Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16700


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I
I
i
h
<

I
9AWLA A CAPITAL E LVGABES OXDK SA% SB PAOA POBTB.
For tres mates adiantados................. 69000
For seis ditos idem.................. 13*000
For urn anno idem.................. 14900*
Cbda nuinero aTulso.................. FA11 BBSTBO FORA A PBOVISCIA.
For tret maaes adiaotadoj..............
For sets diioe tdem..................
For note ditos idem.................
For am anno idem................, .
9TM
mam
DIAR10 DE PTOAMBUCO
PR0PR1EDA0E DE MANOEL FIGUEffiOA DE FARIA FILHOS.
Ot Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Fiihos.no Pard; Goncalves A Pinto, no Maranhao; Joaquim Jose1 de OliYeira* Filho, no Ceara; Antouaa de La** Braga, no Aracatj ; Join aria iolio Charea, no Assd; Antonio Marques 6a SHra, no Steal; JoasioM
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na I'arahjba ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Penfca; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Autao ; Domingos Jose da Costa Braga, em iXaxaretb.;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das AlagOas { Alves d C, na Baliia ; e Leite, Cerquinho d C. no Rio,do Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Ciovenio da proviiicia.
BX.PBDIENTR DO DIA 33 M Jl'l.lf I DK I < ',.
1' seccao.
U.Iicios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
ma.- Tendo nesta data awaada ii cermet ho-
norario do exercito, Aluxau Ire de Barros Albu-
querque, para assumir iiiioriuameille o commando
du presidio de Fernando de Noronha. em substi-
uiicao do ten mle coronel Antonio de Campos Mel-
i>, que tern de se/uir para a corte em cuiuprimen-
lo de ordeus imperials assim o coin iltiaico a V.
Exc. para os tins convenient"!.
\o inspe-ior do arsenal dc marinha Bin
solucao a* seu officio de hontem datilo soli u.
566, relativameite a exonerate que pede 0 padre
Miguel Vioira de Barros Marreca do lugar de ca-
pellae da companhia In aprendizes UMinbeiros, em
coasequeneia da inconipalihilidade estabelccida en-
tre aqueile cargo e o de professor publieo, pela lei
provincial n IIii ilo Ii de junho ultimi, teaho a
di/.er lhe juo o mesin > capellao deve couiinuar a
jnostar os sens sorvieos ate que a refund a lei seja
posta em execueao.
Ao nie-mi Deferinli o requerhnento de
Marcolina Leopohlim Harms, sobre que versa a
sua inforina^ao da 21 do eorrente sob n. 6ii'i, au-
toriso V. S a coneoder ao artifice avulso, Gustavo
Carlos Harms, iilho da supplicaote, liccui;a, inai
sea voncimentos, p ira irat:ir-sc, em companliia de
sua inai, da enfennidade quo esta soifrendo.
Ao capitao do porto Sotir'esteja V. S. ua
remessa para a corte io raerota Jiaquira Di,ts
Martius.
Ao mesmo.Deiormiaando o avis> do minis-
term dos aefOCkM e^irangeiros, datado de 9 do cor-
rente, quo, inJependeniemenle da apresentacTio do
exequamr imperial seja o Sr. C. L. P. Uoeok re-
conliecido eonao Wee consul intenuo dos P.iizes
Uiixos nesta provincia, durante a ausencia do ef-
fective, o Sr. G. A. P. Brenler a Uranli.-; assim o
Mmmunico a V. S para a devi la execui;ao na
p.u'te que I he toca.
Ao mesiii'i. -\iande V. S. por emliherdadeo
recruta Joao Pereira Lima, que provou isen^iio
legal.
Ao director do arsenal de guerra. Maude
V'ras. fornecer a cotnpanhia do operands mibtares
os objectos consumes do incluso pedi Jo.
- Ao comman lanle do presidio de Portlandh
ic N'oroaba. -Devendo V. S. r.fcolher-se a cOrte,
cino deter mi ua o aviso do ministeri da guerra,
de i do eorrente, aiim de ser all iusrjecciouado,
i .'.ii vi nest.i data para subsiituil-o interinaincnte
tio commando de>>e presidio o coronel honorario
do exercit-r, Alexandre de Barr-is Albivnierqiie. 0
que llm coinmuniso para os devidos elftitos.
2' ucfSo.
Airtos :
0 president"; da provincia, de conformidade
c.m a proposta do l)r onefe de policia em olHcio
u. I, iiii de lioutcin datado, resolve nomear Anto-
nio Carnciro Ho itistriete de Gurjaliu, do lenno desta capital.
0 presidente da provincia, a vista do officio
do Dr. cbefeilepnlicia, de hoje datado sob n. 13iG,
resolve exonerar do cargo do subdelegado do d:s-
triclo de (iuiviiiu. do tennodesta capital,o cidadao
Antonio Bibeuo de Albuquerque.
' iltein :
Ao Dr. cbefe le policia. Determinando u avi-
so d i iDtnisterio dot negocios earaugciros, datado
4e 'J Ao eorrente. que, iudepeHdenteiuentedaapr>>
sentacao do exequatur imperial, seja oSr. C. L. P.
B'teck reconKecido coino vice consul interino dos
Pai/.es Baixos n'esta provincia, duranto a ausencia
d effective, o Sr. G. A. P. Bren Jer a Brandts :
assim o communico a V. S. para seu conned-
rnenlo.
3.' tecfdo.
Acto :
0 presidente da provincia resolve nonpar o
promoter public < da comarca de Iguarassii, ba-
charei PrancLco le Paula Civalcante Lacerda de
Almeida, para exereer o lugar de fiscal da collec-
toria provincial > meson nomo.
DIHcios:
Ao inspector da tbesouraria de i'azenda. -De-
lermiuando-o Kx:n. Sr. miuistro dos negocios es-
trangeiros era aviso de 9 do eorrente que, indepen-
deutemeute da apresentacao do exequatur, gover-
no imperial ?e reconheca o Sr. C. L. P. Boeck como
vice-consul intorino dos Paizes Baixos nesta pw
viadia, durante a ausencia do elfeclivo o Sr. G. A.
P. Brender a Brandis; assim o commnnico a V. S.
para faror constar ao inspector da alfandega.
Ao mesmo. Mande V. S. relevar a Ber-
mrdina Bibeiro de Sena da niulta em que iu-
correu, por nao liaver no prazo legal participado
a compra de quatro.escravos, feita a Joao Guedes
Aieoforado, e sobre "que versa a sua informacao
de hontem datada sob n. 600 serie I), cobiindo a
peticao, que devolvo, da mesma recorrente.
Ao mesmo.Mande V. .v relevar a Ursula
Candida de Carvalho Paes de Audrade da multa
de W* que Ihe foi imposta pelo administrador da
recebedoria de readas geraes, por infraccao do
art. t\ do regulamento n. iSio de 1 de dezem-
bro de 1874, em vista do que allega na pelicao
que lhe devolvo e das iufortnacSes a que se re-
fere V. S. em oilieio de lioatem datado sob n. 593
serie D.
Ao mesmiv -Attendgndo ao que requereu
Joaipiiin Preshylerij da Espectacao na indusa pe-
tlcao a que se refere a smi informa>;ao de hontem
datada sob a. 601 serie D. recoramendo a V. S.
quo mande releva Io da multa que Ihe impoz o
ollector geral do municipio do Cabo, por nao
ter dado baixa a matricula do seu escravo Galdino,
que o recorrente libertou de boa vontade.
Ao mesmo. -Deferindo o requerimeuto do-
Theodoro Jose da Silva, a que se refere a infor-
macao de V. S, de 21 do norrentd sob n. 578
aerie D, reconnaendo que mande releva-lo da
multa que Ihe foi imposta pelo collector das ren-
das geraes do municif io da Bscada, por nao ter
u recorrente averba lo dontro do prazo da lei a
compra da sua escrava Ttureza.
Ao mesmo. -Tendo nesta data nomeado o
coruOel honorario do exercilo Alexandre de Barros
e Albuquerque, para exercor inleriawMMa o com-
mando do presidiu de Fernando de Noronha, visto
ut o tenente-coronel Antonio de Campos Mello
de recolher-se a curie, em cumpnmento daa or-
dens imperials ; assim o eouimunico a V. S. para
os fins convenieutes.
Ao mesmo. -A' vista da informacao do V. S.
C.n officio n. 5H8 serie D, de hontem datada,
mande relevar da multa em que incorreu Manool
Kodrigues da Siiva Camara, por nao ter averbado
n i prazo da lei a compra de seu escravo Francisco,
omo *e v."' do reenrso inlorposlo no requerimente
que
Ao mesmoMande V. S. relevar a Mauoel
4o Canno Rodrigues Esteves da multa que Ihe
foi imposta, por uao haver no prazo legal aver
bajlo a compra Ue seu escravo de nome Aleixo,
-e sobre que diz respeito a saa informacao em
officio n. 590 serio D, datado de 21 do eorrente
que vein cobrindo apeticao, que devolvo, do mes-
mo recorrente.
Ao inspector da thesouraria provincial.-
Tendo nesta data autorisado o engenbeiro chefe
da reparticao das obras publicas a mandar ven-
der em basta pablica os cento e um lampeoes
da extiacta 'dlaminacao a azeite da cidade dOiia
da, bem como a respectiva ferragem, nos termos
da sua inforina/ao de 21 do eorrente sob n. 299 ;
assim o communico a V. S. para seu couhecimenlo
e tins couvenieutes.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os
tins couvenieutes, que em secyito de 4 do eorrente
o conselho director da inslrutici) publlca sus-
pended por um mez, Com perda de todos os vea-
cimentos, o professor de mstruccao primaria da
fregu-izia da Boa-Vista Simphcio da Cruz ibeiro;
devendo contnr-se a suspensao da data em que a
decisao do mesmo conselho for intimada ao dito
professor.
4.' scctjiio.
OlUcio :
Ao director geral intenuo da instruccao pu-
blica. Accuse recebido.o officao de V. S., de hon-
tem Jatado sob n. 218, o lico inteiradu de haver
o conselho director resolvido, de conformidade
coin o art. 9% da lei n. 369 de li de maio de
1855, suspender por um mez com perda de todos
o* seas veiicimentos, o professor de instruccao
primaria da freguezia da Boa-Vista desta cidade
Simplicio da Cruz Ribeiro, como iucurso no art.
96 n. 3 da citada lei ; devendo contar-se a sus-
peaao da data em que Ihe for intimado.
5" seccao.
OUlcios :
ao engenheiro cbefe da repartii^o d;u obras
publicas. -Alteudendo ao querejuereu Joao Fran-
clsio Antunes, ex-arrematante da illuminacao a
azeite da cidade de Olinda, e tendo em vista a sua
inf jnnacao de 18 de junho ultimo sob n. 250, au-
toriso Vine, a mandar recolher no arsenal de guer-
ra os cento e um lampeoes, de que trata o men-
cionado ex-arrematante, bem come a proceder a
competente avaliacao dcsies e da respectiva fer-
ragem, alim de serem vendidos om hasta pnblica.
A' commissao censitaria da freguezia do Bom
Jardim. -,-vccusando recebidos os trabalhos do re-
eenseamento da populacao ilessa parochia, cabe-
me agradecer e lonvar os services prestados por
Vmcs., na qualidade de membros da respectiva
:oui:nissao ; certos de que taes services serao op-
portunamente levados ao conhecimento do go-
veruo imperial, ijue nao deixara de luina los 'na
devida coc^ideraya). tguaes as commissdes cen-
siurias das fregneziad de Taquaretinga. Quipapa,
Papacaca, Aguas-Bellas, Villa-Bella, Baixa Verde,
Flores c Santa Maria da Boa-Vista.
aavacoos da nutsoaexcu ra 9 dk outubro
dk 1873.
Abaixo assignados membros da sociedade dos
Artistas Mechanieos e Liberae.-.Sim, nao haven-
do inconvenieute.
Bacharel Francisco Gomes Pinto de Campos.
Passe portaria.
Felix Amador da Silva. Informe o Sr. iuspector
da thesouraria de i'azenda.
Francisco Bulino do Itego Barreto.Informe o
Sr. eonmaaadante superior da guarda nacional do
Cabo.
Heitor Moneta. Deferido com olficio desta data
a thesouraria de I'azenda.
Irmandade de iNossa Senhora do Bom Parto
erecta na igreja do RosarioSellado, volte, que-
rendo.
Major Joao Jose Gomes.Forneca-se.
Joanna Damascena Olympia Baptista.Seja pos-
to em liberdade.
Jose Maria Monteiro Pessoa.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Bacharel Jose Antonio de Almeida Cunlia.In-
doferido.
Dr. Luis de Carvalho Paes dc Andrade.Enca-
minhe-se.
Secretaria da presidencia de Pernambuce, 10 de
outubro de 1871. 0 porteiro.
Silt-1no A. Rodriauet
EXTERIOR.
Coi*respnilcncin do Dirio lc
Pernansbuco.
BUENOvAYRES, 26 DE SETEMBRO DE 1873.
I.
Comer;arei noticiando-lhe que no dia 17 che-
gou a esta capital, de volta de sua missao espe-
cial ao Paraguay, o Sr. Barao de Araguaya, mi-
ni tro plenipotenciario do imperio nesta republica.
S Exc. foi recebido no seu desembarqne pelo
pessoklda legacao brasileira e alguns de seus
amigos.
0 Sr. Dr. Alfredo S. T. de M:\cedo, que estava
servindo de encarregado de negocios interino, par-
tio no dia 20 para o Rio de Janeiro, aflm de es-
perar outro destino.
0 addido desta legacao. o Sr. Dr. Henrique M.
L. de Almeida, desde que aqui chegou, es!a exer-
cenio interinamente o lugar de secretario, por
ter sido manuado para Assumpcao o Sr. Fleury,
alim de lomar conta da legacao d'alli tempora-
riamente.
A questao de limites entre esta republica e
a do Paraguay vai toi.iando um caracler bastante
grave.
Tern haviJo algumas confarencias diplomatlcas
enlre os Srs. Araguaya, Sarmienlo, Tejedor e Mi-
tre, mas por ora sem nenhum resultado satis-
faclorio, porque e muito difficit convencer a quern
nao se qier convencer.
E' inconlestavel que para a Republica Argen-
tina sera miu politica evidentemente fune.-ta
aquella que preferir a guerra a paz ; mas, no en
tietanto parece bem dimcil parsuadir disto ans
bomens do governo nac onal
Os jornaes de hontem e de hoje trazem muito
alarmados a noticia de queo Sr. uuque de Caxias
foi n nneado presidente e commandanle das annas
da provincia do Rio Grando do Sul; dizando que.
semelhante nemecao e positivamente prepares bel
licos da partc do Brasil.
Segundo noltcia a Pe-mpa de hoje, hontem a
n'oite etinio-se a camara drs deputados em ses-
sai secreta, com assistencia de dous ininistros.
A dita sessao foi pedida pelo proprio poder exe-
culivo para tratar de negocios imporlantes.
Accres nta a mesma folha que se suppde que
a causa da sessao secreta seja alguma compli
cacao com o Paraguay, o qua! dizem que se sente
eslimulado a apoderar-se da Villa Occidental.
A impcensa occupou-?e maito na semana
passada com unia carta dirigida pelo presidente
da repablica ao Sr. D. Marianuo Varella, na qual
usa S. Exc. de uma linguagem desabrida e ate
m-mltuosa para com o povo argentiao por causa
do atlentado contra a sua vida, e tambem in-
vectiva ao jornalismo pela sua excessive liber-
dade, que leva ao ponto de nem a elle resoeitsr.
Nosenado foi rejeitado por 13 votos contra,
o 11 a favor o projecto dos Srs. Orono, Quin-
taaa e Torrents, de que Ihe fallei na minha au-
terior, sendo este resultado somenle devido aos
esforcos empregados pelo governo para veneer.
- Nao foi sanccionado pelo poder executivo,
como ja se esperava. o projecto approvado pek
congresso, manJando transferir para a cidade do
Ro.-ario a capital da repablica, apresenlando o
governo razoes acceitaveis,que o inhibiram de
snbscrever aquelle project*
- No dia 24 teve lugar na praca da Vistoria
nesta cidade, a inauguracao da estatua equestre
do general Belgram, um dos ber6es da indepen-
dencia deste continente.
Foi uma festa esplendida, sendo extraordinaria
a feonenrrencia de espeetadoras; nao aouve.porem,
I nenhuma ordem e regularkhde na ejecucao do
programme anpuociado.
Assisliram a ella grande numero de funcciona-
rios publicos, o corpo diplomatico e outras pes-
soas gradas.
Em um estrado ad*rede levantado em frente a
estatua, recitaram discursos, depots de ser ella
descortinada, os Srs. presidente da republica, ar-
cebispo de Buen>s-Ayres, goveruador Acosta, e
general Mitre, e uma poesia o deputado Etia.
Da revolucao de Enlre-Rios nada ba de im-
portante.
Continuam as foreas do governo a olcunc'ir
sempve victorias, como dizem alguns jornaes, mas
no entretanto ainda nao conseguiram acabar com
a rebelliao.
Lopez lurdan dirigio ultimamente uma car-
ta a am amigo, a qual foi aqui publicada, pro-
testaudo contra a calnmniosa imputacao que Ihe
fazem de ter parte na tentativa de assassiuato do
Sr. Sarmienlo.
II
De Montevideo temos dalas ate ante-houtem.
Tem reinado no porto um forte temporal
nestes ultimos dias, occasionando alguns desas-
tres maritimos.
A barca ingleza Magnet em viagem de Bue-
nos-Ayres para Mauricio foi a pique a 8 milhas
de Montevideo, salvamlo-se a tripolacio.
Foi encoiitrada em um lugar da costa o
cadaver do aereonauta Baradle tendo ao lado o
seu balao.
Ill
Do Paraguay as ultimas datas io de 11 deste
mez
Continuam os boatos acerca de uma nova
reeleicao, dizendo so ale que esta a frente della
o ex-presidente Rivarola.
0 dia 7 de setembro, anniversario da indc-
pendaucia do Brasil, foi bastante feslejado, for-
uundo as nossas tropas em grande gala.
Das republicas do Pacitico temos noticia", por
telegrammas de Valparaiso, ate 23 do corrent.
Felizmente nao esta perdido, como se jul
gava o vapor ingtez Patagonia, e sim arribou a
Auarde para concertar um eixo da hence qu
se quebrou.
Na cidade de Valparaizo houve no dia 22 a
noite dous grandes incendios, sendo um na pra-
ca municipal e outro na rua Joao de Deus.
Cinco casaa, inclusive doze lojas, foram devn-
radas pelas chammas, quasi nada se podeulo sal-
var.
Os pfejuizos sao consideraveis e calcula-se em
mcio milhao de pesos. As companhias de segu-
ros perdem 250 mil pesos fortes.
As festas nacionaes do Cnile que comeca
ram no dia 18 concluiram se a 21, sera novida'de
alguma de importancia.
Era Santiago falleceu o general Vivanco, e
se lhe fizeram sumpluosos funeraes.
No Perd tem havido grandes tempestades e
o mar permanece mtii agitado em tola a costa.
Ao porto Mollendo foi arrebatado o caes pelas
ondas.
Em Yquique se incendiou a estacao do ca-
minho de ferro e tambem vaios depositos de sa-
litre.
DIA IU0DE PERN \MWa;
RECIFE, 11 DE OUTUBRO DE 1873.
lioticias lo sul do iiuporio.
Amanheceram hontem em nosso porto os vapo
res inglez Garonne e francez Rio-Grand*, trazendo
datas: do Rio da Praia 28, do Rio Grande du Sul
26 do passado, de S. Paulo 1., do Bio de Janeiro
5, e da Bahia 8 do eorrente. Eis o que colhemos
dos jornaes :
RKl'UULICAS 00 PACI-'ICO.
0 telegraptio transandino transmiltio, finalmente
a grata ooticia de haver apparecido o paquete
Patagonia, da linha do Pacitico, que ja se repula
va perdido. 0 vapor solTrera um desarranjo ao
chegar a Ancud, poqueno porto na costa da pro-
vincia da Conceicao de Penco. Os passageiros
iam voltar para Valparaiso.
0 tehgrapho de Valparaiso avisa, em data de
23, que na node da vespera tinham reb-nUdo ua
cidade dous grandes incendios, que pela sin si-
mullaneiilade, faziam suspeitar algum crime. As
companhias de seguro perderam 250,000 pasos
fortes.
RIO D.V I'll Vi A.
Em Buenos-Ayres estava o senado reunido em
sessao secreta, que ja durava doas dias. Ignora-
va-se o objecto dc que se tratava, dizendo nns que
era da questao do Paraguay, outros de successos
occorridos em Enlre- Rios.
Sobre estes mesmos suecessos nenhuma noticia
oncjntramos a nao ser ura telegramma que ape-
nas diz:
a Confirma-se a derrota Vedia. > Este Vedia,
como se sabe, e o general argentine que comman
da o contiagente cerrenlino contra Lopez Jordan,
que as noticias anteriores davam como intcira-
mente cercado e quasi perdido. Veremos, pois,
ainda o que ha dc verdade em tudo is to.
Inaugurou se, com gjande pompa na pra.a Vin-
te e Cinco de Maio em Buenos-Ayres, a estatua do
general Beigrano, beroe da iudependencia. A
agglomeracao de povo foi tanta, que se deram va-
rias desgracas.
As noticias de Entre-Rios dao alii a rebelliao
prestes a ser sutTocada. Segundo ellas, Lopez f
Jordan, com pouca gente, e mal armada estava
entre Gualeguay e Nagoya apertado n'utn circulo
de ferro, que em torno delle haviam cerrado as
tropas do governo. Dizia se ainda, que mal podia
elle conter ja a debandada das suas forca*, entre
as qnaes era tanta a desmoraltsacio que nem
podia acredilar-se que chegasse a haver batalha.
Veremos o que sahe.
Despachara-se em Montevideo um navio de vela
para Urugnayana, com 10,000 esplngardas, 200,000
carluxos e uma porcao de bombas Orsini. 0
navio foi detido em Martini Garcia, per levar con-
irabando de gaerra. Kntao o governo argentiao
eanio-se em conselho coin a commissao perma-
uente do corpo legislative, para consultar sobre as
medidas que podiaqi tomar-se em cases destes.
Apes largas discussSes assentou-je em qne, estan-
do o navio legalmeute despachado para porto e--
trangeiro, e nao se provando que a carga fosse
destinada a Entre-Rios, o mais que se podia fazer
era tomar precaucdes para qne esta nao fosse
desembarcada em territorio argentino, deixando a
embarcacao seguir para o seu destino. Quauto a
futuras expedicdes de armas, uma vez que o go-
verno linha dnvidas sobre a interpretacao das leis
applicaveis a este ramo de commercio, devia re
correr ao corpo legislativo.
Cansara grande descontentamento no Rosario o
veto do presidente a lei que havia escolhido essa
cidade para capital da republica. 0 desgoslo foi
ainda maior para os capilalistas que na prcvisao
desse facto, haviam alii comprado muitos terrenos
para negocia-los.
No Parana foi executada a seatenca de morte
pronunciada contra um soldado da guarnicao, que
assassinara ura camarada.
0 Nacional da noticia de am horrivel assassi
nato, que commoveu toda a popula^ao de Buenos
Ayres.
Em Lobosom boiadatro de nome Carmen Vaz-
quez, sera motives ainda cenhecidos, assassinon
mulher e filho de am modo barbaro. A mulher
cahio erivada de puuhaladas em lota desisual e
traicaeira e o filho, crianca de bereo, foi degolado
atrozmente.
Sorffimlidj) depois pelos visinlios, suicidou-se
o crnninoao com o puuhal de que se havia servido.
Outrojiirime nao inenos hirroroso foi des^ober-
to ua eiJMe vhuaba.
No eemitorio pnbiico de Montevideo eneontroa-
s o tfraver de uma ao^a hespanhola de io a 2n
annos, horrivelmente mutilalo. Por occcasiao da
aut>ipsia eooheceu-se que a infeliz estava gravida
As averifeacdes poiiciaes ainda nao conseguiram
des ;obrir o assassino, saben.lo se apenas qau a
vie ima era criada de nma fainilia da cidade.
GOTAZ.
0 Correii Oficiai, da capital, refere o segainte :
fit dous empregados da thesouraria provin-
cial, Sebastiao Manoel du Hndrada e Ernealo Au-
gusto Teiseira da Natividade, qne dtiqui seguiram
nos uriwripios de abril para a mesa de reudas, era
de Taguatinga, alii ebegarara com
Mk no dia 29 de maio, e morreram ambos
* de junho.
eoiacideacia e extraordinaria e suggere
bem mrim atiprehensdt>.
itretanto, a auloridade local, dando parte
onbwimenios em data de 8 do eitado mez
de jsnini, diz mais on menos o seguinle : foi tat a
infnliciddde de ambos aqutltts empregados, fM
desta noite para hoje falteceram victim-is das
mesmas emfermidmtes que cnegtrtm soffrtndo.
CotMRi-niM ipie S. Exc. o Sr. presidente esta
lisoosio a facilitai a viagem de algum parente da
iuieliz viuva e mhos do Sr. Seba-tian Anlrada,
qne queira ir ale alii ampara-los em Uo diiticil
conjunetora. A ac^Ao e louvevel, e nio deixara
de enettuarar ratre tantos que sao dies, um exe
cutnr, pel* it qe aconleceu nio deve espalhar
nenhum pmnic*.
Sc aqaellcs foram infelizes e succumbirara,
outros mifc la van e vottam com melbor saude.
Agora mefiiic alii reside o Sr. Americo Gomet,
em-.Tttgande todos os meios pira nao se recolher
a capital, e ale disposto a fazer seguir para junto
de si stia f.unilia, coinpusta de muijier e Sllios.
MINA- GRRAKS
0 Diarioile Mints de 25 rafero o seguiute facto:
Na n >ite de 27 para 28 de julho ultiaio era-
menaa tres criminnso que nella existiani. uao
obstAe estar a prisao guarnecida pelas pracas do
dcslKmento alii estacionado.
< Sr. Dr. chefe do policia recoMmendnn ao
seu delegado que procedesse a>> competente auto
de corpo de dehcto e a inquerito sobre a fuga,
para verlncar m> houve connivencia ou negli-
geueia dos guardas e auxilio de fora.
t Apetar dtw esforcos empregados si Campa-
nha da Princeza para impedir a invasao da vario-
la, a terrivel t,pidemia gr;issava em alguns ponlos.
Diziain as folhas tor ella sido importada por dous
tropeiros rhegados da corte.
i A Sra. D. Maria do ;",arnio Manso Monteiro da
Costa Rellf' em recompensa dos services que re-
cebera de sua escrava Joaquina, coacedera-lhe
cart a sua fazenda, onde teriaWodo o agasalho.
RIO CRANDR DO SUL.
Por causa da crie commercial porque esta pas-
sando a praca do Rio Grande, haviam convocado
>eus crcilorts o^ Srs. Calcagno A C, Antonio Ja-
com* Vfllaca & C e Francisco Jose da Cunba.
Constava que ontra casa mais tambem reunir
seus credores,
0 presidente da provincia, tendo examinado o
predio do fallecido Manoel Rodrigues Vellinho, a
rua Duque de Caxias, em frente a camara muni-
cipal, julgou-o,mediante cerlas obras ligeiras, com
as coiidi^otss necessarias, para nella funcionar a
rela>'iio do dislricto.
De Santa Victoria escreveram em 17queeram
desauimadoras as noticias dos arredores daqnella
freguezia, onde nas'iam sido assaltadas e roubadas
algumas uasas, cujos proprictarios estavam au-
SHOtUS.
Conserva-se ainda no porto do 0>ronilla o vapor
inglez que esta procedendo a immersao do cabo
telegraphieo que deve ligar essa cidade com Mon-
tevideo.
Bera-se a 14 no Jaguarao o scguinte assassi-
nato :
Na venda de Antonio Jose de Barros, rita nos
suburbios da cidade, achava-so o preto livre Lean-
dro altercaiiJo com jomenor Finnino, caixeiro
des a veuda, por causa de umrebanque que aquel-
le havia dado a gnardar ao raenor ; este entendeu
dever solver a duvida, indo ao interior da casa,
de onde voltou com um revolver era punho, o
qual desfechou ;obrea cabeca de Lcandro, que fi-
cou gravemeote ferido ; e, seiido conduzido para
o hospital de Nossa Senhora da Concei.ao, as 2
boras da tarde, alti expiron as 4.
0 subdetegado de policia proce^eu ao compe-
tente corpo de delicto. 0 menino tinba deappa-
recido.
Em Pelotas honvera outro assassiuatg, o qnal e
assim narrado pelo Diario de 23:
Veio hontem ao nosso escripiorio o Sr. Thorn az
dos Santos Jar-nos as seguintes iuformacoes sobre
uma morte commettida ha poucos dias.
o No dia 6 do eorrente foi Francisco dos San-
tos Monteiro passar a noite em casa de Joao Pe-
reira da Silva, na Serra dos Taipes, onde pernoi-
tou, em companliia de Bernardino Pereira da Silva
Virgilino Vasco da Siiva.
No seguinte dia de manha despedio-se de
todos, na melhor harmonia, a despeito de uma pe
qnena altei cacao que anteriormente havia lido com
o^itado Virgilino.
Distante quadra e meia da casa de Joao Pe-
reira da Silva foi encontrado no mesino dia por
dous ailemaaes, que por alii passar*m, o cadaver
de Frandsco dos Santos Monteiro.
Iinuiedialamente dirigiram-se para casa onde
este havia pernoitado, onde contaram o snecedido,
e bem assim ao respectivo ia pector, que ao meio
dia se apresentou no lugar era que se den o as-
sassiuato, offleiando era seguiJa ao delegadi
da Boa-Vista, para que este procedesse ao auto do
corpo de dehcto. Foi conduzido o cadaver para
casa de I). Angelica Antonia da Silva, depois de
se haver procedido ao respectivo auto.
Attribae-se esta morte a Virgilino Vasco da
Silva, havendo para isso as mais bem fundadas
descoiiuanjas.
No Bio Grande, o Sr. Jose Ant .nio Moreira Ju-
nior, filho do barao de Butuhy, descondo a escada
do caes da alfandega, cahira e fracturara uma
perna
Achando-se encalbado perto da freguezia de
Santa Izabel o hiatc Democrata, da tripolacdo que
trabalhava na taucha para desencalhalo, perecc-
ram tres pess as por ler-se submergido a dita lan-
cha, nio pedendo ser salvos, apesar dos esforcos de
seus companheiros. As victimas foram o cama-
rada, ura passageiro o um preto marinheiro.
No dia 24 o Sr. Joao Luiz Gualberto Braga, of-
ficial de descarga da alfandega, achando se na e*-
cotdha do Elegante presenciando a subida dos vo
lames, recebera tao forte pancada na nuca do
moitao que tinha sido desprendido da descarga
effectuada, qne o atirara em continente dentro do
pot an, onde cahira em cima dos caixdes, fractu-
rando a cabeca, e ficando com o coriw bastante
coutuso.
Ld-se no Diario de Pelotas da 16:
Na noite de ante-bontem o Sr. Dr. Tertuliano
Ambrosino da Silva Machado, qnando sahia do
theatre, depois de Undo o espectaculo, ao entrar na
rua do. Barao do Amazon as com direccao a sua
casa ue residencia, foi atacado traicoeira e brus-
camente por tres individuos, capangas e raisera
veis, pagos lalvez para assassina-lo.
Fiualmente o advogado p6de disparar am tiro
de rewolver qae aftigentou or capangas, tendo
um delles, com um grande facao, atirado varios
golpe--, que, nio lhe acertando, apenas serviram
para inutilisar a capa que levava.
Os bomens hone: tos desta sociedade ao sabe-
rem do facto nao poderao deixar de signihear a
sua reprovacao. Apontam-se os mandatarios desse
aconteciraento e outros nao sao ellas senao os as-
sassinos do infeliz e'desditoso Dr. Pedro Maria, de
saudosissima recordacao.
0 Dr. Tertuliano tinha recebido participacao
para que se acautelasse, porque ia ser victima do
punhal dos sicarios.
A tbesouraria de fazenda fora autorisada a
mandar despaehar livres do direito as imagens
que chegarein a capital para as' matrizes e capel-
las das colouias da provincia,
Desde I." de Janeiro a M de julho do coren-
te anno exportaram sede Liverpool para esta pro-
vincia 3,938 quintaes de arroz, sendo para o Bio
Grande 2,676 e para Porto Alegre 362.
Fallecera em Pelotas o antigo vigario dessa
cidade conego Antonio da Costa Guimaraes.
Durante os longos annos que parochiou a
freguezia, diz o Jorn-il de Pelotas, foi sempre
apontadu eomo um uiodelo de virtudes, ura verda-
doiro miuistro do nossa santa religiao.
Voou a mansao dos justos sem deixar na terra
uma unica dosatreicio, porem abrindo ura vacuo,
que diinciimcnte sera preeachido.
0 testa men to que deixou o conego Costa Gui-
maraes foi lido no dia do seu enterro, e, entre oa-
tras disposicoes, eocuntram-se as segaintes :
A grande bibliolheca e livraria, exceptuando
alguma pequena pane de que dispoz, ira a Icitao,
revertendo o producto em benelicio dos polices des-
ta cidade, de preferencia as viuvas e orphiios de
roconhecida hone-tidade ;
A' irmaudade do Santissimo Sacramento e S.
Francisco de Paula, o seu rico paramento de sa-
cerdote com capa de asperges, bordada a ouro ;
A mesma irmandade um bonito thurvbulo dou-
rado.
A' mesma, um rico calix d ouro ;
Kara o andor de S. Francisco, quatro bonitos
archaujos ( adorno ) ;
A' mesma irmaudade o retrain do pnmeiro bispo
dessa diocese, D. Feliciano Prates, para ser collo-
cado no respectivo cousistorio ;
Ao Exm. bispo actual, uma requissima cadeira
opiscopal, um jogo de breviaries deurados e uma
nca edicao da Biblia ;
Ao Hvm. padre Manoel Larangeira, actual coad-
juior da parochia, o seu relogio ds ouro cam a
respectiva eorrente;
Ao >.'ii primeiro tcslaraeuleiro o Sr. Dr. Joa-
quim Vieira da Cunlia, a sua caixa de rape, de
ouro ;
A' sua alllhada D. Joaquina Ferreira de Araujo,
o seu Unlo oratorio com todas as inagans, como
love lembranca pelos relevautes services que lhe
prestou em sua enfennidade ;
A's suas tres sobriuhas, residences cm S. Paulo,
todo o dinheiro quo houver ( calculado em 7 a
8;000 ), assim como o producto liquido da raobi-
lia o\is duai principacs salas, a rlca collcccao de
quadros, prata, etc., etc, que tudo seni vendido
em ieihtu.
PARANA'.
Inaiignrara-se, no dia i3, a iilu:iiiua.;ao a
gaz da capital, e a 22 a de kerosene do Mor-
rete..
No dia 18, por occasiao da verificaciio da iden-
tidade de um votante, bouvera, na igreja matriz
de Curitiba, onde se procedia a eleicao, am dis-
turbio, do qual resultaram varios ferimenlos,
sendo violada a urua e inutilisados todos os pa-
peis. Acudindo a guarda da cadcia, conseguio
restanelecer a ordem.
O Dr. chefe de policia, comparecend > ao lugar,
proeeddra a corpo de delicto nos offeudidos, e
proseguia nas digencias do estylo.
Vanas pessoas que se conservaram ainda no
largo da igreja depois dessas oceurreucias, foram-
se em seguida dispersando, gratis a intervencao
prudente de diversos cidadaos que ainda aln per-
maneciam. A tranquillidade publica continuava
inalterada.
Diz o Dezenove de Marco de 20 do passado :
"Ante hontem, pelas 6 bora- da tarde. foi aggre-
dido em sua resistencia, sita a rua do Commercio,
0 Dr. Sergio Francisco de Souza Castro por Ma-
noel Feliciano Goncalves, que, armado de uma
faci, dirigio-ihe aiguns holpes, nenhum dos qtiacs
felizmente, attingio o corpo do referido doulor.
Feito isso, retirava-se o dolinqueute ; detido, po-
rem, pelos irmios do aggrediJo e aos gritos de
prendam o assassino -, foi preso em flagrante
pela forca que acudio, e levado a presen^a da au-
loridade competente, que precede na forma da
lei.
No dia 7 teve lugar a eleicao de deputados a
assemblea provincial.
No mesmo dia principiou a ser illuminada a
gaz a cidade de Paranagua.
As noticias das co(pnias erara satisfactorias.
Eram esperados em todas ellas mais colonos, e os
trabalhos de abertura de estradas e picadas pro-
rcguiara com aclividade.
Tinham sido annunciadas algumas incursoes
de radios selvagens, aos aldearaentes de Jatahy-o
S. Jeronymo, nas fazendas visinhas. Os habitantes
preparavain-se para repelli-los, mas felizmente as
correrias nao se deram. Tralando desse assumpto
conclue ura artigo editorial do Dezenove de Dc-
zembro :
Nao sao raras as invasoes dos selvagens e os
excessos a que as vezes se entregara, e que so po-
dem desapparecer diante do benelico iuuuxo da
catecnese.
a Emquauto a palavra eloqueole do missiona-
rio nio couegair arrancar da ignorancia e bruta-
lidade esses infelizes, qua dos milhares vagueiam
pelos nossos sertoes, nao poderemos nunca chegar
ao lira almejad) de convene-los em outros tan
los brai^os uleis a lavoura.
f Esta provincia ja bastanle deve a fundacao de
seus aldeiamentos e a constancia e abnega^io d03
virtuosos missionarios que os dirigem.
Com os perseverantes esforcos do governo e
de crer que desapparecam em breve as lacunas de
qae ainda se resente tao importante servigo.
0 movimento do porto de Paranagua no mez
de agosto proximo findo foi o seguinte :
c Eniraram de fora do imperio 8 embarcacpes,
lotando 3,787 toneladas, .-eudo 3 vapores, 1 bngue
1 polaea e 3 patachos, dos qnaes 3 nacionaes, 2
allemaes, 1 hollandeza, 1 grega e 1 austriaca,
prscedentes 6 de Montevideo e 2 de Buenos-Ayres,
sondo 3 com varios generos, I com came e 4 era
lastro. A cabolageui foi feita por 20 eiubarcaceus,
lotando 5,274 toneladas, sendo t barca, 2 brigues,
1 sumaca, 2 patachos, 1 escuna, 1 cuter, 9 hiates
e 3 vapores, das quaes 14 nacionaes, 1 austriaca, 1
allema, 1 portugueza, 1 hespau'nola, 1 argentina
e 1 sueca ; e destas 13 com varios generos, 2
com sal e 5 era lastro.
Sahiram para f6ra do imperio 10 embaicacoes,
Iftando 4,577 toneladas, sendo 3 vapores, t barca,
2 brigues, 3 patachos e t escuna, das quaes 4 na-
cionaes, 2 allemaes, 1 austriaca, 1 portugueza, 1
hollandeza e 1 oriental, destinando-se 2 para Val-
paraizo, 4 para Buenos- tyres e 4 para Montevi-
deo, todas com herva mate. Acabolagem foi fei-
ta por 10 embarcacoes, lotando 3,437 toneladas,
sendo 3 vapores, 1 sumaca e 6 hiates todos nacio-
naes, destinando-se 8 para o Rio de Janeiro, i para
Santos, I para Guaratoba e I para Tijuea.
Das informaeoe?, officiaes existentes na direc-
toria geral de estatis.iica consti o seguinte, re|a-
livamente a provrfloia.do Pa,rana ;
Divisao admini*trativa.Compoe-se a provincia
de 17 municipios, 8 cidades e 9 villas com 29 pa-
rochial
Cidades. -Curitiba, Principe, Paranagua, Anto-
nina, Morretes, Castro, Ponta Grossa e Guarapua-
va.
Villas.S. Jos6dos Pinhaes, Ventuverava, Ar-
raial Queimado, Campo Largo, Ri) Negro, Palmei-
ra, Gaaratilea, Porto de Cima e Tibagy.
Divisao eleitoral. Constitue I districto eleitoral,
com 7 eollegios. Capital, Principe, Paranagua, An-
tonina, Morretes, Castro e Guarapuava, c com 25
assombldas parochiaes. Nossa Senhora oa Lux de
Curitiba, Nossa Senhora do Amparo de VotnTe-
rava, Nossa Senhora da Piedade do Campo Largo,
Santo Antonio do Arraial Queimado, S. Josd dos
Pinhaes, Nossa Senhora dos Retnedios de Iguassii,
Santo Antonio da I.apa. Senhor Bom Jesus da
Columna do Rio Negro, Ndssa Scnbora da Concei-
cao da Palmeira, Nossa Senhora do Rosario de
Paranagua, S. Luiz de Guaratulea, Senhor Bom
Jesus dos Perdoes de Guarakessava, Nossa Senho-
ra do Pilar de Antonini, Nosso Senhor do Porto
de Morretes, S. Sebastiio do Porto de Cima, San-
t'Aana de Castro, Nossa Senhora dos Remedios do
Tibagy, Senhor Bom Jesus de Jaguariahyvu,
S. Jose do Curisiianismo, Sani'Anna da Ponta
Grossa, S Sebastiao das Conchas, Nossa Senhora
dos Bethlem de Guarapuava e Senhor Bom Jesns
de Campo de Pal mas. Conta 200 eleitores e
15,706 vntantes.
Elegc 20 deputados provinciaes, 2 deputados ge-
raes e I senador.
A camara apuradora e a da cidade de Curi-
tiba.
Inslruccao.Contava a provincia no anno findo
84 escolas" publicas de instruccao primaria,54 para
o sexo masculino e 3 para o feminine : tiveram
estas escolas a frcquencia de 1.917 alnranos, 1,288
meninos e 629 meuinas.
Existiam mais 17 escolas particulares, 15 para
meninos n 2 para meninas, que tiveram a frequen-
cia de 333 allumnos, 256 do sexi masculino e 77
do feminine.
A instruccao secundaria 6 dada em 2 estabele- -
cimentos publicos que foram frequentados por 37
alumnos.
Existem mais 4 esUibelecimentoa de instruccao
secundaria particular, sen lo 3 para'aiaeao mascu-
lino e 1 para o feminino : os primeiros tiveram a
frequencia de 133 alumnos o segundo de 1.
A despeza com a instruccao lot flxada em-----
92:588*000.
Renda.-A renda geraldo exercicio de (869-
1870 subio a 594:452512 e a despeza a .......
404:183/443.
A lei provincial n. 314 de 12 de abril de 1872,
orcou a despeza provincial em 6il:965*.4n9 e a
receita cm igual somma
Tt?m sido matriculados na collectoria dasren-
das geraes do Nitherohy, em virtude da lei de 28
de setembro, 10,743 escravos.
No segundo prazo da matricula (isto e, desde t
de outubro de 1872 a 30 do setembro dc 1873) as-
cendeu o numero dos matriculados a 4,372, sendo
2,670 do sexo masculino e 1,772 do feminino e
3,289 brasileiros e 1,083 africanos, 618 pardo3 e
3,754 pretos ; e 4,039 solteiros, 18V casados ;
lig^iuvos ; t,73S do service agricola, 595 artis-
tas, 496 jornaleiros, 810 do fervico dnmesiico a
703 sem proli.-sio; 2,677 urbanos e 1,746 ruraes.
SANTA CATHARJNA.
No dia 19 tomara posse do cargo de chefe de
policia o Dr. Herminio Fraacisco do Espirilo-
Santo.
0 encnuracado Silcado seguira para o Ar-
voredo em commissao, levande trabalhadores e
mais pessoal para ahrir a picada e preparar o
local, afim d'alli ser collocado um pharol.
Em Itajahy fallecers, a 15 do passado, D
Maria do Nascim'ento dc Jesus, deixando Rrres
tres escravos : Honorala de 8, Romana de 30* e
Jeronymo ile 28 annos. ficando os dous ultimos
com a condicao de servirem por 3 annos no hos-
pital da caridade do Desterro.
Lfi-se no Despertador da mesma cidade :
t Somos informados qae, no dia 8 do eorrente,
os bugres, em creicido numero, assaltaram a co-
lonia Santa Thereza, comecando pela residencia
do colono allemao Phillips, qae se achava ausen-
te e aos gritos da mulher deste acudio uma pe-
quena forca que rondava a localidade e fe-los re-
tirar.
Na noite seguinte, das 9 para as 10 horas, as-
saltaram a casa do Dr. Mello, o qual, acordando,
saltou da cama, atordoado pelos gritos das pes-
soas que com elle taniDem dormiam, em conse-
quencia dos empurrSes que os selvagens davam
a ur das janelias da casa, esbarrou em uma me-
sa, so&re a qual tinha vidros de medicamentos,
em cuja occasiao ferio-se no rosto.
A forja qua rondava acudio immediatamento
e com ella' alguns dos moradores das proximida
do(5, quo fizeram afugentar os selvagens.
Antes disto (no dia 7) appareceram na fazenda
do coronel Serafim Muniz, donie roubaram algu-
ma ferramenta dos trabalhadores ; sendo perse-
guidos por varios moradores e pessoas da fazen-
da, safaram se, deixando apenas um arco.
t 0 director da cobnia expedio um propri >
participando a S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia o occorrido, solicitando ao mesmo tempo arma-
mento e raunicao para, no caso de assalto mats
formal, poder repelli-los.
a S. Exc. deu logo as providencias de m )do a
satisfazer a requisicao do director da coloni.
a PAULO.
A assemblea geral de accionistas da companhia
Uniao Paulista. reunila a 28" do paisado elegeu
presidente o Dr. Antonio de Aguiar Barros, secre-
tario o Dr. Luiz de Ohveira Lins de Vasconcellos,
o para a commlasao de exame de conlas o refor-
raa de estatutos, os Drs. Francisco Jose de Azeve-
do e Lins e Vasconcellos, e Joaquim Lopes Lebre,
ficando marcado o dia 28 do eorrente, para nova
reuniao da assemblea geral para resolver-se sobre
os j negocios referidos.
No dia 23 o presidente da provincia e os Srs.
Theraislocles Petrochino e Antonio Alves de An-
drade, represeatada pelo conselheiro Carrao, as-
signaram o contrato para a construcgao da estra-
da dc ferro de Brnganca. 0 prazo do contrato e
de 90 annos e jnros di 7 OpO.
Ficou livre aos contratantes poderom emprehen-
der as obras por si 'cu transferir o pririlegio a
uma companhia, dentro ou fora do imperio. Os
pianos e orcamentos devem ser apresentados ao
governo no prazo de 6 mezes; e os trabalhos de
construc^ao devem eomecar em 18 mezes e termi
nar em doits annos, a contar da terminacao dos
20:000*000
or erapres
primitivos
fo-Claro \<
18 mezes. Renanciarao o an
para explorar5S, promettido
timo.
Os contralautcs sio ce
concessiouarios indicalos i
AcOava-se enfermo na cM
capitio Pknent3, para onde havia seguido com a
commisslo encarregada da exploracao de nma li-
nha ferrea para Matto Gr jsso.
0 chefe de policia regressara no dia 27 da Ali-
baia, para onde tlnba ido em conscquencia do'at-
tentado perpetrado contra a pessoa do juiz muni-
cipal, Dr. Antonio Bento.
As dfRaeriwas do Inquerilo foram feitas em pre-
de i. Exc. e por tal modo dirigidas, que nao
touio Joaquim do Prado, conhecidopor Uba-
tub'a, confessara o erirae, enja autoria negara em
dout interrogatorios anteriores, mas ainda decla
rara o nome do mandante, Albino Jose Barbosa,
de cuja vontade se flzera executor pela miseraYd
-

hIgM
^w
^kmmm^Kkwm
M


/iffiMio de Pcmambuco
bbado

papM dc 60S.
Fora press
de con form Id a
Foram inqu
offendido era
Pelo iix mi
pronnnciado el
criminal, o prcla Andre
nod de GiVes, pelo
Anna, filha .loste
por Andre, como
Pota tambem
nnneiado no an.
x'.o Martins R >m
casligar excess
"eujos caslK:ji re
-mais oa me
Doviain cW
>rjo, na cap
para cessagao da opi-T^mia" do
quells freguezia esta "grassaudo
Jose, llarbosa, procolendo-sc
a lei.
estemiuihas a estaJo do
Ic ainda. muito grays.
'oi no dia 20 do eorrentc
ba, no art 292 "do 'co*fo
escravo dejeaqnim Ma-
tica~
a
s.
^B\ ej anq U|l
i i IWjrtla.w, u
dWlftflaaa iMtur
txtfla J^KoleaUa
ii< niiiiiteipai fro-
criminflpaVVaneis-
o le t e-. naaudad..
nun
*.*! ;iv-i noaert'i, d
ic, hi dr>03 ami.
escravos.
ferido nieftrc de quo ua unite a
iew 1 %
pMfasXuJque dBa*rjjP
can da oprnmia dc bexmas.
a-
P. ,n
res
exigas, que na"
com iutehsidade.
Manit>*iara-se er Santos, no dia 26, nin "Ricen
dio cm casa do Jose flartms dos Santos, na rua de
G p'edio estava. ?. guro na companhia Uniao
i'aoiista, e conta*a qne apenas dcro-se o faclo,
cempareceram os direciores e a vista do oecorri-
do, Mfauaraftwie? oafcaaaii o prejuteo hxviuV
Fora causa to mcendio o haver area prefa ma-
foom ferro nwrxambomba seuro osoalhoe deliese
*a\er esqueeilo.
Falleceram : Em Sirocaba, c dclegado do eon-
sulado partttgoea Manoel Jose Saares o o ^Iiefe dc
uiimmilsaJamilia [guaciu Moieira da Sitva ; em
S*."Hr-|un Sra. 1> Heaedieta Maria da It ic.ti-i Li-
ma, espijsri ilu juiz municipal ouquelle termo Dr.
Luprctu da Rocha Lima.
bio w. s^iarno.
Foi aposantado u Dr. ivbias R*bello_ LoUe, a
pcCido. no emprogo de clicfo do secgab da se-
rrf-'laria de n-fado dos n-jgoeios do impr-rio. frtt* 8
v.mciivc.mto .pie the competir na cmformidads A >
;.rt 24 do dacrclii n. l.t."i de i:l de abril de I8S8,
pbr cmur mats *a viJBc annos do servigo effeo-
li V.l.
Fora;ii concedfdas r;s exoneracSes qi pedi-
r.iin :
5)a cargo r-aalw>, u b;iclttrol S:'.cin> Elvidk Cairneira daCtr-i
Tdfcm tarn a at*** 41 Mdll^lUlA AAJ^nham passiula uma-pur^o dc ftj
tombro dc 1801, coneedeu-se transfer jiq^liun id-i^^^H
a iM-matde- infcuuam *o Heres do rtfm&fltt
do. cavai!a/w .ligcir*. ? Bueu
rdeni I'oni a immediata o rmpeViai'iTsolu^ao
21 cuikujte do eonselhii supremo inililar, mandou se
ar nu P*** te *Vm* a Wf *"* Pro
de 13 de lOajfo ioauo prox
a retonna dad.-i nor dbrfeg^p de
. so portiinilar i' nJ^aia'W**rl|:j d
a damKu-nicao da pro\i ia de Goyaz,
_Jose ^Almeida.
idem i'.>m o S ;i do jilaao qu>^baixoii com
reto do H dedezembro de 1813, concadi'n-:
I rma c-om o resp.eeJKo soldo p infciro, valor da
liirtia. o fardamealo, nor contarem mass de 3-'i
de s.r*iQo e acbaruia m daHa uaiioaaMUbi-
_ o i sargento da companhia do operarios mi-
liUres do arsenal ''"iWyfti" VVHieia 4* I'cr-
nambuco Joao PraKsHpl Sjjam, e^ftcabo,
dc esquadra do 2" 1m*HR41 AlWiam a^fThc
I in.u Haptisu tifltuvt, tfiL\ .pnr.avaiicaiia idaiin. i
ml-'fn li Rsi, n ttitenteHefone!
a Silv.i llajn-^ e Ignacio ntiMAiii
nha.
Do de pn'S'M'ntr daprovincia do Esmrfto-Pan-
^) o Dr. Joao Thome da Silva.
Do de predderttr 1a provincia de Santa Cathari-
;ia, o 'n'lnr^l !.'. Ir )..\ITonso Perron,
1) i do ') v ceprosidento da provincia do Para,
Alifoiiio ii.Tt;;.t.\s NuiliS.
F^rahtfenimradis do; cargns de i"^*' vnre-
prBKidentes. fW.Vra da provincia do Para, rmr
tere 0 dcMval'i i- re-idir nella, os barha els Abel
Gnw.1 e Fiarnr-ro de Sonza Girne.
TOram n a: a-Jos presidentes :
I) i provii.'ria In .Marinhao, o ha-harel AogtHto
Orymnio Gon:es de Castro.
ua j,r..vincia da Para vha, o barl;ar"'l Silvino
KJ\*| l?g Cnnicirii l.i C in!M.
f(H pmvir.i-ri da Rnhia, o cimmeudader Anto-
Bto Candtdo da Cruz Machado.
Da flrtwrncia do R>=piritoS^n'<,-o hacliarul Luiz
Euge^id Bora Barbosa.
H; |i;-.ivincia de Santa Catharina, o Dr. iouVFho-
11 SHva
Vie- jlri'*ft)(*nt*3 da phirineM do Pavii :
' it r. Cuiliicnii'j Pranciscu '-rv:/ pura ^"rrir-ei'i
i Incar.
0 i)r. Francisco NIendes I'er-ira, pw serrireni
> lugar a > !)r. Antonio Lopes de Mendonea, para
''rvir own 6
''dia I h
I'S'1 t'liTsino
!.; Viv;ros, on alionca'i am relevaiftes scrvipaa
:! fdn presta 1" a iostrnrr.a) piibHca iki pr
ia i.j HsraTtbab.
<>ava!.io;ro da in -ma ord-m Manoel IS Go
his. pc seitijOs identteos pres viii-i i.
!;\v!lr:iros da or lem de S. Rvi* do Aviz. o
maair rradnalo PjPdro Antonio Disis, u os caprtTtes
,\u-"i^:o Titwrin C'sir Bsrlfina>iie o AiigtwujEr-
;ir> F-v.sc incrn' i! f'iro de nwjn I: lali-M, com
eX'TcKio na ea-a imperial, a Francisco Nieolio de
Lima SJngneira da (Jama.
Fui natnralisado o mbdito portngnoz, barman
WoF-i de Paria I'inbo do Vasco:i;:ellos --Snares do
Ailieraaiia.
?.ir decreto de 3 le-seteinUn foi apo enlado
^ grtlvador da casa d* tnoe!a Fidclis Fcrreir-a Pa-
r.ii'ii.
l*or decreto de 4 do currents UA nomeedo I."
ahrid ir >ta dita roparticiio, Francisco Jos-i Pinto
t'arn^ri.
-Par docroto n. 3,413 do 2't de felembro"foi con
-1 !i l;( a AdglISM MM Ic- i\- Im pePHHStin p H'
dousjuinos. para exilorar mi'ms ie h*rr.)-e WUtoa
Mtaes :ias s ias !a'.''j.'!is ilenominadas Llia dc
l^tpon-0 IMnim, na ilia* de lioipeoa. sitas n mil
nici;ii : Cayni e i^iialincnte MB snas bnewlC
dcaoM :i:i;.is I'-.|!',-. Hntupinnga, no musicipio
do lifteroa, da conuaca de -Valaaca, na pPMlacia
Por decreto de 27 d : seiombro foi nomeadj
Vo' =iim> Jo-c de L"in us '.Tctano da in-pocriio do
arsenal dc niannlia do Pa li.
P-.! dccreio At Ti de teteobra foi coneedida
i i si.1 i impaqbta anturMagao iwra funcci-mar e
fnr;.:n xpprovadoii <- i e-oicclivos estatutos. A-com-
pMa propoe-se nan hi maniifaotnr.ir em larga
seals, |: ineio de mariiinas aperfeicoadiis, Coda
.. iorte de mat triacs ricrtinados a^onstrucc-ao em
penal, > compra-toi o voaile-Je^ explttraado
t> rs Uec operates os naensados nacionaos e es-
trangdfro*.
Sea cpftrtal <. de tXM:%ms, dividtdos em fi^)30
aero.'s pwdendo er elevad i a l,60 -itHJOS-
P'tr deeroto8 o (atude* de 29 de seteiubre 2
do c irri'iSj ;
l"..i diapeosado da funejSes de iKspector.da a I
fandega d.i.ia, fassiindoa servir uotno
addil> in (ll cdrte, o ajuilanie extiseto do inspec-
:- Maria I'lrtefc.
Foram d'-uiitlidos: u i ewegurtnrsfio Bentoio-
* da l.avw HiptO e os 1" -conform:Us Francisco
ilabello de Carvalho e Zefenwio Vieira llolrigues
i'ilho, tid-js-da alfandega de Irngua.yana. /
Fora.n non-'udos para tor, em cnrniai--,siio, o i* e raria de f.izeiHJa do Rio AtHonio VasinKi,:, o 1 escr Rio Grande, Aisagusto Uaogel Aivim.
Para a reeeioidoril da irte; 2" eseripturaric
i '. dito da aJfatuirga, iiuilberuie da SUva Leuios;
e >' c-nipt;ir.iri-o praiicaaie da alfandega, An-
tqaj i Pircs Dnrao.
Para a aliandoga da curte : 311 eseripiurario 0
.'!' dito da r 'i-eheJ-Jttia, Adolpho Aflhur lonocen-
eiode Sa donteiro,; e para pradicaute, Antonio
Joanuim IVixtira de Azevtdo.
Ptra praticante do lliesonro uau-mal, Aatonro
Goacalves Gomes da Silva.
' For decretos de 4 do correate :
Do conformidade com o art. 276 doregularaenlo
das eseolas militares, appravailo pelo decreto n.
3^83 de 28 de abrii de l*(i3, conredeu-fe juUila-
ido, com o resnectiyo ordocado por inleiro.aojea
te cathedratieo da ca loira de ohimica da escola
central conselheiro Dr CacJidi de Azeredo Coa-
tioho, visto contar ma is de 25 annos de magis-
lerii.
K ;i viiU do (jue disjOJ o ar,!. 97 do regoJamen-
to do eori>c> de ?aude do exerdto, approvada pelo
desreto n. 1,900 de 7 &> marft) de 1857, oneede-
ram-se ao 4 cinirgiao contratado para dirigir o
ceorica med;o do bospiiai railitai1 provlsorie de
Aodarahy neila cdrte, Dr. Antonio Correa de Sou-
u Costa,' as honras do postj de lencnte-coroneJ
irurgiao-mor de divi.-ao do mesnw .eorpo, em at-
tenao aosrelerantes services preslados durante a
t'uerra do Paraguay.
De eanfurmijade com o parecer ds conselho
supremo mijitar, exarado em eensulta^de 22 de se-
tdnibrouluino, concideram-se'aa honras do posto
de capitao do exercito ao ex-capatao de eonjmissao
Enoch BaptUta de Figiieiredo, o ao cx-eapUao do
16* corp-j de voluutarios da patria Maaoet Nor-
berlo deOliveira Luttgards,a eSle pelos relevan-
ta aervjeos preatados em relacao a guerra do Pa-
i"agaa.y,.e a^iielle pelos quo prestoa na prdVineu
de Jfauo-Grosso, em relacao a mesma guerra.
CoocederatB se at hmiras do posto. de tenente
res do cdrpo de estado-raaior de f> clasBe,
Candido de AmoriiTavares, em a:tcnr,So nab so
a ter exercido a pwlle poato em eommissS^ no
esertylq-qiiefeia campau'aa do Paragnay, como
tambem aos relevantes servigos presta'dos na mes-
ma' campanha,
Dsiconformidailecom a imqaediata e imperial
.": lit lie por mcapacidade physicn.
Idem com o mesmo paragrapko e dew eto com o
respective soldo por inteiro, vtsto achar-se impos-
sibilitado para o service do -exurcjtfM ,*m angnj-
qnenria flo ferimento recebitio em com'oate, o sol-
dad* de asvli> Ua iovalidos Joao Alves da SHva.
Por portarias de i6 de sctembro foi nomca-
do Salvino Cabral da Cosfc e Mello'paixl o hrgar
de a+moxanfe do hospitp.1 inililar provisano do
Auiat-ahy neila curie.
T)e 27.-Foi classiflcado no : rcglmentn do
cavallaria li^eirao alfercs graduado Anlonio Ray-
mwido Beneira do Lago. ctija readmissao ntqna-
dro do oxererto foi aeturisada iela decreto l^isla-
tivo n. 2,:WI de 27 de MDatq finds.
De 29. Foram trausieridos por troea cntre
si, |wra-s;rviea na divi>ao brasHoira ostaeiona-
da no Paraguay, o pharmaceutics teuente Jcao Jo-,
d I)aria, e no hespital niilitar provisorio do An-
ilaraby o pbarmeeeutico alferea Francisoo He me
lino Ril.ciro.
De 3". Foram nomcados : Anlonio Dernar
do para olng.ir de ctintinuodo arcliivo mililar.
0 tenente refurmado do cxercilo Jo-6 Nieolan
Pimenta dc ATatijo Vargas Couiinho, para o lugar
dc ajoJante do director da colouia niilitar de Gu-
ru;))', na provincia die Maranbao.
De 1 do correule : Foi nomeado encarrega
do An depositos da*-'i' secc.io do Mattel lie etuec-
ra da ooito o capitao refonnado do exercilo F-ran
ciseo Henrique de Kuronha, nos termos do art. !4o
ilo reguiamejito inandado executar por decreto dj
'9 de ontobro de 1872.
D-j 2. Concedea-se urn niez tic iieenco. pa
ra tratnr de interesses do sna familia nesta eorle
ao 2 oftteiaJ da reparticio fiscal das fareas brasi-
livas est .cionadas na repoblica do Paraguay, ca-
pital Jose Guilherme Rodnguci P- rcira.
F 'i transferiJo do 20 pan a 14' lutaliiSn dc
infatitaria o tenente Meliuiodos lleis Pereira do
Lago.
Foi cxpedido o seguinte striae :
N. 2,123. 2* seeeao. MiRistcrie dns nego-
ISO? da in a; iniia. Hio da Jam-iro, 1 le outsbro de
4873. ll!:n. o Exm. Sr Para o bom andamento
do sci vlco e oc.onoinia den JiaUciros poblieos, coo-
' i qua vcriii cm do V. Sue. a ncv.essidade d?
i !ar so ipial |U"r r.avie do estad'o, tpvor pelo
resullado da visita dcten*nada no 2' d> art. 7
d o decrdo n. b',278 do 10 de maio ultimo, qierem
nrtod i de i cpioseniacr.o dirigide pelo respectivo
commaiidantc, desde logo eiiteada-se com a ins-
pettefia do arsenal de Hurinha para qucesta
imnde pmceJer an. cxamee qne jolgar nrcdni
rios ; canijirinlo, ale.01 d:sso, q 10 do seu.acU) dd
V. B)(e, parlc .1 sorveivia de c-'lado. .> iuspj;-
lor do arsenal devera cemmnDiear a V. Exc. 0 tt-
aaJta lo d leaaoke a quo heeM se procedido, de-
claraiii'.i) a natureza e impn-iaiicia dos onceitns
I forem indi^iensaereia, a tempo pjswJ em
pjj senae elles realitad-is, a qaaeMouc outrajoc-
eavrre 'ci is, ipie irazidas por V. Exc. ao men ao-
nheci nento, babilitem-me a d^libeiar sobre 0 des-
bteaw uento on disp miidiidade do navio, nos ter-
m ) 11 deatklo n i,f)V5 do 111 de dezemTo de
18f7. Dens guarile a V. Ex?. Jniu/utm Dslfinj
-'),"'. la /.:. -Sr. vice-almirante, ajudante-ge-
neral da armada.
Foi dirigidi aos pre*; leales de provincia a
sfL'iiii;: DirenJa*:
a >.' seccao. Mini- ii'rio dos negoeios do imji-j-
rio.- Kio de Janeiro, em 29 de seiombro de 1873.
-Illm. e Exm. Sr.-Sw relUorios p.>r uimi apre-
sentadis a assemblea geral tenho manii'e>!a1o 0
111 do pifewnever o maia uossiael a dilTuiio
de ci ulic.imoatos indispeniaveis para os mi da vida pratica, segundo os diversos destiaos e
condicil s leiMs. Persistiudo passe eiiip.'iiUo, re-
eom neti Jo a V. Bse. q'ie coadjnvo com os meibs
a seu aleance os pairiotieos esforcos de cidadaoa
inlpressadpe no be.n da causa puidica. ipie iLse-
jem fuudar bibKotbseas, "Bde tolas as classes so-
i .- possam cnconir.ar proveito-"a diverjtaa, quan-
do nao prooureM adqutrir conkeciaapatus itfeis
Fasilitar a leilura do livi'os ivcout iiaolavcis por
sua doulrjna, e jar teguro pas-o a l;em de pro-
grosso intellectual e in oral do paiz, para 0 fual
dove a-siduameute Iral.alliar a administracao pu-
blica. Ac; earn do avultaibnumero de biblio-
Ihecas aos Estados cultos relava u.apregoem que
pe.Ms e govern s teem lao ellicaz neio pratice do
auxiaar, como tanto c lavem, 0 lieFramameato das
lazes por tslo oterriterio nacional. Polos dades
est.tisiicos vc se que iiiTelizmente sio poucas, e:i-
tro nos, as cidales do interior das provincias nas
iiuaes lu bibiiutiiacas, ao aios-.no teiapo que nao i,
de>animidor onamcrodas pessoas que as freqaea-
tam. Deraooslra isti que os meios de ministrar
instruccio n";o correspoRdem ao desejo de adqui-'
ri-la. Favorecer este djscjo muito illc trara a ad-
ministracao 6c V. Exc. que cerlamente correspon-
dent a i.M'.ommendacajqueora faco, polcodo con
tar c ro o apo'o d > governo imperial. Beus guar-
de a V. >;,-. -J::'u Al'ri\i'. Cori'ei de Oliceira.
- Por decreto 11. 'i,i-il de 2i de sctembro foi
promulgado o tratado de er.tradiciio \a criminaios
celebra to em -I de j.aiiio do correnie .anno entre
0 Bra-il e a Belgica.
"ur.-.m negociadnrf s dessc tratado 0 Sr. barao de
Arinos, nosso represeiriante em rjTuxeflafi, e 0 Sr.
le d'AspreiBJiH Lyndeu, ministro do estrangei-
ros do reiao da Balgiva.
Pelo ministerioda marinba. ofliciou-se
barca
MM
Tavares, morador
ineio da viagem
|ue re
iafos,1
a-nnraininbiram se
3. pharauceutlcos 1, \***mWAi*-?M, ****&* MrfjU dU^AMn
irasO, tjuu| ,m,.
11 L Mftnti JBaadoros t31. to =..
Iractnreires e A npiniao 011 geral ten so rmni*}stao contra
0 BOJSaiHemo adnvntstrat^vo < ainJa -mats, se tcm
c-tl uie.lidjt por object^ ni nico para fazer
face ao deficit da provincia, qua ja monta a 2:400
commerciantetwgtf ros e guar-
outro individuo.
fearmn
ayerna. Entao a
atron eqi utnaQOU-
JftwyUo,
0 i'ndivi
Tvrns 3i57, oostureiras (\1>
radores 2,569, criados, jorna"
no^servico domestico 7,467;
Jrtial
c.-u an
apor Qi
ale n da
falta de
lo mesoi
ssam ar:
do\
tambci;
vapor brasileim Buhia, trasendo datas :
WfeM
iR 0 M-Xd '' wl \i
uiAl ia rtstfirlJJJ^H li
'LlJ a.
wrartos ill, la
e emprogados
nio tem proiisssao
centos, ao
dar ma or
quo po-ta
A|>'
deole, n.
provinci
nesto e
levsnrad
sedhe:
mcu, pois
isa favorcs com os eofri
b inexoravel na cobra
nle-yenbda nao podera
bntoaMlHinda
Junior, a-taal (Kresi-
reaes da
imini-trador ho
ifflcitaaento proaia-
licoe; antes teai si-
a diviJa orovifccial.
vapor brasileiro Buhta, trasendo datas : do A ma- lMltu ul,!'"-'ro 1U
pedreir. 1, tornado lefa
gue proximo, Aalh
para Guilhernie, craviiTniiTTiovilbii
dan. qnu osco,apaalBaay^egknfc eat uma aciu
de lenlia, avangou pario.pedreiro; este aiada com
a faca 1 rio-o em uma peuna e evadiaue.
t Guiihenno foi levado tiara 0 hospital onde,
eeind ja dissemaa, lallecenX IA ;
Parcce incrivel que sendo 8 horas da noile,
bouvesso uma so prar^a Je pobcia nu lugar, e
que sendo 0 crime perpetrado diante de latita gen-"
te, ninguem eaausse prender 0 a-tatmna* e flinda
mais i|ue as aiitoridados com isso uiio *e imporias-
sem I
. Noticiamos ha dia-s qua a galerawcte-ameri-
cana -Ksiwuld lain, cutrada no now lUorlo, pro
eedente do Panlic-v condsjjja deiitro lib guano 0
cadaver de Jofan Bowers, capita* do weamo aavio,
(atlccido oaq lelU cost a. Honlein H') perartte os
Srs Drs. 3' delegddo c medicos da poboia proce-
deo-sa a exa no no ine-mj cadaver, o qual estava
dentro de um caixao e e merta de gut**. Oca
daver nao so'T.-cra dec-imp sicSo ; pelo contrario
estava quasi inn mi fieado. Coudutiram ho para o
lazareto de Jurujuba, e-ein scgiuda deraaa-Jiie se-
puilnra. > -*e
Eis as noticias commerciaos das ulliaus
datas :
Monlevidco, 27 do setembro. Saaaaram-se
bojo ii,(JO sobr-e Londres a ol l/'*d. psqueuas
souimas sobre Paris c UruxelUs.a frs. 5.4o e frs.
5.42.
No mercad > de proJuetos se ooa*a a venda
de i.OOJ courts H!COOs a 7'J rls.
< Bio Grande do Sal, 2o de selembro.,D cam-
bio sobre Londrfs 25 0/8 d li.aueario, i3 3/4 e 2!!
7/ franco.
Cotamos as oneas a 30*jU0 ; os soberan is
it 92400 e o euro uaoiodal de 5 a pur cento de
premio.
Itio do Janeiro, 3 de ictcmbro.N4o se notou
alteracio alguma no uiereado ae cambi0, que ft-
cbou iirmo. Os bancos manltveaam.jaljBcialinente
a laxa do sen papel soij*e L mdr<^e a 25 7/8 d.
Pas*m-se tuna somiua insignificant* sobre o Porto
a 111 0,0 de premio a 3 d/v ealli 0/< a
30 d/v. L(.
De suberanos, apesas nos eonstiMia vend* de
um late de 5,00) a 92300 dieueiro.
t As aposlBos geraes de* 0/0 couacrvaram se
paralysadas, e 11 consequeucia dos ailos pre;os que
pedem os p-WMiidores aolualmente.
Foi pjuco nctivao inovitueiit) do mercad) de
accd as do banco do Brasil a i'k'-ii por ac.-jj, a diulviro
e a -VSi iiajame ilo e trausfei euei.i eul 10 Jo cor-
renie e sabre as da companhia da estrad* de ferro
da LeupoMina a 142500, 152-50-> 0 102500por ac
cao, a dinheiro.
Negociaraui-se alem disso pequpnos k]t< do
aoodea do Banco Bjir*ladQA; do Banco Indus-
trial e Mercautil a 51 s i a da conipannia de c<-
trada do ferro de Petropobs a 8O2OOJ a di-
nheiro.
Em cafo luda se (ez ; as vend as de assacar
fo am negoiarea pare onsamo.
t Sahiram tamliem p.irt cousumo oer.:a de. 0,000
arnibasde Ciroe seeca. ?
Apenas nos eonstaa e fretaawati de um ua-
Vio para canci^ar algodao e u Poruainboco a or-
dem coai desli.ioaoUmal a ordem a"i/'8 d. e 5 0/0
de capa.
BAKU.
Lemos no JoihqI : yas-
t Os it colouos ailemae> e 3: austriacos que
jlonTa M'
I'3soluca;de *0 do iulbo do'1870, tomada jfibre
cjusulta do cons'jlno inpremo niilitar, passaram a
JQ& as axma* a cjuf ^ertaucem, os seguin-
!' tenente do t ba-
.1,1. ],aqnim Correa da Sil
A' a rma dc ca,?al I capitao do I' regit
menl
3 do ii* bata-
Ib5o Lui? pefldia'o.
A presidencia dc Pernambueo, deiermir.ando a
expedie^fl de ordens, aim de ue sejam eanstrui-
das no arsenal de raarhUu, para 0 servijo da ca-
pitania do norlo do-Ceara, Juas lioia? de ferro com
as dimensoes que a i;.-peec"io do referiJo a'senal
forem inpicadas pe!a mesma capilaoia.
A'mesma, inan.lando consJrpir no arseoal Je
marinba, uma lane ba-cam as dimensoes constantcs
i 1 not,: que se ea-.-ia, para substituir a l.aneha pe-
ijuena ao servi-o da capitama das Alaguas, que se
ae'.-.a c.ompletanKa'.o esrragada, geiJQnao informfi a
piesiAa eapitaaia em officio dc 10 do corrente.;
cumprindo que rcommende a maitr urgenciaaa
coi:-iruc,cao. e provid;ncie para que seja ella re-
mt-ttida desde logo a seu destine,
A' tonUdorla, mandando its organis.rlas pelo engenhciro JJqtimb Barroso'
com Francisco de Figueiredo. procurador de Ma-
noel ilcdrigues dos Santos Moura, aeonstru-ao
do pliaro! do Aracaty (>ari) pela quantia dc ..'. ...
15:e00i000, conforme o orcamento c instant-; da
copia Pelos decretos ns. 2,122, 2,423, 2,'*2i, 2,425
e 2,420, de 17 de setembro, maedou-se matrlcular
na Faculdade de Direito do Ilecife.: a Macod de
Seequi)a Wanderley tins, Syndulpho Cheledohio
Ca?Jafange de Assumpeao Santiago, Francises Ser-
gio do Rego Dan'.as, Alfredo lfo Rrandao ilii Rocha Junior.
Pelo decreto n. 5,427, de ido corrente, firepU-
se 0 lugar de juiz municipal e de orphios no teraio
de S. Jose do Toeanlins, de Giyaz.
Lemos no Jwnnl de Cttmmereio:
Na xeeebedoria da corte, ficotioaeeriadi iw
dia 30 do setembro a matricula especial, tend) si-
do inscriptos 47,260. escravos.
* A igreja da Lapa do* ^fercadores, fuadada cm
I75D. pnssou uliimamente por completa recons--j
truecao. As ouras, que haviam comegado em 21
de agosto de 1870.tarminar, m em 20 de seterabro
ulliino.
Foi um act") de verdadeira eongeiti para a
mewl emprehendor a reconatruccao do templo, dls-
pondo apenas de 4:8452670, quanlo as despezas
estan.im m-radnSem mais do 100:0002000; cnire-
tanto, graja's aoe esforcps empregados e a abneea-
5J0 dos meiarios, as obras caralnharam rapiqar
mcole, son'li) desusnjidj a quaolJa Ja liO.OOwJ
fiita sc-Iiraf U! irimonio da iriban-
nao quizsram Bear \\\ eoloiila Moniz em Gimma.i
datuba. seguira.u para 0 Hio do Janeiro no vapor
allemao Buhia. n
a 0 governo mandou a villa de Iliioos para Ira-
tar do; pobrts alacados do variol 1, 0 Dr. Joaquim
Lopos dos Rcis, 2. cirejcg'io doexerbito,
Em pastoral de i e ibepo condo deS. SdvaJor, convida os seus dio
wtanoj a fazerem preces aDeus pelo triumplio da
causa da saoia igreja. Tora) lugar nos dias 17,
IS e li) do corrente, as 4 a meia horas da tarde,
e nas parochias ruraes logo que caogue ao conhe-
ciment) dos parociios. Na cathedral 0 act) sora
presiJido por S. Exc. liv.na., u.'ii lo no orimeiro
dia 0 Bvm. conego Dr. JjciuUu Vill is-Doas do Je-
sus, no segundo 0 Rvd. pooego Dr. J^se Basilio
Pereira, noterceiroo Rve. padre ibestre pregadoj
da caiiella iuijkTiai Turibio Terluliano Fiuza.>
Na uudruga Ja do dia 8 de setembro, no lugar
dononiinadu Ara;.is, do termo do Santo Antonio da
Barra, foi barbaramente assassmado Tliemotlieo
Goiigalves de Oliveira, per Sebastia), escravo de
U. Miqueliiia Maria de Jesus. 0 delegado daquel-
le termo c.ousoguio preader 0 criininoso e 0 man
dou recoliier a cadeia daquella villa, e procedeu
ao sorpo de dc.licto, iuquerit) paliciai 0 mais dili-
geacias, [aiendj de tudo remessa ao Dr. juiz mu-
aicipal p.ir.i ter lugar a instaurarlo do pro-
cesso.
As vinte fregueziaa vagas no arcebispaJo sao :
c Na Uahia.
- Divino Espirito Santo da Velha Boipeba.
- Nossa Senhora da Purificacjio da villa do-
Prado.
S. Joie da Porto Alegre do Mucury.
Nossa Senhora da Coaceigio do Gaviao.
Santissima Trindade de Massacaras.
fienhor do Uom Fun da Villa NovadaRai-
nha.
iantissimo Sacramento da vHla de Minas do
Rio de Contas.
t Senhor do Bom Ffm da Nova Biipeba.
Nassa Senhora d'Ajuda deJaguaripe.
t .Santissimo Coragao de Jesus de Moute Santos.
a S. Bernardj) de Alcobaea.
a< Nossa Senhora do Uoate do Rec.mcavo.
S. Tfciago do Iguape.
S. Jie do lU.tcha da Casa Nova.
a Nuisa Sealiora da Coneeieao do Curralinho.
Em Sergipe.
Nossa Senhora da Purinea.So da Capella. f"
Nossa Seuhora da Piedade do Ligacto.
SaoU Luzia do Rio Baal.
Nossa Senhora do Amparo do Gerii.
Santa Anna do Aquidabau. *
t A. niatrieuJa especial dos escravos.no munict-
pio da Cacftiieira den 0 resultado seguinte :Es-
cravos de aaibos os sexos 16,307, filhos livres de
mulherea escravas 1,050.
< Por acio de C do corrente foi aameado 0 ia-
charel Benigno'Tasares de Oliveira para 0 cargo de
promoter publico da comar-a da Cachoeira, por
ter sido 0 Im-harel Antonio Perraz.da Molta Pe-
dreira., quo exgrcia aquelfe cargo, nomeado por
ibs e cams:
" -Mten^aVpaWa|lWe interior da provin-
cia a variola,.qiie fazia muilas victimas. Torna-
fairi-sk insmBcredtes as enferuiarias publicas le-
vanladas para soocorrer as pessoas atacadas por
este HageTlo c 0 govcMo nao de-pn*a milio aljJum
dos que estao a seuAlcauce para malhorar a c n-
dHJXti de *etrs gnVcrriadbs. TJiMS ribbr'e midher
chamada Geralda Francisca doj Saatos, que esta-
Selecea enxani-ca3a uma eatermaria cm que tr.i-
lou coin desvello de inai cincoenta e taut s bexi-
gucntos a|.sVaj^i< sncciimbio por sna vez, vic,ti-
ma talvez ,ra c.lfl lade com que dividia com o;
doentes 0 seu miiiguado pii de cada dia. ;,0 Com
merci) 1L1 .Imizonts pcde 0 estabclecimonto de
am novo cemrteti.f, visto ja estuf replerito 0 de
S. Jose.
PunMr-se dm Manmx, por inicia'.iva d)s Srs.
eomineiidador Prabeisco de Souza Mesquita e Jtn6
Tenfert-a de Son* tifrta Socieifade Portugueza
BeneQcunte em uue Ja estavam iusenptos cento
e tantos s icios. A co mnissao para or^misar os
cstatutos flcou compo-ta com estes do 113 cavalhci
ros co"9r. Doming.Js de Ahr.oi.fa Smth. Os in^
talladores desti soeielade requereram aO governo
a eoncessao de 2,5)0 bragas quadradas de Jerreao
para a c.onstriicc.io le um hospital.
Sob a epigraphe -Siu'citio -eWrevou 0 Com-
mtrtto dd Amiztum :
Em 17 de agosto ultimo, na frejruezia de Bor-
ba, suicidou-se u subdito portugaez Jose Gongalvos
Figucira, malor de sesienla annos, casado, e la-
vrador.
V Consta-nos qne esse rofellz soffria alienacao
mental, c nossc estaJe ouz termo a sua exrstencia
disparando nil 1 arm d; Togo sobre a o!!n direito
Aautoridile competence proce.ieu ao coi'po
Je Ji:ii.-'.o.
t 0 infeliz dcixoa mulher, ni!ns e net rs.
a Detts se eompadega de sua alma.
Do Puros escreverain que ba receios de que
o inverno veulia inai* cedo este anno por terem
sido abundantissima* as chUvas eirf agxio. Se 0
tempo nao uielhorar sera ma a sifra, por tereui os
tra'oallns dis seringaes comejalo inuiio t..rI3 em
cdhseqnencfa da gr:rrtde etieia.
As 10 horas da noitd de 3 dc setembro rebon-
tara um Inhenlio 'nunia barraca de palha siu
atraz do quaitel do pVJvfsjrlo' e em quo nnrava
um soldado de ar'titharia 3. A barraca foi consea-
mida pelo fogo,
-0 Rto Seai-o publica as sag'iinte? "noticias do
.Madeira :
Do Rib Madeira escVeyeru-tios t nn la'i de 12
ilb raaVriio euos dizooi CWntinudf 0 ci.it... Heiinl-
do Dins de So.izi, sea sohrinho, escravos e aggre-
gados a iuvadircn a viva furca os seriugaes do
Portilh0 Bentes.
a A farca representada p .r Mexau Ire. .1 is6 de
Figodireno contra a Sr. irapiMo Torfbttn Antonio
Ferreira vai caminhando para um les.'e-o ca-
vicato.
a Figueire 10 vein a capital, onde reira>entou 0
papel de victima dos aggrejados d 1 Sr. capital
Torquato Ant mio Ferreira, pretextan lo que e^tcs
invadtram su:is terras e que attcntavam cmtra sua
cxistencia.
t Procnrou e contratou advogado : reqatsiton
a presenea no lugar do deleg;idb do policia, a
rpi.'in a forga queria convencer dos factos phanta-
siados, visto quo esti autorrda le na. pole presen-
ciar se qner um aclo hcfeWI; e escreve para a
imprensa quanta banalidaie the vem a catreea
para ter ganho de causa.
A verdade, porem, e quo Alexandre tem dons
titulos do cortcessio de terras, sendo um em seu
nome, e outro a.l ptii'iJo geitosameiPe, com a
lir.ua de Freitas & rigueiredo.
As eoueossoes feilas s.io dist,uit. las terras
oecueadas par Torquato algaaias legua*; mfcs
teudo Alexandre contratado, se/unlo o voz puidi-
ca, a vends dessas pissss: asseg irando eerto nu-
mero do estradas do seringa a presidente ; ;>
como na Ich ia ess'e iium :im,pngnis.u o lenehro
so 'plain do exp.> o capili > Torpiato cossvi-
aggregaJw ao odin publico, apontando os como
reos d". p dicia pira apo3.sar-sa do mi;h ostradas !
i Mas 0 diabo tem duas capasuma de cobrir
e outra de dose iftrir ; Alexandre Jose de Figuei
redo ha de Hear desoiascarado tal qual e.
No dia 5 de-te me/., 11:11 iniio boliviano a-sa<-
sinou com uji tiro a uma sua compatriota de no-
me Maria Dolores, no lugar Jonas, rio Madeira.
No dia 6 a node 0 pre to Juliao, escravo do
Manoel Marines d'xssumpcto, assas-ioou ao itfflfo
Domingos, aggrrgado do Sr. capitao Vorquato An
tonio Ferreira, em sua barraca no lago Pariry.
Consla-nos quo 0 cinme deu causa a estes sucees
sos. A mil- >s os assassinos foram capturados e re
mettidos a autiirnlado em Baetas
A reccbedoria de fazendn provincial arreca-
dou no mcz de agosto ultimo 27:4783903.
Sendo:
Para a provincia 22:52.5i5
Para a companhia fluvial 4:9492448
Ainda nao nielli iroa 0 estalo sanitario da ci-
dade e Was cereal 15, As febres reinan'es teem
acamado gran e parte da pipilagao e com qnanto
nao seja exlraorilie.ari. 0 numero de eases fataes,
a mdeslia invalida quasi lodbs aquelles que ac-
commette, e cuja c mvalescenga e lenta e deli-
no em nao tmoedat apafaatad.irias e I1-1
cencis a eMppreiiidns pubiieos, nem a inieiaeJto Jot
novas obras, camo otWr*era se ^Pfaticsrs, e-qne
tanto dinheiro I'undiram da provincia, chegaud)
dfjfcif om que cstam is a bra;o>.
', coata rae quo S. Exc. pretende
lefrm is na estrada de Bragan
aitobnltmiuionto do algumaa fumiliaq do
emigrantcs que devem dar comego a certos Ira-
balhos d'agricaltura, tsndo ia nomeado os cngo-
nbeiros que devem proceder a demarcagao e m -
dicao das'terras, e bem assim diz se que da Ja-
maica e de outros pontos devem vii agricaltores
prolessienaes e ja acostiimados aos climax do eqtia-
dor.
Passaado dos rrtgocfcspolHK"* e administra-
tivos os eommereiaw, apena3 Ihe posso dizer que
****** ***TMHrttH ft *?'f*4'5 tl?W 41(1*5Ifri!4.
t I ifelizmenfo eahsas accumulaaas deram em
resoltado a sitiweio'precsria quo atnvc^a 6 com
|_mdTcin,eiKW creio que sfljam >96 certas ideas pi*o
palalas por es^rrtas mquietos; outros motives
vem de loage que produziram no merca lo a des-
feeho que asnba de ter a situaciio commercial.
Alma di>to as epidemus das febres paludosas.
qu; teem ac-jinms'tido todasessas populacdes dos
eentras, o qua tiotas victimas ltt feito, nao dei-
xam de far uma causa atlin'ente ; por ultimo a fo
bre amarolla e as imigas quo teem grassado-ne'-
ta provincia e na do Anazonas, eguramente tem
ido an grande osiorvo aos trabalhos agricola?-.
Por tudo isto nao 6 para admirar quo a situa-
gao c immercial sej3 pesshna, nao deixando de
c mcorrer para ella a baixa dos generos na Euro-
pa e a f icilidade com pie qualquer itidividu0, sem
uenhom ei'Lti on habiliiago"-', procorava o v. msrem, com) um nwid faciide obter por f-u on
por nef'is p isrplo M fortnna ; mas, nem sempre
os temp is sao os mesmos, ebast.ua -nenor aite-
racAo para ttid-iTtne pareci.i loroar prospero e-t-'
paiz, lau. ar nos hoje stn uma ma posigao quant;
aos negoci o< eo n nerci ics, pih quo poles", par
wsim dizer, que esa praga ti antes toda em I.-
quidagao, do quo em aclivas transaegfles como ou-
tr'ora.
Descalpe-me m pw venlura me dosp enJo de
Ihe dar certxs notieias pie trazem cs jonne*; en-
Mo mi m ntas v.v..3s ,|s os rater e recorrer, por-
que aquillo qiK lew n'um dia, ja esquego noa-
tro.
0 pre=i'.cite da provincia visitou, na caoh.)-
nt.eira H nrique Dins, Giirary.
A follia official puhtioou 0 texto da scutate
lei votada peU a si nl.lea legislaiiva provincial e
sancciona la p !a oresldencia da provincia :
a N. 778, de 0 de setembro de 187*.
Orea em 1,513:6703000 a recoils provinci )l
para 0 exwajo de fi 0 flxa em 9,082:5792^48 a
despeza dietribuidt p. las Oga*Hes vcrbas :
Corpo iogi<(a'.ivo provin-
cial; 31:3102000
Secretaria da (irosiiencia o'):8X)fl,K)0
a Instruceao piililic.r 346:3*3*00)
t ulto public. 7:570200)
Saudeee.iri lad e (.iblicaj 47iiO0*O')O
Obras parblicas :JS3:js82842
For-a pabliea 184:0522000
Arrecadac.io, distnl.uigio e
ilscalisacao daaren&M provin-
ciaes
Emprrg.ido-i apogontodos
Dixcrsas despeaas
Dividapiv-a,'.
Do Brtixo *bpww) transcrevo
145:941200
47:51137-2'.)
019:248200)
10S:7172i77
0 sesjifhite
cada.
Foi d 'vora la
ciaule do district >
da
diim, subdito i i^lcz.
dacrele tie 7 do mpz proximo pasvado. jqiz de
direito da eomrrrca de .Serido, na provincia do Rio
Grande doNorte.'i
0 camhio reonlava sobre Londres 23 3A a
26 1/4 d., sobre Paris 360 a 363 reis.
ALAS .AS.
A paroehia d9 Nossa' Senhora da Coaeeici.), ilo
Passo de Caaizragibfi, na provincia das Alagoas,
tem, segundo os qajdros orsanisado? pela direeto
ria geral da ostatistici, 3,867 easas habitadae,' 83
deshabiUdas e 4,003 fogos..
,j$* "Ropulafflto ^'tie 21,146 jndivi duos'sen*)
18,868 hvres e 2,178 escravos.
D is livres sao :" bofiiens 9.331, malh-eres 9.337 ;
srjieu-us 11,395; casados 6,306 e riuvos 967 ; ea-
iholijos 18,663, bnsilsiros 18,581 e estrangpiroa
sab p. m lor e escrever 1,620 e saa analphabe-
81
ton 17j3i8 ; da populaeio escolar de 6. a I5ranno3
de idads frequBiUam eseolas 654 e nao fre.iuen-
^^C* ,h-3- "V1 l''uo:hia 13 S9S. e Tftatm-
iniudos e zO .-Juijaaog e 9 dementes.
l)os escravos sla : homena 1,269 0' ftujlhete*
i,2'i9 ; aoltteiros 2,'.05 : casadbs 309 e viuvos 64:
t 0.6nr>acarji!hf.o que possue e.-ta eidade foi eatholicos 2.47%i prasdeirpa 2,173 a-^strangaiios
Icellocado naquella jgreja uo dia 1 de deze.nbro do 305 : sabem lor e escrever 2e sie' aaafiihaoetoa
anno passrlo. 2,476; ha na carochifl 1 alejjado. ,
Depois da ceremnnia religfofa da bongio da Considjrada a'populagio em relaeio a saa na-
igreja, quo ccmega as 10 horas da mania da hojc, cionalidiMe e^ra'^elra, sao africajios 3%,'porjcU-
0 carrilhio sera tqggdj) por, musica. 0 guezea 46", /nncez i, liespanhol J, iiaJjanu le par
ilontem (40 a? ? .,)r.,s .1a madrugada,.0 es-
S Francisc de Albino Ferreira Gtii-
Msaftaram 0 bjaie 1iynrUo-Hanio,.a.tciai
do em frente a rta Nora dot.irramonto, e ja ti
Consider?
4- (,onsideradrt a poj-
t- protissfieasao : rcfijuo-
i' le eseriraes 4, ptocararJorof j',"om^l!^|
N isso corrcs.iondente es wevis 0 seguinte :
m cerca do um msz rpia nao tomos commu
nicagao e-i.-u o sul d> inaperia, a na-i ser para e-sa
provincia, p)r raeio, folizmente, do cabo telegra
phieo subinarino, antretacto poucas ou n.vihoma
sao as noticias a transmittk-, pois estarais em bo-
nangosa naz e tranquillidade, q ter no Para, quer
ao Amaznaas.
< 0 jornalisnio, pore.n, desla capital, tem assa
mid 1 mconvenientissima e fnribaiiJa attitude aas
quesloes poliiicas a p iito de terem chegaJj ja as
vias defacn.
Os Dtartot di Gram Para 0 de Belem levam
a prima-ia nas iutas da politica, totalmente pes-
soal, sem contar outros pequcnos periodios que
nao tem limites na linguagem dasbragada e nas
inveetivas personahstieas.
t Ultimamente as cousas correram de tal forma
oue entre os caefes da actual s.tuacio 0 da
dissidencia -rompeu a iuta braeaL
t 0 Dr. Join- Leurea^o Paes de Souza, presiden-
te da caiaara municipal o da Ultima igislatura pro-
vincial, aggredlo oDr. Antoow Fraacisco Pinheiro,
chafe da dissideoua, actual 3.* vice-presid-eate da
provincia e precedentemenlo depulado a assem-
bles geral. Oprotesie estava fdto e.estas influen-
cias eneoBtrando se uo patimar de .uma esoada,
alii se foram as maos.
_ 0 faeto. 6 veridiea, publico e notario e antes
0 aio fossa, pjrque eu nao seria de eecto 8 echo
das inveelivagdaimpreusa partidana era referon
cia ao proiiediwenlp de eidadios de-elevada po-
sigao.
a Infentraoato diz-se quo a imprudeaeia parlioi
do mats avangado em idade, e quo devia ser mais
ealmo em semclhaotes quertoes, e por conseguinte,
apesar dos commenterios d is partidarios, nao foi
aquelle mais feliz na aggrassao.
Por aaui verao os'seus leitores a oue poato
tem chegaqo as quesloes politieas doata provincial
Acaba de roinper tambem opposicao a presi-
dencia ; por emquanto nao e uma opposigao pro-
priamenle politica, pois pacte de algtms jsniaes,
entre attes 0 laraaL do Com'ttercie, que nao tern
.-naior signiiicacao na arena parliJuia.
< Os partidarios estao cm cspeeiativa ou em
mais ou raehos ameagas, segundo 0 seu credo e
ioteresse na^itnagao actual; mas este estado de
eousas tem de acabar, porque a presidencia nao
pode de raaaeira algu.'^a manter-se acima das
exigencias dospartidos, comespecialidada entre a
dissidencia, e os eoasex.vadotes que se acaam'ae
doininio da political
-x Aguarda-se, uis, a hegada do vapor nojrle-
araericaa), onde qeve ir 0 chefsuatensiim dos nl-
tinlbs, qne segundo sa diz, ua de dar a snha ou
signal para tornar patento e sfgnipcalivo o cami-
nbo ope,tem da seguir a prosid'eflcia ; pM- ei.
quanlo, pois, sao escararnugas que tow hi/ido de
parie a parte, afim,- de, quaijue* dos gfupos apoiar
e adliertr ,a marcaa-do, gpjwaoj^TitecJaL
Eatretanto, ,^ Jevapiado. celeum* a(dea de
'at*> ^sWdoa.iWiim.reUtoiio a ,isoui-
ble^ BW'inf lal.^obM a voada di'ponte de pc-driMi
um das pnneip"ae3 pontbs de desembar.juoe eaa- da camara, mmJanga politica eontnae mil cousas
barjae aos geqeroj c raercadorias que vcra parlde puro inveuio,ate ja dispunham as pes'soai
1 ineenlio a casa d> nego-
l)i:n, Sr. Guilherme Goul-
\'ad salvou-se : casa, ne-
gucio, geaertw, eaWmM r-anh qne estava em
con-trii.-eai, Hid 1 foi press do incen Ho. Esta ni-
ticia contrisu no? por .:! 0 Sr. Goulding homenr
hoarado e |bre.
* 0 inooee-ue !os-, de 16 mozes de idade, filho
de Francisc, .;, iziga, unrador no rio Ur.icut.ia-
ba, tenlo sido levado por otilros irmloonlios pira
0 rio, afim de baftetaWm-se, houve descuido e a in-
nosonte cnaoea af.^i :>-:. 0 cadaver so foi en-
coutrado no li. ^ainto ja quad dilacerado pelos
pfixes.
As ultimas nxicias quo temos da villa do A-
lemquef, alca.n. 1 liatTdo prelerito. Al-
gumas febres. nao la caracter pernicioso, so havia
dose'iv iivid 1 ., listrieio, mas, f.dizmenle, sem ter
feito vi-tima-.
Odia7 tie sele-nb;-. foi feslnjado polos habitan-
t's Jiquella villa cmn cnthu-iasmo. Houve passea-
ta, musica, illuTti'w/n r. rreaetlcos Vivas allnsivos
ao dia.
t 0- Siure cm sea tegte&o do alto Tapaji;,
tr.iuxe-nos a- seguiates noticisft das povoagoci
dosse rio :
t V.aitwji. ,\ popalagao havia affluido em
quasi mi touiida 10 para o"< seringaes, ale 11 das
cachoeiras, dei\-.iii'. > a villa quasi deserta.
c A ce.roi. & mesmo movioienfo se opera nes-
ta villa, onde a populaoao tambem da a vida pelos
lucros da serin.
li ime Villa Franci.lualleravel 0 ostado
sanitario de todos 0? povoados do Tapajbt era li-
songeiro por.pio as febrgp na) tem a quern eom-
metter,. Ha falla do farinkt e de tabaco, tendo si
do as plantacijjo e eoiluitas'aseaaaajs.
A camara munieip-tl mindou cintar Te-Deum
landamns, em accao do gragas pelo anniversario
de nossa inleproJencia, assistmda a mesma ca-
mara ao aclo roljgioe >,
A popa.'agao percorrea as raas da c.dade em
boa ordem, dirigiolovi /as ao gran Jo e memora-
vel dia Sete de MtetBbro. Os cidadaos illumina
ram a frente de sm-; caeas,
Na unite d* prirnoir.. deste ntec o quartel e a
matnz derail signal de incendio. Era 0 predio
do Sr. Cyrillo Aaloaio .1arro=o, quo.arJia, entre-
gue as chammas quo o devorava. 0 povo affluio
em massa e muilas pe=s'.as houverara que presta-
rain relevant-.-. .-.',?<. 0 que muito concorreu
para a sxtmc;ao do fogo.
0 Sr. Cynih o;,-a;nvi esse predio coin toda
a sua familia; n'uma hora fatal vio-se reduzido a
ruinas perdeadj muitos dos seas trastes. lima
das filhas do Sr. Cynlio, tomada do suslo, esteve
prestes a abortar, sondo ppeolhida a casa de um
visinh., com* oem 0 rest.inte da familia.
j* Eraui ouzo horaa da noito quando se mani
festou 0 ineeuiio, 0 a taes horas n do presumir
que eile nao fossa casual. Mao vandalica ousou.
Ulrez,-langar fogo na, palha que eobria a casa,
para assim saciar um dopravad) inlento.
A pilicia torn sido incansavel nas averigua
goes qua tem feito no iniuito de descobrir 0 autor
ou atuores.do incendio da casa do Sr. Cyrillo An-
ionio .Barroso. J'or'am.indigiladas dous individuos
de name Jatiuariz 0 Attga.su*, sobre quem pairam
seriaa ^awonuiangas. >
A eafermidailo grave do que foi ataca-Jo o
Esm. Sr. bispo diocesano, nao Ihe per.nittindo
funocionar aos actos roligiosoa de sua inissao pas-
toral, autqrisou o Exm. Sr. arcedjago Dr. Jose
Gregorio I'oelao, para applicar 0 SS. da coafirma-
cab, chrisinando-so durante a semana mais de
#0 pessoas. a
t Fo cm a present^, diaoado one o cambio so'.r;
Londres foi hoje ootado a 26, aas transacgoes pe-.
le vapor Buhia, e sobre Lisboa enlre 110 e
IU.
Os navios que esajoi fundoados no pirto sio
oa seguiiites :
Fraatceze".
Brigu Adoipho.
% Uarca A afcrd 0 1'ocantins.
Ingleaes.
, ..Pare* W.Klboru** q Wiliamiuu.
Porluguezes.
Barca Lmda Palmira.
Lugro Oidral a sahir para Lisboa.
iMaHANH.io.
Da capital oscr/ivo naaso corres|ndente t
i ^ocedeala dos portos do aul chegea no dia
2.i-deipessado o vapor Bahia, enja demora foi
motivada pela prorogagao da eamara.
u A anciedado com quo era-esperado este va-
pof.-,deu lugan ft miloonjecturasipdlos novelleiros
da terraj ipao-aniavuna na domora a dissolncaa
porem, passod.
Jr i.
n ii
-ene* M%
nreni,
proces
loettpa a alt
pas estao so ado pr
de"3.0 di.-ti icto crtm
mados, uiaitaa eircamstanc
nioilo a bem oHoiidai^
roai-eito uma eir.-
A tior 1 oiui as- E'm*
r*. Olymo ificmtm de Carvalho,
distinctos deputados por esta provincia : tambem
Pedro Ferreira
iu no exerci-
resto da licengi
no geral.
inda muito pre-
os seus cnmpli-
juiz de'direito
e'tamos mfor-
paparecido de
dos factos : a tal
tavel teve lu-
'assado. Tendo
0 Dr. prbmot.r publico feito uma perguata a mai
da assassinada, quando depunha, sobre um con-
selln dado por Amancio Paixio, se era exacto elle
ter dito a victima que fosse a caa do desembar-
g-lT'iriio iTia 13 de agosto vespera do assasslriatb
levantou-se Amancio c em alias vozes dcclarou
qne se retirava por se achar incommodado, 0 que
uio mais vpltaria a- audienciaa para..as3islir as
inqairigoes das tedemuri'nas.
Esta occurteneia foi lancada nos aut03 cvn os
mme; de duas pessoas que lestemunharam, 0? Srs.
ooroael Brieio 0 E. Schoneider.
c Chegam nos novas provas acerea de *ome-
Ihante crime. r-*w^a^iB
Sal.endo o Dr. eliefe de policia ifne e eTiBro-
torn.tr a victim a mseicfll tM wBHWiaahy,
dirisio-se ao sen ll.'ja inpHla imAisV obte-
ve-oni res|>osta o olllcio que at
se ao cu clleji la |j^a^il(wmliaWe 1
.< Secratjria de pplieia da pruvincia^dp Piauhy,
II de membrt) de Rf3. -l.lm.^f. -Wfns de ha-
ver expadido 0 oOicij 11.-896, em rospostay.do re-
se vado de V. S, rchtivo a Gailhermiao de Souza
Barges, qae desta prdv'mcia acompaohou o des-
embargador Jose Caniiio da Ponte Visgueiro,
saaha qua este quando esteve nesta capitalcom-
pnu uoscaixeiros do pharmac utico i^ugenio
Marques d llollauia unik libra do rhloroformro
e levoa c "nsig. Tambem encmnmendou no ds-
tafeelecimento de educandos actilicw um caixae
de cine palmos de comprido.com dous a ineio de
largo sobre dous de alt ira, que deixou de ievar
;> ir nao 0 tsrom feito aa tempo do seu onbarjue
para a Pani.uiyba '.eus gaarde a V. S.Mm.
Sr. Dr. chefe de policia da provincia do Maranbao.
0 cliefa Jo policia, P. de P. Lhu dos Guim iriks
PeixHo.
t Ainda acerea le semellianta faolo nas acaba
de ser remetti.lo 0 ui;imo iatorrogatorio foil 1 pelo
Dr. c :eie de policia a Gui.hermino, 0 co-iOo do
I I'nrga lor. So e verdade 0 qua elle dop'iz,
0 hoJioa lo enme leve episodios ainda mais horro-
rosos. Eis 0 depoiment):
Feitas e ro*p mlidas as perguntas de nome,
naturalidaile e proissao do reo, couliuua o i^tc-t-
rogatorio :
Perguntado onde cste.-e di itada Maria da Con-
cciga 1 sa saleta em que'sifw I
Hespon.leu ijue do lado osquerdo da saleta
eulre a porfa que da para a mesma saleta c aja-
nella, sobro 11.11 bahu que estava eulre t'^cj
p >rla.
I'ergunt ido onde estava elle interrogado na
oc'casiioem quo ella entrou?
llospondeu que estava ao anJar de lixo e a
chamado do desembargador vein subinlo para a
saleta, e quando nesta foi penetrando, em compa-
Dlita deste, ja eacontrara Maria da CouceicSo sen-
Uia in re'eri lo bahu.
Perguata li poreue Maria da C nceic^a gri-
tou?
Kespond 'ti por jae ella vio ello interrogado
vir com 0 desembargador c este levava .1 m.'.o
para segura-la pela guella.
IVrguatado 0:11 quo lugar tile interrogado a
agarronT ^:*
Kesp.udeu que log" depois quo o descmDar-
ga.lor scgurou-lhe pelas guellas, com a m.i) d -
reita tirou uma toalha que estava no gancho de
aina redo, quo oslava sobre a cabaca della e ta-
pa.idolhe a 1. icca, in mduu quo elle initrrogado,
qua estava a seu lado esquerdo 0 junto a inrode,
imnasM! a toalha na bocca 0 a segurassc, pelo
que eile interrogado segurando com a mao uirci-
la Ha toalha quo estava ua bocca a com a esqacr-
di apoiou 0 corpo contra a pirede. Disso mais
que estsnio ella rcoostada sobre a parede, e assim
segura, 0 desembargador Ihe deu 0 chloroformio
duas vozes, sendo uma immediatameiite depois
da outra. Disse que depois da primeira pjez quo
asps .igenle fui applieaido entornou-so parte do
li'iuidi, quo se (Jerratnou sohra as vosies da vi--
tima.
Pergunia.lo se na occasiao em que 0 desm-
bargador .ip.rtou Ihe a- guelas, ella licou coi os
csb..g dliados, c so quando adonneceu sta.va
com as palpebras fechadas?
Respopdeu que nai esta bem cerlo, se na oc-
ca-iiocm que o desembargador a segurav.i. os
estavam eshogaliia Ins ; sal.e, porem, com
1, que quando a vio ostendida 110 ehao e as-
sas-inada estava com os olbos abertos.
a Porguutado se Maria da Oinceicao ipiando
ad.>rm'ecen sobre 0 bahu estava com as palpebras
eerradas f
i'.cspondeu que nao estava com os ollios aber-
tos, e quo foi depois della adormecida, que reti-
rou-se |iara 0 corredor, enlre a sala de visitasc a
rcferida saleta. Que estando alii ouvio barulho e
o Jesembargad r failar com Mariquinbas, ouviudo
elle interrogado a voz desta.
Pergnulado 0 quo se segnio d'ahi emdiaate?
Respondeu que cessando 0 barullw, o desem-
bargador sahio e disse : A raiva foi tao grande er.e
nao me deixou consentir que ella sahisse com vida,
mas agora vou tratar de encobrir 0 crime ; mc
acompanha. Foi nessa occasiao i|ue elle interro-
gado ouvio passos na sala de v-sila, e quando 0
desembargador Ihe disse eslas palavras, estava ar-
niado de um pun .al ensanguentado, e com a rou-
p:i suja de sangue. Accrescenta que 0 desembar-
gador ainda The dissera qae desconfiado disso
mesmo, por isso se havia prevenido, 0 arras top 0
caixao que estava na saleta, ao lalo.daporta. Qae
ello enlrando vio 0 cadaver estendido sobre u cbao
em cima do diversos pannos inclusive 0 capote
preto.
Porguutado como o desembargador po3"e so-
zoiho tirar 0 capote, que estava sobre o bahu e
por debaixo de .vlariquinhas que estava adormeci-
da, para doita-la no cliao ?
t Rtjspondeu quo 0 capote nao estava estendido
no cbao, mas sim cahido, tendo parte debaixj do
cadaver de Mariquiuhas, e a outra parte em cima
do bahu.
Pergnntado 0 que fez o desembargador logo
qne malou Mariquinbas I
He.-pondeu quo estando no corredor, logo quo
vio cessar 0 barulho dentro da saleta,- etpiou pelo
buraco da fecaadura e vio, embora nao distin'cta-
mente o desembargador deitado sobre 0 cadaver
dc Mariquinbas, 0 quando the appareeeu e 0 cba-
mou trazia a barba suja de sangue, e pedio-lhe
um copo, 5 qne sendo satisfcito 0 deffcu JnrJIo ao
cadaver. Kile interrogado eo mesmo desembarga-
dor deitaratn 0 cadaver rio caixSo, jegnlrain-se os
golpes na perna e no pescogo, como ja declare-: eta
Sous interrogatorios.
1 Prrguntado so quando trooxe a solda eucop-
trou 0 desembargador na saleta onde se prntfeoiVo
crime ?
Respcndeu que nao, mas sim na sala de jan-
tar lavando 0 copo quo estava sujo de'sangne'por
dentro 0 por tora.
Pergnntado so 0 descuibargadbr WbeO 0 :n-
gue da victima ?
1 Respindcu qar: nao vio, mas por ver 0 co-
po s a jr. de sangue presume (pie etlc tiWssc >
bido.
PergunUdo a que horas sahio a pessea eajas
passos ello intenogado onvio na sala die visttav,
quando se pralicou 0 crime ?
a Respondeu qne nao sabe, porqne as quatro Be-
ras para as cinco sahio, mas qne que a e-tts heHs
a depois da sahida do desembargador para a cafca
do Dr. Lacerda, ouvio ce mesmos passos no abdar
snperior.
* Pergantado so 0 desembargador' reVos as
chaves da easa quando foi para a de !Dr. la-
cerda? 1
Kesjwndou qne n3o entregoaP eHe iMWybgs-
d,.nem ao preto l.tm, |iln que presume qM aV
tiresse levado : diz mais qne para sahir so do al-
dar superior podia fazer-se iadependente de ebave.
tirando 0ferro do al.apao.
i Perpuntado se na occasiiio em qoe se'fez'ii<&-
da do caixao no sabhado vio 0 fraseo era qne rsti-
va o acido quo se passava aa sotda-T
<( Respondeu que vio, e que o pVePallaialf'alfi
estava tambem.
PergortW4a onde licou 0 fraseoodata 9 awld>)
quando lovaram 0 caixao para 0 andar lerwa?
a Respondeu qne Ikon em cima ttVttedaf
or Pergnntado a mask- a qne se rtfert oa*
lava f 1
llospondeu qua era etresma de"j*itaP opa>-
vimento superier.
* Pergualado se disso a alguem ter Anuueio
X
(
;
Fiiiia


^^i ^ .


*
\
ura dos-
(|Ue o
Mariqui-
c.-lando
no pavj-
Paisiio
cobrie
dosed
nltas
Rest
Amancio Paixiio com o jjwenibargador
eterna vlda, o destmbargador lhe disse que se el!e
iuterrogado o desobrisse, o-'persegairia ale polos
9eiiiAiW,^>^^wiK*1*0 <* r?"
pangrTfrtrnHii raaao jtela qaal one mierrogado
nos primeiW1iyiei"iTOatoTios n5o difesfe logo a ver-
c refgnniado so Luiz. tslava em casa3
a Kespondjta qiM ua-occasifiq: dessa coaversa
Luiz t'rona too fazer comM-as, qae (Juando chegou
Amancio, ainda esiava'ignoranao elle iuterrogado
se o mesmo Luiz vio Amancio.
E por tfadam i's direr, nem Ihc ser pefgnola-
do, dou-sopor find ) esta depoimento, ctc.
'j'8supremo trbunal deiistiea expedro u:na
pomjiaao iuiz do direito da 1." vara desta card
tat'iftferihinando-lhe quo organise o process>in
for roitorfo do desemlvarjaldr. Esta portaria che';
gou pelo ultimo paquete iraando o autor do crime
ja tmha parti lo para a cdrte, e do suppoor qae o
dfcwinbaTg^dor volte para assistir o referido pro-
cesso!
ll*|isou-se no dia. 7 de setembro, como esta-
va a'maffcrado, a inangnracao da estataa do poata
lioncal yes, Dias.
Foi urn dla do brfllnute* fostas cntrdnos.
Sfdcsmrison-se offiVraJraente ie manha, o an-
aiversario da iudependencia do imperio, e a tarde
iQMfPMMW^alMM( nwm *mw o passeio pu-
blics do larjK)|do*,'leuieJiu;i.
Ja se aJ-olrfc qnasi conckiidas as obras das
tres rasas destmadas o escoias publicas nesta ca-
pital : aos esforcos do nosso distincto administra-
dor a *ia,Sf. Or., Sii-vv^p. deyeinos tao importan-
te HrcllfDrarnenW *" sfift (res' predios Teftos com
apurado gosto e a custa ;4u dpnativos particulares.
S. Exc. nao desca'n.-a em proporcionar meios
para o desenv^lvhieiMo da lH*Wuc/vto pnblica :
en tndas as villas e cidades so n brent as balsas
em prol de tfu> hoarosa cruzada, onde niio pode
ainda fcicar a disseusiio dos partidos.
tfcSr. tiuatodiu Gonjatvoa Beicmar, negociun-
to aeairicapital, acaba de por a dispoeiruo da pre-
id*neia.' mais urn eonto de reis para auxiiii da
imrtrurQao pnb.'ica J provincial. i
c Sr. timodio e tun dm awbros tki Coin-
missa* de instrnc.;"o ^aaMica. qou iiiuito se tem
disringuido para lavqlri. a cflmto a conclusao das
tros casas que se slao-eiiiioi'idci. -
t.'ontinuara mui'.o cpoeerridas as tiavEnas N#)5i ^pahora dos Kemedios, suja festa tura lu-
gar cam toda a p uupa. no douiiogo proximo.
< Ain ia nao so extingaio de todo o long i infer-
no quc lemos till'* ests-auno ; |)or todos esles dias
lam oabido copiosa cbava acornpaahada fto tro-
voada.
0 A aKtldega rendou no mez passado.......
127:S03|MM I "'
Xi aoite da 26 de sete.abro as 9 e meia boras,
desdlDfl parte do raio nprte o> casa dos eHUISM-
dos artifices, constriikW de nadoir* ha mais de 18
aanos 0 I'stidi ;|fcMafcmi1a*Ie achava essa
Sarte lo edificio h occasioqando a in >rie de gran-
e lm.noro de e-lncaiidos, pefa -jH<;da de akmn-
cailir )KkMHpanhftdo< d* lefhas da cobertura.
Pelizmente nao oave d'sgra^as a iamenlar. Sua
ExE o SF presidente da urqrtBcia logo que teve
eonbeeimento do facto, 'dlrrgiose ao administrador
das ebras I'iiblica.^ para -xaminar o rcfi'rido rai),
.1 ',.:ran.11 as provid^nclas a .# tomar, M 08 ri'pa-
ro d-i partr^ qne dcsabou on se nova euustraccAo
d I i a r.iio. 'j l |
a 0 gremio do parwarcfmeryfdnr organisoa a
negui'.'.'.e clupa para 3 -puiados provinc aes pelo 2*
di&ricto :
c Cojonel Antonio Cirnoiro da Silvs Oliv.'ira,
lavraiMt.
< Ti>n^nte-coronel Antonio Luiz de Lavor l'a**,
('[KejrSdj aufclfcd. ill I
u tapulo AMo|Jio'-Ifcari pi* Serra, 1a\\iJor.
if Dr. K luardo Loger Loba i, la-Tador.
i Teneute-c ironet Francisco Birges lYai.V), H
rjiier,
1 Pirmn^ee LtmMano Hibairo da Sitva, aago-
cMUl
Dr. Joao'Panlo DiasCirneiro, lavrador.
1*ume-orenel Jo;io Ilcdrig^es da Silveira
crhdor.
.< Or. ioaqaim Jo:-i'Taxeira, advogado.
.( Tenenta ilauuel Quarto Bogfa &j Vallo, pro-
prtotsdo.
< Coronel Marculino Jose Brandao, lavrador.
Or. Martiuiano Menics Peroira, eu[)i\ gado pu
\t\ki>. m
TeaeaVa corouel Symplironio Kmiliano Li-itio,
wpregado public-).
publifO.
TdaeH^corond Tito Joaqaim de Lam)-, r
gawattiM
P1A1 iiv.
~ No dia 7 de tetembro houxe no pa'acio da
prcsideaeia, urn baile dado pelos ofliciaes la
gmrda nacionaL
ceaba'
fsla prcsideucia da provincta hi deAignado
.i dia 3-i da noveinbro pr.pximo para_ nolle h-r
Ingar a eleicai do d'puta I a a asiemhlea provin-
cial.
F.-ram nomoados promotires publicos : da
BtrtOita, bacinrel Joainim Go.nes I'ereira Uel-
trio; e dc J.iguaribeinenin, o bacliarel Eugenio
Gomes lia.-cu.
Foram pub'i-adas as segmntes leis provin-
S. l\u39 da 23 de agosto deslo^anno que elova
a cathegorta do imtru, a capolla de S. Sebastiao
.la villa de Pedra Branca.
N. 1,310 da mesma data que extinguo a repar-
I ';.ao do obras publicas da provincia.
N. 1,511 da mesma data que eleva a cathogo-
ria do comarca o teimo de Lavras, comprebcn-
dend i o ii-unicipio da Varaea-Alegre, ficando a
perter.cor a oomarca do lco o tcrmo do Perciro.
\. t,ol2 da mesma data quo eleva a caUiegoria
de villa a fregnezia da Peleneoste.
N. 1 oii da mesma data quo crea ncs'.a capital
mais duas cadetras do ensino primario para o
feminino. Agora, 6 que a lei e pnbli^ada e
as duas professoras lia um mez. foram nomeadas.
<>Mn.c9ficurso e sem r-ormalldade alguma I
S. t >i'j da mesma data'que mania recolner
ao wire provincial Din dialieiro que a Santa
CSN de Misericordia desra capital tern a jnros em
mao particular, e n que para o future liver da
economisar, pagaudo. a provincia o jurp dc 9 0,0
ao anno, nos prazos qae o presidente da provincia
fixar.
"N. 1,574 de !8 de setembro passado quo concede
prbrogncao de 18 meres de prazo aos directores da
compannia e acs empre/.arios de trilhas urbanos
desta ctlpitM para Mecejana e da cidade do Ara-
city, para darem cnmefeo.;a respectira eonstraccao,
e.aos eoncesal marios da alavega^iio cosleira a va-
>nr da provincia a proroga^.ao de 2i raeze.-.
O paroclio do Qaixada coinmunica a seguinte
noticia :
No lugar Boa-Agua, desta fregnezia, encon-
trei Ua pouco uma velliinhj que onta 130 annoa
Made* ftue|le;taaes,
Ja e mahb vlver !
RIO GRANDE DO NOUTE. .
Nao recebemos joraaes uam cartas.
FARAflYBA.
Lemos no Jornal:
Mercado da Parahyba, 4 de outubro de 1*73.
Promos da praya.
lu^dWssi^lrt^nd*reJrflAl4n
Art. is A lei u. Oil le>6 de iuaho de 18*2
iera alteraffies : ^fc-^i .!,, ZmJ
l.*rA companhias que, na conBrmidade do
(art. f> aJa-Dfertdi WjaC'TropiEfemiala Mifeiruir
iias-ferteas, demonstrando com sens plaaoj e da-
dos estaffsircos,' que &tas pn4em dar de rends li-
auida 4 0/0, flea o govaf ao a^orisado para conce-
er uma subvejicao kilbmetrica ou garantir juros,
que nao exeWJhrn $S 7- O/ft, CP|Womwhtc ao ca-
pital empregado e pelo prazo de 30 anno?.
a 2 Ilavendo garantia provincial o govcrdo
Ke limitara a'Sfkallca-la.
* ?* ^Jfi^yal/i s* IPus"a eoaeerterflubvenciio
ou garanlia de juros as estradas que scrvirem de
principal communicacao entra os oentros proAic-
tores e o de exportajao, e nio concededera ijes
favores a mait de irb* estrada em cafla pro^lftia,
emquanto esta estrada nao produzir uma renda
liquida qpe dispense osTlTlos favores. .
6 5 '. A somma u") capital, a one o govergp
por estajei fica autorisado a conceder subvenrflo
on garantia de-jnros, nWpodera exceller de.....
100^00:OWJ<)00.
/A despc/a annual com o pagamento na
subvencie e dos "jura* garantidos as estradas de
ferro derretadas pells Sssembleas provinciaes a
que a goyerno houver felto applicacao"desta lei,
sefa alflectuada ^Io*-.4ftwq^ ordiaarios, do. aierf
mentr, e na deflcianciaTStes, pdr-operacCes 0
i-redita pnra as quaes See -o goveroo autorisado.
dando do tndo conta annnalmente" a asseiftblda
geral.
f Art. 2." Ream rovogada3 as dispos1ot9 eav
contrario.
Cralleeturia provlncsiiil.Por porluia
da presidencla da provincial do 9 do corrente, foi
noraeado Manoel Tavjres de Oliyjjira Bastos, as-
crivio'Oa.eerfectofta provincial de Gnrmnrfrrl.
Postura municliKil Por pajrtaria da
iresiiJenoia da provincia, dc 8 d1) earrente, sob
rop .'Sta da oamara municipal de Aftta iV^i, Oji
pprovado o seguinte artigo da [nstunt^
0 arreniatante de qnalquep prpductr -*9te
municipalidade, qnecobrar mais do iiuposto uia-
eado &elas leis em vigor, coin rdhgao ao mesmo
iiiipu-d), pagara por cada coOtntvenl^h a quanfia
de 10*000 de multa.
Qticstika religiosa. A irmandade dai
Sentisslma Trindade respondeu ao Rvm. gaardi.ao"
jo convenlo de S. Fraacisco. da seguinte forma :
t Consistorio da irmaniado da Sanlissima Triu-
ade erccta no coHvento de S. Antonio da Recife,
de outubro de 1873. -Illm. e ftvuid. Sr. -Accuso
a recop.ao do ofQISlo de V, Rvm." e:n data do lion-
toiii, aeomparihadd da Sentenca de intcrdiccio la-
vrada por SiTExc. Rvm." o Sr. bispo diocean con-
tra esta innanoaile em qnanto nao expellir do seu
seio os irrnaos tiliados a macooana ou estes aenao
r.itractaram, sentenca essa ipie asseguro a V. Ilvm.'
passara'a ter effeito se denlro de i\ boras a ir-
mandade n.ao cnmprir aquolla rrianftrto.
Em resp.Tti cabe-me Hgnidur a V. Ilv.n.a
quo esta irmand>dentoes!a habilltaJa a expellir
do sen seio irinio algnm por motivo nao cogitado
em seu liompromisso, quo se assiai i>rocedese ve-
fia o sou acto r.uililicalo, e repiimido pola autori-
fladetivil a qua tambam deve obedioncw, & sente
profnndammt''q-." V. Exc.-a pqadcmno e privc
dos privileges e bon- o;ptrituaes,,ciya fruiQao ti-
veram em vista o? q&8 cr'oiram till coafraria c
nella se tern alistado p?la falta da cumprimento
de um mandado quo estSo na imposslbilidade de
batisfazor, dedlaran lo a V. Uvm.' qae a irmaudalc
n lo ribeitl tal interdiccao.
a Mfo votos San'tissima Trindade para que
abramlp noracao a S Exc. Rvm." e laga cessar
o eonflicto em que se tern poslo com a maxima

|MtA.
Uomingos-Ai?
_ Qvaj.-
riasUtu Pernambucano. Amannir
ordinanad^t^8wedadq,as.4joras qo.IugM.dp
tostu,/)rdenido dia : I' paxje, posse da direc-
toria'uitirharaehte flla^.'l' jjtrle, desenvolvlmei
lessao
do
e di%mssao da tpso. i, Quaj fua^araento
^rrWal a t11cv Arrranha 12 do
eorfente n3ert isc'di*MUmWo na fr>toeza de
Sma*. '-
ItnJrlHtartns.-ffo etame de*verlficarao de
apacidade professional para o magisterio prlmar'to
o sexo fominino, a que se proceden'-nos'dlas de
t a 7 do corrente, foram julgadas babilitadas as
seguintes senhoras: DD. Flora da Silva A'ntunds,
Xnta Maria da Pnrificacao Qnaresma, leaTuina
tordeiro de Jesus Rocha, Francisra Xavi f CaWf-
iante Vellez. Leobina de Barros CStafeante Lins,
Isabel de Wollanda Cavalcante, Maria da Cnnci'i-
*ao Rodrigues do 0'. Mariana feftelW W'Costa,
Beatriz Amalia da Silva.
, Illustre passageiroCom desttto'a Pa1-
rahvba, sua provincia natal, segui* adfe^nnn^ra
kordo d vapor Cruzeiro do Sal, o IWrtt'coH^j
Iheiro Diogo velho Cavalcante d 'XraifqTi^r'qM
!am sua Exma. senhora.
Durante' os pnucos dias qae aqur'se djhnbroti
. Exc. foi visitalo por g'ande numeVo-ete arftittos,
ue presurossos correram a-ffar'mJ""ft!flV rtta ^ro
ya deapreco e consid*ra'c'ati^,v s**' aprc-favcis
aualidades de amign e cidadiio.
f De volta das tides parlaraentares'OtWfe S. Exc
$e manleve naaltura do conceito nii% gjllft-tormam
os que o conhecera, o con9elhijift;'WfcA vai des-
eancar suas fidigas, e ao inosflfT tflim^^^B
mais de perto as neeessidades de saa'5WTOa
patal, para melhor advogar-lhes os mterwpes %>
parlamento braslieiro. '' -
Homem de estado, c politico do viaus tarnu,
S. Exc, qnorenlo, maito Pador4^zer.nMW}eni
torol daquella como desta provntt^l, .vjrje bem co
Ao seu embarque acompanharam-nft YiYuWis di'
seu dedicadgs, aqjigps :( que, bonaeoos 'v*IItY^ia0
i deiisS^s sabre qnositoV aHeWeiajs1
lo-fnty i senteaca.
iT? -Ague so acha avendaea 69.' a
bene#cto *? eoftugio dos orpbaos e orpbis, a qaal
$e extrabira hojo.
, Casa dqualMtBwaaiO ajovtmeato do dia
$ do uutubfpde 1873: I 1 >
Exi*liaat| presos. 334, .enlraram 0; rnliio *,-f
4xistaaa-3if.
A *)
JiaatoBaei aUr-mnlhcros 10, estrangeiros 39,
escravi'
pe^egitiv, amltronl*'-,
E' realmentd especial cue novo tnodo do e^oe-
dulacao, qae poem iogo a Provincia, apatfocinando
0 sbrdado alttvo t sSftrbw; rrdg'de9de*a1,deVb-
ijes meliudrozos do seu eaigo.
Se o solda'liaai-coul JEfTdUft. QiudaTJ o garante
ido sabem
- ^evWAs'toifpa.TeJsvaaYBHssio (^omo
o c fjel e'yfcbtorifesesrnesnt is doverea,i>ara
9oWfi9a#e',fierc'6rrS'livri'1 c dc=asombfaT
mwimmm
,dcs arqigos : qua, Donacpos wnios o
levempasua' Exnn. ..'on-ort^ :n p*m de-sWi
stirl).
data
0 estado sanitario ci.rftimia do nirt*mn rm1 ^no
,q reftVi'iia njinlia n!fima'tejs?iw-Jb- se.'vai'mi!-
Mo
4e I
Te^re alta :
Sebastiio Felj|H>*Xary ,.; ,,
Passa0eiiMM-nViudo do llin
vapor &urtam$n.i .inNimito .at:"n. ;
Jota Awtemftt^a^inaJito.,, : :a
. SaaJA-aiaaaiw Jtaa Athw>MAfM|i, MM fraat*w <0"raoa^ Aoto-;
ni.> Pewau Hat>imi) Mbshnn< %>>.*
Vdo*i-nil'to-'imiteiMi.w^.wanar JMo
Grande : .stlid*1 jj^m*ii- H
Joio Agostia%da ,m*A. JoafrFtauefao du Oo*-
tB,-Jett>iayafc w-" 'SaMitrp fMtra a Eoropa nessa vapor :
Bartholomea Perreira, Joaquim Ferreifa da Gti-
blitt, Jo.-* Afetoaio Heuriqne, liuisseppe Fcliroia,
Anna Uam GwauNa, Frederico Carmine, Doai
aico: K>btai, jjaianypa. Gajapa, Baptista Piree y
Fires, sua vnlmra e I JoBua-
' Entradafc diif irte* du Mat no vapor franeez
ft*'t7fiBl.-K-
Joaa ,\i.-nat".iln;*Je*.-RdaOMU Jerojtio.
Teixeira. Jm .,h lohoq
Vindtt* de-jiiafniangtiaaM ao vapor nacional
I'amripaajTia ,-ni. H ? Ci -unr.i urmw-
D. Isabel OilNitab -4*: Car*Um -a-1 aaeaor,
we A*aesrFarBBJia<44iCfcna4 Mod'riwiri, Jose
ushno, Manrml^a Gtialn liiaa-e lajade, J. de
A. Bezerra, Ahtonio A. F. da Sflva, Jose da > SiWa
twaro, loantana fafp'Jl^ N*few, Ma*oel Perreira,
Dr. Joavjoia lr>lkisoda-Sl^irft, l.iHbo inenor e
j crialo, Jo.ao Berreira D da Silva, Joao Jeeede
yascouceflos, J >ao F,
.>. fo. A'*8U*'4d>yj4iawl5- JJeorfiwio I. Pes-oa, F.
,i Ilogp F, qo.PWtP, I'odre Lopei-.de .Sieadonca e
r2^JHTSnT! ,
na op n co corremi!. j. SaltiJos para o norte no vapor Cruzeiro do
Goaaip js de boa- paz e de nlena^rrirrrfjiiliWiaa*?. $ ~~
estadte (Horiojo' do prtgreseo e dH civilisac^a; *
mrca eonfessar, qae ipiando so torna eud osuata-
sraeflta, dcso'jepieiiie ,e r ifraofario a d^iscipUga
4q^twal a quo se aclia eujoito, deve ser frremisSi
vefmeWe' pnnido p:.fa coTrecao e pbblico exem-
[llO. I -'.' i .t oi
Bor io mesmu. que. b disoipliua do soldado 6
anqlcga ado. tejijjipsq, devo sOr elle snbmissoe
respeitoso pela fe qua jura ao imperaute, a patria
de Jaaciro n|d mj^^
ro*nna ao militar, ifote poderecosaV-sie nreito
Srepositalaanto a revurencia a eortejo a efflgie de
,WL J. quo na.) ex prime uaj>,do que relfa ctoa. dgal
saloeo e dos paTaoios. e promyver a indissiplina, a
desobotflencia c o desactitd de'um modo irreflBclf-
do /gporlgeso.
Bern vonios a-cavillacdodos redactores da Pro-
tituia, cnja falta Ja muso e ioeptidao reveja-se a
tada passo.
I ^' 'com effl'.ito Irrisorio o traftalho infrncfifero
im qne se applicant de faawein ostensiva a clas
militar as faltas praticadaa pelo Sr. Frias Vil-
\'iT--ma&h >U >Ij-j ,*.
Por loaos os meios esDeculAm esies espinfos
toentios pela febrc daannfral^o parlidaria.
Ningbern diria, ptum; qae recorressem li tao
htftntw alicinftn.ts na stal:a preteftciosidide de
irsVeVhrefn a+ee!1ia da clause miPltr contra e
Iffvefnb.'"
'fftalrftfeirle'c'rc iniutada torlce querer fazer co-
aarlicipcs dos sqlTrimentos do Sr. Frias Villas, OS
Inlft.iri's qttf" sai os ^rOprios a reprovarem o seu
erfPgid.ir e c.ll jos i procedimertto.
A inopcla do.* r'e.dactorcs plvga a p >nro dc an-
tmnciircm a J>r'e pestnde pdrque S. Exc. cumpr" o s'cri devor,
luJeHatWo a wri fnofoc'ido prot'e^sh' aqucllc mf-
ptar!
*fvrnca sa vio mai r destampatorlo:
nidos^a
>.u.:
.lorando e ..
licfitp n.lo posso assegnrar;rne essa firclnnni.
Como Ibe noticiei, a variola havia atacado a
cadela: um dos p'resos'dofenter rbstabeleeeu^se, c
o outro de nome Justino Jose da Costa falhren na
quinta-faira des'u semani. F^iltavam-lhe apenns
unaUo on eihco "fflezes para coifipretar o tempo da
liefta qite IhiJi fat nnposia.
< J*a quarta*Wra> hnuve os|ieetacoio no taeatro
Gymnawo Brammatioo ftela eotapanhn>. doaator
Penante. K esecnpS* dd- daama^ qo* ffti o Qhigi,
em % actos, cqrrea sofTrtvobneate ;. parece que os
arlistas eapnicbaraat pam-gaaWar n.qne bavram
nerdido aa primoira rcpresenUcaq : twb cot'iiea
bom a em Ixaa ordem'
Nn sexH-ieira lov-irant. a aceoa. o drama do
enstnmes militares ou Honra a Gloria, corrdn-
do I exeencao tambera soffrivelmeote.
i Sendo 'o theatre demasiadamente pequoBO e
sem bastantes rospiradonros, e prttendendose es-
tabelacr aqui o uso de fumar'sa. no rOcioto da
msmo Ibeatro, algnmas familias fizeram sentir a
inemtveniencia de wmelliante cbstume, e pediram
Cane e saa senb
(luerque e_l criadff,'
f ,^WifS Ifrfto^fo
o C. do Albu-
;o Velho Ca-
ii'irna os-;ila' tSpdimirltrh> qne 'ivtfr vaTcanle ile"Arbu(|'uerqu'o, sua senTTora e I crlado.
parte de seu rebanho e com. o govern > do tstad i., providoncias ao emprezario, o qua!, de accofiio co\n
^ Deos guardo a V. Uvm Him. e Rvm. Sr.
Frei Joao Daptista do Espirilo Santo, pro-guardtao
do convento Qe Sanlo Antonio do K-cife..Ifarco-
lino Augnsto da Silva Villar, fttiz da irmandade.
Oiariodu ttanaambaeQi Se ahegar
liaje o vapor iuglez Pmiio. distribuiio-mos amantia
nasao numero do segunda-feira.
Aniiivei*sario. Complotv.ii sehoje 381 an
no3 que se operou a descoberta d i America por
Cbristovao (ailonib I.
Nitnte Pio Portugrue/. -Amanbi, as 10
bora* do dia, dove haver sessii da asse nblea ge-
ral dos accionistas desta s cieda I, no salao da
Gabinete Portuguez de Leitata. para tratar-se do
quo dispje o 1 da art. 2i dos respectivos esta-
tatutos.
Vapores a sahir. II >je o Cururipe, para
Mamangaape; no dia l.">, o Pirapama, para a
Grauja e cscalas, o Qiqaid, para Aracajti, PeneJo
e Maceio, e o P.:rahyb:i, para ratnandare o Rio
Formoso.
Vapor cspcrado. Hoje ou amanha, o
inglez Puno, da Europa.
Trilhos urltanusde Olinda.No dia
13 do correato coraeja a vigorar uma nova ta-
bella do borario da partida dos trens, tanto na li-
nba da Olinda com i na de Bobsribo, quo tcmos
publlcado nos aossos dous ultimos numeros.
Siipi'cnia tribunal de jnsti^a. Na
sessao do 1 do corrente foi julgada a revista ci-
vil :
N. 8371. Pemambuco.R. Eugenio Moreira
da Silva. RK. os adntinistradoros da massa falli-
da de Antonio Jo-e de Figueiredo. Concedcu-se a
revista a a causa deve ser novamente julgada pe-
lo tribonal do ennmercio do Rio de Janeiro.
Institutu .Veadeiaiea. Recebemos o
n. o desse jornal, orgao da suciedade Instituto
Acadtsmico da capital da Bahia.
Loteria do Rio de Janeiro. Resu
mo da 111).' loteria conccdida para o Monte-Pio
geral dos servidorcj do estado, extrabida no i.
do corrente:
N. 1491 ..................... 2^:0013009
N. 3307...................... 10:00 15000
N. 4286..................... 4:0005000
N. 47' 6 .................... 2:000000
Ns. 1461 e 3328 1:009$ a cada am.
Ns. 600, 4717, 3042 e 5681 -800i a cada um.
Na. 369, 477, 1101, I18J. 1291, 1315, 3073,
3171, 3391 c 413420 3 a cada um.
Ns. 57, 368, 847, 989, 1226, 1433, 1437, 1555,
1303, 2149, 2273. 2288, 2700, 2792, 2942, 3710,
3997. 4109. 45 0 e 5246 -100* a cada um.
40J a cada um dos ns. 122, 461, 483. 623, 637,
649, 690 694, 832, 1029. I2i>5, 1221. 1417, 1309,
1198, 1783, 1818, 2132, 2171, 2197, 2263, 2280,
2321, 2362, 2603, 2694; 2710, 294", 301fi, 3i76;
3201, 3333, 3414. 3531, 3573, 3374, 3388, 360),
Algndao de I" aorte
< 2J a
K 3*
A*mi
- salgados
C.tmbio sobre Load res
7*8-01) por 13 fclos.
6*8 0 i.
5J800
1*-X)0 < .
7J500 ,
i >!;! dipor 11,000.
kedn .Gomes db Araujo, QiuMeUa fciaior, Franek
co Ramos* sa sennoras Gbsicdio Teixeira Men-
des, Joaquvn t^enWonde Basics, Boras, Jose Ruli-
no Souza lia#>l. Prancauso de Asm Preiw da
tocha, Antonio Bor|e*He'Soala, Joa<|irim Vina|
3632, 3713, 4141, 12o, 4227, Rffi 43*3,
4461,
5')80,
Katio despachaJn.
c Para Liverpd d, Deste mjz, a barca ingleza
Pr*fon, do 444 toneladas, consignatario V. J. Ri-
poUl.manifestoa 1.429 saccas com 129,0.9 kitj-
gifWmaSde algodao.
Navio a carga.
Barea frmceza H Dita ingleta Edward Herbert,
. Alfandega. .
Rendiraento de t a 4 de outubro 7:1874513
Consulado
" Mandiroento do mez de setembro 6:3774673. Bahi-i
i do i a 3 de outabre 1.34li:W-s.
c Peso Dublico do algo.diio.
irada do mez de agost-i 650. saccas.
i do mer de setembro 1143
< de i a ft de ootubro 459
Somma 2254 saccas.
fe
4519, 4613, 4673, 4750, 4731, 4S2i 5043,
5119, 5143, 5339, 5660, 3805, 8961.
Figaras le eera.-LeiOs' no Diario ll-
lustrndo, de Lisboa :
Vai ao Brasil com a sna exposicao de figures
de cera o Sr. Jose Maria, artista portuguez, qae
actualmente a esta exhibindo na rua de Santo An-
tonio no Porto. Entre as figures expostas, ha algu-
mas do raalfa semelhan^a e pcrfei^ao, tacs como
as do Sr D. Pedro IV, marquez de Sa da Bandei-
ra, Zorrilla, Bismarck e outros Ha tambem um
axe llente grupo compostode 19 figures represen-
ts ndo a casa de horror e despotismo da inqui-
jicao.n
Sacledade Litteraria e Auxiliado-
ra da Instrueeao Seenndaria.Se-
gunda-feira (13) tera lugar a seasao magna da ins-
lallacao desta sociedade, no theatro de Santo An-
tonio, pelas 7 boras da noite.
0 theatro achar-se-aa todo onibandeirado e ^il-
luminado, tendo na entrada arna banda de mttslca
marcial, pa'a tocar rta rceepcao das familiasje ou-
tra no interior para qnando os oradores termina-
rem os seus discursoj.
Telegraph* ilcsi^naesmaritiinos
Remcttem*nos*'a sag'jJnle decl.ic5o desta re-
^(articJo :
a Para .que o aommercio c p?.rticulares nao
itoifandaiti nos stg^taes do telegrapbo os vapores
dacompaohiado PaciQco cn-n os vapores ingU-
aes vindos de Glas-o* e de outros portos, i-.-ar-
ae ha alem do signal 143, m>i* o distinctivo de
que usara os vapores d'aquelfa companhia.
Estajao telejiuphica, 9 de outubre de 1873.
0 one irregado, P. J. dc Paula Reis.
Para a Curopa. -Com 11 recebido3 em
nosso porto levou o vapor francez Mendoza 76
passageiioa.
O vapor inglez Garonne, com 3 recebidos :m
nosso porto. levou hi [assagwros.
Dinheiro. -Os vapores Gwurtp?, Garonne e
Ait t oiixeraiti para :
Aagusto F. do (iiyi'sra 4 C.
Keller & C.
Wilson Rowe & C.
Percifa Visnna & C.
London aad Braailian Bank
iKr.oseAQ
Jos6 Rodrigues do Souza
Barros Junior & C.
Domingos Ferreira Maia
Dr Joao Gabriel Baptista
Jb.tquim Jose Goncalves Baltrao
Filhd
(^ouza Moutinho & Q.
Tb. Christiansen
1,073
15:0004000
9:840:0D:l
5:7604000
4:06OOO0
3:3004001
2:0004000
1:7004000
(-.6054000
1:00040.0
8104840
8004000
73*3000
o dal.'gado,- trnekti Maraas, oafaoouinaW>dti re-
pulamanto inlerno, quo continhaa ;aedida pf obi-
biliva de se poder fumar alii.
a Os espectadores da platea, quo neslas occa-
sions, nao so aqui como em toda a parto, querem
e lazom alarde de celeliri-ar-se, entenderam, comb
e costumado aosso povo, quo d iviam rcagir co.i-
tra a autoridfde, do que ongmou-se um sorio cm-
flicto patre o povo e a policia,
0 tepenle Moraa.s, eaergico e sempre prudon-
ta, soube fazer respeitar aquelja fei e^alwlacida a
rostabelbceu a ordem, tenjimaado-se.uia pat o es-
pectaauto.
Hontom den se. aqui, na igraja da Misericor-
dia, a sepulture o cadaver do Sr. Haarique de -So-
ronlta Faria, senbor do eogenho.Perori, da co-
marca da ItambeV Era irmao do major HocbaFa-
ria, cu|o fallecimento live ocrasiao dc communi-
car-lho na ultima missiva.
0 liuado era geralmenle cslimado tanto ncsta
como na comarca da I'.amtie, pel/s suas raras a ex-
cellentes qrulidades, e sua morte tern Shlo tanto
mais sentida por essa estima (feral de que gozava,
como pela man"ira por que sucenmbio.
" Ha em sua casa um indivi luo que, segundo
penso foi escravo da familia, sendo hoje liberjo' e
:|ue soffre de alienacad mental.
Em algnns excesses da loncnra
de uma faca e ninguein havia que se Ihd aproxi-
masse: entrctanto a unica pessoa a qnem fespoi-
Uva era o finado, ao qnal desta vcz nao respeilou,
atirando-se sobre elle, e dando-Ihe uma facada so-
bre o van do pescoco, de que resnlloa-lbe instan-
taneamente a morte.
Comquanto o offensor seja louco e pelo nosso
cndigo nao possa ser considerado criminoso, to-.la-
viaconsta-me quo foi immediatamente preso e que
a an'oridade competent*! tomando conhecimento
do facto, proeedsn ao inqaerito quo manda a lei.
A' ultima hora chegou ao meu conhecimento
que o illustrndo e digno presidente da provincia, o
Exm. Sr. Dr. Henrique IVreira de Lucena, acaba
de nmnear uma commissao composta-dM- Drs. juiz
de direito, juiz municipal e presidente da camara,
major Jose Cezar de Albuquerque para soccorrer
aos indigentes aeoommeHiios de variola, remelten-
do uma carteira homoeopathica, pus vaccioico, e
autorisando a collectoria a antregar-l e quantia
sufflclcnte para sitarem.
S. Exc. sempre zeloso, e altendendo, como
cosiuiiii, .v.sj'eolanios ipie se Hie Xaz em favor
da gonte d -valiJa, nao hesitou um momento em
satisfazer o pedido que pela minhn missiva ante-
rior Ilia dirigH e dosdo ja 'essa Bohre feiite-cnuta
com o quo Ibe faltava nos difficeis transes do ata-
que de tacLaterradore paste.
a Proeedam assim tod5s aquollos rrad'e^tlvcTem"
na posicao de S. Exc, raostrem se amigos do povo,
prestando-lbes os soccorros precisos nas occasioes
difuceis, quo a bumanidade idteira Hies Iwralira.
Applaudindo a S. Efxc. esse sou procaiioiento,
nao posso deixar de render-Hie um agradecimeuto
e ao mesmo tempo signiiiear Hie um voto de lou-
vor pelo acertaJo arm que afaba de praticar, e
eonto qne serei acompanhado n'essa ininlia mani-
festagao por todos aquclles que reconhacem na
administracao do Exm. S"Dr. Lucena uma admi-
nistracao guiada polos pTmcipi is de justiea e hu-
inanidado.i"
Que sinat No dui 4 db corrente raez mi
assassinado em itambe o major Henrique de No-
ronha Farias coin uma facada que Ihe den um
desacisado de nome Bclisario de tal, que foi preso
em flagrante.
Acadeuiieos da 5. aima.-Mfn tendo
se reunido todos os atfadViBiciis *de*e anno para
tirarem rctratos em grupos, como estava. ar.nun-
ciado, sao novamente cooi'idados, para que com-
parecam amaaita (domingo) pekii 9 boras do dia,
o theatro db Santo Antonio. Pede-se com ins
tancia e cspera-se a presenea da todos.
Monte Pio Knnta Cr.Esta socieda
de reuue-so domiuge 12 do>corrente, as 10 Iwras
do dia em sessao extraordiaaria palb a laitura e
fxecu>;ao do seu regim^t* hSerao; e para esse
fim pede o. comparecitnento de todos os socios,
Arebivo eeononitew:Ctregdu honVm a
|0" cadetnela deste interessante jornal.
1 Gazeta IS uridic:t0 u. 37 desta jornal,
Ahegadn bontem, eontem"'"
Gazeta Juridica : A garantia' ouforgada, por
no-si Pacto Fundamental, ao direito de pniprie-
dade, nao e uicamparti\tl oortr. a manuMisrtf legal
ou fi.rcada nos casos estaitelecraos por lei.
Jurisdiccao civil.: Escrava forcada a prostituicao
belo senbor, nao fie* liiwrta.)/.*> ftrto.Nao tem
diijeito i prelacao, mas a raieio, o credor <|ue,
assim como os outros do-concurso, forueeeu tna-
teriaes a seryjws dsfra o predio rppnbor>do e le-
tado a praca. -f Debit'n srrfiura"tb qne' 'cbntrahe
q inarido cm fraude da meiacao da mu'.hcr ;
drosuinpco-s tic sbjmlacap, 2.' Os 'esoriptos par-
Sculares so repAiam-s^ da/ados piin lereeiros.
ao momento cm que so pratica o primairo ado
de fe publica.
j Aggravo : E' canipeleulb o iu)zrj He orphans
para precede! a Mtto'de (err*, quo foram
pariilhadasfciri it^ettarii* Jdlgadb pelo mesma
Jarisdlccuo commercial : I: Portador de lelras
que fat eom o endjssbte, novacao do conjriilo,
rocebendo, em pagamdbio, outras dp ictttte
deste, fica sem aceao contra o aCeitanf-e das
orimeiras, embora continues em seu poder.
Jurisdiccao criminal : A embriaguez ja-
mais pode servir de (uflqamen.to para a, absolyj-.
re. M;mod.Dn,*t9'.*iahido, Jo.d Duarta Calalo,
perrellr Micaslausja, Vm&r* Francisco.
s ihidae ^ iiuins.pnrltoa d sni no vapor fran-
cez Mendoza : .; h*i- i
JoaquiB>4:i.PoiWeea'-Barbosa, Amelia- Augnsta
da Miranda e AnlonJbCHt Xavior Butencuct.
SatediJsopiiriia.Earopa'no vajwr ibgli|fl i-
lonne-5'.voM ub i.-.o .
Anteao deOtraufvload. FranciservGracn, Anto-
nio PeMitarSbrtias.-
Sabidos' para a Enropa no vapor francez
Rio GramUnf
Bartholomea Ferreira, Joaquire r>n^oira ila
CarJia, JU6''Antonio".Henrique, Falyzbla Gi-
j.oppe, Aiuia;Maria- ('}wsula. Proderioo Oimina,
Cijafa (Bni-p|)e, IMbtiere Diominico;-'ilMphata Pi-,
res saahoal er ca"f#*ha
Cemiterirt puWien. Obitunrio da dia 9
do corrwte :
Balbina Mvid da Conceii;ao, parda, Peroambu-
to, 1? aaoioat solbnra, S. Jid ; bexigas.
Grefiorio dodispirlto Santo,-pardo, Pornambuco,
85 annos, .atlfliire, wtrtap, Bba-Vista ; bron-
Juaa^j,'. STaria do E,piiito Sant ^ parda, Per-
tiam!.iWtfj,H onuys. viu,vj. p^.ista i, bax.gas
Alana^paifla, Pernambuco, ,9, meze.-, Saniu An
tonio ; infl'ainuiarao.
Antonio, branco, Pernambuco, 3 mazes, SaqU
Antonio; vawoias, 0 ;. ,
Goncalo, escjayo^ Breto, C^rnanjbueo, 48 annos,
lolteiro, Recifa lesao org.wiica.
Joao, escravj, preio', Africa, 6& annos Sultoiro
S. Jose ; dyarrnea
Ezequiel, escravo,.,urai. Paruambuco, 27 annos,
soltairo, Boa-Vista ; b.ixiyas.
Jose, branco, Pernairinipio, 5 mezes, Boa-Vi. la
tonvp^ous. ,
Ursula Cindida de Alfmquerquo Belli, bran-
4a, i.inora-se a naluralidad", 18 annos,casada,San-
to Antonio.1; variolas.
M.mocl, bran >, Pernambuco, recomnascido,
oa-VisVa-; fraqucza congenita.
Isabel Poiitual Pinto Handeira Accioli da Vas-
concellos, brairci, Pernamoucd, .30 annos, casada.
tancara rmlo Roa-Vistii ; lubercul;s puTmpnares.

I,
Tribunal da eamicrcii>.
SE-iSA'O KWGUMh EM 9 DE OUTUBRO
DE 1873.
rRfeSipsxciA do exS. is! i:o?j>r.i.in:iu-. vnsi-.l.iii
PnAamsdo pkuhtti.
Sccretario interino, o official Torres.
AO meio dia, estaudo reuuidos os Srs. des-
ambargad ires Silva Guimaraes. Reis e Silva e
Accioli, deputados 01 into Basms, Lopes Jlachado,
e supplentes Sa LeiUo e Guerre, S. E\c. o Sr
conseUieiro presidente abrio a sessao.
Foi lida e approvada a acL da sessio de 6.
JCIfAHBMTOS
Relator o it. deaenftbrreailor A:cioli, re visor o
Sr. ilesanibargador SHva Gaimaraes, juizes sortaa-
aos i>i Srs. iJji)atado Lopes Alachado e suppleute
Guerra,-^ npellauu.' *i~w de OlivJira" Uoita/ e Sou-
za, appallado Antonio Jjse da Silva Maia.Foi
confiniada a sentenea.
Sand i preposto o felto que gende de ambargos
efltie pauta^, ajjnellanle ombarAnXe D. Maria Ade-
lina do Sallo, appellados emoargantes os admiuis-
iradorcs da massa falliJa do Antonio Pedro de
viejlo, adiourse qJulgamonto a pedido do um dos
juizes couunercrantes. .
Suudo tambem proposta a appollacap entre par-
ies, appollantas Henriquu Leiden & C^ por seu
soci> e principal gerente Henrique Quanz, appcl-
lado Augnsto Krus's, foi igualmeuto adiado o jul-
mametiio a pedido de um dos dous juizes commer-
ciantes.
Dl.V
Ilavendo sido designado o dia de hoje para o
jfilgamcnt) dos feitos que.se seguem, procediJo o
Soiuoo dos dous juizes commeroiaiiit'S, deu-se o
Idiamento :
Appellanto Antonio Jo.tquim da Silva Brito, an-
Sellndo hue Cypriano de Aranjo Foram sortea-
os os Srs Lop'es Machado e Sa Leilao.
Kppellanle Antonio Francisco da Costa, appclla-
Jacob Calni, hoje seus herdeiros.Juizes os
rt. Olinto Bastns e Sa Leiiao.
Appe'lante W. G: Peimely, appellados os almi-
BistradorPs da mnfsWi fatlida d- Frrnando Stepple
Ja1 Silva. Juizes o< Srs. H Lei tao e Olinto
ltifeio$.
PA-SAOR5S.
Do Sr. desembargadnr Heis e Silva ao Sr. des-
mbargador Accioli.Appellanto Antonio Duarte
Carneiro vianna, appellados Joao Baptista Gomes
Peuua. a Aqtonio Climapo Mpreira Temporal, camo
adroialsH'nnnr de sua tmiHier, e outro<.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
iador Sdva Gnimariies. Ajijiellimtes o barao
do lavraincnto e Jose Antonio de Brito Bastos, ap
pelUdos os adminisiradores da massa iallidn de
Fariundo Slepple da Siva e os hardeiros de Luiz
Ainavot Dubourcq esua mulher.
0 Exm. St. conselheiro preaiUenle fea a se-
iuinle dislribuicao :
[ Ao 6r. dosembbrgador Accioli. Appellanto
Amalia Leiden, viuva de Henrique Leiden socio
da lirma-Henrique Leiden & C, appellados Hen-
Jiques Quaazj
AftORAVO.
Jaiec* e?peci*'do cointiiercio. Aggravate
AWottW'Jele'fl-09 tcis; apgwado o juiz J.
i 0 Exm. Sr. conselheiro prfesidedM iWgou flftm-
aiteto.
r3ncerron-se a sefeSo a t here e 10 minatos
da tarde.
-"'.! Pjgerga^'ueuiiHJ
' Ttecorrcrit esses disrolos a tolos os' ntdi* aitida
os" fuii- reftrovadis n rgnobeis.
WJf.f eW> rroitti rmporta a loso.bt'drenciii e" a'
hidissipliua do cxercito, com tanto qne corhp'r -
nu'ltam onJancoai qualiiuer a i/baraco up caiyinho
|alf^% l*#mo>;qtie>**f bistracao do Sr. Dr. Beietrsdc Lucena.
a A olasso uwiitar teui aonscionci* de que aSv
rneroce as affronta* do Br, Luaeaa.< halo i-onsor-
ve)> stia diijnidado illesa e sous brios muito fora de
s*s aiaqifs.
Dn^se, Bor veiilnra, toloima ignal !
Poi pori|ue o Sr. Frias Villar respondo a con-
seltm por falyi.. ipie Ibe ealtribuida, aoiisidera-se
hffrontada toda a cl as so militar?
Ao ouvir semelhantes disparates dir-se bia_ qua
k* redattores da Provincia snppoe, que eslao se
riirigiu'lo a in i.. os, e.studanies inoxpfiriont^s, aijos
eatlmulos s iml.imam com excitai;des pbosforicas
Uowollogottiymo e clasae.
Deeididamente esjes provtmUanos perdoram de
uma vez a eab>HB,
Estao a catar ouanla ninbaria encontram para
fazerem assuinplo da palestra politica, a falta de
coiaa aeria, en ipia milhormente occupant o sou
tempo,
A classe inilii.ir cirilampla o quadre do infor-
tanio dos satis irmaos d armas, mas ovita o conta-
pio das ideas doeutias do irrellectido presidente
proviacial.
Eis ahi uma bernardice da crianca. Pois o que
tema-classe miiitar do paiz com' um dm shus
hiorabros ra.nisso e refractario, que deve responder
tndividualmente pelos ems o faltas quo pra-
ticoij.
E' engracada acoarctida dos procincianos nes-
tes termos: a se nanlium cidadio commute cri-
me oni fa I tar ao. cortejo,. tajubeoi o militar na'i o
comraette. D solJad i e obngano a comparccar a
ipualqncr marcha do seu balalhao, que tor deter-
minada; mas ao convite de subir ao salao para
festejar e sandar o superior nao e obrigad" >, por-
quo uao ha csnvile obrigatorio, seria desnatu-
ra lo.
E' bem patonio a Utopia de tal argumentacao.
Nenhnm ctdadSo Comnieite crime em faltar ao
tort -jo ; ora mette crime em faltar ao cqrtejo. Se fossemos nos
anlros que escrevaseemis nas paginas do partido
conser.'.idor semelnante disparate, logo teriamos
em respnsta o Ora bias dos provineianos.
Rialmenta coo seoielTiante argumenlagao dc que
o militar e cidadio, nao ha sophisma que so nSo
possa arranjar.
Sao muito innocenles esses Srs. da Provincia,
quando ensioam que o militar nao e ubrigado_a
mais do que o simples cidadao. Esta regra nao
soffre se nao uma excancSo, a saberno tempo da
b'ga o distincto artista Durvillc que deu vivas no
theatro ao marquee de "axias, foi pelo honra Jo Sr.
da Villa Bella remettido para bordo, por esse
grande attentadn!
Quanto se engana o actual presidente da pro-
vincia. Nao faz mais do que semear tempostades,
cufos fruo'os smargos t lethafis haile collier, em
lesfotra da pBfregW.'afl aos mi'ilaros. >
NSo haja duvidt, os homns tresvariam. A in-
sinuacao eo conselhonio p'odem ser mais saluta-
res. Com tndo espetnlam os patnotas da Provin
cia. Os fractos amargos e lettras hao de brotar
da arvnro m-esta da mancenilhcira, qne elles vao
plantando nojnrdirn da sua Provincia.
Recordamon s ainda da defez.a do tenenta
Qninaqnina. Em apparocendo um militar insn-
bordinad > o afi>ito, nao faltam patrono* para ap-
plaudi-lo 0 protege-lo; o proprio Mildado, que pas-
sou o grande rasligo de sua alta trali.ao, foi con-
sidarado inju-tamento punido. 0 espirilo da os-
peculac-ao associa-se ate com os verdadeiros cri-
minosos I
Asseveram os redactores da Provincia quo o
consclho dc investigate-, a quo foi submellido o
Sr. Frias Villar, nao eneontrou materia accusato-
ria contra csto Admire com effaitoa coragem de
seni'-'.lianta assevemcao contra a verdade dos Jiic-
joa publlea o notoriamente conheetdos. Sa fore-
mos nos outros, que tao desembaracadamen:e_ Lou
vessemos faltalaa oxaetidao dos factos, ja nao to-
veria medida de desaggravo bastante contra a im-
patacio *ahimniosa.
Custa a crei, mas e' a verdade, que os redacto-
res da Provincia, no intuito de acularem a des-
obediemna o rebaldia do exer^'ito estejam a 'forgi-
car falsidades desla ordem assegaraatrio <|aeo can-
jelho, a que foi submetlido o refractario militar,
hao eneontrou materia de accusaciio contraeste I
Muito pelo contrario o conselho reconbeceu por
unanimidade a existencia de todos os factos ar-
guidos !
Nesta hypothese, pois, como proceder o presi-
dente da provincia contra esse militar, qne linha
o arrojo do prntestar contra a competencia do su-
perior, para ordemnar sua prisao e faze-io submet-
ler a conselbo ?
S. Exc. remettendo o processo ao governo, cum-
prio um rigoroso dever de justiea. desde que o
conselho nao reconheceu a innocencia do Sr. Frias
Villar.
Desengaaem-se os redactoaes da Provincia, que
nao fazem forluna contra a administracao do Sr.
Dr. Lucena, imnutando-llie factos desta ordem.
A resposta do conselho foi a pn,va mais esma-
gadora, am podia ser fornf cida pelo honrado ad
ministralor contra as ahcamineiras, qne estavam
i especular com a prisao e processo do Sr. Frias
V*ar.
Resta qua os redactores se resolvam tamoem a
lancar contra o e'enselho todas as imprecacdes;
quo dirlgemcmtM S. Exc, qua two fez
quo acompanhar a decisao do mesmo
eomo era seu dever.
Hospital dm donilas.
Ante a doutrma que fieou cxpendida no ariig-i
carfq*ado Wf.a lc ''' provin-
OaeMto.miMto teria, m qn*se, adtorisar i|fH.
tonst?ufcc5o do-bospicfa de dpudos, viria em nome
da pronnciadar mais nrcreniento a caridado oa-
bftcae nadk mais v
Quanta estrada de fere4lfeibroftrta-e por }-
iidade wUiux, o aH)dMM0|Ha se. lembroa tie
dizer que so a asselnUAa^Mincial & compelcat)*
para venficar a utilidada^raesapropriiSo !
Ve-se. pels, qne nfi6',,sen;*). a dcsbp'roprlacio
judicial, nas sim amigavfy'rpoiantariedWedS* '
este aeto oniro earacter ; 4aaaAfe> permuta ob >
antes venda, e qualguer de^sas^ctas ^ a confir
atacad volnntana do ao;i lico : U- quod
nostrum ertfsliiefhdoWstityWWani trtmferri
non potest.
No case, poderomos amrrroir. sa fez eom referenda ao sitio de Saat'Anna, de-
fendeu da vontade do proprietary do s.itio.
E'-tf*iaebte, portanto, que cesse 3' qoasfio -. .
btala causa vestal ejf*ctus.
Mas nada detera a PowKwdiay esaut,aMiai
apaixonadoda qpposifao. I%6. .,;...;,,_
E asSim que ve'mo-la enlnler dever erfuaea-.
mente refator os Bosses ai'ilgos na parte rfjqne
dissemos ajie a desapr ipriacSoiKit'asrt^ujeiao-'il*'
exigido Uinbem aeia >tea*ttiilHtt ftttikm. t
Ha quern oome.-le. que, 4 pmyiaa-teaWVi-
eessidado palpitante a evidcute da uma
torn todas as condreffes d.i lryjiflle)*onde os
dasgracados ((ue terderam 0 Sm'1 *> pW>
queJhos deu o Cneador a Maqueni negue a wgewcia da. hospital da doudos, quanflo 0 tii-dico ai urtL
do trafamento dessestnfellzVs vent arKe o pn'
eonfessar essa necessidade ?
u que diz a Provmcia quiu -a detiwar. 10 Ae
medico, quo ha bem pouco i u.i ai^. 'JyHjaj
[oensa xom 0 sen lestemqr^hp auil>i;njijfa
ncassidade, que a'ningue'hi' Bra a'scaUnei
Uiit outrb medico dizia hi aAiMAWWIaVi.'iHe
o mdividoo bear (kiudo, Italia tljitar o
em Olinda, e alii demorar-s^ por,,algntpas lifflfn
Entrctanto dizem os eseriplores da Pr '
nio temos necessidade Sde um h >spicid Ja atVoa-
dos / 1 Wfa o ij iBn
Posto qii* estejamos co)ivict--.sdo(iaia ppo--
Caa da,Pj*r'>i'<* e; wda, poJitica(ft.-i^asaal, 1 "
Ma ante ,cs,a resiswncia, qua pot ,<'jJBi,9S,,m'
esta jornal aifmenta contra a presnWwfi r.
pa-^so nobre d htimaflia*v wWdrfcel^f1^ftil*,
ceradetiuni!inidadii. is
Ha ueMiumannUda, smu, por-que u#gar, 4, ajjn;
cessidaJe de .....1111' 1 mi 1 liii ^".'M/MIViMi
qualquer pretexto,,e ser desfjuiniiio']" ,
Ma* diz nos a Pmvincii, ncs^asoVW rwlMla -
de nao pode caber ocasn da funda?* amines-';
pioio de alieaadps.
N10 dissemo
pnacao por nee
rfrndae>i de unf hospicio da" ailedaffis /"Speha*'
ditawfribs quejno oaso emquestio, natifcd liawtod-
lid;iile, mas ainda necessidade evidanWi epruvadat
ila fqndai;ao de um hospital da d>udo-, e qua.jilo
inqsino fora reconhecido pcl-i :i>sa'obli5a, i\e?'$e
qua asta subveneinnou a Santa Casa. sehi wiets W**
cln3o do bostiital de doudos. vt l.ilil
Entratanto e facil de ver-se que em face da pro-
piia lei, cilada pala Provinaia, '-U comprclieadi-
da nos casos de u ccssidade, a ftiniiaiio dc um
" 1
ados. ., .1
js ainda quo nos casos do desajird-
ici'essidade, p ilia ;ah.T 0 caso 3a
hospital de doudos.
Queremos, porotn, com ista m >--trar ae paimaire
articuhsta da Provincia, quo 0 caso 11a* e da*
Iidade someute, mas tambem de necessidade, por
que sempre qua se trata de molestia ha ajguuia
coitsa mats que Tttnidadc.
.\11nca tivemos ]>or Hut sustentar iegait*0e nax
uifesta de uma desapropriacao por uiilidade pa-
blica, com a lei quo marca os c^sos df desagro-
priacao por nacessida la, posto quo recnnliec,aps
que a fuuda^ao do um hospicio da alrenadoi e
uma das neeessidades qno devera quattto 4nl
ser saiisfeaas.
A Provincia, porem, qua a \<\ incipio uegava es-
sa npcassidade, sib pretaxto da que sa davia me-
lliorar 0 actual hospital dos doudos cm Olinda,
vendb depois 0 testemunho do madico eiwartaga-
do do tratamonto dessos ialeliaes,, passa a aaare*-
lar a sua guerre ao hospital dos doados ojih ou-
tro pratcxto.
Neste intuito assim soexprosson a Pvcviurir :
Tambem subsistcm todas as eonsidaraerws Jmr
nos fe'n.is nos artigos anteriores so'.re a exjjjn-
poraoeidade de uma obra giganlesra, no 01 do a
provincia so acha esmagada de dividas 0 iiapos-
tOS.i
Ora, e quanto basla para mostrar a nop-isl.-Sn
que movemos bomensdti Provincia (papel) a rocs-
triMeao do hospicio de alicnad>s.
Ao qne parece a Provuicii (papel) faz tudqej
tanto que nao sa cdhstrua Um odnleio im: M Iftt
e necessario, estando na administracao do provm-
c'a o illustiado e honrado pernambucano 0 Exin.
Dr. Henrique Pereira de Lucena.
Pois nao sabe a Provincia (papel) qua 0 -ri;i-
mento da obras desta naturezi rafare-se a had a
despaza da obra depois de concluida f
Nao sabe tainhem quo ediQwos como oste sao
conslruidos a pmaoreao que as neci'ssidades vio
appa'racend0, ate que um dia chague ao es'.ado-
qua marca a planla ?
A obrs, stipponlunnos, esta-or.ada'em dons mil
conlos de reis,!*^ por vontia-a sa vai etipsttnir
ja-eja umabra no valor de dou- mil eortos^te
reis 1 -|, .
Nao, por certo ; porque acluMihnfib; sa vat cons-
truir 0 quo pelii pl.mta pod'a satisfa-jc'r' ja_ os
nee 'ssWadM : isto 6, construe-se 0 nerdssaf-io a
para-o futuro essa.pigantasca obra coii3irnidA.|is
razao das neeessidades, lioaraom dous mil contos
de reis.
Ondc ja vio a Provincia (papel). obras de gran-
de folegosercm construidas de um -6 jacto f'i
Ua quantos annos so esta cmstruindo 0 boeJ
tat de Pedro 11, cuja pedra foi lancada pe'o prasi-
deitle-Chicborro 1
A Provincia (papel) bem sa'on qne A. presiden-
eia nanca pretendeu, gracas a sua> rtlustracao e
senso adsninistractivo, edilicar, constrair ja e ja
todo 0 edilicio da alienados, que fo ioryalo em JouJ
mil contos.
B n vd 0 publico que a Proainaa (panel) pro>_
cure somente embaracar a constmoctM 'do a9\t'
de alienados, e nada mais.
Mas o publico que tem bom senso sabsljadar
a importancia de.iia a P/ovinci 1 (p^pal), eoori-
tinuara com oobolodd caridade a applaudtr o
grande emprehetulimento do pernambucaao qSe
Lz honra a spa .provinna.
Conlie 5. Exc. 0 Sr. Dr. Henrique Pereira, (de
Luc-ma, no santimnUo de seus comprovincjaiKs 0
de todos os cora;oos genero'sos, sOm dilTerffnca de
arenas e trovanos c cs sens esforcos serlai'coroa-
dos!
E nos nao cessaremos da rapetir ao talentoso
pernambucano aquellas. palasTas do Salvador da
Franca-tquant t mais 0 hoip|i tem 0 que fazar
tanto mais e capaz da emprefiendar.
-..- .s -i^-.i^-.**^'
mais do
conselho'
nllLICAR)
Petliua justo.
Os cspoctaJores do tlioatro Santo Anton!'.'
poJem respuito'samente ao mui digno Sr.
emprezario, se digne determinar que os seus"
espectaculos comcccm ds 7 1/2 lior^ d.-
noite, ou as 8 quando os dramas ou Q'';me.
dias forem curios, (como sticccde p'0 pj0 t|0
Janeiro 0 se ve dos sous jornae,^ ar-im ,je aao
acabarem tao tardo, cora< C03luma> sendo
saiopro depots de 11 4 horas 0 ajgaau
mu.to depois ^ r^.^ 0> Wn grave in-
comtnodo pare ag (a,oilias e para lodos ^
geral, princ lmonto para as qu<3 se retiram
ao arr ^^ qu(, a. vuzes s6 d(,pui3 das 2
da madrugada se pod out ogasalhor, e
no
passado, que incout'stavelmente e a vordadeira, I ^ ^eranik* desde \& boa acquiescence da p:y.-
enmpre inlagar se a desaproriarao do ailn 1" ', s g d(!S,je ;a ;itecipa003 ^'rede-
SanfAnna foi amigavel ou judicial.
Se foi amigavel, claro esta qne 0 caso-ii)' .
muito, porqqe leremos entio oao. desv ^""siuca
mas sim permuta ou venda, que ti pFPr,ri;I^;,
volnntario, e onde ha vomada a? %*J*L?&
mento : wlunta non fit w^ ,Ui costraD8'-
Sft, porem, foi judicial, '.*"* dissemos, vai se
ioXiS aaVf ^ 3 PrVar Cm aP
aQ fc^ki^-nte releva uoUr que nao se tratando
V* um hospital de doudos a custa dos co-
provincia, a assemblea provincial nada
que ver com desapropriacdes, porque 0 legis-
.ador, confeccionando a lei, 0 que qciz foi evitar
despezas duplas com a fundacao de obras inutais.
ftesd*'
es>
K'.%UTIOO CO^SEm i6K
RECIFE, 11 DB OUTUB5\0 I>K 1873
Novo erro adptinisIraHvo.
E* sobre a eptgrapha ararna (jne os redac^oros | Desde que", pois, a fundacao nio e" feita. a custa
da Provincia eneeAdram. am nova enredo /com 0 dos cofres da provincia, que papel representaria a
(Jual pro^cudem.lttCT forlana. as?erabl(5a provincial _
^so dftSr. Frias Vi'.'.ar forueeeu-
para \a,r$& apr^ciaciies sobre a
cunetitos.
llaauel Alvcs aVerreira a* .coaM"
naontlnilor Joso Lnic Ca1I
Ijihm o ao publico.
Depois do jurerem suspeiejio todos os jui-
zos do \>ni do 2. districto de Ua*, ouda Be-
side oSr. Pedro Cuvalcanli d'Albuquecque
Uchda, para que uao se offectuasse a conei-
liac-4o, que en havia contra esse requerido,
flfuti de-pagar-me a quantia dc 40:5009001),
ou poder eu propor-lha. ao^o competente,
encontrei finalmeuto (segundo me informs
0 Dr. Francisco Jose de Medeiros. meu nd-
vogadoj, 0 Sr. coutmendador Jose Luiz
5e nao ha interesse a salvagaardar, se 0 hospi- Caldas Lins, a quern competia dpspachar
ta! dos doudos esta" a cargo da presidencia e da]como juiz de paz do primoiro districto em
I
-H




I


./
t
exercicio, que nao tem sacrificado os seus
deveres nem a sua dignidad** aos caprichos
ma I eiileudidus daquelles, qne so procuram
entorpeceramarcba regu.arda justice, para
nao satisfazerem os sets compromissos,
alardiando incouvenientemente os immensos
recursos de que dtsuoem.
Enganaram-se felizmente porque .inda se
tiao estiuguiraru os bomeiis honestos e de tne-
recimeulo real, que nao sabura dobrar-sc a
imposicoes deste q dilate ; porque occupan-
do 11.1 sociedade um elcvada posi^ao, olham
do alto para esses assouios de vaidade, que
se traduz em excesso d'araor proprio, sera
uma razao de sor.
Neste numem se compirehende o commen-
dador Caidas Lins.
Tem diguidade, circunspeccao e posigao
social, dous eletneotos poderosos que ga-
rantem a sua independencia.
Pela dignidadesoconsidera o dever} pela
posicao, zomba daquelles que pretendem
iirapedir, que o exercite ; portanto felicita a
ste distioeto caralheiro, que adespeito mos
mo dos maiores empenbos, soube tao bera
conduzir-se na tarefa da qual com razao se
scba sobrecairtga.io.
E' ardua e espiohosa, bera o soi, mas o
juiz so se ennobrece, quando mesmo pisan-
do sobre espialios, mantem illeso o sanc-
tuariodajustica.
Continue o Sr. comraendador, a proceder
-issiro como sinceramente creio, tal e a su-
bida confianca que as boas qualidades de
S. S. we iuspiraiu, quo lodos a nao ser
aquelles, aos quaes a jusliga vai ferir, lou-
varao tao lisongeiro quanto decoroso pro-
cediraento; e eu saberei eternamente re-
conhecer o alto merecimento de quem, sci-
ma das affeicdes, collocou direito albeio,
cuja transgressao e uma violenci*, uma ter-
rivel iniquidade, pela qual deve ser unico
responsavul aquelle, que investido do melin-
droso cargo de juiz, nao cumprio exactamen-
te o seu dever por negligencia ou condescen-
dencia culpavel.
Tenbo sido constantemente martyr, sem-
pre que busco obrigar o raeu direito as jus-
tices do interior, e assim que depois deuma
luta de onze annos, no foro de Serinhaem,
onde promovo uma execucacao contra Fran-
cisco das Ctaagas Civalcanti d'Albuquerque,
depois de arrematados os bens penhorados,
apresenta-se um terceiro passando carta de
liberdade a cinco escravos, sob o supposto
utulode Ibe pertencerem, e se acbam ma-
nutenidos.
NSo se pdde de boa fe acreditar, que
tendo sido penhorados bens que nao perlen-
ciam ao executado, h terceiro prcjudicado
nao tivesse corrido incontinente a defender
o seu direito.
E' hoje esta, a ultima arma, com que jo-
gam aquelles, para os quaes se aproxima a
bora fatal em que tem de restituir o que
Ibes nao perteuce.
E iufolizraente esse meio pouco bonesto
vai produzind* seus elTeitos, jd pelas ideas
abolicionistas da epoca, ja tinalmentepela
condescendencia dos juizes.
Esta e a triste realidade que ordinaria-
menle se apresenta aos nossos olbos, que e
um espelho onde se deve reilectir as nossas
serias attencdes de modo a precaver-mo-nos
contra prejuizos futures, quando o que
possuimos e garautido cm sernolhantes
bens. 3
Nao sou centraria a abolicao do elemento
servil, desejo-a ardentemente, mas pelos
meios legaes.
Em quanto, porem, for ella propriedale,
parece-me, deve viver a ;ombra da lei, que
devera garantil-a em toda a sua plenitude.
Eis o dever dos tribunaes.
Dou parabens & miiiha fortuna, repito de
novo, por tor eneonlrado o Sr. common la-
dor Caidas Lins, e mais ainda me desvanego
porque de uma so V8z, vejo arrasadas as
presumpQoes do Si". Pedro I'ehoa, que pro-
testava nao achar-se um juiz de paz que
contra elle despacbasse.
Desejo sereinbolgado do que me devom,
porem, nao desejo desgrac,ar pessoa alguma :
sou demasiadamente condescendente : ap-
pello para o Sr. Pedro L'ch6a que assig-
nou a hypothecn alludida, em fevereiro de
1863, tendo dividido o debito em dezoito
lettras de dous contos e tanto cada uma, e
ate" hojedez annos haainda nao solveu
nenhuma d'essas lettras.
Ainda nao fica ahi a minha condescen-
dencia; aceitei diversas accommodates que
me foram offerecidas, como be.n o podera
confirmar o distincto advogado Dr. Joao
Jose Ferreira de Aguiar, em presenca do
qual foram propostas as mesmas accommo-
dates, e nenhuma d'ellas foi cumprida,
apesar de ter o debito debaixo da segu-
ranca de todos os seus bens.
E' justamente porque estranho esse pro-
cedimento que mes<>rprehendee me revolta
forcando-me, contra o meu genio, a empre-
gar todos os recursos, ainda que com sa-
crificios, para rcceber o que me pertence.
Firme n'este proposito, camuiharei sem
i-essar: por maiores que sejam as dilficul-
dadesque possam surgir.
Recife, 10 de outubro de 1873 "
Manoel Alves Ferreira.
de
Recife, 14k He outubro de 1873.
0 conego vigario, Antonio Mar>jues
Cast Una.
0 vigario, Antonio Manovl d'Assumpsdo.
lend.^WBto do dia 1 a 9 t U:0i 1*374
Oen do* 10. .. 'i2*3W
Einprcza Vicente
Em attenijao aos pedidos, qne Ibe foram
dirigidos pela iroprensa, dcclara esU em-
fireza, com bastante petar, nao poder satis-
u/.el-os pelas seguintes razocs :
Quanto ao duetto Estudante e Lttva-
deira,no espectaculo de demingo & tarde
no (iymnasio Dramatico, por ser bastante
fatigante para a actriz Olympin o papoJ in
Rainha Crinoline e let a mesma actrir. de
tomar parte no espectaculo & noite no tbea-
tro Santo Antonio ; e quanto a co.iiedia
Feio do corpo e bonito d'almapor nao
ser possivel emaiar-se essa comedia, visto
ter de retirar-se com brevidade o artista
SimOes, sendo os espectaculos de domuigo
os ultimos em que elle toma parte.
Attendendo a estas razoes espera, a em-
preza ser relovada da falta de satisfagao a
tao lisongeiros pedidos.
i:*liiiiuli dentes.
Se o vosso cabello esta ralo, lembrai-ves que
entre os claros das fibras germinam ronovos de
cabellos debaixo da epidnroie, os quaes so neces-
sitam d'uin estimulante efllcaz para ajuda-Ios a
penetrar a superficie e brotarem em libras vigo-
rosas.
Applicai com frequencia o Tonico Oriental, nsaa-
do da escova com bastante forca, afim de excitar
os absorveotes a que o recebani, e o resuliado se
ra certamente grato e beneGeo. A experiencu uni-
versal dos efleitos do Tonico, e, que nao sonicate
reforcam e ampliam as fibras, mas sim tanibem as
fa/, multiphcar
Nos climas caiido?, onde as seuhoras erronea-
mente so fazem uso de oleos para os cabellos,
acharao que este e incomparavel superior a qual-
quer outro artigo para dar as suas trancas brilho,
elasticidade e formusura.
MKM7tt
C0NSU!.AO-lHertNClAL
tsnoiu^ntn 'flam rtr. di^ 10. t:Ml#6S8
ts:776
)NCEICA0 DOS HfLftaRES.
De ordem da presidencia desta irmandade sao con-
vidadoa os recpectivoa irmios para, em mesa geral,
boje (sabaado) 11 do corrente, pelas 6 horas da
tarde, no coosistorio da igre.a da inesma Senhora,
tratar-se de negocios urgentes e de summa im-
portancia.
Coasistorio da irmandade de Nossa Senhora da
Conceitaa dos MiliUrea, 10 de outnbro de 1873.
0 secretario,
Jose Prancisto de Settles Bacitra.
Xii botica
da na-
o pEiariuacia
tureza
Se encontram especiflcos para a cura de todas
as molestias, se por acaso podessem ser descober-
tos. Porem ao menos um foi descoberio. 0 Pel-
toral de Anacahuita tirado e extrahida d'uma ar-
vore balsamica, 6 indubitavelmeote o antidoto na-
tural, contra todos os desarranjos e molestias da
garganta e dos orgaos pulmonares. A eflicacia de
seus simples effeitos, seriam em si mais que suffl-
cientes pa,a dissipar toda incredulidade, se por
acaso ja nao cstivessem altamente reconhecidos
pelo testemunho unanime de milhares de possoas.
A historia du f uas extraordinarias curas se acha
escripta e trasladada com as innnmeraveis certi-
does e attestacoes enviadas de todas as paries do
muii'lo habitavel: entre esta grande agglomerajao
de testemunhos, se comprchende cartas de emi-
nentes medicos, clerigos, legisladores, oradores pu-
bli'*'i<>, mecanicos, advogados e lelrados; nnma
palavra de pessoas pertencentes a todas as classes
e proflssoes da vid3. Todos fcillam em snbstancia
que a tosse, as constipates, as bronchites, as es-
quinencias e asthma, etc., se alliviam e curam
mediante o uso deUe admiravel e prodigioso reme-
dio, d'um modo infallivel prompto e radical.
mummm.
M0VIMENT6 U PfiRTtt
--------------------------------- i......
Sacie* rKfrwto* no din to.
Porios d* .Norte% dlas, vap-r ladoaat Sakim, uV
1,539 toneladas, commandante capitao leoente
Ant nio Luiz Teixeira, equipafera 50, carga
differentos generos ; a Perwra Vunna A C
Rio de Janeiro e Bahia 5 dias, vapor tnmtn Rio
Grande, de 3,008 toneladas, commatidaatt De-
lebarre, eqeifagem 95, carga dilerentea gene-
ros ; a Harismendy Labille.
Rio de Janeiro eBahia5 dias, Vapor inglex Ga-
ronne, de 2.464 toneladas, comrWandaMe 0. E
Hume, equipagem 110, carga varies generos; a
Wilson Rowe 4 C
MamanguapeU boras, vapor nacional Cururipe,
de iti toneladas, commandante Jose H. da Sil-
va, equipagem 17, carga assnear a eouros ; a
eompanhia pernambacana.
Havios sakidos no mesmt iia
Bordeaux e portos Intermedios-Vapor francez Rio
Grande, commandante Detebarre, carga a mes-
ma que trouxe dos portos do snl.
Liverpool e portos Intermedios Vapor inglez Ga-
ronne, commandante D. E. Hume, carga a mes-
ma one trouxe dos portos do snl.
Porto Brigae portngnM Uniao, capiiao Antonio
Jose Pereira, carga assnear, ilgodao entros
generos.
Bahia e portos intcrmadlos Vapof necioaal Pene
do, commandante Pereira, carga varas ge-
neros.
Observapao. -*
Suspcndcn do lamarao para Barcelona, o palacho
hespanhol Adelaide, rapitao J VnMenne, coin o
mesmo lastro que trouxe do Rio de Janeiro.
ECITAES.
PKACA DO RECIFE 10 DE OUTUBRO.
DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
CotacSc* ofllciaes.
Algodao do sertao 1" sorte 858OO por 15 kilcs,
hontem.
Algodmde Goyanaa sorte 83110 por 13 kiJos
ban tem.
Cambiosobre Londres a 90 d|v. 26 d. por U000,
do banco, hontem.
Dito sobre dito a 90 i\\\. 20 1|8 d. por 1*000,
liontew.
uuDourcq
Presidente.
Leal Seve
.-ecretano.
4.FLXDAEGA
rteadimenio do d>a I a 9 .
Idem do dia 10 ...
34i:410illl
18:486^037
ProfeHto
Os abaixo assignados, parochos das fre-
guezias da capital do Recife, lendo no Diario
de Pernambuco, de 8 de outubro do cor-
rente anno, um officio do Exm. ministro do
imperio ao procurador da corOa, fazenda e
soberania nacional, de 27 de setembro deste
anno, mandando dar denuncia contra 0
seu charo diocesano, exprimindo-se nestes
terrr.os a respeito dos porochos desta diocese:
E para mais ostentar a sua recusa tratou
de incitar os vigarios a desobeclecerem por
sua vez ao governo imperial, aterrando-os
com a suspensao ex informala conscientia,
ete. etc., protestam eontra taes expressoes;
por quanto, nao foi 0 Exm. bispo, que Ihes
aroeacou ; pelo contrario estas ameacas
sahiram da parte do governo, querendo
obrigal-os, ja com promessas lisongeiras
e ja" com ameacas de processos e prisoes, para
que desobedecessem ao seu legitimo su-
perior.
Por is*o declara.n alto e bom som que
na(?a mais fizeram do que cumprir com
seus deveres, obedeeendo a seu legitimo
superior, e repellem com toda a energia, de
que sao capaz-ss, qUalquer insinuacao e
ameacas, que v|o de encontro as suas con-
sciencias, e nao seriam dignos do lugar que
occupam se o e mtrario praticassem.
Portanto, de novo protestam e estSo dis-
postos a soffr?r por amor de seus deveres
da Boligiao-Citholica-Apostolica-Romaha,
da qual sao iudignos m nistms, qualquer
perseguicao daparted'aqnellesquedevcriam
ser os pnmeiros a respe^tar a lei e dar exem-
plo de obedienoia e pasp?ito aos superiores
jegitiraos,
302:816^168
Descarrcyaiu hoje II de uutubro de 1873
Vapor nacional Cururipe generos nacionaes
para 0 trapiche da eompanhia pernam-
bucana.
Vapor naciunai-Bahiageneros nacionaes para
0 trapiche da eompanhia.
Baiva ingleza Hermione machinisrao ja des-
pachado para 0 caes do Apollo.
Barca ingleza tap/uia-bacalhao ja despacbado
para 3
ponto.
Brigue porluguez Recife vinhos para deposito
nos trapiches Cunha e Barl>osa.
Patacbo hespanholPedrito bacaluao ja despa-
cbado para 0 trapiche Conceicao.
Iiit|>oi'tncao.
Portos da norle, vapor nacional Bahia, consig-
nadoa Pereira Vianna L\ ., manifeston :
Arroz 23 saccos a A. P. Pontes Guimaraes, 50 a
Goncalves Bastos.
Camarao 1 encapado a Goncalves Bastos.
Tinta I caixa ao mesmo;
Vinagre 5 barris a Beltrio 4 Filbo:
Aracaju, vapor nacional M>ndahu, manifes-
ton :
AlgoJa 1 WO saccas a Rabe Schmettau & C. 100
a ordem. AssOMr 100 saccos a Saunders Brothers
& a
Couros 300 a Rabe Schamettau & C,
OESPV'JIOS
9 DE
DE EXPOP.TACA0 NO DIA
OUTUBRO DE 1873.
Para 0% portos do exterior.
No vapor inglez Linda, para Liverpool, ear.
regaram : S. Brothers 4 C. 50 saccas com 3,621
kilos de algodao ; R. Schmmettau & C 59 ditas
com 3.260 ditas de dito.
Na barca ingleza Monarch, para Liverpool,
carregarain : P. Vianna A C. 22 saccas com
5,307 kilos de algoda-i,
Para os portos do interior.
P..ra Aracaty, na barc gou : J. B. deCarvalho 10 barricas com 615 kilos
de assnear refinado.
Para Mossoro, no hiate brasileiro Tret lr-
maps, carregaram : Carneiro & C. 2 pipas com 960
lilros de aguardente.
Para Mossoro, na barcaca Rainha dos Anjos,
carregou : M. P. Leinos 8 cascos com 1,080 iitros
de aguardente ; J G. Figueira 3 laixas com 100
kilos de doce. Para Macao, J. C. Figueira 3 ditas
com 16 ditos de dito. Para o Natal, A Oliveira 4
C. 6 barricas com 5i0 ditos de assucar refinado.
Para 0 Natal, na barcaca Dous Amigos, car-
regaram : B. Oliveira 4 C 4 saccos com 300 kilos
de assucar branco, e 1 caixa com 30 ditos de doce.
A. Quintal & C. 24 barricas com 1,771 kilos de
assucar refinado.
Para 0 Assii, na barcaca Tres Irmfis, car-
regou : M J Rodrigues 2 barricas coa 164 kilos
de assucar branco.
uapatazia da alfande';a
(teadimento do dia 1 a 9 7:671*038
Id^ai do dia 10...... 43U905
A cam.lra municipal desta eidade faz pnbli
Co para conbecimento de quem interes-ar pos-a,
a postura addicional abaixo transcripta auprovada
pro isonamente pelo Exm. presidente da pro
vincia em 8 de outubro de 1873.
Tueodoro Machado Freire Pereira da Silva,
Pro-presidente.
Pedro de Albuquerque Antran,
Secretario.
4.* seccao.Palacio da presidencia de Pernam-
buco, em 8 de outubro de 1873.
O presidente da provincia, tendo em vista a pro-
posta da Iilma camara mnnicipal do Recife, feita
em officio do 1* do corrente, sob n. 90, t na con-
formidade do art. 2 da lei de 25 de*outnbro de
1831, resolve approvar provisoriamente e mandar
que se execute 0 arlico deipostura addicional abai
xo transcripto.
Ficam desde ja em execucao os arts. 239 e 230
das posturas municipaes, approvadas pela lei n.
1,129 de 26 de junho do corrente anno, sendo eon
servados os escravos actua'mente empregados pe-
los arrematantes dos talhos ate lindar-se o contra-
lo, uma vez que os arrematantes provem ser de
sua propriedade esses e>cravos.Henrique Perei-
ra de Lucena. Conforms Pelo oflieial-maior,
Joao Dtniz Ribeiro de Campos. Confoima 0 se
cretario, Pedro de Albuquerque Autran.
Por esta secretaria se faz publico que no
exame de verificacao de eapacidade professional
para 0 magisterio prim rio do sexo feminine, ha-
vido nos dias 2 a 7 do corrente, foram juigadas ha-
bililadas as Sras. :
D. Flora da Silva Antunes.
D. Auta Maria da Purifica^ao Quaresma.
D. Joaquina Cordeirn de Jesus Rocha.
D Francisca Xavier Cavalcanti Vellez.
D. Leobina de Karros Cavalcanti Lins.
[>. Isabel de HollanJa Cavalcanti.
D. Maria da Conceicao Rodrigues do 0".
D. Mariana Teixeira da Costa.
D. Beatriz Amalia da Silva.
Secretaria da instrucfao publica de Pernambu-
co, 10 de outubro de 1873.
0 secretario,
A ureliano A. P. de Carvalho.

UtttCOES.
Santa Casa de Mkencordia
do Recife.
Pela seretaria da santa casa fa'-se sciente a
quem interessar, que no dia 14 do corrente, pelas
9 horas da manha, no salao da casa dos expostos,
0 Illin. Sr. thesoureiro fara pagamento das men-
salidades vencidas ate 30 de seternbro proximo
findo, as anus que se apresentarem conduzindo
as critneas que lhes foram confiada9.
Secretaria da santa casa de misericordia dd
Recife, 6 de outubroTle 1873.
0 escrivio,
Pedro Rodrigues de Souza.
irremalacao
8:102*913
No dia
law0
VOLUMES SAHIDOS
14,768
Pnmuira pnrta no ^t 10.
iegunda porta
Tbrceira porta
Qnarta-porta ...
I'Trtpiehe Conceicao .
163
74
562
26
581
L408
*lwres.j5ii9 4esearrei*dM no trapicte
alfandega *'
SERVICO ilARITIMO
Of*"
V? 0
jitss dita no dia Irt
'-'a\ijs atracadvf no trap, da ajundega
Alv*rengas........
yo trapiche Conceicao r
1&
1
1
H
Juizo de orphaos de Olinda.
Vao em pra^a no dia 23 do corrente mei de
outubro, pela I hora da tarde, depois da andien-
cia do estylo, na sala da camara municipal, uma
casa terrea de pedra e cal, sita a rua do Amparo,
com quintal murado, cozinha fora, estribaria, era
chaos proprios, avaliada nor 900* ; dous terrenos
na rua de S. Joao, com duas freotes de -asas de
pedra e cal, arruinadas, eon um pedaco de muro,
em chaos proprio-, avaliados por 200* ; uma casa
na ma de-S. Francisco, hoje em comuleta ruina,
com um terreno ao lado do n irte, tendo cacimba,
avaliada por 300*, eujos bens sao pertencente3 ao
pnmeiro casal do capitSo Joio Goncalves Rodri-
gues Franca, e va em pra^a para pagamento de
iiversos credores.
0 escrivao,
____________ Hermillo Chagas.
Obras mill tares.
Tem de ser contratadas, com quem por menos
fizer, as obras precisas no nospital militar calcn-
ladas em 1:349*05', e os concertos do quartei das
Cincos Pontas, orgados em 390*060, os da casa
junto a secretaria, e em 128*810 os da casa, em
quo estao os appareibos da eompanhia Drainage:
quem se quizer encarregar. dpresente suas pro-
postas, a 10 do corrente ao meio dia, na reparti
clo das obras publicas, onde encontrarao desde
ja os respectivos orcamentos.
Peruambuco, 6 de outubro de 173.
0 engenheiro,
Chryssolito F. de Castro Chaves
HOSPITAL MIUTAR.
Precisa-se contralar para as dieias dos doeaies
e racoes dos empregados do mesmo hospital, o for-
nccimento dos generos abaixo declarados, durante
o irimestre de outubro a dezembro do corrsnte
anno, a saber :
Aleiria.
An>r>i(a.
At roz pilado.
Assnear refinado.
Batatas ingleza*.
Rolachas
Bolaohas inglezas.
Bananas.
Biscoutos.
Carne de vacca.
Carnesecca.
Ca nede porco.
Cha hyson.
Cafe moido. n
Doce de goiaba.
Farinha de mandioca.
Feijio mutatinbo ou preto.
Gauinhas, uma.
Lenba, acbas.
Laranjas, uma.
Manteiga ingleza.
Manteiga franceia.
Marmelada.
Macarrio.
Paes de 4 oncas, um.
SaL
Tapioca,
Toncinbo de Lisboa.
Vinagre de Lisboa.
Vinho do Porto.
Ovos, um.
Todos estes generos devem ser da primeira qua-
lidade ; a carne verde nao deve center no peso
que se pedir mais do quinto em ossos ; e todos
sao medidos e pesado? pelo systema antigo de ii-
bras e oncas, etc
As pessoas que quizerem fornecer os objectos
acima oiencionados, apresentem na secretaria do
mesmo hospital, no dia 14 do corrente, pelas 11
II horas da manha, suas propostas em cartas fe-
chadas e as respectivas amo;tras.
Hospital militar de Pernambuco, 10 do outubro
de 1873.
0 escrivao,
______________Avelino Pereira da Cunha.
De ordem do Illm. Sr. inspector do tbesou-
raria de fazenda, se faz publico qne, em virtudo
da deiiberacao tomada pela presideneia da pro-
vincia, contida em oficio de 19 de agosto ultimo,
ira novameute a praca, perante a junta da mes-
ma thesouria, no dia 28 do corrente para ser ar-
rematado, por quem maior lanco efferecer, o bar-
racio, sito em Santo Amaro das Salinas, que ser-
vio de quartei da cavallaria, tomando-se para ba-
se da arrematacao o preco de cinco contos de reis
porquanto foi avaliado no juizo dos feitos da fa-
zenda.
Secretaria da thesouria de fazenda de Pernam-
buco, 9 de outubro de 1873.
0 secretario da junta,
Jesuino Rodrigues Cardoso.
Faculdade de Direito.
De ordem do Exm. Sr. director faco publico
que em sessio da congregacao de 8 do corrente,
foi resolviuo que os bacnareis Jos6 de Oliveira
Campos, Eliseo de Souza Martins e Joao Vieira
de Araujo, inscriptos para defender theses, sejam
admittidos a faze-lo na seguinle ordem : o pri-
meiro no dia 17, o segundo no dia 20, e o ter-
ceiro no dia 22 do presente mez ; e como cada
ura delles 6 obrigado a comparecer nesta secre-
taria, tres dias antes ( as 8 horas da ma-
nha) du em que deve ter lugar o respectivo ac-
to. para tirar o ponto de dissertacao, perante o
lente mais antigo dos sete sorteados; cabe, para
este fim, ao primeiro dos referidos bachareis o
dia 14, ao segundo o dia 17, ao terceiro o dia 19.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife,
10 de outubro de 1873.
0 secretario,
Jose Honnrio B. de Menezes.
ADMiNISTRACAO DOS CORREIOS t>E PERNAM-
BUCO II DE OUTUBRO DE 1873.
Malas pelo vapor Bahia da eompanhia
brasileira.
A correspondencia que tem de ser expedida
boje (II) pelo Vapor acima mencionado para os
portos do sul, sera recebida pela maneira se-
guiute :
Magos de jornaes, impre-sos de qualquer natu
reza e cartas a registrar, ate 2 horas da tarde,
cartas ordinarias ate as 3 horas, e estas ale 3 1|2,
pagando porte duplo.
As cartas e jornaes que se dirigirem ao Rio da
Prata, pagarao previamente, aquellas a taxa de
300 rs. por 15 grammas ou fraccio de 15 gram-
mas, e estes a de 40 rt. por 40 grammas ou frac-
cio de 40 grammas, na progressio estabelecida
nas UbeHasC e D -annexa as instruccSes do 1
de dezembro de 1866.
0 administrador interino,
Vicente Ferreira da Porciuncula.
Domingo 12 de outubro.
A's 5 1|< da tarde.
Brilhante espectaculo
em que toma parte o distincto actor portuguez
Siiiioes
.* repreaentncAo
da grande phantazia horWca om I prologo e 2
actos :
k
OU o
Reinado das imiiliercs
No intervallo do prologo ao primeiro acto, o Sr
Simoes repi esenura uma linda
Scena comica
AVISOS MARITIMOS
Para o Rio-Grande do Sul.
Pretende segnir com muita brevidade palha-
bote Rosita, por ter alguma carga tratada e para
a que Ihe falta trata-se com os consigIiata^ie^
ioaqnim Jose Goncalves Beltrio & Fllho : a rua
dc Commercio n. 5.
OOMPANHIA PERNAMBICANA
BE
luvegactto costcfraa vapor.
RI0F0RM0S0 ETAMANDARt.
0 vapor Parahyba,
commandante Pedro, se-
guira para os portos
acima no dia 15 do cor-
rente, as 9 horas da nou-
te. Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e di-
nheiro a fretc : escriptorio no Forte do Mattos
n. 12.
niu rvni
t^i.
Pacific Steam Navigati >n Contpanj
l.iuha quinzcual
0 PAQUETE
THE4TR0
SANTO ANTONIO,
Monte-Pio Portuguez em
Pernambuco.
De ordem da directoria deita sociedade con vi-
do a todos ot Sra. socios a reunirem-se em ses-
sao a asseuiblea geral, domingo 12 do corrente
pelas II horas do dia, nos silSes do gabinete
Portuguez de Leitura para tratarem do exposto
no 1.' art. 24 dos estatutos.
Secretaria.da directoria do Monte-Pio Portu-
guez em Pernambuco, 6 de outubro de 1873.
Borges Costa,
!. secretarn.
Cumpanhia ferro Carril de Per -
nanibuco (uutr'ora Pernambuco
Street Railway).
Convido a todos os possuidores de bilbetes de
passagem n is carros desta eompanhia, ainda exis
tentts em eireulacao com a assignatura de H.
H, Swift, Asst Treasr, a traze-los ao troco por di.
nhniro no escriptorio da eompanhia a rua do
Brum, em tod.is os dias uteis, das 10 horas da ma-
nha as 3 da tarde, at6 31 de dezembro proximo
vindouroz prevenindo, outro sim, que os ditos bi
Iketes serao reputados sem mais valor para qual
2uer effeito, a parlir do 1.* de Janeiro de 1874 em
ante, nos lermos do aviso do minist^rio da fa-
tff^iii de 6 de agosto proxim > passado a da por-
taria v^a presideneia desta provincia de 6 de ou-
tubro cvrr*nte.
Reoif, cv0 ^e outubro de 1873.
0 gerente,
Gustavo Adolpho SckmdiL
Coin o eoncurso do distincto actor
SimOes
Sabbado 11 de outubro.
A's 8 1|S horas,
ULTIMA REPRESEmijlO
do applaudido drama em S actos.de Pinheiro Cha-
gas :
Morgadioha de Yalllor.
Tf rminara o espectaculo com o entreacto, orfil
do de musica :
iniiir londrioo.
dese npenhado pela actriz Olympia e o artista
Simoes. ^,
DOMINGO
.! 8 t|9 horas em ponto.
Espectaculo variado
As pragas do coronel.
Amor Londrino,
Guerra aos Nnnes.
Uma experiencia.
THEATRO
mum BRAMAflGO
EMPREZA
aspera-se da Europaateo dia 12 de outubro
e depois da demora do costume seguira para o sul
do imperio, Rio da Prata e costa do Pacifico, para
onde rccebera passageiros, e dinheiro a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A. C.
14RUA DO COMMERCIOU
Para o Aracaty
segee uestes poucos dias o bem conhecido hiate
D. Luiza, que ja tem parte do carregara6nto : a
tratar com Gomes de Mattos Irmaos, a rua d<> Ca-
deia n. 40, 1* andar._________________________
COMPAiNHlA PERNAMBUCAM
DE
lavcgactlo costciraa vapor.
HACEI6, PENEDO E AKACAJU*.
0 vapor Giquid, com-
mandante Martins,
seguira para os por-
tos acima no dia IS
do corrente, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate 0 dia 13 do corrente, encom-
mendas ate 0 dia 14, passageiros e dinheiro a fre-
te* ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no Forte go Mattos n. 12._________
COMPANU1A PERNAMBUGANA
DE
IVavegacSo costeira a vapor
PARAHYBA, NATAL, MACAO, SIDSMJKO'. A RACx
TY, CV.ASA, MANDAHU', ACAUACU' EC.KANJA.
0 vapor Pirapama.
commandante Felippe,
seguira para os por-
tos acima no dia 13
do corrente, as 5 ho
ras da tarde.
Recebe carga ate" 0 dia 13 do corrente, encom-
mendas ate 0 dia 14, pasjagens e dinheiro a frete
ate as 2 boras da tarde do dia da sahida : es-
criptorio no Forte do Mattos a. 12
Bahia.
0 biate Garibaldi segue em poucos dias para 0
porto acima : para carga trata-se com Tasso Ir-
maos 4 C. a rua do Amorim n. 37.
LEILOES.
I. Eft fly
M
moveis, loucas e outros art>
gos
da RestKiirunte Wrmmfmtm
ua Passagem da Magdalena
Quinta-feira 16 do corrente
as II 112 horas da manha.
.-% saber :
I'm bil1 ar com perlencas. mesas elasticas, dtf-
L-is para jogos, diUis dc loiiro, dita^d* pinho, di-
tas de Terru, aparadures, marqucz;iip|EtinfOlos, la-
va tori os cam pedra, rabides, eadeiras, eacrivani-
nhas de mogno, prensa para copiar, caixa para
gelo, relogio de parede, eadeiras de faia a Luiz
XV, dilas ordinarias, gnarda comida, moinhos,
1 jogo de bagatella, baudejas, copos, garrafas,
servico para jantar, dito para almoco, trem de co-
zinha. tianlieiros, lalheres, colheres, garrafas com
vinho Bordeaux, ditas com cognac e outros mut-
tos artigos.
0 agente Pinho Borges, autorisado, venders ein
leilao os objectos supra itados.
A's 11 boras em ponto havera um bond na res-
pectiva esla;-iu para conduzir os conenrrentes ao
leilao.
avisos ovfRSps
Gabinete Portuguez de Lei-
tura.
( Directoria )
Em virtude de ordem da directoria. anntmcia-
se para sciencia dos senhores socios, qne a bi-
bliotheca do gabinete foi augiuvntada com as se-
guintesjobras, chegadas recenteminte da Europa:
Indiana (a), Armadeile, Tardes de Verao, Biogra-
phia Politica-Litteraria do Visconde de Almeida
Garrett, Carta de guia de casados, Contos e Saty-
ras, Peste (a) Negra, Dramas (os) da internacia-
nal, Noite (de) todos os gates sao pardos, Filha
(a) do Cabinda, Mulher (uma)|paliida Te;lamculo(o)
de Sangue, Resumo da historia da Philosophia,
Tratado pratico da edncaeao materna, Homem
(o) perante a naiureza, Criticos (os) de Fausto,
Idealismo e seutixeato, e Rosas pallidas, Primeiro
inquerilo parlamentar sobre a eniigracao portu-
gueza e Diccionario Universal de educacao e en-
sino, !. vol.
Gabinete Portuguez de Leitura, II de outubro
de 1873.
V. Ferreira Chagas Junior,
____________________!. secretario.:________
Caixeiro.
Precisa-se de nm caixeiro portuguez de 12 a
14 annos, com alguma pratica de molhados : a
tratar na rua Imperial n. 8L
Casa.
Alaga-se a loja da casa n. 61 da rua do Apol-
lo : a tratar na rua da Cadeia n. 3.
CASA
Aluga-se a casa n. 32 da rua das Pernambu-
cana, na Capuuga ; a-chive zsta no acougne jun-
to, para ver.__________________________
Ao commercio
Joaquim Moreira de Barros Neves, socio liqui-
dante da firma de Thomaz Fernandes da Cunha
& d, declara ao corpo commercial, que o Sr. An-
tonio Ribeiro Seabra continiia nos servicos da re-
fcrida liquidacao, a despeito do aviso ieito pela,
Exma. viuva do seu fina lo socio. Recife, 10 de
outubro de 1873.
Medico
Angusto Trajano de Hollanda Chacon, Dr. era
medicina pela faealdade do Rio de Janeiro, chega-
do lia pouco da Europa, onde nos melhores hos-
pitaes dedicou-se aos estudos de sua profissao, e
com esp?cialidade as operacSes e as molestias-dos
olhos, tem 6 s.u escriptorio na casa de sua resi-
dencia a rua Do me de Caxias (antiga das Cruzes)
n. 9, 2" andar. Consultas das 7 as 9 horas da ma-
nha. Gratis aos pobres.
No engeuho Jacare da comarca de Nazareth,.
precisa-se de um feitor, nao se repara a nacioua-
lidade, sendo bjin e de boas qualidades : quem
estiverjiestas condicSes, dirija-se ao mesmo en-
genho, ou no Recife, escriptorio de Leal <& Irmao,
a raa do Marquez de Olinda n. 56, para contra-
tar-se.
c=s
taveraa Ja>rua da Santa Cruz n. 17, em
um ou mais lotes.
oje
0 agente Martins, competenlemente autorisado,
fara leilio da armacao, generos e mais perten^as
dataverna da rua da Santa Cruz n. 17, em um
ou mais lotes a vontade dos compradores.
A's 11 horas (lo na mesma taverna.
LEILAO
Ao commercio e ao publico.
0 abaixo assipado, procurador do Sr. Joaquim
Simoes dos Santos, tendo vindo a esta praca r-
clamar uma letra ja paga, existente em mao do
Sr. M. Monteiro Torres, o qual nao lhe tem sido
possivel encontrar, para prevenir qualquer duvida
futura, declara pelo presente que a referida l-tra
ja se acha paga, como prova-;e com os reclbos
que acham-se em seu poder. Recife, 10 de outu-
bro de 1873.
_____________Silve>tre Bezerra de Araujo.
Aluga-se uma casa terrea em Olinda, na la<-
deira da Misericordia n. 2, um sobrado nos Qua-
tro Cantos n: 21 : a tratar na mesma.
Para escriptorio
Alaga-se uma boa sala e dous quartos do pri-
meiro andar do sobrado a ma do Imperador n.
81 : a tratar no armazem do mesmo.
PAIHRU
DE
duzias de tonico oriental, ditas de balsamo homo-
genio, garrafas de Leroy francez, ditas de ferro
reduzido de Kerme, capsulas de topahiba de
Mothers, xarope de labelony, nuguentode Hen
ry, pilulas de Ayer, oleo de amendoa, injeecao
de Brown e muitos outros artigos para pharma-
cia.
Segnnda-feira 13 do eorrente
as 10 horas.
Por interveriQao do agente Pint?.
Em seu escriptorio, rua do Bom Jesus n. 43.
LEILAO
DE
dividas
massa faliida de Duarte &
Medeiros
bEGLNDA-FEIRA 13 DO CORRENTE.
0 agente Martins levara novamente a leilao, por
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, das dividas activas da massa faliida de
Duarte & Medeiros, constando de lettras e contas
de livro.
No armazem da rua do Imperador n. V8 as II
boras da manhS.
LEILAO
DE
31 caixae com cera em velas marca B
TERGA-FEIRA 14 DO CORRENTE
As 11 horas da manha
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risco de un-m poi lunoer, de 31 caixas
marca B de ns. 4, 6, 7 e 8. com 1,550 libras de
eera em velas.
Tercn-feira 14- do corrente.
A'S 11 HORAS DA' MANII>
No armazem do Aunes defronte da alfandega.
Faz-se negocio com a da rua de Vidal de Ne-
greiros n. 1*7, ou se admitte um socio com algum
capital para tomar conta, por tor de retirar-se
para fora da provincia o encarregado da mesma.
padaria : a tratar no dito estabelecimento a qual-
quer hora ou na rua do Vigario n. 33, taverna.
Precisa-se de ura criado para tode o servicc-
de uma casa de pouca familia : na rua da Irape-
ralriz n. 4'>.
aMBMHBHBHHHBHMi
Armelina de cassia Uarnei-
ro da Cunna Aranha
0 major Pef ro Ernesto Rodrigues da Silva a
Antonio Juvencio Rodrigues da Silva pedem a seus
parentes e amigos o caridi so obsequio de assisti-
rem algumas misas que mandam celebrar na
ordem terceira^do Carrao,-as 7 horas da manha de
11 do corrente, setimo dia do pasamento de sua
mui presada irma Armelina de Cassia Carneiro da
Cunha Annha, na capital da Parahyba ; pelo qne
se confessam desde ja reconhecidos.'
UTEIAO
Precisa-se de nm raoaz que tenha as hahillta-
cfles necessarias para tomar couta de uma casa de
molhado por balanco, como socio, e que tenha
algum capital : quem se julgar nestas condicdes,
dirija-se a rua Direita n. 13., que aehara com
quem tratar.__________________________
Attencao
A abaixo assignada roga ao Sr. bacharel Manoel
Tertulianu Travaso de Arruda, procurador fiscal'
do ternjo d<- Bomjardim, o favor de apparecer a'*
oitao da matriz n. 16, a negocio de particular in-
te. esse.
__________________Palmyra de famine-.
Pre.?i bilitacoes precisas para occupar o lugar dr cen-
sor ie uoi co'i--gio nesta cidado : qnein se achar
pois :i> circumstancias. ipieira dixar sen
noine e ;iora Victoria, p^ra ser procuiado
Aluga-se o armazem de recolher na ma d Burgof n. 11 : a tratar na rua da Praia n. *),
armazem.
^i

i

**^-
f
~-T-' "
-* n -f



I
.\

Wktio de f^naabico Sdbbaxio II Outubro de 187*.
COIPANHUDOS THLIOS rRB.WOS DO RECIFE \ OLIMM E BEBER||{E
Do dia 15 de outubro era diaritc :t (pft'tida dos trcns sera, regulada pela
*"*- ta!

segumte:
DIAS I! I MIS U *A.\ ISI IC.VIMM*
ESTATES
Rua da Aurora fpartida)..........
do Pires....................
do Principe..................
Joao de Barm...................
Rna da Hora.....................
Encrruzilhacla....................
Belera.........................
Campo Grande...................
Teixeira Lopes...................
Duarte Coelho ...................
Varadouro,.......................
Pateo do Carrao (chegada).........
MA.M1A
-ri.30
5.33
5.3i
5.38
5.44
5.45
5.50
5.55
5.58
6. S
6.10
6.30
6.33
6.3o
6.38
6.42
6.45
6.50
6.53
6.58
7. t
7.10
7.:*
7.3*
7.33
7 38
7.. 42
7.45
7.50
7.55
7.58
8. 2
8.10
8.30i
H.j:|
8.3o|
8.38
8.42
8. US
8.47
8.50
8.53
8.38
9. 2
9.10
0.30
).33
9.35
938
fl.42
9.45
9.50
9.55
9.58
10. 2
10.10
TARDE
12.
f
Z_ -
Pi
12*43
2.3-1
2.33
2.35
2.38
2.42
2.45
2.50
2.55
2.58
3. 2
3.10

3.30
3.33
3.35
3.38
3.42
3.43
3.47
3.50
3.33
3.38
4. 2
4.10
4.30
4.33
4.35
4.38
4.42
4.45
4.50
4.55
4.58
5. 2
5.10
S.30
5.33
5.35
5.38
5.42
5.45
5.50
5.35
5 58
6. 2
6.10
6.30
6.33
6.35
6.38
6.42
6.45
6.50
6.55
6.58
7. 2
7.10
7.30
7.33
7.35
7 38
7.42
7.45
7
7.53
7-S8
8. 2
8.10
8.30
8.33
8.38
8.38
8.42
8.45
8.90
8.53
8.58
9. 2
9.10
9.30
S.33
9 J5
9.38
9.42
9.45
9.50
9.55
9.58
10. 2
10.10
ESTATES
Pateo do;Caruio (partida.)...........
Yar adouro........................
Duarte Coelho.......'..............
Teixeiia Lopes..................
Campo Grande...................
Belem............................
Encruziluada......................
Rua da Hora.....................>
Joao de Barros....................
Rua do Principe...................
do Pires......................
da Aurora (chef ada)..........
MANHA
5.3
5.34
5.37
5.42
5.47
5.50
5.54
B.57
6.
6. 3
6.20 7.20
6.30 7.30
6.34 7.34
6.37 7.37
6.42 7.42
7 45
6.47 7.47
6.50 7.50
6.54 7.54
6.37 7.57
7. 8.
7. 3 8. 3
9.20
9.30
9.34
9.37
9.42
9.47
9.50
9.54
9.57
10.
10. 3
TARDE
12.
12. 4
12. 7
12.12
12.17
12.20
12.24
12.27
12.30
12.33
3.25 4.25
2.30 3.30 4.30
2.34 3.34 4.34
2.3i 3.34 4.34
2.42 3.42 4.42
2.47 3.47 4.47
2.50 3.50 4.50
2.54 3.54 4.54
2.57 3.57 4.57
3. 4. 5.
3. 3 4 3 5. 3
5.25
5.30
5.34
5.34
5.42
5.45
5*.47
5.50
5.54
5.57
6.
6. 3
6.25
6.30
6.34
6.34
6.42
6.47
6.50
6.54
6.57
7.
7. 3
7.25
7.30
7.34
7.34
7.4*
7.47
7.50
7.54
7.57
8.
8. 3
8.25
8.30
8.34
8.34
8.42
8.47
8.50
8.54
8.57
9.
9. 3
9.25
9.30
9.34
9.34
9.42
9.47
9.50
9.54
9.57
10.
10. 3
ESTATES
Encruzilhada (partida)..........,
Estrada Nova..................
Agaa Fria...........,.........
Fundao......................
Porto da Madeira..............
Beberibe (chegada)..............
ESTAQOES
Beberibe Ypartida}.......
Porto da Madeira,.......
Fundao................
AguaFria.....,........
Estrada Nova............
Encruzilhada (chegada...
RAMAL DE BEBERIBE
DIAS I II: IS E S V ATIFIC AIIOS
MANHA
S.48
5.51
S.M
5.57
6.
.48
6.51
6.54
6.57
7.
7. 3
7.48
7 3!
7.34
7.37
8.
8. 3
8.48
8.ol
8.54
8 57
9.
9 5
MANHA
6.30
6.34
6.37
6.40
6.43
6.46
7.30
7.34
7.37
7.40
7.43
7.46
8.30
*.34
8.37|
8.40
8.43
8.46
9.30
9.34
9 37
9.40
9.43|
9.46
TAHDE
12.1
\~2 "
12.5
2.48
2.51
2.84
2.57
3.
3. 5
3.48
3.51
3.54
3.57
4.
4.48
4.51
4.54
4.57
5.
5. 5
5.48
5.51
8.54
5.57
6.
6. 5
6.48
6.51
6.54
6.57
7.
7. 8
7.48
7.51
7.54
7.57
8.
8 8
8.48
8.51
8.54
8.57
9.
9. 5
TARDE
1.
'-. -
1.23
3.3">
3.34
3.37
3.40
3.43
3.46
4 30
4.34.
4.37*
4.40
4.43
4.46
8.30
8.34
5.37
5.40
5.43
3.46
6.30
6.34
6.37
6.40
6.43i
6.46
7.30
7.34
7.37
7.4!
7.43
7.46
8 30
8.34
8.37
8.40
8.43
8.46
9.30
9.34
0.37
9.40
9.43
9.46
MEURON&G.
m. yiAii
&ob oompradores do bem conhecido e acrelitado rap6
AREA PBETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha do rap6 de outra fabrica e nome divet-
so, e com papel da mesma c6r, cujo desenhc se p6de
confdndir com o d'aquelles,
Os apreciadores que qoizerem do verdadeiro AREA
PRETA, devem para nao serem enganados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & C., e a desig-
nate de AREA PRETA.
MEURON ft C.
Escriptorio da corapanbia tJos trilbos urbanos 0 gerente.Laur*ntino Jose" de Miranda.
Na rua das Flores n. 7, e estreita do Rosario n.
38, loia, ha nraa pessoa que se encarrega de armar
tumulos e catacumbas no cemiterio publico para
o dia 2 de novembro, coinmemoracao dos fleis de-
funtos.
Afogados
Domingo 12 do corrente, pelas 4 horas datarde,
havera o divertimento de corridas a cavalle, no
largo da Paz em Afogados.
Precisa-se alugar um sobradinho de um
andar, quo tenha pelo menos 2 salas, -3 ou
4 quartos, e cozinha f6ra, seliver sotao rae-
lhor sera, tambem serve um 2.' andar com,
sotfio, e com os mesmos commodos, ou mui-
tos, comtanto que seja no bairro de Santo
Antonio ou mesmoem algumas das ruas de
S. Jose. A.pessoa que precise nao duvida pa-
gar algumas bemfeitorias que tiver, nao sen-
do muito cara, ou fazer algum concerto pe-
queno e aseeto. Quem pok tiver e quizer
alugar, deiie carta fechada no 1." andar
desta typographia, em mao do administra-
dor, com as miciaes W. G., o qual tambem
poderd dizer quern eo pretendente.
(.oziiiheira
Precisa-se de uma cozinneira que seja escrava,
Siara cozinhar e engommar em casa de pequena
amilia : a tratar na rua da Imperatriz n. 15,1*
andar.________________________
Eseravo fugido
Athanasio, caboclo, idade 13 annos, corpo for-
nido, bem pareeido, cabellos crcspos, falla um
tanlo gago, muito csperto e conhecedor do Reci-
fe, para onde diversas vezes se tern auzentado,
tendo desta furtado 3*000 em cobre que estava
sobre uraa mesa. Esta fugido desde o dia 6 do
corrente, de casa do sou senlior no engenho Sa-
pucaia de Beberibe, onie se recompeosara a
ijuem o pegar.
Perdeu-se
do dia 7 do corrente. da rua da Matriz para o
theatro Sante Antonio, um broche de ouro nli-
grana : quem o achar love a referida rua, >ea.' a
n 25, gne se gratificara generosamente. .
4u t'ommemo i
A viuva de Thomaz Fernandas da Cunlia avisa'
ao publico especjalmenle ao commercio qne o!
fir. Antonio Ribeiro Seabra deixou de ser cai-,
xeiro em sn esiatielecimento a rua do Marquez
de Olinda n 44, desde a data de hoje.
Recife, 9 de outubro de 1873
Viuvade Tbojaaz Fernandes da Cunha.
SM de Laacpiws Carnavalesco.
Sao convidados os socios a reunirem-sel
do dia 12 do corrente it 10 horas da ma-'
nhi narua do Duque de Caxias n. 37, l.j
andar.
~ MOFINA-
Est4 encouracado I !
Roga-se ao Dim. Sr. Ignacio Vieira de Mello
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a rua Duque de Caxiag n. 36, a con-;
cluir aqnelle negocio que R. S. se compromeUeu a |
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezerabro de 1871. e d^poif para Janeiro
passou a fevereiro e abril do 187*,e nada cumprio:
e por este mot vo e de novo cbamado para diu
fim, pois S. S. so deve lemlirar qne eate negocio e
de mals de oito annos, e quando o Sr. ten nlho v
achava nesta cidade
<]{ij\eir
No hotel de Apipucos precisa-se de um menino
para caixeiro, |ireferindo-fe um que tenha pra-
tica.
VELOUTINE
6 UMA ESPECIE DE
POS de FLOR de ARROZ
Especialmentepreparados com bismuth
i por conseguinte d'nma ac^ao sandavel
eenre apclle.
E' ADHERENTS e totalmente INVI-
SIVEL, dando a pelle tuna frescura e
aveludado natnraes.
Pre^o da Caixinha com borla 5 fr., em
casa deCh. FAY, 9,rnedelaPaix, Pariz.
Depoeitoem Pernambuco, A. REGORD.
GRANDLOS ANT1M0NIAES
DO
dr. PAPILLAUD
Nova medicacio contra as nolestias do cora-
^lo, asthma.catarr'ho, coquelucht, tisica.tU.
GRANULOS ANTIMONIAES FERRUGI-
nosos contra anemia, chlorosc, amenor-
rhea, nerralgia, nervosa e molestias escro-
phufosai.
GRANULOS ANTIMONIAES FERRUOI-
nosos com bismuth, contra as molestias
nerviosas, das vias digesliv&s.
Pharmacia E. MOUSNIER em Saujoo, (Cba-
renle-ln(erieure), Francia.
Depofilo em Pemambuco : A. REGORD ;
MAURER, phtrmareulico.
Adminiitr.:5o l'AEIZ, it, bonleTErt KonLmutn.
CRANDE^RILLE. Affec^Aes lymphatic**, doengai
du tIm dlgtsUiai, obMruoffies do Sgado e do bajo,
batruco6ea vlsceraes, concrc^Oea ca'.tulosaa da bile.
HOPITaL. AffecfSea S Tlaa dlgeatlru, lncom-
BodM do eatoinago, dlgeatto difflcll, Inapp-lenda,
C*alralgla, dyapepaia.
ZtLESTINS. Affec9GB doa rtna, da bexlga, arelaa,
conerecOea dunrinaa, gota, diabetes, alburainurla.
lUUTERI.Kt. AffeccOea doa rlaa, da hexlga. trolaa,
eoarec&e< daa oarlnui, iota, dlAbetea, albumlouria.
EXI6A-SE
a ROME a* FORTE ka CAPSULA
Aa ftatea de Vichy, acima nomead*a, achlo-ae i
Em Penanbuco, TISSET. frcrea; a REGORD. ]
Precisa-se de uma ama escrava paracoa-'
nbar e ensaboar : na rua da Periha n. 23.
Atten^ao
20$000.
Precisa-se de uma ama para conzinhar e'
comprar para duas pessoas, preferiodose
escrava, que seja perita oozinheiro, ;pa-
gando-se a quantia acima-: tratar no-pa-
teo do Hospital n. 28,
dares.
tratar
1." e 2.*
an-
Ainda se precisa de uma ama esrrkta ou
forrt para cozinhar e ensaboar, para ir paraOisa
Forte : a tratar'na rua da Pen ha n. 25.
AMA
Precisa-se de uma ama que saiba
engommar ou cozinhar: na rua Nova
n. 7, loja.
Ama de leite.
Precisa-se do uma ama de leite, na rua do Ro-
sario larga n. 22, segundo andar.
Ama
80.
Precisa se de uma ama de boa con-
ducta, para engommar : a rua do Brura
Precisa-se deuma ama para com
prar e cozinhar em casa de pouca
famiJia, na rua de Pedro Affonso,
outr'ora rna da Praia, n. 3.
AMA
Precisa-se de uma ama para la-
var e cozinhar em casa de pequena
familia : na rua do Capibaribe nu-
mero 40.
A VI" A Preci^a-se de uma ama livre ou e-
crava para todo o servico de uma fa-
milia de duas pessoas : Apipucos,, rna Nova a. 2
Awiqo Quem.precisar deboas amas para
-*"- todo o semco, di.ija-e ao pateo da
j malric de Santo Astoria n. 6, que promptameate
sera servido.
Na rua da U-
rfiiao n. 47 pre-
jcisa^e de uma livre -ou es-'
i crava.
ama livre para
na rua Direita
AGUADIVINA
ECOUDRAY
Ol.TTA AGUA DE SAUDE
Preconiiad* para o toocador, como conr?ando
consLantcmente as bellaa cfirea da noddade, e prwer-
vaado4* peete e do cholera morbo.
ADTERTENCIA 1MP0RTAHTE
Umfs imilacOes e falsificacfies fraudalenUs,
as mais vezes "damnosas a saode, exciladas pela
f.nna ISo juslamente adquirida pela Agua di-
vina, obrigSo-me a recommendar aos consumi-
dores de reeonhecer onicamente como legitimas
as garrafas no gargalo das auaes acha-se uma
pequenna faxa con a minna
tirma e marca de fabrica.
I Anifl ,recisa-se uma ama para cozinhar :
Jiiiirt a j.ua da prafa n ^ pafa casa de ra
Ifgtag solteiros.
-A ~M A Precisa-se de uma
aaH-'1 andar com merinos :
In -36, lQ andar.__________________
i Precisa-se de uma ama para coriiihar e.com-
prar : na rua Ao Livramealo n. i.
Precisa-e de uma ama paia o servipe"-de
I casa de pouca familia : no largo de S. Pedro, | verna n. 1, se dira quem quer.
t-^J^fVfty
PARIS, IS, me d'EaaChtea.
Eneontra-ie em caaade todoaoi prlnclpaeaPerfamlslas,
Pbarmacentlcoa e Cebellareiroi de Amfiac*.
IA M A
Soledade a. 99,
\ Ama
Precisa se de uma ama forra
ou escrava, para comprar, cozi-
nhar e engommar : na rua da
Precisa-se de uma ama :
Aurora n. ft, a*dar lerreo
aa <-ua da
Saijuespara life ascilades e
villas de Portugal.
Carvalho & IVogueira, saccam f sobre o
banco commercial de Vjaima, e suas agen-
das em todas as cidadts e villas de Portu-
gal, qualquer quantia a vista ou a prazo e
pcf toooi os paquetes; c rua do ApoJlo
PBNDICAO DO BOWMAN
RUA'DO BRIM H. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS aenhores de eodjenho e ontros igricaltores, e empregadores de m
(riBismo o favor do cma visita a sea eslabelecimeDto, para verem o lovo sortimeoto
otaplet > qoe abi tem; Beado todo soperior em qaalidade e (ortidSo; o que com a ins
Clo pesaaal pode-se verificar,
ESPECIAL ATTENCiO AO NUMERO E LUCAR DE SUA FUNDIQAO
iFftnorAft A rniift A'fLfrnn dos raais moJernos eystemas eem ta
T apUTOB O I uuas U agutt maohos convenientes para as diversas
ircnmstanclas doa Beoborea proprietarios e para descarocar algodao.
Moendaa de canna JJJSf 8 lamaDh08' a8^elhore8 ^ae l^
aodas dentadas v**~i **"**
raixas de ferro fundido, batido e de cobre.
ilambiqnes o fundos de alambiques*
lufftl^llTlifini/ill para maodioca e a!godlo,l Podeodo" todos
>U^!W''I**-U****UW e para gerrar m.deira. f ser movidos a m5o
Rftmhfttt -. ipor agaa' vapor'
WWIBUBO o paleote, garaBiidas........ lonammaes.
Todas as machiaas e peca8 de qDe 8e C08tQma precisar-
Fae qualqaer concerto de macbidi8mo>a pre? mQi resumido.
PciriSlRS dfi f&WD t''fIi as maJbore8 e mais baraias existeotes no mer-
lfl4*ftt9imAfi-d{la Incombe-se de maodar vir qualquer machinismo a von-
uutumiuoauao. U(je do8 cym[e&t lembraDdo-lhes a vaDtagem de fazerem
eat coupraapor ifitsraiedio de pessoa DteodidaI e qoe em qaalquer oecssidade pdde
: '** prestar acxilio.
Arados americaaos e iDatronseD!os a8ricolas-
RUA. DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUMDICIO DE FERKO
k' roa k Barde do Triompho (rna doBrnm) ns. 100a 104
CARDOSO & IRMAO
RBCEBERAM de Inglnterra completo sortimento de ferragens e macbinas para en-
genhos, as mais teodernas e melhorobra que tem vindo ao mercSdo.
V apOre.S de forga de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
L/aiueiraS de sobresalente para vapores.
MOenaaS inteiraS e meias moendas, obra como .mnca aqeri veio.
TaiXaS (LUlldldaS e batidas, dos raelhores fabricantes.
KOaaS U aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
KodaS dentadaS de todos os tamanUos e qualidades.
Rek)giOS e apitOS para y*5>ores.
BombaS de ferro, de repucho.
AraOOS de diverea6 qualidades.
Formae para assucar grande*P,quenas.
GonCCrtOS concert*m com promptidao qualquer obra ou machinr, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande ebom pessoal.
EnCOmmendaS man^am v'r Pr encommenda da Europa, qualquer macbinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
e com um dos welhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
litas macbinas, ese responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do BarSo do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
_^_ FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
@ Consnltorio medico cirnr^ico'
\
iarga
DO
Dr. Ferrcira.
*&> Antigo gabmete de seu pai, rua
t'\ do Rosario n. 20.
' Cura de hydrocellcs seni injeccao ^Sp
|Bt\ com puuecao capillar ^k.
*?1!?> Abertura de abcessos e extracjap de.'^'
JBjl derramamento serosos, pelo a>pirador ak.
i& de Potain. tf&&!
Joaquim Jos6 Goncalves
Beltrao & Filho.
Rua do Cominercio n. 5, 1.* andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
*) Minho, em Braga, e sobre os segpintw
'gares de Portugal:
Amarante.
Arco do Val de Vez
Baroellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Guimaraes.
Lamego. f
LisbOar.
Mirandella.
MoncSo.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do'.C&stello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalicio
Villa Nova do Portimao
Villa Real.
Vizeu.
Valenga.
Figucira.
Aveiro.
Agueda.
Caminba.
Evora.
Oliveira de Azemeiss -
Penafiet.
Regda.
Papel de linho viado
a 3#000
a resma, o verdadeiro papei de linho grosso mar
ca viado, proprio para cigarros de policia, para
os Srs. fogueteiros, e para outros muitos mister^-
so no armazem de Jos6 Domingues do Carmo e
Silva, a rua da Madri? de Deus n. 10 \
0 verdadeiro fumo do Rio
Novo.
No armazem de Jos6 Domingues do Carmo e
de fumorUa "* DS "' 10 A' armazera
Ga
z
Carros de luxo.
I'recisa-se
de um moco que tenha bastante pratica de servir
a mesa em hotcts. a tratar no hotel dp Borde.iuv.
Aluea-se uma casa no Foco da Panella, siti
a roa Real n. 16, com bastantes commodos : a
traur na rua do Marquez da Olinda n. 66, outr'o-
ra roa da Oadeui, escriptorio de Lep; 4 IrioJo.
PROBCUHDO DM VIUDaOeillO IaBHO DE LEITE
Reconhecido pela genie elegante do mundo
inleirocomo superior a todos os sabdes ale agora
usados no toocador tao delicado das Senhoras e
dos meninos e para os banbos e a barba.
Para evitar as numerosas imitajoes, exiga^e
a firma e marca de fabrica do in*
veatador com pateste
a*8.
~h
13. rua d'Enghien, Parii.
Acba-se en casa dos priocipae* Perfnmidu,
Pl'afmaoeBtiet Cabelleireiro. daa Americas.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-se
wo303 S/8-c-,Pedro d B^go Chaves Peixoto e
os Paes daSilva, a negocio de particular inte-
.u 1. ''ed';'se *'' mo"o digno etnprorario^do*
th.atros Santo Antonio e G>muasio se digne le-
var a scena as eomedias outr'ora la* frnetica-
menie applaudidas, e intituiadas- 0 velho perse-
gui'lo- O tenente ca*amentoiro e a ratoeira de
amorw.
Ilha de S. Miguel
Vende-se na antiga rua DireiU, hoje Marsilio
Dir>R n. 99, moendas para fazer farin..a de milho,
tarabeiii ha um grande depoito de farinha de
.s quah i; J.s; assim como tambem se faz"
bc/o todos os dias, ao modollo da mesma Ilba, e se
fazendo as encommendas na espera do dia
Capellas para linado
E mquestionaveJ que a eoelieira da rua do Rom Na rua eslreiu do Rosario n. 35 tem ricas ca-
Jeeus n. 13, de Joaquim Paes Pereira da Silva, e a pellas para donzellas, anjos e defuntos com fltas
oue tem as melhores beriindas, calecas, meias ca- e letretros, proprios de lembranca de minha mai
f$nL Vl9'.r,asjd Ipxo. propriae para qualquer pai, esposo, esposa, filho, Olha, irmis, irmaos, av6
noivano, visitas do etiqueta, bailes e ados da aca- e ivo, tudo por mui barato preco de 3< Mill n'
demia sendo os mesmos ajaezados de excellent^ 84OOO. Na mesma casa tem lindos bouquets de !
pareihas fle animaes, arreios luxuosos c fcnleeiros rravos e rosas para formatura dos senhores apa-'
com fardamentos do ultimo goeto, para 0 qne se demicos, com fltas bordadas a ouro a enrnm '
eonvida ao piihlicn a vir por si mesmo scieniifi- mendi deve se fazer tres dias antes e DreDaram pkaca
ear-seda verdade do que deixamos dilo, certo. de se tambem bouquets para noivoT de' craw oZ" I-------i^-
que nao encontrarao nomada. e sim realidade e nes. "u i Altiga-se ne^tes proximos dias duas hil*
casasnaCapunga, rua da Ventura, com commo-
dos para famil.a, as quaes forara concertadas e as-
SasSn.P : tralar M rua D^e de Ca-
------------- .. uu JUV III 1;
que nao encontrarao pomada,
commodos precos.
de D vois a 5^800 a J3ta no armazsm de Jos6 Do-
mingues do Carmo e Silva, a rua da Madre de
Deus n. ,0 A, armazem do fumo.
Capellas ..lorluarias.
Para tnninlosi e catacumbas 110
dia tie flnados.
Porto & Bastos, com loja de cal-
cado a Praca da Independencia n.
39, acabam de receber da Europa
novo sortimento de capellas mor-
tuarias de lindissimos desenhos
kW com as seKuintes inscripcoes, as
quaes vendem porraenos preco do
que em J'utra qualquer pane.
A Meu pai,.
A Minha a.'^.'.'
A Meu Esposo.
A Minha Esp-a.
A Meu Filho. 5
A Minha Filha.
Uma lagrima.
Amisade. f
Saudndes.
PKAgA DA INDEPENDENCE N. 39.
Siiio no lrraiiil,
Aluga-se um sitio no Arraial, distanle da esta
\*'Af. Al\ Pn lO Ip,a. Il.v aa>a _f __a\._____
c v^^fe.asu't,,ui)l'ca .Ani Moateiro de Lima
Aluga-se a casa da rua k Ha n
curar na rua do Jmperador n, 44, pbarmada.
De'nppareceu da casa de seu enhor 0 ascravo
bilveno, cabra aca, idade de 22 anno?, nlieiro,
sem otBcio, natural de Goyanna, foi aid escrivo
do Dr. Astor, lli morador. que agora se acba na
Parahyba, olbps grandes e amorte:idos, nariz
grosso e chato, bocca regular, cabellos carapfnho?
e vermelhos, altura regular, secco do corpo. m3os
e pes grandes, falla mansa, foi visto ha dias na
Casa Forte : quem 0 apprrtwnder dirljase & rua
Nova n. 8, que se gratiflcari ben-
cao da Casa Amarella um minuto, na estrada qne Rego Valenca, achando se habtlitada aara en^r
segue para CasaForto, com os commodos sejruin- francez e piano, offerece-v ao8 ,u a. tJ.V-J?
, Anloni* Pinto (joncalves ?f a Partoga. tra
Jtardesuasaude. ^ Tt
segue para CasaForto, com os commodos seguin
tes: daas salas, cinco quartos, cozinha fora, ter
raco, cacimba com boa agua ie beber e bomba:
a chave pode ser procurada na venda da Casa
Amarella : a tratar na mesma.
fr^, --.-, <~..uuu ac iiaumiaua para ensinr
francez e piano, offerece-se aos pais de suas alu^
hr paia bew9 rmar e8,as heras de trabalho de sua aula.
Aluga se uma excellent
de Duarte Coelho, em plinria,
casa na povoacao
com ns commo-
Na rna do Baray da Vi.;.., ia n. 3G
faUar ao Sr. vigario Anu'ie Cu.uilo
iraSfiK* "si"w" J* ^rs.KiSJre^iiJs;
do Amorim, a. 37.
^^!!LrJl!?aLnma!!crava fielTMig^: 'no *i*as?to faratliS
na rua doltn
30 ul'cCisa-36
de Araujo Pe-
te para vender mmdezas na raa
perador n. l5, armazem.
Aluga-se uma escrava para 0 servico iater-
casa de familia ; a^sim como, um ascravo
de 14 annos, para servico de crlado ou hotel: ua
rua do Imperador n. 60.


.ttttc



%:-
h\imMn*m0k)&
ill
Aluga-so urna >

;i tral.
fpuoga.
uma
gsz e muito
z do Be'ife
tratar
ATIW
tuguez casado ftrom um flllio menor,
rumar se, cITerecen to se o inarklo para
horta e jardiiiye a senhora pars cuMjjr
ou arranjo dkcas.a : quern pivci-a-lcs
fecbada nesYa tvprrjfraphia com as
P. C.
mzent9 i
sto do ecrro&*
dedopollegar
isa-se de
u. 80.
um bom rozinheiro : na
Conlinunr
ilia 9
sigoalc ter
tado quasi :
coco, e Ray
tural do ser
menos do t
zendo volfcu
da, peseoco gfosso, pes seccos e canellas
quando falla apressado ou com medo como quelOBRAS de pall-eta.
ruadjamer qaiieiarap mfp mw mam mm
\r do sobrado da rua direi'a u, 82, core
fe para grandefarnilia. s tratar no arma-
retj Qjjjj da travessa do Corpo Santo.___________
AIng;:-se
a loja do-sobrado da rua IHreJta n. 8?, propria
para qfi%fi|uer ncpn.'io : 2 tratar no armazein n.
ressa do Corpo Santo.
casa para alngar-se
l'ma do Coronet Suassuna (antiga Augusta,
n. yjPj-nwderna, portao p.ira a rua da? Carrocas)
e conmnclDs para familia : a tratar com Marceli-
no lose Lopes a rua do Mondeg", sitio do portao
n. i)3, oh no silio do Arraial junto ao ponto Man-
Ea't^L*___________________________________
vfliga-se uma casa na <:apunga com um pe-
qotno sitio, dentro do sitio d> >r. Dubourcq, tendo
a casa commodos para grange Tamilia : a tratar
no mespio sitio com o Sr. Manoel Ignacio de
Soii~,.
Alng?se 0 primeiro e segundo andares da casa
n. It da iravessa da Liugueta : a tratar na rua
Primeiro1 de Marco, antiga do Crespo, na loja do
Pa; so jnr'o ao arco de Santo Antonio
A quern interessar
i'erWn da Silva & Guimarae-, proprietaries da
loja do P.-ivao, previnctn pelo im;'-'-nte aseus fre-
guezeS desta pr.T.a, qnese achara comseus debitos
atraaadus, quo se nau saldarom os mesinos ate
dia 3) de oulubro do cormito anno, Iralarao de
af*jadicialmente, nSo tendo contcmplacao com
niii.inwii.
Becife, i't de seteribro de 1873.
Eseravo fogido.
Qtoapparcccu de casa do aliaixo assignado, no
dia 53 d 1 cm rent.', a asaravo pard >, de nooie
lYaqtno, de e-ialui a regular t ba-tante palido.
1'Oi.' m (Tre de frialdade : quora 0 apprehender le
ve-o a rua do VigaTin n. 21, <;.u; sera recompen-
di.
Domingos Alvvs Matluus.
FranCisco Guedes de Ar.:nj laz publico que
vendo 0 seu dome iocluido na lisla dos devedores
da massa fallida de Amoriui, Fragoso, Santos & C.
dec'ara a queni interessar, quo nada deve a referi-
da massa, por (inanto em .tempo entron com a
Dane mte Uw tocava como socio cmnmanditarfm
Qoanto a i| autia de (|uo e concaKsiunario, so 6
respoBsav ; a signatan > 1I0 r'spoetivo ronirato so-
cial, 1 am 1 Ism de-i;iiaJo em diversos julgados 0
m^uii-- mo tribunai do comoicrcio. K para que
nioguem se illuda, fax a prcscnte declaragao.
Ileeife. t. de noinhro de 187:i.
Boa
festa.
casa para a
Atnga-xe uma excellente casa no Monteiro, tra-
vaaa do Xi-;o, a qual se aeha em maito bom es
.' liiflppta : a tratar na rua Primeiro de
: fc Hrespo 11. 90 .',, loja de Bargel
\ '
!.;: i-se 0 '. aodar do sobrado sito a rua
li, com 1* coaunodos se
i salas gran les basianUu freseas, 3
lo?, cozinha fora, quintal
n ;. ; a-4 para a rua de HorUs e cacllhba com
! '. rahtvar qu'eni pretender dirija-se a
l< a 1 fndej udeneia a*. 1'.) e 21, loja de
achara -om tjuem tratar. AcotUeoto
. tM veude se uma peca iiti|)i>rtante,
B es'-r.-iva de IT a 18 ana: s de idaHc, de muito
!'! m i ra, sadia. muito robosta e sem vicio
al^nni i\ lem pretender dirija-so a estrada de
' -. sitio 11. 21, que achara com quern
I itar, daa 6 'J boras da maoba, ou das i as 6
MANOEL ENEDrNO REGO VA- JG4
le.n\:a Si?
medico, a rua da Qimloa do Carmo itsv
21, 1 andar. \&
i
L,
am
1GUA1
mais]
Igod
ILLNHA
veadoi
inmerto n. ]
TE dolajd [
delaran|
ao para ba
'a, recanted
sol. paraj
marlim
ro, lara
liil
escriptono a
seguinte :
ijxa do 1 i garr
em idem,
chegada.
Item e senhora.i
fabrica do eon
.met
zo.
Esta mulato ja fez uma ftiga, e
ctdade d'Areia hi mais de amio, a af
no Recife para as baudas da Bta-Vii
calo ; assun como 0 .nulatu Luiz,
e um irmao moradores no Recife, co.
liberto por occasiao da guerra do Paraguay.
Pede-*e is autoridadesjoliciaa^^-apprehe
de dilos-escravos, e a qualqucrjBsoa,
alem do agradecimento. se pag|(peneros
le: no Recife a rua do Bom JesUO^O, ou
genho Mega6, na freguezia > ^0
Ahjf denied ob
0 primeiro andar do sobrado da rua. Duqao de
Caxias n. 4i, proprio para escriptono ou rapax
solteiro : a Iraiar no mesmo, loja.
Mudanga.
0 abaixo assignado partieipa ads sem eredore*,
freguezes e devedores que mudou sen estabete-
bimento de selios, da rua do Marquex de Olin-
da para a rua do Vigario n. ft.
Marcos de Almeida Lima.
uradvir
Albino
volta da
0 relojoeiro e doi
P.aptista da ROcha, de
Europa, conth^ua- a epcarregar
se de eoncertar e donrar ralo-
gios, bem como outros obiectos ;
rogando a sens arnigos e fregue-
zes 0 obzequio de procura-lo Da
travessa da rua das Cruzes n. II, 1. andar, por
detraz da praca da Independencfa, 1Jnf V^Wou-'
trarao prompte. A garaatia de seu* trabalbos e
b faze-las por prjec-os raodieo*; assim oomo tan>
oem veiirte relogios. f fjfjlfl 11
Alni'a -e 0 2" andar a rua da lujperalriz n.'
5 : a tratar no caf6 imperairiz.
VK

de algodao da Dahia, da fabrica do com
mendador Pedrozo.
Z de todas as qualidades, das fabric
Peres e Eduardo Militao.
S proprias para botica.
PARR1LHA do Para.
VELAS de cera de todos os tamanhos.
NHCMMarrafado do Porto, eaixas de 11
rMjpscate Jdo Donro, idem idem,
lo Setubal, eaixas de 1 e 2 duzias. j
da Italia engarrafado, eaixas de
rafas,
de CoJlares superior, em ancoretas.
de cajii, eaixastle 12 gar afa9.
do Douro, eaixas com it
Amaral rfabuco *-C. eceberam nm coop
soriimento de chapeos de palha de Italia, soda
e volludo, pretos para Into, a de cores enfettados
com bonitas flores e fila : vendem no Baza^^H
toria, a rua do Barao da Victoria n. 2, antiproa
Asunicas vordadeiras
Bichas hamlmrguezas qne ven a e.-te mewado:
. na ftja- do Margp v. da ul uxda a
COMO S\ LIMIOS!
I Os leques todos de madreperela,. branc
fcores e que trazem 0 disticoUNlAO em
tambem de madroperola em alto rele
nando-se por isto apropriados para noivas,
VA ESPERANCA a rua Duque de Caxi
(aatiga do Quoiuudo) e quern os tem.
Sao de tartaruga
Os brtneos, brofbes, melos adereeos,
Oracdes, a cassfileta#, qua esta> oxups
aecolliaflas Expoas. (amanlcs dtfcbiiu
da Nota fisnfeianca,
A 63.
a f\iAi Buqi
Aos Tneumos
A.Nova Esperinta a ma DaqM de. Caxias n
63, acaba le raeebar not limlo
neeas de muifas quali rSfles, ti
#3
8lTTESC.\0
as
n
Vend c sets eaixas do forro de amareUo para
casa, do aacadi obra muito bem aeabada : a
ver e tratar na rua do General Scara (antiga do
Jasmiin) n
Alnga-so uma excellente escrava para todo
0 sciviro : na rua d^. Gloria n. lili.
Aeha ;e abarto iIrs 7 as 9 1|^ Ivras da noite. na
rua do Mar-jn"z do Jterval, juul > a ponle da Boa-
Vista, um barraclo decentemente ornado e com
tnnsica. tendo IngarM sUfflcifflites para familias.
aprewntan lo trabalhuf de quadn a afiegi ricos com
movimetitos, camalaao eiectrieo, visus de cidades.
varias (fgura?, etc., etc A entrada e de i>00 rs.,
dando Qlroitu 1 uma yorte a ioda equalquer pas-
saa "|n- visitar este e^tabek'i-.imento. Serao apre-
senin)oa todas as noites 30 quadras, e mudados
de a ig) era drfns tBas. havertdb InteVvsllds de cin-
co mi 1 tos I nma rcpresentapdu a outra, tcrmi-
nando as 9 horas.
Oabaixo a-signado, succe sor de Pin'o & Mar
tiniano, roga iastantemente a-s sous devedores.
que se a chart, atrazad*; WnhMn a bondade de
vir salJarsuas conta
____________________1.-V.M. Pinto.______
Vende se um escravntho de 10 annos de
11. ,'n: -a tratar na rua do Padie Nobrega nu-
ero -20.
Pedo-so acs Srs, eoronel Joaquim Cavalcan-
ted' A! ineraoe sefihor do e.ncenho Paulista,
Dr. Luii Li.:;es i]aste(bi-B-anco e Vicente Hacel
lar. j obzequio de apparecerem na rua do Duque
de I Caxias n. 44, a negocio que Hies iuleressa.
iitefo
iSo bo!.-l de Apipucos precisa ^e de am criado
para traawjtiar no me>iuo, preferindo-se um que
ja toaha pratira.
Precisa-se de nma'ehgommadeira, uma cozi-
heixa nm criado pa'ra' cbnipras ; na rua do
Hospicin n. 'i0.
Aiuga-se 0 primeiro andar do sobrado da
ma do A; 1; rim n. 21, proprio para pscriptorio e
o terceiro andar do mesmo predio, com sotao e
bon; commodos para familia. Tambem se alu-
g> o 3. andar do sobrado da mesma rua 52, com
cort:: a familia, e ) sobrado de um andai
do lieeeo Largo n. 3 : a tralar na rua de Domin-
gos Jose Martin- an'jga Seuzalla Volha n. 2,
Hrverna.
Fuwliclo da Aurora
Grandesoftimento de:
Moendas de todas as qualida-
des c tamanhos.
Tachas fnndidas e batidas,
idem.
Rodas dentadas e angulares,
idem idem.
Maehinisino, idem.
Varandas, gradeamentos pa-
ra jardim, etc, etc.
Tudo se vende por pretos Cabellos brtmcos so fem quam
muito em conta para- aca-
bar.
acrtimento de bo-
Tinuo cntre ellas as
engrajadas bonecas* de borracha, assim tambem
uma peqot?na qnarrtiaade de bonecas pretas quf
se tarnam apreciadas pela sua Ebem util
A Nova Esperanca a rua Duque do Caxias n
63, 'ecebeu verdauetro cimento.irrglez, pwpara
caopara coDoertar porcelana^ bem ujil.
VestMo perdido
iWitas vezes um vestido torna-se inteiramentf
fefo, somente por estar mal enfeiiado : a Nova Es
peran.-a a rua buque da Caxias a. 63, remnvi
este mal ; porque esta bem provida dos merbore:
galSes e franjas de todas. as cores, onde node es
cother-se a vontado sobresahindo entre estas as
modcrnas franjas mesaicas,' qne pela sua varieda-
de de cores, jfiea. bem em Xquasi lodaa as fazeodas.
A ella antes- qua se acabam.
N. B.
G. Starr AC, em liquida-
^ao, na fundicao da Aurora,
em Santo Amaro.
DE
Algodao da Baliia
Ha para vender das seguintes fabricas :
S. Salvador.
Conceieao.
Valenca.
Modelo.
No escriptorio de Luiz Duprat, rua do Commer-
cio n. 34, 1 andar.
Cambraias
Victoria ftua a 8|5t0 e 3^000 "a pega com uxjue.
E' pechiucha : na rua do Quemiado n. 43, em
frente da pracinha kvjade Gaerra &Fernandes.
Las e sextos.
Cambraias bordadas e autras fazenl.-.s, vendem-
se baratissimo, a dinheiro : a rua do Barao da
Victoria n 9, antiga ma Nova.
Trastes.
Vou e-so mobilias de jacaranda e mais pecas
avulsas, todas bem consiruidas e por preco mais
oommodo do que em outra qualguer parie : na
rua estreita do Rosario n. 28. ______
Aguas Alealino-dazosas das Pe-
(has Sal^adas.
Villa Roucade Aguiar.
BICARBON'ATADAS-SoblGAS
Anal; ses do Dr. .lose Julio Rotlri-
gaci, lente da cscola Polyte-
cbnica de I.is3>oa.
Esta cxcelleule agua usada com vautagem ncs
padecimentos das vias digestivas, urinanas, do
eslomago etc., etc.
Vende-se
NA
(Pliaranacia e drognriii
Rua larga do Rosarlo n. 34.
- A'ende-se o sobrado n. 17, na rua de S. Jor-
ge, outr'ora do Pilar, com fronte de aiulejo. de
um andar e sotao, e quintal marado que deita
Sara 0 mar : quern o pretender dirija-se a rua
a Cruz n. 6, seguudo andar, qua achara com
quern tratar.
BAM Mmuu,,
Rua do Bario da Victoria n. 22.
.
m
a.
Nenhuma machina
Singer e iegitima se
nao levar esta marca
fixa no braco da ma-
QA' este grande astabelociraento tern ch&-. china,
gpdo um Jbom sprtimanto dc macbinas para
coftuja, de.toilbfi os aittores mais acrodita-j
dbs uUimaiaentena Europa, cujas macbinas,
sao garantidas por um anno, o tendo um i
perfeito artislai oara ensinar as mesmas, em |
qualquer parte uesta cidade, como bem as-
sim concerta-las pelo tempo tambon d'um
ajino sem despendio algum do comprador. |
Heste estabelecimetito t-mbem hapaJUaVM j
para as mesmas macbinas e se suppre qual-
quer pega que seja necessario. Estas ma-1
ohinas trabalbam com toda a peiifi.irao de
dr&fl -dotw po9popto8, frze e-4*)rrie to4a
qualquer castura por lina qyo seja, sous
pregossdoda seguiotequabdadei p:na tra-
balbar a mao de 30J50OO, 405000, ...?006:
8 50J5000, para traialhar coin o po "'ro de
80JJ000, 963000, 100JP00O, 11-7000,!
1205000, 1305000, 1505000, 2'JO;000 e;
2505TJ00, emquanto aos aulons nau lia at ]
tpragSo de pregos, e os compradorrs poderSo \
visitaiuijle.estflbelecimcnto, quo mtiilo do-
verao gostar petla varicdade de objqetos que
ba semprepaiavender, como sejani: cadei-
nas parairiagero, ntilas para viagem, cadei-
^as para salas, jditas tte balainjo, ditas para
erianca Kh*s) ^ Jitas paca osoolas, costurei-
ras rtquissimaSfc para senhora, despensaveis
para c.riancas, de todas as qualidades, caraas
de ferro para bomem e criancas, capachos,
espulbos dourados para sala, grandes e pe-
queuos, apparelhos ds metal para cbd, t'a-
queiros com cabo de metal e de marfim,
ditos avulsos, colhe/es do metal fino, condiei-
fos para sala, jarros, gaarda-oomidas de
arame, tat|ipas ,pwa -Cfcibrjr grates, esteiras
para forrat ia|a, Mnatorios completos, ditos
Simples, objeclos para toilette, e outros mut-
tos artigos que muito eleven) agradar a todos
quo visitarem este grande esUtbelecimento
qae se acha abofto dede as 6 horas da ma-
nh3 ate as 9 boras da nou'tea"
Rua do Barao da Victoria n.
__________22^___________;
Ndo ha mais cabellos
brancos.
T1NTURAR1A MWll
S6 e unica epprovada pelas academias de
sciencias, xecoubecida superior a toda que
tem appareciilo aid hojo. Deposito princi-
pal & rua da Caileia do Uecife, hoje Mar-
quez de Grinda, n. 51, i. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellui-
rejro. .
Para, eyilar falcifi-
?"
cacoes notem-se bem
..... '
todos osdetaihes da
marca.
AS MACBINAS PARA COSTDBA
UE
NAO TEJffi __
1IAIS DE U17JUH40 TEffSE VE\DID0
Porque?
Sao as melhores
Sao as mais baratas
Sao de dous pospontos
Sao mais simples e rBpidas
Sdo duradflras c operftiroafla;,
Sao util cm uma casa.
Lazinhas com listras de sje-
da a ls^ o covado.
T
100^000 de gratifica^ao
DosapnaP^f^n de novtf, de bar Jo da barca bra-
sileir* 8. J(ti, n e*<:ravo Joaqclm, preto do na-
c5o, o qual auda hem vestido e calcada, deixsn-
do i'! Jwlloa a modo do rm ia cabelleii'a.
iteridiiaen o (aHtoido Dr. Orj n
pio (ia SiWn, jue a ha via comprado na
provin.:ia d. .Mtnaa (*\a *. ioao d'Kt rei ouOura-
Preu), e eo>n elle seguioi para o Rio de Janeiro e
d'alli para eta prurincia, doud,' foi para Slaceio,
lend) o vendido alii a JustJno Epaminondas Ne-
ves, ;.
Sab
econ'
yrehi
tap!.
R*ife, 6
comprarajk-os akiix i essignados.
t (kdioado,
aem oap-
- auiondades a sua

Ae*t Silva Loja 4 Filbo.
A. loja d'America tem
B' fazenda especial a da* muito gostb para ves-
tidos de sehoras ; dao-se amostras. rii rua do
Cabuga n, 10, loja d'America. ;
A'ende-se ttma mei-agua na beeqo dos Mas-
cates n. 4, outr'ora beeco das Miudinhas, cliao
proprio : a tratar na rna da SanU Crui n. 1, a
qualquer hora do dia.
Atteiicao.
Domingo 1% do correnlo em diahte octiar-se-ha
a venda no atjougue de marmore no pateo do Pa-
rai/.o, cwne verde, sendo de- sorte a MO rs. o
kilo e i* dila a 400 rs., servindose tern *s pes-
soas que se dignarem corwprar.
Vende-se duas mei aguas grandes-e fom bom
quint:.'1, e que rendem 304 maasaes, na rua do
Rruiii, jtMto tk estatao dos boalto, das quaes pede-
se ,fzer mm gcande armazem para *lawB*men-
to9,oa para deposits ; e tamham seis tu'raa Im-
perial, que renders 60v mensaes, edtftcdiaa ha
i, e en solo propria : quem pcetawkr dinjs-
# 4raa4as Tr^ncneira* n 34, ou a4Ma mm da
rua de Santa Cecilia, que fara lode a|oei.
quer -
A Nova Esperanga a rua Duque de Caxias
63, acaba de receber a rerdadeira tintura do Des-
nous para tingir os cabellos, o que se cocsf gue
(empregando-a) com muita faciliaade, e por este
molivo, cabellos braucos so tem quem quer.
Estao na moda
Oil cinturSes de couro, proprjos para senhoi^s
Sne recebeu a Nova Esperanga a rua Duque de
axias n. 63, estao, sim, senhora', estao na moda !
Se quereis ter ou preparar um ramalhete de
cheirosos cravos brancos para o vosso casamento
ou para outro lim apropriado, e riecessario ir a
Nova Esperanea a rua Duque de Caxias n. 63,
que alii encontrareis os melhores ports bflttqueln
que se pode desejar.
Bolus de borracha
Vendem-se de todos os taman!-.G3 a rua Duque
de Caxias n. <53, Tia Nova Eaptranfa.
X
m do Crespo.
Coniiiwa a \mkv bara
a par iMiilo.
Brins de liclio de ceres (pechinca) as.5/02601
vara.
Fustao branco para roupa de meninos a rOa
o covado.
Laainhas escocezas a 240 e 280 rs. o covado.
Alpacas com listras a SOO rs. covado.
Brins pardos e de cores a 400, 440 e 500 rs. o
covado.
Bint lona Lrano a (600 a vara.'
Cambraias pretas para luto a 240 rs. o covado.
Cri'tone de listras a 540 rs. n covado.
Chitas roxas a 20i) e 2'iO rs. o covado.
Gro-denaplo preto de coroSo a 5M400 o covado.
Cobertas de chita adamascad,a a 3i500.
olrtias brancas ode c6resa 3*500 e 48.
Len;6es de hramantc a 2^.;
Ditos de algo-.lao a 184PO.
Toalhas alcocboalas a 6* a duzi;i.
Leueos de cassa mm--bam a ii a dvJzia.
Ditos de dita abaiuhados a 11.
Ditos do esguiao abiadhadoa a 3JB0O.
Cambraia lisa a 3 e 45500.
Dita Victoria lina a 3i800.
Aloalhado a 2d a vara.
Cort93lde.ca*einra lina a hi.
Fustoes de cores a t^ o oorte,
fchallas de n.erin'6 liso a'2A.
Ditos de rlfto esinmpado a if. 455C0 e 5^000.
Alsrodao de lisiras atnen'caae (com toque) a 820
rs. o~eovado.
Catnisas inglezas a 385 a dtuia c 3^500 uma.
Esguiao fin-> a 25 a vara.
Brim preto traneado a ii a vara.
tlramaate de alro|so a liCW a vara.
^Dito de linh'o a K500 a vara.
Cambraik de liiiha decora* a^60rs. o covado.
Algndilo T a 53 a peca.
MadapolSes baratoe.
filtSSit-Kl
Chegou esta fazenda, sendo lindos padrSes, e,
ven !e-se pelo diuiinnto preco de 200 rs. o cova-
do ; somente na rua do Crespo p. 20, loja de Gui-
lberme 4 C.
So na rua do Crespo n. 20.
H,oja tl
Guilherme & O. i
--------:------------r^f------j--------------------------- j Lannhas. faienda de 1*000 por 400 rs. o \ endO-SO ; do, sendo da largura de alpacas, padrfles bonitos ;
nmeItontcavalh) ndvo prcftio *ara aabriolet \ jft|L IT*T "" CrWP "' *' 'Ja ^
e spllav por preco miilo .em cota :< a tratar e vfir^ U?T"n^ ",u
Faz meflior costwra com metcide dalinka quapsiom
as outros e forneccmnfameio de
TIDA
Para aquelles qne lea de suslciilar-se
i
Qnerem agracfar d yauj'a ?
Querem agridar a esposa?
Qitcttm agradar a iiiha?
OOMPRBM UMA
i,A DE T'
Nmhivnm casa cstd complete s*ev\ uma
mm MGonvng.
Do foira de d-)tis a seis cavallos : a venda no
atmazem ae Joaquim Lopes Machado & C, tr-a
vessa do f'orpo Santo n. >.___________________
Yende-se
potassa nova em meias barriquinhas a 320 rs. o
kilo : na travessa du Madre de Deosn 14.
45
Sent caixa 80^000. Com caixa"90|fO(M>
UNICA AGENL1A
EM
A CASA AMERICANA
RUA DO I.MPERADOA 4u
Vende-se a metade do sobrado de dons an-
dares e sotao na rna de Pedro Affonso, outr'ora
rua da I'raia n. 33 : a tcalar na mesma rua, ar-
mazem n t A. E' vantajo a a compra por ser
^m importante pr-dlo, hem constmido e de gran-
do rendimenlo jicIor sous cseellentcs commod>s.
Veude-se, on aluga-se uma das melhores casas
a Boa-Viagem, com um pequeno sitio para pasto
de vacoas, a terreno fresco para planlaeao de ca-
pim : a tratar na rua do hnperador n. 83, I., an-
idar.
-
Labyrinlhos, bicos, rendas.
No escriptorio de Gomes deMattos, Irmaos, a rua da Cadeia
do Recife n. 40, 1." andar, 6 o unico deposito do que ha du
melbor, e bem acabado, qae tem a este moreado, da cidade do
Aracaty no Ceard, quem os oomparam com os feitos aqui na
terra, facilmente reconh:cerd a inimensa differenca, que vai
de uns para outros, tauto em preco como em qualidade.
Lindissimas toalhas de labyrintho.
Fronhas de diversos tamanODs.
Lenijos de todos os pfceos.
Bicos e rendas em profuzao.

Calcado estrangeiro.
iproxima se o mez de dezembro, tempo em
que o Paris na America, a rua Duque de Caxias n
59, I." andar, tem d3 dar o seu'balaneo, por este
molivo, os proprietaries desta estabelecimento es-
tao resolvia'os a vendereai setts calc.dos pelo cui-
to, afiin de minorarem o trabalho; assim pois os
apreciadores do bom, e com espeeiaiidade o se*o
araavel, para qnem o P/iris ua America, conserva
com a devida decencia) o seu gabinete reserva-
do, para a escolha 4e cal^do, aproveitem ,e ve-
nbam munirem-se do quejprecisarem.
f
na rua do Ilmra jl |fi.
5;;
Vende-se

um vapor da forca do rinco cavallos, nova, proprio
Dara qualquer mister, com broazes de sobresa-
[entefi, a por preco commodo: para ver, no arma-
zera do Barao do Li waroent> a tratar a rna do
Torres n. ai; aVandaw
Banhos em Olinda.
Camisas a oa&as de fazenda de boa quaiidade,
proprias para os banhos em Olinda : na loja do*
ajebs a rua Primeiro de Mare' (autiga do Crespci
n^ JQ A, de Gi9al do Amaral *\
Q-raode novidade.
timw
Vende-se piassava, tea e nmito ea eouta :
ro*do Apollo n. 27.
S opara 4ft
. Vieram no ultimo 'vapor, baptistas Unas com
* barras, gusto* chinezes, pelo diminuto preco de
' 300- fs. o Covado : a rua do Queimado n. 43.
Lac earn Ihtras asjotinadas, ultimo gosto a
M *#000 o ewrado : 6 o 43 a rua do Quermado
m-se amoaffas.
TASSO IRMAOS & C.
Em seus armazens & rua do Amorim
b. 87 e caes do Apollo n. 47,
tem plra vender por pregos commodos
Tijolo| encarnados sextavos para ladfilno.
Cano* de barro para esgoto.
Cimeato Portland.
Cimefto Ilydraulicc.
Maeh ias de descarocar algodao.
Mach ias de padaria.
Potas t da Bussia efflMrril.
I'iiuspfcuros de cera.
Sagu imiairrafSes.
Sevac nh)f em jarrafoes.
Lenli ias e prrrafoes.
Hlmir da aJmaica.
Vinholdo Parto velho eagarrafado.
Vinho do Porto superior, dim.
Viulio da Bordeaut, dlto.
Vinho Je Scherry.
Vinho da Madeira.
Poles torn linguas o dobradas inglezas.
Licorea tuos sorudoa.
Cognac Gaulbjer Frerea.
latis de toftciaho inglez.
Ban'is-com repolbo em salmonra.
,-----1 '
Yende-se
trastes de jacaranda e amarello com poufco us.,
em perfeito estado, e tambem um meio apparelt ,
do louca para iantar a um dito do porcelana, flno,
branco, para almoco. Vende se por ter o dono de
se retirar para Europa : na rua da Imperatriz
n. 54 A.
Potassa da Bussia eon meios
barris-a 500 rs. oloito
Desembarcada ha poncos dlas : Veade-se no
pscriptorio de Ohverra Filbos dc C, largo do Corpo
Santo n. 19.
Macbinas
Por baratos preros pars desearoc** algodao, ua
12, 14, 20,2o, 30 e 3o serraa.
- Cunha Jp Manta
SS'Rna Marquex d
VENDE-SE
f 0. C, Doyle.
Tem Ara ve 11 t :
Gognai da Hennessy, superior a verdadeiro.
Vinho Seres das mblbores qaalida4es\
BBitters de Angostura.
Whisky.
Cha pr^to era latta* de 10 lihras.
Tedas as preparacaes cftinrtcas do Dr. Ayer: no
armazem kink flfl Comtnettio u. 39.
larris com cuae de-vacca a da porto, ulgadi.
para raantimentos do navioa : no armazem do Tas-
o Irmaoi Silva Barroca & Pilhos teem para vender em
seu atmazem, a rua do Marquez da Rnda a. 4 a
stguinte :
.Folha de Flandres.
Estanho em verguinhas.
Machinas para descarocar algodao.
Cerveja esoosseza brattca e prata.
Filtele para bandeira.
Vidro* para vWra?a, 1" qaaWaade. '
Goinehos para ioar.

I


i
V
V
l
*
\
Jc
>ado
frit.ttalft
lied
SCARES LEITE, IRIAOS
mims AGENTES
Rua do Barto da Victoria n. 28
Xa ioja de Soarca^Leiie
Luvas do pr.-Ilica dom pciucno toque,?
a 200 rs.
Abotoadiif^s para e-llute, gr.m-lc sorti-
mento a 120 rs.
Caixa do linha de -nnrca, a 200 rs.'
.*.
Barao da
'TEC .'
Laffipamias a gax, dnndo uuia Uu muito 19000.
iaoiSr ci)raU,',iw, ,,e ^P* verdadeifo, a
! boa, a 15000.
Duzia de pecas rdao imperial, a
249 rs.
Vs tastis simples, as mais baratas e as melhores do mundo!' 200"r"
Duzia decarreteis de "
Na exposicao de Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Tlowe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
cSo da Legiao de Honra, por serem as machinas mais per.
feitas do mundo.
A medalba dc ouro, conferida 1
Estados-Unidos por ser 0 inventor
E. Hovre Junior, rjos
da machina de cos-
tura.

A medalha de ouro na exposicao de Londres acreditam
estas machinas.
raises de qasp para cajga* a
600 rs. innna, 200jarda6,a
Idem idem 60 jardas* a 240 rs.
Ma^o de fit* chinoza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
Meios adorecos com camafeu. a 500 rs.
Garrafa detinta roxa extrn-Qna a 1C000
fates com dita ingleza, preta, a 100 e
160 rs.
todcpMsPerrj, muita boas,
Idemidem.aiOOrs.
Caixa de envcloppes tarjados, a 500 r.
Idem idem forrados, a 700 rs.
itnifliiil>
ni^iS"" Wlntdb Qtk quem tern fcfto uso dessa
" Weienwva- prcpartcao artn altamete coneeiiua-
\ e.por is$o apenas se fat lembrar a quem no-
im dourad,, de to** ITSS TaX^^ ?
**i* M Voltas e brincos de grosses
com olee Ortza. verdadeiro, a *
Frasco.,
^axfAfe^a^wai^ciila^erdadeira a 1*200
?rraf d'agua jajjpoeza, a 19006.
*daraidem5*.vinara 19000.
.JlT idem MM** {uovidade) a
:19X00.
Caixa de pos. para dentes, a 200 rs.
Mew,idem de pos chinez, muito bom, a
500 ra.eifiOOO.
Poteqm Duzia de sabonetes de amendoa, a
aljofares de cores,
a Dnil* de sabonetes de-ftniinho transparen-
tea, 29200.
Idem idem com fldres, a 15300.
Nova-
agencia
.: pa"cl pau,a"-a 4S000 rr^ij''^'"ao0'^'
Cabe-nos 0 dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de
Jurk, estabeleceu nesta cidade d rua ral para em Pernambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
'a '!.) Howe. Estas machinas s3o justamcnte apreciadas pela perfeicao de seu trabalho
mpregando uma agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer ootra!
? p*la mtroduccao dos mais aperfoiroados .-.pparelhos, estamos actualmente habilitados a > J.dem }' a2c80. 3-5SO0e 5J0OO. tdresu.
Serecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destds machinas sdo as seguintes:
i^?"7"? Pub,ico sabeqiie ellassao duradouras, para isto prova incontestavel, a
tcrem ai)parr-cido no mereado machinas d Howe em segun-

Kixtratoj nMto,fi0M :i)os nv lhores.alu-
ftrcurastancia de nunca
J Jfiro.
>ogunda.Cohtem 0 material preciso para reparar qualquer desarranjo.
ra.Ba nellis meimr fri.-n5o eAtre as Microscopios com
ersas pecas,
o qae nas outras.
'Juarta.Formam 0 ponto como se A'tra feito & mao.
Quinta.Permitte que sc examine o trabalho de ambos os fios,
>j nutras.
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando 0 fio de nm i outro
modificar-so a tensSo '
Sigo
Ina.
0 que so nio consegu^
lado,
mais
era seguida, sera modificar-so a tensSo da linha, cozem a fazenda
Setima.0 compressor e" levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
<* ajulha ao comecar nova costura.
Oi!aya.--Muitas companhias de machinas de costura, tem tido epocas de grandeza e
tecaaMicia. Machinas outr'ora pdpulaivs, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
Biiuancas radicaesparapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
:aoptanao a opmiifo de Elias Howe, rnestre em artes mechanicas, tem constantemente
.^cinentado 0 seu fcbrico; e hoje ri'ao attende a procura, posto que faca 600 machinas
r-'da machina acompanha livretos com instrucc5es em Dortusuez
\ 90^000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
Coques modernos, a2$0i)0.
' Duzras de pecas do tranjas
branca, a 400 rs. ^
; Idem idem lisas, a 200 rs.
Leques de o'sso e sandaln,
e6000.
Pita de velludo do itodas as cores elargu- patios.
L'ma grancfe UbolWph)pria para qiial
quer lojff. or /
Lindas' e elegantes caixinlias coin perfume
de caracol rias,proprins para presenter, dos au'torts,
E. Codnay, Hieger, Quadros com sentose estampas separa^
a 228000, 43 las.
Ehtremeios e ftdbadW tflansparentes e ta-
A aguia branca,- -a rua dn Dafpie tin Glorias n
, raeabra: navas e bonitas voitas e brincos de
getss Aljofarowde cdrcs, e coroo seaipFe conti-
nua a veiwk-Ja Nwo& diademas dourados e
com pedras.
Jt aguia branca, a rua do Duque de Caxias n.
00. recebea novo sortimettto de bonltos diade-
mas 'dfrnrados 'e com pedras, tanto para meuinas
como para siinooras.
Oollec^oes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguial)fanca,.a rna Duque de Caxias n. 50
recebca nvas eolle<$des ou normas para as crian-
jas' aprendercm a escrever por si mesmo, hoje Uo
usadas nas aulas e collegius; e como sempre ven-
de-as nor preco commodo.
Meias cruas finas pata meni-
nas esenhoras
Alojd*iia brand, a rua Duque de Caxias
n. >, retubeu novo sortimento daquelJas lao nro-
curadas mei.19 cruas para senhora, vindo igual-
mente para meniuas, e continiia a vende-laa nor
preco^ comlnodos.
veos ou mantinhas pretas.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de Ca-
xiasD| 50, recoLen bonitos veos ou mantiuha*
bratag de seda com lloros, e ontras a imilaciio de
crocftt, erenue-a pelns baratos precos de 3it
** e 6*000, A fezenda k boa e esta em perfeito
93a(io, pclo que coniinua a tcr prompta exirac-
Perfeita novidade.
Grampos cOm botboletas, bezouros e gafa-
nhotos dourodos e coloridos.
DoiWliyii<
Plelo sortmiento de fumoem farduk de ouSm^
1- e 3.- sorte?, dos melhores fabri^nte* da **Ki!
e bem assim a flor de todtfs os fnmos aV tSZ
em rolos, pacotw, lata* gB4es e pe bera dos mui acrediladoe fcbricar.ies Tori* 4
Araujo, I.izaur, Adolpho Schmrti Jc r. ,1 .;~>
Schmidt A C, Vefgas 4 Arauio, Trindade TK-
lar, Teixeira Pinto k t'ortella (jrarantido" Mltw
niesmos) e de outrns aindenio ro:;npcxJ*'elo
pubiicodestt capital. Oannunciani.' 1 .-elan.cat
todo fnmo que lor vendido em sua casxsaBtiio
seu juste1 valor, e que qnando garanlir a'iM-
va qnalidade, sera sincero; mui f enta
com as pessoas qoe poieo entendaB, -h-nhofia -
pois para bem srrvtr a todoa, tern o anaintiknte
a lonfia pratiea de 15onno8 deste cnumtwia,
.' Hcsperidina
Verdadeiro biter hesperidina, siwenofa ^cra-
ditado: -a venda no armazem de Taift-i thMKl*
C, rua do Amorrm e. Z'.
Rua do Cabugan. 11'. X"
Vende-se nm escravo m6co proprio I'Sra >-
nho ou padana, por prego mnilo eiii.c<>cta
12 vistas,fa 0COOO.
Frasco com oleo para machinaa'4Wirs.
Rua h Barae da Victoria n. 2^.
m^
Giinlia IrmaoseC.
Rua Veadem vinlios do Porto de todifr os- (iuaJid*les
garantindo-os, e a precos comrrodi
Barrio de qninto e decimos pai'a pasto dkslteni
contccidas marcas Meueres e tftam:
Dilo* de quinto Cnosyt-aeres; Gaaaiok Ccau
ijuimaraes.
Decimos encapados, superior qualidade.
Caixas de nma dutia, dc toda a ate
aos afamados-Gravatinte And id-'t e t8i0.
Napes
Sacam sobre o Porto ou Lisboa,
vista.
a pzaao.ei
Polassa
Tambem vendem poUssa da Russia/ new,
barris peqiienos.
do Barao da Victoria n. 2 8.
i
iBiCtL-
E&te estabelecimento sempre solicito
M RUADIREITA
HOJE
0I4S N. 51.
GOMES DE MATT0S & IKtfiO
Avisam ao nspeitavel publico dsla ci.hdo quo o"inUmcntoIw iokis, 0 sul.iJo a
lor, quo ernb. sou a,bolKiinenlo. os.i copleraie rfforcado com. o
o ultimo
Boulevard,
gante sorlimei.to do novas joias, que receberam.direetameYite ne
ropa, constando ellc do mais vahado soriimento: de aderaros a I
I de botoes
mais ele
vapor da Ku
4iulseiras. d<
A leja da aguia branca, a ma do Deque de
Laxiae n. 30, recebcu aovoe grampog com bor-
iwleUs, bezouros e gafanbotos, o que de certo 6
perfeita novid do. A qnantidade e pepuena, e
por isso em breve se acabara.
rfovas gollinhasornadascom
peluoia ou arminho
A loja d'aguft branca area Duque de Caxias
iO, reeebeu uma pequena qnantidade de boni-
s e novas gollinhas, trabalho de IS e seda, en-
neitada**om arminho, obras estas de muito rosto
e inteiramente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia branca, a rua do Dnque
Caxias n. 30, recebeu novamente bonitos gram-
pos, brincos e rezetas dourados ; assim como
novos diademas de aro, e como.sempre conti-
dua a vendc-los por precos razoaveis
Caixinhas com pos dourados
e prateados, para cabellos.
Vende-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
que de Caxias n. 50.
Luvas de pellica pretas e de
'outras cores.
PARA D!A BE MM
0!n offerecer a concurrencia do respcitavel pu-
-ico u;n comp'^to sortimento do miudezas, calcado francez, cbapdos e qainquilharins a
-*; os mati razoaveis possiveis, para o q-ie rocebe quasi todos os seus artigos de pro-
,.->a encomrHOntfa da Luropa e America, vora dar o'iblicidade doalguns artigos por cuios
r-josos .mn se po-le avalhr cs progos Ae outros rnuitos que se tornaria enfadonho pu-
MIUDi-ZAS. j MIUDF.ZAS.
IA para bordar, da melhor qualidade, 1 Brincos dite de dito por 25J500.
i'Jia por 53500. Botoes de sctim pretos e de cores, a 800
Agulhas francozas, fuii.lo dourado, a cai- rs- f IS|000 a duzia.
nnha com 4 papeis a (JO rs., 240 -:. Franjas brancas de seda de todas as lar-
Voltas de fita de velludo com lindos co- Sura.s' HW00 e lUiOO o metro.
acDes (ingiuJo maJreperola, a 500 rs. I)itas ^c coros e pretas a 800 rs. e 1JJ000 o
v'oltas para o poscoco, fingindo camafeu, metro-
loia_^a AB'a Branca, a rna Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu novo sortimento de luvas de
pellira, pretas e*de outras cores.
..n i._- > > "-' "- v"v uo inuiuuitn laurii^iuiu:
tSSS *dQ pre?os' ^ scromu--rocebiiios ,,ir-
ate 8 j52E^ttS!! d "**>-jW0 DE !OIASrtnmte seu estabe/ecimeuto aben
atoSliorus d noute, conv.dam as f.unilias quo so quizorem prover de lindas ioiaw
vir,moscoJb-lsa- vmu--.de. para o que e^om eiposigSo nos mos.radores J
8AUDADEB.
Amaral, Xabnco & C. acabam de rr--eher"na
variado fortimento de eapellas fuueLn-.s com as
seguintes inseripcoes:
A iucu nai.
A mihha mai.
A meu esposn.
A minhft esposa.
A int ii fillio.
A minha filha.
Saudades.
Amizadc.
Lembranra.
Vende-se no bazar Victoria, rua uo Darw da
Victoria n. 2.
Bazar Victoria.
Amaral, Kabnfo & C. receberam c'or-
timento de liengall.is de canna. propria- para de-
eanco de vclhos, de rhiumau'cos, ctiv, .f.. e. tras de phanlasia, cnniplefo soriimento de vlij^iec*
de sol, bengallas, umbellas, etc' para seniwra e
para rmmem, com cabo de raarfim com fiiiiras de
metal, li'fis, err. etc. Rstes uteis fesprciaes ar-
tigos vende-se na rua do Barao da VioBiria n. 2.
IM)
: 3panhadas com I par de brincos semo-
tiante, tudo por 2^500.
Linha branca de 200 jardas em carriteis,
prDpria para costura de machina, a 800 rs.
* iuzia.
Dito fie dita de Alexandre, nuraeracao a
.;-sto do freguoz, a 1^100 a duzia.
Diademas dourados de 1JJ500 a 32)000.
Ditos de tartaruga com floros a 25000.
Ditos com borboletas a 13)500.
Brincos encarnados 1 par por 500 rs.
BitOS de plaquet de 500 rs. a 25000.
Ditos dourados, duzia de pares, a 135500
i -23000.
Voltas de aljofares com brincos, a 29500.
Ditas de ditos com coracoes a 13)000.
Ditas de ditos de contas com cassoletas. a
100 rs.
Hosetas de plaqudt a IS) e 1^500 opar.
Oravatas de setla para senhoras de 15200
j 2000.
PaYures com 2 lacos para cabeca peito
35 e 49006.
Hntrefneios e babadinbos bordados de 360
rs. a 29400 a peca.
ttaldes de seda brancos e de cores, de
t500a 29500 a peca.
Ditos de algodao e seda, de 19 a 1940X)
po?a.
Ditos de algodao, a 100 e 500 M. a peci.
Trancinhas de cores, a 100 e 500 rs. a
peca.
Loquos de marfim a 59 e 89000.
Ditos de saodalo
ultima moda, a
GalOes pretos de seda, de muito gosto de
800 rsT a 19000 o metro.
CALCADO FRANCLZ.
Botinas pretas gaspeadas, para senhora, a
i?500 opar.
Ditas ditas de duraque, gaspeadas, canno
alto, a 55000.
Ditas pretas enfaitadas,
69000.
Ditas dita do cores, canno alto.enfcitadas,
a 59500,
Ditas para meninos, pretas e de cflres, a
39 e 45000.
Completo sortimento de calcado de case-
mira, Charl6t, tapete e tranca, mais barato
10 % do que em outra qualquer parte.
CHAPEOS.
Ricos chapeos de^palha d'ltalia,
nhora, a 119000.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda.
a 165000.
Completo sortimento de chapeosinhos para
meninase senhoras, de 29800 a 59000.
Chapeos de sol de seda, inglezes, cabo de
marfim a 169000.
Ditos dito de merin6, cabo de metal mui-
to bonito a 59500.
Ditos dito de seda para senhora, cabo de
1 madeira, a 69000.
Ditas dito cabo de marfim a 99000.
DI VERSOS ARTIGOS.
Grenadine para vestidos, fazenda da wlti-
ma moda, com listras de seda, a 650 o co-
vado.
BAZAR NACIONAL
1-1 DE
razendas fmas
NA
.. Rua da I
mperatriz n. 72
m

Loiireiip Pefe'ira Mcntlcs Gnimaraes
para se-
saber1!*18 **** {r(^e2e9^%m ^orvfdo vender o maisbaralo qde for possive!.
CHITAS A 160 E200 RS. 0 GOVABO.
Vende-sc chitas francezas Inrefcs com to-
que de avaria, a 100 e 200 o covado.
tas limpas a 240, 280 e 320 rs. o covado
CASSAS PKAMCEZAS A 380 R9
CORtES DE RUT.VI DE CORES A 19500.
Vende-se cones de brim de cores rtr
Di- calca, a 15500 e2J?00.
BOl-IMSA'SSOOO.
Vertde-se'botJnas paf'a senhoras.'a HJWOO
Vende-se cassasfrancezas a 320 e 30 rs. 395M,a elias antesfa seacabem
o covado.
LASINHAS A 200 RS.
Vendo-se lasinhas de cores para vestidos,
a 200, 360, 400 e 300 rs. o ebvado.
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se alpacas para vestidos a 400, WO
640 e 860 rs. o covado.
COBERTAS BE'CHITAS A 19600.
Vende-se cobcrtas de chitas de ewes, a
19600 e 25000. Ditas de peHo a t*M)0.;
Caixas de cores a 19200, 29500 e 45500.'
CIIALES DE-tAAW0S,
To
rs.
a 49500. m^
Ditos de madeira, iraitando, a 29000. Pannos de crochet para cadeiras, a 19806
Ditos de papelloes-a 19800. ]e 2900 cada urn.
Coques para senhora, a 39, 39500 e 4$.j- ^itoS PBra sof^ a 39e 49000.
Aderecos fmgfndo coral, co.-npotfdd-se de toalhas de linho para rosto. a 1*300 cada
cllinete e brincos por 29000. nma.
Dito dito pretos por 25500. Djtas de algodao. alcoxoados, a640 rs.
Ditos de plaquet, compohdd-se dealfincte) Cblxas.de crochet.para cama de casaL a
< brtneo, sendo de muito gosto, por 5500d.. 6909.
"Toalbas de labyrinthe'

X$ loja do.Paue, rua Primeiro" de Jtfarco n, 7
'fc.vepderae ncas iealhaa ,d?, labvrinUio, proprisi
casamento, '
ara Daptisaiios e
Bramante de 4 larffuras a
W6(J0
a vara
Mala deiqqatro larguras mtaUof
at rua do Cabuga n. 10, lojal
norn para tencoes
da America.
Cafi do Ceard
Vende-se catt, do Ceara ,de qualidade -
ROUPA FE1TA NACIONAL.
Vende-se camisa"s brahcas, a 19600, a
^5500, 3ST000 e 45000.
Cagasu'e casemiras de cores, a 59, B
Palitots decasemira, a 45, 65 e 8900*
Seroulas a f$ e 15600.
BRIM DE CORES A 440 RS. '
,'; Vende-se bifim do todis as cores 1 ill-
, 0 covado.
LE.^COS BRANCOS A 29000 A DU^IA.
cambT^ri8^*^ JL**000- TOCBAS A 806 its.
Vend^^^^rbS^ns- t^^^^ SOO r .
KSo^
SAIAS BRANCAS A 29000. is c
, Vende-se saift brancas e'dte-bottts*, -*ara '
senhoras, a 250O0 e 25500.
BONfiTS A'500'KS. i- .t'r-
Z!nde;^bonetsrPretf's fes^ p-afa-ho-l ..J^>MiWW08AlW0.
Vende;
BE SE*BA "rtim A 500 Sir.
i-se.grava'tas de'.sefla preta, a'a*
uma.
a ^CHITAS PARA COBtRTA A 2S0RS.
, Vende-se chiU.pffa'eQjberta, a 280 e i* '
DE
Cordeiro Simoes & C.
E' esta casa, sem duvida, uma das que hoje,
pode com pnmazia apresentar aos seus freguezes
urn vanadissimo sortimento de fazendas finas pa-
ra ^rande toilette; asttm como, para 0 uso ordi-
nano de todas as classes, e por precos vantajo-
sos para os cempradores, de cujas fazem um pe-
queno resumo.
Mandam fazendas as casas dos pretendentes,
para 0 que tem 0 pessoal neccssario e dao araos-
tras mediante penhor.
Cortes de seda de lindas cores.
Ditos de gorgurao de cores.
Grosttenaple de'todas as cores.
Gorgnrao branco e preto.
Selim Macau preto e de cores.
Grosdenaples idem idem.
Veludopreto.
Grabadtne. seda preta e com listras de cdres, lin-
dissimas, padroes e fazenda da ultimo moda.
ropwnaa de lindos padrSes.
Filo de seda branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Manias brasileiras.
Coichas'de seda para noivos.
Cortes de'cambraia branca com lindos bordados.
Capellas e mantos para ntivas.
ltiquissimo sortimento de las com listias ie seda.
Caoibraias de corei.
Ditas'hiartp^a's,'brancas e de cores.
Nanmrk de lindos padr'des.
Baplista de padrSes mui delicados.
Percalinas de quadros pretos e brancos. de lis-
|, Iras, etc.
Brins de linho de cores, proprios para vestidos.
<*m barrwe listras. -
Fatfao de lindas cores.
Cisaquinhos de la e de todas as
nhora?.
Saras'bortfadas'para senhoras.
"Rape Rocha
lifOOa libr.i : n? rua do VigarH>,u. 7. Primci
ro andar.
Botinas para senhoras.
A 3i3<;0 E 45000
Las escocctas a SMI).
E' pechincha.
Na rua do Crespo n. 10.
^Q^\rm0jms.^aamw^ g*a^.- QQ)
Xarope d'agriao do Parf,
Antigo e conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgaos r -piratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos r escorbuto.
do Ric
mazc.m n. 16.
. Cai
Janeiro : vende-se a rua de Vijario,.ax-
\ttencao
cores, para se-
i8 pa
idei
mens, a 500 rs.
massa, a &#>, 29500,
MABAPOtA
#000 e ipGtm.
*JnAde1?-pc5?s f* ma(laP0'^ ^'festado
39000. Bitos insltzes para os nrecos de
ALGOftlo *<*fc-i' "hod

C^'Jelras de guartilcSb mnito baritis.
23-RaaSarqncz 4e *KS!u -23
.CtTNHA MANTA.
e000.

Aproveitem
Ainda restam al^umaa pecas de anparlor fazen-
da preta' do la com oeqnenas palmas e sajpicos de
vores, senlo algumas com bar-as, e.nma fazenda
recommnd3vel pela qualidade, pela largOte, e
P^r.?ercm suspadroes os mais proouradw na
JrS^?^6*'80 seodo vendidas pelo diminuto re-
50 ae boo rs. 0 covado : na rua Duque de Caxias
a. 88, loja de Bastos Irmaos.
>, '*,
a mob:
e, pecas de algodao, $
BRAMATS A 1*600.
Vende-se bramante com !0 palnaofl deJ
largura para lencol, a t9600, 29 e 25flO 0
metro.
GRANDE LIQUIDACAO DE SABONETBS WO R&
Vende-se uma grandeprcSo de sabbne*-'
tes inglezes, a 200 rs. Ditos franwaeVcom
cheiro a 320 e 500 rs.
Agua do colomVa 200;-'MO
Frasco para ltquidaf, e dtilrdi
muito barato.
a mu nf
11
o
faWrs. b
1
-il
. LlttS PAflA SENiJORA A 3*5cC I
Ie Se esr^ardmos, para sc-nbora,
Wmw
-ArOOOiR&TOOeVADO.
sognanadinefc -cem listres de Mu.
para veslHoe 4e eenbora^* 800t*. e-fMO^ iCSdias d
' wt*>; rmchm
' flW.CH9 6E;C98flE(I A 6#000.
Vende-se ricas colchasiAB'iwooWtpara w
mas a 69000.
PAWMOSJ^fiAOCHKT A io60,.,
VenoVse paaMesde crochet para cadeiras
a iJffcOe 39040.
CASSAS PA*A-CORTJKADOS^
Vende^si{i9?:^e. easses para cortioados
oxtractbsjeort ^terv, niiJrtjtfoojfci39000, e ootr#>
i muitas fazendas em liquidacSo.
Camisas idem idem.
Vestuarios para meninos.
gitos para baptisados.
hapeo's para ditos.
Toalhas o-fuardanapesadamascados e Mnho da
cores para mesa.
lchasjde Is.
irtinaaos bordados.
ihii?ss:bordadas para: homem.
MeWs'dectirftiipara homens e meninos.
Comaleto sorimento de ehapeoa de sol para ho-
mens p seahoras, com cabo demarflm.
Merino de eOres para vestidos."
Dito preto.
QaMalhttdo- -de liaho e algodSo para toalhas.
AteaHiado pardo.
B^ias de linho, branco, prsto e de cores.
Setim de lindas cores' e com listras.
^rraftsde ttierfrro de CrJrts e p*. etos.
DWBfc^eirtaWnire.
DitMMto seda preta dde cofes.
Dito deionquipj.
Gamisas de Ifnho.
Ws dte mtt.
W*'4e*lhelfe.
Reroutes de krira e alfodao.
"raasco. de la de cores.
"rips 'de.croohet para caoeira, sofa" e com
:ha3 de dttb.
JflSna defadaa as cdrfe*.
fefartilhos Ibms e bordados.
Faateru" de seda.
1
Vende-se a tavcrna da rua Imperil'1 n. 42. com
poueos fundos, propria para qualquer j-riticiplau-
te, per ser a arma.-ao e snas pertehQas, baratis-
simo; 0 motivo da venda e nor ter de relirir-se
seu dono coma famitia para 0 malto a tratar d:
sna saiide e nao poder apreciar a grande c r.cur-
reacia que ha nesla rua em tempo de safra; tra-
tar na mesma.
----------------------------------,---------1J,
GRANDE
Pechinch
t
Excellentes gorguroes de la e seda, d< : ,i.i bo-
nitos e novos padroes, fazenda basian'. 1 1 jja c 62
muito boa qualidade, so se encootrr. na rua Dn-
que de Caxias n. 88, loja de Bastos Irmafupelo
modico preco de 640 rs. 0 covado.
Cafe deJava.
Chejjou nova remessa desse cafe stm ijmiiWa
a confeitarra do Campos Aspessorts que estavam
acostumadas a saboriar do tal caK podbm afora
ir compra-lo a rna do Imperador n. S4
CONFE1TARIA DO CAMi'OS
de ___
II ...

08
Vfnhos mtm

ids.

taiCortesnde Vestidos de linha p-ara seabdra,"
ae'BiveYsas rfires, com os oampelBnUe epsei-
tes, ultima moda.
Casemfras pretas e de core*, chitas, madapolSes,
carfdjraias, panno fino preto e azul, collariukos,
punhos, gravata*, luvas de pellica, ditas tietm
da fe ^ncas e de d6res, tapetes de tddos
6s tamanhos, bofcu de viagem, etc etc.
NalojaBo Fase,"nia Primeiro de Marco n.
A, antigado Crespo.
CHambettm
Pommard
Virits
Vomay
Beanne-
MOfltbelie
Dito Bortltoftix em quartdllfls.
PARA LlOriDACAO BE OfcJiTAS
KA
RlM lA*vg 4m WUm*rio n. 4.
Bot*ea.

DE
Portland, desembarcado nodi
retrt*; rllttgtfem tern eimetv
7 venda n
' sa da rua do Imperador.
man
cor-
I'ortiaod
Jado: a

II


EF
8
Diario de Pernambueo Sabbat 11 de Outubro de 1672.
VATOADE
MISCELANEA Peugoes da India In-
gleza dirigidns ao parlamento, sulicitam
para o duquo de Edimburgo, muito que-
rido no imporio britannico da Asia, e titulo
do principra do Indostio. Tambom so fa-
zem muitos elogios d sua futura esposa a
princeza Alexandra, qiw por suas qualida-
des e por ser Qlha unica, 6 adorada pelo
czar sou pai o pelo povo russo. A questao
religios i jd so resolveu, couservando a priu-
ceza e o prineipeas suas respectivas crcngas,
sendo, p.rem, educa Ids os filhos na reli-
giio anglican*.
A Unild catholica desmeute a uoticia
de que o papa tenha nomeado secretamento
30 cardoaos, o que ndo podia ser, visto
exislirem no sacro collegio so 26 vacaturns'
0 Diario de Roma, accrescenta que Pio IX
seguirio exomplode Pi.) VII, quo, ciptivo
do Napoleio, nioTez eleigio alzuma de car
deucs. Ja em tempos de Joao XXII o nu-
mero do cirdeaos dusceu a 20 II>je cxis-
tom 44, dos quaes oito foram eleitos por
Grcgorio XVI e os restantes polo actual pon-
tifice.
Espera-se de urn momcnto a outro que
principiem as graces em Franga 0 gover-
no tern estudado esta questao, o, eonside-
rando-a como atteutatoria dj ordem pu-
blica, prop5c-se reprimi-la soveramente.
Ha no goveruo quem creia quo a Intema-
cional e uma sociodade de trabalhadores
quo nao trabalham.
Refere urn telegramma de Roma, do
11 do setembro, quo o papa reabrira as au-
diencias publicas, teudo dado jii alguns
passeios pelos jar.lins do Vaiicano.
No dia 22 de setembro devia effec-
tuar-se em Perigueux a inauguragao da es-
tatua do general Daumesnil. Aquelle dia
e o do annivorsari > do nascimentn do re-
ferido general.
Os dia uantos do duquo de Brunswick
foram avaliados em cerca de 2 milhoese
meio por uma commissdo dos melhoros joa-
Iheiros de Genebra.
Tern continuaJo em Genebra as ses-
soes do congresso intcrnacionalista. Asdis-
cussoes tern corrido sem incidente e o auJi-
torio e quasi sempre pouco numeroso.
EmSeodo Urgel proparava-so uma
corrida do touros, porem antes do principiar
a diversao abateram alguns palanques, do
que resultou morrerem umas 20 pessoas e
ucarem feridas cerca do 50.
0 maestro Flotow vai por em scena
no thealro Marianna.
carem reriuzidis a cinxas 22 casas.
0 Lufueto de navios que deram d cos-
ta perto do cabo Breton, em coosequcncia
das ultimas tempestades,j eleva-so a 56.
Foi posta ba pouco era scena no thea-
tre Gaite, de Paris, uma pece denominada
O gascdo, e na qual collaboraram os"Srs.
Theodoro Barricro e Poupart-Daveyl. Ora
dd-se o caso de agora ter havido grande
questao sobro qual dos dous tomou maior
parte na collaboragdo da referida pegs,
tondo um e outro publicado a esse respeito
algumas cartas nos jornaes de Paris. A
pendencia tomou taes proporgoes, que os
dous escrptores desafiaram-se para um
luello, nao havendo ainda noticia se se ef-
fectual ou nao o combate.
. Houve ha pouco grandes inundacOes
na Nora Zelandia. A cidade de Westpon
ficou completaraente submergida, tende as
aguas arrastado comsigo mais de 20 pala-
cios, armazens e casas de habitagdo. Mui-
tas familias ficaram sem abrigoe as perdas
calculam-se em 375:000 francos.
Refere um telegramma de Constantino-
pla que fora morto o famoso salteador Ar-
vanitaki, chefe da qua Irilha que assassinara
os viajantes inglezes en Morathon.
Appireceu a febre amarella em Gal-
veston, Houston e Scbrevepret, nosEstados-
(inidos. Muitas familias sahiram d'aquellas
cidades, e os negocios comrncrciaes estao
quasi paralysados.
Foipreso em Paris pela policia Jac-
ques Michaud, que desempenhara as func-
goes de organisadar c commanlante supe-
rior dos estafelas da commnna.
Reunio-se ultimamente em Vienna um
congresso de medicos, tendo se accordado
em uma das reunites no seguinte : 1 decla-
rar -so a vaccina obrigatoria para todos os
povos; i" quo o cholera 6 reconhecido co-
mo contagioso.
Na llungria, um actor quo desompe-
nhava o papol do Chalchasna Bella Helena,
cabio em scena acommcttido de um ataque
repentino de cbolera. O infeliz, que n'essa
n ite fazia o sou beneflcio, morreu poucos
momen'os depois.
Acr-ba de ser presa em Braisse-lo-
Comte (Belgica) uma mulherque envenenou
sete pessoas em menos de 3 mezes. Esta
nova Borgia & viuva. inai de filhos, cha-
ma-se Dolau e tem 45 tnoos deidade. Para
levar a effeito os seus projectos servia-se do
arsenico dado era bebida ou em coraestireis
com quo presentcava as suas victimas. Fe-
lizmento a policia descobrio o crime a tem-
po, e das sete pessoas envenenadas so uma
morreu, esperando-se salvar as seis-restan-
tes, quo 6 uma familia inteira. O motor
d'estas tentativas criminosas, era, ao que
esta mosca pozeram os porlugu o qo iogredientes, e esfreaam os bois ou cavallos
de mos0t io elepha*'*. O friioiro *f+ qietein da paar pelos distnetos da tso-tse ;
cimen Mil "foiTrarido ala^aterraom;tMI pore, posto que este reoiedio sirva de pro-
pelo dffii Yardon, qoe a tncoofrou M s*rvativo por algura tempo, nao tern effeito
margei.s do Limpopo. ptwwnente. Ainda nao ha modo de curar
Eis o que diz o Dr, Lifingrtooe : este mal. -
A tso-tse ou glrtsina mr$itam nao e Um pastor desleixado, consentiodo que
muit* maior do quf a mosct domestica, e eseu numeroso rebaoho vagueasse n'um
na (r bronzeada e mnito aeraelhanta iabe- districto da tsetse, perdeu todos os animaes,
lha commum. A parte poateiiordo corpo e a excepgao das vitellas ; e Sebituane perdeu
atrayessada portresou quatro linhas ama- n'uma occasiSo quasi todo o gado da tribu,
rellas. As nzas estendem-se para fora do muitas milcbegas, tendo-as cxposto l-upru-
corpo e 6 notavel pela agilidade, etitando dente.uente iquella raahgna mlluencia.
com muita presteza todas as tentativas, que Nao assegura a vaccmaa i nmumdade,
se facara para apanha la a mo, durante a porque os animaes que forem feridos leve-
temppratura do dia porque durante ofrio das mento n'um anno, podem perecei por maior
mannas e das tardes e menos ligeira. numoio de mordeduras no annu seguinte :
O sou particular zumbido, chogando a porem e" provavel que, cm cousequuncia do
ouvi-Io, nunca mais p6de esquece-le o via- uso das armas de fogo, a venaro haja
jante, que se transporta em animaes domes- de acabar, como acouteceu no sul, e a
ticos,' pois bem sabido 6 quo a mordedura tse-tso, privada de alimento, haveri tara-
desto' iusecto venenoso e morte certa para o bora de eitinguir-se ao mesmo passo que
boi, o cavallo e oeao. os animaes corpulentos. -
a Nesta iornada, posto nio advertissemos -------
que pousassem a um tempo em grande nu- JUIZO DE I'M CIUMENTO. A mulber
raero 5obre o gado, perderaos quarente e tres 6 um pequeno animal doce-maligno, metade
cxcellentes bois, que foram mordidos. Nos capricbo, metade razao; e" um compuslo
vigiavamos os animaes cuidadosamente, e harrnonico em quo se encontra algumas ve-
acreditavamos que talvez nem tinte moscas zes muitas dissonancias.
os teriam atacado. A sabedoria e a razao sao incompativeis
E' singular propriedade da mordedura com o espirito da mulber, quo s6 tem na
da tse tso o ser perfeitamente inoffeusiva do cabeca a ambic^o.
homem e dos animaes silvestres, e bem as-1 A mulher e a confusao do homern, um
sim dos novilhoscm quanto as mSisosama- animal inconstante, um cuidado contiuuo,
rnentara. Nunca experimenUiraoi pessoal-.ura combate sem tregua, uma peua diaria,
mento a mais leve injuria, apesar de habi- (um coutinuo naufrngio da vida, uma bata-
tarmos por espaco de dous mezes a morada lha perniciosa, ura fardo iusuppoitavul e
da tse-tse, morada neste caso, como em ou- uma buraana e natural escravidao.
tros muitos, exai^amente dofinida, porque a Em mil homens so encontra um bom,
margem sul do Chobe era por ella infesta- em todas as mulheres neuhuma.
da, o na margem n*, onde o nosso gado a mulher e uma santa na igreja, um anjo
estava recolbido, a cincoenta jardas somente na rua, o diabo em casa, uma coruja nas
de distancia nao se encontrava nem uma se-!jauellas, um cao na porta, uma cabra no
quer. O mais maravilhoso e, oomo obser- jardim.
vamos frequentes vezes, que os indigenasle-l A mulher 6 um animal timido, mas que
vavam a miudo pedacos do came cobertos nao deixa de se filer teraer ; su combate
da tse tse para a in rgem opposta. | para ser vencida, e pede quariel quando
0 veneuo parece nao ser lnjcctado pelo cessa do defen ferrao ou por ovas dispostas debaixo da pel-1 Quereis bem conbecer uma mulher?
le; porque, quando alguom deixt a tse tse Imaginai um liudo monstrozinho, quo en-
alimentar se bvrementena mao, vfi-se intro- jcanta os olhos e que transtorna a razao,
duzir com profondjeza na pelle a esp^cie de qUe agrada e que repugna, que no exterior
trado, que esti no centro das tres porgfiesje um anjo e no interior harpia... ajuntai-
em que se divide; a tromba : dopois retira-o |he uma cabega de fuinha, a lingua de uma
fulminada pelo lethal contacto d'esses ho-
mens Qor-venono quo vagara nos saloes.

Outras Untas. vezes 'asseinei&a-se a mu-
lber ao vento.
O vento refresca e acaricia as flores e os
balseiros, as varzeas e a aridez adusta das
savanas ; a mulher bafeja e acaricia, por
sua vez, as llores do coragao, as balsas per-
fomosas da fclicidade e os descrtis adustos
do infortuniu ; o vento inftina o velame &
ndo perdida em alto mar, coudul-a de um a
outro pjrloi soudo portanto o auxiho provi-
d. ncial em meio da .nisera impotencia bu-
mana ; a mulher obro Lunbem por sua
vez as vi lias brancas o sedosas da faliia en-
cantada do amor, e conduz o homem ao
portu~desejado da ventura. O terceiro pou-
to e quo e fatal,o homem, dc|K>is de ser-
vir-se do vento, zomba e menospreza de sua
quasi intelligencia proligaebondadosa.e pa-
gal hu os beneticios p.ssados com o acinte
espumaute das rodas do vapor ; da racsma
forma procode com a mulher: depois de
vogar mollumento e de vir a salvo na faliia
encantada ao sopro macio da aragern per-
fum.isa, ate i) porto sublime da felicidade,
zomba e menospreza acintosamenle d'ella,
pagandu-lbe os beneficios passados com a
tyrannia tfospfltiea e triumphanto il'esse
cruel vehiculoo sagradu vapor, que se
chama matriinouio.
*
Duas vezes tambem. parece-se a mulher
com os anjos : quando perdoa o quando
ora.
*
(aim a agua tem a mulher innumeros
pontos de contacto.
Um d'ell-s e 0 de victima. Como a
agua a das fauces, mata a mulher ao homem
a sede do espirito : e em paga, como aquel-
la, tolda-lho ello a trausparencia c as mais
das vczea ubandona .
*
Com o proprio Creador parece se a mu-
lher duas vezes: quando cria e quando
ahmenta o Rib*.
nova opera. Intitula-se
Uma parte do tompo que Victor Ma-
nocl tem de passar om Vienna sora emprc-'parece, osobstaculos quo essas pessoas op-
gado em .uma magnifica cafada que o im-fpunham a certos projectos matrimoniaes.
uerador projocta dar-lhe na Styria. Aim- Falleceu ha pouco era Inglaterrao
cida
vez mais
rei d Allema-
perador projocta
prensa Italians mostra-se
contente com a riagem do
aha.
Uma decisao do conselho do estado de
Franga declara quo, em quanto nao for au-
n.ullado por um acto legal, o pnncipo Na-
poleao torn o direito de considorar-se como
general do divisao do exercito francez, pos-
to quo Ihc foi dado pelo imperador. 0
principc continiia a viver om Franca.
-- 0 imperador da Allemanha resolveu-
se por lira a visitar a exposicao universal de
Vienna no meado do outubro proximo.
No din 9 do setembro pagaram os in-
glezes em Washington toda a indemnisacflo
a que foi condomnada a Inglatorra pelo tri-
bunal arbitral de Genebra por causa da
questao Ahbama.
Os chinas negociam-se publicamente
em S. Francisco da California. Reccute
mento cbegou uma pequena remessa de 28
mulheres a bordo do um vapor de Hong-
Kong. As joveus vendem-SD a 450 dollars;
as que teem jd bastante idade a 200, e a
100 as criancas.
0 conhecido fabricante do canhoes
Krupp adquirio imporlantes ininas de terro
nos arredores de Bitbau, e mandou conprar
12 grandes vaporcs para transportar o nii-
nerio para a Allemanha. Tambem jd ter-
mfnou as oflicinas para a fabricacao do la-
minas de ago destina (as aos navios encou-
ragados e fortificacoos blindadas.
Ha poucos dias, ha 2 leguas de Madrid,
4 individuos armados de trabucos e rowol-
vors detiveram e roubaram quantas pessoas
passaram em trens ou a cavallo, vindas do
Villacosa e outros pontos. O alcaide de
Alcorcon, logo que teve conhecimento do
facto foi em sua perseguiQao, acudindotam-
alguin tanto, e toraa a cor carmosim logo
que as mandibulas encetam com rapidez o
natural exercicio.
0 abdomen da mosca, ate entao chato,
comeca a inchar, e, se a nao afugent.m, a
mosca parte em socogo, quando esta. sacia-
da. Segue se certa leve comichio, pfrem
nao mais forte do que a produzida pela
mordedura de um mosquito.
No boi a mordedura nio produz o ef-
feito mais depressa do que no homem, nao
o faz estremecer como a do tavao, mas pou-
cos dias depois obser vara-se osseguintes sym-
comecam a
arrepia-se,
como se o animal sentisse frio ; apparooo
certa inchagao debaixo da queixada interior,
o ds vezes no umbigo, e, com quanto o am-
or al continue a pastar, principia a divisar-
se a magreza, acompanhada de particular
flacidez dos musculos, e assim progride se-
guidamerite. ate que mezes depois sobrevem
a diarrhea, e o animal jd capaz de pascer,
morro exhausto completamente de forgas.
Os bois que estao gordos morrem pouco de-
pois de recebida a mordedura, com verti-
gens e cegueira, como se o veneno affectasse
o cereb- o. Repentinas mudancas de terape-
ratura. produzidas polas chuvas, parece que
apressam o progresso do padeciraento ; po-
rem, fallando geralmanto, a magreza
bem alguns artilheiros.
Trocaram-se alguns
ferio
tiros, um dos quaes parece que terio um
criraiuoso, porem ainda assim Qpnseguiram
fugir.
O periodico catholico do Paris, o
Universo, publicou uma carta do D. Carlos
de Bourbon autorisando soa esposa, D.
Margarida, a collocar-so a froute dasambu-
lancias, tomando a sua direcgao c organi-
sando os recursos de que necessitarem os
feridos, sem distincc&o alguma.
Este anno devem reunir-se dous con-
gressos internaci nalistas em Genebra, um
que recebe as ordens do conselho geral de
Nova-Vork, e outro que, tendo votado a
destituicao d'esse conselho, nao quer depen-
der so nao de si proprio. Esto ultimo, ne-
gaudo-so a rcconhecer por seu chefe o fa
moso Charl Marx, de Londres, tomou o titu-
lo de Congresso anti-autoritario. Os de-
logados de Uespanha que concorrem ao
congresso da Internacional em Genebra sao
os cidadaos Alerini, Brousse, Farga, Pelli-
cer, Garcia, Vinas e Marquet. Vdo tam-
bem delegados da Italia, loglaterra, Hol-
landa, Belgica, Frauga e SuUsa, porem nao
apparecerd Id nenhura nem da Russia nem
da Allemanha.
Um comboyo quo sahira de Victoria
(Hespanha) no dia 11 de setembro e que so
compunha de 17 carruagens tiradas por
duas machinas, descarolou proximo da
ponto doVianna.do que resultou despedaga-
rom-se todos os trens, d excepcao de quatro.
O nuraero de pessoas mortas eleva-se a 16
e a dos feridos a 55, contando-so enire os
j>rimeiros uma irma do caridade, os empre-
gadosdo correio, o machinista, fogueiro,
guarda freio, um brigideiroo outras pessoas
muito couhecidas em Madrid. Parece que
deu causa ao dose a rrila mento a forga encou-
trada das duas machines que arrastaram o
comboyo, indo uma na freute e outra atraz.
Os machinUtas, segundo contain os viajan-
tes, nao estavam de accordo para regu ar a
forga que deviam Jar as respectivas machi-
nas, send i*to a causa da catastrophe.
Aldm dzs desgracas pessoaes, as bagagens
do iajaDtes tambem ficaram destruid.-.s,
dewpparecendo igualmente as malas do cor-
reio.
Sr. John Robisson M'clean, membro do
parlamento, morador em n. 2, Park Street,
Westminster. Seu filho, Mr. Frank M'clean, ptomas. Os olhos o as ventas
tirou cartas de administragao da fortuna langar algum Humor, a pelle
Jo seu pai que foi manifest da em 700:000
libras sterlinas. Pagou de direitos de sello
13:500 libras sterlinas.
Morreu com a idade de 82 annos o
conde Prospero do Romauet, o mais velho
dossurdos-mudos da Franga.
Morreu Desire, o alegre actor do
theatro das Variedados de Paris, que ainda
ha p uco representava com tanto exito o
papel de Partello na Petite Reinc. A sua
grande creagao fora o papei de Orpheu, na
opereta de Offenbach.
Na China realisou-se no dia 29 de
juuho a celebre ceremoi.ia da recepgdo dos
i.-.nbaixadores pelo imperador em pessoa.
Koi lindissima, porque os habitos da cdrte
chiueza sao oxtremamente matinaes. O im-
perador levanta-so ds tres e meia da ma-
nha. A's cinco e meia da manhao minis-
tro Tchang Bean foi buscar d residencia dos
lezaristas os embaixadores da Russia, dos
Kstados-Unidos, de Franca, de Inglatorra e
da Holland*, para os conduzir ao jardim
imperial, onde os esporava uma chusmi de
mandarins com o seu facto de cercmouia,
quo consiste n'uma tunica roxa com um
plastron quadrado no peito e nas costas,
oirnado coin um grou qutuido os mandarins
sao civis, com um tigro quando sdo mili-
tares.
Depois de terem parado no templo do
gonio da chuva, onde estavam servidos do-
ccs e pnsteis, os embaixadores dirigiram-
scao pavilhao imperial, onde ndo tardou a
che^'ar o imperador. Os embaixadores su-
biram entao uma escada de marmore, e
chegaram a uma plataforma monumental,
para onde deitavam cinco portas abertas de
par em par.
Ao fundo do pavilhao, n'um throno mui-
to baixo estava o imperador coin as per-
nas cruzadas. De cada lado do throno es-
tav-ii um principe commaudaute das guardas
do corpo, defronte havia ema mesa amarel-
la, comprida, coberta de setim, junto da
qual estavam os ministros com a face yolta-
da para o throno. O imperador vestia tu-
nica, mas sem bordados, e calgava botas de
seti'n preto, Os embaixadores fizeram as
tres cortezias combiuadas, depois o minis-
tro russo, quo era o mais velho, leu um
discurso, e os outros pozeram as suas cro-
denciaes aos pes do throno. 0 imperador
informou-se, por intermedio do seu inter-
preto, da saude dos reis, imperadores e pre-
sidentes ali representados.
serpento, os olhos de uma cascavel, o hu-
mor de um gato, a destreza de um macaco,
as inclinagoes nocturnas de uma coruja, o
brilho do sol e a desigualdade Ja lua ; on-
volvei tudo em alvissima pelle, ajuntai-lho
bragos, pernas e terois uma mulher com-
plete-
A mulher e o chefe do peccado, a arma
do demonio, o desterro do paraizo. e a
corrupgao da primeira lei antiga que o ceo
deu aos homens.
A mulher e o orgao do demonio.
Uma mulher e uma machina parlante
que poe todo o universo em movireento.
As mulheres sdo as perfeitas operarias e
artistis de todas as maldadcs que for possi-
vel inveutar-se.
A mulber e um animal que se aborreco.
A mulher e o paraizo dos olhos, o inferno
das almas, o purgatorio das algibeiras, e o
motu-continuo do pensamento.
Deve se jujgar a mulher desde o calgado
ate" o penteado inclusive.
A mulher 6" o manjar digno dos deuses,
quando o diabo nao tempera.
Uma senhora de elevado nascimento
censurava, dianto do embaixador turco na
Franga, a lei do Mahomet, por permittir ao
mulheres.
Com o home.n e que so uma vez parece-
se a mulher: quango moutc.
V.r>\ j(% |o.*to o sol...
Era jd posts a sol; a natureza
Em ondas de perfumes se banhava :
Aqui pimlia a rosa. alem brilhava
Humana flor do virginal belleza.
Nuvem subtil de pallida tristeza
Pelo candido rosto Ihe vagava:
Nas longas tranens do cabello estava
Mu'rcba e mais tristeuma saudade presa
Oh! pintor quo a pint^ssel era mais bella
Que a lua deslumbrante de fulgores
Surginda d'entre as sombras da procella.
Ao vel-a, ao ver-lhe os olhos mata lores,
Voou-mo o coragao aos olhos d'ella...
Miuh'alma ardente se banhou de a mores.
.1. de Mendon^a.
a justiga ; deixari de esbanjar o que cus-
Ueamente aufere com o suor do seu rosto
en futilidades de folguedos ridiculos, em
prazeres perniciosos e inconfessaveis, em do-
vo<;oe- fanaticas; e tori ambigao legitiicia
de gloria tratando de aperfeicear o trabslho
sabido de suas raaos r cuid*rd raelbor de
sua familia, abwgard o circtilo de seus co-
nhocimentos, e trabalhard pelo engrandeci-
mento da patria, libando a venture de vtr
no Brasil aquillo que o pnmeiro pensador
do mundo, Victor Hugo, almeja ve> na
bella Franca, isto e o homem feliz, o
cidadao livre, a nagao grande.
Praza ao ceo que surga quanto antes no
Brazil a aurora do dia em quo as classes
operarias pensem seriamente em instruif-sel
Sdo estes os votos que sem cessar dirigimos
a Dous.
VIAGEM AEREA.-O Pall Mull Gazette
de 10 de setembro publica a seguinte noti-
cia que Ihe foi coromunicada pela agenda
do iVo York World de Londres:
Depois de vencidos grandes obstaculos
e de muitos adiamentos. o balfto iVeio York
Daily Graphic estd einfim prestes a partir.
Salnrd de Nova York amanha com destino
d Inglaterra ou a um outro ponto da Euro-
pa. Levard quatro passageiros, que sio o
professor Wise e Donaldson, aoreonautss,
um olHcial do servigo semaphorico dos Es-
tados-Unidos e um agente dc Daily-Gra-
phic. Estes cavalleiros esperam attingir no
espngd do 60 horas de viagem um ponto
qualquer da co^ta de Inglaterra ou do con-
tinente europeu. Lovardo comsigo 6 pom-
bos viajantes comprados na Belgica e jd
experimentados. No peito de cada uma das
referidas aves estd dosenhado com tinta in-
delevid o baldo e na azas ncham-so ine-
criptas esias palavras : Send news atta
ched to the nearest newspapere ( Fa-
zei chegar ao jornal mais proximo as noti-
cias que levo.) O agente do Daily Tele-
graph em londres chama n attengao do
puhlico para este ponto, pois que as pri-
meiras e talvez as unicas noticias q;ie s6 re
caberem do balao hao de ser trazidas por
essas aves. S6 por este meio os intrepidos
viajantes poderao fa2or chegar d terra noti-
cias suas.
Eita viagem e a mais audaciosa que |se
tem feito ate hoje em baldo, atteudendo-so
ao grande espigo que o aereostato torn de
percorrer.
vai
V. Exc. acham-se todas
homem desposar varias
O propheta fez essa concessdo, mmjia
senhora, responded galantemente o embai-
som'interrupgao a mais durante alguns me- xador, para que podesse o homem deparar
zes: e faga-se o que se fizera o pobre ani- uas diversas esposas que tivesso as quah-
mal morro miseravclmente. dades que em
Aberto o cadaver, o tecido cellular, na reunidas.
superficie do corpo por baixo da pelle, ap-
parece injectado com ar, como so por elle
eslivessem derramadas bolhas de sabao, ou
como se ura carniceiro de md f6, e pouco
destro, tivesse pretendido fingir gordura.
Toma a do animal cflr amarella esverdeada,
e consisteucia unctuosa. Os musculos for-
nam-se balofos, e quasi sempre tdo brando
o coragao, que os dedos apertando-o, peue-
tram e vdo tocar-se.
a Os pulmoes e o figado tambem sio fe-
ridos do mal. Oestoraago e osintestinos
estdo pallidos e vasios, e avesiculado fel
dilatada com a bilis.
Estes symptomas parecem indicar (o
que provavelmente e verdade) a acgdo da
pegonha sobro o sangue, e que o germen
daquella se introduz quando o ferrdo penetra
para o extrahir. O germen venenoso, con-
tido n'uma glandula, situada na raiz do fer
rdo ou tromba, parece, posto que seja em
muito diminuta quantidade, ter energia para
SEMELHANCAS DA MULHER COM A
NATURLZA.Possue a mulher pronuncia-
dissimos pontos de contacto com diversas
creagoes da natureza.
Entre outros, apontaremos os seguintes :
A mulher parece-se quatro vezes com a
luz : com o crepusculo, faz lembrar ao espi-
rito a necessidade do embalar-se no pn-
meiro somno, para souliar coui os quadros
d'ourados e ridentes que nos espelha o
amor : como alvorada, allumia docemente
o dispertar alvorogado do coragao do ho-
mem ; como luz meridiana, deslumbra,
euleva, arrebata, e as mais das vezes cega
os^mprudentes quo fitam-na demasiado
perto ; como ardentia cresta in.puras es-
perangas, daudo assim uma ligao aos parvos
que se pnvoneiam dc todas as conquistas.
Com as aves assemelha-se tambem quatro
vezes a mulber : com o periquito, na fre-
queucia do seu fullar harmonioso e terno
A
INSTRUCCAO NECESSARIA AOS AR-
TISTAS.
feproduzir-se ; porque o sangue depois da qUe n0s acaleuta o ouvido ; com o cauario,
morte causada pela tse-tse, 6" pouquissimo, nas argentinas escalas do seu riso ; com o
e tinge apenas as mdos de quem faz a dis- rouxinol, nas melodiosas e sentidas notas do
seccao. seu canto ; como a rola, no melancolieo e
A mulher so parece*tres vezes com as flo-
res; desabrodM najuventude, quando nos
A LUTA RELIGIOSA NA ALLEMANHA.
Os periodicos allemaes publicam novos
pormenores dcerca dos factos que assigna-
lam a luta religiosa na Allemanha. 0 ca-
pitulo da igreja metropolitana de Posen, en-
viou, como a de Guesen, uma manifestagdo
de sentimento e de dedicagao ao arcebispo
Ledoch.wski, por motivo da sua condem-
nagao em 200 tbalers de raulta. S6 um
conego, o Sr. Dulinki, se recusou a assignar
a alludida manifestagdo. Na Baviera as
autoridades de Straubing intimaram os con
ventos das carmelitas, irmis de fcaridade
dts ursuliuas e das irmas de Santa Isabel a
remetter immediatamente ao governo os
seus estatutos. Finalmente a Gazela de
Colonia annuncia que o governo badense
tem tengoes de adoptar as leis ecclesiasti-
cas prussianas e de apresentar um projecto
n'este sentido ao proximo landstag do gran-
ducado. A resulugdo attribuida ao gover-
uo badense nada tem que sorprender,
attendendo se a quo hoje o gran-ducado
ndo e mais, a bem dizer, do que uma pro-
viucia prussiana, co .. a unica differenga do
prefeito couservar o titulo de gran-duque.
K MOSCA TSE TSE.-O Sr. D. Jose do
Lacerda traluzio descrip^ao que o Dr.
Lwii.guioao foz uas suas viajetis,
secgao.
A mula, o iumento e a cabra gozam da commovento queixume do cnorar
mesma immunidado da tse-tse, que o ho-
mem e a venagdo montesinha. Tribus po-
pulosas das ma-gens do Zambeze ndo podem ,,
crear animaes domesticos, a excepgdo da fosciua com todos os encantos que prodiga-
cabra, por causa deste flagello, existente nos lisou-lbe o Creador; perfama com a pre-
seus territorios. ciosa essencia de seu amor divinal; e es-
Os nossos filhos foram mordidos frequen- tiola-se ao sopro estragador do furacao
teraente, e coratudo nio foram ofTendidos ; qU0 ^ 0 homem.
e n6s vimos de redor de n6s, em grande *#* .
nuraero. zebras, bufalos, porcos pequenos, j fe tres phases da vida da mulher re-
e varias especies de anUlopes, que pasciam presentam as tres phases do hello astro da
tranquillamente no centro do domicilio de noite.
tse-tse, mas sem lhes serem prejudiciaes as Virgem, eila tem a poesia seraphica e
mordeduras, como acontece aos bois logo dormente, vaga e melancolica, doco e va-
que recebem o fatal veneno. porosa da lua no crescenle ; esnosa ella
A differenga entre as naturezas do ca- ostenta toda a magestade solomne e gran
vallo e da zebra, do bufalo e de boi, do car- diosa e compkta da lua cheia; mai, ella
neiro e dos antilopes nio 6 tal que baste a j^cresce em sua belleza, e verdade, perde
darmos explicagio satisfactoria do pheno- alguma cousa de seus fulgores; mas e^se
meno. Ndo 6" o homera tio domestico ani- proprio esmaeeer de seus encantos, esse
mal como o cio? 0 facto curioso de mor- alquebramento de seus attractivos, esse min-
rerem da mordedura os cies que nio se ali- gUir je suas galas, de sua vida, de sua
mentam ainda senio de leite, emquinto que forga sio a esperauga de um proximo renas-
os novilhos e vitellas escapam durante o cimento, de uma geragdo futura, de uma
tempo da amamentagio, fez pensar que o resurreigio, por assim dizer, de sua virgin-
mal seria produzido por alguma plants da daje e belleza: 6 o minguante.
localidade* e nio pela tsetse ; portm o ma-
jor Vardon, do exercito de Msdrasta, acabou Duas vezes assemelha-se a mulher com a
com a duvida, montando em um cavallo, e borboleta: quando engana, e quando e
caminhando at^ um outeiro sem consentir enganada.
ao cavallo que relvasse ; e com quanto so a borboleta que beija todas as flores sem
detivesse tio somente o tempo neeessario pousar em neuhuma, nio se pode negar, e
para tomar vista das terras, e apanhar alguns a ioiagem da coquette, que a todos pro-
especiraens da tse-tse ; dentro em dez dias metta verdadeiro amor, nio o sentindo por
o cavallo morreu. nonhum j por sua vez, como victima, a
A bem conhecida aversdo da Ue tse aos borboleta pousa cannhosa n uma
dos animaes, <;omo e facil de flor, quo a llluJe
da torrivel
excrementos
soduz com o brilho
ardente dos
audo uma aldeia estd estabeleci- de suas petlas e a uromessa
Ja doutro dos limites do domicilio da tse- raididos estames, ea pobres.nnasente.se
. ha side observed, e atKoveiuda' por logo entoxxcad;,. e succu.be d ojM
-i-,,,,.,. ___i: Uwiiau^. .Mid.ir.ii estru- iuoounba vida.....-r esta e a iraagen
- Houve um pavoroso incendio em A:-(,n.,sca tse-tse, qu e uma ^as diOicuubde. alguns
cis-sur-Aube iFranja), do qual resttilou Q-lpara os viajantes no interior da Atrica.
medicos mdigenas; misturan estru- suppuuha
a| ml animal, leite de mulber, e alguns outros tanta virgem pure e mcaota,
quo morre
Uma das necessidades mais pidpitantes
que sentem as classes operarias do nosso
paiz, tfindubitavelmente a falta de ius-
trucgao.
Quasi lao neccssaria como o pao que for
tifica o priucipio constitutivo da vida, a
instruccao, esse benefico alimento do espi-
rito, quando ndo vigora com sua forga a
alma e ndo dissipa com seu calor as bru-
masquo se amontoam no cerebro do ho-
me n, fica este quasi sempre privado do
modo do pensar acertado, torna-se o jo-
guete dos falariosos e constitue-so a in le-
fesa victima dos oppressores.
E' a instrucgao qua mostra-nos ate onde
chega o limite dos deveres que nos cumpre
desempenbar, e pao nos bem claro a som-
ma immensa dos dire t s a que teraos jus,
e que a nossa falta de luz permitte que se-
jam quotidianamenle postergados,
E' a faita de instrucgao que nos leva a
ser indiflerentes pelas cousas pubrRis, vm-
do assim os cargos importantes da nagao a
tomarcm-se privilegios, as mais das vezes,
do merito ; resultando dessa condemnavel
abcrragao das leis da razao e da moral a
pouca prosperidado que relativamente tem
tido o nosso immenso c magnifico paiz, a
depreciable em que tem caido as institui-
gOos que o regem, o menosprego em que so-
mos tidos, nos o pove, daquelles mesmos que
com desprezo nos victimam.
Compenetrem-se, pois, por uma vez as
classes operarias deslas verdades, que des-
de muito deviam ter calado no seu espirito ;
lovante-so como um s6 homem .ndo para
fazer inotins, mas para uprendek : deixem
para asciiangas e para os necios os folgue-
dos das salas de dansa e das trovas ao re-
lento ; aboininem para sempre esses gozos
materiaes c lubricos, que acabam sempre
por degradar o caacter do homem e torna-
lo incapaz de apreciar as santas alegrias que
o ente mais desprotogido da fortuna, mas
a quem sobrem os bnos de cidadao, nio
deiia dc eucontror no seio do lar domesti
co, junt. d mais extremosa esposa, d radi
idolatrada, d irma querida, aos filhos bem
amados; tratem e quanto antes, do cultivo
do espirito e da intelligencia, essa admira-
vel faculdade, esse supremo dom que a sa-
bia Providencia concedeu'd sua obra mais
perfeita. ; .
Desde quo o povo lnstrmr^e, sahird ao
abatimeuto e bumilhagao em quo vogda
para igualar-se ds classes quo julgara ter
nascido com o exclusivo privilegio do man-
do e do bem estar social; terd conscience,
e saberd por isso tornar valido os seus im-
prescreptiveis direitos, moslrando-se ao
mesmo tempo docil em observar todos os
deveres ; serd escrupuloso em guardar todas
as conveniencias, pela amenidade do trato
e pelo respeito a todas as categorias, sem
jdmais descer d abjeccdo do servillismo : ndo
terd aniraosidades por aquelles com quem
a fortuna repartio seus preciosos dons, mas
tambem nio os encarard como os unicos
arbilros do seu destino, deixird de ver na
autoridade esso espantalho quo p6dc com
um sd gesto e com um franzir de senho dar-
lhe em partilha amasmorra, o recrutameo-
to e a fome de sua familia. para nio ver
nessa autoridade mais do que o homem a
quem a lei concedeu certas prorogativas, e
a quem a nagio em peso paga para que
saibo impartial e m:deramente distribuir
CRIME HORROROSO.Descubrio-se ha
pouco em Londres um horroroso crime.
N'um dos ultimos dias um policia de ser-
vigo e-n Battersea, nas margens do rio, vio
no lado que o Tamisa deixa, quando a ma-
re desce, a parte esquerda superior do iron
co de uma mulher. Quatro boras depois
outro agente da policia ei.controu proximo
de Nine Elms a parte direita corresponden-
te ao. cadaver. Mais tarde os pulmoes da
infeliz victima foram recclhidos pelo ins-
pector de policia, que os encontrou por
debaixo da velha ponte de Battersea. Fi-
nalmente, perto de Limehouse os passean-
tes tiraram uma cabega humana. cuja pel-
le tinha sido levantada. A policia levou
todos estes despojos humanos para a wor-
khouse de Wandsworth, onde foram sub-
mettidos a um exame minucioso, sendo os
medicos de opiniao quo a morte da desgra
gada mulhpr ndo se podia ter dado desde
mais de 12 horas ; quo fdn assassinada,
visto o modo inhabit como fdra feita essa
odiosa operagao. Os membros inferiores
ndo foi possivel encontrarem se.
A policia, apesar dos seus esforgos, ain-
da ndo pode descobrir oj autores de tdo
espantoso crime, bem como ainda nao con-
siguio saber se quem foi'a victima.
EXECUCA0 EM LIVERPOOL.Ha dias
foi executadn no interior da prisao de Li-
verpool um individuo por nome Gaffney,
condemnado d morto por crime de asssssi-
nato. O preso dirigio-se para o cadafalsr.
com o passo resoluto Logo quo se con-
cluiram os necessarios preparativos, o car
rasco tirou o ferrolho que sostem a plata-
f6rma, sobre a qual so colloca o paciente ;
porem. com horror de todos os assistentes,
a corda quebrou e o condemnado passou|pe-
la abertura. Trcuxeram-no outra vez pa-
ra o cadafaiso, onde, emquanto esperava
que so arranjasse outra corda, o desgragado
ouvio as consolag6es de um padre catholico.
Comtudo, antes de so collocar no sitio fa-
tal, o paciente nao pflde deixar de dizer
que, como ndo era delle a culpa do car-
rasco ndo o ter feito morrer da primeira
vez, devia evitar-se a segunda prova. As
suas palavras, porem, nao foram attendi-
das e passados dous minutos o desgragado
estava morto.
DOL'TORES EM MEDICINA.O jorna
London Medical Record noticiou que duas.
jovens escocezas, que haviam frequentado
a universidado de Edinburgo, mudaram o
local de seus estudos para Paris, no progo-
sito de passarem pelos exames necessaeios
par o obierem o grdo de doutor em medi-
cina, pela faculdade desta ultima cidade.
Chamam-se as taes inenioas miss Dakins
e miss Bowell. A primeirti tinha feito. jd o
primeiro exame profissional, e a seguada o
terceiro.
A faculdade de Paris exige cinco exames.
previamentt d concessdo do grdo de doutor
em medicina.
Ambas tinham ficado approvadas nemitie
discrepante.
I^)go que ohtenham os seus grios, **
duas ladies volverdo ao seu formoso paiz,
a exercerem a proflssio raedice.
Ndo laltardo gentlemen que as prefiram
para lhes tomar o pulse,
CURIOSIDADE. -Estd hamandoextraor-
dinariamente a attengdo na exposic^o de
Vienna uma preciosa obra, ultiilo progres-
so da relojoaria suissa. Consiste em um
precioso passaro collocado em uma gaiola,
ou em ura ramalhete de flores e que im;ta
perfoitamente o canto do rouxinol, cousis-
tindo a sua novidado cm nao canlar couti-
uuamente ate acabar a corda mas sim, dada
esta, o precioso passaro irrompede memen-
tos em harmouiosos trinados, como se es-
tivesso u'un bosque. Os commerciantes
de novidades fazem pagar muito caro es'e
caprioho e exploram admiravtJlmente a me
dalha de honra que a invengdo mereoeu.
w



.
TVP. DOPIAWO-BUA DUQCK DK UXIA
w^t^^mm
i^HHi


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAGA9YZR9_WGEKA4 INGEST_TIME 2014-05-27T23:39:01Z PACKAGE AA00011611_16700
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES