Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16709


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANIVO XUA. MllEfiO 243
f
9AWLA A (APiriL E ]
For trte rnoies adiantados
BIBS !!* SB PABA
for Mis. duos idem
For an anno idem
Cada numero anjlso
1 ininfl
MIODE

PROPRIEDADE DE MANOEL FICUKROA DE FARIA ft FILHOS.
Sr. Ger.rdo Antonio Airesd Filhos, 110 Para; Genplves d Pinto, no Maranh&o; Joaquim Jose do OUreira dFiftio, no'Cearar Antonio do Lut* Braga, no Aracatv Joan aria Julio Cbatw, no Assii; Antonw Marques da Suva, no !Utal} h* tat
Pereira d Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Siiva, aa Parahjb*.; Antonio Josd Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santo* BnlcJJo, em Santo Antao ; Domingo* Jose da Costa Braga, em KaaareUi;
Antonio Ferreira de Aguiar, cm Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das Alagdaa; Alves d C, na Behia; e Lehe, Cerquinho A C. no Rio.de Janeiro.
PABTE OFFICIAL
=

tovcrno da |roi lacia.
XPIOtE.\T DO D1A 8 DR AOSTO DE 1873.
1.' scccdo.
Offlcios : v
Ao Exm. brigadeiro ceium;indaut das ar-
mas.Sirra-ae V. Exc. de mandar per em liber-
dade, daodo Ihe baixa si ia osliver como praca, a
recruta Jose" Iguacio da Silva, que provou isen-ao
legal.
"U ^ mesn"i- A' vista do que represeutou
\. Exc. era sou olllcio de 0 do correnie sob n.
790, relalivaniente a ma qualidade do Quido vaeci-
mco actualmeoto existento, cuja iuoculayao 110s
recrutas nao lem produzido tfjeito, autoris'o o a
remitter para a corte, como prupd> em seu citado
offieio, todos os recrutas que seaeham com praea
inclusive, os nao vae;inados, que recel)3tio alii
esse preservative, deelarand^-se esta circumslan-
fia nas gnias q>m os acorapanharem.
- Ao ilesmo.-Tendo o Exm Sr. ministro da
guerra em aviso de 31 de julho ultimo, approva-
do a deliberarao que t mei de aiai. lar pua o lios-
picio de alienad is em Oliuda, cmeudo o trata-
por eenta d'aqm lie rainistsrio, o soldado
lado do 2. batalhao do infautaria, Candido
Pereira do Rego, e deiennina !o juc esla praja
siga para a corte era occasiao o|ip -rtuna, afim de
serrecolnido an hospteio.de Pedro II; assim o
communico a V. Exo para a expedleao das ne-
ocssarias ordens oeste sentido.
Ao mesmo. E ii exeeucao ao aviso do mi-
nisterio daguerra, de 29 de jullio proximo1 passado,
sirva-se V. Bxc. de expedir suas ordens para que
sejam fornecidas ao liot|iitai tuilitar as 12 eerou-
las de algodao que existent a cargo da co npaulih
de operarios militates, conforme erawt* d.i pane
que acoropanlu.u o olllcio de V. Kxc^ de 8 do
citado mez, dirigido ao quartel-:aestre g-suera),
aflm da serem courooieutenianto aproveltadas,
visto como taes pe^as de fardainunlo nao estao
cotnprehendidas na nova tabella cm vigor.
Ao mesmo. Trausmitlo a V. Exc. os incln-
sos papeis, que me serao dovolvidos, relativos ao
saldado do f. batalhao de infantar.a, Joio Hygiuo
Rodrigues, quo pede Uaixa do serviijo, allugando
>er guarda nacion>l dasignado por esta proviacia,
alioi de que V. Exc, em cumprinieutu ao aviso
do rnioisterio da guerra, do 31 de jullio ultimo,
informe si aquella praja apreseutDu-se volanta-
riamcnte ou loi fufeada ao sorvi.;j da guerra.
Ao mesmo. -Send'-me dcclarado em aviso
do ministerio da guerra que se in indara firneior ao
2.' bita ha;, de in'antaria o far,lam:ol > cou^taute
la rela^So que veio annexa ao offieio Jo respeeti
vo commandanto. a que se refere o do Y. Exc, de
28 de outubro proximo Undo, sob u. 33i; assim o
OOOMnunieo a V. Exc. para os tins convenient *.
Ao inspe^lur da arseual de aininaa.-Uo-
t^nninando o Exm. Sr. ministro da mariulia em
aviso de 28 de jullio ultimo que a cada nm dos
remaiorcs c servunios seja abonada a gratificaclo
diaria de 300 rs., alcm dos jornaes raarcados na
tabella annexa ao decreto n. ."ilti.'l, de 1 de dezem-
bro do anno pa em solucio ao seu oIH-'m, dirigido a |aelle minis-
t.-rio em 2 de maio proximo flndo.
Ao director d. arsenal de guerra.Declare-
ina V ii.-. si podem -or feitos pelo pessoal desse ar-
senal os reparos, caiadura e pinlura. de que na-
cessita a casa qac serve de resiJencia ao director
desse estabefsciiuento.
Ao mesmo.Em cumprimento do aviso do
miafsterio da guerra, de z8 Je jullio, iiiaiiJe Vine
fornecer, com deslino as pracas dosiacad is no pre-
sidio de Fernando de Xironha, o fardameato cons-
laatc da inclusa nota sob n. 2, de 2*i do mesmo
mds, organisada pela repartlcio do quartel mestre
gaaaral; carlo Vine, do quo, peia intonJeucia da
guerra serao foruecidos a ease arsenal oi artigos
oicucionadoi ni rela.ao i. I, tambam aqai junta.
Ao engeoheiro das oliras uiifttares. Anto-
riso Vmc a conlractar com Augusto Jose Teixeira,
m?diante a quantia de 1:610^718, as obras da
abertnra de janellas no hospital mililar, visto ser
elle d'entre os seis concurrentes a ifne ma is van-
lagens ofTercce a fazenda nacional, com) se vo
' das proposlas quo inclusas davolvo, e vieram aa-
nexas ao seu olllcio Je 6 d) correnie,jb D. 7.
2.' lecfBo
Oulcios :
Ao Dr. c'.iefe de policia. Da couformidaJe
com o aviso circular d > miuis'.eri i d.i mariana, de
:i0 de julio ultimo, sirva-se V. S. do reco;aawa-
dar as autoridadej policiaes que re.netltm, com
destino a companbia de aprenJizos mariuheiros o
maior numero possivel de men ires n;u co:iJioes
de lerem pra^a na mesma ompanlna.
Ao inesinj.Recom nonJu V. S. as aalorida-
des pjliciaes respectivas a remessa, ao juiz d) di
reito da I' vara civel, das relacSes, de que trata
0 art. 225 do regulam uti n. 120 de 31 de jaaeiro
de 18*2, an n do pjior n lOtsmijuz em o.ituhro
proximo fularo prieeder a revisa'j da lista dos
joradoj desle oiaui;ipii, oo.n osoojialid ide ado
Jaboalio e Muribeca.
Ao jui'. de direit) dis exe;ui,!oes criminae*.
Di} V. S. suas ordeus para que sija su'oslituid)
por autro, como solieita o Exm. brigideiro com-
manJaote das annas em >;ii i > deliontem datalo
sob n. 792, o senten.'i ido civil Jolo d is Santos Kar-
ros, qae se acha no servifo da faebiua da forule-
za do Brum ; coavindo que o subsiitulo teuha a
neeessaria robustez, e a sat senten^a seja dj,
pmcos anno? de prisai.
Circular :
Aos juizosde orphaoi da proviueia. -D : coa-
fjrinidado com as ordeas i npjriae- npressas no
aviso circular do uuuislerio Ja inariniia, Je 3> de
julbo proxnn) fialj, rejiinnonJo a Vn.-. qae re-
matta com destino a om.ianhia Jj aorenlizes ma-
nnheiros o uuior oun^rj pjssivel d: uunnes
ins c^adijjocj de tercin praja ni raesma com.ia-
nUia.
3.' $ecqao.
Oaiirios:
Aoiusaeuor da liiesouraria Je fazeoda.
Transmiltoa. V. 3. para os devidas llns a< i iaclu-
sas ordens, sendo 2 d.> tbesouro na:io:ial n;. 135
e 136, e 2 do ministeri) da guerra d at ad as de 23 e
29 dejulb) ultim ;
Aoraesiu).Trausnitt) a V. S. para o- lius
convonientes, os 3 mclosos oQlo.os, datadu do I,
21 e 31 de jullu ulti n, expedidis peia secroiaria
ds estado dos negocios da htea la.
A) in.'.'.-n i. Reco.n nen u a V S. que, a fls-
ta dos prets juntos em lUjilicala quo \a- forain
remetfidos pelo omrainlante loperiar d> mum-
cipio do .Vazarelh com oSlno do 1" d > c irritate,
mande pagar aos negociantes MmJell) A Aives
os vencimento--, das pra;as d i gu .rdajn icio.i il d
tacadas naquella cidade ; a coiilar d: IS de ni.i
a 31 de julbo deste aim) sugu i fo iul.caai os
maoOto'iadiH :".>!-.
A) (uo-iiij.^.\o,ii iaaaalmvj .i :^-:.n
ro das obru miliures a coatractar emi A't^'U'to
Jose Teixeira, pela quantia do l:6r)*f4S, a exe-
cufloda otra da abertura do janellas uo iiaspiial
mdiur orpiJa na de i:7JJi7i3 mit ser elle
d'entra os concarrentes que offerece afazendi ;o
que commuaico a V. S. para os fi is eonveaien
tes.
Ao inosmo. -TiansuiiUo a V. S. as 4 inclusas
ordens son is 9i9 a 932 expeJidas pela reparticao
d) ajudanle general em 12, 17, 2i e 2-5 Je jullu
ultimo.
Ao mesmo Autorisando o Exm. 5r. minn-
pjr atisg da 23 in jalao a'.uuw
o abom a cada um dos remadores o serventes do
arsenal de niarinha ^graliGeacai diaria de 300 rs,
alem dosjortiaes raarcados aa tabella annexa ao
decreto n. 3,163, de 4 da daseiabro do anno pasf
sado ; assim o B9ramanico a V. S. para os deridoi
effeitos.
Ao mesiDo. -Reraetto a V. S. a incldsa eonta
em dupHeata para que mande pagar a Aflgusto
loors C. a respectiva iinp.if taacia, provoaiente
do foriMwtraenlo cTumi amhulancia, que foi remei-
tiJa em 2 do corrente ao subdelegado de Tirabau
oa per orJem desta presideacia e ratermedio do
Dr. inspector de saiide publiesi.
Ao mesmo Providencie V. S. no senlido
de serein pagos ao negociaute Joao b'ernandes Lo-
pes, a vista da relacao e prets juntos em dupllnata,
os vencimentos do destacamento da guarda nacio-
nal, estaefona na villa de Plores, a conlar de II
a 31 de maio daste anno; conforme solicitou o res-
IMictivo c unmanJante superior em offlcio de 2 de
juiilio ultimo.
Ao mesmo. -Conitando de aviso do ministe-
rio da guerra, de 31 de julho ullime, que naquella
data se solicitou do da fazeuda a expedicao de or
doas para que por eonta do % 11' -Oura? railitares.
do exeroicto de 1872-1873. seja eoucediJo a essa
thesouraria o credito de 305*80J. aflm de oceorrer
ao pagiinento da despeza, qua aotonsei em 14 de
junho proximo find > coin os reparos urgentes da
cobcrla, que desabou do comjiartimeato do quar-
tel da SaledaJe, que serve de casa de musica : as-
sim o commuoico a V. S. para seu eonhaci-
mento.
-^ Ao mesmo.Em cumprimeuto do aviso do
ministerio da mariuba, de 24 de julbo proximo fin-
do, mande V. S. ah mar ao tenente-coronel D*-
cio de Aqaino Foaseea, secretario da capitania do
porlo desti proviueia, pelo tempo eue exerceu
cumulativamenle as aUribuicoes decapitao do por-
lo, a 3- pane das gratificacSes que a-este competem
segundo a tabella n. 2de 5 de fevereiro de 1872.
- jAo mesmo. Declare a V. S., para os devidos
fins, qua a 19 do mea proximo passado assumio
0 supplenteJo juiz muuicipal do termo de Bui-
que, I'edro Gavalcante de Albuquerque, o exercicio
do cargo de juiz de direito d i respectiva comarca
no impedimento do elTectivo e do juiz municipal.
- Ao mesim. Declaro a V. S., para os dev|-
d fins, que segundo communica o commandante
superior da guarda nacional deste municipio em
olfi -i; n. 66i de 6 do corrente forain cmtraclados
por mais tres annos, a contar do 1 do corrente,
para servir no batalha) de infan'aria deste mu-
nicipio, os tambores Cosme Manuel do Nas:imento,
Miguel Francisco da Cunha, Jo-.'- Finto Babiant e
Claudino dos Santos, sen .Jo despedidos Luiz Jose
Ramos de Oliveira, Antmio Mormo dj Silva, Anto-
nio Firmi no d'Assump.Uo eGaldini Pereira de
Castro.
Ao inestn). Transmitto a V. S. para os de-
vidos lion a portaria junta, do ministerio da justi-
ca, de SI de junho proximo passado, pela qua! foi
declarado ser com raeio orJenaia a licenja concer
did a ao juiz de direito ds Ourieury, Uanoel Caldas
Barreltoi
Ao mesmo. Declaro a V. S. para os devidos
fins que foram abonadas as faltas que por nutivo de
molestia dou o juiz de direito da comarca de Igua-
rassii Hermogenes Socrates Tavares de Vasconcel-
los, de 1 a 8 do mez proximo Undo.
Ao inspector da thesouraria provincial.Em
vista do certificado annexo ao incluso rejuerimen-
to, mande V S. pagar a Antonio Victor de Sa Bar-
roto, arre ualante do 3. lance da estrada de Muri-
beca, a i. prestacao na imporlancia de 3:6315, a
que tern direito em virtude de seu contracto, como
so vi5 do referido certificado.
Ao me*mo. -Manie V. S. por e a hasta pu-
bliea. os reparos, de .(je preeisa a pmte do Des-
terro na estrada d) no:te, oroai.u em l:30i#229.
cuj i despeza Jevera correr pela verba voiaJa no
artigo 6.- ^ 1.* da lei di orgamento vigente, como
informiu V. S. em seu offieio de 0 do corrente sob
n. 322 .
Ao mesmo.Na couforraidade do que solici-
tou a esla presidencia Frei Caetauo Maria da Mes
sina, missionario capuchinlio encarrega io das
obras da nova matriz Ja villa de Pilmires, raanJe
V. S. eutregar-lhe, ou ao. seu procurador J laquim
G. de Albuquerque, indepen leatemente de fiaui;a,
o producU da lotena extrahida a 30 de julho (in
Jo em benefieio das obras da juella igreja.
Ao mosrao. -Com nnnico a V. S., para seu
eoiiliodmento e fins convenientee, quo nesti data
detiro a peticSo de Frei Venanoio Maria Ferrara,
prefeiu dos missionarios capuchinhos c encarre-
gad. das obras da nova igreja de Nossa Senhira
da Penha, au'.i)risando o tliesonreiro das I iterias a
oatregar ihe, indepen lentemenle de fianca, o pro-
dueio das loterias eytrahidas e que se forera ex-
trahiuJo no actual exercicio em boaelk-io d; taes
obias.
Ao mesmoTen Io nosta data autorisado o
en^enieiro cb:fe da i-epirti.ao das obras publicas
a man lar desobstruir a bocca do can > geral do cs-
gol), que parle d pateo da Ribeira de S. Jose e
termina no Caes do Rim is, bem com) as que dio
entrala as aguas pluviaes, cujo sern.o sera feito
por aluiinistracao, assim o declaro a V. S. para
seu conheciment) e flus couveaientes.
A) mesmo.-Annuindo aoque solicitou o Dr.
chefe de policia em ofliei) de h intern sob n. 1,386,
aotorisa v. S. a mandar pagar ao delegado do ter-
mo do Boniio ou a seu procurador a quant'a de
'k0$, despendida com os reparos feitos na cadeia
daquelie termi.
4' secqao.
0.11 :ios:
- Jut oroveJor iuteriuo da Saala Casa do Mi-
1 :ricordia. A visla das razoes allega las em seu
i.lieio di 1." d) corrente sob n. 5'J7, approve a
deliberaca* que louuu a junta alminis!ra:iva des-
sa Santa Casa de aeceitar a prop esta de Francis
co Jose L ite, relativa ao contracto de arrenlameo-
to, por seis ami is, de p eJi n. 81, a rua do 1m-
perador, periencente ao patriuuaio dos orphaos
mediaute. as vaatagens coastaites do offloli de V.
S., de 18 de junh i fial), so'i n. 439.
- Ao thesoureiro das loterias. Toinando em
consideraija) o que mi S)iicit)U Frei Venancio
Maria de frrrara, prefeito d)s missiouarios capu-
c Inbos e encarregade das obras daniva igreja
de Nossa Senrora da Ponliij recommend) a Vm1;.
|ue, iulep mdeate de fian;i. maode eatregar Ihe o
proJueto das loterias ja extrahidas e que se forem
exlrahiadi no actual exercicio cm benefieio de
esta provineia.
Portaria :
Os Srs. agentes da comp.iDhia
taes obras.
Act) :
- 0 preaileate la
que rejueroa tfiuoel
nhoirj ajuJinte
5." secgi).
di re;iartica >
e tenli en visti o resaHaa >
proviBcia, at;o.iJ-:.iJ i a i
L > aren;. da Mattoi, imge-
u is obras publicas,
da ipspeecj < a qae
foi el'e sahnettidi, resolTe cjnceder-lh) se.s mi-
zes de licnja com todos os seas vencimentos, no.s
it.j is da loi u. 1.103 de 2 I de anio ullinu, para
tratar de 9a saule.
O li:ios :
Ao engenheiro chefe da roparti\,'Io das obras
publicas -Aitoriso \'m:. a mandar desobstruir a
oocea do can geral de esgite, q le parle do pateo
da Ribeira deS. Jase o tennioa no vies do Ramos,
bam com) as que dio entrada as aguas pluviaes,
correnlo es;e servici pjradministracio, como so-
licitou e.n seu offi ;io de h intern dalaao sob a. 293,
que lica assim respondido.
Aos agentes da companhia de Navegapao
B;asileira.ManJe Vme. enlrcgar ao perteiro da
secretaria desta presideacia, Silvino^ Antonio Ro-
drigues, um caixote que veio da corte no vip >r
Buhia, cjJlead; lifferoates imt)re-sos cjin dostiae
Bra-ileira maodem transportar a corte por couta
do ministerio da niarinha, no proximo vapor pro ;e-
dente do none, oapreudiz Jose 1.% que sera remet-
tido para bordo pelo inspector do arsenal de mari-
nba, com destiny ao quartel geral docorpo de iui
periaes mariuheiros.
BXPBOIWNTK 1)J SKcamaaio ,,i{ iJ
j,* ssccuo.
Offlcios ; '-
Ao Exm brigadHiro conimiolaa'.e. das ar-
mas. S. Exe. 0 Sr. presidente da proviueia, ton Jo
provideociado para que seja suustkuido por outro
o sentenciado civil qua se acha ao sorvn-o da fa-
cbina da fortaleza do Brum, assim o raanja com
municar a V*. Exc, em resposk* ao sou offlcio de
hoiUem sob n. 792.
Ao inspector do arsenal de mariana. S.
Exc. o Sr. presidente Ja provineia, tendo oxpedido
ordens para ser transpirtado a corte, no proximo
vapor procodente do none, o aprendiz jVise I.*,
line vai recolher se ao quartel general do corpo
de imperiaes mariuheiros; assim o maada cora-
municar a V. S., em resposta ao seu offieio de 6
do corrente sab a. 685.
2.' secfao.
Oulcios :
Ao Dr. chefe de policia. -b. Exc. o Sr. pre
sideate da provineia manda communicar a V. S.
que nesta data expedio ordem 4 tliosouraria pro-
vincial no sentido de ser paga ao delegado do ter-
mo do Bonito, ou a seu procurador, a quantia de
40*000, de que trata o seu offieio de houtem sob
n. 1,386.
Ao commandante superior do municipio de
Nazareth. 0 Exm. Sr presidente da provineia
manda communicar a V. S. que a thesouraria de
fazenda tern ordem para pagar aos negociantes
Mindello 4 Alves os vencimentos das pracas da
gnarda nacional, de que trata o seu offieio do 1*
deste mez.
Ao commandante superior interino de Flores e
Villa-Bella. -0 Exm. Sr. presidento da proviueia
manda declarar a V. S. quo auterisou a thesm
raria de fazenda a pagar ao negociaute Joao Fer-
nandas Lopes os vencimentos do destacamento da
guarda nacional, de que trata o seu offieio de 2 de
junho ultimo.
Ao Dr. Pedro Cavalcante de Albuquerque.
0 Exm. Sr presidente da,provineia manda ar.cri-
sar o recebiraento do olllcio do V. S., do 17 do
mez proximo passado, erri que participa ter nessa
data assumido o exercicio do cargo de juiz de di-
reito da comarca do Unique, ndi mpodimento do ef-
fective e do juiz municipal.
4.' stcr'lo
Offlcios:
Ao Dr. inspector da saule publica.De or-
dem de S. Exo. o St. presidente da provineia, com-
mdnico a V. S. para os devidos effeitos, qne nesta
data offleiou-se a thesouraria da fazenda no senti-
do de ser paga a Augusto Caors 4 C a imporlan-
cia constante das contas que enviou, provenieute
do forneciraento da amhulancia remet'Jda ao sub-
delegado deTimbadba, segundo V. S. solicitou era
seu offieio de hontem datado.
Ao Rvm. Fr. Venancio Maria de Fe rara. -
Do ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
eia, communicoa V. Rvma. para os devidos effei-
tos, que nesta data foram expedidas as convenien-
tes ordens a tnesouraria provincial no sen)ido do
ser satisfeite o que V. Rvma. selicila em sea offi-
eio de 3 do corrente.
5.* seccao.
Officios :
Ao director geral interino da secretaria de
estatistica.S. Exc. o Sr. presidente da nruviad i
manda accusar a recepcao do olllcio do V. S., sob
n 2,089 de 31 de junho Undo, a que acompanhou
um exemplar do relatorio e trabalhos estatisticos
do corrente anno, apresentados por essa directoria
ao Exm. Sr. ministro do imperio.
Ao eogenheiro chefe da reparticao Jas obras
publicas.S. Exc. o Sr. presidente da provineia
man la communicar a V. S., pra seu con -eciraen-
toe fins convr-nientes, que nesta data autorison a
thesouraria provincial a mandar por em hasta pu-
blica os reparos de que precisa a poote do Des-
terro na estrada do norte, e sebre o que versou o
seu offieio do 14 de marpo ultimo sob n. 10d.
Ao gerente da ompanhia pernambueana.
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
eia, declaro a V. S. que |>ode mandar seguir para
os portos do norte c sal, no dia 14 do corrente, os
vapores dessa companhia |iara isso destinados,
conforrao pede em sen offieio de 6 do orrente,
que fica assim respondido.
Aos agentes da companhia de iiavegacio
brasileira. 0 Exm. Sr. presidente da provineia
manda declarar a V. S, em resposta ao seu offieio
de hoje datado, que pode seguir ainanhaas 5 bo-
ras da tar Je para os portos do norte o vapor oa
cioaal Bahia, chegado dos do sul.
EXPBDIE.VTE DO DIA 9 DE AG)STj DE 1873
1.' seccao
Officios :
Ao inspector do arsenal de niarinha.Man-
de V. S, logo que este receber, collocar junto a
rampa do Campo das Princezas uma lancln, afim
de conduzir para a ageneia da compauhia de na
vegacio brasileira 21 caixSes contendo elemento
originaes do recenseamento, os qbaes tem de
seguir para a corte no vapor Cruzeiro do Suf.
Ao eugenheiro das obras railrtares. -Declaro
a Vine., em additamento ao meu offieio de hontem,
qae no contracto qne se houver de celebrar com
Augusto Jose Teixeira para aobra da abertnra de
janallas no hospital mililar. deve ser inseriJa a
clausula de que o sea pagamento sera o;Iectua Io
em duas presticoes, sendo uma no prinelpio e ou-
tra no fun da obra, como pede elle no incluso re-
querimento.
2.' secfao.
Officios :
Ao Dr. chefe de policia.Nesta data offieio ao
Dr. commissario vaceinador provincial no senti-
do de fornecer a V. S. alguns tubes com lympha
vaccinica, que devem ser remettidos para a villa
do Cabo. Reeoinraendo, pertauto, a V. S. que ape-
nas receber os refendos lubos.'os envie ao cidaJas
Joao Baptista G unes Peana, qae se offereceu a
esla presideacia para en ;arregar-s da vaccinacao
ua mesma villa, onde esta grassanio a variola.
Aoproautor publico do Recife. Euvio a
Vme. a represenlagio junta por copia, da ir nan-
dede do Saatissm i Sacramento da matriz de Santo
^touio, quanlo a recusa do respectivo vigario a
fancciooar em actos religiosos em qae compareca
umformisada a mesma irmandade, nao obstante a
decisao d > it ivera i imperial; afim de que, de con
formidade c nn a lei, proeela contra quem achar
em culpa. Convem (azer notar a Vine, quo tra
tandojse de um facto criminoso, sobre o qual cabe
a accao publica, como orgao da jastica nao deve es-
perar quo as paries offenJidasrequeiram a applica-
ble da lei centra aquelle que a infringio, mas
come muccionario que deve zelar as attributes
de seu carg >, procedei como Ihe iucumbe a lei.
5." secfao.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmitto a V. i., para seu conhecimento e devi
da execucio, o aviso de 16 de julho find), junto
por copia em quo o Exm. Sr. ministro do imperio
declara que para poder-se autorisar o aagmeuto de
credito de 2472 <6, cooforme requisitou essa the-
sourar a pela verba -inspeccio de saude dos p >r-
tos do exercicio de 1872 a 1873, conve
ter u iu deauastrajaj miuucua da
Ise rtaafeito pela mesma verba,
Ao mesmo Declare a V. S, em ad Utawento
* "'Officia de hontem datalo qu* ao eoigttnhvi-
==
ro 4MB bats railitares autorisei a cluir at con
Jra<***,*idtouver de celebrar win Augusto Jose
reix*i para o servieo de abertara 49 janellas dp
hospttal iNlar a clausula do que o pagawento do
T[?!Matl*ei wri eff*J>do n duas prestacoes,
seado uma ao principto a outra no lira do refe-
rido servigo.
- Ao mesmo Transmitto a V. S. o indaso
altestado em duplicata que me foi remeltido pelo
hrijwdiro eommandante das annas com offieio de
hontem sob n. 798, afim de que mande pagar ao
soldado do corpo de- poheia Antonio Gomes do
NasetaiNito a>j$rai ill cacao a quo tirer direito em
virtuae do aviso do ministerio da guerra, de 4 de
maigo de 1838, por ter appreiieulido o soldado
ManoeJ Scvorino de Araujo, deserter do deposito
de recruias.
Ao mesmo. Trausmitlo a V. S, para seu
conhecujKuto e devidos fins, o aviso de 28 do jo-
iho Imdo junto pur copia, em qae o Exm. Sr. mi-
nisir dpimpoik) deelara quo se dirigira ao da fa-
zeiula, no sentido de. einnuauto outra cousa nao for
delerm^nado, ser eouegue ao Hvd. bisp) dioeesa-
n) eiu'cada exercicio a quantia determinada para
os vaneiinentas dos profassores do serainario epis-
copal, iudepeulente daxelacao das faltas de quo
trata o aviso de 6 de fevereiro deste anno.
' Ao raasuio. Expeca V. S. as suas ordens,
afim de que per essa thesouraria se ajuste conta<
e passe gaia de s-iccorrimeoto ao tenenle Joaquim
Cardosode'sguiare Sou'.a, o qual segue ami
nlia para a co te a reunir-se ao seu batalhao, 21"
de infanta.- ia.
, Aome.-mo. Providencie V. S. aflm de que
por essa Uiesoararia so ajtwte contas e passe guia
de soceorriinento ao tenwile corooel commandante
da forlaieza do Brum, Sebistiai Jose Basilio Pyr-
rho, quo obleve tres mezes do licenca.co.ii os veu-
cimentos ua forma da lei, para tr.itar de sua saude
fora da provineia.
Ados :
0 piesijiinte da p ovimia, aUeudeudo ao
qne requereii Bernardino dj Oliveira Maeh ido,
professor public-) da cadeira de priraeiras letlras
da vIllA do Salgueiro, e tendo em vista a infonna-
cio do Dr. director geral interino da instraccao
publica, de 30 de julho undo sob n. 2*8, resolve
prorogar per tros mezes o prase que Ihe fei mar-
cado pelo rofetido director para eutrar no exer-
eiiio do sua ade.ira.
,P presidoiUe da proviueia, altendeudo ao
qa r*quereu Crauia Nympha 3a Silva, professora
pabhtp Ja eajeira de priuieiras lettras da villa do
e tendo em vista a informi'.a> do Dr. di-
:erl interino da msirucriao publica, de 30
o Uuda sob u. 229, resolve prorogar por
ies o praso que Ibe foi marcado pelo refe-
ectui para eutrar no exercicio de sua ca-
Portarias
0> Sis. agentes da companhia de navegacao: maiadowo"pub7cVo^^uie "tra'ia aTei nTfl^ritJti
asil-ira maudem dar transport.! para a corte por je maio' ultimo.
, mais CDQveniente, em que iwa ser coostroiA/ o
Gra
rootoi
Is
tres
ndo
doink
0 presiJeutc da pr ivincia, attendendo ao quo
mftttktu Waldetrudes Prinnliva da Puiiceca Tel-
ivi, .pnjfe>sora Je insiruccao primaria da cadeira
de Cabrobo, e ten Jo em visii a iuformacSo do di-
rector geral intenno d i instruccao publica, do 4
do correate, em offieio sob n. 237, resolve proro
gar por mais dous mezes o prase que Ihe foi con-
cedido para entrar no exercicio de sua cadeira.
O.Iicios :
Ao Exm. Sr presidente da provineia do Para.
-Com o offieio que V. Exc. dtrigio-me cm 24 de
junho ul imo recebi os dous exemplares impres-
ses, a que elle se refere, da Colleegao das leis e
actos do governo dessa proviueia, da anno proximo
passado.
Ao director geral interino da instruccai pu-
blica. -Manle V. >. receber na agenda dos pa-
quotes brasiliros a vapor um volume conleiiJo
quiuhenlos exemplares da Bistoria Biblica, quo
foram remettidos pelo Exm. e Rvm. bispo do Para,
aos quaes V. S. dara o destino qae ulteriorraente
for determinado.
Ao mesmo. Tendo o Dr. chefe de policia
dcclarado. cm offieio de 7 do correute sob n. 1S88,
qneja fora soito pelo delegado de policia desta ca-
pital o alumiio da esc Ja nocturaa Joii Podro dos
Santos, que havii sido recrutado pelo subleiega-.lo
de Beleot ; assim n communico a V. S., em respos-
ta ao seu offieio -de 3 Jeste mez sob n. 239.
Ao proveder interino da Santa Casa de Mi-
serirordia.Para qne possa ser paga a despeza
de que trata V. S. em offieio de 8 do correnie sob
n. 521, convem que ministre a eonta neeessaria.
Ao commissario vacciaador provincial.Re-
met la Vine com brevi lade ao Dr. cUeie. do policia
algrns tnbos com lympha vaccinica, afim de serem
cnvia-los para a villa do Cabo, onJe esta grassan-
do a variola.
Ao Sr. Joao Baptisla Gomes Penna (Cabo).
Accuse rewbido o offieio de Vme., de 6 de corren-
te, e sciente de quanlo nelle expde, cabe-mc dizer
que nesta data expeco a< cenvenienles ordeus ni
seutido de ser-lhe remeUido p.)r intermedio do
Dr. chefe do p ilicia o pus vac:inico de qne trata
o citado offieio.
ao juiz de paz mais votado do 3. district.)
da freguezia do Senhor Bom Jesus dos Afflictos do
Exii. Sciente,pelo seu offieio de 18 do mez lindo,
do motivo por que na i sc realisou ua epoca niar-
eada por esta presidents a leuniio da junta da
qualifii-acao de votantes dessa parochia ; teaho a
dizer-lhe que designo a segunda dominga de outu-
Ore vindouro para aquelle lim, guardadas as for-
mal! lades legaes.
P .ruria :
A' camara municipal da villa do Granito.
Communico a camara municipal da villa do Gra-
nite pan sea conhecimento e fins convenieutes,
que, nm se tendo iealisa.li na epoca mareada
por esta presidencia a reuniai da junta de quali-
ficavao ae votantes da freguezia do Senhor Bom
Jesus dos Affiietos do Exii. aeabo de desigoar a
segunda doming! de outubro vindouro para se-
melnante fim, guardadas as formalidades legaes.
5' seccao.
Offlcios :
Ao Dr. director geral interino da Estatistica.
Remello a V. S, uos termos do art. 13 do regula-
mHn'.o que baixou com o decreto n 4856 de 30 de
dezeinbro de 1871, vinto e um caixoc contendo
os elemento; originaes do recenseamento procedi-
do nes municipios de B.rreiros, Nazaretli, Biejo,
Bm Jarditn, Pandlas, Bom Consclho, Aguas Bel
las, Flores, Villa Bella, Trinmpho, Boa-Vista, Sal-
gueiro, Ourieury e Exd ; e bem assim o relatorio
circumstanciado dos respeetivos trabalhos, que
lior intermedio de V. S. tem de ser entregue ao
Exm Sr miuistro do imperio, na forma do citado
artigo.
- Ao engenheiro chefe d reparticao das obras
publicas.Reraetto a Vmc, para sua scieneia, co-
pia do aviso n. 31, de 28 de julho proximo flndo,
em que o Exm. Sr. ministre da agricultura, coin-
mercio o obras publicas declara que approvou as
raodificajoes feitas pelo engenheiro Francisco Pe
reira Passes no projecto das obras da ponte de
ferru qae tem de serxmstruida sobre o rio Capt
baribe nesta cidaie, uao so porque contribucm
para a solidez e elegancla das mesmas obras,
Mino p>r darem em resultado uma economia de
97:766j926 sobre esse projecto, aprosentado por
Vine no valor de 599:483*591.
Ao presidente da juqI*. de smau'ip iclo do
munieipie desta capital. has
inclusas peticdes reqiuu^j^H^^^Bo Augusto
de Oliveira e Anna {<
jou.a a reueber as fcela
brasileira mandem dar transport.^ para a corte por
eonta o\ ministerio da guerra, no vapor Cruzeiro
do Sul, ao tenenle Joaquim Cardozo de Aguiar e
Souza, o qua! vai reunir-se ao seu batalhao, 21.*
de mfantaria
'}i Srs. agentes da companhia de navegacao
brasileira mandem dar passagem para a cOrte pw
eonta do imnistorio da guerra, no vapor Cruzeiro
do Sul, a escolla do 7.* batalhao do iufantaria,
composla das pragas constantes da inclusa relacao
nominal, a qua! veio d'alli sob o commando do to-
nente Perpetuo Fetteilo-Martins, conduzindo qua-
torze seuleneiados miliiaros.
Relacao a que se refere a portaria supra -
Peneuto Perpetuo FeHcito Martins, cabo Rjifino
Brasil, ansp-ecada Gregorio Antonio Barbosa, ca-
dete Agrieola Fraukhu de Lima, soldados, Abel
Aurehano, Jose Aatuuio da Silva, Antonio Jose
Mendes da Sirva, Mamcde Angola, Antonio Alipio
Aranha, Manoel Cenrenjo do Espi'rito Santo. An-
tonio Joaquim Ferreira, Pelippo Nery Marcolino,
Joaquim Furtado dw Paisao, Ignacio Jose da Cu-
nba, Manoel Luiz Benedict.), Jose Nuncs da Costa,
Fausliuo Borgeo, Manoel Alberto.
Os Srs. agentes da eompaahia de navegacao
brasileira- mandem dar passagem para a corte por
ooni.i do- ministerio da guerra, no vapor Cruzeiio
do Sul, aos recrutas constantes da inclusa relacao
nominal.
Relacao a qne se refere a portaria supra.An-
dre Gwines Pereira, Antonio Lopes dos Santos,
Joaqufm da Silva Pereira, Jo*) Pranciseo Gomes,
Jose Joaquim da Silva, Jose Pranciseo da Veiga
Figueiredo, Jose Joaquim de StuH'Anna, Luit Jose
Francisco, Marcos Pereira do Oliveira, Victor
Constantino de Maria, Antomo Jose Alves, Antonio
Martins do Nascimento, Bento CiMtodio de Abreu,
Francisco Custodb Becerra, Fc4ici*ino Baptista de
Oliveira, Francisco Antonio ue Souz.i, Joaquim
Jos<5 de SaiH'Anna 2.', Joao Francisco Jose de Oli-
veira, Joao Martins de Araujo, Joio Barbosa dos
Santos, Joao I'aes de Souza, Jose Luiz de Brito,
Manoel Ignacio da Paixao, .Manoel Joao da Cunha,
Manoel dos Santas Alves de Sa, Manoel Vieira de
Araujo, Manoel Jose Alves, Pe Ire Josd de Lima,
Pedro Luiz da Silva, Liberate Kaoorato da Silva,
Vicente Ferreira Honerato.
Os Srs. agentes da companhia de navegacao
brasileira mandem dar pas-ag.-m para a corte por
eonta do ministerio da guerra, no vapor Cruzeiro
do Sul, aos recrutas, Manoel Lopes da Silva e An-
dre Avelino d.i Canno.
Os Srs. agentes da companhia de navegacao
brasileira mandem dar trausporie para a corte no
vapor Cruzeiro d > Sul, por eonta do ministerio do
imperio, aos 21 caixSes que a esta acompanham,
os quaes contem os elementos originaes do recen-
seamento procelido nos municipios de Barreiros,
Nazareth, Ilrejo, Bom Jardim, Bom Conselho, Pa-
nellas, Aguas Bellas, Flores, Villa-Bella, Triompho,
Boa-Vista, Salgueiro, Ourieury e Exii, todos desta
provineia.
Os Srs. agentes da companhia de uavegacio
brasileira raandCm dar transports para a cortapor yttri uceeadorei-
conta do ministerio da marinha,*uo vapor Cruzet
ro do Sul, ao imperial marinheiro de 2.' classe,
Liberato Jose de Souza, visto ter silo jntgado in-
cajiaz do service da armada.
L'XPEDIENTB-DO SECftETAniO.
1." secgao.
Officios :
Ao brig.ideiro commandante das armas.S.
Exc. o Sr. presidente da provineia, tendo provi-
deuciado aeeica do regresso a cone, no vapor Cru
zeiro do Sul, da escolla do 7.* batalhao de infan-
taria que d'alli veio conduzindo sentenciado; mili-
lares ; assim o manda communicar a V. Exc, em
resposta ao seu offieio de hontem datado, sob n.
797.
Ao mesmo. -S. Exc oSr. presidente da pro
vineia manJa' declarar a V. Exe., em resposta ao
seu olllcio desta data, sob n. 801, que fleam expe-
di las as necessarias ordens para o embarque dos
recrutas, Manoel Loves da Silva e Andre Avelino
do Caimo.
5.' seccao.
Offieio :
Aos agentes da companhia de navegacao
brasileira. -De or-icm de S. Exc. o Sr. presidente
da provineia, podem Vv. Ss. fazer seguir para o
Rio de Janeiro e cscalas, amanha as 5 boras de
tarde, o vapor Cruzeiro do Sul, chegado hoje dos
portos do norte.
D4SFACH0S DA PIIESIDSXCU DE 21 DE OUTUBRO
M 1873.
Abaixo assignados negociantes desta cidade.
Os supplieantes foram attendidos com o regula-
meuto de 7 do corrente.
Alexandre Sergio de Moraes- Informe o Sr.
Commandanie superior da guarda nacional de Ca-
ruaru.
Ar>aia Gustavo Borges. -De se.
Brasiliano dos Sautes Miranda.Re jueira osup
piieante ao go .-eruo imperial.
Bach irel Jose Franeisco Goes Cavakante.Pas-
se portaria concedende a licencii requerida.
Jose Francisco de Paula. -Trausfira-se, salis-
leitos os requesitos legaes.
Jose da -ilva Alves. Requeira a thesouraria de
fazenda.
Conego Joao Baptisla Soares Deferido com of
fieio desta data a thesouraria [ifovincial.
Li anio Presidio de Carvalho Como requer.
Antonio Joaquim Moreira.fleferide com offieio
desta data a thesouraria provincial.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 21 de
outubro de 1873.
0 porteiro,
Sileino A. Rodrigues
Conutrea dia Boui Conteellso.- for
portaria da presidencia da provincial de 20 do cor-
rente, foi designado o primeiro tabelliao da villa
do Bora Conselho, Luiz Antonio Corleirp, para
servir o cargo de official do cegistro geral di) hy-
pothecas dessa comarca.
Guarda uurional. -Por portaria da pre-
sidencia da provineia, de 20 do corrente, mandou-
so dar guia de oaesagem, para o municipio de
Santo Antio, ao alferes Libanio Presidio de Car-
valho do 42 batalhao de ibfantaria db- munlcipn
de Sorinhaem.
Sitlicitailor de capellas.-1'br portaria
da oresidencia da provineia, de 21 do corrente,
foi nomeadb Vicente Lieioio da Costa Cam|iello,
para exercer provisoriamenta o offieio desolicita-
dor de residuos e capellas do tarmo db Re-
cife.
-\ilinuiistru'iio do correio. Hisi-mi-
nou hontem o concurso para prevlmento dos- luga-
les de praticantes do correio desta provineia.
Forain julgad cargos os Srs: Antonio Peregrine de Mendonca, Jose
Carneiro Macicl da Silva, Vicente Nunes da Serra
Filhe e Americo AVanderley Jacques ; e nao liabi-
lilado os demais examinandos.
Jury do Recife.Forain hontem subueOi
dos a julgamento os reos Jose Rodrigues Carapelle,
Jose Goncalves da Hera, Bernai do Francisco Ra-
mos, Galdino Paes Barreto, Francisco da Silva Mi
randa, Henrique da Cunha MachadO Figueiredo e
Severino Martins, pronuncialos no art 207 doco-
digo criminal, eccupando a cadeira da acousacao.
como advogaJo do autor, o Dr. Angelo llenriques
da Silva, o a da defeza o Dr. Joaquim Correia de
Araujo.
0 conselho de julgamento compoz se dos Srs. :
Jose E'esba i Borges L'ehoa, Dr. Jose Joaquim de
Almeida Nohre, Luiz Pereira de Farias, Francisco
Antonio da Silva Cavalcante, Jose Elias de Olivei-
ra, Geralniano Joaquim de Miranda, Jose Pacheco
de Medeires, Ignacio Alvim da Silva. Josd Domin-
gues Codeoeira, Joao Atbanazio Bolelho, Manoel do
Ampare |Cajii e Jose Francisco de Paula Ra-
mos, e depois de dada a resposta aos quesitos, fo-
ram, pelo juiz presidente absolvidos, os- reos em
julgamento.
Dellberacao episeopal. S. Exc. Rvm
reuuindo hontem no paiacio da Soledade os Rvras.
vigarios das freguezias da capital ahi ordenou-
Ihes: que, quando estiverem celebrandb quaes
quer actos religiosos, ja em suas malrize< ja nos
outros temples de suas parochias e apparecerem
membros das coufrarias ou irmandades fulmina-
das com senteaca de interdicto, a essas pessoas ex
pliquera que, quem esta sujeito aquella pena n a
infringe, incorre na de excommunhao mator, c uja
absol vieao e reservada aa summu ponliliae ; e tuie,
no caso de taes membros de eonfrarias e irmanda-
Oes fulininadas persisti rem no proposito de assist ii-
o acto religioso, prosigam na celebrac3o do mesmo,
aii.u de que nao venliam a soffrer os innoccJes
Repartiedo da policia.
V secgao. Secretaria da policia de Pernambuco,
21 de outubro de 1873.
N 1771.lllra. eExm. *r,Participo a V. Exc.
pie, foram hontem recolbidos a casa de detencao
os individuos seguintes :
A' minha ordem, o desacisado Miguel de tal ate
ter o dev.do deslino.
A' ordem do Dr. delegado de Jaboatao, Vicente
Ferreira Curado, Anacleto Francisco l*rreira,
I (iuilherme Francisco do Rosario c Francisca Ma-
ria de Jesus, a dispesicao do Dr. iuiz de direito do
6." district') criminal, came indiciados em crime
de furto de cavallos.
A' ordem do do I.* districto de S Jose, Antonio,
e-crav.) de Francisco Antonio Martins de Miranda,
a requerimento deste.
Fuialmenle, a ordem e a tranquillidade publicas
nao solTrerara alteracao.
Deus guarde a V. Exclllra. e Exm. Sr. oom-
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi-
mo presidente da provineia. 0 chefe de poiioia,
Antonio Francisco. Correia de Araujo.
0
ERNAMBUC&
RE\TSTA DIARIA. '
Matadourtt publieo.-Por poitiria ua
presidencia da proviueia, de 20 do corrente, foi
uouieada uma commistan composta dos Srs. Drs.
Pedro do AthayJe Lobo Moscoso, KJanoei do Bar-
Ma Barreto, Gorvasio Rodrigue& Clampello, Augus-
Hprneiio Monteiro da Silva Santos eEstevlo Ca-
val.-u .ru>e, Data, de^eruMai;^ Ipcat
Trillios urbanos de Olinda Nao so
tendo reunido numero legal de accionistas, deixou
de haver no dia 23 do corrente a essemblea geral
para continuacao da discussao do pareeer da com-
missao dc contas, sendo de nove c nvocada para e
dia 28 as 4 boras da tarde. A rcuniao realisar-
se-ba com o numero de accionistas que compa-
recer.
Monte Pio Portuguez. Tendo deixado
de realisar se no dia 19 a assemblea geral dos
membros desta sociedade, p r falta de numero suf-
fieienie, foi marcado odia 26 (domingo) as 11 bo-
ras da manha, no qual fiiacciena^ a corporate
com os socios que coinparecerem.
Vapores esperailos Hoje ou amanha,
brasilciro Parana, dos portos Jdo sul do imper.o;
francoz Henri IV, d.) Havre e Lisboa ; a 2i. o in-
glez Cuzco, do Calhao e escalas; a 25, o inglez
Dour.), da Europa ; a 26, o inglez Valparaize, da
Buropa ; c a 29, o inglez Boyne, do Rio da Prata
e escalas.
Vapores a sahir. -A' 28 do corrente, o
Ciiruripe, para Mamanguape; a 30, o Ipojuca, para
a Granja e escalas, e o Mundahu, para o Araca-
jd e escalas ; a 4 de novembro, Giquid, para Fer-
nando de Neronha.
O Sr Dr. Kalley. Ante-hontem a nolte,
no theaire de Santo Antonio, cujas portas, gratui-
lamenle aberlas ao publico, derain lugar a urna
enchente real, o Sr. Dr. Kalley, medico inglez, se
gunJo nos informa que se acha de passagem, en
tre nos, prendeu por duas horas a attem;ao do au-
dilorio com a narrar-ao explicada de duas viagens
que fez s Jerusalem e investigacdes a que proce-
deu nos lugares sanies.
0 Dr. Kalley foi devidaroente considerado pela
parle do auditorio que estava no caso de apreciar
o seu acto.
Ilorgadinlia de Vai-flor. Nao satisfez
a curiosidade publica a representacao dessa com-
posicao de Pinheiro Chagas, Uatas vezes repotida
no tneatro de Santo Antonio.
Suerem-no ainda ? Isto e com o einprezario.
ury do Cabo.Para o dia 3 de novend.ro
vindouro acha-se convocada a 4' seccao do tribu-
nal do jury da villa do Cabo, sob a presidencia do
respectivo juiz de direito.
Mocda falsa. Em um dos trens da via-
ferrea do Recife ao S. Francisco cbegarara huntom
a esta cidade, vindos de Buique por Una, var.os
eriminoses, entre os quaes alguns indiciados em
cr'me de moeda falsa.
Sociedade LUteraria e AuxJUado-
ra da InstruccaoSeeundarla.Quinta-
feira (23 do correnie) ha sessao extraordinaria des-
ta sociedade para posse do conselho director, as 9
horas do dia, no lugar do costume.
Cao. Pedem-nos a seguinie publicacao :
. Alguns moradores da rua de Bias Cardoso re-
gain ao Sr. fiscal da freguezia de S. J*se, para que
de providencias aeerca de um cao que alii exislo
if uma casa, com grave incommodo dos mesmos e
dos transeuntes. E' bom que o Sr. fiscal previna
algum confucto..
Qaeiator dono.-Pelo Sc. subdelegado do
I* Uiftricto da freguezia de S. Jose foi appreaen-
dide omalfinete de peito com ulna grande pedra
amarella. Quem for dono proeure-o na secretaria
de policia.
Rua Hamede Slmdes Parece incrivel.
mas I exacto, o Sr. fiscal- da freguezia da Boa
Vista mandou dous trabalaadores para limparem
a rua Mamede Simoes, ao lado do gymnasio, ma
de fcrma a constar apeoas, por quauto apos duas
ou tres horas de trabalho, desappareeeram, Icnrto
apenas arrancado o capim em duas bracas, do
comprimeuto da rua. .
Novios eueontrados.-Participa o br-.
capitao do hiate americano L P. Au*ei-, entrado
hontem de New-York, que ao dia 10 de selembro
proximo passado, na Lat. 8' Long. 27" communi-
cou com a galera amenoana Jaoars Fortter, proce
dente de New-York para S. Francisco (na Califor-
nia \, tendo 17 diai. de viagem ; todo ia bem a
bordo. ,
Pelo do bare* inglau Talisman, catrada no
mesmo dia da Baltimore, que no dia 3 de outubro
na Lat. 6 N., Long. 30* West, ommunicou com
die de Anvers, em viagem de Mon-
treol (nos Eslados Unidos) pxa Buenos-Ay res.
Loterla.-A que se acha a veada 6 a 71.' a
beneBcio do collegio dos orphans o orphas, a qual
corre no dia 29. .",
Lellao.-Aman o agente Pittlq
o loilao d fuoudas aff lefteiW Q& Be*
rjiiittfl I
Ma^aa^
Mi
*~



-

-
tt%\\ 311 OMIT IT 10 M kk AJU3? MWWlc Pernambuco Quarta feira 22 de Outubro de 187&1 Jii'JitJA
seriptorio A rua do Rom Jeans n. 43.. .. jiWj^Mt|l|i'V.JffilM'rg.'lpi,!jtjiiwiW'Vayi A* 1i
24, deve tor*fhhfTWr I*-* *i*s<^id*#JYm\>n% HlTcrdfrflflfn.WSftw ella> na
De|)oij d'amanha,
iermoitio do
rei, ann
pre*, a do
Gas*
*) e outubrcliMfl
Existum prssot.
rxistem 331.
A saber :
NacJoiaes 238.
escrafos 41 eei
AlimenUdos
Movimento a
e 1873 :
riverain alU
Fortunato loti
Edttardu V
eiisario,
te Pinto, o leilao do mo-
2 andar do 'sobrado da
8. .
o.Movinwoto do dia
entraram' 6, sahiraiu 3,'
'#
ieiwiad
tWONK A JlIW;| 1R|*
TltlKI V HI. DA llll II ill
SESS0 EE 21 DE OUTUBRO DE 1873.
-i.Pp-.DKTXIA Do EXM. SR. C0.NSELHEIF0 CAKTA.Vi
~" SANTIAGO."
Swrrtiirio Dr. Virgilio Coelko.
A's 10 boras da manlia, presentes os Srs. des-
uhmlttBitLoucaago Santiago, Almeida Albu-
querque, Doria, procurator da coroa, Domingues
Silva, Regneira Cosla e Neiva, falwado o Sr. dos-
e-nbargador Araujo Jorge, que preside o jury dn
Hecife, abrio-se a sessao.
JCLOAUKNTOS.
llecursos crimes.
-ft*Esoada.-R guel de Albuquerque. Mello. Juizes os Srs, des-
fiH^^adotes Lonrenco Santiago, Almeida Afbu-
qoerqufl, Regneira Costa e Seiva. Improcedente.
I 2lirto2vT Re^orrcojii o j^iizo, recorrido Lou-
lertjo tfcrerra Monieirb Cavaleanti. Juizes bs Srs.
dismubargadbris Neiva, Lourenco Santiago, Al-
meida Albuquerque e Hogueira Gosta. Improca-
Recife.Roeorrentc oiuizo, recorrido Luiz
Alves de Souza. Juizej os Srs. desembargadores
RegUeira Costa Douiiogues Silva, Neiva e Almeida
Albuquerrrae. -1 mptdecdente.
tteenrso de falleneia.
Heeorrente o jujzb do commercio, recorrido An-
tonio Ignacib BrHndab Juizes os Scs. desembar-
eadores.Almeida Albuquerque, Domingues Silva,
Nerra e Regnef*a Costa.Negou-s'e provhnent".
rrorogacio de inventario.
lOYcnlarianV? Joaquim Goraes do Rego. -Goace-
deram o prazo legal.
Appellacoes civeis.
Dp Cabo.-Appellante Manuel Ignacio de Albu-
qu-rque "Maranfiao, appellados Manbel Ignacio e
outros. fXmlir,nada a sentenca.
De S. Behtu. -Appellante Francisco Ignacio de
Paiva, aepeuados herdeiros de D. Rita Vicencia.
de HelliV--,Helo:,inarai)i a sentenca para annullar
sonaente 0 proressiulo de foUjas 194 era diante,
pela Irregulafidale e tumulto que se procedeu no
ipveouini.
JleTa/ilbir-l. -Appellante Antonio Barroso Va-
lente, appellado JOaqaim Peres Nunes.-Dtapreza-
do- os errtbarjes.
Do Recife.Appellante ocurador.da uarda Ma-
ria, appellado Francisco Hoaventnra da Luz Lou-
reira Coniinnada a sentenca.
Do Recife.-Appe|lante Luiz Ferrcira da Silva,
appbltados herdeiras de Joaquim (]orra dc Araujo
e D i Recife.Appellunte Joao Antonio Gomes
UuimarSe-, appelfadp Antonio da Cunhr. Soares
Giiimarie* eoiilro.'Desprezados os embargos.
i)s OBnla.-Appolhnte Joao Goncalves Torres,
.; i llarlo Pelippu Manuel de Chris!o Leal.-Cbtt-
8a l-cilao *&#& ft
Srs. Silva Gnimariof, Accioli,
Des'preaados os emuargus.
AppelUnitc Antonm Joaquim da SilvarRrRo,
pallaoo Jn-e Cypriaon de Araujo. .Juizes as
Reis e Silva. .Accjoli, Lopes Macludo e.Sa LeiQfu
Conflrmada a sentenca.
Aooetlante Joaquim Francisco da Costa, a
Pr^r men-** que clH.YalcMe (e
K-i-.ula, :i li' lima .arpuinli
rtf(HSf < ',m> dinbeirn se
*2a''''' I'"itujp6
i p'iniu jABn
i, lira i>joOi| ,,
ral.i ;iSi so para lei
_ i>p0 tnu lirt.
Pnftres ; -ires, poo o pruvincia I...
Tml i esla entre nos confundido.
amerieano-
*-/^'
lirmadn a senteii^a
De S.'M'rgafel.Appellante
Ferrd c oy.ro, appi-H.ili a
Ojiilirroada a si' itenfil:
ijiilherme Ferreira
baroueza de Giquia. -
ap-
da
Sr.
dc
AnbenaeJo crime.
Do jury do Ico.App'eilante o juizo, appelhdo
<> raauyr Joao Uapiisia.Julgaram proceoente a
app^jUkcaebara fefbrmar 3 sentenja que co'tfiir
mil a j'li; cuijemnou o men >r a l't annus de
prisao a de 3 aquos na casa de correcao.
PASSAHENS.
Dj Sr. d'3sembargador Neiva ao Sr. desembar-
gailor Lourenci Sahtiago :
Do jury de S. Beuto. Appeljante o juiz?,
ji.'llado Jose Ktvus do CouW.
Da Rio Formo-o.Appellante Manoel Jose
Hessurreicao, apjiellada a justica.
Bo Sr. dPsemb;irgador Domingucs Silva ao
desembargador Regueira Costa :
De Caruani.Appellante Manoel Antonio
De orphiios de Jaguarihe-mcriin. Appellante
major JiMao:i clolao, sppcllados
OUlio 1'aes llotao e ontros.
Do Sr.'deseinbargador Doria ao Sr. desembar,-
gador Dbmingnes Silva :
in juizo de dircito do Recife Appellante Ma-
iiias Copes da C ista Maia, appellado Jo6 Maria
ile Castro.
Ao Sr. desembargador Regneira Costa :
Kmbaigos iitfnugentes.
D) Recife.Embarganfe Antonio de Souza Braz,
embargaJo Jose Alves Barbusa.
D.) Sr. desembargador Lourenco Santiago ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
Do Recife.A0pcilan!es Roberto Caroll e outros,
appcllados Joao Caroll e outros ; appellante a com-
panhia Drainage, appellado Joaquim Dias da Silva
Guimaries ; appellante Francisco Ferreira de
MellQ. api'i'lhulj I >>e Dias (iuimaraes ; appellante
Joaquim Sal valor Pessoa de Siqueira Cavaleanti,
.appellaJo Salvador de Siqueira Cavaleanti.
Do Sr. deseuiOargadof Almeida Albuquerque ao
Sr. de.-einbargagador Doria :
D* Parahyba.Appellante o juizo, appeilada a
parda Maria.
Diligencia civel.
Ao Sr. desembargador promotor da coroa
Francisco do Espiri
Mnribeca Sorteadi
gar do Sr. Candii
embargos, seudo votes venciJos us dos Sr^. O'ipto
Bastos e Lopes Macbado.
Appellante Joao Jose de Carvalho Moraes, appcl-
lados Jayme Eneas Gomes da Silva, Jeronymo
O.dsuc e D. Ursula Cordolina da lioela Almeida.
Sorteadoo Sr. Sa Leitio, adibu se o julgamento
a pedido de mo dos Srs. juiies muimei-eiaiHes.
Appellante Antonio Duarto Caroeiro Vianna,
appellados Join Bapiista Somes Penua e Antonio
Climaco Moreira Temporal, como admioistraaor
de sua muliier, e outros Adiou-se tambem a pe-
dido de am dos jnwes commeretanles.
Appellante embargante Gertruics Eduviges dos
Passos, appellado oudurgado Manoel Eduwiges da
Silva. Idem.
Appellanles Auna Francisca Tavares Braga e.
set^s filbos, appellados Severiuo Irmao ^ C.
Ideal.
Appellante Aquilino Bezerra de Menezcs, appel-
lado Joe Cavaleanti de Albuquerque.Feito o
sorleio d)s Srs. Oliuto Bastos e Sa Leitio, fqi laai-
bem adiadp o julgamento.
Appellants Marques Santos ^ C, appellados os
admio:.s!raJores da massa fa Hi da de Silvestre IV-
reira da Cunha & C. Fit# o sorteio dp Sr. OJiuto
Bastos em lugar do Sr. Candido Alcofoi-ado, adjou-
^e o julgamento.
AftpellaRle Gabriel Antonio de'Castro Quintaes,
appellado o Dr. Nabor Carneiro Bezorra Cav^l-
cante; sorteados os Srs. OIin(o Bastos e Sa LcHiio.
Idem.
Appellante o barao do Livramento e Jose Anto-
nio de Brilo Bastos, appellados os administradores
da massa fallida de Fernando stepple da Silva e
os herdeiros de Luiz Amavel Dubpurcq e sua
mulher.Adiou-se b julgarooflto tjuibem a peii-
do de um dos juizes certos.
PASSAGKBS.
Do Sr. desembargador Suva Guiruaracs ao Sr;
desembargador Accioli.Appellante a companbia
Tlie Liveipnol e Londin and Globe lasurauce, ap-
pella li Josue Mater no de Azevedo Santos.
DISTRIBUIQAO.
0 Esm, Sr. couselbeiro presideate fez as sc-
guintes distribuicfies :
Ao Sr. desembargador Silva Guiinaraes.Ap-
pclianle David Alves da <; i-ta Leito, appi.llad.s
Manoel Jo;:quim Duarie Guiuiaraes, vice consul
portugiicz, Jiao de Almeida Monleiro e oulr.i.-.
Ao Sr. ditjembargador Reis e Silva. Appellan-
les S tradores da massa fallida de Manoel Jose Mmtei-
ro Torres.
Encerrou-se a sessao a 1 hora e 3 quartos
da tarde.
i. [novidensim-
eada
o'caci
m
Sera nogsivel que a professora uomeada para
Salguciro levc de prbrogarab em proroi
enconlrar nrja^yT|yi'1i^prniir
icaojm ^rorogafio ate
oon
ra o trapiche Cow
amerlcanaCo-
trapicho Conoei
pottugnez Bella
cantaria para o
despachar.
Lugar inglezRater bacalb
Ira
Im
hiate
Irmaos
[porco 80
ao, ioo
Hallid;
barri
Brei
[ra despaehae
leros para o
I'spachar.
pedras dQ
Gonceicao, para
^aah* afljor ia^ruc^o pubjica eeste paiz t
Ainda obt ra a mesma sennora novo prazo pa-
ra segpir '
0 Gambia.
100 a
mao,
Bolacb
Correia
Bel
Farinha de trigo 558 barricas
Kerosene owcalxas ST. Corga, 800 a Pereira
da Gnnha & Innio, 60 a oncalres Beltrao & Fi-
Lampeoee e perteuc^s 9 c^ixas a Sa L. 4 Goim-
bia.
Medicameotos 1 caixa a Caors. Macbinas de
costura 9 caixas a Souza e Sa A C. Mazaine 50
PARTS PaLITKA
va Lean',' appeilada a fazenda ; appellante o juizo,
appellado o barao de Anadia.
Qiligeoca crime.
A.. Sr. desembargador procurador da justica :
Appellaule o juizo, appellado Joao Soares de
Mello ; appellantes Jose de Souza Leal e outros,
appeilada a Jstien ; appellante o jnizo, appellado
foao do Xascimsnto Huy ; appellante Juvenal
Pereira dos Santos, appeilada-a justica ; appella-
te o juizo, appellado Juliao Jos6 dos Santos ; ap-
pellante Marcolioo Antonio de Oliveira, appeilada
a justica ; appellante o juizo, appellado Claudmo
Jose de Freitas; appellante o juizo, appellado Agos-
tinho Lo|)cs Bezeim-; appellaule o juizo, appella
do Aprigio Rodrigues de Albuquerqlie ; appellan-
te Justine Jose dos Santo*, appeilada a justica;
appellante e juizo, appellado Manoel Paul* da
Silva; appellante Manoel ohaves C> mello, appel-
da a justica ; appellante o juizo; appellado Pedro
Francisco da Silva, vulgo Joaquim Goraes.
DISTRIUCIQOES.
Ao Sr. desembargador Domingnes Silva :
Appellacao crime.
Do jury de Villa Bella. -Appellante o juizo, ap-
pellados Florencio Vieira da Cruz e outro.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago :
Keeurso crime.
Dojuizo de direito da Escada. llecorrente 0'
jais>, recorrido Mignel de Albuquerque Mello.
Ao Sr. desembargador Regneira Costa :
Appellacao civel.
Do Recife.Apoellante o jaizo ex offlcio, ap-
pellhdo o preto Joiquim, por sen enrador.
Appellavao civel.
Ao Sr. desembargador Neiva :
Do Ignarassu. Appellante o juizo ex-offlcio, ap-
pellado Joao, escravo.
Enccrron-se a s;ssao a 1- bora e meia.-
TrilMinft.l do commercio.
SESSAO JUDICIARLV EM 20 DE OUl'UBRO
DE 1873.
RESIDENCIA DO !X.V. SR. CONSBLIIKmO ANSKt-W
FfAmilSCO PBHETTL
Secretario 'nttrino, o official Torres.
Meia hora depo.s de meio dia, rentiidos os Srs.
desembargadnres Silva Guimariies, Reis e Silva
e Aeciali, os Srs deptrtados e snpplenles Olinto
Rasvos, Lopes Micba^o, S.i Leitio e Gnerra, S.
Exc. o Sr. eonselbeiro presidents abrio a sesSo.
Foi lida e approvada a acta da ses4o de 16
O escrivao Albnquerque registrou o ulHnw pro-
t'sto de lettra a 17 do corrente mez, sob o n
2,963 ; c o escrivao Aires de Brilo-a 14 do mesmo
mez, sob o ti. 290.
AcodmKo.
Foi assignado o quo se julgou por sentenca
desfstencia bivrada nes antoe entre partes :
Applllanf Msnel Pires Agre. appellado Jcsi
Joaquiu) da 0>sla lla
JB1.8*MNlniS
AbpefWbte::Henr^ue l-eiden dr C:, -por sou sww
e principal geren'.e- Henrique Quanz, afpoHauo
AuguMo Kcdss. Jufzes os Srs. Sflva Guiiiwra Reis Silva., Olinto Bastos e Lopes Maciaado,
Conflrmada a senfc.n
Appellante embsrgadaD. Maria Adelina de Mel'
PARTIDO C<\KIKYABftUU
UECIFK, 22 I)F, OlTtBRO DK 187S
Pareiv! que a Provncia caminha (felizmente)
para as abstrar<; do paiz e das grahdes refofi as, prega sobre 6 eu
sino livre, e apregoa a grandlosa tdh io imposto
territorial.
Ainda bem Esqueceu o jesuila de redeas sol-
tas, apausa rellectida do Paulo do apo*tolado que
consiste em urn passo dado hoje, outro amanha, e
sempre aproando para o mesmo norte.
Assira, pois, tem ultmaanjente vlvido nas regimes
ethereas, e-deixado de alguma forma o terrene
lethal, que sd.exala reeriminaeoc-5, diatribes e im-
pndencia.
Bern haja o Jo'nil do Recife; a sua severa re-
primenda nJo foi esteril de rcsullado.
Entretanto, eft? agt-adavel e conveniente attitu-
de, e certn, nab deixa de ser uma vez por ouira
empannada pelotresloucamentoecavillacao de no-
ticias que sao postas as costas da rhronica.
Mas naoimporla Continue a Pronincia a res-
peitar o decoro publico, a:eite a posicao digna
elevada daimprensa morali-ada que noa a applau
diremos.
^iao importq, que, para malar o vicio, enxerle
na chrouica as falsidades e aleives que o espirito
apaixonado enovelleiro suggerir. Uma vez que
nao renove as scenas de diffama?5es, cilumnias e
injurias em que fez t5o tnstc papel, seremos in-
dulgen'.es ao pun to de perdoar-lhe as fraquezas.
Emquanto, porem, f6r a Provincia a bom carni-
nbo, limitar-nos hemos a corrigir e contestar os
yicios de sua apgunieniac3o, e a restabelecer as"
inexaticdoes em jue'ineorra.
Alem disto nao a abandonaremos na discussao
dos principios.
Assim a controversii sera digna dos contendo-
res, e dos parli.los quo represenlamos nos e a Pro-
vincia.
As notieias da chronica rc-nonderemos com ou-
tras notieias. Desla forma nao tera motivo de
queixa.
Bcllcza perpeiua.
Pur veulura ha alguma seubura quo deieje per-
petuar o brilho, BJr e ai.undancia de suas tran-
Cas t A pergnnta a inulil. Todv o bolio sexo
aoba-Sf perfeitamenie unanime suhre este ponto.
Visla ser possivui. OcabeUo nasee da unaas radi-
culas bulboses seereladas en eeiula* diminutas
que e aciiam deliaixo da epiderm, o oulis supe-
rior. Ouaado estas ua>aau) suas seare.oes, ou as
raize* do cabolio nao te bastan.te ligia para le-
vaniar as secfe*.oes ;is likas morrem e caam.
0 reiuedio cousiste eu> astinjular s.navoooente os
vasos do craueo e restabelecer uma acjao-vigorosa
uos ductes rapiiaces.do cibcllo. De lodaa as pre-
para'cous para os cauellos, o tanico oriental 6 o
unico artigo que o consegqira prompta e iafalli-
voiuwate.
.' *
liu reaue4io vegetal- assoiu-
browo.
Aftoal che-jou-5e a -fles-opTir na essencia con-
cerftrada d'uin product vegetal, om' elHcassimo
remedio posUivo, contra Jodas as enfer'tnidales
precursora's da plityslca. Aarvore da saude, pois
que assim verdadi-iiamente e que se devem cba*.
nvir, da qua! se extralie este inestimavel thesourb,
da an:iealiuita do Meifco.'e o peitnral de Anaca-
hw'ti fbrhia h: preciosa composlgiib que alcanca
seuipre a victoria sobre as enf^rmidades iniinigas
dos organs da ivspfrnjio. Jainais houve rcraedio
algum que se lizpsse dentro em tao pouco tempo
tao universalmei^v popular. Dj gratos testemu-
nho^ dos coraciies ;igraderidos, que padeceram do
tosses, esqninftncu-. rouquidao, inflain'maQao do
peito, bronehites, asthma, caiarrhos constipates,
phty-i-a, etc Se'receberh cad'a dia ao? centepares
do rodas as qa;kro paries do mundo.
Srs. Lajim^n Jt Kemp. ifyva-York,Achando-
se aetudmente ifesta capital o representante da
sua important1; rasa, aproveito csla opportuiv-
dade para, manif^star-lbes me agradecimento
uela recnpera.ao da minha saude, devida absolu-
tamente ao? a'dminvcis elTertos da salsaparrilha de
Bristol. -Acnavn me soffreudo de u^ forte rheu-
matismo bronchial, com do res pur toda a regiao
do peito, acompanliada de' to.-se afllietiva com es-
pei'torafio abun taute. Consultei habeis medicos;
snlinietti-inn a ni'roso traiampi^o por lungo
tempo, e ^nairno, ja desesuerava. do resnltido,
foi me aconsplhado de usjir da salsaparrillia de
Bristol, e em fio bp.i hora que pesso garanUr-lhes
que me acbo con'ipleta e radicalraepte cUradb com
sOmeiite \j uso d'esto prodiginso medicamento du-
rante dou's mezes mais ou inenos. Desejapdo
mais que ste facto'Seja conheL-ido hor maior' n'u-
mero dc pessoas, especi.almente d'aquellas que
soifrem de semoPiantes enterrnilades que tem a
sua origem no estado viciado do sangue ou maos
bumores >' cum jirazcr quo me aproveito da.op-
portnnidade para dar a Vmc. nm'te-ti'mnnho' do
men reconbeeimeiito. Son. de Vmcs. allentb, sec
vidor e criado. Joaquim Jose Pereira. Porto-
Alegre, 27 de jnnbo de 1873.
A-parts que o caaal possuia no ngaobo. Rega-
lia, por 3: JtiQ/000. ,
Um terreno sito a rua do Viftonde do' Albu-
qtierque.por 115*200.
Um dito no almhameoto d raa da Aurora, com
100 palraos de frente, e fundos at6 4 rua de Luiz
do Rego,
Um dilaj
com 200
Um
200 p
do Re
Um ||l em aiiufe
com lo^Hnos^H^
Luiz doflB, pcf 310
Um diEK Stole .
palmos de jfente, na >
tio do casal, uwentari.
-Hm dil_ cra_Santo Amaro das Salinas com 100
VC9 rfrtWNft flNflr^r da caraplna, o qual
nrenda ao sitWI MJgfcl^ventariado por 200*.
Unas TJens vlo a prlca a requorimento do te-
oeote-conuMl Aatoiue Vieira da Cunha, testa-
menteiro e inveatariante dos bens que ficaram
por fallecimenlo do major Manoel do IVascimento
da Costa Moreira e sua mulher D. Antonia Viei-
la I'nnhi
'SP&osm&kiWMt, 1 Secretanudfaotois,*i- ,
eife, 2 de sfc>ml4.Q,4%rtW. h^
da quanlia
IWffbstoLctori-
servico da Hm-
6V. Re
0 eserTrio
caixas a Correia Bxagn.
Pregos 2S ftarrfsaMloy.
boyo & Filite.
Tecido 20 volumes a M. Halliday.
Terra Nova, brigue inglez Racer,
Johnston Pater &X., manifestou :
Bacalhao 3 250 barrica. Carvao
aos c'onsignataribs.
cousignado a
94 tpneladaj
Baltimore, barca ingleza Talisman, consignada
a Pbipps Brothers Ai C.,' manifestou :
Raima de pbrcb 300 ba'rris. Farinha de trigo
3,700 barrfcaM sifts obnsigiiatarios.
KSPACHOS DB EXPORTACAO NO DIA 20 DE
OUTUBRO DE 1873.
Paro ot ffortotdo exterior.
No nayio hespanhpT Tafe'a, para Barcelona,
carregararri : B. OHveira 4 C. 253 saccas com
I8,i7& kilos de algodao.
Na sumaca hespanhola Guadlupe, para Bar-
cellon^, earregaram": B.' Onvfiira fi; C. 135 saccas
com'9,950 kilos de algddaol'
No navio hespanhol Maristany, para Barce-
lona, carregou A. Loyo WO saccas com 8,952
kilos de algodao. "' "'
Para o$ portos do intenpr.
Para, o Para, no patacho porttiguez Mtciha-
tense, earregaram : M. J. Alves 100 barricas coin
7,610 IfJ Ivflos ffe assucar branco ; N. C. Moreira
350 dilai com 2i,89? *j*"dj^s' de dito ; J. A. ^a
Costa Araujo 130 dilas com' 10,423 dttos de dito.
Para o Maranfiao, no vapor brasileiro Pura-
na, earregaram : J. T. Carneiro 4C. 10 saceos
com 750 kilos de assucar branco.' Para o Para,
L. Dupr'at 90 barricas com 3*,35i ditos de dito.
ra da Cunha.
COMPAHHIA
DOS '
TRILHOS URBAH08
De,Macei6.Aiipellante Manoel Joaqpim da Sil- Nao Ihe queremos dar pretextos para umdes-
carreio.
B>>
-;?
Seguro coulra-fogo
I'UK LIVEUPOOI. & LONDON A GLOb
INSURANCE COMPANY
Agonies
S.UJNDERS BROTHERS A C.
11Corpo .Santo11
^NORTHERN.
Capital..... 20,000:0005>OOC
^undo de roserva. 8,000:000$OOC
AgwUes,
,l/i//s Latham & C.
ftUA DA CRUZN. 38.
SEGDROS
oapat;azia da alpandega
rteodim,emb ty ,
ide^i 'do'dla 21: *
a'20.

VOLUMES
, .-
SAHfDGS
.>o dia 1 a 29
Pmneiraporta no dia 21
segunda poFta .
Tbreeira porta .
QuaruportaV .....
ri^iiche Conceicao .

13:07^309
323*730
13:!8*039
28,213
$
411
H2
1.06;
9ERV1CO MARJTIMO
Vl\arenjpis descarregartas no trapiche
j. allandeaa do di.a, 1 a 20. .
)iUs djt^s'no dia 21......
fcttiosalracadosno traj). da allandega
^vvengas ..,.',... .
o traprene Conceicao .

39
43
GE
rtendo/iento do dia I a 20 44:802*303
'dorado dia 21..... 3:237*334
30.099*639
- GONSULADO PROVINCUL
lanpiuouto do dia 1 a 20 41:036*749
idem do dia 21. ..... 2:919*834
43:936*i83
MOVtMENTO 90
1
Ao illimtre corpo elcitoral do 1."
circulo para licgsufatlos pro-
viueiMes.
Of consercadores ehitores devem cerrar a vot't-
gao nos seguintes.
1 Dr. Manoel do Nascimento Machndo PorteBa
2 Dr. Manoel do Rego Barros Souza Leio
3 Dr. Miguel Jose de Almeida Pernambuco Junior
4 Dr. Dario Cavaleante do Rego Albuquerque.
8 Dr. Felippe de Figucirda Farla.
6 Dr. Manoel Caldas Barreto.
Dr. Jose Teburcio Pereira de Magalhaes.
8 Dr. Joaquim Francisco de Arrnda.
9 Dr. Joao Barbalho Uchda Cavaleante.
Algunsde Santo Antonic.
Ponte da Escada
A ponte da Escada sobre 0 rio Ipojuca.entrou em
concerto ha mais de ires annos. A principio limi
tou-se lal concerto a substituicao das estivas nio
iperfeitas por outras novas, sendo 0 serviQo feito
jpor Alexandre da Motta Couto, por contralo com 0
euipregado das obras pnblicas Fel x Lieutier. Ale-
xandre recebia por cada estiva 10*: Depois, no an-
no ultimo, 0 engenbeiro Saleno fez um oreamenlo
geral, em cista di md> estado do lastro da ponte,
das maOs de forca, etc. Kncarregon do nmv con-
certo ao' mesmo Alexandre da Motta que 0 fez, es-
tivando mais da qnarta parte da grando pc-nte,
alem da sub^titui.ao de traves e outras pocas.
At^esta data ignora se qual o negoeio feito por
Alexandre com 0 engentieiro Gateno; 0 que 6
ceMo, p!Wm, 0 que e de todos sabido na Escada,
60 M'gninte : (oda a madeira snbslituiila, incluin-
do as estlvas novas na pottco assentadis por M'tta
sob a vigilante e rispida administracao do era pre-
gado Felix, 0 mesmo quo (seguodoo engenbeiro Ga-
leni.* recebeu provigoriamewe a obra da ponto de
Pirapama, que depois de uma denuneia, foi na en-
trega delinitiva^amtom denunciada pelo engenheir*
aeima ; sendo ohrigado 0 contraiante a reforcar a
lobra, que s6 tinha 0 dever de conservar ; visto co-
CONTRA 0 FOGO.
A eompanhia Imlemnisadora, estabelecids
oesta praga, toma. seguros maritimos sobre
navios eseus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e- motrilias: n
rua do Vigario n. i, pavimonto terreo.
COMPANHIA ALLIAip
seguros maritimos e cerreo-
tres estabelecwfa, na Bahis
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:000*000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro /
co maritimo em navio de vela e vapore*
para dentro e f6ra do imperio, assim come
contra fogo sobre predioa, generos e f-
rondas.
Agente : Joaquim Jos^ Gonjalves Beltrao,
rua do Commercio n. 5, 1* andar.
| COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em mercadorias,
in b?s, dinheiro a riso efinalrrtente de qual-
quer natureta, cm vapores, rwviosd velaob
barcacas, a preinios muito modicos.
RUA DO eOMMERCaO N. 34.
PKACA DO REC1FB *1 DB OUTUBRO.
DE 1873./
AS 3 1/2 H0B*S DA TAROB.
CotacScs ofHctaes.
Navios entrados no dia 30.
New-Yerk42 dias, hiate americano I. P. Aiujer,
de 202 toneladas, capitao Co-k, equipjigem 8,
carga differentes generos ; a Tasso Irmao & C.
Baltimore-42 dias, barca ingleza Talisman, de
362 toneladas, capitao Henry Blachford, equipa-
gem 14, carga 3,700 barricas com farinha de
trigo e outros generos ; a Phipps Brothers & C.
Bio de Janeiro -18 dias, patacho inglez Gj'o W.
Halls, de 274 toneladas, capitao Mitchell, equi
pagem 9, em lastro a ordem. Seguio para
West Indies
Terra Nova 33 dias, lugre inglez Racer, de 231
toneladas, capitao William Lawrie, equipagera
11, carga 3,250 barricas com bacalhao : a
Johnston Pater & C.
Navio sahido no mesmo dia.
Parahyba BrigUo Jlvruegueuse Bergliot, capitao
E. S. Meling, era lastro.
Observaf/lo.
, Suspenderam do lamarao para West Indies a
barca ingleza Pttjng Sond, capitao W Peft, com o
mesmo lastro que trouxc do Rio de Janeiro.
Mem para Bahia, escuna hollandeza Nicoln
Maria, capitao Deeker, carga a mesma que tron-
>xe deTHbste.
PQ
Recife, ^ Qliwlft,
E Beberlk.
Em cumpriinento do
art. 12dosestatutos da
mencionada eompanhia
opresidente d'assemblea
geral dop seus accionis-
tos convida a estes
para reurureno-se em sessao ordinaria da
dita assembles no dia 31 do corcente mez as
4 horas da tarde no lugar do costume ; a
chama-se a atteocao dos Srs. accionistas para
o dispoilo uo art. 11 dos refcridos estatu-
tos.
Recifo, 20 de outubro de 1873.
0 secretario,.
________Luiz Lopes Castello Branco.
Santa Casa da Miserieordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa do Mise-
ricordia do Recife, competenlemente autorisada
pela presidencia, em data de 3 de setembro do
anno proximo Undo, e de eonformidade com o que
disp6e o 9. art. 32 do seu com romi-so. per-
mula por apohces da divida pubHca a fazenda de.
criar gados que possne o patrimonio dos esla-
belecimentos de caridade a seu cargo denoraina-
da Carniuba sila no termo de Flores desta
provincia, com terrenos para criar e plantar, e
com algura gado cavallar 6 vaceum.
Recebe para" isto pronostas nesta secretaria at6
o dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da miserieordia do Re-
cife, 10 de outubro de 1873.
0 escrivao,
Pedro Rodrigves de Souza.
0 adrainistrad^r da recabedoria Je rendas
internas geraes faz publico que e esle mez de ou-
tubro o ultimo em quo tem ae ser pago sem mul-
ta o imposto sobre industrias e prolissoes. relativo
ao.'! seraestre do exercicio de 1873-74, e com a
niulta de 6 0|0 depois do refertdo nie?.
Recebedoria de Pernambuco, 3 de outubro de
1873.
Manoel Carneiro de Sonza Lacerda.
Hao se te
CM sooios p
Oflpridoa to
M horas do
Mea geral tomem
art 24 dos estaTuibs, certos
lebrara com o numero de socios que comparecer.
Secretaria da direetoria do raonte pio porlucoez
21 de outubro de 1873.
______BorjeaCoaU
de Souza.
ri
i 4be senbo-
>;io, de novo
corrente, as
sessao de assem-
exposto no ] 1*
que a sessao se ee-
Veneravel Irmandade do Se-
nhor Bom Jesus das*Por-
tas, erecta na igreja da
Madre de Deus.
A mesa administrativa uianda coovldacato-
dos os irmaos a se rennirem no eousistortirSes-
at.igreja, quinta-fatra 24 do conefte. jff5 boas
da tarde para em.mesa geral so tojBarftonbeei-
menlo da sentenca de interdiceao lan^ada sobre
sste veneravel irmandade.
Igreja da, Madre de Qu*, 3$ d oglubro de
1873.
Tor esta reparticao se declara; de drd'em do
Illm. Sr. Dr. chefe de policia, que se acba,teosi-
tado ura alAoete de peito aom mua pedra ainarella
grande, que toi apprehendido pelo subdelagado do
I districto da freguezia do" S. Jose.
Quem se julgar com diieito ab mesmo, apr9.:e3-
te-se redamando o.
Secretaria de popcia de Pernambuco. Si, de ou-
tubro de 1873.
Pelo secrekrio
_____________Francisco G. da Silva Barro?o.
Seccio 2*Secreiana da presidencia-de P?
naubuco, em 21 de outubro de 1873. For esto
secretaria se faz publico, de aioformi44e wm <
decretb n. 4668 de 3 de Janeiro de. 187.1, que i*tf
porlaria de hoje foi nomeado Vicente Ltjcinio da
Costa Campello para proyisoriainente axere^r o
offleio de solieitador de residuos e capellas d>>
teruio desta capital.
0 sec^emrio ialeriqo
____ Adolpho Lamanba Lia-.

m
tsa
Consulado provincial
Na forma do art. 18 do rcgulamento de 7 de
outubro corrente, sao couvidados a virein retirar
as suas peticoes, para conforma-las com as ex'i-
gencias do mesmo regulamento, aquelles que pe-
rante esta reparticao liverem requerido a isen-
cao do imposto sobre seus estabelecimontos pelo
facto de serera os mesraos exclusivamente servi-
dos por caixeiros nacionaes, no anno financeiro
corrente de 1873 a 74.
Mesa do consulado provincial, 13 de outubro
dc 1873.
Antonio Carneiro Machado Rios
_________________AdiuinUlrador.__________
Pela subdelegacia do 1" districlo dos Afoga-
dos se declare que se acha legalmente depositado
um cavallo pequeno de cor pedrez, que andava
vagando por este districto : quem pois se julgar
com direito a elle se apresente neste juizo, muni-
do de seus documents, dentro do praso de 20
dias, a contar da data do presente, que Ihe sera
entregue.
Afogados, 17 lie outubro do 1873.
0 subdelegado
_____________Joao Chrisoslomo de Albuquerque.
A thesouraria de fazenda tem de contratar o
fornecimento de papel, pennas, tinta, envelopes,
livros t mais artigos do expedients que Ihe forem
nece-sarios durante o semeslre de Janeiro a junho
proximo futuro, cuja lista se acha na secretaria da
mesma tnesouraria para ser vista por quem pre-
tender tomar o mesmo fornecimento. 0 fornece-
dor prestari flanga as multas em que incorrer, e
devera ser pessoa conhecida e estabelecida nesta
cidade. Recebem-se do dia de dezembro do
corrente anno a 13 do mesmo propostas em carta
fechada para o dito fornecimento, as quaes serao
abertas no referido dia 13, perante os pretenden-
tes e em sessao da junta da mesma thesouraria.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, era 17 de outubro de 1873.
0 secretario da junta
__________Jezuino Rodrigues Cardoso.
E01TAES.
omarca de Paimares
Juizo da proveuoria
,0 Dr. Alexandre Bernardino de Figueiredo Rais e
Siiva, juis municipal e da provedoria, supplente
em e6' cicio do termo de Agua-Preta e comarca
de Paimares, provineia de Pernambuco, em vir-
tude da lei etc.
Faco salier pelo presente edital que nos termos
do art. dOdecneton. 1693 de tS de setembro de
1869, dentro de prazo de 30 dias, contados da pu-
bhcactodeste'edital, recebera este juizo p opostas
em carta fechada para a arrematacao por venda
dos escravos : Pedro* crioulo, solteiro, de 32 an-
nos de idade, agricultor, avaliado por 800*900 ;
Faustino, crioulo, de 19 anuos de idade, solteiro,
agricultor, avaliado por 1:2001, os qnaes perten-
Jem ao espolio do portugnez Manoel Jose Vianna,
* vao a praca a requerirnento do respectivo tes-
tamenteiro, e acham-ae ne-ta villa, a rua da Boa-
Vista1 n. % onde poderao ser exarainados pelos
[jpretendentes.
E para que chegue ao conhectmento de todos,
mandei passar o presente, que sera alBxado e pu-
Wicado pela impren?a.
Eu Custodio Floro da Silva Fragnso, escrivJo o
eSerevi.
Villa de Paimares; 0 dn outubro de 1973. -Ale
eanirt Bcrnardimo de Figueiredo Reis e Sitra.
SANTO ANTONIO.
Quarta-feira 22 de outubro
Recita extraordinarta.
Era beneScio de
Arnor de Hollanda Cavaleante.
Representar-se ha o muito applaudido drama e:u
cinco actos e seis quadros:
MARIA JOANNA
e o gracioso dneto:
0 estudante e a lavadeira.
Principiara as. 8 i|2 boras.
mim
Santo Antonio
EMPREZA
Quinta-feira 23 do corrente.
Eeneficio da actriz
Joscpliina dc Carvalho.
Prograiuma.
Representar-se ha o 1." e 2." actos da phautasia
burlesca :
4
OC 0
COMPANHIA
Coustando a esta eompanhia que alguns indivi-
duos andam em seu noine cobrando multas pelas
casas, a tilulo de estarem os apparelhos raal tra-
tados, faise publico que a eompanhia nunca
maodou cobrar multas, e nem eUas [be pertencem,
e sim ao governo, 'e por isso previne-se ao publi
co qUe nada nague a esses falsos ageates.
Recife, 13 de outubro de 1873.
0 gerente,
John Rlount.
Reinado das mullieres
Musica de Offemback.
Terrainara o espectaeulo com a representacao
da muito jocosa comedia em 1 acto :
As duas bengallas.
Principiara as 8 1[2 horas.
.Yum dos intervallos a beneficiada ira aoa ca-
marotes cumprimentar e agradecec aos seus cou-
vidados.
Sabbado 25.
A' PED1D0
de muitas farailias que morara nos arrabaldes, re-
eolveu a empreza dar raais uma representa^ao do
drama :
HORUDLMIDEVALFLM
mo a entregada conclusao dos trabaUms Hktoa HAlgodao da Parati\ba sorte 9JO20 por 15
'
feita o que 6 de todos sabido, porem 6 que Ida.
a npideira, as estivas ha pouco colloea-
das pelo proprh Motta, tornou-se propriedade des-
te, que com ellas fccu, recebendo ao mesno tempo
por cada estiva 10*000.
Ha quatro mezes, mais ou menos, deixou Motta
de ?er o enoamgafo doHgeiro concerto da ponte da
Escada; sendo" rendi Jo por um Pedro Lieutier, ao
que dizem, irmao do primeiro mestre Felix. 0 di-
reito, porem, de propriedade sobre a madeira subs-
lituida (e a subsbfo;cao cohiiniia) conserva-sa, em
Alexandre da Motta, qe manda em carroca sin
condutir toda a madeira para a ptvximidade 'i
sua c-isa; e, ae ainda alii parte della existe,
que ha mezes nao qoeima o amigo do engenh"
Oalan* lijolo, por haver arrendado a olaria.
'iferia sido inventanadi teda essa madeira, te)
Ia4iia Alexandre-da Motta arremalado" na theson
kilos posto a bordb a frete de S|8 d. e
3 0|0 porH, hontem.
DuDourcq
ftresidente.
Leal 5eve
Seeretario.
AFLNTMEfiA
deadimemo (to d la 20; .
Idf.nv.dQ diit 27.'
W8S 738 'm
arregam hoje 2f de butubrb
iYapOTmtttez--r>r<' ^Wi-mercadbrtas' pm aM
fandega
BJtrea franceza Anne Marie mertadorlas para
alfandega, e ferregens JA despaehSdarf
DECtARACOES.
Pla Uiosouraria provincial se far pubieo
que foram transferidas para o dia 23 do -eorrente
assegnintes arrematagfles :
Fornecimftito dos presos pobres da casa
deideteftgie no trimertpe corrente de
ontubro a dezembro proximo vindouro.
Venda do sitio dos remedios por 3:790*000
Obrafr ds reparos da pbnle do Jor*-
qdeira por 5:720*UOO
8rettr da raasolar^a provincial dttPernam
mo, 18 e> outubro de 1873.
O offleiad-maior
_________ _________M. A. Ferreira.
Sexta feira 24 do corrente, fiiida a audien-
cia do Exm. Sr. desembargador juiz de orphans e
atlsentes", v3o a prafa para serem arrematados a
Faculdade de direito
De ordem do Exm. Sr. director faco publico que
a contar da presente data ate o dia 10 de novem-
bro proximo esta aberta nesta secretaria a inscrip-
cao para os exames de linguas, de eonformidade
com o aviso imperial de 27 de setembro io anno
proximo frado.
0 que se pretender inscrever devera faze-lo por
meio de requerirnento ao Exm. Sr. director, de
clarando nao s<) a materia em que se tem de ins-
crever, como tarabem aqnella on aquellas em que
ja tiver sido approvado, a flliacao e naturalidade, e
exhibira attostado do director do collegio ou pro-
fessor qne o houver ensinado, certiflcando a sua
habilita.,ao, e se a lettra do requerirnento e assig-
ns tura sao do proprio puhho do exarainando.
Secretaria da faeuldade de direito do Recite, 20
de outubro de 1873.
0 secretario
Jose Honorio B. d& Menezes.
SANTA CASA DA *HSEfUCORDIA DO
RECIFE.
A illma. junta administrativa da santa casa da
Vjjericnrdia do Recife, manda fazer publico que
aa sala de suas sessoes, no dia 23 de outubro
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arreraatadas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tr s annos, as rendas dos predios em seguida
declarados.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE
Becco do Abreu;
SsbradO dc 4 andares n. 1 480*000
Rua da Vfracao.
Casa terrea n. 7.......312*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Sen/ala-velba.
Casa terrea n. 16...... 2O9J0OH
Becco das Boias.
Sebrado a. 1....... 451*000
Rua da Cruz.
Sohrldo n: 14 1:000*000
Os pretendentes deveno apresentar no acto da
irrematacao as suas flancas, ou comparecorem
acotnp^miado9 dos respectivos Hadores, devendo
havendo
cos.
depois do e^peciacuto tfem ato Apipu-
AVISOS MARITIMOS
< OUIMMEI\
_ DE
NA-YH.A(iO BRASILEffiA.
Portos do norte.
0 vapor nacional Parand, esperado db' portos
do sul ate 23 do corrente, seguiri para os do nor-
te depois da demora do costume.
Nao engaja mais carga.
Para encommendas. valores e passageiros, di-
rijam^e ao escriptorio da agenda, rua do Viga-
rio n. 7.
Pereira Vianna 4 C.
__________ Ageutes.
Pacific Steam Navigation Coinpmty
Liulia qiiinzcnal
0 PAQURTE
sspera-se da Europe ate'o dia 26 de corrtnBft
e depois da demora dn costume seguira para o sul
Jo imperio, Rio da Pratt-e Costa do Pacilice, para
onde recebera passageiros, encommendas e dronei-
ro a frete.
OS AGENTES
Wilson Rawe A C.
14RUA DO COMMERCIOli
i



* ^H



'
I
r
-r-
__ A_ 1
flfifcb ffe $$A*^ofi&6 QmvU fetta Si 4 0fttft,4ct-Mi(l

Kfe|t|BbOipanliia de paqueie^
2;lezes a vapor.
.* ti
JftoadiafTdo corrente espcra-se da Europa
rap?T. '** **"" eoramaodante Thwaites,
o qua! depois da deraora do costume, seguira para
liuenos'^CWes, tjcando nos portos da Bahia, Rio-
de -Jadea-cft *o!itevldeb.
N8 dia 29 d^WdriifelneeSperd-se dos portos do
snl Wf'firJWJ'f2 ci/'";- commandant* F. Reek*,
o qual MRuis da domora do costume, seguira
para SouTfiamptjn, tocando nos port&s de S. Vi-
cente a Lisboa. :j$
Para (rotes, p.issagens, etc., trata-se na agenda,
rua do Commeriiio n. 40.
"COMI'AWMIA I'BHXAMBUCANA
DE -
Wlave-jracito c*.i(Hra a vapor.
MAMANGUAPF,.
0 vapor Corunpe, com-
mandant* F mtosiseguira para
epurto acima i#o dia 28 dc
corrente, as 5 horas da tarde
ifk, Recehe carga, encommen
*!* da*, passagens e dinheiroa
irjltfateajf horas da tarde do dia da sahida :
^ttrfrtorio no Forte do Ratios n. 12.
afco, umamachlna para copiar com pertencas'e
rmtros muitos arligos.
0 agente Pinho Borges no seu escriptorio a rua
op Btin Jmj ^fc|^#j^^^^__
moveis, iNcaendros
loje
mm 11 bora em pout*.
0 preposlo do agente Pestana far* leilao por
coma e riseo quern perteneer, da diversos
moveis, louca o vidros, pertencentes a cx-socieda-
de Terpsichore, sita a rna do Trapiche n. 15, todos
os objectos estarao patentes a vista dos Srs. cam-
[g-adores, aOancando o bom estado do- ditos mo-
wis; quartafeira 22 do corrente, as II horas em
ttonto.
Leilao


DA

COMI'AMHA PERNAMDLCAMA
BE
\nvfgiu-ilo costefra a vapor.
FERN .VN 1)0 DE N'OKONUA.
0 vapor Giquid, com-
inainhidii- Martins, segui-
ra para o porto acima
no dia 4 do novembro
ao meio dia.
Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e di-
10 horas do dia da sahida
do Mattot n. 12.
nheiro a frote
pscriptorio no
taverna sita a rua de Marcilis"Witt; atitiga
QUIU-JIW aatS eoRncwE
As 10 boras da man ha
0 preposlo do agente Pestana fara leilao, por J
conta e rfsco de quern periepcer, da taverna sita
a rua de MaroiHo !)*, aflrtjra tt WrWfe rr. 74,
daarroario, generos e ma<* uteneilios esjsienes
na mesma taverna, os quaes seraa vendidos em 1
ou mais lotes a voutade tbs compradores. Ga-
rante-se a posse da casa, errjas ctiaves se acham
desembaracadas de qualquer onus, quintafeira
83 do corrente, as 10 horas d nanha.
meia, cadeiras para sala de
marquezas,
gavetas, i~
outros obj
preco
pel
No arma
boras da man
DE
uma parlc dp sobrado p. 24 da rn dos
Quatro Caotos em Otiflla, e uma ditadi-
ta do sobrado juuto to mesmo eua mes-
ma rua. -. .
Sexta-fcira J do corrente.
; 0 agente Martins levara novamante a leilao, per
'nMMado do Mm. Sr. Dr. juiz especial do ceratuer-
dd, as partei dos sobrados acima, pertencentes a
massa falliaa de Manoel de Souza Garneiro Piui-
pao. |, t.
Noaranzem da ro* aaJmpcradon a. 48, as 11
horas do dia acima.
1 "
0 Barao de Beirtlca ncliGca o ?eu avi^o moita.
vezes repetido no /urndl dn Rruft e Diario de
Pernambucog Jerque nao altendei a recibo al
gum que jhf %x%>p<>ii,
seu filbo Joj| If Piv0tfl
Joaquim Briio de Dtirufrf 5U TmjJUo nem
Amando Cbaves, unices empregados do sua casa
commercial. Ninguem,
sado a flnmr docummto
neracio a qnein r /r pass:
qaer nalur^za que KEILAO
divides
AGUA D!YINA
E.COUDRAY
D1TTA AGUA 0E SAUDE!
FreconlMdi pr o toncMor, Boat___
MMIinltatnts u bellu dtNi MI>|1 4
tmAo d pane t do cbolera awpo-
ABTZRTEICIA IIPORTAHTE
Unas imitacSes e falsificacCee frtudilenUs,
it mais vezes "(hmnetts i i6U, wduiis f*
u tio juslamenle adquirida pela Agua di-
tfaa, obrigio-me a reeoouneodar aos consumi-
< i* Nfbw. nacwnta c.a. Itgiti
"ft;* :tt.wi,*w -
" e mattad*
Barrio de Rmrrfica r niifiio n con ii_, ,.,;... 1
ie tudo
t alem disso
.?
COMI'ANlilA I'KRNAMBUCANA
DE
^nvr-jjftofn costelra a vapor.
MACEIO. ESCALAS E PENEDO.
t. 0 vapor Mandahu,
commandanlo Julio,
seguira para os por-
tos acima no dia 30
do corrente, as S
horas da tarde.
Recebe carga ate odia 28 do corrente. eneom-
mawU* al o dia 30, passageiros e dinheiro a fre-
to ,ii.'- as 2 horas da tarde do dia da cahida :
<>sffiptorio no Rorte do Mattos n. 12._________
COMPANrilA I^H.NAMBUCANA
DE
liavcjfarfl!) costeira a \ ajn.r.
PA.KAHYBA, NATAL, MACAO, M06SORO', ARAGs
TV; C'-arAi MANDAHli'*E ACARACO*.
<) vapor Ipojuca,
romwandante Moura,
SMgiiira para os por-
tos acuna no dia 30
do corrente, as 5 ho
ras da tarde.
Recebe carga ate o ilia 28 do corrente, encom-
meadas ate o dia 30, pasiageus e dinheiro a frete
"'e as 2 boras da tarde do dia da sahida : os-
iriptorio no Fort* do Mallos o. 12
DE
urn magnifico e forte wane de um dos melhoras
raDTteanteJ, o qual podera ser desde ja exami-
nado no cscriptorio do ag nte Pinto, rna do
Bom Jesus n. 43, oade se ett (obra prima.i
QULNTA-FEIRA 23 DOGORRENTE
as 11 horas.
uma casa de campo no Pojo da I'aneJI.., rua do
Quiabo n. 5, ca^a de esquiaa, com janella para
o oitao. com quintal, jardim e cacirnba, (por
traz da igreja matriz e perto do rio).
Quinta-feira 23 do corrente
A'Sll HORAS DA MAKH>
Por intervencao do agente Pinto.
Em sen cscriptorio, rua do Bom Jesus n. 43.
na itopwUiniit. do, kO:Wmfm.-
SEXTA-FEiUA 24 DO CORRENTE,
0 agente Martfns fara leilao, por caflta e risco
de guem pertencer, das dividas aCinra.
^fo armazom da roa da Imperador h. 48, as 11
hora*. do dia.
Qiidehavera leilao de tno*ci* a predios.

Leilao
ESPLENDIDO
DE
Moveis, lougas flnas, cry>taes, um rico faqueiro
de prata (lei) um apparelho para almoco de
electro-plate, joias de ouio o brilhante, uma
rica cruzcooi H brilhantes grandes, uma dila
com 8 brilhantes granJes e 140 perolas Qnas,
caixa de prata para rape", aderecos com pedras
preciosas, brincos. pulseiras com camafeu e
mais objectos da gosto.
f"ii m u.iMtmm.irSitxmm
B8TABELECIM1
'erfomiiti
rRIlMAL.
,>di%SO
A'*oilfytaria do Campos
Estii semp.ro jtrovjda
ue t.titfo quaiito
grosser
epreciso par.

-J;_mii
Umn r^ia mesa.
Ewx do Impe^ador n. 24,
-Of.Bf u n|,!---------rj-<--------------, -.
r.t '
LEEAO
DA
casa terrea da rua da Santa Ouz n. 41 om chaos
psopribe
Quintafeira 23 do corrente
As 11 horas da manha.
Por intervencao do agente Pinto, em seu es-
criptorio a riia do Bom Jesus u. 43.
Pacific steam hMMn
liisiKa <|ii!nzeual
0 PAQUETE
-tiyera sedos port's do hi! ale odia 21 lo corren-
'-, e depois da dein<>ra do costume, seguira para
Liverpool, S. Weenta* Lisboa, para onde recebe-
ra passafeiros, encommendas e carga a frete.
OS AGENTES
"Wilsun Rnwe AC.
14RUA DO COMMEHCJO11
LEILAO
DE
avariailas
Constanda de raadanoloes, algoddes, chales, chi-
tas e caserairas pretas.
Quinta-feira 23 de outubro
A's 10 1e2 horas em ponto.
Por intervencao do agente Pinto, em seu es-
criptorio a rna do Bom Jesms n. 43.
Predios
DE
em Olinda
mmm mm,
CS:) a rapor
LirJm memo! entre o
Havre, Lfsboa, Ptrnanibuco, Rio dc
litnpiro, (Sinliis, Koiii<-nte na vol-
isx ) Montevideo, BuenosAy res,
(eom uaUlencao para o Rosa'rio).
sr KAMI-: it
1
Commaii'dante Canclle
E esperado at6 22 do corrente, o seguira depois
da demoia preeisi para os portos do sul acima
;-idicdos, entrudodentro do porto, ftelativameote a Iretes, enc mimendas, passagei-
ros para as quaos tern exceMentes acommodacSes
po pre-cos reduzidus : trata-se com
OS COXSICSATARIOS
AUlil'STO P. B'(LIs"E(RA & C.
i2Rijado CommercioEntrada pata rua
d Torres.
Scndo :
Um sobrado na rua de S. Baoto n. 10, em bom
estado de conservacao, com accommodacoes para
grande familia, quintal murado com portao para
a rua de S Pedro Novo, ediQcado em terreno pro-
prio.
Uma casa terrea na rua da Bica dos Quatro
Cantos n. 5, com 2 salas, 2 quartos, cozinha fora
e terreno proprio (re.nde 12i mensaes.
SEXTA-FEIRA 24 DO CORRENTE
O agente Martins fara leilio dos predios acima,
os quaes se tornain reeomniendaveis por flcarem
proximo9 dos banhos salgados
Os pretendentcs pndem pror.nrar a ehavc do
sobrado para examina lo, em mao do Ilini. Sr. Dr.
Drummond,
O leilao tera lugar no armazem da rua do Im-
perador b. 48, as 11 liow do dia acima.
Um piano novo com pouco uso. de'iimdosBme-
Ihoros fabricantes, uma liuda inobilia de o)<>gno
compjndo-se do l.S cadeiras de guarnieao, 2 ditas
de braces, 1 sofa, 2 consolos com tampo oe pedra,
uma rica enstuoira, 1 toile'.t dc jacarnda com"
pedra, 1 apparador de mogno com pedra, 2 ditos
Sequenos, 2 consolos, 2 marquezas, 1 jardineira,
camas francezas, uma rica secrelaria de jaca-
randa com gavatoes, uma dita de .amafello, nma
coniui-da deaio|oo, uma. meia dila de aniarcllo,
nma maea clesjica para 30 talliare*, fiipa sjcro-
"faria de mogno, cabides, c|iiartinheiras, -elogio, 2i
cadeiras diversas, I gunrda vestido, 1 guarda-
roupa, 3 quadros grandes com vidros ovaes, 3
espelhos graudes e'pequeuo*, loui-as para jantar
6 almoco, jarros flnos, %uras. quadros, escarra-
deiras, garrafas de crystaos, lanternas. casticaes
de prata, um paliteiro de dita, 1 salva, compotei-
ras finas, caninhos para criaacas, bercos, uma
estantc envidracada, garrafas com vinho. ditas
com cerveja, trem do cozinha, e outros muitos ob-
jectos que deixa de menclonar para nao se tornar
enfadonh'".
TERC-A-FEIRA 28 DO CORRENTE.
A's 10 1[2 horas
O agente Pioho-fiorges autorisado pelo Sr, loa-
quim M. Marinho, o qual se acha ausente, fara
leilao dos moveis e mais artigos quo acima men
cionamos, e que serao transportados para o 1-an-
dar da rua do Boia Jesus, outr'ora Cruz n. 50.
I
BE CtTtlO FRAhCEZ
'at
AuiBinu5lo: fARtf it, woutaib MoiwlaTaB. I
ESTAfAO DOS BAItHOS.
i/atstaheUcimeniode yioAy,wn dot miUio-
W W Suropa, ofhar^t-haBatthot e Embroca- L
(Oe*detuda a sortepara acuradas doencasdo
MMaaaco, do da kril(. aretoa,
li>kcti. Ssta, tmmerefrm ulialt
<* pear n turlnai. tc.
CAD* BIA, DI1DI It Dt MAIO ATI IS DB SgrTIHlBO I ,
Teitro a Concerto* no Culno. Mulct no Parqaa.__
aaiao da leltnra. Slao rMttrado par* u Seuhora*.
- 8.lo>. d Jocm, onrerucloe Wlhm..
Topot os oamant da Ftaao levab a iicht.
Dapoatto jn Pmtktniuco, TlSSET !*. aESORDTTj
Na run d i BarSwda Victoria n. 36 precisa-ae
allanao Rr rii-ftrin Andrt C*rrMno de ArauloPe-
m, a ntjroeio de sen intereise.
to- onslk)rio homeopa-
m tliico
K Mo Wr. tiamtam Mcilo
j^ 41-------Ilua do Imperalor-------41.
E tanlen;U":'5 ""i,1S ** *'* *' ^
f| ijratis aoa pobres.
j, RasiJeucia a rua Nova n. 7, segundo
LPrs UI-'J" u.O consultas das G as 9, da
r n>Mh3 o da? 3 ns ,; da tarde.
Cliamadus a qualquer hora.
$ de /
? \ T> A. C*.M___vr St
8
*m***-m'm*

fiSOS
\lnga-se
LEILAO
Bah
la.
O hiate Garibaldi segue em poucQs dias para o
\nrto acima : para carga trata-se eom Tasso (r-
mins 4 C. a rua do Amorim n. 37.
Maranhw e Pard
Pn^ode aegoir com muita brevidade pallia
*>>te7otJn^i- i i ;i bordo : para 0 resto que Ihe falla trata-se
tvnu os seus con-iarjajarios Antonio Luiz de OH-
v-.ra Azevt-do (\- C, riia do Bom Jews n. S7.
DE
20 barris com cevadinha em mao estado e27 di-
tos com potassa.
SEXTA-FEIRA 24 DO CORRENTE
A'S 11 HORAS DA MANHA
O preposlo do agente Pinto fara leilao por
conta e risco de (mem pertencer, de 21) barris com
cevadinha em mao estado e 27 ditos com potassa,
com assistencia do Sr consul amsricano, sexla-
feira 24 do corrente, as 11 horas da manha ao
armazem do Annes confronte a alfudcga.
<5
Para
Para, o referidp p^rlo prefenda sagtiir com pou-
t a demora o trigue portuguez Ii'cife pop ter a
rnaior pae do earregani'iito tratado : para o
resto que lha ftta tratvse coqj os coasianatarios
ioaauim Jose* Gon.-alves Beltrao *; Filho, a rua oo
< 'oaimerefo n. 5.
IER0ES.
m
-Mr
DE
bmtofrt Hiidens-
HOJE
i A iiber :
Ciutas, sediis arjacas e d* cores, uoii de che-
vre,' ISslnnafj para testidos, eambrala, esgui*),
easemira preta, (1.6 >!, cores, tranoas braucas e
'"es,l^U.p.ii^Jjixtorguaciiiclo i
mi^ai,Af^ maeta i, dp fgt ;:>So* de i^assai
r.i/.as alias c baixaj, po^as do borracba, peaa? da].
DE
moveis, lou^a e crystaes
CO.NSTANDO DE :
Uma mobilia de jacaranda a Luiz XV, com um
sofa, 1 jardineira, 2 consoles, 2 cadeiras flde bra
ops c 12 de guarnicao, 2 cadeiras de balance, 4
jarros para (lores, 2 espelhos dourados. 2 escar-
radeiras, t tapates," t aanaieifn a gaz
Uaja cama franceza de jacaranda; 1 tovlett com
espoitio, 1 berco, 1 lavatorio.
Uma raobilia de araarello com tampos de pedra
marmore, com t sofa, 1 jardineira, 2 consolos, 2
^aaalras de Bracps, 12 ditas de guarnicao, nwzas.
louca, vidros, garrafas de fi003 crvstaes e outros
accessQnos de casa de fanjilia.
*SEXTA-FE|A 2> DO CORRENTE.
NoaVandardo ofecao da l/raca do coad?-
d*Brn, *.
O agente Pioto, aotorisado por uma familia
que flmdou de residenria, levara a leilao os mo-
v iis a^nais objectos acima mencionados, existen-
lp andar do sobrado da Praca do coiide
dfEt} 0. 5.
O i$jJao principiara as 10 1|2 horas.
----------------------------------i
.
LEILAO
a casa grande no Monteiro, a margem do rio, com
muitos cotnmodos, quintal murado, banheiro dis
tame 30 palmos, e fresca : trata-se com M sca-
renhas 'no sitio junto.
AOS 5:000*000.
B1LHETES GARANTID0S.
1' rua Prirneiro de Margo (outr'ora rua fa
Crespo) n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignadn tendo vendido nos sous fe-
llies bilhetes, nin meio n. 2878 com 800JS, um
meio n. 843 com 100i e outras sortes de 40* e
20* da loteria que se acabou de extrahir (70"),
convida aos possuidores a vir?.m receber na con-
fvrmidade do costume sem desconto algum.
Acham-se a veuda os felizes bilhetes garantido>
la 12* parle das loterias a beneflcio do rotlegio
de orphaos e orphas (7f), que se axtraJiira na
quarla feira, 29 do corrente mez
PHECOS
Bilhete inteiro 6*000
Meiobilhete 3*000
Quarto 1*S00
em t'oagAo de 10OjO0D bara ciau.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
____________ Manoel Martins Fiuco.
Escravo fugido.
Ausentou-se do engonlio Jaguaribe os escra-
vos scguintes :
Mauoel, erfoalo. alto, seeco, cem falta de dous
denies na freote, rosto oomprido, cabelloa ca-
lapinhos, olhos vivos, oariz grosso, bocca regular,
sendo 0 beijo superior mais grosso, e brelh&s pe
quenas; Nasceu em Rezerros, d'onde veto para
0 engenho Raiz. da freguezia da Escada, foi ?lli
escravo do Barao de Anlaragy. seado que |erten-
ceu am Bezerros a Antoaio Marliaho dos S^atos
Mariano, preto, com idade de ^0 annos. sem
barba, rosto oval, nariz grosso, bocca Ipequenr,
olhos regulares, testa estreila, tern os pes gran-
des e grossos, bem corao as juntas dos mesmos,
e algumas marco; da feridas nas pernas c liluo da
Moxotd e foi escravo de Antonio Alves, morador
no lugar Agreste.
Pede se a qnem 0 appreliender deo levar a rui
Nova n. 8 que sera generosamente recompensado.
A0 COOSMERCld
Atleni;To
100^000
G(atiiica-se aquom agarrar a
raulata escr.1^1, bajhiua, l^aixa, dieia ilo mtm.
cpbeilos cacluad is e ral.'s. qnr lcj|do sido ha iem:
no-cortad-i, presetitem^tite artiarra, k'eqi nma pe
queua ccjitriz em uma das f dranivlha< e outre
em uma das jUj0S d 1 d.Klo pela r*irte de deatro,
quo prim de abri-la pe Mumnnte, e ja andon
fiigida em Goyaiwa. H^maraca, fcgiaarassu ; sondo
ainasiada coin um -1l.i;,J!> ,io fif presa na al-
deia da forialeza das Cirico I'unia- : quern a pe-
gar Inw-a ao tlaminhn noyo. en, i-isa do Sr. JAa
fjutni l.uiz G>i(a)v.'s. Pwioa, ouarua du VifMUfc
de (loyaima n. 8y.
Casa para alugar.
Aluga-se a rw n. rSWira rita Imperial : a
tratar na mesma.
fngido
300#000 de-ratifica^ao
Au-cBloo-s.' djesdo 0 preto Ue Jgoma A'rrejc, 1 ijprc.-.eiii.: lar Jc 30 a 40
annos de m,ige, t puruiA i cozmlieira, alto bastante,
e bem rnafwo, pouca barba, olhos grande-, e muilo
ladino, con de C liara, em S. Loureu^o da Malta. Esta pmto
fm iMziahciro d06 ivgocwates. Aik^aoo & Caslro e
$r. Jose_ Joaquiyj Gom:.iIvcs Itastos, e julga se
Jue es'.eja aliipado cm alirutn hotel on ca*a pnrii-
ular nosta cidade, eomu forro : pede-sc a todas
as autoridad* e aai-ilaji- do camp). qne 0 desco-
bnnJo, 0 trwawi a rtu Duquadv Caxias n. 91,^'a
* miadezas do rival >ei seguodo, nue.seriw gra-
ttfiendos com a quantia acima.
A^ougue.
AJaga-se o b.'m eonheeido e afreguezado
tMnaaa do aaaaa do Parai/o : a iraiaV aat rua do
Crespo, 1 )ja Uu I'asso, junto ao arco de Santo Aa-
tqpto.
Bilhete ex^raviado.
Jose ie Arcvedo Maia n Silva declara que per-
den 0 meio bilhete n. 2947. getima loteria coBce-
flida a favor do e povoacoes do 'mperio, por is*i previne que no ca-
o da ser premiado a rcferfdo bilhete naj seja pa
ga qiiahpn'r impnrtancia senao go nnnuncianto.
Kuriaiam ilo tercoiin andar dosubrado n. fi
da rna da Imperatriz, no dia 19 deste mez, uma
eadeia dn uajQ coin uoia aajHoai quddaada e nra
relopio de euro DafeMPi suisso, col>erio o com a
aumeragao 92,0i4. Pede se a quern quer que ap-
prehend,! es.-c* (.'.ijcctos 0 ohsequi" de leva-Jos na
rua da Cruz na Recife n. 16, pnmeiro andar, que
sera generosaigenle, pralificado.
A. & da Silva Maia.
& Una dn Viscomie dc Albnqueniue n.
M 1.1, outr'ora ra da uialrii da Boa-Vista
Jf n HI.
X Chamados : a qnalqner hora.
fj Omsulias: Am pobres gratis, das 2 as
r\ 4 boras da tarde.
Pr^eNS) A mellior uuehina de rise.ir papel, vinda ate
hoj' para 0 Brasil. auha-se nesla cidade, moatada
na encadernacao brasileira, a rua Duque de Ca-
xias 11. 41, onde pauta-sa e Hsca-se papel em to-
ds os .-etiti.Lis, li in c,mo livros em branco de
reparliypr?s 011 roiBmercio, maaoan, manifestos,
pmio.s 011 follias de emprng^os, despacbos, contas
qorrenle> 0 do ven la. imlo coma parfeieao a pres-
teza que 0 rregii6j dusejar. Bein m-jiilado conio
tstaesie retabelefeimenwi, po-to epcarregar se do
qualquer en u.-d-micao, maMHB deluxe, para 0
oue doura-s 1 -oim- paan ', MnaN **ott>\ veiludo,
seda e pi.ry nuialio : a rua Duq node Caxias na
nerofl.
com tod
riz gruaso, orcJhas
cpmo que no cimb
flee esquerda um
S'quenos e foios
li escravo de AWonio l*idor.6
canie.
Luiz, cabra, biiao, cabellosj
larga, olhoa grandes, nariz gr
rbsto ovat' barbado, tendo as
%pinhaf e pouco cspadaado e tem"
W^f : ^filn* da eouiarc* de Pa^d Wol,a:
to do linado major Antonio Bernatdo^ ^eudp
jde VJcegte Ferreira Lima morador'
Pede-se as autoridades policiaes a appre|jMoala>
*s*ea tew*, 0 giaJitica-aft lTrHitajiJ>aaW
|*rticular que os apprehendea ft os JA-ar m
ato. engenho, ou, na rua Nova i. !8. ^ **V
' '" -----ij.. I....., ,.i) Ml
100$ de gi-aliliciicao.
f Ansentaram Be do engeriho Araqoara, tertal>
dE Eseada, desde o dia 19 de eemtUe;-d*'aatftfr
vos : Pedro, de 23 annoa. cur fara, aatcu o-oatt *k
corpo, pes apalhetados, ladino, rantadcr d>;jna-
dBs, qamprado nesta cidade ae Barao de \azarfr
th ;-e Antoaio, de 30 annos preto, estatuVa : e <
po r^ulares, com falta de deities na FienWjrifiW
lanmera apadietadis, tocadot de vieb, cimi* 1
ao Sr. Leonardo Rolin. Snspcita-se que o uri-
meiru esteja na cjdade de Olinda^ om ci^u-Baa>.
cja de ter sido escravo do ecronel husos, hoje
Barao da Tacarona-; e qne 0 segrindi. aade aeto
Pooo da PaneMa. onde n-si4c w:.&im'i&
pe.-soa que ,., jKi\^p^; ,(j*y ,-
. ijpiy dc Souza GaJ,yav. I*:-, eiL:>ft d^i^
co Ponta, oa au dito e.ig.mho .Vr^flP1
tar eom Antonio Jose Goings Juniur, qt
conipensado com a ijnamia aohwi.
1p.1y.de 5>ouza Gai,va7, ij;, tz\;<-' d >
-, oa au dim eng.niho aVwPPP*'
Antonio Jose Goin.is Juniur. ,jbc s.Ta*fK>
ado com a gnantia acha.). (.
Hotel cliinez
aq
2)
21 Una da Imperali 1/ -,
Esta airtrto a concurrencia do rc.-pi-it***
blico c*te novo e b?ra util estab-.-ldriuifli iiaaer
be-so assipnaturaa roeasa'eV, 0' wume&KxL Vr
stempre sufflcientes comediirla* para seTli/lfecrr
'ajvul-o. O propri^lari.. deste n o estabeleciajen-
to promelte servir u melhor que se acWc .1
epor pre?os luuitoresuBii.los. O qn sriin.i
tavel nestes casoj, e p ajseio e proiiMii.au *V|
so se pode afTwin-ar i--fn, coin) lamben: *' i.-MalB."''
as midas serein m',:i' ucia feitas. viu
nm cwinhoiro de priimira or Jo u. II,: .
qs oiirs sorVctp dai ir.e.h->res 'i.ic!:.. c
eutre nos. K>pera-s :r ivm.-u: r.-ncH &
vel pablicu.
m
%
Cede-se as cliaves do l anter e solao da rua de
Uorlas 11 7", -stand.1 a sala da freutc fonada a
esteira e papi-l. a qnam olfereoer algnma vanta-
cen) pelo f.irro : a tratar n 1 ^ua da Penha n. 25
1 audar.
U Kxtracto Domposto mo
Faz-se negocio com a da rna de Vidal dc .\'e
greiros n. 147, que foi do Campos, tuna oj/me
Ihores naqueHa rna, on tamlieni se admitte um
socio com algum capital ; o uiotivn o porque o
encarregado da mesma tern de retirar-se para
fi'ira da proviniia : .1 tratar Vi^ario 11. ti:t.
- Hraacisco de Piuito Borges Sobrinh) Jeixoo
0' de spr i-jixeiri de Francisco Guiles de Oliveira
Sobrinhiydesde 0 dia 14 do ourrante.
- Aluga se uma casa para grande familia, sita
a rn.' nova dc Sauia Rita : aasun como om bom
arma7em na nie^ma rua : a tralar por cima do
trapii-he Dantas.
Acabam de chegar peto vapor americano
de Havana dous stihiluos lie^panhoeg, um defies
i prefenvel profissiunaie agricultor, e eu-
^0 e machinisla e laiuhein mertco de assucar: as
Sessoas que se qnizer ut lis.tr du .sous services, po-
em dirigir-se ao consulado dw Hespanha que se
lira onde se acham
Aluga-se ou vcudose. mltsuu m a ni.,iin>
um cxti Ui'itte terreno silo a esiiada do Luiz do
(lego era Santo Amaru, coin '.0<> palmos de fr'eu-
Iea6()0 de fun^o, an q:ial e\iMe uma eraade
alanta de capim : trlia-se A rua da Atn*ra b.
113, venda
Os curadorcs tiscaes da massa fahida de Al-
bioo Marlins da SOva Itorges, pelo presnte (fea-
aiam os credores daiaesma massa. para, no juazo
de oito djas, apresentnrciM sens tnulos, alitu de
s reai classificados, devemlo us mesmos titiilos se-
rein apreseiitatlos em seu B-eriplprio a rua da
Manrc de Beos n..11.
&*
Cuixeiro.
Precisa-se de nm caixelro t|ue tenlia de 1't a IS
anogs de idade. para uma loja na villa de Palma-
res, oreferiado so quo teplta alguma pratica de
aegoelo: a iratar a rua Prirneiro de Marc< r. 17.
loja.
sciente ao auhlico e
eommercio que nao
O abaixo assignado faz
com csp-.'cialiJade ao eorpo
autorisou a pessoa alguma a fazer leilao de sua
taverna sita a rua de alarcilfo Dias n. 74. sob a
flrma de Pereira A Lima, q qual prolesta contra
os damnos.
Recife, 21 dp. ootubro da IS74
Josfi da Siva Pereira.
u-i
A DO OUttO
\S .VOOO-DOOO'
Billueies garantidos
,.,1'i.do IlinCri tia Victoria
n. <>:>,
do
\0LII
oulr ora
e etisa do costume.
Acham se a venda us muito Mites bilhetes ga-
-jinlidus da 14- p.irte da loturia a iicouticiu dos
qrpUitos e orpbis, que se exlrahira tw di 29 do
QiyrenXe ntcx.
P't't'OS
Inteiro 6*000
icin zm*
Quarto. tiMt
Ue lOOi^OOO pnma etiut..
ALSAPARRILHA
Do Dr. Ayer
0 PURIflCADOR DO SANGUE
Fara eurar tisas molcttiai gut proven de vlcio ou im-
pureta Oo Samfue, t da Mievfnta.
M0LESTIA.S CUTANEAS, CALL0S, MANCHAS,
IRRUPCdES, ETC.
Bheumatiemo Gotta, Dores e
Affeccoes dos Ossoa, Mai dos Ol-
hos, Debilidade ou fraqueza sreral,
Dyspepsia, Incommodo do Fisrado,
Draa falta g-eral de saude a uma
dlapoalijio facil ao soffrlmento, sen foliar de
rarioi oulroi incommodo; algumt ptgucnoi, outros terioi,
s&o oe reultados e conseqaenctas que mats tarde ou mala
eodo occorrom.
AS MOLESTIAS de qne padece o texo feminiuo, tam-
beia, quasi sem pre mo devidaa 1 meama oauaa.
O nnico tratamento efficaz a unica
inaneira segura de readquir.r asande e
de restabelecer o oorpo, a mediaiiW o
emprego fiel e conatante de um Puri-
flcmior Alterante como a
4a\-~ No collegio da ConceicSo precisa-se de um
cnado para copeiro, que de fiadjr de sua cn ducta.
DA
casa 4v pasto na rua Ue Loinbas Vatentiiias
ra. -4G, antw, riw jla^Aguas Vetdes
feirit^Hi U) 2^ iii) eorreiite
Am 11 horas
O agente Martins vendera ena um oa mais lotos
os rngeis, louca, trom de cozinha e mais pertei-
|c AAliAfan! 1a lintox.nn. !- aia.; J. aw ia
eis, louca, trom de cozinha e
eferito batequim,'sabbado 2S do co'rronte.
JaEILAO
DE
WFCOl
anda om/tanvpo tie pedra,
guarda ronpa, I'guarda-
lesa, \ QO^rada Je jaca-
a de jacaranda, 1 dila de
de cadgno, ft cadpf^aa-de it".
rac-os, 1 rico reiigic do cima de
Massa fallida de Duarte &
Medeiros.
O abaixo assignado, admioistradordesta mas-a,
tendo de precede* a ^riiituo&ck (o. olaaaficacio
jolgac eradar, a agr^eitarr *WToJ mo do corrente, aa rua do Marquez do Olinda $_
A9,mtk muUb fim.'
Recife, 2i'dfe outubro
Jose
de 1873
r^o'riunalo. dos S. Porto.
Annas e criatiV
Precisa-se^de oma engommadei*A.'
zinheira e de itui criado para
oo Rospicio b, 44.
umaofr-
: n,$
Precisa-Fft do
be n.W!
Iutciru 'iiiifl
Meio '1 2*7*) -
Quarto i *:t/5
Recife, 2! de outubro d? 1*73.
_^_____.loaf Jom/uim iia Cotla LeiU.
Fara c^a 4e ptnpena familia
jjrecisa-se alugar ima negrinha de 15 a Iftaanos
+ .!^'f : M W> 4i DM*e.4e Caxias p, &, la-
H# i*>s6 oe Leijfi /fifevefio, retirando-se de-
li p avlueia, piiraa wHuarca da Pataeira due
Iadios, em AJajiftas, a :aao podnado, peid-sea <>-
tid^ifspvfiiu,), dositedir.-eti p#tiW>a|.iieWe de ladas
telS'^ik^WR mfa ^ P4> pros^nte; e
aeradecida por tartfas provas dfe atnade (fop ft:-
c^lwu uesta cidadi>, maxime duraote os solrri-
raentos de seu tkaai. e kimprO iaaabraio marido
race allt otv onde quer Qjoe se achar os seus afar
ops prestiuios.
' OMud'i, 18 de ootnbro tie I87J.
|L SALSAPARRILHA AYER.
sciencla pwdiea apresenta este reme-
dlo ao poro como o melhor e o mats
seguro quo olla conhecc para o flm
U4M
IOTISTA KtUH
19- RLA d*W^t*
J. M. Lerouxr ciruT-
f. giao dentista, siiccetv- J.
I sor de F. Gautier, es-
: pera continuar ame-
p: reeer a confian^a dos
| Ciientes da casa; edo
respeitavel pubiicoem
| geral.
ESCRIPTORIO
COMMERCr.L.
m, Rna dti Praia; V
to Feliope Leite k
.'. r ; ? : : : :
desejado.
Mm da rai: da SaUaparriVi* eUa t composta dai prin-
cipals svbstancias medicinacs que a experiencia tem demos-
trado serem at wielh&ret gwe jornece a natureza e que a
arte iem descobertopara extirpar do taugue dot humores,
ettot ticiot e corrupctet gue. tie agermen de tanta moiestia.
Logo que a Salsaparailra Ayer haja penetTado no
ejatema, oomeca entio a obra de restabelecimecto.
l?io e n'um momento nem om um dia
qua a moleaUa desappareoe.
Pouco a pouco, dtgrao aobre degrao,
o sangue raa readquirindo sua pureza, o .
mal vae cedendo e a aande, o vigor a
robustcz, apparecem!
lladieoa de alia reputaoBo coocordam
no vajor e u,UUilade d'eaU ineilimaTel ramedlov
Todos ob dias appareeem novaa provas da suaa virtudod.
Tedee oa dia* augment* o consnmo.
0 afVI todo, iBteMcaat* e obaertador rt n'elle am meio
fid*gno de liviaMe das aoaa prinoipaea doenoaa a do
reataurar aua aaude e por conseguinte tornar mala alegre
aua exiatencia e mats duradoura a aua vkla.
f um BtpttMco centra grande parfe if ettas domem*
chronical, Khemtnatltmo, molctitat cutaneat,etc,
fm Sp eaaaoaoi aaia I&ctto oaima^ou antigaou an>
*#.
i
/'Jt| v>\\
' Alga-se nesta poyoacao nma boa casa,aintada
le'Sov"o> coin uiuhiha do jacaranda na, "sa!a da
7cn*e, t|uinta! murado a port*
9.4 Yam
pora a
I, an
M
X
fiecisa-so" de Ian homem
nommuni-
Orpo Santo
^..'abalhar em
iwiiraKMioCiquta, a tpio tambaaf.'wuenda-da aar-
.*aiC(a^traiai-ii>ato Sr..-JaK*,daaia,- aa lofca'vM I>sa, J. O.
il^KBR rna Natfttn. M, .c% V1
;lac eom o feitec .-'.
A malor parte daa malestlaa
chronieas, meamo daa sntraa de
qne aoflra o poro, aj ariguiem
n'um eatado- doaqtio a mortudo
do aanguc.
Logcvquc into alinafaa* da rida
nio estivcr puro a oa que ae
lo com a infeoa&o da aj(aa,(tajTea > de
loieaUa ha, d aananaaaij aob uiua ou
raartauo ok
AYJJSH & C*-. Loavoll, Jat*saM
Chiming ttmtHwt V A*HaMee*.
Executam por commissao quaesquer ordens ua>
provincias do reino, ilhas e provincias ultrat^a
rinas, bem como do Brasil e eutros paizes estran
geiros.
Recebem a consignacao gaaeros aacionaes, co-
loniaes, aespauhues, francezes, ingJezes, alicmao*
e do Brasil, ou mesmo de outros paizes, para se-
rem vendidos no reino on far.t delle
Kxe.ciitam ordens para coiupra e veflda da-fun-
dos pmbiieas, naciouaes estranjaiaas. l/attno
da cobraijca das respeciivos dividend <.
PromoveiJ no mesmo oscriptorio, iaveaiarios,
ii.juidagoes, cansas civei* e conimercides, appej-
iacoes u recurso de revista.
Tem os melhores advogados na capital.
i'ara os uegociqs de oatureza especial, coqio
jausas forenses, administrasao de bens, a^e., gnp-
rendo-se, pode proceriW accordo prcvio>'confornu>.
ua*riniouiaes- e qua?--
breves apostolicos concedlos em fto-
iNunciatura em l.ishoa. aiiiiullu^o
" outras depandencias SnV,
a natureza.do negocio.
Soliuitain-se dispensa
quer o.ulros
iaa ou pela
do ordens, e quaesqner
tribunaes da Santa Sa.
Tralaiu da arrecada^to de heranoas o admtats-
tracao de bens no cotttiaeate do reino.
Obtem docuiaentos de qualquer diocese, dtrtrie-
to admmistrativo, oooseiho, ou frseuczia doreino,
ikhas e prorincias- uitramarinas.
Faem attiajMmnentos -eobre coasignaaj&es dt>
maesqer geaaros flue te,nhaii promuta satiidp.
nos mer.cados ingleaes ou alleraaes. "Tao'ibom com-
l>ram aqu'elles- que sc offereearem era condlijgVs.
vantajosas.
Fazem traosacSas pojr cyasignagao ou compra,
sobrc minerios, taes como de cofcre, altumbv
pbosphatos, ou outros qtiaesquex, sa coaviercoi aa
candicoes de. qualidade t
Dao-se boas referaneias utn tisboa e no Porto.
Esta ead tem mrrrnfldilnaWr seruts em todos
o poatoa do reino, em ftufr, inglaterra e Ham-
Du'r!^. na. Africa portujiueia, eui ii)it*a tpbiua)
reuvx^e Sjfto, ilhas dos Azores p Uabp-,VerdPr
e aeyi^a as propaslas quo aV> impario do Brazil
Ibe ,jorera feilas pur cw^poiide3i>a(!aliviiPtt
(Tentual.
Na mo
a modieidade de snaseoniniissoes, na oxaetr-
idao dc suas contas jtamento esta-
.bblectdo faz uonsisiir toda a garaotia do turn aca-
Ifttrm-oii.
'Ttiii eori^spmdeiitcs cm Se\
,-js de Hespaiina.
X. C.-As cummlssSes sao regulars pefa prajto
' desta praca.
~k

iHH




:-. i<*-
...



Difctfo de Pernamouco Qaarta felra 22 de Outuoro de If?*,

k
*aia aboacMMiservaKjao
TOlfOSSittKLLO
LIOUIDACAO DE FAZEWAS
NA.
Rua da Imperatriz n. 60
is1
*4 um preventivo seguro e certo contra
calvice.
da* e restaura forca e sanidade i pelle d>
cabeca.
RMe de prompto faz cossor a queda prema-
tura dos cnbelles.
FUedri grande riqueza de lustre aos ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabellos, em
quaiquer forma ou posifao que se dese-
je, n'um estado formoso, liso e macio.
Kile faz crescer os cabellos bastos e compri-
dos.
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
File previne os cabellos do se tomarem bran
cos.
Elle conserva a cabeca n'um estado defrev-
cura refrigerante e agradavel.
Elle nao e demasiadamente oleoso, gordo-
rento ou pegadigo.
Ello nao deixa o menor ctaeiro desagrada-
vel.
Elle 6 o mclhor artigo para os cabellos das
criancas.
Elle 6 o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa couservacao e arranjo dos ca-
bellos das senhoras.
Elle e o unico artigo proprio para o pentea-
. do dos cabellos e barbas dos senhores.
NENHUM TOUCADOR DE SENHORA SE
I'GDE CONSIDERAR COMO COM-
PLETOSEMO
T0NIG0 ORIENTAL
o qual preserva, limpa, fortifiea eaformosea
O CABELLO.
Acba-se & venda nos estabclecimentos de
H. Forster <& C, agentes. E em todas as
principaes lojas de perfumarias e boticas.
Triumpho da
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo pre^o conn>
abaixose ve:
Pereira da Silva & Guimaraes tendo em ser um grande depozito <1e fazeflds,
tern resolvido fazer uma liquidacao das mesma com grande abatimento nos preens,
com o unico fim dd ^purar dinheir-', para o qne convidarn nao s6 < s seus nutn6r<.>s< s
freguezes, como o rcspeitavel publico, a vir turtir-se de muitas fazendas, bo.s e.baritas
noseu estabelecimento denominado oPavao a rua da Imperatriz n. 60.
francez muito fino a 3#0OO, apenas pneeisa
1, */* metro para umlencel.
CHALES BARATOS
Em tcm pos modcrnos nenhum descuL.v
mento ope uromaior revolucao no modo de
curar anteriormente em voga do que o
i *
TANTO NO TRATAMENTO
DA
Tosse, f.rupo,
Asthma, Thisica,
Ronquidao, Resfriamentos.
Bronchi tes,
Tossc Convulsa,
Doras do Peito,
Evpetturacao de Sangue.
Como em toda a grande aerie de enfeuni
dades da Gargantn, do 1'cito e do*
Orguos da i-espiracao, que tanto
atorrnentorn e fazem soffrer a humanidade.
A maneira antiga de curar consistia geral-
mente na applicagao de vesieatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormento un-
guentos fortissimos compostos de substan-
cias vesicantcs, afim do produzir empolhas ;
cujos differentes modos de curar, nao faziam
senao enfruquecer e diminuir as forces do
pobredoente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira maisfacil e certa para a en-
fermidade a destrnicao inivitavel de sue
victima Quam differente 6 pois o effeito
admiravel do
miOAAL.DE ASTASASniTA:
Em vez de irritar, mortilicar e cauzar inau-
ditos soflrimontos ao doente,
Calma, modifica o suavisa a dor,
Alliviaa irritac.ao,
Desenvolve o entendimento,
Fortifiea o corpo
e !'az com quo o systeroa
desaloje d'uma maneira prompta e rapidh
ate o ultimo vestigio da enfermidade. Of
melhores volos em medicina da Europe, (os
en tes dos collegios de medicina de Berlim).
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relacdes analogicas, e alem disso a expe-
riencia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
te marn-tilhoso remedio, sao rnais que suffi-
cienles para sustentarem a opiniao do
PEITORAL DE ANACAHL'ITA I
Deve-so notar que este remedio se acba
inteiramente isento de venenos, tanto mine
raes,, como vegetaes, emquanto que alguns
destes ultiraos, e patticularmonte aquelleg
que sao dados sob a forma de opio, e aci-
part*! dos Xaropes, com os quaes t5o fa-
cilmente se cngana a crcdulidade do pu-
blico. A composic/io de anacabuita peito-
ralacba-se linda e curiosamento engarrafadi
om fraacos da medida de cerca de meio
quaitilbo cad a um, e como a dose quo se
toma 6 st'i d'uma colher pcquena, basta
gerailmeule & applicac^o d'um ou dous fras-
co para a efleotuacao de quaiquer cura.
Actu-so a venda em todas as bvticas.
H. Frosters &.C., agentes.
. Pi V .*
CAMBRAIAS A 49t 4??500, 5, 69 79-
0 Pavao vende um magnifieo sortimento
das-mais finas cambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada peca, pelo ba-
rato pre^o do 49, 49500, 59, 69, tendo tam-
bem das mais finas que custumam vir ao
mercado, assim como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 49
ate 89, sendo fazenda que valle muito mais
dinheiro.
COM SALPICOS DE CORES A 59.
0 PavSo recebeu um elegante sortimento
do cambraias brancas com bonitos salpiqui
nhos miudinhos de cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido e vende pelo barato
pre$o de 59, por scr pechineha, ditas com
salpicos totlo branco sendo fazenda linissima
a 79500 e ditas a 59000.
VESTIDOS A USO DA CORTE 129
0 Pavao vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
cada c6rte todos os cnfeiles necessarioscomo
sejam : babadinhos, enlre-meios, rendas,
requefifes, e vende pelo barato preco de 129
cada urn, assim como, di os a 2 de julho
com todos osenfeitesa 109, cortes de cam-
braias brancas ahertas, com listrase lavi>res
a 69, ditos finissimos a 89, ditos de cam-
braia hranca com listras de cores, para aca-
bar 39500, e" pechincha.
CORTES BORDADOS A 209 E 359.
O PavSo vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato preco de 209 e 359.
Cintos a 0?000
O Pavao recebeu um eleganto sortimento
dos mais nv demos cintos de setim para se
nhoras, com delicados lacos do mes:iio se-
tim e vende pelo barato preco de 69 cada
um, assim como um grande sortimento dos
mais modernos espartilhos, que vende de 39
ate 69.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, o covado
O PavAo recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 6i0 rs. a vara fi-
nissimo 1116 branco liso edesalpicos, e tarla-
tanas do todas as cores.
BOR.NOLSA 129.
O Pav3o vende um bonito sortimento dos
mais modernosbornous combonitas listrase
vende pelo barato preco de 129 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales demerind e com listras de seda.
LAZINHAS A 320
O Pavao vende bonitas iSzinhas lisas,
sendo verde e cor de lyrio, pe o barato prec,o
de 320 reis o covado, assim como delicadas
lazinhas de quadrinhos a 280 reis, e pe-
chincha.
Ciranadines a G-tO
0 Pavo vende um elegante sortimento
das mais bonitas grenadines ou gazes de
seda para vestidos, tendo de todas as cores
e vende pelo barato pre^o do 6 i0" reis o co-
vado e granadine preta com listras de seda
a 19800.
CORTES DE LA JAPONEZA A 209. .
0 Pavao vende os mais modernos cortes
de la japon^za com delicadas palmase listras \
de seda, polo barato preQO de 209, assim1
como finissimas lazinhas lustrosas de uma so'
cor a 500 reis o covado.
LAZINHAS A 360 0 COVADO.
O Pavao vende bonitas lazinhas transpa-
rentes com palminhas a 360 reis o covadi>,
ditas djtas indianas com lindos dezenhos,: mais'pequenos de79 atd 129, assim como
tanto em listras como em quadras a 280 rs. pnnnos do croche proprios para encosto de
o covado, e grande sortimento de alpacas e cadeiras t nto de balanco como de guarni-
. cao e para sold, que vende por precos em
CHITAS DE CORES
29, 29500, 49.
0 Pavao vende cbales a eraita$io de fcie-
rifd a 29, ditos de merino lisps de todas as
cores a 29500, ditos demerindestamjajos,
muito finosa 49, '.ditos finissimos com lis-
tras de seda a W>00, ditos muito finds do
crepom a 109 e 129.
Algodfto cnfv-Mtada afl9e l*SO
0 Pavao vende algodao eufestado com 8
palmos de largura, proprio para leacdes
sendo do mais encorpado que tern vindo ao
mercado, liso a 19 a vara o trancadea.....
19280.
ATOALHADO A 19600, 29, 5*
0 Pavao vende atoalhado tranrado com 8
palmos de largura a 19200 e 19600, .dito
a lamascndo a 29, dito de linho adamasca-
do a 39 e 59.
SEDA PARA VESTIDOS
a 19600 e 29.
0 Pavio vende um bonito sortimento de
sedas com lislrinhas proprias para vesti-
dos de meninasede ssuhora a 19600 o co-
vado, ditas lavraifinhas a 29, os padroes sao
muito bonitos e vende-se por este preco para
acabar.
Hot ina* a SOOO
0 Pav3o tern um complete, sortimento de
botinas muito bem enfeitadas para senhoras
e vende pelo barato preco Je 59, artigo que
em outra quaiquer partecusta t>9e79.
LENCOS BRANCOS
"a 29000.
0 Pavao vende letters brancos aVainhSr
dos, tanto p.rahomenscomo para senhoras,
a 29e 295< 0 a duzia, ditos de esguiao c
cambraia de linho t mbem abainhados a
39500, 49, 59, d tos francezes escuros, para
rape a 695, a duzia.
CAMISAS PARA HU.MEM.
0 Pa3o vende ricas camisas com peito
de linho bord-das, proprias p ra noivo a
1 o->.; 129 cadi uma, ditas de linhosun se-
rem bor 1 das 49, 49500 e 59, ditas com
peito de algodao muito finas a 29, 29500 e
39, ditas dectiita fina miudinha a 29,29500,
e 39, ssirn como grande sortimento de ce-
roulas francezas tanto de linho como de al-
godao de 19600 ate 39, gr nde sortimento
de mei s cru s inglezas de 49 nte 89000 a
duzia
FAZENDAS PARA IXTO.
0 PavSo tern um grande sortimento do
fazendas pret s para luto como sejam : czs-
s s, las, ou lazinhas lisas que vende a 400
e 500 r&s o covado, bombazinas de 19600
ate 29 o covado, cantao a 19 e 19-00,
granadine lisa com listras, cassas 8 chitas
todas pretascom listrase salpicos, ^lp cas
todas pretas e lavradas de branco, merinos e
outras muitas fazend .s npcopri das, que se
veude por meiios do que em outra qu.lquer
parte.
MADAPOLOES ENFESTADOS
a 39000.
0 Pavao vende pecasde madapolao eufes-
tado com 12 jard-s a 39, dito a 3950Q, dito
com 20 jardas a 59, 59500 e 69000, dito
com 24 jardas de 59 ate 89 e 109, sendo os
mais linos que tern vindo ao mere do.
.Mgodilozinho a JJOOO.
0 Pavao vende pecas de algodaozinho
muito f ncorpado a 49, dito a 59 e 69.
TAPETES
0 Pav3o vende tapetes grandes para sofd,
sendo para quatro cadeiras a -2.>~>000, ditos
56 aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rna da Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recom men-
dado pelos graflHes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machlnaa americana* para alca*
Jaa, desde 10 a* 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e melhoramentos para perfeito e rapido descaro?amento ; tornam-se dignas de
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, alem disto, encontrar3o
ambem mais :
Ofllprece e, a quern fizer faaor (* towtrtns
neces#arios, o arrendaaanto por altum annos de
graca, da exeeUeate cata sfta aa Porta d'Afna,
que foi do flmdo Dr. teaqnini Ptrea Cameiro
Monieiro, pa?ando-se escriptnra para aaior se-
gu anca. A loealidade t muito safobre, e a casa
muilo fresca, lem mgniltt lianlio da agna do-
cc em frente, c 0 muilo commoda, tfck qi
worn para defronie : iioera pretender pode diri-
lir-se ao Sr. Fr.in.isco Carneiro Romiro, era
Apipueos ao Sr. Kranri-ro Ijmacio Pinto, n do
ioni Jesus, ou ao Sr. Cannau, ma do Gommcr
:io n. 40.
lazinhas de 40U a 800 reis.
a 200, 240, 280 e 320 rs.
0 Pavao vende um grande sortimento de
bonitas chinas tanto claras como escuras e
CORTES DE CASEMIRA A 59.
0 PavJo vende um grande sortimento de
vende de 200 ate 320 rs., assim como ditas cortes decasemira para calcns, com bonitos
com. listras aolado muito finas a 366 o 400: gostos, claros e escuros a 59, ditos do 89,
rs., finissimas percales miudinhas com lin-|7^, 89, ate 109, superiores casemiras fran-
dosdezenhos a 360 e 400 reis, garantindojeezaso inglezas, para covado, de 39500 ate
serem todas de cores fixas. \ 6$, paunos pretos ede c ires dos mais bara-
rnoiri>T 4 a- n itos mais fil,os (lu0 tem vinJo a0 merCi ,|o
LUBfcKlAJj A 29, 29o00, 39, 49. | por precos muito razoaveis.
0 Pavao vende bonitas cobertas de chita
com ramagem grauda, pelos baratos
precis
de 29,29500, 39 e 49, ditas ancarnadas
forradasa 59, ditas Jefustao branco o de cor
com ban-as al^e 59, ditas de croche para.
camade noivo a 69, ditas muito ricas a 169,"j sortimento de roupas feitaspara homem, que
ditas de damasco a emitaijao de seda a 109' vende por preco muito em conta, como se-
Roupa fcila
0 Pavao, tem constantemente um grande
e 149.
FustSes
0 Pav3o vendefustoes brancos e de cores,
sendo as mais bonitas cores que tem vindo ao
mercado, tanto paraToupa de criancas como
para vestidos e roupas de homem, e vende
pelo barato preco de 560 ate' 19, 6covado.
BRAMANTES
a 19600, 20210 e 290OO.
0 Pavao vendabramantes de algodao com
10 palmos de largura para lenc.6es, pelo ba-
rato preco de 196(0,. dito de liuho com a 59000.
Na rua dM P lores n. 7, e 38, Joja, hi jma pessoa que e enearrega Jo arrtiar
tamulos e catacumba? uo wmlterio publico pa.ra
0 dia 2 de uovembro. enmmmwaeSo dos fleis Je-
funtoi.
Parahyba
0 Sr. AJJierto Sserrno Hevbon ,
cidade d 1 farabyha, .\mrp. v,r on inaadar na fra-
vea da rua. do Qn- uluie, ,fim
de,.tnUr de ne
flora.
raesma largura a 29, 29200 e -29500, dito
jam.:
Calgas de brim de cores de 295' 0 ate 69.
Ditas de casemira escura a 39500.
Palitots da mesma fazend< a 49500.
i'.alras de brim p rdo de 29 ate 541.
Dit s de casemira de c6r de 7|5 ate" I2f5>.
Ditas de casemira preta de 79 ate" 140.
Palitots de panno preto de 49 ate" 129.
Fraques do pann preto fino de 209 t6
359000.
Calc- s brancas de linho de 49 site79.
Colletes de casemira de cor de 39000 ate"
Ditos de dita preta de 49 ate 79.
Ceroulasfrncezas de linho 0 algodao, para todos os precis e qualidades, assim
como grande sortimento de meias cru s, camisas, c lermhos, que Uido se vendo por
pre - 0 lllm. Sr. Dr. LeopoMi Cesar Doqoe Er-tra-
da, formado m arndemiri do Pernambuco era 1873,
ftlho do Iilm. Sr. Joaqnim Leopoldo de Pigneiredo, |
m ndor n*l6 cdanla(, loJa de Aroaral, Nabuco AC, rual
rJfova n. 2, a negocto que Bi.vigiw.r.1
AttenQao
Alnga
a fe'i, na
Alufam se duas boan earas na Capunga, rua da
J propria para jsewar Venter ora rntomdos 0ara familia, asquaee
^^a rnj> da I'onle 0. r$o fre?-as 0 eitao raiadas e pinladas : a tratarj
^H Eiae n. 71. na rua Dnqne de Capias n. 44.
Apurados vapores locomoveis, deforce
le 2*/t e 3V cavallos com todos pertancas
precises para trabalharem 4 machinas para
ilgoddo, ou para outro quaiquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Garros do mio para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer ^arafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira..
Cylindros americanos para padarias.
Pertencas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e cafe.
Debulhadores para milho.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferrciros.
Trens para cozinha.
Emfim muitos outros artigos, que sdavista e nesto estabeleomoder3oentp
iiaminados.
0 n
BAZAR DA RUA DIREITA
HOJE
Casas para alugar para a fes-
ta ou por anno
I'm sobrado no Poeo da Panella, na na dofti
n. 8, com 4 salas. 5 quarto*, saleta, eotinfci ra
e quintal murado
Uma boi easa terrea nova, com eocheira, estri-
baria, pequeno sitio, a margem do rio n. 35, da
me>ma rua.
Uma casa pequena, porem com bons commodea.
na travessa da Crni das Almas ao pe da ca?a ver-
melha n. i. I'odas a trajar com 0 comraendadxHf
Tasso.
M PUBLICO
Onein mais coinmrdo fflereee ?
kncontestavelmente a loja de ealcado||e8trangei-
ro qne mais rommodo onereee era geral, com espe-
cialidade ao hello sex*, e 0 PARIS NA AMERICA
a rua Duque de Caxias n. 59, primeiro andar (ae-
tiga do Queimado) e a razao ? a razao e simples :
um cavaltieiro (amante do ckiquej por certo ao
ineommoda quando, para comprar um par da bo-
Unas, ve-se furcado a experimenu-Ia aobre um
pequeno e pueroso pedaco de lapete (systema ma-
carronicoj nao podendo desta forma conheeer se
a botina me fica boa, puis, nao tem epa;o para
experimenta-la, ao meno? que 0A0 a estrague dan-
do apenas um pao, que chegaralogo ao immun-
do ladrilho ; 0 que nao acontece no Paris na
America, onde pode ?e passear a vontade 0 desta
fornia conhecer-se se fica horn 0 calrado : para 0
bello sexo, entao e quasi impossivel, que uma se-
ohora (do bom torn) queira sujeiiar-se a ex peri-
mentar calcado ao lado de um balcao, onde en-
tra queui quir, ainda mesmo para comprar : a
Paris no America nao resentc-se desta falia ; tem
nm bem preparado gnbinete rescrvado, para aa
Exmas. qne alii poderao estar em perfeito eornmo-
iin para a escollia do calcado.
Nao terminam a! i as vantagens on commodos
do Paris na America a rua Duque de Caxias it.
39, primeiro andar, ennsiste tan bem no bom sor-
timento de botinas para homens, dos melhores e
maisafamados tabricantes da Enropa, como Ho-
lies, Snser, Polak, etc., etc., e grande variedade de
chinellos e ?apatos. assim lambem um lindo sor-
timento de botinas para senhora, e sapatinhos de
muit3S qualidades que poderao satisfazer a esco-
Iha da mais capichosa senhora (do bom gosto);
pelo qne fica expendido, fsta claro que a loja de
calcado estrangeiro, que raais vantagena offerece,
e 0 Paris na America, rna Duque de Caxias n,
39, primeiro andnr, antiga rua do Queimado
#0 0 0 &&$&*&
MARCILIO DIAS N. 54.
fiste estabelecimento sempre solicito em offerecer a concurrencia do respeitavel pu-
l*eo um cornp!to sortimento de miudezas, cahjado francoz, chapeos e quinquilharias a
rectos os mais razoaveis possiveis, para o que recebe quasi todos os seus artigos de pro-
?t*ia encommonda da Europa e America, vem dar publicidade de alguns artigos por cujos
*ro$os bem se pode avaliar os precos de outros muitos que se tornaria enfadonho pu-
licar.
MIUDEZAS. MIUDEZAS.
I.a para bordar, da melhor qualidade, 1 Briucos dito de dito por 2^500.
ibra por 59500. Botoes de setim pretos e de cores, a 800
Agalhas francezas, fundo dourado, a cai- r3- e J*000 a duzia-
unha com 1 papeis a 60 rs., 240 -s. I Franjas brancas de seda de todas as lar-
Yoltas de fita de velludo com lindos co- g,iras a t^000 e 1*400 metr0-
acdes fingiudo mxireperola, a 500 rs. Dltas de cores e pretas a 800 rs. e 1JJ000 o
Voltas para o pcscoc,o, fingindo camafeu, nietro.
sorapanhadas com 1 par de brincos seme-, Gal6es pretos de seda, de muito gosto de
oante, tudo por 2J500. j800 a 1JJ000 o metro.
Linha branca de 200 jardas em carriteis, j CALCADO FRANCEZ.
jropria para costura de machina, a 800 rs. I Botinas pretas gaspeadas, para senhora, a
i duzia. ii500opar.
Dito de dita .le Alexandre, numeracAo a! Ditas ditas '1e durnque, gaspeadas, canno
Diademas'dourados de UJoOOa 3J9000.
Ditos de tartaruga com Qores a 2#000.
Ditos com borboletas a 15J500.
Brincos encarnados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaque^ de 500 rs. a 25J000.
Ditos dourados, duzia de pares, a 15J500
2S000.
Ditas pretas eufoitadas, ultima moda, a
6JJ000.
Ditas dita de cores, canno alto, enfeitadas,
a 5*500,
Ditas para meninos, pretas e de cores, a
W e iJSOOO.
Complete sortimento de calcado de case-
Voltas de aljofares com brincos, a 29500. mira, Charldt, tapete e tranca, mais barato
Ditas in ditos com cora^oes a 1*000.
Ditas de ditos de contas com cassoletas, a
00 rs.
Hosetas de plaquet a 1* e 1*500 o par.
'Iravatas de seda para senhoras de 1*200
i 2*000.
"arures coin 2 laijos para cabeca e poito
iC e 19000.
Kntremeios e babadinhos bordados de 360
s. < 2*400 a peca.
balfies de seda brancos e de cores, de
i500a 2*500 a peca.
Ditos de algodao e seda, de 1* a 1*'00
pe$a.
Ditos de algodao, a too e 500 rs. a peca.
Trancinhas de cores, a 100 e 500 rs. a
M*ca.
Leques de marfim a 5* e 8*000.
Dites de sandalo a 4*500.
Ditos de madeira imitando, a 2*000.
Ditos de papelldesa 1*800.
'oques para senhora, a 3*, 3*500 e 4*.
xderecos fingindo coral, compondo-se de
ilfmete e brincos por 2*000.
liito dito pretos por 2*500.
' itos de plaquet, compondo-se de alfinete
bfioco, sendo de muito g'osto, por 5*000.
10 % do que em outra quaiquer parte.
CHAPEOS.
Ricos chapeos de palha d'Italia, para se-
nhora, a 11*000.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda,
a 16*000.
Completo sortimento de chapeosinhos para
meninas e senhoras, de 2*890 a 5*000.
Chapeos de sol de seda, inglezes, cabo de
marlim a 16*000.
Ditos dito de merind, cabo de metal mui-
to bonito a 5*500.
Ditos dito de seda para senhora, cabo de
madeira, a 6*000.
Ditas dito cabo de marfim a 9*000.
DIVERSOS ARTIGOS.
Granadine para vestidos, fazenda da ulti-
ma mo-la, com listras de seda, a 650 o co-
vado.
Pann-)s de crochet para cadeiras, a 1*800
e 2*000 cada um.
Dito? para soft, a 3*e 4*000.
Toalhasde ilnho para rosto, a 1*300 cada
uma.
Ditas de algodSo alcoxeados, a 640 rs.
Colxas de crochet para cama de casal, a
6*000.
I Medico *
& &
m Augnsto Trajano de Hollanda Chacon, ^5
sk Dr. em medic na pela faculdade do Rio 9t.
m de Janeiro, rlugado ha poueo da Europa, aaf
' onde nos melhotes hospttaes dedicou-se 25
W aos cstudos de sua prolissao, e com es- Wt
XL pcialidade as operac*5es e as molestias Mt
" dos olhos, tem o sru escriptorio na casa J
de sua residencia a rua Du |ue de Caxias Wt
jfy (antiga das Cruzes) n. 9, 2 andar. mj>
Consultas das 7 as 9 horas da manha. cS
J9 Gratis aos pobres. f9t
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, preejsa-e
allar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
ose Paes daSilva, a negocio do particular inte-
sse.
Coniim'ia a estar fugido o escravo pardo, de
nome Trajano, o qual consta icr andado por Olin-
da, Beberibe, e ultimamente foi tjsto em Iguaras-
su, intitulando-se do forro, e tem os signaes se-
guintes : falta de dentes, pouca barba, bastanle
amarello por soiTrer de frialdade, falla descancado
e um pf-uco fanhoso : roga-se as autoridades po-
liciaes e aos capiues de campo a apprehensao de
dito escravo, e o favor de o levarem ao abaixo as-
signado, a rua do Vigario n. 21. 1 andar,. que
sera gratiflcado.
Domingns Alves Mathens.
Para casa de pequena familia, preci-
sa-se de uma rapariga brar.ca ou de cdr que
saiba de costura e engommades e para fazer
companhia a* dona da c*sa quer aqui na
provincia, quer para fdra, nestas circums-
tances, trata-se na rua da Imperatriz n.
10 1,* andar.
fugida
IB
!
rt%i
^/.
^*,
OlO BXC'
\>*
!*
4
UH'
. XAROPE PBITORll JAMBS
OPTIMO REMEDIO CONTRA
TOSSES, MOLESTIAS n PEITO t PHTYSICAS
ensaiado e approvado nos hospitaes de Lisboa,
legabnente auctorisado pelo Conselbo de Saiide Publica,
auctorisaoao que se acba nvonhecida.pelo
Consul geral do Impoi io do Brazil.
-------+*----=r ..vp^:-------------^-------
CMICO DEPOKITO Ell I'MHWMBICO
i BAB7HQI.0S9E.lii & C.A
JLtna, La-ji. do liozario
a escrava Matildes desde 17 de marco do correote
anno, de 32 annos de idade, preta crioula, estatu-
ra regular, chcia do corpo, pernas flnas, tem uns
carecos uo roslo que parece espmhas, falta de
dentes na frente da parte de cima,_ falla muito
man.-a que as vezes de.-afla compaixan, boa cozi-
nheira e engommadeira, 6 Clha do Para, foi com-
orada a sigra do Sr. commendador Lucena, e
muito conhecida por ter estado alugada em casa
da Manoella do inspector, no Monteiro, ella intilu-
la-se de forra e tem sido vista no Poco da Panella,
Monteiro, Caxanga, Magdalena e aqui no Recife :
pede-se encareedamente a todas as autoridades
policiaes e capitals de campo a sua apprehensao,
assim como se pede a quern tenha amas qne ve-
rifique nessas que dizem ser forras. pois consta
estar ella de ama que nao sane a rua, quo se gra-
tificara com a quantia de I0t)j a quern a levar a
sen senhor, na rua do Livramento n. 1, a Antonio
de Paiva Ferreira ; e protesta-se havf r os dias de
-ervico de tcda e qualqner pessoa que a tenha
occulta em sua casa, na fornia da lei._________
Saqoes para todas aseidades e
villas de Portugal.
Carvalbo & Jiogueira, saccam' sobre o
banco commercial de Vianna, e suas agen-
cias em todas as cidades e villas do Portu-
gal, quaiquer quantia a" vista ou a prazo e
por todos os paquetes: i rua do Apollo
n. 20.
CRIADO
Na rua Duque de Caxias n. 26, andar, pre-
cisa-se de um rapaz para criado.
- Notrapiche Dantas aluga-sc cscravos, dan-
do-?e 50* por mer, comida e casa, por tempo de-
terminado.
A quem interessar
Pereira da Suva & Guimarae., propri.tarios da
oja do Pavao, previnem pelo ir^ente a seus fre-
guezes desta prara, qiie se arham com seus debitos
atrasados, qne se nao saldarem os mesmosatdo
dia 30 de ontubro do corrente anno, tratario de
cobrar jndidalmente, n5o tendo contemplacio com
ninguem.
Recife, 2i de seremhro de 1873.
Precisase de uma engommadeira, uma cozi-
nheira e am criado para compras ; na rua do
Hospicio n. 40._________________. ______'_
- Qnem liver achado um m.ico de papel, cons-
tante de reclbcs d. dwimas.de alugneis de casas e
umas cartas de flanca. e q'lereiido entregar, pddo
dlrigir-se a rua da Crut o. 49, ipie sera recom-
pensado.
Aluga-se ne^tes proxinios dia? dnas hnas
rasa:-naCaimnga, rna-da VenMM, cm commo-
dos para familia, as quaes foram c>nrertdas e es-
.ao sl pintandii : a tratar na ru Dnque de Ca*
xiaa a. 44.
Alugvse uma casa om boas eororaodo*. na
povoacao da TVrre a traur ad ru* do laiperador
d. W.
j.

I
1
i
|



i

I
r
Jizno de Pernambuou Quarta feira 22 de Outubro de 1873.
f M ttgntiieactt."
Fa Rio du engenho Araribi da Baix<, wrll-e-
gu-'zii do (labo, no dia I do eorreate inei, o us-
cravo Estevio, com os signaes Soguiiiie-. idade
dc Hi nmn% peiii-o mais ou menos, ataurn refu-
lar, ureas de bexigas no rosto, pes .tosshs e
comnan-as Jc uii'hos, o pareee *.Hivi .;al..r ,le
tigajo. Qti.r.n | ;i|i|ircli(Mik-r, k>vo ao n-frrilo
engitao,M mo senhor Joao Lulu ijuuealve* r'ti
reira, ou oo Reuife, rua da Madre do Deus n. 36,
1. ajMlir.

MOFINA
Est4 encouraca4o 11 !
Kd|i-s* aw Him. Sr. Ignacio Vieii a de Mello
scnvfe u eidade de Nazareth desU pr*incia, o
favor de vir a roa Duque de Caxias n. 3S, a con-
cluir aqaelle negocio qae S. S. se comprnmetleu a
realiaar, pela tereeira cbamada deste jornal, em
fins du dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passoci a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
por este motivo 6 de hoto chamado para dito
8m, pois S. S. se deve lembrar qae este negocio e
de mais de otto anno*, e qnando o Sr. seu nlbo r*
achava nesta eidade
AO ARMAZEM
HO
. VAPOR FRANCES
BUA DO BARAO DA VICTORIA
K. 7Outt'ora NovaN. 7
francez.
Ahiga se o armazem de recolher na roa do
Burgor n. 11 : a tratar na rua da Praia n. 90,
a tratar com Jose Peliciano Nazareth.______
Procisa-se de am eaixeiro com pratica de
taverna de li a 16 annos : na rua Imperial nu-
mero 94.
m
\9AatJ
A professora publics Anna Monteiro
de Lima Rego valenca, babflltada pa-
ra ensinar francez e piano, ofTerece-se
aos pais de suas alurnnas para lbes
ensinar estas materias depois das ho- t
ras de trabalbo de sua aula. SP
(tt>&$-$>e &&<$$<$<$
0 Sr. Antonio Luiz da Costa, que foi nego-
ciante em Olinda, na rua de S. fiento n. 45, e
ehamndo a mes-na eidade, a rua do Comuercio n.
Si, a negocio qae S. S. bem sabe.
0KKSiX>zX> | OOO^C^XS *
Consullorio medico
DO
Dr. Hurillo.
RUA DA CRUZ N. 26,2.. A.NDAR. B
Recem-che-gado da Eurepa, onde fre- Ig
quentou os hospitaes de Paris e Londres (J
Sode ser procurado a qualquer hora do Q
la ou da naate para objecto de sua pro- Q
electricidade, pelo processo do Dr. Tre- O
pier. Cura por urn processo inteiraroente Q
novo as blennorrhagias e sobre tudo a O
_ (golta mil tear) dispensando asinjeccoes. Q
fissao.
Consul las do meio dia as duas horas
da tarde.
Gratis aos pobres.
Especi crianja e de mulher.
Kmprega no tratamento das rnolestias
de sna especialidade as duchas frias e
banhos a vapor, para os qaaes trouxe
os apparelhos mais modernamente em-
pregados na Europa.
Tambem applica com grande proveito
no tratamento das rnolestias do utero a
*
s
*
*
MEDICO-CIRURGICO
DO
Dr. J. M. Curio
Rua do Harquez de Olinda n. 23, pri-
meiro andar.
Consulta das 9 horas as 11 da manhJ.
Chamados a qualquer hora.
*
a
*
*
*
4o commercio
Os abaixo assigns dos, fazem sciente ao respeitavel
eorpo do commeroio que tern contralado com o
Sr. Joaquim Martins de Almeida a compra de sua
taverna, sita i rua das Pcraambucanas n. 38 ( Ca-
punga) por isso se algaem se julgar com direito
a mesma, apresnte-se nestes tres dias. findos os
quaes nao se attendera a reclatnacao alguraa.
Recife, 20 de outubro de 1873.
Borgcs & Bastos.
0 relojoeiro e dourador Albino
Itaptista da Rocha, de volta da
Europa, continua a encarregar-
se de concertar e dourar relo-
gios, bem como outros objectos ;
rogando a seus amigos e rregae-
zcs o obzequio de procnra-lo na
;.ravessa da rua das Crazes n. li, 1 andar, por
detraz da praca da Independencia, que o encon-
trarao prompio. A garantia de seus trabalhos e
e faze-los por precos modicos ; assim como tam-
bm ovende rclogios.
Venham.
Bernardo iloncalves dos Santos, negociante em
laboatao, previne a seus devedores para virem
ialdar seus debitos ate o dm do corrente mez ou
la conlrario serao chamados a juizo.
Bernardo Croncalves dos Santos.
Pedido.
0 abaixo assignado, successor de Pino & Mar-
'iniano, roga instantemente aos seus devedores,
iue se achaiii atrazados, tenham a bondade de
vir saldar suj s contas
J. V. M. Pinto.
Precisa-se de urn ajndante para cozinha e um
i iado para todo servico de hotel : a rua Nova
i). 52, 1. anf' ar.
Hospital Pedro II
Com o produeto do heneflcio dado no theatro
Santo Antonio pela sociedade academka Club dra-
matico, na soute do !: de setembro ultimo, vai
comecar na .;resente scmana neste hospital a obra
do jardim para o que foi dado o mesuio beuelicio.
Aluga-se o gabinete da casa do pateo do
Paraizo n. 4, com commodos para duas_ pessoas :
a tratar na mesma.
Attencao.
Ven^e se^ibacachis de Goyanna, doces e gran
l"s, a preeo.;ommodo : no caes do Ramos.
Escravo liigidn.
,100^000 de gratifieacao
Desapoareoea de novo, 4e bordo da barca bra-
sileira S. Jott, 0 escravo Joaquim, preto do na-
iio, 0 qoal aada bem vestido e calcad9, deixan-
do crescer os cabellos a raodo de' meia cabedeira.
Ksse eicravo perteoeea ao fallecido Dr. Olym
pio Marcellini da Silva, queo havia comprado na
provinria de Minus (em b. J<*ao d'EI rei ou Ouro-
Preto), e coai eUe seguio para 0 Rio de Ja'neiro e
d'alU para esta provincia,.donde foi para Maceio,
Undo o vendido aili a Justin-> Epaminondae Ne-
ves, a quem 0 iwpraram "s-aiiaiso essigaados.
Sabe izinh;.r, oceapacao a que estava rledicado,
e conhe^e se pela faJla que e afrieano.
Offereee-se a graii (icacao acima a quern 0 ap
preheader e roga-se a todas as autoridailes a sua
captara.
Recife,6 du outubro de 1873
Jose da Silva Loyo A Pilho.
Boa casa para a festa.
Aluga-se una excellente ea*a no Uc>nteiro, tra-
v>sa do Xixlo, a qual se acha em rauito i>om es
tado de limpeza ; a tratar na rua Prim aro de
Mar^o. anon fry .>epo n. SO A. loja de Gorgel
do Am*rap & C.
Precisa se de dons caixeiros par> torhar cod-
'c de duas uveruas, it* quacs sao bem localisadaa,
a tambem m ila soci'-dadi mtrando eom alguns
tumfcs 15 danilocooliL'-iment'i do sna rondiKla : a
iratar nt raa da Santo Cruz n. 9.
Para h
BOTINAS de bezerro, 'cordavao, peHica, lastre e
de duraque com biqaeira, dos melbores
fabricantes.
SAPATOES de bezerro, de cordavao e de case-
mira.
SaPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados eom sola de pao, pro-
prioa para banhos, *itios e jarains.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e portuguezes.
Para senlwra.
BOTINAS pretas, brancas e de edres differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninan.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninnM.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranga francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
F.otas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homen', e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor franco?, a rua do BarJo
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernifSes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu-
reiras, tudo isto niuito bom por serein fortes e
lev(.3, e ng mais proprios moveis para salelas e ga
binotes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria u. 7, ontr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff & C.: no
vapor francez, a rna do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perftimarias.
Finos exlraclos,-banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arrez, sabonetes,
cos neticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ria para presentes com fiascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos phantazias.
Espelhos dourados para salas e gabinetes.
Leqnes para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, de no de Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornada com musica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaque muito bonitas para relo-
ios.
Brincos a imita^ao e botoes de punhos de pla-
que
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de cou-
rinho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de aco e
de tartaruga.
Oculos de aco flno e de todas as guarnicSes.
Bengalas de luxo, canna, com castdes do mar-
BJOl
lengalias diversas em grande sortimento para
homens e meninos.
Chicotinhos de baleia c de muitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para chamtos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembaracar e para
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
bera.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
tes.
Carteirinhas de medreperola para dinteiro.
Meias para homens e para meninos.
Gravatas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para ch: mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mind e outros muitos differentes joguinbos alle-
maes e francezes.
Malas, bolras e saccos de viagem de mar e ca-
minlios de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
rem, bom para os dentes.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Cestinhas de vimes para brajo de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
criancas.
Venezianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopo9 e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminates de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mui facil
de suhir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palha e de pennas
Tesonrinhas f, canivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lante-nas.
Tinteiros de louya branca, modelo bonito e bom.
Tiras de moiduras donradas e protas para
quatros.
Quadros ja promptos com paysagens e phanta-
zia.
Estampas avalsas de santos, paysagens e phau-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos pequenos de veio com llndas pecas.
Realejos rarmonicos ou accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 46 a 100 metros, pes e paHos para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todos
os brinquedos fafericados em differentes partes
da Europa para entrctenimento das criancas tudo
a pre os mais resumidos que e nossivel: no ar-
mazem do vapor francez, rua do Barao da Vic-
oria, outr'ora rua Nova n. 7.
Osfmlias \\m eoslura
Grande sortimento da nonitos modelos chegados
ao armazem do vapor franrez, caa do Ba-ao da
Victoria (outr'ora Nova) n 7.
Oleados
baratos.
Oleado bonites e, mui.o baratos, para cima de
meza : no anuazem do .apoj francez, rua do Ba-
rao da Victoria ortir'ora Nova n. 7.
AIWA
Precisa-se de wna ana qne saiha
cn^ommaroa cozinhar: na rua Nova
n. 7^ lo a.
I'lecisa-se de unu.
auu para la
luena
nn-
t I T I 1 recisa-se oe uma ama par
\ A I \ val" ff*'"nar em ('3sa dapeq
r\ \I i\ ''" il'a : na raa du Ouibarihe
1 A-^iXl A. ;ii.T.i40.______________________
\tll-W O'l'1" pr:isar iK-1''.is amas para
1naTitd1Sa11loAl1U1nton.lt, que proiiiptaini'liU'.
sera ^ervido.
AMA
Precisa se de uma ama para
cozinhar : na praja do Corpo
Santo n. 17, 3. andar.
Attencao.
201000.
Precisa-se de duas amas, sendo uma para
comprar 0 cozinhar, e outra para engom-
mar para casa de uma familia de duas pes-
soas, preferindo-se escrava, paga-sea quau-
tia acima : a tratar na travessa do Vigario
Tenorio n. 1, das 9 boras da manha ate as
3 horas da tarde, escriptorio. ____________
Am* Precisa-se do uma ama de leite : nvrua D rei
a. 3, 1- andar______________________________
Ama Precisa-se de uma hwre ou escrava :
-.Ailid na raa ,ja Conceicio n 45.
A Tllfl Precisa-se de nma que cozinhe e
^ vttid compfg ; ua ma j0 Oespo n. iO.
mNa rua do Senhor Bom Jesus n. 9,
21 andar, precisa-se de nma ama
para comprar e cozinhar, e nma ou-
tra para engommar._________________________
Ama de leite.
Prctisa-se de uma ama de leite: na rna do
Brum n. 65._________________________________
Precisa-se de uma ama forra ou escrava,
para engommar : na rna Duque de Caxias n. It.
No dia 9 do corrente desappareceu do en-
genho Refrcsco, freguezia da Escada, 0 mulato
Caetano, cujos signaes sao os seguiotes : idade de
40 annos, alto, gross.", rosto redondo. cabello ca
rapinho e avermelhado, muito barbado, traz a
barba e bigode cortados a tesoura, olhos grandes,
castanhos e imperceptivelmente vesgos, dentes
enrtos e limados, pes e maos perfeitos. E' casado
com mulher livre, da qual tern muitos filbos; e a
tereeira vez que se ausenta em procura de alfor-
ria, dizendo, ora que ia 6 (otto, 01 a que esta ti-
rando diiiheir^ para libertar se ; servia de feitor
no engenho : quern 0 apprehendtr pode conduiii-
lo ao mesmo engenho, ou nesu eidade a rua da
Aurora n. 13.______________________________
BABY JUMPERS
Velocipedes and Hand Carts
For Boy's. '
Elastic Steel matresses.
Ice King Refrigerator.
Perfumagators.
Machinas para descaroqar
algodao de 12 at6 30 ser-
ras.
NA
CASA AMERICANA
45 Rua do Imperador 45
Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia ; a tratar com Jorge Tasso, rua
do Amorim, h. 37.
Offerece se um homem para criaqo de ho-
tel ou casa de familia : a tiatar na rua da Im-
peratriz n. 36.
Etflifi
Alnga se nma sxollnnte eai na Boa V;v
pem : a tratar na raa Ja Ventura n. 21. Ca-
gunga.
Precisa-se alugAr um sobradinho de um
andar, que tenha pelo menos 2 salas, 3 ou
i quartos, e cozinha f6ra, se liver sotao rae-
lhor sera, tambem serve um 2. andar com
sotao, e com os mesmos commodos, ou mui-
tos, comtanto que seja no bairro de Santo
Antonio on mesmo em algumas das ruas de
S. Jose. A pessoa que precisa nio duvida pa-
gar algumas beenteitnrias que tiver, nSo sen-
do muito cara, ou fazeralgum concerto.pe-
queno e asseio. Quem piis tiver e quizer
alugar, dcixe carta fechada no I. andar
desta typograpliia, em mSo do administra-
dor, com as iniciaes W. G., o qual tambem
podera dizer quem e o pretendente.
Aluga-se uma optima casa mobiliada, para fa-
milia pequena, pcrto dos banhos salgados, com
agua e ga eneanado : na agenda armricana, rua
do Imperador n. ib".
Esta fugido.
Em i do corrente fugio do engenho S. Caetano,
em Port.} Calvo, o escravo Henrique, cabra claro,
cabcll s estirados, attara regular, grosso do cor-
po, com uma cicawlz na ponta do nariz, prove-
niente de o'.ti coire de civallo, idade de I8 aanos
pouco mais on menos. desconfia-se tue viesse na
companfaia do par do Bernardino, qne ua vespera
dossa mesmo dia pernoitou uo referido engenho,
e dirigio se pira esta cida !e, sendo 911a assisten
c'a na rua de Pedro Affonco, ontr'ora da Praia :
roga-se a*e Srs. Ciipitacs Ce Caiupo ou a qualquer
pessoa, que delle tiver noticia, queiram ter
b ndn! de parliciiiar na rua do Bjiu Jesus, 0
b nd;d de particular na rua do ujui Jesus, ou
tr'ora da Cruz a. SO, 3/ andai quo serao gratis
i
cados.
Precisa se de n-i a aaia para casa do rapaz
solteiro da ires pessoas, oara er.mprtr 0 cozinhar:
na raa do Amorim n. la
MEURON & C.
Ak. ^/ I S A.. M
"~~
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap6
AREA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois qae os ha de rap6 de outra fabrica e nome diver-
se, e eom papel da mesma e6r, cujo desenhc se pode
eonfdndir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro AREA
PRETA, devem para nao serem enganados ver quo
os botes tragam o nome de MEURON & 0., e a desig-
nacao de AREA PRETA.
MEURON ft 0,
FUND1CA0D0B0WMAN ZSSKSSg*
RUA DO BRUM N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senbores de engenho e outros agricaliorrs, eempregadarcs de m
Qinismo o favor de cma vieita a sea estaJjelecimenlo, para verem o iiovo sortimento
ompleti qoe abi tern; sendo todo superior em qaalidade e tortidao; o qoe com a ins
acio pessoal pode-se veriflcar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDIQAO
i/oviAvatf A -Aflga rl'orfna dos mais rcodernos systemas e em ta
V apo* 6* O rUUttS U agua maDbo3 convenientes para as diversas
u-cnmsiancias dos senhores proprietaries e p; ra descaroc<>r algoiiao.
Hoendas de canna ^S9 os umthos> a8'melbores ^oe ^
Rodas dentadas *>w^-
Taizas e ferro fundido, batido e de cobre.
ilambiques a fundos de alambiques.
VTa/>Vii vt icrvtntt para mandioca e algodao,I Podendo todos
UatrilliUbliiUS eparaeerrarmjdeira. f ser movidos a mlo
Rnmhna -, (por ?ga8' v'por'
'lUUluas de patente, garsnudas........ ion anmaes.
rodas as machinas e peca8 de qae 8e COftoma precisar-
Faz qualquer concerto demacbidi8mo' apre rl^T**'
S7nv*mQa rlfi 'fAfrn tem as melhores e mai9 baratas exlsteotes no mer-
7nAr\Trimonr1oa Incorobe-se de mandar vir qoalqner machinismo a von-
U00IIlIIlOliUci9 tade dos clientes, lembr?ndo-lhes a vantagem de fazerem
uas compras por intermedio de pessoa entendida, e qoe em qualquer necessidade pode
iei prestar aoxilio.
Iradcs americancs e inetron,emo riM,M-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ

larga
DO
Dp. Ferrcira.
Antigo gabinete de seu pai, rua
do Ho?ario n. 20.
Cura de hydrocellcs sera inlcccao
com punc^ao capillar.
Abertnra dc abcessos e extraccSo de
derramamento serosos, pelo a de Potain.

FUNDICIO DE FERKO
&
\ rna do Barao do Triumpho (rna do Bruin) ns. 100a 104
CARDOSO & MAO.
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para en-
geuhos, as mais modernas o melhor obra que tem vindo ao mercado.
V^apOreS de for?a de 4, 6, 8 e 10 cavnllos.
CalClGiraS de sobresalente para vapores.
MOOIlQaS llltGirSS e meias moendas, obra comocmnca aqai veio.
TaixaS fuildidas e batidas, dos melbores fabricantes.
tvOdaS d agua com cub8je de erro, fortes e bem acabada?.
RodaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades. .
Rel0gi0S e apitOS para vapores.
ijOlllDaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCar grandes e pequenas.
rjQnrtpW-r\q concertam com promptidao qualquer obra oumachinf, parao que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
RnrnmTYlPTldflq mandam vir por encommendada Europa, qualquer machinismo,
uuwuimouuao ^n Q ^ ^ (.orrespondem com uma respeitavel casa de Londres
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho -das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUN'DICAO DE CA RDOSO & IRMAO._____
Joaquim Jose Goncalves
Beltrao & Filho.
Una do Commercio n. 5, 1.* andar
Sacca por todos os paquetes sobre o lumco
\ Minho, em Braga, e sobre os sryintM-
gares de Portugal:
Amarante.
Arco do Val de Vez.
Bareellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Ouimaracs.
Lamego.
Lisbda.
Mirandella.
MongSo.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do Citello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalicao
Villa Nova do Portimao
Villa Real.
Vizeu.
Valenga.
Figueira.
Aveirp.
Agueda.
Cam in ha.
Evora.
Oliveira deAzemeis.
Penafie|.
Regda.
Carros de- luxo.
F- iiKiue.-iionavel qne a cocheira da rua do Bom!
Capellas para finado
Na rua estreita do Rosario n. 35 tem ricas ca-
Jesns n.'tS, de Joaqu'ira Paes Pereira da Silva, e a pellas para donzellas. anjns e defantos, com litas
que tem as melbores.beriindas, caiecas, meias ca- e letreiros, proprios de lembranca de minha mai, j
lecas e victorias de lnxo, proprias para qualqner pai, esposo, esposa, lilho, Glha, irmSs, irmaos, avo
noivado, visitas de etiqneta, bailes e actos da aca- e ivn, tudo por mui barato preco de 3*, M, 5f e
demia, sendo os mesmos ajaezados de cxcfllentes 81000. Na mesma casa tem lindos bouquets de j
pan mas de animaes, arreios loxuosos e boleeiros cravos e rosas para formatura dos senhores aca-
com fardamentos do nltimo gnsto, para o qne se demicos.com fltas bordadas a ouro ; a encom-
convida ao pnblico a vir por si mesmo scientift- mends deve se fazer tres dias antes ; e preparam-
car-se da verdade do que deixamos dito, certos de se tambem bouquets para noivos, de cravos natu-
quc n.-io encontrarao pomada, e sim realidade e raes.______________________________
c'j!i!Tiodos precos.
Ali)ga-;e nma escrava parao servico inter-
no do casa de familia ; a^im como, um escravo
de li annos, para servico de criado on hotel : at
ran do Imperador n. 50.
-i---------- *
Par* b;iniios dc mar.
Ainaral, Nabuco 4 C, rewberam do. p,v
ri.< ii)ter.jssai:'es costumes do ultimo go^to,
para homens e sentWas quo Jesejarem to-
mar banhos salgados, alem da solidcz da
fazewla para resistir a agua salgada, a ele-
gancio "tos trios nada deixu a dese-
Capellas moriuarias
Para tumulos e catacunabaM no
dia de finados.
Porto & Bastos, com loja de cal-
cado a Praja da Independeo^ia n.
39, acabam de receber da Europa
novo sortimento de capellas mor-
iuarias de lindissimos desenlios,
com as seguintes inscripcoes, as
quaes vendem por menos preen dj
que em outra qualquer parte.
A Men Pai.
A Minha Mai.
A Men Esposo.
A Minha Esposa.
A Meu Filho.
A Minha Filha. .
Uma lagrima.
Amisade. *
Saudades.
PBACA nA INDEPEJiDLXClA N. 39.
Aluga-se a casa dos Coelhos; defronte do
hospital Pedro II, com optirros commodos para
grande familia : a tratar na rua do Rosario da
Boa-Vista n. 50.
PENHORES
Na travessa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
a
1 Precisa-se alugar um ou dous escravos tra-
balhadores de enxada, para um silio : na rua do
Vigario n. 3, armazem.
Precisa-?o da nma ama forra ou escrava,
Jue saiba la or, engommar e comprar para casa
e uma familia estrangeira composta de tre9 r3es-1 *
soas : a tratar m roa do Visconde de Goyann? n. i
- J57, fabrica de rape.
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
le um eaixeiro com bastante pra-
! 'de- fiadop- a sua conducta :
de Caxiat n. 21
a easa terrca na Una dos Ratos n. G8, com a
frente para a.estrada do Hospicio, com ba comnodo par" familia : a tratar na raa do'Mar-
a loja do sobradd da raa Direjta n. 83, propria -V101 'ie 0lin(la *i
Precisa se de Uiu
25 da trav^^H > nhar e ensaboar : na rna da Penba n. S3.
HEGfWEl
#.

m



I

iKiate 4t Btanu&wft Quart* feifa 22 de OwubitJ dfc iol&
C\SA.
AS^a-se o prim* ro segundo andars da cas.
iravessa ila bngaeta : a tratar na n i
awrodo .largo, anhrtMCresooY m |0ja tl j
r*e.]imto oo arco do SfflfAntjiiio
-
COMPRAS.
Cobre e latao.
'iMof>r-sj cobre, latao c chumbo volho :
-ttr- aVntwaern da bola amarella travessa da
na-dr litipcrado:*.
Gnupr.i-; inna escrava crioula ou africana,
awsaiba cj'inhar o orduiario de uma casa: a
aaBKBarna d,; Alecrim n. 20.
Coomra-se cluas venezianas novas ou
dBWfftginn iso, e que estejam em bom es-
*J*r-rta ma do Barao da Victoria n. 5.
Oompra-se
9 Aio nos arralialdes desta cidade, onde pass*'
>iie bm.h : a ..ratar na rua do Imperador n.
KDAS.
' Yendc-so a ttv.jfaa do pateo da ribeira de
-. Ajs6 21, >Mii ai'reguozada para terra c mato,
'^ pouir^, 'an Is, propria p.ira algum prinei
>ii-; e (i m ntivo da venda se dira a quem pre
*3V-la : a tratar na mcsma, ou na rua Thome
w Sauza n. <.
rI~l
I
aixa.
tfende-se ama laixa de cobre, peqaena : no ar-
K'.-t-m da b>,L amarella, na traves.a da ma do
fcj;rador.
Gratis.
Eua do Barao da Victoria
n. 22.
(3 lire lo de w.iHiJiias.
: roprietario do Baar Universal de novo avisa
. tsu-' fri>c:!i4'z-r-s, que eontinrta a mandarcn-
.- machinas de costura, vendidas era sen cs-
tod n 'mi i, e por pessoa muito habilitada pa-
-: li:n, c d-i iM-iforrafdaJe com os annuncios
Silos pi>r >; JTbeii asitri vende todos as pertengas para as
sn>a-i imchhias por commodo prego para os
was- hregtiezes.
ft tambe.m prevfae a todos os seus freguczes
pi o Sr. Alfredo l.uiz Duetts & C, deixou de ser
i>-Jp o dia I'i do corrente mez
'\icii,\ 17 de iiululiro de 1873.
. 2i lln do Uirai da Victoria X 22
Rua do Brum n. 76
i le-se tfnoo pr.ro de superior qualidade,
;3sprio para cabana* de casas. rapdindo tl palmos
ni cHmpfidaa 4 dc largo, por -preco mui em
Ml.
Para acabar
T^nd e UH P >rr"u> de casaes de pombos, sen-
UMi ( o M de raea (grandes) por preco mo-
- al ir na nia do Vignrio n. 26, ou rua do
tktOo do Trill': pho (antiga do Brnm) n. 22.
Fundicao da Aurora
Grande sortimento de:
Moendas de todas^MB qualida-
des e tamanhos.
Tachas fundidas e batidas,
idem.
Rodas dentadas eangulares,
idem idem.
Machinismo, idem.
Varandas, gradearaentos pa-
ra jardim, etc, etc.
Tudo se vende por preeos
muito em conta para aca-
bar
N.B. iqBl
G. Starr AC, em liquida-
gao, na fundigao da Aurora,
em Santo Amaro.
DE
Algodao da Babia a
Ha para vender das seguintes fabricas :
S. Salvador.
Concei'jao.
Valenca,
Modelo.
Na escnpt >iio de Luiz Duprat, ma do Commer-
cio n. 3i, I* andar.
Xarope d'agriao do Para
Antigo e conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtysica, brnnchites, asthma, ete.,
applicado aiiida com optimos resultados no
escorbuto.
Iiieyclopeilia iiioderna
01"
Biocionario das sciencias, lettras, artes, in-
dustrias, agricultura e commercio
50 roll! nes.
A' vender por proro o mais commodo pos-
sivel, na livraria Academica
RUA DO IMPERADOR.
CAFE DO RIO.
Tem para vender J. S. Car-neiro da Cu-
nha, em sen escriptorio & rua do Encanta-
menton. o, 1." andar.
Ui
Beitra
ves
r||jnj| escriptorio a rfiB
aWn. ^k. seguinte :
Teem pan veader
Commerc
AGUARDEKTE de fejii : Maa'de 12 garraflfc
c de laranja. Mem idem,
ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisboa, recentemeate chegada.
CHAI'EOS de sol, para homem e senhora, cabo
M de marlira e teso.
FEIXB8 de ferro, para porta.
flO *lfodaoda Bahia.ia fabrica do comaen-
mendadur Pedrozo.
LINHA de roriz.
OBRAS de pabeta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do con?
mendador Pedrozo.
IETR0Z de todas as qualidadcs, das fabricai de
I Peres e Eduardo Militao. -
ROLHAS proprias para botica.
Wmm ARRILHA do Para.
VELAS de cera de todos os tamanhos.
VINHO euurafado do Porto, caixas de 12 |tr-
dtfo Moscate do Douro, idem idem.
dftri Setubal, caixas de 1 e S duzias. '
da Italia engarrafado, caixas de 6 ar-
raiaa,
de Gollares superior, em ancoretas.
a de oajii, caixas de 12 gar,-a/as:
c Malvasia do Douro, caixas com 12 gar-
t Srelvellos, Idem idem._________'
Chapeos para senhoras.
Amaral Nabuco ft C. rereberam am eomplelo
sortimento de cbapoos de palha de Italia, seda
e vollndo, prets-para luto. e de cores enfeitados
com bonitas flores e flla : vendem no Bazar Vic-
toria, a rua do Barao da Victoria n. 2, autiga rua
Nova.
As unicas verdadeiras.
Bichas hamburguezas qne vcm a este mercado:
aa rna do Marqilez do ulinda n. 61.
: .l:
I
ZlilNDAS
do Queimado n. 43,
pechincba.
i i lie r:~i:M<. a 200 r-. n oovado.
barege de qvadriahos i 280 rs. o
60-
.
is com biiiii s liftras de tede a is,
do v.. iidii- a escoeeza, com 15 covados
I : istas bsdc trangado de cores, propria para vesti-
. 24X1 is ii Rnvado
1 di tdos de linbo a 35M00.
s para rosto a 500 rs.
nte de I larguras, proprio para lencoes a
11 a vara. e muiia- outras fazendas por me-
-_il valo .
:n,i de Qieim.do n. 43, cm frente da pra-
rnha.
Para senhoras.
diftfuxis de sl SrOOO.
<'.'<:[<( is do S -i dc Ifndas cores e cabo compri-
ultiraa moda em I'.iris, proprios para aa
^. Sia*. nprectadoras dos banhos cm rtiinda,
ir.i para passeioa nosarrabaldes da cidade,
^eic barathtsiifn preco de 2jft6d cadi um ; e pe-
lia : so aa bja do i'as-u, a rua Primciro dc
3.;v, n. 7 A, antiga do Crespo
Pnra meniuas.
iap"03 Je sol a 2j>0.)i> ; e pecliincha : so na
Pas '. rua I'rimeiro de Marpa n. 7 A,
i i.>. i d i Cr ana.
A loja do Passo reeeben riquissimos cortes de
tarlatana prateados, proprios para bailes, fachas
de seda de lindisaimog goslos, e diversos arligos
proprios para senhora : na rua Primciro de Mar-
co (antiga do Crespo) n, 7 A.
Lazinhas com listras de se-
da a 1$ o covado.
A loja d'America tem
E' fazenda especial e de muito gosto para ves-
tidos de senhoras ; dan-se amostras. na rua do
Cabuga n, 10, loja d'America.
INGLU !!!!!!
Para altendor aos numero-
sps pedidos esta" resolvido a
vender suas ai'amadas machi-
nas dc costura
A
! ii'ii si io no Chacon, junto ao sitio
Fi nci.-n d. Albuquerque Mello, com 500 pal-
M-jt- de lumln e 138 de frcnle, com ba-tamesfruc
o eh io iiroprin a iratar no largo da ri-
fcrin :le S. Jose n. 9.
\ vista descngana.
idapolao francez a 6$000
a peca.
:n a Na da America madapolao francez, e
Soco Jo. veodc por enc prep* para acabar na rua
uga d. I1), loja da Amerieji.
maconaria desmascarada
ou
ros
<'ilieocsio Ac arts
DO
Ki-ho de Rome,
Allah sando
s circnlbr do cap.- Pr.-. Oderarao de 22 de
jesenf^v) de iT. E a pranch do Ir.-. Gomes
Sreire ao [r.-. Otto ; assim como a deste cava-
lairo R.-. '.. \>n.-. ao redactor do E'-Jw de
%**(:, datada do Coimbra aos 16 de deaembro
da nesmo aiiim. pnvedi'li de uma cada intro-
iu^io c nnnot-ida por"ojn redactor do Echo de
ibma. Uid vol rMe de 880 pagina-. Preg/i 1*500.
cad> so p.a livraria Economica ao p^ do arco de
-%ato Ai.tnnio.
r'ormas para assucar
v'nilo ~e ein casa dos importadores Shaw,
k?s i C, rua do Rom Jesus n. 4.
p ....... -
Vende-se uma etoallertte casa constraMa a,
*oderna. com freote de a/.ulejo, e um grandc si-
Bhi prtaSe sitifl eom Uma ca*a; tudb
aa- aargein da oslr ida real em Jaboatao e teudo
-sitio b ).!-prrtpdrcS-i' phra-rttttta^io : a trataj
es>Jtboatao boci Ifni.-irdo Gontalves dos Sautos
vj na rut doafardfllii -Bias n. d.
>.V
ASA AMERICANA
tadoliiiperador t&
UMA MOBILIA.
Vende-se uma mobilia de amarello em perfeito
estado a Luiz XV : const ndo de um sofa, uma
jardineiaa, um par de consolos, 12 cadeiras de
gu:irnicao, duas da brajo e duas de balanco ;
quem quizer fazer neg 'cio, dirija-se a rua Direita
B- 3 1* andar, que aobara com quem tralar.
Fiado!
Rua do Barao n. Yictoaia
n." 22.
0 proprietario do estabelecimento Bazar Uni-
versal tendo de transferir o mesmo para outro
lugar e tendo grande deposito de Machinas de
cu>tura de todos os autores, resolveu vender a
PRAZO, mcdiante a convencao que se puder fa-
zer com cs pretendentes : a ma do Barao da Vic-
toria n. 22.
COMO Sid LIM)0S!!
Os leques todos de madreperola,. brancos e de
edres e que trazem o distico-^UNIAO em lettra*
tambem de madreperola em alto relevo, tor-
nando-se por isto apropriados para noivas, a NO-
VA ESPERANCA a rua Huque de Caxias n. 89
(antiga do Queimado) e quem os tem.
Sao de tartaruga
Os fertneos, brocBW, mekw adert?os, crozet
cora?oes e cas sol etas, que estao oxposlas a boa
escolha das Exmae. (amaates do chiyue) venders*
aa Nova EsperSnca, a rua Duque de Caxia-
n- 43.
Aos meninos
A Nora Esperanto a rua Daqae de Caxias n
63, acaba dc receber um lindo sortiaienlo de bo-
neoas de muitas qualldadas, vrnflo" efitre ellas a
engracadae bonecas dc borracha, assim tambem
unla peqaena quantldade de bonecas pretas qur
se tornam apreciadas nela sua novidade.
Ebem util
A Nova Esperanca a rua Doque de Caxias n
63, tecebeu verdadeiro cimenio inglez, prepara,
cio para concertar porcetana6 bem- utit.
Vestido per dido
Muitas vezes nm vestido torna-se inteiramenti
feio, somenta por eUr mal enfeitado : a Nova Es
peranca a rua Duque de Canas n. 63, removi
este mal; porque esti bem provida dos raelhora
galdes e franjas de todas as cores, onde pode es
colher-se a vontade sobresahlndo entre estas as
modernas franjas mosaicas, qne pela sua varieda
de de cores, flea bem em quasi todas as fazenda*
A alia antes que se aeaben.
CabeUos brancos sd tem quem
quer
A Nova Esperanca a ma Duque de Caxias n
63, acaba de receber a verdadeira tintura de Des-
nous para tingir os cabellos, o que se conaegue
(empreitando-a) com muita facilidade, e por este
motivo, cabellos brancos s6 tem quem quer.
Estao na moda
Os cinturoes de couro, proprias para senhoi *s,
ne reeeben a Nova Esperanca a rua Duque de
xias n. 63, estao, sim, senhora, estao na moda 1
Se quereis tor ou preparar um ramalhete de
cheirosos cravos brancos para o vosso casameuto
ou para outro flm apropriado, e necessario ir a
Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n. 6:{,
que alii enconlrareis os melhoros porlt.bottquelt
que se pode desnjav.
Bolas de borracha
Vendem-se de lodos os tamanhes a rua Dnque
de Caxias n. 63, na Nova Esparanca.
I
Rid do Barao -da Vieloria o. 22.i fc
nao levar esta
Nenhuma machina
Singer e legitima se
marca
;Carneir Viamia. ;fixa no braco qn
Ca
i
@k* este gfanofe' eswberecrmento tem che-! Cllina.
gado um bom sortimento de machinas para
costura, de todesos dutorts nwis acredita-'
dos ultimamentena Europa, cujas machinas!
sao garantidas por um anno, e tendo um j
perfeito artisla para ensinar as mesmas, em,
qualquer part6 desta cidade, como bem as-1
sim concerta-las pelo tempo tambem d'um '
anno sem despendio algnm do comprador, j
Neste estabelecirriento t mbem ha perfcneas
para as mesmas machinas e se su'pnrc qual-
quer pe^a qae seja rwcessario. Estas ma-
chinas trabalham com toda a perfuic^o de i
um e dous pospontos, franze e Ijorda toda \
qualquer costura por flha que seja, seus
preeos sao da seguinte qualidade : p.ra tra-
balhar a mao de 30-5000, 405JO00, ''55000
e &0$00fr, para trabalhar com o pt sao do
8OU0O0, 909000, 100J5000, 1109000,
120OOt>, 130W00, 1505)000, 200v000 e
2509000, enlquanto afJsafllores naa h'a al-
terajSo de preeos, eos compradores poderao
visita'r este eslabeleeimento, que muito de-'
ver3o gdfltaT p*Fa variedade de objectos que
ha sempre para vender, como sejant: cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras- para salas, ditas de balanco, ditns para >
crian^a (altas), ditas para escolas, cesturei- j
ras nquissimas, para senhora, despensaveis|
para criangas, de todas as qualidades, eamas
de ferro para homem e criangas, capachos,
espelhos dourados para sala, grsndes e pe-
queuos, apparelhos de metal para chd, fa-
queiros com cabo de metal e de marfira,
ditosavulsos, colheres de metal Ono.condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas para cobnr pratos, esteiras
para forrar salaj, lavatories completos, ditps
simples, objectos para toijetle, e outros mui-
tos artigos >q.ne muito davemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
que se acha aberto de-de as 6 horas da ma-
nna ate as 9 horas da nouto a"
Rua do Barao da Victoria n.
22.
ma-
Para evita* falcifi-
ac6es notem*se bem
todos o^detalkee da
mnvoaii
AS MACHINAS PARA COSTURA
DE
NAO TEM
IHAIS DE Unill.ll\0 TIM SE VEMHDft
Porque ?
Sao as meihores
S3o as mais baratas
Sao dc dous pospontos
Sao mais simples e rapid as
Sao duradoras e aperfticoadas
Sao util em uma casa.
r*m

Veude-se
um vapor de forca de cinco cavallos, novo, proprio
oara qualquer mister, com br lentes, por preco coinpo^hi ; pafa var, no arena-
zem do Barao do l.ivrajnetito, e tratar a rua dJ
Torres n. 3f, 2 ami;
V ndn >e um caliriolst inglei de duas rodas
'-. a-enlrfi, e dm exwilente eavallo
para o m^iiio : para ve-, na ci &"h, c a iratar, a rua Direita n. 10.
- Wude um.prtlo aaieri
p.rini, pequnni
itwiiar, para ve
fJWda.n. 63, loj
uno o com
er e Ira-
a.
d:is as p-rtenrfi*aj tra
tw na rua do Jnfrqaez dc fKi:
*i i;ario n.M'to-.par-a reftder-so la-,
*_ dc wj, ifrTrj, ,.orQ iorresmos, morcilhas c jin-
^'fis, eliejad.* uWrnawirte d:i iltia de S.
E' barato.
Baptistas a 400 rs. o covado.
Boas las a 4i0 rs. o covado.
Alpacas de carw a 800 rs. o covado.
Cambraias bordadas finas a.23*000 o corte.
Popelinas a 14400 o covado.
SeJas a '2*300 D covado.
Chaies de tinquim a 25*.
Basminas de gros a 20*
Colxas de fostao a 2*
A' rua ao Bario da 'Victoria n 9, antiga
Nova.
E' barato.
Cami*as inglezas de 60* a'45* aHorfa
Ctlterinhos de linbo a 5* a duzia.
Cltapeos pretos flnos JO*.
Ditos de castor brancos e prelos 9*
Uitos de merino a 3*.
Coxles de casemira (ioa a 1&.
Ditos de dita a a*.
rua
todas as noites novos quadros mccauicos( com.
ristas transpareatas e com inUirBseaatea raovimen-
tos pelo effeiui ie duas maotiinas-; cada-bHhflte
rndmissao (300 rs.) da perniao-a unwiagrada-
vel pr-n*i-qin* por sorte -sahir, havendo muitas
de sutido valor, -c *s mtnori* quani a iroporle
do d'admissao ; Aisim, tora-n um agradavel en
(retenimento com pouco ou aetihom dispendio
Wuda-
fefra.

20
Rua m Crespo.
(] :i|inntr miiiio
Brios de linbo do cores .(pecliineha) a W200 a
vara.
Fustao braneo paija roupa Aj meninos a SCO rs.
o covado.
Lazinhas escocczas a 240 e 2PP Alpacas com listras a SRO rs. covado.
Brins pardos e de cores a 400, *W e 00 rs. q
covado.
Brin lona bratjo ;i UtWi vara.
Cambraias pretas para luto a 240 rs. o coyado.
Crrtone de listras a 440 rs. o coyado.
Chitas roxas a ?60 e 240 rs. o covado.
Grordenaple ;preto de cordo a2*40O pw&do.
Cobertas de cmta adamascada a 3*S00.
Coicbas brancas e de oqvas. ,?*800 e 4|.
Len(6es de bramante a 2|.
fiitos de algolo a UVXi.
Toalhas aleoohiadaB a fl* a duzia.
Leoijos de oassa ij-io),barra a jjt.a duzia.
Ditos de dUa abainhadiis a i&.
Ditos do esgniao a 3y3f0.
Cambrai? lisa a 3*e 4*!W0.
Dita Vkjteria Una iflaSOO.
AloaHudo a 2* vara.
Cortes Be casemira rfna a S*.
FnslDesde c6re ad^io porte,
Challes de merino liso a 2*.
Ditos de dite esUoipado E-guiao fin* lifi vara.
Brim preto trau^ado a Ii a vara.
Hramante da alunoin a 156#0 a vara.
Bte 4e dinboa BA'jOO a Tan.
UiMlmia de 'Jinhe de eores a 300-rs. o emado.
Atgodio Ta-6* a peca.
MadaaoHes boratot,
Metins
Proprio para vef lidos, o que dia de mais gosto,
padrSes iatoiramerrto navnji, ptlo diminuUi preco
de 409t. o oovado : oa rua to Crespo n. 20, loja
de Guilherme & C.
Mo ha mais cabellos
brancos.
T1NTURARIA JAP0WEZA.
See upicaapprovada pelas acadsmias de
sciencias, recormecida superior a toda que
tem apparecido. aje hoje. Deposito princi-
pal i rua da Cadeia do Recite, hoje Mar-
quezile Olinda, n. 51, i. ankir, e era
todas_ as, botica^ e casas de cabellei
reiro.
Faz meXkor costura com mettide dalmha quegastam
as outras e fornecem um meio de
VIDA
Para aquelles qne tem de susteiitar-se

\mm wmm.
| pe forca- de d tu* a seis cavallos : a venda no
armazem dc Joaquim Lopes Macnado 4 C, tr-a
ressa do Car pa Santo n. 25.
Querem agradar a yaya ?
Querem agradajr. ii esposa?
Querem-agradar a iilha?
OOMPBEM UMA
MACHINA DE SINfclER.
Nenhuma casa esta compheta sem uma
MACHINA DE SINGER
Sem caixa 8053000. Com caixa"9Q^b UNICA AQENUA
EM
t
40



A CASA AMERICANA
RUA DO IMPERADOR fo
Laliyrinlliiis, bicos, remlas.
Gad^ado
estrangeiro.
Aproxima se o mez de dezemhfo, tempo em
jue o Paris na America, a rua Duque de Caxias n
q9', 1 .* andar, tem di dar o seu balanco, por este
motivo, os proprietaries deste estabelecimento es-
ijjo resolvidos-a vaudere'Jj seus cahjidos pelo cus-
tp, aliin de ininorarrm 6 U'abalho ; assim pois os
apfeciadores dp bom, e com ospacialidade o sexo
^mavel, para quem o Paris ua America, conserva
cpm a devida decencia) o seu gabinete reserva-
do, para a escolha de calcado, aproveitem e ve-
oham munirem-se do que precisarem.__________
ftissa4a
Gi*ande bazar de prendas
? > User litiprrittrix 9 9
AMm da i-nportarite galena de vistas opficas dei
que dispoe o respeitavel publico, hav?ra tambem' feO na Ulia llO iJOBfiP^. ft. SfO.
mo.(kitiivi4 ram ^T*
CtWouesta fazertla, sendp lindos padrSes, e
ventfe-se pelo dirrtintftoprcjoJlB 200 rs. o cova-
do ; somentc na rua do Crespo n. 20, loja de Gui-
lliefme A -C.
Grande novidade.
S opara o 13
Vierain no ultimo vapor, baptisms Unas com
bairas, gosles cbinezes, polo diuiinuto preco de
300 rs. o co-vado : a rua do Queimado n. 43.
Las com lhtras assetinadas, ultimo gosto a
1*JD00 o covado : s6' o 43 a rua do Queimado
Dao-se.amostras.
No escriptorio de Gomes do Ma(tos, Irmaos, a rua da Cadei
do. Recife n. 40, 1- andar, e o unico deposito do quo ha db
melhor, ebem acabado, que vcm a este mercado, da cidade do
Aracaty no Ceard, quem os comparam com os feitos aqui na
terra, facilmente reconhecerd a inimensa differenca, ,que va\
de uns para outros, tanto em pre^-o como em qualidade.
Lindissimas toalhas de lahyruitbo.
I'ronhas de diversos tamanhos.
Lencos de todos os preeos.
Bicos e renda's emprofuzao.
Lnvas de pellifti.
Adgnsto Porto recedeu pelo paqucte fiancez
ricos vestidos de blond para noivas, frescas luvas
de pellica brancas, pretas c de cores, para siuho-
ras e-homens, setim cor de cafe para eufeites
de vestidos. bournaus e capas de la para senho-
ras e muitas outros artigos que vende por barato
preco : na rua do Duque de Caxias n. ftt. ,
'-----
YENDE-SE
uma casa baai^wslruNla de fe*ro e madeira,
situada wit Sit'AiMia, parto da eslaeao da estra-
da de ferro : trata-si <*m os Srs. Shaw, Hawkes
& C, ttaalk) Bom Je*us n. 4.
I.o|a de
Guilherme, & .
fianhos em OJinda.
Caraisas e calcas do fswnda 4e 'boa gualfdaaV
proprias para os'banhm ain'OllBdi : ni'Wja do
arros a rua Primciro debate. '(
IU.J20 A, de Gurgel i) Amaral fc
I
Sondas
ie oenique.
Baa estas as meihores sondas para a dila,ucao,
daiufuthra^fl^' so pela facilidale na applica.;;!.;,
como taiflbem pelo ,pouco iuwmmodo que proJuz
as'doentc, tendo a vantagem da uma ^onga dnra-
caa. ^Kacoptram se a _vond? .Aajjlianaacia ame-,'
TASSO IRMAOS & C.
Em seus armazens a rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por preeos commodos
Tijolos oncarnados scxtavos para ladrilbo.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydraulicc.
Machinas de descarogar algodao.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barril.
Phosphoros de cCra.
Sagii em garrafoes.
Sevadinha em garrafoes.
LenU.'has em garrafoes.
Rlmm da aJmaica.
VinUo do Parto velho engarrafado.
Vinhode Porto superior, dj'.o.
Vinho de Bordeaux, dito.
Miabo de Scherry.
Vuo da Madeira.
Potus com linguas e dobradas inglaza*.
Jcarea finos sortidos.
Gogna'c Gaulbier Freres.
jatas de toucpiho ingle:,
larris com-irepolho era salmoura.
Vend,e-se
trastes de jacaranda c amarello com poiu.o u&>,
em perfeito estado, e tambem um meio apparelt.*
de louca para jantar e ijrn d'to de porcelana, fine,
bcanco. para almoco Vende se par ter o done de
j se retirar para uropa :
i n. 54 A.
na rua da Imp'eratri:
Potassa da R%ssif &%. wews
barris a 500 rs. o kjto
Desembarrada ha poncos dias : vendn-se n<
escriptorio de Oliveira Fabos & C, largo do orp
Santo n. 19. ____________________
Machinas
Por baratos preeos para deacarocai .algodao. a*
12, 44, 46, 2o, 23, iO e 33 .-erras.
Cunha $ Mania
CS-Hun Mai*<|uz *>
(
-------
13
rjoana, rna'puqnc de Caxias
J. 0. C. iijle.
barris com earne de vanea e de parto, snlgaii
para mantimentos de navios : no armazem de .taa-
o [rniao* 6i C. a rua do Amoaim n. 37.
Oontra erysijpela
Bas pour varico
Meiasdeborracha, lecidp oui scla, uau^reaie-
tlga *o,'irepo 'dio contra a crysitKiladas.perpas: i.veuda aa (p^a,
)!GaIo Vigilante a rua do Otfgo n, 7.
s
Tem para ve 11 :
Cognac de Heaaessy, superior e verdadeiro.
Vinho Xeres das meihores qualidades.
Bitters de Angostura.
Cha preto em lattas de 10 libras. i
Todaa-as preparafoes chimicas do Dr. A.ver : ao doifttc
araii.eni faa *> Commercio n. 88. I mama a
se
uma easa na villa de Barreiros.ua morcio, por preco medico : a Iratar Taaeo
Irmaos *. C. _______________ '
as
Jiaeiro : v*nde-se a ra de Viftna, ar-
16. f
it^mimamm
- ---
L ILEGfVEt
Jir I
"
'n in i ili^Wi
I



f

SOARES LEIIE, MAOS
URIC OS A6ENTES
Rua do hm fa Victoria d. 2
ia ma,is simples, as uaais baratas e as melhores do mundo!
Ka exposijio de Paris, em 1867, foi qoncedkio a
Kli&s Howe Junior, a medalha de ouro, e a condecora-
Co da Legigo de Honra, por serera as machiuas iflais per-
feitas do raundo.
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Junior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na eiposicao de Londres acreditam
estas machinas.
A 908000
,Mw^!"f eTer(fe.f1!anciM que companhia das machinas de Howe de Nova-
lork, estaoeloceu nesta cidade i rua do Barao da Victoria n. 28t um depQgito e agenda
4jru, para em Pernambuoo e raais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
Zl~, a6' E5tM1',WchmM s5 justamente apreciadas pels perfeicjo de sen trabalho.
*TPd0. un$ a8lh mais.curta com a mesma qualidade de linha auequalquer outra.
!S: C5aQ db\m^ aperfcicoados appafelhos, estamos actualmente habilitados a
wrecer ao exame-,pub|ico as melhores machinas do mundo.
-As vaptagensdestas.machinas sao as se-gwrdes:
Priineira.0 pubhco sabeque eliassao duradouras, para isto prova incontestavel, a
jrcumstancia de nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe em segun-
Segunda.Contera. o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
ferceira.Ha nellas menon friccao entre as diversa's pecas, e menos rapido estraeo
a quo nas outras. r
Quarts.Forraam o panto como se fdra feito i map.
QuintaPermiue que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consegu -
SextaEazem ponto miudo era casemira, atravessando o fio de um a outro lado.
Li?*0 6 S8gU,d*' sem m0(licar-sc a tensao da linha, cozem a fazenda raws
8gftna.0 compressdr 6 levantado com a maior facilidarJe, qnando se tem de mudar
? aguia* ao coraecar no*a costura. ^
...Jf^-**? companhias de machinas de costura, tem lido epocas de grandeza e
mZ3E2 ;J!"*&U r0ra PT ar?s' sao hJe qasi desccr.hecidas, outras soffreram
SSdo SSFftremsubsiuu.r : entretanto a companhia das machinas de Howe
StitrrK eB'^ "owe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
lagmenladooseufabnco, e hoje nae attends a procura, posto que faca 600 machinas
fod macWna.acomDanha liyretos com instructs em portuguez.
BQttS ZZ.ZZZ
Nalojad Soarea Leite Irniat>s> i
T^toda n. 28.
Lows, de peliica coreperiilieao; toque,
Abotoaduxas papa coUete, grand sorti-
raeoto a 120 rs.
Caiia de linha de marea, a io* rs.-
Lamparinas a" gaz, dando uma Hjz muito
boa, alffOOO.
Duzia de pegas de cords imperial, a
240T8.
Caiia de botqesde. otso para oalea, a
200 rs. ^ v
Duzia de carreteis de linha, 30o iardae, a
600 is. '
Idem idem 00 jardas, a 34 rs.
Maco de fita ohiueza, a 800 rs.
Caixa de linha com 44) norellos, a 500 rs.
Meios aderecos com caroafeu, a 500 rs,
Garrafa detinta roi* extra-fina a 1 Poles com dita inglea*, preta, a 100> e
160 rs. *
Gaixa de pennasd?err.y, nauito boas, a
19000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, a 500 r.
Idem idem for*ados, a 700 rs.
Caixa de papol amisade, beira dourada,
a 800 rs.
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzia do talheres caho branco, SB., a,
59000
Resma de papel pautado, a 4*000
Idem idemliso, a29800, 398O0e59000. tores
Coques moderuos, a 39000.
Duzias de pecas de trancas de caracol
branca, a 400 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs.
de Gui&lain,
iiabrytfa,8iy Dqcpe fle Clxias a. |0, V*WiaBi ^gtigttMiil,^' n
Bareo d
tit
taiillo so -
' '^ ^aalWrwel^^^^"daapr^^a^^
ovMk. pva (um cabeUes pnte 0 kon>e-
coihidp fpr quem, imq feito uso deasa
ra prepara^ao a tenjaJlamentc conceivua-
. is$o apenas se faz lembrar a quem no-
os..lMankoa,o.preoa. .afc^florkjo pai o raesmo nscTTUo acreditados
^ % aUofares de cores.
, a-'-***! JTWca, a rua do Dnflue dj Caxjas n.

UM
.JS?8 aMntttnko'dB,S*m? *er^deii, ai a
19000. SO. recebeu novas e bonitas voitas e brincos de
awrafedBMU*ftorhlavaida af j "nuwuvwaa Wttfa diaMft-japsMUs a. 19090.
Mem xfera dfwna, a 19000.
Ca*dep6.para.ii9nto, a 200 rs.
Mem idem de pos ehineit muito
Armazem de In
|^0Vt5 diademas dourados e
com pedras.
500 rs. e 19000.
a
80, nefcebeo. nov sorcimento de boaitos diade-
4 ,nwfr: doafados a com pedras, tanto para meninas
lia branca, 4 rna do Duque de Caxias n.
cpnw para senbpras.
'U ** e 19000* upm para sennpraj.
P0*^?1*^*** d *ie8er, Rkneiw^ros- CoUeccoes de traslados
1. 1 MiOft
ou
DualTie sabowtes dp .mewioa- .' Aormas para escrCver-se.
39600, A agpj%, branca, a rua. Duque de Caxias n. 80,
Dnrin (kwhf.rni^ a. _!. recebea novas coIlccc5es ou normas para as crian-
^ 5^Sfo ^an3mh0 ^^P81-611- 5 J5renderem .^scVever por si mesmo, hoje tio
m, a zvzvv, asadas nas aolas a collegiog; e como sempre ven-
Idem idem com Adras, a 19500. d-a. por pre-;o commodo.
^Sabonetes Giycerino transparent*, a MeiaS CruaS finaS para meni-
Giixa com.sabenetes, formato de-foiclas, | IjaS e SenhoraS
a 19000 a 19900. j A loja, d'aguia branca, a rua Duque de Caxias
Oosmetic-os, waudes o neaaenos a- IM ^ ^ ^t recflbeu novo sortimento daqueilas tao pro-
800 rs curaaas meias cruas para senhora, vindo ignal-
iive.___ ___ roante para meninas, e contimia a vende-ls por
Frascocomsguade-colagne, a 360, 880, pos commodos. V
SK0,^flMS miBBWSK-! yto ^tinhae pretae.
" f. A ko) d guia branca, a raa. do Daque de Ca-
r :_/lae tt i -. u xiaa-n- 80, reeebeu bauitos veos ou mantinhas
Lindas eelegantes.ca*xinbscoraperfema- pretas de seda com Oores, e outras a imitacjto de
was, proprias para prasentes, des aatores caoche, a, enda-as,pelos baratos prejos de 34,
E. Codray, R4eger, Gell^ Fre'res, etc M.e 6#0&p. A fazenda & boa e esti em perfeito
aj__ i J^aflA pe'o que contimia a ter prompta exirac-
Leques deossoY s"andaio, a 29000, 4! J"*" ^Mn^" separa- ^^
'Iffd0;,!. ,, I" Entremeiosebabadostransparenteseta- ftrfto n rita de velludo de todas as cores e largu- padqs. Srampos com borboletas, bezouros e gafa-
'Uma grande taboleta propria para qual-' o^tqs, dourados e coJoridps.
nipr-lnia Aloja da aguia branca, a rua do Duque de
~""tjas,n. 50, reeebeu novos grampos com bor-
I
Raa da Medre de Dens n. 10 A.
Jose Domingues do Gmo e S> .-a pariiftea a*
sens freguezes.e amgoa que no sen aranxm .
rua da Madre de Deus n. 10 A, se i.rh-uw -m
Dleto sortimento de fumo em fardos d.> naiMfie,*-
?.' e 3.* sortes, dos melhores fabri.anies da Slit
e bem assim a flor de todos os fnmos de **
em rok, paeotes, latas grandes e Ktquena&aim-
be das. nmi: acreditados, rubricaote 12ern
Araujo, Lixaur, Adoluho Schmdr & (" fffm-
Schmidt 4 C, Veigas 4 Aranio, Irindarte Btm-
lar, Teixelra Pinto 4 Portella (paraniiaa yflar
mesmos) e de outros ainde nao conltecidos nrik.
pubiico desta capital. 0 aouanciante d^taW
todo fumo que fur vtndido em su;< caw soriuMfc
seu justo vafor, e que quando garantir sttxBr-
va qualidade, sera siacero, mui i'.iiti(irfofnia
com. asipesaeas que pone* eotendjiui dveumii.-
pois para bem servir a todos, torn n inn in m*
t longa pratica de IB annos de. Rua doCabugan. 11 A_
Vendese um escravo rn^jo proprfn para
nno ou padaria, por preyo muilo emeonta.
Rape Rocha
a l*-00 a libra : na rua do Vigano n. 7.
ro aiidar.
priw
PARA DIA DMIIDi

Microscopios com 12 vistas Ja'69000- quer loja.
Fiasco comoleolpai:a,macliiua1al40t)rrs.
Rua d Bam Ha Yvtm^ 28.
_--..^^., u..uw vuiu uiauucvuws em ponueuez.
A 9bmo A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
do Barao da Victoria n. 28.
^
Rwa do Cabvg^K.
HRALSjE
i
QL 'lu*..
GOMESDEMTTOSAIfiMAO
BARTHOLOMEU et C"
_Pharmaceuticos premiados em diversas exposicoes
'WIJW
ELIXIR SEDATIVO PEITORAL
ANTI-ASTHMATIGO
ESPEGIALIDAOE

Avisam ap respeitavel pubiico desta cidade que o sortimento da ioias. de saoida m-
SiaS^ifXl ^ S6U est^elecimento, esja completamoutq ** com o mais.elo
fnS sorUmen1to f,e ^vas J,as' qe reeeberam^irec*amete. pplo^Woio.. vapoivda Eu
ropa, constando elle do raais variado sortimenta deaoaaeaosdiBoulavawi, pulseka* dc
ulnmo gosto com pedras preciosas e sem ejjas, brincos d'argoia, agralfea. paiT-rotegio.de
sennoras, dehcados aderegos para meninas, meios aderoeos-da^araafeuimdissimos, voitas
,i! K P8ra ^eilhoras. correntes ingles de opo.ede^la4na, variada quantidad.
ft, f"if punh0S* pe,t0i com.e.nbteqDasmaoonteos, daonixy tecido de ouro, cao.a-
1 t^.'- brilhantes Monstros de rarissimus agoas, em-anneis, rozetas, pujseinas, alftre-
tes e-botoes, e outros mu.tos objeclos de ouw-domelporeafabrieantee.. dHaria, que se
comSnu? 8 reducc3o de preeos, por serem elles recebidos directa'mente de si.3
ate 8torPaTPdi0tn^? d SI*** Sfif1) m *>IA8''tw,do "' estabeleeimeate abertu
at6 8 horas da noute, conwdam ns familias que se<,uMrem prover do lindas ioias
virem escolba-las-a vontado, para o queiAm ffilm iioa^oalradoii"
_ fetas, baxouros e gafanhotos, "o que da certo .
perfeita novid do. A quaatidade e pepuena, e
>por, i860. e hreve se aqahara.
| Novas goilinhasornadascom
| peUicia ou arminho
i A Joja d'aguia l*anca ana Duque de Caxias
; -.50, reeebeu uma pequena quantidadu de boni-
I s e novas goflinhas, trabalho de 13 e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e inteiraroente novas.
Otajnposy. brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia branca, a rua do Duque
Caxiiis 50, reeebeu npvamente boniios gram-
pus, brincos, e rozetas dourados ; assim como
no;v6s diaderaas de aco, e como.sempre conti-
nua a veude.los por preeos razoaveis
C^xitihaa com p6s dourados
e prateados, para cabellos.
Venae-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
que de Caxias n. 60.
tuvasde peliica pretase de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, a rua Duque de Ca-
xias n. 60, recebau novo sortimento de luvas de
peliica, pretas e de.outras cores.
SAUMDE8.
Amaral, Nabufo 4 C. acabam de reprtwr i
variado fortimento de capella* funeb.ea caa m
seguutes inserip^oes:
A meu-pai.
A minha mji.
A men esposo:
A minha esposa.
A mtu filhu.
A minha lllha.
Saudades.
Ambada
Lembranoa.
Vende-so no bazar Victoria, rua oo BataxA.
Victoria n. x.

Portland, desembarcado no dia 4 do -xtr
rente, ninguem tern cimento do Portias^
mais novo nem de melhor qualidade^ c
venda no armazem da bola amarella, travae-
sa da rua do Imperador.
Mobihas baratas-
No armazem de Joaquim Lopes MachidoAC
na um bom sortimenlo de mobiiias de Vieaaa,
brancas e pretas, que sc vendem a precd* i
rnodos.

Mobiiias
Cadeiras de guarnifao muito baralas.
i3-Rna Hsirqiicz de (Hindr-23
CUNDA 4 MANTA.
Navo Iratamento da Asthma, toste, convulsa.
DBP08IXO flAM, 34, rua lorja do Rosario, PISiWAMBUCo!
<, defluxo catarrhaes, e todas as molestias dos miimoet
que tem feitojm^orUntes euros, e que e hoje o unico acceito pelos melhores Medicos.
MO
Verdadeiro biter hesperidina, suserior e ^era-
litado : a yenda no armazem de lasso bwiaa &
C. rua do Araorim e. 2r. a
Bazar Victoria.
AmaraJ, Nawjco & C. receberam complete sor-,
timento de bengallas de canna, proprias para des-
canco de velhos^ de rheumaticos, etc., etc., e ou-;
tras de phantosia, completo sortimento de ehapeos
I de sol, bengallas, umbellaa, etc., para senhora e
, para;homem, ,com cabo da marfim com figuras de
i metal, lisos, etc. etc. Estes uteis e especiaes ar-:
tigos vende-se na rua do Barao da Victoria n. 2. I
Caloado francez
Boraegaiaa de bezerro para homama 7*000:1
na pra^a.da Jn^,epelldencia,n.3,, lojade Porto &
Bastos.
Os verdadeiros
Vinhos de Bourgogne
das marcts
Aguals Alciiliiui-Gazitsas to ft
Am SilgiNks.
Villa Rouca de A^uiar.
BICABBONATADAS-S< DICAS
Analyses do Dr. Jos* Julio Bodri-
Kups. lenie da tCMSOla Pulyte-
chnioa de Lislioa.
EsU excellente agua usada com \aritage:n wn
padecimentos das vias digestivas, urinana, A
estomago etc., etc.
Vende-se
NA
l'huruiacia c droearia
DA &
Rua larga do Rosario n. 3i.
: Cbambertin
Pommard
Virits
Volnav
Beanne
Montbelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Vfnde-se \m bart mm
PARA LIQUIDAQAO DE COKTAS
NA
ilua Larga do Rosario u. 34.
DOS PREM10S DA
1
muito nova e barata
Rosario n. 3i.
Salsa parrilha
vende-se na rua larga*
Em bom local
Vende-se uma taverna bem afreguczadapazaa.
terra, e propria para principiante pur ter p fundo?, tendo na mesma casa m>.radia para gn
de familia, e um forno para quem quizeT fr*r
bolos era grande ou pequena escala : ca rua tfc
Visconde de Peliotas n. 19 (outr'ora do Araaa*-
itratar na mesma.
4
70
PABTE DAS ^TEWAS CONGEDIDAS POR- LEI PROVINCIAL N. 370, A BBNEPICIO
DA MATRIZ DE AFOOADOS, EXTRAlilDA EM 21 DE OUTUBRO DE 1873.
m. PREMS. NS. PREMS. NS. PflEMS
1
5
9
17
23
48
28
32
33
43'
45
49
38
59
61
62
63
72-
85
80
99
107
9
!l
21
23
36
37
39
41
51
61
63
71
80
85
89
90

6o" 194
99
205
7
P4
18
19
23
26
29
30
40
48'
51
53
63
M
69
73
77
80
82
84
88
93
305>
11
20
26
32
99
39
59
68
78
93
98
404
6^
6^
6,5

406
12
14
22
30
31'
34
37
43
49
50
52
76
79
80
85
505<
7
ii
28
M
35
36
48
59
64
71
72
77
84
85
90
91
95
98
600
II
13
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.

U, 622
| 27
28
30
38
41
44
48
55
66
68
69
74
81
86
700
4-
9
6
8
9
r2
13
14
24
24
34
32
39
44
52
53
62
63
65
R7
74
76
0,5
mi
64
8*1

30 6*
780
83
84
89
95
96
98
807
H
30
39
43
48
54
55
58
64
63
71
74
77
87
93
95
903
6
7
16
19
33
38
54
64
71
78
8i
65
5:0OO
6*
6*

987
89
iOOt
7
16
20
23
27
30
32
36
37
42
43
75
6
65
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS
103-
41
11!
12
18
22
23
27
28
29
31
3a
38
3fl
40
44
53
55
56
~ 6*
j 66
*w
1005
6*
1170
84
90
91
95
1210
11
14
29
35
37
44
61
66
67
69
72
76
80
83
86
98
1300
: i
7
13
14
15
21
22
2S
26
34
36
54
55
56
58


H I3o9
84
92
94
95
1400
8
: 20
28
36
43.
414'
4&
55
72
86
92
93
94
95.
96
15 M
12
14
13-
14
22
26
32
33
39
40
47
48
67
68
79
6*
NS PREMS.

1769
70.
73
75
80
82
88
91<
99
1800
I
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
15
65
6,

__
> 1-4
rr
20
26'
27
29'
33
34.
3ft
6r
66
68
73;
7*
77
85
87
m
1921
24
33
IM
43
!f4
6#

m
65 1955
i 59
68*
791
87
93
i 96.
2015
1
21
26
32
45
60
66
75
11.
m
85
m
88-
m
2104
10
46
20
22
27
28
45
52
58
59
66
68
71
75
65^180
i 89;
98
2201
18
17
22
26
28.
34
38
41
0
46
52
55
56
70
79
. 82
84
90
94
0: 95
836
65
81
64[
?5
64

7
8
11
13
K
28
29
30
33
4?
2343
50
53
54
62.
65
66
09
73
74,
75
79
86
88
89
93
95
97
99
2400
1

18
20
22
24
26
32
33
34
4
42
45
57
61
64
67
65
5
65
NS. PREMS. N8. PREMS
2469
72
73
75
78
80
85
92
97
98
2500
3
4
13
25
41
55
57
62
70
77^
78
79
80
83
87
90
92
93
95
2807
9
10
18
29
35
65
15
65
65
105
65
H
2643
46
47
48
53
62
76
80
88
89
2702
5
6
13
14
, 16.
20
23
26
44
52
77
79
81
. 88
99
2860
, I
41
13
46
27
30
34
43
47
NS. ITiEagL
5 2851 t{
57
62
71
72
73 4-
74 *m
11 l
78 S9ma
92 |
93
94
2902
! 7
11 *-
17
19
24
27
32
34
35
36
37
47
51
54
56
64
64
66
73
78
80
84
99

5
65|
*! irili
IllGlVfl
litt:

irn.nur,





- *
DISCURS0 PKOFERIBO Kk 8E&S&0 DE 1,2 DE
AGOSTO ULTIMO l-ELOSf. DEFUTAaO MtLA
moTunnA w> Parana, conseuiewo ha
Rt)EL "R'KCISCO CORREA, ACERCA DA 1IS-
m Sl0 DOGBKBIUL B.VATHt^. emviad) EXTRvortmxvrii e ministro PLE
NIPOTEXCIARIO DA KEPUIUCA ARGENTINA
EM MISSAO ESPECIAL
( ContinuacSo)
Nestas circomst&ncias, interessad'' o
Brasil em quo a republics Argentina nio
regularise sua situagao com o 1'araguay, e
encontra por este caminho o meio do nio
aju Jar-ncs e de nio tornar effediva sua ga-
ran'ia com rehgio ao tratado qua', nao obstante invocar-se em priacipio,
estd roto do facto, fican lo nds em uma po-
sigi > pret^ria psra com es nossos limitro-
phes, e olio d espera do acontecimcntos que
possarjpfiivore er suas vistas.
A' vista ducxposlu, penso que darim-
portancia d questao de f6rma tao araigavel-
mcnle apresentada, c complicar esta questio
comertendo-a em proltmiiiar official da 110-
gociagio de fundo, e, senao impossibilitar ol
oxilo da missio, colloca -la ao menus em con-
di^Oes summamente desvautajosas, ao que
se deve accresceiitdr, que sena servir ds
vistas deste governo, so e quo procede de
rad fe, pcis que pela mesma ratio" insistiria
na questao de forma que poJe fazer abor-
tar tudo.
t JJio obstante 0 expendido, eslon dispos-
to a proceder de conformidide com a ulti-
ma confidential de V. Eic. ; prevendo, po-
rem, o caso de que por este tneiu cliegue
mos a algum extremo, necessilo antes de
tudo (tauto para fazer pressao como para re-
gular meu procedimento) que V. Exc. me
babilite com instrucgdes precisas sobre us
pontus que passo a expor :
1 Se 0 governo brasileiro insistir na
questSo de forma, devo coraprometter a dis-
cussao official sobre este panto, que ate bo-
je nao passa de um ado puramento amiga-
vei e confidencial ?
2 Se nao for possivel entendormo-nos
sobre a questao de fdrma, poss- fazer pres-
sao de darando que serd isto motivo para
romper, ou para nioiniciara negociagao es
pecial do que estou encarregado ?
3" Si definitivamente, e depois de fa-
zer coostar officialmente todos os incidentes
anteriores, se aprcseut8r como obstaculo d
negoci.ii.ao de fundo o ndo ajustar-sc a ques-
tSo do f >rma, devo considerar rota toda rie-
gociag/'o e dar por termiiiada minba mis-
sfio ?
Sobre os pontos indicados espero as ul-
timas ins.rucgdes de V. Exc, oxcusando di-
zer que e u toJo o caso nao pouparei esfer-
qos para que as cousas nao cheguem a esta
extremidade, propondo uu aceitandu alvi-
tres que, salvando o rociprocj decoro e a
reciproca conveuiencia, uos aproximem do
accordo que a todos interessa, e que per-
sisto em acreditar antecipidamente aceito,
posto quo nao ambicionado por este gover-
no, uma vez que nao deixemos pretextos quo
nos afastem delle.
ileus guarde a V. Exc. Burtolomi
Mitre.
A S. Exc. 0 Sr. ininistro dc relagdes
exterioros da republica Argentina.
A cnmr.ra vo cnfirma Jo tudo quanlo es-
crevi deerca da questao de for.na, a qual
foi apresentada desJe a primcira conferencia
com 0 illustro plenipotenciario argentino.
Ye tambem cunfirmadn a declaracao de
que 0 Sr. general Mitre naojulgava quo de-
vesse ser desattendida a reclamagao brasi-
leira, cbegandoS. Exc. a manifestar algum
queixume, que me parcco justificado, pela
insistencia por parte do govorno argentino
em nao aitender d amigavel solugio confi-
dencialmnnte tratada.
Sobre o movel a que S. Exc. attribuia
noss8S ac(;6es, jd disse alguma cousa, e me
parce acertad > nada accrescentar. [Apoia-
dos.)
Estava o governo brasileiro 4 espera da
ultima decis&o do governo argentino, qua.11-
do 0 Sr. general pedio-u;c a conferencia que
realisou-.'ie em 10 de setembro, da qual S
Exc. dd conbecimento a sou governo em
confi lencial do dia seguinto, nostos tor-
mos :
Confidencial. LegaQao Argentina no
Itraail. Rio de Janeiro, 11 de setembro
de 187?..
A' S. Exc. 0 Sr. ininistro de relacoes
exterioros da republica Argentina.
Sr. ininistro. Ten ho a bonra de ac-
rusar 0 recebimento da confidencial de V.
Exc, datada de 26 do proximopassado, con-
tendu as neeessarias instrucgoes que solici-
tei a 19 do mesmo me/., a respoito da ques-
tao de forma e sous resultados, deerca da
qual coasultei V. Exc, tendo recebiio ao
mf>smo tempo a nota modiflcada sobre que
essa qimsiio versava e a minuta de respos-
ta d nifsma.
IVrfcitameute de accordo com V. Exc.
em que o governo argentino nao deve sa-
tisfagao ao imperio do Brasil, tauto porque
a energies defesa dos nossos direitos cor-
respondid a factos quo a atacavam e que
todavia nao tem tido satisfa^fto por parte do
imperio, x>mo porque, dado 0 caso de que
o go eroj argentino devesse ou podesse es-
tar dtS|ios4o a dar alguma explicagao sobre
0 incidente das notas, tal qaestao pr^via de
firma tiniia desapparecido depois da ultima
rcsposta do Brasil e de todos os actos pos
leriores. 1' por isso que na couferencia que
tive com 0 rainistro dos negocios do impe-
rio, de qi.e dei conbecimento em confiden-
cial de 27 do proximo passado, fiz valer es-
tas e outr js razOes pan apresentar tlo modo
raais conveniente possivel a queitfio de f6r-
ma promovida por e>te governo como um
novo p> elexto, para nao entrar desde logo na
questko de fundo, servindo-me da mesma
palavra e qualiflcando semelbante procedi-
Cazw simplesmapte d nota o additamento quo preencharo os fins para que fui acraditado J respouder a sen amfgo e alliado nesta nova
UvesseacbadoftnvwMaole, essa Mil U to- e lo|fM44MjHH l*ase dMu/ l0 "nportaado por ou-
muito da anterior) e eu estaria pando-mo sariamente dos fins de inha obis- na ultima nota brasileira reservas que nio
sao. Tendo vindo, porem. com condicoes, appareciam no sou oontexto, menos coosis-
ella prolonga indefinidameute a questlo de ton to era ainda a pretengio, desde quo essa
forma, obstando ds negociacdos, e danda ao discusao foi oriKina'* W)r' ftetos da parte
gabinete do Brasil novo pretexto pera pro- do iriisil qut, OTTeOdendo 0 qqsso direito e
longar esta incideme que, em ultima 'aha- ate" a nossa soberania, estavam entretauto
Iyse, pode ser causa de um mallogro da mis sem satisfayio.
sao, ainda que persista em crer que alguma Que, loage de devermos satisfagio al-
cousa se p6do fazer; 0 port chegar a bom guma ao Brasil por isto, elle e que no-la
termo empregarei todos os esforyos. dovia, porquantq 0 fada de tratar separada-
Disposto a cumprir, de todo modo, as mentecom o Paraguay, al^m de.ser contra-
insiruccdes do governo, quaesquer que fos- rio aos prolocollosde Buenos Ayros, impor
sem, comoo cominuniquei aoteriorraeote, tava iuterpretar por si e porante si os trata
dei cumprimento aellas com a raodiGcacio dos, que s6 os alliados de commum accords
que mencionarei naais adiante, posto nio se- podiam e deviam interpretar, sobretudo
jam ellas precisas para o caso de que este quaado se trata va de recolher os fructos de
governo nao aceite a troca das nota.' que V. esforcos e sacrifioios uommuns. Que e?te
Exc. propde ; caso em que seria necessario procedi nento tinba sido aggravado, fazen lo
dar andamento a anterior nota suspense, fi- se mysleno de tal ado, som dar oos delle
caudo a negociacao interrompida de facto, nenbum conbecimento e ajustando clausulas
emquantose ajustasseji incidente de gover- aberlamente contrarias aos tratados no a governo, se este governo persistisse na lianca e aos prutocullus de Buenos Ayres,
questao de iorma, como quejtio sine qua cujas estipulagdes tinbam sido esquecidas,
non para ir adiante, o que ate" agora nio estd como succedia com a uccupayio militar iu-
claro, inclinando-me a crer quo talvezniu defmida pur parte du Brasil, como 0 reco-
persista em tal resolujio depois das consi- nbeceu o proprio Bario de Cotegipe na carta
dcracfos que lbe tenho manifestado. que publicou, na qual trata de eiplicar esta
Entre os inconveniontos que me crea- violencia pela singularidade da situacao de
vam as raesmas iastruccdes cum rolacAu d Brasil.
nota modificada, assignalarei algunssim-j Que, alem disso, a nossa primeira nota,
plesmeiite para que ellos sejam completa-. em quo se annunciava o protosto, foi Nspus-
dis, babilitando-mc para todos os casosOc-'ta a um acto offensivo por parte du Brasil,
currentes. Em primeiro lugar a nota mo- 'du qual se nos deu um simples conbecimen-
dificada puuco differia da nota anterior no'to por meio do ministro brasileiro, residen-
funJo e na forma, c satisfazia aponas indi- [te em Buenos-Ayres, quaudu jd ora um facto
recUmente ao desejo manifestado. Segun- consummado, nao deixando-nos uutro alvi-
du, em vez de satisfazer u deseju manifesta- tre senio o de dirigirmo-nos direcUmonte
do por este governo, continba duas novas ao governo do Brasil para reclamar, como
exigeucias, as quaes eram : entrar immedia-[fizemos, sem que tal passo importassecrear
tamente na qnestau de fundo, trasladando a nem promover uma questio que jd existia.
discussao para os actos diplomaticos, e a Que, como eu o tiuha dito em outraucca-
condigao expressa de uma respesta nos mes-jsiio ao Sr. ministro de negocios estraugei-
:ius termos, satisfazenlo-se aquella exigen- ros (na couferencia do Hdejulbe da qual
cia officialmente formulada. Terceiro, pe-] dei conbecimento, omittiudo esta cireu.ns-
dia-se respesta ao que na mesma nota se tancia) a primeira resposta do governo do
qualillcava de simples accusacio de recebi-j Brasil d essa justareelamagaj tiuha sido al
nento, 0 que nas relacdes officiaes uu con- guma cousa mais du quo uffensiva, pois que
fidencias nio e estylo responder, posto que, j tiuha siJo menos amigavel, ako s6 pelu facto
pela singularidade do caso, como V. Exc. deni>nosabnr 0 caminho conciiiatoriu,
diz, podesse ser este um meio para trocar [ que nessa nota propunbainos, como tambem
palavras amigaveis desde que houvesse boa porque chegarva ate" a dar razdo ao Paraguay
vontade para isso. Quarto, prescrevia de em sua resistencia ao estipulado nos trata
antemao a forma e o alcance da resposta, dos de allianca, 0 que se aggrayava com o
quando por parte do governo brasileiro sej facto da resposta a respeito da ilba do Cer-
tinha deixado d espontaneidade do nosso go- rito, quo affectava nossa soberania territo-
1
verno a f6rma e 0 alcance do additamento,
0 qual teria aceito, qualquer que elle fosse,
como manifestei antes.
>'ao obstante 0 que procode, dispuz me
immediatamente a cumprir as ultimas ins-
tructs de S. Exc. e em consequencia, em|
rial.
Que, nao obstante isto, n6s nao fizemos
effectivo nosso protesto, e nos limitamos d
uma exposigio de doutrina e a uma defeza
de nossos direitos que, qualquer que fo^se
sua evi lencia, era provocada por actos e
data de 9 do corrente, pedi ao ministro dos palavras nouco amigaveis, tendo ficado pen-
negocios estrangeiros uma confereiicia con-, dente a discussiu oma ultima nota do
fidencial para Iratar do assumpto penden- Brasil, na qual, qualquer que fosse o juizo
te; tendo feito ass'im para corresponder ao que sobre ella tivesse, teria visto, tanto o
procedimento deste governo, que nio tinba meu governo como eu, um acto amigavel
"' que fazia estranhar tanto mais a questio ie
forma, que huje se promovia artiticialmen-
querido formular officialmente seu desejo, 0
porque transferir desde jd a questio para 0
terreno official nos collocava a ambos em um
terrene escorregadio, que poJeria arrastar
nos alem dj que desejavamos.
u. A couferencia tevo lugar em 10 do cor-
rente, ds 10 1/2 boras da manha, no mi-
ntisterio dos negoci s estrangeiros.
Corno introdu gio, disse ao Sr. Correa
que, considerando docisiva- esta conferencia,
tinba pedido que ella fosse conGdencial,
para da/ tempo e liberdade d reflexSo e po-
te, apparecendo como um pretexto mais do
que como uma razio, quo, sem por em du -
vida sua boa fe, assim teria qualiGcado pelo
inui) Jo imparcial. Que, pelo que nos toca
ninguem poderis desconbecer njssa mode
racao e 0 muito desejo de cbegar a um
accordo, salvando em todo o caso a paz e
as boas relagoes entre ambos os paizes; e que
se o Brasil que, por nio temer pur isto a
guerra por nossa parte, acreditava ter asse-
der lallar com mais frauqueza e ao mesmo gurado raelbor os resultados da allianga e
tempo com mais cordialidado Quo deplo-! seus tratados em separado com o Paraguay,
rando que, tendo entre maos tao graves in- sem necessitar de nos, pensavaque se equi-
teresses, nos achassemos paralysados por vocavam porque n6ssem necessitar precisa-
uma nova questio de f6rma, que alguma mente de accordo commum, posto que o
boa vontade, por parte do Brasil, haveria! anhelassemos comu melbor para tudos, u
evitado, ou poJia remover, eu nie podia J prucuravamus cum sinccridade, em bonra
nem devia ver nella senao uia obstaculo ar- e em beneficio commum para nio deixar
tiGcial (textual) para comegar a tratar com uma situagio indeGnida que, sem sera
ser.edade da questao de fundo. Que a tal guerra nem rompiinento das boas relagdes,
questao do fdrma era insustentavel, porque-'compromotteria uu tornaria duvidosos ou
nao nascia logicamente de nenhum antece-:menjs focundos os beneficios da paz que
lente, e t imbem porque, quando tivesse uma politica internacional previddite pode
vontade p ira liquidar nossas questOes penden:
tcs, com tudo 0 mais,que se me offereceu
dizer, sem que minhas observagues funda-
nientaes fijssem abaladas, Gcando, por tan-
to, vantajjsamente habilitado para currprir
a iisirucgoes de meu governo.
Ainda no caso de uma negativa absolu-
ta, nao otistantea opiniio que particular-
men: e cm.ttide que nio haveria inconve-
nien.e um addicionar d nota uma pbrase
amigavi ainda quando nio fosse senio para
snu'Mazer :ss3 desejo tao amiga\ lmonte ina-
nifes::ad<)t desde que stm exige:icia alguma
se Jeixava seu alcance e sua forma ao go-
verno arg.mtino, com a vantagem de resta-
beleter desde logo por este meio as boas re-
lago'is, ci trando immoiiamente nti negOj
ciagao da qi.estio de fundo som oinbarago
algum.
a be a resolagSo de V. Exc. li
sido possivel, ou tivessoexistido alguma vez,
teria desapparecidu por actoi espoutaneos do
Brasil e por actos intcrnacionaes de que jd
nio era dado prescindir.
Que depois das palavras pronunciadas
assegurar para 0 presente e 0 futuro.
Que apezar de ser o governo argentino
0 maisinteressaduem manter uma discussiu
que nascia de factos estranhos, que offen-
diam nosso direito, dava o bum exomplude
pelo imperador do Brasil c polo presidente j nio continua-la, procurando transferir para
da repuhlica Argentina perante os respedi-u terreno dos actos serios da diplomacia
vos parlamentos e d face do raundo, de- J uma correspondencia directa que podia ag-
Dois dos termos de minha credencial, em,gravar a situagio, levandocada paiz mais
que se faz mengao, nos termos mais amiga-' alem do que queria e convinha. Que a no
veis, dos servigos que eu tinha podido pres- ta anterior (a suspensa) respondia a estes
tar d allianga, e dos discursos trocados no propositos, referindo-se, pjlo que toca ao
acto de minba recepgio publica, em que 0 mais, ao que eu Gzesse e dissesse como re-
imporador assegurou d minba missio termo presentante do governo argentino, tendo
honroso e feliz para ambos os paizes, tal ido por minha parte ate" offerecer-me pafa
questio nao existia, e que.se houvesse exis-rdar todas as expligagdes necessarias sobre
tido alguma vez, a teria eliminado o facto os conceitos que pudessera parecer offensi-
de respouder 0 governo brasileiro d nossa vos, ainda que, em realidade, o nio fos-
ultima nota, sem insinua-la s-jquer, provan- sem, desde que nio estava em nossa inten-
do assim que 0 quepdde ser questio entio, gio, Gcando bem entendido qae taes expli-
nio 0 era nem podia ser hoje ; accrescen-j cagoes seriam reciprocas como convinha,
tando que, dado ainda que houvesse often-1 no que' tambem podia apoiar-mo na opi-
sa em os termos da correspondencia reci- niio do Sr. Visconde do Rio Braaco, qae
proca, minha missao e permanencia no Rio ao indicar-me como uma difficuldade a fal-
de Janeiro era a maior satisfagao que po-ta de resposta di ultima nota brasileira, em
diam desejar, alem deque como lhe tiuha termos satisfactorios, me disso que a pota
dito, tinha instrucgoos para dar e receber argentina de 27 de abril podia dar lugar a
reciprocamente as explicagoos que podessem algumas explicagdes, assim como a nota Dra-
ser necessarias a respeito de conceitos que'sileira de 22 de margo tal vez pudesse tam-
passassem alem das intengoes benevolas do bem reclamar algumas. f
ambos Os governos <( Que iniciada, ainda que amigavel e
Que a esse respeito podia invocar a confidencialmente, a questio de forma,
opiniio autorisada do Sr. Visconde do Rio como eu 0 previra e tinha annunciado, o
Branco, presidente do conselho de mi- governo argentino tinha tido difficul lade em
nistros, 0 qual, na conferencia particular que acceder ao desejo do governo brasileiro, nio
precedcu d minba recepgio official, tinha- obstante abundar nos mais benevolos senti-
me declarado que a questio da retirada da mentos, por quanto tal questio era, alem
ultima nota argentina foi assumpto de re- de infundada, extemporanea, e nio estava
solugio tomada em conselho de ministros do revestida de caracteres $dri, reservando-rae
Brasil, tendo prevalecido a opiniio de que expor ulleriormente as razoos em q'ie meu
nio tinha lugar a exigencia da alludida re- guvernu fundou esta negativa. Que nio
lira la, desde que, sendo uma exposigao de obstante isto, 0 guverno argentino, deferin-
mentu de falta de boa vontade, ou 'seja mdldoutrina e uma defesa dos direitos, que acre- do ds minhas observagoes, se prestava agora
ditavamos ter, em termos mais ou menos a modiGcar sua nota anterior suspensa, eli-
consequentes, se tivesse havido verdadeira minando algumas palavras que poderiam
offensa, a simples retirada da nota niu an- ser interpretadas de mo Jo centrario aos
nullava, uma vez que tinha ella sido publi- seus sentimentos, addicionando-lbe outras
cada pelo governo argentino, e, existindo se- que, sem constituirem uma satisfagao que
melhante offensa, era indispeusavel eiigir a nio devia, importavam uma abertura for-
satisf.igao a que ella desse lugar, pelo que mal nos termos os mais amigaveis.
se tinha concordado em responder a nossa Que este procedimento tinha sobre o
nota nos termos era que se fez, flcando des- indicado pelo Sr. ministro dos negocios es-
de logo eliminada a questio de f6rma, que trangeiros a vantagem de, em vez dereabrir
hoje se promove. discussfto sobre conceitos e incidentes que
Que alem disso, pelo facto de ter eu felizmenle tinham passado, pdr diguamenle
sido reeebido no caracter de enviado em termo ds reciprocas recriminagoes, e dand >
rmissao especial, tinba'-se aceitado sem con- por encerrada a discussio, dava lugar d
digoes os termos da credencial, que me au- troca de boas palavras no sentido de um ac-
^Ka a tratar da'questfio de (undo, quo cordo. Que tal aJdigio era 0 devia ser con _
^^inda pan ltuUj depots dedous me- dicional pela espocialidade do caso, pois,
ilia residuueia aqui, umbaragado desde quo 0 governo brasileiro desejava al-
piestiq.de fom nio torn ra- guma cousa mais do que uma simples ac
que se cusario de recebi'nento, lhe competia cor-
lcipni^a^ wdlwo woltmentos ruaai-
h pelo govern t argeatino. Que alem
disto, 0 'governo argentino nio necessitaya
desta resposta por quanto ate agora, nio
obstanteeoah*eer-se aproxima lamente quaes
era n nossas exigeucias, que nio iam alem
do racional e do decor >so para ambos os
paizes e para Indus o; alliados, inclusive o
proprio Paraguay, ate hoje o ^overuo bra-
sileiro nem official nem confi iencialineute
tinha feito coubecer quaes eram as bases,
sobre as quaes estava disposto a resolvcr
decididaraemo as questdes peu-lente;.
Que para nos prestarraos a rasolver a
questio de forma, que tinh.i surgi lo, mos-
trando -nos nosta parte difforentes, necessita-
vamus saber se 0 Brasil estava realmente
disposto a resolver as questo-s que nos di-
vidiam, pois que nio valia a pena ajustir
questdds de mera forma, sem razio de ser,
se depois disto haviamos de encontrar novas
diflic d lad-is ao iniciar a quesli do fun lo,
e que o peubor de que assim nio seria. ain-
da mesmo sem por em duvida a b >a fe do
governo brasileiro, era uma resposta que
correspondesse d nossa abertura 0 a nossos
sentimeutos amigaveis, officialmente mani-
festados. Que tal era presentemente a si
tuagio respoctiva, que os successos nos ti-
nham creado logicamonte, que poliaresu-
mir-se nesto dilemma : ou ajuste da questio
de forma com a condigao do dar nos sogu-
ranga de ajustar a questio de fundo, ou
insistencia em uossa nota anterior, deixan-
do ao Brasil a responsabibdade de seu pro-
cedimento, ou, o quee o mesmo, troca re-
ciproca Je pala ras amigaveis, que nos apro-
ximasse de um accordo, autes de chegar ao
escandalo de prol ngar, sem razao, uma
situagio que p idia e devia ter um termo
mutua nento satisfactorio e honroso, b quo
imporlava nocessariameute uma resposta d
nossa nota mo liflcada 0 addicionada para
chegar a este resultado.
Dopois desta extensa exposigio em que
me estendi sobre outras consideragoes, que
omitto por ndo serem essenciaes, e que du-
rou por uma bora, sem que 0 Sr. ministro
dos negocios estrangeiros me interrompesse
uma so vez, li lhe iiitegralraeiite a nota do
V. Exc de 10 de agosto, em que fun lava
sua primeira n^ga.iva a acceder ao desejo
manifestado pelo gabinete do Brasil, decla-
rando depois disto que, nio obstante 0 fun
damento de suas razous, 0 governo argen-
tin >, attendendo ds minhas observagoes, ba-
seadas em outra ordem de ideas, se tinha
prestado a satisfazer aquelle desejo, modili-
cando e ad Jicionamlo sua nota nos termos
em que ia dar-lbe leitura, porem com a
condigio de que essa nota fosse corrospou-
dida com uma resposta analoga. Entio
li-lbe a parte da nota de V. Exc. que se re-
fere d questao Je forma promovida, e d con-
digio expressa antes indieada ; depois disso
lia cdpia da nota modiftea la, e,.como um
simpls apontameuto, a forma da resposta
que V. Exc. juntou d sua referida nota de
26 de agosto, dizendolhe que era simples-
mente um projecto, no qual nio se fazia
senio repetir nossas pr iprias palavras e sen-
timeutos, parecendo-me que devia corres-
ponder assim a seu amigavel procedimento,
tanto porque tinbam deixado a nossa espon-
taneidade a forma e o alcance do addita-
mento, como porque, apresentado 0 pro-
jecto como objecto do discussao, n6s crea-
vamos, sem o poder evitar, 0 novo embara-
go de por outra vez em discussao a forma
de nossa nota modificada.
0 Sr. ministro Correia permanecou em
silencio por um lougo ospago de tempo,
lendo a copia da nota moJiGcada e 0 pro-
jecto de resposta que puz em suas mios,
rnostrando-se pouco satisfeito de sua leitura,
depois do que me disse : Que eu tinha feito
sob meu ponto de vista, e em defeza do que
considerava direitos de meu paiz, uma ex-
tensa exposigio, que impoitava uma accu-
sagio ao procodimmto do govorno brasi-
leiro, a qual exigi 1 por sua parte- uma refu-
tagio, ao que obsa/vei que, como elle tinha
dito, nao ora senao uma si nples exposigio
de factos para motivar e justilicar nossa at-
titude em presonga da questao pre'via que
nos suscitavi, so n pretender entrar em dis-
cussio sobre os diversos topicos que ella
comprehen lia, em virluie do que o Sr.
ininistro teve a bem nio insistir sobre este
ponto no qual me parece nio so cousiderava
forte, como >e deduz pe'o quo disse depois.
0 Sr. ministro Correia continuando,
depois de repotir-mo o que jd em outras oc-
casions me tinha dito, que a questio do
forma havia surgido em presonga da ultima
resposta argentiua (a suspensa), e que nio
tinha sido formulada na ultima resposte
brasileira para deixar d espontaneidade do
governo argentino a opporlunidaie de cor
resp mdor d manifestagao da sua resposta,
me disso : que o governo brasileiro devia
estranhar que, quan to sem formular exi-
gencia alguma, deixanl) a forma 00 alcan-
ce ao arbitrio Jo governo argentino, se ti-
nha limitado a m mifestar, conGdencial e
amigave'mente, desejo deque se inclmsse
em nossa resposta algumas phrases que at-
tenuassem ao menos o eltato quo a nota
argentina de 27 de abril tinha causado no
Brasil, nos termos que elle julgasse mais
conveuientes, tinha mais razio para crer
que a md vontade que com tanta insistencia
eu attribuia aj governo brasileiro, existia
antes da parte do governo argentino.
Que a resposta modiflcada, differinlo
pouco dos termos da anterior, nio raliGcava
nem reaggravava os termos da nota do 27
de abril, que podiam crer-se intencional-
mente offensivos ; porem que vinha acom-
panhada do uma nova exigencia, a qual era
a.de entrar-se desde logo na questio de
fundo, com a condigio, alem disso, de uma
resposta. Objectei entio ao Sr. ministro
Correia que a parte coiilicionat, que era in-
herente d modificagio da resposta suspensa,
nio era uma nova exigencia, mas uma con-
sequencia logic.i do desenvolvimento da
questio de forms, tal como elles a haviam
estabelecido, a mou rao lo de ver artificial
mente, e qjwfapparecia como um mero pre
texto para nio tratar seria-'aeute das nossas
questdes de fundo, Se o Brasil pudesse ter
difficuldade em dizer nos que participava de
nossos desejos e esperaugas de chegar a um
accordo sobre 0 assumpto.
Que se, como elle me dizia, o govorno
brasileiro desejava tal ajuste, nia via qae
difficul l,i io iialesse haver em manifesta-lo
11 is l-nnosque julgasse mais convenientes,
po lendo dar lug..r a por-se em duvida a
sua boa vdrftade c-sti negativa a urn acto
tao simples e conveniente para o resta'bele-
ciincnto das boas relagd^s, ao quo devja ac-
iUif-so 0 anteoodente de que jd tinha
foito m? sbertquo at6 agora o go-
verno do Brasil nio nos tinha manifestado a
sua boa disposigio para resolver as nossas
questdes pendeutes por causa dos tratados
celebrados em separudo em Assumpeio,
guardaudo comploU roserva ate a respeito
das bases, sobca as qutes poderiajoos ini-
ciar a negociagao de qae estava eBcarraga-
do, em quanto que por minha parte, einbjra
nio tivesse f jrmulado bases, ha via abunda-
do em franqueza, doclarando que, incum-
bido de uma missio de paz e amizade, nao
vinha reagir contra os factos qua liubam
silo consum Dados som o nosso concurso,
e sun si nples men to aproxima-los quauto
fosse possivel das ostipulagoes do trata do do
1 do maio e protoc jllos complotamonlarcs
de Buenos-Ayres, de que se tinha presoiu-
dido tanto na negociagao em separado' do
Brasil, como nts proprias estipulagoos dos
tratad sde Assumpgao, comeganJo por in-
terpretar, e executar por si e perante si, se-
guuJo essa intorpretagio, os tratados de al-
lianga, e acaban lo pelo myslerio quo so fez
de semelhauto procelimenlo em rulagioaos
alliados, era cujo prdjuizo vinha a roJuuJar
aquelle procedimento.
0 Sr. ministro Correa replicou que 0
mysterio da negociagao, a que eu tinha al
ludilo, era urna circumstancia accidental,
visto que nos protollcs ajustado> polo nogo-
ciador se estipulava a participagio aos allia-
dos, tetido-se, no mais, ajustado tudo de
conformidade com os compromises do tra-
tado dc allianga.
A este respeito observei ao Sr. ministro,
que 0 proprio bario do Cotegipe, negocia-
dor dos tratados de Assumpgio, tinha reeo-
nhecido em sua carta, que foi publica la,
que elles continbam clausulas contrarias ao
tratado de allianga e especialmente aos pro-
tocollos de Buenos-Ayres, no que se reforia
d occupagio militar indelinida do Paraguay
por tropas brasileiras (sem mencionar u
proteclorado de facto que isto impoitava*) 0
que elle explicava e justiGcava, a sou ver,
com o facto de ter-se visto obrigado, segun-
do dizla, a tratar separadjmente, conside-
raa Jo isto como um facto transitorio, que
um accordo commum dev'13 fazer cossar,
sem quo por isso se iusinuasse nenhuma
questao de f6rma, para poder-se chegar a
esso accordo; longe disto, afastou so to-
do o obstaculo desse gonero era um espiri-
to que, cumpria um dover em declarar,
considorava olov-ido e de boa politica.
Com este motivo iuterpellei ao Sr. mi-
nistro se o giverno brasileiro aceitava, da-
mo base para uma negociagio sobre nossas
questdes penlentes, as que 0 bario de Co-
tegipe tinha communicado ao ministro de
relagdes exterioros da republica Argen
tina.
0 Sr. ministro dos negocios estraugoi-
ros respondeu-mo sem vacillar, que sim,
e que, se a isso se limitavam nossas preten-
gdes, por parte do governo do Brasil. nio
havia difficuldade.
Tendo eu observado que, ao fallar de
baso, S. Exc. as toraava simplesmente cemu
um ponto do partida para entrar em nego-
ciagdes, e que me referia ds bases taes
quaes tioham sido formuladas em nossa ul-
tima nota, cuja exactidio tinha publica-
mente reconhe^ido o proprio bariu de Co-
tegipe, 0 Sr ministro me respondeu immc-
dia'araente, que assim considerava essas ba-
ses e qae se referia a ellas, taes como ti-
nham sido rodigidas pelo Dr. Tejodor.
Dopois de tr car algumas ideas sobre
esses topicdt, declarei ao Sr. ministro, que
era para deplorar que, estando quasi de
accordo no'fundo, e lao' proximos a nos
entendermos, alcaugando 0 resultado hon-
roso e foliz para ambos os paizes, que 0
imperador tinha augurado a minha missio,
seria doloroso, e ate vergonboso, que a ne
gociagio nio se iniciasse por uma mera
questao de wrraa, que, 0 repetia, podia ser
considerada como um pretexto Glho da md
vontade, Gcando assim esterilisada a boa
disposigio quo agora mo manifestava.
Tendo feito 0 Sr ministro algumas
observagoes sobre a anterior nota (a sus-
pensa), e a ultima modificada com a con-
digao de uma resposta, mostrou-se pouco
satisfeito, iusinuando que por tal modo nio
parecia possivel que chegassomos a um ac-
cordo.
Observarei ao Sr. ministro que reflec-
tisse tranquillameute na situagio que uma
rosolugio de sua parte em sem*dhante sen-
tido poJia croar, pois que, se nao aceitava
a nota modiGca la com a condigio de cor-
responder a este acto amigavel, eu me ve-
ria forcado a declarar a que se desse anda*
meuto A nota suspensa, e entio se insistisse
na questao de f6rma, vina ella a ser condi-
gio sine qua non para entrar na questao
de fundo ; 0 que seria pouco digno do uma
nagio como o Brasil, e pouco se>io om pre
s'enga dos graves interesses de que se trata
va, emquanto que Gcaria manifesto o nosso
sincero desejo de chegar por todos os ineios
possiveis a um ajuste, para o qual nio ti-
nhimos omittido esfurgus, viudu ate pro-
cura-lu modestamento aqui no Rio de Ja-
neiro, dando assim o primeiro passo e nio
poupando esforgos para chegar a um re-
sultado.
0 Sr. ministro disse-me que em tal
caso, isto 6, de dar andamento d nota sus
pensa, elle ver-se hia na necessidade de di-
rigir-se directamente ao governo argentino,
manifestando os motivos pelos quaes tal no-
ta nio era satisfactoria.
Pareceu-me inutil obsorvar ao Sr. mi-
nistro que semolhante procedimento seria
irregular, tratando-se de uma accusagio de
recebimento que nada dizia e que se refe-
ria ao que eu Gzesse ou dissesse para dar e
receber as explicagdes necessarias que por
esse modo se esquivavam de receber, limi-
tando-me a dizer-lhe que, dado tal caso,
ver-me-hia na necessidade de fazer constar
officialmente quanta confiJencialmente se
tinha passado entre n6s, e que entio, ao
pedido que Gzesse para entrar a occupar-
rae dos assumptos da missio especial, em
que f6ra recebidu^ teria u guvernu do Bra
sil de declarar qae nio honrava as minhas
credenciaes, depois de te-las aceito, 0 que
nio me parecia regular e acroditava por
isso mesmo que nio chegariamos a tal ex-
treme.
a Nesteestalo da conferencia, e tendo-
se ella prolongado por ospago de duas ho
ras, propuz ao Sr. ministro : o-i que a sus-
pendenso para renova la depois que elle
houvesse meJitado dotidamoute sobre 0 as-
sumpto, ou mo convidasse para uma nova,
depois que, pela gravidade do caso e de
suas consequeiicias, tivesse consultado
opmiaodo gabinete, doixart io-lhe pira este
li'Ti c6pia da nota modificada e do proj-c-
to de resposta, con a condigao de serem
JovolviJos no caso do nao chegarmos a um
acc'01
0 Sr. mini alyitre, ae-
;UranJo me que, pela gravidade do caso
xmsultaria a opiniio du gabinete, nao to.
mando sobre si so a responsabibdade.
a Disse-lhe entio que, disposto a fazer
todo o que de mim dependesse para evitar
uma desioteliijrnB|a e chegar'a um accor-
do, pretaadia ter uma eatrevisla com o St.
visconde do Rio Branco, idaa que 0 Ik.
Correa approvou, dizenlo-me que o veto
do presidente do conselho de ministros nio
so era preponderate uos conselhos do go-
verno, como porque S. JtxCn era um homem
publico que doveria er consultado sobre a
matoria, ainda quaado nao f sse ministro,
ainda quando 0 partido a que elle pertou-
ce nio estivesse no poder.
Cum 0 qua terminou nossa conferen-
cia, tendo no mesmo dia solicitado por es-
criplo uma entrevista par.icular cob o Sr.
visconde do Rio-Branco, que me respondeu
convidando-me pela manha, e mamfestan-
do-mo u muito deseju que tinha de que ella
se realise. D-) seu resultado daroi conheci-
mento a V. Exc. em officio separado
Deus guarde a V. ExcBarlholenU Mi
Ire.
Antes de proscguir terei a satisfagao de
confirmar as palavras que me ouvio o Sr.
general Mitre com relagio ao Sr. .presidente
do conselho e a sua competencia na ques-
toes de que uos nccupavamos. Ella* nao
estio assim oscriptas nas minhas notas, por
que tinham dc ser lidas na presenga de S.
Exc, e eu nio desejava que puJesse ver
nellas um simples cumprimento.
Nosta confideucial 0 Sr. general renova
seu queixume, por nio ter logo 0 governo
argentino annuido d sua opiniio que conti-
cuava a julgai a mais acertada", e era
alias, conforme a do governo do Brasil.
Diz S. Exc. que se podia ver' no pr. co-
dimento do governo brasileiro um pretext 1
para nio entrar logo ua questio de fuuc.o,
duvidando que se ligasse toda a importancia
d questio cbamada do fdrma, duvida que
S. Exc. nio devia ter. desde que eelle pro-
prio quera reconhece a prudencia com que
no imperio sa tratam os assumptos desta
ordem.
Diz din la 1 Sr: geuoral que nosta confe-
rencia perguntou-me se o governo brasileiro
eslaria prompto a aceitar as bases formula*
las polo Sr. Tejedor, quan do est-ave em
Buenos-Ayres o uobre Sr. barao de Cotegi-
po, e que eu respondi sem vacillar.
Esta parte nao consta das notas que es
crevi pela razio de quo meus collegas esta -
vain be.n certos sobre este ponto, que jd
havia sido tratado em a nota de 20 de
junho.
0 que sobre esta couferencia escrevi foi o
seguiute :
0 Sr. general fez u oa extensa exposi-
gio dos aconteciinentos, e lea, sera mos-
trar-me, 0 despacho em que o Sr. TejeJor
dd as razdes pelas quaes nio julga deve' at-
tenJer d questio de fdrma, nio aprosenta-
da anterior mente, e mostrase resentido,
primeiro por se ter declarado razoavel a re -
luctancia do Paraguay, na questio do Cha
co ; 0 seguudo por se ter trata lo separada-
uen e com o Paraguay, de fdrma que,
a haver substituigao da'nota, deve haver
resposta por parte do governo imperial.
Leu-me os termos da substituigao da no-
ta ; e, meramente como uma indicagio
para 0 governo imperial apreciar, disse
em quo termos podia ser a resposta de mes-
mo governo.
Li atteutamento 0 projecto de nota quo
se me apreseutou para bem aquilalar as
diiTorengas da anterior, Disso depois a S.
Exc.:
Que nao me parecia necessario acorn-
panha-b na apreciagao bistorica que havia
feito, e que tambem por nossa parte ja
torn sido foita, pois quenio t nba isso irame-
diata ligagio com 0 assumpto principal
de nossa couferencia.
Que tambem nio voltaria ao objecto
do que tratara ua anterior conferencia, e quo
fdra ropro tazido, por jd ter dito quanto bis-
tava para justificar a opiniio, em que per-
manecia, dc que a respons-abilidade dos
successos posteriores nio pesava sobre o
Brasil. So eu tivesse duvida a este respei-
to, como essa responsabibdade era grande,
reconsideraria a materia.
Tratando especialmente do assumplo
que estava diDQcultando as relagdes dos
dous estados, cumpria-me assignalar a no-
va face que se lhe quer dar, tornando con-
dicional a substituigio da nota quo depe--
derd do resposta para a qual S. Exc. entre-
gou-me um projecto que eu recebia como
documento historico 0 para que meus col-
legas tivessem pleno conbecimento do as-
sumpto para Gnal docisao.
Apreciando 0 projecto da njta que torn
de ser enviada em substituigio, via sdraenlo
que se confundia 0 procedimento dos dous
gvefhos, como se o govarno brasileiro tives-
se escripto alguma nota semelhante a de 27
de abril.
Que a meu ver, nio havia neste ptoco-
dimento sdmentoa falta deboa vontade quo
o Sr. general tem notado p?- parte do Bra-
sil, mas muito md vontade;. pois que nan
se explica a difficuldade opposla om satisl'a
zer ao govarno imperial, a nao ser que
o governo argentino tenba visto no pro-
cedimento do brasileiro um acto menos con
forme d sua diguidade, uma humiihagao.
|jv Exc, porem, bem via que semelbante
idea nao podia haver, desiie que a Brasil
nao manifestou senao o desejo de que s-*
escrevessem na resposta palavras, o arbi-
trio do govern > argentino, que desGzesse.ii
a md impressio causada pela nota de 27
de abril.
Qra, sendo a arbitrio do govorno ar-
gentino, nio ha duvida do que serio cou-
formes d sua diguidade ; restava, pois, que
a resposta fosse tambem satisfactoria para o
Brasil.. E' este sdmente o ponto ; e tio
difficil tem sido- Jii) ha o intento de hu-
milhagio, que o governo brasileiro, que
nio o supportaria por sua parte,* nio mani
festa mesmo par*, com os estados men >s po
derosos.
Assim, pois, eu achava que notar no
alvitre proposto, mas era questio muito
grave, e como ao deixar S. Exc tinha de
ir conferenciar com meus collegas, do tudo
OS inteiraria.
Disse-me entio S. Exc. que, se uio
fosse pessivel accordo, teria de expdr tudo
o que ha occorrido, conforme antenormente
iue doclardra.
Respondi que, nesse caso, quem teria
de pronunciar se primeiramente era eu,
expoulo, por parte do governo imperial,
os motivos por quo nao considerava adttris-
sivel a nota do Sr. Tejedor de to de julbo.
Era este, e nio podia deixar^do ser, o pri-
meiro passo. {Continmrse-ha).
\TVPTUO DUWIO -RUA Db'QUE DE CV

r?
avaVHaTBI
i

M^RMH


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECTVMWM1E_4TOT4X INGEST_TIME 2014-05-27T23:24:13Z PACKAGE AA00011611_16709
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES