Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16696


This item is only available as the following downloads:


Full Text
230




I
I
I
F4BA A CAPITAL K IXC ABES OJf DB Si SB FACA POBTB.
*W trts mazes adJanudo* ...
P6r seis ditos i.kio ...............' W0O
Por am anno idem ............. *00
Cad. numero tvulso................. *0
........... 499
mi-FEUA T I* OUTimO lE 1873
V*
TV
DEP
PABA BBSTBO B FOR A DA PBOVIffCIA.
s Nr tree mm adUntados..........
" For Mis ditos idem..................
Por now ditoe idem.................
for am ami* idem........... ...
IWfHi
0MM
PROPRIEDADE DE MANOEL
DE FARIA FILHOS.
Ita-. d ita-*. an M^uape Augu8lo Gom8s _________________ A,"n,0 FerrM" ^ **"'" "* G0,,,,,m*' 40a A1,",io M",1"eo' W1" dM *"" > -"* C.. M Ihhi.; e Lehe, Cerqutoho d C. m Riojd. AuMiro.

da Silra, oo 3aUl; Josd Jast
Nazareth;
PARTE OFFICIAL
Gaverno da proviucia.
BXPRDIBNTE DO MA 17 OK JULIO DE 1373.
1' secc'.'.u.
Acto:
0 presidente da provincia, tendo em vista a
proposta do capiiao do porto em olMcio do hnntciu
datado, sob n. 136, rewire, do conformidade com
"J}li ''"* das instru 'P5*1 dc ,8 Je fev"ciro de
1862, nomear Jose Rulinn do Paula Carneiro para
o Jugar vago de 2.- pharoleiro da pli irol da barra
li porlo desia capital.
Offleios:
- Ao brigadeiro commandante das annas. -
j'.-do V. Exe. mandar por em liberdade o reerota
l.eobino Joaquim de Lima, risto ser elle mrapaz
d > servico militar, por soffrer de tubereulos pulmo-
uarcs, segundo consta do terino de in-peccio an
nexo ao seu oflcio de 13 da corrente, soli h. 712.
Ao mesmo Provideneiando ne.sia data pan
Hue seja recebido no tWpici-j dos alienates em
Oiinda, ealii tr.it.ulo a eoaia 1) ininUmrio da guer-
ra, o soldailo do batalhio ile infantaria, Candi-
do Pereira do Reg.), que esta solTrendo do alie.ia
eao mental ; assim o declaro a V. Exe, en solu
Qao ao sea o licio de hoje datado, sob n. 721 e
afiiu do gue nest..- . Ao ine. -Tendo indeferiJo o rei|u.-rimen-
lo em qua o recruta Josii Igpaeio Pereira podia
*dtu:i; assim ouonmuoicoit V. Exc. afim de
<|ue fa.^i so;,'uir para a corto na prirueira oppor-
luuidade. y
Ao feapitio do porlo.Communioan io o "r.
btrio da >i.l dado., vice consul da Itaim, eai o.Tl
eio de 12 d-. eorrenle, em viriud.s de auto-
itsaijao d-j govoruo da.piella oac-lo, duranle a sua
ausencia, deix.ir incumbido da geroncia do mesmo
twnsulado o S:\ Luiz de Olivoira Watltin-un ; as-
sim o declaro a V. S. oara sen eoulieei. nenlo.
Ao Sr. viee-eousol da Italia -Pelo offleio ijue
na data de 12 do eorreate me dirigio o Sr. bario
a* Solo lade, viee- ;onsul d i Italia nesta provincia,
fioti eutendido de quo durante a sua aU a gerencia d-sso consulado, em virtude do r.utori-
sac.io do governo italiatin, commettida ao Sr. Ln\z
de Oliveira Waltkinson, na qualida le de seu
Qhancoiler, nesta data passo a dir sciencia
as estacoes eompettciai. Renivo Sr. vice-
C0O30] da Italia a segurauna de miniia ji.'rfei-
ta csiima e di.-linct.i consideraeao.
2.* seccfto.
Acto :
O presideute da provincia, a visia do renoe-
iiuiento que veio annnxo ao olllcio do Dr. cliofe
de policia.n. 570 de 1!) de marco proximo passa-
do, resolve, de c)n;'ormid.ide com o artigo li das
instrucfoes da (1 de ahnl de 18il, impor a pen.i
U nn max do prisao o 100 i de miilla a Jos.'; Th.i-
Diaz de tal, quo, annaio do faca e clavitv.ti, Umou
da esolta, quo u eonduzia, no lu^ar Manddrv. o
recruta PeJro do tal, lillio do Manoel Bruno.
Oflicios:
Ao Dr. ciiefe do policia. -CKnmunicahd o o
Ssi baran da Sol-la le, viee-cinsul da Italia, em
0 Ucio du 12 do corrent navaf, e:u virtudo de au-
iprltacsi do govern daquolla nacao, incumbido,
duraate sua ausencia, d.i gerencia di mesnu eon-
snlado o Sr Lai.: de Oliveir.. Watkin=on ; assim
} dieoro a V. S pna seu conheciineato.
Ao mesm >. Transmittindo a V. s. sapia do
oTioio junto, quo me dirigio o juiz manicbal sup-
plenle a*u ererdeto do terino do Agu.ts Bellas, ma
ri'i'oiirn nlo as nee.issari is diligeuuias, afl.n da
qte aajato capluraJos o* erimfnos-n, de nue trata
o Jit i offleio.
Ao com uanlan'.e sup:ri ir do Recife.-Tendo
ja -og-.ii lo nar.i a corto o recruta, gmrda n tci inal
d. l.-oualliu uo artilliarii, It-vonauo l'auimi do
Ouvoira, uio pode pile ser posto em liborJale,
Ci.no s-jltcitt o tenonta eoronel eommanJante do
refendo battlhSo no offl-ii annexo ao
do eorrenle, so) n. 6,0.
Ao Dr. ohoi'o da;ilioia iletor.nino a V. S que re-
. i n nenJe as aatorida los sabaltero is quo, qaaa-
do eapturarera guardas nacionaes para o scrvie-i
di exercito proeeJim .i ar.-eoalaoo.o d) annamoa-
to i corream) a cargo destos, pertoncentea a fa-
zouda, segun.li. tambem solicita aqnelle comawa-
dude no final do sou eitado otlicio.
Ao Dr. juiz do direilo do Tacaralii.-Inteira-
d deter Vine-ageneiadj no-si comirca uma snb-
s.ripjao, aflin de serem feitos 05 coneertos der, :e
carece a prisao dessa villa, para que toulia a con-
veiiieute -eguramjt e comm idilade ; concertos
3Lie diz poJem 3er feitos com as quaoiias agenda-
..st tonli) a dizor-lhe que nio so concelo autori-
sacao para elles. com0 0 leave pelo zelo e philan
tropia que-ioslra pelo bem djs infelizes detidos.
Ao juiz muuieipal do Cabo. En resposta ao
oTicio de Vine, de 2 do c.rrente, ten'ni a dizer-lbe
que estando 0 destacawento a dispusicao das autor
1 idades pojiciaes, a estas deve requisitar as pracas
dc- que que carece para qualquer diligencia ; e
soudo esta urgente, rejuisitaado as ao coalman-
d.mte J. destacamento, devera logo commaniea,
0 pedilo as ditas iutoridades.
io juiz municipal de Aguas Bellas.Preste
N OM. as informaQSes que Itie foram podidas por
esta preeidencia em offleio de 19 de taaiu ultimo,
quantoaos offloios de tabelliats e escrivaes desse
juizo.
Ao mesmo. -Inteirado de qu.tnto Vine, ex- j
w em seu offleio de i do corrente, tenho a di-
rer-ibe que diligencie a capiura dos .'.rimmosos
a quo 0 mesmo allude, aiim de que sejan dovida-
niente punidos.
Ao commandante do corpo de policia. -Re-
eommendo a Vine, que faca substiluir por outras
as priyas que conipoem 0 destacamento de Taca-
ralii, podeodo .ip.jnas, das actuaes, continuarem as
de nomea Jose Gomes da Silva e Joaquim Jose de
Sant'Anna, que apresentam tneJhor compurtsunea-
lo.
3." sccfao.
Aclos :
0 preside nlo Ji provincia resilve nomear 0
firixnotor puMicaj da comarca do Oiinda, baeharel
Itraz Florenlioo Henriques de Souza, fiscal da col-
Ic-ctoria provincial do respectivo municipio.
0 presideale ,da provincia re.'olve exouora',
a sea pedido, Manoel Cavalcante Ferreira Metyo
d.- collector provincii! do municipio do Boaito, e
nomear pai'a salctiiui lo 0 cidaJao Florontini Car
n.-iro da Silva.
Offleios :
Ao inspector da thesourarla de fazenda. -
Transmitto a VS.'as coHtas inclusas relalivas r
transportes dalo-i nos carros da a-tradado ferro
do Recjfe ao S. Francisco durante 0 mez de junho
nitimo, por coota da provincia, para que inande
P'igar.a importancia de que IraLim .is masmas con-
l.ii; na conformidade do que solicitou 0 respectivo
superinteodente era offleio de 15 do corrente.
Ao m.'i-in.V v|ma da conta querpmetto,
raUtiva as ,i..--.ucn- India uj- carros d.i estnuti
de ferro ao Recife a S Francisco duranio 0 mez
dejonho ultimo, por couta do miuisierio dagu-na,
mande V. S. pagar a importancia da que trata a
inesma ooola; segundo solicitou 0 respee:ivo su-
perintendente.
Ao mesm >. -.la coafonniilade do offleio do
engenheiro das obras mililares, ea rista das inclu-
sas contas copi* de contract.* de an ematacao,
mando V. S. pagar a Manoel Firmiuo Pereira a
quantia de 3M4000, em qne imporloa 0 asphatu-
W91'o do xadrez do oospiui luilitar e 0 concerto
da i>ndadoeit5odimo ediflci*, wTvico aae-
, 01 rettoogr autorisaclo desu presideiicia, cons
V. S 1j 12
tante dos offleios de 29 e 30 de maio ultimo.
Ao mesmo.Transmitto a V. S. o incluso
pre! em duplicate, rela/ivo a 9 pracas do bataliiao*
n. 21 da guarda naeional, destaeadas na villa do
Bom Jardiuijduraute 0 mez de junlio ultimo, para
que laaade pagar a respective nnporLincia do no-
gociame Jose Maria Ferreira da Cunlia; nacoufor-
midade do offleio do commandante superior, dati-
do do S do corrente.
Ao mesmo.Cominunico a V. S. para os
[ins .-oiivonientes que nesta data nomeei Jose Ru-
1110 do Panla Carneir.i para o lugar do i' pliaro-
loiro do pliarol da b irra do porlo dosta eidade.
Ao mosmo.Cominunicando-me 0 Sr. barao
da solod ide, vice-consul da Italia nesta provincia,
em olllcio dc 12 do corrente, que durable a sua
auzeucia lica encarregado da gerencia do mesmo
consuUdo, em virtude da aotorisacio do coverno
italia.io, 0 Sr. Luiz do Oliveira Wilkinson, na qua-
lida le do seu chanceller ; assim 0 declaro a V. S.
para seu conheciinento e afim de 0 fazer constar
ao inspector da alfandega.
Ao inspector da thesouraria provincial. -In-
teiradj de q.ianto exiKiz em sua iiil'jrina.ao do
houtem sol) n. 295, acerca do pagameuto da
qnantia do 36:7464325, quesbln-ila o baraj do Li
vrauiento, e proveuiente da obra do calcamento
dosta eidade, tenlio a di-er a V. S. que o autori
so a proced.T a respoito de tal pagameuto conl'or-
me iulica no linal da ciUda inforraacao ; e para
esse lim remoilo 0 certificado annexo ao requeri-
menlo que veio appenso a inosnia informacao.
Ao mesmo.Tomando em consjderacao a
sua infonnicao sob n. 29i, acerca da peti.ao de
HermenegilJo Eduardo do Rego Monteiro, arre
matante dos pedagios das barroiras do Cixanga,
Motocoio nbo e Gequia, inande V. S. qua seja Uis-
pensalo da especi.ilidade de llanca, quo liver do
preslar 0 snpplicaute poraote essa tliesotiraria, nos
tennos da lei provincial 11. 991, de 13 de junho
de 1871, quereguia a materia,e ainda na eonfor-
inidade da lei do orcainenio vigente. .jue permitte
a observancia da legislate geral em relacao aes
negocios da competencia da fazenda provincial, si
nao houver lei provincial que os regale.
4.' seciao.
Offleios :
Ao provel.r da Santa Casa de Misericordia.
-Mao oirenveiido 11 hospital militar a necessaiia
seguran;a pin contero solda lo alienado do 3* *ia-
talhio de infantaria, Candido Pereira do Rego,
sirva se V. S. de dar suas ordens para que seja
elle recebido no iiospicio de alienados em Oiinda,
torreudu o sea tratamento alii p.ir conta do minis-
term da guerra, eoino se pratica com o soldado
Joao Banto da Silva, tambem alieaado. que se
acha no mesm 1 h )spicio.
Ao Dr. inspector da saiiJe public i.Deferin-
do a peticio de Antonio l#6 Ferreira Monteiro,
tenho a dizer a V. S. que, a vista do decrcto de 12
de agosui do ami > proximo passad). que concodou
permissao ao Dr. Juau Pedro Maduro da Fonee:a
para expor a veuda 0 medicamento do sua cotnpo-
sicao den.11nina.io Xarope do Manaca-podeo
suppli Mat", na qualidade de correspedeute dj mes-
mo doutor. vender era seu estabelecimonto a juelle
medicameato.
Ao presidente da cainara municipal 4o> Pal-
mar ;s. Com a informacao junta por copia, do
inspector da thesouraria de fazenda, de 14 do cor
rente, sob n. 526 sene D, respnndo a consulta
que fez Vine, em seu offleio de 25 de junho ulti-
mo, reliliv.-iinonie a substituieao, no caso de au-
sencia do collector desse municipio. nos trabalhos
li junta emancipadora dessa froguezia.
A-i president-; da camara municipal da villa
do Aguas-Bellas.Em resposta ao offleio de Vmc.
de 2. de junho ultimo, communicando nao haver
dido coinocu w* trabalhos da junta emancipado-
ra do- es.;rav,is no dia designado, por falta do
compareciinonlo Jos respoctiv,..s mmibros, -enho
a dizer-lho quo dove marcar nuvo ilia, faz^ndo os
compel-Mites wKtaes, alim de qne tonham lugar os
reiondos trabalhos.
Poriaria :
A' camara municipal da villa de Aguas-Bel-
I is. Aprirovo a arrematacio, feita por Manoel Apo-
linarie do Souza Medeiros, dos impostos da cama-
ra municipal da vilia de Aguas-Bellas, levados em
hasta pubhea a 2 Jo corrente, pela importancia de
..o8i000, e oiediante flanca idouea; conforme de-
c.arou-me a mjsnu camara em offleio de 5 do
mez lindo, que assim fica respondido.
51 seccao.
Offleio :
Ao administrad.ir interino dos correios. -In-
teirado de quanta expiie Vmc. em seu offleio de
hontem datado, relativaraente a recusa dos juizes
de direito do crime desta eidade em acceilarem
umacarta pre:atoria requisitoria dediligencia cri-
me do juizo do coramercio da eidade de Therezi-
na, pjr falta de indicacao de districto, tenho a di-
zer-lho que devo remetW-a ao Dr. juiz de direito
especial do commercio, que e cemneiente
abn-la e dar-lhe execucao.
EXPEDIENTE DO SHCRETARIO.
/." seccao.
Offleios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das annas.
1 Ao juiz de diwito de Garamns.=-Opportuna-
I mente sera tornado em consideracao o que Vmc
representa em seu offleio de 7 do corrente, qiianto
a iieees*idado ahi de um destacamento policial e
de autoridades policiaes. ,
7" Abeommaudante do corpo de policia.-De-
rymc. 0 processo do 1 sargento graduado
*b seu commando, Jesuino Gom;alvej
I- ahmdeque lenhaexecu.;.io a sentenca
aw cunselho de julgamenio.
3.' .vcyao.
nhuos.
3.' seccSo.
Offleios :
*> Ao inspector da thesouraria provincial. -De
ordem de S. Exc. 0 Sr. presidente da proviucia,
eoraraunico a V. S., para os devidos fins, que por
portaria desta data foi nomeado 0 promotor pu
blico da eonurea de Oiinda fiscal da collectoria
provincial do respectivo municipio.
Ao mesmo. -S. Exc. 0 Sr. presidente da pro-
vincia inamla communiear a V. S., para seu co-
nheciinento, que por portaria de-ta data foi exo-
nerado Manoel Cavalcante Ferreira Mello de collec-
tor provincial do municipio d > Bonito, e nomeado
para substitui-lo u cidadao Florentino Carneiro da
Silva.
5.' secc'lo.
Oflieio :
Ao superiuteudente da estra.la de ferro de
Recife ao S. Francisco. De ordem de S. Exe. 0
Sr. presidente da provincia. commuuico a V. 3.,
para os devidos effeilos, que por offleio desta data
expediram-se as necessarias ordens as thesoura-
rias de fazenda e provincial, alim de ser paga a
importancia das pas-agens dadas nos carros deisa
estrada por conta do ministerio da guerra e da
provincia; segundo solicitou V. S. em offleio da-
tado de to do corrente.
EXI'BDIHJITE 00 DIA IK DS flJCM OB 1871.
1.' secc/io.
Offleios l
Ao brigadeiro commandante das annas.
Pod* V. Exc. mandar pdr em liberdade o recruta
loio Silvano do Nascimento, visto ser iucapaz
do servico miliur, por soffrer de anemia asthma,
seguudo o terino de inspecjao annexo ao seu offl-
eio de houtem datado sob n. 720.
Ao mesmo. Sirva-se V. E>c. de mandar
por em liberdade o recruta Manoel Feliciano da
uuz, coniorme requisitou o coronel commandante inspector do arsenal de marinha
superior deste municipio em offleio de 4 do cor- "
rente sob n 639.
ail-
Ao mesmo. -Tendo approved) os cou'ractos
que, segundo os termos anuexos em duplicata au
offleio do director do hospital militar, a que allude
o de V. Exc. de 27 de junho proximo Undo sob
n. 655, celebrou o mesmo director com Reltrao
Oliveira & C, P. Maurer .Si C, J. Walfredo .v 0.
e Jose Antouio Guedes da Tnndade para o forne-
cimeuto de dietas dos doeoles e ra.;des dos em-
pregados, sanguosugas e obiectos de expediente,
bem como para a lavagem dc roupa, tndo no tri-
mestre de julho a satembro deste anno ; assim o
coiumunico a V. Exc. para os tins convonientes,
recommeiidando-lhe a expedieio de suas ordens,
alim de que nos contractos que se liver do fazer
no future seja observada a oxigencia da thesonra-
ria de fazenda, cotUida na copia junta.
Ao mesmo. -Mamb V. Exc. piir um liber-
dado os recrutas Joaquim Jose Muuiz e Horieucio
Jose de Souza, visto terem provado iseocao legal.
Ao inspector do arsenal de marinlia. Pode
V. S., como prop >& em seu offleio de 5 do cor-
rente sob n. 653, mandar vir da Europa .por in-
termedio de uma das easas commereiaos desta
praca dous mostradores para o reiogio do torreao'1
desse arsenal, em substimicao dos exisigates ajuo
se acham partidos; nao devendo o respecrTvo cuo
exceder da quantia de 6004, em que estao or-*
cados.
Ao m.sui'j.Autoriso V. S., eonio solicita
em seu offleio desta data 3oD n. 6ii2, a compr r a
Jose Mendes Freitas a porca i de carvao de coke,
por elle offerecido por veuda, a ra/.ac de 5 '000
eada tonelada.
Ao capitiio do porto. Communicando me
o Sr. Barao do Livrainento, consul d'Austria, em
offleio de 13 do corrente haver passado o exerci-
cio das respectivas funccoes ao ^r. Josii Saporiti,
em consequent de ter de seguir para a Europa;
assim o declaro a V. S. p.ira sea conhecimeuio.
Ao director do arsenaj. de guerra. So* ter-
mos da sua informacao de 16 do correute, e con-
forme o que solicita o inspector da thesouraria
de fazenda, autoriso Vmc. a mandar fazer nesse
arsenal alguus annarios que sirvain para guardar
papeis daquella reparticao, licaudo certo que o
ministerio da guorra sera opportunamente indem-
nisado da despeza.
2" seccfio.
Actos :
0 presidente da provincia, a vista do offleio
do Dr. chefe de policia, n. 1257 de 14 do corrente,
resolveu exonerar do cargo de subdelcgado do dis-
tri-'
spector da thesouraria de fazenda.-
la data antorisado inspector do arsenal
. waudar vir Ja Europa, por inter-
uiedio.de nma das casas couiuiercias desU praca,
dous mostradores para o reiogio do torrea do
mesmo arsenal, um ttibstituicao dos existeotes,
quo se acham partidos, nao excedendo o respec-
tive caste da quantia tie 6004 em quo estao orca-
dos; assim o commuuico a V. S para os lins con-
vouientes.
Ao mesmo. -Tendo nesta data, de acoido
com a sua informa^o de bontein Jatada sob u.
3ii serie D, approvadoos coutractos, constantes d.is
terremi* niiito* por copia, relebrados pelo director
do hospiui militar para foruecimento de divers os
generoa e.irtigos ao mesmo hospital, e bem assim
para a Uyjigom da roupa dos doentes, tudo no
triuiestr|Be julho a setembro deste anno; assim
o communico a V. S. para o< fius convenientes
Ao mesmo.Cnninumeo a V. S., para os
devidos fins, que no dia 16 do corrente o Hviu.
vigario ajlado da freguezia de Quipapa padre Tito
de Itairos Correia, entrou no gozo de tuna licenca
de 6 ntezes que Ine foi canceiida pelo governo im-
perial, comu consta Oe um seu offleio daquella
da.a.
Ao mesmo. Tendo nesta data aolorisado o
._ a ciimprar a Jose
Monde-s de Freitas cerca de 13 a ao loneladas de
jarvao coke, que pelo mesmo e offurocido por ven-
da a rasao dc 50i000 cada tonelada; asssm o
communico a V, S. para os fius convenientes.
Ao inosuio I'.omuiiiiiii-.ui lo mo > barao do
Livramento; consul d'Auslri.i, em offleio de 13 do
corrente, haver passado oexerciciodas respectivas
fuuecoes '.h> Sr. Jose Sap. rili, em consequencia
de ter diuieguir para a Europa ; assim o declaro a
V. S. para o tazer constar au inspector da alfan-
dega.
Ao mesmo.Em resposta a put requisicao
de lo do corrente, cibe me declarar a V. S. que
por offleio desta data atiturisei o director do arse-
nal do gnerra a c mtracuu a factura do ar.nario
que sirvaiara guardar papeis dessa repartifao;
assoverando quo o iinnist-iio da guerra sera op-
porlanainente indnmnisado da despeza.
Ao i- spector da thesouraria provincial.
Transmitto a V. S. as contas e rt-laciies juntas em
duplicata, alim de que inande pagar ao forneco-
dor Fehx Pacheco de Menczes, ou a sou procu-
rador, a-quantia de 377*000 em quo impor.ou.o
sii?ioiit<) dos presos pobres da cadeia do termo de
Seriuhao o, uorrespundeute aos mezes de abril,
maio t junlio ultimos ; ua conformidade do offleio
osciaca') Commercial Beneficente.Informe
lustrisdraa camara municipal da capital.
Anna Joaquina Theodora. Deferido com offleio
desta data a Santa Casa de wlsericordia.
Cotnpanhia dos trdhos urbanos do Recife a 0
Iiuda.Concede prorogacao peiKda, sujeitando-
se a suppHcante ,i mulu de 1.-000*000, se desire
do prazo que Ihe e concedido nao estivar conclui-
d i a linha telegraphica.
Fraaeisoo Antonio Lopes. Entregne-se median-
te reciho.
Ignaeio Luiz do Britn Taborda. Informe o Sr.
engenhoiro fiscal da companhia itecife Drainage
ouviudo o respectivo gerente.
Jose Francisco Coelho da Silva Vieira. Era
vista dos informaooes seja rolevado da multa.
Jose Manoel de Barros Wanderley. Passe por-
taria conce.lendo a licenca pelida.
Joao Francisco Antunes.=Indeferido.
Graego loao Jose da ost-i Riliciro. Deferido
com offlji i desta data a thesouraria provincial.
Joaquim da Silva 'larbosa. Sim, pagos os direi-
tos nacionaes.
Luiz Antonio do Nascimento. Requeira o sup-
ilicaute ao Dr. chefe de policia, qne e competente
para attende-lo.
Luiz Tenorio d'Albuquerque Mallo Deferido
corn offleio desta data a thesouraria provimial.
Manool Francisco de Lyra Senna.Concedo oi-
to dias do prazo para o snpplicante provar isen-
cao legal.
Thereza Maria de Jesus. Informe o Sr. Br.
chefe do policia.
Secretaria da presidencia de Pernambuo, 6 de
outubro de 1873. 0 porteiro,
Silvino A. Rodrioues
do Dr^hfie de policia datIo de lionuun sob n,
1267,
Commando das artnas.
i^UARTKL GENERAL t)0 COMMANDO l)\S ARMAS
DE PER.NAMBUGO, EM 6 DE MOUMO DF
1873.
OiJetn d) dii n. 768.
0 brigadeiro commandante das annas faz cer-
to a guarniciio para os necessarios effeilos, que
achandose consi-ferado com parte de doante des-
de o dia 1* deste mez o Sr. major henorano aju-
dante de ordens eucarregado do detalhe Jose Bo-
nifacio dos Santos Mergulnao, nomeou nesta data
o Sr. alferes do 2' bataln*j de infantaria Jose
Elisiario dos Santos, para servir o roferido empre-
go durante o impediments do mesm > Sr. major.
(Assignado.) Manoel da Cunlia Wanderley
Lins
Conforme, Francisco Antonio de Sd Barreto
Junior, tenenre ajulante de ordens di pessta.
para
V~--------- i .ii.- .11 til,I.-.
lendo i>. Kxe. o Sr. presidente da provincia, por
despacho desu data, concedido o prazo de 15 dias
aj recruta Ajitonio Monteiro do Sacramento para
provar isencao legal ; aisim o manda communi-
car a \. Exc. para sou conheciinento.
Ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia mania declarar a V. Exc, era resposta ao
sim offleio de hontem. sob n. 717, que nesta data
se mandou satisfazor o pedido que veio annexo ao
seu eitado offleio.
Ao capitao do porto.-S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia tendo nesta data nomeado Jose Ru-
nno de Paula Carnairo para o lugar de 2> pharo
leiro do pharol da barra do porto desta eidade;
assim o manda coinmunicar a V. S. para seu co-
nnect mento.
Ao engenheiro das obras militares De or-
dera de S. Exc. o Sr. presidente da provincia
cominunico a V. para seu conhecimento, que
pjr offleio desta daia se deu ordem a thesouraria
de fazenda para ser paga a Manoel Firmino Fer-
reira a quantia de que trata o seu offleio de 15
do corrente.
2." seccao.
Offleios :
Ao Dr. chefe de policia.0 Exm. Sr. presi
dante da provincia nunda declarar a V. S., para
os devidos fins, que nesta data mandou dissolver o
destacamento da guarda naeional que havia eii
Panellas, o qual sera substituido por 1 inferior e
5 pracas do corpo de policia.
A i commandante superior do municipio do
Liimieiro. S Exc. o Sr presidente da provincia
manda coinmunicar a V. S., para os devidos fins,
3ue por offleio iesla data aulorisou a thesouraria
iroeirto do pret relativo as pra
fazen.ia o pagamento .
c,is do batalhao n. 22 da guarda naeional, d.sla-
eadas na villa do Bom Jardim durante o mez de
junlio ultimo ; conforme solicitou V. S. em sen offl-
eio datado de 4 de julho.
Ao jui'. de direito da comarea de Tacaratd.
- 0 Exm. Sr. presidente da provincia maada de-
clarar a v. S., em resposta ao sen offleio de 28 do
mez proximo passado, que fleam expedidas as con-
venientes ordens para a substitnicao das pracas do
destacamento dessa villa, meaos as duas que indi-
cou.
Ao juiz de direito de Garanhuns. 0 Exm.
S-. presidente da proviacia maada accusar o re-
cobimento do offleio de V. S., de I do corrente, em
qne participa ter a 30 do mez proximo findo en-
cjrrado a t sessao jodiciaria do /ury de 6ara-
ito de Campinas, do termo de Bonito, o teuente
corpo de pulicia Jose Carlos Vital.
0 presidente da provincia, do conformidade
com a proposta do Dr. chefe de policia em offleio
n. 1267 de 14 do corrente, resolve nomear para
o cargo de delegado do termo de S. Beuto o le-
nente do corpo de policia Jose Carlos Vital.
0 presiJente da provincia, a vista do offleio
do Dr. chele de polioa, n. 1268 de 17 do corrente,
resolve conceder ao D Manoel Xavier Paes Bar-
reto a exoneracao por elle pedida do cargo de
delegado dc termo do Rio Formoso.
0 presidente da provincia, de conformidade
coraaLpr?posta Jo Dr chefe Policia cin Hiu
n. 12b8 de 17 do corrente, resolve nomear dele-
gado do termo do Rio Formoso o actual I
plente Antonio da Rocha Wanderley.
0 presideate da provincia, a'ttendendo ao
que requereu o capitao do 2' esqaadrao de ca-
vallaria da guarda naeional do municipio do Re-
cife, Sebasliao Manuel do Rego Barros, e ao que
informou o commandante snperior respectivo ,-m
otlicio de 7 do eorrenle, resolve, de conformidade
com o disposto no art 45 do decreto n. H30 de
12 de marco de 1833, mandal-o aggregar a com-
panhia de cavallaria do municipio de Oiinda.
Offleios :
Ao Dr. chefe de pdicia -Transmitto a V. S.,
nba o convenieute dstiuu e execucao,
sup-
a portaria de houtem datada, pela qual e He con-
formidaile com o disposto no art. 14 das in^lruc-
coes de 6 de abril de 681", impuz a pena de um
mez do priMue 100* de multa a Jo e Thouiaz
de tal, pelo facto enmiuoso Je ter, armado, tornado
nm recruta, como consta do inquerito que acom-
paohou o seu offleio n. 370 de 19 de marco nro-
ximo passado. "^ K
Ao mesmo.Cora a indusa ejpia da infor-
macao do_ brigadeiro commandante das armas
dou soluca.. a materia d > offleio do adraimstradsr
antenno da cas., de delencao, a que se refere o
de V. S, de 12 do eorrenle sob n. 1236
Ao inesrao-Communieando-meo Sr. barao do
Livramento, consul d'Austria, em offleio de 15 do
corrente, haver passado o exercicio das reoecli
vas funccoes ao Sr. Joe* Saporiti, em consequen-
cia de ter de ret.rar-se para a Europa : assim o
communico a V. S. para seu con eciraeulo
rTJ^ 'ne'n!- Euvie V. S. uma rela'eAo de
preaos sentenc.ados exutentes na easa de deteocio,
mformando d'onde vleram, e si com guia.
Ao commandante superior de Caraani De-
volvendo a V. S. as relajdes nomioaes e pret-
qtie vierami annexos ao sen offleio de :> de innho
ulinn-i, tenho a dizor que os veneimentos das pra-
cas da gnarda naeional qne, a requisieilo dos jai
zes da direito e municipal, estiverem era servico
por occasiao Ja sessao do jury na villa de Paneilas.
nao podem ser pagos, por quanto taes pra.cas, em
virtule da lei, deviara prestar o servivo para one
roram requisiUdos, gratatamento, sendo enblti-
tuidas dentro de 24 boras.
Ao juiz de de direito interise de Pahnarea.-
Nao tendo ainda side instailada a cataara de
Bamilroe nao node por or* ter lagar a providen-
cia, qae Vmc. lembra em seu offlcjo de A dooor-
rootc.
Ao mesmo. Seagndo solicita o coramandari--
tedo corpo de policia em offleio de noutetn datado
sob u. 414, inande V. S. adiantar dous mezes de
veuciuionlos ao alforos daqtielle corpa Joio Fran-
cisco da Silva Castro, que segue para Santa Antfio
ua qtialiJadi! de subdelegado do policia e dar-lhe
mais 2 )* como ajuda de custo de ida o volla.
4.' seccao.
Offl:ios:
Ao Exm. bispo diocesaao -Transmitto a V.
Exc Rvma. para os lins convenientes a copia in-
dusa da lei n. I HKi, de 28 do m.iio ultimo, crean-
do a freguezia de Nossa Seuliora das Dores de
Timbauha.
Ao Rvm. Tito de Barros Correia, vigario col -
lado da freguezia de Quipapa.-A.-cuso recebido
o offleio de V. Rvma., de 16 do corrente, e lico
inteuailo de haver naqu*Ua data entrado no goso
de uma licenei de seis mezes que Ihe f >i concedi-
da pelo governo imperial
EXPEDIENTS DO SRCBETARIO. ""
2' seocno.
Offleios :
Ao Dr chefe de policia -S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia manda co nmunicar a V. S.,
para seu Conhecimento, (pie nesta data autonsou-
se a thesouraria provincial a pagar ao fornecedor
Felix Pacheco de Menezos, ou ao sen procurador,
a importancia despendida com o sustento dos'
presos pobres da cadeia do termo de Serinhaem ;
conforme solicitou V. S. em seu offleio datado de
hontem, sob n. 1267.
Ao inosino. -De ordem de Exm. Sr. presi-
dente da provincia, transmitto a V. S. o titulo jun-
io de nomeacao do delegado' do termo de S. Ben-
to; de conformidade com a proposta de V. S. em
offleio n. 1257 de 14 do corrente.
Ao mesmo 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda transmittir a V. S. o titulo junto de
noraeacio do delegado do termo do Rio Formoso;
Uo coiilormidade com a proposta de V. S. em of
licio n. 1268, de hontem.
Ao commandante superior do Recife. S.
Exc. o Sr. presidente da proviucia manda decla-
rar a V.-S. que nesta data ordenou a soltura do
guarda recrutado Manoel Feliciano da Luz ; con-
forme solicitou V. S em seu offleio de 4 do cor-
rente, sob n. 639.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. president da pro-
vincia manda declarar a V. S., para os devidos
tins, que por portaria de hoje foi,min.iaao aggre-
3ar a I.* companhia de cavallaria do muuicipio
e Olmda o capitao Sebastiao Manoel do Rego
Barros, de quern trata o seu o offleio de 7 do
corrente.
Ao juiz do direito interino do Rio Formoso.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda accu-
sar o reeebimeuto do offleio de V S, do mez pro-
ximo passado, era que participa ter nessa data
rea*suraido o exerdcio do cargo dejuiz munici-
pal do termo de Serinhaem o bacharel Augusto
Egidio de .^astro Jesus.
Ao commandante do corpo de policia.5
Exc. o St. presidente da proviucia manda coin-
municar a V. S. que, por offleio desta data, man-
dou a thesouraria provincial adiantar dous me-
zes do veneimentos ao alferes desse corpo Joao
Francisco da Silva Castro, que segue para Santo
Antao, ua qualidade de subdelcgado, e dar-lhe
mais 204, csmo ajuda de custo de ida e volta; na
conformidade do que solicitou V. S. em offleio de
hontem datado, sob n. 414.
. 4' *ccao.
Offleio :
. Ao 1 stcrelario da assemble* provincial. =
R. 148. -De ordem de S. Exe. o Sr. presidente da
provincia, rogo a V. S. se digne enviar-.ue uma
copia do projecto de postnras, organit.-a.lo pela ca-
mara municipal da villa.de Agua-sBellas, e sub-
mettido a apresenlaeao da assemWea provincial
em offleio de 6 de marco ultimo, sob u. 13.
Hepartictlo da polfola.
t* ieccao. Secretaria da pohcia de Peroambuco.
6 de outubro de 1873.
N 1727.Illra. e Exm. Sr.Participo a V. Exc,
que, foram recolhidos a casade delencao os iudi-
viduos seguintes :
No dia 4 do correnfe, a minha ordem, Manool
Bento dp Soua e sua mulher Joanna Maria Rita
de San''Anna, p>r crime de aborto ; Genuino Be-
zerra Cavalcante, Vicente Ferreira da Silva e Joa-
quim Jo-? C?rneiro, viodos do Ilambe, o primeiro
seiitenciado a disposieAo do Dr. juiz de direito das
execucoes, e os dous ultimo-, pro.iunciados por
cf ime de morte.
A' ordem do Dr. juiz de dircilo de orpliJos, An
touio Ah'es de Carvalho Vorns, por nao ter como
inventnianle, recolhjdo a thesouraria por impres-
timo de dinheiro de orphaos.
A' ordeal do subdelegado de Santo Antonin,
Fausiino, ascravo de Jeronymo de Albuquerque
Maranhao, a requerimonto deste.
A" ordem do do I districto de S. Jose, Bene-
dieto, escravo Jo Mano-.d Vicente Pinheiro, e Mi-
guel, escravo de A.itonio Atha'nasij de Araujo.
nor distnrbios.
A' ordem do do 2. districto de S. Jose, Marce-
lino, escravo de Jose Francisco Pedrosa, por cri
me de furto.
So dia 5, a minha ordem, Antonio Ferreira de
Araujo, Paulo, escravo de Belmiro Jose Correia de
Lima, e Jose, escravo de Francisco Frcire do nas-
cimeato, o primeiro como recruta, e os dous ul-
timos, por andarem fugidos.
A' ordem -do subdelegado de Santo Antonio,
Roberto, escrav) de Josa Antonio Pereira. e Mar-
ceiino, escravo de Antonio Machado Pereira
Viauna Junior, ajrequerimeuto dos resprtivos se-
uhores.
A" ordem do da Boa-Vista Francisco Jose Es-
piuola, preso em flagrante, por crime de fernmen-
lo leve praticad na pessoa de Frederica Maria.
0 subdelegado da Boa-Visla, eommunieou-rao,
por offleio desta data, que sobre o facto do fori-
mento aciraa mencionado, fez a competento vis-
toria e prosegue nos termos do inquerito.
Fmaimente, ajordeni e a tranquillidade publicas
aao soffreram alteracao.
Deus guarde a V. Exclllra. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi-
mo presidente da provincia. -0 chefe de policia,
Antonio Francisco Correia de Araujo.
DHRLO DEFER N iff BO (X)
OKSPACHOS DA fRESIDBNCfA OK 4 DC OUrUBRO
dr 1873.
Abaixo assignados, momhros da soeiedade parti-
eular Reeeio Dramatico.Passe portaria na forma
requenda.
..J'HM,,!Sw!^^oae, Alexa''"e AOgosto de Fnas
illar. -Tendo sido sub nettido ao governo iinpe-
i! o processo do cosseltro de inteatigacao a que
rwpandea d snpplicante, nada na qae defenr.
Abauo assigaados, membroa da direocio da As-
RECIFK, 7 DE OUTUBRO DE 1873.
IVoticins do sul do imperio.
Amanheceu hontem era nosso porto o vapor
francez Ville de Santos, trazendo datas : do Rio
da Prata 21, do Rio de Janeiro 27 e do Espirito-
Santo 21 e da Bahia3 do corrente.
Eis o que ci.lheraos :
RKPUBLICAS DO PACIFICO.
Um telegrarama de Valparaiso, de 14, avisa ter-
se sentido um rijo tremor de terra na provincia
de Coquimbo do sul.
De Valparaiso avisam peio telegrapho, qne se
fez sabir o vapor Calhdo para o canal Smith, em
busca do Pat' OR) DA PRATA.
Os jornaes de Buenos-Ayres discutiam a ques-
tao paraguaya mais que tudo com referencia as
proximas eleicoes. Accusando o general Mitre de
aconselhar a cessao da villa Occidental, e da par*
te do Chaco ao norte do Pilcomayo, de que a re-
publica Argentina jd esta de posse, fazem-lne disso
am crime de lesa-patria. A semelhante indigni-
dade, acerescentavam, nunca se prestariam nem o
presideute Sarmiento, nem o Dr. Tejedor.
Dizia-se tambem que este ultimo vinha era rais-
sao especial ao Rio de Janeiro, emendar os erros
do general Mitre e por tudo direito.
Ao mesmo tempo fazia--se correr que no Para-
guay se preparava nova revolucio com os elemen-
tos da que ha pouco alii foi suffocada, e nesta se-
gunda tenlativa punha o governo argentino gran-
des esperanjas.
Relativaraente aos soceessos de Entre-Rios, ape
nas referent o boato, qne corria em Buenos-Ay-
res, de haver o coronel Gainza pedido oxooeracao
do commando do exercito naquella provincia para
volUr a capital a reassamir a sua pasta da guer-
ra : accre.scent.indo ter sido esta resolucao moti
vada por nao Ihe deix.ir o presidente da republica
inteira liberdade no referido commando e a dire-
can das operacOes militares.
Nada se sabia ainda do Patagonia, cm viagem
do Paciflco para Montevideo.
RIO DB JANEIRO.
Por despacho de 24 de sefembro foram nomea-
dos :
Ordem 4a Rosa. CommAdador ; o capitao
Francisco Alves Barbosa, pelos relevantes
cos prestados a religiao e a instrnccao publica.
^ Offlciaes : o coronel Manoel Ignado de Araujo
i.'.su, pel is relevantes servr^os prestados em I
laeao a guerra contra o governo do Paraguay.
0 Dr. Francisco Julio de fteitas e Albuqu
que, da provincia de S. Paulo, por services
lades em relacao a dita guerra 0 a humank
Francisco Marcondes de Moura e Costa, da i
ma provincia, por ignaes services prestados
relacao a referida guerra e ao estado.
Pregador da imperial capella o padre Salustia
oo Jose da Silva Ayres, do areebispado da Ba
hia.
Cencederam-se :
Ao padre Jose Theodoro de Oliveira, vigar
collado da fregue ia de S. Pedro do Assu da Ti
re, provincia. da Bahia, as hooras de conego
catnedral daquelle areebispado.
Fez-se merc6 :
Do foro de fidalgos cavalleiros da casa imperial
ao bicharel Clemenln de Oliveira Mendes e a Luiz
Manoel de Oliveira Mendes, fllhos legitimos do ba-
rao dc Trari|ie.
Foram naturalisadoj :
Os subditos portugiiezos Antonio Augusto Ce-
sar, Augusto Candido Pagones, Jose Lopes de Ate-
vedo, Jose Maria Duarte, Jose de Souza Guiraa-
rdes Junior, Jose Tavares de Oliveira, Loandro Jo-
se de Souza e Luiz de Oliveira Ferraz.
Por decretos de 24 de setembro, de confor-
midade com a immediatri e imperial resolncao ide
17 do corrente mez, tomada sobre eonsulla do con-
selho supremo militar, concedeu-se rforma ao ca-
pitao do 18 batalhao do infantaria e major hp-
norario Felinto Elysio da Costa, visto soffrer mo-
lestia inuravel que o torna inca|)az de eontinaar
no servico.
De conformidade com o g | do art. 9* da lei n.
6>8 dc 18 de agosto de 1852, concedeu-se igual-
mente reforma.pelo mesmo motive, ao capitao ag-
gregado a arma dc cavallaria Manoel Joaquim Ma-
chado.
Foi transferido p.ira a 7" companhia do 20* ba-
talhao de infantaria o capitao do 19* da roesma
arma loao Mana Berquo.
Por poriarias do 19, concedeu-se licenca ao
p.eparador de chimica do laboralorio do Campi-
nlio, Joao Alvaro da Silva, para tomar assento co-
mo vereador supplente na III ma. camara munici-
pal desta cdrte.
Do 22, foi transferido da companhia de ca-
vallaria de Pernambuco para o 5 regimento de
cavallaria ligeira Julio Alves Chaves.
De 20, foi transferido do 11 para o 8 bata-
lhao de infantaria o alf-res Cypriano Aristides dos
Santos Lima.
De 23, foram transferidos :
Do 4* para o 12 batalhao de infantaria o tenen-
te Hcrmetto Gomes Tourinho e deste para aqael-
le batalhao o tenente Joaquim Alves Fcitosa por
troca entre si.
Do lf> para o 16* batalhio dito o alferes Joio
Deocleciano Ribeiro, e dnste para aquelle bata-
lhao o alferes Joio Candido de Azevedo Bello,por
troca.
De 23 do dito mez : foram transferidos do 1 pa*
ra o l batalhao dc infantaria o alferes Joaquim
Jose de Oliveira, e deste para aquelle batalhao o
alferes Carlcy Olympio Ferraz.
Por decreto de 24 do corrente foi dispensado
Fernando Ferreira da Silva das funccoes de inspec-
tor da atfmdega de Porio-Alegre, provincia de S.
Pedro do Rio Grande do Sul.
Foi nomeado para servir em commissao o re-
ferido lugar o ajudanle exlincto do inspector da
alfan-iega de Maceio Antonio Ignaeio de Mesquita
Neves.
Por decretos de 24 de seteiibro :
Foi removido o juiz de direiti Jose Rufino Pes-
soa de Mello, da comarta do Serido para a do
Jardim, ambas de 1" entraucia, na provincia do Rio
Grande do Xorte.
Foi nomeado o bacharel Loviodo Ferreira Lopes
para p lugar de jniz de direito da comarca de
Sanl'Anna do Paranahvb na provincia de Mato-
Grosso.
Foi reconduzido o bacharel Joao Panlo Gomes
dc Mattos, no lugar de juiz substitute da 2' vara'
civel da comarca de Xiiherohy, na provincia do
Rio de Janeiro.
Foi declarado de nenhuni effeito o decreto de 23
de agosto do corrente anno, que nomeou o bacha-
rel Antonio Goncalves da Almeida, para o lugar
de juiz municipal e de orphaos do termo de Villa
Maria, na provincia de Malo-Grosso, por nio ter
aceitado a nomeacao.
Por decreto de 24 de setembro foi nomeado
Estevao Jose Fires Ferrio para o lugar de solici-
tador dos feitos da fazenda da cOrle proviacia
do Rio do Janeiro.
Sua Magestade o Imperador visitou, no dia
23 de setembro, o externato do collegio Pedro II,
onde examinou as obras que se estao alii fa-
zendo.
Em seguida foi ao asylo de invalidos, percorrea
tolo o estabelecimento e assistio ao jantar das
pracas.
Lemos no Jornal do Commercio :
0 Sr. oeputado Antonio Candido da Crnz Ma-
chado acaba de publicar uma Memoria relativa
ao projecto de nova divisao administrative do im-
perio do Brasil. Offereee o autor este trabalho
apenas Jcomo estudo de um assumpto que Ihe tern
mereeido especial cuidado, e para o qual chama a
attencao dos poderes publtcos e em geral de qaan-
tos tomam a peito o engrandecimento da patria.
Nio ha quem nao recon eca que o nosso syste-
ma administrative e defeituosissimo, e corrigi-lo
pouco a pouco deveria ser nma das principaes
preoccupacao dos nossos homens de estado. Ain-
da quando a reforraa deste servico nao deva redu-
zir-se a nova divisao das provincias, constitue esta
sem duvida um dos pontos essenciaes, e concor-
rendo com o valioso concurso das suas lazes para
a organisacao de um .piano geral, o Sr. Dr. Cruz
Mac ado presta sem duvida am bom servico ai>
paiz, de que e representante nas eamaras.*
c Hontem (26) pelas 7 horas da manna Santos
& Martins, estabelecidos com loja de ourives a ma-
de Uruguayana n. 3, procuraram o Sr. tenente-
reronel Luiz Ignaeio da Silva, subdelegado do !.
districto do Secramento, e communicaram-lhe que
na no it 0 anterior baviam-lhe sido roub.das varia*
joias na imporUncia de 4:000iC0Q.
i A loja ainda nao tinha sido aberta ao nubli-
eo, por |ue se estavam ooncluindo algumas obras
indispensaveis. Os ladroes penetraram pete so-
brado que fica superior a loja, e d'alli passarant
Sara esta, onde se apoderaram do brincos, trance-
ns, anneis, correntes, palseiras e grande porcio
de crozes de ouro. tndo no valor acima indicado.
0 Sr. subdelegado dirigio-se promptamente
a casa dos queixosos, interrogou sets trabalhado-
res e mandou conduzir para o xadrez de policia o
pret > Joio, escravo, sobre o qual recahiam sus-
peilas.
< A mesma autoridade continua em averigua-
coes.
v Eis as noticias commorciaes da ultima data :
u 0 mercado de carabio, gracas as boas noticii
de qae foi portador o John Elder, reUlivamente
a posicao dos nossss generos de aaportacao nos
men-ados consuHakJores, apresentoa bqje mais flr-
meza. Os banens elevarara a tax* de sea papel
sobre Londres a 26 d., e o papel particular foi ne-
goeiado a 26 1/8 d. A esses algarismos effectua-
rara-se pequenas transaccoes.
< Negociou se aolote iosignificaate'de sobora-
aos a 9|370 a djooatro.


V

de 6 por cento conlinua-
za e alia d& pracos*
mvol-vcu, Xfgocia-.
1.018* A l;(Wi a-ii-
V^.

o movinientb limitotise?
loles das do Banco do Brasil
3ane*-*f
Meant
la Ju e
n'.il da liri
Mr I jIjo-
a di o in
a Ai apoliees
ram a api
graja* 4 proeurlf1
ram-sc lotos n
nhcirov
No mereado deae
ftoje a voada Ae varlos
a 245*. fraefao, a din
Santos 40* ; Bauro
Ci0*o00 a dinheiro,
ferro de Prtropolis
tn ontnbro future
vidente 13*590, ta
t As vetdas el
prmlBMos foram
regnUres do IUM
Sahirain ^htiei
(i,000 arrohas ^W.a
r Nao nos ciinstou fretamento algum.
A aifandega reniea de I a 26 de setembro
e;803:475*H>6.
V.-1'IHITO SANTO.
Ma din 4,t, 4. i.apttin Antonio de ticilas Lira,.
ao regressar para a aia far.end* em Vianna, ia
seodo viiiimi dc uin tiro disparado deembosea-
da, e ceja bala er.ivara-.se cm um dos paos da
eancellt.
Nio obs.antc f.ira seinpre ferido no tacito 6 em
uma das maos, por "algnns bagns de rjiwmhp
grosso.
Vaporcsn.-s-.ihlr. -
(taUmu ;*nj in B nape pan Haaaagba
\k; iu dia l,a, M ^Kkw? R'u Formosa*
Tamandaro, n C, a}u e cscalis o o
."trup'ami para ^Kv
Vapores espaecados*. -4* >je ou amanhat o
Mendoza, da Rtiropa ; de 10 a 12 do correme.o
miUittie P<"4i*4Jtoaia., e-ejcalag, ftlrancez
o-db edBgte9H*"flP -''I do imperio
._ rYum, da Earopa,
Vapor Cruzeiro i lo Sal. -Dere tor sah
(!) da corto pirao n arte d) imperio no dia ldfl
corrento.
Vapor Rio Grand*.-Este vapor fraD-
"oi, da linha de B-ardeos, davia sahir do Rio de
Janeiro parao nos-o porto no liaSdoobrrc
... as 8horas da, rtauhi.
lAw^fe Pcrnambuco
, 78:1 SIS. 993, 1031,
5390, SMt, S8SI,
I'ro
Porto do Rio de Janeiro.-Esiavam
*Sffapara Pernammico: galeraportag8e!aTi
'mi, barca dita .-4wfaqp.o harea $\\3.~Alcxam&re
Scrculano. U I j JB
Vapor Garonne. -Este vapor iigtQna
linha (Jo Pacifico. devia partir do_Rio de Janeiro
para o no*?o porto no dia 3 do corrento. ~ N
Estrada dc fcrro do Recife ao S.
Franelseo.As grandes mares destes ultimas
dia>, autiliadas pflos vontos. wiiianle*,.corroer4n
por tal firma parte do aterro curviliaio, \\xi qae
ri'pousam os trilho* da via-ftraoa do Recife ao S.
Francisco, no lugar quo defronfa com a raa Im
kirt, Jonquil
in F. 1'. Marinho, Igi _
Fi'lialao Eli ido A. P0083.1
u eri.TIo e umw
ictorino F. R.
Pinto, Manoel F. de
jna senhora
loaa
\ticias do norte d* isnperio.
4lli:il|^|lli f \) Upihirfl- vapor bra imp imi. trazend;* datas : a*.>
Gamk 2M d seleinbr.). d 1\m tinuitk \ a ia Pa<
wliyba ii do eorre.iie.
CRACA.
fae-ce na Ctnse^fa/fti^ :
Em virtudd da hii q tW*it mve Ihesourirta provinin'dl u Ingur iIj c>mia'tor, foi no
iseado para esse lugar li mosso amipo, Sr. Jorge
Virttir k'errCira Lopw Jani'tr, quo na mosma ro-
l*rtic*o oxercia com tno I ic.vavel e inieliigopeia
oliijsir dechefi) da I.' soc.sVi. "
No dia 27 de jullio ultimo, na cidajc de So-
bral,. PraucitKo Lopes Ga'vao toi pio.-j em /ia-
sjranto n> att de dar tunaTucaJi em Laurinda
Francisca Maria.
No lia 30 do raez de jnlho proximo Undo
iidiawtuialn pe!i> dolegado de rjoliqia de Virzoa-
-Jrpne, a rc-inisica,< do fniz mnoi'-iual do IfflTOO
do rao do:F^rros, pwvioma do Rip Grando Jo
Noile, (i criminoso de Inmicidii Joai|uim Oion^l-
ve>, conllocido por loaquim Rene licto, o (jual foi
lrtp raooUMilo na cadeifl do cidadclo Ico
Ha dia 3 do wcz proximo pas-ado, pclo delc-
tsad do pilieia Ha i.niade do l-o foi caplurado
Luiz Jose de Sm.-a, sentenciado polo juiz daquella
cida le, a pena de sois :nies do prisao e multa
corrospomleni.! a lactodu do tempo.
No lia ."i do i:>osin i mcz, no liifi.u" Rom Sue-
foma do tormo d<' Camndo, foi capturado pelo
retpeelivo ddefaiio insert ir do ii balalhao de
iii.'autaria Fraasi-co iVuiora d Silva, p aoal foi
logj re.iiellido para aomJcia de Catui-ibi, omdes
tin i a e u No dia 7 do iHftsmu moz.no lugar Sania Cruz,
oi capiurailik pelo d-lc-sulo o hm Maufiel Prai),-
'.i.iTin IVreira, -piwiuiieiado por iirime do homi
ydl<^ j
t No dia 18 di dilo m-z f.ii-preiO pfllo sal.do.c-
u4u de policia do Soared u il si'rt ir .loaquim da
Silva iiKiai. Si mosmo dia loi capiui'a.lo :\a 11a-
fta^t HmnbI d' 'i1, que uo.logar do rio de
ses a*5.issinoH a Frnncisc Maro'lino.
di)iil>-::i ciicgoE a csta ci 1 ide o Uxm. Sr. D.
'.uiz, bisp i dioeesano, depots do nma longa via-
-ii nocenlro da |rovin-ii.
a Oust i-o is (|oo S. Erc, p>i" iacomm idos do
gaiile, nao pode continuarsaa vi oi i pmjc,t:iva. Fa/.-.'-m os vo! >> por saa |Mreclos:i
*U/Ae, o (flielwmos a S. Eso. por sen regros-o.
No dia ii de ag i-ti> ultimo, no Iuh:ununs,
loiideu a aima a-> '.i'-.-. h>r o no.-so amiao capitao-
mor Antonio Marti.is t!h ivos, um d-s fazenaeiros
i.vs rieos dcsti loo-ii-ia. e noila wohfcjo*tmenTe
r.n i mats projiiiinio.-us da farnil a l"c.'. ua ; fo sempre
iit-1 e dedicadi a rausa liberal, a quo prostou ie-
!-v.-iiites scrvi.H-, ja n.i d^recoae do partiflo na-
onella licali.la le, ja no eoncurso da grande in-
!l loocia pop il ir d : j i' disppuha par sous gone-
.'.sis sentimeatos e preelaras virtudes.
(;l i ..:;>NO( no NORtE.
Lorn is no Convict d- d.M.V :
:i No dia 2S do ng >to falloceu na cidade do
Principe a eapiuo Manoel ilasili > de Araujo. dis-
! nctJ moaibro di fainilii liaplista c deputajo
pruvinoal.
a Entrando bo bso do um remedio, quo llona
par ba u'lii-on da quaotidado do on smo remeJio, a poflt}
do ffearcavenenad i, rosiilt.mdollio disto n morte.
< 0 flnado B.i-iljn necopou por veees os Inga-
rjs^io elcieio p ipular e dc nomearjjo do govor-
iifi : e era iBe-iatestavelinente um rtto^c dc al-
gaiti intelligence, pelo quo so eon*tituio director
da rrimerosa familia dts ipi-" era membro,-em tadu
ii que diiia respelta a polilica.
do, re-pondeu este^
1c"cnatnar-s9-ti73
gU'3iro;
it Ser natural
" Tcr Q'kannosdeidi
> Tor sido sempre so1
ii Exeifcr.ua, .ear
}OBaskXomt
Ciinltl'J de Puntes Vis-
B'J 'ih
'.I* :.
periel, qne, alinal, na noito de autMioBteotjjSeo*
arrombado o rne*mo aterro, cm ce'rea "ue "udu's
juetros de cxtensao.____
fisse estrago-, norem, nenhuma interiiii>y3o de
termiuou, no trafego dalinba, pois que, com Ii
geiros reptros fejtos in'cbnUifnli no romb,i, pi-
deram passar s trens do hontem sem nenhum
risco.
Hontem m*mo Gcou completaraente restabele-
cido o aterro, tal cora*ra IfaAtes.
4iTeinataeues Paran'.e a junta da t'e
souraria provincial seriio levados a praca ho dia
9 do corrrnte, (quinia feira) um sitio na estradi
i do Remedio por 3:750*000 u o fornecimento d.i
alimentacao e dieta dos presos pobres da casa de
dp|a9c%{,
llcncfieio. A sociedado propagadora da
instruecao publica vai colhendo os fructos de sua
dcticar;. io.
Em iavi.r do cofre' do consellio par chial do
Poco da Panclla, ondo ja se eucontra uma pcque-
na Dibiio'heca e funecionam qunlro aula;. duas
diurnas e oauras laatas ooclar ris, I 'vido i.-tj aos
o-forijos dessa socioJads, havera lioje um interes-
;ante cspectaculo no theatro de Santo Antonio.
0 programma do espectaculo e o lim a que se
destina seuproducto garanlem oma enchente real.
Pa^adoria da tlaesourarla de fa-
zcada -Pagam se hoje asseguinte? folhas :
Guarda nacional, bavios a*a armada, nposenta-
d>s. Os funectonarios qae doixaro.n d: receber
neste dia, so podorio fazo-l) J) oitavo Ufa util em
Jiantc.
Klc-iuao de irmaadade Ante-honlen
(5) soli a presidenciado Sr. Dr. ptbved.tr de ca
poll is, clegca a irmandilj Je Nossa Sosiiiora do
Bom Parto, erecla na igreja do 3, Jose de Kiba:
mar, a nova mesa regei ira para o ann> compro-
missal do 1873-7*, qu; ficu .-.ssim composta :
Juiz Claudino Fun-:'-;) da Par.
Si:retririo -J--:'' Vidtiiario de Mello.
ThesoureimJiistioj Fraa.-i--) de As?js.
Procuradif g^af^Molo *W PaniAo dos
Santo*.
Pr.icarador do patron >uio Ludgero Ferrcira
de IIollanda.
Procuradores Fnncisco Xivier das Cliagas,
loe ItauDs Rarhoza e Trajr.n di Sil.-a Pereira
Til);ircio
Do!imJoros-Fian'i^:o ffe i'nla C aves, La i
Cvriaco da Siivo, Ja.iu.) 1 '. Men lonca itib^iro, lo*
, .Ma-ioel GJ*
da Silva,
iquerque,
"inu For-
Antonie
Batns, Antonio du
reia. Dr. Mirabeau,
filbos c 2 criadas,
HSiro, JHtonio
cm
jro, Fru
la, nairoH-nesfl CijdH, Loo
vo lo, Jufc H. de Barroa, Dr. An
inp ;ao NfneL sua aenliora, 1 so-
"alos, l. do Azevedo Maia. Jos6
lia Juaior. IWlolpUo C. da F. Gal-
do Garvtlii-fe uma criada, Fran-
ga, Joaquim Antonio Pereira Vina-
Silva Lob?, Pedro F llrandao, D.
Franc soo D. Fcrroira, Jose R. de
A. H.il^Wfnre, Francisco H. 0
.So, D. A:
cisco de
gre, Antoni
Maria da
5. Range
de Seppe, e 6 escravos a entrega
3C
PBRNAWBO-m
RETISTA DIARIA.
Cilcctrias pr^viuciacs.-Por porta-
rias da presidencia. Jo i do corrento, foram con-
Mdera las sem effeitn a oxoooracio do Joiquim
KaiiMs d.i Silva Slo'-eira. do cargo de essri/io di
toria do mnnicipio do Brejo e noiea{ao do
Si.moel Tavares de 'WLycira Villas-Duas
Asylo de alieuados.-A escola normal,
para quern naosao indilfonmt s osgranles eom-
mottimontoB, diregio so por moio do uma eotOHil
Bio ao presidenlc da pr.ivineia, o Esm. Sr. com
men d.i 1 w Lmeeat, oiler wea I r-lhe ilivocs n obje.--
(M com applieacao ao asylo do alienados, uixe 8.
Exc. pretende odificar nosta ridade. 0 offeroci
moot i e os objectos eoostam da pablicacio, que
abaino faaamos.
Applaudi.il i a feliz lombranja da escola normal,
a qoem sobra enthnsiasm > pela* grandes idea-,
dirigimos-lhe os nossos lonvores, regbtrando a
facto
Exm. Sr. common lador Henrique Pereira Of
fjicena. ^e grandioso foi o einpreiieadimonto de
V. Exc. na fundaoao d; um a-ylo nesta provincia
para tantos infolizos plioaados, nao Boon aquom
o aeolhimento, quo teve esta hamanitaria idea do
-roracao de uma papula a) tin goncosa.
Se per nma viaita acaridade tao de perto ao cTacao de v. Exc
osala q e esta provincia toaiia adita de ver rea-
lisado pase jutp-ortafltte uvliiornm.-nto.
t Senhor presidente. E' no scio das familias e
nas casas de eiacaca'r, oil fc se eomeja a implan-
lar n) poraclo das -r/ia.as o verdadeiro senii-
:i-pto do atiior do proximo a prattea da virtade
por cxcellencia a carrdade. A escola- normal
dest.1 cidaac, apreriando o aeto d-> V. Eex., v*m
ocr sua vez signilicar o rec^nhecimento de ivue
so acha po?snida por tie assignalado beoefieio.
a Nas maos, pois,de V Exc. a presonte com-
niissao doposita as segftrntes offortas, cajo produj-
'y V. Exc. des'in.ira a fanJacao do asjlo dos alio-
nados; e o faz sem acanliamento, por quo catla
urn da o qiic pode.
Beleve V. Exc. que ea, em todas as relaeoes, o
rnais humilde lilho daqnelle instHuto, nqal o re-
presente. manifestanlo com estas phrcaes os sous
sentiraentos; bem se comprehende que ontro an
.genho as traeou, mis soiheule a sna
peJa voi da ilinoeeiicia podwia tornar
: pequem ofTerta. P.ccefeei a.
.' ilis os objeeioa:
ai mil rois em dinheiro.
! r;!*!^ de IS.
I noz contendo aprestos do cooara.
1 eharutetra ds velludo azirl bordada a aura.
. 1 earleira de marfim para algiheira
I'loete de peito,'de own.
1 peso de crystal pan. papeis.
I manual de missiein veliildo.
- i TWrtfde escrlptura^so raercan*!. I
I garrafa, eopo e prslo de porr,e*ana para Ur
-atorio.
Ifacomotiva de papelao.
Vacein.-Mrao pBrtJllea.-^O Sr. enmraen-
daUbr inspect or da o'lide puWir.a, Dr. Pedro de
Athayde=Lobo Moseoso, em Visfcide autori*acati da
presidencia da provinci?, convida a todas as po-
piiierem excrcer o lugar de vaccioador
Ifo iias frogtreria? do mfti'Wf da mwidcia, a
-j.ge na repec:iva repariic-to, munWip
.i-me r autoridarje lpcal'iu* prove
a, a is I'ass i>, Jose Fr..a rUcj Regis, Joss Fran
ci&^o de Sauza Sla^ilhS s, F':r.;ao Horculano da
Silva, Laiz ill Rocna Fagandis, ,'oajuim Easti-
qaio Noves J i:io G lalberio da ^i!n e IiteS Ferrei-
ra do Menl mca.
Festividadcs rcli^iosas. Celobroti-se
ante-hoatem na matrjz do Urpo Santo a f--tivi-
dadeVoiigtosa.de N)ssa s'enbora do Rosiri >. o
aeto foi revestid) do toda a :nagnifi>encia e de
voc.io.
Oroa ao erangellio o Rvd. coadjutor da fregue-
zia Wei Angu-to da Immacu'-aia G'm-oicao Alvajb
e no Te- ham o Rv 1. Aotoaio da Mll9 o Albu-
querque.
Rojreu a orchestra o liabi! professor Francelino
Pessoa.
Tambem no mesmo dia terminou o acto do
mez doloroso, na capollada Siuta Cruz de OHnda,
devocao promovida pelo Rvi. BOQQgO Joai Chry-
loattmo.
Co.astou dc missa solemn cm cajo evangol'io
orou o Rvd. eonogo Maao -I Jjlo Gomes,a Te Deum
de quo foi orador o Ilvd. vig.ftio frei JoSo da San-
ta Tbereza de Jesas
A" tarde houve o acto da cousagracJD a Maria
Saotissima com mi disearso ana! igo pela referilo
conego, terminanio com um hymno eanitado por
divorsas meninas.
Vaccina no ro^o.0 nossa amigo o Sr.
Antonio da Roeoa Accioli Lins, i.icumbido pela
presidencia da Vacsioacao na freguezia do Po;o
de-la cidade, lendo a:eitado cssa honrosa e huma-
nitana incumbcucia, vaccina em a casa de sua
resiJencia, na refcrida freguezia, a todas as pes-
soas que ali se apresentarcm, das 4 as 6 boras da
tarde de todos os dias uteis.
.Ucrcado dc S. Antonio.Vae ja bas-
tanloadianlada a obra dessc mereado, de que k
contratante o Sr. Jose Aogosto do Araujo.
Hrevement-?, e do crer, estara correloiih a me-
tade (jue esta em andamento ; e, poi<, brevemente
tambem desapparecerao as extra^agantes barracas
da antiga Hiheiru. chamada do pateo da Penha.
Sera esseum impirtontissimomelhoramento fei-
ti pela municipalidide do Recife no inleresse dos
ous mumcrpes.
A obra do mereado parcce-ais solids, ao passo
ipio na> iiscn.'pi ama liaha da elegan;ia dos mcr
cad is curdYieos
Aos Srs. DsiMies.-Oiamamos a attencao
destes seah res para o comprrmentb das posturas
ultimamente criadas, para nao dar lugar a reela-
ma.ijes. como a que abaixo trauscrevemos, a pe-
didii de am nosso ass;gnani", nwrad r na fregue-
zia da Graca.
( Srs Redidorrs : 0 pnprioUrio di taverna
sita nos Atflictos, freguezia d; Nossa Senhom da
Graca, nao eainpro a poslara da camira mnnici
pal que manda feichar os ostabelecimcntns de m i-
Ihados e bobidas iW* domingos odias santos ; cuia
postnra ^endo cumprida por oatros fiverneiros,
com jnslica reclama a remeito provid-^niacs.
Dinheiro 0 vapor Pimpama lrouxj_para
do magistrado muw des-
cmVargad.ir na nfacSto''dW"3fir9hhlo, onde re-
fl?^el'q^ifreWplU,ittMB de*ida
Conceifao, pralicala por die sob a violencia da
i)aixio74Ue"[ToT es^jaotnarcjnraijara.liavia mais
dennno; ,
i Conhecor pmoo mals oa mentis, as pefflnas
qdfe a rcpeito do facto foram in'fnerid.is pela po-
Hc.a do \ftran Si, a sob a impressSo do
[momento; e Sem pissfriltHade do indicirdo contra-
dicta-las. tinhorn deposto npnixbnairamf'nte a res-
peito de todas as cinrumstiiooias ; o rptf- o obriga-
va a rftquerH- nfi -. so pt-riccT*>se ao surnm.irio re-
gular, com andio'rfora do irrlicado por sous advo-
gados.
h Quo nao pndia desde ja esclareeer -dJfciMica
so'iro todas as circarrrstartcias do facto, pJBue se
acluva ahatido, nio tendo podido alim ntar-se re-
gularmente havia 10dias;c sentindi o s,edeBpirito
ainda peHnrhadtt:
< T.Tmlnadoo-*ath', forarri'ehlnjgiiei ao Sr. Jui-
e escrivSo as llrts dn pope? em rfrje os advngados
trin;mittinm ao Wdraado as pdrenntis, aflm de
fTcar rerionlweidi que nada Ihcs Bra accroscen-
to lo.
Foram admrttidf)s,a"pre*em:laio acto as pes-
sons qUo tiu'iin ronodrridO'ao quartel de perma
nentes com o-so intaito
Camara municipal da cdrtc. Lemos
no mesmo jornal:
t 0 tribunal da relaciio rcformrn hontem a sen-
toaca do jui'. do direfto fir. Andrade' Mnto, des-
pronnn-iarrJo os Sr. Bento Barrasjo rereira e os
demais vcreador.-s da c-tmara municipal da corte
c conririnou-a na parte que n5o os prtmaneiara,
ftr-grand > asstm provimento ao r'ecurso ilterposto
palo Sr.Dr. 1* promritor jintlfto.' A *>rte 4esig-
nou para juizes do processo os Srs. desomlmrgado-
res Pereira SJootteiro, AtrbeHa e AssinMascarenhns,
votaa Jo esto pela 9uflPnta;ao da prontmeia dos
mesmos vorcadorcs. t
IVivio iacendiado.Encoulramos rials
nosse jornal r
0 com-n in 1 into d > van ft francez Savoie, en-
trado hontem da Ri > da PVa*a, infer ma que na
noito de 2V- do cirrente, encontrou e*n lar. il' 29'
S, e long. 28" VI' G* do mendi?ino de Paris nma
e:abarcaca> de ferro in"ort'liada e afcaodonada ; a
bordo aind.1 havia fogo.
Foram ba!didrs'YtAdrs as tentativas para des-
cnlirircm o nom? dS mandarrte parccea ser de'-vel.o.
Proeiajnas. PlrXtfl lidos na matrix de
Santo ttttlihio no dia 5 di eorrcnle, os so-
guintes:
1* dentinctaCao.
Manoel J a i it i Am rim, eom D. Genoveva Mar-
ques do Amorrm.
Alferes Jozimo Adoltrales Jaymo da Silva, com
bidora J nli.i de Farias.
Bernardino de Senna, com Maria Francisca da
G Hicojcao.
Dr. Joi) doSa e Alb'iioerqne. com D. Maria
I.oeinla Lopes.
i-iio- Vivti r Lan'entino, com Reparata Elfrida
WtiJidtirv.
Aotonio Ipnaek) M Silva Juaior, eom Maria Po-
trunilla tie Gouveia.
2' deunnciac,io.
Mnn""l do Lims Figneiredo, com Belinira Car-
nciro do Aquino.
Emilio da Trln lade Pinto, com Antoaia Marga-
rida Xavio.r de Faria. _.
Jo.io Xivier do 0', cam Anna FranoiSea Alvas
Ferreira.
Antonio Fran risco de Barros, com Bibiana Phi-
lomena da Trindade. .
Alferes Lydio Gomes Porti, com Jul.a Fhra de
Oliveira Porto.
Esi^ridiiio Fabiano, cam Maria Annuncia la de
Hello,
3'denunciacao.
Jose Joaquim Ram is Lobo, cum Maria Joaquina
da Ci)!ooi.io Villarim.
Zoferino Leite do Souza Alves, poaa Francisca
Alexandrina Camargo.
Maneol Marlins Madeira, com Cosma Maria da
Concoicao.
Jeronymo Eduardo Pereira Borges, com D. Ama-
lia Glaudina de Moura.
Pedro Americo da Gama Duarte, com Carolina
I'ontes.
Theotonio Jose Barbosa, com Claudina Rosa dos
I'assos.
Manoel Cornii de Amorim, com Innoaencia Ma-
ria liomos de Miranda.
Dr. Jose FelU da Gunha Menezes, com Maria das
DJres Lins de Sauza.
cttAmjfcMnutiA.
'i'ribunal do commcrcio.
A.CTA DA SESSAO AUMINISTRATIVA DE 29 DK
ftak\HPO0iEtS73.
PRESIDENCIA DO EXM. SS. CONSKLHEIRO ANSELMO
KACBOO'PenRTTL
A's 10 horas da manna, presentes os Srs. de-
putados seerettrio Olinto BaatAs e Lopes Maohado,
e os Srs. supplentes Sa Lei tao e Alves Guerra,
S Exc. o Sr. eonseiheiro presWatite deelarou abar-
ta a sessao.
Foi lida o approvada a acta da prccedente
sessao.
KXPEDIEXTE.
Olllcio do president*;e sooretari a da junta dos
corretores. remeltendo ii boletim dis cotacoej olll-
eiaes da se reina da 22 a 27 da corrente.Para
n coOii -..
lor JaC/ub
re
PopuljrJ
|o tSprl
^popular,
mandate qtie The foi conreri-
argo lapso deeorrido de eutSo
o arctwrq.
Foi a rnbrica
A 8.
o livro diario de Tassa Irmaos
estiosicalo
'rrande a
A
dc frfttiislrtas pi|Ui.
corronfr'*e#*jt dte m'PH*
i tMMa/Ira dthrt


i^OOO.
IIIO U'js IiUIUW
16
'
^^Hf. P6l*ifffl
if "siailtta-fefc
le djeteeexo'; e
I^Br/em
brspachos.
Reqaerimcntos :
De Jose Maria Palmeira, satisfaaendo o ultimo
dospacho do tribunal lancado no processo de sua
rehabiiitacao em deferimento a proraocao do Sr.
di. sembargador Bscal.-^Junte-se aos autos de re-
Uabilitacao.
Dc Joaquim Piato de Magalbaes, para qne se
Ihe conceda permissao do escripturar nos livros
da firma Magalhaes MouJ;s o>; ''
De Joaquim Gaotano de Carvalhe e Dionizio
Pinto de Freit u, associa-los sob a Qnna Carvalho
cv Freitas, podindo autonsacio para escripturar
ao livro diario que servio a Joao Jawntho de Mo-
de iros Reiende. Sim.
Do Maia & Lamieliuo, pclin.lo certidao da no
meacao de sens calxeanos Joaquim Francisco de
Mello Gahii Junior e Luiz Pereira do< Santos Lima.
De-aa a eertidVi/requerida.
Do Luiz Antonio Siqueira, requeaendo certidao
do art. 30 dos estatutos da companhia de seguros
maritimus e tetrestres Phenix Pernambudtia.-
(!onw requer.
De Manoel Duarte Vieira, certidao de achar-se
on nao inscrtpto como seu caixeira Uysses Duarte
Vieira. Dose ao aupplicante a certidao requo
rida.
De Joao Martins de Amorim, apresmtando, afim
do ser regi-trada, a nomeagao :le seu caixeiro
Bcr.holdo Beral li> Lima. -Re*islre-so a nomeaijao
feita pelo su|>plteanle, que nao provou ser brasi-
leiro, como diz, o caixeiro nomeado.
De Fernaades & Irmao, trazendo a regLstroa
nofneaoaia junta de seu caixeiro Alfredo Secanla
rio Pedreira.Seja registrada a nonaoacao apre-
senuda peta supplicantes, que nio provaraui a
allegadi nacionalidado do caixeiro nomeado.
Do Bernardo Ferreira Loureiro, submettendo a
registro a nomeaeao de Paulino da (>>sta Pereira
de Souza o Joio Carlos das Chagas.Como re-
qaer o. anpplieante, quo niu provou serein brasi
leios, coma allega, os caixeiros nomeadas.
De Manoel Paoheeo da Silveira, olTerocendo a
registro a uomeaeao de sou caixeiro Jose Goma^
do Oliveira.Na forma requerida, nao ten Jo po-
rem o supplicante provado serciJadao, como do-
clara, o caixeiro nomeado.
De Anselmo do Jesiis Carvalho, sujeitando a
registro a inclusa no ueacao de Jose Antonio de
Carvalho. -Gamo pede, depots de recooheciSa a
firma da nomeaorlo.
De Franeisco Barhosa da Silveira, no mesmo
senlido, sen lo o caixeiro Manoel Vieira Rocha
fonciano. Propeda-so ao registro pedido pelo
sopplicinte, que nao provou a allegada nacionali-
dado de sou caixeiro.
De Antonio Valentim da-Silva Barroca, registro
do contrato da firma Pernamhuco Barroca & C.
0 tribunal resolveu que s ccnvideoSr. desem
baigador fiscal para a primeira sessao, em que
tera lugar o dospacho da presente pelicio. _
De Anfonio da Silva Ramos, regis.ro da no-
meaeao de sea caixeiro Jose Ferreira Coelho. -
Goino reqoer.
Samraario ex-oCQcio contra o correlor Seve
Vista ao Sr. desetnbargador fiscal.
Idem contra o corretor Silveira- 0 recurso in-
terposto6 recebido sem elfoito suspen-ivo nos tcr-
mos do art. 8.' do regulameuto a. 1,597 do 1 de
uiaio de 1855.
Nada mais havendo a dospactnr, o Exm. Sr
eonseiheiro presidente encerrou a sessao ao meio
dia.
0 es;
declarar bei
dos os espe
vincia, se bei
procurou re:
{lo, nao obstante
para ca. >
Estas palavras proferidas mo proprio seio do
Vlub Popular devem ter consideravoUnento des-
norteado os pretenses directores do partido,' quo
acibam de ser intimado-, aflm de solicit arena a
frenovacao do seu mandate ante a reuuiao do
mesmo parlido.
E' singular com effeito a obstinaeoo dos pravin-
cianos, que por inodo algum querem sujeitar-sc
a nova prova dc eonlanoa das seus eleitores, em
epochas remotas.
Partidarios da vHallcledaile de todos os com-
modos da vida, aham-se perfeitamenlo hftBihtados
para represemarem o partido liberal, prescindindo
de todo o qualqucr elemento de eleicao popuiar,
qae os aristocratas bem sabem dispensar.
0 orador do Club Popular condemnando a eifa-
licied-idt, a que so querem arrogar os prttensos
directores do pahido libera1, declare bem termi-
nantemente quo somento eleicoes periodicas
podem fazer saltir da maltidao a legilimidade qae
so nio* confunde com a tyrania ; antes disto, nao
devem see ouvidas as palacras duquelles, qae, em
iiome da uniao, procuram impor a tudos a Ide a de
poeos.
Os popularcs b -m sabem que o meio de darena
6 garote nos pebas da Provincia, e fazer-los pasar
pelo cadinho de uma nova elti^ao, aa qnal teodo
de depnrarse o merecimenlo e as sympathias do
partido, nio pode haver a menor duvida de que o
naafragio dos provincianos nao se fara esperar;
e por tanto nio tern etles pressa de se fazerem
eleger, sujeitando se muito embora ao perigoim-
minente de nao screm ouvidzs e antes dispresadis
as suas palavras, conforme lhcs annunciio os
mesmos populares.
Disde que uma vez se viram cmpoleirados no
directorio do partido ; ci-los a dispensarem,dame-
Ihor boa vontade, a coparticipa^ao dos liberaes,
qne ja se tornam paja os olygarchas provincianos
tins bospcues importunos, difflceis mesmo de se-
rem tolerados, o os qaaes, a semolhanra da rapesa
astuciosa, que vai reclamar sou leito, veem-se
repellidos e desdenhadas por aquelles mesmos de
qaem nceberron os mais assignaledos bencfieios.
Itozo. a ni
Idadas Jo-ias-
aseoasas
ao conbeei-
EntreUnl
le sindicasse
:e cantra
icado.
a copia da
sem emendas
a receben,
>a a mesma
Tbejouniria provinma
Rflirao, Oliveira & C.
H. Legol
Mauwl da Silva Ponies
Alfredo Gareia & Irmao
Manoef Joai'nnowidc'lanMza
Guimaraes & Irmao
Lehmann freres
Jose Luiz Goncilves Femora & C.
Moraes & Irmao
Bernardo J. Pereira 4 Irmao
Faria & Filhos
Dr- Candido 'Jose Lisboa
Kna do Hospieio.Moradares
iio.iSi'VK)
I:7i5oJr)K)
!:l!0i0!M)
l.OlWiOH)
i'OW^OOO
9U0#0O0
569*t00
. i40*000
WiJ .1231000
50'JIOOO
1 :)"> JOJO
S1*000
dosta raa
se nos queixam do grave ia:o.a.iTiodo que soffreui
quotidianamente- com os etadjs de iastrumentos
de sopro, polos alumnos do nm collegio alii esta-
belecido, nao so durante o lia como anoute, em
perfeita desiarmonja. Cliamamos para i-so a at-
tencao da autmdftde competeutc.
Ferimento. Na-freguezia da Bao-Visla,
Francisco Jose Espinala fefio lovenieate, anie-iion
tern, a Frederica Maria, sendo preso em flagnmte.
intmeravel-.-Queixara^ae-nos de um nroto
escravo de am marehante, o qual e empregado
em fazer, a tarde, a servico da oonduccao de fros-
suras 'Jo mnftdoan* para o mereado de S. Jose,
pois qu cavallo do qne a tarve, porcorre as printipaes
roaa daqodlla fregaezia oia 'arreira vertiginwa,
assustando uns, atropeltando outros e insultando a
quera qaer qne seja quo procure adverti-lo
0 qne fawwn os Srs fiscaes o auioridade* poli-
eiaes de S. Jose ? Espemm que se de. primeiro
um asmagawjnto, am dusasjre, um delict a i para
entao provideaciarse... velho e pessimoi cosUune.
Loteria do Rio dc Janeiro No dia
2ft de aeiombro'foiiemtfahida na cdrte a-14L* lote-
ria eowndida paiji a owagao do:-fundo.do6n>-
ciaacia, teeanda w pramios m*iorft-'.-ooa :
N.' WAS .................... #fc N. mt...................... lOcOOtiaOOO
792......................*:OPdUfl0
N. 5104 ..................... 2;009*800
Ns. Ji26 e 5318 J.Oflrt* 4 eada am.
N 798, 1316, mm e 5ar-8!>a*i*.cadaaiffl.
Ns. 367, 647, 1041, 1*33, lfiia>Vq2688, .SOSi,
3174, 3819. o 5167-"*8(J|-ada am.
zm. 9i. 2(0. )1, t46B>l8HB, IIU2, 44,-J*83,
2508, 2781, 2895, 2917, 2913, 3232, 3342, 4094,
M8Q< -4710, 48,'6l-1005 a oada um, \
40/ i cada um dos m.'. 330, 470, 634, 738,
Lcilao Huje ( 7) a* 10 1/i horas em ponto
deve partir da cetacao do Arco de Santo Antonio
o treni exjiresso qne sorvira de condaccao gratis
aoj concarrontes ao leilao da Capunga; rua das
Crioulas, casa em qae morou o Sr. Alfredo Mar-
tins de Barroa.
Hospital' Pedro II. -0 movimento deste
ss,tabeleeimento,de29de setembro ao dia 5 deon
tubro de 1873 foi o fteguinte : oxistiani 313, en-
traram 71, sahirara i8, falleceram 13, existem 341,
send > : 20") homens e 136 mulheres.
AdoerUnaia.
Foram visitadas as enferraanas nostes dias : as
8 t|2, 8 1|2, 8, 8 Ii2,8 l|i, 7 1]2, 9, pelo Dr. Bel-
trao; as 12 l|2, ii \\t, II, I, 12 l|2, 10 1)3, II
1(2, pelo Dr. Sarmeoto ; as 9 lii, D 1|2, 8 1|2,
8 1)2, 9 l|2, 7 l(i pete *r. Maiaqqias ; as 8 Ii2,
8 l(*, 8, 8 l[2, 8 li4, 7 J|2 ..pplo Dr. Andrade
Lima.
Fallecidos.
! Mtgui-'l Joaqaim da Silva, variolas conflnen-
U)g.
Joao .lose Soveriao, variolas oonflueates.
Delphina, tabo rentes nalmonares.
A.atonio Caalano Joe Lopes, tubercalos paJmo-
nares.
Miguel Louren^o de Oliveira, tuberculos pulmp-
uares.
Manoel-Joe Fenvsira. estrejumente dotes4-
ptiago.
Jose Joaquim dc 3anl Anna, hemorrhagia tuber-
culose.
Francisco LHospitalier^ febre amarella.
Ju.ao Francisco.I^ite, variolas conflueales.
Raymundo da Silva, tetaii"-
Leonoio, bepatito aguda.
Francisco Joaquim Gonqalves, velhLcie,
Gcsarin, variolas conflaeiUas.
tAiooel Joaa, ea.ahexia paludosa.
.Maria da Cooeeicao Espirite Santo, scirrosa be-!
patica.
Casa de deten^o.Moviraento do dia
a de ou tubro de 1873 :
gxistiam uresoa ,336, ,entraim ,6, gahio \,
existem ait.
A saber :
Xacionaes 240. mulheres 9, straaAgeiros 41,
escravos 42, escravas 3mTataji4t. -.
Alimentados a cus(a4<*l ocfres publicos 274.
Movimeato da enfermaria do dia 5 de ouiubro
de 1873 : _
Tivorasubaixa :., />
T|eodoro Cafldidt^OetAranp, i>umbago.
Joe Amaacio da Silva, teljre.
Jose Joaquim do Lima,, febre,
PassaBlrasi--Wi^cte!* da Gfanja ts.partos
intprmfldo4,#o>va#or,fliu:te/aal Pimpama :
Manoel Procoptejja Silva* Joaqnim da Ponceca
Barbosa, Jose Alfonso Pontes, Jefferson dementi-
no da Cunha, I). Maria Ftewotiaa A.,Carvalho e
ama Qlha menor, Fejjpj^f. de Araajo e doas
-oriftiosyMraiiin 9iato-,4 H|K-ha' ftjw
.Siktai Ataaftrt.4>B> iriaiji>,^;pap
res, Franklin Benigno Carvalho, Arseni
Anna, VicentiajFarremAfl Jl ifmi^M
da m va, JaMriXarli4* Silva, iAptot
Maroeliaa e Imp eairajef,. 4^
Aqailino.a. do, Ol ht4i^MW
bceira, B^rlirJo ipimAW&T^
da Conceicao, padre "Francis
THI2SOURARIA DE FAZENDA
6 de outubro.
Foram remetlidus ao Sr. thesoareiro para se-
rein pagos.
OUlcios :
Da pre&idencia, mandando pagar aquantiade
de 12*400 provanicnte das diarias fornecidas a
recrutas vindos de Itambe.
Da recebedoria, com as contas das despezas fei-
taspelo respectivo porteiro no mez ultimo na im-
portancia de 57*960
Da secretaria de policia. com a eonta da dospe-
u feita pelo respective porteiro.no mez de .setembro
na importancia de 39*800.
Da inspeecao da satide do porto, com a ccnta
da despeza feita com o expediento da mesma no
trimestre (in lo na importancia de 9*040.
Da Faculdade de Direito, com uma conla as-
signada pelo respectivo porteiro na importancia
de 44*280.
Do presidente do tribnnal da rtHacao, com a
conla das despezas fe(U pelo coatinao na impor-
tancia do 260*640 retatfvas ao mez findo.
Daalfandega, com a relacao das despezas feitas
no mcz de setembro com o servico interna e ex
lerno na importancia de 774*049.
Da mesma, com as contas das desqezas a cargo
do respectivo, borteiro, feitas no mez proximo
dassado na portancia de 63*440.
Da mesma, Com uma conti de rtascimento x
Medeiros, na importancia de f0*300.
Reqnerimeato' de Jose Alves Barbosa.
Seoretaria da' thesouraria de fozenda de Per-
nambuco, 6 de outubro de 1873.
0 secretario da junta,
Jesuino Rodrigiies Cardoso.
Ce qu'on done aax mechants troioors on le re-
( grctte ;
Pour tirer d>ax ce qu'on leurproie
II faat quo Ton en vieaae aux coaps;
II faut plaider, il j.aut combattre
Ltrtssez-lear preadrefaa piel ciiez vous,
lls eta aurora MdMot pns qnstne.
A moralidade dessas palavras, que alii loan
transerip'as, rccebom a mais justa e exacta ap-
plicacao em referencia aos pronnr.anoj os quaes
depois de haverem consegaido dos liberaes tudo
qu.into a cegaoir.: on antes a boa fo destes podia
fornccer-Pes, entregam-oos ao indi'crontisna) ou
antes ao despreso, que lhcs c inspirado por sua
propria ingratidao.
Entregnem os liberaes o seu patrimonio aos co-
mildes da Provincia e depois comeeem a pedir-
Ihes esmo'a como Hies tern acontecido.
0 que se da aos maos toda vida se de, lora.
Ainda bem nao conseguio o leito, ja Ihes arre-
ganha os denies a dolosa podenga. E os eachor-
rinlios crescem.
E' o propria orador do club popular que nos
faz hoje ouvir as segoiotes palavras :
i Quando no Bfiodo am mesmo partido exis-
tem classes difforentes, classes opprenoiaa a clas-
ses opprimida-^, bom e (jno estas reajam contra
aquellas, e qiu, posando coai todas as suas justas
exigencias, restabelccam a igualdade, que, seudo
a partilha de alguns. e tedavia o direito de toduS.
Gamo se vi?, vai ja adianlado o traballio dr
psnrpacao eontra os populares, quando fazem
estos ouvir as suas amargurosas quoixas pela voz
dos seus oradores qae sio viaamento applaudidos
no club.
0 artigo da Provincia, que tern por titulo
Appello a s nossos correllgionariosn'io passou
dosapercebido, por-juc importava um serio re-
tnoqae a todos os liberaes, que se acham em
em divergenefa coin a redaccao da eligarchia pro
vincinna.
Com effeito e intcressnnte o conselho que da
a rodacoao aos partidarios do dab uara que estes
resignsm sobro a inducDcia excessiva do podero-
so left*da Provincia toda a importancia e pres-
tigio. qne, a custa do penosos sacrificios, torn os
populares podi-ia pstabelocer e lirmar na socieda-
de que organisaram e que tanto encommoda ao
senh.rio du partido libecal.
0 directorio oligarchico deste parlido nao cessa,
com effeito, de pregar n cvangclho da uniao sobre
o predominio, ja so sabo, do pretenso ehelo, quo e
quen deve, por si, fazer a unidaie; mas a unida-
tie a seu modo a unidade arbilraria e despotica.
0 distincto consocio, inrumbido de fazer ao club
a revista dos jornaes adoeceu.
E' provavel qne continue o encommodo do il-
lastre cavalheiro, o qual, pelo que parcee, ja de-
positeu a coroa aos pes do tlirono do leao da Pro-
vincia. Era com effeito uma coroa bem pesada
essa, qne embara.ava o esforcado paladiuo do
abandonar.a companhia das eralbas populares,
para ir lomar assento entre o formoso bando dos
aristocratas, que ao menos nao Ihe farao mais a
injuria de o charaarem carroceiro. Omoco foi
empalmado; acha se em boa companhia ; a trans-
accao da Provincia ha dc produzir seus fructos ;
espcrena mais um pouco.
uios razia para(j
e nao anja o desejo de fj
. criterto.
11 adaToisti
as providencias qao o
correram du modo a ui
mento da exislencia
mandon quo a aawriJHWca
inioactosamcnto do facto, e pr
r.utores do crime, ae criaiflfos
Nao ha exactidao eia dia. r-
ijualificaQao foi entregue a
nem raspaJuras. ftaandoess
nao avortgotro'eatado em
copia: as emendas so f)ram vistas tempo dej
de restiluida a mesma copia.
De ollieio do juiz de paz consta que
quern recebera essa c6pia na secretaria rcsi
denfta.
0 que e.verdade e que tanto o juiz comoo presi
dente da cartara, em suas representaci3tli e infer-
|maroes, nada dizem quo po-sa envulver ter:eiras
pessoas.
Se a Provincia quer fic.ar mclhor ioteirada
qne ha, peca certidao do tudo quanio exlste a este
respeito. Vera entao quo cscapam aa provas da
falaiOcai-ao. A copia pude estar cmeadad,a sem
sem coii>tituir isto crime on frande.
E' inelbor informar-se da verdade -doe- fciete*.
do qae erguer censmas malignas^invocanoo n se-
cretario interino qoenao dclarou em fcdJC'iiifor-
macao conler emendas.
nao paz fortuna A Provi'.cia cntepde qne
temos ininto desejo cm'iutriga-la'com oSr. Buax-
qae de Macedo, sea distincto amigo.
Persaadir-se-ha que Ihe qneremos tomar esse
delicto correligionario ? Engana-se.
0 quo desejamos e ver as eousas a limp'6 : este
resullado parece aue conseguiremos. Estas pala-
vras ja dao o lie da meada.
0 Sr. Buarque db Macedo declarando qrjd ua
attacav.i o goveroo pelo modo porqtie, lumto t.c. ia-
dastna, o Diario o accusava ue fazer. nao iK-goa
jamais que escrevessc para a Provincia.
Esta, pois, patente (pie o Sr. Buarque de Mace-
do esereve- para a Provincia, e seu redactor,; por
oonseguinte e solidario com seus collegas' do re-
daccao em tudo quanto aqudle jornal tern pubii-
cado.
Mas perguntamos por que fez siuQlephi do
seu name na assiguatura da felicitacao feila.'pclos
redactores da Provincia ao Sr. Pompou f
Se nite nega que 6 redactor da Proving' por-
quo occultou o sea nome S
Bern vo a Provincia que com esle ser e n'- in i
do Sr. Baarque nao faz fortuna.
-**v*.-r-iT.-Te--*rr-*r-}-a&ncm*raaamMi*m..fyfm*'.-*H**t
PARTIDO COHSi;V.4OR
RECIFE, 7 DE OUTUBRO DE 1873.
CLUB POPULAR.
Os qligarckas da Provincia aeham-se cada dia
am mais serios aparos.
Fingindo pouco casa dos democratas do Club
Popular, esta sociedade-os vai seriamente encom-
modando em todos os sens plaaos os mais lison-
geiros.
Agora etao os popalares a ferir- a corda mais
sensivel dos ariotocratas, dedarando que nem
o centro liberal na corte, nem o directorio nasta
provincia estiorgaoisadq dfi modo a cprresponder
as coadicSes do systema rppresentativo 11
0 centro na cOrte, coropondo-se de saaad res,
nao inspira ao partido liberal Je l'eraambu:o ne-
nhpma; coqflan9Pl por qwe es3 senadaros que
rm dingir o partido-pelo uaico faotide terem
um assento no seaadq, o do moto proprio se im-
porem ao mesaaao partido.
Semolhan'e lin^'uagom profeada pela hoca de
am dos tribunos liberaes mais iaaportaat^, e que
nao coramunga aa ttca do directorio do.SL de
Villa, Bella, 6 com effeito esmagadora para, ospre-
tensos cUefos do Wieralisujo da Provincia, osi
quaes por major quo seja o desdem votado aos
partjdarms do ltfbfaaular, sentem.se .bumilha-:
aqA.ppitdido na publica opiuua.
..LtWBqafei'o. .-paroc*; qpe os.Itb0raP.J80"'00?'
MCar/aai^iJiis.ipelft^p^^adoi ewwplos de empal
mfa$wm.#fyi#&c&lH dalles uVa Caiteem;
rem ao poder, nao quere^giajf d^xarpav36 "j*1-
quer diapte das;
uincianqs, H|piam-ae a.. ioiios" as esfarcps da
laboriosa colmda, e depois de" sugados os saboro-
aos favos, atlram-na despojada oom a nuTs teia
HOZriCIO DOS ALIENADOS
A Provincia nao cessa de occupar-se do h'spicio
de alienados.
Diz que nao reprova a idea, mas nao perde meio
nem occasiao de consurar e combater a adminis-
traoao da provincia, pelo seu dedicado e assiduos
exforcos para levar a effilo a edificacao de tao hu-
inanitario ostabelecimoato.
Em verdade, nao acreditamos que a Provincia
condemne a idea do k:spicio de alienados ; nao a
consideramoa sectaria de ama poiilica retograda e
selvagem.
E', porAm, certo quo e estivessesm suas maos.o
embaracar a execucao desse mellioramento o fazia,
porque nao pode conter-se em presem,a da hypo-
pothese do ser o Exm. Sr. Dr. Lucena qum a
leva a effeito. E' em odio a S. Exc. qae a Pro-
vincia conabate o Aospieio de alicnodos.
r*So ha politica mais mesquiaba i
A' qnalquer circumstancia, qne a. Vrovincux
acredita ser um embaraco ao eropenhode S. Exc,
bate palmas I
Para ver se as (lilficahladeg engrossatn, faz
sempre do um atgueiro nm cavalleiro.
E foi por isto que den muito peso a importancia
ao qne deliberou a associacao commercial sebre a
applicacao dos rendimentos das apoliees deatioadas
ao asylo de mendicidade.
Entretanto o facto foi simples. 0 Earn. Sr. Dr.
Lucena nao foi qnem procurou a associacao para
tratar de semelhante applicacao; ao contrario foi
um importante negocionie, qae se mostra interes
sado pelo bom exito da idea do hospicio de.aliema-
dos, quera em conversa com S. Exc, Ismbrou que
aquellas apoliees podiam ser dadas para o referi -
do hospicio, e se iuc-umbio de v^r se era Ute pos-
sivel. .
Depois procurou S. Exc. para dizer-lhe quo, fa-
zer a dooeae das apoliees nao era possivel, mas que
a associacao podia dispor da ronda proveniente
del las
Entao S. Exc. cntendeu-se com o provedor da
Santa Casa para uueanainhar o pedido, e fgi iato o
aue-afoz- ?. Exc nao se entendeu parasemp-
lhante Qm sem aiais-twtihum ontro coinmerciante,
nem mesmo com aquoflea -com cpiem torn relates
pessoats- .
Se, por motivos onundoa de rivalidades op por
nao dover a assaoiac.ua /roqeord r com o pedido,
foi elle reousado.aaiu iqjporta a S. Exc
X,io ria naai bata pilraas a Pwvincia, o hospi-
cio se ha de, fazer.
Escusa fallar am proteqdeaies as bqlancOA pu-
bUcat* que offereccram iO ceaitos. Nem esta ol-
fcrta foi feita, nem S. Exc, em seu nobre e ho -
nesto caracter, admitie traasaccSea.
i8UCA08ES PEDISS,
.......-................, ---------^.r.--------------
Ceara.
KORTALEZA,, 21 DE SF.TEMBItO DE 4873.
As fcUcita^oes ao Exm. Sr. Or. 4Mi-
vcira Slacicl.
A assemble.! provincial cumprio um dexer do
cra'.idaa e praticou um acto de snmma justica,
significando ao Exm. Sr. Dr. Oliveira Maciel, cm
nome da provincia, o alto apreco cm que tinb
03 sous relevantes services prestados ii causa pa-
blica no Ceara.
As camaras municipals era Dome dua muni i-
pios vao imitando aqaella patrioticaeornoiacao,
uia.nifestan.do igual rcconhecimento a B. Bxc
Estas manifesfafdos lao honrosas como efpQata-
neas sao verdadeiras alfin%tadas para a opposirjiio,
que iileiii do inimiga do merecimonto, Contempla
indifferente os mellioramentos da provincia.
Sua qucslrio e fda do circulo intimo da familia,
e ;ao tao exagerados os interesscs desia, qne (*
opposicionistas em vez de pugnarcm pelo incre-
niento desta terra de tanto futuro, ao contr seu uniro anbelo 6 abate-la, cbegando ate ao in-
tento mesquinho de exbibila cm eslado de scl-
vagoria.
O senador Pompeo no alto parlamento aponta o
cearense como o Iiomcm poraioo, sem temor a lei,
seal -lions habiuas, sem respeito as institoi
avosada ao roubo, ao homicidio, e somente nbtavel
na carreira do c-ime.
Aqni a impreusa, obediente a voz do ciirfc,
prociua repercutir o echo fatal em todus os an-
gulos da provincia, c di' ao pobre povo que sna
conducta seja formal do.-obediencia a, lei. e sen
unico desideratum seja resistencia criminosa< a
ordem da anloridadfl, commettendo crimes e mui-
tos crimes para quo o chete, que e um veHio sa-
cerdote, niio seja desraenli lo.
Ncs-tes termos aconselha-se a anarcbia com- ;>
a desordem podesse dar ganho de causa.
Procura-se desaereditar a provincia para nada consiga dos altos poderes do estado, toda vez
que qualquer beneiicio nao se concentre na eum-
mun iao da familia dos dous genros creancas re-
pellidos pela dignidade dos partidos.
A oppusicao habituou-se a ver no tgoisino a
primeira virtade politica.
Pen sand desta forma cliega.ate a votar odi
cruento a todos os presidenles qne com vistas lar-
gas se dedicam nao ao circulo de ferro da familia
que quer ser privilegiada, mas a provincia, adup-
taudo os possiveis benelicios
X4o declamamos, o o cxemplo esta no que *
opposicao tern avaucado com relacao ao Exm'. Sr.
Ur. Oliveira Maciel, que em sua proveitosa admi-
ni>tracao tantos benelicios fez ao Ceara.
Chegando a provincia S. Exc. encontrou os ili-
m.s na maior exaltacao, porque os ressentimeaios
politicos eram iadiziveis em consequencia dos ul-
timos aconlecimentos eleitoraos.
A ordem e traoquillidado puWicas soffrlam as-
sastadora alteracao.
A seguranca individual e de propriedade pedia
mel mores garantias.
0 (iriucipio da autoridade parecia desprestigiar-
se pclos excessos de uma opposicao sem crltc-
rio.
Os crimes se suceediam de modo desanima-
dur. j.
Grupos de criminosos percornam a provincia,
commetlondo os maiores desatinos, e o impci':. da
k-i parecia abater-ee.
0 Exm. Sr. Dr. Oliveira Maciel.na altura de seu
cargo, soube sempre iionrar saa farda de presi-
denlc, e com suaimo aproveitamento pode ar-
car contra os abusos.
Com bom senso, e energia opportana cdneguio
paciticar a provincia, reprimtr os delictos, gafan-
hr a ordem oublica, incutir o respeito devidu as
instiluicoes, acercar a autoridade' de todo prestigio
e g que e mais, conseguio notavel diminmcao dos
crimes, obiendo lambem darante sua beneflca ad-
mitiistraoao a captura de quasi imentas crimi-
aosos I
S. Exc. esquecendo sempre os exeeaso3 do uJia
opposicao arrebatada soube distribuir justica e'te'r
moderacao em todos os seus actos, que tivcram
seinpre o cunbo da moralidade, e o sello. da !m-
parciauaadi
F>m vista dissao par.ece que a opposic.ao quando
nSo o elogiasse, deveria ao menos nao insulia-io.
Mas qual se o epposicionista noQjara en'tende que
a melbor politica e,negar ajverdade. Misaao in-
gloria.
Louvamos a acertada deliberacao qae tiveraai
as camaras manicipaes, o lhes asseguramos do al-
to da imprensa qu: praticaram mais um ado que
as cleva no cancel to dos ho|uens aopestos, que
longe de.odios sabem render ho'menagcm ao
rito ende qaer qae es.teja.
0 Exm. Sr. Dr. Oliveira Maciel pode sempre
nulnr a conviccao de que nesta provincia deixou
amigos dodicados, affeicoes siaceras, e profunda
gratidao.
Espere no soccgo de sea gam'nete do juiz icte-
gro. quo o tempo Ihe fara juslija. Oa SepS- *ra-
tuttes inimigos de hoje aiada serao seat enro-
miasUas. As prevengoes o ijs o)Jios naos^o tdoj-
noj* '
Esi o tempora mutant ur.
(Da Constllur_
~-----
raw ,atoa*dQftndo-o .le Sant'Aqna.
coasa algaina a semelhante respeito.
.Nao ha de ser eom .aqnpdoeias e cbafasde mao
gucto, tttie oonseguiri.o seu d NU DE JpBNTlUaAB
Nao 6 exacto qae a s&nta caaa se opponha a
PTpajcip.de wjoqiaode af&fDW q*P0r veatura mos lajnbimfc BHteuda S. Exc. o Sr. -prsideat isso jue b
(lapelecer em Pitieateira- iriUJQ*afl
sauta ,eaa,*em,Jas K>ppo*i'oao a i- -l* aagaia,
I narfeia fa*iri desd.q-quo a admmistra<;ao tern d i
treiteae reformar e alteraf os regulamentos dos |
I'erio ,-nvilegio as confeitarias d*a rua
perador e do caes Yintee Dous de Noyenjbrc.
kTcusa jainbem fallaraiaiTerreno na Torre, p se conservapem aberlas ao.dqmingoa, iftdt>^-
dos oa deuiiiis estalaeleeimo3nto*4atltajiai|iar or-
E' fipexacto .que a iunte da sante casa reaolvesse dem se wi^er.Taa>toh^^?)-l:^t"*^lll*if^a-
freguezia de Santo Antonio pomo deixa aue.a>a*ii
se zosntao de sua pessoa e da aujondajM'iffipxp
dimamam tal prdem I Esprao8-aa resposta-
PH4iUis:aD>aro, eartQ^daide ja de -
^Mtt^uSWOeflpatiaiMaJClaa* ttHfW*
mN-
-cin
iUV^t-itt^f^'
^IHBinnHHiBV
m-

V


4

i
*m> <* amt&mm
lvm\.mfo

P'l/l
---
jjwrado.-'qaer na passagem do3 biliietos,
hi estraordinaria eoheurrencin, a>ista do
lempowdhnva qne fee fiesta mule.

MUUfiieulu de ea>i.io para inaior e MR r pi
profNsso dos saus alumnos e norrhso.sgm*anis(
Mkgmrje publicario annexo para JnlelBglRia do-
1 *l
Jhte'UMMA DE EN5l.NO
'l'&0 I.VSTnUCQAO PBW.VHl.
. t^Krhneiro am
LeilnrfeAlpbabefo, sjletraca> c Iwj
rente peldStmeloores methodos.
''ontahilidade.-Taboada, operacoes ^eaesr-
Uoutrina. -alhecismo e primipina.:t: (totii
trioa.
- Fseripta. Primeira nocoes. hastes, KgaciJeaj
jim pfaiteta !e*citkeeftf.
.ipsou-sc urn dos pianolas mais fluents,' que
jann bquamio cm vez nu espaco politic do
Jornnt do Recefe, foi pcna ?
Itda le quem pdera dnvKhr da fore*
Nmgaein.'dK'Vcr'

de tuas lei;
Felir
erlo.
abect
.para a liumanldade, existe Da natuf
reza a oraftti das compeiineoes, a ignorancia, na
poderaiariiaistriiimphar nogiahMwo seculodalij
feer\Mf{uk)(i qnando ha rstutopiHurs). osso foci
4e luz qu* reaplan lecia -codas as manhas nas co>
lumaaspdliticas du Jornai di Recife, dilTunJe il-
lustracao o saber as massas igO'Wanlcs, u.io eclipi-
sou-sdHiBra sefflpre, nio tnorrea para as iutas po'-
nu i o pusilanimc Emilio OUcier.
qua os asiros nao morreru: fez ape-
|caso a rua ds Impercidor (pof ser mo-
Mv^> para respl.indeaeer urn outra re-
Paulino (i; C-imart, (onume de um
Ipllria.' aciBio scja clfc nirtla descc*
i es>a troYi regilo en tomo tnibtrdaie de
apresenta-Io ao mundo ; tanlo nja tjuaatu seise
nova contiiiette os planetasyse'cooeo-vaui inooc-
nilos.
0 planeta de que me ocenpo e o A, de Si/ueira.
aqueJte !.. .o homem dos collarariws do*ten*a*fr
Beafe\...
Pareee-me eslar ouvmdo o rutax fulares victoriando me pela graude Uesooberta que
lie fir.- fcao ha de^ue. s
Elk', o A, ile Snjmeira. est.iag4*a4ii|lcarrancu|-
do; urboti sua iransoendentejattdligeneia com as
vestes de Merrwio e por sua posicao inais dislantp
o terraja'so senfe girando no palaoale da/W'ife
(refiro-nii' a assemblea provincial) e por tan to. n>
rabeus a provincia. >
Qitando ea observara esse. astfo politico in; c>
latBoasdii Jom:il do Recife, 'cafctilei: sprviiro-0*e
de taboas u;;)a vjlehre reWrma raunif ipal pbr elle
aprdseutala e eatao eacoatroi oazimin ID i Mtfos

licHura.Ap.?rfei(;oamBto.
Escripta.Calltgraphia.
^sContabibMade.-Operacries geraes, tatanrias vs-
tema melrico.
i*outr(fla. Galhecfsmg'WWfcina e. Gramawrllea BaRional."*WH|ipi;?s gef
Leitura. Declamarlio, prora e verso, 'fflfco%ia
e plwnetiea. m .,
Bewripta.Galligrajjiiia.
Gontabirtaade--Arith^|-prMiea. :
Grainmatica nacional.- Prd58di>, ol-t^JJapWa e
syntaxe. r c
GeogrjpTTRi.Principios geraes, praticol -el !
Douirina.-Hfstona Sagrada. *"^
I.NTilUCg.\0 SECUNDAfit.C -^,
** Primeiro anno.
iJrnmnjatica--nacional. Analyso logiea e corn-
.posicoes varias.
Gentabilidadei.Arithmetiea, problei
Frances Pratico.
fnglezPratjoo-
Geograpfila e InstoriaNojfiea ekmeutaj
Segundo anno.
"tiratninatica nacionalGontinuacao
Fnmrez. -Pratico.
Ingtcz.-- Pratico.
Lalim -.Grammatica e historia sagrada.
Jagflfnetria Principios de desenho linear.
uGcograpliia e liisioria. Gontinuacao.
Terceiro anno.
' fainyua nacional.Grammatics geral, geniada
redacciio.
XKjM*cez> -Theorico.
'Jpg|z.-Tlieorico.
JfetiTn.Os classicps.
Xjptraphia o historia GeofiiaplnVnpeeiai com
So di:. i ...
Priranira porla on dia4
Soganda porta "-
Tbrceira porta .
ftipiche ConcofJ
nnn
&
ii
\jroBgas descarto
leselrtoilda^ no Yrj.
j alfandeaa no ilia 4 .
L>t..3diias nadw 6 / .
uum9 airacadosno trap, da alti.ndeaa
\Jv-reogas........
Vo trapicbe Coiie.!ieao .
'

II
14
ib
^ECbWDOHlA Vk- UBWliSS'-'WTESWIAS '
HAE* US PiPBf.WWJGO
ttenduiento do dia. t i 1 i)7dU09ir
'*mo^dia.6..... a:l2fiAp^,
'nt abaj
anl JTV VV,ha Je Jose dos SanV
sfiTdlceiyo; exposla.
-,-santa casa da mlserieordia do Rei
s .inilitfST:
.coutraladas, com queni po? meaog
precisas >io hospital, min'tar" calnu-


.^o drinjUrftlpabDea^^mte yspMMrl i*)W wmwira* onfMwedUxs. I
.on oto'trr
ii abq nisi ^ .n^^^-4 '*^W^.^r5H^i*l6P
CO.VSULADO PHOVINGIAL CfiOiCiO ffOBai
""
igqul a julz Je puz ,b roja. ,
fhije, eatrotanto, as coftsas hmdaram e A rf# Si-
qucir.i es j'icceiido se do tempo da ra de 1H67,
em quo nni o pedio, mj.s qo nio frmieguio ser
cleito lej.iutijj provincial st.Jj poroai prc'^ridp
il'i *;. \ :< de Vajfioncelbs, q'te foi eleito sem
tor idj^a casa de um so e!:'inr, filfi esta, que
iO':.;o Uil'J' >U aopJaneta merem'o 'A. de Siqw-iia
(i'!.s vijio pelo jorual, dizer mais ou uien03 eslas
pafayrjU.
K flq-ie o sr. V. Bella, com os sens- thuriferarios
de joelhoi a fazpr l/u> co o que eu tambem pot mi-
nim rtz o:f-:ivr..) o ubriro fiuilern U aos eleiiores
Mepea-h.ttfA !c. elc.
A. it S'queira ness-: t vn to er:i republican"), hojc
porem e vulto proeminente do partido das conve-
mncias.
Hi il s r doputido provincial.
Ciriehio pOr esM vez declaraudo qae A.di S(
iuriri 8 esiripror ioftogoito da i'l'oincia, eile la/.
onraeroS'i : existem por tanto ainda 13 vagas
- i' iii'-nrri'iiti'-.
6 de outubro de 1873.
A. de S&,
Ag-radeoinaenio.
fc)0;i*iua]) polo s-.'iitimonto de gratidao qoe 106
iMpiruu -i solicituile, abnegacio o zelo to Sr. Dr.
Guillianne Naegeli no trataau'uto de uma terrivel
Miniiia de que ibi vwUma ami |ics-oi de miulia
fam:li.i. -, i' m ; 6 ;isas" cliara. venho cumprir o
jbsis K4grau?i dever. dando iiuidu-.id.id' ao segain-
te f !;>, para qiiu nutrosquepj* ventura so acbeai
" jriThrnt1erf3 condifoes, pojsam, reeorrendo aos
eacirnrar t'a'il e promplampnle lenitivo aos sen
paaedmentos.
Solfn'i In alL'iim tempo do 11:111 molesting agdda
ejwfiflfl* vidgiirnjonte pjrgota sereoa, uma do
r.aU:is i/o,ias, euja molestia, apezar dos incessan-
a.i e-for.- n .'oipregajos, laarcbura em um pro-
fm .!-'pa:itiisi), ft pe'nto do aclur-se ella Quasi
c o:iV:-\i!;i"!i'e ccga.
Sabea Io oho raid iia nesta ci la ie o Jllm. Sr. Dr.
Iiorm N.i^g.di, Iajuiadiaraeate recorri a elle.o
qua) aceitando o ineu eo&vile, iacumbio-se in-
eonlii. '.:'.- 11 sen tratameiilo.
: Teulo praticaJo sem o auxilio de iienhumoutro
i'l.-iilutiv.i, uma dilllcil opera^ao, em um espaeo
aao sapci'ior a cinco minutos; e dias depois de
:s;^r nialii irma sefido roedicada por esse notavel
ofullsl.1. live a indizivel satisfacto de ve-U, se
aao radicalrrmnte curada (em consequencia do
'vnoriti da md;-tJaque ale entSo progrediaj
Stb :: :i is muitissimo melhnr dos sens soffri-
rd '.n'tos.
ftWrtando'oSle ficto, jcnlri nor fim n.io so dar
.ao lilm. Sr Dr. N'a^goli cm solo no testetdMho
de .u!;; i^i ai hwpiialeiM povi d'esti cidale, e
prin'io'ilm^ite aqueiles quo padecjreu) de igual
rnolesiia.
Recife. 6 de outubro de 1873.
Jaao Ferreim Loureiro.
GO.N'SULADO PROVINGIAL
rtaup^ftW ,1a dia 1 a 4 :3iQM9.
I 6
U)OWBti '8tt8*700
-.
-r
mwmm;-m mm
,
ia do cada paiz.
Quarto anno
LatimOs classicos e principios o> latinidade.
Hhteria e geographiaHistoria cfim a geegra-
.'phfa antiga, media e moJerna.
' Arilhmetica.Superior.
Quinto anno.
Rhetorica. -Eloqueucia, poetica accitica litiera-
ria.
Geometria.
Geographia e historia.
Philosophia. Superior, com a liistoria dos sys-
Sfcioncias em ger:d
Direilo natnia .Prim-ipios ci .;uia*ares.
Rcooomia sicial e poHUca
Litteratura nacional. Com niitoljceao sobre
litteratura geral.
Algebra.
Segunlo este progr^mma, o aiutnno no terceiro
anno far.i exame de francez, portuguez, in^lez c
geographia ; no quarto far a de latlm, historia e
aritnmeiica ; no quiato fara do rliotorjca, geome-
tria e philosophia.
Os que nao podcrem dar conla cU> programma
irao ale ao sexio, no qual fara o complement!) dos
sins estudos.
Antonio Marques de Am-irim.
vrxf?
pr dim
enrao
|H aciina
residou-
Wro lei!ao.
ponto paiflTr* da estacao
mi
cia
A"s 10 Ii2
lao.
0 leililo principiara as 11 boras
XtGBZZ
um-
ao lei
ea poato
r. T
***
Turn de ser
luer. as obras precisas >io hospital....
** m'f:|W,--e'68 conreTths do-qttArler da
!^atapo*idnwosft 44 m<
. MERDOZA
'd*c4
Hi
Lin fa

^o dia lo do corrente to* es[*ra-so dos por
tosdo sul p vapor francez Rio Grande, comman
ef>eU*ttDe, o qoaldopoisdaderoteaiida ebna-
Cm faqueiro de prata do Porto >
eado as facas e garfoS com eabos de marfim
os i)e jaata, J ud^qi^ ^ia\Mal^ t
iuJdI tanj|e~
eisrrenca'e trr.
:ne.*7."j;irf <
-,ri
ruattes Gtfeuiw, oa/a.
fredo Mart,

vWf rf,*fc^-
A's 10 l|f Horas jJaHHgKJP^fl'pri'nrt-
Navios entrados no dia 6 de onlulfi.
Granja o portos eutermeiJios-10 dias, va-
por nacional 'Pirbpama, de 3j2 tunola-'
das, commaniiaqte Pijreira, equipageff
31, carga algdUao e otitros genapokili
compauhija rernanqbucana.
Rio de Janeiro pela Rahia-S dias, sendo
do ultimo porto 2, vapor Irancez Ville de
Santos, de 81,7 tpneladas, corn'mntidartto
Lefovrc, equipagerp 38, cargo cale o ou-
troa generos ; a A. F. de Olrvoira A ('..
Jiio Grande do.Sul 20.dia^, brigue porlu-
I KelaQie di|bbfSctilt >rsifi*t*mda existenles
nu ad&mi.'OmpeteviiK *ireMwprfJ< \pfo\
fnntitK,n panb >tr* patsoas abuixo decla
1 'odwpb *j ol .iojmiaI) autfeab ill? 9oi>
AQtmni 'KemHiAeciaL.'^l Au#sto LeopoW
B#rAi^|,cAtonia de Gaioppp.^ki

rawrOoWeiS '-UaaT-Olli mtms Heoriqueta Geraldes das Merres, Honorio.fcidBrt'
*WfO, ItWfltHUi^Wt,de J^ina^Joao .Oervasii
?.?. ^u"iroj, Jo'C Gvpies Montfciro. Jose IgaaciO
Ribe.ro Rorria Joso oVSehas, Jose da Silva Gni-
rrtarles. 'MHrlh A;MIHa*\rmMri> ll*MI. a a.
rriaWes, 'HMt, A^iaa'ArniiwrB, l;o*r. a. de
JUfc^ierque Malhado, Paulino Angusto Ferreirai
Stlnno ferunyujwfila^Hva, r, ,l(1 .
Admmistracao do correio de Pernanibuco. 1* dt
utubro de 4873. :fWMJ""I '* H
Miff H MO 1f,
v aobotl
:''.-mr.' i...
OS AGE.NTES
lurisnuMirly a I^ibevI
ttoa'd'o r.ofnmdtretohUD.
piara
.-------------pH--------

DEsi>i

; e cry^aes"
Um piano fo^ de jacaranJa
Paoifie Steam ^avi^titfH dim^m)
ou


pua;a DO REGIFE 6 DE OUTUURO.
DE 1873. "
AS 3-1/2 HOR.va DA TARMC.
otcSes oiaiciije*.
.Ugodao de Pernambuco sem iuspeecao 8^200
por 15 kilos,
assucar bruto regular 14900 por 13 kilos,
sabbado.
i3ambio sobre Londres a 9D div. 26 1|8 d. Dor
HOQJ.
Gambio -sobre Paris a 3 d|v. 3G8 r>. por franco,
do banco.
Sa pio sobr premio, de banco.
Saque -sobre a Bahia 8 d(v. ao par.
Apojices da divida publica de C OjO com 3 0|0
de premiii.
QoDoafcci
**. PresraeSte.
Leal Save
=eiTetario.
q f*e'CRfltfidb GeGarros
t q > >A|i ....... I II I -
.
THMTM
guez Colette, de'2'23 ionela'das, "capitao
Jose J. da Costa, equipagem i^/afiza t.^ A
12,0.0.V arrobas do carne ao *&*?$ ^ailtO AlllORlO
, ll^.HUA DO G0MHBrtG10^
pitao.
Rio Grande do Sul'iSdiis, cscuna hoi
lundeza Ii trend, du 137 tonoIaJas. capi-
tao Mulder, equipagem G, carga counii ;
ao mesmo capitSo. Vi;io rofrescar e se-
guio para Bustun.
Liverpooli2 dias, barca ingleza Maud,
de 273 toneladas, capitao W. Backlev,
equipagem, 10, cargu carvai. ; a Simpson
& C.
.\avios sahidos no fnesmo iia,
Rio da PrataPulaca liespanh<,la Colombas,
capjlao Pedro Ferrer, carga assucar.
ParahybaBarca franceza Puyet, capitao
L'Hospitalier, em laslrb.
Havre e portos enterraedio?Vapor francez
Yillcih Santos cominaudante Lefevre,
com a mesma carga que trouxe dos por-
tos do sul.
'
'iBjiliitr-IIDO I* .irtr
___Ii___TT. ID .t

EMPKBZxV
Tcrfja-fliira 7 de outubro.
; Jlecita eitraordiuana.
,. ,T,JS.HDBXEFtClO
do cufre do voirs.ellio da Sociedade
Propagadora da Ins-
da fri^'iic/.ia doNna Ha Panella-
PKIN^RIHMA :
Repreaoolr*o em 1 lo-ulogo e o at$ .
Jka
ci
fiiAlia iuiiiit(Mial
'- OP/rfotfETE
dSpera-e da Europa'ate* dia 12 do onlubro
a depois da demora do costume segaira para oraol
dOiWllwio, Rio da, Praia e costa do Pacificcupara
onde recebera passageiros, e dinheiro a frete
OH AfiP'VTtfC
I
''iliiillll
loutja, es;
m
voz, 1 gfj^^rjjnii tte am
tado, 1 secretaria, 1 guard
comida, 1 moMlia'-de'lae
tampos de pedW, I dltar
condicuei, i,cama fraBteta/dpra
dejacaraqda, tUvatoriOjCi
feh os ov^es, 1 mari]iiez."
guarda vasos, 1 burra'
ras avuls.is. i snta de jaearahtttirtf qfaarttwafe*
com ricji*' paisaei^,-o;cou)rWflity grwtO^'-
*Wj#iW|/,<'V*4. 2(pai5^dfl^r^, jijun areib..

I.l;l>
OS AGE.NTES ,
Wilson Howe &.C.
1
Para o Araoaty
..^.
SBfoe oestes poueos dias o bem conhecido tnate
D. Luiza, que ja tern parte do earregameutv : a
S-atar corn Gomes de ilattos Irmaos, a rua d- Ga-
eia n. 40, afidar.
ito es-
rdas-
conr
nas mesmas
cisal, I toilette
fWd4s2(parW
Sr, 1 dito para, aim
para iantar, t ouo para almpco.
par.i jAirar,- J-coiJtmpA. cWarn^ .
1 par de aparadofts!'1! t*r iM'fcdtJri*
ftJ.IKJfcir !deico05olas,' 2 |)areA]<94fif(ra{^0 te-
dro para vinho, i di(p,para,agua. copos, calices,
'-cias, compqteiris, e/bem
ED
AFLNDAKGv
Uadiracnw do d'3 i a .
(d^m do dia 6 ,
l'Ji-778.931
31:872*810
*ifi:6Jl;78H
igna i'loriila M:i.Tray A
iLauinun.
wdttMHttl-'S uao iio vatiaveis relalivamente a pcr-
fuines couu us vinh.><. Com tudo lodos os gour-
\fneir- aI;nira n e apneiam a champanlia de Cli-
>i !jin%U*s, admittem que a fragranoia da Ayna
- Murray & Lanmtn, ex'cede a toda 6
liUilquer oulra esseacia floral. E' o unico per-
fftij i ado n.i America d> Sul, e, so bem que
|'.(^UmJj6 lie elli foi introdti/iria neste mercado,
' .c^ludo encontra igiial favor e aceilaeao por
mf-ii*|as aossas bellas palrieios. Ella e extrahi
ie cilhidas em loda %. sua frestjuiilfio,
i ^nffl, 1. -d quu.a vegetavSo romatica da Flori-
da, tLitli'iif od irifjr.i do qoe a da Enropa, i agjia
|'|Floridi (la m ir-a commercial acima mencfonada)
pos-n par sem dnvila, um aroma mais neo e de-
lieads do que qualquer uma outra enmpos^ao eu-
jppftt.
!cg;io Snnln (Jruoieva.
uue tem tido o colldgio qurfestabe
[l%8S*'-a capital em 1868 induzio-me a procular
i com empenho os nieios de corresponcler a confian-
all (tea. ^
hle entio tenho encontrado erabaraeos a rea-
feajj romjofeta de men piano de en Jta de um ediflcio qae contivesse is necpssariaai
j>r-jpor.^i's de um bom estabelecimento'llejedufcft-
i^So era a contra riedade dequalquer melheramau-
'toque buseava estabelecer.
tefei'sempre que, a par da educaeaolnoral a
\rfr^'qire os alnmnos recebessem. (jjzasseon
Ii lades e pbdi'.s,sem fazer exercicias. que,
i'a Jarefi collegial mais agradafrl, cou-
M pjr.i qiio a separ;icao em qjo esfio tain-
poranamen'.o das mm famihis Jhes f#s| meaoi
Pela
Desearregani iwi< 7 Je outiibeo Ue 1873
Patacho alleaiao Briltun! ( traca lo) taboado
para o trapiche Couceirao, para despa-
____ Whr,
Brigue porliyjuez-Recifevaries generos parajo
traoiche Caiieejcio, para A spachar.
.'"itaclio portnguez-J/fcaae/ws; lagedo-para'o
o trapiche ConcelcHo, para despachar.-
"Driguo ingle^ Dora bacaliiao ja dwpachado
pafifo trapiche Cinceica >.
Barca inglezS Hermione cobre ia despacliado
para o caes do Apollo.
Vapor nacional Piragal&a varws genaros oa
cionaes para p 4rap:clie da jonipaalfa
pernambucani.
Barca franceza -Santo An-Iri- \ itracada) merca
dorias para alfandega.
liU|iortacuo.
Granja, Tapop nactpne! P, -ap r nsignadq a+iajflezaflwiks
Por nrdem do Illm. ^r. ecinaifBdador ftr-
'edro de Athyde Lobo Moscoso, mspecfcff de sno-
de publica, convida-se, em virtude da aatorjsaew
coneedida pelo Exm. Sr. pJ'eslderjte da provincia,
em 3 do corrente, a todas as pessqas quo quizeredi
exercer o lugr de va gnezias do interior da provmeia a" apresontarem se
n'esta reparlicao alim de obler o respeclivo titulo.
As pesseas -que se julgarew 4abilifculas e-quize-
rom pnstar esse servigo a humanidade, deverao
requerer a esia repanicao, documentando a sua
peticao com attestado da camara municipal, do
juiz de din-ito ou outra qualquer autoridade do
lugar onde residirem, provando a sua idoueidade
para o dito cargo
rnpec/ao de saii.le publica, em 1 de outubro de
1873.
0 escrevente,
Jose Edunrdo de Sonza Landim.
HM,lA,J.iji
Ternriaarao especiaopilo cjiu o graowso duclto:
0 e^ii^stce^rla^deira
Uma banda marcial executara cscolhidas pecas
Jr^eflftciilo havera trem ate Caxangi.

SANTO MTONIO,
A camara municipal desta cWade, pelo pre-
zente convida aos donos de tumulos existentes no
cemiterio publico a m.indarcm auanto antes lim-
pa-los e ropara-los, como se faz necessario a con-
servaeao, afortnoseam-nto e decancia do mesmo
cemiterio, de modo a estarem promptos ale o dia
31 do corrente mez.
Pago da camara municipal do Recife, 3 do ou-
turo de 1873.
Manocl Joaquim do Rogo e Albuquerque,
Presidentf.
Pedro do Albuqiien]iie Antran,
Seeretario.
Edital n. 78.
inspectoria da alfandega se faz publico
que achaudojsoras mercadoriasreoiili'Jas nns. v(du-
II1JC lh..irt m.nn;.......I,. iJilAll./.]., ,1.^ n -iff?*
companhia pernambdeana, rnanlfestoii :
AtgoUio 112 saccas a Julio Paes Rarreto^^St a
ordom.
ml
I
sa^J4o-qaaul esu beJia d lad.-, linlajmoder-
f ADri^fOde do e lificios convenieutes a estibelepi-
!! aaeQjes de*la aspect*. Tern sido, eortanJp,j|s mdus
I4Me*eo< iii iBi'aas coWH^-* que deaejava.
Ultiiiiame'rtte, porem, attiguei a oasa d)i Ilbn.
fj^h-^Vi^iBte gfti:ii-a .[. a rua d,o Hospi-
Feilps nc.jta casa alguns pep^ujg^'ifielhiiraraea-
Hmkmn Abdpttat4alipe4ttee9diUv4, trans'feri pira
ialoaUpgio da Santa Geaoveva, de iniuha pro-
'^wie a ate Atabaiociaimto de -dui:agao as pessoas qua
'kearagi'Otalinurira keasar.-oie, couiiando-ineus
JEB3 alnmnos.
desewrpi
ruegnM3 .a .omcijKq- ^
laJ^Jes que nest,a public
um grande aalao de esiado'i'J>fe J
_j*Wtt-?Mas pitra awan] commdda
i9% w^omgartc.-, -darnMtM-lo; Est* illu-
miaado a gat, cuja canalisae^o foi aufiDeotldad
tefilWeHofaifJerta a qpo ja,ejcistin anterrormei}ta\
Teem sido melfcirtlo o Hilti(}) de esf;olo e limpek
n'T "f rnrfinilirfifMi lilirp rr hrtr-!
iew ei
s (Jwia o
^La^egui.
MM e^Uii Itcimeu.to, con
aiporULtus cidadej.
is e feita com exlre-
FinalmeiKe, o collegio de Saata Geadvdva, me-
Vianna
Okveira Filho i (',., i a orJem, It aiassos a Mo-
raes A Irmao. Carne C garajaos a orduaa, 4.,
Eslciras 67 masses e'mis 78" 4 ojroeni
G tamia 32 saccas. a or Jem.
MitUo 8 saccos a ordein.
Sola 1,338 meios a ordem, l,*3i (lit is a iloraes
i Irmaos.
Rio Grande do _5ul, brig;:i- porluguez Colete,
consigaado a M.S. Alaia & C, maaiil-stou :
Graxa 12 harj-'k 4e qaiiito.
Xarque ltil,37o kilw aos consignatarios.
ijRSPAGilOS JJE EXPUT.v;aO_.NO DIA 4 DE
Para os portos do exlejim:
S-j vuoor ingleaSrife/, para Liverpool, car-
regaram : G. C Simpson Ifll saccas com 8,q9i
kilos de algudao ; S. Orothars k C 203 dilas com
17,7,'io dUo do dilo, e 1 caixa com 60 divide
Mei
m.s abaixo men'cionados, no easo ..
matadas para conmmo, i.ns Jerp4dp-can.-e' do JlPU'i- tllli-i'.' i
tit. 3- d.i regulamenio de 19W%e*Mtfl mm? "**** ****r
'-!', ^eiv.B van Jdaa m Mwwwwt &MMi*
lique comp>-liii|Iq allegar cqntra es ejfcjtosiJesta
venia : "'
jfarcaV&Ln 770 -1 bntriea vieda na barca
1 ntrada em i&daanlaiBalMilfc
Idem.IM sem numoro I <54xaignora-e
, Sem marca e sem nainero -1 baliu idepi.
Alfandega de Pernaitibuco, ) de o'ntttl
1873.
m4lK JTonrf
0 inspector,
Fabim A. de Cuwuih-i Rris
ira verfc-
0 faz pu-
n 4oX
Aramara munietpal desla eidadade, tendv
designado o-dia 8 do cuircute para pr
conl'ormidade com 0 art. 103 da lei del!) do agus-
lode 1816, a aptiracao prrral dos votns pira
dqres da nova villa de Jaboatao ; assIrM 0 1
blico para coohecimento de quenv tnteressaf posia.
Paco da eamara municipal do Recife, 1 de ou-
tubro de 1873.
Manoel Joaquim do Reyo e Atbuquerrpte
plwlde|iori8rfn-i*'rfI
,tn-v(hdm ie Aibnaftw-qw Ai'trw**. si
seeretario.
8M
Quarta-feira 8 de outubro.
I'.STREA
Io art is la porlugnez
0 qual achaudo se nesta cidade, de passigetn
para a EuBofpa_, a couvite da empreza temara par-
le n'alguns cspcctaculos, o primeiro dos quaes
teru lugar nu dia aniiun'ciado com o seguinto
Pro^rani'.iin.
Primeira rcpresentagao ne.-te thea'.ro, do en-
treacto orifiinar!^**
Amor loiiilriiio.
Distrihui^ao.
Sir Everard Sr SfmSes.
Err.ili.i actriz D. Olyinpia.
Seouirse-ha a terceira represeiitai-ao lo qiu-.
pnq.|U<) ceaiieo ipipijal cm ^actis :
-
mhwk
DE
NAVEGAC10 BiHUNA
llaceici, Penedo, Aracajii
e K&hia.
E' esperado dos portos aciina ate o dia 10 de
outubro o vapor Penedo, o qual scgulra, uo dia so-
guinte ao de sua chegiida para os mesraos.
> Rccebe carga, encommendas, passageiros e di-.
cheiro a trete ate o dia de sua saliida : a tratar
3om os agentes Antonio Lui< de Oliwira Azeve-
do 4 G., rua do BomJeauan. 57.
COMPANHIA PERNAMBLCANA
DE
\avesueuo costoira a vapor.
GOYANSA.
Q vapor Parrhybu.
commandante PedrfT
seguira para o port
aenna no dia 7 do
corrente, as 9 horas
da noute.
encommendas, passageiros e di-
escriptorio no Forte do Mattos
Recebe
nheiro a
n. 12.
carga,
frete :
rrelnjjio' dfe 'pa'fet^.'^^S^Shla!.
com fharntos, alem rlflnrfll nrr itnttwfcljlffi i^ki
estarno patentes no dia.-d0'.'cSB0tfra*iMaiMc-4p
iom Herculano Pcreira LrsbtS^teWle fe-
rotirado desta para a p'rovfneia 'da B^(;'Jhra'>-
iiio de todos os objectos^aeima dwlara**;'OiP Ifi
le*ven ^tJSS ^^^^^^
ao correr do martm6.
____asjfl boras em poi
i
DE '' '
2 vaccas turinas com criak [* 9b
2 dilas do pasta, taUibein con crias.
1 cavallo rudadii, proprio para cella^ojjwfCva.
Quarta-f ir;i 8 tie i>uU&ri>
pelo agente Martins.
Eui (rente ao arraazcin di rua do tnaheraitor
n. 48, as 11 horas do dia.
>0 .11 A-'-----
aw
0:
ori
muinra n ^claculo cou, a sccna comica
COMPANHIA PKRNAMBUCANA
DE
Jl'avegacao oostnira a vapor.
HAMANGL'APE.
0 vapor Coruripe, com-
mandante Silva, seguira para
o porto aciina ho dia II do
corrente, as 5 horas da tarde.
Recebe carga, encommen-
das, passagens e dinheiro a
frete ate as 2 boras da tarde do dia da saliida:
escriptorio nu Forte Jo .Vattns n. 12.
COM PA NI11A PERNAMBL'CAN'A
DE
\avegasi!o costcirn a vapor.
MACKIO, PENEDO E AKACAJU*.
.
.>'".
s

Santa Casa de Misencordia
do ijecife.
Pela secretaria dasaMa casa f.r--e j-ciente a
quojii interessar, quo no' dia' 14 do ctjrrente, pelas
9 hras da manha, no 99t3o da easa dos experstos,
o lllm. Sr. thesoureiro fara pagamento das men-
salidades vencidas ate 30 de setembro proximo
uudo, as anus que so apresenlarem condu/.iaio
as crisnras que lhes foram confiadas.
Secretaria da eanta casa da misericordia dt
ntiadlmn
I
aiafj- nisdmaJ
composicao do Gamdo deseapmihada
iq Maid >e:a i w*i
w.'wi nop
0 vapor Giquia, com-
mandante Martins,
seguira para os por
tos acima no dia |5
do corrente, as 5
- boras da tarde.
Recebe carga ate odia 13 do corrente. encom-
mendas aieo dia 14, passageiros e dinheiro a fre-
te ale as 2 borax i da tarde do dia da sahida :
cscriptorjo no Forte Uu .Mattos u. f2.
C0MPAM1U PERNAMBUCAJNA
DE
iluvcgaciio costcira a vapur.
?ARAIIYDA, NATAL, MACAO, MOSSOHO', AKACk
TY, C64RA, MASDADU', AGARACU' ECHANJA.
moveis. loHC-a e
Quinta-feira 9 do corrente
AS 11 HORAS DA RJANUA
N'a casa n. 37, rua das Cruzi's, segnndo
andar.
Um piano do molhor fabricaotc, 1 r|ca cuobiJia
do jacaranda a Luiz XV, conitando do I sofaTi!
concolos com lampo depclra. 12 ci.dciras de"
guarnicao, 1 rica secretaria de jacaranda, apara-
dore^ de mogno e de aman I! >, comoKidas, mesas,
espel-os. quadros, 1 mobilia de mogno. consiando
de 1 sofa, 2 concolos com tampo de p'dra, jardi-
neira, 2 cadeiras de bra.;dj, 2 di\as de deseanco,
ditas avulsas, serviro para janlar, compoteiras,
coberlas de vidro para queijns,' garrafas, irem
par* cozinha, e outros artigo quo uVixo de ian-
cionar para nao se tornar enfad mho.
0 agonic Pin' o Gorges anthorisadd per nma (a-
milia que se retiruit pira fora desta proviaeia, le-
vara os olijeclos acima deelaradw a Ibilao.
j ooa
Reeebe carga ate o dia
*oiwtta. H1 elm *t> wiiaO
mi tit aaaiT
lad
.>
Ml
eriptorio no Forte dc Mattos o. 12
doce.
No na.io iaglozSW/'i-paraa.CaaL,
regaram: S. Drdthers & C. 600 saccos com 43,1
JcHiis de assuaar mascavado.
Ho vapor iagjea Undo, para Liverpool, cr
regaram : S. Sconj.netUu i-tTSttS^cas com
Hill kilos dd.algodM ; J. Pate- A C. olQ.ditas
com 39,7^8 ditos de dato.
barca jnglaza Ziuara, para Hamburgo;
ri"??W ^. R--*?"e^.C. 471 saceas com ^x% 6 tooalabr0 de
dz,i4i lj2 Kilos do aigodao.
No palaefto francez ^qdrci, para Liverpool,
earsegaram : G. .Neesen A C- 102 fardos com
I9,i3ii kjJo*,(te algodao. o admimstradar da recepedoria de'reHiIas
^'ftbrigpe inrtuguez IJniw, para o PortoK internas geraes faz publico que*6 este mez de du-
' C. Aranjo '60 coaros espicbado* tabro ultimo em -foelem de eer ftagaeem mUl -
fXn. U&X&jiOGfn u o'imposto sb*e incmiWas 'e profHsoes. relwr-
- Na barca ingleza Mimosa, para Liverpool, }' e|*g? ?P *."?2 1878-74, e
aanE:*SdBrk C'2W '"*\^m "^#2"as^^^::,.,*,,
No vapor franafaJfendosd, para Montihdpo, *873-
carrejjeu wi L. fctaX Reis 3 barrigas c5nl45i __
abacaUuX 711? Qo"!
Para, q Rio ^ Janeiro, uo uav,io ^opal
Graca, carregaram : I. S Loyo & Filho JOa bar-
ricas com 16.SJ61 kilos oe assucar braueo, e I caixa
c#4P ditoa.de doce.
Para Manianguape, JW b.irca(ja Maria Isabel,
carregaram : Fernandes 4 Irmao 1 barril.ebra
, d*j.aguardeutt.
PACIFIC STOM ;
fll
,i
ribaldi segue era poucos dias para o
ima : para carga'trata-se- com Ta'aso jrJ
al HMNC& C. a rua rto inwrim n. 37.
iLi
C*oifi- ,;
onjtttine. seguira pira
Liverpool, via Lisboa, para onde recebemi^spBiilcn alituxi arc
j.^efcoUn9a||8^ca|j^ffi ,,,, OTq ^,f
14-^RlJTTXrCmnWRCIO
'riMHANHlAK{ARfc|WBt
Manoel Carneiro d> Sooia Lacerda,
aoita casa da misericordia
do Recife.
Pela secreurw da s3nU casa da misericor
Recife sao cqnvidados os parentes 'das eijj^^l
UAPATA4LA DA ALFANOEtiA
fteadUnenw do collegio das orphas em scgulda dei 1
quaes ja completaram a sua educar
requeiram ao Exm. presidente da |
ectrega, em viala do que resolveu a jiuita adoii-
nistrativa, de oonfornndade oa 6 que few"
3' art. do rospectivo. refttJawftto.
lAnhix ^aalazcaaal
^8 i 4k Hfeob&Ci
, Para o Rio-Grande do Sul.
Pretande seguir com muita brevidade o pal ha-
bole Rosita, por tor alguma carga trauida e para
a qne Ihe falfa trata-se'com'os consfgnatarios
Icaquim JosS 6pnf*lve BeltrJo & Fifho a rua
d' Gominercio n, '3. ''
unai
\iiv..K4u,So c^MAa-iiaa,
- MO W>RMaA>. E-fbHAKUARB. '
,i-i
nheiro
a. ?.
a frelo
>^a o Marankao e Par^.
le seguir c evidade o palha-
inalinpea loda carga
falta, trata-se com o nsjgralarios
;nendas ate odia 14, passagens c dinheiro a fr
ate as 2 floras da farue do' dia da sahida :
') vapor Pirapama.
commandante Felippe,
segnira para os pdr:
tea aoima no dia |5
dp corf an to, as 5 ho
ras da tarde.
,13 do corrente, enconi-
te
y ,
laverna ,-ila na travessado l.ivramento u. 28( ner-
tenconte a (irma commercial de Pereira-it Ir-
mao.
OUINTA-FIIIRA 9 r=u COURSE
As 11 horas da uiaiiiu
0 preposto do agoiite Pe^iaiia, c irtlpeleniemen-
te autorisado far.i leilao da taverna aetttta, por
atacado on a retalho a vontade iftisreqr^iradoies,
podendo desde ja ser examinado o comtfffeMaaa-
ianco, o qual se acha em map do^ccla^&^pre
p^sto.
------'-----------------------'-----=----------' mm 11>
,------------
4 Oif
U.YAH-S
630eUe1d<:
A'SW H0nA>DAMflNJl>u4 0
Por interveni^ao do ageirte^riatj.
Em sen escriptorio, rua d^ffiwaUtt^froarJiaj.
*? ARfPJtlHw
ouista-wiiA'? 9-ifraom/etiw.
as 10 1|2 horas: .ttfOnu'3
Por interrepcao a no escuMvao d8MtifHMft f"
[to, a rua do Rom JcsuantBriL.^ ^.
-----------------.-----------------------------------------------.----------------------------
RH
mer~.
mi.
a.
snve?^
naq a ib
rrvstnes e q
-:-m;u <
de prat\to,)5^
HKa
Um piano f(
^saneJa^^^o^ij^a^rViBeres e jarroa para W-
_ Um piano forte,A oa'ofc^
DE-n'-<"? model <*'
um excellente terreao edfrf W9 *tflttos de
fronte e 500 de fundo, eMfrftWrStirio.
com af^uri5 arvore^0S*Si(9*Iu^FfW Vw
hexibe de Baixo, com a frcrf%'JaMM#"ru >
dos Clerigos, o qual se laHOtafts (K-
baracado de todo e qtiahnieivaftti)
SEXTA-F1-1RA 10 DO CdUlfiME
AiO)
As lft hanispi
0 ageate I'inho Rbrses* ati8
vender em leilao o terreno'
seu escriptorio, a rua do Ho:
ro andar.
Os pretendeutfs podem desii}
ferid* terreno. area
Upia cama fraoceia d > jacaramls, 1 toilette e 1
' la'wtorto rWiri*bl-''Vajlaeaninda, 2 coimnoda*. I
0 *por Porahubn,
tommartdknt* P^djp, 'se-
frtira para OB portos guarda-roupa, 2 cabides, 6 cadeiras, 1 marque-
**tia no -oia 13 do eur- apl capia de ferro, 1 mesa de o.ima e 1 machi-
ftnle, as 9 boraida <*"-
i*e|)e*ga,
h*refestica, 1 guarda loqea, 1 aparador,
24 cadeiras de goarnicaj, 2 ditas de. brtango, 1
riptorio no Forto do MbtM m^lhttipa Bjplji^ **>BWktMbmn <*'
lices,arrafas, oompoteiras, ,ra engpm-
mar, machinas de Ijmpar facas, q biuitos oujri
nbjecios :pert?fieBnte3 a casa 4e familia.
Hoje
Ra Capunga, rua .das Crioulas.
______________i_
_
kVB
4lnga-se o 2* andar dp ?
de Lomas Vatentma* n, 8ft,ico:
guintes : 3 salas granites e b
quartos lambora graiulu, o^H
com poriao para
boa agu^ para la-
pracinha da Indepeuden
ohapdos, qua aohara bom sqi
dos compradoroi ^aT
bonita
algum ^^M
Joao de Ha que a
tratar, das 6 a, per
da tar
fuciir iflii^M
,>
^1B^BH^POT^H^I01


DilJio


<*r
GRANDES NOVIMDES
Em fazendas de gosto
NA
SOBERANA E INFAIXIVEL

INJECCAO
po '
LOJA E ARMAZEM DO PAVAO
N. 60 Ruadalmperatriz N. 60
DE
'EREIRA DA SUVA & GUIMARAS3
Os proprietaries deste importante cstabelecimento, participam ao respeitavel publioo
ta cidade e aos seus numerosos freguezes que acabam de receber pelos ultiroos vapo-
i de Europa, ura grande sortimento das mais lindas e raais modernas fazendas de gosto
rauita phantasia para vestidos de seohoras e meninos, assim como tambem nm grande
ortimenlo das melhores fazendas de lei, qae se vendera por precos muito em conla, so
com o tint de apurar dinheiro.
As pessoasque uegociam em pequena escala, neste estabelecimento poderao fazer
seus sortinaentos, porque se lhes vendera1 pelos precos que compram nas casas estran-
as ; de todas as fazendas se dao arnostras, deixando penhor, ou mandam-sc levar em
a das Exmas. familias pelos caxeiros.
Este estabelecimentoesti co nstantemone aberto das 6 horas da manha as 9 da noute
Aiis dei nil covadis de Iftsinlias
300 rs.
Na loja do Pavdo.
LAZINHAS A 300 RS.
LAZINHAS A 300 RS.
LAZINHAS A 300 RS.
O Pavio recebeu urn grande sortimento
das mais lindas lazinhas para vestido de se-
BURNOUS A 169000.
0 Pavao recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, burnoos dos mais lindos gostos
que ate hoje sao conhecidos e em relacao A
sua excessiva barateza, convidam-se as
Exmas. Sras. para verem o que ha de mais
novidade neste artigo.
BRA MANTES PARA LENQOES.
0 Pavao vende superior bramante de al-
godao, tendo 10 palmos de largura, que so
tm
^^de^narmueli^os Heroes \* de 1 1/4 vara para urn lencol
miudos e graudos, que vende pelo barat.ssi- W> m,?lr M ? ,
________ V vaa ~ .,i h3r Dito de linho fino superior e muito en
mo oreco de 300 rs. o covado, por haver
jrande^oreao. E' pechincha, na rua da corpado, com a mesma
Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
NOVOS VESTIDOS A" 2 DE JULHO POR
129000.
0 Pavao reeebeu urn elegante sortimento
dos mais lindos e modernos cortes de eam-
braia para vestidos, sendo a uso da cdrte e
largura a 2C400 a
vara.
Dilos francezes muito finos a 2^500 e
39000.
Pecas de Hamburgo e panne de linho, ten-
do cm 20 e 30 varas para todos os precos
e qnalidades.
Ditas de bretanha de purolinho, tendo 30
2 de iulho, com os mais bonitos enfeites, e ls ue. puru.uH.iu, hwjuu o
teudo bastanle fazenda : assim como baba- J^as, pelos precos mais baratos que se torn
dos, rendas, recilliz e entremeios, sufficien-
tes para as guarnicoes, e vende pelo bara-
to precp de 129000 cada c6rte. Na loja
do Pavio A rua da Imperatriz n. 60.
LAZINHAS BORHADASA 400 RS.
0 COVADO.
0 Pavio recebeu urn elegante sortimento
das mais lindas lazinhas transpu rentes com
fiorinbas, bordadas, tendo de todas as cores
inclusivel rocha propna para viuva, e ven-
de pelo baratissimo preco do 400 rs. o co-
vado. E' pechincha, na loja do Pavao a" rua
de Imperatriz n. 60.
LAS MODERNAS.
0 Pavao vende um bonito sortimento de
lazinhas listradas sendo das mais modernas
que tem vindo ao mercado, pelo baratissimo
preco de 560 e 600 o rs. o covado. E' pe-
chincha, na loja do Pavao A rua da Impe-
ratriz n. 60.
ALPACAS LAVRADAS A 040RS. 0 COVADO.
Chegou para a loja do Pavao um elegante
sortimento das mais lindas alpacas lavradas
de cores sendo as c6res mais modernas que
tem vindo para vestidos, e vencle-se pelo ba-
ratissimo preijo de 640 rs. o covado. E'
pechincha, na loja do Pavao.
CASSAS FRANCEZAS A 000 E G40 RS. 0
METRO.
0 Pavao recebeu um luagniuCO sortimen-
to das mais lindas cassas fraiuezas, de cor,
com os mais bonitos desenh s miudos e
graudos, tendo pad rocs oscuros e outros < j u e
servem para lulo, e vende a 600 e 640 rs.
o metro ou 360 e 400 rs. o covado.
LAZINHAS MODKKNAS COM L1STRA DE
SEDA A 640 rs. e 19200.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento
dp las com listras de seda assetinada, sendo
as mais modernas que tern vindo ao merca-
do e com as mais delicadas cores, e vende
pelos baratos precos de 640 rs e 19200.
Assim como outras muito bonitas com listras
sem ser de seda, que vende a 500, 640 e 800
rs., todas estas las sao modernissimas. E'
pechincha, na loja do Pavao.
< hi las u 84 ft, SO. *Oo 30 rs.
O Pavao recebeu um grande sortimento de
chitas de cores fixas, que ven le pelos bara-
tos precos de 240 e 280 rs. o covado. Ditas
escuras fazenda muito superior, com novos
padrdes a 320 e 360 rs. o covado.
Ditas muito finas padrdes claros em teci-
dos de percales, com barra de c6r ao lado e
tem ella a 360 e 400 rs.
Ditas pretas com tecido de crctone, fazen-
da muito superior a 320 e 400 rs. o co-
vado.
Ditas de cores, miudinhas, proprias para
roupa de crianjas a 360 rs. o covado. E'
pechincha, na loja do Pavao.
Baptlataa a &OO rs. covadol
O Pavao recebeu um elegante sortimento
das mais modernas baptistas de cOres com
padrdes mindinhos e graudos sendo proprios
para vestidos e roupa de crianca, pelo bara-
tissimo preco de 500 rs. o covado, affiancan-
do ser grande pechincha I
Corte* die canabraia. ultima no-
vidade. 99MM.
O Pavao recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, cortes de cambraia branca com ba-
badinhos ricamente bordados, tendo fazenda
sufficiente para vestido de qualquer modelo,
estes vestidos s8o os mais modernos que tem
vindo ao mercado, e pela sua excessiva ba-
rateza tornam-se recommeudaveis As senho-
ras de bom gosto.
Ditos com babados de cor, tendo 20 me-
tres de babados a 99000. E' grande pe-
chincha, no Bazar do Pavao a rua da Impe-
Tatriz n. 60.
CORTES DE CAMBRAIA BORDADOS.
O Parao recebeu os mais ricos cortes de
cambraia branca bordados para vestido, que
vende pelo barato preco .de 209 e 309000.
CORTES DE CAMBRAIA BRANCA.
0 Pavfto recebeu um Undo corte de cam-
braia braBca com listras assetinadass que
vende pelo barato preco de 69000.
Ditos com listras de cores, tendo 8 varas a
4* e 59000. E' pechincha.
ESPARTILHOS.
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de espartilhos tanto para senhora como para
menina, que vende pelo barato prejo de
Ditos muito finos a 49 e 59000. SJo dos
jaais moderuos qu e tem vindo ao mer-
cado. v
CAMBRAIS ABERTAS A 99 E 109000
O Pavto recebeu um elegante sortimento
das mais finas cambraias brancas abertas,
bordadas para vestido, que vende polo barato
-preco de 99 e.109000 o corte, tendo fazenda
bastante para vestid*. E' pechincha, na loja
do Pavao a rua da Imperatriz n. 60.
visto.
Pechinchas de finissimo esgniao ou silezia
com 6 jardas a 79000.
Pecas de finissima silezia com 30 jardas
a 359000.
Atoalhado adamascado com 8 palinos de
argura a 29000 a vara.
Caicas do casemira.
0 Pavao torn um grande sortimento de
calcas de casemira, assim como cortes os
mais modernos que tem vindo nos ultimo?
figurinos e em fazenda, dos mais finos e
mais novos quo tem vindo ao mercado, e
vande-se por barato preco para apurar di-
nheiro, assim como calcas de brim brancu e
de cores, por precos muito razoaveis.
LENCOS AUAINHADOS A 19800 E 29000.
O Pavao vende duzias de lencos brancos
abainhados, sendo fazenda muito boa, pelo
barato preco de 29000 a duzia.
Ditos tambem abainhados, com beira de
cOr a 19800.
Ditos graudos, fazenda muito fina, sendo
todos brancos a 39000,
Dito de cambraia branca, sendo em peca
a 39600
MEIAS CRUAS A 49 F. 59000 A DL'ZIA.
0 Pavao vende duzias de meiascruas, in-
glezas pelo barato preco de 49000 e 59000
Assim como ditas muito finas e muito en-
corpadosa 69000, 79000,89000 e 109000,
e um grande sortimento de meias inglezas e
francezas, para senhoras, que se vende por
preco muito commodo.
MADAPOLA0 FRAN'CEZ a 69000 E 79000
0 Pavao vende pecas de madapolao fran-
ccz, que sempre se vendeu por muito mais
diniioiro e liquida-se pelo baratissimo preco
69000 e 79000, por ter feito uma grand*
compra. B' pechincha.
Algodiioziuho a 4-rOOO.
0 Pavao vende pecas de algodaozinho,
muito boa fazenda, pelo barato preco de
49 e 59000.
Dito largo muito encorpado, proprio pan
toalhas e lenc6es a 69000 e 79000.
CAMBRAIAS.
0 Pavao vende cortes de cambraia l/ans-
parente propria para vestidos a 29500
39000.
Pecas de dita muito fina, com 10 jarda,
tapada como transparente a 49, 59 e 69000s
ate a mais fina que vem ao mercado.
PANNOS DE CROCHET PARA CADEIRAS.
0 Pavao tem um grande sortimento de
pannos de crochet proprios para cadeira de
balanco, para ditas de guarnicAo e para so
fd, que se vendem muito em conta.
COLXAS DE CROCHET A 69 E 89000.
O Pavao vende colxas de crochet proprias
para cama de casal, pelo baratissimo prec,o
de 69 e 89000.
Ditas de fustao acolxoadas, sendo de co-
res e brancas, pelo barato pre$o de 46000.
E grande sortimento de ditas de damasco,
cretone e de chita, que vende por precos
muito razoaveis.
CORTES DE PERCALLES COM DUAS SAIAS
a 49000.
0 Pavio vende bonitos cortes de percalles
com duas saias, sendo fazenda de muito gos-
to a 49000. E' pechincha na loja do Pa-
vdo i. rua da Imperatriz n. 60.
BOTINAS PARA SENHORA, A 59000.
Na loja do Pavao a" rua da Imperatriz n. 60.
Pereira da Silva & GuimarSes receberam
pelo ultimo vapor de Europa um elegante
sortimento de botinas pretas e com delicados
enfeites decor, proprias para senhora, garan-
tindo-se serem das mais modernas que h*
no mercado, assim como a boa qualidade
por terem sido remettidas por um dosnaf
lhores fabricantes de Paris, e vende-e pelt,
barato preco de 69, na loja do Pavio.
SAIAS BORDADAS A 59, U e 89000.
O PavSo vende saias ricamente bordadas
de 4 pannos cada uma, pelos baratissimos
precos de 59, 69 e 89000.
Ditas de um panno so e com muita rodas
guarnecida de pregas, pelos baratos preco,
de 29000 e 29500.
Ditas com guarnicAo de p'egas e borda-
dos a 39500.
Algadaa enfestada
lYMi
IMSVTE
ito faeuWadc demedicina de Paris, cavfillieiro riaLegifto dhonra#
A blennorrhagia. ou purgacAo, e uma mflammacAo do canal da uretra, oceasiona
ia a maiur parte das vezes peb eommunicacao impura. N3o uma affec^ao geral, qu1
le logar. como a byplilis a accidentes sectndarins. E' uma affrc;ao purnmente local-
KiTectivafnentf, os'nielirnniontns quo ha muito teoui sido applirados interioimonte con-
:ra este nial, Uus somo a copabilw, cublsMs nt"*.. nao pro lu/.em effeito eriiiii comnmni,
undo ii ourinas algumas das suas compoiicoes, que, pela sua passagem atravez do anal-
Je tomam uma verdadeira mjeecio.
Para que seri necessario carregar o estomago com essas prepara^oes nauseabundas a
repugnantes ? Para que e preciso fatigar os intestinos com a sua ac^a irritante ? A ros-
oosta e simples :Nao se tinha ainda descoberto uma mistura que, introduzida directae
Tiente no canal, produrisse os mesmos effeitos sem temer mios resultados. As injeccde-
tao MUdas ate aqui, conseguem fazer parar a purgacAo, porem pela irritacio consecutive
pje produzem no canal, sao uma ameac.i permanente de aperto, affec^ao muito mais ter-
rivel qu* o malse pretende curar. Eis-tirrui porque a maior parte dos medicos, querecu-
*am, com razao.de as empregar.
Presentemente, este fundado temor nin existe. A injewjao que n6s apresentamos ao
publico, que conta dez annos de bons resultados, nao interrompidos, nao e irritante. E*
mti-bleimorrhagica em teda a extensStrda palavra. Queremos dizer, 6 a causado mal,
|ue ella destroe decompondo os elementos da purgacao c. tonificando a mucoza e as
ilandulas donde provem a sua origem. A sua applica^ao na"o e dolorosa, e se uma li-
teira impressao se segue A sua introduces, essa impressao e de ponca dura, e segue-lhe
ama sensacao immediata e nio desagradavel. 0 seu tratamento nao precisa de nenhum
utro auxiKar para fazer parar em muito pouoo tempo as purgacdes, ainda as mais re-
heldes. a^^
Quasi sempre basta um s6 frascopata a cura, pois n8o nos consta quehouvesse pur-
ac&o que resistisse ao emprego de dots.
Atim de chegar a uma prompta cura, o doente deverd seguir o seguinte
REGIMEN:
1." De dois em dois dias, tomar um grande banho, e permanecer nelle duas horas,
endo possivel.
2." Lavar tres vezes por dia a parte doente com agua fria.
3. Dar tre6 injee^des por dia : de manha, ao meio dia, e A noite, Apertar ligei-
"mente o orificio do canal, afira de coWGrvar nelle o liquido um minuto.
4. Usar um suspensorio.
5. Abster-se do uso de bebidas espirituosas, ou ahsoolicas durante o trata-
nento.
[ ,- ^ st:\uon\m.
na muito tempo que as flores brancas, leucorrheas, etc., teem sido consideradas nas
ienhoras como causal, a cons-itui^ao anemica, que na linguagem vulgar lhes chamam
pallidas cdres, quando ellas sao ao contrario, a causa do enfranquecimento, e pobreza
so sangue. D'ahi provem o erro que muitos medicos commettem ainda, de tratar.es
Ntado geral, era logar de cuidar do estado local, que e a causa dos symptomas gerado
sao e logar proprio este detartarmos theoricamente o facto que avancamos, m8s acredi-
amos que basta aponta-lo para que todo o medico consciencioso o reconheQa o seu
valor.
A nossa injeccao tende sempre a suspender esses corrimentos sempre rebeldes a qual-
quer medicamento ; mas para obter esse resultado preciso que seja dada com o maior
cuidado, e que penetre ate" nas mais pequenas pregas da mucoza, pois que e ao fundo
da mucoza que esta" a causa da affeccAo, N6s convidamos as pessoas que recorrerem A
nossa injeccAo, a servirem-se, de preferencia a outra qualquer, da seringa direita, forma-
la d'um tubo de vidro do qual a extremidade redonda tem alguns buracos. Estas se-
ringas tem sobre as outras a vantagem d'abrir largamente a vagina, e por toda a mnco-
ta, em contacto com o liquido injectado, condicdo indispensavel para cura.
Duas colheresde sopa da nossa injeccao lancadas n'uma quantidade d'aguasufficiente
para encher a seringa, bastam para uma injeccao, que deve ser repetida tres vezes
por dia.
.4 nossa injeccao e prophylatiea, isto e, evita o mal. Uma s6 injeccao basta, depois
Turn contacto suspeito, para pdr ao abrigo de todo o receio de doenca.
NA
PHARMACIA E DR0GARIA
DE
RARTH0L0MEU t G.
34
(M m mrni
AOS 5:000^000.
BILHETES GARANTI00S.
(* tua Primeiro de Marfo (outr'or* m d
Cretpo) n. t31 catxs do costume.
0 abaixo assignsiilti knJu vendido nos s*n* te-
llies bilhftus, ires i|uarios n. 9646 co t08)f,
um meio n. 1267 cum Wbi, duus un-ios a. 1580
com 1000(0 e outra; sortes de 40 t 20* da
loteria que ?c aralwu de ex'raWr (68"), euarifti
aus pv-ssnidores a viram rceber na conformi-
dade do costume sem derconto lgum.
Acham-se avenda 05 felizes bilhelesgarantida
la II* ^artc das luteriaa a benelieio do eoltrgio
de nrpliai'sc oi|>iii< ((*>9'|, ipie s. o\i::ihirauofab-
bado, i i do correute tucz.
PREQOS
Bilhete inteiro 6*000
Meiobilhele 3*000
Quarto 1*500
EM POKCXO DE 1003000 PARA CIMA.
liilhete iuieiro 5*o00
Meio bilhele 1*750
Quarto 1*375
Manuel Martini Fiuxm
n<
II
5

Its
D 3 =
~1
a a
t!.i
gll
IF?
'a.
b|b
i. |
gB3
=
I|f
HI
|g
III
3D
G
50 **
f 1
si as

^.
O
o
o
<=>
O
O
g
o
-Rua Larga do Rosario34
56
aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rua da Cadeia)
LOJA DE
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recom men-
dado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acreditadas e verdadeiras naachina* auericanas para alga*
4*u, desde 10 a 60 aerrM, e havendo em todos os tanfanhos diversidades de syste-
mas e melhoramentos para perfeito e rapido descaro^amento ; tornam-se dignas de
ierem vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, atem disto, encontrar8o
tambem mais :
r
is 3.
_^=3
= s

CO a
De cAsaaientos.
De baptisailus.
De bailes.
De soirees-
De alnincos.
He lanelirK.
De bicknlvks.
De reins.
De ludo de dido
Se enearrega a confeit ria do Campos.
Ealem disso
A confeitafia do Campos
Esti sempre provida
De tudo quanto e preciso para
Uma boa mesa.
Rua do Imperador n. 24.
o
-
3 5,
- tB
re
= O
o 2
sll
Bl & O T(6 3
-t2 i" S2- ST jS. S* -
3 =5 C O BS "
-? r. CT3
SgS'.i
3 2
g -"era f" = =
3>o COS I
= ^ ^ O Go
a, ; O N 3
2 o 2
. 2 a- o s
=Trt> 5 3 rf-< _
m J. 3 3 3. ? 2.
S on 3 a. !
S -. a- ^ 5 a.
s* S. s>
=~ = -
5
a
3 3 c
^ 3 3
3 c =; a.
* fe? B O S a,
t O o !T (t O
tn
O
a.TS
2 o
t-si-S
la.S.Ni
s s : 3 i
A quern interessar
Pereira da S iva & OnimarSes, propri.tarios loja do Pavao, previupin pelo preseote a si-us fre-
guezes de?ta pra^a, qiiesc acham com sens debits
alrasados, que m na i saldarem es mesmns ate o
dia 30 de outubro do rorrente anno, intarao de
cobrar judiciahnenle, n5' tnndo ccnteinplacio com
ninguein.
Recife, 2i de setcmbro de 1873._____________
Escravo fugido.
De?appareceu de rasa do abaixo aslgnado, no-
Jia 23 do correnie, o escravo pardo, de nome
1'rajano, de e-iatura regular t ba>tante palioo,
1 >>w -i ii're de (rialdade : qnem o apprehender le-
vo-o a rua do Vigariu n. 21, que sera reeontpen-
Domingo? Alves Maiheu?.
O iel"joeiro e >lourid"r Albino
>(aptita da Roeba, de volia da
Kuropa, contimia a- encanep;ir-
?e di' <-on;ertar e d mrar reio-
pif'S. bom dimn Mltros obj>-rtos ;
rogaodfl a seus amigos a fregDe-
zes o obzequio de procnra-lo na
travessa da rua das Cruzes n. 14, 1.* andar, por
detraz da praca da Independencia, que o encon-
trarao prompto. A garantia de seas trabalhos e
b faze-los por preros modieos ; assim como tam-
oem vende relogios.__________________________
Cnixeiro
Precisasc de nm" caixeiro de 12 a 14 annos,
para tavcrna na rua Imperial n. 240.
O advogado l rontinda em seu escrintorin na rua do S
9 Collepio, em Noa Sonbnra do 0' de flf
A [pojura, nnde p"di'ia ser enoonirado nas '40L
2 toi ens-'eira? das !' boras da manha as 4 .
H d;i larde, e no* demais di s no enpen o a?
mL Guerra d>i mesnio terrao. Incumbe se ,9k
JJ tambem de cansas nos auditorios do a- 25
^5r b i, Sennhaem, Hii-Formoso e E>cada.
Ante bontem 2 do corrente, por volta de 5
1|2 horas da larde, desappareceu da rua larga
do Rosario, um cavallo com cangalha, e um par
de cambitos e com os signaes seguinles : ruco
sujo, pequeno, cauda enrta, brm enca6cado, uma
listula no queixo do I.ido esquerdo :_ quem o pe-
ar e trouxer em Beberibe ao Sr. Joao Manoel da
ruz, sera reeompensado._____________________
Pede-se aos Sr?. coronet Joaqinin Cavalcan-
te de Albuquerque senhor do engenho Paulista,
Dr. Luiz Lo|>es Castello-Branco e Vicente Bacel-
lar, o obzequio de apparecerem na rua do Duque
de Caxias n. 44, a negocio que lhes interetsa.
0 Sr- Jose Pereira da Motta tenha a bondade
de se dirigir a rua do Senhor Bom Jesus, arma-
zem n. 36, a tratar sobre ama carga yinda do
Porto no brigue portnguez Recife, consignado ao
mesmo senhor. _____.
Apurados vapores locomoveis, de forca
ie a'/ e *'/ cavallos com todos pertencas
precisos para trabalharera 4 machinas para
ilgodSo, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de roao para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatories.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-comidas. '
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Trens para cozinha.
0 PavSo vende algodio americano enfr'S-
tado e muito encorpado, proprio para toa-
lha e len^oes, pelo barato preco de 19000 a
vara.
Dito francez sendo trancado e muito en-
corpado, pelo baratissimo preco de 19280 o
metro.
Casemira* a ttSOOO e IjOOO.
0 Pav8o vende c6rtes de casamira france
za, sendo fazenda muito superior que sem-
pre se vendeu por mais dinheiro, e liqui-
dam-se a 79000 o cdrte.
Ditos a 6900O.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertencas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e cafe.
Debulbadores para milho.
Azsite de spermacete para macbinas.
Cam as de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltadoa.
Dhos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferreiros.
Emfira muitos outros artigos, que soavista e neste estabeleomoderaoentp *Ji o
jxarninado*.
Samuel Power Johns-
ton A 0.
|Kua do Apollo n. 38 e 40
Paitmi sciente aus sea* frgnetes qae irem
Dudado o sen Aepoeito de machlms a va-
Sr, raoHieA* ***** a* umiio acreditada
>ria de LowMoor para roa do Apollo n.
38 e 40, oode cootinaam a ter o aesmo sor-
timemo do co*toiiM.
PauD seiesttr uotbea qne teem laito um
arrange com a fma'Jcio geral. pelo one po-
dem oSereeer e para aeeeotar ((nalqaer
auKbiiisao mamo gsraiK' to
O* proprieurioa da (undi^;ac> geral fuem
teientes aos seohorea de Aogeoho mais
pessoas, qae teem eetabelecido uma iundi-
cao d ferro e bronze a ma do Brnm, jnp-
to a ettacio do* bond*, oade aproourao
qnalqoer obra de eocommeata com perfei-
cat e pronptidio.
Qr rne-moi rnfam as pe-s<. qae qael-
ram atilisar *t it -^os ner*icos de deiia-
rem *? eneommeodas em ca dos Sr*. Sa-
muel Power Johnw^n ft C a rua do Apol-
lo n. 39 e iO, onde aehario oes"a Dahth-
tsda com qoe"? posam eoiender
Aiipar**-" para fabrifar aaaawr, to gystama.
WKiTON CENTREPUGXL
.oies em PeraaoMaD a fouriiciu geral.
Para iraur em 5~ i
W PUBLICO
Qaem mais commodo offerece ?
lncontestayelmente a loja de calcadoHestrangei-
ro que mais commodo offerece em geral, com espe-
cialidade ao bello sexs, e o PARIS NA AMERICA
a rua Duque de Caxias n. 59, primeiro andar (ac
tiga do Queiniado) e a razao ? a razao 6 simples
um eavalheiro (amante do ckique) por certo se
incomrooda quando, para comprar um par de bo
Unas, vase forcado a experimenta-la sobre nm
pequeno e pueroso pedaco de tapete (systema ma-
carronico) nao podeodo aesta forma conhecar se
a botina (he tka boa, pois, nio tem espaco para
experimenta-la, ao menos que nio a estrague dan-
do apenas ura passo, que cbegaralogo ao immun-
do ladrilho ; o que nao acontece no Paris na
America, onde pode se passear a vontade e desta
forma conhecer-se se flea bom o calcado : para o
bello sexo, entao e quasi impossivel, que uma se-
nhora (do bom torn) qneira sujeitar-se a experi-
mentar calcado ao lado de um baleao, onde en-
tra quem quer, ainda mesmo para comprar : o
Paris na America nao reeente-se desta falta ; tem
nm bem preparado pabinete reservado, para a.-
Exmas. que alii poderao estar em perfeito commo-
do para a escolha do calcado.
Nao terminam ahi as vantagens ou commodos
do Paris na America a rna Duque de Caxias n.
39, primeiro andar, consiste tambem no bom sor-
timento de botinas para homens, dos melhores e
mais afamados tabneantes da Europa, como Me-
lies, Suser, Polak, etc, etc., e grande variedade de
chinellos e sapatos, assim tambem um lindo sor-
timento de botinas para senhora, e sapatinhos de
muitas quahdades que poderao satisfaier a esco-
lha da mais capiehosa senhora (do bom gosto);
pelo que flea expendido, esta claro que a loja de
eal$aao estrangeiro, que mais vantagens offeree*,
e o Paris na America, rua Duque de Caxias n.
59, primeiro andar, antiga rua do Queimado
Stonsallorio medico-cirargico
a de
c A. B. da Silva Maia.
Rua do Visconde de Albuquerque n.
11, outr'ora rua da matriz da Boa-VisU
a. 4.
Chamados : a qualquer bora.
Consnltas: Aos pobres gratis, das t as
i boras da tarde.
- Offerece-se um feitor para engenho : na rua
de S Fr aucisco n. 70.
DOde BACALHAU

^;
FtRHUGhOSO, CLARO E TRI6UEIR0
MSCHRVaMMi
I'.n-.ii'irit'lr. Kfr/iao df llonra. 0/fieial do
VrdjiiiU e ('otiimriuindorilaordem T7so-
/> Oulrn .i.Thnrirr :: m.I i-ii'.iRf l*la'!iicas r.!"i:!5" :i> >ua" [iro'-riflani'S tlierapeuti-
:{ -t: m'eelMft lUpO f;ll
\><\ :>> snniav -e.
O M-iilior Chevricr roinpletnu a BO*
i!i's-v.?brrti a>.=o;':iirloo loilureto de ferro
an -ri) i.lo.. liM"* 'b- Diicaihau. Este
.!-.!- rnd *r kcalli frrrul^-
m> |i-. -m> Uuiiih as i.rop.ifdarti's ilo oleo
" > faoil tits
u tomSo egrada-
'stfto e nunca
A ilc fi'fro. e iln
eniij: pris'-" do ventrc.
Toilus ;is .vleliriiUiileu medics o pre-
fercm .is o::lras [ircpara-j-Tes fcrnigino-
ms. (omeni i^m todo os casos em que
u>eni|ir<-jw ii f<*ni> : Tli-i pnlaM
Bronrhll. Riirhltinm.1, l^eFfti:
FmHc" fci" Hh*nwtl, I .
priMia, lec*rl <*>Mra4M
Fraqurm de roaafUulfik*.
drfOsitg tm pahis: Pharm. CaHBrVRUBR
21, Fanbourg Montmarirt.
Na mesma pharmacia achio-seo Vinho
r. Ei.rsm de Coc*, eTcellentee prepa.ni-
oBet tonicas. Or pranulos de Bismuth
compostos contra as diarrheas, d>seu-
terias, d6res de pstomno. etc.
Deposito em casa de Augusto Caors n. MJ
rua da Cruz.
..- Crecisa-sede uma senhora de boa condocta,
em familia, preferindo-se de idade, para coapa-
nhia de uma familia composta da duaa pwaoai,
gratificando-se mensalmente com a quania qae se
convencionar: a tratar no pateo do Teroo n. 68.
Aluga-se para passar a festa uma casa com
sitio de muitos arvoredos e muito fresca entre as
esta^io do Monteiro e Caldereiro e perto do rto;.
para mais inf >rmar5es na rua do Corre a Rod*
na Casa-Forte.______________________________
Offerece-se uma ama para andar com eriaa-
cas: a tratar na rua le S. Miguel, em Afogados
junto a professora.
Mudan^a.
0 abaixo asslgnado participa aos sens eredorw,-
freguezes e devedores que mudou seu ethsle-
biraenlo de selins, da rna do Marquez de Olin-
da para a rna do Vipnrii n. 14.
Marcos de Almeida Lima.
Precisa-se de uma engommadeira, uma coxi-
nheira e um criado para compras ; na rua 4*
Hospicio n. 40.
J
I
B^a^alaWWlHB
\m%m$1kmW*Mm\m




i




i
--'nl
todos os >ous (uri'Dii
dividualmmte, P'l"JM^^^^Ei
rdia 7 -Jo rorrente,, (ere* f
7 roras d.i mania, rnan.la war na
igreja matrix da R>a \ im* r nim;, ,!<, ,n Iina,ln
e Sct^Hbtoi: la c*j. ) Ferreira.
D. -Josepha de Menezes Vas-
concellos de Drummoud
Costa.
A sociedadu littewria Amor ao-.
Estudus mania etfebrar na matriz
da Boa-Visu, no dia 7 do corrente
mez, pelas 8 horn da manha, uma
missa por alma da Exma. Sra. D.
Josepha de Meneze* Yasconceltos de
Drurpmond Costa, mai do distincto i
soao o Sr. Gaspar do iNascimento Rigueira Costa,'
e convida a todos os seus parenles a coaheeidos |
para a asustir, pelo que desde ja seconfessa pe-
nnorado. *^
Justina Maria da ComTmaTH'erreinw^eliMi.
itios, penetradoj da mais pungente dor pelo pas-
sameoto prematuro de sea prezado raarido e pai
agradecem suraraamente a tod.>s os seas paren-'
tes e amigos que se prestaram a acompanhar ao
cemiteno Dttblico o cadaver de Franeiseo Ma-
ximo Ferreira ; e de novo rogalhes o faridoso
obzequio de assistirera a missa do setimo dia,
que tera lugar as 7 horas da manna" do dia 10 do
corrente ua matriz da Boa-Vista.
Precisa-se de nma ama eserava para cozi-
afcar e ensahoar : na ma da Pcnba n. 9't.
Ufencao
mm.
-se 11" 11iii.i
Coniprm- para
eserava, que snja iwrita
gando-se a qiianlia m.ima
too do Jtos|iiti| ii, 28
dares.
i-ir.-i r-,ti/inh.*r i
...zinJieiro, pa-
tratar no pa-
|, e 2. an-
Ainda se prerisa de uma anta c*> rava on
forra para cozinliar e en Forte : a tratar na rua da IViiha u. 23.
Hog.*-?* a,. Iiln,. Sr. Imiiu-io Vieirr, de Mello
iscrivao na c\ttk>U: oV Nusreiti (testa provincia, v
, favor de vir a rua Ouque de C-ixi.- n. 36, a cod .
irci-i in.i.i-s.' Iuir 'u'''''" ",'t'r,<'io r.-alisar, pela terceira chamada desu jornal, em
das de dezembro de 4871, e depots para Janeiro,
passon a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio:
por este inntivo e
nm, pois S. S. se deve lemtirar que este oegocio e
OC mai? d? citO a""1'"', e qnando o Sr. cu filbo <
xchm nesla cidade. -
2 **$** &**&
A\f A fTecisase de uma ama livre ou es-
*1-'* craja, para coziubar : na fabrica a
vapor de cigarros, antiga rua do Quartel de Poli-
cia n. 21.
AMA
Precisa-se de uma ama que saiba
engommar ou cozinhar: na rua Nova
n 7, loja
A rno Precisa-se de uma que coziohe ecom-
-*-lUd' pre : na rua do Crespo a. 20.
AMA
Precisa-se de uma ama para co-
zinhar : na rua do Rosario larga n.
22, segundo andar.
Ama de leite.
CASA.
Aloga-se o primeira e segundo andares da casa
n. 3 da travessa da Lingneta : a trater na rua
Pnmeiro de Marco, antiga do Crespo, na loja do
Passo junto ao arco de Santo Antonio
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-e
Srs- pedro duRejjoChaves Peixotoe
ose Paes da Silva, a negocio de particular inte-
-sse.
CASA DO OUHO
Aoa .>:000-000
Bilhetes garaatidos
kua do Barao da Victoria (outr'jtra Nova)
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos seas
muito felizes bilhetes a sorte de 5:G0O*'HX) em
tous meios de n. 1301, e inatro qaartos de n
1613 com a sorte de 100*000 ; alcm de outras
sortes menores de 40*000 e 20*000 da loteria que
se acabou de extrahir (6>) ; e cenvida aos pos
suidores a virem receber, que prompiamente serao
paoos na forma do costume.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para vir ao sen estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qaalquer (remio, como prova pelos mesmos
annuncios.
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
'antidos da II* parte da loteria a benericie do
collegio dos orphios, que se extrahira no lia 11
do corrente roez.
Preyos
luteiro 6*000
Meio 3*000
Quarto 1*500
De KiftO-OOO paruclma.
Inteiro 5*500
Meio 2*750
Quarto 1*375
Recife, 24 de Membra de 1873.
_________ Mi" Joaquim da Costa Leite.
Precisa-se de uma ama de leite, na rua do Ro-
sario larga n. 22, segundo andar.
i -. |- i Precisa-se de uma ama para o
A II A servico interno de uma casa de pe-
rl VI i\ qaena familia : na ma Dunne de
XA.mil Caxtas n. 43,1' andar.__________
III1 Precisa-se de uma
A ill ft ama livre ou eserava
que cozinhe muito bem, pa-
ra uma pequena familia, pa-
ga-se generosamente : a tra-
tar na rua do Bom Jesus,
armazem n. 40.
Ama
n. 80.
Precisa-se de uma ama de boa con-
ducta, para engommar : a rua do Brum
MEDICO-CFRURGICO
^ DO
Q Dr. J. M. Curio
0 Rua do Marquez de OHnda n. 28, pri-
meiro andar.
if? Consnlu das 9 boras as 11 da manhi.
'Qf Chamados a qualqner hora.
SO0O6OOO oo^#*
^ Consultorio homeopa- $
ft thico ft
ft Do Dr. Santos Mello ft
di 41------Rua do Imperador------41 Q
2> Consul tas todos os dias das 11 a 1 da S
JR tarde. O
M. Gratis aos pobres. M
Z Residencia a rua Nova n. 7, segundo J
XR andar, onde da consultas das 6 as 9 da A
manha e das 3 as 5 da tarde. *&
S^ Chamados a qualquer hora.
ftftftftftft ftftftftft ftftS
MIA K?
-*-i. X ,nir ,,r-:
Precisa-se de uma ama para com
cozinhar em casa de pouca
na rua de Pedro Alfonso,
oulr'ora rua da Praia, n. 3.
AMA
Precisa-se de uma ama para la
var e cozinhar em casa de pequena
familia : na rua do Capibaribe nu-
mero 40.
Aloga-se uma eserava para cozinhar e eam-
prar : ^uem precisar diriia-se a rua da Saudade
n. 12.
2 Aloga-se uma eserava para o servico iater-
no de casa fle familia ; a^sim como, urn esoravo
de U annos, para servijo de criado ou hotel : na
rua no Imperador n. 50.
Capellas para fiuado
Na raa esireita do Rosario a. 33 tem ricas ca-
pellas para donzellas, anjos e defaatos, com fitas !a"se ,ferra'
e letreiros, proprios de lembranfa de minlu mai.
pai, esposo, esposa, filho, lirha, irmis, irmaos, avo
e avd, tudo por mai barato preco de 3*, i*, 5* e
8*000. Na raesma casa tem lindos bouquets de
cravos e rosas para formatura dos senhores aca-
demicos, com fitas bardadas a ouro ; a encom
mends deve se fazertres dias antes^ <; preparam-
se tamb'infeouquets para noivos, de cravos natu-
raes.
Caixeiro.
Precisa-e de am caixeiro com pratwa de taver-
na, preferiado-se portagaez : na rua do Range!
numero 3.
A If A Preci.-a-se de uma ama livre ou es-
I /l*fli/l. crava para todo o service, de uma fa-
milia de dua9 pessoas : Apipucos, rua Nova n. 2
Precisa-se de uma ama para tratar de urn
moco solteiro : na raa das Trincheiras o. 1, loja
de ourives.
Saqucspara lodas ascidades e
villas de Paiiii^ai.
Carvallio & Nugueira. saccam sobre o
banco cormnercial do Vianua, e suas agen-
das em todas as cidades e villas de Portu-
gal, qualquer quantia a vista ou a prazo e
por todos os paquetes: a run do Apollo
n. 20.
Eserava fiigida
Continua a e-lar fugida, desde o dia 12 de
setembro proximo passado, a eserava de nome
Justina, natural da Rio Grande do N'orte, com os
signaes seguintes : altura regular, bem preta,
bem parecida, bocca e nariz regulares, olhos vi-
vos. tem olhar um pouco espantado, falla baixo e
quando pronuncii as palavras mostra a dentadu
ra que e boa e bem alva, os pe"s um pouco curios
e apalhetados, aparia o cabello ao meio da cabe-
ca, foi eserava de Manoel Soares Pinheiro, com
esubelecimenu> na prafa da Indcpendencis, do
poder de quern tambem se aus?ntou em tempo,
e foi pegada em Bebenbe lavando roupa, intitula-
iforra; presentemente suppoe-se que anda
por algum dos arrabaldes desta cidade, ou que
esteja feito ama a tilulode forra,em alguma casa,
ou fina mente algem illicitamente a tenha em sou
poder, contra quern se promette proceder com
todo o rigor da lei. Pede-se, portanto, a todas as
aatoiidades policiaes e eapiUes de campo, a ap
prehensao de dita eserava e leva-la a seu senhor
na Capunga, rua das Pernambueancs n. 12, ou
Recife, arco da Coneeicao, loja de ourives, que
sera generosamente recompensado.
PENHORES
Na travessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
sBOa
Casa do campo.
Offerece e, a quern qnizer fazer os concertos
aecessarios, o arrendamento por alguns annos de
graca, da excellente casa sita na Porta d'Agua,
que foi do linado Dr. Joaquim Pires Carneiro
Monteiro, passaudo-se escriptura para maior se-
gu-anca. A loeahdade e muito salubre, e a casa
muito fresca, tem magnifico foanho de agua dd-
ce em frente, e e muito commoda, visto que o
trem para defronte : quem pretender pode diri-
gir-se ao Sr. Francisco Carneiro Monteiro, em
Apipucos ao Sr. Francisco Ignacio Pinto, rua do
Join Jesus ou ao Sr. Cannan, rua do Commer-
sio n. 40.
MEURQN&C.
*-------------- ... I. I.. --...
aos comprador es do bem conhecido e acreditado rap6
AREA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rapd de outra fabrica e nome diver-
se, e com papel da mesma c6r, cujo desenhc se pdde
confandir com o d'aqnelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro AREA
PRETA, devem para nao serem enganados ver que
os botes tragam o nome de METTRON & C, e a desig-
napao de AREA PRETA.
MEURON & C.
}
Scioi
Sr. Rente sna escripta esta eerta ? Veremos.
Ao embueteiro.
EsU palavra se usa e e bem empregada, ao
vil graode historicgraphede todos osmens -1
Sue destreza q je preceptor^ este mea amigo;
quando e ura obseerador dos-primo?vas-e por
isto 6 merecedor de estar reinurdado n*ura er-
fiStdlo.
0 ten porvir e maito notorio a classe dos re-
les; porque conlieco-te como rabelhonario -de in-
cagMtos, guaado tu es o mais visivel.
Responde a esU minha reflexao, nao me reflro
com paralogisaw, porque tu nao a comprebendes ;
symbolo te darei em muito pouca duracjo.
FaHo muito diaphano, grande embusteire; pode-
mos te coiwiderar como um protentado, gue daui
nao podes retrogradar.
Ten* decoros que te dao os boato6-falsos ; a*i
mostras a :tua ignommia ; repito, 4s jgnaro na il-
lustracaa, quereres remedar, es repeliido, porque
o iraparcial nao consente e nao teas vrbanidade.
Dirijo-rae ao ten canalhismo e nao a tea recato !
falla, mas na minha presenca e nao na aosencia ;
tu so podes diffamar a provincia inteira, porque
tens tempo para todo isso. Obsceno, tu so exter-
miaade, Belzebutb, qae nos rastos da tua caada
se veem abysmos de iemorsos Nao teas discerni-
mento, barbas de milho ; corre ao bospieio que
nelle encontraras saciedade, eaojo I fabuiozo e
fallazl
Desempenha a tua farca com todo o tea fanete,
e no final eu estarei presente. Grande fatuo I
Pernambuco, 7 de oulubro de 1873.
__________________________&&&_______
Escravo fugida.
100^000 de gratifica^ao
Oesappareceu de novo, de borio da barca bra-
sileira S. Jctt, o e-cravo Joaquim, preto de oa-
jio, o qnal anda bem vestido e calfade, deixan-
do crescer os cabeMos a modo de meia cabelleira.
Esse eseravo pertencea ao fallecido Dr. Olym
pio Marcellino da Silva, que o havia comprado na
froviocia de Mioas (em S Joio d'Bl rei ou Oure-
reto), e com efle seguk) para o Rio de Janeiro e
d'alli para eita provineia, donde foi para Maceio,
tendo o vendido alii a Justino Epaminondas Ne-
ves, a quem o compraram os abaixo essignados.
Sane cozinhar, occapacao a qae estava dedicado,
coBhc e pelt falla qae e afneano.
3nerece-e a gratiiicacao acima a qnem o ap-
prebender e roga-se a todas as autoridades a sua
captara.
Recife, 6 de outukro de 1873
Joae da Silva Loyo 4 F'lho.
A puhlico
0 abaixo asiignado tendo mudado sea esube-
leciaento de ealeado, conhecido por Ron de Ouro,
da rua da toperatriz n. 19, para a mesma raa
a. 7 ; vern por este roefo prevenir seus name-
rosos frcgaezea qne acaba de montar o novo es-
UbeieeimeDto aaa melhores condicoes de hem sa-
tisfazer o respeilaval publico, tendo um grande e
variado sortimento de calcadu nacion*' e estran-
geiro, por pw|os muito raz >avej*.
I. P. Ponies. *
Aluaa-se nestes proximos dias duas boas
casas na Capunga, rua da Ventura, com commo-
dos para familia, as quaes forara concertadas e es-
tae se pintaado : a tratar na rua Duque de Ca-
xias n. 44.
Francisco Guedes de Araujo faz publico que
vendo o seu nome incluido na lista dos devedores
da massa fallida de Amorim, Fragoso, Santos 4 C.
declara a quem interessar, que nada deve a referi-
da massa, por quanto em ktflnpo entrou com a
narte que Hie toeava como socio commanditario*
jQuanto a quaatia de que e concessionario, so e
respoosavel o signatario do r ;spctivo conirato so-
cial, como tera;declarado em diversoe julgados o
raeretissimo tribunal do commercio. E para (jue
oiaguem se illuda, faz a presente dedaracao.
Recife, de outabro de 1873.
Aluga-se uma excellente casa napovoacao
de Ouarte Coelho, em Olinda, com boas commo-
des para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
do Amorim. n. 37.
Aluga-se o sobra io de um andar com modog, na raa dos Copiarcs n. 3 : a tratar nas
Cineo Pontas n. 31.
Ha uma eserava para alugar-se para en-
gommar em casa de pouca familia : a qoem pre-
cisar affifcflca-se a boa eonducta : na rua Atuoista
n. 228.
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precisa-se
fallar ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
reira, a negocio de seu interesse.
Hotel Uniao, praca do Conde
d'Eun.32.
Esle e*abelecimento continua a foroecer come-
dorias com asseio e pron.ptidao, tanto para fora
como para dentro do mesmo estabelecimento, ten-
do todos os dias papa, e nos sabbados mao de
vacca, re ebc-se qualquer encommemla por me-
nos do que em outra qualquer parte. 0 mesmo
estabelecimento torn excellentes quartos para alu-
gar, sendo bastantes frescos. 0 proprietario es-
pera do respeitavel publico a concurrehcia e pro-
teccao; e ao mesmo tempo pede aos seus fregue-
zes que se acham atrasados ha mais de anno, a
virem quanto antes saldar suas contas.
3
escravos.
Roubo.
Hontem ( io corrente roabaram da rua do Li-
vramento n. 7, diversos objeetos, sendo botinas
para homens, 8 pares de botas de vaqueU para
monlaria, 2 pelles de couro de lustre, marroquins,
dinheiro e outros objeetos : roga-se, portanto, as
autoridades que tome couhecimento e veja se
pode descobrir os autores.
Aluga-srt duas cscravas que coiinhain e fa-
zem o mais servifo de easa ; na raa de S. Jorge
a. 74. ____
- Jo^ Teixeira de Souza, com offleina de-ci-
garreiro no becco do antigo Pert'*, sen Io mais co-
nhecido por Jose E publico que d'ora em diante assignar-se-ha por
lose Este^ao Teixeira de Souza.
Ao commercio
0 abaixo assignado declara ao corpo do com -
inercio que desde o dia 30 de setembro deixou de
ser caixeiro do trapiche Angelo, e aproveita a
occasilo para agradecer ao administrador e seus
companbeirns as bondusas maneiras com que o
tratarara durante o tempo que foi caixeiro do
mesmo.
_______________Antonio Penicio Vercosa.
Maeonaria!!
Deelara-se qae, em qnalqner urn dos vapores
qne devem segair para Europa ate o dia 10 do
corrente mez, devera partir em um delles para
Portugal, Antonio Pinto Goocalves, a tratar de
sna saude ; e pekt presente despede-se de t-Ddos os
seus amigos. Ha entre estes um, que trabalru
iucogniiamente a seu beneficio, de cujo nome um
dia devera ter o verda-lei o conhecimento.' 0 pre-
sent* anuuncio e lUanda.t.i publicar p..r ahsnluta
dsliberacao do abaixo aa^igiiad.i. o qual di>u> deu
siriencia po uma earta. ao dito -A. P. Goncalvesv
e que este, hoje de manha a deve ter encootr.Jo
no_chao de sua sala. Recife, 5 de outabro de
|87.t.
Q-wCaridpsoNem Macjn, nem Jesulta.
Fugiram do engenho S. Cactano, no- dia 29 de
setembro proximo passado, os 3 escravos feguin-
te: Custodio, cabra, de 22 annos de idade, altura
regular, cheio do corpo, olbos um pouco papudos,
cabellos carapinhos, pouca barba e dentes perfei-
tos, tem um talbooo largato do braco direito, doue
signaes nas cadeiras do mesmo lado e seceas as
duas unhas grandes dos pes. Joao, negro, alto e
secco do corpo, sem barba e dentes da frente p6-
dres, e pouco gage. Benedict*), cor muito preta,
baixo e cheio do corpo, sem barba, e bons dentes,
tendo ao iado do queixo direito signal visivel de
am talho. Tanto ura como outro sao de pouca
idade. Ha noticias de que elles tomaram o cami
nho desta cidade, pelo que roga-se as autoridades
policiaes e capitaes de campo, a sua captura e en
trega delles no re/erido engenbo, freguezia de Sao
to Antao, oa na raa do Apollo n. 3z, escriptorio de
Jose da Silva Alves & C-, pelo que se recompeo-
sara.________________________
Na rua das Crazes a. 18, loja de carapina,
vende-se uma escada de 20 degraos, de amarello,
bem feita, assim como dous gradeamentos de lou-
ro com mais de 50 pes, feitos para guarnecer um
sotlo interno, mas aue pede ter outra applicacao.
Na mesma casa se din quem precisa de um fei
tor que entenda de jardim.
PUNDICAO DO BOWMAN
RUA DO BRUM H. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS seDhores de fngenbo e octros agricoltores, eempregadores de m
nicismo o favor de oma visita a sea estabelecimento, para verem o loyo lortimento
ompleto qoe abi tem; seado todo saperior em qoalidade e (ortidao; o qne com a ins
ccio pessoa! pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENQAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDigAO
wToYinron A rnriflo li'DCnQ dos mai8 mo1erno8 y-5temaa eem ta
r ttpUft19 V ruuas U agua manbos convenientes para as diveraas
trcnmstancia9 dos senhores proprietaries e para descaroc,ar algodlo.
Moendas de canna 2y$! 8 tam3Db0S' as^elbores ,(>oi
Rodas dentadas p3BK^^-
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
ilambiqnes e fandos de alambiques.
Saehinismos
rjOlllOaS ae paieote, garantidas
Todas as machinas
Faz qaalquer concerto
FnFfTtfl.^ dp ffiYVCh tecQ as m6'DOre8 e m*'' baratas existentes no mer-
f--?TEP.TPim ATlHfiQ Incnmbe-se de mandar vir qaalquer macbinismo a" von-
oui/UHllUOUUao* t;!fje rjos dieotes, lembrando-lhea a vantagem de fazerem
nas cornpras por interned io de pessoa eniecdida, e qne em qoalqoer necessidade pode
hei prestar aoxilio.
irados americanos e iD8trQn,enlo arico,a8-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
9 C iediei> einirgico
I
*'
para ni3ndioca e algodao,
e para ferrar madeira.
Podendo todos
ser movidos a mao
por agaa, vapor,
on anitnaes.
e pe^as de qoe se costoma preciear.
de machiDismo, a preco mai resamido.
Desappareceu da casa de sea sanbor o eseravo
Silverio, cabra aca, idade de Jl annos, solteiro,
sem offlcio, natural de Goyanna, foi aili eseravo
do Dr. Aster, alii morador, qne agora se acha na
Parahyba, olhos grandes e amortecidos, nariz
grosso e chato, bocca regular, cabellos carapinho*
e vermelhos, altura regular, secco do corpo, niaos
e pes grandes, falla mansa, foi visto ha dias na
Casa Forte : quem o apprehender dirija-se a rua
Nova n. 8, qae se graUficara bem.
J. Dhibaut de Paris
CUNtrHctr aflnatUr de pia-
ET-afinador das antigas e afamadas casas
Pleyel e Hertz
e antigo director das officinas da casa
Affonso Blondel.
33Rua do Imperador33
Tem a honra de declarar au respeitavel publico
desta cidade, que tem aberto sua casa de concer-
tos e afinacSes de pianos, qualquer que seja o es-
tado do insirunientn : a rua do Imperador n. 33.
Aluga-se a casa da raa Bella n. 41 a pro-
curar n rua do Imperador n. 4t, ^t-armacia.
preto
FUNDICAO DE FERRO
A' raa do BarSo do Trinmpho (raa doBram) ns. iOOa \(\\
CARDOSO & IRMAO
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e macbinas para en-
getihos, as mais modernas e moihor obra que tera vindo ao rnercado.
VaporeS de forca de 4, 6, 8e JO cavallos.
V^aiueiraS de sobresalente para vapores.
jLOenoaS mteiraS e meias moendas, obra como .iiinca aqoi veio.
laiXaS tUnulClaS e batidas, dos melhores fabricantes.
KOOaS U agua com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
LvOUaS OentaQaS de todos os tamanbos e qualidades.
RelogioS e apitOS para vapores.
OOmDaS AraOOS de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCar grandes 6 pequenas.
Concertos concerttra com proroptidao qualquer obra ou machine, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS man^am "r Pr encommen^* ^ Europa, qualquer machinismo,
para o que-fie correspondem com uma respeitavel casa de Londres
e com urn dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
PUNDICAO DE CARD080 d IRMAO.
,,r.e
PEPSIRA
i ii I
A
icpMfN
alaa alimentosaa de Hogg com pepslna aciduia, unmriM pan moleti*i
ayipeptic^ etd, e not cuo. da digseUo ilffiefl oa impoStS.
l1i de Hogg com pepsin* unida ao ferro reduzldo pelo hydrogeneo,
HOGG
1 Plhxlai alimen
gaatrieas drn
3. Pllulai
aentnuwei4Kneeia)ef>ara rest*belecer as saudea debflitadaa, ^ wincoe,
PUttlM dfHogj com pepsina e proto-ioduro ferreo lnalteravel, para moleatiai
a^oa^ lyapklleai syphfl.t.ca., para a tiaica, a caobexia oblorotiea e ih ai afiricoei
njiKiaa geraas do corpo.
JtojfcaKwattaagalarMdelOOeteOpilalaej preoos iodicados aobre oa baaaoj,
Wpoaitoea Pernambuco, A. REGORD, naa principaea pharmaciaa.
DO
Dr. Ferreira.
Antigo gnbmetc de sou pai, ma larga W;
do Rosario n. 20.
Cora de hydrncelles sem injeceao
com punccao capillar
Aberlura de abeessos e axtryeeao de
derramamento serosos, pelo a de Polain.
0 m &'$&.&&$?&&
Joaquim Jose Goncalves
Beltrao.
Rua do Coimnercio n. S, fl. andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
\ Minho, em Braga, e sobre os ^piinten
gares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Barcellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Guimaracs.
Lamego.
Lisbfla.
Mirandella.
.Mon^So.
Tonte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do'Crvitollo.
Villa do Coriiic.
Villa ISova de Famalicao
Villa Nova do Portimao
Villa Real.
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
0 mala-dores,
(PAIX KILLER)
Remove toda e qualquer especie de dr I
E' um curativo promptu e admiravel para
feridas, machucadelias e qneimadnras I
Acaba com as dores de cabeca, dores dos den-
tes, nevralgias, o o rheumalismo agado !
E' um especifico seguro contra diarrhea, colica
cairobra e cholera I
E' de grande utilidade nas tosses, mai de gar-
gania, sezoes, febres, resfriados e muitas oatras
enfermidades.
O MATA-DORES, ou .Fain-Killer, tem a sen
favo' duas giandes vantagens, acima dos mais
remedios :
1." Cura e allma rapida e segnramente.
1 O seu preco esta ao alcance de todos. so
1*200 por vidro.
Poncas m verdade sio as ddres e enfermida-
des que nao podem ser
SEMPRE ALLIVIADAS
com o emprego prompto do Ma ta -dores..
Depois de ter visto seus extraordinarios effeiios
em nos mesmos, em nossos amigos e em milhares
de differences pessoas, o pronnnciames
O maravilhoso remedio I
O grande salva vidas da sciencia
A riqoeza do pobre.
A prcciosa descoberta do scnlo aDC.
Com effeito, os antigos nunca imaginaram que
seria possivel descobrir tao excellente remedio :
N4o tardara muito o dia em que em todas as
habitacSes do Brasil achar-seba o MaU-dores, e
o povo entao dira, a agora sim, nao teroos medo;
as molestias qne ate aqui nos atemorisavam e nos
perseguiam, agora nao nos inquieum mais as an-
tigas ddres e soffriroentos, porque nos 6%ram um
remedio e este remedio e o Mata-Dores dVperr;'
Davis. >
I. O' C. Doyle, a roa do Commercio. Unico agen-
te em Pernambuco.
If f f
Ainda esta fugido o escrave Manoel
de M annos de Made, tem um braco eortado,
cravos nos pes, nap tem barba e bebe aguardente:
quern o pegar leve-o a rua de S. Jorge, antiga Fi-
lar n. 7i.
Offerece sc *.?.% mulh-r para Wabaltur m
cosuira em qualqoer casa particnlar, pniferindo-
se st dentro do Recife, indo das seta ds manha
s tea da tarde : quem pretender dirija se a
rua
da Rertaracao, anUga rua da Ooia, n, 6Ji, tercei-
ro andar.
Carroa de luxo. Prnnvlamina
E" inquestinnavel que a eorheira da rua do Bom I Z l rJ ia,ullua"
Jesus n. IS, de Joa iuim Paes Perejra da Silva, e" a ^atcc> remedio contra o rheumatismo o mais
lecas e victoria- de luxo, prop'rias para qualqaer de Ferreira Maia C, a rua Dnque de Caxias
noivado, visitis de etiqueta, bailes aclos da aca- n- 87-
MM*, seado^ os mesmos ajaeiados de excellentes' Va/,011ia
paHhasdeani,i,aes,arre.o. In^osos e boleeiros ,,.a .. ,., i c
com rardamentos do ultimo gosto, para o one se ,-neaa Flo ultimo vapor da Enropa, muito
convida ao publico a vir nor si mesmo scientifi- ?Y,*' ?a PharQftcia Americana, de Ferreira Maia
ear-e da verdade do qoe deixamos ditu, certos de & L., a ma Dnque de Caxias n. 87.___________
que nSoencontrarao poniada, e sim realidade e Ahbmio Pinto Gjn.jalves vai a eortugal tra-
comowdos precos. ur de sua saude.
Papel de Imlm viado
a 3^000
resma, o verdadeiro papal de linbo grosso Btar-
ca viado, proprio para cigarros de policia, para
os Srs. fogueteiros, e para outros muitos misteres:
so no armazem de Jose Domingues do Carmo e
Silva, a rua da Mbdre de Dens n. 10 A.
O verdadeiro fumo do Rio
Novo.
No armazem de Jose Domingues do Carmo e
Silva, a rua da Madre de Deus n. 10 A, armazem
de fumo.
Gaz
de D vois a 5*800 a lala no armazem de Jose Do-
mingues do Carmo e Silva, a rua da Madre de
Deus n. 10 A, armazem de fumo.
Boa casa para a festa.
Aluga-se uma excellente casa no Monteiro, tra-
vessa an Xisto, a qual se acha em muito bom es-
tado de limpeza : a tratar na roa Primeiro de
. karco. antiga to Crespo r. K) A, loja ue Qvgvi
1 do Amaral & C.




%
Bfcjkftfo#'FfrMi)tf$Kx
VAPOR FHANGEZ
RUA DO BARAO DA VICTORIA
N.tOutr'ora NovaN, 7
S
Calcado
franca.
chegar muito bons pianos
Para liomeiH.
OTWAS de btzerro. eoniavao, peiika, lustra e
ile dutaque com biqueira, dos melhores
jLi^K. fabrieantes.
SAPATii;-:> ,ie liecrrn, de iwdavao e de case-
rn ira.
$.}P,\1\>S do lustre com salto.
SAPAToK.S atainancadiis earn sola-de pao, pro-
prios para bantioi, *itios e jardins.
SAPaTOS de tapete, chariot, castor e de tranca
frascezes e poriuguozes.
Para seiihora.
BOTtXAS prctas, brancas e de corns differentes,
li*ns, enfeitadas e bordadas.
SAP.iTl.MIOS to pliantasii cun salto, brancos,
prctos e de cores di(Terenlc>s, bordados.
SAPAl'Osae la pole, chariot, castor e de tranca.
Para nieninas.
0T1KAS | retas, brancas a de cores dilTerentes,
k*;i*, cnffeitadas e bordadas.
ABOTTV HfH (Li diversa> qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meniiiM.
BOTTtfS de beserro, lustre o de cordavSo.
ABOTIXA!)i>3 e sapatoes de beierro, da diversas
qiWlidades.
8APAT<1: de tranca franeezes e portaguezes.
Botas de montaria.
Betas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
neias perneiras para horaen', e me as perneiras
para a.-nin No_-:n:i/:'in co vapor fiance-, a rua do Barao
da Victoria u. 7.
Mob ilia de vimes.
Odeiras de balan^o, de bracn, de giierni'.-oes,
olas, jardineiias, mezas, eanversadeiras e costu-
feiras, ud-; Mo muito bom por serem fortes c
laces e : mais proprios moveis para salelas ega
bis* to- du ii'i-reios.
No ar.mazem.do vapor franeez, a rua cto Bara
da Victjsia n. 7, outr'ora Nova.
Aeabam de chegar muito bons pianos fortes e
de eli'2int"s nodelo', dos mais notaveis e bem
-coihecidoK (obrieantes; eorao sejaro : Alphonse
Mdi>ni!l. IImwy Hers o Pteyel v.'olil & C.: no
vapor n..:u"/., a rua do Bar.io da Victoria, ou-
Cr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finns exttactos, banhas, oleos, opiata e pos den-
Irifice, agua de or dc laranja, agua de toilete,
ifivma. il .riili. lavando, [' do arroz, sabonetes,
cos netict.s. maitos arligos delicados em pcrfnma-
ria para BrasSntes com fiascos de extractos, cai-
adahas irtidai e garrafas de diflerenles tama-
nhos d'^gua de cologne, tuJj de primeira quali-
dade do- bom couhecidos fatricantes Piver c Cou-
drav.
Roarmnicm do vapor franeez, a rua do Barao
da VJcl i i?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilh arias.
^rt* "'.* sip lCerestes postos c
phnntziaa.
t' h lira dos para salas e gahmetes.
I para staboras ii para meninas.
Li < Jouvin,do li-' do Kscociaede camurca
< is di comra oriuila com muaica.
Ah :-..- luadrintios para rotratos.
Oil sin as .-..in vldro d.- augjuentar retratns.
Oiv. ;; :< I ras tie o'aro bmi de lei !;?.rantido.
(">!; .! .:>i-! plaque muiiti bonilas para relo-

; i i::l. i e Ikitoos Jo puulios de pla-
quo
lin! .:':- i o.ifi's de Beda. de volludo e de con-
i )i -.
N'i obji ctoa do phanlazia para cima demesa
e toiletlo.
Pineinez de cor?s, de prata (liurado, de ac.o e
detartaroga.
Oculos il^ a;o fine : do todas as guarnicoes.
Bougalas dc luxo, cauna, com castoes .de mar-
lim.
PenjraUas diverww mi grande sortimento para
bomens r monino**.
Clue EiisJ > do iialeia e dc inuiias qualidados
divo: -
Esjjor.u 8 larncha para saltos de bol.is.
" Pond ii-: !o espuma para charntus e cigarros.
- de lartaruga para desemba do marfi ii oiuiio i'.nr. para limpar oa-
Pen:
barb;..
Ditos
be?a.
Escovas r. r.i rttfffit, cabollns, unftas epara don-
tes.
Cart i ii l..i> de iiie.lroporoht p.ira din eiro.
Meias para honu; s e para m-ninos.
Grava^as brancas e de seda prota para homen-
e meninos.
Camplfinlias de mola para -.''.i mar crisdos. _
logos ':< gloria, de dama, de bagatellas, djs do-
raino e i istr muitos diffiTontes joguinhijg .aliv-
Mala-, bill s e -',-,> d i viagem de mar e ca-
roinhn- ne rj-rro.
. Argui:"i-.- de martim para as criancas mordc-
rem, bo; i par? ry dente.-.
fi.'ro s virno para onibalar crianoas.
<>.;iialw.- Cirri i iv '; etiatro roda-, para passeios de
criaiu-a-.
Vciiuzianas trap parenios para portasejanellas
ntVe'rlieros trail i; ironies para oandieiros de
Estereiscfljps, e 'M*morania* com escolhida3
s magicas com ricas vistas de cores o::i
Aid:-. ^ iv Isps ;ara ^.-m.rania.
Gin!. -de papal d i: ra liiuminnooes de
IBsias. ',
Baloes aew;tai;eo- do [wpel do seda mui Jacil
de subjr.
l nas de yarios sysicmas pan e.afe.
s dc pallia" e de penuas
s linos.
:i vulri'flios para mangas e lante-nas.
Tintei'r. Lraiii-a, modelu IjodUo e bini.
'i'iras de .mold..- .las c prV.as para
qna Ir rioo -' i '
Qdadr.L ja ,propi;i'.os com pa;.sageas e phanta-
Estam ;as :ivL'lsis de santqs, pavsagens e p!ian-
Objectos de magicas para tf<.^;rtrfr!el^^03, em' fa-
de, reio |om|liaila
Ama e moleque
Preeisa-sc do uma ama MR saiba cozinhar e
comprar, para easa de familia de duas pessoa*. e
am moleque de 12 alt amos para maridados,
paga se bem agradando : a tralar na ma da Pon-
tejfelnajj. I. _____________
Luii e Sajimi*.
Contiouam auzenles os mdhtoa, Loiz, desde o
dia 9 de agoslo do corronte anno, cujo melhor
signal e" tor o dedo pollegaf da mao esquetila eor-
tado quasi ao meio, de urn talho descacando am
coco, e Jtivmundo en 29 tambera de agotg- aa-
tural do sertao, que representa 2i annos mm ou
menos de cdr alaranjada, cabeHos estirados, fa-
zeodo voltas quando estao grande*, cabec,a ndon-
da, pescoco grosso, pes seceos e canellas Unas e
quando falla apressado ou com medo como que
quer gafuejar. */rvn trrarf t\f\
Este inalato ja kt uma fuga, e foi prezo na
cidade d'Areia ha mais de anno, e agora foi visto
no 1\ecifepara as bandas da Boa-Visia. e S. Goa-
r,alo_; assim como o mulato Luiz, que tern mii
e um irmao moradores no Recife, cujo irmao foi
liberlo per occasiao da guerra do Paraguay.
Pede-se as autoridades policiaes a apprehensao
de ditog escravos, e a qualquer pessoa, a qnera
ale'm do agradecimento. se pagara generosamen-
te: no Recife a rua do Bom Jesus n. 30, oa no en-
genho Megao, na fregueilade T^acnpajK.
Aluga-sc
Amaral Nubuco
sortimento d* "haa| e vollado, pretos para Into, o ite coYee
com bonitas flores e fita : vendem no
trirfa, a rua -do Barito daSi*uria n. 2, aafega rua
Nova.
o primeiro andar do sobrado. da rah Daqae de
Caxias n. 4i, proprio para escriptorio ou rapaz
solteiro : a (ratar no mes-no, ioja.
Armazens.
Alugam-se os dous armazens da roado Apollo,
hoje Viscondedcllaparica, ns. 3i e 36, com em-
barque e desembarque no caes a qualquer bora
de mares, mnito proprios para qualquer estabe-
lecimeuto on armazem d recolUer : a tratar aa
mestna rua n. 5l, 2 andar.
CBiADO
Precisase de um criado para todo o servico em
casa de pequena familia, e que seja de afBaucada
coaducta : a tratar oa rua da Cadeil n. 35.
Cozitiheiro.
Precisa-se de um cozinheiro
ratrit n. 37. I* andar.
na rua da Imps
Aluga-se o 2 andar a rua da Iraperatrir n.
: a tratar ho caf6 iffiperatriz.
GOMPRAS,

rastes.
Compr o e vende-se trastes novos
e nsados : no armazem da rua do Im- I
jerador n. 48.
to
#@fr#
w
Coinpra-se
Diariot a WOO a arroha : na rua larga do Ro-
rio n. Ii, fabrica de cigarros.
-tt.-t:-v----:^ .vjc^
rm
Fiindicao da Aurora
Grande sortimento de:
Moendas de todas as qualida-
des e tamanhos.
Tachas fundidas e batidas,
idem.
Rodas dentadas e angulares,
idem idem.
Machinismo, idem.
Varandas, gradeamenfcos pa-
ra jardftn, etc. etc.
Tudo sevenfde por pre^o.s
ma\n em confca para aca-
G. Starr AC, em liquida-
cjk>, na fundi^ao da Aurora,
em Santo Amaro.
Rua do Cabuga n. 11 A.
Vende-se um escravo 10050 proprio para enge-
nho ou padaria, por pre<;o muito om conta.
Casas em Oiimla.
pe
Veade se duas casas terreas, sendo uma na
rua do Amparo n 77 e uma na rua do Jogo da
Bola n. 35, solo proprio : trata-se no Recife, rua
do Cordoniz n. 9.
Vendc-se uma taverna, no povoado de Api-
pucos comfronte a e.-iacao dos trilhos urbanos : a
tratar na mesma.
ira l^MetMOtoit
su csenptor 0
o soguintii
caixa de 1! g:
idem idert,
ente eh egad a.
rjiomom e senhc
JSSO.
fcrta.
da fabrica do
Irozo.
OBRAS
Mm
Teem1 para vea
Comnprciol
AGWBENTE e oa
de lar
ARCOS de pao para
C.AL de Lisb5a, recot
(UUFiOS de sol, pi
, de iiiarlia
I'EIXtS de ferrt pai?
FIO de algojjior
Be
LINHA de roriz.
S de palheta.
0 de algodao da Bahia, da fabrica
mendador Podrozo.
IIBTROZ de todas as qualidades, das fabi
Peres e Eduardo Militao.
BHiHAS projirias para botica.
"SJCLSAPARRILIIA do Para.
VELAS de cera de todos os tamanhos.
VINai^-engarrafado do Porto, caixaidei
M ra/a-.
dito Moscatel do Douro, idem iden
1 dHo Setubal, caixas de 1 e 2 duzii
a da Italia engarrafado, caixas de]
rafaa,
|Q* do Coliares superior, en
de cajft, enrxas de 12
a Malvasia do Douro, caixaa 00m
1 fi mm n 21#l
Garcavellos, idem idem.
Batar'
Asunicas verdadeiras
Bichas, hamburguezas qne vein a este nlBrcado:
aa roa do Marqhez do uliada n. Si.
Bafihos em Olmda.
Camisas e calcas de fazenda .de boa qtadidade.
proprias para os banbos em Oiinda : na loja dos
arcos a rua Primeiro de Marco (autiga d&espe)
n. 20 A, de Gurgel do Amaral AC. fc
COMO SiOLINDOSi!
Os Ieques todos de madreperela,. brarJcos e do
c6res e que trazem 0 disticoUNIAO em lettra-
tambem de madreperola em alto relevS7 tor-
nandO'Seporjsto ap(oprlados : paraiioivasj a NO-
VA ESPSRAUCA a. ruA Iluqlie de Caxias n. 63
(antiga do Qbeunado) e tmdmos ma.
Sao de tartaruga
Os brincos, troches^ meios aderegos, cruzes
corac.oes e cassoletas, 'qua estao oxpostas a boa
escolna das Exmas. (anlantes do chique) vende-st
na Nova Esperamca, a rua Duque de Caxias
n. 63.
Aos meninos
A Nova Esperanca a ma Duque de Caxias n
63, aeaba de recebe'r um tmdo sortimento de bo-
necas de muitas qualidades, vindo entre ellas a-
engrapadas bonecas de borracha, assim tambem
uma pequena quaotidade dc bonecas prctas que
se tornam apreciadas pela sua novidade.
Ebem util
Duque de Caxias n
A Nova Esperanca a rua
63, recebeu verdadeiro cimento inglez, prepara
53o para concertar porcelana6 bem util.
Vestido perdido
Muitas vezes um vestido torna-se inleiiamentt
feio, soaiente por estar mal enfeitado : a Nova Es
peranca a rua Duque de Caxias n. 63, removi
este mal; porqne esta bem provida dos melhores
galSes e franjas de todas as cores, bade pode es
colher-se a vontade sobresahlndo entre estas as
modernas franjas mesaicas, qne pela ssa varieda-
de de cores, flea bem em quasi todas as fazendas.
A ella antes que se acabem.
CabeUos brancos sd tew, quern
quer
A Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n
63, acaba de recebef a verdadeira tintnra de Des-
nous para tingir os cabellos, 0 que se consegue
(emprenando-a) com niuita facilidade, e por este
motivo, uabellos brancos so tern qnem quer.
Estao na moda
Os cinturoes de couro, proprios para senhoi .j,
qne recebcu a Nova Esperanca a rua Duque de
Caxias n. 63, estao, sim, senhora, estao na moda
Se quereis ter ou preparar um rainalheto de
cheirosos cravos brancos para 0 vosso easamento
ou para outro run a^ro^riado, e necessario ir .i
Nova Esperanca a rua aqno de Caxias n. 63j
que alii eocontrarois. os melhbr, s ports hov^utt
qne se pode Rsejar." ** *
Bolas de borracha
Vendem-se fin todos os TamaiimSs a rua Duquo
de Caxias ft fi l,^)^ Mva^ayran^.
Rii k Cfespo.
1/1
(liu-liiHia h mkt Ultra
: Mirar niiiili).
Brini dc linho-3e cores (perhlnca) a 11200 a
ara.
Eustai
rs.
na.
Taverna e re&Mii^ao
Yonde-se a taverna sita no Varaduiiro, m Otiu-
da n. 3, a ijual tern uma relina com as perteni;as para 0 irabalho da mesma; 0
aluguel h b'afato, tem comtnodos para familia; es-
te ultimo negocio deve er de taflttgem por nao
haver uulnr d'esla ordeni nosta wjada ; a ratio
de seu rfono se desfazeY, e fer de Ir tomar confV
mitta.
Real
Realqjiis cquciioa de,reio fomilisdas omr
sammwilmm
is difTn-ois de msncionar-se. No Srmazc
ipor frau-.-oz, ruOIWpajrira J| Victoria, oui
as.
do OS
uilha-
rmazem do
Hjraj} ^ Victoria, outr'ora
tama
rias
vapor frauoez, ml
"ffeWJa^dr*) flfJC rtletWs, pes e paHvfe part
medir t-i -. "J
Briiujuedos para iiieninos.
Afljaio/ v-a'riefla^h (Jufi se pode desfijar de todos
Winqa|dos -ftpTif-rdlos efa diirertnte^ pa*.
Eoropa para entrelenirncnto das criancas tudo
a prevos mais resuinjdojs njte e possivel: no ar-
mazem do vapor franeez, r^ia do Barao da Yic-
,0uir%am* -vova n. 7.
Ciistnra
tao branco para roppa de.meninos a a
0 covado.
Lazirilia? es-'ocezas a 2}0 e 380 rs. 0 covado,
A|pacas coin b-tras a-IW^Tsr covaito..
Firins parties e de cores a iOO; liO c .";00 rs. .0
COnrin'lonal.innc,a UCfJfl'a vara.
Cambrai-is LreJas pcr(fulo a 240 rs. 0 covado.
Cretonc de nJTras a IW rs. 0 covado.
Chiias roxas a SOO.e 2*9 rs. 0 .covada.
Cro-d^naplc prcto' de coadao a itionmo^^si.
Cobcrtas de chita adamascada a .'UpQO.
Colchas bra-i-:- e de cTrres a :!i"6n e 5^.
Len;6es de bramantc a if.
Ditos de algVlV, a iSWO.
Toallias alr^adas a 65< a
LciiQo? de caV-a com barra aijta _
Wlos dfe fhlaftMinliaJlos'a-tjt h'V\fTr/.1
Ditos da esgun> biarikailo a 3 500.
Cambrajr lisa a 3^-e 4a"
Dita Yu'loria ttha a a.
Atialhadoa *5 ft'Vnra.
PODClA
Nenhumu m^'chlna;
Singer e legitinjja sc ,
ha-d&BaFSo da; Victoria R.28J t
inaolevar esta marca
f!mffl% Vi
\mm.
ftA* este grande estabelecimento tem ct*- china.
Mdo um bom sortimento de machinas para i
Sstorav delodososautores mais acredita-!
ash liltfrnavneWona Europa, cujas machinas'
sfto garantidas por um anno, e tendo um I
ptfrfeito artista para ensinar as mesmas, em |
qualquer pnrte desta cidade, como bom as-!
sim concerta-Ias pelo tempo tambem d'um '
anno sem despendio algum dfi comprador.
NestE eslabelccimento Umbem I^j perten^as
para as mestnasraac4ihias ese stippre qual-
qvrer pei;a que seja nedesserio. Kstas ma-
chinas tralialrjam com toda a pei I'cicao de !
ura-e dou6 poapontos, franzc e bor.la toda1
qualquer costura por fina (jue s-'ji, seus;
pretos sSo da seguintequalid.Mle : jmra tra- [
balhar a mdo do 30000, iO-^000, io^OOO \
e 6OJJ000, para trabalhar coin 0 pc s;io de
80iO0O, 9081060, 106^000, tl-OOOO,
12055000, 1303i0G0, 1505000, 200^000 e
2505>000, emquanto aos autorcfc nao lia al-
teracjio de prccos, eoscompra.lon's podcrao
visitar este estabelecimento, quo muito de-
verao gostar pela variednde de Mljklctos que
ha sempre para vender, como sojani: cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
r.is para sa!as, ditas de balancp, ditas para
crianca (alias), dilas para escolas, costurei-
ras riquissimas, para senhora, despensaveis
para criancas, de todas as qualidades, camas
de ferro para homora e criangas, capachos,
espelhos dourados para eala, grondes e pe-
quenos, apparelbos de metal para chd, fa-
queiros com cabo de metal e de marGm,
ditos avulsos, colheres de metal fin0, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esleiras
para forrar sains, lavatories complctos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visiterem este grande estabelecimento
quo se acha aberto desde as 6 horas da ma-
nha ate" as 9 horas da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
___________TL___________
Nao ha mais cabellos
brancos.
TIMifill JAPONEZA. .
S6 e unicaapprovada pelas acad'smi.'s de
sctencias, rqcouhecida superior a toda que
tem appareeido ate hoje. Dcposito princi-
pal a rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Oiinda, n. 51, 1. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
BICHiS DE HAHBDRGO
As mais recentes e melhores.
Venitem-ie tin pha'rjiiaeia edrogaria de Bnr-
tholomeu & C, run f.arga dosario o Itn. 3i.
fim evrtar fateiii-
a^$es notein-s^ bem
otios osdetalbep da
marca.
AS MACffiHAS PftM
jfixa no brac,o da mar-
Tola
limn fir)


luslf raw? tse wmm
Porque?
RKDO EQONOMlA E CKLEK1DADE..
Obtem-se com 0 uso
INJECCAO' SHOST
Unfca, bygienica, radical e infallivel na cn-
ra das gonorheas, Qores brancas e fluxos de
toda especie, recentes ou chronicas; e que
offeTfece como gorantiadesalutaresresultados
i cohtitiuada appllcae.an que sempre com a
rnaior vautagom se tem feilo delta nds hos-
pitaes de I'aris.
Unico deposit paraoBrasil, Bartholomeu
ft"C., ruattrga do Rqsarfo n. 3.
Sao as melhores
Sao as mais baratas
S3o de dous pospoptos
Sao mais simples e rapidas
Sao duradoras e aperfeigoadas
Sao util em uoja casa.
s
Faz melhor costura com metctde da linha que gastam
as outros e fornecem um meio de
VIDA
Para aquelles que tem de sitstenlar-se
\
Querem agradar a yaya ?
Querem agradar aesposa?
Querem agradar a, i*lha?
COM I'REII DMA
MACHINA DE SINGER
ESI IM
Neriliuma casa esta completa- sem uma
MACHINA DE SINGER
Sem caixa 80^000. Com caixajKWOOO
UNICA AQENLTA
EM
nmsm
A CASA AMERICANA
RUA 1)0 IMPERADOft^
^'2 \wr
Setineta para vestidos a 600
r. o covado.
Reccleu a loja.81 Anjc^ica setineta'Iiranca qoo>
duas tafm.-as, fazchda muito Dropria para vesfl-
dos e caMi[alnli :': ra. e tarptiein para
na rua do Cabuga n. 10,
ronpas de meninos
loja da America.
-L
noon3
anirl *cn eslSaV
dAala'kCiiafatjCKWl
de um outro.oegociWnalRecife: aflr*afiiaTni&-.1. _*l?2gftJ'-'^-!r.is.aiewp;ifo (fop toque) a 3i0
Cortes He Ca.'nmlm
Fustoes du Coro* a i
Challes do nwair/o li
Ditos ftl iliiisiattfl
fina a Su.
o a -li
r>h
n:u mrw
Catnip iakrir
na.
\FTJ
para vender das
.31" *) i-i -Mm--iWi-llt %%-% m mr ."
bisubi &rtt om

orla,
m
ias para
Grande sor'.imerj
ao arma?e,n di n
Victoria (outr'ora
OteaWloa
5i0/)e Jionitifc mo
oaiato^
lelns chegados
eua do Ba-ao da
tMeado.
aaeza
rii d
anudo
lanws f -Tirnttobar.itis, pira -cima de
Pla do Ra-
aoo Coellib Gatanho
'mi *w Oru*s, so-
en;
,. .8.,.Salvador.
- roMntiT>rt
Valenca.
-Iii ^filMlu. :*i'.r,nl oer.i-A -rbbot-
racrfproTro 9oau\t'uttptiX, rfta tlo Conimer-
34, I' andarj,.,.^, mA ^,^^m rrn
intaru^ saafii
ilO^S
ta mi
am
Orespo
__i'-, 't.
HiaWa5.-W*:i
.wfeaoa-,
yr$~aiB^jtmmsvi. ?^aj
Labvrinthos. bicos, rcmlas.
No escriptorio de Gomes do Maltos, IrmSos, d rua da Cadeia
do Recife.n. 40, i. andar, 6 o unico deposit do quo ha flu
melhor, e bem acabado, que vcm a este mercado, da cidade do
Aracaty no Ceani, quern os comparam com os feitos aqui na
terra, facilmente'reconh?cera a immensa differen^a, que vat-
de uns para outros, tanto em prero como om qua14d*d^.
Lindissimas toalhas de labyrinlho-.
Frouhas de diversos tamauhos.
Lengos.do todos os precos.
"cos e rental em profuzao*
\
hmt .. I turn i >.!' 'A
TASSO IRMAOS k C.
orca de dius a s^iT cavaTIosT a'venda no!
aMjajei^ge iummtt Aw* V^iaa*!* aU^.ina
vessa*do Corpo Santo n^gL
'
vi *6

^tiste-i
A .toX
soq.i
Vende-se mobilias de jacaranda e mais pecas
avulsas, todas ben conslruidas a_por preco mais
coinmodo do qopi em ohtra (jaal|uer pane : na
rua.estreita no n. 28.
-oa roa do Brum- -nHF*;-
Yende^se
" .....
potas-a nova em meias barriquinhas a 320 rs. o
kilo : na travessa.dA Mad.r.e de DeOsh.' 14.
ISlelJSSrf
Vende-se cafS do Ceari de
sac cos : no armazem de Cunha
Marquez de Oiinda n. tZ.
de, em
rua 4q
Vende-se
um vapor de forca de .cjww eav;Ulos, hovo, pro^ri(
para qualquer nn'ster, mii bmn?ea de sabEeea^
lentes, o por. prcco cammoJo : para ver-, noarraa-
zea do Barao do Livramcnto, q tratar a rua dp
Torres p. }\ f andar. _________ ,
ivsaa-
Venrte-se o teireno A.3S dama
d\i, raurado, eom ervntta' #ara oVIo Oprtstiber
a tratar aa m*sma ama, nverita 4* esffiiita ao
tirspitalportueact.
A vista desengana
madapolao franeez dGDUOO ape^a
Tem a loja d'Ameriea madapolao franeez,
e venda por e?te precopirra aca bar; na rua
abu&a n. tO. iuia a'Ar4er,ip^>
-i-
Akilio
Tcrcciro livi-e
o iweco 3^500
'-j 4 -. ulka peduaido a 23DO0
Lit/RAM\ FKANCIXA.
Bramante de 4 larguras
UMO a vara
Vende se bramante de qnatro larguras mnito
bom.para laacoos' na rua do Cabuga n. 10, loja
da Afltawa. ___________^____
"Yefldw-ns dma ,*nsa trrta ppijirena, edii-
eadaem iwreno prep#o, na tfRvewa do-fencana-
pBto ;*f tmtarflaua do A'fti&o n. If,
Em seus armazens a rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para Yender por precos commodos
Tijolos encarnadoa sextavos para ladrilho.
Canos de bafro para eSgoto.
Cimento Portland,
Cimento HyratUicc.
Machinas de descarocar algoilao.
Machinas de padaria.
ffasfct da Rassia, am barri,.
MoafmoloftflJ mm." 11" F /
Sagii em garraf3es.
Sevodmlia em gafrafSes.
Lentilhas em garrafoes.
Rhum da aJmaiea.
Vinho do Porto vellio engarrafado.
Vinho do Porto superior, di'o.
Vlnho de Bordeaax, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Pojea cots linghas e dobradas TngT
o/
Vende-6e-
trastes de jaearandd c amare'lTo cbm poi
era perfeito < stado, e tambem um meio app;
de loufa para jantar e um dito de'porcelana, nnv,
branco, para almoro. Vende se por ler o done !
se relirar para Europa : na rila da Imperatriz
n. 54 A/ -------
Pota^4uJZwfo*i&L mews
baw-is a 500 rs, o kito
Desefrjbarcada ha poucos dias : veudest n
^criptorio dc Oliveira 1'Hhos C/Iarfq o Corpo
1 Santo n. 19.

I.ifofes^uios^fiwUdos.
Cos
LaxaS de toucinbo mgl
CkiknacjGa*fifrfy#4.\ )
na" de toucinho ingfez.
Barr.is com repolho em salmoura.
.ngloatv.
)r,If
VENDE-SE
ion, ahatfate, parreira, romeira.
pes de sapoti, ahaCale, parreira,
larangeira-crafo, roseiras de varta
outras Qores : na rua do Viseonde de
"H,outr'ora Mondego.
"'JV '-"''-------=

-
-------
Batistes,
'-'.:
flachinas^'
Por ba'ratos precos para '8PsicA!T)cac algesia
j !jl2, ||, 16, 20,25, :JO-e JjfcSfMaa, .. a ,
Cunha 4? Manta
"1
^
tie
V?
om barra a 400 rs. o covado, rua fdo Queima*j
' barato 11 Da"'8 Baptistas fleas com lindas butts goato* china. : iRMtiraentos tomato w f^
a, ultima moda, pelo dimJnu*,; preco de M0-n,: olTWQ o covado, loja de Gurn amostrps,
'i,
Apoltoar *?:
im >-n're w-'
ft*
?
im
LVHBH

HEGiVEl
- t" ',\n


Diario ue Fernambiteo,
>

*
ir
&hu 7 <& Ou^i^: & i-b.
>t=
Na-lojode 801

MIS POSPMTOS
S
Victorian. "28:
Luvas de* nellica com pequcno toquo,
n 200 rs.
Abotoaduras para eoHete.. .grnndeisorli*
men to a 120 rs.
Caixa do lii>liale mnrca, a iOO-rs.

araocla
ntapcrrh* : de.-trios
o*jtama nlws. a-, pna^
.Wl.VAIUAS E M1TDEZAS.
Frascocom oloo Oriza venJadeito, *
UNIGQS AGEMTES
A'
Rua . oloo
Lampaniias a gaz, dan.io uma luz muitoi 1JJ000.
ihoa.a 1C000. I*MM>m4i*iB*e0ip, verdadairo, a
19040.
Garrafade agua florida verdadeira a 13200
osso para calc,a, Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
idennidtm.UiiuM, ail3000.
Agua ,fk>ridfy de Guislato,
para faaer os cabelloa pr^
tps.
aia branca, a rua Doque de Caxias n.50,
:e receber nova remessa da apreciavel agua
Jtorida pans faxer os cabellos pretos. 0 bom-rfe-
mttado. coibido por quota lam feito oso dessa
inoffensiva preparacao a tem aUamente conceilua-
do, e pur isso apenas se faz lembrar a quera no-
vamente deila precise e queira se aproveitar de
s-n utilidade. Taorbero veio agua de topasio
\a caais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposi^Jo de Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
1 Duzia de pe^as de cordiio imperial,
2i0 rs. .
Caixa de Iwldes tie
200 rs.
Duzia de carreteis de linha, 20 jardas, a
GOO rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Mac/> dc fita ebmeza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 noveltos, a 500 rs.' 500 rs. e 1300O.
Idem idem Magdaleaa (nowiada) a
19900.
Caixa de pfe;pan. deatoa*4.300.
idem-idem de pas chinez, muito bom.
Meios aderecos com camafeu, a-500 rs.
Garrafa detinta roxa axtra-fina a 19000
Potes com dita ingleza, preta, a 100e
ao da Legiao de bonra, por serem as macbmas mats per- i feitas do mundo. \ Caixa dc pennas Perry, muito boas, a
i 19000.
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Junior, nos Idem idem, a 400 rs.
Eiitados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-1 Caixa de enjeloppes tarjados, a 500 rs
Jdcm lilem forrados, a 700 rs.
tur,# Caixa de papel amisade,
A medalha de ouro na exposigao de Londres acreditam a
estas machinas.
Pole coroopiata de Riegec, Rimel b Gitos-
nel, 13?-.
Duzia de aabonetcs de aaaendoa,
39600.
Duzia de-sabonotes doanjiaho transparent
tea, a 25*00.
Ween.idem: com fldres,! a. 19600. ^
8booetes Oljcerino transparentea, a
19000.
\ 9GS000
i
Csbe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Roya-
wrk, estabelecwu nesta cidade A rua do Bar3o da Victoria n. 28, urn deposito e agencia
**ral. para em Pernambuco e mais provincias se vendercm as afamadas machinas de cos-
beira dourada, g$Caixa com- sahoiieles, lecmato de fructas,
a 19000 e1*500.
Idem idem idem lisa, a 600 rs. Uosmeticos, groudes o pequenos, a 100 e
Duzia de talheres cabc branco, 2 B., a 800 rs
55000 Fresco com agua de eolagne, a 200, 320,
Resma de papel pautado, a 49000 00 rs. e l#00O.
e 59800. Kxtractos muito linos dos melhores au-
Idem idemliso, a 29800. 35800 e 59000. torts.
oieoflorido para o mesmo aw, e Uo acreditados
cpmo.aqui'lla.
Voltas e brincos de grossos
aljofares.de cores.
A aguia: branca,-a rua do Duque dj Caxias n.
30, recebeu novas e. bonitas voltas e brincos de
grosso* .-Ijofares de Cores, e como sempre conti-
nna a vendctas per pre^o commodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
A aguia branca, a rua do Duque de Caxias n.
SO, reeebeu novo sortimento de bonitos diade-
mas dourados e com pedras, tanto para meninas
como para senhoras.
Colleccjoes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. 50,
recebeu-novas cilleegoes 6u normas para as crian-
cas aprendercm a escrever por si mesmo, hoje Uo
usadas nas autas e collegios; e como sempre ven-
de-as por prefo commodo.
Meias cmas linas para meni-
nas e senhoras
A loja d'aguia branca, a rua Luquo do Caxias
"a do Howe. Estas machinas sio justamente apreciadns pcla perfei^So de seu trabalho, branca, a 400 rs.
r-ypregindo uma agulba mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,:
* Dela introduc^ao dos mais aperfei^oados apparelhos, eetamos actualmente habilitados a j
^ferecer ao exarne publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sao as seguintes:
Priraeira.0 publico sabe que ellas sSo duradwiras, para isto prova incontestarel, a
ircuinstancia do nunca terem appareeido no mcrcado machinas d Howe em segun-
' mao.
Seganda.Contem o material precise para rcparar qualquer desarranjo.
Tprceira.Ha nellas menor fric^ao entre as divcrsas pe?as, e menos rapido estrago
Ouarta.Formam o ponto como se fora feito ;! mao.
Qtunta.Permitte que se examine o trabalho dc ambos os fios, o que se uao consegu -
as outras.
Sxta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de urn i outro lado,
hgo em scguida, sem modiiicar-se a tensao da linha, cozem a fazenda mais
Setima.0 compressor e" levantado com a maior facilidade, quando se tem de raudar
* agulha ao comejar nova costura.
Ortiya.Muitas companhias de machinas de costura, tfim tido epocas de grandeza e
^ecadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi dosconhecidas, outras soffreram
nudan^as radicaes parapoderem substituir : entretsnto a companhia das machinas de Howe
'agmen':ado-o seu fabrico, e hoje nao attende a procura, posto que fa^a 600 machinas
r,,i!a machina acompanhalivretos com instruc^des em portuguez.
Coqucs roodernos, a 35000.
Duzias de pegas de t'angas de carocol
Lindas ejelegatites caixinhnscomperfumar
rias/proprias psra prnsontes, dos autores
E. Codray, lli.-'gi-r, Gr'Ilii Fr^r.'.-, etc.
Idem idem lisas, a 200 rs. 'Qtradros com.santos-e cstampas separa-
Lcques de osso e sandalo, a 2900O, 49 das.
e 65000. ^ Kntrcmeios e babados trati'p.irentes *ta-
Fila de velludodo todas as cores elar^u- pados.
rs. L'ma grandc taboleta propria para qual-
Microscopios com 12 vistasJa G9000. quer loja.
1>.

com Hm*. excejlente wm*,, r aar
ea*a ae esqutna e jun (en
mModwe bim>(iMMU,N|to-l ^ ; 0
neifce U vtwtese/4irano!Mnra lcr, e raraMe-
se a casa : a tratar na mesma.
ArraazeSlo fumo
Rua da Madre de Deus n. 10 A.
Jose Domingues do Carmo e Sib |iarticij(dH
seus fregaezes e amigos qne no teu nrmazea a
rua da Madre de Deus n. 10 A, se acha am i
plelo sortimento de fumo em tardo? do ^iicnte I
I.' c 3.* sortes.dos melhores fabn.-autci i!a "abia,
e bem assim a Oor de todus os fume? iie curda
em rolos, pacotes, latas granies e \ na.
been dot mui Acreditados fabricates Trm *
Araujo, Lizaur, Adolitho Schmdt i O, Lixaar
Schmidt & C, Ve.gas k Araujo, Trindade 4iAm-
lar, Teixeira Pinto 4 Prtella (j-arani^o peln
mesmos) e de outres ainde nao r herM-is pda
publico desla capital. 0 anuuuaanir d> etara^na
todo fumo que for vtudido em.sua cm tvrift^*
seu justo valor, e que quando garamlr h rc-pftcti-
va qualidade, sera sinccro, mni i iena
com as pessoas (|ue pouco entendanrds rcaVria ;
pois para bem servir a todos, tem n cuwiieiiBto
i imta pratiea de, 15 aauoa doste *..i.n.etic.
~
Vende se uma part- de uma tarn do sitio na
u-avessa do Caidereiro n. 3, na frfgu'-zia *o Noa
da Paneila, que foi do finadu Duunuf u.- A << Mar-
ques, pela quantia de 1:094*00': a iratar na
rua do Imperador n. 7?, das 9 as % da tarde, e
tambem se vende a pane de outn itwd^iro pet
mesma quanlia; ambas as partes tutio in re.
desembaracadas de iiualquer ouos.
n, 50, reeeueu aovo sortimento daqucilas tao pro- LRT ,en, M a Iavern* da Ju liiaeltutto n.
mci.-i. .Tins i)ara senhora, vindo 'gn!1!- a lralar na mesma._________________^
e continua a vende-las por
Bonecas de c^ra, idem burracba e bolas de tedos os tamaabes, canJuiiros agaa,
objectos de porcellana, gaiollas de arame, molduras para quadros, machinas de mao
para co.-tura, transparentes para janellas. e um co/nple>o- vaxiado srtiaiei;U le miu^ew
zas, que se torna longo mencionar. M.lf,^-. IZu ...H
Rua do Barito da fnim h. 2r>.
^90^000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
do Barao da Victoria n. 2 8.
BAZAR 1)A fiUADIREITA
HUJE
M&CIUO CIAS W. M.
Eite estebelAcimcrrto sempre ^olicito em ofTerecer a concurrencia c'.u respeitavel pu-
toco om complelo sdrttinonto do rniudezas, cal^ado franccz, chapeos e quinquilharias a
>r4JM es mail raxoavcis possiveis, para o que rocebe quasi todos os seus artigos de pro-
.-ia encOiKm-rn la da Europa e America, vem dar ouhlivi lade dealguns artigos por cujos
iiroc/)s lu.vn > poll* avnliaros preoos de outros mu;t >s =!icar.
MHDEZAS.
Brincos dito de dito por 2JJ500.
Botocs de setim prctos e decdros, a 800
rs. o 15000 a duzia.
i'raiijas brancas de seda de todas as lar-
guras, a i$000 e I500 o metro.
Ditas dc cores e pretas a 800 rs. e lflOOO o
Voltas para o.pescogo, fingindo camafeu,' me'ro-
onspaiibadas com 1 par de brincos seme- __9aloes Pretos de ^^ de muito gosto de
4Rua do GabttgaN. 4
JOSEPH KHAtlSE & C.
v
DE
GOMES DE MATTOS & IRMAO
Avisam ao rcspeitavel publico desta cidade queo sortimento de.joi.is, tl subido
lor, que existia em seu cstabelecimento/estS coropletaraente reforc,Mh) com o tnais.ete
gaote sortimento de novas joias, quo reoeberam dircctan?onte pelo ultimo vapor da Eu
ropa, eonstando elle do mais variado sortimento de aderecos & Boulevard, pulseitas dc
ultimo gosto com pedras preciosas*e sem elias, brincos d'argda, agraffes para relogia df
senhoras, delicados adcroros psra meninas, meios>adtecos de camafeu lindissnnos, voltat
de nogordios para senhoras, correntcs ingiezas do-ouro ede plalitia, variada quantidadf
de botoes para punhos c peito, com emble-ras maoonicos, de onix, tccido de ouro, cau.a-
feu, etc., brilharrtes monstros de'rarissimas agwas, em anoeis, *otas, pulseiras^alfne
tes e botoes, e outros muitos objectos de ouro de melhores fabricantes de Paris, que fit,
venderao com grande reduc^ao de prelos, por sereni elles reoebidos dkectamentA.de sez.>
committentes.
Os proprietarios do aci;editado "MIZKU DE">*WA, tendo ate 8 hor3s da noute, convidam as familias que se quizerem prover |de HMtan jriias, >
virem escolbe-las a vonlade, para o .quote**? em expesicflo imsmistradorcs.
diUDEZAS.
LI uara bordar, da melhor qualidade, 1
ibra por 59500,
Agulhas francezas, fun Jo dourado, a cai-
iiiha com 4 papeisa (>0 rs., 2U- -s.
Voltas do fitii de veiludo com lindos co-
9oes fingindo maireperola, a 500 rs.
hante, tudo por 25500.
Linha. branca de 200 jardas em carriteis,
>>ropria para costura de machina, a 800 rs.
* duzia.
Dito iie dita de Alexandre, numeragao a
itosto do freguez, a 1#100 a duzia.
Diadernas -iourados de 1J&500 a 3JJ000.
Dilos de tartaruga com flores a 23000.
Ditos com borboletas a 1J6500.
Brincos encarnados 1 par por 500 rs.
Ditos de ptaquet de 500 rs. a 23000.
Oitos dourados, duzia de pares, a 15J500
d22000.
Vokas de airfares com brincos, a 29500.
Ditas de ditos com coranocs a 19000.
Di^ de ditos de contas com cissoletas, a
800 rs.
Hosetas de plaquet a 19 e 13500 o par.
Iravstas da seda para senhoras de 19200
23000.
Parures com 2 lacos para cabeca e peito
39e 49000.
Bntrumeios e babadinhosbordadosde 360
?s. a 29400 a poca.
ttaldes de seda brancos e de cores, de
?9500 a 23500 a peca.
Ditos, de algodao e seda, de 19 a 19400
* pefa-
Ditos; de algodao, a 100 e 500 rs. a peca.
Trancinhas de cores, a 100 e 500 rs. a
*eca.
Lcques de marfim a 53 e 83O0O
Ditesi de sandalo a 49500.
Ditosjde madeira imittiado, a :i9000.
Ditr. Ooques-paw enbora, a 83, 83500 e 43.
Adwagoa tiogjndo coral, eompondo-se de
alfinete e brincos nor 23000.
Dito dito pretos por 29500.
Ditos de plaquet, eompondo-se de alfinete
e brinco, sendo de muito gosto, por 59000.
rt
Lyra 4 Viann.i veodotn ftra iieabar, por meta-
dado di'ejo, :i*gpiattB eal?,ido;i : boiinas de
rnUiea lalaa a,Liiz XV, Wa fenhsra, a 7^000;
ditas de vaqnefa ns. 20 a 25, prra roenino a il;
focos de dita idcrr idem .^2^00i:; dlitos de cores,
ordinarios, icem 500 reis; sapatoi de casemira
">,m sajlo, quflqpiT tamanho a ?JOOO
1%. 8ina Toalhas de labyrintho
imo, rua Primeiro du Marco n.
rteri>ti toalbas 4e labrrijjho,. proprraii
ara baj)usadoi e casamentcs.
800 rs. a 19000 o metro.
CALGADO FRANCEZ.
Botiuas pretcs gaspeadas, para senhora, a
49500 opar.
Ditas ditas de duraque, gaspeadas, canno
alto, a 59000.
Ditas pretas enfoitadas, ultima moda, a
6900O.
Ditas dita de cores, canno alto, enfeitadas,
a 53500,
Ditas para meninos, pretas e de cores, a
39 e 49000.
. Completo sortimento de calcado de case-
mira, Charl6t, tapele e tranca, mais barato
tO % do que era outra qualquer parte.
CHAPEOS.
Ricos chapeos de palba d'ltalia, para se-
ribora, a 113000.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda,
a 169000.
Completo sortimento de chapeosinhos para
meninas e senhoras, de 29880 a 59000.
Chapeos de sol de s6da, inglezes, cabo de
marfim a 169000.
Ditos dito de merin6, cabo de metal mui-
to bonito a 59500.
Ditos dito de seda para senhora, cabo de
madeira, a 63000.
Ditas dito cabo de marfim a 99000.
DIVERSOS ARTIGOS.
Granadine para vestidos, fazenda da ulti-
ma moda, com listras de seda, a 650 o co-
?ado.
Pannos de crochet para eadeiras, a 19800
e 23000 cada um.
Ditos para sofa", a 83 e 43000.
Toalhas de linha para rosto, a 19300 cada
uma.
Ditas de algodao alcoxeados, a 640 rs.
Colxas de crocbit para oama de casal, a
69000.
-------------------------------------------------------------------------------------------------- .. i T
mente bara meninas,
preMs commodo.-.
V6os ou mwntinhas pretas.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de Ca-
xias n. ."iO, recubea bonito9 v6os ou mantinhas
pretas de seda com loos, e outras a iniitac3o de
croche, e vende-as pelos baratos pretos de 3i,
i#\e 6^000. A fazenda 6 boa e esta em perfeito
estado, pelo que continua a tcr prompta extrac-
cao
Perfeita novidade.
Grampos coin borboletas, bezouros e gafa-
nh'jtos dourados e colondos.
A loja d;t aguia branca, a rua do Duque de
Caxias n. 50, recebeu ovos grampos com.bor-
boletas!, bczoflro* e pafanhutos, o que de certo 6
perfeita novld dc. A quantidade e pepuena, e
por isso em breve se acabara.
Novas gollinhas ornadascom
pelucia ou arminko
ft loja d'agoia branca a ru a Duque de Caxias
- CO, lecebeu uma pequena quantidade de boni-
s e novas gollinhas, trabalho de la e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e ihteirareente noras.
G-rampos, brineos e rozetas
dourados.
A toja da aguia branca, a rua do Duque
Caxias n. 50, recebeu jovamento bonitos gram-
pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
novos diademas de afo, 6 como.sempre conti-
niia a veudc-los por precos razoaveis
Caixinhas com p6s dourados
e prateados, para cabellos.
Yende-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
que de Caxias n. 50.
Lfura^s. de, pellica pretas e de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, i rua Duque de Ca-
xias n. SO, recebeu novo sorUmcnto de luvas de
pellica, pretas e de outras, cores.
Calcado estrangeiro.
Aproxima se o'mez de dozembro, tempo em
<(ue oaris na America, a rua Duque de Caxias n
ci9, 1 andar, tem de dar o seu balanco. por este
motivo, os proprietarios deste estabelecimento es-
tao reaolvjdos a venderea seus calgidos pelo cus-
to, aflm de minorarem o trabalho ; assim pois os
apreciadores do bom, e com cspecialidade o sexo
amavel, para qnem o Paris ua America, conserva
com a devida decencia) o seu gabinete reserva-
do, para a escolha de calgado, aproveitem e ve-
nham munirem-se do que precisarem.
Verdadeiro bitor hesperidina, superior e
ditado : a veuda no armazera de Ta frm.
C, rua do Amnrini n. BT
io ft
0
BAZAR
Rua da Imperatzijz n. 72
DE
.
Lourenco Pereira ffleiiaes4ftiinaraes
Declara a seus freguezes que tern resolvido. vender o^ais barato que for possivel.
saber:
CHITAS A 160 E200 RS. 0 COVADO. COAlfci'jO^ BillM-DE CORES A.13500.
Vende-sc chitas francezas largas com to- Vfiude-se.,or^s-4e brim de cores par
que de avaria, a 160 e 200 o-covado. Di- caJta-,a WriOO e 2e000.
tas limpas a 240, 280 e 320 rs. o cov*do. I BOTlISASiASSOOQ.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS. ^ndersejbplirw¶ senhoras, a 33000
Vende-sc cassas francezas a 320 e 360 rs. 3j50Ot aei^.antos^ae so aoabem.
o- covado.
LASINHAS A 200 IIS.
ROUFA FE1TA RAClOBiAX.
A'enderiiftrflamisas-bsanca^, a 15600, U
Vendo-se lasinhas de cores para vestidos, -SUftOO.i 39 a 200, 360 400 e 500 n o covado. tm4fi ca.^mi^iUe cow, a,63, Q>,
ALFALAs A 400 RS. | 79000.
Vende-se alpacas para vestidos a 400,500,1 frHidte, (to casemira, a 49, G9e 83000
640 e 800 rs. o covado. i ^eroulBai a, i^-QitMQQ,
COBERTASDE CHITAS A 13600. BRIM DE CORES A 44 0 RS. ,.
Vende-se cobertas do chitas de -ceres, a Vnde-e bfim de, todas as cow* a 44<
19600 e 23600. Ditas de pelh>a 13400, rs. o covado
Cclias de cores a 13200, 23000 e 4*800, ,A.EJ>igOSiBBA>'C0S, A 23000 A DUZU.
CHAL-ES DE LA A 800-RS. -Venose,* duw* de leugos. braucos,
Vende-se chsles de la de quadros a 8i|0 23000. Ditos co4}afi;a*de cores a 8900'
rs. e 19000. I de-Jiio ^ftftOOOv
Ditos de merino a 23, 33,-49 |53000.
CAMBRAIA BRANCA A 39000.
Vende-se pe?as decaDobraia'iifanQa:(trpnsT
parentese tapeda,ia-33, 39500,(4,3, 4954*0,
59 e 3000.
SAIAS BRAXCAS A 2*000.
Vende-se saias brancas e da copes, pajra
senhoras, a 29000 e 29500.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets pretos do ^eda-jparvboi-
mens, 'a 500 rs. Chapeos de palba, pello e
masft, a 29, 29500, 3900O'd<4i9>0.
MADAPOLAO A 9OO0.
Vende-se pecas de madapolSo enfestedo
89000. Ditos ingleres par* *>s precojidp
49, 43500, 53, 63000 e 730WJ.
TOAWIA&^aoO VS.
*sflrde>sft, .
Gadeiras' de enarnfl;ao uluito baratas.
io ~ Rua Karipez de Olipda -23
i
CUNffA & MANTA.
Aproveitem
Ainda restam alguma* pecas de superior fazeoH
-da preta de 4a com nequenas palmas e salpicos de i
#rei, seoda algumas com barras, e uma fazenda
re.cpmmendaveL pela qualidade, peJa Jargura, e
jjor sereni seuspadrSes os mais proeurades na
Buropa; est3o sendo renaidas prfiydhntnato preJ
CO de 500 rs. o covado : na ma Duque de Cakijs
a. 88, loja de Bastos Irmaos.
a
ALGODAO A 33500.
e 5"
Vende-se pe?as de aJgodao, a 89000, 43J:
00.
BRAMANTE A 13600.
Vende-se br am ante com -10 palos de
largura para !en$ol, a 19600,"20 e^9B09 o
GftAOTfe LlOtTlDACAO DE SABONBTBS 880 R$.
Vende-s-3 uma grande po.rc,ao de saboh^
tcs ingleze;, a 200 rs. Ditos fraoce,zes (b Q
eliai^.a 320.e.500 rs.
Agua de colonia. a 200, 320 e 500rs. S
frascopara liquidar, e outros
muito barato.
i
19000.
-Vndsse/gflatr,ata! d* *3*i 4W*%p Hi
r*-*d*w.
CaKAfirFAM^aERIA A,2S0 ^
iJttu,flbU4B*cehept4, a.2^0^ -*'
BONETS PARA'MEaW0(A 4*^0.
S&fSttSkf n'fcPFira1wiosiasMr5<>,
ESPARTILHOS PARA SENHORA)A./3fB0
L^SS***5 '!'P*rJb*' m**WKI*'
*"" "'i fiffl\ 4TI1fP4} I Biowiq
utryu ,,.iIIWiWynlSr>l .dootieul
< q -, ,A 800>H4)ofiO*ADx>* para vestidos di senhora, a 800 rs. e .*#(,
o Covado.
c,olLCOLCI!^DEGROOHE.A-*000.
'?eriae^rfSa^WiirtntlAf-ioPocferftpara u
mas a 69000. ^rci ti, :
1 "Venu^isCp^SinosaVcYodh^ 'pM^Md< , a 10500e.23000. *>
!J^3atSks^PAR}coirrwM8r --
J'tdH3ie#gtt# m^BMM para wrtinfttos
>2( >3000frl23000, w4ra> -
fazetwhfr winflqtHdaeao.
\'ende-se uma jret- de quaii'Dia r tail
annos, sem hatilidadcs : ua rua u\. Baiiiu Ja Vie-
tona n. 49.
Gwha Irmaos eC.
Run da Uarfrc delkos u. 24L.
Vendem vinhos do Porto dp tod.i^oa c^ulnLtAts,
garariimdo-os, c a pregos comnodos:
Barri. de quinto e decinros paia pdste das beat
cont.ecidas marc-iis Jlt-nerea o (Jiamir-o.
Ditos de quinto fines Vonorcs, Ciiaruico, CoMa
Uuimarais.
Decimos eni:apados, srnerior qiialiiladc
Caixa.- de uma duzia, de toda a qttaRi! ..]>. at
aos afamadus- davatinba Azul 18j4 c I8i0.
m
Sacam sobru
vista.
^nps
u I'm to ou Li.-boa, a piafO e a
Tambem vendem potassa dHusi,'i, n
barris pequenos.
pam bia W mm
SAUDADKS,

Amaral, Nabuco 4 C. aoabam il ret
variado forlimento de rape lias fund;. .:. as
seguintes inscripcoes:
A mcu pai.
A minha raaS.
A meu esposo.
A 111 i n 1 a espMa.
A miu fiilMi.
A minha filba.
Saudades.
Aniizade.
Lembranca.
Vende-se no baxar Victoria, rua da Dario da
Victoria n. 9.
r
DE
fAlimS VINA8
RUA PRIMEIRO DE MAItCON. 7 A
E' esta casa, sem duvida, uma das que hoje pode
com primazia apresentar aos seus freguezes um
variadissimo sortimento de fazendas fmas para
grande toiielle,&$>ia\ como para o uso ordinario de
todas as classes e por precos vantajosos para ps
compradores.
Os donos deste importante estabelecimento con-
vidam ao respeitavel publico e particularmente
aos seus freguezes a darem um passeio por seu
estabelecimento, a afim de verificarem a veracida-
de de seus annuocios, e com vantagem snpprirem-
se dos artigos que Ihes for em mister, de cujos
fazem um pequenc resnmo.
Slandam fazendas as casas dos pretendentes,
para o que tem o pef soal necessario e dao amos
tras modiante penhor.
SEDAS
Coites de seda de lidas cores, grosdenaples de
todas as cfires.
Gorgurao branco e preto.
Setim Macao preto ede cores.
Veiludo preto.
Grosdenaples pretos o de core?.
Granadincde seda preta e com listras e almas de
cores, lmdissimos podrdes e fazenda de ultima
nMda.
FilO.de seda brance e preto.
lucas bas(|ujnas de seda.
Colxas de seda para noivos.
Manias brasfteiras.
Cortes de cambraias branca com lindos boidados.
Capellas e manias para noivas.
Poupelinas de lindos padrSes.
Requissimo sortimento de las com listras de seda
Cambraias decorea, ditas mariposas brancas e de
etatt
Naaauck de Undos padrues.
Bnzar Victoria.
Amaral, Nabuco & C. rcceberai.. c- itfUa M'
timento'de bengallas de caona. propcias ira des-
canro de velhos, de iboumatico*, rir., He, eot-
tras de phantasia, completo sortimentn de rl.apeoe
de sol, bengallas, umbellas, etc. para renhnra e
para homem, com cabo de marfim cam fipora* de
metal, lisos, etc. etc. Estes uteis e>peeiaw ar-
tigos vende se na rua do Barao da Yiu-iia n i.
Rap6 Rocha
a l^00a libra : na rua do Vijano n
rn audar.
primei-
tistas de padrSes mui delicados.
alib'as ae quadras' pretos e brancos.
iru
fde Hribo de cWes proprios para vestidos.
iff de Badas cores.
Casaflniiilips de las de cOres para senhoras.
Saias bOrda'las para senhoras.
Vestqarios pafa tnAffaos:
Ditos ^ar^fniMlsadss.
Clttpaot para dilos...
ToatoasdeoamaraM de linho on lindo, bo
Fronhasbordadas.^ WWOial
CafxaifdeH:
Corllpadoi bordadoi. _
Ml^de^reapaiVnomeils e meninos.
".hapeos cdtn c^S^rfWarfittr par* homeiK.
)iMi MraseuliorM.
Meeteo da e*elpaca vnstidos.
Casemiras, chitas, madapol5es,"cambraias etc. etc.
na loja do Passo rua Primeiro de Marco ctf'A;
antlgi #^esbo. --I M
' n u
t^rdcir*. Hun*** A C.
till IBli
C, Dftjlc.
-~~,
Vu
I
I-
J. 0,
ira M([):
de Hennessv, snpariore verdadeiro.
ho Xeres das melhores qualidades.
iKtteri de Angostura.
Whisky.
Cha preto em lattas de 10 ilbras.
Tedas as prepara&Bes chiraicas do Dr. Ayer: no
armazem da rua do Commercio n 38.
Em bom local.
Vende-sc uma taverna bem afrtgaezvla para a
terra e propria para pnncipir.nte por ter poneos
fundos ; tendo na mesma casa raor.xlia para gran-
de familia, e um forno para quern quiur filer
bdlos em grande ou pequena escaln : na rna do
Viseapde de Pelotas n !9, outr'Ta Angaa, a
traWrna mesma.
Botinas para senhoias.
A 3A500 E 4*000
I.as cscoeezas a %HO.
E' pechinchu.
Na rua do Crespo n. id
Xarope d'agriao do Para
Antigoe conceituado medic?ir'nito para
cura das molestias dos orgios respiratorw,
como a pbtysica, bronchites, astlimi etc.,
applicado ainda com optimos r^?"lta * escorbuto.

do Ric Janeiro
maiem n. 46.
Cafi.
vende-se i rua de Vigario, ar-
.

Vende-se a taverna da rua Imperi; i u. 4S, oun
poueos fundos, propria paraquaiqu-r principiab-
te, per ser a arma.-io e suas pertenca*, liaratis-
slmo : o motivo da'venda e por ter de retirar-ie
sea dono com a familia para o matto a tratar to
sna sande e'nao pder aareciara grande ^onear-
reataa qua ba nesta rua era tempo daJaaKitra-
ftar na raesu^_________ __l_jl__
se a armaoao da loja de calcados da
ratriz n. 19, corihectda pw '** d
coWo'traspaWe Oa^hlve r'*-lraiw.iMi^i-
ma rua n. 7.
"iii it

_aitq,boa qiraltflfta'e, (_
quedeCiias'.llt'k
IMdico preco de 640 rs. o eova
ava.
Cbeeon nova remessa desse atfe tmiipuipvx
wmm
~*.. ...,_....
^
iH^HHra ^^^1
-r.------------~^-----^-



8

iJTTOATDlti
Di&rio de Pernambuco Tei^a feira 7 de Ou
SEMlAODUSA-JTOASTOMO 1'RECA.Do' IA SE DE
VMRU, PKI.0 HETM. HRtRE A. HENRIQUE
DA SILV.v, SATt'RAl. DA IIKSM.V PROVIN-
CIA.
PHUt tiinnrem Charitas.
( Hymn, da Egr.
iCoiichisiC').
Abraga-te coniella, o vai. Ninguem verd
a tua noite, .:, em pagi do lanto sacrificnr,
Voids o iJesamor, a ingratiddo dos hoinons,
a inclemencia do cliraa e a supplicio, quigd I
Eis a carioade, seiihores. Os sabius da
aatiguidade nao seiitiram estos toques su-
bliu.es d'ainor e d'abnegagao.
Elles nao sahiram d'Athunus para ir, lon-
ge da patria, entre hoinons ferozes, derraraar
liu da rerdade, e expor-sc a inorrer obs-
euramente no coragao das llorestas. A mi-
scricordia, sfgundo Seneca, era um defeito
do coragao.
S6 tu, diviuo Christo, souboste reparlir
por igual, d mesa do teu amor, e levnr a
iva da villa aos antros mais reeonditos
ondo so perdessem consciencias 1
Caminha, mensageirodo can. Abi, onde
houver trevas da iguorancia ou do erro, os
tees labios, Antonio, profiram u fiat lax da
verdaie. Procura o selvagem no seu covil,
visiuao do das feras, arvoni a cruz do Cliris-
to Id, onde respleude o croscento in a ho mo-
ts no, o defronte do korao aberto, amostrem-
so as piginas sublimes do evangetho.
Mas, coiro Jesus, Antonio sjntia o espi-
rito robusto e prompto, mas o corpo en-
foruio, nas plagas al'ricanas. E, doente,
sem OS cui dados d'uma pessoa dedicada, em
patna, familia. Alii ha mister de muita Ehaeclypse na terra, e.ouve se o coro
toz : luz que consols, e luz qua desengana. solugaute dos partis 1
Fos fieaes na via-sacra da vida, e eu subi ao E a alma do pensador chora no seu cena-
meu calvario! Saibain elles que roe lem- culo, e pergunta a Deus quando viri a ca-
brei de todos nas fronteiras da eteruidadel... ridade, como a santa Magdalena, trazer a
Amigos, eu nasci em Portugal: tenho la nova da resurroigao de Jesus,
irmaos e pai e mai. Dir-lhe-heis quo cho- T.m compaiido, 6 sarrto, da humanida-
rei por elles ua minha ultima horal... Mi- de, que verte o *eu suor de sangue noge-
nha mai, se aqui estivesses, perdoarias ao thsemani da vida I
filho, que te fugio dos bracos, as magoasdo Anjo do Senhor, se 6 possivel, passe de
tou coragdo !. Nao poder osta lagriraa n6s este calix !
cahir sobro a kia face I Nao te verdo mais Que mais vos direi, meus irmaos t
os meus olhos embaciados!------......... Como o solitario de Pathmos, cangado da
..................Senhor I quo mais carreira da vida, eu.jd sem forgas tam-
quores de raim? Os bracos cancaram, e a bem, res digo : llomens, anai-vos uns aos
mao nao sustenta jd o teu evangelho i... outros !
Itemdicto sejas tu, que dizes ao peregri- Vizeu.o miuistro do Senhor, bem novo
vida : poisa o tou bordao, e des- aiuda, mis c >m a autondade quo dd a ver-
gra-
can'.;a '.......Minha santa cruz, contigo dade, o > soffnmento, vem dizor-te, d'esto
me achoi nas horas do desalento. e no alto lugar : Vizou.escuta; eu amo-te :
mar ao bramir, das tormcntas... deixa- Os teus lilhos sejam como uina sd lami-
nae comtigo morrer abragado, esperanca... lia. A caridade 6 a salvageo.
da minha vida I Amor., aos homens por Deus, e amor a
t n um suspiro suave exhalou o espirito. Deus. Eis o que faz os heroesPellit tir
morem rharitas. Heroe deriva de amor.
* Amor com um objecto fixo, perfeito, in-
linilo, como a aspiragdo da alma. Andam-
Morrer no verdor da idade, quaudo mil nos ahi uamorando a vista umas iilusdes
illusdus fjguoiras nos enlevam n raente ; que fogem, mai que as tocamos..., visoos
quando os raios dourados do sol da juven- que nos prendem a.alma, empos das qua- s
tudo n )sveem beijara fronts, que seergue corremos, sem que os uossos pes sintam os
choia de aspirates; quando n6s beoemos espiuhos do caminho. E, quando julga-
sofregos o ar puro da nossa primavera ; e mos ter na mao a fimbria do manto d'essa
nos sonhos das nossas noites luminosas nos fada sum nomo, o foili^o esconde-se para
empala o canto suave da esperanija..... I nos ir apparocer mais loqge...
Morr.-r assim tao novo 1 scntir nas faces lisas E afinal o quo e uma eiisteiicia, meus
a lagrima fria do trespago. e nao ter mais sengorcs? Pyrilampo d'um momento, no-
umsorriso dflor dos labios! E tdo triste o ta quo alguem ouve em meioda harmonia
morrer !... Fada branca da mocidade... universal. Por vezes a nota vive alguus
adcus, aduus I Avos das alvoradas, ndo vol- instantos no ouvido, mas elb p*w...ea
terra estranha e inhospita, doia I ho morrer teis ca,Uar "fl"'1 4ueeu vou, eu vou I Lua corda da harpa do infinito estremoce logo
assim ao dcsunparo, nao por si, que em I1"3 Passas nos ecus, manda um raio d mi- por novas vibragoes. Que valo po o sa-
qualquor parto encostaria a cab^abasti- ,ma camP'). Quo eu durmo, eu durmo I criikio d'um atono do tempo, ec troca d
ya-lhe por companhia uma cru/. para apcr-
tar ao peito, ao fechar dos olhos,mas
pojos homens: o apostolo nao queria fiuar-
so assim no comego dasua Luilhanto missao,
sem ter o merocimento do martyrio, como
o sold ado quo dupoo a espada, ao entrar no
campo da batalha.
Enlao, por outre as angustias d'aquella
sjtuagao, sorrio-lhe a miragem da patria...
Triste de quern, longe do seu ninho, nao
tern um coracao amigo, quo se abeiro do
seu leUo, nem o ceu da sua infancia para en-
viar-llio um derradeiro olhar ... Oh a
patiia, sim I a saudo... e depois, de novo,
os snores das suas fadigas, e fractos aben-
coados a loirejarem nos campos do Senhor.
Mas patna I quern cdetoios, nao torn
patria : a patria e o muudo.
Caminha, camiuha, viajeiro do deseitol
d'alem sorri o oasis, ma- tu nao poderas
nunca limpar a fronte d sombra da palmei-
ra 1 Corta os mares, corla, filho dos tra-
bulhos I acenam de porto as caricias do
lar, mas tu nao terds um allivio na vida,
homem da ddr I..... E Deus mandou ds
vagas que eshraveassem, e ao vento quo
rugisse, e levasse o apostolo a costas da
Sicilia.
E Antonio apenas pdde saudar de longe a
pitiia, quando, por eutroo rodomoinhar da
tempestade, o uavio virava a [iroa para o
oriente.
Oh I Sicilia, filha dos mares, abrigo do
naufrago, munda, nas ondas do .Messina,
nGtinia d tua irma do norto, da chegada do
apostolo.
Italia 1 terra do ceu azul e dos soes es-
pleodidos das encostas suavus e das casi-
nhas alvejantes dos rochedos e das casca-
tas f dos valles e dos golfos 1 dos palacios e
i;is harmouias I das lavas e das neves,
abre as tuas portas, Italia, ao enviado de
leus, que quer arrebanhar os teus filhos
em vulta tia sua cruz. Tu, que es boa e
crente, olha 0 peregrino, quo vem du longej
ua roraagem santissima da caridade, tra-
zendo-te a oSweoda valiosa da sua scioncia
da su.i palavra.
1'ormose jardim do ifieio-dia, ella soard
nos leas ares puros,a palavra do ceu
oodoo ceu tern sorrisos. Em .Veueza, d
beira dos cauaes; em Milao, sobro o Olona ;
em Koma, junto do Tibro, quo geme o can-
to fcinereo d'um colosso prostrado. Peia
calada da noite, Antonio ira chorar sobre
os restos silenciosos d'essa antiga grandeza,
como Mario nas ruinas do Carthago, e a sua
voz auordard os ecos do capitolio, onde hi
tanto nao soani os gritos do triumpho ; mas
a palavra do frade,onde so ergueu a dos
heroes, diri do nada das glorias terrenes,
como na sua raudez falla o zimborio de S.
Peiro, que se leva ita serein e Grme entre
ruinarias, symbolo das victorias do eeu,
em meia dos destrogos da terra.
Por vezes & alma do monge sentird umas
amarguras inunitas, e entao vel-o-hao que-
dar-S(i trisle na praia, ao por do sol: fluc-
tua-lhrf o habito ao soprarda brisa do mar,
e elle falla para as ondas.
E aquel'.a voz, gemeute d beira do ocea-
oo, sorl sovera nos saloes dc Excellino,
elo'quente na presenga de Gregorio IX, amo-
rosa em front.) de Padua, junto ao tumulo
deTito Lnio.
Brisa da tarde, gemo no cypreste, quo eu uma eteraidade gloriosa f
morrol E' tao triste o morrer I... j Alguus romeiros do muudo abi vdo, il-
lufolizdo que so auda em poz d'essas bor- luminados polo dia, doslumbraDtos tks luz :
bolclas irialas elm ma las iilusdes da vida. camiuham para a noite, hdo do ter s
Para quern medita, a vida e uin desterro ; 'juas trovas I
para quern soffre, e a misericordia divina [ Outros Id passani de noite, invisiveis r
que o chama para f6ra dos espinbaes ; paraninguem os-admira 1 mas caminham para
u homern extranrdinario de que venho fal-'o dia,haode ter a sua .luz.
lar-vos, a eternidade e no seio de Deus a paz j 0 dia, o dia eternoeis o que prarzs> a-
devida ao guerreiro caucado nos combates Deua quo' todos- akancemos 1
da verdado, e a morte nao e triste, porque |
6 a festa d'um triumpho.
* *
Descanra agora, snWime obreiro I Os
cantos funebres do teu sahimento sdo o
bymno dos quo regressam do trabalho.
Pendeu-te a mao ao fiin da dia I I fugio-te
a luz dos olhos I ? dorme, donne I 0 teu
nome serd das idades, como a tua obra era
A libertikcft* dam raeax de cAi-
por itttva r*"voliM'*J uu nppli--
cacfto dmmmmtmmmm a vapor,
relaioriu ffw eonfereaei
8ientiiloM pi>l rnpido utnt-
ve..siiiliir dost dewertos e da
aavauan.
At TRAVESSSIA DOS DESERTOS" B DAS SA VAN AS.
1
Faremos em tracos yrandes soraente a
do Dous. Os seculos que passaram por descripcao dos principios sobre que se ba-
cimados teus ossos gelados-r foram amon- seiara nossa escola e nossa nova locomogdo,
toando em volta d'elles preciosos restos,
mas nao ha ahi lettras em pedta tumular
quo a humanidade junte com mais- veuera-
i;ao, quo as lettras do teu nome! Em tan-
to que nos, Seis seculos e meio depois, vi-
mos aqui pagar o nosso tributo desaudades,
descanga tu la, entre patricios, generaes e
professores illustres, ao pe das ciuaas de
Piscopia a sabia, perto dos restos du
mestre de Tasso, nao longe dos de Petrar-
cha.
Vive a tua vida immortal, escoihidD do
Senhor mas ua tua bemaventuranga, lem-
bra-te que oxiste a um canto da Europa- um
povo, que abrio no sacrario do coracao-um
lugar para ti, e que nunca poderd esque-
cer-te.
Tu vives nas tradicoes gloriosas d-esse
povo, e a tua vida e os teus milagres-avi-
va-os o Seu amor na memoria tao berar
como o pincel do artista nas tolas do Fbra-
apta a atravessaF rapidamente as areias mo-
vedigas dos desertos e o- solo das sava-
nas.
Comprehender se-ba sera: ousto a grande
reserva- que nos impomos-,. pois que ate
noje nossos estu ios especiaes- nbo tiveram
brevet em nenhuma das nagoes, que sfto as
mais iuteressadas na passagem raptda dos
desertos e das savanas.
Em prioMiroiugardemonstrareiaeeapos-
sibilidaJe' de nossa nova locomogao, a sa-
ber:
1. Qu eonhecemes adirtegdo a dar, e a
forma comique podemos appliuar mtilinen-
te a forga atotriz de ami machina para fa-
ze-la percorrer rapidamente as- areias movo-
digas dos itesertos, e o solo rsais rwistento
das savanaec
2? Que e-solo dos desertos- a o das sa-
vanas offereeem a resisUncia para poder
applicar a forfa- qae quereraos- aprovoitar
Elle amava rauito Padua. Quando as
lorga-i lhe comegaram a faltar, ap6s as fa-
digas d'uma quarescna, quo alii pregdra.
resolveu acabar seus dias no deserto, e ao
sahir da cidade, tendo subido a uma emi-
uencia, que Hie fica sobranceira, enviou-lhe
d'ali um olhar de ternura magoada, aben-
goou-a, e deipedio-se d'ella, commovido :
Ados, Padua I
Nesta bora o humilde estrangeiro, que tu
acoltasto benigna, bemdiz-te do seu cora-
gao, e leva de ti gratas record agoes 1
Adeus, Padua 1 o lidador sente-se canca-
do, e procure, a pedra do 6rmo para reclinar
a cabega, dormir. a* luz das es'.rellas 1
Dous menrs passou Antonio no monte de
S.'Podro, com dous amigos leaes, n'uma
pobre barraca de esteiras e ramagens, que
aquellas maos levantaram A sombra d'uma
uogueira. .
Um dia, o filbo de D. Thereza Tavwra,
couheceu que estava proxima a sua bora.
A ter de morrer na Italia, a voz da saudade
chamava-o para Padua. Queria ahi fechar
os olhos, e logar-lne os seus ossps, unico
patrimonii) fl'um pobre. Pedio que o
coaduzissom !i. Padua ficava a uma legua.
Mas no caminho conhewra n que nem para
tao curta viagem chej;ata }d aquella vida
prestes a extinguir-se. Arcella ficava perto:
levaiam-uo |i*ra al|. Secuado o^'uiua ca-
deiwi, aaipsTado por alguos amigos, ahi
passou An lomo os altimos rnomontos. Cho-
raesdizia<:llepor nie v*r morrer tao no-
va?! Veda: Ufora. estd o mundo quu rcrolu-
tea: desgragi. que se rojam, vaulades que
Crfer *'*/* I E eu taorro aqoi I Pw todos
bosco e Ticiano. Este povo, v6s tu t foi j ^T& atravessa4as rapidamenUji
outr'ora (loioscente I Compadece-te d'ellej Desde o tempo de Aristotekesy eocamello.
agora, que te ergue as maos na sua ago- 0 unico animal que atravessa at areias mo
vedigas do deserto, carregado de pesos enor-
ines e caminbando duaante mazes., comendc^
apenas alguns punhados da ce-vada por.
dia, e ndo bebendo mais- do-que uma vezvj
por .suman*.
Por que caminha.ocaraello nas areias
as mais movedigas, e tern assim vantages)
sobre o elephante, de maior= corporatura,. e
sobre o cavallo, mais esbeltc*?'
Por que a.cenformagjo do- camello i tao
bem apropriada a um ser-vigo- especial,qjeo
torna poueoproprio atoamiohar sobre tarre-
nos resvaladigos, nc pradoa, ou sobre as
estradas pedregesas, e printipalmente m.ies-
tida das estradas escerpada&r
Quando o veinos fiSra. de seu elenento,
por que apresenta. efle ao primeiro aspecto
um andar embaragado, mo-vimentos que pa-
recem executar-se sempre sem geilr>f
0 camello, unico- animal que atravessa
rapidamente as areias- dos desertos, carrega-
do as mais das vezes de pesos vnoriaes. e des-
de viBte e quatro- seculos o modeko vivo de-
um syatema de locomooau especial e parti-
cular as areias.
' O homom devia to-lo ja imitado, cana-
truindo uma machina movida. pelos raas-
raos principios.de locomogdo inhereaaie d
conforraugao. ueste animal.
Temos estudado longamentea confor raagSo
do cainello, temo-lo seguidoera todos. os teus
movimentos, aQm de descobrir os seyrtdos
pelos quaes toma elle sea ponto de apoii so-
bre as areias.
E' o camello o animal mais util para Afri-
ca e a Asia, porque represeata por si s6 o
cavallo, o boi e o caraeiro.
A sua especie 0 rauito antiga; viveu
muito tempo no estado selvagem, porque
acham-se os ossos do camello fossil na Sibe-
ria.
0 camello, que os orientaes cbamaram em
sua linguagem figuradao aavio do deser-
1.ona j galopa nunta, trota muito rapida-
nia
Volve os teus olhos misencordiosos para
n6s, quo soraos os descendentes d'aquelles
pjrtuguezes quo sabiam empunhar mna
espada leal ogenerosa, ao lado de teu pai !
Solugam os pobres ; e as criangas, do
noito, vao cahir, mortas de fnme, junto
aos portaes das ruas Os bragos do ope-
rario cahiram de caugados ; e as esposas,
pallidas e magras, afogam no seio os tilhos,,
na loucura da pobreza 1 Torn d6 de nos-
sas mais, que sdo as netas d'aquellas piedo-
sas mulheres, que te pegavam ao collo,
quando tu eras menino I ..
*.
Olha a humanidade 1 Que triste quaclro !
Vende-se a consciencia, mercadeja-se a pu-
roza ; e na praga levanta-se o negro vulto
enorme da corrupgao no seu throno assente
sobre cordas virginaes desfoliiadas, sobre
os restos enxovalhados do mercado inlame.
Estainos no imperio da materia, e a moeda
rosplandocente e adorada, como o sol dos
ladies.
No palco da humanidade entrevimos ao
fundo polo sendal da esperanca as luzes da
magica d'Astrea, quando no espago vozes
angelicas cantavam : Glorja a Deus no ceo,
e paz aos homens na terra ; mas estamos
vendo, bem parto, bem reaes, bem hedion-
das, as scenas do Baiioimperio, ao mes-
mo tempo que ouvimos o tinir claro do me-
tal sonante. A' fidelidade estenderara-lhe a
bolsa de Judas, e o afago da amizade e o
beijo do tragoeiro.
A religiao, o peusamento sublime que nos
ergue ao ceo puro a fronte pendida para a
lama que nos prende os pes, 4 o assumpto
das mofas dos ignorantes e uos devassos.
Religiao e dignidade humana foram couduzi-
das ao pretorio, e tiveram a seu sceptro de
irrisdo, e o seu are sarcastico. Depois lan-
garam-nasd rua da amnrgura.
Dignidade humana 1? Quem fal a na
eu iv-
desgracada? Lancaram sortes sobre os menle ; entretanto fai pouco mais oa menos
seus vestidos e pozeram-lbe aos horabros. duas milhas a duas milhas e meia por bora;
uma capa de mendiga. Ie as caravauas nlo viajam nunca mais de
Nessamesma noite a imprensa, a apos- seto horas por du.
tola da humanidade, entrou ao lupanar, | Dez dias e ainda quiaze para percorrer
oude se batia ouro, e rio, a messalina, ao cam leguas 1
passar do prestito dos phariseus. Fallamos aqui dos oamellos desUnados a
Entdo os anjos do Senhor velaram as fa- conduzir os fordo*, animaes em quem se
cos, e a innocencia abrio da terra as azas precura desenTOlfer a forpa para carrega-
candidas, e bateu espavorida as portas do, Ios do oitocentas a mK iibras, empregan-
0^o> i do os assim ao oommercio destes pavos,
Para taes vergonhas, a synagoga pedio o a que oceanos da areia separam uns doa ou-
manto das trevas para capa de hypocrisia, ttos.
e ao outro dia, quando o sol de Deus nos Se ao contrario querem desonvolver a
entrou emcasa, ouvio-se Id fora o silvoda elastiadade dos vurnbro* foroece o drome-
locomotiva, e disseram-nos qua estavamos dario entao corredores que pelt rapidat ver-
no seculo das luzes. tiginosa de sua marcha, no meio das areias
Surgiram os homens da idea nova, e ardentes, atrareasara rapidamenlesaaa parar,
trouxeram na mao o facbo'da guerra ero um espaco de IruUa a quareaki Uguas,
vez da luz bemditi da paz, e nos labios a emumsd dia!
palavra do insulto em vez do verbo sacro-. Quaes sio, pats, as circumsUncias
santo do amor. principaes, a qua dew o camello as *anta-
Eaewp.'Jeram-se odioS, e hoove ranger ;geos de sua locomoc^o particular ?
i A differeng* de titura entre a parto an-
terior e a parte posterior do animal.
A posigio de seu centre dc
i A inaneira por que applica elle sua for-
^^Hre as areias
E, emtiu, a conformac^o especial dos
pes.
0 quo principalmeute distingue seus or*
gaos de locomogao 6 que os pes dos camel-
Ios sdo bifurcados, isto 6, que ndo existent
mais dous du Ios para cada um delles, mas
ess.s dedos nao sao rovestidos de um casco
que se achata no lado intcrno ; ao contrario,
uma espvcie de sola larga e chata de natu
reza cornea, uma porgao da parte posterior
protege os de.los cm quasi toda essa cxteu-
sao, e se so olha para a plantu do pe, ve-se
que os dedos sdo Sapanados so pela oxtrorai-
dade delles.
0 camello tern, portauto, priucipatioente
um orgao especial, com o qual applica sua
forga.
Quanlo d dirccgd) em que a applica basta
ve~lo caminhar, para ter uma justa idea
do grdo das declinac&ss- e dos phmos em
que sao empreyailas os fotgas para obler a
ma'chi.
Em coflseqiiencia, oea.nello acha sua
resisUncia nas areias, applica ndo sua forga,
por meio de uma organisagao particular do
sous p4> e de sous musculo*.
Este aoimal, que medo ate sete pes e meio
da ospadua ao tornozelo, e quw eaminlw nas
areias novoligas dos desertos sem1 eirtorrar-
se indl.is (aifrla que ostuja cwregado do
mil Iibras) nos aproseiitou os pnimiros dv-
dos piM i a coiaarucgao do nossas- "mactoi-
uas, quo hdo'leesceder aos dorraedarios-,
ndo so- por sua velocida le, rr>as ainda
p-los ps^-os euoriiies-que poderao eliae trans-
portar.
Os d>4os scientiScos que temos enun-
ciado, baefatm jd para mostrar a posnibili-
dade do cotislruir uum machina, quo ccnlu-
plica a forpx do cairreHo,. e decupla-lken
uelocidade.
Com e(TuaVr> hojo; pagas aos immeneos-
descohiimonaDS dascienia-inoderna,empre
gando os novas mctaos nuconstrucgdo df-|
micbinas, a P>rga do varw, oeuonne po-
oler calorifero do oloo (It-petroleo, as pro-
priedades da elootricidaJeetc. eie, pode-
imw construir uma machina que tenha sou
icagtro do gravidtode como o totn o camello,
e podemos imitar seus movimentos, para a
applieagao da forga* da mosma- forma quo a
appl-iea olle para fnw>r com elia assim um
verd*loiro uavio raphlo-atravessi-xlor dos
desortes para atrtvessar o& oceanos de
areias, tomando onasa ponto deapoio sobro
;esse terreno movedajo.
Quango a forma (te-nossas machines om-
prehemter-so-In fackmente. que swao apro-
priadas ae necessidad eom-
mercio, e quo so aropregarao, para sua
construc$o, todos os descobrimwirtos de
nossa epoca.
Emfimv se temos liciaonstrado a posstbi-
lidade nwtbomatica de uossa nova I'ocoiao-
{do; diremos ainda qo que Ibos^araete-
risa a -espeeialidade e rjoe, as maekrrtm pi-
ibtax ter&>-por forga metriz- o vapcrv. c por
combustiwl o polroleev a0 passo>- que as
machina* de e.vploraca serao enapaagadaa
os-gazes hydrocarbnnados coniprhmdwqu**
aao se cotulensam a 209 atmosphara*, e
Ueclrici-lade, que lhes--desHnvolvera-a elas-
aioidade.
Mas nao*^ tudo ter coftCebido, coaatPOalas
axparimeulado (como nfc jd o fizaiaes) una
machina am proporgoes- iuiimas; e- preciso
ainda ter a-certoza de aehar no seio. dos
desertos a-- resiaencia paa podor ayajicar a
forga de uossas machiiiaa afiin do atea-ves-
sa Ios rapidamento.
0 'cammlutr do camello e do homom a
pe, atravezvdas areias a* mais movedigas,
prova praticamentc a- iresistencia aehada,
porque, so uao tivesseuk elles um pouto do
ppoio, nao podenara.appiH5ar suas foifgas, e
icompletar longas viagens, pois que nao po-
idem elles nem naa\#t nem voar sobre a
ia/eia.
Qaanto is razees scieatincas, que piovam
que emuma certa profaodidade da areia a
mais movediga se dove aehar a resistencia,
diremos-algumas palavras.
A variedade do solo quo se charru areia
nSo se- eocontra sendo no deserto o nas
margens do mar, onde forma os combros ou
as duaas.
A silica predomina-, o acha-se quasi sem-
pre misturada com certa quantidade de cal-
carki, entremeiado de calhausinbos, de sal
raamuho e de concbinhas.
Em geral a cor da areia e trigueira, ama-
relfei, ou parda a.ve-melhada.
As terras quo teem uma densidade consi-
daravel, sdo p-ecisamento aquellas que es-
tao misturadas com uma grande- quantida-
de de areia.
Quanto ao solo inteiramenle composto de
[ireia e o mais denso que ejoislc*
Com effoitcs se a densidade do hu-
mus a representada por 1,200
a das-terras de jardim, por
a da ania e de
e algumas vezes at* de
Se secaar-se um litro de terra
da, obtem^se :
do bumus 0,600
terra do jardim 1,500
eaareiapisa 2,050
ati 2,100
Seado, pois, a areia a mais pesada de
todas as outras terras, deve dar a uma certa
profundidade pelo pase de seus graos eo
de sua massa, uma adherencia muito mais
forte que outra qualquer terra na mesma
altura.
Com effeito, os estudos praticosprovara d
sciencia que as areias tornam-se tanto mais
densas quanto mais abalidas sao pelos ter-
renos que pesam sobre ellas, donde resulta
a resistencia.
Ora, seas terras de uma adherencia fra-
Ica offerecem d camada superficial do solo,
uma resistencia mais ou menos forte, e pela
tenacidade que adquire das terras vegetaes
ricas em argilla gorda, e em bumus que as
torna compactas retendo a agua.
Com effeito, varaos que, se se deseccam
as terras a 40 grdos, acha-se que a agua
absorvida por 100 partes de terra e repre-
sentada :
nas terras do jardim por
nas argillas gordas por
e nas areias somente por
Tanto menos materias gordas
solo, tanto mais facilmente se desecca elle.
Resulta pois que a areia sendo a mais apro-
ximada da suporficie do solo, desecca-se
mais depressa, visto que e entao composta
de grdos desaggregalos que ndo offerecem
mais resistencia immeJiata.
Em consequencia os ventos, mais ou me-
nos fortes, de mais longa ou mais curta
duraf&o, cream nas regioes por onlo pas*
tes mais ou menos rapidas, mais
ensas, formadas de areias move-
Mas o vento obra sdmente sobre uma
aUperficie do desortoe ainda, se
le sobro trA^^iperficie de a mi
lo.netro-i de compriaifcnto para 2 mil kilo-
melros de largdrr, "extensao do dosorto do
Sahara, certameuto ndo poderia acarretar
om um tempo infinitesimal senau um cubo
quelcria por sua Irase as ditas dimensdes,
e por sua altura quando muito a espessura
do alguns graos do areia.
Ora, ainda admittindo que a cada rajada
de vento, levants elle sempro uma nova su-
perlicio, achamos a mesma resistencia sobro
o sub-solo, iuerte dacgao da forga do vento,
suporficie que e sempre da lnesma altura,
comparada com a superior.
Quando liver mos atravessadopor nosso
modo do locomogao maior extensao das
areias dos desertos, poderemos entdo fixar
malhemalicamente a que profundrilade se
tem e.-tj resistencia, que ate a jora cremos
achar-se a um metro da vertical da eamada
superficial do solo dos desertos da Africa c a
70 centiraetros pouco mais ou menos no solo
dos-desertos da Asia.
Mm estudo maw ex-lenso poderd fazer-nos-
procfwtr a epoca, a duragao c a direcgao
dos ventos que fazem' representar tao i upor-
tante ptrpel ds areias,. mormente ds do Sa-
hara. Entretanto produziremos proxima-
mente as observagoos1 qxie temos jd feito so-
bre os vorrtos, quer na Africa, quer na
Asia e na America do >rorte, estodos que nos
sorvirdo de bnse para os doliiihrvosquede-
vemos compfetar nos desertos e nas Sitvanas,
aim do assegurar-lhes a travossia em todos
Dito isto, ceroprehonJor-se-ha purfeita-
rm,>nte que sendo- ach.ida a resutencief sobre
a- afuia, conhecendo-se a dirixcdo qoe deve
deri forga, que se quer applicar, e seben-
do it forma inlispensavel para- utiUsar a
dita forga; a inulitentrai nos- pormowires
da cmislrucgao particular de uraa- maehaaa,
que deve correr sbre a areia com una
velocilb da do dVomudario.
Entao, alravessandbTapidamenta, em urn
jtempo; qwasi incommensurauel, distanciae
que denwndariam mexes n ate annos, os-
homens que existent dteeniinados sobre a
superfieiit do globo por estas barrei?os que
UMD'toraadb i.npossivelsua civilisagao, par-
ticipardo d'o progressn iatellectual deseusj
irmlos ci vilfeados.
Se as savanas do BrasiPforem percorrilas
polo-rapid' atravessadctr ilos desertss; so
forem-descobertas sua riqpMM inliniras,- o
Brastl ndflsertf mais a terra- dos mysteries
para*a Europa> raas sim serd a terra da pro-
missaoinvejadh pelo 'eommerrio do muudo
inteiw.
II
Of
2,300
2,300
3,<00
comprimi-
80
20
25
content o
Diseenoes qua os vento* faxeto representer
iiin papol muit importantc.1s areias, prin
cipalinente as daSahara, o promettemes
proiliizir alguuan observagCas, que temas
jd feito-.j-iK'i- na Africa, quor na Asia e na
America-do Norta, estudos qua nos jerfiraa*
de base para o* delinitivos, que devemos-
completer nos desertos e nas- savanas, aiirm
de assegurar Ihes a travessia-em todos os*
tempos.
E' a primeira vez que nos dirigimos ao
hemisphcrio do Sol.e nao teadoainda feito
observagde nenlsuma especial nem sobre a
moteorelcgia, nem sobro a ti^pographia do
Krasil, dossos estudos poderfio ter grande
modiflcugae.
Expwremos-tixtavia algumas- iiiaas geraos
e bpm superficraes.
1 .* Sobre os vcutos.
2." >bre a escola quo queraiaos fundar
dos rapidos- atravessadores de -deserto e das
savanas.
A afcnesphera rarefeita e eondensada pela
presenta- ou ausencia do sol, moilificada
sem cessar peloe fluidos, que-oscapam-se [da
terra, pela grande massa d-'agun que se
evapoea contirwiamente dc-lodos os poritos
da superfifcie dwlla, fica em-uma arfilagdo
quasi coatimx*, que produz/ os ventos regu-
lares wu irregiiilares, geraes ou parciaes, do-
minantes ou periodicos, constantes du in-
termittentosy impetuosos eu modorados.
Na-zrna torrida, a colncnna dear, raro-
feito pela acgao.continuado sol, precipita-
se piira.o^ polos por seu-.proprb peso, e ao
mesmo tempo sobrevem na parte inferior,
novo ar fresco, que, chegando dos gelos po-
larea, subsiitue no quo fora rarefeito no
Equndor : d'ahi resulta a regularidade dos
ventns rrgulares {alises) e das mangoes :
os priiaeiros sdo dominuntes ; os seguados
saO'periodicos.
Os ventos regulares (alises) fazem-se- sen-
tir.-a 30 grdos de cada. lado do Equador, e
sopram, durante todo.o anno, de NE., ou
dftSE., tanto no Oceano Atlantico, como no
Grande Oceano ; mas estendo-se mais para
o Norte sobre a costa. da America do que so-
bre a cosia da Africa, Fazem-se sentir
itambem na parte meridional do Oaeano In-
dico, ate 10 gidode latitude.
E' para o NL. desta parallela e-neste mes-
mo Oceano quese experimentaa os effeitos
das monf des.
Durante sets mezes desde marco ou abril
ate setemhuo ou oulubro sopram do sud-
oeste : e durante seis outros. mezes, desde
setembra ou oulubro ate mur-co ou abril
sapram de NE.
E' uma regra bastante geral que os ven-
tos sdo tantos mais fracos. e mais constantes
quanto mais a gente se aproxima das regioes
equatoriaes, e tanto ranis fortes, e mais
variareis, quanto mais della so vai a gente
efastando.
Nas zonas glaciaes, toda via, sopra o ven-
to quasi constantomeate dos polos, isto e,
do Norte para o bemispherio boreal, e dol
meio-dia para o bemispherio austral s de
sorte que ndo ha sendo as duas, zonas tem-
teperadas que nao tenham ventos periodicos
ou dominantes, e que estejam sempre sub-
mettidas a" aogdo dos ventos variaveis e irre-
golares, e e entre os 40 e 60* do latitude
que e mais inconstante o tempo.
As irrsgularidades que apresentam os
veutos em diverses grdos de latitude, e nas
differentes regioes sao effeitos combinados
das corrontes geraes, das brisas parciaes,
da elevagdo do lugar de sua situagio a res-
peito dos mares, da direcgao das monta-
nhas. o da natureza do solo.
Quando tem os ventos atravessado vastos
desertos de areias, fortemente aquecidas pe-
lo calor do sol, entao perturba-se a atmos-
phere : collora-a uma cOr do purpuia : per
de 0 ar sua elasucidade, carrega-se de es-
pessos vapores que langam funebro veo
sobre toda a natureza ; manifesta-se calor
secco e ardente ; torbilhoes semelhantes aos
de uma forailha ar 'ente succodem-se por
iutervallos, opprimiado muita* vexes
homens e os animaes das caravanas.
Os mais terriveis desses ventos sao os
vessam a Africa e a Asia, sopram no
Ios desertos de Sahara e da Arabia,
H^Ka Africa cbama-se Stmoun; na
Arabia, Samiel; no Egypto, Khamsin; aa
Italia, 'Sirocco ; na lespanha. Solanoi*
na costi Oeste da Africa, Harmxttan.
Neste ultimo paiz, e um rente de E ou
de NE. porque esta costa esti a Leste do
grande deserto : ao passo quo no Egypto,
na Italia o na Hespanha, que ticam collo-
cados ao N. deste deserto^ Khamsin, o Si-
rocco e o Solano, designaro um vento do
meio-dia.
Emfim, nos gramles desertos, taes como
o do Sahara, da Senegambia e da Arabia,
os ventos que agitam a areia, forraam <5
vezes columnas que, elcvadas a mui graada
altura sdo transportadaaa dislancias immen-
sas, e se dissipam nos ares, mas algumas
vezes t-frebein quebram-se pelo meio com
um estampidu semolhanle a explosao de
uma mioa.
Mas ndo as areias transportadas que en-
terram vivoa uomeus e camelles. E' o ca-
lor que deseeea a agua nos reservalorios
primitivos de que usam os arabee e os ne-
gros da Africa, eque o cobrem aV areia,
quando jd esldo morlos de side.
Defoilo, em f803 um vendavaf de Si-
moun onterrou na areias do Sahara oma
caravana de duas mil pessoas, com mil e
oitocenlos camellos-.
Mae alguns que tiveram o sangua fiw> da
m.m'iir ir camellos, tfebrbtr-lhr* o tongue;
de eneher com elles d/fVe e continuar seat
caminho, correndo sobre dromedarios ea-
mais esbeltos, quo tinlv.m nc-ipado d raor-
te, salvumm-xe para registrar na bistoria'O*
lira tragiro- net seus companherros.
Hoje era- dia, a sciencia- uos afhrma qoe-
p6de-so !er agua, ate gelada, em uma'
atmosphere- de 50 grdos >k calor, e a scien-
cia moderna- nt fard caminhar muito mais
depressa do-qpie os viajantes qjtf em 1805
salvaram-se sol>re o dorso des- tkomedarios
muito fat>ffu(&*.
Com effeitO', nossas maclfta*r ajue atra-
vessa rao rapidamente as areias- ardentes
dos desertos, mais rapidamente do- que os
camellos, qsa-em comparagaw-delbs teem
forga muito Kmitada, terao sempre agua,
como a temos- nos monitores- amerxanos,
que tendo coispletado a na vegagdo siA-ma-
rinlta do Atlantico soffreram a :nsma> tmn-
peratura.
Procuramos as- lets de uma suienoi* des-
eooliecida, fuixhrndo uma escola- que tonia-
ra um ponto de apoio ns propries-desertos,
o qoe serd formada por pequeno numero
dc pessoas que faraov s>>bre os lugares raes-
nos, estudos especiaes, aproveiUwda descobrimentos sciontiticos, conbecidos ate
bojp, os quaes dicturdo dados, qae hdo de
fenrwir os primeiros d'sencolvimento* la
psieneto. nova.
Essaa leu, basesndo-se sobre es-faotoe
pratieos, observa-los no deserto, baa de ser
as mesmas sempre, como as que tem sidb
acha-ias sobro os ceeanos pelos nawegadores
modernos
Dtmnnos. pois,. qfie a rapida travessia
des desertos deve ser estudada em geral-
feomo a navegagao-, porque teem etliw tam-
,bbm. suas passageos (bfuceis de venoerj co-
mo no owtrinha as- passagens dos etrei'.os,
doscabos, e das subidasda- correrstes^.
Noo desertos, do < mesma sorte qpH nes-
eoeanos, ha tempestades aaffrontar; e uma
rii/.aO" para estuda-las mais, alim de- que,
oombatendo-as, diHgneraosa croar ?s -que
[haode ensinar*a yence las sempnv c que
dictarao os mcios..para amltnuar aiseguir
t$m eam'mlto dehr/ni-ntto.
Devemos, pois, imitar ospriineincenavc-
gautes, que sobre-navii* poquenos^e a.icur-
'.a-dkstanoia teeir>oatudado a metcarologia
nvirinba para dan leis que, seguiitas pelos
na-vios quo hoje- correm por sobre cooea-
. no, Ibes dao o poder dabrir-se u:n. cami-
nho atravez da immt-asidaJe d.- mares,
para dirigir-so *m..toilo tempo e ppr to
lasasdirecgoes-aum lugar detarmiaado.
omo sulcaiaos navios os mares pare di-
rigirem-.se do um polo a outro, ;i*>itn nos
to machina, napitto airaresssdor des
deserlos, que se cliamara com raais justo
liiulo do que os uimeKos, o noria do deser-
to, atravessartf rapi-taraeute disteacias iu-
catculaveis, pepcorreado as pbnicies de
areia, e yencendo as vagas prodazidas plo
vento.
Somente, im vez de ticarem alquebrados
pela fadiga dns. longas cavalgadas das earn-
vanas, os viajantes ebegardo a fim de-sua
viagem, ccmo os que tomaiu. passagam a
bordo dos navios que hoje alravessam o
Atlantico, e-que chegando nc-porto, a custo
se lembram: que antigamente lbes era ureciso tempo e
jrabalhos infniitos p r. se dirigirem.de um
a outro ponto.
Durante o dascobrimento da A-menes p r
Christavao Colombo, gastcu, este um anno
para abi ohegar e voltar. Hoje quanto gas-
ta ura vapor que atravessa o Atlantico ?
Oj progresso da sciencia moderna nos.
aniaaa para langar os primeiros. marcos da
sciencia nova.q'ie cremos repreeentar, pir
que- assumindo os homens de intelligencia
mais.fresca, se nao mais viva, a continua-
gdo de n ssos estudos, ser-lfaesr-ha facil se-
rem.' snovos Fulton dc um outro Ramsey.
Quanto a nos, pond-) as bases da uma.
nova sciencia, estudarem s_
I
0 ESTADO ACTUAL DOS DESERTOS E DAS'SAIAXan
ao cacao.
A carta geral dos desertos e das savanas
da terra.
Suas alliangas e suas principaes; aammu-
nicagoes, quer com os oceanos, mares, ou
golphos, quer com as cidades, eu eeotros
de coremercio, ou ainda as ouuas eidades,
tendo caminhos de ferro que podera liga-
las aos centres commerciaes-.
II
ESTADO ACTUAL DOS DESERTOS E DAS *ATA!I*S
PARA CADA NAC.VO OUB AS POSSeBJI.
As mesmas cartas parciaes como aeima
dissemos ; mas em escola maior para indi-
car-lhes os pormenores.
Estados limitrophes; suas produegdes,
exportagfies, e importag6e9, etc.
jContinuar-ee-ha),
TYP. DOOtARlO-RUA WIQCB DK CAXU2
[
*


m-
^i^BBIBHBBi


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC9QCQHQH_3L4IGA INGEST_TIME 2014-05-28T01:41:44Z PACKAGE AA00011611_16696
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES