Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16703


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XL1X

i
i"l

PABA A CAPITAL E LUCABBS 03TDB HflO SB PAQA P*
Por ties mezes adiantador,................
Por mib ditos idem .......-...'........
t'or urn anno idem..................
Cadft ntimero avulso......, ,......
BTB.
W000
lXJWOO
14*000
420
OlAITA FEIBAiS DE OUTUBRO HE 1873
m------------------~_---------------_^_-----------------------------------------------------.---------%-----------------
PABA BBMTBO B FORA BA PROYIIf CIA.
for tre* metes adiantados.................
Polr seis ditoa Mem. ..... .......
kVr novo ditoe idem .................
for uin anno idem...................

ttttt
IWMO
BBMO
179000
DE PERMMBUCO.
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIR0A DE FARIA A FILH0S.
i
0i Set. Gerardo Antonio lives A Filhos, no Far*; Goncal ves d Piuto, no Marannao ; Joaqnim Josd de Oliveira d Filho, no Gear*; Antonio de Len.ua Bra^a, no Aracatj ; Joao aria Jalio Chares, no Assd; Antonio Marques "da Silva, no IfaUl; Jo*j Jo*
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, ua Parahyba ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Penna j BeJarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antio ; Domingos Jose da Costa Braga, em Nazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joio Antonio Machaeo, no Pifar das Alagdas; Abas d C, ua Bahia ; e Leite, Cerquinho d C. no Rio.de Janeiro.
=
PARTE OFFICIAL
Cloverno iln proviucia.
EXPEDIKNTK DO DII 28 D: JUI.Il) DE 1873.
/.* seccdj.
Offlcios :
Ao brigadeiro commandante das annas.
Tendo o minislerio da guerra, seguuio cousU de
aviso de 21 do corrente, lixado em 460 reis o va-
Jor da etapa, e ew mil liftsu Ja forragem, que tem
de vigorar no.ta provincia no corrente seinestrc ;
assim o declaro a V. E.\c. para os tins eonve-
nientes.
Ao mesmo. Para a b6a organisacao do al-
nanak militar e de conformidade com o.que de-
*ermina o aviso circular do ministerio da' guerra,
de 17 de junho proximo Undo, sirva-so v. Exe.
de dar suas ordens, ilini Jc serum oDservados na
parte que Ihe diz respeito as providoneus recl.i-
madas pela rommissao de promocoes.eoustante do
.ilado aviso, junto pur copia. -Mutatis mutttvUs
ao director do arsenal de guerra, ao engenheiro
das obras militarcs e ao comuiaudante do presidio
deFern?ndo.
Ao mesma. Km aviso de 11 do corrente o
Exm. Sr. miuistro da guerra, eommuiiicando-me
haver naqucila data expedido o.dem a inleudoocia
da guerra para mandar fornecor ao arsenal de
guerra de-ta provincia mil pares do sapatos, au-
torisa a distrihuicao a eada praca demais urn par
em subslituicao dos de ma i|ualidado nliiinaiiienie
fornecidos ; o que declaro a V. Exe. para us tins
eonvenientes.
Ao mesmo. Tendo resolvido one o capitao
do 14* batalhao de iufantaria Pompilio da Rocha
Moreira. em viagern para a co:!e no vapor Para,
desernbarQao nesti proriuuia e lique addido ao 0
da mesma anna ate ulterior delineracao do govvi-
no imperial ; assii.i j commuiiico a V. Kxc-para
os fins eonvenientes.
Ao eoniinandante do presidio de Fernando de
rsoronha.Em eumprimeoto ao aviso do ministe
rio da guerra, de lo de juulio proximo Undo, nv.e-
ha V. S. nesse presidio 17 senieiwiados qiilitares
quc para alii *erao remettidos |mI:i ajudante ge-
neral do exercito.
Ao mesmo. Receba V. S. upporiuninienlo
nesse presidio, co no deler.nioa o aviso do iniuis
terio da guerra, do 13 do corrente, os re is Manoel
Joaquim e Joa-i, eseravo, cujas peoas foiM.-n com
nratadas em gale* porp tuas.
Ao director d > arsenal de guerra. Deter ui-
nando o aviso circular Jo iiimi-terio d.i gnerra, de
15 do corrente, que, logo qne estcja preenchidn o
numero mareado para a coiupantila dos apron li-
ze3 artilices ile-se arsenal, nan seja ma:s uenhuiu
admitlido sera |>nvia ordein do mesmo miuisterio ;
assirn n I'-umnnnira a Vine, para a devida execu-
,'ao n.i i'.cii- pie Ihe loea.
Ao mesmo. Deferindo o requcrimento de
Theodora.Maria da Gm.-eieao, a (pie se refere sua
infyrmacao de ii do corrente sob n. 453, autori
so Vmc. a uiaudar eliminar da respeenva compa-
nhia o menor Antonio Ferreira, aflHiado da sup
plteanto e entregir a esla depnis qne houver pre-
viamente. indemni-iad,i a hten la do quo se liver
Jespendido com o traiameuto e vesiuario do refe
tido menor.
Ao mesmo. Declare a Vine, para seu co
uhecimeoto que o Exm. Sr. minisiro ua guerra,
prevenim}o-nie am aviso de ti do corr.-nte de ter
expedido ordem a intoudencia da guerra para
mandar fornecer a esse arsenal' mil pares de sapa-
tos, detsnniua que se distribua a cada prac,a niais
am par on) substituie/io do* de ma iu;tli.lade. ul-
tirnamente vindos da eArto.
A" mesmo. De coafbflnitlade com o que so-
iicita o Exm Sr. presidente do Ceara em offlcio
de 22 do corrente sob u. 11, maude Vuu. I'orne-
i:er ao depo-ito de arligos bellicos daqnella pro-
' viucia os ohjectos constantes da relaeio junta.
Ao engenheiro das obr.is militares. Tendo
0 Bun. Sr. minisiro da guerra autoris.ido pclo
aviso de IG do corrente a despen de 1:799Ji740,
e.enstante do orcameuto que vcio annexo ao seu
ofticio de 19 de mareo ultimo, com a abertura do
janellas no hospital miliiar e collocatjao de gra-
des de ferro no resfSMifo Mires, racouuaendo
a Vmc. que annuncie a Concaiveneia para a exe-
UC^O dessa obra.
j.' secruo.
Aetna :
0 presidente da proviuci.i, atteudendo ao
;mj requereu o capitio do -i* batalhao de reserva
da guarda nacional dwte municipi) Francisco Lu-
oio de Castro, e a vista da informafilo do respec-
tive comraandante superior cm oilleion. 532 de
19 do corrente, resolve que se Ihe de a guia de
que trata oart. i5 do decreto n. I,i.'}'de 12 de
marfo de 1833 para a proviucia do Rio Grande
do Norte, onde lixou sua residencia.
0 presidente da provincia, de conformidade
com o disposlo no an. I 7 da lei u. 2,033 de 20
do sctembro de 1871, e proposU do juiz de direilo
da eomarca de Caruarii em olficio de 25 do mez
proximo passado, resolve nomear para adjuntos
do promoter da dita comarea no tenno do dito no-
me o capitao Pedro Antonio de Azevedo Barros, e
uo de S. Bento o cidadao Francisco de Ci.-tro
Xuoes.
Offieios:
** Ao Dr. chefe de policia. Transutillindo a
jpia do ofticio em quo o consul de Portugal ma-
aifesta receios de que se reproduzam na cidade do
>'.-yanna actos al'.entalorios da seguranct indivi-
dual dos subditos de sua naeao, alii residentes, re-
eommendo a V. S. a cxpedii,-.io das providencias
t|ue entenaer eonvenientes cm ordem a evitar
pialquer altentado.
Ao cominandante superior- do Recife.Man
de V. S. dar ao capitao do 3' batalhao do reserva
da guarda nacional sub o seu commando supeiior
Francisco Lucio de Castro, a guia do que trata o
art 45dodecrolo n. 1,130 de 12 de marco de
1833 para a provincia do Hio QratiJe do .Virte,
jnde, scgundo informou V. S. em olQcio n. 15 J de
19 do corrente. passou a residir.
Ao coiumandante supeiior de Oaranhuns.
Km resposta ao olllcio de V. S., de 30 do mez pro
-xiino passado, tenho a dizer-lhe quo deve ser apre-
ontada proiwsta para o preenchimento das vagas
de officiaes, que tem o bat.i'ihao o. 29 sob sou
oimando superior ; convindo que sejani cbaina
dos ao service olDeiaes que aiu e*tiverem legal-
mente impedidos.
Circulares :
Aos juizes de direito da primeira vara de Pao
d'Alho, do Rio Formaso, dc Villa-Bella, de Gara-
ii'itins, do Brojo, do Bonito, de Saalo Aniao, de
Palmares, de Baique. de Caruaru, de ItamM e do
Cabo, e aos municipaes de Pesqueira, da Flores-
ta, de Ipojuca, de tngazeira, da Escada edo Pa-
pacaca. Providemie Vmc. de modo a serem re-
n;ettidas aos juizes de direilo da primeira vara ci-
v--l as ?niis dos sentwiciiid is. que sem ellas se
aeham ua rasa de left^n
Ao juiz de direilo da primeira vara de l'ao
d'Alho.Nio podendo, poi iucompatibibiliilade, ser
ijomeado o cidadao Urbane Tavares dos Santos'
para interinamente exerceros ofBeios de escrivao
de orphaos e mais annexes 0>sse lerao, eonrem
que Vmc. indique oalrs petMS idunea que -Kosa
ser nomeada.
3.* secfuv.
OfBeios:
Ao Ittspeeter da thesouraria de r'azenda. -
Ojm o qjsafeformain o inspector da Hiesonrarta
da fazenda e o brigadeiro cominandante das ai mas,
ciflkiol juntos por eopia, dou solujao 4 mala-

ria do seu offlcio de 7 do corrente, sob n. 297, re-
lativaoicnic ao augmento de vencimenios conce-
dido.s aos olliciaes e pracaa do exevcito pelo de-
creto n. 2015 de 8 de fevereiro ultimo.
Ao mesmo.Communicoa V. S., paraos de
vidos fins, que per portaria de hoje foi nomeado
adjunto do promotor publics da eomarca de Ca-
ruarii, no termo desfc nome, o capital) Pedro .au-
tonio d Azevedo Barros, c no de S. dento Francis-
co de Castro X-ines.
Ao mesmo. Constando de aviso do miuiste-
rio da auerra, de 16 do corrente, terse naquella
data providenciado oara quo a essa tiiesuura>ia
seja cuuoadido pur conlado | [4m obras milita-
res do exercieio do 1S7! -1874 o credito do
I:799i7i0, afim de ser applicada a despesa com a
collocacao de janellas im hospital miliiar e do gra-
des de ferro no respoctivo xadrez; recommendo
nesta data ao ongeu'ueiro das obras militares qua
mande fazor esse melhorainento. 0 que coui-
mumco a V. S. para os lins convenieutos.
Ao mesmo. Atlendendo ao que requereu
Luiz Jose Goncalves da Luz, e tendo em vista as
infoiiiiacoes escriptas no versa do seu roquorimen-
to, as qnau so refere a de V. $., de 26* do corren-
te, sob 0. 649 sene D, recoinn.endu-lhe que man-
de relevar-llie a multa em que iacorrcu por nao
ter da lo a matricuia uo praso da lei os ingenues,
Joao e Maria.
Ao mesmo.Remetlo a V. S. plra os fins
convi-nientes doas ordenr, seudo uma do thesouro
nacional, de 15 do corrente sob n. 12.1, e oulra do
miuisterio da justica, de 17 do int-smo mez.
Ao mesino.Tendo sidi llxados pelo miuis-
terio da guerra. so&aild-) e )nsta do aviso de 21 do
corrente, em 469 reis o valor da etapa, e em 15900
o da forragem, quo teinde vigorar ne.-ta provincia
no corrente scmesl/o; assun o coinmnuico a V.
S. para seu conhaciuiento, prevenindo-o de que,
quando liver de reineti t novas tabellas de avalia-
gao, as faca acompaiihar de uma nota dos pregos
correntes d-> mercado, conforms exige o eilado
aviso.
Ao mesmo. Transmitto a V. S., part os de-
vidos Has, o decreto qoo noiifeia o bacharel Ma-
nool Bibeiro If' Alencar juiz municipal e d orphaos
do termo de Ouricury.
Ao mesma.Manuc V. S. furnecer ao juiz de
direilo substitulo dosorpnios dista capital, bacha
rel Jose Nicolau Tolentino de Carvallio, os livros
necessarios para o expeliente creado pelos arts.
66 e 72 do decreto n 3133 de 13 de novembro do
proximo, e pelo mesmo sulieitados em olficio de 17
de junho ullinn.
Ao mesmo.Transmitto a V S., por copia, o
aviso do ministeriodos cegocios da fazenda o datado
de 16 do corrente, para que uiforme, ouvindo ao
inspector da alfande/a, sobre a raateria do que
trata o mesino aviso, da nwdo a habilitar esta pre-
sidcucia a ministrar por su i vez ao Exm. Sr. mi-
nisiro da fazenda a infurmacao quo exige.
V) mesmo. -A' vista dos inclusos prets e fo-
Ihas que irans.nitto a V. S., man le pagar a quern
se mostrar compelenlemente autorisado os veuci-
iiieiitns das pra^as dfl guarda nacional lesta;adas
na villa de G iranhuns duraute o mez de junho
findo; eonforme solicitou o respective cominan-
dante superior interino em ollicio de 16 do cor-
rente.
Ao mesmo.Transmitto a V. S., paraos fins
eonvenientes, os tilulos pelos quaes foram noinea-
d is DiTleiacs da ordem da rosa os Drs., Joao Jos6
Pint9 Junior e Luiz Gorreia de Queiroz Barros, e
eafalleiroi da mesma ordem osDrs., Augusto Car-
Deb*] Monteiro da Silva Santos, Joao Diniz Ribeiro
da Cunha e Eze 'uie! Franco do Sa, bom como Vi-
cente de Moracs Mello e o tenente do corpo de po-
licia Joao Pires Ferreira.
Ao mesmo. Tendo o vigario da fregueziado
Santo Aulao, Aotonij Pinto de Abreu, olferecido fin-
is e eineo pi.r cento de sua eongrna por especo de
mil anno, a c-intar de 1 do corrente. para as obras
do asylo de alieuaios; assinn.o ommunieo a V. S.
para que, feito o respectivo descouto, recolha o
producto ao cofro da thesouraria provincial.
Ao mesmo. -Tendo mandado desembarcar de
bi>rdo do vapor Para, em viagern para a corte, o
capitao do 14 batalhao de infanlaria. Potnpilio da
Rocha Moreira, e addil-o ao 0* da mesma anna ate
ulterior delihcracao do governo imperial; assim o
coinmuuico a V. S. para os fius eonvenien-
tes.
Ao inspector da thesouraria provincial. Em
resposta ao seu olficio datado de 23 do corrente,
sob n. 301, relative a cobranea dos iinpo3tos da
camara de Flores, os quaes sendo postos em praca,
servindo de base o preco annual de 2:824*603, nao
(orain arrematado'S por falta de licitanles, cabo-
me declarar a V. S. que a ofierla feila por Marco-
lino Augusto da Silva Villar nao pode ser acceila
por ser prejudicial aos cofrespub!ico=: a naohaven-
do quern lueira arrematar estes impostos, devera
mandar cobra-los por administra^io.
Ao mesmo Em relacao ao olficio de V. S.,
datado de 25 de corrente sob n. 303, cumpre-me
dizer-lhe que acceile a olTerta feila por Marcolino
Augusto da Silva Villar na arremata>;ao dos un
postos da comarea de Tacaratu, marcada por es-
paco de uui anno, que approve mediante lianea
apresenlada.
4.' secrfio
Aclo :
0 presideute da provincia, atlendeudo ao que
propozo director geral interiao da inslruccao pu-
blica em offlcio de 19 do corrente sob n. 216. re-
solve nomear Guilhermino Sete do Barros Correia,
para reger interinamente a cadeira de instruc$ao
primaria da povoacao da Vauea, mediante a grali-
caeao deoOiOOO mensaes, durante o impediraen-
to do respectivo professor.
Offieios:
Ao Exm. -r. presidente da provincia-da Ba-
hia. -Rogi a V. Exe. se digue providenciar afim
de que sejani remeitidas a esla presideneia as
guias dos sentenciados que se acham presos na
casa de detenciio desta provincia Iguaes mutatis
mutandis aos^presidentes da Parahyoa, do Piauhy
e do Maranbao.
Ao Exm. Sr. i residente Ja provincia do Para
Recebi o offlcio circular que V. Exe. dirigio-me
em 7 do corrente, c ,bem a*iim os dous exemplares
a elle annexos do relatorio com que o Exm. barao
de Santarcm^ 2 vice presidente dessa provincia,
passou a admistracau a V. Exe. no dia 18 de abril
desle anno.
Ao Exm. Sr. presidente da provincia de
Matto Grosso. Aecuso recebido o offlcio circular
que V. Exe. dirigio-rae cm 14 do jivho ultimo, ao
qual vierara annexas duas eollecoes impressas dos
actos da assembled legislativa dessa provincia, pro-
innlga los na sessa i ordinaria do anno proximo
passade. /
ao presidente da camara municipal da ci la-
de da Victoria.Accuse recebido o oincio de Vmc.
de 30 de junho findo, : Bco inteirado de ter nomea-
do o professor publiio Joaqnim Elias de Albuquer-
que Barros para exercer nesse municipio o lugar de
aferi lor visio nao ter apparecido arrematante para o
respectivo imposlo. mediante a eonunisfio da 20
por cento, que approve, em vista da informaglo
dessa camara ea>-offlcio de 22 do corrente.
5." secgno.
Offlcios:
- Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do-
Recife a S. Francisco. Para resolver sobre o que
no requerimento junto por copia solinitaram al-
guns moradores da villa de Palmares, oedmdo se-
;a mudada a estac&o da estrada de ferro, de que
sao concessionarios JoSo Pereira de Araujo Cardoso
e William James Lindsey, do sittoGomespara a
mtneionada villa, preciso qae Vmc., ouvindo o su
peri ntendente dessa estrada de ferro. me infbrme
eom o que Ihe occorrer a respeito sobre as vanta-
gens resultanies de uma'tal transferencia. Mu-
tatis mutandis a Joao Pereira de Araujo Cardozo e
William lames l.inds ey.
Ao engenheiro das obras pubbcas geraes.
Para aatisfacer o aviso do minblerio dos negocios
da agricultura, conmercio e obras publicas, da 27
de junho ultimo, t'ormule Vme. nova tarifa dos
pre;os oleinentaras e compostos, organisadas sob
as bases indicadas n is mformacdes juntas por co-
pia, da iuspectoria geral das obras publicas da
corte, e que vieram annexas ao mencionado aviso.
- Ao presidente da junta de emaneipacao de
Cscravos do municipio da cidade da Victoria. -AU-
eusando recobid) o offlcio de Vmc., do 18 do cor-
rente, em que cousulta si deve ou nao admittir na
relagao dos escravos, que lem de ser emancipados,
os inaiores de 30 annos, tenho a dizer-lho qua a
lei nao excluc da emaucipacao os escravos pelo
tacio de serem avmjados em idade. .0 art. 27 do
regulamenio quo baixou com o derrelo .i. 5,135
de 13 dc novembro d > anno passado, e que juuto
Ihe remetto, apenas estabeleco a proferencia'^iue
sobre os ontreVe na libertacao por inJividuos tern
os da 12 a 30 auuos.
Aos agenles da companhia de navegaeie
brasileira.Tendo resolvido que o capilao I'ompi-
bo da Rocha Moreira desembarqae nesta provin-
cia, interrompendo aasim a sua viagern para a
Corte no vapor Para, deem Vines, suas ordens,
alim de que esse official possa retirar a sua baga-
geai de bordo do mesmo va^or.
Portaria :
Os Srs. agentes da companhia de navegaeao
bro.-il -ira mandeiii dar passagem para a corte por
conla do miiiislerio da guerra, uo vapor Pavd, ao
2' cadelo Joil Pio da Fonceca, que vai reunir-se
ao 5* batalhao di arlilharia a pe, e nao ao soldado
Joao Pereira da Fonceca, como por engano se de-
clared na portaria de it do corrente, que lica
nesta parte alterada.
BXPKDIKNTK DO SKCaBTAItlO.
, 1" seccuo.
Offieios:
Ao Exm. brigadeiro commandants das r-
n*. -S. Exe. o Sr. presidente da provincia, tendo
esta data em virtude de autorisacao do ministe-
rio da guerra, providenciado para que no hospi-
tal militar sejam coiloeadas janellas e grades de
ferro no respectivo xadrez : assim o mauda decla-
rar a V. Exe, em solucao ao seu ofllcio de 5 de
marco tindo sob n 249.
Ao mesmo. S. Exe. o Sr. presidente da pro-
vincia, ttmdo nesta data raliflca 1 a o engano que
se deu no nome do 2" cadete Joao Pio da Fonce-
ca, quo segue para a corte no vapor Para, a feu-
nir-.-e ao 5* batalh o de arlilharia a pe : assim o
mauda cointnuniear a V. Kxc. em resposta ao seu
ollicio de hoje sob n. 759.
2? scc$ao.
Ollieios :
Ao comniandante superior dos municipios de
Bsm Conselho, Bnique e Garanhuns. De or
iem de S. Exe. o Sr. presidente da provincia, levo
ao conhecimenlo de V. S. para os lins eonvenien-
tes, que nesla data autorisou-se a thesouraria de
fazenda a pagar os vencimenios das sracas. da
guarda nacional destacadas na villa de Garanhuns
durante o mez de junho findo ; conform* solicila.
V. S. em ecu offlcio datado de 16 do corrente.
Ao juiz de direito substitute de orphaos da
capital. S.'Exc. o Sr. presidente da provincia
manda communicar a V. S. que nesta data expe-
dio ordens a thes mraria de fazenda, para Ihe se-
rem furnecidos os livros de que trata o seu offlcio
de 17 dc junho ultimo, que fica assim respon-
dido.
Ao juiz de direito dS Carnaru. 0 Exm Sr.
presidente da provincia manda declarar a V. S.,
para os devidos fins, que por portaria de hoje fo-
ram uomeados adjuntos do promoter publico des-
sa comarea, no termo do mesmo nome, o capilao
Pedro Antonio de Azevedo .Barros, e para o de S.
Benlo o cidadao Francisco de Castro Nunes
Ao bacharel Maneel Rclim de Alencar. Por
esla secretaria se cummunica ao Sr. bacharel Ma-
noel Rolim de Alencar, que nesta data se remet-
teu par.i a thesouraria de fazenda o decreto de 7
de julho corrente. que o nomeou juiz municipal e
de orphaos do termo de Ouricury.
Ao eapitao Pedro Antonio de Azevedo Bar-
ros.Por esta secretaria se communica ao Sr. ca-
pitao Pedro Antonio de Azevedo Barros, que por
portaria de hoje foi S. S. nomcado adjunto do pro-
motor publico da eomarca de Caruaru, no termo
desse nome.Igual a Francisco de Castro Nunes,
nomeado adjunto para o termo de S. Bento, da
mesma comarea.
4.' secQao.
Offieios :
Ao secrelario da presjdencia da provincia do
Ceara S. Exe. o Sr. presidente da provincia man
da accusar a recepQao do offlcio de V. 3., de 19 de
junho tindo, bem como do exemplar que a elle
veio annexo, do almanak administrative mercan-
til e industrial dessa provincia para o corrente
anno.
Ao director geral interino da instruccao pu-
blics-De ordem de S. Exe o Sr. presidente da
provincia, communico-lhe qua por portaria desla
data foi nomeada Guilhermina Sette de Barros
Correia, proposta por V. S. em offlcio de 19 do cor-
rente, para reger interinamente a cadeira de ins-
truccao primaria ia povoagao da Varzea.
5* secfoo.
Offlcio:
Ao presidente da junta de emaneipacao da
escravos do municipio de Flores, Francisco G mes
Villa-Nova. 0 Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. que pelo seu offlcio de 12
do corrente (icon inteirado de have em camecado
no dia 6 os trabalhos da junta de emaneipacao de
escravos dese municipio.
EXPHDIK.NTB DO MA 29 OR JL'LHO DU 187J.
i\* secrao.
OfBeios :
Ao Exm. briaadeiro commandante das ar-
mas.Tendo approvado o contracto que, segundo
o termo annexo por copia au seu offlcio de 17 do
corrente sob n. 723, celebrou o director do hos-
pital militar com Joao da Silva Guimaraes & C.
para o forneciraento dos roedicamentos nao exis-
lentes na respectiva pharmacia e precisos para o
aviamenlo do receituno; assim o communlco a
V. Exe. para o fazer constar ao mesmo director.
Ao mesmo. Sirva-se V. Exe. de mandar
alistar em uin dos corpos desta gnarnicao o re-
cruta Jose Ignacio Pereira.
Ao capitao do porto. Transmitto a V. S.,
para os devidos effcitos, a inclusa copia do aviso
do ministerio da marinha, do !. do corrente, eon-
tendo providencias para serem observadas pela
praticagem das barras e porto desta provincia.
Ao mesmo. Deterrainando o Exm. Sr. mi-
nisiro dos negocios estrangeiros em aviso de 16
do corrente que o Sr Jose Saporiti seja reconha-
cido como gerenle do consulado d'Auslria-Huo-
gria nesta provincia dnrante a ausencia do consul
eireciivo, o Sr. barao do Livramento; assim o com
munico a V. S. para aeu eonbecimento e devida
execuoio.'-
Ao mesmo.Faca V. S. constar ao pratico,
m6r das barras e porto desta provincia, Hercnla-
no Juse Rodrigues Pinheiro, que por decreto de 9
do corrente Ihe foi concedida a graduacao de 2*
tenente da armada.
' Ao director do arsenal de guerra. Faca
Vmc. constar ao capitao honorario do exercito Do
mingos de Souza Leiio do Rego Barro* adjunto
dessa directoria, que na thesouraria de fazenda. se
acha a portaria do ministerio da'guerra, de 29 de
maio do currante anon, noineandn o para aquelle
lngar, aflm dteser Irncada ptda qiu- foi expedida
em igual data, vi.-fa ter sido elle cotisiderado ma-
jov honorario.
a\" secrao.
Acto
a Europa, oude pretende demorar-se ate fins de
outubro do corrente anno ; assim o com munico a
V. S. para seu conhecimento e Bos eonvenientes.
Ao mesmo. Transmitto a V. S., para seu
conhecimeulo e devida execucao, a inclusa copia
do decreto legislative n. 2315 de 16 do corrente,
que declara a isencao de direitos de imporiacao
0 preswenle da provincia, de nmformidade { concedida por decreto n. 1180 de 24 de setembro
com o dispelo no arl. I.* d decreto u. 1294 de
16 de dezembfu de 185.1, lesolvo nomear o cida-
dao HenriqUp Lecilio liarrelo le AliiMida para
iuterinameate servir u ofScio de escriva.i do eivel
e crime detU capital duraute o impedimenlo do
respectivo sjrventuario, Jabriciauo Napoleao do
Rego Barros.
Ollicio^:
Ao Dr^hefe de policia. Dolerminaudo o
Exm. Sr. mijNstio dos negocios estrangeiros, em
aviso do- 16 do corrente, quf o Sr. Jose Saporiti
saja reeanheeido como gerenle do consulado da
Austria-II
sencia do ci
men to ; as>i,
ttdligem-ia.
Ao juu
ao offlcio do
zer-llie quo
termo di
pel I i! a ki,
- Ao j
Vm/*., com
peiidem de
n'esla provincia durante a an-
il idlclivo, o Sr. barao do Livra-
coiuoiuiucu a V. S. para sua in-
le din-iti. de Caruaru.Eu respasta
me, ,-e 22 do c-rrente, lenhu adi-
adjunto do promoter publico do
s deve requerer .v> governo im-
"t'.-ao que pedx'.
s din-ito do Limoeiro. Informe
iri:i, qnanlos feit'S crimeseciveis
decisao, c desde quando c.da urn
defies Ihe foi. eoacluso.
- Ao promotor publico do Limoeiro.Informe
Vine., com urgencia, anal u nssullado do process
iustaurado contra D. Joanna de Souza Gaiao, ca-
sa la com AMmio do Souza Oliveira e Mello pelo
uma sua escrava de nome Floren-
ii si forani por essa protnotoria in-
ursos legaes ; e no case negative, a
8 deixou de cuinprir esse dover.
ta-iiic Vmc. copia authenlica de
ft, que devera ser por Vmc. confe-
assassinatu
cia, e bem
terpostos t
razao por
Outrosim
lo lo o proci
rida.
Ao juiz aaunicipal do termo do Rom Jardim
e interino dw direito dk comarea do Limoeiro.
Reinettendo a Vine, a inclusa pelieao, pur enpia.
do cidadao Joaqnim Pereira de Mendouca, arlisia
foguista residenle u'essa villa, em que solicit!
providencias para os abuses* dot esse juizo prati-
cados contra elle, leni o por fun recommendar Ihe
que com urgencia informe a respeito
Ao commandante d Vine, de-ligar do corpo sob seu commando, e fa-
ze-lo apresentar ao Dr. chefe de policia para Ihe
dar o conveniuute disiiuo, o. soldado Manoel Jo;-
quim Ramos do Espirito Santo, que, segun lo seu
ollicio u. 4:M de 28 do correnle tentou asrassinar o
seu compafllieiro Manoel Autoiiio de Oliveira.
3.' sicrSo.
Aclos :
0 p.flUeiite da provincia, ilsando da atlri-
bui.io i|uelllo confere o art. 10" I" do regula-
mi'tito de If fJB'nar.x) de I860, resolve nomear
Joaqnim Iji-metrio de Almeida Cav.ilcante, Autonio
Jose Man icfi AnUmio- Leonardo Menezes dc
Amorim p.rios lugaros de cobraihres da recebe-
doria de r^n>|ii^ interuas. creados pelo decreto n.
5123. de 38 ik: junho ultimo.
B. presidente da provincia, atlendendo a in-
fornuc.lo .do'adininistrador d.i receftedorm, a que
allude ooffielo do ins'eetor da thesouraria de fa-
zenda, datado dc 28 do correnle sob n. 668 serie
D, resolve nomear para o lugar de continue da
recebeduria, ereadi jipIo decreto n. 5323 le 30 de
junho ultimo, o ex-cjrreio da mesma reparti^ao,
Amador de Barros Cavalcaute Lins.
Offieios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
DetenninanJ.i o Exm. Sr. miui.-ti dos negocios
estrangeiros em aviso de 16 do corrente que o
Sr. Jose Saporiti seja reeonhecido como gerente
do consnlajo Anstrd llungria nesta proviucia du-
rante a ausencia do ci.nsul ofTectivo, o Sr. Dario
do Livrameutn; assim o communico a V. S. para
o fazer constar ao inspector da alfmdega.
Ao mesm*. Communico a V. S., para os de-
vidos fins, que no dia 23 do corrente fallecen o
2- tenente refonuado Jose Rabelio Padilha, com-
mandante da foi't.deza de Tainan.iar'.
iWmesmo.Transmitto a V. S, para os de-
vidos fins, o titulu pelo qual foi nomeado official
da ordem da Rosa o tenente-coronet Francisco
Csrneiro Machado Rios Junior.
Ao mesmo. Communico a V. S., para seu
conhecimenlo e fins eonvenientes, qu por porta-
ria desta data nomeei, de conformidade com 0 art.
10' 2. do regnlaraento de 17 de marco de i860,
Joaquitn Demelrio de Almeida Cavalcante, An-
tonio Jose Mauricio e Anlouio Leonardo Menezes
de Amorim para os Ingares de cobradores da re-
cebedoria de remiis inlernas, creados pelo decreto
n. 5323 de 50 de junho ultima.
Ao mesino Remetto a V. S., por copia,
para seu conhecimenlo e execucao, a portaria
desta data pela qual resolvi nomear para o lugar
de continun da recebedoria, creado pelo decreto
n. 5223 de 3 de junho findo, o ex-eorreio da mes-
ma reparticao Amador do Barros Cavalcante Lins.
Ao me.-mo.Na conformidade do que re-
quererara Fielden Brothers, empresarios da illu-
minacao a gaz desla cidade, mande V. S. pagar-
Ihes a quantia de 675*000, i-.nportancia das inclu-
sas contas, que remetto, provenienle do gaz que
forneceram para a illuminagao interior dos quar-
teis, do campo da Princezas, Cinco Pontas, Hospi-
cio e Suledade, durante os mezes de abril a junho
do corrente anno.
Ao imwmo. Remetto a V. S. para os fins
eonvenientes as duas mc!usas ordens do thesouro
nacional, ns 130 a 131 de 19 e 21 do .orrente.
Ao mesmo. Transmitto a V. S. a inclusa por-
taria dn ministerio da guerra, de 29 de maio do
corrente anno, nomeando o capitao honorario do
exercito Domingos. de Souza Leao Rego Barros
para o lugar de adjunto da directoria do arsenal
dc guerra desla pro'ineia, afim de substituiro de
igual data considerando o nomeado major hono-
rario ; convindo que esla ultima me seja enviada
afim de ser devolvida aquelle ministerio.
Ao mesmo. Transmitto a V. S. para os lins
eonvenientes, o inclaso titulo nomeando o 1* pra-
licante Jeronymo Jose Bustorff para servtr o lugar
de ajudante do pratico mor das barras e porto
desta provincia.
i Ao mesmo.Mande V. S, pagar a Domingos
Maria Goncalves a quantia de 3001 em que im-
portou a eompra de um escaler para a mesa de
remlas em Mossord, sa provincia do Rio Grande
do Norte, feiu, mediante autorisacao desla presi-
dencia, pelo inspector do arsenal de marinha.
Ao mesmo.Tendo approvado, nos termo*
da sua inforrnacao de 16 do corrente sob n. 652
serie D, o contracto constante do tenno junto por
copia, celebrado pelo director do hospital militar
com J ao da Silva Guimaraes 4 C. para forne-
ciraento dos medicamsntos nao existenlas na res-
pectiva pharmacia e precisos para aviamenlo do
reeeituarie ; assim o communico a V. S. para os
fins eonvenientes.
Ap mesmo. Transmitl > a V. S, para sen
ronfieewiento e devida exectn;ao, aiuclnsa copia
do decreto n. 13ll de 10 do corrente, que con-
cede isencao de direitos de importacao dos mate
riaes destioados a construct da igreja dc Nossa
Senhora da Peuha.
Ao mesmo.- Communicindo-me o saperin-
tendeule da estrada dc ferro do R-cife a S. Fran-
cisco, G. 0. Mann, em offlcio de hontem datado.
j haver passado o exercieio de seu cargo ao Sr.
i Henriqae Sponxer, por ler de seguir hoje_ para
d<: i860 a einpreza encarregada do csgoto das
aguas eaceio publico desla cidade, comprcheu-
dendo os arligos despachados pela mesma em-
preza.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Declaro a V^ S., para seu conhecimenlo e fins
eonvenientes, que o Exm. presidente da provin-
cia de Minas Geraes communicou a esta presiden-
cia em offlcio de 17 do corrente haver feito o
saque de uma letra na iinportancia de 32*274
contra o banco do Brasil e a favor do bacharel
Joaquim Jose Ferreira da Rocha Junior, para pa-
gamento da dc-pez i eflectuada com o sustento de
ire- presos pobres daquella provincia, recolhidos
a casa de detengao durante os mezes de Janeiro e
fevereiro desle anno.
4.' seccilo
Offieios :
Ao Exm. presidente da provincia de S. Pe-
dro do Rfo Grande do Sal.- Aecuso a receicao do
officio iiue V.'Exc me dirigio em 13 do corrente
sob ii. 662, e bem assim dos dous exemplares que
a elle vieram juntos, da colleecio das leis e roso-
Ingoos dessa provmeia promulgadas ua 1-' ssscAo
da 15" legislatura.
Ao Exm presidente da proviucia do Rio
Grande do Norte. Communico a V. Exe, para seu
conhacimeqto, que ne^ la data expeco ordem ao
gerenle da eomp inhia peruambueana no sentido
do ser trans m tad i, no primeiro apor qnc para
ahi segnir, o escaler deslinado ao servico da mesa
de n-ndas, ciea la no porto de Mossoro por decreto
de 15 de fevereiro desle anno, e que por V. Exe.
foi requisilado em ofllcio de 2 de junho ultimo.
Ao presidente da camara municipal de S.
Bento.Em resposta ao seu'officio de 7 do cor-
rente, tenho a dizer- he que nao ha motive .para
o adiamento da clei.-fto dc eleitores, marcada
para o dia 3 de agosto vindottro, como solicila
Vmc, porquantu segundo informa o juiz de di-
reito da comarea em data da 11 desle mez a
epidemia do variola leni declinado considerawl-
mente, havendo soinen'e algous casos que nao jus-
lifirim a provulencia |nr Vine, solicitada.
Purtarias :
A' lllma. camara municipd do Recife. -De-
clare a lllma camara municipal do Recite, em res-
posla ao seu offlcio do 23 do corrente sob n. 60,
one nesta data officio ao director da companhia de
Beberibe, para baar lesapparecer o toco de insa-
luliridade cxistentc ua i ua de Vidal de Negreiros,
occa?ionado pelas aguas eslagnadas, provenienles
dos concertos feitos no chafariz da mesma rut.
A' mesma.Autoriso a lllm*. camara muni
cipal do Recife, eonforme solicita em officio de i3
do corrente sob n. 61, a mandar proceder a obra
do tapameoto dos beccos das ruas do Vigario Te-
e da RestanraQ.lo, arrematada por Joaquim Domin-
gues Ferreira pela quantia de 159*000.
A' camara municipal da cidade da Victoria.
-Em resposta ao offlcio da camara municipal da
cidade da Victoria de 30 de junho findo, tenho a
dizer quo. nao sendo aoSacieuie a quantia de um
eouto de reis, doada por S. M. o Imperador para
fazer se o cemiierii. dessa cidade, e nao corapur
tando os cofres da munieipalidade a despeza exce-
dento, como informa a mesma camara em.data de
21 do correnle, deixo de expedir as ordens solid-
tadas no alludido offlcio.
A' camara municipal de Bom Jardim. Cotn-
inunicanJo-mo o Exm, Sr. minisiro dos negocios
da agricultura, commercio o obras publicas em
aviso de 23 do corrente que a commissao de
pesos e meJidas aguarda a chegada dos padroes
ja encoinmendados, afim de remetter os que,
em ofllcio de 8de Janeiro ultimo, solicitei para a
camara municipal de Bom Jardim, assim o decla-
ro para seu conhecimenlo.
5." seccao.
Offieios :
Ao director da companhia de Beberibe.
Provideneie Vine, no sentido da fater-se desappa-
recer o foco de iusaluondade existente na rua de
Vidal de Negreiros, eonforme solicila a lllma. ca-
mara municipal desta cidade era offlcio de 23 do
corrente sob n. 60, junto por copia, visto como a
elle Jao lugar as aguas eslagnadas provenienles
dos concertos feitos no chafarizes da mesma rua.
Porlaria :
0 Sr. gerente da companhia Pernambucana
expeya suas ordens no sentido de ser transportado
pelo vapjr que tiver dc sahir para o norte no dia
31 do corrente um escaler, que sera reraettido
pelo inspect ir do arsenal de marinha para ser en-
tregue ao administrador da mesa de rendas de
Mossoro, na provincia do Rio Grande do Norte ;
conendj esse transporte por conla do ministerio
da fazenda.
EXI'EDIK.NTE DO SKCRET.VWO.
2" seccao.
Offlcios :
Ao Exm. presidente do tribunal do jury.De
ordem de S. Exe. o Sr. presidente da provincia, pe-
co a V. Exe. adispensa do bacharel Joio Diniz Ki
beiro da Cunha, chefe da 2' seccao desta secretaria
que fora sorteado juiz de facto desse tribunal, por
ser sua presenca indispeusavel agora na respec-
tiva reparticao.
Aojuiz de direito da 1* vara.-0 Exm Sr.
presidente da provincia manda declarar a V. S,
para seu couiiecimeut', que por portaria desla da-
la foi nomeado o cidaJao Henrique Cecilio liarre-
lo de Almeida para interinamente servir o offlcio
de eserivaodo civel e crime desla capital durante
o impediment do respectivo proprietary Fabricia-
no Napoleao do Rego Barros.
Ao Sr. capitio Francisco Manoel Wanderley
Lins.For esta secretaria se communica ao Sr.
capilao Francisco Manoel Wanderley Lins que
nesla data foi enviada para a thesouraria de fazen-
da a patente, que o nomeou coronel commandante
superior da guarda nacional do municipio de Se-
riuhaem. -Iguaes a"o major Jose Thomaz Pires Ma
eliado Portalla, nomeado tenente-coronel com
mandante do 7' batalhao de iufantaria e do tenente
Franco Vieirade Mello, nomeado major comman-
dante da 2* seccao do batalhao de reserva.
DfAttLO DE PEKM AfliBUUU
RECIFE, 15 Dt OUTtJBRO DE 1873.
.Hoticias dos Eatados-1 luidoa e
do Para.
Araanheeeu honlem em nosso porlo.o vapor ame-
ricano Ontario, irazendo dalas: de New-York 23
de setembro, e do Para 8 do corrente.
Nada adiantam as noticias dos. Estados-fJnidos
as que rccebemos por via de Lisboa.
PABA.
Em 8 do corrente escreve nosso corresponded
te da capital:
i Apressadamente chegou hoi* o vapor norte
americano, encm da tempi a que possa ser minu-
cioso; 6 verdadc qua ha carencia de novidades, o
se nao fora a chegada dos deputados por esta pro
vincia e pela At Amazonas, nao sei o que haveria
do mais importante.
h Cu estio, pois. os paes da palria, tendo sido
feslejada a sua chegada, nesiis. ultimas noites,
com musicas, {ogueiorio e ciilcas demortMrasoes, o
sIbhB
n


conego Manoel Jose de Siqueira Meodes, ao qual
o Belem appellidado=o chefe nco dot assattado-
ret dos cofres publicas.
< Seja como for, o facto real e verdadeiro e-
que o conego Siqueira Mendes tem sequito e diri-
ge urn dos grupos dos partidos politicos desta pro-
vincia.
A asscmblea provincial, como ja ihe disse, en
corrou em setembro os sous irabalbos ; de entao
para ca o presidente apenas se tem dedicado asco-
k-'itacoes economicas, porque o estado financeiro
dos cofres provincjaes e pessinw.
a 0 iheatro de Nossa Senhora da Pas esla ter-
tninado ; mas ainda nao foi enlrogno ao governo ;
accusam o oropreiteiro de que a obra nao esla so-
I'da, alem de cheia de defeitos.
Em ensequencia disto estc individao convi-
dou o publico pels irnprensa a ir visilar o tnea-
tro no domingo ultimo; la oslive e houve grande
concurrencla de povo, nao so pela curiosidade,
como tambem para observar a nao solidez da
obra.
Digam o que quizer, hoje o Para lem ttm
theatre bom ou mao, sempre val alguma cousa
mais do que o velho pardieiro do antigo Provt-
dencia ? .
a Qual sera a companhia que estrefcirae esto
o problems, porque sem grande suliveucao dos co-
fres publicos nenhuma se podera sustentar.
t Em uma das unites da semaua passada maoi-
fcslou se um incendio na travessa das Gaivotas,
laverna da esquina da rua das Flores. Arderam
o predio e os generos existenles na dita tavern i.
Estivuram presenles o presideute, shefe de poli-
cia o mais autoridades, coirendo o servico regu-
larmenle.
t Ei3 a coi.imunicacao official sobre o incen-
dio :
o N. 650. Secretaria da policia da provinc:a do
Para, 2 de outubro de 1*73. Ilia. Exm. Sr.A
tranquillidade publica continda sera a meuor altera-
eao. *
A' |.' bora depois da meia noite de hoje declarou-
se um incendio na casa terrea arua das Flores,
canto da travessa das Gaivotas, da propriedade de
Cyriao Lourcngo de Souza c uccupada porFiguei
redo & Fdho, ahi estabelecidos com uma taverna.
a Assim que ouvi o signal dado pela igreja de
Sant'Anna, uirigi-me sem demora ao lugar do in-
cendio, c ahi chegando, comecei a dar logo as
providencias neccssarias e que estavam ao meu
alcancc, na doficiencia de ipeios com que luia a
policia para um serviQo de tanta magnitude.
Poucos momenlos dapois chegou a primeira
boiuba qua foi a da alfandega com o respectivo
pe-soal, e chegando logo os aguadeiros com as pi-
pas daguas, comecou ella a funccionar com bom
exito, lane;,n 11 a mangueira sobre o lelhado da
casa contigua pelo lado da rua das Flores; em
st.'guida comparecerain as borabas do corpo de po-
licia e do arsenal de marinha com o cotnpelente
pessoal: passando esla panui travessa das Gaivo-
tas, ahi funceionoii tambem com vanlagem e evi-
lou que o fogo se communicasse a casa contigua
por esse lado ; a bomba do corpo de policia fieou
junto a da allandega, funccianando conjunclamen
(e com ella, de modo tal que impediram que o fogo
tambem so communicasse a casa immediate.
i Circumscripto o fogo a casa, onde elle se de-
clarou foi extincto somente depois de le-la devora-
do tatalmente, devido islo a uns 50 frascos de po-
trolco que ahi havia cm latas, as quaes fazendo ex-
plosao, levaram o fogo a loda a ca-a da forma que
nao foi'possivel apaga-lo, senao quando desabooo
lecto.
t '0 inuendio terminou as 3 boras da madrnga-
da, o retirando-me a essa hora, deixei o Sr. major
delegado de policia com algumas pracas paraguar-
dar os tnoveis das casas iminedintas, que lorani
lancados a rua ate que seus doiios torn issem cou-
ta dalles.
Os trabalhos correram com muita regujarida-
de, e foram efflcazmente ; uxiliados pelos visinhos
e grande concurso de povo que acudiram ao lu-
gar e de boa vontade se prestaram a este acto hu
manilario; entro muilos, queaconfusao nie me
deixou bem discriminar, distinguios Srs. Julio do.-
Santos Pereira, Manoel Romao da Silva e Pedro
Joaquim Ramos, que Irabalharam com a maier ac-
tividade ededicaijao.
u Compareceram ao lugar os Srs. inspector do
a.senal de marinha com seu ajudante, director de.
machinas e mestranca do mesmo arsenal; major
director do arsenal de guerra, tenente ajn lante do
5. balalhao de artilharia com um piqnete do mes-
mo corpo, tenente ajudante do 11.' batalhao de
iufantaria com outro piquete, commandante do va-
por Arary com doze homens da trlpolacao, tenen-
te ajudante d'ordens de V. Exe, delegado de po-
licia e.subdolegados do 3.* e 4. dislrictos, varios
officiaes e trinla pracas do corpo de policia ; e
folgo de reconhecer que lodos cumprirame seu
dover, como V. Exe, que so dignou de tambem
comparccer, teve occasiao de por si mesmo veri-
ficar.
a A casa incendiada eslava segura no valor de
8:000000 desde 4 de Outubro do anno passado,
nao o estava porem a taverna, eujo dono decla-
rou-me avaliar o seu prejuizo em 3:000*000.
< Das indagai-oes a que tenho procedido nada.
hei descoberlo em ordem a poder classificar-se de
culposo o referido incendio ; no entrelanto tenho
encarregado o delegado de policia de proceder aos-
inqiieritos recommendados na Jei. Dous guarde a
V. Exe. -Illm. e Exm. Si. Dr. Domingos Jose da
Cunha Junior, presidente da provincia.0 chefo
de policia, Innocencio P. Correia.
o 0 brigue Rio Negro seguio na raadrugada de
2 do corrente para Manaos a reboque do vapor
Arary, afim de servir de quartel e navio escola a
companhia de aprendizes marinheiros do Amazo-
nas ; havendo-se feito para tal fim os necessarios
arranjos no arsenal de marinha da provincia.
Tendo-se espalhado nesta capital a noticia de
que a variola eslava grassando na villa de Fare,
o presidente da provincia ordenou ao medico da
comarea de Obidos que seguisse para a dita villa,
afim de prestar os soccorros necessarios as pessoas
affectadas daquella enfermidade.
Tend.) para alii seguido o Dr. Verissimo do.
Mattos, reconheceu que o estado sanitario de Faro
e satisfaciorio e que nao existe a variola ; dandVr
disso parte ao presidente- da provincia ; como se
ve do seguinte officio.
Illm. e Exm. Sr. Dando cumpriraento ao que
V. Exe. me ordenou em offlcio de 16 de setembro.
que recebi no dia 20, embarquei n'uma canoa para
a villa de Faro, no dia 22, e alii cheguei a 2B.
Pelos offlcios ern original do presidente da camara
municipal edo subdelegado do di^triclo aos quaes
me dirigi, e que tenho a honra de pa*sar as man*
de V. Exe, ficara V. Exe. inteirado de que ac-
tualmente nSo existe variola naqaelle municipio.
a No mez de julho o negociante Sancnes de
Medeiros, vinio da capital affeciado da variola
contaminou-se a algumas pessoas qae estiveram
em easa delle no lago Curia, cerca de 5 leguas
distanle da villa, e algumas destas levaram a villa
este flagello, e por esta forma foram accommet-
lidos 20 individuos dos quaes fatleceram 7.
0 negociante Miguel Tenorio vindo no vapor
Fortaleza no fim de agosto desembarcou na ilha
Caslanhal, propriedade de Rayraundo Caxias, um
seu eseravo soffrendo da variola, e foi este doente
quo iufeccfonnu a dons escravos do dito Caxias
os quaes inspoccionei no dia 30 e os achei livros
do mal e passeando : tendo fallecido o primeiro.
O esiado sanitario de Faro e pois satisfactork
e nem um ;aso de febre amarelra -alii tem appare-
cido. 0 povo denorniiiafebre aBBsreHa-qaat-^
4

-

6.-





*
&
fo iU *Mi%iti4f Pernainb
- Quatta feira 15 de Outubro de 1873T.

."er fcbre pilusiro quo se dcscvolvc *;s*iieita:*>pet*Mi, jmcngaj d1* vasante do Aiaaazana;, nao sen do outra coa*.t>n non plus ultra da vetjcipc
se nao febre p:ilrV*fc cathatttl \t^..'ir.-. j
uu: com Bfcgottttca
Sao estas M
lio-so levar ao c;*Mk(Mn Cidade de CfiLEX dt outubro de 1873-
- Illm. c Exm. Sr/TJT* TOiTiingus j>i->\ da Cnrihi
Junior, digni*siin> presidente dest* provincia.
Or. J.-ii Veri'stiitu di JjBfTWw. nicithtflt^oiii
de Obi.ios.
tiUHMT : : ;\|/ ji:.!f|ljk
i ^.-1 -i XAliJ 'Jk VU jB 1 U ''
- Hoa ha noiiou urn grande mroudi..
b.i-A de Wiaros de Os flrojuj
kn-su em-. 110,000 ; iOOOO nas
ota-
RE VISTA OIARI.U
tutoriilaJRes frtii>l:r portaria
da presidenci.-ajp pr ^in'i.i, de It do ooiTonle, ei-
Yam nomcadus Cess-rioiBBn?a!v. s de" Alencar c
Alexandre Gerald*-de larvajho, r h 2' suppleiiles
do sobdelegado de disiriclo do l;\u.
6aar j:ui da pruttjneia, de 13 4o cnrrcnte :
Iin'loas- l.\r gwia de passageiiTp'ara o mniH'-'
cipio do Recife ao lenente lose* de Mello Montene-
gro, do municipio de Goyanua.
For, ad is par* ti 8' b.Ualhia do infanta-
ria. do rhurrii-ipi.i do tfecfle : P companhia. tonen
le o alferos Joao Domn*go< da CuUa Lagcs; 3' di
la, capita*) o leaente Trtso.tonid loin da Cunlia, te
nuito a a'f'ns Francisco de Aii Castro e Silva;
i'dii.i, -Hferes oguarda Hnrtenciu Soarea Pin'.o
C'irrei; ">' dita, rapfta i o t 'iientc leronvmo 9-ion
K'lr'firirftibfM ; 1kHH*, a I fere* > guarda Antonio
Ui.i Pereira Duira.
Aotnivci'sarfo. Completam-se hojei'.ovc
artnos qne se rraf&iu o casamcnto tie S. A. I a
Sri ^u.io.'-.a 1). Isabel cm S. A. 0 Sr. principo
< i.l; d"Ea. Pat esse in uivo a f irt.-.leza do Brain
ilara uma saha a I lion: da larde.
PtiMltta^aK mnsiraes -Da imprensa
.le mu-ira
  • tin Hirao dafietoria n. H. acaham de sabir a-luz
    :\* fepufittes mh-icas:
    Kitretlatk, Soil", saudajao ao Bahia, linda e
    brillriiiTC p-"ftka.
    CrtoW^ifUerissante qualrilha composta c offe
    reciJa aos"Ci'ieket-i'luhs pernaiub'tcano e bablano,
    pd> Sr. P.P. R. Seixas.
    Snn'io ilt limn virgem, b:Ho improviso para pia
    ii.i, \i ilo Sr. II. Mh.'rlarzi.
    Ilee ,trni oida:: is cssas pTOdnsgSes mttsicaes as
    ii.-~ :;s leiforas.
    5a-i?tnJo .\!,1jc1s''*: c fieOjWk-
    phii^r. f)e/fl haver MSSMB urdinaria de*aebr-
    p i-.,i;1i) aniadha as I! hems do di.i, no lugar d>
    cojlu'roe.
    \rrenialbums prvineiaes Foram
    i'.insf,-riJas pira o ilia 2'l do corretlte : o fonisel1
    nlciito dos pJesos pibrrs da Casa d DcteartjSo, no
    iriinestre de outubro a Gtocmhro correote ; a ven-
    ds do sili i ffos Item 'dio'., nvaliado p> r 3:"o 'iO '0 ;
    r i< rupaViis la i ; i' d.i Junqnuira, orenlos c.n
    tnsllSTjtrt hls*rin> phil fi^rnattil5i:a.Nodooiingn rer.nioseesla
    Kiii-ieJadfl, sob a prcMilcncia do Sr. Bandeira de
    M.-II i.
    fl Sr. 2.' ifcrctarm pfneede a leftura da aeta da
    's-.l', aol-rio!', i|:-' sn-n l^'-ii-^H) nfjprffWdSl.
    Pasr'ando-se a l.'',iart- da ord-m ;11 da. e con-
    I h a n iva dkeetorra n totnMr passed Bnfraii-
    d't-.-qna 2.' parlc'o Sr. Bandeira do Hollo J'.'-'ii
    ..i!-- a Va-.1--. :-"fiCiWo foirlan.nti :! i palii'i pb-
    .rec ?
    ft ;: ii de nVar o Sr. PreHtfrlW) B )\'pc. t Rieef*
    ladi a disciis-io.
    XJt havendo "wniis n.ida a tralar, o Sr. pre^i-
    iS^nl levanla a '-. -a i a I 1/2 da iard>.
    tJW9 tW*e*4arfr. -ffoje hateri sv-io or-
    Jiiirtrf'i. h* h ;:?-. eosttntre
    Ctnti fliw 1::::-!:srf!.- ran fifiit-
    F.,r;( I, )j .......%: ,-i ru-| l>ii:i-;:-i-a | Mup.M H W,
    j (j! n2 ll in<
    :\iwr :n* rstn:fis \ w*l ...:, i qne a~-
    ..., .. ;t a-^",": ?.\:i hij rSc.< -I" extf .or.li i wia, i
    ::.i r i do- Mirtyrl ii lit pelas
    :i Ii ':u- dn d*.
    &>: d- "f-i:"'!'-:HM'>. K-ta fii'^'lide pi-
    r >:!:- -e.-ba CHI < '- S < i'.iTivi1 no !'::-i|- p. b'irti -al'idi*.
    Evji:ssi-7r\.-> tfirt ferscrl dr Vienna
    IZ-se o segiiintstia ft/fc^?4nic/fi V-A/'
    Dis 5,' 0 1 jjesstoS1 |it" eiivi.iram pru teel is j
    'xposiea t!>I'i-nni, 2G.0O2 foram reeoulie.-idi-
    pel i j::rv drgih^ ftc anh prova de distincr'io. 0
    ffirahi 1?1 dipNiraa de lionrn, 12,140 ine-
    ilallns dfvWWas por tres rat**giTlna n*, 97S''mMeMl|pi< pelas art**, .1*99! mcmlbH
    - d!.'i!;"rrr.r!ore c operario, e -10,163 nwBc5e
    lumnssas. 13J(tcmo so dividiraw e-
    '>! id Vil MexkM 1
    1! -dgi-a i:\-2 MoiKlCO 9
    BraH 202 Patees-MoM* ->*\
    <;iiini If8 -AnstrM ,M>(I
    Dinannrca 809 Persia' i'.t
    Alt-ni.inha :.ii,i; I'ollUPTl 131
    v.." p! . n H.iiiMi.inir: 238
    irra 1.136 Russia l.OIH
    :.<)-2 Wnas SarHi'-.-h 8
    <;-.M-i-i IS* SMSs 1
    II 1'iL'ria i. ItaHn I.99S runiisia 470
    Japa i 2*7 Tarta 1
    Madagawai I" l?^p. amertcaias 44
    Maroteon, 1 tttif Saecia e Nontegz 5M
    e TrfjNiii 20 Suissa 723
    B:a t^ivi. - I'm j irna! Ir'.'er.trio hen lan'ml
    fan n lo a a|toloj;Ta da salj pmas, paii ondeo governo agora man Ii: ns depor-
    ta is. riia 09 eawH nntavi*"de, !oiievi .l-minsiram a bfldad do elima. otta ima niu-
    llier pir nnnio^'o-a, de *angue ie guez e nwlaij, taw falleccu em <*8 coiv- 128 an-
    a i- ile i i ide decand neta de 7*
    Spgnntte nfllm jornal d'onde se lFai!-. <'s!'-s apoRtumentoi a eenwwaria eonwpHau atoo
    linida vida om-l'Oin estad.) *< MM (iculdades phy-
    sieas a ir**lei;i-ttaes.
    0 signatario do art*go ^.se rosidio por mnitos
    nonos nas Ftbpfitiis. cita tjinbem coiiKi-exompIo
    fiotavi I (lelnngmidade um mito nue alMOQM a
    idaJo do 1W aiwos, e iue i^eodo i:>ic*eiro oV;."pro
    liivao, aioda.a ex^oeera passmdojii Jos l:M)^nnas.
    Em 1863 ateda era vivo.
    O reWido |orBl e a IlUutraqao hespaat/iln <
    anutrknna, fno rot'ere qne t*a ill>a}e Bohol, vivia
    ainda em I8.T7 ub;:: mulher com 116 annos, que
    em ranariga bawja-aido Uvadcira .do* padres jesai-
    las, antes da sa ^yiulsao di< doDKiios li.-jia-
    nhftoc. em 17d6.
    Tambem nao tiaxio ,'iiorrido cm-18oi.
    Se esies oaaos ide osc<^pcijialii>wiiiia loogovidade
    se repexirem, o fovewo lie.f aabol niandando para
    is Kitijipinas os MerjinciomUiitus e es mtrami-
    iif*tes. arriica se a tar revolucioarios siaerobies
    la oara o %m do see*!) XX.
    Mtseelanea.Biz o lnparclal qne o padre
    Santa Cruz se apresaitlara ha dia em finrdeos as Cl) 38 a#s, solteira, Boa-Vista, hospital Pedro
    ran
    cl.-ias c 60,000 em nnna&crara*.
    No dia 20 de setemhroiiotKe om Vienna otna
    revista militar dada em honra do rei Victor Ma-
    Tumaram pane iw r^ferida revisU 12
    ^aJH fo^H* !f|uqaea
    ! res aMemaiiBj'iuniirosus oilciaiM e.stra
    oiros e uma multidao iiiimeus* assisliram a ellj
    Ajiiniadas saciedade* operarias dp log!
    rra (tra Is anioii4 decidio eupBlsar-puWieanv
    do sou gremio I >dos os iadividuos qua ao
    (.icsw inlernaeioiial tod-oebra se apreseutara
    lonwdclegadoatl.is operari is iuglez^cuja nmnen
    -1 laaioria nada qaer ter c - Ourante pcrfflaneneia de Julio Simao
    mtnlstcrio fraacez cncunmendou o reT.Ti 11 minis'
    tro ao Sr. Fremiet uraa,siatua eiiiustrjj jle Joanna
    d'Arc, cm bronze, a qaal osta leiminada devea-
    do ser brcvemenli! .'oHocada proximo de M >iHmr.r
    Ire, en sitio onde a heroica virgem foi ferida, |uan-
    ilo siliava Paris.
    A phantasia doinina ainda no Japao nas
    primeiras lentitivas de applicaeao dos costumes
    europoos. Assiai e que um iivreiro de Yelo aua-j
    ba de edilir uma biograpbia de WasniagbCl em 44
    volumes, impresta em caracteres japonezes a u'
    ii.i la de numerosas gravuras. A primeira e am
    retrato do i>rLieiro oresi Isnte Uos Estajos UniJo*.
    ve-tido coin os irajos da cp'ca actual, com bra
    granje bigode, leirlo uma bengala ua mfio e se-
    gtmh de um grande ea>. I'ara expKear O-grande
    ii i in ro da ii voluraes, convem sabar-se tjpo <
    (oaios uo Jaiiao teion a apyareucia e.a superllcie
    de um granJe hjaoo do a d-ibrado.
    A popuiaeao do Roma celebsou o anuiversa -,
    rio de 20 de seleinbro com utuilas dem mstracoes
    feslivas.
    MinJ\.hu o Qitfarb
    >:: 0.
    Jb>.
    ' Wi\i:\i; :.
    SUt-tatf'iJ%- ''irgtlioIfKKtK
    K\ 10 boras da manna, presentes os Sy. des
    a^adonis Louren.-o Santjago, Aloi
    lOTDOri
    herdeiros; appellanto
    osadiniiiistra I ires da mass!
    pronr.-'disii isi
    22:0O030OC
    7:617*000
    7:367*000
    , 4:82),'-00
    l;STO*030
    4:000*000
    2:99 iiO 0
    2:100A00J
    1:0004000
    4O03000
    :aruaitt1iaca
    nhara
    icrqr
    va, Kof ue
    zes Oil dir
    riijuas,
    Jcgra
    duMinba
    Jcrgp e
    Algra
    tral#j!i
    Negaram provimento
    JAf'grav.intef. I
    3rs desemb irmd
    Albuquenpie e Neiva". -
    na
    ire
    Kara
    Jaizes ort
    Alin:ida
    onto.
    Avgravante Joso l.uiz Alv,
    os Srs. deseinbirpidores Lo
    DiaJiciro Os vapiros
    Iron xer;un para :
    Antonio Joii Furialo & C.
    il .liar, Oliveira & C.
    J J Beltrao & Filho
    Ilo Irigue- & Marlins
    Joio Rraociseo Martin- 4 C.
    IIy vernal & C
    lasso Imfios A^ C.
    Mijjuel Jose Alves
    A nun in Irma > A; C.
    Ilarros Moid -s & C.
    Caes da C i niiunii P
    aa. liiformao)-iios quo do-moroiiou sc, n'um
    6Vh>m uliim is dias, a rainpa do caes proximo a
    Ooiopaubia Perna.nbueana, talvez devil afronxado o alieerce em consequeuia da maicr
    profandidado que so es'-i d.iinl.i ao rio nesse logar.
    Cuaaiainos para isso a attencii da autoridade com-
    peiente.
    Etna M.nnctie Siinoes -Ainda- ch.un.i-
    mos "a a!',eii;i i do Sr. liseal da fraguozia da Bia
    '.'i>(.i para oc-talo em ana ss aeba a rua Maine
    de Simous, eoberla do horwas e de iaununditta
    que ulao iotitilUatfdd n caleimeuu, qiiiulo 3 S.
    empregandi dons homens, poJo limna la conaal^-
    lami'oie e u iin nu i! us tt i a -, lazend) assim dos
    ;:jipaiei;:r o olad ) listimoso do ieilo da raa.
    Prlsaa.-X) leffBO, de Bui quo foi prase Vic-
    t >r da Silva Douto, que'oai dias d.i janlu do eor-
    renie nesse, mesino term.i, assassinou a.iriUouu
    Bias da Siiva,
    Cailaver.-Ai amanhecer do I.a C do cor-
    renie fji oivootrala e.n terras do eageaho Ama-
    rajjy, do termo da E-cada, o de um individuo de
    norna loai Mixiovano, e conheeioj coaw mor.-.J >r
    BID X issa -eulriiM do I)' do [p ijUCA,
    Os jieritos quo liicram ;; competente vWana ic-
    eiararam tcrsidj ;i Jnorle 0 iesultaJo de uma
    |-oOL'e,-ll l .'I'MlIM'.
    ii :-te rcjentiH s. -Victima do u.na apo-
    plexia fulnuaaiigt, sneoambij reaeiUiuamaOtc na
    rua do lUrqoez de Olio la, and s se arliava, ii uma
    !: ira da ttrde de auto liont;mv Olympio Symphi-o-
    nio Buries
    Etoulia. Na impertancia de 171.^000 em di-
    iilieuo, aiem do di versos objecios do ouro. foi na
    inadraga Ii do ultimo domingo roabada a taveriia
    .le Joa Uaptista Ferreira Graca eui occasiao ejn
    qoe o mesmo aohava-se a ouvir missa com sua
    f.u'uiiia.
    l^oteria.A one sc acna a cenda.fia 70." a
    benefieio da mati-iz do AJogado*, a qual corre ub
    dia 21.
    Ca*a le dctene.io.Moviu.eiUj do dia
    13 de outubro de 1S73 :*
    Sxistiam pre^os 32:?. eatrou I, saniram 7,
    sxistem 313.
    A saaor ;
    Xacionaes 236, nrulheres 10, ejtraagelros 39,
    esciavos 36, escrav.:s 2.Total 323!
    Alunentados ;i cusla dos oofres puUicos 27 4
    MoTimeato da enfermaria .to dia 13 Je ouuiiiro
    Je 1873 :
    Tiveram baixa :
    Gorafda Moreira ea Silva, febio.
    Joio G.'iiQalves da Fonoeea, iJoni.
    Floriaao Fraacisco Moad.is, idem.
    !> iiz.irio, escra\M scntehciado, idem.
    Tiveram alta :
    Francisco daSouaa Serial.
    loao de Gliveira e Silva.
    i?assag;ti's. Chcgados de New-York e
    por .os iniermedios no pajuete amei'icano Onta-
    rio :
    Ramon Pita de Poi, Frapcisca Lanabera.
    Sahidos no mssmo paquete psra os portos do
    sol:
    Joaquim 0. tie Mello, Antonio Joaquim Ferreira
    do niiveira, E. Isabel Biltencourt e lose de Barros
    e Silva.
    Ccmitnria jmiilii-o. -Ooituario do dia 11
    lo corrente :
    Francisco Gomes F. de Sa Leitao, branco, 15 an-
    nos, sdiieiro, Al^gados : luaereulos pulmona-
    r6.
    loiaanim Axlonki"Lobab, brancc, Portueal, 16
    annos, solteiro. BM-Vis!a; hospital Pedro IT : fe-
    bre amarella.
    Francisco, parili'!\'niainb'.ico, 1 mez, Recife;
    convulsecs.
    Maria Joa^nina da Conceicio, psrdj, Pernambn-
    ca, 23 annos, ca-ada, S. fo6 ; entero colite.
    Aatonia, {tarda, Pernambuco, 18 mezes, S. Jo-
    Be ; varialas.
    Aetonio, pardo, Pernimbuco, 20 dias, Santo An-^
    toaio; espasmo.
    Rosa, esciava, parde, I'ernambuco. 60 annos,
    Boa Tfeta : hepatite
    Maria, parda, Peruambuco, 6 aui>oi e meio, S.
    Jose ; b'wiea-.
    Uma aeroa de Anioni' Tavares da .Silva, mili-
    tar, Baa-Vista.
    --
    Heriataa, branca, Pernacibueo, :> aaaos, Santo
    Antonio ; 'besigas.
    Maria, ^arda, Peraarabneo. 7 meees, S. hp6 .
    variolas.
    Caetaoa Maria da Conceicao, pard*, Pernambu-

    J). Margarida, pediador*e o induRo de doossens
    ompairheirosjrondesinadas a morte pelos ^arlis-
    tas, porem nada podo obter, apesar dos e^oreos
    que empregou.
    (kmUnuam ainda fecfaados os baacos de Phi-
    Jadelpliia 'e ite Wasliiagiac, por effeito da crise,
    "ajne ultiraamente houve bas Estados-lnidos.
    Parece qee eita em via de realisar-se" o pro-
    jeeto de uma via de crmtmankacAo entre a franca
    a Inglaterra, por meio de nm camioPo deferro
    'nbmaNoo. 0 minirtro das obras puWieas de!
    Franca ncaba d dar pedindo para qiie estes coosultem as camaras
    de commoroio sobre a cdnvenieacia dajirojeetada
    empreza.
    Diz-se que o rei Victor Maoocl levou eomsi-
    ^toVons retratos!ieu=,desiinando um ao i.-npersdor,'
    de Austria e ontro ao la Allemaata.
    -r O papa, rodeado pelos cardeaes e prelados,
    irecebeu no dia li) de setendiro uiuadepuiacio ro-
    H-nana, que foi prununciar a o|o solaaioe de coss-
    ra;Jo, aprescitaiido ao mesmo tempo a PioIX um
    ."Ibuiu-i'onteudo SOjSiX) assigaatoras. Opapa aben-
    ;oou a eoiu.'uissao e prsuunciou um diseur-o.
    St'xuudo rekra um telegramina de Melbour-
    ne, houreiio dia 14 de setetnbro um iaceniweon-
    sideravel em Anjjdaad, litando dearuidas 38 ea*as.
    ,;- prejuizos clcalaia-se em l,ailOafJU) Irancos.
    A gO ieguas de Lima, dasprendeu-so.de uma
    monianai nm immeoso poda^ de terra de............
    )0,09O:i)00 metres cubicos, a qual ao cabir no
    valle c^uso*i grande i.umeru de vii-u'mas. 0 rio,
    oetulbado por &u massa enorroe, snbio 100 pe?
    acima d/> ni'"el srdinarw, e raceia-se que asaguas,
    ro.mpwida. epla Jjarrek^, iuandem a pazle i>awa
    daadadft,..
    Unj Lgdividuo iKM- nonw Fabri:.; Dupin aea-
    bi de faa?r urn viagem mem travel. Parito do Pa-
    ris aq dia tfde setembro, as 8 boras da man ha. em
    velo-ipe-le o ehegeu a Toulouse no dia 11 ;i 7 da
    n ote. l^evou-lhe portanto 7 dias a percorrer uma
    extensio de 820 kilomeiros Attendendo a is des-
    canjos iadispenaaveia, o que ee pode calcular em J
    13.Jior.tii por dia, .jnloii mait- de 200 kilometros'
    .II: pneumonia.
    Joao, braaco, Pernambnet;, 10 rnezis, Santo An
    tonio ; variolas.
    Anna Joaquina de Jesus, parda, Pernambuco, 23
    annos. solteira, Recife.: sezis.
    Manoel, pardo. Peraambuso, 18 mezes; bexi-
    gas.
    Jose Gomes Negreir is, pardo, Rio Grands do
    Norte, 17 annos, soHeiro, Boa-Vista, Hospital Pedro
    II ; variolas.
    Fraacisco do Livramonto, patdo, Pernambuco,
    23 anaw, sollelro, Boa Vista, hospital Pedro fl;
    tulierculos pulmonares.
    Aloerto, pardo, Peroambucq, iA annos, soRelro;
    8ea Vista, hospital Pedro II ; asystolia.
    Lourenja, pardq, Pernamhnco, '3 annos, S lo-
    -s^ ; bexigas.
    - 13 -
    Jose, braneo, Psrnambuco, i '.< annos, Poep
    taaipay*1-
    Mauricio, pardo. Perisainbuco, 13 mez*, Boa-
    Vista ; hepatite.
    Candida Maria de Gliveira, pardu, t'ernnmbaeo,
    46 annos, viuva, S. Jose ; gastre euterite aguda,
    Antonio, escravo, pardo, Pernambneo, 25 annos.
    solteiro, Baa-Vista ; bypoeraia iatartropiaal-
    Dellina, eserava, pajda, Psrijaajfiuro. 22 annos,
    salieira, BoaVisu ; variolas.
    Maoool Poaeiaao, pardo, Piaabv, 53 aanw sol-
    lairo, Boa-Vista, hospital Pedro II : tobereulos put
    monares.
    Alferes Augusto Fortunato da Cost} fjampello,
    branco, Perna.mbueo,-33 anno.'-. >l!eirc, militar,
    J se ; liepalit- e!tronia.
    'lacharel Antonio da Assnmpelo Cabral, Pernam
    btu, 67 annos, viuvo, Popo ; jnilataaeao do 0-
    galb.
    Fauslino Henri.qiie da Siiva, proto, rfrnanibuco,
    *>,!.. oAll^ti-i-i n,-^.Viof^ huni^i'li'lTlnlt il.T (*A.
    - Aggi'avwnte-q-carador-th-iiuaenlei. JeftosSrs.
    tiag) e Neiva.-iB*aTiWriMieniPr^
    Habeas corpus.
    Paeienle Antoaio Pereira R"al. Cin^eleram
    sol'.ura.
    Carta te-:..;,,nnhavn1.
    es Ferreira. Juizcs
    l-enc^aotB^o, He-
    gueira Costa e !> >ria Deram provimento.
    Ag^nvaatc Aaunio lose da Rjcna fJaJBC ittfa
    zes us Srs. ilesemb..rgadores Almeida Albuqaer-
    qne.l/nirea'o Sanliagn c Dirin. OeniWt pn>vi-'
    raeqto. \*
    Retursos crimes.
    OoBecfe. rt'irrcite I .~n Jose da Silv, re-
    corrido Jovino Jose de Mello, Juizcs os Srs. des-
    embargadores ^Domingaej SWva, Araujo Jorge,
    Regueira l/ista a Xeiv i. lente
    l)i Recife Recorrent'e 'A> Laiz Nepoiiinceiu,
    rec >rri'do n j.nz i. Jmzes us Srs. de-3n)barsadores,
    R'ga-ir.i Onta, Ddraln'gues Silva, Al-ni;!i Albu-
    qucrqne e Loaren;o Santiago. Improeedente.
    De I'anlo Affonso. Recorreuto o juizo, recirri-
    do ihlonio Man .el Meiide's. Juries os Srs. des-
    embargalores \r.mjo Jttrge, \tineida Albuquer-
    que. Neiva e Domiiigues Silva. ImproceJeiite.
    Do Recife. Recorrente lose Dativo do? Passos
    Bastos, reeoifi l< o juizo. iuizes os Srs d seni
    Jjirg-i.lores N-i a. Araujo Jorge. Almeida Albu-
    .'I'lerque e D.'i:niu.,'aos Silva. -Naa tomaram co-
    nliecimont).
    Ajgravauto 'Iregorio TbaiioiitariTo Sa Leitao
    Juizes os Srs. dosembargador'es Araujo Jorge,
    Liureiico Santiago e I) iria. t'er.un provimento.
    Appella. io crime.
    Da I'ara'iyb i.Aj'ipllant '. irvallu X';v,i, a.ipelljda a jnslioa. -Absilveram
    o appellaiite.
    r-A'SAGENP.
    Do Sr. d-jsembargaljr Loiren^o Santiago an
    Sr. descmbargadof Ai iieida Albiri'ucrqae :
    Do jury do lUafe Ap.iellinte o juizi, appella-
    d >sTi iiiiiio ) Jo-ii 1 >s S.mt-is e oiilnjs.
    D) Cab>. -Appellante o juizo, anjellado Manoel
    Felix da Silva
    DeGmana. -Appellante Marcolino Fernira
    da PaixAo, appcll idi a ia-t'.;-'i ; appellante o juizo
    nppellada Rosa Maria d, Espirilo Santo.
    Do juizo municipal 11 tea. Appeumte Manoel
    CanJido Martins e.uutro?, appeiialo flhonio Joa-
    quim de Figueiredo
    D) Recife. Appellante Aristidos Duartc Car-
    nciro da Cunha (Jama, a'ppellado Jdaquim Fran-
    cisco de Albiiipierque Santiago.
    De Bom Jardim. Appellanie Jose. Poieira Fil-
    goeira, appellado Bernardo G.'mes'de Moura Cou-
    iinho.
    Do Sr. desc:n!iargai)r Almeida Albuquerque ao
    Sr. aejembargagadof Doria :
    De Jaguarilie-iHcrim. Appellante 'oaqaim Sul-
    pino I'.ies libtao, appeilado O'ilii Paes Botao
    Do Cib). Appellalilo FfajicTsci Beringuer Ce-
    sar de Andrade, appeilado .uidido Jj?i5 Barbisa
    Romanzeira.
    Ao Sr ik'seifibargador Domingues Silva ;
    AppellacSeS crimes.
    Do Recife. -Appellante o desemhargador presi-
    Intedo jury, appelladi r.i )l i Tulenlino Negra
    monte.
    Do Sr. desombargal-.rDominsues Silva ao Sr.
    desembargadir Begaefra uisfli:
    Do juino municipal da I'aiabyba. Appellante
    .'ie.'.H! Forieira da Silva, appeilado tcnente-coro
    nel Ant.eiio (J;uriuo dcSoiua.
    Embargo rcracSlBd,
    Do Recife. -Embaigante Antonio do Souza Braz,
    embargado Jose Uves oarbosa.
    Do St. desembargador Araujo Jorge ao Sr. des
    embargador XViva .
    Do Uecife.--Appeilanie Joaquim Salvador Pes-
    s a de Siqueira (Jiv il'avti, appeilado Salvador de
    Siqueira Cavalc.inii ; appellante Feliciana Maria
    Olyoij.ia, appeilado Antonio Moreira d is Reis.
    Diligeucia crime.
    Ao Sr. desembargador promoter'da jnsliea :
    ho Recife.Appeilante oiuizo, "appcllados Da-
    rniagos da Costa Araujo e outro
    Appellacao civcl.
    Ay Sr. Dr. curadojc geral:
    Do ReCife. Appellante 1). Tlirlencia Anna Al-
    ves Ferreira, appeilado capintb Jos6 Melchiade3
    Bezorra da Silva (vista.
    A-^ignou-se dia para jalgamento dos feltos
    seguiotes:
    Appellacoes crimes.
    De Porto Calvo.Appellantes Manoel Bento da
    Silva e outro, appellada a jostiQa.
    Bo Buiqae.-Appellante Valerio Gomes de Sou-
    za, appellada a jusli^a.
    Be S. Hatheds.;=* Appellante Antonio Ferreira
    Lima, appellada a justi^a.
    9a Imperairiz Appellante Miguel Martnre dos
    Santos, appeilado \'ic('nte (Jorrfla (la Silva.
    Appellacoes civets.
    Do Recife.Appellante Joaquim Salvador Pcs-
    soade Siqueira Lavalcanti, appeilado io6 Domfn-
    gues Maia ; appellante Francisco Marques da Sil-
    va Bendes, appeilado Jose Joaquim Alves ; appal-,
    lame Francisco Ignaclo de Paiva, appellados h r
    deiros do D.Rita Vieencia tk Mello ; appellante a
    irmandade da Congregaeio, appeilado Be nardiuo
    Lo|ies de Oliveira.
    Do Bomto.Appellante Dr. Nabor Bezerra Car-
    eiro da Cunha, appeilado Manoel Pelippe de -Mel-
    lo Lins; appellante tenente-caronel Vicente Fer-
    reira Padilha Calumbi. appeilado Sezinando Sergio
    dos Santos.
    DisTRraptceBs.
    Appeilacao c>vel.
    Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :'
    Do Recife.-Appellante Guilberrae Augusto Ro-
    drigaes Seite, appenado Jose Redrignes de OHvei-
    raLuna e outro..
    Recursos crimes.
    Ao Sf- desembargador Almoida Albnqnerqae r
    Bo Bonito. Recorrente o jaizo, recorrido Di
    miagos lose Alexandre.
    Ae Sr. desembargador Domingires. 9irva : -
    Do Recife. Recorrente o juizo, recorrido Joio
    Joa^aim Jos6 de Saat'Anna.
    Appellaofies crimes.
    7A0 Sr. desembargador Neiva :
    DaParabybaAppellante o promoter, appella
    do Antonio Martins Marqnes.
    AaSr. desembargador Lourenco Santiago :
    De Alagjas. -AppeHante Manoel Ferreira da
    I'enha, appellada a juslica.
    Ao Sr. desembargador A. Albuquerque :
    De.Boni Janlim AppeUajite Bernardo Gomes
    de Moura CoiUiuho, appeUado JnveBal Freire de1
    Lima.
    Encewou-se a sessao a Ubora e roeia
    i ii"vi i -*u
    Sivr-in i
    mi
    Stepplo da Silva. NM|fMr.iin secjal
    _ 1 conscquencia do nao .*f(aj.i"ecimeat:
    'Lopes MaehaJo c Sa '->^Mk>..
    teal) sido apresan!'.dos' fliiJ'mesa imS-
    in do ser propostos os soguidH^ feitos: appel
    lante emhargada Maria Adelina de Mello, appella
    os ad
    edro di
    . por
    nz. :.,ip
    ia d'
    os os Srs.
    podendo p.
    i.neiro |ia
    ulos: ai
    spell;
    tes D.
    oi, appe
    rtdM| (i
    nento:
    ante
    M >H 1 10 lav
    Tavare^
    lr ii io 5c
    C ; appellantes Mariues, Santos & C^._ cesciona
    ri is de Diogi Pereira le Sua. appella!is os ad-
    minUtrajorosda masj.i tallida deSiive&ie Perei-
    ra da Cunha & C. ; appellante Joao Josd de Car-
    valho Miraes, appellados Jfymo Eneas Gomes flat
    va,faronyu B^l-ue. e D.Utsnla Cordddaa da
    BarStaaiW^ipf^aa^ft^ailino Bezerra de
    Menezes, appelU:K> Jose Cavaloaute de Albaquor-
    qae.
    PASS1GRK4 *
    Do Sr. desembargador Sil a Gaimaraes ao Sr
    d sembargador Uois Silva. -Appellante Gibriel
    Anlonfo di Castro Quintaes, appeilado o Dr. Na-
    bor Carnjfiro Bezerra Cjivalcanle.
    Do Sr desembttrgalor Reis e Silva ao Sr. des-
    embargador Aeeioli. Appellante iUuoe,! Piws
    Agra,appeilado Jj>-i Ji.i|jin da C,-t.i Maci-I.
    AGO 1AVOS.
    Aggravanle Raymaado Poreira de Si juein*, ag-
    gravadu Mathias Loiics da Costa Maia.
    0 Exm. Sr. eoaieuieiro pi-e-ideule a"io l*mou
    conhecimenlo.
    Aggravante D. Zeforina Constautiua do Rego
    Vdlar, aggravados os aJmiuistradoros da massa
    fallida do Manoel Jose Lopes li'Irmaos.
    0 Exm. Sr. coaselheiro prosidente deu provi-
    mento.
    Aggravates Mareeliuo 4 Silvano, ageravado
    Cleinentino Tlieot niio de Siuza; agjcavaaies I.ta-
    qnim Silveriu de Souza A; C, aggravado ojui'.o.
    0 Exn. Sr. cinselhciro pres.deate uegou prj-
    vimenio a ambos.
    Encerroa-se a sessao a 1 hora da larde.
    pre predtsposti a tudo
    de suas docatiai loau
    Pajs is miijieos, quo 1
    Uini a&iaA'Jtttito 4ri'*tM*NnMn-T.a i e iwsr
    |uc Hies eseapa ,. Sll. ^JtV- & wp-
    , dirzii a- hire/
    c ip:.zes do atmar aJm remedios promplu.'. ener- ^ di L slSS^SSSSA"^
    gicos para a cura do enfermo. o qual entretaDto J".<---" -.
    vai rocuperandoforea esaude da pro tracao lo-
    m '^ U i**a'. cm (|ue o deixaram, quaudo a sorl adafa
    jpermittir que fosse contiado aos seus caidados.
    I Aceilem todos os brasileirw houestos o coaselho
    po^ prouiiiGiants e f.icam o" v.cuo em torno dj
    Bjrfida aulico e a patria sera salva,
    brilhante e suave qual a sedaa mals Una.
    PARTE POLITIGA
    PARTIIM> 0\NKKV4HOR
    15ECIFE, 15 DI- OWBBRe DE 1S73
    OS PARTIOOS POUTICOi.
    Sabre esta e,iigr..pUe cscrevem os redactores da
    Prooiiici'i um interessaule artigo, tennioando pur
    um appella a tidos os bofDOns de beTn e bo-
    nastos, lodos os dracoes siuceros e p:Ufiu!ie.is pa-
    ra lazerem causa c mimum com o parti io liberal
    cm sua pngna afanosa.
    Esse parlido liberal, de qne fallam" os redae'o
    res nao e, pjrein, a autigo parlido ; in is km nova
    putido, cheio de fe nc futuro, caja ata/iasa pagna
    deve consistir em -i fazerem lodos os brasileiros
    hoaesios o cacuo em to: no do parlido aulico, que
    se debate uis agouias de uma uiorte ighomiaio-
    sa.
    Os proc-iuctauos coasideram como neces^arios
    de accordo com o Mr. ILppert, os p.irtid.s p liti-
    cos, mas como salva-guardas dos pripcipios pri-
    taordiaes, sobre os quaes repausam a soeiedade e
    b governo.
    Esses jirnicipio' siio conservadore- e progwssis
    las, os priaieiros que amonisain o ard >r dos poll
    ticos .-cquiosos de progresso, os segunl is pi: ve-
    ri6cam o impedem o entorpecimonto na conser-
    v.ieao.
    0 que lem-os ti lo no paia e cou^a, porfi n, mai-
    lo diversa, segunlo a npinilo dos redaolipes da
    Provinaa, m qoaej confessain que os n issos par-
    tilos pohticos tern sidoenfranque:idos o sop is.ua-
    dos por um poier conttiliudp, o qual almsando de
    suas allrihu'.qoei crimtUuciiHies, te.n sup/rfaaftt'
    d> a todos os oulros fodtrtt.
    t E'esta a.verdade, que os fact's qnoiidianos
    moslram aopaiz iuteiro.
    Xi'is teiiicis c msignado e vamis consignando es-
    las e outras mttitas coniisson dis redactores da
    i
    -------------r
    Trihunal da>
    SESSAO JUDICIARIA EM 13 DE -OUTOBRO
    DE *878. t-
    paasiDEMci* do ex* an, co>8i.HEjao aasELar
    rRAJiCWCO PJ5BBTM.
    SccreUrio inter'm, o official Tairt.
    Ao meio dia, oslaado reuuidas os Srs. des.-
    embargatlorqs Silva Cinmaraes. Reis e Siva e
    i Aoeiali, deputado Olinto Uastos, e suppleale "o
    Sr. Cuerra, falundo com participacio verbal o Srs
    .Prdvineia, os ipiaes o qao nao desejam.c correr
    a responabilidade directa e individual de to los os
    males publicos, cuja existoncia eslao, cada dia, a
    denuociar nas pagiaas do sua gazeia ; d sdo, ps-
    real, que a respousabiliJade desse-s mes.nos mils
    |io.ssa ser consiilerada como Stdidaria com j pai ti-
    ilo conservad >r,estao pminptus, nao oa ji lavi la
    a peJirem a absolvicao das suas passadas culpas.
    Achainofi que a ta'ctica nao e mal eqgea b'a la,
    nas p que n.io pndemos admittir e esaa. meio e
    recurso de defeza coin o compromeltimeiMo do
    torceiro.
    E' certo (e csta cialis^ao honra atfl corM poiuo,
    nsprovineiaiies, pea fraaquo/.a) qae o s-'ii parli-
    do nao tern sido um partido nec.essario, na plH.se
    do Sr. Hipparti defensor de principios e qae dps-
    presando as personalidades e o e.-piriio de faccaa
    c de pandilha, .so liana em vista o hem publico e
    o desenvolvimento normai dos recursos de un
    paiz ; pdo contrario tem sido um partido defensor
    de pandilhas ; apaixonado de ton so koinem ; lnc
    subordinsndo tudo ; explorador do estado o fa-
    zendo do poder um iustrumonto sou para ceifar e
    monopolisar os recursos da nacao.
    Acreditamos tudo isto, independentemente des-
    sa iogeaua declaracao, quoacima flea csiarnpada,
    mas declaramos, muilo ponemptoriamente aos Srs..
    provinciMos .que nao estaai-is dispostos a'repar-
    tir com o part id > consorvador a eulpabilidado de
    actos que me s.lo totalmenlc estranhos, e quo,
    pois, nie Ihe devem ser, de modo algum, impu-
    tades.
    Uma vez por outra la surge uma declaragao so-
    ria e grave dosprawnc/.nos com relaoao a politi-
    ca do paiz; o m 'te, po era, <3 serapro a 'inooarchia,
    glosado por modos di versos :
    Um dia e o pod?r pessoil, outro e o .poder niode^
    rador, depois os costumes pofiticos da moaarchia
    anrmedos do baixo imperio; mais tarde a mo-
    aarchia pessoal sophisma de um ter^o de svaulo,
    de costumes perdidis e yjugrenade* etc., etc.
    TaJo-isto porem, distribuem os prooinciauos
    comao-co, flcando destarte inuito satisfeitos c uis
    lhe reoitirewos o seguinte .
    Libazaes monarcbistas da Provincia nao po-
    dais occultar os vossos intuitos. Vos sois os.ho-
    mens dc todas as epocas.
    Estaes prompios a abracar e a bajuiar a mo-
    aarchia, qaaado estaes no poder, do qual eniau
    usaes eabusaes ; apenas apeados do poder,'quo
    eomproaioUeis e desacredilais, nia duvides atui-
    utr ao sysfeaia os vicios e corrupcio, .que e ohra
    vossa, exclusivamenle voita.i
    Os provinci*M devem, po.s, estukera coaven-
    eidos da razAo que nos .asaisie,-Quaado profligamos
    a sua politica interessada e aba-tardada e que le-
    ria perdido este paiz, se o lerae do poder nao lhe
    houvera escapado das miios inertes, ja quasi bera
    proximo ao naufnagio.
    Os provimtiaiw dizera : tqne ttw poder coiis-
    tituido esla oavaudo um abysmo insondave! ao
    painmas gue e ossepoder coustiltcid>, que abu-
    sa de suas attribuieSes constiluciqnaes que tem
    sopbisraado e supplantado lodos os ouiros poderes
    e enfraquece e mystilica os partidos politicos.
    E' o poder pessoal: e o pider moderador.
    Mas o que quereis subslituir por esse immeiuu
    poder, de mja circtUacdo se alimeiUa twite e din
    o esjuotreiiie tanto ws assusia e quando nao e
    ut'iis d> ym i) rena*cint4uto ou. antes a cojUiuua
    ^00 lutejUe do abtolutismo f ;
    V6s nada respoadeis. Semeaes os ventas, agnar-
    dando as lesapestades; levaniaes a ponta do veo
    e atigaes acariosidadeaaWica, para des-ortiaaro
    etpecirc, qae proposilal e aaalevolamenle lhe iizes-
    ts entrever.
    Quando ves vistes aiacaios por mas ouiros para
    .-pie de'cortinasseis todo o vosso pepsameatp, re-
    colbeste-vos de nova (aos bastidores, dep.ds qae
    viestas a sceaa publica declarar qne -melhor (6m
    qne IjI poder moo existirv.
    Agora wiiides dizet>no* e dennneiar parautB o
    paiz de not modo pjrtido, qae aao e nom c cansor-
    BOviii. Sr. Br. I.urena e meus
    uccuaadaireM.
    A Provincia pareee nao andar a goslo. Conti-
    da em seus excesses "pvla repruva^ao publica, e
    *Miibem pela dureza com- qae a exproboa o Jor-
    nal do Recife, fez um exforco supremo p3ra dar
    iregoas a luta ds eoavicios, injurias, calumaias e
    dftfamacae.
    Fez-se entao gazeta dlaria, e entrau em uma
    phase nova. Som abri no ldo, nWio da meMira,
    moslrou-so todavia mais comedida, e de lingua-
    gem monos desregrada.
    Applaudimos a sua concersdo, e ficamos create
    de que nao voluria mais a sua vida de bbertina-
    gem e execssos.
    Mas b nso do eaximbo, deillhe geito a borca, e
    pareee por isto querer voliar atraz. 0 seu n. 119
    deixa-nos suspeitar ijue esla saudossF do seu iriste
    passado.
    Sendo como c, a exprcssao do odio c rancor que
    o Sr. de Villa Vi<;osa conserva ao Exm. Sr. Dr.
    Luecau, d**pmposila sempre que se ve na hnpos-
    sibibdade de articular censuras eabiveis a'.s actos
    dosse disuuoto'administrador. A logica dos factos
    e irresistivQl, e a Provincia aclula-se ao seu peso
    sempre que irata de apreciar os actos de S. Exe.,
    e os reconhece diudos pela ja-lica e moralidade e
    pelo nobre empenho de bem servir a causa pu-
    ulica.
    Cansada de repetir censuras injustas, e ja van
    tajo-amente contestadas, alira se agora ao balofo
    lerreno das declamacocs e arguicoes vagas e inde-
    terminadas. Em seu n. 119 deu uma amostra
    deste seu proceder.
    Em (alia de boas razees coin que pndesse fa-
    zer desuierecer no animo publico o hem merecido
    concdito de quo gosa a administraQa-i do Exm Sr.
    Dr.^Lucena, levautou contra noi arguii;3es sem
    razao de sir : chamon nos de elogiadores intermi
    navels, disse qae balJos de meios para rafutar as
    suas accusacoes, temos recorrido a injuria e a ea-
    lumn.a, contra os seas redactores I
    0 publico e testemunha dc qne ainda nao dei-
    xamos c.n pe uma so das arguicoes feitos pela
    Pwincia ao Exm. Sr. Dr. Lucena; de quo tamos
    aeeejtado a discussai frani-a e lealmente em todo
    o lerreno em que tem sido posta.
    Se uma on outra vez fomos rigorosos e energi-
    cos em nossos aitfgos, eramos a isio levadis pelas
    e-ntinuidts i'l-ovueacoes, pel. s excessos, injurias
    e diffamicdes que transbordavam das columnas
    da Provi.-.cia.
    'Ain-la assim, respeilamos sempre a honra e o
    caracler dos nossos coniendores nao obstante ser-
    in is por eiles agredidos por todos os modos c alii
    em nossi repuhjia.
    0 publico dira se ha raT&q por parte da Proem-
    cia para argnir nos de calumniadores, a menus que
    nao iavoqae o adagio -chain i antes que te cha-
    mem.
    Entre nos e a Pm-incia seja nosso juiz o Jornal
    d> Recife : nao foi a nos que elle atribuio o cm-
    prego das diatribes e da impudencia.
    Eoiretanto !iz a Provincia que temos por ha-
    bito mentir, e 6 ell.i que poe em ciYculapao esta des
    bragada mentira :
    Os membros mais influjntes do partido con
    scrvador da provincia nao prcstaram adbesao os-
    Icnsiva ao facto d" 16 de main-----
    A prova esta om que o Palacio do Cadlpd das
    i'rincezas ficou transformado em um deserto, cuja
    in nvitonia era qnebrada, de vez em quando, por
    inapos do algans depu'.adis provinciaesaliados ao
    presileate par certo iilteresset pessoaes.
    Deixamos sem reparo este inlere'se pessoal.
    Como e o m ivel da adbesao dis provincial's, o
    veem, cm tudo, posto em conlribqieao.
    Mas quizeraiuos qae a Provincia indicasse
    quaes sai esses eonservadores influenles que re-
    cusaram apoio oslensivo a S. Exc. por ocea-iao de
    16 -le maio; tem is o direilo de exigi-lo.
    Xio e leal arriscar de modo vago proposiones
    tacs.
    Assegurajdos a Provincia que o Exm. Sr. pre-
    sileate reeebeu sinsoro e. leal apoio dos eonser-
    vadores inflnentes que so achavam nesta cidade
    duranto as peoosas occurrencias de maio
    Os cbefes do parlido, no senado. e os depntados
    geraes, na respectiva camara manifeslaram tambem
    decedido apoio a S. Exc. .
    "Aiada boj. 6 o palacio do Camp? das Princ zas
    frequentado polos njais disliactos conservad'res,
    deputados. senadoies e cbefe do parlido. A admi
    nistra;.fio il i Exm. Sr. Dr. Lucena uao encodtra re-
    p ilsa, nem desaff"iei i entre as inQueneias da si
    luacao.
    Tudo qnanto, em .contrario espalha a Provincia,
    pan invento seu, 6 assevisraijlin sem crilerio, quo
    nenbum eiTeito produzirii.
    Perde o seu latim, e o tempo que tem levadp
    era fazer o apanhado do passageus bisloricas,
    para fazcr dcllas as mais improprias applicacoes.
    Pelo caminltoem que an la. vai errado.
    SuoeessilA politicn
    Na>ha fiindamenlo para o juizo que faz a Pro-
    vincia de estar o partidi consorvador em cmninho
    de acephalia de chefanca. Se tal e o seu dosejo,
    nai o vera realisado.
    0 venerando Sr. Viseonle de Camaragibe man
    tem a suaposicso e ehelia, e os seusalliados, como
    sempre, Hies prestam a adbesao e confianca de
    que e digno.
    Que S. Exc nao tem projecto de deixar a sua
    posicao de honra, altesta-o a direcfao, se be-
    nefica e moderada, que vai dando a solieiiacao dos
    seus amigo*, a eleicao a que se vai procoder para
    deimtidos provincif.es.
    Perca, porianio, a Provincia a esperanca de de-
    bandada nas flleiras conservadorns.
    Santa Cni: Insislimos em asseverar que a Santa Casa nSn
    oppoz duvida a Idea da fundacao de uma colonia
    de orphaos em Pimenteiras.
    0 facto a que allude a Provincia passouse do
    mododiverso do que ella presume.
    A Santa Casa respondendo ao offJcio do Exm.
    Sr. prcsidente, declarou que o pairiraonio dos or-
    phaos tinha um saldo de 2:0 105, que podiam ser
    retirados, nao obstante estarem destinados a repa-
    ro- de edificios.
    Ne-ta resposta cscapon uma parte do que havia
    sido notado em junta, foideclarar-se a S. Exc.
    qae a fundacao da coloaia so paderta ter lugar
    depois da reforma dos estatutos do collegia exis-
    t3nte.
    Em outra sessao veriQcando a mesma junta que
    esta deelarncAo deixara de ser feita no olHclo, re-
    solveu que fosse, por aditaraento, comraunicada a
    S. Exc.
    V6 se, pois, do que fica exposto, que nao houve
    per parte da Santa Casa impugnacao a idea da
    fundacao da Colonia. E tanlo e asum, que os
    2:000jl000 ja foram entregnes, para serem ap|ili-
    cados aos reparos dos edificios exi-ientes em Pi-
    menteiras.
    4Hpi*e|
    apenas de oralKHio
    tempo, porem a sna pi
    pouea dura c em hrcv
    grande aniidoto por
    ile nn'ichuita e ui,
    jiublicu, um verdadeiii
    de-se asseverar como nm a
    que qualquer elaft dWpse,
    tarrh ', se ailivia a cura
    tro d 1 espaco da ponros d!
    em poucas boras. Os bronc.iiles
    curaveis pelos medicos, se alli;iam
    deputado T/ipes Macbado. e sea participaca-j opfcdor, nem 0. liberal, e. que se acha em pisiqio
    Sr. suppleale SaLeitao.jS. E: o.Sr. eonselbeiro Inimilde diaate detse paaw. qae divarciou-se da
    presideute alirio a "sessao qagao.
    Eoi lida e appr'o.vida a aeia.d*.6aMp defl. Com e8*do 1 Cada dia larn'fisagfi pravmiinM
    0 ese/iv.m .VJfiaqaej-qm'.mos'rw for rejUu-^do ama no.val1U.1ria a referir. ua eavillaJao politica
    sj.b u. g.aS'l em da la de 7 do corrente 0 u! imo
    21 annos, lolleiro, Boa-Vista ; hypcrtropbia do co-
    racao.
    Angela, paeta, Pernambueo, 9 dias, fi. Jost os-.
    pasaio.
    prateitp de letli*a qae lavrou etn sua somaoa.
    0 escriv.ii Alves de Drito, na masma coijfcmi-
    d.-ule sob a 2,8'J9 m da^f d 11. .
    ACOaf>AO.
    Aisianoti-SQ 0 que fora profaridQ ftaproiima
    Jnssada >e-sSo no feito entre paries.: appellante
    Dan do Okveira Luiie c Souza, ajipellailo AnjonLo
    Jose da Silva Maia. .. ^L,
    JULGAfUp.
    . Appellanle Antonio Joaapim da Silva Brito, ap-
    "Jlado Jose Cypriano do Araujo ; appellante Joa-
    m Francisco da Costa, appeilado Jxcob Cahii,
    A* cnilic5es do Sir. Portella
    A Provincia sob esta epigraphe arranjon uma
    liiswria mal contada, em que atlnbue ao bonrado
    Sr. Dr. Portella altitude de divergencia com a ad-
    ministrajio.
    ETinla flas muitas iotriguinhas qae anda a der-
    ramar, jem esperanca de que fagam fortuna.
    rintrefciii'.o, para nao perder seu tempo com el-
    las, conven declarar que 0 honra'do Sr. Dr. Por
    lella nenhuma cmdicao apresentou sobre a eleiqli
    de dsputados provinciaes, nenhuma difflcnldadc
    tem prornralo crear a corrminac.-lo do3 candi-
    datos.
    Ao contrario, 0 seu accordo e annoencia ao quo
    for, etn resuRado, assentado, nao e cou^a qne entre
    em duvida.
    Esta no ammo de todas os eonservadores 0 sen
    time ito da umao do partido.
    Cuide, pois, a Provinaa, do que vai la por sua
    eqsn, 0 deixe que 03 oatros gove'rtjem a sua como
    ouizcrem.
    ' Se la teem o^r. Bnarque di Macedo ccm 0 chi .
    tote Villa Belia, para ainedronlirjis popualres,
    por ca as cousas eorrem" de odtra feram.
    pj-opriadc creaqcas, para malar soaiente 0 tempo.
    Os vultos dosse puvo parlid, creaeao da cabe.}a
    de Meduza da Provincia, tudo sulwrdinjm a ana
    ventada^ue laatj^auperior e 0 pai; as contem-
    pja, deplorando.o estado. couverieodn o poder om
    iaatrunieulo de colbeita 0 .dasviaudo asjim. em,
    priweito da gr.oi, os recursos da nacao.
    Ora, eis alii urna- nova especulaea 1 deseeajujfl
    anciemas, que.aaoia vjerara descolirir a exwve'n
    desse novo partial. eiya,pjtiopgada .cxisiencia fcr- la*o lewauiie|s bcllusaculioraa
    ,raa a m.ajs |jo,qiapJlpTp_de suas assergoes. I quando vossas forroosas madeixas principiam a
    E des tempo preciso com in-jauelgacar. Fortidcai ed"ortaleeei de nuvo 0 oeaJ
    i phantaslicas, nojnlnito de mystifirarem | nco e as fibras am. rtecidas com 0 incomparavel e
    ga per algun
    alnieiitc e de
    qae nm
    mo upeitorat
    tuo beneOcia
    sgotavel. 1*o-
    ineonlestavel,
    tipaQao ou ca-
    seu uso dea-
    ezes deutro
    declarados iu-
    e as vexas se
    curam em uma semana, com esla preciosa e ex-
    ec leate preparacao vegetal; a melnor c a mais
    excellent^ de tolas Robastece e vigorisa os orgaos da raspirp
    faz expellir todas as mucosidades e a phlegms :
    cura a astlima cbrouiea ; n'uma paLivrajjao ta
    nom exisie um so eastn de desairadjo oH^ntifesba
    dos orgaos pulmopaces ou da gargatm, que nao
    sejam curados logo a primeira dose, e geralmcnle
    ficain perinaiienlem Mile curados.
    Ha alguns annos leuim eniiKcgado ijuasf cxclir-
    sivameiite em uiiulu pratica proh'^aiun.
    escnro de baudo de bacMIi 1 >> de L .ujjliu eJicmp,
    |i ir isso qae a principle nbs i'.e; a!^ain mole-'.ias .los organs Tjxpiratwios, ijunalnenie'
    hibereulosas, que havUuu sido iiU-niaj-js*-
    nii'iite in 1 liiica la- por este agente. A obagfvacao
    ulterior me tem demondrado qa-t 1 ell nWpode-
    roso auxiliar no tratainenlo des-as m detis* c-
    peciabnente nas de caracler eserufuloso. Por
    esle motive nao hesito em empregi-lo e aeoast-
    llia-lon'eslasa.mdicoes como am meio oMcaz para.-
    coBcorrer a cara lessas astadoa in niii ba.
    Porlo Alegre, 88 d 1 junbo de 1873.
    0|ixe i'ii/e.n os aaiasiottart'oN e-
    puchiiilios an ISiMsil.
    Continiuigao.
    t'AUA SS. BKeS. OSSnS. CO.XSF.l.lli:iltO SOUZA
    FilA>'CO EJOB1M LGftEM K aEDtT.SRE*!
    T'i %ao levant irds fatsos I'Steminhu*
    (8." mandamenl da lei dc !hu-)
    Os barbadinhos soseivem no
    Brasil para embrnteeer. o povo
    com a mais crassa snpersii;no.
    vendendo lhe re-
    ligiosas. (Palavras d..s Srs coii-
    selheiro? Jobim e Souza Franco
    no senado 1873.) -
    LC-se ii 0 n. 39 do Apislolo de 28"de lTein-
    bro proximo passado, assignaJoUm t(rtirne.j
    do Rio D>ce.
    uue.unv.
    0 dia doCorpo de Oeus no Valt'>-Viry>:m.
    Grande, extraordinario, sublime, rnirttvUhoso e
    0 poder di verdadeira religiSo m eoraefto d*o bo-
    mem I
    Ri'indita seja pois so ella e capaz fle t irnnr Co-
    rajoes de feras, antropopbagos cm uv.msos. rutrr.ti-
    des e inolTensivos cordeirin*hb3 do rebanbo le >-
    sus-C'iristi, apascentado actualmente pt-lo glorios <
    pontiiice Pi 1 IX 0 grande I
    Vamos narrar com tola a slmpltetjattNl e liutu-
    ralidade os prodigies ae civili-i.ai que eotre nos-
    sos Indigenas praticam 03 Revdsl ittjssionarioa
    apostolicos.capuchiiihos com 0 poJer da palavra
    divina e da fe calholica.
    Homens la dissas cidades graedes e eltiUsadas,
    l;\ desSa fauslosa curie do Riode Taneiio, iranspor-
    tai-vos em aspirito as flirostas virgens ao Hi B -
    ce, e co itomplareis 0 mais imponenfe ea., c'-.cit-
    lo que boaiem algum ha presenciad 1; asaiiar:
    vereis 0 selvagem, degradado physica, moral e in-
    telleclualmente pelo dupla apariamenti do sea
    deader e do centre da civilisaeao primitiva, cba-
    mado do povo a casa de seu Dens, ao gremio da
    grande familia chrisia pela voz apristohra dos mi-.
    ni?tros do Senbor !
    Era o dia 12 de jnnbo do correute ana <\c
    1S73, dia solomnisJimo do Saatissimo Cor;- > lie
    Dcus, Corpus Christi. No akleameiilo central in-
    digena da Immaeulada (',mceicao. no Uaatbacury,
    3.a circumscripeao do Mucury, tudo esla em mo-
    vimento desde 0 arrcbol do dia.
    A pe.,uena igrejido aldeaineoto construi.1 II
    paos e ccdierla"de cascas de arvores, queos indi-
    gpnas chamam caracos. acba-se mberbammU
    adornada de panno de algodao branco e tiicarna-
    11, fur.nando elegantes bamliinelias e sanelas ;
    Imdamente alcatifada de flores agrcstes eon.uia
    de frondosos oqueiro*, palmeiras, palm,; ;> -1
    outras cspecies.
    A' alguma disiancia da igreja erigiram os Revds.
    mis-ion irios japuchinhos um r.llar porlatil; e cn-
    Ire este 0 a capella plantaram os indigenas daas
    alas de palmeiras.
    Dep iis da missa cantada, sabio a procissf.o aa
    ordem seguinte : Na frente a Sanla Cruz, earre-
    gida pelo Sr. Antonio dos Santos, varao r.'itio.-o
    e anciao de 72 annos de idade, aba-lado f& Hidai-
    ro, senlur da rica fazeudada Foituna,o qual veto
    de 3 leguas de distancia.com sens lilims, parent**
    e vizini.os. fazendo picada< e .abrindo caminho
    para chegar ao aldeamento, 0 de facto ebegen no
    momento em que comecava a sahir a procissao.
    lam drpois os indigenas era duas alas ore'ena-
    damente com sinosintios e campainhas Me maos,
    de cujo Mae gostam era extremo. Seguc-so o
    celebrante Fr. Serafun de Gorizia com 0 Sanliaai-
    mo Sacramento emcuslodia, tendo a sen (ado,
    servindode diacono, Fr. Aagelo de Sassoferrato,
    e rodeados de radios de differentes iribus com ve-
    las accesas, campainbas, sinosinhos, e alguns com
    espingardas quo de quando em qnapdo disp.TTa-
    vara. Alraz do Santisoimo Saneramenta segoia
    uma multidao de indias em muilo boa orlem e
    compostura.
    Sahindo da igreja, a procissao camtnbc.11 pela
    rua tie palmeiras ale ao ahar porlalil, entoando
    os Kevds. mis byamo li-
    turgico : Tantnm ergo Sacnamentum, etc., c fll-
    terHadaaiente os indigenas em portnguez o oanli-
    co: Bemdito e louvado seja 0 Santianto Scera-
    mento da Eucliaristia, responlando as muiheres :
    Frncto do ventte tcufrndo' da Virgem Pviissima.
    Santa Maria.
    Chcgada-qne foi a procissao ao*altar, e ponsatla
    nelle convenieniemente a sagrada custodia, foi in-
    eensado 0 Sanfissimo Sacramento pelo aelebraple
    Fr. Serafim, e depoi< o diacono Fr. Angto icantou
    oEvangelho de S. Joao: In principio erat Vertmm,
    etc.; flndo 0 qual 0 celebrante cantou as oraeoes
    do costume, dando depois a bencao salemDerneaie
    com 0 Saatissimo Sacramento, -cooservando-so os
    indigenas emais pessoas proswados por .terra de
    ioelhos adorando a Santissima Euebaristia com
    profundo rpjpeit > e reneracao.
    Por fun voituu a procissao pelo mesma-aminho-
    e na mesma ardem para igreio, onle se reecmeu.
    *
    Eis aqui a narracao singela e Reel do qae s*
    passou no dia t2 de junho de 1873 no aldeamen-
    to da Iraraacalada Cooceicao do Itambacnry.
    Ora qiiem, ha um anno atraz, antes da viuda
    nwjfiicact'ft pm
    V?
    dos Itevds. missionarios capuchinhos, que teve lu-
    gar em'setembro de 1872, havia de aereditar ca
    ver que hordas de selvagens anlropopbagos mais
    ferozes e sangainarios do que as proprias onrasde-
    matto(l), acompanhariam este anno 0 Santissiruo
    Sacramento, 0 prccioso Corpo de Cliristo, em uma
    procissao Cio m3gestosa e bem ordenada, eortn
    se fossera meninos civilisados, humildes e iadffcn-
    sivos 1
    Mas nao e somente na docilidada para 0 cullo
    que ai ppde avaliar a obedieucia e affeiijao dos in-_
    digenas, ainda ha pooco bravios, para 00m os sons'
    caridosos e Jesinteressados missionafios. ^te
    Revds. iqifsiooarias capnehiahes abriram no al-
    deainento uma escola a qual concarreai as filht*
    dos indigenas em uumero avullado e eora Mda a
    solicitude, pelo que prometic os mais felizes resal-
    tados imellectuaes, moraes e sociaes.
    Oh I preen ihestimavel do preeiosissuno saugue
    de nosso adqravel Redemptor Oh I prodigjo 4a
    palavra divina 1 Ob exeuaplo edificanlo da afoot-
    gapao apoftoli'-a acs veriadeims uiinislros do Se-
    nhorl Obi poder iniudito da verdadeira cori-
    dadel
    All! So os nossos pohticos ao meoos e^uiiiaxaj1-
    sein as missiles catholicas no Brasil, tao clieiiis de
    caridadi, de.-int resse. a essa immigraran as maia
    das vezts dasaslrosa, quo laotos ados de a.aiezi
    e.cupidiz de.-luttram. e ci ra a qual 0 goverao
    Easta milbares e milhafes de conto de reu ... ^a
    ussos iiberriin estanam povoados
    nossos selvagens indigenas tdmiltidos aaiiseio.da
    gr. ude lainilia brasiltira. j^
    Um cento de mi>sioaarios capapnM|lM> ospa-
    Ihados pelos nossos serlOos, faria mai^doque
    actualmeutc fazein essa chusma deeais&anesdi
    colouisa;^o que nos vao emporrando para a
    riiKflm



    >

    f
    /
    n
    o i&iam dfc Jtaaaabaoo Qwu*a> feint c$#
    =
    mL=SCA=o..,
    qoa.i
    ^rirtsrt?

    strAgolros.
    ~emmercio do Rio >
    IWMWIBBIBT

    MHTQMS
    CONTRA 0 FOGO
    A coirrpanhSa IndemnisartOra, estabelacida
    awaaaqprina, toma scguros tnarUiulos sobn-
    navios e-seus carregamentos o contra fogo
    era Cififlcios, inercadorias o mobilias: na
    rua do Vigario u. 4, paviinonto terroo.
    COMPANHU ALLIANC4
    seguros maritimo& e terreo-
    tres estabelecida na Bahi&
    01 m 15 do Janeiro em 1870
    CAPITAL i,0OO:00O000.
    1'om.i segurade thread orias e dinheim i
    cco maritko > em aavio ile vela o vapors
    $ara J^ntro c fdra do imporio, assim come
    cotr logo sobre prdios, generos e fa-
    NMK
    Agnate : Joaquim Jose Gonc.alves Beltrao,
    rua do Conuaorcio n. 5, Pandar.
    Segnro coiitra-foge
    THE LIVERPOOL. & LONDON &. GLOF
    INSURANCE COMPANY
    .*. abates.
    ViV'I.RS BROTHERS<&G.
    1!Corpo Santo11
    tiafi
    NORTHERN.
    .... 2'),000:0003000
    i r-'.serva. 8,000:000ij?000
    Agr.ntes,
    . Mills Lalliam&C.
    MM DA CHIZ N. 38.
    QtWtP'AMIA
    Pfee ::: Peniambucana.
    i'^M riscos maritimos em merojdorins,
    rctos, linueiro a risco efinalinente de qual-
    yi 1, em vapores; navios a vela 00
    barcagaa, a premios muito modicos.
    WQA fK) CO.M.MEKEIO It 3..
    \FI.XT>\KGA
    I)csearregam- ftnje '3 de onluhro
    1 7. /M/.1 Fiij'iriiengfi varies ge-
    neros para 0 trajiiche Conceieao, para
    dn-p.-.i-iar.
    emio .If nn mercadorias para al
    Barca niv'.iojial -S, Jose -xrque ja despachalo
    para terra.
    Barn itsglaaa htvoiin carviio ja despachado
    tars d 1 ponto.
    Pataeho he?p inh 3 Pedrito -bacalhao ja despa-
    ehaiio para 0 trapiche Conceieao.
    Pal 11 Nertftt farinba de trigo ja des-
    p.. din '.a para 0 caes do Apollo.
    V I M'tii't ihi'i generos naeionaes
    para 0 trapiche da companhia pcrnam-
    i'ar.a.
    IicspanholaJuaniti xarque ja dospa-
    chado para terra.
    i: -r. i 1(0 dia i'-a 13. 412:388*480
    '< dii <.'t 47:271^180
    4o9:6-j.)/660
    lHl|0 3*laCilO.
    rtaiuburgo, palaeho allemao Murie,consigna
    (to a Keller ft C, manifostnu :
    ' stras 1 volume a Kabo S-limmeltau & C,
    1 a Ramos & Mtchaiin, 1 a Cuiiha A M.inta, 2 a
    Mouii r.| it >.. Aanuucios 1 caixa aos coaiigna-
    taric-.
    Uiii.iiu.'ilu i caixa a Mattos I.emos & C, 5 a
    Otto ftohxes &-G Blseontos 1 caixa a J. Hamos
    Macii..! >. Boloei t eaixa a \I. Haiti lay & ^- Bl
    iatto viai -n, I caixa a 1 tto ttobrm 4tG, la
    Maura & <:. Bagas 1 eaisa a Roivtelinan & C.
    ilcivrji 130 caixaa a Olio Uohers & C, 201 aos
    coasignatarios. Omserva 1 caixa a Paula Ramos.
    Cooro3 cnixas a M. Hailiday, 1 a B Oliveira 4
    C, Cbapiios 1 caixa a Sa Leitiu i Coimbra, 1 a
    Monh ifd & C. Dilo de sol I ciixa a Moiihard &
    C. Cachimbos 2 caixas a Sa Leitio & Coimbra.
    Charatoa 1 caixa a William Oito. Carvao 160
    bectoliiru< oa 16 touulad.is aos consignatarios Co-
    vadialia 13 garraRSes a Maurer & C. Caixinhaff
    vasias 1 aaixa a Maurer & C, 1 a P..ula Ra-
    mos.
    Ervilhas 5 garrafJes a I'aula Ramos. Espin-
    gardds l caixa M. Hallnlay. fincerado 1 caixa a
    Otto Itohros & C. Espeflnsl caixa a Monhatd
    Jc (.'. Bttii r 1 caixa a Maurer & C. Espjletas 2
    caixas a Olio Bohfei & C.
    FenMgens.2 barricas e o caixas a Otto Buhres
    "x C. Dila para oflhsin&s l dUa aos mesmos. Fi-
    guras d>: cera 1 caixa a Monhard i C. Fita 1
    caixa a B. Oliveira C. Fiascos vasios 7 caixas
    a Ca ts.
    Gcfu'hri 2,Ml) caixas, 30 barricas e 35 fras-
    ]aeir a aos < msignat irios, 200 caixas i order),
    100 a J. Raai & Machado, 20 a Paala Ramos.
    GarraTocs :.m is 'ui aosconsignalarios. Grampas
    1 caixa a Sa Le Uo & Coimbra.
    Jornaes caixa a Garneiro da Cunha.
    I,",;!:';-!- I garralQes a Paula Ramos. l,ouca
    2 caixas a Sa Liiitao & Coimbra
    Manteiga 2 caixas a Keller & C. Mnvjis % vo-
    lames a ordem, 1 a Tlieoibro Curistiansen, 13 a J.
    Ramos A Machado. Marmore em cbapas 1 vula-
    mea Tucoloio Cliristianseii. Meias 1 caixa a Ro-
    drigui-' & Giiiinaraes, 3 a Rabe Sehmmelau k C,
    1 aO:!> boh ^ C. Michi'ias de custura 4 vo-
    lumes > 9. m 4 ;. Mascaras 1 caixa a Otto Bo-
    hres A C
    Objectw de liiT) 3 crixas a S. P. Johnston.
    Dttos i 3 dltas a H. Carls. Oitos chi-
    p I. Ram-)s Machado.
    PliOsprroros 10"caixas a Monhard A C. Force
    lana I eatx.1 a J. Ramos & Machado. I'apel I
    irstPloinn it (]:, 1 far.l i a Maurer 4.C.,
    felfoi farlo a Monhard 4 C, i a J. Ramos &
    Madia 1 r.
    Bagtt l^garrafoas a Paula Ramos. SabS) I cai-
    xa a Otto Bohres. Saccos vazios 12 l';-.rJos a-)3
    coMRnau
    labjas ;li pi oho 18 aoscon-iguatarios. Tc.cidos
    2 aiamas a Mxihard 4. C, 2 a otio QoUre* 4 C.
    Ve'.\< 100 c lix is a VL Montciro & C, 10 a P. da
    Cunha & [rmaos. Vinlio llrt) caixas a M. Montei-
    ro 4 C. VMM 1 caww a li.rst.'liiian rSj C. 2 a
    M. Motilciro S; C, 1 a Maurer & C.
    New-York,"barca americana Casco, consigaada
    a H. Farster li i!-, uuiiitVstini :
    Aduilas II volumes a-8:iaw Hawkesd & C., 1
    a Cnnha 4 Manta.
    Barricas abalilas 3,481 volumes aos consignata-
    rioa. KaladiinhM 3 barricas a Ht do Amaral.
    Bret' i'. Costa & C, 10;) a S. Ama-
    ral.
    Gbx20 meias caixas a A. Corga.
    Bstcira K ntos a I. Uam is o; M.icliado
    Farinha de triso 30) barricas a M. Attitia & C,
    ."> a Ketier 4 C. 76 aos consignatirios.
    Kero-ene 310 caixas aCunhaft Iruiaos, 30:) a A.
    i-ignatai-io-, 300 a J. Pater 4
    a on.'em,
    ^ i! \ A'vn is aos CJiisign; t ir:
    Salsa 2't a A Ca irs.
    mi"* a Cunha & Manta, I a Fer-
    retfMi'Maib*!!1 Typos icaixa aos con^gnala-
    rio*.
    aos eousignatirtos.
    400 saccos com 30,000 ditos de dito.
    Na barca ingleza Monarch, para Liverpool
    carregaram : G. Neesen A G. 20 farJos com
    13,928 kikw da algoda-.
    N'o navio liespaauol MarisUttty, para Baroel-
    lona, carregaram : B. Oliveira it C. 148 sacuas
    com 10,939 1)2 kilos da algodao ; J S. Loyo 4 R-
    Iho 125 ditas com 9,203 ditos de dito.
    Para os portos do interior.
    Para o Aearacu, no vapor brasileiro P p/nw, carregaram : Fernandas 4 Irmao 1 pipa
    com 480 litros de agnardente, e 1 barrica com 72
    kilos de assucar branco ; A G. Pires 4 C 3 ditas
    com 180 ditos de dito ; L. J. S. Guiraaraes 4 vo-
    lumes com 10") ditos dedito. Para o Geara, Costa
    AC. 30 barricascem 3,0tO kiles de assucar reli
    nado ; i. F. Santos Bastos 23, ditas com 1,384 di-
    tos de dito ; J. J. da Rosa 22 ditas com 1,338 ditos
    de dito ; Carpinteiro Filho 4 Sobrinho 13 ditas
    com. 900 ditos do dito.
    Para Maeeio, no vapor biagileiro Giqttia,
    carregaram : J. M. Barros Filho* 4 C. 1 caixa
    com 30 kilos de doce.
    Para o.Aracaly, no biato brasileiro Joao
    Valle. carregaram : M. A. Senna 2i barricas com
    2,329 kilos de assucar refinado ; Davim 4 Fer-
    nandas iO ditas com 639 ditos de dito branco.
    Para A^agoas, na bareaca Florida, carrega-
    ram : P. da Cunha Irmaos 2 barricas com 193
    kilos de assucar branco.
    Para Alagoas, na barcaga Uniao,
    ram : B. Oliveira & G. 1 sacco com 73
    assucar branco.
    Para Macao, na bareaca Tres Irmas, carre-
    garam : Faria 4 Filho 1 barrica con 44 l|2 kilos
    de assucar refkiado.
    N M^rvf9^11" 'Vi'|r* ^ *rtmS N. 47. ManoeJ dos AnJ(*Ferreira
    a Real
    mi.zia da Coner
    Farihha de Irigo''IBOO barricas aos eon^ignaU''
    Jornacs 1 6aixa a fcallhacar 4 C.
    Maehinismo 30 volumes a Amorim IrmJo A C:
    Aracaju, vapor nacional Mandolin, manifas-
    tou :
    Couros 45 a F. Gonfalves Torres.
    Pedras de araolar 30!) ditas, de filtrar agua I.
    Rebollos 50.
    Sola 14 meios tudo a Francisco GoueaTves Tor-
    res. M
    .'ESPA'"?I0S DE EXPORT AC AO \0 DIA 13 DE
    OUTUBRO Dg 1873.
    Para os portos do exterior.
    No navio inglez Prade of the Comm-l, para
    New-yorck, carregaram : H. Forster & C. 3,600
    sacc4s com 270,000 kilos de assucar mascavado.
    No oavio inglez Dora, nara o C nal, car-
    regaram : S> Brother* i C. 1.C0O saccos com w
    73,000 kilos oV assucar mascavado; Viuva Basto? g*-.***?1* Theodora d Assumpwo
    i dito -^- 6J- ,Jse Joatuira Pereira de Men-
    48. Ao
    N 49. Fra
    cao Cunha
    X. 30 Aatenj* Moreira R
    N. 5L Joai|nli'GanQt.ade Sant'ArfU t
    M. 5|. iwlfiiti Tarceigpi Carm i
    N. 31. Mui el J': juim Rodrigues de
    Sonza
    N. 54. Irmaudade do SaotissiuioSftcri-
    monto de Santo Ant o io
    N. 53. Joanum Francisco Lavra
    N. 56. Luit Qomos Sifftrio
    N. 37. Maria Folippa da ConeeicJo.
    N. 58. Bentj Eleuterio de Souza Cas-
    tro
    N. 59. Os menores Mariano, Maria e
    Candida
    N. 60. Jose Gincalves de Sa
    2
    carrega-
    kilos de
    (.APATAZIA DA ALFANOEGA
    i'eadimento do dia 1
    Idem do dia 14 .
    a 13
    VOLUMES SAHIDOS
    So dia ia 13. .
    ?Rtrp.eiraportaao dia 11
    ^eganda ports .
    [fcreeira porta .
    Quarta porta .
    Tr apielre Gonceieao
    9:1421117
    I:082fi9i
    10:224iSll
    18,431
    86
    141
    I7>
    8
    IBJ55
    SERV1CO. MAR1T1MO
    \l\*rengi x alfandoga no dia 13.
    i)iU>s ditas no dia 14......
    \a\osalracadosno trap, da altandega
    Uvrengas........
    "'o trapiche Conceicao.....
    23
    23
    itEGhiJiifDORIA DE RENDAS 1NTERX.A5 G8
    RAES DE PERNAMBUGO .
    :iend..-iento do dia I a 13 19:562*077
    dora do dia 14..... 2:830*28i
    22.392*314
    GOXSULADO PROVINCIAL
    tjnpii_cnto do ilia 1 a
    "lam do dia 14 .
    13
    23:200*943
    2:115^,682
    25:316^625
    i#atfiMEfiTO M MBF6.
    % "*'" ...... "'
    Navios enlrados-no dia 14.
    New-York por S. Thomaz e Para21 dias,
    sendo do ultimo porto 6, vapor amcricano
    Ontario, de 3,5ai toneladas, commau-
    dante Slocutn, equipagem 83, carga va-
    rios generos ; a ilcnry Forstor & C.
    New-York53 dias, barca americana Casco,
    do 244 toneladas, capitao Penny, equipa-
    gem j, carga farinlia de trigo e outros
    generos; a Uenry Forster & C.
    Havre60 dias, barca franceza Alma Ma-
    ria, de 2G3 toneladas, capitSo Prado,
    equipagem 11, carga ditiorenti;s generos;
    a Augusto F de Oliveira it C.
    Navio sahilo nomesmodia.
    Portos do SulVapor amcricano Ontaiio,
    ommandante Slocum, carga a mesma quo
    trouxe dos portos do norte.
    36**1
    46*8
    37*920
    49*200
    54*000
    ^8>480
    51/000
    86*800
    635360
    43*600
    15*8i0
    46*800
    30**00
    30*400
    72*000
    48*960
    59*520
    190*800
    66*720
    ^0*i00
    57*120
    48*000
    G(5ii80
    HM)i200
    37*980
    50*400
    324160
    47*040
    37*980
    45*600
    38*4'K>
    44*400
    38*16u
    41*400
    38^ 41 iO
    45*600
    57*840
    33,5360
    30i240
    4436iO
    52*800
    45*600
    39*12i
    38*fr00
    41*520
    4l*S*0
    41*520
    463680
    56*640
    56*640
    38*160
    364040
    56*640
    60*9u0
    3253*0
    57*120
    53j440
    55*440
    78*000
    49*920
    E
    CITAB
    -ipor ajnerrciao (hitn-ir, cjusigna-
    da a II. Forster 4 Cr, nranifestou:
    0 Il|m. Sr. inspector da tbesouraria provisn
    cial manda convidar aos seuhores proprietario-
    abaixo mencionados, jiara entregarem na mesma
    thesmiraria, no prazo de triuta dias, a partir des
    la data a importancia das quutas com que devem
    concorrer para a factura dos passeios em (rente
    de seus predios sitos nas ruas abaixo designadas,
    devendo os pagamentos screm fcitos de conformi-
    dade com o disposto no art. 2" do regulamento de
    27 de junho de 1834.
    Rua da Penha.
    X. 8. Jose Francisco de Audrade Ju-
    nior. 46J800
    Rua do visconde de luhauma. .
    N. 32. Manoel Mria do Nas-im-mto. 34*080
    Rua da Assumpcao.
    N. 48. Antonin de Azev^.Jo Villarouco 21*120
    Becco dos Acouguinlios
    X. 20. Antonio Iguaei.i I'ereira Goelho,
    Tiuva e herdeiros do Jose da.Silva
    Pavao 33*040
    Rua de Domingo* Tueotonio.
    X. 44. Antonio Marcelrno -de ioaa 19*920
    X. 46. Filhiis de Manool Joso Bastos
    . de Mello 211120
    S. 48. Joanna Maria OaTriuJale 21*i20
    X. 30. Paul i Maria dos IVizeres 21*120
    N, 52. Geral.l.i dos Sanl is Meadonca 21*120
    X. lift. Josii Verissinij da* Anjos Morei-
    reira 4 Duarle 28*320
    Rua do padre Floriano.
    X. 3. Anna Joa-|uina da Silva 53*280
    X. 5. Jose Antonio Tradiqui 32*640
    Becco do Goncalves.
    N. 10. Rosa Gon.-ilvos de Jesus 126*iO0
    Traveisa de S. Jo-c.
    X. 4. Francisco do Souza Rego Mon-
    teiro 19*920
    X. 6. 0 mosrao 2.1*600
    N. 8. Seraphim Clemenle de Souza e
    Silva 21*600
    N. 10. Francisco do Souza Rego Mon-
    teiro 21*120
    X. 12 0 mesmo 20*400
    If 14. Miguel Francisco de Souza Re-
    go 1*920
    X. 16. 0 mesmo 19*440
    N. 18. 0 mesmo 19*440
    Caes do Apollo.
    X. 20. Viava dc Paulo Pereira Simoes 72*000
    N. 53. Joaqni n Loiz Vieira 129*60)
    N. 63. Rosa Goncalves do Jesus e ou-
    tros 88*800
    N. 63. Manic! Lufc G 78*48t)
    X. 67. 0 u>.esin) 167*520
    Rua do Dnquo do Caxlas.
    N. M. Justino Pereira do Farias 50*160
    i. Ord.tm Terceira d) Carmo 96*960
    N. 31. Francisca Maria G)rtez 52*360
    17. Jni Rodrigncs Li na 31*360*
    N. 20. Dr. J laquim Pontcs de Miranda 54*726
    Rua 0) V; lal de -V'ijiviri.-.
    "". 41. Rasa Candida Gi.r.lves Per-
    rciri -- 4!i580''
    iqt
    donca
    N. 63. Maria Tueodora d'AssumpCi'o
    N. 64 Antonio Joaquim de-Sonia Ri-
    beiro
    X. 63. Jose Goncalves do Sa
    X 66. Antonio Jose\Silva Brastl
    X. 67. A menor MaXa, fflha-. de Jose
    Francisco Brandao
    X. 68. Antonio Joaquim dos Santui Au-
    drade
    N. 69. Julia Seraphim da Costa
    N. 71. Antonio los6 Arantes
    N. 73. Prancisjo Jos6 Diasdh *5ili.
    X. 74. Joao Jose de Carvalho e filho*
    de Rosa Thereza Machado Costa
    IT. 75. Luiz Ferreira de Ahneida
    V. 76. Maria Egypciaca Real "
    N. 77. Joao Barbosa Mkniel
    X. 78. Filh is do Marciel Jesa Baptisti
    X, 73. Senhoriniia Marinho Montoiro
    Barral
    X 80. Antonio Fenandes Vcffosn
    X. 81. Cuslodio Antonio Soares
    N. 82. Antonio Fernandes Velloso
    X. 83. Jose do Gmito GuiruarAiis
    X. 84. Benedicto Jos6 Duarte Cedrim
    N. 83 Custodio Antonio Soare*.
    X. 87. Padre Luiz de .-Vraurjo Banbosa
    X. 89. Or. Kranoi^uti de Assi* Oliveira
    Maciel
    X. 91. Os menores, Mantel, Francisco
    e Vicente Moreira da Mva
    X. 83. Filhos de Joao Rodrigues do
    Moura
    X. 96. Manool Folix Al-Kaadte-, da
    Cruz
    X 98. Tiburcio Valeriano Baptista
    x 100. Maria Thereza dos Santos Li-
    ma .
    X. 104. Maria Ltuaa da Pariliaa'.-io
    X. 106. Filhos de Jose Francis'-.o'Bran-
    dao
    X. 108. Anna, illtia de Jose feJ0B-(iay.o
    de Miranda
    X. 110. Anna t'rsnla de Oliveira
    N. llfi. Dionzio G.mcaKes Maia
    N. lit*. Joaquim Josa" da.Costa Fajuze-
    N. 132. Maria, Jjuuno a Flora e tilhos
    de Can lido Jose da Fono. qa
    X. 134 Manoel Joaquim da Motta
    N. 152. Maria Venaucia de Abreu. Lir
    ma Banos
    X. 144. joao do Amaral Raaoso
    X. 146. Pedro Tertuliano da Cunha
    X. 148. 0 mesmo
    X. 150. Juvino Bandeira de Mello
    X. I--.2. Ferreira Cruz & ?runo
    X. 154 Antonio Jjiquim de Souza Ri-
    beiro
    X. 156. 0 mesmo
    Rua da Madro de Dens.
    X. 1. Irmandade dd Senhor Bom Jesus
    das Portas
    v'. 5. Dr. Lidgero GonQalvas da Sil-
    va
    X. 7. Antonio da Silva Pontcs Guima-
    raes
    X. 28. Galdino dos Santos Muniz de
    Oliveira
    X. 32. Jo-e dos Santos Nunos de Oli-
    -veira
    X. 36. Francisco Machado Pedroza.
    Rua do Marquez do Olinda
    X. 66. Maria Rita da. Cruz Neves
    Rua do Duque de Caxias.
    X. 39. Afltinio Jjs6 de Magalhaes Bas-
    tos
    X 52. Capella dos I'razeres dos Guara-
    rapes.
    X. 27. Gaiiherme Augusto Rodrigues
    S>'tte e outfos
    X. J9. Antonio Jose de Magalhaes
    Basl
    X. 31. i) mesmo
    X. 37. Irmandade das almas do Recife
    Rua do Vise mde da Itaparica.
    X. 51. Manoel Jooquinv Ramos e Silva
    Rua Ilha do Carvalho.
    X. 1. Ordi.m 3* de S. Francisco
    X. 2. A tnesiua
    X. 3. A mesma
    X. 4. A mesma
    X. 5. A mesma
    X. 6. A mesma
    X. 7. Tito Avelino de Barros
    X. 8. Castodla Maria '"ardoso Vieira
    X. 9. Joaquim Dias Fernandes
    X. 12. Dr. Clemente Jos6 Ferreira da
    Costa
    X. 13. Joaquim Dias Fernandes
    X. 14. Macia Francisca de Almeida
    Gomes
    N. lo. Joaipiioi Dias Fernandes
    X. 17. Dr. Clemente Jose Ferreira da
    Co-ta
    X. 19. 0 mesmo
    X. 2:'.. () mesmo
    X. 23. i* mesmo
    N. 16. ii.moel Goocalves Ferreira e
    Silva c j,..-,; Costa Uuurado
    X. 37. J.-aquim Dias Fernandes
    N. 39. Pedro Jose Chrisliani
    X. 43. t) n,"smo
    Xs. 42 a 48. Manoel Ferreira da Silva
    Ramos
    Travessa da rua Bella (hoje
    Ilha do Carvalho).
    X. 2. Joaquim Dias Fernandes
    X. 4. Tiburcio Valeriauo llaptisla
    X. 6. O mesmo
    Rua il" Bruin.
    N. 87. Zeferino Ferreira Velloso
    N. 89. U mesmo
    Xa 91 a 95. Viuva e herdeiras de
    Joao Fernandes Parente Vianoa
    Rua do Brum (hoje Bario
    do Triunjpho).
    X. 104. A mesma
    Rua da Aurora.
    X- 83. Tiburcio Valeriano Baptista
    N. 87. O mesmo
    N. 89. 0 mesmo (
    Caes Vinto e Dous do Novembro
    X. 2 Darao do Livramenlo 100*400
    N. 4. Jose JoaquKii da Silva Maia 112*800
    X. C. "fcaucjsca Thomazia da Coucci jjo
    Cunha 96*000
    X. 8. A mesma 94*800
    N. 10. A mesma 72*0)0
    N. 12- Rita Maria Francisca "o> U-
    meida 73*200
    X, 16. Herdeiros do Domingos Anto-
    nio Gome- Guimaraos 71*320
    X. 18. Bea*) Antonio Gomes. Guima-
    rSos 7O*S0a
    X. 20. Albino da Silva Leal 70*320
    X. 24. Francisca Thomazia Ja Concei-
    cao Ctmlia 132*000
    X. 34. Joapn'm Jose da Costa Pi-
    nheiro 6fl*f00
    X. 36. .!>Mo\iim da Silva Castro 76*080
    X. 38. Hermeoegilda Candida da Fon-
    ceca Soares 3UE20
    N. 4:>. A mesma S0*i(K>
    X. 42. Isabel Maria da Fonceca Soared 115*200
    Rua Vclha (hoje Pont* VeBia).
    N. 92. Joaquim Feujcisco do Aaevado
    Campos 1 '2*560
    Rua Priineiro do Mar.o.
    X. 20 Herdeiros de Francisco de Paula
    Correi le Araujo 22>*7S0
    Rua da SenzaUa Nuva (hoje-
    D. Maria Cisar.
    X. i Santa Cwu dos Onoeiros do Ra-
    38*fii0
    Travessa do Ouvidor (hoje
    Marque z do Recife).
    ft I, FraoeUca ThomazLj. da. Cumcei-
    33*600
    tadega Velha (ho]o rua
    do Commerci
    M. 2. I H.'zerra Beltriio d
    rau; H6
    N. 4. Antonio de Azcvcdo Pereira 5920
    82*8X)
    30*720
    22*560
    253440
    19*680
    33*33 i
    249*600
    65*040
    1513680 \
    31**330
    67*300
    85*440
    58*350
    139*440
    29*760
    40*320
    22i560
    19*200
    21^12
    151*680
    19*6Si
    19*920
    18*240
    223560
    18*:40
    lOi.680
    18*240
    18*210
    484240
    26*880
    2tiii884
    20^040
    1303480
    234760
    160*360
    143*3*0
    404320
    38*8 0
    182*41.0
    113*200
    It 8*000
    201*160
    727*680
    278*400
    il Gon

    zaila Velha (hoje Domin
    go* 3m6 Martins)
    N. 36. HerlWftw'do Joanna Maria da
    Tiindada
    N. 38. Irmandade das Almas lo Re-
    cife
    Rua da Guia (h . tanracSo)
    X 2. Jose Reftplgaes Lofn.T
    X 4. Theoddrtndo Augusto do Rego
    X. 6. Viuva de Joio Antonio da Silva
    X. 8 Francisco de Miranda Leal Seve
    e outro
    X. I0v\ntouio, filho dc Jowptia Maria
    da Concaijij Lopes
    X. l2..UMJiAiaavei Dabour*
    87*600
    170*610,
    26*40J|
    23*680
    24*000
    23*200
    32*400
    30*480'
    descarregada em 17 de abril de 72,
    e consignada a H.'dd Caslro Soare?,
    cojtenuo
    , contend.)
    _/ei Duboureq 30*480
    X. 14 MMtagos Jose Maehats 1SH80
    X. W. Trllcis5ftr,Jr8llrts
    '* ish'K'
    15*840
    !***>>
    ia*poo
    83*010
    15*120
    16*800
    Uocco das CarTaihp.- tma Iri
    wssa d i Sorigarlol.
    Jf. I. Joio Jose da Silveira
    Largo do Paraizo.
    N. 1. Irm.iadAde de Nossa Sealiora da
    Soled *de
    X. 3. Migoel Goncalves da Hrito
    X o.^SSHfe Cavalcade de Atbu-
    X. 14. Jose Pedro de Oueiroga Mi-
    randa
    X. 18. Manoel RoJriSnes i|j Mertdon-
    X. 30i HerdKtf de lose da Fon.eca
    Tclles
    X 22. Maaotil! Ferreira da Co.-la
    Rua-do Cabuga.
    X. t. Leopold* ioni FeJippe Sanli
    o outrps
    Rua do linperador.
    X. 12. Bariio do Aracagy
    Rua de Santo Amaru.
    X. 2 Podro de-Alcantara aos Guimi-
    raes, Peixylo
    X 4. Miuoiii. Rlbeiro dn CarvaHio
    X. 6. Mlrandolina do* Guimaracs Pci-
    xolo
    X. 8. Franeisco Atves da Voiga
    Rua da Roda.
    X. 62. Dr. Mam el Gome* Viegas
    Becco do Goncalve>. .
    X. 10. Rosa Goncalves de Jesus
    Rua de S. Francisc.
    N. 1. Thomaz Teixeira Bastos
    X. 3. urdem 3' de S. Francisco
    X. 26. A mesma
    X. 45. Herdeiros de Henrique Gybson
    X. 47. Os mesinos
    X. 49. Os mt.-m is
    X. 51. Os mesmos
    Rua do Xogueira.
    X. 46. IrmaiidaJe do S. l\Jro
    E para eonstar, ?e rnandou puMicar o
    pelo jornal. .... '
    Secretaria da tliejeurarBi provincial
    nambuco, 8 de outujiro de iS73.
    Offlcial-nrior,
    Miijnrl AffoMv Ferreira.
    O Dr. Sebasliuo do Rego Barros de l.acer-
    da, juiz de lireito especial do commer-
    cio da cilade do Recife de Porrmmbueo,
    por Sua Magestade Imperial, que Deus
    guarde, etc.
    Fag i saber quo no dia 13 de novenbro do cor-
    renle anno, as 11 Imras da manha, na sala dos
    auditories devera ler lugar a reuniia dos cre.lo-
    res da ma'sa failida de Fcnvira'cx Loureico, para
    verilicarem so os creditos, deliberar-se acerca da
    concordats ou formar-se ponlrato de uniao e no-
    mear-se Jdmiuistradores a dita inassa, certo dc
    que os crelores nao seriio admittidos por
    procurador, gem quo oste exhiba proc.ura^ao es-
    pecial, a qual nao uodera ser conferida a devedor
    do fallido, nao podendo ontrosim uni so indivi-
    duo- r.'presenuir por dons liversos credores, e que
    ^era havido o eredor quo nlu comparecer, eo-
    mo ad lerente as .-esnlucoos que tomarein a inaio-
    ria de votos dos credores que comparecerem, com
    lanto que para ser valida a cuucurJatp e necessa-
    rio que seja coneodida por urn numero lal de cre-
    do: es, quo represento pelo mencs a maioria des-
    tos em uutpero, e dous tercos no valor de todos
    os creditos, sujeitos aos effeitos da concordata.
    E para quo cbeguo ao conhecimento de
    todoSyinau lei passar o presente edital, que
    sera ojy^tado nos lugares do costume e pu-
    blicado pela imprensa.
    Dado o pasadj oesta cidade do Recife de Per-
    nam'iuco, aos 16 do mez d setembro de 1873.
    Eu Ernesto Macliado Fretre Pereira da Sil-
    va, escrivao.o subscrevi.
    Sebasliao do Reijo Barro* do Lactrda.
    73*200
    378*240
    5**400
    36*680
    211*200
    169*200
    127*200
    18*240
    28*800
    96*000
    31*200
    31*200
    31*200
    118*560
    9-'* 160
    presente
    de Per-
    Edital n. 80
    I23*'0K)
    Pida in'pectoria da alfandega se faz publieo que
    nao se teiulo effectua !o a axrematae*} das raerca
    dorias abaixo inencionadas, annunciadas por edital
    n 79, por falta do corrr.unencia. se transfere a
    mesma arreinatacao para salt boras da manha
    do dia 14 do corrente, a porta desta repai ticao.
    Aniiazcm :i 2.
    M.iKayJSG sen) numero 3 barricas
    viu las do Porto ua.tm.'a portugneza
    Sog^il, descarregadas em24 da julho
    iIb7i. e omsig/ndai a Tlumvi Jose
    dos Santos Cmoa, contendo ferradu-
    ras para aniinacs pesan lo :iquido
    leeal-496-kilo-, avaliii.hw por 163*681
    IdemJAAiC n. 1096-1 caixa vindade
    i.iverp ol n i vapor iiwtnz Jurist.
    desearregad i em *4 ite L-vereiro de
    71. e cousigoada a J. A, dd Araujo ,
    A C, conteu lo 1* elwne"s enfeita I -
    para senhor.i, l.' bunats de la nao
    tspec licadog, e 33 duzias ou 420
    lei'iues de sauJalo, ordinaries, ava-
    liada po 1:764*000
    11 ni lamha lruia.) sem numero I eai-
    xa vial* d>.P.jrto no bridle portu-
    giittt Tr'nimplm. aescarrcgada em21
    - d>UN-ode 72, consignada a Cu-
    ntuitSj b"mao, contemlo doits kilos dp.
    folhetos em br.ichura, avaliada por, 8*000
    IdfimCMsemiiuiii.'i'o liFta ideai i-lew
    ern i idem, a Jose Joaquim Ja Costa.
    Maia, contendo 4 pcqiienas. latas,
    sein Val&r,
    Idea JF,L o. 3 a 10 6 caixus vuila.s
    do. Potto no bjfcigne iioctu^ac/ L'niao,
    descarregalas em 8 do }uUiu de 72.
    e consign 14 is a, J. M C Lunuo con-
    tciuU 6. tignraa pam var.lim; de po
    do pedta^pooaadi) 6i7 kilos, avaliada
    pir
    IdenitliaiuanleBiS'R, s*i nuoiero 1 ia-
    . ta vasia, yinda de Liverpool no vapor
    ing-ha SludeiU, descarrogada em 9
    do juln > de 72, e e*>n*ignda a coin-
    paaliia de tiilkis urUauiyS do Recifti
    a Casaioga, saot valnr.
    ^ueiuJAiB-suiui. mwni(ii,-l caixa idem
    no vapur. igkz (Und-aJor, d<'scarre-
    gadaeiu 11 do oitluuro '1*3 72. a em-
    siguada a J. M de Barren FRk>s
    AC, se:n valor.
    Id.ni ffiamaftle LRF n. 42-1 caixa,
    igaora >, sontendt) 43 kilos, peso li-
    quid)) red. [nvgos Je ferro, avaHada
    p..,- 9*000
    Mem Mendea Azovedp* C. sein nume-
    roI pacote vindode Liverpool no"
    vapor n\ji,[m Gussenili', desgarrega-
    do e i) 18 de ontubi-.i-de '-', e con-
    siftftad-j a Mvnde, Azevedo V- G,
    contendo 38 kilios do eneeiadodo al-
    godao.avalia.do por 44*308
    Ide'm 02 n. I' i ^'saccos, viados de.
    LivCrp nl n > vapjr ingle* G iseen k,
    entrado em IS oe outubro de 72, e
    consignados a Tnomaz dc Aquino
    H6n*iiia *f. Si*cejone, ojvicimjw
    f.ivas a! menfticas ja estragadas, ava-
    hados p., '.0*900
    WemCPP n. I -l.bacrieniiiton no va-
    HOf ingles Simbnt, desc.tnvgada em
    IW jnllmda 7*, igiK-ra-so acousig
    nacao, contendo 26 kjlos de earbJ-
    nan> desoc'a, avaliada por W3*060
    Sera m o 1 fardo,
    tanora- i kilos de fo-
    m'a csnccificai
    ava ^ 20*000
    Idem n. 2fr 1 caixa,
    ignora-so, contendo obm* (te ferro
    "MMuhk.MNPlM pesando li*lu
    aljada, por. 16*263
    Idem^H ::iimero f caixa, vn:
    do Portroa Bareaportttgneia Sor
    IdemS
    no vap
    macaai
    Idem diarJIMaH aWBH.
    Idem ALP-13 saccos, portpfpci U4adv; contendo all
    pesando h'quido real 310 kilos, ava-
    Iiadns poi 31*160
    Alfandega de Pornambuc^, II de outubro dc
    OrtlJ H 6 inspeetii /
    Fao Edital n. 81.
    ela inspectorla da a faodega se fa* publieo qac
    no dia 16 de eorrenie, as 11 .*>oras dt manh.1, se
    ha de arrcmatar. livres dediceitos, a porla desta-
    reparticao, OOpt^iieuos volumes^ etcndo diver-,
    sas amostras, avahauos por 4.3*354, aiiDunciadas'
    para consumo por edital n. 98, qae deixaram de
    see deipaehadod dentro do praao marcado.
    /Ifandega de BornrBboco, 11 dc outubro de
    1873.
    0 inspector,
    ____________Fabio A. de Carvalho lie is
    Pela inspectorla da alfandega sc faz publieo que
    is 11 boras da manha do dia 16 do corrente se ha
    de arrematar, livre de direitos, a porta desta re-
    particao, jirg fogao de ferro Ijundidv comalgumas
    pejjBjditeri.raJas a aliado p-,r 30*, viadp no
    brigne soecn Ola*'.*, e afcandonado aos direRos por
    Wilson Rowe 4 C
    Alfandega de Pernambnco, 13 de ontubm de
    1873.
    0 inspector
    Fabio A. in C. llsis.

    Re
    Souza.

    0J)r. Sebastiao do dago Barros de Lacerda, juiz
    de djreito especial do commercio nesta. cidade
    do Recife, do Peruambuco, por S. M. o Impe-
    radur, quo 'Deus guarde, etc.
    Favo saber que no dia 2S do corrente mez de
    outubro, as 11 horas da manha na sala das au-
    diencias, devera ler lng.tr a reuniao dos credores
    da maasa failida da vinva Amorim & Filho, para
    proceder-se a tomada de contas do admiuisJrador
    da dita ni.is.-a, e dar-.se ou negar-sc quilai^ao
    plena aos fallidos, curios os credores de que nao
    serSf) admiuidos por procurador.es sem que ox-
    hibaiu pn.c.uracao especial, a qual nao pooVr.i ser
    conferida a devedor dos fallidos, nio podendo,
    outro sim, urn so indivi luo reprosentir por dous
    diversos credores, e qua sera, havido o eredor que
    nao comparecer como adherents as resolucoes
    que tom.ir a maioria de votos dos credores qae
    comparecerem, com tanto quo para a auitacan
    tornar-se obrigaioria, e necessario que concordem
    em a dar dous terqos dos oredores, em numero
    Sue representem dous teroos das dividas dos cre-
    dos por solver.
    E para quo chegue ao conhecimento de todos,
    mnndei passar o presente que sera publicada pela
    imprensa e aiflxados nos lugares do costume.
    Cidade do Ueeije, 13 de outubro de 1873.
    Eu Manool Maria Rodrigues io Xascimento, es-
    crivao o subscrevi Ri-cifo, II de outubro de H73
    Sebuitfiii') do Regn Harms iU f/wertn
    Ktlital u. 3.
    Pela inspectoria da alfandega sa faz publieo
    que, as 11 horas da manha do dia 17, se ha de
    arrema'ar, livre da direitos, a porta do-ta repar-
    licap, II pec-as de morim de algodao estampado.
    pezando hquiJo rial 44 kilos, completam<-nte
    avariadas, ibandonadas aos direitos, por Linden
    Weydman & C... aritiados cm 71*72*', que faziam
    parte do conteiido da caixa marca BB Ctriangu-
    lo. numero 121. vinJa do Havre no vapor fran-
    cez Ville de Bahie, enlralj em 22 da setemaro
    proximo finlo.
    Alfandega de Pernambuco, 14 de outubro de
    1873.
    0 inspector,
    Fabio A. de C. lieis
    i4WII
    .aic
    INSTITUTO I
    GR&PH1G
    EO
    0 E GEQ-
    ERNAMBUGANO-
    Havera" sessao ordinaria quinta-feira, 16
    do corrente outubro, pclas 11 boras da ma
    nba.
    Ul;l)|-.M DO DIA.
    1." Pareceres e- mais trabalbos de commis-
    soes.
    2." Palestra litteraria.
    Secretaria do Instituto, 13 de outubro de
    1873.
    J. Soares d'aj-evedo,
    Secretario perpetuo.
    SoeterfiMte iSi'jj^i^Jilo Lsis>i!ra-
    silcira. -
    A directoiia desta sociedade, liel ao cumpri-
    mento de sen' deveres no desem onho do man-
    date que Hies foi conferido pelos seus consocios,
    tern eulendido <|ue a base fundamental- do credito
    social e beneliciar a todos aquelles que nas con
    formiuades dos estatulos tern dircito, satisfazeado
    ella este coinpromisso .e honra julga-se coin dl-
    reila de exigir daquelles socios que se acham a
    dever quer as mensalidades quer bilhetes de be-
    nelicios obtidos em diverse emprezas, que se dig-
    nern entrar para o cofre social coin as quantia-*
    corresp mdenles a seus debites, afim de nao so a
    lirectoria poder desassombradamente abrir os co-
    fres da beneiicencia a seus irmaos; assim como dar
    conchisao as o'.-ras que artualmenle se acham fa-
    zendo na sede social. 0 irmao director, coavieto
    do espirifo humanitario de sens consocios, pe-
    de que facam com que 03 spiis propostos sejam
    iniciados, para cujo fi n a directona tern iberla
    a casa de suas sessoes tolas as quinla-i-feira* de
    7 as 9 horas da noite e domingos de 11 as 3 ho-
    ras da tarde, ua rua do Ini|ierailor n. 3.
    Secretaria da Soeiedade Beneficente Luso Bra
    sileira, 14 de outubro do 1873.
    0 1." secretario da directoria,
    Beulo do Souza Mir.i.
    Pela subdelegacia de Sanio Awtfu uas a-
    linas echamad) 0 Sr. Jose Roberto, conhecido
    por Cazuza Dourado, residente em Maria Fari-
    nha, couseiil.or ou irmao do senhor do engenhr
    Santa Cmz, afim de provar o dominio para Iho
    ser entregue 0 preto Cosine DamiSo, que diz see
    seu cscravo, e como fugido se acha recolhido a
    casa.de deten^ao desde 0 dia 1.* do conente.
    Santo Araaro das Salinas 11 de oututro de
    1873.
    0 .-ubdelegado,
    Francisco Pacheco Soares.
    Santa Casav,"de Misencordia
    do Recife.
    Pela scTotaria da sanla casa fa'-se scienle a
    quem interessar. que no dia 14 do corrente, pelaa
    9 horas da mauha, nosalao da casa dos expostos,
    0 lllm. Sr. thesoureiro fara pagniiento das inen-
    sa.fidadCS Wicidas ate 30 de setembro proximo
    liudo, as amas quo se apresentarem conJuziiiJj
    as cr sicas qua lhes Joram confiadas.
    Secretaria da santa ensn dc misericordia d<>
    Recife, 6 de outnbro de 1871
    O eserivio,
    Pedro RodriRiies de Souza.
    O admiaislrad.r dX reeeOeduria de rwndas
    internas geraes faz publieo que e este mez de ou-
    tubro 0 ultimo em que tem de ser-pago sem mul-
    ta 0 imposto sobre- industrias e profissoes, relative
    *o 1 seniestre do exercicio de 1873-7 4, 0 com a
    multa de 6 0(0 depois do referido met.
    Recebedoria, de Pernambuco, 3 de outubro de
    1873.
    Manoel Carneiro de Sonza Lacerdw.
    Santa Casa da Misericordia
    do Recife.
    A junta adwinhlrativa da Santa Casa de Mise
    ricordia da Recife, mmpt-rentemente autori-ada
    pela presidencia, em data de 3 de setembi
    anno proximo undo, e de confbrmidade com 0 que
    dipoo o g 9.' art. 32 do seu 00m romisso. per-
    muta por apobces da divida [uiblica a fazenda de
    criac gados quo passae 0 patrimonio dos esta-
    belecimentos de caridade a seu cargo deoomina-
    & Carttiuba sita iw wrmo de Flores desta
    irovincia, coin, twrenos para criar e plantar, a
    Join aJgam gado eivallar e-vaceiim.
    Recr-be para isto pronostas nesta secretaria ate
    0 dia 10 do dezemnro do corrente anaa.
    COMFANHta
    TliTLHOS^URBANO^!
    Recife a Olinda,
    Itebrdcm do presitkm-
    te d'n9s*rhf5lea geral clos
    accionistas da compa
    nhiii acima* faz-sescien-
    le aos senliores acciftHi*-
    tS. f^A>0(9 -" d'
    corrente pelas 4 horas ua ttjrdVj\ f\nn logar
    do costimie, irfero fiitircf&nfr if Tftsembiea
    geral em continuacuodisU'abaHiosdasesiJ^
    extraordinaria ad fa da, dos quaes faz-pacto ;
    bilirru do ^mer da coiwiis**tr-- ioaie||da
    para 0 ex a 1 mj das contas da di|eHori, ex
    bibidas com 0 clah>ri do mez de abril proximo preterrto.
    Recife, !0>do outubro dc 187*1
    O soc,ettirii>.
    Luiz Lopps Costello lirancu.
    Cttusellao 0.cn! |< Hi>Jttle Pio>
    PerlHguez eui i'draiwuuur*.
    De ordem do lllm. Sr. presidenle do mesmo
    conselho fiscal convido a todos.os 9r ros a 1 eunirem se em sessao, tfUuila. Ieiw 19 do
    corrente mez, as 6 e meia boras da la Ale, om Ha-
    loes do Gabinete P.ntuguez d^ Leilura, para cla-
    rein euinprimento ao que preceitua Q. J.-I.* do art.
    32 dos estaiutos.
    Secretaria do conselho (beal do Muul* Pi9 9m-
    tuguez em Perambuco. aos M- do oututfo de
    1873.
    Frederic 1 A Ices Pereira Pinto.
    ___________________2.' secntario.__________
    Juizo deorphaos
    N,o dia 17 do corrente sexta-feir.i, ebnltauaia,
    por ordem do Exm. Sr. dosemharpulocjuii de or-
    phaos, a praga dos bens pertonceiiteJ ioTespolio
    do Qnado commondador Manoel Luiz Viraes ; de-
    vendo nessa occssiao ser veudido*. p sobrado do
    um andar, sito a rua da Uniao n. 23, em que re-
    sidia 0 mesmo commondador, e que foi avaliado
    em 20: 00* ; c bem assim, os mojeise pfata quo
    na praneira praca nao foram ven lidos. A praca
    anuunciada tera lugar dapois da respecliva a-
    diencia e no mesmo sebrado a .ima inocadn, enJ*>
    deverao achar-se presentes os pretendentes, ,-
    depoi- de meio dia.___________
    Pela the.-ourana provincial se faz publieo
    quo foram transferidas para 0 dia 23 do current*
    as seguintes arrematagoes :
    Forneeimeato dos preso* pobres da casa
    de detenjao n> trirae^ire corrente de
    outubro adezembro proximo vindoum.
    Venda do silio dos rcmedios por 3:750.000
    Obras dos reparos da poote do Jun-
    queira por 5:720*100
    Stcretana da thesonraria provincial de Pernam-
    buco, 13 dc outubro do 1873.
    O official maiio-
    M A. Ferreiia.
    SANTA CASA DA MISLIUCOADIA' l)0~"
    RECIFE.
    A lllina. junta administraliva da santa. casa da
    Visericrdia do Recife, manda fazer public que
    na sala dc suas sessoes, no dia 16" dc outubro
    pelas 3 horas da tanlc, tern de tor arreiualadas a
    quem mais vantageas ollerecec, pelo tempo de um
    airs annos, ;.s rendas dos predios em segutda
    leclarados.
    ESrABELECIvEXTOS DJ-: CARIDADE
    Becco do Abren,
    Ssbrado de 4 andares n. 1 480*000
    BlU da Moeda.
    Casa terrea n. 47.......460*000
    PATRIMONIO DOS OIU'llAOS.
    Rua da Seu;ala-vedia.
    Casa terrea p. 16....... i09*l0ft
    Becco das Boias.
    Sobrado n. 18 ...... 4213&00
    Rua da Cruz.
    Sobrado n. 14 '. .... -1:000*000
    Os pretendentes dever*0 apresen'.ar no acto da
    irrematacao as suas (iancas, oa comparecerem
    km 1 panhados dos respectivos liadores, devendo
    pagar alem da renda, o piemio da qnantia em
    que for seguro o predio qn..,' c.miiver cstabeleci-
    meato commercial, astum como o servigo da lim-
    peza e preeos dos apparelhos.
    Seciv'ana da santa casa da misericordia do Re-
    cife, 2 de setembro de i873.
    0 eserivie
    Pedro liodrigurs de Sous a.
    TRIBUNAL DO COMMLllCSO DE PSR-
    XA.MBl'CO.
    Por csta secretaria do merelissimo tribnnil se
    fa/, publieo que nesta data infra foi admiuido a
    registro por d-'spacho do mesmo meretissimo tri-
    bunal de 6 do corrente mez o biato denominado
    Ftor do Jardim, 0 qua e do porte de 1*0 lonella-
    di, pr.-predade de Joai Jose da Cunha Lages.
    Secretaria do tribunal do conimercio de Per-
    naiobuco 14 de onluhro da 1873.
    O o iicial-maior interitto
    Inuocen.lo Anlunes de Facias T. rres.
    Veneravel ordem terceira de
    N. S. do Carmo.
    Xao podendo tor lugar no dia 13 do crrrente 4
    fesla da Matriarclia Santa Thereza ueJisus, poi
    nao qnernrem os seuhores reverendos saccr.lotes
    prestar.se a funccionar MMa, resolteo, enlrelanio.
    ,1 men regedora a decorar a igreja, hospital, e
    mais comparlimentos da ordem, alim do. exjora
    vi-ia dos lieis, desde 9 horas da manha ute" as lt
    da noite, locando durante esse tempo as bandas
    de mu-ica d.) l IjataOiao de artilharia da guar.la
    naci m?.l e do corpo de policia, havenno a node
    ladinoa canlada em louvor da mesma Matr'arcin :
    do ipie tudo por ordem da mesa dou sciencia aos
    irmaos.
    Consistorio da veneravel ordem terceira do Car-
    mo, 13 de outubro do 1873.
    Modesto do Rego Baptbta
    Secret..rio._________
    ADM1XITRACAO DOS CORRE10S DE PERXAA1-
    BUCO'15 DE OUTUBRO DE 1873.
    Malas pelos vapores Giqnid e Pirapania
    d compauhia pcrnamJmc
    A enrrespoiuleneia que tem de ser expedida
    hoje (15), pelos vapores art ma" mencionados p.. .>
    os portos do sul ate 0 Aracaju, e para os do n
    ate a ranja, sera recebida pela maneira -
    guintc : '
    Macos de joruaes, impressos de (|ualquer,D
    , e cartas a registrar, ate 2 boras da tarde.
    cartas ordinarias aty 3 horas, e estas ate 3 112,
    pagando porte dupio.
    0 administrador intcrino,
    Vicente Ferreiia da I'oroiunco 1.
    railfSo
    Santo Antonio
    EMPREZA
    ^^ I E"!* TTBil -
    Quarta-feira 15 do corrente.
    BEXEFICIO
    c despedida do actor poringnex
    SJJIMK'S
    . Programiua.
    Bepresentar-se ha a grariosa comedia em 1
    lo, original do Sr. Reran de Roussado :
    LUCRECIA
    T 111,111 parlc o> artistes Maria Bahia, Emi it
    Catnara, Xisto Bahia, Pedro Augusto, Floriudo e
    Camara.
    [uir-sc-ha, pela primeira a uuica vuz, a
    da comedia em 1 ecto ornada de musiea, do n
    torio do actor Sim5es ;
    .
    I




    [Uflm


    "^^iWM*


    :
    V

    i,
    ^B
    TrilHilacao e venlura
    Bistribial^ao.
    DeJgatlo Sr. Pedro Augusta
    Harwle 8r. Sfcnoes.
    Ittbel D.OiympiaV -
    Dennis tera Liigsf esU |uinca repre/eiilacit) da
    r<>inedu em 1 act.., de eosjumes porluguezes, Ira
    bamo especial do artists
    Siy&es
    intilnlada .
    Isidoro o vaqueiro
    Distriboicao.
    Isidoro Sr. Simdcs.
    Rosa D. Olympia V.
    Magdalcna D. Emilia.
    Saloios e Saloios.
    inalisando a comedia com o
    BAILARICO
    eantado e daneado por todas as Cguras.
    da muito applaudida comedia em 1 actd. com
    mnsica:
    ANJO E DEMONIO
    d^scmpenhada |ielos arlistas
    Manuela Lucci.
    Maria Bahia, Bahia, Vicente e Menezos.
    Terminara o espectaculo com a reprcseulaeao
    Prraeipiara as 8 l\i horas.
    Os oilhetes estao desde ja a disposicao do pu-
    biico no escriptorio do theatre
    Havera trem ate Caxanga.
    N'om dos mtervallos o' bencfici do ira aos ca-
    marotes comprimenlar sens convidados.
    0 actor Simoes, tendo de retirar se, para a Eu-
    ropa no priineiro paquote, aproveita a occasiao
    paraagradecer sinceramento an hospitateiro bow
    pernambacano as llsongeiras demonstrates que
    lao bencvolainente the foram dispcnsadas'
    Pacific Siena ftmgaliM Compan)
    Uiilia 4|Inzciaal
    OPAQUETE
    Y\lJ\U\ISO
    ^n-se <1a Eiiropa-arA < dia 26 ih correnip,
    '. deiioM da dcinora do costume sejtiiira para o sol
    do huuerto, Rio da Praia costs do Pantieu, pan
    oade rccebera passageiros, eueoumioudas o diukei-
    ro a frete.
    OS AGENTES
    Wilson Rime C.
    14RUA DO COMMERCIO li
    LEILOES.
    Quinta-feira 16 do corrente.
    BefleAcio do artisia
    .Fonquim Infant*- da fnmar.i.
    importable espectaeitbi !
    Com i eunciirso do distincto actor
    LEILAO
    DE
    moveis, loiicaevidros
    piano de jacaranda e 1 cofre inglez pro-
    va de fogo
    Hoje
    AS II HORAS DA MA NHA
    O preposto do agente Pestana fara icilao, por
    eonia e risco de quern pertencer, de 1 radbilia
    de jacaranda com tampos de pedra, 1 dita (jp jun-
    co =em pedra. I diia dirties, marquezoes. marqnezas, i piano dejaea
    randa, 1 cofre ingle? prova de fogo, louca, vidros,
    guardas luiiras, apandores, guardas comida, com
    modas, espelhos, relogios, quadros, mesas flasii-
    cas de6 laboas, cadeiras avulsas, ditas* de batan-
    co, 1 toilette de mogno com pedra, t commoda de
    dito, cerca de 300 eaixas com eliarutos expo.i<-ao,
    e muitos oulros artigo> que eslarao patentee mi
    acto do Icilao.
    QL'ARTA-FRIRA 15 DO CORRENTE.
    as 11 floras +
    A" 11 LA DO VIGARIO N. 11, AKMAZLVI.
    Siiades
    Subira a seena pela primeira vez
    drama era .* ados e G qu.-dros :
    o masninco
    HI/1 H lit f!
    OLT A ^ ,
    POBUE MAI.
    Em seguida. e a pedido a orchestra executara o
    galope do bravura, eonpnsieSo !o dirtinclo maes-
    tro Colas :
    Os jesLiitas 4 trote
    Terminara o espectaculo com nma bonita
    COME.il ff A
    do repertorio do distinctoartista
    Simoes.
    Principiara as 8 l|2 boras.
    0 beneficiado espera loda i proteccio do res-
    jreitAvul pubiico pernambucann, u quem desde ji
    agradece. Igualmente aprovwita a oeasfSo para
    agradecer ao sen eoflega Simdos a maneira ob-
    /.equiosa com que se prestoa para mate aliril >an-
    t.ii' e-te especlacub.
    N. B. Em urn d s intervallos, o beneiieiado
    ira aos camaiotes atrr^de^er.
    DE
    quiuiros a oleo corri liguras chinezas, no
    Restaurant Francais
    oriNTA-FElRA 16 DO CORRENTE
    *Vs If f, horas.
    0 agente Pinho Bnrges fara leilao de uns rieos
    quadros chinezes, na oceasia.i de eflectuar o lei-
    lao de niovei- do meson Restaurant Prancafs.
    Aviso
    0 bond que ha de conlniir o? Sr< concurrentes
    levara urn signal encarnado, e pariira da cstacao
    as II horas da uianha.
    CASA HA FORTIA.
    AOS 5:000*000.
    BILHETES CAKAXTIBOS.
    1' run Primeiro ntSrkt*r>l run d
    Crrspo} n. t3t ruaas A'-ham-se i Vi-n.ta us felizw I>iNm* yai ;hi!h1 .
    t.i i- ,K Afogsd'? 'Jtt'i, que w <\\tr:.li T-iiw. i.-icj-f.-ira. 21
    ibi i orrtiiic lurx
    pi.Kros
    Hllb.te iHl'iry 4M**>
    M.'io IhIIih!.' l4Hlii
    IJIHIIH ti-'lOli
    *.u ? Stilbt-h' inlni .">4.;<.
    Meio billiete iilA)
    Quarto 11375
    MamiH t'tirliat Fimtn.
    mmmmmmi''t v \*mm m.ttmmmwan
    OI\ inpio NyiHphroiitn lHiracs
    Uoiniiisfs Francisco tHtraen, e seus irmaos Gui-
    lliernii' Patricio Ui-zcrra (jivalcaule e Ji.se Patricio
    Uezerra Cavalcante, agradecem profundamente do
    intimo d alma a lodas as pessoas que se dignaram
    assislir .is ulliinos favores f.jito* a seu rchridc ir
    ma.). Olyinpio Syiiipliroaio Duries, pelo qwe sc con
    fessam etemamenie gran?.____________
    Ursula Candida de Albu-
    querque Bello.
    J.'3o Itaptista de Aguiar Bellq,
    airradecMido profunda e sinccra-
    menie a todos ok seus amigos que
    aoinpjii1 aram ao ultimo jazigo os
    re>tns nwriaes de suacbarl e sem-
    i>re I.mbi a.la .'s|">a, convida-os
    para assi>tuvtii as missas. do seti-
    i.'ii. ile xrre-.i las im i-.invento de S.
    m> dia 15 do crreate, qtiarta-feira,
    7 .'..nas o.-. taaaML
    Major Marcelino Jose
    Lopes
    AStina Pufipa da Silt* Lopes,
    Poppe I opes, Henrique Pdpiie, Al-
    fredo Pnp;.f, Ftavia Poppe, Marco
    lino Juae Lopes Filho e Julia Poppe,
    penetrados da mai- pungente d6r
    prl.i pasHunento d sen moi preza-
    ili. tn.iridopaie sogro o mijnr Mar-
    ivlino J.ise l.i'pt-s, apraiecetn sniiiinaiiienie a to-
    dos os seus (lareni.'s e amigos que s pr-c acompaiili.ii an remiterio pubiico o. .-eu cadaver :
    ontro silo i'-igaiu-llies ncaridiiso obfeq'iTii deassis-
    tircm as ini-sas do seiimo dia, que tera Ingar as 7
    ,l|i horas da manUa do dia 15 do c.rrente, na
    greja da "
    Para a boacohservacao
    VOSSOCABELLO
    Precisa-se contratar nma pessoa com as ha-
    bilitacdes precisas para oeenpar o lugar de cen-
    sor de am collegiu nesta cidade : quem se achar
    pois nestas cirenmstaneias, queira dclxsr seu
    ncme e moradia na loja n...., a nia do Barao da
    Victoria, para scr procuraJo.
    Casa.
    Aluga-se a loja da casa n. 61 da rua do Apol-
    loja tratar na rua da Cadeia n X
    Fli.-.
    no dia, i|t({
    FranciM-o,
    pela-
    Feilor
    .No eiif-iih" Jackie da o-marea de .Nazareth,
    prccisa -- nm feitor, iUu sarepara a nacioua-
    lidade, stm estivrfr nctas e.miii..cs, .Ilrija se ao ine.-ino en-
    genlio, on u i R' -i e, escripfori i de Leal ^ Irman,
    a raa do Marquez de Olmda n. *i6, para eontra-
    tar-e.
    tu^fmansne:
    RIT^Mflf
    Hamburgo.
    0 lugra allema i Sicoline segue em poucos dias
    para o porto acima ; recebe alguma rarga na ca-
    mara : a tratar com Herm. LnndgreB^'Da do Cobb-
    mercio n. i.
    Bahi
    moveis, loucas e outros arti-
    gos
    do Rcslaurante Francais
    na Passagom da .Magdalene*
    Quinta-feira 16 do corrente
    as IS Ij2h'ras !u titanhfl.
    A saiier :
    Cm bilbar conj perteiicas, mesas clasticas, di
    las para jogos, ditas de loum, ditas de pinho, di-
    tas de ferro, aparadnre*, niarquezas, connilos, a
    va tori os cam pedra, eabides, cadeiras, escrivani
    nhas de mogno, .prensa para copiar. caixa para
    gelo, rclogio do parede, cadeiras de faia a Luiz
    XV, diias ordinarias, gnarda comida, moinhos,
    l jogo de bagatelia, bandejas, eopos, garrafas,
    servico para jantar, dito para almoco, trem de co-
    ziiilia, banheiros, talheres, colheres, garrafas com
    vinho Bordeaux, diias comcogoac e outros mui-
    tos artigo?.
    0 agente Pinbo Borges, autorisado, vendera em
    leilao os obje-ctos supra itados.
    A's tl li iras em ponlo havera um bond na res-
    pectiva estajao para conduzir os concurrentes ao
    leilao.
    ia.
    0 biate Garibaldi segue em poucos dias para o
    porto acima : para carga trata-se com Tasso Ir-
    maos & (.'. a rua do Amoriin n. 37.
    Faz-.-t ucgocio cmi a .Ja ma de Vidal de Xe
    greiros n. ii7. on scadmitte um .-ocio cum ajgum
    capital para toinar outa, pir tor de retirar para I'ora'i.i ;.i\iviu;ia o tncarr.gad da ii.esina
    padaria a tratar no dito cstabelrcimeotu a qual-
    querhora mi na rua d>i Vigario n. ."13, laverna.
    < um prcvcntiv.i seguro ecerto contra
    a caivite.
    Elle d4 e restaura forga e sanidade i pelle 6>
    cdbec^.
    Kile de prompto az cessar a queda prema-
    tura dos cabelles.
    Filed* grande rlqueza de Justre aos ca-
    bellos.
    Elle doma e faz preserver os cabellos, em
    qualquer forma ou posi(jao que se dese-
    je, n'om estado formoso, liso e macio.
    Elle faz crescer os cabellos bastos e compri-
    dos.
    Elle conserva a pelle e o cosco da cabeca
    limpo e livre de toda a especie de caspa.
    Elle previne os cabellos de se tornarem bran
    cos.
    Elle conserva a cabeca n'um estado de fret-
    cura refrigerante e agradavel.
    Elle nao 6 demasiadamente oleoso, gorda-
    rento ou pegadi^o.
    Elle nao deixa o menor cbeiro desagrada-
    vel
    Elle e o melhor artigo para os cabellos das
    - criancas.
    Elle 6 o melbor e o mais aprasivel artigc
    para a boa couservacao e arranjo dos ca-
    bellos das senhoras.
    Kile & o unico artigo proprio para o pentea-
    do dos cabellos e barbas dos senliores.
    NENHUM TOLCADOR DE SKNHORA SE
    PODECOSSIDERAR COMO COM-
    PLETOSEMO
    TOiMCO ORIENTAL
    o qual preserva, limpa, fortilica e aformosea
    O CABELLO.
    Acha-se d venda nos estabelecimentos de
    H. Forster & C, agentes. E em lodas af
    principaes lojas de perfumarias e boticas.
    I.!
    CASA
    J. Dhibaut de Paris
    Constructor c ailwilar de pin-
    Alng-isc a casa n. 32 da ma las Pern.imt.it.
    cana. na r.apunga ; a rlmv zsta no acougue jun-
    M, para ver.
    CASADOOUlilT
    Aos 5:0009000
    Bilhetes garantidos
    ttua do Barao da Victoria (oulr'ora A'ocfl
    n. 6'^, e turn do costume.
    0 abaixo assignado acaba de venfler n w eu:
    muito felizes bilhetes a sorte de S:000|''00 en
    quatro quartos de n. 135, a sorte de 800*000 em
    dons quartos de n: 1333,a sorte de 300* em bilhete
    inieiro de n. Ii05, e quatro quartos de n. 10O6
    com a sorte de 100* ; alem de oulras sortes me
    uores de 40*000 e 20*C0Qda loteria que se aeatsou
    de extrahir (69", ; e cenvida aos possuidores a
    virem receber, que promptamente serai pagos na
    forma do costume.
    0 mesmo abaixo assignado convida ao respeiu
    vel pubiico para vir ao sen estabelecimcnto com
    prar os muito felizes bilhetes.que nao deixarao d'.
    tirar qualquer j remio, como prova pelos mesiw i
    annuncios.
    t Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
    antidos da 2' parte da loteria *a beneficio da
    matriz dos Afogados, que se extrahira no dia 21
    do corrente mez.
    Inteiro
    Mei i
    Quarto
    He 100000
    Inteiro
    Meio
    Quarto
    Recife,
    Preyo*
    *eeo
    35000
    H5()0
    para clm.
    5*500
    2*750
    1*375
    11 de outubro de 1873.
    Joan Joaquim da Costa Leifr.
    Triumpho da
    \lll\ll\ MEDICI!
    5fc -&-: .
    WB
    mm STEAM NAVIGATION COM-
    PANY
    l.icftlka <|(>tn%eiial
    0 PAQUETE
    eapara-st dos portus do m\ ate odia 2i do corren-
    te, e depois da demon do cosiume, seguira para
    Liverpool. S. Viseotee l.isboa, para onde recebe-
    ra passasMii-. eneommendas e ca^ga a frete.
    OS AGKNTKS
    Wilson Rowe A C.
    liRUA DO COMMERf.IO14
    Sarega-
    taipanliin rraneeza e
    CA;) a npx
    Linha mensal entre o
    Havre, Lisbon, Pernanibnco, Rio ile
    Janeiro, (Santos, soiiiente na vol-
    ta ) Montevideo, BnenosAvres,
    (eom baldeacao para oRosa'rio)
    SIEAIIKR
    Leilao
    DE
    pratfi
    e musicas, (
    tJiove;-, lout;a, crvstaes
    A SABER:
    Um piano forte c novo, 1 cadeira
    mobilia do jacaranda, 1 dita de amarello, cadeiras
    de balance, qna/Jn s, jairos, tapetes, veueziana?,
    escarradeiras, casiicacs e manga*, frascos, ligu-
    ras, candieiros a gaz, 1 ccsmorann, redomas com
    llores artifieiaes e 1 lustre de 2 btafos.
    Uma cauia franccza, carliaados, 1 commoda e
    2 eabides. '
    L'ir.a mesa elastica. 2 guardas louca, 12 cadei-
    ras, 1 sofa, louca para cba e janlar, copos, calicos,
    garrafas, compoteiras, garfos e bcai, quarliuhei-
    ra, llandres, In.-in de cnzinha e nuiitug outfo*
    objectoa dc casa de familia.
    Um faqueiro de prata do Porto, salvas, colheres,
    paliteiros e outros objectos dc prali.
    SEXTA-FEIRA 17 DO CORRENTE
    anJnr do sobraJo da rua do
    Rom Jesus l>. 15
    Joaquim Paz Pcreira da Silva, tendo de fazer
    uma viagen a Eun.pa, levara a lilao por inter-
    vencao do agente Pinto, os moveis e mais objec-
    tos acima mencionados, executes em casa de sua
    residencia, a rua do Bojn Jesus n. 1.
    O I lift" principiuro
    horas.
    Precisa-se
    lavei na !e Is *
    mero 94.
    um caiNei.'u eni pratica it
    IC anuus : ua rua I i per a
    mr
    (I Kxtracto Lomposto ae
    C0ZINHE1K0
    l'\ .fin(]i..r das antigas e afamadas ccsas
    Hovel e Hertz
    c antigo director ita nfficiius d casa
    Alton* > IMoudel.
    33 Rim do Trnperador*-33
    Tern a hoitra de did irar ao respeiuvel publi<:o
    desia cidade. que teni aberto sua east de concer-
    tos e aiinacoes de pianos, qnalquer qne seja o es-
    lado do insinnnentii: a ma do Impcrador u. 33.
    Casa do canipo.
    OiTerece *e, a quem quizer fazer oa coseertos
    oecessarios, o arrendamento por alguns annos de
    ?rai;af da excellente casa sita na Porta d'Agua,
    qae foi do tlnado Dr. Jeaqtiim Pires Carneiro
    Monteiro, passando-n; escriptnra para maior se-
    gu anca. A lerabdade e muito salubre, e a casa
    ni'iii.. i #wa, tciii magnilico banho de agua do-
    ce cm Irente, c e muito commoda, visto que o
    trem para defrontc : quem pretender pode diri-
    ?lr-se ao Sr. Francisco Carneiro Monieiro, em
    Apipucos ao Sr. Franri-co Ignacio Pinto, rna do
    Jom Jesus, ou ao Sr. Carman, rna do Coramer-
    io n. 40.
    Precisa-se de um bom cozinheiro
    Imperatriz n. 37, priineiro andar.
    na rua da
    O Sr. Antonio Luiz da Costa, que foi nego
    ciante em Olinda, na rua de S. Bento n. 45, e
    cham ndo a mesma cidade.a rua do Comrceroio n.
    24, a negocio que S. S. bem sabe.
    nm
    No segundo
    as
    10 lj'2
    Comiiiaiidaiitc t':pelle
    K espyr.ido ati 22 do eorrente, e seguira depois
    iiademo-.a precisa para os portos do sul acima
    indicados, entrando d.-niro do potto, querna vin-
    dada Kur ipa, qoer ua volla.
    Helativainenle a fretes, eneommendas, passagei-
    ros, para.is quaes t.- n exeelleotes acominoda.-fies
    por pre.-ns reauzidos : tnata-se cam
    M COSSlCSATAfilOS
    ALGtISlOF. D'OLIVEIRA Ac C.
    42Rua do CommercioEntrada pela rua
    J Torres.
    ______
    Maronhioe Para
    Pretenie seguii Irnvidade o palha-
    bote Joien Arthur, leu pirte de seu earregamen-
    toabnrdo ; para n re*to quo Hie 'alia trata-se
    com os seufi eons'gnatari o Luiz rip 0!i
    veira Azevcdo <' do P :is n. 57.
    l.*en I
    com a frent' di e jnats einco em otilras
    roas, todas o:n Olinda, para pismnento de uma
    hypothe 'a : a tratar ra rua d- S. Bento com o Dr.
    CaJda* Lid*.
    LEILAO
    DE
    I mobilia ile jacaranda com tampos de pedra,
    I mesa elastica de 30 palmos, 1 toillette
    do jacaranda" coin pedra, e muitos outros
    trastes avu!so para liquidaQao.
    Sesiinda-feira SO do eorrentc
    As 11 boras d manha.
    0 prcposto do agente Petana fara leilao, por
    conta e nsco de quem pertencer, dos Irastes aci-
    ma mencionados.
    SEGLNDA-FKIRA 20 DO CORRENTE
    as If horas em nonto
    AOCORR-R DOMARTELLO
    Mo armazem a rua estreita do Rosai io n. 28.
    mosoffftsos
    ALUGA=SE
    o segundo andar o sobrado na rua Direila n 82
    eom commodos para grande familia : a tratar no'
    armazem n. 25 da travessa do Corpo Santo
    Aluga-se
    a loja do sobrado da rua Direita n 82, pr pria
    p.ra qualquer wtgoeio : a iritar no armazem n.
    2'i da travessa do Corpo .Santo.________
    Em OlindaT"
    se lima s.s.-i "riot na rua (!e Malhias fer
    do baiti h qi '':i quizer fazer os eon-
    fos ir aiorar por um eerto
    tempo quo sc eouveuciimar, sem pagar aluguel
    algom : Jrala'-se com o neu proprietariu na rna
    Imque de Caxias (outr'ora do Queimado) n. 26,
    1" audar.
    ALSAPARRILHA
    Do Dr. Ayer
    0 PURIFICADOR DO SANGUE
    Z'ara curar e$$ai motetliat que provem de rieio en Itn-
    pureta do Sangue, e da F.icrofula.
    MOLESTIAS CUTANEAS, CALLOS. MANCHAS,
    IRRUPCOES. ETC.
    Rbeumatismo e Gotta, Dores e
    Affeccoes doa Oesos, Mai dos Ol-
    hoa, Debllidads ou fraqueza geral,
    Dyspepsia, Incommodo do Plgrado,
    Uma fait a geral de saude e uma1
    dispoelcao facil ao soffrimento, >am foliar de
    vnriot outros incommodot, algums pequenos, outros serios,
    slo os resoltados eonsequenclu que mala tarde ou mais
    redo occorrem.
    AS MOLESTIAS de que padece o texo femininq, tam-
    bem, quasi sempre sao devldaa a mesma causa.
    O unico tratamento efficaz a unica
    maneira scgura de readquirir a saude e
    de restabelecer o corpo, e mediajite o
    emprego fiel e const ante de um P uri-
    firador Alterant* como a
    SALSAPARRILHA AYER.
    A sdencla medic*, apresenta este reme-
    dio ao povo como o melhor e o mais
    seguro que clla conbece para o dm
    desejado.
    Alem da. rait da Sanaparrilha tlla t comport* dot prin-
    cipals substanciai madicinaet g-ue a ixperiencia (em demos-
    trado serem as melhores que fornece a naturcia e que a
    arte tern desenberto para extlrpar do sangue e dos humorrs,
    essos pictos e corrupcoes que sho a germeif de tanta molestia.
    Logo qne a S.u.saparrilha Ayer haja penetradono
    f ystema, comeca entio a obra de restabelecimento.
    Isao 6 n'um momento uem em um dia
    que a molesUa desapparece.
    Pouco a poueo, degrao aobre degrao,
    o sangue vas readquirindo sua pureza, o
    mal vac eedendo e a saude, o Tigor a
    robustez, apparecem!
    Medicos de alta reputaclo concordam
    no valor e utilija.l,- d'este ineatlmavel remedio.
    Todos os dias apparecem-novas provas da suas virtudos.'*
    Todos os dias augmenta o consumo.
    O povo todo, intelligent* e observador v n'elle um meio
    fldedigno de livrar-se das suaa principaes doencas e de
    restaurar sua saude e por conseguinte tomar mais alegne
    sua existencia e mais duradoura a sua vida.
    E" um BspedJIco contra grande parte d' essas dotea*
    chronical, Sheumatismo, molettiat cutaneas, etc.,
    que too cautailat pela In/eccaa venerea, ou antiga ou her-
    dada.

    , Em tempos modernos nenhutn deseulA-
    mento ope uromaior revolugao no modo de
    curar anterionnente em voga do que o
    'llflllt.lL III JUUCHOITA '
    TANTO NO TRATAMENTO
    DA
    Tosse, Crupo,
    Asthma, Ttusica,
    Rouq u id ao, Resfriameflos.
    Bioncliites,
    Tosse Convulsa,
    Doras de 1'eito,
    Expecluracao de Sat>gue.
    Como em toda a grande serio do enfei m
    dades da (sar^antn, do Pcitoedo*
    Orgitos atormentnm e fazem soffrer a humaniJade.
    A maneira antiga de curar consislia geral-
    nientc na applicacao de vesicatorios, San-
    grias sarjar ou applicar exteriormente un-
    Iguentos fortissimos compostos de substan-
    [cias vesicantes, afim de produzirempolhas ;
    ' cujos differentes modos de curar, nao faziam
    senao enfrnquecer e diminuir as forgas de
    pobre doente, contribuindo por esta forma
    tl'uma maneira mais facil o certa para a en-
    fermidade a destruicSo inivitavel de sue
    \ictiina 1 Quam dilTorente e pois o effeito
    admiravel do
    FEITOSAL DE ASACASUIIAI
    Em vez de irritar, morlilicar e cauzir inau-
    ditos soflrimentos ao doenle,
    Calma, modifica o suavisa a dor,
    Alii via a irritecto,
    Desenvolveo entondirnerito,
    Fortifica o corpo
    e faz com que o systema
    desaloje d'nma maneira prompta e rapida
    ate o ultimo vestigia da enfermidade. Os
    melhores votos em medicina da Europa, (os
    elites dos collegios de medicina de Rerlim)
    testificam serem exactas e vcrdadeiras estas
    relacoes analogicas, e nl^m disso a expe-
    riencia de milbares dc pessoas da America
    Hi'simnhola, as quaes foram curadas com
    este maraxilhoso remedio, sao mais que suffi-
    cion'es para sustentarem aopiniao do
    PEITORAL DE ANACAHIITA !
    Deve-se notar que este remedio se acba
    inteiramente isento de venenos, tanto mine
    r8es, como vegetaes, cmquanto que alguns
    destes ultimos, e
    i^ue sa i dados sob
    do hydrocianico, formam a ba'se da m8ior
    parte dos Xaropes, com os quaes tao fa-
    cilmente se engana a crodnlidade-do pu-'
    blico. A composicao de anacahuita peito-
    tal acha-se linda e curiosamente engarrafnde
    em frascos da medida de cerca de meio
    quartilho cada um, e como a d6se que se
    tonta e s6 d'uma colher pequena, basta
    geralrneute a applicacao d'um ou dous fras-
    cos para a effectuagao de qualquer cura.
    Acha-se a venda em todas as t ticas
    H. Frosters & C, agentes.
    De i isainriitns.
    De baptisnilos.
    De balles.
    De soirees-
    De almoeos.
    >Ie lanclies
    De bieknicks.
    De ceias.
    De Imlo de hido
    Se enearrega a confeHaria do Campos.
    E alem disso
    A confeitaria do Campos
    Estd sempre provida
    De tudo quanto e preciso p3ra
    Uma boa mesa.
    Rua do Imperador n. 24.
    '^
    9
    0
    a
    &
    0

    0
    Hotel Uniao,praca do Condc
    d'Eu n. 32.
    Este estabelecimcnto continua a fornecer comc-
    dorias com asseio e pron.ptidao, tanto para fdra
    como para dentro do mesmo estabeleciraenlo, ten-
    do todos os dias papa, e nos sabbados mao do
    vacca, re elMi-se qualquer encommenda por me-
    nos do qae em outra qualquer parte. 0 mesmo
    estabelecimento tern excellentcs quartos para alu-
    gar, sendo bastantes frescos. 0 proprieurio es-
    pera do respeitavel pubiico a concurreocia e pro-
    teccao ; e ao mesmo tempo pede aos seus fregue-
    zes one se acham atrasados ha mais de anno, a
    virein quanto antes saldar naa conta*.
    Casaspara alugar para a fes-
    ta ou por anno
    Um sobrado no Poco da Panella, na rua do Rio
    n. 5, com 4 salas, 8 qnar'os. saleta, coiinha fora
    t quintal murado
    Uma hoi casa terrea nova, com rocheira, estri-
    baria, pcqueno sitio, a margem do rio n. 35, da
    mesma rua.
    Uma casa pequena, porem crtm hons commodes,
    na travessa da Cruz, ilas Almas ao pe da casa ver-
    melha u 2. Vodas a tratar com o commendador
    Ta*so-.
    Aluga-se o armazem de recolher na tua do
    Burgof n. II : a tratar na rna da Praia n. 20.
    armazem.
    (,;n im )l iteiro.
    Ainga-se per festa, ou por anno, uma ca?a com
    bastantes commodos para nma familia regular,
    com sitio bastante arhorisado, com agua de be-
    ber : na estrada do Monteiro, perto da estacao do
    Caldereiro : a tratar na mesma, ou na rua Nova
    n, 7._________
    0 abaixo assignado faz sciente ao pubiico e
    com especialidade ao respeitavel corpo do com-
    mercio, q ;e ne?ta da'a comprou ao 8r. Antonio
    Joaquim Lopes de Carvalho a sua tavjrna sita a
    rua Direita dos Afogados n, 78, livre e desemba-
    racada dc qualquer onus : por isso se algucm se
    julgar credor dirijase a rua de Motocolomb6 n.
    24, no (irazo de 3 dias, os quaes findos, nao se at-
    tended a reelamacao. Afogados, 13 de outnbr>
    de^873.
    Francisco Ignacio de lesos Mendonga.
    Notrapiche tiantas aluga-se escravos, dan-
    do-se 503 por mez, comida o casa, por tempo de-
    terra inado.
    MEDico-craritfjco
    Dr. J.
    DO
    II.
    Rna do Mantiez de Olinda r. 25. pri-
    ineiro andar.
    Consuiia das 9 horas as 11 da manha.
    Chamad.is a qualquer hora.
    \
    ^illMllloHo I'icdiC^-CJCHi'"!'''1 6
    DE
    y
    1
    II
    Ra
    A. B. da Silva Maia. &
    \ua do Visconde de Albuquerque n. ft
    outr'ora rua da matriz da Boa-Vista *
    n. ti. m
    Chamados : a qualqner hora. (W
    Consultas : Aos pohres gratis, das 2 as fL
    4 '<:. ira= da t;'rde. r^
    E

    Escrava fngida
    Continua a e-tar fngida, desde o dia 12 de
    setcmbrn proximo passado, a escrava de nome
    Justina, natural de Bio Grande do N'orte, com os
    signaes seguintes : altura regular, bem preta,
    bem paceelda, bocca e nariz regulares, olhos vi-
    vo.-, t. in I'lhar um poueo espanlado, falla baixo e
    quando pnnuucii as palavias mostra a dentadu-
    ra qne e boa e bem alva, os p6s um pouco curtos
    e apallieladoR, aparia o cabello ao meio da cabe-
    ca, foi escrava de Alanoel Snares Pinheiro, com
    estabeli'ciinento na praca da Independence, do
    poder de quem lamhem se aus-ntou em tempo,
    e foi pegada em Heberibe lavando rotipa, intitala-
    va-sc form ; presentemente suppoe-se que anda
    per algiini dos afahables desia cidade, ou que
    .-trja leii.i an.-, a libloJe I ria.ein algutna casa,
    ou linannute algein illicitamenie a tenha em sen
    poder, contra quem se prome.tle proceder com
    todo o rigor da Jei. Pede-se, portante, a todas as
    atiioridades peliri.ios c capitaes de campo, a ap-
    |.reliensa.) dediia i>crava e leva-la a seu senhor
    na Capunga, rua das Pernambucancs n. 12, on
    Recife, ireo da Conceicao, loja de ourives, cue
    sera generosaniente recompensado.
    Con sol torio homeopa- 0
    <*.
    thico
    0
    Do
    0
    0
    ft

    ~M------------ T-----w-q..-.. jj vjiti.;.- .it'; U'.JIHL>.
    particularmente nquellee m, E$pecialid'idts.=b
    a forma de opio, e aci- % erianra e de mulher.
    formam a h,.PVia m.im- d -EmprtaW ?o_tratar
    Dr. Santos Mello
    41-------Rna do Impera lor-------41
    Consnltas todos os dias das 11 a I da
    larde.
    Gntfs aos pohres.
    Residencia a ma Nova n. 7, pevtuida
    andar onde da consultas das 6 as 9 da
    manhl e dis 3 as 5 da tarde. ^
    Chamados a qualquer hora.
    ronsnllorio bk#$
    DO
    l>r. lliu ill.,,
    RUA DA CRUZ If. 26, 2.. ANDAR.
    Mecetn-cliegado da Europa, onde fre-
    quenton os hospiiaes de Paris e Lo&dres
    pode scr procarado a qualquer hora do
    dia ou da noute para objecto de sua pro-
    fissao.
    f\ Consultas do meio dia as duas horas
    Oj da tarde.
    's. Gratis aos n-'..
    da pelle, de
    i
    \
    %
    Gratit aos pobres.
    .=Molcsii:.
    i
    \
    mi
    I

    mento das moles'ias
    do -ua especialidade as dachas frias e
    banhos a vapor, para os quaes Irouxe
    os apparrlhns nrais mndernamente em-
    juegados na Ear' pa.
    lambem applica com grande proveito
    no tratAraento das molestias do utero a
    electricidada, pelo jirocesso do Dr. Tre-
    pier. Cura per um processo inteiramente
    now as biennorrhagias e s.-bre tudo a
    k
    \% NMJCI
    Oiieii! ii:liis K.mw\&\ i fferece ?
    lncontestavehnente a loja de ralcadoj?estrangei-
    ro que mais commodo otferece em geral.com espe-
    cialidade ao hello rexo, e o PARIS NA AMERICA
    a rua Dnqne de Caxias n. 59, primeiro andar (ac-
    tiga do QueimaJo) e a razao ? a razao k simples
    um cavalheiro (amante do chiguej por certo se-*
    in.'ommoda quando, para com prar univpar de bo--
    tinas, ve-se forcado a experimenta-la sobre" um
    pequcno e pueroso pedaco dc tapete (systema ma- .
    carronico) nao podendo desta forma conhceer se
    a bolina Ihe fica boa, pois, nao tera espaco para
    experimeuta-la, ao menos que nao a estrague dan-
    do a | aas um passo, que. chcgaralogo ao immun-
    do ladn'llio ; o que nao acontece no Paris na
    America, onde pode se passear a vontade e desta
    lorma conhecer-se se fica l>om o calcado : para o
    hello sexo, entao 6 quasi irnpossivel, qne nma se-
    ii hora (do bora torn) qneira sujeilarse a expert-'
    nieiiiar calcadu anlado de um balcao, onde en-
    tra quem qner, ainda mesmo para comprar : o
    Paris na America nao resente-.se desta falta ; tem
    nm bem prenarado gabroitte rescrvado, para as
    Exuias. que alii poderao esiar em perfeito commo-
    Jo para a eseolha.do calcado.
    Nao terminam ati as vantagens ou commodos
    do Paris n America a rua Duque de Caxias n.
    59, primeiro andar, consiste Un.bem no bom sor-
    limcnto de botinas para Immens, doS melhores e
    mais afamados labricantes da Europa, como Me-
    lii's, Suser, I'olak, etc., etc., e grande variedade da
    chinellos e sapatos. assim tambeiu um lindo sor-
    timento de botinas para senhora, e sapatinhos de
    muitas qnalulades que poderao satisfazer a esco-
    Iha da mais capichesa senhora (do bom gosto);
    pelo que fica expendido, ista claro que a loja de
    calcado estrangeii o, i|ue mais vantagens oflerece,
    e o Paris na Americ", rna Duque de Caxias n.
    59, primeiro andar, antiga rua do Queimado
    A maior parte das molestias
    cbronicas, e mesmo das outran de
    que soffra o povo, se origineni
    n'um estado doentio e raorbido
    Logo que este alimento da vida
    nao estiver puro e oa que se
    achar carregado com a infeccBo da syphilis (talus ji a
    tauto* paesados), a molestia ha de apparecer sob uma, oa
    cutra forma e apreaentacdo differentes symtomae.
    PXKPABADO FOB
    Dr. J. C. AYER & CA, Lowell, Mtv*.,
    TCntados XJnidos,
    f**tl^ Fraction Snalj/tUtt,
    Medico
    Angusto Trajano de Hollanda Chacm, Dr em
    medic, na pela faculdade do Rio de Janeiro, chega-
    do h?. pouco da Europa, onde nos melhores hos-
    piiaes deilicou-'se aos estudos de sua peoflssao, e
    com esp-VMalidade as operacoes e as molestias dos
    olhos, tem o s-u escriptorio na casa ce sua resi-
    dencia a rua Du tie de Caxias (mtiga'das Cruzes)
    n. 9, 2 andar. Consultas das 7 as V hora; da ma-
    nha Gratis aos pobres .
    Alaga se as -aas r. 7^.' da ij- '.f; 'Coi
    Suassuna e 3 dos Coelhas defionte do hoSpiU' v^
    .J- o I!, ainbas com optlmos comm ulos para gran
    J-/amilia : a tratar na rua do Rosarjo da B'oa-
    / 'ista n. 80.

    ^fgotta militnf) di.-pensando asinjeccoes.
    ^iSSSSiXK^ OOvX>tXXX>0
    Aluga-se nma casa'para grande familia, sita
    a rut nova de. Santa Rita : assim como nm bom
    armazem na mesma rua : a tratar nor cima do
    irapiche Dantas. '___________
    i!
    Eista encouracado I
    A-y ao lllm. Sr. Ignacio Vieira de Mello
    escrivao na cidade de Nazareth desta provin'cia, o
    ^avor de > a rua Duque de Caxias n. 36. con-
    cluir aqni n que S. S. s* coniproriietttsp a
    lerceiia < "-nai. cm
    in.- i- d 18/i, e liro,
    ja-sou i f vereiro .... I! ae .......,;,-;o-
    a por este motiv'o e de uovo chamado para dito
    3m, pois S. S. se deve lenibrar que este negocio e
    i- mah de eito pianJo Sr. eu Biho se
    ichava nesta rid

    *
    s : : V : I It : 1st
    DEMISTA DE PAKIS
    19- RL'A NOVA19
    J. M. Leroux, cirur-
    giao dentista, succes-
    S sor de F. Gautier, es-
    as> /
    %. pera continuar ame-
    5 recer a confianca dos
    clientes da casa, edo
    respeitavel pubiico em
    geral. **
    Aluga-se
    ^ff Onaiio r.ants, na cidade de Olinda, um
    ''. um andar e sr.tao, em bom ligar pa-
    ar a festa, e rue- no para quem preciaar
    mar banhos salgados ; o dit>> sobrado tem
    ^^H ^^Ha : quem pretender diriia->e a rna do Du-
    que de Caxias n. 62, onti'nra Queimado.
    iM
    I


    ..


    <

    I
    yjL.no it Pernambuco Qaarta feira 15 de Outubro de 1873.

    S&5ESE5&&
    DROGARIA HOMEOPAt
    D.l I
    \\ Rua do Iiiijid'adur \\
    Os prc-prietarios deste eslabeleciroento, no inluito de liie conservarem os c.-e-
    duos de priineiro neste geneio, continuant a esmerar se na. preparacao cacrtij.nl'-a
    de seus niedicamenlos, podcndo garaniir ao respeitavel "fcuWico de*l.i Vi-Jade \ in-
    terior que sao rigorosamente ob-ervadas todas as regm pliarmaculogk-as. Ouiro.
    smb, que com o mesmo Ifin aehase a testa do estabelectaientn, tcndo a ?eu cargo a '
    iaspocciio de suas pi e, arable? e dir*C0ft *} consuHori% o acrediuoo medico ho"'
    moopaiba Dr Jesuioo Auptbto dosJSanlus Melln.
    Tem lodos os medicamento* especiaes par* bexigas e os cou^ideiados pre-
    servative* : assiin tambem, os medicauientos da sua drofaria em todas as dvm-
    nanisacoes conhecidas e mais neadas.
    Carteiras bomeopaticas de 12 a liO medicamentos em linturas on globu'os e
    a excellente obra do Dr. Mure Medico do Povo em 3.* edicao.
    Precisa-se do nma ama escrava para eozi-
    nhar e ensMio.-ir : na ma da Penba v.i'i. ^^
    \lfencao

    **
    - >4$*:
    I
    PJumeria, para mordedaras de cobras.
    Sarrarenea, para bexigas ( on preser-
    Vaeclna, para bexigas ( vativo.
    China cruzeiro, paia febres intermi-
    tentes..
    Sehynns, para angina.
    Calendula, para queimaduras.
    Tarantula, para paralysias.
    Carnaiiba para syphilis
    Chocolate homeopathico d'Epps.
    Encerado de arnica.
    Pos homeopathicos, para denies.
    Jerico, para rheumatismo.
    Matamata ou Jaboiy, para tusse.
    Espirito de Hahneman ou dc campho-
    ra.
    Cactus Grandiflora, pira pneumonias
    ou molestias do cora-ao.
    Consiillorio liomeopalhico
    DO
    DR. SANTOS MELLO.
    Consultas das 11 horas da manha a 1 da tarde.
    Pr. ,".s.v.-<- ii iini.i /in".' fan 'i)/niii,1i r
    (n:ii|iiiii piii.i iluiis pcssoas, nreluriudo-se
    escrava, quo fcja poriUi cozinbeiro, pa-
    gando-sc b quanlia acima : a infer no pa-
    ! 'iaroS.
    I'p-cisn ?r dc uma ama que -aiba
    i n: cm mar ou eozinhar: iu lua Nova
    o /, lo.'a.
    AM A
    A ma de leite.
    Precisa-so de uma ama de leite, na rua do Ro-
    sario larpa n zz, segnndo andar.
    Precisa-se de uma ama para la
    var rozinhar* em casa de pequena
    fan-ilia : na rua do Capibaribe nu-
    mero 10.
    VtYlflQ Uuem precisar deboas amas para
    -viiirtn llJ(j0 0 servico, di.ija-se ao pateo da
    que promptamente
    malrtz de Sanio Antonio n. 6,
    sera tervidj.
    AMA
    Precisa-se de nma ama para
    eozinhar : na praca do Corpo
    Santo n. 17^3.* andar.
    OLEO
    DE FIGADO DE BACALHAU
    IODO-FERREO
    COM QUINA
    E CASCA DE LARANJA AMARA
    do Don tor DCCODX. 13, galerie d'Orleans {Paco Real), Parix.
    Esm medicament? e facil de tomar, sem rosaibo, e de rheiro agradavel. Pela sin composicao,
    possue todas as qaahdades que Ibe permeltem subslituir com vanlagem todaa scrie de medicameDtos
    como pitulas ferrugirinsas, vinho de quina, oieo de figado de bacalhau, xarope de casca de
    caranja amara, empregados para combaler a anemia, a Morose, as affeccOes do peito, a bronchile,
    os cetarr/tos, a tisica, a dtatnese estrumosa, escrophulosa, etc., etc.
    Per moiivo do sen emprego facil, da sua accSo mulliplico e segura, da economia para os dentes
    os medicos proscrevem n o por preferencia a qualquer outro medicaraenlo similar.
    Depwito em Pernamtntct, A. REGORD.
    AMA
    Precisa st de nma quecozinhe
    e engomme para duas pessoas :
    iTj. Jti tratar na rua estreita do Ro-
    sario n. 87, t. andar.________________________
    Precisa-se de uma ama para eozinhar e fa-
    zer o servico da casa, dando se preferencia a es-
    crava : na rua Duqne de Caxias n. ii, segundo
    andar.
    Preci>a-sc de
    casa de famiha :
    pario n. 7, armazem.
    Ama
    uma cozinbeira para
    a iratar na raa do Vi
    - Precisa-se ue uma ama, prefermdo-se escra-
    va : na ma do Cnmmercio n
    pre
    40,
    3 andar.
    Escravo fugido
    Athaiia-io, caboclo, idade 13 annos, corpo for-
    uido, bem parecido, cabellos cresp(, falla urn
    Unto gago, muito e*perto e conhecedor do Reci-
    fe, para onde diversas vezes se tem auzentado,
    lendo desta furiado 3*000 em cnbro qne estava
    sobre uma me*a. Esti fosrido dosde o dia 6 do
    corrente, de casa do 5eu senhor
    pucaia de Beberlbe, onde se
    quern o pegar:
    Alugam-se as lojas das easas da rua da Im-
    Ijeratriz n. 49 ; a tratir na rua do imperador b.
    /7, {. andar.
    Xa rua das Flores n. 7, e estreita do Rosario n
    no engenho Sa- 38, loja, ha uma pessoa quo ta encarrega de armar
    rvcompensara a tnmulos o catacumbas no comiterio publico para
    o dia 2 de novembro, commemoragao dos Deis de-
    funtos.
    0 Dr. Ennirio Coutmho nmdou o sen cen-
    sultorio para o {- andar da casa n. S3 a rua do
    Marquez de Olimla, onde eontinua no exercicio de
    ua pruiissao. Consultas do I hora as 3.
    Negucia se uma execucao com bvpotheca no
    dngeobo B.iasica do termo de Ipojuca": a enten-
    oer-se com o Sr. Severian i de Siqueira Caval-
    eante
    liillfa f'Siil i'ilgillil
    aeserava JLitildes ik^ile 17->d mar^o do oorrenle
    anno, dc 32 annos i'e idade, preta crioula, eslatu-
    ra regular, cheia d > corpo, pernas fmas, tem uns
    carecoa no roslo que parece espinhas, falta de
    d -ntes na frer.to da patte 4e cima, falla muito
    mansa que as vexes desafia compaixao. boa cozi-
    nbeira e enpommadeira, e filha do Para, foi com-
    prada a ajgra do Sr. commendador Luceua, e
    muito conht^cida por ter estado alugada em casa
    da Manoella do inspector, no Monteiro, c-lla iniitu-
    ia-se dc forra e tem sido vista no P050 da Panella,
    Monteiro, Caxanga, Magdalena e aqui no Recife :
    pede-se eneare'idamente a todas as antoridades
    policiaea e oapitaies de carrqjo a su0 apprehensao,
    assim como se puie a quom tenha amas que to-
    rtnqoe nessas quo dizem ser forras, pois consta
    estac e|la de ama que nao fahe a rua, que se gra-
    lilicaia com a quantia de tOJi a quem a levar a
    sou senhor, na rua do Livrameulo u. 1, a Antonio
    de P n'va Perreira ; e protesta-se haver os dias de
    servico de toda a qual pier pessoa que a tenha
    vulta em sua casa, na fonma da lei.
    AttenQao.
    20,?000.
    Prccisa-sc do duas amas, sendo uma para
    comprar c eozinhar, e outra para engom-
    mar para casa do uma familia de duas pes-
    soas, preferinilo-sr- oscrava, paga-se a quan
    lia aiima: a tratar na travessa do Vigano
    Tcnorio n. 1, das 9 horas da manha ate as
    3 horas da tanle, escriptork).
    Precisa-se de uma ama de meia idade para
    cas 1 de homem sulteiro : na rua da Penha nn-
    moro 33.
    MEURON & C.
    A W W S i%. Ml

    aos oompradores do bem conhecido e acreiitado rapd
    AREA PRETA, que repareiu nos botes e ineios botea,
    poig qne os ha de rapd de outra fabrica e nome divei -
    so, e com papel da mesma c6r, cujo desenhc so pdde
    confandir com o d'aquelles.
    Os apreciadores que quizerem do verdadeiro AREA
    PRETA, devem para nao serem enganados ver qne
    os botes tragam o ncme de METTROR & C, 9 a desig-
    nacao de AREA PRETA.
    AMA
    I'ri'ei.-a-se de uma ama para cozi
    nliar cm casa de homem solteiro: na
    rua da Praia n. 29.
    Atn;i tie leite
    Precisa-se do nma ama de leite : na rua Direita
    b. 3, 1 andar.
    Saqucs para ludas ascidades e
    villas de Portugal.
    Carvalho & Nogueira, saccam'sobre o
    banco commercial de Yiaima, e suas agen-
    das em to'las as cidades e villas de Portu-
    gal, qualquer quantia a vista ou a prazo e
    per todus os paquetes; i rua do Apollo
    n. 20.
    Garanhuns.
    Na
    allar
    ose Paes
    ^sse.
    rua do Barao da Victoria n. :16, precisa-se
    aos Srs. Pedro d Rego Chaves Peixoto e
    daSilva, a negocio de particular inte-
    Pedese a>> muito diguo gerente dos trilhos
    urbaoea de Olinda queiia continuar com a label-
    \h autiga, de saliirem de maHha os treus de OlinJa
    a todas as horas, e nao as meias horas como na
    ubella nova, pois a ser assim licamos seriamente
    j>rejudicados Espsramos que s. S. se disnara
    annuir ao'nowo pedido.
    Vsrio* awignantes.
    PENHOBES
    Na tKivessa da raa
    das Crazes n. 2, pri-
    -laieiro andar, da-se
    dinheiro sobre pe-
    niiores de ouro, pra-
    ta brilhantes, seja
    qual for a quantia.
    Na mesma casa
    compra-se os mes-
    mos mataesepedras.
    i~v>'X. Mtfai? FJa?(i& >j)'cJ35&)%J5 ?S&i1d5!^i'4>5:y^T-;
    Piensasede dous caixeiro com pratira de
    taverna : na rua de S. Jorge (antiga do Pillar) nu-
    jnero 135.
    Estabelecimento de carros
    funebres, raa do Impera-
    dor ns. 9ell.
    Agp rt C.
    Scientificam ao publico que para e seu acredi-
    tado estaticlecimento receberam da Europi urn
    complete sertimento de objectos funebres ; e ten-
    iSSS^^ASi 7SR& ,h^1aeto1nSSoU,eaG*,,
    com luxo, sendo urn para anjo e outro para adul-!'
    to, convidam ao publico em geral a visitar o mea-
    mj estabelecimento, afim de deseneanar-se da
    verdade.
    R-.-ceberam tambem um completo sortimento de
    capellas proprias para tumulos, as quaes vendem
    por menos prec/) do que em outra qualquer
    parte.
    Os proprietaries deste estabelecimento, tendo
    recebido do respeitavel publico e de seas :.mig..s
    exhuberantes provas de considerarjao e con ianca,
    espcram qne osmesmos eontinuarao a ut-l ir-se
    de sous servieos. para oqneo- ei.c.utiarao promp-
    los a bem servi los, tantoRO que for de lux*, como
    do bom, meJio e minimo, ludo com limpeza <
    lrfeicao, sendo o* precos os mais oemmorius po--
    Kiveis, cert08.de qe seja 1|ual lor a qoaHua de
    que possam dispor, nao deixarao de -er set 'iJos
    com promptidao e asseio.
    MEURON ft C.
    FUNDICAO DO
    RUA DO BRDffl
    r
    N. 52
    Ct.Hsiiltiriiniidicitciiurgico

    53 ,B
    2 w 1 X
    = i = 3 3 ,
    - = S! ,r.
    o a
    - m '- = 3
    < & t/. v. -
    cr.-c z r-
    CO
    H
    ss'
    zrs
    2 <
    3 *
    1 Ci
    = O B>
    sr S o
    c -
    i a
    ~ a

    B
    Muga-se uma casa i* Pccn da Panella, sita
    a rua Heal n. 16, com Jiasta.ates cemmodos : a
    trafcir na rua do Marquez de Olinda n. {.6, outr'o-
    ra rua da Ondeia, escriptorio de Leal 4 IrmSo.
    BBOGARIA HGMEORATH1CA .
    DA
    Viuvado Dr. Sabino 0. Lud-
    gero Pinlio. .
    4 3 Rua do Hnviin da Victoria 4a
    Continua esta antigaeasa a ter sempre a enda
    os melhores medicameutos- homeopathiws em glo-
    iiulos e linturas, tan to cm earteiras como em cai-
    xas, d.- diversos tamanhos. pelos sCgointes precos
    fixes :
    Em globulos Em lintorat
    i f .rieira ou caixa 6e 12
    modieameni ,;
    i diu dita de n Jitos
    1 dita dita de 50 ditos
    1 dita d ta de o'i drtus
    I dita diu de 48 duos
    1 diU dita de HO ditox
    i dita di'a de ISO ^itos
    Tiibos avuNos de
    .quer medteamento
    Vidros avulsor ide>
    = -j, *>
    = "5 3
    B" S r
    C -I _
    f u ? s
    a*
    -S
    99 ^ 31 CD Cl, tn
    3 =_ t S S o.
    rs a
    _" ^2
    2. =5 =! ='
    ~ = - = b S.-o 2
    I ill if
    S g g ^ 5

    ,'K:

    z j.
    3. -i
    mnasio se digne le-
    var a scena as comedias outr'ora iSo frenetica-
    mente applandtdas, e [atitabdas- 0 velho perse-
    gin 1j 0 tenente ca.-amenteiro e a raloeira de
    a mores.
    No dia !) d i oorrenle desappareceu d'i en-
    gfiiho Refresdi, friguezia da Escada, 0 mulato
    Caetano, cuj.is sij:naes sao os seguintes : idade de
    ',0 !.]] 1-. .'i'i ; grfits k rnst.i ,-'!'! i-aji tea
    1 piuho e uvennelhado, muuo barbado, 11 -X a
    l.uba e bigude crtadn a tesoura, olhos gr Ics,
    -..-t:inlios e impercepiivelmenle
    1 ;it is p !"rnrdis, p^s r n a ;s
    ue vesgos, ates
    P-f-!(,'-.-. ;-; (. fAo
    > .111 nmlher |ire. da .|U.^I letti piuf is : iho-; e a
    li i-'-'ii.; vi-7 que r.: u-enta m pi-u- .1; ie i-'for-
    hi. dizendo, ora qne ja e mrro, o* quo i i ti-
    i.iiido linh-in para !ihrtar w*; "ervia de : itor
    n 1 eogeano : queui u appiuiieuuu podo coi 'iii-
    |i ao ni'sni eng.'iiho, "it nesti rMaife a rua da
    Aurora n. 13.
    (Passando o chafariz)
    PEDEM AOS senbores de engenbo e ootros agrienhores, e empregadores de m
    oinismo 0 favor de oma visita a sen estabelecimento, para verem 0 lovc Eortimento
    omplet) qoe abi tem; sendo todo soperior em qnalidade e fortidao-; 0 que com a ins
    >ecr;So pess >al pode-se verificar.
    ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDigAO
    J'flTin^ASI A rnHoe A^acrno ^os mais modernos eystemas eem ta
    V aporOS O rUUaS a tlg-m maDhos convenientes para as diversas
    ircomntancias dos aeDborea proprietarios e p*ra descaro^ar algooao.
    S06Ild&S dd CHill81 ^^o^& 8 tamanhos, as^melhores qoe sqoi
    Sodas dentadas para!niiDae5'^e'aPor-
    Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
    ilsmbiqnes 9 fandos de alambiques.
    ffachinismos
    Rombas

    i>j-
    DO
    I'Vrrcira.
    W
    Antigo gabmete de sou pai, rua larga
    do Rosario n. 20.
    Cura de hydrocellos sein iuieccao
    com punccao capillar.
    'i Abertura de abcessos e exiraccao de
    | derramamento serosos, pelo a;nirador
    de Potain.
    s>
    m
    k
    para macdioca e algodao.J
    e psrarerrar msdeira.
    Podendo lodos
    ser movidos a m?o
    por agoa, vapor,
    de patente, gsrsniidas........ |ou animaes.
    Todas as machinas e pecas de qoe se C06luma precislr-
    de macbiiiismo, a prefo
    Faz qualquer concerto
    cormas de ferro
    ^ncommendas.
    mci resoniido.
    no mer-
    , ,u, JUMPERS
    Velocipedes and Hand Carts
    For Boy's.
    Elastic Steel matrasses.
    I o King Uc.Vi^-erator.
    Pcr/umagators.
    Machmas para descarocar
    algudao de 12 ate 30 ser-
    ras.
    CASA
    46 Rh
    AMKHICA.NA
    do Imperador 45
    -'JaiMi liver acldo um m.ijo de papej, eon*-
    tante do recibts de derintaMe abtgneij dc easas a
    nrtas rartas de Banca. e querendo entregar. node
    dirigir-se a rua da fjrtu n.^9, qne sera rswn
    pensado.
    - DesencaifMniini] um bahd rt1 eoura com d rotnh -"pnini> (j^r-
    dilho P. rnambuco ; pie n o liver couduzido
    por engano, leve-o a rua do Imperador n. ',', 1."
    aml.ir.
    si-
    a
    o<
    A c
    ,-D -I
    1-3

    r-1"
    I0J !:'i
    154 m
    :!0* 28a
    i!4* 3S|
    .Wi 40 i
    m .V.|
    no* H":
    AI1ENCA0
    Precisa-se alng.ir um stibradinho de.um
    andar, que leiiha pelo menos 2 salas, 3 ou
    i quartos, e co7i'nha l'6ra,.se tiversolao me-
    Iborsera, tambem serve um 2. andar com
    sotao, e com osmesmos commodos, ou mui-
    tos, comtanto que s;ja no bairro de Santo
    Antonio ou mesmo em algumas das ruas de
    S. Jose. A pessoa que precisa nao duvida pa-
    gar algooial bemfeitorias que liver, nao sen-
    do muito cara, ou fazeralgum concerto pe-
    quKno e asseio. Quem j..is tivcr e quizer
    alugar, deixe carta fechada no l." andar
    lesta lypogr.ip'ia, em mao do adroiniaUa-
    ifor, com as iniciaes W. !., o qual tambem
    podi ra direr quimi eo pretendente.
    >
    m
    = hS
    .fc o
    8 r r- g
    fe1 m
    ?l >*. *T>
    -3"


    in
    ^3 -
    Si
    It .&>
    2. >" ~ 2 >
    B&S-P 5 sia
    13
    >


    g <
    s so
    _ m
    3 c/
    Opo!e|
    mitisrd i.
    >< de R
    b?a?.
    de
    RIO rt.
    1*000
    Rrj'oni
    1--" .!. ,. ii
    ldo, para
    ' a Xfir..
    ii menfnn eo
    -i-
    -.a de mo
    - bom
    ;ik.'-- a cam grauue uo Munteiro, a mar
    rio, etrn muitos cnmmud"s, quiatal mura-
    nheiro dintanic Si -tra-
    (-* eooi M -careu.as, n< ufiojai
    i-ii ;
    3 o ^
    h.i 1
    ^J! i
    Pit
    rno
    W?
    0)P
    li
    M
    !
    s
    >
    \rm as melhores e mais baratas existentes
    CidO.
    lncombe-ae de maodar vir qnalquer machinismo & von-
    tade dos clientes, lembrando-lhea a vanlagem de fazerc-m
    on compras por inieKmedio de pe3soa entendida, e qne em qnalquer nectssidade p6de
    bet prestar auxilio.
    Irados americancs e iDstromeDto8 a8ric!a-
    RUA DO BRUM N. 52
    PASSANDO O CHAFARIZ
    FUIVDICIO DE FERRO
    A' rua do Barao da Triampho (rua doBrura) ns. 100a \M
    CARDOSO & IRMAO
    RECEBERAM de Inglaterra completo sorlimonto de ferragens e machinas para en-
    genbos, as mais modernas e melhorobra que tem vindo ao mercado.
    VapOreS de for^a de 4, 6, 8e 10 cavallos.
    L aiueiraS de sobresalenle para vapores.
    JlOenaaS mteiraS e meias moendas, obra como .iunca aqai veio.
    laiXaS IlindldaS e batidas, dos melhores fabricantes.
    KOdaS d aglia COm cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
    OOdaS^ CientadaS de todos os tamanhos e qnalidades.
    Relogios e apitos para
    Bombas
    Arados
    r<$ A ;@ e@ 9 #
    Joaquim Jose Goncalves
    Beltrao & Filho.
    Rua do Cominercio n. 5, !. andar
    Sacca por todo? os paquetes 5ob,re o banco
    *o Minho, em Braga, e sobre os scfi'Inta*
    gares de Portugal:
    Amarante.
    Arco de Val de Vez.
    Bftrocllos.
    Beja.
    Chaves.
    Coimbra.
    Covilha.
    faro.
    Guards.
    Gnimaries.
    I.amfjgo.
    Lisboa.
    Minindella.
    Moncao.
    1'oute 'de Linot..
    Porto.
    Tavira.
    Valpassos.
    Vianna do C*it*tto.
    Villa do Cii.de.
    Villa Mova de PanMlicie
    Villa Nova do PortimSo
    Villa Real.
    Vizeu.
    V'alenca.
    I'igueira.
    Aveiro.
    Agueda.
    Caminhn. ,
    Erora.
    Oliveira do Azomois.
    Penafiel.
    . Regoa.______
    Papel lie finho viada
    a 3P00
    ! a rcsma, o veidadeiro' panel de linho grosso mar
    I ca viado, propno para cigarros de policia, parr,
    ( os Srs. fopueteiros, e para outros muitos niisteres:
    ; so no armazem de Jose Domingues do Carmo e
    j Silva, a rua da M<.dre de Deus n. 10 A.
    0 verdadeiro fumo do Rio
    Novo.
    No armazem de Jose Uomingues do termo e
    bilva, a rua da Madre de Deus n. 10 A, armazem
    de fumo.

    G
    az
    vapores.
    de ferro, de repucho.
    de diversas qualidades.
    Formas para assucar grandesP..quenas.
    ConcertOS concertamcom promptidao qualquer obra oumachiiu, parao que teem j Cai)0lluS 1110^08^88.
    , sua fabrica bem monlada, com grande e bom pessoal. 4
    EnCOmmendaS ma,I"1 vir Por encommenda da Europa, qualquer machinismo, i
    para o que se correspondent com uma respeitavel casa de Londres'
    e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar!
    litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
    Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
    FUNDICAO DE CARDOSO A IRMAO._____
    Carros de luxo. I Capellas para finado
    F' infjuestionavel qae a cocheira da rua do Bom Na rua estreita do Rosario n 35 tern ricis ca
    Msus n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, e a pellas para donzellas, anjos e defuntos, com Otas !
    que tem as melliores berlindas, calecas, meias ca- e letreiros, proprios de lembranca de minlia mai, 1
    lacas e victorias de luxo, proprias para qualquer pai, esposo, esposa, filho, -filha, irmas, irmaos, avo
    ooivado, visita8 de etiqueta, bailes e actos da aca- e svo, tudo por mui barato preco'de 3* 4; 51 e
    derma, f-ndo os mesma* ajapzados de PicelJentes 8*000. Na mesma casa tem lindos bouquets de
    parelhas d^ animaee, arrcios lusuoso' p liolpeiros cra.vos e rosas para formatura dos senhores aca-
    , de D vois a o;^800 a Jala no armazem de Jose Do-
    mingues do termo e Silva, a rua da Madre de
    I Deus n. 10 A, armazem de fumo.
    dia de finado*.
    Porto & Bastos, com loja de cal-
    cado a Praca da lodependencia n.
    39, acabam de receber da Europa
    novo sortimento de capellas mor-
    tuarias de lindissimos desenhos,
    com as seguintes inscripcoes, as
    quaes vendem por menos preco de
    que em outra qualquer parte.
    A Men Pai.
    A Mmha Mai.
    i\ae nao encontrarao pomod.i,
    pommodos precos.
    n realidade e raes.
    A Meu Esposo.
    A Minlia fepesa
    A Men Fill.o. .
    A Minha Filha.
    Uma lagriina.
    Ambade.
    Saudades.
    PKAgA DA l.NDEPENDENCIA N.'39.
    Silio do AiTiiial.
    ica-so nested proximos dias duas bias
    casas na Cammga, rua da Ventura, com commo-
    ; d is para familia, as quaes foram concertada3 e es-
    : ta> so pinlando : a tratar na rua Duque de Ca-
    xiai n. 4'i.
    J>esannarefen da casa da sen senhor o escravo
    wveri", calra aca.tdadade ii anno sotieiro
    80iloffino, natural do Govanna, foi all'escravo
    to Dr. Astor, illi morndor, qi"- ago] i se acha na
    I'T'lsybM tens grandes e amorie-idos, nariz
    groMn p ,-hata. tiocca regular, cabello* carapinho*
    - vcrmelliosyiliura regular, sesco do -orprf. ma >=
    pes grandfls, falla mansa, foi visto ha dias na
    Forte : quem o ap|.r..|iendec d.rija se a rua
    que se gratificara bem.
    Aluga-se um sitio no Arraial, distante da esta ^
    cao da Casa Amarella um minuto, na estrada que
    segue para Casa-Forte, com os commodos seguin-, tf^ 9t
    tes: duas salas, cinco quartos, cozinha fora, ler-, Na rua do Bara j da Victoria n. 36 precisa-se
    racimba com boa agua le beber e bomba: tallar ao Sr vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
    \ova n.
    - Antonio Pinto Gmpilves vai a Horingal tra-
    lar de sua audo. p
    raco,
    eh.i
    Imarella
    a chave pode ser procufada na veuda da Casa reira, a negocio de seu interesse.
    Ai
    a tratar na mesma.
    Aluga se uma excellente casa na povc
    de Duartj Coelho, "em Olim'>. com bons commo-
    dos para familia; a tratar com Jujge Tasso, rua
    do Amorim, n. 37.
    Precisa-se a?
    balhaoqres de enx
    Vigario'n. 3, arn
    on dous escravos tra-
    itm silio : na rua do
    Aluga-se uma escrava para o servico ititer-
    no dc casa de familia ; a.sim como, urn escravo
    *" !- ....... : vijo de cnVIo on hotel : ua
    , rna do In 'A.
    ) Aluga-se a loja com um grande armazem, do
    sobrado n. iO, sito a rua Direita, com propor-
    cSas pa-a um erande estabelecimento por oftere-
    cer muitos commodos : quom pretender dirija se
    ao largo, sobrado n. 13.





    \

    . ". .^Ke'
    ,.>;,.-._ g
    fc
    .*
    ,?$&!!& deTemambuoo Qitftyte'JBirar ldip4*lfcfl^ n4^?a.
    A
    Casa
    Alnga
    run da C
    >oa casa no caes de Capibaribe,
    : iivii.lof eommodos j a tratar na
    rua do Recife n. 42.
    peisa-su do um bom cozmliein : ni rua
    da Arnyra n. H9._____________________
    casa.
    Ahjga-?c o priraeiro e segundo andares da casa
    n. 3 4a travessa da Lragueta : a tratar na rua
    Pfimekro do Man->, antiga do Crespo, na loja do
    PlMflgito ao ar>; do Santo Antonio
    S A quem interessar
    Pereira da S:lva & Guimaracs, proprietaries da
    oja do lv.iio, previneca pelo pre^ente a seus fre-
    gaez-*'-ta pra-.a, quese acham com seus debitor
    atnrsadns, que dia 3ddfe oniubro do rorremo anno, tratarao de
    eobrar judicialmente, nao tendo contemplacao com
    ninguem.
    Recife, 2i de selemlmi de 1873 _________
    Boa casa para a festa.
    Alnga-i- urna e>.cellente casa in Monteiro, tra-
    vessa do Xi*i", a jaal se acla' em muito bom es-
    tado de limpm : a tratar na ma Priraeiro de
    k'arcu. tntiga to Tiepo u. SO A, loja de Gurgel
    do A:nand & C.
    Alugara-so doos grandes casas na pa*oa-
    c,ao do Monteiro, as quaestetn optimoseoror
    raodns e acham-sc era estado de asseio : a
    tratar na run 1." de Marco, loja n. 18.
    Para casa de pequeoa familia, preci-
    sa-so ile uina rapariga brar.ca ou de cfir que
    saiba de costura c engorrjmados e para fazer
    compsnhia a" dona da c**a quer aqui na
    provincia, quer para fow, fiestas circums-
    tances, trata-se na rua da Imperatriz n.
    10 1,! andar.
    FIBDEI1-SE
    honten das 3 horas em dianta, da rua Nova a da
    Santo Amaro, roada Roda, 9. Francisco, ponte da SALSAPARRllJ.IA do Para.

    Alugi-so d 2" ai;dar do sobrado silo a rua
    de Loipas. Valeoti'ia* n. *(>, coin os eommodos se-
    guiotes : 2 .-alas grandes o bastantes fresras, 3
    quartos tamlmm grandes; enzinha fbra, quintal
    com pnrtau para a rua do tiortas e cacimba com
    boa agin para lavir : quern pretender dirija-se a
    praciiilia la Independencia ns. 19 e 21, loja de
    chape;*, que achara com quern tratar. A contento
    dos ejmpraJon.s vende-.se uma peca importante,
    urn? ourava de 17 a 18 anaos de idade, de muito
    boniurig':ra, sadia, muito robmla e sem vicio
    algum : quern pretender dirija-se a estrada de
    Joao de Barro*. sitio n. 21, qie achara com quern
    tratar, das 6 a- 0 horas da inanha, on das i as 6
    da tar le.
    &* MAXOKL ENEDINO REGO VA- i}v
    * LEXCA W
    medico, a rua da Cambua do Carmo ick
    SI, f andat S&
    i \*> =^ <&
    Pedido.
    O abates a-signado, suece-sor de Pin o i Mar
    lini.ui i, roga iustantemenio aos seus deve.lures,
    qne sc ..roam atrazados, tenbain a bondade do
    ir sal i if suas comas
    _______________J. V. M. Pinto.
    Prori>a-se de uma engominadoira, uma cozi
    nheira mn crhdo para compras ; na rua do
    Hoapici n. it).

    1005000 do L-ratificacao
    Desapp icou de novo, de bnrJa da barca bra-
    siteira 5 Jose, o e.eravo Joaquim, preto de na-
    cad, i qiial anda bem veslido e cal>;ada, deixaii-
    do a-' *r iw uabeUos a modo de meia cabelleira.
    Essc 'ravo pcctenccn ao fallecido Dr. Olyni
    pio Ysnctliinu da Silva, quo o havia comprado na
    provincia d Miuas A in S. Joao d'El rei ou Ouro-
    Prel ), e coul Me seguw para o Itio de Janeiro e
    d'alli ,'.; i -la [irpviacia, donde foi para Uaoeie,
    t'.nd-i .: venJido alii a Jaaliao Epaminoml.is Ne-
    ves, a ; ii is compraram os ahaixn essignados.
    Sabe c 7i,il,::r, -cupai; io a que estava dedicado,
    e conh < o se pel, falla quo 8 africano.
    Offisr ee-M a iratiQcacio seima aquemoap-
    r roga-se a todas as sutoridades a ana
    Boa-Vista, caes do Capibaribe. rua Vcha, rua do
    Sebo, uma caixinha de vellulo, contendo duas
    ra.-eias de brilhante : quem as quiier restituir di-
    rija se a rua da Soledade n. il, que sera gaaoro-
    samente gratilicado.
    Bcltrao k FflM
    Teem para veidM* no aeu escriplono .* B0
    ~4CommeKio npL o seguinte
    AGUARDE.M'E de cajiiHfcaixa do 12 garadas.
    c de laraoia, idem idem, *
    ARl'OS de pno para barril.
    CAI. do Lisbjn, recontaMOte chegada.
    CHikPlSOS de sol, part homem e senhora,- cabo
    do raarlira dfso.
    FEI1ES de ferro, para porta.
    FIO de algodao da Rahfa, da fabriea do
    meadador I'edroio.
    LINHA de rori?.
    OBRAS de pal' eta.
    LPAWNO de algodao da Bahia, da fabriea d
    mendador Psdrozo.
    BHOZ de toJaj as qualidades, das fabriMj
    Peres e Eduardo Militao.
    BDI.HAS proprias para botica.
    Para qualquer estabeleci-
    mento
    Aluga-se a loja do sobrado n. 48 da rua das
    Trincheiras, que fica^ defn>ote da rua estreita do
    Rosario : trata-se no 1 #ndar do sobrado n. 26
    da rua Doque de Caxias.
    Aluga-se duas casas na rua das Flores : a
    tratar na rua da Uaiao n. 55.
    COMFBAS.
    Cobre e latao.
    Compra-se cobre, lalao e chumbo velho :
    no armazem da bola amarella travessa da
    rua dc Imporador.
    Crmpra--e uma escras-a crionla on afticana,
    quo saiba co/.inhar o ordmario de uma casa : a
    tratar na rua do Alecrim n. 20.
    VELAS de cera de todos os tamanhos.
    V1.NHQ engarrafado do Porto, caixas de llar-
    rafas.
    t dito Moscatc do Dc uro, idem idem. i:
    dito Setubal, caixa; de. 1 e 2 duziasfe-
    c da Italia engarrafvdo, caixas de 6 ar-
    rafas,
    da,Ccillares suoerior, em ancoretas. -
    e daeajti, eaiiaade 12 gar afaa.
    Malvasia do Douro, caixas com
    rafes.
    i Carcavellos, idem Wem.
    Gttapeos pant mkm.
    Amaral Nabucw,-a* G. rt'ceherani am coMpleto
    sortimento de ehapeos- de palaa de Italia, sedn
    e -vollnde, pretos para Into, e tfe core* enfeitados
    com bonitas flores e fita : vendem no Bazar Vic-
    toria, a rua do Barao da Viel&ria n. 2, antiga rua
    Nova^______________________________________
    Asunicas vordadeiraa
    Bichas hamburguezas qne vcm a e.;temeado:
    na raa do Cirque/, dc uliada n. 51._________
    -
    B
    c
    !/rri0AS.
    DIMCAO
    '
    . r. de oattiSro de IH73
    Jose da Silva Loyo & Filho.
    uma exce!Inte casa na lion Via
    na rua da Ventura n. 2i. Ca-
    yyga-se
    .
    andar do sobrado da run Duque de
    ii, proprio para e-criptorio ou capaz
    i imtar on mesm.i, loja.
    Mudltnca.
    is' assigoado parlicipa aos seus eredores,
    e devedores que mudou sen estabde
    Iiim nt i Je seliii3. da run do Marqne* de Olin-
    da para a rua do Vigario a. Ii.
    M reos de Almeida Lima.
    (i relojoeirb e douradur Albino
    Bi ptista da Rocha, de volta da
    Europi, eontirlua a encarregar-
    se de c !>.( rlar e dunrar relo-
    gii>s, bem enmo outros object's ;
    *j i- gando a seus amigos e fregne-
    *h' s o obzequio de proenra- Io ba
    trr.v: a da run das Cruxes n. 14, 1." andar, por
    i da Indepcnlenciii, quo o eucoii-
    Irara to. A garantia de seus Irabalhos f
    b Cazi : n ir prei;o midicos ; a-sim chum taw-
    oem v.,. i
    Frau. Xavier de Atbayde scientifica a
    todos quo > i idle quizereai entendcr-se-, que se
    acha residindo r i engenho Firmoza, pnpriodBde
    do corbnol I'laii'-isco Xntuoi.i de larrose Silva,
    ni; comarca dj Fscada, onde tern flxadd o -
    miri!;"
    I^srravo tugido.
    Anseitt irioul i. de idade 15 anno?, com .- gna is
    : i, i com falta do dons denies
    na (: souqitidQ) cabolloj earapinhoa,
    , narii gi cca regular, >endo o
    .. ; ma is gro", a orelbaa pequ.aas;
    Bpzotos, d'omie vcio para u eageatie
    i;.. ft i:iii/.m da Escada, foi aid escravo do
    IS.u.V. I Aiiy r -:- senJo iiue p rtenccn em Be
    i u: a- h .Santos: pede-se a
    biq lew a rua Nova n. 8.
    que .- ra ate re -olrfpensado.
    FuMlicfto da Aurora
    Grande sortimento de:
    Moendas de todas as qualida-
    des e tamanhos.
    Tachas fundidas e batidas,
    idem.
    Rodas dentadas eangulares,
    idem idem.
    Machinismo, idem.
    Varandas, gradeamentos pa-,
    ra jardim, etc, etc.
    Tudo sevende por precos.
    muito em conta para aca-
    bar.
    N. B.
    G. Starr &C, em liquida-
    cao, na fundicao da Aurora,
    em Santo Amaro.
    Mr
    DE
    Algodao da Bahia
    I la para vender das seguintes fabricas :
    S. Salvador.
    Concei ;iio.
    Valenra.
    Modelo.
    No escriplorifl dc Luiz Dupral, rua do Cominer-
    cio n. 31, 1" andaiS__________________________
    mm s.\o i imios n
    Os Ieqnes todos de raadeperela,. brancoe e dt
    cores e que trazem o disticoUNIAO cm lettra.-
    tambem de madreperola cm alto relevo, tor-
    nando-se por isto apropriaclos para noivas,,a NO-
    VA ESPERANCA a rua Duque de Caxiaa a. i
    (antiga do Queimado) e quem os tem..
    Sao de taiiaruga
    Os brineos, brnches, mefos aderecos, eraze
    coracSes e casspletas, que esta oxnestas a boa
    egcolha das Exmas. (aaaanfes do- chiqife) yeade-se
    na Nova Esperanoa, a rua Duqoa de-' Qaxia
    a. 63. I vl r i \J
    Aos Tncmmos
    A.Nova Esperanta a nri Da*|tte dc Caxias n
    63, acaba de rareber urn iimlo1 sortimento de bo-
    necas de niuilas qualidades, vintlo cntre ellas ae
    engracadas boneeas de borracha, assira tambem
    uma pequena quantidade de bonecas pretas qut
    se tornam aprecia las pula sua novidada.
    Ebemi util
    A Nova Esperanca a rua Duque dp; Caxias n
    63, lecebeu verdaileiro cimento inglez: prepara
    cao-para concertar porcolanae bem util.
    Vestido perdido
    Mnltas vezes um vestido torna-se inteiramenu
    feio, somente por estar m;.l enfeitado : a Niwra Es
    perinea a rua Uuque de Caxias n. 63, removi
    este mat ; porque esta beia provida dos melhore;
    gidSes e franjas de todas as cores, onde pode es
    colher-se a vontade sobrosahlndo entre cslas as
    modernas franjas masaicas, que pela sua varieda-
    de de cores, liea bem em quasi'' todas as faaendas
    A ella antes que se aeabem.
    CabeUos bruncos so tern quem
    quer
    A Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n
    63, acaba de receber a verdadeira tintura do Des-
    nous para tingir os cabellos, o que se consegue
    (empreeando-a) com muita facilidade, e por este
    molivo, cabellos brancos so tern quem quer.
    Estao na moda
    Os einturoes de couro, proprios para senhoi ...<,
    qne recebeu a Nova Esp jranea a rua Duque de
    Caxias n. 63, estao, sim, senhora, estao na moda !
    Se quereis ter ou preparar um ramalheto de
    cheirosos cravos brancos para o vosso casameuto
    oa para outro Um apropiiado-, e necessnrio .r a
    Nova Esperanca a rua Duque do Caxias n. 63,
    que alii encontrareis os melhorcs mrts 'tenquet/
    que se pode desejar.
    Bolas de borracha
    Vendem-se de todos 03 tamanSc3 a rua
    de Caxias n. 63, na Nova F.spnranca.
    Rua do tan da Yietoria n. 22.
    DE
    ,Carneiro Viaana.
    gA' este grande eslabelecimento tera che-
    gado um bom sortimento de machinas para
    costura, de todos os. autores msis acredita-1
    dos ultrmamcntena Europa, cujns machinas,
    sao garantidas por um anno, e tendo um j
    perfeito artista para ensinar as raesmas, em,
    qualquer parta desta cidade, como bem as-;
    sim concertn-bas pelo tempo tambem d'um
    anrio sem despeiiJiu alguui do comprador. I
    Neste estabelecimento Umbem la perten^asi
    para as mesmas machinas e se suppre qual- i
    quar per^a que sajbsnecessario. Fstasma-;
    chinas trabalham com toJa a perfui^ao de!
    um e dous pospontos, frauzn e bofda luda ,
    qualquer costura por Una quo aeja, seus.
    precoasio da seguinte qualtdide : para tra-!
    balhar a mao de 303000, 403000, oifOOO ;
    enhuma machina
    Singer 6 legitima se yj
    nao-levar esta marca''
    fixar.no braco da raa
    china.
    Para evitar M
    *
    canoes notem-se
    todos os detalhes
    raarca,
    AS MACHINAS PARA
    ut
    NAO
    MLS Iff
    TEE mV&L
    M
    limiLtt'TEIHr-Hrmilk
    Porcfiie?
    irastes.
    1 aixeiro
    l>r. a d am caixeiro que tenha b-stante
    pratiea de tavenn k \6 i;iB...r\a sua conducta :
    na run Di i ie de ii -_____
    Jil;'-
    lliiia At :l\ dn aitii
    rks & C.
    id
    Vou'e-so mobilia> de jacarar.da e wait pecas
    avafsas, todas bem con^-truidas e pur prer mais
    com.-..od > do que em outra qmlguer parte : na
    rua estreita do Rosario n. 28. ________
    \guas \lcalin >^az sas das Pe-
    dran Sidgadas.
    Villa Roucade Afpiar.
    BICARBO.VATXT)XS -S DICAS
    .V-ialyst'S g-sii^s, lcutc d;i csenla Polyle-
    clmica d 3.jsi>!>:i.
    Esta excelleute agua usada com vantagem ncs
    padeeimeotos das vias digestivas, urinanas, do
    estomagu eta., etc
    Vende-se
    NA
    Pliaru)ite*:i o ili-o^iuna
    DA
    Rua larga do Itosario n. 34.
    e 50J&000, para trabaihar com o pc ^ao de
    805000, 90000, 1005000, liC-3000,1
    1205000, 1305000, 1505000, 200r000 e1
    2505000, emquanto aos autores nao ha al- j
    tera^ao de pregos, eos compradores poderaoi
    visitar esto estabelecimento, que muito de-|
    vertio gostar pela vnriedadc de Crlijeclos que j
    ha sempro para vender, como sejam : cadei-
    ras para viagem, malas para viagem, cadei-
    ras para salas., ditas de balan^o, ditas para
    crianga (altas), ditas para escolas, costurei-
    ras riquissimas, para senhora, despensaveis
    para criancas, detoJas as qualidades, camas
    de ferro para homem e criancas, capachos,
    espelhos dotrrados para sala, grandes e pe-
    qaenos, apparelhos do metal para cha, fa-
    quoiros com cabode metal e de morfim,
    dhosavulsos, colheres de metal fino.condier-
    ros para, sala, jarros, guarda-comidas de
    arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
    para forrar salas, lavatories completos, dttos
    simples, objeclos para toilette, e outros mui-
    tos artigos qje muito devemagradar. a todos
    que vrsKarem eslegrande estabelecimento
    que se acha aberto de-de os 6 horas da roa-
    nlia ate as 9 horas da noutea
    Rua do Barao da Victoria n.
    __________2%__________
    Nao ha mais cabellos
    Sao as melhores _.
    Sao as mais baratas
    Sao de dous pospontos
    Sao mais simples e rapidas
    Sao dunaduras c 3pcrfuc.oadas.
    Sao util em uma lubo.
    Duque
    Vende-se uma mei-agna no be^eo dos Mas-
    eates n. i, oatr'ora tiecco das Miudinhas, ehao
    proprio : a tratar na rua da Santa Cruz n. 1, a
    qualquer hora do dia.
    O abidxo consbjiiado, admmistrador da massa
    fallidi de Ri a'ir.' Golaifu-aes & C, previaoa quem
    possa ictercssar que nao tendo .-ido recjamadas
    5 lei! rr, **itas por.Lniz .da Branca
    Belem e sacadaa por Joaqnmi Jose da Silva San-
    tos, do :Vi::;i;nou-o, as quaes foram eneontra
    das no a,a-ivo la 'cf.iida massa, van sor reco-
    iiiid,-,;- i d.'pn-iio nn rec Aednria do
    Mum- n\ edrtei vi-to nao ler nppa-
    rcci.ii o d n d.i- nao ser enecntra-
    ** K K
    Qualq.w ioformacfii) pode ser drvla pelo araiXfi
    assii;ii i a rua I'riineiro de
    MarcD n.
    Rib dc I '" t, ''"' -' "n'ii- le Wt.
    Or loin Haplista 1'ereira.
    "Awhain le chegar pelo tifru ameneano
    (jell is snbdites hespanhoes, um delles
    e |. ye '--: ode agrlenttor, e u-
    iro ,. ni roestre'JB assucar: as
    pess i lir de sens sorvi.-os, pn-
    dem jirig-r i ii MBMilado de Hespatllw quese
    dira a ________
    Vejiham.
    Bernar'o ( -M~\i -c~> Jaboniio. lii.v ,s dflvedoros para vireai.
    Mldar > ue o lira io corrente met ou
    da eon'rsrio wiw-ehanmdns a jai*.
    ' Bernard^ Songalvw dos Santos.
    Exec' lenFc ai'ai^zein para
    alugar
    ,',o Recife n 33, alnga se
    no predio,
    : para InformaQSes.e
    iia, a
    3i____
    igua!
    coir. ;
    ajuste
    dos orphio
    roaidit trst'tr-
    de form, pr.n
    a. 8*
    e qne cntenda
    tratar?aas Cimo-Pontas
    Xarope d'agrijio do Para
    Antigo e conceituado medicamento pars
    cura das mnlestias dos organs respiratorios,
    como n phtysica, br!5nchites, asthma, etc.,
    applirado ainda com optimos resuftados no
    escorbuto.
    20
    Araruta verdtideira.
    Continua a venda na traves*n da rna das Cra-
    zes n. I, e rua do Vigario Tenorio n 20, a "iOO rs.
    libra.
    r
    Ilha de -S. AEiguel
    Vende-se na antiga nia Direita,. hoje Mar-!i.
    Dias n. 09, mo> ndas para taer far!nr.a dc niilho,
    e tambem ha um grande depBsito de .farinha de
    todas as quad lades; assim coma tambem se faz
    bofo todos os dias, ao modello da mesma Ilha, e se
    !izendo as encommQfldas na espera do dia.
    Vende-se
    a armacao da taverna n. 60, sila no patao da paa
    nos Afogadoa i a .'tratar na inesoia.
    Lazinhas com listras de so-
    da a l|o covado.
    iua & Oespo.
    Coilimia a voiukr hara
    Mm liiiiio.
    Brins de linho de cores (pediincn) as.5/02601
    vara.
    Fustao branco para ro jpa de meninos a rOa
    0 covado.
    Lazinhas escocezas a 240 e 280 rs. o covado.
    Alpacas com li-tras a *i00 rs. covado.
    lit ins pardos e de co.es a 100, iiO e SOOts. o
    covado.
    lirin lona liano a U600 a.vara.
    Cambraias pretas para luto a 2i0 rs. o covado.
    Cr.-tone de Ustros a SiO rs. o cevado.
    Cliitas roxas a iOO e 2iO r*. o covado.
    Grordonaplc proto de-candA') a.2|iO'J o covadu.
    Cobertas de cliila adamascada a 3&S0O.
    Colcbas braiicas o do cores a 350D e Hi.
    Leni;6es de bramante a 2*.
    Ditas de sJ^daa a IfrttSJ
    Toalhas alcochoalas a 64 a duxia.
    Lencos da cawa com hrra a H a duzia_ .
    Ditos de dita abainliados a 2}.
    Ditos do esguiiio abiauhados a 3|l5Cft
    Cambrai? list a 33 e Um
    Dtta Victoria lina. a ::800.
    Atoalhado a 2-3 a vara.
    Cortes de ca s ei u ira fi na: a- SB."
    Fustoes de cores a 15,0.cote,
    t^halles de merino lisu a 2^.
    Ditos de ditn iwinropailo *'&, 435f0 0 S^COO.
    AlBodao;ire li-nas ainnrica 110,(com taqnuj a 320
    rs.. o~covado.
    Camisas inglez is a 383 a duzia e 35o00 uma.
    ErgnJao flni a 2s a vara.
    Brim preto trnncado a,24 a vara.
    Bramanie de alioiao a l!j600a vara.
    Dito de linho hfiSm a vara!
    Cambraia de linlin de cure? a 380 rs. 0 covado.
    Argwlao T a "-5 a peea.
    Madapoloes baralos.
    (]assa-lli
    Chegouesta fazenda, sendo lindos padides, e
    Vfiide-se pelo d ininuto preco dc 200 rs. 0 cova-
    do ; somente na rna do Crespo n. 20, loja de Gui-
    Iberme 4 C.
    So na rua do Crespo n. 20.
    Griiilherme & G.
    A l'.ja d'A^nerie:t tctifc
    E' fazenda especiid a. de muito goato para ves-
    lidos de senhoras ; dao-e amostras. na rua do
    Cabuga n, 10, loja d"America. ___.
    Vende so seis plpas de muito bum mel uc
    furo, bem aci ndi-ionado, prompto a enibarcar :
    na rna Nova de Santa Rita (ribeira do Pvixe)
    n. W.
    Vende-se o a.creditado diposito de padaria a,
    rua d" Santo Amaro n. 6 : a traiar no mesna.
    - Vende-se iHna excellenie casa conslruida a
    'oin fierce de aznlcjo, rf um f raude si-
    lio e um grande sitia torn, nma casa ; tudo
    na margem da estrada real em Jaboatao e tend
    o sitio bias proporcflas para-edilicacao : a tratai
    em Jaboatao com Bvrnarda Goncalvea dos Saatos,
    ou na rua dc Marcilio Dias n. w.
    brancos.
    T1NTURARIA JAPONEZA.
    S6 e unicaupprovada p'elas ocad0-mias de
    sciencias, reconhecida superior a toda que
    tern" apparecido ate hoje. Dpposito princi-
    pal, A rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
    quez de Olimla, n. 51, l.u andar, e em
    todas as boticas e casas de cabellei-
    reirf).
    Dri forca de dous a seis cavallos : a venda no
    armazem de Joaquim Lopes Machado & C, tr-a
    vessa do florpo Santo n. 23._______________
    Vende-se
    potassa novaem meias barriquinhas a 320 rs. o
    kilo : na travessa da Madre de Deosn. 14.
    Veude-se, ou aluga-se uma das melhores casas
    a. Boa-Viagem, coin um pe'queno sitio para pasto
    de vaccas, e terrcno !Yesc > para plantacao de ca-
    pim :" a tratar na rua do Imperador n. 83, 1.. an-
    dar..
    Calcado estrangeiro.
    Aproxima se o. inez de dezembro, tempo em
    |iie uPnris mi Atnericn, a fu i Duque de Caxias n
    o9,.L andar, tein -d- dar o Ben balanco; por-este
    motivo, ospcoprktarios deste estalietecnoentwesr
    lao resolvidos a vcwlore :i sens rdc.^Ls y :io cus-
    to.afim lift minorarem o irabalb'"': ajskn pois os
    apfeeiaaVres do bon),;0 com espceialidatfe o ;exo
    amawl, par*qneia o Paris ua Amriita,dinsepva
    com a devids decuneia ) o sen gabinetflj-esexva-
    do, para a oscollia de calcado, aproveitem e-ve-
    nham uimiirem-se do que pr.ecisafeia.
    Vende-sc
    UtMBHas, fezeuda de I i^0. pot 40f) rs. o i ova-
    "dOj.sendo da.largura do algacas. padriiM-.bonites ;
    dao-se amostras a rua do Crespo m 20, loja de
    Guilbarnie 4-0. :_________
    Banlios em Olvnda.
    om excellente cavallo novo prvprio para cabriolet
    e seJIa, por preco muito em conta : a tratar e vfir j"-i*J
    aa rua do lirun) n. 76.
    boa qualida-.le.
    1 : r.a loja d"<
    arooa riia Priraeiro de Mar? i (autiga. do Crespi v
    n. K A, de Gurgel do Amaral Sc>C.___________
    Camisas e ealcas de fazenla >le
    prr>i)iii6f)ar*oe baahos "iij Olind
    Vende-se
    .am. vapor da forca de cinco eavaJlos, novo, proprio
    oara qualquer mister, com bronzes do sobresa-
    lentes', o por prego commodo: para vc, no arma-
    zem do Barao do Livramento, e traiar a rua do
    Torres u. 33, 2* aoaar._______ 1
    Grande novidade.
    8 jmi;
    Rassftm.
    Henri d> ultimo vapim baptistas fiua^ com
    baeras,. goatos chir*zs, |j;Io dimiuuto pre;o do
    50O rs. o- covado : a rua vttBJKa^Ai a. 43.
    Las coin li^Uas assuttaadas ultimo goslo a
    UQQOo curado : so o 13 a ro.i d.t Cjnetmado
    B*0-s aauosttas. ____"
    Ve^la-se piascava, boa e uk3 emooBta :
    yua o Apopllo o. 27.
    Baa aequisicao.
    VBml\>se r.pracff-eomaBodb a -armacao da
    ;lofcu-IO, d rua d*. bu^eiatriz e garante-se o
    na alagoai da masraa : atniar^a loja n. 17 do mts-
    ima rua.
    Faz melhor costura com metade dalmka qw gmtam
    as oviras e fomecem mn meio de
    YIDA
    Para aqnelles (|uc lein dc snstenlar-s^
    DE
    mh MB
    Querem agradar (i yaya ?
    Querem argradar a esposa?
    Querem agradar a, i.lha?
    COMPIIEM UMA
    MACDINA DE SINGER
    Xenhuma casa estd complda sem uma


    Sen. caixa 803000. 'I'.om caixajOO^OOO
    UNICA AOENUA
    EM
    U

    45
    A CASA AMERICANA
    RUA 1)0 IMPERADOft
    I,.
    Labvrinllios, bicos, remlas.
    No escriptorio de Gomes do Mattos, Irmiios, A rua da Cadeia
    do Recife n. 40, i. ondar, ri o unico deposito do que ha dc
    melhor, o bem acabado, que vcra a este mercado, da cidade do
    Aracaty no Ceara, quem os comparam com os feitos aqui na
    terra, facilmcnte reconh;cerd a immeusa differenQa, que vai
    de uns para outros, tanto em prer^o como em qualidade.
    Lindissimas toalhas de labyriutho.
    Frouhaa de diversos tamanhos.
    Lencos de todos os prerjos.
    Bicos e rendas emprofuzao.

    Em seus armazens 4 rua do Amorim
    a. 37 e caes do Apollo n. 47,.
    tern- para vender por precis eommodos
    Tijolos ancarnado3 sextavos para ladrilho.
    Canos de barro para esgoto.
    Cimento Portland.
    Cimento Hydxaulicc.
    Machinas de descarocar algodao.
    Machinas de padaria.
    Potassa da Russia em barril.
    Phosphoros de c6ra.
    Sagil em garrafSes.
    Sevadinha em garrafrJes.
    Lentil has em garrafoes.
    Rhum da aJmaica, ,
    Vinbo do Porto velho engarrafado.
    Vlnho do Porto superior, di.o.
    Vinho de Bordeaux, dito.
    Vinho de Scherry.
    Vinho da Madeira.
    Poles com linguas e dobradas inglozas.
    Licores linos sortidos.
    Cognac Gaulhier Freres.
    Latas de toacmbo inglez.
    Barris com repolho era salmoura.
    Vendore
    trastes de jacaranda e amarejlo com ou<.o u.,
    em perfeito estado, e tambem wrumeio apparell
    de louca para jantar e um dito de porceIana,lii!<<.
    branco, para almogo. Vende se pot ter o don" de
    se relirar para Europa : na rua da Imperatri/
    n. 5i \.____________________________________
    Potassa da Russia em meivs
    barris a 500 rs. o kito .
    Descrabarrala ha poucos dias : veude-se n
    escriptorio de Oliveira Filhos 4.C, largo do Corp"
    S&nto 11. 19.
    Machinas
    Por baratos precos para descaroeai ilgoda<:
    12, 14, 16,20,25,30 e 35 serras.
    Cunha Jf Manta
    2.t-lu Mai*qnea de
    ii

    VENDE-^E
    I 0. C. Dayle.
    ve j (" :
    Hennessy.-superinr e verdadeiro.
    *- l
    Tern para
    - Gognac de _
    Vinho Xeres das melhores qualidades.
    Bitters de Angoslura.
    Whisky. ,.
    Cha preto em laUas de 10 libras.
    TodaTas wwwrardes eWraicas do Dr. Aver : no** Vidros;yan vidrafa, I
    armaam da n do Commcrcio n. 38. T Gnmchos para icar.
    barris com came de vacca e de porto, *j*tyj*te
    : para mantimentos de navios : no armazem de i n-
    1 o [rmai & C. a rua do Amorim n. 37._________
    Silva Barroca &Fiih"s tempara^vender t
    sea 'inazem, a ru\ do Marquw doOlinda n.ia
    seguinte :
    Folha de Flandres.
    Estanrm cm vergaiohas.
    Machinas para dmcarorar algoia*.
    Cerveja escosseza branca e-preta.
    Fillela p^ra baadetra.
    " qualidadr. J

    IH
    I^HI



    f
    i
    I

    I
    -.
    Diario vie Jtemambuco Qaarta feira ifito^ta%o"**!b7
    a.
    DE HOWE
    A 25^000 e 45^,
    ,T ,. 'BOOS POSj?teOS
    i\a lojade Scares Lcite Iraiaoa, a rua do Barao da
    Victorian. 28;
    SOARES LEI i E, IRIAOS
    UNIGOS ACENTES
    A'
    Rua do Ibrao da Victoria n. 28
    \s mais simples, as .mais baratas e as melhores do mundo!
    Na exposigSo de Paris, em 1867, foi concedido a
    Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
    cao da Legiao de Honra, por sprem as macbioas mais per.
    feitasdo rnuado.
    A medalha de ouro, confcrida a E. Howe Junior, nos
    Estados-Unidos por ser o inventor da machina de
    com poqucao toque,
    Lavas de peilica
    a 2C0 rs.
    Abotoaduras
    mento ai20 rs.
    Caixa de linha de marea, a 200 rs.
    Lamparinas & gaz, djyido uma luz muito

    para C'.-lleU', grnu ie sqrli-
    boa, a 15000.


    Duzia de pecas de cordao imperial, a
    cos-
    tura.
    A medalha de ouro na exposicSo de Londres acreditam
    estns macbinas.
    A
    C.ibe-nns 0 dever de annanciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
    'ti;, estabeleceu nesta cidade a rua do Barao da Victoria n. 28, ura deposito e agencia
    .-.ml, para em Pernambuco e mais provioeias se vendercm as afamadas machinas de cos-
    Estas machinas sao justameiite apreciadas pela perfei^ao de sou trabalho.
    rupregando uma agulha mais curta com a rnesma qualidade de linha que qualquer outra
    Dela introduced dos mais aperfeicoados appareihos, estamos actualmente habilitados 1
    flerecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
    As vantagens destas machinas sao as seguintes:
    Pnrneira.0 publico saheque ellassao duradouras, para isto prova incontestavel,
    ircainstancia de nunca
    '* mao.
    terem apparecido no mereado machinas
    d Howe em segun-
    1
    *.oa
    lado,
    mais
    Segunda.Contem 0 material preciso para reparar qualquer desarranjo.
    lerceira.Ha nellas meuor fric^ao entre as diversas pecas, e menos r
    k> que nas outras.
    Quarta.Formara 0 ponto como se fora feito a" mao.
    'Juiutfr,Perraitte que se examine 0 trabalho de ambos os fios, 0 que se no consetrn
    < outras.
    Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando 0 fio de urn i outro
    logo em soguida, sera modilicar-so a teflSBd da linlia, cozem a fazenda
    8%
    bettma.0 compressor e levantado com a mile* ftt:!i !.i :., mando se tem de mudar
    Oitaya.Muitas companhias de machinas de costura, \'-:< : lo cpocas de grandeza e
    njoadencia. Machinas outr'ora popiitares, sao hoje quasi do;: h^cidas, outras soffreram
    nu .angas radicals parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
    doptando opmiao de Ehas Howe, mestre em artcs mcthanicas, tem constanteraente
    ^rnentado 0 seu fabnco, e hoje nae altende a procnra, posto que faca 600 machinas
    2i0 rs.
    Gain
    200 rs.
    Duzia decarreteis de linha, 200 iardas, a
    600 rs. J
    Idem idem 60 jardas, a 210 rs.
    Maco de fita chineza, a 800 rs.
    Caixa de linha com 40 novcllos, a 500 rs.
    Meids aderecos com camafeu, a 500 rs.
    Garrafa detinta roxa oxlra-fina a lSUOO
    Poles com dita ingleza, preta, a 100 e
    1C0 rs.
    Caixa de peniias Perry, muito boas, a
    1W>00.
    idem idem, a 400 rs.
    Caixa de enveloppes tarjados, a 500 r
    idem idem forrados, a 700 rs.
    Caixa de papel amisade, beira dourada,
    a 800 rs
    Idem idem idem lisa, a COO rs.
    Duzia detalhieres cabc branco, 2 b\, a
    59000
    Resma de papel pautado,
    e 55800.
    Es,p*llios de.moldura dourada, de tpdos
    os taraauhos e precos.
    PERRMAHFAS E MIIDKZAS.
    .Jj?mcom oleo 0na *erdadeiro, e
    t#PQ6,
    Weru corotu.)ico,dQ Kemp, verdadeiro, a
    tJ*rW0.
    Garrafa de aguaflorida verdadcira a l2Bt)
    Gr_afa d'ogua japoaica, U000.
    Saraideradivina, a l|>000.
    em idem Mag'Weaa (no viiade) a
    15200.
    Caixa de pos para dectea, a 200 rs.
    idem idem de pfe chinas, rauito bom, a
    500.rs. e 15Q00.
    Pole com opiata de Hieger, Itimel e Gfos-
    i.el, lULQd.
    Duzia do aabonetes de ameadoa, a
    35000.
    Duzia desabonetos de andinho transpai-en-
    tes, a 25200.
    Idem idem com flares, a 15500.
    Saboneltes (iiynerinu Inanspdrentes, a
    j15000.
    IJjgCaixa com sabonetes, formato de fructas,
    a i5ioo e isbtii).
    Casmeti-'os, graudes e peqoenos, a.lOOe
    800 rs .
    Franco comngua da noldgMi a 200, 820,
    a 45000 5001 rs. o ^,,00. \
    Extratios muito finos dos m Ihercsau-
    Agua flwidft,. de Guislain. i >
    parafazeros cafeeHosnro.- M^ TO.
    parafazeros cafeeftospre-
    tos.
    A amia brai*a,*rna Dhuub de Cams n. 50,
    acaba de recetwr uova remessa da apreciavel agua
    florida para fazcr us cabellos pi etos. O bom re-
    sultade colbidw por gueu uuu feiio ua dessa
    inoffensiva pre] im\ aliamentc conceitua-
    do, e por isse n|ia* e faz lembrar a '<|uem no-
    vamente deila precisoeqneira.se aproveitar.de
    sua utilidade. T-iaibem veio agua de topasio e
    oieo florido para 0 mesmo uio, e Uo acrediladus
    eofno aquella.
    Voltas e brincos de grossos
    alj0 fares de cores.
    A aguia lirania, a rtJa do Dnqne dj Cnxias n.
    30, rocebeu oovas e bouilaa voltas e brincos de
    groisos *)jotres de cores, e como sempre coati-
    ima a veode-los por pre^'o cunuuudo.
    -Nbvofl diademas dourados e
    com pedras.
    A aguia branoa, a rua do Duquc dc Caxias n.
    o0, reeebeu novo sorlimcnto de bonitos diade-
    mas dourados e coni pedras, unto para meninas
    como para senhoras.
    Umbraiaa bor&^fonfraf f
    se baratissimo, a' dteUtt*, ^t'rua &.,
    Vicionap 9, aaUat rua Xnra
    . vi;ndem-
    B.irao da
    do fiimo
    Idem idemiiso, a25800, 35800e 55000. tares.
    Coques rnodernos, a 35000. Lindas.eelegantes.eaixinhaMx.inperfama-
    Puz.as ce pogas do t-ancas de caracol rias, proprias pera prest-Jrt*, dos autares
    branca, a 400 rs. E. Cj0{ir,h ^^ \]qM ^ fctc
    Idem idemhsas, a 200 rs. Ouadros coinsantuse estampas separa-
    Loqoes do osso e sandalo, a 25000, 45 daa.
    e6???' u i Entrcmeios e babados transparentes e ta-
    rita ae veiiuao ae loans fts cores e lar^u- pados;
    rapdoestrago;ns Uma grande taboleta nropria para qual-
    Microscopios com 12 vislas.Ja C5000. quer loja. -
    Frasco com oTeo para machina a 400 rs.
    M do Barao da Victoria a. 28
    Collec^oes de traslados ou
    normas para escrever-se.
    A aguia branx-a, a rua Dnque de Caxias n. 50,
    reeebeu nota* eollergcies on-normas para as crian-
    cas aorendereia a escrever por si mes-mo, hoje tao
    usadas Uas aulas e collegios; e como sempre ven-
    de-as por prci-o commodo.
    Meias cruas finas para meni-
    nas esenhoras
    A loja d'agnia Branra, a rua Tuque de Caxias
    n. 50, reeebeu novo sortimento da euradas meias cruas para swihora, vie do icnal-
    nioote para meninas, e coutiniia a veade-las" por
    pracos eouunodo>.
    veos ou mantinlias pretas.
    A loja da as-'iiia branea, a rua do buque de Ca-
    xias n. oO, recobeu bouiios veos ou mantinhas
    pretas de seda com Pores, e outras a' imitacao de
    erochc, e rcnile as pelp^ baratos pre>;os de 3t,
    i$ e 6^000. A fazenda 6 boa o esta em perfeito
    dstsdo, pek> qne wontmua a ter pronipta axtrac-
    Cio
    Perfeita novidade.
    Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
    ^otos dourados e
    Rua da Medre de Tieus-n. 10 A
    Joe Itomingues do Carmo e. Silva r.ufiA'tii am
    sous freguezes e amigos que no ft.i armuwB71
    rua da liadrc de Deus a. 40 A, se ; vi.a iwtom-
    pleto sortimento de fumo em fardos ,. | .
    2." c 3.' sortes.dos melhores falirtraWJps da iahto!
    e bem ansim a flor de lodos os fmurp de corw
    om rolos, paeotcs, lalas granies e pt-'icfdMuiMh
    bem dos mui acredltados fcbriranies 'lorrea &
    !& *:'5?n% Adoli:"?Scb'1"" *"
    Schmidt & C, Veigas 4 Araujo, Trind.-,H? 4 Aro-
    lar, Teixeira Pinto 4 I'ortell* (anruniiifn mJob
    nies mos) e de ontn.s amde nao roulni-idoa nalo
    publico desu capital. 0 anuunciantr .T oUn one
    todo fumo que for vendido em >3 ngin
    sen justo valor, qne qnamlo gai i^
    va qualidade, serii sineero, mui pfcrlt'snnente
    com aspesroas que poucr. enian*nn d* maieria-
    pois parajioni servir a lodos, I em lanto
    H_'"n^a Pralica dc 1." annos desi
    Rua do Cabuga n7 ] 1 A.
    Vende-se urn escravo mO^ proprio tars jn-
    nho ou padana, por preeo rniii:.: o^iia.
    Rape Rocha
    a li> &) a libra : na rua do Viea*K. n 7
    ro auilar.
    .primei-
    ---:_ ... .__ .
    iid..... u a ii .. ,ii-,
    f>da machina acompanha livretos com in~tnicc5es em portuguez.
    \9fe000 A 90*000
    SOARES -LEITE, IRMAOS
    do Barao
    v
    da
    Victoria n. 2 8.
    BAZAR DA EDA MBEITA
    HOJE
    DIAS
    Rua do Cabwga]ST.
    tnk k is-'
    C.
    Este estabelecimento sempre solicito cm offereeera coucurrencia do respcitavel pu-
    !ico um cjr/ip'eto sortimento do miudezas, caigado francez, rliapeos e quinquilharias a
    r^oa os man razoiiveis possiveis, para o que rembe quasi todos os seus artigos de nro-
    v/ia encominonda '
    l rocos bom so p
    wrofer.
    M1UDEZAS.
    1.3 para bordar, da melhor qualidade, 1
    ibra por 55o00.
    Agulhas franoe^as, iuivlo dourado, a cai-
    Hiha com 4 papeis a 60 rs., 2*0 -;,
    ",w"' t da da Europa e America, Tem dar Dublicadade de alguns artigos por cujos
    oJe avaharos precos de outros mtiit.s que se tornaria enfadonbo pu-
    MIUDEZ.4S.
    Brincos dito de dito por 25500.
    Botoes de setim pretos e de cdres, a 800
    rs. e 15000 a duzia.
    Franjas brancas de seda de todas as lar-
    GOMES DE MATTOS k IIWAO
    Avisam ao respcitavel publico desta cidade que 0 Boi-iimOilo de joips, de subidu v
    lor que existia cm seu estabelecimento, esta completamente raforeado com 0 mm ele
    game sortimento de novas joins, que recoberam directamente pelo ultimo vynor da Lu
    opa, constando elle do mais variado sorti.nei.to de adorers a Boulevard, .pukeitas d(
    ultimo goslo com pedras preciosas e sem -Has, brincos d'argola, agraffes :para relogio dt
    senhoras (lel.ca.los adorers para meninas, meios aderaps de camafeu li.id.ssimos, voltas
    '-e noaordi!.-. para senhoras. mrrniiift inoU ,\* ,.*,> ,u ii: ...._:. i. _____-i.
    tes e botoes, e outros muilos objectos de ouro do melJiorcs labrjeantes de Paris, que i
    venderao.com grande reducgao de preaos, por serem elies recebidos directamente de seu>
    committentes.
    -.irf-s?5 r)ro'oi;ieU,rios ^ "creditado MUZEli DE JGIAS, tendo seu estabelecimento aberl,
    aw h lioras da noute, convidam ns familias quo se-quizerem prover de lindos mm 1
    virem escolbe-l-s i vontade; para 0 quo qc,io lim exposi.;ao nos m^tnedoroa.
    -------------------. .. .
    nMotos dourados e coloridos.
    A !oja da'aguia brjinea, a rua do Deque de
    Caxias n. 50, reeebeu SOToe grampos com bor-
    boietas, bezouros 0 gafanbotos, 0 que de cerlo e
    perfeita uovid de. A quantidade e pepuena, e
    pur Isso em breve se acabar*.
    Novas gollinhas ornadascom
    pelucia ou arminho
    A iuja d'aguia branca a re a Duque de Caxias
    - 50, reeebeu un^a pequena quantidade de boni-
    s e novas gollinbas, trabalho do la e seda, en-
    e intcirau.eute novas.
    Grampos, brincos e rozetas
    dourados.
    A loja da aguia branca, a rua do Duque
    Caxias n. 60, reeebeu novamente bonilos gram-
    pos, brincos e rozetas dourados ; assira como
    novos diademas de ape, e como.sempre conti-
    mia a vende-los por precos razoaveis
    Caixinhas com pos dourados
    e prateados, para cabellos.
    Vende-sc na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
    quodoCaaias n. 50.
    Luyas de peilica pretas e de
    outras cores.
    A iuja da Aguia Branca, a rua-Duque de Ca-
    xias n. 50, reeebeu novo sortimento de lavas it
    peilica, pretas e de outras cores.
    \M DiA
    Voltas de fita-de veiludo com lindos co- guras, a 15000 e 15+00 0 metro.
    --;5es QogMO madreporola, a 500 rs.
    Voltas para 0 pescojo, fingindo camafeu,
    or.-.panhadis com 1 par de brincos seme-
    bante, tudo por 25500.
    Linha branca de 200 jardas em carritois,
    nropria para costura dc machina, a-800 rs.
    duzia.
    Dito de dita de Alexandre, numeraQao a
    i sto do fraguez, a 1^100 a duzia.
    Diademas dourados de 15500 a 35000.
    Ditos de tartaruga com flores a 25000.
    Oitos com borboletas a 15500.
    Srinoas encarnados 1 par por 500 rs.
    Uitos -de plaquetdc 500 rs. a 25000.
    "Jitos dourados, dueia de pares, a 15500
    s 25000.
    Voltas de aljofares com brincos, a 25500.
    Ditas de ditos com coracdes a 15000.
    Ditas de ditos de contas com cassoletas, a
    HOO rs.
    Rosetas de plaquet a 15 e 15500 0 par.
    'iraTates de seda para senhoras de 19200
    i0#0.
    Parares com 2 Iscos para cabeca e peito
    *pe*5000.
    Krrtremeios e babaditohos bordadosde 860'
    rs. 25460 a peca.
    fcaldes de sedd brancos e de cores, de
    tJSOOa 25500 a peca.
    Dhos de afgodSO e seda, de 15 a 15460
    * W-
    Ditos de algodfio, a 100 e 500 rs. a peca.
    Trencinhas de cores, a 100 e 500 rs. a
    .>ica.
    Leques de marllm a 5$ e 85000.
    Ditos de sandalo a 45500.
    Ditos de madeira imitando, a 25000.
    Ditos de papellSesa 15800.
    Cogues par 1 senhora, a 35, 35o00 e 45.
    \deTec6s fingindo coral, oompondQ-se de
    lfincte e brincos par 25000.
    Dito dito pretos por 25500.
    Ditos de ptaquet, compondo-se dealfinete
    > brioco, ?endo de muito gosto, por 55000.
    DO
    .
    para se-
    Ditas dc cores e pretas a 800 rs. e 15000 0
    metro.
    Galoes pretos de seda, de muito gosto de
    800 rs. a 15000 0 metro.
    CALCADO FRANCEZ.
    Botiuas pretas gaspeadas, para senhora, a
    5500 opar.
    Ditas ditas de duraque, gaspeadas, canno
    alto, a 55000.
    Ditas pretas onfaitadas, ultima moda a
    05000.
    Ditas dita de cores, canno aito, enfeitadas,
    a 55500,
    Ditas para moninos, pretas e de cdres, a
    35 e 45000.
    Complete sortimento de calcado de case-
    mira, Chariot, tfcpete e.trance, mais barato
    f 0 % do que em outra qualquer parte.
    GHAPEOS.
    Ricos chapeos de palha d'ltalia,
    nhora, a 115000.
    Drtos ditos palha escirra, da ultima moda,
    a 165006.
    Completo sortimento de ehapeosinhds para
    meninas e senhoras, de 25800 a S5000.
    Chapeos de sol de seda, mglezes, cabo de
    marfim a 165000.
    Ditos dito de raerln6, cabo de metal mak
    to bonito a 55500. 1
    Ditos dito de seda para senhora, cabo de
    madeira, a 65000.
    Ditas dito cabo de marflm a 95000.
    DIVER80S ARTIGOS.
    Granadine para vestidos, fazenda da utti-
    ma moda, com listras de seda, a 650 0 co-
    vado. j
    Pannos de crochet para cadeiras, a 15800 '
    3 25000 cada um.
    Ditos para soft, a 35 e 450O0.
    Toalhas de linbo para rosto/a 15300 cada
    ama. .
    Dius de aligodad akoieados, a 640 rs.
    Golxas de cro 65080. ^
    BAZAR
    Rua da Imperatriz n. 72
    df. ,
    Lourenco Pereira Meudestnlmaraes
    saber0**18"5 ^ fregucros que tem resoivido vender o maislwrato que for pessive'
    CUITAS A 160 E 200 RS. 0 COVADO. I CDRTRS DE BRMDEeORK A 15500
    Vendc-sc cbitas francezas largas corn U>' Vende-se eortes de brim de cores^
    que de avana, a 100 e 200 o covado. Di-'calca, a 1^500 e25060.
    tas Iimpas a 240, 280 e 320 rs. o covado. j B0T1NKS A35060
    CASSAS FRANCEZAS A 320 RS. Tfinde sc 'botrnSs para sermoras, a .
    Unde-secassas francezas a 320 e 360 rs. IB5560, a elia*Mt*W sc acDbem.
    v ii:-u j 200 RS> i venae-se camisas brancas, a 15600, U
    Vendo-se lasmhas de cores para vestidos, 25306,3>6'0l) e'i^d.
    a 200, 360, 400 e 500 rs. o covadu.
    SAUDADES.
    Aoiaral, .Nabuco i: C. acabam de reeebtf um
    variado (Oitimento de eapellas fnncbres com as
    seguintes' inscripcoes:
    A meu pai.
    A minba m3i.
    A men esposo.
    A iBiiiba esposa.
    A nitu filho.
    A niinha lilha.
    Saudades.-
    Amizade.
    Lembranta.
    Vende-sc no bazar Victoria, rua ao Barao da
    Victoria n. 2.
    ALPACAS A 400 RS.
    -.--.
    Mobilias


    Caleiras da guari icao muitg barataf
    ^"BuaB;r/pez'(!e0imiia-25
    CUiNlIA A KaNTA.
    'BesperidiHa
    C, rna do Amorim E*r^ W *flfe5 4* Vende-f
    Bazar Vfctotia.
    i^2Lr*' ^'abun? ^P- I"1 rte ^^s d ca,lna: Proprias para dfes-
    waco fle velhos, de rheumatteos, *c, etc., e ou-
    jtras de pbantasia, completo sortimento de chapeos
    '-> sol bfineallas, umbcllas, etc., para senhora e
    pan tiomoui, com cabo de marfim com figuras de
    eta), lifoc. flc. etc. Estes uteis e e=peciaes ar-
    \ Vjps vegde-se na rua do Baraa^a Victoria n. 2.
    .Toalhas de labyriniho^
    Passo, rua Primeiro de Marco n. 7
    a3 toalhas de labyrjMh'o, propria*
    ; ca?araento9.
    a.ea baptiaalos
    ,;
    Vende-se alpacas,para vestidos a AOO, 500,
    640 e 800 rs. o covado.
    CORERTAS DE CH1TAS A 15600.
    Vende-se cobertas do chitas de .eares, i
    15600 e25000. Ditas de ,pelto a ,154.00.'
    Colias de cores a 15200, 25500 e 45500.
    CHALES DE LA A 800 RS.
    Vende-se chales de la de quadfros a 80O
    rs. e 15000.
    Ditos de merino a 25, 35, 45 b 55000.
    CAMBRA-L4-BRANCA A 85000.
    Vende-se pecas de cambraia branca trane-
    parentes e tapada, a 35, 35500, 45, 45500,
    55 e 65000.
    SA1AS BRANCAS A 25000.
    Vende-se saias brancas e de cores, para
    senhoras, a 25000 e 25500.
    BONETS A 500 11S.
    Vende-se booets pretos de aeda para ho-
    meos, a 560 re. Chapees do-palha, .pelle e,
    massa, a 25, 25500, 115000 6t 4*000.
    MADAPOLAO A 85000.
    Vende-se peeai ^e raadapolSo eiilesladc m
    35000. Ditos mglezes para os ;p(co da
    45, 45500, 55, 65666 e 7500.
    ALGODAO A 35500.
    Vende-se pecas de eigodao, a 35500, 45,
    ie '85O00.
    BRAMANTE A 15100,
    Vende-ae bramante com '10 palmos de
    largura parftledcol, 15600, 25 e 25500 0
    metro.
    GRiANDE UQUIDA^AO DE SABONETES 280 BS.
    Vende-se uma grande por^tr> de sabone-
    tes ing-lezes, a 200 rs. Ditos francezes-os*
    chetrt a 320 e 500 rs.
    Agna de colonia, a200, 320 e 500 rs. o
    frasco para liquidar, e outros extractos-
    muito barato.
    Cal(Cas.de caserairas de cores,
    5,'W
    if6ts ae casemira, a 4JJ, 65 e *00 Seroulas a 13 e 15C00.
    1
    COliES A 440 RX
    Yende-se brim de todas as corea a 44
    rs. 0 covado.
    tB%js?fiKXUfc(te a moo a mztk.
    Vende-se a duzia de lencos brancos., .,
    25000. jDUos cdta'Atarcas(Je cores a 38061
    Ditos de linhp a 5'5000.
    TUlLflAS A 800 RS.
    Vande-se toalhas pararosto, a 800 rs. .
    GIUVATAS DE SEDA TRElA A 500 Ri
    Vende-se gravatas dd seda pre'ta, a &6<
    " chixa?IaRA c<$$$xa. A 280'#*
    Vende-se cbita para Roberta, a 1280 e fi-
    rs. 0 cpvado.
    ,Bt)^EIS PARA JlENlNOS A 15500,
    jYtfode-'Se l-ohetes piaca menino*, a 1550*
    ESPARIttHOS PARA SENHORA A 35560
    Vende-se espartilhos para senhora,
    35W0.
    omMums
    yUP-; A06Ri>-r5\AM.
    Vende-se grenadines Oonn ljatras'de t&n
    pats VeS^rj3'de'tPrihwa^'a'866eajfe 1500(
    0 covado.
    C0lJ6!!AS'DEt:Rt301BPal(BSW6.
    vende-se ricasetWls<4e crochet para .
    Caf^
    do Hit Janeiro : vende-se a rua de Vigario, ar-
    maaem 11. 16.
    Os -venladeins
    Vinhos de Bourgogne
    das marcas
    'PCuambertin
    1'ommard
    Viriis
    Volnay
    Beanue
    Monthelte
    Dito Bordeeus em quartollas.
    Vv5D l-ARA UQUIDACAO DE CONTAS
    NA
    Ruu I.arga do Roiurio n. !.
    Botica.
    -
    Cafe do dear*
    Vende-se ca'fe" do CearS de V quafcdade, ett
    Satcos : no unmosfo'^e CtmWs Mmta, rua do
    BwqWsz de Oliata n. 28.
    ARMAZEM
    razendas firias
    iW l.rfc Ukrco [?. 7 A.
    DB
    Cordeiro Simoes & C. '-
    K pude. coin prnnazia apresemar aes teat ii.-anexes
    um vaiiadi.-siino soriiintnlo de ia/e:n!as flvaa pa-
    ra pramle toilette; assim como, p.-.ra o usu erdi-
    nano de todas as classes,e por p. rantlio-
    sos para ns. eompradnres, de eVjas faicW um ne-
    queno resun.o.
    Wandaiu fazendas as' casasj dos | r.-teudi-ntM
    para o que tern 0 pes.-odl nects>ario e do amoa-'
    tras niediaiite penhor.
    Cortes de seda de lindas ojirs.
    Ditos de porgurao de cores.
    Grosdenaple do lodas as cores.
    Gorpurao branco e preto
    Seiim Macau preto e de cores.
    Gmsdenapies idem id-'in.
    Veludo preto.
    Granadine, ?eda preta e com li.-nas de dissimas padrues e faz^uaa da Lbjma ritoda.
    Popelinas de iindos padrfes:
    Filo de seda bianco e preto.
    Riras I>aquinas de seda.
    Manias braslleiias.
    <"oii lias de seda para noivos.
    Cortes de cambraia branca com litidus liJ:,dos.
    Capellas e manlos para n ivas.
    Riquissimo sortimento de las com listras d *tMt
    f.ambraias de cdres
    liitas maripozi.s, brancas e de cOrcs,
    Nansuck dc lindes pjdiocs.
    liaptista de pa lioes mui dclicados.
    I'er.-alinas de quadros pretos c bran.-is d<- l.s-
    tras, etc.
    Urins de linbo de cTres, pi\ piios |;.i vc^lidcai
    com barra e lislras.
    Fustlp de Ifndas-fdres.
    Casaipiinhos de la e de todas s* cdrr-. 1
    nlioras.
    Saias bordadas para senhoras.
    Camisas idem idem
    vestoaTtOS para moninos.
    Ditos para liaplisad- s.
    Cbapeoa |.;ira ditoe.
    Toalhas fi jnardanapof ai.Vmascfidi.
    cores para mesa.
    Colchas de I '.
    Cortinados b irdadns.
    Camisas bordadas para hoaHSio.
    Meias de cores para bomens e menii
    Completo sortimento do rtrapeos de si 1
    men? e jenhoras, com cabo de marflm.
    Merind de cores para vestidos.
    Dito preto.
    AfoaHiado de lin'oo 0 algodao pora Uialkas.
    Atoalhado rardo.
    Hrins de linbo branco, preto e dc ceres.
    Setim de lindas eflres e com li.-lras
    Chales de merino de cores e p.etos.
    Ditos de casemira.
    Ditos de seda preta e de cures.
    Dito de touqnim.
    Camisas de linho.
    Ditas de chila.
    Ditas de Ilanetla.
    Coroulas de brim e algouaO. 4
    Damasco dc la dc cores.
    Pannos de crochet para cadeira. sofa i.
    ik>lch;i> de dito.
    Tarlalana de todas as cores.
    Espartilhos lisos c brdados.
    Foulard' de seda.
    Ca-acos a tricot.
    Riuos eortes dc vestidos de linlu para sacli >n,
    de di ersas cores, com os competeotes en'
    tes, ultima moda.
    Casemiras pretas e de cores, chitas. madapn"
    cambraias, panno fino prelo e ami, collar;
    punhos, gravatas, luvas de peilica, ditas
    de Escicia, brancas e de dores, tapete* de
    os tamauhos, oolsas de viagem, etc etc.
    Na loja do Passo, rua Prijneiro de Marc
    A, antiga do Crespo.
    Attencao.
    Vende-se a cochoira para um principiani
    10 cavallos, 2 carros, e com os compete. -
    reios : a tratar na rua Direita n. 50.
    *
    4e
    , iiO-
    l.'os.
    Vende-se a casa terrea sita a rua do 1
    da Roa-Vista n. 45 : a tratar na rua do "Ti
    de Albuquerque n. 131.________________
    . VENDE-SE ......
    a bem afreguezada taverna sita a rua de Mare
    Dias (outr'ora rua Direita) n. 74 : a tratar Qi
    mesma, ou na padaria n. 69.
    uma easa terrea aeabada de pouro 'kmpe, oom S
    quartos e 2 salas, cozinba fora e quintal : a tra-
    tar na rua do Rangel n. 48.
    PANNOS DE CROGHKT A 13500.
    Vende-se-patiBOsde croclrft iara cadeiras
    a 15500 0 25000.
    CASSAS PARA CORKNADOS.
    Vendi>e feas de; cassas para cortinados
    comaOvaras, a lOJWOOc.12^006, eoutrai
    muitas fazendas em liquidacfio.
    uuha lrmaos e C.
    Bun da Mads**- deDeesn.34.
    Vendem vinhos do Porto de tefas as qualidades,
    garanlindu'ove a precos coGimodes :
    Barris de ^uinto e decinios para pasto das bem
    coniiedds marcas Meneres e Cbamico.
    Ditos de quldto flnoSleneVes, GhanH^o, Costa
    WMrttartw.
    nscimos eneapades, superior qualidade.
    Caixas de uma duzia, de toda a qualidade, ate
    aoB aSauwdos-Gravatinha Azul 1834 e !8i0.
    Sae_m- JoWe 'o Perto on Usboa, a pzazo e a
    va,
    fntessa
    Tambem vendem potassa da Russia, nO^'a, en
    " pequenos.____________________.
    Mobihas baratas
    Hd armazew de Joaquim Lopw Machado & C.
    ba um boa sirlimealo de mobHias de Vienna,
    brancas e pretas, que se vendem a precos com-
    mpdos.________________________________
    Vende-se uma taverna em Olinda a rua do
    Amparo n. 1, emu poucos fundos, propria para
    principiante, muito afreguezada, livre e desemba-
    raeada, e 0 mouvo da venda e porque 0 dono tem
    de retirar-sc para 0 mate ; a tratar na mesma.
    Vende-se
    .
    uma easa na villa de Barreiros, na rua do dm-
    mercio, por preco medico: a tratar com lasso
    lrmaos & C.
    Cafe deJava.
    Chegou nova remessa desse cafe jvm^k-/para
    a eonfeitaria do Campos As passgas que cstaVam
    acoslumadas a saboriar do lal caK poflcm agora
    ir compraio a rrta dofmpcrador n. 21'
    CONPETTARIA DO CAUfOS
    ---------------------------------------
    DE
    Portland, desembarca^o no dia i do _co-
    rente, ninguem tern eitnento ;le Portland
    mais novo nem de rnelhor qualrdade: a
    venda noarmazem da bota amuella, traves-
    sa daj_a do Imperador.
    uegNh
    - Nfc-rua das Cruzes a. 18, lop de carapi
    v e hem'(efrj ; assirnrtnmo, doirs 31.1 leathontosHe
    lourb, csattnaHiai suarna-
    cer um sottoin^rpo, mas qne 'ooHe t*r oatra
    applicaiao. l"ia *en?^ easa Be diiit que prectfa
    do um feitor que entenda de jardiin.




    8
    Diario de Pernambuco Quarta teira 15 de Outubro de 1673.

    =
    ijf^B
    '"nrrmm



    LITTERAinnUL
    .4 niulhcr.
    a' mkc amigo l. c.
    .Mulher eis uma palavra grandiosa e
    complexa, que eiicerra em si urn punhado
    do sublimjda I* s e de maravilhns palavra
    osplendida, ctijns fulgorcs sao irmaos do
    sol o das estaellas, do sol ua uiagnificencia
    e poder creador, e das cstrcllas na belleza
    e suavidade.
    Deus fez tolo 0 creado, fornando por
    flm a muiher: e so euldd disse : o mundo
    agora e perfcito. E quo maior ilogio para
    a inulher do quo estas palavras do Crea-
    dor ?
    Sonho preeoncebido do Etemo, a mulber
    tornou-se, ua fami da creacdo do universe,
    uma realidade soberba. Foi a obra prima
    do Oinnipotente esse ente prodigi >so, que
    vonce a toda a creacdo, da qual foi o mais
    bello remate.
    Tudo pr.Hilauia a realeza da mulber.
    As aves a modular seus cantos, as esphe-
    ras a diffuudir suas pytliagoricasharmonias,
    as esfrellas a derramar sua luz suave e doce
    as flores a desprender sous incffavcis perfu-
    mes, a aurora a purpurear os ceus ao con-
    tacto de seus roseos dedos, o sol a brilhar
    no ospaco infiuilo derraman 1 i calor e vida,
    emfim, o ceu a terra, tudo se curva dian-
    te da augusta- magestade da, mulber.
    E como 1183 bavia ser assim, si a mulber
    maito ao contrario do que diz o boi da phi-
    losopbia, na pbrase de sens con liscipulos
    tes que urn e outro.
    E porque nao havia ser assim ?
    Deus formando a mulber infiltroe-Jhe
    dous raios de seu poder a belleza o 0
    amor.
    Recife, 2outubro1873.
    . Amorinus.
    especie dere pwmauecer estrauho ao indi-
    viduo.
    Diga cada qual com o poeta.
    Hotno sum, humanimhil a mealienum
    p*to.
    (bo Journal dis Debats.)
    DO
    ttciencins |liiloopliira.
    ESTl'DO DA AJfTHROPOLOOIA, POR
    RICMET.
    CH.
    Disci)so pronunciado pelo Sr. conselfuiro
    Joti de A\9ncar, por occeuido cht innu-
    guracdo da tia'ferrea de BcUur.U no
    dia 14 de setembro.
    Senhores.Os poyos como os homens
    * (Concluslo)
    Sem duvida que a linguagein e dote ex- quern a Providoncia desujna grau les e
    clusivo do bomem. Entretaulo que os ani- nobres desbnos, sdo dusdo o bjreu educados
    raaes ddo a entender os sous pensaraentos, P*r o trabalbo e para a luta. Sua infan
    sobretudo uns aos outros, por meio de c'a u,n cmbate incessaiite, mas tambem
    intonates variadas, que as pessoas a isso quando pelo esforco e constaiicia elles me
    habituadas decifram perfeitamente. E' no- recem a bencAo do Senhcir, sua virilidado
    toria a existeucia de um grupo de simios torna ""> continuo o esplendido trium-
    que emittem sons musicaes, os quaes ndo pbo.
    deixam de ter algum encanto. Quanto ds Neste opulento Brasil, onde o ouro brota
    aves, e indubitavel que assuas melodias ex- em flor. CJiOJ **} da tefra, coube ao pvo
    primom sentimrntps mais ou menos vagos, cearense una zona fertilissima, porem abra
    e >erdade, mas que variam claramente con- wda pola secca.
    forme as sensaQoes que enuueiam.
    Se aunos de abundancia medravam a co-
    0 exame dos dracteres physicos apro- ,hoita Jo lvralor ea criaoao do fazen.leiro,
    xima amdamais os animaes do bomem. U wuha o verao assolador que tudo consu
    To Ids os seres vi\os foram como quo mo- m,a>
    delados por um mesmo tyj>oe quanta mais Coufrange-se o coraao recordando ossas
    os exemplares aui.uados se elevam, na es- es calamitosas, que volviam por um cy-
    cala da crea^ao, inaior e a somclhanca e a funesto, e cujas data! 1C96, 1703 e
    analog com o bomem. E' sabido que en- *8i5 figurara em nossa histona como ep -
    (to os Simiadas occorre um grupo com o taphios le geracoes devasta.las pala foam,
    predicado do- anlhropo-morpho, o quequer! Nossus dias OTiagos, o impeno como um
    dizersemelbanle ao bomem. Este grupo'.pa' sohcito acodta com soecorros d mdigen-
    (i eonslituido por qualro varitsdades a saber : cia publiea ; mas das causas do mal a de
    ou o >loutor angelico no dizer dos da igre- os Hyl6batos, os Orango tangos, os Chim
    ja, foio ser privilegiado no piano da crea paozes e os Rorilbos ou Troglodytas. 0
    la organisa^ao des-
    gao, foi o mais acariciado e querido dos
    pensamentos de l>eus ao delinoar o piano
    do universo ?
    Enamorado, Deus fez da mulber o com-
    pendio s Imiravel dq toJos oi enoaotos, ma-
    ravillias e sublintidades, quo s6 esparsos e
    om raras secntclbas apparecem nos mais so-
    res creados.
    E assim o atlestam o pbysico e o moral
    da mulber, essa creatura verdadeuamente
    sublime.
    Estude-se o seu corpo, aprecie se detida-
    mente cada um dos uncantos, que ucllc
    pronlcm a vista do mais indifferente obser-
    vador, compare-se a deliea.li'za, a perfei<^So
    das formas e juntamente sua aliuiravcl
    struetura e diga-se si ba organisarao
    mais perfeita, si ba belleza mais encantado-
    ra quo a sua. Ate a propria flor reconhe-
    ce sua inferiori.lade.
    Oh 1 creatura divinal !
    Quern n3o se deixa embevecer o extasiar
    dianto da ondulagao do seio da mulber,
    essa doce ondulai.ao, que, no dizer de um
    bomem de genio, exprim j todos os seus sen-
    timentos em urna eloquente mudez I
    A mulber ainda tem uma lingaagcr. sua
    e admiravel, que nao (< i parlilba de nin-
    guem.
    Os insec'os e os peixes s3o mudos. 0
    passaro canta. E'lequereria articular. 0
    bomem tem a lingua distiucta, a palavra
    luminosa, a clareza do verbo. M-sa mu-
    Iher acima do virbo do bomem e do canto
    do passaro, tem uma lingua toda magica,
    com que entre-corta csse verbo ou esse can-
    to : o suspiio esse sopro apaixonado.
    E quao poderosa e a mulber em seu si-
    lencio 1
    Ella ondida o scio, esse uinho encantado
    dos mais ilivinos sentimentos, deixa escapar
    um balito baimoiiioso e arraucado d < mais
    intimo de sua alma, e com isso s6, com es-
    sa eloqueocia fragil e quasi imperceptivel
    faz mais que os Demosthenes e os Ciceros
    com suas abundantes, sonoras e estrepitosas
    palavras !
    Crea la para compauheira do bomem, a
    mulber Uouxe ao entrar no mundb creden
    ciaes de um poder iofinito.
    Deus sellou-lhe a fronte com o sigillo da
    belleia, j)lantou-lhe no corai;3o os senli-
    mentos mais santos e mais sublimes e acen
    deu-lbe no craneo a doce luz de uma razao
    sempre recta e penetrante.
    Deus faiou-a para uma sublime missao e
    no seatido dessa gloriosa -nissao predispoz
    as faculdades de sua alma Candida e pura.
    Sua intelligencra e seu eorac,5o em suave
    enlace pnTduzem as grandezas o delicias da
    vida, as verdudeiras grandezas e as verda-
    deiras delicias. A mulber, que vivo pelo
    pensamento e pelo sentimento, que harmo-
    nisa ideas e sentimentalismo, que pensa e
    que sente, e a verdadeira pedra fundamen-
    tal da felicidado do bomem pelo bomem, da
    familia pela familia, da sociodade grande
    mas n3o vasta, a que se chama nac,3o, e
    por esta da humanidade, e^sa synthese do
    pensa.nento de Deus, que foi, e e serd o sym-
    bolo da unidade varia e complexa, que at-
    tingird um dia em toda a sua plenitude a
    egreja de Cbristo.
    Toda a felicidado humana vein da mu-
    lher, esse cnte mysterioso, que e como o ar
    atmospherico que leva a vida onde penetra.
    Ainda como o ar atmospherico e a mu-
    Iher quasi impercoptivel no immenso e in-
    calculavel effeito de seu poder. Mas quSo
    poderosa e extensa nao e a sua influent; ia 1
    Todos os acontecimentos grandes ou pe-
    quenos decorrem de uma fonte, is vezes
    occulta e ignorada como as origens do Ni-
    fo, e essa fonte 6 sempre a mulher.
    Na familia, no estado, na humanidade 6
    a muloer qnem faz tudo.
    Semelhante a um Deus Omnipotente, ella
    influe em todos os acontecimentos da vida
    do individuo, da familia, da nagao e da hu-
    manidade.
    Ella tem elevado e desenvo'vido a c'vili-
    saQ5o, sem que muitas vezes se lhe possa
    attribuir parte nisso.
    Tem actuado nas mais grandiosas accOes,
    tem inspirado os mais ousados e os mais
    santos cjmmettiraentos sem suspeitar-se se-
    quer.
    0 seu poder, pois, e grande ; mas seu
    exercicio e suave e occulto e impercepti-
    vel.
    Que admiravel nhenomeno 1
    E' isso uma brilhaute manifesta^fio da sa-
    bedoria do Creador, que quiz, para con-
    fundir nos reunir na mulher o contraste de
    um immenso poder a par de uma manifes-
    tagio, a'mda que ,graode em seus resulta-
    dos,; nufla em sua apparente effect!vidade.
    E' >que a malher d forte sendo fraca e
    a fraqueza e o fundo de seu caracter : fra-
    queza que val mais que todas as forcas 1
    A mulher, pois, physica e moralmonte
    fallando, 6 uma maravilha e um prodigio.
    Aninbandc a belleza nas formas e* o
    amor no coracle, como se revests a flor de
    uma bolla cOr o se irapregna de um exqui-
    sko perfume, a inulher tudo faz, tudo con-
    segue, tudo conquista, porque Ues sao as
    duas mais poderosas da uas armas, armas,
    aii.-" "r sendo como o paa nero cem> <-1 pois
    irro s5o coia tudo mais.invenci.vis efor-JJc-m--------a, e nadu do
    a tudo mais
    estudo e attonto exame
    tes typus babilitam a aflirmar queentre elles
    e o negro existe a mais estreita analo-
    gia.
    Na raca ngra, com effeito, a face e mais
    volumosa do que o craneo, e as circumvo-
    lufocs cerebraes sao menos numerosas, me-
    nos profundas e .nenos desenvol/idas do que
    na raca branca. Outrosim projectam muito
    salienternente os ossos maxiliares do typo
    negro, alcancando os bragos quasi ate aos
    joelhos, ao mesmo tempo que o pe e mais
    longo. e torna-se notavel pela grande mo-
    bihdade dos artelbos. Alem disso, obser-
    va-se a ausencia de musculos na parte pos-
    terior da perna; prinoipaes tragos estes com
    que se destacam as duas ra(ja?, mas que nSo
    param aqui. Nestes termos e ate permitti-
    do dizer-se que o negr j, em razao do di-
    versos caracieres comprovados por minu-
    ciosos e pacientes- estudos de anatomia com-
    parada aproxima-se mais dos quadruma-
    uos do que da vanedade branca da especie
    a que alids portence.
    1'ercorreu lo-so sem preconceitos as relo-
    qocs de navegantes os mais fidedignos, a
    respeito de certos povos selvagens, adverte-
    se ainda que a ordem humana 6 muitas ve-
    zes representada pof entes da mais infima
    gradacao. Segundo refere Mr. Fyre, os
    auitrjlianos no intento de enfeitarem-se, pra-
    ticam em differentes partes do corpo pro-
    fundas cicatrizes, e esmagam caprichosa-
    meiite entre taboas a cabec,a dos recem nas-
    ciJos, para dar-lhes uma f6rma aberrante
    da natural. Nesse mesmo continente insu-
    lar, os babitantes arrancam os incisores,
    perfuram e penetra in os labios com frag-
    ments lignosos e amputa-.n a si proprios fre-
    quuutemenle dous dos dedos da mdoesquerda
    tudo isto em consequencia do falsas riocdes
    de presamida belleza.
    A mulher, destiluida de quaesquer dirci-
    los, e considerada como um animal de car-
    ga ; e aos individuos dos dous sexos falta
    completamente osentimento do pudor. Sao
    igualmente detioientes tanto a idea de pro-
    priedade, como a de familia: A' noile,
    como os (jorilbos, buscam abrigoja" no alto
    das arvores, em que se construem toscos
    recessos, j nestes r.'tiros vivera promiscaamente d gui-
    za de feras.
    Acha-se averiguado que os Tatagues ne-
    nhuma idea religiosa p'ossuem. Cobrem-se
    de detritos immundus c de sebo ; devoram
    como alimento diversos animaes ainda vi-
    vos ; e a sua ferocidade excede a todoopon-
    to. Narra o commodore Byron, que junto
    d Terra-do-Fogo, trazendo uma crianca em
    tenra idade, a seu pai, um ninho de ave
    com ovos, e deixando-o por acaso cahir, o
    desnaturado progenitor pegando violenta-
    meulenessa innocente creaturinha, que mal
    contava tres a quatro annos, e segurando-a
    pelos pes, deu-lhe immediatamente com a
    cabega de eucontro a uma rocba, o esmiu-
    ou-lh'a. Entretanto na tribu a que per-
    tencia ninguem reparou nesse acto.
    Os incolas do Cabo Sock na Njva-Hollan-
    da, nao sabem contar sendo ate seis, e
    ainda assim para o conseguir, adoperdo
    apenas duas palavras, repetindo-as. Os tar-
    manianos ndo tem vocabulo algum para ex-
    primir a idea de Deos. Desconhecemo uso
    do fogo, ignuram qualquc- arte, ainda as
    mais grosseiras; nao sabem servir-se do
    arco e tlecha, e os animaes selvaticosde que
    so alimentam, ou alcancam em carreira, ou
    attingem com podras, as quaes lanc,am com
    a maior destreza. Os Cafres, os Hottentotes
    o muitos iudigenas da Africa Central, acre-
    ditam nos espiritos malfazejos, mas ndo ad-
    mittem nocdo alguma da divindade. Por
    toda a parte desde os confins da China ate" d
    Laponia, o eufanticidio estd em pratica, e
    constitue um uso consnetudinario, encarado
    como um elemento natural da existencia do
    bomem. Enterram -se vivas as consortes do
    chefe que morre ; e sdo jugulados os velhos
    que nao podem mais proverd sua subsisten-
    cia. Quauto d escravidao a ndoser na Europa
    e nos Estados-Unidos, faz parte dos costumes
    de todos os povos.
    Este copioso acervo de factos ndp prova,
    como tem pretendido alguns zoologistas, que
    o selvagem e o quadrumano sdo duas varie-
    dades da mesma especie. Pelo contrario,
    6 fdra de toda a duvida que o bomem e tdo
    ilifferente da ordem dos Simiadce quanto
    p6d divergir uma especie de outra. As
    circumstancias, porem, ndose pioporcionam
    a constituir do bomem umser a parte, com-
    pondo um reino especial.
    Talvez.que nesta breve analyse se tenha
    entrevisto sufficient*-mentea extensdo da nova
    sciencia da anthropologia, como se teve em
    mira no delineamenlo destas rapidas linbas.
    Os viajates, os bistoriadores, os geologos,
    os. arcbeologos e os linguistas devem todos
    trazer-lbe o tributo dos sous conhecimentos,
    no empenho do importante desenvolvimen
    to de que e ella suscuptivel. Comquanto
    creada pelos zoologistas e 6s anatomistas, a
    sua esphera excel" muito o circulo destas
    doutrinas, e exig3 o concurso ndo sd dos
    especiali-' nit res das sciencias vi
    sinhi ij>>s os bomeiis instruidos
    tpyta.-sc da or-
    que iutercssa a
    seu remedio ndo curava.
    Nds eramos, senhores, podemos confes-
    sal-o hoje sem desgosto, nos eramos cansi-
    derados cntao na familia brasikira como
    um membro mutil marcado pelo selfo de
    uma desgraga irreparavel.
    0 cearense, porem, jamais perdeu a c ra-
    gem, nem seutio vacillar u.n mouento a fii,
    no seu futuro. Pedio iuspiracoes d sua
    consciencia, e forcas a su.i perse 'eranja.
    No quarto do seculo lecorrido depots d >s
    calamida les da ultima gran le secca de 18V5
    quanto nao fez este poro laborioso.
    Faltavam bra^os, pois Duaca, senhores, e
    mercado de carnc africana mancharu estas
    Filagas. Os cearenses croaram o trabaibo.
    ivre em uma epocha om que ndo se ousa-
    va siquer murraurar a palavraemancipa-
    C&o.
    Pelo trabalbo livre obteve o Coara o que
    debalde tenlararn paizes mui adiantados ;
    obteve a pequena lavoura, que forma sob
    uma base democratica a importante classe
    agricola, o mais solido fuudamento da so-
    ciedade.
    Foi atem o ousado commettimento desse
    povo emprehendedor.
    Um cearense, cuia alma exulta neste mo-
    ment*) contemplando da mansdo dos justos
    as glorias da terra que tanto am,u ; um
    cearense cujo nome escuso proferir, lem-
    brou que assim como outros povos faziatn
    celeiros para o verdo, dovia o Ceard fazer
    provisdo d'agua para a secca.
    Multiplicaram-se os agudes, que hoje co-
    brem toda a area da provincia, regulari-
    sand i os invernos ; e assin roproduzio-se
    o mylbo de Prometheu, eom a differenca
    que desta vez foi a agua e ndo o fogo que
    o bomem arrebatou ao ceo.
    Abrindo novo horisonte d sua agricultu-
    ra, tinha nossa provincia ensaiadoa planta-
    Qdo do cafe, primeira lavoura dos tempos
    oodernos. Seu producto jd compete no
    mercado europeu coai os melhores do Orien-
    te, e ha de exce lel-o quando o dosenvolvi-
    meuto da in lustria aperfeicoar-lbe o fabri-
    co,
    Ndo so esqueceram tambem os cearenses
    de dotar a sua capital com melhoramentos
    quo pareciam impossiveis ha vinte annos, e
    que a tornaram uma dasinais bella* eapra
    siveis cidades do Brasil.
    Em quanto assim lidava o Ceard sem am-
    paro e sem doscanco para construir o seu fu-
    turo, nao se arrefeciam nafta os brios nacio-
    naes, e nem affrouxou o la^o de uniao que
    e o ncrvo do grande uuperio brasileiro, ao
    qual estd reservado o sceptro da America,
    Apenas se derramou no paiz a noticia da
    ousadia do Lopez,o cearense, como o antigo
    roraano, encostou o alviao, e acodio ao
    campo da honra.
    Nas cem batalbas que fo mam os cantos da
    gloriosa epopeia, escriptaspelas armas brasi-
    leiras, o nome cearensefigura entre os pri-
    meiros na fila dos batallioes, coaao d frente
    dos cxercitos.
    Sampaio, senhores, ndo foi so guerreiro illustre ; foi tambem um exemplo.
    A vida do bravo general que sabio da ulti-
    ma fileira, e conquistou pelo seu mereci-
    mento todos os postos, tracava um ilinerario
    ao soldado cearense. Elle foi o primeiro;
    cada voluntario quepartiadestes eampos era
    um emulo de sua gloria.
    Faltava, porem, ao Ceard receber o bap-
    tismo do progresso e uaturalisar o cavallo a
    vapor, esse hypogripho de fogo que o genio
    daindustria moderna tomou aos contos
    phantasticos para transformar em umaera-
    lidade.
    Alguns cearenses distinctos, associados a
    uma respeitavel firma ingleza, que jd tinha
    prestado bons services ao nosso commercio
    e lavoura, comprehender.m que era chega-
    do o moraento.
    Auxiliados pelospoderesprovinciaes, e ani-
    mados pelas aspira^dos da provincia, mette-
    ram hombros a empreza, e o que foi hon-
    tem uma idea tornou-se hoje um aconteci-
    mento, e serd amanhi facto consumado.
    Nestes eampos, senhores, onde ha dous
    seculos resoava o buzio guerreiro do Cma-
    rdo, o heroe legeudario de nossa terra, jd
    repercutio o sibillo da locomotiva que 6 o
    hymno da civilisacdo em marcha para o
    deserto.
    Ndo vos esmore^am, senhores, as diffi-
    culdades que surgem i vossa corajosa ini-
    ciatira. Lembrai-vos que a divisa do cea-
    rense tem sido e deve serperseveranca.
    Em poucos annos tereis suppriraidoa dis-
    tancia, como supprimistes a secca e a feme ;
    e dia vird, ndo mui remoto, em que a fa-
    milia cearense se congregae para colebrar a
    grande festa da industria nos magnificos
    plainosda Ibiapaba, a mais fertil regido do
    mundo, a nossa terd"da promissao.
    Conceda-me a Providencia, senhores, que
    ainda uma vez resbtuido d minba terra na-
    tal, eu me associe come hoje, ao vosso jubilo
    patriotico levantando um brinde.
    AO FUTURO BRILHANTE DO CEARXl
    AO SEU PROORESSO MORAL MATERIAL !
    laremos das grandes festas que is projectam
    ua Allemanha para o anniversario da vic-
    toria decisiva das armas allemdes sob re os
    liercitos francezes, que Se ha de celobrar
    no anno que vein.
    Diz.-uma folba de Borlim que ba idea de
    jova'r, com maior esplendor, osjogosda
    ntiga. Grecia para os quaes serao convida-
    das todas a* poteuclrs amigas, afiifi de alii
    maudjr.jin lutadores, em todos os Muorus,
    deslin i los a disputar valiosos preinios que
    o governo e a inunidpalidade de Berli*n
    Hies decretarfio.
    Para que as nossas leitoras possam fazer
    i le.i do que oram essas gi'*n les festas da
    aiitiguidade, va.uos ilar-llies a segninle no-
    ticia :
    Ua via tres jogos solemnes na Giocia ; e a
    sua iustituirao era nltribui*.'a aos quatio
    mais fainosos heroes da aiitr^uidiide : Her-
    cules, Tlieseu. Castor e Pollux, Ueuomi-
    iiavani-sa jogos olymuicos, ui.'meos e islh-
    iriicis.-
    * Nossas fetus que se uelebravam cum in-
    crivel :ngniliceix:ia, e que do t.< 11 a Gre-
    cia e de tolis os paizes viziubos attrahiam
    prob^iosa muliidao *ie eombahsiittM e de
    especla-loros, so se davi a*>s veflceJoroi
    uma tuples coroa de oliveira, de louro,
    u de aipo, mas oram-lbes cmiferi las as
    mais lionr.is. Regressavam n'au carro
    triumphal A sua patria, e-entruvam na cida-
    de naltl, fr u.na brecbi leita d; proposito
    na mur.tlha de cirouinValai;rK), a!i*n le lor-
    nar mais impouente a ceromoni i. Rece-
    biam, alem disso, cousidcraveis prescntes
    doj sens concidaddos ; tinban direiti aos
    primeiros logares nas asseaibleas publicas e
    nos espi-ctaCulos, e eram sustenta los laula-
    mente d cu.-ta do estado.
    Os jogos olympicos, que sao os uais co-
    nhecidiks, celebravam-se ao pe le Olympia,
    ei l.i.l' da Ehda, to los os quatro mantis no
    solsticio d verao, duravam ciiHO *lias, e
    sorviani de era para >latar acontedmeiitos
    importanlos. Chin iv.i'i-se4y npia hs as
    revolu^deS) ou perio los de quatro annos
    A primeira olympiada data do anno do
    mundo 5231) ( 776 annos antos de Cbristo.
    c 28 antes da fundac.au de KomaJ. 0 em-
    prego desU e.a necessita dois nomes de
    nuraoro; um que indique olympiada, e
    outro o anno respeetivo ; por isso se *liz :
    o 3*aino da 50* olympiada, o i da 131
    etc.
    Eis o quo se observava relalivamente d
    ordem e d policia dos jogos olympicos :
    oflerecM-se primeiro um saerifrcio a Jupi-
    ter ; depois abria-sn o peulalblo, exercicio
    compostfj de cinco jogos : a luta, os saltos,
    o disco eo danlo. ou o pugilato ; as corri-
    das de e;valljs nao tlnham logar no mes-
    mo dia. Os babitiw.tes de Elis a quern to-
    cava quasi sempre a direecdo deslas festas,
    nomeaVam um cert*>humero de iuizes para
    lhe presidir. e mantef a ordem, e impedir
    que ndo se usasse 'le feau le ou de csporte-
    sa para ganhar os premios Da 32* olym-
    piads em itiante foi evpressamente probibi-
    do ds seubdras assistir aos jogos, e mes-
    mo passaf pelo Alplket)', rio que corria
    junto aos mums do Olympo, duranto todo
    o tempo da celebraijao publiea.
    Os jogos aemeos foran. iustit-iidos segun-
    do uns bistoriadores como monumento- da
    victoria de Hercules sobre o loao da Ne-
    mea ; e segun*lo outros, em honra de Ju-
    piter nemeo. Parece coi*tudo mais |>ro*va-
    vel, seguindo so com atlon^do a bistori.i auti-
    ga que a su;v inslituicaofoi em memorvi de
    Opbel'es, ou. por outro nome Archainoro,
    filho do rei Lycurgo. e que morrea da
    mordedura de uma serpente emquanlo sua
    am i Hypsiphvla guiava os gregos do exer-
    cito de Adraslo a uina {onto. Estes jogos
    celebravanvse todos os tres ou cinco annos
    na celebre floresta da Nemea., e formavam
    era para o&argivos c ilomviis povos circum-
    visinhos. As dos argivo&, e os juiz.es vestiam-se de luto
    para decretir aos voucedoies nun coroa de
    aipo, herva funebre, Nostas eerimonias
    corria se a pe, a cavallo-, e ern carros, e os
    coucurrentes entregavam-se a todos os exer-
    cicios u.,a k>t nos outros gran les jogos da
    Grecia.
    Os jogos- isthmicos, assim cbamados do
    isthmo do Coryntho on le linham lugar, fo-
    ram instituidos por Sisypbo 1,226 annos
    antes de Cbristo, em honra de Melicer'a
    quese precioitara con sua mai Ino no-ocea-
    no, para escapar ao furor d*> Athamas,
    seu pii e marido como hoje so diz em es-
    tylo de annuncio de convile para an-
    te rro .
    0-casoe quo estes jogos tambem eram
    celebrados todos os cinco annos e serviara
    de era aos corynthios. Disputavam-se pre-
    mios tguaos aos dos j >gos olympicos ; e
    ate segundo parece por uma passagem do
    Plutarco, os combites de poesia e de musi -
    ca eram nelles adnittidos. Decretavam-se
    aos vencedores cordas de rama de phiheiro.
    Os elitos cram os unicos de todos os povos
    da Grecia que ndo assistiam aos jogos isth-
    micos, para evitar o cumprimento d.s im-
    precaugoes feitas contra elles. por Mollione,
    mulher de Actor.
    Quando os romanos, depois da victoria,
    foram a elles admittidos, havia o espectacu-
    lo de grandes caca las nas- quaes faziam ap-
    parecer os miis raros animaes, tanto man-
    sos como ferozes, que de todas as partes do
    niuodo conbecidas e com grandes despezas
    eram para alb transportados:
    Estas grandiosas festas, alem de commo-
    morar altos feitos. e de manter em activida
    de o espirito nacional, serviam para o
    mesmo fim que hoje em parte teem por
    objecto as exposigoeyuniversaes : o aKrahir
    capital, e aniraar o commercio e a in-
    dustria.
    Sese verificar a noticia da folha de Ber-
    lim, e com as proporcOes que ella annuncia,
    p6de muito bem ser que as modernas festas
    tiquem servindo de e^ra particular para a
    Allemanha. Quem sabe se essa serd a idea
    do principe de Bismarck par commemorar
    a grande victoria sobre a Franca, e a inau-
    gurac&o da preponderancia politica da Al-
    lemanha na Europa 1
    Diz-se que durante as festas o transpos-
    te de todos os viajantes pelos caminhos de
    ferro das fronteiras do imperio para a capi-
    tal, serd feito d custa do estado,
    0 povo trsneez pagou generosamente I
    VAJUEDA9E
    HESPANHA.Damosem seguida a carta
    de parabens a Emilio Castellar, que se attri-
    bue a Gambetta, e que diz textualmonte :
    Paris. 20 de agosto de 1873.
    Meubooi amigo.Tencionava nao vos
    oscrever, persuadido de que nao deyia rou-
    bar-vos o tempo necessano para a leitura de
    uma carU, no meio dos terriveis aconteci-
    mentos que vos~ rodeiam e absorvem a voa-
    MODAS.Ndo tendo recebido de Pan
    jornses que tratem deste assumpto, uom
    correspondents de Londres e do Spa, fal-lme autorisaespor intwmedio do vo^oen-lpore.s a todoss n55 5 ^-ihac, perai.te
    carregado de nngocios em Paris para rom-
    per esto silencio que me coutristava, apres-
    so-me a manifestar-vos a minba opinido e a
    de todos os meus amigo^ dcerca da espan-
    tosa crise porque estd atravessanJo a Hos
    panha, e cujas oonsequeocias nos am^sc^m
    de mui perto.
    *< Priaieiro do que lu^o d.r-vos-boi que
    a opiniao unaiiiuie da democracia ropubli-
    can a da ""Franca estd perfritamenle identili-
    eada com a vossa politica. Mo compreheu-
    deiiKis a raza** do ser dos intrausigeiites do
    vosso paiz. Julgavamos que a borrivel e
    louca leiilativfl da coiihiiuuu serin um exem-
    pt proveitoso para o^ vossos compatriotas,
    e i|u" seguros da ellicacii dos meios legaes
    coin quo contavam para fundar e organisar
    a republica bespanhola, nao afogiriam no
    beri}o, con inuteis e ruinosas violencias, o
    germen da liber Jade republicana, que vos
    e os vossos amigos conseguistes, implantar
    legalmente do outro lado dos Pyreneos. A
    histona, a historia bem reeente para nada
    aproveita aoscomtomporaueos. A conducta
    Jus Contreras, *los Pierrad e dos seus colle-
    ges parece-nos lao injustiiic.ila como cri-
    miiiosa. Esto juizo nao o so meu : c o dos
    bomons mais impacientes e avanc.idos do
    nosso parlido em Franca, os quaes parece
    qne braram uma severa li*;ao das faltas
    eoimneltidas antes e durante o movime:to
    insurgeuto ila communa de Paris.
    A conlucta dos vossos exaltados pare-
    ce-nos tanto mais enexplicavel quant) que
    em Hespanba, examinando a insurrei<;ao
    desde a sua origem, ndo seencontra uma s6
    las profundas causas quo espficam, sem
    a justificar, a communa do Paris. Os vos-
    sos exaltal *s ndo tinham Qorn a suspeita de
    uma assemble.! conspirailora e realista, nem
    as explosoes de um patriotismo hi muito
    excilado, nem as agitacoes ^uo arrastam os
    espiritos mais temperados a esses espantosos
    desastres, que nffligem e arruitiam litn gran-
    de povo, nem, finalmente, afomeea miso-
    ria, cmselheiras natas da sedicdo. Quasi
    que se pode dizer que em vez d'estM diver-
    sas condicOes de desordem social e politica,
    a vossa republic:! apresentou desde o prin-
    cipio tolas as garantias da sinceridade, da
    linneza d'S vcrdadeiros patriotas. > 0 par-
    lido republicans francez nao pode deixar de
    censurar e i;nidemnar publicameule a re-
    bellidodos vossos intrausigeiites a a debili-
    dade los vossos amigos Figueras e Pi y
    Margall.
    S6 vos, queri lojimig>, ten les a nossa
    inteira cnnlianea ; abTestao os vossos actc-s
    e os- vossos discursos para (>rovar que sem-
    pre Uadin mostrado aos vossos compatrio-
    tas-o caminbo do dever; e os sulTragios que
    vos elevaram d cadeira da pi-esidencia das
    cdrtes- provam-nos que as vossas inteni;6es
    sdo con>prebemlidas.
    Creio de hoje em diaiite vos doveis a
    v6s mesmo e d giv.nde causa quo represen-
    taes, e permitti-me quo accrescento : a
    causa commam de ambos os povos de um
    o outro lado dos Pyrindos. Assim odeveis
    fazer para assegurar o tria-mpho da repu-
    blica. E aqui, com a franqueza qne me e
    propria e com a ardente affei*;ao que par
    vos sinto e pelo vosso formoso e nobre paiz,
    von expressar o meu pensamento.
    Teodes-diante de vos um praxo de tres
    u>ezes, durante 0 qual vos podeis salvar ou
    verder-vos. Nao deve fiular o anno de
    p873, sem quo tenbaes dado a butalha decisi-
    la. Terrivel e a vossa missdo; mas ben-
    des uma nacdo, a utiica talvez entre as lia
    Europi que tem guardado profunJamcnte o
    sentimento da boor* nacional, o desprezo
    pela morte, o fanatismo da patria. Sabeis-
    melhor do que niuguem qo mundo vibrar
    a c rda d'esse admWavel e nobre sentimento
    do povo bespanhol. E' preciso pol-o em
    accao e dirigil-o com desesperada energia,
    resolvido- a tudo, ate a morrer, primeiro do
    (pie a detxal-o entibiar e a Jeclaral-o ven-
    cido.
    Ickss ter tres mezes de suspensao de
    c6rtes; aproveitai-vos d'esse tempo de dicta,
    dura legal para derrubar a bandsira verme-
    Uia e o estandarto carUsta ; sole iullexivet e
    implacavel. Queo cumplicc dos rcbeldes,
    deputado ou simples cidailao, ovcriptor ou
    nao, seja submettido a um conselho de
    guerra e castigado em name da patria em
    perigo.
    Tendes em torno de v6s a grande
    maioria do paiz que torn sede Je ordem de
    descanco, de estabilidade. Negai o direito
    de serem eleitos por dez annos, como o fi-
    zeram os americauos do norte durante a
    guorra civil, e depois d'ella, a todos os que
    ten bam tornado parte lia guerra civil; vi-
    giai sobretudo a execucao das ordens do
    governo; demitti e substitui successiva
    mente a todos os funccionarios qualquer
    que seja a sua classe, que as ndo executem
    com enthusiasmo e intelligent.
    tendes guardado desde o principioda guerra
    todos os pontos de desembarque na costa,
    impedindo pelo lado do mar o abasteci-
    mento dos carlistas. E comtudo, e elemen-
    tar na guerra privar de todo o abasteci-
    mento o iuimigo.
    Assegnrai-vos bem.afimde nao terdes
    que retroceder ncsta serie de medidas ener-
    gicas. OlTerece-se-vos uma occasido mui
    propicia: a de poder fundar a republica
    em Hespanba pela repressao da desordem,
    e couquistar assim as sympathias de todas
    as povoacoes em favor da republica, como
    salvaguarda da ordem o da propriedade.
    No meio dos vossos grandes infortunios, 6
    isso uma felicidade para vos; nao retrocedaes
    perante nenbuma resolu^So que vos possa
    conduzir a este bom resultado.
    Creio que tendes no paiz mais rocursos
    do que < s qae sdo necessarios para veneer
    os vossos ad versarios. Empregai-os metho-
    dicamento e com resolucdo inquebrantavel.
    Isto, alem de vos fazer promptamente in-
    vencivel no paiz, assegurar-vos-hia a con-
    lianca, triumpharia das resistencias, dos
    receios da Europa official e obrigal-a-hia a
    reconhecer a vossa republica.
    a'Sois o maior orador, porque.sois a
    intelligencia mais elevada, o caracter mais
    nobre do vosso paiz, que conta com tudo
    muitas individualkJades de grande rnerito.
    Poude as vossas. resolujoes ao nivel dos
    perigos quo vos rodeiam; ds vossas gran-
    des faculdades. intellectuaes ajuntai a forca
    da vontade. Sabei querer, e tereis con-
    quistado a maior gloria do vosso seculo,
    porque tereis feito com que o povo que
    ate aqui mais tem honrado a raonarchia e
    hasieado as suas bandeiras pelo mundo in-
    teiro ame e aprecie a republica; sereis
    abiicioa.lo c glonficalo tanto entre. n6s
    como entre os vossos compatriot** e occa
    pareis na historia o lugar reservado aos
    grander homens de estado.
    Mas, sabei querer. Pela vontade vos im-
    as objeqjdes dos vossos antigos amigos,
    nem dos vossds, novos amigos, nem dos
    vossos adversarios. Hoje nao se trata de
    programmas, nem de theorias, nem de
    prineipios : trata-se de salvar.a Hespanba ;
    saluR-a, ainda que tenhaes de cobrir com
    um v^), como dizia Pitt no seu paiz de le-
    galidade, a estatua da 1
    Peco-vos perddo por me tor atr*3vi.lo a
    aconselhar-vos com tant.r insistencia, posto
    que com leal.lade. Apezar da dislancia quo
    nosseparasintounitlaaa vossaaliriae a mi-
    nba e dig i a mi*n mesinoc << Se Castellar
    qi'ei,' realisar o qne pensa, praticar o que
    v medita e querer o quo projecta, tudo s*
    x salvara ; e nesta lirme convicQdo, repi-
    to-t, trabalha, trabalha, meu querido ami-
    go. Os mpublicanos de Franca estdo com-
    tigo, e no limit* do seu poder se dedicara
    aqui para que sejam bem julgados e apre-
    ciados os teus esforcos. Aqui cumprire.n "
    o que proinetto.
    L'i abraro, men querido Emilio, do
    vosso amigo.
    0 PftETENDENTE TICHBOKNE.Le so
    no Morning Adcertiirr de 20 do sotembro
    o s*:guinte :
    Mr. Wballey, memtro do parlameuto
    actual mente mo paiz de Galles, dirigio ao
    Wrcxlvim Advertiser uma carta em que
    parlicipa que por telogrammas e cartas par-
    ticulares, foi informado : que o tribunal
    Queen's Benc prohibio ao accusado a facul-
    la*le do se expOr ao pubiico ; e que Mr.
    Harcourt, procura*lor do mesnio accusa*lo,
    lhe escrevea dizendo-Ihe : qe os fundo*
    la defeza estavam ltiteiraraente esgotados* e
    que nao sendo remettido algum dinheiro sem
    demora pelo correio ndo se podia fazer eoui-
    parecer ue:n uma lestemunha n auditneia ;
    que a resolucao do tribunal de prohibir ao
    accusado expor-se ao pubiico sob pew de ser
    immediatamente incarcerado em Newgate
    priva-o coiuplctamente dos meios Je a*lqui-
    rir os fundos necessarios para a sua defeza;
    que so elle pole", sem risco de mufla, re-
    correr ao pubiico para se fnzerem subscript
    goes para a defeza, porque o ex-chanceBer,
    e o ministro do peino lte concederain essa
    focul'lade como meio de defeza do reo.
    Hr. W lalley convida as pessoas que quizw-
    rem concorrer para a defeza de Ticbbornea
    enlregirem assormnas-coia que subcreverein-
    ;k> Biuco de Lowires- e Westmster em Ixin-
    dres. Parece que o julgamento do proces-
    so Tichborue terminard bnrvimente por
    nao ter o accusado dinheiro para pagar ds
    sua5- testemunbas, e para as mais- despezas
    lo processo.
    OS MILES EM PARIS. Le-se e seguin-
    te na Opinion Rationale :
    Querem saber qua*itos bailes- publicos
    ha em Paris ? Duzentos f desr sem tirar
    nem p&r. Neste nuraero e de note-se que
    estao eompreheiidido> os bailes mais inli-
    mos, mesmo os de mercadores de vmhos,
    onile se dansa so ao domingo e d segnnda-
    feira, oqne lhe chamam musettes (gailas
    de) foUbss p^.r causa do instrumeuto de mu-
    sica deste nome que geralluente faz- parte
    da orchestra. 0 baile musette, mais desor-
    deiro de quantos existem e que necessita da
    maior vigilancia, e situad no boulevard
    Rochscbouart, proximo da B ule-Noir. Ab
    as rixas sao fnequentes e nao serd prudeule
    ao primeiro que se apresente o arrisc;ir-se
    a tomar parte n'uma quadrilha. Qsbailei-
    musette*s&o quasi todos nos bairosdos-an-
    ti^ns arrab.ddos. E' na Villette o em- Me*
    uilmoutant que so encontra o maior nunie-
    ro delle*.
    f,' ___
    L M HTliLO DE DIVIDA HESPASHOI..
    Vamoa contar em poucas palavras, uma
    historia nmito original, que se le no Jcr-
    nal de Fraricfbrt.
    Trata-se de um papeS qpe se diz ter sido
    levado 1 redac^do d'aquelle jornal. Este,
    depois de ter estado por mais de trinta an-
    nos sem valor, tem agora algum, ainda que
    modesto :. sdo 2 0/0 da- importaneia nomi-
    nal. Este pheuomeno edevido ds cireums-
    tancias politicas porque- estd passando a
    Hespanba.
    0 panel e um titulo da-dirida hespanbo-
    la, do capital de 200 libras sterhnas, com
    direito ao jurode 5-0/0, desde a eatrala
    em Madrid de 8. M. o Sc. D. Carlos.
    Esta obrigacdo e datada de 6 de (everei-
    rode t836, eassegurada-pelo celebre-forne-
    cedor d primeiro-governo Ouvraldo. Des-
    de ainsurreigao cariista, aquelle valor tem
    cotado na bolso.
    AS AVES NA CHINA.E' curios ver a
    atli'icao que em Pekia se consagra as aves
    e o modo como as tratam. Em vez de qual-
    quer individuo levar atraz de si- om cao,
    como na Europa, alii e seguido por um ou
    dous passaros, que doraestica para, lbe ser-
    virem de reereio. Km vez de se entrete-
    frem na caco-a tiro, fazendo uma, diversdo.
    dos soffrimentos destes animaes, entreteemV
    a ensina-los-.a executar cousas que surpre-
    heiideriam. as- nrosas cidades mais cul-
    tas.
    MO.NSTRCOSA HERANCA.-Na Po-.
    trie de Genebra% do dia 10 de setembro,
    le-se o seguinte, com relagao ao tratMuen-
    to do duque de Brunswick :
    Bontom de tarde terminou o ia*enta-
    rio dofrlegados do duque de Brunswick.
    Se sao exactas as nossas informacdeay.oomo.
    nds julgamos, veem confirmar as nossas,
    prinwiras affirmativas 17 1/2 milbocs de
    francos.em titulos; 2 t/2. a 3 milboes e>u
    objectos d'arte, nuinerario e pedras precio.-
    sas em Genebra ; qoaato ao que existe em
    Paris, calcula-se enfle 2 a 3. milhdes, em
    uma propriedade a objectos d'arte. Btei>U
    agora saber oquo tinha em lnglaterca.,. n\
    America, e especialmento iia Allemanbau.
    VICTOR MANOEL EM VIENNA.-No dia
    17 de setembro, pelas S boras" e meia da
    manhd, o imperador de Austria dirigio-se
    d estaijao do camiuha de ferro, onde um mi-
    nuto depois, cbegou tambem o rei de Ita'ia.
    Victor Manoel ostenUva as insignias da or-
    dem de Santo Estevdo e o imperador as; da
    corda de Italia. Acompanhavam o ifiajera-.
    dor OS arckiduques LlW Carlo--,, Lm Vic
    tor, Carlos Fernanda, Alberto, Retiere, Er-.,
    nesto e Henrique
    0 rei ia acompanhadfj por sets ajudaotes
    e pelos ministros Mtoghetti e Viscomi Ve-
    nosta. A banda to'.,rcial executou o hymn..
    nacional itMia.no, liavoadu por occa-aau
    numerosoa vtvas.

    TW^tiQ DIARIO- UA""DC(il'E E WXbg


    #


    mil
    MB^MH
    *


    -Zt-

    m.
    "


    i


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EY4T3PQ1I_IMXIT0 INGEST_TIME 2014-05-28T01:54:31Z PACKAGE AA00011611_16703
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES