Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16692


This item is only available as the following downloads:


Full Text
. iM'iUEj
M'lii
\
m

m
m

I
n\ A CAPITAL E JLUGABES BSWE SAO SE PAA 4POBTE.
Pot tres mows aiiantados .
Por seis iito* idoui .... ........ W000
anno idem..............fl WOO
Cada numero avulso ............ *4000
................ 320
OJIRiliifEIilA 2 DE OUTLBHO DE 1873

PARA DE MHO E FOJftA 1>A PBO VIKCIA.
Por. tret mezos adiaiitados..........
Por seis ditos idem............'.'!.'.".'
Por nove ditos idem.........
Por um aaao idem.
89750
13*500
20C250
S7JMM>0
PHOPRIEDABE DE MANOEL FI0UEIROA DE FARIA & FILHOS.
"
o, sr, c^do A^^2:;rt!:rves \ S r M7h*o; Joaquim Jo*de o,,veira**uo ^ Autoiuo de ^Brag" *-*! j* ju,i* -*- **. ^'*
dAImuda.en. Mutnangifape ; Augusto Gomes da Silva, aa Parana ; Antouio Jose Gomes, na Villa da Peniia, Belaa-mioo dos Santos Bulcao. em Sa.no Autao ; Dotningos Jos4 da Co^Braga, em Nazareth;
Antomo Ferreira de Aguiar, em Goyanua ; Joao Antonio Machaeo, no Piiar das Alagdas; Alves & C., na Bahia ; e Leite, Cerquinho & C. no Rio.de Janeiro.
Uovei-Mo !a |i-uicia.
K\FEDIE.\TK DO 1)1% 9 DC flIUM DE 187.1
. l' uecHo.
O.Ticids :
< brigadeiro commandante das arnias.-^
Mande v. Exi. por em libordade n leoruta Olym-
pic Lopes da'silva G~
!9
bo
bontem daiado
Gomes, vis'.'i ter provalo is'eu
eao regal.
Au mesroo. De conformidade cum o mu
soMeila u director do .us ri.il Je gu.-rra-ein ofllcio
de hontem datado, sob u. iib\ sirvase V. Exc. de
mandar sabeictter a iosnjtccau de saddo as onze
mancebos consumes da relaeau junta por eopia
osquaes para esse lim llie serao apresentados por
pane do mesmo director.
Ao mesiiit. Inleirado do quanlo expoz o di-
rector do ho>pital niilitar no ofllcio que veio an-
noxoao de V. Ex-:., do !. do Corn-ale, sob n. 271,
-obre a couvenienoia de adoptar-se apparelhos de'
pedra em vez d. de prniio, para o esgulo das nia-
lems fecaea B iqueile esub-dueimenlo, e de acor-
do coin o sou parecer contido no citado olHcio,
aatoriso \. Exc. a iinndar c-dloear alii os ditos ap
parellios, que in cot. testa veliuciite oiIereceuTinaior
aceio eduraciu.
Ao ;iie jpe Tata o meu ofllcio desia dau, sirvaT-se V. Exe.
de mandar lanr.em inspircionar o de norne lir.iz
Jose de Siinta Anna, confonne solicita i, director
sob n. 414.
Ao inspector do arsenal de inai inli.i.IVndj
nesta data antoriado o director do arsenal do
guerre a nundar apresentar a V. S., para serein
aiislados Da OMBpaohia de aprendizes niarinheiros,
os nunorei da Je educan los do incsmo arsenal,
Slmio Hodjjgws dos I'^sos .- l*,.iuieulmo da Con
ivi'.aoj^rtiin o cuiiiimniico a V. S. para os tins
Aqpreetur do arsenal de gucrra. -A Vine.
,'ri* ^St^0 ,'"'c>l",:ir I"''" origadeiro coiuman-
ilante das annas o seiiteuciado, soldado deserloi
-do 9.* bataluao Je iiifanlaria, Jo.io Jose .\gustiobo,
aiim de ijue lac.i inud;ir n t.-rro da poraa itfrefta
para a esquerda, vislo acliar-se soll'renJo da-
qaeUa.
Ao mesnio Pode Vine, mandar apresentar
ao brigadeiro cooiuiamlantc da- annas, para se
rera inspeceioaaUos d(! saude, eoiiw sulieita sui
svti otlicio do IMtotem so!) n. iifi, 09 onze mance
(wis lusncioiiados na rela.io annexa ao teu citado
olHcio.
Ao mesnio. A' vista da incorrigibilidide i>
uienores da eompanhia de edncandos dese arse-
u.d, Simao Rodng les dos Santos Laurentino da
Conceicao, a me se n fere Vans, nn *eu o.licio de
liontem sob u. 4i% autoriso o a maudal os ilevado
trans!erir dajueila para a c unpanliia de apreudi-
les marinheiro.-, t u 'ste seotido dou as neeessa-
lias ordens.
3.' tecciia,
Actos:
0 presidente da provincia, a visu do olli ;io
f-solve exooerar do cargo de snbdelKgado do I."
iiisuicto do crino de Itamlie o aliens do corpo
de policia, A !ton:o Joaquim de Uarros Lima.
0 presideiin! d i provin :ia, de eonfonoidade
1 'in a proposla do ir. chefe di? policia, em "flicio
n. I.illi) de 8 do currents, resolve iwnear o cida-
dao Manoel du Fititas Oaruosa Cordeiro para o
cargo do subdelegaJo do 1." districlo Jo termo de
ltambe.
Designo para substjtuir os alHrcs Ma-
li lei liaynero de Itan'os e JJarcuiino da Costa_
ttapuso, eoniu vugtes do consent)) de julga-
nieulu a tiue lent de respondor o soldado llanoel
Felix de sam'Anna, o> alfeies Pergentino de Mi-
r.mda Piuientel e Aniouio Joaquim de IJarros
l.ima.
Designo para subtituir eomo, Vogal, o al
feres Manoel Itayuero de barros, no ci nietho de
julgameiito do soldado do corpo dd policia, I.au
rootino Correa, o alferes do dilo corpo Antonio
Joaqoitn de Barros Lima.
Designo para subs".ituir, eomo vogal, o alfe-
i i.'s Marcoliuo da i usta Baposo, no eonselho d>' ml-
gameato do 2." targenlo, Tnomaz de Aquino Alen-
cistro, e outras pracas do corpo de policia. o te-
nente Flavio itn*6 dos Saul os e Silva.
i ;li--ios :
Ao juiz de diieito inlerino lo Baique.In-
teirado de quauto Vine, me comnmuica em seu
olflcio de J5 do mez proximo pas.sado, lenlio a di-
7.1-r-lhe que por ora nlo pode ser augmentado 0
destacamento ani euisteute.
Ao mesmo Approvo o cmlracto, feito por
Vine, do alufcuel de uma casa para servir do
quartel do destarainento e de eawts nesaa villa,
polo prego de Iti^ menaes; conviudo que declare
a queio tui ella alugada.
ponsalnlidade desta pr..-sidencia, proveniente dos
soeeorros enviados a commissio encarregad.t do
tratamentn dos indigenies accommettidos da va-
riola no termo de Uaranliuns.
- Ao mesnio. -Tendo em vista os Inclnsos prets
em dtipliuata que transmiiln, mnnde V S naitar
ao lenente Firmino Raposo de Mello Pateao a
quanlia conslanto dos mesoios prets e relacsb re-
;ittva aos vencimentos das pracas do batalhao :i.
in guarda nacional deslaeadas na villa do Ca-
B ao fornccimenio d'agtts e luz para o iriesmo
qnaricl durante n mez de junho findo, confonne
solicitou o respectivo commandante superior inle-
rino.
Ao mesmo. Em cumprimento do aviso do
ministeno do imperitr, de 23de junho Undo, co-n-
numco a V. S. que foi autorisado pela verba
soeeorros pahheos do exercicio de IS72 a 1873
'.' SS^jJ0 2:0-s*l'''0 Pa cofcrtr as despezas de
l:)i5ylp,provemen!e de drogasfornocidasaos na-
vies surtos no porto, n a de TiioiOOO provenienle
las gratilicaeo-s vencidas em marco e abril ulti-
nw pelo pessoal empreg id no servico dos memos
desu.reccao os qrn.es loram mandado- patrar S'b
respnusabiliJade deals presidencia.
Ao mesmo. Communico a V. S. para os'de-
vidos lm que a 1 do corrente dcixou o bachare!
Antonio Paulino Carafcaate de Albuquerque o
exercicio do cargo de juiz municipal e do ofpiwijj
do lerui i de Caruarii, p >r motivo de uvdeslia.
Aom.'smo.-Traii.-mit'o a V. S. por eopia a
portaria I'esia data, pela qnal resoivj aorir, sot,
nunha responsabilidade e n -s lormos do decreto
ile I de fevereiro de ISoioo:; ;i verba eventuaes-do minislerio da
inarinha para occorrcr ao pagamenln de gratia
ra;cVs,.-,rbitradaspor aviso, de 9 de junho findo, do
mesmo mimslcrio, a quo allude a sua informal)
soli n. 430 aerie D, exarada no requerimento do
.-eir.'lario da c.pitania du porto, Decio de Aquino
Fonseca.
_Ao inspector da ttteMnnula provincial
Na cmronnidade do oti3 solicitoa a Dr. chefe do
policia em oAeie de bontem datado sob n. Llnii,
mande \. S. pagar ao ilferes Marlinbo Avelmo do
Albu jnerqu-, ou a seu proeorader lain liajitista
Guon.ir.ies P. ixoto, a ipiaatia de ISSfiliiM). cons-
tanle da ennfa que remetto mdnsa, proveniente da
despeza con o sostento dos pres.s pobrcs da
ea-leta do term de Garanlms, feiia durante o mez
de m.'.io ultimo.
Ao mesmo.-Nesta daia approvei o contrac-
to feilo pelo juiz de diretto l.nterino de Unique, de
uma ca-a pela preco de lOiiiOO mcnsai's, p,a-a ser-
vir de quarlcl do destacamento e cadeia naquella
villa ; o que communico a V. S para seu conhe-
eimento.
A-) mesmo.-Tendo por acto dosla data e de
acordo com a informacao do engenheiro cii-fe da
reparlMjao das obras pulAeas, dchoje dalada, re
o major JoseThomaz Pires Macbado Por-
trlla. arremala-de do> reparos da eslrada de "u-
rnVfui, da nmlta 0m quo incorrcu por baver
exe cado para a eooclusao dos me-mos. repnroe ; as-
sim o d cl.-.ro a V. S. para too coiilie.-inwnio a
lins i.-onvenientes
Ao mesmo.('onfurine solicitoume o tenen-
te-coronel conunanianle do corpo de uplicia em
sen ofllcio datado do 7 do corrente sob n. 388,
mande V. S. pagar a conta que remeUo inchisa na
impirtancia de 80^9-(>, de despezas feitas no quar-
tel do ref.-ri lo eerpa desde os Inezes de Janeiro a
junho findo.
Ao mc:smo. Tomando em consiJeracao o
que expoz aovamente Candido Jose da Silva Gui-
maraes no incloso requerimento, acerca da eo-
branea do Imposti rabrn b^biias espirituosas em
que loi collertad >, resolvi que .Oeasse o suoplican-
le iscuto do jiagameuto de tal imposto, vi>to eomo
dos do.utmenlos.aunexos t.imbein a iuclusa pcticao
a que allude sua iiiformae.i) de 21 de mrio desle
anno son n. 198, esta provado que o recorrente no
exercicio de 1863 a 1861} nao leve em seu nomo
estabeleciinento de recol or.
4." teccao.
Offrio :
Ao Dr. Manoel Lopes da Cunha Maciel(em
Garantiuns) Com a remessa do ineluso mvolucro
contendoseis tubos capillan'scom lympha vaccinica
lica respondalo n ollicio que em 26 do mez Undo
me foi Jirigido por Vine, e pelos demais.membros
da commissao encarregada de soccorrer os indi-
gcutes atacados da variola nessa villa.
a V. Exc, em resposta ao seu ofllcio de bontem
data lo sob n. 690, que ao director do arsenal de
guerra se expede ordain para laser uiiidar de tuna
para outra p-rna o fe ro do seulenciado niilitar
Joao Jose Agostinho.
Ao mesmo.De ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia, scientifico a V. Exc. em resposta
as offlcros de hor.tcm datados gob us. 691 e 692,
qoe licain ex|iedY serein traiisi'ortados, ao Rio Grande do Norte a
m
5." seeaio.
Ao coinman )an e Jn corpo de |)olicia.Pode
v.tie. elimiuar do corp-i sob o seu commando os
soldados, Manoel AthdB.sio dos Santos, Antonio
Fete da Silva, Antonio Ferreua dos Anjos, Sabino
Joao G(iii.ac) da (.rut, H'clismino Mcudes de Oli-
vein, Antonio Franci-oo de Miranda. Jos6 Ferrei-
ra de Paula, Joio Severiuo dos Santos e Ltl.'z dos
Suilos Alves Bezerra, dos quaes irabrO seu ollicio
n 34i, de 17 do mez proximo passad i.
3.' KCfSO.}
Actos :
0 presidente da provincia resolve noiuear
j>ara tiscal da colleturia provincial do municipio
do Bom Jardim u bach ire, Manoel T'-rtulmiii Tra-
vassO d'Almeula, tlcando sem effoito a bomoaoao
''.' Joaquim Pen;ira Arraes, feita em 4 de junho
ultima
0 presidente da iiroriucia, tendo em vista o
requerimento do secreiari) da eapitania do port ,
H'cio do Aqumo Fjnce.'.a, (pie totieita o paga-
meuto da gratilicacao artitrada p r aviso de 9 de
juabo flndo, do minislerio dos iitgocius da mari-
nha,como remunerac.io do exercicio interinu de
capilio do porto, de':de 30 de Janeiro ate 22 de
maio do corrente anno, t alieadeod a iuforma-
cSo do inspector da th 'souraiia de Cazenda, sob n.
V :G serie D, resolve itrir, sob a respmsabilidade
da presideaeia n uos tor n.s do decreto de i de
fevereiro de 1862, o credito supplementar de.....
l2o.'3i a verba-Eventuaes-do miuisterio da
marinba, aSm de pocer a mesma tints turaria oc-
Correr ao pag.imeuto da mencionada gratifica^ao.
Ollicios :
Ae inspect-* da liiesoararia de fazenda.
Itometto a V S. a iuclusa coota em duplicata da
qiantia de 723, JespiHiJida com a remessa do re-
cruta PeJro J.ise de L ma, feita psfc) Jclegado do
termo de ltambe em 30 Je junbo ultimo, aiim de
booza e Silva, na comt.rmi jade do olHcio do Dr.
chefe de policia, datado do bontem, -ub n. 1197.
An m-i'iri !iimminicn a V S. j ra -eu
CoUiieonuouiu -j e.\o.:..i;.i. qae, .segUi||J avi-u de
21 de juulio ultimo, da mi iisterio d.). neg >cios da
fazenda, foi cenctdiJa a.) major Ailonso ee Paula
e Albuquerque M irao i dega desta pr-iviocia, a prcajfrftceu^a "para au-
soatar-se de sua rep.;r;icao totrante o tempo cm
uue funccionar a aiwei ibli'Tlfjtislafiva provincial
do Rio Grande do Noit da qual e rnvmbra.
i Ao me-uio. -Coinamjiooa V. S. para os flns
convenienies quo por avjsc da uunisti rio i
perio, de 23 de junho Cniio. foi c.ncedi.Io peta
verbasiecvrr s do-exercicio de 1872 a
o credito de 230.1000 para occorrer as des-
- da igual quanlia, uandada pa^ar so!
Actos :
0 presideute da provincia, attendendo ao que
reqneren o major Relarmino do Rego Barros por
si e sens socios, contractantes da empreza de assen-
tament > de carris de ferro nas ruas desla cidade
para transporte de mercadorias, pedindo se firme
a intelligencia do contract) celebrado com a pre dencia em 12 de abril d"o anno pa-sado, relativa
mente sos arts. 16 e 8. e tend i em vista a infer
macio do eugenheiro chefe da repanicAo das obras
publicas, de 7 do correute sob n. 270, resolve de-
cjararque osreferides contractantes pelo art. >6
sao ohrig^dos a conservar o cal<;amento dentro dos
trilhos e mais trinta e tres centimetros para cada
lado dos mesmos someote, e bem assim que os
mencioaados contractantes podem assentar os t/i-
Ihos pas pontes por entre-os da eompanhia Ferro
Cnrril de Ptrtumbnco, com tan to que conservem
guarda--vigias para evitar os encontros dos carros
dessa com os daquella eompanhia.
0 presidente da provincia, alt mdendo ao que
requereu o major Jo.-c" Thomaz Pires Macbado Por-
U;lla, arrematante dos reparos da estrada de Mil-
ribeca. ? tendo em vista a informacao do engenhei-
ro chefe da reparticio das obras publicas, de hoje
datada arrematante fez mate-obras do que estava obrigado
pelo seu contracto, e istu gratuilamente, resolve
releva-io da nmlta em que incorreu por ter exce
cido um mez alem do pram que the foi marcado
para a cmclusao da mesma obra.
Offlco :
Ao engenhh-iro cUefe da reparticao d.is
obras publicas.Tendo por acto d sla data, e de
awrdo com a sua iufonnacio de hoje datada sob
n. 274, reievado o major Jo*e Thomaz Pires Ma-
chado Portella, arrematante dos reparos da eslra-
da de Muribeca, da multa em que incorreu por
haver excedido um mez alem do praso que Ihe foi
marcadj para a conclusao dos mesmos reparos,
assim o communico a Vine, para seu canheciraen-
to t Dus ..oiivenientes.
Portarias :
Os Sri. agentes da eompanhia de uavegacao
braiileiralinandeiB dirpassagem para aBa'ia, por
cJnta do minislerio da marinba, no vapor que se
espera do norte, ao pharmaeeulico da annaJa,
Fraucisco Quirino Bastos.
0? Srs ageutes da conipauhia de navegaQaa
brasilelra mandem trausporiar a ctirte, por conta
do inim-terio da guerra, no vapor esperado do
imrtf.o soldari) do 2 batalhao de iufanlaria Auto-
nio Fiauc'iMto de Sniiza, que vai respondera eon-
selho Je guerra pelo crime de desercao, alii com
mettido. .
Os Srs. agentes da eompanhia de navegaoao
brasiloira inaulcm dar transporte para o Rio
Grande do Norte, no vapor Ptrd, por conta do mi.-
uisterio i!a guerra, ao soldado Manoel da Silva,
que foi transfjrido do 9* batalhao je infautaria
piraa eompanhia daquella provincia.
EXPSDIEiNTIi Do SKCRKTAUIO
1J seecii).
Offlcio, :
Ao brigadeiro commandante das aroias. S.
Exc. soldado Manoel da Silva Paz, e a corte o de nome
Antonio Fraucisco de Sonza, esto do 2 e aquelle
d j 9" batalhao de infantaria.
2.' srrrao.
Orfirios :
Ao Dr. chefe do oilicia.0 Exm. Sr. pre-i-
dents da pnviicia nntata declar.ir t V. 'S. quo
approvou o conlracto feito pelo juiz de direilo in--)
terino do Buique, de uma casa pan s :rvir do
quarlel e cadeia naquella villa, pelo prec.) de I6i
mensaes.
Ao memo0 Exm. Sr. prosilmte-di pro-
vincia manda transmittir a V. S. a titulo jun'.o de
nomeacAo do subdidegado do 1" disiricto Jo termo
de ltambe, de conf'rmidrtJe coma proposla de V.
S. em offlcio n I,'99 de hontem datado.
Ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda deela*nr a V. S., em resposta ao sen
oQb'.io de ontem data I sob n. 1,1 6, que nesla
data expedio ordem a ihesntirariai,provincial para
ser satisfeito o paganism i do ipte-thrta o moflrfo-
nado olHcio.
Ao mesmo. -S. Exc. o Sr prosi-tenterda pro-
vincia manda Jeelarar a V. 5. que por ollicio des-
ta data I'Xpediil ordem a Hies mraria de fazenda
para pagar ao to nenie Anti nio Jo-e de Souza e
SiUa a quanlia de 73200, desp.mlida ertW a re !
messa do recrnta Pedro Jose de Lima, feita pelo
detegado de ltambe o que co umunico para seu
conhecimento e (ins ronvenienli's.
- Ao commandante MipTir do Gabo. -Sua
Exc. o Sr. presidente da in vni-it man la decl.irar
a V. S., em resposta ao sen officio datado do 5 do
corrente, que nesta data expedio ordem a lliasou
raria de fazenda, afim do ser eifeciuaio o psig.i-
nento que solicitou era o s>m o;H-io nieneio-
nado.
Ao bacnarel Antonio Paulino Gaval -ante de
Albuquerque. -O Exm. Sr presid nte da provin-
cia manda a:cu-ar p receliioitiiiij do i.lHcio de V.
S., de 1 do corrente, em ano participa ter nessa
dala deixado o exercicio do carg-i de [nft munici-
pal e de orphaos do termo de GaPBftrQ.
Ao coinman lante ifi corpo dj policia. -0
Exm. Sr. presidente da provincia mm-la trausnii-
lir a V. S. as pji larias juntas, JeSlgiand i of(l;ia^>
do corpo sob o seu com iwmn para snbs'i'uirpm
oiitros no-eonselho de jilljiaoienio a que tern de
responder diversas pracas
Ao mesmo.De ordem de S. Kxc. u Sr. pre-
sidente da provineia, dectaro a V. s., em resp.su
ao seu ollicio dil.ido do 7 do correute sob n. 3 18,
que nesta dala forani ex/udiilas as nece*saria< or-
dens ii thesouraria de fazenda, aiim de ser satisfei-
to o pagamento das despe eor|KJ Oc j* atoi. a%'U; jwi'.-i*--* .* in-
uho ultimo ; o que communico para seu coulwci-
mento.
3' seecii/.
Ollicios :
Ao inspector da ihesouraria provincial.S.
Exc o Sr. presidente da provincia manda d clarar
a V. S. que por portaria desta data re;o!eu n
raear para fiscal*da collecioria provincial do mu-
nicipio do Bom Jardim o bacliarel Manoel Fena-
liauo Travasso de Almeida, licando sem effeilo a
notueaca > d^ Joaquim IVreira Arraos, feita em 4
de .iunn > ultimo ; o que eonmuuieo iiara sei^o-
nliecimento e deviili.s tins.
Ao mesmoS. Exc. o Sr. pre-ideute-da pro-
vincia manda deciaiar a V. S. que por portaria
de bontem datada nonieou para fiscal Interind da
colleclori* provin-ial o cidadao Julio Cesar Caval-
cante de Aiiiuquercpie, ficaudo sem effeito a in-
me.e;ao do i^e-ana Beuevides Ralcao, feita em 28
de maio ultimo : que communico para os devidos
tins.
5' secciio.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da ropuiicao das ooras
publicas S. Exc. o Sr. presidente da pmviacia
manda communicar a V. S., para seu eoaUerimeti-
to e fins convenienies ,cjue por acto desta data, e
Je acordo com a sua informacao de 7 do corren
te sob n. J70, rvsofveu dc-lirarque os contractan-
tes da empreza de assent unento de carris de fer
ro nas ruas desta cidade, para trausporte de mer-
cadorias, sao obrig idos pelo art. 16 de sett contrac-
ts a conservar o calcamento dentro dos trilhos e
mats 33 centimetros para cada lad > dos mesmos
somenle. Outrosim'que podem elk's asseuiar os
trilhos nas pontes p;ir enire os da eompanhia-
Ferro Carril de Pernambuco, con tanio qne te
uham gnardas-vigias paraevitir .is encontros d)s
carros desla com os daquella ompanhia.
. Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., em re.posta ao seu
offlcio do hontem datado sob n. 272, que licou in-
leirado de haver o Bario d. Sjleiade, contractante
da cousiruci^o da estrada de ferro do Recife ao
'Limoeiro, declarado que vai dar eomeco 4s obras
da mesma estrada, parlindo alem da povoai;ao de
Caxanga na distancia de 1! e cidade, e nao do sobrado grande da Passagem da
Magdalena, eomeco do irajo indicado nas plantas
approvadas pela presidencia, por na) estar fixado
oponlo de partida nesta cidade ; o que depende
ainda da approvaeao da mesma presidencia.
Ao gerente da comnanhia pernambucana.
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
pode V. 8. fazer seguir para os port>s do norte e
Milale a Granja e Aracaju, no dia 13 do corrente
as:; boras da tarde, o> vapures dessa corr.panhia,
Pirnpnma e Jfand /in, confonne Solicit* em otH-
cio de hontem.
Cojuiu.iuilo superiaxr.
IJOAHTEL 00 COMMANDO SUPERIOR IMKKl.M) II.V
i;UiD.i_,1.VCIO.XA.L DO MUNICIPIO DO REI'.IKE,
29 DE SETEMDRO DE 1873.
Ordem do dia n. 130.
Para os devidos tins, scientilico aos coruos s ib
men commando qtre por portaria de z4 do cor-
rente, o Exm. Sr. commendador presidente da
provincia, iransrerio para a 7.' eompanhia- do 3."
batalhao d- infantaria o teaeule quartet h->sire
do l. da mesma ar-vi, Adolpho Pereiia M.mti-
uho, o que por portarias de 27, fi.ram nom.-ados os
Srs. O.ll.-iaj*aliaixo declarado* :
" #9UADRA0 DE CAYALLARIA.
L* couiparthia.
Tenertte o alferes Man .el do Xascimento Po-
re; ra.
2.a eompanhia.
Capitau o teu Mite Ro que Jacint!io de dltveira
c Souza.
* BATALHAO DE INFANTARIA.
2- eompanhia.
Alferos o.guarda Adolpho de Itrito Tavares Cor-
deiro.
3.* dita.
Capita) o ten.nte Jose Clementino Henri.mes
da Silva.
Tencntoo>alferes Joio da Silva Guimaraes.
4.' dita.
L.-piMo djemoiie Jose Vital de ^'egreiros.
Teneute-oalferes Francisco Augusto de Aituiar.
S,' dlla.
Alferes o guarda .1 se Joaquim Fernandes Ju-
nior.
6.' dita.
Cipitai n*teu-nte Le.mcij Quintiuo de Castro
Leao.
7.' dita.
Teneute o alferes Ant-mio Adolpho Leite do
Rego.
8." dita.
Aliere- u guarda Camlido G-mcalves Tnrres.
Alferes o guarda Raphael Francisco Pereira.
F..co mais pu'.lico qne nesta data apresentou-
s<- e assumio iuterinaiuente o commando do 7."
batalhao de intintaria o Sr. capilio Audrii de Si
Alb iquerque.
E para que prndnza os devidos eff-itos, publico
o resullado da, in*peccao medica procedida na
secretaria ueStc commando, em 26 do corrente.
I.' bat.illiiw de artilharia
Cipitai Ariiimii ti.K,oa de Albupierquc, inca-
paz do servirii aciivi.
I.- batalhao de infantaria.
Capiiao J ia piim de Souza Silva Cunha, inca-
Suppressfii. de mlo benoficio, assim eomo de
lodosos unpostos, e do quaesquer gralilicacues pa-
s pelos servico* cspirituaes. Em compeusac.io Sov
enchem as hurras de diversos cslabeleclmentos do
credito. Alguns bancos cstao cm via de liquida-
augineuto dos salarios dos padres ;
Prohibicao da recepcao do dinheiro de S. Pe-
dro e do eonniiTcio de venda de indulgencias ;
Reducca;, tamo quanto for possivel, das con-
franas, das perigrinaeoes, das peniteneias o da
canouisaciio dos Santos ;
Seeularisaeao dos eemitorios publicos, e de
oa'.ros lugares desiinados para sepulluras ;
Ceremonial identico para todos os euterros,
quor de ricos, quer de pobros :
E-lalHecimento de escola- nao sujeilas ao
conlessionario.
- A final, esia resulvi la a visita do rei Victor
Emmanuel a-exposiriio de Vienna. Communica-
roes offlmaes j.i foram feilas a corie austriaca.
s. Magestade partira em meiades do corrente
mez, e farao parte do sua comitiva : o presidente
do eonselho do minislros. Mr. Minghelti ; o mi-
ni Rosidira, durante. os seis dias quo deve aqui Je-
morar-se, no palacio da Biuij (cidad-q.
- 0 estado (inanceiro do i-nperio, austro-huu-
| garo e desagradavel. 0 governo hungaro depois
de ter contrahido um einpresiimo de o milhdes de
florins a diversas oasas commerciaes 1e Vienna,
conlrahio igual einpresiimo com a sociedade ma
ritima de Berlim para paear os coupons do mez
dejnlho. Agora mesmo falla-so na pra;ade mais
dons emprestimos de 30 milboes cada um.
Quasi toda a receita.dcste imperio. e a maier ;
parle das sommas pedidas emprosiadas nesta praca
enoeslrangeiro, 6 consumila com a nianuteii-
pto de um numeroso exercito sempre em pe de
guerra, cojn-fortificanoes e preparos de grandioso
trem de guerra.
X;io e por cerlo inwjavel a actualidade do novo
anstriaco.
Hoje devem concluir-se os Irabalbos do cm-
gresso medico internacional. Do resullado Ihe
daroi conta na seguinte carta.
Os medicos que por pane do Brasil to ma ram
As despezas des.a^geu, eorrerao por conta dos *!$??*** CWU'*"**.
da llali.i, paia o que o presideu-
pedira autorisaijao ii cainara dos
le-l:. cida-
a Paris.
I"
do scrv)
i activo.
3." batalhao de infantaria.
Capita i J-'Se Eleuterio de Azsvedo, incapaz do
servico acl^'u.
iifc.' batalnao de infantiria.
liuarla Riiierio CauJiJ i de ORvaira, incapaz
do srrvH;i> .n-|i\ i.
^{ia se de servico durante o mez
tubro
o Sr capiia > aju lante do ordei T interi-
wi d.i sirva i*arl. -- -
Rtdolpho Joiia Hara'a de Almeida,
Coroiiel commandante superior interiuo.
Aos agentes da eompanhia de mvegacaobra-
sileira.-O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da accusar a recepcao do ollicio de Vv Ss de
hontem datado, no qn.al parlicipam que o vapor
Para, chegado dos portos do sul, seguira para os
do norte hoje as 5 horas da tarde.
bkspachos da I'rtKsiDR.sciA Di: 3D os s.-.Tiiiaao
d^ 1873.
Anna Augusta If. Jorge.-Infonne o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Antonio Leite IWira Bastos. Infonne o Sr.
commandante superior da guarda national da ca-
pital.
Benjamin Ismael Al .ares Santos.Seja proviso-
namente nomeado o supplicante.
BcrnarJ-uo de Senua Wauderley. PrejuJi-
cado. '
I Francisco Antonio Lopes.Idem.
Jose loaquim de Sani'Anna Guerra. Deferido
COM offlcio desti data a thesouraria do fa-enda.
Joao Antonio da Silva Pireira.-P^e portaria
roncedeDdo a prongaeao pedida.
Jos# Atttunfo Pereira Junior.-Prrjudicadj.
Jose Ignacio d'Avila.lufo/me oSr. Jirector das
obras publicas.
Joaquim Rento Freire de Araujo.Infonne o Sr.
Dr. chefe de policia.
Luiza Alves Piuientel. -Nao ha vaga
Miguel da Silva Tavora. Como requer
.Manoel Jaiuario de Arruda. -IuLr'ne o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazeuda.
Manoel Accioli Santiago Ramos.- Prejndicado.
Secretaria da preside ncia de Pernambuco, t do
outubro de 1873. o p
SUvmo A. RodiigViei.
(Ki*l<>ii*tii*il da pnlioiu.
,,-,-rao. denretarin da policia do Peruambuco
l. de outubro de 1873.
N. 17J3. lllm. a Exm. Sr. Participi a V. Exc.
pie, das eommuuica-.'o'e! recebidas hoje, consta
Hue f^r.mi r v- .Ibid.is h mien a casa Je detencao os
iudividuos seguintes :
A' ordem do snbJelegado de Santo Antonio, Sii-
verio, escravo de Ait.mio Francisci Pereira de
Lyra, e Guilh-riu e GusinAo, a re pieri-ivaU Ao* respective >enho-
res.
A'ordem do d i l." di-lriclo de S Jo*e, Ange-
lica Maria da Ci.nceio.io, por 'li.-turbios.
A' in len do do 2." district., de S. Join, Idalina
Mariadis Neves, e Beuelieb., escrayu de um fu-
Ian') PinfieuM, por desordem
A' ordem lo da Varzea, Apolinario, Jose dos
Santos e Ciilos Mannho Falcao, por eriaVriagom
e desor Jem.
Seguudo i'ommonicou-me o subd'Iegado da Boa
Vista, em oillu'o d- hontem, a oiio Ivras mais
ou meno- da manha do mesmo dia, a rna da Sau-
dadedaquelle districts, Jorge de tal ferio grave-
mente cm um secgata a Demetrio Gregorio do
Nasewnenta loagr.i^ e'vadir se; fez-se o corpo de
delicto e pmscgue-se nos termos do inquerito.
Em offlcio desla data communicou me o sub le-
legado do di-tricto de S Jose o que, pelas sete e
meia horas da noile de hontem, em um portao a
rna do Man|uez do Herval. u n inlividuo, ejnlie-
cido por Man >el G.ande, ferio mortaimente com
uiia faeada a Luiz ntonioGoncalves Junior, con
.-.noiiilo evalir-so ; o que a tal respeito procedia
quo tetmos da lei
Fio;ilniente, a ordein e tranquillidade publicas
nao soirreram alteracao.
0 que tudo coinmunico a V. Exc, como mt
cuuipre.
Dtas guarde a V. Exc. -Illm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Luceua, dignissi
no presideate da provincia. -0 chefe de policia.
Antonio Franci.ic> fktrea de Araujo.
1XTERI0R.
mlcucla partieiilai*
io de Pcrnanibnco.
do
VIBW D'aUSTBIA, 8 DE SCTFMBHOPB 1873.
Os relultados d.i crueza com que a curia roraa-
na temvataflo os lilbos da igreja de Chrislo, per-
s^guidos e espesinludos sob frivolus pretextos, ja
vao appai'ccenJo.
JJao era possiveJ que, neste secul), podessem
sit revividas as theorias absurdas do reiuadu da
inqiiisieao: a n accao uao se fez esperar, e luta
terrivel se iravou eutreos fllbos da igreja catholi-
cs apuitolica romana.
Por dlda a parle, garantidos pelos poderas civis,
que uao pd.-m mais o sen gladio a di-pusi.-ao do
puder ecclesiasiico, reagem os catholicos contra o
despoiismo clerical, qua Ihts quer tirar os direitos
de cida^aos, e negar-lnes o uso da boa razilo.
Infelfjinonte, desta luta, provocala pela uialJa
de de validos que abusam da fraqueza do septua-
genario chefe da christaadade, vai resaliando a
d.visao da igreja cathoiica, qne. a nio ser soccor-
SiJa pelo Espiriio Santo, iuspirando ao seu chefe
utro pensar, em breve sera retaliiada, perdeudo
a sea unidade.
Por toda a parte, em que o noder clerical tern
procorado exeroar o seu despoiismo, scbirinas so
v0 creando que promettera croscer o tornar-.-e
realidaJes.
Na Allemanha sabe-se muild o que sc tern pas-
sado, irincipalmente depois da promulgacao do
dogma J.i infjilUbiluiade ; e sao grandes os pro-
gresses que fazom os catholicos aule-iufallibilistas
proteitidos pelo governo germanico.
Na Snissa a sociodade dos catholicos liberaes,
ha bouoj fuudada, tunbein fax prugr s..
Gelebraraiu elles no dia 31 do 4*suik', uma
numer na e iiuponente ses.k> pobUea, em quo vo-
idade, muitas reformas, enire
es, que parecem betn graves,
e*eon?tituem um vt-rJadeiro sehisma :
Adopc2o.da lingua vulgar para todo o servi-
(a) diviuo ,oofti icep4ao da Mitta.
cofres pnbNcos
te do miuisterio
d"putados.
C.rre nos circ^ilos dipl-miaiicis quo
do ira S. Magesuide a Berlim, e depois ..
fc.sUs entrevisUs futuras dos citados iuiperanles
tem servido dethenias a milharesdeconjecluras no
mundo politico.
Acreditain alguns po iticos quo deila* resultara
uma triplice aiMaoa em favor da unidade da Ita-
Ihi, e eui prejuizo das prelencdes da curia rema-
ua, que, conlando com um p.issivel apoio da
Franca, arre.liia M rejtabeleciment) do poder
temporal dos papas.
0 uue houver em breve soara.
No dia I do correnle, anniversario da r :vo-
luciO que derruboii e hnparlo de N'apoleao III, e
proclamou pela terceira vez a repubbca em Fran-
ca, parliopara Berlirn um trem lo camin'io de fer-
ro condu/indo as ullimas prestaoSes da indemni-
sacao do guerra devidi pela Franca a Allema-
nha.
N> dia 17 do corrente eaten evacuado o terri-
torio Trance', pelas tropas allemaes
0 prompto |i,u:iiii,-mo da enorme indemnisai;ao
imnosla a Franca pelos tem veucedores, (wga-
mento feit i muilo antes d.o sen venciiiienlo, e sem
neccssida le de auxilio alheio, atlesla o grao de
vitalilai.. daquella p;iz, e do patriotismo sem ri-
val de sous lilhos.
Iiifelizmenie ainda se nao pode considerar con-
soliJada a forma de governo ultimamente aceita,
e eleiuentos de novas lutas fratricidas se e>lao
aci-umulando.
0 partida que des:ja a restauracao da monar-
chia augmenta em proselyiismo, e couta ter o
apoio do exercito ; e nao esta 1 onge o dia em que
graves acontecimenlos venham a por em perigo a
ordem uaquelle paiz, diguo de todos os respi-
tes.
Alauns jornaes. e entre ouiros o Timis, noti-
ciaram .pie a Porte Ottom.uia, julgando se olfen-
dida, por ter o imperador Francisco Jose recebido
o principe da Ser via semquelivesse side apreseu-
tado pelo sou represenlanle em Vienua, bavja re-1
solvido retirar o seu embai.xa.dor, Cabonii-Pacha.
Nao e exacta e.-ia noticia.
EMtna a maior intenle cordiule eutre as :ortes.
t)a visila do princqie Milan a esta capital resul-
bm apenas licar eslabeleciJo que a Servia se fara
represeutar aqui por um agento diplomatico como
j.i sueecdo com a Ueumania.
0 rei da Drnjinnrca e espcrad) aqui por to-
lo esle mez.
Muitos incenJios liveram lugar in semana
passada.'
Como ja tenho ditO rar > & o dia om qne se nao
conta d )iis ou mais incendios na cidade ou nos
setis suburbios. 0 maior que registraram os jor-
naes foi o que destruiu quasi toda a cidade de
Urssnitz, deixanlo mais de 1,000 pessoas sem ha-
bitagao.
Os prejuizos causados excedem de m:io milhao
de florins.
A candade publica nAo se tem feito emerar.
Em favor das victinias deu-se um concerto na
Bh.imensale, sita uo Pork Ring, que produzio a
SDBHna liquida de ml florins. Subscripcocs est'io
aberlas ; e e3pectaculos em jliversos Ihealros. e
concertos em alguns jardins wncurrerao a alliviar
os soffrimenlos dos prejudicatlos.
A aemana finda foi um poueo aziaga para o
commercio.
Alem de varias quebras, alguns roubos foram
commeltidos por empregados de algumas casas
banearias desta cidade Desvio de 70.000 llorins
na Vereinsbank (sociedade ban:aria); roubo de
60,000 na Credit'instill (institdto de credito) e
quebra fraudulenta de um Sr. Justo Frederico
Rcthschild (nao pertence a familia dos banqueiros
Rothschilds) ; eis o mais impcrtante.
De todos estes lactss diz-se que a mulher foi a
causa verdadeira.
Abrio-se, e acha-se funcciouando aqui um
congresso niiteorologico internacional. Muitas po-
tencias curopeas estiio ali representadas. A Ame-
rica do Norte e a ;iiina tambem sao representa-
das por delegados especiaes.
Sob proposla de Mr. Buys-Ballot foi dada a pre-
sidencia a Mr. Stremayr. Foram eleitos vice-pre-
sidentes os Srs. Charles Bruhus (de Leipzig), H.
Wild (da Russia), R. Scott (de Londres). Secre-
tarios, os Srs. Neumayer (le Berlim), Solinke (de
Karlsruhe), c Buys-Ballot (de Ulrecht.
Esta na ordem do dia o problema do conheci-
mento antecipado das depressoes athmospbericas
sobre qualquer ponto do globo. 0 Dr. Jefinek ja
pronunciou sobre este assumpto um imponantis-
simo discurso, <|ue foi muilo applaudido : outros
oradores >e in'scieveram.
Hmtem a noite, o nosso ministro o bario de
Porto Seguro, deu uma pequena festa cm sua
casa para commemorar o anniversario da inde-
penJencia do Brasil. Cunparecerarn todos os
membros da commissao da exposipao com seas
Camillas, e alguns outros brasileiros aqui de pas-
sagem A festi foi gingela, porem muito amisto-
sa : esieve animada. Na occasiao da ceia alguns
brindes se flzeram analogos ao dia 7 de setembro :
e o Sr. Manoel de Araujo Porto Al-'gn", anciao
disno de todo o respeito por suas virtudes e illus-
Iracao, recitm uma linda e enthusiastica poesia
em que historiou eloquentemente os factos mais
iuiportantes da nossa emancipacao.
Finalisou-se com o brinde de tnnra a S. M. o
Imperador D. Pedro II.
Vai muito pouco animada a exposi.-ao. A
coucurrencia de visitantes diminuio repentinamen-
te: dias ha, em que o palacio da exposic.ao este
deserto.
As noticias adrede espalhadas de que o cholera
assolava Vienna, e a especulacao dos donos das"
hojpeJarias, que suppunham chega la a occasiao
de enrique-:enm, espoliando os estrangeiros com
enormes contas, coacorreram puderosamente par*
o fiasco que esta fazendo a expoaicao austriaca,
digila de nielhor resullado.
_0 estad i sanitari >da cidadecontinnao mesmo:
uao ha altera./ao nolavel na mortalidade, que pouco
diffore da do anno passado, embora o augineulo
ilagi) com facto da exposicao.
Ojnereio eui g.-ral torn soffrido muito
com asi^^Htdas quebras que tem havido, es-
peciatmeote na Hungria. Nao' ha contianca na
pra.a de Vienna, e os capitaes tom-se retrahido ;
mais de 25 un'liJos Jisponivcis e- imprductivos
Pizarro, Joaquim Monteiro Cauiiuioa, Luiz
Alrarcs dos Sanl-s, Benjamin Franklin Ramis
Ga vao, Antonio Gabriel do Paula Fonseca, Oscar
Bulhoes e Carlos Ferreira Penna.
A. DE A.
t^mnpcai). 13 do ngosto do
1893.
Com satisfaclo Ii a orrespon loncia datada de
Ponte-Pora, que se occupou desta commissao, e quo
foi publicada no sen c nceiluado Jornal de 17 de
maio ultima
Informad) miniiciosamente do tula o que diz
respeito aos trabalhos da dem.1ica.ao dj nossa
frouieira com esla republica, vou tambeincommu- .
nicar-llie o quo sei, em eontinnacdo da quo ja foi
puldicado.
Depois de insano trabalho e de muita perseve-
ranca foi conclnido o levautamento das cabeceiras
do Apa.
Acabo de veres-e raappa, one e muito e mui'o
minucio.-o e conipletamente differento de tudo
quanto exi.-tia.
Sei que nao hoiivo verlente que nao fosse ex-
plorada, e para se aquilat ir desse trabalho basta
dtnr-sc que a linha total dos levanlamcntos feitas
mean proximamente 100 leguas.
A escala 6 de 1 para oO.OOO, quo ja e sufli-
cienle para muitos detalhes. que nao Ihe tal-
lam.
Osdous bracos -Estrellae Apa-sao separados
por uma cochilha forte que da nascente ao ramo
uos Dourado-i, em cuja margem esta a nossa colo-
nia deste nome; mas os Bourados tem uma gran-
de quantidade de verlentes que se eslendem desde
o nascente mais ao norte do Apa ate 10 leguas ao
sul da ultima da Esirella.
Tambem cstao representadas muitas niscentes
do A ,ui laban, quo occupara uma extensiio de seis
Jeguas e tanlo.
Alem 1 >s levantamenbi? feitos para descobrir as
vertente.-, Umbem se v.- o dos eanmkos existen-
tes e dos que abrio a commissao, sendo alguns atra-
ves dos matos.
Um defses eaminhos fica Imje sendo o meJhor e
mais curio para communicar Dourados e Bella-
Vista, ecoin a vantagem de permittiro transito do
carrelas.
Esta planla parece que lieara cm nossa legarSo,
afim de servu- a solucao da questao do Es rella,
do que Ihe fallou o seu correspondente de Ponta-
Pora, e sinto que nio tenh-i podido ir ji para essa
corte uma eopia della.
0 muito quo deve a cimmissao a dedicacao, os-
(orcos e attouroes quo com ella despende'u o Sr.
cansclheiro Azambuja, faz fentir que a retirada
dossejlliistre cavilheiro o privasse de tratar dessa
qticstiio, da qual estava t.i > bem infofmado, por-
que o mesmo a tinha acompanhado desde o prin-
cipio; mas o digno successor do S. Exc. nao se es-
forflara menos para que seja fiolmente cumpri-
do o tratado de limites cm sua restricta ex-
pressao.
A commissao esta hoje embrenhada nos males,
que cobrem o alto da cordilheira de Amambahy
entre as nascenles dos arroios.que formam os rios
Amambahy e Ipane.
Pelo alto da cordilheira somente ha campo ate
as cabeceiras do G.vsury, primciro braco norte do
Amambahy, isto e, somente 4 leguas brasileiras ao
sul da Ponta-Pora ou 10 da- cabeceira principal
do Apa.
Ate ao djto Gassury o alto da cordilheira segue
a SEo dahi ate o Igatemy 6 que t mia o rumo de
sul. quo ;e julgava ser o unico.
A commissao chegando ao Gassury, c nao po-
dendo penotrar a mata com o necessario para sub-
sistir 20 ou 30 dias, que seriam precisos para va-
rar ale chegar ao campo do Igatemy, costeou a
margem esquerda do mesmo Gassury o foi passa-
lo, depois de sua junccio com o Verde, no passo
que abrio Lopes em sua mga parao Cerro-Gora.
Depois s?guio pelo albardao que divide as aguas do
Verde e do Amambahy propriamente dito, e pene-
trou a mata em seu meio. Chegando ao alto da
cordilheira princioiou a abrir picalas simultanea-
mente para sahir nos extremes que, como disse.
sao as cabeceiras do Gassury e campos do Igate-
my, indo entre as aguas que vertem para o Para- .*
na o Paraguay.
Os nomes Gassury e Verde sao tirados da-planta
das antigas commissoes de limites, que consigna
esses rios, mas com pouca precisio. 0 rio Verde
foi chamadj Corrientes por Lopes, quando ahi
passou, e com essa denominacao esta no mappa do
maj->r Pimcntel i capitao Amarante.
Brevemente chegara a eommissao as cabeceiras
do Igatemy, se ja la nao esta, e ficara demarcada
a cordilheira de Amambahy, faltando somente a de
Maracajii e a parte do rio Parana, entre o Safto-
Grande e a barra do Iguassii.
Tem, portanto, comoja disse, havido minttciosi-
dade e todo o esirupulo nos trabalho* da commis-
sao, sem prejuizo, da presteza que outras conside-
racoos recla nam.
Sao bem louvas-eis os esforcos dos offlciaes que*
nella servem e nnc ha um anno vivem om corn-
plelo de'erto, e dalli enviam o resultado de seu*
trabalhos de campo, orjanisad.s e desenhados em
barracas, Com mil incommodos, cobertos de mos-
quiios de todas as especies, sem protestarera des-
culpa algama, que nao Ihes faltaria, para respira-
rem por algum tempo o ar das cidades. Ainda
ncm um deixou, sequer por pouco tempo, seus ar-
dn>H irabalbos.
Esses olliciaes sao o coronel Galvao, major
Araujo, capita.) Piuientel e Lassanco. Nos luga-
res em que actualmente se acha a commissao axis-
le grande quantidade do Indios que*se tem mos-
trado algnmas vezes, ind-i aos acanuamentos.
C..t:im eousas interes*antes de urn general dos
Caingu.is. que se apre-eutou expondo suas theo-
rias a respeiio da igualdade dos homens, dos pre-
ceiios Je Deus, e de sua unica obediencia ao sen
rei Rocba Anliandua.
Muito maispoderia eslender-me, porem falta-me
o tempo.
Buenos-lvres, 19 do seteaubr
do 189 S.

*r~ .
I
A guerra de Euire-Rios, apezar dos sens
grentos detalhes, suas degolacoes pela u
estauciasqueimadas.seus rebanhos lance
mulhere- m parecK
uresidenu
san-
Wk L
f II
f
aVPIBi
i
MilTIUDO


I




2
CcOCS.
roi entai qno promulgou o seu decreto une pu-
t :i c; Uar:\ la Lopez Jordan n premio. 0 aetia-
11.10 era man, cbeirava a idade media : um al-
p-ir (t'ltoris'iriiu sr.pe-
Wiea. (1 sea genio excentrko neciisstlr.vn'^.i eimo-
^&s mais furl i, qwe tinha tr.veut.v
40 para i dc Frdcta*' de quatro
patas, nao pal smi singles nar-
jrario dos accntccimelHos do Ihcatro da guerra ;
por isso crcaram-soealolegKimans.do Sr. minis-
xre da gnorn, em queos grnmmr.ticidiot e atten-
tad's eetdra o bora semoeran mais namcrfisos do
ue as facanli:.* rim qua os i%belds HageUavam
SftobreimmnEia da Eiitreltios, o quo enchiam
dc satisfarao unto o presi dealt corao o seu minis-
ira, o que deiiiiiniavani com repetidos apertos de
MAt por m-.'i'i (In /io clectnco
Mas a alma ItuiimiifcAborri ce-se mais deprcssa
iecer;asi-m>o"esdd|P|o astomigu de Certas
{Bams.
S. Exc. achno, t|uo o sou minisiro da guerra
etefeeia com dentasiada naturabdade as suas ins-
troeeSe*
Foi
aha
4*...
fc.itfa.1o la so o iiue Ihe faltava para completar o
period* de saa administi arao ja lio cheio do ex-
centricidade-.
Maso eongiugao, quo ja andava nieio do posta
_ o Sr. Sarmiento, nao areitando o papel de
laboradnr nesta empieza, alirou o projeeta na
a de papeis inutcis.
Forcoso fui invenlar sutra cousa, mas o nu-
ear do Fttcundo Queiroga nan 6 pubre Je imagina-
Conecbeu uma comeiia qne, de combinai.aocom
e Kit mini-l'v da anem, lev ou ao calm, apezar
Ao seu udioso onredo diguo djs romances do Paulo
Fetal.
Acabava-se do baler nma partids de rebeldes :
entre os iiri.-ionpiros qne liearam ho poder dos na-
rduaaes se aejiava gai estrangeiro, nm tal major
Kausen Ao deprrar com esto vencid; o Sr. Gain-
n, talvoz pela pKinoira voz em sua vida, Icm-
brou-se di B.blia :Com a vara com que mode-
seras medidi t cxclamon. Se S. Exc fosse wn
poueo mais erndnto, en diria mesmo quo exela-
miu : Vxe vklit 0 caso e qu Imbaon-M do
tfecrcto em jus Lopez Jjrdati Jeclarava quo os (^s-
irMMjnirin ty* scrveai nas Tiieiras nacionaes sao
kaWMos, o c mo laes os coodemaava a screm de-
gollados.
Kausi'ti, imno oslrangeiro, qne tinha servidu nas
liL-kas de 1.m;icz Jordan, era uma excel elite vara
d-- m-,dir.
E' venia I.' -pi: a lei organira da republica, di?
qu.' os qud s lorn' m eulpailo* do delicto de rp-
beHiao serto Julgados pel >s t'ib inajs Jed.Taes, e
rm auiri pwle, quo os esirange.ros o.-lao sujeitos
a< mesiiiiH k'is >|!ie os argontiuo*.
Mas as leis fazom se para sercm rdi povo siberai.o, fc uao pelo pjder exeeuiivo ; com
pn>as pod a en dar dislo ; mas, tendo de oectt-
par-me haje wra a comedia invenliida pel is Srs.
Sarmiento u Qatiiia, prosigo :
Kattsen compareceu perante nm canselho d:
gtierra, o.....I'ji e nde-.ndado a mono.
Um telegramiiii official ciaimiiniea esta ntficia
4a presi leule e ao resto da reimbl.cn, cm juaiu i
mnitas MMihi'.i-invadiam no Parana :i e!>
Sr. mi. vicri sr; da iiliftrariejade g^vernaii'*.
S. Kxc. odcoSieu os h'imbros, dizendo que nula
pn.lia f.i.'.'T ; n i;iio o (mien J'ie po Ita itit- rvir CO-
oi> Devi ez iKft/' era o'-'r Sarmieato, t alii
estav.if.1 us fi is elecirieos a disposijio das earido-
si< s i!ii'itan!is.
Ecllis expediram n s^gninte t.!ogr;imma :
.1" pivfili'iiff d i ri'pitb'ici.
* \ DiWnii Pnvil ncii vos ha salv.i lo da mir-
U>, 1'vm. Sr.. e o*la mesma "rovidenci-i ca<;igoii n
ai-Miio pi d-ivia priv.u* s reprttillca ds vo-sa
pr.:;ti i-a Vila.
ui rioino ilessa PmvHensia 6 do irintlWhn
que twt ex irtitn do Paranfi acaba de ohi-r sn!rc
.ii i ,'.'.! I le-, ru sei'i ir.V d) I'arani, todas rWllllldlS
no s.d"ii dii ;;r. miaistro da guerra, etlem e snp-
pli.-.rn que com nnteis a pena d-.Mn.>rte de am pri-
sv.a'iri intitulili ma or, a q'ie vai er ex-S-
*ut.( i < .ru i- !i i a dez bora
S.Milior; < i Parana,
riui:
r*. Kse. o Sr. Sarmiento, ao ver qne a sm co
me.lia tomr.'.i tSo boa "dire: ewrteBument), e nest-.', esta Jo escrovc;! a segnini-;
respista telegraphlea :
< Indnltn o reo rcbelle Kausen, eslraMelro,
press ion as annas in mla, da peaa de inorte,
commutan.il a em ttesterro perpetui pin <> *<*
proprhpnz, para er reembarcalo. dciitdfl fi\ivt
e preKtaado juramentd de nfto voftar jamaisa este.
Tire-st -ua ph '. ^r:,:>hia, q le sera distrib'ii Ii a<
rapariicjies polta -
Siriwcni'. .
Fafla agora o sen ministro da guerra :
0 in lull) eli ?'ii a loin i>. 0 quadn e_sta'.-a
formal). A popnla5.l1 an ii.-a na praca 0e*r'
ru qu-- d.-Viia irl.ir.r ore) n.> ijiartel. Gain-
za.
Qaa f.i7.i.v en'.retaato 0 re>, cnwjnanwsc repre-
eaura esta comedia inligna 0 oliosa, jigand?
eon a vi li i: um i if-liz. coatr.i tills as dispos'-
d- leis a pste ro.-peit> ; fa'.en loo condeinnar
nm tnbuial JH-gH, pr-jftaariatiJ-J seu Jester-
ra {lec'vun ijuuidi as leis crunmaes so rtconhe-
eeai 0 Jesterro p>r lres>ann s \
E-*! inTelizenrwigciro, virflrt* dasextentnewa-
des do Sr. presid 'iile e da -rilli.hde do sen rm'nis-
tro, dava um excsnp'.o de clevncw do ospirito aos
sous ver III"OS,
Mandou vir 0 earpintein, eacommendon 0 seu
raixlo e r m irii.i 0 son dinhefro psldS sens guar-
da-.
Ma niaaha-cm qne devia morteY, ves'.io se de
hrancii. ealg-.u lavas da mosma cor, e prepirava-
se par 1 entrar no carro con a serenidade de um
verJadeiro SollnJi.
O qne se pa*snu, entreUinta. 11a sua alma, em-
quanto .1 exterior se mostravatao calmO, quo |d*a
fieou elle fazendo d > quo i-raj jus 15a argentina, e
com que teald.ide *a-J appllcaJas as leis, so Dads
sane.
En'.rotan!) os i?rs. ^arm'ento e seu ministro es-
Hasisfeil)s por lor-mvisto chegar a Hiq tao
drami'i- > a ; ia eiu.-lia, 0 as senhoras do Para-
na pedeni a Divina Profidenda que recompen-
se estes d ".!> raTOes Illustres par saa mignanimi-
d.ide !
0 tempo [ias-a, 0 S Exe. 0 Sr. Sumien'n neces-
sita em ca la Ira d uma nova ertloeio. Pracura-
as c achn, c a de agora f )i ufii bom &dl:td&, pnrqad
onn-A s^ iles* nlb'.i tao e irectant;rtte 0 genio ex-
centriro de S. Eve. eofflo no rtovo r.wgo qne f/aitti
a coat ir.
L"go <1>:;)>i-- do at' il in" 1 dos Gnerry, 0 pro i-
Aeatoda repaliR-ia recebea um teK'gramMa dc
M-;ndo7.a. :m quo o govcrnad'ir Ih (Minmr.ni-
cavatertiio 1 "---: 1\!.' !; elTeetOal1 varias pri-
f9e.
Opre-i !e:\: ao :!.irtic'oar-:ho a sna salvaijao
do r.tten'.rli, twmini ) seu Ulegramma com esta
phr.is
C* acan! '
Vari* .ioniaes pomnrehtam esta intmjrtfio eo-
iuo uma imlniaeio ao gov rn.tdor de Mendoza pa-
ra qne eontinuasse a ealcar aos pes a liberdadc do
povi.
A Tribute, a velha delVnsira de todas as eau-
as mas, chora a triste sarte do Sr. S-umiento que
ncm tern lic.enca para dar expansao a sea* scnti
mer.tos erclamando alguma-riofurn ou phrase 6c.
Ae senti'lo (textual), sem exporse as ciiticas mats
amarjas.
0 Sr. Sarniento, coitimovido por esta dcuza do
St. Yard i, lira >e dos seus nii.ladjs e cscreve a
earta mais exuavagaate qie jamais sahio dps bl-
ew dc >ua penna, c saboui ; idos que neste gene-
so ( Sr. Sarmient) ja tiuaa ciado pro as de si...,
e aiada (|Uo lirigida parical irmente ao Sr. Tare-
a.oste, to 11 0 bira lino que sempre caracterisou
os seu> ado.-, de.-de a educacao de cavallos no
Paraiiua) dorante a guerrauie a sua dotoa rot; ti-
yameuie ,10 emprestimo, pulilieou esta colcbre^rta
do Sr. Sairmienio, quo provoi;ou uina tormenta ims
joni.i's. maid treiuuadxde ^larsias ;di hoje (6m
pass^io fcibre a ea'bcja d.o eeJelirejorntlista, edu-
cadord; quailrupedes.
Eis a |ui textualmnitfe a carta.
DjCuui -lit dasta nati reza iiTw adon'tem liber-
dade ua icadaeeSo ; ob:i0'a,ii aura trabalho ao pi An
Wra,pn,[ue jusiam ;nte a 1-traeo seu meinor ca-
raetcristi-o.
J)iz asMin :
Sr. 1). Miriaoo Varcla. -Kea estuuado amig<>.
Vejjo empenhadq em jus tificar uma ex<;b:iKi-
BWtodb.iP
_ o eonciui, eomo o
um obstacalo adc-
n noflo em |umt Hgia :ii. Patomfc, t*ma/t*Mm dun
nora aiiila salfocado polos vapores do
t O-auMirW^ i; I gracejr, fatrterto' depww
ao-roogies-oA E assomlr.vn-so. Sep1'
jam mis pobrv\ tfalrano^, qqe p.!!ih*in subhi
corrosivo nas ba\as ? A idea e pohlica e 11
; Ao livrar-m-!^i;sla gl-osstii( hornv.l, expedi
um telegramma paraV Mcnioxa, para dalU pas-
rein nutro para minha famH
soldado francez quaado .'ence
I mle rn nvant t
Os Goerri da imprensa acbam qne isle e acin-l
selhar a que persiga de. que mate, que ^.'i eu c
0 publico nAo cobrio a eara do vergonha ao lar
esU iraduceio, por que nao indignon-se ao ver ia-
sultado am'pai, attribair a embriaguez (inveulada
a sangue frio) amas lagnmas sileneiosaJ e occal-
lamente derramadas 1
Sabe o publico que cxisle iiupune uui com-
plice e iustigador das revoltas qne cutams millioes
e tanto sangue a repnliiica, e so essa imprejisa
que maneja tao bem o estylete, o ignora.
Naose empenhe emjustilicar-me ; opponho
dcide m meas priiueiros passos na VJda 1 umaua
as versoes innocent**, a sinceridade. ainda no erro,
e a honradez do propositi, e estes escudos tem-me
eonservado a vida.
t Hestava salvar-me do veneno, do .punhal e
do trabueo de sicari is, pois p >r todas as outi
provas ja ou tinha passada.
A ealumnia quando e bestial como a que V.
refuta, ca mais Inoffensiva, iMino foi p>r exees-
siva a carga do trabuca.
t Querera publicar seu noine 0 commonaador
snennt d-i miuha fxchmaeao -adelante f aleria
a pena conhcco-lo, para o-ntemplar tanla depra-
vajaw moral em t;V> tenra ilade ?
Quo aconiecera de|>ois,".ioeu Dous -xomea-
lo-hemos Ueputado? Majluavel e.s BotgiasYip
melhorando 0 tvpo de Rosas e D. Cuiiino. bstes
eram francos, ri.io obstante, como 0 leao e 0 tigre.
N'os vamos transformando-uos em ruposas e cioo-
rut' Que lastima I
. E.n uma fiesta da liberdado dc pensar esta
abrigada uma, occnlta debaixo do anonymo a ou-
tra. D. F. S.
Tenha se agira bem presenle que 0 0 presi-
deute da Ripublica Argentina, que insulta desu
maneira a imprensa argentina ; que decUra qne
0 paiz inleiro conk-ve n c-vnplice d-i rehelh'M de
Entre-M'S, esqueendo-se, qae, se 0 pajz inle.ro
o c-wheco, elle pr.'siiente tamham 0 devn conli:-
cer, e cjnhecendo o via 0 casliga, e sj compre-
beudert a rertosts quo deram os j-irnacs a esle
n ivo desaflo do Sr. Sarmiento.
Transciever tudo quanto se disse It eJsp respoito,
seria oceu|iar to las as columnas do sou joriial.
N.io e lio pouco isso necessario para 0 dm que
me proau-. ao emprehen lor es a p^piena ehronxa
escandalosa, e one m us adiante cxpliearei; mas
pode fcr util ter uma pcquena amo-tra da eanusa
Pampa
fi te. n .
IUJ.lt.
.le.-a"ioi
vi r a !
le do
:rV,(W> ri?mhigTMfsWitti eiionracadis cuja vToHa
se annuncia para doze.nbro deste am > e Janeiro
anniMfHo ***, fian i.i toulu collosado em
,11'un Caiee/. os emli'Vs qae in>ndoa couiprar
na fatirica! de fcrupp. I;tal ics da que bem pftde
tomir noti S. Exe. 0 iii*sminijtrada guerra.
Quoin i|o sauq/roirio |uiz nan retonliece nem
as leis netn a dipnilade dftpovu. Hi't leia muito
escrupnlo do re-peitar uma nacio estrangeira;
por isso, uma povotaeaa nito e coasii impossiTel.
Cha oar a'atteMQao d>; todo*, pois, para o que ral
Ipor aijoi. i jAsirar desJe-fco rtosso o-pirito p'a-
silico. conejflfdor, e pur 0 him dieaito do uosso
s ladu, eis pur que apre-entei as traiueripcSes su-
0 oonflioto imtre o-poiWr excatv-e s catigros-
so continda. U Sr. >armiento escreve mensagem
sobr'e iriensagem, para provar que {em 0 direito
de intervir asciifoatd H pruvivias; maso
congresso se flrma no prftttipid"' de sPr essa uma
pitriogaliva*ua.
\ eommissao coasffiaeTonal ja dm seu parecer
golire o projecto da licanctar os guardas nacaonaos,
olrereeemo aim redae#w quo no fuaJ> nada di-
fare da cjoproieolo primitive.
Ouanto ao oatro pr q'ocio que manda cessar a
nlervenca 1 cm iLmloza, ainda nao foi enviado a
de onze wn em que se niettoii o Sr. Sarmienli
-Unidos, deftHNU_
ici mil m
1 guerra civil; pidem snpporur sem br
do progresso ecouomico uma sominx
aninu do impislos detnda a orea
|i <| liltro mil milliiies, eiu'.ar; ria do
esmagar as m.iis ricas ua;oes'curopr 1
B porque os amoricauos, resprada Lavoleye,
e aqui vai um extract-! do Pampi que pnncipia
por attiibuir aaproximacao do equinoxio o tcius-
t irno de razao do S. Exc e duoow exciama :
0 Cuerri da presidencia. e nao 0 Guern so
menta wdM tambem 0 Achilles, 6 0 presideuie da
republica one nao hi de deixar po' muito luue.
que e-t-.a, tao limpa do sangue argoolmo a sua
pri-i.leneia, cimo 110s em,j!.ioam is eiq crer -iue o
Vi) limn;-; a o Milles da republic! fo: quelez
fuzilar ums.llalo sendo g.jve.rni.l >r de >. Juan.
< K'-i elle quern applaudio 11 assaaSinatp do um
mondor das provincial de Guyo, que so julgou ser
it ban dido Guayama, contra quern se havia oxpe-
pido ordem de p Tseguir, prouder e matar sem
forma d- processo, com i> consentimeuto de a-
Eie. 0 pre^idente. E assim se deve suppura v;sta
do regosijo com qae recenea a noticia o p-ir tar
deixml 1 impune 0 assassiaata por eagauo.
it Foi elle quern esere^aa cartaa an genera! Ar-
redonlu urdenaiidolhe qae perseguiss^ os immigos
da aatoridida naewaal ^le :ieg>la-hs o cravar
cartaa quo se a general Arrelondo tivesse nnis
coragem civica [aria forn-eido ji oomi provas
para nina accusacA0 contra 0presidento.
- Fdelle queui autorisou a tiafI;ar.d.ide dp seu
inopti ministro Ja guerra le mandar .fiujlar no
Parana ma estrangeim accusado de rebel i1, epina
so iiiatam cachoiros. >d p >rque era estraiigoiro ;
piand 0 t id s os babitantes do nosso paiz ion
iguacs dircitos e eomo laes Severn ser wj suo-
mettidos aos tribuna.'s nacio'nacs d*se!cao; a cajn
jurisdiceao compete 0 delicti de icbel.lia ; daudo
a-sim S'. Exc. 0 escandalo de que, emquaiit.) c!i:i
inam-.s aos gritos os immigrates, a inepcia de. sen
luinistri e a delta propria cullocam um e*range ra
Kira da lei conimum da igualdade, e n arrasum
ai banco dos coademnndos paraer fuzilado cim
se nao fo-se um ente huiiani, com >anto dueiti
como eflese como qualquer outro, e sem cni-i-
dera-lo nem ao inenos diguo di' priocinios da hu .
?tianida le qne se tern para com os indios baioa-
ros dos nossos desastr^s
I'oi elle quern autoriaoa a um cltei'e palUBB
do P,o-'ario a deixar es'.ailar revolt'-voj- e e.ejir
argentfrihi para mata-los, como so ca.am aniinaes
feiozes nos monies, com essas ci adas da Iraioao
que so so deve por em pratica ouira as feras.
1 Foi elle quern communicando por Ulegm
ao goveraador d-; Mendoza como.esc ipara do tra-
baco d is Gie. ri. recoinmeada-lhe en acant quaa
do essegoveruador encarcra 0 agnlhoa os cida-
aaos e commctla quanta Valencia e altentados se
pode jmagmar conlra os direitus do p-vo.
a Foi elle quern, diriginlo us destuus de nm
povo culto e com vczes mais bem educada quo elle
(oiagister barulheniu) atreveu-se a contestar nm-
sos crcditos de povo eon-lituido, aprc-en!and um
prujeeto ao congresso, pelo qnal punhase a pre-
aiio acabcea dos re.helde--, pr.qccto que foi repu-
diado com 0 mais complei > de-prezo e repugaaji-
cia das camaras.t
E como so esta terrivel phiupita ainda nao has-
tasse para f;fz -r envergouha qualquer argentiivj de
ter um tal go\v.rno, n Pamp'i continda :
a A impreasa independent'! preslou ao Sr. S'.r-
miento nm servie.o quo elle nao tern qae p:igar,
porque foi feilo I'sp-inian^amente, 0 que nem se-
qaer reconheco por causa da .saa fatuidade.
0 Sr. Sarmiento rc.-ide boje n'uma luxuosa
cas* da rua naipu', comprada por um milhao e
111 do de pesos pa;>-'!. que com os concertos e m -
bilia vale liojsmaisde dona inillijos.
0 Sr. Sarmiento enlrctem relaeOes aini.-l-a-
com 0 conimiisioiia lo Jo emprcsiimo, cuj) mao
proccdimento (tie foi provado precisamente no 100
racnto em que 0 Sr. Sarmiento se mudava da casa
qne tinha alupado na rua Belgrani para essa qap
hoje oceupa na rua Uaipu ; e quaado 0 pre-i ie;i-
lo da republ.ca diotava aqu.dle .d-.cret0. ..';n ipiu
contra a torrmM dos factos e das provas de quo
p povo tinha lomado conhecimen'o, ab.-olveu I;
tods a culpa 0 cumniissiona lo do ecsprestimj, de-
naranda qne a oneracAo mais escaud.Uosa m;.;
rutnosa 'havia side perfitamento e legalmente
ftita.
E nao abbtaato, antn a coadem.i i;au de todo
9 povo, anto 0 facn da tautaa c.iin-idenr-ia-, ante
tantos indicios de su-peiti, nouliuui de Doj
pi'ide faze lo com bom oxitu, se atraven a accusai
o presidente da republica como eouipiice Jj co.n
missionado ou cnvilvido em udis as.ciivuni-.tan-
.cias alieriores destas niuiicjos; quan 10 so moncio-
inr a sua traslada;ao de uma casa para oulra te
ria bastado para exaltar o anioi. popukir quo se
achava entio commovil 1 pjlainJignagio pruiquda
quo produzia a divulgae/w .dos roubos do einprei-
timo.
eommissao.
Onnt'jd.i 0 espirito quo reina 11a cajnya alta
(fci a ciilender que tautDein acelara Bstojprtiiecto.
E rta'o 6 odclivlente qiie: aallcb'a;a 1 feita por
um senadir defmsor d> govern>, de |Uj>o.J|a lei
ja nao tinhi razao de ser, visto qui ja liaham
passado as eleicues em Mendoza.
0 estado de cuasis n.iquclla provi;icia lomoa
taes pr.iiiurtoes, qua ato as.tfl/rijrof resideu
tes alii se viram oluigaJos a protestar contra as
arbitrariedi: les do pa ler, como o Rzeram no lele-
giamma seguinle, dirigido a redac^io ill Nation :
MeuJoza, setembro 9 dej87X
A' roda\ui di Nicion. .
Debaix 1 da impress*) da mais profuuda in-
JignacSo, iv.u aliaixo finualos, ear.mgetoi. resi-
dentes em Mendoza, faze.mis saa.:: -irado
puMico dessa. aos dcniais argentinos,i|ne cm Mon-
doza ja nao existe mais garantias constitucionaes,
a vila do eidadio p*de ser impuneui'iite oll'endi
da pelos satellites J.i arbitrario e desleal governo
que actaalinenta dirige os destino3 dasta formosa
e liberal pnviii:ii. En pr >va da verlale, rela
tim s o segiiute : lliateai a aotte !i ivia reaniao
no club dos amigis di caudidatura do I). Carlos
Gonzalez, us quaes se aihavam reinidos com
suas familias p tra u na lortuli-.
a lie repwite apparecau una partida do guar-
das nacionaes mibilisados. 0 por cmsequencia
soldados nacao, armades ate,os denies, em frcu'.e
ao lagir, para pnii ler nm dos qae ahi se acha
vain e cojo delicio ica oictoriar 0. Carlos. Gomo
uao so permiiiisse a is solla.lus a ealraltno club,
inandou o ofBcial 3a partida eanegar as annas e
calar liiVDiieUs, ameaeanj) com uma descarga :
eseapovi se manteve lraa|uillj diaate de tin
infime viola;a do seas direitus e liberndes, era
porque se achavaiu pia, prigo as vidas dc suis
familias EsU e a lib-rd ide que hoje em dia
concede o governo da Meaiiza a seus concida-
dii5. Aspriso-s^s'/ii en >r I.3.11 >l: dia e ain la
qner fazer crer 0 mesmo governo quo pjr aqui se
trami revoluyao. Quo absurdo Em nenauma
ouira parte d 1 glob0 se resiguari 1 0 povo, tamo
com 1 nesia proviuei 1. Pe.Jimas a 1 seu illustrado
p?rwdtco que rei'.iaur..', em named* povo ds ib'U-
jozaeein aasjaa aame, as gar.iutias de qqe b je
t .!' 'in is complutameate.
f'Segaam as assignaturas ).
Nao'ha dmida quo esta c.nnmunicacao feita por
estraagairos, qae por onseguinte nenbum inte
resse direct 1 padcni ter nas lulas dos partilis,
vlgorara no aniuio do seivido a proposito de qne-
brar entro as ui'ios do Sr. Sarmiento a anna pon-
g;isa das intervenetjes nao auturisadas pelo ean-
gres'o. .
Osenado c a camara dos depulados promul^a-
ram novaincntc a lei qne desiuna eapilal penna-
uenle da r.'publica Argentina a cidade do Rosario.
Mas ha to.la a pr ibabiliJa le de que 0 poder exe
caiivo oppora novamente 0 seu veto 0 que Ihe
sera tanto mais lacil quant > esta lei passou pur
uma siguiiicauie .iiiaiona.
0 cx-minislro di culto, Dr. A'vellaneda'sc acha
r PrarManl* Oa M*. thesaorarit, Aaidnia Gi-
(bnel Morcira da Silvci
Por porftria d: 2J de setembro M nomuailn
Ch irlos jjuaaire To>!e para o cargo do cliefe do
irac^io (BtetraJ 1 de fern 0 Pedro II.
- Pir igual lif.ilo da inasina d..ta foi exo:
do a sou pedido Henrique 'cfieid* do cargo de con-
ductor de I." classo da eommissao encarregada de
em ex curdle*, nas proviiKias, procurando prosely-*
l.os para a sua cuididatura. No Hosario e em
Gbrdovi >> SCUs arigi> |> liilieaslho lU.-rim it*op
e.Vs rni li-as, nlo laltani) os discursos mais ou
.iien is inspirados. Cimtiid) ainda ii cedo para
fallar em probabifrdades, .
- N.; dia do seu desanliarque n Sr. general
Mitre teve" uma recep^-ao nu nero-a b e,n;iiusia-ta
nos irapiches dos p:bsageiros. Immensos grupos
de povo e de amigos leouip.inliaram 0' distincto
esiadista ate a sua resideucia. Nos Jomaes dee*
HCffCtiiS a candidalnra Mitre nSi faltaram msnlla-
dores ile ollieio, que aproveitaram D a ao exito da
mis-.io para cubrir u pl-nipotenciario arg/ntiuo
de docsto< h injurias. Mi* n.to deve fa/.er m-issa
isto no'iWiimd du general, pirque tola a imprensa
estrangeira nao teve senao palavras de eucomios e
de deiereo'da'para elle, porque" indie saudamo
symbolo da paz, 0 cscriplor de ideas sjevadas, a
admiiiistrador recto a honradc.
Pareco qua 0Sr. Sarmiento pr!nnd> imitar Na-
poleid Ifi na mania de iitventar aflleslado*, para
a 'quirir pupularidade ; pelo mdiios da a enieuder
isto umt noticia que dsde hontem corro nos
jomaes.
Di7-se que 0 Sr Sarmiento tinha man lad 1 um
mo;y muito intelligente a Fray Bentos, estado
Oriental', yara tra'nsmiit'r-lhe noticias sobro os
maiiejos de Lopez Jndan; quo esta, potem', Iho
commnnicou i^nq 0 chafe das rebcides tii a conn
missiouado dous assassinos para virem a esta, e
rcpetircm com mais fchcidadejjfr atU'ntado do 23
do agoftci; que na mesma nenlMa coinnnnicacao
esto 111 o'.'o foi aggreJido pelos dous tiravit. e quo
succumbio ferido por um tiro de traburo Mettb
> prmcipal aetir, difficil 0 averignar 0 qbc ha de
vordatleiro pesle no;o drama politico.
- Diz .-in que 0 Sr. minisiro da guerralvai apre-
sentar ao congresso inn 'memorial pedinio fundos
para estabetecer grandes arsenaes 0 di|>osiios de
guerra com 0 lim do prowr as necessiJaJes da es-
quadra naciiinal, e principiar dt'sde ja c.*n a or-
ganisajao das fnreas navaes. Creio que por em-
nnanl 1 e.-tis arseitries nao li.io de ser tnaliio gran-
! -. n 801 mesmo 0 serao depois que chegarem os
'dons enc >ura;ad is qae se espera da Eurjpa.
- Ootrtj project'1 de fci enviado pelo dinisterio
la guerra ao congresso, resa assim :
Autori-a-se o poder execntivo a augmentar o
nu ero de aspiraotos e guarda*mariuhada escola
nanlica. e a prover de um eerto numero da mari-
rfteiros do gucrra-^cank. a iusiruciao necessaria,
os navi .; das ulfUis cdaslruc^oes mpdernas. -
giad'SldoFri's. ~ULZ.Il
tern despua-ljdttJJom a instrueoio cioco ou seis ve- geealisar a eonstraeeaa la cslrad3 do ferro do 111'
r.es mais que" a* europeus-, e porque, emquanto a'*
guerra Ibcs >tev 1. 1 1 inilltftres da railnoes, elles
duplicavam Mpli.-.f.a n com febril impacieucia
a dotao.10 de sons oscul isi
Nam i to a unia va sj.i >ia bido. Ian trabalho
recen'tisahno d^Uin illustre ..atriota americano e
superinlendentada insirucijifJ no Tencfee.M. John
Eaton, orgatiisado sobre dados olllc;aes de irra-
cusavel valor, pcova por unvi conscienciosa coa-
fronla^ao, que tanto menor e o nu uero de anai-
phabet is por cada grupo de mil habTlantcs nos
divers is estadoa da Uuiao, quanto inaior e a pro-
duc^Lo calculada sobre cada habitanto.
0 eminanlo estatist co totna um ccrto numero
de estaJos 0 forma com elles daus grupos, um do<
que tem Teito pouco, a outro dos quo tern feito
muito peta instrucc-io.
Estes qaadros nao sao smneatc curiosos, sao
graadementa iaslruclivos a olleroc an assainplo a
mais pruiunda redexao.
Inserimo los como precioso documeuto diguo
do ser msdilalo :
Etiados qae tern feit > pouco.
Prod'uccAo annual por Analpnabetos par cada
cabaca mil habitantos
Dollars 36 -91......Carolina do Sul.. 5 oo 72......Alabama.......490
Si -77......Florida......... 483
61 -|.*i..... Georgia........479
45 -38......Garohua do Norte. S91
Co -10. ...... Lai'siaiui........485
Eslatlot que tem feito muito.
Produc;ao annual por Aaalphabetos por cada
cabeca. mil babitantes.
Dollars 166 -60. ... : Massachussetts ... 38
119 6tS- California....... 53
1J0 -81 .... New Jersey....... :4
lot 60.....Ilhode Islanl. .- 3i
112 00. ... New-York....... 31
15605.....Connecticut...... 18
117 17.....New-Hampshire.....li
E'assiraquaoi estados da Nova Inglaterra, la-
Undo com o rigor do clima e pouca fertilidadc do
solo, produzuiu duas vczes mais que os cslados do
sul, cuio fecundissimo terreuo polcria assegurar
as mats ricas colhoitas.
Nj inomadto em qne a actividade social^ alra-
vessa no Itrasil urn perio lo de tiansfir nacao e as
cjmli^des do tralialho seniem-se dia pur dia apro-
ximadas do uma grande.revolaciu economica pela
iuiistituicao do braco livre ao br.ic.o escravo ; 6
de um iuleresse vital para a uissa socicdale pri-
pagar, apert'aigoar a polar este verdadeiro instru-
tr.onlo de produc^-ao qae so clnuia o ensino po-
pular.
Dir-se-hia que oaliviuhou este secret) instincto
das Bacoes que as leva a prep 1r.11 cam uma mys-
tori dos grandes probleiuas d>'. c.tda epoca.
(Juem f.ilbeara do alguns anius a esta parte as
iiossj.s J'icumentos olllciaes (e este trabalho esta
ainda pur fazer) para por elles marear as pro-
gressos da instruccao publiea no Ilrasil, havia sor-
prenler-se dc um facto que as evideucias da esta-
lislici liram a limpo. ,
A leide 28 de setembro de Ii7! fepreeeata um
poiito lumioosi) nessc uioviraento emancipador do
espirito a que 0 encurso dos bans cidadaos vein
ass.iciar-se. Tanto e ccrto que uma emancipate
chama mitra e todo anaaea outro avanco.
Coincidencia my-teriosal Dissdra-se que 0
pafe, ao ver estanc.tda a fonte da renovacao do
brai-o escravo, rceebera de uma iraca providencial
a inspirae-o desta graude verdade : quej) nivel
Ja proluecij oarrwponde ao da kistrncjao.
Nao nos deteremes a indicar os foetus qua dao
teslemunho da nova tendeiicia.
Elia-ahi esla patante e muit.i distiuctamente tra-
duziJa em actos para que ainda aos espintos me-
uos ciullantas, possa suscitar duvidas amargas.
Em quanto u governo imperial rcvela tin docu-
iiumtos de tola a in aleria 0 em providencias i a
ponHFiouvaveis, 0 interesse que liga a.is destines
da instruccao popular, o por tod as os meios ao
alcance de apaucados uicamentos promuve a f>-
nienta 0 melheramonto do ensino de t .dos os graos
e ;nr sie porseus delegados nas provmcias cul-
loca-sc com resolula euergia na vanguarda da
tnai* generosa das propagandas; 0 espirito publi-
co a-sua vez manifesta-se trabaihando pela nobre
preoncupacao de dotar convenieiitanvnio este
Auxiliareste movimanto, dirigi-lo, premeia-lo ;
nao ha ahi empenho queo melhor tilulo d^va at-
trahir a ^eiifao dos poderes pulilicos.
Cum ore dotar a instruccao publiea Wo gencro
samente como ella merece.
Os millioes que Jules Simon pedia para a uu-
irnccao nao os pelia elle para os einpregjir iin-
; roduetivamuule. Mais productiva apphcaciu, con-
venjam-se governaules como governados, naa no-
den U'-r os dmlicirw publicos.
[TEBIOB,.
*a-i'mmha,l-crii,ta cm nm momeuto olein&eV'da nejrociacSes do gene, al
M acant'. N'ao proca'ru eonter a correuie que aUribae a iv.ssa^ djph.macia
ira|ubord;t. As fontcs ;u i alimenlam ds(ao loafs
11. A depravacao mcral.
a Tinha c i < '' ha ilfl reeirdar-sc, pois aitlaa d'i .
iihdes de babitantes
aaardB, SU' OV*KiP >!% das .do s, millioes de iiamiante-, W** ev,,, tu=
:aa-|j)5r^a nih1 FmHa eseolnida; etc
'"Jv,, s-jave^equ.etavevlainbe:
p0"o
a etus
flu
A iv
jde> Biii'
das E-lados-UmMos pedi-lbe
ara fugir
n Itt> eo que se chama eltvaeai de impr-u,:..
St; presldenle da republica.
o Isto e 0 que se cbami elevacai, buns | i
nil >s e lealdade. Os que. as-im [iroe-'defu na
nem Guerri. nem assassin.is nem calaiuii.id ra*.
Suspendo aqai as transcrip^oes, e passo dar as
raziies que me ithpclliram a faze las.
Alii tem 0 actual governo argentino pi mad.
p.ir argontinuf. ,. ,, ,
Timemnita. as nav'ies eilrahgeiras. Y;n go~j
verm canaz de tantos deatioos, c mi 1 os qa
cam expostos, tambeot st,i capaz de 'iamijiettei'
outras, provocandi-nos a uma guerra qae u imp -
rio fat 0 pissivel por evitar, masijue nai loiia
remedio seaio aceitar se fosse pruvoeado por ini-
prudencias qus nao i-;mos obrig^.ojs. 1I0 at^rar.
e oluito meuos desio qno os uos-os iuieresgbs".
js nossos brios fossem offeaaidos.
A Liberdade, /irgivi quo, dofaad-ra. eauli.iitura
do Sr. Dr. QuinJitia, ao /alla,r do miio .rcsuljadii
Milre, no Piraguay,
HW,,f do *e(embra. (\
i,iBEUM.ti)Ai:;s \ i.NSTaecQAO i>tuaA.
E 6>ric1id:Hiii.'nte umgr.ito phenomeiw denosso
tempo 0 eon rnrso da iniciativa particular ba In-
gente ohra d.j ensino publico.
! Tem > 1 por vezes assigual id 1, e nao hos farta-
mOS di 0 fazer.
Nem ha esforco niais noHre trie es^e qne ahi
scute-ce despertatte sob"Vigorosa impulsSo da nm
governo patriotlco. Pre|ulgou-se em no^sa idade
que 6 sobre a base da educacao popular que re-
pmsam todo; (is graildei ihfcresses do uma socie-
dade bm org.lhisad 1; e em'boa bora esta elevfl-
da noqao do ensino jwre'e* gartbar o espirito pu-
blico e impress!jria-lo sobrti-:Vt"hecc9Sidade Je fa-
zsr 0 po'-3 instraido cotl^o cohdl^aj de 0 fazer um
povo livre.
Ondft
de toiWs
I
6 governo que leve a fortuna do ver despertad.i
_ inicijUiva cidada, tem uma alia mis-So a cum-
prir. Vapendc graude parte de seus esforqos, que
esta promissora corrente uao -eja desviada de seu
CUTSO.
f'iViifeio.)
l>r4'KB) l)BvEK3iVj!LttOUJ
o mn-erirr da socte*itle Beflb a enaftoWW
siis cldailai-*, torn* em nenewidaJe- poli-
tic 1 aqiella neccssidada moral: Masna Igiwrante;
advert!! escripW de no'.a, flebaMo tera institni^
ijoes, gai.ntias, liber lades; se nao sabe d?r osMb*^ ,ja cnmarca do Barra do Corda, na provincia do.
RECIFE, 2 DE OUTUBRO DE 1873.
Noticias do sul di imperi*
Hontem as 9 boras do dia fundeau 111 lainarao
0 vapor South America, tnseoJo datas : do Rio
de Janeiro 23 e da Bahia 28 de setembro.
IUO BE JANKIi.O.
Por decret.i n. o.ill de 17 do,setembro fui
tnarcado 0 ordenado annual de 8005 a cada noi
dos promotora- publicos das coma eas da Barra do
Corda, Grajahti, lliachao e S. Jose dos Battues, no
Maranltao.
Foi expedilo 0 aviso seguinle :
1/ seccao.Bio de Janeiro. -Ministene dos
negoeios da agricultura, commijrcia e obras pa-
bbcas em 18 de setembro de 1873. Illm. e Exm.
Sr. Ao aviso de V. Exc. de 16 do mez tiitiiiio
com quo mo transmitlio a ConsoiU que me dirigio
0 collector das rendas geraes do municipio de Re-
zende sobre 0 faclo de serein on nao adimitidos a
promover a matricula de que trata o decreto n.
1,383 do 1. de dezembro de 1871, credoros hyp)
tbecarios quando lhas estejam h.polheca-los se rccuzarem a faze lo,
cabe-msresponder. declarando quo taes creJores
podem ser admiltidos a promover a refenda ma-
tricula em rcsguavdo do sen direito. Deus guarda
a V Exe. -Jnse Fernandas di Costa Pereira Ju-
nior.A' S. Excj o Sr. consellieiiu de estado vis-
conde do Rto-Brauco
Por decreto n. 5,')38 de 10 de setembro fo-
ram autorisados Barclay i C. a importar ua pro-
vincia do Para 500 imigranlcs agricultures ou tra-
balhadores ruraes do Sul da Earopa ou das An-
Foram por decreto n. a,70D de 17 de setem-
bro declaradas de 1." entraocia as comarcas da
Barra do Corda, Grajahti, Riachuo e S. Jose dos
Mattoes ereadas ultimamente na provincia do Ma-
ranhao.
Foi desannexado do termo de uirobna 0 do
Riacho, na provincia do Maranhao e creadu nesto
um lugar de juiz municipal e de orphans.
Foi tambem creado um lagar de juiz muni-
cipal e de orphans no termo de Grajauii na mes
nia proviacia do Maran ao,
Por decretos de 80 de setembro :
Foi remdvido 6 juiz de direito Epiphanio de Bit
teucourt da comarca de PastoS-Bons para a de S.
'lose'dos Mat'Ses, ambas del.*'eiltraneia, ua pro-
vincia do Maranh 0, por assim 0 hav r pedido.
Fui designada a comarca 'de Grajalid, de 1." eli-
tra'nci'a. na provinCfa do Mafanhao, para nella ter
exercicio 0 juiz de direilo Candido Per'ira de l,e
iio's, queservia na aniig'a comarca daChapada.
1 Foram uomeados: ,
0 bacTi'arel Jose Mariano' cTA Costa, juiz de dmM
do in nosso paiz liver
1 pro1
rntina mm deten .
trcios,'liavera ahi dlna chbse mais on menosnd
mcrosa qii", mais ow UreAos instrtiida, funH*ra d
tlespulMMttj 6 qae se axeree a sombra
las boas inslituicoes.
Prif'nn'ha-aih'la'iipwflirdem a> intersss ne
trabalho d*te BoH'o'''io9trilmerito. Nao JSo
mais
*producgao. :Ha a'lgifmn u-
0 hra^o-; e 0 ospipiw Hara: ^
Vi__-
e^t:ttn^^HH
'.' in -i
as alias eu
Maranhao.
0 bacharel Jose Mariano Ribciro, juiz de direlw
da cbinarca de PaSTbs Boh?, na mesma prdvihdla
0 IiacVarerFraiUisco l& Montciro Junior, jui;
municipal e de orphaos do termo de Caldas, u.
provinCb de Mlnas Geraes.
0 bacharel Ilemigi 1 Silveira de Iv.ria 01
juit municipal c de orphans do termo de Caethe,
ba provincia de MWias Gefacs.
I Foi concedida ao bacharel Mao,el An'.uncs
anenlel Junior, a demissao quo .
Huiz, municipal e Je 01
cia Bel'montc e Canavieiras/i
Je cahir en
, {*) itM-aut;
oa pagiijadau se"havor J
Of RR.
, na pr iviii'ia da Baln.t
Por tituios Je 20 de sctcmb.-'; forao 1
da thefiouraria de HiniSj-Gtf-
raes, 0 p ; Goelbo de Magatbi
mes. .
deira e Mamore
Por oulros d j 23 foram nomoadi s :
Engenheiro de 2" classa ao service da inspecto-
ria g;ral das obras publics 0 bacharel Antonio
Manuel do Mello.
Engenheiro de 3.' classe, ao aervico da eommis-
sao da carta ger.il do imperil, Fraacisco Xavier
de Gliveira 'Menezes.
De noticias ultimamente racebidas da pro-
vincia do Parana, consta que na cidada da Anto-
nina fuudou-so uina associa^ao denominada Club
Antonineuse, com 0 fim de promover a instruccao
dos aens inenibros.
Lemos no Jornal di Gommercio :
c Ante-hontem (21) as 11 boras da man'ia,
quando entrava na nosso purto a barca ingleza
l.uizi, procedente de Newcastle, um dos tripdan-
tes da name John William Uult, no acto do fazer
uma manobra nas vergas do mastro da proa, per-
deu 0 equilihrio e caliio sobre 0 convez, fallccen-
do pjucos momantos depois. Tomou conhcci
inento do faclo 0 subdolegado di I." districto de
Santa Rita, que mandou conduzir 0 cadaver para
0 Necrol^rio, alim do proeoJer-se a corpo dc de-
licto, e Dfosegne em avoiijuaeoes.
As datas que recebemos de Campos alcao-
cam a 21 du correate.
c A variuli quo sa tem propag.ido palos luga-
res do interior, ia roapjarecondo am Campos, onde
ja se consile ava extincta.
t Para assays la ada. na madrugala do 21, a
Sra. D. Anna Carneiro Pi nenla. Nasles terinos
narra a Gaze'.a de Cwipos 0 triste acontcci-
iiiiuit 1 :
Pessoa, cm quern depositamos coulianca, deu
nos as seguinles iuforma^GeS :
Darmiam os eseravas trancaios, a excepeao
ds uma quo licava no quarto de senhora. Esta
escrava fo: pela inadrug.iJa acordar 0 Sr. tenen-
tecoronel Joaquim di Costa PimeoU, que donna
em um quarto ao rez do cbto, dizeulo qie (bssc
vfir a senhora sua mii, que se achava doenle e
incomm odada.
0 Sr. teneiite coronel Pimcnta Bahia immedia-
tamente, a ja encontraudo a me.-ma senhora oaor-
la, mandou ehaaiar immcdialamcnle um uieJico
f Proce leu so a cot ;ia dedeliclo e assevera-n is
0 mesmo infurmante qaa os medicos dcclararam
ter sido a morie davida a asph.Kia. Aleahora
em que escreveaios easeeemos de pormenores.
a Attingem a 21 as datas das folhas que nos
vieram do Macahe.
> Le se no Tribuno d. Povo, de 17. s.rn a cpi-
graphe -Imbiiiba :
No dia 10 du corrente o brigue inglezGoWfn
Flece,camcarreganeuto de tnlii-is e carvai para
a esirada le ferro Macahe e Campos, deu fundo
110 hubitiba, oudo ja es^vaniancourados obrigue
Hannibal e o liigar Sell e, todos da mesma proce-
deucia 0 com a mesma cousignacio.
Este ultimo traz wagons o triloos, 0 0 flaunt-'
bal truiixe oaivao a iinpirlanta ponla d.i desein
barque naqualla enseada e as dos corrcg is do
Caxauga e Ctia.
t 0 Hannibal ja ccnopletuu sua descarga. tomou
laslto e e.-la proaipl 1 para pai-tir ; os dous coiiie.-
cara a descarregar simultaaeamente ; 0 Nellie
airaeado a ponte provisoria e o Golden Flece sobre
a agna.
E-les fades s.Vo a pfova pratica da excelien-
cia daquclle porto, qne Ho buns services esta ja
prestando a campanbia muito antes mesmo da cm-
clusao de suas obras e impurtautissimos prestara
ao publico logo que estejam estas acahadas.
t Beferind.i se a pcejeetada e trada de ferro,
qua ten; de ligar estes iSoOS umus, diz 0 Monitor
Cumpista :
a No dia 7 do eowenle houve na novoacio da
Uineira, em casa do Sr. Jurga Aniinia Muiiteiro
de Carv.albi, uma reuniao a i,ual compareceu
grande num'-ro de i.np .rtanies fazendeiros do
ambas as margenj- e ferlgaa circumvi.inhos do
Itahnpoaua e do negocianles. com 0 fim de tratar-
so da construceao da estrada de ferro que tern de
ligar aquella paviajai ii cidade de S. Juau da
Barra. .
0 concessioiiario Alvaranga Pinto, depois do I;
uma expasicao iaipr.^sa, detnonstrou todas as van?
tagen-e locros resultanles Je uma tal estrai.i, 0
csiarcou se por oombaler algumas objeseSea que
algous espiritos Umor..:i= apresentavam a essa ul-
tima emiireza.
A reaniao estove bastante aniinada, e dessa
animacao e dos e.-fareos do cavalhciro* tao abas-
la los e iitiluentes d.i Limeira e de s. Joao da Barra,
nasee a espalan; de que nao so lardara a reali-
sa.ao do um in.dlinauvutu que iinporla a vida
deamboj cms aipdeui de prodac^ao c riqu-ia.*
a 0 eonego I) Manuel da Costa BenoratO
foi oomeado vigacio garal honorarlo e- cxammador
synodal effeciiv-j da diacase do Rio Grande do
Sul.
Eis as noticias o-nmiierciacs da uliima data :
t Foi hoje exlreniainentc limiiado 0 nmvi nenlo
do mercado ile cambio, qae se conserva flrma.
Sobre Londres effec'iiaram se transaccoos iiu-igni-
licantes a 23 7/8 d papel baneario. Repassou-se
algum papel dos baneos a 26 1/8 d.
< As apolices geraes de G ",' tiveram pcquena
anima.ao aos precos de l:0io>e I.C46* cada uma
a diulteiro.
a No mercado de aceies fambcm se niton boje
muita frieza. As iransaccCes foram cm geral p-'que-
naselfoctuadasaos s:guiiite- precos: compajihia de
seguros lutegridade 624oi0 e 631, poraccao a di
nluiru : compaiibia da estrada de ferro da Leopol-
diaa 13^500 por.ac^to, eom a 5.' cntrada, oivi-
dendo para 0 comprador ; dita dc Pelropolis 7>IJ
por accio a dinhein.
As vendas o:Tectuadas Boje no meicado de
productos foram regulates de assucar para con-
su no ; en cal'ii-inda se fez.
-abiram tambem para consume cerca dc. .
3,000 anoDas deoarue secca.
t Fretaram-se dons uaviis para eanegar al-
godao^.seaJo uui p.ira Aracaty e Canal a or Jam
a 3/i d., e oulro para M is-:oi'u e Canal a ordem,
tambem a 3|i d. e 3 "j, de capa .
A alfandetta readeu de I a23 dc setembro..
2,aOl);269*01o. .
OOlAZ
-Rcoebeuios o Correio Official de 16 de agasto.
Publiea a lei do or^amenla provincial para 1874 a
1873 em qne e ffxada a despez'. em ts0:203i081
e calculada a leceila em ii7:785276, aulori-
saudu-se o presidente a Uzer as operagSes de ere-
dito que julgir convpnjenks para cobrir 0 deficit.
Na despeza deslinaratse tiUpWj para a instrn
cao publiea, 20:0 Ojl para obras publicass, 8:200i
para caridade e 300^ para oatach'ese. Os raslaa.
tes 100:iX)J5 sio para a representacao e empre-
galos proviucia's.
Crepu'se uma eseola primaria para 0 sexo nias-
culino oa capeila Jas Antas, freguezia de Meia-
I'onte No municipio da Pal na havia i:6iua agen-
ciadus para creacao do gaal escola pelo quo se
Ihe mandou dar principio quanto antes
Na vdla do Forte, comarca de Cavalcante crcou-
so foio civil 0 consalho do jurados
MINAS Gt.lAES
Nap so tinha ainda realisado a abertura da
assembles! provincial, por Wta de numero legal
de depulados.
3AHU
Lcmus 110 Jornul :
0 paquele Ot-jpati ia linba do PaciSeo, es-
perado ha JodS dins, do Rio de Janeiro, encalhou
ante-honlem as 8'horas da noite nils b-i'xos de
Caixapregas, na Barra Falia, peucas loguas ao sul
da Bahia.
Clicgando hontem esti noticia, sahiram rage
em seccorrq a rragal amTieina Lanras
ter, D s vapbres naciohaes Moemi, do arsenal de
mnrmhi', rebocando nm lanchao do mesfno arsenal,
e Gastaod'Oiiems, Santo Antonio e Boa Viagvn
da cimvmtiia hahiana, e 0J^iirtinnmiAa, rclo-
candv este aasiuoa hdla-id ;.a Ydhdlthta, c os
oiilros aigumt- al
8 Tambem seguiYam rja Srs, guarda-tttdr, guar-
las da alfanJega o offlciaos Je descarga. -
A'sburas da tarde cneg.ra a lancha a vapor de
bard 1 do Cotoptci cchdazTnutT algiaiis senfiflras
passageltas.
') i.aquelc mele 5,W5't'mRlidas e tem forca de
600 cavail 1; : prete'hjo 0 commandante qua com*
H d acarjja de 600 a 800 fo'n iiatias port 0 nltrto a
bad 1.
0 ie.n sido : si jlgam?
: ruibvila as exi.
i aos escru
para
,*::;:': .lies braids c 45 WIO-
gr.iinoiis d
Segaiq in di 1
Iscieni
ms imJks pern Wm
auguicaiasstt a cuahmto, 4^^^^^^HH
propon;oos ao conflicto.
a Felizmente acudiram 'QtU-flU|^^^HP c
lus.-io potem, lornous'e nuiW p pte-
tendido prouder anibos, ao qe- se oppun!
povo.
Jae segunlo desacatoam poncos di
to para lamenlar-se, uiio so pelo lado da moral
de, como pelo acatamenlo develo acs lugares sa-
grados.
0 Os temp! is n 10 p idem tervir para a arena da
pttfilatji, e melhor eque os nau frequente quetn a
elles nao vai orar.
Taes scenas de irreverencia e tscandalo 6V
poe muito contra a nossa civilisacao.
Desde esse dia a adoracau da \'irgem passou
a ler lugar as 3 da tarde, de sorte qne ao escure-
cer esta c.mcluida a solemnidade.s
A aHanJega rendeu de t a 26 de setembro
696:9113267.
IlEVISTA DIARIA.
Ninistci'ii do impcrlo. Em 21 d
cjrrenta declaron-se ao presideuie da provincia d
Parahyb.i do Xorle.em nsposta ao seu ollieio dc 2
de agosto uliimo, iuformando sobre 0 recarsoque
para o conselho de estado foi interposta pelo ci-
professor da cadeira de latim da cidada do Areas
dessa provincia, 0 cidadao Jose Bernardo^dos San-
tos Leal, rioactn pelo qoal fura dchiitlfdo da mes-
ma cadeira, que 11.10 pole ser aceilo semelhanlr
recurso ji por naa ser caso delle, visto "que o art.
43 do regulam*nt 1 n. I2i de o de fevereiro da
18''2 so 0 per in 1 ile em pegoctos couteuciosos, hj--
potbesc cm que na" se, ,cha 0 actual, ja |^rnue_se
tem sempre eulendiio s<;r admi-sivel de rs du;ao
dos presidenles da provincia em negoeios geraes,
nao em proviuei -
Qucslaii reliRiosn.-Em 13 oe sotcm-
Iro expedio 0 inimslerio du imperio q seguinle
aviso:
Rio de Janeiro. 13 de setembro de 1873. Illm.
e Exm Sr. -Faea V. Exc. constar a thCsouraria
de fazenda dessa provinsia, que ao padre Joao
Jos6 da Gista Itibeiro, vigario da fri-gneua de S.
Jose do Recife, deve coniinuar a pagar a reaped*-
va caogrtu, embora se ache elle suspenso do exer-
cicio de suas ordeus por acto do Rvm dincesano.
Deiis guarde a V. Exc. -Joiio Alfredo C'lrcide
Oliinra. Sr. presidente da provincia de Peruaftt-
boco.
C'oiDMarea de Palmarcs. Por por la-
ria da preside.icia d 1 provincia, de :;' de > 'tem-
bro, foi nbmeado Benjamin lsmael Alyan-.s Jo
Santos para exereer provisorianiciile os blUci is de
segundo labeluai e escrivao do eivel c mais anne-
x s do I.nno dc Ilarreiros.
Institute Dlistorico c I*hili>s:>piix< o.
No domingo (28) reunio-se esta sock-uada cm
sessao orolnana, presidida pelo Sr. Ilaudeira do
Mello.
Lida, foi approvAda a acta da sessao aaMSce
dente.
0 Sr. 1" sccrelario inenciou >u o seguinle e.pe-
dionte :'
Offlcio do Sr. Mareelino Rosa, coajmunicando
uio poder comparerer a sessao. Iitieir^rtq.
Dais numeros du liaicj Amaz dous do Gen-ensc e putro daGaiMfi/3HBbea-
ra ; ires do Despertador, da Parab\ba ; dous do
lorn d de Pe.ne.lo, das Alagoas ; dous do Alabama.
da Bahia ; Ins do Anjo Familiar, do Rio de Ja-
neiro ; u in da Crenr.a, Ires do Constitutional e um
do Trih" no, de S. Paulo ; djus do Municipio, ;r<~
da America Illustrnda e um do Trabalho, (ksta
provincia ; ollertadus pelas respectivas redaco5es.
Rcccbidvis com agraloc mandados are ivar.
PrssaivJo se a primeira parte da ordem do dia,-
discussao da these: 0 estido qne admittejuma wft"-
giao como sua, contruriard t offendera a liberdade
dicullos ? Oraramos Srs. Rosa e Silva, A. Meira
(2), Frelcrico Bo.ges (2), Feruaudcs de Carvalbo
e Araujo Vacidl.
Foi adiada a diseussSo.
Passaado-se a segunda parte da ordem do dia:
Qeliberaqiio tobre a te$$uode encerrnmento ; de-
pois de orar 0 Sr. Frederieo Borges, nnuieou 0 Sr.
presidente, para iralar da sissao magna, uma
eommissao compnsta dos .-'is. Moreira Alves (rela-
loi), Isaias died'-, Mine Cuedes, Rosa e Silva
Frederieo tforges.
Fui adiada a terecica parte da ordem do dia.
dpsenvolviineolo da these : Qaal 0 fundamerito da
paliio poder ? cm cun-equeucia da hora achar-se
adianlada.
Designada a ordem do dia para a sessao vin-
doora, 1evaa(ou sc a sessao.
Soeieiliiile I.ittcrariAO Axili;!i-
iM iningo (2S do passado) pmcedeu-se, nesta lode-
dad, de aecordo com 0 an. 61 dos seus esUlotos,
a e'.eicao definitiva.dos membros, qua devera re-

sua c;mi!
g>-r os seus trabalhos duraule 0 anno de 18J4. e o
resullado foi 0 seguinle :
Mesa ad.uinistratici.
Presidente-Dr. Tlieophilo Moreira Goerra.
Vice-presidente -Ant-wiio Sergia LopesLima.
I." Secretario-Alvaro Moreira de Barroa Oli-
veira Lima.
2" Dito-I.uiz Gunzaga de Almeida Araujo.
Orador Caspar da Menezes Vascuncellos Ae
Drnmmond.
Adjunto do orador -Francisco de Assis Barm.?
da Fonscca.
Thesoureir.i Manoel Claudino de Mello c Silva.
Commiss"0 de symlicaneia.
Relator -Joaquim Francisco do Paula Esl
Clemcnle.
Gregorio Magna Borges da Fonseca Junior.
Jose Eracsto de Moraes SarnSenlo.
Commissd) d<" confas.
RelatorCasimiro dos R-is Gomes e Silva.
Francisco Ferreira de Siqucira Vjrejao.
Juventin 1 Polycarpo Alves Lima}.
Commissiio de ft'dao'do.
RelatorDr. I.uiz de Mcnezee Va?co.ucr-': nV
Drummond.
Francisco dc Assis Borges da F.niseca.
Alvaro Moreira dc Barros OUveira L:raa.
Conselho director.
PresidenteDr. Luiz de Menezes Vascoaeelles-
de Drummond.
Consi lli'ii'os. Gregorio Magno Borges da Fan-
soca Junior, Joaquim Francisco de Paula EsIeVes
Clemenle, Jose de Mattes Moreira, Epiphanio de
Luna Fieirc, Casiaiira dosReis Gomes e Silva, Ju-
ventino Polycarpo Alves Lima, Joao BapIiV.a de
Brito, Jose Ernesto de Moraes ?armnlq, I
Manoe! Rodriguw Yalenca, Alvaro Barbalho Ocbfia
Cavalcante, Francisco de Assis Borges da Pbnse-
ca, Sliverio Fernandas de Araujo Jorge Filho.
Troc-csso Panics Visgueiro. Rbsto
proceso f i ilado 0 seguinle despacho :
Design) 0 dia 26 do corrente, as 10 boras da
manna, para ser qualificado e inierrogado o indi-
ciado no yuarlel de permanentes, e para esse lim
se farao 1- necessarias intimac/ies. Bio da lanci-
ro, ii, de setembro do 1873. -Simoes da Silca.'
De aecordo com este despacho 0 coiiselhCiro'Si-
mves da Silva, e en 1 relator, acuinpauhado 'do Dr.
Pedreira, servinda de es.'riv.lo no processo. d^ria
achar-se no quartel do corpo policid a bdraindica-
da para csse primeirn acto do procas-o na corte.
Snpn-mn tribuaskl de jiistiea. N.t
sessao do 54 da setembro foi jnlgada a :
Revista eivel n. 8.1'G. (De accordaos da rolacSo
de Peruam.uc.)) Beaorrenta, 0 padre Antero
tanislao do Vasednoetlos ; recorrido Joao Ouriqne
Vicente da Luna Freiro. -Juizes, relator oSr. Crl-
lo e revisores o baran de Monlseiraj e o Sr. Ma-
riani.Proposta a preliminar, de nab se tomar co-
nheciineuto da causa por caber 0 sou valor d>
1:000$ na a I cada da rclacao, assim so venccn;
uiianiuieincntc.
Facultlailc de dlrelt< do Recife
Pelos decretos os. 2,i08, 2,309, 2.4TO e till,
17 de setembro, foram mandados admitlijC: a
tricula do 3'1 anno dessa Faculdade, 0 estuJanle
Krnestci Augasto di Silva Freire, do ie anno o'es-
tudante Francisco de Castro Sa Barreto, do 2* an-
no v estudante Joao Ahiuslo de Albuquerque Ma-
ranbao. c a exame do 1" anno ao estudante Joa-
quim Filguau-a de Menezes.
Westcrti Jt Biazilian Telegrajila
Cinnpanj Litui
leraxoasdousjtade.
companhia n s f
P'ernr
radaclofj
honra
agente **
aiunic
1 -.,..
mbrn
*" *' --
I
MDTIMDO


mo

^VO'
WPtd,
'^se pela prjsp'enda-
*e -manifeslou era
olkjcajaivda |
p..ssoa por
|aiii Macrae, ra 'lit exit.)
I^BM a> fforaes os desejos de ver em
woas finhasestabelecilis entr-n Rio do Ja
mara dot Srs. deputados
Armilade a seguinte ivsoluelj:
tiMjarao* que se registre na acts a prazer com
1 amara soubo, dc so nchar estabelccida a
anniunioacao telegraphiea entre a capital do Per-
nanibuco 0 a Jo Para.
Sou tambam informado qrie 11 Rij do Jaaoi.
waa-viachegadoa ny.ieianodia 10 do commie,
o lli da Praia, quo ,1 soccao dacabc entre Moo-
W*W q Uiuy achava-so ounipleta. e 0 primeiro
W*gr*iaa expedidn n > dia 8 J mesmo.
Teolio a houra do ser-De Yv. 3s. altcnig e
^VKTacloria ln the-sonrarin de fit-
xeitila Nesta c-la.'.'o uajiagatn-se|hojo as^e-
oiaas : Jrgmnai i> e^raiuerei* pessoal da
SgaaftJPs flos. ofnl-iae"s do exeroito e
us .nambuco. ti atjn,.wlteira, Afigados
1 1o pulmonar.
Constancia Candida Jifcei/i}, 4
co, 40 annos/tfcsadi, S|3i>' Anto"
nica.
Eracstina, brauca, I'ernarnbiteo, 7 anno*, Pooo
febre gasiric.r.
rite shr
policia, con-ir
*u^iwi.-T* ^ tei'-o;, marioUagein c uuarJas
da alf rftdega.
0:; WuccionaNos q; deixarciu do robber neste
au, so poderao fa/.o-Io do oitavo dia util era
iliante.
llcndimcntos. Durante 0 mez de se-
tu arrpcadarani as s^guintes repartiroes :
AHaadega 832:927*387
Sw3**3 M:*W*48j
tweeb'doria de rendas goraes 44:8865232
CoastrWo provincial 168:838.1178
Gnifefa jiiMdleaAcaba do chegara res-
pective ageneia, ne3ta cidade, 0 n. 33 d >ste joriial.
contendo :
1 A respo ta aljirmativa que,
Liberatn, eseravo, proto, form abu-;o, 2S aiiaa*.
solteiro; Hocifo; tuberenlose.
Tribunal tie oommereib.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA UK ti DE
SETEMBRODE 1873.
PRFSIpBXCIA 00 EXM. SH. CONSKLHF.IRO A.NSBLM0
WANCISCO PBRETTI.
A's 10 boras da manha, presentes os Srs. de-
putados secrotario Olinto Bastos e 03 Srs.supplcn-
tes Sa Leitao e AJvos Guerra, faltando com par-
icipacao verbal 0 Sr. deputado Lopes Machado,
- I I' ML II I.........1
tn!"-rvtili|para log',? djrigiram-se prMsoi>Mo>lfiim eavalN'
.istiueios, MU.HIa villa para virem-no aoora-
nanbu-. panhando.
ETectivaraente no dia 17, S* 4 horss da ^H
aqui eliegou 0 cariUoiissiinu fnn Cadlaiio Subrinho,
trazjolo a i6si u.daoada de^povo
na poeira das estrada?, lovaalada pelo tropel da
cavallaria d.is persooagens dif4tncios quo a pro-
cedia.
Foi *umptuo3a 0 elegante a enlrada do boss*
amavel frei Caetano nesta povoa^ao.
Os cavallcirosdistribuirain-sij em duas alas, del
xando no ccnlro do espaco 0 levita do Senbor e
apoz estes caminhavant arfando em onda; i- pra-
zer' honens, mulheres e meninos a pe.
A rua da povoacao, ate a entrada do Rvm. frci
Caetano astava ompletamente descrta, pursue 03
seus moradorcs faziatn tarabciuparte dessa niigcs-
tosa eohorte acompanhamento.
Todos e tudo tripudiavam do grandu. A tarde
Ga: fijuviii>i
sobre 0 faoto prfoefri, n oonselho I de sentenga
n jure
0 fa 0(0
profero por siiiipies "maioria de votes (7), fli lugar
i Cuiidemnayao ? Quid it pelo mesni0 numoro ou
me6ino por (j vot s 0 jurj so pronunciar iiccr^a.
4m drcuaislanoias derimente-, justilkati>'.ts oa
auenuaniei do crime ? Junsdic<;ri> civet: Mo' sao
isenti.s do sello de berancas e legado* os fil!ios es-
parios iusiiiui los, em Lcstamcuto, visto conio so-
niente goe.im desle favor da lei os ascendeirtes e
ilijscjudea! is rapazes do siiccederi.'fl in!,-s!a!i.~i%
Oominio 0 posse de aguas pertencem, -.em regra,
. aos dwno-i los pdios ondo ella< ons^em, mis este
imp
merctUt: I", node intentar-?e acfto recisoria con-
tra decisao priferida por aggravo em ac^.ao ou
eiccuijao, sempre que tenha influido na fioalisacad
da de_ia.iiid;i ; 2-, feila a adjudtcacio nao eorrera
mais juros contra 0 exeeufado, embora senao te-
nha 'xt-a!ii.lo a-resjieciva carta ; 3, a repei-sicio
quo e *jfigadO a fazer 0 credor adiudioatirio littve
ser feita cm pumerario 1" as ferias superrenien-
tes hTtorrojiipem os fstaes da aupellacaa ? 2' po-
deni us confRiDKiantes malrieulados sofTrer :u-res-
lo t'; levaaia.Io 0 arrosto, sob fianc.i refon;ada
por t?5tcmnnha de abotiacao, no le prosegair a pc-
pJWJR qae po-terrormeiu so lizeia cm hens do
ucia an te temanhai abpnatoria.-, ou cadaca, co-
mo aec ssoria sua obngal)? 4', podo a Ustomu-
nli.i do Aoaacio, quo ajfas nao f.ii ouvida, nem
conveiKJ.*r, ser exe utada ante; do excutid) o
liaitop-? J- |, idij)n>.-der-so a daas exeeuju ; si-
nuiltane,^, pi ia mesma sonUin*a, em teriuos diifo-
renle
jftrejsl setpmbro prnci;dea i,sia s'cielade a eleiivio da di-
r-it, ii 1 commissfio quo loin do scrvir da Is:.!
187*. fi'iali oloito os Srs.:
Presid&nte. -IL Kfockenborg.
Vict-preSiiem.W. II. C inofiy.
C-ipill).Howlaa I Brotliorh 10 I.
/". ikmmro. C. E. J soph.
Secreti'io. -P. C. Wright
Cammtssl0. -N. h trtery. >' C G itis, 5V. A. '.
Bell, A. B. fttBas. "
Vayin- ll.khi'i. Sgnn l> telcgwmraa do
Para sahto 4";aM para 0 11 sso porto bens escalas
" vapor Ba&ia, da companhia brasileij'a.
Acsanal de -j;ii,-:-.. .(a reawnmid o
Bxercic.o do director effectivo desta repartiojo 0
Sr. major Francisco Raphael de Sfelfo l\ 0m '
MSanea. Desta povoacao escrevem-nos om
B9 de s:'-n.'iro.
or Nesti p vo.icio terrain iu bontera o setena-
no das Dores da Saatissima Virgom, sob a diroc-
rSo dp llvm. Joao Ignacio Je Albuquerque, nosso
mu'to e.-timsdo c.ipol'io, 0 vigan'o eocommculadi
u !'a.!je:\ de Ptores. Dopois da missa, elle subio
ao ptdpitc, e, era am breve dlssurso, expoz que 0
moiiv.j d sea retirada da meio do aids era a obc-
(Bencia doritla ao nosso illuStrado, distinCto e vir-
tnoi'o f.rda lo, sem a qua! ed ha aesordem e con-
fu V 0 d rramantento do sangne.
Insti! ;it 1 liistttricit pHilnso^liicu.
A's II huias do dia e no logar il) costume, ha-
vi'r.i ii.-j.- somAo entraordinftpia dmta soeiedado,
afiin do liatar-se de negx-ios iraporlantes.
_Lsi7.: brasiSnira. -Estasociadade fara se:
|e oire-.-ioria huje, as 7 boras da noite.
I:t mae -Sob a guarda do Sr. Henrique
Soarei de An trade Bre ler 1 le. in rador na estrada
deJ0S0.de Barros, acbase uraa menina decor
profa, quo reoresenta ter !) para ID annos'de ida-
do. u diz !::; nar-so Prancisca. Do seu destiao
Rftbi apenas declarar quo foi Mm umisnairma
aban-i mi!-. pela propria mae! Nai teraessa-des
dito-Ja cnanra quem por ella so mffesse?
95.ia'n. -Ao amanhecer dehontem foram on-
cantradai ibertas :h porlas da loja de calcados n
7 da rua .11 Livramento e esta roubada na impor-
tanciapouco mais ou irenos de. 6003000 em cal-
;a s e eounis de divers is qna1idade<.
Forran.o ;.s fechaduraa com chaves falsas ou
qaatyu.fr tiatro instrumenlo apropriado oque con-
uram os hdroes penotrar no estabolecimealo
sem pratii-.T-em gran.le violencia.
Serradnra A's 8 horas da manha do 30
do mez ultimo, Jorge de tal fei io g-avemente a l)e-
metrio d) N'asanieato com uni serrote, na rua da
SmdauV. fregnezia da Boa Vista. 0 serrador de-
pois do fei'i n obra madou do ares.
Beafifl-^o.Hoje tern lugirno theatro Santo
Ant' oio 0 bcnelii-io do primeiro llautista pornam
boeano 0 Sr. Caadido F"illio.
^.ntcria. -A que se acha a venda 6 a 63.* a
boaelieio da Iraperial capeHa de-Bslancia, a qual
:-> U-aliira no di\ .').--
Caaa tie deteueao.Movimeato do dia
30 de s U aibro de 1873:
Existiam p:*esos 334, entraram 1, sahiram i,
.ecs'ora 337.
A ?aber :
Na;ionaes 2if, mulheres '.), estrangeiroa iO,
eSBravbs 38, oscravas 1.Tola! 337.
Allrnentados a eusta dos cofres poblicos 278.
Movimeato di enferraarii u> lia 30 Je selembro
do 1873 :
Tivi'ram balsa :
i>aoJI.uiz Nepomuceno, febre.
Joao Vioira de Hello, defloxo
Passageii-os. 0 vapor South America
treuxe do Rio de Janeiro e esealas :
Cooselheiro Diogo Velha Cavalcante de Albu-
querque, Dr. Elias Frederico.de Almeida e Alb 1-
Jaerque, sua senhora, 3 lilhcs e 1 criada, JJr.
ranciseo de .'ssis Pereirs. Rocha, Dr. Manoel Ar-
thur de Kolanda Cavalcante, Pedro de Santa
Anna.
Em transito :
Cooego 5iqoeira Uendss J. Wi'kens de Maltos,
Alexandre Wajmer, Pedro Claudino, Joseph P.,
W. D. Ed.'ii y, F. E. Sapostos, augusto C. de Va<-
eonecllos, S. SheifBeld, Arthur ililies e sua senhi-
ra, ;i.mu('.l Lavy, W. C. Druman, W. II. Wasser.
Reguirara nesse vapir, do nijsso porto :
Companhia jdpeneza eomposta de 16 pessoas,
PrancisCO do Scuza Mendonc.i, (Charles \V. Chase.
.Tin los da ilha de S. Miguel no pataeho Mi-
chnelense :
S. Exe. 0 Sr. conselheiro prcsklente declarou abor
ta a sessSo.
Foi lida 0 approvada a acta da precedent*
sessao.
EXPKBIENTK.
Oili.-io do socrdtario do tribunal do commercio
da capital do imperio, ^reraetlondo- a relacilo do
commerriantes malrieulados naquelle tribunal
no mezde agoslo ultimo,Para o archivo.
Foram a .rubrica os seguintes liYros :
Diario de Amorim Irmaos Si C, dito de Frede
rico Pinto A C, dito'de1 Crux e Silva, copiador de
Kstelmnn & C.
DKSPACHOS.
Bequeri nentos :
De Soza Mominho & C, para cerfiticar-se-lhes
os cioco ilens eonstantes de sua peticao.Csrti-
fiqr.-se.
De Antonio Maria Marques Ferroira, pedindo
que se certillque achar-so ou nan registrada a
nomeagao de-seu caixeiew Americo Forluuato da
Ga-na.-Certilrpio-se 0 que censtar.
De Ferrcira-ft Cuah.i, solieit*nd certidao da
nomcacao de seu caixeiro Domingos Marques Fer-
roira. Passe-se certidao do que xinstar.
De Panlo Guelphe, impel rand) certidao da no-
meaQilo dada a Francisco Damasio dos Santos e
Jose Felix do Urito Macedo. -Defendo.
Do Joao Gervasio da Cunha Perne & C, requo-
rendo certidao da noineaeao coaeedida a Francis-
co Nogueira da' Silvi. Como rOquerem.
De-Rocha eSilva elles provaram ser brasileiro 0 seu caixetfu Pom-
pilio Alves Fernandes.Certiliqne-se.
Dos mesmos, pedindo nota em a norsea^ao de
seu caixeiro Hygino Rodrigues Pereira da Silva.
Sim.
DeRochaiC, ignalmente cerlidSo da nomea-
<;ao de seus eaixeiios Pedro Barbosa Vianna e
Manoel Gomes da Craz, e se estes s5o ou nao bra-
sileiros.Xa forma, pedida.
De Bento Macbaio & C, ainda certidao da no-
meaclo de Domingos de Gusmao e Silva.De-se-
Ihe certidao do quo constar.
De Jose dns Sau.os Olfveira, certidao da nomea-
cio de sen caixeiro Jose Dionizio de Souza, elimi-
nacao da de PeJro Moreira e registro da de Ma-
noel Francisco dos Santos. -Na forma requerida
quantoa certidio quo pedo. Nao voton 0 Sr. se-
cretario Olinto BaftM, qua foi sabstituido pet Sr.
Sa Leitao no lancamento desto despacho.
De Jose de Carvalh > Moraes, submeltendo a re-
gistro a noineaeao coaeedida a -Joaquitu Raphael
de Siqu,-ira e Pedro Celestino do Alcantara.
Regisire-se.
Do barao do Bemlic.i, requerendo 0 registro da
procuraciio que concedeu a seu fillw Jose de Oli-
veira Castro.Soja registrada. v
Da viuva Paula Lopes & i'ilho, trazondo a re-
gistro a noineaeao do seu caixeiro .lesuino Xavior
Suas>una, e aedinJo cliinin:i;;ii no registro da do
Manoel Guilherme Alvos da Silva e Francisco de
Paula Lopes.Como podem os suppiieaiites, ijue
nao provaram ser brasileiro, conformo dizeni, 0
seu caixeiro.
Do Manoel Pinto de Queiroz, anjeilando a re-
gistro a nomea;ao de Segismimdo Pinto de Quei-
roz. -Registre-so a nomeacao junta pelosuppli-
cante, qne nao provou a aUegada uacionalidado
do caixeiro nomeido.
Do Antonio Jose Pereira da Cunha, offerecendo
a registro a nomeacao do sm caixeiro Kapbaet
'ose da Silva.seja reiistradi a nomeaijao apre-
se'ntada pelo supplieante, quo nao provon 0 quo
allegou quanto a nacionalilalo do seu caixeiro.
De W. II. Channann, para proceder-se ao regis
tro da nomeacao daJa a Tolomaco Syridio Ca-
valcanti de Mello. -Pronedae ao r gistro da no-
meacao, nao tendo p-nvai e sapplicante pTovadu
ser brasileiro, comoallega, 0 caixeiro nomeado.
De Candida Jose Rodrigaes Lima, no mesma
fentido quanto a nomeacao junta, pelo supplican-
Ip, quo nao provoa ser brasileiro, couforme de-
clara, 0 caixeiro nomeado.
l)o agente de leiloes J .-.' Uaxintiano Pestana,
apresentando o conhecimonlo de seu imposto.
Seja entcague ao supnlicante 0 conhoeimento-jun-
to, depois de rogistrado
De Jose da Cisla Maia, eunprialo 0 disposto
no art. 7." n. 6 do decreto n. 4,59V, para pider
tor lugar o registro do sea distrato. -Vista ao Sr.
desembargador Qscal.
De Joao Kv.ingelista de Sa, Justino Manoel ile
Sa Ramos, Joaquim dos Sao-os Lima e Joao d 1
Silva Pinientel, regisfo de sea distrato. Vista
ao Sr. desembargader fiscal.
Dc Joaquim Ferreira Rames Sobrinho e Manoel
Ferreira Ramos, registro do seu contrato. Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
Snmmario contra 0 corretor Silveira.Juuic-se
0 ofQciodo Sr. desembargador fiscal sobre os ef-
feitos do recurs 1.
Nada mais barendo a despacaar, 0 Exm. Sr
crn dia.
tra frcsca e aanena, como os primeiros arreboes
de aurora. As floret oomp por encanto, nao sabo-
mos onic foram bebor tautos neiifuiflea para expan-
direm naquella tarde". A^aes,'saifnl\rode seus lares,
foram sem duvida, concerUr sens threnos aossons
d'arpa celeste para os modnlarera na recepgio
do virtuoso frei Caetano. A propria natureza, pai
recia, queabrindoos abracos, a.ertava n'ura doce
ainpieso, traabordando 0 do juibtfo e de encanto
0 nosso prestim o missi'mnrio.
Atuda Islo devemoi jnatjf quo1 ebegado aq-oel-
la hora 0 Rvm frei Gnotano, lima hora depois, es-i
tava nos fazendo otfvrr a palavra do Senhor, mis-
sionando. ^
Oh! iafatigavel pregaior. A efforvesoeDcia, 0
amor, a pureea do agageoom-(tue fazia cHel
a propaganda das doatriuas do Evangelho, tinham
tanta for^a que poderiam arrastar uma onda da
povo superior a oito mil pessoas.
0 incancavel missionario, nio somente procura-
va-nos euriquecer dos recursos cspirituae?,'
como tarabem procurava beneticiar a obra di.
igreja desU povoajao, adqnirindo esm das 0 inci-
tando 0 povo a collocar matoriaes ao pe-da obra.
Para essa obra pode elle com os seus bons rc-
rursos do amorosas e convenientessuplicasadque
rif quantia superior 3 dous wntos ; adquirio tam-
bem 0 mais qossivel qae thefti? para as obras da
igreja da Pcnha, para as quaes procurava elle es-
molas com amaxima e loumet solicitude e afan
Tainbctn adqtiirto uma esmoia para 0 collegio
d.is orph3s do Bom Conselho, alem de cinco car
gas de generos alimenticios da terra.
No dia 2i terminouo l\vm. frci Caetano as mis-
seas, deixando nos corac5c3 de todos a mais pro-
nunciada e immorredora impressao dos salutares
preceitos da igreja.
Nesse mesmo dia poz elle em exposigao aos lieis
a iraunculada Conceicao de Maria, com a poaipa
e espleudor, que a localidade pOdo proporeionar-
Ihe.
Eram duas alas de senhoras, restidas de branco
quo trazian no eentro a imagem d> Saatissima Vir
gem da Conceicao, cojo andur sumptuosaraente
preparado, era puxado 0 seguido por quatro tir.an
tes de meninas vestidinlias tarabem de branco,
corn Bores de larangeira na cabeca.
Magnifioo espectaculo Santo I !...
Recolhida a proeissiio, 0 llvm. frei Caetano, abeu-
eoaudo a todos, e depois de eonsoreiar a deseasa-
dos, de casar a solietros amancefeados, e do bap-
tisar a pagaos pobres, fez sua3 Jaspedidas para
voltar a Garaahuus. s
A tornura de suas expressoos, e o'au^oro ro
conhecimenlo do sen corai'S'-, moveu e aispeda-
cava ate 0 mais rude coracao. As saudados, e 0
p-sar de nos separar desse virloosiasimo missio-
nario, abrindo as azas ontre nos, apenas deixava
rer-se 0 transluzirdas lagrimas senhoras que mo-
Ihavam-tap as vestes brancas como o orvalho da
manha roreja as assucenas.
Dc-tis conserve Ipqgos e i'oliz"s annos a frei Cae-
tano.
Adeus ate a volta.
Correjile, 24 de dezembro de 1872.
Cromwell.
enJio dos pqyos?
nfefclfede,
-
a, cm ImgMo zclo pela religWo de Jfsus, e que
0 wur e o th,-ono sao 0 alvo das machinacoes dos
"IW's d? Deus.
,Doarai,Mdo d > thruno qae nesU epica ainda se
.Segunlo jJsuVcWrSrbVWrrioWft'veh) servir e
"^*{ sorvido, as-im usque exercem os cargos
ua sociedade, so vieram para servi-la 0 ua 1 para
serem servidos, como no paganismo.
1 ois bein ; .mando 0 thron0 e 0 altar, quando
"> rcis e os uobres, 0 papa e 0 clero chegarcm a
esse estado de grandeza, despojados os povos de
woos os direitos e dignidade do homem, estava in-
vertida a instituicao chrisla.
coruarca tlo Uio-Fortaoso, a razao pela
(jodl, tenoVr tanto gosto pe!o papel do de-
nimcJante*,- ii$& denunaia que em seu onge-
oho tem dous cf.'inrnosos pronunciados no
termo do Barreiros f
Isso dnsoja saber
0 Mauricea:
umu a mu
Gratidilo.
Po-
se Loo(!;, Francisco Teixeira. Escholastica
' Isajbel II, Mrnool de Mederos Raposn, Manoel da
., Manoel.Joaquim. Manuel Jaeintho Pacheco,
Manoel Jaeintho Pacheco, Jaciatbo Ignacio Cor-
reia, AntrnMo do Rego Borges, Manoel Raposo Ca-
bral, Maine Pacheco Datra, Francisco -do Couto.
Ce Jo '':
David Manoel da Silva, bianco, Pernambuco, 16
aaaos, s.ilieiio, Santo Antonio ; variola.
1, preto, Pornam! a.->, -H annas, casado,
Ja
Irai
calado, -1.
,oel XiiC F
^^^viuvo, Be
rnerrto doesojhsgo.
ula, pardo, 36 annos,
rriamb aco, 66
ro II: estreita-
rns
lltta, hospital Pudro
rolV

a Ban
Pertain bu
Ira 11 ;
anno;,
parUa, Per-
0 abaixoassignado, fillio desta provincia, raora-
dor uo termo de S. Bonto, tendo relacoes com 0 ne-
gociante nesta pra>;a 0 Sr. Joaquim da Silva Costa,
ha tempos, quando este fazia parte da-junta admi
nistrativa, a couvite do me-ra 1 Sr. Costa foi ao
Hospital Portuguez de Beneficencia e com aquolla
dedieacao que p-ir todos 6 cinhecida no referido
Sr., Itie mostrou todo o esta'ieleciraento, dando-Ihe
as dovidas explicate', quo com elTeito fe-lo ficar
surprehendi.lo coin 0 meritorio monumento aqui
lovantado com as eonomias de alguns daquelles
a quern tem a honra de descenler, e~mal pensaria
^le uma ,terrivel jenfermidade, Ihe havia de
conduzir aqui, recolhoado-o ao mesmo hospital
em 23 de agoslo proximo passalo.
0 Illm. Sr. Dr. Pitanga. mui distincto medico
desta bast, com assistencia do.s Illras. Srs. Dr.-.
Sarmento e Sere, Hie extrahirara uma pelra da
bexiga com mais de oito onjas, corao foi vista em
cima da mesa quo estava em eeu quarto, dia do
anniversane.
Tendo estado recolbido ao hospital 33 dias,
retira-se penhorado a todos os membros da aotual
junta adrainistraliva, assira como aos empregados
que carinhosamente souberam tiatar-lo, e a todos
os sens dedicados amigos queo visKaram, a to-
dos confessa-se grata, olTercccndo- de coracao 0
ssu uraitado preslimo, nao podaado Pindar esta
sera pedir ao mui distincto provedor 0 Illm. Sr.
Antonio Correia de Vasconcellos e a todos os mais
a quem e deuido tae importanteo meritorio osta-
belecimento, nao recuarem em tao santa iasiitui-
530, que embora tenha contribnido com a diaria
que e mareada aos doentcs de primeira classp, nao
se julgara feliz e.nquanto nao iiver a horira de
ver 0 seu humilde norae no quadro de lao dis
tincla e honrada sociedade, pede a lodos estes dis-
tinctos cavalheijos que nesta menciona, nao tomem
este seu a graded nento era outro sentid0, alem
d'um voto de gratidao, ja quo pe.woalmento nao 0
pode fazer por retirar-se hpje para 0 cenlro, onde
vi restabelecer-uie da.grahde operac;\o gue 3offru.
Pedira a Deus que continue a abencoar este
santo e meri.lorii estabelecimento. afim de quo
aquelles que per circumstaueias chegarem ao seu
estado, contem a mesraa victoria, que com peque-
no dispendio va bam dizendo do trataniento,
acoio, limpeza e humaaida le com qua foi tra-
tado.
Recife, 1 de outubro de 1873.
Bernardino Medeiros de Amoral.
llissSes no Correate.
Amaveis leilores. 0 nosso Correate, felizmente,
partilliou tambemdos eflavios dos grandes be-
n-ficios de que a Providoncia Divina se SefVlo
fossetn agraciados os habitantes de Garahuns.
Derramando-se no dia 16 do cauente mez por ejte
povoado a lisougoira nolicia.de quo 0 Rvm. frei Cae
tano Maria de Messina Sobrinho, partria no dia
17 daqueila villa, onde havia coraecado a concer-
tar a matriz e fazer praiicas evangelicas, por
quo ha poucos diwaili havia missionado 0 illustra-
do frei Venaueio, para ir iuiisiua.tr nesta povoajao,
\ Unittoi.
II.
Delini 1 a ultimo concilia a infallibilidado do pa-
pa. Q.u mal nos pol3 ell.i fazer a lioor.lado dos
povos, so elle se liraita em sou nso a 1 desempealio
de sua inissao ?
0 mal so c>t aria e.oi exec It so 0 papa dessa
m ssao, iatroraoitoaJi-se no regimen do gover-
no civil, quo perlence tao somente aos oovo-.
Mas alii nao Uw deverao3 obedieacia, nera Ih'a
demos prcstar.
Que iaiporta quo a Uniao com os da sua grey
digaai que 0 govefho da igreja nanca se intro.net-
tou con as cousas do govorno civil, que inf.tlli-
vc! com) e ) papa, nao pole aberrar do sous p>-
deros, excedendo-se do sua missa)?
E' vordade que a iito n:to se pode resp til 1
com 0 sileacia do desprezo, porque nera todos eo
nheceni a serie de fact os tao iarames como horri-
veis, com que os hypocrilas tem manchado, em no
me da igreja, a obra de Deus mas e mais faeii
deslruir este, corao tantos outros raiseraveis ao-
plii~ nas da UaiCii e dos seas, do qae oppor d.;vi-
da a ura dogma delinido pela igreja.
Goaf ess am os ultram oatanos qae 0 dogma da in-
fallibidade nao faz do papa ura, impeecavel, quo elle
po le ser urn d >s inaio-es peccadore;.
Se elle, p n*, 6 peccavel, pole abnsar deseus po
deres, appiicandQ'OS era sa'.isfacao de seas in-
leressns oa paixoes ; pole com oeaseieaeia e ma-
licia dizer i|ue e de sua mlssio 0 que nao 0 e. Elle
e iiifallivel para dizer sobre as cousas que sao de
sua missao ; mas, se nao e impeecavel, 11S0 e in-
lallivol para dizer o quo a ella pertea.ee.
Foi a um apostolo que Christo disso to men roi-
no nao desle mundo ; mas foi a um do povo
que elle disso: it.-ii a Cesar o quo ii do'Cesar, dai
a Deds o que e de Deus.
A nos, pois, compete dizer 0 qae e da sociedade
civil, cujo goveruo nos e delxalo, oquee do
(|ue e hem facd de tlisiaitmir, p irqae e laido
aquillo a que a lei civil, quo a raziio po le tl-
cano.tr, para det'erminar 0 governo, 0 regihwa
locial.
0 qne em seattda contrario retala 0 brapo do
Para ter decjdido 0 concilio plenario de Baltunoro,
(Estad'is-Cnidos) osia em contraili.ao com a pra
lica dos mesmos membros do concilio, secta-
ries das instituicdes ooliticas daqueila nacao, con-
demnadas pel 1 syllabus.
Nao fora, porera, a'guerfa franco-gcrmana, 0 po
der temporal- do papa teria side delinido como ura
dogma.
Mas, Dous vod .a ia-i gran le aitenlado contra a
sua igreja, quo traria a nu nanidflle as maiords
desgraca. A retirada do exercito fraacoz das e
tados ii'inlifnaos fez dissolVer-sX o concilio antes
de uma tal lentativa. E antes que se deBnisse
dogmalico 0 podor temporal do papa, elie
perdeu esse throno odiado eoJiosi, condemn .dli
por Christo, e esto escanlal 1,. este vituperio, e>ta
monstruosidade da religilo do Cruci'icado, desap
pareceu em um instaub'.
0 governn da igreja em principio fora simples e
humil'te como Jesus Christ'* 0 ousiuara com a sna
doutrina e oxemplo ; assim eram os canventos,
conslUuioao dessas congregago s de irmaos em
Jesus Christo, dedicados a davogao e ao traba-
II10 rural e artislico, ao soccorro e service dos no-
cessilados.
Naquelles tempos foi prognisticado porum das re
Ijglosos (nao me lerabraqual) quo para 0 futuro os
canventos soriam grandes ediiieios do eastosa e
luxuosa onstruccio, comraodasedelicijsas ib-j-
radas, servidas por grandes riquaaas e caboJaes,
abngo Ilo vicio e da concupiscenria.
Assira vein a realisar-se em ludo ou em parte
com muitas das ordens e conventos ; do mesmo
modo quando a igieja foi ntilitante, de persegui-
da tornou-se 0 seu go^erpo nao so pjrseguidor.
como rico, pgderoso e arroganie.
Jesus Christo dissora quo Ello fora ouviado por
seu Pai, nao para serservido,.mas para servu- a is
homeos.
Quando a igreja foi liraitanle, quando 0 papa
foi dotado com um throno de rei, e 0 governo e 0
tribnto do 11m povo para sustentar um fausto c
grandeza sempre repellidos p >r Jesus Christo,
quando as jgrejas e osconvoulos foram doialos
com grandes beneficios, quando uma graoJe
parte dos ben3 immoveis, do solo, om alguns; esta
dos ale a terca parte, era propriodade do clero,
os mlnistros de Christo desdeenlSo (do parte m ti
tas excepcoes) elles nio serviram mais, eram aim
servidos polo povo desgraeado que no auge da mi-
seria trabalhava para sustentar o seu ocio na opu-
lencia e 0 da nobreza e 0 desous reis. seus tyran-
nos; quasi'sempre; acusta do trabalho do pdvo
espoliado que ia a portarw doj conventos, eoborio
do andrajos, alimentar se do cald) que Uics
era distribuido, forraado do sobejo dasiinarias dos
refeitorios, lan.ado em ua\ TiaMnirSo 0 revolviio
como bebula de porcos.
Como nao dever, pois, a m.a?oaaru traballia*
para garahlir sens irmaos ft'todo p povo, para Ii-
berlar se de.ta niojuidade vie*-
n.-i!ii..art iMnlra linn n, *>^
~ cons
tituio uma soqiedade privilgiada para gozar a
1 a3*ule:iU a J>st'1 da oppressao e da raiseriaj
Jl********* **i iHs -atraoade ftr a*
***>\at geaai);a^erviyt>de fttui, maaper es-^
peculacao, como uma carreira fa)|p|aaraf ejttrten-
"^J" a ann Qlafsa privilegiada 'de todos 03 gozos,
sem onus,__sem sacrificios quo fosse em ;mro ou
per m0*- smcQro oa real bem da humaniJade.
turnVfiSf4"e *********** era
Nio in-iis rei a papa, dab apoio pode prestir o
olero aos soberaaas da terra?
Nullo para elles 0 papa, qa'o inWee lerri esses
soberanos em sustentar a-sua iniqua e sa:nlega
granleza? 6
Reduzido 0 papa a simj>lo* vigaria do C iriste,
os podcres a>.-iiii4il> a-f> po-Jom roai*.conA-ir era
garantir-lhos mil I'austT C grandeza, wnfladas nas
nquezas extorqu* Its da boatkude Jfo\ povos pelos
sacrilegos arttiei.is do.q fazom donouie de
Lhristo instrument') do roubi para dispajar os
Pr>?* ^'wrt* gaohos com o suor Je seu rosto:
'-ado agora o throno do papa, cim rasao,
prlattln,-o clerrd ultiwnoulano, 0 jlero hypocrita
se toma de terror.
Eises innjwurj* benofioios cam que est.io dota-
das as igriijas, coin qua elles ostao dotados, elles
Ja vtil-''n Ibe* 3,e.todos arreo.aialjs, como ainda em
vidadothrmo papal, ja elles coraecavani a ser
delles despojadosi
Dessa vida gostosa em aue 4\e\ teem vivido, ser-
vidos^por taulas nq^z!iscerjoV,R>do 0 povo, elles
teem do passar a simplqj servos do reban'sof do
C lirfo. -
Como urn so iioraeai ft vantage,' poii, to.lo o cle-
ro ultramontano e com elle todo? os nobres e pre-
leasos nobres. para resta^irar 0 ihr>no do papa,
base e sustonlacajo'jdetdos os privilegios, que
garanlem aos senhotes a posse do povo naabjeceao
do escravo. <-
EHes quoreru porera oonqnist.tr Ou reconquistar
a preza que Ihe escapa, com pngodo mentiroso e
falsario. era nonte Jo oeo, a q 10 dizeni qpe-
rer condnzir o povo. em nomo ile Jesus Christo,
do quem dizem recebertm poter para dominar os
sober.tnos e ditar a MHts na^eus em name do al-
tar e do throno, ataca 1 is \*>h impio liber.alismo,
e rnenlindo, sopJiwraando, illualiado,' eenganado,
que elles prebmdem ferfr a ullinu e de*ospcrada
bat.-iHia ; e:u name do Chris11, cobruiln a terra de
dos^rac.is e roinas 0 a rcgaado com sangiiu para
reconquistar o podor qua liies csciiii.i.
0 ceo em que a paior pane tk'Wos nao ere, d 0
engofi com que elles ilknlaii 0 |vo 0 0 chamara
a formar um p.arlido ira raado 0 saaguinario, contro
os hm-eges, os inimigot do Deus, coin dizeni. 0
motivo real que os m .ve a o- boa-, as riqaozas, as
bonefieias com que estaa dotaJas as igrejas.
Sua hypocrisi-a revolta a todo-, a aiuilo mais
aos qao mal pea^andaj Ream odianlo a uma r'eli-
gia-i Hi qae coastitaom iiiui-lros tii-j abjeclos by-
pocrita-.
Qao perdpfli ellos com isto Aquolles quo a tal
panto so revoltsm voiaitain inuitas vezos impreca-
Qiies sacrijegas, confundind> 0 envolvondo em nraa
so nialdivio a religiao di Gmxiffeada, com os la-
dm is q 0 so iolr.ida/.oai 11tein.ilo do Dons.
Dalii ainda tirara os hypocrilas altramontaq s
panido. mostranlo ao povo com> sao iniuiiir"s da
reliidSo os que orn amor a libordade acoWiaiem.
Na lata qae travaai os ultrain.iui.auos contra 0
liberalismo, para restaur.tr o thr.'rae p pal, encon-
irani era sua freate o .terrivel baluario da ma;ona-
ria, praea farte, dianto da qual nil podem die um
passo, conquistar um palm.> de terreno sem derro
ca-la. hY coatra ella, porianto, qao, furiosos, iu
vostoai, antes do dar, e eai juanto preparam 0 seu
jiariido panra bala'ha campal e sanguinolonta.
Para atacar, pornai. lio inexpugaavel l'irtaloza,
nao podiam os altramontanos s-mtir-so potontos
--a .1 milieia, hi um semlo exactamonto creada
para combate-la ; a companhia do ladrSes intitula-
da de Jesus.
E' ella, pits, qne 0ommiiida a accao e dicta 0
preceito, em quanlo a guerea e da propaganda.
E a tenobrosa o refalsadi carapanhia tem roluziilo
todo 0 nltraraontanismo o mliih 1 ospirito e pra-
ticas do jesuitisai 1. b uni ostentan lo, 0 coafessa a
Uni'lo.
Nao recobt, pois, 0-1. pabre povo brasileiro, as
paiavras daisestiypaorit.i-, son exame.
Recife, 13 de selembro !. 873.
Ajf&MO d-: l.'/i'i/j.'./.' M'lli.
P. S. -23 de setem'ir.-.Era resp is'.a ao reclarao
da (fa 1 .
Nis listados-Unidos poJo a hypocrita com;iaaiiia
de Jesus, sor uaia cwajiaaiu 1 industrial, gem pre-
judicar o pai'.; \u raomeuto 1-111 ijae por vjutura
podesse, como om toia a parte, ser prejudicial a
sociedade, por corto nao seriaiu alii sotrridos os
jesnitas. 0 Brasil ainda esta iiiuiti dista.ite dos
Estado- Caid is, para pod a" ficar ao abrigo Ja
coiupaphja, pk so so serve do nomo de 1 esus
para -altoar a humanidado.
Sao na quem qnefra tttdafa umasocieJado para
outra ; mas so.oeqte aqaollas cousas quo a ca la
um paroce salisfawr as uocis-ihl .3 do nn povo.
.N;ij posso satisfazer aa |ieJido da Uniqi ares-
peito do que ella charaa tnsultoi e doeslos. Ac-
cuso a Uaiui cora todos os ul'.raraantanos menos
innoeentes, de hyajacrisia, do fajsoi chrtstips, de
iuimigos da Ciristo, do sor sen piano muito ao-
tigo, restaurar 0 paganism fa'.endo olios s
WM
mPATABIJ
rteadimento ao dia
conlra-fogo
THE LIVERPOOL & LONDON di GLOB
INSURANCE COMPANY
Agentes
SAWDERS BROTHERS* C.
MCorpo Santo11
GUpftai.
^undo
NORTHERN.
. 20,000:0009006
de reserva. 8,000rOOO^JOOO
Ag-sntes,
Mills Latham & C.
RIJA DA CRUZ N. 38.
COMPANHIA
Plienix Pernanibucana.
TQma.riscosmaHtirnos em morcadorias,
. VOLUMES SAMDW
mraeira porta no di l .
Segnnda porta
Ttrceira porta ...
ridpiche Conceicao .
SERVICO MABITIMO
U>areng.iS descarre'gadas no trapich*-
ji alfandega no dia A .
N*a\iisairacados ao trap!d< alfandega'
Viv.ri;ngas........
Vo trapirim Conceifao .
ENDI.\|ENTO DA EMPREZA DAS
CAP.VfAZIA DA ALFANDEfiA DC .
CUCO, Bra-.VTIVO AO .MEZ DE SETE11
1873, COMl'ARAD-) COM 0 DE ETE:
1872.
mss9
am
t
Verhas de reeoila
Taxa de embarque
Dila de desembarquc
Djia de amiazenagcin
Dita de embarcacaSes
Dita de alvareagas
Dila de bagagens
Dita de divcrsns
Tolal
i
I
5$'i*C30
3:892*201
C:377*603
Kioto
917*250
1'OAttO
1:336*770 l:?;t
I'!:2Sii55C *l:n$fi\i
ftxtos, (Jin'toiru a risco e fuiahncnte de qual-11^
qucr natureza, cm vapores, navins & vela ou '
barcaijas, a pn^nios muito mnrlicos.
RUA DO COMMERCIO N. 34.
GOMPABHIA AU1AN?A
soguros maritimos e terre^-
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 1870.
CAPITAL 4,000:0005*000.
>fMBa seguro de mercadorias e diuheiro t
..en maritirfto em navio de vela e vapores
para dcritro e Kra do imperio, assim como
contra fogo sobre predios, generos e fa-
iiKulas.
Agtote : Joaquim Jos6 GotiQalves Beltrao,
rua uo Commercio a. 5, 1* andar.
SE6UR0S
MARITIMOS
CONTRA E0 FOGO
A companhia IndemnisaJura, estabeiecida
nesta praca, toma seguros maritimos sobrt
navios e sens carregarneutos e contra fogw
erfi ediUcios, inercadorias o mobilias: ua
rua do Vtgario n. pavimenlo terreo.
MAQA DO UECIFE 1 DE OUTUBRn.
DE 1873.
AS 3 l.'i I10RAS DA TABUS.
Cutttcdes o{YIc!no.i.
Assucar urutb regular 1390(7 por 13 kilos,
hoatom.
Algouao -de Peaedo sem iuspeecao 75700 por 13
kilos, lion tem.
Caiubio sobre Loni'.ro- a 90 d|v. 26 d. por
ItWJ, do banco, hontera e boje.
Leal Seve
Pelo prrsidente.
Antonio Leonardo Rodrigues.
Polo secreluriu. .
Tbesour.aria da emprcia das Q3r
da^alfuidegi de Pernambuco, 1- do oaiabro
1873.
Antonio fose L>-aJ Reis Filho
Piol do thesoureiro.
Conformo. Francisco Juse GaJvaVi
A'oute auxliar iclerinit.
de
HEChiUDOlUA DE
WAKf, I)K
iteudwiento do dia I
RENDAS LNTEIt.NAi ii*.
I'ERNAMBUO)
1333*7.*
CONSCLADO 1'lioVIXrjAL
aonpii^onlo do dia 1 2:5l8*Xi2
i t -----------_________
it.admionio
\FL.\L>AEOA
tin dia 1 .
52:7734i30
Descarregam Ms 2 de outubro de 1873
Pataeho ailemaoArtf/nnf(atracadu) mercado-
rias para alfandega.
Pataeho allemao-Mtria Sophia milho e taboa-
do para o trapicbe Coneeieao, para des-
pachar,
Pataeho inglez hide of Hie Channil baealhao
ja despacba lo para o trapicbe Conceicao.
Urigue ingle/. Dmu bacalliao ja despaclia 11
nara o trapicbe Conjeicao.
Suaiaca liospanhola T.lia bacalliao ja despa-
cliado para o Irapiehe Conceirao.
Urigue portuguez -Recife-varies generos para o
traiiiobo Coneeicao, para despaehar.
Pataeho portuguez -ilichaelense -bagagens para
alfandega.
Snraaca hespanholaGuadelupe -cerveta e varies
* g morns nacionaes para alfandega e cora-
paubia pornambucana.
Barca franeeza -Santa Andre (atracado) telhas e
ferro parau trapicbe Conceicao, para des-
iiacbar.
Barca ingleza Perseverance ferro o chumbo
para o trapicbe Conceicao, para des-
paehar.
Barca ingleza Jlermionn canos, niacainase
carvao ja despachados para o caes do
Apollo.
Barca ingleza Ventura-kerozeno ja despachado
para o trapicbe Conceicao, para confenr.
n iina e a doutrina de Christo ; e hei do demons-
trad i. oii|iauto Deus mo dor para isto forga, e
lion.or um orgao na improusi quo some presto
a ;-lo.
Seistoe insult), nao soi n/ote dntras ex'prejjs3es
lia|aai coai .|ue sustentar e enau iciar e-tis ideas.
Pole a Uniuo quo nao me occupa dos jesuitas.
;iorqao a quosiao nao e delles, mas siin do e.ltho-
iioisino.
E u parte dia b on a Uniuo ; p irqno eon effeilo
C8 josuiii5 nao s|u o.ita.ilic.is, uoin de aly uiia
soita ohri-la ; mas poivisto inesm i nSo 03 pofle-
mos deixar ; porque estio mania Jos n i ca(np|i-
cisrao, so iutitulandi os primeiros eatlnlio.s para
Mltoanan a haaiani lade.
Aecuso-os de con-diluiront u na eo:npaubia de
ladriios, o nao sei de qae outro nomo u;e 'para
emittir o-ta idea ; pianio iirineipalraeate foi corao
ladrotB 'iue ell.'s lor a a banidos d.) Brasil o Por-
tugal par decreto do no-so rei d'entao.
A Uni'i) que os d i'oada, so qoizer e se podor.
Mas isto nao Pao oonv.Mii. Orgao delles, a sua pri-
ffleira cavpaiaora lizejr que I nao se trata dellos.
Esta mesma e a mfinba j':suitica.
Como, em meu direito, n;io ncceita o piano
nem os moios, n|m a Ifrreao ipie a Unido jndica
pafa o combat', mas >6ai-'nto o que me fizer
conta para &tomtJbmr4la no qnatto esaver em
ininbas farpas, do mesrao modo nio posso inlervir
nem tiniho algnm intorcsse uisto, nos meios que
melhor aonveahxnalUriuii -lntranosouinis; assim
pode responder-me ou-nai, onde e como melhoi'
Ihe agradar. D.is nossoa iniini^os, das inimigos
da humanilade, da ohrislaudade, do Christo ; dos
hypocritas, so podemas esperar lodo o mal qne
nds possam fazer.
Noo ""stain os ullraaxintanos ipie Ihe ciiame-
mos hypocritas?... Uisto soi oil, porque o sao ;
nao e porera o chamar-so-l es o qae mais Ihe*
iaa ; e o demonstra-lo. Tenha, pois, a Uniap a
paeiencia Jesnitica. se quizer, ou osperueie, como
melhor uontii Hie lizer.
Affons* a?Albuquerque.
tsnpovtac&o.
Ilha de S. Miguel, pataciio portuguez
Michae-
poliaoao, eon Iran
rodazidq a liumilde relifOil
0 altar e throno c
assim de tuaos dadas.
,rp fo-

Iiifolizes viettjis do rliouiua*
tiun.
Pprquo soffreis tantas (lores, e porque no
,laes inutilmento vossodinlioiro em meiiea-
incapazos ^btttg^^^^A
Vossa niolestia naM Pp"tQ> orig'iin
aao ati$angue
PuriQcai o saoguo com a Salsaparrilha
ic. Sa vQ^.toiparjes esto remeiiip com
lense, coasigoado a Fern ira de Almeida 4: i;.,ma-
nifeston:
Alho 11 malotes a Julio M. de Farias. Ditos o
ccbolas 2 caixas e 1 barril a M. P. Dutra. Azule-
jos e cimento 1 caixa a Antonio S. Rego.
Batatas 30 caixas a Tito Livio Soares.
Carne de poreo 1 barril a Antonio Silva Rego, 2
a A. Oliveira, 1 a Vietorino Robello, .1 a Tavares
Cordeiro, 3 a Joso R. Borgos, 1 a F. S.Oliveira, la
M. P. Lima. Dita de vacca 1 dito a Rego Borges.
Conserva 80 caixas a Tito L Soares. Chourioas 1
barril a i. Raposo da Silva Cebola 3 caixas a Ti-
to Livio Soares.
Feijao 1 barril a Antonio S Rego, 3 a Rego Bor-
ges. Favas 3 caixas a Tictorino Rabello, 2 a Ta-
vares Cordeiro.
Irapressos i volumes a ordom.
Jogos de moinho 143 a J. C. Cabral.
Lagedo 867 a Carvalho & Nogueira, 564 a A.
Machado, 1,800 a Antonio J. I'lirtado.
Objectos dive sos-14 volumes a Antonio J. Pur-
tado.
Quadro 1 caixa a Antonio A. de Lima.
Seraentes 1 caixa a A. M. Machado, 1 a Ordem,
1 a J- II- Lima. Sardinha 30 barris a Tito Livio
Soares.
Rio de Janeiro e porlos intermedios-6 dias, va-
por americano South-America, de 2,160 tooela-
das, commandante Tenklepangh, cquipagen99,
carga varies generos ; a Henry' Farster & C
Ilha de S. Miguel 39 dias, pataeho porluguex Mi-
chaelense, de 133 t.iiieladas, capiiao M'gnel dn
0'. equipagem 9, carga differente? generos, a
crdera.
UbaMalden (na Australia) "0 MRaa, ban-a allc-
ma Figaro, de 346 tonel.adas, eapiliio Gerdao,
equipagem 12, carga generos ao mesno capi-
tal. '. eio rcfrescar e segnio para Hamburgo.
Bahia-4 dias, sumaci hespanhola C,mdalp.\
de lo'i tonel.adas, capital Juan R-,"r, t-qoipi-
gem 10, carga varios generos; a Ualihar Oli-
veira & C.
Rio de Janeiro-Pataeho ingloz Maty Block, ia
147 toneladas, eapitao Samuel I'd?, equipagem
7. cm lastro. a ordem.
Montevideo 17 dias, pataeho americano William
Myeis, de 407 toneladas, eapiliio H. II. Urvftl,
eqnipagoin 9, em lastro, a ordera.
Buenos-Ayres 18 dias, barca ingleza Zingra, de
3 4 toneladas, capitio Charles Locoi, equipagem
10, em lastro, a ordem. .
Navios sahidvs no mesmo dia
Para- Eseuna allema Imnnoel, capiiao Marckinann
carga aguardenle.
Wilmington (nos Estad w (Jnidos) Barca inglezu
Maria NeedkatS, capiiao E. A. Frono, em lastro.
NewYork e porlos intenaedios Vapor amorfsaaai
S ulh America, comoiaadanle Tenklepaagal.
carga a mesma que trouxc dos portos do m.
EGITAH
-
1HHHH1
Experimental.
Bahia, suraaca hespanhola Guadilupe, consig-
nada a Haltar Oliveira & C, manifestou:
Azeite doce 23 barris.
Cerveja tOO caixas. Charutos 24 caixSes. Cafe
80 saccofe.
Pipas vazias 107. Piassava 713 betas. Panno
30 fardos.
Quinqailh'ina 1 caixa.
Tudo a diversos recebedores.
>)ESPA'JH03 DJ? EX.POMTACA0 KO DIA 30 DE
SETEMBRO DE 1873.
P'lra os porlog do exterior.
No vapor inglei Student, para Liverpool, car-
regaram : Keller 4 C. 400 couros salgados com
4,80j kilos; J. Neesen 4 C. 10 saccas com 1.C89
dilos de algo'lao.
No navio inglezStella para o Canal, car-
regaram : S. Brothers &" C 800 saceos com 60,000
kilos'tie assucar ma3cavado ; h. }. S. Guimaraos
964 ditos com 72,300 ditos do dito ; F R. P. Gui-
maraos 6i4 couros salgados coin 7,30s ditos.
Na eseuna pertugueza Christitu, para" Lis-
boa, carregaram : B. Oliveira & C. 367 couros sal-
gados cora 4,104 kilos ; Beltrao Oliveira A; C. 527
;os cora 6,311 ittas.
Para di portos do interior,
rn Alagoas, na barcaca Pharao II, carre-
!. F. Cami iraes 1-barrica com 63 kilos de
assuear refmado a 1-dila com 70 dilos de diti
Lancia, ftcarels ^ad^. ,^&*?&J!SBR F
ILEBIH
i
aadOv>
iios ae dito.
a Flo,
tidital n. Sit.
. Pela inspe-iorii da aifanlega se fa/ publi-o qu-
its 11 h.iras da uiaiiha do dia Ii de outubro vjadou-
ro, se hao do arrematar, livro He direitos, a porta
desta repartieao, as mercadorias, abaiio roqaeio-
nadas, annnaoiadas a eonsurao por edital n. l^,
que deixaram de ser despaehadas dentro da praz.
niare.ado.
Armazem n. 2.
Mirea J G S, sem numoro. Tro; barricaa. vin-
das Jo Porto na barca portugiieza S cial, desear-
regadas em 24 dojuliio de7i e coiisignai^a a
Thoino Jose dos Santos Cala 11, eont-mdo f^ff^m- -
ras para aniraaos, pesaddo liquid.i legal 489 kilos,
avaliados p^r lluilCSi
Idem J \ A ^ C, n. 1,096. I'ma eaixa, vllida
de Liverpool no vapor inglez Jwist. de^carregada
em 14 de fevereiro de 1871, c eonsignada a J. A.
de Araujo & C, conb nio : 12 chapeos enfeitados
para sen.ora e menina, 33 dnzias on 430 leqnea
de saadalo, ordinal i >s, e 2 b mels de la, nao es-
pecilicados, avaliados por 1:7644' 00.
11 oi A, sem nuuiero. L'aia dita, viada do Por-
to na barca portugueza Social, descarr$a de abiii de 1872 e eonsignada a ordem, coataodo
10 pares do bolinas de couro de mais do 0-^2,
avaliados por io^OOO.
Idem J R !", seal numero. Uma dita idem idem
a II. de Castro Soares, eonteiido fruetas inutilisa-
das sem valor.
Idem II, n. i50 1/2. Uraa barnca viada de Li-
verpod na barca ingleza Magnolia, descarrecada
em 17 de abril do 1872, igaora-se a consiimaeao,
contendo louca n. 2. pesando liquido legal 13 kilos
avaliados por 4i3'J2.
Idem J G, tendo por baixo a letra P, n. 50 1/2.
Uma dita idem idem idem, contendo louca n. I,
pcando liquido legal 12 kilos, avaliados p r
U9./2.
Idem G & A, n. 50 1/1. Uma dila idem no pa-
taciio ingle? Mary Block, descarregada em .6 do
niaio do 187i, ignora-se a consignagao, contendo
louca n.' 2, pesando liquido legal 10 kilos, avalia-
dos por 3^330.
Idem Cunha & Irmaos, sem numero. Uma cai-
xa. vinda do Porto no brigue porluguei Triumpha,
de-carregada cm 21 de junln de 1872 e con-igna-
da a Cunha & Irmaos, contendo 2 kilos de folhetos
em brochura, avaliados por 2*000.
Idem C M, sera numero. Uma dita idem idem,
em 2 idom a Jose Joaquim da Costa Maia, conten-
do 4 pequenas laias sum val.r.
Idem P I, ns. 7, l'l, 17 e 25. xQuatro caixas,
vindas do Porto no brigue p irtugnez Uniao, des-
carregada? em 8 de julbo de 1872, e cousignadas
a Pereira oi Irmiio, contende liguras para jar Jim,
algumas quebradas. avaliados por 20*000.
Mem J C L, ns. o.ua 10. Seis caixas contendo
6 flguras para janlim, do po de pelra, pesando li-
quido lega: 617 kilns, avaliados por 12314.00.
Idem S C, n. 4,368 Uma caixa, vinda" de Li-
verpool no vapor inglez Gladiator, descarregada
em 27 de julho dc 1872 e consjgnada a A. C. S.
Peixoto, contendo papel para desenho, pesando li-
quido legal 94 kilos, avaliados por 50 102.
Idem L & C, por baixo A F, n. 48. Uma 'dita
idem no vapor ingloz Student, descarregada em 9
do julho de 1872 e eonsignada a Lemos ,\ Gpen
neau, contendo camnrca, pesando liijuiiio legal 56
kilos, avaliados por 122000.
Idem idem, n. 43. Uma caixa idem idem idem,
contendo tecido de Jinho liso de mais de 8 ate 12
fio, pesando liquido real 170 kilos, avaliados por
340*000.
Idem idem, n. 41. Uma dila idem Idem idem,
contendo IIS kilos de toalbas do tecido de linh.i
adamascado e 53 ditps do guardanapos de tecido
de linlio liso, de mais de 8 ate 12 fios, avaliados
por 734*291.
Idem idem, n 42. Uma dila idem idem idem,
contendo 132 kilos de'panno de linho adanascaii>
para toalbas o 15 iitos de tecido de linho liso
de mais de16 a 20 Bos, avaliados por 838*9."
Idom L & G, por baixo A F, n, 41. Uma dita
idem idem idem, conlondo tecido de linho liso do
mais de 12 ale 15 Cos, avaliad
Idem diamante B S R, sem n in la
vasia idem idem a companhia de ti
do Recife a Caxanga, sem valor.
Idem J M B, sem numero. Uma
do Liverpool no vapor inglez Gladiator, descarre-
gada em II de outubro do 18 la a
J. M. de Barros Filhos & C
Idem R R, u 171. Uai
inglez Gassendi, descarrer
mos & Guerinea
contendo pauninbo p
%h.J^

*

H]


deFc
ICO
Oainta feir:


IS flw. ptaarw ;i Por
4464*50.
1! idem, n. 84'V. U.na J.ta idom idem idem,
eudo panniuhos propnos pura f.nos, po:-ando
lifjliido r>al >! kilos, avaliado* pjr 317JOi3.
Idem SSL (J, n. 14. Um.i Itla ilein idem, com
41 .idem, rnntendo chales de merino, pesando liqui-
do real C.'l kilos. avaliada por U9i95S.
Idem i ie;u, (i 18. Uma dita idem idem idem,
contendo c ales do merino, pesando liquidu real 57
kil avaliada |K>r 37aA9Gi.
[du::i .\ F !, .' f", ujft I'iii.i d.ta iJejn idem
idem, couUiiido hi im .)> linlm entraneado, nosan-
do liqnido real 187 kilos, avaliada por" 498a.2
Idem i I em, n 66. Urn a dita idem idem em li
idem, con ton Id cawnira de la singela, pesando
liquilo real 73 kilos, avaliada por 4993950
Mem A I' S, seni numere-. Uma dila vinda de
Lisboa no brigue portuguez Ovarense, dtscarrega-
da em 9 de novembro de 72 e eonsiguada a Anto-
nio dos Santos lloto, contejido livrus em brochu-
ra, pesando 3* kilos, avaliada por 48*000.
Idem JFBNilel Uma caixa e lira fardo
idem idem a J. V. Bittencourt, contendo uma te-
zoura grand's 2 latiuhas cum unguento e 28 kilos
d> folhas e (lores (an mao cstido, avaliados por
50,3000.
Mem M A .N T A, ns. 116 ?. 121. Seis caixas,
vindas de Liverpool no vapur inglez Jurist, des-
carrcgada* em 24 dj dezembro do 72 e cousigna-
das 3 ordfm, crntendo 400 b.tas do gnmma de
araruta avariada, aaliadas por 605000.
Idem sem numero. Um saeco Klem no lirigue
inglez Bm/'i, desearregado em 27 de dezembro de
72 e cousignado a Simpson & C, contendo 32 ki-
lo* de pre;7os le ferro simple*, avaliado por......
WjVO '
idem diamante L R F, n. 42. Uma caixa, igno-
ra-se, contendo 45 kilos, peso real, de pregos de
ferro, avaliada por J5000.
Idem idem S r, n. 20. Uma dita idem, conten-
do obras de ferro fcmdido, simples, pesando liqui-
do real 98 kilo*, avaliada por li}ii6S.
Idem COS, n 3. Uma diia idem idem, con-
tendo alguus fraseos de vidro n 1, avaliada por
3*000.
Monies Azevedo it C, sem numero. I'.n paco-
te, vindo de Liverpool no vapor inglez Gatsrndi,
desearregado em 18 deoutubro de 11 e consigna-
d> a Mendes Awvedo & C. contendo 38 kilos de
encerado do algodao, avaliado por 5433C8.
Mem sem numere. Uma caixa, ignora-se, con-
tendo paptijs ajiligos, sem valor.
Idem Q. n?r 1 a 4. Quatro saccos vindos de
Liverpool no vapor inglez Gassendi, entrado era
18 do outubro de li e consignados a Thomaz de
Aquino Fonet-ca 4 C. Successoros, contendo favas
alimenlicias. ja estragadas, avaliados por 20(HH.i.
Mun diamante?, n. 34. Uma caixa idem idem
idem a Letnos & Guirvneau, contendo pano de al-
eodao singelo, pesaud) liquid.* real, 116 kilos, ava-
liada por 7734&C.
Idem C 1* M, n 1. Uma barrlca idem no vapor
inglez Sluitdeitt, descarregada em 12deju!ho de
72, e ignora-se a consignacao, coutendo 36 kilos
de carbonato de so la, avaliada por 108^00 '.
Idem sem numero. I'm fardo, ignora-se, con-
tendo 20 kilos de fullias modicinae.-, nao especifi-
cadas, avaliado por 20#00.
Aifai:Je"a de Pernamburo 30 de setembro de
1873.
O inspe. tor
Fabio A. de Carcalha Ibis.
EDITAL N. 74.
Pela inspectoria d i alfaodega so faz publico rue
nao tenJo sido arrematado, por fa I ta de concur-
rent, a roercad iria abaixo deelarada, annnncia-
da por edital n. 71, so transfere a mesma vjnda
para as II boras da manna do lia 3 do outubro
vindourua porlade.-ta reparlirao.
Dous esoaleres pertencentes a barca ingleza
Energi, naufftgada em 1871 a 25 milbas ao nor-
tc da Rarahyba, avaliados pi.-r 10$, 14 remos de
madeira, 1 vela, 3 retalhos de lona, 3 forquetas
pertenceiites aos refer idos escalercs, tudo em
inao esttdo avaliado por iht.
Alfundega de Pernambuco, 30 de setembro de
1873. O inspector, Fabio A de Carvallin Reis.
qual-juor dia, ne*a secretaria, dnrante as horas
res os
s o plants!) das menciodadas obras, e
S^fweniar as snns propostas <-ra outas fechadas
devidanwntc elladas e d"elaranJo a reside cnio
dos seus (Tadofw.
a tlicsouraria de (azenda do
Grande do N'orte, 22 de agoU) de 1873.
Scrvindo do spcretario
Jose Tlte philn Burh-zn.
Rio
Santa oasa da nrisericordia
do Recife.
IVIa secretaria da sauia rasa da mi-ericordia do
Itecife s-io amfidados us uarentes das ^Meniidas
do eohegio das orpbas em seguida declaradas, as
jiiaes ja '.iiniplelarain a sun edueaeao. para quo
roqueiram ao Kxm. prosi-lente da provineia a Mia
entrega, em vista do quo resolvmi a-juuta aimi-
nistratlva, de conformidada com o qne dispde o S
3' art. 48 do respective- regulamento.
Candida das Chagas Coelho e Dionizia das Cha-
gas Coelho, filhas de Vital das Chagas Coelho.
Maria Emilia.
lgnacia Ribeiro, filha de Leandro Jose Ribeiro.
Maria Magdalena de Mello, lilha de Jes6 Tava-
res de Mello.
Valeriana dos Santos, filha de Vicente Ferreira
dos Santos.
Felippa.
Thereza dos Santos Torre, filha de Jose dos San-
tos Toes.
Sophia Maria da Conceicao, eyposta.
Secretaria da santa casa da miseriwrdia do Re-
cife, 27 de unho de 1873.
O escrivao
Pedro Rodripies de Souza.
SANTA CASA DA MISERICOKDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta admiuistraliva da santa casa da
Viserieordia do Recife, manda fazer publico qne
na .sala de suas sess$es, no dia 2 de oulobro,
pelas 3 hor.u? da tarde, tem de ser arrematadas v
quern mais vantagens otferecer, pelo tempo de um
a ir s annos, as rendas dos predios em seguida
leclarados.
ESlArtELECI-'EXTOS DE CARIDADE
Becco do AbreU;
Ssbrado do 4 andares n. I 4803000
Rua da Moeoa.
Casa lerrea n 47. ... 360*000
PATRIMOXIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzala-velha.
Casa tcrrca n. 16...... 209500ft
Becco das Boias.
Sobrado n. 18 ...... 421|000
Rua da Cruz.
Sobrado n. 14 .......1:000*000
Os prelendontes dever'o apresentar no ado da
irremat.ieao as suas flancas, ou comparecerem
ico i panliados dos respeclivos lladores, devendo
fagar alom da renda, o premio da quantia em
quo for seguro o predio que contiver estabeleci-
oiento commercial, assim corao o servi^o da lim-
peza c precos dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 2 de setembro de 1873.
0 escrivao
Pedro Rodnigues de Souza.
Olinda
EDITAL N. 75.
Pela inspectoria d i alfandega so far publico que
nao tendj sido arreroatada por falta de concur-
ren-ia a merca loria abaix dedara-la, annnnciada
nor edital n. 18, se Iransfere a mesma venda pira
as II hor.isda uiaooa d i di 3 de outubro vin-
d uro, a porta desta r.partieao.
Trapiche Barboza.
HarcaSBUma pipa abatida pesando liquida
real 60 k;l is, avaliad por 8 680. vinda d" Lis-
boa no navio i glez Ariel, consignada a Saonders
Brothers iS. C
Alfand'ga de Pernainbnco, 30 lie setembro de
1873.0 inspector, Fabio A. de arvalln lieis.
Edital.
SecfSo 2.*. .- ia d:i presidencia de Per-
aambueo, em M \ fciembro d.J 1873.
Por esta seerciari i se, bz publico em observan-
cia ao .lecreto u. i,(i68, Se 5 de Janeiro do 187 ,
que por porlaria Je hoje foi nomeado Benjamin
ismael Alvares dos Santos para servir provisoria-
mcnle os ofBcjoH do 2 labelliao a escrivao do ci-
vel e mais annoxoa do tertno d Barreiros.
0 secretario interino,.
Aiolphp fjiiwnh ins.
JEdituI el 97.
Pela inspectoria da alfanlega so f.iz publico qne
as ii horas da mant'i do iia 6 du eorrente se
hao de arremalar livres de dir.'itos, a porta desta
repartieao. as niercadorias abaixo mencijnadas,
annunciadas por edital n. 66, quo doixa am do >cr
despachadas dmtro do prazo m area do.
Trapiche Concoicao.
Marca S S & C Cinco caixrs vindas de Lisboa
no vapor inglez Arbitrator, eontendo macu inn-
lihsadas, sem valor.
Idem "diamante I. Seis ditas idem idem idem.
Idem I P S. Qainze ditas idem no vapor por-
tnguez Lidador, contendo cebolas, avariadas. :\~;\
liadas por 20*000.
Idem J P >. Uma dita idem idem, contendo
mafSs inutili.-adas, sem valor.
Idem A L P. Quinze saccos idem idem, conten
do alhos, pesando liqnido real 310 kdos, avaliados
por 3li46'.
Alfandeca do Pernambu'-n, 1 de outubro de
1873.
O inspector,
__________________Fabio A. de C. Reis_______
- A Ci.mara municipal desta cidadado, tendo
designado n di i 8 lo eorrente para proccder de
conformidade com o art. 103 d.i lei de 19 deagos-
tode 1846, a ap'iracao geral dos votos para vorea-
dores da nova villa do Jaboatao ; assim o faz pu-
blico paia cenhecimento de qnem intercss,ar possa.
Paco da camara municipal do Recife, 1 di; ou-
tubro de 1873.
Manoel Joaquim do Reijo e Albuquerque,
president?
Pdro (it Albuquerque Autran,
secretario.
Quinta-feira 2 deoutubro vai a pra.a por venda,
peranto o juizo de diroilo de orphaos de Olinda,
dous terrenes no porto da Madeira, em Beht-ribe,
avaliado um por 40 i*, e outro par 80*, os quaes
pertencem ao espolio da finada .Maria Francisca
daConceicao e sua filha Emilia.
Deordom do Iilm. Sr. Dr. provedor do *a-
pellas, convido a todos os irmios para comparece-
rem no dia 2 de outubro proximo, pelas 12 horas
da inanha em nosso coosi.-torio, afim de reunidos
em meza geral e em pres nca sua, procedermos
a eleieao dos novos funccionaiios que t!fn de
reger a irmandade no anno eompromissal de 1873
a 1874.
Secretaria da irman lado de Nossa Senhora do
Bom Parto, 29 de setembro de 1873.
0 secretario,
Liberato M. de Snnza.
Alericao.
0 abaixo as^igmd) arrematarite de afei'ii;ao dos
pesos oioediUs deste munieipio, parlicipa aos se-
nhofes negoeiantes dos c-tabeleciment is sujeitos
a piincipiou a at'erieio para o anno financeiro ran-
nioipal do 1873 a I8"i a rua estreita du Rosario
ii. 31, das i) bi ras da manba as 3 da tarde nos
dias uteis e (|uc os seas e-.ipregados continuam a
ser os mesmos dos annos, anteeedentes, os quaes
ga ): Sebastian Pereira Pinto, I'elippe Santiago de
Torres G.ilindo t Joaquim Candido Ferreira daLuz.
Recife, i.11 .! outubro do 1S73.
Miguel d s Santos Cost i Junior.
INSTTUTO ARGHEQLOGICO E GEO-
GRAPHICO PERNAMBUGANO-
llaver^ sossao ordinaria quinta-feira, 2
do eorrente outubro, pelas 11 horas la ma-
rthS.
ORDEM 110 DIA.
1. Pareceres o raaistrabalhos dc oominU-
5(ies.
2.* Palestra lilteraria."
Secretaria do Instituto, 29 dc setembro de
1873.
J. SOAUESDE .V.ZEVED0,
Secretario perpetuo.

EGLASACQE
H^oawc
Pela thesr ur; ria provincial se f,iz publico
que foi transferida pan o dia 11 deoutubro pro-
ximo vindouro a arremata^ao d is reparos daponio
do Junqueira, or;ados em 5:72'.)*.
SecreUria da tliesuuram provincial de
Pernambuco, 2G de setembro de 1873.
0 official-mainr,
Hijiiel A/foiso Ferreira.
Pela t!iesour;iria proviacial se fa' publico
que foraru transferidas para o ilia 4 de ouiubro
proximo vindouro as seguintes arrematacSes.
Venda do sitio dos Itenn dios 3:730*000
Fornj^HSrd: aliioentacao il is presos pobres da
easa de dotoncao.
i the^ouraria provincial de Pernam-
buco, 26 tie set ml ru ilo l'!"i.
c oillc al major,
Miguel Alfonso Ztrrtira
lln. Sr. Dr. inspector da thesouraria dc
fazen provincia t:\i publico jara conhe-
cimento d pie, de ponformi-
da guer-a de
nlio Ultimo, e otBciog da presiden-
cia r !21 de 12 e 16 do eorrente mez,
acha lo o dia 2/ de seU'-rnbro vindiaro,
pela- para, m *essao da junta
desta >' i"1!" mi
conn
la '.a.
COMPANHIA
SANTA THEREZA
A companhia recommend* o cumprimento do ar-.
ligo 24 do sou regulamento, que publica para co-
nbecimento de quein interessar :
Art. 2i. Quaesi|uer reclamacoes acerca do
servico publico ou particular quer do fornccimen-
te d'agua, quor re.lativos a illuminai;ito, para se-
rein allendidas devem ser feitis por escripto, da
tado e assignado. dirigidas ao escriptorio da com-
panhia (offJcinas do gaz nos Milagres; diariamen-
te das 7 horas da manha as 3 da tarde.
Olinda, 17 de setembro de 1873.
0 geretite,
Justino I. S. Campos.
DOS
TIULHOS DRBANOS
DO
Recife a Olinda.
E Bekribc.
De ordom da di recto-
ria, scientifica-se aos
Srs. passageiros, que no
dia 1." de cada mez se
acliara aberta aassigna-
tura para osditTerentes
pontos da linha, e no dia 5 sera tmpreteri-
velmente encerrada a respectiva cobrau^a :
/s Srs. que dest-jarem assignar queiram
inscrever-se naquelles dias, afim di poder
ser-lhos entregue o cartao no referiilo

"" ru;iflrit'^rL
' r
cor preta aaatfi 4e
abaudonada coin dm outra ir
ln*i.
Qnem se jnlgar crm Jireito a in
te-se nesla repartieao. reelaiuando-a
Secretaria da policia do Peinainbuc", t" In ou-
tubro do 1873.
Pelo secretario,
- Francisco ArreiRahicftA
Juizo de direito e de orpbais da cohviftl d"
Olinda.
V.,i Mil praca publiea do conf-Tiiiida lii'com <)
decrao II. ISi'Xi de it vooilm. do !8iir,. (v o--
erav.de u.i ue Igo.n-io, c-mi 3i( .in:i. \,. jd.i .
sulteiro, u.it-iral -i>*-t:i prvineia, e com ,) i,\x\,-\,
de talliador, per'eilei nt: ay 1 cazal .Ie 1 ii ,
calves Kodrigues Kranca, avaliado par 1 000*000.
cuja praca tera lugar ne dia 4 de outubro vindou-
ro a uma bora da tarde na sala das andiaacias do
juizo, pelo que recebera este juizo proposta em
carta fechada.
0 escrivao,
_________________________HermHIo Chagas.
Terniinara as 8 hov
iio sabbauo serao diKlnbpidos prograramas
avulsos com todas as minuciosidades deste espec-
taeole.
LEriOES,
IViSOf M1S!T1M0S
Irimuulade l ISM. Trindade do
convent* de Santo Antonio
do Recife.
0 Irmio juiz em virtnde do eonvfte feito pelo
Rvm. guardiao do referido convento a nossa ir-
mandade, convida a todos os seus irmaos a com-
parecerem em nosso consistorio no dia 4 do eor-
rente pelas 10 boras do dia para, incorporados,
assistirmos a festa do Seraflco Patriarcha S. Fran-
cisco e as 7 horas da tarde para assistirmos ao TV
Deum.
0 thesoureiro,
_________________Jo*e Fernandes de Amorim.
S'jiiedade Lusa-lirasileirr
De ordem do Sr. presidente do conselho fiscal da
sociedade Luso brasiieira, convida-se a todos os
membr is do mesmo coorolho a eomparocerem na
sala das sessoes desta sociedade, domiofto 3 do
eorrente, as II horas do dia
Secretaria 4o conselho fiscal, de outubro de
1873.
O ( secretario,
Theophilo Alves da -ilva.
THE4TR0
Santo Antonio
EMPREZA
Quinta-feira 2 de outubro.
lle.ita extraordinaria.
EM BENEFICIO
do primeiro Flautisla pernambucano
(iiu'iiiio FilSio.
Ropresentar-sp h nQqui-pro quo em tres actos :
Meus olhos I
Meu nariz!
Minha bocca!
Musica do maestro h/asiieiro __
praso.
Joao Joaquim Alves,
1.' secretario.
(Jompanhia de seguros utili-
dade publica.
Sao de novo convidados cs senhores accionistas
desta rompanhia a se icunirem no dia 2 de outu-
bro proximo futuro, em seu escriptorio A rua do
Vigario Thenorio n. 6, ao mei) dia, afim de ele-
.1 a i-uininis-ao liquidadota de seu primeiro
periodo, em consequoncii da resolu^io torn, da
em assemblea ger.d do bojo, por nao ter sido suffl
ciente o numero dos senh rjfttas para so-
rnelhante lim. Recife, 2'.i de setembro de 1873.
No interva'lo do !. ao 2. acto o Sr. Poppo
executara ao piano, com aconipanhameuto d or-
chestra, o brilhante galopo de sua composicao :
Viva a pandega.
Seguir-se-ha pelo benellciado a grande e diffi-
eil phantasia para flauta, sobre motivos da opera
Anna Bolena. .
No inlervallo do 2. ao 3." acto o Sr. Antonio
Martins executara na elirineta uma linda
jPhantasia.
Seguir-se-ha. pela ban la marcial do arsenal de
marinha e a orchestra, uma nova composicao do
benofieiado, iutiiulada : *
Hymno artistico
dedicado a distineta e nobre classe dos arlistas.
0 rcsto dos bilhetes achatn-se a venda no es-
criptorio do tbeatro.
A'S8 l[2 HORAs DA NOUfE.
&ANT0 ANTONIO.
Sabbado 4 de outubro.
l.a represeiitacilo
do importante drama original portuguez em 3 ac-
tos, do distincto escrlptnr :
M uNOEL P1NHEIRO CHACAS
Morgadiiilia de Valflor.
Distribui^ao.
Luiz Fernandes, pintor Sr. Eduardo
Leonardo Fernando, lavrador Sr. Bahia.
Pedro Paolo do Faria Azere-
d",, capitAn nor de milicias Sr Julio.
Rodrigo de Faria Azeredo, ca-
eapit-io de cavallaria Sr. Santos.
Frei Joao Ignacio, frado domi-
nicano Sr. Camara.
Bernardo Domingues, poeta3 *
tro Sr. Emiliano.
lose Felix, boticario Sr. Floriudo.
Diogo Barradas, escndeiro Sr. Silva.
1. camponez Sr. P. Angusto.
2.. dito Sr. Antonio.
3. dito Sr. Menezes.
4/ dito Sr. Procopio.
D. Leoonor Continho 0. Manoela.
D. Thereza Coutinho D. Olympia A
Mariquinhas D. Emilia.
I.' camponcza O- Olympia V.
2> dita D. Josephina.
Dm rapazilo Sr. Augusto.
Camponezes e cnados de Valftor.
A scena passa-se na Beira nos fins do seculo
passado
Principiara as 8 1|2.>
THEATRO
tores.
1 K. B.
Candid
pitrt r ^

I
Por esta reparl -lara, de ordem do
se acha em ca-
de Brederodes,
i aalada da Joio d Barroa. tuna menina de
EMPREZAJflCENTE.
Especlalos a tarde
NOS
Domingos e dias santificados
A empreza Vicente determinon dr niste tbea-
tro uma serie do especaculos, destinados a classe
commercial, erHMadd^ para esse Um com o va-
liora eonoursii da rapazoada caixeiral. (J primei-
ro especta?ulo tora lugar no
Ull
Aat .-.ft 1|<9 horas ena pom to.
com a reproseaugb^a percla burlesea
em 1 pro I >g
A
OU u
Reinado das mulhe-res
ih^: -it -
PJSCIFiC STEAM NaV'IC&TION COM-
PANY
Linha quiiizenal
0 PAQUKTK
spera se dos portps do >ul ate odia 10 de ootu
bro, e dpois da demora do costume, segmra para
Liverpool, via Lisboa, para onde reeebera passa-
geiros, encommendas e carga a frete.
OS AdKNTES
"Wilson Rowe A. C.
14-RUA DO COMMKR-.IO14
IViiie Stoim \;ivj^i!i u Compai}
I.inSn (|iiinzenal
0 PAQUCTE
sspera e da Europa ate o dia 12 deoutubro
e depois da demora do costume seguira para o sul
jo imperin, Rio da Praia e costa do Pacifico, para
onde rocebera pasjageiros. e dinhei"o a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C.
14RUA DO COMMEUOIO- -14
COMPANHIA
DAS
MESSAGERIES HARITIHES.
MENDOZA
Ate o dia 8 do eorrente m^z espera-se da Eu-
ropa o vapor francez Mendoza, o qual depois da
demora do costume seguira para Buenos-Ayres.
tocando na Bahia, Rio de Janeiro e Montevideo.
RIO GRANDE
No dia 10 do eorrente mez espera-se dos poi
tos do sul o vapor francez Rio Grande, comman
dante Delabane, o qual depois da demora do costu
me, seguira para Bordeos, tocando em Dakar (Go-
ree) e Lisboa.
Para condicoes, fretes e passagens, trata-?e com
OS AGENTES
Iljirism-'iidy A Labyllc
Rua do Commercio n. 9.
Gump; nhia r ranccza do Kavngf
^au a vapih*
Linha mensal entre o
Havre, I.i-.Vu, Pernambuco, Rio de
Janeiro, (Santos, snineiite'navol
ta ) Montevideo, BuenosAyres,
(com baldeaeao para o Rosario).
STEAMER
YllXIa BIS, SV^iTOS
Coniaunudantc KiCffevrc.
E' esperado dos portos do sul aid o dia G do
eorrente, seguindo depois da demora precisa pa-
ra o Havre com escala por Lisboa.
Rec'ebe carga para Antuerpia em direitura, e
para Liverpool, por baldeacao as expeusas da com-
panhia. ,
Relati\ramonte a fretes, encommendas e passa-
Seiros, para os quaes tem excellentes accommo-
acoas por pregos reduzidos, traia-se com
OS CONSIGNATARIOS
AUGUSTO F. DOLIVEIRA & C.
*2Ruado Commercio Entrada pela rua
do Torres.
Eturuu.
DE
NAVEGACAO BAHIANA
LWIfADi.
Ilaccio, Penedo, Aracnjii
o ISaliiu.
E' esperado dos portos acima at6 o dia 10 de
outubro o vapor Penedo, o qual seguira no dia se-
guinte ao de sua chegada para os mesmos.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a irete ate o dia de sna sahida : a tratar
com os agentes Antonio Luiz de Oli^eira Azeve-
do & C, rua do Bom Jesus n. 57.
Para o Porto
0 brigue portuguez Uniao ainda recebe carga
a frete para completar : qnem no mesmo quizor
carregar ou ir de passa gem Irate na rua do Vi-
gario com seus consignalarios Thomaz de Aquino
Fonceca 4 Snccessnres.
Bahia.
0 hiate Garibaldi segue cm poneos dias para o
porto acima : para carga trata se com Tasso Ir-
maos & C. a rua do morim n. 37.
Para Lisboa
.{iti.s caix is com ca?fja.los ava-
t iados.
Ibjc
AS II HOUAS DA MA.\"IL>
Oagente Piuhu Barges levara a |eiiao,.por con-
la e risen do quem uii'rtenrer, 1 esi.vi com boiiua.-
Iiara BOnhnras I dita com ditas para bomens.
Em son i-si-ri;>t. ri,, a ro.i do !lo;n Jesus n 53,
primeiro andar.
LEi'AO
preteiido sitguir com pouca demora a escana por
Jugoeza Christina, de \* cla-so, capitao Loureiri
por ter a maior parre do seu carrrgamento engj.
laOo; e para o resio qi e lhe falta trata-se com oi
consignai.ui.is Joaquim Jose Goncalves Beltrao 4
Filho, a rua do flommeroiq n 3.
Para o Rio-Grande do Sul.
Pretende seguir com muita brevidade palha
bote Rusita, por ter algunia carga tratada b para
a qoe lhe falta trata-se mdi os consignataiios
ktqnim Jose ijone-rfves lle'trao & Filho : a rija
di Commercio n. 3
Pa Aracaty
o hem conhecido biate
n. Ia
DS
dividas
na importancia :29.J."5205
massa faliida do Duarie & Modeiros.
SEXTA-I'EIRA -1 DO COHRENTE
0 agente Ulartins levara novamente leilao, por
mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio das dividas aciivas da massa faliida de
Duat;ie A Medeiros, constando de lettras e contas
de-Rvro, na importancia de 52:293*205.
No armazem da rua do Imperador n. 48 as 11
horas da manna.
Samuel do
k
tendo ha pouoi deixado a ofll
Srs. Goes (St B%slos, lo.istas a rua oQueimado,
vein dar sciencia ao publico que acaha de esiabtlt-
cer-se no primeiro andur d casa n m 4o
Queim rfo, node es seus tTnvgrw econheeiilos o ea-
((iniiarao flniiiipln para .jaalquer eneommanda
de -ua arie com pontu >li l;iije,r.elo e a conlenti
qneo honr.irom ; Ii- rocemlo em garan
cacao das eiieommend.is a nmueada dc que gosa
coiim me*lre dv alfaiate.
Declaracao.
A viiiva do Luiz Fm-eca do Ma'-edo far sefcBte
aos sons fregnozi-s e :io publico que deixoo de r
sen c.iixciro o Sr. UHoiuo P.nl|.-c.o de Oliveira
desdeo dia 29 do eorrente. Recife, 29 de setem-
bro de 1873.
Ernesiina Porcia Mendonca de Maeedo
LEILAO
DE
louca, vidros, pianos, 304. me as eaixas com cha-
rutos exposif.lo e 31 caixas de ditos.
SIIXTA-FFJHA 3 DO CORREN'TE
^s tl horas da manna
0 preposto do agente Postana, fara leilao por
eonta e ri.-co de quem perleneer de diversos tras-
tes avulsos, mubilias de junco e de amarello, pia-
nos, cbarutos, loucas e vidos, ao correr do mar-
lello.
SEXTA-FEIRA 3 DO EORRENTE.
As 11 horas da manha.
A' RUA DO VIGARIO N. 11, ARMAZEM.
LEILAO
DE
moveii--, louqa.- crvetaes e obr'a
vie prta
A SABER:
Um piano forte e novo, | mobilia de jacaranda,
3 sanefas e cortinad s, lapetes e jarros para llo-
res.
Uma cama franceza d' jacaranda, I toilette e I
lavatorlo tambem de jacaranda, 2 commodas, I
guarda-roupa, 2 cabides, 6 cadeiras, I marque-
zac, I cama de ferro, | mesa de cama e 1 machi-
na d? costura.
Uma mesa elastica, I guarda lnuca, 1 anarador,
24 cadeiras do guarnieai, 2 ditas 'de balance, I
apparelho para jantar, 1 dito para cha, copos, ca-
lices, garrafas, compoleiras, mesas para engorn-
mar, machinas de limpar facas, e muitos outrg
objectos perfencentes a casa de familia.
IV'cji-feim 7 rte 'ut"bro
Na Capunga, rua das Trioulas.
Alfredo Marlins de Barros, tendo de fazer uma
viagem a Europa, levara a leilao por intenencao
do agente Pinto, os moveis e mais objectos acima
mencionado*, existent-s na casa de sua residen-
cia na Capunga, onde se effectuara o leilaq.
A's 10 1(2 horas em ponto partira da estaeao
do arco de SantojVntnnio o trem expresso qne ser-
vira de ronducjao gratis aos concufrentes ao lei-
lao.
0 leilao principiara as 11 horas cm pon to
'.,
Li

CAM DI FfiiniiM.
AOS 5:000fl000.
BILHETES GARANTIDOS.
1' rua Primeiro de Maryo (outr'ora rua dc
Grespo) n. 23 e catas do costume.
Acbam-se a venda os letiaaj bilhetes garantidot
la G" parte das loterias a beneticio da Imperial
Cipella da Estancia (6-, qne se ext;abira na sex-
ta-feira, 3 ch) nez vindouro.
PRECOS
Bilhete inteiro 61000
Meiobilhete 3*000
Quarto USOO
EM PORgAODE 100-3000 PARA UMA-
Bilheto inteiro 5500
Meiobilhete 2*7">0
Quarto M375
M'inoel Martins Finza
Precisa-se de um homeoi portuguez para
trahalhar em um sitio, que entenda de plantar
horta* capim, enebertar arvoredo, e que d6 fia-
dor a sua conducta : na rua do Marquez de Olin-
daji^54sedujiip^mprensa.________________^
Propylamina.
Unico remedio contra o rbeumatismo o mais
agodo : unico deposit i na pharmacia Americana,
de Ferreira Maia & C, a rua Uuquc de Caxias
n. 57.
Vaccina.
Chegada pelo ultimo vapor da Europa, mnito
nova, na pharmacia Americana, do Ferreira Maia
& C,-a rua Duque de Caxias n. 57. ______
Ensino.
Uma possoa babililaia pela Faeuldade de D-
reito, pmpde se a lecci mar primeiras lettras e
preparatories em quaiquer engenbo : da-se iu-
ormacoes a rua Direita n. 88, botiea.
De CAsamcntos.
De baptisatlos.
De balles.
De soirees- ,
Dc aliiioi/os.
Me lanclies.
De bicknlcks.
De ceias.
De tudo de ludo
Se encarrega a confeit ria Jo Campos.
E alem disso
A confeitaria do Campos
Esta sempre provida
De tudo qnanto e preciso para
Uma boa mesa.
Rm do Imperador n. 24.
AVISO
Caixeiro.
QPrrrisa-sede um portuguez do lia II annos i
ida>i.', com pratica de pad*ria ou mesmo de rao-
Ihados : na rua Vidal de Negreirrs n 147.
A quem interessar
Pereira da Silva & GuimarJes, propri tarios da
loja do Pavao, pn-vinem pelo presente a sens fre-
guezes desta praea, qjiese acham com sous debitos
atrasados, quit so nao saldarem os mesmog at6 o
dia 3') de outubro iio eorrente anno, tratarao do
cobrar judicialmeiite, nao tendo contemplacio con>
ningnem.
Recife, 24 de setembro de 1873.
Escravo fugido;
Desapparecpu do casa do abaixo assignado, no
dia 23 do eorrente, o escravo pardo, de Dome
I'rajano, de e^tatura regular t hastante nalido,
l*>is soffre de frtaldade: quem o apprehender Ie-
ve-o a rna do Vigario n. 21, que sera recompen-
ado.
^^^^^^^ Domingos Alves Matheus.
i
30-* n
csfi
S e
Oi;

a
c > C-3
at B^ 2 |
A 3B4a
0 ? ~-'
B W's *
3 .^2l
ra ^
iJ5 *
= !wii

cs
^*.
^aaaaiat
^asri-
Oil"
&4*
% 3
as y.
s^
i$
fei:s
p
CD
CT5
3t=3
o
o ^
O relojoeiro e dourador Albino
Itaptista da Rocha, de volta da
Europa, continda a encarregar-
se de con^erlar e dourar relo-
gios, hem oomo outros objectos ;
t2[Z'i&.^9 rogando a seus amigos e fregue-
j^KttSs^mf Zl.s 0 obzequio de procura-lo na
traVcssa da rua das Cru/es n. 14, 1." andar, por
detraz da praca da Independencia, que o encoc-
trarao prompte. A garantia de seus trabalhos -e
fazo-los por preoos modicos; assim como tam-
?em vcn;le relogios.
b
O atvogado Man iol d'A-sumpcao e S. Tiag0
que por estos quinze dias se a "ha nesta praca na
Solidado a rua das \'v o >>n- n. 28 on.irece os
sous seiviij)-; na iMoi.n -a [ l.unioiro desta pro-
vincia e em todas a* comarcas da provincia da Pa-
rahyba do Norte; e se encarrega de cobrancas
do dividas meliante a paga de 20 % ore o va-
lor quo a reeadar : qne.n se quizer otilisar desse
off. recimento se dinja para a villa d Bom Jar-
dim desta provincia, ou para a villa?do Inga da-
quella da I'arahyba, omettendo em cart* fechada
os litnlos e a competenle procuracao bastante.
Alaga-se um muleque de 13 annos : a Ira
tar na rua do Du pin de Caxias n. 44.
Perdcu-se uma lettra da quantia de 1:0504000,
sacada- pelo Sr. Jo<6 Jacintho de Medeiros, em
I.* de juiho ultimo, e aceita pelo Sr. Severiano
do Siuueira Cavalcanta, a qual tem o traspasso
daquelle, e vence-se eiu' o 1.' de novSmbro pro
ximo vindouro : provme-se, poi, a quein esst
lituls for nfferecido, para que o nao deseonte ; e
quem o liver acliado, queremlo entrega-lo, podir,
dirigir-se a rua do Visconde do Itaparica n.s i
e 24, que sera grabfi |i >
Recife, 29 de setembro de 1873. ________
Amas e criados
Precisa-se de nma engommadeira, uma coz:-
nheira e um criado para compras ; na rua do
Hospicio n. 40.______________________________
Agradecimento
A direcloria do Gabinete Portuguez de Leilura
cumpre um dev.r do graiidao agradecendo a Exm.
Sra. a todos os dignos eavalleiros f|ue tao bon-
dosamente c.Kir.irieraui com sens -anreciaveis ta-
lent! is "mislicos para o liom oxito do'coneerto que, *
em favor do mesmo Gabinete, e nos saloes deste,
tevc lugar em a noite dc 25 do corrente-
Quenam, pois, os lllms. 'rs. Hugo Bussmeyer,
Gustavo Wertheiraer, Rau, Poppe. Henrique Jan-
sen, Candido Filho, e especialmenie a Exm. Sra.
D. aceitar o testemunho publico do reconhe-
cimonto de que se acha possuida esta direcloria.
Recife, 30 de setembro de 1873.
Manoel Teixeira Basta
Director.
Manoel ia S/'/ra Nogueira
Vice-director.
Jose Pere.ri Vtanna
Thesoureiro.
Vicente Fereira Chaves Junior
Secretario.
MANOEL ENEDIN0 REGO VA-
LE.VCA
/jji medico, a rua da Camboa do Carmo 4q
j|| 21, 1 andar.
#^^@@''
Precisa-se atugar uma escrava idosa : na
rua de Pnysandd n. 25, entre a ponte pequena
e a grande.___________________________
Attencao.
O abaixo aignado doclara que nada tem com
o annuncio do Diario de hoje, assignado pelo
cego da tlauta tendentes as casas e terrenoa
da caixa filial do banco do Brasil, como bein o
podem aftlrmar os d gnos proprietarios deste
Dtario.
Recife, 1 de outubro de 1873
Joaquim S. C. de Si pieira Cavalcante.
Ao commercio
Deparando com um annuncio da Sra. viuva
Macedo, era que prcvino ao pubfico e a is seus
fre^uezes quo o abaixo assignado linha deixado
de ser seu caixeiro ; void p do presento iiKrale-
ccr-lhe o bom txatamento que lurante o
tempo em quo esteve a seu se 10 mesmo
tempo scientific ir-l.u; quo torn a consciencia tran-
quitia a resp.'it i lo pi il ;
ter sabre suacou lu.t.i., Nuigue.n da mm do
tem.
Pachro de Olin
Alugase a casa n. 8G da rua da
a junto n. 1
tar no Recife, a rua da C&dela n. 3.
Palma ; a
8 : a tra-
que
Roubo
Livraneut i
para u
roquin-, diuheiri
tan to as aut
vejam

\am
1 W 1 "


I
'
de Fernambuco
feira 2 de
rde 18T3.
Isrados em Oiirirife
\?
Precisa-se,
de nmii
t'.ui-
ima 'ppcjgijlii' 01
1.1: : rla
.uHi.t ir. wB^
11 i ra
. .!., Ivnha u. ft.
peqnena
(Tag
I"ara inform.-! 'u-%
Olimi
da tank.
ieute eouduzida j
frandtt vantagem. r
linninia. lend i-se
n !.<_; 1,1 .
- tin
iu no.- pie
iiini ainda nao
aides (grandes)
imenle por 2*0 rs, (|uando verao
s vexes pur ease tnesni-i prefo i
i' .ins'.' n;i fabrica ilo gar. em
os dias la,. 7 lur.is ifii iiianlia as 6
v M J
i. .- andw.
HY '"iv."
- ivi '
..i ,iii! ilo mi

,;,l...
:A
14
hia* pessoas
l'iTcisa-.-i' tlo mm ania pa-
in 'ii wr i-.n interim tie uina
rasa lie famiiia composta de
na rna da C:ii'cia-n> Escravo fugido.
Fugio tio dia 15 do corrente o escravo Antonio,
gate ao abaixo assignado, morador no lugar
Bjquarj, termo de Iguarassu, o qual tern os
Mgnaeaaogumtes : mulalo decor aiaraniada, de
annos de idade, cabellos carapinhos e arruiva-
aos. alttira regular, furnido do corpo, rosto redon-
do bo denies, tendo os de cima um tanto acari-
guiiuios; p*|0 (jue se tor.aa bem conhecido ; levou
3siido calp de brim branco, paletot de alpaca
amarella, chapeo do chiie e outro de couro, boti-
nas de bezerro e mais roupa n'uni sacco : a pes-
soa que o capturar e o levar ao dito sea senhor
on a raa das Cruzes, no Hecife, n 34, 3* andar',
ra bem recoinpensado.
.____________Ignacio Rodrigues da Costa.
AMA
"T^rccis-a-sc de uma": na run
Ilpiao n. 47.
FsUi eiicouracado !
Hi'! Iltni .-"r. k-iisr-id Vierra de Mell'.
-'" '">' n Ii ilisla |>ivinria, >'
aviir tit- vir .1 in.. Ha>fu<- d? '..iyj,-.- n. :*fi. a am
. reaiisar, pela lereeira chamada deste jornal, em
tins de dezerabro de 1871, e depois para Janeiro,
passon a fevereim e ahril de l"7?,e nada ciiRiprio:
a por este motivo e de nnvo chapiado para dilo
lm, pois S. S. so dew leiul.rar que egle negnrio ft
le mais de oito annos,e ipnndo 5r. seu HHw
J;i I icliara nesta cidade. J
Atf eneao
mm.
Precisa-se de uma ama para conzinhar e
comprar para duas pessoas, preferindo-se
escrava, que seja perita cozinheiro, pa-
gando-se a quantia acima : a tratar no pa-
teo do Hospital n. 28, 1. e- 2."
dares.
an-
.1
Escravo fugido.
Ausentou-se da casa dos abaixo assignados o
oscravoNicolao, pardo, represcnta ter30annos,
a1 BranJes, levou camisa e ceroula de al-
godao da terra, palito preto, a chapeo de mamlha,
e natural da villa de Bum Conselho (I'apacaea
para onde desconfia-se tor seguido ; recoramenda-
so as autondades policiaf s que (. apprehendam, e
eutreguem no referido tugar (Papacaea) a sea
senhor o alieres Espo.ndiao Gomes de Arauio
i-iraa, ou na rua do Livramento n. 6.
Kecife, 29 de seteiuhro de 1873.
_ Sd Ramot & C.
Escravo fugido
Esta fiifido o escravo Silverio, oabra aca, 4e ^2
Jnnos, naiural-de Goyanna foi alii escravo do Dr.
Astjr aW( mnrador. qa' agora se aeha na Parahv-
ba, owos grandes e amnrteri'o*, nark gro^so el
thatj, fewcca regular, cafcollos carapinhos e \er-
.ueltiss, altura regular a secco do como, maos
pesgraud's. Valla manso : gratifiea-se "bsto a uuea
^ plunder e levar a ru?. Nova n 8.
AO COMERCIO
O abaixu assignado faz publico que nesta-data
"vendeu > sea estabelecimetito de nwlhados, -sito a
rua de Marsilio Dias n. 72, ao Sr. Antonio Car-
ueiro Leiie, livre e desembaracado de todn e qual-
-fluer enus. Recif& i6 de sefmbrn de )87S.
_^___________lose Antonio de Oliveira.
Attencao
Queui precisar de boas amas, assim como de
criados, dirij.-i-sc ao pateo de S. Pedro n. 3, loja
Amp-*-- o gabin-te lerreo, coin 2 quarlos.
proprio para dous rapares soltetros : no pateo do
Paraizo n. 4. -
Precisa-se com toda a urgeneia fallar corn
Sr. FrancHco Dionizio de Souza Craves, no trapi-
che_do_Bafl>osa, a neg'tcie de particular interesse.
Na oidade de Olinda, rua de S. Francisco,
aluga-se uma boa casa perto do banho salgado :
a pessoa qae a pretender dirija-se ao oitao da
S6 n. 15.
Precisa se de uma ama de meia
idade para casa de hoinera solteiro:
na rua do Vigario n. 13.
Ainda se precisa de uma ama escrava ou
forra para cozinbar e ensahoar, para ir para Casa
Forte : a tratar na rua da Penha n. 25.________
Ama Precisa-se de uma ama forra ou es-
-fLiiiaj crava qUe onsaDoe e engomme para
casa de famiiia : a tratar na praca da Indepen-
dence n. 5.
Prei'isa-se dc uma ama para engoni-
mar, preferindo se escrava : na cua Vis-
conde de Itaparica n. 32.
A TUf A Precisa se de uma am* livre ou es-
x*-i?*-i*- crava, para cozinhar : na fabrica a
vapor decigirros, antiga rua do Quartet de Poli-
cia n. 21.
Precisa-se de uma ama que saiba
esgommarou cozinhar: narua Nova
n' 7, loja.
IIIEUICO-CIRURGICO
DO
Dr. J. M. Curio
Bua do Marqnez de Olinda a 25, pri-
meiro andar. ,
Consulta'das 9 horas as ii da manhs.
Cliamados a qualquer hora.
0 Consultorio horaeopa- 0
* thico -i S

i^-'i
Do Dr. Santos M<-llo
-Rua do Imperador-------il
Consultas tuuos os dias das 11 a 1 da
Urdu.
il-
AMA
Ama
Precisa-se de uma ama livre ou
crava : na rua do Hospicio n 49
ea
AlTia Na rua do QiiHimado n 43, precisa-ne
xxuioi e un)a qUe saijja Cozinhar e coinpi^r ;
paga-se bem.
A mj Precisav-e de uma que cozinhe ecom-
-. vm<* pre na rua a0 Qrespo n jo_
Uma pessoa competentemeote habilitada se
offerece a ensinar em qualquer eugenho proximo
a via-'ferrea do Recife a s. Francisco, gratuita-
meme : para inforroafoesBesla tvpographia.
Fiscalisacao
Os confriteiros tern privilegio quern sabe I
Mas o Sr Qscal pemize ses6 ha belinhes ou se
as gamfax forain retircdas das prateleiras e os
barris estaa ao tornn para atras da anna-ao?
_____________________0 Z .ilo.
nrrnni mi iiwi i i M' \j iwipI'ji'ii m
lliiin aiijgn reoiiheciih> do illas-
| tre hnadii Coniefta Boa Vista man-
f^'-f^^Bk ^ n's',|r '""a missa, no v^Aj.. W!^i oorrente. .is 8 horas da in an ha, 3.
I aiimvcrsario, na igreja to do Ciriuo : convida ;ios amigos
u parcnies do diiu finado, a assistirem a este acto
religiuso.
Jose Ca iii-lio Pemsaa tie Siquei-
i'ii C/avalciaiite.
A viuva, genros e filhos de Jose
Camello P. de Siqueira Cavelcante
c invidam aos sous parenles e ami-
gos para fazerem a caridade de as-
-istir aos n.'tinos suffragios que
pela alma de seu sempie chor.ido
niarido, sogro e pai mand.im celebrar na igreja de
S. Francisco, a i do eurrente, sabliado,.as 7 1,2
horas da manha; por ciijo acUi caridoso sirao
profundamente gratos.
^(Hl
a Barrett de
Um moq habilitado che-
gado ultimamente de fora,
fallaudo e escrevendo diver-
sas lingua s, offerece seus ser-
vices a quern delles precisar:
para informacoes narua do
Imperador n. 28.
Saqnespara J ?das ascidades e
villas de .\jrlupl.
Carvalho & Nogueira, saccam sobre
banco cornmerdal de Vianna, e suas agen-
das em todas as cidades a vilias de Portu-
gal, qualquer quantia a vista ou a prazo
per lorlua os paquetes: 6 rua do Apollo
n. 2f*.
0
Gratis aos pobres. )gf
Resilencia a rua Nova n. 7, segundo jt
andarj onde da consultas das 6 as 9 da w
maittia e das 3 as 5 da tarde. M
C\ aniados a. qualquer hora.
KM0000 00000 00 PENHORES
Na travessa da rua
dasCmzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
ohores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia,
Na mesma casa
compra-se os raes-
mos metetesepedras.
Cozinha
ruecisa-se de um bom ajudante de cozinha e de
um eriado ou moleque para hotel : na rua Nova
numero 52.
Joao Antonio de Souza vondeu o seu cstabe
lecwnento de mulhaaos, sito i rna do Forte n. 19,
ao Sr. D.mingits Candido Xavier, livre'e desem-
baracado ale e^-la data: se alguem se julgar cre-
dor apresente suas contas no prazo de tres dias.
Ret-ife, 30 de cetembrci dei73.
Oadvogado Deodoro UlpyaooCoelho CaTi.Vlji-
nuiil.;ii s u escripjorio para a rua^das Graces, so-
brado n. 9, l" anQar.
c*^c i'-i1 X'a>^ ZQfaX:
Jose Pinto Tavares, vnigarmente conhecido
por Jose Aranha. avisa a seus freguezes de Go^aa-
t e aos desta cidade, que d'ora em diante suas
x-iagens serao contratadas na travessa do Marqeez
do Recife, na cocheira das vaccas, onde tambem
continua a alugar carros para viagens, tratando-
se com antecedencia, nao so para Goyanna, como
tambem para Pedras de Fogo.
Casa do campo.
Offerece aecessarios, o awendamento por algnns nnnos de
praca, da excf-llonte c.fsa sita na I'nrta d'Agua,
que foi do finado Dr. Jcaquim Pires Canieiro
Honteiro, pas*an('.ge escriptura para maior se-
gu an>;a. A Jocahdade e mnito salnbr"1, c a casa
muito f^esca, lem magnifico banho de agna do-
ce em fmte, o e muito i-ominoda. visjn ^ue o
trcm para defron'e : quern pretender pude diri-
?ir-.-;e no Sr. Francisco Carneiro Momeiro, em
Apipucos ao Sr. Pranci-co Ignacio Hinto, rua do
Join Jesus, ou ao Sr. Cannan, rna do Cnmmer-
rio n. 40.
BORON &
r%VIrlM

Hos compradores do bem conhecido e acreiitado rapi
AREA PRETA. que reparem nos botese meics botes,
pois que os ha, de rap6 de outra fabrica e uome diver-
so, e com papel da mesma c6r,
cujo
desenhc se p6de
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro AREA
PRETA, devem para jaao serem enganados ver que
os botes tragam o nome de METJRON AC, e a desig-
napao de AREA PRETA.
Son m
1

Man m
Mr.nDel CUudio da Silva Gasmao, co.-njumgido
da renis d..fawsa dor, agr.-idece a todas as pessoas
quese digj|ram acompanhar os restos mortae< de
sua presiida e empre l-^mdrada esposa ; e desde ja
convida a tudos os parent's e amigos para assis-
tirem as missjfc do setimj dia, que t'.tn de sor
calehrada na matriz dos Afc.gados, no^i?tido
correote.paras-?-boras da manha, conwftKe mui-
to mais pcnJioradu licara ,^r e.rfe acio Mcatida-
de, prqpric'das almas bemfazajas.
Marganda Emilia de Bitten-
court Game!ro.
Jtse Maria Freire fiameiro, ba-
c!jrel Jose Maria Freire Gameiro,
e Marcolino Freire Gameiro, con-
vidara aos seus parentes e amigos
para cuvinmi miofts iue mandam
rezar .na matriz d.i Boa-Vista no
dia 3 de outubro as 7 l|2 horas,5
por alma do sua sempre lembrada espoza o mitA
e desde ja e uiostramagrad.cidos por este acto
de piedade e religiao, e tambem agradecem a to-
das as pessoa* que e< uonraram acompanhando
os restos roortaas de sua espoza e mai, ao cemi-
terio puhlino : gral s aos seus amigos teoente coronel Joaquim
Jose da Siiveira, apitao Eutiquio M-mJin Pes-
tana e sua Ex ma. /ainilia peljs valiosos serviros
que prastarain luaodo acha*a se a sua egriua e
ma io leilo da dor.
WKOBLf
rfQaem preeisar do um emde escravo, o qual
tern pi atica de cozinha, dirija-se a rua do Uarao
da Victoria n. 61.
Pede-se ao Sr. academico do S" anno Ante
nio Pereira Castro, que tenha a bondade de appa-
recer n^j hotel do Monteiro a negocio de =eu par-
ticular inleresse.
Breci'sa-se alugar uma ama para cozinhar e
eng mn.ar em casa de pouoa faruilia : a fallar na
rua Duque de Caxiasn.97, loja da Verdade.
Pecisa-se de uma am.i para aarvico de cast
de uma pequena faioilia : na rua do'liarSnda
Victoria o. 2-i.
Hotel -d'Allianea
Hcje sera franqueado ao publito esse hotel, a
rua doGnmmercio n. ll,o qual estara.aberto das
6 da manha as 10 da noite.
Na rua Larga do 1'.
cado, precisa-se de uma
e cozinhar.
isario n. 21, loja de ea!-
ama que saiba comprar
Na rua do Bario da Victoria n. 36 precisa-se
fallar ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
reira. a negocio deeu inleresse.
AI ii. a se uma casa terrea com grande sotiio
dentro. no Recife, becco dos Burgo? n. 2 : a tra-
tar m made Wgawa n. 39 com Joao Jose da Cu-
n?'a Lageai______
Maood Luiz dos Santos Brasileiro vai a Por-
tugal.
Jesuitismo e catholicismo
POR
FABIO RUSTICO.
PUNDICAO DO BOWMAN
RUA DO BRIM N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senbores de engeuho e ontros agricoltores, e erapregad^rpji de tn\
omismo o favor de cma visita a sea eslabeleciroento, para verera o novo eortimfnto
oojplet) qoe ahi tern; seado tndo soperior em qnalidade e fortidao; o que com s ids
ieccSo pess )l porte-se verificar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDigAO
CTfinAPAtt A rn/fae Atatrnn do8 mais moJernua systemas eem ta
vapuros lUUtta U ag!tt maobos coD\-enientes para as divenas
rrcomstaecias do seahores proprietaries e para dascarogar algodao.
^QSIldaS dG f*Pnn*l rfp.lod'-s 8 tam3Bh0S. as^melbores qoe sqni
Rodas dentadas par8 PDimae9'agna e vap"r-
Taixas de ferro fundido, batido e de-cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Sachiiiismos
Bombas
9
i
*
i
para msndioca e algodao,j
e para yerrar mtrleira.
todos
a mac)
vapor,
Podendo
ser movidos
por agua,
do patente, garmiuias.......: ton anima'es.
TodaS aS SnaChinaS ^W^^V* lecostnmaprecisar.
de machiaisreo, a preco mai resanrfido.
fas qualquer concerto
?6rinas de ferro
^ucommendas.
* 00.3 (
^ IK
$ Consullorio medico cirnrgieo *
$ .no 0
0 Dr. Americo Vespncio. 8f
Rna do Bom Jesus, antiga 9
da Cruz ii. 21! 1 andar JA
Chamados a qualquer hora, e pam '
fora da cidade.
Consultas de 1 hora as 3 da tarde. igj
Gratis aos pohres. gj
Especialidades;
Partos e nioleslias da uretra, operacjio Ai
dos estrertamentDa pMos prceessos os JJ
mais modernos. W.
*$*$* ^Mfi0i
CouMiHorioim'dicoeiriirj
; do
Dr. Ferreira. ^L
' A^igo gabmcte de seu pai, rua larga '$ir
do Rosario n. ?0. /pi>,
Cura de hydrocelles sem iDjec^ao r
, com piinc^ao capillar. ,/&..
' Aberlura de abcessos eextrnccSo de ^f
dcrramanitnto serosos, pelo a-pirador i(gfo--
dc Potain. WP
Aluga-se o 3* andar do sobrado da rua do
Vigario Tenorio n. 20 : tratase na rua do Araorim
n. 37, com Jorge Tasso.
v>
na*
Por 3003 vende-se um bom piano de arma-
rio, BSado, com mu'rt > boa voz : na rua d-i Vis-
conde de Goyanna n. 120, das o horas da tarde em
diante.
Vendedeiras.
Sogueirn
ie
nuga-se o primeiro e segundo aiidarvs da casa
p.'.i ia travessa da Lingneta : a tratar na ra:.
**nmeiro d Marco, antiga Jo Crespo, na loja do
Fasso unto ao arco de S?.nto Antonio
Aluga e uaia exceKente casa na j#vasao
de Duarte Coellio, em Olisoa, com bons commo-
dos parafamiJia; a tratar com Jorge Tasso, rna
do Amorim, u. 37.
Precisa-se de um caixeiro no pate doti fcrd
n. 63.
Escrava
liigiila
Ao commercio.
Bogvso aos credores de Beirao & C. para que
apresentem no prazo de 8 djas. no armazem da
Tua da Mad re 4e Dens n. 'It, suas contas. allm de
aepms de confi'rid is, procederse ao raleio.
J'f.igress.i dif provlnrja
A melh'ir machina .le riscar papel, vinda ate
hoj-' para o Brazil, arba-se nesta cidade, moniada
na pnca.ioniac,to brasileira, a rua Duque de Ca-
Siasri. ii, 3nde pautasa e riscase papel em to-.
" -entido*,bem como livros em branco deL., e*apPareceu da casa d"
t-onlinua a e-lar fugida, desde o dia 12 de
.r*?mbro proximo passado, a eeerava de nome
Jistioa, natural de &b> Grande do Norte, com os
signaes seguintes : altura regular, hem preta,
bem parccida, bocca e nariz regulares, olhos vi-
vos. tern olhar um pooea espantado, falla baixo e
quando pn.nunci i as palav.as mostra a dentadu
ra quo e lioa e bem alv.., .. nes um poucp curtos
e apalhetados, aparia o cauello ao meio if* cabe-
ca. foi escrava de Mamel Soares Piubeim, com
estabelecimento na praca da Independencis, do
poder de quern tamheni se ausentou em ten)pu,
e foi pepjda em Bebenbe iavando roupa, intitula-
va-sefuna; preseatement.; suppoe-se que auda
por algum dos arrabaldes desta cidade, ou que
e ou lina mente algein illiciiamente a tenha em sen
poder, .-ontra quem se proaintte proeeder com
todo o rigor da lei. Pede-se, portanto, a todas as
auloridades polieiaes e capitaes de campo, a ap
prehensao de dita encrava e leva-la a seu senbor
na Capunga, rua das Pernambucanes n. 12, ou
Recife, arco da Conceicao, loja de our'ives, que
sera generosamente recompensado.
reparti
p.miiH
com-.:
teza i]
esta (-
qualq ler
seda e ptrgaminhn
ommer-io, ma?;ias, manifestos,
de ernproifado*. 'despacn is, contas
80 la, tudo com a perfeicao e pres-
jar Bern montado como
io, p6de encai regar-se de
w^'iim de luxo, para o
ao, p.iel, couro vellndi,
a ras Du.jue de Caxias nu
Garanhuns.

;!ar3o da Victoria n.
Rn 36, precasa-i*
*e* Peixoto f
- fnt>-
seu senhur o esertvo
Si,v.tio, cabra aca, idad- de ii annos, solieim,
sem offlno, natural de Goyanna, foi alii escravo
Parahyba nlhos grand,- e. am.ine-idos, nanz
gross., echato bocca regular, cabellos carapinho-
e vermelhos, altura regular, -e-ro do corpo, ma.s
e pes grand,s, falla marisa, foi visto ha dias na
Forte : quem o-apprehenrter dirija-se a rua
Nova n. *, que se gralificara hen.
V ven.la na livrana do Jose
Sauza.
Pre(p........ SfOOO
Dedicntoria, advortenei.i, iutroilucgao.
Frimeira parte : 0 ciflwUcismo dos jesuitas.
0 Jesuitism.. 6 sempre o mosmoA tlieoria poli-
tica do jesuita : o despotism.. Ilieo.-ratico -A pra-
!i politiea do jesuita : o Paraguay Gjesuita e
seuifire um mercador O papa dos jasuiias e a
trinilade da ferra Photographia do jesuita Pio
lAbordao e o padre BMlt infailivel Ojfsuita
enaaiando um Paraguay n > -BrasH 0 jesuitismo
e a lepra do rhristiamsmo Guerra de morte ao
jesuitismo.
StgmJa pnrte : 0 jesuitismo reo confesso.-
IJniformidade jesuitica Probabilisrrm Peccado
philosopfeico, ignorancia invencivel -Simonia real
e comidewial Klaspheiuia euntra ;i divindade de
Jeans-Saerllegios Mayia' Astmlogia indicia-
ria irnm'giao Idolatria Ganancia da China-
(ianancia n.i Malabar Impudiirieia e obscenida-
de I'erjitrin, /alsiiicacao de documentor Preva
ricacao dos juize? Canonisafao do farto Cano-
Bisacao do assa^inato Canonisagao do parriei-
dioCan.iuisac.lo do suicidioCanonisacao dore-
gfeidio -A sctta h.rvada do bilhete de ;onfisan.
Ttrceh-u parte: 0 ferro qucnle de Pascal.Nova
moral; duas nrlcns de cnsuislas; doulrina da
prouaoilfilaac; sabstitoieio dos santos padres.
Quarto pane : 0 cathoJicLsmo de Jesus. 0 je-
suita Inimigo da caridade Seu caminho nao e o
de Jesus A verdade pel.) bocca d.. selvacem
Pedroe a pedra Paulo e Pedro -Cma prophecia
que se vai realisando- As luas carai do jesuita-
Jesuitismo e ma^maria Pallavfeini assassinado
.-in nome deJesua, Ainda ojesuila no Paraguay
0 jesuita e o proie-tantisino na Fcanea- CUiaudo
inumplir.rao cahnlicigmo do JestMFerro e '.go
So Jesuits <- -yt ,-s a, coasciimcla |%aaEen< 8a
vida dfl S. Pa 1> Conelnsao.
Apendice : As duas j-irnaJas He reaio, Dia
14 Hia 111 Jornada e j-.rnada 0 9iilente-0
bnp. A v.rgr.ha etcrna Oiesii.* zemba de
nos 0 li iju do fuluro.
Po*f iaiptum: Syllabo especial paraoBra-
sil O breve -A pastoral 0 goyerno do Sraaii
Can ma as noflaa de It .ma -Op biciuio do ;im -
Ao im.ierailiir do BraiiJ.
PiacUa-ee de um caixeiro portuguez d,s ul
'""" rlie>radoi.: na rua Direila dos Afogadns no-
mei i 27.
Cozinheiiu
-
teru as m^torea b mais bmtas existentea no mer-
cado.
I?ici]mbft-8e de raaudar vir qnakjner machicismo & von-
wrle dos clieate, lembnudo-ttie? a vaotag'sm de Tazerem
oompras por ictermedio de pessoa euteodi-ia, e qoe em quaiquer neccfi(kd6 podej Precisa-se de multures livres on escraa que
prestar aaxilio. t?e al"?uem Para vender com taboleiro : no sitio
"i ,___k _. da capella, na Mangabcira, cstrada do.Jrraial.
irados americ^nos e ,MtroH5en!os vhim.
Precisa-se de uma crUia, prefere-se estrange
ra para servifo de duas .pessoas: a tratar na rua
do Hospicio *. 59.
Jose Goncalves
Beltrao.
I Rua do Commercio n. 5, !; nndtsir
I Saeca por todos'os paquetes sobre o banco
A) Minho, em Br,ig,iw e sobre (>s sefuintes
gares de Portugal:
Amanwte.
Arco dfl Vai de Ver.
BHroellos^
Beja.
Cbaves,
- Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Guimaraes.
Lamego.
Lisbda.
Mirandella.
Mongao.
Pome de Lirca.'-
Porto.
Tovfrd.
Valpassos.
Vianna do'Castellc..
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalicao
Villa Nova da Portimio.
Villa Realv
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
BUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ ^
FUNDICAO BE FERRO
V ma do Barao do Trininpho (rna do Bruin) ns. 100 a \U
CARDOSO & IBMAO
RECEBERAM de Inglaterra oompleto sortirnento de, ferragens e macbinas para en-
genlios, as mais modernise meihorobra que tern vindo ao mercado.
VaporeS de forca de 4, 6, 8e iQcavallos.
UaiQeiraS de sobresalente para vapores.
i-MOenuaS lntCiraS emeias moendas, obra como.iiinca aqni veio.
LaiXaS IUndldaS e batidas, dos melhores fabricantes.
tCOOaS a agUa com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
Rodas dentadaS de todos os Csmanhos e qualidades.
Relogios e apitos para vap0res.
DOmOaS dc ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCar grandes pequenas.
Concertos concerta.ra com promptidao qualquer obra ou machinr. parao que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS mandam vir Por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
a com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
fitas macbinas^ e se responsnbilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
________FUNDICAO BE C A B> D 0 S 0 & I R M A 0.
Carros de luxo.
Jesus
Prc-ia se i'e uma cuziaheiix, forw ou evrava:
i rna r>ri'Mi'ir.i.' m \r ... ^n ^ in..,
DOENCAS SECRETAS
Gh. albert
inqucsiinnavel que a coclieira da rua doB..m
n. 13, de Joaquim Paes Pereira da Silva, e-a
jue tern as melhores berlindas, caleeas, meias ca-
leoM) e victorias de luxo, proprias para qualquer
nmvadn, visitas de etiqueta, bailes e ados da aca-
derma, sendo os mesmos ajae^ados de wcellentea
parelhas dp animaes, arreios luxnesog e hotmrol
com fardamentns do ultimo gnslo, para o que se
convida ao publico a vir n>rsi m-smo =cn littfi-
car-se !,! verdade do que d.'ixamns dito. rprlns de
qne n*e .-n.-.ntrarSo pomada. e Sim realid*Je e
comni'.idos preeoa. *
Para barba.
icoiine.
AIuga-c o t. in i afri-gueza.to a
zue do pateo do Paraizo com baleao do pfl^H
ilhos, balsuea e J^T
<"s : a tratar na rua d loja dn pl^^B
innto ao urco de Santo Antonio,
OCSJ lumcu, noMPTA m
THE0 DE lAXSATAttlUU
slporcas. porbnlluks, nlceim
J tmgoa, debilidad^ tnaora^
BOLOU IBlfin^^P
! on anti|;o8 j floras
Paris, l, r. Moni
Deposlro a
Impigeng,
rioci del
oAtb* pallidM.]
Para evifar ns ardores da nav- tin. causados
pelo sabao commum com qce se faz a hvba, re-
c hen a nova esperanca a rna Duque (to Caxias
n. 6.1, uma nova p'roparacao denominada oleo-
phane a qual ^e o melhor quo se node desejar
nc>te si ntitfo ; a ella, antes que se acahe l'i eco
w> frasco im*).
I
^jimmo-
p .de Ca-
Papel de linho viado
a 3^000
a resma, o verdadeiro papel de linho grossojnar-
ca via.lo, proprio para cigarros do policia, para
os Srs. fogueteiros, e para outms muitos mis'teres:
so no armazem de JosS Domingues do Carmo e
Silva, a rua da M&dro de Deus n. 10 A.
0 verdadeiro furho do Rio
Novo,.
No armazem de Jose Domingues do Carmo c
Sitios para alugar
Alugam-se doijs sitios perto da estafJo da Casa
Amarella, ladeira dns Mudos, com commode
para grandes famil-as, com muitos arvoredos, bos
agua de beberJe banhos ; a tratar na rua primeiro
de Marro n. 16, 1 andar.
Caixeiro.
Precisa se de um caixeiro com aratica de pada-
na, econdactaatllan.-ada: na rna Imperial nu-
mero Ho.
Attengao
100^000.
Gratifica-se com esu quantia a qualquer pesso.*
qne agarrar uma mulata de nome Balbina baixa.
v cheia do corpo, cabellos cacheados e ralos, -tendo
Silva, a rna da Vadro de Deus n. 10 A, armazem *,d? cortados ha tempos, e rresentemente amarra,
de fa mo. rnsl0 <;u"Q. com uma peqnena cicatriz em uma
:das sobraneelhas e outra em uma da
. parte de dentro que nao Dode bem
' tendo sido amasiada com am saldjH^
! presa na fortaleza das Cinco Ponta^.
gida em Goyanna, Iguarassti e Itamarae
-
*

-Alugvse o :f ei an ibrado,da rna
n. 17 : a tratar na mesma rna n. 37.
Irmios & C.
Aluca-se nestes
dos para famiiia, as
t2e se pintando : a tratai
mto. 44.
Gaz
de Dpvois a 3480.) a lata no armazem de Jose Do-
mingues do Carmo .e_, Silva, a rua da Mad re de
Deus n. 40 A, armazem de fumo.
-
Boa casa para a festa.
iuga-se uma excellente casa no Monteiro, tra- lo|
a do Xisto, a qual se acha em muito bom es- ruteiro
nome de Ma
Novo,
; Penna,
__a!
m
vessa
tado de limpeza
S'tarjo. antiga
o Amaral & C
a tratar
iliUvB U

n
Sk* nl fj&BSrr



6
iJiatvv'ttc8
Quintet tei to 0
:
w HV

(PAIX. KILLER)
rjiiHlipwr uspceie de d6r I
fc' uni eurative mniipiu >-. almiravel paia -
feri.h idel as e qljeimaduras I
ilia com is dnres de caheea, dores dos deu-
tekncrralijias, e o iheuniaiisnio agudo !
:" um especiflco *egnro contra diarrhea, colica,
eaimbra >; cholera !
E' de graodt iililidada-ous tosses, rnal do gar-
gama, Sezoes, febres, wsflriados e inuilas outras
etfaraflUndcs.
O JlAT.vDJRES, oti Pain Killer, tern a seu
(av.i Huai g aiides vantagens, aeima dos mais
rwnedios :
i Cara e alii' ia rapida c seguramente.
1.* fj son preco esta ao alcance de todos, so
1*200 uor vidro.
Kais na v.rdale sao as dores e enfermida-
des qua niio p-idem SEMPRE ALLIVIADAS
comoe:ii|re:o prompto do Hepofc de t':r \istC| seus exiriordinarlos effeitos
om no era nossos amigos e era milhares
de diffcreu.c pe-soas, o pronunciamos
0 :rararilhoso remedio I
.0 granJii salva vidas da sciencia
A riqneza do pobre.
A preriasa dscobma do sculo XIX.
Com ell' ito, oi antigos nunca imaginaram que
sena pos-i.'l le.-co'mr lao excellente remedio :
Nao larlara nuito n dia em que em todas as
hflfetoQ$"s >lo Urasil achar-se-ba o Mata-dores, e
o*poro enlao dir;i, agora sim, nao teraos medo;
ae uiole-i.is quo alii iqui nos aiemorUavam e nos
~ftarti, ;ign;i oio nos inquietam mais as an-
TW e stif-iSentos, ponpio nos doram urn
c aste remedio 6 o Mata-Dores do Perry
davis. >
1. 0 ('.. ')''\!i, aia do Commercio. Uuico agen-
te eraP"!iiHi,tui'a*
Prei- >a so do uina criada esirangeira para
uma easa rtn duas possoas : na rua do Imperador
_*!, 1" an_______________________
0"-roec-se um feiior para engenho : na rua
de -1. Pra i 'ca n. 70.
encao
A pessoa qne teiti enntratada a compra da ta-
verna da rua luijaerial n. 107, perteucente ao Sr.
Manoe de I'.n !i .Correia, nao devc effectuar tal
compra -,'!i) ;ue nao se entenda rora os ahaixo
assisnadi is.
I! eife*49 de setcinhro de 1873.
Mazalhaes & Irmao.
3:700$000.
Nao duvidem
S6 na rua do do Crespo n.
20, loja de Guilherme &
C. e que se podem vender
as fazendas abaixo, pelos
pregos seguintes:
Lisiphas escocezas a 2W o covado
Dita's de listras padroesnovos a 880 o covado
Ditas com Jisjras de seda a 400 rs. o covado.
Alpacas com listras a 500 re o covado.
Merino assetinado para roupas a 360 rs. i co-
vado.
Chapeos de. sol de seda com eab'o de osio aSJ.
Algodao de listras americano com pequeoo de-
feito a 3SO rs. o covado.
Brins pardos e de cores a 400 e 440 rs. o covado.
Brim branco lona a I #600 a rtn.
Cambraia preta com listras e (lores brancas,
proprias para luto, a 240 rs o covado.
Ditai Qnas de cores a 880 rs. o covado.
Cretone para camisas e vestidos a 440 re. o co-
vado.
Chitas roxas e de cores a 100 e MO re. o co-
vado.
Grosdenaples preta de cordio a 24400 o covado.
Colchas adamascadas a 34500 e 44.
Ditas de croche a 54.
Cobertas de chita adamascada a 34500.
Cobertores de II cscuros a 24-
LencGes de bramaate a 24.
Oitos de algoda > a 14400.
Toalhas alcochoadas a 64 a duzia.
Lpiv.-js de cassa com barrasa 14 dozia.
Ditos ditos de abainhados a 24 a duzia.
Ditos de esguiao a 34:<00 a duzia.
Cambraia lisa a 33 e 43500 a peoa.
Dita Victoria flna a 3i800.
Cortes de ensemira fina a 54.
Atoalr ado a 23 a vara.
Camisas inglezas forradas, com peito de linbo,
ptlo diminuto pre;o de 384000 a duzia e 34500
cada uma.
So na loja de Guilherme A C, a rua do Cros-
po n. 20.
Fustoes de cores.
Cortes de fustno de cores para calcas a 14000:
so na rua do Crespo n. 20, loja de Guilherme A
C._________________________________________
Toalhas de labyrintlio
Na loja do Paso, rua Primeiro de Marco n. 7
A, vendese ricas toalhas de labyrintho, proprias
ara baptisados e casamentos.
prwisa-sc !a qnai
onVrcccii !o se como
prclio era boa rua
cart a fechada nosta
U. V.
Ai;ma so um f
quina da ecco das
de rhafariz em casa
ca^-.Ja ou ilons ir
mesi
tia do 3:0003001 a premio
garanlia hypatheca em um
quern os quizer dar deixe
typographia com as iniciaes
olio na rua de S. Joao es-
Carrocas, com banho d'agua
; pi'efore ie alugair a pessoa
5 soltcirus : a tratar na
Al'ii.'.. se una
gem : a tratar na i
punga.
exeeQfnto caaa ua Boa Via
aa da Ventura u. 21, Ca-
Ama e raoleque
Precisa ?e de unsa ama que saiba cozinhar e
comprar, para caia de familia de duas pessoas, e
um mole |n; de 12 a 14 snno? para mandados,
paga..-e bein agradando : a tratar na rua da Pon-
te velna n. 1.
Alnga-su 0 sobrado do um aodar. com com-
modos, in estado, na rua dos dpiares n. 3 :
a fa1'! Hi- Cin-ii Pontas n. 31.
- .' -':i typozraptia sc lira quera precisa om-
wqtutro pii'las de louro ou amarello, que te-
m> i lj2 palinos de largura e 10 da comori-
$
b1'} :?-..
ft & CS *^: QAl ^
rasles.
as,

Compra s? e venJe-sc trastes novos
i'! a : no armazem da rua do Im- J'
era I >. ',s.
Comptii-se
Ttiari. i a .'i:"()0 a airobf na rua larga do Ho-
liO II. i',. f..L: 1CJ de CMfcTOS.
T-^ -~ijp H1* .
E' y;rau4e pechincha
Esc'!!. ilcs gi.i',tiroes de la e se.la de mui bo-
nitos e Ui v < p;.d cs, fatenda ba mui' ili l.-i.le, so se enuoatra na raaDn-
foode C a. HS oja de Rastos Innaos, pilo
iiu.ili'.-.i l ii) rs. n covado.
Cunha InsiaoseC.
Riaa 3:i HafHrc ;?; Wicoa a. 3 f.
Veadem rinhos do Porto do tochs as qualidad 's,
garaPlindo-os, e a pregos comn r-dos :
B., ris de qaioto e4eelmos para pasto das bem
eon ecidi.8 raarca* Men >res e Chamii.-o.
Ditos oneres, Chamiij;>, Costa
Gaimaraes.
Deeunos onoapadoo, superior qualidade.
Caixaa de uma duzia, de toda a qualidade, ate
aos afamadw Grava'tinha Azul-18..4 e 18i0.
T
ende-se
tr::> casas do tainn, tolas novaa e hem construi-
ia estrada da Bmberibeira, proprias para 1-
principiaqte, po-tcr um rancho inuito an-
te a'regnezado. po;-to da csla<;ao da
Boa-Viagen : quern,qnizer Cjinpra-las appareca
na ui' s'jia estraca ; a tr.iiar cum Antonio Joa-
q'liiii Pir.'ira. ,-J"___________-
Mills
Steam sobre o Pi>rto uu Lisboa, a pzazo e a
virta.
Aproveitem
Aind reslam algunias pe^as dj superior fazen-
da preta 'I", la com pequenas palmas d salpicos de
exe*, scrilo algunias com bar as, e nma fazenda
recommfaoaVel pdfa quaiidpde, pela largura, e
nor h padrois 03 mais pr icurades na
Europa; e-:a> sendo venlidas pdo diminuto pre-
coxado : na rua Uuque de i.axias
n. 8S, s Iriaaos.___________________
Bom
negocio
Ve: rua da Santa Cruz 11. 17,
mffl ate acmacao, bom local por ser
casa .Ie do'mercido publicn, tcm
antal, tern poucos fundos ; 0
lira ao comprador, e garante-
lr ra mesma.
TCA0
___nt francez na Passagem da
tiro da relirada do seu doud.
ir toda a casa para se
d* 1
1, 110 patea do Tor-
Qra
e (I'r.gi'iao do Pard
eoiifeil latlo medicanteriUi para
Jos organs' re:;pir.:toritis,
los 10
ico mais
5; na r
Joaquin
Beltrao & Filh<
Teem para verter no *eu escriptono a n
. Comn.ercio n. 8, 0 seguinte :
AGUARDENTE dc rajd : caixa do 12 garrafitf
f de laranja, idem idem,
ARCOS de nao para barril.
CAL de Lisboa, recentamente chegada.
CHAPEOS de sol, para homem e senhora, " de iiarlirs e jsso.
FEJ30K de terrc*. para p*ta.
FIO tie algodao tla Bahla; da fabrica do eotamen-
metidador Pealrozo. i^"
L1NHA de roriz.
OBRAS de palheta.
PAHNO de algodao da Bahia, da fabrica i
mendador Pedrozo.
RETItOZ de todas as qualidades, das fah
Peres e Eduardo Militao.
ROLHAS proprias para botica.
SALSAPARRILHA do Para.
vELAS de cera de todos os tamanhos.
VINIK) eogarrafado do Porto, caixas de
rafas.
dito Moscatel do Douro, idem idei
t dito Setubal, caixas de 1 e 2 duzi
t da Italia eogarrafado, caixas de
rafas,
de Collares superior, em-aucori
c de cajii, caixas do' 12 garrafas.
c Malva.ia do Douro, mixm com
S'as.
rcavellos, jdem idem. _____
MM
Cadeiras dc guamicao mnito baratas.
2,1 -- iliiu Mqm fie Olinda -23
-________CUNHA A MA.NTA.____________
Vende-se tres casas de taipa, no higar de
Agua-Fria, terreno proprio, tendo mais um quar-
i ehtre ellas, proprio para negocio : quem pre-
tender dirijase ao Camiuho novo h. 02.
YENDE-SE
a casa da rua cirnento de carros : a iratar na rua de S. Goncalo
numero 8
-Bramante de 4 larguras
1^600
a
a vara
Vendc se bramante de quatro larguras mnito
bom para lencoes' na rua do Cabuga n. 10, loja
da America.
9
rua
do Queimado
om barra a 400 rs. o covado,
n. 43.
E' barato I I
Baptistas tinas com lindas barras gosto a chine-
za, ultima moda, pelo diminuto preco de 400 rs.
o covado, loja de Guerra & Fernandes, dao-se
amostras.
Cate
do Ri<- i Janeiro : vende-se a rua de Vigario, ar-
mazem n. 16.
Vende-se por coaunodo preco uma das me-
Ihore^ casas na Bjaviagem, de tijolo, com terrene
fresco para plantacSo de capim, e pequeno sitio
para jiastagcm de vaccas, e com algumas fructei-
rae ; a easa 6 muiio fresca, pois olha para o nas-
cente : a tratar sa rua do Imperador n. 83, pri-
meiro andar.
Vende-se um U*-i e um carro di allaadega,
quem pretende-'o dirijase a rua da Conceicao,
armazem do sal, la se dira quem vende
Vende-se uma jasa terrea pequena, edifi-
cada em terreno proprio, na travessa do Eucana-
me.ito : a tratar na rua do /lragao n. 11.
Ven.de se um pequeno sitm com casa de vi-
venda, sendo do peora e cai, com 4 quartosjtftaa-
las, cozinha fora, racimba e alguns arvoredoj de
(ructo, na Casa Forte astra la que vai para'o Ar-
raial; assim eomo tambem vende-se dois terre-
nos no largo da igreja e sitio que foi do fallecido
Portella, tendo o do lado do becco Mi palmos, for-
mando tres frentes para ewliucacao e o ontro com
220 pouco mais ou menos, e dajrondo 537, a tra-
tar na rua das Trincheiras n. T, ou no Dateo do
Carmo n. 3.
Silva Barroca & Filhos teem para vender em
seu a mazem, a rua do Marqnez do Olinda n. 4, o
scgainte :
Folha de Flandres.
Eslanho em verguinhas.
Machinas para descarncar algodao.
Cerveja escosseza branca e preta.
Fillele para bandeira.
Vidros para vidraca, 1* qualidade.
Guinehos para iQar. _____________
Casas em Olinda.
Vende so duas casas terreas, sen lo uma na
rua do Amparo n 77 e uma na rua do Jogo da
Bola n. 35, solo proprio : trata-se no Recife, rua
do C.ordoniz n. 9.____________________________
"TODIDACAO
DA
Funiii^o da Aurora
Grande sortimento de:
Moendas de todas as qualida-
des e tamanhos.
Tachas fundidas e batidas,
idem.
Rodas dentadas e angulares,
idem idem.
Machinismo, idem.
Varandas, gradeamentos pa-
ra jardim, etc, etc.
Tudo se vende por preqos
mnito em conta para aca-
bar.
tf.B.
G. Starr AC, era li ^ao, na fundicao' da Aurora,
era Santo. Ama^o.
Chaprjos para
Araaral Nabuco & C reeeberafo nm
sortinaento do chapeos de pallia de Ita
e vollndo, pretos para luto. e ilt cures en
com bonitas flores e (ita : vendem no Ba
toria, a rua do Bario da.Vic|oria n. 2,
Nova._____________________
Asunicas verdadeirae
Bicbas hambuf guezas qne vem a este mj
na raa do Marquez de uliada n. 31.
m\\\ [XRMU
adoBurao DF.
Caraeiro Vianaa.
gHgati>
^

do:
0f
AS
MOLESTIAS
ESCIOPI'LOSAS.
As Moleslias
DA PELLE.
Ernpooes,
Ulcerasi
M?tch!,
Etc.H

CURA
Bha
ATISS*
Dr. J.
h:ei'AKAD<
C. AY Ell <0 Co., SstadoK XTixidoe. flri'<1'
EM FRASCOS PEQUE^JOS. k
W. B, OASSELS & Ca., Agentes Geraes no Brazil.
Uomingos ,
tern para vender cm seu escriptorio a rua
do Vigario n. 21
Formas de ferro galvanisados para purgar
assucar,
Potassa da Russia, em barris de 25 kilos
cada um.
Banhos em Olinda.
Camisas e calcas de fazenda de boa qualidade.
proprias para os banhos em Olinda : na loja des
arcos a rua Primeiro de Marca (autiga do Crespo)
n. 20 A, de Gurgcl do Amaral 4 C
Tan,
barris peqaf
novai
COMO SAO LINBOS tl
Os leques todos de madreperola,. braocDs e dc
c6res e que trazera o disticoUNIAO em lettras
tambem de madreperola era alto relevo, tor-
nando-se por isto aprapriados para noivas, a NO-
VA ESPERANCA a rua Duque de Caxi.'is n. 63
(antiga do Queimado) e.quern os tem.
Sao de tartaruga
Os brincos, broches, meios adfcrecos, cruzes.
coracoes e cassoletas, que eslao oxposta3 a b6
escolha das Exmas. (amantes do ehiquc) vende-s-
na Nova Espeianca, a rua Duque do Caxia
D. 63.
Aos menmos
A Nova Espcranca a-rua Duque de Cixias n
63, acaba de ruccber um lindo sortimento de bo-
necas de muilas qualidades, vindo entre elias a-
ongracadas bonecas de borracha, assim tambem
uma pequena quantidado de bonecas pretas que
se tornam apreciadas pela sua novidade.
E bem util
A Nora Esper.anea a rua Duque de Caxias n
63, ecebeu verdadpiro cjmenlo inglez, prepara
tao para concertar porcelanae bem util.
Vestido perdido
Muilas vezes um vostido toma-se inteiramentf
feio, somente por estar mal enfeitado : a Nova Es
peranca a rua i-uque de Caxias n. 63, remove
este mal ; porque esta bem provida dos melhore:
galoos e franjas de todas as cores, onde pode es
colher-se a vontade sobresablndo entre eslas as
raodernas franjas mssaieas, qne pela sua varieda-
de de cores, iica bem em quasi todas as fazemflU.
A ella antes que se acabem.
CabeUos bruncos so tem qiism
quer
A Nova Esperanca a rua Duque de Caxias.a
63, acaba de recebcr a verjladeira tintura de D
nous para tiogir os cabellos, o que se oonsegue
(empreeaDdo-a) com muita facilidade, e por Mtc
motivo, cabellos brancos s6 tem quem quer.
EMo no, moda
Os cinturoes de couro,, proprio* para penhOi*.<,
qne recebeu a Nova Espennca a rua Duque de
Caxias a 63, ciao, sim, senhora, eslao na moda I
Se quereh tor ou preparar um ramalhete de
cheirosos cravns brancos para o vosso casamenlo
ou para outro dm apropriado, 6 necessario Ir i
Nova Esperanca a ma Duque de Caxias n. 6x
!que alii encouiraifis os rua'.hores invts huvqnetf
que se pode desejar.
Bolas. de borracha
Vendem-so do todos os tamanl".03 a rua Duque
de Citxjas n. 63, na Nova Esperanca.___________
Vende-se as obrns seguintes, no armazem do
traces a rua do Imperador u. i8-: I glubo tcrres-
tre e 1 celeste, 1 atlas geographico. jwr Brue, 1
diccionario gpographico por Bouillet, 1 Liais, es-
paco celeste, 1 Manual do baclurHado, 1 Die.
Hut. Geog. do Maranhao pelo Dr. C. Marques, 1
1 Bic. da lingua franceza por. Bescherelle, 1 Die.
dos homens illostres. I Hisloria do Brasil p^r U.
Southey, I Homcro Kliada, I dia Odissea, 1 Gi u-
sin, Hisloria da P^ilosophia, I Besout, Arithmeli-
ca 1 Laraennais, palavras de um crento, 1 orna-
menlos da raemaria, I Thesaurus Poeticu3 lingua;
latinte. I finheiro, curso de lillratura, l Geogra-
phia da Provincia de Alagoas, 1 Boteiro dos Bis-
Cjs do Bras'd, I Grammatica Latina por Castro
opes, I Die. Geng. do Brasil por Lopes de Moura,
I.Tito-Livio, 1 Lucrecio, Virgilio o Valerie Flaeco,
1 E>tacio, Marciai e Manilio, 1 Horacio, Juvenal e
Propercio, iOvidio, 1 Cieero, obras completes :
tudo em 11 volumes em latim com as trad accoes
em francez a margem ; e Die. de Gamier, I Cor-
pus Juris civills, 2 grandes volu a es. Todas estas
obras.estao quasi novasf
Nenhuma machina
Singer 6 legitima se M
ij'o
nao levar esta marca ffl
este graode-06tabelecimonto tem chfi-
o um bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autqres mais acredita-
do ultimamento na Europa, cujas machinas
aie garantidos poc um anno, e tendo um
parfeito artista para ensinar as mesmas, em
qualqtw parUJ.desta-cidade, como bem as-
sim coflcerta-las pelo tempo tambem d'um
anno som deependjo algum do comprador.
Nesto estabelecimento tumbem ha pnrtencas
para as mesmas irtfichtnas e so suppre ijual-
quer per^a que seja npecssario. Kslas ma-
chinas trabalhain com toda a po:-fJl(;a de
ume dou&.poapontos, franco e -bonlr ttnla
qualquer costura pur fina quo Seja, seus
precossfio da seguintequalidaile : ppra tra-
balhar a mao de 3W000, 400000, ..iJOOO
e 5O25000, para trabalhar com o p<; -"'O de
86?000, 90SO00, lOOiJftOO, ll^'TOOO.
1205000, 13050G0, 1503JOOO, 200:000 e
2505JOOO, emquanto aos autores Dfio lia al-
teracao de pregos,. e os compraiior.'s poderao
visitar este estabolecimr/nto, quo mnito de-
verao goslarpela yariedade de objeolos que
ha sempre para vender, como scjam : cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balance, ditas para
crianca (alias), ditas para escolas, costurei-
ras nquissimas, para senhora. despensaveis
para criaugas, do todas as qualidades, camas
de farro para homem e criangas, capachos,
espclhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos.de metal para cha, fa-
queiros com cabo de metal e de marfun,
ditos avulsos, colheres de metal fin >, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
rame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatories completes, ditos
simples, objectps nara toilette, e outros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
quo visitarem este grarulc estsibelecimento
que se acha aberto de-de as 6 horas da ma-
aha ate as 9 horas da noutc A
Rua do Barao da Victoria n.
__________22^__________
Nao ha mais cabellos
brancos.
TiraMll/i JAPOMEZA. .
S6 e untca approvada pelas acad^mias^de.
sciencias, rccorjhccida superior a.toda que
tem appaFoeido ate hoje. Ib'.posito princi-
pal a rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quoz de Olinda, n. 51, 1. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
r6iro.__________________________________
8JCHAS DE KAMBURGO
As mdis recentes e melliores.
Vendem-se na pharmaciu e drogaria de ?*?
tholoreeu AC,, run Larga rlesario o Bn. 34.
SEGREDO LCONOM1A E CKLKI'.I17aT)E.
Ohtem-se com o uso
INJECCAO SHOST
Unica, bygienica,radical einfallival nacu-
ra das gonorheas, flores brancas e fluxos de
toda especic, recentes ou chronieas; e que
offerece como garantiadesalutaresresultados
a continuada applicacao que sempre com a
mainr vantagem se tem feito della nos hos-
pitaes de Paris.
Unico deposito parao Brasil, Bartholomeu
& C, rua Larga do Bosario n. 34.
Setineta para vestidos a 600
rs. o covado.
Recebeu a loja d > America setineta branca com
duas larguras, lazenda inuito propria para vesti-
dos e casaquinhos le senhora, e tambem para
roupas de meninos : na rua do Cabuga n. 10,
loja da America.__________________________
fixa no braco
china.
da ma-
Para evitar faleifi-
laqoes notem-se _em
todos' os detalhes? da
marca.
AS MACHIRAS PARA
BE
SINGER
NAO TEM
MAIS DE I il HHliio
Porque?
Sao as melhores
Sao mais baratas
Sao de dous pospontos
S5o mais simples e rapidas
Sao duraddras e aperfei^oadas
Sao util em uma casa.
Misiiii
Faz melhor costura com metade dalinha que gastam
assoutras que fornecem um meio de
Ym aqiclles-que tew de sBslenlar-se
DE
Querem agradar a yaya ?
Querem agradar a esposa?
Querem agradar a filha?
COMPREM UMA
MACHINA DE SINGER
_M FBI
Nenhima casa estdcompleta
MACHINA DI
Com caixa U(WKM>0.
Sem caixa -_ 80SOOO
tfNICA AGENtTA
EM
ING1R
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR 4>
r
Novidade
Vende-se a taverna da rua da Pen ha n. fi bem
afragfleza e zwn ppacos fundos: a tratar na
mesma.
De forca de d ais a seis cavallos : a venda'no
armazem de Joa^uim Lopes Machado 4 C, tr-a
vessa do C'orpo Santo n. 2o.____________________
Vende-se uma. mulata
cojinheira, om.a pieta "
lavadeira e coiin
se Tenili
dirija-se'iesfr
' defronte *klpeflfeha o>
A vista desengana
madapolao francez a 65000 a-pega
Tem a loja d'America madapolao francez, e
bom, **a*d* por eMe preco p#ra aeabar; n* ma
Bo Ca|Bfe'a n. !0, li4a.i'Aru,crica.
boa engommadeira e
moca e sad.i.i, boa
(asa.as.qi.
;: qaem nret
iarros, sUioji,?}'
ncefjSo.
se uni ter
m 60 de freitfaj
um sitioiin
amhjj

'#1 M
Labyrinlhos, bicas, reiidas.
No escriptorio de Gomes de Mattos, Irmaos, a" rua da Cadeio
do Kecife n. 40, 1." andar, c o unico deposito do quo ha db
melhor, e hem acabado, que vem a este mercado, da cidadedo
Aracaty no Ceara, quem os comparam com os feitos aqui na
terra, facilmente reconh cord a inimensa differenca, que
de uns para outros, tanto em prer;o como em qualidade.
Lindissimas toalhas de labyrintho.
Fronhas de diVersos tamanhos.
Lencos de todos os precos.
Bicos e rend as em profuzao.
TASSO IRMAOS k C
Em seus armazens a" rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tern para vender por pregos commodos
Tijolos encamados sextavos para ladrilho.
<_ios de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hvdraulicc.
Machinas de descarocar algodao.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barrii.
Phospbpros de c6ra.
Sagii em garrafoes.
Sevadinha em garraffle*.
LentUhas em garrafoes.
lihum da aJmaica.
Vinhodo Porto velho engarrafado.
Viuho do Porto superior, di'o.
Vinho de Bordeaux, dito.
Vinho de Scherry. -
Vinho da Madeira.
Poles com linguas e dobradas iuglwas.
Lice res finos sortidos.
Cognac Gaulhier Preres.
Latas de touciaho Inglez.
Barris com repolho em saurionra.
Yende-se
irasles de jacaranda e amarello com pouco uso.
! em perfeito eslado, e tambem um meio apparelho
I de louca para jantar e um dito de porcelana, fino,
branco, para almoco. Vende se por ter o don
se retirar para Europa : na rua da Imperatm
n. oi A. ______________.
Potassa da Russia etm meios
barris a 500 rs. o Mo
Desembarcada ha poucos ds : vende-se no
escriptorio de Oliveira Filhos & C, largo do Corpo
Santo n. 19.
Carro americano.
Vende se um carro americino de 4 rodas e &
assen'os, e um bonito cavallo, tanto rftj'a carro
corcio para s_ ; o carro esU gin bom estado ;
o/uem quizej-comprar entendase com o vigario de
Santo Antonio do Recife.
00 a libra
6 andar.
Rape Roefya
na rua ^o Vigario n, 7. primei-
VMIDE-SE h
pes desapoti ahacata, parreira, romeira, pinheira.
larangeiracravo.roseiras de varias qualidades, e
outras Cores : na rua do Viscouife.'-de Goyanna n.
IDI.outr'ora Mondego.
Por baratos precos para descaro..
12, li, 10,20,2a, 30 e 33 serjrai.
Cunlia -v Manta
;jdao, da
VE8JM8HSE
com &-._! de vacra e ***> _
no armaaem d.
D._.
barris .
para mantimentos dc navios^E
o Irmaos & ( H_
' Vende se o hoT. de Coi
tinas n. &V-
I
l_n
__-
-^"i


i^rabtotbuc Qu
>ro
i
GOSTURA
DIM
SOABES LEITE, IRMAOS
UNIGOS ACENTES
Rua do Barao da Victoria n. 28
is simples, as mais baratas o as melhores do mundol
Na exposi^ao de Paris, em 18C7, foi concedido a
Elias Howe Junior, a modalha de ouro e a condecora-
io da Legi&o de Honra, pur serom as macbiaas mais per.
*Tt ^. feitas do :Koodo.
A medalha do euro, couferida a E. Howe Junior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
Na lojade.Soares Leite In
Victorian: 2&
polllca com i^uciJBT
Agmt'-florida, de dn,
parafazer os cabellos pre-
tos.
Liivas de*
a 200 rs.
Abotoadut-aS para tf?l!eto, granlc sorti-
racnto a 120 rs.
Caixa de linha de marea, *2 A aguia branca, a rua Duqae de Caxias n. SO,
acaba de receber nova remessa da apreciavel agua
florida para fazer os cabellos pi elos. 0 bom re-
s aemo*auf*dOOTa Lamparinas i gal, dando uuls luz muito, 19000.''
os.UfUjtfih'oS *pttj<*Os.
D!'U'UMAI(IAS E MIUBEZAS.
I'fifecocom oleo Onia verdadeiny,' a
A medalha de ouro na exposicSo de Londres acreditam
estas machinas.
A
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
rk, estabelecju nesta cidade d rua do Barao da Victoria n. 28, urn deposito e agencia
?wal. jjara em Pernambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
^a da bow;. Estas machinas sSo justamente aprcciadas pela porfeicao de seu trabalho,
mpregando uma agulha mai5 curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,
pela intro 1 lcciio dos mais aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
'OereoWfto exame publico as melhores machinas do mundo.
-.45 vantagens clestas machinas sao as seguintes:
Primuira.-0 publico sabe que ellassao duradouras, para isto prova incontestavel, a
itrcarastancia do nunca terem appareuido no mercado machinas d Howe em segun-
ti mao.
Segunda.Contcm o material precise para reparar qualquer desarranjo.
Terceira.Ha ncllas mei;or fricc,ao eutre as diversas pecas, emenos rapido estrago
?o qne nas outras.
Qusrta.Formam o pouto como se f6ra feito i m3o.
"^aijjta.I'erinitte que se examine o trabalho de ambos os ftos, o que se nao consegu -
a outras. '
Seita.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de urn & outro lado,
togo em seguida, sem modilicar-so a tensao da linha, cozem a fazenda mais
ins.
Setima.0 comprcssfir 6 levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
*e agulha ao comeear nova costura.
lava.Muitas companhias de machinas de coslura, tem lido epocas de grandeza e
Machinas outrora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffrcram
i de Howe
constanteraente
, COO machinas
->r dia.
^da machina acompanha livretos com instructs em portugucz.
V 9()$>000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
boa, a 19000.
Dazia de peras de corda* -imtfeml, a
240 rs.
Caiia
200 rs.
Duria decarreteis de linlra1: 200 jardWs.a
GOO rs.
Idem Wera 60 jardas; a 2W rs;
Majo de fita chiiieza, a &0O rs.
Caixa de linha com 0 novellos, a 500 W.
Meios aderecos com camafou, a 500 rs.
Garrafa detinta roxa extra-fma a 15000
Poles com dita .ngleza, preta, a 10O e
160 rs.
Caixa de pennas Perry, muito boas, a Ddzia desabonetes daahjinho transparen-
t?*><>0- jtes, a 29200.
Idem idem, a 400 hi. Tderri idem Com fl6res, a 19500.
Caixa de enveloppes tarjados, a 500 r*.' Sfbohetes Glycerino trausparentes. a
Idem idem forrado's, a 700 rs. l9O0O.
lijbm' com to.iico d& Kemp, vct-dadeiro, a
Oarrafa de agua florida Terdadeira a 19200
GArl-afa d'agui japbneza, a 19000.
idemidemdiviha, a 19000.
Idem idem Magdaltjua (noviiade) a
19200.
Caiia de piJS para dentes; a 200 rs.
Idem idem de pds dhihez, muito bom, a
500' b.' e 19O06.
Potb'com bphta de Rieger, Rimel e Gros-
1 el, 1900.
Du'zl* de sabohetes de amendoa, a
39600.
inoffeniiva prepara^ao a (era altametite cenceitna-
do, e por isso apeoas se tai iembrar a qucm no-
vamente deila precise e queira se ai>roveilar de
8*Ja ntilldadc. Tambera veto agua de tbpasio e
oieo florido para 0 mesmo uao, e Uo acredilados
oomo aquella.
Voltas e brincoB de grossos
aljofares de cores.
A aguia branca, a rua do Duque dj Caxias n.
t, recebeu novas e bonita* voltas e brincos de
grosso.- >ljofaresde cores, e como sempre cooti-
nua a vende-las por preco commodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
A aguia branca, a rua do Duque de Caxias n.
30, reccbeh novo sortimento de bonilos diade-
mas dourados e com pedras, tauto para meuinas
como para senhoras.
Collec^oes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. 50,
recebea novas oollcccj&es ou normas pafaascrian-
gas aj>reudcrom a escrever por si mesmu, huje tio
usadas nas aulas e collegios; e como sempre ven-
Caixa de papel amisade, beira- dourada, g|Caixa com sahonetes, forrrmto de fructas, ide-as por prero eomnwdo.
a 19000 e 1JT500.
Cosmeticos, graudeS e pequenos, a 100 c
a 800 rs
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzia de talheres cabc bronco, 2 B., a 800 rs
550,00 Frasco comaglia de colagife, a 200, 320,
Resma de papel pautado, a 49000 500 rs. e l^^OO.
e 55800. Extracloj muito fmos dos m Ihores au-
Ideirl idem liso, a93800, 3?809e 5J50OO. tores.
Coqucs nioderTios, a"390UO.
Duzias de peens de t-ft]w;a3-de caracol
branca, a 40o rs.
Fdein idem lisas, a 200 rs. '
as e elegantes caixinlias com perfuma-
rias, proprias para presentes, dos autorfcs
E. 'Cbdray, Klcgef, Gelle1 Frer^s.etC.
(Juadros com sanUs e estampas scpara-
Leques do osso e sandalo, a 29000, 49 das",
e 65000. ntreraeios e babados transparontes e'ta-
Fita ue vedudodo todas as cores e larjju- pados.
ras*. E!rua grande tabolcta propria para qual-
Microsfopios com 12 vistas^a B9000. quer R-ja,
a
ecadencia.
Borhjnas de Cera, idem borracha e bofasdotodos os taraaaods, candieiros a gaz,
oojectos de porcellana, gaiollas de aramc, molduras para quadros, machinas de rofio
para cu^lura, trausparentes para junellas. e um.compl.3:e variado sortimento de miude-
zas, quo se torna longo mencionar.
Rua do Barao da Victoria. 28.
..- _
BAZAR
do Barao da Victoria n. 2 8.
i
BAZAR DA RUA DIREITA
M&RGIU0 DIAS N. 51.
Esto eslabelftclmenlo sem,>re solicito em offerecer a concurrencia do respeitavel pu-
lico urn cortip'.'to sortimento de miudezas, ca!;ad.> francez, chapeos e quinquilharias a
iy/ii os mai, razoaveis possiveis, para o que recebo quasi todos os seus artigos de pro-
i.-ia encomio.'nda da Europa e America, vem dar publiuidadiB dealguns artigos pnr cujos
mwos bem so pode avaliaros precos de outros muitus qucse tornaria enfadynho pu-
MICDEZAS. MIUDEZAS.
LS para bordar, da melhor qualidade, 1 Brincos dito fH^ilo por 29500..
ibra por 55500. Botdes de setirfl pretos e decdres, a 800
Agulhis frjncezas, fundo dourado, a cai- rs- e 19000 a duzia.
*inha com 4 papeis a GO rs., 240 rs. Franjas braucas de seda de todas as lar-
Voltas de lita de vel!u!; com lindos co- &*xta, a 15000 e 19400 o metro.
'*'j5es fingin Jo inairoperola, a 500 rs. ^'tas J cores e pretas a 800 rs. e 19000 o
Voltas para o pescoco, fingindo camafeu, metro.
^oiy.panhadai corn 1 par de briacos seme- Galoes pretos de seda, de muito gosto de
haute, tudo por 29500.
Linha branea de 200 jardas em carriteis,
propria para costura de machina, a 800 rs.
duzia.
Dito do dita de Alexandre, nucneracao a
gosto do freguez, a IjJIOO a duzia..v
Diade:nas4ourndosde 15500-^1
Ditos de tartaruga com flores a 290U0.
;. Ditos com-borbole^as a 19500.
Brine >s eiiiiariados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaqudt de 500 rs. a 2-9000.
Ditos dourados, duzia de pares, a 15i>00
e 29000.
Voltas de aljofares com brincos, a 29500.
Ditas de diLos com coracoes a 15000.
Ditas de di'.os de contas coin cassolotas, a
800 rs.
Rosetaa de pi iquct a 19 e 19500 o par.
Grava'ias da soda para senhoras de 19200
a 2,9000.
Parures com 3 laijos para cabe^a e peito
t 39 e49000. 9
Eutre, meios; e babadinhosbordadosde 360
rs. a 294O0 a poca.
baldft5 de seda brancos e de cores, de
19500 a 29500 x peca.
Ditos de algodao e seda, 'de 19 a 19400
peca,
Ditos de algodao, a 100 e 500 rs. a peca.
Trancinbas de cores, a 100 e 500 rs. a
pega.
gLeqiK de marfim a 39 e 89000.
:< Dits du sandalo a 49500.
fj Ditos de madeira imitando, a 29000.
Ditos de papelldes a 1980O.
Coqaes para fwnhor*, a 39, 39600-e 49.
Adertcosfingifido eoral, cornpondo-se fle
alfinete e btineos por 29000.
Dito Ditos de plaquel, compoado-se de alfinete
ebririco, sefrrlo de muitcnPsto, por**00O.
. '-------------------------------------------1--------------------------------------------------
800 rs. a 15000 o metro.
CALCADO FRANCEZ.
Botinas pretas gaspeadas, para senhora, a
45500 o par..
Ditas ditas de duraque, gaspeadas, canno
alto, a 59000.
Ditas protas enfoitadas, ultima moda, a
05000.
Ditas dita de cores, canno alto, enfeitadas,
a 55500,
Ditas para meninos, pretas e de cflrcs, a
39 e 49000.
Completo sortimento de calgado de case-
mira, Charl6t, tapete e tranca, mais barato
l0 % do que em outra qualquer parte.
CHArEOS.
Ricos chapeos de palha d'ltalia, para se-
nhora, a 119000.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda,
a 109000.
Completo sortimento de chapeojinhos para
meninas e senhoras, de 29800 a 59000.
Chapeos de sol de seda, inglezes, cabo de
marfim a 1G9000.
Ditos dito de merin6, cabo de metal mui-
to bonito a 55500.
Ditos dito de seda para senhora, cabo de
madeira, a 69000.
Ditas dito cabo de marfim a 99000.
DIVERSOS ARTIGOS.
Granadine para vestidos, fazenda da ulti-
ma moda, com listras de seda, a 650 o co-
vado.
Pannos de crochet para cadeiras, a 19800
e 29000 cada urn.
Ditos para soft,, a 39 o 45000.
Toaihasde linho pare tosto;-* 19800 cada
uma.
Ditas de algodao alcoreados, a 640 rs.
Colxas de crochet pata cama de oasal, a
69000.
Rua da Imperatriz n. 72
l)E
Loiircoeo Percira leiides Guluiifi.&
ira a seus freguezes qiielem resolvido vendr o mais barato'que for possivel.
Doci
saber :
CUITAS A 160 E200HS.O COVADD. | CORTES DE B1UM.DE CORES A 19500.
\eiiJe-scdiitasrrancezns lar-as com to- Vende-se cortes de brim de cores par;
que de avarla, a 160 e200 o covado. Di- calca, a 1550D e 21000
.as hmpas a 240, 280 e 3-20 rs. o covado. j BOTINAS A 39000.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS. 'Vende-se lnHinas para senhoras, a 3900K
Vende-sc oassas francezas a 320 e 3C0rs. 3950, a ellas antes qrje se acabem.
o covBdo. holpa ,'FEITA NAC10.NAL.
V i A> A 200 RS. Vcnde-se camisas brant;as, a 15600, it
Veiido-selasinlias de cores para vestidos,. 29500, 35000 e 45000.
a i'00, 300, 400 e 5<)0 rs. o covado. Calc.as,de casemiras de cor<*. a 55, 6a
ALPACAS A 400 RS. 175000.
Vende-se alpacas para vestidos a 400, 5ftO, Palit6ts de casemira, a 49, 65 e 85000*
640 e 800 rs. o covado. Seroulas a 1^ e 15000.
COBEftTAS DE CIHTAS A 1500. lild.M DE CORES A 440 RS.
Vende-sc cobertas de chitas de cores, a Vende-se brim, do tudas as cores* 44
15600 c 25000. Ditas de polio a 194WK rs. o.c 'vada/
Colxas de cures a 1920U, 2950Oa-45500. LENC0S BRANCOS A 29000 A DUZIA.
CHALES DE LA A 600 RS. Vende-se a duzia de len^os brancos, .
Vende-se chaleS de 15 de quadros a 800 '29000. Ditos com barrasde cores a 3900<
rs. e 15000.
Ditos de merind a 25, 39, 49 e 59000.
CAMBRAIA BRANCA A 39000.
Vende-se pecas de cambraia branca trans-
parontes e tapada, a 39, 39500, 49, 45500,
55-e 65000.
SA1AS BRANCAS A 29000.
Vende-se saias brancas e de cores, para
senhoras, a 25000 e 29500.
BOISETS A 500 RS.
Vende-se bnnets pretos de seda para btn
mens, a 500 rs. Chapeos de palha, pell.
massa, a 29, 29500, 39000 o 49000.
.MADAPOLAO A 35000.
Vende-se peijas de madapolao enfestado a
39000. Ditos inglezes para os prccos de
45, 45500, 55, 65000 e79000.
ALGODAO A 39500.
Vende-se pe^as de algodao, a 35500, 49,
e 59000.
BRAMANTE A 19600;
Vende-se b ram ante com 10 parrnos de
largura para lenjol, a 19600, 29 e 29*5000
metro.
GRANDE LIQUIDACAO DE SABONHTB* 280 R&.
Vende-se uma grande por^ao de sabone-
tes inglezes, a 200 rs. Ditos francezes com
cheiro a 320 e 500 rs.
Agua.de colaiiia, a200, 320 e 500,rs. o
frase para liquidar,. e outros extractos
muito barato.
tk.
Ditos de linho a 55000.
T0AULAS.A 800 RS.
Vonde-se toalhas para fosto, a 800
19000.
GRAVATAS DE SEDA PRETA A 500 Hi
Venda-se gravatas de seda preta, a id
rs. cada uma.
.CRTTAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chita para cobei tu, a 280 e Si-
rs, o covado.
BO.NETS PARA MENINOS A.19500.
Vende-se boneles para meninos, a 1950t
ESPARTIL'HOS PARA SENHORA A 3550C.
Vende-se espartilhos para senhora,
39S00.
Mcias cruas finas para meni-
nas e senhoras
A loja d'iguia branca, a rua Imque de Caxias
n. 50, reculieu novo soriimento da^uellas tao pro-
curadas meias cruas para senhora, vindo igual-
inente para meninas, e continiia a vende-las por
pr,'i;os commodos.
"V'eos ou mautinlias pretas.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de Ca-
xias n. 50, roeebeu bunitos veos ou inantinliii-
pretas de seda coin Jiores, e outras a imita^io do
crociie, e reade as polos barato? pre.-os de 3i,
1# ft 6*000. A fazenda e boa c eeta em perfeito
estado, polo que continua a ter prompla cxlrac-
cao
Perfeita novidade.
Grtmpos com borboletas, bezouros e gafa-
uhotos dourados e colondos.
A loja da aguia branca, a rua do Duque dt
Caxias n. 50, recebeu sovos grampos com bor-
boletas, bezouros e gafanliotos. o que de certo 6
perfeita novid de. A quantmade 6 pepuena, e
por isso em breve se acabari.
Noras gollinhas omadascom
peiucia ou ariiiinko
A loja d'aguia branca a rtn Dunne de Caxias
- 50, recebeu uma pcqueua quai.tidadc de boiii-
se.novas gollinlias, trabalho de la c soda, en-
neitadas com armiuho, obras estas de muito gosto
e inteiraiuente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
^ A loja da aguia branca, a rua do Duque
Caxias n. 60, recebeu novamente bonilos gram-
pos,. briucoe e rozelas doarados ; assim como
novos diademas de aoo, e como.scmpre conti-
mia a vendc-los por prcjos razoaveis
Gaixinlias com p6s dourados
e prateados, para cabellos.
Vende-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
que do Caxias n. 50.
Luvas de pellica pretas e de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, a rua Duque de Ca-
xias n. 30, recebeu bovo sortimento de luvas dc
pellica, pretas e do oulras cores.
dao amos-
A 800RS. 0 COVADO-
Vende-.se grafladihes com listras da b&A*
para vestidos d;sctthora, a 600 ITS. e 190.0.
o covado,
GOLCHAs DE CROCHET A 65000.
Vende *sa cicas col ohas de crochet para c
mas a .69*ft0.. I
PANNOS DEGROGHET A 19*00.
Vende-SQ. pannos do orocbel para cadainai
a iiJSOOv 29000. .
CAS8AS PARA CORTINADOSt
VoBdeTsei|iecs de oassas para coriiuados
cdmaOwaras, a IO9OOO0 129000, a outrar
muitas fa Ben das om liquidaf ao.
Oat
estrangeiro.
.dezembro, tempo em
[na Duque deCaxins n
|seu balanco. por et
Fta. ostabeie . vi:> ca,lc.do3. pel.) cus-
to, anm de mmoriwra o trabalho ; assim pais os
as di bDm, e com cspecialidade 1
amavel, iiara i|nem 0 Paris America, consefva
(com a devida doceneia) 0 seu gibhete reserva-
do, par* a esoulha.de calcado, aprureitem e ve-
nliam mm do que precisareu.
Aproxi
que 0 Parts
aO, 1 an*
moliio, i)ft
:ao resohi
Yende-se
.voprnpri!) par;
em Jta.: Mratar
DaKMiibriiii 1. 76.
J. 0. C. Doyle.
Tem para ve i ( o:
Cognac de Hennessy, superior e rerdadeiro.
Vinho Xeres'das nwlhores qualidades.
Bitters de Angostura.
Whisky.
Cha preto em lattas de 10 libras.
Tolas a? prepara.oes ch;micas do Dr. Aver: no
armazem da rua do Commercio n 38.
--------
Hesperidioa
lina, superior e icrer
iitado : a venda no amiazetn
C, rua do Atnoriui n. 37
4Rua do I CabuedN. 4
/n't
Sii^LJ^^CIS1
G01IES-D&
vV \j
1>4
D
ifr
Avisam ao respeitavel p6W}cdrteta'*i4a,(fei(r^trSc^imttoW'd*'jr*ias,del5ul^ *m
tor, quo .rxrstia cm seu estabetediraJntov-eylAcbtri]^ tti(rr3>e).
game sortimeutq de novas joias, que receberatri'rJif!ctarrtet.te pfe.o'uHir!rO' Vapor dtt Bo
constancy elto do-mais variado1 sdrtirrtento de ad.;re?os i ^Oftte/ard'j pulsaifas" d<
leO, etc., bri1
tcs..o boto
: srao co,u"
committentirs.
Os propriela
deTasso Irmit ,Ja n

rnjiistros de rarissimas agoas, em anneis, rozetrfs, puheiras-, }fire
"sro de melhores fabWcautes de Parts, que se
?or s'ej-cm ellbs recSbldos diffectnmente do ser.*
DE JOIAS, ten do ^co ^HMU*nerrto 'abertt.
quesequizarem'p. joias, k
) era" eiposigSo nos tni&fgfare-:
AHMAZEM
DE
FAZE \DAS F.MS
RUA PRIM El RO DE MAPCO N. 7 A
E' esla casa, sem duvida, uma da's que hoje pode
com primazia aprcscntar aos seus freguezes urn
variadissimo sortimento de fazeudas finas para
grande HHeHejubim como para o uso ordinario de
tadas as classes e por pretos vautajuscs para o>
compradurcs.
0s donos deste importante stabelocimento con-
vidam ao respeilavel publico e particularmente
aos seus freguezes a darcin urn passeio por sou
estabtleciuiento, a alini de verjGcarem a veracida-
de-de seus annuucios, t com vantagem supprirem-
se dos artigos que I lies forem mister, de cujos
fazem tiiu pequenc resumo.
WWfcini fazendag as casas dos pretendentes,
para PVie tem o pessoal ncces
tras inemante peuhor.
SEDAS
Cortes do seda de lidas clres, grosdenaples de
todas as cores.
Gorgurao branco e preto.
Setiiu Maca) preto We cores.
Velludo preto.
Grosdenaples pretos o de core?.
Granadinede seda prela e com listras e almas de
cores, hndissimos padrocs e fazenda de ultima
moda.
FiI6 de seda branco c preto.
llicas basquinas de seda.
Coljas de seda para noivos.
Manias brasileiras.
Certes de cambraias branca com lindos boidados.
Capellas e manias para noivas.
I'oupclinas de lindo* padrdes.
Reir.issinio sortimento de las com listras deseda
Caiiibraias'do cfiresj ditas mariposas brancas e d&
cures.
NaRshck de lindos padroes.
Baptista? de padroes mui deh'cadog.
Percaliuas de quadros pretos e brancos.
Drius de linho de cores proprios para vestidos.
Fustoes d.' lindas cores.
LCasaquiulios de las de cores para senhoras.
Saias bordadas para senhoras.
Vtestuartos para meninosi
Ditos para baptisad^s.
Chapeos para ditos.
Toalhas de cambraia de linho cm lindos bo
dados.
Frouhas bordadas:
Colxas deli-
Gortioados bordados.
Camisas bordndas para homens.
Meias de cores para homens e meninos.
Chapeos com castao de marfim para homens.
Dllos;pafa senhoras.
Merino de cores para vestidos.
Ditos: pretos.
Casemiras, chitas, madapdoes, cambraias etc. etc.
ha htfa do Passo rua Primeiro de Marco n. 7 A,
auriga do Cresoo.
DE
Coi'deiro Simdcs A C
YM6TAES
BRISTOL
Ens befes sadios e saos
Uma digftsl8o vigorosa,
Um excelhnte appetite,
s8o alguns dos bejieficios quo se jwdem tfe-
rirar, fiizendo seum uso regular (ias
FiliiltiM vesctnes tie Hriwlaf.
Uma cura certa e ellicaz dos intestines,
Um remedio admiravd para o ri:is,
Um tonico poderos'o para ocsturnago,
Sao as inapreciaveis qualidados moihcas
que se podeni encontrar, usando-se das"
Pilulas ve;ctne de Urtatol.
L'ma medicina que nao prodi r dflres item
cohcas.
I'm purganto quo nSo tktfulila nem et>-
fraquece.
Um laxajite quo nao ca^usa a ineow
nausea.
Formam uma das muitas wrtudes cue
possuem a s
Pilulas vegetacs de Itt Urn medicamento suave e favortt<-.>| rnra
o hello sexo.
Um correctivo s.-guro dos desarranjos do
syslcma.
Um remedio completo c seguro para as ii
regularidades.
Sao os effeitos sem falur, 9 r^sultantes dc
uso e emprego das
Pilulns ve^etnen de Bristol.
Uma compleicao clara, alva e trnnspireute,
Uma pt'llc macia edelicadao um
rialito doce e ugraifrrvri.
S*o os resultados it(>rtoseifrfalliveis, de-
pnis de Se
haver tornado alguinas d6scs deste
melhor dos
Remedios as
Pihilus vegetne^ de^'Bt-i.^tul.
Em todos os casos de inolcstias I'um.vns-
tureza escrofulosa, ulcon.sa ou sjpliilitiea;
ou quando a masa do saugiic s liajli tor-
nado turva ou \i;-iada polo uso de ferto
mercurio, ou pur outra qualquer substancu
mineral a
Salsapari'ilhn de Bristol.
deverd ser usada de coiijoncto com as pilu
las, e assim bbrando-sc, cm restricta con
formidade com as dirCcgdos ifisefiplas nt
envolto; os doentes poderu r car ecrtos que:
uma vez usada coiijuncinmentf uma com t
outra, nenliuma enfermidade "ou molestia,
por mais sevcra ou arraigala quo sc ache,
ilao poderd resistir an comliinado pO'Vjr se-
crelorio c sanitario destes dons
GRAHBES, E10MF1K
BflMIOBItm.
Ambas estas medic mas acliam-se d venda
em todas as principnos bolitssi e
1 jas de d.rogas.
Acha-se a ven la em todas as boticas.
H: Foreter & C.
Tem sitlo, aproseiihula ib iinhlieo
Durantc o espayo
UK
4 0 A A N 0 S.
sM^s\v,vfiaiiuiiv.
in.
RBISTOL
-
''7\
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADOS !
A SAl'SAI'AIU.il.HA t& BRISTOL pnri-
fica a massa do sangue, expeile para f6ra
todas as matcrias e fezes vicios,is c impuras,
rcgula todas as secrecies, di vilalilade e
energia a to.Jos os orgaos e dd forca e vi-
gor 80 s)sterna afun de poder rnclhor resis-
tir a todos os ataques da enfermidade. E'
pois este um remedio constitutional. Elle
nunca dislroe afim de poder curar; pore'm
coristantemente assiste a naluresa. Portanto
em todas as doencas constitution -ies e em to-
das as molestius locacs dcnrudaiie d um es-
tado vicioso simper feito do syskn.a cm ge-
ral, achar-se-ha que a SAi.SAPAr.Rii.iiA de
Bristol e um lcmedio seguro e oflicassissi-
mo,,possuindo inestimaveis e inconteslafSM
virtudes.
As curas milagrosas de
Escrofulas,
Ulccras,
Chagas an.i^ns,
ENFERMIDADES SYPH11.1TICAS
Eiasil'ELAS,
RHEUMATISMO,
NEVRALC.IAS,
ESCORBLTO,
ETC., ETC., ETC.,
que tem gnuigeado e dado o alto renome a
Sal6aparrilha de-Bristol
por toiasas partes do universo, sao tdo so-
mente devidas-d c
UNICA LEGITIMA E ORT,r?WL
Salsaparrilha de Bristol
ft FfTslff 4 4
AGE^STES.
NA PHARMACIA CENTRAL
-__________________ ... -......


Armazem do fumo
Rua da Madre de Deus u, 10 A.
i seus treguezes e amigos que no seu ariiiazetn a
rtta da MaflrB tie Dens n. 10 A; se acha nm com-
plete sortmii'iHo de fumo nn fardos de patcute W,
z.' e 3." sorte^idnR melhores fabrwanles daSahia,
e bem assim a tlor de todos os fumos de crda
em rolo*, pacotes, lata< oranies e pequenas, tarn-
"bem dos mul acredltadns f.ibrica'ntes Torres &
Araujo, Lizaur, Adolpho Schmdt 4 C, Lizaur
.Schmidt AC., Veigas 4 Araujo, Trindade 4 Av..-
Ur, Teixeira Pinto 4 Porlella (garantiilo pelus
mesmoa) e de ouir..s aind>? nao conhi'cidos pelo-
Ipublico desta capital. O annunciante qVclura que
"todo flime r|oe for vendido em sua casa ira pelo
seu|nsto valor, e que quando garantir a respe^ti
,va qualidade, sera siacero, mui particuiarmentff
eom as pet.soas (joe pouco entendam da materia ,
pois para bem servir a todos, tem o un jnciante
a ionga pratica de 15 anuos des
tem o amunci;
Vende-se dous engenhos d'agua,meeott*cor-
remes, situ ados um ua.iieguezia
na comarca de J*boalior,(iert.js
mais da estrada de Liiiviei
Bernardiho de Minmda e A
Pitangueira, S Lourenco.
~=VSdi
a taveroa dopalwiaRiheir*.
das. methurc-s e mais bem
guzada, lanto para a terfa
a tratar na me.-ma. 0 rtioi
seu dono ter de retirar se para
.---------1.. .....------------~^__
.
Veadb-seiiima pacie de.,.
travessa do Caidereiro n. 3, _
da Panella, ,que foi do flnadu
ques, pela quahtra de l:09tffl00:
rua do Imperador a. 1&, das as 4
tHiubem se vaju^&JMrie du iiiiru.
mesma quajfl ^^^^^^^H
Vendefe
uho ou pai

mamm
m
^5-


i

I

ii:m uitii.
LEG t.N-DA ASIATIC A.
1
Ligeiro sopro de Oeste, halito suave Jo
um gisnio adormec|jo no!espaco aos doces
cantares gdas virgin \-<\ coo,-- quauto
invcjo tuas aza;, amda rociadas polo pranto
da aurora, para voar, voar, in p:ragotn in-
iiuita, sobre o rasto espumtio quo tieixa n
ana navo no rogaeo da In perpassas rapt lo e subtil na suave
ondulao/u> do e.liiur, lii hicor is os so larios;
novoentos quo ponJoio dos hjmbros m,.ges-
tosos do Oural, e refrescas o solo inceudia-
do do Adjimir, quando a caluia imprime
ssus labios do logo ua face suareiita do pas-
tor ...
Ed tua passagem, languido sentir c6a-so
do libra a fihra, em todos os seios; as Qo-
res levantantam-so niais formos.is trocan
do mutuas carioias no pollen que vOa das
authoras come urn b-.-ijo ; os olhos sciutil-
lam mais huajidos, sob a franja de unscilios
do velludo ; as mattas, od oasis, e aseoli-
nas, rociam-sede milhues de lagrimasla-
grimas que colhes no seio suniorio da des-
desgrari paraosparzins mais larde lio roga-
eo scintillante da ven'ura 1
Ab I colhe, collie tambcm pi close as
bagas oyndentes du pranto quo iucessanlc
choro Tom a, toma esUsqueixas quo do
ineu poito arraiica a angustia de una sepa-
racap cterna, e voa, voa sobre a immensi-
clade dos mares...
a. Quo os U'us plangoutcs queixumes eau-
teiu perennomento junto delta o ineiancboli-
co poema dc ailubas dores ; quo tua liuini-
da aza esfolbo seal cessar em sua frunle
meus bcijus aiilorosos e iniulias desespera-
das snalJicflos ; queestas lagrimas que choro
BO lion or do abaudono, brilliem elernamen-
to sob os sous olhos, no seio tempestuuso
da vaga
Ligeiro sopro de Oeste, l.ahto suave Jo
um genio adorrnecido no espaco, aos docos
cautares das virgeus do ceo, da"-me uma got-
ta, unvi so gotta dossos sagrados balsnmos
quo cspalbas sobre as cliagas da naturezs,
entorna sobre o men coracao dcspcdueado
o nardu celeste da consulacao !...
II
Como a pomba quo game solilaria nos
lug ares da selva brasilea, assim soluca Ne-
lumbia, a lilha ardcnto da Asia, veil io des-
appirecor de lunge a navo aventureira do
malaia pirala,sen amanlc.
A leda do deserto quo volta d roconlita
gruta, undo ba pouco deixara os lillios ten-
ros, e apenas eucontra ossos saiigreiitos,
roidos pela prosa do chacal ; 0 passaro quo
se roeolho ao ninho com o peito aberto, para
offerecer seem holocausto d prole amada, e
em vdu a chama com sous gritos estiilen-
tes, maior desespero nao seutem quoNelum-
bia, despertando solitaria no leito do abau-
dono.
Ella salta, como impellida por mobs oc-
cultas, e a paiithera mosqueada queimpera
nos serros javanezes e menus violenla, pnu-
gida pelasededo sangue, doque essa mu-
lber polasagonias d deseug.uiu ; sous olbos
limpidos, cerleiros descobrem e seguem
no solo a prossao revelladora da planta do
Hailos...
Sorrizo. tremolo e triumpbaute arrcga-
^a-llie os labios ru'oros ; sorrizo iloce e acer-
bo, esplendidu e ameai;.ador, coaio o relain-
pago quo juroa a nuvem, inceudiado pelas
cbain.nas do poonte !
E'que a toauieslade dos sentimeulos, re
tardada por epbemerus vislumbres de espe-
ranca, ruge surda nos intimos recessos dc
seu snio.
Ella parle sobre os passos do amantefu-
gitivo, e sens pes delicados rnal locam o so-
lo na corrida iufrene ; -mas quando, jd ua
costa, so da oilegante e und"osa voragem, e
desi.ubre ao longe a nave graciosa do Har-
los, qae fo.^e sobre o donso da vaga longin-
qua ; quando ve desapparecer para sompro,
com o lenbo que o amantc impelle, a d6co
felicida le de sua exisloiuia irrteira, addr de
Nelu.iibia iocs ao cumulo do solliimen-
to I -..
Ella vaga, por instantes, desvairada ;
sua'louga cabelleira, esparsa pela rapidez
dos movimentos, constringe-a como iugu-
bre montanhn, o seu collo arquejante que-
bra as tolas prcciosas que o comprimem.
Pouco a pouco a encrgia iho falloce; a com-
mogao arraiica de suas anlentes palpebras
rios tie lagrimas, e seus labios desprendem
lieoeis queixuroes a briza quo vendo a des-
gragada es6, vemacaricia-la gcm>ndo.
E cubindo com a face gelada contra a
aroia abrazadora, iNelumbia cerra languida-
mente os cilios e adormece...
in
E' triste a inorte nas plagas remotas on-
de o mar espumoso e a solidao reiua com o
seu piiaritaslico cortejo de sombra..-
Parece que as estrellas A medo se libram
no espaco oliscuro, equeo mosmo Deus des-
via do bomem seus misencordiosos olba-
res !
E' u:na none assim.
A diviuJade da terra galopa no seu si-
tiistro corcel, soltas & briza escassa as tran-
qns fluctuantes onde os astros brilham far-
livos.
As tribus colleopterias circulam silencio-
sameote, ou cahem inebriadas, aos acres
sandalo ; as plialenas nocturnas desdobram
na atlimosphora chu abada as larguezas
pardacentas, q^e a letbargia diurna entor-
pecera.
De ospago a espago o dromedario atraves-
sa ligeiro o deserto ; e o ecbo de seus pas-
sos confunle-secom a pragl do pegureiro
retardudo... r.
A lua surge e lentamente esclarecendo
apenas a passagem, e asolemne ascensao, as
vagas iHispiiara amorosamento na praiaso-
litaria.
De subito um movimento estranho impri-
me fortes oudulagdes na face calma das
agu* was ceruleos que velara os mys-
terio War,, arregacam-se de leve, des-
ven ma multidao de cabecinbas
loiras.
Gargalbadas argentinas, cantos bubgosos,
gritorinhos de prazer, rosoam em tod as os
pontos, enlacam-se em todas asondas .,.
Ondinos e ondinas aproxiinam-se, affas-
tam-so, saltim sobre a costa, innundindo-a
de rises jubilosos.
Seuj. oes munosos mal osfrolam a area
prateada ; os alvos sendaes quo envolvem-
orpos, mal e^||^* diaphanei-
^^K de suas f6rma
les brinca n, elh a traIaao
clartoda iMLtt' | dansando,
do SWO das :
do m i lo, e tomeroso o band gazil
arraja-se no undoso vortice...
Os ondinos, tremulos e hadiuatjs, othem
de longe a lilha da terrai^B
Nelumbia contiuua a dorntn" o somno da
oternidade. ..
Os gonios so aproximam.
L'm uontempla-a, cfoge,;
Diari
Conbecendo a Deus, o homo
qual era
aprendeu ielbo;
tos e suas lcgoes do exercicio da
que oMiifMH|p<
TonJo dissipadoas trevas, e feil
a luz, o Vorbo deixou a terra, ja" n
p.du sou sangue, subio,parao rein
Outro toca a li nbria de sens longos ves- Eteruo Pai: "nas nao duixou orphfios os
til s, e alTasla-se lento... seus amajos fillios, aos quaes dirinj com
I'm iLToeiro acaricia-lhe, sorriuJo as ma- elerna .issislencia.
dcixas ni'gras... Para dofonde los contra 0 erro, otlhristo
Entao o mais grave o formoso dos oudiaos edific ju a colu.nna da verdade, sobre uina
seadiauta ; conle.Tipla exlatico Nelumbia e fir.ne pudra, e olla conserva-se iriabalavel,
tomando-a ligeiro oos bragos, dasapparece ha dozon ,ve seculos, apezar das tonapestados
n'um rolo do espumas... du exterior o dos escaudalos iiiteruos, por
Os companhoiros seguem-n'o sorrindo, que o podor diviuo susienta a area que con-
cantando sempre e o silencto eslsnde-se de serva imnaoulada a verdade que do ceo Ihe
novosobrea plaga deserts. foi conllada.
IV a luz qu Jesus Christo trouxe do coo,
Nos crvstalinos pac-is que se elevam no dove briliiar sompre para esclarocer os bo-
fucido do oceano.luz mysieriusa illumina os meus ate os ultihios seculos, o por isso Elle
doudos fulguedos dosgeniosinariuhos. edificau a sua igreja s.ibre a rocba iuabala
As loiras ondiuas, sacolem as loogas vel, e lb j traus uittio toJo o poder, quo lho
cabelleira* gottojaules. onde a porola brilba foi da do no ceo e na torra.
e desmaia como a ol,di>ca nos auroos co- A sauta igreja tern, pois, polos poleros
xins ; na transparencia dos veos de espuma que recebuu, plena autoridado para enstnar
di'soiiham-se sens tdlvs aereos quo as mais e para reger : Me, pots, disse Jesus, en-
liu las nycnplias langui lamente enlacam. sinai.toJas asgoiites, baptizando as em n -
Os ondinos, abrara los a alaules do co medo l'adro, o do Pilhoe do Espirito'-San-
ral, onto m cantos t5o doces, tao doces que to, e onsinaudo-as a observar to.las as cou-
o p/.ir drsvLi do coracao quo os recolhe e sas, que vos tonho mmdado. E' evidou-
) pranto da face que ellos amimam I te por conseguiute a autoridado da Igreja
Sobre um loilo de r.onchas e perojas, jaz para onsinar.
Ni'liimbia tao ma 11! taofria. | To Jos que fazem parle 8a igreja lem 0
E os cantos nais o mais se animam ; de rigoroso Sever de crer no que ella onsfn i,
pl.tiigoutes que oram as noUs, vibraiites se porquo o mosmo Christo disse : 0 quo
tornisn, d ; oa la t'.ice que elles amimam I j crer sord salvo, o que nao crer sord con-
Est 'ii I da sobro u n leito dc conchas edemuado.
perslas', repojisa Nolumbia, tao mu la tao I A S. Te Iro phncipalmenle, e aos seus
fria I 'successores, foi dado o poder do ensinar,
E as fostas o o; cantos, mais e mais se, disse o Salvador d Simao Pedro : Apas-
ani.'ium, do plaugoiitos quo eram as notas con.a os meus cordoiros, o apascenta as 'mi-
vibrantes so toruam : decada iuslrumento, ( nhas ovolhas.
locein.nito tangide, foge uma cascata de i (loraluieuto enlenJem que os simples fieis
>ns argentiii s quo despenha se pelas gale- s.'o ligurados polos corleiros e o> [i.isto/os
rtas submarinas pelas ovelhas. A S. Peiro foi, portanto,
As virgons oo-amcas voam arrebatadas na quo o Soniior conliou o cuiJado de iustniir
vi.-rtigoiii do uma dansa phantaslica ; a fc- o alirnentar a to los os membro- da igroja.
bro coloroia suas nova las faces, o amor agi-
ta sens soios sempre calmos .
E el las daiisam, dansam, dansam verti-
giuosamente em torno do leito onde repou-
sa Nelumbia, til i mu la lao fria 1 .
Sobre a lilha da terra enclioa-se Lotbos,
Disse in a is Jesus diristo a Pedro : Eu
roguei por ti, para que a lua fe nao fa I to ;
e lu oiilim, dopoisde couverlido, conGrma
a teus innaos.
A fe do Po Iro e seus successoros, e pois".
infalliveL, p irque o ToJo PoJoroio assim o
o mais hello genio do oceano. de instru-;quiz, e o prmcipo dos apostolos e que dove
menlo doccm$nte tangi lo foge uma cascata confirm ir a sous innaos, quo devem sub-
;or^
m^'ttor so aO sou ensino. Era tiocessario
que a igreja tivosse esta autoridade para
ensinar, sem o qucelia nao poderia oonsor
var perpoluamente a unidade de sua dou-
trina.
A igreja tern plena autoridade para reger,
como se ve dos seguimes textos ovangelhi-
cos : l'e Iro confessou a diviuJade de Jesus
Christo, eo seu Divino Mostre lho respon-
deu Ta.nbem eu te digo, que tu es Pe-
dro, e sobre esta pedra edificarei a minha
igreja, e as portasdo inferno .jiao prenalece-
r.'u contra ella. E eu te darei as chaves do
reino dos ceos; e tudo o que ligares sobre a
terra serd ligado t^mbem nos ceos, e tudo o
quo desataros sobre a terra serd desatado
tambe.n dos ceos.
Por estas magnifkas prerogativas que o
Deus llumanado concedeu a Pedro e a sous
sucessores, e claro qno elles receberam do
uiesmo Deus plena autoridade para fazerem
as leis nocossai ias, para reger e dirigir a
igreja ao seu glorioso destiuo.
A igreja 6 a unica perfeita e a mais no-
bre de tolas as sociedados, ella torn p|eno
poder do ensinar e reger, e ndo poderd fa-
ze/ parte dosta livina congregagdo aquelle
que nao cror net seu ensino, ou nao te re-
ger pola sui doutrina, 0 que nao ouve
a igreja serd como um gentio ou um publi-
cauo, disse o Salvador.
A igr.ja de Jesus Christo tem, alem da-
quelles poderes, os quatros seguiutes c tores distinctivos, que manifestam a sua ori-
goin diviua, e torna.n a sua autoridade mais
respeitavel.
A igreja e uma, os 2'50milh6o; decatho-
licos, espalbados p.-las cinco-pdrtes do globo,
fallan Jo diversas linguas, do costumes e in-
doles differentes estao entretanto de perfeito
a.cordo e harmonia sobre os dogmas da
religiao. Ligados pela mesma fe, laco mag-
nifico que os uue qdnfiravelmonte em todos
os tempos, assim o sabio como o ignorante,
o anciao e o menino que recilam sempre o
mesmo symbolo e recebem em toda a parte
os mosmos sacramonlos. Esta unifonniJa-
de-de fe, conservada por tantos seculos en
ire costumes tdo variados, e umss das pro-
vas evidentes que a sua origem nio e hu-
mana.
Ella e catholica, isto e do nina do norle
ao sul, e do onentc ao occidente, abrauge
tod^s os tempos.
Revelada aos primoiros hoinons, desen/ol-
vida nalei, e completada no ovangoliio, ella
excede os limites da vida mortal, e no ceo
e triumpbaute e perfeita. Ora, s& Deus e
que p6 le pjrpeluar e estender assim* os
poderes do uma sociedade, Elle e por con
seguinteo fundador da igreja.
Ella e ai'ostolica, porqne foram os doze
apostolos, que sain armas, sem forcas e
sem nenhuma sciencia a funiara n, apezar
da opposicao dos Cezares e da rebeldia das
paiioes que ella fulminava, e da morte
cruel e ignominiosa que ameavaca aos con-
fessores dessa doutrina, que adorava como
Deus a um homem que foi crucilicado.
Sem a assistencia diviua, como poderiam
os apostolos reformar o mundo, vencendo
tdo grandes obstaculos, e com meios tao
frageis! -
Finalmente, a igreja e romana, porq
em Roma a sua sede. Onde era a morada
dos imperadores que a combatiam, o centro
da idolatria que a porseguia, a cidade in-
veucivel dos povos arraados, rendeu-se a
um pobre pescador desarmado 1 .
A idolatria cabin por terra, e em lugar
de Cezar, souhor do mundo, estd o chefe do
mundo civilisado, o successor de Pedro, o
pobre pescador. Tao prodigioso triumpbo
nao se- poderia dar sem a intervoncSo de
Deus, por consequencia, a origem divina da
A IGREJA DE CHRISTO. igreja catholica e* evideuteraente provada
A brilhante luz da verdade ndo resplan- por estes quatro caracteres.' A igreja foi
decia na terra, a idolatria dominava o ho- iustituida pelo Omuipotente para ensinar
mem, que offerecia o incenso de suas ado- aos bmons a cumprir os seus deveres para
racoes a divindados imaginarias.. com Deus, o quo a desobedweer, desobedeee
Entao o Verbo de Deus, descendo d ter- a Deus, e que e contra ella, e contra o Deus
ra. fez resplandecer a luz, e a verdadejloi quo a instituio.
ensinada aos homens. | A igreja torn outro signal distinctivo, pre-
Uma doutrina celeste, uma moral divina, duo polo mesmo Salvador : Tor causa
foi pregada de uma d oulra extrem-dade do d>> meu iiome sereis oiiado por toJus. w
gl0Dl(. i A voidtiileiia igreja so disftiguird das que
0 verdadoiro Dous, ate entio quasi desco- lhe q'uewm roubar o glurioso titulo de es-
ubocido, comcrni a sor adoiado, o oho- posa de Christo, por uma coroa de espmhos,
jme o oLvoLi-se'co: coimvuiiieoente,qua ella traxd sempre eai sua froate, para
rac'io, a essc Deus infi-,a>semelur-se ao seu divino esposo; serd
|nilUi i sompre perseguiib, porque ella aio taxi
Jo sons, quo dospenlum se afgontinos polas
ga erias siibmorinas .
As virgens oceauicas voam arrebatadas
na verligoMi dd u.na dansa pbantastica : a
lebre coloroia suas faces nevadas e o amor,
o poderoso amor, agita sous seios, sempro
calmos I
E ollas dansam, dansam, dansam em tor-
no do leito, oule jaz Nolumbia, tao muda I
tao fria 1.. .
Sobre a filha da torra inclina-se Lothos,
o mais bello mincebo do oceano.
Seus bracos diaphanos. cingera o collo
moreno da liuala, sobre cuja tez o sangue
nalaio circulava oul'rora como um rio de
lavas .
Sous olhsres apaixonados embcd>om-so
nosolhos, immoveis della, olhos qne a pai
xao illuminav;i com tao vivos lampejos, e
que o halito da morte para sempre ge-
lou .
Sous labios se aproximam dos labios
gelados da moca, labios quo jd nao sabem
sorrir; e a elles so collam n'um beijo do
fogo .
Entao, como aquelle beijo levasse lhe
ii;n raio dc vida, N'.iiimbia estremece doce-
mente.
Sou c llo jdsublova Seu olhos esclare-
ccm-se do u ve, c osangue vai em bre-
ve circular-lho nas veias com a poderosa
siiva da moridado, da bel-leza e do sen-
timonlo.
Mas seu talhe a lelgaga-se, adolgaca-se,
adelgaca-so, ds doudas caricias do ondino,
e erige-so pouco a pouco em floxuoso has-
'il .
Reno vos melinlrosos lancam seus br.icos
formosos .
Suas plantas mimosas enraizam-se na lia
narinha, e de suas faces surgem largas
petalas douradas, que se agrupam graciosa-
mente em torno dos labios, airedonnados
em rubra e ellluviosa corolla 1
\' esta vista, Lothros desmaia, borrori-
sado, nos bracos das ondinas.
X
Ouando os primeiros Hobores matufinos
arquojam-se em nimbo no Orientc e a pri-
meira aragem oscula de love a plaga asiati-
ca, uma flor de esplendida belleza euierge
do seio dos maaes, e fluctua d superficie das
aguas, melancolicamento voltada para o le-
vante.
Das petalas louras, levemente rosadas,
escapa-se uma multidao de gottasbrilharites,
tdo brilhantes como as lagrimas que chora
a formosura abanJonanda ; do calico ru-
bro tao rubro como a forida que amor abre
no corarao da moca scismadora, escapam-
se queixumes plangentes .
Ella fluctua, ella chora a fr61 da onda
emquanto o sol brilha e lhe sorri de espa-
qo ; e quando o crepusculo desce sobre a
paargem errna, a Q6r velando-se de subito-
nas sorubras de uma profunJa tristeza, cer-
ra as petalas mimosas, e mergulha suspU
rando nas aguas.
Os navegantes que sorprehendem seis
doces gemidos, sentom-se irresistivelmente
attrabidos para a linla creaturiuha aqaatica;
e tornados de supersticioso terror, quando
distinguem ao longe a Nelumbia fluctuante,
elles uvurmuram outre si.
Ella possue a alma gemedora da
mulher que ama sem esperanca I
No fundo do mar jd ndo resoam mais os
cairtjs jubilosos dos genios ; ondinos e
ondinas choram a desappajigao de Lothos,
que nao podendo resignar-se d perda de Ne-
lumbia, exiiou se no bergo natal.
Sua imagim pensativa reflecte-se hoje. no
espclho trausperente do Nilo.
Narci/.a Amai.ia.
ipro eo ella serd trium
phaute.
Salve, igreja santa, victima sagrda, sem-
pre porseguida e sempre triumphante e glo-
riosa, salve I
' Hunra a teus filhis submissos, e louyor
a teus iutrepidos defens res.
Emilia Augusta Pi;sii>o.
VARIEDAM
I olln-tini do Uhtrio Jo IKio.
D0M1N60, 21 DE SETEMBRO DE I8 7;t.
HSo de estar lembrados, quo segunda
feira d noite esparzia-se do ceo ihuvamiu-
d, tri>tonha, despretein iosa, ohuva, qne in-
sensivelmentft ia rofn s audo a athmosphera,
faz-ndo o sangue fugir da cut is de muita
moca bonita, transforman lo-lhe o rosto em
candido lyriu, ou em magnolia loveuiente
aiuorcnada.
Digim o que dissorom, a opiniao mais
goral prefere um rosto oxanguo a iru rosto
bringel.i, a um rosto, em que a vi la esta tu-
mida e rutilaulemonlo desenhada. A prova
e, quo d pallidez da face appli ainos ha
muito tempo o delicado epilhoto- romau-
tica.
K' este epitheto, que lambbin applicarei
d iioiU* de segunda-feira. Kealmento estove
ella romanlica em exlreuio, apo/.ar do nein
lua, oem estrellas Ihe espiarem as razoos de
tl rommtismo.
No romaaue o melhor capitulo o sempro
aquelle, em que os amautes pela primeira
vez se enuMitrnm em vapuroso biile. 0
titulo in.iis recominendavel noite e o facto de haver-se clleoiua lo o bai
le do corrente inez, bade em que rouuiram
se as numerosas bnnilias, quo freqiiouiani,
abrilhanttm e aprimoram q salao des-
iumhranto da socielaile N. Cassiuo Flumi-
nenso.
Suas magestades imporiaos a elle co.npa-
recerun e tiverem a fclicidade do ve-lo
bastante concorrido, e ndo em desanimaJo-
ra vasaute, como que nota-so em algumas
partidas.
Kiquissimas toilettes se aprosentara'n,
ca la qual mais me.noravel, qucr no gosto,
quer no foitio, quor principal mente por per-
tencer a um anjo na formosura dos m Ides
do corp > e no lyrismo dos mais teruos sen-
timentos.
Dispunha-me a examinar u;n |>or um to-
das essas brilhantes toilettes, quau In a or-
chestra comecnu a tocar, eum joven doutor
tomou-me do braco, dizendo-me :
Vamos para cd. E' meu destine im-
plicar com esta orch'Stra do Cassiuo I Nio
posso ouvi-la em du is quadrilhas seguidas.
Quero pe lir-lue um outro favor, jd que nao
conseguio substilui-1 a por uma, que fosse
mais soffrivel.
E, chegando-se a um ponto aftastalo da-
quelle saldo, tirou da algiboira umas folhas
de papel o perguiilan lo-me :
Promotte-me nnprunir o que ahi vai
escripto ?
Tom seus conformos ..
Nao senhor, nao admitto !.... ha de
prometter-mo, sem rostriccao alguma, e
tanto que dosde jd exijo, quo seja no proxi-
mo domiugo
Sinto nao poder sem lo; ndo sei do
que se trata.
Olhe. que ficamos mal... para toda a
vida I
Pariencia.... preoiso dosirever este
baile.
- Pois substitua a descripcao polos
versos.
Ah I sao versos.... e outro cantar,
p6 le eutrega-los e fica por sua coma, se
alguo n eutristecer se de nao ver. os pri-
mores le sua toilette, apreciados em letra re-
donda.
Tono a responsabilidvle Peco-lhe
apenas que declare, que taes versos
sdo fragmentos de um poemeto co.no mesmo
titulo.
Cumpramos a promessa.
AOS BEIJOS...
(HtAUMENTO.i
Tout itiso : ils ont ainie
(Ltun.irtine.)
Do uuvai a pairar a vanes sussurrantes
revoivflttlothesouro, exposto & distraccao
c, nesso flxamo, afoga a traiooeira rr.agoa,
que te'nde a eomprimir-lho o Iragil 3oracuo.
(Em que scism.iva a s6s, quo poftinaz idea,
fogosa alimentava o pensameuto om chamma?
Impossiv.l sabo lo 1... em mjstico siloucio,
iravava alllicto olhar in vasto panorama.
Suppoo lo a assim, convem.nao vaopeusar
que esteja, como Agar,
sem teclo, sem ningueai para anima-Ia
outre beijos e abraoi tantos... tantos!...
capazes de afoga-la.
Nao de corto, que havia na esplanada
do col I ma adorada
um pouso piitoresco entre os verdor-> ;
la vivia (Air, joven poeta,
que lho votava a pores.
Era do ambus o suidoso abrigo,
coutidonto e amigo,
osquecido no iuveruo o risitado,
quando viuha o vorao eucher a curl'!
de um sopro afogueado.
Pouco distava do rcnlral bulicio,
do vivor ficticio,
que perliu ba ao cpao seoto, ao que descobre
a visao, que sonhara, e lhe, lOUSJigra
amor profundo e nobre.
-Mas folizmimte aquelle humilde iiinho,
da candura do anuinho,
estava de uma voz f6ra do alcance;
n terra nao contava OJtro scenario,
mais projirio de um romance.
Devemos nos suppor em tardes de Janeiro,
em torno a tropical, pomposa naturoza,
ouvindo o resomnar plangente de cascatas,
de flores mil gosando a Candida pureza ;
devemos nos suppor, que vemos, descuidada,
vagar bella mulher, um tjpo seductor I....
no talhe divinal, nos olhos perigosos,
noquente corai;ao, mostr mdoquenteamorl
Ndoprima no trajar.queesimples, iricorrecto,
bastante resumido... improprio paraalguem;
os moldes da cintura ao collo avelludado
envolve-os em lon^ol, mais, alvo, que cecem.
Abraca-lhea cintura, apenas... feliz saia I
descendo, graciosa, a rnstej.ir no chdo ;
6 muito natural, depois de tal exposto,
tirar-se esta evidente o facil conclusSo ;
quando o vento. estouvarto, a dobras do lenco,
soprando ingeiiuamente, aos ares levantava,
espaduas sera rival I o bra^o torneado I...
o dorso Undo 1... o seio a tremular mostrava!
Mas isso uada vai em plena soledade,
ausente de um olhar, e livre do censura ;
na cdrte, nos saldes, imagem de recato,
fecbava no setnn, na seda a formosura.
Seis cSes tigres de for^a, affeitos ao assalto,
snbendo arremetter ao mais ligeiro aceuo,
baniam de sua alma os feminis temores,
dixavam-n', vagasso em ermo tao ameno.
Tinha andado de mais 1 tornava-so offegante,
cansada resolveu deitar-se sobre a relva.
e, tendo-o feito, o canto ouvia, arrebatada,
d'uma ave, que voasse a se tsconder na selva.
Era a deusa da gra^a 1 os hymnos merecia
da lyra de um poeta, apaixonado, egregio ;
tinha a face encostadad mao. pequena, airosa,
seria a Maglalena adeslumbrar Correggio ?
Nao sei, poso di*r, e a bem de uma verdade,
quo as ionnas desie impo original... sublime t
sdo da Venus de Milo o ideal visado,
negar-lhes primazia, enleudo t"6ra um crime.
Corre iiiontesdaCircassU
preci nwis terua languidez4
nos p
De in>

* *
Abre ) joven amanle una janella ;
Nos olhos quo soinbria inquietacao !
que sustos, quo receios encontrados
gerava-lho a paixao.
Ei-la!... a minha Chloel... Id jaz deilada,
.sosiuha, abaiidouada 1
Eu jd vou disporta-la entre harmouias, '
os beijos. que darei so eu sabemos
e mudasserranias.
Dito isto, dos ferros da parede
desata a doce rede,
e da gaveta do uma cstaute annosa
tomou, a couipanheira dos idylios
a tlauta maviosa.
* *
Como so fosse monino,
ligoire, leve, travesso,
vence a carreira o espesso
camiuho, que vai ter la ;
mas, ao chegar-se tie perto,
collie forcas, en segredo
preivle a relo ao alvoredo,
d cuja sombra ella estd.
Na flauta seutimental
encadeada uma falla
vai deliraule abracal-a,
por vel-a, quese voltou,
e, tendo-a chegada ao poito,
esta queixa amargurada
d'aquelles labios de fa>Ia
bem commovido ftscutou :
Oh I nao me accuses, nao, de haver deixado
a tua companhia ;
indaga no meu rosto inda os vesligtos
da magoa, que o pungia.
Eu... cosondo a teu lado a todo iustanlo
teus olhos procurava,
que liam n'um volumo-^issa leitura
de mim te soparava.
^ ca la pngina no teu rosto havia
tal crescente attencao...
que pouco e pouco me crescia n'alma
indomita afOicao.
Tive momentos ds invocar a calma,
assomos de bonanca,
discutindo essa d6r, julgueia fulil
e proprin de criam;a.
Rellecttda me dissese prudentc,
_ espera... elle, sorrindo,
vem jd chamar-te a partilhar enlevos,
quo o ves ora sentiudo.
Esperai... mas o tempo era moroso I...
a custo se arrastava...
fez-se nouto a final dentro em minh'nlma
que a nada se aclarava !
E muda... e triste... me apartei de ti,
quo nao me vista assim,
porque bem longe d'este lar pairavas,
esquecido de raira.
Ouasi de rastos, fui desatinada
ao quarto me despir,
sobre o leito atirei-me, quebrantada
tcntei, pobre I dormir.
Debalde, que apezar do alliviada
de vestes, de lencol,
latcjava-me a fronle, o corpo ardia,
tao quente, como o sol.
0 que fiz... jd nem sei; ve de meu trajo,
que doudo desalinho!...
ndo te posso explicar, quanto soffrera
por falta de um carinho '
Yaguei por valles, superei vertentes,
aqui vim repousar;
estes caes o fizeram... nao so cansam
de sempre me agradar ;
nao sdo, como o amor, tdo delicados,
que cedam de fadiga;
conhecem, te morrer, a voz, que os chama,
que se Ihes mostra amiga !
Calou-se Michol; seus olhos
os de Emilio examinarain,
e n elles, breve, encontraram
o mais innoconte enleio;
vendo os labios, que se abriam
do seu anaiite extremosn,
pulsava forte, amoroso
o holes lo du seio :
quando d'aqui to ausentafijfi
vni d'esse livro em proci
saberds qr.
fsllam tamo iio coracSo,
pnrqiie... s6 follam de ti .,

OuviitnsphraSes toes, Mlchoi rw i sr
a ceo de u;n bem estar, tdoledo, rosicler,
que eufeitasa Hie o rosto a jovial frescura
dos anjos do Senhor, da' mais feliz mulher
Se a timida gazel.la esjiroita o caea lor,
se escula, aeauU'la'la. a nufifa'a sussurrar,
nao tem, como nos seffs, nos olhos de azoviche
a vida forcejan lo our j >rros so entomar.
Dous gauchos rivaes, quel'a muito sMmrasaram
o voam nos corceis em i-ego de^H
nSo lovam t.into eiDpenhA, a vista il i i|uo a leara
do vel-o s'esquecer do ha pouco o desvario.
I'istndemos do parte as fostas, que a HPnina
d boneca goutii ilispensa eiiamorada ;
se conversa com ella, inventa historietas,
0 rosto lhe exa.iiiiia. e a forma doliradt;
nao tem aquolla gra<;a ingenua, especiosn,
eomque Michol seenlrega aoternodevaneio,
n;m e tao natural na voz. ge>tos, requebr s,
no geitoso a Ionian, no vario galantoio.

* *
E os dous se deslazondo em cpIicas toruuras,
ooviiulo o i.somnar languento da flori^sta,
das a^uas o hor.ir, dos passaros o Cnto,
quo exprime liberda le, e paz serena attesta I
Km quanto, a dolirai, bra lavain pessjinistas,
queasortedosmortaeslMisoinpiedi'Sgrrtcada,
cbegadosuui ao outro,as li las loaoscwraii lo,
iliziam so baixioho... em voz. c|ua-i :>pagada :
nossa vida ha do sir um s uiho \i;nlur s -i,
quo passo sobre um iago e dentro do urn batel,
cjue ti iio.-(so pure amar. voyitOiio a iu/. propicij.
do serena, eternal, feliz lua do niol I
COMO SAO EI.IIITOS OS PAPAS. A
fecente enfermilale de 1'io IX causou
inuitos tonmros pela sua vida o natural-
inciile excitou a ciiriosidade geral >obre a
eleigao do sou successor, no caso i-sjirado
de sua morte. 0 papa, I'elizmento para
seus iuiiumeros amigos possoaos tem- me-
Iborado do saude, mas eiilretanlo nao cossa
de merecer a sona attencao Jo inuitos a
quostdo do soguinto pontilicado. Doix agora de la lo tu lo quanlo so loforo no al-
cance politico e social da eloicao, occupar-
nos-hemos somente das formali la los co.n
que se faz.
lmaginomos quo estauios em Roma,
logo depois da morte de um papa. A ci-
iade esta naturalinento alvorotada. As ul-
timas uotas do orgao somoin-se-nas arcadas
do S. Pedro, esld coucluida a missa do E*pi-
i iln-Santo, e, do dous a dous, os setcnti
cardoaes, com suas vestes escalades vao ca-
minhando para o Vaticano pelas azas do
iuimoiiso edilkio, quo entao acha-se api-
nhoad > de vasto concurso do padres e do
povo que caulam o Veni, Crealtr.
Chegados ao Vaticano, os cardoaes diri-
gem-se para um saldo chama lo conclave
-construido expressamontc para esta solem-
nidade, e em cujas galenas ha tuitas ceiias
.quantos sao os cii!i;aes. Cada um dos
m.-mbros tlo Bftnclave e accumpanhado le
dous coiiclavislas ou assisteutes, um
sacerdote e outro sol lado : a estes dous in-
dividuos incumbe prover as nocessidades
pessoaes do cardeal, o a honra de ter sido
coiiclavista e consider ida como uma das
mais elovadas por to la a vida. Estes assis-
teutes, ja se ve, prestain juramento de
guardar segredo doerca dos trabalhos do
conclave.
Nas primeiras vinte e quatro boras da
sessao, perraitte-se a pre=enga de embai-
xadores e dos (pie teem iiltresso esjieciat
na eloicao do papa ; mas ds tres boras da
inanlia seguinte, um sino dd signal quo
todos oxcepto us mombros do conclave e
seus ajudantes, devem relirar-se d'alii.
Entao cerrara-se todas as portas e janellas,
exc^pto uma pequeua janolla para a passa-
gem do alimento. Si no lim de tres dias,
ndo se torn chega.lo a ologer um pap.i, os
cardeaos come^am a s6 roceber dous ali-
mentos por dia. Se a eleieao nao so decla-
re alii o oitavo dia, de entao em diante,
elles s6 recebem para nutrii;ao pdo, agua o
vinho,- ate que se eleja o papa, a eleicdo
de Greguiio X foi retardadp ties annos por
varios motivos: para obviar a futoias pro-
logaco.'S, o eouciiio de I.ydo, em 127*, de-
terminou quo a eleicdo do ponlilice se faija
dentro de dez dias depois da morte do an-
tecessor ; e esta coustituicao ain-la. hoje
;ora.
Innocencio III prescroveu que a eleicdo
\sa possa fazer do quatro modos divorsos;
por inspiracao, comproiuisso, escrutinio a
accesso.
Os enrdeaes elegem um papa por ins-
piracao ineiieiouando em alta voz, por
um impulso repentiuo, o nome da pessof*
que desejam elevar ao pontificado. E.-io
melhodo nao e muito seguido.
Faz-se a eleicdo por comproiuisso qoaodo
o collogio, nao podondo chegar a fazer uina
oscolha, a coiilwnn a um membro do con-
clave, e depois continnam a nomeucdo.
Este methodo nao tem sido muito seguwo
desde que um cardeal esperto, depois do
ter obtido promessas solomnes de cada um
de seus collegas para confu mar a sua esco-
lha, elogeu-se papa a si mosmo, sob o
nome de Joao XXII. _
0 modo mais cominuin da eleicdo do pa-
pa eo do escrutiuio. Cada um dos cardea-s
lira de uma bacia de ouro um cartdu em
que oscreve o seu nome eo do .em que re-
cane u seu voto. Este- cartoes sao deposi-
tados, com muitas gonuflexoos, em um gran-
do calix no altar e depois sao con ados, com
muitas ceremonias por pessoas eleitas para
essefim. Ocar^Bd que reoobeu os votos
de dous tercos do collegio e declarado eleilo
papa.
Quando, depois de varios experimentus,
noiihum canJidalo obto -1 maiorn de
dous tercos, os card, es pOJi MLCCedtr ao
voto de outros, e e; a *> seus car-
toes uomcertas for"-* alidades, m faz a elei-
cdo chamada por d.cesso. Todas as cedulits.
sdo logo depois eotregues ds chammas.
Continuar-sc-hu.
V
V/
i
TVP. IX) DLAIUO -HUA DCQl
Munimo
- f"W TTT-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9GSS5WQ6_S4MK07 INGEST_TIME 2014-05-27T23:26:58Z PACKAGE AA00011611_16692
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES