____________
    Contra erysipela
    IIaw pour varice
    Meias de borracha, lecido era seda, unico reme-
    dio couu-a a erysipela das perna* : a venda na loja
    da GalO Vigilante a rua do Crespo n. 7.
    AS HACHINAS PARA
    >
    NAO TEM RIVAL
    MAIS BE timuAO TEJI-SE VI>MP
    te?
    i
    Sao as melhores
    Sao as mais baratas \l
    Sao de dous podpontos
    Sffo'rriaft f^mples e rapidae
    Sao duradOras e aperftr?eadaa
    Sdo util ero-'oftia 0MK
    m ACHiNA
    Fdz melhdr costura com metade daUM-$u g&sfifom
    as otitrase fovnecemum mei'ci'de'
    VIBA
    Para aqtielles qielen (te SusTenM-&
    Querem agradar a yaya ?
    Querem agradar a esposa*? k
    Querem agradar. a flfiW
    COMPREM UMA
    MACHINA DE SIM-
    Nenhuma casa estd completer, sem wrm
    MACHINA DE SINGER
    Sera caiia 802SOOO. Corn cai*a!K)3W)
    UNIGA AQENUA
    EM


    A CASA AMERICANA
    45 RUA DO IMPERADOfl ID
    . Labyrtnthos, bieos, renilas.
    No escriptorio de Gomes de Mattos, Irmios, i. rua do Cadoia
    do Recife n. 40, 1." andar, 6 o unico deposito do que ha de
    nielbor, e bem acabado, que vena a este mereado, da cidade do
    Aracaty no Ceara, quem os comparam com os feitos aqui na
    terra, facilmente reconhjcerd a inimensa differeiwja, qae vai
    dc uns para outros, tanto em precfo como_em qualidade.
    Lindissimas toalbas de labyrintbo.
    Fronhas de diversos tamanhos.
    Lenr^os de todos os pre.os.
    Bicos e rend as em profuzao.

    1
    i
    TASSO IRMAOS&ai
    Em seus armazens a rua do Amoriui
    n, 37 a cats, do Apollo n. 47,
    tem pan vender,por pregos conunodos
    Bjolos enoarpf&dos sextavos para ladrilho.
    Canos de bairo para esgoto.
    Gimento Portland.
    Cimeuio Hydraulicp.
    Maclu'nas de descarocar aljodao.
    Machinas de padaria.
    Potaasa da Russia embarri!.
    PhospJ^oros de c^ra.
    S*gd em garrafoes.
    Sevadiuha em garrafoes.
    Leolilhas em garrafoes.
    Rliuin da aJmaica.
    Vinbo do Perto velho engaxrafado.
    VmhO do Porto superior, di;o.
    Vinub de Bordeaux, dito.
    Vinuo de Scherry.
    Vinho da Madeira.
    Poles com linguas e dobradas ingleias.
    Lieorej finos sortidos.
    Cognac Gaulhier Freres.
    La [as de toucinho ingles.
    Harris com repoihaejin salaioura.
    * r e, injte.
    Vende-se
    trastes de jacaranda e amarello com pouwo us^
    em perfeito csudo, e tambem um meio appar|!Li
    de louca para jantar e um dito de porcelana, ftno,
    branco, para almogo. Vende se por tar. edjo d
    se retirar para Earppa : na rna- daj Imj^ratru
    n. 54 A.______
    Potassada Bussia em, mei&
    barrisa 500 rs.,o fc"fc>,
    Desembarcada ha poncos dias : veude-se o,
    oscriptorio de Oliveira Filhos A C, largo do Corpr
    Santo n. 19.
    Macliiiiiis
    Por baratos precos para descaroc.ai algodic. a
    U, 14, 16, 20, So, 30 e 35 sorras.
    Ounha $ Manta
    S3-itua Marques de
    VENBE-flB ^
    barris com cirne de vacca e de _oi;to, sal|
    para mantimentos de navips': ho armazem d(
    C Irmaos _C. a rua do Amorirj q. 37.
    e-s^
    UMAM0BIL1A.
    Vende-se uma muhilia do amarello em perfeito
    stado a Luiz XV : const ndo de u.u sofa, uma
    rdineiaa, um par do consoios, 12 cadeiraa de
    barnifiao, duas da brace .e~ duas d,e balanco;
    a quizer'fazprj negdeto, dirija-se a rua DireiU
    ! andar, que acnara com quem tratar.
    Hem para ve i i .
    Cognac de U_H ior e verdadeiro.
    Viaho Xeres das nMlbft^es qualidades.
    Bitters de Angost^H
    to em- lattt* da 10 l*r&^
    ^ToBas as prepracil,cnimicas _c Br, Avar: no i do Rn
    aenaiem da-ruf do fiMjjmcrcio. n. 3% _, A-
    ama easa na v\]fo, _. Ba,rrejros, na rua do, Dim,
    mereio/pajPbt^o mDdico ; a tratar eojft Tss{;
    do Rtc Janeiro : TBde*se ** ty Yigari.i, r-
    mam D-16. 1^
    lUGtHH
    ^^^^^^IM
    iVf .. I, '
    \M^^mKmm
    w


    \
    ***Ji

    Diario
    mfcuoo Segnd*>feira- 2$i*i4&f^i^d!srif$^
    -a-
    HOWE
    I)E
    SOARES LEIIE, IR
    UMIGOS AGENTES
    Run do Barao da Victoria d. 28
    LAS PARA
    A 25|000 e *5#000.
    ..... BOOS POSPQNTOS
    IN a loja de Soares Le}te Irmaos, a rua do Barao da
    Victorian. 28.
    13 mais simples, as .mais baratas e as melhores do mundol
    Na ex]k>siQao de Paris, era 1867, foi concedido a
    F.lias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
    cao da LegiSo de Honra, por serem as machinas-mais per.
    i'eitas do rauado.
    poliica cum pequcno toque,
    para eollote, graivlo soiti-
    Lavas do
    a 200 rs.
    Abotoaduras
    raonto a 120 rs.
    Caixa do linha de marea, a 200 rs.
    Lamparitias a" gaz, dnrido uraa luz muito
    boa, a 1J5000.
    Duzia de pe$as de cordao imperial, a
    240 rs.
    A medalha de ouro, couferida a E. Howe Junior, nos
    Estados-Unidos por ser o inventor da machina de
    tura.
    cos-
    A medalha de ouro na exposicSo de Londres acreditam
    estas machinas
    A 908000
    de todos
    Cabe-nos o deter de annunciar que a companhia das machinas de Howe do Nova-
    nrai para em Pernambuco e rnais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
    ara de Howe. Estas machina? sao justamente apreciadas pela perfeicao de seu trabalho, Ri ,a
    mprogando urns agulha mais eurta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,'
    itpeia mtroduccao dos mais aptrfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
    werecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
    As vantagens destas machinas sdo as segmntes:
    Primeira.0 publico sabe que ellas s5o duradouras, para isto prova incontestavel, a
    arcuiastancia de nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe era segun-
    '* mto.
    Segunda.Contem o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
    J erceira.Ha nellas menor fricc,ao cntre as diversas pecas, e menos rapido estrajro
    ?o qae nas outras.
    Quarta.Forraam o ponto como se fclra feito i mao.
    Quinta.Permitte que se examine o trabalho deambos os fios, o que se n8o conseira -
    ** outras. ^^ -
    Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de um i outro lado,
    logo em segmda, sem modilicar-se a tensao da linha, cozera a fazenda mais
    iQa.
    Setimi..0 compressor e" levantado com a major /acilida-lr, quando se tem de mudar
    ?e aguina to comegar nova costura.
    OiUya.Muitas companhias de machinas de costura, tem :,Mo epocas de grandeza e
    tecadenci*. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desc; i hecidas, outras soffreram
    nuaangas radicaes parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
    moptando a opiniao de Llias Howe, mestre era artes mechanicas, tem constantemente
    ZTdS SC'U e hje n4e aUende Procura> Pst0 *achina acompanha livretos- com instruccdes em portuguei.
    Espelhos demokiura dourada,
    os.tamanhos e precos.
    PERFL'MARIAS E MItDEZAS.
    Fiasco com oleo Oriza verdadeiro, a
    1#000.
    Idem comtonico dc Kemp, verdadeiro, a
    19000.
    Garrafade aguaflorida verdadeira a 18200
    ;." Qe botoes de osso para cal, a Garrafa d'agua japooeza, a 1*000.
    "J^ rs." domidenrdivinar a 1$000.
    Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a Idem idem Mag-lalena (noviiadet a
    600 rs. 1JJ200. ;
    litn *?, 6?" J"rdaS' ,'!M Caixa de P6s Pra dentes. 200 rs.
    Maco de fita chm.-za, a 800 rs. Idem idem de pes chinez, muito bom a
    Caixa de linha com 40 novellos, a 600 rs. 500 rs. e 18000
    Meios aderejos com camafeu, a 500 rs. Pole com opiate -do flieger, Rimel e Gros-
    Garrafa detmta roxa extra-fina a 18000 nel, 18000.
    Poles com dita ingleza, preta, a 100 e Duzia de sabonetes de amendoa, a
    160 rs- 38600.
    Caixa de pennas Perry, muito boas, a Dune de sabonetes de mijinho transparen-
    1000- tes, a 28200. J y
    Idem idem, a 400 rs. Idem idem com fl6res, a 18500.
    nfmateTOTStariaiS'a500r*- S-bonetes Glycerino transparente., a
    Idem idem forrados, a 700 rs. 18000.
    Caixa de papel amisade, beira dourada, gjCaixa com sabonetes, formato de fructas,
    a 8,5 ;:, ., *000 e 18500.
    nSS IT i' HSa; 8 ? o Cosmeti^. g"es e pequenos, a 100 e
    Duzia de talneres cabc branco, 2 B., a 800 rs
    *o00 Ftasco com agua do colagne, a 200, 320,
    de papcl pautado, a 48000 500 rs. e 1#000.
    ,. __iV ExtraOos muito finos dos mtlhoFesau-
    Idera idem liso, a 28800, 38800 e 58000. tores
    Coques modernos a 38000. j Lindas e elegantes caixinha,com porfuma-
    .D""MS- 8n5aS de caraco1 rias. P^prias para present, dos autoros
    branca, a ^00 rs. E. CorJrayt Ricgef. (Je,w ^-^ ^
    Idem idemlisas, a 200 rs. Quadros corn santosc estampas separa-
    Lcques deosso e sandalo, a 28000, 48 das. v
    6 6??.S' ii a i I Entrcmeios e babados transparentes e ta-
    rita de velludo do todas as cores e largu- pados.
    r,s.V Uma grande taboleta propria para qual-
    Microscopios com 12 vistas,|a 68000. quer loja.
    Frasco com oleo para machina a 400 rs.
    Agua florida, do Guislain.
    para fazer os cabellos pre-
    tos.
    A aguia branoa, a rua Duq'ie de Ca^ia? n. TO,
    acaba de recober uova remSsa da apreetavel a^ua
    florida para fazer os cabellos pretos. 0 bom re-
    suliado colliido por quern tem feito uso dess)
    inolfensiva pre|iara^-ao a lemaltameute concefuia-
    o, e por isio apepu se faz lembrar a qu^m no-
    vamente deila prwise e queira se aprorcitar de
    Mi utaidade. Tvnbem veio agoa de to)asio e
    oleo florido para o uiesmo uso, e Uo aureditados
    como aijuella.
    Voltas e briiicos de grossos
    aljofares de cores.
    A aguia branca, a rua do Duque dj Caxias n.
    30, recebeu novas e hoiritas vohas e brhicos de
    grossos *ljofares de eOres, e como sempre conti-
    nua a vende-laa por pre^-o conMDodo.
    Noros diadeiiias dourados e
    pedras.
    Rua do Barao da Victoria n. 28
    achina acompanha livretos com
    \ 90a>000 A 90W00
    SOARES LEITE, IRMAOS
    A'
    do Barao da-Victoria n. 2 8.
    N. *Rna do CabugaN. 4
    JOSEPH KRAUSE &
    r com
    A tfuia branca, a ma do Daqse de Caxias n.
    oO, recebeu novo .sortunenlo de bonitos diade-
    mas dourados e com pedras, tanlo para meuinas
    como para senhoras.
    Collec^oes de traslados ou
    normas para escrever-se.
    A aguia branca, a rua Dnqne da Caxias n. 50.
    recebeu novas colic-roes oa Bormas iiafaascrian-
    cas aprenderem aescrnvjr por si mesmo, hoje ta.'
    usadas nas aulas e elieKios; e ci.mo sempre ven-
    de-as por prego comni do.
    Meias cruaii Unas para meni-
    nas C senhoras
    A loja d'agula bra..ca, a rua Tuque de Caxias
    n. 50, recebeu novo sor!imeuio daijuellas tao pro-
    curadas meias cruas |Sara *nfttn, vindo igual-
    mente para menmas, e cmilmua a vende-las por
    pretos cominodo>.
    V6os ou mantinhaspretas.
    A loja da aguia branca, a rua do Duque de Ca-
    xias n. 50, reo>beu tmailos veoa on mantinbas
    prelas de seda emu llores, e outras a umtaeJio df
    crocM, e rende as pelos Tiaratos precm >ie 3#,
    ii e 6/000. A fazenda (: boa e esla em per.'eito
    estado, pelo que oontimia a ter prompta nine-
    qSo
    Perfeita novidade.
    Fazendas tm
    NA
    l. Cordeiro ^imbes K' rsla casa, sem duvida, uiita l.-
    -.(e,
    e cm prmiazia aprescniar .if- -, t2
    um rarfa*mo soru'mcnlo J na-
    ra graude toilelte ; assini como, nai- ,f,.

    i <
    i aiuofl-
    '.i <*, iin-
    nario de todas ;;- ch-sw. e por ,' uo-
    -<08 pra os CMiq.radoies. de cujas i-m, dbi -e-
    qucrni resumn.
    Uaii'iam fazendas as rasas do*
    para o qae tem o pcs-oal neco-Sjario
    tras nifdiantc penlior.
    Cortes se'a de lindas core-.
    niliis de porgnrao de cores.
    GnileDH| 1.- j,. i(,das a> .-ores.
    Gc rguran l-rntico e preto
    Seiini M.-i.jui ,,r,| ,. ,K corPg#
    Grosdennples idem id. n-.
    Vi-iudt) preto.
    Grenadine. cda preta t rolignfesn
    d.ssimas padrocs-o r.z.nda da ul ti.h uoda.
    i "I'llmas i.e lu'dos padroes.
    Filo de sc da bianco e preto.
    Ri-*a$ ba.sqiiinas de seda.
    Manias br.-isileiias.
    Colcbas dp seda para noivos.
    (V.-i.s d.' eamhiyia bra--ca rom liud..s bordidos.
    <.:i|;i]|;:s ("Hianins pr.ra n ivas.
    Iliquissimo soi i.n,ciilo de las com Ii. tras. .u: seda.
    l.ambiaias de cores
    Ditaa manp>ixa, branca* e de cores.
    Nansuck do lindoa padides.
    Baplista de padidet n.ui delicados.
    Ter aim; s d*.- quadros pteWs e braneok de HJ-
    lra^. eic.
    Riiiis d<3 .'inhn de cCres,propribs jiaril Vehtijoa
    com l;..,-ra ,. hs'ras.
    PusUfl it' iindas coics.
    ca>aqnmlius do la e de toda; as cor
    obiras.

    para m-
    Saia> bi rrt.idas pa
    ara se
    nlioras.
    c
    0
    DO
    BAZAR NACIONAL
    Rua da Impcratriz n. 72
    DE
    Ldureneo Pereira NendesGuiiuardes
    trtclafa a seus ftflguezes qtto tem resolviflo vender o mnisbarato que for nossivel
    bor: r '
    ?a
    GOMES DE MATTOS & IBMlO
    Avisam ao respeitavel publico desta cidade que o sortimenW de joias, eW-subkkt
    lor, qae existia em seu estabelecimento, esta" eouipletamentc rcforgado com o mais ele
    gante sortimenlo de novas joias, que receberam direetawente pelo ultimo vapor da Eu
    ropa, constando elle do mais variado sortimento de aderefos a Boulevard, pulseitas tk i
    ultimo gosto com pedras preciosas o sem ellas, brincos d'a^golac, agraflss para relogw dt
    senhoras, delicados aderegos para meninas, meios adere?os de camafeu lindissimos, voltat
    de nogordios para senhoras, correntes inglezas de ouro e de platina, vtfriada quantidadt
    de botdes para punhos e peito., com embleaaos mar;onicos de onix, tecido de ouro, can.a-
    teft, etc., bnlhantes monstros de raris&imas agoas, erft annew, ryzetas, paJseiras, alfii e-
    tes e botoes, o outros muitos objectos de ouro'de melbercs fabriefijUes de Paris, que se
    venderao com grande reduccio de preos, por sorem ettes recebidos directamente de sou*
    committentes. .
    Os propriciarios do acroditado MUZEU DE JCHA-Sj tendo seu ostabefecimento aberb.
    ate 8 horas da noute, convidam as familias quo se quizerem prover de lindas joias,
    virem escolhe-las a* vontade, para o que &'*} em exposi$*o 1106 niostradores.
    SAl
    CH1TAS A 160 E 200 RS. 0 COVADO.
    Vende-sc chitas francezas largas com to-
    quo de avaria, a 160 e 200 0 covado. Di-
    tas limpas a 240, 280 e 320 rs. 0 covado.
    CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
    Vende-se cassas francezas a 320 e 360 rs.
    0 covado.
    LASIINHAS A 200 RS.
    Venio-se lasinhas de cores para vestidos,
    a 200, 360 400 e 500 rs. o covado.
    ALPACAS A 400 RS.
    Vende-se alpacas para vestidos a 400, 500,
    640 e 800 rs. 0 covado.
    COBERTAS DE CHITAS A 1J56C0.
    Vende-se cobertas de chitas de~ ceres, a
    !S>600 e 2CO0O. Ditas de pello a J&400. \ rs. 0 covado*
    CORTES DE BRIM DE CORES A 19500.
    Vende-se cortes de brim de cores par
    calca, a 19500 e 22000.
    BOTINASA39000.
    Vende-se botinas para senhoras, a 39000
    39500, a ellas antes que se acabem.
    ROUPA FE1TA NACIONAL.
    Vende-se camisas brancas, a 19600, xi
    29300, 8C000 e 49000.
    Calcas de casemiras dc cores, a 59, 68
    79000.
    Palit6ts de casemira, a 49, 69 e 89000
    Seroulas a 1)5 e 19600.
    BRIM DE CORES A A'.O RS.
    Vendc-se brim de todas as cores a 44'
    Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
    nhotos dourados e colondos.
    A loja da aguia branca, a rua do D- que d>
    Caxias n. 50, recebeu rjovos gramjMis com bor
    boletas, bezouros e gafanhotos, 0 que de certo e
    perfeita novid de. A por isso em breve se acabara.
    Novas gol 1 i 11 h a s on) adas com
    pelucia ou arminho
    A loja d'aguia branca a rv a Duque de Caxias
    - 30, recebeu uma Keiiutaa quai tidade de boni
    s e novas gollhihas, trabalho de la e seda, en
    neitadas com arminho, nbras estas de muito gosto
    e inteiramente ncwas.
    Grampos, brincos e rozetas
    dourados.
    A loja da agnia branca, a rua do Duqne
    Caxias a. 50, recebeu novamente boniios gram-
    pos, brincos e rozetas dourados ; assim ci>m<
    novos diadem as de ajo, e como-seinpre conti-
    mia a vende-los por pretos ravaveis
    Caixinbas com p6s dourados
    e prateados, para cabellos.
    Vende-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn
    que de Caxias n. 50.
    Luvas de pellicapretase de
    outras cores.
    A loja da Agnia Branca, a rua Duque de Ok-
    xias n. 60, recebeu novo sortimento de luvas de
    pellica, prelas e de outras cores.
    Rape Rocha
    a> ma do Vigano n. 7. p'rimei-
    a 1^000 a libra
    ro aidar.
    DROGARIA HOMEOPA'f HICA
    DA
    U Rua do Imperador \\
    Os proprietarios deste estabelecimento, no intaito de Ihe cdnsenarero os cre-
    ditos dc priineiro neste genero, contmuam a esmerar-se na prepara^o escrupulosa
    de seus medicamentos, podendo garantir ao respeitavel pulilico desta cidade e in-
    terior que sao rigorosamente db?ervadas todas as regras pharniacologicas. Outro
    sun, que com 0 menno fim acha-se a testa do estabelecimento, tendo a sen cargo a
    inspeccao de suas preparacSes e direccio do consultorio, 0 aereditado medico ho-
    meopatha Dr Jesuino Augufto dos Santos1 Mello.
    Tem todos os medicamentos especiaes pars liesitsas e os considerados pre-
    servativos: assim tainbeno, ra medicamentos da sua drogaria em todas as dvm-
    nanisacOcs conhecidas e mais usadas.
    Carieiras liomeopaticas de 12 a *20 medicamentos em tiirluras ou globu'os e
    a excellente obra do Dr. Mure Medico do Povo em 3." edieSo.
    para DiA it mm
    Camisas idem nleni
    Veslnarios para mt-ninos.
    Diio.- para baptisad Chapel is |,ara dilns.
    Tbaltias 0 fnardanifuo! aJan.nscados de licho d*
    cores para iue:a.
    Colchis de I .
    Coriinailos Li.iplaJus.
    Ctmisas bnrdadas para homem.
    Mei.i* de con-.- para homens e mr ninos.
    Ci tn| Icto zorttoieotu de clti'peo- iV I j,ara bo-
    nien> e senfenm^ cmn cab de u^fiu.
    Merino de cure* para vestido..
    Dili, preto.
    Atnarhado de linho e algodio para lialbaa.
    Aloalbadu pud r.
    Itrins de linho branco, preto e de Ves.
    Sebni lie lindas cort-s c com lisiras
    Cbales de merino de cores e pietos.
    I lib is de casemira.
    Ditus di' seda preta c dc cores.
    Ditu dr toiiiiuim.
    Caini.-as de liuho.
    DiLis de chita.
    Ditas de ll.uie la. ,
    Ct^rnalas dc brim t algndao.)
    lian-.a>co de la do cores. \
    PaBiins dc crochet para eaiicVa, sofa e consollos.
    Colchas dc dim.
    Tarlalana de tudas as cores.
    E>|iariilhns lisos e bordadi.-.
    Foulard' de soda.
    Ca-acus a tricot.
    Rioos cortes de ve.-tidos de lido para Mtnhoia,
    de di epas rOrea, com os comj > .cute,- enfti-
    tea, ultima nioda.
    Casemlias jrrias 0 o> core?, cli'ta-. rr.a ., .loes,
    cambr.-uas, panno lino pMo e .iz.il. Pflhiruihoa.
    punhos. gravatas, luvas de jicliica, diu> J no
    de Bar- cia, braoras c de ili'i->, lap. t' > de tudos
    os tamanbos, bolsas dc viagen., < tc etr.
    Na loja do 1'a^o, rua himeiru dt Marco n.
    A, atiiiga do Cnspo.
    G
    Colxas de cores a 19200, 29500 e 49500.
    CHALES DE LA A 800 RS.
    Vende-se chales de la de quadros a 800
    t e 19000.
    Dito-5 de merfn6 a 29, 39, 49 e 59000.
    CAMftRAIA BRANCA A 3000.
    Vende-se pecas de cambraia branca trans-
    /arentss e tapada, a 39, 89500, 49, 49500,
    59 e 69000.
    SAIAS BRANCAS A 29000.
    Venio-se satas brancas e de cores, para
    ;enhoras, a 29000 e 29500.
    BONETS A 500 RS.
    Vende-se boncts pretos de seda para' ho-
    mens, a 500 rs. Chapdosde palha, pello e
    ifiaSSa, a 2?', 29500, 39000 e 49000.
    MADAP0LA0 A 39000.
    Vende-se pecas de madapOlSo enfestado a
    15000. D;tos inglezes para os precos de
    9, 49500, 59, 69000 e 79000.
    ALG0DA0 A 39500.
    Vende-se pecas de algodao, a 39500, 49,
    j 390'jO.
    BRAMANTEA 19600.
    Vende-se bramante com 16 palmos de
    largura para lenr^ol, a 19600, 29 e 29500 0
    metro.
    3RANDE HQfTrDACAO DE SABONETES 280 RS.
    Ven4e.-se uma grande porcio *le sabone-
    '.es injjezes, a 200 rs. Ditos francezes com
    iheiro a 320 e 500 rs.
    Agua de oolonia, a200f 320 a 500 rs. 0
    iascq para liquidar, e outroti extractos
    muito barato.
    LENCOS BRANCOS A 29000 A DUZIA.
    Vende-se a duzia de len^os brancos, .
    29000. Ditos com barras de cores a 3900 f
    Ditos de linbo a 59000.
    TOALHAS A 800 RS.
    Vende-se toalhas para rosto, a 800 rs. 1
    19000.
    GRAVATAS DE SEDA PRETA A 600 RS
    Vende-se gravatas de seda preta, a 50*
    rs. cada uma.
    CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
    Vende-se chita para coberta, a 280 e S<
    rs. 0 covado.
    BONETS PARA MENINOS A 19500.
    Vende-se bonetes para meninos, a 195W
    ESPARTIEHOS PARA SENHORA A 39500
    Vende-se espartilhos para senhora,
    39500.
    A 800 RS. 0 COVADO.
    Vende-se grenadines com listras de seda
    para vestidos de senhora, a 800 rs'. e 1900(
    0 covado.
    C0LCHAS DE CROCHET A 69000.
    Vende-se ricas colchas de crochet para c
    mas a 69000.
    PANN0S DE CROCHET A 1*8500.
    Vende-se pannosde crochet para cadoiras
    a 1)5500 e 29000.
    CASSAS PARA CORTINADOS.
    Vende-se-pecas de cdlsas.paracorlfoados
    com 20 varas, a 109000 e 129000, e outrai
    muitas fazendas em liqu idacao.
    Plumeria, para mordeduras de cobras.
    Sarrar-enea, para bexigas ( uu preser-
    Vaccina, para bexigas ( vativo.
    China cruzeiro, para febres intermi-
    teofies.
    Schynus, para angina.
    Calendula, para queimadura?.
    Tarantnla, para paralysias.
    Carnaiiba para syphilis
    ra.
    Chocolate homeopalliico d'Epps.
    Encerado de afmca.
    P6s hoMeopathicos, para denies.
    Jerico, para rheumaiismo.
    Matdmala ou Jaboly, para tosse.
    Bspirito do Hahneman du de campho-
    "Caetus Granditlora, psra pnoomonias I
    ou molestias do eoracao.
    no
    DR. SANTOS MELLO.
    Consultas das 11 horas da manha a 1 da t-arde.
    Os verdadeins
    Vinhos de Bourgogne
    das inarcas
    Chambertin
    Pommard
    Yirils
    Volnay
    Boanne
    Monthelic oi
    Dfto Bordeaux em quartollas.
    Vcnde-se por HafJUd prcco
    PARA LIQUIDACAO DE C0NTA4
    NA
    Baa Larga Rrio u. 34.
    Botica.
    ----------------------------------------------...... .i.'
    Armazem do fumo
    Rua da Madre de Deus-a. 10 A.
    Jose DomingH.es do Car mo e Silva pariiejpa aoi
    seus freguezes e amlgos que no seu armazem a
    rua da Maufe flft'Deus n. 10 A, se acha nrii eom-
    pleto sorlfrwento de ftimo era fardos de patente !.*,
    i." e 3.* soptes, dos melhores (abricautes da Sahia.
    e bem assim a Oor de todos os fumos de cerd*
    em rolos, pacotes, latas grandes e pequenas, tam-
    bem dos nri ScrediMdos fibricsftites Torrei &
    Arasjn, lizaar, ArMlrmo Schmdt A C^ Liaur
    Schmidt* C, Veigas 4 Arhujo, Trindade 4Ave-
    lar, Teixeira Pinto 4 Portella (garantido pelos
    mesmos) e de 6utrds ainde nao conbiciaos pelo
    publico fiesta 'carittal. 0 aranfmefcrtfte f!*rtara que
    toyo !ftuno qre 'for 'vetteUde'm sua easa sera pete
    seBjostowlor, e qae quando garantir a rnpocti-
    va qualidade, sera siacero, mui parti;-ularmente
    coin as pessoas que pouco entendam da matelia ,
    polspa'ra'bem'servir a toclos, fttn oSnhtuict4uiU:
    t mtg^i f**<* Be SAUDADKS.
    Amaral, Nabnco 4 C. acabani de receber um
    variado sortimento dc capcllas funcbres com a^
    seguintes inscripeoes:
    A meu nai.
    A minlia u:ai.
    A meu espo-i.
    A minha esposa.
    A meu filho.
    A minha liiba.
    Saudades.
    Amizade.
    Lem branca.
    Veade-se no bazar Victoria, rua do Barao da
    Victoria n. 2.
    Mobiluis baratas
    -No armazem do J a ha um bom sortimenlo de mobilia* ie Vienna,
    brancas e pretas, que e vcudein a prejos com-
    rnodos.
    Agnas Abliiu-liazsas das Pe-
    dias Salgadas.
    Villa Rouca de As^uiar.
    . BICAHBONaTaDAS-Si DICAS .
    Analyses do Dr. Jove Julio Rodri-
    jjiies. lenie eta escolu '>!> t
    ehiiien Lislioa.
    Esta excellente afoa usada com vantasrem nrs
    padecimentos das vias digcslivas, urinanas, do
    estomago etc., etc.
    Yeudc-se
    NA
    Pharmacia e drogaria
    . DA
    Bua laipa do Hnsaiio n. 34.
    1 aixa.
    xraiis.
    Rua do Barao da Victoria
    n. 22.
    CiHClodeijiarliiiifls.
    O proprictirio do Ra ar t'nivers.i! n-\r avi3a
    aos seu> freguezs, .|iie (Mnirmia nnn-lar &-n-
    cerlar inaclnnas de cslura rea>lid rh\ -i-t es-
    tabelecinient.., c por petAja mi to hab:iiiai1i pa-
    ra este fim, e dj> conformidale com o- ai luocios
    fettus por e.-ie j. n at.
    E bem a~sim vi ii e todns as perb-ncas para as
    menmas rnachinas por commudo pre- i f ra %
    seus iregocjcs.
    E tambem previoe a to'ns os seus fr^'iese.
    que o Sr. Alfredo luiz Dui.ailile drtxm Ah sers
    sen einpr> g.-irto tlesde o dm t.'i do CtMCdte rues.
    Kerile, 17 de oUtubrn de 1873.
    K.W Itua d*i BariU d Victoria N 22
    Antonio Dnare Cameln- Viann.i.
    P.ira senhoras
    4Jha|tcos dc noI u 'i^Cfl Cliapcos de S I de luid.is core e cabii compri-
    do. uliinia moda em I'aiis, prop'rii-.. ii;i as
    Exmas. Si as. ppcciailoras .Ins bantu >a pin ii u.da,
    e niesmo para passems nos armlial-ie< da ridade,
    pflo barati>siinu prego de ii 00 cada nin ; e pe-
    ehiocha .-6 na Ma do l'as-o, a uu Miimeiio 6:
    Marco n. 7 A, aniiga do Cie.-io
    Para meuiuuo.
    Chapeos de snl a ?3000 ; D pechi,
    loja do Passo, a r.ia Priineiro de M.iji.u n.
    antiga do i n-spo.
    ra na
    A,
    A vista descugana.
    Madapolao francez a 0,000
    a pega.
    Tem a loja da Ame.-ica mad.'ip bom 'e vende |)"r e-te pneo paia a abar na roa
    C doabuga n. to, loja da Ann rica.
    Bazar Victoria.
    Amaral, Nabuco 4 C tflceberam completo sor-
    timento de bengallas deelhna, proprias jiari des-
    cauco de velhos, de rherjmaticos, etc., etc., e ou-
    tras de phanlasia, completo scriimento de chapeos
    - de sol, bengallas, umbellas, etc, para senhora ft
    ' \eoqe otn tteIo ameneario, ptrjaefl'o e eon para homem, com cabo da marfim com figurae de
    toda3 ai pertmcaii,pVs trabalhar, para ver e Ira- metal, lisos, etc. etc. Estes itefs e especiaes &r-
    tar na rua ao Marquez de Olinda n. 63, loja. j tigos vende-se na rua do BarSo da Victoria d. 2.
    CaJeira's dt: guarni;3o muito barnta
    23-RD$)l4C|jiez-(!e Olinda--23
    -VITA 4 MANTA-
    Las c sedas.
    Cambraias bordada^s e outras fazendas, veudem-
    so baratissimo, a diirtieiro : a rtta do Bmb da
    Vieioria u 9, atftiga rua Nova.

    Hesperidina
    Verdadeiro bite hesperidina, superior e M%-
    ditado : a venda no armazem de Taaao Irmioa 4
    C. ma d,o Amorim c. 2".
    Salsa parrilha
    muito novae barata : vend Bosario n, 3i.
    na
    bas
    Cakjad francez
    Borzeguina de *earro parB homeHi a iT*090 :
    prafa da Independencia n. 39, luja de Porte 4
    stos.
    cor-
    Pwttunlv desotiMrcjfate. no ilia 4 do
    fertrrrtpMpilem mk% PMtatoi-* nmtim ^attiad* i a
    venda no armazem da bola amgrella,
    sa da rua do Imperador.
    Veade-se uma taixa de cobre, peqaena : no ar-
    mazem da bola amai ella, ua iraves a da rua do
    Imperador.
    FAZENDAS
    Ru* ck) ^ueimado n. 43, 6
    pechiucha.
    Lazinhas de coies a 2oi) r<. r> covado.
    Bitas de hwege de quadrinlitM a 280T*. o co-
    vado.
    Ditas com bond? li-tras de-sede a il,
    'CrjrteS dtetesiid..- A *cm-eza, com l5 covados
    tTMOA
    Baptistas de bar/* a 'MO v < cov.d.i.
    Jtansuc tranc^ do :uk pir"\ vesli-
    8;s a 2*0 rs. Oi '
    Lencos abainnsitis n* lie'.., u .>*-->iU.
    Toalhas grand- ; para rosli a ?!(K) rs.
    Bramante de 4 In .'iu- i> -, r |., t, T:1 lencdes
    1*600 a vara. h n liiaa ouiia- fazendas por me-
    nos de seu valor.
    Na rua dc Queimado n. 43, e.a frenie da pra-
    cinha.
    ftoriMes,
    Almanaks pira 1874.
    Almiinr.il de lrmbmncit.i hilr-.ru de Cabliiho.
    Ornado do gravuidj com o reir-itr. di 9r. L.
    A. B.b.llo i'r"ilva
    Almanak das senlioins
    Portugal o IIi'mk'1.
    Contendn 187 art* por Gniu-oar Turreaio,
    com uma extensa car la >le A. HiouiuQo.
    Almanak das artes e l^-llras.
    Omado de intpntinnWs anigiA e tin las fcraa-
    ras. Prcco oV cads um do I sHiiranalis nrlmt.
    Acabani de chegar e-le uliiiiiHki> e veudmn-w
    na liviaria Ecuuumica ao pe Jj aiuo de Saoto
    lAntouio.
    E' barato.
    Cn**as IngMza* 6t)| a 4-1* a ami*
    OltariHlii* de linho a a diutia.
    ('lupHM- pivton linos l'>*
    Ditos de casior branco.- e, pretos 9/.
    T>il-; df m. rnioa .1*.
    ' ><< de c..>fMi.ira liaa a 7<.
    , de diU a .1*.
    _____
    Para acaba
    M

    .Jk*
    * _IVJ^* *
    1
    Vendo-M uma p .icao de cas*s de p n' > ?od-
    I do a maior p ill-- de rar;a If mMl^ i,r pre "mo-
    i diM : a iratar WtYHS ao Vtjran 11 *, 011 rua 0>-
    Barao do InuuipUu (aotiga do Brum) 11. 21






    Diario de Peraambueo Segunda feixa 27 de Outubre dc
    VAREMDE
    UNA VfBORA.^-Em Ntraes paeaiu-se ha
    pnucos dias am-* scona que podcrie ter
    Ninas consequencias.
    Om mancobo coliiatarie, tinha tiJo como
    e natural, rtlacdes amorosascom uma ra-
    pariga, das quaes Ihe nao resultara nenhu-
    ma obrigacao de easar com ella, por mo-
    tivos que nSn vo;n ao easo oxplicar. E
    namorando-se de uma menina recatada,
    casuu com ella, tndo antes quebrado as
    relsodes que temporarin monte tivora.
    A despresada, qn dosignara par made-
    moiselle Z... jurou viugar-se.
    Premunio-so com um frasco contendo
    acido eorrosivo o diligenciou encontrar-se
    com o ingrato.
    0 mancobo procurava desviar-se por ou-
    tro caminho, toda vez que a dislancia via
    aquella som!ra do Banquo. mas chogou
    occasiio em quo o nata pode fazer.
    Entao a rapariga lira da algibeira o frasco
    e o arremessit contra o mancebo. Esle porem
    tivera a fclicidade de fuitaro corpo ao gol-
    pe, de forma que o acido mat o attingio.
    A rapariga e que ficou um pouco quei-
    mada na care e n'uma pernu.
    A policia prendou a aggressora, que res
    pondera pecanto a just'^a pela sua rna ten-
    tativa.
    frirva isto do aviso aos rapazes quo se
    encontrainem conjunctures dimceis ; c para
    quo fujam de ouilheres com iusliuctos fe-
    rozes.
    CARTA IK) PRINCIPE NAPOLEAO.
    Rccordam-se os leitores do pacto proposto
    polo jornal L'Aveitir Nalioiuil 4 Franca
    para coucitiar os partidos e concentrar a
    opiniao publica? Fallamos desso pacto, e
    nossa occasion promettomos a carta dirigi'la
    ao principe Napbleao, contendo essa pro-
    posta. No momento em quo nos aaouacia i
    o telographo haver sido suspenso o Gaulois,
    por ter publ eado a lista dos adherontes a
    este pacto, a caria de quo se trata e um
    documento do bastanto significagay. Quando
    em Franca se preparam colligacoos monar-
    chicas, esta liga republicano-bouaparlista,
    podi'i ter rezao de ser ; mas som se poder
    eulrar, por em quanto cm apreciacdes, v6-se
    apenas quo ha adherontos de um lado,
    em quanto quo de outros muitos a repudiam.
    .' um nnvo campo que so abre aos parti-
    dos em Franca. Eis a carta :
    I'ma vez que na actualidado a
    fortuaa imperial se tornou solidaria
    da revoluc.ao ; uma vez quo se trata
    da gloria do vosso noino assim como
    do interesse domocratico e social,
    chegDu a hora do calcaraos pos todo
    o puritanistao, e de sahir das resor-
    vas do amor prnprio. Quando o
    cstrangeiro iuvadio a Franca, um
    republicano austero, Carnout, offc-
    receu-sc ao imperador para a defeza
    das suas pracas. Presentemente. que
    a revolucao no interior e f6ra nos
    oppriine, e tempo dos republicanos
    o imperiaes entrarem em cxphca-
    cAo...... Esta communidade de
    interesses, que une neste momento
    os vossos destinos aos da revolucao
    e a ininha desculpa : sirva ella de
    passaporte ao presente.
    P.J.Proudlwn.
    (Carta dirigi'la ao principe Napo-
    leao, em 7 de Janeiro do 1833.)
    s Pii icip<\A Franca aproxirna-se da
    hora solemne, na qual talvez so decida dos
    .seus destinos por meio do deputados eleitos,
    como disse um miuistro, em um dia do
    nobilitario, parlainentar, clerical e reaccio- tradicao, quay apesar do recordacdes dolo-
    nario, a realeza do direito divino, realisando rosas, e de cruets desastrss, tern conscrvado
    no dominio politico as doutrinas da igreja uma graode parte de influencia no pail,
    romana. Pode raesmo dizer-se que esta trad\ N3o se trata pois nada menos senao de unica, que, com a esperanca republicana,
    annullar por um facto parlamentar a revo- divide s opiniao publica. E' porque a col-
    luc8o franceza, os principios, as instituicdes, ligacao raonarchica sabe que Passim; epor-
    o direito publico que foram a consequencia que esta oonvencida de que appeltando para
    e que fazom a vida politics da Franca ba a soberania nacional, n4) haveria que esco
    oitenta annos. Nao e s6 contra uma fdrraa Iher entre o reinado dademoc-acia sob uma
    do goveruo, contra ceitos homens politicos, forma dictatorial, e o regimen democratico
    contra uma fra^cao da opiniao publica, ou do goveriio pessoal, que rocusa consultar o
    do um dos partidos, que tomaram a sua paiz.
    origem no movimento nacional de 1789, Para vospedirquecontrateis umaallian-
    quo a luta estd empenbada. E' contra uma 5a que devo reunir em um s6 e formidavol
    uar;ao inteira, e contra a propria revo- grupo, n'um immenso partido nacional e
    hiQao. democratic j, todas as forcas da epiniao pu-
    tt Nao e de certo necessario insistir nesta blica, 6 necessario uma coragem do espirito
    situayao e suas consequencias junto de um que Scars' alem das vossas supposicdes, mas
    homem que estii sullicientemente collocado que comprehendereis quando tiverdes torna-
    proximo do podor para conhecer as leis do a resolucao de esteuder a mao a adyersa-
    geraes da politica, e que deve estar con- rios que a salvaQ&o da republica reconciliou,
    vencido pelomaissimples cxamo dos factos, a .Mr. Thiers e a Mr. Garabetta, dizondo-
    do que estamos nas vesperas de uma luta lhes : Senbores, a Franca de 1789 esta
    decisiva entre a reaccto raonarchica, aris- em perigo ; unamo-nos para defender os di-
    tocratica, clerical, e 0 espirito domocratico reitos da Franca e a bandeira de89 I
    moderno,entre 0 que se chama 0 direito j V6s, principe por gra^a darevolucao,
    drvino e 0 direito popular. j v6s todos, que, nas cidades e nos campos,
    A essa liga forraada para conibater e tendes conservado a vossa sympathia pela
    onfraquecer, nao s$ as institui^oes da revo- ide'a napoleonica, e n6s fdhos da revolucao,
    lucao franceza, mas ate a sua i lea manifes-' que pensamos a favor do povo em roformas,
    tada pela Dedarar.do dos direitos do homem coin o auxilio das quaes elle senhor do si
    e do cidaddo, 6 necessario oppOr uma liga mesmo, e a favor da nossa patria uma era
    nova, deoutra manoira numerosa e pode- nova do liberdadee de justitja, iremos con-
    rosa, formada de todos os partidos que to- tinuar a dividir o paiz em dois camp os,
    marara a sua origem da revolucao, que acei- quando 0 exercito do direito divino se pro-
    desgraca. Formou-se uma liga, reunindo
    uma parte dessa classe, quo se chama a si
    propria directora, c preteude fazer do esta-
    do, isto e, das prerogatives, dos privilegios,
    das vantagens do poder, propriedade sua,
    co.Ti PXl8i0 do resto do paiz.
    Esta liga torn vontale e esperanca de
    cof'summar um acontecimento, que seria
    uma revolucao verdadeira c nova: uma
    revnlutfto das mais extraordinarias quo a
    btstoria torn couhecido; uma revolucao
    cuja cunsequencia e fim nao seria realisar
    certas refor nas, certos progressos na cons-
    tituiQao politica e social da Franca ; mis
    sim uma revolucao me tern progra uma, 0
    deveria ter em resullado restaurar em pro-
    veito de uma especio de novo feudalismo
    L'JCKSCU BQSQZA
    MEMORIAS DE- SATANAZ
    POK
    l>. il inot'lFernnudez v Gonzalez
    PRIMEIKA PARTE
    0 GRAN-CAPITAO.
    II
    UM ARCHANJO DAS TREVAS.
    ('.(.iitmuar.ao do n. 946)
    For sobre a extremidade do vestido de
    vollu'.o prpto, apparecia um pe arqueado e
    bre/r, leliciosamente calgado n'um borze-
    guim de setnn branco, bordado doouro.
    Uma lampada de seis lumes, peudente
    do tocto, illuminavaartisticamente aquella
    mult/er.
    Em ."'rented'ella,-dope*, encostado dmesa,
    gravo $ sombrio, via-se um homera de idade
    avaucada, cabello brancos, fronte en ruga-
    da, pa'lido >jomo um ospectro, de olhos
    pretos cujo brilhci e expressao nSo haviam
    araortecido os annos.
    Trajava uma especio do soitana de vellu
    do preto que Ihe chegava aos joelhos, de-
    cotada em (|ua L.is.i branca, com mangas perdidas forradas
    dodamasco iroxo, borzeguins altos de veliu-
    do preio com o bico revirado, cinto de se-
    tim roxo bordado de ouro, espada de copos
    direito:, purhal, e uma bolsa de marro-
    quim com ordoes e bordad'iras de ouro.
    Sobre a mesa, e junto da m3o que se
    apoiavfi n'eHa, via se um gorro de velludo
    preto ciiq a copa roxa, e sobre uma cadei-
    ra uma especi de homUi panlo.
    Estes dous persjnagens eram Lucrecia
    Borgia, a quern podia chamar-se a princeza
    Lucrecia, ou por oatr*. a rainbt e Roma,
    e Francesco Baotti, napolitntir,, homem
    obscuro, antigo espadacbim eassas-ino, com
    o punhal sempro i disposigalo de quern Ihe
    pagava, convertido em i^valleiro romano
    porLuorecia, t> seu mordomo, sou confi
    dei.te, ii'ufni^palavra, 0 seu factotum.
    Quardo dguem pe'guntava a Francesco
    Buolti onde nwscera, respondia :
    taram os principios, e que pretendem por
    meios diflerentes realisar as esperancas do
    povo, da democracia franceza.
    E'necessario formaressa liga. So elle,
    na situa<;ao presente, p6de fazer recuar os
    artistus da restauragao edareac^ao. E'do
    interesse de todos os partidos e tambem do
    seu dever esquecer 4s suas dissen$6es para
    s6 ponsar no perigo commum, e na salvaeao
    da patria. Todos esses partidos, obedecen-
    do aos mais lameutavcis preconceitos, n2o
    tern elles porvontura trabalhado para despo-
    jar a na;ao, om pro veito do estado, do po-
    der, que ella hoje poderia empregar para^
    resistir 4 erapreza que so prepara contra
    ella, 0 para a tornar mesmo impossi-
    vel?
    Os piincipes da casa do Bourbon, e os
    parlamentares da monarohia de julho tem-
    nos dado um exomplo quo devemjs medi-
    tar e seguir. Havia entre elles recordar^oes
    peuosas, vergon.iosas e sanguinolentas. Os
    herdeiros do regicida Felippe Egalile, rene-
    gando as suas tra-li joes e 0 testamento pa-
    ternal, levnram as suas homenagens ao filho
    da duqueza do Berry, oiiicialmente deshon-
    rado pela monarchia de julho. Os duques
    alliaram-se a aventuroiros, e os doutrinarios
    'lo parlamentansoio, esquecendo a prisSo de
    .Manoel, a mortt de Paulo Luiz e as orde-
    naiiQas, assi^naram o pacto com os legiti-
    mistas, e com os clericaes que fingem nao so
    recorder da pilhagem do paco da Vandea por
    occasiao da segunda.
    Um interesse semelhante reunio n'um par-
    tido tudo estes reprf-sentantes e estes artis-
    tas da reacgao que sacrificaram ao exito da
    saa erapreza as suas preferencias e os seus
    odios,
    Principes ou cidadios, homens de esta-
    do, jornalistas, bu?guezes, operarios ou ho-
    mens do campo, todos os que devem & re-
    pubhea o titulo que torn, as func^oes que
    exercern, a liberdade do trabalho de que
    gozam a terra quo cultivam, tem a imitar
    0 exomplo que lhes dao os fautores da res-
    taura/^ao. Sacrificando sobro o altar da con-
    cordia e da patria, as sua? pretcn^oes, e as
    suas dissi lencias, ate a rocordagao dos seus
    rancores e das suas lutas, tratera de se al-
    liar nao s6 para defender as conquistas e os
    principios da revolucao, mas tambem para
    lefender u-n regimen democratico que asse-
    gure no presente e no futuro, a soberania
    nacional e um logar ao abrigo de quaesquer
    tentativas usurpadoras de uma politica reac-
    cionaria.
    a Neste momento, talvez supremo e deci-
    sivo, e" do dever de todo 0 homem, e de
    todo 0 ci la dao tomar partido a favor ou
    contra a revolucao.
    0 pome quo tendes longc de vos dis-
    pensar desse ilover nao faz rrais do que tor-
    na lo mais impenoso. Sois 0 representante,
    senao de uma idea, pelo menos de uma
    Sabe-o a Calabria ; ignoro 0 lugar,
    mas deve ter sido n'uma cavorna.
    Este homem possuia to los os segredos
    da alma obscora de Lucrecia ; podia di/.or-
    so quo era a 6>nsciencia da mulher terrivel,
    cuja histona lugubre e dramatics vamos
    narrar.
    Na almade Lucrecia abrigava-se 0 subli-
    me 0 o infame, o grandioso e o mesquinho;
    espirito maldito, uatureza voicanica, imagi-
    nacao astuta, cnrarao ardente, aquella mu-
    lher, cuja formosura era maravilhosa, pa-
    recia alentar em si 0 espirito condemnado
    do archanjo rebelde.
    Filha do a lulterine da impureza, era um
    poema do inal, encobrind) a sua maldade
    e os seus crimes, sob uma forma encanta
    dora.
    A serpente de cascavel e formosissima e
    com tudo a sua mm le Jura e mortal.
    A sua influencia no governo era inexce-
    divel, a ponto de o manejar & sua vontade.
    As relacdes internacionaes de Roma es-
    tavam sujeilas ;i -ua politica.
    Tao seu era 0 palacio do Vaticano como a
    Villa Borgia.
    Nas suas maos estava muitas vezes a paz
    ou a guerra da Europa.
    A influencia de Roma era entao grande,
    e Lucrecia era a influencia de Roma.
    Vivia como uma rainha.
    Tiuha daoias do honor e pagens, guarda
    nobro, como o papa, de escada acima, e
    guarda de homens d'armas de escada abai-
    xo.
    Nan appare/ia imnca am publico senao
    docarruagem ou litoira, acompanhada por
    criailose escidta. .
    Em 149;, epoca em que a apresentamos
    aos nossos leitores, Lucrecia tivera dous
    maridns : o primeini que foxa assassinado
    em 1492, e Joao Sforza de quern 0 papa a
    havia separata, diisolvendo 0 seu matri-
    monio.
    Lucrecia contava entao vinte e quatro
    annos. .
    ' A maledicencia mancbara a sua reputac,ao
    de um modo h >rrivel, attribuindo-lhe arao-
    res monstruosos, que n6s ltjeitamos por
    abominavi is, e mesmo porque nSo estio
    provados, historicamente fallando.
    A opiniao publica ongana-se geralmente
    porqiiH. nao vai alem das apparencias.
    0 exlremoso amor quo Rodrigo Borgia
    senlira e sentiu por Lucrecia, era 0 amor
    para para se apoderar do poder ? Iremos,
    pelas nossas lutas estereis 0 fratricidas psr-
    mittir a restauracao do regimea tarido en
    1789 ? Iremos cavar ainda mais com as
    nossas dissenc,oes e com os nossos odios im-
    placavois o abysmo em que devemos cahir,
    arrastando comnosco a patria muulada 0
    sanguinolenta ? Esperaremos que um novo
    desastro vergonboso, tenha, coino em 1815,
    confundid) as vossas tradicoe- 0 as nossas
    esperancas ? Esporareinos que os mesinos
    desastres tonham envoivido os vossos poza-
    res com 03 nossos lutos? Fspcraromos
    quo sejamos proscriptos para nos unir-
    mos?
    a A uniao jd estafeita entre todas as frac-
    efles* da opiniao republicana, qualificadas li-
    beraes, conservadoras, radicaes e democra-
    ticas.
    Talvez se diga que nao ha em Franija
    senao um partido republicano. Esii des-
    vanecida toda a distinccSo.
    0 mesmo p6 le soceeder a respeito do
    partido em que a vossa voz nao pode deixar
    de ser escutada, e que, privado de direcc4o,
    foi tambem complice da coligacio de <4 de
    maio. A uniao desses partidos, dossas opi-
    nioes diversas para a dofeza das conquistas
    da rovolur,ao franceza e da soberania nacio-
    nal daria a opiniao publica a unidade, sem
    a qual pereceri qualquer nogao, a unidade
    da forca ; e pode dizer-se que assim teria a
    victoria.
    a Se, olevando-nos acima dos.preconcei-
    tos de partidos, e fazendo calar os sentimen -
    tos que nos podem dividir, tomamos a liber-
    dade de nos dirigir a v(is, e porque sois o
    unico representante da idea napoleonica,' ca-
    paz neste momento decisivo de dar docu-
    ment do homem d'estado. Alem disso, 0
    vosso passado politico collocar-vos-hia entre
    os cidadaos da democracia, se 0 vosso nas-
    cimento vos nao tivesse feito principe. Re-
    presentante do povo, tendes pedido, em
    1848, a amnistia, aflir- .iando assim uma
    politica de paz e de concordia. Membro do
    senado, quando o partido clerical tentava,
    como hoje, fazer curvar 0 governo franeez
    sob o jugo das pretenc,6es ultramontanas,
    tendes pronunciado um discurso, que fez
    ontao immenso echo, qjeos acontecimentos
    tomaram prophetico, que vos collocou entre
    os defensores da liberdade de consciencia.
    General, tendes tido a boa fortuna do com-
    mandar, na Crimea e na Italia, 0 exercito
    franeez victorioso entao, saudado no seu
    triumpho por acclamac6.es populares, por-
    quo combatia pela causa da revolucao, pela
    independencia de um povo. Preoccupado
    da mais seria gloria da Franca, da sua glo-
    ria industrial e da coudicAo do proletariado,
    baveis tornado em 1802 a iniciativa dessas
    delegacies operarias, as quaes a assembled
    rccusava, ainda ha ponco tempo, um erudite
    de cem rail francos ; tendes tido a honra
    de prestar o vosso concurso a esta primeira
    manifestacjio da capacidade politica das
    classes operarias.
    Finalmente, emquanto o imperio ia,
    conduzilo pela reaccAo.'da coinpressao,die-
    Intoriat para a exigencia parlamentar, quo
    devia terminar com s desastres da guerra
    e da iuvasflo, ten Ie3 permaneci lo fort de
    todas as imrigas, lembrando em vao o go-
    verno imperial 4 idea ntp-deonica e revo-j
    lucionario, combafend) com persoveran^a
    a politica clerical 0 romana do Syllabus,
    que e um verdadjiiro inimigo d 1 revolucao,
    0 quo, para triumph.ir, ten la tambem um
    supremo esforco
    E' dianto desse passado, quo homem
    dedicados 4 causa p ipuhr vos vein pe iir
    para permanecerdes fiol, como principe e
    como eidadao. imprimin lo nova diroei;ao
    ao partido ntfpoleonico, que tem cimserva-
    du,a intelligencia* das suas.origins e das suas
    traliejdes; contratanlo a allian';i com o
    partido do qual a republica na) e m.ii< do
    quo um ideal; oppon lo a bandeira do Val-
    my e do Austorlitz ao estandarte de Condo
    0 da eongrogacao ; contrahiu lo, comi os.
    depula los do Seiu;- Oise, o compromise
    soJsnUM porante 0 paiz, de faaor respeitar 0
    sou direito soborau i.
    Se se no perdeu para vqj a licao dos
    acontejimeutos, ileveis comprehen ler qua a
    Franca e um paiz ossencial e profundamon-
    te democratico ; quo dopois do tantM revo-
    lucoes .m.illogra las e de esperieiicias dolo-
    rosas, procura ainda nosto momento a sua
    constiluicdo, isto 0, a organisac/io geral
    propria do sou genio, e capa/. do assegurai
    a vordadeira orden, 0 cumprimento das
    reformas quo so tornain nocossarias e urgon-
    tos, 0 desenvolvimonto ao mesmo tempo
    que a diffusSo das ideas, da iniciativa in-
    dustrial, da intruccao, dc actividade indus-
    trial do tudo quanto faz a prospendado
    do um t gran do nacao, e do u 11 povo li-
    vre.
    Esta organisac/io goral, esta constitui-
    gao nao so p6 le crear rare da nacao, som o
    concurso da qual e impossivel estabelecer
    d1.' futuro cousa alguma de legitimo. ou de
    duradouro. Deve satisfrzerao mesmo tem-
    po to los os intoresses vorda leiros, to las as
    aspiracoes do paiz, scb pena de ser ferida de
    nullida le pelos acontecimentes e de provocar
    essa revolta de todos os interesses 0 de todas
    as consciencias, contra a qual o governo
    por melhor armado que esteja, acaba por
    ser impotente. P6 le dizer-so quo desde
    1793, nenhuma das nossas constituicoes sa-
    tisfez a esso programma, e e issoquo expli-
    ca as nossas revo lucoes, das quaes e tempo
    de fechar para sempre a era sanguino-
    lenta.
    Para quo esta constituieSo de a toitas
    uma satisfacao geral, e necessario quo nao
    seja nom outorgada, nom imposta ; e ne-
    cessario que nao seja uma combiuacao do
    expeoientes imagmados pelos senhores do
    poder para assegurar a omnipotencia gover-
    namental contra as rei/indica;oes do paiz ;
    6 necessario que seja um contrato livremen-
    te aceito por todas as classes c por todos
    os partidos, que offereca a cada um garan-
    tias de respeito pelo seu direito, dando a
    todos o podor de o exercer.
    0 principio fundamental do uma seme-
    lhante conslituicAo 6 a soberania nacional,
    ddclarada inalionivel e inviolavel. Estes
    primeiros artigos deviam ser semolhantes
    aos da constituieao da republica americana,
    garantindo a liberdade e os direitos dos
    cidadaos, contra os quaes nao e permittido
    a ninguom ferir nom attentar. Emfim, as
    clausulas ostduidas, detenninam uma orga-
    nisacao que asseguraria aos intoressos con
    servadoros, do que Mr. Thiers 0 o represen-
    tante mais autorisado, a seguranija, a or-
    dem e a rogularidado administrativeaos
    partidarios da instituicdes republicanaSt de
    que Mn Gambetta 6 o mais popular ora-
    dor, uma parte nos negocios publicos, a
    integridade e a liberdade do direito eleito-
    ral4 democracia, cuja causa defendemos,
    e de que tratamos do traduzir e propagar
    as id&s, a possibilidade de consummar li-
    vro e pacilicamcnto as reformas do ha la 11 to
    esperadas, nas quaes 0 povo, quo quer vi-
    ver no seu trabalho, e quo morro pelas
    suas idas, fundas as suas esperancas.
    ' Seria duvidar da intelligencia politica
    daquellos de que fallamos, suppor quo re-
    cusarao adherir a este contrato da paz pu
    do corac,5o da natureza.
    Seus irmaos, Cesar e ^Giovanni Borgia,
    adoravam-n'a, mas como se adora um ins-
    trument) de ambieao.
    Tinham zelos de Lucrecia, mas eram
    tambem zelos de ambigio.
    No coracao de Rodrigo Borgia, occupava
    0 primeiro lugar sua inna Lucrecia, depots
    Giovanni, em seguida Cesar, e 0 segundo
    lugar Joao Borgia, primo d'estes e sobrinho
    d'elle.
    0 cardeal arcebispo de Valencia, monse-
    nhor Rodrigo Lenzuoli Borgia, (ora eleito
    papa e tomara 0 nome de Alexandre VI em
    1492.
    Rosa Vannozia Borgia e seu marido Do-
    mingos Arignani, cavalheiro romano, que
    apenas contrahira matrimonio com Vanno-
    zia, fora expulso de Roma pelas suas rebel-
    liOes contra 0 papa, e que com sua esposa
    fdra refugiar se em Valencia, entio seMe de
    Alexandre VI, afastado tambem de Roma,
    poderam voltar 4 patria quando aquelle foi
    eleito papa, e Arignani tornou a ser inves-
    tido nas dignidades e nos bens que Ihe ha-
    viam sido confiscados.
    Cesar Borgia, em virtude do desterro de
    seus pais, nascera era Valencia, alii passara
    a sua infancia e parte da sua mocidade, in-
    do depois estudar na universidade de
    Paris.
    Alexandre VI destinavo-o para 0 estado
    ecclesiastico, e a famosa Sorbonne de Paris
    era para o illustrado Alexandre VI, uma
    universidade preferivel a qualquer outra.
    Giovanni nasceu no'remo de Valencia,
    em Gandia : ardente, audaz, bravo, desde
    os mais tenros annos, j jlgou-o 0 papa mais
    proprio para 0 mundo do que para a igreja,
    e educou-o como se educa um cavalleiro
    destinado para as grandes dignidades e para
    os commandos militares.
    Lucrecia nasceu e croou-se em Valencia,
    e permaneceu alii ate' aos quinze annos.
    0 cardeal arcebispo de Valencia, entio
    muito longe de suspeitar que cbegaria a ser
    pontifice, julgou ser para ella um bom par-
    tido, um rico cavalheiro aragonez da fami-
    lia Borja, chamado D. Allonso, grande fa-
    vorite e por rentura filho baetardo do rei
    de Aragao e de Navarn D. J0S0 II.
    Devemos advertir que Borja e um antigo
    apeltido heap nhol, que, ao passer para a
    Italia, se modiucou, converteudo-se era
    Borgia.
    blica, e da toberanii nacional, concluide
    em pleno dia, perante 0 paiz iuteiro.
    Deste modo, con v cando o vosso proprio
    passado/ acroditando que sabereis subordi-
    nar, na vespera de um acontecimento dcci
    sivo, razoes de dynastia n interesse supe-
    rior da patria, vimos pedir-vos quo deis a
    este contrato, garante das conquistas da re-
    volucao no presente, a salvaguarda da paz
    publica no futurc., a assignatura do um Na-
    poloao que ha do ser respoitada, porque re-
    corda, com a logon la gloriosa do Morengo,
    as victorias da Italia.
    IJin semoliinnle acto, quo esperamos
    vorcumprir por parto de um principe, por
    isso quo cidadaos da democracia republica-
    ns, discipulos do Washington, nao lomem
    pe Iir Ihe quo possi ivpirar as desgracas
    da Franca, nas quaes o vosso nome est4
    envoi vido. Crearia no nosso' paiz, de ha
    tanto tempo dividi lo, uma ii politica su-
    perior aos homens, uma uniao patriotica.
    quo e a melhor garantia da segurartca, das
    liberdales, do progrosso e la prosperidade,
    Tranquillisana contra os pongos imagina
    rios do iijstituii;ujs ver la ieiramente deaio-
    craticas os conservadores que vos acreditas-
    sem, porque sois principe e homem do es-
    tado. Faria, nnalmonto, cossar as dissen-
    qoos cruois, os olios eegos contra a gente
    do inosino povo, ai quaes, irmaos livres
    0 reoonciliados, como dizla um dos nossos
    antepassa los da revolueAo, so abraeaiiam
    em face da lerM console la e do ceo satis-
    feito.
    Que 0 genio da revolucao 0 da idea da
    patria vos inspire, principe; o terois na his-
    toria, com aquollos que vos propoom este
    pacto e aquelles quo 0 acoitain, a honra de
    tor salva lo a soberania da nacao, c defen-
    dido a liberdade do um povo, no momento
    em (joe se preparava a restauracao do 11 m
    regimen condemnado pela consciencia pu-
    blica.
    Assim concluo a carta, qoe o luenir
    National publicou, c de que fallamos em
    uma das n >ssas aliterioros revistas. A res-
    posta ilu princ po Napoleao, nao se recusau-
    ilo a este accordo, j.1 est4 por nos inserida,
    quando n nossa'rovista alludimos a os'o
    pacto politico.
    0 GR1NDE BALAO DO PROFESSOR
    WISE.Gorou a primeira tentativa da via-
    gem transatlantica n) balao moustro do
    professor Wise.
    No dia 12 de setembro propunha-se o
    aereonauta emprehonder a sua projectada
    viagem atravez do ocoano Allantico; 0 piano
    falhou d'osta feita com immenso fiasco.
    0 aereostato media as onor;nes proporQOos
    para conler seiscentos mil pes cubicos de
    gaz Para a viagem receberia, porem, so
    quatrocentos mil. 0 tot de sete mile cem arrateis, sem cor.tar os
    passageiros e 0 lastro que deveria levar.
    Todo o apparelho cust4ra, aproximadamen-
    to doze mil dollars ou cerca de onze contos e
    quinhentos mil r6\s.
    Quando o balao tinlia ja dous tcn;os do
    gaz que devia recebor, ouvio-so um ruido 0
    observou-se quo tinha uma fenda; e em
    um ninuto o balao estava completamonte
    inutilisado. N'essa occasiao no bal4o ti-
    nham sido mettidos trezentos c vinte 0 cinco
    mil pes ilo gaz.
    Attribuem 0 desastro 4 mi qualidade da
    tela.
    Dizem os jornaes amoricanos que ao pro-
    fessor Wise foram foitas propostas, para Ihe
    ser fornocido outro balao de sela, cujo
    prego subiria a uma soinma muito impor-
    taute.
    ESQl'ADRA'HESPANHOLA.0 bloqueio
    de Carthagona foi feito pelos navios:
    Victoria (courac.ada), 1,000 cavellos e
    21 canhOes.
    Saragoca (courage laj, 800 cavallos c 21
    canboes.
    Villa a>. Madrid (madeira), 800 cavellos
    e 40 canhoef.
    Navas de Tolosa (madeira), 600 caval-
    los e 48 canhoes.
    Almansa 'madeira;, 600 cavallos 0 48
    canhoes.
    Cdrmeu (madeira;, 600 cavallos e 41
    canhoes.
    Cadiz (vapor de rodas), 500 cavallos e
    16 canhoes, e 0 numero dc avisos dc vapor
    que julgue necessarios.
    Tanto Rodrigo Lenzuolli, como Cesar,
    Giovanni e Lucrecia, deixaram 0 apcllido
    paterno em honra de Isabel Borgia, irma
    de Calixto III, do qnem doscondiam pela
    hnha mate rna.
    Lucrecia era, pois, por sua origem, hes-
    panhola e valencianna.
    Tinha, como dissernos j4, cs olhos gar-
    cos, poderosos, irresistiveis, e a tez branca,
    ardente, das formos.as filhas do Turia.
    0 ar natal deri-lhe nSo somento os tra-
    50s distinctivosda race bcrobere couservada
    em Valencia, mas modjficare-lhe tombom 0
    sangue italiano, j4 de si mesmo ardente,
    com 0 que quer que fosse de africano.
    Apenas elevado ao s6lio pontificio Ale-
    xandre VI, Cesar Borgia recebeu as sagradas
    ordens do diaconado, foi investido com a
    purpura cardinalicia, e nomeado "arcebispo
    de Valencia, sede quo ficara vaga pela ele-
    vacao de Alexandre VI ao pontificado.
    Cesar Borgia ficou-se chamando desde
    entap o cardeal Valentino.
    Giovanni Borgia foi feito duque de Gan-
    dia pelos reis de Hespanha Fernando V e
    Isabel I, em troca do titulo de catholicos,
    que Alexandre VI, apenas pontifice, conce-
    dera pela. conquisla de Granada, aos reis
    Fernando e Isabel.
    Alexandre VI vendeu a Lucrecia alguns
    estados na Roumania, com 0 titulo de du-
    queza.
    O seu primeiro marido fdra assassinado
    ao sahir de casa alguns dias antes da
    exaltar.So de Alexandre VI ao pontificado.
    Este crime fdra attribuido a Cesar Bor-
    Contava este, para os seus projectos ara-
    biciosos, com a influencia de Lucrecia, e
    pareceu-lhe nouco conveniente um cunhado
    que, apezar de rico-homend de Aragao, nio
    tinha absolutaraente influencia alguma em
    Italia.
    Em breve 0 cardeal Valentino compre-
    hendeu que 0 duque de Gandia era mats
    favorecido pelo papa, por causa do amor
    queesft Ihe cousagrava, e pela grande in-
    fluencia quo sobre q papa exercia Lucrecia,
    quo amava exlremosamente seu irmio Gio-
    vanni, em quanto que a Cesar a ligava tao
    sdraente uma terrivel sympathia de caracler
    e as tendencies da sua ambic,ao.
    Entao Cesar vio que 0 estado ecclesiastico
    era para elle um froio demasiado forte, e
    pretendeu quebrar aquelle freio.
    ALUSTIAMO OLOZAGA,Os periodicos
    hespatfihoes dao noticia de haver falkscido
    em Enghien o. St. D. Salusuano Olozaga,
    que no tempo de D. Amadeu e em principio
    da republica,-foi representante da Hespanha
    em Paris.
    Foi distincto or ado r e notavel homem de
    estado, chefe de parlido, babil e activo,
    pessoa de nao vulgar instrucc&o, e grande
    conhecedor dos homens a do mundo,
    quando a paixao politica nao 0 offuscava.
    A sua reputacuo, a todos estes respeitos,
    foi crescendo incessantemente desde 1834 a
    1868; e ainda, quando a revolucao do se-
    tembro produzio uma ordem de cousas e
    revolou homens de uma geracao nova, sou be
    conservar 0 lugar emwento em que trinta
    annos de esforcos 0 haviam collocado.
    A morto d'este vulto da politica hespa
    nhola catisou grande impressSo em Madrid.
    COMCILfO DIOCESANO. Le se o se-
    guinte no llappel:
    No dia 22 de setembro, abrio-se em
    Lyao, sob os auspicios do arcebispo monse-
    nhor ftiaovilbac, um concilio diocesano, 0
    qual tem por fim procurer os meios de sus-
    tentar no sen estado actual a anuga prima-
    zia dos gaulos, que tem sorTrido j4 muitos
    desmembramentos, e que, se os novos pvo-
    jectos postos em accao forem adoptados.
    deixara conipl .'tamente de existir. A ques
    tao que se vai debater n3o e nada menos do
    que a do ultramontanismo e do gallicanis-
    mo, que parece cess4ra dopois do concilio
    de I860.
    O Vaticano pedo a urea^ao de um bis-
    pado om Saint Eticnne, organisado com a
    ajuda do porciies da diocese actual do arc*-:-
    bispedo do Lyao, prime/, dos gaulos, e 4
    imitaeao do que j4 so fez para a oiganisa^ao
    do departamento do Ain.
    0 ercebispo de LyAo resisto. apoiando-
    se na tra licao gallicana, era opposicao 4 do
    ultramontanismo, que procura hoje dimi-
    nuir mais do quo nunca a importancia das
    Ses archiepiscopaes em proveito do poder
    absolute do Papa.
    Durante 0 imperio, 0 conselho geral do
    Loire, mostrou-sc favoravel 4 creagao de um
    bispado em Saint-Etienne. A guerra im-
    ped io dar-se seguimento a este projecto.
    Mais tardc 0 governo do Sr. Thiers, sen-Jo
    consultado, declarou-so contra o alludido
    projecto, apoiendo-se para isso em um vote
    do novo conselho geral, Conquistado intei-
    ramente, como e sabido, 4 democracia;
    porem 0 governo de 25 de maio nao ousa,
    ao que paroce, oppor-se a este projecto,
    mesmo em vista da opposicao quo Ihe faz 0
    bispo do LySo. Ha, pois, luta sobre este
    ponto entre 0 Vaticano e monsenhor Gino-
    vilhac, e 'para estudar esta quesMo que se
    reunio 0 conselho diocesano de Lyio.
    O PADRE SANTA CRUZ- Em um dos
    ultimos numeros da Correspondance repu-
    plicaine, encontraraos a noticia que abaiv*
    transcrevemos e de cuja veracidade duvida-
    mos, attendendo a que n4o a vimos ainda
    confirmada por nenhum jornal de Roma,
    nao tendo sido tambem contestada por ne<
    nhuin outro periodico, polo' menos que 0
    saibamos. Eis a noticia :
    Acaba de dar-se no Vaticano uma scene
    commovente. O padre Santa Cruz, foi
    apresentado ao Papa, que, acolhendo favo-
    rovelmento este zeloso defensorda boa causa
    de Hespanha, Ihe deu uma absolvicao ara-
    pla e completa do todos os peecados de quo
    fdra autor. Quando D. Carlos souber isto,
    n4o deixar4 de Icar sorpretulido, pois que,
    n8o julgando pela sua parte que o proce-
    dimento d'aquello guerrilheiro fosse t4o
    irroprchensivel e perdoavel, tinha-o posto
    fdra da lei, promettendo uma grande som-
    ma a quern lho apresentasse a cabeea do seu
    mais ardente partidario.
    BIBL10THECA NACIONAL DE L1SB0A
    No mez de setembro ultimo, concorreram
    a esta bibliotheca 940 leitores, que pediram
    1,599 volumes, sendo:
    945 de sciencias e artes.
    634 de histeria, htteratura e polygra-
    phia.
    19 mauuscriptoi.
    Esta bibliotheca esta aberta todas os dias,
    desde as dez boras da mauha ate ao sol
    posta. ..
    No dia de Pentecostos de 1497, no Vati-
    cano, no moio dos cardeaes, e prostrado
    aos pes do papa, podio para quo lbo'dispen-
    sassem os votes, 0 se admittisso a renuncia
    que fan a de purpura cardinalicia e do ar-
    cebispado do Valencia, om virtude- da sua
    falta de v0cac,ao para 0 estado ecclesiastico,
    c por teraer tornar-se indigno da purpura.
    O papa pedio parecer aos cardeaes para
    a resolucao de um pedido tao grave, e to-
    dos, a uma voz, foram de opiniao, que em
    vista da manifestacSo franca de Cesar Bor-
    gia, e era attencao a que se nao perdesse a
    sua alma, obrigando-a a deveres para 0
    cumprimento dos quaes se julgava sem for-
    ces, deferisse 0 papa a supplica que lbe era
    feita.
    Cesar deilou de ser cardeal e arcebispo,
    e recebeu 0 titulo de duquo Valentiana com
    alguns estados nas Marcas.
    Pndia, pois, obrar livremente ; em vez
    da purpura :ingia uma espada
    Basta por em quanto de historia : o que
    deixamos dito era absolutamonte indispen-
    savel para que os nossos leitores conheces-
    sem a situacao dos principaos porsonagons
    do nosso bvro.
    Voltemos, pois, a Lucrecia e ao seu con-
    fidente Francesco Buotti.
    Lucrecia estava excitada, mas de um mo-
    do latente.
    Comprehendia-se o estado da sua alma
    unicamente pelo seu olhar intenso, e pela
    extreme pallidcz que Ihe cobria as faces
    E', pois, nocessario para que 0 duque
    de Sessa consinta e;n ter uma entrevista co
    migo, que se diga terminantenrento que essa
    entrevista e" politica e que a quera a deseja 6
    Lucrecia Borgia ? disse ella^
    Exactamente, respofldeu com frieza
    Francesco.
    Quer isso dizer que nos hurailhamos.
    O gran-capitad Gonzalo Fernandez de
    Cordoba 6 um rei sem corfta, roplicou Fran-
    cesco, porem mais poderoso que muitos
    reis coroados. Ndo ha muito tempo que
    Luiz XI de Franga e Fernando V de Hespa-
    nha, sentados ao ladofloleao andaluz Gon-
    zalo de COrdoba, decidiram da sorle da Eu-
    ropa. Nao ha tres qfljtf que o nosso san-
    tissimo padre, Carlos VvTU de Franga, e 0
    duque de Sessa, decidiram da sorle da I'a-
    lia. Venha, accrescentou Francesco diri-
    gindo-se para uma das portas do gabraete,
    correndo 0 reposteiro e abrindo uma janelia
    com vidros do cores.
    Lucrecia aproximou-se.
    Que vd ? perguntou Francesco.
    Lumes de fogueiras no monte Pincio,
    respondeu Lucrecia, e um outro clarao mais
    tenue e longiquo que parece partir do mon-
    te Paratino.
    E que ve no montc Vaticano 9
    Uma corda de sombras.
    Isso mesmo, disse Francesco ; alem
    no montc Palatino, em torno do capitolio,
    como pretendendo tomar posse de Roma,
    esti 0 poderoso exercito do rei de Franca ;
    mais proximo, sobre 0 monte Pincio, como
    ameacando o Vaticano, est4 o pequeno exer-
    cito de Orsini : no monte Vaticano, entre a
    sua corda de sombras, como diz, ha um
    punhado de valen'es, duzentos homens de
    armas, que estiveram na conquista de Gra-
    nada, a guarda, por assim dizer, do gran-
    capitao. Mais alem, em Terracina, respei-
    taudoRoma, est4 0 poderoso exercito de
    Hespanha. No monte Palatino, manifesta-
    se uma grande ostentacao de poder ; a nu-
    merosa artilheria franceza circunda 0 capi-
    tolio ; porem aquelles soldados, ou dormeta
    embriagados em torno das fogueiras, ou
    entregues ao prazer. Mais para 4que'm, 03
    homens de Orsini, isto e, a rebelliao, dor-
    mem tambem ou se embriagam. No mon-
    te Vaticano, vela-se entre as trevas: aquelle
    punhado de homens e hoje a espada de Ilc-
    ma ; 0 nome so do seu capitao basta para a
    defender da ambieao de Carlos Vltf e das
    espoliacoes de Orsini. Em brote 0 rei dc
    Franca evacuar4 Roma, Orsini sahir a" por
    outra porta para dividir 0 seu exercito em
    quadrilhas de salteadores, e apds 0 rei d$
    Franca ir4 0 gran-capitao para entender-se
    com elle em Napoles. Quein e, njiuha so-
    nhora, n'este momento 0 rei, mais
    rei, a salvaeao do Roma, senao o caudilbo
    d'esses bra vos soldados que vedam, apoia-
    dos nas lancas, no raeio das trevas, pela
    liberdade do papa T
    E' verdade, replicou Lucrecia*h-
    rando-se da janella, tratamos c^m ora ver-
    deiro rei.
    E foi assentar-se no mesmo lujir oude
    estava.
    >
    >

    *
    \
    {Conti1
    TYP.DO J)IARIO RUA
    be casjas r
    I
    m
    L .
    Hi
    :./
    .
    ^-^.-


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EXUB1RS3F_E320LA INGEST_TIME 2014-05-27T22:08:34Z PACKAGE AA00011611_16713
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES