Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16706


This item is only available as the following downloads:


Full Text
1
t
m Srs.Gerardo Antonio Alves& Filhos, no Para5 Conceives & Pinto, no Maranhao; Joaquim Jose de Oliveira&Filho, no Coar.i Antonio de Leiuu. ftrgi, no Aracatv ; Jcfe, ria Joiio Chaves, no Assd; Antonio Marqaes as Silva, aoSrttf; Jut* Jo*
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jose1 Gomes, na Villa d* Peaha; Belarmino dos Santos Bnlcao, em Santo AnUo ; Domingos Jose da Costa JJraga, em XazuMh';
Antonio Ferroira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar do.Al*tfc*; Alves d C, na fiahia; e Leite, Ce/quinho d C. no Rio;de Janeiro.
PAKTE OITICIAL

#

f-overno da proviuciu.
KXPEDIG.NTK 1KI IMA 2 OK AG0STO DE 1873.
1- SfCCaO.
Offlcios :
Ao Exni. brigadeiro commaudanto das ar-
rnas.Uande V. Exc. por em liberdalo, visto ter
provado isencao legal, o recruta Joaquim Gomes
Gainell .
Ao mesmo.Sirva-se V. Exc. da raandar
pOr em liberdade o recruta Mauoe! Francisco da
-Silva, que provou isencao legal.
' Ao inspector do arsenal de marinha. -Auto-
riso V. S, corno solicitou em seu officio desta data,
sob a 681, a comprar no mercado, para serein for
necidos a corvera a vapor Vital de Oliveira, 33-2
kilogrammos de graxa do Rio Grande do Sul, 147
ditos de estopa de algodao, 460 ditos Je doce, 20
olhos de boi, 12 pas de bico e 12 litas quadradas,
visto nao lur o almoxarifado de marinlia taes
objocto:; disponivcis
Ao cominandaute do presidio de Fernando de
Noronha.Envio V. S. na primeira opportunidade
para esta capital, com a deviJa setfurnnca, o sen-
tenciado Joaquim Francisco de Mello conhtcilo por
Joaquim Cali-to de Hello, quo pelo Dr. chefe do
policia foi requisiiado em offlcio n. 136* do hon-
tem dalado, alim de rcsponder ao jury no ler.no
de Sariahaem.
Ao engeaheiro das obras militaresMande
Vm*. sem demora procoder aos reparos preeisos
no telheiro que cobre o poco do quarlel da Sole-
dade, na iraporianeia do 25*070. segnndo o camento annexe ao seu offlrio de 22 do julho pro-
ximo findo.
2." teccao.
Offlcios :
Aocommaudanie superior do Recife. A* vis-
ta do qua expoi V. S. em offlcio n. 640, do 4 do
mez ftodo, flea de nenhum e'Teitoa dispensa eon-
cedida a Jorg3 Lucas Goncalves Junior, do servico
da guarda national, como lliu foi del^rmihado em
officio de It de junlio proxiuo passado.
Ao commanlanle superior do Olind.i.-De-
signo a 3* do.Tiinga do corrente me* para a reu-
nia) do conselho de revista h guarda national do
municipio de Iguar.ism, a vista do jue refere V.
S. em seu offlcio de 21 do mez proximo passado,
sendo qua na lei encontrara V. S. meios para cha-
mar ao cumprimento de sous deveres aquelles,
que se mostram omissos ou negligentes
A>> commandanle superior do Rio Pormoso.
Em resposta ao offlcio de V S, do 111 de junlio
.proximo passado, tenho a dizer he que, a vista da
doutrina do aviso do miuisterio da justii;a, n 16-',
do 22 de raaio do 1871, nao corro prazo da lei ao
olficial que, sendo nomeado parauualquer posto, se
acl\a n i ex .-reicio do carg.i de juiz munici-
pal.
Ao mcsrio. -Em resposta ao offlcio de ?,
S. de 80 de julho proximo passado, tenho a dizer-
lhe que, achaudo-se impedido, como diz, o presi-
dents da ca.nnra municipal, devo sor substuuido
hi con*elho d revista di qialhlcaclo da guarda
nacional desse munK-ipio p -lo venaaor immediato
em votos, que estiver ein exercicio.
Ao comrnaadaote superior de Santo Antao e
Eicala.-Devolvo a proposta que veio annnxa ao
lieu offlcio de I do mez proxim > passndo, ,i que seja rectiiicada, por qnanto nos batalhoes da
guarda nacional nao ha postos de tenentes aju lan-
tes, de que trata a dita proposta, advertindo-o dc
que o posto do alteres secretario ja foi preenchido
por Joao Valentim Dias Vilclla ; e por nao terem
tirado natente no praso legal nem pediren dis-
pensa de lap.o de tempo devem ser privados dos
.postos para que foram nomeado-, os alfere* Ma-
noel de Araojo Albuquerque e Joao Feijo de Mel
to, qae slo propostos para ; tenente o 1, o para o
mesmo do al feres o 2'.
Ao conselho de revista da guarda nacional
domnnicipio deCiruani. -Ficointeirado dequan-
ti> Vv. Ss. inj expoem e:n seu offlcio de 20 do
mez proximo passado, com relaQio aos trabalhos
do conselho de revista da gu irda nacional desse
municipio, de que fazcm parte.
Ao commandanio du eorpo de policia. -Es-
pefa Vine, as suas ordens, afim do quo seja eleva-
do a 12 pra^.as o destacamento existente em Ca-
ruaru.
Ao mesmo. Em resposta ao offlcio de Vine,
n. 131, de 28 do mez proximo passado, tenho a di-
zerlbe que as pracas, a que allude o seu dilo offl-
cio, devem ser julgadas de conformidado com o
regulamenfo do corpo sob o seu commands
3.' secQao.
Offlcios :
Ao inspector da thesonraria de fazonda.
Gommunico a V. S., para os finsonvenientes, que
e.n data de 31 de julho find) foi nomeado por S.
Exc. Rvraa. o Rvd. Florentine Barbosa de Souza
Ferraz para vigario encommendado da fieguesia
dc Fazenda Grande.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar aos emprei
leiros daillnminaQio a g.iz desta cidade, a vista da
conta junta, a quantia de 1604200. impomncia de
gaz Cunsumido no arsenal dc guerra no trimestre
ultimo de abril a junlio proximo passado, na con-
f'irinidade do qnc solicitou o director interino d'a-
quelle arsenal.
Ao mesmo.Em vista da conta em ditplicata,
annexa ao incluso requeri nento, mande V. S. pa-
far a despesa na importancia de 511)430', prove-
aieate do ga;: consnmido no hos.pital mililar du-
rinte os mezes de abril a junho deste anno, como
se vc1 da referida conta
Ao me.-mo.-Ficam justificadas as (alias que
por molivo de molestia deu o bacharel Antonio
Paulino Cavalcante de Albuquerque, jni'. maniei-
pal e de orphans "do termo -de Caruaru, de 1 a 15
de julho ultimo ; o que commumco a V. S. para
os devidos tins.
*o mesmo. Tendo nesta data autorisado o
engenheiro das obras mimares a maniar fazer
pela quantia de 25^070, em que estao on;ados, os
reparos urgentes de que precisa o telheiro qae co-
bre o poco do quartel da Soledade; assim o com
rounico a V. S., declarando-lbe quo essa despesa
dove ser effeclua la sob responsabilidade da pre-
sideocia, visto nao haver para ella crediin na ru-
brica competente, segundo a sna informagao de
Inntem datada, sob n. 711 serie I).
Ao raesmo^Tendo nesta dati taV)rtKado o
inspector do arsenal rte marinha a comprar no
mercado, com destino a corveta de guerra Vital de
O'iwiri, 352 kilogrammos ie graxa do Rio Graade
do Sul, 147 ditos deestopa dealgodaj, 160 ditos de
doce, 20 olhos de boi, 12 pas de bicoe 12 dita= qua-
dradaj; assim o communicoa V. S. pira seu co-
nliecitncnto e execacao.
Ao mesmo -Mando V. S. relevar a Joaquim
Aatonio Leite da multa em qoe incorreu por nao
Jjaver dado em tempo a matricula a meuor Maria,
fllha de .n e?erava nte-nnncia, e sohre o qo" ver-
soo n so i "Itl'io ile h'>nte n dital) soli n. 722 se-
rie D, infonnando o requerimento, quolhe devolvi),
do mesmo Leite.
Ao mesmo.Mamte V. S. relevar a Joaquim
Lopes da Silva da multa em que incorreu por
nao haver averbado, dentro do praso legal a com-
pra 6c sea escravo Vicente, e Wore o qie versou
o seu offlcio de hontem ditado sob n. 72.) serie D,
informanlo o requerimento, que Ihe devolvo, do
referido Lopes.
Ao mesmo.Mande V. S. relevar a D. Isabel
Joaq'iina de Souza Leio da multa em que incorreu
por nao haver averbado denlro do pra>o legal o
uascimento do ingeBOO Bras, filho de sua escrava
Brigida, c sobrc o quo versou o seu offlcio de hoje
datado, sob n. 723 serie D, informando o requeri-
mento, que Ihe devolvo, da referida D. Isabel.
Ao mesmo. -Mande V. S. relevar a Joio Fo
lix dos Santos da multa cm que incorreu par nao
haver averbado dentro da praso legal a coinpra
do seu escravo Manoel, c sobre o que versou o
seu offlcio de hontem daiado, sob n. 719 serie D'
informando o requerimento, que Ihe devolvo, do
mestn i Joa i Felix.
Ao mesmoEm adlitamenio ao officio desta
presideneja, datado de 31 de julho ultimo, relativo
a concessaj) de lerronos de marinha ao barao da
Soledade, reommendo a V. S. que no tiluio de
aforamento que se hoitver tie passar seja mcluida
a cliusnla de Hear reserv.ido no atcrro de Olinda
o Iftjrar onde tern de ser construida a estat-ao da
Western & Urasilian Telegraph Gompany Liinitod,
como vera da planta que remetto inclusa.
Ao mesmo. Sirva se V. S. de recommendar
ao inspector da alfandega que de suas ordens no
sentido de mandar despachar, livres de direito, os
materiaos da companlna Western & UraMliau Te
legraph.
-- Ao inspector da thasouiaria provincial.
Transmitlo a V. S. o incluso requerimento de l.uiz
Francisco Vieira de Luna, aflm dt que mande pa-
gar-lhe os vencimentos a que liver direito como 2-
official da secretaria da presiiJi>ncia, a contar do I"
a 0 de julho ultimo, em que eirectivamente servio
aqnelle lugar. no qual foi aposjntado por acto de
7 do citado inez.
Ao mesmo. \unuindo ao que solicitou o en-
genheiro chefe da reparti.-ao das obras publicas
em offlcio de hontem sob n. 2S7, autoriso V. S. a
mandar contmuar a fazer o pagamenlo das despe-
a dapii'lia repartielo na importancia de 5:7504,
constable do incluso pedido, ate que o respectivo
ihesoureiro eatre em enercicio.
Ao mesiuo. -Mande V. S. pagar a Xascitnento
& Med.-iro-, a vista d is contas que remetto inclu-
sas, a quantia de 1124310, importancia do forneci-
mento feilo a secrelaria de.-la presidencia.
Ao mesmo. Cimmunico'a V. S. que nesta
data defiro a peti.fio do vigario da freguezia Je
Villa-Bella, Rvd. Manoel Lope; Rodrigues Barros,
antorisanJo-o a despender eom a obra de sna ma-
triz a knpDrtancia dj heneficio da loteria concedida
para lal obra, obrigando-se o supplicanle a pres-
tar contas oppiriunamcnte nessa thesouraria da
despitza que lizer, afim de ser-Ihe entregue a mes-
ma importancia.
Ao mesmo. Remetto a V. S., para seu co-
noeeiinonto e derides eflwlos, a inclusa copia do
acto desta data, peb qual resolvi exonerar Leo-
poldino Antonio da Fonceca do cargo de professor
public) da cadeira de latim da villa do Garanhuus.
Ao mesmo. Gommunico a V. S., para os (ins
conveiiieutes, line foi exoner.ido por S. Exc. Rvma.
em data de 31 de julho findo o Rvd. Florentine
Barboza de Sonza Ferraz do cargo de coadjuctor
da freguezia de Nossa Senhora d.is Dores da villa
do T iumpho.
- 4.seecao.
Aetos :
0 pre-o'den'e da provincia, attendeuJo ao que
requereu Vicencia Alvei de uarvalho Dacia, pro-
fessora de instrucpao primaria da povoaci* de Afo-
gados le Iguarassti, e leudo em vist i a informa-
cao do director geral interino da instruccao publi-
ca, de 30 de junh > ultimo sob n. I8t>, resolve pro-
rogar por mais 30 dias o prazo de 2 mezes que
Ihe foi concedido para assumir o exercicio dc sui
cadeira, a contar do dia 9 de julho findo.
0 pre.'idente la provincia, alien Jen 1 j a que
pelo art. 36 da lei n 1,115 de 17 de junho desle
anno foram supprimidas as cadeiras' de latim
creadas nesta provincia, com exoeccao das do
gymnasio, e a que o professor da de Garanliuns,
L-' i[i ildmo Antonio da Fonceca, ainda nao adqui-
rio a vitaliciedad: de qae trata a lei n. 369 de 11
de DUUO de |8oo, resolve exonera-lo desse cargo,
ja por elle abandonado.
Officio :
AoExm. Rvm. bispo diocesano. Accuso re-
cebido o offlcio de V. Exc. Rvma., de 31 de julho
Undo, e fieo inteirado de haver naquella data sido
nomeado o Rvm. Fl >renlmo Barboaade Souza Fer-
raz para vigario encommendado da freguezia da
Fazenda Granle, ficando exonerado do cargo do
coadjuctor da freguezia de Nossa Senhora das
Dores da villa de Triumpho.
Portar as :
A' camara municipal da villa de Iguarassu.
Declaro a camara-municipal da villa de Igua-
rassti, em resposta ao seu offlcio de 25 de julh j Un-
do, que deixo de couceder approvacao a nomeajao
de Emilio de Souza Costa para provisoriamente
encarregar-se da aferifio dos novos pesos e medi-
das, porquanto o art. 10 das instruccoes de 18 de
selembro de 1872determina que, nao havendo afe-
ridor, seja encarregado deste trabalho o professor
da localidade que lor indicad) pelo presidenle da
camara, o qual pode accumolar os dous empre-
gos.
A' camara municipal de Aguas-Bellas.Em
resposla ao offlcio da camara municipal de Aguas
Bellas, de 17 de julho findo, tenho a declarar que
aulonso o abate da lei sobre a avaliacao do im-
posto de miuncas, si em uma nova pra;a nao an-
parecerem concurrentes para a arrematacao do
mesmo imposto.
EXPEDIENTi DO SECRETARIO.
/.* secgao.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das armas.
S. Exc. o Sr. presideate da provincia, tendo nes-
ta datt sujeiladoa decisSo do ministerio da guerra
os nnlborameniOf no lospit tl mililar, indicados no
lermo de reuniao havida naquelle eslabelecimenlo
no dia 31 de marto ultimo, constanle da copia an-
nexa ao offlcio de V. Exc, n 605 de 13 de juoho
proximo findo ; assim o maiida communicar a V.
Exc, em resposta ao citado offlcio.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidenle da pro-
vincia, tendo nesta data solicitado do Exm. Sr.
hiinislro da guerra uma nol.i da liliaca i e signaes
do ex soldado Jose Ignacio da llocha ; assim o
minda communicar a V. Exc, era resposta ao seu
officio sob n. 777.
a V. S. que tcve o convoniente deslino a cola de
liliacao de tambores, de quo trata o officio de V.
S., n. 663 de 31 do mez proximo passado.
Ao presidenle e membros do conselho de re-
visao da guarda nacional de S. Antao. O Etra,
Sr. presidente da provincia manda accusar o re-
cobimento do offlcio de V. S., de 26 do mez de Ju-
nho proximo passado, em que participant tor eocer-
rado os trabalhos do conselho do revista da guar-
da nacional desse municipio.
4.' teccdo.
Offlcio:
- Ao Dr. director geral interino da instruccao
publica.De or Jem de S. Exc. o Sr. presidenle da
provincia, remolto a V. S., para seu conhecimento
e devidos fins, a copia do acto desta data, pelo
qual foi exouerado Leopoldiuo Antonio da Fonce-
ca do cargo de professor publico da cadeira de
latim da villa oe Garanhuus.
16 OE OUTUBRO
conductor es,
okspaciios da presidencia de
db 1873.
Abaixo assignados, negocianles
correspondents de assuear. Com a porlaria ad-
dicional proposta, pela lllma camara municipal
desta cidade, e approvada nesta data por esta pre-
sidencia, lica altendida a reclama^ao dos suppli-
cantes.
Anna Joaquina do Sacramento. Deferido com
officio desta data ao Sr. inspector da Oiesouraria
de fazenda.
Amerlco Infante Marinho Falcao.Passe porta-
n i concedendo a licenca pedida.
Barao de Jaboalao. Informe o Sr.
thesouraria de fazenda.
Major Carlos Magno da Silva.Forneca-se.
Frmina Maria da Silva.Iuforme o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Francisca Maria das Dores.-Deferido com'offl-
cio desta data ao Sr. provedor da Santa C isa de
Mi-ericordia.
Francisco Rodrigues Monsao. Indeferido, por-
quanto o governn nao disptio, pelo conlracto, de
passagens gratuitas.
Henrique Gomes Barros e Silva Sobrinho.-De-
ferido com offlcio desta dala a thesouraria de fa-
zenda.
Bacharel Joaquim da Costa Ribeiro.Passe por-
laria,concedendo a liceu-.a pudida, na tetma da
lei.
Joao Felix da Cruz e outro.-Indeferido.
Joao Baptista da Silva Dutra.Nao tem lugar o
que requer.
Manoel Caetano Vieira da Paz.Informe o Sr,
inspector da thesouraria de fazenda.
Pedro Nolasco dos Santos. -Passe porlaria, con^
ceJi.-ndo a licenca na forma reqnetida.
SibasliAo Antonio do Rego* Barros, Foroe^
r;a-se.
Antonio Jose de Oliveira Lubo. Deferido co
offlcio desta data a thesouraria de fazenda.
Coronel Andre Oiis de Araujo e outros.Id
Secrelaria da presidencia de Pernainbuco, 17
outubro de 1873.
0 porteiro,
Silvino A. Rodrigues.
tk>|iiricto da puliciia.
I.* feecao. e 17 do outubro de 1873.
N 1758.Ilhn. e Exm. Sr.Pai tictpo a V. Exc.
]ue, foram recolhidos hontem a casa de detenr/ui
os individuos seguintes :
A' ordem do Dr. juiz de direito das execucoes,
Decio Alves Ribeiro, seutencfado vindo do Cabov
A' ordem do subdelegado do Recife, os subditos
inglezes Henry Seocle, Haiu< Ponhory o John En-
gech. a requisicao do respecti/o consul.
A' ordem do de Santo Antonio, Galdino e Bena-
dicto, escravos deAntonio Francisco Pereira de Ly-
ra, a requeriment) deste.
A' ordem do de Bold n, Thomasia de Aquino
Ferreira, por einbriaguez e insullos,
A' ordem do do Afogados, Maria da Gonceicao,
por effensas a moral publica.
Fidalmenle, a ordem e a tranquillidade publicas
aao soffreram alteracao.
Deus guarde a V. Exc.-Illm. e Exm. St. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi
mo presidenle^da provincia. -0 chefe de policia,
Antonio Frtincisco Corin'ta de Aiaujo.
DI\R[ODEPER**MBUa)
Ao mesmo.S Exc. o Sr. presidente da pro
vincia, tendo maudado salisfazer o pedido, feito pelo
commandante da fortaleza do Brum, de artigos de |
vestuario vencidos no 1* de setembro do corrente
anno pelo calcdla empregado na fachina da rnes-
ma fortaleza; as^irn o manda communicar a V.
Ex;., em resposta ao seu offlcio de hontem datado,
sob n. 776.
- Ao director do arsenal de guerra.5. Exc. o
Sr. presidente da provincia manda communicar a
V. S., para os devidos tins, que por offlcio desta
data foram expedidas as convenientes ordens a
thesonraria de fazenda, no sentido de ser paga a
on la do gaz consumido na companhia dos meno-
res desse arsenal duranle o trimestre ultimo de
abril a junho proximo findo; conforme solicitou V.
S. em officio de hontem datado, son n. 459.
2." serrno
Offlcios :
- Ao Dr. chefe de policia. 0 Eim. Sr. presi-
donte da praviacia manda declarar a V, S. quo
ticam expedidas as convenientes ordens, afim de
que seja elevado a 12 pracas o destacamento exis-
tente em Caruaru.
- Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidenle da pro-
vincia manda dertarar aV. S- que fnrara expedi-
das as convenientes ordens para vir do presidio
de Fernando de N'oronha o sehtenciado, de que
irala o seu offlcio de hontem, sob n. 1,362.
- Ao commandante superior do Recife. 0
Ex a. Sr. president da provincia manda declarar
RECIFE, 18 DE OUTUBRO DE 1873.
O porto de Pernainbuco.
A Provincia, em face do que expendemos em
nosso nuraero de 13 db corrente, julgou-se obri-
gada a voltar ao interessanto assumpto do me-
Ihoramento do porto do Recife, para, em apoio do
que escreveu em o sen numero 118, emittir no-
vas consideracoes que tivessera por effeito raos-
trar a improcedencia das nossas.
Este resullado, porem, releve a Provinoia
que lh'o digamos, nao foi de modo algum alcan
cado ; e antes, pelu> contrario, o seu artigo edi-
torial de 16 deixou, se & possivel, mais e mais pa
tente a sem razao do artigo a qua respondents a
13, e que nao foi senio um meio de oposicao, leal
sim, mas injusto, como ja deraonstramos.
Contestamos, antes de tuJo, a Provincia que
fosse clla quem primeiro ergueu a voz para oc-
cupar-sc com o melhoramento em questao, como
parecea-nos claro no artigo-do sen nnmero 118 ;
responleu-nos, porem, esse jornal, qne nao pre-
tendia para si essa gloria e que no-la ceJi.i, como
se almejassemoa.
0 embargo, que offereceraos ao q'ie se nos afft-
gnrou pretensao injusti.tcavel da Protincia. nala
teve, ncm tem, de offensivo, e nao iinportava, nem
importa senao em uma reivindicacao de priori lade
em favor de terceiros, que nao somos nos.
De feito : se, em nosso longo e bem longo tiro-
cinio na imprensa, mnitas, innnraeras vezes, nos
lemos eccupado com o melhoramento do porto do
Recife se temo* franqueado as nossas colnmnas
a escriptores alheios a esta redaccao, os quaas
tem publicado escriptos sohre o mesmo melhora-
mento com a sna plena e inteira responsabilida-
de, e tudo isto antes que aenhnm outro jornal
se occupasse com esse assumpto ; nem por isto
nos cahe a ventura de ter o lugar de honra en-
tre os propugnadores do frande melhoramento
porqne aspira esta provincia, nem nos qniiemos
nos arrogar esse lugar, que nos nao cabia, nem
nos eabe.
Antes quo tivessemos existencia na imprensa,
ja o melhoramento do porto do Recife preocupava
muitos espiritos.e muilas vozes se imjiam feito onvir
no intnito de tirmar a nescessidade desse melhora-
mento, deduzindo os provaveis e vantajosos re-
sultado3 que a sua realisacao traria a Pernambuai.
Portanto, deseance a Provincia, porque, se nos
cabe a prioridade da defeza da idea no jornafismo
desta provincia, precedem-nos oulras patrioticas
vozes, que, ha longos annos. pugnaram por ella
nos commioios e assenbleas popuhres, e ate no
jornalismo de outra provincia e no da anliga me-
tropole.
Portanto ainda, oompenetre se a Provhwia de
quo nao foi nosso fim ferir uma insigpincante
questao de preterencia, mas sim flrmar, de uma
vez por todas, que a imprensa nao tinha.^sqne-
cido o assumpto. e que mais on mooos tinha se
occupado com elle ejn epochas diversas, e qae,
ainda cste anuo, n5s 0 fizemis par ocaasia
dar conhecimento a) pub'ico de uma niocao apre^
santada na assembiea provincaal pira qn, se en-
dereyasse aos podero* geraes uma represeola^io
4bre a -se e oolros urgentes melhoramonios de
qwe carecia Pernambuco.
O bos*o fkn, pois, claro, in iiiife.ito, palpavel, f u
mostrar que o silencio, que a Protincia dizia ter'-
se feito em lurno da questao, era pura phantasia,
wslo como, a provamo-lo, a imprensa e os poderes
?iiWicos jamais se esqiieceram do inailioramento,
ae aiodia hoje e esmdado pelos praticos, a lem-
'o ido muilas vexes por ordem do governo, lam-
bent inleressado no grande assumpto.
Mas, pergunla a Proeinaa, como querendo ain-,
4a justificar a sua descoberla do silencio : De- [
is do debate que teve essa que.-lao ha cerca de
us annos, que facto por parte do governo e que!
tevelasse coiuejo serio de oxecn? lo do melhora-
mento, tern vindo denunciar nao ler sido ella nos-
J do lado ? ..
Ha muitos facto-, ao in vez do qne pretend^ pro-
r a Provincia, que demonstram a coustante
eoccupacao do govoroo imperial pelo melhora-
ento do porto do Recife ; e, entre outros, cilare-
a pooto os seguintes quo dao, ale cerlo pon-
, a niediUa do interesse que inspira essa quos-
. Sao esses factos : as consumes reeotnmon-
cdes ipoe a capilauia do p'jrto e a iuspectoria do
senal de marinha faz o governo ; os continuos
abalhos de desobstruccao feito.- pelas dragas,
abalhos que acarrelam avultadas despezas ; as
iteressantes nolicias que se enconlra nos relato-
ios dos ministros sobre fesse objecto, e final-
me os debates jornalisticos que, por influen-
inspector da Jcia do governo, tem havido na corie, e, al-i
da no anno passado, so deram, mesmo nas colum-
nar do Ut'iiio Official.
Se nada disso revela interesse pela questao, so
nada disso domonstra principle de uxeoucao do
melhorarasuto, que, repetimos, ainda nao tem pia-
no assentado deflnitivamento ; neste caso forca e
descrer dos faclos mais palpaveis e notorios, e,
com essa descreuca, abandonar ludo a corrente de
um pessivismo deplorave*.
As raclamacdes Ja_ imprensa. da assemblea pro-
vincial e da depularao pernauibucaua na assem-
ble a gwal, am facto, um grande facto, exprimem
sem duvida, e 6 que a provincia senle carencia e
argencia do melhoramento, e por isso maaifesta
sua impact.*ncia, ajgravada pela demora de tan
(os annos Mas de. modo nenhum essas reclama-
edes indicam qne leoha havida despresopela ques-
tao, que, por assim dizer, esta sempre na tela das
discussoes e capta muitos cuidados ao governo.
E isto se coinpreheadc, porque, se o melhora-
mento do porto do Recife devo trazer faustuoso in-
crement!) ao eommercio de Pernambuc^ como nao
e licito por em duvida, lambera d'ahi resullara
maiores interesses ao eslado, que cobrara desse in-
cremento giandes pruventss para a communhao
brasileira.
Quando nao bastassera o desejo e o interesse de
salisfazer as aspirates de uma das mais ricas e
Uorescentes provincias do itnperio, seria suffl-
Cieule ao governo a consideracao daquelle iucre-
menlo para determina-loa prestar aiieiii.-."iu ao me-
lhoramento do porto do Recife, e tirar de sobre si
a pecha de postergador, que Ihe lanca a Provin-
ia.
Nem ha ju.-lificacio possivel para semelhante
pecha, pora|iie, couiu Ani..iru.o1.i n> nosjo
artigo de 13, se ha, *e tem haviJo protelagao
no melhoramento, nao rccahe a culpa sobre
nenhum governo, visto como a >ciencia compete
confeccionar o piano que deve ser executado, e so
depots deste feilo, o quo ainda nao aconleceu, po
de e deve o governo decidir-se a empregar aval-
tadissimas sommas de dinheiro ncsse melhoramen-
to, sem sacrificio dos interesses do future, e sem
prejuizos para os capilaes.
Esla alUgnrila, pjrem.diza Provincia, nao pat-
sa de um drs'tes sjimiysmas admimstaativos, om
que se costumi tltudir a opiniao, assim como ka
sophissias PARLAMEfrr.vRKS, qite c nsistem no adi i-
metilo indefinido d> certas leis, a pretexlo de estu-
dos e audiencias de c mmissors.
Releve-nos a Provincia que Ihe digamos que
ahi, nesse topico, falloti principalmente o espirito
de partido. sempre prompto em assacar aos ad-
versarios as mais negras intencSes.
Pois, pode contestar a Pi'ocinc*a a nao cxisten
cia do um piano preferido ? Pode contestar que os
confeccionad ires dos pianos existentes combatem
rectprocaraento os sens orojectos, apontandj de-
feilos netaveis em todos os pianos alheios c afflr-
mando os maos resultaJos qua a sui execucay
produz.ra*
Se o governo preferisse um desses pianos, in-
qninado de vicios, no dizer dos entendidos, a Pro-
vincia, estamos convencidos, accusaria por isso o
governo, e mis nao Ihe ficariamos a relaguarda, no
nobre empenho de evitar um mal provavel, on
quasi cerlo, para o porto do Recife.
A Provincia, que se diz tie.bem informada so
bre a questao, no que alias nao pomos duvi la, de-
ve antes ver a demora na execujao do mel'.ora-
mento nas difflculdades de obter um bom piano,
do que no desejo de protellar esse negocio, iute-
ressante para todos
Essa e que e a verdade, e nio a afflrmaiiya da
Provinci i, a |uem nao tivemos intcngao de fazer
callar, se nao a ie esclarecer sobre om ponto em
qne se rmsirou tao pouco instruida, nao obstante
essa historia de encontradas pretensoes de interes-
se individual, contada por um ex-ministro da co-
roa a um dos redaclores desse jornal.
Eisa historia, desculpe-nos a Provincia* nem
reja n'isto offensa, parece cousa para inglez ter,
na phrase vulgar. Nem ella nos merece conceito,
nao so por qne lal nao merece semelhante levian-
dade do ex-ministro, como porque a esse ex-mi-
nistro parece revestir as forroas do'raytho, a que
So ran recorrem as opposi>;5es.
Se esse ex-ministro existe, e se a historia 6 ve-
ridica, o qae. com toda a venia, nao crernoi, p_or
que razao o Jo- assumio esse ex-ministro a posir;ao,
que se incrimina ao Sr: conselheiro Joao Alfredo
por nlo ter tornado f
Pois o facto de fazer parte do governo, ha tres
annos, e motiva para censurar-se o Sr. Joao Al
fredo pel a demora. daexeeu^ao do melhoramento
do porto, que alias na corre pela sua pasta ?
Para qpe faz a Provincia estas e qaejaudas re-
crimi lajocs?
Se, como confessa, a necessidade do melhora-
mento e- proclamada ha mais de etneoeota annos,
por que recusa a Provincia a responsabilidade que
pela demora cabe tambem aos seus amigos ?
Por qne nos aconselha que nlo facamos recri-
minaffies sobre o passado r
FUemo-Iaa nos, por venturat Nio, nao as Bze-
mos; e, pelo contrario, iustificamos a demora peio
facto da nio existencia de um piano, aceilo e pro-
riamado pop todos como r> melhor.
0 que dtssemos sobre o passado lev^ apenas por
fim lornar mais patente a injustica com que a Pro-
vincia julgara o preseote.
Usamas de um direito, lanto mais apreciavel,
tanto mais respeltavet, quanto parecen-aos c pa-
reee^nos ter sido vtolado pela Provincia esse direi
to, que eo de compulsar a historia contemporanea,
que tantos factos provoilosos encerra, e que tao
esquecida parece pela Provincia.
Continue a Provincia a cumprir o que chama o
sea dever; mas nao negue aos outros a precisa
honeitidale no cumprimento dos seas, e, sobre tu-
do, tenha em vista queja vordade 6 uma so, e qne,
a despeiOrjIlosmnrtyrios a que so a snbjcita, ella
brilha e ha de brilhar sempre, maxime quaudo sa
apoia em faclos que a historia registra
Mfte as bandeiras das cinco paries do mnndo ain-
da It oje nlvo trsmularu no porto do Rocjfe, devjda-
mente melhorado, nao 6 isto dovido ao governo,
mas sum a faJta de congrassainento na opiniao dos
engenheiros, que se tem occupado com o assemp-
lo ; e, se culpa cabe ao governo, neste caso cla-
memos lodos o men culpa, tnea maxima culpa,
porque, todos gregos e troianos, temos S!do gover-
n >, no meio seculo de existeneia politica do
Urasil. v
orda-
unico
Dizer o conirario disto 6 nao respeitar a v
de da hisioria, e desservir a provincia. polo i
gosto de fazer opposicao.
>Voticltt9 do .\orte do luaperio.
Amanhecea bontem em nosso porto o vapor
hranloiro Para, irazoildo datas : do Araazonas
30 de setembro, do Para 7. do Maraiihao H, dj
Ceara 13 do Rio Grande 15 e da Parahyba 16 do
corrente. Eis o que colhemos do jornaes e cartas.
AHAZONAS.
- A epidemia da variola continuav.i dizimando
a populacao da capital e de varies ponies da pro-
vincia. A' este flageUo juula-se o de vasante do
Amazonas, que apreienla-se phenominal este
anno, e que maiou so nos muni:ipios de Santa-
rein, Villa Frauca, Obidos, Alemquer, Monte-Ale-
gre, Praiuha e Almeirim cerca de 60,000 cabecas
de gado. A enchenle Jo rio elevara-se'esle anno
ao nivel das enchentes ordinarias, e ahi coiiser-
vou se por muito tempo chamando a aitene.ao de
todos ; eomecou depois a vasante, que parou
dentro em pouco tempo, e em seguida, a um es-
tacionamento das aguas, repetio-se a enchenle.
Nao ha tradi;ao de phenomeno igual.
Foram nomeados: adminislrador do mer-
cado publieo de Mauaus, Rayuiundo Rodrigues
Moya ; e guarda tirbano da mesma cidade Victo-
rinu Manoel de Lima.
Noliciando a encgada em Manaus doSr. Jos6
Paulino Von Hoonhollz, empresario do abasieci-
ment > de carnes verdes ao mercado daquella ca-
pital, escreveu o Cimmercio do Amazonus:
No eurto espaco de temiw superior a um
mez, realisou com loda felicidade a viagem era
que foi aos Estados -Guides, para contratar a cons-
' iruccao de um vapor especial que se destina a
euipreza,
0 vapor quo brevemente sulcara as nossas
aguas, alein de oplimas acominodacoes para pas-
s'ageiros e orgas, km curraes reservados para
conduzir 80 re'.es, podeii'lo. alem destas, condu-
zir igual uun>ero fora do$ curraes.
A disposicao interior do navio < a melhor a
desejar, e enlre outres aperfeicoameulos tem ap-
pareihos especiaes para o embarque e desembar-
Hue do gado, de modo a facilitar muito o servico
de bordo.
Sentimos vivo prazer, ao ver em via de execu-
cao uma empreza que resolve uma das princi-
paes uecessidades da provincia, e para cujn exito
i e grande garautia o dome do cidadao que lomou
sua direccao.i
Lemos no Rio Negro :
Comecou a funccionar a alfandega desta capi-
tal em marco de 1M69. Estava em vigor ate o
rim desse anno, a cobranca do expediente das
mercadorias e generos importados por cabotagem,
abolidos desde Janeiro de 1870 em diante.
a Tem esta reparticao marchado lentamente
rrei-ad.ir-3o de suas rendas, por nao haver
ale o presente navegacau e ^u.u...-.-:- n,nln
para esla provincia. Entretanlo animando-se o
eommercio a promover sua emancipacao do" do
Para, para onde tem affiuido innumeras vanta-
gens que deviam caber ao Amazonas, vemos que
o desenvolvimento desta rpparticao tem sido
maior e promelte augmeutar se, como esperainos,
a navegaQio directa se realise e novas industrias
e especulacocs venham firmar-se aqui.
0 seguinte tjuadro da receila desta reparticao
arreca lada nos ires anteriores exercicios, que nos
foi rninislrado por um amigo, suggerio-nos o da-
sejo de pd lo patente ao puolico, pois quanto
maior for o incremento que liver a alfandega,
mas demonstra o da provincia pela sua impor-
tancia commercial. Infelizmento a sua lavoura
nao atlinge aos desejos que nos animam. Essa
fonle unica da riqueza de uma provinca, carece
ainda ser explorada para collocar o Amozonas
na altura que Ihe destiuou a Providencia :
RENDaS
1870-1871
1871-1872
Direitos de
importacao ..
Dito addi
cional de 5 \*
Dilo d'aug-
rrento de 40
por cento..
Dito d'aug-
mento de 31
por cento...
Dito d'aug-
mento de 30
por cento..
Dito d'aug
mento de 28
por cento.
Dito d'ang-
mento de 25
por cento ...
Dito d'aug-
gmentode 21
por cento...
Expediente
dos generosli-
vres de direi-
tos ......
Armazena-
gem ....
Ancoragem
Direitos de
9 *k
Expediente
dascapalaxias
Direitos no
vos e velhos
Sello do pa-
pel, flxo, pro-
porcion a I e
adbesivo .
Emolumen-
tos.....
Imposto de
transmi ssao
de propriedad
Dito peisoal
Dito de in-
dusiriase pro-
flss5es ...
Taxa de es-
cravos ...
Venda, de
terras publi-
cas .... .
Cob ranca
da dividA ac
Uva ....
Fiiado de
emancipacao
Multa* .
6:160*196
1:1241674
2:008*907
351*908
30*960
4:736*082
821*314
08U9OI
699*760
1872-1873
16:171*030
2:885*780
ponto
(Ta'nossa
80*489
32*900
180*022
6*130
8*640
7:651*600
1:521*110
4:754*303
671*040
2:320*88*
6.7U000
145*614
48*000
*
187*8 0
27:9604547
17*930
214530
163*298
*
*
*090
I
8:147*451
1:643*400
d: 881* 615
659*168
3:675*560
2484320
13*600
261*070
*
%378*240
8*500
i
12:834*126
2:325*330
9:5*3*338
70*800
2.300*866 3:013*006
48J0OD
33*439
6')* IOC
918*240
1231996
26:870*802
*361
perial acerca da suspeasio pelo orthario da dw-
eese de diversas uwawtades e conlMrias da capi-
tal, publicou e juizo de direito da *.* vara cri-
me da comarca a segumte sentenra :
< Nao tendo 0 prelado*ocesano, segnndo ooffi-
cio de Os. 2 dado no prase, que Ihe foi- marcado,
0 devido" cumprimento a resohicao imperial, jnnta
por copia- a fis. 3, pela qua* foram provides os re-
cursos ioterpostos pelas veneraveis ordens- tercei-
ras de S Francisco da Penitencia e de Nossa S-
Senhora do Carmo e pela eamfraria do Senhor
Bom Jesus dos- Passos desta capital, para 0 fim de
dear sem effeHo a-Portaria do vigario geral, qne
as suspendeu de suas funccoes religfosas e jnlgou
interdictas suas capeUasfde conformidade com 0
art. 6 da pastoral de 25 de maneo deste anno, in-
terponho minha antoridade jndicral para, na forma
do decreto.de 28 de marco de 1857 e 19 de feve-
reiro de 1838, dar cumprimento e fazer fespeitar
aquella resolu;ao, e portanto declaro de nenhum
ellello a pena de suspensao imposto- as menciona-
das irmandades, e bem assim a de iuterdiccao de
suas capellas, para que possam e'las entrar no go-
so e exercicio de snas funccoes religtasas, sendo
suas capellas ou igrej*s aberias ao cuUo divino : 0
que tudo deve ser enmprido sob pena de respon-
sabilidade para os desobe'lientes, na forma do art.
1.3 do citado decretode 1838. 0 escrivao intime
0 presente despacho as mencionadas irmandades
e aos sacerdotes, que nellas forem empregados, pa-
ra que Ihes deem tateiro cumprimento ;e bem as-
sim ao vigano geral para os devidos effeito*. Re-
metta-se uma copia ao mesmo prelado diocesano,
e seja tudo annunciado por editaes nos termos do
art 14 do referido decreto. Para, 1.* de outubro
de 1873. Joiio Rotentino Meira de Vtuconcellos.
Lemos no Uiario do Grao Para :
< Tivemos hontem (I") a noticia do naafragio de
um navio que demandava nosso porto com um im-
porlantissimo earregamento.
Foi a goletafranceza Maragnan. capita* Bre-
trando, nrocodente de Nantes e da propriedade dos
Srs. Cullerre Frtres 4 G, honrados commercian-
les de nossa praca. Depois de uma viagem de 44
dias e de haver passado a linha, verilicou-se que
a embarcar-ao media agua, provavelmente porque
alguma das trovoadas que alii-a assaitaram abri-
ra Ihe uma veia d'agua no porao. Durante dous
dias a sonda marcou 1 ,W pes de agua. A equi-
pagem extenuava-se nas bombas,. porque a veia
d'agua augmentava sensivelmente. Na tarde de
27, emfim, avislou-se terra, mas 0 perigo lornara-
se imminenta ; 0 capilao poz sua bandeira a meio
pao e arvoron 0 signal de piloto ne masiro da me-
sena. Nao apparecendo pessoa alguma e depois
de reuniao da equipagem extenuada, aehando 3
'4 a 4 pes d'agua no navio, perdida toda a espe-
ranca, resolveu 0 eapitaopara salvar agenle-apro-
ximarse 0 mais possivel de terra e em 28 pela
manha deu 0 Maragnan b costa n'nm banco de
areia, acerca de 15 milhas das Salinas e a 4 mi-
I tas de terra.
t Salvju-se a equipagem na chalopa. 0 apitao
voltou ao lugar do sinislro n'uma embareaeao
alugada para ver se pederia salvar alguma cousa
do earregamento, e voltou reconheeendo ser isto
impossivel.
1 0 navio e o earregamento estavam devidamen-
te seguros : um e oniro podem representar a som-
ma de 150,000 francos.. Este navio eonduzia para
.HiiarW^I?1.6 a P*1"* a nova:_
HARANHAO.
Em 11 do corrente escreve 0 nosso corres-
pondentc da capital : '
As noticias que enviamos nao sae desta vez
de summa importancia e pouco adbntam a nossa
ultima miiva remetlrd> pelo vapor Bahta.
a Realisou so, como se propalava a mudanca do
Exm Sr. Dr. Silvino de presidente desia |tovineia
para igual cargo na da Parahyba, vindo subatitui-
!o 0 Exm. Sr. Dr. Orympio de Castro, que ja se
acha de posse desde 0 dia 4 do corrente.^
Sentimos de coracao a retirada de tao digno
administrador a quem muito deve- esla proviueia
pelos bons services que prestou. durante a sna
presidencia. ',', .
0 Sr. Dr. Silvino, cuja admmistragao foi lao
benefica e creadora, censeguio seergHer 0 nbsso
estado de coosas, fazendo apparecer uma rweao
proflcua, em substitnicio a dizidia e ao abandono
com que de tempos a esla parte encaramos tudo
quanto imporla aoprogresso moral e material.da
provincia. ,' ,
t Todos os coracfies sentem.que tao depBessa
nos fosse roubado nm administrador, que comtan-
to acerlo soube dirigir o negoios publicos, fazen-
do do mais a mais desappareeer os crueis effeitos
prodnzidos pela politica da inlriga que ha tanto
tempo nos persegue de perto.
- 0 A instruccao publica foi nm dos rames que
mais mereceu a attencao de S. Exc. nmguem.re-
cusou 0 seu obup ao digno presideate para tao
eraudioso fim, e hoje vemos nesta capital 3 gran-.
des edificios de apurado gosto, lavantados sem a
minima inteferencia dos chnheiros pubticos e. que
sao 0 orgulho para 0 nosso presente e gloria para
0 nosso fuluro.
a Tndo isto devemos ao Sr. Dr. Silvino, qne
tendo conseguido levar a effeito tio importante
obra da civilisacao, recommendou ao. fuluro 0 seu
governo por um acto, cuja gloria perdurara para
sempre. ...
c Os jornaes de3ta capital insenram em suas-co-
lumnas palavras affectuosas e saudaram per mais
de uma vez ao oistincto presidente qne nos aei-
0 Paiz, folha.insuspeila entre nos, que acorri-
oanha v, pensamenlo do nosso djgne e lUastrado-
administrador 0 Exm. Sr. Dr. Gomes de Castro,
assim se exprime acerca do Sr. Dr. Silvino.
Consta nos que no Para segue para a Para-
hyba, sua provincia natal, 0 Exm. Sr. Dr. Silvino
E. Carneiro daCunha, ex-presidente desta provin-
cia e presidente nomeado d'aquella.
Durante a sua administracao mo3lreu S Exc.
boas intencoes, mas ao realia-las, entre oniros
embaracos, teve sempre de encootrar rrmaior
de todos-as difflculdades financaicas, e assim nem,
sempre pode executor os seas pianos conforme-
emseu espirito os formava.
c A' mslrnccao. publica leg* S. Exc. as tresca-
sas para as escotas de meninos da capital, cuja
edificacao. ou ceconstruccao comecou, as de Al-
cantara, Rosaruo e Turv, todas obtidas medianto
donativos paf liculares, setv^os esses mui vahosos
e que S. Exc. naturauueate ooroaria com o mai*
imporlantea reforroa do pessoal, que, com poa-
cas excepedes, nao pals sar petor, e pela qual so
devia eemecar. ._ .,
* Parte S. Exc deixando nesta terra sinceras,
-affeicoes que Ihe adquinram as suas distinctas qua-
lidades pessoaes.*
A' vista disio nada mais podeojos accrescen-
tar.
Reste-nos agora confiar nas luzes do Exm- Sr.
Dr. Castro, que filho deste provincia e conhece-
Jor de suas uecessidades ha de cuidar no todos os
melhoramentos encetados e iniciar oatfos do
grande alcance para nos.
Teve lugar no dia 8 do corrente a festa de
Nossa Senhora dos Remedjos que mi menos con-
corrida do que nes demais annos.
980*640
321*878
A alegna com qae todos alii oorriam conver-
teu-s% mais tarde em tristeza. pois neste mesmo
dia as 4 e ineia da lardo falleeeu de um alaque
(, apopletico 0 nosso estimado amigo Dr. Manoel Je-
--'J^ r.inyn>n Guedes Alcoforado, desembargador da re-

r V.



t
para'. laci) desta provincia.
Em observaneia a re-wlaijao d.) governo im-. -, Foi 0 finado accommettido do ataaae tora a
*W

CmtivEi


-,....
'
2

.

Ml/.UUpiwio de Pernamfouco -- Sabbaclo 18 de Outtibro de 1873,
t *
I

sua asa, e Julgando ser ioeommoto .jiasjageirp,
nlo mandou prerenir a sua familia qua IrWla \aty
pissar essa dfc|,|^uma casa do largo dos Rome-
dios para aVMUbJl festa.
Tao viotB Kim, foi o mal. que algamas
horas depotsSMRio, rcceljcndo a sua coaster -
nada e infeli#fuffM o cadaver da lucll; quo Ihe
era o untai am para posIj itiundo, e que nessa
uiosma manna taejjigqreso c cluw de vida se
mosirava.
ar.rador Alcofir.ido 74 annos ;
6r 'I usla, que Ihe promettia a
I'di aatifc'iiidadf: era o tercei-
Jores do imperio, e par isso
lyado ao supremo Iribuaal de
tilhas, e, como
honrados, na
c Tiaha o de
era dc construi
inais lonfa vidi
to dos de:cmban
m breve seria a
ustca. DeixoiaTlttva, 4 filhis c 3
acontece a todos as magistr.id
mais extra! ft pobrtzi. p.)is so tern ura instgnut-
caate moait-yio. ^-
t 0 setientjrro'eve ib':ir hontem is > horas
da tarde.
a Era o deserabargadir Alcoforado natural de
Pernamburo e farmado pela academic, de Olin-
da
ar* U
HI
M
S3
87
83
Do
Como o fallecimeffla den -se em casa eslranha,
o Sr. Dr. chefe de policia alii compareceu.acoai-
panhado de medicos que verilharnm a causa da
niorte. ... .
e Urn amigo d> finado, o Sr. ftaquun Marques
Rodrigues, maadou a suas cxpensas fazer-lhe o
caterro. Sao raras destas amisades, que ficam
aquem do tumuio.*
No vapor inglez Brunatciek, entrado hedtem
n'esto porto, vioram dc UsMft 23 colonos uatu
racj da ilha ds S. Miguel dos Aeores que feram
mandados ccr.tratar pelo commendadsr Bclfort
para o aeu estabelecimentc de lavoura.
0 Sr. csmmendador Belfort foi o primeiro
agricultor desta provinoia que levo tie-'acertada
idea ; sirva-nos este inceutivo, diante do-trisle es
tado da nossa agriculture, qua abata-se em vao, e
cada dia peiora pela fate absoluta de aracos de
hiunens experieates.
Ainda nan so constuio o profltaso instaurado
centra as complices dc crime Ponies Vtsgueiro.
Nadia 9 do corrente bouve remiiao da as-
semble* geral doete banco, sob a presidencia do
Sr. eoramendador Jcse Ferreira da Silva Junior.
Furam rtpresentadas 1394 accoesom 93 votos
nor 29 aceionistas. Foramapre-sentado o relato-
rio da directoria, approvadas ascot.ias semestracs,
eleiuta mesa da asseaiblca gernJ, a commissao
Saekt, urn director e os snppjentes da directoria,
si-nd? e.-te o resuttado da elei^ao:
Assemblea geral.
< Presidcnte Jcse Ferreira daS. Junior
SecreUirio -Jo.-e J. Pereira dos Santos
DitoMo Marques da Silva
Commissao rifcal.
Manoel da Silva Rodrigues
Trajano Augusto Valente
Joao Jose Alves dos Sanies
Director.
(.' Agostinho CoOlho Fr:igoso
0 director substituido foi a Sr Joao Rente de
Rarros, tendo a Rarbosa que licon.
Sa iinha dos bonds dos remedijs audaram
i,312 pessoas no dia de festa.
A' altandega rendwi de I a 8 do correntc
39:9(t3J'86.
S. Exc. o Sr. Dr Silvino ombaaa hoje as 4
boras da tarde para a Taraliyba.
Lemos no Paiz :
Mais urn ofTereciiamito imporlaote, a bem i!a
inslruccai publica.acaba da fazer o Sr. Custodio
tioncalve^ Belchior, honrado negociante desta
orai;a. For intermedio de seu procurador o Sr.
Francisco de Paula da Silva Pereira Junior, man
dou entregar a presidencia, com aquelle dipetkio,
a qnantia de 1:030^000, que S. Esc. resolveu en-
viar ao Sr. Joaquim Marques Rodrigues, lueinbro
da commissao das abras da escola da ireguezia da
Conceicao, como aurilio as mesmas.
Tamb?m pelo Sr. Dr. Cesar Auguslo Marques
foi mlregue a pr*sidencia a quantiade t :00()0<)0,
,r die ohtida de m amigo para as obras da so
ureaita escola. >-
< 0 hiate Cruzeiro foi vendido no dia 2 do cor-
MOte, pelo agente -Cosla Baslo, por 1:7904000,
sen lo arremataate o Sr. Joao Goncalves Nina.
Escnvenos e nosso corrcspondeate de Ca-
xias :
No dia 19 de-eetembro, no lugar Sapucaia do
3.' distrirto desta iermo, distante desta cidade 12
LflUHB, foi assatakiada com cinco facadas,-wdas
dadas no lado direilo, Felicidade Pereira de Britto,
nsulherdfi Miguel- os mdicios do crime em Ualbina Rodrigues de Ma-
cedo que tinha sido amasia e lalves ainda seja,
do niando da asa;sinada. Arabas u'aqueile dia
-ahiam juntas para apanhar cocos no mauo.
Ualbina voltoa so sem sua companheira, sendo
em leoada dam dias depois no maito,.ja urn
aooco estragada.gelos bichos.
CKJIIA.
Foraill SaOCCicnadas e nnl.lifadau oj """i"'''
N. I">'iij ile 36 de agosto ultimo, que concede 6
mezes de iict-n$i &:m ordenado ao 2." official 4a
-seeretaria do gaverno Jose Bonifacio de Abreu e
a piofessora do Acuracii D. Heleua Maria Lima
Agrella.
N. 1347 de 2 o acto da presidencia que creou o lugar decoa-
servad"r do raaEeti, autorisando-o a extioguiro
lugar, quando lheonvier, pondo u mesmo muzeu
tob'a direcao do director do lyceu.
N. 13o9 de 9 de setembro, que autorisa a ca-
inara da capital a despender mais no corrente
anno a quanta de 5:9SO000.
. 0 bispo diooesano publicou no dia 5 do cor-
lente uma pastoral acompanhala do breve ponti-
. ado. .
0 vapor icplez Augustine eonduzio do Ceara
para a Europa 3,130 saccas de abjodao, 1630 de
ammtar l-'io de cafe, 36 de cera de carnauba, 285
fardos de borracha, 353 couros saiga^loa, peaaodo
tudo 363,112,3 kiloe.
. Falleceu no Crato, Francisco Goncalves Li-
nhares. membra import ante do partido liberal.
Em viriude da aova orgaaisacao da seereta-
ria do governo, as -secedes flcarara assim dislri-
buidas:
1.* secciio.
Ctefe. Racharel l'i-xed.w Tbeoduio da Silva.
1. official.Antonio Por Deus da Costa Lima.
i." diio.Jose J^opes Ferreira.
Amanuense.Jose Goncalves Valtcte. .
2 eeccao.
Chefe Racharel Jose Piauhylino Alendes de Ma-
galhaes.
1." official. -Afio Bezerra de Meneze.-. '
2 dito. FaustoDomingues da Silva.
Amanuaase.Manoel Leaudro de Moraes.
3.* scujaci.
Chefe. Racharel Auguajo Barbosa de Caslro e
Silva.
!. officrl. -Cicero da Costa Lima.
2." dito. -lose Bonifacio de Abreu.
Amanuense.Joaquim do Carmo Filho.
4.* seccao. .
Chefe.Este vao Sabino de Moura.
1. official. -Lnurenco Joaquim de Miranda.
i.' dito.-JoseiRaymundo de Amorim Garcia.
Amanuense. -Antonio Francisco Alves de Melio.
Lemos no Cearense:
He Rat jritt! nos coinmunicam o seguinte :
No lugar Itans, doste termo deram-se dous
acontecimentos assas lamentaveis.
l.'ma menina de 6 annos de idade teado
sahido pela manha a apanhar feijao, foi picada por
uma cascavel ; um irmaosinho de 7 annos loma
ora pau e vai raatar a cobra, dizeado para a irmi
el!a matou-te, por^m morre tambom. Quando
vai descaregando o pao na serpente, ella deu um
bate e pkvu-o. A pobre ereanca atsira mesmo
mordiia acabou de matar a cobra e voltaram
para caea ambos.
A" chegarem alii dissera&i a pebre mae que
tiuhara ido mordiios por uu.a cvscavel ; nne
elles morreriam, porera a cobra tinha morrido
tambem. L1.: facto, as 10 horas da manha, a pri-
meira entrejrou alma ao Creador e a ouira as 3
boras da tarde acompanhou-a.
Faca uma idea da dor daquella infeliz mae,
veado seus innocentes fillunbos morrerem nomeio
do crueis sofTrimentos, victimas de 'tab inesperada
desgraca.
No mesmo lugar, dias ante?, havia morrido
tambem de uma cascavel um menino de 10 annos.
< Conta-nia uma pessoa que aqui se aeha, qae
para o sertao de Quixeramobim, de dezembro
para ca, tem morrido 19 pessoas de roorditlura de
cobra.
Esw anno foi fertil nesses reptis. ;>
BIO GRAKDB. '
Em iH do corrente escrave nosso correspon-
Uenle da capiial:
i Reappaieaeu. o CoHsereador no dia 10 do cor-
rente.
Aq'iella gazeta depoi* de ura longo e prndente
silencio vai jontinuar a carrejra que havia eace-
tado.
Era seu artigo oditcrii.1 diz ella :.
0 irabalho tem os sous dias de aciividade fe-
bril e sous dias de calma e repouso.
" 0 Couwcady pao
vivor oeiost, mas para
somno reparador.
Nos tempos em que o'settooncnrs
publlca fia ivclamado nao Hie faltou a dbra
para deCender o direilo e combaier os abinos,
affroutando a3 irjs dos poderosos.
i Nos tempos de calma e serenidada era justo
que descancasse das velhas fadigas. ^m
De cooftcc.'iies" radicadai e Jtal i s'eus piiaei-
pios, nioreaunciao sen passalo, a solidarii com
elle, vai no caniiabo do futuro
t Aos nossos adversarios respetto o acatamente,
aos nossos ami'gns sincera dedicacjb) e justa de
feza, nas lotas nolltlcas a nobrasa da accio a
magC'Uade dos principtos, leal e frmco apoio a
autoridade moralisada, foram hoatcm, cotno saa
hoje as regras de nossa eonducta.
t I'rasa a Deus que bem eompreheiididos eacon-
irenios cm todos Jnstira e era nossos amitros a
coadjnvacao, sem a qual nso podcremos preeacher
o Basso llm. *
trarao em nosso seio a agasalho do irmaos com o
esqnecimento de passadas qneixas, que infelit-
mente a dividiram e que hoje se acham xtinctas,
gra.as a accao beneftca do tempo.
A mesraa gazeta nos da as seguintes noticias:
t A 26 de setembro oExm. presideate da pro-
viocia Dr. Joio Capisirano Bandeira de Melio Fi-
lho dirigio-se aqmeila 7llla no rntuito de por si
promover os nielboramentos projectados no fer-
tilissimo vaMc, segnndo o piano organisado pelo
habil engenheiro Dr. Feiiciano Martins.
Alii pode S. Exc. entender-se cjm todos os
proprietarios, remover os erabaracos (|ue se oppo-
nham a realisacao das obras reclamadas e jazer
assentar defmitivamente o piano de canalisacao de
rio, respeftados toda? os inteirsses e com geral
satisfar^ao dos senhores de engenho e dos habitaii-
tes daqaeHa importante zona
Em breve eomcearao os trabalhos, a ficara
satisfeha a mais momeutosa tiecessidado da pro-
.'incia.
S. Exc. regressou a capital no dia 29. Acorn-
panharam-n'o em sua via^em de ida e volia'os
Srs. Dr. chefe de policta, Dr. Gomes da Silva, co-
ronet Bonifacio, Dr. Arislides Cesar de Almeida,
tenente ajudante de ordens e major Joaquim Gni-
Iherme.
A"48 de setembro ue. villa do Ceara-wirim o
Sr. Joao Marques de GHiveira, querendo selemnisar
o anniversario da promnlgacao da aurea lei sobre
a elemento servil. e dar ao mesmo tempo uma
prova da reconhecimento ao Exm. presidente da
provincia pelo zeloso empenho que mawifesta am
Dromover os melhoramentos da provincia, espe-
eialnttflte daqnelle municipio, passou carta de li-
berdade a sua oscrava, semi-branca de nome Mar-
garida, fiolteira, de 20 annos do ida le. reeebendu
em compensacao a quantia de 300}QjQ offereei la
pelo mesmo Exm Sr.
> Foj capturado no termo da Imperatriz o reo
Francisco Ignacio, vulgo Caroatd, alii pronun-
ciado no artigo 192 do codigo crimiaal, pela inorte
praticada no distneto do Palu na pessoa de Jose
Ferreira Calado. .
Tfto importante diligencia foi offectuada pelo
rurricl de jiolicia, Jo-e Paz da Silva Banda.
t Esse agerHe da forca publica tem prestado re-
levantes servicos a cau>a da justica.
Ha pouco conseguio a prisij de um outro cri-
nvnoso, o afamado assassino Jos6 Limau de Maria:
pelo (pie em ordem do dia foi elogiadoem nome
do governo imperial, que, segundo eonsta Hie
mandou abonar a gratilicacao de SOOiOJO.
No dia 22 de agosto foi eneontrado no lugar
denommado Ilha do distr'Cto da Barriguda o cada-
ver de Saiviano Ferreira Dias. Pelo corpo de delicto,
a que se procedeu e mais diligencias para o desca-
briinento da vcrdadc, presume-se que aquelle in-
feliz fora assassinado, rocahindo suspeitas de cri-
minalidade contra um tal Joao Adriano, que se
ausentara immediatamonte do lugar. .
0 respectivo juiz municipal ja de^u comeco a
instauracao do c impeter.te processo.
No termo de Goyaninha foi preso Antonio
Soares da ilva, pir tentar contra a existencla de
Francisco Xavier, disparoa-lhe um tiro de pistola
de que escapou milagrosamente.
Conduzido o reo para esta capital veriflcou-se
na repartifao da policia ser elle um dos crimino-
sos evadidos da cadeia de Mamanguape, provincia
da Parahvba.
No lugar Cascavel do mesmo termo de Goy-
anninha Jeaquira Felippe Pereira, no dia 14 de se
tembro por volta de uma Rora da malrugada, as-
sassinou em uma mesa de jogo a sen parceiro de
nome Francisco Adriano dando-lhe uma horrivel
faccala abaixo do peito esquerdo.
0 respectivo delegadoprocedeu, come Hie cum-
pria, ao competente corpo de delicto e aoinquerito
polieial para a formacio do processo conira o cri-
minoso, enja captura se nao pode realisar, por
ter elle se evadido incontinente.
Ma noitft.de 8 Ho iK"' *""*? *5"'*J,*d.0
^ um sen irmao de nome salustiano Luiz Boni-
facio espancaram tarbaramente no dutrieto da
Varzea a Cypriano, por antonomasia Tigella.
t 0 offendido ficou gravemcnie ferido, segundo
o corpo da delicto, a quo procedeu o subdelegadd
daquelle districto.
0 processo ja se acha instaurado pelo respec-
tivo juiz municipal.
a Consta que para a.prisao de todos esses cri-
minosos o Dr. chefe de policia expedira as mais
terminantes ordens.
Na noite de 4 do corrente pelas duas horas
da madrugada o preso de justiga Eustaquio Mar-
tins da Rocha tentou evadir-se pela grade da ca-
deia da cidade de S. Jose, onde se acha recluso,
nao tendo, porem, realisado o seu intento, por
haver licado comprimido nos clams da mesaia
Srade, sem poder sahir, nem voltar ao recinto da
a prisao.
Nesse estado se conservou por alguraas horas
sem que fosse visto pela guarda da cadeia, e cons-
ta que fora tal o esforro, que de balde empregou
para fugir, que ficara bastantc ferido e exhausto
de forcas, a ponto de ter corrido perigo a sua
existencia, seem tempo Ihe nao fossem ministrados
os necessanos soccorros, mediante a dislocacao das
Ujrades.
0 Dr. chefe de policia mandou precede/ a
corpo de delicto e a interrogator^ no preso, afim
de verificar-se a verdade do facto.
Ja se acha installada sob o commando do
digno 1.* tenente da armada Theotonio C. Cer-
qii'.ira Carvalho a companhia de aprendizes ma-
riniieiros e conta 30 menores, dos quaes foram
entregues 10 por diligencias do zeloso capitto do
porto Jose Avelino da Silva Jaques, e 20 pelo Dr.
chefe de policia Jose Antonio Correia da Silva.
0 presidente da provincia, que nao tem pou-
pado esforcos para eollocai esse mil estabeleci-
mento nas condicoes desejaveis, dirigio-se aos
juizes municipaes dos diversos terraos, atim de que
remttessem para a companhia os orphaos desvali-
dos. Ainda nao poderam elles satisfazer a exigen-
cia da presidencia. E' de esperar qua breveraente
comecera a cumprir esse dever, em que tanto, e
tao louvavelmente, se .tem distinguido o Dr. chefe
de policia
t Os professores publicos das povoacoes do Es-
pirito Santo de Gayaninha e Vera-Cruzde S. Jose,
Benjamim Posthumo Gracisman Galvao e Jose
Wanceslao Emerenciano installaram aulas noctur-
nal, o l.* a 7 e o I* a 22 de setembro.
Na povoacao do Espirito-Santo matricularam-
se 81 alumnos, dos quaes frequentam 47.
Na povoacao de Vera-Cruz matricularamse
mais de trinta, sem que se saiba ao certo o nu-
mero dos alumnos frequentes.
Os professores de S. Jose" de Mipibu, Manoel
Onofre Pinheiro em 11 de novembro do anno pas-
ssdo e de Canguaretama Luiz Lopas Pereira Fib'o
em 3 de fevereiro do corrente anno, ja haviao fun-
dado eseolas semelhantes.
A de S. Jose e frequentada por 78 alumnos,
numero igual ao dos aiatriculados, e a de Cangua-
retani'i nrtr LI candn ao matri*iili/lAt' hi
ih<%\ o osrilcii Jen to
Vjtf folh.igora, Mr
vltnli, devi.Ument,-.
mVle'im aos ornst is
oiferociam-se as ruas
do d'Eua a do
o escaler que o "conduzia,
ar nao iatarroaipMas gisan-
tidSo aguar.lava S. E ziaggfthi ajwrtr aafainelno-
Toda c.nbanleiradi, apresjar^va-sa em pr
ro tag.ir a praca em freaw ao de
m
rMH
Em soguida
de Rijjaii
pho |Ta Ci
folhap o
dia,
vilh
Her
de
par
Apenas fundeati
co:nnaeiio o d"
mo o Exm. Sr
TWn Wrnipri
a terra, d'onde. visto
print i
do) as M t
Extraordinariain
caes-da-
Bandas domaaiaa Xiz
res pecas. ^K^mX ML 1W
Recolhendo se ao p.'villiao da praca da desem-
barqae, o digae Sr. Dr: Antonio de Sotraa' Carva
I ho, em nome do respeitavel corpo do caratnercio
da praca, dfrifc-ib a] ^. Exc. um di agradecendo, respondeq o Sr. conselheiro domi-
da o mais cvrte* e rigoiflcatfvo do sen reconheci-
menio a hoarosa homenag^in que Ihe era tributa-
4a ; depois do que, pondo-sc em miriracnto o im
poacatc prestito, acompaahoa S. Exc. a quern por
todas as ruas um chuveiro de flares lancaJo 8as
varandas e estrepitosa* girandolas demonstravam
o prazer e civitentame'ito, com que a recebiam os
seus comprovincianos.
Em fneio da ladeira da Miscrieordia, uma com-
missio de artistas ven ao encontro do distincto
parahybano e o eondu:: ate o paviihao qae alem o
esperava: ahi o intelligente artista Sr. Vicente
Jardim, por parte de sua nobro 'classe, cuinpri-
meota-o com o discursof qae abaixo tambera pit-
blicamos, pronnneiando o Sr. conselheiro, em res-
posia,' um eurto, mas apropriada e eloqueote im
proviso, testemunhandu os sens sentiraentos de
gratidao ao3 dignos fllha* -do trabalho, aos quaes
anima a perseverar em os seas esforcos para dis-
lingairera-se nos diversos mi-teres que profes-
s.im.
Aeompanliado e por convite dalles, dirige-se a
igraja da Mi.-ene >rJi i. que bellaraente ornada,
ajuardsva o prestito, afltn de re.ider-se louvores
ao Omnipotent?.
Subindo a cadeira sagrada o illustrado common-
dador Lind dpho Jos6 Corr cirfo um dos mais interessantes discursos, que Hie
to a os ourida, compenetrflndo-se perfeitamente do
assnmpto e provando raais uma vez a elevacao de
suas vistas eaelojuencia que seinpro Ihe apre-
ciamos.
Seguio-so a Te-Denm, canlade com toda solem-
nidade.
Findo elle, recolheu-sc o Sr. conselheiro a pa-
hcio, sendo ate la seguido por todos os que con-
correram ao desembarque.
Alii, como dissemos, contimia a receber S. Exc.
as maiores provas de adhesao, respeito e estiraa,
sendo gerabaento visiiadi por sens coraprovincia-
nos e amigos.
A' noite estiveram illuminados os pavilhoes, de
que tratamos, tocando uma banda de mosica no
do Varadouro.
Diversas casas particulares e estabelecimentos
illuminaram-se igua'lmente.
t Considerando o Exm. Sr. conselheiro Diogo
Velho Cavalcante de Albuquerque, como am dos
mais ef Tjados fautores da espeiSwcosa empreza
Conde d Eu -e aeompanhando a sentimento ge-
ral da provincia, a asje'mblea provmcial em sessao
de 11 do corrente deliberou felicitar a S. Exc.
nor meio de uma commissao especial, para a qual
foram nomeados os senhores- depvttaios Drs. An-
tonio da Trindade Antunes Meira Henriques, Clau-
diano Bezerra Cavaleante, Manoel Juvenal Radri-
gues da Silva e Francisce de Assis Pereira Rocha
e padre Jo;e Antonio da Costa Ramos.
Ate a presente data ainda nao teve lugar essa
felicitacao, qae nos consta se realisara brevemen-
te.
No domingo ultimo, pelas cinco horas da tar-
de, am grande grupo de negociantes e caixeiros
dirigio-se a residencia de S. Exc. com uma banda
de musica a frente, afim de cumprimenta-lo, pro-
fcriHd') os respectivos oradores por parte dessas
classes discursos
Tanto ao ch?gar, como ao retirar-se, calaro
o conta de3de o momenlo
<> conragio at o em qne
ma de ordinario 12 di^tuf^jn quanta as ve-
ra;a prolongar-se mais. g.
implonas. -Oi syinpUraas di btfxiga sao os
his das outras mo'.ostias agilas : alquebra-
harripilacdes, lies mais on menos
ores por todo corpo, priocipalmente pelaf
agudaa nai bar-
a niello, sade
bocea do estomago, gran-
muito yermalhos, quentes
ica aguda, nao permit-
uns casos quo -o abra os'olhos, deli-
tresvario as vozos com vootade de fu-
e outras vezes com grande proslracao
em certos doentas obs^rva-se um calor
el na pelle com iuten-i vermclhidao ;
__que nesse meio us creaneas appare-
cam eon'TWStSes muito fortes, qne em alguns casos
se prolongam com intervallos ate a cessaCao da fe-
bre, e apparecimeotos das pustulas.
> Dp qaarto para oitavo dia se deseavolva a
erupcao: ora sao pequenos pontos roseos, um
pcuco elevado3 da pelle, dispersos pelos braco3,
ro*to e testa ; ora sao estes em grande numero,
fofmando grapo* maiores ou menorei: e ora, in
felizmeate, e um rubor intenso geral da pelle, pa-
redenda qua esta se torna rauite aspera ao con
tacto da mao, o no seguudo ou terceiro dia vai a
cor passando ao arroxeado.
t No primeiro casa, que sao as bexigas benig-
nas, as pustulas vao se desenvolveudo cada dia
mais, vao tomando uma cor amarellenta no centre,
que se deprime um pouco, e radeada de uma c6r
de rosa bem Qrme. Estae verdad-jiramento-a qua-
lidade mais favoravel das bexigas.
a No segnndo caso as pustulas agglomerara-se,
forrnam grapes mais ou menos extensos, produ-
zera um calor da fogo na pelle, e uma sensagao
como se estivessem dilatando a pelle com forca ;
as pustulas fennem-se muitas e fazem grandes bo-
Ihas d'agua e pus, e, quando principiam a seccar,
o doente exhala mao cheiro, a pelle cahe por pla-
oas maiores bu menores : os dedos dos pes al-
gumas vezes ficam mnito dolorosos e o doente so
allivia das dores quando se furam algumas dessas
maiores bolhas.
I-Neste period) o perigo e tanto maior quanto
raais extensos sao os grupos das bexigas", e mais
novo o individuo.
t No terceiro caso aquella aspereza, que se no
ta, cresce de dia em dia sem que uma so pustula
se tome proeminente : em uns casos o pus come-
5a a fermar-se grosso sem 0 epilerma separar-se
da pelle, apparecem fendas por toda parte, a cor
roxa vai se tornando cada vez mais fechada : 0
delirio nao uessa : a febre nao desappareee : os
solfriraentos slo tjorriveis: vem demais uma diar
rhea de muito mao cheiro e 0 individuo soffre
muitos frio's e dores, e termina a vida no meio de
solTrim^ntos horrive's, nao sendo rare que appa:
reca tambem a gangrena em certa3 partes do cor-
po, principalmenta naquellas sobre que elle esta
deitado.
es casos benignos a supuracao esta com-
pleta ao oitavo dia e a dessecacao comeea logo, e
aos 14 ou 13 dias 0 doente esta restabelecido.
c Nos casos mais favoraveis do segundo genero
a molestia dura vinte e poucos dias.
Nos casos gravissiuris a durac.i-i e incerta :
as vezes os symptoraas sao activos que em oito ou
dez dias 0 doente morre : outras vezes os soflri-
mentos prolongam-se muitos dias, 20, 30 e 40,
quando vein a morte depois de um aturado flagel-
lo, ou 0 individuo resista a tudu e escapa, ficando
as vezes t id i encolriidq, e assim pcrmanece por
muito tempo, e so com' muito trabalho se conse-
gue distender os membros e restitui-los ao na
lural.
TratameMo.-0 doente logo que sente os pri-
meiros svmptomas deve reeolher se a um quarto
bem arejado e espacoso, mas que nao receba cor-
rentezas de ar; deve cobrir-se moderadamento
para facilitar a transpiracao e estar em completo
repouso.
Aconito.Devetomar aconito de hora em bo-
ra se os symptomas forem muito inteosos, e no
caso coutrariode duas em duas horas.
a Belladona.St houver dor de cabeca muito
intensa, com pequenos suores que nao alliviain,
delirio ou convulsoes, da-se belladona, de hora em
hora, ou de duas em duas horas, ou alterna-se
;om aconito.
a Arsenicuui Quando no terceiro ou quarto
dia a febre nada tem cedido, 0 as pustulas nae se
alevam, e appareca alguma dor na garganta da-se
arsenicum : ordinariamente este remeaio apressa
muito 0 desenvolvimento das pustulas, e se arse-
nicum dao produz melhora na dor de garganta
wm^WrX^1^ 5"-*MAfirettatt-
. Banho. -0 doente deve ser lavado em agua
tepida a um pouco de aguardentc, quando esti-
vcrom completamonte seccas as bexigas.
aNoc^so'que algamas chagas se tonrfem, e
oxhalem mao cheiro, deve-se tambem lava-las
cou agua-ardente on vinho tinto bom e eobri-las
com Qos uutatos com um pouco de eeroto sim-
ples bem novo.
Noseaaos graves todos oscuidados sao poucos.
a Deve de haver a maior cantela em nao usar
desses remedios aconselhados pela pratica antiga,
que tanto tem de absnrda como de prejudicial
e qne e causa muitas vezes da morte, ou de de-
feilos qae ficam para toda vida.
Preservative. T^m-se cosniderado a caccina
dynamsiada e a thuya occidentals jcomo capazes
de preservar da acjao da variola.
c Detta-se uma gotta de tintara da 3* dyn. ou
12 globulos de vjcana em meio copo d'agua, ou
120 grammas, e toma-se uma collier das de sopa
tres vezes por dia, descancando tres dias depois
de haver tornado durante tres.
Por esta forma pode-se tambem obter a va>
fc^Jo iloffl0*6^eg%do*oi#^iilflla, 0 Sr. capitao Gra-
aiido de sua saii
eve, como dese-
tos criminosos a
a mal dirinla.
sencia.
cindo Lubo, rnieahi so acto
de : 0 qual se nao volt
jamos, leremos outros nttflfos
regrisirar, e crntinnara a
como 0 toui iii> duraate a
o A experiencia tem.demoastrado que 0 perio-
ssivel para as lo-
_ue nao e tea, ea-
do que aquillo que
negocios corren-
cinai;ao pela absorpcaa interior.
Club Commercial. Realisa se hoje
noite o serao dansante desta sociedade, 110 corren
te mez.
Dinlieiro. 0 vapor Pard trouxe para
A. Hyvernat. 14:300<0.:)0
do das intencidades, e
clldades. -ff* *
Quem occupa um
tende que nao deve fit*
pede a occasiao, e assim
do pela agua abaixo, oomo aiBostoma a diier.
< Esta para seguir com Kmsa para essa cida-
de, 0 Dr. I'chOa. digno promoter desta comarca
Afurinam alguns que elle >lt, outros porem que
too, e pensaraos que ja havera alguem que nio
qeseje a sua volta, mas se aaaun e, fazem-lhe in-
justica, porque elle dnrante 0 pouco tempo que
aqui esta se tem conduzido bem, e cumprido exac-
tamentc os seus deveres, mostrando interesse pela
punicao do crime.
< Nao sabemos por ora quem 0 devera substi^
tuir, mas pareca-nos (jua sera a Dr. Eueiaq.iio.
2:193400 0
1:0973140
1.000*000
300*000
330*000
220*t>cO
200*1,00
oruina-
sos vivas sandaram S. Exc, qae, com a urbanida- :recorre.se de novo a bell dona.
de que Ihe e peculiar, por sua vez levantou-os
ignaes 6s mesmas classes.
A noite a sociedade theatral-Santa Cruz-
offereceu um espectacnlo em hoqra a S. K*e.
u NU n.ioiia io anterior, pelas wto horas da noi-
te, bouve onira manifesta^io por cidadaos vindos
do Vsradouro.
m
?mwM&
REVISTA
DIARIA.
Cainai-a municipal do Recife.Sob
proposta desta corpora;.ao, nor poriaria da presi-
dencia da provincia, de 16 ao corrente, foram ap-
provados provisoriamente os seguintes artigos de
posturas:
Art. !. Nenhum carra, carroca ou qual-
quer vehiculo de conduccao de generos, pode-
ra levar mais de 80 arvobas ou de 16 saccos com
assucar, puxado por um boi. e 3S arrobas ou 7
saccos puxado por um cavallo.
Art. -2. Ficam em vigor as muitas e prohibi-
coes impostas no art. 173 das posturas desta ca-
mara, approvadas pela lei provincial n. 1129 de vacana.
26 de junho do corrente anno, e revogadas as de-
mais disposicoes. "
retama por 41, sendo os matriculados 47.
0 Exm. presidente da provincia mandou abrir
ao publico a bibliotheca do At> enen das ires e
raeia da tarde as nove e meia horas da noite.
P1I1.UIVBA.
Felleceu, na capital, o tenente Firmlliano
Jorge de Deas e Costa.
No Jornal da Parahyba, de 16 do corrente,
lemos 0 .seguinte:
Chegado a 10 do eorrente, no Cruzeiro do Sui,
vindo da cidade do Recife, onde 6e achava, havia
dias, esta entre nds 0 nosso distincto amigo 0 Exm.
Sr. conselheiro Diogo Velho, com sua excellentissi-
ma /amilia.
Aaciosamente esperado por todas as.classes da
sociedade, a recepcao de S. Eac, foi uma compie-
ta ovacao desde a povoacao do Cabedello at6 0 pa-
lacio da presidencia, onto provisoriamente perma-
nece, contiauando a ser objecto das mais eleradas
provas de espontaneo e signiflcativo apreco e es-
tima
Ao passar 0 paquete por Cabedello e sabido vir
nelle 8. Exc, estrepitosas girandolas 0 saudaram,
pmnunciando assim a bnlhante recepcao que 0
aguardaya nesta capital,
proposta dacamara respectiira, por- portaria da
presidencia da provincia, de 15 d# corrente, foi
approvido provisoriamente 0 seguinte artigo de
postura :
Art. uuice. Todo o eJilicio, mure on tapamento,
que se acbar 0111 estado de amea.far ruina, sera
demolido a custa do proprietario, procedendo 0
fiscal ao prompto ejarae com doua peritos, afim
de conhecer se cumpre demolir ourepara-lo ; e,
feito 0 termo de exame a casta do mesmo proprie-
tario, avisara a este para proceder logo a demoli-
5I0 ou reparo, no praso que devera ser determi-
nado no mesmo termo, findo 0 qual sera 0 dono,
Srocurador ou depositariomultado em20*000, e0
seal avisara do procurador da camarapara man
dar fazer a domolicao ou reparo a cusla do pro-
prietario.
Jury t|p Recife.Ainda se nlo pdde ins-
tatlar hontem a $.* sessao judiciaria do corrente
anno, por s6 terem comparcoido 26juizes de facto.
Para completar 0 numero, foram sorteados os se-
guintes :
Freguezia de S. Frei Pedro Goncatcet.
Jo-e Joaquim Dias Fernandes Junior.
Freguezia de Santo Antonio.
Caetano Jose Mendes.
Dr. Alfonso de Albuquerque Mello.
breguezia da Boa Vista.
Antonio Clemente de Lemos Duarte.
Geminiano Joaquim de Miranda.
Dr. Jose Antonio de Figueiredo.
Uibano Mamede de Almeida.
Dr. Antonio Annes Jacome Pires.
Maturino Barroso de Mello.
Dr. Luiz Emygdio Rodrigues Vianna.
Dr. Antonio Maria de.Faria Neves.
Candido Thomaz Pereira Dutra.
Dr. Antonio Herculano de Souza Bandeira.
Antonio Cardoso de Queiroz Fonceca.
Antonio Manoel de Siqueira Cavaleante.
Francisco de Lemos Duarte!
Manoel Joaquim de Miranda Seve.
Jose Bernardino Pereira de Brito.
Freguezia dt S. Jose.
Joaquim Lopes Machado.
Dr. Francisco Go calves da Moraes. .
Dr. Americo Netto. de Meadonca.
Frsquezia dot Afogados
Joao Pereira da Cunha.
Tratainento da variola.O nosso dis-
tincto amigo 0 St. Dr. Pedro de Athayde Lobo Mos-
coso, desejaudo habililar aos cbefes de famjlia e a
todas as pessoas que se interessanj peios saurimen-
tos alheios, com um toeio simples, claro e provei-
toso de soccorrer aos seas semelhantes na lerrivel
epidemia de variola (vulgo bexigas), qne actual-
n*ente grassa entre n6s, seguindo os conselhos da
observacao e a pratica de muitos annos, acaba de
organisar as seguintes ipstruccops :
c RescrijtfiQ. A bexiga 6 uma polestia, que
appareca ordinariamente com 0 canmar epidemi-
co, e como tal supp5e-se one e contagiosa, porque
parece propagar-sp da individuo a individuo. E'
da classe das eruptivas, ^nxanthematica e rara vez
Mercurius vivus. Se ao fim de alguns dias
as pustulas estao lem amarellas e a garganta ain-
da se Jtclia dorida, recorre-se a mercurius vivus
de duas em auas horas, o vai-se alTastando as do-
ses a proporcao que a melhora progride, e logo
que as pustulas ficam um pouco murchas e com
feicao de seccar, passa-se a dar sulfur de seis em
seis horas.
Nos casos benignos quasi sempre os phenome-
nos cedem com a regalaridade acima descripta
e em pouoos dias ficam restabelecidos os doentes.
< Nos casos mais'graves isso nao acontece assim,
e no decimo ou seguintes dias a febre reapparece
com mais intensidade, 0 delirio volta, ha muitos
frios e 0 doente soffre por muitos dia-, alt; appare-
cer a disposicao de seccar, e e enlao que os doen-
tes melhoram.
a Nos casos gravissimos tndo se passa com a
maior irregularidade ate 0 fim fatal, ou nao, da
molestia.
a Portante se attendera as seguintes prescrip-
foes :
a V ccina.Quando a erupcao se torna muito
difficil, e 0 erabastecimento e deraasiado, parecen-
do 0 que vulgarmente, porein com muita proprie-
dade, se cbama lixa, deve-se recorrer a 3" dyn. de
Thuya occidentalis. Se ao fim de 48 boras
nao se obtiver resnltado algum, e antes com vac
.lluiiicipio de Bum Jardim. Sob cina mesraa 0 estado' parecer aggravarse, deve-se
.
cujas pracas e ruas no
trajucto do porto ale'o palacio da presidencia os-Jataca 0 individuo'raais'de uma vei
tentavara-ie cheias de galas e loujania. tr Asignala:se dm perjbdo de ihcubaeao,
0
dar thuya.
Straiwmium Pode ser applicado quando os
medicamentos acima nao tem dado resultado fa-
voravel a ha, alem de outros symptomas, um de-
lirio loquaz e agitacao
o Ipecacuanha. Quando a ernpcao, comecandn
a seccar, apparece diarrhea abundante com mao
cheifo, da-se ipecacuanha.
e CAina.Se a diarrhea e debilitante, e nao
cede nada a ipecaruanha.
a Carb'.i veget tbilis. Se a diarrhea, alem de
debilitante, e putrida com cheiro de carnija, da-se
carb.-veg ou arsenicum.
t Lachesis trignocephalos. Applicase nos ca-
sos em que ba sangraraento abundante do na-
riz, da bocca e das ventas, ou quando apparece a
gangrena : se este remedio nao aproveita, ainda
se pode recorrer a china, curbo-veget, e'arsenicum.
c 0 tratamento homeopathico e muito supe
rior a qualquer metbodo curativo.
a E preciso que a bexiga seja muito ma para
o daente ficar cam as marcas indcleveis, que
tantos males tem causado a formusura de muita
gente.
c Por tanto deve de haver toda cautela em nao
se tocar, nem quebrar, nem furar as pustulas:
0 melhor alvitre 6 deixa-las seccas intactas, para
que a pelle era supporacio nao seja exposta a
accao do ar alraospherico qne tanto mat causa
a superficie desnadada da pelle.
a Em minha opiniao, mesmo nas pustulas, que
se tornam denegridaa, nao se deve tocar, nem
applicar remedio algum ; deve de se contar com
0 effeito dos medicamentos adrainistrados interi-
ormente.
Dieta.So primeiros dias 0 doente deve de
tomar agua fria ou com assnear, aao se Ihe li-
mitando a quantidade : alguns caldos de gal I i
nha, ou de came assada, mingaos de gamma e
canj'as de gallinha com arroz ou cevadinha, se a
molestia for beaigna.
> No caso ontrario, isto e, quando a molestia
e grave, deve de se dar pequena quantidade de
alimento, em juanto a febre estiver em sua ener-
gia.
A' proporcao, que a febre vai cedendo, 0
appetite vai reaparecendo, e havendo a preeisa
cautela, augmenta-se progressivamente 0 ali-
mento, ate que 0 doente esieja restabelecido.
Concern natar qae no maior numero de casos
doente, logo que melhora, ae (be desenvolve
uraa fome extraordinaria, a qual e preciso too
satisfazer sealo com muita precaucao. E' bom
evitar ao priueipio a carne fresca cosida ou os
caldos gordos, principalmente quando apparece
a diarrhea.'
< 0 doente nao deve estar exposto a corrente
da ar emquanto a erupcao se faz, e mesmo dn-
rante 0 eursq da molestia por causa de suppres-
sao de trajspiracao ou jnesino da repercossao da
molestia sobre os orgaoc interiores, a qae se
chama vulgarmente rccollutnento.
Em caspf Ues deve-se procurar agasalhar
bem d doente para fazer que elle transpire abnn-
dantemeute, usando-se eonjunctamento dos re-1
tdjos convenientes como 0 aconito, 0 arseni-1
Domtngos Ferreira Maia
Carvalho, Guimaraes & C.
Carvalho & Nogueira
Joaquim Jose Goncalves Beltrao & Fi-
lho
Carlos E. de Andrade Peixoto
Harysmandi & Labille.
Manoel dos Santos Villaca
Club Litterario Hoje ha sessao
ria, no lugar e hora do costume.
Adiuinistracao do correio. Sendo
amanha dia sanlificado, so se realisara na se-
guodafeira (20) 0 concurso para provimento dos
lugarcs de praticantes da auministracao do cor-
reio desta provincia, sendo exarainadores os Srs
Drs. Ezequiel Franco da Sa, Manoel Pereira de Mo
raes Pinheiro e major Salvador Henrique de Al-
buquerque.
Matadouro publico.Haje ao meio dia
e que termina 0 praso para recebiraento na seere-
taria do gevcrno, de propostas para a constrnccao
do matadouro e estabelecimento de logradouros
publicos.
Ram que se tenham estudado diversas localida-
des quer para um quer para outros estabelecimen-
tos, entre os quaes se acham os lugarcs Peixinho
e Rio Dace, ainda se nao acha fixado 0 ponto, po-
dendo os proponentes apresentar outros diver-
sos dos estudados.
Cricket. Hoje realisa-se uma partida deste
jogo inglez entre ooze dos viajantes do vapor Eo-
tlien a onze membros dos dous clubs desta provin-
cia, especialmenta escolhidas. Principiara a par-
tida ao mejo dia preeisa.
Fire Queen.Este vapor, da Iinha de Li-
verpool, nada adianta em neticias as que recebe-
nios pelo vapor do Pacifico.
.I111/.0 de direito da primcira vara.
0 Sr. Dr. Qointino Jose do Miranda, juiz de
direito da 1.' vara civel do Recife, passa a dar
audiencia nos dias terca e sexla-feiras de cada
semaii.i aomei 1 dia.
Assueiaeao predialEsta corporacao
deve celebrar essaa da assemble;! geral no dia
21 do correntc ( terca-feira ), afim da directoria
presiar conta.s, de accordo com os estatutos.
Uontc Pio Popular. Amanha dere pro-
ceder esta sociedade a eleicao da directoria que
tem de funccionar no anno de 1873 a 1874.
Guarda uacional.-S. Exc. 0 Sr. presi-
dente da provincia sob proposta do tenente-coronel
commaudante Jo 3. batalhao da guarda nacional
desta capital, nomeou 0 tenente Justino Jose de
Souza Campos, para 0 poslo dpcapitao da O.-1 com-
panhia do mesmo batalhao.
Santa Casa dc Wisericordia.Ama-
nha celebrase, no hospital Pedro H, a festa do pa-
droeiro S. Pedro de Alcantara, com a esplender de
costume, olficiando no acto os Rvms. sacerdotes
lazaristas.
Salva.Por ser amanhl dia de S. Pedro de
Alcantara, padroeiro do imperio, estarao embandei-
rados os navios de guerra e estacoes pubheas,
dando a fortaleza do brum a salva do eslyilo a uma
bora da tarde.
Trillion Urbanos de Olinda.Deve
realisar-se depois de amanha (segunda-feira) a'reu-
niao da assemblea geraUdos aceionistas desta com-
panhia, afim de proseguir-se na discussao do pa-
recer da commissao de exame de comas.
Instituto Archeolo^ico e Geogra-
pliico Dumos hoje em nos*a 8' pagina a noti-
cia sobre 0 presidio de Fernando de Noronha, que
oi lida pelo Sr. coronel Antonio Gomes Leal, na
sessao do Instituto Archeologico Gcographico. Re-
commendamos a sua leitura.
Instituto liistorico e philoso pliico
Hoje a noite, e3ta sociedade literaria encerrara
seus trabalhos no corrente' anno em sessao magna
que e de esperar seja muito concorrida, attento 0
credito que recommenda a mesma sociedade. I
0 Pastellao. E' 0 titulo de um periodico
caricalo que nos consta, principiara hoje a tor pu-
biicidade.
Cidade de Goyanna.0 Sr. administra-
dor interino do correio acaba de declarar-nos que,
acedendo a justo pedido que Ihe foi enderes-
sado pelo nosso correspondent^ noticioso da
cidade de Goyanna, vai organisar 0 service
postal para ahi de forma a sahir do Re-
cife am estafeta de tres em tres dias com esse
destino, e que, nao tendo verba para pagar ao
carteiro distribuidor da mala nacidad* de Goyan-
na e seus arrabaldes, pede hoje para a corte pelo
vapor Pani a autorisacao da despeza, esperando
que sera attendido 0 seu pedido, em vista do re-
gulamento dos correios do imperio.
Povoacao de Bengalas Desta loca-
lidaie nos escrevem em 9 do corrente :
< Teve lugar no dia 5 a bencao do cemiterio
desta povoacao, construido a esmolas, mediante
os iocansaveis esforcos do raaito respeitavel mi-
nistro do Senhor. 0 Bevd. Jose Francisco da Silva
Borges. Foi simples, mas interessanta a fe.-tivi-
dade. Na vespera vieram da villa do'Limoeiro
alguns discipolos de Santa Cecilia, pondo em mo-
vimento esta povoacao com os raaviosos sons de
sens instruments. No dia 3 chegoram diversas
pessoas gradas da villa, e foi immenso 0 coacurso
de pessoas que assistiram ao acto.
0 digno sacerdote," depois de finda a missa,
qae foi cantada pelo guardian, dirigio-se para 0
cemiterio, tendo previamente benzido 0 cruzeiro,
sublime signal da redemcao da pobre humanidade,
e precedendo a todas as formahdades prescriptas
no ceremonial, fez uma pratica analoga ao acto
pie e religicso que se praticava, deixando todos
os coracoes commavidos de suas polavras ch3ias
de unccau.
-Ura pave immenso, um povo numeroso, tao
falto de necessidades espirituaes, lamenta do in-
timo de seu coracao qqe S. Exc. Rvma. nao quei-
ra consentir que lenhamos junto a nos um sacer-
dote tao cheio de virtudes como 0 digno padre Jo-
se Francisco da Silva Borges, a quem pedimos
perdao de ter offendido asoareconhecida modes-
tia. >
Itanibe.Em 13 do cprrente escrevem-nos :
1 A priraeira correspondencia que Ihe dirigi,
com relacao .a esta localidade, digna de melbor
sorte, excitou a curiosidade de muitos, qae pro-
curam anciosos saber qual foi o sea ousado autor.
Nesse empenho formam mil e um jaizos, e
aitribuem na, ora a nm ora a outro individuo, e
assim ficaip ainda era estado de duvida, e que
muito me satisfaz porque a nossa missao nao i
das melbores.
Se agradamos a alguns, dizendo a verdade,
desagradamos a outros pela mesma razao ; per
tanto va correndo 0 negoeio em segredo, qae ni3to
mesmo esta a grata.
Basta de preambnlos que nada adiantam, e
comecemos nossa tarefa.
Tivemos de lastiraar ha poucos dias a morte
da major Henrique de Farias Norpnba, senhor do
engenho Perury, desta comarca, que foi assassi-
nado com uma facada dada por individuo que di-
zem ser louco e irmao natural do finado.
0 major Henrique era geralmente estimado,
nao so nesta como na comarca de Goyanna, d'on-
de era natural.
a 0 assassino foi logo recolhido a cadeia, e 6 de
presumir-se que as autoridades procedam, como
devem, a seu respeito, afim de verificar-se se real-
mente elle soffre de alienacao mental.
t Ha poucos dias am individuo que estava as-
sistindo na Baixinna, nao duvidoa na mesma rna
e as 3 horas da tarde, espancar a dous soldados
do destacamento da guarda nacional d'esta villa,
c Hoje mesmo um outro, de nome Manoel da
Pedra, -na lugar Cana-Bravo, deu as 7 horas da
manha um tiro em Antonio Jose Maciel da Rocha.
Fezsfl 0 competente corpo de delicto e foi 0 feri-
raento considerate grave, too tendo sido pre3o, in-
felizmente 0 criminoso.
a Estamos portanto cada vez mais sentido a fal-
que ja por vezes tem occapado a promoloria,"coni
. i geral acolhimento por ser um moco intelligente e
* hone3to.
c Dos districtos de S. Vicente, Tunoauba e
Cruangy, nada consta de notavel.
Seria convenientc para t rar duvidas, que ja
tivessemos 0 resultado do processo qne se esta
instaurando a certa sqnhora da ultima destas loca-
lidades, em virtude da morte de uma sua escrava
que foi-lho attribuida. Sam tempo e asfOUipt"
para mais. At4 a seguinte.
Processo Ponies Visgrueiro. Satisfi-
zendo a anciedado publica temos publicado, logo
que chega ao nosso conhecimento, qualquer do
cumento ou narrativa sobre 0 celebre processo
Pontes Visgaeiro, quer venham elles do lugar on-
de se deu 0 crime, quer da edrte onda esat seai.
processado 0 seu autor. Nesse proposito, damos
hoje em nossa 8' pagina, sob a rubrica Jurispra-
dencia0 curioso iuterrogaiorio da miii da assas-
sinada Maria da Con;eicSo, para 0 qual chamam
a attencao dos leiteres.
I'm decreto do Marquez de Pom-
bal.Lemos no Paiz :
Deramnos um documento assignado pch
marquez de Pombal em 1772. E' um aviso do ce-
lebre estadista, escripto com aquella lirmeza, que
caracterisava todos os seus actos. A lettra 6 px-
cellente, 0 papel e a tinta pareie nao terem at'ra-
vessado mais de um scCulo, e esta concebido lies-
tea termos:
A el rei meu senhor for presente que 0 vigario
capitular que fui desse bispado Pedro Barbosa Ca-
naes indevidatnenlc renioveu Jose Lopes Peraira
do curato da freguezia de Nossa Senhora do Car-
mo da Piracuruca, na capitania do Piauby: E
igualmente do emprego de vigario da vara, e ou-
tros cargps annexos, que tudo dignamente occu-
pava havja muitos annos. Manda 0 mesmo Se-
nhor declarar a V. S. que logo que receber esta
mande que 0 sobredito Jese Lepes Pereira seja
restituide nao se ao curato, mas tambem a todos
os mais empregos, que eccupava ao tempo da di-
ta remocao: Dando V. S. conta por esta seereta-
ria de estado dos negocios do reino de que assim
0 executou, para ser presente a Sua Magestade.
Deus guarde a V. S., palacio de Nossa Senhora da
Ajuda, em 8 de fevereiro de 1772. -Marquez de
Pombal.Sr. deao, dignidades e-cabido da saata
igreja cathedral do bispado do Maranh5o.
Viagem de S. M. olmperador.- Le-
mos ainda nesse jornal:
_ Alguns jornaes francezes ;de grande circuja-
cao e credito dao a noticia de uma proxima via-
gem do imperador a Europa nos seguintes ter-
mos :
aL'empereur du Bresil projecte un nouveau
voyage en Europe, II y viendrail faire une sai-
son dans une stations thermale afin de se debar
rasser de rheumatismes persistants.
t Este trecho, que copiamos do L'Ecenemen! de
22 de agasto preterito, contem uma noticia que foi
repetida por outros jornaes francezes.
Si bem que too seja esta a primeira que sa-
beaos do que se passa no Rio de Janeiro pelo que
nos mandam dizer de Paris ou de Londres, com-
tudo pedimos ao governo que nos informe do que
ha a tal respeito.
a Sabemos ha tempos que Sua Magestade aof-
freu em sua saiide, mas aqui no Brasil ninguen.
ouvio dizer que 0 imperador iria eslacionar na Eu-
ropa, nem a noticia nos parece de facil execucac
agora que, estando fora a princcza imperial, a re-
tirada do imperador importaria em passar a re-
gencia ao ministeno.
As aguas de Minas seriam provavelmente tao
salutares a Sua Magestade quanto as da Franca, c
si elle preferisse 0 expediente que suggerimos, es-
tamos certos que ganbariamos mais de uma vanta-
gam.
Ficaria em seu proprio paiz e proximo a ca-
pital :
t Evitaria difficuldades que uma regencia, na
ausencia da princeza imperial, provavelmente dos
traria.
E essa viagem dava-nos muito provavel mente
a satisfacao de uma grande necessiaade, isto e, a
construccao do ramal da ejtrada de ferro que com
facilidade leve aquella regiao privilegiada os que
soffrerem era sua saiide victimas da mao cllma
desta capital.
Como quer que seja, temos 0 direito de sa-
ber se 6 exacta a noticia e pedimos ao governo que
nos diga alguma cousa.n -
I-oteria. A que se acha avendaea 70.' a
beneficio da matriz de Afogados, a qual corre no
dia 21.
Casa do detencao.Moviraento do dia
16 de outubro de 1873:
Existiam presos 327, entraram 8, sahiram 2,
existem 333.
A saber :
Nacionaes 23 >, mulheres 12, estrangeiros 42.
escravos 42, escravas 2.Total 333.
Alimentados a custa dos cofres publicos 267.
Movimeato da enfermaria do dia 16 de outuhro
de 1873 :
Tiveram baixa :
Amam Gomes de Saut'Anna, gastrito,
Jose Francisco de Yasconcellos, rheumatismo.
Teve alta:
Joao Goncalves Ferreira.
Passageiros.Vindos do norte no vapor
Pard :
Raymundo V. Ribeiro, ^Henrique da C. Rodri-
gues, D. Clotildes Rosa Cavaleante, Tboraaz Qo-
lart, Dan el Couser, Lucia de Souza Pereira e sua
senhora, D Gertrudes Maria Botelho, Jose Maria
Wanderley, Doraingos Jose de Saboia e Silva, Qui-
rino Francisco do Carmo, Bernarde Cabino. Jasti-
no Jose da Costa, Carlos Pinto de Lemos, Affonso
Maria de Ligorio Velloso, soldado Joao Jose :Fran-
cisco Cavaleante, Jose e Joaquim escravos do Sr
Guilherme F. Cruz, Maria Jose Lopes Mendes e 2
escravos a entregar.
Seguera para 0 sul no mesmo vapor :
Alferes Fenelen da Annunciacao, alferes Anto-
nio R. Filoquet, tenente Martiniano Jos6 A. Fer-
reira, D. Silvina de E. Mello, Manoel P. Rentes, Jo-
36 de 0. Santos Junior, Ermancio dos Santos Frei-
tas, Dr. Manoel do Nasciraento A. Linhores e sua
sen ora, Dr. Antonio Bernardo dos Santos, Dr.
Joao Lins de Albupuerque, 4 segundos cadetes, 2
segundos sargenlos/16 prajas do exarcito, 1 11m-
Iher de um dos mesraos, 2 criados a 40 escravos
a ent egar.
Cemiterio publico.Obituario do dia 12
do corrente :
Thereza, branca, Pernambuco, 8 mezes, S. Jose;
convulsfles.
Maria, branca, Pernambuco, 3 annos,Boa-Vista ;
variolas.
Joanna Maria da Conceicio, parda, Pernambu-
co, 15 annos, Boa-Vista ; febre perniciosa.
Jose de Brito Mello, branco, Pernambuco, -59
annos, viuvo, Santo Antonio ; variolas confluen-
tes.
Antonio lose, preto, Pernambuco, 38 annos, ca-
sadot Boa-Vista ; bexigas.
Joao, branco, Pernambuco, 5 annos, Santo An-
tonio ; variolas.
Manoel, par,do, Pernambuco, 3 annos, Santo An-
tonio; variolas.
Rosa, escrava, preta, Pernambuco, i3 ann.>,
solteira, Boa-Vista; bexigas.
Scipiao de Araujo, preto, Africa, 60 annosj sol-
teiro, Boa-Vista ; ulceras.
Manoel Carneiro Lessa, branco, Pernamboco, 3<)
annos, soReiro, Boa-Vista; variolas.
Manael de Vasconcellos Pioto, branco, Pernam-
baco, 16 annos, solteiro, S. Jose; bexigas.
Joanna baptista de Jesus, preta, Pernambuco, 70
annos, viuva, Recife; phtysica tuberculosa
Jose Xavier, .pardo, Pernambuco, 26 annos, sol-
iro, Boa-Vista; variolas coufluentes.
teir
Roberto da Silva, preto, Parahyba, 40 annos, sol-
teiro. Boa-Vista; hypetrophia
Martiniano, escravo, pardo, Pernambuoo, 2C an-
nos, solteiro, Boa-Vista ; bewgas.
Maria, parda, Pernambuco, 3 annos, Santo An-
tonio ; variolas.
Manoel, pardo, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista;
bexigas.

-i


4
-2.


W
J
*
t
t
i
"
i

aiailrdeI>Pwiwbn<}&^i S*bJ*dp-18 4fc;Qftfewk. W&c
Fiorencio, pirJi
riolas.
Pompeii CatfJ
Eugenia Gu/'herj
i-i, SS^AiiQns, tasai
Julia, pai-d'\, 3 antio?,
AntmKp-; va
mo
AJfcaquwqee, -tranco,
a; variolas.
Porto, branca, l^rnnmba-
a-Vista; paralvzia.
Perrnimptreo, Sinto \nto-
iJllKOXICJ Jl".W3IABa
Tribunal do cammercic.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRAT!VA DE 13 UK
OUTUBRO DE 4873.
PBKSIDRHCIA 0(1 EXM. SR. CO.YSBMreine ANSBLM0
tn.Kyc.iacn psnutti.
A"4 10 boras da raaniia, presenles os Srst de-
putados secretario Olinto Bastos e supplanlo Alves
Guerra. faKando com pirtieiparici o Sr. deputado
Lopes MaShado, e sera clla o Sr. Sa Leitiio, S Exc.
ii Sr. conselheiro presidente declarou aberta a
868S&U
Fih. iida o approvada a acta da uraceienle
sessao de 9.
EXPKDIE.NTE.
Qftkio do secretario da tribunal do commercio
da capital do imporio, reinetteado a relacao dos
conpuereiantes matrieulados naquelle tribunal da-
ram* o ni3z de seterabro ultimo Para o archivo.
Oflkio do presidente e secretario da junta dos
corretores, remetlon lo o boletim das cotacoes oQT-
ciaes da semana de 6 a 10 de corrente.Mandou-
se archivar. M'llj
Dito, fazend) constar o numero de transaojoes
fi'itas por eada correior do mez da seterabro pro-
ximo passado. MauJou Be igualmente archivar.
Reelamacao tla assuciacao cormnercial beneli-
ccnte a respeito de protestos de lettras.0 tribu-
nal resolveo. que se fizesse vor a illustre direccao
que nao veio a representayao do c unmermnte
Joio Ignacio de Medeiros Re'go que no sea offlcio
do 8 do corrcn!n'se.ui mat) remcttida, esperanJo
o trihun.il que toulia iugar samelliaiila reinessa.
Idem da raesaia assbciacao sobre exatne de li-
vros doscorreteres. Resolveu o tribunal que se
tizesse constar a illustre direCcao que nao veio a
represenlaeao de diversos coramerciantes a que se
relere o sen oftieio de t, e que espcra seja-lhe
rcmettida.
Oistribuiram so os livros seguintes : diario e co-
piador de Jj*e Tavares Pinheiro, copiador de Joao
Jose de Garralho Moraes, dito de Moraes & Brito.
OKSPACHOS.
Iteqaerime&te de Francisco Jose Silveira, cor-
rctor geral, mostranlo haver pago o imposto do
seu ollicio rclativo ao 1 semestre -Adiado por
haver somente no tribunal o numero preciso de
niembros para despach ir mero cxpediente nos ter-
mos do art. 10 do tit. unic do Cod. Coin.
Do raesmo corretor, impetrando dous mazes de
iiceaja para fora da provineia.-- Vista ao Sr. des-
'mbargador fiscal.
Da eompanhia Ferro Carril de Pernambuco.
Satistazen.lo o dcspa;ho do tribunal proferido em
peticao q.ie requereu o registro dos seus cstatutos,
volte eon vi-ta ao Sr. desembargador fiscal.
De Aatonio Luiz Teixeira Elias, solicitamb bai-
xa no registro da nomeacAo de seu caixeiro Ar-
thur Esl-Jftislao da Costa -Adiado por eslar in-
complete o tribunal pelo nao comparecimento de
dous de seus raemoros.
De Jiiaquim iose Gonijalves Beltrao, submetten-
do a registro a noineacao de seu caixeiro despa-
<"'-ianto Leonel de Lacerda Maciiado.Idem.
De Jyaquim Jurge de Souza e Manoel Jjse de
Souza, registro de seu distrato. Idem.
De Antonio Felix Pereira Junior, Irazendu a re-
Sislro a nomearao de seu caixeiro Antonio Eme-
luilimpio Barros. Idem,
Do Dr. Julio August! da Cunha Guimaries, o(R-
i'ial maior da secretaria desle tribunal, psdiudo
que se A6 o conveniente destino a portaria que
junta, pela qual Ihe lora prorogada por mats 30
dias a licen^a que ultimamenle Ihe foi concedida.
Idem.
De Joaqnim Dias dos Santos, cidadao brasileiro,
de Made de 31 aim is, natural desta cidade e nella
roaidente, pediado ser noneado agente de leiloes.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Ao meio dia, n.io havondo mais o que de-pachar
S. lixe. e Sr. conselheiro presidente encerrou a
a sessao.
O gov^rno expediu o aviso de 13 de se^mbro, wn
tie sugeila o procedimijto do maiia^ prelado to
julgameoto do poder }
com estranho deaodo, e, de
rio; assunieiii a Inta
implacavcis inimigos
que eram j jneaitas, se3oneHm earfoATni;2
aggressores do govemo !
Eolretajjto a que. prwendia a Provineia que 0
governo fizesse, nio diz. A sua opiniao nao emit-
te, nem demonstra qual seria a mellior sqlufio a
adoptar se.
Pretendeado levantar prevencSes contra 0 go-:
verrio, insinua que este abandone 0 poder para
virem os liberaes e fazerem 0 que convene isto e, re-
solver a questao por nm modo que nSo inrtica t
0 mal, diz a Provineia, esta era ser 0 chefe do
gabiaele 0 chefe da maeouaria ao mesmo tempo c
aue chefe* governo que na Europa 6 liberal, e
eorcunda no Brasil I
Sempre a preocupacao do poder pessoal, sempre
as doctrinas revolucionariat I
Mas, objefta a Provineia que 0 geverno actual,
poc sor lira J > de urn partido que contem em seu
seio ultramonianos, nao pode resolver convenieuti-
mente a questao.
E sendo substituido, perguntaraos, por outro sa-
hido do partido liberal, as couzas mudaram de
face ?
E' 0 que contestamos.
0* chefes mais aclivos desse partido, como sejam
os Srs. Zacarias, Paranagua, Saraiva Silveira Lobo
e outros, sao ultramonianos. Os chefes mais pre-
ponderances, como os Srs. Nabuco e Octaviano, estao
prtzos ao stalo quo. Os chefes capsados, como 0
Sr. Souza Franco, a frente da raocjdade ardente,
querem a igreia livre no estado liwe.
Ora, nesie desacordo e confusio, em que qada
um falla a sua lingua, deve algnem pensar ao me-
nos que os liberaes possatn melhorar 0 estado
das cousas ?
Porque, pois, nao ha de a Provineia fallar ao
publico com verdade e boa fe ?
Reconheca que a questao 6 gravjssima, e aguar-
de 0 resultado do recurso legaal que foi empre-
gado.
0 procediraeuto do governo 6 sem davida digno
di asceitaQao e apoio. -
Se 0 governo tivesse recorridoa providencias ex-
tremas, como nao gritan* a Provineia a bom gritar
contra elle f
Ao contrario, 0 governo proenroa 0 recurso da
lei, confiou no poder judiciario, e a Provineia 0
accusa porque nao erapregou medidas violen-
tas I
Reflictaa Procinca. A questao e" gravissima,
repetimos, nao faa della escada para 0 puder, nao
especule com as pcrlurhacoes da sociedade ; pa-
c'rifique alguraa cousa de sua ambigao ao amor da
patria. E assim dara mellior prova do seu cy-
visn!o.
0 preparao3o para 0 eat
irivei aos (
_ taifwBti
e tornando4e ranjosos
?lo, lorna-se infi:ii-
adas que nao
poros da cutis,
calor, aclualraente
n
adbs 'Veflfl^|:
atacadb de a^resrHeamaiicas, que me prosfarara
complelamente paralysado de movimutos, curei-
me desse ineommolo com alguns frasoos da Sal-
saparrilha it Bristol, e at6 esta 6poca nun-'a mais
ful atacado da mesma enfermidade, Nanhuma
duvida tenhoem conslgnar este facto, que foi alias
sa&ido e enhccido pot muitas pessoas de miohas
relacfles nesla cidade. Porto Alegre, 26 de juohe
de 1873.Endoro Berlink, proprietario e redactor
do Rio Grandense. -
Club tie lanceiroM carnava
lesco.
S;lo convidados os socios a comparecerem no dla
18 io corrfiute, na rua da Itaperatriz n. 8, f an-
dar, para tratarse de negocios importantes.
rvicr aos assoclados.
E3geo
a Anna de
mmmm.
AFLNDAEUA
,\eodimenio do dia 1 a 16.
Idem do dii 17. .
521:5W#S60
30:198*?37
831:736*187
SESSAO
JUDICIARIA EM
DE 1873.
16 DE OUTUBRO
PtlESIDESCIA DO KXM. SB. CONSELHEIRO ANSKLJK
FItA.NCISCO PERETTI.
Sccretario interim), 0 official Torres.
Ao meio dia, estando reunidos us Srs. dos-
embargadoros Reis e Silva e Accioli, os Srs.
deputados e supplentes Olinto Bastos, Lopes Ma-
eb'ado, Sa Leitio e Guerra, faltaado com partici-
pajSo 0 Sr. destjinharga-tor Silva lluimaraes.S.
Exc. 0 Sr. conselheiro presidenlo abrio a sessao.
Foi lida e approvada a acta da sessao de 13.
MUttMNrma
Relator 0 Sr. de?e.ubargaJor Reis e Silva, revi-
sar 0 sr. d(';.!iab,irgadoi' Accioli:appellaule Ma-
noel Pires Agra, apiwllado Jose Joaquim da Costa
Maciel.Sorteados os Srs. Sa Leilao e Lopes Ma-
chado.-^r'oi julgada a desistenuia.
Relator revisiK osditos Srs.-deserabargadqres:
appellaate Antonio Joaquim da Silva Brito, appol-
lado, Jose Cypriano de Araujo ; juizes comraer-
cianles os Srs. L>pes MacUado 0 Sa Leila).
Adiou-se a pedtdo de um dos mesmos semores.
Relator c revisor ainda os sobreditos Srs. desein-
bargadores : appellants Joaquim Francisco da
Costa, appellado Jacob Cahd, hoje seus hordeiros :
juiies sorteiados os Srs. Olinto Bastos e S:i L 'itao.
Adieu-se tambeni a pedido de um dos dites se-
nhores.
Relator 0 Sr. desembargador Accioli, revisor 0
Sr. desembargador Reis e Silva: appellantes B.
Anna Francisca Tav.ires Rraga e seus filho;., ap-
pellados Severino Irmao & G. Feito 0 sorteio dee
Srs. Guerra e Lopes Machado, deu-se 0 adiamenlo
por parte de um dos jorteiados.
Em consequencta do nao comparecimento do Sr.
lesembargadtir Silva Guimaraes, deixaram de sor
julgados os seguintes feilos :
Appellante William G. Fennelv, appellados as
administradoies da inassa fallida de Fernando
Stepple da Silva ; appellantes Marques Santos &
C., appellad'S os admmislra lores da tnassa fallida
da Silvestre Pereira da Cunha & C.
Pelo mesmo motivo deixaram deaer propostos
os seguintes feitos.
Appellante embargante Gertrudes Germana dos
Passes, appellado ebargado Manoel Eduviges da
SJva, appellante embargada D. Maria Adelina de
Mello, appellados ftmbacgantes os administradores
datnassa fallida do Autraio Pedro de Mello; ap-
pellantes Henrique Leiden & C. por seu socio e
principal gerenle Henrique Quaaz, appellado Au-
gust.! Kruss; appellante Aquilino Bezerra de Me-
nezes, appellado Jose Ca?alcante de Albuquerque.
E bem assim o feito que penile de embargos entre
paries : appellante embargante Joao Jose de Car-
vattto Moraes, appeflados etnbargados Jayma Eneas
Games da-Silva, Jaronymo. Delsnc 0 D. Ursula
Gordolina da Rocka Almeida, cujo julgamento tera
de presidir como substituto legal da Exra. Sr. con-
selheiro presidente que se ha areraadn de suspeito.
P*SSAGSNS.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Accioli : appellante 0 fallido concor-
dalario Joaquim Francisco do Espiriui Santo, ap-
pellado 0 barao de Muribeca ; appellantes os a I-
minislradores d 1 1 lassa fallida de Jffuga41Ues &
lro|aos, appellado Aatonio MachaJo Gxties da
SiWa, tutor dos nienores Antonio e Jose\ Oihos de
BeMo Jose da Silva *Jjigalhaas.
Encerrou-se a sessao a 1 hora da tarde.
ggttl' "WB-C
Buiu Jardiui.
A Provineia noticia que 0 juiz municipal do
Bom Jardim, soffreu um tiro de emboscada uo dia
9 do corrente, do qua! escapou milagrosamopte pi r
ter a carga se empregado n'uma trave d casa.
Esta noticia servio de reforco as censuras que
tern feito a administracao sobre os negocios da
quelle tenho, e por nao ter recehido 0 juii muni-
cipal, que nao proeurou fallar a S. Exc. em aadi-
encia, e sim em horas inoportunas.
Enlretanto confessa que S. Exc. ouvio as qnei-
xas e reclamagao de uma comniissio que daquelle
terrao veio expor a administracao 0 estudo das
cousas.
Ouvio S. Exc. a coraraissao, e de tudo ficou in-
teirado, d&ndo providencias no sonlido de evitar e
remover fundamentos as queixas que eram
feitas.
E tanto as providencias aprovejtaram, que a
commissao nao renovou as suat rcclamacoes.
Mas diz a Provineia, nao convcrsou conj e juiz
municipal !
Ora, se 0 Exm. Sr. presidente tivesse recebido
o'juiz municipal, era sen gabinete, em horas ino-
portunas, 0 tiro nao teria apperecido, e a pobre
trave nao Dcaria com a carja I
E' isto 0 que quer dizer a Provineia ?
Mas nao faca escarceu, 0 facto do tiro nao ficara
em descnido. Todos as providencias que o caso
cxigia, ja estao dadas, e, se crime house 0 seu
autor sera punido, e as autoridades omissas nao
ficarao sem correcfao.
Nao antecipe juizos, as autoridades sabem cum-
prir 0 seu (lever, e 0 tein em alfa monta, para
nao 0 descuidar e negligeuciar.
P4RTIDO COWERVABOR
RECIFE, 18 ))E OL'TDBRO DE 187.1
A Provineia a. 123, contem artigos dignos do
mai^r reparo. Goia oiles nao fez mais da que tor-.
naMsonkecido 0 sea iolnito, e deraonstrar que os
sew- raiaetoras nao ieeai opiniao asseutada sobre
a qjtsstao reiigiosa, aitdam apenas a facer della luua
espacniagao polities-
Sm c^aecos loinaram pacle activa aa luti, pro
voaaram. reuaiues, e^aliaraia os espiritos e prepa-
raniui oitrietes atoatocinaentos de ixjaio.
AfOka(vae,a da. malr de Saat) Antonio, e elJus fjvam os pri
uieicos a-ce^sttcari* aviso da a2 de jucho, re-
traicaiM-sfl, acanseUiarain a atisteci?ao da iuu,
procfaraaode o stalo qub do conselheiro Mabnco.
Fizeram mail, proelamarara pejas cem tubas da
-fama a chefui do conselheiro Zaearias, 0 ultra-
raontand mais formid.ivel que extsle no impe-
rio I
*.C*sados pelos ^opalares, qua coaderanavara 0
Descarregam hoje 18 de outobro
Vapor nacioaal -Para generos nacionaes para 0
tfapiche da companhia.
Barca franceza -Anne Uifrit -varios geoeros pa-
ra 0 trajuchc Coneeigio, para despacliar
Vapor nacional Manditik.r lagedos paj/a 0 tra-
piche Couceicao, para despacbar.
Vapor in^ez -Ftrejj^^u^paercadorias para al-
Bndega. '
Palacno aieinao M/iria mercadorias para ai,-
tondega.
Barca ampricana Casco -varios geueri
irapiche Conceicio, para des,
Brigue portuguez Bella Figucirense
ncros para o traptetie Cone
despachar.
r-r-
Para, vapor nacional Para, consignado a Perei-
ra V. A C:, manifaston :
Amostras diversas volumes a D. Causer.
Barncas vazias 30j3 a Beltrao & Filho.
Ch^p6o 7 fardos a oraVm, l.a Burfe & C.
Roupa 1 caixa a ordem.
Salsa 20 rolos a Antouio A. Guimaries.
JESPACHOS DE EXPOMJaCAO W DIA 16 DE
OUTUBRO DE 187).
Para OJ,J)5J"fpj do exteryor.
Na harca ingliza Lavinni, para 0 Canal, car-
regaram : S. Brothers 4 C-i>Q0 saccps com 37,5100
kilos de assucar niascavado.
No lugar allemao Nicoline, para Hamburgo,
carregou : P. J. de Sio,ut?ira 2jangadas.
Para OS port** do interior.
Para 0 Para, no palacao portuguez Michfa-
leme. carregou : N, Q. Myfeira 101 barri:as coin
7,731 l|2 kilos de assucar Ofanco.
Para Aracaty, na bareijca D. Luisa. carre-
garam : Costa .* C. 23 barncas com U*04 kilos
de assucar refinado, e. S^jripa com I4,4j00 litros
de agnardente.
Para 0 Para, no palhj|>ote brasileifo Jorem
Arthur, carregou : A. F. Barros 2 pipas com 960
biros de alcool
Para Alagoas, na har*ca Venpza, carrega
ram : B. Gimcs &C. 1 birrica com 60 kilos de
assucar branco
Para Mossoro, na bareaca Ripehustlo, car
regaram : Monteir Junior 4 Fernandes 4 barricas
com 266 kilos de assucar branco.
Para Mamanguape, na bareaca Maria Isabel,
carregaram : Monteiro Junior 4 Fernandes 1 bar-
ril com 96 lilros de alcool.
I'ara a Babia da ftaicao, na barca?! Uniao,
carregou : B. J. Coelho 1 sacco com 75 kilos de
assucar branco.
marca
Juizo da prwcilaria
xaadre Bernardino de Figueiredo Reis e
i municipal e da preVedoria, suppiente
'Cieio do lermo de Agua-Preta e cowarca
area, provineia de Pernambuco, em vir-
lei etc.
ber pelo presents edilal que nos termos
do decreton. 1695 do lo de setembro de
tro do prazo de 30 dias, cootados da pu-
este edilai, recebera esta jojzo p opostas
fechada para a arremalacao por venda
: Pedro, crioulo, wlteiro, de il an-
agricultor, avaliado por 808,4800 ;
erioulo, dc 19 annos de idade, soiteiro,
ilasdo ppr*:*x os quaes perlen-
cem ao espOBo do ponnstiez Manoel Jos? Manna,
e vao a praca a requerimeqto do respectiva tes-
tamenteiro, e acham-s nesta villa, a rua da Boa-
Vista, a. 2, onde poderao sen examinados pelos
pretendaates.
E .Pf ? tae cnegue ao eonhecimento de todos,
mandefpassar o pr.-sente, que sera afnxado e pu-
bli-ado pela impren-a.
Kn Custodio Fioro da Silva Fragoso, escrivao 0
escrevi.
Villa de Palmares, 6 de outubrode 1873.-^f-
xanjri Bernardino de Figueiredo fliis 1 Silva.
1I0 com a comedia em 1
ojs m
Edital n. 84
PeJa i^pectoria da alfandega sfe fax pablico que
as 11 hotas da manha de 20 do corcenjo se ha de
arreinaUf, li\Tc dediriilis, a port.% desta repar-
ticao, 72chap6os de palli.i do arroz simples, ava-
ria'los, qne faziam parti do mnteudo da caixa
marca CFPiSjC, n. I6o2, vir> In de Liverpool no va-
por ioglez Student, enrra*dd prh 22 dw seterabro
passado", avaliados por 104*160, e aban^onadaaafc
direitospor Cramer Frev &C^ -*"
do Pernanjjjaigp it o^ojbru de
Alfandega
1873.
J/t O inspector
______. ffAiO A. ieCarvalhn Heis.
JPtal ii, 8e-.
Pela inepectoria at alfandega se faz publico que
nao tenJMB*j|rreuiatado um fogao de ferro fun-
did', -ora aJguoms nfa3 deieno'radas, aaliado
por M)&, vindo no brii-i sM i ot mt-. e abaado-
nado a par Wrlsoii Rowe J. C anmin-
ciado a lertio por edital n. 82, se transfere a- mes-
ma arr.;mata;So para as 11 horas da manha do
dia 20 do curreote.
Aliaa.lega do Ternaiubuco, 16 de outubro- de
1873.
w 0 inspector
Fabio A. de C. Reis-.
laPATAZIA DA ALFANDEGA
.,:adimento do dia I a 16 11.577^484
'dd/u do dia 17. .. 467JKU
Ao Exm. Sr. Beseiiabargadoi*
jniz de orphan.* e ao publico.
UMA GJSNTILEZA ESCANDALOSA.
Victima da mais infame e torpe injustija, recor-
ro a imprensa como um dos recursos de appella-
Qio ao meu direito, postergado era favor de dous
grandes charla'.aes, que ultimaraente muito tem
preoccupado a altenijao publica. Rellro-ine a A.
de Siaueira, jurisconsulto em cathecismo e a .Ma-
nan, descobridor do regmador das senhoras, que
nestes ullimos tempos muito tem feito no foro des-
ta cidade.
Em dias do mez de abril do corrente auno teve
lugar, a rua 1. de Marco n. 18, a partilha no in-
ventano do commendador Antonio 4e Siqaeira Ca-
valcante, sendo o juiz que a ella presidio o Dr.
Francisco da Cunha Castell) Branco, que se apre-
sentava com o titulo de 2.* suppiente de substituto
de orphaos qaando havia, por acto da presidencia
de 12 de marjo, siJ) nomeadi para o 3, eagjn o
este que so foi desfeito depois de concluidas ditas
partilhas.
jfanan, o preservativo nao rae preservou das
tropelias de que fui victima na dita partilha, que-
rendo-se-me fazer devedor de dinlieiros que eu
nunea vi nem recebi: o o geilo que para Isto den
foi, na qualidade de chefe interino da 2.* secgao,
ter expedido o titulo lalvez por engano a um juiz,
que muito Ihe servia.
E querendo provar nos autos, que aquella m-
raeagao correu pela seccao e immediata inspeccao
de urn dos herdeiros interossadoseque houve pia-
no em vez de engano : tive em resposta a certi-
dao pedida a que abaixo publico.
E quo fazer, soffra eu emb.ira, mas salve-so o
espirijV) de colleguismo I I
Recife, 16 dp outubro de 1873.
4. lafiotjia e Sd.
lllm. e Exm. Sr. praaidente da provineia.Anto-
nio da Costa .e ^fe iB^W^ 3 bem de se,u diroito
que W- E*C- Band* .pqlp se^catjrio daaJ^. rQpai-
gao certilhiar-lhe o ieguiate 1." a data da np-
meacao dos supplentes de substituto de orphaos
2.* el.'; 2.', qual a seccao porque corre taes no-
mea|Jes,-a guem npslA d^la.se.acliava funccionan-
do carno chefe o> dila seccao ; 3.", quern joi o
empajgado que passou p refceido .titulo, .a qual o
motive do engano naquetles titulos, invertendp a
ordefc dos.naraeados. Nestes termosE R M.-
Recife, H ae outubro de 1873.Antonio da Cafta
e Sd'. N. 226. -Ce.rtifi;jtie-se, nao havendo incop-*
veniepje. Palacio da pre.-ideacia tfc Pern'ambp-To,
13 de outubro de 1873. Lucena.
Ei :cuinprimeoi#. d^daspacjio sflpra, seruftco
quaqlo.ao 1. auesilo da.peli^ao que os sagundos
e tefpfliros sqfeplentes do -ubslituto do juiz de at-
phaijs de*ta vpmarca forain nomeados ppr portaria
de lj^.mMcp do-correote anno. Qpanto ao 2.
quesjlo oetliiico que taes .nomeajoes corrom pela
segupda secgao desta swretaria, por Torca do ra-
gul.'UBeulu 'vigaate. Quantu ao ultimo quesilo
nadauha'que certiScar. Secrelaria da presiaencia
de l^uambucp, 16 do outubro pe 1873. 0 chefe
do aftkivo, Jefferstui 'Mia&eau de Aztutto^oorot,
I?ro^rcsos da mediciua.
A^ssenoia nos da aiegives novas, anaunciajido-
nosjae se ha feito am [?rande importonta des-
cobi$rriePl^, e uue as tesidiosas araarg.uras e soffiri-
menios, causados pelas molesuas da garganta e
dos argaos "da Vesplracao, podem ser atalhados com
o iiomedialo uso d>> Peit^ral de Anacahuita, e isto
com nma "certeza e iafaRibilWade, ate agora deseo-
nhecida da medicina.
A base fundamental deste delicioso e riquissimo
xarope consiste do balsaraico sneco oxtrahido d'u
ma arvore mexicana, chamada ana .'ahuita, o uni-
co espeeineo natural ate hoje conhecido para as
affeccoes pulmonares. As esquinencias, os bron-
cbiles a a asthma, oedema sua accao com uma fa-
cihdade verdadeiramente assorabrosa. Faz des-
a,pparecer a rohquidao dantro de poucas horas, e
tornado a tempo e a horas' impede a possibilidade
da pht>sica.
hrigai a <|uc i> cuhella ore^ca !
Debaixo d> cuticla superficial d'uma cabeca
quasi calva existem quantidade de gormens de, ca'-'
betlos, que unicamente requerem o estimulo- ne-
eessario para os fazer productive*.
Para activar a estes .elemenios inertes, e, ajndar-
______________________
VOLUMES SAH1D0S
So dia 1 a 16. : -
Prtnioira porta no dia 17 .^
Seguuda porta.....
Tbrceira porta.....
Quarta porla ^.
1'iapiche Gonceicjio .
SERVigO MARIT1MO
vh.ir8D.gas descarrcgadas no trapiche
j alfandega no dia 16. .
iJiUs ditas no dia 17......
Vavus atracados no trap, da alfandega
vlv^rengas........
Vo trapiche Conceiijao.....
12;044{88'-i
22,091
66
64
198
1,635
84,578
29
30
',!<
Sexta-feira J* do corrente. finda a audien-
cia do Exm. Sr. desombargador juiz de orphaos e
ausentes, vao a praca para serein arrematados a
quern n^is der, coin'abaUmeuto da quia'.a pane,
os hens seguintes :
A parie que o asal possuia no ougenho Bega-
lia. pur5:JJJJj^0Cfl. P
Ura teiraio^TO'a rua do Viscondc de Albu-
querque,''por'US<200.
Uin dito no alinhamento da rua da Aurora, com
100 njimos de frente, e fundos at a rua de Luiz
db Rego, por 4004;
Um dito em alinhamento da rua da Aurora,
com 200 palm is de frente,. por 4004.
Um dito em alinhamento da rua da Aurora, com
200 palmos de frente e fuudos ate a rn de Luiz
do Rety, por 446.
Um dito em alinhamento da rua da Aurora,
com 150 palmos dc frente e fundos at6 a rua de
Luiz do Rego, por 360*000.
Um dito em Santo Amaro das Salinas, com 100
palmos de frente, ua campina quo prende ao si-
rtto do casal, inventariado por 2003.
Um dito era Santo Amaro das Salinas com 100
palmos de frente, a comecar da campina, o qual
prende ao sitio do casal, inventariado por 200*.
Ditos bens vao a praca a requerimento do tc-
nente-corcnel Antonio Vieira da Cunha, testa-
meuleiro e inventarianle dos bens que ficaram
por faliecimento do major Manoel do Nascimento
da Costa Moreira e sua mulher D. Antonia Viei-
ra da Cunha.
oifs cantrao governo, por Jae-tiJb melhor genero que a chimica jaraais ha dado ao
..raefiaVa16^ea*e^ehoia"strt'decliaopor muudo.6 o Toniat Oriental, tab justaraeale cafe.'
=*fe dU'prakaile'nioeisano, e o aeeusavam a pre* braa'o na America Hespanhola por suis proprie
^p^^ ouerar esMBguu- a luta pelo ca*n. dadas de produzir e aformesear o cabeBxv
scq. praceditifenio, ex])licarara-se miticulosamen e, des a fazer crescer o, cabejlo
; armss raotra o governo, pdr1 ijjie'tiso'
prUWieuaVa18f>re a #e*teMi!if a"8ft4vdet6i8por tnundp.e: o Tonico Oriental, lab
dECEB^DORIA DE KENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO
^eniv/iento do dia I a 16 28:361*693
demdodia!7...... 5:969*432
34:331/123
CONSULADO PROVINCIAL
itanpiuonto do dia 1 a 16.
idem do dia 17.
29:337/971
2:905/407
32*2434333
r-
m
SP
Naviee entrados *o,#i Jjf.
Partlyjopj^gs .ifttfirhjeiTlc^ 10 <&$, vaur
uaeioual Pai-d, Je 1,320 toudaJas, conp-
We cspitao-tenenlc Pedro X. d3ua;l#,
oquipagein- 51, carga dtflie/ealoa gcuergg ;
aTereira Vianna $ C.
Liverpool per Lisuoa84 di^s, sendpdjwil-
Umo porio'15, vapor'3nglez FireQueyi,
de ^96 ianeladasj, ,fjpjnna.ani}aLite Juhn
orbishley, equ^pagciji 27, carga dili,o-
&pes ganaros ; a J^-JL^tham &-
NaviajaJtoty no mesa*) d in.
Piqw-YorkeatefltwJBglQ* aV.i^ of lite Ckati-
*)/, capiMK) i. *wty.o, carfw assu-
car.
O Dr.^ Sebattiiodo lfejiy .B^cros.iB tacer^ in
de ,direito especial (fo comraeceip, nesta cjdade
do Recife de Pernaranucp. par S> M. I., etc., etc
ijfego saber ao^oredoxes (los cotumerciames ma-
triculados Bastos Jz.8Uva,eatahefecTdos nesta ida-
de, impetrantes dc moratoria ao meretissimo tri-
bunal do commeicio. que pelo presente edital sao
ehamados para comparecerem perante este jnizo,
ua sala das audiencias, as 11 horas do dia 31 do
corrente mez de ontubro, afim de observar-se, e
dar-so inteiro eumprimento ao disposlo no artigo
900 do codigo commercial, de conforroidade com
as disposicSes dos arfgos 842, 844 847 do mes-
mo codigo, eertos os dttos credoxes de que nao.
serao admittidos por procurador sem que este
exbiba proeuracao' especial, a qua! nao podera ser
conferida a devedor aos impetrante*, Mo pdeodo
ouirosiua um so iodividuo representar por dous
di versos aredores, e ojoe sera, havido o credor njue
nao compareeer, como adheraete as resoluedes,
que toinar a maiona'de'velaa dos credeees que,
comparecerem; sendo necessario para conoefett
qiie neila eonvenha a maioria dos credores eo> nn-
n>e'to, c que represente dous tergos da tataldade
dias dividas dos creditos. sujeites o> ehVilflg
mesma moratoria,.
E para qa'e cnegue ao c^hecinMfA), da tojoj,
n^andei passar o piesente qne serajfl^^^
imprensa e afOxado nos lugares do e li
Oidadp do ttecife t4 de oatalrjrijp ttiu
Eu, Mapoel Jjaria Rodrlg^^.I^*ni5p^ ^
envao, o subsere,vi
Sebasftdo ao Rtgo Barros it- Lucerdq*
fei4JM6tXt.
da tfaesourana provincial se faz pubico
que forain transferilas para o dia 23 do 'correntf
as seguintes arretiiatao.oes :
Fornenrycij J. pob.res .da casa
de deten.ao no trimc-tre corrente de
outubro.a dezembro proximo viudoum.
Venda do sitio dos remedies poi
HI ^mmmf, MMfM^sta to*
espaco de doze anno-, sendo a
ocial a fundajio de uma ou mais fabral
, Conlratj social em nome collectivo, celebrado
enire Joaqnim Ferreira Ramos Sobrinho e anlef1
Ferreira Ramos, ambos brasileiros, associados me
a firraa Je Ramos & Irmao ; sendo o flm social
commercio de fazendas em grosso e a retalho,
Joja n. 23 A, sila a rua Prfmeiro de Marco, ccffl a
caP'tel de 14:0CO/, para o-qual entra o com
7:635J e o 2 com 6:363 ; devendo dnrar por
dous annos, a conlar de 3 de setembro do corren-
te, sendo o gerente da mesma sociedade o socio
Ramos Sobrinho.
Distrato social celebrado er 20 de setembro
ultimo por Jose' da Costa Maia e9. Joscpha Joa-
Suina Pereira Ramos, associados ao eslabeleci-
iena> de faaeiWas a rua Primeiro de Marco n. 25.
A, cuja sociodade gyrou sob a firma de Maia 4
C., sendo vendido o estabelecimento a Joaquim
rerreu-a Ramos Sobrinho e Manoel Ferreira Ra-
mos, recebendo a socia commanditari* D. Josepha
a quantia dc 26:286*714 que ibe tocou em li-
quida-ao e partilha, eo socio gerente Maia ...,-.
l:909/994. ^
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nnmbuco, 16 de outubro de 1873.
O oflieial-maior interine
Ionocancio Antunes de F. Torres.
Terminara
'ado
OS
Os iienrciro
DOMIi
3:73UiOO0
Obras do* feparos da pome do Jun
queirapor 3:720*000
Secretaria da thesouraria provincial dc Pernam-
buco, 1*4* outubro de 1873. '
O ufficial-maipr
____ N MA. Ferrejia.
l-'aoulilitdt- de i<>
De ordem do Exm. Sr. director faeo publico que
por deliberagao da congregaQio, tomada em sessao
oe 15 do corrente, f&i transferida a (tefesa de the-
ses do bacharel Joao Vieira de Araujo para o dia
24 do corrente, as 10 hora: la mauha, devendo
por isso o mesmo bacharel compareeer nesta se-
cretaria uo dia 21, as horas da uiauha, para
tlrar o ronto de discertafiio.
Secretaria da faeuldude de direito do Recite, 17
de outubro dc 1873.
Q secretario
______________JpseHoup/ioB. do Menezes.
Pelo juizo de paz da freguezia de N. S. da
Graca, no dia 23 do corrente, depois da audieucia,
se ba de arrematar em hasta publiea os nj'eveis
seguintes : 12 cadeiras de amarcllo, asscnto de
palha. avaliadas por 48*; 1 sofa dito dito 20/ ; 1
par do eonsolos de amarello por 16/ ; 1 masa de
meio de sal& dito por 103 ; 2 cadeiras de balance
dito por 16/ ; 1 candelab'o com tresmangas por
8/ ;. 1 par de lanternas ues de casquinho por 5/ ;
cujos bens forara penhorados a Jo-e Antonio Alves
de Miranda Guimaraes, por execu^io de Jose da
Conceive de Olivelra Figueiredo._______._____
Commando superior.
De ordem do'lllm. Sr. coronel commandante
superior interino, convido aos senbores officiaes e
pracas- da guarda nacional que requereram ins-
ped;ao de saude, a comparecerem nesta secreta-
ria pelas 11 horas da manha do dia 17 do corren-
te mez.
Secretaria do commando superior' da guarda
nacional do Recife, 14 de outubro de 1*73.
0 secretario geral interino
Jose Marcelino Alves da Fonseca.
Santa Casa da Misericordia
do Reeife.
A junta administrate da Santa Casa de Mise
ricordia do Recife, ompetenlemente autorisada
pela presidencia, em data de 3 de seterabro do
anno proximo findo, e de conformidade com o que
dispSe o 9. art. 32 do seu com romisso. per-
muta nor ap dices da d'tvida publica a fazenda de
criar gados que possue o patrimonio dos esta-
belecimentos de caridade a seu cargo denomina-
da Carnauba sita ue termo de Flores desta
provineia, com terreno* para criar e plantar, e
com algum gado eavaltsr e vacenm.
Recebc para isto propostas nesta secretaria ate
o dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da miseriwrdia do Re-
cife, 10 do outubro de 1873.
O escrivao,
______________Pedro Rodrigues de Smiza. n
0 admiuistrad,-.r da recebedoria de rendas
internas geraes faz publico que 6 este mez de ou-
lubro o ultimo em qm tem de ser pago sem mul-
ta o imposto sobre industrias e proflss5es, relative
ao 1* semeslre do cxercicio dc 1873-74, e com a
rauita dp 6 0|0 depois do rcferido met.
Recebedoria de Pernambuco, 3 de outubro de
1873-
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
COMPANHIA
DOS
T1ULH0S URBANOS
DO
Reeife a
Olinda. .
E Bekrihe,
Dvi ordem do presiden-
te d'assemblca geral dos
actkniistas da compe-
nbwocima, faz-sescicii-
te aos senhores accintiis-
t*K, que no dia 20: do
^orrente'pelas 4 borus do costume, deve funrxionar a assemblea
geral em continua^aodttstpabalhos da-sessao
extrtkordinaria adiada. dos quaes fas. parte a
le'uuff.a do parecer da commissao nomeada
para & esama das. conlas da direejoria, ex-
hioiilas com o retatnrio da sessao. ordiuarta
do.roes deabrklgraxino prelerito.
l^fQ, lOdG outubro de ia7.
O secn>lacio.
Luis Lopes Casldla Branco.
Tribunal do eommereio.
Por e=ta secretaria se faa eonstar que forara
qui as dat*a adiante me,nc,iowdas, e do eonformi-
'ado coin o dispos.lo no upcrato. n. 4394, registra-
rs. p.
Coutra,to
a_ABbnso
$l&s soguintes :
setembro
sii de Gusmao o Fernan-
.Leal, sob a firma de Gus-
leirps, pipradores na eidade de
idos oQta sua loia dje fazeadjis a
Marop, com o capital de 30:000*.
- um com !5;OO0/. podendo,ara-
Faculdade de Direito.
Do-ordem do Kxra. Sr. Viseonde, director, fa?o
publica a lista das faltas dos alumnos desta faeul-
dade, eom relacao aos mezes do setembro ultimo e
outubro at<5 o dia *5do corrente, qne foram julga1
das uao-abonadas em sessao da congregate do
refendo dia 16, bem como as retalivas a 1* cadeira
do 3* anao, dadas nomez de ages*) proximo findo.
2' anno.
& 4'.JuaeManoel Cayaleaaft de Almeida, 7 fal-
tasqm aetauihro e a era ouiubn na-2'' cadeira.
. 1.3 Jose-de Cupertino Bauiar p em setembro
e 5 em outubro idem.
N. 19 Jeronyino Manii Fertio e Argelo, 6 em
setembro e 2 cm outubro idem.
N. 32 Herculano Marcos Iadez" de Souza, 3 em
selembro e 1 em outubro idem:
3* auno.
N. 6 Jose Gomes Coimbra, 1 falta em agosto na
! cadeira.
V 14 Francisco Siqueira Cavalcanfe 2 idem,
idem.
N.-20 Manoel Johnson Foriteira, 1 idem, idem.
N. 21 Izaias Gbedes de MeHo, 4 iderar idem.
N.27 Francisco Borges Marques, 2 id>m, idem.
S. 28 Melchiades Correia Garcia, 2 idem, idem.
ft 32 Francisco Cesar de Andrade, 2 idem,
idem.
4* anno.
(Is us. It Joaquim Francisco Teixeira, e 29
Francisco Frederico da Rocba Vieira perderam o
auno por excesso do faltas.
Secretaria da Faeuldade de Direito do Recife
7 de outubro de 1871
0 secretario.
Jose" Honorio B. de Menezes
As ** 1| horas
Tereeira e ultima represepUiio do-drama
terminando com a comedia
MARIA
iando com a c)
Irmaos dm almas.
Em attengao aos pedidos que lji tem sido (tt-
(os, a empreza-declara que npo, 6 eonvrateMa1
antecipar a hora habitual, doyjnpectacu.'os por-
que, ainda depois desa hora, e qoe nma grandV
pane dos espeetadores concorre ao Iheatro,
xime aquelles que periciicem a ctns.-e routiner-*
eal, para os quaes ser.a summasiciile uiiMUve-
m'enie a bora inswada nos pedidos; i; vado com as muitae redamai/oea qoy reedbaa a
empreza passada 'quaado annuaciou espectacul
para as 7 e 7 1(2 boras, vendo se orjfada a '
tabelecer de novo a praxe hoje segu""
TlffiTRO

EMPREZA
EsptMlanilos ,i tarde.
Domingo 19 de outubro,
v s 5 1{S da tarde.

GJbnsulado provincial
Na forma do art. 18 do regulamento de 7 de
outubro- corronle, sao couvidados a virem retirar
as suas petifoes, para confonna-las comas exi-
gencias do mesmo regulamento, aquelles que pe-
ranie esta reparti^ao tiverem requenido a iscn-
eao do imposto sobre seus estabelecimentos pelo
facto de serem os mesmos exclusivnuiente servi-
dos por- caixeiro.-- nacionaes, uo anno- iinanceiro
corrente de 1873 a 7i.
Mesa do consulado provincial, 15 de outubro
de 1873.
Antonio Carneiro MachaJo Rios
Administrador.
Correio geral
lielacdc dos objectos registrados eximtentes
ncmdminislracde dos correios desta pro-
vineia, para as pessoas a&aixo decla-
ra'das :
Adolpbo Henrique Mavignier, Bernardo Ferrei-
ra de Barros Carapello (2), Cosine Jose dos Santos-
Callado. < leraentino dos Santos Irinen Semenle,
Chaves (2), Francisco E. Gongalves Rocha, Fran-
cisco A. da Fonseca Banks, Flavio Goncalvcs de
Lima, Feliciana Maria da Conceioao, Francisco
Pereira da Silva, Jose Januario Douradi, Joaqnim
de A. Garcia, Joaquim Francisco de Arruda, Joa-
quim Ccsario da Rosa, Joao Ferreira Pinto Guima-
raes, Joao de C Bravo & C., Joao (Jodnfredo Pinto,
Manoel Francuco Mattos, Manoel Lourenco da Silf
ja, Napoleao Simoes de Oliveira.
Administracao do correio de Pernambuco, 16 de
outubro de 1873.
Jos6 Candido de Barros
Encarregndo do registro.
ADMINISTRACAO DOS CORREIOS UK PERttAM
BUCO'8DE OUTUBRft DE 1873.
Malas pelo vapor Parti da companbia
brasiieira.
A correspondencia que tem de ser ex'pedida
hoje (18) pelo vapor acima mencionadc- para, os
portos do sul, sera recebiaV pels' maneira se-
gninte r
Macos de jornaes, impressos de qualquer natu-
reza e cartas a registrar ate-o meio dia, cartas
ordiaarias ate 1 hora da tarde, e esta& ate 1 t|2,
pagando porte duplo.
As cartas e jornaes que- se dirigirem ao Rk da
Pmta, pagarao previameate, aquellas a laxa de
300 rs. por IS grammas, ou frac^ao de 15 gram-
atas, e estes a de 40 r;. por 40 graHunas oo frac-
pao de 40 grammas, na progress*, estabelecida
nas tabetlasC e D -annexa as itistruc;ues do 1
de (lmembro de 1866.
0 adaamistrador intoriuo
Viceptft Ferteira da Pomuncula.
Ill
E
0 estutlaute e a badeira
Os programnas
no sabbado.
minnciosos serao- dislribuidos
THEATHO
mum mwm
EMPREZA-YICENTE.
Segunda-feira 20 do corrente
GRANDE CONCF.RTO
\ ocnl e instruiueulaE
EM BENEF1CIO
Do elarinctistii brasileiro
ANTONIO MARTINS VIANNA.
0 piogramma seta annuueiado em tempo.


*V!SPS MWTIMOS
MIC STEW KUVfGATION W-
liinlua fiuzeaal
0 H4QUETE
eapara se dos portos do >ul ate o dia 24 do aorren-r
ts, e depois da demora do costume, seguira para
Liverpool, S. Vicente c- Lisboa, para onde recebe-
ra passageiros, encommendas e carga a froto.
OS AGF.NTES
Wilson Roivi- & C.
14RUA DO COMMERf.lO14
**
Q>iu{)anitia Frauceza de fismp
ni) a v.my
Mr\hitimmsaleni'M o
Havre, l.isbna, IVinauibi-to,Rio im*
Janeiro, (Sujitos, soiueute na vo!
ta ) MoiOevideo, Bucaes-A^'^,
(com Italdeayao para i> Rosiu-io).
STEAMER
Commandante Capelle
E' esperado at^ 29 do corrento^ o seguira depois.
(ia de.noia precisa para os pcttiis do sul aunu.i
indicados, Btraado dVntro do porlo, quei na. >i:i
da da Europa, quer na volta.
Relativapuente a fretes, encommeudas, pa;*ag.ei-
ros, para cs quaes tem excelianles acommodacoes
por preQos- reduzidos : trata-sa coin
OS COSSIGNA.TAR10S
AUfiUSTO F. D'OWrVKMtS 4t C
42Rua.do CommercioKnlrada. pela ru;v
do Totres.
SHPftEZA
Sabbado 18-de outubro.
As 8 t|9 horas en pantos
*.a reprw*>nieo
do drama em 5 acids; e 4 quadros,:
fatiOc Steam toivigalioa Cojsijwiij
I.iuUa tjiiiuxeiiai
0 PAQUETE
\\laP.\H\iSCV
espe".a-se da Europa atd o dia 26 do corrente,
e depois da demora do costume seguira, para
do unperio, Rio da Praia e costa do Pacitico, para
o^da roceb^ra passageiros, encommendas edii;
ro a frete. *
OS AGENTGS
Wilson Rowe 4: Q.
14RUA DO COMMERCIOIt______
Maranhao e Pard
Pretende seguir
1
ten
bote Men Arthur
com rauita bravj
tem parte de
alha
HEGfVEl ,
#
-. '


j-c-::-^
*'
I
DLdo dePenwunbuoo -- Sabbaao 18 de Outuaro do 18id.
to
- oardo r 1*1* 6 restd due the fait* Irata-se
i i
veira Azevedo AC, ra*' do Born Jesos n. .->7.
Cum 08 setts cortsigiiatarlos Antonio Luiz de Oli-
YRiM A 'Pvprtn A, C ntk' (In ft/ii-i !ile n :!7
I
Bahia.
6 tnate Garibaldi Sigue em poncos dias para o
porto acima para i-arga tratase com Tasso Ir-
maos A C. a rua do Amorim n. 37.
LEILOES.
LEILAO
DK
I tnobilia de j.'tuaratidd oom tampos de pedra,
i mesa elastic* de $0 palmos, 1 toillette
de jacaranda cow ^edra, e muitos outros
trastes avulsos pata liquidate
Meguuda-feifa Odo correwtc
As 11 'boras da manha.
Opreposto doagente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quern pertencer, dos trasles aci-
ma mencionados.
SEGUNDA-reiRA 20 DO CORRENTE
f 4 boras em ponto
AO<30RRb.R DOMARTELLO
No armazem a ma estreita do Kosavio n. 38.
LEILAO
DA
oonfekarwi e casa depasto sita a rua do Ca-
jun. iO.
Ttnc*-ieii' l carrente.
as II horas em ponto.
0 preposto do agenie Pestana fara leilio, por
maridaflo do lllm. Sr. Dr. juiz especial do commer-
cio,-e por conta erisro dc quem pertencer, da
confeitaria e casa de pasto *ita a rua do Caju n.
40, pertencenjo o di'o estabelecimento a Jose Gon-
catves Nogueira ; o leitao lera lugar no raemn
esiabelecinieDto, terca-feira 21 do von ante, as II
horas em ponto. ____________________
LEILAO
DE
um magniueo e forte piano de um dos melhores
fabricanles, o qu;U ipodera ser desde ja exami-
nado no escripiorio do ag nle Pinto, rua do
Bom Jesus n. 13, ondtvse acha (obr.i prma.)
QUINTA-FK1RA 23 DO CORRENTE
as 11 horas.
OSDVFHSOS
Domingos Francisco Duraes e
seus irmass eonvidam aos seas ami-
gos para assistirem as missas-que
mandam colebrar no convents do
Carmo, as 7 e 1/2 horas da manhri
de segnnda feira 20 do corrente,
7.' dia do passamento de sen presa-
do irmao (Mvmpio Svmphruiio Durars.
* 1. V m
r^J^'^T:^'''- ^"* Pereira Montinho e sna mu-
>iv&t "icr '('a',na de Sf)Uza Moutinho,
ittTC^ffirtt n,an^,m na terca-feira 21 do eor-
iTai I Nine, pelas 7 horas da minha na
igreja da Madre de Dem, cele-
brar uma missa por alma de D.
Othilia Liberalim de Oliveira Son-
la, setimo Oia de sen falleeimenlo, e rogam as pcs-
soas de sua amtsade, hem como a familia e pa-
rentes da fallecida para assistirem a est; acto de
rcligiao e ca idade, pelo quo so confessam desde
ja agraderitios. ^^^^
Feilor
Precise se de um feitor para tralar de um p<
jueno sitio : no hotel tVi Apipucus.
Cozinheiro.
.no hotel de Apipueos preeisa se do inn cozinbei
ro, livre ou esoravo.
Oozinheira
No hotel i!e Apfpo/OS preeisa se de uma cozi-
nbeira, livn- ou escrava.
Aluga-se a casa dos Coelhos; defronte do
hospital Pedro II, com optiffos cutfltnodos para
grandc familia : a tratar na rua do Rosario da
Boa-Vista n 30.
Reuuiao nacional.
Haverd ilomingo, 19 do corrente, a rua
da Concordia n. 22, reuuiao as 10 horas
d'aniiinha. para Iratar-se do assentsr as
bazes da creagao da sociedade auxiliado-
ra da nacionalisa^ao do commercio a re-
talho.
ii
*
Xa ma estreita do Rosario n. 35, precisa-s-; d>-
um molcqiK: para alngar, de idade de 12 a 14
annos
Furtaram da sitio do-Caminho-novo, noje rua
do Conde da Boa-Vista n. 120, na terca-feira ii do
corrente mez, quando a familia almorava, 9 horas,
pouco mais ou menos, <>ntraHdo peio lado da casa
em um quarto, um individuo de cor parda, baixo,
barba rapada de novo, traiava paletot pr descaleo, foi visto por um escravo da casa, ja na
sahida, e lhe perguntara o que queria, r.mitou-se
em respender que procurava o feitor. qiundo mais
tarde se da pela falla de um relogio saisso com
caixa de euro, com uma cadeia de cabeilo easta-
nho escura, encastoada em ouro, tendo a iirma
C. M. 0. e junto uma r.icoleta, tendo de umlado
pedra azul elaro, de outre a Iirma A. F. P.,
dentro da mesma dous retratoe : pede-se a quem
for offereciiio ou souher destes objectos prende-los
e leva-los ao mesmo sitio, ou no Recife, armazem
na rua da Cruz n. -6, qnn sera gratideado.
m
^ DROGARIA H0ME0PA1HICA
Qj U Rua do Impendtr \\ *
Ha uma escrava para alugar-se : na rua da
Gloria n. 146.
ALUGA-SE
o segundo audar de sobrado na rua Direita n. 82,
com eommodos para grande familia : a tratar no
armazem n. 25 datravessa do Con*) Santo.
Aluga-se
a loja do sobrado da rua Direita n f&, propria
p-ra qualquer negocio : a tratar no artHazem n.
23 da trave?sa do Corpo Santo.
Em Olioda .
Da-ae uma casa terrea na rua de Matliias Fer
reira, perto do banho, a quem qaizer fazer os eon
certos precisos para nella morar por uni'certo
tempo que se convencionar, sem pagar aluguel
algnm : trgila-se com o seu proprietario na rua
Duque de Gaxias (outr'ora do Queiaado) n. 95,
1 audar. _______
Atten^ao
100^000
Gratifiea-sc com esta quanli. a quom afarrafa
niulaia escrava. Balbina, bai.ta, cheia do corpo,
cabellos cachiados e ralos, que tendo sido ha tem-
po cortadii, presentemente amarra, tem uma pe-
quena c'calriz em uma das sobrancelhas e" outra
em uma das maos do dedo pela parte do dentro,
qne prl*a do abri-la po fi itamente, e ja andof
fugida em Goyadfc, Itamaraca, Ignarassti; ndo
amasiada C(un um soldado do ::-, foi presa na al-
deia da fortaleza das Cinco Juntas : quem a pe-
gar love-a ao Caminho novo, em casa do Sr. loa-
Quim Luiz Goncalvea Penna, ou a rua do Viseonde
de Goyanna n. 89.
Offere'e-ye um home in psra criado de hotel
oucasa do familia : a iratar na rna esl'eita| do
Rosario a !0.
Ouiro
ditos de
de scus i.-,
lerior ritre sio rigon'saiaenlo ofremdas todas s regras pnarmacniogicas.
sim, uik com ino.-inu tin a.^a-se a testa do estabeledmeDto, tendo a seu cargo
inspV^raf, ut) sius pr*5, laeopn'ilia Dr Jesuiim Augu-to dos Santos Bello.
Tem todos os\iicdic.uiientos espedaes para bexigas ens. eonsideraJfts pi.>
sdrcativna : assim tamnem, rs medicamentos da sua drogaria cm t.-das as d>m-.-
niwisacoes conheciias e mais nsadas.
Carteiraa 4omeopaticas de 14 a ISO medicamentos em tmturas on globuioi
a excellente dbra do Dr. Mure Me*co do Pofo em 3." edicio.
0 graode purificador do sangue
SALSA PARRILHA DE BRISTOL
Chocolate homeopathico d'Epps.
Encerado de arnica.
Pos homeopathicos. para dinte>.
i.Tico, para rhenmatisuto;
Matamala ou Jaboty, para tosse.
Espirito da Hahnenian ou de campho-
ra.
Plumeria, para mordeduras de cobras.
Sarracenea, para bexigas ( ou preser-
Vaceina, para, bexigas ( vativo.
China cruzeiro, pat a febres intermi-
tentes.
Sehjnnw, para angina.
Calonflula, para queimaduras.
Tarantula, para paralysias.
Carnatilia para syphilis
(lonsnUorio liBiepalhir
DO
DR. SANTOS MELLO.
Consultas das 11 horas da manhaa 1 Caetns C.randiflora,^ p-ra pnoumonias
ou molestias do cora'.-ao.
FABRICAELAB0RATORI0,53,CITE DES FLEURS,BATlGNOLLES-PARiS
YINHOnBORDEAUX QU INADOCHEVR! ER
Do uma riqueza incomparavel em principios aciiros, tonico, fortificante: enprega-ie oaa febras rfcelds, au
eonvalcscencias tardias, Das diarrheas chronicas e em todos o casos d'alonia.
VINHOdeMALAGA OUINADOoeCHEVRSER
Possue as mesmas propriedidcs do que o anlerlbr, mas emprega-se com preforencia para as mulherts, u
criancas t as pesKoas enjo eatomago e debilitado.
VINHO.eQUINAFERRUGINOSOXHEVRIER
Que reune os dous agenlcs mais poderosos da therapeutica. soberaoo na chlorose, na anemia, leucorrhea,
pysmenorrbea, no meninos durante seu crescimento e nas donzellas no momento da nuberdade.
VINHOcPEPSINAeDIASTASE^CHEVRIER
0 digestiTo mais heroico que se conbece, favoreee a assimilacSo e restabelece instantaneamenle as funccSef
do apparato digestive
VINHOaoPHOSPHATO de CAL DE CHEVRIER
Na ti.-ica pulmonar, fecba as cbagas do pulmao attacado, cura aa alporcas, o raquitismo restabelece a saude
das pessoas exbaustas jfelas vigilias e pelos excesses. Notaveis successos obtiuos nos hospitaes.
VINHO DEPURATIVO DO Dp_ CALVO, SOBRINHQ E
DtSClPULO DO CELEBRE PROFESSOR RICORD
EspeciDco indispensavel paraassegurar a cura radical de todas as molestias sypbiliticas antigoM ou recentefc
Deposilo em Pernambuco, A. REGORD.
Casa do rinpo.
OBcreee se, 4 qnem quizer fawST oa eowertss
aecessarios, o arrendamento for alguns annos da
graea, da excellente casa sita nil Porto d'AfU*.
qne foi do flnaJo Dr. JoaquifO Pires Carnerro
Monteiro, passando-se escriptura para makr -
gu anca. A locahdade i muito salubre, e a casa
moito fresca, tem mapnrftci* banho de agna dd-
ce em frcnte, e 6 muilo comntoda, iait <|D o
trem para defronte : imem pretender pode diri-
gir-se ao Sr. Francisco Carnro Monteiro, em
Apipueos ao Sr. Fraoeiseo Ignacio Pinto, rua do
lorn Jesos, cu ao 8r. C.annaD," rua do Commer-
rio a. 40._____________________t
Casas para alugar para a fes-
ta ou por anno
Um sobrado no Poco da Panella, na rna doli
D. S, com i salas, 8 quartos, salela, cozinha fora
e quintal murado
Uma bot casa terrea nova, com cocheira, estri-
baria, pequeno sitio, a margem do rio n. 35, da
mesma rna.
Uma casa peqhena, porem com bons eommoefcw;
na travessa da Cruz das Almas ao pe da casa ver
melha n. 1 i'odas a Iralar com o coramendador
Tasso._______________
Casa no )h nlciro.
Aluga-se por festa, ou por anno, uma casa com
bastaotes eommodos para uma familia regular,
com sitio bastante arhorisado, coraagua de be-
ber : na estrada do Monteiro, perto da esta^ao do
Caldereiro : a tratar na mesma, ou na rua Nova
M PUBLIC!
(jiiein mais conimodo (fferece ?
iDcoDtestavelmeote a loja de calcadoffestrang* i-
ro que mais commodo offerece em geraJ, com espe-
cialidade ao bello sexe, e o PARIS NA AMERICA
a rua Duque de Caxias n. 59, primeiro andar (ar -
tiga do Queimado) e a razao 1 a razao e simples
um cavalheiro (amante do chiquej por certo se
in ommoda quando, para comprar um par de bo
tinas, ve-se forcado a experimenta-la sobre urn
pequeno e pueroso pedaco do lapcte (systema ma-
earronico) nao podendo desla forma couhecer se
a botina lie fica boa, pois, nao tem espavo para
experimenta-la, ao meims que nao a estrague dan-
do apenas um passo, mie chegaralogo ao immun-
Jo iadrilho ; o que nao acontece no Paris na
America, onde piide se passear a vonlade e des:a
forma conhecer-se se liea bom o raleado : para a
bello sexo, enlao e quasi impossivel, que uuia se-
ohora (do bom torn) queira sujeilar-se a experi-
mentar calqado ao lado de um baleao, onde en-
Ira qutni quer, ainda mesmo para comprar : o
Paris na America nao resente-se desta falta ; tem
nm bem pre|>arado gabinete reservado, para as
Bunas, que alii poderao estar em perfeilo commo-
do para a cscollia do calcado.
Nao terminain ali as vantagens on eommodos
do Paris na America a rua Duque de Caxiaa n.
59, primeiro audar, consiste tarnbem no bom sor-
timento de hotinas para homens, dos melhores o
mais afamados tabricantes da Europa, como We-
lies, Suscr, Polak, etc., etc., e grande variedade ds
chinellos e sapatos, assim tarnbem nm Undo sor-
limento de botinas para senhora, e sapatinhos de
muit.isqualidades rue poderao satisfazer a esoa-
lha da mais capichosa senhora (do bom gosto);
pelo que lica expendido, esta claro que a loja de
calcado estrangeiro, que mais vantagens offerece,
eo Paris na America, rua Duque de Caxias n.
59. primeiro andar. antiea rua do Queimado
Cura radicalmente os casos mais mveterados de sypdilis, pscrophulas, rhcumatis-
mo chrooico e todas as enfermidades quo teem a sua origem na impureza do sangue e
dos humores.
Como garantia contra as falsificagdos, cada garrafa dove vir acotnpanhada de uma
tiro gravada em am, nu qual upparcco a a.-i-n; u;: >:-. t-".-iI -r u I! ui.-.i, sucosso-
res, agentes geeaes norKio de Janeiro.
Deposilo H, Forster & C. a venda nos estabeiecitneutos dos Srs. Ant nio Alvea
Barboza, Maurer & C, Bartholomeu AC. Forreira Main AC, eem todas asboticas e
rogarias de I'crnlnlbuco.
*mur se x r
56
a-
Rua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora run Cadcin)
?IA DE MACHIINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
l.ido pelos grandes deposited e bons sortimentos com que sempre prima em ter da*
nelhores, mais acreditadas e vordadeiras niacl:"*ias !*8M*rJr:tias para algo-
diEo, desde 10 A (>0 scrrns*, e havendo em tn los "* tamtanhos iiv-rsilados de syste-
nas e melhoramentos pora perfeito e rapido ib'Scr(i.a:iieulo ; ivnani-v dignas tl.
e apreciadas pelos Srs. agncullon-s; us qu.it*, nlem disto, enconlrar*1
ton & 0.
^:!S?ua do Inolio j>. 38
m
K> por, moenc
.*"; fabnea de
1
Far.Hm sciente aos seu* freguer.e-ouft teem: peso--. |oe 6so> utaiie:eiJu
mudadi- o fej deposjto rto macO d .- .. a-; i'. Se i e brr-ju a ran !.. Rriii'd jou-
ad*-- c laxa? da ouuto ^crHditada; t > a .;:..:.. .',. t. -u'. .
m
-'
, y -. j
m
LowSloor para raa do Apollo tj-
38 e 40, onde cmtmuam a ler o masmo ~rtr-
tituento do costume.
Fazem seianie tarnbem qce t'-"n feito nm
arraajo com a raodicao geral. .jsio que po-
deio offerH'ieir m para asseotar qoalquer
OMMhfnismQ e moafflo garanti So.
.:
m
/!!:a!q'j- .. :..-ai, :..ui p :!::
cSo e pi
Si mbstnoi rogam aa p*wsoi qoaqaei-
r-m u'!'. ib '- -'" i ?';;- 1e dx*" (
reo *s "encuarms'jdca em ana dos Srs. ^s- $5??.
mael Povei J I isi n ft C a rua do Apol- ^-.
Id ii. 38 a 40, oQiie acfaaraa psssoa habili- |fc;-5
la-i* C
litandv >
Apparelbo para fabricar assucar. do syst?ma.
WKSTON CF.NTUEFUGAL
Unicos ageales em Pernamouco a fucticao geral.
Para tratar em seu escnptorio a raa do Apollo n. c s Uk
Tim nos
Coirentes para arrastar romleiM.
Cj Kndrns americanos para oadarias.
Pcili'i).,as avuJs<* j.aia ii; ,chinas.
Salitre relifiadrt.
Briiii Mim-riiir. '
do ilivH-si-Hi faltri.ai ms pnt mi
jerem vistas
tarnbem mais :
Apurados vaporks locomoveis, deforga'
de 2'/s e 8'/s cavallos com todos pertencas
precisos para trabalharem t machinas para
slgodao,.ou para ontro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de mao para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditoseom valvula para lavatories.
Ditos- dc madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
'luards-eomidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Jn'ia dita ditos de madeiras.
Tf ens .para cozinha.
Fmftm muitos outros artigos, que sdavista.e nesto psfaheleom- ecamitiados.
Moinhos
lho e cafe.
DokolhadonG uwm miiim.
Azntte de spennao'k-.pr,i auu ins.
Camas de lerro.
Bmnbas de Japy.
Dit.'s aniiii icHiias.
4iofres Cannos de ferro esnalihii-js.
B::ns ile dilo i.si.mfi.-'in.
liitos de i.'hinribo.
Bit-os dn Iviiiarha.
FoHes para lerreiroo.
>)itp ?*i mu
tiiida esta fegida
a escrava Matildesdegde 17 de marco do correnle
anno, de 88 annes de idade, preta erioula, estatu
ra regular, efeeia do corpo, pernas fiaa", tem uns
carw.os no ro*to que parece espmltas, falta de
dentei na frente da parte de cima, falla muito
mansa que as vezes desalia compaixao, boa cozi-
nheira e enpommadeira, e filha do Para, foi com-
orada a s^gra do Sr. commendador Lucena, e
muito conheeida por ter estado alugada em casa
da Manoella do inspector, do Maateiro, ella intitu-
la-se de forra e tem sido vista no Poco da Panella,
Munteiro, Caxanga, Magdalena e aqui no Reetfd.:
Est>abelecimento de earros
funebrcs, rua do Impera-
uoj ns. Oell.
Scwutrliuam.au ppblicn tne para o eu acredi-
tado r>tarieleoimc.'ito nreheram da Kuropi um
conip to eertimoiit'/ lie objectos funebres ; e ten-
do an ^nv-utdi. *p grande e variadi numero dej
carni- qu^ pi s-.u, iiiai- don* u ivos. preparados
com luxo, sendo um para anjo t outro para adul-
to, eonvidam ao ptrbtieo em geral a visitar o mes-
pe^"-s7encaVe:r.da'metS 'a'"tod"as autorTdaife m '^beleeimente, afim do desenganar-se da
rif,|..e ne^sas que d.z'n. ser forras po consta ^""P^^-PSo ^ ^\ "?uae8 aem
es.a/elkdeamiquenaosahearua, quo ae gra-1 ^rJI,CU0S Pre do M em on,ra Aw
tilicara com aquaiito de I0Wla ^-";* jP Os'proprieterioa desle eslabelecmento, tendo
seuscnhor,a-ruadoLr/ran.enlon. I, a Antonm, hiX0 respeiuvel publieo e de sens amigs
de 1'a.v; Utsm^i ^P^^^^L^J^glaxhul^anWiprovas de coosideracio e confianca.


GRANULOS ANTIMONIAES
DO
dr. PAPILLAUD
Nova medicacao contra as molestias do eora-
rao, asthma.cdtorrho,coqueluche, tisica, etc
* GRANULOS ANTIMONIAES FERRUCI-
NOSOS contra anemia, chlorose, amenor-
rhea, nevra/gia, nervosa e molestias esero-
phulosas.
GRANULOS ANTIMONIAES FERRUSI-
nosos com bismuth, contra as molestias
nerviosas, das vias digeslivas.
Pharmacia E. MOUSWIER em Sanjon, (Cha-
rente-lnterieare), Francia.
Deposilo em Pernambuco : A. REGORD;
MAURER, pbarmaceotico.
ESTABELECIMENTO THERMAL.
I&
UepatUnKDio 00 Ailieri
DE 00 ESTAOO FSHNCEZ
MOPIIIE.
Anamnaicto i PAR1Z, M, oilitau Momwiu.
E8TA5AO DOS BAJIHOS.
Noestabelccimento de Vichy, ton dos msttxo-
res da Europa, acfiar-se-ha Banhos e Embroca-
c/fesae toda a sorte para a cura das doencas do
rilMinco, do Ocada, da hexlga. mrelaa,
dlKbrlls zofa, fimcrffiiM calealaaas,
ou petfraa naa aurlnan, etc.
Cada d!a,dedv 15 de Maio ati 1ft dk Sbptsmbboi
Totro Concerto* no CasIdo. Mostea no Prqo.
SaiIo de leltnrs. Stllo resemdo perm u SechorB*.
StlfieB de JOCO". convcrsacSr, e bllhar.
TOOOS OS CAMIKH0S DA FIRM LEVA! A VICHt.
Depodto ea Pentembuce, TlttET <*":A
taaBBBBBBBHalaB*BBBBBBBBBBBaBBl
REtMI. S
jervieo de fed* e -jual ;oer pessoa que
oivu/ta em sua <:**a, na forma da lei.
Na rua do BSrao da Victoria
Sr vigm.o Andre Cnrc
reira, a negocio de sen interesse.
1 asperuoi qua 6s me-mos contintun^o a utilisar-'se
,| ire t'A* servicos. para o que o encoutrario prorap-
; u> a bem servi los, 'anto bo que mr de luxo como
; 1 oomi inaJio a minimo, tiido com limpeza e
I jierfelcSo, heodo o* preeos os mais eommodos pos-
Acabam de chegar pelo vapor americano
de Havana dous subditos hespanhoes, um delles
6 prefenvel proflssionale agricultor. e u-
tro e macbinista e tanibem mestre de asxucar: as
pessoas que se quizer utdisar de seus servifos, po-
dem driigir-se ao coosulado de Hespanlia que se
dira onde se acham
Alu^a-se ou vendo-se, inteini ou a retalhn
um exc llente terreno silo a estrada de Luiz do
Rego em Santo 4maro, com 400 palmos de fren-
te a 600 de /undo, no qua) existe uma grande
planta de capim : traia-se a rua da Aurora n.
113, venda.
n. 36procisasejiiveis, certris de que seja qaal for a quaopa de ] a rur nova de Santa Rifa ; assim como um Don
fallai ao'Sr vfgnno Andre Cnrciac dc Aranjo Pe- que pouara d:$pOr, nild- delxarSo fle ser seHdos j armirem na mesma rua
'win promptidSo asseio.
Aluga-se uma casa para grande familia, sita
um como um bom
a tratar por cima do
| trapiche Dantas.
Stiqn^s pars inks as blades e
villas dc"Portejal.
Carvalho bano commercial do, Vianna, e suas agenv
rias em todas as cidades e villas de Portu-
gal, qualquer qunntia a vista ou a prazo e
por tOAAWB os paqueteuj & rrja d<> Apollo
n. 20.
Avtsa-se aos InOnentes ds banhos salgados,
1U3 ainda se acha por aragar nma casa hem perto
o banho, com boas c^mmrjidades, em boa ioci-
lul'ade, d'linde sn avita o mar, o banho e a esta-
.ii do Crmo, Aijnbe n. 6ft
A espada national.
0 Lima da loja de ciipneiro da rua do Cabu-
ga n. 1 B, tem um complelo sortimento de per-
tencas para a classe militar como sejam : bonets,
barretinas, talabartes espadas, dragonas, char-
lateiras, bandas. abotuaduras de todas qnalida-
des, galao de ouro e prata de todas as larguras
e todas as mais pertencas para guard* nacional,
primeira linha e armada ; assim como, franjas
de ouro de todas as larguras e enfeites para bor-
dados, canutilhos, etc. etc. Tarnbem se encarce-
ga de qualquer fardamento e obras de eabeflo*
por menos 20 por cento do que em outra qual-
quer parte. Garante-so limpeza c promplidSo : a
rua do Cabuga n. I B.
2 Wledico S
"^ Augusto Trajano de Hollanda Chacon, -
iy Dr. em medicna pela faculdade do Rio jR
rt de Janeiro, chegadcrha pouco da Europa, gy
' onde nos melhores hospitaes dedicon-se ^
'V aos estfldos de sua prollssan, e com es- y&.
*$$ pecialidade as opnrarfie< e as molestias M
^ dot olhos, tem o s.'ii et>erip1oria na casa 5
0 de sua residencia a rua Ou fue de Caxias 93t
gX (antiga das Cruzes) n. 9, 2 andar. J%
Consultas das 7 as 9 horas da matihit .
5*t Gratis aos pnhres. ^
Escravo fugido.
Ausentou-se do engenho Jaguaribe os escra-
vos seguintes :
Manoel, crioulo, alto, secco, com falta de dous
dentes na frente, rosto romprido, cabellos ca-
rapinhos, olhos vivos, nariz grosso, bocca regular,
sendo o beico superior mais grosso, e orelhas pe-
quenas ; iNasceu em Bezerros, d'onde veto para
o engenho Baiz, da freguezia da Escada, foi alii
escravo do Barao de Amaragy, sendo que perten-
ceu em Bezerros a Antonio Martinho dos Santos.
Mariano, preto, com idade de 20 annos, sem
barba, rosto oval, nariz grosso, bocca pequena,
olhos regulares, testa estreita, tem os pes gran-
ges e grossos, hem como as juntas dos mesmos,
e algumas. marcoj do feridas nas pernas 6 filbo de
Moxolo e fui escravo de Antonio Alves, morador
no lugar Agreste.
Pede se a quem o apprehender deo levar a rua
Nova n. 8 que sera generosamente recompensado.
H Desencaminhou se de bordo do vapor Bahia
um bahti de couro com o rotulo segninte Gor-1>
dilho- Pernambnco; quem o tiver conduzido
por engano, leve-o a rua do Imperador n. 77, 4.*
andar.
Garanhuns.
Xa rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-se
allar aos Srs. Pedro do Regb Chaves Peixoto e
os6 Paes daSilva, a negocio de particular into-
-wse.
I DEMISTA DE PARIS
19- RUA NOVA19
J. M. Leroux, cirur- Tf
giao dentista, succes-
sor de F. Graufier, es- g
pera continuar ame-
recer a confianca dos
clientes da casa, e do
respeitavel puhlfcoem
mmmimtnmmmmi
Contimia a estar fugido o escraro parde, do
nome Trajano, o qual consra ter andado por Oiia-
da, Beberibe, e ultimamente foi vjsto em Iguaras-
sti, iotitnlando-se de forro, e tem os signaes s-
guintes : falta de dentes, pnuca barba, bastante
amarello pcr sotrrer de frialdade, falla descancado
e um p-oeo fanhoo : roga-se as autoridadee no-
liciaee e ana capitaes de campo a apprehensao de
dito escravo, e o fnvorde o levarem ao abavio as-
sigoado, a raa do Vigario n. 21, I* awdar, qa
sera gratiScado.
PoTinpw Alws Matheus:
-v-
--K-

Pa-a casa de pequena familia, preci-
sa-se de uma rapariga bratca ou rle edr que
saiba do rostora e engommadoc e para faxer
compajibia & dona da c*-sa quer aqui na
provincia, quer para f6ra, nestas eircuro*-
tancias, traM-se m rua da Imperatriz n.
10 1, andae.


..

^^^-i"--------------W--l
I itHsi
I I i lal1rTlaaTal:llialirrlaar


UM^HM
^^^^^H


i

t
r.
>
2>:acio de PeMambttoo 5&*bado 18 de Outubro de 1873.
Declai'ac.ao.
Francisco Munh Fuulo dechra pel* pnssoo'
_j aiminici.i, quo tendo f;.lleciilo D. Josepua Ciara
da Silva, e sendj *ua muilf.'r Hi-uriqi.eta Mam
fie Acevedc e *ua cnnliali 3. Agifiw Jonqniiui
do Awvedo, herdeira.* do hem d. ixado pda mts-
ma falieci.la D. JusepliA Clara .la Silva, =ua. avo,
vent deulicw pelo presento, qne tiiiipntm podcra
dispi'* m ft"titular qual p>cr vr-nda, >*;m qno n J
mesmo aanunoiantc suja ouvido a Ud rcuiilo.
*m Francisco Muniz Furlado.
5W de gratilicacao.
Fuglo do engenho Arariba de Baixo, na fre-
guezia do Cabo, no dia 1 do corrente mez, o es-
cravo Estevao, cum os signaes Soguintej idade
de 40 annos, pouco mais ou menos, altura regu-
lar, inarcas de bexigas no rosto, pes grossos e
com marcas de bichos, e parece soffrer calor de
figado. Quem o apprehender, levo-o an referido
engenho, ao sea senhor Joao Luiz (Joncalves Fer-
reira, ou no Recife, rua da Madre de Deus n. 36,
1.* andar.
Precisa-se de um caixeiro- com pratica de
molhados para a cidade da Escada, do idade de
iS a 18 annos : a tratar no paleo do Terco n. 23.
0 ab.iixo assignado fax pnblico a quem in-
teressar possa que nan anlorisou a ninguem pa-
ra cobrar alugueis ou contrahir qualquer divida,
o que infelizmente se tern dado a cerca de um
mez a esta parle e mesmo exturquindo quanlias
Selos arrabaldes desta praca, para o que se serve
d norae de pessoas respeitaveis, como tndo tern
sabido o mesmo abaixo assignado, o que muito e
rauito se recommenda.
______________Manoel Pereira Lemos._______
MOFINA
Esta encoura^ado! I!
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello
escrivio na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a roa Duque de Caxias n. 36, a con-
eluir aqaelle negocio que S. S. se comprometteu a
malisar, pela terceira chamada deste jornal, em
on- de dezembro de 1871, e ctapout para Janeiro,
passoa a fevereiro e abril de 1872, e nada cusuprio,
e por este motivo e de novo chamado para dito
ftn, pois S. S. se deve lembrar qne este negocio e
de mais de >:ito annos, e qaando > Sr. sen nlho se
acbava uesu eidadn.
Precisa-se de um menino tie 10 a 12 annos,
com algnma pratica de taverna a tratar nos
Afogados, rua do Motoeolornbo n. 2t.
- Aluga-se o armazem de rccolher tw rua do
Burgof n. II : a tratar na rua da fraia n. 20,
a tratar com Josrt Feliciano Nazareth.
VZEM
VAPOR FRANCES
RUA DO B VRAO DA VICTORIA
N. T^Outr'ora NovaN. 7
rVoclsase de uma atna que saiba
engnmraaron cozinbar: narua Nova
n. 7, to a.________________
Proi-isa-nj Je iiiiij nma para la-
em casa di' iicqneua
rua do l/ijrfkal die mi-
mk
till Wectf*"*o de
\ VI \ vnr &ra*l,ni"-f
iL^ll Li. i, 10 10.
Caleado
francez.
Amas
atriz di; .S*i
sera ^eI vido.
as amas para
" .hi pat''i'da
prompt.iiiiL-iiti1
Precisase de uma ama para
A VI A cozinrar : na praca do Corpo
l\ 111 fl Santo n. 17, 3.* andar.________
Ama Precisa-se de nma cozinheira para
zVHIcl fa?a de fMm|,a : a u-atar na rua do Vi-
gario n. 7. armazem. 2 ____
Faz-se negocio coin a da rua de Vidal 4c Ne-
greiros n. IV7, a se admil'e ttm^ocio com algum
capital para 'tomar onta, porter de retirar-se
para f6ra da 'proviacia o eucarregado da mesma
padaria : a'tratar no dito estobelecimento a qual-
quer hora on na rua do Vigario n. 33, taverna.
Precisa-se de um caixeiro com pratica de
taverna de 12 a 16 annos : na rua Imperial nn-
raero 94.______________
Alnga-se o 1. e 2.* andares da casa da ma
do Imperador n. 30, com bons commodos.
Ao conimerfio
a
0 abaixo assignado faz pnblico que retiroo-se
do arm?zem Baliza da rua do Livramento n. 38,
no dia 30 de junho proximo passado, doixando de
ser empregado dos Srs. Almeida Lopes & C. com
quem ajustou snas contas, recebendo da referi-
da firma o saldo de seus servigos ; ficando des-
ta forma isempto de qualquer responsabdidade
que se lhe possa attribuir com relaeao aos nego-
cios da mesma casa, duradte o tempo que per-
maneceo nella.
Recife. 16 de outubro de 1873.
Jo?e Ferreira Lopes.
A professora poblica Anna Monteiro a
de Lima Rego Valenca, habilitada pa- *9
ra ensinar francez e piano, offerece-se aos pais de sum alumnas para Ihcs sqf
igj., ensinar estas tnaterias depois das ho- <-?,
V*}' ras de, traballio de sua aala. h*/
CREDO
Precisa-se de um criado que seja copeiro aceia
do, e de conducta affiancada ; paga-se bem : na
rua da Uniao n. 17.
Excellente armazem para
alugar
wa rua da Cadeia do Recife n. 23, alugasc
igualmcnte o 2 andar e sotao do mesmo predio,
com grandes accommodates : para informacoes e
ajuste, podem dirigir-se ao inveotariante ou tutor
dos orphios do finado Manoel Antonio Vieira, A
rua do Trapiche n. 8, ou do Ilospicio n. 32.
Para qualquer estabeleci-
mento
Aluga-se a loja do sobrado n. 48 da rua das
Trincbeiras, que flea defronte da rua estreita do
Rosario : trata-se no 1 andar do sobrado n. 26
da rua Duque de Gaxias.
Casa.
Aluga-se a loja da casa n. 61 da raa do Apol
Io : a-tratar na rua da Cadeia n. 3.
CASA
Aluga-se a casa n 32 da rua das Pernambu
ana, na Capunga ; a chive zsta no arougue jun
to. para ver.
COZINHEIRO
Precisa-se de um bom cozinheiro : na rua da
Imperatriz n. 87, primeiro andar.
0 Sr. Antenio Luiz da Costa, que foi nego-
cianto em Oiinda, na rua de S. Bento n. 43, e
chamuido.a mesna cidade.arua do Commeroio n.
24, a^negocio que S. S. bem sabe.
Consuitorio medico i
DO
i Dr. Slurillo. '
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAB. <
\M Reeem^hegado da Eurepa, ode fre-
(Zd quentou as bospitaes de Paris e Londres (
f2t pode.ser procurado a qualquer bora do /
O dia ou da nuule para objecto de &ua pro- (
r) fisslo. |
r\ Consultas do meio dia as duas horas /
M\ da tarde. '
V, Gratis aos pobres. I
* ^pecia/(d' d crianra e de mulher. t
fjj Eimprega no traumento das molestias f,
Q de stta especialidade as duchat [tins e" /
banlux a vapor, para os quaes trouxe
os apparelhos mais modernamente em-
pregadoe na Europa.
Tamben applica com graode proveito
no tralameato das molestias do utero a
'Jfi electrieidade, pelo proeesso do I)r. Tre- 'M
uk pier. Cura por tun proeesso inteiramente Q
jf novo as blennorrhagias e s*ibre tudo a Zd
C(gotta milit.ir) dispensando asinjeccOes. 2
m
m
*
m
i
*
**H**6*stte *****
MEDICO-CIHLKGICO
DO
Dr. J. M. Oirlo
Rua do Marqnez de Oiinda n. 2iS, pri-
meiro andar.
Consnlta da* 9 boras as II da manha.
Ctiamados a qualquer bora.
Para ho mem.
BOTINAS de bezerro, cordavao, peHica, lustre e
de duraque com biqueira, dos melhores
fabricantes.
SAPATOES da be:erro, de cordavao e de case-
nura.
SaPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, sitios e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e poriuguezes.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e .de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATTNHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS.de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cflres differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTTNADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meniiios.
BOTINAS de bezerro, lustre o de cordavao..
ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranga francezes e portngaezca.
Botas de montaria.
Iotas a Napoleao e a Guilherme, pernciras
meias perneiras para homen', e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor frances a rua do Bario
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de gaernioSea,
sofas, jardineiras, meicas, c*>nversadeiras a costu-
reins, tudo isto muito bom por serem fortes e
lev((3, e i s mais proprios moveis para saleias e ga
binetes de recreios.
No armazen: do vapor francez, a raa flo Barao
da Victoria n. 7, oalr'ora Nova.
Acabam de -chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modeios, dos mais notaveis. e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers u Pleyel Wolff C.: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, on-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extraclos, banhas, oleos, opiata e pos den-
triOce, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosneticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ria para Dresentes com frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victori?, outr*ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de diflercntes gostow e
phantaziati.
Espelhos dor.rados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, de fio de Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornada com musica.
Albuns e quadrinbos para retratos.
Caixinhas com vidro de au^mentar retratos.
Diversas ohras de ouro bom de Iti garantido.
Correntes de plaque muito bonitas para relo-
gios.
Brincos a imitacao e bot8es de punhos de pla-
qne"
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de con-
rinho de cores. *
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de aeo e
de tartaruga.
Oculos de aco flno e de todas as guarnicoes.
Bengalas de luxo, canna, com castSes de mar-
nui.
ilengallas diversas (m grande sortimento para
homens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembaracar e para
barba.
Ditos de marfim mnito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
ies.
Carteirinhas de medreperola para din'.eiro.
Meias para homens e para meninos.
Gravatas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para ch^mar criados.
logos da gloria, de dama, :Je bagatellas, de do-
mino e outros ranitos differentes joguinhos alle-
mics c francezes.
Malas, bolcas e saccos de viagem de mar e ca-
miniios de ferro.
Argolinhas de marfim para as crianeas morde-
rem, bom para os dentes.
Beccos de vimes para embalar crianeas.
Ce?tinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
crianeas.
Veneeianas transparentes para portase janeUas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminacoes de
festas.
Bal5es aeceostaticos de papel de seda mm facil
de subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palba e de pennas
Tesourinhas* canivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas elanternas.
Tinieiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras donradas o pretas para
quadras. m
Quadros ja proraptos com paysagens e pbanta-
zia.
Estampas avulsas de santos, paysagens e uhan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
- Realejos pequenos de veio com iindas pecas.
Realejos bannonicos ou accordions de- todos os
amanhos, e oetros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros, pes e palmos para
medir terrenos.
Attengao.
20000.
l'recisa-se de duas amas, sendo uma pars
comprar o cozinhar, e outra para engom-
mar para casa de uma familia de duas pes-
soas, preferiodo-se tscrava, paga-se a quan-
tia acima : a tratar na travessa do Vigario
Tenorio n. 1, das 9 boras da manha ate as
3 horas da tarde, escriptorio.________^_^
Precisa-se de uma ama de meia idade para
casa de homem solteiro : na rua da Penba nu-.
mere 33.___________'__________________"
Ama de leite
Precisa-se do uma ama de leite : nerua Dlreita
a. 3, i andar.
A mo Na raa da Alegria n. 40, precisa-se da
JXlllai uma aroa de affiangada conducta, para
andar com uma menina.
Ama
Precisa-se de uma ama : na rua do
Rosario da Boa-Vista n. 6.
Precisa-se de ,nma an.a para o servipo de ca-
sa de pouca familia: na Capunga a rua das Criou-
las n. 25._______________________________
Precisa-se de uma ama para co-
zinliar e engommar em casa de
uma familia de duas pessoas : a
tratar na rna de S. Joao n. 61.
Ama
Precisa se de uma livre ou escrava :
na rua da Conceicao n 45.
Precisase de uma que cozinhe e
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todos
os brinquedos fabrics dos em differentes partes
da Europa para entretenimento das crianeas tudo
a pre.os mais resamidos qua e possivel: no ar-
mazem do vapor franesz, rua do Baraa da ic-
oria, outr'ora rua Nova a. 7.
Cesliiihas para- cosliira
Grande sortimento de bonitos modelos ehegados
ao armazem do va,ior fraijcez, 50a io Bao da
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Oleados
Watos.
Oleado bonitas a muito baratos, para cima do
meza : no ai-msjem do vapot francez, rua do Ba-
rao da Victoria orrtr'r.1'4 ^ ^va 7
Precisa-se ae uma ama, nre(e'i^n^'}'e escra-
va : na rua do Commerce n 40, 3" andar".
-t*Bia compre : ua rua do Crespo n. 20.
Precisa-se de uma ama que saiba cozinbar
e eugammar : na rua do Livramento n. 32, pre-
fercse escrava.
- No dia 9 do corrente desappareceu do en-
genho Refreseo, freguezia da Escada, o mulato
Caetano, cujos signaes sao os seguintes : idade de
40 annos, alto, grosso, rosto redondo, cabello ca
rapinho e avermelhado, muito "uarbado, traz a
barba e bigode cortados a tesoura, olhos grandes,
castanhos e imperccptivelmente vesgos," dentes
curtos e limados, pes e maos perfeitos. E' casado
com mulher livre, da qual tern muitos filhos; e a
terceira vez que sc au^enta em procura de alfor-
ria, dizendo, ora queja 6 forro, oia qne esta ti-
rando dinheirc para libertar se ; servia de feitor
no engenho ; qoem o apprehendtr pode condnii-
lo ao mesmo engenho, ou nesta cidade a rua da
Aurora n. 13.
MORON & G.
. AVISAI
aos oompradores do bem conhecido e acreditado rap6
AREA PRETA, qne reparem nos botes e meios botes,
pois qne os ha de rap6 de ontra fabrica e nome diver-
go, e com papel da mesma c6r, cujo desenhc se p6de
confandir com o d'aqnelles.
Os apreciadores qne qnizerem do verdadeiro AREA
PRETA, devem para nao serein enganados ver qne
os botes tragam o nome de METJRON & C, e a desig
napao de AREA PRETA.
MEURON&C.
FUNDIC10D0 B'OWMANRSSSSSSSSS
BABY JUMPERS
Velocipedes and Hand Carts
For Boy's.
Elastic Steel matresses.
Ice King Refrigerator.
Perfumagators.
Machinas para descarftcar
algodao de 12 ate 30 ser-
ras.
NA
CAS1 AMliRIGAN
4d Rua do'Imperador 45
Quem tiver achado um maco de papel, cons-
tante de recibos de decimas.de alugueis de casas e
umas c&rtas de flanga, e querendo jntregar, pode
dirigir-se a rua da Cruz n. 49, que sera recom-
pensado.
Offerece-se um homem para criado de ho-
tel ou casa de familia : a tiatar na rna da Im-
peratriz n. 36.
Aluga-se uma casa e sitio com muitos ar-
voredns com fructos, no Chacon, f eguezia d
lVn;y da Panella : a tratar na rua da Cruz en
caiii de Monteiro, Grigorio & C, ou em Sant"An-
na, na mesma freguezia com D. Miliiiua dos San-
tos Jorge.
Alugam-se as lojas das casas da rua da Im-
peratriz n. 49 : a tratar na rua do Imperador n.
77,1. andar.
Precisa-se alugar um 6obradinho de um
audar, que leuha pelo menos 2 salas, 3 ou
i quartos, e cozioha fora, se tiver sotao rac-
Ihorsera, tambem serve um 2." andar com
sotao, e com os mesraoe cominodos, ou mui-
tos, cowitante que seja no hairro de Santo
Antonio ou mesmo em algumas das ruas de
S. Josrj. A. pessoa quo precisa nao duvida pa-
gar algumas beinfeitoriasque tiver, nao sen-
do muito cara, ou fazer algum concerto pe-
queno e assejo. Qnera p"is liver e quizer
alugar, deixe carta fechada no l. andar
desta lypofrapnia, em mao do administra*-
dor, cc ) as tniciaes W. C, o qual.tambem
poibra dizer quem eo pretendenti;.
RDA DO BRUM N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senbores de eDgenho e ontros agricnliores, e empregadorcs de m
ainismo o favor de oma visita a sea estabelecimeDto, para verem o iiovo loriimiDto
ompletii qoe abi tem; sendo tndo superior em qoalidade e fortidao; o qoe com a ins
eccao pessoal pode-se veriflcar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
Jaw/wflfl a nftrloo JjflfJ.r,Q dos mais modemos systemas eem ta
V apOrCa O xOtiaB U *gil* manhos coDvenientes para as diversas
trcoastanciar dos senbores proprietarios e p*ra descarofar algodSo. j
ffioendas de canna ^It os l8maDh0S' a8;melhores qDe ,qni
Sodas dentadas pnii~.gwev.Por.
raixas de ferro fundido, batido e de. oobre.
ilambiqnes 9 fnndos de alambiqnes.
isfaAtifvtiamne pars mandioca e algodao.l Podendo todos
liaCmiilbllivS e para serrar madeira. f ser movidos a mao
DAml.Q(. (Por- agaa, vapor,
(|UUlUa> de patente, garanlidas........ |oo animaes.
Todas as machinas e peca8de qne 86C09lDma preci8ar'
Faz qnalqner concerto de miCh^'apreco mni r68DlBid0-
Pormas de ferro j0'8 me,horea e mai8 baralas exi8tentes D0 mer"
SFmnnmrnonrlofi Incumbe-sa da mandar vir qnalqner machinismo i von-
^UUUniulUlltliAOt iaije dos clientes, lembrando-lhes a vantagem de fazerena
oas compras por intermedio de pessoa entendida, e qoe em qoalqaer necessidade pode
~:as prestar anxilio.
irados americanos e iBBtrDffient08 ^rico!as-.
RUA DO BRUM 8. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
A' rna do Barao do Trinmpho (rna do Brnm) ns. 400 a 104
CARDOSO & IEMAO

Dr
no
Ferreira.
larga
Antigo gabmcle de scu pai, rua
do Ho-ario n. 20.
Cura de hydrocellcs sem injeccao
com pnnccao capillar.
Aberlura de abcessos e exlraccio de
dcrramamento sero?os, pelo a-pirador
de Potain.

9
j
Joaquim Jose Goncalvos
Beltrao & Filho.'
Rua do Comnierein n. 5, 1.* andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
'o Minbo, em Brnga, e sobre os srigrinte*
"gares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Barwllos.
Beja.
Cbaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Guimnraes.
Lamego.
Lisboa.
Mirandella.
Moncao.
Ponte de Lirr.h.
Porto.
Tavira.
V'alpassos.
Vianna do'Coilollo.
\ ilia do Comie.
Villa Nova do Fantalicac
Villa Nova do Portimac
Villa Real.
Vizeu.
Valenga.
Figueira.
Aveiro.
Agucda.
Caminba.
Evira.
Oliveira dc Azemeis.
Penaflel.
Regda.
;ih riiiiii'ias
para
en-
Para passar a Testa
Alug3-8t a caw terrea na rna de S Bento, em
Oiinda, n 17, cum sotea e baslanies ccmmoriV
para family e ipiuital murado, perto d-ta bauhos
salgados : a u-jjar na rna da Imperairi? p. 79.
RECEBERAM de Inglaterr.i completo sortimento dc fcrragens e machinas
geahos, as mais modernas e molborobra que tem vindo ao mercSdo.
Va-pOreS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
VjaldeiraS MoendaS inteiraS e meias moendas, obra como ..lunca aqai veio.
TaixaS tfundidaS e batidas, dos melhores fabricantes.
KOdaS Q agua com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
KOdaS dentaflaS de todos os tamanhos e qualidades.
RelogioS e apitOS para vapores.
.DOmOaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
r OmiaS para aSSUCar grandes e poquenas.
f^OTIPPT'to^ concertara com promptidSo qualquer "obra ou machin?, parao que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
RnOOmmPndaS mandam vir por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o quese correspondent com uma respeitavel casa de Londr'es
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
Carros de luxo. Capellas para finado
E' inquestiormvel que a eocbeira da rna do Bom j Na rna estreita do Rosario n 35 tem ricas ca-
Jesus n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, e a pellas para donzellas, anjos e defantos, com fitas
qne tem as melhores berlindas, calecas, meias ea-j e letreiros, proprios de lembranra de minha mai,
lecas e victorias de luxo, proprias para qualquer pai, esposo, esposa, filbo, filha, irmas, irmaos, avo
noivado, visitas de etiqueta, bailes e aetos da aca-! e avd, tndo por mui barato preco de 3, 4*, 5* e
demia, sendo os mesmos ajaerados de excellentes 8/000. Na mesma casa tern lindos bouquets de
parclhas de animaes, arreios Iuxuosob e boleeiros; cravos e rosas para formatura dos senbores aca-
com fardamentos do ultimo gosto, para o que se demicos, com fltas bordadas a ouro ; a encom
convida ao publico a vir pnr ti mesmo ficienlili- mends deve ae fazer fres dias -antes ; e preparam-
car-e da verdade do que deixamos di'o, certos de, se tambem bouquets para noivos, de cravos natu-
que nao eneontrarao pomada, e sim realidade e raes.______________________^_________
commodos precos.
no>
Para tuiuulom e catacutubas
dia de fluados.
Porto & Bastos, com loja de cal-
cado a Praca da Independeucia a-
j 39, acabam de receber da Europa
novo sortimento de capellas mor-
tuarias de lindlssimos deseubos,
com as seguintes inscripc&es, as
quaes vendem por menos preco do
que em ontra qualquer pane.
A Meu Pai.
A Minha Mai.
A Meu Esposo. ^
A Minha Espcsa.
A Meu Filho.
A Minha Filha.
Uma lagrima.
Amisade.
Saudades.
PRAQA DA INDEPENDENCIA N. 39.
- Aluga-se
casas na Capunga, rua "da Ventura, com commo-
nestes proximos dias duas boas
dos para familia, as quaes forara concertadas e es-<
laa se pintando : a tratar na rua Duque de Ca-
xias n. 44.
Aluga-se uma escrava para o servipo iut
no de casa de familia ; a^sim como, um oscraj
de. 14 annos, para servico de criado on botel : i
rua do Imperador n. 50.
---...... -*
Para banhos de mar.
Ainaral, Nabuco ris inleressantes costumes do ultimo gr>ito,
para homnns e senhoras que d.esejarem to-
mar banhos salgados, alem da solidez da
fozenda para resi^ka agua salgada, a ele-
gancia dos tr jar.
Alnga se uma excellente casa na povoacao
- de Dnarte Coclho, em Olinua, com bons commo-
" dos para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
\ ^ Amorim 37-___________________
I Precisa-se alugar um ou dous escravos tra-
balhadores de enxada, para um sftio : na rua do
" i Vigarie n. 3, armasem.
Attei^ao.
A' rua do Livramento n. i precka-se fallar com
os Srs. lose Botelho Pinto de Mesquita e Jolo Fe-
lizardo de Amorim, a negocio qne nao Ihes e es-
tranha.
Aluga-se a casa grande no Monteiro, a mar-
PENHORES
. Na travessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
j^
-a-
I IliBBI
a casa terrea na Una dos Ratos. n. 6S, com a
frente para a.cstrada do Hospicio, com ba^unte
commo< o para familia : a tratar na rua do Mar-
commodos, quintal mnr,.. qaez de Oiinda n. 4^--------------------------------------
IO palmos, e tresca : tra- j trecisa-se de uma ama escrava
ta-se com M^scarenhas, no sitio junto. Inbar e ensaboar : na rua da Penha n.

Ssm do rio, com mui)
o, banheim disiante 50 palmos, e fresca :
l&
ira oozi-
j^B
^i


.-. *'
Jiart* d<*ff(w*fruc<*.r- ;SrtilMd 18 da VOj^Meft:
I
TA<1
Afaga-se p jJwBWw^HBnai'?s da casa
a. 3 4a nav.'ssa da I.inguata : a iralar na ru&
Priatfaa dh Marco, antiga do Crespo, na loja do
Bay junto.ao areo de Santo Antonio
A quern interessar
Percin da Siva cSi Guimartes, proprietaries da
ojaiio Pavao, previnern pela presente a seus fre
juei< desta praja, queseacham com was detritus
atrasados jue se nao saldarem os mesmos ate >
dia 3* de eutubro do corrente anno, tratarao de
eobrar jadiculmente, nao tendo contemplacao com
MDgUeur.
Reaifrt, M de seternbro de 1873.
Boa casa para a festa.
Afoga-.se uina excellenta casa no Monteiro, tra-
wwa do Xlsto, a oual .se acha em muito bora es
tano de limpezi : a tratar na rua Primeiro de
tore*, antiga do Crespo n. !0 A, loja de Gurge)
do Aaiaral & C.
MANl-KI. i:\EDINO R.EGO VA- #*
LE.VCA
nieJieo, a rua da Camboa, do Carmo
21. andar.
Pedido.
Oabaixo asignado, successor de Pino & Mar-
tinhno, roga imfaotemente aos seus devedores,
qne se acharu atrazados, tenbam a bondade de
vir saldar mas eoolas.
_______________________J. V. M Pinto.
Preeisa-sa de uma engommadeira,
heira- e um criado para compras ;
Ho3pieio n. 40.
uma cnzi-
na rua do
Eseravo fugiilo.
1001000 de gratificacao
Dtettmareeeu de novo, de bordo da barca bra-
sileira S. Jose, o eseravo Juaquim, preto de na-
Ijao, o ijual auda bem vestido e calcade, deixan-
do crasser os cabellos a modo de raeia cabelleira.
Es^e uicravo pertenceu ao fallecido Dr. Olym
pio v'arcelliu 'la Silva, que o havia comprado na
provin-ia d Minas (em S. Joao d'EI rei ou Onro-
Pieti,), e com olle seguio para o Rio de Janeiro e
dalli pan, e-ta provincia, donde foi para Maceio,
tendo o ven lido alii a Juslino Epaminondas Ne-
ves, a quern o compraram os abaixo essignados.
ftabo cuzrabar, nccupacao a que estava dedicado,
e coahy.-e se pel) falla que 6 afneano.
Qmatace-ae a gratiiicacao acima a quem o ap-
pre'iea lor a roga-se a todas as autoridades a sua
canton.
Recife, C de oututro de 1873
____________ Jose da Silva Loyo & Filho.
Atuga se uina cxcellente casa na Boa Via
pen! : a tratar na rua da Ventura n. 21, Ca-
gg:___________________________
O relojoeiro e douradur Albino
ftaptista da Rocha, de volla da
Europa, continua a encarregar-
se de coucertar e dourar relo-
gios, bem como outros objectos ;
rogando a seus amigos e fregne-
zes o obzequio de procura-Io na
Itaragsa da rua das Criucs n. 14, l. andar, por
detnz da nraea da Indepeudencia, quo o enebn-
Inrio prompto. A garantia de seus trabalhos e
b bze-loa pur precos modicos ; assim como tam-
iiu aveode rebigjos.
LIQUID &QA0
Fuudicao da Aurora
Grandesortimento de:
Moendas de todas as qualida-
des e tamanhos.
Tachas fundidas e batidas,
idem.
Rodas dentadas e angulares,
idem idem.
Machinismo, idem.
Varandas, gradeamentos pa-
ra jardim, etc, etc.
Tudo sevende por precos
muito em conta para aca-
bar.
N. B.
G. Starr &C, em liquida-
(jao, na fundiqao da Aurora,
em Santo Amaro.
jPJkPILVO
DE
Algadao da Itahia
Ha para vender das seguintes fabricas :
S. Salvador.
Gviceieao.
Val'-o'.-a.
M..delo.
No escnptorio de Luiz Duprat, raa do Commer-
cio n. 31, 1 andar.
Xarope d'agriao do Para
Antigo e conceituado medicamento para
cura das molcstias dos orgiios respiratorios,
como a phtysica, bronchites, astbjna, etc.,
applicado ainda com optimos resultAdos no
rtscorbuto.
Caixeiro
Prechta-se do um caixeiro que lenlia pratica de
(an-rir: o quo de fiador a sua conducta : na rua
dofiervasio Ptres n. 31.
Venham.
i lo Gooealvea dos Santos, negocianie em
. : vine a sens devedores para virem
li bftos .-W: o liiii do corrente mez ou
rio serao chamados a juizo.
Bernardo Gonaalvea dos Santos.
ram-so duosgrandes casas na povoa-
Muntoko, as quartern optimoscom-
ai:ban>se etn estado de asseio : a
na rua !." de Marco, loja n. 18.
Incvclopedia moderna
ou
Biccionario das sciencias, lettras, artes, in
dustrias, agricultura e commercio
30 vohiies.
A' venda por proQo o mais commodo pos-
sivel, na livraria Academica
RUA DO IMPERADOR.
riptono' a
uinte :
de 12 garrafav
idem,
chegada.
e senhora,
Teem para reader
Com mere i
'AftUARDENTE de ci
< de larania,
ARCOS de pao para barri:
CAL de LiinOa, recenlerai
CHAI'EOS de sol, para
de niarlira e 6so.
FE1XES de ferro, para porta.
FIO de algodao da bahia, da fabrica do comroan-
meudador Pedrozo.
LINHA de roriz.
OBRAS de palheta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do con)
mendador Pedrozo.
RETROZ de todaa as qualidades, das fabricas de
Peres e Eduardo Militao.
ROLHAS proprias para botica.
SALSAPARR1LHA do Para.
VELAS de cera de todos os tamanhos.
VINHO engarrafado do Porto, caixas de 12 gar-
dito Moscate do Douro, idem idem.
dito' Setubal, caixas de 1 e 2 dozias.
c da Italia engarrafado, caixas de 6 gar-
rafas,
de Collares superior, em ancqretas.
c de cajil, caixas de 12 ganafas.
c Malvasia do Douro, caixas com 12 gar-
rafas.
t Carcavellos, idem idem.
Cliapeos para senhoras.
Amaral Nabuoo & C. receberam um completo
aortimento de cliapeos de palha de Italia, seda
e vollndo, prelos para Into, e de cores enfeitados
com bonitas flores o fita : vendem no Bazar Vic-
toria, a rua d9 Barao da Victoria n. 2, antiga raa
Nova.
Asuaicas verdadeiras
Bichas hamburguezas qne vem a este mercadp:
na rua do Marqaez de ulinda n. 51.
CAFE DO RIO.
Tem para vender J. S. Carneiro da Cu-
nha, em sen escriptorio & rua do Encaota-
menton. 5, 1." andar.
Na rua das Flores n. 7, e estreita do Rusario n
'.IS, ioja, ha uma pessoa que se encarrega de arraar
tnfmilos e ratarumbas no cemiterio pnblico para
o dia 2 de novembro, commemoracao dos fieis de-
faotos.
Eseravo fugido
Atbsoasio, caboclo, idade 13 annos, corpo for-
bem pareddo, cabellos crespos, falla um
lanto gago. muito esperto e conhecedor do Recii
fr. para on diversas vezea se tem auzentado,
ir-> desta furtado .'liOOO em enbre que estava
sot; rina mesa. E;:i fuaido desde o dia 6 do
A maconaria desmascarada
ou
Collec9ao de artigos
Echo de Roma,
Analvsando
A circular do cap.-. Pr.\ Federacao de 22 de
seternbro de 1871. E a pranch \ do Ir.-. Gomes
Froire ao Ir.-. Otto ; assim como a deste cava-
Iheiro R.\ f.-. Ven.-. ao redactor do Echo de
fluja, dalada de Coimbra aos 16 de dezembro
do mesmo anno, preccdido de uma caita-intro-
duc,ao e nnnotada por um redactor do Echo de
Roma. Um volume de 280 paginas. Preco 1#500.
Vende se na livraria Economica ao pe do arco de
Santo 'Antonio.
VENDE-SE
uma casa bem construida de ferro e madeira,
siluada em Sant'Anna, perio da estacao da estra-
da de ferro : trata-se com os Srs. Shaw, Hawkes
& C, rua do Bom Jesus n. 4.
r:
i' casa do sen senlior no engeiilio Sa-
Relierlbe, ondo se ri'Com;ionsara a
;::ir.
liche Dantas aloga-se eecravaa, 5an-
. mez, comida o casa, por tempo de-
Baplista
fallida
. /6H II<>lboi).
I. :-iii.M divid-'iiiJo de 2(i Ij2
;., la Us oe credores da massa fallida do
.'.iii'i-ta Delbon a receberem o "div-i
mtu >!'m dj?-26 tf2 0|i).
Mamau^Mape, I Os adminislradoref,
Jese Pereira de Castro Pinto.
Pdreo Lopes Mt-ndonca-
!FBA$
Col
>re e
lata
io.
Compra-se eebre, lalSo e chumbo velho :
no aminzorn da bola amarella travessa da
raa dc fmpera Ccmpra--e uma escrava critmla ou africana,
que saiba eounoar o ordmario de uma casa : a
tratar na rua do Alecrim n. 20.
Tanque de ferro
O gerente da companhia da estrada de ferro de
Oiiotla eoropra nm tanque yue tonha capaeldade
para i a 8 jripas d'agua.
G>>mgra-se duas venezianas novas ou
com algum nso, e que estejamem bom-es-
rua do;Barao da Victoria u. 5.
tado
na
rmkt.
E' barato.
Baptistas a 409 rs. o cftvailo.
&>as las a 440 rs. o eovado.
Alpaeas >le cores a 800 rs. o eovado.
Camhraias bordadas Unas a 25S000 o corte.
ftpeliiias a 1.4400 o eovado.
Seias a 2*SlO o eovado.
Chales de iiuqnira a %'U.
Basqaio:is d>: nifls 20j
Colzas do fu.-iio a ii
A' rua do Barao la Victoria n it, antiga
Kova.
E' barato.
Camisas inglezas de 60J a ViiS a iuzia.
OtUannhos de liiitm a !>i a duna. .
ehioi> preftig floos a, lOf.
Ktw de nasttoi bniteaa ftretos H-
Ditos de nv-rmd-a M.
Cortes de c_ uuura, Una. a, 72,
rua
UT1LIDADE
Sondas de Benique.
Sao e>tas as melhores sondas para a dilatacio
da urethra, nao so pela facilidale na applicacao,
como tambeni pelo pouco incommodo qae prodnz
U doente, tendo a vantagem de oma longa dura-
f.ao. Encontram se a venda na pharmacia ame-
rieana, rua Duque.de Caxias n. 57.
Banhos em Olinda.
Camisas e calcas de fazenda de bea qualidade,
proprias para os banhos em Olinda : na loja don
arcos a rua Primeiro de Mare. (autiga do Crespo^
n. 20 A, de Gurgel do Amaral A C.
\nma
A loja do Passo recebeu riquissimos cortes de
tarlatana prateados, proprios para bailes, fachas
de seda de lindisaimos gostos, e diversos artigos
proprios para senhora : na rua Primeiro de Mar-
co (antiga do Crespo) n, 7 A.
Lazinhas com listras de se-
da a 1$ o eovado.
A loja d'Amerlca tem
E' fazenda especial e de muito gosto para ves-
lidos de senhoras ; dao-se amostras. na rua do
Cabuga n, 10, loja d'America.
l.V.KH !!!!!!
Para atlender aos numero-
sos pedidos esta resolvido a
vender suas afamndas machi-
nas de eostura
A
COMO SAO L1NI0S!!
Os leques todos de madreperela,. brancos e it
cites e que trazem o disticoUNIAO em lettras
tambem de madreperola em alto relevo, tor-
nando-se por isto apropriados para noivas, a NO
VA ESPERANQA a rua Duque de Caxias n. 63
(antiga do Queiinado) e quem os tem.
Sao de tartaruga
Os brincos, broches, meios aderecos, eruzei
coracSes e cassol^as, que estao fixposjas a bjia
escolha das Exma*. (amaites do chique) vende-se
na Nova Esperanca, a rua Duisie de Caxias
n- 63.
Aos menmos
A Nova Esperanja a rua Duque 4e Caxias n
63, acaba de recebor um lindo sortimento de bo-
necas de muitas qualidades, vindo entre ellas at
engracadas bonecas de borracba, assim tambem
uma pequena quantidade de bonecas pretas que
se tornam apreeiadas pela sua novidade.
Ebem idil
A Nova Esperanca a rua Dnque de Gaxias n
63, teceben verdadeiro cimento inglez, prepara
cao para concertar porcelanae bem mil.
Vestido perdido
Muitas vezes um vestido torna-se inteiramenu
feio, somente por estar mat enfeitado : a Nova Es
peranca a rua Duque de Caxias n. 63, removi
este mal; porque esta bem provtda dos melhores
galdes e franjas de todas as cores, onde pode es
colher-se a vontade sobresabtndo entre eatas as
modernas franjas mesaicas, qne pela sua varieda-
de de cores, flea bem em quasi todas as fazendas.
A ella antes que se aeabem.
GabeUos brancos sd tem quern
quer
A Nova Esperanca a rua Duqne de Caxias n.
63, acaba de reeeber a verdadeira tintura de Des-
nous para tingir os cabellos, o que se eonsegue
(empregando-a) com muita facilidade, e por este
motivo, cabellos brancos so tem quem quer.
Esbao na unoda
On cintnroes de couro, proprios para senhoi*s,
SB recebeu a Nova Esperanca a ma Duque de
xias n. 63, estao, sim, senhora, estao na. moda I
Se quereis ter ou preparar um ramalhete de
cheiroso8 cravos brancos para o vosso casamento
ou para outro fim apropriado, e necessario Ir a
Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n. 63,
que alii encontrareis os melhores ports -bouquets
que se pode desejar.
Bolas de borracha
Vendem-se de todos os tamanhos a rua Duque
de Caxias n. 63, na Nova Bsparanga.
BAZAR U
Rua 4o too da \ icUiria n. 22.
DE
Oaraeiro Vianna.
Vende-se
am vapor de foffa-de rinco cavatlos, novp> proprio
cara qualqaer nistrr, earn bronzes de sobnesa-
lentes, oporiprejocomBiodo : para ver, noamia-
zem do Barao do Livrarntato, e-tratar a-rua do
Torres n. 32, 2" andar.
NA
CASA AMERICANA
4.') Rua do Iiiipcradoj' ft
(
1
UMA MOBIUA.
Vende-se uma mobilia de amarello em perfeito
estado a Luiz XV : const ndo de um sofa, uma
jardineiaa, um par de oonsolos, 12 cadeiras de
guarnicao, duas da braco e duas de balance ;
quem quiier fazer neg icio, drrija-se s rua Direita
n. 3 1* andar, que aehara com quem tratar.
Fiado!
Rua do Barao n. Victoaia
bu 22.
0 proprietario do esubelecMMnt* Bazar Unv
versal teado de transferir o ueameftara autro
iagaT e tendo grande deposito le Machinasda
eostura de too is os auiores, tesolweu vq^Ihb a4
PRAZO, madiaote a convenjao^ w a
zer cum os preieadeiites : a raa du Jferlo
loria d. 22. ^
20
Rua da Crespo.
C::irlinii3 a -uitdcr barato para
apiirar muito
Brins de linho de cores (pechincha) a 1*200 -a
vara.
Fustao hraneo pnra ronpa de menmos a 388 rs.
0 eovado. 1
Latintoas escocezas a H16 e 280-n>. 0 eovado.
Alpacas com listras a 500 rs. eovado.
Brins pardos e de cores a 400, 440 e 500 rs. 0
eovado. !
Brin kmalbranco a 1*600 a vara.
Cambraias pretas para.luto a 24Q rs. 0.eovado.
Cretone de-list .'as; a 440 rs. o eovado.
Chitas roxas a 200 e 240 rs. 0 eovado.
Grosdenaple ppftto de cordao a 2*400 0 eovado.
Cobertas de chita. artamaseada a 3 Colchas brauras ede c6res a"?3S09 e 4j.
Lencoes de hramnnte a il.
Ditos de algodao a 11*400.
Toalhas alcochoalas a 6* a duzia.
LenQos de cassa com barra a 1* a dnzia.
Ditos de dita atainlmdos a 2*.
Ditos do esgurio a 3*380.
Cainbraia lisa a 3* 0 4,*b00.
DiU Victoria finaa 3rf00.
Atoalhado a 2* a van.
Cortes de caseiaira fia ;t 5tf.
Eustoes de c6res a L5o corte,
Challes de merino lise a 8*.
Ditos de dito estampado ail, 4A3C0 e 5*600.
Esguiao lino a 2* a vara.
Brim preto tran^ado a 24 a vara.
Bramaole de algooan a VMOO a vara.
Dito de linho a 2*300 a vara.
Cambraia de linho de cAras a 360 rs. 0 eovado.-
Algodao T a 5 a peca.
Madapoloes baratos.
Metins
Proprio para vestidos, 0 que ba de mais gosto,
pad roes inteiramento uovos, pttlo diminuto preco
de 400 rs. 0 eovado : na rua do '
de Guilherme A C.
IgA'.este grande estabelecimento tem che- china.
gado um bom sortimento de machinas para
eostura, de todos os autores mais acredita-
dos ultimatnente.na Europa, cujas machinas
sao garantidas por um anno, e tendo um
perfeito artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte desta cidade, como bem as-
sip concerta-rlas pelo tempo tambem d'um
iatho sem despendio algum do comprador.
Neste estabelecimento t mbem ba pertencas
pera as.mesmas machinas e se suppre qual-
quer peca que seja necessario. fcstas ma-
chinas trabalham com toda a perfeisao de
urn e dous pospontos, franze e bords toda
qualquer eostura por fina que seja, seus
precos3aodaseguiniequalida.de: para tra-
balhar a mao de 3OJ6000, 4055000, ', j$000
e 503P000, para trabalhar com 0 pe s;io de
8(000, 905000, 100*000, 111-5000,
13035000, 130*000, 150C000, 200^000 e
23o*50pO, emquaoto aos autores nao ha al-
tetayao de pregos, e os compradores poderao
visitar este estabelecimento, que muilo de-
veiao gostar pela variedade de objectos que
ha sempre para vender, como sejam : cadei-
ras para viagem, ma las para viagem, cadei-
raspara salas, dilas de;halan50, ditas para
crijn^a (alias), ditas para escolas, costnrei-
ras nquissimas, para senhora, despensaveis
para crianc.as, de toilas as qualidades, camas
de ferro para homem e criamjas, capachos,
espulhos dourados para sala, grandes e pe-
qunos, apparelhos de metal para cha\ fa-
queiros com cabo de metal e de marlim,
ditos avnlsos, colheres de metal'fino,condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatories completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visittrem este grande estabelecimento
que se acha aberto desde as 6 horas da ma-
nha ate as 0 hor&s da nouto d
Rua do Barao da Victoria n.
22.__________
\fto ha mais cabellos
brancos.
MVUIU JAPONEZA.
So e unica approvada pelas academias de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem apparecido at6 hoje. Depesito princi-
pal d' rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quei de Olinda, n. 51, 1. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
Nenhuma machina
Singer e legitima w
nao levar esta marca
fixa no braco da ma-
Para evitar falcifi-
acoes notem-se bem
-
todos os detainer da
marjea.
AS MACHINAS PARA COSTUBA
DE
SINGER
NAO TEM RIVAL
11 VIS DE 11HILHJU) TEM-SE VEMHBtl
Porque?
Sao as melhores
SSo as mais baratas
SSo de dous pospontos -
Sao mais simples e rapidas
Sio duradoras e nperlucoadas
- Sao util cm uma casa.
1111
IN
i
Faz meUior eostura com metade da linha que gastam
as outras e fornecem um meio de
VIDA
Para aquelles qne tern dc susleular-se
DE
8SIW
Cassa-la
Crespo n. 20, loja
v.
Cbegou esta fazenda. sendo tindes padroes, e
vende-se pelo dimihuto pre^o de 800 rs. 9 eova-
do ; somente na rua do. Crespo n. JO, loja de Gui-
lherme 4 C.
S6 na rua do Clpespo r>. 20.
Guilrbernie & C.
m, ou na padaria n. 99.
de Jlarct-
iu uvuvuirmiut
De farca de d .us a seis cavallos : a venda no
armazem de Joaqnlm Lopes Maehado & C, tr-a
vessa-de 6orpo Santo n. 26'.
Querem agradar a yaya ?
Querem agradar 4 esposa?
Querem agradar a lilha?
COMPREM UMA
MAGHINA DE SINGEE
EMIM
Nenhuma casa estd completa sem uma
MACHINA DE SINGER
Sem caixa 8W0OOO. Com cixa!90JM>00
UNICA AGENUA
EM
A CASA AMERICANA
RUA DO IMPERADOR 16
Veode-se, ou akiga-se uma das melhores casas
a Boa-Viagem, com um pequeno sitlo para paslo
vaccas, e4erreno freseo para plantaeio de oa-
a tratar na rua do Imperador n. 83, 1.. an-
Cal^ado estraageiro.
Apreuma se o mez de dezembro, tempo em
inie oParis na America, a rua Buqae de Caxias a
89, 1. andar, tem da dar o seu batiiii^), por esle
motivo, o proprietaries deste estabelecimento es-
tao resolvidos a vendere^i seas calc^dos pelo cus-
to, aSm de minorarem o trabalho ; assim pois os
apreciadores do bom, e Gom especialidade o sexo
amavel, para quem o Paris: mo America, conserva
com a devrda decencia) o seu gabinele reserva-
do, par* a eseolha de caleado, aproveitem e ve-
nham munirem-se do que precisaram.
Vende-se uma moleca preta de idade H an-
nos, reuolbida, de bonita figura, com principio del
habilidade, am preto de meia- idade, acostumado
a servico de sitio e um mulato eozmheiro, de ida-
de 2i3Bno^j_nasrn^deHprtasn;110.______
Grande novidade.
S Aaiara o K8
Vieram no ultimo vapor, baptistas flnas eora
berras, gostos cUioezee, peto duoiouto pxftco de
300 rs. o eovado : a rua do Queimado a 43.
tits com Ultras assotinadas, ultimo gosto a
1*900 0 coy*o : so 0 4 i rua do Quetruado
B4e-se amostrfts.
Boa acquisic,ao.
Teadew por
da ri
pre jo commodo a armacao da
a Imperatriz e garante-so 0
uel da mesma : a tratar na loja n. 17 do mes-
ma rua.
loia n. 19, da rua
Luvas de pellica.
Aagoste Porto recedaa pelo paqnete trnneaz
rices vestidos ds blond para noivas, Crescas luvas
de pellica brancas, pretas e de cores, para senho-
ras e homens, selim cdr de cafe para enfeites
dto vestidos. bonrnaos e eapas de ti para senho-
ra*; e muitas outros artigos que vende por barato
preco: na m (to Duqne de eaxUs a. 13.
Formas para assucar
Ve*4o>e w caaa dot iinom*jre6 ghaw,
Hawkes 4 C, rw tofton jaas t. i
Labyrinthos, bicos, rendas.
Ko escriptorio de Gomes de Mattos, Irmaos, a rua da Cadeu
do Recife n. 40, 1. andar, e o unico deposito do qne ha du
melbor, e bem acabado, que vem a este mercado, da cidade do
Aracaty no Cear<1, quem os comparam com os feitos 8qui na
terra, facilmentc reconhecerSa immensa difference, que vai
de uns para outros, tanto em preco como'em qualidade.
Lindissimas toalhas de labyrinth".
Fronbas de diversos tamanhos.
Lengos do todos os pregos.
Bicos e rendas em profuzao.
TASSO IRMAOS & G.
Im sens armazens & rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tea para vender por pxecps commodos
Tijoios encanados sextavos para ladhlbo.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hvdraulicc.
Machinas de descarocar algodao.
Machinas da padaria.
Potassa da Russia eaa barri I.
Phospfcoro* 4e ceta.
Sagii em garraf9e6.
Sevadisha em garrafoe?.
bealitbas em garrafoe?.
Rhum da aJmaica.
Vinho do Psrto velho engarralade.
Vina* do Porto superior, dito.
Viafeo de Bordeaux, dito.
Tiabo de Soherry.
Vinho Aa Madeira.
Potes con lignas e dobradaa ingjazav
Licores qos sortldos.
Cognac Gaulhier Frerea.
batas de toucinho inglez. *
Barris com repolho em salmoura.
Vende-*e
trastes de jacaranda e amarello eon pouso us>,
em pwfeito estado, e tambem um meio apparelLi
de loufa para janlar e nm dito de porcelana, flno,
braneo, para almo^o. Vende se por ter o dono de
se ruiirar para Enropa : na raa da fmperatm
d. 54 A^__________________________^
Potassa da Russia em meios
barris a 500 rs. o kito
Daaembarcada ha poucos dias : veuderse n
' esertptorio de Oliveira Filhos 4 G, largo do Corpo
Santo n. 19.
I'or baratos precos para desearoca* algodip. d
12, U, 16, 20, SS, % e 33 serras.
Cuuka 4P ^tanta
3-Rum Mar.piei 4*
VENDE-PE
I ft. C. Doyle.
Tem para ve i d :
Cognac de Hennessy, superior e verdadeiro.
Vinho Xeres das melhores qualidades.
'Bitters de Angostura, '
Oia preto em latias de 10 bbras.
Todas as preparaoBes chiraioas ao Dr. Ayer: no
armazem da raa do Commercio- n. 38.
barris com carae de vacea e de porto, sail
para mantimentos de navios : no armazem de tm-
o Irmaos & C. a rua do Amorim n. 37.
Silva Barroca A ftihot liaam pam' vend r **
seu aimazem, a m% do Marqnat de Glind-
seguinte :
de Flandres.
ho em vexniibftB,
,chinas para descarocar ahjodio.
_ ija eseosseza branca e prA*.
Pillele para bandeira.
Vidros para vidreca, t qaalWaia,
Guii)chos para icw, >--


>
1
UEGfVEi J
^
...,
*- mi f
M


*ripn^^|mji

HP


\
Diart* vie i*emambue Safcbado ft '&49itttt# COSTUEA DE HOWE
SOARES LEITE, IRMAOS
UNIGOS ACENTES
A'
Rua do Barao da Victoria n. 28
\s mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na eiposicSo de Paris, em 1867, foi concodido a
Elias Howe Junior, a raedalha de ouro e a condecora-
580 da LegiSo de Honra, por serem as raachinas mais per.
feitas do raundo.
A medalha de ouro, conferida -a E. Howe Junior, nos
Estados-L'nidos por ser 0 inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na exposicio de Londres acreditam
estas macbinas.
MCHfflAS PARA COSIDRA
A 251000 e 45#000.
xT BOBS POSPONTOS
Na lojade Soares Leite Irmaos, & rua do Barao da
Victoria n. 28.
peilioa com pequeno toque
Luvas de
a 300 rs.
Abotoaduras para coliote, grand* sorti-
mento a 120 rs.
Caixa do linha de roaxea, a 200 rs. /
Lamparinas a gaz, dando uut luz muito
boa, a ljpOOO.
Duzia de pecas de eordao imperial, a
240 rs.
Caixa de boloes de osso para calca, a
200 rs.
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a
COO rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Mac de fita chhieza, a 800 re.
Caixa de linha com 40 novellos, a 600 rs. 500 rs. e 19000.
Espelhos de moldura dourada, de to os^tamanhos e precos.
PERFUMARIAS E MIUDEZAS.
Frascocom oleo Orwa verdadeiro, a
19000.
Idem com tonico de Kemp, verdadeiro, a
19000. "*
Garrafa de agua florida verdadeira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem idem divina, a 19000.
Idem idem Magdalena (novidade) a
19200. '
Caixa de pos para dentes, a 200. re.
Idem idem de pos chinez, muito bom, a
A 90$000
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Sova-
tork, estabeleceu nesta cidade a rua do Barao da Victoria n. 28, urn deposito e agencia I 5-q(
** j para em Pernambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-! Rpsma
-vra de Howe. Estas machinas sad justamente apreciadas pela perfeicao de seu trabalho, I. bmbaa
npregando uma agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,'
pela lntroducgao dos mais aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
?fferecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sdo as segmntes:
Pnmeira.O publico sabe qae elias sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
drcumstancia de nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe em segun-
i mao.
Seguada.Contera o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Terceira.Ha nellas meaor friccao. entre as diversas pecas, e menos rapido estraRO
* qae nas outras.
Quarta.Forraam o ponto como se fdra feito & m2o.
Quinta.Permitte que se examine o trabalhe de ambos os fios, o que sc n8o consera -
a* outras. i
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio "de am & oatro lado,
logo em seguida, sem modiiicar-se a tensao da linha, cozem a fazenda mais
Ina.
Setima.O compressor 6 levantado com a maior facilidade, quando se tem do mndar
e agulha ao comecar nova costora.
Oitaya.Muitas corapanhias de machinas de costura, tern lido epocas de grandeza e
?acadencia. Machinas outr'ora popiriares, sao hoje quasi descorhecidas, outras soffreram
ndancas radicaesparapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
*doptando a opimao de Eiias Howe, raestre em artes mechanicas, tem constanteraente
wgsaentado o seu fabnoo, e hoje nle attende a procura, posto que faca 600 machinas
Cada machina acompanha livretos com instruccdes em portuguez.
Meios aderecos com camafeu, a 500 rs
Garrafa detinta roxa extra-fina a 19000
Potes com dita ingleza, preta, a 100 e
100 rs.
Caixa de pennas Perry, muito boas, a
19000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, a 500 rs.
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa de papel amisade, beira dourada,
a 800 rs.
Idem idem idem lisa, a 600 re.
Duzia de talheres cabc branco, 2 B., a
de papel pautado, a 49000
Idem idem liso, a29800, 3-3800e 59000.
Coques modernos, a 39000.
Duzias de pecas de trances de caracol
braoca, a 400 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs,
Leques de osso e sandalo, a 29000, 49
e 69000.
Koto com opiata de Hieger, Rimele Gros-
nel, 190OO.
Duzia de sabonetes de amendoa, a
39600.
Duzia de sabonetes de aniinho trangparen-
tes, a 29200.
Idem idem com Q6*es, a 19500.
Sabonetes Glyeerioo transparenles, a
19000.
HCaixa com sftbonetas, formato de fructas,
a 19000 e 19500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a lOOe
800 rs
Frasco com agua de colagne, a 200, 320,
500 rs. e ljJOOO.
Extractos muito finos dos nudbores au-
to res.
Lindas e elegantes caixiohas com perfuma-
rias, proprias para presentes, dos autores
E. Codray, Riegef, Calle Freres.etc.
Qoadros com santos e estampas separa-
das.
'Entromeios e babados -transparentes e ta-

lachina acompanha livretos com
A 90*000 A 90W00
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
do Barao da Victoria n. 28.
Fita de velludo de todas as cores e largu- pados.
r8S* f Uma grande taboleta propria para qoal-
Microscopios com 12 vistas,(a 69000. qner loja.
Frasco com oleo para machina a 400 rs.
Rua do Barao da Victoria n. 28.
u
N. 4Rro do CabugaN".
JOSEPH KRAIJSE &
BAZAE DA EDA DIREITA
HOJE
GOMES DE MATT0S &1WHA0
va-
fc uh, IBARCILIO QIAS R. Si.
Bste estabelecimento sempro solicito em offerecer a concurrencia do respeitavel pu-
?hco um completo sortimento de miudezas, calcado francez, chapeos e quinquilharias a
tresaa os maii razoaveis possivois, para o que recebe quasi todos os seus artigos de pro-
Ma encommonda da Europa e America, vom daj oublicidade de alguns artigos por cujos
kocos bem se pode avaliar os precos de outros muitus que se tornaria enfadynho du-
ucar. r
MIUDEZAS. | MIUDEZAS.
f-ipara bordar, da melhor qualidade, 1 Brincos dito de dito por 29500.
ibra por 59500. | Botoes de setim pretos e de cores, a 800
Agulhas francezas, fundo dourado, a'cai- rs- e 1JW00 a duzia.
anha com 4 papeis a 60 rs., 240 rs. Franjas brancas de seda de todas as lar-
Voltas de ata de veUudo com lindos co- g"*86. 19000 e 19400 o metro.
'icjJes fingindo madreperola, a 500 rs. Dits de cores e pretas a 800 rs. a 19000 o
Voltas para o pescoco, flngindo camafeu,
corapanhadas com 1 par de brincos seme-
Avisam ao respeitavel publico, desla cidade qne o sortimento de ieras, de subide
lor, que exisUa em seu estabelecimento, esla completanwnte refcrcado com o mais ela
gants sortimento de novas joias, q* reoeberam directaroente pelo ultimo vapor da Eu-
rope, coDstando elle do mais variado sortimento de adarecos i Boulevard, pulseiras dt
ultimo goslo om pedras preciosas^ sem elias, brincos d'arjola,. agraffes para relogio de
senhoras, dehcados aderecos para, laeninas, meibs adereeps de camafeu lindissimos, voltas
ae nogordios para senhoras, corrontes inglezas de ouro e de platina, variada quantidad*
ae notoes para punhos e peito, co.erabjeaws maQonicos^ de onix, tecido de ouro, can.a-
leu, etc., bninantes monstros de rarissinaas agoas, era anneis, roeetas,, nulseirae, alfii e-
tcs ebotoes, e outros ranitos objeotos de ouro do melhores fabricates de Paris, que se
venoerao com grande reduccao de preoo^^or sererruelles necebMos directamonte de seu*
Os proprietaries do acreditado MUZEU DE JOIAS, teodo seu. estabelecimento abertu
aie b iwras U noute, oonvidam as familias que se quizerem.provef de lindas ipias,
,virem escolba,l*s i vontado, paca o que<* Agua florida, de Guislain,
paralazer os cabellos pre-
tos.
A a{,aua branca, a rua Doque de Caxias n. SO,
acaba Ae recebernova remessa da apreciavel a^ua
florida para fazer os cabellos pretos. O bom re-
jultado colbido por quem tem feito uso dessa
inoffenava preparacao a tem altamente conceitua-
do, e por isso apenas se faz lerobrar a quem no-
vamente deila precise e queira se aproveitar de
sia utilidado. Tambem veio agua de topasio e
oleo florido para o mesmo uso, e tlo acrcdiiados
eomo aquelia.
Voltas e brincos de grossos
aljofares de c6res.
A aguia branca, a ma do Duque dj Caxias n.
50, recebeu novas e bonitas voltas e brincos de
grossos aljofares de cdres, e como sempre conti-
nua a vende-las por pre?o eommodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
A aguia branca, a rua do Duque de Caxias n.
50, recebeu novo sortimento de bonitos diade-
mas dourados e com pedras, tanto para meninas
como para senhoras.
Collec^oes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. 50,
recebeu. novas collecgoes ou normas para as erian-
eas aprenderem a escrever por si mesmo, hoje Uo
usadas nas aoias o collegios; e como sempre ven-
de-as por preco eommodo.
Meias cruas Unas para meni-
nas esenhoras
A loja d'aguia branca, a rua Duque de Caxias
n. 30, recebeu novo sortimento daquellas tao pro-
curaaas meias crnas para senhora, vindo igaal-
mente para meninas, e continiia a vende-laa por
preeos commodes.
Veos ou mantinhas pretas.
A loja da agnia branca. a rua do Duque de Ca-
xksH. 80, receben benitos veos ou maiilinba>
pretas de seda com flores, e outras a imitacio de
croche, e vende-as pelos baratos precos de 3^,
iS e 6^000. A fazenda e" boa e esta em perfeito
estado, pelo que continiia a ter prompta extrac-
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
nhotos douredos e coloridos.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de
Caxias n. 50, recebeu novos grampos com bor-
boletas, bezouros e gafanhotos, o que de certo 6
perfeita novidide. A qnantidade e pepnena, e
por isso era breve se acabara.
Novas gollinhasornadascom
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca a rua Duque de Caxias
- 50, recebeu uma pequena quantidade de boni-
3 e novas gollinlias, trabalho de la e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e inteiramente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da afuia branca, a rua do Duque
Caxias n. 50, recebeu novamente bonitos gram-
ipos, brincos e ruzetas dourados ; assim como
novos diademas de aco, e como.sempre conti-
niia a vende-los por precos razoaveis
Caixinhas com p6s dourados
e prateados, para cabellos.
Vende-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
'que-de Cwrias n. 50.
Luvas de pellica pretas e de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, a rua Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu novo sortimento de luvas de
pellica, pretas e de outras cores._____________
las e
Cambraias bordadas e outras fazcnflas, venikm-
se barattartmo, a dinheiro : a rua da Barfc iz
Victorian anUga rua. Nova.
Armazem do funiu
Rua da Madre de Deus n. lit a.
Jose" Domingues do Carmo e Silva parti seus fregnezes e amigos qne no seu a11L.a a
rua da Madre-de Deus n. 10 A, se achr. i..,- .
pleto sortimento de fumoem fardos de \a\ ..,-1.
2.* e a.* sortes, dos melhores fabricantes da "?lii!
e bem assim a flor de todos os fumos de rrdi
em rolos, pacotes, lalas grandes e pequcn. -. taaa-
bem dos mui acreditados fibricantes Turret A
Araujo, Lizaur, Adoteho Schmdl 4" C. linar
Schmidt & C, Veigas A Araojo, lVln*klp Aw
lar, Teixeira Pinto A 1'ortella (garam..!., wIm
mesmos) e de outros ainde nao conbvcKlos pea
publico desta capital. O annuncianievl-i-Luqm
todo fumo sen justo valor, e que quando garantir s ivypeeti-
va qualidade, sera siacero, mui partk-uknneafl*
com as pessoas que po'nco entendam da iiubm;
pois para bem servir a todos, tem o annunoanaa
ionga pratrca de i5 annos deste eonum-ma.
Rua do Cabuga n. ll^ST
Vende-se um escravo mdeo proprio i^ara
nho ou padaria, por preco muilo em conta.
a l^COO a libra
ro andar.
Rape Rocha
na rua do Vigario n. 7. piiati-
ARMAZEM
DE
Fazendas finas
HJ,
Rua \. de -Msrfdii: 7 A.
DE
Cordeiro Simoes & G.
hante, tudo por 2&500.
Liana branca de 200 jardas em carriteis,
propria para costura de macbina, a 800 rs.
i duzia.
Dito de dita de Alexandre, numeracio a*
gceto do freguez, a 1^100 a duzia,
Diademas dourados de 19500 a 39000.
Ditos de tartaruga com flores a 2#000.
Ditos com borboletas a 15500.
Brincos oncarnados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaqu6t de 500 rs. a 29000.
Ditos dourados, duzia de pares, a 18500
e 49000.
Voltas do aljofares com brincos, a 29500.
Ditas de ditos com coracoes a 19000.
I Ditas de ditos de contas com cassoletas, a
100 rs.
Rosetas de plaquet a 19 e 19500 o par.
Gravatas do seda para senboras de 192O0
29000.
Farures1 com 2 lacos para cabeca e peito
89 e49000.
Entremeios e babadinhoabordadosdo 360
rs. 29400 a peca.
ttaldes de seda brancos e de cores, de
19500 a 29500 a peca.
Ditos de algodao e seda, de 19 a 19400
i pefa,
Ditos de algodao, a 100 e 500 rs. a peca.
Trancinbas de cores, a 100 e 500 rs. a
peca.
Leques de rnaram a 69 e 89000.
Ditos de sandalo a 49500.
Ditos de madeira imitando, a 29000.
Ditos de papeRdes a 1980Q.
Coqog para senhora,' a 39, 39S00 e 49.
Aderecos fingindo coral, co.mpondo-se de;
elfinete.e brincos por 290Q0.
Dito dito pretos por 2f 50.6.
Ditos de plapet, compondo-se de alfinete
e brinco, sendo de muito gosto, ppr 59000.,
metro.
Galoes pretos de seda, de muito gosto de
800 rs. a 19000 0 metro.
CALgADO FRANCEZ.
Botinas pretas gaspeadas, para senhora, a"
49500 opar.
Ditas ditas de duraque, gaspeadas, canno
alto, a 59000.
Ditas pretas enfoitadas, ultima moda, a
69000.
Ditas dita de cores, canno alto, enfeitadas,
a 59300,
Ditas para meninos, pretas e de cores, a
39 e 49000.
Completo sortimento de calcado de case-
mira, Charldt, tapete e tranca, mais barato
iO /o do que em ontra qualquer parte.
CHAPEOS.
Ricoa chapeos de palha d'ltalia, para se-
nhora, a 119000.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda,
a 169000.'
Completo sortimento de ebapeosmhos para
.meninas e senhoras, de 29800 a 59000.
Chapeos de sol de sMa, inglezes, cabo de
marfim a 169000.
Ditos dito ,de merino, oabo de metal mni-
to bonito a 59500.
Ditos dito de seda para senhora, cabo de
madeira, a 6C000.
Ditas dito cabo de marfim a 99000.
DIVERSOS ARTIGOS.
Granadine para vestidos, fazenda da ulti-
ma moda, com listras de seda, a 650 0 co-
vado.
Pannos de croche't para cadeiras, a 19800
e 29000 cada nm.
Ditos para soli, a 39 e 49000.
Toalhas de linho para rosto, a 19300 cada
nma.
Ditas de algodSo alcoxeados, a 640 rs.
Colias de croche't para cama de casal, a
6900O. r
BAZAR NACIOMAL
Rua da Imperatriz n. T2
Loarenco Pererra MendesGnrmariics
PARA DIA DE FIVAD8S
Declara a seus freguezes que lem resolvido vender
0 mais Lara to jtjue. for. possiTel,
SAUDADES.
Amaral, Nabneo & C. acabam de receber nm
variado portimento de capellas funebres com a&
seguintes1 insorip(5es:
A meu pai.
A minha mai.
A meu esposo.
A mlnhs esposa.
A men filho.
A minha filha.
Saudades.
Amizade.
Lembranfa.
Vende-se no bazar Victoria, rua do Barao da
Victoria n. 2.
Mobilias
^adei'a8 dagoarnicao muito baraus.
25 Bna larqqez de OHnda --^S
. CUNHA 4 MANTA.
Hesperidioa
^f^^SSSS^. smr
ditado : a venda no irmAremle TaT wft ^tiegoms de bezerro
C, roa do Amorim b. y 'm 7rrai< 4 na prafa da Independent
} Bastos.
Bazar Victoria.
Amaral, Nabuco k C. receberam camoleto sor-
tunento de ben^allas de canna. piSiriJfSS du-
canro de velhos, de rheumaticos.TcTeCe^-
!": ^ ^a?,?,!, comnleto sortmiento A -
de sol bengallas,' umbellas. tstc., para "senffe
para nomem, com cabo d marfim com SmudS
metal, l.,Sos, elc. etc. Estes uteis eZpSir-
tigoa vende-ge na rua do Barao da Victoria n 2
Calcado francez
Borzegnins de bezerro para homem a 7^000':
'" n. 39, loja de Porto 4
CH1TAS A 160 E 200 RS. 0 COVADO.
Vende-sc chitas francezas largas .com to-
que de avaria, a 160 e 200 0 oovado. Di-
Us hmpas a 240, 280 e 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vende-se cassas francezas a 320 e 360 rs.
0 covado.
LASINHAS A 200 Rfl.
Vendo-se lasinhas de cores para vestidos,
a 200, 360, 400 e 500 rs. oeovado.
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se alpacas para vestidosa 400,500,
640 e 800 rs. 0 covado.
CODERTAS DE CHITAS A 1900.
Vende-se oobertasde chitas de ceres, -v
19600 e29000. Ditas de pello-a 19400.
Colxas de cores a 19200, 29500 e 49800.
CHALES DE LA A8WRS.
Vende-se chales do 1* de qnadros a 800
rs. e 19000. .
Ditos de merino 29, 39, 49 e 59000,
CAMBRAIA BRANCA A 39000.
Vende-se pecas de eambraia branca trans*
parentes e tapada, a 39, 89500, 49, 9W0,
59 e 69000. ^^'
SAIAS BRANCAS A 29000i
Vende-se saias brancas e de cores, par
senhoras, a 29000 e 29500.
BONETS A 500 R8.
Vende-se benets pretos de sedit para ho-
mens, a 500 rs. Chapeos de palha, pello e
massa, a 29, 29500, 39000 e 49000.
MADAPOLAO A 39000.
Vende-se pecas de madapoISo enfietada a
39060. Ditos inglezes nara os precos de
49, 49500, 59, 69000 e 79000. ^
ALGODAO A 39500.
Vende-se pecas de algodao, a 39500, 49,
e 59000.
BRAMANTEA19600.
Vende-se bramante com 10 palmos de
' CORTES DG RRIM.DE CORES A 19500.
Vende-se cortes debrim de oores par
calca, a 19500 e 29000,
BOTINAS A 89000:
Venae*se botinas para senhoras, a 39000
39500, a eHasr-aiHes qae seacahem.
ROUPA FEITA NACIONAL.
Vende-se camisas brancas, a 19600, St
29800, 3900O e 49090.
Caleas de casemirss de cores, a 59, 69
79000.
Palitotede casemira, a49, 69 e 89090
Seroulas a 10 e 19609.
BRIM DE CORES' A^ 440 RS.
Vende-se brim de todas as cores I 44-
rs. o covado.
LENC09BRANC08 A 29090 A BUZU.
Vende-se a duzia de teiiees brancos, 1
29990. Ditos eom barrasde cores a 39001
DKos de linho a 59069.
TOALHAS A 809 RS.
Vende-se toalhas para rosto, a 800 rs. .
19999.
GRAVATAS DE SEDA PRETA A599RS
Vende-se gravatas de seda preta, a lo*
rs. cada oma.
CffiTAS PARA COBERTA A 280 R8.
Vende-se chfta para coberta, a280e
rs. 0 covado.
BONETS PARA MENINOS A 19890.
Vcnde-se bonetes para raeofnos, a I960*"
Ca&
do Ric Janeiro : vendo-se a rua de tifrario. ar-
maaem n. 16.
Os verdadeiros
Vinhos de Bourgogne
das marcas
Chambertin
Pomraard
Virits.
Voloay
Beanne
Monthelic
Dito Bordeaux em quartollas.
\ende-se por liard.ii |ircn
PARA LIQUIDACAO DE CONTAS
NA
Rua Larga do Rosario n. 34.
Botica.
E esta casa, sem duvida, nma dm .(!uj hate,
pode com primazia apreseniar aos sen ii.-au tea
um yariadissimo sorlimcnlo do fazendiis fiiias pa-
ra grande toilette ; assim como, para a uso or-
nario de todas as classes, e por ptrcofl vanlaje-
sos para os cempradores, de cujas f..zeiu am pe-
queno resume
Mandam fazendas as casas do pnt 'ndentea,
para 0 que tem 0 pes?oal necessai io e dra aiatt-
tras mediante penhor.
Cortes de seda de lindas cores.
Ditos de gorgurao de cores.
Grosdcnaple de todas as cores.
Gnrpurao branco e preto.
Selim Macau preto e de cores.
Grosdenaples idem idem.
Veludo preto.
Granadine. seda prcta e com listras de ooresj Na-
dissimas padroes e fazenda da ultima coota.
Pnpelinas de lindos padroes.
Filo de seda branco e preto.
Hiras basquinas de seda.
Manias brasileiras.
Coirhas de seda para noivos.
Cortes de eambraia branca com lindos bordados.
Capellas e manios para n hras.
Hiqpissirau sortimento de las com listras de seda.
Cambraias de cores.
Pitas maripozas, Brancas e de cores.
Nansuck de lindos padroes.
Baptista de padroes mui dalicados.
rer.-almas de quadros preto* e brancos, de Jt*-
tras, etc.
Brins de linho de cores, proprios nara vestidos .
com barra e lisiras.
Fusiao de lindas cores.
Casaquinbos de la e de todas as cores, r.ata ae-
nhoras.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas idem idem
Vestuarios para meninos.
Ditos para baptieados.
Ciiapeus para ditos.
Toalhas e guardanapos adamascados de linho ae
_ cores para mesa.
Colclias de I .
Corlinados bordados.
Camisas bordadas para homem.
Meias de cores para bomens e meninos.
Completo sortimento de chapeos de sol para bo-
mens e senhoras, com cabo de marfim.
Merino de cures para veslido.-.
Ditn preto.
Atoalbado de linho e algodao para toalhaa.
Atoalhado pardo.
Brins de linho branco, preto e de cores.
Setim de lindas c6res e com listras
Chales do merino de cores e pietos.
Ditos de casemira.
Ditos de seda preta e de cores.
Dito de touqoim.
Cimisas de linho.
Ditas de chita.
Ditas de flanella.
Ceroulas de brim e algodao.
Damasco de li de cores.
Pannos de crochet para cadeira^aofa e consot/cs.
i.ulclus de dito.
Tarlatana de todas as cores.
Espartilhos lisos e bordados.
Foulard' de seda. *
Ca-acos a tricot.
Ritos cortes de vestidos de linhj para senhora,
de di ersas cores, com os competonles enfci-
tes, ultima moda.
Casemiras pretas e de cores-, chitas, mafapnJBes.
cambraias, panno flao preto e aiul, collunnbos,
punhos, gravatas, luvas de pellica, dilas de no
de Escocia, brancas e de dores, tap.-i s de todos
os tamanhos, bolsas de viagem, etc etc.
Na loja d* Passo, rua Primeiro de Marco n. 7
A, antiga do Crespo.



Vende-se
uma easa na villa de Barreiros, na rua do Gom-
mercio, por preco modico : a tratar com Tasso
Irmaos & C.
Cunlia Irmaos eC.
Rua da Hadro de Deosi n. 84.
Vendem vinhos do Porto de todas as qualidades,
garaatindo-oe, e a precos commodos :
Barris de quinto e decimos para pasto das bem
conhecidas marcas -Meneres e Chamico.
Ditos de quinto finosMeneres, Chamico, Costa
Gtrimaraes.
Decimos encapados, superior qualidade.
Caixas de oma duzia, de toda a qualidade, at

qus
834
tjsta.
Potassa
tambem vendem potassa da Russia, nova, en
barns ;rJequen6S:
lartrara para lencol, a 1JMQ0, 2^ e 2JS500 0
metro.
GRANDE LIQUIDACAO DE SABONETES MO RS.
Vende-se uma grande por$8o de sabone^-
fcs inglezes, a 209 rs. Ditos franeeses com
cheiro a 320 e 500 rs.
Agua de colonia, a00, 329 e MO-ri. 0
frasco para liquidar, e 0Utroi extractos
rtuito barato."
aos afamados- Gravatinha Azul
Sapes
ESPAftTILBOS P!kRA SEIfflORA A 8WS90- Sacam sobre 0 Porto on Lisboa,
Venrfe^se espaftifhos para- senhora,
msmm
J*0O KS\ 0 COVADO.
Veade-se granadiaes com listras de sed
para vestidos de senhora, a 800 rs. e fgOOf.
0Ofl COLCHAS DECROCflfiT A 6^000.
Vende-se ricas colchas de croche't para ca
mas a $090.
PANNOS DE CROCHET A la90.^|
Veade-se pannos de crochet para eadeiras
a 1,5300 8 2000.
CASSAS PARA CORTISiDOS.
Vende-se pecas de cassas peia cortrnados
camM varas,. a 10009 ttipJO, e outr&i
muitas fazendas em liquidacJoV^
e 1840.
a pzazo e a
Portland, desembarcado no dia 4 do cor-
rente, ninguem tem cimento mais novo nem de melhor qualidade: a
venda no armazem da bola amarella, traves-
sa da rua do Imperador. .
Vende-se uma exceilenle casa cijustruidaa
moderna, com frente de azulejo, e um grande si-
tio e-nm grande sitio com unia casa; tddo
na margem da estrada real em Jaboatfo e tendo
0 sitio boas proporcdes para editlcacao : a trataj
em Jaboatao com Bernardo Gon^alves dos Santos
ou na rua de Marcilio Dias n. 16.

Araruta verdadeira.
Continiia a venda na travessa da rua das Cra-
zes n. 4, e rua do Vigario Tenorio n 26, a 500 rs.
a libra.
Mebilias baratas
No arfnazem de Joaquim Lopes Machado & C.
ha nm bonvsortimento de mebilias de Vienna,
brancas e pretas, que se vendem a prejes 00m-
modoe.
1 .. i 1. 1111' ____ .
Em bom local
Vende-se nma taverna bem afregnezada para a
terra, e propria para principiante pr ter poucos
fundos, tendo na mesma easa moradia para gran
de familia, e nm forno para quem quizer fazer
bolos em grande ou peqnena escala : na rua do
Visconde de Pel otas n. 19 (outr'ora do Aragao) :
i tratar na mesma.
Aguas Alcalioo-Gazosas das Pe-
dras Salgadas.
Villa RoUca de Afijuiar.
BICARBONATADAS-STDICAS
Analjse* do Dr. Jose Julio Roelri-
ejaes, Ionic da oscola Polvle-
ch nien de Lisboa.
Esta eseellente agoa usada com vanttoem nos
padecimeiHos das vfH digestwas, nrioarias, do
estomago etc., etc.
Yende-se
NA
Pharmacia e drasaria
DA ~
Rua larga do Rosarip n. 34.

Salsa
muito nova.e barata :
Rosario n. 34.
parrilha
vende-se na rua larga ao
ruiBlva

' w i.< p


-::--, n_
M




8

I>iario cle Pernambuco Sabbado 18 de Outubu dc 1871

LHTEBATUBA,
INSTITUTO ARCBEOLOGKO E GEOGRA
PHICO PERNAMBUCANO.
RELATORIO SOBRi; 0 PRESIDIO DE FER-
NANDO DE NORO.NHA.
Tendo sido incuuibido pelo governo im-
perial por portaria do ministerio da guerra
de 9 de junho do prison to anno da inspec-
c.ao da Una de Fernando de Noronha, julguei
convaniante nao perder a opportunidade que
so me olTerecia de colher oj dados estausti-
cos, que me fosse possivel obter sobre o cs-
tado daquella ilha, de mo lo a que por elles
so pussi ler um conbccimento, se bem que
imperfeito, daquella localidade. Peua foi
que tao util idea s6 me occorresse jd quasi
ao terminar a minha comrnissao, sendo que
por isso nao pode ella ser tao bem realisa-
da, quanto eu o ha via desejado.
Entretanto offwecendo ao Institute este
mou pequeno trabalho, rogo que o avaliem
ejulguem, so nSo pela pequena utilidade,
que p6de prestar, aos menos pelos dosejo
que me sobram-de concorrer< quanto couber
em minbas forces, para a realisacio dos no-
bres e patrioticos intuitos do mesmo Insti-
tute.
Breve noUcta da ilha de Ftmando de A'oro-
nha.
A ilha de Fernando de Noronha demora
a 60 leguas a leste do cabo de S. Hoque na
provincia do Rio Grande do .V.rte, e de
uordesie ao sudoeste tens pouco menos de 3
leguas de comprimento, e corapoe se de 2
ilhas o 2 ilhotas.
As ilhas sao couhecidas, d primeira por
ilha de Fernando, ca segunda por ilha Rata,
tendo esta um quarto de legua de extensao;
as duas ilhotas, que ficam de permeio, sao
conhecidas, uma, por ilha Raza, para n
qual ha passagem nas mares baixas, e a ou-
tra por ilha do Meio.
A ilha de Fernando tern 5 leguas de eir-
cumforencia : em sua maior extensao ou
comprimento, que e do reducto do Boldro
ao lugar denominadoAtalaiatern 3 quar-
tos de legua, e na sua largura, isto e, do
desembarque em Santo Antonio, a" Punti-
nba, tem 250 bracas.
Desde o anno de 1817 ate" a presente
data, tern sido commandada por 4i oliiciacs,
cujos nomes sao os que se seguera :
. 1 Coronel de cavallaria Manoel Ignacio de
Moraes da Mesquita Pimentel. Foi no-
mea Jo poc carta regia de el-rei o Sr. B.
Joao VI, de 29 de marco de 1817 : to-
muu posse a 19 de outubro do mesmo
anno.
2 Major ajudante do ordens Diogo Thomaz
de Ruxlebem. A 28 de maio de 1819.
3 Major Domingos Alves Branco Muniz
Barreto. A 10 de Janeiro de 1820.
i Major Antonio Jose da Motta. A 8 de
novembro de 1820.
5 Tenente-coronel graduado Thome Fer-
nandas Madeira. A 2 de julho do
18*1.
6 Tenente-corouel de milicias Luiz de
Mnura Accioli. A 26 de fevereiro de
1822.
7 Major graduado Jose Bernardo Salguei-
ro. A 13 de maio de 1823.
8 Coronel de miheias Luiz de Moura Ac-
cioli de Miranda Honriques. A 26 de
fevereiro de 1824.
9 Tenente coronel Manoel Jose" Martins.
A 30 de outubro de 1825.
10 Capitao d'engenheiros Joao Bloem.
11
13 de agosto de 1826.
12
13
Cumpre notar que depois que baixon o ,
regulamento dew I de fevereiro dc 1805 o
primeiro iuaf|tor militar nomeado pata a
ilha, foi o corown Antonio Gomes Leal por
portaria do ministerio da guerra de 9 de ju-
nho de 1873.
Entre os roductos da Conceicao, e o dc
Boldr6 do lado do poonte, ha am grande;
morro de pedra, bastante alto, a que lhedio
o nome dePico o qua! na disUncia de
10 leguas, segundo se diz, e visto pelos na-
vegantes : tem este pico da superficie do
mar ao cume 1,418 pe*. Esta medicdo foi
feita no anno do 1830, quando me acbava
destacado na ilha, na qualidade de capitao
commaudaute do destacamento, pelo com-
mandanto da cerveta ingleza Chante Cler,
cujo commandaute veio d mesma ilha, auto-
ris.iJa pelo governo imperial para fazer al-
gumas observacoes. 0 referido comman-
dant* da corveta ainda fez as medicoes da
superficie do mar ao piano do quartet do
commandante da ilha, e tambem ao piano da
fortaleza dos Remedios, e declarou ter esta
Praia de Sant d Antonio.
Xtottoeiipo.
PicoeBoldr6.
Ptiia redonda.
Prainha.
Sambaquexnba.
Buraqoinho.
Sancho.
Wulunguzinho.
Buracio.
Quixabinha. .
Portiozinho.
1
1
3
4
5
6'.!
7
8
9
10
11
12
13
14
15 Virago.
16 Barro Vermelho.
17 Leao.
18 Barro Branco. '
19 Lage.
20 Sueste.
91 Atalainha.
22 Atalaia Grande.
23 Pontinha.
24 Caeira.
Ha 16 grutas que offerecem abrigo, e nas
164 pes, e aquelle 143
Um outro morro ba, que tambem domi- quaes mnitas vezes se occultam ossentancia-
na toda a ilha, e e conhecido pelo nome de dos, para fugir ao castigo em que iocor-
Morro do Francez, por sua posigao e o rem, pof faltas que commettera, Estas gru-
mais apropriado, para nelle se edificar um tas sao
pharol, que sirva deguia aos navegan-
tes.
Tem a ilha 2 fortalezas, Remedios e Mor-
ro. A primeira acha se err bom esiado, e
uella se conserva todo o destacamento, a
segunda, que e triangular, o defende a en-
trada da barra pelo lado do norte, acha-se
em ruinas, porque o indifferentismo a entre-
gou ao abanlono, e o desacorto ajulgoudes-
uacessana. Esta fortaleza foi mandada edi-
ficar no anno de 1758 pelo capitSo general
de Pernambuco, Luiz Diogo Lobo da Silva,
e acabada em 1761.
Tambem ha quatro reJuctosSanto An-
tonio Boldro 2 Jrmaos e Leaoexcep-
(uando-se o primeiro todos os outrosjacham-
se em man estado,
Ha mais o reducto da ConceicSo, que
foi tronsformado em enfermaria, e os de
Sueste e Santa Cruz, que delles jd se
p6de tratar, porque s6 existem os
cerces.
1 Biboca:
2 Morro do France/.
3 Morro do Abreu.
4 Pontinha,
5 Pedra do Sal.
6 Cabeceiras do Leao.
7 Cerro da Viracio.
8 Pedra s pre tas.
9 Capim-assu.
10 Pontal do barro vermelho de den-
tro.
11 Alto do cajueiro.
12 Portao grande.
13 Janellinha
14 Pedreiras.
15 Dous bracos.
16 Pico.
A ilha tem 2,037 pes de coqueiros, sendo
o maior numero delles ua horta do sueste,
nao poucos ha na de Sambaquixaba, menos nas
"li-1 hortas da Villa, e na da que vai para o
curral do gado vaccum, e final meute ba um
Finalmentc tambem ha a bateria de San- |0u outro pe em differentes partes.
ta Anna, que foi desarmada, e tapadas as, E' abundante^dc muitos pes de
canhoeiras. ros. bananeiras e cannas, e muito
0 templo, unico que serve de ma'.riz, pes de fructa-pao.
cajuei-
poucos
sob a invocacdo de N. S. dos Remedios,
padroeira da ilha, esta" ediiicado n'uma ele-
vacao sobre 18 degrdos, seguindo-se
um adro, e sobre elle mais 3 degraos.
Tem de comprimento desde a porta princi-
pal ate o cruzeiro 10 1/2 bracas, e do cru-
zeiro ao altar-mdr 3 1/2 : tem de largura
4 1/2 bracas.
Sobre o alto da fljresta ao sudueste da
villa ha um cemiterio, todo murado, com
Ilha de Fernando de Noronha, 1 de
tembro de 1873.
0 cotouol,
Antonio Gomes Leal.
JURISPRUDENCE
se-
Major graduado Francisco Felix de Ma-
ce lo. A 20 de setembro de 1829.
Tenente-coronel de milicias Joaquim
d'AnnunciagSo de Siqueira Varejao. A
25 de julho de 1830.
Major Francisco Joaquim Pereira de Car-
vpIIio. A 13 de Janeiro de 1832.
14 Major de milicias Francisco Josede Me-
nezes Amorim. A 10 de maio de
18J3.
15 Tenente-coronel Manoel Jose Martins.
A. 8 de fevereiro de 1834.
16 Capitao d'artilharia Cesario Marianno
d'Albuquerque Caalcanti. A 7 de julho
de 1834.
17 Por fallecimento do commandante tomou
o commando o ajudante Joaquim Jose
de Souza. A 6 de agosto de 1835.
18 Coronel Aleixo Jose de Oliveira. A 5
de Janeiro de 1836.
19 Tenente^oronel Francisco Jose Martins.
A 2i- de setembro de 1837.
20 Major Joaquim Caetano de Souza Cous-
seiro. A 12 de julho de 1840.
21 Tenente-coronel Manoel Jose de Castro.
A 16 de maio de 1841.
22 Tenente-coronel graduado Antonio Go-
n.es Leal. A 1 de julho de 1843.
23 Coronel Francisco Jose Martins. A 1
de novembro de 1845.
24 Brigadeiro Francisco Sergio de Oliveira.
A 12 de abril de 1846.
25 Coronel Cypriano Jos de Alraeiaa. A
17 de outubro de 1849.
20 Tenente-coronel Jose" Maria Ildefonso
Jacome da Veiga Pessoa e Mello. A 1
de setembro de 1850.
27 Tenente-coronel Francisco Felix de Ma-
cedo e Vasconcellos. A 1 de margo de
1852. ,
28 Tenente-coronel Jose Antonio Pinto.
A 12 de maio de 1853.
29 Major Sebastiao Antonio do Rego Bar-
ros. A 17 de dezembro de 1855.
30 Coronel Antonio Gomes Leal. A 13 de
marco de 1857.
31 Major Sebastiao Antonio do Rego Bar-
ros. A 1 de setembro de 1859.
32 Coronel Trajano Cezar Burlamaque. A
11 de julho de 1861.
33 Major Sebastiao Jose Bazilio Pyrrho. A
24 de novembro de 1862.
34 Coronel Antonio Gomes Leal. A 1 de
maio de 1863. *
35 Tenente coronel Luiz Jose" Monteiro. A
17 de abril de 1864.
36 Tenente-coronel Jose Lucas Soares Ra
poso da Camara. A 18 de julho de
1866.
37 Capitio Tiburcio Hilario da Silva Tava-
res. All de margo de 1867.
38 Tenente-coronel Sebastiao Antenio do
Rego Barros. A 19 de maio de
1867.
39 Coronel Francisco Joaquim Pereira Lobo.
A 15 do outubro de 1867.
40 Tenente-coronel Sebastiao Antonio do
Rego Barros. A 18 de marco de 1869.
41 CapitSo Joaquim Antonio de Moraes.
A 10 de novembro de 1870.
42 Coronel graduado Jose Angolo de Mo-
raes Rego. A 10 de dezembro de
-1870.
43 Capitao Trajano Alipio de Carvalho
Mendonca. A 20 de abril de 1871.
44 Tenente coronel Antonio de Campos M:!-
lo. A 27 demaio de 1871.

IVocesso Pantos Vlsguelro.
Juiz do 3. districto criminal Dr. Mar-
uma capella sob a invocacao de a. Senhora \[as Costa,
da ConceicAo. distando esta capella 600 EscrivSo Vieira Martins.
passos da porta da igreja da Senhora dos Re- interrogator de Luiza Sebastiana de
rnedios. 0 cemiterio tem 70 bracas qua- Carvalho, max da assassinada.
dradas. Perguntado de que tinha morrido sua fi-
Sobro a elevaciio de 8 degraos de podra lha Marja ja Conceii;ao, quando morrera
ha um pequeno arsenal de guerra, o Ml|6Ua| de que morrera e onde?
tem 20 bracas de comprimento e 9 de lar- j Respondeu que morrera assassinada pelo
gura : em cada lado do portao ha quatro desembargador Jose Candido do Ponies Vis-
grandes frestas triangulares, bastante alias! gUeir0, polas duas horas da tarde mais ou
e com grades de ferro, tendo tambem qua- (raenos> de uma quinta feira de um mez de
tro em cada oitao, para darem a necessana que ^ ns0 recorda, tendo sido assassinada
claridade a"so(B:inas doferreiros, tanoeiros, a facadas, porque o indicado desembargador
carpina c sapataria, unicas que funccio-lji ha jnezes, antes do fazer uma viagem ao
na'D. I Piauhy, tinha dito por diversas vezes, na
A rarnpa do porto de embarque e desem-, presence della testemunha, i sua indicada
barque em Santo Antonio, tem 7 1/2 bra- j fi|na Maria da Conceico, que a vida desta
cas de comprimento e 3 1/2 de largura. j estava nas maos delle desembargador; e
Ha nailha 30 cases de pedra e cal, co-(Como depois, na quinta feira yi referida,
bertas corn telhas pertencentes ao estado, SOubesse, por intermedio de sua filha me-
as quaes servem para residencia dos oflfi -1 nor je nome Raymunda, que Maria da Con-
ciaes e empregados. Ha mais 4 armazens | ceigao tinha entrado em casa do desembar-
cobertos com telhas, sendo 2 pertencentes gador referido pelas duas horas da tarde,
ao almoxarifado, um que serve para recolher j acompanbada de Thereza de Jesus Lacerda
os generes importados da capital, e outros edessa mesma menina Raymunda que tinha
para deposito de legumes
Tambem ha uma olaria, coberta com zin-
sido despedida pelo indicado desembarga-
dor com quatro vintens que Ihe dera para
co, e duas pequenascasas eu quartoscober- doces, nao-encontrando aquella sua filha
tos de telhas, servindo um de deposito ^ mi[Sf depois que para alii tinha entrado,
d'agua, e outro de banheiro dos officiaes Qem sabendo do destiuo que ella tinha tido ;
e empregados. jtivera logo o presentimento de que ella ti-
Pertencentes aos vivandeiros ha 6 ca- nna s,d0 assassinada pelo mencionado des-
zas de pedra e cal, 3 cobertas com telhas e ^mbargador Visgueiro ; e assim andou em
3 cemzinco; e pertencentes aoj sentencia- Ipesquizas em v5o ate* que pelas sete horas
dos 12 casas de pedra e cal, cobertas com j0 dia domingo seguinte ao da quinta feira
telhas; 2 tambem de pedra e cal cobertas,ja referida, tivera certeza do assassinato de
com zinc j, "e 485 de taipa cobertas com, sua filha por ter reconbecido, no hospital da
palhas. j Misericordia desta cidade, o seu cadaver to-
0 edifficio que serve de dormitorio Mjs do mutilado, encerrado em um caixSo que
sentenciados, a que lhe dao o nome de tinha sido encontrado no quintal do referido
Aldeiatem na frente um grande portao e ( desembargador Visgueiro.
2 janellas com grades de ferro, Ao entrar
o portao ha um pequeno pateo e aos lados
2 portas ou xadrezes que servem de prisoes,
para as quaes dSo elf ridades as duas j/mel-
Perguntado a .quo horas do dia quinta fei-
ra, referido por ella testemunha, viera ao
conhecimento do desapparecimento de sua
filha Maria da Concei^ao, e quern lhe tinha
las ou grados de ferro de que acima fallci.. dado essa noticia ?
No centra do pequeno pateo, confronte Respondeu que tinha sido das seis para as
ao portao grande da entrada ha outro por- j sete horas da noite desse mesmo dia quinta
tao, quedd entrada para o xaguao, e aos feira, tendo sabido da falta dessa sua filha
lados estao os alojamentos com caraas de \pQ\0 que lhe expoz sua outra filha menorja-
ferro, tendo no fundo de cada umi sua co- (referida ; que contando ter nesse mesmo dia
zinha ; fechado o segundo portao tem
sentenciados a liberdade de estar no
goao.
0 quartel de Santa Anna que outr'ora era
do destacamento, serve hoje tambem de dor-
mitorio de alguns sehtenciados, por ser a
ii
osiSido ella testemunha enviada para a casa de
xa" Thereza de Jesus Lacerda, com quem sua
G n ad a filha morava, na rua da Praia de
Santo Antonio, para fazer companhia a es-
ta das seis para as sete horas ja indicadas
em que esta sua* filha menor devia voltar
aldea muito pequena para accomodagao do. para casa della testemunha, notando a sua
numero dos que precisam dormir fe- j tardanca, a foi procurar, encontrandt>* no
ncados# caminho, que ji voltava s6, ahi soubera que
Existem do sexo masculino cumprindo, a razao dessa tardanca tinha sido o desap-
senten^a a gales perpttuas
Idem do sexo femenino
Idem que nao tem guias
Idem de 11 a 23 annos
Idem de 1 a 10 annos
Idem do sexo feminino de 11 a 23
annos
Idem de 1 a 10 annos.
469 parecimento referido, porque depois que sua
13 filha Maria da Concei^io entrara para a ca-
141 sa do desembargador Visgueiro, nio tinha
298 d'alli mais sahido, e estavam todos da ca-
208 sa em que ella morava, a espera que ella
jlhe app recesse; que nessa occasiao ella tes-
8 temunha seguira para a casa do desembar-
6 gador referido afim de saber noticias de sua
----- filha, mas antes de U chegar encontra-se
1,143. com Thereza de Jesus Lacerda que lhe pro-
Sentenciados militares a toda a vida 106 curara saber noticias daquella sua filha,
Idem de 11 a 20 annos 34 contando-lhe tudo o que tinha occorrido
Idem do 1 a 10 annos 7*, airt, sobre a entrada de sua indicada filha
____ em casa do desembargador referido, e en-
214 tao ella testemunha ainda mais assustada di-
' rige-se para a casa do indicado desembar-
Total dos presos 1.357 gador em cuja porta encontrando o r6o pre-
No numero dos sentenciados de jostica a seute Luiz que se acbava a porta de Jos6
gales perpetuas, vao incluidos 183 escravos, Maria da Cunha, em p6, pergunta-lne por
e nos dos quo nio tem guias, porem on- sua filha Maria da ConcucSo,, e como ells
fessam que foram sentenciados tambem a respondesse que nao sabia della, e que ella
gales perpetucs 79, o que prefaz o numero Id nao tinha ido, ella testemunha impag-
de 26rescravos. nando isso, respondeu-Ihe o inesmo reo prs-
Pertencentes ao estado existem as cabe- sente Luiz, que se Maria da Conceioio 1* ti-
; nha ido nesse dia, elle a nao tinha vista por
214 que tinha estado fora, declaracio-lhe ao
56 mesmo tempo que seu senhor tvnha ido jan-
367 tar fora, d'onde ainda nao linha vo|fadot
107 sendo qbe esta conversa tivera lugar as oito
118 horas da JM)itQ mais Ou menos, segundo lhe
ilha Usjn 2* prains. e iuo a seguin- parccerft pelo tempo.
j Que depois desta conversa fora alia teste-
munha sentar-se na calcada fronteira com
anas corapanheiras, a espera do meneioca-
4o deaembargador, apparecendo lhe logo
depois tambem Anna Rosa Pereira que igual-
OMDte ahi sentou se em companhia della
testemunha que tambem se acbava com Da-
mazio. escravo de uma crioula de nome Fe-
licidade, alugada ao serviro de sua filha Ma-
ria in Conceicao.
Que pelas dez horas mais ou menos, se-
gundo ouvio dar nas igrajas do Carmo o de
S. Pantaleao, ella testemunha vio appare-
cer Ihe um bomera, que ella nao conheceu,
trajando palitot preto, calfa parda (segundo
Ihe pareceu), collete branco, urn chapoo de
palhinha de abas grandes, do oculos de vi-
dro branco, perguntando-Ihe o que alii es-
tavam fazendo iquellas horas, ao que Anna
Rosa Pereira respondera-lhe que alii se
acha Yam a espera de um homem que as de-
via conduzir em um passeio oinbarca Jo, ao
Cutim ; e que entao retorquira-lhe o homem
desconhecido quo a vista disso ellas deviam
alii esperar ate quatro boras da madrugada
por sr quando devia haver mare" : ao que
respondera-lhe Anna Rosa, que isso nao im-
port* va porque estavam alii apreciando a
fresca da noite ; mas que ella testemunha,
3ue nessa occasiao soubera que o homem
csoouhecido chamava-se AmancioJose da
I'aixi'o Cearense, dirigindo-se para elle, di-
zendo que nio sabia mentir, declarara:lhe
que o motivo da sua estada alii era somente
esperar que chegasse o desembargador Vis-
gueiro para saber noticias do sua filha que
na tarde desse mesmo dia tinha entrado em
casa dello desembargador e nao tinha mais
sahido : ao que o referido Paixao Cearense
Ihe respondera, depois de perguntar-lhe se
a filha a que ella testemunha se referia era
a de nome Mariquinha, que se ella tinha
entrado em casa do desembargador, jd de-
veria ter sahido : ao que retorquic-llie ella
testemunha que nenhuma duvida tinha da
entarda de sua filha naquelle dia em casa
do mencionado desembargador, mas que
jurava como ella de U nao tinha sahido ;
que nessa occasiao ella testemunha vira o
desembargador Visgueiro vir rlescendo a rua
para sua casa, e ao aproximar-se della, mas
ainda em certa distaucia, vira o denuueia-
do Amancio levantar-se do lado dollas e di-
ri|ir-so para o mencionado desembar. ador,
que fallando com elle baixo, o maudara
depois esperar em quant > ia fallar com
as mulheree que alii se achavam senta-
das, e entao dirigindo-se para ella teste-
munha abaixara-se de cocaras, batendo com
as maos uma na outra e chorando, lhe per-
guntara se a filha della testemunha, que
nesfa occasiao tambem chamava delle nao
tinha ainda apparecido, e como lhe respon-
desse negativamente, elle lhe retorquira
que estava doudo para que ella appareces-
se offerecendo nessa occasiao qu nhentos
mil reis para quem des^obrisse ; e como
ella testemunha o culpasse pelo desapare-
cimento de sua filha, elle- se desuulpara
pedindo-lbe que nio dissesse tal cousa e
offerecendo sua casa para que ella a procu-
rasse, dizendo que sua (Una nao era um alfi-
nete que 16 se podesse occultar ; mas ella
testemunha temendo entrar a aquellas ho-
ras nao se atreTeu a ir la procurar por
sua filha ; que depois dessa conversa o
inesmo ilosembragador, despodiudo-se, re-
eolheu-se a sua casa com- o ja indicado
Amancio sendo logo fecbad'a 4 chavak a
porta da rua ; e logo depois vio luz na sa-
la ds frente a ouvio passos de quem an Ja-
va nessa mesma sala, e atgum tempo de-
pois vio tambem retrrar-se essa luz da sa-
la, parecendo lhe que se descia com ella
pela escadrt da frente, segundo pede no-
tar pela ciaridade atravez' (fe grade de fer-
ro ou bandeira da porta da frente no cor-
redor do sobrado ; conservando-se ella
testemunha na calcada ate as duas boras
da madrugada mais ou menos, sem notar
barulho algum na casa do desembargador
Visgueiro, a d4o ser uma vez por outra,
algum pequeno rumor para o interior co-
mo de quem bate de le*e ou caminha de
leve, indo depois pernoitar em casa da
escrava Dozinda, acima da casa do desem-
bargador Visgueiro e do inesmo lado des-
ta.
Que no dia seguinte is 7 horas da manlia,
voltara & casa do inesmo desembargador so-
mente com sua filha Raymunda, e sendo I a"
recebida na sala do fundo, que estava aber-
ta, vira o mesmo desembargador deitado em
a ma rede no quarto immediato a esta sala,
era mangas de camisa, com calga de risca-
dinho azul, tendo por baixo da rede duas ca-
misas enxovalhadas, sujas de uma c6r que
lhe pareceu barro vermelho, as quaes o
mesmo desembargador, ao ver ella testemu-
nha entrar, levantando-se apanhou-as, e fi-
gurando que tirava os botoes da abortura, as
atirava para traz de uma porta; entSo ella
testemunha iudagando-lhe por sua filha, o in-
dicado desembargador respondera que tal vez
ella estivesse pelo Cutim e se olTerecer apa-
gar a quem fosse por la procura-la, dando
logo depois dez tostoos a ella testemunha
para comprar algum alimento para esse dia ;
que ella testemunha voltando para a casa
onde tinha pernoitado, para ver pessoa que
fosse procurar sua filha, e ahi apparecendo-
lhe Anna Rosa Pereira, Thereza de Jesus
Lacerda, Clotildes Mathildes Lacerda e a ir-
ma desta deuome Raymunda, ella testemu-
nha as jnandou em casa do mencionado
desembargador para receberem dinheiropara
irem no bond procurar sua filha, e na volta
deltas de la soubera que o indicado desem-
bargador tinha dado dous mil reis a cada
uma para esse fim, mandando tambem dous
mil reis a ella testemunha, cuja entrega elle
mandou verificar, algum tempo depois, pelo
reo presente Guilhermino de Souza Borges.
Neste acto sendo interrogado o indicado reo
presente se era verdade ter o desembargador
Pontes Visgueiro, no dia immediato ao da
morte de Maria da Conceioio, pelas oito ho-
ras da manha, mais ou meno sido & casa era
que morava a testemunha presente para ve-
rificar a entragi de dous mil reis que a esta
tinha o indicado desembargador leraettido
pelo molequinh > Daraazio?
Respondeu oindicado reo aflirmativamen-
te. Declarou mais a testemunha, que se-
guindo nesse mesma dia as raulheres j4 re-
feridas para o Cutim, afim de descobrirem
sua Elba, ellas de la voltaram pelas 4 horas
da tarde, mais ou menos, declarando nad
terem descoberto, pelo que suppunham que
s6 em oasa do desembargador Visgueiro se
poieria saber noticias da filha della teste-
tas, etigindo informacfies de sua filha, 0
mencionado desembargador nostrandc-se
sempre pezaroso por esse desapparecimento,
franqueara a ella testemunha esuas compa-
nheiras, toda a sua casa para ser examjna-
da. e tomando a dianteira desse exame Anna
Rosa Pereira nada poderam descobrir nem
no sobrado, sem no pa vimento terreo e quin-
tal onde s6 a mesma Anna Rosa tevo a cora-
gern de descer : deixando do ser examina-
da a salota que fica ao lado da sala da fren-
te, por Ihos dizor o mesmo desembargador,
nessa occasiao, que tinha-se partido a cha-
vo dessa saleta duranto a sua ausencia para
o Piauhy, asseguran lo a ella testemunha,
porlanto, qun Marui da Conceicao alii nao
podia estar: pelo que ella testemunha, vendo
que uada podia descobrir, delarou nessa mes
ma occasiao ao indicado desembargador que
ia queiiar se d policia, ao que elle lhe respon-
deu que teria paciencia, e que ella testemunha
fizesse o que quizesse, lembrando ao mesmo
tempo a conveniencia de procurar sua filha
no Parf, para onde elle desembargador sup-
punha ella ter ido. Que no dia seguinte
(sabbado) as seis horas da manha, mais ou
menos, fora ella testemunha acompanbada
de Thereza o sua filha Raymunda, ;i casa da
morada do Dr. chefe de policia, que lica na
mesma rua do S Jo3o, e Id declaraudo-lhe
o desapparecimento de sua filha, asdeligeu-
cias que tinha feito inutilmente para a des-
cobrir, e as razoes da sua crenca de que
so o desembargador Visgueiro poderia dar
conta de sua iilba, o indicado chefe de poli-
cia acenaodo-lhe eora a cabeca como quem
lamentava o lim funesto de sua mencionada
filha, por conhecer de que era capaz o meu-
cionado desembargador, a despachara pro-
mettendo-lhe tomar as providencias necessa-
rias para descobrir sua filha ; entao ella tes-
temunha voltando p ira sua casa ahi csperou
p^las providencias promettidas ate que, pe-
las quatro horas da madrugada do domingo
seguicte ouvira movimentodetropa que des-
cia para o lado da casa do desembargador
Visgueiro, e algum tempo depois lhe appa-
recera sua visinha de nome Angela, que ba-
tendo porta lhe declarara que ella teste-
munha agora ia ter noticia de sua filha, por-
que se achava corcada a -casa do desembar-
gador Pontes Visgueiro pelo Dr. chefe de
policia, que alii se achava : que ella teste-
munha sabin Jo para a calcada, ahi espera-
va noticias de sua filha, que ainda nao sup-
punha morta, ate que vendo passar um sol-
dado na carreira e -ouvindo dizcr que elle ia
procurar enehada para cavar, concluio que
sua filha jd estiva morta, pelo que se poz a
chorar, tendo depois a certeza dessa morte
quando vio passar o caixao que conduzia o
seu cadaver, que foi depois verificar no
hospital da Misericordia, como ha pouco
declarou.
Perguntado que pessoas, alem do desem-
bargador Poutes Visgueiro, tinha concorrido
para a morte de sua filha ?
Respondeu que ouvira dizer, sem poder
precisar a ninguem, que o reo Guilhermino
de Souza Borges, tinha vindo de Piauhy,
encommendado pelo desembarga lor Vis-
gueiro, para matar sua filha ; que o reo
Antonio Fxliciauo Peralles Falcao tinha
silo pelo inesmo desembargador encarrega-
do de mati-la em sua ausencia, mas qne
nao tinha tido animo de o fazer ; que e
reo Amancio Jose d Paixdo Cearense eMa
testemunha suppunha ter lido parte no as-
sassinato de sua lilha, porque depois da mor-
te desta suas visinhas de defronte D. Joanna
e D. Victoria, filhas de kali no de tal e tan>-
ben* a ja" mencionada Clotildes Mathildes de
Lacerda,. lhe tinham contado, depois do fal-
lecimento de sua mencionada filha, que na
vespera deste falleci nento o indicado Aman-
cio tinha aconselbadq a sua filha que se re-
tirasse para f6ia desta cidade para o Pard
ou para outro qualquer togar, offerecendo-
se ate" a dar uma mesada a ella testemunha
durante a ausencia de sua filha ; e como
esta repellisse esseconselho, o mencionado
Amancio insistira em aconselhar que visto
estar ella mal com o desembargador Vis-
gueiro. ao menos fizesse as pazes com este,
lembrando-llie- para isso a conveniencia de
ir ella Maria da ConeeicAo naquella noite es-
perar o indicado desembargador, na casa
deste, deitando-se despida na cama, por
que aquelle desembargador encontrando-a
assim e sem a esperar estimaria muito e fa-
riam as pazes; o que foi repelbdo por Ma-
ria da Conceicao pelo temor de estar alguem
debaixo da cama, que a matasse. Que quan-
to ao preto Luiz nada tinha ouvido diaer
contra elle. Nada mais disse nem lhe foi
perguntado pelo juiz. Dada a palavra ao
Dr. promoter publico para requerer as per-
guntas que entendesse a bem da justiga,
foi por elle requerido se fizesse as pergun-
tas seguintes o que foi deferido.
Perguntado o que foi que sua filha cisse
ao reo Amancio quando esse lhe propoz que
fosse para o Pard, ou parao utra qualquer
parte? .
Respondeu que sua finada filha dissera
ao mesmo reo ter medo de que, mesmo no
I'ard o desembargador Visgeiro ou sua fami-
lia a inandasse matar, dizendo-lheantes disto
Amancio que nao so ella testemunha teria
uma mesada, como disse, como que o refe-
rido desembargador pagaria o aluguel da
casa para ella testemunha.
Perguntado se as pessoas que "lhe narra-
ram esta occurrencia, ndo lhe disseram a
hora em que teve lugar, na noite de quar-
ta-feira treze de agosto ultimo, e se o des-
embargador Visgueiro nSo foi nessa mesma
noite convidar a referida sua filha afim de
ir d sua casa passar a noite com elle ?
Respondeu que lhe disseram ter sido essa
conversa pelas nove horas da noite desse
mesmo dia, e que ndo sabe se o desembar-
gador a foi convidar nessa noite, mas pre-
sume que fosse convi la-la, visto que nio
deixava de raandar-lhe recaios para quo
a finada fosse dsua casa, ate* que'finalmen-1
te o conseguio na quinta fe*ra quatorze
daquella mez.
Perguntado se ndo souhe que o desem -
bargador anddra uma noite com Amancio
atraz de 8ua filha afim de assassina-la, de-
pois de sua vinda do Piauhy 1
Respondeu que nao lhe consta, mas que
na noite de domingo, anterior ao dia doas
sassinato, o desembargador referido correu
atraz de si filha e do Joaqaim Costa, es-
tudante, alua de os assassinar com um pu-
nhal, sendo el\a testemunha quoin os livrou,
e quo Cloti'ides e as filhas de Rufino, quan-
dq the r.arravam a conversa^do, qua mais
dez horas defronte da casa do desembarga-
dor Visgueiro, que este bavi* ssassinado
sua filha, ease homem, qua depois Ua tes-
temunha ouvio dizor sero reo Amancio, ndo
deu algum signal de Gear perturbado ?
Respondeu que o mesmo reo Araaaeio
nessa occasiao mostrou-se perturbado, tan to
que mudou logo de torn, e deixou o modo
alegre com que con versa va. Neste acto o
deuunciado Amancio Jose da Paixao Cearen-
se, erguendo-se do seu assento, dingira-se ao
juiz declarando que se r< tirava da sala por in-
commoda lo, e que nio roltaria mais para
assistir a oste processo, mostrando pela iu-
lonacao de sua voz e expressao de seu
rosto aahar-se bastante coutrariado ou
agi'ailo.
Conliiiuanio o Dr. promotor publico nas
perguotas :
Perguutou se quando o desembargador
Visgueiro se Ihes poz aos pes, Amancio esta-
va presente e o que fez ?
Respondeu que estava presente e booa
silencioso.
Perguntado so c podia escouder afgu-
ma pessoa debaixo da cama, ou dentro dv
guarda roupa, que ella testemunha dt99e
haver no quarto de dormir do desembarga-
dor Visgueiro?
Oespondeu que sim, porque uao so a co-
berta da caina estava deseida ate o assou
lho, como quo o guarda-roapa aenara-se
vasio.
Rerguntado se na occasiSo em qae foi
pela segunda vez a casa do deseinbargadw,
ua sexta-foira a tarde, vio as eamisas qiw
declarou ter visto pela manha f
Respondeu que nao.
Pergutado se depois que o deaembarga-
dor'e Amancio entraram para casa do pri-
meiro, na quinta-feira a noite, alguem
mais entrou ou sahio ?
Respondeu que nao.
Perguntado desde quando olla testemu-
nha observou que as vidracasda jauelfe da
saleta estavam forradas de papal ?
Respondeu que nao sabe por si inesuao,
masque ouvio dizer que essas vidraijas es-
tavam forrada9 de papek dous- ou tres dias
antes da morte de sua filha.
Perguntado se nio ouvio rkzer que o-
reo Amancio foi ao quartel, e d policia,
denunciar quem desembargadar Visgueiro
havia morto a sua filha ( dell* testenu-
nhn ) 1
Respondeu que nao sabe.
Nada mais foi perguntado por psrte do
ministerio pubbeo.
Dada a palavra aos deuunciados Guilher-
miDo de Soiiza Borges, Luiz Aagusto1 e te-
nente Antonio Feliciano Peralles Falcao,
para contestarem a testemunhar cada u.n
por sua vez. Peh> primeiro fo dito- que
contestava a teste.nuoha quando rleclwa ter
ouvido dizer ter eile reo ajudado- a ma-
matar filha della tesU) nunha, por ter vin-
do aom> o desembargador Visgueiro-do- Piau-
hy jd de encommende para isso : porque
elle reo viera innocente, alugado pelo- indi-
cado desembargador de Theresina para a
Parnahyba por terem os,escravos quo o ti-
nham acompanhado de Paranagud para a
Theresina voltado d'ahi para U e ter o des-
embargador precisao de-q,uein o acompa-
nhasse ate a Parnahyba com a grande ba-
gagem que trazia, tendo sido depois de no-
vo ajustido pelo mencicnado desembarga-
dor para o acompanhar desta ul'ima cidade
para esta capital, sem estar conlratadn-para
trabalho algum outro do desembargador
que nao fosse de acompaaha-lo nessa via-
gem,
Pelo reo Luiz Un declarado^ em eontes-
tagao d testemunha quando fallava eroluzes
na sala de sou ex-senhor na unite de quint.i-
feira pela testemunha indicada, que qua""
do seu ex-senhor nessa noite se recolhera
com o reo Amancio, elle too os acompeuhara
com a luz da escada que fOra collocar em
cima da sala de j,antar ou do fundo, sem
quo, nem seu ex-senhor men elle reo quo
vinha atraz de todos, tivesse fechado a pur-
ta que do corrector da escada dd eutrada
para a mesma sala. do fundo, em cuja- mesa
do relogio, que fica d direita de quem eu-
tra na masm* sala, eollocou a luz,
descendo pelo alcapdo para a sala db pavi-
mento terreo onde tinha deixado a luz que
pela ausencia de seu ex-senhor e fecha-
mento, por isso, do ale,apao de cima, nao
podera ser coliocada na mesma sala do
(undo, como era de costume, a fdra collo-
car na escada onde tinha tirado a pri-
meira.
Pelo terceiro foi dito que podia contestar a
testemunha quanto d daclaragao della, de ter
sidoelledenunciadoencarregadopelo desem-
bargador Visgueiro de, na sua ausencia,matar
a filha da testemunha.por uao ser isao exacto,
mas que o deixava de fazer por confiar nt?rec-
tiddo dos juizes que o teriam de julgar.
Pela testemuuba foi dito que. conJjMns' o
seu depoimento por sar verdadeiru.
Onvio a tetemunha ler oseu depoimento
que achou conforme e p;ir nao saber escre-
ver assigna a seu rogo Raymun lo Nonato dos,
Reis, com o juiz, o Dr promotor puMtco e o
denunciado Peralles Falcao, e pelos rejs.
Guilhermino de Souza Borges e prelo-
Luiz nao saberem escrever assignam a seu
rogo o cronel Manoel Ignacio Bricio e
Miguel Monteiro Malakoff-, assignan lo ta-n-
bein aquelle coronel Bricio e Eduardo Sch-
neider como testemunhas presaOclaes dareti-
rada do reo Amancio Jose da Paixdo fceareu-
se^=Eu Jose Candido Vieira Martins, tabel-
lido do judicial que esore.fi,Martins Cos-
taRaymunda Nonato dos Reis. Marli-
mano Mendes, Pereira Antonio Feliciano
Peralles Fakda.-Miguel Mo)Ueiro Maikoff
Manoel Ignacio Bricio* Edimvdo
Scheneidtr-.
VARIEDADE
Sas de gado seguintes :
Vaccum
Cavallar
Lanigaro
Cabrum
Galinacco
A
te* -.
D1SCURSO PROFEWDO ^A SESSAO DE 12 MS
AGOSTO ULTIMO PELO S. D8PUTADO PELA
PROVINCIA DO PARANA. CONSBfcHSJRO MA-
NOEL FRANCISCO CORREA, ACEIMU DA MlS-
SAO DO GENERAL D. BARTHOLOlrt MITRE,
ENVIADO EXTRAORDIN4RIO E MINI9TRO PLE-
MPOTENCIARIO DA REPOBLICA ARGENTINA
KM MISSAO ESPECIAL.
(ContinuacAo.)
As difficuldades eimnctadas pelo Sfr-
Rio-Branco, contestei detidamente :--l0,
que a prolongac4o da discussio por notas
era o que s.e havia procurado evitar com a.
roissdo especial, e que isso era coapUcar. e
munrra : entao ella testemunha voltara nessa] aciro'a fioouoxposta.lhe disseram que talvez Vnresenta'ra'laeiU conrewente ede-
mesma oxasia> a casa do dese.nbargador Arnancio convul^udo sua tlnada filha. para ir)H^
Visgueiro, aco.np nhada jd das referidas mil-
lheros para IheJuidicar o rosuliadu dac. in-
dagagoos feitas no Cutim, e ao mesirio tem
po saber noticias de sua filha, fe id chegan -
do pelas cinco horas da t*r<*.e, mais ou me-
nos, e scieotificaadQ'ft das indagagOcs fei
4 casa do deseiiiUMCg'idor nn noite de QttSr-
ta.feira, a quizesse ahi matar, moUendo-Se
debaixo da camara e pon>yalguma masca-
ra no rosto i^iBt|ie tido ser oonhtscido.
Perguntado se ovrando di qu'atorze ujtirnQ^ jn bomom que obegou i5 TYI'
coroso para ambos.
{Conliiw^^seJ>d)
"allMBWBlMBMBBlBVI
Bl^BBl
-^
UO DtAH',0 -TWJADCQUR h& CAXIAS


I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJDA0NPG7_6AY44G INGEST_TIME 2014-05-27T21:35:51Z PACKAGE AA00011611_16706
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES