Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16712


This item is only available as the following downloads:


Full Text
If
->9WP
ANNO VLIX. NUIERO 2ti

FdA A CAPITAL IS I.VC1MS OTBE SA.M FACA POBTlL
Pot tres mows adianlados .'.........', itaooo
For seis dito* idem .............'.'.
for urn anno idem....... .
Cada aumero avulsc.......
1:19000
t'000
AM

4IM4D0 25 D Oljfl*0 BE t*
t
M1AM1RIO E FOB A A rM#VIWCI-
Por tret mezel aulanladns. '. .
Por seuditos idem, f i............ .
Por now ditos idem ? 4 ........
Por um anno idem. ... ........' \
t
l!!!0#
aotaw
trpoM
DIARIO DE PER^AMBUCO
___________PROHMEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA 4 FILHOS.
iew


to. Oerardo Antonio Alve* d Filhos, no M, Gon5alves d Pinto, no a.ranhao ; Joaquim Jos, de Oliveira d Fi.no. no Gear.; Antonio de Lau Bra,., no Aractj Join ,* itaio (W. ao Aa; Antonio *a-ues d. *, no 9MI; taf **
Pereir. d AImd., em Mamanguape ; Augusto Gomes da SHva, na Paraiy b ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Penna; Brfanrdno dos Santos Bulcio, em Santo Antio ; Domingo* Jose da Costa Brag., em Naur** ,
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Macnaeo, no Pilar das Alagdaa; Aires d C, na Bahia; e Leite, Cerquinho dt C. no Rio;de Janeiro.
PAITE OFFICIAL
*
MiniMteiio DECRETO N. 2,471 de 24 dk setbsmiiods 1873.
Hei por bem sanccionar a mandar qua se exe-
cote a resolucao seguinte da assemblea garal:
Art. I.' Ficara creadbs na provincia de Pernam-
buco cinco collegia* eleitoraes:
1.*, na villa do Itambe, composto do. eleitores
cu freguezias de Nossa Senhora do Ds.itorro de
Uamb6 a do S. Vicouto ; 2, oa villa de Ipojuea,
composto dos eleitores da freguezia Jo Nossa .Se-
nliora do 0', outr'ora de S. Miguel; 3, oa villa de
ftezerros, coinposte dos eleitores das freguezias de
S. Jose de Bo;:orros e Je I*, na villa de Panellas, compjsto in eleitores das
Ireguezus do Soahor Uj:n Jesus de Panellas e do
Nossa Senhora Ja Craceicao de Quipapa; e o", na
villa de Ploresta. eorapostj dos eleitores da fregue
fia do Senhor Bom Jesus das Affliotos di Fazenda
Grande.
I*.* As novas freguezias do Njssa Senhora da
Penha da GaraaJoira, de N >ssa Senhora Jos Mon-
ies, de Nossa Senliora da Conceieao Ja Pedra, do
Santa AijaeJa de Po*jmira o Je Suit'Anna d.i
Leopullina, outi'ora do Saec-s eroadts outer-
ritorios da fre^iezias partetisuntes a JilTerentes
ooUegios, larao parle dos colleges dos ri spootivos
municipios.
g As antigas freguezias, cuj >s limites foram
altera403 posterurmiatj ao anno do I81K1 por an-
nexafio on Jasann-jxagio do terntorios de fre-
guezias Je outrcs collogios, toraj p.ira os elTeitos
oloitoraes m litnites ora estabeleoiJoi p.jr leis pr^-
vinciaes.
Art. 1 Sao rovogalis ai Jispjsic5js en con-
rrario.
0 Dr. Jo5o Alfredo Gorrea d i Oliveira, do ineu
ooojolho, ininisti-o e secretario de estado dos nego-
eios do iauerij, auim o toaha e.itendij) e faga
OKOcatar. Palacio da Kio de Janeiro, orn viute e
quatro de setetnbro do mil oitjoeutos soteou o
we,(juin|ugesiiiii seguul* do inJopjattu:ii e
do itaperki.
Com a rubriia do Sua Magostaij o I.apora-
4or.
Joiio Alfredo CorrSa dt Otiviira.
Esti c-rtidao sera passada gratuitamente.
Art. 10. 0 estuJanie reprova lo em alguma ma-
toria, nio sera admiuido a n>vo exanuj da mesma
materia. assim ri) lugar em o,ue liver sido repro-
vado, como en itial.juor outro, sem que liaja do-
corn Jo pel* menos o prazo da tres mczos. contado
da data da roprovacio.
Art. II. O resultado dos cxames sera publicado 11...... .,... ~_ "." ""."*"-"".'
mgKw.tn ufleiaf ds rail provincra peK) m->ifo de-1 f*'fwnumsm 48t- mpiyf>iti-H- *rjr ..
mef feitos t/muuicipio da 2S2* f**L*? J25CfSJ*iSLf
raeu consolho, mim^tro e secretario de estado dos
negocios di ju.-tira. assim o teuha enteiuUJo efa-
oa exocutar.
Palacio do Itio de Jaueiro, em 2 da otitubru de
1873,3i* da iuJepetidencia e do impario.
Com a rubrica de S. M. o lmperador.
Maneel Antnnio Daartt de Azecedo.
tenninad) pira os exa
cOrte.
Os delegate reinettarlj as relacoes publicadas
aos direct ri!S das faculdades de direito e Jo me-
Jieina a ao inspector geral de iusimccao primaria
e secundaria Jo maaicipio da corte ; remetteriio
tambein relacoes dos reprovados aos directoros das
facaldales de direito, ao da de medicina da Bahia
eao dito inspector.
A's relates a estes remattidas ajanlarao nma
expwiflo di e provincias rupettiva*, das occurrencias extraor-
Jmanas que se tivorwn da Jo nos exames a das
idea< que para melhoramento destes Ihes sugsferir
a pralir.a.
Art. II Oi delegados toraj p.ira auxilia-los no
Jeseinpenlio desui missao as pessoas que foram
necessarias.
Join Alfre>J C>rre\i de Oliveira, do meu conse
luo. ministro e secretario de estado dos negocios
Jo im.ierio, assim o tealia e.itoudiJo o faca exe-
cutar.
Palacio do Rio Je Janeiro, em 2 de outubro Jo
outubro Je 1873. 32J Ja inJependencia e do imp
rift.-C wi a rubrica de S. M. o lmperador.-rJotio
Alfred} Correa de Oliveira.
Pernambuco, a
d'lta.
que se refere 'o decreto delta
Eihpregados.
1 secretario.....
3 offlciaes, sendo
! externo.....
i amanuenses...
1 ihcsoureiro___
I porteiro.......
I eontirrao......
OEGRSTO N. 2,'i7J de Ji de SSTKMWO 08 1873.
Hei por hem sanccionar o m uiJar c|ue se, execu-
te a raaaluca > seguinte Ja asseinblea geral:
Art. I.* E' en -ado no ter.ni Jo Aguis Bella*,
proviacia do Pornambacj, un oilicgio aleito-
ral coraposto Joi eleitores da freguez'u 11 inosnu
noma.
Art. 1.' Picam revogadas as disposicojs o.u con-
traria.
0 Dr. Joao Alfrelo C-jrrea de Oliveira, do msu
conjoin),mini gocios do imperi, assim o teuha entendidj a fact
exacutar. Palacio do Rio de Janeiro em vinta'e
quatro.de sete.iibro de mil oitoeaato* seteata e
ires, quin^iagesinii segunlj na inJepenieacia a
do imperio.
Com a rubrica de Sia Magestade o Impera-
"or.
Joiio Alfredo Corn* de Oliveira.
MiilCftETO N. 2,1:73 os i\ de setkmbiw de 1873.
Hei por hem sanccionar a mandar quo se exe-
cute a resolnclo seguinte da assemblea geral:
fl.Vrt. t. !i' creiJo na ci lade do Amaranle, pro-
viacia do E'iauhy, um collegia eleitoral composto
d.^3 eMtores da .'reguezia do mesmo nomo.
Art. 2.* ?icam re/ogadasas disposijoes emcjn-
trario.
0 Dr. Joiio Al.'redo Correa de Oliveira, do meuj
couselho, ministro e secretario do estado dos ne-
gocios do imperio, assim o teuha entendldo e faca
execotar. Palacio J j quatro de setembro de mil oitocentos setenta o
tres, quinquagesimo
segunlo Ja in-iepeudmcia e
de Sua Magestade o Iinpera-
do imperio.
Cora a rubrica
ior.
Joao Alfredo Correa de Oliceira.
DECRETO N. 2,173 de 2i ok setembro de 1873.
Hei por bem sanccionar e mandar quo se exe-
cute a resolucao seguinte da assemblca geral:
Art. l. E' creado na villa di Alagoi Grande,
da provincia da Pa/ahyba do Norte, urn collegio
^eitoral compos ;o dos 21 eleitores da freguezia da
Roa Yiagem, pc rtencentu a mesma villa.
Art. 2.* Ficam revogadas as disposi^Se^ em con-
trario.
0 Dr. Joao Alfredo Correa da Oliveira, do meu
coaaelno, ministro a secretario de estad >s dos ne-
gocios do imperio assim o tenha enteudi Jo a faca
exeedtar. Palacio dj Rio de Janeiro em vinte a
quatro de setembro de rail oitocentos setenta a
tres, quinquagesimo segundo da independeucia e
do imperio.
Com a rubrica de Sua Magestade o Irapera-
d&r.
Joao Alfredo Cirrea de Oliveira.
Pelo decreto n, 5,i29 de 2 do orronte foram
ctoadas commiisojs de exames pela forma se-
guinte :
Attendendo a necessidade de desenvolver o ensi-
no secundario rias provincias onde nao ha facul-
dades, a faciliUr aos estudantes os raeios de faze-
rem os rospecti vos exames, hei por ben] decre -
tar :
Art. I.* Os e:;araes geraes de praparatorios, pa-
ra os cur: os su j riores do imperio, que actualraen-
ta so fazem no nunicipio da corte a nas capitaes
das provi icias 1c S. Paulo, Bahia e Pemambuco,
so verificario it ualmente nas das outras provincias,
excepto a. do Rio de Janeiro.
Art. 2. Para tat flm serSo nomea los pelo minis-
tefio dos egoci>>s do imperio, delegados especiaes
do inspector geral da instruccau primaria e se-
cundaria Jo monicipio da corte; os quasi terao as
attribnicdes coiiferidas ao mesmo inspector n *- Je-
cretos ralativos aquelles exames.
Art. 3.' 0 proca3so dos exames sera o meson
qae osta iletermioaJo, para os que se fazem no
manieipio da corte.
0 inspector garal da instruccao primaria e so-
cundaria deste municipio remettera opportuna-
inante o respectivo programma.
Art. 4.' As epocai dos exames. serao designadas
pelo govorno.
Art 5/ Aos pre9identes das provincias perten-
cerio com rela^ao a estes exames, as aJtriouicftes
qua competent ao goreroo imperial qua lio aos que
ae-fazem ao municipio da cdrte.
Art 6.' Os presidentes das mesas de exames so-
Tioescolliidos pelos presideates das prov.ncias, en-
Ue pessoas habilitadas, que nao exer;arc o magis-
lefio par'.icular.
Art 7.' Os e:camlnadores serao escolhidos pelos
dcJagadoii entrc os professores publicos, de accordo
cam os presidentes das proviacias, e, scido ne-
cossario, entre pessoas habilitadas, quo nao exer-
am o migisteno partieolar; e terao a.-i vantagens
coocedidu aos qoe eompozerem as ineias do exa-
mes 00 manic pio da corte.
Art. 8.'Os estudantes appro va los nos exames
de {Be ti-ata o presente decreto gozarSo dos direi-
W3 soe couberam aos appro/ados na inspeccao ge-
ral U inrtracjSo primaria e secundaria do mani-
eipio da cPrte.
Alt. 9. Nenltam estadante de uma [ roviocia se-
ra admiludo a exame em outra sem apresenlar
iMftltffa de qua nio fez exams, on, caw tenha fei-
to algois, nao foi approvals.
Por desp icho Je 8 do corronte :
Poi pxoaerad), a sou pelido, do lugar de official
Ja directoria geral da asUtfstisa, o bacharel Ma-
il ool Ant mio Rodrigues Torres.
Foram nomeados :
O.Hcial da dita Jirejtoria o bacliarel Jeronviuo
BinJoira de Mello.
Oop>sitor Ja sec;io de sciencias accessonas da
laculdaJe Je m: licina da Bahia o Dr. Jose Alves
di' Mello ; pregaJ ir Ja capella imperial o subdito
Italian> T. Miriam ds Btgntla, vice-prefeit> da
niissi i ap >st ihca n Mitt (Gross >. vigario ill va-
ra, visitadir di camara occlesiastica di Baixo-Pa-
ragaiy e vigario enconnnnlado das fregucsias de
Uirumlki e Mirania.
"fi ov nsv -Offioiut : 0 bacharel 0. Carlos
de Sou/a da Silveira, polos relevantes sarvi..<
prevails na guerra d> Parag>nv na qualidado de
auditor de guerra; a major Francisco daCunha Ma-
chal)*!drosa, da provincia de Pemambuco, pel03
rele/a-ites servicn que prestou e:n ralaclo a mes-
ma guerra.
Cioallei'W : 0 Dr. Ben to CecHiaw ulos Santos
Ramos, em attenc;l aos relevantes serviCuS pres-
la los a instruc.-.lo pnblica, na provincia"das Ala-
gaas; o tenente coranel Antonio Joaiuim do Farla
(Miveira, Ja provincia de Sergipe e o capitao'Se-
reriauo Antouio de Migalhaes da proviucia da
Bahia. pelos relevantes serricos prestaJos em ruia-
5*0 a guerra do Paraguay.
oiidk.m oechusto C'tcalleiros-Oi padrjs Joa-
quira Alves Pereira, vigario da parochia de Bata-
tae3 e Joaquim Jose Vieira, residente na cidade de
Campinas, na provincia de S. Paulo, pelos relevan-
tes serricos que te;n prestado a religiao
obdsji dr K\\zCaoalleiro -0 capilao do corpo
de estado maior de artilheria Franklin Mendes
Vianna.
Foi apresentado na igreja parochial de Santa
Rita de Sapucahy, da diocese de Marianna e pro-
vincia de Minas Geraes, o padre Antonio Ribeiro
da Luz.
Foi aceita e conlirmada a renuncia que fez o
cmego Francisco de Paula da Rocha Nunan da
sua cadeira na cathadrai da referida diocese
Foram concedi las as seguintes pensoes, depcu-
dentevde approvacao da asemblea geral:
De 6!)4i mensaes ao capit.io h morario do exer-
cito Albano Nunes de Mello e Costa.
De igual quantia ao capitao do 16." corpo provi-
sory decav.illiria da guarda nacional da provin-
cia de S. Pedro-do Rio Grande do Sul, Justo Dias
da Siqueira, o quil, bem como o precedente, em
coasaqueicia de ferimento recebido em combate,
tleou impossibilitado de procurar raeios de sftbsis-
tencia.
De 42J mensaes a D. Maria Felippa de Souza,
mai do tenente do 31 corpo de voluntarios da pa-
tria Joao Virgolino Leal, morto em combate na
campanha do Paraguay.
De igual quantia, sem prejuizo do meio soldo
que Ihe competir, a D. Constancy Fernanda A <5as
Pereira da Cunha, viuva do aajor de artilharia
Manoel Balbino Nolasco Pereira da Cunha, falleci-
do em consequencia de raolejtia contrahida no
servico da guerra do Paraguay.
De l8i mensaes, tambem sem prejuizo do meio
soldo que Ihe competir, a D. Armelina de Cassia
Carneiro da Cunha Aranha, mii do 2." tenenta do
exercito Antonio Olyrapio Carneiro da Cunha Ara-
nha, fallecido na campanha do Paraguay em con-
sequencia de ferimento recebilo era combate.
Foram naturalisados os subditos portugue-
zes Antonio Jose de Oliveira Bastos, Francisco de
Mello Pimentel, Joaquim Quaresraa Junior, e o
subdito inglez William 0. O'.Veill.
Foi sanccionada e promulgada por decreto
de 21 do passado a resolucao da asserablea geral
legislativa creando na villa do Joazeiro,' provincia
da Bahia, um collegio eleitoral composto dos elei-
tores da freguezia de Nossa Senliora das Grotas
de Joazeiro.
Foi dirigido ao prasidea.e do Piauhv o se-
guinte aviso:
Rio de Janeiro, em 8 de ontebro de 1873.
Illm. e Exm. S'. Transmittio-me o ministerio
da justica, em 29 do mez Undo, o officio que V.
Exc Ihe dirigira com a data de i de agosto ante-
cedente por versar sobre assumpto da corapeten-
eia de que e-ta a meu cargo. Acompanhoa este
otficio a consulta que fea a V. Exc. o presidente
da camara municipal do termo da ladependencia
sobre as seguintes qnestoes :
1* Se o eleitor pronunciado em crime commum,
estando devidaraente aSancado. pGde faier parte
do conselho municipal de reearso.
2' S) o cidadao pronunciado antes da eleicao,
sendo eleito vereador, fica inbibido de prestar ju-
ramento e exercer as respectivas fanecdes.
Resolvenio-as, hoave por bem S. M. o lmpera-
dor m in Jar declarar : qaanto a 1' questao, que,
a vista da lispjsicao do art. 29 da lei n. 2,033 de
20 de setembro de 1871, segundo a qua) a pronun-
cia suspende o exercicio das fanecdes publicas,
u fora de duvida que o eleitor pronunciado nao
pode fazer parte do referido conselho; 2* que, nos
termos do mesmo artigo, podendo ser eleito verea-
dor o cidadao pronunciado, nada ha que obste a
que se Ihe defira o respectivo jurameuto, visto ser
este nma solemnidade que nio importa o inline-
Jiato exercicio
Deus guarde a V. Exc Joao Alfredo Correia
At Olivtira.
Mioisterio da jiiNiica.
DECRETO N. 5423 OK 2 DE OUTUBBO DB 1873.
Usando da auiorisa.-ao conceJiJa pelo parapra-
pho unico n. 1 do art. 3* da lei n. 2,348, de la de
agosto do corrente anno, hei por bem decretar o
fcointe :
Art. anico. Os empregados das secretarias da
policia do imperio. pereeberao os vencimentos
marcadoe nas labrUas que a este acotnpanham ;
rerogidas as disposicoes era contrario.
0 Dr. Manoel Antonio Duarte do AeTedo> do

2:800/
1:8005
1:400*
8005
300
S
2
-
1:2004
1:0001
6001
6004
4'K)5
a
a
-
>
i.OOOjt
2:800a
2:0004
6004
1:2004

4:0004
8:4004
8:0004
6004
1:2004
8004
na nwsnia provincia, por crime de roubo
cBMH*ttido em maio de 1869.
ClaudiiKi Cyrino, condemnaJo em 11 do novem-
bro de 183, a peua de 12 aunos de prisao com
trabalho imposta pelo jury do termo do Valenca,
na provincia da Bahia, por crime de homicidio
^xaiuntitido a 1 da julbo Je 18J2.
yJWBma Philadelyh- Tha Jo Freit vs, eon-
do em 16 do marfo de 1^70, 4 ('iia de 4
os de prisao e multa corrosponJente a terca
do leiiipo, em virtude de decisao do jury da
,1 da lialna por crime de lentar reJuzir a
. TOiro pessoa livre, commeuido a 16 de Janeiro
Francisvo EsporidUo Rodrigues, condemnado em
11 de fevereiro do 1871, a pena de 2 annos, 4 Ine-
zes e 5 da< de pri-fio simples e multa de 12 0|0,
uelt juiz de direito da comarca de Uberaba, hoje
do Paranahyba, na provincia de Mioas-Geraes,
poj crime Jo peculato.
Manoel Jose Reboufas, condemnado cm 8 de
junho de 1866 a poua de 9 annos e 4 Inezes de
prisao siinples e multa corresiwn leule, imposta
pelo jury Ja cidade Jo Aracaty, na proviucia do
Cuara, per crime de ferimentos graves.
23:0.04
Palacio Jo Rio de Jaueiro, em 2 Ue outubro de
1873.
.l/d;i W Antonio Daarle de Azeoedo.
DBcuuro n. 5,246 db 2 de ouruaao de 1873.
UsanJo da aulorisacao concoJi.la no paragrapho
nnico n. 2 do'art. 3 da lei n. 2,348, de 23 do agos-
to do corrente anuo, hei por bem decretar que os
promotoros publicos percebam de ora em diante
os vencimentos lixados na tabella, que com este
baixa, assignada pelo Dr. Manoel Antonio Duarte
de Azcvedo, ministro e secretario de estado dos
negocios da justica, que assim o tonua enlendidu
e iaca e/ecular.
Palacio do Rio de Jaueiro, em 2 de outubro de
1873, 52" da independence e do imperio. .
Com a rubrica de Sua Magestade o lmperador.
M'tnoel Antonio Daarle de Azeved).
Prorootoras de permmbuco.
Capital..........
Olinla, Iguarassii,Pao
d'Alho, Cabo, Santc
Antiio, Nazareth e
Victoria.........
Goyanna, Itimhe, Rio
Formoso, Caraaru,
L imoeiro, B onito,
Barreiros, Pal ma
res a Urejo Ja Ma-
' dre de Dans.
Garanbons, Bom selho, Cimbres, Bui-
que, Villa Bella,) Flo-
res, Ouricury, Ta-
caratii, Cahrobo e
Boa-Vista .. .....
1:0034
8004
8004
800i
860S
4004
. .-
8001
1:W4
1:2004
1:4004
1:6'X)I
Ministerio dos uegociosda justica. Rio de Ja-
neiro, 8 #> outubro de 1873.film, e Exm. Sr.
Respond*-ndo ao olliciu dassa presiduueia, de 19
de uovemhro do anno proximo passado, em qae
V. Exc. sujeita a eonsideracao do governo iuip.!-
rial a consulta feita polo 2.* tabelfiao e escrivao
do termo do .-erp), tenho a declarar que o art. 83
do decreto n. 4o24 de 22 da noveinbro de 1871,
alias ciladt por aquelle serventuariq, resolve mui
riarameutij a duvida pruposta, determinando que
o invantarto e partilha das bens de defuntos, qae
Jeixam testa men tu sem hcrdeiros orphans ou m-
terdictos, e da competencia do jui/.o da provedo-
ria; a na falta de testameoto e de herJeiros or-
phaos on interdict >s, deve ser feito pelo iuizo
commum. Deus guarde a V. Exc. Manoel Anto-
nio Dttaile de A zerah -Sr. presidento da privin-
cia de Minas Geraes.
Bernardo Joaquim da Silva.O supplicante ii
foi posto em liberdade.
Estanislao Ferreira *h Soiwa. Enlregua ae, me-
diante recibo.
Hemiqueta Francisca de Magallk'ies. Passe
portaria por conta do miniisterio da jusii.a.
Herculano Theotonio da Silva Gujunaraes.Ao
Sr. jnii Ja Otreito da coiiRtrcr dwBeaitu pjnrhr-
formar, ouvmd > o juiz municipal do Panellas.
Jail'iulio'i Marques.Sim.
Joao Licio Marquee. Sim.
Coronel Jose Maria Ilde/onso Jaceme da
Pes.'da e MeHo, Forneca-se.
') mesmo. Tdem.
Joaquim da Silva Barbosa Sim, pagos os di-
reitos nacionaes.
Maria Joaqnina da (lonceicao. Cmcedo quiuze
dias.
Domitigos Jose da Cunha Cages. -Sim, nao lia-
veuJo inconvenieufa!.
Secretaria da presidencia dc PerDambaeo, 24 de
outubro de 1873.
O porteim.
Oil vino A. Rodriguet
Volga
INTERIOll
Hi* de Juitfiro
C DE OUTUBRO M. 1873
Com a a.-sisiencia de SS. MM. Imperiaes reali-
sarara se hontem, no Prado Flominense, as corri-
das organisadas pela sociedade Jockey-Club.
Apezar do intense calor que fazia, foi, como eapiTai^ como olle'reccra
decbbto k. 5,4:)0 dk 2 ds orrunao oe 1873.
Hei por bem decretar o seguinte :
Art. 1. Havera na comarca da capital da pro-
vincia de Pcrnambuco u.ii lugar de 2 oromotor
publico, com o venciraento annual de 1:8004000
na conformidade da tabella annexa ao decreto n.
3,426 desta data.
Art. 2. A mesma comarca sera dividida em 22
distrietos especiaes \nv\i o exercicio das altribui-
cfjes dos respectivos promotores, comprehenden-
do :
0 do primeiro promotor o ptimeiro, segundo e
terceiro distrietos criminaes, e o do segundo o
quarto, quinto e sexto.
Art.' 3.* A disposicao do artigo antecedents nao
inhibira os promotores de praticararu actos de sua
competencia em qualjuer dos distrietos iudistincta-
mente.
0 Dr. Manoel Antonio Duarte de Azevedo, do
meu conselho, ministro e secretario de estado dos
negocios da justica, assim o tenha entendido e faca
executar. Palacio do Rio de Janeiro em 2 de ou-
tubro de 1873, 52. da indepeodencia e do imperio.
Com a rubrica de sua magestade o imperador.
Manoel Antonio Duarte de Azevedo.
Por decretos de 4 do corrente foram nomea-
dos juizes municipaes c de orphaos:
0 bacharel Jose Furtado de Mendonca, do termo
da capital da provincia do Piauhy.
0 bacharel Manoel Barbosa Alves Ferreira, do
termo de S. Bento, na provincia do Maranhao.
0 bacliarel Raymundo Joao de Moraes Rego, aos
termos reunidos de Anajatuba e Mearim, na mes-
ma proviacia.
Foi reconduzldo o bacharel Jose Antonio Gomes
no lugar de juiz municipal e de orphaos do termo
de Santa Maria Magdalena, na provincia do Rio de
laneiro. -
Foram concedidas as demissoes que pediram :
0 bacharel Theotonio Raymundo de Brito, do
Ingar de 2* sapplente do 1 juiz sabstitato da cor-
te.
Fez-se morce da serventia vitalicia> dos oCQcios
para que foi provisoriamente nomeado pelo res-
pectivo presidente:
A Candido Fabricio do Espirito Snlo, dos offl-
cios de I* tabelliao e escrivao do civel, crime, ca-
pellas e residuos do termo de Areia, na proviacia
da Parahyba.
Foi commutada na pena de gales perpetuas, que
sera cumprida no presidio da Fernando de Noro-
nha, a de morte imposta aoj reos escravos Apolli-
nario e Mariano, em virtude de decisao do jury,
do termo da Parahyba do Sul, na proviacia do Rio
de Janeiro, por crime de homicidio.
Nio foram agraciados:
0 reo Cmillo Lelis do Espirito-Saato, condem-
nado em 12 de marco de 186'J, a 12 annos de pri-
sao com trabalho, em virtude da decisao do jury
do termo de Sahara, em Minas-Geraes, por crime
de homicidio commeltido a 19 de juaho de 1868.
0 reo Jose Marcellino de Souza Campos, con-
demnado em 17 de setembro de 1862, a gales per
pctuas, em virtude de decisao do jury do termo da
Villa da Barra, na provincia da Bahia, por crime
de homicidio, commeltido a 17 de outubro de
1837.
0 reo Joio Dias dos Santos, condemnado em 31
de maio de 1871, a 10 annos de prisao com traba-
lho, em virtude de decisao do jury do termo de
Alfenas, em Minas-Geraes, por crime de ferimentos
graves emmettidos em marco de 1869.
0 reo Jose Joaquim Valente. condemnado em 25
de abril de 1872, a 4 annos de prisao com traba-
lho e multa de 26 0|0 do darano eausado, em vir-
tude de Jecisio do jury do termo de Cages, em
Santa Cntharina, por crime de falsidade, commet-
tida em 1 de jnnho de 1866.
Joao Soares Luzia, condemnado em 4 de maio
de 1866. a pena de 6 annos da prisao com traba-
lho e multa de 20 OjOdo valor sobre qae versoa o
crime, em virtude da decisao do jury do termo de
Rezende, na provincia do Rio de Janeiro, por cri-
me de esrf lliouato conmattido em 27 de novem-
bro de 1864.
Jose Ferreira da Silva, condemnado em 3 de
novembro de 1870, a pena de 4 annos e 6 mazes
de gales e malta de 12 Ir2 0|0 do valor rcabado,
em virtude de decisao do jury Jo termo de Barta-
3.* seccao Ministerio dos negocios da justica.
Rio de Janeiro 8 de outubro de 1873.Em officio
n. 303 4e 14 de junho ultimo, V. S. consulloa se
e curial. a vista das conveucpes coasulares e da
circular do ministerio dos negocios estraogeiros
do 22 de junho de 1868, a pratica dc se remette-
rem aos respectivos oonsules os eatrangeiros pre*
soe cnrreceionalinente, da qual eotretanto nenhum
resuJudo se lorn couseguido ; accrescendo qua
no caso de prisao de ilesertures, alguhs consules
ou demoveram a exhibicSo dos doeumentos men-
cionalos na dita circular, ou sa liiaitafi a pedir a
aoltura e laes desertore-. Declaro, em resposta
a V. S., que ilca sem efloito a ultima parte do
aviso n. 198 de 3 de agosto de 1864, que adtorisa-
va aquella pratica, devendo de ora em diante pro-
ceder-se para com os eatrangeiros presos cortec-
cioaalmHite do mesmo moov por que se precede
com ot aaetoDaaa, dando-sc apeuas conhecimen-
U. U #risio (iu eatramteiTUS, uosvo casu, ao con-
sul dk nacao a qae pertencerem, na conformidade
do aviso da 14 de setembro de 1873. Quanto ao
procedimiuto do> consules, damorando a exhibi -
cao dos doeumentos de que trata a citada circu-
lar de 22 de junho do 1838, ou deixando de ob-
serva-la. o ministerio des negocios estrangeiros
providenciara do modo mais convenienle. Deus
guSrde a V. S. Manoel Antonio Duarte de Azeve-
do.Sr. desembargador Ludgero Goncalves da
Silva.
Ministerial !** faasenda.
Ministerio dos negocios da fazenda. Rio de Ja-
neiro, em 9 de outubro de 1873.
0 visconde do Rio Branco, presidente do tribu-
nal do thesouro nacional, declara aos Srs. inspec-
tors das thesourarias de fazenda que as quantias
provenientes do jieculio de escravos que forem re-
colhidos aos cofres das raesmas thesourarias, na
forma do art. 49 das disposicoas regnlamentares
do decreto n. 5135 da 13 da novembro de 1872,
devem veneer juros, e, portanlo, ser escripturadas
como depositor, em nome dos escravos, sob o titu-
tulo especial -Peculio o> escravos -,' pela mesma
forma por que se precede com os dinheiros de or-
phans, como dispoe o art. 55 do dito decreto ; li-
canJo os Srs. inspectores na intelligencia de que
a entrega das referidas quautias sera effectuada
em virtude de requisicao dos respectivos juizes de
orphaos.
Ministeri* da guerria.
Por decreto de 8 do corrente :
Coneedeu se ao 2." tenente aggregado a arma
de artilharia, Alfredo Joaquim Correa da Silva, a
demissao que pedio do servico do exercito.
Por portaria de 3 do dito mez :
Foi transferido do 12. para o 13. batalhao de
iafantaria o tenente Estevao Ribeiro dos Santos
Monteiro. e deste para aquelle batalhao o tenente
Severiano Ctrneiro da Silva Rego. por troea en-
tre si.
De 6 do dito mez :
Coneedeu-se troca de exercicifs aos al feres Ma-
noel Pinto da Silva e Antonio Tertuliano dos San-
tos, este quartel-mestre e aquelle da fileira, ambos
do 15. batalhao de infaataria.
Por decreto n. 5431 de 2 do corrente man-
dou-se observar novas labelias de dietas nos hos-
pitaes e enfermaiias militares.
" Ministerio da agricnltiira.
' Ministerio dos negocios da agricultura, commer-
cio e obras puhli-.as. -Rio de Janeiro, 13 de outu-
bro de 1873. S. M. o Imperador manda declarar
a Illm.i. camara municipal da corte, em resposta a
sen officio de 26 de ago portaria de 16 de junho, relativa a afericio de pe-
sos e medidas a qua o mesmo officio se refere,
deve ser cumprida nos termos da informacao dos
engenheiros da Illma. camara, comparenaose a
capacidade c peso de qua trata a mencionala por-
taria com os dos padrdes qae a camara possue,
sem atteoder a diversidade da forma, e somente
admiltindo as tolerancias estabelecidas.Jose Fer-
nandes da Costa Pertira Junior.
Por decreto de 2 do corrente foi concedida a
corapanhia Architecumica autorisacio para fune-
cionar. e foram approvados os respectivos estalu-
tos. 6 flm desta companhi.a e ediflcar predios, da-
los e recebe-los em hypotheca, comprar e vender
terrenos, abrir novas ruas e pracas, arborisa-laa e
ajardina-las na fazenda de Macaco, hoje denomi-
nada Villa Isabel, ou em outro lugar dentro dos
limites desta cidade 0 pr.ro desta corapanhia
sera de dez annos contados da data da approvacao
dos presenles estatotos, e scu capital de 1,800:0004,
constituido por 9,000 accoes de 2004 cada nma.
MIistrii d auarinha.
Por portaria de 8 do corrente foi concedida ao
Dr. Antonio Augusto Barbosa de Oliveira de-
missao do lugar de 2. eirurgiio do-corpo de saa-
de da armada, coaforme solicitor.
fteveme dn nrovincia.
bbspachos oa mesiobncu m 23 di outubro
dk 1873.
Abaixo assignados, proprietarios e moradores no
povoado do Espinheiro Informe o Sr. director
geral da instruccao publica.
Antonio Victor de Si Barreto.Junta -se.
Arminio Pessda de Albuquerque. Sim,
sempre, numerj-o o concurso de espactadores.
No I" pareo de 1.056 me Ins e 5UO4000 de pro-
raw, etiego j primeiro o Hepuhliomo, pertencente
ao Sr. Francisco Xavier da Silva Caliral, mas ve-
riQcando se que o seu cavalheiro npertara contra
a cerca o do S)litario, de conformhlade com o re-
gulamento da socieJadc foi considerado distan-
ciado o dito RepMicano e veucedor o sen com-
pel idor.
No 2, Uinbera de 1,036 metros e 7004000 do
preraio, venceu a Modista, egua alasa, do Rio da
Praia, de 6 annos de idade, proprieuade do Sr.
Francisco Manoel Monteiro.
No 3, de 1,584 metros, disputado pelo Zephyro,
de Inglaterr.i, e Guarany, do Rio do Praia, aquel-
le distanciou este, e por i.sso ganhou o preinlo de
7004, conforme fora ajustado.
0 Zephyro pertence ao Dr. Jose Calmon Noguei-
ra Valle da Gama.
No 4#, de 1,056 metros, sahio victorioso Mario,
tordiHio, de 5 annos de idade, nascido oa provin-
cia do Rio de Janeiro e propriedade do Sr. Jose
Luiz Martins. 0 premio foi uma joia offered da
pel.ts senliora?.
Nao bouve o 5 pareo, que devia ser a scgunda
prova do 1.
No 6*, de 1,584 metros, cuegou am 1 lugar o
Guarany, zaino do Rio da Praia, de 8 annos de
Guimaraes, e ganhou n premio de 5004 ; e em 2*
lugar o Gol/inho, tordilho. tanibom do Rio da Pra-
ta, de 5 annos, propriedade do Dr. Eugenio Au-
gusto de Carvaltio Menezes, a quem coube o pre-
mio de 1004-
No7, de 2,112 metros, ganhou o premio de
3004 Altila, castanho, de Montevideo, de 8 an
nos de idade, propriedade do conde de Herzberg.
Na 8 e ultimo, de 1,056 metros e 2004 de pre-
mio, sahio vencedor n Botafogo, tordilho, natural
de Entre-Rios, de 5 annos de idade, pertencente a
Antonio los6 Bizarro.
inin.il da-Snba de cams de ferroda Villa Isabel-
Da eskicao da corapanhia, na praca da Cjitsti-
tuicao, pariiKMii as 9 1(2 horas da manhi dous
bonds condunndo cerca de 6) pessoas oonvidadas
para assistiren* a experiencia, por urn dos direc-
tores da companfcia Villa Isabel, o Sr. commenda-
dor Joao Uaptisu Vianna Bruimaond. Em 45
niinutos percorfeo-se toda a finha, tendo os coo-
vidados de apear-se apenas no ponto onde se esla
construindo a ponte sobre o canal do Mangue:
alii os carros foram Nnpellidos a lorea de braros
por ei.iu dos trilhosi que ja alravessam o canal.
0 terreno da antiga fazenda e oma vasta pl.i-
nicie fechada por pequeoas elevacoes; todo alia
esta dividido em lotos e cortado por graude nomero
de ruas espacosas, por onqaanto soraonte demar
radas. Quando em cada um destes loles se er-
guer uma elegante casa, assentada era jardins e
crcada de arvores frondusas, a nossa capital
tera mais ura magnilico arrabalde, e estara-creaJa
a Villa Isabel. -
0 Sr. commendador Vianna Drummond, qae,
cm incansavel actividade, se empenha ha ja al-
gum tempo, na realisaeao desle projecto, concabeu
ullimamente a idea de ligar o fuluro arrabaldo a
eidade por uma magestosa avenida de 4,600 me-
tros de coinprimento o 180 palmos da largur.-i.
que, partindida Villa Isabel, venha em linha recta-
terminar na ponto da eompanbia, no Aterrado.
Eale ffiagnilico boulevard, que; realisado con*
forme sa projecta, sera sem duvida o primeiro
em s. u genero, arborisado c dividido de raedo-
que de seguro a facil transit., a carruagem, ca-
valleiros e pessoas a pe, nao s6 coniribuira po-
j derusameute para o aformoseamento da noss.t
a populaeao laboriosa
A loja Triumph i do Brasil. ao Valle dos Bene-
dictinos, na occasiao de empossar ante-1 ontcm a
sua nova adininisiracSo, alforriou a raenor Rosa-
ria, do 9 a 10 annos da idade.
7
0 paquete inglez Rbro, da linha de Southamp-
ton, trouxe-nos hontem felhas do Rio da Praia
ate I do corrente.
Continuavam em Buenos-Ayres as sessdes sc-
cretas do congresso, sera que por ora houvesse
transpirado o verdadeiro assumpto de que se tra-
ta/a.
A imorensa periodica perdia-se em commenta-
ries e conjecturas, que parecem ter acabado por
incommodar o governo, pois que este dirigio
aquella uma especie de communicacao, declarando
traidores a patria os que divulgassem o que se
pa>sava nas sessoes secretas. Eotretanto, a ser
exacto um telegramma de Montevideo, annuncian-
do qae a camara dos desp'utadps approvara o tra-
tado Mitre, celebrado aa Assumpcao, devemos
crer que era este ao raaoos ura dos assumptos que
se discutiam.
Coratudo o estado da repablica era assas melin-
droso para otferecer oatros topicos a discassao se-
creta do cong_resso. As poueis noticias que ha de
Entre-Rios nao permittem crer que a causa da
revolucao estivesse alii ja tao perdida e desespe-
rada como se insulcava, dizendo que Lopez Jor-
dan com a pouca gente que Ihe restava estava
apertado no meio circuto de ferro tracado pelas
tropas do governo.
Fallava-se de movimentos assas livres de corpos
revolucionarios sobre o Uruguay, obrigando ate
as furgas legaes a encerrar-se nas pracas. Alem
disto a derrota do general Vedia, embora posta
em duvida pelas folhas de Baenos-Ayres, ainda
nao fora offlcialmente desmentida, parecendo an-
tes *onflrraa-la o facto de por alguns dias se ha-
ver ignoradn ate a paragem daquelle general, a
ponto de tornar-se importante a noticia ullima-
mente reeebiJa : Vedia e o ministro da guerra
reuniram-se. Accrescenta esta mesma noticia :
Tolouie Velasquez e Guaruraba incorporatam-se
ao exercito nacional com 2,000 homens ; Lopez
Jordan esta em Obispo.
Nao era esta, porem, a unica provincia que
chamava a attencao do govern? argenlino. Sio
Sraves as noticias da Rioja, mais graves talvez as
e Mendoza. Daquella provincia annuncia um
telegramma :
< Descobrio-se contra as antoridades constitui-
das uma conspiracy dirigida por D. Juan Saa de
accordo com alguns chefas importantes. Desco-
brio-se tambeai ura piano de assassioato contra a
pessoa do .-oronel Jose Olegario Gordiila, de
quem qoerem desc^rtar-se para tornar raais facd
a revolta.
a Parece haver um vasto piano reaccionario em
que tomam parte pessoas caracterisadas do inte-
rior. Estas noticias estao confirmadas por tele-
grammas offlciaes de Cardova.
Pelo que toca a provincia de Mendoza rebentou
alii uma revolugii militar capitaneada pelo coro-
nel Segovia commandants da fronteira do sal da-
quo'Ja provincia e do 1 regimento de cavallaria de
linha.
A revoluca > tomava corpo, lendo-se tambem
SronunciaJ > por ella dous. balalooes commanda-
os por Marlinez e Racabarren com qualrocentas
pracas cada um.
Apenas a noticia ehegon a Buenos-Ayres o go-
verno rennio-se em conselho, destllaio o coronel
Segovia dos c jmmandos de que estava investido e
mindou reoolher praso e incommunicavel aa
quartel dj Retiro o general Arredondo, coma pre-
sumido autcr da revolucao de Mendoza.
Tudo isto trazia os anitnos inquietos, e tiaha
produzido baixa nos fundos publicos.
De Montevideo nio ha noticia de importdncia
poliuca,
Reallsou-se ante-hontera am passeio deex-
Ipenencia a antiga fazenda de Macaoos, ponto tor-
que se apinha nas ruas es'irc'iias da cidade da-
raote a seinaua, um aprazivel passeio- para os
domingos.
Esta larga via, que se vai rasgar por uma ex-
ti'iisa area occupada hoje por algauias clucaras,
mas era geral por terras pouco ou nada culiiva
das, dara sem duvida grande valor aos terrenos
aJjacentea, e desinvolvera aedificacao de predios,
cujo_ numero e reconhecidamente pequeno.
Nao pensanios, de cerlo, que a Villa Isabel seja
am novo Eden, onde se reunam todos os encan-
tos ; mas a idea do Sr. coraftiendador Drummond
pelas razoes que Jeixam.is rapidamente indicadas.
parece-nos digna dc anunacao.
Para levar a effeito o seu projecto, julga o Sr.
Drummond sufficiente o prazo de tres annos, e>-
pede os seguintes favores, obtidos os quaes tem-
certeza de poder levantar os capitaes indispen-
saveis :
1 Facnldade de desapropriar (pelo systema
em vigor para as estradas de ferro) os terrenos
e edilicios eemprehendidos no trarado da avenida,
e em uma area dc 100 bracas de cada lado.
2. Importa'.-ao livre de direitos. de todo o ma-
terial necessario para a consirucclo da mesma
avenida e ediOcios que devam embelleza-la.
3.* Cessa.i a corapanhia da decima urbaua,
durante 25 aunos, d<>s edilicios cooslruidos na
aveniua e nas areas laieraes ua crausuia i.
4.* I sennit i dasiza de bens de raiz nas acquisi-
cohs que fizer a corapanhia para execucao da
pianta.
5.* Os proprietarios da zona cortada pela ave-
nida, que quizerem construl-la a expensas proprias
nas suas testadas, pagarao tao (somente a cora-
panhia ir.elade da decima urbana, para ser ap-
piicada a conservacao das obras.
Estas eondicoes nao nos parecem era geral
onerosan, attendendo-se que trata-se de um benc-
licio publico. Acreditamos, por isso, que o pro-
jecto obtara dos poderes do Estado coocessSes
razoaveis e o efflcaz apoio da opiniao publica.
0 suisso Bernardo West, morador a rua de
S. Sebastiio, tentando ante-hontera por termo a
seus dias, deu no pescoco dous golpes dj canivcte,
e feno-se tainbera no ventre coin uma thesoura.
0 subdelegado respectivo tomou conhecimento
do facto e reraeiteu o infeliz suisso para a.Santa
Casa de Misericordia.
- 11 -
Tiveram lugar hontem, na presenca de S. M.
o Imperador, as provas oraes prestadas pelos
Srs. capita.) oacharel Benjamin Con-tant Botelho
de Magalhaes e 1* tenente Antiocho dos Santos
Faure, como candidates a um dos lugares vago<
de repetidor do curso superior desta escola.
- 12 -
0 paquete inglez Corcovado trouxe hontem fo-
lhas do Rio da Praia ate 7 do corrente.
0 congresso argentiuo foi prorogado ate aviar
di versos projecto* pendentes que o respectivo de-
creto indica. Tendo o seaado negado o desafora
mento do senador Orono para poder ser proces-
sado como implicalo na rebelliio de Entre-Rios,
o presidente Sarmieoto publicou ura manifesto
justitieando-se das argui.oes que no correr da
discussio se Ihes haviam dirigido, de ter feito
aquelle pedido, movido por motives pessoaes e
odientos.
Da mesma rebelliao entreriana poacas noticias
havia. Dizia-se qoe o exercito do Parana en-
cetara agora defimtivamente as suas operacoes,
sob o commando immediate do ministro da guer-
ra Gainza. Afflrmava-se tambem que o general
Vedia, longe de ter sido derrotado, derrotara elle
mesmo as foreas rebeldes de Carmello Campos,
que se haviam dispersado. Quinto a Lopez
Jordan, dizia-se ainda em Obidos com uns 5,000
homens, qne constituiam todo o sea exercito-,
alem de uma divisao de 800, comniandada pelo-
general oriental Caraballo, contra o qual. por e>ta
motive, ia proceder o governo de Montevideo.
No que sao-Concordes toJas as versoas e no
estado deploravel era que se achava a proviacia,
e no inuiio que soffria a populaeao, alternada-
raente vexada pelas duas parcialidades em luta.
armada.
Peto que respeita a revolucao de Mendoza, cons-
tava pelos ullimos telegrararaas que o respectivo
governador se achava entnncheirado na capital
com 1:200 homens e vivares para dez dias, mas
agua apenas para uma seraana, em caso de siti >.
Em sen soccorro marchava o coconel Ivanouski
com alguma tropa.
0 coronet Segovia, cabeca da revolucao, cliegara
a acampar era Carrigal, a nove leguas da capital,
mas depois ratirara sebre S. Carlos, a vinta e ciu-
co. 0 governo expedira estafatas ao forte S. Ra-
phael, com ordens para que a parte do r regi^
raenlo de hnlia, qoe alii se achava, nao obedeeesse
raais aquelle coronel, por terse rebellado.e achai-
se destituido do command >. Parece, porem, qaia
Segovia intereeptod os einissarios e conseguie in
corporar a si todo o regimento, e qae toraava a
marchar sobre a capital.
Eotretanto foi a provincia declarada em *>lad.>
de sitio. 0 general Arredomlo, porem, praso *mj
Buenos-Ayres, foi posto em liberdade, dando-se-
Ihe a cidade por meaagem.
Na Rioja continuava a trabalhar-se por (omenun
uma revolacao, quo camtudo uao coastava ainda
ter rebenUdo.
A 4 a populaeao de Buenos-Ayres assistio a um
espaotaculo ccinoso, mas terrivel. Um nayio car-
regado da petrolao incendioa-se ao aucoradouro ;
felizmep.'e ainda foi possivel rebouar a embarca-
cio a encalha-la, onde acabou de ardor sem cau-
*>.', Jamno as outras.
Na tarde de 4 sahio de Montevideo para Bue-
nos-Ayro* o Portenho, vapor da carrcira. A's 10
haras da nouie o major orieutal Vergara, qua ia a
bordo com 50 homens, qae embarcara disfarca-
daraente corao passageiros do proa, apoderou so
do vapor e navogou para am laear cluunado Pa.-
*' '- "

1
pnJ
r^

f
'A.



.Mi 3U OaHJI.iO M <& Wi/JWJfc de Pernanibuco SaUmdo. 25 de Outubro de 187S. ft jMJW.WI ./U/ <>/l!ifc
ii^
sea
!, 11 margem oriental. P.rec achar-se landm cwMente e arms* para forcar a (Franca deveria ser nun pilitica do paz
pa^sagem de Marjro.ffvcia e gahh.-if Eilro'iV.OH. een!^ic*>; nao pod*
As lanchas, p.irlfti, fflfe appareoerani, e VonaN
os pUwio.iros em ten*, segurailo
aanQK) a pur os paaeafeiros em terra,
com o yap;'" qua aeaois.aioda foi yistu em diversos
T*ontus. Em liiienos-Ayres poz-se' logo a esqiiadra
arjpsnlina em movimenlo, e o mesmo almirante
Muratori sahio a dar c*cr-ao pirata. Era Monte-
video tamtam se arffcram navii,.*^ ;ra o mesmo
-elfeito, mas ate a tllni'i lion .nilguem-aajiia o
qua fora feilo de rtxHnh >. .v .
Vergara foi desttoiido do posto pelo governo
oriental.
Rociwieea am no Rio da Prat a as piarentenas
para sis proi edencias do Brasil.
O CiJiwpuiio trouxe de Valparaiso aguus passa-
getros do Patagonia e entra elles o Sir. Dr. Eduar-
d> Callado, nosso enearregado da negocios no
Equador.
Reuairam-se antc-hontem os accionistas da com-
pannia Brasileira de seguros de vida, em liquidi-
cao, em assemblea geral extraordinaria, para Ihes
.s'.rem apres mtados o relatorio e contas da respeJ
tiva comnri|Un liquidante.
Coniparecsrain 22 accionistas, rspresentando
3:2J0 accoes, sendo a sessao presilida pelo Sr.
Barlo de Paquota.
Postos em discussao o relatorio c contas, foi a
mesa a seguinle pioposta, que f>i approvada por
unanimedade, menos o art. 3.*, contra o qiial votou
um aocionista :
G's abaixo assignados, accionistas da corona-
nhia Wrasileira de Seguros de Vila, em lijuidacaa,
projwem :
l. Qae sejam approvadas as contas apresen-
talas pela c:immis JoaoNepomuceno de S.i, Joaquim da Co^ta Kama-
iho Oriigio e Eduardo R. Cardoso dt Lemos.
> Que a mesiiia commissao so d6 urn volo
de louvor e reconhecimento pelo zelo e dedicaeao
eo:n quo couseguio terminar a liquidac.10 a sen
cargo.
3.* Que em compensacao do tr.it*lho que te
we a commissao. Hie sejam abonados 5 O/O do capi-
tal liquidado, para serein divididos outre si.
-i 4- Quo do liquido que Bear se f.ica immedia-
fa disiribui'.fio aos accionistav
< Em reo liao dos aeeionistas da C. B. S. de vi-
da, HI de outubro de 4873.
Mannel alg.i>!o Zenha.-Barao de Mesquita.
Uarao do Rio Negro.Jjse Pereira Soaros.Joa-
q:iim da Roclia I.eao.-'Viseondo de Tocantins.
i*tt Franeiseo Alves Malveiro.J. A. Alve3 de
Osrvallio 4 '!Alexandre de Balmar.
e de con
i>oderi:i\U'ixar de serassim, ap(*M
x ultramontau.:. cm present da
attitude das grandes pot.m-ias d i ccntro da Earo-
pa : a carta de I8ii pudcria taWez convir *im
algumas modifirai-oes accommoJadis as circumsj
tancias actuaes ; sobre a questao do sufTragio uni-
versal e da deseentralisai'ao, o conde de Cuam-
bord tern ideas que ditBcilmente abandoaara, mas
<\:vi nao julgoa a propositu desenvolvcr ; tambeiQ
nao deu.a sua opiniao sobre a quest*-* lao jmpor-
taQtada bandeira, deixando porem eatrevcr qaq
ellejiao ignonva. qae a monarchia so podia to-
zer-se pela assemblea actual t que esla as^emblea
nao consentiria em abandonar as tres cores.
Destas declaraciies nada se podia tSrar de deci-
sivo, porque ainda 6 prcciso contarcom o capitu-
lo dos S'lbentendidot.
Ha p iis, uma inrerteza qne *e fara prolongar o
mais tempo que for uossivel, apesar dos'detestaveis
effeitos que ella pode trazer para a pro*peridade
puhliea*. e pira o repouso da Franca.
Os Srs. Merveilleux e de Sugny a saa volta a
i'ran^a, ttveram uma renniSo em asa do duque
de Decazes e decidiram convocar antes de 5 de
novembro uma assemblea, bastante numerosa, dos
adberentes a restauracao para determinarem o
piano de campanha quedorem tentar pHa ahertu-
ra dos trabalbos da representaeao national.
Indieam-se dous pianos:
1. Os chefes do partido combinariam em ama
cspecie de .ronstitnicao analoga a carta de 1811,
com a bandeira tricolor, e submetteriam a sua
obra a apreciacao do parlamcnto do preten-
ilente.
2. Proclama.ao pura e simples da monarebia,
antes de tudo e sem condijoes. Depois o rei e a
assemblea fariam juntas a constituicao e as leis
organicas. Uma deputajao de cinco membros iria
a 2" qninzooa de outubro fazer ao
teiegrapliaram na
sens rc Henriqnc Smith Martin, natural de Pernambu-
t, de 11 annos de idade, era guarda-livros de
Dingo de Seuza Aranjo.
Havia algum tempo que sens cinnanhoiros no-
tavam netle pmfunda tristeza, sem quo, entretao-
to, pode-sem descobrir o que a motivava. Ante-
nontem, a mesa dojantar, disse Henrique a urn
eaixeiro que era aquella a ultima vez quo romia,
7>ltra.;e que nao foi toinada ao serio.
A' n tile dirigio se elle pars a casa de sell amn,
a rua do Mattoso, o cnciistando.se ao portao de
ntrada disparou na eaheea um tiro de revolver,
i-aliind i mono.
Em-oniroi'.-se em sen pod :r um bilhete sssim
eonrebido: Peco perdao a Deus e aos homens
pats o aclo q je vou commetler.
0 snbdelegado da fregoezia do KngcnhuVelho
v.rw m conbecimento do facto.
13 -
Eiitron limlem em nosso porto o vipor argenti-
i: > P6, proeedenttf de Genova e eseala*.
Ourante a viagem do P
wioiera e ouiras mole.-tias 19 passageiros e nm
!ti;,.i!arte, e adoeo'-ram li pnssagetrOS, que, di-
.:ni m, achamseem favoraveis condicSes.
.) P6 condiH tjfXi passageiros, sendo 2 para n
Hio ds Janeiro. Ficon de'olr*a;So e fundead"
etd fr-nie do Saeeo da Jurujuba.
Ante hontem, as 9 boras da manhfi, o trem da
-'na, entre as estaeoes de Sanl'Anna e da BUrra,
it. ->Haifa de ferro de Pedro II, esniagou uma
i: .!n e nnlher.
Nao jodemos obter informacoes sobre este la-
oientavel facto, e natural, porem, que o Sr. dlred-
iir desla esirada tenha procedido as necejsarias
mSagaeSes e conheca os pormenores. bem eomo
s-e liouve negligencia de algnem, e qual o cjlpado.
Vitii-iaiiios ha dias que o snisso BernaVJo Ven-
1irch tintara suieidar-se ferindo-se nopescococom
ions golpes de canivete, e no ventre com uma
dia para ser ourado, o infeliz levon a reabsajao
.- sens inlenlos, precipitando-se antc-hontem a
ii vt- d.- uma jauella da 2." enfermaria do mesmo
Iwsiiiul a ru\; falleceu iastantaneamente.
- li -
An'.e honlcm (dia anniversario do descohrimen-
iit do Novo Vlundo, do nitalicio do imperador D.
Pedro I e le ma aedamaeao) teve lugara posse
da nova diiei toria da sueiedade 'Cemmemorativa
da Indepeadcncia do Imperio, eleita para funccio
nr duraiite o anno social de 1873 a 1874, aelian-
dc-^e present} grande numero de seeios e convi-
dados. A sessiio foi presidida pelo Sr. aiferes Ame-
rieo (Jambija, scrvindo de secretario o Sr. Bene-
dicla Bueno.
Ante hontem (2) em virtudc do oflleio do con-
- il de S. M. Brifanlsa ao Sr. Dr. chefe dc policia,
pedindo providencias para que fosse who o ca-
pitao da gatcra ingleza Emily Aujusta, cuja
marinhagem se havia revoltaao e posto a ferro
a bordo o rcferido capilio, foram expedidas as
necessa-ias ordens ao chefe da estacSo naval
do 2. district*, aflm de prestar ao capilao Braga,
cmnnaii lantf da compauhia de urbaoos, ineuin-
bido de tal di.'igencia, as praeas de que necessitas-
se para effect ia-la.
Achanlo-se a referida galera nas proximidades
da costa do Mar Grande, onde fundeon na manna
de 30 do passado, alii chegou o dito capilao as C
boras da larde em nm cscaler do encouracado
fleroal, com dez pragas da m^rinhagem deste, e
am in'erpetro que o a>-ompanhou.
Foi intimado o piloto da galera para por ordem
do Dr. chefe de policia entregar o capitao, que se
achava a ferios, e sendo entrcgues" nio so este
mas tanibem um outro piloto, ainda algemados,
foram apresentados ao con-til.
Segnndo n )s consta, o mesmo consul trata de
syadfear desse facto criminoso para s.erem devi-
damente punidos os amotinadores.
DUlUODEPERiVlMBUOU
RCCfFE, 25 DE OUTUBRO DE 1873.
\:.| ieius (la Europ .
Amanheceu hontem em nosso porto o vapor
francez Henri IV, proeedento do Havre por Lisbiia,
jin datas ate 8 do uorrente as 8 horas da manna.
Uos joniaes e carias colhemos o seguinle :
INOLATF.tmA.
Houvi em 1 louvres uma eleicao de um deputado.
Havia luu de partidos, e ligava-se uma certa im-
portiacia ao rssultado desta eleicao,. por isso que
nos ultimos tempos todas as eleicdes parciaes tern
cbegado a refurcar o partido lory na camara dos
eommuDs.
O Sr. liarnett, candidato do partido conservador
lory, obteve 1,H5 votos contra o Sr. Forbes canai-
dato do partido liberal.
Nas eleifoes anteriores o mtsmo Sr. Barnett,
perdera a eleigao contra a Sr. Georges Jessel, can-
didato liberal, por 94 votos ; lioje o Sr. Barn-tt
vence o seu adversario por 330 vutos.
Co-re em certos circulos o boato de quo o
Sr. Gladstone >su d3Cididj a recorrer a umas elei-
cdet genes.
Pareen que ha dois motivos fortes em pnmeiro
lugar tea precano estado de saiide e o seu dese-
jo de descanc ir; em 2' lugar as dur.s ultimas
d-MTotas eleiluraes que soffreu io sea partido, em
ilouvres e em Renfrenshire.
A'li.un i-s>: que se os liheraes perdercmas elei
<>e.s pelo ciieiiio de Bath, que se deu proxima-
mente, o gove.ho inglez nao hesitara em provo-
ear uma ense i|ue trouxesse comsigo a dissoluti.
da camara dos coramuns ea reunjao immediata
dos coiuiisios eleitoraes.
O vapor liespanhul ilurillo, que tinha sido
accn-ado de tor mettido a pique o Norm-fleet, aca-
iia de sac detido em Douvies, apesar da absoltri-
<}ao qua linha jeeebido nos tribunaes do Cadiz.
Nao taidara see transportado a Londres., on-
da se instruira novo processo.
0 eapiiiu que aciualmeste o commands, nab e
o mesmo qua o commandava nor occasilo do si-
n:stro. .
PBAHQA.
0 Kine.1 reecoeu-do i'ari-> am tukgiamnn iu-
tiiTessatrte sobre a entrevista do dous daputados do
caniro di i-cito, os Srs..: lfcrveilletix a da Sugny,
com oitoude do Charalxird. '
Segundjo dcapaeba, o conde deChiunbord pro-
tsloB contra dittas intencdes nue lha aaviara si-
4o attnboidas e teria promeitido concesiiies, sem
durant
conde de Charabord propostas definitivas, e a mo
cSo de ordem relativa ao chamamento do conde
ile Chambord, seria apresentada na assemblea na-
cional logo na abcrttrra das so as se*s5es.
Os jornaes republicanos, narrando estes pianos,
mostram-se cada vez mais scepticos e rr
betelros.
0 Rippel, 0 Siecle, 0 Soir e a Rtpnbhqu* Fran-
riise mo'tram se incr.'dulos nos resultados dos
trabalhos dos monarchists ; tolas as informa^cs
dos diiTerentes departamenlos mostram que 0 povo
dos campos ainda esta menos disposto qae 0 povo
das cidades a deixarse impor 0 plho do milagre;
ao priheipio, este aeolheu a id6as de re-tauracaj
com desdem c hoje a irritacAo comeca a misturar-
se e nao pre;agia nada de bom para 0 porvir da
monarebia de Henrique V, se por acaso hoavesse
em Versailles uma maioria de tal modo insensata
que a proclamasse.
0 Avenir National acaba de pablicar a pro-
posta de um paclo de allian;a entrc 0 partido
bonapartista, e o partido republicano, commn-
nicanlo-a ao principo Napoleao que a ascit >u, of-
fc-recendo .i democracia o aaxilio da sua cspada.
Nerr 0 partido republicaiu, nem 0 partido bona-
partista cslao por ora resolvidas a ratilicar a pro-
posla coma se deduz dos artigos do Pays e-da Re-
publique Fiangaiu ; mas como os republicanos e
os bonipartisUs teem um inimigo commnm,os
Bourbons, ii do prever que embora com fin. di ver-
sus, 0 cada qual por seu lado 0 combatam desa-
piedadamente.
ITALI-.
Os p.-oprios jornaes clericacs da Bedim sao obri-
gados a reconhecer 0 aeolhimento enthusiastieo
qns a poputacao d'aquella cidade faz 30 rei Victor
Manoel; as demonstrates publicas sio tanta mais
vivas, quanto rocordagao alguma do passado, vcm
esfriar a expansao do sentimento pnblico.
Victor Manoel, representa como 0 imperador
Guilherm aos olhos da Allemanha um principio
identico e solidario ; a unidade da Italia e a uni-
dade da Aliemaiiha.
- 0 imperador da Allcmanha nomeou 0 rei
da Italia chefe deem regimento de cavallaria 0
ivi Victor Manoe! foi tambem nomeado chefe de
Um regimento de infaitaria do impcrio anstro
hungaro.
A f .Ilia ministerial, a Cnrrespindencia Pro-
rinciul, liga a visita real considerap5es politicas
ovidenternenle autorisadas.
4 A Italia e a Allemanh3, diz 0 jornal de Ber-
lim, teem interesses coramuns, porque teem ini-
migos communs ; sio alliadas de facto, ainda
quando um tratado nao consagrasse a sna al
Iianc3.
t Seria arriscar uma supposicao esperar osti-
pulagSes escriplas, estas s6.se lazem quando a at
.._,s. j -i...r... j0 actidQu euroueus estaac-
eonlada, quando ha um peri.io posfuvo eimme-
dial).
u Todos conhecem os projectos do par:ido hoje
dmninante em Franca ; houve bastante improden-
cia para os assoalharcom uma ligeireza pueril.
Neste momento, 0 conde de Chambord, ainda
nao 6 rei de Franca ; e se 0 fosse, nao teria o exer-
cito que Ibe seria necessario para daclarar a cuer-
ra a Europa.
A situacao e tal que os esta dos ameacados
tern toda a razao para se prepararem e estarem
vigilantes ; mas ainda esta longe 0 tempo em qne
um ou outro destes eslados teria que receiar uma
cruzada franco-romana.
0 rei Victor Manoel sahio no dia 26 de Ber
lim, parliudo directamente para a Italia, chegando
a Turim n> dia 29.
No dia 25 0 principe de Bismark teve uma lar-
fa conferencia com os Srs. Minghetti e Visconti-
enosta ; em que certamente se^tratou de couza
mais importanle do que de bailes, cacadas, revis-
tas e festejos.
0 conde de Armin embaixador allemao em Ver
sailles antecipou 0 sou regresso e ja se acha no
seu posto.
IIOLLANDA.
Xa segnnda camara dos Paizes-Baixos, 0 Sr.
Viin-Lynden para justiocnr 0 mallogro das tenta
tivas q'uc tinha feito para constituir um gabinete
entre os membros do seu partido, queixou-se de
terem zombado delle.
Nao se comprehende bem, se elle se quiz refe-
rir ao ministerio demissionario, se a cainarilha on
se a ambos.
0 miuistro da jusli>;a, fallando em nome de seus
collegas, declarou que 0 ministerio se nao limita-
ria a administrar 0 paiz, como se tern dito ; mas
que ertavara resolvidos a proseguir na applicacao
dos principios politicos que elles representam ; e
que brevemente apresentariam varios projectos de
lei ; sendo que os primeiros seriam sobre a re-
formajudiciaria e sobre a defeza do territorio ; c
que depois toncionavam apresantar a lei sobre a
reforina eleitoral.
SU1SSA.
As camaras federaes fecharam a segunda parte
da sessao xeservada uni^ameme a questao dos ca
niiuhos de ferro.
Reunir-se liao de novo a 3 de novembro para
discutir a rcvisao da constituicao.
A penullima rcuniao do conselho nacional to-
mou um caracter politico ; 0 conselho tinha que
se pronunciar sobre a interpellacao dos deputa-
dos catholicos, rolativa a uma proclamacao do
conselho federal, ordenando um dia de oracoes e
de aceoes de gra^aj.
0 partido ullramontano t'nha julgado que este
documento continha expressoe- offensivas para as
suas cren';as e perigosas para a manutengao do
socego publico.
O vice-presidento federal c muitos deputados
fedcraes demonstiaram a legalidade da attitude
tomada pelo go/erno, e 0 inci.lento foi declarado
lerminauo sem outrasconsequencias.
ALLK.MASIIA.
A questao dos arranloa e combinacdes ultimas
entre a coroa da Prussia e us agnates da casa
eleitoral de Hesse, esta quasi sc tornando uma
causa celebre.
0 e'otor intervem pessoalmente neste debate, a
(|ue pela sua transacgao com a Prussia, parecia
dever conservarse eslranho.
N'uina carta datada do seu dominio de Herowitz,
na Austria, 0 publicada peld Cusseler Anzeiger, 0
cleitor deplora que a honra de sua
|un viagem pela Europa.
Os ministros estralgnrc
^.vdeotii*-!!*** venio*.
- 0 Ini'ailont-! doniincipe Milan jsia tefOMna
do, gracas as expKcaV'":- mais sati>factoria5 iW-i
bidas de Vknoa.
0 governo austro-hungaro declara que nunca
teve inten;3ode deseonheieros dnvilos suzerains
do sultao sohflBrviaMda a. -espeito to-
da a quali hifQesa'.isJtafles a Sablime I'orta..
O priaci:.a foi nnvbluo, coMtiVMin-aersonagem
de distinciao, e nao como 0 ohefe de um estado
Independen'ia,, JPsim como- se p5'de deduzirdo ce-
remonial ifiie se sogulo neslas circainsuncia*.
Alem disw, para melhor estaTJWecer esta pa-
queua diflerenca, 0 imperador Praueisco Jose ti-
nia tido o cuidado de Convidar o embaixador da
Turquia para o jant.ii- offarecido ao prfneipe Mi-
lan ; S. M. Imperial tem-muita pena de qaeCi-
bouli-pacba, que por essa occasiao ostava no cam-
po, lives Ale u;u certo pooto as formulas foram obser-
vadas, c o'govenn austro-hangaro nio jtrtga tef
feito eowsa alguma que podesse oifender a digoi-
dade de S. M. oltoiaana, m r
Por outro lade a Sublime Porta, com as*uas
reclamacoes tinha unicamente em vista mostrar
que vigia na manuteaclo dos sens direitos de su-
zerania sobre a Servia, e que esta sempre promp-
ta a defende-los'quando os jnrgar amecados, eas-
sim coaslderou-sa satisfeiU eom as explicac5es do
conde de Andmsy.
A reuuiiio da commissao internacional para
0 negocio do canal de Suez foi adhda pra ,0
de outubro por nao poderem achar-se em Cons-
lantiuopla antes daquella data ; alein dissojul-
gou-se conveniente convidar alem das grandes
potencias, todos 03-peqtienos eslados que teem
uma marinli 1 meri-an'e a fazerem-se representar
no ;eio deste consiHho especial.
IIKSPASHA.
Sobre esle paiz escreve nosso corresponderrte de
Ushda :
absorulos, ontinua era Hcspanha a sna obra de
rojonstituicio sem se deixar det?r pelos elamo-
ies daquelles qne 0 accusam de tratr a repnnli-
ca para salvar a liberdade.
Chamou novamente ao servico ofD^iaes qtfe
tinham delle sido dosviados por serem progres-
sistas ou isabelist'as ; destiluio ontros qtte davam
as tnrpas 0 exemplo da indi-cipltna ; reerganisoa
0 eorpo de artilharia com grande sati'facao dos
interessadns, que Hie dirigiraiu seus* ngradeeimen-
tos ; prohibio aos militares de qualquer gradua-
cao "discntirem pela imprensa os assumplos de
servico ; n'uma palavra, nada despreza do que po-
do restituir a Hespanha as forcas necessarias para
t-Tiiiinar com o carlismo.
' Os carlista*; que tinham fundado grandes es-
per.1n5.1s nas suas operacfjes contra TVIosa, onde
tinh un enccrrado Loma, nao as poderatt levar a
lim.
t Moriones pode livrar 0 seu lugar lenente.
Este resultado deve sot acolhido nas provincias
de Noroeste, com grande avidez, por iss que ha-
via alii viva e justiiicada inqnietacao.
0 governo inglez entregon ao governo hes-
panhol as dins fragatas qiie haviam ^do toma-
d.is aos insurgentes por am navio de guerra al-
lemio. As fragatas vjo ja para Carlhagena para
impedirem qnalquer.sorlida dos insurgentes.
Quanto aos intransigentes. a sua sitnacio 6 aj_
peior possivel : Carthagena e e seu nltimo reeurso,
e julgase qne Ihes nao sera possivel aranter-se
naqneila cidade por mais tempo.
0 Impartial annuncia que diante da attitude
tomada pela csqnadra ingleza, os navios insurgi-
dos que tinham bombardeado durante algumas
horas Alicante, haviam sahido do pcrto ; e que
Cmtrcras e osf-ens associados estio fatigadostla
luta, e despjariam subinetterse, se podessem es-
capar ao castigo qae mcreceram.
Os navio? que tinham entrado_ em Cartha-
gena, dopois da sua volta de Alicante, nao tore-]
ce;n em estado de fazer novas expedicoes Bra,"
em consequench" da recusa' dos machinistas em
continnarem no seu servico.
a 0 governo espera rennir dentro em-poaco
os recur^os linaieeiros consideraveis para conti-
nuar com rigor a luta contra os carlistas c contra
os intransigent."1,
t A esqirerda radical das cortes de Hespanha
publicou o seu manifesto contra a snspensao das
se.-sPjs desta a?emblea ; 0 protesto tern 69 as-
si^jnaturas ; segnndo se afflan^a, este documento
nao produzio grande eommocao.
Apesar da suspensaodas g3rantias constitu-
cionacs,, 0 governo hespanhnl nega a intknejio
quo se Ihe ^nribue de querer supprimir a #Der-
dade de que goza a imprensa desue a revolncao
de. 186S; relativamente a esle respeito reduz-se
a suspensJo a qnatro pantos, claramente indica
dos em uma circular que o ministro do interior
acaba de transmittir, pelo telegrapho, aos g(iver-
nadores das provincial, qne foi publicada depois
pelo Jornal Official.
t Estes qnatro pontos sao : exeitacao a rebel-
liiln ; .1 defe-a dos insurgentes em armas contra o
poder ; noticias da iosurreicio, nio communica-
das por via official; noticias sobre os movimentos
que devem oxecntar os soldados da republica.
0 ministro esta resolvido a pedir aos gover-
nadores uma conta severa de todos os ahaws de
poder ; ou de excesso de zelo quo os levasse
a persegnir os jornaes, ou a prohibir a sua cir-
cularao, fura destes casos claramente flxados.
Dentro desles liniiies as restricc6?s uaoserao
inrommodas para pessoa alguma, a nao ser para
os jornaes carlistas qua nao poderao continuar a
dar noiicias phantatiscas.
As notic-as do norta de Hespanha sao bas-
tan'e satisfactorias: Moriones, depois de ler con-
seguido soccorrer |e libertar Loma em Tolosa, con-
segaio uma segnnda victoria sobre os carlistas na
Navarra.
N'a C^talunha, 0 brigadeiro Cagnas conseguio
fornecer de viveres a cidade de Berga, depois de
dous combates fehzi-s em Gironella e em Cisera.
Afflrma-se que Saballs entrou em Franca.
Publicou a folha ofncial de Madrid uma lei
de impostos extraordinarioe parafazar face as nr-
gencias da guerra 0 occorrer a triste situaci) do
thesouro. Esta loi fm decreuda pelo governo no
uso da autorisaciio ampla que lha foi dada pela
assemblea naoional, para resolver a questao de fa-
zenda ou por meio de impostos ou pela negociacao
de nm emprestimo.
A nova lei estabelece um imposto extraordi-
nary e transitorio, que so denominara de carga e
policia naval, sobre todos os productos exporta-
dos pelas alfandegas hespanholas.
Este imposto sera :
De o 0/0 ad valorem, para os productos ex-
portados para 0 estrangeiro;
De 2 0/0 do valor, para todos os generos des-
tinados as provincias nllramarinas e possessaes
do nltramar;
De i 0/0, para as mercadorias traosportadas
por mar, d'uns para outros portos da peninsula e
ilhas aajacentes.
t Este imposto eomecara a vigorar no t. de
novembro do anno actual. Crea-se em cada porto
onde existir alfandega principal, uma commissSo
para declarar 0 valor dos productos sobre qua ha
de recair 0 imposto. Esta commissao formulari
11 na taliella do avaliacoes de productos quo sera
snbmettida ao ministro da fazenda.
a Crea-se tambem, um imposto transitorio Je
sello, re present ado por esUmpilbas de 5 e 10 cen-
tecimts de peceta que se denominara imposto de
guerra.
u Todas as carias ou massos expedidos para
qualquer ponto da peninsula, ill as adjaeentas ou
ultramar devem tar aflixada uma estampilba de 5
centecimos. .
Ficam sujeitos ao imposto de 10 centecimos"
de peceta : .
As frajcoes dos biihetes da loteria nacional*
os biihetes de nfas de todas as qualidades ;
f Os biihetes d'espectacnlos publicos .juando 0
custo do cada am chegne a dnas pecetas ou exce-
da ease preoo ;
Os cartazes ou annnncios de qnalquer especie
que foram affix ados em lugares publicos;
Os biihetes de transports de viajantes a mer-
0 preco
r*M*t
dc 75 peeetas ;
0tulos de propriedades de mtna5;
t As p.U entes de inven^-ao ;
" A* cedillas'do residen.-ia ;
Os lilulos de contratos fcltoa. pelos cone-
lores :
- As folhas dos livros de registr dos agentes de
cambio, corretores, interpretes de navios, capitaes
sobre-cargas. e bem assiin a> lolhas dos ires livros
de coDtabilidade dos mgocianles ;
u As cont Hi.i'i rentes dos baocos e cstabeleei*
mantos do creditu.
E umbem creado um imposto transitorio e
extraordioarlo sibre os pr.,*' tos liquidos la in-
dustria mineira, da seguinle lorma;
Tres pilf.eento do produclo liqaido das mina's
de ferro ehulha ;
Cinco por cento do produclo liqaido das
outras ininas.
c E' ereado um imposto transitorio-sobre'os or-
gamentos municipaes, que constant do 5 0/0 da
receita das mumcipalidades e sera pago por ellas
aos trimestres. ricam os 'municipios'. autorisadas
a adgmeritar a quota aos conlribuintes com a im-
poruncia deste imposto.
Sao creadostambem impostos sobre as ear-
run gens de Inxo, e sobre as portas e janellas.
POBTUOAL.
Em 8 do eorrente, as 8 horas da manna, es-
creve nosso correspondente de Lisboa :
A novidadc do dia tern sido 0 perigo de que
ha poucos dias escapou milagro-amente S. M a
rainha e os sens inleressantes nlbinhos D. Carlos
e D. Alfonso. Tinha ido a intrepida senhora com
os meninos, as damas de servico e. 0 viscondc de
Mossam^des para os sitios da Borta do Inferno,
tenebrosa furna para alem de casiaes onde as
,ondas, ao mais rijo sopro do sul, csbrarejam fu-
riosas. Acompanhava a S. M. e altezas no seu
.arriscado passeio 0 pobre pharoleiro da Guia. Anto-
nio de Almeida Neves, deqnemum lance de co-
ragem e tambem de fortona fizeram um heroe.
t Pfaquella torde (2 do eorrente) notara elle a
couveniencia de encuriarem a digressao, ja por
fazer muifo mar, ja porque a agua crescia com as
sombri sa rapiiez.
< Na volta a fraga escarpada que da ingresso
para 11 sitio deunuiiiiado Funteda Guia e ao pas-
sarem junu de um pego que a furia do Oceano
'cavou na rocha e que. tern dous metros de fundo
aprox'inadameate, uma onda arrebenlou envol-
vendo os prinpipes que vin1 am, como criaucas, a
alguma distancia de sna conalernada mii.
t Nesse momenta saa raagestade a raiuha avan-
,cou resolutamente para 0 pego e 0 pharoleiro ex-
clamou : a Nao entre vossa magestade n'agua qne
eu salvo os prineipes. 1 Mas ao tempo de se dei-
tar a nado, sua magestade entrou no pego. 0
pliaroloiro conseguindo logoalcancar um dos prin-
cipes, entregou-o nos bracos de sua magestade, e
segurando 0 outro, ia po-lo a salvo, quando uma
onda impeluosa os cobrio a todos, fazendo-os retro-
gradar.
< Como em consequencia deste abalo S. M. a
rainha per Jesse 0 pe, para que a agua nao a suf-
focasse, foi-lhe necessario sustenta la a torn d'a-
gua segura pelos restidos. E tudo rapidamenle, que no momento era que outra on-
da ia quebrar-se no pego, estavam todos ja fora
doperig". -
Segundo conta 0 proprio pharoleiro, que teve
a gloria de salvar a real familia, S. Si. mostron a
maior energia e presenca de espirilo e cuidando
unicamente da salvacao de sens filhos, os quaes
nao siltaram sequer nm grito ou uma queixa.
c F6ra do pego^ontra scena n5o menos afllicti-
va se passava"
t 0 viseonde de Mossamedes, gritando para que
soc^orressem S. M. e os principes, vio se obrigado
por vir mais distante, a acudir a Sra. D. Gabriella
de Souza Coatinho, dama de S. M., que em outro
pego era colhida pelo mar e a Sra. D Thereza de
Mascarenhas, dama dos meninos, qne se achava at
terrada.
' Chegados ao came da rocha, sui magestade
envolveu-se no cabrejao qne tinha no trem, e guioa
esta para 0 palacio. N'ontro trem entraram os
principes e as damas, send 1 a Sra. 0. Gabriella
conduzida em bracos por ter desmaiado.
0 pharoleiro Antonio de Almeida Neves, nao
aceitou a conducclo em trem que Iho foi offered-
da. a seguio correado para o seu pharol, porque
era 111 horas de ir accende-lo.
Momentos depois, por ordem de S M. a rainha
que a nonra de sua casa se te
nha tornado objecto de um raercado vergenhoso.
Como chefe de sua c i-a, declara nullas, a co.
mo nau feitas todas as negociacoes a transaccfles cadorias por mar on por terra, qundo
quo um principe de sua casa, sem elle 0 saber, e excedar da 2-t pecetas ;
contra a sua vontade, com 0 governo de facto da
Hesse eleitoral ; > e diz que ealende de sea de-
ver conservar intacta aos berdeiros nascidos e
pua nascer da casa da Hesse a 9ua heraaea ina-
ienavel. n
Uma folha de GasseJ, Noticim de Hesse, vai ate
.-listentar quo pela irausaecao de qua sa trata, os
principes agnates se tornaram culpados de falonia
e tei iam incorrido ipso faeto, na pena de csbu-
Ihamento de todos os seus direitos a successio e
ao patrimonio da casa de Hesse :
Daqui ate a morte do eleiior, diz aquella fo-
Ihi, as duas paries conlr tunes verSo ajpda bas-
tautes mudaucaspela voniade da Deus. >
ORIBNTE.
0 shah da Persia reoaiwu no dia 23 de setera-
ro, em audiancia sqlemne, 0 corpo diplomatico, e
t> isse que conservaria uma impressao profunda da
As matriculas feitas nos estabelecimentos
scientiflcos ou litterarios, tanto publicos como par
lieul ires;
1 Cada uma das folhas de papel em que se fizer
a iniimacao p: ra pagamento das maltas impostas
pelos municipios;
__ Cada uma das folhas de papel sellado, obriga-
cpes de bens nacionaes, ou lilulos de pagamento
ao estado ;
1 Os lilulos de operacfes da batu;
< Os raaatieaiQSV dacbraeoai ragjstros feitos
ou expedidos nas alfandegas ;
Os documentos' ile pagamantos feitos pefo
tbasonro^ ^
a Os valles de gir> munodo thesouro;
0- reclbos dfc-maH-* W pecelas passados
entre particaSares; :
c As contas, facturas, ouja imporlancia exeeda
foi chamado ao palacio (de Caceaes) onda lhe ser-
viram bebidas quenles e vioho do Porto, do que
levou uma garrafa para 0 pharol.
c Perguptando-se lhe sa queria mais alguma
cousa, pedio licenca para vir .a Lisboa, aflm de
abracar sua mii e contar-lhe 0 succedido
SUa mag gar um trem que 0 trouxe a capital. Eram 2 ho-
ras da maqrugada.
a No dia seguible foi rccebido por el-rei queo
abi.irnii e Ihe agradeceu commovido, sendo en tao
condecorado com Q babito da Torre e Espada e
reTBbemtrro -cullar dw prata.
Quando depois de ter assistido ao Te-Deum
que se disse em acfao de gracas, foi agradecer a
sua magestade, pediolhe que Ihe eoncedesse uma
mercS que Ihe assegurasse o pio para sua velhice
Sua magestade respondeu-lho quo por emquantd
teria 134500 mensaes de pensao.
t No sabbado 4, recebeu da mao do marqnez
de Ficalho a somma de 40 libras, e hontem foi re-
cebido pelo Sr. Avelino, ministro das obrrs publi-
cas, 0 qual segundo ouri t?ncionava melhorar-lhe
a posicao, promovendo-o a algum lugar mais em
harmonia com as suas habilitacoes.
Diz-se qne lhe vJo ser offerecidas diversas
medalhas de honra.
A c-jlonta italiana vai fawr celebrar na igreja
de Nossa Senhora do Loreto, om Lisboa, um Te-
Deum em actao de gracas por ter a Providencia
Divina permittido que sua magestade e os princi-
pes nao fossem victimas. A camara de Almada e
diversas outras corporacoes tambem fazem cele-
brar ceremonias religiosas pelo mesmo piedoso mo-
livo,
Muitas pessoas de distinccio e depuiacdes di-
rigiramse logo para .aceaes a congratular-se com
suas inagestades pela fortuna de terem sahido saos
e salvos os principes c sua augusta mai de tao es-
pantoso perigo.
t Antonio de Almeida Naves, pois, 6 0 heroe des-
ta semana.
Todos 0 querem conhecer, todos se honram
de ter apertaao a mao ao desconhecido operario
de hontem.
t 0 resaltado brilhante de subscript nacional
para a consolidacao da divida fluctuanie, tem dado
margera a imprensa estrangeira para fazer os
mais lisongeiros commentarios acerca da situacao
economica e estabilidade politica de Portugal. A
imprensa impartial do paiz visinho, essa vai mais
adiante, pois compara 0 laslimoso estado a que
tem descide 0 credito hespanhol, com a situacao
prospera do nosso. for breridade omitto esias
transcripcSes, posto que muito dignas de se lerem,
para dar lugar a das pecas ofllciaes relativas ao
emprestimo, qfle 0 Diario do Governo publicou a
4 do eorrente mez.
Eis a portaria de louvor a direccao do banco
de Portugal, e outros bancos que cooperaram na
operagito mencionada :
t ^ndo presente a sua magestade el-rei a re-
presentaeao que a direccio do banco de Portugal,
em sen nome e no dos estabelecimentos e casas
bancarias encarregados da emissao do emprestimo
nacional fez subir a saa real presenca;
a Considerando qae a direccao do banco de Por-
tugal, encetando com 0 governo as negociacSe?
3uo precederam 0 emprestimo, concertando com a
irecgao do banco Lusitano as bases em qae elle
veio .1 realisar-se, e asstgnando com os outros es-
tabelecimentos e casas bancarias os contratos in-
dispensaveis para esta realisacao, se houve. a*sim
como os mencionados estabelecimentos e casas
bancarias, com raantfesta dedicacio e zelo pelos
interesses do paiz e comprovado patriotismo ;
< Ha por bem o mesmo augusto senbor mandar
daclarar a direccao do banco de Portugal que a
sua iniciativa, e a cooporacao dos outros estabele-
cimentos e casas bancarias que contrararam com
0 governo a emissao do emprestimo -nacional des-
tinado a cunsolidagao da divi la tluetuante e os ser-
vices que todos es mencionados estatalecim>-ntos e
casas bancarias, por esta occasiao prestaram ao
paiz e ao credito nacional, corre-pondendo a plena
conflanca do governo e sendo correspondidos pela
conliancja publica do modo mais significalivo, se
tornam digaos de honrosa mencao e de especial
louvor.
0 qua a mesma dfreccao do banco de Portu-
gal se communica para stta satisfacao, e para que
o faca consiar a* dwaaeSeg do3 oatros e-tabeleci-
mrates e casas bancarias, qae torn tram parte na
enissao ao emprestimo nacional. Pa;o, 3 de ou-
tubro de 1673. -Afildnio de Serpa Pimentel.
t Logo qae se'effcclde 0 rocebimen'o de 10 0|0
6> emissao do emprestimo nacional, e que o the
sburo esteja habililado com as stimmas onrrespnn-
a>ntp e bem assun eon a nota dos credores da di-
ridft ftnetuante que entraram na opera -.lo. annun-
ciar-M-h& o pagamedto aa credores'da divida
ftuctnarite, a jhTporcao qut se forem vencendo as
suas lettras.
^UiWHMfeab|u m
tem continuado as sessoes do conselho de guerra
no oastallo de S> Jorge para 0 julgMiionto dos rioi
inililares iuiplieaJos. no process j da revolla. Na
penullima apreteotoa se a testomuiiha furriel Al-
vari., faZendo declaracoej de quo hoje esta bem
longe de dar aqnillo tudo imporlancia queao prin-
cipio Ihe dera, e que aciuabnente reputa uma far-
coda. Esta expressao valau-lue .everas uuserva-
53es dos membros do conselho. 0 certo e qae ai-
tenuou e muito as suas aecusacoes aeorca tie va
rios reos que, por causa dellas, tem jazid 1 mezes e
mezes cm rigorosa erclusao. Hontem nao houve
sessao por tar participado 0 audit or que se achava
pdoente.
< 0 eabosubmarino c I'nqaanto esteja jaesta-
-belecido entre 0 coutinen'.e 0 a ilha da Madeira,
nao esta ainda aberto para a con espondencia par
ticular nem official, por nao estarem ainda eon-
cluidos al guns trabalhos indispensaveis. Para no-
vembro devera chegar a Cabo-Verde.
c Caasou a mais agradavel sensaeao nesta pra-
ca olaeto de estarem Peruambuco e 0 Para uni-
dos pelo telegrapho submarino.
Poi reformado no posto quo tinha com 0 or-
denado de 1:9JO000 annuaes 0 vice-aluiirantc
Antonio Ricardo Graca.
Foi promovido uo aoslo de vicealmLrante, 0
contra almirante viseonde de Sonres Franco.
a Foi rcmetlido ao director dos caminhos dc fer-
ro do sul e sueste copia do relatorio elaborado
pelo coronet de artilharia Jose- Viciorino Damasio
acerca do estado actual de ambos aquelles cami
nhos, ordenando-se-lhe que prosiga com a possivel
actiridade nos trabalhos-de conservacao mat's nr-
gentes no que for possivel occorrer eom a verba
que esta arbitrada no orcamenlo do estado, de-
vendo elaborar 0 or; imento das outras raparacoes
e melhoramentos indicados no citado relatorio pu-
blicado hontem no Diario do Gooerm, afim de que
se possa providenciar como for convenieute.
a Tratajo governo de supprimir 20 julgados, mas
nao 0 fara, dizera-as folhas da opposicao, emquan-
to nio se lizereni as eleifSes municipaes, porque
tem recei) dos resultados.
a Foram declarados sujos de Cholera-morbus as
portos de Liverpool e de S. Joao da Laz (Fran-
ca). 0 primeiro bastanles transtornos causa ao
nosso commercio.
As ouclusoes do relatorio da commissao que
a junta consulliva de saude pubbca elegera para
dar parecer acerca das precaucues, quer perma-
nentes, quer extraordinanas que coiivira adoplar
no ca*'o da invasao do cholera, resumem-se prin-
cipalmente no alargamenlo de quarentena, no me-
Ihoraraento das condicoes dos hospilaes, na crca-
i;ao de hospilaes barracas desliaados especialuicU-
le ao;tralamento dos cholericos e na adopjio de re-
gulameatos de policia sanitaria, que tendam a pro-
ven ir os casos da invasao.
0 parecer da commissao foi ja approvado, ra-
solvendo-se tambem quo deveria recommendar-se
ao governo a adopclo de providencias em rela;an
as ilhas, tratando-se alii da creacao de lazare-
tos.
Realisou-se ha dias em Lisboa 0 casamenlo
de uma das mais rica* lierdeiras de Portugal, a
menina Caldas com 0 Sr. Eduardo Mendia.
Chegou a Lisboa e foi levada a reparticao de
policia uma das heroinas do partido intrausigenle
de Hespanha, a qual em irajo masculmo fora
commandante de uma companhia em Cadiz. E'
esbella e muito formosa.
Bealisou-se no domingo, S do eorrente, adian-
te de Cinlra, no sitio da Granja, caminho de M.i-
fra, u:na vistosa corrida de cavallos, sendo jockeys
varios rapazes da nossa primeira sociedade. Ape
zarde amanhecer um dia de verdadeiro inverna, a
coui-urrencia para Gntra em Irens e no tramway
a vapor (Larmanjat) fui numerosissima. Oj pa-
lanques do hypudrom? estavam completamente
cheios. Assislio toda a corto, suas magestades e
Altezas, rauita geiite da mais abastada burguezia
de Lisboa e curiosos de todas as classes e feitios
possiveis. Havia milhares dc pessoas a pe em
volta do cirjo.
c As corridas comecaram antes do uma hora
da larde e suas mngestades concorreram no inter
tcrvallo da 1" para a 2" turma.
t Tomaram parte nas corridas como jockeys os
Srs. Durte Villa-Pouca, Jose Roquele, Jose do Cas
Iro, FernandesCoutinho.Tiuoco, Grant, Souza, An-
tonio Caldeira, Tavora e Antonio de Portugal.
Ganhou 0 premio de tOOiOOO 0 Sr. Antonio
de Portugal, inontaado 0 Abdd, do viseonde de
Mossamedes, marroquiito-alemtejaao do oito an-
nos.
0 Sr. Grant gsahou 0 relogio e cadeia olTere-
cidos por el-rei D. Fernando 0 Sr. Grant mon-
tava 0 Tridente, de Alter, perlencenle ao Sr. Gus-
tavo Pinto Ha.iii)!.
< Ganhou 0 premio de cera mil re is na quinta
lurma 0 Sr. Fernando Coutinbo. Moatava o seu
Argelino, ribatejano.
< Na 6.* lurma, que era a dos vencedores da
primeira e quarta lurmas, correram os Srs. Duar-
tc, Villa Pouca e Tavora, ganhando este 0 cofre de
prata olTerecidQ pela commissao de senhoras. Mon-
lava 0 Alfawaz.
t Na 7.* turma, ompjsta dos vencedores da
i", 3." e 3.*, correram Autouio Portugal e Grant.
Desistio 0 Sr. Fernando Coutinho. 0 Sr. Antonio
de Portugal ganhou 0 cavallo offerccido por SS.
MM. Percorreu 0 espaeo do 1,700 metr 'S em re-
doudo em dous minutes e quatro segundos. Mon-
tava 0 Abdd. Acabaram as corridas as 0 da larde.
A's 4 principiou a cover euormemeiite, mas as
senhoras llzeram aos elegantes jockeys a fineza dj
se nao retirar.
Houve differenles aposlas, a'gumas valiosas.
0 ultimo vencedor teve uma ovacao que nao
e possivel descrever.
Foi preso em Lisboa um tal Romao Rodri-
gues, incendiario convicto. Attribuem se Ihe di-
versos fogos por elle postos com 0 lim de rapinar,
como ja tinha feito no da travessada Palha.
t Aceitou 0 Sr. Joao Baptista Ferrao de Carva
Iho Martens 0 convite que el rei lhe flzera como
chefe de familia para 0 diflicil encargo de aio dos
principes. A escolha foi acortadissima pela illus
tracao e honradez do Sr. Martens Ferrao. Deixa
0 cargo de procurador geral da fazonda. E' mi-
nislro de estado honorario. Parece que o.Sr. Mar-
tens Ferrao trata de escolher os professores que
teem de occupar-se dos diversos ramos da ius-
truccao de SS. AA.
Nio me recordo se Ihes disse na minha ulti-
ma (ou por mim Ihe disseram os meus collabora-
dores, pois eu nesses dias live de ir ao alto-
Alemtejo), que foi expedida uma portaria circular
do governo porluguez a todos os governadores ci-
vis para que recominendem as ^lutoridades admi-
nistrativas qae prestem auxilio aos individuos que
vierem da America n'um balao de experiencias
scientificas, se por acaso vier parar a Portugal 0
aereostato.
a Por noiicias pastoriores, consta que arreben-
tou 0 primoir* balao a que vao fazer de seda um
outro, e quo so para comprar a seda. sao precisos
dez contos de reis fortes.
Uma outra portaria circular foi expedida pelo
ministerio dos negocios do reino para que as au-
toridades administrativas coadjuvem a benemerita
-Commissao Central 1 de Dezembro de 1640 -
no levantamento por sabscripgao publica dos fun-
dos necessaries para se erigir em Lisooa um mo-
numento Jedicado a raemoria dosRestauradores
de 1640 -currespondendo-se os governadores ci-
vis directamente com a Commissao Central 1. de
Dezembro.
Os jonuas desta manna dizem qua 0 governo
esta em activas negociacoes com a Inglalerra para
modilicacao da nota annexa ao tratado do 3 de
julho de 1842, no sentida do todos os subditos m-
glezes sarem equiparados a subditos portugaezes
lara pagamento da conlribuirao in lusti ial como
os portuguezes em Inglaterra sao equiparados aos
inglezes.
< Hoje pela uma hora da tarde e a sessao so*
lemne da distribuicao dos premios na escola 1 e-
dicocirurgica. Sua magestade el-rei D. Luiz hon-
ra esse acto eom a sua presenca.
0 vapor Julio Diniz ehegou aqui, de volta
de sua primeira viagem ao Brasil. no dia 4 do eor-
rente.
r Falleceu aqui 0 Sr. Dr. Casimiro Lucio Salema
Lima, advogado da camara municipal de Beltim
Chegaram a este porte : a I, o patarho CM,
do Aracajd : a 6. a barca Vewedora de Pernani-
buco, e patacho Kand-i, do Maranhao.
t Sahiram deste porto : a 6, brigue Angelica,
para 0 Maranhjo.
0 Douro deve aqni tocar a 13, e 0 Faiparai-
zo a 14, ambos para Pernambuco.
n vapor Ambrose 6 aqui esjerado de 12 a
13 co.r. dewioo a<( Part e *arfth3o ; e vapor
Lalande, de ti a 2i, com destino a Pernambuco :
e 0 vapor Erymantlie a 23, com 0 mesmo des-
lino.
Eis 0* ultimos teit rframroas aqui recehidos :.
Li:idr-:, 6 de nnt ilir>. a t hora efjTninutos
da farde.- Corre o hnalo de qae cha*ou a fienalira
o conde da Chanitv.rd. Fnram oxecatados quatro
indios modocs e agraciadoa dous. Gladstone de-
slste di dissoiucAo do parlamenlo. Os Srs. Mor-
ton R ise 4 C, nomea'dos agentes financeiros do
governo amencano em Londres, pagarSo todas as
elbrtayMMaMttrJa MMk.%
Madrid, 5 de oiiiubro, a l.Ituf-^e.30 minute
(11 tarde :0 ministro de estado ac ministro de
Hespanha em Lisbon.v-Os i-MOVgoutSs que de Car-
thagena saiiiram ao mar, paacaiMti a costa, sa-
cando dinheiro em Cueva, Vera*nutros uonio>
do litoral. Amanaa sahem fragatas de Gibraltar
para acabar com os ultimos lestos da insurreicae
cantonal. Segoodo noiicias partietflares dignas
de credito. Moriones entrou eu Eatella, nao acei-
tando os carlistas a batalha, aabaudonandb a
povoacio. Cuv6ra qne V. Exe. laiba que todas>
as forcas carlistas estavam concaotr-das naijuelle
ponto com 0 proposito de defender Estelfa, a antK
ga eorte do cariismo ; e que Moriones tinha ta.^
hem reuuido as suas para as ataear.
< Paris, 3 da outubro as 11 boras e 50 mioutos
da tarde.0 centre esquerdo-toleonvocado uMr*
23 do eorrente, aflm de se aaleader com os po-
narchistas. A reuniio da esquerda resolveu acei-
tar a allianca de todos os deputados que volarem
contra a monarebia. 0 boato da convocaclo da
assemblea esta desmenlido. 1
Paris 4, as 6 horas da larde. 0 governo 1 ro-
hibio 0 Giulois, em consequencia da publicaeSo
da lista dos ad.-creates a hga republicano-bona-
partista, pedindo 0 plebiscilo. Segunda o Memo-
rial Diplomatico, ha accordo entre as faccoes da
direita para a restauracao monarcbica-constilucki-
nal parlamenlar, aceitando a bandeira tricolor com
0 emblema da anliga bandeira real. Accrescent*
que se nomeara urn lugar tenenle-generaldo rei-
no. Uma carta de Thiers declara que nao vai a
Nancy, para nao dar prelexto a novas catunoia*
contra elle, e nio agitar 0 paiz. Protesta energi-
camente contra 0 poder, que sem mandate e na
ausencia da assemblea, nretende dispor dos des;i-
nos da Franca sem consultar a nacao. Accxes-
eenla que 6 necessario defender a republics, uni-
ca forma de governo que pode unif os partidos. ii
necessario, diz elle, defender os principios do 1789,
e a bandeira tricolor, emblema das mssas libcrda-
des, conclue recommendando moderacao. 0 pro-
jeclo de convocacao antecipada da assemblea *
completamente anandonado.
Londres, 7 de outubro, a 11 horas e 11 mi-
nutes do manha. -0 balao partio da America para
a Europa hontem. O dinheiro c-iniinua a ser
abundante. Uma carta de Mr. Disraeli ataca vh-
lentamente 0 governo.
iVatticias da Imcricn.
Por via de Lisboa recebemos as saguintes :
ESTADOS-U.NIOOS.
A crisc esta mais atlenuada, mas'empregara'.u-
se os meios supremos para a debellar.
Os acoutecimentas sao tao recentes que so paio
telegrapho temos ainda noticias exactas, assun ea-
tendemos ser de tudo 0 interesse coaheuer dia a
dia 0 estado da crise.
Nova York, 24 de setembro:A cotacao. dos va
lores 6 nominal. Os relatorios sobre as colheilas
estao parados. Toios geralmeole cslao abalidos,
porque a crise fluanceira sc estende a lodo 0 paiz.
0 banco Henry Clews & C. suspeudeu seus paga-
montos, aiuda que 0 active excede muito q seu
passim 0 cambio sobre Londres luixou no dia
23 de 107 >, a 101 0 Stock-exclumg lica fecua-
do ale nova ordem. Os bancos de Chicago e de
Cincinuali e de outras cidades occidentaes, eslao
solidas, mas os bancos meridi lUaes eslao muito
abalados; corre 0 boato de que alguas destes ul-
timos suspcnleram seus pagameotjs. Ate, agora
ainda nenhuma casa commercial de Nova York
suspendeu seus pagamentos. 0 governo tem coiq-
prado 6nnds do thesouro por uma quaiil.a de... .
9.271:330 dollars. 0 Sr. Richardson propozao pre -
oidenle Grant de fazar suspender a compra'de bonds
.quando a sua importancia'liver attiugido uma som-
ma de 12 milliues de dollars : aflm de qua 0 lhe<
souro possa auxiliar os commerciantes, so a-sim
se tornar ue ;assario. Os presidantes dos bancos.
as.-oclados resolveram einittir por 10 nullifies de
dollars de certificados da empresiima (lo n certi-
ficates) e nao pagarem em papal moela, mas fazer
certilicar primeiro pelo Cleartng-ho*ve sa os cjoe-
ques apresentados sao bons. Cousidera so pardm,
que so estas. medidas nao serio sulficienios para
conjnrar a crise; continuava 0 abatiraento. 'Tinha
chegado a Queonsloun no dia 21 0 vapor Parlhia
eom 114 mil dollars em dinheiro.
Vinte e quatro dc setembro a naile :-0 senti-
mento publico esta melhor; nao houve nova sus-
pensao imp iriante de pagamento ; os boatos de
quebras de commerciantes nao se coullrmam. Sao.
desmentidos os boatos graves sobre a siluacao de
Oeste; nao 6 verdade qua a governo teoha indic;-
do a intencao de lornar a vender uma parte dos.
bonds qua acaba dj comprar pelo mesma preco da
111 3/1. E' tambem inexaclo que 0 governo vai
suspender a compra de bonds, aiim de quese ele-
vc a doze milhdes, a ihesouraria de Nova -YorA:,
tem de esperar novas ordens assim que atiingir
aquella cifra. Os presidentes dps bancos asso-
ciados resolveram auxjljar-se reciprocamente.
0 Clearing houve emittio neste dia ceriilicados
de emprestimos do 2 }{ milhocs de dollars.
A repart>cao da agricultura annuncia que
aquaniidade do trigo colhido nesta anno 6 igual a
de 1872, sendo-Ihe superior em qualidade.
25 de setembro :O sub secretario das flnacca*
londojacomprado i2 milhdes de dollars de bonds,
suspendeu novas compras ate receber ordens do
presidento Grant. Estudam-se as medidas neces-
sarias para fazer ccssar a estaguacao do movimen-
lo das colheilas, que impede a venda dos afgo-
does. A grande casa do banco Charleston su'spen-
den -ens pagamentos. 0 primeiro banco nacional.
de Memphis suspendeu seus pagamentos. As ac-
S3cs do caminho de ferro sao vendidas todos os
ias em venda publica, e realisam pouco mais ou
menos os precos cotados por occasiao do eneerra-
mento da liulsa. 0 governo nao tem intencao de
retirar a sua conta naval da casa Jay Cooke Ma-
canlbauch, de Londres.
25 de setembro a noite:0 Sr. Bidardson con-
sultou 0 advogado geral sobre 0 direito que pos-
sue 0 governo de continuar a empregar 0 dinheiro
do thesouro na compra de bonds. Decidio-se
que 0 governo nao deve ompregaf a reserva para
taes compras, a que 0 thesouro julga ter sufficien-
temente auxiliado os bancos. 0 Sr. Riubardon re-
cusou as oil'ertas de muitos banqueiros.
26 de setembro :Muitas casas pouco importan-
ies suspenderain os seus pagamentos no nm do
dia ; nao ha ainda solucao alguma as dimculdades
Qnanceiras. A incerteza e a stagnacao sao com-
plclas. 0 oito acaba de subir a 13 0/8, em conse-
quencia das noticias da baixa dos valores america-
nos, sobre os mercados estrangeiros, e por causa
das diflkuldades que sobrevieraui para a liquida-
gao de transacgoes em oiro.
Tres bancos em Chicago suspeuderam seus paga-
mentos : Cniao nacional, Manufactureus national;
e osegundo banco nacional.0 presidents Grant
approvou plenamente 0 procedimeute do Sr. Ri-
cbardson. Os bancos meridionaes, e ocidentaes
suspendem parcialmente os seus pagamentos em
valores, teudo curso. 0 movimento de exportacik)
esta naralisado. As transaccoes em cereaes e em
algodoes eslao paradas em toda parte. Falla-se
em convocar 0 congresso era sessao especial.
27 de setembro :Aexposicao otlkial.da situa-
cao da casa do banco Jay, Cooke & C. da lbe um
passivo de 8 mikoes de dollars e um activo de 1C ,
milhdes. Espera-so que os negocios desta casa se
arrangem proinplaraenie. Tres bancos de Cbar-
lecton e dous de Chicago suspeuderam os paga-
mentos. 0 conselho de commercio de Chicago
prohibio a venda de cereaes. Cambio sobre 0 oiro
114 1|8. Fundos publicos nao sao cotados.
27 de setembro de tarde :0 cambio sobre
0 ouro 113 If 2 e ao meio dia 114 5(8, de tarde
113 3|8.
Os bancos Je deposito de Louis villa --Germaa
Mons, e Ontro Saving eslao fechados. Os presi-
dentes dos bancos Boston resolveram pagar as ye-
quenas sommas era papel a emiltir por dous mi-
Ihoes de ceriilicados de emprestimo. 0 convite de
Clearinfihouve resolveu emitlir ceriilicados de em-
prestimo sem limite. As pbrigacdes do primeiro
banco de Washington, que suspendeu seus paga-
mentos na semana anterior, elevantse a 2,700:000
dollars ; o activo e de 1.900:000 dpbars A bofsa .
abrir-se-ba no dia 30 ainda que muitos bancos
da provineia tenham suspendido os pagiiuontos.
Decresce 0 panico.
29 de setembro.Os dous principaes 6aieq9.|fr .
Chicago continuaram os pagamentos qne tinbajh ,
suspend.A) ; e-pera-se que mais alguns bancoa Jft*,- '
sfguirao 0 exemplo. 0 presidenle Grant escre-
veu aos negociantes de Nova York quo o govern >
esta disposlo a fazer tudo 0 que for legal para res-
tabelecer a conltenja. Os bancos dev '
descontando g.merosamenle. Os 44 _
reserva serao o'estinados a responder a*i
publicas. Publicou-se um decrelo or
liaganvuto do coupon de novembro dos
O relatorio ofJDi'iil relative ao raez'de 1
annnnj:i".^ic a/nedia daculheitados trLay
e de 81 0|o ;"em quanto a media de nS?V
sido de 8-5 0(0- 0 presidtmle Grant proola
abqiicao dos direitos differenciaes de bai
par* as uieicidorias importadas em navioS
eezes.
De New-York refereraft


i-
|


i
m


>tr

^*#
mm
mm

I
HiUftt id, BoMnftu* 5S &**** 23 dtaOttttsS 4Mb
"V
1

Hj setc dws quo a-*dde -a&obt-eluiJo
Dotes, omocao iiUiawl ebeaj facil decoroprehen-
der. Dpsc brio-so a exisdencia n i prago. de
algum.;9 obngacaas do caminho do ferro
central ( New York central rail road )
peiTeitaiuante imftadas, tnas pei feita mente
t'alsas.- No ilia aaguiute ao da .dosooberta
con ta ran se par caoloiiis as obri$ icdes fal-
sas. A' hora a qua escreemdi lia certeza
de quo mais de 800,000 dollars [\ milhdes
i'.c francos) di;tes valorcs de phanlflfia correm
?ios banoos, nos.escriptarios do; cowotoros
*) dos cambistas ; einfim, e para coroar
nbra, aeaba tambom do descobrir-se bilhe-
tesdo governo, do. 5lM) dollars, rnaitados com
rara pe. leifau, ijue su achain igualmeute cm
A obra dos falsiQcadoros, desconhcci-
dos ainda ou pelo menus fora do poder da
pilicia, pareco ser funuidavcl e deiia muilo
a pettier a dos falsilieadores do Banco de
Inglaterra, com os qaaes parece nao ter dei-
xado de haver ccrta connivencia.
0s falsos valores paddram ser postosem
-cireiaaafJo -Wa -Nova-York oia tao grande es-
'l enj.;.uirain as vistas'roais. exerci-
tadas* qua. twao a etfw Inras talve"? jA sido
intro luzitlas f.icil uente na t'uropa.
IK'scobria-st!' a falsilicacao em conse-
quencia de u'nVbanqlieiro que recebeu um
grande numero de obrigacoes tor notado a
circumstancia de existirem entre ellas duas
com o mesmo numero 261. D'fihi os exa-
ntes raais miinciosos e as avorigijogoes que
deram em res,illado descobrir-se o roubo.
i A policia trata de b averds tains uin tal
Williamson, o coronet Potter e tres outros
individu' s que .e suppoe serem cumplicas
de um otttro que jd foi prose. Quauto aos
bilhetes de 50') dollars tambom fatsiiicados,
tudo o que p6 le dizer so e queestao perfei-
tamonte imittdos e que se iguora a suo pro-
yeni'.-neia. \'.6 agora nao se desrobrirarn
senau tres ezeinnlan< Os titulos filsos co-
nheee.n-e apunos por uina das assigna-
uras ser maislar^a quo a verdaileira.
Arripia as carncs c ericam se os cabadlns.
ante lio hedumdo quadro 1
O cadaver da desgracada foi enterrado,
segundo coufissao do D. Cezaria Lopes do
Oliveira, esposa do dono da casa, por sua
fiiba Maria Bazilia e Evaristo Lopes ralofto,
nos fundos da horta.
A autoridade reprcsenlada pelo Sr.
Albino da Silva Fagundes, fazen Jo exhuaiar
o cadaver, reconheceu a realidade do
crime.
1.6-se nas folhas de Porto-Alegre'.
No dia 13 do corrente, ds 7 horas da
rid I a ^'vaiiund >-se as escws aiada ouvio mais lug idia.i ^HjUfyVft /rftJM fl
4%paaau.^ e 1ue o o*|8^f.% evadira mux wnj ,oaw..do.. oiu taimo3 de coii^i mealy, ires
?er conhaeldo .?>a.oio sa^aU^ya quaifl fossp i, % e quair-j J prafan^iXiJa, atalhida coin
interrogada de aavo iribu o tocloa ua nagro ^afra-ioia, e canteado apeaa? um cnx6, uiiW fer-
velho, qua logo recotiheceu-se ser incapax da per- radora e ua ferro de ieina de porta, objectos ve
pelracad(t delicto, tanto iQftis uin'ente inoffanivo, sera ialralfos 6 de posisiu Procedomfc a ari;ecadg5o na fazeada da fi-
*
BB^"
ftues
fento o
lhasar ii
D.7n&****m
!%;tiius do nul iloitiem &.1 Imra.e meia da tarJufundoou
em nosso po~to o rapoc brasileiro ."arand,
trazeudu d.itas : do Hio da Prata 7, do Rio
Grande d j Sil 3, do Santa Gatharina 4, de
S. 1'anlo 11, da Kio do Jdneiro 13, da Ba-
bia 21 e das AJagoas 23 do corrente.
Alem do qun damus sob as rultricis Par-
se Official u Julerwr. eiidontranios nosjor-
naes o que segue:
RIO GilANDE DO SLX.
Inauguraram-sea 2D do pussido as linhas
telegraplii.;as du Ci.j.pua o S. liab'iol de
r.ampanba,
.N'ttma Borrespondencia de Saut'Aiina do
Lirramnrtto, con data ilo 23 de setembro,
cncoutraaios as scguinles nolicias :
Fdra assassinado jor um patragaayo, em
defcza propria, um desertor do i." regimeu-
to, de nome l'ruetuos Alves Dornellas, quo
andava com o supposto nome de capitao
Brasli. 0 assa:inalo era liomcm du pessi-
maconlucta, e que, seguodo se diz. cuui-
metl'Ta varios assassinalos (.' servira mu:tas
vezes de capanga.
.No hotel Gatabaldi, m mesma villa, um
soldado de policia malara um sargento tam-
bem dc policia e evadira-se depois.
A populacdo de S. Joao Baptista de Qua-
rahim cslava sondo dizimada pula terrivel
epidt>mia de buxigas, que grassava alii com
intensiuade.
Morrian 10 a 12 pessoas por dia e esta-
vam atacadasptra mais de 400 pessoas.
Infelizmenie lambem tirdiam-se dido al-
guns casos em Sant'Anua do Livra-
n onto.
Fallecera no Uio Pardo o Sr. Jose Luiz
da Costa Junior.
* Kefere o Commercial de 28 :
<* 11a cerca de doas Inezes um rapaz,
niorador na Aoiexoeira, toi inordido por
unaa calella pcrdigueira de que era dono.
DesconQan lo, com razao, que o animal es-
tava atacado de hydrophobia, deu I he um
tiro. A m irde lura joi junto ao pulso.
Uesgracadamente naohouve quern acon-
selhasse bem o rapaz : em vez de ir iimne-
diatamoute procurar um facultativo para Ihe
cauteiisar as feridas, foi primeiro benzerse
ii Santa (J-riteria! O padre que o benzcu
aconsolhou-o a que fosse sem Jomora pro-
curar um (irurgiao. Muitas horas media-
ram, pus, entre a mordedura e o curativo
unico que su conhece a cauterisacao.
Ila dous dias os symptomas da terrivel
doenca coinegaram a apparecer : profunda
tristeza, iuapdetencia, allliccoes. Ksta ma-
nha j s>u estadu era assds melindro-
so-
Tereinos a deplorar mais uina victima
da estupidissim.i abusao, que, .para maior
gloria da religiao de lloma, os padres incu-
Uram no aniuio dos qae vao susceptiveis de
-e deixarem capacitar por este e outros
dialog is eml)us"es.
Para mal da humanidade estas dispa-
ratadas crongas tee.n tamanha forga, que,
apezar de muitos^aforQos, do muito que se
teal escriplo, niio pTevalecendo seinpro.
Esta necessidade que os neo-calliolicos
teem de incutir tanta tolice na cabega de
0rente simples e deploravel, porque deplo-
raveis sao as cousequencias dessas aberra-
^oes do bom senso.
No Kio-Grande, a sociedade Libertadora
Cruz Altanse, sulemnisando o anniversario
da inlependencia, alforriou 12 escravos.
I^}-se uoJornal do Cotmnercio de Pelo-
tas, de 27 de setambro :
Mats uqia vez as leis da natureza es-
quecidas ; roais uina vez os senlimentos da
maternidade bonculcados!
Um crime henreudoe que faz-nos tre-
mer a mao, aef.H.de ser pralifad# ao lu-
gar denoinmado Tres Serro*. 2." districto
deate termc.
H subdelegado de policia, Albino da
Silva Fagundes, tendo denuncia de que na-
quelle luga? a allema Joauna Luiza, aggre-
gada do Sr. Sobastiaa Bap^i>U de -Oliveira,
matdra, ao n.tsctr, uma sua lilhinha e a se-
pultdra, para alb dirigio-so ante-huntem
afirn de averiguar e providonciar a res-
peito>-i t m u-:. ..->M&-1
.* Proeedaua imauciosas pesquizas o vindo
- ao conheainantG da exactidao do crime,
prendeYa a ownjuosa e a interrogdra.
< A b trfciara desuaturada mai, confes-
?>ao oriuM!, ofeKxtando ter assim .,iroce-
Jide am w.*j *, coiiselhos d'aquella quo
''' d^Va o ser!.. .. Parece iiv;rivol 1 I
.j^Joanuc. Lui'.a, de 18 annos oV i-lade,
apau5 dera ;i I:;/, a iimoccuto hihiuha,
Apromtoa-W} da aiisencia das pessoas que
a assistiain e, itirando a ao cbdo, tavev
espaniosa *uj esmigalbaf o crauoo
dajAnocente A'chj r|" se,ls J^n(H,> *
no apro'ximAf8t.tl
tarde, fallcceram envenonadas, no 7." dis-
tricto do Passo-Fundo, D. Quintina Alhana-
zia Cardoso e Ignez Sotembrina da Maia,
aquella filha de Vicente Xavier Cardozo e
esta de Joaquim deG. Brum.
a Essas infelizes de idade de 16 annos,
eram. muito amigas e diziam a todos que
haviam de morrer juntas neste mez de se-
tembro. Ninguem dava importancia algu-
ma a este dito, que era tornado por gracejo,
ate que no referido dia, estando ambas em
casa de Antonio Xavier Cardozo, onde cos-
tuoiavam passar dias, na occasiao de jan-
tarem, tiraram comida em um prato e dei-
tando nella striebnina, depois de comerem
algumas colberadas, sobrevieram-lhes con-
vulsdes, em seguida a mortc.
0 subdelegado procedeu d auto de
corpo de delicto o ao inquerito policial.
MIN.vS GERAES.
Rocebemos folhas da capital ate" 7 do cor-
rente.
Segundo noticia o Ita/ubd, Carlos dos
Passos e Silva, que na noite de 14 do
passado, acompanhado por ires pessoas de
sua amisade, dingia-se para a chacara do
Rvm. padre Antonio Caetano Ribeiro, ao
sobir ao morro de Santa Cruz, caliira o
precipitara-se dentro de uma valla que
margeia o mesmo Cdininbo; a queda occa-
sionou- Ihe a morte porestrangulai.do, acom-
gestagao pulmona"
panhada ile con
O juiz municipal coraparoceu no
e tomou as providencias convenientes.
Fdra capturado no districto do Taboleiro
(irande, termo de Sete I.agoas.o importante
criminoso de morte Manoel Ramos.
O oomexito da diligencia fora devido aos
esforcos do ivspectivo subdelegado Caetano
Mascarenhas, a quern o Dr. cbel'e de policia
lovuu por este servigo*
Le-se no Diario de Minas :
Vivo na cidade dal'onlo Nova, gozando
ainda de todas as suas faculdades iutellec-
tuaes, a Sra. auiki Ferreira Hodngues, que
fiz ver a luz do dia a 9 lilhos, 23 netos, 1G
bisnetos o 44 tatiranetos, e que couta hoje
123 annos ile idade. Cuida de todo o ser-
vigo domestico, fia algo Ido, faz renda,
con versa perfeitamentee cose para sua filh-i
mais moga, que de tao velha, jd nao enxer-
ga para fazerseniclhante servigo.
Pelo recenseamento a que alii se pro-
cedeu ultiinamentc, v6-se qua Ponto Nova,
conta em sen seio 1,051 pessoas de 41 a
60 annos, e 183 maiores de sessenta, entre
estas uma de 100 annos, outra de 98, quatro
do 90, e a nossa veneranJa Anna Rodri-
gues, que provavelmeute verd passar dous
seculos.
A mesma folba^transcreve do Je<]uilinliO'
nha o seguinte:
Informam nos que na cidade de S.
Joao Baptista tern apparecido uma moles'.ta
descouhecida la, que tern foito varias ivic-
timas. Observam-se symptomas tetanicos e
a morte succede em poucos uias, as vezes
em dous ou tres. Pelo quo nos referirain,
parcce-nos que trata-se de una menihgiti
de forma epidemica, raras vezes observada
ua Europa, mais commum porem outre
n6s. Em S. Joao da Chapada jd vimos ba
loos annos alguns casos semeliiautes, c
referem-nos outros em diversas paries.
SANTA CATIIAHIXA.
Lemos no Despertadoi: fo!h:i qae se publiea no
De.-terro, provineia de Santa Catharina:
it Somos ini'ormados que no dia 8 de setembro,
09 bugres em crescido numero, assaltaram a co
Ionia Santa Thcreza. comeeando pela resideoeia
do c oIodo allemao Philipps, quo sc achava auseu-
lo. Aos gntos da mullier deste, aeudio uma pe-
quena forra .jue rondavn a localidadc, c fe-los re
lirar.
Na noute seguinte. das 9 para as 10 horas
assaltaram a casa do Dr. Mello, o qual acordaada
saltou da eama atorJoado pelns gritos d.is pessuos
que com e!le tambem dormiam, em cousequeiv.ia
dos empurroes que os selvagens davam em uma
das janellas da easa. Esbarrou o mesmo doutor
cm uma mesa, sobre a qual tinha vidros de mdi-
camenlos e ferio seno rosto.
' A forca que rondava asudio immediatimente
e com ella alguns dos moradores das proximid.ides,
que Gzeram afugontar os selvageus.
Antes disU) (no dia 7) appareiiemm na fazen-
da do coronet Serafi.n Mtiniz, i\e. onde roubaram
algumas ferramentas dos trabalhadores; sendu;
perseguidos por varios moradores e pessoaj da fa
zenda, retiraram-se, ueixando apenas um arco.
t O director da colonia expedio um proprio,
particinando ao pre^idente da proviocia o occor-
rido e solicitando ao mesmo tempo armamenlo e
mumc5e9, para no caso de assalto mais formal po-
der repelli-los.
S. Exc. deu logo as providencias de modo a sa-
tislazer essa reqiSsicao.n
s. PAULO.
Fallecera na capital, no dia ii, o academico
Jose de Andrade Pinto Bastos. Seu enterro foi
acompanhado por grande numero de colleaas e
amigos.
Era moge intelligente e uslimado por quantos o
conheriam.
v No dia 7 f.>ra assignado entre a presideneia
da provineia. Dr. Join Hibeiro da Silva, Francisco
Cn-todio Leite e commendador Lcitio, o contrato
para a navegaoao do rio Mogy-guassu, entre Pi-
rassuouoga e ale a foi no Rio'Grande.
Sentia-se na capital grande escassez de moeda
de iroco, veudo se o povo vexado nas su-v poque-
nas transaccdes diaries.
Haviam chegado a Sanis -10 immigranles corn
destino as colonias Nova-Louza e Nova Columbia,
a primeira de proprieJale du Sr. M-mte-Negro e
a si'gunda do Sr. Joiio Vlanoel de Almeida Barbo-
ta. faiendeiro em l/ipinas, e da qual 6 socio o
mesmi Sr Monle-Negro.
QCorreiod: Tanhate noticia o seguinte :
c No dia $ do corrente inaugurou-se o tr&balho
da estrada de ferro de S. Paulo e Hio de Janeiro
em nosso municipio, na lugar denominado Rio das
Padras, dislante tres quartos 4e legua desta cida-
de. 0 Sr. Joaquim Pires Dias, stib-empreiteiro
dessa seccao, offerocou a seus convidados, e a to
dqs que se achav.nn present -. um laulo jantar,
am que reinou prazer. E' s-empre com iaexpli-
cavel Jabilo que nuticiamos nas columnas do no*-
so jornal factos desta ordem, pois, nelte^ enxerga-
ms 0 future engrandecimento de uossa terra*
f atfeeera em Taub*t6 o cidadao Ignacio Al-
ves de Oliveira.
No bairro de Carnpo Largo do Sal to dPi-
rapora, districto da cidad* de Sorocaba, uma fi-
Lli.a de Joainim Manoel de Goes, de nome Maria,
casada com Joio llibciro, den a luz tres criaucas
doi sexo muscahoo, dn quaes falfctcora m doas.
Ao Intkpeddente die Mogymirim. eouunuiu-
carain, dcS. it>odaRoa-YUti, o senaintu :
Sa uoute de M para f di; seicnViro, e Uando
Luiiiano aloudes de Athayde em sua casa com
sue mulber e um nihinlio, fn atacado duranle o
somno par pessoa qui o (em a sobre a cabega
coin tua iiHlrumenio eurlaiite e o espaacari oai
um in^trumento eontundaiito, Roan .lo o picieuie
grs^'emeoie offendido e com -ua raaao, perluaba-
da em uoueeqivneia de forlu cumm >-ao etrebr.-.f.
Ptera a mulber do offendido. >l;iria Viialina, va-
iiadd^> eat .aeus inlorrogatorin?, nuentaodo diaria-
nte ii was cireuai*tan.iis, 'l.".-!arou fjite dormia1
im m naarido em utut canu eslroUa e \w,
loordaudo na iwut<; do delicto joni o baral!>. de
fiurailde, de sorte qae nSohaviarootivo de odio ou
intaresse que levassealguenla comraettero cr.ime.
Gomo, porem, sua mother e moga de costumes
dnvidosos c com vida dissoluta, e sondo notoria a
sua infulelidade ao niarido, todas as suspeitas re-
cahiram sobre ella e esta crenga foi conlirmada
por sua declaracao, em quo disse que o offensor
de seu marido fora Victor Ambre, seu amanle e
com de ha muito tempo enlretinha relagOes illici-
tas e que o fizera com o Qm de lova-Ia comsigo.
Preso Victor Ambre, negou a parlieioagao no oe-
liclo, porem, a narracao e tircumstancias rereri-
das por Maria Vitalina combiuam e fazem crer na
autoria de Ambre.
a 0 paciente esta gravementi1 eiifermo e se nao
fallecer fieara deasisado, em ceusequeneja da
commogao cerebral. 0 Dr. Jose Cuslodio da Cu-
aha Canto, promoter da couiarca, acbando-se em
S. Joao da Boa-Vista, muito esforg.ju para des-
cobrimento da verdade.
xs autoridades proseguem 00 uaagjario' Cow
Ira Victor Ambre e Maria VitaJiaa. *
Le-se no Ipanema, de Sorocaba:
Uin-aeonteeimento eclebfa e lanif nutel du-
sc nositio da Boa-Vista, prapriedadd do Sr. Bento
Jesd Ribeiro, no municipio de Porta Feliz.
No mez de agosto* quaada trabalhavam em o
o dito silio, eomu camaradas, em derrubada de ro-
ca, Isaias e seus dous fllhoe, Pa ulkw> Henri qua,
alem de outros qua-- tambem estavam a mesmo
servico, f i Paulino raordido-do uma cobra tao ve
nenosn, que poucas horas depois faHeceu. Isaias
impressionado por tao doloroso aconierirnenio, c
atiribnindo-o a inUoencia do me* dea^o^to, que
vulgarmeole dizem ser desaslnwo, e receiando con-
tinuar o servico no-cttado raez, p tweza perigoso, apre-entou aa patrao estas ra-
zoes e prometteu conchtir a empreilada no mez
segainte.
< Com effeito deu de novo coinoco ao servico
nog ullimos diis de setembro, tribalbando com
Henrique, unico filho que Ihe restava, tencionando
acabar a empreilada no dia l?-d enrreate.- No
comer i do trabalho desse dia foi Daias victima il?
um seiilimento, ainda mats lerrirel do que iquell
que experimeniara um-mcz an'es, Venda Henrique
esmagado pelo primeiro pao que aiobos haviam
derruhado I Bra tao grosso o p.io, (|ue preciso pi-
ca-lo a machado para tirar-se o cadaver do iufelz
tleurique.
- A Estrella do Oeste, folha do Bw-Ciaro, nai-
ra o seguiute:
Ao ainauhecer do dia i daste mez foi grave-
inenle ferida, com uma fouce, Maria Zefjrina pur ta
D.i'ii .so I'ereira, com quera ia se casar. Moravam
juntos ha muita tempo em boa lurmouia, puiem
nao ba muito que Peieira t^rnou-se monoinai'iiajco,
Pixaudoas iJ6asem uiu rival incognito qae queria
se casar com sua coin,anheira.
A's 3 horas da inanlii daqueHe dia, Pereira
mandou Maria Zuferina fazer cafe, c, quaiijlya po-
bre mulher-lhe trazia uma chi-ara destabebiia,
deu-lhe uma fuifiada na fonte, eoatras nelos hra-
c'.)s, de que resuliou a malilagio de um e oquo-
brainento de octet),
0 iiiimomaniaco foi se eatregar a prisao, aiter-
rado pelo rival incognito que se figurava persegni-
lo. 0 Dr. delegado procedeu ao competente auto
e interrogaMrio da offendida, de quern no dia 2
foia ampulado o brago mutilado, que foi Conhe-
cidti cm fr-tado de grangena pelos meJicas Drs.
Airmso Moreira e Paula Machado.
No dia 2 seguio par?. C imoinas o presides-
to da pi-jvincia, acompanhado dus Srs. conselbel-
ro Teixeira Junior, Drs. Faleio Filho e Delphino
Ctntra, chefe de policia, Dr. Ignacio Manoel Alva-
res de Aznvedo, redactores do Correio Paulistano
e Diario 4e S. Paulo superiniendente da es'rada
de ferro de Santos a Jundiahy 1). M. Fox, enge-
nheiro ilscal da estrada Dr. Raposo, commendador
Cmtinho Sobrinho, Dr Jose CahdiJo de Azevedo
Marques, capitao Luni e varios oulros cavalhei-
ros.
nada, em coniiuaaftio a qua se la- nesia cidade,
um dos herdeiros declarou exisiir em lim quano
dacasd tie Vivenda, uma ova, onde a fl'oada ba-
via enterrado grande somma do dinheiro proce-
deu se a excavafii, e" encaotrou sc um
barro, novo cheio de terra?
a Os herdeiros, conveneidos da existeiicia de fa-
huiosa iorluna, que nao podem encontrar. fazem
mil JUIZOJ.U
B3PIBIT0 SANTO.
As ultimas datas ro^obidas .alcancani : das Ca-
clweiras de Itapcmirini ate o e da capital ate 9
do corrente.
A presideneia ceavocara a nova assejablea le-
gisljtiva provincial para o bianiuo de 1874 e 1875
adecignara o dia 28 dedezemb'ro proximo futu-
re para se proedder a respectiva elei.ao com os
actuaes eleitores.
0 Esimdnrte, das Cachoeiras de Itapemirim,
refarc o seguinte :
No dia 27. do passado (setembro), mais ou
ineaos pelas 2 horas da tarde. na sua fazonda S.
JlaaoeJ do Frado Mi morto Mainel Francisco Pi-
nheircf Lolro por antooomasia Tormootoftp, por um
tiro dfi' esyingarJa, disparado por Manoel Antonio
por alcuoha Que/eijiicfrf, o qual era aggregado
do mesmo, o vivia ma!!f{(iL--!ado com o proprfeta-
rio Tonneolorio- pw calsj d:>s terras do sillo.
Iiido este a rogi de mifh < 'pie13e_estava plan
tando, e vend.) n.-.lia uma gallinba de Querequc-
re" esaaravjAtaaJo as cjvas e comendo o milb;,
deu um Bro, e aba'ixou-se para ex uiiinar se ha
via griios nas covas : n.rV.a posigiio, de coslas
para a casa do ag^n?g J I voo ;i catga de chum-
bo na.uuca, e. os projaotis liuiitfraraoi-lltc algims
denies. Rpaco tempo depois deixou de exisiir, e
a vinva nao eiiegou a ver senao o corpo fn'n
inanimado do infefiz.
.) Fez se o eoinpetente eetpn de delicto e o ca-
daver foi sepiliado'no dia ii, no cemjlerio de>ta
freguezia. Coasla-no; que o assassiuo. recolheu-
se a cadeia da villa de Itapemirim, donde foi re-
quijiladj.
Na lazeuda de Mauoel Jose de Araujo Mac lado,
na Fr-mteira, .ima eserava metteu par aeaso a
mao entre as m.'eudjW n:i occasiao da in .agem,
pelo qlie leve de s r'Trer a amputa;ao di br.igo.
Na d> Morio-Gia.iie, projirieduucdo Dr. Sea-
bra, um escravo cdiio na caldeira de assnear,
cujo callo estiva limpanlo, e em poucas lioras
ialiereu.
BIO Hi JANKIIW.
Eis as nolicias commercials da ultima da
"aiC '-------------------
0 lim do passeio foi ver a linha terrea paulis
ta, eas respectivas oUlcinas, que agora se acham
comjilelamente monladas cm Campinas.
0 Ituano diz que (consiava haver-se desco
berto uma mina de carvaj nas proximi Jades da
fabnea da Ypanema.
Genlo e tre/e cidadios importantes da capital,
inoradores na rua de Santo Amaro e Piques, diri-
giram a samara municipal uma reproseata^ao con-
tra o facliamento dj campo deno ninalo -Bcxiga
que, seguuJo allegaram o 6 sabid tornouse de
serviJao publiea, visio estar ha muilos annos
franco ao publico, que ah se abastecia de agua
putavol.
No dia 1, em um silio pcrto de Campinas,
for3 assassinado o respectivo feilor por um escravo
{(14. auxiliado p;r outro, degolou a victima com
ntma faca. Os delinqueates apresentaram se a au-
toridade confessando que cominetteram o crime
para livrare n-so do captiveiro, hjdo morar na cor-
reccao.
0 delegado de Pindamomangaba coiiimuni-
cara que no dia 26 do passado fora encontrado o
trabalhador da e-lrada de ferro, Jose Gongalves
da Uociia, horrivelmeute matlratado com caccta-
das. A autoridade fizera corpo do delicto e pro-
cedera ao cunpeleiite iuquerit). 0 o'Teaclido fira
conduzilo para a cidade, e o seu eslado era con
siderado perigoso.
Falleceiam : En Taubate, o Sr. Ignacio Al-
ves de Oliveira ; em Itapetininga, a 3ra. D. Anna
de Paula Dias ; em S. Paulo, a regente dp re.co-
Ihimeato da uuz, Clara Maria das Dores, maior de
8 i annos.
I.i'-se no i'aulitia de 28 :
Sao tanta- as faltas commettida; pclas agen-
das de correio do interior, ll.'.ias do deleixo dos
agentes, que so uina refonna radical no servigo
poderia oDslar aos oatiuuos males.
E' geral o mao servigo, e, ainda mVu, a p ior
admioistracio dos correios. Ainda ha pouco veio
na mala de-la cidade grande quanti laic de mi-
meros do / mat do Commercio que eram dingidos
ao Rio Grani; do Norte.
a Pelo mesmo correio vieram cartas dirigidas
para Sanl'Auna dos Tocjs c outras iocaliu.ide
fora da provincial
Le se no Diario, de Santos :
a 0 hiate naeional RUes, vindo dos portos do
sul, cm direcgao ao Bio de Janeiro, com carga de
vinho, iniIlia farin'ua, feijio e de outros genero
no dia 30 do correnu, perdeu-se nas coslas da
Conceigao de Ilaahaem, duas hguas ao none da
villa.
0 subdelegado supplente Jose Marianno Soa
res, dingio-se ao lugar inconliuento e tratou de
por em guarda os safvade*, que se aehavam espa-
lliados pola praia, e bem assim o magamc do navio
< -ipenas o delegado de policia. desla cidade le
ve conneciioento do facto, fez seguir para o lugar
o Sr. alferes commaudante do dosiacamento acom-
panhado de 4 pragas all n de garantir a proprie-
dade que corria risco. por nao dispor a aulorida-
de local dos precisos meios jara este lim, e em
segui-ia levou o facto ao conUecimento do Jr.
chefe de policia.
< A solicitude que de prompto desenvolveu, mui-
to conorreu para a regular arrecalaeao que foi
feita, evilando- o apparacimenlo das abusos que de
ordinarlo se dao, e as providencias lomadas as>as
distingioem e delegicia por seal criterio e tinn.
U navio esta scguro ; ignora-se a companhia
quo o recebeu. Rest* que a guard, moria compa-
repa pessoalmente afirn de resguatdar os impres-
ses fiscaes.D ,.
Nuicia o Echo Bmnnalense, de 11 do cor-
rente :
No dia 3 deu alma ao Creador, no dia 4
foi sepsUUila, D.. Ignacia Gon^ilves Iv-qna, cqbi a
idade provavel da iii a 130 aitnos. Era viuva
do guardii-iiior Joaquim FerreUa Ponna,
consorciu leve li lillus
A sua descendencia deve subir a mais do tOOv
pessoas. Senhora de uma (ortuua cuosiderave),
despo)ou-se delia em vida, dando partilha a seus
(Uhos das duas tergas paries de seus bens.
Km juanto poie era datada de uma akna-Ke-
r.erosa. Conservria apenas um pequcno restodb
boos e 67 escravos, qua deixou complctamento U-
vres.
<( Deixou testameut* bo qual disppz; do rosto
de sous bins em legadbe, ebroin'arl^sccnleparn os
lillios do Joao'Uaniista de Mello, de Prujionte Morei-
ra Peima ede Flerinda i>yirafVA* v^nna, mdoS
seus bisnelo's.
i Nome'iiisetK* tesiamenteiros." em primeiro In
gar o cuinmendR'lor Manoel de Aguiar Vallim, em
segundo a loaqnim Jos6 Domiagoee o em ultimo an
vigarlo. confv/o Ant mio Gmmai'aes Barros
Alg"iis iurdeir rado ua quario d i dormir da linada, riesta- dM&
itey gmiinde somm-i fijnhelm e otijeeto* d
inclusive um 1: .muiic-monstrj. TomWkki
v.utoest.' boato, n i.i ,^> orpbaos orL'n^iv que
fos. Iwrdhihi's qu; sc ac>\*am na
cidat.\ e perinte uosteS le^te-iv.ihh-".. c-oh as r^'"
cej.--v0a^ f "Twain-1 io--,'iir..wJeu-se SexcarsjJo uoj
N"io houve alteragio sensivel no niercado de
cam bio, que s? eonservou fir.ne. Os baacos abri-
ram transacgoes sobre l< in lies a 2o t/l d, laxa
a,que so efecluaram pe pie.ias opera;oes
a Nagociou-se um pe juea i lote de soberanos a
9*320, a dinheiro.
As ap-ilic-is geraes de 6 0/j continuaram a
sor muito prucuradas, mas os compradores eomo
anten irmento, mostraram reserva, exigindo pre-
gis altos. A;)':ris transpiriiu a venda dn alguns
loW,s pequenos a IMH, t:0lii* e .1:067, a di-
olieiro.
No mercado de aecdaa o inovimento limitou
se a u n peiueno I >te d.is da companhia Ferro
Carril da Villa.Isabel a 12 '-5 e da companbia de
Seguros previdente a 111 por aecao, a dmbeiro
i 0 mercado de caf6 eileve oompletameaie pa-
rilisado. De asu;ar fizeram-se vendas msigui-
lie>int Siihiram, tambem para om-utm, cerca de
G,000 arrob.is de carne secea.
a Apaaas nos constou hoje o frctameuto de um
navio para cam^gar earvaj com destiiu ao Rio-
Graale do Sul a o pjr tmelaJa.
- A alfandega ren leu de 1 a li do corrente
l,32M76Wl?.
Saliir.tm para Perna nbuco :,a 8, brigues ita-
lianas Venezuifn e P sueca U,o; a It), escuiiis hoilandezis Louise &
Morte fi Peregr'ini ; a II, brigue hollandez tt'z
Ikelnie vd troort, brigueescuha allemao Max,
e barua pirtugue/.a Audaia; a 12, bngue alle-
mao Pieheit ; a ITl, biigue iuiuegaen;e Mathilde.
BAIIl.V.
A lista orginisada pelo gvemio conservador,
para.deputaJos a asseinblea provincial, compoese
dus Srs.:
I."-districto. Drs. Goes Junior, D.'iro, Montoiro,
Joao Victor, Pacheco Urandio e Americo de Sou-
a Gomes.
2." district). -Drs. Milton, Aranjo Lima, Antonio
Olavo, Pacheco Pereira e Jose Nunes, conego
Brandao, Drs. Nascimento Teixeira e Duarte da
Silva, e vigario Cupertino.
3. district).Or. Arthur Bio, Canto Brum, Drs.
Sinioes, Daltro, Corre-;ida Araujo, Dias Lima, Am
pbJIophio, 11 iiniro, Gn.-tavo Amcelo e Horta: ,
4." districto. Pereira Franco Junior, Luiz
viiiiina, Tito Cuuha, Sebrao, Doiniages Velloso
Jose Olympio, capitao teaeule Fraoga, Costa Pinto,
Or. Allmo.
3 districto. Drs. Ro lrtgua* Lima, Pallia, e Vital,
Rio Grande, Seabra, Drs. Canabrava e Rociia Viaa-
na, Joao Borges Ferraz e vigario Paranhos.
Tinha tocado no porto iki capital o vapor
francez Wr ihcii, di linha do Havre, leudo a
seu bordo o cadaver de um passageiro, que falle-
ceu pouco antes da entrada, pi-lo q:ie foi maudado
sabir para alirar ao mar n cadaverr e posto de
observaijao.
Sendo os dionics exislentes a bordo examinados
por dous medicos,, declararam estes ser a inolestia
fefcre typhica.
A presideneia da provineia ordenoo qsie sejam
postos em obsarvacao os navios piucodenles de
portos infeccioaados.
Foi suspeuso de ordens o Rvm. Manoel An-
tonio Ferreir.i.
, A Variola fazia estragos em diversos pontos
da provineia.
0 pilacho franeez Sainte Aatte, que enea-
Ihara prto da barra do Ciravellas/conseguio sa-
far, seguindo viageni para 0 Hio Grande do Sul.
No domingo 12 renniram-se era assemblea
geral os incmbros da sociedade dos Vetemnos di
Indepeiidehcia para elegerem o novo cooselho di-
rectors, o qual llcou assim composto :
Presidente.Tenente-coronel Manoel Jeronymo
Ferreira.
Vice-'presidente.Conego vigario Pedro Antonio
ile Campos.
!. secretario Antonio Genlil Ihirapitanga (re-
eleito).
2. dito -Alferes Simpliciode Silva IWts Jorge
Gomes (idem).
Thesoureiiii. Maniel Felix Pereira de Araujo
(idem).
Vogaes. (>)mmendador Joaquiui' Antonio da
Silva Carvalhal, Manoel Joaquim do Ma.illiaes
(reeleito), Antonio Ramos pereira de Queiroi
mem), Francisco Ernesto RiDeiro (idein^ capitao
Lui' Ramos Pereira de Queimz, capitao-Jose An
tomo da i^ista, Dr. Pedro Bonges- Leilao Dr. Aris-
tfdes J. Gajuoiro de Camitos.
Fallcceram.: o arlista dramatico Joaquim Jfrse
Bezerfa ; t> loigo oapucluHrto froi Macario ; o ea-
pitao honorario do exeiciti Bernardo Reiueiro
Guanaes Minciro ; e o vfgano da Bba H>ra do
Campo de Brito, em Sergipe, padre Booorio Fiel
de Sigmaringcn.
t> Parana, em viageni: para o-sul do iinpe-
rio, locoa oo porto da- capital no- dia 20 do cor-
3a*.
0 origue-escuua Ue guerra lonekrv, tinha
seguid i para os Abrofcios.
No dia 17 com&gai'Am as peaces- o-ruenadas
por S. Jxc. liviiia. i> Sr. ae*bispo pela paz da
tgreja
O caoibio sobre Londres tegutava de %i 7/H
do eujo.|a 26 t/8 d
A alfandega. aendeu d# 1 a 20 do corrente
323:493*550.
ALA-liOAS,
Nada occorren que iaerHj naan^ao.
j___mt'iit*'.....

.-----------;----
DIARI4.
-T
'
'*
1
rufflo
Belofjaila Hteni*to. -Por poriaria da
eXIdimcn da pi-r^riaeta .^de 2a do urrrente, foi
jonerado, a seu neJiJri, 0 conscllieiro Francisco
tf? IVy.) iSarr.iiiterrcto, do dcTegada litlerario do
flisivett'di} JafcoatJo, 'egfoi nommtlo para osubsli-
itaix sAnenanl Amaru Jo-aqwm Fonooca de Al-
*U"r"eF'que. "
' Ciiit,iytA aeh>naVFor poilarias da pre-
*JJ>oia4R proiiiucia; de 2*3 do eaifenle, foram
1is(erl4 fjru^b *orwi "do edserva. Ufiando zy,-
k4 a. .| bataihlo* desso'lsarvico : < taps
Aifnu'.o'Bersoa d- AMaqucrqiie, Joau Lucio
{am Jmj-*, Jria. RiaUfto Marquei e Manoel
* &ty> C-adeiro Simoes-, a son pedi i>, S vis'.a (\o,
|W[ dia II do
,* dajuslica,^?-
nuncion perante 0 respectivo supremo tribunal,'e
Sr". D. Frei Vital Maria Gongalves de Oliveira,
bfspo d- v ^^iiJ
O prficw* foi distrihuido ao Sr. eonselheiro
Maood Messias de Leao.
A denuncia nede a pronuncia e consequente
condomnacao do Sr. bispo de Pernambuco nas
penas dos arts. 96, 86 e 129 do codigo, com ocon-
pote (Je curro Jc ^fenmstane as aggravantes do artigo t6
? 3.', 4.o,*8.. c jo,
Os crimes sao :
Ar. 96. Obslar ou impedir de ciaairto'&r uil-1'
neira 0 effeito das dcterminacSes dos poderds mo-
aerador c executiro (jac forem conformes 3 coos-
lituicao e as leis
Penas : de prisao coni tfabalho por 4 a 16
annos.
Art. 80. Tentar direetamente e por factos des-
iruir algum ou alguns artigos da constituiglo
Pebas: dc prisao coin trabalho por 3 a 12 anno;;
se 0 crime se consumar : penas : de prisao com
trabalho por 20 annos no grao maxlmo : por 12
annos no medio e por 6 no minimo.
Art.129. Serao julgados prevaricadores os em-
pregados publicoa que por affeicao, odio ou con-
lemplagao ou para piomoverinteresse seu :
t. iulyarem oi\ procederem conlra a litteral
disposigaodi lei.
Hems : perda do.emprego, com iobabilidade
para outro, jxir um anno e mulla correspondente
a seis nieces 110 grao maximo, perda do emprego
e a mesma mulla no grao medio. Suspensao por
tres annos e multa correspondenle a tres mczes
no prao minimo.
Art. 16. Sao circumstancias aggravanles :
3. Tor 0 dclinquente reincidido em delicto da
mesma natureza.
4." Ter side 0 deliaquenle impellido por un
tiotivo reprov.ido.
8. Dar-se no dclinquente a promedilagao.
lO. Ter 0 deliuquehte commellido 0 erime
comabuso ue conflanga nelfa posla.
O Sr, eonselheiro relator do processo tera de
dar-Ilie 0 couvemente andamento.
illottdiks fiilsiis. Ao Jornal d< CommerM-
do tlio de Janeiro coinuiunicou a secretaria de
estado dos negocios da fazenda 0 seguinte :
Foram apprehendidas, na provineia do Rio
(ir in I.i do Norte. duas moedes de prata, uma de
3tW rs. e outra de I i, as quaes se reconhecem,
logo a primeira vista, serein falsas pela imperfei-
gao de toda a Bravura c pela profundidade da*
serriibas,-tendo ainda a de 1/ grande espessura.
Alem de-tes signaes, verificou-se mais, pelos exa-
mes a que se pmecderara na casa da moeda, que a
de 500 rs. pesava seis grammase a de if dezesete,
tendo a prata da primeira a titulo de 0,7355 e a
da segunda 0 de 0,610, qnando a de 300 rs., ver-
dadeira, tern o peso de 6,373 grammas e a de 1J
o de 1,275 e os titulos de 0,917. >
Jury do Recife.Anle bontem, eousti-
tuido 0 consollio de sentenea pelos Srs, Geminiano
Joiquim de Miranda^ Emiliano Ernesto do Mello
lamboriin, Iteinardino de Senna da Silva Guuna-
raes, Di. Alfonso de Albuquerque Mello, Franc sc-)
d'Olivelra Mello e Silva, Francisco de Salles An-
drade Luna, Jose Euzebio Alves da Silva, Fran-
cisco Antonio da Silva Cavalcante, Thome Joaquim
do Rego Barros, Joaquim Francisco do Espirito
Santo e Joaquim Pears djs Santos liezerra, eu-
Irou em julgamenti o reo Jos6, escravo do vis
coude ds Sna-suna, prnnnnciado no art 1.* da lei
de to de Janeiro de 1855, por ter assasonalo cm
um tiro ao eserava Pio que servia d* feiter no
engenbo Camorim, ii cuja fabrica perteocia o de-
linqucnte.
Em vist da decis.ii do jury, quo classilie >u 0
crime no arligo -192 do codigo criminal, foi con-
demnado a gales perpeluas grao medio das penas
deste artigo.
Foi a-j-'Vogad0 da causa 0 Dr. Antonio Hercu
lano de Souza Bandcira I'd. o.
Hontem deixou de haver sessao por falta de
numero siilDcirnte de Juizes de facto.
Faculiladc de Direito. Realisou se
hoolem a del'eza de theses do Sr. bacharol Joao
Vieira de Araujo, que foi approvado.
Ri'imiai) de irniiiuelaile. -Hoje as &
horas da tarde deve haver reuniao da assemblea
geral da irmandade de Saul'Anna, alim de se Ira-
tar de negocios de inleresse da inesira, inclusive
0 da interdicg4o lan;ada por S. Exc. Rvma.
Em transits -A bordo do vapor llenrtque
IK acham se 318 passagciros para o sul do 13a-
porio.
Reuuiao ntaeoniea. Amanha deve
haver sessao da assemblea geral da loja magouica
Segredo e Amor da Ordem, alim de se proceder a
eleigao dos novos fmiccion inoS.
Iliarin de Pernatmbueo. Se chega-
rein hoje os vapores Valparaizo, Cuzco e Douro,
distnbuiremos amanha nusso numero de segun-
da feira.
Tiieatro Santo Antonio.-Rcpele-se
hoje neste tbeatro o bonito drama de Pinneiro
Ciagas AMorgadinha de Val-Flm; quo tantos ap-
plauses temobtidi do nosso publico. Para faclli
tar a courtirrencia as pessoas que inoram nos ar-
rabalde*, a empreza lara parti r um trem depois
do especticulo, ale Apipucos, tocando em todos
os pontos da liuha.
Amanha havera repeticao da Rainlm Crino-
line, e no Gymnasia dramatico, A Torre em Con-
curst, as 5* l|2 horas da tarde.
A111 or ao estudo -A's lioras e 110 lugar
do costume havera hoie sessao extraordinaria
desta sociedade lilteraria.
Sjt^rao danv-ante.Havera hoje um nos
salons da sociedade Juvcntude.
Ronbo Ao amanhecer de hontem appareccuJ,
roubado o armazem silo a rua de Doiningos Jose-
Martins, n. 118, e que Serve de deposito de mer-
cadorias da casa commercial do SaLeitao & Coim-
bra, em diversos artigos taes como : rede de
scda para rabellos, canivetes com cabos de ma>
dreperoia, brinzao para veflame, etc.. ettv no
v3lor pouco mais ou menos do 1:0/04000 Des-
coalia-se que os ladroes t-nham penetrado no ar-
mazem por meio de chave falsa, eque sc mais nio
leva ram foi porque alguma cousa os assustou,
mostrando ter sido a fuga percipitada, um ^acco
c*m cartCes de rede e um ferro de abrn- caixoes,
que deixaram.
Foi lie tim. Encetamos hoje a publics gao
do interessante romance historico iMcrecia Borgii,
memorias de salaaaz, do applaudido oscriptor hes
panhel D. Manoel Feraande'. y Gonzalez, vertido
para portuguei pelo Sr. Alfredo dc Sarmenfo, e
d-t presente em puMicacio avulsa em Portugal.
Reaomm'endamns aos nossos leitoros esse roman-
ce, caeio de scenas inleressantissimas e no qual
ligura toda a celebre fdmilia Uorgia.
Goyanna Nosso correspondence desta ci-
dade escrevu em data de 19 do coTronte :
A variola, que, pareeia querer fas)recer-nos
com sua ausencia, nao tem inelhorado cousa al -
guina; isto tenho observado nestes altimos dias
em quo el|an>uilo tem recrudescido, principalmea-
te na cadeia, onde creio que nao deixara um >6i
preso de ser necomettido.
Os medicamenlos homeopathicos enviados pa-
ra aqui pelo Ex id. Sr. Dr. Lqceoa tem scrvido
baslante, pois que as pessoas encarregaiias de ap-
pi i ca-lo j, segund'-i as instruce5es que d alii vieram,
teni sido frequent'emento' proeuradas, ft elUs-vio
produzindo bone ivsultados.
Os peesos aUieados tem si *> medicaiios pela
bonieopilhia, 1 aiuda nenhuin oVstes morru, gra-
gas a efflracia dos remedies e a, diligencia dos quo
os applicant. 4-
f Soinente dos accommettidos na cadeia falleceu
Justiao Josa da Costa, como ja live ocua&iao de
comuiunicar-ihe, e este mesmo suecuiijbio muito
antes de serem para aqui remeltidos e:ises medi-
camontos homeopathicos, pelo que ainda se nao
omiou um desproveito dosses remedws.
' 0)Sr Dr. Hoiioriu VaaCurado, promotor pubaco
^jsta oomarca, tem sidu. uacaogavcl em favor da
nuinaaidade aqui perscguida por e-sa horrivel
pestoy tem tomaio asvotralaraenW de cerca de 100
oessoas, a respeito das cjuaes tem feito prodigios,
acudindo a todo o instance aos reclamos daqjielles
que 0 procura'm, a^H>"-*ia*o COi* vantagens admi-
Sveis os remedies de sua carteira homeopa-
iea.
a E convem solar que o Sr. Dr. Ikvnorio e tan-
10 mais digno ds cousidera^ai pelos erforcos que
faz em bem do povo, quaatofi preeiso saber que
nao tem poupado despeaas para tor a sua carteira
sempre bem sortida do Don* nvdu-amentos.
Muito. auJes de para aqui virem os qae foram
remeltidos pelo Exm. Sr. Dr. Lucana ja clle appli-
cava os seus, 0 quo lem feito ate hoje.
9 Awedile quo receio seriamante ser "atacado
dessa maldita posie, pois persuafl i-me de quo, os
due-11,-10 0 forem constiluirao a excencao ua re-
Mk
Na quarla feira foi a scena, no ibeatro Gym-
fsasio Dramatico, 0 drama em b aetos do 5r. Men-
4es Leal, intilulaio Peilwe acomadia Qnem ca$a
q/.ier casa.
t 0 drama correu soffrivelntenlc 0 a comodia
sratfou basla^lQ, tondo ^idq bem der-empo-
Htfluta,
a Hontem fez 0 Sr. Penante um especlacote.
como cosiuniam bier ahi no liucir^, proprfan
te para -rir, levando a scena a'bouiedia'eiBI47*tbV
fl^'w acfto, ou receita para curar patrbts
romanlica~ e a?.sca> eomicas Ferro c fogo, e a
Jo Sr. Corfeia \^'me* Sr- Doningos fora do
terio. '
Fcram soflrivelmente os arlislai qaa^6116 t0'
raaram parte. --i4
* Sr. Di. juiz municipal-remetieu ao br nia." *
motor publico 0 in.juerito policial procedidoSju.
I ua unniiio de lal pelas offensas pbysicas" teiaas
em Sevcrino Francisco Carneiro.
oHoje teve lugar, aqui, na igrejallc Nossa SennO-
r* do Rosano, affesla N. S do llom Parto, a qua
fyi feita com alguma solemoi'lade, havendo procisl
sao, I lattfc que percorfeii diverts ruas da Ua-
de, e Te-Deuiit a noilc.
Orou na fesla 0 Rvm. frei Joaquim, prior do
convento do Carmo, qne clregou auui esta se-
mana.
0 Exm. Sr. barao de Goyaofla teguk) para es-
sa cidade, onde deve se acliar, alim de eonsultar
aos medicos d'ahi .obre certos soffrhnontos sens
e de ver se com a mudanea de elimr, t distra-
hindo-se, melhora de seus inevmmodo*.
Fago votes para que se restabelega S. Exc.
e volie.para aqui onde os seus numerosos amigos
0 espcram, gozando de novo vigorosa sattde.
Pela syinpaihia e repeito de que goza aqui o
Exm. Sr. barao, me persuado de qae ninguetu
deixart de esllmar 0 seu prompto restabelcci-
mento
Mais nada : ate onlra vez. 1
Inizes de direito.Lemos do Jorn-rl ia
Bahia :
Eslao nomeados juizes de direito para as f"-
marc3s :
DeTapeora -Dr. Rrnacio Aceioli de Aia#hft.
Do Camisao -Dr. Olymuiw.ManocI dos Sjtos
Vital. m
De Canuavieiras Dr. Pe Iro Caetano da Costa,
reraovido da de Monte Alto.
Dos Lengoes Dr. Antonio Jjaquim Corrrta da
Aranjo.
Dinheiro. -O vapor Parana troaxe para :
David F. Ballir l:Vt4MW0'
Jose Rodrigucs de Souza biKlfiOBO
Jose Antonio Pinto slOiOOtt,.
Comarca da Victoria. R^ccbemw o
Municipio, do 11 do corrente, do qual (>tiraniiii's
0 seguinte :
No dia 29 do prelerito mez abrio-?e a 3' ses-
sao do jury deste termo sob a prftsideacia do
lllm. Sr. Dr. Marcos Correa da Cauiara' ?ama-
rindo. Occupou a cadeira da pn motoria publiea 0
Sr. Dr. Geroncio Dia* de Arruda Falcau.
Foram julgados os seguintes accusadoa :
Dia 29 -Nao eomparecouJo numero legal de
jurados, procrdeu-se ao sorteto, adiando-.-e a
sessao para u dia seguinte
Dia 30 -Compareceram a barra do tribunal os
reos Joaquim Anl nio da Silveira e Antohio Aires-
Feitosa Neto, art. 269, ad ogado 0 Dr. Mareelino
Ferreira Lima. Foram condemnados a 8 annos
de gales.
t 1 de outubro Manoel Francisco dos Santos,
art. 257, aivogado Dr. Nicolao Ite.lrigues da Cu-
nha Lima. Coiuleninado a 2.111110s, 5 mezes e5
dias de prisao.
o Dia 2 -Antonio Pereira dos Santos, advogado
tenente Alexandre B?zerra de Albuquerque Bar-
ros, condemuado a 7 annos e 6 mezes, medio do
art. 2*2.
> Dia 3-Manoel Franckco Ca Silva, advogado
Dr. Nicolao Uodngues da Cunha Lima, sbsolvido,
art. 201.
Bia iMaine! Francisco Barradas, advogado
teuente Alexandre Bc.crra de Albuquerque Bar-
ros, condemuado a 8 annos dc gales, m.ixiino do
art 269
Dia 6 Manoel Joaquim dos Santos, advogado
Dr. Joao Francisco Teixeira, conleuinado a li au-
nos, medio do an. 193.
Dia 7 Guilherme Francisco Antonio, advo-
gado Dr. Nicolao Rodrigues da Cunha Lima, ab-
solvido, art. 205.
Dia 8 Lucio Celejtino dc Torres, advogado-
Dr. Nicolao Rodrigues da Cunha Lima, cendem-
nado a 7 annos de prisao, medio do art, 193, e
mais em 7 mezos c 15 dias, medio c minimo da-
art. 201 appellou 0 juiz.
t Encerrou-se a scsao.
Supremo Tribunal dc dustica.
Na sessao de 4 do corrente, fez sc 0 rclatorio do*
processo instaurado contra o presidente de Per-'
oambuco Dr. Henrique Pereira do Lucena por de-
minr.ia do club Popular da capital daquella pro-
vineia, por occasiao dos acuiitecimento de 14 e 10
dc maio do corrente anno, sobre interdiecao das
irmandades, de- cujo processo e relator o Jsr. eon-
selheiro Veiga, e foram sorteados os Srs. conse-
Iheiios Albuquerque e Messias de Leao. Lidas a*
pei.-as comprobatorias da denuncia e confront&das
com a resposla 0 icuiuentada dada pelo presidente
du provineia, dennnciado, foi julgada improce-
dente a denuncia por nao ter futidamtnlu algom
em direito c nem esta rein provadas as argnigocs.
0^ fact is do dia ii davam sobrada razao para o
presidente t>mar as medidas cautelativas necessa-
rias para mauler a segurangu e tranqui.lidade pa-
blica, e assim 0 fazendo cumprio 0 seu dever. E:
nem os denunciantes pediudo as penas do art;
129 do codigo criminal, se fizerem cargo tie pro
var que 0 presidente, como func.-ionario publico
violou algum 1 lei pir idio, afj'eica". cur,temploc*o<
on para promocer inleresse pessoul sen. Assim
declarou 0 tribunal pelos seus organs os juizes
sorteadm e 0 relator, o quo foi unaiiimemioite
apiir ivado.
Tribunal da Rcla^ao da ciirie
.Va sessi) De 7 d> corrente fut jnlcmla a iwista
eiveln. liO. (De acordaos de Peroambo*i.'Vi-
Rfeorrent". Manoel dos Santos Nunes de Olivciia ;
recorrida. Maria Izabel Nunes de Obveira, rmr si
e como tutora de sews lilhos.
Juizes os Sr.-. Coiiipos, Gouve.:, Assis Mascare-
nhas, e sorteados 03Srs. Pereira Monti un e Aqui-
no & Castn.
Julgaram b-ias e firmes as parlillias do Il.i2l2 a
fl. 213 por serem feitas c-nformes a dscreto e a.
iguaWadc rcc nnmendada.
Na sessao dc 10 foi julgada a revisla.civol n.
1.237 (dc acordaos du. relacao do Msranhiio).
Rjcorreiites, o Dr. An(bi de Aguiar e Silva 0-
sua mullier; recorridos P. Manoel de Mesquila*.
sua mulber e outros. ftilzc?, relator 0 Sf. de-cm-
bargn-lor Almeida, o revisores os Srs. co'tselbdirn
Tivares Bastos e Magalhaes Castro. P.Qlatado.
feito c discutida a ca!i cm mesa, foi lidu pelo S.
juiz nlalor oacordii. do supremo tribunal de jusii-
ga e bem elncidado o landamcnto diconcessao da
cevista. julgamm ext':iipi>ranoos einadmi-vsiviir-os
embargose* fl. 348nun que nulla e.iiiiqritticAWiin-
le se refurmou o awirdao de f!i 5.17, que liana
pass-ado em julgad". a 10 podenite por isso aare-
cofridos. vir mas com os embaigos como v: am
13 dias depois de pmferido o ?.trd;io e de u- in-
timado as>ira quanlo a lei ai p-rmitie t* aaf-
bargos diuitro do.-. 5 dias, *. tendo a parte, jck iks| B
que elle pa-sara mu julga I iwdido suu cnila dc
.seutenca para liar a execuji). O. eaw. jfligado
centcrn-, segmiido dkeit-i, verdade iraMwfctvul '
nao pode deixar de ser resaeitado aeaal trilMiiiat-.-.
do eontravio tedas os direUas licariain nanBlnaiVit
HrsjMdicatm pro ceritat* kobetur A relagao ie-
visiM-a.coHoea-se n> pisto em qu>' OMalnleitata
qua-primeirauieiite julttoa o feito, u adveriida pen
cuacessiio da revist 1 de qu* fiira p^slcrpndo u di-
reito em these. julgan& em ultima; insten-ia, rc-
pnpa o mal feito, e assim restanrado <> acordao II.
337. o annuHado quanlo se praticu
(lain em
(Saute, fica sustenl.nb> > 'caso ja^'ado a Vahdad.s
areexistcntc a admi:-*.\o dos ftnaftPgos extempa-
raaeos.
Na sessio de-la-foi julgaili a rcvi-ta criio,,
n. 18 (de acordao.da relafio fc rVrniin.bu.cl \
Recoirente, Justao X,ivier dc Ca-lro Magalnacs,
tabailian em uuados iiiuiiicipios da pwvinrtiv, do
Ceara ; cecorndob; Maaoeida Frota XLiria a^us-
tiga. 0 recoiaoiite loi aceusado e couaemnado p i-
ter.passado uma procucacao com todiis as- fbr-
malidades extorhas, masfiia qu6 6 ubtorgaite um-.
senhora oclogenMU, e notoiianieiito tida i
cadum, ssrda e doeute ; niio estniio,'p.^^^
seb cura5*Mlu. A eondemila.ao f'i s;is-,iia-i.i peL:
ri^iagai do Peruarabtt''o; inquiuada, poren;, 'd
nulhd:do pelo supremo tribunal I* justica, qri
concedjo revisia para a relacao ds&la cSrte ;om
aqueVu funilameoto e agira inv.inen'i1 \v.
por vstv retagao eomo revisora. I" juL
S-. desembarga'i M- Gouvfia, 1
dese .ibargadoivs Mascarenhas e Almeida, >
sxirteados mai; 03 Srs. Andrade Pinto, Corq
Lima 0 Araripe. Feito ui lunin-iso tebitoi
lido 0 ao irdlo d) supremo tribmil, foi
longamonte a causa emc-ujo d-baie icv;i.\ra1u 1
as Srs. desembargadores Abu
rrpe, I). Luiz e Andrade Pmiu, iawuclo 0 Sr. 1
tor a loitura da pegas principaes d> v-jl,i|uio
p occsso, a final aWidvi-se niumllar o pro'.' s-1
dnsde a prontvaeia exc,.u,sivamanle. licandb
goroso todu ft nk'iiaria e m.inl.n
a q>n fay* saguif o iwrso da proun
iproprios au 6 d-> di. '
lantigac moderua. Os firs d <4-


Atm
j
i


DiirlO ikPerstoduoo Sai>bado 25 de Outuoro de 187*
tneida, Goo'Mi e Javier
Brito,
resoniocendof
rrente Os Sr*. Camara e eohscluc.rG
Bastes annullavani loIn o ?**. -
^_TNa sao de 1 foram dislnboid*
05i fauna
civets:

L '
S. 143 Pornamh"-
evistas
IM. Sevnrin-i o
outros, R.R "":1,ri,llie BenurJo "dekDIiveini e oulros.
til. i. MascareRhas
tazenda provincial, R. An
PernambU'io. R. a
Jose de Fiiueiredo.
St. Araripo.
l^torln do Ml* de Janeiro.- Resu-
iiio dos prwnios lla M' loteria concedlda em bene-
liekt das casas d< oari lade da provincia to Rio J"
Janeiro.
N. 75t>...................... J.W*009
X. 40M...................... 10:00:2000
X. 3896...................... 4:0004000
N. MB.................... 2:000*000
Ns. 3444 e 42i'3 1:000* a cada urn.
Ns. 238. 23W, 1007. 60198004 cada urn.
Ns. 1424, MM, 2166, z247, 3767, 38A), 4044,
4857, 4980, 523>l2O0A cada um.
Ns. 89. 193, 418. 598. 633, 706. 873, 1027,
1C73, 1907, 2488, 2802, 2902, 2983, 3252, 326".,
3456, 3771, 4167, 4770100* cada uib.
Ns. 5. 141, Mi, 404, 474, 534, 575, 602, 920,
952, 992, 1077, 1313, 1322, 1427, 1433, 16 1723, 1747, 19-C, 2024, 211* 2203, 22W, 2256,
3357, 143*, 2495,, 2">I9, 2561, 2749, 2787, 2864,
246, 3 -7ii, 3i, 3603, 3S49. 3823, 3911, 3981,
4067, 4280, 4364, 4320, 4571, 4603, 1764, 4963,
4993, 50*;'. 5033, 5071, 5098, 5289, 5462, 5467J
5707, 5860, 5985 -40* cada um.
Resumo di s premios da 70' loteri*. conce-
dida par;, inelhoramento do eslado sanilario :Q
N. 965........ 20:000*00 i
N. 3,487....... !<):in<0*000
N. 4.790....... 4000*000
\. *, 110-....... 2:00>*000
Ns. 1349 e 4770 -1:000* cada um.
.Ns. 1611, 1846, 3671,5161-800* cada um.
N* 1436, 265(1, 2780, 3664, 3917, 4*23, 4424,
4,694, 5,236, 5,327,-200* cada um.
Ns. 157,398, 1455, ioiS, 19*3, 2101, 2356.
2471, 3173, 3248, 3306, 3tkJi', Mi, MM
4237, M48, 43 W, 5037, 5279, SaM-WtOM
-ada am.
Ns. 6, 8, 124, 13!,
703, 769, 812, 849,
1398, 1729, 1731,
2081, 2088,
3S|8, 3715,
MM, 4292,
4742, 4810,
183, 279, 33?, 382, 483,693,
1138, 1143, 1144, 1380.
2010,
3547,
^168,
4554.
4967,
1884,
2433,
4044,
4461,
4874,
1898,
262',,
4031,
4404,
4917,
1902,
3259.
4167,
448r>
4960,
596-40*400
1790,
2297,
3823,
4377,
4816,
jjiS:;, 5334, 5337, 5431, 5779,
cada um."
Resumo dos premios da 77' loteria conee-
N. 1139....... 20:0003000
N 549 ..... 10:000*000
X U38...... 4:000*000
N. 1044........ 2:000*00J
Ns. 420 e 4,580-1:000* cada um.
Ns. 598. 872, 2329, 5216-800* cada um.
Ns. 1484, 1502, 1712, 2042, 2464, 3007, 3960,
4232, 4722, 5077-2004 cada um.
Ns. 341, 470, 544, 856, 12 W, 1834, 2-383, 2604.
3222,3327,3437, 3718,4:04, 4432, 4515, 4642,
4659, 50*0, 5035, 5868-100* cada um,
Ns. 307, 514 632, 641, 686, 740, 754, 937,12C9,
1254, 1326, 1385, 1392, 1480, 1482, 1595, 1615,
1890, 1937, 1951, 2052, 2073, 2177,
2437, 2456, 2598, 2627, 2634, 2663,
2834, 2846, 2852, 3005, 3"79, 3402,
3531, 37 14, 3899, 3931, 3972, 4378,
4781, 5185, 5441, 5527, oo"2, 5692,
3963, 5989. 6000-5.0* cada um.
Loteria.A que se acha a venda 6 a 71.* a
heneticio do collegio dos orphaos e orpnas, a qual
eorre no dia 29.
Leilao.Segunda feira, 27 do correnle, deve
ler lugar por inlervencao do ag^nte Pinlo o leilao
de mobilias, d fferentes moveis, louca, vidrns e
no armazemda
2J13, 2336.
2668, 2673.
3436, 3134
4445, "4706,
ii&ii, 3853,
do dia
4,
muilos outros objectos existentes
rua da cadeia n. 43.
Casa tie deteuyao.Movimento
23 deoutubro de 1873:
Exist iam pre?"? 341, entraram 3, sahiram
existem 340.
A saber
Nacionaes 246, mulheres 12, eslrangeiros 39,
escravos 41, eseravas 2.Total 340.
Alimentados a custa dos cofres publicos 280.
Passajireiros.Vindos dos poitos do sul no
vapor brasileiro Parana :
Pedro Nolasco Correa, Pedro F. do Almeida,
Antonio Fernandes Porlo, Antonio de Moura Ro-
lim, Pranetaao Fontan, Pedro F. Schmith, Emilio
Xehans, Anlouio B. Monte -negro, Joaquira Jose" de
Aranjo Vasconcellos, lenente-eoronel Vicente Je
Aguiar, Joao Tavares Cordeiro, Thomas Esiiinola
da Costa, Francisco Rodrigues da Costi, Antonio
loaquim Peixolo, Joanna Maria d'Assuicpcao, lost
Portella, Mam el drapeo, Antonio Alves de Sa,
Joao Baptista buran, 1 ex-praea, sua wmhcra c 2
filhas, c.ipita) Tertuliano da Costa, 3 prajas, Anto
mo Rodrigues da Silva, Ury Isacc Izidore, capitio
Estevlo Joaqn m de Oli>'eira Santos, alferes Jose
N. de P. de a. Norga C .atinho e sm familia, Ma-
noel Barrelo di Silva, Jose Barata das Neves, Jo-
se de Mattos, Vlanoel das Neves, I praca, Joao Ro-
drigue.s dos Santos, Manoel dos Santos Nunes de
Oliveira, Francisco de Assis Jaqa s, Dr. Julio Au-
gusto da Cunha Guimaries, Jose Vicente de Li-
ma, Belniro Milancz de Loyola, 2 pracas, Isabel
Maria Brandao Paes BarMo, Ermogenes Norber-
to Gusmio, 1 cabo de esquadra, 1 cx-praca, D.
Agripina da Silva Monte, Justo Adriano e t cria-
do, Antonio Lupes Cardoso e sna familia, t^eoncio
A. Ode, Jose Augusto de Almeida, Agrepino Alves
Fialho, Maria Fraocisca dos Santos, Candido Bnn-
sindo, Genuirio Jose Marques, I). Malhilde dos
Santos Monte, Manoel Joaquim Rodrigucs Ferrei-
ra, JoSo Fern.indes da Costa, Francisco J. Alves
Rodrigues, Manoel Paulo dos R-?is, Joio Francisco
da Costa, Jose Manoel. Baptista, Antonio Monteiro
Rabello, Doniingos R. de (larvallio Jaaior, capi-
tao Mar:olino Coulinho, Antonio L. Vianna. Luiz
Gonzaga dos Santos, Manoel Jose G. Ptreira, Adol-
pho F, Doniingos Jose de Farias, Antonio Jose de
C Valente, Pedro Camargo, I-uiz E. Rosario, Jose,
Pereira F. Barreiros, Joaquim Snares Barbosa,
Pedro Ignacio da Silva, Manoel Maia, Jose Antonio
Viveiros, Antonio Polycarpo de Sa.
Vindosclos porto's di Europa no vapor fran-
cez Henrique IV:
Maria de Jesus, Antonio Soares de Castro, Anna
Soares de Cas'.ro, Antonio Marques, Jose Pereira,
Lorina dios Santos Rodrigues, Julio Soares, J. An-
tonio, J. Leopoldo.
Cennltcrio publico. -Obituario do dia 23
do corrente :
Florencia, tscrava, parda,. Pemamhuco, 20 an-
uos, soReira, S%nii) Antonio; variolas.
Manoel, escravo, Africa, 60 annos, solteiro, Boa
Vista; Mene),'iie.
Antonio, eseravo, preto, Pernambuco, 30 annos
solteiro, S. Ji-se; meningo incephalit?.
Henri 4ue, aranco, ignora-se a nacionalidade, C
annos, Sant Antonio ; variolas.
Manoel Alfonso de Paula, pardi, Pernambuco,
50 annos solteiro. S. Jose ; hydropisia.
Julio Cesar Marinho, brauco, Pernambuco, 23
annos, casado, Poco : molestia do peilo.
Laura, branca, Pernambuco, 22 mezes, Boa Vis-
ta ; menengita.
Francisco .Vunes, branco, Portugal, 29 annos,
casado, Boa Vista, hospital Pedro If: febre ama-
rella.
pinnno co\niiViMR
RECIFE, 25 DE OUTUBaO DE 1873
O avlno dc t lie scteattoro e a
Boalcao.
Em opDOsicao as l-tssas julivras *bro a im-
prolicuidadeda so^arao^o i \ i/iMja-d i es!d-i. co
mo mpio de solver _erisM reiigi-s;, |".b-.i;ii
Jormal i) Recife um ariigt f ] ii t uonsna :$
nossas ligeiras reflcxies.- -
Nao e pjrem gritando vs '|i.):'m vv,;M., qiu
< a medida da separavao & ^ni-'a |uu6:iU 7"-ra
rosolver esta crise q:lc f:.." ::ns le icsiaiieleoer
a paz dos cspiritiis G a cor.l a'i 'ate dos anhn >
Ain.la -iiiandu o Brasil fo-so >nn ma prufcwfcui'
le, era procisameuto inopportuuo afcrw > goveruo
niio do jus ccwendi, maxiuie aclualuienie.
Nao e da harmonia qne nos vera essa pertur-
bacao; nio e das concordatas que nos vein o
abuso do episcopado; mas sim dessa liberdade a
que se arroga o rnesino episcopado, o qual so e
admissive! separada a igreja do estado.
Ora, quan.lo se reconhece que a separacio da
igreja do estado, da aos bi-pos o direito de intro-
duzir no paiz hollas, sem o placet, quando os bis-
pos negain ao govern > esso direito, porque so as-
sim terio amplo terreno para obrar e jogar com o
espirito supersticioso ; quando as proprias irman
dades recorrem das sentencas dos bispos, em con-
sequencia das concordatas, e que devemos pedir a
separacio dos dous poderes ; e quo devemos pe-
dir a roiura dessa harmonia em virto.de da qual
teem os catholicos (que constituem a maiorja da
nacao) remedio nas niaos do governo I
hota essa harmonia, com que direito poderia o
governo oppor-se a propagacao do syllabus T
Com que direito poderiamos dizcr quo as bullas
cundemnatorias da maconeria sao um attentado
contra as nossas instituicdes, desde que os bispos
com aquella liberdade que )he traz a separacao,
dissesse a nossa populacao os masons estao ex
eommnngados ?
Onde iria o Jamil do Recife inspirar-se para
escrever artigos iuiituladosnooos e velhos callio-
.'cos ?
Gmtr! essa Tdarmi intempestiva protesta n
proprio artigo C**>>Tnl do Joni* do Recife de 18
do correnle : onde se J* ** "r:,,la energica :
O eslado do Brasil e sJl' governo sio, pois,
velhos catholicos. '
E' contra a constitni?ao e o govern? 0 esU-
do que M levanla a nova propaganda rornanl, 9ue
se levant^m alguns bispos brasileiros. E' a re
volucao dos novos catholicos o que elles fazem,
desfrahlando ousadam-nto a banaeiri de Pio IX,
cuio doniiiiio temporal querem restaurar,
a luta, portanto, que se acha iravada no im-
pcrio >Io Brazil, e perfeiJameolS a inesma luta do
imperio ailomao e da Suissa. >
Para reforcar o que ahi fica transcripto e ao
mesmo tempo dar uma licao aos que pouco gos-
tasn de estudar a qnestao pelo seu lido pratico,
jul'/auios aciTtado trasladar para aqui o que disso
o Novo Mundo a proposito da magna questao. Em
um artigo, sob a epigraphe Os liberaes, a igreja
e o estado o elle assim se exprimio
Aos liberaes (refere-se aos liberaes do Brasil),
outro-sim tomamos a liberdade de observar que
na questao na Alleraanha ha tambem liberaes,
amantes das instituicoes livres e inimigos de todo
o genero de intrusoes despolicas do governo era
materia de religiio, e que esses liberaes votarara
com Bismark. E nao sao somente os liberaes al-
lemiies que reconhecem qne o estado deve regu-
lar negocios ccclesiastico*.
0 Dr. Falk nao ha rauitos mezes, disse com ra
zao no parlamento allemao que os .liberaes da Bel-
gica por muilo tempo cuidaram que o unico meio
de se impedir o conflicto entre a igreja e o estado
era a teparaeSo delles. 0 qne e que tem succe-
dido ? Os li:
que essa the >
ja uma liberdade illimitada, inclusive a de atacar
a independence do estado e de suas instituicSes, e
por conseguinte a de atacar a sua propria exis-
tencia. >
N6s accreseentaremos que uma emenda pro-"
posta a constituicao da Suissa por liberaes lorna a
fe religiosa do cidadao dependente do eumprimento
do sens deveres decidadio, isto e, ostabelece in-
questionavelmenle a supremacia do eslado
Mcdilc hem o Jornal di Recife sobre o porigo
da separacao da igreja e do estado, entre cm si e
lia de reconhecer que em um paiz calholico como
e o Brasil, a harmonia 6 indispensavel para me-
Ihor garantia do estado contra as transgressoes e
deslealdade do poder ecclesiastico.
Sem essa coiicorJata a propria exislencia da
igreja sera atacada.
As transiccoes rapidas podera ser um mal, me-
nos um ifinelio, e neni e com ella que o nosso
governo ha de salvar os direitos- dos catholicos,
porque a maioria da nacio ainda nito ?e pronun-
cia a respcito.
Nao 6 com um programma que nao e aceito po
la maioria da Da$u>, W- ?e na Je Pun'r 'rsns-
gressor, mas sim com o qne esta convertido em
lei.
Nao e uovo o quo vemos no Brasil, e para r.'sol-
ver esses conflictos nun -a foi preciso separar-se
a igreja do estado
tarrho, bronqnites e tosse chronlca, rwpondel ft
ctU pergnnu. Na admiravel maravilnosa eora-
nosicao da Anacahnita Peltortit se tos offereos qb
remedio quasi inWIlvel, rapidj e ititeiramente ..
inoffensivo. A sua preparacao a coiaposta deft-, *fi
sneeos balsaniicos e nutriiivos d'uma arvore me-
xieana chamada Anacuhuiti, admiravel autidoto
ma gratuitamenle offerecido fela natiifetu, para
a cura de todas as enfennidadei pu in.mares. 0
uiiiulo nS*, encerra em si eoHst que c>nl ella de
olfeM rz poa comnarar. Os proprios medic-.* las-
fifl.:ani 'lUe. "i>^0 as snas. Tnelhores e mais po-
der..;",, iikjuir'-.ias, rljegaram a provar a sua in
*.::; Iai: o i;oi6.'a-.'ia, na diminuicao e curativo da
lose, -i par.-i UKVtar a rouquidao e idtlammacao
RIO
Colla 8 saeeas a Ism Bsaaty. Cafe % s* eeos a
Maiunoo Barroso. Cjgarro 6 barric** a Gomg, ^e
iMos ft Irmito. Caljado 4 ;.ajXa8 a Aranjo
;iVy,i ; c-io .-xcellente remedio tao agradavel
. .;.iica/, com lre|iienoia restabeleee os pul-
luoi:.*, s tirniichiiw e
eeUda natural.
a larynge ao seu primitive
TriitnnitiiiH racional do ea-
belU.
E' bem elaro, quo se os poros do craneo acham-
se obstruidos coin oleos, e assim por esta forma
a venlilacao natural impedida, as secrerales que
produzcin a cor e notreui o cabellu, tonum se
viciadas per estas raaterias inertes, fazendo com
que o crescimento do cabello seja tardio vaga -
roso, e sna qualidade deteriorada. D<;sfacam->e,
pois, de semeltantes composi-.oes ruins e emba-
timojft) |4^Us &-lrrao & Fillio, 110 Hltas
iPitmilra. I caixa a Bonrgard & C, 23 rolos a
Lima Bairxo.
Llvro 1 eaixft a Lailnacar. I a N'ogueira de Sou-
U) I a J. R. le ello, 1 a Walfr.-lo 4 Sooaa.
Q'leiji '* caixas a D. J. Perriri laCrnz.
, Brfii.i.
Cliar-llos 8 raixas a D. A. MattmiW, 4 a D. C.
Ferreiy- Clniwosilesil[ eaixaa A. J,se Leito
Bast. s. 2 .1 Oliveira & Irmao.
Pantio 40 farlos a F. Ribciro Pmtn Gumia-
ric*
T!-i t" 2 eatXJts a Cra:i.er Krev A i*, 3aSimoson
*n
Ma-.'.o.
Miudezas 1 ciixa a Oildas & C.
Tapioca 3 barricas a Autonio P de Abreu Cas-
tello Branco.
)B8PACHOS DE EXPORTACAO NO DIA 21 DE
OUTUBRO DE1873.
Para os portos do exterior.
- Na barca inghza Zingr.i, para Hamburg",
carrcgarain : R. Sclunmettau ft C. 283 saeeas com
20,726 1(2 kilos de algodao.
po.s, oe semeiimnies compusiyuw ^bj- jjonavio inglez Racer, para o Canal, carre
racosas I Conserve-se a culicula da eabeca Imt- } Pa, \ c d(m ,25000
pa e livre de toda a caspa. e esfoliacoes, e tenha- fff, ,_. _, ,rift
pa e livre ae toaa a caspa.
se as laizes do cabello em proprio estado de linv
peza, medianle o uso e applicacio deste excellen-
te e admiravel vigorante vegeul o Tontco Orien-
tal.
0 sea principal objecto e dm e de conservar os
poros abertos, e o cabello luzidio, resplandvceate,
h.vto e brilhante.
Para S. Exc. providenciar.
Serd possivel que a professors nomeacfa
para Safgueiro leve de proroga^do em pro-
roga^do ate encontrar nesta capital uma ca-
deira que lho convenha ?
N3o ha amor d instruccdo ^ublica neste
pai/.?
Ainda obterd a mesma seuhora novo prazo
para soguir f
0 Garnbda.
iffMMERCHL
mandei passar o presente, quo sera pnblicade pela
imprensa e afflxado nos lugares do costume.
Cidade do Recife de Pernambuco, 23 de agosto
de 1873.
Eu, Manoel Maria Rodrihues do Nasr imento, cs-
crivio, o snhscrevi.
Reeife, 26 de agosto de 1873.
SebastiSo diRego Barros de Laceida.
Ao sello 300 reis.V. S. S. ex-cansa.Barros
de Lacerda.
PHaCA PO REC1FB # OR OIJTIJBRO,
ut im.
ki 3 1/2 HORAB DA TARD8.
ColHi'<8 tHeiaea.
Algodaode 1' sorte 8*800 por 15 kilos, ho: tem
e hnje,
Algod.o -de Giiyanna 1* sorte 8i30O por 13 kilos,
hentem.
.\p..,]i premio.
Dunourcq
Presidente.
Leal Seve
recretario.
kilos de assucar mascavado.
* Na sumaca hespanhola Guadlupe, para Bar-
cellona. carregaram : B. Oliveira & C. 36 saeeas
eoml.720 kilos de algodao.
No navio hespanhol Maristany, para Barcel-
ona, carregaram : J. S. Loyo ft Filbos 45 saeeas
coot 3,350 kilos de algodao.
Para os portoi do interior.
Para o Para, no patacho portuguez Michae
lease, carregou : N. C. Moreira 225 barricas com
15,*15 l|2 kilos de assucar branco.
Fan Acaraed, no vapor brasileiro Ipojuca,
carregaram: Fernandes & Irmao 15 barricas com
1,138 kilos de assucar reflnado, e 1 pipa com 480
litrus de aguardente.
Para o Para, no vapor brasileiro Parand,
carregaram : J. Bruno 101) barricas com 3,245
kilos de assucar refinado ; Cosu & C. 7 dilas com
484 ditos de dito.
Para Mossoro, na barcaca Riachuetlo, car-
regaram : A. Oliveira ft G1 barrica com 60 kilos
de assucar refinado, e 1 barril com 96 litres de
aguardente. Para Macao, J. G. Valente 2 barricas
com 120 kilos de assucar refinado.
Psra Macao, na barcaca Boa-viayem, carre-
garam : Guimaraes ft Braga 2 volumes com 60
kil-Ji $$ assucar branco, e 3 caixas com 180 ditos
de dito.
Para Mossor6, na barcaca Triwnpo, carre-
garam : F. G. de Albuquerque Maranhio 1 barri-
ca com 60 kilos de assucar mascavado. Para o
Assii, M. A. Senna 8 ditas com 3,245 ditos de dito
branco.
..APATAZIA DA ALFANDBGA
leadiinento do dia 1 a 23. 15:371*194
(deal do dia 24...... 794*394
Edital n.....
Pela inspectoria da alfandega se faz publico que
is 11 boras da nuulia de 2o do corrente se lta de
arremaur a poria desta reparticSo, In re de dlrei-
tos, e sujeitos ao imposto devi lo a im(.reza da
capalazia, a mercadoria abaixo doc larada.
Marca P S & C -1 caixa n. 6. viuJa do Havre
no vapor francez Ville de Bahia, e.ilrado neste
porlo cm 28 do mez pissado, e abandonala ai
direitos por Pinto da Silva & Casc.io ; cuiiteiiJo 7
pecas de cassa de algodao estampadas, pesando li-
3uido real 17 kilos, avaliados por 229*533, e 33
itas de diias avariadas, pesando liquido real 87
kilos, no valor de 243*600 rs.
Alfandega de Pernambuco, 23 de oatubro de
1873.
0 inspector
Fabio A. de Carmilho Reis.
Edital n. 81.
Pela inspectoria da alfandega de Pernambuco se
faz publico, que acbando-sc as mer:adorias conti-
das nos volumes abaixo mencionados no caso de
serera arreinatadas para consumo, nos termos do
cap. 6* do tilulo 3" do regulamento de 19 de se-
terabro de 1860, os seus donos ou consignatarios
deverao despacha-Ias no prazo de 10 dias, sob pe-
na de flndo elle, serem vendidas por sua conta, sem
qne Ihes fiqur competindo allegar contra os eifol-
tos desta venda.
Trapiehe Conceicio.
Marca M V. Duas caixas vindas de Lisbda pelo
vapor inglez Neva,- entrado em 25 de agosto do
correnta anno e consignadas a J. R. P. Guima-
raes.
Idem C. Duzentas ancoretas vindas do Portugal
pela barca porlugueza Nova Sympathia, entrada
em 27 do mesmo mez e con-ignadas a Carlos Alves
Barbosa.
Alfandega de Pernambuco, 24 de outubro de
1873.
0 inspector,
. Pabio A. do C. Reis
boje (25) pelo vapor acima mencionado para os
portos do norte, sera roeebida pela maneira se-
guinte :
Macos dejornaes, irapreseos is quaftroer nata-
reza e cartas a registrar ate 2 bpraa da tarde.
cartas ordiaarias le 3 boras d tarde, estas ate
3 1|2, pagando porte duplo.
0 admmistrJM)or interim)
___________Vicente Ferreira da Porcinncola.
Santo Antonio
EMPREZA .
^
tFLNDAECA
tondimento do dia I a 23. .
Idem do dia 24 ....
728.859*597
48:533*278
777392*875
Descarregara hoje 25 de oulubro
Vapor inglez Dotiro (esperado) bagagens,
amostras e mercador as para alfandega.
rao delles. O qne e que tem succe- Vapor liaCi0nal -Parana -generos nacionaes para
beraes belgas estao hoje convenciaos 0 tramChe da companhia pernarabucana.
via e falsa. Nio se deve dar;a igrc- Biri.;> mg|eza Talisman f rinha de trigo ja
i>cCUBACOES.
Sabbado 25.
Am 9 I|9 kernw eiu |
Pela ultima vex
A' PEDIIK)
0 drama era 5 actos :
r
KORfiiDimiDEVALFUl
e a comedia em I acto :
OS miMOS DAS ALMAS
Ha vera trem ate Apipucos.
Domingo 26.
A's 8 li* horas,
0 1.* e 3.* actos da
A
OU 0
Reiuado das mulheres
16.165*588
VOLUMES SAHIDOS
No lia 1 a 23......
Pnmeira porta no dia 24. .
segunda porta.....
r^rceira porta .....
Quarta porta......
rjapiche Conceicao
THESOURAR1A DE FAZEMIA
24 de outubro.
Foram remetlidos ao Sr. thesourtiio para se-
rem pagos.
Omciijs :
Da presidency, mandando pagar so capitao An-
tonio Gracindo de Gusmao Lobo a quuntia de ...
13*920.
Daroesma, a importancia de 7*500 provsniente
do forneciniento de luz ao quartel do destacamcu-
to do termo de Itambe, a quem se mostiar aato-
_iisado.
Da mesraa, as contas do hospital militar relati-
val ao mez de agosto na importaneii de......
2:700*022.
Da raesma, a Manoel de Figueiroa Faria ft Fi-
lbos a (|uantia de 84*000.
Da inosma a Juvencio Aureliano da Cunha Ce-
sar a quantis. de 32*480.
Da mosma, a Bariholonieti Rodrigucs de Mello a
quanlia de 54 p(X>J
Do inspector do arsenal do nurinha, nun as
eontaf cle Maaoel Figueiroa de Faria ft Filho na
sBiponaiicia d 24*840, da empruza flo Joi nal do
net/* na d>' 24*440, da lavagem d; rotipa da
ompanhia do aprendiies artifices na de 44*73,i,
do enfei'meir-- Antonio Francisco da Costa Per-
aambueo i de 14*080.
Reqnsrimcitos : -
De Manoel Antonio Ribeiro.
Oe Gainiai ies 4 Oliveira.
Seerclaria la tiiesouraria do fazenla tie Per-
nambnro, 54 de outubro de 1873.
0 sccretarlo da Juiita,
Jesuino Rodrigues Cardoso.
Srs.redactores.TenAo os Srs. da gaze
tillia do J or nal do Recife publicado sobti-
tulopor bem fazer, mal haver uma no-
licia sobre um escravo do Exm. Sr. Viscon-
do de Suassuna, que existe no Hospital Pe-
dro II, cheia inexactidoes, rogo-lhes o ob-
sequio de rectiftcar dita noticia pubheando
o fc.ct) como o facto se deu.
Em dezembro de 1872 ausentou-se de
casa de sen senbor o pardo claro, e ndo
branco, de nome Manoel, e nao Francisco.
Ha poucos dias uma pessoa quo o vio no
hospital informal] a seu senhor, e eu como
empregado da casa, fuireclama-lo. A irma
superiora doclarou-me que nao entregava o
escravo sem se lhe pagar o curativo, e por
despacho da junta administrativa. Ha tres
dias requeri a etitrega do escravo, e ainda
n5o obtive despacho.
Quanto & questao do pagaraento, decla-
rando a irmd que ndo entregava o escravo
sem se I lie pagar o curativo, e constando
quo o escravo se achava Id prestando servi-
ces, o Sr. Viscondeoppoesimplesmentcque
nao duvida pagar o curativo, mas que tam-
bem tem direito aos salarios pelos servi<;os
prestados ao estabelecimento pelo seu escra-
vo que consta estar prestando-os ha mais de
2 mezes E' inexacto que estipulasse centos
de mil reis como diz os Srs. da gaz-:tilha, e
nem quantia alguma.
Seja romo fdr, o estabelecimento ndo tem
direito de reter em seu poder o escravo
aUieio, uma vez reclamado pelo seu seuhor,
e sob til pretexto, principal menu; quando
nao entrou o escravo Id como captivo, nem
a mandado de seu senhor.
E' esta a verdade dos factos.
Recife, 24 de outubro de 1873.
MarcellinoJose' Lodg.
Eleiqao
DAS
pessoas que huo de festejar Nossa Senbora
da Conceicao da rua da Roda.
Juiz por eleicao Antonio Figueira da Silva Freire.
Juiz por devoeao Angelo Affonco Villaca.
Juiz SJnio Ribeiro Pontes.
Jtiiza por eleicao D. Maria Floriuda Bezerra da
Sllv.r
Juizas por devocao D. Maria Henriquela Roi-ha
Pinto e D. Aulonia Francisca Bezerra.
Jtiizes bemfeitores.
Bartholomeu Ferreira da Cunha.
.\i.. .oel Malhcus Campello.
.!oao Paulo Carnoiro.
Candido Paschoal Leal.
Luiz Dutra.
Jose Joaquim de Farias.
EpcriMf* por eleica.-).
O. Francisca Isabel Ilonrata P^oueo
Antonio Menda F. eira
Joao Baptista Ferreira.
QnnI o naotive porque Moffrela ?
Vd? outros qno padeccis de thy"*n, tstltma, ea-
igle
despachada para o caps do Apollo, e ba-
nha de porco ja despachada para o tra-
piehe Concei'/ao, para conferir.
Barca franceza- Anne Marie ferrageusja des-
achadas para o trapiehe Conceicio, para
conferir.
Hiate americano /. P. Anger farinha de trigo
ja despachada para o caes do Apollo.
Lugar inglezrta-ercarvao ja despachado para
o caes do Apollo.
Vapor francezHenri IV mereadonas, amosfraa
e bagagens para al'and-gi.
ImportaciSo.
Havre por Lisboa, vapor francez Henri IV coll
signado a A. F. Oliveira & C. manlfestou:
Lisboa.
Avela* 2 barricas a Jo-e F. Lima. Amendoa- 1
eaixa a Antiin'o F. Carvalho.
Conserves 30 caixas a Beltr^o & Filho, 25 a C.
Rodrigues Mendes,
Figos 6 grades a Leao & Rocha.
Marmellada I caixa a Antonio F. de Carvalho.
Moveis 3 aiiSM a Beltrao A Fdlio. Maca 1 caixa
a P. J. Gomes & CHimco.
No;.es a barricas a lose F. Lima.
Obras de prata 1 caixa a Leheman freres.
I'assas 13 f.irdos a Leao & Roclia, 100 a II Itrlo
& Filho.
Sardintia 12 caixas a IIlira i & Filho.
Toucinho 40 barris a Moraes Si Sim5es.
Vinho 10 pipas e 3 quiutns a Souza Bastos k C ,
24 ditas, 2 meias dilas e 45 quinlos a Beltrao i\
Filho, dito marasquinho 7 caixas a Jose F. Li-
ma.
Uvas 5 caixas a llelttao & Filho, 1 a P. Jose Go-
mes & Climaco.
Havre.
Armas I caixa a L. A. Siqueira. AHinetes I vo-
lume a Goncalves Ferreira. Artigos de escriptorio
3 caixasa ordc.m, dito de phantasia 5 volumes a
Linden Wydman iSi C, ditos de Paris 2 volumes a
S. Castro & Almeida, ditos pharmacenttcos 1 caixa
a P. Maurer 4 C. Am istras 2 volumes a Adriano
Castro k C, I a Alcoforado Vieira & C. 2 Linlen
Weidmant, 2 a Keller &C, 1 a Lopes Machado, 1
a Mendes Azevedo A C, I a SI. Gregorio & C, 2 a
Cramer Frey & C.
Batatas 200 caixas a Beltrao & Filho 100 a M.
Marlins & C, 200 a J. J. Lei tao. Brinquedo I cai-
xa a D. P. Wild & C.
Champanha 25 caixas a Borslelman &; C, 6 a P.
Ramos. Calcado 3 caixa* a Parente V. & C, 3 a
ordem. I a Goncelves & Irmao, I a Mendes Lobo
& C, 1 a Arantes, 12 a L\ra & Vianna, 1 a A.
Nabuco & C, 4 a L. S. da Silva. Chales 2 caixas
a L A. de Siqueira. Chapeos 2 caixas a Carneiro
& Nogneira, 2 a Lopes Machado ill, la Chris-
liani & C. Chocolate I caixa a Cunha & Mania.
Couro 1 caixa a Goncalves Ferreira. 2 a Lemos &
fiuereneau, I a Cunha 4 Mania, 1 Domingo* Jose
Ferreira. Camis?.s 1 caixa a Lehemau 4 C.
Drogas e medicamentos 5 caixas a A. Caors, I a
A. Reger, 1 a Maurer Si C
Espelhos 5 caixas a Joie A. Azevedo.
Filet 1 caixa a Delessert. Filas I caixa a Farias
6 Irmao. Flores I caixa a tamos 4 Guere-
neau.
Grimpos I caixa a Carvalho Si Guimaraes.
Instrnmcntos de mnsica 4 caixas a-Emilio Hu-
bert.
Manteiga 25 barris e 30 meios a C. Martins Si
C, 25 e 30 meias a J. Azeveflo, 175 e 305 meios a
Harismandi & Labille, 25 e 25 meios a Burle &
C, 30 e 30 meios a J. Leitao, 15 e 20 meios a Tas-
so Irmao & C, 50 e 100 meios a Beltrao 4 Filho,
30 e 30 meios a Duarte Rodrigues, 20 e 30 meios
Prise j Barbosa. 40 e 60 meios a Souza Bastos 4
C. Machinas I caixa a Costa St Irmao. Merea-
donas diversas 2 caixas a Vaz Junior 4 C, 5 a
Pinto da Silva 4 Cascao, II a M. Gregorio & C,
7 a Paula Ramos, 4 a Cardo*o 4 lrmao, 6 a Ro-
cha & C, 5 a Bastos Oliveira & C, 5 a Mesquita
Si Cardoso, 7 a Cunha & C, 3 a Farias 4 Irmao,
4 a Christiani & CT, 1 a M. Vasconcellos, 6 aos
consignatarios. 8 a S. Castro & Almeida, I a Rodri-
gues Souza 4 Guimaraes, 1 a Costa St Irmao, I a
A. Nabuco & C. 9 a ordem, 17 a Burle Si C. Mo
das 1 eaixa a fcreira Moutinhn. Malas 1 caixa a
Motta & Guimaraes- Moveis 2 caixas a M. Aze-
vedo, 3 a C. Temporal.
Papel 2 caixas a Goncalves Ferreira, 1 a Bour-
gard i C 3 a presidenci;. da provincia, I a J.
Vasconcellos, 1 a J. A. Azevedo, 2 a Costa St Ir-
mao 2 a Lail aear. Porcelana 4 caixas a Alcofo-
rado V. A C, I a tamos 4 Gnereneau. Perfuma-
ria 2 caixas a Si Leitao & Coimbra, 3 a Bastos
Oliveira 4 C. Piano 1 a J. de Azevedo.
Relogio I caixa a Fernandes Sx Irroio.
Teeidi'S 8 caixas a Siqueira, 29 a Cramer Frey &
C, 3 a Carneiro 4 Nogueira, 12 a Monhard 4 C,
4 a Vat 4 Leal, 1 a Ferreira MathensT 7 a Alco-
forado Vieira 4 C., 4 a Lopes Machado 4 0., 6 a
Adriano C. 4 C. 11 a Keller 4 C 3 a P. da Silva
4 Cascao, Id a Linden 4 C., t a Mendes Lobo 4
G, 6 a Barroca Filhos. I a Wild 4 C, 1 a Mes-
quita Cardoso, 3 a Mendes Azevedo 4 C
Vidro 1 caixa a J. S. Rocha.
SKRVICO MAR1TIM0
\h*renjfiis descarregadas no trapiehe
4 alfandega do dia 1 a 23.
JiUs ditas no dia 24......
\'a\ijs alracados no trap, da alfandega
Vlvarengas....., .
No trapiehe Conceicao.....
31,831
131
61
181
2,482
34,686
o!
52
.^CkriciJORlA DE RENDAS INTERiNAS GE
BAEA DE PERNAMBUCO
ieud-iieuto do dia I a 23 0:560*705.
fdem do dia 24...... 5:605*325
66:166*230
Monte pio portuguez era
pernambuco
.1 *** mIilea ficral
Nao se tendo rcunido nnmero legal_ dos senho-
res socios para a primeira convoca;ao, de novo
convido a todos para dommgo 16 do corrente, as
11 horas do dia, afim de que em sessao de assem-
blea geral lomem conhecimento do cxposto no g 1*
art. 24 dos estatutos, certos de que a sessao se ce-
lebrara com onumero de socios que comparecer.
Secretaria da directoria do monte pio portuguez
21 de outubro de 1873.
Borges Cbsla
1" secretario.
Associacao Portugueza de Beneficencia dos
Erapregados no commercio e industria
em Pernambuco.
De ordem do Sr. presidente convido aos Srs.
associados a se reiinirem nesta secretaria a rua
do Imperador n. 35, andar, no dia 27 do cor-
rente pelas 7 horas da tarde, aflm de dar-se eum-
primento aa citado na art. 36 e seus paragraphos,
do3 nossos estatutos.
Recife, 23. de outubro de 1873.
Salvador F. Femira Guimaraes.
Secretario.
e a comedia em 1 acto
0
THEATRO
EMPREZA-VICENTE.
Domingo 26 de outubro.
A's 6 1|S da tarde.
Uniea representacao da opereta bnrlesca em tres
actos :
A Inrre cm Cdncnrso.
Musica de \h\ Colas.
Os programmas minuciosos destes espectaculos
serao dislribuidos amanha.
Perante o Dr. juiz de orphaos e ausentes Uesta
cidade, tem de ser arrematados em hasta publica,
no dia 27 do corrente, segunda-feira, a 1 hora da
tarde, alguns moveis e livros pertencentes ao es-
polio do Exm finado conselheiro Antonio Ignacio
de Azevedo. Olinda, 23 de outubro do 1873.
0 escrivao de orphaos
F. Lids Calda:.
AVISOS MARITM0$.
C0NSi;i,Al)0 PlinVl.NClAL
,Artpti. nto do dia 1 a 23.
W*m eo dia 24 .
51:401*444
2:128*480
53:529*924
* ". ^rsniTiwanig-iirai ht^t
Navins entrados no dia 24.
Havre por Lisboa22 dias, sendo do se-
gundo porto 11, vapor francez Henrique
IV, de 95G toneladas, commandante
Campello, equipagem 39, carga fazendas
e outros generos ; a Augusto F. de Oli-
veira & C.
Rio de JaneiroIB dias, patacho italiano
Porlo Rico, de 221 toneladas, capitao
Geaco Guelfo, equipagem 9, em lastro ;
a Saunders, Brothers & C.
Rio de Janeiro20 dias, patacho hollandez
Catharine, de 191 toneladas, capitao
E. F. .Mulder, equipagem 7, em lastro;
d ordem.
Rio de Janeiro e portos intermedios9
dias, vapor nacional Parand, de 850 to-
neladas, commandante Cypriano Antonio
do Quadro Junior, equipagem 50, carga
varies generos ; a Pereira Vianna & C.
.Vfii-io sahido no mesmo dia.
Pardpatacho portuguez Michaelense, ca-
pitao Miguel do 0' ; carga assucar e ou-
tros generos.
fcGITAES.
do
Portos do sul vapor B>-ional Param, consifua-
a Por^lra VI-mna 4 C..inuiife*luu^
De ordem do Him. Sr. Dr. director geral in-
terim), faco publico para conhecimento do profes-
sor publico de instruccao primaria da cadeira da
povoajao de Vicencia, Henrique Clorindo Taylor,
a portaria abaixo publicada pela qual foi designa-
do o dia 30 de corrente, pelas 11 horas da manha,
para o lira constanle da raesma portaria.
Secretaria da instruccao publica de Pernambuco,
24 de outubro do 1873.
0 secretario
Aureliano A. P. de Carvalho.
Portaria a que se refere o edital acima.
Directoria geral da instruccao publica de Per-
nambuco, 24 de oulubro de 1873.
0 director geral interino da instruccao publica,
em vista da dellOeracao do conselho director toma-
da em sessao de 18 de seterabro ultimo, resol-
ve designar o dia 30 do corrente, pelas 11 horas
da manha, para qne o professor publico de pri-
ineiras lettras, Henrique Clorindo Taylor, compa-
reca nesta directoria, perante o conselho director,
afim de ser interrogado sobre a accusacao contra
elle iulgada procedente pelo mesmo conselho, de-
vendo a presente portaria ser publ:cada pela im-
prensa, visto coutinuar a ignorarse a residencia do
referido professor, que nao esta na s6do de sua es-
eola.Conforme.
0 secretario
Aureliano A P. de Carvalho.
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacerda,
juiz de direito especial do commercio da
cidade do Recife de Pernambuco, por S.
M. o Imperador, a quem Deus guarde,
etc,
Pacp saber que no dia 95 de outubro proximo
futuro, is 11 horas da manha, na sala das audien-
cias, devera (er lugar a reuniao dos credo-
res da mass* fallida de Mendes 4 Carvalho, para
se veriflcarem os creditos, formar-se o rontrato
de naiad e nomear se administradores a dil, mas-
sa, certos os credores de qne nio serao ad.i. ttidos
por precurad'ir. sem qnesste jxhiha proci racao
especial, a qual nao podera ser eoaferida a deve-
dor uos fallidos, nio podendo oatrosim am so in-
dividuo representar por dous di versos credores,
e qne sera havido o credor qua nao comparecer,
como adhtreute as resolncees que tomar a maio-
ih Jo* votos dot qne compm^-.Tem.
E para que ehrgue ao ci>ulieciiueuto do todos,
Asscia0!) commercial agrie-o la
de 'er.iasiil.HCo.
Sao convidados os senhores socios a reuniao de
assembled geral, terca-feira 28 do corrente, no
edificio da rnesma associacao, afim de assistirem a
leitura do relatono que Ihes tem de ser apresen-
lado pela directoria actual, e elegerem [a nova
que a tiver de succeder.
Becife, 25 de oulubro de 1873.
Manoel Baptista de Miranda
Secretario.
ATUWAO
De ordem do nosso charissimo Irmio^uiz da ve-
neravel irtnandade de S. do Rosario da Boa-
Vista, sao convidados na forma do art. 3 do com-
promise os charissimos irnu. s desta irmandade,
que estiverem no goso dc seus direitos, para se
reunirem em sessao geral no dia 26 do corrente,
pelas 10 horas da mania, no consistorio da rnes-
ma irmandade, para pocederse a eleicao da nova
mesa regedora.
Consistorio, 23 de outubro de 1873.
Manoel J ivino de Sant'Anna
Secretario.
'A. !.'. do Sup.*. Arch.', do
I uiv .
De ordem da Aug.'. Loj.\ Cap.-. Segredo e Amor
da Ordem em sessao de hontem, convido a todos
os BBusp.-. Hrs.-. paiteucentes ao seu Quad.;, para
sessao especial domingo 26 do corrente as dez
horas da manha, afim de ser prostado juramenlo
a nova constituicao maconica.
Secretaria da Aug.-. Loj.\ Cap.-. Segredo e
Amor da Ordem, 24 de outubro de 1873.
0 secretario interine,
___________Thoraaz F. M. Pinheiro.________
0 administrador do consulado faz publito
que, no dia 28 do corrente mez, a porla deste con-
sulado, pelas 12 horas, se ha de arremalar em
praca publica 5 barricas com cerveja nacional,
avafiados a vista do prego da pauta semanal em
57*600, apprehendidas a Alheiros Oliveira Si C.
pelo 'eitor conferente Joaquim Pires da Silva.
Mesa do consulado provincial, 22 de outubro
de 1873.
A ntonio Carneiro Machado Rios.
Iri.tai.dade de \. S. Mai dos Ho-
mens. crecla na igreja da Ma-
dre l*eus.
Do ordem do irmao juiz, convido a to os uossos irmdos, aftn do em mesa geral ele-
gerem a mesa regedora que tem de funccio-
nar no seguinte anno, no doming > 26 do
corrente pelas 11 horas Ja manha no con-
sistono da mesma irmandade.
Recife, 23 de outubro do 1873.
Antonio Amies Jacome,
_______ Escrivao.________
. Pela thesouraria provincial se faz publico
que foram transferidas para o dia 30 do corrente
mez as seguintes arremafacoes :
Reparos da ponle do lunqneira 5:7205000
Venda do sitio dos Remedios 3:750*000
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de outubro de 1873.
0 official-maior
Miguel Affonso Ferreira.
Companhia Franceza de Navega-
0u a vapor
Linha mensal entre o
Havre, Lisboa, Pcrnambaeo, BJo do
Janeiro* (Santos, somente na vol-
ta ) Montevideo, BuenosAyres,
(coin baldcacao para o Rosario).
STEAMER

Commandante Capelle
Segue viagem para os portos do sul Je sua es-
cala, hoje 25 do corrente as 4 horas da tarde.
Belativamcntis a frctes, encommendas, passagev-
ros, para os quaes tem excellentes acommodacOes
por precos reduzidos : trata-se com
OS CONSIGNATMUOS
A0G05T0 F. D'uLh BIRA & C.
42Rua doCoininercioEntrada pela rua
do Torres.
COHP.lNillA
DE
NAVECAC10 RAHIANJI
LIMIT4DA
Maccid, Penedo, Araeaju
e Baliia.
0 vapor Goncalves Martins, e esperado dos
portos acima ate o dia 27. seguira para os mes-
mos no dia seguinte ao de sua chegada.'
Recebe carga, encommendas, passageiros e Ui-
nheiro a trete : a tratar com os agenles Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo k C, rua do Bom Je-
sus n. 57.
Para
lade par;
Sogue com muita brevidade para o porto acima
a escuna Henrietle, recebendo alguma carga nn
c.unai.i e passageiros : a tratar com o capitao na
rua do Commercio n. 4.
I
ADMINMHACAO DOS C/)RHEUiS DE PERNAM-
BUCO 2i DE OUTUBRO OE 1873.
Malas pelo vapor francez Henrique IV.
A correspondencia qne tem de ser expedida
hoje (th) pelo vapor acima mencionado para a
Babia e Rio dc Janeiro, sera reccbida pela manei-
ra seguinte:
Macos do joruaes, impresses de qualquer na-
ureza e cartas a registrar, ate I h ra da tarde,
cartas ordinarias ate 2 horas, e estas ate 2 1|2,
pagando porte duplo.
0 administrador inlerino,
Vicente Ferreira da Porcianctila.
ADMJNISfRACAO DOS COrUW:i7rJT^>ER]VAM-
BUCO 25 DE OUTUBRO ; K 1873.
da companhia
Malas pelo vapor Pa-ond
brasilrira.
A corrMpeodeUcia que tem
r expedida
Pacitic Meant \a>i^ilion Company
Linha quiiixenal
0 PAQUETE
VVIAVVUVVSO
espera-se da Europa ate o dia 26 de correnle,
e depois da demora do costume seguira para o sul
do imperio, Rio da Prata e costa do Pacifico, para
onde rccebera passageiros, encommendas e dinbei-
ro a frete.
OS AOENTES
Wilson Ro we AC.
H rua DO COMMERCIO----U
COMPANHIA PERNAMBUCAIU
DE
\ave*5;aco eootelra a vapor.
ARAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', AIUC*>-
rt, CrARA, MANDAHL''-E acaracu".
0 vapor IpojHca,
commandanie Moura,
seguira pan os por-
tos acima no dia 30
do corrente, as 5 bo-
ras da tarde.
Recebe carga ate o dia 38 do corrente, eneom-
aiendas ate o dia 30, paasagens e dinheiro a frete
ate as 2 horas da tarde do dia da sahida : es-
i-rptorio no Fnrw do Mattos a. it____________
Para o Para
sen em falta nestes poucos dia* o patacho ale-
ndto Jl ihante ; para a pone* carga que lhe falta,
u li-se >m auIoow Luiz oe Oliveira Azevedo A
('.. do sen escriptorio a jfl do Bon) Jeaut b. W
___I
i




i

1
I
3i*no de fernambuoo Sabbado 25 de Outubro de 1873.
Real cbnipanlria dc paquctce
inglezes a vapor.
Ad* o din 27 do corrente ospera-se da Encopa
o vajior inglez Douro, commandanle Thwaites,
o qmi depois da demora do costume, seguira ptira
Buetwe-Ayjres, tocando nos portos da Bahia. Rio
de Jaoeiro e Montevideo.
No dia 29 do eorrenie espora-se dos portos do
sul o vapor inglez Boyne, coraraandante F. Reek.-.,
qual aepois da demora do costume, seguira
para Southampton, tocando nos portos de S. Vi-
cente e Lisboa.
Pant fretes, passagens, etc., trata-se na agencia,
ma do Commercio n. 40.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
X.*ve*; acSo codteira a vapor.
NAMANGUAPE.
0 vapor Corunpe} com-
mandante Santi>s, seguira para
o porto acima no dia 28 dt
corrente, as 5 horas da tarde
Recebe carga, encommen-
das, passagens e dinheiroa
rrete e as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio- no Forte do Matto? n. 12.________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
BE
.11*ve^acao conteira a vapor.
FERNANDO DE NORONBA.
0 vapor Giquid, eom-
mandante Martins, segui-
ra para o porto act ma
no dia 4 de novembro
ao mcio dia.
Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e di-
nheiro a frete ate as 10 boras do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Mattoi n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
HiiVP^acRo costeira a vapor.
ACEIO, ESCALAS E PF.NF.IK).
0 vapor Manduhu,
commandant* Julio,
seguira para os por-
tos acima no dia 30
do corrente, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate 0 dia 28 do corrente. encom-
mendas ate o dia 30, passageiros e dinheiro a fre-
to ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no forte do Matto9 n. 12.
Bahi
ia.
0 biate Garibaldi segne em ponces dias para 0
rorto acima : para carga trata-se com Tasso Ir-
maos tCa rna do Amorim n. 37.___________
Maranhdo e Pard
Pretende seguir com muita brevidade palha
bote Joven Arthur, tern parte de seucarregamen-
to a bordo : para 0 resto qne Ihe lalta trata-se
com os sens con=ignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C., rua do Bom Jesus n. 87.
Para
Para 0 referido porto pretende 9eguir com pou-
ca demora o brigue portuguez Recife por ter a
maior parts do earregamento tratado : para 0
resto que lhe faita trata-se com os consignatarios
Joaquim Jose Goncalves Beltrao 4 Pilho, a rua ao
Commercio n. 5.
lEUOES.
LEILAO
t camas francezas, nma rica secretaria de jaca-
randa com gavetoes, nma dita de amaroll", nma
cominoda dc nognn, mm meia dila de aiiiarcHo,
uma mesa <-l.i>t-a paia 30 tetherr-*, nma serre-
laria do in.'-gnu, eabiues, i;narlu^iras, eL-gio, 2V
cdeiras diwr-a-, I guarda-miM>, 1 gnarda-
ruupa, 3 qnadro- grander cm v:.lrs uvaos, 3
espelhos grand-s 'peqO'iiiu*', lu;a para j:intar
c almoc", J-irnts flWw, lignra?, quailiv, i"cari-
deira*, garrafas dowystaes, !.-.nt.*rnn< rasiieae*
de prata, 11 tit p*iile:r>i !. d;t.i. I sa!v;i. cirrr-tci
ras linas, caniuhos paia criaucas, borers, uma
estante envidra^ada, garrafas cum vinho. ditas
com cerveja, trem de cozinha, c oiitros muitos ob-
jectos qne deixa de mencionar para uao so tornar
enfadonho.
TEHCA-FEIRA 28 DO CORRENTE.
A's 10 1t2 horas
0 agente Pinho Borges autorisado pelo Sr. Joa-
quim M. Marinho, 0 qual se acha ausente, fara
leilao dos moveis e mais artigos que acima men-
cionamos, e que scrao transpi.rtados para o 1* an-
dar da rua do Bora Jesus, ontr'ora Cruz n. 50.
um oxcelleute cabriotct de 2 asscntos, for-
rado de novo, com coberta de vaqueta
. TERCA-FE1RA 28 DO CORRENTE
No sobrado da rua do Bum Jesus n. 50.
Ao meio dia.
0 agente Pinho Borges levara a leilao 0 referido
cabriolet, 0 qual se achara na rua da Senzalla no
dia do leilao, exposto a exarae dos pretendentes.
DE
um magnitico sobrado de 2 andares e so-
tao, em chios proprios, com frente de
azulejo, da rua do Bom Jesus 11. 2G.
TERCA-FEIRA 4 DE NOVEMBRO
as 11 horas.
0 agente Pinto legalmente autorisado, levara a
leilao o predio acima mencionado, oqual torna-se
recommendado por ser novo e edificado em chao
proprio, e em uma das ruas mais commerciaes.
0 pretendentes poderao desdo ja cxamina-Io, e
concorrer ao leilao que deve ter lngar as '1 bo-
ras do dia 4 de novembro, no escriptorio do refe-
do agente, a rua do Rom Jesus n. 43.
~VISbS0VLBS0S
Attencao.
Precisa-se alugaruma araa
demeiaidade.poremque seja
preta, que nao tenha vicios
nem achaque, e que afiance
suaconducta, para comprar
e cozinhar para uma familia
de 3 pessoas : a pessoa que
estiver nestas circumstan-
cias, appareca no 3. andar
desta typographia para tra-
tar.
Andre Ctrnciro Coelho Cintra faz sciente ao
publico e e=pecialmente ao respeitavel corpo do
commercio que nesta data dissolveu a sociedade
gommercial que tinha com Henrique Ferreira
Pontes, ficanao este responsavel pur t6da e qual
qner obrigacao ate entao^ontrahida
mesma sociedade.
Recife, 13 de ontubro de 1872.
MOFINA
Esta encoura Koga-se a. Him. Sr. Ignaciu ViWr* Ue Mello
sci ivi i:a eidade de Narareth de>ta provinria, o
favor de vir i rua huqoe de (li^ia* n. 'tf. a con-
:luir a'juelie negocio 'ine S. S. se coiuproinetlvu i
realisar, pela terceira cbamada deste jornal, en>
Bns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a.fevereiro e abril de 1872,e nada cumprio;
e por este motivo e de novo chamado para ditc
ilm, pois S. S. se deve Imnbrar que esie negocie e
le mais de eito annos, e quando o Sr. sen nlbo s*
ichava nesta cidada

ri *> .- -
- .Alugi ;c o srniazem de recolber na rua do
Burgoi n. li : a tratar na rna da Craia n. SO,
a tratar com Jose Feliciami Nazareth.
~ 0 Sr. Antonio Luiz da Costa, que foi nego-
ciante em Olinda, na rua de S. Bento n. 45, e
'Mam ndo a niesiia cidade,a rua do Commercio n.
2V, a negocio qne S. S. bem sabe.__________ .
0 relojoeiro e dourador Albino
liaptista da Rocha. de volta da
Europa, continua a encarregar-
se de concertar e dourar relo-
gios, ban como ontros obiectos ;
rogando a sens amigos e fregne-
zes o obzequio de procura-lo na
travessa da rna das Crazes n. 14, 1.* andar, por
detraz da praca da Independencia, qne o encon-
trarao prompto. A garantia de sens trabalhos e
o faze-los por precos modicos ; assiin como ttm-
bem vende relogio*.
Boa casa para a festa.
Aluga-se uma excellente casa no Monteiro, tra-
vessa do Xisto, a qual se acha em muito bora es-
tado de limpeza : a tratar na rua Primeiro de
karco. anliga do Crespo n. 50 A, loja de Gnrgel
do Amaral & C.
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precisa-se
Tallar ao Sr vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
reira. a negocio de sea inieresse.
Alugam-se aestes proximo* dia duas boas
casas na Capunga, rua da Ventur com comara-
dos para famdia, as quaes foram concertadas, e
estio se pintando : a tratar na rua Duque de Ca-
xias n. 44._______________________________
Prevengao
Ao abaixo assignado desencaminhou-se uma
cartafl'mada em 10 do corrente mez pelos Srs.
Cunha 4 Irraaos, do Aracaly, capiando am saque
maior de 14:000^, e como se ignore contra quem
vem o dito saque, e qual a quauiia exacta ; vein
prevenir que ningaem o aceite, sem que seja apre-
sentado pelo abaixo assignado.
Recife, 24 de outubro de 1873.
Antonio Alberto de Sonza Agniar.
Aluga-se o 2* andar e sotio com fodas os
commodos para grande familia, do sobrado n. 12
siio 4 rua de Hortas : a tratar na rua do Trapi-
che n. 13, armazem de assucar.
Alu?a-se o 1 andar da casa n. 69 da rua do
Padre Florran.i. proprio para pequena familia ou
horaem solteiro : a tratar no 2* andar, das 8 ho-
ras as 4 da tarde.
MEORON&C.
A VIS % MM
ttos eompradores do bem conhecido e acreiitado rap6
AREA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois qne os ha de rap6 de ontra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma c6r, cujo desenhc se pdde
confdndir com o d'aqnelles.
Os apreciadores qne quiserem do verdadeiro AREA
PRETA, devem para nao serem enganados ver qne
os botes tragam o nome de METJRON & C, e a desig-
naqao de AREA PRETA.
MEUKON ft (1
ras
l)A
',asa de MtstO na rua de Lombas Valentinas
n. 46, antiga rua das Aguas Verdes
Hnjc
as II horas
0 agente Martins vendera em um ou mais lotes
os moveis, lou^a, trem de cozinha ejnais pcrtea-
cas do referido botequim, sabbado 25 do corrente.
0 conselbeiro Joao Silveira de Sonza, de vol-
ta de sua viagem a Europa, continua a ter o seu
escriptorio de advogado na rua do Imperador n.
41, no primeiro andar, entrada pelo becco. Pode
ser procurado tambem na casa de sua residencia
na rua da Saudade n. 5.
Por ordem do Sr. provedor da irmandade da
Senhora Sant'Anna, eiecta na igreja da Madre de
Deos, convidc todos os nossos irraaos a se reuni-
rem no censistorio da mesma igreja, no dia 25 do
corrente mez, aflm ds se tratar do arrendamento
do armazem pertencente a dita irmandade, isto as
6 horas da tarde.
Consistorio da irmandade, em 22 de outubro de
1873.
0 e?crivao
_________Manoel de Azevedo Pontes.
PA1MRU
Faz-se negocio com a da rua de Vidal de Ne-
greiros n. 147, qne foi do Campos, uma das rae-
em nome da I Ihores naquella rua, ou tambem se admitte nm
| socio ?om algum capital ; o motivo e porqne o
enearregadn da mesma tern de relirar se para
fomda DrovfotiS I tratv Vigario n. 3".
Grande e variado
LEIIAO !
DE
moveis, piano, mobilias, jarros, espelhos e
obras de prata do Porto
CONSTANDO DE -.
Um piano forte, I rica mohilia de jacaranda a
Luiz XV inova), jarros para (lores, graudes e bo-
nitos, espelhos, tapeies e escarradeiras.
Um soft, 1 jardineira, 2 concolos, 2 cadeiras de
braids, 12 de gnarnicaj dejacarfinda, 1 toilette, 1
lav&torio, I tocador, 2 commodas e cabides tor-
neados.
Uma cama franceza de jaearanda, 1 dita de
amarello, 1 dita de ferro, 1 toilette, 2 guardas-
roupa e 1 berco de faia.'
Uma n-obilia de amarello com tarnpos de pedra
marmore, candieiros a gaz, casticaes e mangas, 1
mohilia de mogno, cadeiras de raogno.
Uma mesa elastiea, I guarda-loo.ca, 2 aparado-
res, 24 cadeiras, 1 relogio de nareda, 2 qnartinhei-
ras, apparelbos para cha e jaotar, copos, calices,
garrafas, compoteiras, facas, garfos, colheres, ban-
dejas, jarras, mesas, marquezas, trem de cozinha
e muitos mtros accessorios de casa de familia.
Segnmtla-feira do corrente
Nojirmatem da rua da Cadeia n. 24-
CTk Eiqnina do becco Largo.
O ageBte Pinto levara a leilao os moveis e mais
objecios *cima mencionados, pertencentes a casa
de familia, os quaes serio trausportados para o
armazem da rua da Cadeia n. 24, onde serao ven-
didos no da segunda-feira 27 do corrente ao cor-
rer do inartello.
EM TEMPa
Hesde ja previne-se aos arrematantes que a en-
fega dos ditos moveis sera efTectuada nas 24 ho-
ras depois do leilao, tempo marcado para a entre-
ga da chave do mesmo armazem
() leila-3 principiara as 10 hors* em panto por
serem mattes e diflferentes os lotes.__________
ALUGA=SE
a loja do sobrado da rna Direita n. 82, propria
para qualquer negocio : a tratar no armazem n.
23 da travessa do Corpo Santo.
CAFfi DO RIO.
Tern para vender J. S. Carneiro da Cu-
jiha, em sen escriptorio a rua do Encanta-
mento a. 6, i. andar.
- 0 [Ilm. Sr. Dr. Leopoldo Cesar Duque Estra-
da, formado na acaderaia de Pernambuco em 1873,
filho do Illin. Sr. Joaquim Leopoldo de Figneiredo,
e cnamado a loja de Amaral, Nabuco & C, rua
Nova n. 2, a negocio que nao ignora.
FUND1CA0 DO BOWMAN
RUA DO BRUffl N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS lenbores de engenho e ontros jgricoltorcB, eempregadorpi
ainismo o favor d oma visits a sea estabelecimeolo, para verem o dovo son
otnplet i qoe abi tem; seudo tado superior em qaalidade e forlidio; o qoe com a ids
aecio pessjal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENgAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FONDICAO
? .j_fl J)flffna dos mais moiernos systemaseem ta-
Vfiporon V rOUaa U ttgUtt maohos conveDientes para as diversas
ircomsiancias dos senhores proprietarios e para descarocar a!god3o.
Hoendas de canna 8 tatnanhos' as:me,bore8 qne ,qal
aodas dentadas """"tv-fm* m
raixas de ferro fundido, batido e de cobre.
ilambiqnes 9 fundos de alambiques.
tachiDismos ?^^Jtg^'^
nOIllDaS de pjtente, garaatidas........
rodaa as maehinas **********
de machiaismo, a preco mni
Para
Podendo" todos
[ser movidos a mlo
por agua, vapor,
on animaes.
sitio
Preeisa-se dc um trabaihador para tratar dc
nm sitio pequeno : a fallar na rua No a n. 19,
1 andar.________________^^_
Doces, fructas, flores
Na rua dt Cruz n. 6 preparam-se bonquets.de
cravos para noivos, bailes e dias de annos, o rae-
j hor que se pode desejar.
de m I Pede-se
r.nvn inrtimpntn; ao Sr- Joao do Couto Alves da Silva para vir a rua
'' das Cinco Ponlas n. 93, a negocio do seu par;icular
interesse. _____________________
Capciias liiorluarias
Para tuuiulos e catacuuibns no
dia de flnados.
Porto & Bastos, com loja de cal-
cado a Prara da Independencia n.
39, acabam de receber da Europa
novo sortiraento de capell.s inor-
tnarias de lindissimos di-seuhos,
com as =eguintes inscripcoei', u
quaes vendem por menos preco do
que era ontra qualqner parte.
A Meu Pal
A Hinha Mai.
A Meu Esposo.
A Minha Esprsa.
A Men Filho.
A Minha Filha.
Uma lagrima.
Amisade.
Saudades.
pra<;a da independencia r. 39.
resomido.
100$000.
Aluga-se uma boa casa propria para passar
a festa, na povoacio do Monltiro, rua da Ponte n.
11 : a tratar na ru? Duque de Caxias n. 71.
Esta fugido o escravo Manoel, do Joiio de Souza
Dias Valladao, que esta em Fernando de Noronha,
o qual tem as signaes seguintes : mulato, andar
descan;ado, altura regular, barba serrada, e dizem
que anda com uns papeis falsos, e intitula-se como
livre : quem o apprehender o leva lo ao largo da
A-semblea n. 17, rebera a gratiiicai^ao acima.
Seria por engano ?
A pessoa que hontem levou do cafe da rna da
Imperatriz um paletot trocado, tenha a bondade de
mandar desfazer a traca no mesmo cafe ate ama
nha as 3 horas da tarde, certo de que se b nao
fizer vera seu nome estampado nesta foi ha como
autor dessa caridosa obra, pois se vio, quando aca-
bou de jogar bilhar, vestir o paletot qne Ihe nao
pertencia. ______^^ _______
USA ilOLIMM
Aluga-se uma boa casa em Olinda, com bastan-
tes commodos para familia, na rna de S. Pedro n.
31 : quem pretender dirija-se a rua do Marquez
de Olinda (antiga rua da Cadeia) n. 20, que acha-
ra com quem tratar.______________________
A pessoa que na sexta-feira 24 do corrente
entrou em um qnarto da sala das auiiencias e
levou um chapeo de sol de ; eda novo, cabo de
niariim, tenha a bondade de entregar ao porteiro
dos auJitorios Francisco Manoel de Almeida, e se
nio o fizer dentro de tres dias se pnblicara seu
Home neste jornal, pois sabe se quem o tirou.
Vrecisa-se de nma ama escrava para cozi-
nhar e iMsatmar : na rua da Penha n 2't
Aluga so uma excelbmte casa na Boa Via-
pem : a tratar na rua da Ventura n. 21. Ca-
gunga. ____ __________^^^^^^
A M A
Precisa-se de uma ama para
cozinhar : na praca do Corpo
Santo n. 17, 3. andar.
AttenQao.
20^000.
Precisa-se de duas ainas, seudo uma para
comprar o cozinhar, e outra para eugom-
mar para casa de uma familia de duas pes
soas, preferindo-se escrava, paga-se a quan
tia acima : a tratar na travessa do Vigario
Tonorio n. 1, das 9 horas da 'manha ate as
3 horas da tarde, escriptorio.
Precisa-se de uma ama para
cozinhar e engommar : na rua
de Hortas n. 16, I.* andar.
AMA
Ama
Preeisa-se de uma livre ou escrava
na rua da ConceicJo n. 48.
Leilao
DE
para
-tinta violeta para escrever, iita preta
copiar e dita preta dupla
SEGUNDA-FEIRA 27 DO CORRENTE
Ao meio diai
No annaiem da rua da Cadeia n. 21, por occa-
siaj do leilao de moveis.
Hi
B
m
*.= ,

5 5
Pc s ^ '~> ^ r^ ^
o|bos g
u 2 > i
Aina
Precisa se
com pre : ua
de uma que eozinhe
rua do Crespo n. 20.
Na rua do Senhor Bom Jesus n. 9,
2' andar, precisa-se de uma ama
para comprar e cozinhar, e uma on-
tra para engommar. ______________^^
AMA
Precisa-sc de
Brum n. 65.
Ama de leite.
uma ama de leite.: na rua do
Leilao
ESPLENDIDO
- HE
Moveis, looeaa Anas, wystaes, c.m nco faqneiro
de prata (\ei) um apparelhu para almo^o de
electro-plate, joias de ouro e brilhante, uma
rica cruz com h brilhames giandes,"nma dita
com H brilhaiites graades e UO porolas Ouas,
jaixa de prata para rape, aderecos com pedras
precionas, brincos, pulseiras com eaoiafeu e
inais oMectos de aosto.
Um jiano novo com pouco uso, de um do[me-
Ihoros lafcricantes, nma linia mchilia le mogno
rompondo-w de 18 cadeiras de gaarnicao, i ditas
de bracM, 1 oft, 2 consolos com tampo d pedra,
nna na enstu eira, 1 toilett de jacaranda con
pedra, I1 apparador de mogno com pedra, '.'. ditos
peqneiK-*. ? ^wHd<, 5 mar^efs, p.rdineir,
Preeisa-se de un.a ama para co-
zinhar em casa de familia : a tratar
na rua do Hwspicio n. 46, casa terrea
que tem bolas araarellas na cornija.
AMA
Precisa-se de uma ama es-
crava : a tratar na rna da
Aurora n. 5, andar terrao.
AMA
Uma senhora de boa conduct*
olferece-se para ama : no becco
do Peixoto n 7.
Ama
Na rua da Senza'a Nova n. 33 pract-
cisa-se de nma araa para cozinhar e
comprar para uma so pessoa._______________;
\ao ha iguacs!
Be 5#000 a 10*000.
Para 0 sexo amavel acabam de receber Monteiro
Guerreiro A C. um especial s timento de chapeos,
sendo de modetos e enfeites da ultima rooda. Sao
proprios para a presente estavao- Ha tambem ves-
tidos com enfeites proprios para usar-se com os
luesmos chapeos.
jfc. Custom de 5J00O a 10*000 (os chapeos)
Rna D-qiie do Caxias n. 86
Monteiro Gnerreiro k C. _____
Aluga se uma excellente casa na povoacio
do Duarto Coelho, em Ulmoa, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
do Amorim, a. 37. ^^___^.
Pa qualquer concerto
Forums de ferro lcea?0!8 melhore8 e mais bJrat2S exi8teDtes no mer"
i?flftwMfln^oc lncumbe-se'de mandar vir quslqaor macbinismo i von-
wUCUIIlUlunuaB. iade dos clients*, iembrando-lhes a vantagem de (azerem
bit eompras por iniermedio de pessoa entendida, e qne em qnalqner newssidade p6dc
bet prestar auxilio.
Irados amerieanos !"*
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICIO DE FERRO
K rua do Barfco do Triniupho (rna do Ink] ns. .00 a Wi
CARDOSO & IRMiO
RECEBERAM de Inglatern completo sortimento do ferragens e macbinas para en-
F genhos, as mais modernas e molhor obra que tem vindo ao mercado.
i VapOreS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
CaldeiraS de sobresalentc para vapores.
MoendaS inteiKlS c meias moendas, obra como.iunca aqai veio.
TaixaS fundldaS e batidas, dos melhores fabricantes.
RodaS d'aglia Com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
RodaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
RelogioS e apitOS para vapores.
BombaS de ferro, de repucho.
AradoS de diversas qualidades.
Formas para assucar grandes e pquenas.
HnnMarfnq concertam com promptidfio qualquer obra ou machina, para o
V^oncenOS gua fabfica bem montadat com grande e bom pessoal.
R'n^ATnmPndflfl mandam vir por encommendada Europa, qualquer rn_,^
CillCOmmenaaS o M correspondem com uma respeitavel casa de Londres
a com um dos melhor engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas maehinas,* e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
RuadoBarao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO D E CARDOSO & IRMAO.
Capellas para finado
Na rua estreiu do Rosario n. 35 tem ricas
MIGHI
a casa terrea na Una dos Ratos n. 68, com a
frente para a.pstrada do Hospicio, com ba commodo para familia : a tratar na rua do Mar-
quez de Olinda n. 4.______________________
Aluga se o 2 andar do sobrado junto a igre-
ja dos Ma rt>rios: a tratar na rua Sete de Selem-
bro, casa n. 15. _______
AttenQao
0 Barao do Bemfira rictifioa o seu aviso muttns
xetes repetido no Jornal do Recife e Diario de
Pernambuco, de que nao attendera a ranbo al
gum que Ihe di?a re?peito, nao sendo passailo por
seu filho Jose de Oliveira Castro on {or Antonio
Joaquim Brim de Oliveira ou dolpho Henrique
fAmando Chaves, unicos empregados de sua casa
commercial. Ninguem, alem destes, esta autori-
sado a firmer documento algum que importe exo-
neracJo a quem for passad, ou obrigacao de qnal-
qnernatnreza one seia. ao annunciante
de meia i ade
Precisa-se de nma raulher
3ue queira prestar algum servico em i
e duas pessoas
rion: 30.
a tratar na rua larga do Rosa-
0 abaixo assignado declara ao respeitavel
publico qne tendo de retirar so para a EHn>pa a
negocio de familia, julga que nada deve a
esta praca; porem.se alguma pessoa se achar
com direito, apresente sen? documentos legaes nj
prazo de oito dias, no pateo do Paraizo n. 1 ">.
Recife, 23 de outubro de 1873.
Francisco Antonio Giffonif Filho.
Precisa-se de um caixciro, prefere se por-
tnguez : na rua Direita dos Afogados n. 27, ps-
daria. Na mesma vende-se um rylindro iegle'z.
que
teem
Vende->e a taverna do paieo do ribeira dc 3
Jose n. 21, bem afregue com poucos fundos, propria para algnm princi-
piante, o motivo da venda se dira a quem pre-
tende-la : a tratar na mesma ou na rua Thorr.6 de
Souza n. 3.
Cozinheiro.
um cozinheiro : na rna Nova n.
Precisa-se de
25,1 1.* andar. _________________
Precisa-se de uma engommadeira,
nheira e um criado para eompras ;
Hospicio n. 40.
uma coz;-
na rua di
Carros de luxo.
E" inquestionavel que a cocheira da rna do Bom
Jesus n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, 6 a
que tem as melhores berlindas, calecas, meias ca-
lecas e victorias de luxo, proprias para qualquer
noivado, visitas de etiqueta, bailes e actos.da aca-
demia, sendo os mesmos ajaezados de exceltentes
parcllias do animaes, arreids luxnosos
com
conv
nellas para donzellas, anios e defnntos, com
ca-
fitas
Quem tiver achado um maco de papel. cons-
tante de recibos de decimas,de alugueis de casas *
umas cartas de fianca, e qnerendo entregar, p6de
dirigir-se a rua da Cruz n. 49, qne sera recom-
pensado._____._____________"______________
Aluga-se uma casa com bons commodos, oa
povoa?ao da Torre : a tratar na rua do Imperador
n. 20. _______________________________
0 abaixo assignado faz sciente aos credores
da taverna da rua larga do Rosario n. 31, scfc
e letreiros, proprios de lembranca de minha mai, a firma de Santos ft Araujo, e a quem mais Inte-
pai, esposo, esposa, filho, filha, irmis, irmaos, avo ressar que recolheu a deposito publico as chaves
e ivo, tudo por mui barato preco de 3,4, of e ja mesma taverna.
8*000. Na mesma casa tem lindos bouquets de
e boleeiros' cravos e rosas para formatura dos senhores aca-
demicos.com fitas bordadas a ouro ; a encora-
fardamentos do ultimo gnsto, para o que se aemicos com mas ooruauas ouro a in.oiu-
k-ida ao So a vir por si mesmo scienlifi-! mendi deveise fazer tres dias antes ; e preparam-
car-se da verdade do que d.'ixamos dito, certos de se tambem bouquets para noivos, de cravos natu-
que nao encontrarao pomada,
commodos precos.
e sim realidade e rae?.
Para banhos dc mar.
Precisa-se de Una aBia para casa de rapaz
gojteiro de ires pessoa*. nara comprar e ooxinhar:
na rna do Amorim n. it. _________
Para casa de pequena familial
precia-so alogar utna negrinha de 15 a 18 annos
do idarte : na roa do Dnqne de Caxias B- fi*, lo-'
di < ftim<**.
Amaral, Nabuco & C, raceberam da Pa- 457'fabric* de nP*-
ris interessantes costumes do ultimo gosto,
par:! homon' e senhoras quo desojarem to-
niar banhus salgado*, alem Ja soltdez da
fazenda para resistir a agua salgada, a ele-
gamia dos tr-joi nada deixa" a dese-
jar.
I Precisa-se de nma ama forra ou escrava,
Jue saiba lavar, engommar e comprar para casa
e uma familia estrangeira composta de tres pes-
1 soas : a tratar na rua do Viseonde de Goyann? n.;
Cacintrrinha.
Caixciri

Preeisa-se de nm menlno para calxeiro de taver-
na, que tenha pratfea : no -becco da Carvaiha n.
1, esquina da roa da AssumpcJo.
Fugio da rua *i Imperador uma cachorri-
nha ingleza muito uova, com cabo curto e as
oielhas corudas ainda de fresco, tem nao s6 nos
pes como no fecinbo malhas amarellas e sendo
toda mais preta ; gratifica-se a .pessoa que o en-
tregar na roa do Crespo n. 7.________________
0 postilhao
em
mM
Ili^B
Sahe hoje o segnndo numero neste jornal,
aeka 4 Tenda noe Inijare* j4 annuBelanos.

e se
Recife, 21 de outubroo de 1873.
_______Joaquim Rodrignes da Costa Santos.
Pede-se
ao Sr. Joao Goncalves Ferreira Lemos, para vir a
rua da? Cinco Ponlas n. 93, a negocio de seu par-
ti cuInr interesse._________^^^^
Ao commercio
fo4o Fran<' -co de Souza e Friderico Alves Pe-
' rcira Pinto declarant que desde 0>4 de seipmbro
dissolveram amigavelmente a seeiedade qae ti-
nham m loja d farendas a roa do Marfvet de
0lin-*a n. 40, que gyrava sob a firma de Frederico
Pinto & C., fli-ando" todo o activo e passive a cargo
do ex-socio Frederiro Pinto, e o soon cowman*
diUrio Joao Francisco le Sonza livre de toda a
, resuonsabilidade. Hvcife, 22 de setembfo de 1873.
Uma~pessoa hahilitada offerece se par a cen-
' sor em algnm roilf glu : quem pirectsar d.- sens
servicos deixe cam fechada com as Intciaes S C.
'na rua da Coneordian. 111.


-Zl
mi


*T
M ..-,***;.
i)ia*ir de femttotototo1 Sabbado* 25 de
r
AOQtlgUC.
__ Alugasa 'i be in conhccido e afrcgaezado
_ sron.jue ii-j nawn 9o Parairo : n tralar na rua do
Crespo, Lij* do P;isso, jcmto 10 arco de Santo An-
jnoto.
l-orlaratn do le'ceiro andar do sobrailo n. 6
to rua da impera'.ru, no dia 19 deMe mei:, uraa
cadeta de oiir.i com uma cajoleta quadrada e um
reiogio do euro patcnto suisso, coberio e com a
Bmpraeao 92,0:4, Pede *e aquem quer qie an-
prenendii c;*es ..Ijcctos o obscqaio de leva-los na
ma di Lrui na Recife n. 16, primeiro andar, que
a (raBarwamen'e gratificado.
am umtirm,
Miami
?-,.J%ia J' rPe 1'ereira do Rego, D. Senhorinha
Mailia^Jo. re, Dr. Vicente Pereira do Itego D
** rereua do lli-go, os baehareis Miguel Archanjo
Rjrwrad.. Reg,. ,. Vicente Pereira do Rego Jit-
kt (:iu<-i!L>) agradecein do intino d'alnia a to
a- p^sa:- qie so dignaram de lionrar c^m a
sea a-stmirfa as oracoes'e a encommendaeao
aolemne u> se fz na tarJe de 20 do enrrente,
ame ->sra*M niorues de seu presadissimo mari-
*. & aro, filao o irniao. Dr. Jacintlio Pereira do
ro'"'1' na cap Ha do cemiterio publico, o qne os
acoii!aiili.i,i!'i ao sea ultimo ja-igo ; e rogam
alro shu a Mos o amigos e collegas do aiesmi
tmau-i o caridoso ofozequio de assistinvn as missas
quo su eclfbrarao no sabbado 25, 7. dia do seu
passniwi/to, as 7 i(2 boras da manha na Krreia
do -Mnircito (I .N.Mia Senhora do Cn'rmo, pelo
eterii'i/p.puu?.! ua ma alma.
Hodie mi hi eras tibi.
Ag.isOnho Soares de Sauta Clara, roga aos seus.
par-n: ,. -,ligr- ,, Obeqnio n assistirem algu-
oss n.issas que I1..0 ie sor celcbradas na igreja
*> couiento.de Santo Antonio desta cidade, as 7
floras da imnhii do dia 27 do cerrenle, polo pri
*!*"> jjuni-ersario do sua mui carinbosa mai Ma-
ria ii'aqujua I'i.iheiro, e pelo que se coufessa mui-
to plalo.
. ""...... I I III III lumgypfa.
Looead.o Alves Pjntual, feri.io do mats 8010
loso sMimento pilo pa-samento de sua chara
esposs o. Anna J:n.|uioa dos Santos Pontual, con-
viJa a >s- sou p;.rantes e amigo para assi.-tireiu
a .-..jjatBCs n'ias, quo no setimo dia (28 do cor
rente) manda rc*ar por sua alma, na capeila do
sen eogenho Aripihfi, as 10 horas da manha, e,
no Recife, na igreja de N. S. da Gloria, as 7 bo-
ras da manha.
g^^:-^i mihi i nm,t\W9m:
.fiugw: um aos melhores sitio< da Torre
com b.ia afaa do beber, perto da capella : a tra
!ar com o respeetim) propnel.irio Caneca, profes-
wr de piim.-.i.as Ictras do uiesnio lugar.
Alugam-se daas &i5as novas, pronrias para
tasanT i fe-t:ino povoado df. Barro, ria rua da
toneeicao, porto do rin. com duas salas. 2 quart>.
0^.1111 : ii.ra e quintal : a tralar na rua de Lo-
> afetrtiirv, a-itiga rua das Aguas Verdes n
ia, tavpYna.
Vende-se uma exceltenle cr.sa consiraida
mcidenia, com frente de asolejo, c am grande gj-
tio e am grando sitio com nma casa ; tudo
na margem da pstrada real em JaboaUo 8 tendo
o sitio boas proporcdes para editlcsr^o : a tratai
em Jaboatao com Bernardo Gonralves dos Santos
ou na rua de Marcilio Dia< n. )tt.
Vende-se um cabriolet ingles de duas rodas
e com quatro assentos, e um exeeilento cavallo
Kara o mesmo : para ver, na cooheira a rua da
oda, e a tralar, a roa Pireita n. 10.__________
WdKle.
Na rua do Vigario n. 23 ha para vender-se la-
tas de oito libras com torresmos, morcilhas e lin-
guicas, chegados ultimamente da ilba "de S. Mi
guel
Precua-se de u-'iia
i-asa de dirts i essoas,
Jade : i: > oale .'. i Ti+
Urgencia,
ama de meia iJade para
mesino com pouca babili-
o n 21.
LIQUIDACAO
Fiiodicao da Aurora
Grande sortimento de:
Moendas de todas as quaHda-
des e tamanhos.
Tachas fundidas e batidas,
idem.
Rodas dentadas e angulares,
idem idem.
Machinismo, idem.
Varandas, gradeamentos pa-J
ra jardim, etc, etc.
Tudo sevende por pregos
muito em conta para aca-
bar.
sr.y;
G. Starr &C, era liquida-
^ao, na fundicao da Aurora,
em Santq Amaro.
Joaquim Jos6 Gonoalres ;
Beltrao & 7ilhos
Teem para vender no cu e: criptono a rua do
Commerci seguinte :
AGUARDENTE do caju : eaixs de 12 garrafas.
< de laranja, idem idem,
ARGOS de pao para barril.
CAL de Lisoda, recentemente ehegada.
CHAPEOS de sol, para homem e senhora, cabo
de martini e osso.
PBIXES de ferro, para porta.
PIO de algodao da flahia, da fabrics do common-
mendador Pedrozo.
LINHA de roriz.
OBRAS de pal net a.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do com-
mendador Pedrozo.
RETROZ de todas as qualidades, das fabricas de
Peres e Eduardo Militaa
ROLHAS proprias para botica.
SALSAPARRILHA do Para.
VELAS de cera de todos os tamanhos.
VINHO enmrrafado do Porto, caixas de 12 gar-
rate.
drlo Moscate do Douro, idem idem.
drto Setubal, caixas de 1 e 2 duzias.
c da Italia engarrafado, caixas de 6 gar-
rafas,
de Coilares superior, em ancoretas.
t de cajd, caixas de 12 gar. a fas.
c Malrasia do Douro, caixas com U gar-
ratas.
? Carcavellos, idem idem._________
Chnpeos para sciihorus.
Amaral Nabuco A C. receheram am complete
sortimento de cbapeos de palha de Italia, seda
e vollndo, pretos para loto. e de cores enfeitados
com boMilas flores e fita : vendem no Bazar Vic-
toria, a ma do Barao da Victoria a. 2, antiua ra*
Nova.
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguezas que vein a e?te inercad*t
na rua do Marqaez de olinda n.
Engenho Garapil
- pesappare:eu do eogenbo Garapu, freguezia do
-....: o escravo yjeente, pardo, sem barba, um
V I'icc nal.il., clieio do corpo e baixo, represei.ta
H a 20 ami n, latia moderada. anda com a vista
baixa o lirie se t-^go. Este mtilato foi rlsto em
taxanga tonui s. rveitte dcpedreiiv, tem o intno
wir... bom Signal, uma lislula bo queixo : quern o
negar o levar a; dih) engenbo, ou a rua do Bora
' vh ii i)0, recebnra boa grntificaran
roa Jar, ffiore n. 7, e estreita do Rosano n
.. ha an ii tiessoa que se enearrega do armar
-. c caiai uuiba- no eemiterio publico para
do DO-veinbro, commemoracio dos Oeis de-
Jipucos.
p.-sc ii ita Boveacio uma boa casa pintada
-u, com inoUKa de jacarandar na sala da
. .juiiital uiurad i e p Mta> que se communi-
o rio : a tratar no largo do Corpo Santo
i, andar.
' coradones Sscaes da miLssa
in in Vl:r:in^ da Silva Gorges, pelo
fallida de Al-
presentc cha-
nam os efMores da mesma massa, para, no prazo
i oito dias,-apresentarom seus titulos, afim dc
i rein ol^sxifieailoa, dwwudo os mesmos titulos se-
at presenKHl3 em seu escriptori.i a rua da
Madre d-? Deos ti. 22.
umiei-Kxy- -vm. un
(JOHSPRAS,
obre
latao.
Compra-se cobre^ latao e ihumbo velho :
nrmozeai :^p dc IrD[RMii'ior.
Qmpra-" uma eserava crioula na africana,
a saiba cor.in'iar o ordiuario de uma casa : a
^*ar_na roa d i Alecrim n. 20.
Ciniprase duas vonozianas- novas ou
*m iil^uin us), e |iie 'cstuj.-Kn era b'm cs-
bdo : ua rua do Bar;V> rla Victoria n. 5.
Compra-se
cm sitio nos anabaldes desta cidade, onde passe
iial.a -Ie biml< : a tralar na rua do tmpcrador n.
*^, armaiem.
'"coiora!' uma escrava de iiK'ia idade, (jue
sr;i -\ lav.-r, mpriiiniar e ro/mha--, que nao tenlia
>v atgnitt i sadia : quern liver nessas con-
'..*. i e que.ra vender, annuncie por este Diario,
i r;i so a eitrada do Jnaode Barros, sitio n. 21.
;ue ,.(!, in con quein tratar, das 9 horas da ma-
nt.i :'r \ da tarde.
!?r
,SrW

P-"
'reaios a veiida.
Voadesja ctsa n. t5 da rua Imperial, cm
chaos piopiios, c granie quintal, que rende I8J
. -a"-, mafc 12 meias-aguas em uma das tra-
'; da n -n>a rua ;T. do- Bandeira) edificad.is
c. p'ofKrt i'. en solo proprto. V>nde-se mais 2
easas na rua do Brum os. 23 e 25, que deltas se
i->de faer don> grardes armazens por terem
lerreno saffhfewf $** istn : quern pretender di
rrja-w ii rua das T inOieiras n. 34.
comosio umrnw
Os leques todos de madrcperela,. brancps e de
cOres e que trazem o disticoUNIAO em lettra*
tambem de madreperola em alto relevo, tor-
nando-se por isto apropriados para noivas, a NO-
VA ESPERANQA a rua Duque de Caxias n. 63
(antiga do Queimado) e quem os tem.
Sao de tartaruga
Os brincos, broches, meios aderec,os, cruzes
coracdes e cassoletas, qae est3o oxpostas a bd
escolha das Exmas. {amantes do chique) Tende-se
na Nova Esperanca, a rua Duque de Caxia*
n- 63.
Aos menmo$
. A Nova Esperanca a rua Daqae de- Caxias n
63, acaba de receber um Undo sortimeatn de bo-
necas de muitas qualidades, vindo entre ellas a>
engratadas bonecas de borracha, assim tambem
uma pequena quantidade de bonecas pretas que
se tornam aprecialas nela sna novidade.
Ebem util
A Nova Esperanca a rua Duquo de Caxias n
63, recebeu verdadeiro cimento inglez, prepara
cao para concertar porcelanae bem util.
Vestido perdido
Muitas vese3 um \-estido torna-se ioteiramenti
feio, somente por estar mai enteitado : a Nova Es
peranca a rua Onque de Caxias n. 63, removi
este mai ; porque esta bem provida dos melhoref
galdes e franjas de todas as cores, onde pode es
cother-se a vontade sobresahindb entre estas a
modernas franjas mesaicas, que pela saa varieda
de de cdres, flea bem era quasi todas as fazendas
A eWa antes- qne se acabem.
CabeUos bru/n,Qos sfrtem quem
quer
A Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n
63, acaba de receber a verdadeira tintura do Des-
nTTi r\r\T nous para tingir os cabellos, o que se coasegue
Ii I /\ IIV I \ IIJ i^i 11 \ III I Ii (empreeando-a) com muita facilidade, e por este
-t. I motive-, cabellos brancos s6 tem quem quer.
Esttio na moda
Os cinturSes de coitro, proprie* para seuho( *i,
qne reeebeu a Nova Esperanca rua Duqiie de
Caxias n. 63, estao, sim, senhora, estao-na moda 1
Se quereis ter ou preparar um ramalheto de
cheirosos cravos brancos para o vosso casamento
ou para outro fim apropriado, e necessario ir a
Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n. 63,-J
qne am" encontrareis os melhores ports bovqueli
que se pode desejar.
Bolas de borracha
Vendem-se de todos os tamaahos a rua Duque
de Caxias n. 63, na Nova Esporanca.
BAMR UNIVERSAL
Rua do KirHo da Victoria n. 22.
P

DE
Carneiro Vianna.
JP,!I^'5,0
DE
Algodao da Bahia
Ha para vender das seguintes fabricas :
S. Salvador.
ConeeiC/2o.
Valenca.
Modelo.
No escriptorio de Luiz Duprat, rua do Comraer-
Cio n. 3i, 1 andar.
Xarope d'a^riao do Pard
Antigoc coiiceituado medicamento para
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
enmoa phtjsica, broncliites, asthma, etc.,
spplicado ainda com optimos resultados no
eseorbato.
Ineyclopedia moderna
ou
Biccionario das sciencias, lettras, artes, in
dustrias, agricultura e commercio
50 voliiij.es.
A' venda por prego o mais commodo pos-
sivel, ua livraria Academica
Formas para assucar
Venie-se em casa dos importadores Shaw,
IIawks & C, rua do Bom Jesus n. 4.
&t*xm
*^?s
INGER II!!!!
Para allender aos numero-
sos pedidos esl4 resolvido a
vender suns afamadas machi-
nns de costura
A
.NA
9m
CASA AMERICANA
Hiimio h.peniiioi' i'i
Fiado!
Rua do Barao' n. Victoaia
n 22.
0 proprietario do estabelecimenlo -Bazar Uni-
versal tendo de transferir o mesmo para outro
lugar e tendo grande deposito de Machiaas de
eostara de todos os autores, resolveu vender a
PBAZO. mcdianle a convencao que >o pnder fa-
rcr com cs pretendentes : a rua do Barao da Vic-
toria n. 21
______Antonio Dnarte Carneiro Vianna.
Novo estabelecimento de
cera.
Na cidade d Victoria, a rua da Imperatriz n.
48 A, vende-se e troca-se cera de toda qnalidade,
a qual se afh'an?a por ser feita na terra, e o seu
autor foi premiado na expnsicao de I860.
Rua do Cabuga n. 11 A.
Vende-se um escravo m6j.o proprio para eoge-
nho on padaria, por preco muito em conta.
A' este grande estabelecimento torn che-; cllina.
gado am bom> sortimento de machinss para'
costura, de todos os autores mais acredita- j
dos ultimamente na Europ*, cujas machinas'
s4o garautidas por on- anno-, e tendo urn {
perfeito artista para ensinar as mesinas, em I
qualquer parto desta cidade, como bem a>'
sim concerta-las pelo tempo tambem d'um i
anno sem despendio algpra do comprador. |
Nesto estabelecimento t -mbem ha portencas I
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer peja que seja necessario. Estas ma-
chinas trabalham com toda a perfeTcJp de
um e dous pospontos, frauze c borde toda I
qualquer cosMrt por firm qriR- st-j.-*-, sens'
pregos sao da seguinte qualidade : p n tra-'
balhar a mSo de 3090UO, 40^000, v j^OOO
6 5UJ>000, para trabaJharcom o pwMW de
80$000, 909000, 100JK)()0, ltO^OOO,
1203JOOO, 13050GO, 150JJ000, 200^900 e
250JJO0O, emqiian** aos autores nae ha al-
teracao de pregos e os compradores poderao
vbitar este estabeieei-nv'nto, quo mui 10 de-
verao gostar pela variedadu de objectea qne I
ha sempre para vende?, como sejam : tdden'-
ras para vragem, malas para viagem, cadei-I
ras para salas, ditas d balance, ditas pare'
criarscA (alias), ditas para escolas, costurei-
ras nquissimas, pa*a senhora, despensaveis
para eriangas, de todas os qualidades, camas-
de ferro para homem e riancas, capaehos-,.
espelhes dourados para sala, gFandes e pe*
quenoa, apparel hos de reetai para chd, fa-
queifos com cabo de metal e de marfim,
aitos arttlsos, colberes de metal fino, condtei-
ros para sala, jarros, gwarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para form salas, lavatorio* eompletos, ditos
simples, objeoos-para toilette, eoutros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estal>elecimento
que so aoba abcrto de>de as 6 horas da ma-
nha ate as 9 horas da noute S
Rua do Barao da Victoria n.
22.
Nenhuma machina
Singer e legitima se
nao levar esta marca
fixa no braco da ma-
Para evitar falcifi-
acoes notem-se
Hodos os detalhe? da
marca.
AS MACHINAS PARA COSTURA
DE
NAO TEI
mais m w 7wm.\o
TIH-Si: VtMHDII
Porque?
Sao as melhores
Sko as mais baratas
Sao de dous pospontos
Sao mais simples e rapidas
Sao duradOras e aperfiicoadas
Sao util cm uma casa.
.i it in
Faz melhor costura com metade da liriha que gasiam
as outras e fornecem um mew. de
VIDA
Para aqnelles pe M de suslalarsc1
DB-

Vende-se
um vapor dafor^a dc cinco cavall5s, novo, proprio
oara qualquer mister,- com arouses de bresa-
lentes, por prei;o commodo^. para ver, noarma-
zem do Barao do* l.ivramonto, e tratar a rua do
Torres n. 31, 2 amtar.
Manejos Triumviraes ou seis
mezos de viagem
1*1.0
lai'. Catilo Ciuerrclro le Castro.
Obra p-iiit:ca t do gi^ographia deseriptiva : na
Jvpograplaa Commerci Ac, Rosario, ventlese por 2* 0 voltim-.
S^feiffiiJH'ia.
Preefsa-je de um official com pratica : trata
em carta fechoda nta H,pofraphia com a ini-
cial W. '
tin cncnada no r.ltnrib virjirrr,
vende se na rua
&> S. Pedro
Direiti n. Ii,
e da mais nnV.i :
esquina do uecco
-r Wil o-t Rowe & <.. veiidwu no seu armasem
a rua d* Cj:nn.-reio,-. Ii :
i> venladfiiw p-.n 10 d- ilg"diw ;uol americano.
Excel Je-'Mila,
Sognac *- 1* qtulidade,
Viiko u Her n.
fia.-w* daJVtifii U loifri <~ imalUlades.
Ven4u-*e iu ia i>:hiaa-neva-d costura fin:,
(te snpir.jr qua-iiJaJe, (u>r meiade'de seu valor :
* .S*1**' ***." j p com toda p.;t
Fazinidas baratas
LOJ V BAMEUGsV.
Rramaale de quatro largutas aiuito bom para
tencoes a 1^600 a vara.
Brim lona superior a US90 idem.
Madapolae franco* a 6i a peca.
PARA TOALHAS DE MESA.
Vende-se rico at -aIlia lo coin duas larguras e
desenhos raodernos a 1*600 a vara.
PARA VEST1DOS.
Lazin ias de quadros azues a 400 reis 0 covado
Melim trauQa.dc-> cores garantidas; a 400 reis
idem.
Lazinlias com listras de setim a 1 fi idem.
Brilhantina, assetinada, rom duas larguras, a
300 reis idem. Dao-se am jstras : na, rua do Ca-
buga n. 10, loja d' merica.

Cafe (k) Rio

Vende-se na rua do Marqucz de Olinda
ro 66.
nume-
Para 2 de novembro
Bopias-enfetadas de boa cera e-diversos'tama-
nhos, para o dia dc tinados : na rua do Cabuga
numero 5.
/-------------------------------------------.,--------------------1-----------_----------
,11
mo : na r'.'^
d Svfrpiwmv 9i.
m
A l> ja do Passo recebeu riquissimos cortes de
tarlauna prateadus, proprios para- bailes, fachas
de swla de lindisaiinos gosios, e di versos arligns
a.rua Primeiro de Mar-
A_________________
uoi* tav<.-rM tun pokrtu fun los e
ifotn. 4i : atfatui ua raesraa.
proprios para senhora : n
co_(aatiga d6Cr^pe) n, 7
- Vende
20
Rua do Crespo.
(iUliHiiH a vender haralo \mt
apurar imiiln
B.-ins de linho de, cores (pcchin) a U2CHI a
vara.
Fustao branco para roupa de iceainoi a ,'i60 rs.
o covado.
Lazinhas escocezaa a 240 e 28Q rs. o covado.
Alpacas com h*lras a 500 rs. covado.
Brins pardos c de cores a 40Q, 440-e 500 rs. o
covado.
Brin lona branc) a 1*600 a vara.
Cambraias pretas para Iuto a 840 rs. o covado.
Cretone de lisUas a 440 rs. o covado.
Chitas roxas a 20ft e 240- rs. o covado.
Gro.-denaple .prcto. de cordao a 2*400 o covado.
Cobertas de chita adarnascada a 32500.
Colchas braucas ade cores a,3ja00 o 4*.
Lenjoes de hramante a 2*.
Ditns de aigoilao a f {400..
Toalhas alcocltoa i&> a Sti a djuia.
l^a^os te cassa coaj, barra a, If a Jiuia.
Ditos de dita abainhados a if.
Ditos do esguiao a 34500.
Cambrai? lrsa a 3* e 4*500.
Drt*. ViPtoria tina a SigpO.
Ati^alliadoa 2a a vara.
Gortes de easeailra flaa-a 5*.
Rustles de cores a l& a cprle,
Ghalles de-iKerioo liso a ii.
Ditos de dito esUmpado a 4JL 4A50Q e. 5*000.
Esguiao fino a it a varat
Brim preto tran^ado a 2* a vara.
Rramante de algoilan a 1-S600 a vara.
Dito de linho a 2500 a vara.
Carabraia de linho de odrai a 360 rs. o covado,
Algodao T a 55 a peca.
Madapolde8 baratoa.
Metins
Proprio para veflidos, o quo ha de mais gusto,
padroes inteiramento-novos, pelo diminuto prec/;
Ni)iia mais cabellos
brancos.
WniRUM J1PH24,
Sd e unicaapprovada pelas- academias de
sciencrasy Feconhecida superior a toda que
tem appareeido ate hoje. Deposito princi-
pal & rua,da Cadeta do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda, n. 5t, i. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
Querem agradar 4yaya?
Querem agradar a esposa.?
Querem agradar a iilha?
DBI7M DMA '
DE SINGER
Nenhuma casa esta complete sem uma.
MACHINA DE SINGER
Sem caixa 805&000. Com caixafOOJJOOO
UNICA AQENUA
EM
45
Do forifa de d ms a sois cavallos.: a venda no
armazem de Joaquim Lopes Machado 4 C., tr-a
vessa do Torpi Santo n. 25.
Oalcado estrangeiro.
Aprosima se o mez do dezembro, tempo em
ie oParis na America, a rua Duque de Caxias a
', 1 andar, tem d3 dac o sea nalanco, por este
motivo, os proprietaries desto estabelecimento es-
tao resolvidos a vendere^i sens calgdos pelo cus-
to, aftm do minorarem o trabaltio ; assim pois os-
apreeiadores do bom, e com especialidade o sexo
antavel, para quoin o PaiHs ua America, conserva.
com a devida decencia) o seu gabinete reserva-
do, para a escolha de calgado-, aproveitem e ve-
nham munirem-sc do que precisarem.
Grande novidadei
S iipara o 13
Vieram no ultimo vapor, baptistas finas com
harras, gostos chinezes, pelo. diminuto pre?o de
500 rs, o covado : a roa do Queimado n. 43.
lils com li'tras assetinadas, ultimo gosto a
IWOOo covado: s6 o,43 a rua do Queimado
DiQ-se amostras.
VENDE-SE
uma casa bem construida de ferro e madeira,
situada cm Sant'Anna, perto da estacjio da estra-
da de ferro : trata-e com os Srs. Stiaw, Hawkes
& C, ma do bom Itsxit. n. 4.______
A CASA AMERICANA
RUA DO IMPERADOft
,iJ3
Labyrinlhos, bicos, rernlasr,
No escriptorio de Gomes.de MaUos, Irmaos, a rua da Cadeia
do Recife n. 40, 1. andar, 6 o unico deposito do que ba db
melhor, e bem acabado, que vem a estemercado, da cidade do
Aracalv no Ceari, quem os comparam com os feitos aqui na
terra, facilmente reconh?ceraa immensa differenca, quo va4
deuns para outros, tanto cm pre^-o como_em qualidade.
I.indissimas toalhas de labyrmtho.
Fronhas de diversos tamanhos.
I-encos de todos os precos.
Bicos e rendas em profuzao.
de 400 rs. o covado
de Guilherme & C.
na rua. do Grespo n. 20, loja
Cassala
Chegou e?ta fazendo. sento- Undo* padwJes, e
wnde-se pelo diminuto preco de 200 rs. o cova-
do ; somente na raa do Crespo n. 20, loja de Gui-
Ihermaft C.
S6na rua do Crespo n. 20.
.oj^a do
Guilhcriae & C.
Banhos em Oimda.
Camisas e calcas de fareoaa.de boa qnalidade
prepjus parades bajjlu* #i.OUad^: o*-k^q>
arms a rua primeiro do Marc f-fwiffl do Cfesoo
n. 10 A, de Gurgcl da Amu & 4*C'""
Soudas dje Benique.
ao estas as melhores sondts para a dilataeSo
da urethra, nii i s.i pela facilidale ua, applicacao,
como tambem.pelo pouco incummodo que. proJuz
a* doente, tendo a vaotagem de uma longa dura-
cao. Bueonlrarp iO a venda na pharmacia ame-
riranas rua Dnqne de Caxias p. 57.
Contra erysipela
Das pour variee
Meiasde borracha, tccido em seda, unico rcme-
dio contra a cry>ipela das pernas : a venda. na loja
do Galo Vigilante a rua do Crespo o. ft
TASSOIMAOS & C.
Um seus armazens & rua do Amorim
n. 37 e caea do Apollo n. 47,
tern para vender por precos comraodoa
Tijolos encarnados sextavos para ladrUae.
Canos de barrel para esgoto.
Cimeato Portland.
Cimento H>draulicc.
Maohinas.de descaroear algodao.
Maejunaa d*.padaria.
Pdtassa da Russia em barril.
Papsphorcy de c^ra.
Sagii em. garrafoes.
Se\-adinha em gamfoes.
Lentiihas em garraioes.
Klmra da aJmaica.
Vinho do.Pstao velhe engarrafa**.
Vinbo do Porto superior, dito.
Viuho de Bofdeaux, dito.
Viuhp de Seherry.
Vinho da Madeira.
Potes com iinguas e dobradas iaglsiaj.
Licores flnos sortidos. ^
Cognac Gaulbier Freres.
Lafie< de toucinho inglei.
Barris.com rjepplljp em salmons*
Yende-se
trastes de jacaraoda e amarello com pouto u?.
em perfeito estado, e tambem um meio apparell*
de louca para jantar eum dito de porcelana^fino
braneo, para almoco Veade se por. ter. o dooo d
se retirar para Europa
n. 54 A.
aa rua da Imperntrk
Potassa da Russia cm meios
barrisa 500 rs. o kito
Desembareada ha ppucos dias :
escriptorio de Oliveira
Santo n. 19.
i ppucos dias : veude-se at
ra Filhos & C, largo 86 Corpr
\r
Machinas
I
12
Por. baratos precos para, descarocat algodao.
!j 14, 16, 20,2.S, 30 c 35 sef ra. ..
93
Cunha #lfiaota
4. fr. C, Awlt.
Vmb para ve i r
fiognf
BMA MOttlLIA.
Vende-se uma mobilia de amareUio eai perfeito
cs|adi>ii LubvJJ-V-: con jaridtieiaa, am i> i* eot?olqs, tt cadeiw de
b. 3 andar, que acnara corn quem 'trtlar, f
.ognac-de. Reanassv, superior e verdadeiro.
Vfcho Xeres das memoros qualidades.
Mtecs de Angostura,
Cha prelo em lattas da 10 libras.
Ttdat al prepafapoe chimicas do Dr. Aver : no
barn's com carne de vacca e de porto, saigas;
para mantimentos de navio? : no armasem de Xs*>
o Irmao? c\ C. a rua do Amorim n. 3J.
Vende-se
uma easa na villa de Baneiro?, na ma dp Com-
mercio, por pscfu modic*: a traur cqdj Ta<*
tjl-Daaos & C. _____________ ______
Ca#
do-Ric Janetrtk: v?d,3c-sq \ ma de Ytgarlo, a^
^ niaicui n. .16.
ruS


.

i
ENarlo de iFernambaco SAdD^*^^^^^

fflUMS PARA
#ilit
i
ib
n.owi
11V W fi
SOAKS LEITE, MAOS
UNI COS AGENTES
^ Rua do Barao da Victoria d. 28
Vs mais simples, as mais baratas e as melhores do murfdo!
Na exposic,io de Paris, era 1867, foi concedido a
Elias Howe Junior, a medalba de ouro e a condecora-
c,So da Legiao de Honra, por sarem as machinas mais per.
fcitas do rtuwdo.

I > 1 K
POSP43STOS
Na: %etorian."28.
cfttr'-pfyjuorio Wqne
A medalha de ouro, coufcrida
Estudos-Unidos por ser 0 inventor
tura.
a E. Howe Junior, nos
da machina de cos-
Luvas de pclliea
a 200 rs.
Abotoaduras para colicte, grtfffrfc sorti-
raento a 120 rs.
Caixa de Hnlia de maTea, a 200 rs.
Lamparinas A gaz, dando ufna \m muito
boa, a 19000.
Duzia de pecas de eordlo imperial, a
240 rs.
Caixa
200 rs.
Duzia de carreteis de linha, 200 iardas, a
600 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Maco de flta chincza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
Meios aderecos com camafeu, a 500 ts.
de botdes de osso para calca, a
de
verdscMro, a1
a
Garrafa detinta roxa extra-flna a 1&000 nel, 1&0OO.
''IsptthAs de m(A&ttra doufada,
os tamanhos e precos.
PEOfrUMARIAS B MIUDEZAS.
Frascoctfrh Oreo Ottza
19000.
Idem coratoalc^'de Kemp, verdAdefro;'
19000.
Gafrafa'de agna'ftdrlda verdadeira a 1*200
garrafa d'agua japotieza, a 1?P000.
Idem idem divina, a 1JS000.
Idem Hem "toagdatena (novidade)' "a
15200.
Caixa de pos para denies, a 200 "rs.
Idem idem de pos cbtinez, muito bom, a
500 rs. e f$000.
"Pote'cotndpiata:de Rieger, Rimele Gros-
"Agua .florida, de Guislain,
parafazer os cabellospre-
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. SO,
aeaba de reeebernova remessa 4a apremtel agua
florid* para fazer os cabellos pretos. 0 bom re-
sultado colbido por isoffensiva preparacao a tern altamente conceitua-
do, e por isso apenas se faz lembrar a quem ne-
tttnente deila prerrse e queira se aproveitar de
todftS auk trtilMade. Taabem veio agua de topasio e
oleo florido para 0 mesmo uso, e tlo acreditados
como aquclla.
Voltas e brincos de grossos
aljofares de cores.
A aguia branca, a rua do Duque dj Caxias n.
50, recebeu novas e bonitas voltas e brincos de
grossos *ljofares de cAres, e como sempre conti-
Jnna a vende-las por preco commodd.
ftovos diademas dourados e
com pedras.
A aguia branca, a rua do Duque
dita ingleza, preta, a 100 -e
muito boas, a
A medalha de ouro na exposijao de Londres acreditam
estas machinas.
908000
Cabe-nos 0 dever de annunciar que a eompanhia das machinas de Howe de Nova-
fork, estabeleceu nesta cidade a rua do Barao da Victoria n. 28, urn deposito e agenda,
*rai, para em Pernambuco e mais provincias se veuderem as afamadas machinas de cos- j
wa de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas peia perfeicSo de seu trabalho, |
mpregando uma agulha mais curta com a mesma qualidade do linha que qualquer outra,
* peia introiuccAo dos mats aperfeicoados apparelhos, estamos actualrnente habilitados a
cereoer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As mntagms destas machinas sao as segmntes:
Primeira.0 publico sabeque elias sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
reainstancia de nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe em sejmn-
m?o.
Segunda.Contem 0 material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Terceira.Ha nellas menOr friccto entre as diversas pecas, e menos rapido estrago
qm-nas outras.
Quarta.Forraam o ponto como se fdra feifb i mao.
'juinta.Permitte que se examine 0 trabalho de ambos os fios, 0 que se no consegu -
* OTtras.
Sexta.Fazem ponto miudo era casemira, atravessando 0 fio de um i outro
logo em seguida, sem modificar-so a tensao da linha. cozem a fazenda
*nt.
&!tima.0 compressor e levantado com a maior facilidado, quando se tem de mudar
? agulha ao come^ar nova costura.
Oiftava. Muitas companhias de machinas de costura, tem tido e"pocas de grandeza e
xcadencia. Machinas outr'ora populares, sio hoje quasi descor hecidas, outras soffreram
ttudanjas radicaes parapoderem substituir : entretanto a eompanhia das machinas de Howe
doptando a opmiio de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
'OgEientado 0 seu fabrico, e hoje nae attende a procura, posto que fa?a 600 machinas
t*&* machina acompanha livretos com instrucgoes era portuguez.
Potes com
160 rs.
Caixa do pennas Perry,
1?*000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes larjados, a 500 r.
Idem idem fofrados, a 700 rs.
Caixa de papel amisade, beira dourada,
a 800 rs
Idem idem idem lisa, a'600 rs.
Duzia dc talheres cabc branco, 2 B., a
5JS000
Resma de papel pautado, a 4JJ000 500 rs. e
de sabonetes de amendoa, a
e 5$800. rtractos
Idem iderahso, a25>800, 3^800e 59000. tores.
'tmzia
S5J600.
Duzia do sabo'netes'de anjinho transpare"n-
tes, a 2*200.
Idem idem com fldres, a 1*500.
Saboffetes"Glyeerino transparentes, a
15000.
flCaixa com sabonetes, formato de fructas,
a i3?000 e 4*500.
"'osmeticos('graudes e peqaenos.Ja'tOO e
800 rs
Frasco com agua de colagne, a 200, 320,
idooo.
muHo'linos dos ra- Ihores au-
I
lado,
mais
Coques modernos, a 3*000.
Duzias dc pecas de trancas de caracol nas, proprias para presentes, dos i
branca, a 400 rs. e. Codray, RicKer, GfeHe" Freres.etc.
Idem idenl lisas, a 200 rs. Quadfos com santos e esWmpas scpara-
Leques de osso e sandalo, a 2*000, 4* das.
e 6*000. Entremeios-e'babados transparentes e ta-
titade velludode todas as cores e lar^u- pados.
***. I Uma grande taboleta propria para qual-
Microscoptos com 12 visUs,|a 6*000. ^uer loja.
Frasco com oleo para machina a 400 rs.
de Caxias n.
80, recebeu novo sortimento de bonitos diade-
mas dourados e com pedras, tan to para meuinas
como para sennoras.
Collec^oes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. 50.
recebeu novas collec^oes ou normas para as crian-
as aprenderem a escrever por si mesmo, hoje tao
usadas nas aulas e collegios; e como sempre ven-
de-as por prefo coramodo.
Meias cruas tinas para meni-
Das esenhoras
A loja d'aguia branca, a rua Duqne de Caxias
n. 50, recebeu novo sortimento daquellas tao pro-
curadas meias cruas para senhora, vindo ignal-
raente para nwninas, e contimia a vende-las por
fprecos commodos.
Veos ou mantinhas pretas.
A loja da aguia branca, a ma do Duque de Ca-
xias o. 50, recebeu iwnitos veos ou mantinhas
Lindas e elegantes caixinbascomperfuma-' Pr^fas *e , e nras a imita?5o de
croche, e vende-as pelos baratos precos de 34,
4| e 6^000. A fazenda 6 boa e esta em perreito
estado, pelo que contimia a ter prompta extrac-
cSo
Perfeita novidade.
lacnina acompanha livretos com
4 90>000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A"
do Barao da Victoria n. 28.
Rua do Barao da Victoria n. 28
Rua do CabuffaN. 4
JOSEPH KRAUSE & C.
DE
0 lAMfKRO
DO
BAZAR NACIONAL
Rua da Imperatriz n. 72
DE
Loui-enoo Peicira JMeudesGuimardes
Declara a sous freguezes que tem resolvido vender o maisbarato que for possivel,
GOMES DEWATTOS^IBllAO
Avisam ao respeitvel publico desta cidade que o sortimentode joias, de subide va
lor, que cxistia em seu estabelecimento, esld completamente reforc.ado com o mais el&
gante sortimento de novas joias, que receberam directamente pelo ultimo vapor da Eu
ropa, constando elle do mais variado sortimento de adere^os ^Boulevard, pulseiras dt
ultimo gosto com pedras preciosas e sem elias, brincos d'argola, agraffes para relogio de
senhoras, delicados adere^os para rrieninas, meios aderecos de camafeu lindissimos, voltas
de nogordios para senhoras, corrchtes ingleza8'de de botoes para punhos e peito, com embleroas maconicos, de onix, tecido de ouro, caita-
feu, etc., bnlhantes raonstros de rariasilnas agoas, em auneis, rozetas, pulseiFas, alfire-
tes ebotoes, c outros muitos object09deioarodeNnelJioK>s1fabricantes de Paris, que se
venderao com grande reducfao de pregos, por serem elles recebidos directamente de sous
committentes.
Os proprietarios do acreditado MUZEU DK ate 8 horas da noute, convidam ns familias quese qaiierem prover de lindas
virem escolbft-lnsi vontado, para o que=*5 emsxposioio nosmostradores.
Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
nhotos dourados e coloridos.
-A loja da aguia branca, a rua do Duque de
Caxias n. 50, recebeu bovos grampos com bor-
boletas, bezouros e gafanhotos, o que de certo 6
perfeita novid de. A quanhdade e pepuena, e
por isso em breve se acabara.
"Novas gollinfrasornadascom
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca a ru a Duque de Caxias
- bo, receLcu uma pequena quantidadc de boni-
s e novas gullinhas, trabalho de la e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e inteirainente novas. i
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia branca, a rua do Duque
Caxias n. 50, recebeu novamente bonitos gram-
pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
novos diademas de aco, e como.sempre conti-
mia a vende-los por precos razoaveis
Oaixinhas com p6s dourados
e prateados, para cabellos.
Vende-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
que-^e Caxias n. 50.
Luvas de pellica pretas e de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, a rua Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu novo sortimento de luvas de
pellica, preta3 e de outras cores.
Rape Rocha
na rua do Vigario n. 7. primei-
Fazendas fi
mas
NA
ne
cores, para
joias,
CHITAS A 160 E 200 RS. 0 COYADO.
Vende-sc obitas francezas largas com to-
que de avarii, a 160 e 200 o cevado. Di-
tas limpas a 240, 280 e 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vende-se (assas francezas a 320 e 360 rs.
o covado.
LASINHAS A 200 RS.
Vendo-se lasinhas de-cores para vestidos,
a 200, 360, 400 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A400RS.
Vende-se alpacas para vestidos a 400, 500,
640 e 800 rs. o covado.
COBERTAS DE CHITAS A 1JJ600.
Vende-se cobertas de cbitas de c*res, a
13600 o 23000. Ditas de pello a 1*400.
Colxas de cores a 13200, 23500 e 43500.
CHAI ES DE LA A 800 RS.
Vendij-se chales de la de quadros a 800
/ e 13000.
Ditos de nieriad a 23, 33, 43 e 53000.
wCAMBUAIA BRANCA A 33000.
Vend^-se je yurentes e tapada, a 33, 33500, 43, 43500,
53 e 62)000.
SAIAS BRANCAS A 23000.
Vend<}-6e sain brancas e de cores,
senboras, a 20000 e 23500.
BONETS A SOO RS.
Vendo-se bonets pretos de seda. para ho-
mens, a 500 rs. Chapeosde palha, pello e
massa, a -23, 23500, 33000 e 43000.
MADAPOLAO A 33000.
Vendo-se pe^asde madapolao em'estado .a
33000. Ditos inglezcs para os precos de
*3, 43500, !3, 03000 e 73000.
ALGODAO A 33500.
Vende-se pecas de algodao, a 3?J500, 43,
e 53000.
BBAMANTE A 13600.
Vend:-sc tramante com !0 palmos de
largura ,para lengol, a 13600, 23 e 23500 o
metro.
GRANDE LIQUIDACAO DE SABONETES 280 RS,
Vende-se uma grande por$ao de sabone-
tes inglezes, a 200 rs. Ditos francezes com
cbeiro a 320 e 500 rs.
Agua deoolonia, 2O0, 320 e 500 rs. o
frasco ps.ra liquidar, e outros extractos
muito b.jrato,
----------------------------------------------------------------T
para
CORTES DE BR1M.DE CORES A 13500.
Vende-se cortes de brim de cores par
cairn, a 13500 e 2000.
BOTINASA33000.
Vende-se botinas para senhoras, a 33000
33500, elias antes que se acabem.
ROUPA FEITA NACIONAL.
Vende-se camisas brancas, a 13600, U
23500, 33000 e 43000.
Cal^asde casemiras de cores, a 53, 69
73000.
Palitots de casemira, a 43, 63 e 83000
Seroulas aloe 13600.
BRIMDECORESA 440 RS.
Vende-se brim de todas as cores 44
rs. o covado.
LENQOS BRANCOS A 23000 A DUZIA.
Vende-se a duzia de lengos brancos, .
23000. Ditos com barras de cores a 33001
Ditos de linho a 53000.
TOALUAS A 800 RS.
Vonde-se toalbas para rosto, a 800 r. .
13000.
GRAVATAS DE SEDA PRETA A 500 Rs
Vende-se gravatas de seda preta, a *<
rs. cada uma.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chita para coberta, *-280 e
rs. o covado.
BONETS PARA MENINOS A 13500.
Vonde-se bonetes para raeninos, a 1350
ESPARTILHOS PARA SENHORA A 33500
Vende-se espartilhos para senhora,
33500.
Ca.ADKES
A 800 RS. 0 COVADO.
Vende-se granadines com listrasde s5J,
para vestidos de senhora, a 800 rs. e J300f
o covado.
COLCHAS DE CROCHET A 63000..
Vende-se ricascolchasde crocbitpara c
mas a 63000.
PANNOS DE CROCHET A 13500.
Vende-se pannosde crochet para cadeirai
a 10560e 23000.
CASSAS PARA CORTINADOS.
Vende-se pe$as de cassas para cortinadot
com20varas, a 103000 e 123000, e outras
muitas fazendas em liquidaoao.
DROGARIA H0ME0PA1HICA
DA
4i Rua do Imperador 4\
Os proprietaries deste estabelecimento, no mtuito de Ifce conservarem os cre-
ditos do pnmeiro neste genero, continuam a esmerar-so ua preparacao escrupulosa
de seus inedicameBtos, podendo arantir ao respeitave! publico desta cidade e in-
terior que sao rigorosamente observadas t0dB3 as regras pharmacologicas. Outro
sun, que com o mesmo fim acbase a testa do estabelecimento,' tendo a'seu cargo a
inspeccao de suas preparanOes e direcgao do consuttorio, o acrediudo medico ho-i
meopatha Dr. Jesuino Augusto dos'Santos Mello.
Tem todos os medicamentos eapeciaes para bexigas e os considerados pre-
servativos : assim tambem, cs medicamentos da sua drogaria'em lodas as dvm-
nanisacoes conhecidas e mai9 nsadas.
Carteiras homeopaticas de 12 a 120 medicamentos envtinturas ou globulos e
a excellente obra do Dr. Mure Medico do Povo em 3.' edicio.
a lJCOOa libra
ro andar.
Rna l DE
Cordeiro Kimoes & C.
E' esta etaa, sem duvida, uma das que hole,
pode com primazia apresenlar as mux freguizet
um variadissimo sorlunento de faL>iid:is finas p-
ra grande toilette ; assim como, para o uso oidi-
nario de todas as classes, e por pi. ^ vautaje-
sos para os ceoipradorcs, de cujas. f-item otu e-
queno resumo.
Mandara fazendas as casas dos rrc-tcnienta,
para o one tem o pessoal neccssario e dao'amoW
tras median to penbor.
Cortes de seda de lindas cores.
Ditos de gorgurao de cores.
Grosdenaple de todas as core9.
Gi rgurao brancu e preto.
Selim Macau preto e de cores.
Grusden.iples idem idem. *
Veludo preU.'.
Grauadiue. cda preta e colismasti Je -co
dissimas padroes e faienda da ullima'
Popelinas de lindos padroes.
Kilii de seda bianco e preto.
Micas basquinas de seda.
Santas brasileiras.
Coirhas de seda para noives.
Cortes de cambraia branca com lindos bordadje.
Capcilas e mantos para n ivas.
Riquissimu sortimento de las com ti^lras de seda.
Cambraias de cures
Ditas maripozas, brancas e de cores.
Jlansuck de lindos padr5es.
Baptista de padrccs mui delicados.
I'erealinas de quadros pretos e-brancos, de !k-
tras, etc.
Brins de linho de cores, proprios para vestidos
com barra e lislras.
Fustao de lindas cures.
Casaqoinlios de la e de todas as
nlioras.
Saias burdadas para senhoras.
Camisas idem idem
Vestuarios para nieniuos.
Ditus |ar.i Implisados.
Chapcos para ditus.
Toalhas a guardanapos adamascados de linho *
cures para mesa.
Colchas de I >.
Cortinadus bordajos.
Camisas burdadas pata homein.
Meias de cures para homens e mecinos.
Complclo surtimento de ehapeos de sol para bs-
mens e senhoras, com cabo de marfim.
Merino de cures para vestidos. -
Dito preto.
Atoalhado de linho e algodao para toaihaa
Atoalhadu pardo.
Brins de linho branco, preto e de cures.
Setim de lindas cures e com listras
Chales de merino de cores e pietos.
Ditos de casemira.
Ditos de seda preta e de c6res.
Dito de touquim.
Camisas de linho.
Ditas de chita.
Ditas de ilanella.
Ceroulas de brim e algodao.
Damasco de la de cures.
Pannos do crochet para cadeira, sofa e OWfe/Tos.
Colchas dc dito.
Tarlatana de todas as cores.
Espartilhos lisos e bordados.
Foulard' de seda.
Casaco8 a tricot.
Rioos cortes de vestidos de linln para seohon.
de di ersas cores, com os compelentes enfet-
tes, ultima muda.
Casemiras pretas e de cures, chitas, malapoloet,
cambraias, panno fino preto e azul, rnllantibcs.
punhos. gravatas, luvas de pellica, ditas d fio
de Esc. cia, brancas e de dures, tapetes de todos
os tamanhos, bulsas de viagem, 11c etc.
Na loja do Passo, rua Pnmeiro de Marco b.
A, antiga do Crespu.
Grati
r
PARA D!A DE FI1D8S
Hi
Plumeria, para mordcdirras de cobras.
Sarracenea, para bexigas ( ou preser-
Vaccina, para bexigas ( vativo.
China cruzeiro, paia febres intermi-
tentes.
Schynus, para angina.
Calendula, para queimadiiras.
Tarantula, para paralysias.
Carnaiiba para syphilis
CoHsiillorio b#meo|NHIrieo
Chocolate homeopatbico d'Epps.
Encerado de arnica.
Pos homeopathicus, para denies.
Jeric.6, .para rheumaiismo.
Matamaia on Jaboty, para tosse.
Espfrito de Hahnemau on de campho-
ra.
Cactus Grandiflora, i prai paeumosias
ou molestias do coracao.
DO
DR. SANTOS MELLO.
Consultas das 11 horas da manha a 1 da tarde.
Os verdadcitds
Yinhos de BourgQgne

das oiarcas
Chambertin
Pommard
Virits
Voloay
Beanne
Monthelic
Dito Bordeaux em quartoJla.s.
V>nde-se por \\mte w^o
.PARA LIQLLDACAO/pE.CoiTAS
NA
Armazem do funio
Rua da Madre de Deus n. 10 A.
Jose Domingues do Carmo-e Silva. participa aoe
seus freguezes e amigos que no seu armazem a
rua da'Madre de Deus n. 10 A, se acha um com-
i^leto sorvimealo de.fiunoem fardosido palente t.",
2.' e 3.\sortes, dos melhores fabricaates daSabia
, e bem.assjm.a flor de.todos os fumos de cerda
emroTos, pacotcs, Jatas grandes e pequenas, tam-
bem dos mui acreditados 'fibricaHles Torres &
an jo, Lizaur, Adolpho Schmdt & C, Lizaur
jdt 4 C, V^gas A .Aranjo, Trindade A Ave-
r, Teixeira Pfnto '4 Portella ^garantido pelos
mesmos) e de outros atnde nao conhecidos pelo
IpnWico desta eapltal. Oannnnciante declara que
itodoi ftimo qme for, vendido em sua casa sera pelo
|tf#u,JB8to valor, e que.quando.garantir a respeeti-
i Va qualidade, sera siucero, mui particuJarraenfe
SAUDADES.
Aaiaral, Nabuco k C. cabam de receber um
variado sortimento de capellas funebres com as
seguintes inscripcSes:
A meu pai.
A minha mai.
A meu esposo.
A riiinliri esposa.
A meu lilho.
A minha filha.
Saudades.
Amiiade.
Lembranca. .
Vende-se no bazar Victoria, rua do Barao da
Victoria n. 1___________
Mobihas baratas
Xo armazem de Joaquim Lopes Machado 4 C.
ha um bom sortimento de mobilias de Vienna,
brancas e pretas, que se vendem a precos com-
modos.
hgm Alcalino-Oazesas das Fe-
dras Salgadas.
"Villa Rouoa de Aguiar.
BICARBONATADAS-SODICAS
Analyses do Dr. Jose Julio Rodri-
gnes. lenle da escola I'olyte
*hniea de I.ishoa.
-Esta exeellente agua usada com vantagera no s
padecimentos das vias digestivas, urinanas, do
estomago etc., etc.
Vende-se
NA
Pharmacia e dro^aria
DA
Rua larga do Rosario n. 34.
Rua do Barao da Victoria
n. 22.
Concerto de machinas.
0 proprictario do Baar Universal de novo avis*
aos seus freguezes, qne contimia a mandarcoa-
certar machinas de costura, vendidas em seu es-
tabelecimento, e por petsoa muito habilitada pa-
ra este fim, e dn confonnidade com os annuncios
feitos per este jornal.
E bem assim vende todos as pertencas para as
mesmas machinas por commodo oco para os
seus fregucfes.
E Urnbem pr^vine a todos os seus fregueze.
que o Sr. Alfredo Luis Dutiable deixou de sers
seu empregado desde o dia 15 do coi rente mez.
Recife, 17 dc outobro de 1873.
N. 22 Riu do Barao da Victoria N 22
______Antonio Dnaric Carneiro Vianna.
Para senhoras.
< liapeos do sol a 3$DOO.
Chap6us de Sol de lindas cores e cabo compri-
do, ultima moda em Paris, proprios para u
Exmas. Sras. apreciadoras dos dobooi em (Hinda,
e mesmo para passeios nos arrabalJes da cidade,
pelo baratissimo preco de 2*1.00 cada urn ; c pe-
chincha : S6 na loja do Pas^o, a rua Primeiro da
Marco n. 7 A, antiga do Crespo
Para meninas.
Chapeos de sol a 2*000 ; e pechiucha : so na
loja do Passo, a rua Primeiro de Marco u. 7 A,
antiga do Crespo.
A visla desengana.
Madapolao francez a 6$000
a pega.
Tem a loja da America madapolao francez, e
bom Je vende nor este preco para acabar na rna
C doabuga n. 10, loja da America.
Tai
lxa.
Yeade-se uma taixa de cobre, peqnena : no ar-
mazem da bola amarella, na traves.-a da rua do
Imperador.
Rua Lui'a do Rosario u. 34.: com aspessoas que pouco entondam da materia ;
w r1>dfsi)sH-a bem-rerVlr a todos,
Botica.
. tem o anouneiante
!a-^>aga pratica de 15,annos deste coiimvreio.

Cadeiras do g'^arni^ao muito baratas.
23--RiiaM!!rquez .______ i:UN)rIA A MAXTA.
Bazar Victoria.
Amaral, Nabuco A C. receberam complete sor-
timento u6 Lengallas de canna. proprias para des-
canrfl de velhos, de rheumatioos, etc., etc., e ou-
tras de pliantasia, completo sortimento de ehapeos
'tde sol, heugallas, urnbellas, etc.. para senhora e
tod
UL'
Las e sedas.
Cal^ado Traneez
Borzegmns de bezerro para homem A 7*000:
r ~. l-na Praja da ludependencia n. 39, loja de Porto A
uamnraias bordadas e onlras fazendas, vendem- uastos. ~
se baratissimo, a dinheiro : a rua do BarSo da
Victoria n 9, antiga rua Nova. T<
L'O
Verdadeiro biter hesp^ridina, superior e *ae-
ditado : a venda no armazem de Tawo frmios 4
C. rua do Amorim c. Z'.
Portland, desembarcado no dia A do
cor-
1_^----------------- -nente.-ainguem-tem oimento de Portland
balsa parnina f**16 ao* "^n ^e melhor qualidade: a
muito nova e barata : vendese na rua larga d vend" normazem da bola amarella, trave6-
Rosario n. 34. / sa da rua do Imperador.
DE
FAZENDAS
Rim doQueimado n. 43, e
pechincha.
Lazinhas de cdres a 200 rs. o covado.
Ditas de barege de quadriaaos a 280 re. o co-
vado.
Ditas com bonitas listras de sede a If,
Cortes de vestidos a eseoceza, com 15 covados
a 7*080
Bap'istas de barra a 5W) rs. o eovado.
Nansuc tiou^ -S propria p
pva vesti-
Lencos abainhJos de Ilnhu a 3^500.
Toalhas grandes para rosto a 500 rs.
Bramaote de 4 lartmras, pmprio- para lencoes a
1*600 a vara. e muitas outras fazendas por me-
nos de seu valor.
Na rua de Queimado n. 43,-era frente da pra-
cinha.
Novldades,
Almanaks para 1874.
Almanak de lembrancas I.u ,o Bra-
sileiro de Gastilho.
Ornado de gravuras ctim o retrstn dn Sr L.
A. Rebel Iq da Silva
Almanak das senhoras
PorCngal e Rirasil.
Contendo 187 artigos por Goiomar Ibrresao,
com uma Extensa carta de A.'HerculH.
Aliuauak das arlei e leltra*.
Oraado de fmportanles artigos e lindas gravu-
ras. Preco de "cada'um'tlol almanabs aclma.
Acabarn de chepar e.-tes almauaks e venden-se
na hvraria Economtea ao pe do arco de Santo
Antonio.
E' barato.
Camisas inglezas de 60* a 45* a duzia.
Ollarinhos de linho a 5* a duzia.
Chapeos pretos 6nos a 10*.
Ditos de caaior brancos e pretos -*t
Ditos de merino a 3*.
Cortes de casemira froa a 7*.
Ditos de dita a S*.
Para acabar
Veode-se uan pweao de casies depombos/sflB-
do a maior parte de raca (grandes) ur preco me-
dico : a tratar na rua do Vigario n. 26, ou rua do
Barao do Triumpho (antiga do Bruin) n. 22.
HIBTVEl
1 w f.'


8
Dtario de Pernanibueo Sabbado 25 de Outubw do 1$72.
VARIEDADE
f
O PRCTENDENTETICHBORNE.--Hodia
94 de setembro foi acentesima prinrieira au-
diencia do julgv.uento da caus.1 Tirhborne,
que s dtscute no tribunal Queen'; Bench,
do Eondres, pois cpmecou no dia 23 de
abril.
Tern sidoiuquiridfe muitas testemunhas
para provor os differentes pontos de defeza
do accusado.
Um grande numero de hnbitantes de Wap-
ping, companheiros da mfanria e conheci-
dos 'la farnilia de Arthur Ortm, tern depos-
to quo olio era muito c >rpuloiito, que tinlia
os pes e as maos enormes, que usava brio-
cos uas orelhas e alguns declarararn queto-
maram bauh >s corn die. e que nunca Ihe
virara signaes no corpo, como o accusado
deciarou ter, o que o accusado nao e Ar-
thur Orion, e que so distingue dalle tanto
polas qualidn les pfoysicas como pelas ma-
aeiras.
John Yates.'sapateiro, inquirido no dia
US de agoete owe : que tinha feilo hntas
para Arthur Orton. quaudo esteconlava ape-
nas li annos, e qup\A entao tinha os pes de
dobrado tamanho dos do accusado.
John Hey wood, tambem sapatoiro, disse
n mesmo na audiencia do dia 27.
Eduardo Watliug depoz : quo cm 1857,
sendo estudaate Dr. Doble, tratou Arthur Orton e cauteri-
sou Ihe uma ferida, provenieutc da morde-
dura de um cavallo no braco, o que pela
maneira menos habil como elle operou, de-
via ficar uma cicatriz permaneute.
Observando como microscopic o brae/)
do accusado nao Ihe encontrou o menor
vestigio da cicatriz.
Instado se o Dr. Doble tinha a'gum re-
gisto dos doontes que tratava, disse : que
o Dr. Doble ji tinha morrrido e quea fami-
lia imililisou os livros do registio do doeutes
qtie licaram.
Jose Manning, tnarinheiro e condiscipulo
do Arthur Orion, deciarou : que este uma
vez, quorondo o agarrar, ie ferio na mio
esquenla com uma faca, e deste ferimento
Ihe (icon uma cicatriz.
Perguntadoso o accusado era Arthur Or-
ton, respondeu que nao era.
Na audionoia do dia 28, Ricardo Moore,
pharmrieeutico, disse : que em 1852 man-
dou a um amigo por Arthur Orton, dots
poneys. um dos quaes deitou o conductor ao
chao, resultsndo-Ihe da queda urn ferimen-
to na earn, qu? Ihe deixou uma cicatriz in-
delevel.
No dia 29 John Dyke e Carlos Janes dis-
seram : quo conhecoram perfeitamente Ar-
thur Orton e Thomaz (Castro, e que eram
duas possoas inteiramente diversas.
Um grande numero de testemunhas que
serviram no regimento de carabineiros com
Rogoro Tichborne, declararam que o accu-
sado era o official que elles tinhum conhe-
ctdo no dito regimento.
Na audiencia de 2 de setembro Charles
Guy deciarou : que o accusado era Rogero
Tichborne, que o conhoceu muito bem, e
que o vio muitas vezes passeiar com sua
prima Miss Doughty. Este depoimento esti
ein contradicgao com o de Miss Doughty e
com o do sua mai.
Na audiencia do dia 9, Andre Rogle, pre-
to, criado do Eduardo Tichborne, tio de
Rogero, que o triune das Indias em 1825,
affirrauu quo o accusado era Rogero Tich-
borne.
Na audiencia de 22. Antonio BidullT, pri-
mp do Rogero Tichborne, deciarou : que o
accusado era o seu pa-ente, e que por isso
elle testemunha tinha sido padrinho deseu
filho, e que ate fallando com o accusado de-
pois d" sua volta, de varies factos de farnilia,
o mesmo accusado rectdicou algumas ine-
xactidoes delle testemunha.
Na audiencia do dia 23, Anna Brain, go-
vernante de Miss Doughty, allirmou que o
accusado era Rogero Tichborne.'
Deu-se um incidente notavel com algu-
Na audiencia do dia 9 de setembro, o Dr.
Kenealy chamou a attengao do tribunal para
uma carta, que a thesouraria dirigio ao pro-
curador do acusado, em que Ihe participa-
va que so pagaria as testemunhas de defesa
que fossem intiraadas a accusado ate ao 1.
ile setembro ao moio dia. Odefensor do reo
accrescentou : que o presidente do tribunal
tinha recommendado ao tbesouro o psga-
mento is testemunhas. cujos nomes fossem
lealmente, e em tempo util intimados & ac-
cusagio, sem marcar data ; que era impos-
sivel a defeza dar conhecimento ao accusa-
lor ate ao t. de setembro de todas as tes-
temunhas que tinha a inquirir; que todos
os dias Ihe sobrevinha conhecimento de
factos importantes, que era preciso provar,
vendo-se assim obrigado a dar testemunhas
em que na vespera nao pensava ; que pros-
testava contra a decisao do governo, por
comprometler a defeza, pois o reo, tendo
obtido dos seus amigos o additamento dos
meios precisos para pagar is testemunhas.
na supposigiio de que essas despezas haviam
de ser abonadas pelo thesouro, nao podia
assim em vista da resolucao do governo sa
tisfaier aos credores.
M. Hawkins, advogado da accusacAo, dis-
se que nao havia lei alguma que obrigas-
se o thesouro a pagar as despezas das teste-
munhas de defeza, mas que o governo se
obrigou a paga-las querendo ser benevolo
para com o reo; para evitar porem que o
julgamonto se prolongasse alem dos limites,
c que 0 rol das testemunhas se entondesse
indelinidamente, marcou um prazo para a
producgio da prova testemunhal a fim de
ter o tempo necessario para so informar da
qualidade, moralidade e antecedentes das tes-
temunhas, e nao ser sorprehendido ; que na
vespera recebera uma relagao de testemu-
nhas, que este mod) de apresentar provas
era irregular e pouco leal ; quo a accusacio
ainda nao teve conhecimento do nome e
morada da testemunha que o defensor do
reo no seu discurso disse que estava a bordo
do Osprey quando o seu cliento alii foi re-
colhido depois do naufragio do Bella.
O presidente perguntju ao Dr. Kenealy se
o procurador do reo teve conhecimento da
resolucao do governo. 0 Dr. Kenealy res-
pondeu que elle nao o teve.
M. Harcuurt, procurador do reo, disse:
que Ihe parecia ter dado conhecimento ao ad-
vogado da defoza de uma carta do thesouro,
de 27 de agosto.
0 Dr. Kenealy negou ter tido conheci-
mas testemunhas : que affirmavam ser o ac- mento desta carta.
cusado Rogero Tichborne, quando se Hies 0 presidente deciarou que a resolucao do
mostrava o rttrato a daguerreotypo de Ro- governo ere justa. ^.
gero Tichborne trrado no Chile, naoqoeriam A maneira porque os jornaea tem dado
olhar para elle ou diziamque naoentendiara noticia deste julgaroento e apreciado a s-
nada de photographias. cu&acio o a defeza, deu logar a diversoa in-
Johu Russell deciarou que o retrato se -cidentes. Na audiencia de 5 de setembro
parecia na testa com Arthur Ort resto com Rogero Tichborne. insultos dingidns ao reo e 4s testemnnbas
Anna Leswane, mulher do clarim que foi pelo correspondente de Londres do joroal
do regimento de carabineiros, disse : que na Western VuiUj Mereury.
photographia nao reconhecia Rogero Tich- 0 lord presidente censurou o procedi-
borne. mento do jornal.
Eliza Frond, apezar de muito instada, re- 0 j*'z Mellor observou que outros jor-
eusou-so obstinadamente a olhar para a pho- nans tern sido pouco respeitosos para com o
tographia, dizendo que nio ehtendia nada tribunal nas suas apreciacOes da presente
de photographias, e que nao quiz nunca causa, e que o proprio accusado nos discur
ver retratos photographados senSo o do seu sos quo tern feito nas reuni&esj convocadas,
cao. eHando j.i pen lento o julgamento, tern sido
Duas outras testemunhas no dia 24. so menos conveniente, inculcando-se como o
obrigadas olharam para o retrato, e disse- verdadeiro Tichborne, e apresentando-se
ram uma que nio se parecia com Rogero como viclima de perseguiQdes, dando como
Tichborne, e outra ques6se nao parecia no resolvido por elle o que ainda esta" affecto a
vestuario. justiga.
Na audiencia de 28 de agoslo, requereu Na audiencia do dia 12 o lord prosi-
o Dr. Kenealy, advogado do reo, que o tri- dente disse; que respeitava a liberdadede
bunal passasse ordem sobre o thesouro para imprensa, mas achava inconveniente qua,
serem pagas as testemunhas do defeza ja in- estando pendeute a decisao desta causa, os
quiridas jornaes nzessem commentarios is provas, e
0 lord presidente disse : que o tribunal apreciassem a justice ou injustice das paries;
nao era competente para passar a ordem ro-|que Ihe parecia muito melhor que roferissem
queri.la, ma; que s6 podia recommendar o (o acontecwlo nas audiencias, sem observa-
pagamento dat testemunhas pro reo, que o advogado da defeza devia fazer o j Na <1Uliiencia de 19, Mr. Hawkins,
seu requerimento ao thesouro para *'e Iadvoga-lo da accusacAo, participou ao tri-
lim. (bunal que n jornal Cheltenham Chronicle
se publicou um artigo, em que se offen-le
o tribunal, e se previne a decisao da eausa
com o fim do iulluir no jury, Dizia-se
nesse artigo : que toda a quostao se reduzia
a saber : se o accusado era ou nao Arthur
Orton ; quo polas testemunhas de defeza es-
tava provado ate a s iciedade que o accusa-
do nSo ora Arthur Orton ; que a prova de
quern o accusado era pertencia a" apcusa-
cao ; que a defesa ta nbom pcovou que o
accusado pi a Remigio Tichb rno ; e quo
esta quostao le ideutidade, estando resolvi-
da, nao podia ser prejudicada por circums-
tancias de pouco valor dquellas de que se
soccorria a accusacdo.
0 lord presidente disse : que no artigo
havia offmsa & dignidade do tribunal, e
perguntou quern eram os culpados, para
serem punidos.
Na au liencia de 22 comparoceu no tribu-
nal Mr. Cochrane, proprietario do jornal
Cheltenham, Chronicle, accusado de inter-
vencao abusiva em uma questSo judicial, e
de fa I la de rospeito A justiga.
Mr. Corrington, defensor do accusadi,
confossou que no artigo incriminado tinha
havido algum excesso, e allegou a favor do
seu cliente as circumstancias attenuantes de
ser chefe de uma numerosa farnilia, de es-
tar doente, e do jornal ter 15 annos de
existencia e nunca ter sido accusado, e por
parte do seu constituinte protestou ter toda
a deferencia e respeito pela justice.
0 presidente condemnou o accusado na
multa de 150 libras, declarando que re-
pentindo-se taes offensas imporia a pena de
prisdo.
0 Dr. Kenealy denunciou o Timn quo-
aprecia as provas, eorrjmpendo o juizo do
pubheo contra o accusado, chamaado Ihe
impostor.
0 presidente disse : que depois da adver-
tencia qne fez a imprensa para que se abs-
tivesse de apreciagoes sobre 0 merecimento
da causa, os jornaes tinham mudado de
torn.
Este incidente nao teve seguimento,
Na audiencia de 18 de setembro, sesusci-
touum outro incidente. Mr. Hawkins chamou
a attengao do tribunal sobre certos fact s
occorridos em Spennymoor, perto do New-
Castle, no dia 13. 0 accusado foi ceuvidad i
para assistir a aposta de 200 libras no tiro
aos pombos. Terminada a luta, houve um
jantar a que assistiram 60 pessoas, e em
que o accusado proferio um discurso, era
que se proclamou o legiti-.no herdeiro de
FOLHETIM.
LUC3SCIA BOB&IA
MEMORIAS DE SATANAZ
POR
I). IlnuoelFernandezy Gonzalez
PRIMEIRA PARTE
O GRAN-CAPITAO.
I
#
OMA PUNIUI.ADA E UMA BENCAO.
Estamos em Roma, no dia da Assump-
$ao, 15 de agosto do anno de gra^a de
1497, quinto do poutificado do Alexandre
VI.
0 bora povo de Roma havia-se divertido
folgadameiite.
0 Corso, durante o dia, e ate As primei-
ras horas da noite, estivera litteralmente
cheio de mascaras trajando todo o genero
de disfarces ode extravagancias.
A'quella grande variedade de mascaras
artiticiaes, juntara-se uma mascarada natu-
ral,' isto e, uma embaixada turca que fdra
beijar o pe ao pontifice romano para recla-
mar em nome do suhao Bayaceto, a pessoa
de seu irmio o sultio Egen, que o papa
conse.-vava encerrado no castello de Sao-
t'Angelo.
Os lurcos haviam assistido A mascarada,
em soberbos cavallos, vestidos deslumbran-
temente, com barretes conicos, bordados de
ouro, e auiplas roupas talares de sedade
todas as cores, bordadas de ouro e prata.
Estes embaixadores haviam formado a
vangliarda da cdrte pontificia, no meio da
qual, com as vestes pontificaes, sentedo na
cadeira de S. Pedro, em am precioso andor,
debaixo do pallio, sahira em procissao, por
causa da festividadedodia, o papa Alexan-
dre VI, aos hombros dos altos dignatarios
de Roma, que tinham como grande felici-
dade sentir o peso do santissimo padre.
A procissao, magnifica sempre, chegou
ao maior aoge da magnificence n'aquelle
nnno, devi'de is circumstancias que concor-
j iam para isso. \
0 ri'i de Franca Carlos VIII e o gran-
capitio Gonzalo Fernandez do Cdrdoba, as-
sistiain a procissao, um d direila, oulro A
csquerda do papa, a cavallo, cobortosde
joias ii do galas. Carl s VIII estava rodeado
dos sous gentis uomens deslumbrantemeuto
vestidos ; ij gran-capitao era acompanhado
pela ;m uumerosa guarda de alabardeiros
com irfdbardas de prata. A'esquerda do]
rei de Franca cavalgava, rodoado dos seus
cnados, Giovanni Borgia, duque de Gandia
e de Benavente, tao coberto de joias, que,
segundo diz um historiador contemporaneo,
sd a custo se podia ver pelo muito que res-
plandecia.
A' esquerda do'gran-capitao, singelamen-
te vestido, montado em um possante caval-
lo, rodeado de pagens, ia Cesar Borgia, du-
que da Roumania, irmao do duque de Can-
did e de Benavente.
Rodeavam o papa, os seus guardas no-
bres, com os estoques mis todos doura-
dos.
Precediam-n'o os diaconos do Vaticano
com os thuribulos : seguia-o a capella do
Vaticano entoando o Salve reyina mater ;
os cardeaes em mulas ; os pesados homens
de annas do papa a cavallo ; a gendarmeria
do rei do Franca com os seus arnezes do-
brados, sobre enormes cavallos, armada com
lancas raais campridas do que as que se
usavam entao, erguendo-se no meio d'ellas
o estandarte real de FranQa levado pelo con-
de Auvigni ; caminhsndoa' esquerda, e jun-
to dos francezes, via n-se duzentos homens
d'armas castelhanos que haviara acompanha-
do a Roma o gran-capitao.
Entre estas lancas, alcava-se o estandarte
real de Hespanha, porque o gran-capitao,
que se havia collocado a" esquerda do papa,
nao pertuittira que o estandarte real dos
reis catholicos, fosse A esquerda do estan-
darte de Franca, nem um palmo mais atraz.
Dera isto lugar a uma dispute renhida,
mas entao o rei de Franca tinha graves mo-
tiros para respeitar os de Hespanha, e o
estandarte hespanhol foi do lado direito le-
vado por Hugo de Moncada.
Estes tres fortes esquadrdes forma vam a
escol'a do papa.
Em seguida iam, precedidas por uma nu-
vem de pagens de todas as libres e cdres,
gr nde nu nero de liteiras conduzidas por
lacaios, e dentro d'ellas as damas mais for-
mosas de Roma, esposas ou filhas dos dig-
natarios que acoiupanha am o papa, bri-
lhando de entre todas, pela sua excessiva
forraosura e pela sua mocidade, AugioliLa
Crespi, dama da duqueza d'Urbino, e filha
de Alfonso Crespi, um dos patricios mais in-
fluentes.
Depois de Angiolina, a que mais notavel
se tornava pela sua formosura era a duque-
za de Urbino.
A unica dama que teria podido offuscar
a belleza d'aquellas duas, a famosa Lucrecia
Borgia, nao assistia d procissfio.
Estava reclusa uo cbhvento de San-Sixlo
em virtude da receute dissolucao, ic-ita pelo
papa do sou matrinionio com seu seguudo
marido Joao Sforza, senhor de P Ap6s as liteiras e os pagans, formande
Tichborne, insultou o advogado da accusa-
cAo. e atacou a reputecao de duas teste-
munhas respeitaveis.
0 Dr. Kenealy deciarou que tambem ti-
nha mntivoa de queixa contra Times e o
Dmty-Neai.
0 presidente disse : que nio podia traiar
conjunctamente das duas queiias ; que pdr
um jornal de New-Castle soube o quo se
passou na ruiiSo ; que era preciso por
termo a um tal escandalo; que era um ultra-
je A decencia publica consentir que antes do
julgamonto seapresente como martyr e como
viclima um bo nem accusado do perju'rio por
um magistrado illustrado, depois do um
processo, em que o jury nio alien leu as
suas preteucdes, e contra quern o grande
jury approvou a accus3eAo ; que tolos os
dias o.|uizes recebem as mais grosseiras e
virnlentas injurias por comprirem os sous
deveres; que ate te.ii sido antcacados com
a raorte, no caso do processo ter um cert'i
resultado contra o accusado ; que o jury
tambem tem sido intimidado ; quo esia agi-
tacao o n todo o paiz tem por rib exciter as
paixoes a favor do accusado, e influir nas
testemunhas que nao tem assistido as reu-
nioes ; ostes factos, estando pen-iente a cau-
sa, cuistituein um insulto aos julgadores,
o uma oflensa A jnstica ; qae desde princi-
pio nao interveio para iiopedir as reunifies
I'eiUs pelo accusado com o tim de grangear
alguns meios para dar mais latitude ii de-
feza, mas a sua indulgencia so Iho acearro-
tou as 'iiai- grosseiras injurias ; que nenhu-
ma intimidacao o desviara do cumprimeu-
to dos seus deveres, e por isso adverlia o
accusado, que se desie aqnelle dia tentasse
fazer mais algima reunido publi'a, ser-lhe-
hia retirada a faculdado do ester solto com
fianca.
0 Dr. Kenealy disse : queo accusado ti-
nha feito contratos para toinar parte nas
apostas de alirar aos pombos, com o lim de
adquirir alguns meios para occorrer as des-
pe/.as do processo, presence neslas reunions seria considerada
como ollensiva ao tribunal.
0 presidente disse : que o accusa sou da liberdade que foi Ihe concedida, e quo
nao podia consentir por mais tempo, que
elle assistisse a reunifies, em que so decla-
rava ser Rogero Tichborno ; e que so o accu-
sado nao tomasso a palavra, nao ha cerloza
que os seus amigos o nao fizessem'e conti
nuassem o escandalo publico, a que e preci-
so pdr um termo ; que estava resolvido a
nao tolerar ijual juor manifestacao publica
em relae.ao ao accusado, em quanto durar
o processo.
Em consequenca desta decisao, o accu-
sado publicou uma carta pedindo o auxilio
do nublico, e declarando qnc estava con-
tratado para sete reuuiOos de apostas do ti-
ro aos pombos, e que nao polia cumprir
os contratos em consequents da prohibi-
cao do tribunal; que assim soffria um pre-
juizo do mais de 700 libras, e ficava priva-
do tos meios para a sua defeza.
A sahida do tribunal, todos os dias uma
grande multidao dava vivas ao accusado c
ao seu advogado. No dia 22 a poli-
cia tomou as precaucAes para evitar estas
manifestacSes de que resultou serem presas
sete pessoas, as quaes foram julgadas no
dia 24 no tribunal de policii correccional
de Westminster. Um dos presos foi con-
demnado a um moz de prisao com trabalho,
e os seis fora q absolvidos. 0 juiz adver-
tio, que se se repelissem as desobediencias
A policia, imporia pena mais severa.
E' sabido que a raorte de qualquer dos
jurados annulla todo o processo. No dia
28 de agosto dous raembros do jury, indo
tomar o lunch, ao atravessar o p teo, cahio
um olmo proximo delles, e por um quasi
nada os ia matando.
Todos os dias os juizes e 6s advogados re-
cebem cartes de censura, de elcgio ou lem-
brando differentesalvitres para os auxiliarem.
Uma dellas indicava a M. Hawkins o meio
de evitar que o processo se annullasso pela
morte de mu jurado ; vinha a ser : levar
o.cadaver para 0 tribunal e conserva-lo alii
emquanto durasse o julgamento ; assim se
cumpria a loi, estando o jurado presente a
todas as audiencias.
Do dia 28 de abril ate ao dia 24 de se-
tembro, tem havido noste julgainenju 101
diii do attdjencias, assim distribuidi
Discurso de M. Hawking n"aVg"Sw &.
aecusacao )
InqiiTricIo das testemunhas de accu-
saeao 40
Discurso do Dr. Kenealy, advogado .
do reo
Inquiricao das testemunhas ile defeza
Leitura dos depoiracntos ogcriplos no
processo civil
Foram inquiridas 3il tesleinuuhas
63 dias, sendo: 212 de accusscAo e
de defeza.
Parece que o reoainla tem 110 testemu-
nhas para depor ; mas destas s6 serilo inqui-
ridas as qur foram dadas ato 1 de sotem-
b ro
SI NO E' VERO !Refere uma folha.
que temos presente, haver um industrial do
como que por galanteria a escolta das da-
mas que acompanhavam a procissao, ia
Carlos Orsini roieado de uma cdrte de liber-
tinos, primorosamente vestidos, e seguidos
por um centenar de homens d'armas, que
mais pareciam bandidos, levando um estan
darte e;n cujo escudo se viam dous ossos
lutando, armas dos Orsini.
Felizraenle o Corso era bastente espacoso
para conter aquella immensa procissao.
Tudo aquillo desfilara pelo Corso, santo,
explendido, fascinador, deslumbrante, por
entre a multidao apinhada de mascarados,
sendo objecto de acclamac/Jes, de gritos, do
epigrammas, de algazarra, de tudo quanto
pdde suppor-se, producto da alegria de uma
multidao delirante, livre, expansiva, acober-
tada com a mascara, e tendo por garantia a
liberdade do dia.
Ao chegar proximo da Fontanella de
Borghese appareceu um gigante collossal
representando Jupiter Capitoliao, que des-
denhando a vanguarda aos embaixadores
turcos, e deixando-a passar, intorceptou o
caminho a Alexandre VI, deixando cahir da
bocca sobre o pallio uma nuvom de grangeia
e papeis contendo versos em louvor do
papa.
Pela bocca do gigante sahia uma musica
de cytharas e outros instruments de corda
e de veoto, que parecia serem tocados no
ventre do monstro.
Agradou aquillo muito a Alexandre VI,
que coocedeu quareuta dias de indalgencia
I aos inventores d'aquella machine.
0 collosso era realmeate magnifico : as
pernas apoiavara-se n'uma especie de roche-
do que figurava ser o cume do Olympio, e
era movido por centenares de homens oc-
cultos na base do rochedo.
Depois de receber as indulgenoias, o col-
iosso tendo aos pes uma aguia gigantesca e
na mao direita tres raios com que ameaga
va a terra, atravessou lenlamente o Corso,
saudado pelos gritos da multidao, e tomou
por uma das ruas transversaes, em direccio
ao Capitolio.
N'aquelle raomento veio cahir aos pea do
andor de Alexandre VI, um homem ferido,
vacillante, moribundo, estendendo os bra-
cos e exclamando com o espanto da morte
nos olbos I
PerdSo para as minhas culpas, san-
tissimo padre 1
> Alexandre VI nbencoou o moribundo
que cahio de costas.
Ossoldados desviaram o cadaver e oan-
dor passou e cm seguida a comitiva.
Era aquillo urn acontecimento muito corn-
mum em Roma em dias de mascaradas. .
N'aquelle dia contavam-se ja dez assas-
sinates, sem que se pode^sem c'lescobrk os
assassiuos.
Berlim, fornecedor do pai;o, Mr. Arnold,
rocobi lo ultimamente de seu irmao, fabri-
cate do moveis de Dusseldorff, o seguinte
despncho :
0 trem dos passageiros passou pelo
meu estabelecimento. Gracaa a Deus, nio
houve desgraeas ; tolos estao saos e sal-
vos.
Effoclivamonte, o trem tinha penetrado
no estabelecimento de Mr. Arnold.
Eram sete horas da manha, escrevia olle
depois i seu irm&o, to navamos n6s cafe.
Eu ia sair quando olhando por acaso para
o caminho, vi um omboyo de passageiros
qne se tinha descarrilhalo, encaminhando
sea to loo vapor por nossa 'asa. Es-
tamos pcnlidos exclamei eu I
Todos fugiram, subindo para o primeiro
andar ; antes da alcangar a porta, em quin-
ze segundos ou menos, a locomotiva, atra-
vessando as port is e as paredes como se
fosse um reparo do pipel, passou pela sala
de jantar o casas internas, indo suspender
com o seu tender em frente da escada.
Devido A Providencia, os andares superio-
rs rosistiram. Acroditei por um instante
na possibili lade de um incen lio. Pela
minha parte nio podia descor, tal era a in-
tensidadc do fumo, refugiei-me, portanto,
sobre o telhado, o desci depois por uma
escada de mao para o pateo, aura de abrir
o r*gistro do rcsorvatorio. Mas era impos-
sivel, por isso quo a locomotiva estava toda
retorcida e amontoada. i :?*|J *
Gritei, charaei ate que cbeg u gente
fiz procurar, o. appliquei escadas is pare-
des, e minha farnilia, que se achava blo-
queada n'um pequcno espaco pela parte de
delraz do primeiro andar, pdde assim ser
soccorrida Devido A energia dos me-is
oporarios, e a uns trinta pedreiros, pude es-
corar as paredes do estabelecimento. A
fachada ficou, dest-j modo, em bom es-
tado.
A locomotiva conserva se no mesmo lu-
gar, e alii estara ainda por alguns dias,
porque tinha penetrado no sublerraueo. A
grandiosa machina, que pesa 700 quintaes,
resiste a todos os esfor$os quo se tem em-
pregado para a desviar. Eu estou alojado
coti os meus filhos em um h >tel. A poli-
cia tem tornado medidas para afastar os
curiosos daquelle local, ondo tem con;or-
rido toda a populagao de Dusseldorff para
ser testemunha do incidente.
MIS ".ELANEA. Diz um periodico que
entre os papeis do fallecido duque de Bruns-
wick se encontrou uma correspondent de
caracter demasiado estranho, que sustentara
com o ultimo imperador da Franca, Napo-
leao III.
Os rcis da Bolgica permaneceram tres
dias em Paris, viajando com o titulo de
condes dc Outremunt. Dirigiram se depois
para Biarritz, code passaram o outomno.
0 general prussiano Manteuffel foi
elevadn ao posto da feld-marechal.
Palleceu em Roma Eduardo Rozales,
director da academia hespanhola de bel|as-
artes ; era membr > correspondente do ins-
titute de Franca. Deixou dous excellontes
ouadios : A morte Q\e ttUcreefn, e o Testa-
ment o de Iznbel a caihoUda.
As exequias do Dr. Nelaton foram mui-
to concorridas por quanto havia de mais
notavel em Paris, quer na imprensa, quer
na sciencia, quer na politics.
Os Ksiados-I'ni'los na America, recusa-
ram-se mandar um reprcsentente A com-
missao internacional sobre a tonelagem no
isthmo de Suez.
Sentiuse ha poucos em diverses cidades
de Italia um fo-te tremor de terra, porem
nao houve desastres
Houve ha pouco um duello na Belgica
entre George Branc, filho do deputado deste
nome, e Gery Legraud, conselbeiro geral,
em consequeucia produziu no banquete do congrosso agricola
ile Lille. O duello foi A ^padaellcou feri lo
em um :raco o primeiro daquelles eom-
batentes.
Houvo um grande iiicendio na rua
Franque, em Smyrna, sendo as perdas cat-
cnladas em U0:OO0 libras esterlinas.
Na rovista quo houve em Berlim, dada
em honra de Victor Manuel, estiveram ..
50:000 homens; o imperador, principes e
feld-marechaes ostentavam eondecoracdes de
Italia; a princeza real, fitlia da rainba de
Inglaterra, estava a cavallo e vestia o uni-
forme de coronel da guarda. Houve grande
enthusiasmo.
Em frente do Vaticano, na Plaza' de Ca
lonna e na del Populo, havia teblados em
que comicos pagos pelo papa, representa-
vam fargas para divertir o povo.
Junto d'esses tablados havia tambem mas-
tros de cocanha.
Roma divertia-se.
Passou a tarde e chegou a nuite.
FogueirsK^ e lumiuarias illuminaram as
ruas public is dusle o castello de Saut'An-
gelo ate A praga Colonna e d'esta ao largo
del Corso e A prag\ del Populo.
A's oito horas os djnos tocaram A oragao
das almas, e em ssguida deram o signal do
sileucio.
A multidao disseminou-se por cera ruas
differentes e era breve desappareceu com
pletamenle.
0 Corso e as duas .pragas, havia pouco
to cheias de gente, ficaram desertas ; ter
minaram as fargas, apagaram-se as lumiua-
rias e extinguiram-se as fogueiras.
A's nove horas.as trevas e o silencio en-
volviara Roma como um sudario.
Terminava a feste da Assumpgao. <
II
UM AKC.HANJ0 DAS TREVAS.
Por volta das dez horas da noite, um ho-
mem embugado em um grande manto, ten-
do na cabeea um gorro preto, deixando ver
por baixo do manto, a ponta de uma gran-
de espada, chegou A porta del Populo e
disse ao guarda:
Santa Maria la Nova I Abre o pos-
tigo.
Estas palavras eram certamente uma se-
nha, porque o postigo da pesada purte de
ferro abrio-se e deu sahida ao embugado
que se perdeu nas trevas.
A dous tiros de bala da porta, o homem
parou e soltou um assobio.
lmmedialame.nte respondeu-lhe um outro
assobio e ourirara-se ospassos de um ho-
mem que se aproximava do primeiro que
tinha assobiado
Quem esta ahi ? perguntou este.
Vendetta I respondeu com accentUada
inflaxao napolitana o recem chegado.
Ah 1 es tu, Michelotto? disse o pri-
meiro.
Sim,.sou eu. Esta satisfeito de mim T
Cotiipletameute satisfeito ; teria sido
bom, com tudo, quo Pietro Basti nio tivesse
cahido diautefdo oapa.
Devemos alegrar-oos com isso, senhor,
respondeu Michelotto; a absolvicao de sua
santidade abrio-lhe as portas do ceo.
Dize, a senhora este ji na villa Bor-
gia 1
* Ha duas horas, meu seuhor.
E meu irmao ?
Em casa de Pietro Basti.
Muito bem. 0 barco esta prevenido ?
Sim, senhor.
Pois ent5o, retira-te e 'espera a bordo
d'elle.
Os dous homens separarara-se, e caminha-
ram em direcgao opposta.
No fun de um quarto de hora de marcha
o primeiro que recebera o tratamento de
senhor, parou em frente de uma grande
massa escura que parecia ser um edificio,
mas do qual era impossivel formar um juizo
exacto.
Era a villa Borgia, construida para sua
residencia, alguns annos antes, por Lucrecia
Borgia.
0 homem a quem Michelotto dera o tra-
tamento de senhor, apro*imou-se de uma
porta pequena quo havia no muro do jar-
dim e bateu brandamente.
A porta abrio-se immediatemente, e uma
voz perguntou :
E' o senhor ?
Sim, sou eu, Giacomo ; silencio.
A senhora recebeu a carte que te dei ?
Sim, senhor ; colloquei-a sobre a meSa
do seu quarto, debaixo do e?pelho grande
ao qual costuma enfeitar-se; nao sei, po-
rem, se a leu, porque esteve fallando muito
tempo com Francesco Buotti.
Nao ouviste o que disseram ?
Nio senhor. A senhora encerrou-se
com Francesco e fallavam muito em voz
baixa.
Nao importa, tenho a chave da porta
secrete. Fica junto d'esta porta, Giacomo,
e para que saibas se sou eu ou outro qual-
quer qUe se aproxima, solterei um assobio ;
nao ouvindo o assobio, esconde-te edeixa
passar seja quem for, porque nio serei eu.
Vi descangado, meu senhor.
Puzeste a chave que te dei no lugar
indicado' ?
Sim, meu senhor.
0 desconhecido afastou-se atravessando o
jardim,
Quando chegou aos muros do palacio
abrio com chave um postigo, tomou a fe-
cha-lo, e subio por uma escada alcatifada
que Ihe abafava o rumor dos passos.
No fim da escada penetrou n'um corre-
dor estreito e parou em frente de cinco pon-
tos luminosos que determine vam uma cruz
entre as trevas.
Aquelles pontos eram uns pequenos bu-
racos aberlos n'uma porta.
Era aquella uma porta occulta entre os
adornos das paredes de um pequeno gabi-
nete exigooo, admiravcl de gosto e de ri-
queza.
0 tecto dourado e matizado era de pre-
cioso lavor ; junto das paredes viam-se ca-
deiras de um deslumbraute estofo azul. Em
frente da porta secreta havia uma grande
mesa do marmora com tres bastes antigos,
Ja referimos os brindes que se trocaram
entre o imperador da Allemanha e o rei de
Italia, no banqnete da do a este em Berlim.
Ora o que e mais curioso c que Victor Ma-
noel, como dc costume, nio comeu N-itou-
se quo os dous monarchas ao briudarem-se
trocaram um aperto de mio por debaixo da
toalha. Assim o refere uma folha estran-
geira. 0 principe de Bismark chegou a
Berlim no momento supremo, isto e, no
dia da grande cagada, a festa predilecta do
Vitor Manuel. Ha quem diga que em quanto
se cacava, os ministros Minghetti, e Visconti
Venosta, assignavam com o grande chan-
cellor do imperio germanico dous pactos,
en (ue a Italia e a Allemanha se garantiam
mutuamente a Alsacia, a Lorena e Roma.
Falleceu em Livourne o escriplor ita-
liano Guerrazzi. 0 municipio fez-lhe um
solerane enterro e os theatros abstireram-se
de dar espectaculos nesse dia.
Annuncia-se tambem a morte do astro-
no :no Chacornac, que se distinguira pelo
descobrimento de muitos pequenos planetas.
Tinha 50 annos.
Verificou-se em um dos dias de agoste
a inaugurarao dos trahalhos para a cons-
trucgao do primeiro caminho de ferro na
Persia. A ccrimonia teve lugar em Reshtern
presenga dos consoles e residentes estran-
geiros. Estao ja feitos aterros na extensie
de mais de uma milha.
Durante o raez de agosto perderam-so
176 navios de vela, segundo a estatistica
publicada pelo Bureau Veritas, sendo 118
inglezes, 18 francezes, 10 americanos, 7
norueguezes, 4 all-mutes, 3 hsllandezes, 2
gregos, 2 guatemalas, 2 italiahos, 2 portu-
guezes, 2 russos, I austriaco, 1 chileno, 1
hespanhol, 1 nicaragua, 1 sueco e 1 turco.
Vapores perderam-se 12, sendo 10 inglezes,
1 hespanhol, e 1 sue to.
Segundo telegramma de Nova-York,
naufragou o vapor Medway, morrendo afo-
gadas muitas pessoas.
Uma carta de Jerusalem faz elogios ao
procedimento usado pelo pacha de Beirouth,
o qual, indo para Jerusalem, oppozera-se a
que os schismaticos profanassem os lugares
santos. 0 bispo grego foi expulso de Belem
e enviado para S. Joiode Acre.
o do centro de bronze e os dos lados de
marmore de Paros. Por delraz d'estes bus-
tos, erguia-se ate ao tecto um gigantesco
espelhode Veneza, ligeiramente incliuado.
Nos dous lados do gabinete abriam duas
portas douradas encobertas com reposteiros
de brocado, nos quaes se via o escudo de
Borgia timbrado com coroa ducal.
No centro havia uma grande mesa redou-
da de raosaico autigo, sustentada por um
satyro de bronze dourado, e sentada n'uma
cadeira, junto d'etla, estava uma mulher
formosissima-
Tinha aquella creattira a alvura por as-
sim dizer ardente, das mulheres do meio-
dia, os cabellos castanhos escuros, pentea-
dos em duas trangas que depois de Ihe era-
moldurarem o rosto, iam reunir-se na parte
posterior da caboga, a outras trangas mais
grosses que Ihe cahiam sobre as espaduas.
A fronte altiva e espagosa, na qual se lia
um hio sei que de funeslo, servia como de
docel a uns olbos gargos e rasgidos, de pu-
pillas negras,' nos quaes ardia, n'aquelle
momento, um fogo sinistro. Pareciam os
formosissimos olbos do archanjo das trevas..
As faces um pouco salientes, o nariz
puro e correcto como o de uma estetua an-
tiga, a bocca energica eformosa,. de labios
grossos, frescos, humidos, vermelhos, a
suavissima oval do rosto, o collo torneado,
esbelto, assenteudo sobre uns hombros vo-
luptu saraente arredondados, um seio des-
lumbrante e prov cador, o porte altivo,
tudo isto concorria para fazer d'ella uma
d'essas formoauras especiaes que apparecem
raras vezes, como se Jeus quizesse apre-
sentar aos homeus um modelo de perfeigao.
0 seu trajo fazia realgar Ihe a belleza e
estava em harmouia com a sua expressio.
Um pequen > toucado de velludo bor-
dado a ouro Ihe cobria a parte superior
da cabega ; uma gargantilha de renda de
Flandres Ihe cobria o colo impediodo que
se visse livremeote o seio, quasi a desco-
berto pelo demasiado decote de seu vestido
de velludo preto com grandes mangas per-
didas, forradas desetim braoco.; um coIUr
de perolas com brocM de diamantes Ihe
rodeava a garganta, cahjodo sobre 0 seio ;
um cintodoouro, perolas o rubis Hie r.ingia
a cintura esbelte, nervose, elastica, muito
seraelhante i elaslicidade da serpente. Por
baixo da saia aberta do vestido,' via-se uma
outra saia de setim branco, ligeiramente bor-
dada de ouro : as mangas eram tambem de
setim branco, juslas aos bragos nos quaes
brilhavam riquissimas pulseiras do perolas.
com hroche de diamantes e rubis.
jContinuar-se-ha).
TYT.D0 DLftJUO -RUA DUQUE DE 1-V.v'a*
\
!
1

laiLlHHBH
.*>.,
i



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESEC0GTQN_9V701S INGEST_TIME 2014-05-28T02:02:28Z PACKAGE AA00011611_16712
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES